Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16607


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AIIO Lili--NDMBIM38
l'Alll A CAPITAL 12 LI!CAB^*i 0\Ii: NAO SE PACA PORTE
Por tres meztii adian&ido
Por seis dilos dem......
Por um anno -dem......
Jada numero avuiso, do meamo dia.
60OOU
120000
240000
#100
SEITA-FM 18 I WO DE 1
PARA iEITRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados.....
Por nove ditos dem.......
Por um anno dem. ......
Cada numero aguiso, de diB anteriores.
2000
27000?
0lJ>
DIARIO DE
NAMBGO
Proprietafc %t Jaiwel -ftgurira i>e -feria 4 Mtyos
TELEGRAMMAS

i
i
-4
ssaviso i: ahicia ams
(Especial para o Diario)
BRUXELLAS, 16 de Junho, tarde.
Os> Irabalbadore dai minan de
carv&o de pedra de Mobn adiara
e ena orkve, a qual Ja Me emende aon
entabeleclmentoa similares da sne-
nia rcgio.
MUNICH, 16 de Junho.
As exequias solemne* por alosa
da re I.ni* II. sero celebradas no
sabbada prximo.
LONDRES, i7 de Junho.
A canapanba eleiloral na Ingla-
terra j comecoa.
Agencia Ha vas, filial oai Pernarnbuco,
17 oe Junho de 1886.
INSTRUCCiO POPULAR
MYTHOLOGIA
( Extrahido )
DA BIBLIOTUECA DO POVO E DAS ESCOLAS
iConutuafo)
Ceres e Baeeho
Crea e Baccbo eratn propriamente as divinda-
dea padroeiras di agricultura. Crea protega es-
pecialmente as searaa ; Baeeho era o deus da vi-
nicultura.-
Ceres, filha de Saturno e de Cybele, teve de sen
rmo Jpiter urna filha, por noine Proserpin, a
quem I'lutSo secretamente raptou quando urna
vaz andar divagando pelos campos da Sicilia.
Ceres iifflictissma, apenas deu pela ausencia da
filha, correu de trra em trra procurad'ella, aem
descancar um momento; n'estas lnngaa peregrina-
coes Baeeho se prestou obsequiosamente a acom-
panbl -a.
Embreubando-ae as florestas, galgando raon-
tanhas, atravesando ros, Ceres nem mesmo de
noite suspende as sas diligentes nveatigaces;
para alumiar-se durante as trevaa nocturnas, to
das as neitea accende doia archotea, e assim proe
segu ineansavel.
Chegando s margena do lago de Syracusa, de-
para se Ihe all o veo de Proaerpina, doduz d'ahi
que a filha passara por aquelles sitios, e logo a
pouca distancia eucontr.". a nympba Arethusa, que
d cabaos intormaedes de quem havia sido o rapta-
dor. Ceres ente, subindo a um carro puxado por
dons drago s, remanta-ae inmediatamente u
Olympo, e apresentando-se ante Jpiter, lavada
em lagrimas Ihe pede justca contra a violencia de
Plutao. Tratou Jpiter de serenar-lhe a colera
ponderando-I le quanto ella devia jnlgar honrosa
a allianca conjugal entie Proserpina e o monarcha
des Infernos ; mas argumento nenhum dos qne
Jpiter Ihe apresentou nesse sentido pode sua-
visar-lher a magoa ou dissuadil-a do intento de
rebaver a filha, .e continuou a instar] para que
esta Ihe fosse restituida.
Disse Jpiter entilo que, visto Ceres insistir pela
restituico da filha, permittido Ihe sena revocal-a
da manaao infernal, se Proserpina depois de all
baver dado entrada nao tivesse tomado anda a
mnima refeicao. Meio traoquillisada com a de-
cso (alias irrevogavel, porque era um decreto do
Destino) parti immediatamente na direceo dos
Infernos : soube, porm, no caminbo, por interven-
co de Ascalapho, que Proserpina havia colhido
nos jardins de Pluto urna roma e d'esta comido
sete bagos. Ceres, nao poOendo resist-r pungeu-
tissima angustia que esta noticia llie causen, dea-
afogon a sua colera em Ascalapho, metamorpho-
aeando-o em mocho.
Jpiter, porm, cens guio remediar de certo
modo o inexoravel decr. to e consolar um pouco a
desditosa Ceres, ordenando que de cada anno
passasse Proserpina inetade em comptnhia do ma-
rido e na outra metade fosse como visita viver em
companhia da mi.
> Entre o tartreo rmo e a irm chorosa.
Jnpiter por igual reparte o aano ;
Em mundos dous Proserpina deidade,
Seis mezea vem luz, vai seis s trevaa ;
Tanto terapo da mi, como do esposo.
De animo e rosta, de repente muda :
L, t meamo a Huto parece triste ;
Douram-lhe a face jbilos, mal sobe ;
Qual sol que um'hora desparece em nuvens.
Outr'ora as rasga e triumpbal resplende.
OvidioAtetamorphoses, V
(TraduccSo de Castilho)
(Contina)
fantaris, o tenente do 17, Fausto Martina Ribeiro,
e para este batalho o tenente do 9, Paulino
Vieira de Mello e Silva.
Foi exonerad'), a seu pedido, do cargo de
aJHdante do 10 batalho de infantaria Joaquim
Elias Peixoto, e nomeado em sen lugar o alteres
Laureano da Costa.
---------------~1^mtf&l9*vi wm~~-------------'-------
Ministerio da Mariana
Por titulo de 8 do correte foi nomeado Ame-
rico Carlos de Mtriz e Barros para o lugar de pra-
ticante da Contado -ia de Marinha, de conformi-
dade com o Tegulamento annexo ao decreto n.
4,214 de 20 de Junho de 1668.
Concedeu-M ao invalido, imperial marinheiro
de 1' classe, Anastacio Jos Antonio, licenca para
residir na Baha, percebendo pela respectiva The-
souraria de Fazenda o sold e a importancia da
raco a que tem direito.
Nomeou-se o imperial marinheiro Marco*
de Amarante gurdio no corpo de officiaeo mari-
nheiros.
/ARTE FFlUAib
Ministerio da Faz oda
Por decreto de 5 do correute, toi concedida a
Aristides Brasilino de Barcellos Freir a demisso
que pedio, do lugar de memoro do conseibo e-
cal da Caixa Econmica e Monte de Soccorro da
provincia do Espirito-Santo.
Por decreto de 5 do corrente foram nomea-
doa : 1 escripuirario da Tbeaouraria da Fazenda
do Para o 2 Antonio Feliciano da Cunha e Oli-
veira; 2 escripturario dito o 3" Clemente Toseano
de Vaaconcellos.
Por titulo da meama data foram nomsadoa :
3 escripturario d'squella thesouraria o praticante
Antonio Augusto da Siiva.
O pratjcante, Washington Saturnino da Cruz.
Pelo Ministerio da Fazenda foi declarado
Thesourariu do Ki* Grande do Norte nao poder
ser approviido o provimento que deu a meama re-
partico ao recurso nter posto da decisao pela
qual a Alfandega negou restituico dos direitaa
pagos por objectos importados paia uso, coaser-
vacao e reparacoes da ferro-via do Natal i Nova-
Cruz, por quanto taes objectos somente podenam
ser sentados de direitos no cako de nao se acbar
aberta a estrada so trafego publico ou por dispe-
sico da tarifa a qual nicamente se refere no srt.
1066 a locomotivas e pecas componentes.
Ministerio da Guerra
Foram transferidos : para o 9 batalho de in-
Goverao da provincia
KXPEDIENTE DO DIA 5 DE JUNHO DE 1886
Actos:
O vice-presiJsnte da provincia, em execuco
da lei n. 2,395 de 10 de Setembro de 1873, resolve
nomear pira preeuchimento das vagas existentes
u j 2 corpo de cavallaria da guarda nacional di
comarca da Victoria os seguintes officia- s :
l. R8Q0ADB0
/. companhia
Tenente, V cente Mara de Hollanda Cavalcante.
Alferea, Jea Henrique de Souza.
2 companhia
Alferea. Antonio Ferreira de Albuquerque Mello.
' 2 E8QCADKO
4.' companhia
Capito, Jos Xavier Cavalcante Wanderley.
Alferea, Heirique Diaa da Silva.
O vi ce-presidente da provincia, em execuce
da lei n. 2,395 de 10 de Setembro de 1873, reaolvo
nomear, para preencimento daa vagas existentes
no 13* bata'.ho do servico activo da guarda na-
cional do comarca da Victoria os seguintes offi-
ciaea :
1'. companhia
Alferea, Manoel Loiz de Almeida.
S.' companhia
Tenente, Caetano Bento de Araujo Figue'redo.
8.' companhia
Alterca, Joo Cancio C valcante de Albuquerque.
O vice-prradeate da provincia, em execuco
da le n. 2,395 de 10 de Setembro de 1883, resol ve
nomear Marcelino. Mara de H illanda Cavalcante
para o posto d alferes da 8a companhia do 12*
batalho do servico activo di guarda nacional da
comarca da Victoria, em anbstuuico de Joaquim
Soares de Figunredo que deixou de solicitar a
respectiva pt-ute no praso legal.Comnuni-
cou-se so commandante superior.
O vice-presidente da provincia, tendo em
vista o exposto pelo inspector da Thesouraria de
Fazenda em olficio de hontem, sob n. 47S, resolve
no* termos do art. 76 1 da consolidaco das
leis das alfande^as e m.-sas de rendas, diaignar o
chefe da 1* seceo da Alfandrga, Jos Goncilves
de Medeiroa, para exercer as tunecoes de inspec
tor da tnesma Alfandega, durante o impedimento
do respectivo serventuario que entrou no goso de
tres metes de lic-nca, que Ihe foi concedida. -
Commuoico ae a Tbeaouraria de Fazenda.
O vice prea dente da provincia, attendendo
ao que requerm o promoto- publico da comarca de
Rio Formoso bachirel Diomedes Theodoro da
C.sta, resolve onc-der-lli 30 das de licenca,
com o ordenado integral, para tratar de sua sade,
devendo o peticionario entrar uo goso da referida
licenca no prazo de 15 "lias.
O vice-presidente da provincia, de confor-
midade com a proposta do Dr. chefe de polica em
officio n. 550 de 1* do corrente mez, resolve no-
mear os cidados Rosendo de Olivoira e Silva e
Candido Jos Bexerra para os cargos de 2* e 3
supplentes do subdelegado do 1* distncto de Leo-
poldina em substituico dos actuaos, que mudaram
de residencia.
Oficios :
Ao commandante das armas. Para seu co-
nhecimento e fins convenientes declaro a V. Exc,
que, de conformidade com o aviso o Ministerio
da Guerra de 26 de Maio findo, autoriso, n'esta
data o director do Arsenal de Guerra a mandar
forn^cer ao 14 batalho de infantaria os uten-
silios coustantes da inclusa nota por copia, orga-
nisada na repartico de Quartel-Mestre General
em 15 de Abril ultimo e na importancia de......
3104455, marcado no citado aviso.
Ao mesmo.Nao tendo o Arsenal de Guerra,
segundo informa o director, em officio n. 396. de 1
do corrente. calcado em deposito para de prompto
fazer fornecimento ao corpo, e havendo o conielho
de compras, em sesso de 11 de Maio findo, acei-
tado propostas para o fornecimento, entre outros
artigos, do de que se trata, solicitou-se do Minis-
terio da Guerra a concessao do crdito preciso, por
nao achar-se a Thesouraria de Fazenda habilitada
para occorrer ao pagamento com a acquisico dos
meamos artigos. O que declaro a V. Ere. para
os fins convenientes e em reaposta ao aeu officio
n. 289, de 29 do mez prximo pasaado:
Ao presidente da provincia do Rio Grande
do Norte. Conforme V. Exc, solicitou em officio
de 29 de Maio ultimo, providenciei boje, para que
a bordo do vapor da Companhia Pernambucana
que seguir para os por tos do norte a 20 do cor-
rente, tenham passagena, a r, desta capital at o
porto do Natal, por conta deesa provincia, Carlos
Bastos, sua mulber e urna filha menor.
A' Thesouraria de Fazenda.Faco constar
a V. S. para seu conhecimento c devidos fins que
de conformidade com o Aviso do Ministerio da
Guerra de 26 de Maio findo, autoriso o director do
Arsenal de Guerra a mandar fornecer ao 14 ba-
talho de infantaria os utensilios constantes da
inclusa nota por copia, organisada na repartico
do Quartel-Mestre General em 15 de Abril ultimo,
na dita importancia de 310*456, marcada no ci-
tado aviso.
ao meamoUorcmunico a V. S., para os fins
convenientes, que o juiz municipal^ do termo de
Serinhem bacbarel Benjamn Rodrigues de Frei
tas Carscciolo, em 1 do corrente entrou no goso
de tres mezes de licenca, provisoriamente e sem
vencimentos, para tratar de aaude qne Ihe conced
em 27 de Maio findo.
Ao mesmoDeclaro a V. S. que a gratifica
cao addicional devi la ao Dr. Albino Goncalves
Meira de Vaaconcellos pela substituico do con-
selheiro Joo Silveira de Souza, legalmente impe-
dido por se achar na corte a servico do governo
imperial, devela ser paga pela verba-peasoal do
ensino da Faculdade de Direito, de conformidade
com a doutrina dos av sos do Ministerio do Impe-
rio de 12 de Agosto do anno pasaado e 1 de .Abril
ultimo. Assim, Jdeferinda o reqOerimento fio re-
Crido Dr. Meira, dou soluco ao assumpto de seu
officio n. 339 de 20 de Maio findo.
Ao commandante interino do corpo de poli
ciaPara que esta presidencia posea resolver sobre
a petico do ex soldado dease corpo, Rodolpbo
Geapo, a quem se referem as informaces de 7 e
28 de Maio prximo paseado sob os. 425 e 49U,
torna-se necessario que esse com mando me infor-
me ainda sobre o seguate :
10 Quem entregou a quaatia de 67*124 ao ex-
soldado Jos Lino de Albuquerque Maranho, e
porque foi entregue ;
2* Se nao devia tor sido fiacalisada esea entrega
recahindo a fiscalitacao ou sobre a pessoa que
entregou, ou sobre Jok Lino, que receben.
3 Que tempo decorreu entre o extravio da men-
cionada qusntia e o conhecimenfo que esse corpo
teve delle.
4 Se o soldado Jos Lino foi disligado do corpo,
ainda estando em Ouricury, ou se se acbava no
quartel.
5 Em qne data foi expedida a ordem dease
commando sobre o recoihimente do quartel meatre
de todas as quantias existentes em poder dos com -
mandantes ae companhias.
Ao director do Arsenal de Guerra.Mande
Vtr.c fornecr ao 14 batalho de infantaria, con-
forme determina o Ministerio da Guerra, em 26
de Maio findo, os utensilios constantes da inclusa
nota organisada na repartico de quartel meatre
general de 15 de Abril ultimo, e mediante a impor-
tancia de 310*455, marcada no citado aviso.
Ao promotor publico de Cimbres. Remet-
iendo a Vmc. copia do oficio que. em data de 31
de Maio ultimo dirigi-me, o promotor publico da
comarca da Escada acerca da facto de terem sido
vendidos all doua escravoa, Francisco e Eugenio
2ue ae achavam comprehendidoa as disposices
o art. 19 do regulamento n. 4835 de 1 Dezem-
bro de 1871, reccmmendo-lhe que procida quanto
antes contra quem estiver em culpa pelo crime de
reducir pessoa livre escravidlo.
Para o bom resultado da diligencia que Ihe
cumpre, remetto a Vmc. copia dojrequenmento que
a esta presidencia dirigi o preto Francisco da
Costa em 26 de Janeiro deste anno, e daa informa-
coca que em de 26 Junho e 19 de Agosto do anno
passalo preetaraoofos juizes de direito e munlci-
paes d't-ssa comarca daa quaea consta que ao tem-
po da venda nao estavam Franciscoe Eugenio ma-
triculados mi forma do citado regulamento, e que
na falta do devido documento da matricula, nao
ae podendo lavrar a eacriptura de venda, o escri-
vo de paz Antonio Belohior Rodrigues de Abren
dera, entretanto, a Vicente de Moura Cavalcante,
certido do enmprimento d'eaaa formalidade, con-
tribuido assim para a perpetracac do delicto de
enjo documento Ihe envi copia.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Igua-
rass -8rva-se Vmc. de dar com urgencia cum-
primento ao despacho d'esta presidencia de 9 de
Dezembro ultimo, proferido no aviso do Ministerio
doa Negocios Eatrangeiros de 26 de Novembro an-
terior, sob n. 1, relativamente ao asaasainato do
italiano Luige Mielli.
Portara :
O Sr gerente da Companhia Pernambucana
mande dar passagem, a r, do porto desta capital
at o de Nat -1, por couta da provinvia do Ro
Grande do Norte, conforme soliciton a presidencia
da meama provincia em officio de 29 de Maio ul-
timo, a Carlos Bastos, sua molber e um filbo me-
nor, no vapor que para all seguir a 20 do cor-
rente.
KXPBDlEaTC DO SBCBETABIO
Ao 1* secretario da Aaaembla Proiiucial
0 Exm. Sr. vice presidente da provincia manda
remetter a V. S em resposta ao aeu officio n. 163
de 20 de Maio findo, as intormacoea em original
prestades pelo Thasouro Provincial a respeito da
petico, que devolvo, do arrematante do pedagio
da barreira de Jaboato, Theotonio Joo da Cunha.
Ao meamo.De ordem do Dxm. Sr. vice-
presidente da provincia transmiti a V. S., em
resposta do seu officio n. 134 de 15 de Abril findo,
a iuformaco junta em original prestada pelo Exm.
biapo diocesano* sobre o projecto annexo ao seu
predito officio.
Ao me3tro.Da ordem do Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia, devolvo a V. S. a petico de
Manoel Heaclito de Albuquerque com a informa-
cao em urigioa), prestada a respeito pela Santa
Caaa de Misericordia do Recife.
Assim respondo ao seu officio n. 157 de 17 de
Maio findo.
Ao mesmo. D- ordem do Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia, devolvo a V. S. em resposta
ao seu cilicio 11. 166, de 25 de Maio findo, as.peti-
(oes de Manoel Alves Pereira de Lima e Philome-
no Raymundo Nunes de Lima, com a informaco
em original* prestada a ronoeito, pelo (Thesouro
Provincial
Ao Dr. chefe de policis.De ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia, devolvo a peti-
co de graca do sentenciado Jos Nogueira da
Silva, a qual nao pode ter o conveniente destino,
por nao ser dirigida ao poder moderador, ficando
assim respondido o officio de V. S., ds 2 do cor-
rente, sob n. 556.
Aojuis municipal de Granito.De ordem
do Exm. Sr. vice-presidente da provincia, commu
nico a V. S. em resposts do officio de 13 de Maio
Sndo, que o cidado Joo Miguel da.Silva Barros
foi exonerado do cargo de 2 supplente do de-
legado dease termo, por portara de 16 de Abril
nltimo.
EXPEDIENTE DO DIA 7J DS JCNHO 1886
Actos :j
O vice-presidente da provioca, attendendo
ao que requereu Antonio Jos de Moraea Sarmen-
t, prolessor da cadeira de trances do Gymnaso
Peroambucano, resolve conceder-lhe tres mezes de
licenca com ordenado para tratar de sua saude
onde Ihe conver.
O vice-presidente di provincia, tendo em
vista oa oficios do commandante do cruzador Pri-
me I ro de Marge e do inspector da Thesouraria de
Faz*nda de 22 e 26 de Maio ultimo ne. 127 e 353,
resolve de conformidade com o disposto no decreto
n. 2884 do 1 de Fevereiro de 1862, abrir um
crdito da quantia de 47*654 verba Forca
Naval do Ministerio da Marinha, exercicio de
18851886, afim de occorrer ao pagamento doa
vencimentos devidos por ajuate de coutas ao dia-
penseiro e cosinbeiro do mesmo cruzador Raymun-
do Barbosa e Caetano Ferreira de Oliveira.Re-
met'eu-se copia Thesouraria de Fazenda.
O vice-presidente da provincia, tendo em
vista o exposto nos officioa do brigadeiro comman-
dante das armas e do inspector da Tbeaouraria
de Fazenda de 1 e 5 do corrente ns. 294 e 378,
resolve, de conformidade com o diapoato no decreto
n. 2884 do l.o de Fevereiro de 1862, abrir, aob
sua responsabilidadc o crdito de 13:310*846
verba Pracas de pret, de 8:0(r0*000 verba
Eiapa e o de 1:000*000 Wrba Commissoea
militares do Ministerio da Guerra, exercicio de
18H51886 afim de oceorrer ao pagamento doa
vencimentos do peaaoa.1 contemplado as referid.-a
verbas. Remetteu-se :pia Thesouraria de
Fazenda e communicon-se ao commandante das
armas.
Officioa: :m ''
Ao inapector do Arsenal dej Marinha.O
Ministerio da Marinha. em aviso circular de 24 de
Maio findo, commnnicando vir para esta provincia
o capito de mar e guerra, Eduardo Wandeukolh,
encarregado de examinar oa estabelecimentoa de
Marinha aqui existentes, e especialmente de pro-
1 mover o engajamento de pracaa para oa coros d
I armada, mediaute a* vantag--na da le, e dcclaran-
Ido legar o governo'imperial a maior importancia
a esta commiaao, sobre ludo quanto acqumco
de pracas, recommtendo que se facilite ao. alludido
oficial todop os meios de que elle carecer para
deaempeiibal-a de modo inais satisfactorio. O qce
fucojconsui a V. Exc. para seo eonhecimento e
cao.
Mutatis Mutandis ao commandante da escola
de aprendizes marinbeirot.
- Ao iunpector do Arsenal de Marinba.Ac-
cusando i cjebid > a officio de V. Exc. de 5 do o>r-
rente, aob n. 287, relativo a demisso de Octavia
no Aristides Coelbo do logar de. escrevente da di-
rectora de machinas d'esae arsjenal, declaro-Ihe
3ue pelo ministerio da marinha, m avisa de 27
e Maio findo, foi feita a esta preaidencia commu-
nicaco idetica a de que tracta o citado officio.
Ao commandante das armas.O ministerio
da guerra, em aviso de 27 de Maio findo, declara
ter approvado o acto desea presidencia pelo qual
foi nomeado o tenente do 2* battlho de infantaria,
Sebastio Goncalves da Costa, delegado de PolfJ,
cia do termo de Tacarat; o que communico* a V.
Exc. para seu eonhecimento e fins convenientes.
Ao mesmo.Sirva-ae V. Exc. de informar
aobre o que exige o ministerio da guerra por des -
pacho de 26, no :ncluso officio da repartico do
sjudante general, de 24 de'Maio findo, sobn.
136, relativo a coneesso da patente de tenente ho-
norario do exercito qne solicitou o tenente de guar-
da nacional Franciacq Joe Pilar.
1 Ao mesmo.Faca V. Ex. seguir, quanto an-
tea, para a provincia da Babia, conforme deter-
mina o Ministerio da guerra em telegiamma de 4
do corrente, o major do 9 batalho de infantaria
Antonio Francisco da Costa.
Ao Sr. marechal Manoel Deodoro da Fonse-
cs, 1" vice presidente da provincia do Rio Grande
do Sul.Pelo officio, a que respondo, n. 1048 de 2
da Maio findo fico aeiente de haver V. Exc, depois
de prestar juramento, assumido a admimstraeco
dessa proviuciana quahdade de Io vice presidente.
Aprsente a V. Exc. oa meus protestos de estima
e consideraco.
Ao Dr. chefe de polica. Sirva-se V. S. de
informar com urgencia sobre o assumpto do aviso
junto por copia de 20 do mez findo, do ministerio
da jsstica.
Ao inspector da thesouraria de Fazenda.O
ministerio da guerra, em'aviso de 24 de Maio findo,
declara ter approvado, o contracto cujo termo por co-
piaacompanhouoofficiode V. S., de 26 de Abril ulti-
mo sobn. 269, celebrado por easa tbeaouraria com o
pudre Antonio de Mello e Albuquerque para ser-
vir de capello do arsenal de guerra; o que Ihe con -
communico para sen eonhecimento e tina conve-
nientes .
Declaro a V. 8., para oa devidos fins, que se
gundo consta d aviso do ministerio da marinha,
de 27 de Maio findo, foi na meama data Octaviano
Ariatidea Coelbo demittido do Ingar de escrevente
da directora de machinas do Arsenal de Marinha
desta provincia.
Ao mesmo. Remeito a V. S., para seu eo-
nhecimento e devida execuco, copia do aviso de
24 de Maio ultimo n. 762, em que o Exm. Sr. mi-
nistro da marinha approva o crdito de 3:803*780
aberto por esta presidencia a verba Forca Naval
do exercicio em vigor, e recommenda que as de-
monstraces de crditos justifique easa Thesoura-
ria a neceseidade destes.
Ao director do Arsenal de Guerra.Mande
Vmc. receber a bordo do vapor Bahia, procedente
dos pteos dn sul, 18 velumes, destinados ao 14 ba-
talho de infantaria, companhia de cavallaria e a
esse arsenal, contando os artigos mencionados nos
dous ineluses conhecimentos.
Ao director do presidio de Fernando.Srva-
se Vmc. de informar aobre a inclusa petico de
graca qne ao poder moderador dirige o sentencia-
do militar Manoel daa Mercs Silva.
Ao commandante da eacola de aprendizca
marinheres. O ministerio da marinha, em aviso
de 36 de Maio findo, confirmando o telegramma a
que allude o officio desta preaidencia, do da ae
guinte, declara ter-se verificado pelo resultado da
concurrencia realiaada para o fornecimento defar-
damento a eacola de aprendizes marinheiros, sob
o commandante de Vmc, no segundo semestre do
crrente anno, serem superiorea oa precos aqai
pedidos adji obtidos na eorte.
E como nao convem deaprezar os motivos que
determinaran] a expedico da circular n. 381, de 16
de Marco ultimo, recommendo que se mande abrir
nova concurrencia para o meamo aupprimento as
condiccoes daquella circular, antes de autorisar-se
esa* fomecimento pela intendeneia, conforme se
acha previsto. O que Ihe faco constar para seu co
nhecimento e devidos fina.
Ao inspector geral da instrucco publica.
Autoriao Vmc. a justificar as faltas de exercicio es-
colar do professor Floriano Baptista de Oliveira,
alludidas em seu officio, a que respondo, n. 178 de
5 do corrente. ,-
Portaras:
O Sr. gerente da companhia Pernambucana
mande dar passagem gratuita de r at Penedo n
vapor que seguir amanh para oa portea do sul a
D. Mara Cmara, mulher do promotor publico de
Tacarat, bacharel Landelino Cmara.
Mutatis Mutandis a proa a Bonifacio Joa Fran-
cisco de Moura.
ZXPEDIEBTZ DO SBCBETABIO
Officos : |
Ao Io secretario da Assembla Provinc.
De ordem de S. Exc o Sr. vice presidente da pro-
vincia remetto a V. S. afim de ser presente a As-
sembla Legislativa Provincial a inclusa informa-
cao ministrada no 1 do corrente pelo inspector
geral da instrucco publica acerca da petico que
devolvo da professora Umbelina Amelia da Silva;
ficando assim satisfeita a exigencia contida no ot-
ficio de V. S. de 20 de Maio ultimo n. 162.
A agencia de paquetes.S. Ex. o Sr.'vise-
presidente da provincia manda aecusar o officio de
hoje em que V. Exc. declara que o vapor Bahia,
entrado s 6 horas da manb doa porros do sul,
regressar para oa do norte amanh s 4 horas da
tarde.
DESPAPHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 14 DE
JUNHO DE 1886.
Abaixo assignado de moradores^de San-
la Clara de Buique. Informe o vSr. ins-
pector geral da InstrucjSo Publica^ *
Auto de medicao de trras de Jos Quin-
tiliano Pereira. Haja vista o Sr. Dr. pro-
curador fiscal .da Thesouraria de Fazenda-
Francisco de Paula Souza Lefio. Infor-
me o Sr. engenheiro fiscal da Repartico
das Obras Publicas.
Francisca Filgueira de Brito Lyra.
Aguarde o crdito hoje padido ao- minis-
terio da marinha.
Henrique D. Tavarrs dos Santos. Pre-
judicado, em vista da tabella hoje expe-
dida.
Joaquim Abrantes Pinheiro.Informe
com urgencia o Sr. juiz de orphSos do ter-
mo do Bonito.
Joo Rodrigues de Moura. Aguarde
concessao do crdito que tem de ser auto-
risado pelo governo imperial, depois de
fomecida pela Thesouraria de Fazenda a
di-nioiistrhco exigida por Aviso de 28 de
Maio ultimo
Manoel Pereira da Cunha.Indeferido,
porquanto a aposentuduria do supplicante
s pude ser contaba pela lei n." 1,786, re-
guladora da materia
Mano. 1 Paulo de Albuquerque.- Infor-
me o Sr. inspector da Thesouraria de Fa-
zeuda.
Ci>pit2u Manoel Henrique da Silva Lius.
Reini tifio ao Sr. ommandante supe-
rior iia guarda n< iooal da comarca da
Escuda, p^r mandar pasear gu>a de qu-
trata < art. 15 d Der. n. 1,150 de 42
de Marco de 1853.
Seiretria .ia Presidencia de Pernambu-
co, em 17 de Junho oe 1X86.
O porteiro,
J. L Viegai.
Repartico da polica
Secgao 2.' N. 608.-Secretaria da Po-
lica de Pemambuuo, 17 de Junho de 1886.
Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exe.
que foram hontem recolhidos na Casa de
Detenuao os seguintes individuos :
A' ordem do subdelegado do Recife, L.
Schlichting, requisicjlo do. cnsul alie
mo.
A' ordem do de Smt> Antonio, Luiz
Eeliciano Tavares, Manoel Ferreira da
Silva e Joao Pereira de Araujo, por dis-
turbios.
A' ordena do do Ia districto da Boa-Vis-
ta, Luiz Alves de Macedo Moreno, por em-
briaguez e disturbios ; Jos Pedro dos
Santos e Alexandrina Joaquina do Sant'
Anna, por disturbios.
A' ordem do do 2o districto da Graca,
CJuilherraino Bezerra Cavalcanti, por cri-
me de furto e como vagabundo.
Deus guarde a V. Exc.illm. e Exm.
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Lelo,
rntiito digno vice-presidente da provincia.
^ O chefe de poli :ia, Antonio Domingos
Pinto.
Commando da Armas
QUAKTEL GENERAL DO COMMANDO DAS AR
MAS DE PERNAMBCO, EM 16 DE JUNHO
DE 1886-
Ordem do dia n. 102
Fago publico para eonhecimento da guar-
niejio, que apresentou-se hoje a esti quar-
tel geueral, viudo da provincia da Pura-
byba, onde se acbava com um mez de li-
cenca para trat r de negocio de seu iote
resse, o Sr. alferes do 14 batalho de n
fantaria, Bellarmino Augusto *de Athayda.
(Assignado) O brigadeiro Agontinho
Marques de S, commandante das armas.
ConformeO tenente Joaquim Jorge de
Mello Filho, ajudante de ordens interino
e encarregado do detalhe.
I
I

Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 17 DE JUNHO DE 1886
Pret da guarda cvica. Eneaminhe-se.
Trajano Martins de Mendonca.Volteao
Sr. coector de Seriuhaem puraque arbi-
tre o aluguel de*parte da casa de que se
trata e oceupada pelo estabelesimento do
supplicante, urna vez que se conhece oer a
mesma casa tambem ocupada pela sua
familia, servindo-lhe de residencia.
Contas de Jos Francisco de Paula Ca
valcanti de Albuquerque, do Gymnasio, de
Raymundo Candido dos Pasaos, da confra
ria do Amparo de Goyanna, das 231,
234, 238 a 240 partes da lotera d San-
ta Casa, das 23 e 24 partes da lotera das
es :olas da Propagadora da IostruccSo Pu-
blica, das 3 e 4 partes da lotera da Or-
aem 3' de S, Francisco de Olinda, da 8 e
11 partes das loteras das matrizes do
Poco e de Barreiros.Approvadas.
Jos Elias de Oliveira e Bartholomeu d
C.Volte ao contador para proceder de
accordo com a informaco.
Dr. Gervago Rodrigues Campello. -
Nao ha que deferir, por subsistir o funda-
mento dojulgado de 8 de Abril ultimo,
sendo que mesmo no easo da presente pe-
tico nao cabe a restituico na parte re-
querida, pelo que informa o Sr. Dr. con-
tador.
Joo Aureliano Luiz Alves.Indeferido
por nao haver satisfeito o supplicante o
debito a que est sujeito, e de que pede
eliminacao.
Jorge Tasso. Entregue a quantia em
deposito.
lrmandade de Nossa Senhora do Livra-
mento. Declare o contencioso se j foi
prestada a fianza.
Candido JordSo Caldeira, Entregue se
pela porta.
Anna Marques de Amorim e Domingos
Bernardino da Cunha.Deferido, ficando
irresponsavel pelp debit anterior o novo
inquilino que estabelecer-se na casa n. 4
do largo da Assembla e no pavimento
terreo de n. 82, ra da Imperatriz, cuja
desoecupaejio se prova.
Pret da guarda cvica. Pague-se.
Jeronymo Odn Ferreira Cabral, ofiicios
do Dr. procurador do feitos, do Dr. Io se-
cretario da Assembla, Ildefonso Ignacio
do Amarl e officio do engenheiro chefe
das Obras Publicas.Informe o Sr. con-
tador.
Henrique Bernaraes de Oliveira e Jo-
vino de Carvalho Varejo. Haja vista o
Sr. Dr. procurador fiscal. t
Administradores da massa fallida de
Motta Silveira & C. Indeferido, visto que
nao ha fundamento para reforma da conta
cuja importancia precisamente a devida.
DIARIO DE PERftA3BC0
RECIFE. 18 DE JUNHO DE 1886
IVotlelas do sul do Imperio
O paquete nacional Para, entrado hontem do
sul, trouxe as seguintes noticias 4 as que constara
da rubrica Pprte Official:
m. Paulo
Datas at 9 de Junho:
.-So destituidas de interesas as noticias desta
provincia.
Na avancada idade de 100 annos fallecen em
Silveiras o importante agricultor Salvador Correia
Alves Quintanilba.
Ulna tieraei
Datas at 17 de Junho :
Doa jornaea eecebidoa at 7 do corrente, ex-
trabmea o segAiinte :
. No dia 29 d ) passado, oa Srs. tenente-coronel
Francisco de Paula Andrade, capitalieta e impor-
tante fazendeiro do municipio de Itabr e Casi-
miro *polis, fizeram contrato para cnltivsrem a
ymh em grande escala para o fabrico' vinho .
1 na italiana da cidade do Ub fundn no
u ex pasaado, urna sociedade de benefisencia, sen-
do !' ito presidente Felicio Rooo.
Propala-se em Carasgola a creaco de urna ea-
cola agrcola.
."* '*TW
Di a Gateta Uberaba :
Ioformam-nos que os negociantes de gado vac-
cum, que ao residentes alm do Rio das /elhas,
comprehendeodo oa doa municipioa do Arax, Sa-
cramento e Passoa, vo entrar em um solemne ac-
cordo, tal o de nao conduzrera maia para o ma-
tedouro de Santa Cruz, na corte, as reses que sao
destinadas para o consumo da populaco daquella
waca.
Eato diapoatos oa meamos negociantea a nao
deixar paaaar os seos gados ou dos Tres Coiacoes
do Rio Verde, ou de um cutro ponto alm deste,
porm mais conveniente.
Tomando esse alvitre, s tem em mira evitar
incalcnlaveig prejitizog que occaaiona o temivel
monopolio doa marchantes em Santa Cruz.
J aconseltumos, dix o meamo jornal, easa
medids, ha tompos, como nico meio de escapa-
re m em parte oa boiadeiroa aanha dos mar-
chantes.
J eato constituidas as respectivas commis-
Bes em diversos pintos daa zonas pastora para
tratarem das medidas indispensaveis; urge, pois,
que os n saos fazendeiros, acompanhando agora o
o exemplo doa demais criadores e negoc,antes de
gado, ttatem enrgicamente de levar a effeito to
til quo van tajoao C'.'ii.met ti ment, que resultar
em beneficio pruprio .
Piilleceram : em Ouro-Preto, Idalina Josephina
da Cunceico ; em S Sebaatio do Paraso, Toe-
reaa de Toledo Ribaa, e em Tres Coracoes do K10
Verle, o fazenleiro capito Joaquim Alves de
Campos.
Rio de Janeiro
Datas at 10 de Janeiro :
No senado, a 9, nao houve sesso.
Na cmara dos debutados no meamo dia, depois
de obsTvacdea dos Srs. Affonao Celso Jnior, e
presidente aobre a acta, oraram o Sr. Olympio de
Campos sobre negocios eccleaiaaticoa e o Sr. Por-
tella aobre as eleicoes na provincia de Minas. Na
ordem do dia foi encerrada a discusao da res-
posta falla do throno e approvado o projecto. So-
bre a prorogativa do orrjinjento, oraram os Srs.
Pereira da Silva, Candido de O iveira s ministro
da fazenda. Picou enc-rrada a dacuaso de di-
veraoa crditos.
Diz o Jornal d t/'otnniercio que a receitu lo
fundo de emancipadlo elevou-se no exercicio de
1884-1885 a l,773:G30#360, inclusive a quantia
de 165:332*805, producto ds donativos feitos ao
Estado para ser- m applicados emancipaco de
escravoa.
Eis as noticias commerciaes :
Rio, 9 de Junho de 1886. -O mercado de ara-
bio nao soffreu alteraco: oa bancos mpativeram
a taxa de 21 5/8 d sobre Load es e as equivalen-
tes sobre as outras pracis, com r*ros tomadores.
As tabellas no Cmmerei.il e no do Commercio,
e as tax s no London Bank e Enghsh Bank, ao
at seguintes:
Londres 1 21 5/8 d., a 90 d/v.
Paria 442 I 441 ra. p r fr, a 90 d/v.
Hambu.-go 546 e 545 rs. por m a 90 d/v.
Italia 445 rs por lira, a 3 d/v.
Portugal 250 */0. a 3 d/v.
Nova-York 2*340 por dol., vista.
O moviinento do dia foi p-'qu-'no Subr-- Londres
a 21 5/8 d., bancario. e 21 3/4 d., papel particu-
lar ; e Bobre Franca a 411 ra., bancario e 438 rs.,
particular.
Repasaou-se papel bancano sobre Londres a
21 3/4.
Na Bolsa o movim-'nto foi tambem pequeo.
Babia
Datas at 14 de Junho :
Carecen! de interesse as noticias desta pro-
vincia.
Alngoa
Datas at 16 de Junho :
Tambc-m as folba desta provincia nada raterem
de interesse.
PERHAMBUCO
Assembla Provincial
42" BE8SAO EM 20 DE MAIO DE 1886
PSESIDBMCIA DO BXX. 38. DE. JOS MANOBL DE BiBEOS
WABDEBXBT
Scmmabio : Le i tura e approvaco da acta.Ex-
pediente. Pedido, pela ordem, do Sr.
Baio de Itapiasuma para que fosse com-
pletada a commiaao de fazenda e orea-
mente.Obaervacoea, pela ordem, dos
Srs. Bario de Itapissuma, Jos Mara,
Barros Brrelo Jnior, Visconde de
Tabatinga e Sopbronio Portella.Lei-
tura de um requerimento do Sr. Joa
Mara e observacoes do Sr. Jos Mara
e obaervacoesdo Sr. Presidente. Obaer-
vacoea, pela ordem, do Sr. Drummond
Filho.Apreaentaco de em requeri-
mento de nrorogacao de hora do Sr.
l.egueira Costa. Observacoes do Sr.
Baro de Itapissuma.1' parte da or-
dem do da.Observacoes do Sr. Jos
Mara.Suapenso da sesso.Reaber-
tura da mesma.Adiamento da votaco
de um requerm< nto de adiamento do
Sr. Jos Mara.1* discuaao e aria-
mente do proecto n. 87 dea te anno.
Final da aeaso.
Ao meio dia, feita a chamada e verificando-se
estaris presentes os Srs. : Rats e Silva, Soares
de Amorim, Julio ae Barros, Joo de Oliveira,
Barros Wanderlev, Luiz de Andrada, Sopbronio
Portella, Rodrigues Porte, Solomo de Mello, Joo
Alves, Juvencio Mariz, Joode S, Visconde do
Tabatinga, Lonrenco de S, Costa Gomes, Ferrei-
ra Velloso, Prxedes Pitanga, Reg Barros, Au-
gusto Franklin, Cosa Ribeiro, Jos Mara, Baro
de Itapissuma, e Rogoberto, o Sr. presidente de-
clara aberta a sesso.
Comparecer depois oa Sra. Andr Das, Gomes
Prente, Barros Barrete Jnior, Regueira Costa,
Drummond Filho, Baro de Caiar, e Constantino
Albuquerque.
Falum, com participacj, o Sr. Amaral, e aem
ella oa Srs. Ro8 e Silva, Goncalves Ferreira,
Ferreira Jacobina, Coelho de Moraea, Antonio
Vctor, Dominguea da Silva e Herculano Ban-
deir.
E' I'da sem debate approvada a acta da ses-
so antecedente.
O Sr. Io secretario procede a leitura do se-
guinte
xpomurn
Um officio do secretario do governo. remetiendo ^
urna informaco do inspector do Thesouro Provin-
cial sobre a coneesso do crdito de 52J000 para
pagamento de passagena, em Novembro de 1885,
nos carros da estrada de ferro do Recife a L-
moeiro.A' commiaao de orcamento provincia!.
Urna petico de Franciaco de Paula do Reg
Barrea, 3o escripturario do Conanlado Provincial,
requerendo sua aposeutadoria nos termos da le n.
1,108.A' commiaso de peticoea.
Sao lidos, apsiados e sem debata approvados os
seguintes pareceres :
A commiaao de orcamento provinciana qnal
foi presente a petico de Medeiros & C, reque-
rendo a subvengo de 1:50U000, para confeccio-
nar e publicar o aloianak desta provincia, para o
anno de 1887; considerando que o estado ponco
liaongeiro das enancas da provincia nao comporta \
augmento de decpezas, salvo aquellas, qae f< rem /
de impre8cindivel i inadiavel necessidade, entre
as quaea manifest que nao se acha a do alma-
nack, cuja confecoo e publicacj ae prope o
aupplicante, d parecer que seja. a meama peti-
co indeferida.
Sala das commissoea, 18 de Maio de 1886.Gd-
mes Prente.Coelho de Moraes.


jJ.fKri*""


*
Diario de PcrnainbucoSexta-fcira 18 it Junho e 1886
-*




A commisso do orcamento provincial, i qoal
fui presente a peticio de Adolpin-Saprat, en qne
requer subvenco para auxiliar a couteeco e pu -
blicic > do aluaamk Justa provincia, para o auno
ce 1887 ; considerando que o estado fioanciro da
froviucia tal que nao comporta augmento de
espezas, exceptuadas aquellas que forera de m-
presciudivel e iuadiavel necessidade, entre ai
quaes manifes'arunte nao ae acba a de almam-k,
eaja confeceo aante, de parenann*ej.anana.j>et*seVh--
deferida.
Sala daa conaainoea, 3M deJBaio HtStit >
mes Paraite.Cashoaielona>.
A commissSa de mente, tendo etn ieau a>
petca dos emprsHrioaiAa, illuaiicloipBblicadesta-
cidade, na qual patieinTiipBgamttjaa quantia de
105:608685, relativa gn eonstnaioo dannto
o corrente exBHMio, -o a dtttreajpa.de canbio,
traantia essa qaeainda nofoi paga por falta da
recursos dos cofre; attmeado qaa nao obstante
ser exacto o quo allega o peticionaria e o direito
que Dio .asiste Je ser pago, todava tratndose
de despezas ordinarias para as quaes existe verba
no orcameuto vigente, devem os supplicantts di-
rigr-se a o Thesouro Provincial, que opport una-
mente ss achara habilitado parafazur o psgameu-
to rsquori do-
Sala das commiases, em A6 Se Maio de 1886. -
Gomas F sent.Coelho de Morana.
A caramiasAa de ornamento provincial, pan dar
pareeer s .bre a peticn de Ismael Clementino Be-
aerr, preaisa que obre a meama seja ouvido.
om urgencia, o Tbcouro Provincial.
Sala das ommiaaoea, 18 de Mio de 1886.
Gomes Furente.Coelho de Moraes.
A commisso da orcamento provincial, quem
foi presente a petico da Cmara Municipal de
Palmares, precisa, para dar parecer sobro inas-
ma, qne seja, com urgencia, ouvido o Thesouro
Provincial.
Sala das eonnnissWs, ero 18 Je Maio de 1886.
Coelho de Moraes.Gomes Parate.
A cointnissio de orcaaiento provincial, a quera
foi presente a peico de Pa rio Vellosa Freir/,
par dar parecer sobre a mesnaaspreoisa que soja
vido, com urgencia, o Theaouvo Provincial.
Gomes Prente.Coelha de Moraes.
A commisso de orcament* provincial, a quem
foi progente a petico da Laurindo Marques de
Souza, pre -isa, para dar pireeer sobre-a maima,
qne seja oovidOj com urgencia, o Thesjuro Pro-
v i nasal.
Sala das commisses, 16 de Maio de 1886.
Coelho de Moraes.Gomes Prente.
A coi. misso de orcameuto provincial, a qual
foi presente a petico de Antonio de Oliveira Mala, |
Voses^Oh I oh! tato nao .srw!
(Xa oafani aparte)] ,
O Sr. Barros Barret) JniorE porque nao e
Brio? Por veHtura os nobres deputados admit-
tem que o Exm. Sr. Visconde de Tabatinga o ea
r ds eo.aun.tro a urna deliberaco da casa? que
basto o ijt-prazer do nobre Viscoado para que fi-
que sonsiderada sem effeito urna delibenca des-
ta a.iseatbla V
JU tambtm nadera diaer : Ista.uo serio.
is, fe. piaelsauL, aauto .-admira aaetfs
raifcr'*fJaputeequenas que o ndVe Sr. W
dU'd; Ribatiasn v-de ene-mire sumad
'.oa* c.eia,.taparte*) quand en 1832
dspiraa am>illa -bancada auiaerain obrqnr o-
fe. Lacia jjmi araan, sanear dali se declarar payasea jxarralsnotc isapossiWaindo de nresidir ese*, t*-
senble.
Tropa*! nraitoa apartes).
Ertao diziam aqu os-nebres deputadas: nao,
vos nao podis ir contra a delib-iacio da casa;
ella vos eiegeu seu presdeute, e vos nao po leis,
pela voasa simples vontade, ir contra essa delibe-
rara. Haje, porm, os nobres deputados querera
impr ao mbre Vigcondo de Tabatinga que nilo
aenite o catiro puaa o qaal a anseinbla o ale-
gcu.
(Trocam-se -muitos apartef, e o Sr presidente
reclama attenoao).
Resumiudo, Sr. presidente, eu cntendo que para
procedar-ae regularmente, em quanto a casa nao
adoptar o requerimento de demusao, mandado 4
mesa pelo 8r. nobre Visconde de Tabatinga, nia
pode absolutamente ser elsito um outro membro
para a commisso de azenda e orcamento, poi--
quantu, segundo o rdgimento, a commisso com
posta .le tr-s membro* e ni de quatro.
(Troca.n-se rauitos apartes).
Concloindo, Sr. presidente, repito, ea entendo
que o nobre Sr. Visconde de Tabatinga, em viste
de um deliberaco deste casa, que so pode aor
\ rehogada por outra ddrberaclo, faz part j da com
ms8o de orcamento. (Apartes). Se a casa,
porm, votar o reqmirimento de S. xc, ento sim,
a V. Exc, Sr. prcaideuta, e rnente a V. ic,
em face do regiment, compete nomear outro mem-
bro para a commissio d<- orcamento.
Era o que tinha a dzer.
O Sr. VsiDiidc de lahatnra-(Nao
develveu seu discurso).
O Sr. Sophronio PortllaO requerimento do
nobre deputado, o fe. Jos Mara, Sr. presidente,
me parece urna subtileza, conform-s vou demons-
trar com o proprii. regiment.
O Sr. llarao de ItepssumaVejamos iito.
G Sr. Sophronio PortllaDiz o art. 53 do re-
para di.r parecer sobre a mesma, precisa que seja i gimento que, se faltar algum rcembro dos nomeados
para qualquer ommissao, ou tiv^r longo impel
ment o presidente menla outro que o niba:itia
Ora, ligo cu, ou o nobre deputado, Sr. Viacon ie
de Tabatinga, aceitou o lugar de membro da com
misso de orcamento ni impedimento d > Sr. Gon-
calvas Fernira. e neste caeo a enmmieso esta
completa ; ou a Uto e recusa, e ento cumpre a
V. Exc, Sr, presidtnte, faxer nova nomeaco, nao
cabendo casa proceder nova eleicao.
O Sr. Jos MaraA oooclusflo nao 6 lgica.
O Sr. Sophronio Portllalsti diz o nobre de-
ouvido o 1 besiuro Provincial.
Sala daa commissoes, ea 17 de Maio de 1836.
Gomes Prente.Coelho de Moraes.
A commissio de petteoea, tando examinado a de
Theotonio Joao da Cunba, solintando abate na
arroma tuca o da barreirade jaboato, precisa, para
dar seu parecer, que seja ouvido o Sr. Dr. inspec-
tor da Thesouria.
Silla das cammissoas, 20 de Maio de 1886.Pa-
dre Julio de BarrosDr. Ferreira Velloso.
A commisso de peticoes, tendo examinado a da
professsra do sez > femiuino de S. Pedro d Olinda, : pUtadj ; eu, porm, Sr. presidente, s-ra de opinio
D. Umbeliua Amelia da Silva, pedindo pagamento ,je qU,. de ordenados, precisa, para dar seu parecer, que, ment de S. Exc. sem que de um (lado abdique a
seja ouvido o Dr. inspector geral da iustrucelo ttribuico que Ihe conf-we o citado art. .53 do
publica provincial. regiment, e por oat-n vA exautoraro nosao cil
. Sala das commisses, 17 de Maio de 1886.Dr. i lega, o ~'r. Goncalve Ferreira, eleito pila assem-
Costa Gomes.Julio de Barros. bla, membro da commisso de ornamento, de con-
O Mr. B a rao te ItapswNunsai (pela ordena) fjruiidade com o art. 48 do regiment.
Sr. presidentr, nao toma V. Exc. como um-a coa QDhs este artigo
sura peaaoa de V. Exc, o que veabo XMrnar.
Tenho dado pravas de quanto o aprecio e ras-
peito.
Son levado a faa-r algumas consideraces, nao
so porque o dever de deputado a isto me mpelle,
cerno tembem porque o regiment, com relaoJj
aoe traballioe d<*ta casa, em seu art. 53, assim se
exprime; assim determina : (l)
He faltar algum membro dos aleitos para
qualquer c jinmisa.o, ou tiver longo impedimento,
o presidente nomear outro que o substitua. a
Na situavo diffieil em que no3 achamos, princi-
palmente am relaco ao orcamento, apesar das
grandes habilitacos quo possue a respectivacoai
missao, eu acho imprascindivel que se complete
da commiaaaa-.
V. Exe. deve connecer-que, se o nosao regimen-
As commisHoes permanent daverio ser Bo-
rneadas logo no principio da sesso ordinaria de
cada anno e duraro em toda ella, aasim como
as sess5o8 extraordinarias e as prorogacSes que
tiverem lugar at o comeeo da sesso ordinaria
do anuo seguinte.
V, poftento, V. Exc.,fe.',paasidesite, que, se_a
sjembii elegir um membro para a commisso
de orcamento, privado ficar V. Exc. de urna at-
tribuicio que he compete, e ao mesma tempa
exautorado o i*r. GiMiowlves Ferreira.
O Sr. Jos MariaElle j foi exautorado, des-
de que parliodeata provincia pw tomar assento
no parlamenr >.
O 8r. Sophronio PortllaEu pens de moao
caatrario ; entendo qore, assim como o deputedo
proviuctal nao deia de o ser pola aceitaco de
to exige qne s eommissoes estejam complatas, uaaa eadeira un cmara dos deputados, da mesma
nao asta na vontade de V. Exc conterval-aS io-ij gorte nao perde na assembla provincial a com-
comp'ctas. j mrsflSo permanente para que foi el.-ito no principio
Assim, pois, eu s vim tribuna para lembrar, j aeaaia ; -pxrrque, cerno expresso ni art. 44
a V. Exc. o cumprimento dessa dispasicio pegi- j qUC j,tt poueo li, a cammiaaan permanante d#
mental, isto repito, que nomcie o membno que- at o comeeo da ssasio ordinaria do anno se-
falte para compaamito da commisso de fascuda'i gnin'e.
e orcamento. E certo de que V. Exc. nao levar- Si um dos membros de qualquer commisso per-
a mal essa lembranca, sento-me convencido de
que s<"- cuaiprido n regiment, c assim deferida
a mitiha supplica.
O Sr. Jom Marta (pela ordem) -Sr. presi
dente, eu veuho declarar que taco minase asconsi-
derae5es, que acaba de externar o meu illuatre
amigo, deputado pelo 3* districto; entretanto, per-
mista V. Etc. que eu man i f sta com franqueza orna-
do porque, segundo pens, deve V. Exc proceder
com relaco este aseuoapto O noaso regiment
diz que, qiundo faltar algum membro de r.uninU
sao, on quando-ti ver-longo impedimento, o presi-
dente daaasa desreri noiaearain'outro para sub-
stituil-o. O caso verUnte, perm, outro. O re-
manate marre, ou perde a cadeira de deputado,
couiprefcende-tse a necessidade de ser eleito pelai
, assembla quem o substitua ; mas no caso de sim-
ples impelimento, anda que prolongado, como o
do Sr. t m{alves Ferreira, tem lugar a substi-
tuicio por nomeaco do presidente e dura -en
quanto darar a impedimento.
Da modo se complete agora a commisso, nomeando- V. Exc.
um de seus mvmbm/ ncm por isso deixar de vol-
tar o Sr. Goncves Rerreirs par I o aeio da meeosa
commisai-), finloiqa saja, o motivo que ora o im-
pede.
Quem quer que f ir nomoado nao pasar de um
gim-iAi se refere a deputados que deixam de com- j gubsttato de m sup.-leiite.
pareer por a'guns dias 4s sessoes mas que polc-
ro foliar e proseguir nos trabalhos das suas com-
raiss.-s. Os deputados nomeados para substi-
tu 1-os o sao provisoriamente, na sua -..usencia, o
os seus poderes cessam logo que comparecem os
raeinbroa fFectivos.
0 iaipdisS "nto do Sr. Gonoalves Ferr. ira nao
longo, porm muito mus do que isto: um impedi-
mento completo, que abrange todo o tempo da
sMssssIe sesso.
Quaii lo o regmsnto'falla em falta on longo im-
pedimento, se refere a deputado que pode, queren-
do, vcltor a tomar parte nos nassos trabalhos,
aquelle cuja falta ou impedimento -tamporari >.
Isto nao acontece com tclaco ao deputado de
que se trate. Este noaso Ilustre coMcga, perdeu
o direito qne tinha a essa commisso. As nomea-
cea para commisoes vgora.-n lurante a sesso;
o Sr. Goncalvcs'Ferreira, retirandose para tomar
assento na cmara temporaria, conforme com _u-
mcou A casa, como que optou pela eadeira para
que foi ok'ito uaquella casa do parlamento.
Qua:i(la tenninarem os nossos trab.ahos nesta
sesso, ainda S. Exe. nao estar entre nos, por-
quanto a sesso da Cmara dos Srs. Deputtdos se
prolongar af depois.
Eu, portante, pens qne elle perdeu o efl lugar,
e tratando se de um lugar vago, a sub-tituicllo de-
ve ser eita uo por nomeaco, mas por nova elei-
cao.
Assim, eu peco a V. Exc. que consu'tc can,
no caso de V. Exe. nao querer tomar a responsa-
bilidade sobro si, para que esta resolva sobre a
hypathese, porquanto ba dfijculdadeS em alguns
dos noss'.s col'.egas aceiterem o lugar por nomea-
co; entretanto que, dando-s-: a eleicSo, senSo o
resultado de um escrutinio, com certeaa nao ter
qualquer, soire quem recaa a escolha, o menor
essruBOeS de aceitar a commisso e de eollaborar
com es oufros membros no orcamento.
O fir. Harrea Barrito lusitor (Io e
eretario, pela ordeas) fe. presidente, me parece
que o nobre deputado qne me precedeu na tribu-
na, nao tem razio: A commisso de orcamento
nao est incompleta.
VozesOh! oh!
i) Sr. Bsrrros Barreto JnnorCom litenca; dis-
se que a commisso nao est incompleta e sepito.
a commisso de orcamento nao est incompleta
desde que par ella j foi nomeado um terOtfiro
membro, o 8r. ViBeonde de Tabatinga, para preen
eher a vaga aberte pela ausencia do Sr. Dr. Gon-
calves Ferreira.
O Sr. Visconde d TabatingaPeso -a'pala-
cra.
O Sr. Barros Barreta Jnior Nao tendo sido
aceite pela caaa a exoneraco que S. Exc. solisi-
tra, segue-se qae est completo a commisso.
O Sr. Drummond FilboO 8r. Visconde-de Ta-
batinga aceite ?
O 8r. Barros Barreto JniorAh que est o
ponto da qu.'sto.
r Eu entendo que nao depende do Sr. Viseonde
de Tabatinga o declarar que nao fas parte da
aommisao para que foi eleito, e sim da casa; per
^ne ella o eiegeu desde quo nao aseitou o reqaari-
aente em que S. Exc. pedio a sus! exoneraco
Por consequeitcia s co n licenea da casa, que1
a fe. Visconde de Tabatinga pode deixar de fasar
parte da eonauastlo dar ornamento.
VosesQuem o obrige ?
O Sr. Barros Barreto Jnior0 Sr. Visconde
de Tabatinga pode deixar de collabarat nos tra-
aalhoB das commissio para que foi eleito.
O seu voto implcitamente B*rAcoa#iderad cas
aido.
O fe. Vsieeu+j de TabatinguEntao eu era
cfcpplente.
0 Sf. Sophronio PostillaSem duvida algum a
desde qco se attenda aos arts. 44 e 53 do regi -
ment.
Um Sr. DeputadoHa -precedente emsrrnd>
centrarlo.
O Sr. Sophronio Parte'.laNao conheco os pie
cedentes. O qne me parece fora de duvida que,
si o nobre deputado, o Sr. Visconde de Tbatingai
absoluta asate uo quer aceitar o lagar de mem-
bro da commisso de orcamento no impedimento
do Sr. toacalves'Fjrceira, dee V. Exc, Sr. pre-
sidente, fazer por si a nomeaco e nao declinar
para a .ss1 mbfa es.a attribuic. >, confirme pede
o nobre d- putado, representante do districto.
E' a que tenro a dizer.
Vem m.sa, e li lo o seguinte requer-
meato : r
Kaqueira que se consulte a casa que se dis-
penn no Exm. Sr. Visconde de Tabatinga de
membro da commisso de orcamento provincial; e
qu uo caso deser dispensa se proceda a eboo
de miro membro.
S. R.Jos Mara
O *r. srssildeiileO requerimento do do-
bre deputado contm duas partes. Nao tenho du -
vida em aceitar a priuieira, mas quuntj a segunda
nao posso acaiul-a, porquanto a art. 53 do regi-
ment, d-me o direito de nomear qualquer mem-
bro para a commisso que por ventura se ache in-
crnTpIesa.
Assim aiiaaeiro consiota V. Exc, que Iba diga
que nao aceito o seu requerimento nesa parte.
E', portante, .potado o requerimento na pri-
meira parte.
O Sr. Cfaapar de Drummonil Filbo
;N2o devolveu seu discurso).
K' lijo e apoiado o seguinte requerimento :
-quoiro 30 minutos de prorogaco da hora
da expediente, s-'Oi prejuizo dus leis auuuas.
Kegueira Costa.
O Mr. Barao de ai a pin ara a pela or-
dem)Ped! a parsvra pe. ord<;m para declarar
qut faco u-inlia a reclamac > do nobre deputado o
Sr. Gapar de Drummond Filho e para pedir a V.
Exc. que inunde convidar os nobres deputados que
se renraram dosiloese achara na ante sala, para
vrem tratar d.a timtncas d i provincia, negocio
que 6 muito serio e grave.
(Apartes).
Se Ss "Exea, nio quizarem comparecer peco a
V. Exc. que mande preceder chamada afim de
se saber quaeo os Srs. deputados que saturara do
recinto da Assembla u'uma occasio to grave,
Jnterrompendo a discusso do orcameuto qne do
dever da maioria iipressar sua pawagem.
Espero qne V Exc. se dignar attender-me.
Reconhecendo-se nao ha ver numero, daixa de
se votar o rqueri mente do Sf. Segueira Coste e o
Sr. presidente declara passar-se
1* PARTS DA ORDBBCO DA
O 8r. Jo* Marta (pela ordem) V V.
Exc, Sr. presidente, o estado em que nos acha-
mos ; o estado a que chegamos.
Msipilo soasa um requerimento innocente, sem
encerrar a menor malicia, pdindo psra ser com-
pletada, po meio de i leico a commisso de op-
cantento e o resultado o que vemos : a leserco
completa dos Ilustres deputados da bancada op-
posta, sendo incluido aeste numero o relator da
c. mmisso de orcamenlo.
Pareoe-me que 8. Exc. qoer-se constituir o pro-
eoael nico e absoluto n'aquslla conrasaio ; pa-
rece que S. Exc. tem medo da coaenrao da um
outro cu-religionario seu. (Apartes)
O que certo, parem, que isto nao docente
nem proprio deste Assembla.
O Sr. Presidente Eu nao posso consentir que
o nobre deputado coutinue uesse terreno ; nao ha
nada em dscussa.
O Sr. Jos Mitria- Obeiieeo a V. Exc.
Mas, Sr. preSMente, anda mais notav*! a cir-
cunstancia de...
O Sr. Presdeme V. Exc. nao p-ie continuar.
O Sr. Jos Mari. Ped a palavra pala orden.
(> -r. P eaidute Mas nao ha nada em dis-
cuasnv.; se V.JSbo quser arofligaru proceditnen-
to ia JksBBrnW pider"faael-o emoutra ocoasio,
mas sajn na.-; e cacao nao ha nada em diacus-
so pisaiai 1*njar e da ordem do da.
0 fe. Jos &r'ui lato indecente ; nto ee
brinoa-aasim onm as coasas serias. Pota eaxe.pro-
ediisWBBB iga i daa representaatas da pro -
aiacissr?
0 r.lR-eaianJsE-- V.Bxc. faz me una Jt^us-
tica qae'nlonwraeo.aotretento dern deelarar que
nao me submetto I -cuSo da aaiaora.
(Ha muiros apartes da 'n*>!**>/ sjanaat S*s-
anrro). \^
0 Sr. Jos Mara Fique cooslgaaio quo a
maioria, para evitar voteco de um requerimento
.afireaantaJ.0 por um mambro da, .minncia, fugio,
abuidonau o recintj vargonhosamente, precipita-
damente eofb roceio da nma derrota.
Eu rogo a V. Exc. que mande convidar na an
te-sala os Srs. deputados qu fugiram.
Se cao o attenderem V. Exc. que mande fazer a
chamada e incluir es seus nomos na acta para que
em todo tempo conste.
O Sr. Presidente declara nao poder aceitar o
pedido do nobra diputado o Sr. Jos Mara, por
j haver declarado pa sar-se ordem do da.
Tornando-se tumultuaria a s-sso, o Sr. Presi-
dente suspiide-a par 15 minutos.
Reabsrta a sessjo, submittido votaco o re-
querimento de adiamanto da Sr. Jos Marra, da
2* discusso da arta 2*, o qual deixa de ser votado
par falta de numero.
Entra em 1* discussso c fica adiada o projecto
n. 87 deste anno.
O Sr. Presidente levanta a sosso, dosignando a
seguinte or iem do da : Ia parte : continuaco da
antecedente ; 2" parte : continuaco da antece-
dente .
REUN1O E\l 21 DE MAIO DE 1886
PRESIDENCIA DO EXM. SB. DR. J08 MAOBL DE BR-
EOS WAHDBBXEY
Ao mei) da, feite a chamada e verificando-se,
depois de urna espera de 15 minutos, esterera Pre-
sentes apenas os Srs. Coelho de Moraes, Lus de
Andrada, Constantino de-Albuquerque, Soares_ de
Amorim, Barros Barreto Jnior, Joao de Oliveira,
Joo Alves, Antonio Victor, Barros Wanderley,
Ferreira Velloso, Visconde de Tabatinga, Reg
Barros, Herculano Baudeira, D mingues da Silv<,
A'igusto Frankln, Gomes Prente, Costa Gomes
a Julio de Barros, o Sr. presidente declara cao-
haver sesso.
O Si. 1* secretario procede lcitura do se-
guinte
EXPBDIBBTB
Um officio da secretario do governo, transmit-
tindo um projecto -e pasturas da Cmara Muni-
cipal do Rucife, referente collocaco do placas
de numeraco e distios das ras desta cidade.
A' commisso .le exaino de p aturas.
Outro do mesmo coraraunicando qne tiveram o
conveniente diatino a relaco dos Srs. deputados
e o ponto dos empregadoa da secretaria desta
Ass 'tnb'a durante o mez di Abril ultimo. In-
terada.
Outro da Cmara Municipal da Victoria, pe
dindo que seja crea o um lugar de amaauense
como ordenado de 40J. A' commisso de Aijca
ment municipal.
Outro da de Trinmpho, communicando estar
scienw de haver prestado juramento do cargo de
1 vice presidente deste provincia o Exm. Sr.
Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leo. Intei-
rada.
Urna petico de Ignacio Pracopio da Cunha,
professor contractad. de Couro d'Anta, requerendo
ser considerado efFectivo no magisterio. A' com-
misso de instrueco publica.
Outra de Ole amenes Lopes de Siqueira, major
fiscal do Carpo du Polica e eommcudante interino
do mesmo, requerendo a extiuceo das revistes de'
mostra.A' commisso de legislaco.
Outra de Augusto Octavian de Sonza, thesou-
reiro das lateras desta provincia, reauerendo a
adopeo de medidas que i.ossam erguer do abat-
nrnnto em que se acha esse ramo de aarvico pu-
blico.A' commisso Je orcamento provincial.
Outra de Antonio Hennque de Sousa Gomes,
requerendo consignaco da quota de 126 para
pagamento do aluguel de sua casa que serve de
cadea e quartel na cidade de I tamb. A' com
misso de orcamento provincial.
Achando-se sobre a mesa vo a impiimir doua
pareceres da commisso de redaeco, um sobre a
do projecto n. 162 de 1883 e outro sobre a da
emenda n. 1 ao mesmo projecto.
O Sr. Presidente em seguida dissolve a reunio.
RENlXO EV1 22 DE MAIO DE 1886
PBESIOBNCIA DO EXM. SB DB. JOS MAKOML DE
BARBOS WA.SBEBI.EVr
Ao m -io da teite a chamada e verificando-se
esterem apenas presentes os Srs. Luis de Andrada,
Soaree de Amorim, Rdtis Silva, Sophronio Por-
tlla. Constantino d.- Alhuquerque, Antonio Vie-
tor,-Joo Alves, Hnrros Wanderley, Ferreira Vel-
loso, visconde de Tabatinf. Bacoaiano Bandeira,
Domingues da Silva, Kge Biasaua, Augusto Fran-
kln, t.m.'s Prente, Coelho de Moraes, Barros
Barreto Jnior, Costa Gomes e Julio de Barros, o
Sr. presidente declara que nao ha sesso.
O Sr.' 1 secretario procede leitura do se-
guinte
EXPKDIEHTE
Um officio do secretario do governo, devolveudo
informadas as peticiias de Clementino de Sousal
Diniz e Jos aa Crua e Silva.A' quem fez a re-1
quisico.
Outro do mesmo, dem, idein,>um abano assigua-
ilo de negociantes, d'esta cidade, establecidos
com depsitos de earvo de padra.A' quem faz:
a requisico.
Em seguid, o Sr. presidente dissolve a re-
unio.
REUNIO E.V1 24 DE MAIO DE 1886
PRESIDENCIA DO 1IV. SB. DB. JOS MAHOEL DE
ii sasos waddbbxev
Ao mei i da, feite a chamada, e verificando so
depois de nma espera de 15 minutoe esterem pre-
sentes os Srs. Ralis e Silva, Coelho de Moraes, Ju-
lio de Barros, Joo Alves, Reg Bar os,-Sophronio
Porteles, Lus de Andrada, Basros Wanderley,
Soares de Amorim, Barros Barreto Jnior, Joo
de Oliveira, Constantino de Albuquerque, Anto-
nio Vctor, Domingues da Silva, Coste Gomes, Au-
gusto Franklin, Prxedes Pitenga e Gomes Pa -
rente, o Sr. presidente declara que nao lia sesso
O Sr. lo seorctario procede leitura do se-
gu te
KXPEDIEBTE
Um officio do secretario do governa remetiendo
as inforinaces pedidas sobre a Companhia The
Central Sugar Factoriee ef Brasil, Limited.A'
quem fez a requisico.
Outro do mesmo remetiendo urna petico de ti-
veraos agentes e representantes de companhias de
vapores, reclamando contra o imposto de tonela-
gem decretado no 30 do art. 2o da lei do orca-
mento vigente.A' commisso do orcamento pro-
vincial.
Outro do mesmo transmittindo urna informaco
prestada pelo Exm. Sr. bspo diocesana sob.e o
ceiciterio de Nata tenhora do O' de Goyanna.
A quem fez a requisico.
O Sr. presidente, em seguida, dissolve a re-
unio.
EMENDA3 APRE8ESTADA8 HOSTEM NA 3a DIS-
CUSSO DO PKOJECTO N. 43 (ORCAMEXTO
PROVINCIAL).
N. 864. Onde couber : Fica isento de impoatos
provinciaes e municipaes o predio que a directora
do Gabinete Portugus da Leitura desta provincia,
tenciona edificar para o mesmo Gabinete, bem
como dos impaetaa e direitoe de transmisso de
propriedade a que estver eujeito o terreno ou pre-
dio que for comprado para tal fim.Sophronio
Portel la.
N. 355.Substitutivo da do n. 309 : Aprsen-
te como emenda o projecto o. 68 do corrente anno,
formulado pela commisso de peticoes.Luiz de
Andrada.
O projecto a que se refere a emenda o se-
guinte :
A Assembla Legislativa Provincial de Pernara-
buco resolva :
Art. 1." Fica rescindido o contracto de arrema-
taco do pedago da barreira do Giqui, que fer
Jos GroBtM Ferreira Mais, independente de
multa.
Art. 2.0 A resciso sar conteda depois do fin-
do o actual semestre de Janeiro a Junho do cor-
rente anuo.
Art. 3 Ficam revogadaa as dsposcoes em
contrario.
Sala das cominissoes, 27 de Maio de 1886.Dr.
Augusto da Casta Gomes, Dr. Ferreira Velloso,
Julio de Barros.
N. 356. Subemenda ao substitativo n. 285:
Fica concedido aos arrematantes do dizimo de
de gado vaceum, cavallar e muar, Jos Cordeiro
dos Santos, 'Joo Nepomucano da Silva, Antonio
da HUr Florencio, Antonio de Vasconncllos Fla-
,renio,.iIoa Guilherme de Aaevi.do Lyra Sabrnb i,
.Aurelio dos Santos Coimbra e Augueto Octavno
de Boaaa, a isenco do pagamento de quabrner
onua, referente ao ultimo anuo do triennio do don-
traen a vencer-se..Rodrigue Porto, LoaC de
Anicaa, Constantino de Albuquerque, Sapnronio
Pornlta, Joo Alves, Jo< Maria, Bats e Uva.
CoeUto de Moraes.
N. 357. adlitive ao art. 2.onduccoe trans-
parte de presos 5:0OJ#\liegucira Costa, Luis de
Andrada.
N. 358. Subemenda ao substitutivo n. 261 :
20% sobre o valor do fumo de corda, em folha
intuas ou .triturada, sobra cigarros, charutos de-
qualquer procedencia introduzdjs para consumo
ou como materia prima ; 500 res por kilo de fumo
picado e desfiado, viudo por qualquer procedencia
para consumo em latas, pacetcs, etc.-Gomes Pa-
reutes, C.ho de Moraes.
N. 359. Fica reduzido a 10% o imposto de
25 /. de mSo raorte da rmandade das almas da
matriz do Corpo Santo desta cidade, emquanto for
benoficente para com os seus rmos pjbrcs.Ju-
lio de Barros, Ratis e Silva.
N. 360. Onde couber : O actual 3." escrptura-
ro interina da 1. seco do Thesouro Provincial,
fica dispensado da coudicco prevista no 7. do
art. 80 do Regulamento de 2 de Junho de 1879.
Ratis e Silva.
N. 361. Se pissar a emenda n. 334:Igual
favor ao professor Francisco da Silva Miranda e
ao chefe da I. seccao do Consulado Jos Ma-
ria.
N. 362. Supprima-se a emenda n. 22.Ratis
e Silva.
N. 363. Fica concedida ao bacharel Jos An_
tonio d Pinho Borges o abatimento de 40 % no
preco pelo qual arreinatou as bar re ras de More-
nos e S. Joo.Rogjb-rto.
N. 364. Se passar a emenda que acaba com
a repartico do Consulado Provincial e tem o n.
282 :Sero mautidos na Reaebedoria Provincial
de preferencia os empregadoa mais sntigos, sen-
do os mais modernos mandados addir s repart-
tives provinciaes coma determina a referida
emenda.Jos Maria.
N. 365. Fica restaurada a aula nocturna da c;
dade da Escada. Andr Dias.
N. 366. Onde couber. Da quota destinada ins-
trujco publica para a compra de livros, appli-
quem-se 2:000 para a compra de 4,000 colleccoes
da* obras que Hilario Rrbero escreveu para a in-
fancia das escolas primarias.Jos Maria.
N. 367. Se passar a emenda n. 282. O chefe
da 1 seceo do Consulado Provincial, Jss Xavier
Cirnero de Barra Campeflo, ser aposentado de
conformidade com as leis que regularauza aposen-
tedoria do Io eteripturario da mesma repartico,
Vcoriano Jos Mariano Palharos, tornando-se
exeusiva quelle empregado a disposica do art.
53 da le o. 1.860 Jos Maria.
N. 368. Ao 51 do art. 1." Fica creada na has
pital Pedro II a clnica de olhos, tendo o faculta-
tivo que exercel-a os mesmos vencimentos dos do-
mis clnicos daqaelle estabelecimento. Sophro-
nio Portlla
N. 369 Ao art. 1* ua tabella de impastas de re-
partico na parte 3" a. 6, em lugar de 1:0008, di-
ga-se 500j. Na parte 4* n. 11, em lugar de 8008,,
diga-se 2:0008, supprimindo-se o n. 13. Na mes-
ma parte n. 13, diga-se 8:0008, em lugar de.....
10:0008. Gomes Prente. Coelho de Moraes.
N. 370. Se passar a emenda n. 331 Igual favor1
a D. Annunciada de Mella Montenegro. Jos-
Hara.
N. 371 Fica restablecido o 24 do att. 1 da
le n. 1,860 da anno passado, que relativo aoi
Monte de SoccarroBara de Itapissuma.
N. 372. Onde convier. Fica concedida ao por-
teiro da repartico d Instrueco Publica, Jos
Augusto de Mello, um anno de licenea com orde-
nado, para tratar de sua sade onde Ihe convier|
Reg eir Costa.
N. 378. 8ub emenda de n. 271. E a todos qael
estiverem as mesmas condicoes.Jos Mara.
N. 374. Onde couber. 708 para pagamento del
alugueis vencidos da casa que serve de quartel na
villa de Serinhem.Barros Barreto Juuior.
N. 375. Supprima se a emenda n. 62. (Instituto
Vaccini io).Barros Barreto Jnior.
N. 876. Supprima-se a emenda n. 11. (Imposta!
sobre cal).Barras Barreto Jnior.
N. 377. Onde couber. Mais 8:0008000 para os;
concertos de que necesSita a cadea do Breja da
Madre de Deus.Rodrigues Parto. Ratis e Sil-
va.Constantino de Albuquerque.
N. 378. Supprima-se a emenda n. 180. Barros!
Barrete' Juntar.
N. 379. Subemenda de n. 299. E bem assim'
a que possue Alexandre Gomes Rodrigues, na ra
do Rosario n 3, em S. Lourenco da Matta, qae
est as /dispoeieee da le o. 1,544, de 1881.'
Jos Mara.
N. 380. Illuminaco publica. Augmenae-se a;
-verba par* o (ampeoes j concedidos no 64 art.'
lo da fci n. 1,597, ie 28 de Junho do 1881, para a
estrada de Luiz de Reg at o hospital das Laza-
ros Gomes Parete.
N. 881. A easenla n. 226. Em vez de 25 di-
ga-se 10 annos.Barros Barreta Jnior.
N. 382. Supprima-se o 36 do, art. 1* (tonela-
getni.Barros'Barrete Jnior.
N. 383. Se passar a emenda n. 259, acoreseen-
te-seguardadas as exespeoes da lei n. 1872
d'este a mo sobre tsnelagem.Barros Barreto Ju-
ncr.
N. 384. Submeoda emenda n. 301 e a todas1
que estiverem as mesmas condicoes. Joa
Maria.
N. 385. Na emenda n. 209, aocrescente-se no
finalnem aoa facultativos nos empregos concer-
nentes sua profisso.Gomes Prente.
N. 386. Se passar a emenda que autorisa o pre
sidente da provincia a nomear profezsores, ao-
cresente ae e D. Columba Brittea Mnniz da.
Silva, Joao Salvino de Sonza Peiie e D.
Mara Rosa da Rocha Lins.Jos Maria.
N. 387. Ao 73 Jo art 2o, accrescente-se e o
que se-estiver a dever da fardamento a Victor
Marques de Santiago, ex praca do corpo de poli-
ca.Ratis e Mlva.
N. 388. 2:0008000 para o novo cemiterio da.
Escada.Andr Dias.
N. 389. A' emenda n. 3, subetituam-se as pala-
vrasretelho na cidade do Recife, pelas seguin-
tes :em grosso o a retalho na cidade do Recife,
exceptuados os a que se refere o 22.Barros1
Barreto Jnior.
N 3B0. Offereco como emenda o projecto n. 3
d'este anno. Dr. Joao de S.
O projecto appromdo como emenda o se-
guinte :
A Assembla Legislativa Provincial de Per-
nambuco resol ve :
Art. nico. Pica o presidente da provincia au-
torisado a conceder s professoras publicas de in-
strueco primaria, D. Camilla do Carino Torres,
professora da cidade do Disino Espirito -ante de
Pao d'Albo, D. Generosa do Reg Medeiros Ca-
valcante de Albuquerque, professora de lmberi-
beira em Afogidos e Francisca Marii da Annun
cHco, professora da 2' eadeira da freguueia de
Afogados, permuta de anas eaderras sem pre
juizo dos seus venciraent.s c cathegorias.
Ficam revogadaa as diapoaicois em contrario
Paco da Assembla, 18 de Marco de 1886.
Dr. Joo de S Cavalcante.Barros Barreto Ja -
mor.Herculano Banduira.Amaral.--Soares de
Amorim.
N. 391. Sepa^str a emenda n. 334, ofrerec
como emenda o projecto n. 164 de 1884.Jos
Maria.
O projecto nterecido com emenda o segainte :
A Assembla Legislativa Provincial de Per-
aambuco resolte :
Art. 1. Fica contado como de efFectivo ejerci-
cio o tempo decorrido desde a data da suspenso
criminal do professor Francisco Silverio d* Fe-
rias, em 1 de Oezembro de 1865, at a data da
septensa que o absolveu em 16 de Marco de
Art. 2. Ficam ^revogedae aa dsposcoes em
contrario.
Sala das cammssoes, em 7 de Maio de 1884.
Adeline Antonio de Luna Freir Jnior. Emiro
Continho.A. Lopes.
N. 392. Subemenda de n. 249 2 no final.
Em vez das prlavras -com a grstifioaco de 8008.
N. 393. Additva emenda de n. 247. Por
raorte de qaalquer dos tabellies da comarca do
Recife, ficar extracto o respectivo cartoro, cujos
papis sero distribuidos entre os tabelies com-
panheiros. Sophrcuio fortella.
N. 394. Offerecemos como additvo emenda
n. 247, o projecto infra, n. 10 de l83.Sophro-
Portella.C. de Albuquerque.
A Assembla Legislativa Provincial de Per-
narabuco resolve :
Art. 1. Picarlo extractos 03 officios do 2o te-
bello, escrivo do crime e civel da comarca de
Aguas-Bellas, logo que se verificar a sua vaga
por fallecmento ou renuoci 1 do respetivo serveu-
tuario, e aero aggregadas as respectivas func-
coes ao cartoro do 1 tauellio c mais annexos da
mesma comarca.
Art. S4. Ficam re vagadas as disposicoes em
contrario.
20 de Marco de 1883.Leonardo de Almekla.
Dr. Democrito Cavalcante.
N. 385 Accrescente-se ao n. 315Art. 3, de-
pois da palavraProvinciaobligado o contra-
tante eu seu fiador a retocar proporcionalraeute
ditas flaneas, se por ventura as lettras soffrerem
diminuico do valor, porque foram recebidas. -
Barros Barreto Jnior.Kerreira Jacobina.
N. 396. Subemenda ao addit vo n. 235 s ds-
poscoes geraes :Supprima-se a 1 parte .t a
palavra emisso, e no final da 2* parte, depois da
palavra devedor, acerescante se s ao Baueo. S. R
G. de Drummond.
N. 397. Additvo. Fica o presidente da pro-
vincia autorissdo a -'nnovar com Manoel Clemen-
tino Crrela de Mello o contrata prra custe o da
lluiaiuaco publica da villa de Iguanruss, me-
diante as seguintes condces :
Indemnisar o contratante a provincia no fim de
5 annos, da quantia]de 1:4008, custo de collosa-
co dos 40 lampees daquella villa ;
Collocar a sua cusa cinco lampeoes, que psssa-
ro no fim daquelle praso a purteuc.T pro-
vincia ;
Fazer en'rada da referida qnanta por quota
annuaes, sendo que ficar reseindindo o contrato
com a falta dessa entrada nos prasoa estipu-
lados ;
Eatragar proviaca no fim do contrato os 45
lampee perfitamonte conservados e sem mais
indemnisaco ;
Sujeitar-re a reeeber da provincia o preca de
200 rs. por noite e por cada lampea, ;
Oongar-se a manter a illuminaco gratuita-
mente no caso de regcs5o at que se estabeleca
novj Cmt.-ato ;
Prestar fianca arbitrada pelo Thesouro para
garanta das condicoes estipuladas. R-gaera
Costa.
N. 398. Se passar a emenda n. 213, sapprima-
se as palavras=devende o lugar de censar BA
exereid oat o fiot.S. R. -Jos Mari.
N. 3'.I9. Se passar a emenda n. 243,accresceo-
tesedcpoie'das plavrasattendeado as seguiu-
tess e exclusivamente. S R.Jos Maria.
N. 400. Sabiinenda a de n. 334. E a todos os
funecionarios que .-stiveicm as mesmas condi-
coes. 8. R Jos Maria.
N. 401. Subemenda a de n. 332. O mesmo favor
seja concedido aos deraais aposentados do Consu-
lado Provincial, e aquelles que por ventura o fo-
rem as termos dos dispositivos que transforma o
Consulado Provincial em Recebedoria Provincial.
S. R. los Maria.
N. 402. Sabemenda a de n- 310. E ao3 domis
que estiverem as mesmas cand:coes. S. R.Jos
Maria,
N. 403. Subemenda a emenda n. 332. Depois
das plavras Palbaresiccre3cente-se Mana"l
Pereira da Cunha.Dr. Pitenga.
N. 404 A' parte 4. n. 13 da tabella do imposto
de repartico, accrescente se : na podendo a quo-
ta de cada um dos colieotados exceder de repar-
tico de 1384 a 1835.Co3ta Rbeiro.
N. 405. Supprima-se a parte'21 da tabella do
impo ita de repartico, ficanda a classe de que ah
se trata aujeita ao imposto sobre estabelecimentos
commerciai.'s.Casta Ribeiro.
N. 406. Ond onvier6:0008000 para a con-
straeco de um acude na villa de Qupap.Re-
guira Costa.
N. 407. N> 10 da art. 1", supprmam-se as
plavras40 res por litro de vinbo e no final do
mesmo piragrapho supprmam-se tambera a p-
lavras-sendo a cobranca etc., at o fim. Ratis e
Silva.
N. 408 Onde convierFie o presidente da
provincia autorisado a mandar restituir a Joo;
Gomes da Costa a quantia de 1668000 que demaisj
pagen em 1 versos exercicioe eompanhia Recite-
Drainage, aroveniente de aunuidades, do predio'
sito a ra do Pkardl, o qual se acba eomprehendido'
no que dispe o art. 17 do contrato daquella eom-
panhia. -Julio de Barros.
N. 409. i' emenda n. 3 ao art. 1" supprima-se
a palavraa retalho.Joo de Oliveira.Roga-
berto-
N. 410. Accrescente-se a emenda n. 270, de-
pois das plavras vencimentos,podend aposen-
tar os empregados que julgar conveniente.Ra-
lis e Silva.
N. 411. Pica transferida a eadeira de inetruc-
fo primaria do lugar Mimoso, para o povoado
ds Cocas, no termo de Besarme.Ratis e Sil-va.
N. 412.-Ao 28 do art. 2"Augmente-ae a
quota em 20:('99j000 para ser construida urna
ponte no no Pirapama, entre os eogenhos Ilha e
Junqueira.Lourenco de S.Rogobsrto.
N. 413. Fica o presidente da provincia aoto-
risado a prover na Ia eadeira que vagar nesta
cidade, a professora jubilada, D. Maria Coelho da
Silva, fcando sem effeito a sua jubiheo.Lou-
renco de S.Rogoberto.
N. 414. Dispoeiees geraes.Fica o presidente
da provincia auterisado a mandar pagar a Hono-
rio Hermetto Goncalvea de Oliveira, a impartan-
ca do aluguel vencido da sua casa, que serve de
cadea e quartel na villa de Quipap.Ratis e
Silva.
O que podemos assevorar, e nosao conceito
desde muito tempo, que nunca vimos em parte
alguma raelhor actor, mais correcto maia conhece-
dor da sceua mais merecedor de applausos do que
o Sr. Furtado Coelho, cujareputeco se < stende da
America Europa.
De sua digna consorte temos as melhorej, as
mais eloquentes provaa nos jornaes portugueses e
fluminenses, em cajos theatros tem ella exhibido
os seus peregrinos dotes artsticos.
O pessoal scenico da eompanhia de 19 figuras,
e todos secundara aquellas dous bellissitnos tales-
tos.
Su'gem, pas, das felizes para o nosso Santa
Isabel; e de crer qae all v o nosso publico
ganbar o tempo que tem perdido desde que all
nao funeciona urna eompanhia dramtica de men-
te, na real acaepco deste qualificativo.
Matela fstlaaHontem, poueo depois da
raeio dia, o Sr. Dr. chefe de polica poz em ceras
o sitio da Estancia n. 5, onde Ihe consteva, por
pesquisas que ha um mez fasia, haver pessoas
que tmbalbavam ua faisificaco de cdulas do go-
verno.
S. S., acompanhado pelo Sr. capito Demetrio
Coelho, subdelegado da Capunga e respectivo
commandante da estaco da guarda cvica, em boa
hora conseguio prender ao subdito portuguez
Francisco Cardoao Leal, residente ra do Bom
Jess n. 10, a Bellarmino Jos dos Santos, mora-
dor ra de S. Joo n. 13, e finalmente a Fran-
cisco Lino de Freitas Barbosa, gravador, e resi-
dente ra do Riachuelo n. 63, os quaes foram
recolhidos Casa de Detenco.
Estes tres individuos foram presos em flagrante
delicio, pos estovara a preparar, na occasio, as
chapas para a impresso de cdulas de 1008000.
No bolso de Bellarmino cncontrou-se urna nota
falsa de 18000.
As pedraa em que esto gravadas as chapas, a
tinta, o papel e os deroaic utensilios, inclusiva-
mente urna machina de impresso, foram appre-
hendidas.
Os criminosos haviam iniciado a faisificaco no
2 andar da caaa ra do Bruin n. 82, que uban-
donarara ha tres dias, por aquc.la em que foram
presos, e na qual, por ssr solada, julgarara poder
trabalhar mais vontade.
Nao Ihes permittio isso, felizmente, a polica, co-
mo os leiteres acabam de ver.
O Sr. Dr. delegado do 1 districto deu, piuco
depois, busca em casa de Francisca Cardoso Leal,
e com asaistencia deste, encontrando varios papis
que foram apprehenlidos, e proced;u a outraa di-
lig ocias no seu districto.
Hontem foram interrogadas pelo Sr. Dr. chefe
de polica diversas pessaas e procedeu-sc as dili-
gencias necessarias.
O bom xito obtido pelo Sr. Dr. Antonio Do-
mingos Pinto, digno chefe de polica desta pro-
vincia, obriga-nos a felicitel-o por to brilbante
diligencia.
-
ttviSTA DIARIA
Oai Provincial Funccionou
hontem, aob a presidencia do Exm. Sr. Dr. Jos
Manoel de Barros Wanderley, tendo comparecido
33 Sre. deputados.
Foi lida e approvada, sera debate, a acta da
sesso antecedente.
() Sr. 1 secretario proceden lertura do se-
gointe ex edicnte :
Cm abaixo assignado du proprietarios armado-
res de navios nacionaee, empregados na eabote-
gem, pedindo a isenco do imposto de tonelagem
para os seus navios.A' commisso de orcamento
provincial.
Ump petico de Thomaz Cavalcante da Silveira
Lins, requerendo privilegio por 50 annos para ea
nalisar agua para a cidade do Rio Pormoso, e re
querendo um auxilio dos cofres da provincia.A'
commisso de pences.
Foi imprimir, sob n. 118, um parecer da com-
roisriU) de exame de leis nao sauccioaadas, adop-
tando tal qoal se acba a que transiere a eadeira
do sexo feminino da Cha de Capceiras, em Pao
d'Albo, para o lugur Bom-Successo de Olinda,
sem prejuizo da actual professora.
Foram apoiadoe e ficaram sobre a mesa, afim
de serem opportanamenle discutidos, um requeri-
mento do Sr. Baatto do Itapissuma, pedindo infor-
macs sobre o resultado da proposta feita ao
Banco do Brazil para o empresiimo de 1,000 eoli-
tos, e outro daa Srs. Laursnco de S e Jos Ma-
ria, pedindo informacos sobre a prisa > do eleitoi
Joaquim Felippe pelo subdelegado de Ipojuca.
Adiou-se de novo, pela hora, a discusso do re-
querimeitto do Sr. Joo de Oliveira, soore a 2'
seceo do Consulado Provincial, orando os Srs.
Prxedes Pitanza e o autor.
Passou-se 1' parte da ordem do da.
Adiou-se de novo, pela hora, que foi prorogada
at o fim da sesso, pedido do Sr. Ratis e Silva,
a 3' discusso do projecto n. 43 drete aano (orna-
mento provincial), tendo orado os Srs. Coate Ri-
beiro, Coelho de Manes, Visconde d-. Ta'oatu.ga,
Gomes Prente e Soares de Amorim, sendo apoia-
das diversas emendas, bem como um reqner,iraen-
to do ultimo Sr. deputado, para que sejam sepa -
radas, afim de conetituirem projecto separado, as
emendas que versarem sobre materia estranha ao
orcamcato, isto receita e despeza
A ordem do dia ua Ia e 2a partes: eontt&ua-
cao da antecedente.
lompashia dramalkaChegou h t-
tem do sul, uo paqu-te nacional Pura, a eompa-
nhia dramtica do distiucto actor Furtado Jo irhu
a qual estrs, hoje n 1 theatro Santa Izanel, com o
drama Fdora, de V. Sardn.
Todo quanto diasemae a respeito dessa eompa-
nhia, notavel todas oa Kspeitos, mas, principal-
mente, pelo seu director e pela esposa deste, a
mi. D. Luanda, aerinm repettces do que outros
tem dito.e sabe o nosso publico com relaco ao Sr.
. Furtado Coelho, a quem conheee, e cu;o talento
diga-secom a gratifieafao que for arbitrada. tea creacido tota as anuos decor. idos depoii da
Vigario Augusto Franklin. 'sua estada em Pernambuco.
A EalacaoRecebemos da corte o n. 11, de
15 do corrente, desta revista de modas. Traz fo-
lhas mol les e figurino collorido.
Matriz da Boa Viola Tem estado em
exposico a matriz da Boa-Viste, onde foram ce-
lebradas as exequias solemnes por alma do Dr.
Antonio Francisco Correia de Araujo e tem sido
numerosa a concurrencia de -pessoas irem ver o
explendido catafalco e as decoraces-do templo.
effeito noite imponente.
^O ahatographn Sr. Ducaable, aps o acto reli-
gioso, tirou diversas vistas da templo e ro monu-
mento.
Exequias-Na prxima segunda-feira, 21 do
corrente, o partido conservador da jidade de Olin-
da manda celebrar solemnes ei.quins, pelas 8 ho-
ras do da, na igreja de S. Bento, p-la alma do
Dr. Antonio Francisca Correia de Araujo.
Para esse acto de respeito e amsade memoria
do Ilustre cidado, sao convidados os seus ami-
gos daquella cidade.
Lavasera e engomtnado Pi-a este
raister abrirara recentemente os Srs. Souza t G,
ra do Visconde da Rio Branco (outr'jra rua da
Auroro) n. 131, urna oficina, que se acha conve-
nientemente montada, j pele numeroso pessoal te-
chnico. que habilitado, j pelos necessarios ins-
trumentos e machinas apropriadas, segundo somos
informadas.
E' a primeira officiua em tal genero que existe
nesta cidade, e de esperar que a populaco pres-
te-lhe o devido apoio.
HonrosoO Exm. Sr. chefe de diviso e ca-
pito do porto dirigi o seguate officio era 14 do
corrente ao Sr. protieo-mr :
Capitana do parto da provincia de Pernam-
buco, 14 de Junho de 1886.-Acabo de lar a cona-
municaco qae me faz Vmc. da triste oceurreucia
havida com o paquete nacoual Espirito Santo que
na manh de hontem entrou neste porto, piloteada
por Vmc.
Lastimo o tacto, mas tendo sido testemunba
ocular do seu procedimcnto, couhecendo a se* pe-
ricia e proficiencia no servico da praticagem, nao
posso attribuir a mai. leve falte.
o Entretanto, um tacto nao me escapou que
mais urna ves deaonstrou a coafianca qae me me-
rece : refiro-me prudencia e sungue fro com que
se houv.e Vmc as criticas circunstancias em que
se achou o por Etpirito Sanio, qualidade essa *
que se deve wio tero navio perdido-se completa-
mente.O chefe de diviso capito do porto, Jote
Manoel Picaneo da Coala,.Sr. 2 lente Hercu-
lano Jos Radriguea Pinheiro, pratico-mr deste
porto.
Paquete nacional Espirito Haaia-
Este vapor da Companhia Brasilera, s hontem,
ao escurecer, seguio para os portos do sul de sua
encala, reparadas as avarias qne recebera ao en-
trar ba poucos dias neste parto.
FeUledasaeaiioHratera, s duas horas da
tarde, suecumbio, victima de urna febre de que
fra ha tres meses acconmettida, D. Maria Pia
Silveira de Albuquerque Mello, esposa do Sr.
Francisco Antonio de Albuquerque Mello Filbo, e
filba do Sr.Dr. Manoel Joaquim Silveira.
Contavu a fallecida 21 anuos de dade e ha 7
mezes apenas contraliira matrimonio.
O cadver acha-s- depositado na capella da
cemi-^rio publico de Santo Amaro, e ser dado i,
sepultura hoje, s 4 horas da tarde.
Aos desolados prenles da joven e loditosa se-
nhora aposentemos as nossae condolencias.^
Cansas de ludan as parles Ea
Sani'Angelo, no Texas, houve uro ferocissimo dud-
lo entre duas jovens, urna loura e a outra moren.,
por motivos de ciumes.
A primeira tinha roubado o amante da segunda,
que naturalmente a odiava de morte. Encantran-
do-se em um mnibus da cidade, tiraram as facas
que levavam, e, como dous tigre, furibundos, se
atiraram urna a outra em repetidos accommetti-
raentos. Quinzedix-se que foram aa tacadas de
urna parte e dez de outra.
Os que per acaso all passavamuma hora depois,
acharara as duas moribundas que estrebuchavam
as extremas afHiccocs da morte e n'uma grande
poca de sangue.
A'cerc da mallogrtda revoluco da repbli-
ca Oriental, eolheraos da Italia, de Montevida,
que no lugar denominado Panadera, ae achou um
cadver de um official revolucionario, de naciona-
lidad.- italiana, e segundo iuformacoes, era ua
valoroso guerreiro.
Tambera na localidade Callejn existiam os des-
pojos de um outro italiano revolucionaria de esta-
tura baixa e corpulenta.
So porto do Sf. Rzcs estavam enterrados ita-
lianos que vuham u'um carro carregado de m-
nices. Estes foram mortos por uma descarga daa
foacas do governo Oriental.
A maicr parte dos que morreram na bataiha aa
Quebracho, foram italianos, e naturalmente por-
que eiam os que mais se distinguiram em bra-
vura.
Os bispos catholicos de Inglaterra iniciaraa
uma serie de agitacoes as espectivas dioceses
eoatra os projectos de Gladstone, sobre a autono-
ma irlandesa.
El'es temem que, uma vez excluidos os deputa-
dos da Irlaada, do parlamento de Londres, a cau-
sa catholica seja compromettida pela imponente
maioria de lutherauos.
Um despacho official de Huesca, Hespanba,
anuuucia que o cura de uma coramuua d'aq'.i- ''
provincia, disparou da janella de sua casa um tira
de espingarda contra o professor da escola, que fi-
con fc
O sacerdote foi preso. Se attribuo o attentade
uma dispute eotre ambos.
Se os le torea deaejara saber qoal o autor
contemporneo qae mais diuheiro gauhsu de uma
vez, eil os satisfeitos : est. morte l
A viuva da general Grant receben do ediotar
da Memorie militaire de seu marido, a titulo de
primeira amigo, 200,900 dollars, isto nm milhe
de trancos.
Antes de Grant a mais acuitada somma paga
de uma s vez a um escriptor foi o cheque de ...
20,000 libras esterlinas (5,000:000 francos), que|os
'*,

i
\
I
I un i


Diario de Pernambuco--Sexta-fera 18 de Junho de 1886
3
*t
I
seus ouvintes deram a Macaulay. como primera
qnota do pagamento da sua Historia de Iugla-
terra.
Walter Scott ganhou cora a *iu penna 100,000
libras esterlinas (2,500:000 franco*) em dei senos.
Oatra curioaidade biograahife do li\ro de
Orant
A ana primeira edicoSo da 325,000 ejemplares
(pstao longe das grandes edicgoes parisiense He
1,000 exemplares !), a raais numerosa primeira
edicgo que se tem feito.
Cita-se as Teses o caso d'aquelles dous ae-
nhores que, batendo-se em duello a pistola, acaba-
ram por matar o cocbeiro que os levava na carro.
Alguma cousa de mais siugular acontecen ha
pouco as recentes desordena da repblica de An-
dorra.
N'um combate entre 100 horneas commandados
pelo vigario do bispo, contra outros 100, s or-
dens do vigario franoez, combote travado em fren-
te das muralbas de Andorra, em Beja, e que du-
ron a bagatela de oito horas, tcou mo'ta nica-
mente urna pobre velha que se achava no campo
trabalhando.
Deinai um abito d'aquelles soberbos repu-
blicanos lancarta mao s armas Bem reciproca-
mente se offendrem.
En 1881 duas esquadras de Andorranos fortes,
de 300 bomens, cada urna armada de Remington,
a duzentos metros de distancia, tiararam urna pe-
leja por seis horas tegoidas.
^ E^apezar de todn o encarnecimenio s houve urna
victima, e ejta cabio per urna facad* na barriga,
que teve lugar em urna contenda particular depois
de acabada a batalha, emquanto que os dous par-
tidos belligerantes celebravam a so a conciliacao !
Lei lew. Effectuar-se-ho:
Hoje :
Pelo ajenie Martin, as 11 horas, aa rna da An-
rora n. 165, de movis, lougas, videos, etc.
Pelo agente Gusmdo, s 11 horas, na ra Du
que de Caxias n. 77 A, do estabelecimento ah
sito.
Pelo agente Modesto Baptista, s 11 horas, na
ra do Imperador n. 75, de livros, movis, miu-
dezas e outros ar-.igos.
* Amaniia :
PeZo agente Burlamaqui, s 11 horas, na ra de
Vigario n. 21, de eergelim a variado.
Pelo agente Brito, s 10 1/2 horas, na ra do
Bangel, de ermacoes e das fasendas e miudezaa
da loja ah sita.
Miaan fnebre-*. -Serio celebradas :
Hoie :
A'b 8 horas, na igreja da Soledade, por alma do
conselhe'ro Arthur de Almeida e Albnquerque; s
7 e 1/2 horas, na matriz da Boa-Vista, por alma de
Antouio Felippe Mareau.
Amanha :
A's 7 1/2 hora?, na matriz de 6. Jos, por alma
de Jos Moreira Lima.
Segund t-feira :
A's 7 lp horas, no Espirito-Santo, por alma de
Antouio J.s da Fonseca; s 7 1|2 heras, na matriz
de Santo Antonio, por alma de Joao Antonio Col-
lago Dias ; s 8 luas, na Cnngregaco, por alma
de D. Luiza Lasne de Mello.
PnNftageironChegudos dos portos do sul
ni vapor nacional Para :
Dr. Manoel di Siqueira Cavalcante, Dr. Joao
Jos de Parias, su-i se nliora, 3 filos e urna criada,
Dr. Henrique Marques e urna cuubada. Dr. Hen-
rique de Barros Lins, Dr. Moraes Douiingues.
Aiexandrina da Coaceigo e urna criarla, Martha e
Guilherme, Arthur P. Assis, J.iaj Cardoso, Anto-
nio R. du Freitas, Sebastilo Carroli, Manuel de
Brito Cotegipe, JoaquimC. de Albuquerque, Fran-
cisco Callea Jnior, Francisca Cardozo, Leopoldo
L-shaimer, Fre Luiz Piarra, Frei Fideles de
Av.la, Fre Grcori de Prate, Damin R. die San-
tos, Severianodos Santos, Joao Barbosa, Francis-
co Diamantino, Carlos da Silva, Francisco de
Souza Pitanga, Antonia Carlota, Alb Mfcutchhin,
Joao Jos Lage, Francisco Xavier Lima, Ale-
xandre F. da Silva. J viqnin Vieira Silva, L'in Larar, Cy-
riaco San -. loa i Ferrcira dos Santos, Jos Co-
m, Antonio II. de Souza ."na aeahira, Jos Ca-
valcante, loba Par, ndate M. Machado Silva, 2
pragas de marinh i e 26 pes3oas da companliia
dramtica Furtado Coelbo.
Cana te Iteienrao Movimento dos pre-
sos no dio 16 de Junho :
Existiam pr?soa '-'i'1, entraram 8, sahiram 4,
existem 27.
A saber:
{"Nacionaes 243, mulheres 2, estrangeiros 8 es-
cravos sentenciados 2, procesando 4,ditos de eor-
Mccao 8Total 267.
Arrabiados 227, sendo : bons 221, doentes 6
Total 227.
Movimento da enfermara :
Teve b-.ixa :
Manoel Antonio Machado.
Teve alta :
Miguel, escravo de Antonio de Souza.
- I.ii'ria da pro\ loria. Sabbado 19
do corrente, se extraiiir a lotera n. 59, em bene-
ficio da matriz de Leopoldina.
No consistorio da igreja de N'ossa Senhora Ha
Conceico dos Militares, se acharao expostas as
urnas e as espheras, arrumadas em ordem num-
rica aoreciagilo do publico.
I.nli'iia da edrlePor telegrammareceb-
do pela Ca^a Pella, sbese terem sido estes
os nmeros premiados di 3a parte da lotera 197a
extrahida ni da 17 de Junho :
6.660 100:000*000
1.858 20:1.00*000
liOteria do BloA 4* pan- da lotera n.
197, do novo plano, do premio de 100:000Ot,
ser extrahida no dia 25 do corrente.
Os bilhetes acham-se venda aa Casa da For-
tuna ra Primeiro de Margo.
Tambera ac'iam-se venda na praga da Inde-
cia us. 37 m
Lotera de Macelo de OOiOOOAoOo
__A13' parte da 12 lotiiria, cujo premio grande
de '00:000*000, pelo novo plano, serextrahiria
imprrtrrivelmente no dia 22 de Juuho s 11 hora
da raanha.
Bilhetes venda na Casa Feliz da praga da In
dependejeia ns. 37 e 39.
tVoterta Extraordinaria da %'>-
raneaO 4o n ultimo sorteio das 4 e 5 series
desta importante lotera, cujo maior premio de
150:000*000, sera extrahida a 14 de Agosto proxi
mo.
Acham-se/'-xposto a venda os restos das bilhe-
tes na Casa da Fortuna ra Primeiro de Marco
a. 23.
Halad-<> Panuco. Foram abatidas
no Hltifllim da Cabanga 59 rezes para o consu-
nto do dia 18 de Junho
Sendo: 47 o-ilencentes aos Srs. Jliveira Cas
tr C, e 12 a diversos.
Padre Antonio de Meti e Albnquerque, Ala-
goasyS8 annos, S. Jas; aneurisma da aorta.
Beato, Pernambuco, 2 anuos, afcaut i Antonio ;
catarrlu bu Socan te. .
Alexaodiina Mara da aaixJL, P. rnambuco, 25
annos, casada, 8. Joe ; tiilyjrculoa poimonarcs.
Quintino, Pernamboco, 3 m los; coa-
vulsoes.
Mareolinn da Trindade Peraisa, Pesnambuco,
52 annos, viuva,S. Jos"; pneumona.
Octavio, Penuuubueo, 7 meiei; entente.
12
Joaq lim Seraphim Nuues, Pornambuco, 18 an-
nos, M>teiro, Recite; tsica.
Marconilla do Espirito Santo, Pernambuco, 20
annos, tolteira, Santo Antonio; consnmp5o pul-
monar.
Damiana Mara U Piedade, Pernambuco, 42
annos, viav, Boa-Vstt; leso cardi:.
Mara, Pernambuco, 3 meces, Santo Antonio;
inviabilidade.
Maranno Jos da Silva, Pernambuco, 28 annos,
solteiro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Mara, Pernambuco, 4 meses. Recite; convul-
soes.
Francisca Bernarda de Souza, ear, 65 anuos,
casada, Boa-Vista; pnenmonia.
Jos Alves de Carvalho Porto, Pernumbnco, 3 i
annos, casado, R.'cife; gastro ente. ite.
Dativo Pereira da Costa, Pernambuco, 25 an-
nos, casado, S. Jos; gastro rnterite.
Martiniana, Pernambuco, 20 annos, soltcira,
Boa-Vista; febre typhoide.
Severino, Pernambuco, 10 mezes, S. Jos; con-
vulsoee.
13
Antonio Francisco, Pernambuco, 20 annos, sol-
o calor patritico para protestar contra a indiffe-
feny* e o egosmo do rpsto da hmnani lade.
O Instituto posaue ama bibliotkeca pequea
mas rica de manuscriptos, mappas e documentos
notaveis dos lempos ooloniaes, e particularmente
do periodo du dominagao hollandeza ; poasue tam-
ban> sm musen arcbeologico, histrico, etimolgi-
co, conteni curiosos exemplares dignos de at-
tencio.
Entre as preoccupaooes mas constantes dosho-
mens do Instituto figururam seinpre e preferente-
mente as excavacoes histricas, a creacb desse
monumento perenn, que dove dar testemunno
posteridade do grandioso papel que provincia de
Pernambuco competo na historia brasileira.
Na construeco desse monumento caer peren
nius entrava principalmente o exama c conheei-
meuto desea gloriosa poca da nassa vida colonial
o dominio hollandez no seculo XVIIa os do-
cumentos e ch rom cas mais iuteressantea o c imple-
tas dos 24 annos daquelle dominio, se acham guar-
dados nos archivos ne*rlandezes, constituindo a
historia das conquistas da Companbia das Inr>ias
OcoMeatfcee.
O Iustitut j Archeologio achou o meio nico de
ohter esses subsidios authenticos e valiosos da
historia parnambucam, gracas ao concurso inte-
ligente de un dos seus membros, e nao perdeu o
ensejo.
O Dr. Jos Hygino Daarte Pereira, um espirito
ilustrado, um moco modesto, urna inteligencia
superior e um carcter fino, lente da Faeuldade
Jurdica de R-cite, laborioso e serio, altivo e per-
severante, tend > adquirido por esforco proprio, o
cinhecimento dn diversas linguas e com especia-
lidade a hollandesa, abalan(ou-se ao arrojado em-
tS**^}0 Ao ilisiradi) publico
to assignado, commandante do vapor Es- r
O abaixo assignado, commandante do vapor Es-
pirito Santo, vem por este meio agradecer ao Exm.
Sr. ehefede drviso Jos Manoel Picanc;u da Costa,
aes Illnts. Sis.primeirotenentes Bandeira de Gou-
veia, Mosquita. Nanee e Bastos os valiosos e promp
tos auxilios prestados ao dito vapor, quer durante
o tempe que antev cheio d'agua, quer depois ia-
eudo concert.
Recite, 17 de Junho de 1886.
Jo&o Mara Penda.
teiro, Boa-Vista; dyarrha.
Jeronymo Garca de Menezss, Rio-Grande do
Sul, 40 annos, solteiro, Boa-Vista; entero co-
lite.
Turiano Marques Jua, Pernambuco, 50 annos,
casado, Boa-Vista ; eongettao cerebral.
Anna Paula de Mendonca e Silva, Pernambuco,
70 annos, viuva, Boa Vista; bronchite.
Romana, Pernambuco, 3 mezes, Oliuda; ente-
lite.
Mara das Xeves Anna dos Pasaos, Pernambu-
co, 28 annos, solteira, S. Jos; metonhaga.
Clemente, l'trnambuco, 6 mezes, S. Jos; pelo
subdelegado.
14
Francisca (escravaj, Pernambnco, 33 annos,
solteira, Boa-Vista ; ttano.
Elvira, Pernambuco, 18 meze3, Recito ; gastro
enterite.
Jos Moreira de Lima, Parabyba, 76 annos, ca-
sado. Afogados ; decrepitude.
Augusto, Pernambuco, 4 annos, Boa-Vista ; fe-
bre typhica.
Amelia Cavalcante do Espirito Santo, Rio Gran-
de do Norte, 12 annos, solteira, Boa-Vista ; tubr-
culos pulmonares.
Um feto, eruambuco, Boa-Vista ; inviabilidade.
Jos das Chagas Ribeiro, Pernambuco, 16 an
nos solteiro, S. Jos ; meninge encepbalite.
Izidro Dipno Valdrudes, Parabyba, 65 aunos.
casado. Boa-Vieta ; berberi.
Leopoldina Maria da Conceir-ao, Pernambuco,
38 annos, viuva, Poco; tubrculos pulmonares.
Antonio Felippe Mi teaux, Franca, 58 minos,
casado, Bou-Vista ; tsica pulmonar.
prehcndimi'iito e of&receu-se ao Instituto Archeo-
IHDICACES DTEIS
Merend Kunlrloal de #*O
movimento deste Mercado nos dias 17 do cor-
rente, foi o seguinte:
Entraram :
32 1/2 buis pesando 4.537 kilos.
: kilos do peixe a 20 res
38 cargas de farinha a 200 ris
28 ditas do Iruetas diversas \ 300
ris
10 tabolnrop a 200 ris
13 suinoa a 200 ris
Foram oceupados:
23 1/2 columnas a 600 ris
26 compartiineiiMs di: faiiuha a
UUO ris
25 c onp-.itmentos de cernidas a
000 ris
76 1/2 ditos de legumes a 400 ris
rtimentoe de suiuo a ~i>n
13 ditos ile tresturas a (500 ris
10 ditos de dilosa 2*
A Olivei;:- fll C. :
2 tal los a 500 ris
54 taino de carne verde 1*
Dev>i tor sido atrecaiada nestr-B das
a quantia de
H880
7*600
8400
2*000
1*6 10
14*000
13*0(10
12*500
30*630
11*2*0
7*8
20*OIKi
1*000
54IMI-
iMjtto
m do din:
a 40: e 281 ia ok.
goin W ris idem.
Can. 'is idem.
is a cura
lllho de 1 i a 320 ris idem.
a 1*600
J57emlterlo PntollceObituario dodi41
de Junho de 1886 :
Augusto Baptista Braga, Pernumbnco, 34 an-
nos. csado, Uoa-Vist-;; berberi.
Maria Joaquina da onccicAn, Pernambuco, 30
tunos, solteir, Gracn ; diarrha.
J .anna Maria .lo Livramento, Pernambuco, 40
annos, solteira, Greca; dianha.
Manoi-I Nuues da Silva, Perrwmbueo, 52 annos,
oltero, Boa-Vista ; elephantases.
Pedro, Pe",u*Jbuoo. 2 anuos. B-a-Vista; ente-
nte.
Hedicon
Coanallorlo meiliro rirnrslro do ir.
Pedro de Alluli j ra la I.loria n. 39.
O doiUor Moscou) d consultas texios os
dias utuis, das 7 s 10 horas da manh'.'
Este consuitorio offornce a comniodid,-
de de poder cada docnte stjr ouvido ex
minado, sem ser presenciado por outn
De meio dia s 3 horas da tarde ser <
Dr. Moscozo encontrado no torreilo pra
i, do Commcrcio, onde funcciona a in
peec2o de sado do porto. Par iioaJcfuer
J'estes dous pontos poderio ser dirigidos
i>s chamad os por i-ar6i as indicadas horas
Dr. Lopet PcssoaMe Jico.Residen-
cia a ra de D. Pedro I n. 2, onde pode
ser "procurado .t s 9 horas da nianhii.
Consultorio roa do Bora-Jesus n. 37 1.
andar. D consultas das 11 s 2 da tar-
de. Gratis aoa pobres.
O Dr. Arthur Imbassahy, medico oceu-
lista, r::ccnternentfl cho.gado, esta cidide,
d consultas tod>s os dias, das 8 s 10
horas da innha, sendo gratis aos pobres,
no 1. andar do predio n. 53 da ra da Iui-
peratriz.
Dr. Barreta Sampaio d consultas de i
s 4 hoias da tarde, ra o Bar.ld Victoria n. 45, 2 andar, residencia ra
o Riachuelo n. 17, canto da ra do Pires.
Consultorio allopatleo doaitmtrico
Dr. Miguel Themudo d consultas das
12 s 3 da tarde em ser, consultorio ra
lo Baro da Victoria n. 7, 1.* andar.
Chamados por cscripto a qualquor hora.
Especialidades partos, febn-s, syphilis,
molestias do pulinao e do corago.
Advocado
O hachare! Benjair.im Bandeira, ra do
Imperador n. 73, 1. andar.
Dr. Oliveira Escorel. 2 o promotor pu-
Ibico, tem sen escriptorio de advogacia da
ua Prim"iro de Margo n. 2.
Dr. Sebra. Mudou seu cscripto de advo-
gacia para a ra do Imperador n. 24.
Mroajaria
Francisco Manoel du oa db (, l >>-
sitarioa de todas as especialid.-xues pliarmi.
ceuticA8r tintas, drogas, productos chuuio-
e medicamentos homoeopaticoB, ra do Mr-
quez de Ohnda n 23.
Faria, Hobrinho & C, droguistas poi
attacado. Ra Mrquez do Olinda n. 41.
Serrarla a Vapor
Serrara a vapor e officina de carapinn
de Francisco dos antos Maoedo, caes de
Capibarioe n. 28. N'este grando estab e
cimento, o primeiro da provincia n'cste ge-
nero, compra-so fc vendase madeiras de
todas as iiuaJidades, serra-se madeiras de
conta alheia, assim como 8e preparara obrat
de carapira por machina e por precos s-jit
COIli lu"n"'
1 .(tO(:()OOSOOO
Os bilhetes desta importante lotera de
tres sorteios, que corre no dja 8 de julho,
achara se venda na Roda da Fortuna
ru i Larga do Rosario n. 36 e ra do Ca-
bug n. 1.
lgico de que conspicuo meinbto, para trazer
das velhas biblotheeas da Hollanda, as copias va-
liosas dos preciosos registros historie s para in-
vestigar e collrir, para traduzir e consolidar a
documentacao e o testemunno contemporneo dos
acontec mentoa e dos tactos que se piendem as
tradiccoes daquelles tempos, queso no saoconhe-
cdos pelos glorio >3 feitos de Joao Fcrnandea
Vieira e dossi'us ollaboradores na obra da res-
tauradlo.
O L)r. Jos Hygino abandonou, pois, a sua ca-
deira de prefessor o a sua banca de aivogado e
l te foi camiuho da Haya, levaudo como nicos
subsidios os seus vencimentes de lente e o seu
amor ao eetud i. Nio estas* terminada a sua ta-
refa (nein seria possvel terminal-* em um anno
de trabalho ap-uas), quando nm aviso do Sr. Ba-
rio de Mamor, suapendundo os seus vencimentos
at que assumisse o exercicio do magisterio, obri-
gou-o a aban1onal-a por carencia de recursos pe-
cuniarios e regressar patria.
Para onvr o re'tono do Dr. Jos Hygino o
Instituto Archeologico rennio no da 9 do corrente
em sua sede ama numerosa e selecta assistencia,
tr-ndoconvidado com esse fim as primeiras autori-
dades da provincia, que nao filtaram a esse con-
vite.
O sallo de honra do Instituto esteva lateral-
mente cheio e o seu Ilustre membro eocetou a sua
conferencia sob urna viva impressao do auditorio
muito interessado em ceaneoe* o resultado da ma-
sao que o levara a Europa.
O Dr. Jos Hygini. leu o aM extenso e bem
couraenado relatorio que eontm urna grande
quantidade du uformacoes uteis, de apreciareis
eatudos, de iuteressautes det ilh 's sobre persona-
gens e acontecmentos ; apresentou urna avultada
rollei'cl < de copias, documentos, memorias, livrjs,
fac simile, mappas e retratos por elle obtidos e
cuja acquisicao represente um rico cipital para
as rciviudicaeoea List nicas que o Instituto quer
realisar No relatorio do Dr. Jos Hygino acham-
se noticias e esclarec mentoa at agora ignorados
sobre pessoas e cousas do tcinpo da dominadlo
hollandesa.
O dstincto professor fea proveitosa applicaelo
da saa permanencia as cidados da Hollanda,
aun le percorr<>u os archivos, bibliotecas, museus
e registros pblicos, respigando e colh<-ndo d'elles
tudo quanto pudessi: subsidiar a sua obra. A pro-
pria bibliotheca particular di rei tai facultada pa-
ra as investigacocs que elle tinha em vista, c re-
f--rii,d i-si- no sku relatorio aos trabalhos de que
lora incumbido, o Dr. Jos Hygino assignala coin
grande louvor o acolhimento e a cooperarlo que
lli foram generosamente prestados por todos os
estabelecimento o re jarticoes em que se apre-
sentou solicitando a sua admissao-
O Dr. Jos Hygino terminou o seu selatorio la-
mentando que o acto do governo imperial, chaman-
do-o a sua cadeira de lente e privando- > do nico
recurso que levara em sua vagcm, o obrigasse a
interromper a obra emprebendida com tanto xito
e proveito para a historia do Brasil e para o Ins-
tituto Archeologico Pernambucano.
(Do Paiz.)
Convida-se aos
eleitores conservado-
res da freguezia da
Gra^apara urna reu-
aio no dia 19 do cor-
rente, s 6 horas da
tarde, em casa do ma-
jor JosCordeiro dos
Santo, nos Afflictos.
afim de tratar se de
negocios eleitoraes.
C, Heiiniann
Viva Santo Antonio
Viva S, JoSo I
Viva S. Pedro 1
Viva S. Pauto.!
Fsfamos no mez de Junho,
Mez de gozo e distrajo,
Em que todas restejaraoB.
Santo Antonio c S. Joo.
Mez de S. Pedro e S. Paulo,
Mez de minios e delicias,
Mez de prazer e de grajss,
Mez do venturas propicias;
Mez sublimado e divino,
Mez dos mezes, mez primor,
Mez em que os crent-s veneratn,
Quatro columnas de amor !
Mez de Junho, te sau'do |
Mez de Junho, te venero !
Para o teu bnlho me aprompto,
Abrilhantar te eu espero 1
Meua lcitoies e freguezes,
N^o morreu o Zacaras,
Est de saude, forte,
A's ordena das senhorias...
ConsBtf, aifi>cirurgco
O Dr. EsteviV' Cavaleant" de Albuqerque con-
cuiua a dar oonulteo .m-dieu cirurfieas, na rna
do Ron Jpsnsin. 20, V> andar, de- nwio dia ato 4
boraaaa tjinie. Panas? demum eousulta. uliii-
ihh em sua reaidenci* provisoria, ra du Aaurora
i aatar.
Ns. telephomcos : do conaaltbrie K e iasiat;ncia
126.
Especiaidades Partos, molestia* de creaaas,
d'utaro B sene oanesos.
< -^^gj^MSiJ-*-------------------
N. l.E' mararviBxiBtk a rapidez com que
os tisiaoa,osaneoiicos, oses>:iofiilos8, as de-
bis e os que padecer do paito e da gar-
ganta restabelecotn-se depois de terem lo-
mado a Emulsao de EDITES
Usinas de cobre, iatao o bronze ee d
. Golitzer Ufer n. 9 Berlira S. O.
Espeelalidade:
Constriiepo de machi-
nas e apparellios
para faoncas de assucar, destillacSeg e re-
fnay^es com todos os aperfejoamentos
modernos.
INSTALLAgA DE:
Engenhos de assucar completos
Estabelecimento filial na Havana sob a
mosma firma de C. le<-k nann.
C. e San Ijrnacio n. 17.
nicos representantes
Haupt Gebru'der
EIO PE JANEreO
Para nforniac3es dijijarnse ai
Pohlnian &C
M do Cmnreio 110
Dr.
SIBLICACOES 4 PEDIDO
Pi-riiainhiir, IO de Mulo di- IHS.
O Instituto Archeolog-co e Geographco rUr-
uambucL.no urna assocaco patritica, que nSo
tem pr;stado meaos servaos, nem menos valiosos
auxilios historia brasileira do que o Institu i
Uist-rico da corte, qne foi creado e mantido
sombra di prestigio do throoimperial, ao passo
que aquella modesta instituicuo t--m vivido e me-
drado p -la d->dicfcSo e pelo estorco de algnns
bomens trabalhadores e sinceramente devorados a
eesas invesligactk-s e pesquisas da histivia per-
nambucaua d sde o d-tcobrim- nto da Brasil.
Honrando a ni>-inoriu dos que j4 nfto vivetn.de-
cluiaremo aqu os nomtrt de alguna dos mais pres-
! mosos e arden tes operarios u.) b.-n mrito in-
stitut- : monsenbor Man'iz Tavares, Drs. voares
de Asev-edo, Peitoei; Aprigio Gaimaraes e outros.
Entre os vivos s iedioace rareiam e, triste
confesBal-o, o Instltntu Areheologico, reducido aos^
escaseo recursos de um magro ornamento, <
u n insignificante subsidio da provincia, mal pode
acudir aoa seus gastos de expediento.
Fundado em 28 de Janeiro de 1862, instxllou-
ee definitivamente no predio construido para ser-
vir de Eaeuia Modelo e all fuaeciona por conee-
sao do governo provincial. sutentndo-e vete
ba vontade dealgvBi homens m uem nao falte
Se o hcinem deve nesta vida gratidoes Jos obse-
quios recebdos, por certo aquelle que se refere
a nosba sade, o de maia importancia.
Accomraetti lo em dias do mez de Dezembro
prximo passado, de urna grande hemor.hagia na
retina do olho esquerdo, e a vista deste nlho fica-
do quasi desapparecda, de modo a nao 1er os
mais grossos caracteres, hoje gracas ao dstincto
occulista Dr. Barreto Sampaio, mo acho completa-
mente restabelecido.
Aceite, pnis, o dstincto douter, este pequeo,
mas amcero tributo de gratidao.
Escada, 14 de Junhi de 1886.
Antonio Manoel de Mello Azeredo.
Recommenda se ao dstincto eleitorado para o
carg i de vereador o cidadoJaao da Silve ra
Borges Tavora.
ttalsaparrilha de Bristol
M. 393
Os veui'ios das entranhas da trra e emprega-
dos como remedios, matam aunualmeote milhares
de pes?oas. A propria plvora e as balas nao sao
nein n > metade tao mortferas. A sdsaparri lia de
Bristol esta inteiramente isenta dessas maldicoas
do genero humano, chamadasespecficos mine-
raes.
Seus incessantes rriumphos atravez do espaco
de 35 annos, sobre as escrfulas, cancros, eiyai-
pelas e das glndulas; s se devem ao reino ve-
getal. E' o nico remedio preparados pelos ho-
mens, que desarraiga do svstema o virus das en-
fermidades malignas e ao rnesmo teinpo restaura
e fortifica a constituido physica.
Aos debis d forca, aos aocios vida, para os
que sofErem, um balsamo suavisador e santo, pa-
ra os aba'idos de animo, um elixir vivficadte, pa-
ra as pessoas do bello sexo um auxiliar perpetuo
em todos os seus incommodos especiaes, e para to
dos o remedio mais efficaz e inofiiasAO outorga-
do pela ciencia, para o allivio e preservaba o dos
offrimeutos humanos.
Acha-se vends em todas as principaes bo icas
e lujas de drogas.
Agentes em Pernambuco, Henry Forstei & C,
ra do Commercio n. 9.
Ao publico
Os abis assignados previnem a quetn
interessar posau, e especialmente dire-
ctora do Banco iral Hypothecario, que
movein execugao, p lo juizo cotnmercial
do termo de Agua Preta, contra Domingos
de Rosario Lins, j tendo sido de .-retada a
p-nhora, qne deve ser realisada no enge
nho Venturoso, procurando o rnesmo Do-
miugos por bices a seu devi lo seguimen
to, conforme tudo consta dos respectivos
antos. Por iaso : os abaixo nsaignados
protestara contra qualquer transaceo que
tiz-r o roe-no Domingos com o eogenho
Venturoso ou com os domis bens, de sua
propriedadi, transac^So que ser nulla en
face do art. 494 do Reg. n. 737 de 25 de
Novelubro de 1850.
Recite, 15 de Junho do 1886.
Correia A C- Suctessores.
Reunio eleitoral
Silo convidados os eleitores conservado-
res da freguezia do Poco da Panella a ren-
nirem-ae no dia 18 do corrento s 6 horas
da tarde, em cata to Sr. Joao Ignacio Ri-
n iro Rima, no povoado de Apipucos, afim
de tratarse de negocios eleitoraes.
Medico, partelro e operador
Residencia ra da Imperatriz n. 48, 2.- andar.
Consultorio ra Duque de Caxias n. 59.
D consultas das 11 horas da minina s 2 da
tarde.
Attende para s chamados tclephone n. 449 a
qmlquer hora.
Cirurgiao dentista
Patricio Moreira
Consultes e operacoes, das 10 horas da manila
s 4 da tarde.
RA DUQUE DE CAXIAS
N. 57, 1* andar.
Dr. C?riiri) L
Consultorio e residencia ra do Livramento
n. 31 lo andar. Consultos de 11 boras as 2 da
tarde. Chamados por escripto a qualquer hora.
Especialidades, febres, partos e molestias de
criancis.
Di. Cern
mimo
Tem o seu escriptorio a ra do Mrquez d
Olinda n. 53 das 12 s 2 horas da tarde, e desta
hora em diante em sua residencia ra da San
a Cruz h. 10. Especialidades, milestiaf de se-
boros e enancas.

Rna da Saudade n. 6
Dr. Fernandes Barros
Medico
Consultorio ra do Bom Jess n. 30.
Consultas de meio dia < 3 horas.
Residencia rna da Aurora n. 127.
Telepbone n. 450
Dr. Mello Gomes
MEDICO-PARTEIB ) OPERADOR
Ra do Barao da Victoria [antiga
ra Nova n. 37) i." andar
Dedica -se com especialidnde ao cura-
tivo das febres, molestias de peito e das
senhoras, syphili e estn-tameutos da
urethra.
Consultas das 10 ao meio din. Chama-
dos a qualquer hora do dia ou da noite.
TVlephone n. 25.1.
Xarope de Mat-niat
O Mal-mnla (lecythip datimon) com o
qnal se prepara esto xarope um vegetal da flora
brasileira.
E' um agi-nte therapeutieo poderosissimo con-
tra as molestias do peito e da asthma.
Os numerosos aftectado3 qne dellf tem feito uso
conseguiram um resultado muir satisfactorio, aca-
bando por se reconhe.-er que at hoj- a melbor
prepararn para a cura do nnlhoiu, hron
cblle atumtica. < autluu e oppre*
des. diap.-nsado o emprego do arsenio, folhas
de estramonio e plantas narcticas que acabara
quasi aempre p"lo abuso que delles se faz e rnes-
mo pelo uso prolongado por produzir effeitoa des-
astrosos sobre a sade e em gvral entorpecimento
do cerebro.
Vende-se na Botica Francesa de Rouquayrol Fli-
rt*, successores de A. Caers
H. StRa da Croa X. tt
RECIFE
Oculista
Dr. Ferreira da Silva, con-
sultan das 9 ao meio dia. Resi-
dencia e consultorio, n. 20 ru.i
Larga do Rosario.
Ra Augusta, antiga de Hortas,
Em sua casa o veris...
Que o primeiro andar,
Do numero oitenta e seis. '
Ahi podere3, querendo,
Vossa encommenda faz r,
Por precos sem competencia,
Que s a -vista faz crer.
Faz cangica, bons bocados,
Os bolos do S. Joao,
Sem-medo. e fios de ovos
Lindos pastis com cidrao.
Faz bandejas de encomraondas
Para qualquer baptisado,
Para bailes, cas amentos,
No gosto mais apurado.
Faz empadas, papos de anjos,
Fino toucinho do co...
P?.o de-l, pastis de nata,
De se tirar-lhe o chapeo.
E s< cncarrega tambem
De meis organisar,
Ondo o gosto, a elegancia,
-Se tratam rivalisar.
Emfim, trthalha em tudo,
Da sua arto e profissao,
S precisa de vos todos, .
Preferencia c proteccSo.
Eia, pois; no mez de Junho,
Neste mez todo prazer,
Consquistem esta trindade,
Comer, brin ;ar e beber 1
J sabera, pois, onde moro.
Espero das senhorias
Encommenda8 fartar.
At mais ver
Zacarta*.
Case fle saafle ao Gr. Sonto Mir
Mndou-se este estabelecimento para Ponte da
Uchd*, juntofJa estaco do rnesmo nome.
Situado cerno hoje est em um salubre e apra-
zivel suburbio e em urna chcara com bastantes
commodos para o sen fim, cfferece muitas vante-
gens aos doentes estrangeiros, acadmicos e colle-
giaes que na i ti -erem snas familias n'esta cidade.
aos que vierem de fra do tt-cife para ah soflfrer
alguma opera?o eirurgica e emfim aos que residin-
do n'esta cidade precisarem de mudanca de ares.
Recebe-se tambem n'esta casa convalescentes e
pessoas sadias que prec-isem do ar do campo, para
as qnaes ha commodos separados.
Os doentes psra o sen tratamento, indicaro os
mdicos qne quizerem.
Nao ee acceitsm doentes de molestias conta-
giosas.
Existem na casa apparelhos elctricos e hydro-.
thi-rapeuticos para os beribericos, paralyticos etc.
Telephone n. 398
Respeitavel publico
Contina aberta a escola particular de tnstruc-
cao primaria para o sexo masculino, ra d* ma-
triz da Boa-Vista n. 34, regida pelo professor par-
ticular Julio Soares de Azevedo.
Educa p instrue a infancia, pelo svstema dos
principaes collegios da corte do imperio, onde ea
teve por algum tempo a passeio, cujo Bysteina-
urna paciencia Ilimitada, urna vocaco intima,
guiando 03 seus discip dos no caminho da mtelli -
gencis, da honra e da dignidade, afio de qne ve-
nham a ser o futuro sustentculo da patria, da re
ligiao e da le e um verdadeiro cidado brasileire.
Espera, pois, que o novo iwrnamDucano applau-
da e saiba apreciar o seu verdadeiro ensino pri-
mario, onde rpidamente abracam e amaro de co-
neto aos livros. as lettras, ss artes e as sciencias.
ua da nutriz da Boa-Vista n. 34
Julio Soares de Azevedo.
Juizo dos Feitos .da
Fazenda Nacional
O Dr. Jos Manoel de Freitas, desombar-
gadorjhonario, ofieial da Impwrial Or-
dem da Rosa o juiz privativo- ftes feitoB
da fazenda d'esta provincia de Pernam-
buco, etc.
Fago saber a todos que o presente edital viren:,
ou del le noticia tiverem, que pe*) Dr. procurador
fiscal da Fazenda Xacional me foi requerido, na
ezecugSo de sen tenga contra o ex thtsoureiro da
estrada de ierro do Reci/e Carur e do prolon-
gamento da do Recife S. Francisco, Braz Bar-
retto Carui'iro Lefio, que fosse o rnesmo intinado
por edital, visto cbar-se ausente em lugar nao sa-
bido, para no prazo de 24 boras pagar a qaantia
de 32:(>66if 754 de seu a I cune, juros e custas, sob
pena de prosegnir-s* na referida.execugao*sem aer
elle mais ouvido nem citado.
E para o fim requerido mandei pasear o pre-
sente, que, indo por miin assignado, ser affixxdo
no lugar do costume e publicado pela imprensa.
Dado c passado n'esta cidade do ftteife e no
cartorio dos Feitos da Fazenda Nacional, aos 27
de Maio de 1886.
Josi Manoel de Freitas.
Edital n. 112
(3a praga)
De ordem do Illm. Sr. inspector, se faz pu-
blico que s 11 horas do dia 21 do corrente mez,
ser vendida em praga uo trapiche Conceigo, urna
caixinha HV n. 846, vind do Havre no vapor
frau-ez Vitte de Cear, entrado -m Mal > Ultimo,
contundo fitas de seda e al^odao, pesando liquido
reai 3 kilogrammas, abandonada a-s direitoa por
Antonio Jos Maia & C.
3' secgao da Alfandega de Pernambuco, 17 de
Jur.bi de 1886.Ocbefe,
Cicero B. de Mello-
DEGLAB1C0ES
^
Licor depnratiYe vegetal iodado
IX)
Medico Quintella
Este notabilissimo depurante que ven precedi-
do de tao grande fama infallivel na cura de todas
as doengas syphiliticas, atcrofulnsas. rheumaticas
e de pelle, come tumores, ulceras, dores rheuroati
cas, osteocopase nevralgicae, bb-nnorrhagias agu-
das e chronicas, cancros syphilitieof, inflamma
ges visceraes, d'olhos, ouvidos, garganta, intes
rios, etc., em todas as molestia? de pelle, simples
ou diathericos, assim como na alopecia ou qn_Ja
do i-abeno, e as doengas determinadas per satu
ragao mercurial. Dao-se gratis folhetas onde se
encentram nnmerosas experiencias feitas com este
especifico nos hospitaes pblicos e rauitos atteste-
dos de mdicos e. documentos particulares. Faz se
descont para revender.
Deposito em casa de Faiia Sobrinbe & C.
Ra do Mrquez de Olinda n. 41.
OCULISTA
O Dr. Sarreto Sampaio. nn-dico oculis-
a, ex-chefe de clinica do Dr. de Wecker, d con
s litas de 1 s 4 horas da tarde, na ra do Barao
da Victoria- n. 45, 2 andar, excepto nos domingos
e dias santificados. Residenciara do Riachuelo
n 17, canto da ra dos Pires.
ADVOCADO
Companhia Brasileira de Vuega-
fo a\a:or
Concarreacia para lorseclmen
lo de carv*
a companhia recebe propostad ara o forneci-
ment > de carvao aos seus paquetes, no porto de
Pernambuco, sob as s-guintes erndicoes :
O conrroctante tbgax se ha a fornecer aos pa-
quetes da companbia t m > o carvao que precisa-
rem, requisigjo do agente ou dos respectivos
commandantt-s.
O carvfio ser de Cardift, de 1 qualidade, duas
vezes peneirado, das minas Cory myrther, Powel
Dufeira, Ocean myrther, Insuls myrth-r, Dowlais
myrther ou outras conhecidas. Ser arrumado
as carvoera8 durante o tempo de demora dos pa-
qnttes no pirto e em todo e qualquer dia e hora,
8<-m exepciio de domingos, dia santo ou feriado.
A unidade adoptada para o fornecimento de car-
vio 6er a tonelada de quarenta ps cbicos ou
duas xi.i 1 iluzentas e quarente lib.as inglezas,
vontade da companhia.
O pagaim-uto o conrractante ser feito no es-
criptorio da companhia, no Rio de Jan iro, vis-
ta daa contas aevidamente documentadas com os
respectivos recibos de bordo.
O t-ontrac'iO durar p lo tempo de lous annos, a
comegar do 1 de tittembro de 18S6
As propostes devem ser dirigidas gerencia da
companhia at <> dia 10 de Julho do corrente anno.
Para mais nforinugois,. no escriptorio da com-
panhia, ra do G-neral Cmara n. 10, ou na
agencia em Pernambuco.
Rio de Janeiro, 8 de Junho de 1886.
Assign-idoJ B. Byrnc. gerente.
Illms.Srs. Barclay & C New-York Haven-
do scffride por longo tempe du umi forte anemia
e debilidade do saogue, e cansado de usar innu-
meraveis medionmentos sem resultado algum, dei
ensaio. por cesualidade, ao xarope de Vida de
Reuter n. 2. /
Ao principio nao pareca fazr-me bem, mas
depois de usar tres garrafas, eomprehendi a bon-
dade da preparagao, pois obrando gradualmente
sobre o systemaem geral, e consecuindo com cinco
garrofas que foatai mbustcccr-in fortificando o
meu sangue e dotandu-me de urna agilidadaie e
disposigao para tudo.
Por conseguinte, agradecido aos fabin-aate, de
tao boa e efficaz preparagao, recoinmendo-o quel-
les que tenham uteessidade de um depurativo,
confiado que obter o rnesmo resultado que eu.
Recife, 16 de Junho de 1886.
Hypolito Eugenio de Souza.
Elei^o geral
t
Rata de Roonri Kalroita
n. SS. I o aatifar
^ IRMANDADE
DO
$S. Waeranifnto da matriz de S.
fos
De ordem do nosso irmfio juiz, convido pela se-
gn ia vez a todos os irmas desta veneravel ir-
ui ni Jad? comparecerem no nosso c-msistor'o no
domingo 20 do corrente mez, pelas 10 horas da
manha, para em mesa geral, elegerem os fnnecio-
narios do anno compromissal de 1886-87, cerno
manda o art. 3-i do nosso comvromisso. t
Consistorio da irmandade do SS Sacramento da
matriz de S. Jos, 17 de Juuho de 1886.
O eserivo interino,
___________Heliodoro O. F. Rabello.
Monte Pi Popular
Pernambucano
Assembla geral
De ordem do respeital irmao d rector e de ac-
cardo cem o art. 6" dos additivos aos estatutos,
convido a todos os senh-res socios para se reun-
ruin em assembla geral no domingo 20 do corren-
te, s 10 horas da manha, afim de approvarem o
relatorio do Io semestre das traba!tai adminis-
trativos desta bociedade. Recio-, 18 d- Junho de
1886.-0 10 secreta H .
Regino F. de Carvalho.
Matriz de Sinto Antonio
Vcneravel Irmandade do Saa
tissimo Sacramento
Pelo presente, e de conformidade com as dispo-
siges do compromisso, convido aos irtnfios desta
veneravei irmandade, comparecerem n respec-
tivo consistorio, s 11 h ras da manda do da 0
do c< rrente, para o fim de se proceder eleigao
da inesa regedora que ha de dirigir a irrr.andads
no knno compromissal de 1886 a 1887.
Consistorio, 17 de Junho de 1886.
O escrivao,
Seivix Jnior.
Hub Carlos (jomes
SARAO
Este club dar no dia *9 do corrent o sen
sario deste mez -om o qual solemnisa o 4 anoi-
versario da creaco de sua bibliotheca masical.
Os senhores socios que estiverem quites pana
com o cofre social, sao rogados de procurar na
mfio do senhor thesonreiro, seus bilhetes, isto as
noit. s de 15, 16 e 18, das 7 horas em diante.
Recife, 14 de Junho de 1886.
Joaquim Alves da Fontrca,
1 secretario.


1



Diario de PeruanibucoSeita-feira 18 de Joiiho de 1C.6



"ssoef "co do Empreados no
Commercio
Assembla geral
De ordem do Illm. 8r. presidente sao convida-
dos todos us Srs. socios a. reunirem-se ein assem-
bla geral no domingo 20 do correte, pelas 5 ho-
ras da tarde, afim de se turnar conhecimento do
que preceitua o 8 Io do art. 35 dos estatutos.
Recife, 16 de Junho de 1886.
O secretario, Manoel Main.
Honte-Pio des Voluntarios da
De ordem da directora, sito convidados tod >s
Srs. associados a se reunirem em assembla ge-
ral no dia 21 do corrente~(aegunda-feira) na sede
da associacSo, afim de assistirem a leitura do re
latorio e a posse da nova direct iria que tem de
fraccionar no anno de 1886 a 1887.
Pede-se o coroparecimvnto de todos Srs. socios
afim de abrilhantar esse acto.
Secretaria do Monte-Pi dos Voluntarios da Pa-
tria, em 17 de Junho de 1886.
Alferes Geroncio S. Txeira.
Companhia
Convidn-se aos senhores accionistas desta ora-
panhia a se reunirem em assembla geral ordinaria
ao meio dia do 1 de Juiho prximo vindouro, como
determina o art. 26 de nossos estatutos, na sede
social ru' do Imperador n. 71, pavimento terreo.
Escriptorio da c-impanhia do Beberibe. em 15
de Junho de 1886.
Ceciliano Mamede Alves Ferreira,
Director gerente.
Jos Eustaquio -Ferreir Jacobina,
Director secretario.
Nos term >s dos arts. 5 e 6 dos estatutos, sao
convidados os senhores accionistas realisarem
at o dia 30 de junho prxima, na sede do bao,
ra do Com nercio n. 34, a segunda entrada de
des por cento do valor nominal de cada aeco.
Recife, 28 de Maio de 18%.
Os administradores,
Manoel Joao de Amorim.
Jos da Silva Loyo Pilho.
Luiz Duprat.
Club de regatas per-
nambucano
Pelo presente convida-se aquellas pessoas que
quizerem concorrer regata que este club reali-
sar no dia 29 do correte, a vir-oi se inscrever
na sede at o dia 20.
Outrosim, ba dous premios : sendo um de 25*
para o pareo composto de dous ou maia escaleras
de 4 remos; e outro de 3041)00 para o de 6 remos
as mesmas coodieoes do de 4.
Secretara do Club do Regatas Pernambucano
em 9 de Junho de 1886
William Hughes.
Augusto P. Oliveira.
Directores de Regatas
Irmandade do sS. Sacramento
da matriz do Corpo Manto do
Recife.
De ordem do irmao juiz. convido a todos osirmaoe
para, no domingo, 20 do corren'e, s 11 horas da
manha, comparecerem em o nosso|DonsUtorio, afim
de proceder-se a eleicao dos novos funccionarios,
qne tm de dirigir esta irmandade no anuo oom-
mromiesal Je 1886 a 1887.
Recite, 17 de Junho de 1886.
O esenvao interino,
Bailar Sobrinho.
Emprearla do abaaleclmento d
agua e gaa & citlade de oiiuda
DKVEDGRES KM ATKAZO
Tendo a directora, em segallo de 15 do
oorrente, resolvido re-eber por atenuedio
de um solicitador todas as coritas de con-
summidores d'agua e guz em atrazo, a
contar do ann > de 1876, resolv n'esta
data encarregtr de tai cobran$a o Sr.
Diogo Baptista Fernande, a quera espero
attonderSo desde logo os meamos devedo-
rrm, cortos Ha justiea e equidade de sirai-
Ihante resolugilo.
Escriporo do gerente 28 de Abril de
1886.
Antonio Pereiru Simoes.
Brilla commercial de *ernam
buco
RECIFE, 17 DE JUNHO OE 18b.
Ab tren uoras a tai de
Cotaee oficiae
Cambie sobre Para, 90 d/v. com 1 7/8 0/0 de des-
cont.
O presidente
Pedro'Jos Pinto.
O secretaria,
Candido C. G. Alcsfora:o.
Santa Casa de misericordia do
Recite
A junta administrativa em sua sessao do dia
15 do correte, pelas 3 horas da tarde, contina a
recener propostas para o tornecimento de assucar
a todos os estabelecimentos a seu cargo, e para o
de pao gmente ao collegio daa orphSs em Olinda.
Secretaria da Santa, Casa de .Misericordia do
Recife, 18 de Junho de 1886.
O secretario,
Pedro Rodrigue* de Soma.
Correio geral
Mala a expedirse hoje
Pelo vapor nacional Para, esta administracao
rxpede malas para os portos do nort<\ receban-
do impreeios e objbct r i registrar at i horas da
tarde, e es tas ordnarias at 3 horas ou 3 1,2
com porte duplo
AJmmistracio dos correios dei Pernambu *>, 18
deJunh i de IB*. O administrador,
_________________Affonso do Reg Barre.
Companhia de Edifieacoes
O escriptorio desta
companhia acha-se in
sta liado na praga da
Concordia n. 9,conser-
vando-se aberto das 7
horas da manha s 5 da
tarde, em todos os dias
uteis.
Incumbe- se de cons-
truccoes e reconstruc-
c,es.
Recebe se infurma-
Qes acerca de terre-
nos na cidade e subur-
bios, e a respeito dos
quaes queiram os res-
pectivos donos fazer
negocio.
No mes [no escripto-
rio se encontraro as
amostras dos produc-
tos da olaria mechani-
ca do Taquary, pro-
de arrecadaco, dividido e applicado de conformi-
dade com o que se acha pres ripto no artigo 2 3
da lei n. 3,170 de 28 de Setembro de 1885.
Outrosim:
nsiderundo, que a restricta ex cufio do dito
decreto ha de encontrar embaraces, no que res-
pei a cobranca daquellatsxa addicional no sello
fixo e no proporcional, sempre que se realizar o
pagamento por meio de estampilhas, e se tiver de
applicar o "ddicional as de loo ris, on as de en-
tro valor, do qual resulte fi aeco que nao possa ser
representada por alguma das estampilhas em cir-
culacao; e nao sendo possivel prover remoco
de semr.lhante difficuldade dentro de certo praso
que resta para a execucSo do sobredito decreto :
Ordena, aos meamos Srs. inspectores, para que o
facam constar todas as estaces tiscaes suas su-
bordinadas, emquanto o poder legislativo, a quero
vai ser sujeita a resoluco deste rssumpto, nao
deliberar procedimento diferente:
1 que fique suspensas cobranca da dita taxa de
addicional de 5 por cento, nos casos do pagamento
sello fixo ou proporcional, em que se tiver de em-
pregarestampilba que nao represente valor de 2
pelo menos, para o qual ja ha a tstampilha'de 100
:is, que dever ser oppo:ta, observada a recom-
mendacao do art'go 18 do regnlameuto n. 8,940
de 19 de Maio de 18^3;
2' que se proceda como na observaeao 3* do
1 da tabella B, annex ao mesmo regulameuto,
desprezando-se es fraccocs quando o imposto a
pagar excedente referida quantia de 24000, ter-
minar en fraccao menor de 100 ris.
Nos bal .neos, que as estaces arrecadadoras
deste imposto sao obrigadas a organizar e a en-
viar ao Thesouro c Thosouraria de Fazenda, se
descriminar o producto da arrecadaco corres-
pondente mencionada taxa addicional de 5 por
cento, -Hin de t> r a anplicacao que Ibe compete.
F. Belitario Soare de Souza.
* J J J Or Julio RrigHo.
priedade da m e s me u weiro.
companhia.

Circular n. 12
Thesouraria de Fazenda de Pernnmbuco,
em 16 de Junho de 1886
O inspeetor rt-c-mrr.enda aos Srs. collectores
das rendas geraes desta provincia a fiel observan-
cia da circular do ministerio da fazenda n. 12 de
28 de M::io ultimo, abaixo transcripta, sobre a exe-
cucao do decreto n 9,093 de 7 do dito me:.
Antonio Caetano da Silva Kelly.
Circular n. 12
Ministerio dos Negccioa da Fazenda. Rio
de Janeiro, em 28 de Maio de 1886
Francisco Beli>ano Soares de Souza, presilente
do Tribunal do Thesouro Nacional, remerte aos
Srs. inspectores das Thesourarias de Fazenda,
para a devida i recudi, o exemplar junto : de-
creto n- H,593 de 7 do correte rnex, que mandil
cobrar, do 1 de Juiho prximo futuro em diaute,
f> p ir eeuto dos impostas do incsmo decreto men-
cionado, para ser o seu proilucto, livre de denpezas
ADMINISTRACAO DOS CORREIOS DE PER
NAMBCO, 1 DE JUNHO DE 1886
Relaqdo da correspondencia registrada (sem
valor) que existe nesta repartiedo, por
n3o terem sido encontrados seus destina-
tarios.
Antonio Ara"jo da Sil 'a.
Antoni > Jphquim.
Antonio Jote do Nascimento.
Dr. Antonio Jos de Freitii.
Dr. Antonio Tavares de Carva'h-> e Silva.
Antonia Alexendrins da Conceica .
Antonio Gomes de Farias.
Antonio Carneiro de Le>.
Antonio Auiruttn da Frota Menezes.
Antonio Cavalcante de Mello Lins.
Aristeu R'sa Modesto
A'rx-ndrina Tavres Carneiro.
Dr. Americo de Catro Cincor.
Anna Anglica Pimeutel,
Biagaio Mamo.
Ca-eiano Amaro Lones Jnior (2).
Den.ftrio Ferreira Bandeira.
Emilio Lbbe.
Emilia.
Francisca Ad"laide da> Cbagas.
Frnriscn Jos Dias Lonro.
Igaacio Ribeiro da Cuoh Guimarae.
Ixidnm Ivo da Silva Mascanrihas (2'.
Jota Tavares Carneir.
Jos Vieira Dantas.
Jop Cosme d Silva.
J -s da Silva Bragn
Jo' Antonio Barb>sa.
J s Ponte ''e Cervalho.
Joao Francisco dos Santos Tavares.
Joa i F-rreira da S'lva.
JoSo Machado.
Joto ClPinente de Araujo
Joao de A9s Pereira Rocha.
Joao Carlos Kepninuceuo Silva
Josepha Torree Gallindo.
Manta Casa da Misericordia do
Recit
Arrenda se por multo barato preco, o srmazem,
1' aS' andares do predio n. 24 a ra do Vizconde
de Itapanca, outr'ora do Apollo, com excellentes
accommodacoes para familia, tendo o 2- andar um
bom terraco e sotao ; arronda-sa separadamente.
O armazcm prestase p-ira deposito de assucar,
barriqueiro ou outrs qualquer negocio qne de-
mande grandes accommoda^es ; divide-se u mes
mo rmazem, tornando-se anda armazens, com frentes para o caes do Apollo e
ra do mesmo nome.
Os pretendentes podero examinar dito predio,
que se aeha em reparo, tratando sobre o sen ar-
rmdamento na serrotaria desta san1 casa.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 29 de Maio de 1886.
O escrivo, \
Pedro Rodrigues de Souza
Companhia de Edifieaco
Ocmmunica-se aos Sis. accionistas, que por dc-
liberacao da Directora, fui resolvido o recolhi-
mento da terceira prestacao, na razo de 10 por
cento do valor nominal de cada acca<>, o qual de-
vtr realisar na sede da CVinpanbia, praca da
Concordia n. 9, at o dia 30 do correte, em cuja
occHsiao se distribuirito as respectivas acees.
Recife, 10 do Junho de 18-6.
O director secretario,
Gustavo Antunes.
sLondoa and Eira si lian Bank
Limited
Ra do Commerc n. 32
S.icca por todos os vapores sobre as ca
xas do mesmo anco em Portugal, sendo
m Lisboa, ra dos Capellistas n 75 N-
Porto, ra dos Inglezes.
SEGUROS
\IARITIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenix Per-
nambucana
Ruado Commercio n. 8
Gompanhia de Seguros
martimos e terrestres
Estabelclda emli&ft
CAPITAL 1,000:0001
SINISTROS PAGOS
le 31 de dezembro de IS84
Martimos..... 1,110:0005000
Terrestres,. 3i6:000$000
44-ltua do Commereio
Preparados
NA
C.
LONDRES
l
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. 7-RA DO BOM JESS-N. 7
Neguro* iiinriiiiui!s lerreatrea
Ne-tes ltimos a umeu companhia nesta praca
que concede aos Srs. segurad' s isempcao de paga
lucillo de pr.niio em cada stimo auno, o qne
equivale l- i' "Vjnto de cerca de 15 por cent; em
favor dos sci :ados.
c
MPERIAL
Jr
., ; ,;yh!> HLBLILOS
,*1 de Jiiiiho l.> 1886
ALFAN'.'.EGA
REKOA OEK4L De 1 a lo dem dm l 461:1464^51 6:7y2622 526:939^573

Renda pbovixcial De 1 a 16 dem de 17 60:981347 T:ya3a 63:547*730
Total Recebedobia -->- la tucu di 17 595:4873U
16 16.829^349 2:049*610
18:878*959
CoSSCLADO PBOVMCUL dem de 17 U 1 a 16 63:672*551 5:60^607
69:274*158
RrCiFB DKATBAOE >e dem de 17 6:134*235 611 !'.(_'

6:745*427
DESPACHOS DE IMPORTACO
O vapor nacional Para, entrado dos portos do
ul no dia 17 do correte e consignado ao Viscon-
de de IUqui do Norte, manifestou :
Cigarros 5 Cixas a Fernandes & Irmo, 3 a E.
da Cunha Beltro & Irmao.
Cognac 20 cairas ordem, 15 a Carlos A. Bar-
bosa.
Col 402 saceos "n Jo.iqaim Ferreira de Orva-
lbo & C, 358 ordem, 327 a Souza Basto, Amo
rim & C, 160 u Soares d'Amaral IrmSo, 110 a
Joaquim Duarte Simoes & C, 100 a G. de Mattos
Irraaos. 98 a Baltnr Oliveira ft C. 95 a Araujo
Castro & C., 74 a Ferreira de Carvalho & C, 65 a
Fernandes & I a D>min-.-us Cruz Se C.
60 a Ant nio Jos S ares & C, 30 a Ferreira Ro
dn'su") & C, 20 aoreira & Braga.
Fumo 44 voiumes ordem, 10 a A. F. da Crus,
o a J :o dos Smfos.
Fazi-ndas, 9 voiumes a Cramer Ffey & C.
Mercadorias diversas % voiumes a Presidencia,
3 estacao do tciegrapho, 1 a a Adolpho & Fr-
MvVeil 6 Votan s a L. A. Salazar.
Panno de algodio 8 fardos h Feruandes Silva &
C, 12 a A. Lopes & C, 10 a L. A Siqueira, 25 h
Olintho Jardiin 4 C., 15 a Ferreira & lrmao, 99
ordem,e25 a Rodrigues Lima & C-, 16 a Machado
i Pereim.
Sabac/i cana a Ferreira 4 Irmao.
Tinta pura cscrever 3 barricas a Medeiros & C.
Viuho 10 barra ordem, H a Jo .o F. da Costa,
10 caizas a M. de Oliveira Main.
Xirque 70 fardos ordem, 60 a T. Feliz de Mel-
lo ce C, 20 a JoSo B. Pinheirc.
Carga da Bahia
Azcite de peize 5 barris a Manoel Jos da Silva
Marques.
Chupoa 1 caizao ordem.
Chnruto8 6 caizocs a Jo Antonio dos Santos,
5 a Almeida Machado & C., 2 a Sulzer Kauffuuu
4 C.
Cigarros 5 barricas ordem.
Fio 2 saceos a A. Lopes & C.
Fumo 1 pipa e 1 exiza a Mecron 4 C.
Impressos 1 caiza a J. J. Alves de Albuquer-
que.
Panno de algodo 25 fardos 'A. Lopes & B.,
50 a L. A. Siqueira, 10 a A. Amorim & 0., 5 N
Ferreira 4 Irmao, 10 a Goncnlvct Iriu^o i C., 10
a Machado & Pcreira, 20 a N. Maia 4 C, 10 a
Onto Jardn: & C.
Vapor allemao Hamburgo, entrado de Hainbar-
go e Lisboa uo dia 16 do correte e consignado a
Borstelmunn & C, mmiifestou :
Carga de Hamburgoo
Agullias 1 caiza ordem
Agu mineral 11 caizas ordem.
Cbarut s 23 volnmes a diversos.
Cordas 3 voiumes a Keis &. Santos.
Chapeos de sol 1 cazao ordem.
Cervi-ja '81 caizas ordem. 20 a Baitar Olivei-
ra & C, 30 a R. de Druztna 4 C, 20 a F. Guud. s
de Araujo, 30 a Sulzer K iiiffm.nm 4 0.
Cha 1 civixa a P.ihlman Oz. C.
Calcado 1 Ciixao ordem.
Chap s 1 caiza > a Affjuso Oliveira a C, 1
ordem, 1 a liapli.u I Dins 4 C 2 a B. da Siiva
Carvalho i,'., 1 A olpbo ct Ferrao, 1 a Si a-
zar oc C, i a Samarcos A C.
Conservas 4 caizai a H. Nusch & C
Drogas 11 voluntes a F. Manoel da Silva & C,
16 a A. M. Veras Je C, 1 ordem.
Espoletas 1 caiza a Jos A. dos SanUs C.j
Estopa 18 fardos ordem.
F. rrageos 8 v.dumes a Ferreira Guimarae:
C, 5 a Netto Camp-is Se 3., 3 a Man> el Joaq
Ribiirt da Cm 7 a Nanea Fonseea 4 u. a F-
Lauria Je C, 2 a J. (JhristUui oc C., 3 ordem
Juno 1 f-rdo a Carente Visnna Se C.
Lmha 2 caixoes a Oliveira Basto 4 C, 1 a Jos
Angusto d>s Si utos ce C, 2 ordem, 2 a A. D.
Carneiro Vianna.
Louca 7 volum-'s A ordem.
Liii.inas de chumb) 1'.' caizas a Hear m
tem
Machina de costura 6 ate Vian-
na 4 C 6 a Ferrcir !'. de .Sou-
za Stares.
Mercaionas diversas 3 velumes a Manoel Joa-
quim Ribeiro 4 C, 16 ordem, 1 a Nunes Fonse-
ea 4 C, 1 a Raphael Dias Al', la E. G. Casca.i,
a F. Lutria i C, 8 a FraBfatlan H tudelsges,
1 a A. D. Carneiro Vianns, 3 a A. Pereira da Co
*ba 1 a K. Stolzennback Jt C, 4 a JosAu.-
fe C.
d Objcctos ara Iitbographia 2 caizas i ord
l a F. H. Caris, 5 a Antonio Perei-
ra dn, ijunha, 4 a Prente Vianna 4 C., 4 e 15
fardos orlen. ,
Ladislao Jos P Licindode. B Manoel Joaquim F- mandes.
Manoel Macario.
Mantel Ferreira doa Aojos.
Manuel Alves Bap'is'a.
Miiruel Joaauim do lt> go Barros.
Mimi'l Lei'e Per-'ira Rangel.
Maximino J-* de Oliveira.
Maximino' L^ite M .reir do Prado.
Martinho Joaquim Ferreira.
Maria do R .saru
Maria Carlota de Vasctncellos de Abrcu Reg.
Marta da Penh'i creira Cavalcante.
M-.tia Magdalena da i onceico.
Pi'dr" F.lix Anrunes.
Hit Rosa de Castro.
R isa Maria de Jess.
Rodrigues L Dr. S-imutl Corris de Oliveira.
S-1>-istiilo Rayinund-t Nogueira do Mello.
Silva
Silveiia Maria de Araujo Lima.
Urbano da Ou: Mellj.
Ombetina Natalia de Sant'Anna.
Zefcrii a Maiia da Coi.ceicilo i?).
O 1 offlcial
Deodato Pinto dos Santo .
Pe Parafiini 5 caizas. a F. J. doa Pasaos Guimi-
riles, 1 ord- m.
Phosphoro. 14 caizocs ordem, l*1 a Souza Bas-
to, Amorim & C, 10 a J^s de Macedo, 5 a F.
LiiMiia fe C
RolhaaO-fardo a A M. Veras & C
Tecidos diversos 11 voluntes a Bernet fe C-, 31
ordem, 1 a N. Maia & C, 1 a Ferreira 4. Irmo,
1 a L. A. Siqueira, 2 a Guimarues Irmilo St C, 2
a F. Lauria 4 0., 7 a A. Vieira 4 C.
Tinta 1 caiza -rdem.
Vidros 208 voiumes a, otdem, 6 a A. M. Veras
& C, 2 a W. Halliday 4 C-, 2 -\ Deodato Torres
&C.
Carga de Lisbo..
Batatas 50 meiaa caizas i Joio Fernandes de
Almeida, 50 a F. R. Pinto GuimarS-8 4 r., 60 a
Di mingos Ferreira da Silva & C 50 a Silva Gui-
mariVs 4 C, 30 a Joaquim D Simoes & C.
C- b 'las 11 caizas a Joao F. de Alra> idj, 20 a
T. R. Pinto luimaraes fe C, 80 a Domingos F.r-
reira da Silva & C, 20 a Joaquim Duarte Simoes
4t C, 20 a S'lva Guimarae & C.
Cantara 61 volum"8 a F. R. Pinto Guimaries
Otns rvas 5 caizas a Domingos Ferreira da Sil-
va 4 C. 5 a Silva Guunaraes 4 C.
F..r. lio lO mee s a Paiva Vlente 4 C.
Livua 1 caia G L"Jrt 4 C.
Linh 2 caizoes a W. U.liday 4 C, 2 a Netto
Campos fe C
Pene ras 2 fardos a W. Halliday & C.
Quadros 1 caiza a H. da C. Porto.
Sardinhas 25 caizas a Joao Fernandes de Al-
meida.
Vmho 2 pipas e 15 quintos a Demingos Ferrei-
ra da Silva 4 C.
OMPANII1A
NKV1RON CONTRA FOCO
EST: 1808
Kdifieio t mercadoriat
Taxa bailas
Prompto pagamento de prejuizot
K. CAPITAL
Rs. 16,000:000*000
Agentes
BROVVNS & C.
* N. Ra do Commercio N. :
CONTRA FOGO
f he Liverpdol & Luden GloL
n,,l!!M\TI? rAMD;
Oleo de flgailo de Umallmo e leite
pepitoniaarfo
Esta preparaco tilo saborosa que urna enan-
ca promptamente a toma.
O leite digerido tem a propriedade de quasi in-
teiramente disfarcat o oleo e as pessoas de diges-
t5o mais dbil podem tomar sem receio.
Feptonoidca deCarne
Um alimento nit'o g moso compoato de consti-
tuiutes solidos de leite bam como gluten do trigo
(livre de gomma;.
Ri c nninendado as convalescencas de qualquer
deenca, affecco-s pulmonares, febres. pneumonas,
gastrite, dyseuteria e toda e qualquer debilidade
seja qual tor a suaorigem.
Uallina
Um eztracto encentrado de trigo, avea e ceva-
da fermentados.
Valer diaarasico 3t) V''zes o seu proprio peso !
O mais re i Hfii''- restaurador at boje conhe-
cido, alt mente apreeiavel u is esS"S de di bilidade.
Alimento Koulutel de earnlcK para
cianea
A analyse ie* U) atinen tu demonstra que os seus
c nstiiuintes nuirictivos s; o qua? identiccs com o
leite materno, por isto o alimento mais aperfei-
Cado para cii.uii,a.
Ftiritecem amostras gratis a-a Srs. nedieoa .
Deposito ra do Brao da Victoria u. 43
TEATRO
DE
Grande
LUC SUA
i'.nhii 1r natiea do THEATRO
Rio de Janeiro, dirigida pelo artista
FSBTiBD CU
da qual
paite a
actriz
me. mo artista
n irtngucza
e a primcira
SaanfiBrs Broters & C.
ni
(XTR.l FOGO
Mish & Mercantile
CAPITAL
rOOO.OOO lie libras stcrlina*
A GENTES
Adoinson Howic & C.
[rfiSPAlaHOB 0K BXPORTACAO
Bit 16 de Junho de 1886
Para o exterior
Xo vapor fraucez Vitle de Macei, carrega-
ram :
Para o Havre, H. Burle & C. 1,648 coures ver-
des com 34,608 kilos.
Para o interior
No vapor a!lemao 2/amWyo, carregaram :
Para Santos, F. A. de Azevedo 500 saceos com
29,966 kilos de assucar branco e 500 ditos com
30,000 ditos ae dito mascavado ; Amorim Irmaos
& C. 409 saceos com- 24,300 kilos de acucar mas-
lo; P. Carneiro 4 C. 2,000 saceos com
120,000 kilos de assucar mascavado e 6 pipas com
2.880 litros de alcool.
Para o Rio de Janeiro, M. de Oliveira 12 mcios
de sola.
io vapor nacional Espirito Santo, carrega-
ram :
Para o Rio de Janeiro, Bartholomeu & C. Suc-
cessores 17 voiumes vinho jurubeba.
No patacho hespanbol J. Pura, carrega-
ram :
Para o Para, Burle & C. 503 barricas com
:.) kilos de assucar branco ; M. J. Alves 25
pipas com 9,600 litros de agurdente.
No vapor nacional Para, carregaram :
Para Manos, F. de Moracs 25 barricas com
1.6 0 kilos do assucar branco e 13 cascos com
2,180 li ros de agurdente ; Maia & Rezende 25
barris com 2,400 litros de aguardeute ; Baltai
Irmaos 4 C. t1, voiumes com 2,849 kilos de assu-
car branco.
Para o Para, r*. A. o'e Azevedo SV0 barucas
com 17.9.'tO kilos de assucar brancj ; F. de Ma-
cedo 150 barricas com 9.419 kilos de assucar
branco ; B.ltar limaos 4 C. 30 barris com 2,880
litros (! aguardeute ; L. J. S. Guimaracs 50 bar-
ris com l,SOJ litrM de agurdente.
Para a C-ar, M. A. S- una A C. 70 sarcos c m
5,25 kilos d>- assucar branco.
No hiate nacional Aurora 2*, carr.garam :
Para .'.tosser, F. de Moraea 15 barris com
1.900 litros de agurdente ; J. Canillo 2 pipis e
8 barris cun '1.724 litros de aguardante ; J. de
Albuquerque 200 saceos eum farinha de man-
dioca.
Har V.a de Tourog, M. Amorim 2 barricas
com 120 kilos de assucar mnscavado
Par* Maco. P. de Moracs 10 barris com 800
litros de aguarden*'*.
Na barcaca Nazinha, carregou :
Para Mamaoguape, J. G. Cimbra 4 barricas
com familia de mandioca.
N'a bareaoa Hosalint, carregaram :
Para Guarapes, P. Carneiro fe C. 600 saceos
com farinha de mandioca.
Ni barca-}* Hainhadi Sul, carregnram :
Para Guarapes, P Carneiro & C. 1.00'J saceos
com fariubi de mandioca.
LCINOi FRTaDO GOEIxHO
A con panilla CnmpOfta de um inicleo de artis-
tas que faziain parte dos que fuuccionain nos piin-
cipaes tli-atr -s ll> corte.
O repertorio todo escolhido entre o dramas e
alti-.s eomedi s. que mais aceitaco teip tido nos
principal'? th'-atros da Europa
Mobilias e tapetarlas
foram feitas czpressameitte para estti empresa em
Paria.
O sceuario todo pintado pelos njtavcis scenj-
gmplios "
'wW) iiossi e Oreste ('.oliva
Esta c- i; pimlr'a faz m ana ,
ESTREA.
Sexla-feira, J8 do correte
eom o ceb bre drama de V. Sa:dou, in'itulado
FDORA
As pessoas que encouimeodaram bilh^tes quei
ram mandul-os buscar na bdbecaria do theatro
smente at meio da, pasfda essa hora serao
vendido.
Comersr a k l/f. brax.
llavera tonds para todas as linhas e trem para
A pipucos.
Joaquim Monteiro de Carvalho,
Secretario da companhia.
Companhia Bahiana de navesa-
eao a Vapor
Macei, Villa Nova, Penedo, Aracaj,
Estancia e Bahia
0 rapor Marwz de Caitas
Commandante Nova
Segu impreterivel-
mente para os portos
cima no dia 8 do cor
rente, si 3 horas da
tarde. Receb- carga
*" J~";r'r: SBEEMaVunica mente at o 1/2
dia do dia 18.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a freti: racta-se na agencia
7Ra do Vigario 7
Domingos Alves Malheos
HAiiElRs mm
Companhia Franceza !e ^avega-
eo a Vapor
Linlia quiuzenal entre o Havre, Lis-
ooa, Pcrnambuco, B-'ihia, Rio de Janeiro e
Santos
Espera-se dos Dortos do
sul at o dia 18 do correte
seguindo depois da ndis-
penaavel demora para o Ila-
re.
Os vapores desta companhia entram no porto
ancorando ein frente ao caes da praca do Commer-
cio f. sendo multo incommodo o embarque dos pas-
sageiros no fundeadouro das paquetes transatln-
ticos, no Lamarao e demais deyendo todos aportar
ao Havre, que o porto mais visinho de Paris,-
fra de duvida que ha grande vantagem para quem
quizer ir Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, alm de seren os precos
das passagens mais mdicos, as despezas do embar-
que aqni e as de transporto do Havre a Paris, sao
muito menores do que as que demandam as viagens
nos paquetes das nutras linhas.
Conduzem medico a bordo, silo de marcha rapid-
e offerecem excellentes commodos e ptimo passaa
dio.
As pnsagens poderlo ser t'tma;iao de aucemao.
Recebe carga encommendas e paisageiros para
os quaes tem excellentes accommodacoes.
utnsr ViP.fi ile Fornico
E' esperado da Lun-pa at
dia 0 di Junho, se-
guindo deiwi? da indispen-
save demora para a Ba-
ha. Ki: -te Janeiro
e Mnnio.
Ruga-ae aos -Srs. importadores de carga p'Io
vapores desta linha.queiram aprescnf;ir dentro de 6
dias a contar do da descarga das alvareng ial-
qiier reclama(,:lo conccrncnte a voiumes, q'jc po-
/! 'ara tenham seguido para os portos do sul.atim
de se podereis dar a tempo ae providencias neces-
saras.
Expirado o referido praso a companhia nSo se
responsaltilsa or extravio;!.
Keeebe carga, encommendas e passagoirp para
< 8 quaes tem excellentes accomodacoes.
Augusto F. ile Oliveira H
AftEXTEN
42 RIJA D> COMMKRHIO-42
MARTIMOS
MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 17
Rio de Janeiro por escala7 dias, vapor
nacional Part, de 1,999 toneladas, om-
mandante darlos A. Gomes, pquipngcn
59, carga varios gneros; ao Visconde
de Itaqui. do Norte.
Rio Grande do Sul 18 dias patacho por-
tuguez Tentativa, de 2'' toneladas, ca-
pitao Miguel Vieira, equipagem 9, carga
xnrfjua ; a A-noriro Irraaos & C.
Bio.Grance do Sul-20 dias, lugar naci
nal Tigre, un 190 toneladas, capitXo Or-
denez Jos Carneiro, equipagem 9, car
gn xarque ; a B;dtar Oliveira & C
Rio Grande do Sul 32 dias, patacho na-
cional Andaluza, de 173 toneladas, ca-
pitao Joao Jos dos Santos, equipagem
9, carga xarque ; a Amorim IrmJos & C.
roo sahido no mesmo di
Rio de JaneiroVapor nacional Espirito-
Santo, commandante Jo2o Maria Pessoa,
ein lastro.
VAPORES ESPERADOS
voii i .t:\iii.t i*i;tt\iHjmM,
DE
Stivcsat'So Cosfelra por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macu, Mossor, Ara
caty, Cear, Acarahu e Camossim
0 vapor Ipojuca
j___Ilrs^r^^ Segu no dia 22 de
Junho, s 5 horas
da tarde. Recebe
carga at o dia 21.
Encommendas passagens e dinheiros afrete ajj
as 3 horas da tai de do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Per^amb'nvina
n. 12
tniied Slates & Brasil Hall S. S. C.
O vapor Colorado
(uni'A\iiia: di: nKWttAue-
RIES M.tlSSTI.UB-:
LINHA MENSAL
0 paquete Congo
C oiumandante Cirou
E' esperado dos portos do
sul at o dir. 25 do corrente,
seguindo, depois da demora
do costume, para Bordeaux,
tocando em
Dakar, Lisboa e vigo
L'inbra-ge ios senhores passageiros de todas
classes que ha lugares reservados para esta
ag'-acia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abanmento de 15 % em favor das fa-
milias composta de 4 pissoas so menos c que pa-
garem 4 pasragens intriras.
Por excepcao os criados de familias que toma-
rem bilhetes de proa, gosain tambem u'este abati-
mento.
Oa vales postaes e se dio at e dia 23 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommenda s e dinheir j
a frete: tracta-se com o agente
iugusle Lablle
9 RA DO COMMERCIO-9
Patine Sieam "vigation llorapanv
STRAITS OF MAGELLAN LINE
Paquete Galicia
Espera-se oe portos
do sul at o dia 21 de
Junbr, seguindo pa-
ra a Europa depois da
demora do costume.
Este paquete e os que dora
em (liante seguirein tocaro em
Plymoulh, o que facilitar che
garem os passageiros com mais
brevidade a Londres.
Haver tambem abatimeato no preco das pas-
sagens.
faracarga, passagens, e encommendas, tracta-
se com os
AGENTES
Wllson Non *fc C, Limited
N. 14- RA DO COMMERCIO N. 14
lOVALIAlLSTEil PACkET
COMPAXV
0 paquete Neva
E' esperado dos portos do
sul at o dia 24 de Junho
depois da demora necessaria
seguir para
*.
naranho, Para, Barbados,
Tilomas; e New-York
Para carga, passagens e encommendas e dinhei-
ro a frete tracta-se com os
AGENTES
O vapor Advance
Ashadale de Cardiff hoje
Ville de Maoei do sal hoje
Gadre.vy de Liverpool hoje
Ville de Pernambuco do Havre a 20
Galicia do sul a 21
Cear do norte a 23
Mariner de Liverpool a 23
Colorado do sul a 24
Neva da Europa a 24
Congo do sul a 25
Mando do sul a 27
Advanee do norte a 28
Tagu do sol Juiho a 29
Amatonense da New-York a 3
Espera-se de New-Port-
News, at o dia 28 de Junho
o qual seguir depois da de-
mora necessaria para a
Olla e Riq de Janeiro
Para carga, passagenajajencommendas e dinheiro
a frete, tracta-se com os
AGENT
Henry Forster C.
RUADO CltittGlO.-N. 8.
! andar
N. 8
Lisboa e Porto
Segu com brevidade o patacho portugus Dous
Irmo, para o resto da carga trata-so con Silva
QutmarSes & C, 4 ra do Commercio n. 5.
E' esperado da Europa no dia
24 do corrente, seguindo
depois da demora necessa
ria para
Baha, Rio de laneiro, Monte-
video e Btieuos lyres
Este vapor traz simplesmente
passageiros e malas e immedia-
tamente ?egur& depois do desem-
barque dos mesmos.
0 paquete Tagus
esperade
do sol no dia 29 de
crrente seguinlo
depois da demora
necessaria para
Lisboa e Southampton
Para passagens, fretes, etc., tracta-se com es
CONSIGNATARIOS
Adamson Bowie & C.


*
MyffllD


m^i
ir

Diario.de PernamBocciScxta-fcira 18 de Jnnho de 1886

Ceipaxk!a Bra Ilelra de Xa-
ac a Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Cear
Commandante o 1." tenente Ouilherme Pa-
checo
E' esperado dos portos do
norte at o dia23 de Jnnho
e depois da domara in
' dispensa vel, seguir para
os portos do sal inclusive o
' da Victoria. Recebe tam-
bem carga para Santos, Pelotas e Rio Grande d)
Bul, frete mdico.
Para carga, passgens, encomiendas e valores,
trata-se na gesela
N. 11-RA DOOOMMEBRIO X. 11.
Para
De urna mebilia de junco oom 1 sof, 2 conso-
los, 2 eadeiras de bracos e 12 de guarnicao, 2
mesas redonda?, 1 mesa para eacrevcr, jarros para
flores, e diversos quadros.
Urna mobilia de amarello com 1 sof, 2 conso-
los, 2 eadeiras de bracos e 6 do guarnicao, 1 mesa
qtiadrad, cndieiros a gas, e tapetes.
Urna mesa de jantar, 1 npparador com pedra, 1
guarda-comida, 1 quartinheir, 12 cadera.-.
gio de predo, tapete de coco torro de sala, louca
para cha ejantar, copos, clices, talheres, Erras, oaro
urf;i,...J x.,.n. ...,. ..;m a MI,.k. p 11-392 Urna
11.330 Um relogio, ouro de lei.
11.334 Tres pulseiras e duas pecas de brincos,
onro de ei.
11.852 Urna cora de ouro para magem, um cor-
dSo e nm emblema do Espirito-Santo, onro
de lei.
11.356 Urna corrento com medalhs, oora de lei.
11.377 Urna volta de ouro com medalba pequea,
um alfinete, um aro de ouro e um annel,
onro de lei.
11 384 Urna pulceira, um par de brincos e urna
cruz, ouro de lei.
11.388 Im cordo, um par de rosetas e urna crux,
ouro de lei.
Segu- com hrcvidade pira o porta aeiaia d
-patacho hespanhol Joven Para ; para o resto da
carga que falta, trata-se coui Baltar Oliveira &
Compnnhia.
Uahia
Brigue italiano .ndre Padre segoe para a Baha
nesses seis dias para oude toma carga a frete ba-
rato, para tratar com o Sr. capitn a ra do Bom
Jess n. 35.
Para Maranho
Recebe earga e possageiros para o porto cima
a barca portuguera Vatco da Gama ; a tratar
com os consignatarios Ji- da Silva Loyo
Filho.
quartinhas, ffandres, mesa?, trem de cozmha, e j
vinhos.
Um guarda-rjups, 1 guare"a-vestido, 2 comino-
das, 2 lavatorios, 1 espelhi, 1 relogio, 1 tnili-t, 1
cama de ferro graudc, 2 marquetas, e muitos ou-
troa movis de casa de familia.
Quarta felra 9* de Jiuho
No segundo andar do sobrado da ra da Shr
rora n ...
Alian Duttan, tendo de fazer urna viagera
Europa, faz leilao por intervencao do agente Pin-
to, doo movis e mais objectos da casa em que
residi, ra da Aurora n.....
O leilo principiar s 10 1/2 horas.
correte para relogio e um par de
Leilo
De bons movis, crystaeg, um
lustre grande de qu.itro bicos,
um banco para carplna e fer-
ramenta
Sendo nina linda mobilia de junco com consoles
de marmure, urna dila de j-u-arandi entufada, ten-
do 1 divn, 12 eadeiras de guaruicao, duas ditas
de bracos e '.' consolas de pedra; 1 espelho gran-
de dourado, duas serpentinas de crystal, 2 pares
de jarros de alabastro. 2 grandes candieiros com
ps de metal para kerozene, diversos quadros,
duas figuras de bronze, bustos, ctagers para jar-
ros, eadeiras de. bataneo de juuco, escarradeiras,
2 bonitos guarda vestidos de amarello, 1 rico toi-
lett de Jacaranda, 1 lavatorio de dito com es-
pelho, 1 berco e nina cama de- Jacaranda para
irianca, duas porta-toalhas, urna bonita mesa de
taia com tampo de pedra, duas poltronas de dita,
1 lindo telescopo com vistas, urna banca de jaea
randa para jogo, 1 binculo e 1 oceulo de alcance.
Um grande lustre de crystal do 4 bicos, 1 can
diero de metal de 2 bicos, um lyra, 3 aran ellas
para gaz c 1 grande tpele forro de ta:a.
Urna mesa elstica, 1 guarda-prata de amaril-
lo, aparadores, eadeiras, marquetas, urna cama
de viagem, urna grande car'.eira com mocho, 1
aparador de armario, urna grande mesa redonda
de Jacaranda c>m pedra, 1 carrinho de 4 rodas
para enanca, 1 uia-rquezao, louca fina de porcela-
na para jantar, dita para almoc",garrafas de crys-
tal para vinho, e-inpoteiras, 2 ricos e importantes
licoreiros, finos clices para vinho e champagne,
fructeras de crystal, disticos de metal para gar-
rafas, trinchantes, 1 vaso de metal para gelo, 1 ri-
ca globo para corred >r e urna boa machina de fa-
zer caf.
Um basco para carpina com tarramentas, urna
grande tina para deposito d'agua e 1 realejo.e ou-
tros muitos movis.
Na ra da Aurora, casa d. 165
Sexta-Jeira 18 do torrente
A's f t horas
O agente Martina, aulorisado por urna familia
que mudou a sua residencia para fra da eidade,
tara leilo de todos os movis e mais object >s exis
tentes na referida casa, ao corre- .......irilo.
O boud da linba da Tacaruua Me ...i-...- .; .t-
taco do Brum s 10 horas e 4o u.uuuo, dar
passagem gratis aos concurrentes do lelio.
Na segunda casa depois Ha fabiic. de l'-o,
roa da Aurora n. lrj
Leilao de j oas
O conselho fiscal attendendo dSo s so pedi-
do para ser transferido, de 8 do corrate para 6
de Julho vindouro, o anunciado leilao, como por
haver grande numero de cautelas em ser, e nilo
convir aos interesses do estabelecimento e dos mu-
tuarios Bubmettpl-as venda, taz agora publico
que no referido dia 6 de Julho se effectuar im-
preterivelmente o leilao as 11 horas da manba.
Estala exposicSo tres das antes.
10.070 Urna salva nitavada e tres colheres para
sopa, peize e arroz, prata de le.
10.116 Um annel de ouro, com brilhantes.
10.118 Di-zenove colheres, prata de lei.
10.136 Um par de rosetas de ouro com brilhan-
tes.
10.137 Um annel de ouro com brilhaate.
10.784 Duas salvas de prta de lei, 25 colheres,
12 garfos, 12 cabos para tacas e um pal-
t. iro de prata.
10.786 Urna salva e duas colheres, prata de lei.
10.8.7 Um annel com biilhaute e cinco botoes de
ouro.
10.811 Urna corrente e medalha para relogio e um
relogio, ouro de lei.
10.817 Dous pares de brincos, dous )roches, um
annel de onro com um pequeo brilhante
e um trancilim, ouro de lei.
10.829 Um par de rojetas de our-, c >m brilhantes,
urna pulceira, um alete, um par de brin-
cos com perolas, urna medalha, um annel,
seis botoes e urna fivella, ouro de lei.
10 831 Duas pa ceiras, um Broche com coral, urna
volta de traneelim com perolas, um annel
e urna corrente, para relogio, ouro de lei. :
10.839 Um par de brincos de ouro com p-queno '
brilhante, urna par de rosetas e um tran- ;
celia), ouro de lei.
10.841 Urna pulceira, um broche c um tranceln),
ouro de lei, um tranclim, ouro baixo.
10.842 Um broche de ouro com perolas, urna pul
ceira e orna corrente, para relogio, ouro de
lei ; um alfinete era vejado de diamantes.
10.843 Um tranceln) e dous ana is, ouro de lei.
brincos, ouro de lei.
11.401 Um relogio, ouro de lei.
11.409 Um relogio, ouro de lei,
11.419 Urna pulseira, ouro do lei
11.437 Um relogio, ouro de lei.
II .443 Um par de rosetas de ouro cravejadas de
brilhantes c urna corrente para relogio,
ouro de lei.
11.450 Um alfinete e um par de rosetas, ouro de
lei; urna salvs, prata de lei ; e dote co-
lheres, prata baixa.
11.454 Um Uco de ouro crarejado de diamantes
e duas pulseiras, ouro de lei.
11.472 Um relogio, ouro de lei.
11.475 Um alfinete de ouro com brilhantes.
11.497 Sete colheres de prata.
11.511 Um cordita, urna moedinha de ouro com
laco, urna moedinha de valor de bf e um
annel, ouro de lei.
11.513 Ura cordo, ouro de lei.
11.521 Um annel de ouro com um brilhante e urna
pulieira, ouro de lei.
11.523 Urna corrente e medalha paiu relogio, ouro
de lei.
11.514 Um par de rosetas de ouro com pequeos
brilhantes e um annel com numero em cir-
culo.
11.548 Urna correte para relogio, ouro de lei, um
feixe de ouro baixo.
11.551 Urna salva de prata.
11.552 Urna pulseira, um par de brincan de ouro
do lei.
11.553 Urna pulseira, um broche e um par de ro-
setas, euro de lei.
11.554 Um relogio de ouro de lei.
11.557 Una volta de tranceln), urna cruz, dous
[-ares de brincos pequeos, um dito de ro-
setas, um dito de argoloes, cinco botoes
urna moedinha, dous.pares de cohetes, duas
pecas de brincos e un> annel, de ouro.
11.566 Um annel de ouro com brilhante.
11.579 Um p:r de esporas de prata baixa.
11.589 Um par de rosetas de ouro com brilhantes.
11.590 Um tranceln, urna medalha e um cellar,
ouro de lei.
11.600 Um annel de ouro com brilhantes.
11.601 Una corrente de ouro para relogio, urna
dita com medalha, ouro e platina, e um
paliteiro de prata de lei.
Recite, 8 de Junho de 1886.
O gerente interino,
Felino D. Ferrara Coelho.
Novo regulamento
DO "
Grande reStaura.it francez
Este importante estabeleeimento estar aberto
todos os dies at 10 horas da note e ter sempre
um bom confortavel & disposica do publico.
Todos os sabbados estar elle aberto at 11
horas da aoite e servir mSo de vacca, peixe, do-
bradinha francesa e outras variedades de co-
mida. Recebe assignaturas mensaes a 354.
28Ra dj Bario da Victoria28
J. A. Francis.
GANDE
LIIIUP
Fazendas brancas
SO' AO NUMESO
Allencoo
Vende-se urna importaate taverna no largo ds
Salinas de Santo Amaro, propria para qualquer
Erincipiaute, faz -frente para lirba terrea de
limoeiro : a tratar namesma.
Palmares
Como estava annunciado teve lugar no dia 13
do andante, a reuoiio do partido conservador de
Palmares, reinando n'ella a maior ordem, ficou as-
sentada a chapa part vereadores e juizes de paz.
os 4:0001000,
E
I:
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se a casa da ra do Coronel Suassu-
na n. 150, com graudes cornados para familia,
quintal grande; a tratar ra DireiU n 106.
Precisa-se a lugar urna preta ou um menino
para v^uder an ra : a tratar na ra dos Marty-
rios n. 148, 2o andar.
10.846 Um par de rosetas de ouro com diamantes
um par de brincos, urna pulseira, um tran- ~/luga-so o su.o do Pina, com boa caea para
celim e urna medalha, ouro de le: urna ti- morada, contendo bastantes comraodos nafa nu-
jella, prata de 1. i; urna salva e um copo, mfros* afl1"1. FHnd1e quedado coque.ros,
'? f u seis grandes viveiros, duas cacimbas com excellen
10.855 Urna corrente e medalha para retogio, ou- ,e a6ua : a tratar no caes de Apollo n. 45.
r i de lei. Aluga-se casas a 80U)
10.869 Urna correte para relogio, um traucelim, Ihos, junto do S. Goncallo :
um broch', urna loneta e um relogio, ouro Imperatriz n. 56.
de lei.
10.887 Urna cor ente e medalha, para relogio, ou-
lS-Eua do Cabug-16
Acham-se venda os venturosos bilbe
tes garantidos da lotera n. 59a em beneficie
da matriz do Leopoldina que se extrahir
no ?abbado 19 do corrente.
Precos
Integro 40000
Meio 2^000
Quarto 10000
Sendo quantldade superior
a K-OrOOO
Inteiro 30500
Meio 10750
Quarto 0375
Joaquim Pires da Silva.
mnm
Aos 4:0001000

MEATOOS
no becco dos Coe-
a tratar na ra da
Leilao
Do livros de direit i, movis, jarros, quailros,
perfumaras, talheres, colheres, copos, chapeos,
miudezas, realejo, machinas para selleiro ou sa-
pateiro e outros muitos e diversos artigos.
Sexta-feira 18 do correnta
A's l horas
Na ra do Imperador n. 75
Agente Modesto Batpista
Leilo
Da armacao, utensilios da lojn denominada
Boa-Fama sita rua Duque de Ca-
xias n. 77 A, com garanta das chaves,
e dos restos das miudezas, cofre, cartei-
ra e fazendas
SEXTi-FEIRA 18 DO CORRENTE
As 11 horas
Porintervencao do agente
Gusmo
Precisa-se alugar urna preta ou um menino
para vender na ra : a tratar na ra dos Marty-
rios n. 148, 2 andar.
Aluga-se urna jasa terrea na ra Imperia
e o 2 anoar no pateo do Corpo Santo n. 17, com
bous commodos para furnlia : a tratar no terceiro
andar do mesmo.
Prec'sa-se de urna cosinheira para casa de
familia ; na ra do Barao da Victoria n. 3H, loja
Precisa-so de tima criada para o servico de
urna casa : na estrada de Jlo de Barros n. 41.
Precisa s d um criado para casa de fa-
milia ; na ra do Barao da Viitoria n. 39, lja.
Alnga-se o 1- aniar e sota da casa 4 ra
Thom de S-mza, outr'ora tiavessa da Lingoeta
(Recife), com commodos para familia ou para 69-
criptorio ; a tratar na ra do Imperador n. 31,
armazem do gaz.
m de lei.
10.889 Urna paiseira, um trancrlim, quatro an-
neis e urna moedinha, ouro de le.
10.891 Um broche com brilhante e diamantes.
10.905 Tres correntes e urna medalha para re-
logi', ouro de lei.
10.910 Urna corrente e medalha para relogio, e
um traucelim, ouro de lei.
I 10.914 Urna pulceira de ouro com brilbautes.
10.922 Urna corrente para relogio, um resplando
cinco coias para imageus e um relogi
pequeo, ouro de lei.
10.930 Dois aunis de ouro com brilhantes, urna
volta de ouro com medalha, um traucelim,
urna moedinha, duas medalhas, dois pares
de brincos e um relogio, ouro de lei.
10.940 Urna crrente para relogio, ouro Je lei; e
um relogio de ouro.
10.942 Dezenove colheres e um par de fiveltas de
prata.
10.943 Um par de rosetas de ouro com dous bri-
lhantes, urna pulseira e um par de botoes,
ouro de lei.
10.974 Urna corrente para relogio, um traucelim e
urna medalha, ouro de lei.
10.997 Um relogio, ouro de lei.
11.006 Um par de rosetas de ouro eom brilhan-
tes.
11.015 Um tranceln, our* de lei, urna pulseira,
ouro de lei.
11.022 Urna pulseira, ouro de U. Vende se urna tourina, urna mestiea e urna da
11.032 Urna correnta e nute, para relogio, ouro tPrra) traUr a Prasa da Concordia n. 11, ar-
de le. inaz'.-m de materiaes.
11.061 Um par de rottas de ouro com pequeos ---------------______^^_________
brilhantes, urna volra de ouro e urna me- rlD'1
dalha, ouro de le. .Hillu
II .062 Um parlle rosetas de ouro com brilbanter,'
um annel com dito e rubina, um alfinete,
dois botoes e um relogio, ouro de lei ; um
alfinrte do ouro c<>m brilhantes, dois pares
Boa do Baro da victoria n.40
e casas do costme
Acbam-se vend os felizes bilbetes
garantidos da 4.a parte das loteras
jeaeficio da matriz de Leopoldina, (59.*)
que se extrahir sabbado, 19 do correnta.
Preeos
Inteiro 40000
Meio 20000
Quarto 10000
Bai porcio de 100#000 par
cima
Inteiro 305OU
Meio 10750
Qoarto 0875
Joo Joaquim da Costa Leite.
Expsito central rna larga do
Rosario o. 8
DamiSo Lima & C-, nao podendo acabar com s
grande qnantidade de mercadorias, resilverarr
anda r-ma vez convidar as Exmas. familias e c
respeitavel publico em geral, que com certeza nin
guem perder sen tempo, fazendo urna visita i
l'.'tpimicao Central
Pecas de bordados a 200, 400, 500 e 600 rs.
Punh8 e colarinhos bordados para senhora t
2J000.
Ditos ditos lisos, 1500-
SDitos para homem, 1500.
Um plastrn de 2*000 por 1*500.
Invesivi is grandes por 320 rs.
Lacos para senhora por 1*500.
Macos de la para bardar, 2*800 e 3*
Luvas de seda arrendadas a 2*500.
Ditas lisas, 2*200.
Ditas de fio de Escossia, l*0f0.
Broches para senhora (modernos) 1*500.
Um par de meias para senhora (fio de seda
600 rs.
Dito dem liso, 400 e 500 rs.
Dito dem (fio de seda) 1J2U0.
Duzias de baleias a 360 rs.
Carreteis de 200 iaidas a 80 rs.
Metros de srquinhas a 160 e 120 ra.
Um par de froohas de labyrintho, 1*500.
Macos de grainp s a 20 rs.
Metros de plisss a 400 rs.
Lindos passarinhos de seda para chapeos de
senhora, de 500 rs. a 1*000.
Um pentc com inscripcao para senhora, 1*.
Um leque de 16* per 9*.
Brinquedos para enancas, leques de papel, fi-
tas, bicos de liuha, quadros para retratos, lencos
tspartilhos, bicos, galoes, franjas com vidrilhos,
eutres muitos oojectos de phantasia per precot
sem competencia: na exposicao Central, ru
larga do Rosario n. 38.
Camisas naconaes
A JSOO. 3SOOOe 8*500
32== Loja k ra da Imperatriz = 32
Vende-se neste novo estabeleeimento um gran-
de sorli[p"oto de camisas brancas, tanto de aber
turas e pjnhos de linho como de algodao, pelos
baratas preeos de 2*500, 3* e 4*, sendo tasends
muito melhor ilo que as que veem do estrangeiro e
muito mais bem feitas, por seren cortada* por
um bom artista, especialmente camiseiro, tamben
se manda faser p.ir encommendas, a vmtade dos
fregueses : na nova loja da ra da Imperatriz n
3;, de Ferreira da Silva.
Ao32
Nova loja de fazendas
4
4
rna da Imperatriz
Loja dos barateiro
Alheiro & C, i. roa da Imperatriz n. 40, ven-
dem um bonito srtimento de todas estas fazendas
abaizo mencionadas, sem competencia de preeos,
A SABER:
AlgodaoPecas de Igodozinho com 20
jardas, pelo- barato preyo de 3*800,
4S, 4*500, 4* (, 5jJ, 5*500 e
MadapoloPe^as de madapolao com 24
jardas a 4*500, 5*, 6* at
Camisas de meia com hstras, pelo barato
preco de
Dirs branc >s e cruas, de 1* at
Creguella franeeza, fazenda muito encor-
pada, propria para lentes, toalhas e
ceroulas, vara 400 rs. e
Ceroulaa da mesma, muito bem feitas,
a 1*200 e
Colletinhos r'a mesma
Bramante francez de algodao, muito en-
cornada, com 10 palmos de largura,
Mro
Dito de linho inglez, de 4 larguras, me-
tro a 2*500e
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, com 9 palmos de largura, metro
Cretones e chitas, claras e escuras, pa-
dres delicados, d' 240 rs. at
Baptista, o que ha de mais delicado no
mercado, ra.
Todas estas fazendas baratissimae, na conhecida
loja de Alheiro 4 C, esquin.. do becco
dos Ferreiros
Algodao entestado pa-
ra ien(oes
A OOo rs. e 14000 o metro
Vende-se na loja dos barateiros da Boa- Vista
ido para lencoes de um s panno, com 9 pal-
s de lanrurai 9tX) :s., e dit" com 10 palmos a
00 o nier ascim com ditj trancado para
nialhas de mi tu, eom 9 palmos ue largura a 1*200
ja de Alheiro 6: C, esquina
6J50C
12*009
800
1*800
500
1*500
- 800
1*2
S08OO
1J800
400
200
do
'.tro. lsto na
ceco dos Kerreires.
!>8 Rna da Imperatriz = 'S\
DE
FERREIRA DA SILVA
Neste novo estabeleeimento encontrar o r?B-
iitavel publico cm variado sortimeoto de tazen-
as de toi.is as qualidades, que se vendem po:
rejos baratissimos, assim como um bom sorti-
ment de roupas para homens, e tam'oem se man
da tazer por encommendas, p r ter um bom mes-
tre alfaiate e completo sortimento de pannos finot
casemiras e brins, etc.
Viva S. Joo
Avisa-ao a quem tiver comprado bilhetes da
rifa com o titulo cima, ao preco de 100 rs., para
correr com a ultima lotera da provincia antes de
-S. Jo&o, que fica sem i ff.-ito a dita rifa, e se far
entrega de anas quantias, asa no praso de qua-
tro dias.
Vaccas
Leilo
De .<> saceos com gergelim ava-
riados, marca C I- & C., pro
prio para oleo
Sabbado 19 do corrente
A's 11 horas
Ra do Vigario n. 1
O agente Burlamaqui, competenteti.ente autori-
sado, levar a leilo 50 saceos com gergelim, pro-
prio para oleo, avariados, e descurregados de bor-
do do vapor nacional Espirito Santo, chegado dos
portos do norte, por conta e risco de quem perten-
cer. ___________^^^
Leilo
fTDa armacSo de amarello envidracads, fazen-
das e miudezas da loja rna do Rangel n. 48.
O agente Brtto vender, ao correr do mar-
tello, a armaca", fazendas e miudezas.
Sabbado 41 de lunho
As 10 e meia horas
Precisa-se de urna ama para cosinhar e engomar
em casa de pequea famili i ; tratar na ra do
Mrquez de Olinda n. 27.
Agente Pestaa
Leilo
Dos moTei, lonja vidros, piano e o pre-
dio onde so acham os ditos movis, no
caes do Opibaribe, rua4 Ponte Velba
n. 3.
Terca felra, do corrente
A's 11 horas em ponto
O agente Pestaa, competentemente autorisado
pelo Sr. Antonio Ferreira de arvalho Jnior, que
se retira com tua Ezmn. familia para o Rio de Ja-
neiro vender importante casa terrea com 2 salas,
4 q ^ommado, cosinha, quarto
para criados, idem enm banbeiro, agua e gaz,
quintal eom cacimba, rna da Ponte Velha n. 3,
livre e desrnbaracaria de todo e qualquer onus,
rendendo 6001000.
Em continuacio vender 1 piano de Blondel, 1
mobilia de Jacaranda eom pedra, 1 dita de faia. 1
cama de Jacaranda, 1 dita de amarello, 1 mar-
qnezao par soltcim, 1 guarda-vestido, 1 cmoda,
1 cabide, 1 mesa elstica de 4 taboas, 1 guarda-
loucn, 1 dito parn le Bacarat,
12 eadeiras salsas, 2 ditas de balanco, 1 cama
para menino. 1 barco, 1 relogio, 2 quadro?
chinas para costura, 1 sof de Jacaranda, 1 appa
reino para jantar, 1 dito para eJmoCo e outros
muitos objeetoe que estarSo patentes, a vdhtade
dos Srs. comprador
dc nttae crav> j do de ditos, um annel
urna cruz com ditos, un fio de p. rola?, um
tranceli'ii, um collar e urna corrente, euro
de lei ; dois conloes, urna cruz, um cora-
cao em ouro, ouro baiso.
11.068 Urna ntrente para relogio e urna meda-
lha, ouro de lei.
11.092 Um par de brincos de ouro, conte-idc bri
Ihantes.
ll .102 Urna corrente para relogio, urna volta de
onro e um relogio para senhora ; ouro de
lei.
11.117 Um ann-1 de ouro cora um brilhante.
11.118 Urna corrente para relogio e um relogio,
ouro de le.
11.128 Seis ostlcaes pequeos, prnta baixa
11.129 Um annel de ouro com brilhante.
11.138 Urna pulceira de ouro.
11.439 Um relogio, ouro d-i lei.
11.146 Urna medalha, urna volta de cordo, dois
anneis, duas pecas para pulseira e 'ma te-
t* de ouro.
Duas pulseiras, ura par de brincos, um dito
de botoes e dois anneis. onro de lei.
Feilor
Precisa-se de um feitor que tenha pratica de
sitio ; a tratar na ra do Apollo n. 51, armazem.
Para laca bar
\;t loja das Estrellas rna Du
que de Caxlas n. 5*
Merino de todas as cores (2 larguras) de 1*400 a
800 rs. o cavado.
Granadina arrendada, lindas cores, fazenda pro-
pria para baile d* 1*000 a 500 rs.
Etamynes, alta novidade, a 40.) rs.
11.151
11.177
Vende-se
o hotel denominado Dous Irmaos, sito ra da
Cruz n. 23. Este hotel est reedificado, muito
frequentado por nacionaes e estrangeiros, tambem
tem hospeda g' m, e' o motivo da venda seu pro-
prietario ter de reiirar-se para Europa por falta
e medalha para relogio e | ge ^^ {nU ^ BW Pede aos Veos de-
0 em atrs, de virem saldar suas
contraria sern seus norci puolicados
nos jornae8 desta capital.
o.u w>~ -..- ,.-.- '--e- de gaJe rnr.a
um rar de brincos, ouro de le; urna pul- j vedore8 eati_
seira, ouro de le.. I pon ^^
l ma pulseira um traneehm, um meda- ; ,
11.192
Ihio, um broche, quatro troediuhas de ou-
ro em boto s, ouro de lei.
11.493 Um tranceln), um par de brincse urna
pequea tutea, ouro de lei ; um broche, uoi
par de b itoes e um annel, ouro baizo.
11.198 Um relogio, ouro de lei.
11.210 Um relogio, ouro de le.
11.212 Um alfinete de ouro eom brilhantes e pe-
rolas, ouro de lei.
11.216 Duas correntes e urna medalha, onro de
I-i.
11.242 Um annel de onro com brilhante, tma cor-
rente e m.dalha para relogio, ouro de
lei.
11.247 Urna moedinha de ouro com laco de ouro,
dous purs de brincas, um dito de boto* <
tres -.mii'id .uro de lei; um alfie
So, dous pares de roi,eta8, urna tetea,
urna figa a tres anneis, ouro ba:s >
11.250 Um cordlo e urna cruz ouro de lei; um
uro baiio.
11.257 Um par de brincos cravejadot de biiihan-
11 360 Ui 'e e medalba para re'os;o,ouro
de lei; urna salva e doze c
sipa.
11.261 Um annel de ouro com brilhante, um dito
a, urna pulseira e Ufes
o, ouro de lei.
11.273 > para senil
11.299 Urna pulseira, um par de brineos ura an-
botdes, ouro de
11.309 U !e ouro. um cordo, d-,us a-
il. 3_ alseira, un I ouro e u mpar
Tamancos
Vende-se ti mancos de Penedo, em pjrcao e a
retalho : na ra da K-ida n. II.
tu ti ;> i'iiuiii d HiuUoiKa e
niava
Antonio Uarueir i da Cuuha, f ua mulher e filba,
Li1';, lo Ribeir.i, sua mulbei, filhos e
s, agrad'-cein aos que ae.nnpinaaram ao ce-
miter: i 04 restos murta s de sua sempre
lembrada cunhida, irin. ta e madriuha, Anaa
Pauta de M.ndo.ci e Silva, e de novo os convi-
dara e a p rentes, para assistirrm a
missa d.. I (19 d > corren'*) po.as 8 ho
ras da manh, qn man ara celebrar no recolhi-
mento da (i
I
u
ASA FELIZ
Aos4:000$000
BULSIETB** aRiV^IIIO
t^raija da Independen
cia ns. 37e 39
Acbam-se a venda os felizes bilhetes
garantidos da 59a parte da lotera a beneficio
da matriz da eidade de Leopoldina, que se
extrahir no dia 19 de Junho.
rucos
Bilbete inteiro
Meio
Quarto
*iu porco de 1005000
cinta
Bilbete inteiro 30500
Meio 1^750
Quarto 8750
Antonio Augusto dos Sanf Porfa
40000
20000
10000
par
Hara Pin Sil-ir de .11 bnquerque
Mello
ie aoa seue amigos
stiiem as
exeq-i por sua pranteada filba Mara Pia
Slv. nuioeique Mello, serao celebradas
, 4 horas da tarde, na capilla do Omite-
Cains a roa da Iiu pe ador c Praca do Conde
Eeeif-, 18ile Junho de I881. _______,
40S 4:00000
2ILHSIS5 Miimm
Ra Priweiro de Marco n. 25
O abaizo assignado tem exposto ven-
da os seus afortunados bilbetes garantidos
da 4.a parto das loteras a beneficio da
Matriz de Leopoldina (59.*), que so extra-
hir sabbado, 19 do corrente.
Preeos
Inteiro 40000
Meio 20000
Quarto 10000
Km quantldade malor de tOO
Inteiro 30500
Meio 10750
Quarto 0875
Manoel Martina Fiuza.
Edsdo coraraercial
Diurno e nocturno
POR PEDRO MARA LIAUSU
NO COLLEGIO 11 DK AGOSTO E CASAS PARTICULARES
EscriptHraco mercantil
Curso essi-nealmei te pratico de todas as transac
coes commerciues e bancarias, interiores e exte-
riores, cnsignaces, cambios, etc.
irlthmetica commercial
Applicada especialn. e as operaci-s commer
ciaes e bancarias e curso completo de contas cor-
rentes com juros por conta c em participares,
em diversas moedas, adptalas pelo alto commer-
cio e os bancos.
Calil^raphia
Cursiva, bastarda redonda, allemlo, gotbica.
Ungua franeeza
Curso theorico e pratico com todas as diffieulda-
dts da syntaze era 90 lices. Supplemento de
estudo sobre a eyntsxe, locucoes familiares, idio-
tismos em 30 lic<
Ao cooimercio em geral
Encarrega se de escripias
atrasadas, escripturacoes de casas commerciaea
e de escripias de casas i ; abertura e ve-
i de livros, batanaos r inventarios, cor-
respondencia mercantil; trabalhos de contabi-
dade e de calligrapbia.
Para tratar, rna as-
as
104001
1200t
1200<
Ubi*
8-J0W
3*001
1*6W
1-HJ
Itua da Imperatrlm
Loja de Perra da Silva
Neste estabeleeimento vende-se aa roupas aba:
io mencionadas, que sao ba- i ,u.as.
Palitots pretos de ff",. aiagonaes e
acolchoados, senoo tazenaas muito en-
corpadas, e forrados
Ditos de casemira preta, de cordo muito,
bem feitos e forrados
Ditos de dita, fasenda muito melhor
Ditos de flanella azul sendo ingleza ver-
dadera, e forrados
Calcas de gorgoreo preto, acolchoado,
sendo fazenda muito encornada
Ditos de casemi.a de cores, seudo muito
bem feitas
Ditas de flanella inglesa verdadeira, e
muito bem feitas
Ditas de brim de Angola, de muleskim e
de brim pardo a 2#, 2*500 e
Ceroulas de greguellas para homens,
sendo muito bem feitas a 1 200 e
Colletinhoa de greguella muito bem feitos
Assim como um bom sortimento de lencos dt
linho e de algodao, meias cruas e collarinhee, etc
lsto na loja aa -ua da Imperatriz n. 3*
Riscados largos
a SOO ra. o ovado
Na loja da ra da Impe'atriz n. 32, vendem o-
riscadinhos praprioa para roupas de meninos
vestidos, pelo barato proco de 200 rs. o covadi
tendo quasi largura de chita francesa, e san*
como chitas brancas miudinhas, a 200 rs. o
do,c ditas es curas a 240 rs., pechincha
oja o Pereira da Silva.
Fnnioe. etlnetasi e laalnnaM a 60
i*m. o rotado
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-
um graude sortimento de fustoes brancos a 5
rs. o covado, lzinhas lavradas de furta-core
f>zenda bonita para vestidas a 500 rs. o covad
e setinetas lisas muito largas, tendo de todas ar
cores, a 500 rs. i covado. pechincha : na loj.
do Pereira da Silva.
Merino preto* a laS
Vende-ee merinos pretos de duas l-rgpras par
vestidos o roupas para meninos a 1*200 e 1*60>
o covado, e suoenor setun preto para enfeites i
1*500, a.-sim como chitas pretas, tanto lisas con*
de lavoures brancos, de 240 at 320 rs. ; na nov
lja de r/ereira da Silva ra da Imperatriz nu-
mero 32.
AlgoduoBiniio francs para lence
a 900 r., 1* e 1SSOO
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-s
superiores algodozinhos franceses com 8, 9 e 1'
palmos de largura, proprios para lencoes de m-
s panno pelo barato pree,o de KX) rs e 1*000
metro, e dito trancado pa a toalhas a 1*28", a
sim como superior bramante de quatro largura
para lencoes, a 1 500 o metro, barato ; na loj.
d) Pereira dfc Silva.
Roupa para meninos
A 4. l5O0 e A
Na nova loja da ra da Imperatriz u. 32, s
vende um variado sortimento de vestuarios prc.
prios para meninos, sendo de palitosinho e calo
uha curta, feitos de brim pardo, a 4*000, dico>
de molesquim a 4*500 e ditos de gorgoro prtt
emitando casemira, a 6*, sao muito* barates ; n
loja do Pereira d i Silva.
Camisas de cretone
A 500
Na nova loja de fazendas ra da Imperatriz
n. 32, vende se camisas de cretoae de cores, secdo
muito bem feitas e de bonitos padroes, pelo bara-
to preco de 2*500 cada urna ; assim como ditas
branc:.s muito fiuas, pelo mesmo preco : isto is
ra da Iinpe. atriz numero 32, lofa de Pereira da
Silva.
MKRINOS PRETOS
A 1*200, 1*400, 1*600, 1 i 800 e 2* o covado
A hi iro C, a -ra da Imperatriz n. 40, ven
dem muito bons merinos pretos pelo preco acrv
dito. E' pechincha : na loja da esq iin-. do bec-
co di 8 Ferreiros.
Espartllhos
Na loja da ra da Imperatriz n. 40 vende-se
muito bons espurtilhos para senhora*, pelo pr;co
de 5*000, assim t> mo um sortimento de roupas
de casimiras, brius, etc., isto na loja da esquina
do becco dos Ferreiros.
CASEMIRAS IXGLEZAS
A 2*800 e 3 a e covado
Alheiro & C, ra da Imperatriz n. 40, ven-
dem um elegante sortimento de casemiras ingle-
zas, de duas larguras, com o padroes mais deli-
cados para eos turne, e vendem pelo burato preoo
de 2*800 e 3J o covado ; andini como se encarre-
gam de mandar fazer easStanes de easemira a
30', sendo de paleto! saeeo, e 35* de fraque,-
crande pech ncha : na luja dos barateiros da Boa
Vista.
BRIM PARDO LONA
A 320 rs. o covado
Os barateiros da Boa-Vista vendem urna grande
porco de brim cardo lona, por estar com princi-
pio de toque de mofo, pelo barato pr- co de 820
rs. o covado, e prnode rechincha ; na loja da es-
quena do bece' ios Ferreirqa.
Bordado* a too ra. a peca
A ra da Imperatris, n. 40, vende-se pecas de
borda io, dous metros cada peca, pelo barato pre-
co de 100 rs., ou em cartao oom 50 pecas, sorti-
das, por 5J, aproveitem a pechincha na loja da
esquina do becco dos Ferreiros.
CALLOS
0 MELHOR E MAIS INFALLIVEL EX-
TRACTOR DOS CALLOS E A
MATNARDINA
porque os extrahe completamente, sem causar a
mnima dor. E' fcil de applicar, nao impede de
se andar calcado e tem o eu effeito comprovado
por attestados insuspeitos e en numerosas appli-
caces que nunca falharam. ;S vedadeiro o que
se prepara e vende na Drogara e Imperial Phar-
macia Diniz.
t tttfe
o7Kua do General 0zorio--o7
Deposito em Pernam' uco pharmacia de Hermes
de Souza Pereira & C, Successores
M AO Haipz de Ollla D. 21
Eu abaixo asiignado, estabelecido ra do Hos-
picio n. 158, attesto que, aoffrendo ha muito tempo
d callos em ambos os ps, o que me impossibuta-
vp. por vezes de cuidar nos meus affazeres coffl-
merciaes. grecas ao preparado des Srs. DINIZ &
LORENZO proprietarios da IMPERIAL PHAR-
MACIA DINIZ, denominadoMAYNARDINA
etnsegui verme alliviado deste mal que atroz-
mente me incommodava com a applicacio do refe-
rido preparado.
Rio, 7 de Janeiro de 1885.Thomaz Jo-
s Femandes de Macedo.
E' infallivei
Latgo de S. Pedro n 4
Tndo e vende pelo menos pos
s vel
N> estabeleeimento sempre ba & venda o es-
pecial ner de maracuj, era lindas garrafinhas,
propnas para roilet, compotas de u.angaba e
man.
" ene ratra um completo sortimento de
gaiolas de todos os fabricantes para toda diversi
rtade de pnsparos. at proprios para vasfem, por
rem i

iaa



Eite remedio precioso tem gozado da neceita.
(So publica durante cincoenta e sele annos, com-
ecando-se a sua'manufactura e venda em 1827.
Sua popularidade e venda nunca forio to exten-
sas como ao presente; e isto, por si mesmo,
offerece. a melhor prova da soa efficacia maravil-
bosa.
NSo hesitamos a dizer que nao tem deixado
em caso algum de extirpar os vermes, quer em
cranlas quer em adukos, que se acharo afBic-
tos destes mimigos da vida humana.
Nao deixamos de receber constantemente
attestaces de mdicos em Favor da sua efficacia
admiravel. A causa do successo obtido por este
remedio, tem apparecido varas falsificaces, de
sorte que deve o comprador ter muito cuidado,
examinando o nome inteiro, que devia ser
feraiftiTO fle B. A, FAHN1STQCK.
Ao Iris!!
N. I C Ra do Cdbog \ C
Para as nwtes de Santo Antonio, S. Joa
e S- Pedro
Neste estabelecimonto enc-rntrara 1 os amadores
um variac -simo sortimento deFogoa
chimzes outros nticionats, de magnifico effeito.
todos in fliMisvi-s e alguns vistos, jelii primeira
vez nefte m< read >.
Grande vanedade de s-rtes-m caixiuhas, em
bouqueta di-fl >res artifir 1 c-mo em flo-
res sohas e outras novidades dignai de apreso.
Diversos livros para surtes, dous dos quaes fo-
ram 1 rao, .ersos p ra sortes avul-
sas e papis ci diffierentes qualidaiies c cores.
Perfu riac, quinqui laas, rams de flores de
cera para bol.'s e um lin nhas
pvoprias
para |
Ch fum 13 e m'iis prteucas O
melhor qm reado.
,-Tudo
iveis.
f IBM I


6
JMario de PernainbiiMiSexta -feira 18 de Junho de 1886
***. .
Resaurcinf America
O-pr,i .' etario de belecimento
]i rticipaio ao reBpe :ta vel pulil-. *u aceitan en-
uendas de bolo para nt Vi-)ni Santo ntoiito 19 o iin-
o prepamuj ce... e promp-
; xaaim como recebare pensionistas internos
temos por precos 08 mais resumidos
2"? Rna Duqu- o> Cax
eitaaniBi tmerira
Na Ma^dalrna
Aluga-se urna ra** terrea com commodos paia
familia, tendo agita e gas; i-miiih >oa e sitio todo
arado, sita traveasx do l'ayaun ; u chave
est na taverna do Sr. Francisco Braga, run do
Paysand, esquina da ra do Hospital Potta-
g*-__________
Serrara a vapor
Cae do Caplfoarfbe n. t <
N'esta srrrHria eneoiitruritoos i>h->r fregue-
ses, rnn errando snrtimonro de pi'-(> 1 dw resina de
cinco a dea ineuv.i de eoM;>n;<.c i- do 0,08 a
0,24 de esqtiaih- G (-i mais como-
do do que eiu uu.ru utsuUj 1 un 1
- v .- Sucedo.
iiga-se 3:uit bem
a um oeuiuo at a idade de 17 annos, livre 00 es-
cravo, para Tender na ra, que d, se for livre,
fiador de sua conducta : a tratar ra-do Rosa-
rio da Boa-Vista n. 48.
Pilulas purgativas e depurativas
Estas pilulas, cuja preparaco puramente ve-
getal, teem sido por mais de 20 annos aproreitadas
com os inelhores resultados as seguintes moles-
tias : affeccoes da pelle e do figado, syphilis, bou
boes, escrfulas, chagas inveteradas, erysiplas e
gonorrbas.
Modo de uoal h
Como purgativas: tome-se de 3 a 6 por dia, e-
bendo-se apos cada dse um pouco d'agua adoca-
da, cha ou caldo.
Como reguladoras : tome-se um pilula ao jantar.
Estas pilulas, de invencao dos pbarmaceuticos
Almeida Andrade Se Fdbos, teem veridictum dos
Srs. mdicos para sua melhor garanta, tornndo-
se mais recommendaveis, por screm um seguro
purgativo e de pouca dieta, pelo que podem ser
atadas em viagem.
ACHAM-SE A' VENDA
TV drogara de Faria Sobrinbo di C.
"U KA DO MRQUEZ DE OLIXDA 41
A> commcrcio
O abaixo assignado declara que vendeu ao Sr
Joaquim Eduardo Ferreira a sua taverna sita
ra de s. Miguel n. 10, livre e destmbancada de
qualquer onus ; se alguem se julgar com diretio,
queira s-presentar suas coatas no praso de tres
dias. Recife, 15 de Junho d 1886.
Manoel Naecimento.
atta de yMoPo
Em quartcs e meias garrafas, v. rr Para
Sobrinho & C, rna do Mrquez de Olinaa ..41,
DEPOSITARIOS
Ama
Precisase de urna
que duro em eaa :
portao di erro.
ama para cosinhar, porm
na ra de Riachuello n. 57,
Precisa se de urna ama que seja boa eosinheira :
a rya, do Cafeagjj n. IB, g- andar.________________
Ama
Pnia se de urna, ama- pata- todo servico de
casa de familia : a tratar na ra do Cotovello
numero 46.
Ama
Na praca do Coade d'fiu n. 7, 2- andar,' preci
sa-se de urna ama que cosi.ihe bem, para caaa de
pequina familia.
Ana deleite
Off 'rece se urna ama com muito bom leite, por
preci mdico, levando tambera urna filhinba eom
tres meses de idade ;" a tratar na travessa dos
Expoatos n. 2, dae 7 horas da manh e 5 da
tarde.
Ama
Prccisa-BC de urna ama para cosinhar, oraprar
e fazer mais algu-is servicos de casa : a tratar
na ra do Marques c Olinda n. 52, loja.
MLSO
DE
SCOTT
DE OLEO PURO DE
Figado de hacalho
COM
Hypephosphitos de cal e soda
v'pprovada pela Junta de II y -
glene e autorisada pelo
Precisa-se de urna para todo o servico para casa
de penca familia, na ra de Pedro Alfonso n. 'J.
finas para cozmbar e en-
gommar
Na ra do Bemfi-
ca sitio que fica em
frente da Estrada] dos
Remedios, se precisa
de duas amas forras ou
escravas, para servido
dfe cozinha e eng-om
mado.
se
urna grande caea com dous grandes quin'aes o
agua encanada, ra L^mbrancn do Gomes n. 1,
em Santo Amaro : a tratar na ra da Imperatriz
n. 32, I" andar.
Mugase por 25$
a c,rande casa fprrra rna de Luiz do Rugo u
47-B, com 5 quartcs e mais um frs, bem waecr
tada : a tratar na ra do Mrquez de Olindr. n
60, ou no Caminho Novo n. 91, padaria a chave
para correr, aa taverna junto.
Aluga-se barato
A casa n. 96 a rna dos Guaranpes.
A casa n. 74 do largo dp S. Jos
A casa n. 107 da ra Viseonde de Goyajuna.
A ra do Rozario da Boa-Vista n. 39
A ra Lomas Valentinas n. 4
Casa ra da Ponte Velba n. 3.
Trata se no largo de Corpo Santo :> 19. Io andar
governo
E' o melhor remedio at hoje descoberto para a
Unir brondiile, <>> rbtin, anemia i euilidndc em gcral,
deflaxoM. is*- ebroniea e afTeceAei
do pello e da ;ar;anla. .
E' muito superior ao oleo simples de figado de I |S|j| H Jl
bacalfao, porque, alm de ter cti-iro e sabor agra-
daveis, possue todas as virtudes medicinaes e nu-
tritivas do oleo, alm das propriedades tnicas
reconstituintes dos hypophosphitos. A' venda na>
drogarias e boticas.
Deposito em Pernambuco
osinheira
Precisa-se de orna para casa
de pequea familia, no onteiro:
a tratar na ra da Matriz da Boa-
Farinlia Lctea
E
H. Vesll
O melhor alimento para criancas de peito, rece
be Jos Antonio dos Saptos.
15 Ra do Mrquez do Olinda 15
3"Ra 1 de Marco3
MiaaPenaiscai
iS
COnleira a vapor
Suprmento pira o vapor Jcmaribe
S. 927:170
O Sr. Francisco Alvos da Costa, commandante
o vapor Jaguaribc, pela srguada ves rogado
vir 4 rna do Marque* de Olinda n. 50, dar cum-
pnmento ao numero cima. Pede-se ao digno
gerente providencias a respeito.
Aviso
O tabelliio Apolinhrio Maranho mudou o scu
cartorio para a casa n. 14 da meama rna estreita
do Rosario.
Avi
so
Precisa-se de urna profees ra que saiba tocar
bem piano e mais traba Ibes de senhora, para en-
genho : a tratar com o Barao do Nazaretb, ra
do Imperador n. 79, 1- andar.
triado
Aluga-se um mulalinho fscravf para criado, o
qual bb'op fizer comprxs e todo o servico de casa,
por ler j 17 snucs, ten? boa conducta e bastan-
te ladino. :ua de S. Jcao n. 27.
Sei copetlcia al preci
Prepara se lindos houqnets, assim como aluga-
se anniK.o.o de band.jus ; a tratar na rna 'le
Hortas n 58, ou Da roa do Imperador numero 31
ou 67.
b commercio
En, abnixo assigiudc, di-claro que dissolvi a
socii-d d> que tinha na padaria sita ra de D.
Maria CtSar n 30 com o Sr. .loaquim GoncalvP3
Coelho, sahindo este pago iote^ralmentc da parte
que lh- tacna e desondrado Jaquelia sociedade ; e
o ai.aiio assi^n .di lo activo e pas-
livo, iiar depile 31 ile Maij prximo pas-
sado. Hete H..r j ife I
________________________.-( Maroel i Si.__________
l^ara S. Jao
A viava rie Valriivmo, da polv-ra, avisa aos
apreciadores d fogos jwra os f. stejjs de S Joo,
que tem um ctampleta s-rtim. nr > de pdolas de
duas a cine, bolxs e fo^uiebos para criancas,
aesim c >n. para bi-scap, plvora para
estoaro. Rp<: h. s' pncoDnmrndas para eran iros
e buscp M ))Hgas adiontadaj. Tele-
phoae n. 369
PARA COSINH \R
Precisase de uaia
ama que saiba cosi-
nhar bem; no 3. an-
dar do predio n. 42
da ra Duque de Ca-
xias, por cima da tj-
po^raphia do Diario
Surtes
Vende-se# bonitas sortes para Santo Antonio
S. Joiio e & Pedro : no patee de S. Pedro n. 4
Mudanea de eserip-
torio
O a Ivogado Francisco do Re^o Baptista e os
solicitadores Diogo Baptista Kernandi;s e Anto-
nio Machado dias, mudaran) seu scriptorio Mta
a ra do Imperador n. 22, 1- andar, lado de
traz, onde ecro encontrados das iO horas da mi-
nhii :';s 3 da taide.
ALCATKAO DE GUYOT
60UDEON DE GUYOT
O Aleatr* de Hmyt serve para preparar urna agOa de alcatra, muito efficaz p agradavel aos
mais delicados estmagos. Purifica o sangue, augmenta o apetite, levanta as foroas e efficaz em todas as
doencas dos pulmos, catarrhos da bexigoa e afieccos das mucosas.
0 Aleatro de Gayot foi experimentado com vantagem real, nos principies hospitaes de Franca,
da Itelgica e Espanha.
Durante os calores e em tempoepidemieo urna bebida hygienica e preservadora. Um s vidro basta
para preparar doze litros d'uma bebida salutarissima.
0 Alcatra de tiuyot Al IIIIVTKO vendido em vidros trazendo
no otulo com trez cores a assignatura :
Veada a varejo na mor parte das Pharmaciaa. Fabriracao em
atacada: Caaa L. I III I ,t>, rae Jacob, Parla.
XAROPE
FERRUGINOSO
de Cascas de Laranjas e de Quessia amaroa
ao PR0T0-I0DURET0 de FERRO
Preparado por J.-P. LAROZE. PharmaceuUco

raaza a, Xae dea uom at-raoi vajoa
*PPBOVADO PKLA JUNTA DI HTOIBNB DO BRAZU.
O Pro-to-Iodoreto de Ferro,
bem preparado, bem conservado, prin-
cipalmente no estado liquido, e de
todas as preparaces ferruginosas, a
que produzos melhores resultados. Sob
a influencia do principios amargo e
tonicoa, da casca ae laranja e da
guassia amarga, o ferro aasimilado
fcilmente e produz effeito prompto
egeral restitundo ao sangue, a forca;
a carnes, a dureza; aos difieren tes

tecidos, a activi dade e energa necee-
sarias as suas funcefles diversas.
Porisso. n Xarope Ferruainoso ^
de J. P. Laroze, I considerado pelos '
mdicos f'a Faculdade de Paris, como <
o especico mais acertado para as
Doencas de langor, Chloroso. Ana- '
mia, Chlori-Anemia, Floxon bran- i
eos com dizestoes demoradas, Ho-
lestiac escorbnticas escrof uloaaa,
Rachitismo, eto.
M mesmo depotito achu-te i venda os seguin!a$ Producto* d i.-?. LAROZE
XAROPE LAROZE d,e*
^...aurp. TNICO, ANTI'NERVOSO
Contra ai astrites. Oaatraiglaa. Dyspepaia, Dores e Catmbraa da Estomago.
XAROPE DEPURATIVO*-**-*
atasco. IODRETO DE POTASSIC
Costra as AifeccSes escrofulosas, cancerosas, Tumores branco, Aoidez de Sango*
Accidentes syphilltlcos seoundarios e terciarlos.
XAROPE SEDATIVO""^^.1^" BROMURETO DE POTASSIO
Contra Epilepsia, Hysterlco, Danaa do S. Ony. Insomnia Jas Criancas durante a Dentlcao
:
1
^^^V^^
>irfiT* bat resal aa moas
SAUDE PARA TODOS.
UNGENTO HOLLOWAY
O Ungento de Kolloway i um remedio infallivel para os males de pernos e do peito tambem pvra
as lerdas antigs chagas e ulceras. E famoso para a gota e o rheumatismo e para todas as enfermi-
dades de peito na* se reconhece egual
Para os males de garganta, bronchies resfriamentos e tosses.
Tumores as glndulas e todas as molestias da pelle nao teem semelhante e para os membros
contratados e juncturas recias, obra como por encanto.
Essas medicinal sao preparadas smente no Estabelecimer.to do Professor Hoixoway,
78, HEW OXFOBD STEEET (antes 533, Oxford Street), LOHDRES,
E vendemse em todas as pharmaci?s do universo.
tM Os compradores slo convidados respeitosamente a examinar os rtulos de cada caixa e Pote, se nao teem a
direcffao, 533, Oxford Street, sio talsificaooes.
Faisificace;.
AGUA de MELISSA1
dos Carmelita'.
nioo Succeesor dos Carmnlitas |
Ra de l'Abbaye, X-*, PARS
Cclicaa, Indi-
PARS, 14,
Csotra \ Apoplexi, o Cholera, Enjoo do mar, os Flatos, _
Bti**. Febre amaralla, tte. Ler o prospecto no qual tai antolrido cada ridro.
IXve-se exiiflr a etecro branco o preto, eni to :os os vidros,
seja qul fOr o tamaobo, como tasitiem a ant/natura:
Depsitos em toda a Pliarniaclas das Amerioas.
\Ilenfo
F de mlugi
Veade sp ou permut^-se ama casa com sotea i
roa de Socego n. 32 : a tratar na raesma.
i
Perden-se um alfinete de ouro ou perelus, da
ra do Burilo da Victoria ra Nova d.' Sunta
Rita ; qupm o acbou pode leval-o i ra do Mr-
quez de Olinda n. 55.
Gasta Gastronmica
Esta gasta produzir sens.efffifos no sabb >do
j prximo (19 do coTreDie), com a extraceo da lo-
tera ordinaria da provincia desee dii. Um pr-
imerio numero de exemplares que aioda existem
venda, serio eunoutrarios ne Cafe Huy, ra do
Bara-- da Victoria : elles, q1 e :3o poucos.
Bouquets de apurados e
iros goslos
O bem conhecido fabriantu de biuquets, Jos
Samuel Botelho, s" faz lembraio nest-; trabalho ;
al^m da repntnc3o graugf.adH n He, p.logpsto, as
8( io, promptido, tr., tem loje pata offerecer ao
publico navas porta rjouquiets de bm estndad
o rfflectid* coinbinace e gesto ; a tratar na ra
do Barao da Vietorm n. 20, loja de miudeza?, e
na ra do Marqvt-s da Oliuda i3,-f,jtl de sil
leiro.
da ama do le
txpcnini
1
peesoa
ticos.
H *
I'/KIVIIIIH 1,
ir. r

izaet)|
. *a*aeJ
t'LVSSE Rfi
imite pnousr, Ste^
*/wts
Cai.veiro
Preciane de Din caiaeiro e 16 18 annos de
idade : na ra do Hospicio n. 84.
Csinheira
Pietisn-s* de nma eosinheira : na ra de Pay-
sand n. 19, Passaircm da Magdalena.
Criad
'-v.-.e er..-_tioo cus Viatica mi eoir.
. te.ltoUw..............o.lOOfnueo.i aoe&
' >\: n-lo a l.Eseuc*a*lCtogna -310 irwo ROO nv
i fnrhiaiOB para todos o* Ueorea j luu.-asoos 300 h
'i EH<'iiilnc!jRbamoai:aT.i"ia. os W0friM 1.00'j
iieiiosiurios en; f*r>MH
"T*'-iOsv.JWE. <-l* 6ILr^A o*-
de lOVJRETO de FEM e d QUIH I
TRINTA AHNOSiibouEkltotemdemoart ado
a cefrada n cunf^s^ve d'estaj Pilulas. que uses sa
taMMU*enroiprteritara a ~*ynr-*cAo iomzr\nr.
Pella mas propriedades miau mptrraitmt,
o xostmsTO > rExsctb Qtrism'-a,
o mdioamex.f 4iat vto eoatra aa
Otn 4t stoirtao Vhiorot* latmla
Peseta ta apoeiil*
(tomaroEmpibrrtimjntc tto Zannt:*
fttcoet esfr.'ofuloto, eU
?!fjSt -ii-il: 1, rl ut G-.'HiIU-S.- jl-fTaa. FiB2
IB Un**** 1 rlAK- K. t\m tnvwt te O*-
I
:
Aa"Daro-se as Cas
Asare*.


CosMtMisuiea aos Cnb+lls
a Cor natural
I :rt% m LiT'
KNOS DE SK1TO
K. SArr ). MONEGiirTTI, Braooeesor.
.. II Catolt. 73,rl
ttdlm-H 9/1) t 31. as princ :>jcs >
"".,I,VA 4 ty
Compia se urna t, boas
letteira, que iti-nn de
tratar na engrnb ada rral ia
Tor ou no Re.ifi' :\ 'euan.
34, c notorio.
Pri'cisa-ie de am criado para epeira
Prim'iro de Marco d. 16.
na ra
Taverna
Vi-ade-te a taverna da ra do D. Marii
n. 39 : a tratar na meima.
Ui sar
Ca&a ara alu&rar
O -- f 3- rid.-.r a ra larga c'o Rui-ario n. 37
defri.ntr aa ifrrcja : a trarar na tabacria do pa-
vimento timo.
Criado bolecir
A luga se nm mulatinhn escravo para criado, o
abe balear: trata-se ni run de S. Joio,
caca n. 27.
NIGO
#
r jl \
Prenaragao de Productos Vegetaes
PARA
riramlA DAS CASPAS
e outras Molestias Capillares.
JVIARTINS d BASTOS
Pernatnhuvc,
Aos Mes Aos olios
Cura certa era 48 horas das inflainajoes
recentes dos olhos, pelo colyrio prepara-
do por Jos Pedrn Rodr'gur-s da Silva.
Emprega -se este poderoso colyrio sempre com
grandes vantagena, uas seRiiintes molestias :
Ophtalmias agudas, purulentas e chronicas, con
unctivites, etc., etc.
Deposito eral, na drogara do Faria Sobrinho
& C, ra do Mrquez de Onda n. 41.
I'ara inforinagoes, sediriiam livraria Indns-
lri::l ra do Barao da Victoria n. 7, ou resi
dencia do MUtor. rna da Saudade n. 4.
Loja da Violeta
Os proprietarios deste ettabelecimento, recebe-
ram -i aua encomm^nda lindas pulseiras de fita
ejin bjrlas pratcadas e douradaa para senhora e
menina por 2 ; magnfico sortlineuto de fitas chi-
nezas bordadas, cores escolhidas d< 11. 9 metros a
SOOris. Amostras a contento.
Boa Duque do Casias n. li
Tni
zoo
Oriental.
IB
Precisa-se de vm no Instituto Acadmico.
Massa para bolas
O que ha de melhor neste genero ; vondem
Bra^a Gi mes & C, roa du Mrquez de Olinda
numero 50.
Aos scuhores capita-
s^as
O agente de leildes, Pestaua, auturisado por
um amigo que retirou-se para a Europa, vende
trinta e cinco predios (ca-as terreas e sobrados),
em perfeito estado de c nservaciiu, nos melhores
lugares das freg'iezias do Recife, Santo Antonfp,
S. Jos, Boa-Vista e Grar,* : trata-be no Recife,
ru-i do Vigario n. 12, armazem.
Leonor Porto
Ra do Imperador ai.
Priaiiiro andar
>J ntina a executar os mais ditBceis
figurinor. rece.bidos do Loudres, Paris,
Lisboa e Rio de .lantiro.
Prima cui perf ieito de costura, em bre-
vidade, modeidado em preos e fino
gosto..
i
Lipap imw
Por todoprec
A Predilecta liquida definitivamente e para
acabar e por todo o preQo.
Alm de muitos objectos, annuneia os nbaixoa,
que sao as verdadeiras pechiucbas :
Babados c ntremelos bordados com l 1/2 me-
tros, a 240 ra.
^Baleias para vestidos, pollidaj c fortes, duza a
320 ra.
Botoe de madreperola mullos finos para caaaco,
groza 1500.
Voltas de coral verdadeira rom clchete, nma
600 rs.
Voltas de coral verdadeira esm clchete, duas
ordene, 609 rs.
Ligas com feixes de ac para menino, um par
160 rs.
Urna caixa com 100 folbss de superior papel,
400 rs.
Urna dita com 100 envelopes, 300 rs.
Borlas para pos de arroz, urna 200 rs
I's de arroz muito.finos, um pacote 30 ra.
Urna duza de macinhos ce grainpo. polidos,
200 rs.
Carriteis de linha de 200 jardas. 80 rs.
Suspensorios para meninos e homene, um par
800 rs.
l'acotes com tres sabonetes muitos finos,
500 ra.
Duzia de pacotes de sabio em p, 600 rs.
Boleas de chagrn de diversos tamanhos, urna
3 000,
Leques grandes e modernos, a 5.' 0 rs.
A prove a e 111
\\ -Prafa da Independencia-H
Signal bandeira enearnarUi eoin leira brancas
Antonio Felippe Horcaox
D. Mara Xavier de Macedo Moreaux e ua filha
Joanoa Evangelista Mor aux agradecem sincera-
mente aos piirentes e au.igos que Cdmp'treceram
ao enterramento de seu presadissimo espnso e pai,
Antonio Felippe Moreaux. e canvidain es .1 aisis-
tirem a missa Jo stimo dia, (iu" por toa zima
mandam resar na igreja iJa matriz da Ivi-t-Vista,
sabbado l' do crrente, > 7 \ liora3 da manhi,
pelo que ficarao eternamente agradeeidoa.
}{
Tricofero de Barry
Garante-se que faz nas-
cer e crescer o cabello ainda
nos mais calvos, rara a
tinba q a caspa e 1.
todos a.; impurezas do ce.s
co da cabera. Pos
mente npode o col
liirou .!o embranqno-
cer, e inf;iilivcliuente o
torna espesso, macio, lus-
troso e abundante.
Amia, Florida de Barry
- acgaxtda a formula
! usada pelo inventor em
H' o nnico perfr.inc no mun-
do i|-,ie tem a apjirova<;ao oflitial de
um Cioverno. Tem duas
mais fragrancia que qualquer ontra
e l ora odobrodo tempo. E'inuito
mais rica, suave sa. E'
muito mais fina e ib li -acia. E'
irais psxntanente e %mdavel no
len^o. E' dn Btaia refres-
cante no banco e no qoaxto do
ilo>ntf-. E' aapaaifiao contra a
frousidao e debilidr.de. Cura as
dores de cubera, os cansados e os
Xarope Se ViJa Je Renter lo. 2.
(oeieei.-o tffoiHo trthur de
'lunilla e tlbuqiierqne
O Dr. Affjnss Arthur Cysneiro de Albaqner-
que, tendo n-cebido a infausta noticia do paasa-
ment de seu padrioha eami^n, o conselheiro Af-
fonso Arthur de Almeiiia Aihuqnerque, convida
seus parantes e asaigot p a -istirem a missa do
eitimo din, qmj ser/i resadu no ^ia 19 do eurente,
s 8 horas ra manha, na itrreja da Soledade, con-
fcssaudo-8e desde j agradecido por este acto da
caridade elirista
f
I.U71I I.inne de Mello
Jos Luiz de Mello, seus fiibs, sogr. cucha-
dos e irmaos, summamente gratos s pes'.oas qaa
se dignaram assi^tir as exi-quias c 1 b-. !as por
sua cara esposa, inai, filha, uinii c cuchada, ro-
gam-lhes o caridoso obsequio de ats^stirem aa
misas que, pelo eterno reponso da mesma. man-
dam celebrar na 'greja da 'Jongregacao, oclas 8
horas da manhS do dia 21 do corrente.
Jniio Antonio Joe CoIIjwo Dias, Manoel Collaco Oias, Joa-
quim olli^ Dias, Antonia Leopoldina Dial,
Joanoa Das de Leinos, Hermenegildo de Atoara!
Lemos, Joaquim Modestj da Silva, Anna de Vaa-
concellos e Silva, Josephu de Vise, ''..-- n Silva,
clphim Lopes da Cruz, lillios, g-:uro, sobrinhoa
e amigo do finado Joao Antonio Collaco Dias, fal-
lecido nessa cidade, agradecem do intimo d'alma
aos amigos que conduziram o eeu cadver ao ce-
miterio, e os oonvidam assistirem as missas que
por alma d > mesmo mandam esar na r itiizde
Santo Antonio, s 8 Botas da manbS do dia 21
do corrente, stimo do seu passamento.
U.TE8 DE SAli-O. DEPOB DE USAX-O.
Cura positiva e radical de todas as formasde
escrfulas, Syphilis, Ferelas Escrofulosas,
AffecSes, Cutneas e as do Conro Cabel-
ludo com perdado Cabello, e de todas as do-
encas do Sangue, Figado, e Eins. Garntese
que purifica, enriquece o vitalisa o Sangue
e restaura e renova o systema inteiro.
1^i i p^
Sabao Curativo de Reuter
Antonio loss da Fonscca
Joaquim Jos da P-.mseca, Ventura J-s da
Fcnseca e Antonio MisttnM Perrrira, convidara &
suus amigos para assistirem as missas que por
alma de seu sempro leinbiad; irmao, s.cio e ami-
go, Antonio Jos da Fonscca. mandam c lebrar
na igreja d* Espirito tSant no dia) l'1 do corren-
te. s 7 1^2 horas da manha, stimo dia t'o sen
infausto passamento, antecipando des*1 j' noaao
sincero reconheeiment. _
Para o Banho, Toilette, Crian-
es e para a cura das moles-
tias da pelle de todas as especies
e em todos os periodos.
Jo Morelrn L.ii
f^O Monte Pi l'i pillar Pernan-bucano. t-, ndo da
mandar resar no stimo dia do falleeiici uto do
prestimoso irmao, Jos Mi n ira Lima, una missa
|.or alma do mesmo, roga por isco i toti" os sena
associados e assim como a familia e n.ig s do
fallecido, o favor de comparecerem ao i ferido
acto, que ter lugar no dia 19 do e rr< i ., as ?
1/2 horas da manh. na igreja Matriz d >. Jos.
Becife, 18 de Junlio de 1886.
O Ia secretario,
Retino F. def.'arvaiho.
Deposito em Pernambuco casa" de
Francisco Manoel da Silva & C
Bnalo lime isa. ouaera
ls it Bastos C, pelo presente convidis aoa
prente e amigos de ae finado socio e amigo An-
tonio Jos da Fonsaea, ossistir s missas que
por sua alma mandan), celebrar na igt'j^ do Espi-
rito Saato, no dia 21 do corrente, as 8 hornada
inanbil stimo do sen infau*to rassamento.



-


1 UtlVR 1



Mario de Penmmbueo-- Sexta-feir 18 de Junto de 1886
t*
*
%
-

'i .
Que tem?
e pr*ta : compra se oQro, prata
peras preciosas, por maior preco que BHmba
quaUjuer paite ; no 1 and-r n. 22 4 roa larga do
Koaario, an-.iga dos Quarteia, das 10 horas s 2 da
me, das uteis.
Mercearia
Traspaasa-se ama casa de molbsdos em ama das
principaes mas desta eidade, muto afreguezad i,
Hvre de impostas e de quaesquer dbitos.
Quem pretender dirjase ra da Madro de
Deas n 22, das 9 horas da Nat s 6 da tarde.
Cosioheiro
Precisa-se de um cosinbeiro : a tratar na roa
da Pays.nd n. 19 (Pnssagem da Magdalena).
VENDAS
Vende-ee a casa com aota travesa das
Barreims o. 7, tendo un soffrivel sitio com bas-
tante -rvores fructferas : a tratar na ra do
imperador n. 75, agencia de leiles, ou na ra da
Santa Crui n. 60.____________ ,
Telegramma de Pedro
Antunes Sf .
Ba Duque de C a\ia n. G5
Para aecommodar os interesses da poca, os
proprietarios da muito couhecida loja Nova Es -
peranca n. 6!J ra Duque de Casias, teem re-
soivido em pleno conreino de estado vender todas
as anas mercadorias por menos 30 0/0 do qne em
qualquer outra parte.
Para as Ex mus. leitoras se convencerem devem
se dirigir ao mes no estabelecimento ; e para
orientar um aouco, pasaamos a demonstrar en
resumo os procos de algumas mercadorias mais
eonhecida8.
Espartilhos fines para senHoras a 4f 500, 5*500,
8f e 9*000.
Finas meias cruas dem a 7*500 e 8*500.
Bonitas caixas de madeira para costura a 2*509,
3*000 e 4*000.
Bicos bordados indianos. largura de l'fe 2.
eentimetros h 4$600 e 5*500 pebas de 4 meirus
Bonitas boleas e caixas para presentes de
criancas a 200, ra, 300 e 500 ra.
As senhoras floristas :
Papel verde claro a 60 rs. a folha, e dito oar-
mim a 200 rs rs. ; barato !
Fita Pompadoar a 100 rs. o metro, largara
de 3 centmetros.
Lques de papel a 300 rs.. 400 e 800 ra.
E para nao abusar da pacifica e constante le
tora resumimos o presente, que so vista das
mesmas provamos o que acaburos de expr.
Grande variedade em luvas de seda de cores e
p retas.
dem em leques do seda, finas perfumaras,
punhos e cdlarinhos para senhoras, immensk va-
liedade de culungaa -
Pianos e apparelhos para bonecas.
Cytitariai finas, capellas para uoivas e me-
ninas.
Sedas e frocos, lis e deaenhos coloridos para
bordados.
Grande variedade em artigos para presentea.
Meias finas para bomens, senboras e criancas.
Bonita variedade em artigos de electroplate e
outros martas para presentes.
Ao 63, ra Duque da Casias
Pedro Antunea di Compaohla
A RevoluQo
& ra Duque de Gaxias, resolveu a vender
os seguintes artigos com 25 0o de me-
nos do que em outra qualquer parte.
Lis com bolinhas a 500 e 640 ra. o corado.
tietins maco a 800 rs. o covado.
Sctinetas lisas a 400 rs. o dito.
Setinetas escoasesas a 440 n o dito.
Cambraia com saloicos a G rs. a peca.
Linn branco a 600 rs. o covado.
Linhos escosseaes de qoadriuhos e lisos a 240
rs. o dito.
Mariposas de cores a 240 rs. o dito.
Renoa da China 240 fa. o dito.
i>* de 13 cosa 160 eentimetros de largura
Maanan hnko com 9 palmos de largura a
1*800 o metro.
Bramante trancasL de algodao a 1*200 o dito.
Bramante de urna largura a 320, 360, 400 e
440 rs. o dito.'
nrirn pardo a 300 e 360 rs. o covado.
lrim prateado de linho a 600 rs. o dito.
Crochets para cadeiraa 1* e 1*600 um.
* Ditos para sof a 2* e 2*500 um.
Colchas de fiistAo branco a 1*800 urna.
Ficbs de la a 1*, 2*, 2*500, 3* e 4* nm.
Espartilhos de corsea a 4*, 5*, 6* e 7*500 um.
Camisas de linho bordadas a 30*000 a duzia.
Chitas finas a 240, 280, 320 e 360 rs. o covado.
Sintcs pora senhora, no/idade, a 1*^00 e 1*800
um.
L-nc.s brancos fines a 1*800 e 2*000 a dnaia.
Cobertores de la a 2*, 4*500, 6J500 e 8* um.
Cambraia preta para forro a 1*200 a peca.
Meias pura homens e senhoras a 3|, 4$, 5* o
6*0OU a dusia.
Madapolu gema e pelle de ovo a 6*500 a peca.
Cambraia branca a 2* a peca.
Crinolina branca e preta a 2*800 a peea.
Toalhas felpudas a 4*000 a dusia.
Toalhas alcocboadas a 12* a dura.
Cobertas de ganga a 2*800 e 2*900 urna.
Lences de bramante a 1*800 um.
Par an Exaaaa. nftivaa
Setim maco a 1*200, 1*400, 1*8C0 e 2*000 o
covado.
Popelina de seda a 600 rs. o dito.
Alpaca a 400 e 500 rs. o dito.
Capelln e veos finos a 10* e 14*.
Colchas bordadas a 6*000, 7*000, 8* e 10*0.0
urna.
Cortinadoe borcUdos a 6*500 o par.
PhIio de Riga
Vendem Fonseca Irmos ce C, a preco mdico

GRANDE LOTERA
Liquidad
( Vende-se portes de forro, giadeamentos para
cima de muro, jardim e terraco, bandeiras de fer-
ro para portas exteriores e interiores, de todas as
qualidades, gallinheiro de ferro, carroca para
bo's e civallos, carrinhos de mo e rodas para
enrrocas, por prec/> commodo : no largo do Forte
n. 4, defronte do quartel das Cinco Pontos, ofi-
cina de ferreiro.
Liquidado!!!!
5 Rna tinque de Caifas 39
Alguns artigos 50'[, menos do sen valor
Faites damass, linda faaeuda, a 400 rs. o co-
vado !
Linons c n aalpicos a 560 e 700 rs. o dito !
Cacheemos com bolinhas de velludo a 1*200 rs.
dito!
dem de 2 larguras, fingindo dados e lisas, to-
das as eores,a 1*500.'
dem pretas, e merinos (2 larguras) a 900, 1*00,
1*400 e 1*600 I
Alpacas de sedas finas a'860 e 400 rs. o dito .'
Popelinas com listraa de seda a 80 e 320 o
dito!
Setins Maco verdadeiro, desde 810 rs. a 2*000,o
que ba de melbcr
Gorguro prete de seda, para (um vestido de-
cente) a 2*000 o covado para acabar.
Damasss de eores, seda superior, a 900 rs. o
arto!
Velludilhos liso e de listrinbas a 1*000 e 1*600
dito!
Esguiao pardo para vestido a 560 rs. o dito !
Mansoks finissimoa de cores a 320 rs. o dito !
Cretones para chambres e cobertas, superiores,
a 360 rs. o dito !
Damascos de la com 2 metros de largura, a
1*800 o dito!
Mariposas de cores liadas a 260 re. o dito !
Bram-n'.; de linho superior, 4 larguras,a2*000
metro!
dem do algodlo, dem, idem a 1 $500 o dito !
Atoalhado bardado, o mettwr possivel, a 1*500
dito !
Brins de linho de cores (linbo puro) a 1*200 o
dito!
Camisas francezas sem punhos e oalarinhos a
40*000 a duzia w
Ceroulasde bramante: bordada* a 12* e 18* a
dita !
Guardanapos de linho a 3*000 a dita !
Meias arrenladas para seniora a 8*000 a
tifa I
dem cruas para homem a 3*500,4*600 e 6*000
a dita!
Lencos brancos em lindas bolsinhas de setim a
3*000 a dito!
Enxovaes para casamento o seguate :
Lindas grinaldas e veas a 14*000 e 16f000!
Ricas eolxas de crochets a 10*000 e 12*000!
Guaroicoes de dito (cadeias e sof) a 8*000 !
Espartilhos americanos, chiques, a 6*000 e
**000 !
Cortinas bordadas, novas gastos, a 7*000 e
10*000!
Vendas em grosso, descont da praca.
3J iiua Huqnr de Cataln 59
LOJA PE
tariieiro du lunlia k C.
Fazendiis baratas
Boa Duque de Caitas numero
Chitas petit pois de cores azues a 200 ra. o co-
vada.
Ditas finas claras e escuras, 240 rs. o dito.
Las escossezas, 320 rs. o dito.
Alpacas de cores finas, 500 rs. o dito.
Fustes brancos finos, 500 rs. o dito.
Setinetas e gorgurinas lisas, 500 rs. o dito.
Merino setim maravilhoso, duas larguras, 1*600 o
covado.
Cortes de vestido em cartoea, 10* um.
Ditos de cachemira idem, a 30* e 40* um.
Fichus modernissimos, de 2* 9* um.
Ditos d*. malha, a 1* um.
Collarinhos fechados, a 5*000 a duzia.
Punhos finos de n. 25 80, 800 rs. o par.
Velbutlna de todas a cores, a 1* o covado.
Merinos pretw e de todas as cores, setins de
todas as cores, cambraia com salpicos brancos e
de cores, tapetes de todos es tamanhos, meias
para homens, senhoras e meninos, e outros muitos
artigos por precos resumidos
MENDOXQk, PRIMO & C
Mutamba
DE
J. Delsuc
Contra a oalvlee. qneda dos ca-
bellos, caspas e nevralgias
da eabeea
Preco de cada frasco 10500.
Vendem Odilon & Irmao, cabelleireiros,
ra da Imperatriz n. 60.
Novos* livros de sortes
Grande variedade
na livraria PARISIENSE de Medeiros & (X, i
roa Primeiro d* Marco n. 7-A.
V^de-se
anana* 4a um andar e soto, com bastantes
commodos e grande fundo para a ra do Pharol,
sendo situado na ra S. Jorge n. 13 (Fra de
Portas) : quem pretender dirija-se ra do Bom
Jess n. 46, das 9 horas da manba s 3 da tarde.
Carteira
Vende-se barato urna carteira contendo na peca
de baixo doas amarinaos e tres gavetas, e na
peea de cima 17 compartimentos que se fechan
com orna o chave : a ver e tratar no largo da S.
Pedro n. A, loja. ____
A MAIS IMPORTANTE DE TODAS BA VIDAS NO
BRitZIL
EXTRACQO A' 8 DE JULHO
DATA MASCADA NOS ISPECT70S BAJETES
Esto huerto est a cargo do thesoweiro das loteras da corte
i EXTRACCiO EETA NO RIO BE JANEIRO ,
PREMIOS MAIORES
1
I
2
2
1
3
11
de
l,ooo:ooo$ooo
2oo:ooo$ooo
loo:ooo$ooo
5o:ooo$ooo
4o:ooo|ooo
2o:ooo|looo
lo:ooo|ooo
24 de.
50 .
80
2 appro\ima(6es de.
2
4
4
5:ooo$oob
2:ooo^looo
l:ooo$ooo
15:ooo^ooo
6:ooo|looo
4:ooo^ooo
2:ooo|ooo
Alm de militas sortes de 5oo$ooo, 2oo^ooo, loo^>oo 4o|ooo e 2o$ooo.
Esta lotera de tres sorteros. Um bilhete joga em todos
elles e est habilitado a tirar mais de um premio.
Esta lotera en favor dos ingenuos da Colonia Isabel da provincia de Pernambuco
BILHETES VENDA
M.
RODA DA FORTUNA
fi "Rna Larira do Rosario -56

Bernardmo Alheiro.
AttenQo
Vende-gf M:mteiga inglesa superior em latas de
12, de i a 1*100, e 7, H e 28 a 1*000 por libra e
gas iuexplosivo a ra do Bom Jeans n. 38.
Froelas maduras
Vendc-sc diariamente especiaes laranjas para
mesa, mangabas, sapotae, e outrae muitas : no
largo de S. IvUro n. 4.______________________
Grande soilimento de fo-
gos artificiaes
Nacionaes eChinezes
Pronrlaxa nara nal o '
PARA OS FESTEJOS DAS NOUTE8
DE
Manto Antonio. M. JoSo e
H. Pedro
Vende-ae em caixas e a retalho por precos com-
odos.
Ba do Bar3o da Victoria n. 61
Leja do SoHza
Massa de mandioca
Vende-se massa, especialmente preparada, para
bolos de Santo Antonio, 8. Joao e S. Pedro, a 500
rs. cada pacote de meio kilo : no largo dea. Pe-
dro n. 4. _
THttar
Vende-se um buhar francs em perfeito atado
com tres j.gos de bolas e seis tacos : a tratar no
antigo largo do Pelourinbo (corpo Santo) n. 7, ea)-
criptorio.
Engeo a venda
Vndese o engenbo Murici, com aira on sem
ella, situado na freguezia da Escada, distante, da
respectiva estacao um qoarto de legoa, podeudo
dar seis caminhas por dia, moente e corrente,
tem doas casas grandes e duas pequeas para mo
rada, e outra para farinba com ua pertenoaa : a
tratar na roa do Imperador n. 65, 2 andar.
Plvora
Vende Candido Thiago da Costa Mello, em sen
deposito ra Imperial n. 332, otaria, onde tam-
bem vende tijolos e tenas. Telephone n. 221.
Aos 1.000I000S000
200:000^000
DMfclMSOM
lillUlli; LOTERA
de 3 mm
En fax r des ingenuos da Colonia Orphanologiea Isabel
DA PROVINCIA DE PERNAMBUCO
Extracco: no flia 8 fie Jnllio b 1886.
ti thesoiireir, Francisco Cionfalves Torres
Fariia m ioIbibiiMd
Vende o Vascoucellos roa da Aurora n. 81
eorram a ella!
WHISKY
ROYAL BIffiND marca ViADO
Este exceUente Whisky Eacosses preferiw
ao cognac ou a gurdente de canna, para ortifice
o corpo.
Vende-se a retalho nos tu iherea arataaens
aiolhados.
Pede ROY AL BLEND marca VIADO najo m-
me e emblema sao registrados para todo o Brasi
BROWNB t C, agentes
0& proprietarios do muito conhecido estabelecimento denominad"
MUSEU DE JOIAS
sito a ra do Cabug n. 4, communicam ao respeitarel PUBLICO que receberam ua
grande sortimento de joias das mais modernas e dos mais apurados gostos, como tan
bem i-elogios de todas as qualidades. Avisam tarabem que continuam a receber poi
todos os vapores vindoe da Europa, objectos novos e vendem por muito menos que en
outra qualquer parto.
MIGL W0LPF & C.
N. 4RA DO CABUG----N. 4
Oompra-se ouro e yrata velha.
as
&5
ZS1
00

5
CXi
Chapeos e chapelinas
36 m--mfL ba mmwik --36 a jo
B. S. CARVALH0 & C.
Proprietarios deste bem conhecido estabelecimento paatecipam
as Exmas. familias e ao publico em geral, que mensalmente recebem
das principaes casas em Pars e Manchester o que de melhor e de
aparado gos'.o ha em chap:linas e chapeos para senhoras e meninas
das primeiras fabricas de Hamburgo o que ha de melhor em cha-
peos para homens e crianzas, muitos outros artigos concernen tes
chapelaria.
Flores artificiaes para ornamento d salas.
S


0
aao
se
VBdese
massa de mandioca de nrieaeira qualidade, para
bole, a I4OOO o kilo : na Camoda do Carmo nu-
mero 10
Cabriole*
Vende-se um ero perfeito estado e por preco
commodo; i trat&r na roa Duque de Caxias u. 47
FUNDICAO GERAL
ALLAN PATEKSN J- C
N. 44-Ru i-do Bruml. 44
JUNTO A E? AfAO DOS B0NDS
Tem para vender, por pre^ mdicos, as seguintes fen-agena
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
CrivacSes de diversos tamanhos.
Bodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos
Portasd fornalha.
Bancos de ferro com serra circular.
Crradeamento para jardim.
Vapores de forea de 3, 4, 5, 6 e 8 cavallos
Moendas de 10 a 40 pollegadas de panadura-,
Rodas d'agua, systema Leandro.
Encarregam-se de con yertos, ejassentamento de laa m quaiq -
trabalho com perfeic&o e presteza.
t; o nr %: i t e
JOSEPH RRAUSE St
Acabam de augmentar o sen j bem conhecifr
aportante estabelecimento ra Io
demarfon. ?> com mais
nm saldo no 1 andar luxnosamente pepar-
rado e prodo de orna expsi-
flt#iftrts desala i*fofa etodriftali
dos liis afamados fabHeaites do
mando inteiro.
Comida, pois, as Exmas. familias, seos nume-
rosos amigos e fregoezes a visitarem
o sen estabelecimento, afim de
apreciaren a grandeza e bom gosto com qne
ni. obstante a grande
despeza, o adornaram, em honra
desta provincia.
mu-a um du i n i u nm
DOM VITE
a
m

i mam i



Diario de Pcrnambiico-- Sexta- feir 1S Junho de 1886



Direi
a este
te
t
ASSEMBLA GEilAL
CMARA OOS DBPI'TADO'
SESSO EM 1 DE JUNHO DE 1886.
PRESIDENCIA DO Sfc. ANDRADE FIQUElBA
(Continamelo)
O reparo que o nobre deputado fot t'oi
simplesraeute quanto aos prazos.
rauito rpidamente o que pens
respeito.
Longo de entender que os prazos foram
curtos, julgo que alguna delles foram por
demais longos, tal foi o prazo dado aos
possuidores de apolnea, residentes no ex
terior. Este prazo ainda nao est tiudo,
deve terminar no da 8, e o decreto foi
publicado em vs-.rias pragas da Europa,
antes do da 26. Quanto aos prazos mar-
cados para o Brasil, se houvesse reclaraa-
goes, o nobre deputado poderia ter urna
apparencia de razio; mas, desde que a
converslo foi acaita geralmente, se acaso
u tivesse erra lo, ainda assim o resultado
me absolvera, poie que ninguem se julgou
vexado.
O Sr. Affonso Celso Jnior : Os pra-
zos foram marcados antea que o nobre mi-
nistro timase certeza do xito da operlo.
O Sr. Francisco Belisario (ministro da
azenda) : Se a converslo nao timase
sido aceita geralmente, talve me fosse
preciso defender-me desta aecusaglo ; mas
o resultado da operaglo absolve-me, e in-
til dis-util-a desde que ninguem vio nel-
la offensa aos seua direitos.
O Sr. Affonso Celso Jnior d outro
aparte.
O Sr. F. Belisario (ministro da fazenda) :
O facto faz desapparecer aecusaglo,
e por isso nlo me cumpre dar as razoes
que eu tinha antes da operaglo para mar-
car esses prazos ; fazl-o seria paro pra-
zer de argumentar. Maa direi sempre ao
nobre deputado : 08 prazos nao poderiam
deixar de ser marcados com algumas res-
triegues : aqui no Rio os possuidores de
apolices tiveram 15 dias, a contar da data
do aviso, so este foi tambar o prazo para
as provin.ias servidas pelo telegrapho, para
aa outras provincias foi iguulmente mar-
cado o prazo de 15 dias, mas a partir da
data da publieaglo do decret- na capital
de cada urna dellas.
Todos nos sabemos que em geral os
possuidores de apoliees residem as capi-
taes e cidades principaes; mas, se alguem
existissa que pudesse provar insciencia, o
governo estara de anteralo disposto a acei-
tar a sua rccLmacao.
V. Exc. dir: Porque nlo so o fez pu-
blico ? foi que o governo nao podia afrou-
sar o rigor dos prazus, nao devia preve-
nir este facto desde logo.
O Sr. Affons Celso Jnior : Os pra-
zos foram urna redundancia, porque esto
marcados em !ei.
O Sr. F. Belisario (ministro da fazen-
da):V. Exc. discutir este aBsurapto
o eu lh responderei.
Sr. Affonso Celso Jnior : Em oc-
casilo opportuna; e agora at cst)u me
admirando do Sr. presi iente nao fazer a
V. Exc. a obs'jrvacS-i que fez ao prece-
dente orador.
O Sr. presilente : Porque est res-
pondendo ao mesmo orador.
O Sr. Affonso Celso Jnior : Nlo es-
tou reclamando,"apenas estranho o facto.
O Sr. F. Belisario (ministro da fazen-
da) : Eu estara prompto a sentur-me e
a esperar s occasilo propna.
O Sr. Affonso Celso Jnior: Nao, se-
nhor ; nao digo isso.
O :r. presidente :-Pois eu farei ao
Sr. ministro da fazenda a mesroa obser-
vaglo que fiz ao orador a quem S. Exc.
responde : o assumpto nlo proprio des
ta diseusslo.
O Sr. Affonso Celso Jnior : Anda
terapo de fazl-o. ..
O Sr. F. Belisario (ministro do fazen-
da): Sr. presidente, eu nao posso dei
xar de dar urna resposta ao nobre depu-
tado, qu9 se referi a este assumpto.
O Sr. presidente: V. Exc, est em
seu direito de dar essa resposta, masa
dar com a mesma observaglo, que eu fiz
ao precedente orador.
O Sr. Affonso Celso ^Jnior d um a-
parte.
O Sr. Belisario (ministro da fazenda):
Besumirei para obedecer intelligencia
que V. Exc. d ao regiment, mas devo
terminar este poDto.
Senhores, devo lembrar ao nobre depu-
tador que me bonrou com o seu aparte,
que nos primeiros tempos, quando se fize-
ram as primeiras conversoes, no seculo
passado e cornejo deste, os praoa foram
realmente longos ; maa sabemos que algu-
mas destas coversSes nao produziram re-
sultado, falharam. ltimamente os prazos
oram restringidos e os ltimos foram mais
curtos do que os do Brasil, nao se tondo
em considerado alguma os possuidores de
fundos pblicos, residentes no exterior:
cada paiz regulou simplesmente para os
possuidores dentro do mesmo paiz
Nos tizemos mais do que isto : atten-
dendo a que ha urna grande quantidade de
possuidores de apolices que residem na Eu-
ropa temporaria ou definitivamente, fize-
moa excepclo em favor desses, dando-Ibes
um prazo que realmente foi longo.
Quanto aos possuidores que residem no
Brasil, estou certo de que hoje, depois de
feita a conversao, embora o facto causasse
alguma impresslo ao apparecer, impresslo
de que alguns jornaes se fizeram echo, foi
isso devido a nao terem os meamos pos-
suidores reparado bem as circunstancias
do facto. Estou certo de que nenhum dos
possuidores de apolices deixou de fazer a
conversao por serem pequeos os prazos,
e que isso nao os contrariou em cousa al-
ga.
Um Sr. Deputado: E podiam reclamar
dopoia. 3gU
O Sr. Francisco Belisario (ministro da fa-
zenda): Certa raante.
O Sr. S. Mascarenhas:-Excepto o
mais felzes, que as venderam as vespe-
raa.
O Sr. Francisco Belisario (ministro da
fazenda): -Mas felizes por que ? Nlo com-
preheido.
O Sr. S. MascarenhaB:Nao tena o que
comprehender.
O Sr. Francisco Belizario ("ministro da
faaenda):Porque mais felizes?
O Sr. S. Mascarenhas : -Podiam sa-
ber das operacoes |lo governo por exem-
pl*.
O Sr. Francisco Belisario /ministro da pora desempenhar aquelle /luerar e no
..J.v Ak I T.,. i. ____________:- !_.: /
fazenda): Ah lato o que eu quera
que V. Exe. dissesse. Asseguro a V.
Exa. que ninguem, ninguem aoubo da ope-
racio de que fallo sanio no dia se affeetnau. V. Exc. 'pode indagar e pro-
curar informales de quem quer que seja.
Era isto o que eu quera que V. Exo. dia-
sessa para reaponder-lheninguem, nin-
guem soube antes de ter o decreto publici-
dade.
O Sr. S. Mascarenhas: -E eu creio iuu-
to n palavra de V. Exc.
O Sr. Francisco Belisario lministro da
f iz'iida): Sim, sanhor, e eu Ihe ugradego;
sei que V. Exa. incapaz de duvidar
della.
Ainda sobre o mesmo assumpto, respon-
do ao aparte de V. Exc. dizendo : a con-
versao estava annunciada na lei do orca-
uaento, foi annunciada pelo governo quan-
do fez o ultimo emprestirao interno : nao
podia ser antes, porque infelizmente o pre-
go das apolices em reheo a esso empresti-
mo era offerecilo em paridade ao juro das
apoliees ; mas quando alguem soube que
estava reaolvida a operaglo da converslo,
soube-o todo o mundo.
O Sr. S. Mascarenhas : Eu mesmo vira
tambe m a saber isto pela bocea de V.
Exc.
O Sr. Francisco Belisario (minstro da
fazenda): E' por isto que dou esta expli-
caglo ao nobre deputado.
Se o prazo para a conversao daa apoli-
ces osse longo inquestionavel que todos
os especuladores e fabricadores de empre
zas haviam de explorar o sentimento de
despeito da parte dos possuidores das apo-
lices afim de atrahir, para ellas, os seua
capitaes.
Ora, devia o governo fcilitir este jogo
de impresas impensadas ? Eis ah o mo
tivo por que de um prazo curto. E creio
que depois da primeira sorpreza, devida
um puco falta de conhecimento destes
negocioa do Brasil, ninguem mais recia
mou.
Sao estas as observacSes a que me res-
tringo em obediencia ao nobre presidente
da cmara, suppondo assim tarabem ter
satisfeito ao nubre deputado. (Muito bem).
Ninguem mais pedindo a palavra en-
cerrada a diseusso.
lo io sa proceder votacao recoahece-
se nao haver numero, ficaudo esta adiada.
Egotada a ordem do dia, o Sr. presiden-
te d a do dia 2 :
DISCURSO DO SR. DESEMBARGADO
PERtlRA DE LUUENA, NA SES-
SO DE 31 Dg MAIO.
O Sr. Lucena: Sr. presidente, a
vaidade farida, a ambiglo contrariada de-
pois de lougos mezes de incubaglo, acaba
de fazer exploslo no reciato augusto do
Senado. Por essas paiavras comegou um
dos s us mais eloquentes discursos o mou
nunca assaz pranteadn amigo, de Snudo-
sissima memoria, o Sr. conselheiro Jos
de Alencar, discurso era que elle tornou
patente, manifesta, a nullidade politica e
scientifica do celebre farcista que hoJ9 me
arrasta a ''sta tribuna.
O Sr. Candido de Oliveira: -- Farcista
nao proprio da representagao nacional.
O Sr. Sdva Ta vares: Nunca foi outra
cousa.
O Sr. Luceaa : Ainda nlo equiva-
lente ao que elle disse no Senado, cha nan-
do-me insensato.
O Sr. Alves de Araujo: V. Exc. man-
de retirar o tormo, ou licaremos autorisa-
dos a usal o.
(Ha outros apartes )
O Sr. Presidente :O orador fallou em
termos genricos, nSo se referi pessaoa
determinada.
O Sr. Lucena : Sim, Sr. presidente ;
fez explosao, arrebentou a crtera da ma-
ledicencia que all se a .ha encravada, ar-
remessando estilhago-. por toda a parte,
cstilhagos que felizmente voltaram ao antro
tenebroso de onde sahiram, sera ferir nem
de leve aquelles contra os quaes foram ar
remessados.
O Sr. senador Gaspar Martins teii adop-
tado o expediente de nao publicar os seus
discuraos, e eu hoje sinto grandemente essa
falta, porque quizera responder urna a urna
todas as arguiyes, e mostrar ao paiz, de
norte a sul, que elle um diffamador pu-
blico das alheias reputagoes, por tempera-
mento, por calculo e por habito. (Apar-
tes.) ^_
Eu me circumscreverei ao que consta
meei-o.
No dia seguate, toda a imprensa, con-
servadora, hb;r.l e republicana, bata pal
mas, applaudindo o acert da nomeagao.
A' noite, o Sr. Jayma de Almeida Cauto
era festejado em sua casa por quasi todas
as sociedades luteranas de Porto Alegre,
que, com msica trente e fogos de benga-
la, foram cumprimental-o.
O Sr. Silva Tavares: N^ssa manifes-
ucilo estiv--ram libertos importantes.
O Sr. Lucena : -Um ciiadSo que in-
dicado palo orgao da opposigao como o mais
competente para exercer o lugar de qua se
trati, e que o administrador chegado ha
poucos das na provincia, aproveita, no
m-inudo-o para esse cargo ; urna nomeagao,
que racebida jom tanto applauso pelas
peBsoas mais eminentes da cidade, pode,
porventura, comprometer a administra-
gao ?
Fallou tambem na nomeagao de um mo-
go para o lugar de desenhista da repart-
gao de obras publicas.
Quando eu passei por esta corte, de via-
gem para o Rio Gra ide do Sul, proeurou-
me urna senhora, viuva de um sarvdar da
patria, a qual se acbava morando em casa
do conselheiro Doria e igualmente em casa
do conselheiro Paranagu. Eu a conheji
na Babia. Fez-me ver as circumstaaoias
criticas em qua se achava~e pedio me para
seu filho um lugar na provincia que eu a
administrar.
Tomei nota desse pedido, e, ao chegar
provincia, entendi-me com o engunheiro
chefe da estrada de ferro de Porto-Alegre
Uruguayana para que este mogo fosse em-
pr-gaio naquella estrada.
Conheoi-o na Baha, dosempenhando um
lugar da conductor na estrada de ferro
central, ejulguei-o, portanto, habilitado pa-
ra exercer aquello cargo na estrada de
ferro de Pono-AI"gre Uruguayana. O
engenheiro chef disse-me que havia urna
vag i que podia ser preenchida por casa mo
go, vista do que telegraphei communi-
cando a sua nomeagao.
Em companhia de sua mili, logo que te-
ve a noticia de qua estava empregado, par-
ti a teve a infeliz e triste lembranga de
hospedar sa em palacio. No dia seguate
chegada d"sse mogo a Porto-Alegre, disse-
ne o engenheiro chefe da estrada: o mo
go nlo pode ser nomeado, porque falta lhe
urna carta, pelo menos de agrimensor, re-
quisito iodispeasavcl para qua tauha lugar
a nomeagao.
Sciente o mogo desta trate noticia e es
tando prximos os exame* di Escola Mi-
litar para os lugares de agrimensor, ello
(teclarou-me : Eu vou me apresentar, ist >
, vou sujeitar-me a exame para tirar a
carta de agrimensor.
Seuliores. um tacto tristisaimo. Desde
que se soube que esse mogo, qua se acha-
va hospedado em palacio, em companhia
de sua rai, pretenda obter o diploma de
ngrimen8or para ser encartado no lugar do
conductor da estrada de trro, o Sr. con
selheira Silveira Martina, com seus ami-
gos, fizeram contra elle urna horrivel ca-
bala paraute os examinadoras para que o
reprovassem. Nlo lhe valeram cartas que
levou do Sr. conselheiro Soares Brandlo,
nlo lhe valeram telegrammas dos Srs. con
sel lie iros Paranagu e Doria, o mogo foi
condemnalo e reprovado injustamente ;
approvando-se no mesmo dia um outro que
nlo tinha a uiiaima habilitiglo, que nlo
sabia fazer siquer a operagio mais simples
de arithmetica.
Por fortuna delle vagou o lugar de de
seohista na Repartilo de Obras Publicas,
e nao tive duvida em noraeal o. O Sr. con-
selheiro Silveira Martins diz que esse mo-
go nlo entende cousa alguma de- desenho,
mas eu affirmo a V. Exc. e a Cinara que
urna inverdade, que elle mais do qua
u.u desenhista, um engenheiro pratico, e
por mais de urna vez tive occasilo de pre-
senciar seus trabalbos como desenhista, o
ltimamente na ropartiglo onle exercia
suas funecoes, acaba da dar provas da que
um excellente engenheiro pratico.
Pergunto eu urna nomeaglo neatas con-
digo's pode ser censurada?
.Fallou tambera na remoglo no promotor
nco,
iraador
X
ro.
publico da capital. Sr. presidente, o pro-
motor publico da capital um mogo ho-
nesto e intelligente, mas de urna desidia
extraordinaria no cumprimento dos seus de
veres. Altn disto, elle estava em Porto
Alegre sob a presslo de amizades exigen-
tes dos chefes liberaes ; ou por motivo de
a cinco, duas das quaes recahirara era con-
seraadorea e tres em liberaos. Sem duvi-
da, S. Exc. refrase ao meu antesessor;
mas nlo ha da sua parte lealdade em con-
fundir as pessoas naa aceilaaoS-s que faz.
O Sr. Silva Tavares:Nam mesmo ha
lealdade na aaouslo, porque esses empre-
gadoa nlo tiuha-n prestado fianga, sondo
em grande numero emprdgados de fazen-
da. Eu hei de proval.o aqui exuberante-
mente.
O Sr. Lu:ena : Assevero cmara que
o numero dos demittidos nlo se eleva a
tantos, e, si, em 1878, quando o part lo
liberal subiu ao poder as deraissSes, como
o Sr. conselheiro Silveira Martins allega,
foram em raeaor numero, foi isso de/ido
ciocumstancia de qua apro/incia, desde
1872, estara na mansa e pacifica pisse de
S. Exc ''
O Sr. Miranda Ribeiro:Entregue pe-
los governos conservadores ao Sr. Gaspar
Silveira Martins.
O Sr. Silva Tavares : Apoiado.
O Sr. Presi lenta :Attanglo Que u
tero a palavra o Sr. Lucena.
O Sr Luceaa:Fallou tamben o Sr.
Silveira Martins no adiamanto do concur-
so para o provimento da caleiras de soien-
cias naturaes da EaaoU Normal, e, i'azen-
do espirito, disse qua eu era um barbar.)
em pretender dividir as materias dessa ca-
deira por outras cadeiras da mes na es-ola
Sr. presidente a Escola Normal de Por-
to Alegre est pessira tinenta organizada, e
asseguro a V. Exc. qua o ensino das
scieacias mturaes ah nullo, nullo na ex-
tenslo da palavra.
O Sr. Presidente: Declaro ao nobro
depuUdo que esto teruiaados os 3[4 da
hora.
O Sr. Lucena:Sr. presidenta V. Ex:,
que consulta a casa, ai me conaode proro-
gaglo da hora para concluir o meu dis-
curso.
O Sr. Presidente : Por quant >s minu-
tos ?
O Sr. Lucena: -Nlo posso marcar pra-
zo.
Alguns Srs. Daputados : -Pega por urna
hora.
O Sr. Preiidenta: Nlo posso consultar
a casa sobre urgencias sem limitar tempo-
Alguna Sis. Deputado : Pega li2 hora.
O Sr. Lucena : Entlo requeiro que a
casa me concada 30 minutos.
O Sr. Presidente : O nobre doputado
queira sentar se.
Consultada a cmara sobro a urgencia
requerida pelo Sr. Lucena, rasolve pela
affirraativo.
O Sr. Presidente : -O nobre deputado
pode continuir.
O Sr. Lu:en: Sr. presidenta, certo
de que o ensino de ^ciencias naturaes, como
j dse, era nullo na Escola Normal, pra-
tendi refrmalo, e neste sentido exped or
dem, mandando adiar o coneurso da res
pectiva cadeira.
Um dos raerabros da Aasembla Provin-
cial fez pissar um raquerinanto naquella
oorpiragao, para que eu informasse que
motivos tive para decretar tu adiamanto.
Respond que convinha crear na Es-
cola Normal urna cadeira do ligua italiana,
attento o grande desenvolvimeuto qua es-
tava tendo na provincia a immigraglo ita-
liana, existiado s na colonia Silveira Mar-
tins mais de 5,000 criangas, que esto sem
profeaaar habilitado para ensinar-lhea os
rudimentos da instrucglo primiria.
O Sr. Escrangnolle Taunay: E a pro-
vincia nlo se rao-ura re.onhaeila ao mov
ment inmigratorio.
UmSr. Deputado: -E' vordado.
O Sr. Escragnollo Taunay:Si nao
fosse a immigraglo, a provincia do Rio
Grande nlo valia tanto como vale.
O Sr. Lucena: Fiz ver Assembla
Provincial que do mesmo oodo por que s
h.tvia creado naquella escola urna cadeira
de lingua alleral, para qua houvess''ra pro-
fesores habilitados que ensinassem a lin-
gui verncula aos allerales, do mesmo mo
do dever-se-hia crear arabem urna cadeira
ue lingui italiana para o fin de preparar
profeasores aptos para ensinar os menores
italianos; mas, como cu nao dispunha de-
auti.risagao para augnentar a despeza, u.
eratidao em razio do favores recebidos, ou
dos resumos publicados no Jornal do Com- .. c '
mesmo por ser um espirito traco e nao sa-
7?iercio de hontem e de hoje, e ire respon-
dendo, urna a urna por urna das arguigdes
que me alo feitas.
V. Exc, Sr. presidente, se convencer
e bem assim a Cmara, que otenador Sil-
veira Martina de todoa os membros do
parlamento o mais incompetente para ferir
a reputaglo de quem quer queaeja, (Apoia-
dos.)
O Sr. Silva Tavares:Ha de fiear isto
bem provado.
O Sr. Lucena : Aquelle senador come-
gou o seu discurso por urna accusaclo tu-
tu e ridicula, isto inerepou me de haver
nomeado director da instrucglo publica da
provincia do Rio Grande do Sul, um ho-
rnera que nlo tem as habilitagoes necessa-
rias para desempenhar esse lugar.
O Sr. Silva Tavares; E, no entanto,
foi indicado pela imprensa liberal.
O Sr. Luce&a : V. Exc, Sr. presiden-
te, e a Cmara reconhecendo at onde che-
ga a intemperanga de linguagem desse ho
mem.
Havia apenas quatro dias qne eu tinha
assumido a adrainistraglo da provincia do
Rio Grande do Sul, quando li no orglo op-
posicionista, A Reforma, um longo artigo
increpando meu antecessor, Dr. Miguel
Bareellos, por nlo ier aproveitado os mri-
tos intellectuaes e a longa experiencia do
Dr. Jayme do Almeida Couto para oceu-
par aquello cargo-----
O Sr. Silva Tavarea :E' vordado.
O Sr. Lucena : ... cenaurando acre-
mente a nomeaglo feita, ainda que uteri-
na, para aquelle mesmo cargo de director
da Escola Normal.
Tomando em consideraclo o artigo e
verificado que a ncompatibilidade era ma-
nifi-sta, e sendo o Dr. Jayme de Almeida
Cont muito conhecido em toda a cidade
de Porto Alegre, onde goza de excellente
reputaglo...
O Sr. Silva Tavarea : -E'merecida.
O Sr. Lacena: ... pelos seus talentos
como medico distinctissimo, nlo tive duvi-
ber resistir, elle nlo podia naquella capi-
tal desempenhar, como convinha, o seu
lugar.. Remo vi-o para Jaguarlo, a quinta
cidade da provincia do Rio Grande do Sul
em importancia, onde ella, livre dessas peas,
desses embaragos, poderia continuar a sua
correira, com proveito para o paiz o para
si proprio. Nlo tive em vista outro fira,
acredite V. Exc, senlo conciliar os in-
teresses desse mogo com os do servigo pu-
blico .
Demis8lo do 3o supplente do juiz mu-
nicipal de S. Francisco de Paula da Cima
da Serra.
Senhores, esta accusaglo 6 ara falso tas-
teraunho que raa levanta o Sr. conselheiro
Silveira Martins. Eu nlo demitti o 3o sup-
plente do juiz municipal de S. Francisco
de Paula de Cima da Serra; quem o de-
mittiu foi o mou antecessor, o Sr. Dr.
Bareellos, e demittiu muito bom, porque
em primeiro lugar, elle nlo tinha prestado
juramento do cargo, e, em segundo lugar,
nlo o tinha exercido durante seis mezes.
E' verdade que dessa decislo recorreram
para raim allegndose que esse supplente
do juiz municipal devia ser mantido no seu
lugar, porque, ai elle nlo havia exercido
o cargo era isto devido s circumstancias
de nlo lhe ter o immediato passado o ex-
ercicio.
V. Exc. o a cmara, que tm conhe-
cimento peifeito da reforma judiciaria, sa-
bem perfaitamente que os supplontes de
juizes municipaes esto simultneamente
em exercicio,, cooporam com o juiz muni-
cipal, todos conjunctamento. A allegarlo
nlo tinha razio de ser, pelo que mantive
o despacho de meu antecessor.
Demiasoes eos n. de 183. -Cento e oi-
teuta e tres, diz o Sr. conselheiro Silveira
Martins, com a sua voz de Stentor, foram
decretadas pelo presidente do Rio Grande
do Sal I Senhores, outra inverdade do
Sr. conselheiro Silveira Martins ; todas
as demissSes por mim decretadas, na pre-
da em aproveitar-me de suas habilitagoes 1 vincia do Rio Grande do Sol, reduzem-se
reforma qua projoctava toraava a providen-
cia de, provisoriamente, encarregar o ensi-
no das scienciaa naturaes s cadeiras res-
tantes. Assim eu conciliava todos os in-
teresses.
Bem sei que qualquer das partes das
scieacias naturaes sutfieienta para oceu-
par a vida intelra de um homem, que ao
estudo dalla so queira entregar; mas com-
prehende V. Exc Sr. presidente, que en
einar simples ruJiraeutos e difinig3es, as
nossas escolas normaes, slo cousas que es-
to ao alcance de qualquer illustraclo me-
diocre .
Eis aqui o facto que fez encher de hor-
ror o Sr. conselheiro Silveira Martins, a
ponto de qualificar me de Brbaro.
Disse mais : que eu havia esbanjado os
dinheiros pblicos da provincia.
Sr. presidente, o Sr. conselheiro Silvei-
ra Martins alo medita naa paluvras que
profere, falla segundo as sues paixues e os
seus odios; S. Exc. nlo est preso por
lago nenhum moral, porque se estivease de
va ser muito acautelado em tudo quanto
dissesse, e, sobretudo, em render culto e
homenagen verdade.
Eu presid a provincia do Rio Grande
do Norte; nesta casa exiatera dignos re-
presentantes della, que podem dizer si, no
curto lapso de teropo em que a administrei,
exvasiei os seus cofres, esbanjei os dinhei-
ros a elles recolbidos.
Na rainha provincia...
O Sr. Rosae Silva:Fez urna adminis-
traglo muito Brilhante. e(
O Sr. Lucena : ... posso dizer a V.
Exc sem medo de ser contestado, encon-
tr! a divida passiva elevada sohaina de
3.600:0005 e a reduz e 2.500:0005.. .
O Sr. Rosa e Silva::... fazendo obras
importantissimas (apoiados), como podara
disso dar testemunbo todos os meus colla
gas daquella provincia.
O Sr. Tarquinio de Souza : A minha
provincia tirou da administraglo do V.
Exc muitas vantagens.
O Sr. Lucena : Em relaglo Bahia,
invoco o teatemunho de seus dignos repre-
sentantes para que digara, se jamis es-
banjei os dinheiroa pblicos d'aqualla no-
Lre provincia.
O Sr. Araujo Pinho : Foi um dos mais
dignos presidentes que tem tido a Bahia.
(Apoiados.)
O Sr. Luceaa : E ae eu fosse largo de'
mos, como se custuma a dizer, na pro-
vincia do Ro Grande do Sul, deria abs-
ter-me desse defaito para bom corresponder
confianga do digno presidento do conse-
lho, as promessas por ella feitas no Sanado
de que mandara para aquella provincia um
presidente que, econmico e procurasse
promover o seu engrandecimiento. ,
O Sr. Alencar Araripa : E mandou
um muito digno.
O Sr. Lucena : Eurae persuada, quan-
do fui nomeado, e em vista de um discur-
so que li do Sr. Silveira Martina, qua a
provincia do Rio Grande do Sul estava li-
vre de dividas, devido iaso influencia e
ao prestigio de S. Exc, como ella apro-
goava
O Sr. Silva Tavares: Est arranjado
Espere por isso.
O Sr. Lacena: Mas, crea V. Exc,
que passei por urna grande decpelo en-
contrando a provincia com urna divida pas-
siva superior a 3.400:0005, quando ) parti-
do liberal havia receoido dos conservadores
essa divida reduzida a 270:0000000 !
O Sr. Silva Tavares : Essa que a
verdade.
O Sr. Miranda Ribairo : E note-se
que nlo sa fez obra nenhum, nao ha nada
feito
O Sr. Silva Tavares : Apoiado.
O Sr. Lucena : Eu promov, poss> di-
zel-o Cmara, com os dados e com os
tactos o augmento das rendas da provincia
do Rio Grande do Sul; e tanho a con-
scancia de que, me releve a Cmara esto
rasgo de immodestia, a minha passagam
por aquella nobre trra deixou tragos qne
alo hlo de ser apagados ; e fiz mais em 6
mezes e dias do administraglo do qua fez
todo o partido liberal durante 8 annoa de
governo. (Apoiados e apartes.)
Diz so qua o director di fizanda pro-
vinaial no ultimo orgameato apresentou um
dficit, de cento e trinta e tantos contos.
lato precisa de explicacao.
No Rio Grande do Sul nlo se vota verba
para conservaglo do obras.
O Sr. Miranda Ribairo : Nlo ha.
O Sr. Lucena: Entlo disse ao inspec-
tor que j tinha feito seu calculo, que en-
cartasse essa verba da 133:0005000. Ello
respondeu-mo: mas assim eu vou aposen-
tar um orgamento desequilibrado.
Nlo haveado mais tempo de refazer a
obra que estava j feita, eu dissa aquelle
funecionario : aprsente o orgamento ainda
mesmo cora este desequilibrio.
Eis a razio porque o orgamento, ltima-
mente apreaen'ado, cont-n um dficit, de
133:0305000.
O Sr. Eufrausio Correia: M ia, sem
verba, como so fazia a reparaglo das
obras ?
O Sr. Lucena: Disso ainda S. Exc. :
o presideate da provincia, alm de es-
banjar os diaheros pblicos, interveio aber-
ta e decididamente no pleito eleitoral.
Eu vou provar evidentemente Cmara
ou raelhor, vou repetir aqui n'este recinto
o que disse dianta dos meus acusadora
no recinto da Assembla Provincial.
Nlo houvo ioterveugao no pleito eleito-
ral do preaidente da administraglo. Nuu-
ca naquella provincia so fez uraa eleiglo
mais livre, era qua fossera respeitados to-
dos os direitos; mas preciso, dizem,
apresentar factos.
Eu provarei -om a propria opposiglo,
cora as paiavras do seu orglo, qua, ainda
sob esta ponto da vista, o% Sr. conselheiro
Silveira Mirtina faltou conacientemante a
verdade.
Aasumi a administraglo da provincia
do Rio Grande do Sul no dia 28 de Setem-
b.'o. Eu era alli apregoado por ellea como
um Verres, como um homem para quem
nlo havia lei, para quem a lei era o arbi-
trio e a aua aupreraa vontaie. Demon8
trei, por urna seria de factos, que nlo
merec essa imputaglo, que nunca o me-
rec em qualquer das commiasoea que des-
empenhei. Durante dous mezes e raeio,
veja bem a Ca oara, sto at s vaspa-
ras da eleigao, o orglo da opposiglo s
tinha para mira ,paiavras lisongeiraa, e
nunca rae langou em rosto o mnimo facto
Je intervengao do pleito.
Queris, a prova ? Aqui eat um artigo
da Reforma em respoBta ao Conservador.
Eu s lerei o periodo que ntereasa (l) :
JV3o colla o pittoresco titula de um
artigo da folha efncial, em que slo, em
linguagem de garoto, injuriados os Ilustres
senadores Silveira Martins o Viscondo de
Pelotas, duas grandes glorias do paia e
cheles Ilustres do partido liberal do Impe-
rio, que sempre foram tratados com mxi-
ma distinecao 'pelos chefes do partido con-
servador.
Desde que a folha otficial, que tem a
responsabildade do governo, desee a urna
linguagem al e por semelhante forma se
desmoralisa, s poderiamos responder-lhe,
responsabilisando por seus desmandos o
presidente da provincia, que deve ser o
supremo director da imprensa otficial.
E este todo o fim desse manejo do
Conservador.
Aggride em linguagem de garoto os
grandes Jchefes liberaes para ver se nos
chama a campo contra o Sr. deserabarga-
dor Lucena...
Pois nlo lhe taremos a vontade.
A' palavra loucas, orelhas moucas.
Nlo quer isto dizer a Reforma nlo che-
gara a censurar actos de S. Exc, porque
isto depende da conducta do presidento ;
maa por suggestoes do intrigantes nlojhes
faremos a vontade. ...
lato se dava as vesperas da eleiglo.
Ah esto alguns dos candidatos liberaes
qua podem ser interrogados. Nunca recebi
do Sr. coaselheiro Maciel, dos Srs. Drs.
Diana o Itaqui a menor reclamaglo contra
o procedimiento do Governo em relaglo ao
pleito eleitoral. Apenas os Srs. coronel
Salgado e conselheiro Camargo me vieram
pedir providencias, e eu aa dei promptaa e
completas.
Quaes foram as provideucias pedidas
pelo Sr. coronel Salgado, candidato pelo
2. listrios da provincia ? A retirada da
torga policial e substituiglo d'ella por ou-
tra, porque dizia o reclamanteo destaca-
mento estava insubordinado, era um ins-
trumento de violencia as mos de seus
adversarios. Imraediataraente fiz substi
tur todas as pragas, meaos o sargento.
No dia seguate, veio o Sr. coronel Sal-
gado pedirme a substituiglo do sargento, o
eu promptamente decretei-a.
vice-presidente da Cmara Municipal
daquella localidade, o delegado de polica,
o supplente do juiz municipal e outros ci-
dadlos eleitorea rae raoresentaram contra
a casa que servia do pago municipal, por
nlo ter as accommndacoes neessaras para
prestar-se para o processo da eleiglo ; e,
demr3, que urna parte della era habitada
pela familia do che e liberal, que CDatuma-
va ter ah capangas e pessoas capazos de
intervir mo armada no pleito, e p'diara
por essa razio que eu designassa outro edi-
ficio. Attendi reclamaglo.
Ao aaber o Sr. coronel Salgad que eu
tinha designado outro edificio para nello
ter iugar o processo da eleiglo, veio pres-
suroso a pilacio; poz as ralos na cibega,
e decliri.u que essa medid i ia prejudical-0
grandemente, qua en houvessa de mudar
da resoluglo, do modo que o processo elei-
toral tivesse lugar na casa contra a qual
me haviam reclamado. Contrariando os
iuteresse-s de amigos e do candidato con-
servador daquello distrioto, reviguei o mau
acto, e raand qua sa procedesso elei-
glo no edificio anteriorm eate designado.
Diz mais : que eu mandoi destacamen-
tos para diversos pontos da provinaia, para
que estes ntarviesaem no pleito.
Senhores, foram tres os destacamentos
que eu mandoi para tres poatos da provin-
cia : um para S. Francisco de Paula de
Cima da Serra, outro para a Eacruzilhada,
e o terceiro para Santo Antonio da Patru-
lha.
Porque mandei ura destacamento de 20
pragas de linha pira S. Francisco de Pau-
la da Cima da Serra ?
Porque o proprio candidato liberal re-
clainou esta provideneia, como ello proprio
confessou. quer em artigas publicados na
Gaz ta Liberal, quar na Assembla Pro-
vincial, peranta o teste.nunho dos candida-
tos conservadores qua o chamavam para
este terreno.
Veja V. Exc. e a cmara como ello ae
vangloria cim ter obtido da administraglo
ecta acto de neutralidade como ello cha-
mava.
E' ergio liberal quem falla :
O Exra. Sr. desembargador Lucena
mandou retirar o destacamento policial que
estava em S. Francisao de Paula de Cima
da Serra, mandou tambora processar e de-
raittir o sargento qua commandava o mes-
rao, e noraeou um oficial capaz e homem
serio para commandante da sccglo policial
daquella localidade.
Hontem ainda defenda o Exm. chefe
serrano a polica de Ci na da Serra, o dizia
que tudo quanto a imprensa denunciara
era invenglo nossa.
< E, entretanto, j estavam tomadas to-
das aquellas medidas e o Conservador nlo
podia ignoral-as. >
Cumpre confesiar que anda sera sor-
te i> gente do Conservador; mas tudo isto
consequencia das demasas a qua os ar-
rastou a embriaguez do poder, emquanto
governava a provincia o Dr. Miguel R.
Bareellos, sam responsablidadn propria,
sera reputaglo a zelar e sem conhecimen-
tos administrativos.
Felizmente o Sr. desembargador Lu-
cena tem at ag ra mostrado consciencia
de sua alta raisslo, pautando seus actos
pela justiga e pela lei.
Em S. Francisco de Paula restable-
cer se-ha a ordem o tu lo voltar aos seus
eixos, gragas s acertadas medidas que S.
Exc. tomou.
Veja V. Ex;, o elogio que aqui me teco.
Dias depois, esse mesmo candidato foi
dizer-me que nlo estava contente com a
substituiglo das pragas, e que, para segu-
ranga de seus amigos, eu raandasse para
alli um destacamento de linha commanda-
do por um official de linha, o qual devia
aer nomeado tambem delegado de polica.
Eu respond: Deliro o seu pedido em
parte e era parte nlo ; isto eu ruando
substituir a forga policial por ura destaca-
mento de linha ; mas nlo nomeio o com-
mandante della daln^ado de polica, e nlo
nomeio, nlo s porque nlo racoohego ne-
cessidado dessa providencia, como mesmo
para convencel o de que os senhore8 pro-
codem aam razio, propondo, no projecto
de fixaglo de forga policial, a auppreaslo
de todoa oa officiaes e a substituiglo des-
tes por sargentos.
Um Sr. Deputado: Desorganisando to-
do o servico.
O Sr. Lucena: O segundo destaca-
mento que mandei foi para a Eacruzilha-
da. E, para nlo tomar tempo cmara
em 1er, eu entrego a todos os meus colle-
gas, que quoiram apreciar oa fundamentos
desta providencias contra urna quadrilha
de salteadores que infestavam aquella loca-
lidade.
No dito artigo vinha publicado a segua-
te carta :
f A quadrilha capitaneada por Escoto
entrou na villa e acampou. Estamos em
sobresalto ; muitos alo os cidadaos cujas
vidas correm perigoa. As autoridades nem
urna providencia dio. Consta que urna
dellas foi procurar o chefe da quadrilha,
e pedido-lhe qua se retrasse para o Estado
Oriental, ao que este accedeu depois de fa-
zer mais algumas mortes.
a Appareceu o corpo do infeliz Bicudo
de Vargas no arroio ..ana Santa; a cabe-
ga nlo appareceu foi, decepada.
Eate infeliz aquello que a quadrilha
agarrou em casa da viava Margarida,
como publicou a Reforma o levou a p,
amarrado.
< Ainda nlo appareceu o cadver do
arrematante do passo do Marinheiro, mas
foi rarto com certeza ; ello foi agarrodo e
amarrado pelos salteadores vista de urna
porglo de pessoas, que oasuilmente passa-
vam urna tropa de gado nessa occasilo.
A familia procura-o por toda a parte,
sem duvida enterraram-o.
Nlo tem havido nom corpo do delioto.
c A populaglo est debaixo de pnico.
A quadrilha deitou contribuiglo : cavallos,
vaccas, gneros, tudo se lhe dcom rae-
do da inerte.
Onde estamos na ?
t J descremoa da* providencias "que ej-
peravamos do preaidente.
Eatas nhas dizem tudo: veramos o que
se far.
Foi urna providencia bem determiada,
porque, depois qu alli chegau o destaca-
mento, restabeleceu-80 o_socego, a tran-
quiliidade, e nlo se den mais nenhum des-
ses atintalos gravissimos que ainda hoje
deplora a historia daquella provincia.
(Continua)
Tfh D**ri; raa Duque da Carias n. 42

v.
~=i



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E40WKHGCI_TX86N5 INGEST_TIME 2014-05-28T00:28:29Z PACKAGE AA00011611_16607
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES