Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16604


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO Lili NHEBO 135
PARA A CAPITAL E LltiARK ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres mezas adiantados
Por seis ditos idem......
Por um auno dem......
Cada numero avulso, do mesmo dia.
60000
I24OOO
24^000
0100
TBRQA-FEiBA 15 DE JIO DE 1886
PARA DESTRO E FORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adianUdos.....
Por'nove ditos idem.......
Por um anno dem.....
Cada numero avulso, de dias anteriores.
130500
200000
270CO 01^0
DIARIO DE
NAMBCO
Parietal)* fre JHaiuel Jigurira t>t Jara JUIjo
TELEGRAMMAS
fi jaras* i. No meio de tudo, apezar d'este sea ex- ciado as comarcas do Brejo e Pesqueira,

1
)

I

sm.50 mmm so subi
RIO DE JANEIRO, 13 de Junho, s
11 horas da tnanha. (Recebido s 11 ho-
ras e 50 minutos da mantia, pelo cabo
submarino).
Con a tbida do Minittterlo do con -
elbeiro Juniiueira, deti-ae a oegulo
le alloraru :
conaelhelro Alfredo BodrtgaeN
Fernande* Chave paatsou .para a
pasta da guerra ;
Foi noneado Ministro da Marinba.
Dr. Samuel Wallace Mac-Duwel,
deputado pelo Para.
Fallecis o constelbelro Affonwo
riur de Almeida e Albuquerqne,
ministro de Supremo Tribunal de
lustlca*
RIO DE JANEIRO, 14 de Juuho, s 3
horas e 55 minutos da tarde. (Recebido s
5 horas e 15 minutos, pelo cabo subma-
rino).
Hoje. na Cmara dos Deputado. o
conselbeiro Belisario explicou a al-
lerarao que se deu no Ministerio.
Depois a Cmara prosegulo na .*
discusso do orcamento do Minis-
terio do Imperio.
Foram nomeados :
Presidente da provincia de Soyas,
e Dr. Iqk Silverio de abren Cruz :
Director ge ral dos correios da cor-
te. Antonio Jos de Abroo, senil o
exonerado o actual.
Foi designada a comarca deMa -
ga do Monteiro. na Parabyba. para
ella ter excrcicio o Jnic de dlreit o
bacbarel Mello.
Foram nomeados juizes de di-
reito i
Da comarca da Imperatrlz. no Ma
ranbo. o bacbarel Jos Jucinihu
Borges Oiniz ;
Da comarca de PedrolI.no Piauhv.
o bacbarel Jos Furtado de Meodon-

Da comarca de Molo, na mesma
provincia, o bacbarel Helvidio Cle-
mentino de 4gular.
ba comarca d Floresta, em Per-
uambuco.' bacbarel Areoncio Pe-
*r* Sli va.
i'iumbi'm nomeado -1." Juia sub-
stituto da comarca do Beclfe. em
Pernambuco. o bacbarel Antonio Pe
dro das Xeves.
:m: s* ^ml 2-7ls
(Espacial para o Diario)
MAD3 J, 13 de Janho.
.mi .Idele da Cmara
tremo rscato, diz se que Diana alabara por ser
sensivel, cstremecidamentc sensivel, aos encantos
de Endymio, e que to ardentemeate o amara, que
repelidas vezes baixava do cea trra para com
elle ter doces entrevistas.
Entre os numerosas templos, que o paganismo
lhe erigi, sobresahia p ficencia o sumptuoso templo de Epheso ; desta-
cadamente houve um perverso ou um doido, que,
nao padendo iazer transmitir seu no ne pste-
ridadade por acto algum glorioso, entendeu deve
immortalizar-se (aneando fogo aquella maravilha"
O templo ficou consumido (pelas chammas ; e o
nome do incendiario ficou effeet vaaaente assigna-
lado na historia, com a triste celebridade inherente
depravada natuteza do seu acto odiossimo !
Entre nos Evora ufana-se anda hoje de mostrar
aos seu visitantes, como elegante specimen dos
monumentos romanos em que abundo aquellau im-
portantissima cidade, unscuriosissimos restos, mui
bein conservados alias, de sumptuoso templo que
o paganismo erigi all casta deusa. As ruinas
do Templo de Diana em Evora constituem o que
resta de mais interesaante em Portugal com res
peito arte romana.
(Contina)
F*i -1 .-i i >
d .>* ;" : : :>
. Marios.
Junbo, tarde.
O ex l*ii da ulera l.uiz II acaba
de sairlaar- <*. precipitando-se no
lago de Mlarnberg.
BRUXELLA8, 13 de Junho, noite.
A maaifestac&o socialista que teve
lagar hojeen pro do sufTragio uni-
versal foi relativamente calma.
LONDRES, 14 de Janho.
O Sr. Gladstone publlcou um ma-
nifest eleitoral. no qual faz o elo-
gia da autonoma da Irlanda.
Agencia Ha^as, filial em Pernambuco,
14 de Junho de 1886.
Nota da REDAcgXo
O Principe Luitpold, profanado regen-
te do reino da B.viera, tio do rei e nao
irmao, como foi publicado.
INSTRUCCAO POPULAR
MYTHOLOGIA
(FJxtrahido)
OA BIBLIOTHECA DO POVO K DAS ESCOLAS
Apollo e Diana
i Continuando)
Tinha por comitiva um numeroso grupo de nym-
phas, as quaes todas tambem tmham previamente
renunciado ao casamento. Diana mostrava-se tio
zelosa da honeatidade de suas nymphas, que expul
son de sua companhia a nj mpha Calisto por ter
condescendido em acceder s suggestoes de J-
piter.
E to pdica era por natureza quetendo-a ea-
gualmrnte visto nua no bauho o cacador Actoon
Jogo a densa lbe castigon a mdiscripco, me t amor-
phsseaado o infeliz em veado; a'aqoi resultou
morrer Acteon devorado por seus proprioa cies,
que nio conheeiam j4 o dono sob aquella nova con-
JARTE 0FFIC1AL
Governo da proviucla
DESPAPHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 12 DE
JUNHO DE 1886.
Augusto Joaquim Cascao, Emilia Cavalcante de
Oliveirae Francisco Pinto de Magalhes.Informe
o Sr. inspector Ja Thesouraria de Fazenda.
Antonio Pereira da Silva e outro.Providen-
ciou-se quanto aa pedido.
Bacbarel Antonio Candido Correia de Araujo.
Encaminhe-se.
Major Amonio Francisco da Costa. Sim.
Antonio Joaquim Pereira.Deferido com ofhcto
ao Sr. brigadeiro commandante das armas.
Bacharel Antonio A. Coelho de ArrudaInforme
o Sr. inspector do Thes:uro Provincial.
Antonio Machado Dias.Remettido ao Sr. ins-
pector do Thesouro Provincial para mandar cum-
prir, em vista de sua informacao de lOdocorrente
n. 693.
Fielden Brothers e Manoel Paulo de Albuquer-
que.Indefer:do.
Jss Franklin de Alencar Lima.D-se a cer-
tidao requerida.
Solidouio Attico Leite. Remettido ao Sr. dilec-
tor da Colonia Orphanologica Isabel para mandar
passar a certido.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, em 13 de Junho de 1886.
0 porteiro,
J. L. Viegas.
Repartirn da polica
Secsao 2.* N. 593. Secretara da Po-
lica de Pernambuco, 14 de Junho de 1886.
Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram recolhidos na Casa de Deten-
yao os seguintes individuos :
No dia 12:
A' minha ordem, Marcelino Jos Couti-
nho, vindo da provincia da Parabyba como
pronunciado em crime de homicidio na co-
marca de Iguarass; Romoaldo Victorio
Rodrigues, vindo da provincia do Cear,
por estar pronunciado em crime de homi-
cidio no termo do Ex; Justiniaoo Bezer-
ra Cavalcante de Albuquerque, remettido
pelo delegado do termo do Brejo com des-
tino ao asylo da Tamarineira, pur estar
soffrendo de alieaacao mental ; Paulino
Antonio do Carino do Nasjimento e Agnel
lo da Cunta Souto-M*ior, como indiciados
em crime de roubo, disposicSo do Dr.
juiz de direito do Io districto criminal ; e
Pedro, escravo do Dr. Torquato Mead es
Vianna, por ter sido encontrado bordo
do v^por Espirito Santo, ssm passaporte e
som bilhete de passagem.
A' ordem do subdelgalo de Santo Au-
t mi, Jos Rodrigues da Silva e Justina
Maria da (JonceicSo, por disturbios.
A' ordem do do Io distrieto de S. Jos,
Manoel Paz io Monte Olilon, Irineu Joa-
quim Delfioo, Irineu Gimes Furtado,
Francisco Ferreira de Lyra e Lucia
Fran sca das Chagas, por disturbios.
A' ordem do do i distrieto da Boa-Vis
ta, Jeronymo R beiro de Olivara, por dis-
turbios ; Joo Antonio Pereira, por uso
de armas defezas ; Maria Thereza de Je-
ss e Antonia Maria da Conceiyao, por
embriaguez e disturbios.
A' ordem do do 2o district" daBoa Vis-
ta, Vi ente Coimbra da Silva, por crime
de tentativa de ferimentos.
No dia 13:
A' minha ordem, Pudro Alexandrino de
Araujo, por embriaguez.-
A ordem do subdelegado do Recife,
Gervasio Pires Ferreira, por disturbios
A' ordem do do Io distrieto de S. Jos,
Jlo Vhz Marinho da Silva, L-ounas Jo>
Evang lista, Pe 1ro Alves Pereira dos Sin
tos, Joao Izidio Pereira do S oram^nto,
lidio loro Jacob Santiago, Joao Antonio
da Silva, Amaro Antonio dg Chagas, Li-
berato Francisco Cortea de Araujo, JoS'i
Raymundo Nepomuceno, Mano 1 F^liaber-
to Ferreira das Chavas, Fran :8oO Gom-s
e Antonio Ferreira X vi r. por disturbios.
No dia 31 do in>-z ultino e uo lug .r
denominado Gr.iVitaziuho, io termo i-
Pesqueira, os individuos de oohks JoS >
Alves L-ite, Ant mi Del ir > d' Queir-'Z
e Manoel Al ves L it-, io* diram < cata
de r.sidencia do c.ipitao R.y liando P^r.-i
r de .oraos, e d.-pois d t-ut.reiu
tr a Luiza Groilherroio toni.i Maria da Luz, o* qu ie* prancaraui
diversos ferimentos, subtrah.r.mi dl'4noa
objectos e algum diabeico, q'i se achava
em urna mala, que toi arroiuba!.-t
Aos gritos das duaB mulheres aiudiram
dlguns paisanos, que conseguiram eflf-ctu ir
i. prisao do Antonio Delmiro e Joto Alves,
lendo Manoel L ite se evadido.
Um dos delinquentes, o de nome Anto
nio Delmiro,j goaa de celebridade napra-
lica de crimes e conforme confessou por
,oC'.'asiZo de ser interrogado, est pronun-
desta provincia, e no termo de S. Joao da
da Parabyba.
Contra os delinquentes procedeuse nos
termos do inquorito policial.
Comuiunicou-me o teaente Bellarmi-
no Pinto de Paiva, delegado do termo do
Buique, que no dia 4 do corrente, estando
a servico publico no povoado denominado
Gamelleira, effectuara a prisao do indivi-
duo de nome Manoel Per-ira Xavier, na
occasiao em que este por all passava con-
duzindo um cavallo, que havia furtado em
Alagda de Baixo.
0 referido individuo est tambem pro-
nunciado em crime de furto le gado, no
tormo de Floresta.
Contra o delinquente proiedeu-so nos
ulteriores termos da le.
Pelo delegado do termo de Pesqueira,
foi capturado no dia 2 do corrente o crimi-
noso de nome Joao do Carino, pronuncia-
do all no art. 227 do cdigo criminal.
Ao juiz municipal do termo da Glo-
ria do Goit, remetteu o subdelegado do
1* distrieto o inquerito policial a que pro-
cedeu contra Manoel Alves Bezerra o Ade-
lino Jos de Souza, por crime de ferimen-
tos.
No dia 5 do corrente assumio o cida-
do Esperidiio Pinto Correia, na quali-
dade de 1 supplente, o exercicio da dele-
gada do termo de Correntes.
- Tambem uo dia 28 do mez fiado as
sumi o capitulo Samuel de S Montenegro
o exercicio do cargo de delegado do tormo
de Floresta.
Por se achar pronunciado no art. 205
do cdigo criminal, foi hon'.em capturado
pelo subdelegado do 2- distrieto da Boa-
Vista e posto dispo8g5o do Dr. juia de
direito do 4- distrieto criminal, o individuo
de nome Jo3o Monteiro.
Pelo Dr. delegado do 2- distrieto da
capital, foi remettido ao juizo competente o
inquerito policial a que procedeu contra
Antonio Bibiano, conhecido por Hespanha,
por haver no dia 8 do corrente tentado fe-
rir a Pedro Celestino da Conceigo, m-
sico do 14* batalho de linha.
Deus guarde a V. Exc.illm. e Exm.
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leo,
muito digno vice- presidente da provincia.
O chefe de poli:ia, Antonio Domingos
Pinto.
Thesouro Pro vi acial
DESPACHOS DO DIA i2 DE JUSHO DE 1886
Bartholomeu & C.Informe o Contencioso.
Joao Cavalcante de Albuquerque.Registre-se
e facam-se as devidas notas.
Canuto Baseiano Ramos, Henrique Bernardes
de Oliveira, Irmandade do Santissimo Sacramento
da Boa-Vista, ollhio do Dr. chefe de polica e
Companhia Pernambucana. Informe o Sr. conta-
dor.
Francisco Podro Goncalv's Bezerra, laudino
Eustorgio da Souza e Emilia Edelalia de Albu-
querqu'.lieg stre-se u facam-se as notas com-
petentes.
Antonio Nunes Fer/eira Coimbra, Fonseca & C,
Gurgiano dos Santos Selva, cilicios do Dr. procu-
rador i.'oj feitOE, Guimaraes Fonsee.a & C. e Fran-
cisco da Costa Fofo.luorm- o Sr. contador.
Consulado Provincial
DESPACH08 DO DIA U DE JUNHO DE 1886
Balt.r Oliveira formac3-is da doutrina estabelecida pelo
Thesouro concerneate ao imposto do gyro
mercantil, os supplicantes nao podem ser
attendido e por esta reparticSo.
Flix Pereira d-* Souza. Infortuo a 1,
seceo.
Jos-phina Leopoldina de Albuquerque.
Deferido, em vista das informabas.
Pereira Carneiro
se c cao.
& CInforme a 2*
- 12 -
D Francisca Emilia de Gusraao Ferrei-
ra. Informe a 1' seccao.
Carlos Loureiro Comas & C. Em vista
das informacoes os supplicantes nao po-
dem s-r attendendos.
Francisco Forreira Baltar e Ignaeio
Marques do Espirito Santo. Deferido, era
vista das informabas.
Esmeralda Estephania Pessoa Braga e
Aatonio de Albuqnerque Machado. In
forme al* s^ccSo.
INTERIOR
correspondencia do Diario de
Pernambuco
PARAHYBA, em 11 de Junho do 1886
Nao t' 1o tido publicada a missiva que euvi-i
pelo vapor oasead >, devo attribuil-o a extravio.
Reuovo, pois, a noticia qu-> dei da re.lisaeao dj
contracto d^ novacao da divida desta provincia ao
Banco do Brasil.
Ja livf occ'tsiao de expir as condicoes onero-
n8siin8 s. b as qua-s to eontrahido o emprestimo
-in 1881 O capital primitivo era do "2VI:0 > o
juro d'- 8 /o o anno c >m ctpitalisacao semestral,
h nvirtisicao .nnual de 10 0|0 A execuco de*-
sas cUusu a toi -.ibstadn, aleude outr^s razo sfa-
eis d ii--ricobi ir, p ios uibaraQos tn-inceiros pro
duido < pelns desastrosas seccas que ass pr.ivnicia.
O crto pjrfin, qu- -in 'zpinbro do 1885 o
apitit da divid orcava ainda por 'OJ:000|. Os
jm-'H maiaiain ao uvulfalo -.i^annm > e.....
' 38: Wt E y\ se baviam pago 21:0KJ, p..r
i i,', dee piul 'juros. Qm si podia-se oonsi
ili-rar per Iwia a e-;i'iniei de ver extineta hs>i
n- i I i. que au^'i ene iv ais un iroament td.is os
aun .
Undo da aar.irisaei qua lhe'foi cjncedid<
p-'l I i i. orewB^nto vigfofc, Exm Sr. De
S 'uza B indeiru entrou em acord'como Banco do
rtrabil. e cibt-ve a uov i?ao qu r duida a e mrr.-
CtO em 14 do Ule". |> ignii o, j toi aqu publicada
pela f-ilha offi-.'ia
A divida f .i considerada paraljrsa Uem Des li-
bro d 1885, tim m ser pntfi d n'n 1. p>
1(1 annos, a con't de Jan- ir i di aoii > eoi
Deste modo foi ella eo.npuiali -m qu.n'ia pooc i
superior u 338:iXX>4, e, p >r eouu do- jurj<
terido praso, estipulouse o p jmenlo de 6.;OK),
o que elevou o total a 400;WJ| O paj;
deve ser feto por prest-icoe* ammaes de 40:OOUJ
restabelecendo-se as c>tn ncoes do i-ontrauto pri-
mitivo, si nao se verificaren! puntualmente.
Confrmeos clculos feitos pelo orn,a- afara-
hyba, houve em beneficio provincia a vanta
gem de eximir-se ao pagamento de 1!>4:000/,pois
seria esta a differenca euCre o valor agora estipu-
lado para a divida e o que ella viria a ter si su
tratasse de agal a nos dez auuos com as clausu-
las do contracto de 1871 Foi dispensada a capi
talisacSo ; em vez de pagamento semestraes, as
prestacoes sao annuaes ; ellas incluem o juro e a
amortisacao, sendo apenas superior em 15:0)0$
quantia que antes se devia pagar pelos juros ;
e finalmente a taxa do juro ficou reduzida a me -
nos de 2 %.
A primnira prestacao deve ser realisada em Ja-
neiro vindouro, e por conta dalla j se pagaram
10:000$, visto ter sido abonada essa quantia em
Marco ultimo para amor'.isacao dos juros devidos.
N'aquella epocha, portanto, a provincia, aoenas
ter de pagor 30:000$.
Poi urna op^racao vantajosa, e que deve ser
continuada com esforca e sacrificio, afim de liber-
tar a provincia de um co.norom.isso, que impedin-
do o progreaso de suas finanzas, ameae iva absor-
ver em poucos annss todos "i seus recursos Sai-
bam os successores do actual presidente collocar o
crdito da provincia cima de tolas as outras
preoceup.ic.oes !
Por acto da presidencia f declarado que,
em Julbo prximo, nao funccionariam bancas de
exame de preparatorios. S tero lugar os de No-'
vembro. Aquelles exames, efiectuados no meio
do anno, perturbavam a marcha regular do ensi-
no desafiando pretencoes deseabidas, que basea
vam suas esperanzas no eispenho e na condescen-
dencia.
Continua a ser mo o estado sanitario. Em
diversas localidades e mesmo na capital, tem-se
desenvolvido f'brea de mo carcter, e acompa-
libadas de vmitos. Alguna mdicos diagnosticam
febre amarella.
Tambem manifestam-se casos de beriberi. Em
Campia Grande e Independencia as tebres tem
tomado maiores proporcoes.
As chuvas apparecem com curta intermitten
cia, porem tem cabido com abundaucia en quisi
toda a provincia, e d'ahi a bumidade que vai con-
correndo para o dsenvolvimenco das molestias.
____PERHAfflBCO____
Assembla Provincial
41' SESSO, EM 19 DE MAIO DE 1886
PHESIDENCIA UO EXM. SK. Da. JOS MANOEL DE BABBOS
WANOEULEY
Summabio : Le i tura e npprovaco da acta. Ex-
pediente. -Rejeicao do requerimento
do Sr. Jos Mana sobro acontec -
mentos de Tacarat.Requenmentos
apresen'a^os e apoiados dos "Jrs. Jos
Maria e Juvencio Mariz.Dis:usso
do primeiro requerimeoto.Discurso
do Sr. Jos Mana.1" parte da or-
dem do dia.Coutinuac i da 2.a iis.
cussao do art. 2o do projecto de orca-
mento provincial.Leitura e apoia-
mento de emendas.Discurso do Sr.
Prxedes Pitanga.R-quecimento do
Sr. Jos Maria.2* parte daoriem
do dia. -ncerramcito da 1* discus-
so do projecto n. 55 dVste anno.
Adiamento da 2' do de n. 20 de 1884.
Final da sesso.
Ao meio dia, fe.ita a chamada e verificando-se
estarem presantes os Srs. Ratis e Silva, Antr.nio
Victor, Rodrigues Porto, Luiz de Andrada, Fer-
reira Velloso, Soares de Amorim, Joao Alves, Joao
de S, Lonrenco de S, Barros Wanderley. Bar-
ros Barreto Jnior, Juencio Mariz, Domingues da
Silva, Sopbronio Portella, Reg Barros, Visconde
de Tabatinga, Coeiho de Moraes, Jos Maria, Joao
de Oliveira e Costa Gomes, o Sr. presidente de-
clarou aberta a sesso.
Comparecera depois os Srs. R-gueira Costa,
Prxedes Pitanga, Julio ae Barros, Andr Das,
Rogoberto, Solomo de Mello, Baro lo Itapissuma,
Augusto Franklin, Costa Ribjiro, Gomes Prente,
Constantino de Albuquerque, Baro de Caiar e
Ferreira Jacobina
Faltam os Srs. Rosa e Silva, Goncalves Fer-
reira, Herculano Bandeia, c com participac^ o
Sr. A mar 1.
E' 1 da e sem debate approvada a acta da ses-
so antecedente.
O Sr. 1 secretario procede a citara do se-
guinte
EXPEOIEXrB
Um officio do secrtarii do governo, transmit
tindo urna infcrmaci do inspector do Thesouro
Provincial sobre a decretaco da verba de ....
1:4'('.'$000 para paga'nento de passugen3 a presos
pobre nos vapores da Companha Permmbueana,
de utubro Dezembro ae 1885.A' commisso
de orcamento provincial.
Outro do mesmo, dem, idem de 865403 de ou
tras, relativo* ao msz de marco ultimo. A' mu
ma comm'sso.
Outre do mesmo, idem, idem, de 41 "660 a sen-
tenciados viudos de Fernando de Norouba.A'
mesma commisso.
Outro do mesmo, idem, dem, de 87$llO de
transporte na estrado de ferro do Recife Li-
moi'iro, dorante o mez de marco ultimo.A' mes-
ma commisso.
Um petico de Gustavo Leziaseno Furtado de
Meudonca, requerendo um privilegio por 2o anuos
afim de montar urna fabrica para fazer estopa e
alcatifas, cim igen?i don impostos provinciaes e
direitis estabelecidos as Icis em vig ,r.A' com
misso de peticoes.
Outra de Jos Marcelino di Silva Braga e Ba-
silio G im-s Pereira Rodrigues, amanuenses da re
partiuo das Obras Publicas, reclamando contra a
dimiuuicao prop ista em seus vencimautosiA'
commis.- de orcamento provin nal.
Outra de Miiitana dos Santos Jorge, proprieta
ria da casa n. 11, sita oo Chacn, requerendo
iscncoes do que est a deverde decimas di mesma
casa.A' mesma commisso.
Outra de Jos da Cruz Freitas, alministrador
de sua nulher Mana G-rtrudes de Oliveira, re
querendo a restituyo de 378*364 que pagou de
mais de urna taxa de li ga llliss'l I.
Outra de Proc ipia Rosa de J-sus, requerendo
consig.-ac. da verba de 561000 do aluguel e
sua casa que serve de quartel na estrada da Tor
reA' ine-ma c"mmis-o.
Ootra de Hilario Urbano da Silva, escrivo do
jury da fijcadn, requerendo de nevo cousiguacao
da verba de 2:275$ -50, para pagamento do que
lhe deve a Camaia Mumcipal d'alli.A' commis-
so de orvam ato mun cipal.
E' lid', ap.iadoc approvado o seguinte reque-
rim -nto
Foi r-mertid i c nnmi-iso de legidacao^o
incluso requenme'itoem que Cardizo fi Irmo
ped.-m que na I i ... ore .ment provincial para o
prximo ex- rcicio se marque verba para a resti
tuici que a Jlles oi mandada fazer pela lei n.
1795 de 1882
\ co.ninisso propon que seja tal reqnenmen-
ti submeiiido no conlieciueuto da commisso de
orcaoento provincial, a qoein perteuce conhecer
d > a-uupto.
Pai,o 'a Assem >la Lei?isl .tiva Provincial de
iiboc, 18 de Maio de 1886 Cosca Ribei-
r.iphr.nii. Portella. -Doraingues da Silva.
-.i lid.s, ap idosjulgados objecto de deli-
b layao e v a im rimir ara entrareaa aa ordem
o ,* trat .Ihos os seguintes proje :tos, sendo dis-
.s da publicco em avulsos o de n. 84 a
reqneriineuto do Sr. Ratis e Sil-a, e o de n. 87 a
r. queruuento do Sr. Barros Barreto Jnior.
N. 86. A commisso de peticoes, aqiem foi pre-
sente a do coronel Decio de Aquino Fonseca, com-
mandante do c rpo de polica, attendeado a que
de de justica a concesso da licenca requerida
em vista do estado de mol 'stia gravo que accom-
metteu o referido coronel, conforme os documentos
inclusos, d-i parecer que se alopte o seguate
projecto :
A Assem'da Ljgislativa Provincial de Per-
nambuco resolve ;
Art. I. Pica o presidente da provincia autori-
sado acouceder uraanno de li :enci cjin seus ven-
cimentos ao> coronel Decio de Aquino Fonse :a,
commandante do carpo de polica, para tratar de
sua s tude oadi lhe for conveniente.
Art. 2." Revogam-3* as disposicoes cm contra-
rio.
Sala das commisjoes, 18 de Miio de 1835 Dr.
Ferreira Velloso. -Julio de Birros.
N. 87. A Assembla Lgislativa Provincial de
Pernambuco resolve :
Art. nico. 0 impisto de que trata o 30 do
art. 2o da lei u. 1 860, nio se enenie por cada
viagem, mas sim urna vez dentro do exercicio a-
nauceiro.
Revogadas as disposicoes em contrario.
Bala das seswjs, 19 i i .Yaio de 1886. -Barros
Barreto Jinior. -G. d-* Druinumd Filao.Reg
Barr isRidngu-s Poito.Soares de \morim.
X. 88. A Assembla L tgislativa Provincial de
Pernambuco resolve :
Art. 1. Pica o prisileuta da provincia autori-
sado a aposentar no lugar de contal ir da cmara
uuuieipal do R;cit', eom o ordenado correspou
dente a 15 anuos de servico prstalos na mesma
cmara e pea tabella d; en o a Joaqjim Tava-
ras Rodo val ho.
Are. 2. Ficam revogadas as dispo3coei oo
contrario.
Paco da Assembla Proviocial em 19 de Mno
de 1886G. da Druumind Filho.-P. G. de Ra-
tis e Silva.
Contina a discusso do nquerim-^ato do Sr.
Jos Mana sobre ac intciiinentos de Tacarat
Niuguem mais pedalo a pilavra, encerrada a
discusso e posto a votos o requerim meo rejei -
tado.
Vem a mesa, sao lidos e apoiados os seguintes
requerimentos :
R-queiro que pelos canaes competentes se
informe :
Se o governo tevi sciencia da violencia des-
communal de que foi vctima J. Thoinaz Caval-
cante, sendo obrigido a eaair-s i esta minn na
povoacao da Ponte dos iJtrviibis, sob a anear;i
de marte, que lhe fez o r-sp-'^tiVo sublelegali, e
aps urna surra da retis qur p-doi soldados lhe
tora dada por ordem do mesmo sublelegalo.
S. RJos Maria.
Requeii-o pelos canaes competentes as se-
guiutes info-inaeoes :
1." Se S. xc o Sr. vice-presidente da pro-
vincia teve sciencia dos ferim Hitos inirtae3 d-3
que foi victima a DTOQt da corpo lo pilicia de no-
me Custodia que se aeb iva destacado no Bebe-
douro ;
2.J Se procedeu a corpa de deicti o ao in-
qu-rito pilicial, e no caso i;fi-mitivo jml a au-
torilade que fez essas diligencia." ;
3." Q ia-sos aucas da crim-4, so existe pro-
c-'ssn o i|..al o e t-ida Ueit'. S. REn 19 de
ktaio de 1836.Ji'.vencio M iriz
Entra euj discusso o primeiro, fianlo o se-
gundo soore a mesa pira ser d scatili ojpartuna
meute.
(Canfn na)
DISCURSO DO SE. DEPUTADO GOMES PAKB-
TE, Na SES-iAO DE 14 DE MAIO DE ISS5
O r. Ioom Pacent (pela ord;m) diz
que acha razio da parte diqujlles, de s us ol-
legas qu deuominavam o projeeto de orcaaiento
de 'n ni tro.
Efl' etivaoieute o orcamento com a cauda im-
lamus de menl\s, que i-ap>rtam aug a-nto de
desp-zas, j ff recidas e outras quo terii ain ia
de app irecer, ser lado o que quizerem, meaos um
orcam uto.
Ha ap -nos urna diffe renf;a ; e que se fosse
adopta o o projecto de o-jiminti dicimmissj
resoectiva, se.n augmento de despezt, con certez
o dficit desapparejia ; mas c icn as ein-n 118 que
se acham sjbre a mesa o desequilibrio auii-
festo.
' Desde logo, diz o oral >r, p >le asse^ irar qu->
sao inut-is essas autorisaces para acalle), es-
tradas, obras novas, que n> sao urgente), p.-rque
cortamente nao h .ver dinneiro para issi.
Isso a denota ficili tale e piuca escrpulo iu
decretaco das despezas publicas.
Em todo o caso convm 11 liar a discassa des
sis emendas al serem publcalas afim de se ao-
der votar cain conbejim nt-i de causa.
A ad >pca de ties mmIm alteram co-nplet*
me ite o piano da commisso de orcameoto, qu
teveavaidide de procurar equilibrara recolta
com a ilespeza.
Pirecia qu' j i era t-mpo, seni de retrograltr,
a.menisde ni se aug ne icar 1'so:. >s; nno
orador \& vai desaniman lo senli j at aceusal
de taita de patnotisno, de ret.gradi.
Mas como est bem com sua causciacia vai se-
gu ndo seu c unnh> sem larattea ai a* iajuriis
de que est sendo victima.
Apresenta seu requerimento de adiameuta es-
perando que s EME ADAS ADDITIVAS APKE>ESTAOAS AO UL-
TIMO ARTIGO DO PROJECTO N. 54 DESTE
ASNO (OBQaXBTO MUNICIPAL) EM SES
SAO DE UON'TEM.
N. 1 7 Oidecouber Fica a Cmara Miiici-
pal de Guyana* aurorisada a pagar o qu". dev:r
ao solicitador Francisco Leove^ildo de A-baquer-
que Miran lo pelas d fezi proluzilas u> tribu-
u*l do jury em pro! dos presis pobres.Soares d <
Arnorim.
N. 108 Onde cauber. A HispasiQa do art. 3 da
lei a. 962 de 14 de Novmbro do 1870, que eoafsre
ijdistinctameute s cmara municipaes a adm-
nistraco :e todos os cernterios existe ites em s u
respectivo municipio, fica restricta somonte aos
ceirnterias que as in i-mas camiras construiram >u
de futuro construirem.Soares de Anirunloi
de Oliveira. -Ratis e dvi Joao Alves Ferrei-
ra Velloso.- Julio de Barros.
N. 109. Fica acaman da cidade da Escala
autorisada a pagar de preferencia o que est a de
ver a Antonio Joaquim aada, de custas judi-
ciaei.Dr. Costa Gomes.
N. 110. Para ser enllocada onde melhor cmvicr
Fica a Cmara Municipal d' Limo:iro autorsala
a pagir de preferencia 103$ ai Dr. Antonia Tbi-
maz de Luna Freir, os quaes so-lhj devidas de
cuitas.Jos Maria.
N 111. Para ser collocada onde eonvier. Ficam
as Cmaras Municipaes de Gravat e Bezerros
autorisadas pagar de preferencia pelas verbas
Custas iudiciaes o que estao a dever aa Dr.
Joaquim Manoel Vieira de Mella Regueira Cos-
te. -Rodrigues Porto.
N 112. A'a disposicoes geraes. Ficam as C-
maras Municipes de Pa d'A'ho, Gloria di Goit
e Timbauba auta.isadas a pagar ao bacharel Joa-
quim Francisco de Arroda o que stiverem a dever
de custas.Rodrigues Porto.
N. 113. Fica a Cmara Municipal de Barreiros
autoriaadi a couceder a Pedro de Birros Wan-
deriey um abate nos termos da informacao da mes-
ma Cmara. -Luiz de Andrada.
S. 114. Fica a Casaara Munijip! de Seri-
nhem aatorisada a pagar a quantia que estiver a
deverde custas judiciaes ao olSsial dejustifaJTer-
tulianoFeij de Mello.Barros Baneto Jnior.
N. 115. Onde eonvier. Sero'applicaias amar-
tisacao da divida da Camaru^Miuicinal do Rjci-
fe pala comprado sitio Cacots as sobras que hoa-
verem as varbis de desp:za doraate o exercicio.
-Costa Ribeiro.
N. 116. Onde couber. De preferencia o qu; se
estiver a dever ao escrivo de paz de S. Liuren-
co di Mitta, Jos FranciscoTelha.. Ja3 Maria.
N. 117. A's disposQles geraes. Fica a Cmara
Municipil de Ciruir autonsadi a pagar o qia
estiver a dever de cu3tas- ai bieharel tstevo
Carnoiro Cavalcanti de Albuquerque Licerda e
ao escrivo do jury Antonia Rodrigues Bradleiro
Carvalhaes..Rodrigues Porto.
N" 118- Ficam as Camiras M aicipaes das ci-
dades de Mazareth e Bom Jardim autorisadas a
cont.actar com quem melhares vantaga :s offara-
cer, a cinstruccao de urna cisa de mercado em
cada um* daquellas ciiadas, m: II i;it: as saguin-
tes condicoes : '
11" O casto de cada edificio aa ser inferior a
10:000$. -43
2" Aa contractante psrtencero doos tercos
de tolos os impistos cabra 1 >s nos inesmas marsa-
J is pelo tempa mxima de 15 aanos, quando en-
tregar o edificio sem inlemnisaca alguma e em
perfeito estadj de conservadla.Herculano Ban-
deira. Dr. A. Casta Gain >s.
N. 119 Fica a Cmara Vluaicipal daRacifa au-
tariaada a pigar ae preferencia a quantia de
399$500 qu es'. a dever de cus: is a J) tquira da
Silva Carvalba.Ralrigues Porta. Riga Bar-
roa.
N. 120. Onie coab9r. A Cunara Municipal de
Bom Ja'dim pagar a Carlos Ferreira da Silva, es-
crivi do crime d'aquella comarca, a quantia de
351$530, que lhe deve de custas.Jos Maria.
N. 121 Fica a Cmara Municipal do Racifa
antoris ida a pagar as custas deridas ao Dr. juiz
de direito Adeliao Antouio de Luaa Freir. Ra-
tis e Suva.
M. 122. Para ser o'.I .cal i uas dispisicoas ge-
raes. Fiea a C un ira Municipal da cidade da Be-
zerros aut irisad* pagar ao Dr. Joiqiiin.VIa-
ni'd Pereira da Mello o que lhe estiver a dever
de custas, de preferencia outras.--Ritis e Silva.
t. 123 Fica a Cunara Municipal de Gimellei-
ra autoris*da a pigar a Francisco Maaoal, o que
estiver a dever. levando em cauta o que o mis na
lhe estiver devendo.Dr. Pitauga.
N. 124. Fica o presidente da provincia autari-
sado a aposentar com ordenado correspoodent; ao
t-mpa do eerviji que tem, o guarda municipal
Joao Pitta Vires, nos tTinos da informadlo
prestada pela Cmara Municipal. -Ritis e Silva.
N. 125 Dis;i >sicoes geraes. Ficam as C tala-
ras Municipies do R;eife, Espirko-Santa, Boa
Jardim e VictorU, autorisadas pagar o que esto
a dever a Jo< Juquim Pereira de Oliveira, Ma-
noel Olavo da R:gi Barros, J*s Franisco da
Souza Itera ninuense, Jos Miria de Oliveira,
Francisco J ia de Magalhes, Autonio de Mello
Vercisa, Ljz Cirdeiro Beuivides e Pairo F.'r*
r. de Albuquerque. Raga Birros. adrigaei
Port >.
S 126 Disposicoes ganes. Fica a (".unir
Munie pal da Vic'oria autorisad* a pagar o que
d-'ve castas i u ti i es, a J is Maria da Olivei-
ra.tiat<3 B ^ilva.
N. 127 Pica aCtmara Municipal de Bezerroa
autonsada pa^ar o que estiver a dever de cus-
tas ai eicr vi. Jos Miriuho de Hallanda Falco.
Regueira Casta.
N. 123. Onie coub;r. Da preferencia custas
que sao devidas ao Dr, Luiz Ridrigues Ferreira
de VIenezes Vaseaucelios do DiunvnauJ, 42J$00i).
Jis Mina.
N. 129 OiJe cauber. Fica a Caunra Mnaici-
pal de Tim nb* autorsala i p*gar ao bacharel
Julio Augusto de Luna Preire o que Iha stiver a
dever de custas.Joo da Oliveira.
N. 130 Fica a Cimir* Miuicipal de Panellas
autorisa la pagar o que estiver a dever ao capi-
llo Jos Matheus da Oliveira Gaimircs.Re-
gueira C >st.
N. 131. % novo pan cr collacad) onde coubar.
Por cada pivimeuti l$3i0. -Ratis e Silva.
S 132. Aa art. 72. Accrescauta se : ea Ca-
imn Minieipai da Bizerns pagar 3Jl$X>3 de
custas ao escrivi F-iix Macado da Ounh* Fran-
g.Laz de AnJrali J>i> de Oliveira.
N. 133. Kiea a Camiri Municipal de Bonito
aut iris 11 a pigir pala varb: Mistas ja lid irias
0 qae estiver a dever ais escrives Jesuini Eus-
taquio G i.nes e S'rgio Clem -utiui de Siuti-Miiar
e A o iquerque.R'gueira Cista.
X. 134. Fica n as Cunaras Maaicipaes da Re-
cife, Espir to-Sviti, .in Jirdiir e Viatara auta-
r si lis oagirera o qua esto a dever a Jos
1 laqui.n Pere a de Onveira, Manoel Olavj da
Ri^aBims, Jos Francisco da Sms* Itarami-
u-ose, Jo-e Minad; O ivair*, Francisco Jo3
vi ii;alliies, Antonio d; M lio Vercasa. Luiz C r-
dairo Benevides e Podro Ferrao de Albuquerque.
lie4 > Barros.
X. 133. Fica a Cunara Municipal de Bezerros
autonsii* a concedr a \I i aoel B -zerra Caval-
BaaCfl o .bite da 5* pirtesabra aimpartancia da
arcrnticii las nnp istcs munic:pies ao exerci-
cio d- 1884 1835.-Rgueir* Casta.
X 136. Sejun supprunidis taias as verbas
desti ia las pelas eamarn muaiauaes pira e-npre-
gal s dos c -miterios que nao taram f'itos exulusi-
vameuto expeasas das mesm*s camiras.Julio
da Barr is. -Soar s d; A noriin.
X. 137. Xn dispisicon genes. Fica a Cma-
ra Vluniaipal de Flires aut iris ida a pigir iLiu-
riudo Marques de Sauz o que loe estiver a dever
pelo jiist-nto dos presos piores. Ratis e Silva.
X. 13S. Xas disposicoas ger*esFie* a Cma-
ra Municipal da Qiipap autonsada a pigar
II io un Harmetto Gancdves da Oliveira a im-
iiirtincia di ili.-iii v'u; 1) li sua c*si, que
ervede cadaiae quirtel.Ritis e Silva.
X. 139 Xa i.gir cauc'nieii'a : Fici revirado
o art. 84 da lei n. 1,6 >7, de 19 da Junho le 1831,
e em vigor o art. 79 da lei > 1* da Oatubro de
1818.Rata e Silva.
S. 14*. Disposicoes genesFie i o presidenta
da provincia autori ado a adose otar, o n tolos
os vene ments, o ammuense da coatadaria da
Cinta Municipal do R 'cifa, Joaquim de Gauveia
Cordeiro. -Ruis e Silva
X. f4l. Oud i couaer.Fica a Camtra Muaici-
pil de Tuabib* autarisida a pagar oquedever
ao aolicitadir Francisco Leavigilda de Albuquer-
que Maraono, pelas defesas proluiJas ni ;ribu-
nal da jury, einprol das presos pob.-as'.oirs
da Amiritn. ,
. I4- Art. 16.Fie* aCansr* Miuicipalda
L mwiro autoiisida a pagar o que estiver a dever
de custas ao olficial de justici d* le le termo,
r'binaz Pires Ferreira -Rhlngies Porto.
X. 143 Aa art. 46Bom Jariim Pagar a
Jos Frincisca de So iza I iteraininense o qua se
lbe estiver a daver de ordenada de secretarioDr.
Costa G unes. .
X. 114- Fica a Cmara Municipal de (, iraaru
aatorisada a pagar ao alvina 1 > Javancio Ticiano
Mariz a importancia das custas juiici irias a que
direito, podando pira isso usar d verbaEven-
taaessi a verba especial for iusulfic'eute.Ra-
lis e Silva.
X. 145. Fiea a Cmara Municipal do Recife au-
torisada a pagar ss custas dvid*s ao juiz de di-
reito do 2 distrieto criminal, Dr. Aleliuo Antonia
de Luna Freir.Augusto Fraukiin.
N. 146 Fica concedido ao arrematanta das ira-
postas muniiipaes da villa da Pedra o abaifaento
de 501000 no exer icio le 1885 a 1886 Sajro-
nlo Portella.Antonio Vicwr.Caustantino de
Albaquerqae.
fTBiiff


Diario de PernambncoTerfa-feira 15 de Junho de 1886
H*



N. 147. Fica a Cmara Municipal da Pedra do
Buique antorisada a conceder a Leonardo' Buena
Le te Cavalcante, nm abate da terca parte do va-
lor da arrematacio por elle feita. Constantino
de Albuquerquc.Sopbronio Portella.
N 184 Ofi'ereco como emenda o projaeto n. 14
deste anno.Bats e Silva.
0 projecto a qne se reture esta emenda assim
concebido :
A Assembia Legislis* Proviaciei la Per-
nambuco resolve :
Artigo nico. A Calmara Mnicjpajl doiStecife
nda autorsada, eeguna f ruaos, a ajandaaapagar
desde i pelas sobras.dae etedKoa onsiguades
pelo art. 2 16 na. IL IV* VII da lea.-1862
de 31 de Agosto de 18B6, o qua astiver a dever a
Jos da Assumpco CawaJho* Maoaal Rodrigues
Chrysestomo, guardas Jacaea- aposentados, aendo
ao primeiro a importanaia deuja* trata o capitulo
3" art. 45 da citada iei a. 1862, a ao ultimo a
quantia a que tiver diieito deade a data em que foi
aposentado, continuando o pagamento da penso
deste ultimo a ser frita por conta de taes sobras
at o fim do eiercicio financeiro municipal de
1885 a 1886.
Revegadas as disposicoes em contrario.
Em 26- de Mareo de 1886.Rega Bacroa.
Amaral.Rodrigues Porto.
N. 149. Additivo. Fica a vamara Municipal da
cidade de Caruxr autorisada a dar um abate cor-
respondente metade do preco da arremaUcao
dos impostes da f recuesta de S. Caetano. no ejer-
cicio de 1884 a 1885, ao ex-arretnatante Francisco
Rodrigues de Sobral Campos.Juvencio Mariz.
N. 150. upprimam-se todas as disposicoes re-
lativas a abates.Juvencio Mariz.
N. 151. Onde couber. A Cmara Municipal -
Recife pagara preferencialmecte o que estiver
dever le custas ao escrivo BurgosGaspar
Drummond,
N. 152. Oade couber. A Cmara Municipal da
Escad^ pagar integral e preferencialmente dea-
tro do corrente exercicio o que estiver a dever de
custas aos escrives Antonio Carlos de Almeida e
Hylario Urbano da Silva.aspar Drummond.
N. 153. Onde couber A Cmara Municipal
Rio Formoso pagar integralmente e preferencia!
mente o que estiver a dever a Jos Ignacio dos
Santos, no corrente exercicio.Gaspar brum
mond.
N. 154 Onde couber. A Cmara Municipal de
Ipcjuca pagar integral e preferencialmente, no
corrente exercicio, o que estiver a dever de custas
ao escrivo Jos Genuino Feneira, neauzindose
para esae fim a ter^a parte da verba do 11 do
art. 13.Gaspar Drummond.
A commissao de redaecao, a querr. foi presente o
projeetc n. 93 de 1886, de parecer si ja o mesuio
aesiin redigido:
A Assembia Legislativa Provincial de Pernam
buco resolve:
Art. 1* Fica o presidente da provincia auton
sado a abrir os seguintej crditos supplcmenta
Ao 5 12 da lei do orcainento vigente o de 400
ao $ 5 o de 730 ; o 19 o de 33:790*; ao J
:;; u de ti:S2<5 ; ao 42 o de 14:461524; ao
79 o de 11:500,8.
Art. 2' Fica o presidente da provincia igual-
mente autorisado abrir crditos para as verbas
relativas ao subsidio e ajuda de custas do6 depu-
tados e publicacao des debates.
Art. 3." Fctmrevogadas as disposicoes emeon
trario.
Sala das commissoes, 14 de Junho de 1886.
Burros Barreto Jnior.Gaspar Drummond.
do
d
KKViSTA DIARIA
tosiaiblea Provincial Fuoccionou
hontem, sob a presidencia do Exm. Sr. Dr. Jos
Manee! de Barros Wanderley, tendo comparecido
oOSrs. deputados.
Lida a acta da sessao de 11 foi approvnda, de-
pois de orarcm es Srs. Jos Mara e Herculano
Baudeira, sendo rm seguida ipprovada a da re-
uniao de 12, sem debate.
O Sr. Io secretario prscedeu leitura do ee-
guintc exi edicnte :
Um oficio do Sr. depntado Dr. Scpbronio Euti-
quiniuno da Paz Poitella, communicando nao ter
comparecdo por incommodos de saude.Inteirada.
Outro da Cmara Municipal de Muribeca, acen-
sando a recepcao do oficio emque se Ihe cominu-
nicavabavir prestado juramento e tomado poose
do cargo de 1" vice presidente desta provincia o
Exm. Sr. Dr. Ign*cio Joaquim de Souza Leao.
Inteirada.
Urna peticao da Companhia de iebenbe, recia
mando contra o imposto que ihe Janeado no pro
jecto de orcamento provincia!. A' ccmmisso
de oxcacento provincial.
Adiarnm se, por ter pedido a palavra o Sr Pra-
xe es Pitangs, tres pareceres da commissao de
instmeeo publica, indeferindo as peticoes de An-
tonio Oudio de Oliveira e sua mulher Jisepha
Catbarina de Oliveira, Antonio Teixeira Pimeiitel
e um abaixo asignados de professore3 publie.s
contractados, bem como outro da nesmn commis-
sue. p r terem p> didu a paiavra os srs. Prxedes
Pitauga e Jote Maria, tambem indeferindo a pe-
tico de Jco Baj-sta Lusitano.
Approvsram-se quatro pareceres da con
di- inateneeae publica, sendo tres pedindo infor-
macoes relativamente ;.o requerido por Mariano
Teixeira da Costa C< c'.ho, Arfbur Octaviar o da
Silva Ramos e um j.baixo assignades de morado-
res no logar Ci-os. de Bezencs, e um declinando
para a cmmissao de orcamento proviutial, a pe-
tico de Th>mar Antonio Macie! Mmteiro; e fi-
nameute outro da commissao de legislacc, decli-
nando para a mesma ccmmisso de orcanii nto pro-
vincial a pelica de Jtfin Baptista Gomes Peuna.
Foi a impr mir, sob n. 100, um projecto prece-
dido de parecer da commissao de legislacuo, con-
tando pelo dobro ao capitao Antonio Francisco
Cordeiio de Mello, quando tenht.de requerer apo
sertadaria. comoempr gado rroviucial, o tempo de
gervico na guerra do Paragony.
Foi apoiadn, e ficou sobre a mesa afim de ser
ppi rtunninente discutido, um reqni lo Sr.
Joan de Oliveira sobre o servico da 2 seceo do
, ido Provincial.
Adiou-se de novo pels hora a discussuo do re-
querimento de informacoes sobre negocios de Igua-
rass, do Sr. baro de Itapissuma, que orou duas
vez 'S, fondo urna pela ordem, tendo tambem orado
o Sr. Gomes Prente.
Orn p*ra urna explicao o Sr. Juvencio Ma-
ri z.
Pipsou-se parte da ordem do dia.
O hr. Io secretario pela ordem leu um oficio do
secretario do governo, communicando que o Exm.
Sr. vice-presidente da provincia prorogou por mais
dez dias a actual s>-sso.Inteirada.
itiuuandoa 2* discussao do projecto n. 54,
d'este auno, foram appoiadas diversas emendas to
nltimo artigo, e dous requerimentos, nm do Sr.
Fe'reira Jacobina para se separar a emenda n.
108 afim de constituir projecto distincto, a qnSl
interpreta o art. 3" da lei n. 962 de 1870, e outro
do Kr. Prxedes Pitanga para ir dita emenda s
commissoes de leg slaco e de constituico e pode-
res afim de da parecer,
Depois de ser pror gada a hora por 80 minutos
30 a requerimunto do Sr. Ratis e Silva e 50 a re-
iiuerimento do Sr. Juvencio Mariz, e de terem ora-
do os Srs. Soarea do Aaiorim, Prxedes Pitauga,
Julio de Barrse Ferreira Jacobina, eneerrou-se
a discussao, nao se votando por falta de numero.
A o.-dem do dia : Ia e 2 partes: continuaco
da antecedente.
Serglpe e AlacnanTi vemos hontem fo-
lhas de Scrgipe at 6 e de Alagos at l do cor
rente. ... .
Da primeira as noticias sao destituidas de ta-
imase.
'__ Jas Alogoas prosegua em seus trabamos a
assembia provineial.
Fra nomeado promotor publico de ^amaragibe
obacharel Zacarias Horacio dos R is. _
O EalnUo-Pubcou se o a. 2 deste quinze-
nario, fondado e mantido por alumnos do Institu-
to 19 de Abril e orgao do Clob Litterario Diegues
Jnior.
Tragedia* ala aaecifeEst sendo distri-
buido o 4 fascculo des e romance, do Sr. Dr. Car-
neiro Villela.
Cornil^ Itinerario Rerrealivn
is 4 horas da tarde, luucciona esta sociedade, na
praca Conde d'Eu n. 28.
AaaaltaM. ferlmealas e roano Em
31 do mez de Maio fiado, e no lugar Gravatasinuo
do termo de Pesqaeira, Joo Alves Leite, Antonio
Delmiro de Qneiroa e Manoel Alves Leite, assal*
taraco, para roubar, a casa do capitao Raymundo
Ferreira de Moraes, ausente.
Depois de os assaltante terem ferido duas ae-
nboras, de nomes Luiza Guilherm na de Maraes e
Antonia Maria da Luz, s quaes escaparam de
aorrerem-lhee as ruaos, arrombaram urna mala e
dabi roubaram diverges objectoa e dmheiro.
Aos gritos das duas mnlheres, acudiram diver-
sas pesaoaa, qua conaeguiram prender Antonio
Delmiro e Joio Alves, logrando evadir-se Manoel
Leite. .
Antonio Delmiro confessou estar pronu ociado
as comarcas do Brejo e Pesqueia debta provin-
cia e no termo de S. Joio da Parabyba.
FalleeimentoPelo telegramma inserido
na rubrica competente sabe se ter fallecido na
efirte o coaselheiro Affunso Arthur de Almeida e
Albuqaerqa':, osiaiatio do Sopmaao TrJfceaal ue
Justiaa.
Hoeaaaa de ana as 70 anoos, nasoeu o conse-
Iheiro^ftmsa-jLrthar *m ortugal, e formou-se.
em scieneias jurilisaae sociaaa em lbd9, nara
cuidada de Duaiao Vaata prewincia que era a ana
patria por asaiaa diaar.
Entrando bem meo para a magistratera, de
que foiornamanto pele, ineireaa da seuaarac er,
p\,la nebrez-i doa seas aentiaaantes, pemm-hi
todos os estadios, at que, em 28 de Junhode 18<8
foi elevado dignidade de membro do Supremo
Tribunal de Justica. ,
Era fadalgo cavalhero da casa imperial e cava-
lheiro da ordem de Christc, do Brasil.
Deseance em par a sua alma.
Uiverno do Bivpado Diz a Aurora da
13 do corrente, que, de 1 a 9, foram passadas :
Proviso de vigario para a freguezi dfl S. Jos
da Lage, era Alagoas, por tempo de mais um annu
a favor do Rvd. Francisco Joaquim da Silva Bar-
bosa.
dem, de coadjutor para a freguezi de Agua
Preta, nesta provincia, por tempo de mais um
anno, a favor "do Rvd. Sesostres Abdon Freir de
Carvalho.
dem. dcir. para a freguezi da S. JoSo do Ca-
riri, na Parahyba, a favor do Rvd Herculano
Xavier da Rocha, por tempo do um auno.
dem, idem. para a freguezi de Santa Luzia do
Norte em Alagoas a favor do Rvd. Jos Texeira
de Mello, por tempo de um anno.
dem, de uso de ordens, a f*vor do Rvd. Flo-
riano Belmiro da Costa e Silva, residente em Pe-
nedo: por tempo de mais um anno.
dem, de confessor, a favor do Rvd. conego An-
tonio Domingos de Vasconcellos Arago, residen-
te em Pao d'Alha nest i provincia, por tempo de
mais um suco.
Ubcrtacao de axosenarloa Das
relav-oes reim'ttidas pela Reeebedoria de Rindas
Geraes e publicadas pelo Dr. juiz de orphaos,cons-
ta que icham-se livres no municipio da capital,
por forca da lei de 28 de Set-mbro do anno pas
sado, 944 escravoe, sendo 626 maiores de 65 an-
nos e 318 de 60 a 64 annos de idade.
Os priine:ros continuarlo em companhia de seus
ex-senhores, que sero obrigados a alimental-os,
veati!-os e trata!-is em suas molestias, usufruindo
os servicos compativeis cem as forcas delles, sal-
vo su p^efenrem obtr em atrtr* prteos meios de
subsistencia e o Dr. juiz de orphos os julgar ca-
pases de o fazer.
Os que tiveiem 60 annos completos tica ni obri-
gados a titulo de indemnisacao pela sua alforria,
a prestar servicos a seus cx-senhores pelo espaco
de tres annos. .
Os que foram maior- s de 60 e menores de 6
annos, logo que completarem esta ilade, nao serio
sujeitos aos alludidos servicos, qnalquer que seja
o Umpo qu-i os tenham prestado cem relacao ao
praso cima declarado.
Captura Foram presos:
Pelo subdelegado do 2- dist:icto -3a Boa-Vate,
J 4a Monteiro, pronunciado no artigo 205 do cdi-
go criminal.
Pelo delegado do termo de Buique, Manoel Pe-
reira Xavier, pronunciado em e-rime de furto de
gado no termo de Floresta.
Pelo delegado de Pesqueira Joio do Carmo,
pronunciado no artigo 227 do cdigo criminal.
Paquete Eapirllo-Sanio Depois de
devidamente vistoriado, foi t pado o rombo que
reeebeu no lado direito do casco o paquete Rspi-
rito-Saiito no acto de entrar pela barra, no sabba-
do ultimo.
O paquete chegou ter no interior 18 ps
d'agua, que j foi esgotada.
Para tffeutuar-sea reparacio foi mister alijar o
navio n;io s da carga, como do lastre de peers
que trazia e do carvo que continha.
Talvez que potsa elle seguir amanba saa via-
gem para o sul.
OllndaRemettem-nos daquclla cidade em
data de 14 do corrente :
Hontem exhibi se o Sr. D. Mximo Rodr-
guez perante o publico olindense, conforme fra
tionunciado.
Realmente o homem das Arabia*. Fez cou-
sas do arco da velha, tal qual como prometteu no
seu chistoso programma. Pde-se afirmar que
no genero o que ha de melhor : pois apezar da
iuverosimilhanca de muitas das aortes que annun-
ciara, fel-as tao limpamente, que excedeu muitis-
simo a espectativa das cento c tantas pessoss que
compareceram ao theatrinbo da Melpomene Olin
dense E' esensado Ihe dizer qne depois de ter
provado tanta forca uinguem quii aceitar o desa-
fio da quedinhade corpo, ninguem para tal fim se
apreseutou. Consta-nos que no domingo prximo,
se tizer bom da o Sr D. Max-mo, em espectculo
ao ar livre no largo do Carmo, estacar urna ou
duas junt s de bois, por mais bravos que elles se-
jam e por mais ferradti9 que Ihe deem. Olhe que
j ter forca I No entanto, D. Mximo quasi que
nao come.
Muiti lividecido Ihe ficarei ee amanh der
esta noticia na su Revista Diaria.
Amtorlarao Lisa Operarla Pernam
huraasta associacio procedeu no domingo
13 do corrente elcico dos membresde seu con-
bc'ho administrativo, que ficuu ansim composto:
Presidente -David Francisco Gentil.
Vice-presidenteFirmino Raphiel de Paiva.
0 SecretarioJoa P. de Figueiredo.
2* SecretarioManoel Augusto da Fonaeca.
Pr 'motorJoao Hircano Pedrosa.
Thesoureiro Menandro Eduardo Muhlert.
ProcuradorElias Emiliano Rodrigues.
!5biotliecjrio B-uigno de Figueiredo.
CouselbeirosBelmiro Carlos Vital, Honirio
Xavier da <;->&!;.. Justino Leandro, Jote Vicente
Ferreira, Jos So ires de Miranda, Joaquin Ar -
chanjo aos Passos.
Centro liltlerario Pernamnueano
A directora desta associufo ficou composta do
seguinte molo:
Presidente/.-firmo G. Agr.
lo vice-presidenteS .Jereira.
2 ditoCastro e Silva.
1 secretario Fabio Rio Jnior.
2o ditoF. Gomes Paaen-e Filho.
Adjuntos Diego C'.bral e Freitas B.iroosa.
OradorAntonio Galvao.
Vice-oradorManoel Gomes.
ThesoureiroBarros i avalcante.
Bibliotbecarioloares Braudo.
Commissao de syndicanciaSilva Jnior (rela-
tor) S Pereira e Manoel Gomes.
lla presaO Sr. Dr. chefe de polica orde-
nou ante hontem urna busca em casa de Agnello
da Costa Souto Maior, residente na paroch:a de
S. J .s, e essa busca, dada pelo respectivo subde-
legado, foi fructuosa, pois que all f >ram encon-
tradas as joiae roubadas, em 24 de Maio fiudo, do
estabelecimento de dous subditos gregos, ra
Th m de S mza, parechia de S. Frei Pedro Gon-
c.,!ves
Alm disso, de dentro de urna cacimba da allu-
dida casa de Agnello foi retirado um trado. ins-
trumento que se suppoe 'er servido paia abrir o
buraco que os ladroes fizeram no soalbo, j pelo
qual entraram para o estabelecimento dos referi-
dos gregos.
Paquete TimarDeve tocar boje em Per-
namhueo o paquete inglcz Tamar, da Real Mala,
procedente do sul eem viagem para a Europa.
Telesrapho ^iaflqaal A agencia do
Telegrapho Nacional nesta cidade fez-nos o ob-
sequio de communicar hontem, em nota que nos
dirigi e que agradecemos, a modificuco dada no
seio do gabinete.
J nos, poi-m, sabamos desse facto desde do-
mingo, pois que tivemos do nosso correspondente
o telegramma que va inserido na competite lu-
brica, telegramma que ao meio dia de aote-hon-
tem tornamos pablko, pregando-o na porta da
L'ossa oficina e na ra Io de Marco. I
PenedoDeesa cidade recebemos hontem o
seguinte telegramma:
0 Dr. Jos Paulino Cavalcante de Albuquer-
qne, tendo feto celebrar boje ama missa por al-
ma da Dr. Antonio Francisco Concia de Araujo,
pede que transmita psames 4 familia Correia de
Araujo. _
DlntieiroO paquete Espirito Sanio trouxe
do norte para :
Diversos 53:320*110
Reuna elelloralAmanba, s 7 horas
da noite, devem reunir-se os eleitorea conservado-
res na parocbla d Santo Antonio na roa Pedro
Affoneo n. 45, afim de tratarem da prxima eleicio
mnincipal.
Paquete ParaEste paquete nacional sa-
bio hontem da Babia para o norte Deve tocar
smanhi as Alagoas, e 17 em Pernambuco.
Hospital PortugusO movimento das
enfermaras deste hospital durante a semana fiada
foi o seguinte :
Existiam em tratan ento...... 21
Entrou..................... 1
Sahiram curadas......
Fie asa. em ateasen to.
22
4
18
da,:
22
a o Sr. nrordomo Antonio
Ealrou
Crua,
ua reatas de Pasas. Uiaifaelo, provavelmeate nico
nos aaaaes as patholagia, teve ltimamente lugar
pertode Vitasbo, no>aaap> romano, facto surpre-
hendentepode-se as di jor mostmoao^-da qual
hesitaramos em fallar ee nio tivesse logo sido
confirmado por um jornal cuja alta posicSo scien-
tifica pie cima de toda a suspeita, a Gazeta de
gli otpitali, e attestado depois as columnas do
ihe Lancet, por deas mdicos distincto?, os douto-
res R Haliva e A Serpieri.
Trata-se d'una joven campanera que perpe
trou sobre si mesma, no nono mez de sua giavi-
dez, a espantosa operario cesananna, qual so-
brevveu, o aeha-se agora inteiramente restabele-
cida depois de quarenta dias de tratamento. Os
detalh-.'s do caso sao talvez mais extraordinarios
anda do que a propria causa.
Eis aqu como a contam os dous mdicos men-
ciou-idos, n'uma carta que elles endereyaram ao
jornal medico inglez :
Viterbo, 15 de Maio de 1886 Damo-vos,
como desejais, a narracao da ooe.racio cesarianna
quo a nomeadt N. A.... do Viterbo, praticou sc-
si nenin ., 28 de Marco ultimo. E' urna e.impo-
neza de 23 annos, de pequea estatura (1 meti e
40 centmetros), de temperamento lympbatico o
de constituico delicada. Ella se acbava no nono
mez Juma gravidez que tinha se tornado para es
seus visinhos um assumpto de desconfianza, para
os seus amos e sua familia um objeeto de colera,
que crescii a olhos vistos.
> Estas causas a ieterminaram, a 28 de Mure, >,
s 3 horas da manh, a urna reaoluco extrema
Apoierou-se d'uma faca de cosinha e abri o ab-
domen. A terda era line-tr, mas um pouco irre-
gular (a faca cortara mal), extensa de 12 cent-
metros, dirigida do umbigo pura n regio iliaca
direita ede fora pira dentro. Foi por esta terda
profunda que a desgracada fez a extraccao d'uma
crianca masculina, pesando 1 kilogrammo e 900
granamos.
Pelo exame microscpico r'Conheceu.Be qu;
esta criaoct tinha morrido antes de respirar, e
achava-se com a cabeca separada do tronco entre
a ultima e a penltima vertebra cervical, e com
pr-fundas ferids no thorar... Acabada a ope-
racao, a paciente ligou a birriga com urna toalh-i,
de maneira a approximar os bordos da ferida e a
e mter os intestinos que precuravam sahir.
Depois, por volta do 5 horasduas horas lpi-
nas depois da operaciiilla se levantou, vestio
s-- e parti p para Viterbo, que ficava distan-
cia d'um kilmetro pouco mais ou menos. Ah el-
la se encaminh .u pura a casa de sua irm, nada
Ihe contou do que se lluvia passado e almocou
u:na cbavena du caldo com um pouco de enf e
pilo, dep. is do que sabio a passeiar pela cidade,
com o fim especial de se mostrar, dizia ella, e por
um tbermo aos fallatorios que sua gravidez da-
va motivo.
Einli n. por volta das 10 horas, sempre p,
voltou para a sua casa. Porm ah Ihe taltaram
as forcas : foi atacada de dores intolcraveis e de
vmitos e cahio desmaiada a faixa que continha
os intestinos ee tinha desarranjado; a massa em
grande parte fazia hernia fora do abdomen. Foi
soment<- para s 11 horas que a famil a, verifican-
do o estado das coueas, se decidi chamar me
dico.
Segu o detalhe do tratamento. A hernia foi
redazida, s margeos da ferida, reunidas, um tubo
de drenage foi drixado na ferida. Um peritoni-
te parcial se manifestcu, mas sem accidentes gra-
ves. Os mdicos, attmhidos pela extranbez do
caso, trataran logo de asegurar a boa ventilaco
do quarto, onde j.-itia a doente, e de cereal a do
I asseio o mais meticuloso.
Tudo marchou bem. Aos vinte e cinco dias,
a ferida estava mu superficial, e apresentava
apenas seis centmetros de extensio; aos quaren-
| ta dias a cicatrisneo estava completa. A doente
| acha-se boje completamente restabe ecida e en
' trega-se a suas oceupacoes habituaes; porm fi-
I cando disposicao da justica, que Ihe pedir pro-
l vavclmente contas de seu acto.
Proclamas de casamentoForam li-
! dos na matriz da Santo Antonia no da 13 do cor-
rente os seguiutes :
De Antonio de Moraes Pinto Tartaraga com
I Anua Maria de Albuquerquc.
De Jos Fernira Vital com Uuibelina Rodri-
! gues Vieira.
De Julio Francisco da Trndade com Olindina
: Carlota Pina.
Na matriz da Boa-Vista foram lidos no mes-
| mo dia os seguiotes :
De Julio Francisco da Trindade com Olindina
Cn-lota Pina.
DeJoaquim Ferreira da Silva com Vicencia
Justina de Freitas.
De Manoel Daniel de Mello com Virginia Maria
da C ineesei.
De Jos Ferreira Vital com Umbclna Rodri-
gues Vieira.
LellAes.Effjctuar-se-ho:
Hoie :
Pelo agente Modesto Baptista, s 11 horas, na
! ra so Imperador 75, de predios.
I'e o agente i inio, s 11 horas, na ra do Bom
Jess n. 43, de dividas.
Pelo agente Brito, s 10 1/2 horas, na ra do
Rangel n. 48, de fazendas e miudezas.
Pelo agente Martins, s 11 horas, na ra de
Lunas Vii l- ii ti as n 15, da ta venia ah sita.
Pelo agente Burlamaqui, s 11 horas, na ra do
Imperador a. 22, de predios.
Amanha :
Pelo agente Al/redo Guimaraes, s 11 horas,
na ra do Bom Jess n. 45, de fazendaa.
Pelo agente Alfredo Guimaraes, s 11 horas, na
ra do Bom Jess u. 45, de predios.
Quinta-feira :
Pelo urente Martins, s 11 horas, na ra da Au-
rora n. 165, de movis, loucas, vidros, etc.
Pelo agente Pinto, s 10 1|2 horas, na ra da
Imperatnz u. 13, de movea, loucas, vidros, vi-
nhns, etc, etc.
Pelo agente "Slepple, s 11 horas, no largo do
GorpoSaat", de tariuba de mandioca avariada.
Pelo agent Burlamaqui, s 1 i horas, na ra do
Imperador n. 22, de predio.
Minias fnebres.Serio celebradas :
Boje :
A's 8 horas, na capella de Cemiterio de Santo
Amaro e de Beberibe. por alma do coronel Dqcio
de Aquino Fonseca ; s 7 horas, na Soledade, por
alma do mesmo.
Amanba :
A's 7 horas, na igreja da Soledide, por alma de
Augusto Baptista Braga ; s 8 horas, na matriz
de Tracunhiem, por alma do Dr. Antonio Fran-
diseo Corre'a de Araujo : s 7 horas, na matris
de S. Jos, por alma do padre Antonio de Mello
A'buquerqne.
tunta-feira :
A s 8 horas, na igreja da Paz de Afogadose no
convento de S. Francisco, por alma do padre An-
tonio de Mello Albuquerquc
PaasagelrosChegados dos portos do sul
no vapor nacionol Mrquez de Caxias :
Leandro Vieira Dantas Macie Belizario An-
tonio Peruira, Pedro Correia de Oliveira, Domin-
gos H. Mafra e um criado, Cari Pedersen, Luiz
Cabe al, Haynes, Antonio Furial, Domingas Ger
vazio, Carlota Mafra e urna criada.
Lotera da proalncia. Hoje, 15 do
corrente, se extraliir a lotera n. 58, em bene-
ficio da igreja de S. Pedro deBta cidade.
No consistorio da igreja de Nessa Senhora da
Conceiclo doa Militares, se achario expostaa as
urnas e as espheras, arrumadas em ordem num-
rica aonKiacio do publico.
Lotera d 1 .OOOtOOO Os bilhetes
desta impostante lotera de tres sorteios que cor-
re no di 8 de Julh, acham-se venda na Roda
da Fortuna ra larga do Rosara n. 36 e ra do
Cabnrn. 1.
Lotera do Rio A 3" parte da lotera u
197, do novo plano, do premio de 100:0O#00,
ser extrahida no dia 17 do corrente.
Os bilhetes acbnin-se venda na Casa da For
tuna ra Primeiro de Marco.
Tambem acham-se venda na praca da Inde
cia ns. 37 e 3b.
batera de Mcele de 900*000*OOu
A 12* parte da 12 lotoria, cajo premio grande
de 200:000*000, pelo novo plano, ser extrahida
impreterivelinente no dia 15 de Junbo s 11 horas
da maabi.
Bilhetes venda na Casa Feliz da praca da la-
dependejeia ns. 37 e 39.
Lotera Extraordinaria da Vpl-
rancaO 4 e ultimo sorteio das 4 e 5 series
desta importante lotera, cujo maior premio de
150:000*000, ser extrahida a 14 de Agosto prxi-
mo.
Acham-se exposto a venda os restos dos bilhe-
tes na Casa da Fortuna ra Primeiro de Marca
o. 23.
Hatadsaro Publico. Foram abatidas
no Matadouro da Cabacga 79" reass para o cosen-
mo do dia 14 de Janho
Sesos: 6b perteocentes aos Srs. Oliveira Cas
tr No msamo estabelecimento foram tambem
abatidas pura, o consumo do di 15 do corrate 76
ns.
Sendo r 51 pertencentes a Oliveira Castro ic. C-'
e 15 diversos.
Mercado Municipal de **. Jos.')
movimento deste Mercado nos das 13 e 14 do cor-
rente, foi o seguinte:
Entraram :
70 bois pesando 10.937 kilos.
3*1 kilos de pene a 20 reta 6**V>0
80 cargas de farinha a 200 ris 165000
13 ditas de fructus diversas a 300
ris 8*900
22 tabolcirop a 200 ris 4400
37 suinos a 200 ris 7*400
Foram oceupados:
42 columnas a 600 ris 25*203
51 compartimentos de faiinha a
oO ris 25*5:
43 compartimentos de comidas a
bOOr.s 21*500
145 ditos de leguraes a 400 ris 58*000
31 compartimentos de auino a 7llO
ris 21*700
26 ditos de frasearas a 600 ris 15*600
18 ditos de ditos a 2* 36*000
A Oliveira Castro S C. v
4 Ulhos a 500 ris 2*000
108 talhos de carne verde al* 108*00:
blico, tem seu eacriptorio de advogacia da
ua Primeiro de Margo n. 2.
Dr. Sebra. Mudou seu escripto de advo-
gacia para a ra do Imperador n. 24.
Drogara
Francisco Manoel da Suva & C.. isoo-
sitarios de todas aa especialidad** pharm
ceuticaa, tintas, drogas, productor chimico
e medicamentos homoeopaticos, ra do Mr-
quez de Olinda n 23.
Faria, Sobrirto & C, drogustas poi
attacado. Ra Mrquez de Olind n. 41.
Serrarla a Vapor
Serrara a vapor e oficina de carapin
da Francisco do antoa Macedo, caes de
Capibaribe n. 28. N'este granda ataba e
cimento, o primeiro da provincia a'este ge-
nero, compra-se e vende-se madoiras de
todas as qualidades,, serra-se madeiras de
conta allieia, assim como aepreparam obraf
de carapira por machina e por precos serc
OOtr nalonclj.
COMMUNICADOS
Deve ter sido arrecaiada nestes das
a quantia de
Precos do dia:
Carne verde a 400 o 24") tis o ki'.c.
Suiuos a 560 e 720 ris idem.
Carneiro h 640 e 1*000 ris idem.
Ranaba de 24) a 36'J ris a cuia
Milho de 26-> a 320 ris idem.
Feijao de 80) a 1*600
351*800
CHRONCA JDDICIARIA
A unta Comuiercial da cidade do
Recife
ACTA DA SESSAO EM 10 DE JUNHO
DE 1886
PRESIDENCIA DO H.LM. SR. COJUEHDADOR ASTOBIO
OOMEB DE 1IRANDA LEAL
Secretario, Dr. Julio Guimaraes
A's 10 horas da manh declarou-se aberta a ses-
sao, estando presentes os Srs. deputados : Olintho
Bastos, eommendador Lopes Machado, Beltrao
Jnior e supplente Hermino de Figueiredo.
Lida, foi approvada a acta da precedente sessao
e fez-se a leitura do seguinte
EXPDIEKTE
Officio :
De 5 do corrente, da junta dos correctores des-
ta praca, enviando o boletim dos cotaco -s officiaes
de 31 do mez passado a 5 do presente mes. Para
o arehivo.
Diarios officiaes de ns. 143 a 147 Sejam ar-
chivados.
Distrbuio-se rubrica os seguintes livros :
Diario de Cunha Carneiro s C, dito do London
Brasilan Bank, limited, copiador d>: CuDha Cur-
ueiro 6c C.
DESPACHOS
Peticoes:
De Jeronymo Ferreira Pinto para que se re-
gistre a escriptura ante-nupcial e de dote que ce-
lebrara com D. Amelia da Punficaco Nogueira
de Souza a 28 de Maio proiimo pas.ado.Regis-
tre-so e publique-se.
De Juvencio de Souza Lins, para qne se regis-
tre o instrumento particular de mandato mercan-
til que Ihe passaram Marinho & C-, para admi-
nistrar sua casa eotmnercial de seceos e nvlhados
ra de Marcilo Dias n. 104, na qnaJidado de
primeiro caixeiro. Nao tem lugar em vista do pa-
recer fiscal.
De Maia Sobrinhi & C, para que se d baixa
no registro da nomeacao de Augusto Fredenco
de Castro Medeiros, que hoje socio da firma
supplicante.Na forma requerida.
Do Jos Manoel de S, para que ae archv o
distrete da firma S, Coelho & C, da qual cam
socios o supplicante, Joaquim Goncalvea Coelho e
Antonio F>-mandes de Figueiredo Paiva, ficando
o cx-socio S de posse do activo e obrigado pelo
paasvo da extincta sociedade, cujo distracto foi
asignado nicamente pelos ex-socios C e Coelho.
Archive-se em vista do aviso expedido pelo mi-
nisterio dajosticaa6 de Junho de 1878.
De Antonio Jos Rodrigues Braga, da cidade
de Macei, para que se registre com o segredo re-
e.mir.- nduclo na le, o contracto de sociedade em
commandita que celebrara com um ommaudita-
rio, sob a firma de Braga c C, com o capital de
80:0u0*, sendo o fundo em commaudita de 60:000*
para o commercio de fazendas e outras mercado-
ras na dita proca de Macei.- Satisfeito o pare-
cer fiscal, registre-se com o segredo recommenda-
do na le.
De Jos Pedro Morcira, como administrador de
sua mulher D. Olympi* Carolina Ferreira Morei-
ra, tendo cum jrido o despacho de 14 do corrente,
pede que se mande regiotrar a escriptura de co n-
pra de duas casas terreas.Registre-se, (nao vo-
ten o Sr. depotado Olinto Bastos).
De Jos Candido de Moraes, commerciante ma-
triculado, para que se registre sna aentenca de
rehabil.tieao e se inclua na lista dos eleitores
commerciaes.
Nada mais havendo a despachar, o Illm. Sr. eom-
mendador presidente encerrou a se sao s 11
1/4 da manh.
1KDICACQES DTEIS
Mdicos
Consultorio medico elrursiro do Dr.
Pedro de Atlahyde Loba Hoaeoto 4
ra da Gloria n. &
O doutor Mocozo d consuUfta todos os
lia uteis, das 7 s 10 horas da manha'
Este onsuitorio offerece a commodida
ie de poder cada doente ser ouvido e exa
ninado, sem ser presenciado por outr;
De meio dia s 3 horas da tarde ser c
Dr. Moscozo encontrado no trrelo pra
a do Commercio, onde funccionp. a ib
pec0o do sade do porto. Para qualquer
i'eBtea dous pontos poder ilo ser dirigidos
>s chamados por carta as indicadas horas
Dr. Lope Pessoa Me iico.Residen-
cia a ra de D. Pedro I n. 2, onde pode
ser procurado at s 9 horas da raanbX.
Consultorio ra Jo Bom-Jess n. 37 l.
andar. D consultas das 11 s 2 da tar-
de. Gratis aos pobres.
O Dr. Arthur Imbassahy, medico oceu-
lista. recen tem ente chegado, esta cidide,
d consultas todis os dias, das 8 s 10
horas da manha, sendo gratis aos pobres,
no 1." andar do predio n. 53 da ra da Im-
peratriz.
Dr. barreto Sampaio d consultas de i
s 4 horas da tarde, ra do Barfto dj
Victoria n. 45, 2 o andar, residencia ra
lo Riachuelo n. 17, canto da ra do Pires.
Consultorio ailopatlco -doslmetrlco
Dr. Miguel Themudo d consultas das
12 s 3 da tarde em s-u consutorio ra
do Barao da Victoria n. 7, 1. au
Chamados por escripto a rjualqcer hora.
Especialidades partos, febres, syphilis,
molestias do pulmo e do coracao.
trotad*
O bacharel Benjamim Bandeira, ra do
Imperador n. 73, 1. ao lar.
Dr. Oliveira Escorel, 2. promotor pu-
negocios de Iguarass
Como redactor do Diario de Pernambuco ru nilo
podia deixar de atender ao Exm. Sr. Bario de
Itapissuma, publicando o rtigo que, em resposta
outro do meu estimavel amigo, o Sr. Joao Fran-
cisco do Amaral, S. Exc. remettea me para aquol-
le fim, tanto mais quanto S. Exc. deu ao seu artigo
o cuuho de urna defesa.
O artigo do Sr. Barao va ser amanha publi-
cado n'outra seccao deste Diario ; mas eu sinto
necessdade de declarar aosmeus amigos delgua-
rass, que. longe de pensar como S. Exc, acho in-
teiramente contestavel o que S. Exc. expende quer
em relagao ao meu citado amigo, quer em relajab-
as autoridades policiaes de Iguaruss.
O honrado Sr. Baro de Irapissuma, em vez de
procurar a origem da anarchia,que retnaem Igua
rass, na sua real origem, como que pretende cn-
contral-aem pontos que sao extremes de qualquer
coniveneia com esse estado de cousas.
As autoridades policiaes de Iguarass sito todas
dignas de respeito nao s pelo modo brioso com
quo cumprem os seus deveres, mas tambem pela
prudencia e tino com que teem procedido as dif-
ficeis condicocs que me refiro.
Longe, pois, de merecerem critica, pedem ap-
plausos os seus actos, e no mesmo caso esto os
amigos que cercam essas autoridades, sempre sol-
citos em auiilinl-as para a manutenan da ordem.
Nio c, portante, dessas autoiidadeb que advem
o estado anmalo de Iguarass. Outras fossem
ellas, menos prudentes se mostrassem, c talvez
que algum serio desaguisado alli se tivesse
dado.
Pretendo ir brevemente Iguarass, all colhe-
rei mais minuciosas informacoes, e as-im habili-
tado virei imprensa oceupar-me dos factos que
alludio o Exm. Sr. Buro de Itapissuma, e pre-
tendo mostrar quaes as causas da anarchia na co-
marca.
Hei de disentir calma c desapaixonadamentc,
dando a razo de ordem que justifica a minha in-
terferencia em taes negocios.
Recife, 14 de Junho de 1886.
Felippe de Fioubieoa Fabja.
PIBLIG4G0ES A PEDIDO
4o Sr.volado Amaral em Igua
rassu
o Diario de Pernamb'tco de boje, o Sr. advo-
gado Amaral se dirige amavel e delicadamente a
mim proposito de -Jin requenmente que apresen
tei na Assembia, pedindo informacoes S. Exc.
o Sr. presidente d^provinci sobre a epidemia de
febres de mo carcter, que est grasando em
Iguarass ; assim cerno sobre a anarchia que ha
muito, reina u'aquella comarca.
Fazendo apresenta^o d'aquellc requet mente,
cumpria um dever, e jostificando-o, empreguei as
mais convenientes e p udentes palavras, deca
rando que senta a ausencia do Sr. Amaral; mas
que se tendo ella prolongado por muitoa dias, nao
poda eu ficar preterido de pugnar pelos inters
sea d'aquclla comarca.
O meu discurso nao est publicado ; mas tal a
excitacao de espirito do Sr. Amaral, que por urna
ou duas cartas que reeebeu, como diz, e pelo re-
sumo que leu na Provincia, que, seja dito de pas
sagem, contm pequeas inexactidoes, nao trepi-
dou em escrever e assigaar essa correspondencia
a que alludo.
Sorprendeu-me o desnecessano e ridiculo ardor
bellico, com que se mamiesta o Sr. Amaral.
S me traz a lembranc,a as grandes luctas do
celebrado D. Quixote, investindo contra os moi
i nhos de vento
Nao venho responder ao Sr. Amaral seno para
dizer-lhe que, apezar da convivencia intima, em
que estivemos durante sete annos, sete mezes e
< sete dias, anda nao teve influencia eti mim a
sombra lei dos n-flexos colorantes -un o
mesmo homem que era antes da epocba, a que me
refiro.
Nao coneorri para as dfficuldades e afflieces
do Sr. Amaral ; pelo contrario, sempre me cons-r-
vei no mesmo terreno, tendo para com S. Exc. os
sentimentos qae sempre nutr, e s esperava a
volta de outros sete anuos, sete mezes e sete
dias para reatarmos a nossa interrompida
convivencia.
Tenho declarado al pelos jornaes que parte
nenbuma tenho tomado nos tristes factos |uese
tem dado em Iguarass. Ao proprio Sr Vmaral o
tenho dito e acresentudo que apenas observo a
lacta, e admiro a b sarria com qae se batem tao
distioctos contendores.
O Sr. Amaral vive sonhando com a minha i -
tervencao, nos alludidcs factos, poique nao c.-rt.-i
minhas relacoes com o Sr. Dr. juiz de direito, que
alias sendo meu adversario poltico, me tem tra-
tado com todo cava>h irismn, sendo at urna garan
ta para os uaeus amigos polticos, contra us ter
turas por que teem passido nesta situacao. Ora,
se eu nao cortei as relacoes que tive com o Sr.
Amaral, que foram as mais intimas, de maior con
flanea, durante sete annos, sete nvzesesete
v dias nao obstante as hostilidades qne me tem
teito e aos meus amigos, como hei de cortar as
que mantenho com o Sr. Dr. Amorim, que, ha pou-
co chegou a esta c imarca, e que, sendo mea ad-
versario poltico, anda nao praticou um s act > de
que nos, os proscriptos, nos tenhamos qucixndo ?
O que fiz na Assembl i foi procurar provar que
em Iguarass reinava -luaa epidemias Urna era
a febre de mo carcter, que atli estava fazendo
victimas, havendo absoluta falta de recursos ; e
outra, a anarchia, o enme, quo flagella tambem
a comarca.
Justitquei o meu requerimento com a maior cal-
ma, e tenho consciencia de que nao empregaei urna
s pulavra que podesse molestar a quem qaer que
seja.
Em quanto 1* : epidemia, o proprio Sr. Ama-
ral a confirma em sua correspondencia, noticiando
ao publiec qui cinco de seas filhos se acham sof-
freudo de febre. Em quanto secunda, toda esta
provincia sabe, e o proprio Sr. Ur. Gomes Paten-
te, digno deputaio, que, respondendo as minhas
cousitleraciis, affirroou nao estar Ignarass em
condiccoes normaea.
O facto recente, de qae me oceupei, isto as
maoifes aeoe.s de contentamente de rapazes ami-
ges do Sr. Paes Barreteo como diz o Sr. Ama-
ral, foram de tal natureza, que o proprio dele-
gado de polica mandos acompanhar os traqui
as, pelos soldados do destacamento para evi-
tar successo8 desagradaveU ... E' isto o que
diz o Sr. Amaral.
Pelas proprias providencias dadas pelo delega-
do de polica, imagine o publico como estavam de
amigo pacifico os taes rapases amigos do Sr. Paes
Barre tto .
Tudo isto nao procara negar, nem attenuar o
Sr. Amaral, mas declara e confirma em sua cor-
respondencia, principiada s 9 horas da noite e
o finda a meia noite, quando foi applicar remedio
a ama filbinha >.
Desculpo, entretanto, a exaltacao com que se
exbe o Sr. Amaral, o ses toexcitado espirito ca-
rece por certo de calmantes, atientas as lutas em
que se aeha envolvido e para as quaes, repito,
nao c-iccorri, nem concorro.
Se ha desejos de vinganca contra e jais de di-
reito, por nio se querer prestar a instrumento de
pers-guices, de ntereases de rabulice, e para is-
to se procura fazer crr, que elle se acha identi-
ficado commigo, por mauter relacoes, e por isso
suspeito deliberali8oso, ento o Sr. Amaral, tam-
bem devia ter sido considerado suspeito, porque
por muitos annos mantivemos eatreitas relacoes, e
o Sr. Dr. r*aea Barreto fui sempre promotor publi-
co durante a situacao libera!, e anda, aendo remo-
vido para o Rio Formoao, quando presidente dis-
ta provincia o Sr. Baro de Souza Lima, renio-
cao feita requisico do ento juiz de direito ds-
ta inesma comarca de Iguarass, o Sr. Dr. Mar-
tina Pereira, eu fiz quanto me foi possiv&l para
ser agradavel ao Sr. Amaral, procuraudo, com es-
for$o, e obtendo a volta do Sr. Paes Barreto para
Iguarass.
Em concluao, devo dizer ao Sr. Amaral que : o
destino impl icavel; nem sempre o axioma A
fortuna ajuda aos andares, se realisa, porque
muitas vezes a Providencia permtte que os pro-
re jectos do3 mos se lealisem em proveito dos
bous. >
Quer o Sr. Amsral um juiz de direito, um subs-
tituto e um promotor, qne Ihe sirva de instrumen-
to e que Ihe d a forca official ? Ha de tcl-os por-
que, como diz, j formulou o seu ultimatcm : s
concorrer elecoes, sendo satisfeito. Nao
Ihe serve nem o Dr. Amorim, nem o Dr. Telespho-
ro e nem o digno actual promotor publico!!
Nao ha nada impossivel nesta s tinicuo.
Nao precisa, pois, continuar a injuriar a estes
magistrados, como fez anda nesta sua ultima cor-
respondencia. J todos sabem que s o Sr. dele-
gado de po'cia apoia e frequenra o Sr. Dr. Amo-
rim, porque este cidadc tem lealdade, como diz o
mesmo Sr. Amaral, todos os mais, qne nao sao
leaes -os desleaes desamparare o juiz; esto com
S. Exc.
Fijue, pois, em paz com tao amavel companhia,
c eu perinaneco a espera do dia promettido, depois
que cessarem os incommodos de seus charos filhos,
e fique S. Exc. certo de que as armas que tenho
para defender-me de suas aggreseoes, sao as pro-
prias corresp mdencias assignadas por S. Exc,
pelo Sr. Dr. promotor publico de Pao d'Albo, Dr.
Paes Barreto, e certiddes authenticas.
Na Assembia nos encontraremos, Sr. Amaral.
B. de Itapissuma..
Recite, 13 de Junho de 1886.
A' .Ilustre Assembia Provincial
Os mercieiros estabelecidos n'esta cidade
chamara a attencSo dos dignos metubros
da Assomblo. Provincal para a peticao
abaixo transcripta, que aeabaram de diri-
gir-lhes resp'ito do imposto de 40 reis
por litro de vinho, vinagre e alcool qne fo
reno retalhados em toda provincia, e con-
8eguintemente nesta capital.
Nao foi sem razao que os mercieiros re-
corrern^ quelle meio par obter a repara-
jilo da injustica que se contm na emenda,
que deu lugar referida peticao; porque
em materia de contribuicao deve haver a
maior equidade, quer com relacao ao
quantum, da taxa, quer cora relajSo ou-
tras ndustrias taladas, quer com relacao
a possibilidade do lanjamento e cobranca.
Nada cieiros.
Elles silo muito sobrecarregados de im-
postes, municipaes, geraes e provinciaes ;
pois que pagam os municipaes de estabele-
cimento sobre o valor locativo do predio,
de afericao, revisao de afericao e por ven-
derera bebidas alcoolicas; os geraes fixo e
proporcional ao valor locativo, e os pro-
vinciaes de 30 /0 sobre o aluguel do esta-
belecimento e o do gyro pelo vinho e vina-
gre importados, porque muitos mercieiros
tambem importara.
Nenhuma mercadoria pode surportar mais
de urna iraposigao.
Se o mercieiro paga porque vende a re-
talho, nao ha razo para que pague o im-
postes pela mercaduras que retalha, isto ,
pague dous impostes differentes pela mes-
ma industria; e se alm disso elle impor-
tador dos gneros, e paga o imposto do
gyro por occasiao do despacho na Alfan-
deg3, injustificavel nova contribuigao por
occasiao da venia que a retalho faz do ge-
nero importado.
D-s urna injustiga com referencia aos
mercieiros, porque sabido que os impor-
tadores em grosso retalham, e s pagam o
imposto do gyro, praticando os raesmos
actos que os mercieiros.
Seraelhante desigualdade e inustica col-
loca os mereeeiro8 em condicSes ma3 pro-
carias que os importadores em grosso, e
traz-lhes prejuizos, porque os mercieiros te-
rao necessidade, para acompanharem os
importadores, de perder o imposto que pa-
garen! pelo retalho; injustiga que se torna
mais saliente, attenlendo-se que a classe
dos merceeiros a menos abasta !a, e mais
exposta perdas, porque negocia cora as
classes desabrigadas da fortuna'.
Se esses motivos nao fossem suffbientes
para demonstrar a improcedencia da emen-
da, que sujeita esta capital ao pagamente
do referido imposto de 40 ris, a inexequi-
bilidade do lingamento bastara para con-
vencer de que tal imposto deve ser riscad
do orcamento provincial, que se discute.
Nao ha base para o calclo da quanti-
dade de vinho, vinagre e alcool, que os
mercieiros vendem annualraente.
Quando existi o imposto de 120 ria
sibre os me8mos gneros, foi impossivel
fazenda fixar o quantum qae cada merciei-
ro retalhava; de modo que foram ppresen-
tada3 diversas re^lamacoes, sem que a Fa-
zenda pudesse com justica resolvel as, por
que falta va Ihe a base necessaria; e o im-
posto est por pagar na maior parte.
E essa difE uldade j foi reconhecida
pela digna Assembia, quando abateu 25 i,
no imposto iangado e anda assim nao re-
parn a injustiga, tanto que os mercieiros
pediram mais o abate de 25 [0, desejando
elles pagar 50 [0 da quantia lancada.
Para remover essas diffi uldades foi
imposto sobre e vaior locativo elevado a
30(0: e portento nao justo que tend
sido elevado o imposto aobre estabeleci-
mentos, se taxe de novo ama mercadoria,
de que j se eogitoU naquelle augmento.
A digna Assembia provincial nao pode
ser indifferente classe commercial, que
tanto eoncorre p-ira o desenvolvimento da
provincia, e que est sempre prompta para
acudir aos seus reclamos ; tanto mais quan-
to, attendendo justa reclaruacao dos mer-
cieiros, prestar um servido que reverter
em favor das classes consummidoras.
Eis a p< ti^a i :
Illms. e Ems. S/s. merobros da Assem-
bia Legislativa Provincial. Os abaix*
aaaignados, mercieiros estabelecidos nesta
cidade, tendo sciencia de que foi presen-
tada no orcamento da receita e despea*

X
.


/


Diario de PernamliociH-Tcrfa-feira 15 de Jnoho de 1886
provincial urna cacada uajeitando ao im-
posto de quarentaris (40 rs.) por litro, o
vinho, o vinagra e o alcool rendido a rela-
lho em toda a provincia, vm anta Va.
Ex a. e respeitosaraeute po ir a rejeico
da refirida emenda, que, segundo consta,
passou na segunda discuasao do orca-
mento.
Os supplicantea j sao ouerados com ou-
tro8 impostes, como oa laucados sobre os
seus respectivos estabeleciinentoa, e por-
tanto sobre todos os gneros que fazem o
seu coinmereio.
Se os abaixo assignados forera sujeitos
ao imposto de 40 r3. mencionado, ficarao
sujeitos a pagar tres imposto sobre o raea-
mo genero; porque comprara a mercadoria
j cora o augmento do imposto de gyro pa-
go pelo importador; pagara, porque tm
estabeledmento eommercul para vender a
mesma e outras raercadorias, imposto que
laucado, conforme o Valor locativo do pre-
dio em que est o estabeleciraento ; e pa-
garlo mais 40 rs. por litro de mireadaria
que reialharem.
Os referidos gneros, principalmente o
vinho e o vinagre, silo de priraeira neces-
Bidade, de grande consumo, e augraentarSo
de tal forma o total a pagar, pelo imposto,
que multas casas nao poderlo satisfazel-o,
alm de que o imposto absorver urna gran-
de parte do casto do genero.
A isso accresce que, rouitos dos abaixo
assigoados importara aquellos gneros, e
pagarao assira dois irapostosj um, porque
recebera e outro porque vendem, alera do
imposto pela ir.dustria lancado sobro oa es-
ta belflcimentos.
Alm do exposto ha diffioul ade no lan
cament, danio-ae serapre dcsintelligencias
entre o morceeiro e os agentes da fazen-
da, porque nao ha base para conhecer-se a
quantidade do genero que se retalha an
nualraento, sondo o mereieiro afnal pre-
judicado, porque nao podendo fazer-se
acreditir pelo agenta fiscal, este faz um
laneaniento arbitrario, sem que por sua
part': o meroeeiro possa demonatr.ir ou de-
fender o seu direito, por falta de meio de
prova, que convenga a fazenda.
Os abaixo assignados, convencidos da
justica de aua causa, e de que a Vv. Exea,
nao differente a proaporidade das claases
laboriosas, que a prosp"ridadc da pro-
vincia, esperara ser attendidos.
Pedera a Vv. Excs. deferiraento.E.
R. M.
Seguem-se 131 assignaturas.
A cum.isso.
Part o ReDQlilicano
A Sommissao Ex-cutiva do Centro Republicano
de Pernambuco fai saber a todo os republicanos
desta cidade e esp-cialinente aos membros do
Centro, que em asseuibi* gem do 13 do corrente,
toi org misada a seguidle chapa para as alcicOcs
de vereadores e juizes de paz, que se tem de lea-
lisar em Julho prximo.
Para vereadorDr. Joo Carlos Balthazar da
Silveira.
Para juizes de paz :
Freguezia de Santo AntonioCussy Juvenal
do Reg.
Fre^uezia da Boa- VistaDr. Jos IzidoroMar-
tins Jnior.
Freguezia de AlagadosManoel da, Cruz Mar-
tins.
Freguezia da Graca Joo Ramos.
A Coinmisso Executiva recsmmenda aos repu-
blicanos toda adedicaco e iutrausigancia necea-
aarias para que triumphe a presente chapa; con
vinJo que, as freguezias para onde foram nao
designados candidatos, os republicanos se abste-
nhaui de votar.
Kecife, 14 de Junbo de 1886.
J. I. Martins Jnior.
M Coelho dos Res.
Bi.llaraiino Carueiro.
l)r. Albino Meira.
Joao Ramos.
A' memoria do Dr. Antonio
Francisco Crrela de Araujo
Gh, patria do Barretto, oh grande Pernambuco,
Oh sublime torrilo do solo Brasileiro,
Chorai, cobre de luto a vossa fronte altiva,
Recebei de Correia o beijo derradeiro !
E' i irte a dor que opprime o vosse largo peito,
E' justo o sentimento ingente que senta.
Urna lousa, urna pedra encobre o a.w> filho,
Que gloria ae elevou tornaado-vos feliz.
E tu, charo Corroa, espirito luzente,
Que. qnal aguia soberba em.V6o gigantesco
Subiste ao infinito, plaga replandente,
Enchuga o pranta aflicto, a lagrima sandosa,
Qu bai.ha a Pernambao a faee descorada
E lhe rola pr'a aempre a fronte dolorosa.
C linda, 22 de Junho de 1886.
Fartm Neves Sobrinlto.
AvUo s mies de familias
A mu antiga o merecida reputacao dos
Collares Royer contra as convulaSas, 'e
para licilitar a denticlo das criancas, tem
sido desde muito tempo objecto da inveja
por parta dos industriaos, sem escrpulo e
sera titulo setentifico, os quaes nada acha-
rara de raelhor do que contrafazerem e
imitarem grosseiramente nosso 'producto.
Muito preoecupado 'com a saude das
criancas, que pode assira ser comprometi-
da, e demais zeloso da boa nomrada dos
nossos collares, prevenimos s mais de fa-
milia que ellas devem exigir que cada
Collar Royer esteja contido dentro de urna
caixinha longo-quadrada abrindo-so como
gaveta, em tres lados da qual se acham
oppostos rtulos impressos em francez,
portuguez e hespanhol e decorados com
urna virgem e a nossa marca de fabrica,
no quarto lado com duas roedalhas e mi-
nha assignatura. Cada caixinha fechada
com urna raedalha de latao, era ambos os
lados da qual se l a seguiote inscripcao :
Collier Roye-, 2i5, ru St. Martin, Pa-
rs.
ANTONIO MARTINS VIANNA
felicita pelo seu anniver- J
sario natalicio
Assis Pinto.
13-686.
REUNIO
Partido ciaflor a freir
a Boa-Vista
Convida se ao clei-
torado conservador
desta freguezia, para
rcunir-se na quinta fei-
ra 17 do correntc s
5 horas da tarde, no
predio n. 29 do pateo
deS. Gonzalo, afimde
tratar-se das eiei?6es
do 1' de Julho.
Recife, 14 dcJunho
de 1886. ;. |
N. 10 Recommenda-8e a Emulsao de
Scott aos doentes do peito, da garganta e
dos pulmoes; aos anmicos, debis e es-
crofulosos, e a todos os }ue precisem de
um bom reconstitu ute.
A Emuisao nao tem igual para reparar
as tercas dos debis e enfraquecidos.
Reunio elritoral
Silo convidados os eleitores conservado
res da freguezia de Santo Antonio, para
urna reunio que deve ter lugar quarta-fei-
ra, 16 do correte, s 7 horas da noite,
ra de Pedro Alfonso n. 45, afira de trata-
rem de negocios eieitoraes.
iaaaai^^Hiiawafl^iHpHp
Ao publico e com especiaiidade
nos scguinie senhores:
Exra8 Drs. juiz de orpbSos. curador ge-
ral de orphSos, escrivao Olavo, dostribui
dor Horaei Pires, agentes de leilSe s Silvei-
ra e Stepple. Peco quf suspendara juizo so-
bro urna eena de cffeito, que procatou
armar o Sr. Norberto Salles, quando agar-
rando o menor Minoal, raeu tutellado, que
quiz provar no cogitar eu da pessoa do
Iludido menor. Sirto, que tenha de pu-
blicamente arrancar a mascara de um
bon vivant, que voltado infelicidade,
ainda suspira comer, beber residir, divertir-
se e vuttir de parcos rendimentos de me-
nores, em m hora confiados ntna byena,
que traja-se de cordeiro.
Felizmente sou tutor d'aqueile orphao ha
dous mezes, pono raa: ou monos, e ape-
nas t-nho recebi lo a gran Je quantia de
25^000, pois os outros rendimentos estao
penhorados pela Paseada, era virtude de
boa administra^ao do honrado Sr. Norberto.
Basta por agora.
Recife 14 da Junbo de 1886.
ttalsaparrilha de Hrlslol
N. 39
Oa inveutores de poderosas machinan de di-s-
tru cao, taes como Aruis'r >og, Whituey,U.ihlgrt.n
_immortal'saraqB-ie. O Dr. Bristol, que com a
ana prepracio tem salvado mais vidaa de .ju li-
tas te perdem en urna dezena di batalhas, merece
por certo um altar tao alto ao menm como o d'a-
qu'Mes no templo d. fuma.
Quando os tranquillos e phlengmatios observa
aores, c mu.iicos os maia distinctos de todas as
partes do paiz, voluntariamente se apn-sentaui a
qualificar os effeitos da salaaparrilka de Bristol,
como verdaderamente milagrosos, os mais incr-
dulos nao itodena rehilar csse testemanho com des-
dem, dizendonao ocreio.
Pelo es paco de 35 annos, tem esto remedio, o
maior C o melhor dos moderno, alcanzado Ucs
victorias Bobre aa enfennidades escrofulosas, can-
ceroa8 e emptiveis, e o rehumatiamo, etc.
Tem triumphautempnto proaeguido a ana mar
cha por aobre oa decadentes tmulos d.- cem falsi-
fleavoese imitac&B diverta1 cada vea adiaht i e
augmenta maia.
Acha-ee venda em todas W ptiMipaes bo;icaa
e lojaa de droitaa.
Agentes em PeroambuCe, Heaiy Forstei C,
ra do Commercio a. 9.
O., para o pagamento pedido > enstaa, e como oa
meamos negociantes Monhard Huber & C. noa de-
clarassem que nao aasignavam o deposito, pelo que
nos, offiuaes, em presenta das testemonhaa abai-
xo ataignadaa, encainpamoa o deposito em poder
dos meamos negociantes, os quaea fiearam consti-
tuidoa fiis depositarios, e para dar-noa e entre-
gar-nos quando por este juizo lhe lr pedido ; e
para constar lavramoa este termo, em que nos aa-
aignimos com as testemonhaa.
Eu, Florencio Jos dos Santos, oficial do juizo,
o escrevi. Como teitemnnbas, Albino de Jess
Bandeira, .Samuel Pinheiro de Oliveia, Dionisio
Fernandes Dias da Silva.
E' o que se contiuba em dito termo; em virtu-
de do reqnerimento aqu copiado, o respectivo es-
ci'ivlj fez paaaar o presente, pelo qual e sen theor
chamo, cito e hei por citados os credores incertos
dos executados, para que compare^am ante este
juio dentro do prazo de 10 das, allegando e pro-
vando o que fr de justica.
E para que chage ao conhecimento de todos
mandei passar o presente edita!, que aera publica-
do pela imprenaa.
Dado e Dasaado nesta cidade do Recife, aos 11
de Jnnho de 1886.
Subscrevo e aasigno.Ernesto Silva.
Tliomaz Garcez farnnhos Montenegro.
O Dr. Thomaz Garcez Parahhos Montene-
gro, commendador da imperial ordem da
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cio desta cidade do Recife e seu termo,
capital da provincia de Pernambuco, por
S- M. o Imperador a quem JJeus guar-
de, etc.
Fajo aaber ao8 que o presente edital virem, ou
delle noticia tittnm, que por este juizo de dir:-
to especial do commeroo, pendem una actos de
execucao por mandado entre partes, como autor
Joao Gon^alvea de Souza Beirao e como roa oa
administradores da massa fallida de Soi.res Braga
C. : e tendo-ae ftito penh ra na quantia d
400000, exiatente ea poder dos ditos administra-
dores, foi em audiencia do dia 10 de Junho do
corrente anno, pelo solicitador Jcaquim Cavalcan
te de Hollanda Albuquer jue, acensada dita p M, como se \c do requeriment > do theor seguinte :
Anno do Nasciim-nt > de Nosso ^enhor Jess
Christo, aoa 10 dias do mrz de Juuho de 1886,
cm audiencia do Dr. juiz de direito do commercio,
pelo solicitador Joaquim Cavalcante de Hollanda
Albuquerqae. foi aecusada :-. penhora feita em di-
nheiro, existente em poder de Monhard Huber &
'., alminiatradorea da massa fallida de Scuma
Braga C, 3 requeren que ficassem assignados
os 10 dias da le aos executados e 10 aos credores
incertos, paseando-se editaes; o qne foi deferido
pelo juiz, precedido o pregao do estylo: do que
fiz este. Eu, Ernebt Nachado Freir Pere.ira da
Silva, e8crivao, o escrevi.
E mais se nao contiuha em dito requerimente
aqni copiado, depjia via-se o mandado do theor
seguinte:
O Dr. Thomaz G rcez Paranhos Montenegro,
aommendador da imperial ordem da Rosa e juiz de
direito eap'cial do commercio desta cidade do Re-
cife, capital da provincia de Pernambuco, por*5.
M. Imperial, a quem Deus guarde, etc.
Mando aos oukiaes de justica deato juizo, que
intimem aos administradores da massa fallida de
Soares Braga & C, para que no prazo de 24 horas
pignem a Jo.) (onalvea d Souza Beirao a
quantia de 289*900 de custas, em que foram con-
demnudos por este juizo, na accao ordiuari. do
mesmo Beirao contra os mesmos administradorea
da massa fall'da, conforme ue acha contado pelo
contador do juizo, alm do principal qi'e I be tocou
em rateio pela aenteuya deste juizo proferida em
10 de Maio do cnente anno. E nao pagando pro
cedam penhora do stylo.
Cumpram. BecitV, 4 de Jnnho de 1886. Subs-
crevo o as gno.Ernesto Machado Freir Perei-
r. da Silva.
Reoife, 5 de Junho do 1886. Sellada na forma
da le.Montenegro.
E' oque se continha e* dito mandado, depois
via-se do m> smo h certidSj do theor seguate :
Certifico que sendo nesta cidade, intimji a fir-
ma social de Monhard Huber & C, por todo con-
tedo do mandado supia, o fiearam bem enteu.: -
dos. O referido verdade o dou f. R-'ctfe, 7
de Juuho de 1886.-0 oficial do juizo, Dionisio
Feroandea Das da Silva.
Depoia via-ae o termo de penhora do theor se-
gbin-e:
Aos 8 dias do mez de Jnho de 1886, sendo nra-
sa cidade do Recife, ondefui vindo, commigo otti-
cial abaixo as8guado, em virtude deste mandado,
nos diritfimoe rna do Mrquez de Olinda. onde
tio estabelecidoa oa negociantee Monhard Huber
4 C, em mo e poder deaies, procedemos periho-a
o apprehensSo na quantia de 400* em dinbeire,
pertencente massa fcHMa do boares Braga (St
Faculda e de Direito
De ordem do Exra Sr. director interino faco
publicas aa listas nominaea dos estudantes appro-
vadoi noa eximes de sciencias que tiveram lagar
nesta Faculdade, e n Fevereiro e Marco do cor-
rente anno; bem aasim os quadros demonatrativoa
dos professores que attestaram sobre a habilitaco
de todos os estudantes que ae inacreveram para
prestar oa referidoa exa nea.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife,
12 de Junho de 1886.
O secretario,
Jos Honorio Bevtrra de Menezes.
Rhetorica
Approvado com distinecao
1 Jos Saboya de Albuquerque.
Approvados plenamente
1 Adolpho de Almeida (juimaraes.
2 Alfredo Ernesto Vaz de Oliveira.
3 Alfredo de Miranda Castro.
4 Alfre lo Odilon Duarte.
5 Antonio Manoel da Cmara Sainpaio.
6 Arthur Coelho Lk moa do Oliveira.
7 Augusto Cordeiro Fonseca de Mederos.
8 Augusto de e Albuquerque.
9 Belisario Pernambuco.
10 Domicio do R-go Rn.gel.
11 Francisco da Rocha Salgado.
12 Gustavo Krause.
13 Henrique Cavalcante de Albuquerque.
14 Jeronymo da Rocha Fag.
15 Joo Alvea Lyra Jnior.
1G Joao Chinaco Pinto Moreira.
17 Jos da Silva Loyo Neto.
18 Luiz J. Sa Igado Accioly.
19 Luiz Odilon de Oliveira.
20 Manoel Santino da Costa Lobo.
21 Manoel Tunano dos Reis Campello.
22 Rodolpho Pereira Brandan.
23 Sergio Teixerra Lina de Barros Loreto.
24 Solidonio Attico Leite.
25 Theodoro Joa da Silva Braga.
Approvados
1 Adolpho Jos da Costa.
2 Alexandre Thomaz Pereira da Silva.
3 Alfredo Amorim Fialho.
4 Alfredo Fiock Pinto.
5 Alfredo Vaz de Oii reir Lima.
6 Alvaro Lima.
7 Andr Diae Pinheiro.
8 Antonio Cavalcant- de Albuquerque.
9 Antonio Cordeiro Fonseca de Medeiros.
10 Antonio Flavio Pess >a Guerra.
11 Antonio Henrique Cardiin.
12 Antonio Ignacio do R-go Med-nroa Neto.
13 Antonio Jovino da Fonseca Filho.
14 Antonio Leonardo Rodrigues Filho.
15 4ntonio Lius Caldas.
16 Antonio Nunes de Oliveira Barros.
17 Aprigio de Miranda Caatro-
18 Arthur Bell-garde Freir Mariz.
19 Arthur de Miranda Caatro.
2# Ascanio Alcntara dos Guimaraea Peixoto.
21 Augusto Aristheo do Souza Ribeiro.
22 Beuto Americo Cavalcante Sobrinho.
23 Benvennto Prxedes de Ol'veira Filho.
24 Carlos Nunes Ferreira Coimbra.
25 clemente Ferreira da Silva.
26 Elysio Alberto Silveira Sobrinho.
27 Ernesto San'os.
28 Edgard de S Tavares dos Santos.
29 Elydio Rodrigues de Souza.
30 Eugenio Augusto Alves Magalhaes.
31 Fabncio de Ar/uda WandeHey.
32 Francisco Athayde Mariins Ribeiro.
33 Francisco Augusto Freir de Albuquerque.
34 Francisco Augusto da Fonseca o Suva Jnior.
3 Francisco Carneim Nobre de Lacerda.
36 Francisco Joaquim de. Souza Filho.
37 Francisco Machado Dias.
38 Francisco de Paula Oliveira Lima.
39 Francisco de Paula Vieira.
4(1 Francisco Thomaz Marinho Jnior.
41 Genuino Amazonas do Figueiredo.
42 Guilherme Dantas Bastos.
43 Heliodoro Fernandes Barros.
44 H'-nrique C-sar Pessoa Lins.
45 Heraclito Rabello da Silva.
16 H-rculano Lins Caldas.
47 Hcrmino Aprigio Ferreira Costa.
48 Hisbello Florentino Correia de Mello Filho.
49 Midi da bilva Correia *. Oliveira.
50 Ismael Marques da Silva.
51 Joao Buarque Barbosa Lima.
52 Joao Cancio ca Costa frazeics.
53 Joo Ferreira du Coata Lima.
54 Joo Jos Lopes ds Albuquerque.
55 Joao Pessoa de Albuquerque.
56 Joaquim Ferreira Pinto.
57 Joaquim Frlicio Antunos de Almeida e Castro.
58 Joaquim Gregorio Pessoa Gueira.
59 Joaquim Guedes Correia Gondim Filho.
60 Joaquim Marinho de Araujo.
61 Joaquim Martina da Coata Ribeiro.
62 Joaquim Silverio Carneiro Bczerra Cavalcante.
63 Joaquim Victor Jurema.
64 Jos dos Aojos Cesar Borlamaqm.
65 Jos Bonifacio Pessoa de Mello.
66 Jos Fiorlindo do Nascimento Lima.
67 Jos Guedes Correia Gondim.
68 Jos Leoncio de Franca Caldas.
69 J s Luiz Goncalves Ferreira.
7l Juvencio Carlos Maiiz.
71 Leonel Augusto de Caldas Brandao.
72 Luiz Francisco de Paula Cavalcante de Albu-
querque.
73 Manoel Alves da Silva Freir.
74 Manoel Apolinario de Almeida.
75 Manoel Basilio Coelho.
76 Manoi 1 Caldaa Barrato Neto.
77 Man->el Marques Carneiro Leao.
78 Manoel da Paixao Vieira.
78 Manoel Paulino Cavalcante de Albuquerque.
8 i Manoel Ribeiro dos Santos,
81 Oetaviano Cordeiro Coutinho.
82 Paulino Falco Duarte de Azevedo.
83 Pedro Alexandrino de Mello.
84 Pedro Gaudiano de Ratis e Silva Neto.
85 Pedro Jos Pinto Jnior.
86 Reinaldo Rodrigues de S uza.
87 Salvador Ribeiio de Albuquerque.
S Theodoro Braga de Freitas Barbosa.
89 Victorino do Rh*o Toscano Barreto Neto.
90 Virgilio Bacellsr Caneca.
91 .Virgilio Jos da Silva Braga.
Virgilio do Reg Motta.
Inscreveram-ae 190:
Distinecao 1
Plenamente' 25
Approvados 92
Reprovados 27
Levantou-ae da escripia 1
dem da oral 1
Faltaram oral .4
I im s cbnmaaa 39
190
Geographia
Approvado com distinecao
1 Manoel Clementino Carneiro da Cunha.
Plenamente
1 Andr Dias Pinh'iro.
2 Aprigio de Mimnda Castro. ,
3 Archrmedes de Oliveira -onza.
4 Apollonio Pires Cavalcante da Gama.
5 Antonio Frannis'-o de Magalhaes Silva.
6 Antonio Francisco Regueira Pinto de Souza.
7 Arthur Barretto da Rocha Lius.
8 'Adolpho de Almeida Gmmares.
9 liernardino Jos Alvea Maia.
10 'Cosme Damio de Albuquerque Maranhio.
11 Estacio de Albuquerque Coimbra.
12 Edmundo Pedro Caeco.
13 Francisco da Roeha Salgado.
14 Gustavo Kraaae.
15 Joaquim Gregorio Pessoa Guerra.
16 Joo Pauliuo Marques Jnior.
17 Jos da Silva Loyo Netto.
18 Jos Bonifacio Pessoa de Mello.
IV Jos Wenceslao Regueira Pinto de Souza.
30 Joaquim Jos de Faria Nevea Sobrinho.
21 Jos Francisco Bittencourt Jnior.
22 Jos de Ges Cavalcante.
23 Miguel Antonio Ribeiro.
24 Miguel Cysneiros de Abreu.
25 Pharmaceutico Antonio Martinano Veras.
26 Odilon Augusto Ribeiro.
27 Pedro Alexandrino Machado Jnior.
28 Theodoro Jos da Silva Braga.
29 Thomaz Evaristo Pessoa de Mello.
30 Vital Brando Cavalcante.
Approvados
Jl Auchisea Acci Jy.
2 Alfonso Goncalves Ferreira Coata.
3 Antonio Flavio Pessoa Guerra.
4 Antonio Goncalves L iges de Mello.
5 Antonio Phantin > da Silva Soares..
6 Ayres de Albuquerque Gama Filho.
7 B rnardo da Cmara Guimaraea.
8 Braz Carneiro Leo.
9 Carlos Paea de Oliveira.
10 Carlos Lapes Fernandes.
11 Clemente Ferreira da Silva.
12 eac ecio Augusto Lobo.
13 Demetria da Costa Reg Monteiro.
14 Demetrio Urbano Figueiredo de Mello.
15 Elias doa Santo8 de Azevedo o Silva Jnior.
16 Elpidio Barbalho Uehoa Cavalcante.
17 Eraan.o /ieira de IIja.
18 Eudoro Soares de Azevedo.
19 Francisco de Assis Cavalcante de S e Albu-
querque.
20 Francisco Augusto Carneiro L:ao.
21 Francisco Paes Barretto Lamenha Lins.
22 Francisco de Paula Viera.
3 Francisco de Paula Goncalves Casco.
24 Guilherme Antur.es Gmmares.
25 Hermogenes Scrates Tavares de Vaseoncelloa
Jnior
26 Jeito Atheogenes de Barros Luna.
27 Joc ie Aquino Ribeiro.
28 Jeronymo Emiliano de Miranda ."ast;o J-
nior.
29 Jos Glycerio de S-uza Gouveia.
30 Joo Guilherme da Rocha Pedrcgulho.
31 Joaquim Ignacio Ribeiro.
32 Jos Ignacio de Andrade Lima.
33 Joaquim Monteiro Gu.-des Gondim.
34 J .o Jos de Figueiredo.
35 Joo Olympio Thaodoro da Silva.
36 Joaquim de Siqueira Amida Falco.
37 Jos Fiorlindo do Naacimento Lima.
38 Jote Nicolao Tolentino de Carvalho Jnior.
39 Jos Gaspar Loyo.
40 Jos Hygino de Miranda.
41 Jco de Carvalho Soares Brando.
42 Joao Jos Lop s de Albuquerque.
43 Joo Pego de Faria.
44 Jos de Miranda Costa.
45 Jos Cavalcante de Queiroz Monteiro.
46 Luiz Pessoa de Mello.
47 Luiz Jos da Silva.
48 Manoel Antonio d;s Santos Dias Filho.
49 Manoel Correia Peasoa de Mello.
50 Miguel Archanjo Fernandes Pimenta.
51 Octaviano Cordeiro Coutinho.
52 Obvio Ferreira.
53 Pedro doa Santos Dias.
54 Pedio do Reg Barros Cavalcante.
55 Pedro de Assis Rocha.
56 Rubn Hygino de Miranda.
57 Sebastio Prisco de Siqueira Cavalcante.
58 Vicente de Paula Cesario de Mello.
59 Virgilio Goncalves Torres.
Inscreveram-se 130 :
Distinecao 1
Plenamente 30
Approvdos 59
Reprovados 23
Nao comparreeram a oral 8
3
6
Levantaram-se da escripia
Faltaram aa chamadas
130
Historia
") Approvados com dittincco
1 Augusto Hygino de Miranda Jnior.
3 Ezequiel Franco de S Jnior.
Approvadoa plenamente
1 Alfredo Bartholomeu da Rosa Borges.
2 Anchises Accioly.
3 Antonio Francisco de Magalhaes Silva.
4 Antonio Martiniano Veras.
5 Antonio Pires Galvo.
6 Arthur Lydio Rabello da Silva.
7 Carlos Alberto Machado.
8 Eduardo de Aquiuo Fonseca.
9 Eduardo Pedro Casco.
10 Jos Curio.
11 Joo de Oliveira Leite.
12 Joo Thom de Saboya e Silva.
13 Joo Thom Alvea Uuimares.
14 Jos da Suva Costa Netto.
15 Jos Saboya de Albuquerque.
16 Luiz Cavalcante Lacerda de Almeida.
16 Manoel Barboza de Freitaa Cardim.
18 Odilon Augusto Ribeiro.
19 Thom Joaquim de Barros Gibson.
20 Tito Hygino de Miranda.
21 '/icarias de Araujo e Vasconcellos.
Approvados
1 Alfonso Jos de Oliveia Sobrinho.
2 Alfredo Mameliano de Castro Quintaes.
3 Alfredo Osorio de Cerqueira.
4 Alfredo da Silva Loyo.
5 Amaro de Mesquita Wanderley.
6 Autonio Marques da Costa Ribeiro.
7 Antonio Ignacio do Reg Medeiros Netto.
8 Antonio Victor de S Barreto Filho.
9 Armando de Oliveira.
10 Auguato Octaviano de Souza Jnior.
11 Bernardino Jos Alves Maia.
12 Deocleciano Augusto Lobo.
13 Dionisio Goncalves Maia.
14 Fauato Freir de Carvalho Figueiredo.
15 Felippe de Barroa Wanderley.
16 Franciaco da Rocha Salgado.
17 Gustavo Krause.
18 Horacio de Aqumo Gaspar.
19 Joao Alvares Pereira Lyra Jnior.
30 .'ot Antonio de Almeida Pernambuco.
COMMERCIO
ttotsa coanaierelal de Pernam
buco
RECIFE, 14 DE JUNHO \)E 188b.
As tres horas da tarde
CotacCe* offiaet
Cambio aobre Lo drw, 9J d/v. 21 3/8 d. por l
do banco
O ^residente
Pedro Jos Finto.
O secretario,
Candido C. G. Alcoforado.
HMtMftffifres pcbucos
Me de Junho de 1886
ALFANL.EGA
Rbxda amkh
De 1 a 12
dem "0 14
Renda paovaci.
De 1 a 11
dem de 14
total
tBCBBBBOBIA De 1 a
Icen, du 14
019:418*173
51:001562
370:419*735
47:175*359
3:3689s4
------------------ 50:544*353
12
420:964*088
19:201*481
269*8 0
Comtji^do PBoviaciAt.De 1 a 12
dem du 14
15:471*331
42:671*735
ll:746*10
lrUiWM DBATRAai
dem de 14
: 1 a 12
54:417*838
3:726*858
729*160
"~4:456*008
21 Joo de Carvalo Soares Brandan.
22 Joaquim Guedes Correia Gondim Filho.
23 Joa Bonifacio do Amaral e Mello.
24 Jeronymo Emiliauo de Miranda Caatro J-
nior.
2.1 Jos Francisco do Reg Raugel Sibrinho.
26 Joaquim Jos de Pidho Guacal ves.
27 Joaquim Nunes Ferreira Coimbra.
28 Joo Olympio Theodoro da Sil'.
21 Mauoel Apollinario de Almeida.
30 Manoel Joaquim Baptiata.
31 Miguel Joa Ribeiro.
32 Sebaatio Lins Wanderley.
33 Tbeodorico de Oliveira.
34 Vicente da Silva Porto.
35 Walfrido Bastos de Oliveira.
36 Zsnobio Marques Lins.
Inscreveram-se 71 :
Distinecao 2
Plenamente 21
Approvados 36
Levaatou-ce da escripia 1
Provaa nuas 2
Faltaram as chamadas 9
71
AVinmeica
Distinecao
Alfr.'la di Silva L>y >.
Amia do R 'tro Medeiros de Vaaconcellog.
Dionizio Gone/ilvos Maia.
Fernando Pedro das Noves.
Florentino Olympio dos Santas.
Joaquim Nunes Ferreira Coimbra.
Joo Thom de Saboia e Silva.
Jos Gaspar Ljyo.
Manoel Clomeutino Carneiro da Cunha.
Plenamente
Alfonso Jos do Oiiveira Sobrinho.
Alberto Casto!lo Branco.
Antonio Henrique Cardim.
Antonio Francisco Regueira Pinto de Souza.
Antonio Franciaco d'Albuquerque Cavalcante
Antonio Honriquo de Almeida Jnior.
Augusto Cordeiro Fonseca de Medeiros
Auguato Eugenio Dintas Barroca.
Augusto Octavian a do Souza Jnior.
Augusto de S e Albuquerque.
Carlos Alberto Machado.
CarPa Moreira Res.
Eduardo Copea de Moud inca.
(latir Correia do Araujo.
Guilherme Autunes Guimares.
Joo Augusto Ferreira Lima.
Jo > Tavares Carvalh) e Silva.
Joaquim Policio Antun"s de Almeida e Castro
Joas Francisco Rodrigues.
Jos Antonio Pinto Jnior.
Jos de Gjes Cavalcante.
Jus Wenceslao Regneira Pinto de Souza.
Miguel Antonio Ribeiro.
Paulo Julio de M -lio.
Pedro Fernandes da Silva Manta.
Ral de Carvalho Silva.
Rita de Cassia Fonseca de Medeiros.
Sezino Barbozdo Valle,
Theodoro de Freita3 Barboza.
Tbeodorico de Oliveira.
Ulysses Carvalho Soares Brando.
Vicorino do Reg) Toscano Barreto Netto.
Virgilio Bacellar Canec.
Approvados
Agostinho Jos dos Santos Jnior.
Alfredo Ozorio do G-^rquaira.
Alfredo Tlines Pereira.
Alfr do Tavares Cordeiro Campos.
Antonio Cesano Moreira Dias Jnior.
Antonio Cordeiro Fonseca do Medeiros.
Antonio Flavio Pessoa Guerra.
Antonio Frauk in Freir Gameiro.
Antonio Goncalves Carneiro Meira.
Antonio Pereira Azevedo.
Autonio caires Galvo.
Arthur Barbalhi Ucha Cavalcante.
Arthur Goncalves Villela Torres.
Arthur Henrique da Silva.
Arthur Lopes de Mendonca.
Belisario Pernambuco.
Carlos Nunes Ferreira Coimura.
Demobthenes de Olinda Cavalcante d'Almeida.
Domicio do Reg Kangel.
Eiydio da Cunha SalJauha.
Lipidio Jos Ribeiro C.
Erasrao Vieir.i do Macedo.
Ezequiel Franco de S Jnior.
Felippe Henrique Gyro.
Francisco Athayde Martins Ribeiro.
Francisco de Barros Civalcante.
Francisco Dias da Costa.
Francisco Gomes Prente Filho.
Francisco Machado Cavalcante Sobrinho.
Fancisco Paea Barreto Lamenha Lins.
Galdino de Barroa.
Gustavo Krause.
Henrique Ernesto ?wenson.
Henrique Maria Palmeira.
Henriqu.; Nelson Ferreira de Mello.
Hermifta de Barros Pimentel.
II rmillo Alvaro doa Res Campello.
Horacio Aquino Gaspar.
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro Jnior.
Jeronymo da Rocha Pag.
Joo Athergenes da Barros Luna.
Joo Olympio Theodoro da Silya.
Joaquim do Reg Medeiros Vaaconcellos.
Jos Augusto Pereira de Mendonca.
Irse Felippe Marques Lins.
Jos Francisco do Reg Rangel Sobrinho.
Jos Ignacio de Andrade Lima.
Jos Nicolao Tolentino de Carvalho Jnior.
Jos Pinto Moreira.
Jos de Pinho Borges Juuinr.
Luiz J. Salgado Aocioli. .
Manoel Antonio dos Santos Dias Filho.
Manoel Augusto de Araujo.
Manoel Cal las Barreto Netto.
Manoel Tuuo dos Reis Campillo.
Manoel Xavier Paes Barreto Jnior.
Miguel du Medeiros Rapozo.
Osvaldo Machado Pereira da Silva.
Pedro Aff-neo Marques Muniz.
Pedro Paulo dos Santcs.
Prescillo Auspico da Cruz Cordeiro.
Salvador Celso de Albuquerque.
Solidonio Attico Leite.
Romo Philomeno Veras.
Theophilo Maria do Hollanda Cavalcante.
Thom Ulysses Ferreira Mello.
^>^SMi8MBr^B-SI815SIBgB>5
1
2
3
1
S
<;
7
8
9
1
2
8
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
II
15
16
17
18
19
90
21
2
28
21
23
26
-27
28
29
30
81
89
3:3
1
2
3
4

6
7
8
I
10
11
12
13
11
15
16
17
:8
19
20
21
22
23
21
26
26
27
28
29
3 i
31
2
::i
31
3
;6
37
38
89
40
11
42
13
1-1
13
4
47
18
l1.)
50
51
52
53
51
55
56
57
58
.Yj
60
l
62
63
64
68
66
fVLiTKACO DA PAUTA
Para a semana de 14 a 19 de junho de 1886
Ali^do em ra.oa, 400 rs. o kilo.
Assucar retinado 270 rs. o kilo.
Alfanacs* de Pernambuco, 12 de Junho de 18at3,
Oa conterentea,
Adolpho Gentil.
E. M. Pestaa.
DESPACHOS DE IMPORTACO
Vapor nacional Espirito-Santo, entrado
dos purtos do norte no dia 12 do corrente
e consignado ao Visconde do Itaqui do
Norte, inanifostou :
Farinha de mandioca 422 saceos a Fer-
nandes & Irrnai.
.lercadorias iivrsas 0 volumes or-
dem.
Escuna noruegU"nse Orlando, entrada de
Porto-Alegre no dia 12 do corrente e con
signada a Pereira Carneiro & C, mani-
featou :
Xsrque 86,595 kilos ordem.
despachos n: EXPORTADO
Ea 11 de Junho de 1886
Para o exterior
No vapor inglez Orator. carregaram :
Para Liverpool, V. Nee^en 11 fardos com 2,750
trapos velhos ; J. H. Boxwll 1,000 saccaa com
77,946 kilos de algodo.
No vapor francez Ville de Macei, j'carre-
gou :
Para rAilavre, A. Labille 4,000 coures verdes
cem 84, 00 kilos.
- No vapor allemo Hamburgo, carregou :
Para Breinen, V. Ncesen 1,396 couros salgados
com 16,752 kiW.
No lugar portuguez Temerario, carrega-
ram :
Para o Porto, S. Basta, Amorim Ae C. 1,006
sacess com 76.H38 1/2 kilos de algodo.
Para o Interior
No vapor allemo Hamburgo, carregou :
Para o Rio de Janeiro, J. H. Boxwoll 200 sac-
cas com 15.424 kilos de algodo.
67 Vaso da Gama Lamenha Lins.
68 Vital Brando Cavalcante.
69 Walfrido Basto de Oliveira.
Inscreveram-se 171
Distinecao 9
Plenamente 33
Approvados 69
Reprovados 35
Prova nnlla 3
Faltou a oral 5
dem aa chamadas 17 171
Geometra
Plenamente
1 Affonso Jos de Oliveira Sobrinho.
'2 Agostinhi Jos doa Santos Jnior.
3 Afredo Tcito da Rocha Pag.
4 Andr Das Pinheiro.
5 Antonio Cordeiro Fonseoa da Medeiros.
6 Antonio Goncalves Carneiro Meira.
7 Antonio Marques da Costa Ribeiro.
8 Antonio Miguel Nogueira de Souza.
9 Antonio Pire Galvo.
10 Augusto Cordeiro Fonseca de Medeiros.
11 Auguato Octaviano de Souza Jnior.
12 Augusto Olympio de Araujo e Souza.
13 Bernardino Jos Al ve Maia.
14 Dionisio Gonoalves Maia.
15 Diogo Soares Cabral de Millo.
16 Fernando Pedro das Neves.
17 Hermito de Barros Pimentel.
18 Joo Alvaros Pereira Lyra Jnior.
19 Joo Augusto Ferreira Lima.
20 Joo Lima Rodrigues.
21 Joo Paulino Marques Jnior.
22 Joo Pego de Faria.
23 Jos Curio.
24 Jos Martins Fiuza.
25 Joo Macedo Franja.
26 Jos Antonio de Almeida Pernambuco.
27 Jos Saboya de Albuquerque.
28 Jos Vidtorino Domingues Alves Maia.
29 Manoel Ribeiro dos Santos.
30 Oswaldo Machado Freir r'ereira da Silfa.
31 Pedro Alexandrino Machado Jnior.
32 Pedro Jos Pinto Jnior.
33 Pompilio de Castro Lima e Almeida.
34 Victorino do Reg Toacauo Barretto etto.
35 Zeferino Goncalves Agr.
A provados
1 Antonio Francisco de Albuquerque Caval-
cante.
2 Antonio Fraoklin Freir Gaaieiro.
3 Antoaio Henrique de Almeida Jnior.
4 Antonio Vital de Oliveira.
5 Armando de Oliveira.
6 Arthur Eugenio Dantas Barroca.
7 Augusto Hygino de Miranda Jnior.
8 Ayres de Albuquerque Gama Filho.
9 Bianor de Albuquerque.
10 Carlos Lopes Fernandes.
11 Eduardo de Aquido Fonseca.
12 Ezequiel Franco de S Jnior.
13 Fabio Reino Janior.
14 Francisco Carneiro Nobre de Lacerda.
15 Francisco Das da .osta.
16 Francisco Machado Teixeira Cavalcante So-
brinho.
17 Francisco Paes Barreto Lamenha Lins.
18-Galdiuo de Barroa.
19 Horacio de Aquino Gaspar.
20 Jeronymo Emiliano de Miranda Caatro Jn-
nior.
21 Joaquim da Silva Rocha.
22 Landelino de Luua Freir Jnior.
23 Leopoldo Prea Ferreira.
21 Manoel da osta Ribeiro.
25 Manoel Joaquim B .ptista.
6 Manoel Marques Carneiro Leao.
27 Manoel dos Fassos Marques de Oliveira.
28 'auto Julio de Mello.
2U Pedro Panlo dos Santis.
30 Romo Philomeno Vraa.
31 Salvador Celso de Albuquerque.
32 Sezino Barbosa do Valle.
33 Th odorico de Oliveira.
34 Tito Hygino de Miranda.
35 Valdivino Demetrio da Rocha Wanderley.
Inscriptos 85 : Ktti
Pieuamente
Approvados d*
Leuaut u-so da escripia
Poova nulla *
Faltaram as chamadas M
85
Algebra
Plenamente
1 Francisco Machado Teixeira Cavalcante So-
brinho.
2 Joas Francisco Ribeiro.
3 Jos Antoaio de Almeida Pernambuco.
4 Jos M.rtins Fiuza.
5 Manoel Riteiro,
6 Jebaatio Lins Wanderley.
7 Theodoro Braga de Freitas Barbosa
Approvados
1 Alfredo Albino da Silva Leal.
2 Armando do Oliveira.
3 Joaquim Thiago Lopes da Fonsoca.
4 Joaquim Paulino Marques Jnior.
5 Pedro Ignacio Themudo Lessa.
6 Tbeodorico de Oliveira.
7 Z ferino Goncalves Agr.
Inscreverani-se 21 : _
Plenam-nte _
Abprovados
Prova nulla
Fa taram.as chamadas a
21
Philosophia
Plenamente
1 Aochisis Accio y.
2 Antonio Henrique de Almeida Jnior.
3 Arthur Lydio Ribeiro da SJIva.
4 Auguato Hygino de Miranda.
5 Carlos Moreira Reis.
6 Dacio Paes Barreto.
7 Eiuardo de Aquino Fonseca.
8 Eduardo Eugen^auo Dantas Barroca.
9 Felinto Ferreira de Albuquerque.
10 Felippe de Barros Wanderley.
11 D Glafirose Corina de Aranjo.
12 Joao Diniz Ribeire da Cunha.
13 Joo Francisco de Arroda.
14 Joao de Menezes Franca.
15 Joao Madeira de Freitas.
No hiate nacional Aurora 2, carregou :
Para Mosacr, F. de Moraes 5 pipaa com J.3UU
litros de agurdente. >
Para Maco, J. Paes de Oliveira 100 sv.cos
com farinha de mandioca.
MOVIMENTO DO PORTO
Navio sakido no dia 13
ParahybaVapor inglez' GWor,"comman-
dante J. D. Platt, <*rga varios gneros-
Navio entrado no dia 14
Baha por es-ala 8J1/2 dias, vapor nacio-
nal Mrquez de Caxias, de 290 tonela-
das, commandante Felippe, R. da Nova,
equipagem 24, carga varios gneros; a
Domingos Alves Matheas.
Navios sahidos no mesmo dia
U xico Bar-.a norueguense Dromung
Louize, capitao H. E Olsen, em lastro.
Barbados barca ingleza Freuc"hney,\c&oi-
t5o V. E. Smith, em lastro.
Barbados--Escuna iugleza Bella Rosa> ca-
pitao Gcorge L. Bouden, em lastro.
OfcserfOfo
Nao houve entrada.
VAPORES ESPERADOS
Tamar
Ashadale
Hambury
Ville de Maoti
Para
Godrevy
Ville de Pernambuco
Ipojuca
Galicia
Cear
Mariner
Colorado
Neva
Congo
Af ojios
Advance
Tagu*
Amos-mente
do sul hoja
de Cardiff hoje
de Hamburgo amanh
do sal a 17
do sul a 17
de Liverpool a 18
i do Havre a 20
do norte a 20
do sul a 31
do norte a 83
de Liverpool a 23
do aul a 24
da Europa a 24
do aul a 25
do aul a 27
do norte a 28
do aul a 29
- Julho
de New-Yc.k a 3


-r -
Diario de PernambucoTerfa-fcira 15 de Jiuiho de
126




p


6'Jrs Antonio de Almeida Pernambuco.
7 J Jarme de M runda.
8 Jos Saboya de Albuquerquc.
9 Jet da fcilva Costa Netto.
0 Jos Victorino DoBiingues Alves Maia.
1 Oswaldo Machado Freir Pereira da Silva.
2 Paulo Julio de Mello.
3 Pedro Paulo dos Santos.
2 PriEcillo Auspicio da Cruz Cordeiro.
Approvados
25 Amaro de Mesquita Wanderley.
26 Antonio Barbosa Buarque Nazaretb.
27 Antonio Marques da Costa Ribeiro.
28 Antonio Vctor de S Barrete Filho.
29 Aprigio de Miranda Castra
39 Augusto Octaviano de Souza Jnior.
31 Bernardino Jos Alves Maia.
32 Ce)so Colombano da Costa Cirne.
33 Florano Honorato Ribeiro.
34 Francisco de Paula Vieira.
35 Jeronymo Emiliano de Miranda Castro J-
nior.
36 Jc Alvares Pereira Lyra Jnior.
87 JoSo Antero de Medeiros Furtado.
38 Joaquim Jos da Penha Gurcalves.
39 Joaquim Silverio Becerra Cavalcante.
40 Manoel Alves da Silva Freir.
41 Mauoel Arthur de Albuquerque Lima.
42 Peoro Estellita Carneiro Lins.
43 Pedro Jos Pinto Jnior.
44 Pedro do Reg Barros Cavalcante.
45 Rcdolpho Gorjeada Cunha Leal.
46 Sebastiao Lins Wanderley.
47 Lindolpho Rupiano de Salles Baviera.
48 Tito Hygino de Miranda.
40 Victorino do Ref, > Toscano Barrete Neto.
Insereveramse 62 :
Plenamente 24
Approvados 25
Reprovados % 3
Faltaram a eecripta 5
Faltou a oral 1
Escreveram ponto diverf o 2
Fui sorprehendido copiando 1
Levantou-se da prova esccripta 1
62
l.lHia dan peimaHK que llfuursiil wos> inna.uriie y-\<-. > le IttMU
1
2
3
4
0 6
l
9
?
"
12
11
u
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
NQMES DOg aTTESTAKTES
Bacbarel Adolpho Tacio da Costa Cirne ....
Bacharel Affonso Olindeose Ribeiro de Houza.
Dr. Affonso Octaviano Pinto GuimarSes.
Affonso Viriato.........
5 Antonio Adolpho Coelho ......
Antonio Ribeiro de Albuquerque GuimarSes .
Antonio da Silva GuimarSes ......
Ascencio Minervino Meira de Vasconcellos .
Augusto Hygino de Miranda......
Bacbarel Cloves Bevilaqua.......
Bacbarel Ernesto Cnnha.......
Bacharel Francisco Phaelante da Cmara Lima .
Hermino Rodrigues de Siqueira......
Dr. padre Jeronymo Thom da Silva ....
Bacharel Joaquim Monteiro de Sezaa Borges. .
Bacharel Jos Bandeira de Mello.....
Bacharel Jos Marques Acaui Ribeiro ....
Jos de Oliveira Cavalcante.......
Dr. Jos Soriano de Souza.......
Jos de Souza Cordeiro Simes......
Bacharel Luiz Ja Costa Ferreira Porto Carrciro
Bacharel Manoel Barbosa de .Iraujo.....
Bacharel Manoel Caetano de Siqueira ....
Dr. Manoel Pinto Damazo .......
siinphronio de Menczes........
Dr. Vicente Ferrer........
Vicente i e MsgalhSes........
Virginio Marques Carneiro Leio .....
Somma. :'4 25 3 5
Lila do* atK-ntanle* de algebra
Appro
varan
'<
b
1 i 2 63
1S
1
3
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
NOMES DOS ATTESTANTS
Jos Ferreira da Cruz Vieira ....
Manoel Alves Vianna......
Padre Dr. Jeronymo Thom da Silva
Bacharel Francisco Orra Lima Sobrinho
Jos Marques Acaui Ribeiro ....
Bacharel Cicero Odn Peregrino da Silva.
Luiz da Costa Ferreira Porto Carreiro .
Ovidio Alves Manaya......
Manoel Alves da Fonseca.....
Adolpho Feruandes S Antones ....
Augusto Hygino de Miranda ....
Bacharel Manoei Sebastto d'Araujo Pedrosa.
Antonio Xavier de Carvalho ....
Bacharel Ayres de Albuquerque Gama .
Bacbarel Jos Bandeira de Mello
Bacharel Tarquinio de Souza Amarantho Filho
Leonardo Joao Grego......
o
Somma


LISTA nominal dos profesores que atiesta ram habilita?o dos
examinadores de rhetorica em t **_________^^^
NOMES
Padre Dr. Jeronyrro Tnom da Silva
Bacharel Adolpho Tacio da Costa Cirne
Jos Marques Acaui Ribeiro .
Jos Ferreia da Cruz Vieira.....
Bacharel Luiz da Costa Ferreira Porto Carreiro .
Bacbarel Manoel Sebastiao de Araujo Pedrosa
2;Bacharel Arthur Orlando da Silva.
8Bacbarel Manoel Coelho dos Reis
9;Bacharel Trajano Alipio Temporal de Mendonca.
10 Augusto Hygino de Miranda.....
Bacharel Virginio Marques Carneiro Leio .
Antonio da Silva GuimarSes .
Bacharel Cebo Tertuliano Fcrnandes Quintella.
Bacharel Antonio Adolpho Coelho de Arru la,
11
12
13
14
15 Bacharel Francisco Phaelante Cmara Lama.
16 Jote de Oliv ira Cavalcante ....
17 Bacharel Jos hidoro Martina Jnior .
18 Herminio Rodrigues de Siqueira .
19 Conego Fabricio........
20 Bacbarel Joaquim Monteiro de Seixas Borges.
21 Bacbarel Olintbo Vctor......
22 Bodolpho de Albuquerque Araujo .
23 Bacharel JoSo Borges Pereira.....
24 Bacharel Jos Bandeira de Mello .
25 Antonio Caetano Reoello......
26 Leonardo Joo Grego.......
27 Ovidio Alves Manaya.......
28 Bacr.arel Jos Dmiz Barretto.....
29 Bacbarel Joo Feliciano da Motta e Albuquerque
30 Lenidas Silva........
31 r'rofessor Ernesto Carneiro Ribero Santiago.
32 J- s Calaban de Asss
33 Bacbarel Affonso Gordilho Costa .
34 Jos de Souza Cerdeiro SiinGes.....
35 Bacharel Cicero Odn Peregrino da Silf
36 Olympio Bonald......V .
37 Bacbarel Miguel Nunes Vianna .
38 Ascencio Miner.ino Meira de Vasconcellos .
39 Manoel Aderdato de Souza Jnior .
40 J- N. Monteiro Soares.......
41 Bachorel Hcnrique A. A. Milet .
42 Pedro Francisco de Mello......
43 Manoel Netto Carneiro Campeilo .
44 Ucides Rodrigues de Souza.....
45 Bachal Joaquim Francisco Vilella do Reg .
46 Bacbarel Alfredo Moreira de Barros Oliveira Lima.
47 Bacharel J..o Elysio de Castro Fonseca.
48 B-charel Je s FerrSo de GusraSo Lina .
49 Galdino Teixeira Lins de Barros Loreto.
50 Conego Antonio Arcoverde de Albuquerque Ca-
valcante .....
51 Bacharel Manoel Caetano de Siqueira .
52 Bacharel Manoel Henrique Cardim.
53 Jote Ignacio de Albcquerque Trindade .
54 Bacharel Gaspar de Druiomond Filbo
55 Bacharel Tbomaz Lundim......
56 Professor Francisco Silverio de Fanal .
57 Ji So Baptista de Albuquerque Salles
58 Bernardo Jos da Gama Lins.....
59 Isac Servio Ferreira.......
60 Bacbarel Manoel Mayrinik Monteiro de Andrade.
61 Bacbarel Monoel Barbosa de Aranjo
ttjB-cfaarel Liod-lpbo Hisbello Correia de Araujo.
63 bacharel Arthur Bezerra de Mello ....
Somma. 9
1
,s 8
a 8
c

o
C
# *
10 -----
2 1
5
7 2
2
1
1
5 2
2
2
f
e
p
H
g ->
5

1 25 92| 27 J 1 4 39 190
-2
<

18
3
7
9
11
4
2
2

8
1
1
4
3
1
12
7
7
3
10
5
5
3
4
2
1
5
1
1
1
1
7
1
1
1
2
2
2
2
i
1
1
1
1
2
1
1
l
I
1
I
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
'1
Lint* nomina*! don proleoiorr que llinlaram obre A ha bil tcito do* 1.1* la nominal do* profe**oreS que atteatalaram obre a*
examinando* de eocrapnia em !** do* examinando* de Geometra em i*g
1
2
3
4
b
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Bacharel JoSo Feliciano da Motta e Albuquerque.
Bacharel Manoel SebbastiSo de Araujo Pedros.
Bacharel Adolpho Tacio da Costa Ciine.
Jos Fe reir da Cruz Vi ira ....
Bacbarel Virgino Marques i arn-iro LeSo
Augusto Hygino de Miranda ....
Bacharel Ezequiel Franco de S .
Jos de Oliveira Cavalcante ....
Isaac Servio Ferreira......
Bacbarel Arthur Or.ando da Silva.
Bacharel Ayres de Albuquerque Gama.
Bacharel Luiz ot Cosa Ferreira Porto Carreiro.
Bacbarel Jos Bandeira de Mello .
Bacharel Olintbo Vctor.....
Hachan 1 Manoel Mairinck Monteiro de Andrade.
Professor Jtf Candido da Silva Pessoa.
Leonardo Joo Grego......
Herminio Rodrigues de Siqueira .
19 Jos Marques Acaua Ribetro .
20 Symphronio de Memzes.....
J.,i j Borges Pereira......
Antonio Jos de Moraes Sarment.
Ovidio Alves Manaya......
Conego Antonio Arcoverde de A. Cavalcante.
Pedro Francisco de Mello.....
Bacbaiel Lydio Alerano Bandeira de Mello
Francisco Correia Lima Sobrino
Bacharel Caetano Mara do Faria Noves.
Becharel Cycero Odn Peregrino da Silva
.Maimcl Alves Vianna......
Bacbarel Manoel Coelho dos Reis .
Rodolpho Albuquerque Araujo.
Jote Izidoro Martins Jnior ....
Camerino Sobrinho......
Bacharel Joaquim Monteiro de Senas Borges
Bacbarel Antonio Adolphc Coelho Arruda
Dr. Manoel da Motta Monteiro Lopes
Conego Fabricio.......
Piofessor Francisco Silverio de Farias .
tmido Fo teca de Medeiros ....
Dr. Ferrer........
I'adre Dr. Julio Mari do Reg Barros.
Jote Calasans de Assis.....
Dr. Affonso O. Pinto GimarSes.
21
89
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
Somma

o V a m 5 2 a B B m a o E m o O a < o u O. < 00 | o S B .2 E! a ce >
J 4 4 3 4 3 1 1
2 3 3
2 1 1
2 5 1
2 1 2
1 6- 1
1 6
1
1 1 1
1 2 2
1 2 1
1 1
1
1
1
1
6 1 1
2
2
2 l 1 1 1 1 1 1 1 1 1
1 SO 59 23 3|
o
s

M
1
t
o
10
7
4
8
4
8
5
8
7
1
3
5
6
3
1
1
1
1
o
3
2
2
5
2
1
1
1
1
1
1
1
2
2
1
1
1
babilltaeoea
NOMES
6 130
i.i*ia nominal do* profcNwore* que atle*iaram a habilliacio do* exami
nantlon de bl*loria eui 1 S*lt
ljDr. Joaquim Lnureiro......
2 Adolpho Fcrnandes S Antunes
3 Joe Marques Acau Ribeiro ....
41 Jos Fe reir da Cruz Vieira ....
"i Bacharel Arthur Orlando da Silva .
6 Herminio Rodrigues de Siqueira
7 Vicente Aujustu de Magallnlct.
8- Padre Dr Jeronymo Thom da Silva
91 Bacharel Rodolpho de Albuquerque 4raujo .
10 Dr. Albino Goncalves Meira de Vasconcellos.
11 Manoel Venancio Alves da Fonseca
Manoel Alves Vianna......
Justino Augusto da Silva Moura
Alipio Z. de Carvalho......
Baiharel Cicero Odn Peregrino da Silva
Bacharel Jos Izidero Martins Jnior .
Dr Joao C'odoaltlo Monteiro Lopes.
Jos Calasans da Silva.....
Bacharel Luiz da'osla Ferreira Porto Carreiro
Augiiato Hygino de Miranda ....
Ovidio Alves Manaya......
Professor Ernesto C. R. Santiago .
Bernardo Jos da Gama Lins ....
Bacharel Manoel Barbosa de Araujo
Bacharel Ezeqaicl Franco de S
Bacharel Francisco Phielante Cmara Lima.
Baehar>-1 Antonio A dolpho Coelho Arruda
Professor Simplicio da Cruz Ribeiro.
Bacharel Ayres de Albuquerque Gama .
Bacharel Manoel M Montei-o de Andrade .
Bacharel Clevis Bevilaqna.....
Bacharel Olintho Vctor.....
Ignacio do Reno Barros Pessoa.
Bacharel Argemiro Alves Aroxa
Francisco X Castello Blanco ....
Bacliarcl l'aetano de Siqueira .
Ascencio Min< rvino Meira de Vasconcelos .
Bacharel Virginio Marques Carneiro Lea .
39 Js d. Oliveira Cavalcante ....
r-*: !.v el Jos Bandeira de Mello .
:M-.srar de Drummcnd Filho .
.. utico.....
Snmn

5
I
35
8
i
i
35
I
2
II
i
o
a
9
I-
s"S
SE
o
I
.o
9
6
6
5
3
2
2
5
1
1
i
2
l
1
2
2
1
3
4
3
i
1
1
1
1
i
1
1
2
2
l
l
1
1
2
l
1
1
i
1
1
1
13? 85
Edital n. 110
E
1
2
3
4
5
t
7
8
9
10
11
NOMES
Bacharel Franco de S .
Augusto Hygino de Miranda
Bacharel Manoel SebasiiSo de A. Pedrosa
Jos Marques de A. Ribeiro
Galdino Teixeira de Barros LartO.
1
Bacharnl Ayres de Albiquerque Gama.
Bacharel Joao Feliciano da M. Albuquerque.
Bacn-re Mainel Caetano de Siqueira
Jos de Souza Cordeiro Simes.....
Bacharel Antonio Adolpho C. Arruda.
Bacharel Manoel Barbosa de Araujo
12i Bacharel Affonso Olindeuso.....
13 Bacbarel Manoel Muynnc M. de Andrude.
Jos Ferreira da Cruz Vieira.....
Ignacio do Reg Barros Peg-a.....
Bacharel Adolpho Tacio da Costa Cirne.
Bacharel Jos Bandeira de Mello .
Dr. Manoel Pinto Dmaso......
Ovidio Alves Manaya.......
Lenidas Silva........
Ascencio M. Meira de Vasco icollos.
Bacharel J. s Horacio da Cott*.....
Professor Simplicio da Cruz Ribei/o.
Bacharel Caetano Mara de Faria Ncves.
Herminio Rodrigues de Siqueira .
B:icliarel Jes Mauricio T. Temporal .
Bachure! Francisco Phaelante da Cmara Lima.
Baehurel Manoei Coelho dos Reis.
Dr. Affonso O. Pinto GuimarSes .
Joe de Oliveira Cavalcante 2
Symphonio de. Menczes......
Bacharel Jos I. Martins Jnior .
Bacharel Argemiro Alves Aioxa .
Conego Antonio Arco-verde de A. Cavalcante.
14
15
16
17
1-
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
3(i
31
32
33
34
s
i
5
I
s
e
a,
Semina.
1
1 1 1 1 1 1
Hi 21 36 1 2 9
TOTAL
14
6
2
5
1
2
1
1
1
1
1
1
1
7
3
3

1

1
1
1
1
1
1
1
1
2
i
1
1
1
1
1
De rdem da iuspe itoria de ta alfnilega, inti-
ma-se ao dono de nm encapado que fui apprehen-
dido no dia 7 do eorrente, s 10 horas da nianba, j
no cae da Lingoeta. para que, no praso de 15 '
das improrogaveis venha esta reparficio iipre- (Sa(
sentar sna defesa, requerer oque for a bsin de v i i:lr>,
seas direltoa e ver proseguir todos os mais termoR frtDI0Ca ^
do nroeesso, toh pena, se nao o fizer, de s.r jnl- -
gado a r-velia, nos ferinos do art. 746 do regula-
nieritil lie |9 lie neteinhro de 1860
3 seeci d* Alfaodega de Pernambuco, 10 de
.Junl., de 1880 O ebeje,
Cicero B. -lo. Mello.
Milbo, litros.
Manteiga-francesa, kilos.
Potassa, idem.
Pao e bolacha, dem
j Dito dem parp o collegio da orphas em Olinda,
idem.
Rap, dem.
idSlal n. 13
De ordem do Iliin. hr. Dr. inspector, fnt;a pu
bcu que n i da 17 lo correte ir prae. pTan-
fe a jiin'a (este thesouro, o f iniecimeiilo da aii
mi oruga ao- prefcoa p -Urm da eaaa de deferidnos
r Scii inliro, Birvindo de base a diaria de 420 rs.
Secretaria da tli> souro provincial de Pernaoi-
bnco, cm 8 de Jimba de 186.
O secretario,
Affonso de A. Mello.
E ital n. 14
De ordem do I lm. Sr. Dr. inspector, fac1 pu-
b ieo que no di l' do eorrente ir placa o for-
necuneiito dos medicamentos necessarios enfer-
mara da casa de rhsfencSo por lempo de urn auno,
a ciitar do 1" de Julho proximof uturo. servindo
de bate os piecos do respectivo fi.rmulano.
Sccr tana do thesouro provincial de Pernam-
buco, 8 de Junho de 1886O secretario,
Affonso de A. Mello.
Edital n. 1 11~
Tuucinbo, idem.
Vella de carnauba, idem.
Ditas steuriiii, mago.
Vmho branco, litros.
Dito tinto (Figneira), idem.
Dito do Porto, idem.
Vinagre, dem.
As prouos'us deverao ser apresentudas na sal
de suas sesto^s, em cartas fechadas, devidamente
selladas, at as 3 horas da tarde do dia 15 do cor-
rente, declarando os proponentes sujeitarem-se a.
ama multa de 5 /0 sobre o valor total do forneci-
ment.i, se no praso Je tres dias nao compareceiem
na secretaria da inetma S uta Casa, paraassi-
gnarem os respectivos eontractos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recite, 10 de Juuho de 1886.
O ceretario,
Pedro Rodrigues d* Souza.
D ordem
(2> praci.)
do Illm. Sr. inspector, se faz pu
Empresarla do abaaiecimento d
agna e caz a cidade de Olinda
DEVEDORES EM ATRAZO
Tendo a directora, era sessao de 15 do
eorrente, resolvido recebar por intermedio
de um soUicitador todas as contas de con-
suraraidores d'agna e g8a em atrazo, a
contar do aran > de 1876, resolvi n'esta
data encarregar de tal cobrana o Sr.
Diogo Baptista Fernandos, a quera espero
71
l.iala nominal do* profenaorea que aiiesiara
eiiiniinuniio de arllbnieilen.
m obre a babilitaro do*
em i s*s
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
2
27
28
2j
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
56
56
57
58
59
0
61
NOMES
Jos Ferreira da Cruz Virira .
Bacharel Cicero Odn Peregrino da Silva
Vicente MagalhScs.......
Bacharel JoSo Fejiciano da Motta eAlbuquerque.
Adolpho Fcrnandes S Antunes .
Bacharel Olintho Vctor.......
Jos Marques Acuna Ribeiro.....
Bacbarel Luiz da Costa Ferreira Porto Carreiro.
Bacbarel Virginio Marques Carneiro L-Ao
Baehan I Manoel Sebastiao de Araujo Pedrosa
Bacharel Francisco Ci rea Lima Sobrinho .
Bacharel Ezequiel Franco de S .
Bacharel Tertuliano Fcrnandes Quintella.
Bacharel Bemveato da Silveira Lobo .
Herminio Rodrigues de Siqueira
Galdino Teixeira Lins Barros de Loreto.
Ral Raposo Barradas .
Manoel Alves Vianna......
Bacharel Joao Borr,es-Pereira .....
Padre Dr. Jerouyino Tbom da Silva .
Bhchtrel Joaquim Monteiro de Seixas Borges
Leonardo Jo Grego......
Bacharel Ayres de Albuquerque Gama .
Jos de Oliveia Cavalcante.....
Bacharel Manoel Coelho dos Reis ....
Bichare! Joe Isidoro Martins Jnior .
Bacharel Francisco Phaelante da Cmara Lima .
Professor Francisco Silverio de Farias .
Jos Calazans d'Asis...... .
Dr. Miguel Themudo.......
Bacharel Joaquim Frao isco Vilella do Reg.
Alipio Cabral de Mello......
Bacharel Jos Lopes Pessca da Costa
Bacharel Herminio Moreira Dias ....
Dr. Albino Gen^alves Meira de Vasconcellos.
Bacharel Adolpho Tario da Costa Cirne.
Dr. Affeuso O Pinto GuimarSes.....
Ovidio Alves Manaya.......
Bacharel Jos Bandeira de Mello ....
Bacharel Manoel Mayrinck Monteiro de Andrade.
Bacbarel Clovis Bevilaqua......
Bacharel Arthur Orlando da Silva ....
Professor Simplicio da Cruz Ribeiro.
Bacharel Rodolpho Albuquerque d'Araujo
Bacharel Pedro Celso Ucha Cavalcante.
Bernardo Jos da Gma Lins.....
Augusto Hygino de Miranda ....
Bacbarel Manoel Coelho des Seis ....
Bacharel Jos Horacio da Costa ....
Ji s de Souza Cordeiro Sirooeu. .
Pedro Fran SC> d"! Mello......
Bi.ch-i--rlAff.es G-rdilboC'sU ....
Ernesto Carie iro Ribeir..- ftantiago.
Rodolpho Gonzaga de Menezes....
Bacbarel Daro Cavalcante ....
Samuel Ramos de Farias.....
Braz de Mello .......
Ricardo Fonseca de Medeiros ....
Bacbarel Vicente Saraiva de Carvalhc Neiva.
Bacbarel Manoel Caetano de Siqueira .
Bernardo Jos da Gama.....
real 3 kilogrimmas, abandonada as direitos por 188(3.
Antonio Jos Maia A C.
3* seocao da Alfanderja de Pernambuco, 14 de
Junb" de 1886.-Ocfcofe,
Cicero B. de Mello
Antonio Pereira Simdes.
DECL1RAC0ES
SARAO
Este club dar no dia 19 do eorrente o sen
sar'io deste mez "om o qual solemnisa o 4o ani-
versario da creacau de sua bibliotheca musical.
Os senhores sooios que estiverem quites para
com o Cofre social, sao rogados de procurar na
mi do senhor thesoureiro, seus bilhetes, isto as
noites de 15, 16 e 18, das 7 horas em diante.
Recife, 14 de Junho de 1886.
Joaquim Alves da Fonseca,
1 secretario.
Capitana do Porto
De ordeui do Exm. Sr. chefe de divisao Jos
Manoel Picaneo da Costa, inspector deste Arsenal
e eapitao do porto desta provincia, faco publico
que em observancia "o aviso circular do ministe-
rio da marinha de 7 de Malo ultimo, por esta re-
particao faz-se acqusicSo de eugajados e volun-
tarios para servir no batalhao naval, aos quaee sao
concedidas as seguintes vantagens :
Aos voluntarios 4005000, ass engajados 500,
e as pracas de pret voluntarias, quando excusas
por conelusSo de tempo do servico, um praso de
trras de 108,900 metros qnadrados ua3 colonias
do Estado.
Secretarla do Arsenal de Marinha de Pernan-
buco, 5 de Junho de 1886.
O secretario,
Antonio da Silva Azevedo.
Club Carlos Gomes
Teudo o Sr. Amaro Barreto transferido o sen
conesrto para o da 17 d eorrente, previno aos
t-enhore8 socios que neste dij fica suspenso para
todos os effeitos o expediente deste club.
Recife, 11 de Juuho de 1886.
Joaquim Alves da Fonseca,
1-" secretario.
Arsenal de Marinha
CONCURSO PARA ESCREVEXTE DA DIRECTO-
RA DE MACHINAS
Em cumprimento ao aviso do Ministerio da Ma-
rinha, sob n. 713 de 27 de Maio ultimo, o Exm.
Sr. chefe de divisSo Jos Manoel Picaneo da Cos-
ta, inspector deste Arrenal, manda fazer publico
que no da 10 de Julho vmdouro, s 11 horas da
manhS, ter lugar n'esta reparticAo, o concurso
para a vaga que existe de escrevente da directo-
ra de machinas, conforme preceita o art. 64 do
De ordem do Illm. Rr. inspector, se previne aos Regulamento que baixon com o decreto n. 5,622
procuradores dos possoidores de apolices, residen- de 21 de Maio de 874, que manda observar as
tes fra do irapwrio, para que venham receber at disposicoes de que trata o art. 203 do referido
o dia 25 do-correte, o valor das mesmas ; fican- j regulamento, ficando para isto abetta a inscripcSo
do scientea ne que, daquella data em diante, nao nesta Secretaria at o dia 1 de Julho vindouro _
se pagaro mais juros. Os pretendentes deverSo instruir suas peticoes
Thesouraria de Faenda d3 Pernambuco, 15 de i com documentos que provem bom comportameuto e
Jvuho de 1886.
-O secretario,
Luiz E. Pinheiro da Cmara.
Companhia de Edlflcaco
Ccmmunica-se aos Srs. accionistas, que por dc-
liberacAo da Drectcria, foi resolvido o recolhi-
ment da terceira prestacSo, na razSo de 10 por exercicio de composicao cm portuguez, rtdaccSo e
a idade de 18 annos completos, pelo menos, podendo
juntar quaesquer outros documentos que mostrem
suas habilitacoes.
Ao materias exigidas sao : Leitura e analyse
grammatical, escripta de trechos em portuguez, or-
thograpbia, versao das lmguas inglesa e francesa,
i cento do valor nominal de cada acc, o qual de- estylo de actos officiaes.
ver realisar na sede da Companhia, praca da j Secretaria da inspeccab do Arsenal de Marinha
Concordia n. 9, at o dia 30 do eorrente, em cuja
oceasiSo se dhtribuirSo as respectivas accoes.
Recife, 10 do Junho de 18i6.
O director secretario,
Gustavo Antunes.
Suata Casa de Misericordia do
Iteeife
A Illma. Junta administrativa d'esta Santa
Casa contrata, com quem melDores vantagens cf-
ferecer, o fornecimenio dos g.neros abaixo decla-
rados, para o consumo dos estabelecinentos so
de Pernambuco, 5 de Junho de 1886.
O secretario,
Antonio da Silva Axeoedo.
Club de regatas per-
nambueano
Pelo presente convida-se aquellas pessoss que
quizerem concorrer regata que este club reali-
sar no dia 29 do eorrente, a virem se inscreyer
guln7e8^"urateVTtrimesr.7de"julho a Sttembro j aetto do^mesmo club, das 7 s 9 horas da noite,
do eorrente anno : hospital Pedro II. hospicio de
alienados, casa dos expostos, hospital de Santa
gueda, asylo de Mendicidade, hospital dos la-
zaros e cellegio das orphas.
Al-tria, kilos.
Arroz, dem.
Aguar lente, litro.
Azete doce, idem.
Araruta, kilos.
Asssucar de 1*, 2* e 3' sorte e turbinado, idem.
Bacalh, idem.
Banba de porco, idem.
Batatas, idem.
Cha, idem.
Cat em grao, idem.
Carne secca, idem.
Ceblas, cento.
Fannha de mandioca da provincia, litros.
FeijSo, idem.
Fumo do Rio, kilos.
Gas, lata.
Dito inexplcsivel, idem.
at o dia 20.
Outrosim, ha dous premios : sondo um de 254
para o pareo composto de dous on mais escaleras
de 4 remos; e outro de 30*000 para o de 6 remos
as mesmas condices de de 4.
Secretaria do Club de Regatas Pernambucano
em 9 de Junho de 1886.
William Hughes.
Augusto F. Oliveira.
Directores de Regatas.
~SdR0ST
MARTIMOS contra fogo
COBsapaahJa Phesmlv Per-
uasvbueana
Ruado Commercio n. 8


S*





m
I mam i


Diario de PcrnambucoTerpa-feira 15 de Junho de 1886
I


I
;
i
THEATRO
DE
Quarta-feira, .6 de Junho
ia de Manto Antonio de Lisboa
OD o
Tbaumaturgo de Portugal
Recita em beneficio da iraprescao do drama
0 Cabo Cczar
Espectculo honrado com a aesistencia dos
Exms. Srs. Dr. vice presidente e Dr.
chefe de polica.
Depois que o Extn. 8r. Dr. vice-presidente tiver
cecupadj a respectiva tribuna, ser pela encl-
lente banda de msica do corpo de polica, sob a
regencia do maestro Candido Filbo ejecuta-
do a brilhanle ouvertur
OS TRES CAPITAES
Seguir-se-ba pelos Ilustres socios do corpa seo
nico do
Club Dramtico Familiar
que generosa e deaiaterissadamente accederan ao
pedido do Dr. Corte-Real, autor do drama, para o
protegerem nesta impresso, a exhibico do drama
militar e de grande npparato em 1 prologo, 5 ac-
tos e 7 quadros, enominado
ll. Batalho de Inaiilaria
D enoiniuacao dos quadros
PROLOGO.A Cutastropbe.
1. ACTO.A RevelacSo.
2. ACTO Q Crime.
3." ACTO.O Conde de Lipe.
4. ACTO.A VozdoSangue.
5.0 ACTO.O Perdao.
7. QUADRO.Apotheose.
PEH30ITAB2ITS
cneral Osorii.
General Caraprllo.
Coronel commandante do 9 batalho.
O inajor do mesrao.
G. Sampaio, commaudante do 21* corpa de Vo-
luntarios da Patria.
Valcacer, major do mesmo.
Grasina, capito do mesmo.
Porto, capito do mesmo.
Turres Gallindo, alferes do mesmo.
Cap tilo Paul filhi do general Campello.
Zulmira, mulh-r de Campero.
< I /. ll. cabo do 9o batalho.
Maria, biha do Cesar.
Valentim, ordi nanea de Campello.
fluemao, sargento do 21 corpo de Voluntarios da
Patria.
Tbumaz, vell o s >ldado amigo de Cesar.
Pedro, sobrinho de Cesar.
Officiaes do 9* batalho de infantaria.
Ditos do 21 corpo de Voluntarios da Patria.
Ajudantes de ordens do general Osorio.
Ajudaute de ordens do 9 batalbao.
Soldtdus do 3 regiment de artilharia.
Soldados do 21 corpo de Voluntarios da I'i.tna.
do 30 de Voluntarios da Patria e do 9o bata-
ILao de infantaria, msicos, etc.
O prologo pagsa se no Paraguay na memoravcl
batalha de
em >jue o exercito brasiler sob o cotnmando do
inmortal general Osorio
ganha a victoria, depuis de urna luta de 6 norts.
Durante o prologo sao rememoradas as glorias
dos batolbes de Voluntarios da Patria do Per-
nambuco.
Durante o combate em urna soena, onde o gene
ral Osorio est dar ordens aos seus ajudante?,
vem pelos ares, arremrssada pelos paraguayos,
urna bomba ardente, que cahindo em scena e pres-
tes rebentar, dever produzir a morte de muiros
que all estilo, mas o Cabo Cesar calmo, fri,
atira se ella, e cortando a mecha, inutilisa-a.
Por mais esse acto reconhece o general Osorio
a bravura dos pernainbucanos, e o declara perante
todos.
Em ontra scena vista dos espectadores, ao si-
milar das balas, ao trour dos canboes, ha a hor-
xivel
i:\plosao de nin armo
repleeto de munices. Scena esta que em ezcesai-
vo tea. agradado ao nosso publico.
Ao ndar a batalha ouve-se o clangor da cor-
eta do quartel-g neral que toca o signal da vic-
toria sobre o inimigo.
Por ama s voz, immensa, atreadora, accla-
mado
O Brasil vencedor.
O general Osorio felicita e louva a bravura dos
voluntarios da patria e do exercito.
O drama pa&sa-se na corte, comecando ao rece-
brr-s-j a noticia da
Passagem deHumayt
pela nossa eequadra.
O 5 acto passa-se no campo da execucSo na
corte. O 9 batalbao de infantaria acha-se em
forma. Apresenta se ah o peloto conduzindo o
Cabo Cesar, que vai ser fusilado.
Ao find ir-se esse quadro surge o
Anjo da Victoria
embocando a tuba b- llicosa, e coroando rs vultos
dos immortae- hroes da guerra do Paraguay.
Conde il'Eis. Buque de Casias
e general Osorio.
Cha preto
As qualidades mc-
lliorcs emais escolhi-
das neste genero, con-
tina a vend* r Carlos
Sinden, n. 48 rna do
Baro da Victoria.
Receben de impor-
taco directa e vende
mais barato do que em
outra qualquer parte.
Tambem vendemos
em caixas pequeas,
propriaspara botis e
casas de familia.
mued Stales A Brasil MailS.S.C.
O vapor Colorado
E' esperado dos portos do
sul ate o dia 24 de Junho
depois da demora necessaria
seguir para
H.
naranho, Para. Barbados,
Thomaz c Xew-Vork
Para carga, passagens e encommendas e dinhei-
ro a frete tracta-se com os
AGENTES
O vapor Advance
Leilo
MARTIMOS
COMPAXUIA l'KflMSytlUM
DE
aTegaco Costelra por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parhyba, Natal, Macu, Mossor, Ar a
caty, Cear, Acarahu e Camossim
O vapor Ipojuca
Segu no dia 22 de
Junho, s 5 horas
da tarde. Recebe
carga at q dia 21.
Encommendas passagens e dinheiros a frete anj
s 3 horas da tai de do dia da aahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Per*\amlwsiia
n. 12
Espera-se de New-Port-
News, at o dia 28 de Junho
o qual seguir depois da de- f
mora necessaria para a
Baha e Rio de Janeiro
Para carga, passagens, encommendas e dinheiri
a frete, tracta-se com os
AGENTES
Henry Forster k C.
N. 8 RUADO CMAifittGlO. N. 8.
1- andar
COJNPAXHIE DES aaEMSAUE
RES HARITIHES
LINHA MENSAL
O paquete Congo
Commandante Croa
1!
bampfschinTahrls-GesellschaA
Vapor Hamburg
Espora-se de H A.MBURGO,
via LISBOA, at o dia 16 do
corrente, seguindo depois da
demora necessaria para
Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, e encommendas tracta-
CONSIGNATARIOS
Borstelinann & C.
RUADO VIOARfON.S
1' andar
Compsuiba Kra; ileira de ave-
secoa Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandtmte o Io tenente Cario An-
tonio Gome
E' esperado dos por tos de
at o dia 16 dJu nho, p
seguir depois da demora in
dispensavel, para os porto
i do norte at Mandos.
Para carga, passagens, encommendas valores
racta-sena agencia
11Ruado Commercio11
A excellente banda de msica tocar nos inter-
valos des actos as seguintes pecas do seu reper-
torio :
Os cantes do hymineu
A polka es-ripta pelo Dr. Imoassaby
S. Thom de Parip
O pot-pourri por Candido Filh >, sobre o motivo
Canees populares
A mazurka por Candido Filbo
A Flor do Lyrio
O galope
K.e Furot
Urna bania de msica tocar no saguo do ttea-
tro durante a tarde nos intervallos dos actos.
O autor do drama dirige-se ao nosso pu-
blico pedindo Ihe o seu benfico auxilio pa-
ra a publicarlo de urna obra que tem ]>or
fim glorificar por mais ost- meio a heroici-
dade e bravura do BRIOSO POVO PER
NAMBUCANO no campo da honra, onde
sempre derramou o seu sangue para provar
que sao dignos netos dos Vieiras, Camaroes
e Das.
varaos
Camarotes da l* ordem 10*000
Ditos de 2 dita 1^*000
Ditos de 3 dita 8*000
Ditos de 4a aita 4* Cadeiras de Ia classe 3*000
Ditas de 2< dita 2*000
Galera 2* 00
Plateas 1*000
Paraso *500
ROVAL H.4IL STEAM PACKET
COMPANY
0 paquete Tama v
esperade
do sal no dia 15 de
c-rrente seguin lo
iepois da demora
uptessaria para
. Vicente, Lisboa, Vlgo e Son
thampton
Para passagens, fretes, etc., tracta-se com c i
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
CHAROEURS REUNS
Companhia Franeeza de .\avega-
eo a Vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lis
ooa, Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos
Steaier 7ille He Macelo
E' esperado dos portos do
sul at o dir. 25 do corrente,
seguindo, depois da demora
do costume, para Bordeauz,
tocando em
Dakar. Lisboa e Vlgo
Lembra-se kos senhores passageiros de tudas
as clasees que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatimento de 15 % em favor das fa-
milias composta de 4 prssoas ao menos e que pa-
garem 4 pasragens inteiras.
Por excepcao os criados de familias que toma-
rem hhetes de proa, gosam tambem 'este abati-
mento.
Os vales postaos e se de at e dia 23 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e dinheir)
a frete: tracta-se com o agente
Angoste Lablle
9 RUADO COMMERCIO-9
Paciflc Sieam Navigaon Company
STRAITS OF MAGELLAN LINE
Paquete Galicia
Espera-se dos portos
do sul at o dia 21 de
Junbc, seguindo pa-
ra a Europa depois da
demora do costume.
Este paquete e os que dora
m diante seguirem tocardo em
Plymonlh, o que facilitar che-
garem os passageiros com mais
brevidade a Londres.
Haver tambem abatimento no preco das pas-
sagens.
fara cargu, passagens, e encommendas, tracta-
ec com os
AGENTES
Wilson Hons *fc '.. Limited
N. 14- RA DO COMMERCIO N. 14
Companhia Dahlana de navega
cao a Vapor
Macei, Villa Nova, Penedo, Aracaj,
Estancia e Babia
0 nw Martnez de Gaxias
Commandante Nova
Segu imr eterivel
mente para os portos
cima no di a 8 do cor -
rente, as 3horas do
tarde. Recebe carga
nicamente ateo ai/2
dia do dia 18.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete 'racta-se na agencia
7Ra do Viga/rio 7
De excellentei predios
Terra Jeira. 15 do corrente
A's 11 horas
Na ra do Imperador n. 75
Urna casa terrea n. 96 na ra dos Guararapes,
rende annualmente 420*000.
Um sobrado de um andar m ra do Calabouco
n. 4, rande annualmente 690*000.
Um dito dito na ra do Coronel .-uassuna n. 50,
rende an analmente 522*000.
Um dito dito na travesea do Carmo n. 10, rende
annualmente 522*000
Um dito dito no becco da Bomba n. 8, rende an-
nualmente 456*000.
Urna casa terrea com soto na ra de Vidal de
Negreiros n. 45, r-nd annualmente 330*000.
Urna dita na ra do Negueira n, 13, rinde an-
nualmente 360*000.
Urna dita na Punte Velha n. 22, rende annualmen-
te 264*000.
Urna dita na ra do Visconde de Goyanna n. 107,
rende annualmente 300*009.
Tres ditas na Baixa-Verde ni. 1 B, l C e 3, rende
cada urna annualmente 168*000
Um sitio na Baixa-Verde n 5, rende annualmente
400*000.
Os predios acia a chamam a attencao dos senho-
res compradores pelo ptimo estado de conserva-
cao, e acharem se livres desembaracadas de qual
quer onus.
Agente Modesto Baplista
far lilo de todos es movis e mais objectos exis-
tentes na referida casa, ao correr do martello.
O bondda linha da Taearuna que partir da es-
taco do Brum as 10 horas e 40 minutos, dar
passagem gratis aos concurrentes do le.lo.
Na segunda casa depois da fabrica de oleo,
rna da Aurora d. 16f)
Leilo
De fazendas e miudesas da loja sita ra
do Rangel n. 48
lerga-feira, 15 de Junho
A's I o 11' horas
O agente Britto vender em leilo o resto das
fazendas e miudesas, ao correr do martello.
Leilo
Da armaco, gneros n pertenecs da taverna da
ras Lombas Valentinas n. 15, em lotes, a vontade
dos compradores.
Terca feira, 15 do crtente
A'* 11 hars
Pelo agente Hartins
Agente Burlamaqui
Leilo
De urna casa terea n. 1, ra das Per-
nambucanas
Terca feira, 15 do corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 22
O agenta Burlamaqui, competentemente auto-
rizado, levar a leilo a casa terrea n. 1, ra
das Pernambucanas na Capunga, em solo pro;rio,
com portao de madeira e gradeamento de ferro,
quintal grande e murado.
O i Srs. pretendentes. desde j podem examinar
a dita casa, paru qualquer informacao, o mesmo
agento dar.
_ AVISOS DIVERSOS
Aluga-se a casa da ra do Coronel Suassu-
na n. 150, com grandes cornados para familia,
quintal grande; a tratar ra DireiU n 106.
Precisa-se alugar urna preta ou um menino
para vender an ra : a tratar na ra dos Marty-
rios n. 148, 2 andar.
Aluga-se o sitio do Pina, com boa casa para
morada, contendo bastantes comandos para nu-
merosa familia, grande quantidade de coqueiros,
seis grandes viveiros, duas cacimbas com exceden-
te agua : a tratar no caes de Apollo n. 45.
Aluga-se casas a 8*000 no becco dos Coe-
Ihos, junto de S. Goncado : a tratar na ra da
Imperatriz n. 56.
Precisa-se alugar urna preta ou um menino
para vender na ra : a tratar na ra dos Marti-
rios n. 148, 2 andar.
Precisa-se ds um menino de 12 14 annos
de idade, jara vender na ra, dando fiador de
sua conducta : a tratar na ra de S. Joo n. 26.
Kecebe-se encommendas de bolos e cangica,
para os dias de Santo Antonio, 8. Joao e 3. Pedro ;
na ra da Matriz da Boa-Vista n. 3.
-se casa e comida a urna mulbcr muito
pobre e de boa conducta, que se sujeite a morar
com urna familia pequea e prestar seus servicos ;
quem quizer dirija-se ao Caminho Novo n. 128.
Aluga-se urna casa terrea na ra Imperia'
e o 2 anoar no pateo do Corpo Santo n. 17, com
bons commodos para familia : a tratar no terceiro
andar do mesmo.
Precisa-se de urna criada branca e de idade
que saiba engommar e entenda de cosinba, para
tomar conta de ama casa de rapaz solleiro ( de
commercio), dando nanea sua conducta : quem
estiver as condicps deixe carta nesta redacao
eom as iniciaes J. S.
Ao eommereio e ao pu-
blico
Nos abaixo assignados declararnos que tenda
nesta data dissolvido a sociedaoe que tinhamos na
fabrica de ci arros sita raa do R..sajo da Boa-
Vista n. 23, sob a firma commercial de Santoo &
Silva, retirou-se Domingos dos Santos, pago e
salisfeito de seu capital e lu.-ros, cando o activa
e passivo a cargo de Jos Mreira da Silva.
fiecife, 12 de Junho de 1686.
Domingos des Santos.
Jos Moreira da Silva.
pprcosTimr
Precisa-se de una
ama que saiba cosi-
nhar bem; no 3. an-
dar do predio n. 42
da ra Duque de Ca-
xias, por cima da tj-
pographia do Diario
Surtes
Vende-se bonitas aortes para Santo Antonio
S. Joo e S. Pedro : no patee de S. Pedro n. 4.
Caixeiro
Precisase de um caixeiro de 12 14 annos de
idade : a tratar no pateo Ht Par^izo n. 2
Precisa-se de urna cosinheira para casa de
familia ; na ra do Baro da Victoria n. 3a, loja
F muito barato
Saperior manteiga ingleza a 800 rs. a libra ;
vende-se na pateo do Carmo n. 13, taverna.
Leilo
Espera-se dos oortos do
sul at o dia 18 do corrente
seguindo depois da ndis-
peasavel demora para o Ha
're.
Os vapores desta companhia entrara no porto
ancorando em frente ao caes da praca do Commer-
cio Q sendo muito incommodo o embarque dos pas
sageiroe no fundeadouro das paquetes transatlan
ticos, no Lamaro e demais devendo todos aportar
ao Havre, que o porto mais visinho de Paria,
fra de duvida que ha grande vantagem para quem
quizer ir Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, alm de serem os precos
das passagens mais mdicos, as despezas do embar-
que aqui e as de transporto do Havre a Paiis, sao
muito menores do que as que demandara as viagens
nos paquetes das outras linhas.
Conduzem medico a bordo, sao de marcha rapid-
e offerecem expelientes commodos e ptimo passaa
dio.
As pastagens podero ser tomadas de aatem.
Recebe carga encommendas e parsageiros para
os quaes tem excellentcs accoraraodacoes.
Domingos Alves Mathens
Para
Segu com brevidade para o porto aeima d
patacho hespanhol Joven Pura ; para o resto da
carga que falta, trata-se com Baltar Oliveira e
Companhia.
Baha
Brigue italiano Andr Padre segu para a Bahia
nessrs se*s dias para onde toma carga a frete ba-
rato, para tratar com o Sr. capito ra do Bom
Jess n. 35.
Lisboa e Porto
Segu com brevidade o patacho portugus Dous
Irmaot. para o resto da c.irgi. trata-se com Silva
Guimarans te C, rna do Commercio n. 5.
Para Maranho
Recebe earga e possageiros para o porto cima
a'barca portugueta Vasco da Gama ; a tratar
com os cansienatarios Jo* da Silva Loyo
Filho.
De f*zendas limpas e avariadas
A's 11 horas
POR INTERVENgO DO AGENTE
Alfredo Guimari.es
Em sua agencia ra do Bom Jess n. 45
Leilo
De urna casi terrea sita tua do Pharol n. 6,
com porta e janella, salas, 2 quartas, cozinha
tora e quintal murado, rendeado 18*000 men-
saes.
Urna dita n. 4 nobecsc da Quiabo, freguezia da
Boa-Vista, com porta e janella, 2 salas, 2 quartos,
cozinha fra, quintal murado e cscimba.
Urna outra na raa de Sa ta Rita Velha n. 58,
com porta e janella, 2 salas, 2 quartos e quintal
murado.
Quarta-feira
A'S II
F
Vende-se ou permutare urna casa cam sota na
ra do Socego n. 32 : a tratar na mesma.
Aviso
O tabellio Apolinario Maranho mudou o seu
enrtorio para a casa n. 14 da mesma ra estreita
do Rosario.
Na Magdalena
Aluga-se urna ca i terrea com commodos para
familia, tendo agua e gaz encanados e sitio todo
murado, sita travessa do Paysand ; a chave
est na taverna do Sr. Francisco Braga, ra do
Paysand, esquina da ra do Hospital Portu-
gus.
Padre Antonio de Mello e ti
buqnerque
O capito Jos de barros Accicli e suas filhas,
Jos de Barros A. de Vasconcelos e sua fami-
lia, teuente-coronel Francisco ae Barros A. de
VasconccUos e sua familia, Antonio de Mello e
Albaquerque, o capito Munoel Cohet e sua fa-
milia (ausentes}, o capito Joo Goston, sua mu-
lher e filhos agradeeem cordialmente aos amigos,
sacerdotes e irmandades qne acompanharam ae
cemiteno pubw os restos mortaes de seu cuoha-
do e tio, o Revm. padre Antonio de Mello e Albu-
querque ; de novo convidam aos seus amigos e os
do finado para assistirem as missas que mandaa
celebrar na matriz de S. Jos, no dia 16 do cor-
rente, s 7 horas da manh, stimo dia de seu
fall cimento, pelo que se confessam eternamente
agradecidos. ____________________________
*m
POR
16 do corrente
HORaS
INTERVENCAO DO AGENTE
Alfredo l.u.inares
Em sua agencia ra do Bou
lemus n. 15
Em continuaco vender o msmo agente 8 sa-
nefas de nogueira, garrafis, compoteiras, pratos e
muito* ourros artigos.
Leilo
De urna cas i terrea ra do
Areal a. 10. em solo proprlo
Quinta-feira 17 do corr-nte
A'S 11 HORAS
Ra do Imperador n. 22
O agente Burlamaqui, competentemente aurori-
sado, levar a leilo a casa terrea n. 10, a ra do
Areal, em solo proprio, com quintal, botando os
fundos para a fabrica du sabo ; os Srs. pretea-
dentes desde j podem examinar a dita casa, a
chave acha se na mt-sma fabrica.
Ama de leite
Offerece se urna ama com muito bom leite, por
preco mdico, levando tambem urna filhinha com
tres mezes de idade ; a tratar na travessa dos
Expostos n. 2, das 7 horas da manh s 5 da
tarde.
Aluga-se
Minio barato
urna casa na ra de S. Jorge n. 26 (no Recife)'
com 5 quartos, com cosinha, 2 salas, quintal com
portao, etc. ; a tratar na ra de Santa Tbereza
numero 38.
Caixeiro}
Preeisa-se Ai um caixeiro de 12 14 annos,
com pratica de molbados e que d conhecimento
de saa conducta, isto de pessoa da mesma profis-
so, preferindo se portugus : na ra do Mr-
quez do Herval n. 29.
Cosinheira
Precisa-se de nma para casa
de pequea familia, no onteiro:
a tratar na ra da Matriz da Boa-
Vista n, 9.
f
L lilao
De 147 saceos com farinha de mandioca,
a variados, marca F
Quinta feira, 17 do corrente
A's II horas ,
Trapiche Conapaabta. largo do Cor-
po Manto
O igente Bur'amuqui, competentemente autori-
sado, levar a leilo M7 saceos, com farinha de
mandioca, avariados a bordo do vaper nacional
Espirito Santo, dos portos do norte para este
porto.
Leilo
LEILOFJ
Aceitam-se encommendas de bilhetes da Enca-
dernacao Commercial do Ir. Miranda, raa do
Duqn de Oaxias n. 39, e no dia do espectculo,
na bilbeteria do theatro.
Trens para Apipncos e Olinda.
Bonds para todas as linhas.
rrlneistiara 8 Horas e nut qnar
o ea poato.
E' esperado da Europa at
o dia 20 de Junho, se-
guindo depois da indispen-
Bavel Memora para a Ba-
bia. Uto de Janeiro
e Manto*.
Roga-sc aos Srs. importadores de carga p'los
vapores desta linha,quciram presentar dentro de 6
dias a contar do da aeaoar^a das alvareng u-
quer reclamaco eoncernente a volumes, qu ventura tenham seguido para os portos do sul,afim
de se poderem dar a tempo as providencias nece-
sarias.
Expirado o referido prasa a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Kecebe carga, encommendas e passageir* paro
es quaes tem excellentes accomodacoes.
Augusto F. de Oliveira H,
%GE-VTEN
42 -RA DO OOMMEROIO-45f
Terca-feira 15, deve ter lugar o leilo das divi-
das nao s da massa fallida de Montes A Rocha
como das da mpssa fallida de r,ereira de Siqueira
&C.
Quinta-feira 17, de bms movis, lindos espe-
Ihos, candieiro, vinhos finos, e mais pertencea da
casa em que mora o Sr. A- Fouqueau ra da Im-
peratriz n. 13.
Leilo
das dividaa da massa fallida de Pereira de
Siqueira & C, na importancia de.....
3:940|ld0
Terca feira 15 do corrente
A's 11 horas
Ma rna do Bom Jess n. 43
O agente Pinto levar a leilo, por mandado e
em presenca do Illip. Sr. juiz Dr. de dinito espa-
cial do commercio, em virtude do requer meato do
Dr. curador fiscal da massa fallida de Pereira de
Siqueira fc C-, na imp rtancia de 3:940*180, cons-
tantes da nota existente no escnpiorio do referido
agente, ra do Bom Jess n. 43
3 e ul imo leilo
das dividas activas da maesa fallida de
Moraea ci Rocha, na importancia de. .
8:260,52>0
Tergafeira 15 d* Junh
A'S 11 HORAS
Rna do llom fesus n. 43
O ag-'iiti1 f'luto levar a li'ilo pt'la teroeira ves
as dividas cima menci madas, sent que nesta
ser rcalisada dita venda com qm-m m^lhor vtn-
tagem ofifercter, isto por descacho do Illm. Sr Dr.
}uiz de direito especial do commercio, de accordo
com o parecor dos administradores da referida
massa.
De bons movis, erystaes, um
lustre grande de quatro bico,
um banco para carplna e fer-
ramenta
Sendo urna linda mobilia de junco com consolos
d marmore, urna dila de jicarand estufada, ten-
do 1 divn, 12 cadeiras de guarnic, duas ditas
de bracos e :' consolas de pedra; 1 espelho gran-
de dourado, duas srrpentinas de crvstal, 2 pares
d<* jarros de alabastr >, 2 grandes candieiros com
ps de metal para kerozene, diversos quadros,
duas figuras ae bronze, bustos, etagers para jar-
ros, cadeiras de baUnco de junco, escarradeiras,
2 b nitoj guarda vestidos de amarello, 1 rico toi-
lett de Jacaranda, 1 avat< rio de dito com es-
pelho, 1 berco e urna cama de Jacaranda para
"rianca, duas porta-toalbas, urna bonita mesa de
laia cm tampo de pedra, duas poltronas de dita,
1 lindo telescop> c m vistns, urna banca de Jaca-
randa para jog \ 1 binculo e 1 oceulo de alcance.
Um grande lustre de crystal de 4 bicos, 1 can-
dieiro de metal de 2 bicos, urna lyra, 3 arandellas
pxrii gaz c 1 grande tapete forro de saia.
Urna mesa elstica, 1 guarda-prata de amarel-
lo, aparadores, cadeiras, marquezaa, urna cama
de viagem, urna grande caneira com mocho, 1
aparador de armario, urna grande mesa redonda
de Jacaranda cum pedra, 1 carrinho de 4 rodas
para enanca, 1 marquez<>, louca fiaa de porcela-
na para jantar, dita para almoc>i,garrafas de crys-
il para vinho, compoteiras, 2 ricos e importantes
henreiros, fino* clices para vinho e champagne,
fructeiras de crystal, disticos de metal para gar-
rafas trinchantes, 1 vaso de metal para gelo, 1 ri-
ca glub i para curred.ir e urna boa machina de fa-
ser af.
Um banco para carpina com tarramentas, urna
gr iros muitos movis.
Na rua da Aurora, '-asa n. 165
Sexta-feira 18 do corrente
A's 1 i horas
O agente Martina, aulorisado por ama familia
que mudou a sua residencia para fra da cidade,
Liquidaco
59 -Rua tinque de Caxlas&
Alguna artigos 50 [, menos do sea valor
Failes damass, linda fazeuda, a 400 rs. o co-
vado!
Linons com salpicos a 560 e 700 rs. o dito !
Cachemiras com boliuhas de velludo a 1/200 rs
o dito 1
dem de 2 larguras, fingindo dados e lisas, to-
das as cores,a 1/500 !
dem pretas, e merinos (2 larguras) a 900, lOO,
1*400 eli600t '
Alpacas de sedas finas a 360 e 400 rs. o dito !
Popelinas com listras de seda a 280 e 320 o
dito!
Seti-is Maco verdadeiro, desde 8*0 rs. a 2000,o
que ha de melbor
Gorguro preto de seda, para (um vestido de-
cente) a 2*000 o covado 1 para acabar.
Damasss de cores, seda superier, a 900 rs. o
dito!
Velludilhos liso e de listrinbas a 1/000 e 1/600
o dito!
Esguio pardo para vestido a 560 rs. o dito !
iSausoks fiuissimos de cores a 320 rs. o dito !
Cretooes para chambres e cobertas, superiores,
a 360 rs. o dito !
Dainascm de l com 2 metros de largura, a
1/8(10 o dito!
Mariposas de cores lindas a 260 rs. o dito !
Bramante de lioho superior, 4 larguras, a 2/000
o metro!
dem do algodo, idem, idem a 1/500 o dito !
Atoalhado bjrdado, o melbor possivel, a 1/500
o dito !
Brios de linho de cores (linho puro) a 1/200 o
dito!
Camisas francezas sem punhos e colarinhos a
40/000 a duzia !
Ceroulas de bramante 'bordadas a 12/ e 18/ a
dita!
Gruardanapjs de linho a 3/000 a dita !
Meias arrendadas para senhora a 8/000 a
dita!
dem croas para homem a 3/500, 4/500 e
a dita !
L 'neos brancos em lindas bolsinhas de setim
3/0OO a dita !
Enxovaes para casamento o segrate :
Lindas grmaldas e vus a 14/000 e lGfOOO !
Ricas coixas de crochets a 10/000 e 124000!
Guamicoes de dito (cadenas e sof) a 8/000 !
Eipartilbos americanos, chiques, a 6/000
8/000 !
Cortinas bordadas, novbs ostos, a 7/000
10/000 !
Vendas em grosso, descont da praca.
5 atoa Duque de Caxla* SO
LOJA DE
Carneiro da Cunha & C.
Padre
Antonio de Helio e Al-
buiuerque
Manoel Antonio Viegas manda celebrar urna
missa no convento de S. Francisco, s 8 horas da
manh do dia 17 (quinta-feira) pelo repouso eter-
no de seu fim.ilo amigo e collega o padre Antonio
de Mello a Albaquer^ne, e convida a filma. C-
mara Municipal, es parentes e amigos para assis-
tirem a esse acto de car. dade ebria ta.

Antonio F. Crrela de
Aranjo
Thcm Correia de Aranjo c sua mulher man-
dam resar urna missa pelo eterno r. presado sobrinho e amigo. Dr. Antonio Francisco
Correia de Araujo, no dia 16 do corrente mez,
(quarta feira) s 8 hora] da manh, trigsimo dia
do seu passamento, na matriz de Tracunhem, e
convidam os seus amigos para assistirem, con-
fessande-se agradecidos todos qne concorrerem
a este acto religioso.
Engnho Limeira 11 de Junho de 86.
Padre
e Al-
Antonio de Mello
buquerqae
Jos Maria Bezerra Cavalcante. tendo de man-
dar resar urna missa pr alma de sea presado ami-
go e compadre, padre Antonio de Mello e Alba-
querque, pelas'8 hn-as da manh do dia 17 do
corrente, stimo de seu fallecimento, na igreja
matriz de N. S. da Paz de Afogados, convida aos
seas amigos e aos do finado, para assistirem a
este acto de caridad* e religio, pelo que desde
j se confesa agradecido
Sitio
Aluguel muito barato
Cotn casa para familia, t- ndo muitos arvoredos
dando tructo, e logo junto excellente banho sal
galo, ua travessa do Motoeolomb n. 4 (Afoga-
dos), perto dos honda e do caminho de ferro ;
junto do Illm Sr chefe Lima : a tratar na rua
de Santa Thereza n. 38.
CALLOS
O MELHOR E MAIS INFALLIVEL DE-
TRACTOR DOS CALLOS E' A
Majnardina
porque os extrahe completamente,sem causar
miniua dor. '
E' fac de applicar, nao impede de se andar
ca'cado e tem o seu effeito comprovado por attes-
tadoj insuspeitos e em numerosas applicaces que
nunca falharam. Nao confundam, nem re en-
ganem com outro preparado. S verdadeiro o
que se prepara e vende na Drogara e Imperial
Pharmacia Diniz
DE DINIZ& LORENZO
37-Praa do General Ozorio-37
Deposito em P.narubucor pharmacia da
H :nnc3 de Souza Pereira & O,
Successores
Boa do Mrquez di OMa a. 27
"abaixo assignado, Dr. em medicina pela Fa-
"uldade do Rio de Janeiro, cavalheiro da ordem
de hristj por Portugal, medica adjnnto do Hos-
pital da Veueravel Ordem Terceira do Carmo, da
caixa de D. Pedro V, agraciado com a medalka
humanitaria por esta pia institoico, etc., etc.
Atiesta que o remrdio denominado M YJAR-
DINA, preparado pelos Srs. Diniz & Lorenzo
na imperial drogara e pharmacia Diniz, iufal-
livel para a extraeco dos callos. Outrosim
attesto que tendo em si empr-gadu, colheu os me-
ihores resaltados a .ponto de peder calcar as be-
tinas as muis justas
O que attesta verdade e jara =ob a f de seu
grao
Rio, 10 da Dezembro de 1685.- Dr. Francisco
de Paula Costa Jnior.
Arrebioaes Yermellias t Braans
Hn use otni'tKimi netrm>
CASA DORIN
E.MOiTU.tsjr.nsiaCissia-lt^snn.rAatt
*VpadtotaAnMnM*.FB>10da, HLUiC.


.

6
Diario de PfMhaamwcsiTer^a-feira 15 de Juulio de 1886
de
rR0OQOATR0L IRMAOS^
Pharmaceuticos Chirrieos
rPela Escola superior de Pharmacia de Pars"
i
Este novo medicamento recommenda-se'
1 especialmente nos Pebres intermitientes,
vulgarmente chamadas Se^es ou Maleitas.!
Ellcfa\ desapparecer com rapidei as Pebres
mais rebeldes e sobre a sua influencia os
doentes nao tardam a recuperar a saude e
obter urna cura radical.
Para evitar as falsificantes, exigir como
garantia sobre todas as garrafas o neme
iile A. CAORS, e sobre oe letreiros a
^assignatura dos inventores.
VENOE-SE POR ATACADO E A RETALHO
,na Botica Francesa e Drogaria
AUGUSTO CAORS
Ba da Cruz, 22
PERHAMBUC
AufuKlo BapliMia Braga
Emilia ('avalame (!c Mello Braga agradece
sinceramente aos prenles amigos que compare-
cern) ao cntcrrauentu de seu presadissmo esposo
Augusto Baptista Braga, e eonvida os assist-
rem a missa do stimo da, que por sua alma,
manda resar na igreja da Suledade. quarta-feira
16 do corrente 7 horas da manhi, pelo que
fiear eternamente agradecida.
Aususto fiaplila Brasa
Os empregados do cominen-io c alguna nego-
ciantes da ra do Mrquez de ulinda, em home-
nag-m memoria de seu iadlluo colega e ami-
go, Augusto BaptUa Braga, mandara celebrar
urna missa de rquiem pelo descanso eterno do
sua alma, e oonvidam aasistU-a os parentes e
amigos daquelle finado, ropa do-lhes o compare-
cimento na igreja da Soledade, s 7 boras ''a
manba do dia 16 do corrente, tetin o do seu falle-
cimento.
Iiisiimo Baptimia Braca
A banda du Club Carlos Gomes convidaos pa-
rentes e amigas do filiado Augusf > Bap:ista Bra-
ga, para assfstirem a urna missa que manda ro-
sar pelo eterno rep uso d- sua alma, no dia 16 do
corrente, na igreja Ha Soirdade, s 6 1/2 horas
da manba.O thesoureiro,
Os abaixo assignados coropungiilos pelo
traspr.sso do seu nunc esquecido comman-
daute, coronel D>eia do A quino Fonseca,
convidara aos scus nnigos, coirpinheiros
e aos do illustr" finado, par a.-siatirero
missa e memento, qu- pela alma do mesmo
coronel raandam celebr r no dia 1,'i do cor-
rente, s 7 hor:is da manlia, na igreja da
S ileciade desta > dad.', confesandw-se des-
de j pinhoradus por estu acto de religiao
e humanidad^' s p sso.is que se dignaren
omparec r
Keife, 12 de Junho de 1886.
Antonio Franis o C.reiro de Mello.
Amonio Jos de Soasa e Silva.
Severiaao Vivir da l'az.
Jos M-n es da Silva.
Joaquiu Fdix B Berra Cavalcante.
Migui'l Nanea de Fritas.
Sebaaao FU r > 't R-go.
mMMmamanmBmmmtiax+iammmmm
I
Leonor ''orto jj
B. 4.

Rua do Imperador
Primorn untar
C-ntina a esrentai o mais diffleeis
figurinoa rechn-.- de Uiodres, Pars,
Lisboa e Jt> de Janeiro.
Prima.': (tura, em bre
vidade, :. eii preces e fino
gosto.
I
H
t|Precisa- se de urna ama que saiba lavar eensa
boar, e mais servicos de casa de familia ; a tratar
na ra do Baro da Victoria n. 7, a- andar.
Ana
Precisa-se de urna ama para cosinhar, porm
que durma em casa : na roa de Riachnello n. 57,
pertio de ferro.
Precisa-se de urna ama qnc seja boa coeinheira :
ua ra do Csbug n. 16, 2- andar.
Ama
Precisase de urna ama para tod-> servico de
casa de familia s a tratar na ra do Cotovello
nunero 46.
Ama
Dedo de quine Fondees
Euclides de Aquino Fonseca e sua mulher D.
Mara Emilia de Salles Fonseca, \lcides de
Aquino Fojseca, agradecendo ccrdialmente
lllma. Cmara Municipal do Reeife e a todas as
peesoas que se digoaram de prestar-lhes o obse-
quio de conduzir o cadver .de seu presado pai e
ogro, Decio de Aqaino Fonseca, sepultura,
convidam a todos >s parentes e amigos para as-
sietir. m as missas, qnc p.T alma deste, 3e resarao
na capella do cemiterio desta cidade e na de N. S.
da Conceicao le Beberibe, :'s 8horas da manha
do dia 15 do corrente, antccipaiibo-se em expre-
sar-lhes sua profunda gratidao por este piedoso
obsequio.
Precisa-se de urna ama para lavar, engommar
e cosinhar para duas pessoas : a tratar na ra do
Imperador n. 75, loja, das 9 as 4 da taode,
Ama
Precisa-se de urna una para cosinhar ; ama
da Florentina n. 2, taverna.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite : na ra de
Pedro Affonso n. 70.
Amas para cozinhar e en-
gommar
jNa ra do Bemfi-
ca sitio que fica em
frente da Estradaj dos
Remedios, se precisa
de duas amas forras ou
escravas, para servido
da cozinha e engom-
mado.
Aluga-se
Na ra do Viscoude de Pelotas n. 36, a casa
terrea da lad. ira do Varadouro na cidade de 01 in-
da n. 22 por 12000 mensaes, tem duas salas, 3
quartos, cosinha fra. b >m quintal com cacimba e
porto para o becco da Poeira.
Aluga-se
a casa frrea ra de Frei Henrique n. 6 e o
sobrado da praca de Conde d'Eu n. 26, com com-
modos para familia, est limpa ; a tratar na ra
do Bar3o de S. Borja n. 28.
ilflP-R
urna grande casa com dons grandes qnintaes e
agua encanada, ra Lembranca do Gomes n. 1,
em Santo Amaro : a tratar na ra da imperatriz
n. 32, 1- andar.
Aluga-se por 25$T~
a grande casa terrea ra de Luiz do Rogo n
47-B, com 5 quartos e mais um dir, bem concer
tada : a tratar na ra do Mrquez de Olinda n
60, ou no Caminho Novo n. 91, padara a chave
para correr, Da taverna junto.
Aluga-se barato
A casa n. 96 ra dos Guararapes.
A casa n. 107 da ra Visconde de Goyanna.
A ra do Kozario da Boa-Vista n. 39
A ra Loma1' Valentinas n. 4
Casa roa da Ponte Velha n. 3.
Trata se no largo de Corpo Santo n.19.1 andar
Mudanza de escri-
torio
O advogado Franc'sco do Reg Baptista e os
solicitadores Diogo Baptista Fernandes e Anto-
nio Machado das, mudaram s>-u uscriptorio para
a ra do Imperador n. 22, 1- andar, lado de dc-
traz, onde sero encontrados das 10 horas da ma-
nha s 3 da taide-
Aos senhores logislas e alfaiates
Mara Magdalena e Felismina de Miranda, re-
sidentes ra de S. Joao n. 26, cos m com pres-
teza e por preco commodo tamisas, ceroulas, cal-
cas e paletots. Os senhores legistas e alfaiates
podem se informar do m gociHnt.- Jote de Ar. ujo
Veiga, ra larga do Rosario, que est habilitado
a dar qualqu-r esc an ciment >.
Aguas niiih mes de Va es
FoDtfes
Ht. Jean
Precense
Desire
Deposito em Pernambuco, na botica franceza
de liouquarol Freres Sucressores de A. Caors, ra
da-Cruz n. 22.
Criado
PreciVa-s;1 de um criado d. 12 '4 annos, para
0 servico d<' cas- e iu dh /iraca do Conde d'Eu
n. 20, 1 andar.
triado
Aluga-si- um mulHlinbu si-ravo para criado, o
,ual sab- f zer com, i.. f tod oeei vico de casa,
por terj 17 hnnes, tero boa ci.ndocta e bailan-
te ladino, ras di S Jiaon. 27
Sneiifteiffiltr-
Prepara he ::.u n bouqne's, fsim Como aluga-
se araiscoj di tratar na ra *e
HiTt.'tB n 58, ou na i na .lo ImieT-dor numero 31
ou 67.
Etn quartcs e meias garrafas, v o< Faria
Sob.-inho & C, i roa do Mrquez de Olinaa i. 41,
DEPOSITARIOS
Restaurant America
Os proprietarios deste modesto estnbelecimento
participan, ao respeitavel publico que aceitam en-
commendas de b>los para os festejados das do
Santo ntonio, S. Joao, S. Pedro e iodos os san -
t s, e preparam cfiias cim todo o esmero e promp-
tidao ; 8ssim como receben-, pensionistas iuternos
e externos por precos os mais resumidos
28 Roa Duque de Canas 23
Iti-Mauritiil Inierba
J
PEROLAS DO DR CLERTAN
Al.provada pela Academia de Medicina de Pars.
AS PEROLAS DE TEREBGKTIIVt acalmara em alguns minutos as enxacraecas as MAIS
VIOLENTAS DORES DE CABECA e DOENCAS DO PIGAD90. Si a dose de trez Z quatrS perla!
nao produzir efecto dentro de alguns instantes intil sera /->/7 -- **"
continuar. Cadra vidro contem trinta perolas. Para ter o pro- Cc^^*
ducto bem preparado e eficaz, convem exigir a assignatura do: qx*&>
AS PEROLAS D'ETHER sao o remedio, por excellencia, das peSSBS
nervosas sujeias s suffocac&es, caimbras 'estomago e aos desmaios. as quaes
derem ter sempre mi este precioso medicamento. Exigir a assignatura : ------p.
AS PEROLAS DE QUININA conteem cada urna des centigrammas (dois graos) de sulfato de quinina puro.
Por isso efficacia dellas certa nos casos de febres alem do que nao causam repu-
gnancia, nem fasrio e engolem-se fcilmente. As perolas de quinina conservam-sc PJjudC*.
indefinitamente sem estragaren-se. E indispensavel exigir a signatura:
Se veade a varjo na mor parte das Pharmacies.
Fabricaco e atacado, Gasa L. FRERE
19, rae Jacob, em Pars.
r]
A AIS ((MECIDA
NO
Mundo enteiro
PARA CURAR
aac:
nem nenhutn outro medicamento e mem temer accidente*.
PARS 7, Boulevard Denain, 7 PARS
Depsitos em PernoiHbilrn : FRAN M. da SILVA & C\ e as prlncipaes Pharmaclas.
PH0SPHATINA
Falires
PARA A
ALIMENTAQlO RACIONI
DAS
Mes, Crancas, Amas,
Conolescentes.
Esto alimento, de un sabor agradavel, precioso
sobretudo :
Para as Maes, durante a gravidez;
Para as Criangas, na occasio de desmamabas;
Para as Velhos e Convalescentes.
A PHOSPHATINA constitue o verdadeiro alimento
das Criancas alimentadas no seio ou na mamadeira. Nenhuma
Fcula, Conserva ou Pos ditos de alimentaco para a infancia,
pode competir-lhc.
E a administrando fcil do Phosphato de Calcium, que fortifica as
Criancas durante, o seu crescimento.
PABIZ, 6, Avonue Victoria, 6, PARIZ
sposiUrioi ea Perntmbuco : FRAN M. da SILVA & tr\
PIVER em
nico Invsctoi
-- niimu
Mal
un
0 melhor o$ Sabes de Toncador
,C ^commeno^oo p^oS
fSvitar as Imltacea
*)eposites as principae Perfumaras, Piwj-a^tcias a Cabehereiroa da America,
asa
**S
Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Laureado da Faculdade de Medicina de Pars. Premio Uontyon
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Camphora empregao-se
as Molestias, as de Cerebro e contra as affeocOes seguintes:
Asthma, rnsomnia, Palpitacoes do Corago, Epilepsia, Hallucdnagao,
Tonteiras, Hemicrania, Aiecgoes das via'. urinarias et para calmar toda
especie de excita rao.
lti2 Urna explicado datalhada acompanha cada Frasco.
Exigir as Verdadeiras Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN & Gu.
^ de PARS, que se encontrao em casa dos Droguistas et Pharmaceuticos.
Oleo de Figado de Baoalhau
do X>r IDUCOUX;
Iodo-Ferruginoso de Quina e Casca de Laranja amarga
Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nauseas,
e decheiro agradavel. Pela sua composicao, possue tocUs as
qualidades que he pennittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, os AEFECCES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS', a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULCSA, etc.
Em vista do seu emprego lacil, da sua accao multplice e
segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualquer outro medicamento similar.
DEPOSITO QERAI. 3
PARS, 209, ra Saint-Denis, 209, PARS
VBttOKSB tM TODUS AS MiNCIPAES HUAIIMACIAS DO liNIVKR.-O
CONFIAR DAS FALSIf tCAgES E IMITACOES
frecisa-se de um no Instituto Academice
PERFUMARA
PARIZ
Segredo da Juventude
AGUA LAFERRIERE
'ara o TottCOttor,
POS LAFERRIERE
Para >> u*to.
LAFERRIERE
PARIZ
Segrsdo da Juventude
OLEO LAFERRIERE
/'ira os Cabrll'-.
ESSENCIAS D VERSAS
PRODUCTOS HYGIENICOS para con-"y.tr a Be/e'a do Rosto e do Corpo.
t" M c^vs o m< principas- Pcrfnm'-as c Canellcroiro,
Ao n. 17
< aixeiro
Precisase V nao uvi.i.m ; H tratar no paf>o do
Paraiz.i n 18
Para 8. Jitao
A vikv de Valvido, d p..lv.ira, avisa os
aprecilidores d fog f.stej 3U-' tei un completo sirtim' ntu d pUt'las de
(a eiav boUs e foirti'i.bos para criuneas,
aseim'cjaai fletan pura bi-sc-Hj/s, plvora para
est"iiru. Rec^b"-s enccmoii-ndas para erairos
e buscHps, sondo as p-igas adi.atadas. Tale-
ohooe n. 359.
Com a poca mudoo-se o tempo : venbam run
de Hortas n. 17 eupprir-sc do que ba de bom e
barato, para pasar estes das f-stivaes, como
ii'jam : vinhos finos, uspeeial Fi qu'-ijoa frescos, u.a<:teiga esp< cial para bol .s,
Hzeitonas, coastrvasj ervilbas, doce fiuo e ujuitai
outnie esju-ei^rias.
Senhores doulores e negociantes
Queiram ver urna importante s-cretaria, nova,
du Jacaranda niacic1, cmii muitos commodos, e
segredoe, propria para teeriptorio, a qual se acba
venda na ra dj M..niuez do Herval (Concordia;
nuioer.i 111.
Parinha Lctea
OE
H. Yestl
O melhor alimento para criancas de peito, rece
ben Jo- Antonio dos Santos.
15Rum da Mrquez de Olinda -15
3Ra 1 de Marco3
EXPOSITION f UNIVUe 1878
Mdaille d'Or^'Croixd.CheTalir
Lti us Hiirr-: necoKPCnses
PERFUMAhiA ESPECIAL
LACTEI^A
JES. OOXJI>I2.u3L"Sr
Pneonisada pelas Celshridades M o lien de Pan,
PAM TODAS AS ECESSIi AOES DO IGUCALOR
PODUC TOS E~PECIAES
FlOIde ABBOI ile LACTUCA para luanqucar a nlie
Mltt CREK e PO e S4BA0 d^ LACT! m nva horba
POJADA t LACTE1A para a brilla dus caUllos.
AGDA de UCTTIM ..ara o tmicaduiv
0 EO de LACTEillA pa a enibillzar is cabello.
ESEKM deLACTEIJIA para l,..,..
I?^.AGA DIHi-FRICIOS deUCTEIW.
S5,HCTEI,A ch '"lda sdllu *&*
UCTuMH pan branqnear a pello.
TES ARTI60I AC AM-SE NA FABWCA
pars 13, rae 'Enghiu, 13 pars
**" t**** 8 feriaman-u. Pharmieia a
CabeWoiMrof .la America.
><...........99\
jBoiiquils de apurados e
no vos gtosl
O beir. <-i i heeirl" i: 'c b tquet'-, Jos
Bamnfl I! <> lh pi Uz lombru i o ne.-t i ir.bulho ;
I 'm da 11 d le. p !.. m sti, as-
s o, prnn |iti'ii te., tem fc*B para ofiFerecer ao
pnbl'i-o novos porta b oqaelg di- b-m i-ftjdada
e r>rl>eiii|,. co b'iiacil poato ; a fritar na ra
d" Raifio da Viciarla n 20, I j: il muidezas, e
ii rus "I .Mi.njU'Z iie Olinda u. 43, 1 ja de sel-
Triado bolmm
Alng:i u,ii noi srinh nenrvn p.r.-i criado, o
. i i : traa se na ra de .S. Joao
casa n. 27.
NICO
jr JL %
''^>-
4%,
0 X ir 4
Piluhis purgativas e depurativas
de Campanha
PreoaraQo de Productos Vegetaes
sxTmgiolAS caspas
e outras Molestias Capillares.
JVIARTINS& BASTOS
JPerttatribnctt 3
mulM
DE
SCOTT
DE OLEO PURO DE
Fiffado de bacalho
COM
Hypophosphilos de cal e soda
Approvada pela Inn giene e autorlttada pelo
governo
E' o melbcr rem-dio at hi je descobeto para a
ilNlca bronrhilPM. eseraplmla, ra-
ohitln. anemia, eMIiitadr emgeral,
(IcOnxoM, laMwe clir:>i to pello e da sarsanta.
E' tnuito superior ao oleo simples de figado do
bacalbo, porque, alm de ter chairo e sabor agra-
daveis, possue todas as virtudes medicinara e nu-
tritivas do oleo, alm das propriedades tnicas
reconstituintes dos bypor/hospbitos. A' venda nal
drogaras e boticas.
Deposito em Pernambuco
Estas ilnlas, cuju preparado purarneute ve-
getal, te com os melhores resultados as sogunte3 moles-
tias : fieccoes da pelle e do figado, syphilis, bou-
boes, escrfulas, cbagas inveteradas, erysipelas e
gonorrbas.
Modo de uial n
Como purgativas: tome-se de 3 a 6 por dia, be-
b ndo-se aps cada dse um pouco d'agua adoca-
da, cha ou caldo. I '-8
Como reguladora : tome-se um pilula aojantar.
Estas pilulas, de. invencao dos pharmaceuticos
Almeida Andrade ii Pilhos, teem veridictum dog
Srs. mdicos para sua melhor garantia, tornando
I se mais reci mmendaveis, por serein um segura
I purgativo e de pouca dieta, pelo que podem ser
usadas em via^em.
ACHAM-SE A' VENDA
- .Ya drogara de Fnria Kobrlnho A C.
*-\ BA DO MRQUEZ DE OLINDA 41
i RECLAME
Miinlezas finas e de foslo
VENDIDAS A PRESOS SEM COMPE
TENCIA
LOJA FLORIDA.
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 103
Barboza k Sanios
Artigo et*peeiae
Esplendido sortimenfo em jarros de crystal, por-
celana, alabastro, vidro e louca de diversos tama-
nbos a precos que admira .' !
Candieiros de dv>rss"s taaianhos para sala,
quartos e toillet.
Porta retrato de metal fino prateado, dourado '
de velludo.
Albuns para rctr. to de velludo chagrn e da
pellucia.
Para ncabar
Bico valencienea 15500 e 2000 a peca.
Plisss a 320, 400 e 600 rs. o metro.
Lencos de linho a 130G a doaia.
Oliera tem
Profcssora
Onre e prala : compra se onro, prata
.-edras prec isas, po- maior pre^ que e-n outra
lualquer parie : no 1 and ir n. 22 ra larga do
Rosario, antiira do Quarteis, das 10 boras As 2 da
arde, das u eis.
Cosiaheiro
Precisa-se de urna protessora habilitada para | preciaa-sT de um cesinheiro : a tratar na rna
occHpar-se da edncacao de meninas fora deata de Pays.nd n. 19 (Passagem da Magdalena).
cidade, em um engenh > prjimo da eataejo, exi- --------------------------------- ------------------------------
i gindo-se para dito fim que saibi as materias de i
inatruec3o primaria, frunccz outras n.-cesfaras,'
i assim como msica, piano, trabalhos do costura,1
' etc., etc. ; a tratar na ra do Imperador n. 4S, i
I prirceiro andar.
Mercearia
Traspassa-se umn casa de moihados om urna das
' principaes ras de9ta cidade, inuito afreguezad i,
livre de impostos e de qnaesquer di bifos.
Quem pretender dirija se A rua da Madre de
Deus n 22, das 9 horas to Naba p t da ta'de.
Serrara a vapor
Caes do Capibni'ibe n. tH
N'esta serrara encontiaro os Koborefl fregue-
zes, um grande sortimento de piihuio resina de
i cinco a dea metros de comprimen e de 0,08 a
; 0,24 de esquadros Garante pe pref<> mais como-
I do do que em entra qualquer parte
i Francisco djr Sanfc.3 Macedo.
rrevengao
Previne se qne ningaem faca neg'cio com a
casa da rua das Pernambacanaa n. 1, da ' za da G'aca, pe'enei ;ite a J .= M .chado da
Costa e sua mulher, por quanto alea deste bem
estar sujeit" di'idas, est letitrioso, e por con-
se/ruinte sem valor qualquer venda, alienago de
l bypotheca que se faca ou que existir po.-s-i.
Assucar especial
Joaquim Salgueiral A C., propretarioa da refi
nacao rua Direita n. 22, t.ndo reformado eom-
pli tament- o seu estabelecimento, bceniificam ao
' publico em geral e especi .Imeute ao comm. eo
que teem sempre um completo soitimento de assu-'
ares, tanto em canco como refinados, de 1' 2a e '
3 sorte, e espeeinl ri finad > com ovos, o melhor '
. que se encontra no mercado, e podem de prompto
satisfszer qualquer pedido que Ibes seja frito pois
; para isso teem eeoipie um grande deposito. Ga-
rantem a boa exeeucao e limpesa dos seus pro- '.
ductos. i
damero tolephonfco
Silr fla i rd
Este i np jt.-inf estabeleeideutu de reloaaria,
(ululado em 18i>9, est funcionando agora roa
larga do ttoaarin n 9.
0 seu proprieiario encarregado do rcgulnmen-
to dos relogios do arsenal (e mariaha, da compa-
nbiii dos tnlhcs urbanos do R-cife Olinda e Be-
beribe, da do R.-cife Cazaog, da estrada de
ferro de C'arnar, da con panhia ferro Carril de
Pernambuco, da nsosi*cao c mmercial Ihnefice-
te e da estrada de frrro d Liinneiro, cercado de
intellgentes e babes : usilioiep, concprr.-i e &-
bica qualquer peca para relagioa de algibeira,
de parede, de torres do igreja, ebronometros ma-
ritim is (dando a marc-hi), cuixas de msica, ap-
paielhos elctricos t. hirrupliicos.
O mesmo acaba de racabex varidc sortimento
de n 1 gii.s americanos qin ven le de 7 a S0
para pan-de, mesa e aeppertadon s de nikel.
Contina a exerevr a sua profissao, c m zelo e
interespe de que sempre den pi-ovas ao'respei-
tavel publico e aos seus eollegas, e vende forne-
cimento de qualquer qualid.ide.
Em frmte de sen imnto.se aeha col-
locado um relogio, enjos mostradores tambem po-
rlero ser vistos pelos p--sag-ir s da ferrocarril,
tendosempre a 1M1A .MEDIA DE>TA CIDADB,
determinadis polas pilas obsirvacoes astronmi-
cas. Rua larga do Roario n. 9.
Antonio da Costa Araujo
PARS -
15 Ru de l'Kchiquier.
Fornecedor
privilegiado da Casa Rea! de Espanha 3
e de S. U. a Rainha de Italia.
Ozea P.
Ozea Sacliet.
Ozea Essencia.
Ozea Agua de toilette.
Ozea Vinagre de toilette.
Ozea Agua para os dentes.
Ozea Pasta para os dentes.
Ozea Oleo.
Ozea Sabo.
Ozea Pomada.
Ozea Fixativo.
Ozea Cosmtico.
Ozea Brigantina.
Ozea Cold Creatn.
A lien fo
Perden-so um alfinete de ouro mu perolas, da
rua do Bario da Victoria rua Nova de Santa
Rita ; quem o aebou pode leval-o rua do Mr-
quez de Olinda n. 55.
Estas exquisitas preparares gao imito apre-
ciadas Ha mais distincta sociedade pela deli-
cadeza do seu perfume.
W M R r q F R F ^
TRANSPARENT ERY^I 5, flAP
(Sabo transparente cristalino)
reconliccido como o mais perfeito do todos os sabaos de toilette pelas snas
propiedades hygieni.as, pelo seu asocia o pela sua larga durado.
Dc-psilo uai principa.3 Pcrfum.rl., Farmacl., aea.



V
I ILEGIVU I


Diario de Periambuco-- Terfa-feira 15 de JiHiho de 1886
i
ir


GoiiaaPenaigeai
lis
COwtelra m v
Supriir.ento pura o vapor Jaguariie
N. 927:170
O Sr. Francisco Alvos da Costa, commsndante
do vapor Jaguaribt, -pela stganda ve rogado
Tr 4 ra do Marque, de Olinda n. 50, dar coa-
primento ao numero cima. Pede-M ao digno
gerente providencias a respeito. .___________
os scuhores capita-
Itas
O agente de leiloes, Pestaa, autoriaado por
Un amigo qne retirou-se para a Europa, vende
trinta e cinco predios (catas terreas e sobrados),
m perfeito estado de c nservacau, nos moihores
lugares das fregoesias do Recife, Santo Auton-p,
6. Jos, Boa-Vista e Graca : tratase no Hecife,
ras do Vigario n. 12, armazem.
Ao commercio
Eu, abaixo asignado, declaro que dissolvi a
socipdhde que tinha n padaria sita a ra de D.
Mara Cesar n. 30 com o Sr. Joaquim Goncalve
oelho, sabindo este pigo integralmente da parte
que Ihe todou e desonerado Jaquelia aociedade ; e
abaixo assignado rssponsavel pelo activo e pas-
btvo, isto a contar desde 31 de Maio prximo pas-
eado. Recite. 8 de junho de 1886.
'_________Jtt Manoet d S4.
Avise
A companbia North Brasilia Sugar Factories
Limited, declara qne cora data de b< je expedio
cartas de aviso aos agricultores que contrictarara
fornecimento ce cauDas do engenho central de
S. Lourenco, prevenindo-os da possibilidade de
io seren concluidos os tramways a tempo da moa-
gem da prxima safra.
Becife, 7 de junho de 1886.
Aces entre amibos
Fica sem efteito a rita de urna casa de taipa no
Mont< ir>, um terreno no Bartholomeu e mais ob-
jectos, que corria com a 16.* parte da 12. lotera
da provincia de Aiagoas, por nao ter extraccio os
bilhett-s de dita rifa.
Atten^o
Vende-se Manteiga inglesa superior em latas de
12, de 4 a 1*100, e 7, 14 e 28 a 1*000 por libra e
gas iuexplaaivo a ra do Bom Jess n. 38.
Cabriolet
Vndese um era perfeito estado e por pteco
eommodo; tratar na ra Duque de Caxias n. 47
Veode-se
Cosinheira
Pret isa-s" de urna cosinbeira : na ra de Pay-
and n. 19, Passagem da Magdalena.
Precisa-se
de urna peesoa habilitada a planta de capim e co-
Miemento de fracbs e juntamente para vender as
tesina?, tendo um cavallo ao sen dispr pira cojo
srabalho, dando fiador de sua conducta a tratar
aa ra larga do Rosario, restaurant Cinco Na-
ffc.-______________________________________
Aviso
Precisa-se de urna professira que saiba tocar
bem piano e mais traba Ihos de senhora, para en-
genho : a tratar com o Barao de Nazarcth, ra
do Imperador n. 79, 1- andar.
Massa para bolos
O que ba de melhor neste gen.ro ; vendeni
raga Gomes & C, ra do Mrquez de Olinda
umrro 50.
Aos fio* dos ios
Cura certa em 48 horas das inlaniacues
recentes dos olhos, pelo colyrio prepara-
do por Jos Pedro Rodrgu-s da Silva.
Emprega e este poderoso colyrio sempre com
grandes vantagens, as seguintes molestias :
Uphtalmias agudas, purulentas e chronicas, con-
ncti vites, etc., etc.
Deposito eral, na drogara de Faria Sobrinho
C. ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Para infvrmacoee, sedirijam livraria Indus-
trial ra do Baro da Victoria n. 7, ou resi
dencia do autor, ra da Saudade n. 4.
1.000:000 OOO
Os bilhetes desta importante lotera de
tres sorteios, que corre no dia 8 de julho,
acham-se venda na Roda da Fortuna
ra Larga do Rosario n. 36 e ra do Ca-
ug n. 1.
Boa compra
Vao praca por venda as audiencias do Dr.
juiz de u'phaos desta cidade de 8, 15 e 22 do
correte, eserivao Olavo, tres quartas partes da
casa e sitio n. 8, estrada de Joao de Barros,
tendo a casa 5 qnartos, 2 salas, cosinha fra, e o
sitio duas cacimbas d't.gua potavel e 1,145 pai-
taos e frente para a mesma estrada, onde ha
terreno para lara:a edificacao, e at para ietalhar,
eom ri versos arvoredos de frneto, como manguei
ras, cajueiros. abacates, fructa-pSo, pitangueiras,
jaqueiras, goiabeiras, pinheiras, larangeiras, ara-
easeiros, mgaseiros, cajaseiros, limoeiros, romn -
seiras, oiticoroseiro, araticuseiro, grande bana-
aeiral e baixa para capim ou cannas ; sendo que
ao poente, onde ha tambem terreno para edifica-
cao e aahida para a ra de Nunes Machado, ba
direit j t meiaco do muro e do oitSo da casa vi-
sinha. Vai na tnesma oceasiao praca urna par-
te de trras no lugar Dous Bracas, da comarca
da Iir peratriz, na provincia das Alagse, tudo
por menos de sen valor.________________________
BeliS 1H CDIBI!
Sem dieta escm modifi-
ca#oes de costumes
Laboratorio central, ra do Viconda do
Rio-Branco n. 14
Esquina da ra do Regente .Rio de
Janeiro
Especficos preparados pelo phar
maceulico Eogenio Narqoes
de Holianda
Approvndos pelas juntas de hygiene da Corte,
Bepubcas do Prata e academia de industria de
Pariz.
Elixir de mbiribina
Restabelece os dyspepticos, facilita as diges-
tes e promove as ejeccoes difficies.
Vinho de ananaz ferruginoso e quinado
Para os chloro-anemicos, debella a hj poemia
intertropical, rtconstitue os hydropicos e beribe-
ricos.
Xarope de flor de arueira e mutamba
Muito recommi ndado na bronchite, na hemop-
Sse e as tosses agudas ou chronicas.
leo de testuiius ferruginoso e cascas de
laranjas amargas
E' o primeiro reparador da fraqueza do orga
oismo, na tysica.
Pilulas ante peridicas, preparadas com a
pererina, quina e jaborandy
Cura radicalmente as febrea intermitientes, re-
mitientes e perniciosas,
Vinho de jurubeba simples e tambem fer-
ruginosr, preparados em vinho de caj
EfBcazes as inflammacoes do figado e baeo
agndy ou chrwnica*.
Vinho tnico de capilara e quina
Applieado aas convalescencat das parturientas
retico antefebril.
Depssito : Francisco Manoel da Silva & C.
Francisco lairoei da Silva &
23-RUA MRQUEZ DE OLINDA 23
VENDAS
__ Vende-se a casa eom sota travesa das
Barreiras n. 7, tendo na soffrivel sitio eom bas-
tantes *rvores fructferas : a tratar na ra do
Imperador n. 75, ageneia de leiloes, on na roa da
Santa Cruz n. 60.
maesa de mandioca de prmeira qualidade, para
bolc, a 1 000 o kilo : na Camba do Carmo nu-
mero 10 .
Pinito de Riga
Vendem Fonseca Irmaos & C, a preco mdico.
WHISKY
ROYAL BLEND marca V1AD0
Este excel lente Whisky Sscesse preferiv
ao cognac ou agurdente de canna, para fortifica
o corpo.
Vende-se a retalbo nos tu lheres armazent
aol hados.
Pede BOYAL BLEND marca VIADO cujo w-
me e emblema sao registrados para todo o Brasa
BBOWNS 6 C, agentes
Agurdente de canna
Vendc-se em ancoras, a superior agurdente do
caldo da canna : na ra estreita do Rosario nu-
mero 8.
Grande sortimenlo de Ib-
gos
Nacionaes eChinezes
Proprio* para onliio
PARA OS FESTEJOS DAS NOUTES
DE
Santo Antonio. S. Joio e
*. Pedro
Vende-se em caxas e a retalho por precos com-
Ra do Barao da Victoria n. 61
do Smiza
medos.
Loja
AoOo
Bonitos leques de gaze para senhora, a 3, 64
8t e 10*.
Ditos de setineta, de UOO a 2*500.
Ditos de papel, de 300 rs. a 1.
Em continnaco
Cintos de couro a 1*500 e 2*.
Babades bordados largos e estreitos, a 100 rs
a peca.
Chapeos psra bapcisados, de 1*500 a 8*.
Ditos de palha para criancas de 3 a 4 annos, s
2*500.
O Pedro Antunes & C. qufm tem para liqui-
dayao.
Belleza, frescura, javenlnde
Pe brsniu iic. Urnvt'% para ama-
ciar a pelle
Estes pos, de urna fineza extrema, especialmen-
te preparad ~ afurmosear a pelle, sem-alte-
ral-a.
A' vends, esa UtM do Pedro Antunes & C.,irua
do Duque de Caxias n. 63.
Igualmente o bem conhecido leite de rocas para
extinguir as espinbas e pannos, os mais assombro-
sos inimigos de urna assetinada face, restituindo-
lbe a belleza antiga.
Faa ultima analyse ser bom nao esquecer o
crme rosado para es labios !! S a Nova Espe
ranea.
I til e agradan el
Fazer nm delicado trabalho de crochet com
novellos de la e seda de diversas cores, que teem
o Pedro Antunes & C.
Linhas de diversas cores, dita branca de linho
para fazer trivolit, medalhro tranca bem coobe-
cida para o mesmo.
Um bonito desenbc colorido para mesa bonita
almofado.
Ao 63Ra Duque de Caxias
O tempo proprio
Boas meias de la para homeus e senhoras,iuvas
de dita para quem soffre de rbeumatismo.
Ao :iHua Doqne de Casia
GRANDE
Expsito central ra larga do
Rosario n. "8
Da'miao Lima & C-, nao podendo acabar com i>
grande quantidade de mercadorias, resolvern)
anda pma vez convidar as Exmas. familias e o
respeitavel publico em geral, que com certeza nio
guem perder sru tenpo, fazendo urna visita s
ExpoHlco Central
Pecas de bordados a 200, 400. 500 e 600 rs.
Punhes e colarinhos bordados para senhora a
2S000.
Ditcs ditos lisos, 1*500
Ditos para homem, 1*500.
Um plastrcn de 2*000 por 1*500.
Invesiv is grandes por 320 rs.
Lacos para senhora por 1*500.
Macos de la para bardar, 2*800 e 3*
Luvas de seda arrendadas a 2*500.
Ditas lisas, 2*200.
Ditas de fio de Escossia, 1*0C0.
Broches para enhora (modernos) 1*500.
Um par de meias para senhora (fio de seda
600 rs.
Dito idem liso, 400 e 500 rs.
Dito idem (fio de seda) 18200.
Duzias de baleia- a 360 rs.
Carreteis de 200 jai das a 80 rs.
Metros de rrquinhas a 160 e 120 rs.
Um par de fronbas de labyrintho, 1*500.
Macos de gramp s a 20 rs.
Metros de plisss a 400 rs.
Lindos passariuhus de seda para chapeos de
genhsra, de 5t>0 rs. a 1*000.
Um pente com inscripcao para senhora, 1*.
Um leqne de 16* per 9*.
Brinquedos para criancas, leques de papel, fi-
tas, bicos de linho, quadros para retratos, lencos
tspartilhos, bicos, gales, franjas com vidrilhos,
eutr*s muitos ojectos de phantasia per preco
sem competencia: na exposicao Central, ra
larga do osario n. 38.
Fazendas baratas
Boa Duque de Caxiaw nnmero t
Chitas petit pois de cores azues a 200 rs. o co-
vads.
Dirs finas claras e escuras, 240 rs. o dito.
Las escossezas, 320 rs. o dito.
Alpacas de c ires finas, 500 rs. a dito.
FusteD brancos finos, 5*M) rs. o dito.
SetineUs e go.'gurinas lidas. 600 r. o dito.
Merino setim maravilboso, duas larguras, 1*600
covado.
Cortes de vestido em cart5*s, 10* nm.
Ditos de cachemira idem, a 80* e 40* um.
Fkhus modernissimos, de 2* 9* um.
Ditos dd mahSa. al* um.
('ollarina- Punhos finos de n. 25 30, 800 rs. o par.
Velbutina de todus h cores, a 1* o covado.
Merinos pretis e de todas .as cores, setins de
todas as cores, cambraia con salpicoe brancos e
de cores, tapetes de todos os tamanhos, meias
para homens, seuh.ras e meninos, e outros muitos
artigos por preco resumido*
. MEDONQk, PRIMO & C
ment de roapas para homens, e tambem se man
da fazer por ensommendas, p r ter nm bom me-
tre aliaiate complet sortimento de pannos fino
caaemiras e brins, etc.
para mm
3t-
-S
A RevoluQo
ra Duque de Caxias, resolveua vender
os seguintes artigos com 25 Ojq de me-
nos do que em outra qualquer parte.
Lis com bolinbas a 500 e 640 rs. o covado.
Setins macio a 800 rs. o covado.
Setinetas lisas a 400 rs. o dito.
Setinetas escossezas a 440 ra o dfo.
Cambraia com salpicos a 6 rs. a peca.
Linn branco a 500 rs. o covado.
Linhos escossezes de quadrichos e lisos a 240
rs. o dito.
Mariposas de corea a 240 rs. o dito.
Renaa da China 4 240 rs.o dito.
Damasco de l com 160 centmetros de largusa
a 1*800 o dito.
Bramante de linho com 9 palmos de largura a
1*800 o metro. '
Bramante trancad.) dealgodaoa 1*200 o dito.
Bramante de urna largura a 3/0, 360, 400 e
440 rs. o dito.
tirim pardo a 300 c 360 rs. o covado.
Brim prateado de linho a 600 rs. o dito.
Crochets para cadeiraa 1* e 1*600 um.
Ditos para sof a 2* e 2*500 um.
Colchas de fusto branco a 1*800 urna.
Fichs de l a 1*, 2*, 2*500, 3* e 4* um.
Espartilhos de coraca a 4*, 5*, 6* e 7*500 nm
Camisas de linho bordadas a 30*000 a duza.
Chitas finas a 240, 280, 320 e 360 rs. o covado. .... a ***V "* fowa*!? ,.
di i_ _. .:j.j. i enrv .oftii balota da ra da lomeratriz n. os, vendem w
blntcs para senhora, no idade, a 1*^00 e 1*800 ... ,. J, *^ .'
|lm v w riscadinhos prepnoa Dar roupas de meninos
vestidos, pelo barato preco de 200 rs. o covade
Ra da imperairli
Loja de Pereira da Silva
Neste estabelecimento veade-se aa roupas aba>
xo mencionadas, qne sao baf .<.as.
Palitots pretos de "- lagonaea e
aeolchoadoB, senao tazenaas muito en-
corpadas, e forrados
Ditos de casemira preta, de eordao muito,
bem feitoa e forrados
Ditos de dita, fazenda muito melhor
Ditos de flanclla azul sendo ingleza ver-
dadeira, e forrados
Caifas de gorgorito preto, acolchoado,
sendo fazenda muito encorpada
Ditos de casemira de cotes, sendo muito
bem fetas
Ditas de flanella iogleza verdadera, e
milito bem feitas
Ditas de brim de Angola, de muleskim e
de brim pardo a 2*, 2*500 e
Ceroulas de greguellaa para homens,
sendo muito Tiem feitas a 1*200 e
Colletinhon de greguella muito bem feitos
Assim como um bom sortimento de lencos dt
linho e de algodao, meias unas c collarinhas, eU.
Isto na loja aa -ua da Imperatriz n. 3i
Riscados largos
7*001
10*001
12*001
12*001
0*5O(
6*601
8*001
3*001
1*801
1*001
Lnc:B brancos fines a 1*800 e 2*000 a dnsia.
Cobertores de la a 2*, 4*500, 6^500 e 8* um.
Cambraia preta para forro a 1*200 a peca.
Meias para homens e senhoraa a 3$, 45, 5* e
6*00 a dusia.
Madapolao gema e pelle de ovo a 6*600 a peca.
Cambraia branca a 2* a peca.
Crinolina branca e preta a 2*800 a peca.
Toalhas felpudas a 4*000 a dusia.
Toalhas alcochoadas a 12* a du'ia.
Cobertas de ganga a 2*800 e 2*900 urna.
Lences de bramante a 1*800 um.
Para a Exmat. non a.
Setim maco a 1*200, 1*100, 1*800 c 2*00/) o
covado.
Popelina de seda a 600 rs. o dito.
Alpaca a 400 e 500 rs. o dito.
Capellas e veos finos a 10* e 14*.
Colchas bordadas a 5*000, 7*000, 8* e 10*0 0
urna.
Cortinados bordados a 6*500 o par.
Fructas maduras
Vendc-se diariamente especiaes laranjas para
mesa, mangabas, rapotas, e outras muitas : no
largo de S. Pedro n. 4.
Camisas nacionaes
* sjsoo. asooo e a*5oo
32 Loja a ra da Imperatriz -= 32
Vende-se neste novo estabelecimento um gran-
de sortimento de camisas brancas, tanto de aber
turas e pjnhos de linho como de algodao, pelos
baratos precos de 2*500, 3* e 4*, sendo tazends
muito melhor do que as que veem do estrangeiri
muito mais bem feitas, por serem cortada, poi
um bem artista, especialmente camiseiro, tambem
se manda fazer por encommondas, a vmtade dos
fregnezes : na nova loja da ra da Imperatriz n
3.-, de Ferreira da Silva.
Ao32
Nova loja de fazendas
aa Roa da Imperatriz = 3.
DE
FERREIRA DA SILVA
Neste novo estabelecimento encontrar o res-
liitavel publico um variad) sortimento de tazen-
as de todas as qualidades, que se vendem pm
reeos baratissimos, assim como um bom sirti-
preco
tendo quasi largura de chita francesa, e ssic
como chitas brancas miudiubas, a 200 rs. o
do,e ditas es curas a 240 rs., pechincha
loj do Pereira da Silva.
PuNtOe*. Metlneasi e lailnai a SO
rs. o cotado
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-
um grande sortimento de fustes brancos a 501
rs. o covado, lsinbas lavradas de furta-coret
f-zonda bonita para vestidos a 500 rs. o covado.
e setinetas lisas muito largas, tendo de todas at
cores, a 500 rs. covado. p< chincha : na loj.
do Pereira da Silva.
Merino preto* a l
Vende-se merinos pretis de duas larguras pan
vestidos e roupas para meninos a 1*200 e 1*60<
o covado, e suoerior setim preto para enfeites t
1*500, arsim como chitas pretas, tanto lisas com:
de lavoures brancos, de 240 a' 320 rs. ; na nov.
leja de Pereira da Silva ra da Imperatriz nn-
mero 32.
Algodocinho francs para lence
a 900 r.. 1 e 1SOO
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-s
superiores algodaoziuhos fraucezes com 8, 9 e 1'
palmos de largura, proprios para lences de ui.
s panno pelo barato preco de 'KX) rs e 1*000 i
metro, e dito trancado pa a toalhas a 1*280, ar
sim como superior bramante de quatro larguri-
para lences, a 1*500 o metro, barato ; na loj
dj Pereira da Silva.
Roupa para meninos
A I*. I*rOW e *
Na nnva loja da ra da Imperatriz u. 32, s>
vende um variado sortimento de vestuarios pro
prios para nieoinos, sendo de palitosinho e calo
nha curta, feitos de brim pardo, a 4*0GO, ditoi
de molesqnim a 4*500 e ditos de gorgorito pret*.
emitando casemira, a 6*, sao muito barates ; n-
loja do Pereira di Silva.
Camisas de crolono
A 8.OO
Na nova loja de fazendas ra da Imperatriz
n. 32, vende se camisas de cretoae de cor<*s, sendo
muito bem feitas e de bonitos padrees, pelo bara-
to preco de 2*500 cada urna ; assim como ditas
brancas muito finas, pelo mesmo preco : isto aa
ra da Impc atriz numero 32, bia de Pereira da
Silva.
Fazendas brancas
80' AO NUMERO
4o ma da Imperatriz = 4o
Loja dos baraeirot
Alheiro & C, ra da Imperatriz n. 40, ven-
dem um bonito sortimento de todas estas fazendas
abaixo mencionadas, sem competencia de precos,
A SABER:
AlgodaoPecss de lgodaozinho com 20
jardas, peV barato preco de 3*800,
4|, 4*500, 4* .0, bf, 5*500 e 6J50;
MadapoloPecas de madapolo com 24
jardas a 4*500, 5*, 6* at 12*000
Camisas de meia com listras, pelo barato
preco de 800
Ditas brancis e cruas, de 1* at 1*800
Cregnella fraoceza, fazenda muito encor-
pada, propria para lences, toalhas e
ceroulas, vara 400 rs. e 500
Ceroulas da mesma, muito bem fetas,
a 1*200 e 1*600
Colletinhos r'a mesma 800
Bramante francs de algodao, muito en-
corpada, com 10 palmos de largura,
mitro 1*2
Dito de linho ioglez, de 4 largaras, me-
tro a 2*600 e S,j80t
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, com 9 palmos de largura, metro lf 800
Cretones c chitas, claras e escuras, pa-
drees delicados, d 240 rs. at 400
Baptista, o que ha de mais delicado no
mercado, rs. 200
Todas estas fazendas baratissimae, Toa conhecida
loja de Alheiro & C, esqun do becco
dos Ferreiros
llgodo entestado pa-
ra lenfoes
aoo r*. e i Sooo o metro
VeBde-se na loja dos barateiros da Boa-Vista
.'odao para lences de um s panno, com 9 pal-
s de arduras 900 rs., e dito com 10 palmos a
(SO o n.efro, assim come dito trancado para
majlias de mesa, com 9 palmos i!e largura a 1*200
u otro. Isto na leja de Alheiro de C, esquina
do ceco des Ferreiros. i
MERINOS PRETOS
A 1*200,1*400, 1*600, 14800 e 2* o covado
A heiro & C, 1 ra da Imperatriz n. 40, ven
dem muito bons merinos pretos pelo preco acim
dito. E' pechincha : na loja da esquina do bec-
co de s Ferreiros.
Espartilhos
Na loja da ra da Imperatriz n. 40 vende-se
muito bons espartilhos para senhoras, pelo preco
de 5*000, assim como um sortimento de roupas
de casimiras, brins, ere., iato na loja da esquina
de becco dos Ferreiros.
CASEMIRAS INGLEZAS
A 2*800 e 32 e covado
Alheiro & C, ra da Imperatriz n. 40, ven-
dem um elegante sortimento de casemiras ingle-
zas, de duas larguras, com o- padrees mais deli-
cados para costume, e vendem pelo barato preco
de 2*800 e 3J o covado ; assim como se encarre-
gam de mandar facer costumes de casemira a
30<, sendo de paletot sacco, e 35* de traque,
grande pechncha : na loja dos barateiros da Boa
Vista.
BRIM PARDO LONA
A 320 rs. o covado
Os barateiros da Boa-Vista vendem urna grande
porco de brim pardo lona, por estar com princi-
pio de toque de mofo, pelo barato preco de 321'
rs. o covado, grande pechincha ; na loja da es-
qu:na do becco dos Ferreiros.
Bordados a 100 rw- a peca
A ra da Imperatriz n. 40, vende-se pecas de
bordado, dous metros cada peca, pelo barato pre-
co de 100 rs., ou em cartao eom 50 pecas, sorti-
das, por 5f, aproveitem a pechincha ; na leja da !
esquina do becco dos Ferreiros.
Mutamba
DE
J. Deisnc
Contra a calvicc, queda dos ca-
bellos, caspas e nevralgias
da rabera
Preso de cada frasco 1500.
Vende j) Odiion & Irmao, cabelleireiros,
ra da Imperatriz n. 60.
Novos livros de sortes
Grande variedade
na livraria PARISIENSE de Medeiros & C,
roa Primeiro d* Marco n. 7-A.
Vende-se'
o sobrado de um an^ar e soto, com bastantes
commodos e grande fundo para a ra do Pharol,
sendo situado na ra S. Jorge n. 13 (Fra de
Portas) : quem pretender dinja-se ra do Bou
Jess n. 45, das 9 horas da mauba s 3 da tarde.
E' pechincha
Vende-se um grande e excellente fiteiro envi-
diacado eumbilharem bom aso, cosytodas a
suas perteocas, muito em conta : na rujf da Flo-
rentina 11. 15.
Carteira
Vende-se barato ama carteira contendo na peca
de baixo dous arm rinhos e tres gavetas, e na
peca de cima 17 compartimentos que se fechan
com nina so chave : a ver e tratar no largo da S.
Pedro n. 4, loja.
Mssa de mandioca
Vende-se masas, especialmente preparada, para
bolos de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro, a 509
rs. cada pacotc de meio kilo : no largo de S. Pe-
dro n. 4.
BuW
Vende-sc um buhar francs em perfeito estado
com tres jugos de bolas e seis tacos : a tratar no
antigo largo do Pelourinho (corpo Santo) n. 7, es-
eriptorio.
4 Sella Aurora
Ver para rrer
A verdadera carne do Serid
A 800 rs. o kilo.
A 800 rs. o kilo.
A 800 rs. o kilo.
Teem para vender Pinto Figueiredo ft 7.
Praca do Conde di: 11 n. 2
Engenho a venda
Vence se oengenhi Mnrici. com saf-a ou sem
ella, situado na freguezia aa Escada, distante da
respectiva estacao um quarto de legoa, podendo
dar seis caminos por dia, moente e correte,
tem dnas casas grandes e duas pequeas para mo
rada, e outra para farinha com suas pertencas : a
tratar na ra do Imperador n. 65, 2 andar.
Plvora
Vende Candido Thiago da Costa Mello, em sen
deposito ra Imperial n. 322, olaria, onde tam-
bem vende tijolos e telbas. Telephone n. 221.
Faria m do lami
Vende o Vasconcellos ra da Auroran. 81
corram a ella!
GRANDE LOTERA
A MAIS IMPORTANTE DE TODAS HA VIDAS NO
n 1 a. m m ^
EXTRACQO A' 8 DE JULHO
DATA MARGADA NOS RESPECTIVOS
Esta loiorh est a cargo do liiesoureiro das loteras da corle
A EXXMCOAO FEIT NORO DE JANEIRO
PREMIOS MAIORES
1 de,
1 ,
2 .
2
1 .
3 .
11 >'
l,ooo:oooSooo
2oo:ooo^looo
loo:ooo|looo
5o:ooo|ooo
4o:oooSooo
2o:ooo^ooo
lo:ooo|ooo
24 de.
50 .
80 .
2 approximai'oes de
2
4
5:ooo|!oo0
2:oooSooo
IoooSooo
15:ooo^ooo
6:ooo|ooo
4:ooo|ooo
2:oooSooo
4
Alm de umitas sortes de 5oo$ooo, 2oo|ooo, loo| oo 4o^looo e 2o$ooo.
Esta lotera de tres sorteios. Um bilhete joga em todos
elles e est habilitado a tirar mais de um premio.
Esta lotera em lavor dos ingenuos da Colonia Isabel da provincia de Pernambneo
BILHETES VENDA

JMI
C
RODA DA FORTUNA
36Roa Larga do Rosario-36
Bernardino Alheiro.
Vi Viili


Diario d Pehmmbuco--Terga-feira 15 de Junho de 1N86


L!TTnATl)


SCE.V4S DI ViDA DO MXICO
d. i:voii\h
POR
LUCIANO B1ART
CAPITULO n
C on l i nu 5 3 04
O mais espantoso e que, segundo affirma-
vam os narradoras tio radicalmeute cu-
rados quo precisavam de recorrer s mi-
nhas recdtasas taes semen tes obedeciara
a uin mevmento continuo de rotago. Pro-
metteram me cen vzes mostrar-me e tal
phenomeno, que eu j tinha inscripto no rol
das fbulas. ltimamente o mordomo de
Mirador, tendo-me asseverado de novo a
existencia das gementes animadas, empr*-
zei-o a convencerme da Verdade. A cai-
za, que eotinba na mi, fora enviada por
elle.
Eu nao ecreditava no raovimanta rotato-
rio d'um tecido vegetal; todava negar
tao fcil, que tenlio por or naabstar-me de
o fazer
A verdade, diz Paschal, anda desconhe-
cida por entre os homens ; eu, por mim,
tenho feito "consistir o mea orgulho em pro-
cural-a, em ver se me possivel reconhe-
cel-a. Negou-se a circulagio do sangue,
entrevista por Galiano, V< sali e Cesalpi-
no ; ncgau-se a dos planetas em torno do
sol, entrevista por Pythagoras ; negou-se
a vaccina, o vapor, a ele tricidade. O ho-
mem, ou por preguig, ou por ignorancia,
principia sempre por negar. E comtudo,
que suprema alegra descobrir nma verda-
de por mais insignificante que soja 1 Nao
servir a humanidade ?
Por consequencia preparei as minhas
lentes, as minbas pinjas, o raeu microsco-
pio con uin enthusiasmo febril. Cobri a
minba oesa com urna grande folha de pa-
pel branco, fechei as janellas, as portas,
para que o ar nio vsase agitar as semen
tes fazendo-me creditar que se moviam.
Enganar-mel Ser Iludido p-\*a meus sen-
tidos! engaar a Academia das Scienoias,
o publico s eta i ia me fazia tremer e
redobrar de cuidados.
Tomadas todas as precaugoes, abri fi-
nalmente a preciosa caixa, e sobra urna
carnada de u\go vi perfeitamente imtnoveis, estendidas, seis
sementes escuras, triangulares, tendo a
forma do polygonum phagopyrum, vulgo
trigo preto, mas duas vezjs maiores.
Tinha diente dos olbos urna leguminosa.
Tomei com a maior cautella as tres semen
tes, colloauei as em p signes diversas, e ac-
cendi nma veU, cuja chamma ajudar-me-
hia a coraprovar o movimento das semen
tes, demonstrar-me no caso de ellas se
mover-ra, se obadeciam ou nao a urna
causa mechanica. Feito, isto tapei a bocea
com o lenco, esperei com indescriptivel an
ciedade.
Passaram se dez minutos, e nadb se
raezia ; eu lembrava me porem de que o
pescador linha quando o peixe leva urna
hora para morder a isca, loria mal em
concluir que o rio nao tem peize.
Al (O disso, a hora nao se presta va para
urna experiencia daquella natureza. A
propna sensitiva, na oceasiio em que o
sol mergulha no horisonte, obedece ao soil-
no que se apodera de todos os vegetaes, e
perde as suas propriedades contracteis.
Principiava a massar-me, quando jal-
guei observar um pequeo tremor n'uma
Jas sementes. Olbei para a vela ; a cham-
ma direita, regular, socegada, dirgia-se
para o tecto. A sement como que balou-
qou ; senti-me empallicecer. Cinco minutos
depois, aa minhas tres sementes, como to-
vertigem, meziam-se, cruza-
raadas .de
vam se.
O' natureza, sciencia; maravilha A'
semelhanga de Newton, mea mostr, des-
cobri-rae para aaudar o Creador.
Bateram-me porta... nao ti afea eu
mais que fazjr senio ir abrir e responder !
Quem quer que entre! grltei afl-
ual.
Appareceu o alcaide da prisio. Em no-
me do juiz do crime, vinha pedir-me que
visitasse a Grega que se dizia doente, para
saber se elle podia sem pango fazel-a olhar
para o cadver do D. Felippe.
CAPITDLO ni
Recebi a comraunicagio do juiz com ura
sent ment do despeito, que uio procurei
sequ'i- dissimular. Apaguei a vela, sacud
a minha cadeira, d^sarmei o microscopio,
amaldigoando os assassmos e os tolos que
se deixam matar por elles. Urna expe-
riencia tao curiosa, urna descoberta igual
s mais bellas dos tempos modernos, addia-
da, frustrada, e por causa de urna mulher,
que naturalmente estava tao boa de sade
como eu I
Veja que o incommodo, doutor, disso
o alcaide; mas nao culpa minha; como
nao sou rico, nao tenho remedio senio
obedecer.
Aquellas palavras sensatas e melancho-
licas restituiram-me a tranquillidade. No
fim de contas,' s eu era o culpado.
Eram horas proprias para estudar, para
tentar urna experiencia ?
E depois quundo me puzeram na cabega
a borla doutoral, nao jurei, segundo a
bella formula do co ligo medico hespanhol,
consagrar o mea tempo, o meu bem estar,
os meas uteresses, a minha vida conso-
lacio dos meus semelhantes?
Nunca tinha faltado a essa juramento.
Apertei a mi do alcaide para agrade-
cer-lhe a ligio, e em quanto elle, sorpre-
hundido com o meu procedimonto, repeta,
fazeodo girar o chapeo em toios os senti-
dos, que eu era um homem de bem, e qne
sua mulher e tilhos estavam de perfeita
s.i ie, a.'abei de arranjar os instrumentos
o collocar as sementes preciosas na cama
de algo lio, que tao inteligentemente Ibes
preparara o mordomo de Mirador.
Quaado cheguei ao grande pateo da pri-
sio, os presos tomavam ar. Ceroaram-roe
logo, mostrndome a lingua, dndome o
pulso, queixanlo-se cada um de mil doen-
gas de s liams, pedindo-me que os mandas-
se para a enfermara, d'onde taciturno
fuL'ir. Um guarda da cadeia desatou
pancada a elles, para me deixarem passar
o que me ind.goou.
L idroes, assassinos repetame o
outro guarda, que me acorapanhava.
M s sao homens, doentes. repliquei.
Doentes, que se tivessem oceasiio,
furavam a barriga ao doutor, com o mes-
mo sangue fri, com que o doutor fura um
abeesso.
Eu nio duvidava. Todovia nio ha es
pectaculo no mundo, que tanto me impres-
sione o eoragao, como ver bater n'um ho-
mem ; c a minha vida ser toda emprega
da em reclamar a aboligao da chibata no
ezercito e as cadeias mexicanas.
Tinham mandado a Grega para um
grr.nde qu*rto de paredes caiadas, geral-
mento o cupado pelos condemnados,
morte, o que a pobre rapariga felizmente
ignorava. Estendida n'uma cama de lona,
ergueu-se quando ouvio ranger a enorme fe-
chadura da porta, e vi-lhe osigrandes olhos
escuros no rosto branco e pallido. Quando
mereconheceu, veioao meu encontr, eneos-
tou a cabeca ao meu hombro, e desfechou
n'um pranto de solugos. O al :aidc ficou
de fr .
O que querera de mim ? que mal fiz
eu ? repeta a mulher banhada em lagri-
mas.
Apesar de saber que as mulheres e as
criangas choram abundantemente por qual-
quer cousa, nao posso ver solucar urna
d'essas creaturas, sem ficar profundamente
commovi lo. Procurei socegar a Greg;
ella tinha alguma febre, e o seu olhar aba-
tido entristecia-me. Curvada, a cabeca
per-
FOLHETM
KGOLO
POR
::4ss 22 :::x
GO:sTlNU\gAO DE ANGELA)
(Continuaco do n. 134)
VI
Tem-os comsigo ?
Tenho.
Grisky dea ordera ao cocheiro para
nos levar ao cartorio do seu tabelliio. En-
tretanto as clausulas da venda fiearam com-
binadas. Depositei trinta mil francos e,
no dia sagainte, attsignamos a eseriptura
que me toroava proprietario da casa He sau-
de do polaco Hein i', que dizes tu a
isto?
, E' tao bora que parece incrivel! ez-
elamou o italiano absorto.
Proli tirou do bolso a copia da eserip-
tura de venda, que acabava de trazer do
tabelliao e entregou-a ao sen compatriota,
dizendo-Ihe :
L e duvida, se capaz ?
Isto um verdadeiro prodigio, disse
elle ea seguida, s a propriedade vale o
dobro I
Sei-o perfeitamente; mas assim
quando se est de telicidade, tudo corre
perfeitamente. Acontece, na vida, o mee-
noo qne no baccarat ou no lasquenet. Te-
nho ama mao, carissimo e d'aqui a algum
tempo, anda has de ver mai..
Mais ainda ?
Um casamento... Sim, mea amigo...
Moca bonita e nova... oitocentos mil fran-
cos e esperancas.
Urna lata do Per' I
A elicidade... sempre a felicidade!
Espero a prosperidade a mais estupenda I
Porque nao me avisaste inmediata-
mente da toa fortuna ?
Quera fazer-te ama sorpreza Fi-
nalmnfp, agora tu sabes tudo... e tenho
urna cousa para te propr ?
O que
Tenho precisao de um supplente, em
quem descance como em mim mismo.
Pens que nio recusars deizsr a ra Hou-
tefeuille, para vir co-nmigo ?
Nio to perdoo de haveres duvidado.
Quinto ganhas ?
Trezentoi francos por mez.
Dar-te hei quinhentos, emquanto te
nio dou mais. Quando te podems por
minha disposicao ?
D'aqui a oito dias; nio quero sakir
de repente da ra Hantefeuille.
Entio, disse Proli sorrindo, ambos
nos ha vemos de por tontos os oculistas
francezes Mas, primeiro que tudo, temos
que liquidar contas antigs.
De que contas fallas ?
Esqueces que, por diversas /ezes, me
franqueaste a tua bolsa ?
Entre compatriotas e entro amigos
ci se lijuidam essas contas.
Coratudo, quero que se liqudem.
Por agora, vivamos em paz e jantemos o
tnelhor possivel.
Os dous amigos jantaram perfeitamente,
regarara o jantar com os melhores vinhos
e passaram a note juntos, conversando so-
bre o futuro.
Gervasoni comecava a arrepender-se de
ter algumas vezes julgado o seu compa-
triota co ii demasiada severidade.
A's oaze horas separaram-se.
Annibal prometteu.a Angelo ir vel-o va-
rias vezes, durante os oito dias que deviam
decorrer, antes da sua ntrala definitiva
na casa de saude.
Proli voltou para o seu domicilio da ra
Courcelles.
Emquanto ia pelo caminho, porque quiz
voltar a p para casa, dizia comsigo :
O nico homem que podia ter suspei-
tas a meu respeito, est a esta hora abso
lutam ;nte convenciJe, que tudo se passou
como lhe contei. A minha seguranga t>r-
na-se cada vez mais completa. Nao resta,
no meu horizonte, senio um ponto negro,
as toleimas provaveis do tal Darnala O
nico meio de impedir qualquer encontr
entre elle e Cecilia roubar-lh'a. O ho-
rnera no me conhece e nao sabe quem
sou. Mudarei Cecilia de bairro e desafio-o
a que lhe descabra a pista. Amanha
pensarei nisso
pendida sobre o paito, deizava cahir sem
forja os magnifico3 bragos. As feigoes.
admiraveis sempre de finura, pureza e re-
guLridade, exprimam urna dr funda e
resignada. Que dira tu os adoradorot d'a-
quell malher esvelta, de porte magestoso,
olhar imperativo, e fronte orgulhosa, se
lhes fosse permittdo vel-a em somelhante
estado de prostragio f Cousa notavel 1 a
franziaa a tmida, aloira Evornia pareca
ter adquirido os gestos da altiva o desro-
grada aventara, que pelo contraro, gema
curvada,' como fura de esperar que gemes-
se Evornia.
Morreu, nio verdade ? perguntou-
rao a infeliz, repetindo, por singular coin-
cidencia, as palavras da viuva.
Po8 ainda ignora ? respond.
io doutor apesar d'isso duvido.
Eu amava-o.
Pronunciou estas palavras a raea voz,
corou, tapou o rosto cora as mios, como
envergonhada do que dissera, e comegou a
chorar silenciosamente.
Sabe que aecusam Valentim I con-
tinuei.
E eu tambera sou aecusada ?
guntou com um gesto de desdem.
Nuno.4 ameagou D. Felippe ?
Elle abaodonou-me depois do ter pro-
mettido c.:sar com migo, doutor; eu estava
doida de tristeza... perm matal-o I hoje
principalmente...
Era outra.vez seu amante?
A Grega levantou a cabega, e fitou nos
meus os s-u3 bellos olhos.
Sim, exclamou cora orgulho.
O diaho sio as mulheres pensei con-
migo. Se a minha pobre Evornia descon-
fiasse, era o bastante para morrer... Quiz
retirar-me ; a Grega nio deixou. Era
meu dever nao a prevenir da jonfrontagio,
que ajustiga precisa va; sahi, ella ficou
chorando.
Ped que rao levassem colla de Valen-
tira, qua encontrei furioso, indignado, pas
seiando pela prisio. Acabava de ser in-
terrogado, e vocif-rava contra a paiz.
Enganou-se; mas ha de custar-lhe
caro. Nunca perdoarei ao juiz as suas
suspeitas, dizia elle. Juro pela minha sal-
vacio, quo apenas estiver livre, hei de dei-
tar fogo ao tribunal, eu s, luz do dia,
na presenga de todos os a^uazis, de todos
os carcereiros e esbirros. Hei de demo-
lir a prisio ; tio certo como o doutor cha-
mar se B-rnagius e eu cliauar-me Valen-
tim. E o tal senhor juiz do crime ha de
pagar, me as perguntas injuriosas e estpi-
das que me fez.
Nio havia meio de fallar socegadamente
com o preso, um valento m >go, que pen-
sava tudo o que dizia, mas que se esque-
ceria de tudo um quarto de hora depois de
sabir para a ra. Pedio-me que dsse no-
ticias d'elle ao pai, e quo lhe encommen-
dasse a ceia.
Sahi da prisio moralmente convencido
da innocencia -ios dous aecusados. Apor-
ta, encontrei o juiz que me convidou para
jantar. Esiregou as raios quando lhe af-
firinei que a febre -causada Grega pela
inquitagio e pela tristeza, nio se oppunba
aos seus desejo de magistrado Quera
acabar o mais breve possivel com o nego-
cio, e alm d'isso era necessario proceder
inhumagio de D. Felippe.
Durante o jantar, como natural, tra-
tou-se apenas do assassinio. Eu disse a >
juiz as minhas impressSes; elle deizou-me
fallar sera rae interromper, sorrindo c sa-
cddiado a cabega todas as vezes que eu af-
firmava que ajustiga e3tava engaada, e
que er i preciso por Valentim e a Grega
um liberdade.
Qu ndo conclu, o juiz comraanicou-rae
tambem em segredo a sua opinii>, as suas
investigagoes e os relatorios d>s seus ageu-
tes. A Grega, natural de Tampico e nio
de Guadalaiara, contava apenas dezenove
annos. Tendo casado aos quatorze, sepa-
rou-se do marido pouco depois, e era Ve
ra-Cruz, em Puebla, em Tlacotalpam ti-
nha sempre dado escndalo por seus cos-
Passou revista aos quartos mais bem dis-
postos.
N'uma das salas do principal corpo do
edificio, achava-se um pequeo aposento
muito comroodo e reservado para os clien-
tes ricos e que viessem seguir um trata-
raento de algumas semanas coro Grisky.
Estn quarto, prximo do do d'rector e
que Grisky o :^upava ainda e de que o ita-
liano devia tomar posso logo que o polaco
deizasse Pariz, era mobiliado com eztrema
elegancia e compunha-se de urna salinha,
um quarto de dormir o um gabinete de
vestir.
Par.ili deu ordem para o t-rem prompto
para receber urna peisoa e depois desceu
ao gabinete da direegio.
Grisky esperava-o e foram estas as suas
priraeiras palavras :
Parto esta noite.
J, ex damou Proli com apparencia
de delicada pena, mas na realidade muito
satisfeito.
E' verdade, tenho pressa em tornar
a ver Varsovia. .. Parece-me que os trens
mais rpidos nio andarao suifi.-ientemente
depressa, parala me levarera.... Assim,
pois, de hoje em diante, meu caro succes
sor, ple tmor contados seus quartos.
Cont fazer urna viagem para o anno que
vem e virei pedir hospitalidade.
- Sabe, caro e Ilustro mestre, quanta
honra terei em o receber.
Acredito e cont com isso.
Depois Ghiaky accrescentou, depois de
haver escripto algumas palavras n'uma carta
de visita, que entregou a Proli :
Aqui est a minha morada em Var
sovia. Cscreva-me cora fr^quencia. D-
.ine parte dos seus triu;npho8. Interesso-
rae pela casa, corao se ella continuasse a
pertencer-me.
Protretto escrever lhe cora regulari-
dades responden o italiano. Mas nio ,
desde j, que se despede de mira.
E' agora tnosmu. Vou ddz.l-o As
miabas bagagens estio promptas. Veiu
logo" bscalas. O meu tempo est toma-
do, era dar algumas voltas p ra nego.io e
Lzer algumas visitas. Nio ten;iono voltar
ra da Saude.
Desejava-o aco"ipanhar, ao menos,
at o caminho de ferro.
Teria muita satisfagan cora isso : mas
impossivel.
- Eutio doxe confessar-lhe qaanto sou
grato, pela maneira com que procedeu pa-
turaes livres. Pertencia a urna excellente
familia, e a mulher que passava por su
mi, era apenas sua ama. Tinha enviuva-
do havia apenas tres annos ; fora muito
amala por D. Filippa, e vinte tstemu-
nhas oFerecam-8e para repetir as amea-
gas de vinganga proferidas contra elle,
quando casou. Mas todos os que frequen-
lavara a casa erara unnimes em declarar,
que ainda nao tinbam passado seis mez -s
depois que D. Filippe tornou a cahr nos
lagos da pergosa sereia.
Ora, doutor, continuou ojaz appro-
ziraando a sua cadeira da minha, em
quanto eu aceudia um clnruto no brasero :
a Grega contessa que D. Fihppe sahiu da
casa d'ella hontem s onze horas, tendo
l passado a noite juntamente com Valen-
tim que se retirou primeiro. D. Filippe foi
aggredido meia note, porque pouco an-
tea a ronda estove parada alguns raiautos
no lugar em que se achou o cadver. A'
meia noite e meia hora, Valentim que diz
ter andado a passeiar pelas ras at entio,
conversava tranquillamento janella cora
a Grega. Foram vistos por um guarda, e
nio o negara.
Mas elles nio explicara e3sa coinci-
dencia ?
Os criminosos explicara tudo, dou-
tor, com maior ou menor habilidad:. Va-
lentim, cheio de ciumes, sahiu, diz elle,
para espreitar D. Filippe e i Grega. An-
dou a passeiar pela3 ras, e at coufessa
queencontrou o rival. Foi entio que ma-
chinalraente voltou para casa da Grega,
quo encontrou sentada janella, e junto
da qual se esqueceu de que j era noite
velna.
Nio acho inverosmil.
O doutor l no corpo, o seu officio ;
porm o meu 1er as consciencia3. Ou-
tro facto: o seu relatoro parece-mo que
o li com bastante attengio affir.na que a
ferida devia ter sido feita com urna d'es-
sas facas, de que usam os manipuladores
de tabaco.
Sim, e que devia ser nova.
Hontetn, s seis horas da tarde, ura
conhecido vendedor ambulante vendeu um
d'esses instrumentos a um hornera, que
nio tem duvila em dizer quem foi, se
lh'o apresentarem, mas cujo nomo ignora.
O juiz deixou-rae ura instante; as i las,
confesso tnham-se-me confundido, bara-
lhado. Eu continuava a julgar a Gr-ga
innocente ; porra comegava a desconfiar
de Valen'ira, e entristecia-me a lembran-
ga do desgosto, que ira enlutar a familia
do desgsagado mogo.
Pensava tambera na pobre Evornia;
era Burama, nenhum interesse obrigava o
juiz a revelar infeliz senhora todos es-
t s incidentes, a deprimir no seu espirito
a memoria do homem que ella adorava,
do pai de seu filho. Eu lamentava que o
corpo fosse outra vez transportado para
casa ; mas a le assim o ordenava, e o
meu profundo respeito s leis, respeito
sem o aual nio ha justiga, nem ordem pu-
blica, nem governo possivel, distinguiu
me sempre dos meus compatriotas, cujo
principal intento c infringil-a.
Como o juiz nio quera attrahir as at-
tengSes, s fomos prisio s nove horas.
A Grega, que instantemente pergontava
o que lhe quoriam, seguiu com o carcerei-
r# por urnas ras affastadas, e aps ella, a
pequea distancia, Valentim j rouco
forga de gritar. Fui adeante para evitar
que Evornia se assustasse com o ru'do
que pudesse ouvir no quarto do marido,
mas sera saber de todo era todo como lhe
havia de oceultar a verdade.
A noite estava escura, e por consequen
cia as ras desertas, porque era poucas
cidades se deitam os habitantes mais cedo
do aue era Or2ava. A este c.sturae tio
prudente como hygienico, dove talvez a
cidade o coatar uns poucos de centenarios.
De longe em longo; mulheres sentadas s
janellas con versa vam soDre o aeontecimen-
to do dia; tive de passar qor minha casa.
Bateu-me acceleradaraente o coragio, e
No dia seguinte, Angelo dirigio-o ra ra com migo,
da Saude muito antes da hora da visita. Fiz a sua felicidade e a sua fortuna.

Sei-o perfeitameoto o regosijo-me com isso ;
porque merece urna e ontra.
Os dous apertaram a mi.
Desped me do pessoal da casa esta
manbi, continuou o polaco. As nossas con-
tas estio liquidadas ; portanto nada me de-
tm aqui... Parto satisfeito, porque tenho
a certeza que a casa nio perder o seu
prestigio, as suas mios. O senhor o suc-
cessor de que eu precisava e prophetiso-
Ihe ura brilhante futuro.
- Que se realisa a propheeia, disse An-
gelo sorrindo.
Varaos, dme um abraco,disse opo
laco, realmente commovido ; cousa que
podia passar por phenoraenal.
Abragaram-se e o velho professor met-
teu se n'um fiacre, que tinham ido busoar
e que o levou.
Proli disse ao criado de quarto que ser-
via no i.stabel.(cimento, qne tomava posse,
mesmo Daquella tarde, do quarto do direc
tor ; depois foi para a visita.
Nio causaremos grande admiragio ao
leitor, dizendo-lhe que Cecilia passou a noi
te muito agitada.
Um pensamento nico persegua a filha
de Jyme Bernier.
Nos seus raros momentos de somno, a
imagem do Dr. Anelo vinha peraeguil-a
em forma de sonho.
Estava absolutamente ncantada por elle
e perguntava de si para si, que estranho
capricho do acaso tinha conduzilo perto
della i.quelle hornera, que devia apiixoaar-
se por ella, logo priraeira vista e realisar
as mais ambiciosas esperangas que jnais
tinha concebido.
Mulher do rico e hbil director, de urna
casa de saude de priraeira ordem, seria ro-
deada de considaragio, de respeitos e ho-
raenagens.
Para ella o passado j nao ezistia !
Tu lo se tinha apaga to. Nio restava se-
nio utn radiante futuro I
Apeuas, para Ce lia, a morte do su
pai, punha urna pequ na nuvera n>-gra,
naqu Hontem s no mundo ; hoje tinha ura
protoctor, a qu;,n araava; que era amala
por elle que, dentro em poucos dias seria
3eu esposo.
A respeito do violento e r pentino amor,
inspirado por ella nio havia duvida possi
vel ; visto que o Dr. Proli nio 'gnorava,
nem a falta commettida, nem os seus re
sult idos e aceitava urna e outra cousa
Esta dedioagio de Angelo, aquella abnvi-
ga cao, pareciara sublimes moga e o ho-
mem, Capaz de seruelhante cousa, tomava,
cobriu-so de tristeza qnando me lembre
das sementes animadas. A'quellas horas,
em que por via de regra tinha quasi a
certeza de estar descangado, em que me
collocava deante da mesa de trabalbo, an-
dar a correr pelas ras, e as sementes a
moverem-se talvez dentro da caiza, a
gastarom a sua forg contrctil I E quera
sabe d'ahi a quanto tempo ser-me-hia pos-
sivel alcangar outras ?
Parei; um pensa nento doloroso tinha-
rae atravessado o espirito. Se aproveitaa-
do as horas que fui obrigado a perder, um
curioso qualqu t, ura igaorante, par u
d'esses acasos, que re luzem nada os cal-
culos do homem, descobrisse a* singulares
propriedadesi das sement<*s animadas e
mandasse um ezemplar para Londres,
para Piris, para o Mxico 1 Se me rou-
bassem a gloria de proclamar aquella des-
coberta O solo, que estava (Asando, des-
coberto pelo genovez Christovio Colom-
bo, nio tinha o nomo do florentino Ves-
pu-'io ? Dispuz-mo a entrar em casa ; mas
cahindo em mim, puz rae novamente a ca-
minho, pensando nicamente na dor de.
Evornia, escogitando na minha alma ou-
tros muios de consolagio que nio fossera
03 que d o to upo.
O costume, que ha no Mxico, de ox-
por o cadver com o rosto descoberto, de
o nio amortalhar, e de o enterrar nu, foi
tntroduzL'o na patria de Mneuczoma pe-
los europeas, ou urna tradigio azteca ?
Os documentos serios sio deficientes em
subsidios para esclarecer este ponto da
archeologia, que me propuz estudar a fun-
do ; porm a vida curta, mal chega para
os que desejam conhecer superficialmente
algumas verdales. E' fdra de duvida que
os cadveres dos chefes indios eram ex-
po&tos ao publico antes de screm queima-
dos; comtudo fora tomeridade concluir
d'ahi alguraa cjusa no tocante a usos mo-
dernos.
Evornia pm le expulsar do quarto as
matronas ; nio poude evitar que prepa-
nssem o corpo lo marido para ficar em
exposigio. Dora Filippe, deitado era cima
da cama coberta de flores, com'o resto
voltado para a jan?lla, tinha na mi uin
rosario. Cingia lhe a fronte uraa coroa da
era vos de defunto: ar liara cabeceira lifl
tochas enormes. Um velho ceg, erapu-
nhando um livro de missa, recitava era
voz pausada, surla, moaotona, algumas
cragoes, que se devia suppor que estava
leudo. A' tibia noite, sem nenburaa nter-
vengao ecclesiastica, o corpo do desven-
turado rapaz devia ser levado para a igre-
ja parochial o depnsto sob as lousas de
urna capella fundada por seus antepas-
sados.
Quando entrei no quarto do Evornia,
aubei-a s, tapando o rosto com as mios,
ajoelhada ao p da cama. Sentindo abrir
a porta voltou-se, langou-me ura olhar ir-
ritado. O filho chorava tristemente no
bergo.
Vamos, vamos, disse-lha eu, ajudan-
do-a a pr-se de p ; preciso ser razoa-
vel, escutar-me, obedecer me ; mai e pa-
rec3 que se nio lembra de que o .
J nio tenho leite respondeu-me
collocando-tne sobre o p :ito as suas duas
mios.
Deu urna volta pelo quarto, parou ao p
da janella, e dispunha-so a olhar para fra;
nio consenti, cora receio de que ella visse
passar o juiz e a escolta.
Entio, coragem, minha filha I Den-
tro em pouco hio de vir buscar o cadver
deD. Filippe, para lhe prestarem a ulti-
ma homenagem; prometta-me que se ha
de mostrar tranquilla o socegada.
Desde hontem que nio grito, nem
choro. Nio vejo, nem oigo nada, doutor.
Levem no, levem-no dep.essa.
A cerenona talvez se nao passseem
silencio; o alcaide e o juiz devem trazer
um homem, que se julga ser o assassino.
Um homem I exclamou Evornia, ura
homem I Quem ? perguntou com ancie-
dade.
Valentim Solar,
Um dos amantes dessa creatara, a
quem chamara a Grega?
Evornia pronunciou este aome por urna
frtna tio extraordinaria, cora una ezpres-
sio de colera e de despreso tio visivel,
que olhei para ella surprjhendido.
O doutor imagina sempre que tenho
seis annos; como quer que eu seja a nica
pesssoa que ignore que Filipp j foi amante
d'essa mulher, e que amia o era hon-
tem ?
Evornia sbia a verdade. Encoatrei fi-
nalmente a explcagio do seu modo brus-
co, ntra-ttvel, dos p rasatnantos sombros
que a torturavain. \ Golera e o criraecra-
vav.m os dentes n'aquelU coragb recto,
amoroso, iageouo, que lu;tava contra a dor
de uraa perda irreparavel ojulgava trium-
phar; mas a hora da reagio nio se podia
demorar, e eu tuha medo, quando me lem-
brava da crise raedonha que forgosaraeute
produziriam tantas lagrimas e solugos aba-
fados.
Obriguei Evornia a sentar-se, peguei no
filho e colloquei-lh'o nos brago3. Ajoelhei
aos ps da pobre martyr, tomado de pro-
funda compaixio pela dor immerecida que
espedagava o coragio daquella creanga,
que vi crescer ao p de mim, o que consi-
derava minha filha. Eu estava embaraga-
do, nio sabia o que havia de dizer; fallar
s mulheraa ci o mau forte; mas tinha
os olhos cheios da lagrimas, repet'.a pala-
vras infantis, dices, ternas, meigas. Para
encobrir a miaba incompetencia, eu deoe-
java tomar Evornia nos bragos, embalal-a
corao quando era pequenina, e adorraecia
no meu eolio ao sora de umi cuagio fraa-
ceza de que ella muito gostava.
Evornia porm es^utava-me; as suasfei-
go-s foram perdenio pouco a pouco a ri-
gidez. Pegju-rae na raio, bsijou-a, abra-
gou o filho. A'tava-lhe o seio, brilhou-lhe
as palpebras urna lagrima, ia finalmente
chorar e escapar febre, loucura, quan-
do se ergueu subitaraoote, con o olhar des-
vairado, e exclamou:
Dxe-me; oio me desespere mais!
Chore, disse-lhe eu.
N'esse momento a creada, fazando sig-
naes s escondidas, veio annunciar-me que
o juiz reclamava a miaba presenga.
Era necessario obedecer. Abracei Evor-
nia, dizendo-lha que me nio demorava, e
pedindo-lho outra vez que nio se assus-
tasse com o ruido que ouvissa. Ceasure
speramente os que lhe tinham langado no
coragio o germen do came, aconselhaado-
a a lembrar-se de que o marido, rea de
uraa leviandade, nunca deizou do amar
um s instante. Ella ouviu-me, sacudiu a
cabega, e vu-me sahr sem preferir pala-
vra.
Rcobrei-me um pouco da minha per-
turbagio. Suppuaha desde a vespera que
rinha apeaas urna dor vulgar, a quem pro-
porcin %sse allivio o consoiagio, e tencio-
nei, logo que passassera o nove dias de
nojo exigidos pelos hbitos mexicanos,
mandar Evornia para Cordova ou Puebla.
.\ mudanga da trra ura grande remedio
para as dores da alma; depois o amor ma-
ternal. essa ohararaa que ardo no coragi
das raiis, triurapharia do desespero da
viuva; agora, porra, que sentiraento ha-
via eu te invocar? Era forgosoappellar
para a3 virtudes christis, para a resigna-
gio ou para o esquacimento, duas impossi-
bilidades. (
Comparen deante do juiz, e obedecendo
s suas instruegoes, colloquei-me junto do
ceg, defronte da porta por onde a Grega
havia de entrar. juiz contava com abun-
dantes lagrimas, gritos, um desmaio, e e*
tinha tomado todas as minhas precaugoes.
A'1 roda do morto estavara accesas mais da
vinto tochas, e por isso o quarto, apesar de
grande, estava sufiicinteraente illumiaado.
A um sigual do juiz, troaxeram Valentim.
[Continuar se ha)
diante della, proporg3e3 de creatura sobre-
humaio, de um verdadeiro semi-leus.
Na verdade, o italiano tinha representa-
do bem o seu papel.
Cecilia Bernier pertencia-lhe em corpo e
alma.
Levantando-se cedo, vestio-se com um
esmero de que j havia perdido o habito
havia muito tempo.
Com aquella trajo de luto ficava mais
bonita e seductora.
Assim que se apromptou, mandn Brgi-
da buscar uraa carruagem e parti para a
ra da Saude.
Quando l chegou, apeou-se.
O exterior da casa pareceu lhe de as-
pecto imponente.
O Sr. Proli, perguntou ella ao por-
teiro.
Para consulta ou para negocio pes-
soal ?
Para negocio possoal
O criado fez tocar uraa carapainha.
Um empregado do libr azul cora bot*es
de cobre apresentou-ae e introduzio a visi-
tante em um gabinete de espera, separado
do gabinete do director por urna ante-c-
mara.
Aquello gabinete estava mobiliado com
um luxo severo e do melhor gosto. misulas
douradas supportavam estatuas de brooze,
quadros de mestres pendiam das paredes.
Tudo isto tem magnifica apparen
cia... pensou Cecilia.
Pela janella, da qua se approxitnou, vio
grandes coostrujgoes, jardira bein tratado,
um vai-vem de enferraeiros, de ajudantv,
empregados, e ma8 longe uin grande ter-
rino, plantado de arvores seculares e pa-
re, ndo quasi un parque.
Proli em nada havia mentido ; en
da havia exagerado.
Saltava aos olhos ; a casa de saude era
absoul unenti de priraeira ordera.
Cecilia, cora a testa encostada aos vidros
e dizen,(o de si para s', com alegra inten-
sa, que, ern poneos dias, seria senhora e
dona .aquella magnifico estabeleciraent >,
vio, de rep-ote, Ajiglo apparecer lhe, des-
cendo uraa grande oseada que ficava mes-
mo era frente della e cercado de ajulantes
e discpulos, que parercam fazer-lhe uma
corte atienta s suas raais pequeas pala-
vras ao maif pequeo dos s-us gestos.
Dominava o seu squito como um gene-
ral domina os seus saldados.
A um signal seu, todos curaprmentaram
e afastarara-se.
O coragio de Cecilia -bata lbe a
dagar lhe o peito.
despe-1
Aquelle homem tio serio, tio imponente
e collocado tio alto, araava-a!
Ia ser sua mulher 1
Que sonho I
Proli atravessou o pateo, caminhou di-
rectamente pare o lado em que se achava a
moga, que ouvio abrir e fechar se uma por-
ta e depois ouvio a voz do doutor perguu-
tar :
Veio alguera procurar-me ?
Veio uma senhora. Espera o Sr. di-
rector no gabinete.
Aogelo eu logo volta ao fecho da porta
e empurrou-a.
A filha de Jayrae Bernier estava diante
della e estendia-lhe as raios.
Cecilia I Querida Cecilia, exclamou
elle, correado para ella e cobrindo-lhe as
maos de beijos.
Aqui estou, disse ella, com voz tr-
mula.
Seja mil vezes bem viuda a esta ca-
sa, que ser a sua.
Nio esqueceu, meu amigo, que temos
que ir fazer uma visita, juatos ?
De certo que nio, partimos j. Venha
oommigo.
E Angelo deu o brago a Cecilia e con-
duzio a ao seu gabinete.
O gabinete para onde Angelo levoa Ce-
cilia era tio luxuosaraente mobiliado com*
aquelle d'onle sahia; era, porm, de as-
pecto raais grave ainda, por causa do' re-
vestimento do carvalho encerado, quasi ne-
gro, que revesta a parede, e pelos qua-
dros antigos debaixo do 3eu verniz esta-
lado.
Talvez que ache isto triste, minha
querida ? perguntou Proli com um sor-
riso.
Acho isto soberbo, respoadeu Ceci-
lia.
E' verdade ?
Ah! affiango-lhe. Coraquanto seja
uma moga igmrante, cotnprehenlo perfoi-
tamentc que o santuario da sciencia nio se
(ieve parecer cora o quarto de vestir de
uma loureira... Demais, tenho gosto3 se-
rios.
Entio gostaria de viver aqui ?
Se gostaria ? mas bem o sabe E
depois, t*starei satisfeita sempre onde o se-
nhor estiver.
Minha casa muito grande... hei de
Ih'a mostrar minuciosamente ; necessari
quo lhe conhega todos os cantdfc, visto que,
sendo minha, ser a sua.
i Continuar-se-ha)
lyp do Diario, ru* Duque d Caxias n. 48.

I
.!





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDS2D343J_54AA0B INGEST_TIME 2014-05-27T23:43:16Z PACKAGE AA00011611_16604
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES