Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16531


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i

A
LXV- 1ER

Propriedade de Manoel Figuir de Faria c? Flhos
PARA A CAPITAL E tGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
-

j

Por tres mezes*diautr.dos.
Por seis ditos dem......
Por um anno idem. .
Cada numero |tvuls^>. oj mesmo da.
60000
120000
23(1000
6100
Os Sis. Amedce Prince &. C.
de Pars,.sao os.nossos acules ex-
clusivos de annuriciosj jpublica-
oes na F rangae Ingji ra.
PARA DENTRO 3 FORA DO ESTADO
Por seis mezes adianudos. .
Por nove ditos dem......
Por um anno idem......
Cada numero avulso, de dias anteriores.
134500
206000
266000
6100
I
TELEGRMMAS
Um ?ASIWLAS 20 SUBO
.
RIO DE JANEIRO, 15 de Mugo, as 3
horas e 40 minutos da tarde.
Foi removido da comarca de S. Miguel,
o Estado de Santa Catharina, para a de
Ip, no do Cear, o juiz de direito bacha-_
re Jlanoe! Januaria Bezorra Montenegro,
sendo declarada se 'effeito a nomeacSo
anteriormente feita para a referida comar-
ca de I[j.
Foi removido, a pedido:
Da comarca de S. Joao Baptista de Cam-
p-s Novos, no Estado de Santa Cathari'a,
para \ de Porto de Moz, no do Para, o
juiz de direito respectivo, e o desta para
aquella baVharel Joao' Baptista de Campos
Tourin' o.
"- Foi nomeado juiz de direito da co-
marca de Maracas, no Estado da Bahia, o
baeharel Cezar Villaboim, sendo declarada
sem effeito sua. anterior nomeacSo para a
comarc* de Cururipe, no Estado de Ala"
gss.
Foi tambem nomeado juiz de direito
da comarca de Cururipe^0 Estado de Ala-
gos, o baeharel Antonio Tolentino da Cos.
ta, sendo declarada sem effeito sua ante-
de trro
ira. no
ada
Esta
Actos do puder executivo
Dereto n. 93 D de 30 de Janeiro de 1890
Concede no tenenie coronel Joaquina Verissi-
mo do R'>go Barros privilegio e garanta deja
ros para a censtruegao de nraa
do porto de Taraau iar est
prolongaraento Ja estrada de
do Recife ao S. Francisco.
O governo previsorio da Re
dos Unidos do Brazil, atienden
reu o tenente joronel Joaqun*
I Reg Barro- firmad" na clausula iffdtJBBcfeto
n. 10123 de 15 de D^tembro^ll^B, resolve
conceaer coinpanliia que o rs^rao ddado or-
ganizar privilegio para a eoostrd*cn, usoe,^ozo
de nm i estrada de ferro que, pirtmdo do port
de Tama\dar e segurado o valle do JjQuipe, vi
terminar ua esti-go dj Barra no prolongatjento
da estrada de ferro, denominada do Recife o S.
Francisco ; e, ontrosira, a garanta -de jiros de
6 7o ao anno sobre o capital qu-; Cor fmjjHv'^do
na referida construrcfio ale u inuXHncrde.j&iiOO
por kilmetro, confo me icou eslatuiflo na Bien
cionada clausula 4* do dec-elo n. 10123.de lo
de Dezembro de 1838. sob as clausulas que rom
este baixam, assignidas pe.o cidadao Denetno
Nunes Ribeiro, ministro e secMario de Estado
dos Neg io da Agricultura, Coaimercio e Obra
Puohcas.

j


'
rior nomcngSo para a comarca de Porto
Wvo, n ittesmo Estado.
Foi nomeado aiuaantp de Lf class-*.
do prolngame ato da farra,-va do Recife
ao S. Francisca, o engenhei Ips Anto
io da Costa "k
Foi n'meado secretario do governo
do Estado do Rio Grande do Norte, Can-
dido Goncalves d'Albuquerqne. N
Foi publicado um decreto lo gover -
Temo p ovisorio reguLndo as ajdas de
cnsto dos magistrados.
NATAL, 15 de Marco,
minutos da tarde.
s > horas e 20
i
H>je entraram 40 cargas de algodlo
.vpnlas pela estrada aberta para communi-
*-<*'car a capital com o centro.
O povo e o commercio festejaram o acn-
tegmento com msica e foguetes.
Foi grande o regosijo e o enthusiasmo
do commercio.
PARTE OFFICIL
L3 j..1 'V o humero dos xa piafes, reog|idas
Kp/- Si-enj contrario. "*
"" ministro e seeretario do Estado dos X
da uner/a assim o faca execnty*
la das sessesdo Gover.io Provisorio da Re
publica dos Estados Unidos do Brazil. 6 de Marco
de 1890, da ^Repblica. Manoel Deodoro da
Fonseca. Benjbmm Constant Botelho de Maja
hSes.
SEOTIgO l tf SSC11 WLl
PARS, 14 de Marco, noite.
Em seguida ao voto do Senado, relativo
ao tratado de commercio com a Turqua,
os ministros deram a sua demissao col-
lectiva.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
15 de Marco de 1890.
IHSTRDCCO POPULAR
mm 8i8U3?ars.co
DA
Vv
LITTEft aTURA BftAZILERA
xos
TSM^-OS COLOSUJE8
ni
(Co&tinuag2o)
Do conbeclmcnto qur lem do
Creador
nPela pagina 34 deste opsculo se v que
He foi escripto em 1584. Oj, ueste lempo es
lava Fernao C.rdin no Brazil, onde como se v
ia Narrativa Ep^rotor (pag. 6) elle chegou a 9
e Maico'de 1583,emcompanhiado padre Chris
tovao de Gome e de Manoel Mies de Brrelo,
fue vinha para governador ge; al.
Estas duas coincidencias davam um funda
nenio soao hyootbese ; mas para tornal a
certa devii s- recorrer s provas intrin-ecas,a
comparato dos estylos, ao cotejo das opiniOes,
etc. So so Dresente estas provas tem valor
porque se o opsculo aqui publicado de 1584.
a prlmeira parte ca Narrativa epistolar te 16
ie Ouiub'O de 1583. Escrevendo em dous perio
eos to prximos um do outro, natural que, se
opM^uio ^obre os indios da mesma penna
ue a Narrativa epistolar, nao s haja conformi
iade Passando a cotejar trechos das duas obras, o
refaciador do Principio e origem dos Indios do
Brazil leva nos a ronvicc&o de ser e;ta tambem
ebra de Cardin : deixemos porm este ponti bi-
blio.'raphico para ser discutido entre competen
te, e passeuos o merecimento litterano do
escriptor s> isc-nlista
pele ( -i-.s que damos etn seguida ve se que
Feroao Canlin 6 um escriptor correcto posto que
teta elegancia ; ponfo observador, parecendo
mais narar de oitiva quede visu ; nao obstaate
es seus t'-abalbos lm o merecimenro da singel< za
da \enlade, e com toda a justiga tem direito
a botini-a menco na bibliographia brazileira.
B mu '" p:-ra IdStii, ar se que essas p.-quen -
arra1 vas, como de C ou'r ndem dispersas e nao *e encontrem
rennii' s em um ou mai< volumes para facilitar
a acquisisao e tomar menos penosa a investiga-
o e estado comparativo.
r {GotUMut)

Sala das sesses do governo previsorio, 30 de
Janeiro de 18'0 2' da repblica. -Mano?/ Deo
duro da Fototeca.Demetrio Nunes Ribeiro.
Decreto do 1 de Marco de 1890
Extingue o commandode armas do Estado do
Amazonas e crea um no Estado do Paran i.
O chefe do governo provisorio constituido pelo
exercito e armad?, em nome da naco, atienden-
do s conveniencias do servico. decreta :
Artigo nico. Fica ex tinelo o commando de
armis doJBstado do Amazonas e creado um com-
mando di arn.as no Estado do Paran ; revoga
das a3 disposicoes em cont-ario.
O minislro e secretario de Estado dos Nego-
cios da Guerra ssim o faga exeoutar.
Palacio do gcverop provisorio da repblica dos
Estados Unidos doVBrazil, em 1 ;te Marco de
1890, segundo da repblica. lanoH Deodoro da
Fonseca. Benjamn Constant Boteltio de Maga
Ihaes.
Decreto n 237 de 1 de Marro de 1890
Rectifica a clau ula XXI do decreto n. 7959 de
9 de Kezembrode M60. re iiivaJ zona privile-
giada das i stradas de ferro.
O marcchal Manoel Deodoro dayooseca, chefe
do gn .creo provisorio da Repblica dos Estados
Jnid s do Brazil, con-tijf.ido pela exercito e ar-
mada em nome da nago, "coiisidernJo que a
redaego da clausula XXI d decreto n. 7959 de
29 de cDezemo o de 1880. relativa zona privi-
legiada das estra tas de ferra tem d ido logar a
duvidas que convenMUclarecer e ev lar. resolv-
rectifcala. sut)tium4^- pela seguinle, que de-
ver prrulecer na in|erpretago das clausulas
cowespondentes da* concessOes de idntica es-
pecie, feitas em (Jala poslirior a do supracilado
decreto ^uranMhfr temp)'da coocessS, o go-
verno nao conceder outras estradas de ferro
dentro de urna zona de. .. (20 kilmetros, ni
mximo) pira cada lado do eixo da estrada c na
mesma direcgo desta. O governo reservase o
a de conceder outras estradas qae, tendo o
mo ponto de partida e direccOes diversas,
m apprcximar-se e at cru'.ar a linlia con-
:omtailo que, dentro da referida zona,
naoffebam eneros ou passageiros.
i Francisco Giyceno, ministro e se
cretarid"d Estado dos Negocios da Agricultura,
Commercio e Obras FuJicas assim o faga exe
cuiar.
Sala das sessOes do governo provisorio da Re
publica dos Estados Unido- do Brazil. em 1 de
vlarco de 1890.2" da repblica.Manoel Deodoro
da Fonseca.Francisco Glycerio.
Decreto n. de 3 de Marco de 1890
Regula o nume-o, classe e vencimentos dos em
pregados das thesourarias de fizonda e d
outras providencias.
O marechal Manoel Deodoro da Fonseca. chefe
do governo provisorio, constituido pelo exercito
e armada em nome da naco.
Decreta :
Art. 1." 6 numero, classes e vencimrntos dos
empreados das tuesourarias de fazeoda nos es
tados federados sero 03 constantes das tabellas
annexas a este decreto.
Paragrapho nico. Os veociaentos das referi-
das tabellas eerao pagos desde o 1. dia do mez
em que a cada tbesouraria ebegar o conheci-
mento officiai.
Art. 2.* Sao appiicaveis s referidas thesou-
rarias as disposigOes constantes dos arts. V". 5
e 7." do decreto n. 172 de 21 de Janeiro do cor-
rente anno.
Art. 3." Revogam se as disposiges em con
trario.
Sala das sessOes do governo provisorio dos
Estados Unidos do Brazil, em 3 de Margo de 1890,
2 da Repblica, -tlanoel Deodoro da Fonseca.
Ruy Barbosa.
Decreto n.de 5 de Margo de 1890
O marechal Manoel Deodoro da Fonseca, chefe
do governo provisorio, consumido pelo exercito
e ai mada em nome da naco :
Considerando que o Sr. D. Pedro de Alcntara
possue, neste paiz. bens de valor consideravel.
cuta propriedade a Repblica solemnemente Ihe
afnaagou, franqueando-lhe o prazo de dous an-
nos para a sua liquidagSo;
Considerando que a conveniencia de nao pre-
cipitar essa liquidago, para nao sacrificar os le-
gitimo > interesses do proprletano, sujeiu o, no
decurso le urna operago morosa como essa, a
contigencia de falta de recursos necessarios
sua subsistencia regular e independente ,
Considerando que a benigntdade da poltica
republicana e os intuitos superiores da revolu-
go de 15 de Novemb o mpoem ao governo pro-
visorio o dever de facilitar ao principe desthro
nado pela nago toda a decencia da siluacao
pessoul correspondente ao patrimonio que u Re
publica Ihe respeitou;
Decreta :
Art. 1. E' concedida ao Sr. D. Peiro de Al-
cntara, soDre c valor dos seus haveres neste
paiz, a anu cipago de cem contos de ris por
urna vez ; e mensalmente, a contar de Abril pr-
ximo futuro, a de trnta contos, que o Thesouro
Na:ional reembolsar no inventario e liquidago
desses beu*.
Art. 2.. Ficam revogadas as dispoScgCes em
contrario.
Sala di;s sesses do Governo Provisorio daJRe-
SuDlica dos Estados Unidos do Brazil, em 5 de
iargo de 1890 1 d*Repblica.Manat Drt
doro da Fonseca.Ruy Barbosa. Jos Cetario de
Faria Aloim.
pratica alias abusiva de se langar mo dos offi-
ciaes arregimentados para as commiss&es que
compeiem exclujianiente qrfelles corpos, com
gr-nde pr. jjiz^yt administragrio militar;
Que nesses coflPbeui corno no de estado
rnaior de 1.* classeTe ^| 've mantapaempre a
mesma proporQo entre pe offidaes,flreca}poein
os respectivos quadrol. 4
Decreta: -r*..
Art. nico. Fica elMido, no coepo de estalo
maior de artilharia, a Vcj^Bwnlaro de coronis,
a (0 o de lenles coioRen. a 14 o de majon
a 30 o dexapHJfes e no corpo de engaoheir
as disfwsi-
Fj
estrada
Jante d
I i gag-i d
dos l'ai-los
Lima.
- Fj
tonio da Coi
classe de p
lo ao lugar de engenheiro da
Central do Brazil para o de aj-
se da coramisso de estulos da
daj de ferro do norte dos Es'a-
Bz>l Firmino Ferreira da Costa
do: a pedido, o engenheiro An-
iage do lugar de ajudante de l'
pgameato da estrada de ferro do
Ministerio do Interior
Foi declarada sem effeito a nomeago do Dr.
Luiz Barbosa da Gama Cerq leira para o cargo
oe secretario do Estado do Para, sendo nomeado
para o referi cargo o baeharel Evaristo Fer
reir 4 yelga Goozaga.
Pdf^re decreto de 5 docorrente foram exone-
rados a iludido, dos cargos de intendentes os Dr?.
Francisco Antonio Pessoade Barros, JaymeBene
vol, Math.'us Alves de Souza, Jos Barbalho
Uchoa avalcante, Benjamn de Salles Pinbeiro e
Zferino Gongalves Campes.
Foram uomeados : presidente do consePio
de intendencia, Dr. Ubaliino do Amaral Fontou-
ra; membros: Drs. Gil Diniz GoulartJManoel
Emilio Gomes de Carvalho, Nomnalo Jos de
Soura L'ma. tenente coronel Dr. Eduardo Jos
de Moraes e Dr. Honorio de Paiva Coutinno.
O Sr. ministro do interior dingioao gover-
nador Jo Estado do Espirito Santo o seguinte
aviso :
Em telegramma de 3 do corrente mez con
sultais a este ministerio quem dever substituir
as commissoes districtaes de qualiticago a que
se refere o art. 6o do regulamento approvado
pelo decreto n. 200 A de 8 de Fevereiro ultimo,
os juizes de paz, nos districtos onde nao se fez
eleico d'esses funecionarios.
Declaro-vos em resposta :
Se nao houve eleito de juizes de paz na
ppocha legal, ou foi annullada a ultima eleigo,
deve servir na commiso districtal o juiz de
paz mais votado do quatriennio anterior. Assen
ta esta regra no art. 116 do decreto regularmen-
tar n. 8.213 de 13 de Agosto de 18i.
Se nao ha juizes de paz por nao se ter ainda
procedido respectiva eleigo depois de creado
o districto. nao se tormar coramisso, senloos
cidaddos n'elles residentes alistados pela com-
misso do districto a que pertencia. na anterior
diviso. a parte em que residem do territorio do
novo districto, fazendo-se no alistamento e nos
ttulos dos eleitores as coavenientes declara
ges.
Esta regra decorre do espirito do citado re
guiaHWMiKJja*-da Eevernjm a,iy ^nstiiflijido
juiz deDarTnais votado um dos memoro? (
comraisso districtal de qualificago e dando Ihe
ugar proeminente na coramisso como seu pre-
sidente (art. 8") implcitamente exclue a organi
sago de taes commissoes nos districtos nova-
mente creados em que ais Ja nao tenba havido
eleigo de juizes de paz. Jos Cetario de Faria
Aloim.
Aos governadores dos Estados expedio o
Ministerio do Interior o seguinte aviso circular,
com a data de 7 do corrente mez :
Em virtude do disposto no art. 71 do regula
ment annexo ao decreto n. 200 A, de 8 de Fe-
vereiro ultimo, compete s cmaras ou intenden-
cias municipaes fornecer os livros de taio con-
tendo impressos os ttulos dos eleitores e todos
os mais livros e objectos necessarios para os
trabalhos do alistamente eleitoral no municipio
Com o fin de obviar, porm, quae-quer diffi-
culdades praticas nos municipios mais loDgin
quos ou que nao disponham dos precisos recur-
sos, conven) que mandis preparar e remetter
para lodos os municipios em taes condiges os
ivros de que trata o mencionado regulamento.
As despezas com osaliudidos livros e outros
objectos indispeosaveis aos trabalhos do alista
nenio devem correr por conta do respectivo Es-
tado, quando as cmaras ou intendencias muai-
cipues nao poderem satisfazelas. (Citado artigo,
paragrapho nico)
Empeosdo.entretanto.no pleno exitodoalis-
lamento, o governo federal auxiliar os Estados
que, por circunstancias e.meciaes, nao puderem
Htpportar presentemente todo o onus d'este ser-
fice.
Da vossa patritica soliciiude confia o governo
federal que, com antecedencia precisa, daris as
providencias convenientes para que o alistamen
to se rea 11 se na epocha marca-la e com a mxima
'regularidade em todos os districtos d'esse Es-
tado.
Sade e fraternidade. -/ose Cetario de Faria
Alvint.
Decreto n. 247. de 6 de Marco de 1890
Eleva o auaiero Jos offLiaes io corpo do estado
maior de artilharia e o de oapites no de en
eenheiros
O en- fe co roverno prixnsorio. con^-tiUiido pelo
exercito e anuda em nome ua oag&o, eous
deranuo
Que o numero de officiaes que compoem o-
actuaes corpos de estado maior de artilharia e
de eogenheiros insufficiente para o servigo que
Ihes commettido, sendo necessano recorrer
Ministerio da Justlca
Ficou sem effe:to a nomeagSo do baeharel Q li
rio Firmino Vital Capistrano, para juiz de di
reito de D. Pedrito no R'O Grande di Sul, sendo
nemeado para a da E-trella, no mesmo E-tado
e o ba harel Bernanlino Senra de Campos Fei-
to=a, que fra nomeado para esta, passa para
, cju lia.
Ao governador do Para dirigi o Ministerio
da Justiga o seguinte aviso :
Em respo-iaao vosso oflicio n. 279 de 6 de
Dezetnbro ultimo, pedindo approvago do acto
p lo qual resolvestes crear urna 2 promotoria
na comarca da capital, declaro vos que. emquan
to os lugares de promotor publico forera con
templados no urgamento geral da Uuio, so o
governo fe eral pode <-.real ( s, nao convn to-u
graentar despezas que actualmente desequilibrara
aquelle orgaioeino e no futuro exercicio prova
velmeule, em razao da prevista descentralisago,
teriam de pesar no orgamento dos estados.
Francisco Glicerio .
K
Ministerio da Fazenda
Fot nomeado o luo.c,a Im ua recebedoria ex-
tracta de Peruaiutiuco.. naetiare Lu'z PredencQ
Codeceira para o lugar de inspector da ajfande-
ga do estado da Parahyoa.
Mln'serio da Agrlciltara
Por portaria d- 26 do Musido I', i Di
J'j J D i"
de chefe do trafogg la estrada de Ierro a P "
Ij Affonso, cora 03 ven'M lientos que Ihe eo
tirem.
Por porla-ia de 28 do pas.-ado foi remov
engenheiro Heii-iqu'"1 Thebe.rgp de <:iefe do Ira
fego e da locoraogo da estrada de Ierro de Pau
lo Alfonso, para MeRfe" '"amo na de P '
co'ii os v.'iicnne.iiii)-q1) 'h twmpetireni.
fot remvi'io o eogenti'-iro Amonio J 1
quim de Souza Cirneiro lo lugar oe -chefe *
secgo do prolongamento da esirlda de ferro la
Baha para a de engeiheiro fiscal do 2- d stric
a de engenhos centraes, percebendo os ven' i:
raentos que lhecorapetirem.
Soral, estado d) C^ar.
. Ao; engenheiro h'eal da Companhia 3razi-
lera PhOalo de-Cal don o Ministerio da Agn-
llura, d^avI^Regninte :
Vr^feitin|f*itt-s^ra voeo conheiimentoe
conveni-HueJtiffc.. autortee a Companhia
Brazileia de Phosphato de Cal a faeer ara car
regaraento no navio 'Eitel Fritz, bera asm que,
de ai.cordo com o aviso de 31 de Dezembro ulti-
mo, do Ministerio da Fazenda, junto per copia,
as machinas e apparelhos Importados pela com
panhia, esta"do isentos de pagamento de direi
tos de irnportag," nao o esto do imposto de
5 /o re expediente.
Os materiaes, porm, que forem importados
com destino construego do porto e das obras
internas da ilba. esto sujei tos a todos os direi-
los de imporlago.
Saude e fiaternidade Francisco Glicerio .
A referida companhia cessionaria dajazida
de phosphato da Ilhi Rata do archipelago de
Fernando de Noronha.
Ministerio da Gnerra
Foi transferido para o 36 batalho de infanta
ria o maior fiscal do 15 da raesma arma Jo o Se-
venano Maciel da Cosa.
Foram transferidos de uns para outros cor-
pos na arma de infamara : para o 21 batalho.
o capitn do 1 Manoel Morcira de Souza, para a
2* companhia; para o 25 batalho corao aju-
dan'e o cpito do 36 Henrique Alfonso de
Araujo Mcalo, e para o 31 batalho, como aju
dante o capitn do 25 Joo Alcino de Faria.
Foi transferido para o quadro extranume-
rario do exercito, de conformidade com o decreta
n. 8 de 21 de Noverabro prximo passado, o 2
tenente de alUiaria Domingos Jcsuino de Al-
buquerque Jiimor^"
Reverterarn 1* classe do exercito o alfe-
res aggregado arma de infantaria Francisco
Xavier da3 Neves, visto ter sido julgado apto
pera o servigo do mesmo exercito em nova in-
specgo de saie a que foi submettiio. e o alfe-
res aggregado raespa arma Jos Candido Ba-
zerra da Trindade. pelas mesmas raz5es.
Para a2* classe do exercito foi transferid),
de conformidade com a resolugo de 1 de Abril
de -871, tomada sobre consulta do conselho su-
premo militar, o capito do 36 de infantaria
Joaquim Candido de Oliveira Marques, ficande
aggregado arma a que pertence, visto ter sido
julgado incapaz do servigo do exercito em nova
inspecgo de sade a que foi submettido.
Concedeu-se troca de corpos entre si aos
seguiotes officiaes da arma de infantaria : majo
es &UMUA.Augusttj.de Mello e Braz branles,
'te dr?7b' ifvoe'.lciloie* e capites Jos Sa
bino de Brito e Antonio Fernandes de Souza
Cousseiro, este do 3J e aquele do 9\
Rolago dos officiaes promovidos no corpo
de sade do exercito:
A cirorgiao-mr do exercito o cirurgio-mr
de diviso Dr. JjLOtonio de Secza Dantas, por me-
recimento ; %
A cirurgi5es mores de diviso os cirurgie3
mores ce brigada Drs. Manoel Cardoso da Costa
Lobo, Antonio Pereira da Silva Guimares, Diogo
Garcez Palha do Almeida. Francisco Lino Soares
de Andra ie, no quadro extranumerario ;
A cirurgies-nires de brigada os 1M cirur
gi6es : rs Antonio Carlos Pires de Albuquer
que, por antiguidade; AlexandreMarcellino Bay
ma, idem ; Jos Porfirio de Mello Mattos, idem ;
Antonio Pinbeiro Guedes, idem ; Pedro Borges
Leito. por merecimento; Manoel Ignacio de
Vasconsellos, idem; Joo Cancio Nunes de Mat-
tos, idem ; Flavio Augusto Falco, idem; a 1*
clrurgioes, os 2* cirurgiOes : Drs. Clarindo Adol
pho de Oliveira Chaves, por antiguidade: Ma-
nuel de Mello Braga, idem : Ascendino Angelo
dos Reis, idem; Virgilio Tavares de Oliveira,
dem; Eutichio Soledade, idem; Agnpino Ri-
beiro Pontes, idem ; Jos de Miranda Cuno,
idem ;. Menandro dos Reis Meirelle3, por mere
cimen'o; Joaquim Ja Silva Gomes, idem; Joa-
quim Antonio da Cniz, dem Antonio Alfonso
raustino, idem: Manoel Rodrigues de Figuei
redo, idem ; Alfredo de Paula Freitas, idem ;
Sil vino Pacheco, idem ; Pedro de Al -antara Sou
za Gouveia, idem ; Candido deHollir.da d Cos
ta Freir, idem ; Marcolino Jos de Souza, idem ;
Apngio Antero da Costa Andrade, idem; Rodol
ho Benevenuto Garnier, idem ; Jos Oliveira de
Uzeda, idem ; Alfonso Lopes Machado, idem ; e
Ismael da Rocha, idem.
Foi concedida a graduago do posto de raa
jor ao pharmiceutico capito do corpo de sade
do exercito Antonio Ribeiro de Aguiar.
Foram corneados pnarmaceuticos alferes do
corpo de sade do exercito os pharmaceuticos
contractados Cicero unes. Virgilio Crescen ;io
de Uzeda, Rozendo Cesar Teixeira, Joo Marcel
lino de Souza Margal e Bernardo Floriano Cr-
rela de Briio.
Forara designados para delegados do cirur-
gio-mr do exercito : do Estado de Ma.to Gros
so o cirurgio-mr de divisa) Manoel Cardoso
da Costa Lobo; no do Rio Grande do Sul, o ci-
rurgiomor de dhiso Dr. Diogo Garcez Palha
de Almeida ; no do Paran, o cirurgiao mor d
brigada D-. arlos Pires de Albuquerque ; no de
Santa Catharina, o cirurgiao mor de brigada
nr. Alexandre Marcellino Bayma ; no da Bahia, o
cirurgio-mr de brigada Dr. Joj Porfirio de
Mello Mattos ; no do Para, o cirurgiao mor de
brigada Dr. Antonio t'inheiro Guedes ; no do Es
piito-Saoto, o cirurgiao mor de brigada Dr.
Pedro Borges Leito; no do Maranho. o cirur
gio mor de brigada Dr Manoel Ignacio de Vas
concellos; no de Minas Geras, o cirurgo mor
de brigada Dr. Joo Cancio Nunes de Mattos, e
no de Pernambuco o cirurgio-mr de brigada
Dr. Flaviu Auguro Falca >.
- Foram transferidos : para o ?1 bablho
de infantaria o tenente do 15 da mesma arma
mi tonto los Duartu e para o 3t o cadete sar-
to Jo 9a regiment de cavallaria Domingos
L Ferreira.
Por decreto de 6 do correte foi mandado
reverter, p-imeira classe do exercito o tenente
corone! aggregado arma de. artilharia Antonio
1 C>s: Gnimaraes.
l- 01 1 : :! s p-ra a 2' classe do ex
I and.. agreg.iitos ao corpo u que per
encera, o l" larorgUJes do corpo tic a '
" n A istiee -merico de HgaloSes,
1 o.- "
1 Pn C das e o,, 2* cirurgiOes do rae-
i. u i>Ds EulaBo Lellis Anranio Jos de
Lastro, A laor G-ato Alv eSooiw e os phartn ceuticos ca
, II, lorio CaetvtO di- Abn-u. alferes AprigK)
Antero Cyruio de Moezes e Eugeaio Jo Fer-
bosa e Joo d'Avila Franga, todos da referida ar-
ma.
Foram mandados reverter 1* c .'asse do
exercito o brigadeiro aggregado ao estado maior
general Jos Clarindo de Qoeiroz e o alferes ag-
gregado arma de infantaria Joaquim Benvenu-
tc de Almeida Nobre, visto ter sido julgado apto
n ira o servigo do exercito em nova inspeegio
de saude a que foi submettido.
Arma de artilharia.-Foi transferido para a
hatera do 2 leg'meoto o capito do 5 Jos
Elias de Paiva.
Arma de infantaria.Para a companhia do
1 batalho o capito do 31 Antonio Leite Ri-
beiro Jnior ; para a 2" companbia do 2 bata-
Hio o capito do 13 Ueurique Jos de Maga-
hes; para a 4* do 7 batalho o capito do 22
Jos Leoncio de Lima, e para a 4 do 22 o capi-
to do 7 JoaquimMelchior Carniro de Men
donga.
Poram feitas a3 seguintes nomeagOes no
corpo do exercito: para servir no Para, os se
gundos cirurgies Drs. Vicente Borges deVas
conceUos Duirte e Virgilio Tourinho de Bittern
court; para o Rio Grande do Norte, o 1 cirur-
giao Dr. Jos Lopes da Silva Jar lira ; para Per
nambuco, o 2 cirurgiao Dr. Joao Alexandrc de
Seixas ; para o Espirito Santo, o 2" cirurgiao
Dr. Jo) Gongalves Ferreira Correia da Cmara,
e para Mallo rosso, o"2 cirurgiao Dr. Alfredo
Augusto Gomes.
Pharmaceuticos: para a Bahia, alferes
Anisio Muniz Gomes; para Pernambuco, alferes
Jos Alexandrino Leal da Gama; para o Rio
Grande do Sul. alferes Victor Coelho, Cicero
Nunes e Bernardo Floriano Carvalho de Brillo ;
para Matto Grossc, alferdl Virgilio Vasconcellos
de Azcvedo.
Ministerio da Marinha
Poram per decreto de 1 do cosrente promovi-
dos por antigui -ade : a ca piulo de fragata o ca
pito de fragata graduado Quintino Francisco da
Costa e a capito-tenente o 1 tenente Candido
Floriano da Costa Barreto.
- Por decreto de hontem foi mandado eolio
car na respectiva escala, o 1 cirurgiao do cor-
po de saude da armada, Dr. Joaquim Carlos da
Ro3a, cima do 1 cirurgiao Dr. Joaquim da
Costa Antunes.
O 1 tenente Manoel Ignacio da Cunha foi
nomeado para commandar a escola de aprend
zes raarinheiros do Para.
-es-
Ministerlo das Relaces Este-
rtores
Foi uoraeado enviado extraordinario e minis-
tro plenipotenciario da Blgica o contra almi-
rante Baro de Teff .
Eoram removidos do mesmo cargo : de minis-
tro residente da Bolivia para o Chile o Dr. Hen-
rique de Barros Cavalcante de Lacerda ; de en-
carreg ido de negocios do Per para ministro re-
idente na Bolivia o Dr. Cesar Augusto Vianna
de Luna e de enviado extraordinario e ministro
plenipotenciario no Chile para o mesmo posto
no Per o Dr. Cym de Azevedo.
Forara removidos os enviados extraor iina-
rios e ministros plenipotenciarios Visconde de
Arinos e consell'.eiro Joo Arthur de Souza Cor-
reia, da Gr-Bretanha para a Santa S e vice-
versa.
Governo do Estado de Pernam-
bnco
DESPACHOS DA SECRETARIA DO GOVERNO
DO ESTADO DE PERNAMBUCO, 14 DB MAR
CO DE 1890
Antonio Zacharias do Carmo.Nao ha
que providenciar, vista da informadlo do
Dr. juiz de direito do 2o distrbto criminal
do Recife.
Benjamn Ismael Alvares Santos. Pro-
videnciado, com o officio d'sta data ao Dr.
juiz de direito interino da comarca de Bar
reiros.
Companhia Pernambucona.Rmettido
ao director da secretaria da extincta As
sembla Provincial, para juntar as contas a
que allude o peticionario.
Chrispim do Amaral.Deferido, com o
officio de hoje ao Thesouro do Estado.
Digna de Santa Rosa.Informe o in
spector geral da Instruc5ao Publica.
Eugenio de Bar. os.Informo o inspe-
ctor da Thesoi'raria de Fazenda.
Emilia Lort'gue.Informe o cidadao
fiscal da companhia Recife Drainage.
Baeharel Fausto Cavalcante de Albu-
querque Gadelha. Informe o inspector
da Thesouraria de Fazenda.
Irmandade de S. Miguel de Afogados.
Informe o inspector da Thesouraria de
Fazenda.
Jos Francisco Guedes.Informe o in-
spector da Thesouraria de Fazenda.
MajorJos Marcelino Alves da Fonse
ca.Informe o Dr. juiz de direito do 3'
districto crim nal.
Jo5o Guherme Dantas.Sim, median
te recibo.
Joaquim Jos da Costa Pinheiro.In-
forme'o cidadao fiscal da companhia Reci-
fe Drainage.
Libanio Jos de Sant'Anna.Informe o
Dr. juiz de direito do 2a districto criminal
da comarca do Recife.
Manoel GonctJvcs de Siqueira.Indefe-
rii.
Padre Manoel Gomes da Fonseca.In-
forme o inspector da Thesouraria de Fa-
zend.
Mari Amancia Cesar de Souza.In
forme o inspector geral da Iostrucjao Pu
bijas,
Pedro da Sveira Lobo.-Ao Dr. juiz
d- trat do civel para informar, deca
raado se o cartorio do suppcante pode
.-,-,i 1 i.> ,. r gum dos companhei
roa sa desvantagera para o servijo pu
blico.
Sebastiana Miria Francisca de Jess.
Sim.
Tbaotonio Pereira da Silva.Requeira
i ti. ii illfc-i i:., i. c<- 'J-i
.i [aoirreutti nomeado
ons-Mlieiro.de guerra.
Poram transferidos pa-* o corpo de estado
maior dd artilh ir o mato/ Luiz Raoellode Vas-
concellos e #s capite J i io arlo? de Vascon
cellos, Celestino AIv- Uastos, A1 frodo Josc Bar-
.1 d.is O iras Publicas.
S ere aria d > governo do Estado de Per-
nambuco, 14 de Marco de 1890.
O porteiro,
H. M. da Silva.
RepartlcSo da Polica
2.* seccao.N. 60.Secretaria de po-
icia do Estado de Pernambuco, 15 de
Mar?o de 1890.
Cidadao.-Participo vos que foram hontem re- ,
cclhidos Casa de Detenco os individuos de Do-
mes Jos Francisco Ferreira, Romo Cordeiro,
Irinen Alves da Silva e Eduardo Ferreira de
Araujo.
- Coramunicou me o delegado do termo do
Bonito que no dia 2 do corrente o individuo de
nome Joo Fructuoso da Rocha, morador no lu-
gar Pedra, tcntou assassinar a Braz Fjrreira dos
Santos.
0 delinquente foi preso em flagrante e est
sendo inquerido.
No mesmo dia aciama e no lugar Prata, do
referido termo do Bonito, Vicente Ferreira de
Lyra, Joo de Lyra e Rozendo Gregorio Naza-
riano feriram, a tiros de pistola, ao inspector de
quarteiro Manoel Jos de Lima e a Jos Jot. -
quim de Menezes.
Contra os delinquentes, que se evadiram, pro-
cedeu-se na forma da lei.
No da 9 do correte apresentouse volnn-
tariaraente ao Dr. juiz de direito da comarca de
Jjboato e foi recolhido cadeia o reo Joaquim
Arcondo da- Cruz, conhecido por Pedro Calan
gro, pronunciado no art. 205 do cdigo criminal.
Pelo subdelegado do !. districto da Graca
foi rmettido ao Dr. juiz de direito do 4.* dis-
tricto criminal o inquerito policial a que proce-
ded contra Innocencio Luiz Ramos do Nasci-
mento e Jorge Ferreira das Neves, presos en
flagrante por crime de fenmentos leves.
0 delegado do termo de Gravat remetteu
tambera ao juizo competente o inquerito a que
proceden, por crime de furto de cavallos, contra
Francisco Martins dos Santos.
Foram transmitidos os seguintes ttulos de
autoridades policiaes, enviados a esta reparticJo
pela secretarla do governo:
Domingos da Rocha'Pitia, 3o supplente da de-
legada de Aguas Bellas.
Joo Manoel da Silva Souto, Io supplente da
subdelegada do districto de Mucambos em
Aguas Bellas.
Foram propostos para cargos policiaes os
cid 'daos seguintes :
Oiympio Carlos Ja Cunha, Marcolino Francis-
c i Lins, Manoel Leite Barbosa do Nasciraento e
Jos Paulino Pereira da Costa, subdelegado, Io,
2o e 3o supplentes do 2o districto de Gravat.
Jo: Francisco da Silva Vieira, Jos Clemente
de Souza Monteiro. Rozendo de Barros Lima, e
Joaquim Bezerra de Franga Sizudo. subdelegado,
l", 2o e 3o supplentes do 3 districto de Gravat.
Adolpho Bezerra Cavalcante, subdelegado do
Io districto de Pesqueira.
("ommandanle da 5* regio capito do corpo de
polica Jos Francisco Paes Barreto, delegado do
termo de Garanhuns.
Tenente Carlos Lopes Nogueiri Rosa, delega-
do do termo do Bonito.
Alferes Joo Evangelista deSouo, delegado do
termo de Bezerros.
Alferes Monoel Mendes da Silva, delegado do
termo do Brejo.
Continuo a chamar a attenco das autori-
dades policiaes para o conteudo das seguintes
circolares expedidas por esta repartigo :
De 17 de Dezembro lindo, recommendando
que nao consintara que seiara apprehendidas e
prohibidas quaesquer publicages diarias ou pe-
ridicos, nem perseguidos us seus distribuidores
ou vendedores, devendo, nos casos excepcio-
naes ou abusivos, aguardar ordens expressas
desta ebefatura.
De 22 do mesmo mez recommendando que
tenham muito era attenco as disposi?es dos
arts. 203 e 209 da lei n. 1.129 das posturas mu-
nicipaes, empregando toda3 as diligencias ne-
cessarias para apprehenso das armas defezas,
sendo os seus possuidores punidos rigorosamen-
te de accordo com a lei.
De 22 de Janeiro 1) corrente auno, no sentido
de promovercm por tod03 os meios a reoresso
da vagabundagem. obligando os vadios e vaga-
bundos a terem urna profisso decente e licita e
fazendo os que a 3so nao se sujeltarem. a as-
signarem termo de bem viver para serem reco-
Inidos cadeia no caso de infraeco.
' De 28 do mez cima, recommendando a mxi-
ma brevidade na formaco dos inquerilos poli-
ciaes, a que devem proceder, sempre que occor-
rer qualquer facto delictuoso, nao deixando em
taes casos de efectuar o respectivo corpo de de-
licio, sendo os ditos inquerilos reraettidos ao
promotor publico por intermedio do juiz crimi-
nal a quem competir conhecer da culpa, sempre
que 3e tratar de um crime era que caiha a aeco
publica, e mandando archival os quando se trata
de crimes de aeco particular para serem entre-
gues aos iat:ressados e para que sejam pagas.
cusas.
De 31 ainda de Janeiro, recommeadando que
providencien! no sentido ce serem os mendigos
e especialmente os cos recolhidos ao Asylo
d Mendicidade ou outro qualquer estabeleci-
mento a cargo da Sania Casa de Misericurdia,
imperando que ditos mendig03 andero a es-
molar pelas ras e pontes desta capital, sal-
vo aquelies que forem portadores de um carto
fornecido por esta repartico aos que se acha-
rem em condices de implorar a caridade pu-
blica.
De mesma data cima, recommendando a ap
prehenso de todos os menores encontrados em
ebandono, alim de serem entregues aos Juizes
de orphos para dar lhes tutor e occupaao.
De 12, do raez de Fevereiro findo, em ad-
ditamento circular expedida em 22 de Ja-
neiro, chamando a attengSo para diversas dis-
po3es Jo cdigo do processo acerca da vaga-
bundagsm e do modo de proceder contra os
mesmos
De 23 do referido mez de Fevereiro, recom-
mendando aos delegados que se abstenham o
mais possivel de intervir -em assumptos de di-
reito privado, de immiscuirem-se em questes de
trras, como abusivamente teem alguns pratica-
do, com quexa justa do paciente.
Da mesma data cima, recommendando aos de-
lgados, chefes do servigo policial em seus ter-
mos, que fagam seus subalternos entrarem em-
exercicio dos cargos re;pectivos, visto ser do con
curso de todos que deve resultar vantagens para
servigo.
De 6 do corrente, recommendando toda mode-
rago no modo de tratar o cidadao depois de en-
Iregue e sujeito priso. disnensando-lbe todas
as garantas possivei? alim de que nada soffra
Sade e fraternidade Ao marechal
Jos Sime2o de Oliveira, mu digno go-
vernador provisoria do Estado de Per-
nambucoO Chefe de .polica, Antonio
Antunes Ribas.




\ ''



I
* I
i

Thesouro do Estado de
Pernambuco
DESPACHOS DO DIA 11 DE MAB-JO DE 1890
Antonio Jos Bruno. -A' contad ira para man
dar juntar, na forma requerida.
Portaria de licenga de Clodoaldo Aristheu da
Rocha Pereira Ao Dr. contador para os-den-
dcs lins. .
Antonio Pereira de Oliveira Coelho.-Regts-
tre-se e faf im se as devidas notas.
Jos Joaquim Gongalves Bastos.-
porteiro.
4*
-Ao cillo


.
2
Diario de Peraambuco-Domingo 16 de Marco de J890
:





' I

Manoel Medeiros.-Deferido, no termos do do general TVjea, na presidencia da repblica do
parecer fiscal. Uruguay.
Camilla do Carmo Torres.Deferido, sendo : 0 presidente da repblica parti para aeston-
approvado o calclo da pensao. | cia de La Paz, proimedade do general Roca.
Officio do juii da .provedoria.Faga-se a O governo offereceu urna ftsta veneziana ao
transferencia, exnibidas as apolles Sr. Qoimioo B >cayuvar no arrabaldi- do Tigre.
Eduardo de-Moraes Gomes Ferreira. Defer A's 4 horas da urde partiram em passeio ao
4o nos termos do parecer fiscal. ro as pessoas da comitiva, a bordo da canbo-
Mancel Jos de Magalhes Deferido, para neira Matp.
ser irresponsavel o inquilino que estabelecer
o predio n. 63 ra do Visconde de Inbama,
pelo debito dos anteriores.
Dias & Caralbo. Deferido, em vista das in-
formagoes.
Conta do collector de Palmares, do exercicio
de 1888-Approvado.
Adolpbo Bessoni de Almeida.Restitua se,
m vista das informaces.
Uljsses Colombo Sunoes.Deferido, em vista
das oformagoes.
Felippa Carolina da S'lva Bcitrao. -Registre
se e fagam se as devidas notas.
Aurelio dos Santos Coimbra.Deferido, dan-
do se baixa na Ranga para ter logar a entrega
das apolices e letras.
-15
Antonio Joaquim Cavalcanti de Albu-
querque, F. P. Boulireau, Frederico Etel-
rin Alves Macn-1, JoSoSezino dos Santos
Bezerra, Jos F.irreira Campos, officio do
director da Bibliotheca, Francisco Gon-
#*lves Torres, Alberto Ulyases de Souza,
fficio do Inspector Geral da InstrucgSo
Publica, sob n. 40, Francisco An'onie do
Couto e Silvestre Joaquim da Silva.In-
firme o Dr. Contador.
Officio do Collector do Binito. Forne-
ja se.
dem do Procurador dos Feitos da Fa-
zenda, sob n. 521.Volte Contadoria.
T ninaz de Aquino Camello. Ao Dr.
Coutador para mandar escripturar a quan-
tia referente ao exercicio encerrado.
Francisco Barbosa de Souza Ferraz,
Mara Augusta da Silveira, offijio do In
pector Geral da Instrucgao Publica, sob
a. 37, idem do mesmo, sob n. 39 e idem
do Collector de Itamb.Ao Dr. Conta
dor para os fas dev dos.
Francisco Tavares da Silva Cavalcanti,
D. Francisca de Mondonga Pinto, Aatoni
Ignacio Heitor, conta do Collector de
Barreiros, relativa ao exercicio de 1886
W87, inclusive o terceiro semestre, Anna
Carolina de Alencar, Joviniano Jos de
Albuqurqne, Companhia Pernambucana de
Navegagao Costeira a Vapor, Adelaide Ro-
aalina Bittencourt Barbosa, Theolindo
Augusto do Bego e officio do Collector da
loria de Goyt.Haja vista o Dr. Pro-
curador Fiscal.
Comrnendador Antonio Gomes de Mi-
randa Leal.Como requer.
Felippe Moreira da Cruz e officio da
Collectona de GameUeira.A' seccilo do
eontencoso para os devidos fios.
Francisco Ramos da Silva.Sim.
D. Josepha Mara dos Prazeres Junte
onhecimento do ultimo semestre da de-
cima.
Cosme de Abreu Macedo. Certifi
que-se.
D. Isabsl Dias de Morzes Bastos.
Selle os documentos e volte, querendo.
D. Camilla do Carmo Torres.Sim,
por certidao.
D. Julia Cesar de Menezes. Sellados
s documentos e juntando conhecimento
do ultimo semestre da decima, volte, que-
rendo.
Antonio Bellarmino dos Santos Leal.
indeferido, em vista das inforraacoes.
Generosa Mara da Conceic&o. -Certi-
fique se.
Officio do Collector de Caruar.Ao
Dr. Contador.
Recebedoria do Estado de Per-
naiuhiic
DESPACHOS DO DA 15 DE MAB9O DE
1890
Jos Fernand-s Lima, Anna Mara da
Concecao e Jos Joaquim Goncalves Bas-
tos. -Informe a 1.a secc3o.
Tavares & Freir. -A' 1.* seccao, para
s fins devidos.
Ernesto Xavier dos Santos.Sim, em
vista das informagoes.
Man-.el Gon9alves Ferreira e Silva e
JoSo Jos de Miranda.Indeferido, em
vista das informa c5es.
Delfina Maria Leal. Certifique-se.
Nicolau Novellino.Prove estar quites
eom os impostas do exercicio findo.
Generosa Hjrcalana do Rgo e outras.
Cumpra-sc.
EXTERIOR
AMEIIIC.4. DO SL
0 paquete Don, chegado hontem do sul, trou-
xe as teguintes noticias :
Ili<> da Piala
Datas de Buenos *yres at 3 e de Montevideo
at 5 de Margo :
Na capital da Repblica Argentina tollava-se
a realisagao de urna grande reunio do com
mercio para pedir ao governo a sua cooperaco
10 sentido de unelhorar a situago de dia para
dia mais grave.
Cora a meama insistencia fallava-re de urna
reuniao de representantes do alto commercio e
de alguns baoqueiros, que propunham-se noraear
ma eoraraisso que se dirigisse ao presidente
da repuolica alim de lhe pedir providencias, en
re as quaes a reorganisaco do ministerio e mu
danca de poltica.
Ausentou ee de Bucno3 Ayre3 o director do
peridico illustrado L sucesos, por saber que a
polica pracurava-o para responder por um a;ti
a que publicara conselhando a suppresso do
r. Jurez Celinan, para remellar a situago
anormal porque eslava passando o paiz
O novo presdeme da Repblica Oriental Dr.
errera y Obes recebeu aa secretaria do estado
dos negocios exteriores o corpo diplomtico es-
trangeiro.
Nao eslava ainda conhecida a organisagao do
ovo gabinete. ,__
A uwcidade uruguaya offereceu, no tbeatro
Sola, om banquete ao Dr. Herrera y Obes, ao
nal assistio o ex presidente general Mximo
So Rio de Janeiro faram publicados estes
telegrammas:
Buenos Avres, 1 de Marco.
Osdianos La Nacin e La Prensa publicaram
artigos nos quaes manifestaran1 recelos de gran-
de crise econmica,recommend.m que se fccan
conomias e annunciam muitas quedras. uut
rio considera todo perdido e ataca o Banco Na-
onal.
Montevideo, 1 de Marco.
O general Tajes publicoo um manifest, no
anal, agradecendo ao povo, lembr-.-lbe que,
mando eteilo, declaron que trabalbaria pela
eonservacio da pai e alcangou esse desidertum,
apoiado pelo povo. Elogia o novo presidente,
Dr Herrera, e augura um risonho porTir para a
patria. A guarnido formou em frente ao con-
^Dr. Herrera foi muito felicitado pela soa
levacao a presidencia.
0 Mnete Beveiiut abalrooa com a emDarca-
ato Pomeranian.
Bueno Agres, de Margo.
No hotel Tigre ser servido lauto jantar.
A' noite llavera illuminagao, sendo qoeimado-
fogos de artificio; os navios da esquadrilha e
botes do Rowing Club desfllaro, depois do que
seguir se-ba um grande baile nos saldes do dito
Club.
Montevideo, J de Margo.
O Dr. Herrera y Obes foi elcito presidente da
repblica por 47 votos contra 21, dados ao gene
ral Prez, um ao Sr. Maooel Herrera e outro ao
Sr. Capara.
O Dr. Herrera prestou juramento e em segui-
da dirigio-se ao palacio da presidencia, alim de
visitar o general Tajes, que fez-lhe entrega da
facha presidencial.
Depois houve comprimentos do corpo diplo
matico e de erapregados das differentea reparti-
ges, lindos os qu^es realisoo-se a revista das
tropas da guarnigo.
Iinmedialameote depois o Dr. Herrera e as
pessoas presentes acompanbaram o general Ta
jes soa residencia, onde este proooociou urna
allocucao, agradecendo as manifestagOes que re-
cebeu e fazendo votos pela felicidade do ?eu
suewssor.
Falln tambem o diarista Dr. Palomeque.
O Dr. Julio Herrera y Obes foi acompaobado
pelo povo a so 1 residencia, ond pronunciaram-
se varios discursos.
La Opinin Publica, diario fundado para a pro-
paganda da candidatura doDr. Herrera, suspeo-
1 i a sua pnblicagao.
A' noite ?Vidade illuminou-se eas pragas on-
de estacionavam bandas de msicas, estavam
concorridissimas.
Buenos Aires, 3 de Margo.
O general Suspizicbe, commaidante da guir-
nigao, acha-se gravemente enfermo, inspirando
o seu estado serios re:eios.
O Sr. Quintino Bucayuva e comitiva partem
amanh para Montevideo.
Montecido 3 de Margo.
O Dr. Herrera y Obes recebeu em sui residen-
cia 1 s comprimentos do corpo diplomtico e dos
funccionarios pblicos.
Buenos A^res, 4 de Margo.
Ha nesta praga grande crise inanceira.
Quintino Bucayuva, A Penbae o corone! Leite
i'erqueira regressaram com suas familias para
Monteviio a bordo do vapor Venus, que vai
a ompanbado pelo vaso de guerra argenlini Pa-
lagonia, que deu salvas.
Montevideo, i de Margo
No grande banquete, dado hontem no thea tro
Soiis, os Srs Herrera e Tijos pronunciaram dis
cursos notaveis.
Augmenta aqui a influenza.
Buenos yes, de Margo.
O governo do l'er felicttou o governo argen-
tino pela solugo da questao das Misses.
A junta de hygiene apresentou ao governo o
seu parecer modificando a quarentena para o
beriberi.
O ministro argentino em Pars J. L. 1 oz re-
nunciou o cargo.
Houve reuniao de ministros presidida peio
Dr. Pellegriui, am de tomarem-se medidas para
corabaler a crise inanceira.
5 de Margo.
O Banco Nacional contractou um emprestimo
de 1,050000
Foram descobert03 grandes roubos no railw.iy
Andino.
Montevideo, 5 de Margo.
O seuado uruguayo rejeitou o projecto apre
sentado pelo goveruo de envialura de urna em-
baixada ao papa para tratar da nomeago dos
bi-pos.
0 senador Carve faz censuras severas ao go
verno do general Tajes, que foi defendido pelo
senador Freir.
5 de Margo.
O Sr. Quintino Bocayuva visitou o presidente
Herrera y Obes.
Buenos-Ayrcs, 6 de Margo.
O governo re^oheu diminuir a depeza com a
immigragao e augmentar os direitos da Alfan-
de^-a ; consto que tambem diminuir algumas
verbas de .lespezas no orgamento.
Montevideo, 6 de Margo.
Os Srs Quintino Bocayuva, coronel Lastro
Cerqueira, teoente Penba e Dr. Pertence ebar-
cam hoje no paquete Portugal.
0 Sr. Bocayuva ofTereceu un almogo aos >rs.
almirante Cordeiro e Guido, ministro argentino
nesta cidade.
0 Sr. Quintino saudou ao ex-'rcito e a arma-
da da Repblica Argentina, e o Sr. Guido bebeu
a fraternidade dos deus povos.
A colonia brasileira offereceu ao Sr. Quintino
um carto de ouro, com dedicatoria e u:n bri-
lliante.e a imprensa presenteou-o com um l-
bum.
Chegou o ministro braz'leiro Dr. Ramiro B ir
cellos, que foi brilbantemenle recebido e felici
lado pelo pr sidente di R:publica Dr. Herrera.
Buenos--\yres, 7 de Margro.
Melboron a situago da Bolsa.
Foi publicada a ordem da junta sanitaria, re-
gulansando o servigo de quarentenas para as
procedea "as do Brasil.
FalleceuoSr. Sundblod, comnissar:o gcral
da immigra;o.
Montevideo, 7 de Margo. .
O senador Carve publicou um artigo violento
contra a administrago do general Tages.
Consta que o Dr. Ramiro Barcellos tratara da
questao da livre navegago na fronteira do Rio
Grande do Sul.
Buenos Ayres, 8 de Margo .
Cafferata foi eteitogjvernador da provincia de
Santa F.
A Nacin e a Prensa do noticia de urna en
trevisia entre o intendente e o presideute Jurez
Celman, na qual tratou-se da crise nanceira ;
sendo opiniiio leste que se exagerou muito a
importancia da oriM, entretanto vai preparar
urna lei para tornar eTect vas as responsabilidu
des nasoper.g-s da Bolsa.
Habitantes d> Rosario pretendiara offerecer
um banquete ao ministro Ziballos, por causa do
tratado das MiesGes; mas este, agradecendo,
pe lio que aguarda6sem a pubcacao do tratado.
Joao AIsho foi nomeado commissario da im
migragao. .
A canhoneira Paran parti para Mamm bar-
cia, atim de vigiar os navios declarados suspei
UM de ter doengas epidmicas.
Montecido, 8 de Margo.
0 ministerio ser composto provavelraenle do
seguinte modo : Capevrero. ministro do inte
rior; Penba, ministro da fazenda : coronel Cal
bora; ministra da guerra ; islas Vidal, ministro
do exterior e Beriudazue miuistro di justiga.
Buenos-Ayres, 9 de Margo.
Continua a crise tinanceire.
Consta que baver um meeting do commercio,
quando voitar o presidente, e que se procura
conseguir adhesao do general Mitre. ,
Montevideo, 9 de Margo.
0 movimeoto Ja Balsa foi fraco por causa da
batalha das flores.
de Setembro, com o evident^ynluito de o rouba- ros de 6 "/., por 30 annos, sobre o capital que
rrm. for effectivameiite empregado at o mximo f*e
Nao conseguindo arrsmbar a Jwra, nem fa. 30.00M por kilmetro, na const:ucgo de una
zel-a eahir pela estreita perta do eorapaKimeato estada le ferro que, partindo do porto de Ta-
em que se achava, langaram-fogo a este. j mandar e atravessaado o valle do Jacuhipe, v
O incendio lavron I e tame o te e pela mantel! terminar na eatago da Barra, do proloogamen-
sendo o Sr. Moller avisado do que occorria, pode, toda estrada de ferro do Recife a 5. Francisco,
acudir a lempo de dominar o fogo. Os estados defioitivos devero ser apresen-
Ainda assim, ea armas, utensilios, papis e; todos dentro de um anuo e enceladas as obras
varios objectos que*e acbaTOm no quarto incen at 6 mezes aps a approvgao dos meamos es-
diadO;^ os prejoizoselevam^se a mais de 4O0J0O0. tudos. Logo que os dividendos excederem de 8
empregadas mais de 5-0 pes
SUL DO BRAZIL
Pelo piquete Don, que passou hontem para a
Europa, ti vemos as Reguinies noticias :
rs(a d Bio (irande do ul
Datas at 2 ue Margo.
Uo Jornal do Commercio de Porto-AIegre publi-
cou o Sr. Visconde de Pelotas novo manifest
contradictando o que puWicaram os ebefes repu
blicanos da mesma cidade.
Suicidoo-secom um tiro de revolver na b)c
ca, fallecendo instantneamente, o joven Hyppo-
liio Silva, uiembro de urna conceiiuada ainilia.
residente na cidade de Jagoaro. Fos levado a
este acto de desespero por caosa de urna pertinaz
molestia qt roffria.
Em Pelotas, desde o dia 18 que se acha em
vigor o decreto de 1 de Fevereiro na parte refe-
rente i extinegao dos impostos de exportago.
Na mesma cidade tentou suicidar-se ingenurto
tintura de b-lladona, o Sr. Leonel Salcedo, de t\
annos de idade, natural deste Estado.
Garca foi recolhido ao hospital da Beneflcen
ca, declarando que o motivo da sua tentativa
era acuar se ba dous mezes sem emprego, ape-
lar dos etfoncoe qoe tem feito para encontral o.
Refere o Dtarto de Bag que os ladrees pene-
Di', o Diario do Bio Grande:
Na madrugada de 12 de mez hontem findo,
entraram na cidade do Livramento, procedentes
de Rivera, duas carretas com mercaduras con-
trabandeadas.
A polica, como sempre dorma.
Com as chavas torrenciaes que cabiram na
tarde de 28, na Serra, arromboo-se a estrada de
ferro, consta-nos que no kilmetro 169.
Os estragos tm ama exteasao de ISO metros
e sao de natureza a interromper o trafego, s per-
mittindo o transito de passageiros com baldeado
no ponto do desastre.
Segu para all um trem com trunos e aterro
para os reparos da linha.
Na noite de 25 evadiram-se da cadeia civil da
cidade de Bag seis presos, quasi todos pronun-
ciados em ernues de aior importancia.
Foi preso o carcereiro, cidadao Emiliano Cor-
deiro, mas nao o foi igualmente a guarda, ou
pelo menos a sentinella, o que demonstra a es-
candalosa parcialidade.
E tonto mais escandalosa, quanto diz a m-
prensa que a evaso deu-se pela porto ila frente
que, nao presentando arrombameoto, parece ter
sido aberto cora chave falsa.
oiudo de Santa Camarina,
Datas at 6 de Margo.
A 19 do passado as-umio o exercicio do carfo
le juiz de direito da comarca de Blumen.-.u e a
insiallou na mesma daQjpo ctd^do Giiivo Sa
liogr, 1.* supplente do fi? municipal raquelle
termo.
L se no Jornil do Commercio de 28:
A populago desta cidade foi sorprendida
honti-m com a noticia de se baver suicidado com
tiros de revolver, durante a noite antecedente, o I
Sr. Francisco Ranzetti, de nacionalidade italiana,
53 annos de idade, chefe de familia e, ha muitos
annos, aqu estabelecido com alfiataria, na ra
di Repblica.
Ignoram-se os motivos que ;deram causa a
semelhante acoa ecimento. Nem o genio folga-
zo de Ranzetti, nem o estado de seus negocios,
quesediziam bem autorisavam qualquer su.-pei-
ta de to lamentovel tim.
Entretanto, ha quem affirme que Francis;o
Ranzetti, desde o pnmeiro dia da semana que
corre, demonstrava certa preoecupago e-tristeza,
nao tendo porm ainda isso dado logar adescon-
lianga por parte de quem quer que fosse.
Falleceram na capital D. Maria Ludovina de
Oliveira, viuva do comrnendador Francisco Jos
de.Oliveira; D. Julia Gevierd e D. Eme enciana
da Costa Ferreira, viuva de Jo i Ferreira Chris-
tovo, fallecido dias antes ; e no Estreito, Durval
Ferreira, socio da firma Guimares & Fernandes,
estabelecida na capital.
A Alfandega Jo Estado rendeu em Feverei-
ro lli:t5335'*, e no mes anterior bavia rendido
123:0O00O0.
Capital Federal
Datas at 10 de Marco.
L-se no Jornal do Commercio :
De 2:
Ni preseng dos Srs. ministros do interior e
da fazenda, oflici es generaes e superiores, com-
mandaate e Untes da Escola Militar e de muitas
outras pessas effectuou se hontem a entrega dos
puuhos bjrdados, dragonas e chapeo armado que
js alumnos da Escola Militar resolveram offere-
cer aos Srs. generalissimo chefe do governo pro
visorio, vice almirante Wandenkolk e bngaieiro
Benjamn Constan'.
Por parte dos offertontes oraram o capilo
Servilio Gongalves e o alumno lzidro de Souza
Figueiredo.
O Sr. chefe do governo provisorio agrade
cen'io declaren que usara at a morte aquelles
puahos offerecidjs por urna escola que tantos
servigos tem prestado patria e concluio, roa-
rindo se nos termos mais lisongeiros ao exer-
cito e armada, recordando o anniversario da ter-
minago da guerra contra o governo do Para
guay.
O Sr. Wandenkolk^ e Benjamn
'.amhem agradeceram, lembraodo o ultima o
papel que a escola tem representado e o muito
que da mocidade que a frequenta espera a pa-
tria.
Tjcaram no saguo durante o aclo as musi
cas dos I.* e 7." balalhoes de infautaria.
De 3:
Hjntem, noite, duram se no 1. e 2. dis-
trictu da freguezia de S. Jos vanos conflictos
entre pragas de polica e pragas do 7.* batalno
de infamara.
O facto cuja origera data de a .te hontem,
nos foi narrado do seguinte modo :
De volia u tbeatro o Sr. Baptisto da Costo,
subdelegado do i.* districlo de S. Jos passando
com sua ordenanga pela ra do Cotovello, vio
cahidj embriagado um iudividuo e deu ordem
para que elle fosse couduzido para a 3. esiago
policial, na ra de D. Maooel. A essa ordem op
puzeram se dous individuos paisana allegan-
do ser injusta aquella ordem. Um d'elles, raos-
trando-se mais exaltado, recebeu voz de prisao
da ordenanga do suodelegado, e ignor :ndo quem
era este, avanjou para elle de navalha em pu-
nho.
O subdelegado ordenou fosse effectuada a
prisao e coma elle resistase mandou que empre-
gisse a forga para prendel-o. O indiviJuo foi
entao conduzido a espaldeiradasata3. estago
policial, pela ordenanga do subdelegado e por
outras pragas, que acudiram aos apilos.
Na estagao acalmou se o preso e como csti-
vess ferido em varias partes do corpo foi por
ordem da autoridade policial cooduzido ao hos-
pital da Misericordia onde o medicaram, sendo
depois recolhido ao xadrez da 3" estagao.
Hontem pela manb soube-se que. o ferido
era corneto do 7o batalho de infamara, o que
foi communicado ao subdelegado Baptista da
Costa. Esta autoridade recebeu pouco depois um
officio do 7o batalho de infantaria, entregue por
urna escolta que ia buscar o preso. A autorida
de policial nao fez mmediata entrega deste, o
que motivou o comparecimento na estagao do
Sr. ma|or Ferraz, do 7o batalho, e de ou'.ros of-
iiciaes do mesmo batalho.
Ao anoite:er comegaram enlo os conflictos
entre pragas de polica e do 7- batalho de in-
famara, sendo dadas ordens para que fossem
retiradas para as respectivas eslagOes as patru-
las que rundavam a freguezia.
A's 8 1/2 horas da noute achava-se o Sr. As-
sis Coelho, subdelegado do 2* districto de S.
Jos, na 4* estagao policial, quando soube que
havia grande conflicto na ra do Senador Dantas,
comniunicou iramediatomente o faci ao Sr. co-
ronel Vasques, coamandante do regiment pa
licial, peduido lhe providencias ; dirigi se em
seguida codo i-oinmandante da 4' estagao para
o logar do conflicto, que terminou na ra do
Baro de S. Gangalo, onde comparecen o Sr.
coronel Vasques, que encontrou cabido dentro
da taverna dessa ra, esquina da da Ajuda, com
fenmeotos que parecem ser graves o soldado do
regimenio oolicial Jos Soares do Nascimento ;
na porta da taverna estavam tres pragas do 7
batalho que foi am presas pelo major Ferraz,
do mesmo batalho, que alli compareceu prom
pamente e conseguio sereoar o conflicto. Tam-
bem flcou ferido na rao direita o soldado de po-
lica Sebastio Jos Vital.
A' mesma hora, pouco mais ou meaos,
acbaado se reunidas na 3* estagao policial, onde
tambem se achava o subdelegado, as pragas da
ronda do districto, foi aest gao assaltoda, lican-
do levemente ferido o policial Leonardo Paulino
da Silva. Os assaltantes, entre os quaes ignora-
se se flcou algum ferido, retiraramse quando
%. ser igualmente repartido o excedente entre
o Estado e a companhia, cessando a diviso des-
de que pela partilha tenba sido indenirasado o
Estado dos juros que houver pago por effeito da
garanta.
Alm de outros favores, ter preferencia a
companhia para acquisigo pelo prtgo mnimo
da lei, dos terrenos devolutos existentes mar-
gena da linha, < fluctuando-s- a venda por lotes
alternados, de maneira que um pertenga em-
preza e outro ao Estado. A sobredito preferen-
cia smente vigorar durante a construego e o
prego mnimo smente prevalecer dado que a
empreza distribua os lotes a immigrantes, que
importar e estabelecer, n&o podendo, porem,
revender os mesmos lotes por prego excedente
do qne for fixado pelo governo. Se, decorridos
cinco anuos aps a construego. nao houverem
sido distribuidos os terrenos, ser obrigada a
companhia a adquiril os pelo prego mximo, iu
demnisando ao Estado a differenga do valor.
Esto importante clausula parece nos digna
de ser adoptada como padro para fazer-se ap
plicavel a todas as concCsses aualo.gas, apenas
com leve moditicago que sujeitomos ao criterio
do Sr. Ministro [da Agricultura. Desde que a
collocagao de immigrantes nos terrenos margi-
naes das via3 frreas est no mutuo interesse da
empreza e do Estado, tuja responsabilidade
oriunda da garanta ser tanto menor quinto
mais avultarem os elementos do trafego, pare
ce til incentivo assegurar s jompannias, urna
1 vez que lujara dnposto de todos os seus lotes, a
acquisifo da juelles que o Estado para si hou
ver reservada. Nao tendo os lotes reservados
pelo Estado outro destino*seno o da oceupaco,
e confiado que esto se etteclue no menor praso
possivel, e sem nenhutn encargo para os cofres
pblicos, incontestavel a conveniencia de os
transferir s companhias ao prego mnima da
lei e em condigOes idnticas s da transferencia
dos lotes primitivamente cedidos. Assim logia
rao Estado, alm de outras, a vantagem de fa-
zer povoar ierras bem siluilas sem a necessi
dade de ingerencia directo ou immei ata nesta
obra de colonisao .
De 9:
<( Hontem, na secretaria da justiga, vistosa-
mente emoandeirada e adornada com arbusos
e flores, realisou se briltiante manifestagao de
aprego ao Sr. Dr. M. Ferraz de Campos Salles ao
reassumir a direcgo dos negocios de sua pasta,
de volta de sua provincia natal.
Ao ebegar foi o Sr. ministro recebido
porta do edificio pelo Sr. Baro de Sobral, acora
panbado de todos os empregados da secretaria
ao som da msica da banda do regiment poli-
cial, que durante todo o tempa da manife.-taca.i
executou .idlos trexo3'
Na sala dos despachos, estando a mesa do
Sr. ministro ornada cora vasos de flores e ah
presente toda a secretaria, commandante do re
gimento policial, medico da detenga Dr. Miguel
Arcbanjo e diversos cavalheiros, o Sr. liaro de
Sobral em breve discurso pz em relevo a con
siderago e respeito que elle e os seus collegas
tribuUvam ao Sr. ministro pelo cavalheirismo,
espirito de justiga e reclido com que acuda aos
reclamos do servigo publico e pelo trata nento
fraternal que dispensava aos seus empregados.
O Sr. Dr. Campos Salles, devras comino
vido, declarou que aaeitava sa'.isfeito lo bri
Ihanle manifesiago de aprego sua pessoa, e
louvou a lealdade dos empregados, que eram mais
seus cooperadores na grande obra da consolida-
gao da repblica do que simples funcionarios.
Disse que entre elle e a secretaria havia se
estabelecido um pa:to, que tinha at o presente
sido cumprido nscada ,sua parte a garanta
dos direitos adquiridos e da dos empregados
toda a lealdade no cumprimento dos seus de-
Teres .
Accrescentou o Sr ministro que, ao assumir
a direcgo dos negocios da justiga, coincidilo
com a sua primeira entrada em urna secretaria
Constont. de estado, comprebendeu que toda a oagao se
voltava principalmente para elle, como orgo da
jusliga, para saber a orienU'Co do- seus direi-
tos, e, portaniu. fo seu primeiro cuidado tornar
conhecido do paiz que o systema inaugurado de
governo era todo de moderago, que os tiibu-
naes judiciarios continuarlam a julgar conforme
as leis sob a mesma organisa^o existentes, e
que, assim sendo a norma de sua administragaa,
nao poda excluir o auxilio dos empiegalos da
secretaria da justiga, cuja tradigo de bem ser-
v; patria e lealdade oo lhe eram estranhas.
Agradeceu os mimos que lhe foram offer
lados e cenfirmou a sua solidariedade com a se
cretona da justiga, mostrndose ufano por ser
auxiliado por lio digno cidado.
Em seguida fallou o Sr. Dr. Moller, chefe
da 3.' secgo, externando o reconhecimnto de
seus collegas pelo modo cavaJheiresco, digno e
justo com que proveu reforma da secretaria,
ha muito distanciada de outras nos proventos e
igual se nao superior nos encargos.
O Sr. Baldomero Fuentes saudou o Sr. mi
ni^tro e sua familia, agradecendo o Dr. Cam
pos S tiles.
Em seguida o Sr. Dr. Moller apresentou a
S. Exc. sua interessante filbinha D. enristra 1
que offrreceu-Ihe um peso de marmore para pa-
pel, trabadlo artstico.
Os mimos offerecidos a S. Exc. "pelos em-
pregados da secretoria foram um riquissimo fa
queiro duplo de prata lavrada e urna cesta de
flores artiflciaes, destinada sua senhora.
Os empregados da secretaria, satisfeitos pelo
modo brilhante com que o Sr. Baro de Sobral
interpretou os sentimentos de gratido dos mes
mo3 empregados para com o Sr. ministro, agr
deceram-lhe, pelo orgo do 1." ollicial tenente-
coronel Belarmino Ferreira, a sua cooperago
para o brilhantismo da festo.
O Sr. ministro, tendo de retirar-se para o
despacho, foi acompanhado at porta pelo pes
soal da secretaria, tocando nessa occasio a
banda militar o hyinno dacional.
- De 10 :
Hontem, s 1 3/4 horas da tarde, varias gy
randolas de foguetes annenciaram que eslava
visivel o paquete francez Portugal, comegando
desde essa hora a affiuir muita gante para o caes
Pharoux, onde estavam atracadas lanchas a va-
por, affim de conduzirem as commiss5es, os
amigos e rais pessaas que iam receber o Sr.
Quintino Bocayuva, ministro das relaces ex
tenores, de regiesso da alta misso que o levou
ao Rio da Prata.
Logo que o vapor parou, subiram os Srs. se-
cretarios civil e militar do generalissimo chefe
do governo provisorio, que, em nome desie,
corapnmentaram o Sr. Bocayuva, ministros da
guerra e da agricultura, governador do Estado
do Rio de Janeiro, chefe de polica da capital
federal, director do Arseual de Guerra, inten-
dente da marioha, varios funccionarios publi
eos, commissOes de escolas e de associagOes, e
amigos, todos os quaes estlveram bordo at qne
o paquete amarrou boia.
De diversas lanchas leventavam vivas e ati-
ravam foguetes, assim como em trra.
Era j noite escura e chotia lorrencialmente
0*1:1
o o Sr. Quintino Bocayuva chegou trra.
KMtado do Espirito Santo
Datas at 6 de Margo :
Refere o Estado do Espirito Santo em dato
de o:
De pessoa competente, ouvimos hontem urna
noticia pouco lisongeira para o progresso de
nossa capital.
Segunde a informago do cavalheiro a que
virara approximar se urna forga do T batalho,! aHudimos, de Janeiro at houtem tem embarcade
que acudi ao chamado, para evitar conflicto
inaior.
Tambem compare :eu pnuco depois urna for
ga de 50 pragas do 10 batalho de ofantaria,
que regressou sem novidaic ao seu qoartel.
< Compareceu na 3" estagao policial o Sr. co
ronel Vasques, commandante do regiment po
licial, majores Ly io e Joaquim Ignacio, do mes-
m j regiment, e Drs. 2* e 3* delegados de po-
lica.
A's 11 horas da noute tolo pareca serena
do, fleando todavia de promptido as pragas da
3 e da 4* estagOes policiaes .
De 7 :
< Foi agora publicado na integra o decreto de
30 de Janeiro, pelo qual foram concedidos ao te-
nente-coronel Joaquim Verissim do Reg Bar
f^&vlSrio&ov**^** ^tt%T^i^rTJS* resTrmlegio por 50 aunse garanta de ju-
pura fra da cipital, nos vapores da Companhia
Espirito Santo e nos da Companhia Brazileira,
cerca de 400 pessoas! .
.. Em sua raaioria os emigrados dirigem se
para o Ri 1 le Janeiro.
O 'acto digno de noto e merece ser estu-
dado pelos que se interessam pelo progresso
desta regio.
Na villa de Santa Cruz estavam grassando
com intensidade febres de mo carcter.
A mesa de. rendas da capital arrecadou no
mez passado 16:811*120.
Eetado da Btela
Datas at 13 do correte :
Acerca do incendio que tivera lugar na capi-
tal, Jornal de Noticias, as edicOes de 8 e 12,
diz o seguate:
Continua o trabalbo do desentulbo. .
Nelle esto
soas.
> A ra aprsenla ainda aspecto trisiissimo,
desolador. Montes e montes de ruinas ; anto
ridades e populares esforgadamente trabajan-
do na penosa e contristadora tarefa de retirar
cadveres de sob os gigantescos escombros;
casas fechadas ; commercio paralysado em toda
a exteuso da ra. e, dominando toda aquella
d e- ordem de casas arruinadas, a figura sinistra
e ttrica da Dor.
De quando em vez, pa-a que mais augmen-
te-se o doloroso espectacule, e para que mais
sangre no corago dos bous o sentiraeno da pe
na, apparece quem vai procurar o cadver de
um conhecido ou de urna pessoa de familia !
Pungeutissirao quadro I
O prrjuzo total de casas, estabelecimentos
commerciaes, movis, etc., desapparecidos e
inutisad.is na tremenda hecatombe, pode se
calcular em mais de 200 :ontos de res.
Poucas propriedades estavam garaotida2 em
companhias de seguros. Os predios ns. 26, 28
e 30 estavam seguros por 24:000*000 na com
panhia Atlianca ; o de n. 25, do Sr. Joo Ferrei-
ra da Cruz Guiraaraes, por 5:000*000 na Garan
tia do Porto. Os de ns. 27 e 29 estiveram em
tempo seguros na interesse Publico, tendo linda
do o contracto em flns de 1888.
Ao quartel do 9 batalho nao comparece
desde o dia da catastrophe o soldado Manoel Ce-
lestino de Queiroz. que resida no T iiioa, i.
- Presume-se que teoha morndo uo desastre,
Nao encontrn-i, porm, at agora, cada
ver algum, em que podes se ser elle recouhe
cido.
Nao esmorecen ainda a artividade publica
em providenciar no sentido de concluir-se a re
mogo do entulho que anda existe no Taboo e
sob o qual suppce-se ainda existrem cornos de
pessoas mofadoras alli.
Os trabalhos prosguem.
0 commercio do Taooo contina fechado e
o transito publico acha-se impedido naquella
ra, em virtude de aneigarem desabamemo al
gumas paredes de predios.
as immediagoes do Taboao continuara a-
ser feitos grandes fogueiras todas as noites, as
quaes queimam se desinfectantes.
Os clarees avermelhados, sabidos daquellas
porges de madeira, parecem infelizmene re
lembrar, primeira vista, o pavoroso incen Jo
de 4 do correte..
Constando hontem (U) ao activo e criterioso
cidado Dr. chefe de polica que as ruinas do
predio n. 32 havia indicios de existir corpo hu-
mano em vista da pessima exhalago que se
senta, S. S. iramediaiamente requisitau opera
ros do Arsenal de Marinha e mandou proceJer
escavuges oo lugar indicado.
Ahi encontrou-se grande quantidade de gn-
roupas era estado de putrefaegao. as quaes per-
tenciam u.oradora do predio 32, que negocia
va ''oua esse genero de alimento.
Hoje (II) continuaro os trabalhos com menor
numero oeope arios.
Noticia o Diario de Nolwhs, que, por pes-
soa chegada no da 9 do Campo Largo, sabia-se
ter ulti aaraenie chovido muito naquella locali-
dade al o Jaazeiro, sendo no entretanto a si
tuago dos habitantes do centro ainda a ma.s
precaria possivel.
Com referencia a este Estado, o mesmo Dia
rio accrescenta:
O Sr Dr. Maooel Victorino Pereira, illuslr*
governador deste Es:ado, vendo o misero estado
era que se acha reduzdo o serto, por ;ausa daj
horrorosa secca que ha seguramente um anno
flagella este Estado, leve a feliz lda de telegra-
phar ao Sr. ministro da agricultura, pedindo
ine perraissio para estabelecer na Bahia col
nas agricolas, alira d'*, por esta forma, dar tra-
n uno nao s s victimas daquella calamida le,
como tambera s que com a catastrophe do Ta
boao li: iran reduzidos miseria.
O Sr. ministro da agricultura, attendendo
ao justissimo pedido do Sr. Dr. Manoel Victori-
no acaba de telegraphar lhe, dando-lhe a per
misso pedida.
O bem que o estabeleciment de semelhan-
tes colonias vai fazer incalculavel, porque dif-
licil dizer se o numero das pessoas que lutam
actualmente cora a mais terrivel desgraga e qu'
vo encontrar o pao qdbtidiano naqueltas coto
nas.
Habilitado o referido governador com autori
8ago especial para dispr das saramas destina-
das a'taes servigos, j deu neste sentido as con-
venientes ordens; e ixarria que o engenheiro
Santos Souza seguira desde ja para a florescen
te villa da Amargosa, alim de tratar dos exames
e dados precisos para o estabelec ment d'um
Burgo Agrcola que quer fundar o activo indig
trial Sr. Joo Canelo Pereira Sobres.
Para a constrccgo de um ramal da estra
da de ferro central da Baha, na direegio' das
ierras do Orob, bem como para o prolonga
ment da linha principal at a margena esquer
da do Rio de Contas, acaba o governo de con
ceder Brazilian Central Bahia Bailvay Compa
ny privilegio e garantia de juros de 6 /. soore
o capital que f 30:000*000 por kilmetro.
Pelo conseibo municipal foram nomeados :
Tnesoureiro, o amanuense Fabio Palacio; e
amanuense, o aferidor Edmundo Rodrigues
Germano, resolveodo que flque accuraulan lo as
fuucges de aferidor de pesos e balangas o afe
ndor de medidas Pedro Affonso de Moura.
Falleceu no dia 12 pela manb o Dr. Heu
rique Damazio, irmo do Dr. Virgilio Climaco
Damazio.
A reunio das commissoes districtaes de
alistamento do Estado foi adiada pelo governo
central para o de Maio, sobre reclamago do
governado.
O Diario de Noticias, de 11, sob o titulo de
Desfalque no Theoouro, publicou :
Tendo o Sr. Dr. governador deste Estado no
ticia de que havia um desfalque na caixa do The-
souro do Estado, ordenou que a junta de fazenda,
com posta dos Srs. inspector e cantador do mes
mo thesouro e do procurador fiscal, procedesse
ao competente balango afim de averiguarse o
que havia de verdade tm semelhante noticia.
Procedendo-se, pois, ao referido balance que
pnncipiou s 10 horas da manb e terminou de-
pois de 6 horas da tarde, tendo sido o trabalho
dos empregados da Recebedaria prorogados at
5 1/2, verificou-8e haver electivamente um des-
falque nos cofres do Estado no valor de.......
21:270*'-00.
O governo, em visto disto, baixou urna porto
ria suspendendo o tnesoureiro do referido the-
souro, marcando-lhe um prazo para a entrada do
dinheiro.
A fianga do thesoureiro suspenso do valor
de mais de 90 conto3 de ris, em bens de raiz.
Foram'interinamente nomeados: thesoureiro
do Thesouro o da Recebedoria Sr. Frederico Au-
gusto Rodrigues da Costa e da Recebadoria o fiel
da mesma Sr. Antonio Alves Guimares.
AoSr. Frederico Rodrigues da Costa concedeu
o governo autor3ago para escolher entre os
empregados do Thesouro um para seu fiel.
Foi marcado ao Sr. Dr. Francisco Xavier dos
Reis, thesoureiro do Thesouro do Estado, o prazo
de 3 dis para entrar para os cofres com a im-
portancia do desfalque havido na mesma repar-
tigo.
ter naufragado aquelle vapor no Arrozal, quando
Shia coa destino s ilhas, salvan io-se os paslh-
geiros e toda a tripol gao.
Realisou-se 2 visita do governador -
dade Cometa.
A citada folha assim referi ;ssa viagem :,
Acompanhado d'nma comitiva distracto da
cavalheiros e seohoras, seguio para alli o illus-
tre cidado, s 9 horas da noite de 1, no vapor
Vizeu, de propriedade dos Srs. Mello & C.
Nao poda ter sido mais alegre e festiva a
recepgao ao nosso governador pelo povo carne-
taease.
Nio nos possivel n'esta rpida noticia fa-
zer a descripgo minuciosa de todas as oceur-
rencias. o que faremos na prxima edicg3o. Da-
remos comtudo o resumo de sua recepto e es-
tada n'esta cidade
Ao ser avistado o vapor Vizeu seguio da
eidde a encoutral-o na altura de Camela tapera,
o vapor Arapixy apinhado de povo, suuindi
aos ares de espago a espago girndolas de fo-
guetes, ao mesmo lempo que urna banda de mi-
sica fazia-se ouvir alegremente.
Ao alracarem arabos os vapores, p issou-s
o povo do Arapixy, no meio do qualoCha-
vam-se as pessoas mais gradas de Curaet, as
quaes foram cumprimentar o Ilustre gover-
nador.
A ponte do desembarque eslava enfeitada da
gala : arcas triumphaps, banleiras e flores em
profu>o aiornavaiD o carainho por onde tinha
ie seguir o governador.
< Desembarcado este diriaio sea casa do cida-
do .ij n i Joaquim M nos, donde, de-
pois de descangar una pouco seguio a visitar
edificio do conselho de Intendencia Munici-
pal, a aldeia, as obras do caes e o gabinete lit-
terario.
Ao m?io dia tevn lugar em casa do cida-
do coronel Carlos Euzebio de Moraes, lauto
almogo offerecido ao governador e sua comi-
tiva.
No meio de alegra e expansSes sinceras
trocaram se os mais significantes brindes que,
por numerosos, impossivel aescrevel os.
Destacaremos apenas por sua importancia
brinde do coronel Carlos Euzebio de Mora>-s em
qu-: fez a sua adhesao franca e sincera ao parti-
do republicano.
Foi applaudido frenticamente.
Terminado-o almogo seguio o governador
para a residencia do cidado Martins, onde lo-
raracorapriraental-o as comraisses Jos par iioi
republicanos de Mocajuna da mocidade, de Jo-
roca e muitos outros cidados.
Dahi dirigi-se a visitar a vigarlo padre An-
tonio Ferreira da.Silva Franco, onde tambera
governador foi coraprimentado por urna com-
inis&ao do parti lo democrtico.
Ai 6 e 1/2 horas da tarde, teve lugar o jun-
tar em casa do cidado Martins onde parta
nada fallou para obsequiar cora Bdalguia os hos-
pedes. Co.no em casa do coronel Moraes foi es-
co'lii'la a sociedale dos convivas e povo que ia
sau ar nessa oecasiao mesmo o Ilustre governa-
dor. Era brindes amistosos, sinceros e snifi-
cativos demorou-sfc o banqueto al 10 e 1/2 ho-
ras da noite.,
Nio poda ler sido mais fiGalgamente trata-
do do que foi p do povo de Camela, o governa-
dor e os amigos que o acompatiharam.
Poi uraa testa em que Camela, na altura d
seu patriotismo, deu a prova mais exuberante
da sua hospitalidade, do seu bom corago e da
seu elevado civismo.
Au d ssert do jantar, o cidado Raymondo
Martins. em nomo das principaes influencias,
loa amigos partidos liDeral e caos vvador, em
nome do seu congraganaento, saudou cora pala-
ras alepantadas e felizes o glorioso e pujante
partido republicano.
O Dr. Magno de Araujo como membro de
directorio, respondeu era nom-3 do partido re-
publicano, felicitando o por essa adheso do
povo cametieise, como prova do mais elevad
civismo e de amor pelo engraadecimento da
patria.
E, aproveitando o ensejo. aciamou o di-
rectorio do partido republicano de Caraet, qat
aspira ficou constituido:
Dr. Manoel Deinosthenes P. padre Antonio
Ferreira da Silva F.anco, tenente-coroocl Joa-
quim Francisco de Sifueira Mandes, coronel
Carlos Euzebio de Maraes e Raymundo Joaquim
Martins.
Renderam em Fevereiro as estages publi-
cas :
Alfandega 71i:8CiG97
Recebedoria :
lenlas do Estado
Ver o pezo
Cmaras
153 020*5
10:295593*
U:050*0M
Katado do Cear
NORTE DO BRAZIL
tivemos hontem as se-
Pelo vapor Portuense
guintes noticias:
Estado do Para
D".l Repblica, nica lolha que recebemos, co-
Ihemos estas noticias:
Amanheceu arrombada no dia 27 de Fevereiro
a porto da antiga oflicina do Diario do Grao Para,
sita ra 13 de Mafo.
O 1" delegado de polica, sciente do occorrido,
dirigi se oflicina e ahi fez proceder a corpo
de delicto, veriHcando-se ter a porto sido arrom
bada a golpes de machado.
No inferior foram eocoitrados varios caixotins
de typo empastelados, e algumas portas viola-
das.
Ignora se ainda quem sejam os autores d esse
arrombamento.
A Thesouraria de Fazenda pagou 27 ao
Sr. governador do Estado, a quantia de 600 con-
tos de ris, sob a 1 prestago de 2.000, por con
ta do emprestimo de 6.500 conloa ao Thesouro
do Para.
Os 1.400 contos restantes chegaro no paquete
nacional esperado do Rio de Janeiro no da 5.
Ao fecharmos o nosso jornal< hontem, fo
moa informados pelos Sw. Freir Castro 4. C, de
de que o pratico do vapor Gioo chegado s 1 ho-
ras da noite a esta cidada, trouxera a noticia de
Datas at 10 de Margo :
N'A Patria, nica folha que recebemos, ape-
nas encontramos o seguinte :
De M :
Reassnmio hoje o exercicio do cargo de go-
vernador deste Estado o distincto e respeitaVel
cidado coronel Luiz Antonio Ferraz, que o dei-
xara, por alguns dias, em consequencia de mo-
lestia.
No Cear nao ha quem desconliega os s^rvi-
gas prestados pelo brioso e illustre militar
causa do Estado e o interesse que toma or
todas as cousas que dizem respeilo nossa pa-
tria. Inteligencia, amor ao trabalh), largue
de vistas e abnegago at o sacrificio, sao qua-
lidades que o illustre cidado ha posto em evi-
dencia nos nehocios do governo. Temos, poif,
justa satisfagojem vel-o voltar ao posto, de que
desviara a molestia e em que ha coiquistado a
estima de todos os homens de bem e o respeitt
dos verdadeiros patriotas.
To cearense como os que aqui nasceram,
coronel Ferraz digno do posto que oceupa
bem merece da patria pela dedicagao e lealdade
com que ha servido repblica e ao'Estado.
Deixou hoje o exercicio do caxgd de. gover-
nador deste Estado, que oceupou. un impedi-
mento do elTectivo, o cidado Joao Cordeiro.
J tivemo3 occ?sio de dizer que admira-
mos muito mais o illustre cearense com revo-
lucionario do que como horaora de governo Mas
forgoso confessar, que a sua interinidade ad-
ministrativa elevou o altura do seu glorioso
passado, l3o diguo da nossa patria querida.
Homem de principios, capaz de sacrificar
todas as afleige3 ao cumprimonlo do dever,
seu governo foi rpido, mas fecundo era servi-
gos ao Estado e exeraplos historia das admi-
nistrares. Economa do3 dinheiro3 publico,
providencias tendentes regularidade dos di-
versos ramos de servigo, jusliga as decisOes
inexcedivel dedicagao ao trabalho,eis os tra-
gos geraes de?se governo, que a historia ha dt
registrar prestando honrosa bomenageua aa
grande patriota c notavei cidado.
E nos, que na imprensa procuramos hot-
rar o nosso posto, nao sacrificando a rordade
a jusliga a consideragoes de qualquer ordem,
cumprimos o grato dever de consignar aqui, qu
o bere da aboligSo nao deixou de ser um ho-
rnera superior nos dias trabalhosos da sua feli
administrago.
lis teve muito concorrido o baile offerecido
pela esperangosa mocidade da escola militar.,
distincto oficialidade do li batalho de iofanta-
rioao honrado coronelGalvo, director da mes-
mi escola.
Vz o brinde ao illustre obsequiado o intelli-
genle alumno Samuel Oliveira.mogo de notavei
talento, que profeno eloquentiasimo discurso.
O coronel Galvo agradeceu em feliz impro-
viso.
As dangas prolongaram-se at 4 horas da ma-
nila.
D3:
Realisou se hontem em Porangaba a iuan-
gurago das diferentes obras construidas pele*
indigentes sob a direcgo do operoso e disoete
engenheiro deste Bstado Dr. Romualdo de Ctr-
valho Barros, auxiliado pela patritica coraai-
so de soccorros indirectos naqoelle monicipit.
Compareceram ao acto o vice governador
do Estado, cidado Joo Cordeiro, grande nt-
mero de senhoras e muitos pessoas gradas que
foram para alli em trem especial, saludo da es-
tagao central s 4 1|2 da manb.
Depois da inauguragao e da sesso solomo*
no edificio da Intendencia Municipal, durante a
qual tocou a- banda de msica do corpo de sa-
g ranea, foi servido um esplendido almogo, di-
te o qual trocaram se calorosos briedes.
A commitsao signatoria do convite,, assim
como toda a populago poranpabeose, foi pro-
diga d*oteieaiio3 para com os convidados, quo
regressaram a c
.-
p
J

-
I
capital ao meio dta.
i
ate.

T

h


Diario de PernambucoDomingo 16 de Marco de 1890
\
PERNAMBCO




*

J

Empreza da Estrada de Ferro de Hibeiro a
BlMl'll
Sr$. accionta.
O dever da convocacao da presente reuilo d'assem-
bla geral ordinaria, nos imposto pelo art. 27 dos nossos
estatutos, para que tomis conhecimento do estado da
nos-a sociedade e de suas operacS.s no decurso do anno
de 18*9.
Directora
T'ndo adoecido gr^vement-; o gsrente, cidadao Ba-
rao de Serio1 aem, assumi o exereicio da gerencia na
forma do estatuios a 22 e Junho d'aquee anno, e em
acto continuo convidei o accionista, cididSo Francisco
Lopes Guimares, para preheneher a directora, o qual
entrn en exerccio com as formalidades legaes a 27 do
mesmo mez de Junho.
Sinto profundamente ter de referir-ves, que 14 de
Ju'.ho d'aquelle anno, vio-se esta directora privada do
vahos aux io, s rvi;03 e esforcos que o benemrito ge
reate Bario de Seria iSem, fundador desta Empresa, ih i
prestara cora a melhor vontade.
A directora comp3j-se actualmente dos cidadaos
Jos Bsllarmino Pereira de Mello, Sebas.iao Alves da
Silva e Francisco Looes Guimares.
Ca^e, pois, a presente reuniao eleger um director
que prehenoha a vag do finado director Barao de Seri-
nhaam e um outro que substitu o coronel Sebastiao Alv^-s
da Si va, que. ha mu to deseja retirar-se da directora.
A nossa mis3.1o n'este momento dar-vos conta dos
trabalos da construccao da ferro via e suas obras, tendo
j abertos ao trafago publico 22 kilo netros de via.
A obras da construccao nao tem podido proseguir,
como lora para dse jar, pela falta de capitaes, aiadi mes
mo por imprestimo Empreza, como autorisastes a di-
rectora
A praca d'este Estado, ha muito s resente da falta
do3 auxilios que lhe deve prodiga I isar o Governo Geral, e
por esta causa urna empreza semelhante nossa, tendo
neeessdid de um auxilio temporario, nilo eneontra um
bine que lh s preste um recurso quaiquer.
Se porm tiveas o Governo lisral attendido ern
tempo as rejlamacoes que lhe temos enderecado, anda
mesmo do modo p >rq-ie tem coi edido garanta de juros
a emprezas das Estados do Sul, independente da spre-
sentacao dos estudos teconicos, marcando-lhes prados para
o cimprmenlo dessa disposicao da ei, certamente a nossa
Empreza se teria avantajido na constuceao de suas obras
e oollocado fcilmente seu capital.
No interesse de dissipar duvidas sobre a concessSo
dessa -arantia de juro3, autorisaia na lei n. 3.397 Je 21
de No/embrj de 1388, tomei o eneargo da contractar em
nome da Empreza com o engenhe o C. A de Castro
Nascimento a confeccao em duplieata dos estudos difini
tivos at a villa do Bonito, exigidos palo decreto n.
10.'.21 de 15 de Dezemoro do mesmo anno e para este
serv'co adiaate a Empreza o diaheiro preciso a indeni-
lacao de t es estudos, plantas e or9 imentos tendo j
seguido tudo com endereco ao Generalissimo Cnefe do
Governo Provisor.o, a 22 de Fevereiro prximo findo, por
intermedio ao cidado general Governdor d'este Estado,
que teve a fineza de ir visitar a laha permanente pereor
rendo todo trecha q'ie se acha aberto ao trafego,. suas
obras etc desde Kibeirao it a estacaoIlha de Flores.
Praza aos c s que sejam ouvidos os nossos rogos e
possa a nossa estrada chegar com brevidade a villa do
Bonito, ponto terminal do tracado.
< Dinlriii fis
O finado gerente j havia contractado por emprei-
tadis parciaes a construcejio dos ltimos kilmetros da
linh:t estudad >s at Ilha de Flores no 22. kilmetro e
para o deseavolvimento do trafego havia previamente en-
commendado do exterior algum material rodante e gran-
de quantidade de trilhos e material de fixacao.
Apre.-.entadas a directora as facturas, dependendo a
acquisicao dos conhecimentos deste material do pagamen-
to resrectivo, occorria a directora remil-as com os recur-
sos da Empreza e porque lhe foltasse lguin para a sua
liquidaco por nao ser suffi ente o apurado na venda de
apohees da subvencao deste Ehtado, as quaes se tem
vendido a menos do par. tive de entrar com a dfFerenca
em dinneiro por emprestimo Empreza afim de ser in-
demnizado o referido material fixo.
O mesmo porm, nao pude fazer com os empretei-
ros da construccao de diversos kilmetros que naviam
terminado a empreitada c com outres credores da Em-
preza aos quaes a directora aec-.itou letras para o paga-
mento, as quaes se vencem na mor parte no fim deste mez
e sua importancia totil consta do balanco techndo a 31
de Dezembro.
Solicito a vossa attencao para esta oceurrencia, pois
anda mesmo concedida antes do fim deste mez a garanta
de jures requerida, me parece que nao poder de chofre
directora abrir a iuscripcao de acedes para de prompto
satisfazer o pagan:ento desse debito, salvo se os Srs.
accionistas se dispozerem a ajudal-a neste empenho.
AMembla eral extraordinaria
No intuito de fazer proseguir a construccao das obras
da ferro via, alem de 22 kilmetros, foi convocada urna
reunid extraordinaria para o da 26 de Setembro do
anno findo, afim de autorisar o augmento de capital que
fosee necessario empreza para a construccao das obras
a estrada.
Nao comparecendo nessa reuniao o suficiente nume-
ro de accionistas na forma da lei, foi ella de novo con-
o
vocada para o dia 22 de Outubro, no qual tambera, nao
comparecendo o preciso numero de accionistas, foi aind :
convocada para o dia 30 do mesmo mez, ficando addiada
esta rennilo at que a commissao fiscal emittisse seu pa-
recer sobre o pedido de augmento de capital.
Agora, porem, que a commissao fiscal em seu pare-
cer, queja foi publicado, oppina para que teja augmen-
tado capital aris l:2O!:0OU^00O, cabe reuniao aldiada
e convocada par. 18 deste mez, deliberar sobre es'.e as
sumpto e sobre tudo o maia que refere a mesma commis-
sao fiscal.
Capital norial
O subscripto apenas de riz 23f):OO0(50OO, qne se
acha empregado as obras da ferro via at o 22 kil-
metros.
A construccSo da hnha permanente nao pode ficar
parausada no 22 kilmetros, Ilha de Flores por falta de
capitaes para seu desenvolvimento, e por isso carece do
vosso concurso para que votis com o parecer fiscal ele-
vando o capital da erpreza a ris 1:200:000(5000.
Beceita
Consisti a receta da empreza nr.s verbas arreca-
dadas durante o anno, sendo das entradas de accionistas,
ris 49:4405000; de apolices recebidas do thesouro deste
Estado ris 90:0000000 c do rendimento da ferro via
ris 10:8745560.
Conf-ontada a receita que provena do renda ento da
ferro via durante o anno de 1389, com a receita auferida
no anno de 1888 ris 5:0423700. d se um accressimo de
re dimeno de ris 5:8310860, sendo originado este
augmento na verba rendimentos da grande safra de a-
sucar e mercadorias transportadas da esta<.-ao Ilha de
Flores para Ribeirao com destino ao Recife, e para a
qual at entao nao estava aberto o trafego.
o deaejo de falicitaf o expediente e arrecadacao
dos fretes de transporte da carga trazida ao Re ife pela
ferro via de S. Francisco, tive o eesejo de firmar um
accordo com o digno superintendente daquella estrada de
ferro, pelo qual nos concedeu esse dintincto caval'ieiro
um commodo na estacao de Cinco Pontas, onde tem agora
a nos3a empreza um empregado encarre?ado da arreca-
dacao do expediente e despacho da carga que for reme-
ttida s estagSes da ferro via do Bonito.
Material flxo
A importancia do que se acha empregado no leito da
estrada com mais 15,000 metros de trilhos, que estao no
alraoxarfado em RibeirSo, para serem asse 'tados em mais
sete kilmetros da via permanente, attinge a somma de
ris 116:226,5660.
Material rodante
Tem a empreza tres locomotivas empregadas no tra-
fego, na construccSo e na conservasao da estiada; cinco
wagns de 1.a e 2 aclasse para passageiros; quatro carros
de lastro ; cinco para o transporte de mercadorias ; tres
americanos de plata-frma com truck para conduccao de
madeiras ; dois de breck para animaes, tendo comparti-
mentos para bagagens e para o servico do correio, e nove
trolys p'.ra o transporte de canoas a Usiua Pinto0 cuia
sede em Ribeirao, tudo na importancia de ris.......
66:6263900.
omeina* em Ribeirao
A empreza tem na estacao de Ribeirao um local
onde fnnecionam as officinas de ferreiro e serralheiro
destinadas ao concert de todo material do servifo da
ferro via e se acham montadas com machinas hydraulicas,
tornos americanos e todo material necessario.
Obra* d'arte
Tem a empreza a estasao de 1.' classe, armazens e
officinas em Ribeirao, quatro estacoes de 3.a classe inter-
mediarias na hnha, urna estacao de 1.a classe em con-"
struccao em Ilha de Flores no 22 kilmetro o dois bar-
racos cobertos de zinco que servem de abrigo s loco-
motivas e wagons, sendo um em Ribeirao e outro em liba
de Flores, e tudo attinge, co a o capital empregado na
ponte Amaragy, importancia de ris 27:0500330.
A 8ubvenco kilomtrica de nossa empreza em apo-
lices do juro de 5 ru ao anno, nao corresponde ao bene-
fieio ou auxilio que se lhe pretendeu prestar, pois que
em virtude de causas oriundas das especulares da bolsa,
slo eilas cotadas a muito menos do par, e a lquidaco
das rae unas tem importado n'um grande sacrificio dessa
subvenfao e prejuzo da estrada ; pois que para prose-
guir na sua construccao vio-se a directora forjada a ne-
gociabas no valor de ris 132:5000000 com o abatimento
de ris 24:9520100 para satisfazer a diversos compro-
missos da empreza.
Restam ainda ris 65:5000000, em apolices, da refe-
rida subvencao, que se scham caucionadas no Banco do
Brazil, as quaes terao de ser negociadas com descont, se
nao melhorar a situacao monetaria de nossa praca com-
me-cial, afim de poder a empreza remir a caucSo feita
no referido Banco de 56:3400000.
A directora espera poder collocar o capital pedido,
a que alinde o parecer fiscal, por meio de novos accio-
nistas que venham augmentar o numero dos subscriptores
das accSes da empreza, e presume que s por semelhan-
te expediente poder concluir a construefo das obras
da ferro via e com o seu prolongamento augmentar a sua
verba de rendimentos.
Nao pode ainda, forjada por causas supervenientes as
transaeSes da bolsa, levantar o emprestimo para que fra
autonsada na assembla geral de 22 de Marco de 1889,
e far uso dessa faculdade, se as circumstancias da em-
preza o exigirem.
Estao a vossa disposicao o balanco da empreza, a
relacao dos accionistas e a lista das transferencias ha vi das
durante o aano findo.
Recife, 15 de Marco de 1890.
Jos Bdiarmino Pereira de Mello.
ASSOCIAgOES
Assoclafo Hedico-Pharmaeea-
tlea Pernambucana
Acta da sessao de 6 de Marco de 1890
Presidencia do Sr. Dr. Velloso.
Aos seis das do mez de Marco do anno
de 1890, s 8 horas e meia ;da noite, na
de desta associacao ra do Barao da
Tictoria n. 45, achando-se presentes os
rs. Drs. Velloso, Curio, Coelho Leite,
Joaquim Lonreiro, Miaquias, Cosme de
S Pereira e pharmaceuticos J0S0 Facundo
Sabino, o Sr. presidente abri a sessao.
O Sr. Dr. Io secretario leu a acta da
sessao antecedente, que posta em discus
sao e nao bavendo quem sobre elle pedis-
se a palavra, passou se votacao, sendo
prnvada.
Constou o expediente de urna carta do
Sr. Dr. Ermirio Coutinho, em que partici-
pava nao poder comparecer sessao pac
ter de visitar urna doente fra da oidade
e que se inserisse na acta urna ementa que
apresentava, relativa a urna incorreccSo na
publicacao dos nosso3 trabalhos no Jornal
e Diario de 5 do corrente. Em lugar de:
Na Dengue as dores articulares e a erup-
cao da pelle sao de cor rubra constantes e
quasi que caractersticas, d'onde lhe veio
bem o nome de febre vennelha, diga se :
tNe Dengue as dores articulares e a erup-
580 da pelle, de c8r rubra, sao constantes
e quasi caractersticas, d'onde lhe veio
tambem o nome de febre vennelha ou fe-
bre rbeumatica eruptiva.*
Passando-se s commnnicacoes, o Sr.
Dr. Coelho Leite, depois de justificar o
seu modo de pensar, pede para que se de-
clare na acta, que se estivesse presente na
sessao de 27 de Fevereiro, teria votado
pela mocio do Sr. Dr. Malaquias.
O Sr. Dr. Cosme de S Pereira pede
asa para que seja a questao relativa
morte de Vicente Teixeira Coimbra, trata-
da de modo tal que collegas que tm par
te na referida questao e nao sao associa-
dos fiquem sem resentimentos.
O Sr. Dr. presidente declara que a as-
sociaeao nada tem que ver com a questao
alludida pelo Sr. Dr. Cosme de S Perei
ra. Aceitou a communicajao de um facto
clnico apresentado pelo nosso consocio Sr.
Dr. Loureiro, sobre elle travou se a dis-
cusslo, a casa tomn por unanimidade de
votos a resolucao que julgou acertada e
nada tem que ver relativamente s discus
s3es entro collegas fra de terreno scien-
tifico.
O Sr. Dr. Loureiro declara casa que
no artigo publicado pelo Sr. Dr. Emygdio
Montenegro no Jornal daquelle da, relati-
vamente ao facto que fez parte de sua
communcacSo na sessao anterior, ha pon-
tos em completo desaccordo com a reali-
dade dos tactos, os quaes succmtmente
indica, declarando que detalhadamente os
explicar pela imprensa.
Estando a hora adiantada e nao havendo
tempo para tratar s9 da ordem do dia. o
Sr. presidente marca a mesma desta ses-
s3o para a prxima vmdoura e levanta os
trabalhos.
Faculdade de Ulreito -Autorizado pelo
governador do Estado, o director da Fa:uldade
de Direito resolveu que d'ora em diante, os graos
de bacharel sejam conferidos em um s dia a
todos os bacnarelandos, ou por turmas nos das
designados pelo mesmo director, como for mais
conveniente regolaridade dos trabalhos acad-
micos, e quanto possivel de accordo com os in-
ters jados. -" .
Am nh baver prova oral dos aiumaos
dos Io, i% 4o e 5o annos, e prova escripia dos do
3o anno.
conaelbo litterarlo-Reuaiose hootern
na Secretaria da Instrucco Publica, o conselho
litterario, sob a presidencia do Dr. insieetor ge-
ral
Ao meio dia, presentes o Dr. inspector e os
Drs, Manoel Eoedino do Reg Vaienca, Cicero
Odn Peregrino da Silva, Joo Baptista Reguei-
ra Costa, monsenhor Joaquim Arco-Verde de Al.
buquerque Cavalcante, Dr. Vicente Ferrer de
Barros Wanderjey, professores Augusto Jos
Mauricio Wanlerley, Francisco Carlos da Silva
Fr goso e Dr Jos Diniz Brrelo, faltando os
demais sem causa participada, o Dr. inspector
leclarou aberta a conferencia, nomeando o Dr.
Ferrer para substituir os membros ausentes da
! scelo.
Passou-se ao seguinte expediente :
Um parecer da 1 seccao, relator o professor
Fragoso, sobre o requenmonto do conselho da
I iiot n ia Hunclpal de Goyanna, em qne r -
quer o resiabelecinvnto da 1 cadeira daquella
localidade. Submeltido a liscussao. foi adiado
Outro da mesma seceo. relator o Dr Frail-
eo d S, sobre a peticao de moradores de
Suru im, pedindo o restabelecimenlo da ca-
deira do sexo masculino daquella localidade.
Foi lainbem adiado.
Outro da mesma seceo e relator, sobre o li
vro 0 i.'orafoo. Foi adiada a pedido, do Dr.
Ferrer.
Outro di 2o secc, relator [o professor Felip-
pe Benicio Correia de Kigueiredo, requerendo
exames extraordinarios de o alumnos, concluio
do p'.-lo in lef> nmento. Foi approvado.
Outro, Unalmente da 3a seceo, relator o Dr.
Regueira Cosa, sobre a petico do professor
Man jel Lopes da Paz, que requer a gratilicaco
de que trata a lei n. 2,020 de i5 de Julho do
anno passato. concluindo que nao est no caso
de ser a tendido Foi tambem approvado.
Nomeacoe* confirmada Por porta
ras de 14 e"i3 do corrente. rezolveu o Dr. ins
pector geral da inslrucco publica coatirmar as
nomeaees de Mara Rutina de Medeiros, para
reger interinamente a cadeira do sexo feminino
do Brejo da Madre de Deu^, e de Joaquina Felis-
mina Souto, designa ia pelo delegado Iliterario
em i6 r*e Janeiro ultimo, para reger interina-
mente a cadeira do mesmo sexo de Tacarat.
; Servico militarHoje superior do dia
i o cidado capitfto Leoncio, e faz a ronda de vi-
, sita o cidado ajudante do 2. 3,
O 2 batalbo dar a guarnico da cidade e o
commandante da guarda de Palacio, que ser
i dada pelo destacamento de arli baria.
I Recolbeu-se hontem ao destacamento de Gara
nhuns o cidado alferes do 2 de infantaria Mi
guel Goocalves de Castro Mascareahas.
I Alistaram-ee como voluntarios individuos.
Amanba ser superior do dia o cidadao
espito telasio, e fltr a ronda de visita o aju
dante rio 14."
0 14" .latalho dan a gnarnicao da cidade e
o commantante da guard'. ne Palacio, que ser
dada pelo destaflamento d.-. artilharii-.
Comarca de Granito Xj da f ducor
rente mez foi fasUHada ofticialmeole a comarca
de Granito entrando em exercicio o respectivo
juiz de direito, Dr. Alfreda Affmso F rreira.
Proclaaao-Hoje larde, daigrerdeS
Gincal i, sabir em woeiss&o a veneran la iraa-
gem do Senhor Bom Jesu-i dos Pobres rtfllicios,
que o-rcorrer as seguinles ras da paromia da
Boa-Vista : 3. Gongalo, paleo da Santa Oroz,
Barao de S. Borja, Visco ide de Goyaana, Vis
conde de Albuquerque, Ponle Velha, fmperatriz
Conceicao, Pires,Ro Piuheiro, VisconJe de Aluuquerque, Velba, a re-
colher.
Conceicao do* MilitaresA partir de
hoje, em todos os domingos e das santos, pelas
8 horas da maoh, haver missa na igreja de
Nossa Senbo.-a da Concico dos Miliiares.
Sociedade dos M&enlnlstaa Rene
se hoje s 4horas da larde e ra do Pilar n.
20, essa sociedade, afim de iniciar a discusso
dos respectivos estatutos.
Caalmiro de Abren Essa sociedade
iterara r'unise bontem em sessao extraordi
uan, sob a presidencia do Sr. Alfredo Thimes.
Aberla a sessao, communicou o presidente o
fillecimenlo do soeio effectivo e benemeritc
Gilvo FiliiD, sendo deliDerado em manifestago
de pezar o encerr do expediente por 30 da- e
o lomar luto por igoal espayo, e a consign^c&o
de um voto de pezar na acta.
Foi nomeada urna commissao composta dos
socios Alfredo Thirnes, Manoel Manta e /.-ferino
Cirdoso para dar pezames familia.
FurtoHontem pela madrugada os larapios
peuetrar.im no quintal da casa^i. 24 ra de
Santa Tbi-resa e d'abi mudiram um per e urna
pera, n p.ir terem sido prsenfraos da viainhanca. e
assim Toreados a prem-se ao fresco um pouco
apressados.
Os larapios fizeram a sua entrada pelo muro
ao lado do becco do Falco, e por isso sei ia con-
veniente que se nao descurasse desse ponto e ao
contrario fosse elle trazido em vigilancia.
Vapor Magdalena Esse masniico va
por, que sabio deste porto para os do sul no dia
13 s 3 f/i horas da tarde, chegou no da Bihia
no dia seguinte (14).
A rapidez dessa viagera documento impor-
tante da forca do Magdalena. Nao consta que
oniro vapor j a tivesse feito em tempo to breve
.30 Barao de LucenaAmarina deve che
gar da Capital Federal o Sr. Barao de Lucena.
S. Exc. ser bemvindo, sendo os seus anigos
premurosos em recebel-oe abracal o sua volta
ao Orro natal.
1 iiiiiii Commercial do Merclelros
Rene-se essa sociedade no dia 18 do corrente
a) meio dia, em sua sede ra Estreita do Rosa-
rio n 11, alim de tratar de assumptos de inte
resse social e nomeadameute do referente a im
postos.
Catalogo lllnatrado i Livraria Quin
tas, ra 1* de Marco n. 4, obsequiou-nos com
um exeraplar do Catalogo das Edigoes da Livra
ria CivdisaQo dos Srs. Eduardo da Costa Santos
4 Sobrinho, do Porto.
Tr.iz esse catalogo specimeos das obras pu
olicadas pela citada Livraria, e contm lindas
gravaras.
Agradecemos o mimo.
o Binculo Publicou se bontem o n. 11
do dcimo anno do Binculo.
sociedade Once de Agoto- -Esta so-
ciedade Iliteraria, funda la ha 9 annos per alum
nos do collegio Ooze de Agosto, realisou ante-
hontem a eltico de sua directora, a qual flcou
co -stituida do seguinte modo :
PresidenteFrancisco Ricardo de Medeirot.
Vice-presidente Tranquillino Forgalino de
Oliveira.
1* secretarioFrancisco Vieira Boulitreau.
2* dito Samuel Fritz Swensoc.
OradorLtnz Jos Goocalves da Silva.
Vice-oradorArtur Fausto Botelho.
ThesoureiroJoaquim Sampaio Cardoso.
Bibliot ccario Arthur Cherubim Gongalves
da Silva.
Sociedade i.'niao e IjettraaReuni
se bontem esta associacao sob a presidencia do
acadmico Fabic Rio Jnior.
Ds accordo com o resolvido na sessSo anterior
forain desligados do corpo de socios effectivos e
fundadores os Srs.: Alberto Lamego, Franklin
Gimeiro, Antonio Medeiros, Malaquias da Rocha.
Virgilio Caneca, Maaoel Pugi, Carlos Rodrigues
e Antonio Luiz; c em seguida desigoou se com
o Bm de tratar de melhorar o estado linanceiro
social urna commissao composta dos Srs.: Albu-
querque Mello, Eurico Witruvio e Pedro Paulo.
E nada mais bavendo a tratar, foi levantada
a sessao ao meio dia e designado para ter lugar
urna reuniao o dia 20 io corrente, s mesmas
horas e lugar do costume.
TnberculoaeL se o seguinte no Jornal
do Commercio:
Na sessao de 28 de Janeiro, terminou na ac
demia de medicina de Pariz a discripeo acerca
da tuberculose.
As inslrucces minuciosas proposta3 pela
commissao foram rejeltadas pela academia, que
votou as concluses mais geraes formuladas pelo
Dr. Bergerou. ligeiramente modificadas.
Aqui as reproduzimos taes quaes foram de-
finiti van ente adoptadas:
A tuberculose urna molestia parasitaria e
contagiosa. 0 microbio, agente do contagio,
existe principalmente nos escarros seceos dos
tysicos e no pus das ulceras tuberculosas.
- O meio mais seguro de impedir o contagio
consiste, portauto, em destruir os escarros e o
pus, antes de sua dissecaeco, pela agua e pelo
fogo.
0 parsita encontra-se tambem algumas ve-
zes no leite das vaccas tuberculosas; portento
prudente n5o empregar o leite seno depois de
o ter frvido, princi plmente quaado for desti-
nado alimenteco das enancas.
A academia cbama a attencao das autorida
des competentes para os riscos em que os tu
berculosos pem as diversas collectividades aue
ellas tm sob sua direceo, taes como lycos.
quarteis, grandes administracOes e officinas do
E.-tado. '
Villa de lffuaraaau Escrevem-nos em
de hontem :
Chegaram antehontem esta villa, pouco
depons de dez horas da manha, os distinctos re
publcanos Drs. Martins Jnior e Anibal Falco,
acompanhados de outros amigos, todos residen
tes nessa cidade e cavalheiros de alta posico
social.
Anounciada a approximao do3 carros, gran-
de numero de cidadaos qualificados desta co-
marca, foram ao sen encontr e d'abi, trocados
os devidos comprimentos, ao som de urna banda
de msica e ao estampido de innmeros fogue-
tes, seguiram aquelles Ilustres viajantes at a
residencia do respeitavel cidado Joo Francisco
do Amaral, que os esperava.
As ras eslavatn elegantemente decoradas com
arcos de folbagens e bandeiras, apresentando
um aspecto agradavel.
Meia hora depois, foi servido aquelles cida-
daos um lauto e bem preparado almoco, no qual
foi nota predominante a alegra e aniniaco de
todos I ,A
Finda a refeicao. que prolongou-se-se at
ama hora da tarde, e decorridos a.lguns minutos
de descans, sahiram os alludidos cavalbeiros
passeio pelas ras desta villa, visitando os mais
importantes edificios e merecendd-lbes particu-
lar at'enco o convento de S. Francisco, cujo
exame foi minucioso.
A's 3 horas da tarde, reunidos todos ni s-
de do Gabinete de Leitura Iguarassuense, discu-
liu-se largamente a fuadacao do club republica-
nodeste comarca, ficando assentado, depois de
dos brilbantes discurso?dos Drs. Anibal Fal-
co e Martins Jnior, nos quaes fallarara larga
mante sobre o manifest republicano de 1888,
explicando com clareza e precisao o que quer e
o que peosa o partido rapublicano de Pernt al-
buco, e de algumas consideraces dos cidadaos
Amaral e Napoleao Baarte, que os estatutos, do
mesmo cluo fossem modelados pelos do Club
22 de Julho. cujas pegadas deviam ser seguidas
muito de perto.
A's 5 horas da tarde, profuso jautar levou
os visitantes respectiva sala, oceupando o lu-
gar de b' nra aquelles dous ilustres dontores e
sendo ao deetert e ao estourar do champagne er
guidos, entre outros muitos, os seguiutes brin-
des :
. Do Dr. Francisco Xavier Paes Barretto,
em nome do partido republicano deste comarca.
ao Dr. Paes Bar
e reconhecido ta
-rrr
ao disticto cnefe Dr. Martins Jnior, cidadao de
quem pelasen brillante e vigoroso tale .to. pela
sua illustraco solida e rara, e, ai'ida mais e
prcipalmente, pelo seu carcter puro e immi
culado, tudo devia esperar a Repblica Brazilei-
ra e sobre tudo o Estado de Pernainbuco. trra
de tantos boroes, brco de tantos homi'.us no-
ta vei3.
Do cidadao Jo-j Francisco do Amaral ao Dr.
Annibal Falca 1. hilador pertinaz e infatigavef
e moco de grandes esperancas p-la inieirezi de
seu carcter, elevacao de seu espiita e bem co
nbwcida energa.
Do lidado Antonio Mirtiniano de Veras a)
cidado Joo Francisco do Amaral, lemorando
as delicadezas e attencOes que muito antes da,
proelamaco ia Repblica, elle e seu compa
nhei-o de propaganda o grande Silva Jar lim-
dispensou-lhes de pas-a^em por esta villa o
mesmo Amaral, em que n reconhece sentimen
tos nobres e puros e verda leiros ttulos de um
chefe poltico de prestigio e de valor.
Do Dr. Martins Jnior, agradeceno as pa-
lavras de affecto e de consideraco que, imme
recilamente e apenas por excessiva bondade.
lhe foram dirigidas pelo sympathiro collega Dr.
Paes Barretto, e saudanao o cap:to Ndpoleao
Duarte e o cidado Joo P-ancisco do Amaral
dous poderosos elementos de ordem e de pros
pendade para o rgimen republicano nesta co-
marca.
Do Dr. Annibal Falco, manifestando o seu
sincero reconheciment pela saudacao que Ibe
dirigi o cidado Amiral, herdeiro de nomes
gloriosos e que tomaram parte activa e directa
nos movimento3 revolucionarios de 1817 e 1824
e diriglalo-se muito particularmente ao D;.
Gaspar de Orumond, cojo elogio fez em phrases
nuito eloquentes e significativas, de par com o
de Jos Bonifacio, nome que, por motivos, que
expoz, liga-se ao daquelle doutor.
Do cidado Napoleao Duarte, aos seus dous
particulares amigos Drs. Annibal Falco e Mar
lins Jnior, mostrando se reconhecido s ex-
pres&es de que este serviu se seu respeito.
Do ir.Gaspar de.Druramond ao Dr. Anni
bil Falco e Dr. Martins Jnior, nao como poli
ticos, mas sob o ponto de viste intellectual, con
siderando os duas poderosas mentalifades. dous
cerebros valentes, cheios de ideas grandiosas e
asares. O orador agradece ao primeiro daquel
ies cidadaos o brinde que dignou se fazer lhe e
com muita felicidade explica o seu passado po
litico.
< Do cidado Joo Fracisco do Amaral ao Dr.
Maximiano Duarte, homem de merecimeoto, de
valii, pelos seu3 t>ervigo3 e pelo seu tino ; lou
vaudo o pelo modo acertado e justo de apreciar
os fados, imprimiodo sempre n el les um cunbo
de verdade e de justifia.
Do cidado Carlos Falco
reto pelo seu carcter serio
lento.
Do Dr. Fubio da Silveira Barros ao Dr. Coe-
lho Leite, delegado do termo, cujas boas quali-
daiie encarece de modo notavel.
Do Dr. Maximiino Dua-t;, em longo e bem
laborado discurso, no qual abundou em varias
consideraces para demonstrar que a bem da
Repblica conviaba separar o joio do trigo, pre
miando na altura de seus mereciraentos aos
adnereates e nao aos adhesivos, e que nao de-
viam ter cotaco 03 ttulos daquelles que apega
vara se como medida salvadora aos lacios consu
mados. prosperidade e engrandecimento da
Repblica, fazendo votos ardentes pata ',ue ella,
insprala nos iramulaveis principios de justiqa,
saiba crear profundas raizes no coiagao da pa-
tria
0 brinde de honra foi levantado pelo Dr.
Ma.nins Jnior. Em phrases eloquentes e ver-
daderamente arrebatadoras, o talentoso orador
brindou a Repblica Brazileira. Suas palavras
foram ouvidas com a maior satisfaco e por ve-
zes abafadas com applausos do auditorio.
Eram quasi oito horas da noite quando o Dr.
Martins Jnior, finaltsou o seu discurso, sendo a
mesa oceupada por outro3 muitos^coavidados.
Diversos brindes, algunsde carcter inteira
mente particular, foram anda feitos, proferindo
aquellc Dr. segundo discurso, com a mesma ele
vaco de pensamento, tornando bem patente a
importancia histrica da v.lla de fguarass.
A's 9 horas da noite seguiram os Ilustres
viajantes para essa cidade, recebendo, na occa-
sio da partida, iguaes ou mais valiosas pravas
de prego do que pela manh, chegada.
Club BepnSllcano da Magdalena
Eis a acta da sessao constitutiva e 1.* do Club
Rapublicano da Magdalena:
Aos cinco dias do mez de Marco de 1890, no
salo da Sociedade Recrealiva Magdalenense,
pelas 7 1/2 horas da noite, presentes os segra-
les cidadaos : Dr. Cosme de 3 Pereira, Antonio
da Cunha Ferreira Bailar, Luiz Duprat. Henrique
Bernardes de Oliveira Jnior, JosFiusa de Oli-
veira, Antonio Machado Gomes da Silva, Apolli
nario F. de Albuquerque Maranho, Manoel de
Medeiros, Leoncio Quintino de Castro Leo. Tho
miz Clarencio de Paula Rocha, Jos Elesbo
Borges Uchoa, Christovo de Barros Gomes Porto,
Jos Fernandes de Albuquerque Lima, Jos Ber-
nardo do Reg ValenQa, B^raardo Damio Ca-
valcaute Pessoa, Jos Marcelino Alves da Foose
ca, Pedro Alves, Henrique Ferreira Bailar So
brinho, Arthur Bastos, Francisco M. Duarte de
Azevedo, Thom Alves Aroxa, Argemiro Aroxa,
Carlos do Reg Barroca. Fernando do Reg Bar
roca, Samuel Porto, Manoel Vicente do Reg Va
lenga, Manoel Martius de Aroorim, Fraocisco D.
C. Pessoa, Carlos de Albuquerque Peona de Oli-
veira, Honorio Francisco Gongalves, Arthur Pe-
reira de Oliveira, Leopoldino Cornelio Ferreira
da Silva, Manoel Jeronymo da Costa Uchoa,
Eduardo Eugenio Dantas Barroca. Antonio M.
Cordeiro de Gusmo, 0:taviaao Pereira Suiart,
Joo de M. Ramos Costa, Dr. Antonio de Souza
Pinto, Gustavo Antuaes, U- Botelho de Andrade,
Luiz Cintra, Dr. Fernandes Barros, Dr. Acaua
Ribeiro, Joo Fernandes Lopes e outros, o cida
dao Luiz Duprat, presidente da commissao no-
meada pelo chefe do partido republicano de Per-
nimbuco cidado, Jos Isidoro Martins Jnior,
para a organisago do Club, tomando a presiden-
cia expoz os motivos da reuniao nos seguintes
termos:
CidadaosO memoravel acontecimeato poli-
tico do dia lo de Novembro de 1889, estabele-
ce.odo de facto o rgimen republicano no Brazil,
abri espaso s puras aspirases da moderaa
sociedade brazileir', que vuoadveoto da rep-
blica o primeiro passo de prosperidade da patria.
Cidalos, pira que esta prosperidade se consiga
to real, to vantajosa como a poltica republi-
cana permitte, preciso que os bons cidadaos se
congreguen), se compenelrem radicalmente dos
seas deveres e direitos poltico sociaes e, cada
um, as suas forcas auxilio essa justa aspiraso.
Nesta lealdade de sentimentos o cidado
Jos Isidoro Marns Jnior, chefe do partido re
publicano deste Estado, julgando conveniente
aos interesses da repblica que, em certos pon-
tos desta capital e notadamente em alguns dis
trelos policiaes de maior importancia, organi
sem-se clubs subordinados direceo central do
partido, incumbidos nao s de propagar as ideas
coudas no manifest republicano de 1888, como
de trabalhar pralicamente para que os prximos
servicos de qualiticaco eleitoral sejam bem en
caminbados e executados, leliberou nomear urna
commissao composta dos cidadaos Dr. Cosme de
S Pereira, Antonio da Cunha Ferreira Bailar,
Jos Piusa de Oliveira, Henrique Bernardes de
Oliveira Jnior e de mim, para, neste 2 o distri
co policial da freguezia dos Afogados, encarre-
gar se de promover a fundaco de um deste?
clubs.
Aceitando o encargo, e desejosos de coope-
rar para a boa organisaga do plido, demo nos
pressa em convidar-vos para esta reuaio, alim
de pedir o vosso concurso leal, dedicado e cea-
victo, nico que permittir attingir ao fim a que
nos proporoos.
Terminando esla exposigo fez constar que
estando elaborado pela commissao os estatutos
do club, passava a submettel-os discusso o
que teodo effectuado fo am elles approvados com
o seguinte accrescimo, sob indicao do cidado
Dr. Cosme de S Pereira, 4. do art. 7. As
elininaces de que tiatam os 1." e 2. de-te
artigo, s sero levadas a effeiio depois de ad-
vertencia feita por escripto.
Convidados os cidadaos presrales e que qui-
zessem fazer parte do club, a assignar os men-
cionados estatutos, e depois de electivamente
assiguados pelos cidadaos Dr. Jos Isidoro Mar-
tins Jnior, como socio hooorario, que se apr-
senlo! a tomar parte na installaco do club e
por mais 37 dos prsenles moradores no dis
iricto, foi pelo cidado Duprat declarado e9ter
legalmente constituido o Club Republicano da
Magdalena.
Acto contiouo coosultou o mesmo cidado
assembla, se ella concordava em qne a eleico

da mesa da assembla geral fosse feita por ac-
clamaco e, obleado a aflirmaiiva, propoz para
presidente ao cidalo Mr. Co;mj de S Pereira;
eleico que foi unnimemente approvada, peto
qm lhe foi cedido o lugar da presidencia, qut
aceitou, e por sua vez propoz por acclam icao e
foram unnimemente eleitos pa a vice presiden-
te da assembla geral o eidado Antonio Macha-
do Gomes di Silva, para secretario o cidada
Chnsiovo de Barros Gomes Porto, e para 2 se-
cretario o cidadao Hrarique Beruardes de Oli-
veira Jnior, que foram coavidado3 e tomaran
posse dos seus cargos.
Nesla occasio o presidente da assembla
geral, jugando de alio alcance para a existen-
cia do club e para os interesses do partido re-
publicano de Pernambuco que o soeio honora-
rio Br. Jos Isidoro Martins Juuiur, chefe do
partido neste Estado, maoifestasse assembla
a mterpreaso pritica a dar ao mauifesto repu-
blicaoo de 1888, em que se baseia a constitui-
So do club, convidou o a tomar a palavra para
ejse tim.
Efectivamente o cidado Martins Jnior, acei-
tando o convite, tomou a palavra e esclareceu
com franqueza e leal convicgo as ideas comi-
das no referido manifest, dando com os seus
detalhes a precisa orientaso marcha poltica
do club. A assembla prestou lhe toda a atten-
cao e felicitaado-o pela firmeza dos seus justos
sentimentos, felicitouse por ter tido occasio de
os ouvir conhecer e apreciar para norma do
gremio que acabava de ser constituido.
Proseguiodo os trabalhos da sessao, o cida-
dilo presidente da assembla geral fez constar
que nos termos dos ns. 2 e 3 do J 1' do art. 11
dos eslatuios, passava a proeeder se por escru
tioio secreto, de accordo com o art. 12, a elei-
Sao da directora e da commissao fiscal.
Coavidados para escrutiadores os cidadaos
Manoel de Medeiros e Jos Fiuza de Oliveira, e
feita a chamada dos socios, realizaram-se as
eteicBas com o seguinte resultado :
Para a direcioria :
Presidente Coronel Apolinario F. d'AIbu-
querque Maranho, 29 votos.
Vice presid nleLuiz Duprat, 31 ditos.
Io secretarioAntonio da Cunha Ferreira Bal-
tar, 29 ditos.
21 ditoJeronymo Jos Telles, 29 ditos.
ThesoureiroCoronel Jos Fiuza de Oliveira
20 ditos.
^ Mais obtiveram votos, para presidente, Dr.
Cosme de .^ Pereira, 3 ; para vice presidente,
Jos Elesbo B. cha, 1: para l* secretario,
Jeronymo Jos Telle3, 1; Pedro Alves, 1; Dr,
Thom Aixa, 1; pira 2- secretario, Pedro Al.
ves, 1; Napoleao da Cesta Moreira, 1; Maaoel
de Medeiros, 1; para tln-soureiro, Luiz Duprat,
i; Henrique Ferreira Baltar Sobrinho, 1.
' Para a commissao fiscal:
Dr. Jos Osorio de Cerqueira, 17 votos.
Arthur Bastos, 20 ditos.
Francisco M. Duarte de Azevedo, 20 ditos.
Mais obtiveram votos 03 seguintes cidadaos:
Manoel de Medeiros, 8 ; Thom Alves Arxa, i ;
Antonio Machado Gomes da Silva, 3 ; Octaviano
P. Suzart, 2 : Christovo de B. Gomes Porto, 2 ;
Henrique Baltar Sobrinho, 1 Eduardo Barroca,
I ; Pedro Alves, 1 ; Leoncio Leo, 1 ; Albuquer-
que Lima. 1; Autonio Bailar, 1; Ramos Costa,
1; Oliveira Jnior, 1.
Apurado e conheci Jo o resultado da vota-
Sao, foram pelo prndente da assembla procla-
mados eleitos para a directora e para a com-
missao fiscal os socios mais votados nos respe-
ctivos cargos indicados.
Nada mais bavendo a tratar, o cidado pre
sidente encerrou a sessao s 10 e 1/4 horas da
noite, e eu, Heunque Bernardes d'Oliveira J-
nior, 2o secretario da assembla geral do Club
II -publicano da Magdalena, liz a prsenle acta
a assigno.Henrique Bernardas de Oliveira J-
nior, 2o s.-cretario.Dr. Come de S Pereira,
presidente.CAristorao de Barros Gomes Puto,
Io secretario.
Matricula de gannadoreaFoi adiada
para quando for novamente annunciada, a ma-
tricula dos ganhadores e mosos de frete, na se-
cretaria da polica.
Apreaentou-sc voluntariamente
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Jaboato,
a presen lou se voluntariamente, no dia 9 do cor-
reate, e foi recolhido priso, o reo Joaquim
Arcoocio daJCruz, chamado no vulgachoPedro
Calaogro pronunciado no artigo 205 do cdigo
criminal.
Tentativa de morteNo dia 2 do cor-
rente mez, no lugar Pedra. do termo do Bonito,
Joo Fructuoso da Rocha tentou assassiuar a
liraz Ferreira dos Santos, sendo preso em fla-
grante.
FerlmentoaNo referido dia, e no lugar
Prata, do mesmo termo, Viceote Ferreira dt
Lima, Joo de Lyra e Rozendo Gregorio Nazariano
feriram, com tiros de pistola, ao inspector de
quarteiro Manoel Jos de Lima e a Jos Joa-
quim de Menezes.
Os delinquentes evadiram se.
Bedarco do BinculoDesligaram-
se da redceno desse hebdomadario os Srs,
Spencer Netto, Calino Jnior e professor Arthu-
nio Vieira, que muito contribuiram para a radi-
cal transformaso porque passou ltimamente
esse nosso aufigo collega.
Medico novoA bordo do vapor nacional
Alagoas, que deve ebegar hoje ao nosso porto,
regressa 1 este Estado o Sr. Dr. Manoel de Fre-
tas Guimares, formado ltimamente pela Facul-
dade de Medicina da Babia.
O Sr. Dr. Freitas Guimares tllho do concei-
tuado negociante de nossa praca o Sr. Bento de
Freitas Guimares e vem estabelecer clnica nes
te Estado.
(Directora daa obras de conaerva-
co dos portea de PernambucoReci-
te, 14 de Marso de 1890.
Boletim meteorolgico
Horas Thermcmt tro centgrado Barmetro a 0 Teuso do vapor i aa
6 m. 23-,8 758*79 18.B8 81
9 27,4 759-82 20,02 73
12 30,o 759-20 21,54 u
3 t. 29*,6 757-76 20,11 61
6 28,2 758-14 20,55 72
Temperatura mxima31.00.
Dita mnima23,50.
Evaporaso em 24 horas : ao sol7,"1;
sombra5,-3.
Cnuvanulla.
Direcso do vento : E e ESE alternados de
neia noite at 7 horas e 15 minutos da manb;
3SE at 9 horas e 30 minutos ; E, ESE e SE l-
ternados at aos 30 minutos da tarde, SS at
meia noite.
Velocidade media do vento2,-42 por se-
gundo.
Nebulosidade media0,m42.
Boletim do porto
m
' m
M


*
.-



.
' '
-
.3
1
.

f.

t.
-
53 a-a j-2 Dias Horas 10-03 da manh 459 da tarde 11-13. 5-58 da manh Altara
?. M. B- M. P. M. 8. M 14 de Marso .. 15 de Marso 1-.9S 0-,8 1-.92 0-.9

LeiieM -Eflectuar-se-ho os seguiutes :
Amanb :
Pao agente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez de Oliada u. 48, de um terreno no Arraial.
Pelo agente Brito, s 11 horas, roa do Im-
perador n. 16, de boas predios.
Hinsas fnebreSero celebradas :
Amauh: .,,'
A's 7 horas, na matriz do Bonito, pela alma rk
D. Maria Marques Fonseca Mello; s 8 horas, na
matriz do Corpo Santo, pela alma do Dr. Jorgs
Augusto de Brillo Inglez. s 7 1|2 hoias, na ma
triz da Boa-Vista, pela alma de D. Antonia Perei
ra Pinto Coelho; s 7 horas, na igreja do Terco,
pela alma de O. Maria Emilia Vieira Coelho; s
7 horas, na igreja de S. Gongalo, pela alma de D
Joan na Francisca Bastos Madeira; as 7 horas,
aa matriz da Boa-Viste, pela alma de Antonio
de Araujo Marques.
Ter$a-feira :
A's 7 1/2 horas, na igreja de S. Fraocisco dr
Olinda, pela alma de Maaoel Estevd de Olivei
ra; s 7 1/2 horas, na matriz le Santo Antonio,
pela alma de Manoel de Souza Galvo Filho; s
7 oras, na matriz da Boa Viste, pela alma do
Dr. Jorge de Brito Inglez.




4
Diario de Pernambuco-Do mingo 16 de Marco de 1890
1/


_____iceiro* -Chegados do sul no
ingles 0 Marietle Laplagas. Emilia Mara dos Santos.
Adolphus JchnWilapret. Joao da Molta. Mar-
ciano Firmo de Almeida Sampaio, Nicolao Ve
rissimo e Andre Vope.
_ Sabidos para a Europa no raesrao Tapo-:
Clemenlino de Parias Tavares Goncalves e sua
senhora, Francisco de Bnto Lyra, sua senhora e
4 tilhos, Ulrich Muller e A. Bernet.
Chegados do Para no vapor ioglez Por
tuente :
Manoel Cornelio d Correia e Jos Olintho
Barroso Rebello.
Operarle cirurgicMForam pratica
das no hospital Pedro II as seguimos:
Pelo Dr. Malaquias : -
Oscbeotomia indicada por elepbantiasis no es-
croto.
Dua3 urethrotomias indicadas por estreita-
mento da orelhra.
Pelo ;r. Berardo:
Kerotomia indicada por bypopioa no olho di-
reito.
Pelo Dr. Arnobio:
Extracco de kisto cebaceo da regio tempo
ral direila.
Pelo Dr. Bciardo:
Kerotomia indicada por hypopion no olno di
reito.
Pelo Dr. Estevao Cavalcanle :
Extracco de kisto hematico do bordo da ma
xillr direilo inferior.
Cana de DetenroM-ivimemo aos n* -
sos da Casa de Dete'ncao do Recife, Estad:
ds Pernambuco, em 11 de Marco di 18SO.
Existan io9 ; eutrarum 4 ; saSr.ram 4; ec.-
.em 459.
Nacionaes 426 ; rnnlberes 22 estrangeiro-- i l;
-Total 459.
Arracoado 404
Bons 376.
Doentes 19-
Loncos 6.
Loucas 3.
-Total 404-
Movimento a enfermara
Tiveram baixa :
Antonio Rodrigues de Lima.
Manoel Gomes de Souza.
Lucio Jos da Silva.
Antonio Manoel dos Santos.
Tiveram alta :
Luiz de Franca Nazsretb.
Silvina Celestina da Costa.
Hoapltal Pedro II -O movrmentc- dest
stabeiecimento decaridade, nodis 14 di Mar
co foi o segrate:
Entraram
Sahiram
Falleceu 2
Exi8tem 422
Foram visitadas as respectivas enferman- s
oelos Drs.
Hoscoso s 8 1/2.
Cysneiro s 10.
Barros So orioho s7 1/4.
Berardo s 10 1/2.
Malaquias as 10 1/4.
Pontnal s 9.
Estevao Cavalcante s 8 1/4.
Simoes Barbosa s 11.
O cirurgio dentista Numa Pompio s 8
horas.
O pbarmaceutico entrou as 8 14 da m2.ua e
ahio s 3 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s 7
e sabio ti 6 horas da tarde.
Cemlterio PublicoObituario do da 14
de Margo:
Amelia, Pernambuco, 2 1(2 mezcs, S Jos;
entetite.
Jos Nicacio, Rio Grande do Norte, 42 aunos.
Recife ; varilas confluentes.
Olympia Porrina da Silva, Pernambuco, 13
anuos, solteira. S. :os, febre typhiea.
Sabino, Pernambuco, 8 dias. Boa V.sto ; en
tero colite.
Ignacio, Pernambuco, 7 mezes, S. Jase; m3
neneitc.
Hygino. Pernambuco, 2 mezes, Sanio Ai. 10 no,
gastro entente
Hermelindo, Pernambuco. 4 mezes, S. J.. ;
atbrepsia.
R imana. Pernambuco, 4 mezes, Baa Vista ;
gastro entente.
Philoroena, Pernambuco, 6 das, Bn-Vista;
conrulOes.
Pedro, Pernambuco, 4 annos, Graca; in'.cr
cepcae.
Antunio Pereira da Silva, PernamDUCo, 30 au
nos, solteiro, Boa-Vista ; ulcera.
Jacinllio Amonio Caneca, Pem.imbu:o 80 an
nos, viuvo, Boa Vista ttano espontaneo
Mara Hermina da Cooceico, Pernambuco 22
anuos, solteira, S. Jos ; diarrha.
Mara do Carino, Pernambuco, S dias, Graca;
iuviabllidade
Jo&o.Pernambujo, 18 mezes, S. Jos; io
las.
COMMERCIO
ftevista do Mercado
RttCIF?, 15 DE MA89O DE 18i0.
Foi pequeo o movimento, l-mitandc-se a
transacgei no mercado de cambios.


i
Bolsa
jtac;5e8 officiaes da junta dos cok
RETOBES
Recife,'. 15 ae Marco de 18!O
Cambio sobre Londres. 90 d/v. 22 7/8 d. prr 15,
do banco, hornera.
u Dresidente,
Antonio Leona do Rodrigues.
Pelo secretario,
A. M. de Amorim Jonior.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
. Cambio
PRAQA DO BECIFE
Os bincos adiiptaram o typo de 22 1 2 r.oml
nal, sem achareal tomadores at 2 hora- u'a lar
de, quando bou ve proenra aquella laxa.
O banco de i't rnambuco sacou una q-naniia
recular, retirando os bancos inglezes du mc.t
cado.
Papel particular foi moi escasso a 22 3/8, rea
lisaado pequeas trausaeges.
CU Al,'A DO RIO DE JtNEIRp
Papel bancano 22 1/2 em geral at 3 horas da
tarde, qnando se retiraram tudcs os hu jes do
.do.
Ilouve falta de papel parlicular e a tendencia
para baixa
ASgcdo
Nao cousteu v* ndas.
A txporiaco fetta pela alfandepa nrstf mez uto
o d>a 13. conslou de 1.486 i6 kilos, sendo......
(.414.053 para o exterior e 72.410 para o ioterit-r.
As entradas verificadas al a data de boje o
bem a li.'i'j saccas, sendo por :
Bracas.....
'' ii'res
\ turnea. ...
V,a-rerre;>. de Garuar*. .
v t-ferrea do 8.Francisco.
V a-Ier.-ea dsLimoeiro
BE JrOMIWGO A DOMIKGO
O Brasil, em vista de causas mltiplas e for-
tissinas, nao possue anda urna litteratura na
ciooal, resultapte da3 saai coodices elbeicas.
moraes, polticas, etc., e que reproduza inteira
a propria orgauisaco dos sens naluraes.
A coufusio das ragas que tem concorrido pa-
ra o povoamenio do nosso vaslissimo sollo, a
varipdse immensa ios typos por ellas repre
sentados e que se differenciam no modo de sen-
tir e pensar, sSo factores negativos, tanto mais
poderosos quanto tem a seu favor a desconne
xo entre os diversos productos das ices ragas
primitivas que anda se mantera, devidos a pre-
conceitos retrogados, era campos antagnicos.
Einquaoto urna mixto geral, um crusament)
radical nao attestarem a dissolucao de urnas pe
las outras, emquanto o elemento adventicio,
emigratoria for, relativamente, superior ao au
toctonico, nacional, nOs nao Doleremos poesuir
urna litteratura exclusivamente nossa, a"tes-
tado vivo do nosso carcter, espelbo liel das
nossas ideas, manifestaco verdadeira das nos
sas condice3 affectivas.
As escobas, do Brasil, appareccm c se subsii
tuem sem a urgencia directa ou indirecta do
conjuncto das causas naturaes, coja i echo aioda
nio foi bastante enrgica para dar a litteratura
um cunho original.
DilTerente as modalidades do ensemble a lit-
teratura, entre nos, uraa synth^se. ainda incom
pela de lodas as manifestaces do espirito hu
raaoo ua sua escola evolutiva.
!
Os poetas scientilicistis. (dissemol-o urna vez>,
aquellesque pregando urna-nova intuicao po
litico religiosa quere.n fazer de cada verso urna
chra para abater instiiuigOes, e urna apolheose a
blusa suareotado operario, oua segurauca e lir
meza de um hbil cirurgio ao lacerar as carnes
gangrenosas de um doenle,ten deturpado os
verdadeiros fins da Potica, cujos mbitos sqj
perfettamente differeutes dos da Sciencia.
Como vehiculo de ideas, como agente em pre-
gado na propagaco de qualquer theoria scienii
tica, a poesa fr:a, visto a delicadesa de sua
extructura ao colorido dos seus quadros, ac ar-
tificioso das suas imagens.
A poesa pois, (e s develo ha ser) a Jsn
gua^em ry:hmada das naturezas ardeotes e im-
petuosas, dos cerebros cavalheirescos c sooha
dores um motivo perenne de xtasi, de enleva-
mento>: ao passo que a Scicncia deve tur urna
linguagem diversa c toda sua,profunda como
as suas verdades, calma e red metida como a3 leis
directoras do mundo.
O poeta moderno, o da ultima moda, nrapu-
ohando o escalpello era vez da lyra, vae bascar
no aicool dos niuseus do. teraiologia hospita-
lar o assumpto precipuo dos seus erros cheios
de aberraces postas em rima.
Baioville, Robinai, Beaudelaire, Bicnepin e ou-
tros estrangularan!, as assinaram a grande vea
da inspirsco.
As Oit funambulesca* as Cancoes dos leer-
tinos, as Flores do mal e as Neorose's, (e.3crevnmos
algures) sao obras nota veis, monumento est hti-
cos onde o cinzel andou admiravelmante, porem
as suas estrophes agrupara-se como as arvores
sombras de um cemiteno vaslissimo ou como
unpassiveis e firmes soldados prusianos.
Para essesoamor, quando nao um calculo,
um-i simple* operago aritbmetica, trausforma
sen'uma extravagancia de sentidos.
*#
Escudado nesse meu modo de pensar, crendo
que sOnente a poesa lyricaessa sublime ema-
naco das oossas niais doces espera.icas, essa
msica cajos hyrauos sojiii aos nossos ouvid. s
como um ciciar de b.-isa que vae subiado a bei
jar as cristas douradas do Hymalaya -pode sa-
tistazer as exigencias da p)euca, sumos auerta
raeute infeoso a esse prosasmo disfargado, res
candente ao alcoolisme dos lupanares, que pre
tende invadir a moderna sociedade.
Ramalho Ortigo-o eminente e^criptor p>r
tu^uez, cuja peona ura pharol, disse brhan
teniente que antes a poesa sem o verso, antes
verJadeiro poeta pelo corago do quj eximio
versejador pela cabeca.
Ora avllese por ahi, cora quanla prev. nco
lemoa o poema de Mario d'Artago(pseulouyuo
;lc ura mogo de talento) iotiluladoAs Ixfeu-
naes,-e publicado, em 2.' ediccao, pela respe
diva casa edlctpraa a:rediiaJa Linaria Quio
ta?, sita ra Wmeiro de Marco, 11. 4.
Mas... si a nossa mini, e de peusar condem
nava o rumo seguido pelo poela, a razio impu
nha nos o dever de declarar e reproluzir as ira
prosies que nos licarin d'esse primoroso re
cual.
Oriundas de urna cerebncSo rebelde c reacto-
ra, as I.nkeh.vaes sao un ailestado solemne do
estado psyctiico em que se achava o seu autor.
Descreuca, fastio, desilluso, tedio, etc., ludo
est perfeitamente esumpado em cada urna das
paginas do livro.
Saifez-nos, portanto, sob o ponto de visla ar-
tstico, o volunte que lauto entbusiasmo oaspr-
toa no nosso puolico a pomo de merecer a rara
honra de urna 2* edieco.
As entradas veritic idas at a data de hoje so
bem a 69.890 f accos sendo por:
-iarcacas 28.467 Sarcos
Vapores..... ...
inimaes. 2.768
/ia-ferrea de Caruar. 3-752 *
.'ia-errea de S. Francisco. 31 6'.6
.'ia-ferrea do Limoeiro 3.257
Snmma.
69.890 3 cc-T.
1.2i0
.^o^
1.072
3.1
l.i'79
2.;.8>
Somma.
ii StK\- t
As&uear
Os precos pagos ao agricultor, por 15 Kilos. :
aotio* A3ociagio Couimerciai Agrcola, wciu
i> sej;n*ite8:
.is ... 4-O.yi a 4i5im
T-AOCO..... 317UU a 4.*>'
Smenos..... 2A0 n
M -.cavado nuigado A700 I
-mitos 1*300 a i ;a\)
ft.uune..... 1*000 a
A excortagso feila pela alfanaepa nes'.- raen ule
o da 13,conton de 3.023.676 kilos, aendo :0i i 0
para o exter or e 2.819.476 para o interior.
Couros
Couros salgados 380 res, e os verdes a 23u
ris.
.\,unrdcate
CoU-se a 90A0IX), por pipa de 480 litros.'
Aicool
Cota-se a 190GOO por pipa de 480 litros.
Mel
rj)ta-*e a 55*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da Alfandcca
il^'l* PP 17 A 22 DZ tkRQO DB la'JO
Assucar retinado (kilo) .... 300
.?ssucar branco (kilo) .... 210
ssucar mascavado (kilo) ... tOO
'gurdente........ 70
\Icool (litro)....... 37(
Arroz com casca (kil.01 ... 80
*lgodo (kilo)....... 440
Bagas de mamonas (kilo) 120
Borracha (kilo)...... 900
Carngos de algodSo .... i 6
Coo.ro-* seceos espichados (kilo) 400
Ccur?s seceos salgados (kilo) 340
1 ouros verdes (kilo)..... 203
Cacao (kilo)....... 400
Caf bom (kilo)...... 600
Cal restolho (kilo)..... 400
Carnauba (kilo)...... 260
arocos de algodSo (kilo) ... 20
arvQo de pedra de CardilT iton.) 16,5000
Farinha de mandioca (litro) ... 70
Folhas de anorandy (kilo/ 300
Genebra (litro) ...... 200
Graxa......... 230
Jiborandy........ 200
Me) litro)........ 80
Milho ikilo........ 100
Pao Brasil (kilo)...... 33
ola (meios) ....... 2300
\avio descarga
?arca noruegu-ns-. Eeser, carvo.
Barca ingl^za S Batea poriugueza Audacia, varios genero .
Urigoo nlet John Richards, farello.
I'l.cho hol!and.-z Cmcorenks xarque.
Lftgar ingles Silccr Sea, bacalllo.
Lar suco .-tuno Mana. fumo.
Lugar poitusucz erc-lta, vaiios gneros.
Exworiaco
RgCirs, 14 DB jIaKC ou 1890
faro o exterior
Nj vapor fraaecz V. de Rosario, para o Ha
oreganal:
l "in-i4 c 2.sr-ccos i-cni 120 kilos de caf.
i vapor ijglcz Sckolar, para Liverpool
car-egou '-. $
G ae Maltes Inno, 2S8 sacc:s com 20 523
kl'.oi de cera de carnauba, 5 ditos com 300 di
Os versos, na sua quasi jtolalulade. sao vigo
rosos e fortes, bem cadenciados e lythmados.
Nos alexand' inos, onde uo raro iropega muito
espirito aproveitavel, o poeta digno de en-
comios. *^t\*
A Sentenra (ultima pane do Ikro) esaPP
em lioi,'uag*em mascula e agradavel.
Oh lonco Aato d'A ronca! Oh lonco libertino I
escolhe cauteloso um lago cry-ia:Iino
aberlo pelo orvalho era cima da montan ha I
o liysDerico jardim mil pealas apanha
veriuelbas tomo um Uanco ensanguentando a e-pra
ou roseas como o \o ua matutina aurora I
N'ura tanqua colos-al, cavado pelo pranto
enebarga a ruora rr da purpura d'om manto :
depois dislilla e extrabe n'um alambique estanco
a rubilez da. flor, da purpura e du flanco;
e qnando lenhas feito extra vasar um vaso
sangrento, como a lucia aos ponta-ps do accaso
despeja o d'uma vas uo crysiallmo lago
que toma do verm-lho um tora dorido e vago
A primeira parte, qu" urna reainiscen :i i.
talvez inconsciente, ao Inferno de Dante, bem
e;cripta e tem pensamentos sidios:
Voltairc arremessou por trra um throooi
mas como o fez ? Forjando o estratagema,
que em lbrega eoxovia e ju-to algenia,
que as pedrascns-ingunla da calgada,
e que os criiues aliga da cruzada
voraz, aef nda, atroz, que rouna me
o proteclur e a lillia o pac tambera. I
Que loucura? Divertir com sangue a escoria !
Com que in ? Pura um uome ter ua Historia
As fer.'s spalifam as florestas
a rola, o ninho, as llores das giestas,
raas nao polluem oem rojam as sentinas
as castas virgeos, feitas Messalinas!
Se maculara uas verdes espessuras
as hervinhas mais casias e mais puras
uo enlameiam, coro vistas no mela!, ^
os abragos do leito conjui{aM, -
as folupas que formara a lerceira parte daa
Infeb.nabs, de parle algumas poe.-ias demasiada-
mente livres, exislem outras que raereceiiam s>v
transcriptas se assiui o penuittisse o espgo de
que dispomos.
Cr, Reprobo, No binho Indec'fiacel, O ultimo
beijo e Splecn sao espleudidas.
So C"rnacal uuia vigorosaapo=trophe a cer-
tos preconceitos sociacs:
E no emtanto, cigana, cutra cigana
conhego nos saldes ; raas como tu
nao presa de sorte asim lyranna.
Orgulho uraa imprecago e urna explosao :
Condessa, eis-me a seus ps Talvez mais orgulhosa
uo seja uo deserto a raDi'ia lea,
nem mais altivo o cedi, ou ave que reva
cruzando a serrana era curva caprichosa.
Pois quando, reclinada em coches cOr de rosa,
vossencia corre o ba:rro alegra Qjjt Lisboa,
ninguera mais insolente alira o olhar ti
por sobre a multido que tila a respeitosa!
Ma creia-me, Condessa, em rusticas cagadas
eu ja gilguei a ierra e ja raatei chacaes:
e assira corao essa luz das castas madrugadas,
que invade mu de lave os vacuos sideracs
c rasa n"u n t beijo o lino veo i'aurora.
assnn o seu orgulho eu quebrarei, seahora I
Basta...
Apezar de filiadas a u a escola que aolipi
(bisamos, as brstKAH a^-radarau nos.
Que um novo suca'sodalivrariacoroc o bom
resultado conseguido peto auior a qncm eavia
raos nossos sinceros emboras.
Celos d'Acijeville.
Eb
SPORT
Derby Club de Peraambueo
Uoje ana a" corrida lera lu^ar.
. A festa Inopic-a do Prado-d.i Escocia ser so
berDa. corno j nooiem o (feseairs coa as?ig
nalagOes das razOes.
Agora ; all appareccr qasm tiver duvi
dis.

No dia 9 Jo corte..te r^ilisoa S no Hippodro
mo Guanabara, do Ri > de Ja:e;ro, o grande pro-
nto -E-lado do Rio.
Gaahou o Bbtz de ponta a pona, m ntade
pelo jockey Mirci'iao e com a competencia d:
todos os aniinaes in.-cripcos. era 178" na distau
cia de 2,601 metros.
Com excepgio da Libert, que chegou em 2J,
todos os outros animaes forara distanciados fl
por isso nao tiveram cullocagao.
a poule de Blitz em Io um 48700 c em 2"
2440U0; e ae Libert em 2 43300.
los de carogo3 de algodo e 71 barricas xm
4,305kilos de borracha d- raangtbeira.
ura o axterioi
No vapor nacional Mrquez de Casias, para
Baha, car.e.-aram :
P. Alves & C, 0 barricas com 4.015 kilos de
assucar refinado e 50 d tas com 4.513 ditos de
dito branco
M. A. de Senna & C, 23 barricas com 150
kilos de assucar refinado e 20 ditas com 2,200
ditos de dito raas avade.
F. A. de Azevitdo. 210 barricas com 2I.C0J
kilot de assucar mascavado
- No vapor nacioual Alagos, para Man :s
carreeou :
M. F. Mariins, 20 barricas com 1,052 kilos de
assucar brinco.
No cter OUcetra, para Mossor, carrega-
ram :
P. A. C, 2 barricas con 200 Kilos de assu
car retinado e lo di'as com 683 ditos de diio
branco.
M. Viegas ic C, 10 caixas com 120 litros de
genebra.
Reudimcatos pfibllcos
Renda geral
Do dia 1 a 11
dem de 13
MB7. DB M.VBQO
Alfandeua
403613S182
24:73Sa0*
430.32.C83
Renda do Estado d< Pernambuco .
Do dia i a 14 OS 331*393
dem de 15 4 VIO 938
70.843331
Somma total 501:198*417
Segunda secgo da Alfaujega de Pernambuco,
15 de Margo de 18S0.
O ihesoureiroFlorencio Domincue.
O chele da scccioCicero b. de Mello
Rcccbedoria do oslado de
Pernambuco
Do dia 1 a 14 11 0>0liD
dem de 15 2J571
11.36 '681
Recife Ec.-tjrjge
Do da 1 a 14 i'.iM7>:~7
dem de 15 l::ii473
21 581 762
Mercado Haaie-pal de S.
O movimentodesiomeicado uo dia li
cado foi o seguiule :
Entraram :
27 1/2 bois petando .i08 kilos.
1548 kilos de peixe a -u i-e.is
16 cargas com briolia a 200 rs.
17 ditas|de Iructas d versas a U rs.
33 columnas a 6U0 rs.
81 laboleiros a 200 p,
7 suinos a 200 rs.
1 escriptorio a 300 r.-.
75 compartimentos com farinha a 500
rs.
28 ditos de comidas a 300 rs.
98 dilos de legumes e fazead; a
400 rs.
17 ditos de suino3 a 700 rs.
lori
deilji-
30JP6'
32UU
3*100
19*800
6i2(KI
1400
300
37*500
14*000
39J00
11*910
O movimento geral da casa daa poules nessa
9* corrida da estaco sportiva niiheroyeose ebe-
goa a 54:960*1)00, tendo o parcial do pareo al
caneado a 23:001*003.
*
Termnalo o pareo do Grande Premio Estado
d Rio, a directora offereceu profuso lunch ao
seus convidados durante o qual foram levanta
do? 03 seguiules brindes : do Sr. Dr. Tavares,
presidente da sociedade ao dislinclo goveroalor
do Estado do Rio. o Sr. Dr. Portell.. que se ba
va retirado para ir receber sa ebegad de
Buenos-Ayres o Sr. ministro das reli.ges ext^
riore?, e ua pesso do seu digno o!Hjial.de gi
bnete, all presente ; do representante do Jornal
do llommacio, em nome da imprensa, ao raesmo
Sr. D-. Porflla. que uvera a feliz lembranga de
animar o turf com o olTereMiento do grande
premio que acabava de se- disputdo, e bou-
rada directora do hippodromo, que tao bem sa
liia cumpri os seus deveres ; do Sr. Dr. Tava-
res irap.eusa ; do representante desta fola ao
Sr. commenda lor Benrique Possolo, como deca
no dos sports:n.i alli presantes ; e anda do Sr.
Dr. Tavare-, em nome da directora, ao proprie-
t-iro da coucL'larid Ilmnov -rian, que com um
dos seus auimaes l.-vantaru o Grande Premio.'
E anda o subdito de sua graciosa magestade
britamiica !
O que fazer si o lord tomou a palavra, o lord
Blavk e uo Bloch f
E' deixalo fallar na sui Vid Fluminense.
*
L vai :
Divido inexplicavel attitude da directora,
que qurr por l'orga que os proprietaiios maniera
locar os seus anunaes sob pena de inultas, que
nao fazem bora cabello a Diuguem, as corridas
Uo Hippodromo (Gaanabara) j nao tem aquelia
graga que a mertrjnc tanto aprecia, do jotro
pea certa.
O resaltado que o Z pagante ROftta das con
sas ass ra, appl raJe deliraati a lacta rentr-la
dos carallos. Mas, repi.o, uao tem graga neuhu-
m i a gente arriscar os seus bellos cobres, sem
saber prec isso, us cavallos esfalfara se, matara se e um
i'omein perica uiaior paite das vezes o tempo e
fi-llij.
Eu que pertengo mestranca. nao posso con-
r o meu furor com o actual esUtdo de cousas,
e dtwla/o-aje em franca e i ^t aasigente ooposi
go ora a directoru do II ppodrorao, (Giana
Oara) jljuamo elle nao se resolver a tomir
oulrrimi) mais de accordo com as luzca do
scalo XIX.
Porque compreaende se que o nroprictarS
nao bao de ter aoluues para divertir o puhli -.o
cora carreiras booitaa e bem dispataJas, que rao
urna verdadera tolice. ,
Os aniraaes cometa alfb. aveia e milho. iss i
ludo custa muito dinheiro : e nao o tal Sr.
publico que nos man ia esses gneros qu.ndo
elles fallara la por casa.
E aliaal de coala/, o Z-t p tganie, haja ou nao
bajo coucersa nos p.reos, joga s^mp-e por auvr
do deseuvolviroenio da raga cavallar e deixa se
tosquiar muito calado e muito subintsso.
A imprcuha Talla co da seguiste, diz cobras e
tesarlo-1 dos propreUrio ; mas. em resumo,
nem o Zepagmte bicho qu* melta medo, uem
a imprensa lambed), porque falla depois de tu lo
passrfdo, e aguas pausadas nao raoem moiuho.
A tlireciori'i, ponanto, faz nal em qaerer que
se loquera todos os cavallos para a pona
Ella que se deixe de moralidades, e cotloqnc-
se do lado dos propriei.i.io'.
Como calba bem tudo ioto I
Assenla ineatno omo o birrete do uso actual.
Lord Bla.k est, porem, na vir/i vc-st.
FUBLICACOES A PEDIDO
A fjuest do eaveu- aam-aa
V. Colmara
I
Te.'ia hontem terminado o que tinta d- dixcr,
se o Dr. Emyglio Montenegro ni-. me tivesse
irrcflectidameule pruvocado no inal do seu ter-
cciro art'go, laxando de aff oata a scieucia o
procedimeuij que tie uo aceitando o exame
iias visceras sem que ficasse completo, o que o
contrar.ou ; pois para suas exliibigOes e r-.-cia
mei conviuha qui cu uno desiruisse a Ii y po
tUese peior que poda ligurar-se para mim e ..i
e kior a q-oe S. S. ef uvesse na imprensa re
a|p e apreseoianda-se Com vaatagem
>Kn fe'.o c impromellunlc-je ca'a
Affroota sciencia querer ser tido e coaheel quadrado3. A sna edicacSo, relativmenle,
do como Ilustrado, repres-ntando o papel da Dua CQatl sl,roxiraadamenie urnas 200 casas,
gralha vestida con as peonas do pavo. ; e,n 8Ua quasl tl>tlid:tde cobertas de lelae, e as
Affroota sciencia torcer os factos cabe pamas qUe existera cobdrtas de palha vo seudo
ceira dos doeutf s, uo duendo a vsrdade, para aiariatDen,e 9Ubsliiuidas palo systema de cober-
adquirir clieaiella a cusa da reputagao dos col- j lura gL.ra|,
legas. Oku cnmmercio que estende ee por toda a ,
Do modo porque o Dr. EmygJio Moutenegro rua onde func,,ona u feira a :livo, abundante
procedeu nao preciso ser medico para escrever e animadissuco. Coala urnas 25 casas de neg
artigos sobre medicina, nen ser baebaret ou en- iCJOi t>lre fazeUas mo|hados, drogas, ferragens
genhe ro para escrever sobre direito 00 en:,'e.- ; e ^Ulnauihdnas.
abana ; basta saber traluzr tan ce* para osero- j \ sua fL.irii que lem ]ugar nos domingos,
ver aprofundadamnti sobre qualquer ramo dus jaiapa bem prvida e concn idissima, e ac.ual-
cunhecimenlos humanos. mate soperior a da E-cada, oque tem mti-
Como pelo dedo se cooheca o gigante, qaaro ; vac(0 uina ta| ou qaa| emulacio, orna eerta riva-
fdzer ao Dr. E. Mo'itenenro o favor de loraal o '. |,ja je mesmo enire os habitantes do povoado
couh'-cido, era agradeceud i a deeza que rae fez ; n.iscenie e os da velha cidade.
e ->ara isso tomo seu primeirc artigo sobre hy i Commumraente os lugares pequeos sao con-
droteraDia. excepto a denico, publicado no siderados como asyto O minga cds discordia.
/urn-i do Reafe de 13 de oul bro do anuo pa.f-1 ypivoado de primavera um piutesio elo-
sado econfronto cora a ligio soure liyJr'.er.pia qUume contra este injusto ju!g;mea:o. que ludo
do Dr. OujarJim Beaumeu, 3' volume da paguu w\ e'mdo generali-a. f"*'-
21 al 27. g ,. verueraute antbese dir se ha ni smo que *
Confr. nto os periodos se.ui.Jamente ; o pn- >0 jrorii0 da-concordia parece baver paralo so-
piros inte/raaneu'.e, quuiio aai ouiros ape.ias :ure eiej deixando cahir goitas de orvalho de
y
mi
o comtco, para nao ser .ooyo nem causar uo]o a j8Ua4 aza3 aija humidis "das regJObs purisfti
' mas (Tbode habita.
O viajante que ahi chcgi encontr logo a mate
franca b coroeal hospialidade, e parece at que
disDUUra a primasia deabrr-
edas quil o veiho Abra-
quera confrontar.
Hydiotkerapia-
De Vhjdrthrapie
Applicada desde a
mais alia autiguidade
commenda
e nao ~j nal
vez mais.
Agpra qaer S. 5. saber 0 quo, blTroiit-i .'
ieneie f Vojcoj ac. nhimeuto d:zer e -J-:
moiistrir.
Affrouia sc.encia foi oque S. S. fez aqu na
l,essoa de se
g
Vi
(u-na s) palavra sua e publicando com 903
signalura.
Aiirouta a sc.encia 10: oque o. o. na a(u. in
,e;soa do seiw collejas ;op ando 7 paginad se
ruidas das lifc.H de cliuica ihcrapeuiiea do D.\
i ardiin U-nnieiz. sera ler de psrmeio orna -
11 ditos de fressuras a 600 rs.
19 ditos de caraaiOus a 5'JO rs.
25 telbus a 2*
lendimento de i a 13 do Crrame
6u0
35800
50*000
239.960
2:917440
3:157,5400
Pregos do dia:
Carne verde de 200 i 560 ris o kilc.
Subios de 520 a 560 ris dem.
Curneiro JetiO a 800 dem
i-arinna Ae 48) a 500 ris a cuia.
Milho le 42 i a -"iOO ris dem
Peo de 860 a 1*400 idera.
Sui .......
Hamburgo
Norte.....
Sul.....
Europ-
Mil......
New-York
Sul.......
Norte.....
Sul......
Sul.......
apwea a catr^r
HEZ DE 1UR.0
... Vdle de Rosario
... Cintra.........
Pura............
,... Alagos..........
___ Ville de Cear.....
... Araucuhia........
... Finance .........
___ Advance........
___ Mandos..........
----- Espirito Santo-----
... Trent...........
IG
i-i
17
17
18
19
19
20
26
27
0
Vapores a sshir
HEZ DE 1IAKCO
intos cese. Ville de Rosario..... 10 as 4h
Sul.......... Para.............. 17 as 5 h
>autos e esc. t'.uitra......... 17 as 2 h.
Fernando___ Jccuhype.......... 17 as 12 h
Xorte....... laos........... i 8 as 5 r.
ul......... Ville de Cear..... 19 as 3 h
LverpOol..... .Iraucania........ 19 as 11 h
Sul.......... Finw.ce........... 20 as i h.
Xcw-York Advance.......... 21 as 4 h
Sul..........Minaos......... 26 as 5 b
Noi te........ Bspi> to Santo..... 28 as 5 h
Soutliamoton. Tre.nl ........'.. 30as !1 b
Sloviiacas? do porio
Nucios entreds no dia 15
B :eaoi-Ayres, e escala11 dias, v..por
i.iglez Don, de 2:'-11 toneladas, comman-
Jante R. iuwasel, e]cipgem 119,
t rgi varos geueris; a, Amo-im Ir
ma & ('.
N^w rk e escala23 dias, vapor inglez
Portaense, de 9-J9 toneladas, comm.n-
d .nte Frederick IIwea, eq^aipagoca 29,
carga varios gneros ;-Joaastoa Paler
A IX
Rosario de S nta F3o dias. barca i;-
g'ez G S. Gordon, de -78 onel..das,
c.pi 2o J^tnea Do.iad, equipagem 1U,
cargo, varios gneros; ordem.
Navio sahidoi no raesmo ata
Lisboa Corveta p >rtuguea Bartholonteu
Dias, coimmandantc c.tpito de mar e
guerra Antonio Furnandcs da Canh,
carga mun c3es de guerra.
Barbados -Lng'r inglez Silocr Sea, capi-
to -Michoel loloeen, cui lastro.
Southamptoa e escalaVapor inglez ( on,
commndante R R.-wssell, carga varios
gneros.
na cu.-a de certas aif.-c-,
Qes a agevi fra, entre-
unto, era'nossos dia
s entrou no domiuo
habitual da therajieuti-
o, depois tos eiforcos
de ura camponez. cu
randeiro, eso iepoisde
sen erapreg emprico
i:\ne frabjlho- ver.la
dei'ament1.! seicniitos
se e^ftarjarara. em ex
plxar or**ffi::.O lixau-
do as iudicacjs das
applica50esd'aa'UA fra.
Em G.-mfer.berg, al-
dea da Silrsia austra-
ca, viva no comeep
d'este seculo um 'al
Pries.-nitz, iuuitober-
vador e utellivie nte,
que uolou a feh; in-
liiencia a'ajjda fia so-
bre os aniuiHi-s cunli i-
dos a s.'u cuidado.
Peasanuo Tic as m)
le.-lias iiiipre^inva m-
te no hora -ai, como fa-
zem os lquidos quando
peiiPtram e n urna os-
punj i, jalgou.........
Ap|ilicoo, pois, u
agua fra na cura di
uaior parte das al-c-
qcs e moddicou suces-
sivaineute os diversos
pro:essos de hydro'.he
rapia..............
Em pouco t em po
doentes de, iodos os
pontos du Bnropa cor-
riam era procura.....
Tal o eanoso come
yo das praticas "y ro-
iherapicas modernas e
que alcan^ou minea
da............. .....
Soraente depois dos
Irabalhos de Scjutle
ten................
Diversos traba I h o s
lem sido fonos n.sics
uitimos anuos sobre a
..cgi do fro e d'agna
fra to pa-licclir- ...
Quando ap^li ca se
ara corpo fro sobre um
ponto da eco ora i a,
quer seja a agaa Ma,
(per S4-ja o gelo. 'eler-
iiOna se penurbacOes
a> systema nervoso ..
Estes nbenumenos
<\) verdideiros confjr-
mc a applicaco ratis
ou menos longado cor-
po :ef'igtrauie.
Applquie des la plus '-s seus habitantes disau
ante aotiquit a la cu Ib i as por as de suas tei
ham, quando recebia b meusageiro descouhe-
cido.
Como nos fuliS.'S lempos palriarr.haes os seus
habitantes vivera como uraa so familia, na mais
ravejavel IVaiernidade, Irabalhandoeada unpara
h
re de cerlaines affe-
Miens, l'eau froide ce
pen lout n'e.st e:ilre.
uatre poiue, daos le
domina Uabituel de la
therapeutique qu'a
suile des efforls d'un
si.iipl^ nay^ai, guiris
seu<- de campaga, el
ce ii'est qn'ttps son
emploi empiique qu-;
des travsas i*ritaWeJ
mfiit sient.ij.i^s se
som effirci d'expli-
qu.-r les .fT-.U et du i
xer les intlicaticns de
ees a:p'',calio n s de
Teaii frotde.
- G rfifenoerg. villa
ge de la Ssi- aatri
chienn?, vivan au co-ra-
nienceuient de ce s :!e
un certain Priessiiii/.,
fort obse vateur el l'ort
mte'.l'.gent, -jni av.at
iv-j-irqu i'heu-e use
i;ll.iei;.:e de l'eau froide
ser es animara condes
a gard.
S'itupgmont que bs
mcladieS :mp vg.iai-'u.'
I'oi un' cou.iie le f el
le- Iq.lides lor^qu'.ls
p i'-.rv-ut dan s u ii e
6p ninv, \\ soatinqne...
I. .ipriqua JOUCl'iBQ
fro.de la c.ire de U
|i!oiiiii des uT 'lio"iS
et il laodilia succes.-i-
V.-m-'Ul les divers pro
cedes de l'ny :roUi.-u-
P'-'!.................
Dteuioto:i vltaeaoa-
nr de U)'H l'-s poiiits
ile l'Europe des mala
des qui vu.ieiH ricla-
m?r.................
T.-l esl lecurioox d-
bit des prainu.-s by-
droiltetapi:}U s moler
njs el qui devait son
ccl.il,...............
D de Scjcueten.........
D; OOTibreux tra
V mX O'it f fallS da-'iS
ees dern Ores annes
sur i'action ao frod el
de l'eaaa frcide.er. p.r-
cn'ier............
L'rsqu'oa ap.iue
un corps froid sur un
point de l'conomie,
noit la place, soit i'eau
froide, ou deterjnme
des p?rlr.rca:ioni doos
le h-ysterae ntr/^ux...
Ces pMfin m n e s
pont cariebies suivant
l'iippticaUon. plus ou
moins longue du corps
lfrigrant.
ijsi, certo, mas entre ajo laudo-ae reciprocamen-
te, unidos p-la m sma idea, movidos pelo mes-
rao aeatiineato o canvurgiodo todo par.i o mes-
mo centro : a feci 1 ule com nina, a paz, a or-
dera t ji piosperulade do lugar que habitara.
E'is'io em graule parte, dev.do ao primeiro
i-i.iailo dVquella localidade, o honra o agri-
cultor apuao Amonio de Lima P.ibeiro, senhor
dos engeanoa l'.ics e do Primavera, era cojas
Ierras aciia-se fondado o povoado, (.00 isso
raesmo proprietario .e quasi urna tere: pule do
syueiiia predial), que, dolado* de u'ii carcter
aitaiuetite probo, de om eorafiao sumeamente
hu.naiilarii), de um genio empit-hendedor e ac-
iivo, e de sentiuici.tos rei'ouiiecidamen.e ordei-
ros e progrossUtas, nao t.;m poupajo esiorcos
oem sacriti:ios pira b s-*a deseuvolvim-uito :ia-
lenal e mora!, procuradlo Bempe man-r a
tranqniil lude do p-jvoaio e a barmouia entre os
si'us hiliitaiites.
Dir se ba que este disuado cavalh '.iro foi o
Uojss escoliido io S nnor pvra con lozr o seu
pov pose da no-'a Ierra da promiasao !
#
Apszar de todas eslas coircoes vantajOfas,
iv que se acha o povoado d Primavera reset-
le-se de urna rabile u.-cessidaue : dt una cusa
de or e:> onde .se fit; i oavir a palavra do Se-
nbor e c-ingrcgueinse es liis m coinuiuoliio
dos seaiiraeotos reiigioso para tleva-no ao
Crea-lor os seus ayranos de amor e ad..i;;co.
m \>j\o sem relgiJu como um baixel sem
bussola nos encapeHados mares da existencia,
a palavra divina p le apuutar-lbe o porto de
salvamento. Urge, po tanto, que os liauilaudes
d.-ssa localidad* e os dignos senhoies il; eoge-
nhos que habitara em suas cumjac ncias, u.i-
dos pelo mesmo scnlimenios, levar.Iem so era
urna r- vonla le pan doUrem o povoado de Pri-
mavera com u;na capilla, e assin terao merec
ilo es justos lonvorts dos sas conn-uiporaneoi,
a udmiruco dos psteros e as benjfies da patria
agradecida.
IV.cif:. 2G le Fevereiro de 1890.
G. A.
i

- 1
L
>


ia '
Variabl. s Ir.Jotido por v, rd.ieir03 altera -t
o sentido do que disse o autor, e muilo ele
gante.
Seguem se diversas outr-s paginas no mesmo
rosto le minando cora a assignatora do Dr.
B'r-y^dio Uonteurgro. sera a manar nota.
Qjem quizer ver a foite dos outros artigos
procure subre o assumpto Kleuy e lami-.u Di-
chambre ; mis o q ii Roa expos.o suflicieute
p^ra qu: se juUu : d* fo ct de. n. S.
P le agora Sr. Dr. Mjntenegro continuar sua
intcrrainavel serie d- ar.isfi*, que eu nao o ia-
terrompo mais, poden Jo di/.e: verdadis e iaver
dad^sT alterar e adulterar os fiC'O, que eu uo
respondo, disirihinlo me de miabas o;cupa
ces.
R cife, 15 de M reo de. 1830
Dr. Joaqiiim Loureiro.
--sS-SCi'
Primavera
Em quaulo antigs e opuleoua capitaes, ve
Ihas k magniflcH cidades, sob agide protectora
dus governos, vosentindo-se como que afro
pbJaoWem sua trplice lo-ci motora de i ;i
progresso e eugmndecimenio, era seu com mur-
cio, im suas artes c rudusl.-u, no recesso paci
tico das solidos, no remanso da paz e da tran-
quila lude, pequeos povoados. que ainda bou
tem nao cram mais do que soladas habitaeO-'s
de modestos lavradore?, Isurgem poj rales de
vida, de actividadu e de progresso.
E' este o caso do povoado, cojo oome encima
eslas leltraj.
Ao lcr-8e-oos snppor so ha, n'este mo.men o,
irraes fazer o par.egyrico da sorrideote deusa
das flores, enlornandu .-obre os campos os seus
llrenles ucafates de Maio na celebraco das
suas alegres testas loraes noj amenos e deleito
sos das da primavera ; nao : nn pnqueno
povoado, que assini se chima, o que neste mo-
ment oxupa, merecidamente, toaa a nossu
attenco ; ura povoado ai.lia uascente, sim, e
pouco couliaci io, raas que nec-ssario qu-: lo
dos conliecam-o, e que raaito carece da pn lee
gao dos poderes pblicos, e muito mais da de
seas proprios bauitanles e circumvisinho3, alira
de que, avancando sempre e.n sua marcha ovan
te no corojo das nac, po^sa uui dia ergner-
se co nivel das grandes cida-ies-
SiluaJo om una zona es.f nJal:rt;.iIe'agrcola,
o povoado de Prima ve a acha-^e pouco mais de
una legna da eslngo de PtXOiras, na comarca
da Cs.:ada. Traz o sen nome .lo anu'go engo
nho que assi-n se chana, hoje de logo me-rto, e
locaado na extrema do povoado
Jamis cidade al una, villa oa povoacio c-la-
beleceu u.uu raais intima harmona com o seu
no.ee co que esie.
Com eT-iio, o viaj ir que por ahi dirigir se, ao
aproximar se desias suavissiraas paragens, sent;
logos pulmOis c ra i que diiaurem-se e u:n ar
pun.ssiipn, a par de urna natuieza alegre, an-
uuaciar llieo bello povoado de Primavera
Si dilatar suas .istas pilas eminencias al.an
liladas de suas cercanas, seti'.e-se logo agrada-
veliuenle sorprendido pela t nurme queda da
co-iMeir'a doU.ub. (*) formada pcias aguas do
rio Ipojuca, que debpeubi mage.-iosam--nie de
urna altura de mais de 50 met'os .-robre urna
vasta baca, de onde esteiide-se depois p do po-
joado, como serpeutes de c-ystal, uderccanUo
aos seus iibitantes fresis lonles > Impidas
correntes onde leslVucU se o mais delicioso ba
nho sombra de frondosas arorcs.
Contando menos de. tres airaos de existencia,
ubraogef urna rea eJili-'-ada de 400 me!, os
(*) Deixamos do esteoder-oos "sobre as belle
zas naluraes desta caciioeira por j havermos
escrpto um pequeo poema com este titulo que
brevemente sera dado publicidae.
Reuniao poltica em 01 acia
Os abaixo assiguados eonvidam a todos
03 cidacUaflf residentes no. comarca de
01i::da, para, s 7 horas d no.te de 20
do corrate, no theatrialio da moaaw ci-
d-.dc, delib^rarem sobre a creacao ue*uraa
aasoeiaeio poltica, de eojformidadj com
as lausu'as em seguida publicadas, i.B
outr&s ij^ue raelboroisntu orem asBca'..
das.
Olais, 11 de MarSo de 1890.
Antonio Estevao de Oii/eira.
Jos Candido (ia Silva Fescoa.
Jos da Oosta Pereira.
E'J&ebio da Cdiilia Boltrao.
Ifenoel do Natcunento F. Castro.
Henrique Gibson.
Oaxco Joi de Mco.
1
O Club Po'.t ico de O'.iada umi as-
sociayao da cidadXos brawleiroj, que sou-
berem ler e escrever.
Seus tins sao : proporcionar o conbeci-
inen:o da marcha dos negocias polticos
dos Estados Unidos do Brazil com espe-
cialidade do Estado de Parnambuco e cu."-
dar tanto quanto possirel da defeza e pro-
teccao dos associados.
2
O club ser dirigido por ama corarais
bo da tres membros deaiguada pelos so-
cios que conipareecrem primeira sessr.o
d>: cr.da mez, mediante proposta de quem
a presidir.




4i



1. As sossoci aer..) pre^iiidaa pelo
raais velho dos membros da directora, do
qual cr ts irclario o mais mojo e the-
sour^iro ostro.
2.* Na auaenci.t do Presidente da di-
rectora serao ai sOsiSas presididas pelo^
thezoureiro, oceupando sau lugar um. so-
cio por elle designado, BOado prcenchida
a falta do s3crctar,'o por desigia;3o do
presidente da sessao.
8
Cada socio, no acto de assignar m no-
me no livro da inscripcao dos associadosy
contribuir com a quantia que fr de Beot
agrado para as despezas sociaes, declaran-
du tambem diante de sua aesignatura com
qunto q;ier conc.iner mensilmente para
o referido fim.
4a
' expressnmeute prohibido no seio da
asscciajiio qualquer inanifesac3o iefensa
a tnn republicana de governo.
5*
Fra das se;30c, que so deverao efle-
ctuir era diss previamente designados, se-
rao resoividoo os negocios urgentes pela
directora, depeudeudo, porni, todas as
prr postas .presentadas neilai da. approva-
S'j da maioria dos socios presentes.
Ningnera ser nomeado socio do club
sem ser aduiittido pela directotia assi-
gnar seu nome no livro do inscripto doa
associados.
-

% l
i,*
r
Horror!!!
S-eilo da casa a. 3 rsia do
Coronel stnassaua
Ilicsaltcenle onuncia-8e o leilao d'^qnelie pre-
dio, que por verba tuslamenjara U-. runcisco
Antonio de MugalhJei Bastos, era testamento
publico feito nocartorio do labellio Herguibto,
onde pode ser visto, foi zo em usufructo per
petuo a abaixo aaeigflada, que levar a rieesa
de seu direilo al as ultimas instancias ;;inda
3uo para isso vt jj se furcada a recorrer cari-
ado publica.
Previne, pois, a juem inleressar possa.
.iccifei 7 de Marco de 1890.
, Antonia Marta Porto.
\>-
4



I
*
,1

-

-
I
-i
' -
:
'. J
"-

*
>
Diario de Pemambuco-Cumiiig
u
LTXi
n
m
S.kio ".sqneado N. 6.091. Secretaria da,
. ', tJ ,.,.. ., .,< .-a senhora retirando se p it.| tel ral nu Pernambuco, la de Marco de 1890.
1 -fin o Phiplnft dirf r;lPr Pt,r. Pt-Jesn se as pessoas de Be ordem do cidado Dr. (befe de policia se
suas relam e aannde oeste Rilada, ped ndo declara pira conne -.menio dos ioleressidos. que
buso r \k e -a'ie toiqu "
m
hwiors, rfutaffet a; s**S
mecido pel
ameradas,
ci o ai i oura b |!-u hiuu e.-fregaudoi
rindo se, rcspondeu Ihc cm verso :
Oh Cunara Ja no quero
Bccb r nc:n um p naco,
I) ito i WbO no retrato
E o veuiere por macaco ou elephiate.
penoaoen i.i ueste E-tad>i : e na capital federal j
j idTfecefa is fcus se vicos como tais tenue
provade sai grattdko.
(b'.i Lanceta).
P. Mafia Pucha.
Le--e no Fgaro :
;QUE ENFERMIDADE JE ESTA QUE Irmanilace Hentlnr Bom Je.us
NOS ACOMMETTE? da. Boro, cm *. Goneal
Como o kdruo que nos ataca noit,! Da ordem uo nosso irmao prcmdor convido a
i ella acommette-nos s oceultas. Os cffigi- jtoJos chariwioo irtnao* a conipa^cerein em
H j. j j nosso consistorio, pctai 2 1|2 horas da tarde, do
dos desta docnca ten dores de peito, de i dia 16 do corrcte) >filD dc eoeorporatos aeoni
: lados e, alburnos vezes, de costas. ,Nao: panharmos em solemne procissao a imagem do
O Xtoc de R gaauld urna prepara '. querem fallar, e sentem necessidnde de 'nosso Divino Redemptor o Senhor Bom Jess dos
co de gas s,ve e de am, eficacia pa- dormir. Percebe-so na boca um sabor d-s- j ^f^ a ,odas as auloridad(,3 ci.
tente c >utra as mule3ti s d -s broncnios e gradavel principalmente pela manljil. Ui; vj, Bi|jtares, para con as mas presentas abr
do pello Seus principios activas s3o ti-'dentes cobrem-se de orna espoefe de nw- j loaoUreio o acto reiroso,
r..dos das plaut s meJicinaes que teaa J teria viscosa; e o appetie desaparece. O; Sv:rearia *hi innandadedo Scnb-jr Bom JefU
pro,:.-. d:ides prf>p"ias pira biiViar e curar Jpaciente sent como que u;i grande peso:da'* ,JiUS-
a to lee. j no estomago, &s vezes, urna anu&o
Bistam duas a tres coleres de Xiropel(}e V;iZIO n0 mesnK, orgSo. Na boca do j
de ILe^nauli para calmar a toase ce irrita estomago ha inuiUi fraquoza; c r. nu^icSfo
Jc, dns con-.tpac/5es, do defluxo epide J n.-.,, ^nnz satisfacuo aiguma Os lhoa
mico, d > catarrho, d* broflenitB, aa MWtltj empaaam-w; c as niSofl o os pos osfriam,
et:., se:n ociasionar psrda do appstite. je onittin.8e viscosob. Alg'tm teimio. a^po.s
Prepari-ss eits producto em casa, de j principia urna tosse, secca no fjssip e
L. Frere. r -a Jac.b, o. 19, em Paris. em segUda com uma expectoracao Csver-
A' venda cm toda i s paarmacia del1, dinhada. O doente queixa-se de um can-
ori^ai, e.m uma ioatrncyaO sobre o me-! c^0nterminavel, e, quando procura dor-
33'
O


3
a
o
C
i
en 5
B a
<> =r. c
- .. 2 Pe? c-
5
qMOb
o de Mr<;o d: 18it0.
*ecretari*v,
lin i: Manoe: ti.rs
O o
O e* <->o S S
a,S2ei 2 W
o
M
53 =
* M
ir 5". g-J

Lcamcn-o. !mir um pouco, nenhum alliviosente. Logo
; depois, o enfermo torna-se nervoso e iras-
civel, e o seu espirito nao v senao tristes
Csame sido do i t. !iaS.-.33io de In- \ presagios. Elle sent vertigensuma es-
CawMtvia. uani do MoMpicio no pece e tontura na cabecaquando se le
?J*Sl5*r"*^t*3 de Mar ivanta subitamente- Ha pris3dc ventre;
Ordem do dia n. 392 a pelle torna-se secca e quente alternati-
Publico paraeonhecimento do b .lUlhSo | vamente; o sangue acha-se espesso e iner-
te ; a cor do branco dos ollios e amarellen-
ta; e a uriaa quasi nenhuma
corada, deixando um deposito do vaso. O
a9ij;ido militas vezes obrigado t. vomi-
, CocupaaxhSa Pea^ai&Mcana- de
.\av"gavo Cos(e>ra por Vapor
D* confuiiiilaile com os es'a'.utOJ em vigor, e
.artigo 15 do decreto di; 7 deJinciro deste nno,
! .-5o (Otivocados os feilicr. s accin i ?Ue de*ia
ccnip.nliij para. reunidiS em assciuMea gtr.il,
s 12 horas da manh fo din 31 do correrte ojez
e oa sede da .nesuia eompanhi.i, tomarem cotlie
cimento das coritas do anuo lindo e fingeren) o
presidente e secretario das asserablvus geraes e"
os membros da directora e da eommissao fiscal.
Escriptono no Hecife, <5 de Mart de 1890.
03 directores
Manoel JoSo de Amori
Arthur B. Dalla-.
Augusto Labille.
1
seguintes
occo ren-
e devidos efieitos as
cas e determina;o3S :
Reformas -Eai vista d* determioacto do
Cidad marjcbal, c immandante das ar ,
mas, en sua ordem do di* u. 19 destacaros alimentos que t
data, so;am excluidos
o cttado efectivo', deixam-lhe na boca um gosto urnas vezes
t amarsrn e outr!>s vezes adocicado. Este
do b .talhao, por le.-em sido por decreto de! amargo e outras vez
., publicado na ordem <> d,a da lieparti estado de coisas o fre
eao d-J Ajudante Oenral n. 3 dc 10,; e palpitacdes do ci
nido do iutz prximo passado.
equentemente seguido
coracao. Enfraquece a
eforma- v'st* do doentf?^ e elle parece ver nodoas
d>s, de conformidades com o decreto n. i1
diante do olhos, sentindo um grande can-
e30 de Ja adro ultimo, o* cida-jcaco e debilidade. Estes symptomas ap-
dbs c pie Manoel Anselmo Pereira parecem cada um por sua vez. Dizem
Gaimaracs, F.-ao siseo Antonio dc Si Bar-i que o terco da nossa populacao soffre da-
r to e A gusto Fredeneo Pereira da C*r qella enfermidade sob alguma das
onte Pi*> Portdgfubz
Asscmbla geraf>
Pelo presente io convidados os eemiore so
} muito cios a se rcunirem quarta feira 19 do corente,
pflas 6 1/2 horas da tarde, para em continuaco
aos traDalbos adiados na sessao de 13 do corren
te proceder se a eleigSo da mes i de asscmbla
geral, directora e commissao de contas. A as
semblea, nos termos da sua mtima resoluco,
funeciona uma hora depois, qualquer que teja o
numero de socios presentes.
. I'residencia da assemala geral, U de Mareo
de 1890.
Domingos da Cunha G. Bocha
fe II
nmm
A' REALISAR-SE NO
Dia 16 de Marco de 1890
Thesouraria de Fazenda
va'ho. Dos^ediudo ms com saudades de
tao briosos companbeiros ds j'rnada, L50
AssSgnafeir.i do contracto
De ordem do r.dado inspector interino coa-
suas vi*10 os abaixo mencionados a virem at o dia
~ 20 do correte, assignar na seccao do conten
formas. Indub avelmente, os mdicos sem- c|oso 0 mAnm parsa fl),-necime^t0 do mal(rjal
pre s enganaram sobre a natureza da cita-1 pre^so rcpartico encarre.ada da cooserva-
'da molestia. Alguns trataram-n-a como 5S0 dos portos, obras geraes e ponte Barque de
votos p ra que no remanso do lar, no,
seiu de siu virtn s.s familias gozem ain- affeccao do figado ; e outros como doenca j mjcmo.
damaitos annos de custenoia feliz, ro- dos rinsjmas nenhum tratamento conse-
deados do nrestgio, da e^ima e conside- guio cural-a, porque o.remedio dcvia scj
!he"3 do direito os susceptivel de obrar harmoniosimente so-
rasSo publica, u ques .
longos annos de serico* prestados & noa-jbre cada um daquelles orgaos, e tambera
sa querida patria com inexcedivl dedica-:'
ei'i e esforz.
Lou cor Lo 1 "o
Nos casos de Dys-
I pepsja (sendo este o verdadeiro nome da
estomago.
Aii:emo
capit2ei e
- I il
ent'ermidade) todos os citados orgaos desor-
e prac6am dt
obrar sobre to
ans cidauflos
Pereira Guimaraes e'denain-se ao mesmo tempo, e pracisam de
Fr njisco Antonio da S Burrero peioj uma medicina que possa
zb, i'-telgeocia e deriieacSo com que l dos elles simultneamente. O Xarope
cx.rcoram, este as finches de ojalante, I Curativo de Seigel produz um effeito ma-
e aoaelle as de fi*eal do b U dhSo S,co cm esta class. dc padccimentos dando
(Aseinnad") Feliciano CaUapm ifonteiro um
MAo teaente coronel commananta.
O Dr. Bastos de OJiveira
dar, onde pode se- procurado todos os
i'.ias iitcis di 12 as i) horas da tarde.
Chama los a qualquer hera cm sua rcs;
dencio, i r-is do Hosnirio n. 46.
lVI-pfcore n 365.
allivio quasi inmediato. O Medica-
mento vende-se por todos os Pharmaceu-
ticos e Boticarios do mundo inteiro, e pe-
los roprictarios. A, J. White (Limited)
17, Farriugdon R.ad Londres E. C. In-
glaterra,
tem o sisn consultorio nisdiCO-cirurgico Depositarios na provincia de PernambR-
ruado Marqu.n de Olinds, n. 1, 1. an- co por atuendo: Franc.scoM. da b,Iva& C.
na cidade de Pernambuco.
Vendedores rctalho, na cidade de
Pernambuco, Bartholomcu C, J. C'. Levy
& C. A. M. Vera- & C. Rouquayrol Fr-
res, Faria Sobrinho C. e T. S. Silva;
em Palmares, A. O de Aguiar; e em 8.
Jo5r> da Igreja Nova, J. A. da Costa e
Silva.
ll(
leuoiao
Temos a honra de convidar aos bahinnos re*i
deoti-fi nesie Estado, sem distinccio dc classes.
pas uai.i reaniao aim de tratar se deinteras-
,-es do E-lado Ja flha, no dou.ingo 16 do cor
;< ute, s li oras do da, 1:0 n 63 a toa Kova.
Dr. Jj.-c ioaquira eabra.
Dr. Pranc Jes Gomes de S. Pitar.ga.
To:::az Uuerreiro dc Cauro.
Herma dt
Cabera de negro
Elixir sedativo e ant.
do phfYiuacvutieo
! treira.
SEU UEICCRIO
Apvrovzdo ptl'i Inspectora Geral de
Hytjie.ne
Efcte poroso md.c-mento j bem co-
ihocido ha mais de 10 annos e cujos ina-
ravilhoeos < ffeitos ten sido attestadoa por
snuitos medie >s e numerosos dotntes, cura
radicalmente os khkma isuos, icsysi-
1T.LAS, SYPIHMS ESCUFC.AS -e todas as
mo!es:aj qae teem por ongem a mpuresa
do sasgu.
O verdadeiro e mais aatigo Elixir de
abeQa de negro o da formula do phar-
m.cuco Hermes de S.uza Pereira, e
para garan'ia dos coesunn^ares traz elle
em scus rctu'.os e euvalueiroa o retrato do
tutor.
Vendo bc a varejo em todas j.s pnar
maciflS e em atacado na pharmacia Fer-
n.ra, sraca de Macici Pmheiro, n. 19,
(.; itigo d. ''onde d'Eu, e na drogara de
Fr r.c:i c Minoel d;i Silva & C, ra do
M'.rqiuz dc Oiiada, n. 23.
Quastas remes acaaleee!
Uma pessoa moito conceituada, roora-
doura na cidade de B*g (Eio Grande do
Sal,) acbou 6e gravemente doente do peito.
Foi chamado, para a tratar, o illustre
Dr. Penna, e mais tarde, o tarabsm illus-
tre Dr. Albann.
O doente cada vez .ficava pcior : a mo-
lestia, zombando do trat-ment medico,
scgiia seu fsoestn curso.
Uma pe-soa da familia, tmdo confisca
""^(no Peitoral de C,mbar, desoberta d, J.
de Souza Soars, do Pelotas, lembrou ao
mdico a sua applicacno.
E.-t:, pnrm, quo talvez nao conheces-
se, por experiencia propria, os effdtos de
to suberaco rem-.dio, recusou so a recei-
tal-o, continuando oin outras appcatoos.
Vendo ss que o doente nada aproveita-
va, e que a inorte era inevitavel, m>n
dou se, em segredo, comprar um vidro do
dito peitoral e o doente principiou a to-
rnar o novo remedio e a mdhurar, e no
um de algum tempo achava se complsta-
niente rest ibelecido!
Utn bogtnse.
Z&~*
Comptoir Iadustriel Fran-
jis .
AlaisaA F.'aaco Blrasileiro
O director I" loaustrlel Frangs ten)
: vrfa de nw viajero, de soicitar a
otes ios ouaes dar couis djs
:.!as e iiif Tinar sobre a spp
raneo Brazildm em va de \n-.b 1
.un: Pifis na imprenta ChaJs 4 ':.
& ,,,; : es:or aberto das 10 hera- da m-
olil as i da t:.rile.
Ree; 13 -- Marco de 18 0.
Ftodrippe de Soczi.
Paranagu
O honrado eidaeao Sr. Joaquim Sonres
Gomes, vicecnsul de Portugal e' Ingla-
terra, em f'arar.-g.i, Tratando da Cura de
uma bronchite d^ -roau carcter, em sua
esposa, diz o seguate:
... Minha muihr 4chs-se psrf^itamen-
te restbale rida de sua grave enfermidade,
com o uso de quatro vidros do Peitoral de
Cambar, teudo antes experimentado, sea-
pre inutiimentc, tolvez cincoenta remedios
diversos.
Joaqnim Soares Gomes.
(A firma esta reconhecida.)
Jos Rufino Climaco da Silva.
Francisco Manoel da hilva 4 C.
Antonio dos Santos Oliveira.
Francisco Gomes da Fonseca.
Bellro Costa.
Guimarcs & Valcnte.
Manoel da Silva Fana.
Jaaquim Alves da Silva Santos.
Joo Walfredo de Medeiros.
Joo Monira de Araujo Uvramento.
Antonio Rodrigues de Souza & C.
Ferreir. Guimares A C
Vicente Fern ira de Albuquerque Nascimenlo.
Miranda & Souza.
Medeiros k C.
Manoel Thomaz de Albuquerque Maranbo.
Companhia de Edificagao.
Thesouraria de Fazenda do Estado de Per
nambuco, 13 de Mirco de 1850
secretario.
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna
Sactecta renle Hert-ieiroo
A directora d'essa sociedadfetera a nonra de
convidar a lodos os;mer;ieiros s?este mnaicipio.
para se reunirem no dia 18 do correnle. ao meio
dia, na ?.de da mesma ra Eslreita do. Rosa-
rio n. 11, am de trntur se de assomplos de
coramam interesse, e sobre tudo o que u( res-
peito a impostos.
Secretaria da directora. 16 de Margo de 1890
Joaquim Mara,
! secretario.
Club Militar
SSe convidados todos os oEciaes do
exercito, armada, honorarios, retomados
e classes annexas a comparecer no dia 19
do correte, s 6 horas da tarde, no Ar-
senal de Marrana, para approvacio aos
estatutos do mesmo Club.
Recife, 15 de Margo de 1890.
0 1. secretario,
Tamborim.
.. .
di
DWe a re*
do AlmaooK
Col egio
de
r
i
s.
d?
^*
Penh
PARA O SEXO FEYJN1N0
ob a trceco de Ausuwia CarneIro
i ida Aurora o. 37
Segundo andar
O Coiselho ('a. Intendencia Municipal da
ci.lsd de Onda e seu termo, em vir-
tude da lei, etc.
Fue cousUir a qiem-reteresp^r possa, one foi
nsolv do em ses-ao dehoie. qcedeja dt. em
din c os O^nugBCI ?P':o f.-h::dO- as 2 horiis da
tarde, sob pona i*30CQU nareln.-d^ncia Ibaedo exp-etsaaeote prohi-
bi a a venda (fe carne dejioii d-sla hora ; e a
mi tanca sari feita das 2 i 6 hjras da larde,
sobas mermas pena3
E para que cliegue ao ccohecim'n'o de todos
manjou publicar pelo Diario eaxar nos luga-
res mais publi.'os desta cidade.
Pac da I ileodeoeia lutit'.ipal de Olinda, 13
de marco de 1890. .
Qr. Albino G. Meira de Va?concelIus,
Presidente.
Jos Marcolino da F. Manguinho,
Secretario.
Loluuiii Orphaioligica Santa
Isabel
De ordem da directora
desta colonia, previne-se s
mais ou tutores dos meuores
despachados para serem re-
co'hidos n'este instituto, de
nao os apresentar seno
quando forem chamados por
annuncio publicado nesta
mesraa folha.
Colonia Orphanologica
Santa Isabel, 15 de Marc,o
de 1890.
O secretario,
Francisco das Cf Campos.
Emprza o fian
Avisa aos Sre. consumido-
j-esque aa a^isencia tempo-
raria do gereal.e Sr. George
Windsor os recibos nos ta-
loes carimbados serao assig-
nados pelo Sr. encenheiro
Samuel Jones.
Vreneravel irmandade do Se-
nhor Bom Jess dos Pas-
sos
Pelo presente convido a todos os nossos ca-
rissimos irmJos a comparece1 em no convento de
iv S. do Carmo. sexta feira 21 do cor-ente, pelas
3 horas da tarde, am de ncorpoiados, a^om
pacharmoa o nosso divino padroelro em sol ne
pross&o, para nossa sede, matriz do Corpo
Santo.
Recife, 13 de Marco de 1890.
O escrivao,
Odor ico da Cmara.
Komes

e
a
a
Pello*
\11t11ra
lid.
Cor da vesti-
menta
Proprietarlo*
1." Pareo-Conwoiaciio800 metrosAnimaes de Pernambuco que no tentam ganho
no Derby em 1890. Premios : lodiOOO ae l..30 ao 2." e lo000 ao 3..
Fox.........
Mouro.......
Maurity.....
Djerid.......
Tupy.......
Despota.....
PomboPrelo.
Phariseu.. ..
Turco 2......
Alazio.......
Gaslanlio. ...
Alazo......
Baio.........
Rodado .....
Preto Cixilo.
Clstanho. .
Aluzao......
Pera...... 35
5o
5o
55
00
* 55
57
57
B 57
A:ul e branco........
Encarnado c ouro___
Encarnado e azul ..
Lyrio e ouro.........
Encarnado e branco.
Branco e bonet ene...
Prelo e amarello.. ..
Preto ene. e ouro
Lyrio e ouro........
Coud. Esterlina.
Joo Ferreira Costa.
Francisco H. do Valle.
Jos E. de B. Costa.
Francisco C. Resende
Henrique J. Perman.
Coodelaria Victoria.
Eduardo F. de Paiva.
Jos Ferreira de Moura.
5. PareoPrado da Estancia1.800 metros Animaes nacionaes al meio sangue.
Premies : 300*000 ao 1, 60000 ao 2." e 30*000 ao 3-
Fluminense.
Gallileu.....
Cometa.....
13 de Maio..
Favorita.....
Minerva.....
Alazo...... S. Paulo... 56
m 56
s 56
Preto....... R. G. do S. 54
Zaina ...... Rio de Jan. 54
Douradilba.. S. Paulo.. 50
Ouro e preto........Joaquim da Rccba
Preto e ouro........Coud. Fraternidade.
Azul e ouro........ A C. de Albuquerque.
Verde e amarello.... Coud. Independencia.
Azul e ouro..........I Antonio Ramos.
Azul e ouro........'Coud. Cruseiro.
3.# Pareo -Experiencia-800 metros.Animaes de Pernambuco que nao enbam ganho
nesies seis mezee nos prades do Recife. Premios : 150* ao Io, 30 ao 2* e
15 ao 3.
Roldo......
Corsario. ..
Tury........
Maurity......
Manbondo...
Bona parte...
Rio d'Ouro..
Hercules
Dublin......
Cacador.....
Bnnquedo. -.
Porto Alegre.
Perdeu......
Lucifer ....*.
Baio........ Perc...... 53
Rodado .... * i7
Melado...... H
Castanho 55
R. foveiro---- > 55
Rodado,...... 53
Russo..... 55
Rodado...... J 55
a 57
* 55
Foveiro...... 55
85
Alazo---- a 55
Kodado...... j> 57
Azul e branco.......1 Jos F. do; Santos....
Rucado............Joaquim F. da Silva.
Branco. ............Antonio J. Pereira.
Encarnado e azul .. I Francisco H. do Valle
Antonio P. deCarvalho
Grenat c ouro......
Encimado e branco.
Verde e amarello.....Jos Caetano Pinto.
...................Henriqe Gibson.
Preto e amarello.....Coud. Martinha.
....................F. Lopes tfeis.
Branco e encarnado, i Antonio D. Correia.
* > Antonio S. Raposo.
Prelo e ouro.........Antonio Ucjia.
Joaquim L. da Silveira.
Antonio Fernandas T.
i.1
pareoPraaperidade909 metros. Animaes de Pernambuco que nao tenham ganho
em maior distancia uo Derby em 1890. Premios: 200*000 ao Io, 40* ao 2o e
20*000 ao 3."
Cauby......
Village......
Ida........
C0I0S80......
5j Tupy........
Sj Turco 2*.....
7| Phariseu
5." PareoInternacionall.iOB metrosEguas esttangeiras e ravallos que. nao tenham
gkUiio nesles ltimos 4 mezes nos prados do Recife. Premios: 400*000 ao 1.*,
*0* ao 2. e 40*000 ao 3o.
Castanho Pern...... 59 Azul e encarnado
Mellado...... 57 Encarnado e amarello
Rodada ... - i 57 Lyrio e ouro........
55 P e bonet encarnado..
Balo........ 55 Encarnado e branco .
Alazo...... 55 Lvno e ouro.........
Castanho.. 57
Alfredo Marques.
Jos loacuim Das.
Coudelaria S. Jorge.
Coud. Republicana.
Francisco C. Resende.
JosF. de Moura.
Dmdon.
Africana...
Zngara
Coupon
Irene......
Preta.......
Zaina.....
Costeaba..
Aluzao......
Inglaterra
P. da Prata
Inglaterra.
hiunca.....
Inglaterra.
49
58
54
56
56
Escarate e ouro.....
PietO e rosa.........
f escarate em listras
Encarnado e preto..
P. escarate em listras.
Coud. Alltanca.
Coud. Paulisla.
Coudelaria Temeraria.
Dr. J. E. de C Fonseca.
Coudelaria Temeraria.
6. Pareo Estado de Pcrnambaco-900 metrosAnimaes pungas. Premios: 200* ao
;,o 2- e 0* ao 3.
Delegado ..
Aimary...-
Pkamon ...
Templar....
SlCorga 2o....
6|Facira.....
Cpstanho..
Alazo-----
Castanho.
Rodado. .
Tcrn..... 55
* 57
- 59
57
55
53
Grenat..............
Violeta e ouro........
Rosa e preto........
Branco e azul ......
Grenat e preto.......
iLyno e ouro........
7. PareoSnpplementarl 100 metrosAnimaes de Fernsmluco.
I, 40* ao 2o e ?.0 ao 3o.
Jcaquim M. Mnriz.
F. Siqueira Bastos.
Coud. BePa-Vista.
Carvalho t Pereira.
Jeito B. dos Santos.
Joaquim C. da Cunha.
Premios: 200* ao
Vilhge......L
Qssowo......4
Mouro.....
Sans-sooci
Talispher.
iMelIado.....
Hodado .....
alss&o.
Baio........
iRodiido......
Pera-
55
55
55
55
55
Encarnado e branco..
P. e nonet encarnado.
Encarnado e ouro
Ouro c branco......
Ene. branco e preto..
Jos Joaquim Das.
Coud. Republicana.
J Ferreira da Costa.
D. A. L. L. de Mattos.
JosN da Silva.
Os animaes inscriptos para o Io pareo devem achar-se no ensilhamento s
9 Ii2 horas da manh
O .rimeiio pr-ieo ser reaMsado ta 11 hora, imprete-.ivelmente.
Os forfaits s terle recebidos tc mlbadc 15 do eerrente, at 3 toras da
twde.
O expediente desta corrida encerrar-se-ha sabbado, 15 de Merco de 1890
4* 3 horas da tarde.
O SECRETARIO,
Jos de Oliveira Castro*.
Banco de Crdito Real de
Pernambuco
Segunda "praca
Edifat n. S8
Pera inspectora desta Alfandesra se faz publi-
Era cumprim?n'o dos SS 9 e 12 <'.0 art. 83 dosjeo que -s 11 horas do dia 17 do eorrente mez,
es'aiotos e das disposi Os do dtereto dt 17 aejserao arrematadas porta desta repurtico, as
Janeiro de 1890, i.'ivocaaios aosHeOborea aecio-
iii>tas a reunireiuse em asscmbla eeral orci-
naria, no dia 28 do correnle mez, ao meio d:a.
era urna das salas da tesOrriacao Comroer,-ial
Be.neflce le, afim de. ihns ser presente p relato-
rio das operacoes de anno bkncaria lido em
31 de Dezcmbro de 1889, acompanhado do pire-
(*r da commisso fiscal e proceder se a aleico
desta, do presidente, vicepresidente. 1- e2
secntarios da assemhla eral, e bem assim dos
ovos membros da adtninistraco para o bien
nio de 1890 a 1899.
Recife, 12 de Marco de 1890.
Os administradores,
Manoel Joo de Amorim.
Antoaio Fernandos Ribeiro.
Luiz Duprat.
! luercadorias abaixo declaradas :
Arraaaem n. 5
Marca V, umacaua n. 1. vmda de Liverpool
in wpor inalez Acto-, entrado em 10 de Abril
de 1889. consumad* u W. Vanghord. contendo
cigarros medtciaaes, peseodo 10 k'logrammas.
Armazem n. 6
fcuiz G. da Silva Pinto, un.a caisa sem nume-
ro, vinda de Soutnamoton no vapor ioglez Elbe,
em 12 de Maio dc 1888, contendo livros miares
sos pa-a escripturacao, peso liquido 80 k:Io-
grammas.
Marca SC&C e contramarca f, uma caixa n. 1.
idem no vapor inglez La Plata, em 4 de Abril
idem, a ordem, contendo cartas em baralho para
jogo, peso liquido legal 207 kilogrammas
Marca diamante, 637 no centro, uas caisas
ns. 10/11, idem no vapor inglez Tagtu, em 24 de
Fevereirode 1887, ordem, contendo carbonato
de magnesia alva, peso nos envoltorios 50 kilo-
gramo s.
Uma dita n. 3, idem idem, contendo carbonato
de. amoniaco em latas, peso liquido legal 104
kilogrammas.
Uma dita n. l, idem idem, contendo ungen-
tos medicinaes em potes de barro, peso liquido
legal 3 kilorrammas ; plalas medcinaes em
caixinhas de madeira, peso liquido legal 1 1/2
kilogramina ; s 1 margo, peso bruto nos en
voltorioi 25 kilogrammas ; emplastros entend
dos vesitatorios, peso liquido 2 kilogrammas.
Marca diamante, 637 no centro, umj caixa n.
13, idem, contendo magnesia calcinada ordina-
ria, peso liquido legal 4i ko2rammas.
Armazem n 7
Marca MSC, uma caixa sem numero, viuda
de Live.rp.xil no vapor inglez Eductor, em 31 de
Maio de 1889, & ordrm, contendo dpus quadros
com molduras de madeira, simples, pesando
dois kilogrammas.
Marca EB, dez voluntes de madeira ns. 1/19
de Liwrpool idem idem. nao consta do mani-
fest, form iodo nm carro e seus pertences, para
conduccao de a38acar.
3.* seceoda Alfandega de Pernambuco. 14 de
Margo de 18900 chee,
_________Domingos Joaquim da Fonseca
Faculdade de Direito
For esta secrerrria fago publico, que o direc-
tor desta Faculdade, autorisado pelo cidadSo
governador deste Estado, reso.veu que d'ora em
diaiite aera conferidos os gr03 de bacharel em
um s dia a todos 01 hacharelaodos, ou por tur-
mas, nos das que pelo mesmo Sr. director fo-
rem para isso designados, como for mafs con
sentaneo regulardade e ordem dos trabalhos
academices, e quanto for possivel de accordo
com os interessados.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife,
15 de Marco de 1890 O secretar \
Bonifacio de Aragao Fai Roclia.
Derby Club de Per-
nambuco
De conformidade com o art. 15 do decreto n.
65 de 17 de Jaseiro ultimo, sao convidados os
senhores accionistas para se raunirem em as-
sembla geral no dia 31 do eorrente, ao meio
da, na secretaria, a ra do Imperador n. 22, I*
andar.
Secretaria do Derbv Club de Pernarabnco, 15
de Marco de 1890.-0 secretario,
________ Jos de Oltvetra Castro.
Companhia de Segu-
ros Amphitrite
A direegao da companhia Amphitrite convida
aos senhores accionistas a reunirem se em as-
sembla geral no dia 27 do co-reote mez, no sa-
ino da Associag&o Commer;iai Beneficente, p;ra
apresentar-lhes o seu relatorio. contas e o pare-
cer d 1 commisso fiscal. Recife, 12 de Marco
de 1890.
Os directores,
A. M. de Amorim.
M. J. da Silva GuimarSes.
Joquim Oin'o Basto?.
Consistorio da 1 eneravei contraria
de N. S. do 1. i trmenlo, em 14 de
narco de 1
De ordem do nosso irm5o juiz, convido a to-
dos os nossos irmSos coafrades a comparererem
em nosso consislorio domingo 16 do correte
s 2 horas da tarde, atim deencorporadosacom-
panharmos a procissao do Seobor Bom Jess dos
Pobres AfCictos, a convite da irmandade do Se-
nhor Bom Jess das Dores de S. Goncalo.
O secretario,
Thomaz de Oliveira Lopes.
Santa Casa de JV[isericordia
do Recife
A junta administrativa da Santa C-sa, em sua
sesso do dia 18 do eorrente, recebe propostas
para a reonstreccao do predio n. 44 da ra
Ma quez de Olinda em tudo igual ao que Ihe
fica contiguo, sob a. 42 com excepcSo somete
do sotao e do forro o 1* andar, que sSo^apen-
sados Ser preferida das propostas que forem
apresentadas. aquella que for mais vantajosa aes
interesses da Santa t;asa.
Secretaria da Santa '"asa de ilisericordia do
Recife, 5 de Margo de 1890.
O tscrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Companhia
DE
Fia gao e Tecidos de Per-
nambuco
Sao convidados os senhores accionistas a com-
parecerem no salao do predio da AssociacSo
''ommercial Beneficente, s 11 horas do da 19
do eorrente, pra cons'.ituirera assembla geral,
alim de ser presente o relatorio de conformidade
com o art. 23 dos estatutos, e elegerem a commis-
so fiscal, mesa de assembla geral e directora,
como dispe o 9 do an. 27 dos mesaros es-
tatutos.
Recife, 13 de Margo de 1890.
Os directores,
Manoel Jos da Hlva GuiraafrSes.
Jos Joao de Amorim.
Jos Adolpho Ridrigues L;ma.
CRADE~CERVEJARIA
E
Caf Jardim
DEPARTAMENTO DA FABEICA
ULTIMA NOVIDADE
Gerercia do servido latero
Madame Dreher & C.
Re taurant
Jogos variados
Bebidas geladas
Almocos
Jantares
Ceias
Lnnch Room.
Precos mdicos la cafte
Todos os dias
de 6 da manhS s 11 boras da noite
Msica as noites previamente annunciadas
Domingo, 1 de Mareo
Solemne inaugurado de uma
VI4GEM AERIA
Em que podem tomar parte a melbor
sociedade desta cidade, como acontece
as principaes capitaes do mundo civili-
sado, e quo na
Capital Federal
Obteve estrondeso stiecesso
Os proprietanos oeste vasto ests^eleci-
ment industrial e recreiativo, conscios de
q-ie elle o nico em seu genero capaz
de bem ratisfazer a qem_ htnrat o com
sua frequencia, convhiaji o respeitavel
publico a visita! o, onde por certo encon-
trar o melhor acolh ment e desejavel
conforto.
Em construceao, anda !
UM DOS MAIS UTEIS KECRE108
Escola de Tiro!
AO CAF JARDIM!!
A' NOVA HAMBURGO !!!
Briosa Moeid-de Pernambacac



Si
A


1 *'

)
i



rir~^
f


>

l
" J

4

I
Diario de PernambucoDomingo 16 de
it
se-
de
saceos para coar caf, metros
eofiar metro
50
Arsenal de Guerra
O conseibo de compras deat3 Arsenal, recebe
ropostas oo da 18 de' Marco correte at-
giras da manh, para a compra dos artigos
tintes :
Igodaosinho com O-,81 de largura, metros,
8.574.20.
Algodao naneado para fabrico de aventaes
cosinbeiro e
2O-,60.
Algodao riscado para caigas de
582-.80.
ilo zuarte metros 60",2o.
Baeias encarnadas, metros 11*,98.
Barretes d'algodio, 236.
Ditos de a, 136.
Bonets de servigo interno, 1100.
Briiu escuro de linho traogddo. metros 163,25
Bonets com galao para musios, 27.
Baehlha para suecos de cartuchos, 144.
Balan ca de cima de mesa, 1.
Bandejas de folba para farinha, 32.
Barias pequeas de rame para curatiTos, 3.
Banbeiros grandes de folba dobrada para ba-
nhos geraes, 3
Sle de louga para amostra de rancbo, 1.
ieiras de Jacaranda de guarnigo, 17.
Ditas ditas, de braco. 2
Caldeira de ferro batido para 50 pracas, r
Dita, dita, para 100 ditas, 1.
Chapeos de Braga com fita e legenda, 4.
gJ>erores de la encarnada, 207.
ecos ou cocos de ferro estanhado com cor-
rentes para tirar agua, 25.
Colheres de metal para sopa, 302.
Bitas ditas para cha, 60.
Charlateiras para msicos pares 27.
Caixas de folha para amostra de rancho, 2.
Chicaras e pires de louca, casaes 76.
Coo:has de metal para terrinas, 16.
Sitas pequeas de metal para assucar, 8.
licaras e pires de metal, casaes 42.
Ssteiras de tab ou palha, 10.
Frigideiras de ferro estanhado, 4.
Funis de folba, 2.
Galo ptateado de 2 frisos, metros 38-,88.
Kto dito de 1 friso, idern 4",32.
tonga encarnada, metros 26",50.
travatas aecouro envernisado, 1100.
Lata de folha para caf, 1
MarmitOes de folha para conduego do rancho s
guardas, 12
Machadinbas encabadas, 2.
Molheiros de louga, 8.
kados para mezas de rancho, tendo cada um
5",50 de corapnmento, 8,
Pratos de louga fundos e razos, 21B
Bitos de ferro agatha fundos e razos, 11.
Panno azul grosso, metros 5",28.
Bito msela para fardamentos de msicos, 80,-50
Petos de latao de 1 a 1000 grammas, terno 1.
Bitos de ferro de 500 grammas a 10 kilos, ter-
no 1.
Pratc s fundos de metal. 42.
Pilo pequeo de madeira, 1.
Sap.tos de couro de bezerro, pares 1100.
So peiras, 8.
Sacea rol has, 1.
Tamancos, pares 12.
Tigellas de louga, 5.
Talha de barro com torneira, I.
Talha pequea de barro, 1.
Iravesseiros ebeios de palha, 4.
Terrinas de ferro ou agatha, 8
Toalhas de algodao trancado com 5.o50 d eom-
primento para mezas de rancho, 4.
nas de folha para caf, 8. _- __
im branco liso para caigas, metros, 275,m00,
Panno escarate francez, metros 6m#0.
Observagoes
Nao sero tomadas em considerado as pro-
postas que nao forem feitas de accoi do com o
art. 6i do regulamento de 19 de Outukro de
l|72, em duplicata com referencia a um so ar
tigo mencionando o nome do proponente, a in
dicago da casa commercial, o prego de cada ar-
tigo, o numero e marca das amostras, declara-
cao expressa de sujeitar-se multa de 5 /. no
taso de recusar se a assignar o contracto, bem
como as de que tr>tam os artigos 17 e 68 do ci-
tado regulamento.
As amostras relativas s fazeudas cima acham
ge nesta secretaria para ser examinada* pelos
proponentes que devero apresenlar as demais
propostas.
Os p razos que forem concedidos pelo eonselho
sero improrogaveis.
Secretaria do Arsenal de Guerra da Estado de
nambuco, 10 de Margo de 1890,
O secretario.
Jos Francisco Ribeiro Machadt
Secretaria do iymai -rni.mb.i-
f-anu. em i !' arfo le IO
Fago publico pelo presente edital, que nesta
secretaria recebem se propostas at o da 20,
M meio dia, para torne !ento dos objectos
ecessarios ao seu expediente, conetanies da re-
taceo em seguida transcripta:
livros em branco de papel Jess, eom 200 fo-
lhas, um.
Bjtos de talo, impressos, com 100 folbas, dem.
Papel almago pautado, resma.
B9todito liso. idem.
to rosado pautado, com inscripfo, idem.
lo Jess, pautado, folha.
to mata-borrao, inglez, idem.
tveloppes para officios, com e ser intcripgo,
cento.
Bitos para cartas ofciaes, idem.
Juta negra Blue Blak, frasco,
finetas lina, duzia.
Pennas de Perry, caixa.
apis pretos, Faber, duzia
garras de metal, caixa.
mma arbica liquida, (rase*,
niveles linos, um.
.astas para escripia, urna.
Kaspadeiras de ago, urna.
Barbante grosso, libra.
Bito fino, dem.
O secretario,
Celso Trtuhan f. QmMt.
Estrada de ferro de Ribeirao
a Bonito
Ase_rt>la geral rdlnarla
Nao tendo comparecido numero suffi-
iente dos Srs. accionistas, na reunio con-
rscada para hoje, atim de ser lido o rea-
torio dos tca -s, o bataneo mais docu-
mentos dag operares do anno findo e de-
Kberar-se sobre o augmento do capital,
muira* qneficara adiada por depender
de parecer dos fisca;s, de novo convida-
mos os Srs. accionistas a comparecerem no
da 18 do corrente, s 11 horas da manha,
eacriptorio desta empresa, n. 74, ra
Duque de Caxias, certcs de que, em face
do disposto no $ 4*, art. 15, do decreto
de IT de Janeiro do corrente anno, a reu
iio peder deliberar seja qual for a sorn-
as do capital representado p- los presen-
tes.
*ecife, 12 de Marco de 1890.
Os directores,
Jos Beliarmino Pereira de Mello.
Sebaatiao Alves da Silra.
Francisco Lopes Guimar&es.
fcpro
Companhia
DI
is Ph nix
Mes termos do art. 50 | dos estatutos sao
sonvidtdos s seohore- accionistas para a ees
sao ordinaria de assemblea geral que devera ter
logar no da 26 do corrente, ao m-iodia, no
aUo da A -o ago Commercial Sene ticen te.
A sfs*o tem por Um tornar effectivas as dis-
soeige tutos. Pernainbuco. 11 de Margo de 1890.
0 a (ministradores,
Luis Duprat.
Mai oel Comes de Mattos.
Usaoti da lilva Maia.
SociedadeRefinaria eDistil-
lac,ao Perhambucana
Sao convidados os Srs. accionistas, a realisar
a 4* entrada de 10 0|0, equivalente a 204000 por
aegao, at o dia 31 do correte mez, conforme
os artigos 8 e 9 dos estatutos, no eseriptorio do
Exm. Sr. thesoureiro Bario de retrolina ; entra-
da pela roa do Torres n. 48. 1 andar.
Recife, 15 de Margo de 1890
0 presidente,
Joo Fernanda Lopes.
co
ANUA PEINA
l'CA.\A
MARTIMOS
Pacific Slearn ISavigation
Compajrv
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Araucania
Espera-se do sul at o dis
19 de Margo e seguir
depois da demora necess
ria para Liverpool em direc
tura.
Recebefctrga, encommendas e pas3ageiros de
todas as cllsses aos quaes offerece excellente2
accommedagoes
Para carga, passageiros, encommendas e di
heiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons & C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
CHARGEURS REUNS
Franrera
Cumpanbta
DE
MavegacSo
Liiha quinzenal entre
Pernambuco, Baha,
3antos.
OJvapor
Ville doCear
a vapor
o Havre, Lisboa.
Ro de Janeiro e
Macei,
Commandante Lainev
E' esperado da Europa at o dia
18 de Margo seguind o depois
da mdispensavel demora para a
Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pele;
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
le 6 das a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamagao concernente a volumes que
aorventura tenham seguido para os portos do
mi afim de se poder dar a tempo as provi-
iencias necessarias.
Expirado o relerido prazo a companhia n&o se
-esponsabiiisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di
ahsiro a frete : trata-se com o
AGENTE
Angoste Labille
9RA DO COMMERCIO-9
COMPANHIA PEBlVAsnUCAX
DE
Vavegaco ostelra por Vapor
Para Fernando de Noronha
O vapor Jacuhype
Commandante Esteves
Segne ne dia 17 do corren
te s 12 horas da manha
Recebe carga at o dia 16.
Passagens at s 10 horas do dia da sabida.
ESCRIPTORIO
lo Caes da Companhia Pernambueana
n. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Para
C immandante Antonio Ferr ira da Silva
E' esperado dos portos do nor-
te ate o dia 16 de Marco e de-
pois da demora indispensavel
seguir para Of portos do sul
iiiiiueudas sero recetadas no trapicht
B rbosa at 1 hora da larde do dia da sahidii.
Para carga, passagens, e ncommendas e valo-
res rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Alagoas
Commandante JoSo Mara Pessoa
E' esperado dos portos do sol
at o da 17 de Margo e se-
^uindo depois da demora indis-
pon s a ve! para os portos do nor-
te ale ManauB.
As encommendas s serio recebidas na agen
:\i at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo
es trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
X andar
timriMlU l'KHXAMB! UM
DE
aTegaco costelra por vapor
PORTOS DO SUL
Hacei, Penedo, Aracaju' e Baha
O vapor S.Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 28 de Margo s
5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 27.
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
it as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCR1TTORIO
o Cae da Companhia Pernambueana
n. 12
United States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E' esperado de NeirYork-
at o dia 19 de Margo
o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
B ibis. Rio de Janeiro e Manto.*
Para passagens carga, encommendas e di-
heiro a frete. trata-se : com os AGENTES.
Ovapor Advance
E' esperado dos portos do
sul at o dia 20 de Margo
o qual depois da de
mora necessaria seguir
para o
larannSo. Para, Barbados, .
Thornaz. Wartlnlque e Mew-
^ara carga, passagens, encommendas e ai
aheiro a frete trata-se cora os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ba o Commecior8
1* andar
DK
\3vegacSo costelra por vapor
K)RTOS DO NORTE
Pirahyba, Natal, Maeo, Moetor, Araca-
ty e Ciar
O vapor Una
Commandante Monteiro
jm| Segu no dia 25 de Margo as 5
^OKw horas da tarde. Recebe carga at o
fedia 24
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
i s 3 horas da tarde do dia 25.
ESCRIPTORIO
Ai Caes da Companhia Pernambueana
n. 12
ompanhia Bahiana de Na-
vegaijao Vapor
Maceo, Villa-Nova, Penedo, Araca-
ju, Estancia e Baha
0 VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante Bernardes
Seguir para os
portos cima
indicado no dia
117 do corrente s
'4 horas da tarde.
Para carga, passagens, encommendas e dinnei-
o a frete trata-se com o
AGENTE
'edro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17

CEARA
Segu para o porto cima, com toda a brevi-
dade o hiate D. Julia; recebe carga, a tratar na
ra da Madre de Deas n. 8.
AracatyC amo cim
Segu com toda brevidade para os portos
cima o biate Deus te Guie ; recebe cara, a tra
tar na ra da Madre de eus n. 8.
Aracaty, Mossor e Maco
Segu com a mxima brevidade para os por-
tos cima o hiate Victoria, recebe carga a frete
no caes do Loyo (2 ponto); a tratar com o dono
na ra do Tuity (aotiga da Lapa) n 14.
LE1L0ES
Leilo
De um terreno proprio eom 900 palmos de
frente e cerca de 160 de fundo, na travessa do
Arraial, esquina da ra de S. Joo, todo cerca-
do e arborisado.
Segunda-feira, 19 do corrate
A's 11 horas
No armazem da ra Mrquez de Olinda
n. 43
Por occasiSo do leilo da casa ra do Coro-
nel Suassuoa n. 36, pertencente ao espolio de
Francisco Antonio de Magalhes Bastos.
Por intervencao do agente
Gusmao
Agente Brito
3. leilo
Debons predios
0 agente cima, a mandado do Ilustre Dr.
juiz de direito da provedoria e a equeri-
ment da irmindade do Divino Espirito Santo,
levar a leilo as casas abaixo :
1 casa terrea n 16 ra das Larangeiras, com
i portas de frente, servindo de base a offerta de
1:520*.
1 dita na ra Nova de Santa Rita n. 42, ser-
vindo de base a offerta de 810f
Segunda-feira, I do corrente
A's 11 horas
A' ra 15 de Novembro outr'ora do Impe-
rador n. 16
Agente Pestaa
Leilo definitivo
Da casa terrea sita ra de S. Francisco n. 25,
freguezia de Santo Antonio
Terea-felra, 18 do corrate
A's 11 horas em ponto
Vo armazem travetsa do Corpo Santo
n.27
O agente Pestaa far leilo por mandado e
assistencia do Exm. Sr. Dr. jaiz da provedoria,
residuos e capellas, da casa terrea cima men
cionada, que ser difniti ament entregue a
quem melhor lance offerecer. .
Leilo
De bons movis, espelho oval, louca e
vidros
CONSTANDO :
de urna mobilia de junco com encost de palba,
tendo 12 cadeiras de guarnigo. 4 ditas de Dra-
gos, 1 sof e 2 consolos com pedra, 1 bonito es-
pelho oval bisme, 1 tapete para sof, 4 ditos
para portas, 2 escarradeiras, 4 etageres, 4 canto-
neras, 6 quadros oleograptiias, 9 bolas, 2 pares
de lanternas, 1 retogio para cima de mesa, figu-
ras de porcelana, 1 candieiro de suspenso, 1
cama fraoceza de amarello, 1 commoda, 1 cor-
tinado para cama, 1 colcha de crochet, fronbas
de crochet e pannos de crochet para cadelras.
Urna mesa elstica de 6 taboas, 1 guarda-louga
de amarello, 1 sof de dito. 6 cadeiras de dito, 2
lavatorios de ferro, I apparelbo de louga para
jamar, I dito para almoco, compoteiras, garra-
fas, copos, clices, 2 portaqueijos 1 trem de
cozinha. 1 mesa e outros muitos movis que se-
ro vendidos ao
CORRER DO MARTELLO
luarta-felra. 1 do corrente
A'8 11 horas
No pateo do Terco n. 24, sobrado
O agente Martins, antorisado pelo 111 m. Sr. An-
tonio Soares Pinto, que se retira temporariamen
te para a Europa, far leilo de todos os movis
existentes no referido tobrado, os quaes se
acham muito bem conservados.
Leilo
Sexta-felra, 1 do corrente
A' 10 horas
No 1.. andar da roa do Imperador n. 27
De 1 piano, 2 mobilias, 1 cofre, 1 guarda lou-
ca, 1 guarda-vestido, l guarda comida, 1 toilette, 1
mesa elstica, aparadores, 24 cadeiras de junco,
12 litas de amarello, 2 de bataneo, 1 espregui-
gadeira, 1 machina de costura, 1 bidet, 1 lavato-
rio, 1 mesa de jogo, 2 relogios de parede, mar-
quezes, 1 colcho, 1 cama para menino, 1 bergo,
etageres, quadros, jarros, candieiros. louga, vi-
dros e 1 lote de livros, trem de cosinha e outros
artigos de casa de familia.
Autcrisado por urna familia que se retira para
a Capital Federal, o agente Modesto Baptista far
leilo do que cima se declara.
AVISOS DIVERSOS
Precisa de urna ama para lavar e fazer o
servieo interno de casa le familia : tratar na
ra do Vigario c 5, armazem.
Precisa-se de um copeiro ; na ra do^ay-
sanda n. 19.__________________________
Precisa se de um copeiro e ajudante ; na
Ponte de Ucba n. 36, em frente a estago.
Precisa se de um caixeiro para (averna, de
12 a 14 anuos ; na ra das Pernambueanas n.
25 B.__________________________________
- Aiuga se urna casa na Varzea, reedificada
ha pouco8 dias.muito fresca, perto da tstago,
e o rio passa atraz de casa.
AUga-sea ca.-a, ou esta com o sitio do Dr.
Csstello Branco, junto ao povoado do Beberibe,
a qual tem muos commodos e acha se limpa ;
trata-se na ra estreita do Rosario, sobrado n.
2,1 andar.
- Aluga-pe urna reflnaco prompta a traba
Ihar, com muito boa freguezia, na ra dos Gua-
rarapes n. 70 ; a tratar a ra do Brum n. 82.
Alugamse o 1- e 2- andares da casa n. 43
ra Visconde de Inhama, com agua e com
modos para familia; as chaves no andar terreo.
Alugam-se casas catadas e pintadas nos
undos de S Goncalo, a 8*000; a tratar na ra
la Imperatriz n. 76._____________________
Na roa de Pedro Alfonso n. 15 tem para
vender tainhas em quartolas e barris, novas
marcas S S A I.
Graxa em bexigas.
Bagres novo?._________________________
0 Sr. Araujo Saldanha, desde Janeiro man-
da esperar, cao s para dar a i usti (i cacao e como
e espera da venda da casa, e na das nao en-
contrado.
O Sr. Joo Baptista Fe-reir, dizem morar
na'praia os Milagrea cm Olinda; tenha a bon-
dade de apparecer para saldar sua hypoiheca.
IInnoel de Soma Ualnio I illio
Manoel de Souza Galvo, Isabel Neves Galvo,
Clotilde Hisbella Galvo e Armando de Souza
Galvo, agrade em do intimo dalma a todos
seos pareles e amigos qne lhe3 fizeram o cari-
doso obsequio de acomnanhar ao cemiterio pu
blico os restos mortaes de seu inditoso Ullio e
irrao, Manoel de Souza Galvo Filho; e de novo
llies pedem para ouvirem as missas que man-
dam rezar por sua alma no dia 18 do corrente,
stimo dia de -eu fallecimento s 71/2 horas
da manha, na igreja matriz de Santo Antonio., e
desde j se confessam eternamente gratos. '

I
Illuminato Soar.s Fonseca e sua esposa Ida
lina Marques Fonseca Mello, Cosma Mara da
Fonseca, Manoel Marques da Fonseca, Leopoldo
Marques da Fonseca, Leo pollina Marques da
Fonceca, Jos Pedro da Silva, marido, mt, ma-
nos, genro e filbos agradecem a todas as pessoas
que se dignaram acompa bar matriz de Rontto
e dahi ao cemiterio publico, os restos mortaes
de sua sempre temblada irm, sogra, mi e es
posa, Maria Marques Fonseca Mello ; e de novo
convidam a todos os prente? e amigos para as
sistirem a missa que se manda rezar iia mesma
Matriz pelo trigsimo dia do seu fallecimento.
no da 17 do corrente, s 7 horas da manh, pelo
que desde j se confessam gratos.__________
t
Hara Emilia Vleira Coelbo
Joaquim Vieira Coelho, Joanna Joaquina de
Freitas, Alfredo Libauio de Figueiredo, Este-
phania Aristarco Vieira de Figueiredo, Maria
Vieira Coelho, Joaquiua Vieira Coelho, Joanna
Vieira Coelho. Augusto Vieira Coelho, Alice
Emilia Vieira de Figueiredo. pai, mi, cunhado,
irms e sobrinbo, convidam os prenles e ami
gos para asslstirem a missa que mandam cele-
brar pelo eterno descaogo da mesma no dia 17
do corrente, s 7 horas da manh, na igreja de
Nossa Senbora do Terco, agradecendo a todos
que se dignarem de comparecer a este acto re-
ligioso.____________.___________________

t
Manoel Eatevo de Ollveira
Duarte Estevo e Oliveira, Antonio Estevo
de Oliveira, Candida Ferreira de Oliveira e Jos
pba Ene lina de Oliveira vem pelo presente tri-
butar sua eterna grattdo a todos os seus paren-
tes, amigos e conbecidos que se dignaram com
panhar ao cemiterio de Santo Amaro os restos
mortaes de seu prezado irmo e cunhado Manoel
Estevo de Oliveira, e aproveitar a occasio para
convidal os a assistirem as missas do stimo
dia, que sero celebradas terga feira 18 do cor
rente, em a igreja de Francisco da cidade de
Olinda, e pelas 7 1/2 horas da manb________
t
Bernardina Bota de Aaevdo
Francisco de Azevedo Pilro e Jos Antonio
Pilro (ausente), fendos do mais doloroso sent
meato pelo fallecimento de sua prezada irm
Bernardina Rosa de Azevedo, em Portugal, no
da 1 do andante, convidam seus prente* e
amigos para assistirem as missas que pelo des
canco de sua alma man Jam celebrar na matriz
de Santo Antonio, quarta feira 19 do corrente, s
7 1/2 horas da manh, stimo dia do recebimen-
to da not cia, pal* que se confc.3sam summa-
mente gratos._______________________^^
t
Dr, Jore
Augusto de Brito
Ingles
O wcharel Jos Francisco de Goes Cavalcante
e sua irm D. Maria Florentina de Goes Caval-
cante, tendo noticia da morte de seu cunhaao o
Dr. Jorge Augusto de Brito Inglez. na capital do
Amazonas, mandam rezar missas por sua alma,
na matriz do Corpo Santo e Bom Jardim, a 17 do
corrente, pelas 8 horas da manb, trigsimo da
de seu passamento, e pedem o comparecimento
dos pafentes e amigos do finada____________
t
i. Antopla Pereira Pinto Coelbo
Domingos Coelbo tendo recebido a infausta
noticia do fallecimento de sua prezada mi (em
Portugal) convida a seus amigos e pessoas de
sua amizade para assistirem as missas qu~ por
sua alma manda celebrar na matriz da Boa Vista
nj dia 17 do corrente, s 7 1/2 horas da ma nh
trigsimo de seu fallecimento, confessando-se
d sde j eternamente grato.
t
Antonio de Araujo Marque*
Anna Cordeiro de Vraujo Marques convida aos
seus parentes, assim como aos amigos de seu
fallecido marido, para assistirem ae missas que
manda celebrar na matriz da Boa Vista, pelas 7
horas da manh do dia 17 do corrente, trigsimo
do seu pasamento, pelo que desde j se coi-
f. ssa sumisamente grata
B. Joanna Francisca Bantos
Madeira
Manoel Ferreira Madeira t sua familia, Gui-
Iherme Patricio B. Cavalcante e sua familia,
aida grandemente compungidos pelo falleci-
mento de sua virtuosa mi e sogra, mandam ce-
lebrar segunda feira 17 do corrente, s 7 boras
da manha, urna missa pela alma da mesma fina-
da, na igreja de S. Gongalo, onde esperam o
comparecimento das pessoas de sua amizade, a
- desde j antecipam eterna gratido.
t0tfiC0 0EIJ^?4
PARA O CABELLO.
Augmenta, Afonnosea
E FAS CEESCEB O CABELLO
com as-sombrosa rapidez.
Precisase de urna boa sinneira ; a tra
tar na ra da Soledade a. 82.
H13
Precisa se de urna criada que engommc cem
perfeigo e mais fervigos de casa de familia ; a
tratar na ra Conde da Boa Vista n. 24 A, ou
ra Duqne de Caxias n. 93
Ama
Precisa se de uTa ama
servigo domestico ; a tratar
vembro n] 24 (armazem).
matriculad? para o
no Caes 22 de No
Ama
Precisase de urna am; para o servieo domes-
tico de casa de pequea familia ; na ra larga
do Rosario n 38, 2- andar.
Ama
Precisa-se do urna ama ; na ra do Camaro
numero 1.
Ama
Precisase de uma am; para tratar de menino:
na estrada de Joo de Barros, sitio n. 16.
Ama
Precisa se de urna ama para ;osinha, para
casa de pequeoa familia : a tratar na ra Duque
de Caxias n. 86, 3- andar
Ama
Precisa-so de urna ama para andar com urna
enanca ; na ra Barao da Victoria n. 52, segun-
do andar.
Ama
Precisa se de urna cosinheira ou cosnheiro
bom, para casa de familia ; a tratar na ra do
Cabug n. i4. de meio dia at 2 boras,
Aluga-se
a casa sita ra J aquim Nabuco n. 30 (Casun-
ga), reedificada ha pouco, com agua, quintal
murado, e com accommodag6es para grande fa-
milia ; a tratar non. 28 mesma ra, ou ra
Mrquez de Oiinda n. 54.
Aluga-se
o terceiro andar do sobrado ra de Marcilio
Das n. 12, antiga Direita, para pouca familia :
a tratar no 2- andar do memo.
Aluga-
se
os armazens do largo da praceita do Mrquez do
Herval ns. 5 e 11, proprios para qualqner offici
na ou estabelecimen o; a tratar na ra larga do
Kosario n. 34 botica.
A luga
m-se
os 1- e 2- andares do predio n. 30 ra Mrquez
de Olinda ; a tratar no 1- andar n. 22 ra larga
do Rosario.
Elixir M. Morato
PROPAGADO POR D. CARLOS
Depois de 6 annos de atroz soffrimento
de rheumatismo, estando verdaderamente
descorocoado, sarei completamente usando
oElixir M. Morato=que declaro ser o
melhor e nico anti-rheumatico at hoje
8. Paulo, 2 de Novembro de 1889.
Cesario Rodrigues Alvim.
Aos acadmicos do 5o anno
Roa da Roda 4.
Telephone 2A4
O ; baixo tssignado scientiica aos senhpres
acadmicos do 5 anno, noivos, etc., que tem
em seu estabelecimeuto carros preparados com
todo luxo e esmero, proprios para formaturas,
casamento.-, baptisados e passeio3, garantindo
servir bem e com promptido porque tem lindas
parelhas novas libres e pessoal habiiUdo. sen
do os alugueis de seus carros menos 5 0/n do
que em outra qualquer parte.
Jos Duarte Pereira.
Algam-se
na ra Direita n. 45, sobrado, as seguintes casas:
Ra da Amizade n. 30 (Capuoga) est limpa,
tem cacimb e quintal.
Travessa do Corpo Santo n. 11, est caiada.
Becco tapado n. 5, est limpa e tem quintal
pequeo.
Travessa da fuudigao n. 4, est caiada.
Garrafeira particular
Licores finos, como sao : genipabo, pitanga,
ananaz, larauja amarga, anisct'.e rosa, hortei
pimeota e marrasquino de zara
Vendem-se na ra de Pedro Alfonso armazem
n^^___________________________________
Governante
Precisa-se de urna senhora de bons costumes,
para tomar conta de urna casa de bomem viuvo,
com cinco criangt s, a tratar no Caes 22 de No
vembro n. 24 (armazem).
LIMA DEToDAT
DF
Alvim & Chance
1Ra Io de Marco10
(Antiga do Crespo)
Receberam suY pura com lis ras, que vendem
por 800 ris o covado, fazenla de prego de 2.
Cintos modernos para senhoras e meninas.
Fazendas de phantasia, linn com flores e ma-
tizes, sedas para noivas e outros tecidos no-
vos.
J chegaram de novo as verdadiras camisas
de flanella petle de ovo, que nao encolhem.
Perfumaras linas
Inj<
eccao
Se no morri desesperado, soffrendo
muito tempo urna molestia chronica que
ninguem poda curar; foi por encontrar o
santo remedioInjec5lo M Moratoque
instantneamente poz termo ao meu hor
rivel soffrimento.
Taubat.
Aagusto ( intra MagBs&es.
Agentes depositarios em Pernambuco :
Francisco M. da Silva & C ra Mrquez
de Olinda n. 23.
PEITORAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
As enfermldades mau dolorosos da garganta
e dos pulmSt's, ordinariamente desenvolvem-M,
tendo por principio bases pequeas, en jos resulta-
dos nao sSo dimeis de curar se promptameote se
tratfto com o remedio conveniente. Os Resfri-
ados e a.s Toases do reciprocamente o resultado
de Laringitis, Asthma, Bronchitis, Affcc-
cao Pulmonar e a Tsica.
Todas as familias que tem eriancas devem ter O
Peitoral de Cereja do Dr. Ayer
em casa para o nsar em caso de necessldade.
A perda de um s dia, pode em muitos casos
accarretar serias consequencias. Por tanto nao
se deve perder tempo precioso, experimentando
remedios de efficacla duvidosa, emquanto que
a enfermldade se apodera do systemae se arraiga
profundamente, ento qne se necesslta tomar
nesae instante, o remedio mais oerto e activo em
seu efleito, e este remedio sem duvlda algum*
Pectoral, de Cereja do Dr. a y i.u.
preparado pelo
DR. J. C. AYER & CA,,
Lowell, Mass., Est.-Unido.
DEPOSITO ur.KAL
------------------%
Leite de mamo
Compra se leite sem fructo fresco oufecco a*
sol, pagase bem ; na ra larga do Rosario n.
34, ptiarmacia.
Hiiita att$iwio
No becco dos Ferreiros n. 6, pregueia st
recortase babados de toda3 as larguras.
K. de Drusina & C.
Ra Marques de Olinda n. 1 *
Armazem de cerveja. vinhos, champagne,
licores, cognac, agua mineral, conservas, etf,
etc., nico deposito da afamada cerveja Pnoeuix
de Dortmund e. do chocolate Ph. Socbard da
Neufchatel, premiado eom a medalha de ouro na
exp3sig< univers?l de Pars un 1889. Agencia
da grande fabrica de charutos Dannemann C.
S. Flix (Rabia)._____________________
Sala
Muga*se urna sala com dous campartimentoi
no i andar do predio n. 4i ra do Commer-
clo. proprla para eseriptorio ou consultorio : a
tratar no respectivo pavimento terreo.
Menino para criado
No sitio n. 5 da estrada de Joo Fernanda
Vieira se precisa de um menino de 12 a 14 ai-
nos, para crudo e copeiro^_____________
Engenho Brilhante
Arrenda-se o engenho Rrllhante, em Seii-
nhem, moente e corrente ; a tratar na ra dt
Bom Jess n. 23, armazem de cah___________
Morada excel lente
Alu :a se barato na ra do Hospital Pedro V
(lugar dos CDelhos) duas casas assobradadas,
com agua, muito frescas, prximo do banb
salgado, grande quintal murado e commodos at
para duas familias numerosas ; a tratar all dt
8 s 10 horas da manh, com Joaquim Moreit
Reis. que all aluga tambem casas de 6#, 8*
iO/000.________________________________
Sitio e casa no 4rraial
Aluga-se urna das melhores casas e sitio
'all., com commodos at para duas familias, t
muitas arvores fructferas, dous minutos cima
da Mangabeira de baixo ; a tratar com Joaquio
MoreiraReis.________^_________
Pratco de pharmacia
Precisa-se de um Pharmacia Impe-
ratriz .__________________
Piano
Vende-se um importante
piano, quasi novo, e do fa-
bricante Doesner, a tratar
na ra do Mrquez do Her-
val n. 23, 1. andar.
ssistente examinada
Maria Lina participa ao respeitavel pubM
que mudou sua residencia para a praga Conde
d'Eu n. 21. I" andar, onde pode ser procurada a
qualquer hora do dia ou da noite._______
Arthur & Desiderio
cootinuam a comprar ouro e prata velhos, t
bem assim libras sterlmas e outras moedas dt
ouro e de prata, e pagase bem ; na ra do Ca-
bug n 3._____________________________-
Engenho
Arrenda-se um engenho que seja prximo de
alguma estago de "estrada de ferro, dando-"
preferencia a engenho d'agua ; a tratar na ra
uque de Caxias n. 46, 1 andar.___________
Sitio na Magdalena
Aluga se um, com excellente cafa para gran-
de familia, toda pintada e forrada a papel, coa
gaz. agua boa latrina e bond porta ; trata-se
com Antonio Gomes de Mattos ra da Cadeia
numero 25. _______________
Caixeiro
Na ra da Madre de Deus n. 3 precisa-se de
um com pratica de hotel, que d conhecimento
de sua conducta. ______| _
o$nlt$ira
Na estrada do Hospital
Portuguez n. 6 paga-se bem
a urna perfita cosinheira
que tambem faca compras.
Attenco
9
Ao cidado C. Jos Delfi.no da Silva Carvalht,
empregado na Recebedona Geral, o abaixo as-
signado chamou para vir pagar ; appareceu u-
hespanhol como advogado, porm nao pagou,
assim pois ptde se de novo que venha pgar.
A. da Silva Gusme.______^
Cosinheiro
Precisa-se de uo> cosinheiro ; na ra doPaj-
sand n. 19. _______ ^________
Criado
Precisa se de um criado para compras, mai-
dados e ma s algum servigo de casa de familia,
que seja matriculada ; na ra Conde da Boa-
Vio ta D.-4 F. porto de ferro.
V

-
'h


r

I-
.

'.'i! f


Diario de Pernambueo-Domingo 16 de Marco de 1890
i
*&
FABRICA DE LIVROS DE ESCRIPTURICAO
CNMDMNAfAO ? rMlkQJkQ ^
fflANOEL J. DE ffilRANDA
--39 ^-KUAn-DUQUE *-DE-*-CAXIAS-*-3ft-#. J
NUMERO TELEPHONICO 194
5^BNJWfeK> *-

Oleods
lacalhau
s(
do >' DUUOUJL
lodo-Ferruginoso de Quina'e Casca ts Laranja amarga
Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nauseas,
e c de chetro agradavel. Pela sua composicao, possue to qualioadcs que Ihe p.-rmittem combater :
a ANEMIA, a CKLOROSS, s AFFECCES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHO-S, a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
im vista do seu emprego faci!, da sua accao multplice e
segura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualquer outro medicamento similar.
PARS, 209, ra Saint Dems, 209, PARS
VWM l-M TODAS AS NtfHCVAaa PHARMACIaS DO UNIVKRM)
DESCONFIAR DAS F A l_ S I F 1 C A C O E S E IMITACES
SEDAS PRET4S
Cachemiras, rendas e ou-
tros artigos proprios para a
presente epocha, recebidos de
conta propria e a presos resu-
Engfenho
Arrenda se o engenho Recanto, em Serinhaem
moente e correte, d'aguo, com boas trras e
proporces para safrejar de mil a dous mil
pes : a tratar com Mauoel Ferreira Bartholo *
C, ruado Bom Jess n. 4, escrptoro.
midissimos

RUI!!'
iFCIEr.
rx ti.ncat^SJ
tuOUllOUV '
UttOKH "'
BirDrDCvTT.

*
\


240 rs. o ce vado
Cretones lisos, francezes, cores fixas, pechincha! por 240 rs. o covado.
Carnbraia de cor, florzinhas e raniagen;-, a 240 rs. o dito.
Canibraias com menos larguras a 160 rs o covado.
Lautines de cor, padroes lindos cem um me'ro de largura, a 320 rs. o dito.
Cachemiras lisas e achaiualotadas para vistido a 2i0 rs. o dito.
Variedade de artigos que se vendem por todo preso.
21RA DO CRESPO 21
________OLVERA CAMPOS & C.________
500,800 e 1$200 o covado
21RA DO CRESPO21
Merino prcto trancado, duas larguras, la pura, de 500, 8C0 e 1)5000 o covado1
Dito lavrado, prto, com ramagem, padroes de voi'e a 1(5200 o dito; fa-
Mida de 254-0.
Cachemira preta para casacos, duas larguras de 25000 e 25500 o dito.
Na RA DO CRESPO N. 21
Oliveira Campos & C
No Louvpe
20 A Ra l.Marco- 20 A
francisco Gurgel & Irmo
13' ai
Grageas Dehiazere
.AjSXMro-vmdaa pela Inpeotora do Hyglenn do Brsudl
CASCARA SAGRADA I0DURET0 FERRO CASCARA
VmrdaeUiro fatnadlo O mata motivo do* Ferrun-moaoa
Contr a Prlaio da Vantra bmbttaml. Nao produMiado a Prlmio da Vaotra.
Deposito a-ra!: PMABI&GU C. Of MA7iERE 71, mu fe ViiHsrs, Pvk
,aft .imii mj?mm,vm. ua a%.va *<. a>BBIBB]
) l nnlH
Curados pelos CIGARROS ESPIG
Oppre#*Jen Toase Meflu.i-os Aevralgiaa
I.ICI Ni (AltQS PELA INSPECTOB1A DB BYGIENE DO IMPERIO DO UKAZ1L
Asplra-se a fumaca que penetra no pelto, acalma o systema nervoso,
facilita a expectoraro e favorlsa asfunecesdos orgaos respiratorios.
Venda am atacado, J. CCPIC, CO, ra St-Lazara, em Parte. Bxija-te eta auigif''
Km HrntmOvco : FRAACce 13. da BZX.VA lE Ca. dm mac;j tawawam u.^i."'
1
LiMBciidu aelt iuetcurii le lypin Imparte 10 IraiU.
QUINA EFERRO
Chiorose, Anemia, Debiliiade
Qura. dno Febrae______
TITULADOS
DE
ossian hery

celo trata S ttt&tAax it fyiHi, /utl cttitinUec rnt fteola di i Jumaca.
K fcilz rouiiiSo, n'oso iroparado. dos dous tnicos por cxcWlencia, a I e o rEUtiO, consume nm irecioso mcdicamcnU coitra a <;iiuros. *f
S pallUit!*. Anemia, Flores ttrmn^ag, Contituif6cm fracaa, ote.
\ PARS, B;N S- FOUANiER, 43, ra d'Amstordam.
ADS EMPnEDADOS
COMMERCIO
Descobriu se as mattas dos sertSes de S. Paulo,
km preparado, que conhecido por=Elxir M. Morato
Ute remedio indgena tem feito curas que espantam e
A syphis de quulquer natureza, e por mais inveterada
so d'este preparadoo rheumatismo quer novo, quer
remedio, e com urna felisidade espantosa. Contra factos no ha argumentos, e, os
beneficios operados, s3o j tantos, que n2o ha mais o d
Elixir M Moratopropagado por D. Carlos.
Agentes depositarios em Pernambuo: Francisco
Mrquez de Olinda n. 23.
um vegeta! com que fez se
=propagado por D. Carlos.
que mais parecem milagres.
que seja, desapparece com o
ehrenico, curase com este
reito de duvidar. Procurar
M. da Sdva & C, ra do
VERDADEIROS
AGUAePbeBOTOT
Os Hfinicos 3)entirftcios
approvados pela ACADEMIA de MEDICINA
Bnaqaeam os Dentes. Fortificara as Gengivas.
DEPOSITO : 17, Ru de la Palx, PARS.
Antigamente : 239, Rae Saint-Honor*.
DESCONPIAR-aE DA8 FAI.8IPICA9E8
ACHAM-SB HAS P1HCIPH PROGABIAB fBRFUMAHIAS.
s 1 n
bazar do recife
11-RA B0 MRQUEZ BE himk-ii
DOMINGOS MAN0BL MAETIN8
Esta afamada loja offerece ao respeitavel publico, os objectos abaixo mencionado,
por presos sem competencia:
Espelhos grandes para salas de noivados a prejos de 705000. 9O5O0C, 1205000
e 1405000 cada um.
Perfumaras dos melhores fabricantes.
Carrinhos para crianzas,
Mallas, bolsas para viajantes.
Velocipede3 para criancas de 3 ate 8 annos.
Espartilhos para seuhoras.
BriBquedos pa a crianeas.
Rabados e tiras bordadas.
Bonecas alta novidade, completo sortimentc.
Cadeiras com carrinhos para mesa de juntar proprias par*
criauf.
Leques de fantasa.
Fitas modernas.
Albnns para retratos.
Costureiras com msicas.
Muitos artigos para presentes.
Todas as Ezmas. donas de casa tm grande vantagem em mandar seus pertado-
res comprar os artigos de miudezas nesta loja.
AO PUBLIC8
O abaixo assignado resolveu participar
aos seus amigos o freguezes que contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de :
OQNAS destacando o afamado
Pno, |na um dos que mais se pres-
tam a tomarse com leite.
V1NHOSO Palhete sem prejuizo das
outras marcas, especialisando tambem o
magnifico Bordeaux Republique Brsil-
lienne.
LEGUMESem conserva, especialida-
des como nao se encontram em qualquer
casa.
CARNE 5 em conserva, especiaes como
nunca vieram aqui.
PEIXEStambem o que ha de mais
variado.
CERVEJASonde se destaca a bem
conhecida e digna de celebridade Paulino
Bier.
^CHARUTOS nm grande sortimento
das melhores marcas, e por precos muito
commodos.
Alero destes artigos acha se o seu esta-
belecimento sempre supprido de tudo
q uanto se possa dse jar d'um bom esta
belecimento d'aquelle genero
Ra do Imperador n. 28.
Paulino de Oliveira Maia.
Licor depurativo vegetal lodadc
do medico tuintella
Este notabil8simo depurante que ven
precedido de tSo grande fama infallivel ns
cura de todas as doencas syphiliticas, ee
erofulosas, rheumaticas e de pelle, come
tumores, ulceras, dores rheumaticas, os
teocopas e nevralgicas, blenorragias agu
das e chronicas, cancros syphiliticos, in
flamaeoes viceiaes, d'olhos, ouvidos, gar
gantas, intestinos, etc., e em todas ai
molestias de pelle, simples on diathericas
assim como na alopecia ou queda do ca
bello, e as doencas determinadas por sa
turasao mercurial.
Dao-se gratis folhetos onde se encon
tram numerosas experiencias feitas con
este especifico nos hospitaes pblicos
muitos attestados de mdicos e documen
tos particulares.
Faz-se descont em casa de
FARIA SOBRINHO & C.
Ra Mrquez de Olinda n. 91
A's maes de familias
Queris vossos filhos sempre sadio^I
Adminstrae-lhes o xarope ou a
Ptalas Vermipnrptivas
DO DR. CALASAIif
ptimas preparacSes de mastruz
e rhuibarbo, para a expulslo completa, sea
dures nem incommodo, dos vermes
intestinos ou 1 ombligas
(das cranlas e dos adltob)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
f Estas excellentes preparagSes nao ne
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
posicSo, sensacSo de corpos que se movea
nos intestinos, endurec ment do ventre,t
as vezes, vmitos. Rangem os dentes, quan-
do dormem, algumas e pessoas expellem
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As criancas apresetam ai
papillas dilatadas e napetencia.
As pilulas levam impresso o nome de
DR. CALASANS e s5o cS de rosa.
1 caixa de pilulas 15280
l vidro de varope 15200
AS PRDCIPAES DROGARAS
PHARMACIAS
E
Casa para alugar
0 1- andar d roa larpa do Rosario n. 37, es-
quina defronte da reja com grandes salas
para reunioes ou escripiorios, tambem fazem-se
repartimenlcs vontade do locatario : a tratar
no pavimento terreo.
Cosnheiro
Precisa se de um cosan, iro : na ra de PaJ-
sand n. 19.
Gereaes por preco
commodo
Com* c-jan: mibo, r-ij<> e favas,
Neves Pedrosa & C. teem para vender a reta-
lhoou em porgao os artigos cima, ra da Pe-
nba n. 33, assim como tambem vendem farello
de 42 kilos a sacca por 230
Feitor
LIQUIDO I MPERMEAVE1-
Emprcga-i, SE3IESC01 A, e seu superljo lastro conserra-se por urna semana em todo*
tempoc, sobre o calcado, os arri:ios e todos os ar;ios abrii-ailos de cooro preto. A lama tira-se
larando e o lastro torna a a' jarecer de Bi-ruestto. Nao dexerira o couro e nao muncha o
Testldoe. Nublan maculad:, ring C, Lu, B> SaUron HiU Lond-n, Inglaterra
____________________Vende-so em. todoaparta,___________________
LOJA DO POVO
MRoa r. de MarcoH
Com este titulo acaba da abrir urna loja de fazenda ra 1." de Marc.o n. 11 e
M'j piMprietario convida o publico d'esta cidade e de fra a apreciar o seu BELLO
rrim 'uto. IMuitas de suas fazendas sSo recebidas directamente.
GRANDE NOVIDADE
Descanto de 10(/0 em compras de 20^000 para cima.
Toile de pora seda de 1(J800 a 650 rs. o covad.s
Descont10 |, para as compras a retalho de 2O)JO00 para cima.
Chitas de 180, 200 e 220 rs. o covado.
Las lisas, imitaclo de cachemira, a 200 rs.
Ditas lavradas, idem idfm a 240 rs.
Zephir aon 75 centmetros, de largura de 8C0 rs. por 320 rs.
Ditos com 70 idem idem de 200 rs.
Ditos com 60 idem idem de 1 rs.
Corte de casemira ingleza de 30500 e 6(50CO.
dem de casineta de cor de llO> a 15400.
dem de fustSo para eolleto a 26400.
Um c mpleto sortimento de fichas, chales, capas yaca senhoras, espartilhos,
aisb e casemira, cheviot,- diagonal, pretos e de cores, bro trancos e de cores, ca-
mas*, cf-roulas, toalhas, bramante, atoalhado de lmbo, panno da Costa, camisas de
fialla"e muitos outros artigos que entandonho mencionar.
6UEHEKME CARNKRO M CNHA
MEIO-SECLO DE XITO 51 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e diplomas de Honra
ALCOOL
H0RTEL0EPIMENTA
RECOMMENDADO
pelos mais Afamados Mdicos
PARA CUIIAR AS
Indigestes,
Dores de Estomago,
DE RICQLS
do Corando, dos ervos,
da Cabera, etc.
INDISPENSAVEL
durante-a eslavo calmosa
EXCELLENTE
TAHeif.M PARA A
Toilette e os Dentes
Grande Preservativo nos te nipos de Epidemia
Fabrica em LYON, 9, cours d'Herbouville. vSse^S^-Svffvao- Casa cm PARS, 41, ra Richer.
EXIGIR 0 NOME DE RICQLS RECUSAR AS FALSIFICACES
tttfOstM Pernambuco : FBi.1 M. di SILVA & C" a em todas ai Parmaclas 1 Druguia lOlaitaJas.
TINTURARA
i'i-Rua de Malinas d'Albnque que, aaliga ra das Flores2S
Tinge e limpa com a maior perfeica toda a qualidade de estofo e iazendas en
pacas ou em obras, chapeos de feltros ou de palha, tira o mofo de fazendas; todo <
'rabalho feito por meio de machimsmo aperfeicoado, at hoje conhecido.
Tintura preta as tercas e sextas feira, tinta de cores e lavagem todos os dias
08 HEBIC0S SUBSTHDEM C0H XITO
o OLEO de FIGAD0 de BACALH0 mim como o VINHOde QUINA
ELIXIR DUCHAgfflP
COI EXTRACTO DE PISADO di BACALHO COM DUINA E CACAO
Ente CHEME fe CAVAO utn poderoso Depurativo
e ineotnparavet Corroborante.
VENDA POR ATACADO : DUCHAMP, 16, RU DE POITOU, PARS
Depoattarios em Hrwmtuai
oa Bil VA v -".
DIGEST0ES
DIFFICEIS
Dyspepsla
Parda
\ae Appnutt
TONIOO-
DOEHCASdo ESTOMAGO
ELIXIR GREZ
DIGESTIVO
GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos
Olarrnu
ehromen
PSINA
nn. QUINA,
I adoptado B TODOS os HOSPITAKS afartMihan do Ooro DiplomaM da Honra
I MRis ana- *. m. La Brayra. tMaa M smnsaola* SS^HMI
Precisa se de nm feitor que enlenda do 0B-
cio ; na ra de Paysand n. 19.
Alague) barato
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Largo do Mercado loja n. 17.
Becco do Campello n. 1,1". andar.
Loja do sobrado do becco do Galabouco c. t
Ra do Nogueira n. 13.
Visconde Goyanna n. 163 com agua e gaz
Travessa do Carino, loja n. 10.
Becco do Tambi d. 21.
A iratar ra de Commercio n. 5,1 and
B9Crt5tono de Silva Guimares A C.
am <. nonixTASios tm "lvuv
UNGENTO STEYENS
O uulco subsIltiHn-Vj a cauterlsago dos caTallo
pt\o fugo. Eotu mara\ Uhso preparado o nnio
remedio verladeiramente efflcaz para curar todaj
t quaesquor AHetcies dai enu i H, Eilimaaafct *
Mgiaia c Diclacafcs de toda l utirezt. O anuo* de
aptimo e continuo xito em torta aa emr-
.lila, baraa i, a coa prlncipaea eatabeloo
neotoa do caralloi em Inglaterra e Barepi.
Nunca delxa nodoa alguina. E mlster exper
menta lo para flear conTencldo do seu valor.
Vende-te em caixa corr as competente indeaomat
para o eeu empr-go. r.m'portuguet
I rinlpi.r H. B STCVEN3. m-die-THraa I
j. Pul Ua: Lvadre (IiicUtarral
I ib P,-rirS-co .- FA* i. ti ULTA f
Livraria Contempor-
nea
\rclriiDicnioa de mualrs
BomDardo, bombardino, barytono, trompa
crombone, helicn, saxaphone. carrilon, bombe,
caixa, pratos.clarinitas, ilautas.rabecas, violoei.-
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de sala3, quartos, gabinetes, corredo-
res.
Molduras
dourads, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viacem, diversos formatos, especialmente
para rcapa de senhora e camarote.
Novidades
oara presentes, escriptorio. toucador. etc., etc.
RAMIRO M. COSTA & C.
Ba Primelro de Barro a. 9
VERMIFUGE COLMET
En^ommadeira
Precisase de urna, que erigomme e cosinhe.
para casa de familia, que durma em casa dos
patres e que seja matriculada ; na ra Conde
da Boa Vista n. 2t F, portao de ferro._______
Cosinheira
Precisase de urna ama para cozinhar
no 3. andar do predio n. 42 da ra Du
que de Casias, por cima da typographi
do Diario.
Patacoes velhos
Compra-se na relojoaria David,
g n. 14.
ra do Cabu
Precisase de um copejro
ra de Paysi ndu n. 19.
seja fiel; na
Anjos e figuras
N) pateo do Livramento c. 36, 1 andar, ves-
tem-se anjos e figuras com perfeigo, para pro-
cisses, porpregos eommodos ; a tratar na loja.
Cozmheira
Precisa se de urna boa cosinheira para fam
lia que est temporariamente em Caxanga; i
trata* no escriptorio da companbia de bonds.
\ ANEMIA, CHLOROSE
4EMPOBRCCIMENTODOSANGUE
OIESPUILIBAS, COIWALESCEMQA
4 Dudo un Bcspliaet de Farli
* MAHIE DIPLOMA de BORRA.UiiM ll
* GOTTAS Coocearadas JtK%
Mlaoononu<3B,dnrmai maa J
VINHO B0BIK ^jBaT-y: /%'"
bas"rob.n ^
CHOCOLATE oom SANTONINA
UFALLiya un attrilr ai iommmai
a, latar ajriau'l e eeastmti) indcCaida. Jf/ '
Exigir a atsinatura :
Pars, 28, ra da Tmplo e Das principies Pbarairlu.1
w
Attengao
Os proprietarios do antigo e acreditado arma-
xem do Lima, sito ra Raro da Victoria flvj,
partecipam ao respeitavel publico e aos seus dis-
tineos freguezes, que transferiram temporal-
mente seu armazem para a mesma ra ao tf!*S,
continnando da roesma forma a receberem snas
ordens para Ihes servir com o costumado e haM-
tual desempenho.
Jos Fernandes Lima
SUA 2ASQ SA 7ICT0BIA
Telephone n. 323
mhor mttrito
a
j-Tfir
Smspboralcum ie
erro. e*5enmlmMi:e I
simllav .occaxiona
au pesaax que nSo ae |
presuma qualquer tra- i
tarnento lerruginoso oa
resaltados o rctia npldcB
constantes, sen minea occa-
Bwoar dArea de eatonugo mtm
coDatipa^ao (pruao da veatre).
hn%m cen: n* uin, imtim $*!
rEm rerntmbuoo : fra- M. a JILTA 4 l*|
emprsgauo com a
Odontalina
'*3 MJTA DUIMIt, HMDEIM CAISIB M HCCi
%. PARS: towU, 24, mi Ifom -
Ao commercio
0 abaixo assignados fazem sciente que neght
data dissolveram a socipdade que tinhi.m na lo)
de miudesa? rua do Visconde delnhamaa.
24, a qual gyrava sob a firma de Maciel & 6oi-
DDaraes, ficando todo o activo e passivo da casa
a cargo do ex socio los F. das Neves Guima-
res, e rerando-se o ex socio Nero Correia
Maciel pago e satisfeito de seu capital e lucros,
conforme o distracto que nesta data assignam.
Recife 14 de Marco de 1890.
Nero Correia Maciel.
__________Jos Ferreira das Neves Guimares.
Viuho de pasto supe*.
rior
Os proprietarios do acreditado arar rem df
Alheiro participam aos seus freguezes e aos
apreciadores que receberam urna nova remessa
deste magnifico vinbo, pelo que esperam suas
ordens : na ra da mperatrlz n. 42, A heiro,
Fernaades A C. Telepaone n 475.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com bastante praU-
ca de molhados ; a tratar na ra larga do Rosa-
rio n. 23.
.-----------------------------------------------------------
Movis austracos
RExisle um riquissimo e variado sortimento de
movis austracos de t dos os gostoa, desde a
mais elevado at o mais inferior preco, tudt
muito razoavel para liquidago, manufacturarlos
tanto em faia como em madeira vergada e es-
culpturada : na roa Mrquez de Olinda n. 54,
casa importadora^_____________________
Cidade deLimoeiro
Protesto
Constando nos que o Sr. Maooel Fortunato da
Silva quer fazer venda de seus predios na cida-
de de Limoeiro, fazemos o presente protesta
contra a dita venda por sermos credores da
mesmo senhor. Recife, 11 de Marco de 1890.
Goncalves Lourenco A C^______
O atoo da Berth um reconstituinte de
prtsMsra ordem, de natureza a fortificar as
OMBBaMQOAi tracas, os peitos delicadas. Cora
a aaa os oonatante desenvolve-se a crpnv
' rem rk mina mais certos parafazea
noar a magreza. Macees oceuparo
lopr no traianaento Asa bronchites
^aaortuiaH>-*MstaflgSdu)s.
I
I
I
I

.
'


<





oDomingo
de
Mar<<
*.
I





VENDAS
Vcnde-sp urna paite do engenbo Caslello
silo na comarca do (abo, que teve uo inventario
procedido ha muitos amos, o valor de I:35.*S*3C0
e oatra no englobo Providencia, sito na me?raa
comarca, que teve no dito inventario o valer i
301*90 Tambi-in se faz todo o cegjcio coai
as re;.!a> vcnciairs qu a r specti "os reudeiros
e conenhores estao devendp : a ratar na ra
da Conceieao n. 43.
Vende se a Caverna sa ra de Santa Ce
cilia n. r, propria para principiante por te*
poucos fundos. O motivo da venda se di r ao
pretendeote.
Aos Rvms. sacerdotes
Vndese por freso razoavel, as segiun
tes importante obras religiosas, todas no-
vas, perfeitamente novas:
A Biblia Sagrada, em sete grossos vo
lames, traduzida em portugus por Anto
nio Pereira de Figueiredo.
Um Breviario Romano, em quatro volu-
meS] ediccao de luxo.
Catechismo de Perseveranca, em sete
grossM volumes, pelo padre Gaunie.
Diccionario Uuivereal das Heresias, Er
ros e Schismas, em um grosso volume, tra
duccao do padre Antonio (jobos Pereira.
Theologia Dogmtica, por Gousset, em
dous volumes.
Theologia Moral, pelo inesmo autor, eno
dous volumes.
" mpendio de Theologia Moral, por P.
<_ -, em dous volumes.
Explicado Litteriil e Moral das Episto
las e Evangelhos, pelo padre A. Guillois,
em um volume.
Msnual do Sacerdote, por J. Schneider,
em um volume.
Caeremomale Ji.xta Kitum Romanum,
eci um volume.
Sentido dos Ritos e Ceremonias da Mis
sa. por A. F. Caldoso, em um volume.
Memoria do Clero Pernambucano, em
um volume, pelo padre Monte Carmello.
A' tratar nesta cidade, ra Sete de Se
embro n. 20.
Elamines a 280 rs. o covado
Mftloja do Campos
Etamines brancas e de core3, arrendadas, pa-
dioe.- I ndo.-i, a 280 rs. tarada de640rs. ; na
roa do Crespo i. 21. ______________
MJtliOS
f ara frente de casas, banheiros, cor-
redores, aQougues, seudo de lindas co-
res, vende-se por 603000 o milheiro,
por ser um saldo, na Pra$a da Inde-
pendencia n. 40.
Deposito da Companhia de
Fiacao e Tecidos de Per-
nambuco
Neste deposito a ra do Bom Jess n. 42,
vndese porprecis r zoaveia e condice3 da
pra^a, brins d^ algedo de cores e algodozmbos
de diversa: qualidades, e tambera fio de algodao
em novellos.
Muito barato
l^OOO um par
Na ra do Livramento ns. I9el,tem uma
grande quantidade de sapaifjes riunosde vaque'.;.
branca obra muito forte e propria para o inver
no, e por prego baralissimo, 1*000 o par, e em
porco ter descont.
T#800 o covado
Ufa loja do Campo*
Gsrgoro preto, seda pura, fazenda nova, a
i8C0 o c< vado ; na rna do Crespo n. 21.
Nova remessa de gneros
italianos
Azeite doce, i.' quudade.
Ferneth branca verdadeira.
Queijo parmijano.
Vermoutb Cora e Martini a Rossi.
Vinho di Canti, Moscatel, Barolo, Barbera,
Grignolino, Nibiolo, Marsala, etc.
Bter Campan e Cordial Campari.
Macarrao branco.
RA MRQUEZ DE OLINDA N. 39
Farello
Vende-se em porco de quatro sacios a 2/200
e a retalho a 2/300 cada sacco permito e peso
completo ; no largo do Mercado n. 8, casa de
Franco &C.
Attenc,o
Yende-se uma casa terrea com muita bons
commodos para familia, rna do ocego ; a tra
tar na na da Santa Cruz n. 36._____________
Camas de ferro
Completo 8ortimento de camas com lastro de
rame, para casal, para solteiro e meninos, por
precos que pastara : na ra Mrquez de Olinda
a. 54, casa importadora
FOLHETIM
ODIO DE TIGRE
POR
mi: :z:::z:
TERCEIRA PARTE
PANTHERA NBG8A
(Coafinnacao do n. 60)
II
Dohly ;>ercorreu com o olhar todos os
convivas c disee :
Pcrgunte-o a essa gente toda. Res-
ponder Ihe-hlo que sou Dobly Magdalus,
e fijba : atural de Lookly, a Malaia, e do
capit&o hollandez Magdtlus. Dir-lhe-bao
que meu pai, vendo-se atacado pelo colera,
me reconheceu hora da morte, e que en
fui educada por miaba mai, cuja mo-
ral se resnmia toda nestas simples pala
vras : Ama quem te faz bem ; vinga te
de qurtn to fas nal >
Aprec o muito essa mxima, nter-
romp: o Sr. de Bretigny, n'um tom sin-
gular
Devras? pergnntou a joven. Entao
ue nos entenderemos

PrsjWO uma ipsnw.
Approvado pas, llusir:ia cac'.a Ce
H.-gicM Paili:- I.'1 Corte.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSICO
de
firmino Candido de Figueiredo.
Empregado com a maior efficacia no
rheumatismo de quilquil natureza,
em todas as molestias da ptlle, as
leucorreas ou floret brancas, nos
soffrimentosoccasionadospeta impureza
da san^ue, e finalmente as differentes
.ormas da syphis.
i
Dsc Nos primeiros seis dias uma
colher das de cha pela manha e outra
noite, paramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para colhe-
.es das de sopa para o adultos e me-
tade para as crianzas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhos frios ou
mornos, segundo o estado da molestia.
DEPOSITO CENTRAL
Francisco Manoel da Silva & C.
Droguistas
23 Ra Mrquez de Olinda
Pemambuco
^sppppppnnBjBnwii
P ara engenho s
QUIMARES & VA LENTE, partea
pam aos seua freguezes e Illms. Srs. de
engenho que, como sempre^ tcm grande
deposito dos artgos abaizo mencionados,
garantindo tudo de primeira qualidade e
presos sen competencia a saber
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguarbe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito depeixe.
Pixe em lata,
(5 ga!3es.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa dn Russia.
(em caixas, barriquinhas, latas grande*
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo6
Boa compra
Vende se um bom piano com pouco uso, do
autor Hery Herz, por p -eco mnito razoavel; a
tratar na ra Mrquez do Herval n. 81, on na
ra do Vigario n. 4, taverna.
Nova remessa
Oliveira Campos A C. receberam nova remessa
de merino de duas larguras, e de todas as co-
res, padroes iavrados, o que ha de mais gosto.
por 500 rs. um covado na rna do Crespo nu
mero 21.
H0ltiAISm
Pf* *5l.SR^ Vtnds-sa sn toda a oart
Canarios
So armazcm da rna de Pedro Affonso n. 6, h
para vender grande porc&o de importanteea-
narios belgas e aliemSes, cujas precos razoaveis
se far&c contorne a qualicade dos mesmos.
Espero que ros entendamos tao bem
quanto o desejo.
E, depois de uma pequea pausa, o con-
de proseguio:
E que mais me dira esta gente a
sea respeito ?
Dir-lhe hiam que, ficando eu orphS
aos dez annos, era bella e tinha a con-
sciencia da minha belleza. No nosso paiz
a crianca de dez annos mulher. Ao cabo
He seis mezes tinha eu como... protector
uma das summidades governamentaes da
ilha. Era rica, adulada, festejada; em
surama, tinha uma corte. Era quasi uma
r; inba, nSo assim ? Toda essa gente que
aqu est, foi outr'ora s minhas festas.
Pergunte Ih'o!
Para que ?... E depois !...
Depois... o meu protector morreu,
ferido em duello por um pobre rapaz que
tinha fama de eep meu amante e quo pt-
gou com a vida essa impostura, porque foi
er.forc.ido quasi sem ^ligamento. Isso fez
um e*' ndalo medonho na colonia ; todos
se affastaram de mim como de uma crea-
tura malriita, e achei-me aos qninze
annos, apeada das grandezas, pcimeiro
spontada a dedo e depois requestada com
emperno, porque tinha o mltiplo attrac
tvvo da juventude, da belleza r da celo
bridade. Citavam as mi;, has excentrici-
dades, ns minh s aventuras. Mentiras. Eu
vivia com- uma enaiti. O que nao po-
d.am 8kber, evautavam. E eu dcixava
fallar. Nfio servo de nada luctar cora a
inveja ou a malqerenca.
--Yertamente.
^Sksora, ha tres annos que por aqui
vifoj sem desejos, sem paix3as, sem cousa
1 Est ent3o morto o seu coracSo ?
pergnntou o Sr. de Bretigny com vivaci
dade.
Paik engenhos
Lopes & Arauj, venden
a precos sem competencia,
garantindo a boa qualidade.
os artgos abaLxo' mencio-
nados.
Gal de Lisboa. *
Dita de Jaguarbe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixa
de 10 e 25 kiJcs.
Cimento Porttand.
Graxa em bexigas.
do LivrameQto o.
Telephoiae 316
>
Especialidades
PASTFLHAS HYGIENICAS PARA
AC ENDER O FOGO, supprimin-
do o immundo kerosene e dan-
do n'um instante um ogo inten-
so, a caixa com 20 pastihas 100 rs
OLEOGRAPHIAS: Io. A importan-
te obra prima de Victor Meirel
le- : A Primeira Uisea no Rra-
zil, grande quadro histrico da
decoberta do Brazil, medindo99
X 76 centmetros de valer real de
15 poucos exemplares) 6000
2o SCENAS DE CRPJDAS, qua-
dros de cavados admiravelmente
desenhados e propros para Ba-
las. 26 differentes, um 1000
3 RETRATO DE SADI CARNOT,
presidente da repblica trance-
za, o melhor ainda publicado lOOO
CAMISAS DE FLANELLA para ho-
mens, uma de 2 a 5*000
PERFUMARAS, artgos para presentes. Qnadros
e albuns para retratos. Carteiras para cigar-
ros e charutos. Cigarreiras e charuteiras de
mbar e espuma verdadeiros. Bengalas. Pa-
Belaria. Lencos de linho a 4J50O a dnzia.
eias. Espartilbos. Leques. Bonecas e brin
quedos diversos. Fitas. Bordados. Luvas de
seda pr. tas e de cores e ontros muitos artgos
de miudezas.
Hal barato do qor em oatra qunl-
querparte
NA
Rainha das Flores
5i.ua doBaro da Victorias. 41
!I
t'.S-
*oyl Bleod marca V14D0
EBtc excellente V/hisky Escocez prc
fcrivel ao cognac on agurdente de MB%
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nps melhores arm>
zens de rrolhados.
Pede S.oyaI Elc-nd marca Viado
cujo come e emblema sao registrados par
todo Brazil.
BROWNS C. agentes
Cautelas do Monte de Soj.
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc
corro do qua'.quer joia, brilhactes e relo-
gioa, paga-se bem na ra do Cabug n
j4. n. Loja de relojoeiro.
Superior yinho de Al-
cobaya
O acreditado e antigo armazem do Lima par
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acabs
de receber ama nova remessa deste especial
vinho, escolhido propiamente pelo chefe desta
casa, tomando-se recommendado por ser pnrr
e de boa qualidade- Jote Fe mandes Lima & C.
maBarod^ Victoria numero 9. Telepbone323
Mercearia
Vende se a da Camba do Carmo n. 2 ; a tra
tar na mesma.
Agua maravilhosa
Com a applicaco desta agua, quem soffrer de
espinhas. panno3 sardbs, femds e vermelhidSo
do rosto, ficari perfeitamente curado, rtconhe
cendo a, del se modo, como nico especifica
efficz. Alem desses effeitos, tem ella a pro
piiedade de, tornaDdo a cutis limpa, dar-lQe a
cor natural. A c. da vidr i quecusta 11, acom
>anha a respecti 'a indicajo do uso.
Abaixo as pomadas
Vendem Farias Sobrinho & C, ra Mrquez de
Olipd n. 41.
Alerta com a Revoluto
S Una Dutjue t Caxlas48
W BARATISSIMp
Sari de linho a 4.0 rs. o covado.
Etamines c todas as c6res a 3C0" 4CC
n.ji covado.
Zephros finos a 120, e 160 e 200 rs. o
covadd.
MerinB de cores cam duas larguras a
400 rs. o covado.
Cachemira com quadros de seda para vefe
tidos a H o aovado, fazenda de 2)5000
Ditas com toque de molo a 800 rs. o co-
vado.
Cortes para vest:dos, ultima moda a 75COO
um.
Ditos bordados a 10)5000 um.
Ditos bordados brancos e creme a 13)5000,
14)5000 e 15)5000 um.
Cusaco de seda franceza a 2(5000 um.
'Jort nados bordados a 60C0 o par.-
Ditoa de rochet a 8,5000 e 10(5000 o par.
Ficnus de,retroz prateodo a 1)501)0 um.
Colchas de todas m cores a 2tOO, 3(8000,
4)5000 e 5500*pma.
(-bertas forradas a 5f>00 uma.
Bramante com 4 larguras, trancado e liso
a 800 e 1(5000 o metro.
Tcletts para baptiaados a 8^000, 9(5000
D 10(5000 uma.
Pannos da Vosta para mesa a 1(5200 o co-
vado.
M&dapolSo americano a 60C0 a peca com
. 24 jardas.
Camisas de meia a 1000 uma
Ditas de linho e algodao com collarinho a
2,5COO uma.
Toalhas para crianca a 120 e 160 rs. uma.
Fus tao de cores para costumes a 50C rs. o
covado.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs
um.
Ceroulas francezas, a 1(5000 uma.
Atoalhado de linho com toque de mofo a
2,5400 o metro.
Dito de algodo a 1(5200 o metro.
Algodao trancado para toalha a 10 0 o
metro.
Espartilhos couraja a 45, 5)5000 e 6000
Lencos de algodSo brancos e com barra a
1(5200 a duzia.
Ditos de linho a 2)5500, e 3)5000 a duzia.
Sansuk fina a 120, 160, 200 e 240 rs. o
covado.
Cretones claras e escuras a 203 e 240 rs.-j
o covado.
Organdis a 400 rs. o covado, fazenda de
800 rs..
Setineta lisa de todas as cores a 240 rs. o
covado.
Ricos cortes bordados a seda para vesdo,
de 6v(50OO por 25,5000 e 3O)50C0.
Costumes de Jersey para'enancas a 7(5000
um.
Voile de algodo a 240 rs. o covado.
Merinos bordados, de cores, a 600 rs. o
covado.
Crep, ultima moda, a 600 rs. o covado.
Cambraia de quadros para vestidos a 1(5800
a peci.
Brim pardo trancado a 240 rs. o covado.
Casemira de cSres para roupa de homem a
1|J2.0 rs. o covado.
Para a qnaresma
Merinos pretos a 800, 1)5000 e U20D o
covado.
Manteletes pretas a 5)5000 e 7(5000.
Fiehs pretos a 10OLO.
Ricos cortes de cachemira preta bordados
de vidrilhos a 30000 um.
E umitas outras fazendas pretas como
sejam gorgorSo, setim e cachemira que se
vendem com o abatimento de 50 /0.
.Vio esqnecendo
que em sna officina de alfaiataria apn ra-
pta-se qua'quer costume e em 24 horas,
assim como tem um completo sortimento
de brins, casemiras de cores e pretas, que
vende por prejos sem competencia.
A Revoluto
HENRIQUE DA SILVA MOREHIA
Talvez!
A senora nunca amou ?
Dobly suspirou.
J amei, j, murmnrou ella.
Depois, erguendo n'um movimento brus
co a su a formosa cabea, acerescentou:
E ainda assim nao sei se aquillo foi
amor Um sentimento que so em mim je-
rou a colera e a dr !...
Ah !... Alguma paixito incon pre-
hendida... um amor repellido, sem d da ..
Sim, o meu amor repellido, reputia-
do repetio a joven com o olbar fulguran-
te de odio.
Serio? Pois pode haver um honem
tSo estpidamente... virtuoso que...
-r- Esse homem uma das inteligen-
cias mais robustas que eu conheco e nao
teve outra virtude senSo a do desespero.
A esphinge de Thebas nao era to
enygmatica como a seuhora, dase o Sr. de
Bretigny camp mentando.
E comtudo nada mais fcil de com-
prehender, proseguio Dohly. Heariquo
roltava da Europa, onde parece que uma
grande desgraga o ferio.
Hennque, diz a senhora ? pergnn-
tou o conde tornar do-se sbitamente pal
lido.
Sim, replicn qiiasi machinalmente a
mestiga, chamava ee Henrique. Tentei cu
ral'O, dissipar-lhe a triste recordajSe que
Ihe enveuenava a vda. Tudo foi baldado;
impossivel galvanisar o coragSo que o de-
espero matura.
Continu, continu, affianco lhe que
me est interessando, insisti o Sr. de
Bretigny, com um sorriso quo Dohly teria
achado singular, se n8o estivesse toda en
tiegue ao seu pensameuto.
Continu o que ? disse ella brusca-
mente. Acaba aqui o meu romance de
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os propietarios do Armazem Central, nu
do Cahug n. 11, avisam aos seus distinctos fre
mezes eao respeitavel publico que receberan,
nova remessa deste especial vinho, o qual s*
recommenda por ser puro da uva, e s se reta
Iba em seu armazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
Azulejos
Lindo sortimento de fias verdes n. 5, 9 e
12, padrSss o que ha de moderiiOc.
Fitas lavradas- com um palmo de largu-
ra a 25000 o mc-iio.
G-ande sortimento de galdes, palmas ro
sas, pingentes e guarnieres pretas de
v.drilho para vestido.
Lindas costureiras de ve'ludo proprias
para presentes.
Lindas boleas com estojo para costara.
Grande sortimento de caixichas com ex-
tractos proprias para presentes a 25000,
35000, 400l>, 55000 e 65000 uma.
Livros de missa, de madreperola e de
velludo.
Lindes ohjectos de crystal para presente
como sejam : porta-relegio, parta extra-
cto, porta-p de arroz de 45500 at
125000.
Finos a'fi.etes para gravatas.
Grande sortimento de broches americanos
para sechoraa.
rCaixas com msicas a 25, 35000, 45000
at 120000.
Pegadores de prata de tranca a 15500.
dem de tartaruga a 15000.
Grande sortimento de galSzinhos brancos
e de cores para eafeitar casacos e roupa
de crian gas
Caixinhas com s&bonetes a 500, 600, 700
e 15000.
Grande sortimento de bengalas finas a
15000, 15500, 25000 e 25500, o que ha
de mais bonito.
Lindas chapelinas para crianca, gosto mo-
derno.
Porta-retratos a 200 e 300 rs. um.
Grande sortimento de lenjos de seda a
15000, 15500 e 25000 um.
Gu^rnis3es para toilet a 650G0 e 75000.
Lindos porta pos de arroza 15500, 25000,
35O0O, 45000, 55000 e 65000 um.
Finas ligas com ramo de flor de larangeira
proprias para noiva a 15500 o par.
dem de todas as cores a 15000, 152CO,
14500 e 25COO.
Rendas hespanhoia de todas as cores.
dem pret:i s com e sem vidrilho.
Grande sortimento de bicos matisados e de
uma no cor.
Sabonetes perfumados a 500 rs. a duzia.
Lindos desenho3 para talagarca.
(irande sortimento de biccos pretos de
seda, algodSo e de IS com c sern vidri
Iho.
M- ntilhas de seda e de algodSo pretas e
de cor de creme, proprias para moja,
Franjas pretas com e sem vidrilho.
Collarinho para homem a 35000 e 45O0O
a dnzia.
Bordados de cambraia tapada a 500, 60'!,
800, 15000, 15200 at 25000 a pe?a.
dem com 3 e 1/2 metros, de qualquer
largura, a 15200.
Lencos de linho a 35000 a duzia. em cai-
xinha.
Meias para hemem a 45000 a duzia.
dem para senho:a a 450. 0 a dita.
Grande sortimento de pulceiras ameri-
canas.
Cortinados de crothet para cama a 125000,
175000 e 195000.
Ditos para janella a 75000.
GuarnifSes para cadeira a 65000.
Pannos de crochet para cadeira a 800 e
15000
Capellas com veo para noiva a 65000,
5000 e 105000
Panno de crochet para sof a 2;"000.
Lindos enxovaes para baptisades a 85000,
105000 e 125000.
Grande sortimento de luvas finas para se-
nhora a 15500, 25000 e 25500 o par.
dem par menina a 800 e 15000.
Grande sortimento de espartilhos para
moSa a 45000, 45500, 55000 e 65000.
Linhi de machina a 600 rs. a duzia.
Idam dem a 60 rs. o carritel.
Espartilhos para crianca a 45000 e 45500.
Toalhas para banho a 15500.
dem para rosto a 300 rs.
Babadores eom inscripclo e paisagem a
cOO e a duzia a 45000.
Grande sartimento de espelhos finos ovaes
e de canto redondo a 45000, 55000 e
65000.
Bengallas de flauta -i 15500.
103RA DUQUE DE CAXIAS103
Barbosa & Santos
Com lindissimas cores e desenhos variadiss;
mos, encontrase para vender um grande sort)
ment desse artigo, propros para frente de.ca
sas, corredores, cosinhas e banheiros ; por pre
eos aem competencia na ra do Visconde de
Goyanna n. 45.
amor. As mulherea como eu prestam se
a ser conquistadas, Sr. conde; n5o se offe-
recem.
E o Sr... Henrique continua a vi-
ver em Batavia ?
Continua... responden a joven que
nSo pode di3simular a inflexao triste da
sua voz.
A senhora diz isso em um tom....
insinuou o Sr. de Bretigny. Querem ver
que elle levan o seu crime ao cumulo...
casando-se ?
Quem lh'o disse ? !
Ninguem... E' uma supp.- sigSo mi-
nha.
Pois 6 verdadeira. Casou-se. Oh 1
foi um simples casamento de convenien-
cia, embora sua mulher seja muito for-
mosa.
Pobre senhora Lamento-a devras,
murmurou o conde com uma unecao toda
paternal, e comprehendo como deve ter o
coragao profundamente magoado.
Nao ;$8t apenas vasio.
E para que licou depois neste meio
onde tudo a i eve torturar? porque nSo
tentou affsstar se deste circulo doloroso, e,
confesse, acanhado de mais para as snas
aspiracSes ? Bella, como a Benhora of I
tendida como foi, precisava um balsamo
para cicatrisar a sua fjrida, o e a Europa
godera fornecer-'h'o. E da abrir-lhe hia
os bracos como a mais dilecta das suas ti
Ibas e proporcionar lhe-hia mil gozos que
aqui lhe faltara; a realeza a que tem di-
reito, a felicidade que a Ba juventude re-
clama, restituir-lhe-hia at a crenfa no
amor.
Dohfy sorrio.
Talvez eu v um dia verificar
exactidao do Beu horscopo.
Para o completar, o mais que posso,
servir-lhe de introductor. Estarei algu-
Vende-se
uma casa sita ma do Motocolonb n. 23, em
Afutrados, edificada de novo, com 2 salas, 5
quartos, cosinba fra e quintal grande ; i tratar
na ra velba de Santa Rita n. 64.
mas semanas em Java, quando muito al-
guns mezes ; se quizer, partiremos jun-
tos.
Na occasiSo lhe direi se aceito, res-
pondeu a mestica, cujo olhar assumira um
brilho estranho.
E' justo ; esquecia me de que a sua
vontade absoluta, a ponto de nao duvi-
dar em descubrir Toby Hoortfroog, se lhe
dsse na vontade.
De certo, e n2o digo que ..
Que renunci-: a isso, nao assim ?
Justamente.
Quer entao entregal-o justica ?
NS j ; mas tinha curiosidada de ver
ao menos por um minuto um homem em
quem a paixao e o odio fora'n violentos
bastante para o levarem ao terrivel atten
tado que elle commetteu.
Pois eu tenho quasi igual curiosi-
dade.
Dohly, entao, abaixando a voz, pergnn-
tou :
Vamos procralo ?
Juntos? Aprazer-me-hia muito....
exclamou o Sr. de Bretigny com ardor
Ol! isso rao. n spondeu a formo-
sa rapariga com uma ga-gafrada; isso
desacreditara ao senhor e far-me hia sof
frer algumas desfeitaa; alm de que, re
celo que ir.ibalhando juntos pe:dessemos o
tempo. Fajamos melhor. O senhor de-
seja que v para a Europa ; eu. tambem.
Apostonie-B com Toby. Aquelle de nos
dous que descobrir o paradeiro delle, po
der impor ao outro a sua vontade.
Mas eu ub o coohego Como que a
sennora.,
Ora EstaojjJ liados por^oda a
darte o retrato 4Rri| Mes delle ^f.- V;
mos, aceita,
Que
A LOJA DAS LUSTRAS
A ra l) p de Caxias d. 61
iTEN 3E MAIS BARATO
d descont a nem comprar
de O.soito para cima
Vende pelos seguinies prrgos :
Las d-quadrinho a 160 e 20 rs.
Zephyr de quadrinho a 100 e 200 rs.
Percfiles claras e escuras a 300 t 240 rs.
Casfccs de uma e cor a 100 rs.
Merino preto com duas lr-rguras a 440 rs.
Cachemiras e merinos enfeitados a 400 ri.
Cortes de zephyr de quad<;nb.08 bordados
45000.
Fichus de renda e proteidos a 500, 800 e
15000.
EsgusSo pardo para vestido a 320 e 360 rs.
Brim pardo liso para roupa de me:.iros a
240 rs.
Cortes de casineta de cores a 15C00 para
homem.
Colchas de fu-tSo de lindas cores a 15809
e 25000.
Cortinados bordados para cama e janella a
55800 o par.
Toalhas para menino a 15500 a duzia.
Guardanapos a 15800 a dita.
Bramante de 4 larguras a 640 e 5O00.
Lencos brancos finos a 15200 a duzia.
Espartilhos finos a 45000.
Crinolina branca, preta e de cores a 400 rs.
Baleias a 200 rs. a duzia.
Arco de ajo i 100 rs. o metro.
Bicos brancos, de cores e matisados todos
os prejos.
Rendas pretas e com vidrilhos a 15000.
Mrfntilhas pretas hespanhola a 450CO.
Etamines de cSr, phantasia, a 4C0 r.
Tecidos de linho muito finos e largos a
400 rs.
Cachemiras pretas arrendadas a 25000.
Sedas de cores com listras ou ramagens a
15400.
Surf.h preto e de cores a 15400.
Setins maco de todas as cores a 800 rs.
Cortes de vestidos de cachemiras bordados
a 155000 e 205000.
Cortes brancos todos bordados a 155000.
Cambraias bordadas e cem salpicos, finos.
a 45000-
Cortinados de crochet de cores para janella
ou cama a 15400.
Meias de seda para senhora a 35000.
Penteadores bordados a 35000.
Camisas bordadas para senhora a 55000.
Vestuarios manijo para meninos a 55000.
Capellas com veos para noivas a 65000 e
85000.
Setins brancos, muitos finos, a 800 rs.
Luvas de seda brancas, pretas e de co-
res a 25000.
Meias arrendadas, brancas, para noiva a
15500.
Novia ades
Mosquiteiros com armacao a 155000,
Estantes para msica, para amadores, a
550,0.
Oleados para mesa de qualquer tamanho
a 45500.
Relogios americanos espertadores a 75000
85000
Sabonetes finos a 500 rs.
Collarinhos e punhos de celluloide a todo o
prejo.
Fitas de seda, todas as cores e todas as
larguras desde 320 rs.
Retratos a oleo
Com lindas molduras douradas em alto re-
levo, e muito lindo para um presente eu
para sala de visitas.
a ttOOO e mala procon
Qualquer familia que desejar ter um lin-
do retrato bastante mandar um cartao
de visita nao importa que seja antigo,
basta dizer a cor dos cabello e cor dos
olhos para chegar um retrato desejado.
Para ver, e fazer encommendat
Dirija-se Loja das Listras Azues
61RA DUQUE DE CAXIAS61t
I/.
. i

r



US JM

<
- >:
Pao centeio
Mello 4 Biset tendo recebido nova remessa de
farinba centeio, avisa aos seus freguezes qne
eontinuam a fabricar este delicioso pao centn
'odas as tercas e sextas-feiras ; na roa larga do
Rosario n. 40.

Cdigo Criminal Brasileiro
Ciimmeniario pbllosophico acl-
eniiflco
em relaco com a jurisprudencia e a legislafo
comparada peloDr. JoSo Vieira deAraujo
Comprehendendo todo o titulo primeiro da
parte primeira do cdigo e muitos artgos de
segundo titulo.
Um grosso volme de composicao compacta
em oitavo grande francez de paginas 486.
A' venda na Lnraria Econmica, ra do Im-
perador n. 73.


de Bretigny, que senta ferver lhe o san-
gue sob os olhares da joven.
Est entao apostado ? perguntou ella
estendendo lhe a mSo.
Est apostado respondeu elle aper
tando-lh'a.
0 que ? interveio o Sr. Holiowuys
meito admirado.
Aqui o Sr. de Bertigny aposta que
ha de descobrir Toby Hoortfroog primeiro
do que eu.
O Sr. conde ?
Eu mesmo.
Mas o senhor nSo falla o hollandez
nem o malaio.
E alm disso chegou aqui ha seis ho-
ras apenas... E' uma loucura! exclamo!
o najor.
Ser uma loucura. Mas eu sou do
Instituto de Franca, e os problemas inao-
luveis sao os que mais me tentam. Mante-
nho a aposta, e descobrirei Toby.
Deus o ouca, suspirou tristemente o
Sr. Hollovyuys. Mas c torno eu a reca-
hir no meu spleen... eu que j contav
ter de o gniar por toda a parte !
Ent3o que tem ? O m-u novo e ex-
cellente amigo encaminhar me-ha na pista
de Hoortfroog.
E' verdade, nao diz mal.. exclamou
a gorducho ; e at uma cousa que jde
d^r.ir uiuuo lempo.
Oh Muitissimo tempo! disse o con-
de rindo.
Mas a que proposito o empenho*
Dohly n'uma tarefa de tal ordem?...
A proposito de cousa alguma. Creio
at que tul cu. .
(Continuar-sehr;)
taris ra do Duque de .j n.i
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFNM0R2GZ_CBAG1J INGEST_TIME 2014-05-28T01:26:00Z PACKAGE AA00011611_16531
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES