Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16522

Full Text
-
ANNO LXV NMEKO 5S
DIARIO DE
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Propriedade de Manoel Wiguzirm. de Faria db Filhos
Por tres meses adiantados. .
Por seis dios dem......
Por um anno idem......
Cada numero avuko, do mesmu dia.
6,5000
120000
230000
100
F
____TELEGRAMAS
jsbvi:: fxasm so sxabio
NATAL, 5 de Margo, as 11 horas e 30
minutos da raanba.
Aqui chegou hoje, procedente do Norte,
o paquete nacional Pernambuco, o qual
segu tarde para os portos do Sul.
RIO DE JANEIRO, 5 de Margo, s 4
horas e 30 minutos da tarde.
Foi publicado um desreto do governo
provisorio regulando o numero, as res
pectivas classes, e augmantando os venci-
mentos dos tunccionarios das Thesourarias
de Faz nila.
Foi nomeado inspector da Alfandega
do Estado da Parahyba o Dr. Luiz Code
ceira.
.

SS&7Z5D DA ASESCIA 2A7A2
PARS, 4 de Margo.
Um membro da esquerda radical da C-
mara dos Deputados interpeou o ministe-
rio a respeito da demissao do Sr. Cons-
tans.
A discu sao da interpellacao terminou-
se por urna ordem do dia de :ontianga
que foi adoptada por
200.
249 votos contr?
t
PARS, 4 de Margo.
Apezar da votacao da ordem do dia de
onfianca pela Camaca dos Deputados,
eo.-re o boato de que a situagao do Mi-
jiterio Eirard acha-se compromettida.
MADRID, 5 de Mirgo.
I O governador geral das Philippmas deu
a sua demissSo.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
5 de Margo de 1890.

IHSTRUCCiO POPULAR
::;:..:: ::::::::::::::
DA
jUTTEMTUM BRAZILEIRA
NOS
TEM^-OS COiVOSKs&JBS
I
(Coatinuagao)
DUBO
Oh aojo, deixa me j,
Que temo desta Sentiora
A1U0
Comtanto que te vas fra
E nunca mais tornes c.
DIABO
Ora seja na m hora,
Indo te diz ao poto)
Ou deixai-vos descangar
SoDre esia uiinha pronessa,
Ou darei volta depressa
A vossas casas cercar
E quebrar vos a cabega.
sicas dj solo e do clima, possa o pa!z offerecer
tambem ao estraogeiro as vantegens moraes que
resulum ae urna legislagao bast-rate livre para
garantir toda a expansao da actividade indivi-
dual, condigo indispensavel para o bem estar
da vida social;
Que, para obter esse resultado, torna-se pre
ciso eliminar, desde ja. do corpo da legislagao
patria todas as disposigej e preceitos que pos
sam contrariar os costumes, as tendencias e as
aspirages do estrangeiro, prudozia lo, por sso
mesmo, o descrdito do paiz como pomo de des
tino para os emigrantes;
Que urgentemente necesario completar" a
obra da reforma da legislagao para o estrangeiro,
j lo adiaptada pelo governo da Repblica com
a decretago das leis da nacionalisagSo, liberda
de de cultos e casamento civil;
Que essa obra seria incompleta emquanto
pe manecessem na legislaco nacional os vexa-
torlos preceitos que regulam os contractos de
locago de servigo agrcola ;
Que este rgimen ja se acha, felizmente, pro-
scripto na pratica, porque os agricultores brazi-
leiros, na sua critenosa observagao, tem com-
prehendido ser mais conveniente substituir os
contractos de locago, taes como os concebe a
legislagao at boje em vigor, por actos de pura
crnvengao. tendo por base o mutuo coaseniiraen
to, elevando por esse modo o colono categoria
de parte cntractenie, que, alias, lhe recusada
por aquella legislagao;
Que, assim proscriptas pelo desaso taes leis,
a sua permanencia no corpo da legislagao nao
piie servir senao para dar causa no estrangei-
ro ao descrdito injusto da nagao brazileira,
cima ponto de destino, e embargando por esse
modo a formago de urna franca crreme immi-
gratoria;
Que, finalmente, em vista da diversidade com-
pleta e seosivel na natureza, no methodo e as
condig6es do trabalho de urna para outra zona
do paz, e para melhor consultar as necessida
des e as exigencias peculiares a cada ama, tor-
na-se indispensavel que seja conferida sobera-
na dos poderes dos estados a exclusiva compe
tencia pira regular as mutuas relagoes de iireito
nesta ordem de contractos ;
Decreta :
Art. 1. Ficam rcvogadas as leis de 13 de Se
tembro de 1830, ti de Outubro de 1837, n. 2,827
de 15 de Margo de 1879, e toda3 as disposiges
exorbitantes do direilo commum, relativas aos
contractos de locago de servigo agrcola
Art. 2." Fra do municipio da capital federal;
aos poderes de cada um dos estados federaes
pertence exclusivamente a competencia para re
guiar as mutuas relagoes do dir to entre o lo
cador e o locatario no respectivo tjrritorio.
A-t. 3. Revogam se as disposiges em con-
trario.
O ministro e secretario de estado dos negocios
da justiga, assim o faga executar.
Sala das sesssido governo provisorio, em 22
de Fevereiro de 1890, 2" da Repblica.Manoel
Deodoro da Fonseca.M. Ferraz de Campos
Salles.
^ Decreto *. M2 de 22 de Fevereiro de 1890
Revoga as leis que exigem passaporte em terapo
de paz
0 generalsimo Manoel Deodoro da Fonseca,
chefe do governo provisorio, constituido pelo
exercito e armada em nome la nago, conside
rando :
Que a exigencia legal do passaporte, alem de
estar em raanifesta opposico a um rgimen de
completa libeidade individual, tambem um
grvame imposto ao emigrante ;
Que urna tal exigencia, tendo j sido prosen
pta por iaiuslificavel da legislagao de muitos
paizes, onde alias superabunda a populagao,
cosn maioria de razo deve sel-o no Brazil, cuja
vastidaj territorial est reclamando o concurso
emigratorio de todos os paizes de origem para o
seu povoamento, riqueza e progresso ;
Que os trotados e as convenges de que boje
dispem os governos, tanto no que respeita s
necessidades do policiamento interno, como no
que concerne s providencias para a apprehen
sao dos crimioo-os foragidos no estrangeiro.
dispensara pela sua propria eficacia o uso do
passanorte, que assim tem-se transformado em
urna simples inutilidade vexatoria, resolve de-
cretar :
Art. 1." Todas as pessoas podem entrar e per-
manecer no territorio nacional ou delle retirar-
se, em lempo de paz, como e quando Ihes con-
venha, levando comsigo os seus bens, indr-pen
dente de passaporte, guardadas as leis de poli-
ca e os direitos de terceiro.
Art. t* Revogara-se as dispotiges em con-
trario. ,
O ministro e secretario de estado dos negocios
da justiga, assim o faga executar.
Sala das se3ses do governo provisorio, em za
de Fevereiro de 1890, 2 da Repblica.Manoel
Deodoro da Fonseca. M Ferraz de Campos
Salles.
Os Srs. Amede Pril&e & C.
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios e publica-
res na Franca e Ingl^tla.
SE
PARA DENTRO E FRA DO ESTADO
Por seis mezes aiant Por nove ditos idem. .."... 200000
Por um anno' dem. ...... 26^000
Cada numero avulso, de das anteriores. 0100

Os 1' officiaes sero nomeados por accesso,
tendo se em atteogo o merecimento 'o funecio-
nario, e, em igualdade de condiges, a untigui-
dade.
A' nomeago dos i" officiaes e dos amanuen
ses preceder coocurso na conformidade dos
arta. 23 a 27 do citado decreto de 1874.
A do ajudante do ofioial archivista dever re-
cahir em pessoa idnea, pref nhara feito concurso para o lugar de ama
auease. ,
Art. 8. 0 porteiro, o ajudante do portero, os
continuos e crrelos licaro immedialamente
subordinados ao director geral.
Art. 9." A aposentadoria dos differentes em-
pregados continuar a regular-se pelas disposi-
ges do capitulo VIH do mencionado decreto n.
5,659. Entretanto, poderao ser aposen'ados com
o ordenado por inteiro, nos cargos que oceupa
rem, aquelles que, tendo menos de 30 e mais de
15 anuos de tervigo, se houverem notoriamente
distinguido no exercicio de suas funecoes.
Art. 10. Os movimeotos dos empreados se
rao os constantes da tabella annexa.
Art. 11. Revogam se as disposiges em con-
trario.
Sala das scsses do governo provisorio, 22 de
Fovereiro de. 1890, 2o da Repblica.Manoel
Deoloro da Fonseca.Jos Cesario de Faria Al
vira.
' Tabella a que se refere o decreto n. 216 desta data
irecior geral 6:000*000 3:000/000 9:000*000
D i r e c t o r de
sccgo
1 offi :ial
2o dito
Amanuense
Ajudante do
official ar-
chivista
Porteiro
Ajudante
porteiro
Continuo
Correio
i. 800*000
3:800*000
3:000*000
2:200*000
1:500*000
2:2UO*O00
2:400*000
1:200*000
1:000*000
800*000
500*000
500*000
7:200*000
5:000*000
4:000*000
3:000*000
2:000*000
3:000000
do
1:100*000 500*000 2:000-000
1:200*000 4O00DO 1:600*600
1:200*000 400*000 1:600*0,0
Rio de Janeiro, 22 de Fevereiro de 1890. -Jo-
s Cesario de Faria Alvim.
Decreto n. 159 -de 15 de Janeiro de 1890
Providencia sobre o modo de organisagao de um
plano de viago federal
O marecbal Manoel Deodoro da Fonseca, ebefe
do governo provisorio, constituido pelo exercito
e armada em nome da nago :
Considerando que necessario discriminar em
materia de viago quaes os trabalhos que devem
ficar a cargo do governo federal;
Considerando, alm disso, que a boa execugo
de um plano assim concebido nao s assegurara
a prompta acgo administrativa, mas ainda esta
belecer lagos indispensaveis manuteogo da
unidade poltica e unio commercial dos es
lados; ,-.,-,
Considerando que imprescindivel ponderar
em objectos ae tanta magnitude as xmsidera-
gfjes techoicas, estratgicas, e jobretudo ecuno
micas, visando o povoamento e aproveitamento
dos territorios at agora completamente dsapro-
veitados:
Decreta: ,
Art. !. se nomeada urna commissao de cipco
cidados para esturtar e organisir no menor
prazo possivel um plano geral de viago, con-
sultando para isso :>s memorias, trabalhos, todos
os documentos emlira, que julgar conveniente
Art. 2 Este plano ser definitivamente aceito
a juizo do governo.
Art. 3 Fic^m revogades as disposiges em
contrario. ,
Sala das se3s6es do governo orovisoro, 15 ae
Janeiro de 1890 Manoel Deodoro da Fonseca.
Demetrio Nunes Ribeiro.


VILLA
Mote
Mais rica me vejo ?gora
Que nunca dantesme vi,
porque ter vos merec
Yirgem Santa por Scnhora.
Glosa
O Senhor Omnipotente
Me fez grande beneficio,
Dando me aquella excellenle
Legio de esforgada gente.
Do grande martyr Mauricio.
Neste dia
Se dobra minha alegra
Com vossa vinda, Senhora 1
E pois a Capitana
Hoje tem maior valia,
Mais rica me vejo agora.
o bacharel Alfredo Abdon
Bptle Ia entrancia, no mesmo
kJaym- de Siqueira Castro.
idos, de 1' entrancia, naque-
el Eduardo Antonio de Bijj-
re, de 1* entrancia, no refe
iarejyCIaudio Herculano Du-
do de Minas
de Loyola."
Di de" Jaouatj
Estado, o bach
. Da do Ro D
le Estado, o ba
Da tic Mrfcte
rido Estado, o b;
art*
Da i? ParacfW/ie entrancia. no menciona.,
do Estado, o bacbarel Mariiaho Alvares da Silva
Campos.
Da de Abaet, de 1* entrancia, no allndido Es
tado, o bacharel Jos Jacintho de Azevedo Bai-
la.
O Sr. ministro da justiga dirigi em data
de 21 de Fevereiro aos governadores dos Esta-
dos, a seguate.ireular:
Suscitndose duvida sobre a substituico
dos juizes municipaes e dos juizes substitutos,
na falta ou impedimentos dos respectivos sup
plentes de laro-vos que dala a hypotbese, de-
vem os referidos juizes ser substituidos pelos
membros dos conselhos de intendencia, do mes
mo modo que o eram pelos vereadores das ex-
tincta8 cmaras municipaes.
Ministerio da Fazenda
Forarnnomeados para a Alfandega do Rio
Grande do Korte : Io escrip'.urario o tbesoureiro
Rayraundo Antuncs de Oliveira, e thesoureiro
Gaspar do Reg Monteiro.
Foi orneado Io escripturario da Alfandega
da Parahyba o Io da Alfandega do Rio Grande do
Norte bacharel Belmiro Milanez de Loyola.
Foram comeados para as seguales Alfan-
degas:
Da AmaamasInspector, o da da Parahyba
BarSo de Abiahy **
Do ParaInspgftof o da do Amazonas, Luiz
Rodolpho Cavaffnte. Albuquerque, 3o es-
cripturario, o prarJcante Jos Ferreira Pacheco.
Do Maranha -2o escripturario o 3 daThesou
raria do mesmo Estado, Joo Paulo de Miranda
Ces.
De Pernamboco3o escripturario, o pratican-
te da Recebedoria do mesmo Estado, Tneotonio
Car03 de Almeida.
De Saotos--30 escriplurano, o z da Thesou-
raria de Fazenda de S. Paulo, Antonio Fernn-
des Pacheco. .
Foram nomeados para a3 seguinte3 lhe
sourarias de Fazenda :
i>o CearPralicante, Adolpho Caminha.
Da Parahyba i escripturario, o praticante
Joo Honorato Pereira Leal.
De Pernambuco -lospector, o inspector da Al-
fandega do Para, Dr, Democrito Cavalcaote de
Albuquerque. ^;#* m .
Das Alaeoas -Vesgpturario, o V Justiniano
Honorato de Alraeida; e 2, o 3o da do Mar'
nho, Americo Gongflres de Azevedo.
Da Bahia 2o.escripturario, o 3o Fortunato
Americo Games Dvria.,
Do Espirito Santo2 escripturario, o preti
ante Jos Carlos de Lyrio.
Foram aposentados: o in&pector da The-
souraria de Fazenda de PernambuO Manoel An-
tonio Cardoso ; ^.eonferente da Alfandega do
Cear Joaquim Francisco d03 Santos ; a pedido,
o perteiro da Theiocritoia de Fazenda do Piau
hy Honorato Dias Fer; era.
Foi nomeado Io escripturario da Alfandega
do Rio Grande do Norte o da Thesouraria de
Fazenda Antonio Celestino daCunha Pinheiro.
Foram nomeados : escripturario da Al
fandega do Para o 2 Jos Silvestre Martios Mas
carearas segundos o 2 da Thesouraria de Fa
zenda do Amazonas, Francisco Joaquim Martins
Para o 4* batalho de infantera na 'Uiali-
dade de ajudante o capito do 18" da mesma ar-
ma Felippe Bezerra Cavalcaote.
Mandaram-se reverter 1' darte do exer-
cito os alteres aggreguios arma de infantera
Manoel do Nascimen o Coelho, e de cavallaria
Julio dos Santos Pireira, visto terem sido julga
des aptos para o servigo do exer-ito na nova
inspeceo de saude a que foram submettidos.
Foinomeado para commandar o 2 bala-
Iho delnfanteria o tenente coronel do 16" da
mesma arma Manoel Eufrasio dos Santos Dias,
e para o 16 o teneate coronel commandante do
36, Joaquim Manoel de Medeiros.
Reverten para a 1 classe do exercito, por
ter sido jult'ado apto para o servigo militar, em
inspecgo de saude, o alferes aggregado aram
de cavallaria Joo Nepomuceno da Silva Cam-
pos. ., '
Foi transferido para a 1* companhia do
17 batalho de infantera o capito mesma arma Antonio Candido de Araujo Macedo
e para a 1* batera do 5 regiment da mesla
arma Romualdo de Carvalho Birros, e para a 3
campanhia do 13 de infante-ia o capito do 4#
da mesma arma Rapbael Augusto da Guaba
Mattos.
Por decreto de 3 de Fevereiro fora.u refor
mados, de coofermidude com o decreto n. (93-A
de 30 de Janeiro ultimo, os seguintes officiaes
do corpo de saude do exercito :
Cirurgiao mr'do exercito, Visconde de Soaza
Pintes.
Cirurgio-mr doexercilo graduado, Dr. Ber-
nardo Jos de Figueiredo.
Cii urgies mores de diviso : Joaquim dos
Santos Correia e o graduado Jos Zacaria3 de
Carvalho.
Cirurgies mores de brigada : Fortunato Au
gusto da Silva, Manoet Lopes de Oliveira Ramos,
Antonio Luiz de Souza Seixas e Luiz Carlos Au
gusto da Silva e o graduado Nicanor Gongalves
da Silva.
i cirurgies : Joo Honorio Bezerra de Me
nezes, Joo Thomaz Carvalhal, Jayme Al ves
Guimares, Jos Correia Vallim, Eufrosino Panta-
leo, Francisco Nery, Joo Antooio da Silva Mar-
ques, Joaquim Beroardioo da Silva Baha Gualter,
Alexandre Jos Soeiro de Faria Guarany, Lu'z
Tavares de Macedo, Pedro Gome3 Argollo Fer
rao, Jos Marques da Silva Bastos, Luiz Vctor
Hornera de Carvalho, Daniel Fredenco Julio
Silva. Alalipa Americano Franco.
2 cirurgies : Jos Pinheiro Tupraamh,
cente Porfirio Soares Serpa, Ernesto Moniz Cor
deiro Gilagy, Augusto Wenceslao da Silva Lis
boa, Pedro Delfino de Aguiar, Eduardo Augusto
Pereira de Abreu, Gentil Pedreira, Jos Antonio
Ribeiro de Araujo. .....
Pharmaceutico : capito Theodoro Vieira do
Couto e o pharmaceutico alferes Joaquim Tei-
xeira de Assis. ,
Por decreto de 22 de Fevereiro foi transre
rido para a 4" comp nhia do 22 batalo de in
fanteria o capito ajudanie do 31 batalho da
m ;sma arma Jos Leoncio de Lima.
Foi promovido a 1" tenente de artilbana o
2o lenle Digno Elysio da Silva Freir, contan-
do antigaidade de 7 de Janeiro ultimo.
da
Vi
a
Ministerio da Harlnha
Foram concedidas graduages do posto imme-
diato, ao pharmaceutico teoente do corpo de
saude do exercito Augusto Cesar Diogo e ao ci-
rurgio mor de diviso do mesmo corpo Dr. Ber
nardo Jos de Figueiredo.
- O capito de fragata Antonio Sevenano
Nuoes foi exouerado, a seu pedido do comman-
do da flotilha do Amazonas e nomeado para
Manoel
substituil-o o capito de mar e guerra
e o Io do Rio Grande do Norte Luiz Elesbo de I Lopes da Cruz.
Miranda. .... ,
?oi comeado conferente da Alfandega do
(Contina)
PARTE OFFICIAL
Actos do poder execntiv
Decreto n. X3 de 22 de Feverevo de 1890
levoga todas asMeis e disposiges relativas aos
contraotos de locuelo de servigo agrcola
. O eeneralissimo Manee) Deodoro da Fonseca,
kefe do governo provisorio, constituido pelo
ertto e armada em notada naci, conside
do: 'x>. i
One entre as medidas economicasMnais recia
Badas pelo estado actual do paiz se af ha a do
seo povo- ment, visto que a- riquez:{ publica
fetenvolve-se na mesma proporgo e
pande-a pcpulago;
Que nene intuito e alim de attrabir pa
riterio brazileiro nma corrente immigra
ontenea, perenne e abundante, necl
ao lado das extraordinarias van
que se
Decreto n. 216 de 22 de Feveretro de 1890
D oova organisagao secretaria do interior
O marecbal Manoel Deodoro da Fonseca, chefe
do governo provisorio constituido pelo exercito
e armada, em nome da nago. atteodendo ao
que expoz o ministro e secretario do estado dos
negocios do interior, decrete:
Art. !. As actuae3 directoras da secretaria de
estado dos negocios do interior sao convertidas
em secges subordinadas a nm director geral,
(cando extinctos os logares de director deque
tratera os arts.' 6o, 7* e 8o do decreto n. 5,659 de
6 de Jnnbo de 1874.
Art. 2* Alm de tres directores de secgo, ba
ver qnatro 1" officiaes, um dos quaes ser en
carregado do archivo da secretaria; seis 2 of-
ficiaes; oito amanuenses e um ajudante do ofb
cial archivista.
Art. 3 Os 1" officiaes e os demais emprega-
dos serviro as secges que o director geral
lhes designar, sendo a distribuigo feta confor-
me as necessidades do servigo, de modo que a
3* secgao, a cojo cargo Sea o archivo, tenha
dous 1- officiaes.
Art. V Ao director geral competem as attn
buiges que pertenciam aos directores de directo-
ra, nos termos do art. 13 do referido decreto n.
5 659, no que fr applicavel.
Art. 5.* Aos directores de secgo insumbe :
1. Execoter, fazer executar e inspeccionar 03
trabalhos que pertencem s respectivas secges ;
2. Coadjuvarem se prestando as inrormages
necessarias para o desempenho dos servigos a;
seu cargo;
>. Fazer qualquer trabalho de que os encar
regar o director geral, aiuda que nao sejam dos
qu- eapecialment prrtengam s respectivas sec-
ges;
4 Organlsar e apresenter opportunamente
ao director ger?l o ratatorto do? negocios que
durante o anno 'ivere-n corriddj pelas secges;
5. Advenir e repreb 'n :er os impregados de
spas secgoe* que feluretu ao cumplimento de
seus deve et ou nao ciccatarcm suas ordene; e
representar ao director geral quando o caso exi-
gir a applicago de outra penas disciplinares.
Art. 6. SeiSo substituidos em seus impedi-
mentos e faltas: o director geral pelo director
le ser-cao iiofe <> < ''tiro tiver Jesignado, ou
em falta oeste. ,. .o m.s jnligo nos esttver etu
icio : os dirtctoies de stego pelo Io offi
jpL espeetiva se.gao, e, na sua ausencia,
pelo qoe o director goal designar.
Art 7. Os lagares s director e directores de
lecgSo sero delivre aompajSo.
Miolsterlo da Justlca
Por decreto de 20 de Fevereiro foi exonerado,
a seu pedido, do cargo de chefe de polica do
Estado do Maranho o bacharel Eleuteno Frazo
Muniz Varella e nomeato para substituil o o ba
charel Augusto de Mello Rocha.
O bacharel Leandro Chaves de Mello Ra-
tisbona foi nomeado ebefe de polica do Estado
do Rio Grande do Norte
O bacharel Arthur de Avila Reboucas foi
nomeado juiz de direito da comarca do Para-
oahyba, de 1.' entrancia, no Estado de Goyaz,
tica:ido sera effeito a sua anterior nomeago para
a de Entre Rios, do mesmo Estado ; o bacharel
Aureliaoo Oliver Azaraor nomeado para este e o
bacharel E.speridio Tenorio de Albuquerque
para a de Braganga, no Estado do Para, flcando
sem effeito a sua anterior nomeago para a de
Loreto, no do Maranho. .
Foi removido, a seu pedido, o juiz de direito
da comarca de Braganga, no Estado do Para,
Jos Ignacio de Alouquerque Xavier, para a de
Loreio no do Maranho.
Foram nomeados juizes de direito : da co
mar:a de Jaics, no Estado du Pianhy, o ba-
charel Demostbenes Constancio Avelino, e da
comarca da Conceigo do Arroio, no Estado do
Rio Grande da Sel, o bacharel Cornelio Teixeira
de Magalhes e Alraeida. eando sem effeito a
sua anterior nomeago para a de D. Pedrito, no
mesmo Estado.
Por decreto de 27 de Fevereiro foram re
movidos os juizes de direito :
Joo B.iptiste de .Carvalho Druramond, da co-
marca de Montes Claros, de l. entrancia, para a
de Pirapelinga, de 1, ambas no Estado de Mi
uas Geraes. < j
Eugenio de Paula Ferreira, da de Januana, de
I. entraocia, para a de Ouro Fino, de 2.-, am-
bas no Estado de Minas Geraes.
Claudio Jeronymo Stockler de Lima, da do Rio
Dourados, de 1> eotrancia para a de Piurahy, de
2 arabas no Estado de Minas Geraes.
Francisco de Paula Fernandes Rabello, da do
Grao Mogol, de 1.* eutr-.ncia, para a do Sacra
ment, de 2.*, ambas no Estado de Minas Geraes.
Manoel Ildefonso de Souza Lima, da de There
zioa, ds 2.' entrancia, no Estado de Piauhy, para
a da Barra de Sergipe do Conde, de 3", no da
Alfredo Teixeira Mendea, da de Jaics, de 1."
entrancia no Estado do Piauby, para a de Ca
nind, de 1.\ no do Cear.
Luiz Rodrigues Nunes, da comarca do Para-
nahvba de 1." entrancia. no Estado de Goyaz,
para a' de Santo Amaro, de 3., no da Bahia, fi
cando sem effeito a an:eriur remogo para a de
Alcobaga, no Estado da Bahia. .
Foram removidos, a pedido, os juizes de di
reito: Joo Jacintho de Mendonga Jnior, da co-
marca do Rio dos Sinos para a de S Lourengo
ambas de i. entrancia, no Estado do RioGrant
Firmino de Souza Martina, da do Parnahyba
para a de Tbrezina, amba3 de 2." entraen, no
Estado do Piauhy. y_
Elpidio Jos de Carvalho e Souza, da de Ca
nina de 2.* entrancia, no Eteao uo Leara,
para a do Parnahyba, de igual entrancia, na do
Piauhy. ,.._..
Foram nomeados juizes ae direito :
Da comarca de Santo Antonio da Estrella, de
1* eatran-ia, no Est.do (lo Rio Gande do Sul. o
bacbarol Bernardino de Seona Coste Fetosa.
Da do Rio dos Sibos, de 1* entrancia. no mes
mo Estado, o bacharel Joaquim Martini. '
Da de D. Pedrito, de entrancia, no referido
Estado, o Or. Genuino Firmino Vital Capistraoo.
Da de Montes-Claros, de 1* entrancia, no Este-
Cear o 2- escripturario da do Para Jos Dias
Pereira. _.
Foi nomeado 2* escripturario da Thesoura-
ria de Fazenda do Rio Grande do Norte o official
de descarga da Alfandega deste Estado Francis-
co Herculano da Silva.
Pelo Ministerio da Fazenda foi expedida a se-
guinte portara circular, com data de 20 de Fe-
vereiro : .
Ruy Barbosa, presidente do Tribua! do
Thesouro Nacional, ordena aos Srs. inspectores
das Thesourarias de Fazenda, qne, com a maior
urgencia, fagam constar s repartiges que lhe
sao subordinadas que, continuaado, apezar da
terminante ordem contila oa circular n. 8 de 27
de Janeiro prximo liado, a pratica abusiva de
serem tratados por extensos telegrammas as-
sumptos que nao sao de natureza U!gte, e cojo
desenvolvimento s ple ser convenientemente
apreciado em officio, sero em casos semelhan-
tes expedidas coplas de taes telegrammas di-
rectora geral dos telegraphos, para cobrar do
expeditor a respectiva importancia. Ruy Bar-
bosa.
Ministerio da Agricultura
Foi nomeado engenheiro fiscal da estrada de
ferro Conde d'Eu o engenheiro Caeteno Alberto
de Castro Nascimento.
Em 21 de Fevereiro foi expedido o segura
te aviso ao governador do Estado do Rio de Ja-
Em solugo ao requerimeoto do Baro de
Cantegallo, informado, em data de 5 de Novem-
bro ultimo, pela ex presidencia da provincia,
acerca da reclamago do pagamento do valor
dos seus ex-3Scravos Joo Parahyba, sua mu-
luer e tilhos, cabe me declarar-vos que, dispon-
do o art. 7 do regulamenti de 14 de Ncvembro
de 1885 que, terminado o praso do art. Io da le
n. 3 270 de 28 de Setembro, isto era 30 de
Marco de 1887, seriam considerados libertos e
gosariam desde logo da liberdade, mlependen-
temente de qualquer formalidade, os escravos
ane nao tiverem sido dados- matricula ou ar-
rolara nto; e sendo certo que, para continuar a
maoter o seu direito o Baro de Cantegallo de-
via tl os matriculado, visto como a esse tempo
o processo das alforrias de tees escravos nao se
achava completo, e verificando se nao ll o re'o,
como declara o respectivo ageute fiscal, nao
nde ser elle ndemnisado do pretendido valor
dos ex-escravos, por.jue importara allomar por
couta" do fundo de emancipago aquelles que j
haviara recebido a liberdade pela inao da le.
. O que vos communico para os fins conve-
Q1!DseJSu1e e freternidade.-Francisco G/iwr.o.
Ministerio das Relaedes Eite
rlores
Foram publicados pelo Diario Official estes
documentos: ...;
Traducco-Ministerio das relagoes exteno
res 3 de Janeiro de 1890.
Sr ministroPela nota emular assignada
por V. Exc. no R o de Janeiro em 19 de Novem
bro prximo pausado, teve o meu governo noli
cia official de que o exercito, a armada e o
povo do Brasil decretaram a deposigao da dy-
nastia imperial e a extinego do systema mo-
narchico representativo, tendo .-ido proclamada
provisoriamente como forma de governo da na
cao brasileira a Repuolica Federativa, cons
jituindo as provincias os Estadosnidos do
Brasil. ,. u
O governo e o povo da Bolivia, que recebe-
ram cora fraternal sympa-.hia as primeiras noti-
cias do grandioso acontecimento pelo qual se re
solveu proclamou no Brasil a forma de gover-
no commum ao continente americano, apressam-
se a congratular se com o governo provisorio
dos Estados Unidos do Brasil pela pacihcamu-
danca poltica realisada pelo concurso patritico
do exercito, da urmada, do povo brasileiro com
o mais satisfactorio exitor
O meu governo reconhece a Repblica dos Es-
tados Unaos do Brasil e expressa o desejo de
maoter e estreiter as relagoes da amisade feliz-
mente existentes entre os dous paizes.
Aproveito to grate occasio para offerecer a
V. Exc. o testemunho da mmha mais distincta
considerago. .
A S. Exc. o Sr. ministro das relagoes ext i
riores dos Estados Unidos do Brasil.Rio de
JaneiroExm. Sr M Bapttsta.
Ministerio da Guerra
Foram reformadrfde conformidade com o art.
qo i" lei n. 6<8 d*t8 de AgoMo de. 18o2 ; o al
feres Rodrigues Antonio da Fonseca LewM, v is.o
a/rrar se aggregado arma de infantera ba um
anno e nave" sido julgado incapaz do servigo do
rxercito *m nova inspecgo de sade a que foi
ubmettido ; e com o sold por inteiro o sida
do do 1 boialho de artilharia F ancisco Anio
niod'Liaw, visto ter cado inutilisado para o
, ^m acgo do mesmo ser.ig..
Foram i r.tn heridos : I
p-ra a 3a corapaohia do 4" batalho de af.n
t ira o capito do 6 da mesma arma Jos Morei-
ra de Queiroz. e d'aquelle para este batalho o
capito Macoel Ignacio de Oliveira LeUo, para
ak2 companhia.
TraduccoLegago dos Eslaios UnidosPe-
tropolis, 22 de Fevereiro de 1890.
Tenho a honra de informar a V. Exc. que re
cebi hontem o segninte telegramma :
. Washington 22 de Fevereiro-Adams, mi-
nistro americano, Ro, Brasil.
. Despachos em caminho vos oformar&o ao
pleno reconbecimeo'o dos Estados Unidos do
Brasil, 'antolpelopresidmte como peloconaresso.
Fostes nomeado e confirmado ministro plenipo
tenciario juoto nova Repblica. Blaine
E' com a maior satisfago que transmuto, ex-
tra officialmente, o reconbecuuento da mais
no7a pela mais velha das Repblicas america
as. O dia de hoje propicio pa a este c .mmu
icago, por ser o do natalicio de George Was
hington. patriBrcha da minha nago.
Com sinceros votos pela prosp r.dade e Blici-
dade futura dos Estados-Unidos do Brasil e com
reiteradas segurangas da minha alte considera-
co.Robtrt Adams Jnior.
Sr. Visconde de Cabo-Frio, encarregado dos
negocios interinos darepaitigo das relagoes
tx'eriores.
Culto Publico do Ministerio do Interior exer-
cicio de 1889, para pagamento da congrua devi-
da ao peticionario relativa aos mezes de No-
vembio e Dezembro do anne prximo passad-
Reoetteu se copia ao inspector da Tnesoura-
ria de Fazenda.
O marechai governador do Estado, teado
em vista o officio de 12 do corrente du director
da Escola Normal da Sociedade Propagadora da
Instfuego Publica na-Boa-ViaJa, resolve nos ter-
mos da lei noraear os cidados bacharel Jos do
Pagd Mattoso Maia e os ^irofessores Ricardo Fon-
seca de Medeiros, Jos Luiz de Franga Torres,
para servirem de commissarios nos exarnea a
que se tem de proceder no dia 20 deste m- j :a-
quella Escola.Fizeram-se as" necessarias coni-
municGes.
OflJios:
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Recommendo vos que, depois de processada,
mandis satisfazer a inclusa cont, na impor-
tan& a de 84*W0, relativa a feria dos empre-
ados que de 10 a 16 do corrente mez estiveram
-administrando e vigiando as obras do elificio
destinado a Faculdade deDIre.to.
,Ao masmo.Remetto vos, para os devidos
effeitos. copia da tabella das quaotias distriboi-
ilus a este Estado, por conta do crdito, de que
nata o decreton. 183 de 27 de Janeiro ultimo
para-despesas do Ministerio dos Negocios do In-
terior, no exercicio de 1890. conforme o aviso
que m3 foi expedido pelo dito ministerio em 4
deste mej, ob n 653.
. Ao nVesmo.-Communicou-me o Ministe-
rio da Marinba por aviso de 8 do corrente sok
n. 354, que approvou o acto pelo qual abri em
17 de Janeiro ultimo o crdito de 18 333, por
conta da verba Companhia de invlidos, ex-
ercio de 1889. O que vos declaro para osdevi
aos fias.
Ao mesmo.Eavio-vos a copia auteotica
da acta da scsso do cooselho de compras da
repartigo das ubras Publicas Geraes na qual se
acham aclusas as respectivas propostas para
fornecimento de materiaes necessarios as Obras
Geraes. ponte Buarqae de Macedo e obras de
porto durante o semestre de Janeiro a Junho do
corrente anno, alim de mandar lavrar o respec-
tivo termo de contricto difinitivo, conforme vos-
sa informago de 14 do corrente sob n 142.
Ao engenheiro encarrega.lo das Obras Ge-,
raes. Approro o contracto provisorio constante
da acta, por copia annexa ao vosso offi-io, sob
a- 3, de 7 do corrente, nesta data remetida a
Thesouraria de Fazenda alim de lavrar-se o ter-
mo do contracto ditinitlvo, para lotnecimento
das materias necessarias a obras publicas geraes,
ponte Buarque de Macedo e obras do porto, du-
rante o semestre de Jansire a Junho deste anno.
Dovolvendo vosasdezoitopropostas queacom
panharam o vosso citado offi io declarovos que
deveis enviar a secretaria desle governo urna
2' via da acta, rato que aprimeira deve servia
uo base ao dito contracto na Thesouraria de Fa-
zenda.
Ao aspecto do do Thesouro do Estado.
Manda pagar a Gamillo de Souza Carvalho e ou-
tros pela verbaReparos e con-ervago do or-
gamento vigentea quantia 1;401*920 prove-
niente dos tr balhos realisados com o levanta-
meato dos tiilhos e reposico do c. lamento das
mas a partir da prag de Pedro 11 at a esquina
da ra de S. Joo de conformidade com as con-
tas que vos foram enviadas com o meu officio de
7 do corrente ordenando a penhora na caugao
de 12:000* depositada n'esse Thesouro pela Em-
presa Locomotora devendo essa quantia, ser op-
portunamente indemnisada a referida verba, re-
paros e conservago. ......
Ao engenheiro encarregado de dirigir a
construego do novo edificio da Faculxade dt
Direito.Transmiti vos a inclusa planta e in-
formago prestada pela Intendencia Municipal
do Recife em 13 do correle, sobre o assumpto
de vosso officio de 17 de Janeiro lindo.
Poruas: ...
O Sr. superitendente da estrada de ferro do
Recife aS. Francisco mande dar passagens por
conta do Ministerio da Agricultura Commercio e
Obras Publicas que foram requisitadas nessa es-
trada de ferro peo Dr. Joo i.rokatb, engenhei-
ro chefe da commso incumbida de estudos d
hgago das estradas de ferro do Rio Grande do
Norte Parahyba, Pernambuco e Alagas, com-
prehendendo se nesta aotorisagao as bagagens e
material da mesma commissao.
Iguaes as estradas de ferro do Prolougamento
e do Recife aoLimoeiro.
O Sr. superintendente da estrada de ierro
do Recife a S. Francisco d passagem por couta
do Estado, da estago de Auna Preta a de Craco
P n'as, a duas pragas de polica, providcnciaa-
do quanto ao transporte do preso que ellas con-
duzem para esta capital.
O Sr. superintendente da estrada de ferrt
do Recife ao S. Francisco d passagem, p3r conte
do Estado, da estago de Cinco Pontas de Una,
a quatro pragas de polica e dous presos, provi-
denciando quanto ao regre3so de duas das refe-
ridas pragas.
_ afiliis mutandis ao encarregado da este-
co de Palmares at Garanbuns.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao Limoeiro d passagem de ida e
volta da estago do Brum daquellacidade,por
conta do Estado, a tres pragas de polica, pro-
videnciando quanto ao transporte do ex-collector
Emilio de Souza Coste, que tem de ser all pro-
O' Sr. superintendente da estrada de Ten*
do Recife ao Limoeiro d passagem para este ca-
pital por conta do Estado a quatro pragas do
corpo de polica que, regressando do Estado da
Parahyba, acbam-se actualmente em T:mbauba.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Offkios. '
U inspector da Thesouraria de Fazenda.
O marechai governador do Estado manda remet-
ter-vos para os devidos fins duas ordens do Tri-
bunal do Thesouro Nacional ns. 15 e 16.
Ao delegado de policiado termo de Palma-
res O marechai governador do Estado manda
declarar-vos que approva o acto a que vos refe-
ristes no officio de 11 do corrente mez.
EXPEDIENTE DO DIA 18 DK FEVEREIRO DE 18U
OQicio : .... i
Ao commandante da canhoneira Liberdade.
D' accordo com a requisigo do inspector to
Arsenal de Marinha, n. 22, de hontem datado, au-
toriso-vos a fazerdes escala pelas Ron-as, adm.
de al deixarem os mantimentos dos respectivos
Lpharoleiros e o combustivel indispensavel ao
pharol, conforme as indicages que vos hier_
mesmo inspector, a guem nesta data commuou
que approvo a alludida requisiga-G^muai-
cou-se ao inspector do Arsenal de Manada.
Coveruo do Estado de Pernam-
buco
EXPEDIENTE DO DU 17 DK FEVERBIBO DE 1830
-O marecbal governador do Estado ialteo.
de XSS boyla, teud-eu. viste a ,u-
Kef rte^s. snsSorSo ^
decreto' n 2884 do l- le fevereiro de 1862,
abrir o crenito da quaotia cem mibris verba
EXPEDIENTE DO OU 19 DS KVRBIBO DE 1899
Actos :
O marechai governador do Estelo, tendo
e,m viste a proposta constan!* do ofncio de 17
do corrente, tob n. 308. do Dr. ebefe de policia,
resolve, por conveniencia do servigo pb modificar a portarte de 14 do referido mea, de-
terminando qne fique o Estado dividido em seta
regies, pelas quaes ser distribuido o uuraero
de pragas fixado no seguinte quadro:
Recife:
Pujo.
Varzea.
Afosados,
i" Regiao


.i
>

y -%
1*5
;
i



- T

;'-
\

vi
J
F


pssjsjsjHwswai^^T**-


Diario dcPeraamKu^--Ouiiita-feira 6 de Marco de







Magdalena,
Peres.
Torre.
Arrayl.
Boa V.agem.
Jaboalo.
Muribeca.
Lnreto.
Tigipi.
Iguarass :
Itamarac.
S. Lourenco.
Luz.
OliDda :
Beberibe.
Maranguape.

i
o

Soyanna :
Nossa Senhora do 0'
oyanninba
reas.
Pona de Pedras
Ramb:
Cane.
Timbaba:
S. Vicete,
Nazareth :
Alagoa Secca.
Carpina.
Tracunhem.
Al lianza.
Vicencia.
Alagoa do C?rro.
Pao d'Altio-
Gloria
Limoeiro :
Pedra Tapada
Boca Jardn
Taquaretiuga:
Ver ten tes
2" Regio
Victoria.
S. Joo dos Pombos
Pedra Branca
Gravat
Bezerros
Garuir:
Raposa.
Bebedouro
Altraho.
Garrapatos.
Breju :
Belio Jardiui
Jatoba.
Biacbo Doce.
Bonito
S. Benlo:
Ganhotinho
5' Regiao
Palmares.
Colonia.
Pimeul erras
Mar y al.
Jaqueira.
Panettas:
lagda de Gatos
Quipap.
Agna Preta :
Campos Frios
Preguica
Riacho do Matto.
Bar reros
Rio Forujoso:
Serinbem
Una,
Escada :
Camelleira.
Ribeiro
S, Jos.
Primavera
Cabo:
Ipojuca
S. Jos'.
Pesqoeira:
Alagoa de Baixo.
Cimbres
Alagoinba.
Buique :
Pedra
Camelleira.
Aguas Bellas
Bom Conselho
aranhuns:
Palroeira
Correles
4' Regio
5' Regio
2o
10
10
20
li
8
U
10
10
120
1
11
11
;jo
21
lo
16
120
20
12
12
10
20
20
20
120
iO
21
15
16
23
0' Regio
S. Jos do Egypto
Afogados de Ingazeira
Flores
Triumpbo
Villa Bella :
Bel monte
Floresta
Tacaral.
Jatob
Ourieory
Granito
Fx
Salgtieiro :
Leopoldina
Ca r> rob
Boa Vista
Petrelina
7* Regio
120
12
18
32
15
25
16
12
130
20
13
12
30
16
16
(3
120
Fiseram se as uecessarias communicacOes.
O warecbal governador do Estado resolve
prorogar por mais tres meies, a contar dtsta
dala o prazo para os officiaes da guarda nacio-
nal, Borneados de 13 de Julho de 1889 al 12 de
Novembro do mesmo anno, solicitarem as respe-
diva* pztentes.Fueram se as necesarias com-
munica$OeJ. _
O mareobal governador do Estado, atien-
den lo ao que requereu o cidadao Joo Benigna
Per.-ira do Lago, prelendeote aoflicio de justii,
resolve, de conformidade com o disposto no art.
206 do fegul. o. 9420, de 28 de Abril de 1888.
nomear os Drs. Antonio Justino de Souza e Jos
Bauimra Je Mello para examioarem o peticiona
rio em liflgna portuguesa e aritbmeUca, at a
tneoa das ppoporces. devendo o acto ser pre-
sidido pelo regedor lo Gym.iasio Pernambucano.
Fizeram se as necessarias communicavoes.
O marecal gobernador do Estado, aitn
den Jo ao que reqoereu o promotor publico da
comarca de Agua Preta, bacharel ManoeJ Macha
do Teixeira Cevalcaote Jnior, resolve conceder-
Ibe tre mezes de licenca. sem vencimentos, para
tratar de negocios de sen ioteresse, devendo o
peticionario entrar no goso da mesma licenca no
prazo de 20 dias.
O maredial governader do Estalo alten
dendo ao que requeren Anoa Ignet da S Iva Ra
mos, professora da cadeira de easioo primario
do sexo femioioo do Campo Verde, tendo em
vista a ioforraacio n. 79 de boje, do inspector
gerai da ingtrueco publica, e o aUestado medico
.exhibido, resolve conceder peticionaria tres
mezes de licenca com ordenado, paca tratar de
sua saude ende lhe convier.
O mareebal governador do Estado, alten
dendo ao que requeren o vigano encommenHado
da fregnezia de Tacaral, Manoel Simplicio do
Sacramento, e tendo em visto o exposto pelo in-
spector da Thesouraria de Fazenda em oflicio n
14 deste raez, sob n. 144, resolve, de accordo
cum o decreto n. 2884 do I de Feyereiro ie
fga abrir o crdito da quanlia de 300*000 a
yerto -Cuit Publico- do Ministerio do Interior
exercicio de 1889, afim de ter lugar o pagamento
das congruas devidas ao peticionario, a contar
de Janeiro a Dezembro do dito exercicio.ile-
metteu se copia ao inspector da Thesouraria de
Fazenda.
O mareebal governador do Estado, tendo
em visto o exposto pelos inspectores do Arsenal
de Munaha e da Thesouraria de Fazenda em
.oficio de 25 de Janeiro ultimo, e 14 do correte
80b db. 10 e 140 resolve, de accordo com o de-
creto n. 2884 do i." de Fevereiro de 1862, abrir
O crdito da qoantia de 230*468 a verbaAr-
aenaes-do Ministerio da Marinha, exercicio de
1889, afim de que, junto de 19*831, nosaa ter
lagar o pagamento da gralificaco de 18 das io
miz de Dezembro prximo tindo do capitao-te-
nenle Rodrigo Nunes da Costo, director das ofi-
cinas de construccoes oavaes na importancia de
1494999 Remetteu se copia ao inspector da
Thesouraria de Fazenda e communicou-se ao do
Arsenal de Marinha.
Officios :
Ao Dr. chefe de policia.Declaro, vos que,.*
vista da informaco junta por copia de 12 do
correte mez do direelor da Colonia Isabel, deixo
de attender ao voseo pedido relativo a admiasao,
nsquelle estabalsaimemo, do menor de que trata
o vosso eflicio n. 181 de" de Jwhwo nodo.
Ao presidente do Tribunal da Relaco do
Recife. -Digoai-vos de providenciar para que se-
j ministrada a certido do processo de Jos Pe-
reira da Costa Miranda, que lendo sido condem-
nado por accordfio desse Tribunal a 2 annos, 5
mezes e 5 dias de priso, perda dos officios de
tabelliao e escrivd de orpbos do termo de Sra
nito, com inbabilitaco para oulro por 3 1/2 ao
nos e multo de 12 1/2 % do damno causado,
agora inteipde recurso de graca no sentido de
ser perdoado dos 3 1/2 annos de inhabilitando
licando reintegrado nos mencionados oficios.
Ao mesmo.Dignai-vos de providenciar no
sentido de ser me apresentoda acertido dop'O-
cesso do reo Jos Joaquim Marcellino de San-
t'Anna, que interpoz recurso de graca da nena,
que lhe ioi imposto em 30 de Abril de 1887, por
decisao do jury desta capital
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda. -
Provideociai para que ilons empregados dessa
reparticao se apresentem na de obras militares,
s 11 horas do dia 21 do correte, afim de faie-
rem parte da coramisso que tem de contractar
o fornecimenlo de materiaes s obras militares,
na forma dos arts. 44 e 46 do respectivo regu-
lamento.Communicon se ao engenheiro enca:-
regado das obras militares.
Ao mesmo.Commnnico vos que o bacba-
rel Honorio Hermeto Correia de Brilo em 8 do
correte deixou o exercicio do cargo de juiz mu-
nicipal e de orpbos do termo de Goyanna por
haver terminado o respectivo quatrieonio.
Ao mesmo. Communi^o-vos que o juiz
municipil do termo de S. B*olo bacbarel Jos
Mauricio Borges era 16 do correte entrou no
goso da licenga, que ltimamente lhe conced
para tratar de sua sande
Ao mesmo Para os devides fins. remetto
vos a relaco que me foi presentada pelo direc-
tor das obras publicas deste Estado com offkio
de H5 do correte, sob n. 4 relativo a materiaes
que se destinam constraccao da pente Buarqne
de Macelo, de que -.ra .ais ao ofQcio de 29 de
Janeiro ultimo, sob n. 80.-Communicou se ao
engenheiro eicarregado das obras publicas ge-
raes.
Ao coramandante superior da guarda na
cionaJ das comarcas de Bonito e Bezer os.Era.
resposla ao vosso oficio de 7 do correute mez,
declaro vos que agradego summaraente a felic-
taco que me dirigistes, como interprete dos of-
Uuaes sob vosso commando, pela minba promo
cao do posto de marecnal de campo.
Apresento-vos os protestos de mmha eslima e
consideraco.
Ao director do Arsenal de Guerra.Res
pondo ao vosso oflicio o. 109 de 17 do correte
autorisando vos a entregar os dous caixes de
que trata o citado olli ;io.
Ao inspector do Tbvsouro do Estado.
Remctto-vos copia do oflicio dirigido a este go
verno pelo coramandante do corpo de polica em
18 do correte, e autorisovos a m radarde3, nao
havendo inconveniente, effecluar o pagamento
de ajuda de custos aos officiaes e o idiaatomen-
to de venciraen! s aos coramandanies de que
trata o vosso oflicio.
Decla-o vos para o* devidos fins, qoe aceitei
o arbitrio proposto pelo referido coramandante
quanto transferencia dos officiaes subalternos.
Communicou-se ao commandante do corpo.
Ao commandante do corpo de polica.
Declaro que approvo o vosso acto coocernentc
aos contractos e despezas da msica do corpo
sob vosso commando, conforme me comraunicas-
tes em oficio n. 73 de 23 de Dizembra ultimo.
Ao director eral das obras publicasEra
soluco ao vosso oflicio sob n. 27, de 14 do cor-
rente, de;laro-vos que o engenneiro do I* di'
tncio des-a reparticao accumnlar as funeciv-
do chefe do 2' districto Luiz Antonio Cavalcante
de Albuquerque, que se acha licenciado, perce
ben lo a gra cacao deste e a do eeu cargo a
contar da data da licenca. -Communicou se ao
inspector do Taesoiro do Estado.
Ao mesmo. -Approvando o orcamento ao
nexo ao vosso oficio n. 13 d- 24 de Janeiro ul-
timo na importancia de 4:0651187 para a exe-
cucodos reparos urgentes e inadiaveis. necee
sanos ponte do Pontal na illia do Itamarac.
au'o riso-vos a abrir oacur reacia fetura da
mesma obra de conformidade com as disposi-
coes em iear. -Communicoo-se ao inspector do
Thesouro do Estado.
Ao engenheiro fiscal da via-ferrea do Re
rife a Limoeiro. Declaro vos em resposla ao
vosso oflicio, sob n. 12 de 17 do corrente. acom-
panhado do que vos dirigi o superintendente
dessa estrala de ferro datado de 7, solicitando
autorisaco para o engenheiro residente e chefe
da locomoco O. R. H. Bury gosar na Earopa
de trez mezes de licenga concedida pela respec
tiva compaDhia, declaro-vos que approvo esse
acto sem onus para os cofres pblicos e autori -
so a serem levados em conta do cvsteio os yenci
mritos do referido em pregado de conformidade
com as disposices em v w*r.
Ao engenheiro Feliopede Figueiroa Fana
Constando do Diario Ofpcial sob n. 35, de 5 do
corrente, terdes sido Borneado por portara do
Ministerio da Agricultura, Commercio e Obras
Publicas de 3, para o lugar de engenheiro fiscal
da estrada de ferro do Recife ao S.Francisco, era
suD.-tituiyao do serventuark) engenheiro Manoe!
Marlins Fiuza Jnior, removido d'aquelle cargo
para o de fiscal do 1* districto dos engenhos
c-ntraes, aatoriso vos a assim r de?de j o exer
cicio do referido cargoCommuaicou se ao ins-
pector da Thesouraria de Fazenda e ao i esped
vo su perio tendente.
Portaras:
Declaro i Intendencia Municipal de Naza-
reth que, estando especificadas pelo dec. n. 7 de
20 Je Novembro de 1889 as attribuices deste
governo, nao pode ser attendido o pedido cons-
tante de seu oficio de Io do corrente mez.
Os Srs. agentes da Companhia Brasileira de
Navegaco mandem dar passagem, por conta do
Ministerio da Guerra, at o Estado do Rio de
Janeiro, aealferes do 12* batelao de infantoria,
adJido ao 14" da mesma arma Vicente Magno
Nunes ea sua nralher Augusta Magna de Asevedo
Na oes e linos Alvaro Magno Nunes com 8 an-
nos de idade, Alexandrc Magno Nunes com 7
annos e Amelia Magna Nanes com 5 annos
Ofli Mou-se ac inspector da Thesouraria de Fa-
zenda para mandar ajnstor conlas ao referido
aderes e ccmmuuicou se ao secretorio do com
mando das armas.
O odado gerente da Companhia Peraam
buoana de passagem de r paraPenedo, por con-
ta das d*) que trata o decreto n. 10.08 de 16 de
Marco do aono passado, a D. Candida Rosa de
Aadrade Moraes, no vapor da segunda riagem
deste para os portos do sul.
Matatt Mutandis na pnmeira viagem de
Marco vindouro, gratoita, de proa, a Manoel Jos
Aqionio Lopes para Maco.
O Sr. superintendente da estrato de Ierro
do Recife ao S. Francisco d passagem por coma
do Estado a urna praga de polica, providencia-
do quanto ao transporte de faldamento que ella
couduz' para o termo de Garanhuas.
Mutatt mutandts ao encarregado da estoco
de Palmares.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagens por con
ta do Estado, a duas pracas de polica que vo
destacar no termo de Aguas Bellas.
Mutatis mutandis ao encarregado da estoco
de Palmares, d'atti at Garanhuns.
EXPEDIETTTB DO SECRETARIO
Oficios:
Ao inspector do Thesooro do Estado.O
mare:hal governador do Estado manda deca
rar-vos que, de conformidade com a vossa infor-
macao em oficio n. 117 de 13 do corrents mez,
approvou o acto do cidadao commandante do
corpo de polica com relago aos contractos e
despezas de msica do mesmo corpo.
Ao mesmo.0 marecnal governador do
Esfalo manda comraunicar vos, para os devidos
lias, que boje lavrou o seguate despacho na pe
tico da veoeravel Irmandade das Almas da fre-
guezla de S Frei Pedro Goncalves do Recife so
bre que versa vossa informacSo de 3 do corren
te, sob n. 89: Por portara de 1 do corrente
proroguei por 90 das, a contar do primeiro dia
do exercicio vigente, o prazo de que trato o art,
1 da lei n. 2,040, de 2 de Agosto de 1889; li-
mitando se o abat dos 4 "/ da custos, a que
se refere a mesma lei j
Ao commandante do corpo de polica.- O
mareebal governador do Estado manda decla-
rar vos que autorlsa a transferencia do* officiaes
subalternos, de accordo com o que propozeetes
em vosso oficio de hontem datado.
1890
Ao cidadao engenheiro
ferro do Recife ao Liraoao.
vernador do Estado duu tiojo o-mwiiv
tino ats-HocumeiMos annexos a
10 do crrante, relativos s com
de ferro, do mez de Desembro Sn
n es tre do .anuo passado.
de
Govc
Montevideo, 21 de Fevereiro (5 horas e
s minutos da tarde)
0 governo oriental descobrio que aqui
3oa*pira contra o governo provisorio
brasil. Sabe se que ebegaram agen-
politicos da Europa, que suppoe se
emissarios de Ouro Preto, por se-
Lem seus partidarios, os quaes trabalbam
^.i-m- da accordo com parentes de Silveira Mar-
' :ns e Mauiel. Dizem que con tana com
mm S
do Efltado ie t
boctt
em additamento A08 DEsiMenos DO j, i ious diarios iraportautes do Rio de Janeiro
15def VEREIKO PE J-i.1) j com o auxilio de um gove.mo snl-ame-
ntonio Augusto dos Baaioa E*Brta ricano.
A portara de 24 de Jan-aro uo st| O governo argeutino offereceu ao go-
observada de accordo com as dit-posiv -jjI verno oriental o auxilio de sua polica
em vigor.
O por".
H. M. A, 6
2.
icia
de
RepartlcSo ra *oiir?i
seccSo.N. 51.otuou...
do Estado de Pernambuco, 5
Marco de 1890.
CidadSo. Participo-vos que fora'm hon-
tem recolhidos Casa de DetencSo os in-
dividuos de nomes Joad Pereira de Oli-
veira, Eduwrrges Mafia da Conceifao,
Raymundo Al ves da Silva, Juliao da Cos-
ta Brazil e Joaquina Fe5x de Lima.
-- Foi tarabem recolhido o reo Fran-
cisco Euzebio da Silva, preso pelo Dr.
delegado do 1. districto da capital, como
pronunciado em crime di ferimentos gra-
ves no termo do Brejo d'Arelas do Estado
da Parahyba.
De ordem do subdelegado do 1.
districto da O rafa, foram igualmente re-
colhidos aquello estabelecimento os indi-
viduos de nomes Ionocencio Luiz Ramos
do Nasci ment e Jorge Ferreira das Ne-
ves, presos em flagrante por haverem
hontem, s 8 horas da manha e no quadro
do Paysand, se ferido reciprocamente.
Contra os delinquentes abrio-se inquj-
rito,
Foram propostos para cargos poli
ciaes os cidados seguintes:
Jos Canuto d- Santiago Ramos, dele-
gado do termo de Barreiros.
Fraacisco Ucha Accioly Wanderlsy e
Joaquina Ferreira Loite, subdelegado e 1."
supplente do 1. districto de Una do Rio
Formoso.
Luiz Francisco Cavalcante de Albu-
querque, 1. supplente da subdelegacia do
2." districto de Una do Rio Formoso.
Sade e fraternidade Ao marechal
Jos SimeSo de Oliveira, mui digno go-
vernador provisorio do Estado de Per-
aambucoO Chefe de policia, Antonio
Antunes Ribas.
de
Thcsouro do Estado
IVranubuco
DESPACHOS DO DIA 4 DE MAKCJO DE 1890
Manoel Clementino Correia de Mello. -
Ao cidadao tnesoureiro.
Pontos dos empregados da secretaria da
extinta assombla relativo ao mez ds Fe--'
vereiro findo, offioio do provedor da San-
ta Casa de Misericordia do Recife, idem
do procurador dos feitos da azenda sob
n. 51, idem do inspector geral da Instru-
C9S0 Publica sob n. 33, idem do Dr. chefe
de polica sob n. 396, idem do director ge
ral das Obras Publicas sob n. 33, Com-
panhia Pernambucana de Navegacio Cos-
teira por Vapor, Francisco de Hollanda Ca-
valcante de Albuquerque, Francisco Ta-
vares da Silva Cavalcante, Francisco de
H illanda Javilaante de Albuquerque, Her-
melinde Vieira Cabral, Adolpho Bessoni
da Almeida, Jos Francisco Cardoso Mei
rim, Manoel Xavier Carneiro de Albu-
querque, JoSo Paulino de Oliveira e An
tonio Carlos de Arruda Beltrlo.Informe
o Dr. cjetaior.
Portara de licenca de Antonio Cario i
do Santos Mergulhao, idem de Mamede
Justiniano dos Res. Ao Dr. contador
para fazer as dev.das notas.
Oflicio do iuspect >r da Alfandega deste
Estado sob n. 88, idem do commandante
do corpo de polic.a sob n. 158, idem do
administrador da Recebedoria sob n. 55.
Ao cdado Dr. contador para os devi-
dos fins.
Hippolito Antonio Gomes de Pinho.
Sim.
Domingos Teixeira Bastos.Sim.
Anna Carolina da Silveira Miranda,
Luiz Abranches de Figueiredo.Informe
o cidad o administrador da Recebedoria.
Manoel Lopes de Albuquerque.Ao Dr.
contador para attender em termos.
Felinto do Rugo Barros Pessoa.Junte
o oonhecimento da dscima do] ultimo se-.
meetre
Provisio do governador do bispado do
padre Jlo Baptista de Araujo.Rgis-
tre-se e facam se as devidas notaa.
Officio do ajudante do procurador fis-
cal de Nazaretti. Haja vista o Dr. procu-
rador fiscal.
AIHESUCA DO SUL
Nos jornaes do Rio de Janeiro, vindos
hontem pelo paquete Ntrthe, encontramos
os seguintes telegrammas do
Purifico e talo da Prala
Bueno*-Ayre, 21 de Fevereiro
(uintino Bocayuva experimentou me-
lhoras ; sua filha est gravemente doente,
tendo peiorado hop de tarde.
O ministro dos negocios estrangeiro3
Dr. Zeballos foi de passeio a Palermo cem
o princ;pe de Saboia, Conde de Turim, e
partir com elle para a sua estancia na
terca fe ira.
O porto de La Plata ser inaugurado
no fim e Mar?o.
Chegou hoje de Madrid o secretario da
junta do centenario de CliristovSo Colom-
T)o, que veio pedir a adhesao da America
p^ra as festai que devem ser celebradas.
Montevideo, 22 de Fevereiro
Augmenta a influenza. Houve urna
grande manfestaeo ao Dr. Palomque.
Buenos-Ayres, 22 de Fevereiro
A filha do Sr. Quintino Bocayuva, em-
bora melhor, continua em estado melin-
droso.
O Dr. Samuel Pertence veio para tra-
tala,
Consta que o governo argentino aceita
a crescSo do tribunal arbitral para regular
as questoes americanas.
para observar os conspiradores, anda
quando tudo se passe na maior reserva
22 de Fevereiro
Estao restabelecidos os marmheiros do
Riachuel) que aqui ficaram
Houve grande baixa as accoes da Com-
panhia Nacional.
Buenos Ayres, 23 de Fevereiro
A filha do Sr. Bocayuva contina a
melhorar.
Est terminada a parede dos padeiros.
O coronel Garmendia foi nomeado com-
mandante da escola militar.
Foi descoberto um grande roubo no
banco.
Acaba de ser publicado um decreto
creando um instituto commercial.
Buenos Ayres, 24 de Fevereiro
O Sr. Quintino Bocayuva est restabe
lecdo, e sua filha acia-se felizmente me-
lhor.
Hontem o Sr. Quintino, em compaa lia
do Dr. Pellgrini, visitou La Plata.
O major Day apresentou um novo ar-
mamento para infantaria.
O Sr. Albal Pena, irmao do tenente
Pena, foi nomeado cnsul argentino em
S. Gabriel.
O governo concedeu privilegio ao appa
relho Struve, regulador do gaz.
Montevideo, 24 de Fevereiro
Prepara-se aqui um grande maaifestaca>
ao general Tajes.
Buenos Ayres, 25 de Fevereiro
O general Mrt-e visitou o Sr. Quintino
Bocayuva, quando esta se preparava a
partir para o Tigre.
Jhegou o Dr. Cyro de Azevedo com
sua senlii ra.
E' provavel que o Sr. Bocayuva para
d'aqui no dia 2l para Montevideo, embar-
cando ah no Portugal.
O senado Uruguayo approvou o projecto
do governo creando urna inspictoria para
as ce lulas hypothecariaa.
Bumos Ayres, 26 de Fevereiro
Trn-8e dado casos de bexigas negras
nesta cidade e em Mendoza est grassan-
do a influenza,
Montevideo, 26 de Fevereiro
Manifestou-se incendio no deposito de
carvao da usina ao gaz.
Est publicado o manifest do Dr.
Herrera, no qual dia que aceita a candi-
datura por ter sido proclamado por todos
os partidos, que eonhecem suas ideas,
favoraveis liberdade e baseadas na jas-
tija e moralidade.
Aceita o governo, nao por amor ao po-
der, mas s para por em pratica grandes
ideas polticas. 1 s
As suas ideas partidarias na> contm
ameacas a ninguem e ao contrario sao ga-
rantioas para todos.
No poder nao praticar aquillo que na
opposicSo condemnra.
Ser fiel executor das leis da Repbli-
ca, guarda zeloso da liberdade, protector
imparcial dos direitos individuaes, adm
nistrador escrupuloso dos dinheiros pbli-
cos.
Est oompletmiente hvre de compro-
misBos, parque os nao contrahio.
Conta com a eoadjuvafSo de todos os
cidada js honestos e intelligentes para o
bem commum.
Respeitar todos os direitos e garantir
a todos liberdade ; procurar o apoio da
opinio publica e dirigir o p&iz sem op'
pressSo.
Evitar aventuras em relajeo s tinau-
cos e apoiar a reforma da justica.
Crear novo rgimen municipal, apoian-
do se na dcscentralisacao.
Promover a construeco de pontes e
estradas e o melhoramento do porto de Mon-
tevideo, Colonia e Maldonado.
Procurar equilibrar as financas, rejei-
tando o emprestimo no estrangeiro ; con
servar a circulagd metallica e cuidar
sobretudo da instruccao publica.
Valparaso, 27 de FevereiroO goyer-
na da Bovia deu permissao aos possuido-
res de bonds para prolongar a estrada de
ferro do sal at La Paz.
Buenos-Ayres, 27 de Fevereiro Os secre-
tarios da missao argentina offareceram um
banquete no Hotel de Paria aos membros
da missao brazileira.
O tenente Pena, a convite do coronel
Garmendia, almojou hontem na Escola Mi-
litar e a convite do general Viejo Bueno
visitou o Arsenal de Guerra.
O Dr. Pertence e outras pessoas visita-
ram a Penitenciaria e o Sr. Quintino Bo-
cayuva o cnsul Chaves que offereceu-lae
um magnifico exemplar da historia do M-
xico.
D. Emrita Bocayuva continua a apo-
sentar sensiveis melhoras.
O presidente da repblica dedarou que
aceita a reuniSo de um Congresso Ameri-
cano para reaolver-se por arbitragem to-
das as questoes litigiosas.
Montevideo, 27 de FevereiroO presi-
dente da repblica pedio a promojad de
quatro generaes de diviso, de nove bri-
gadeiros e de onze coronis.
O cnsul brazileiro Domingos Azevedo
protestou contra a quarentena imposta s
procedencias do Brazil.
Urna companhia franceza prop5e-se es-
tabelecer um novo cabo telegraphico para
o Rio de Janeiro.
INTERIOR
SUL DO BRAZIL
Pelo paquete francez Nerthe, hontem ebegado
do sul, tivemos as seguintes nuucias :
r.nlaSo do Uiutrnnae ao Sal
Datas al 21 de Fevereiro :
Refere a Gizeta de D. Pedrito :
As ultimas chuvas, que foram abundantes,
produziram grandes ebeias nos arrotos.
Uos carreteiros, que viaham de Bag, acam-
param-se beira do Taquaremb.
Chegada a noite, deitaram-se a dormir, fian-
do um d elles dentro da carreta.
c Crescendo rpidamente as aguas, transbor-
dou o arroio em extraordinario turbilbo, que
levantando o vehculo, lancou-o na correnteza.
Eraquanlo a carreta ia aguas abaixo, levan-
do t seu bordo o carreteiro que n'ella dorma, os
outros, tambem colbidos pela endiente e des-
pertados de sbito, atravessaram o arroio a nado,
conseguindo por-se fra do perigo.
Sabemos que a pessoa que Meara na carreta
salvara-se tambem.
A carreta, diz onosso informante, vinha car-
regada de gneros para o Livramento.
No mez de Novembro de 1889 a renda das
renartices de fazenda do Estado foi de........
565:5044351.
Ao Mercantil da capital foi dirigido o se
guinte telegramraa:
Cannes, 14 de Fevereiro de 1890. -Via Rio
Graode.A'redaego do Mercantil. -Porto-Ale
greBrazil.
Li jornal 8 do passjdo. Inexacto, anda posso
de louge servir bem a patria. Agradeco boas pa
lavras.D. Pedro Augusto. >
Este telegramraa. diz o mesmo jornal, um
desmentido noticia por nos dada, segundo te-
legramma recebido pela Federacao. da loucdra
que accommettera o Illustre brazileiro.
No K10 Grande, na ooite de 19, Joo Atha-
nazio Pires, praca da guarda cvica de S. Jos do
Norte, e Virginio Vianna de Souza, criado do Io
tenente Fidencio de Souza Franco, depois de vi-
sitaren] na melhor harmooia, pois eram amigos,
algumas casas de baile, inclusive o Polylheama.
deiavieram-se na rna Francisco Marques e pas-
saram a vas de facto.
Atbanazio deu na cabeca de Virginio um tre-
mendo golpe de espada, Virginio, por sua parte,
deu-lhe duas profundas facadas no ventre.
Foram ambos recolhidos a Santa Casa de Mi-
sericordia, sendo graves os seus estados.
Sob a epigraphe Conflicto, ieoios na Cor-
reio Mercantil de Pelotas :
No domingo, das 2 para as 3 horas da tarde,
encontrando st^ na praca RegeneracSo alguin
msicos da banda do 29" Datalho all estaciona-
do com um soldado da guarda cvica, trocaram
palavras mais ou menos azedas.
O cabo da raesraa guarda, de nome Roque
ento pequea distancia, mterveio com arro-
gancia na pendencia, para to nar as ddres pelo
eompauheiro e, arraneando imprudentemente da
espada, ferio os msicos militares que se a.ha-
vam desarmados.
Comparecen no acto da rixa o Sr. cjpitao
Luiz Rodrigues, delegado de polica, que proeu
rando apaziguar os nimos dos contendores, foi
desrespeitado palo cano Roque a tal ponto, que
sfc vio foreadoa mandato recolher preso o^dem
do commandante da guarda cvica.
Roque foi, pois, recolhido ao xadrez do quar-
tel respectivo.
A' naite, algumas pracas 1o 29', que acora-
panhavav a guarda da msica, prucurarara u
guarda Roque para Uraretn d'elle urna desaffron
la.
Dirigiram se ento ao quartel da guarda c-
vica, e a j deu se conllict uos soldados, pessoaf
do povo que os seguiara e nos tres guardas ci
vicos, que pennaneciain no quartel.
Os guardas cmco3, inclusive Roque, fugi
rara.
As portas e vidros do quartel Acarara multo
damnificados.
Os Srs. tenente-corenel Zeferiuo Cira >os
major Oveira Salgado, distinctos coramandante
e liscaldo 29, como a sua llustrada officialitla-
if., loso qoe tiverara co beciraento do facto.
providenciaram enrgicamente para reslabel-
cer a ordem, conseguindo o pouco depois dos
[artos passado*, connrmando assira as tradicdes
de disciplina, moralidade e co-dura de que seai-
pre deu provas em Pelotas o 29 batalhao.
Do coaflicto aahiram feridas, levemente, as
pracas cvicas de nome Constantino Das dos
Santos, Porlirio Ferreira das Neves e Alfredo da
Silva Rosa *
Refere o Diario do Rio Grande em dato de 19
a rainh de hontem, na occasio em que o
paquete Rio de Janetro fazia a volta em frente
ra Dezeseis de Julho para lomar o anceradou
ro. sendo muito forte a correnteza das aguas,
foi cam a popa sobre o patacho Per, que esta-
r atracado ao caes, tirando o da araarraco e
impellindo-o a alguma distancia.
Tao forte foi a choque que os argaoecs a que
o Per liaba presas as amarras saturara dos res
pecti voslugares.
A Aava-se atracado ao patacho pelo lado do
caes o hiate D. larinha, que por seu turno, foi
arrastodo pelo Per, soffrendo algumas avarias,
pois parti a roda de proa, urna enxarcia e os
fuzis e begotas da mesma. tuno o que raoota a
ura prejuizo de 200. mais ou menos.
Dos turcos de bombordo do vapor eslava
pendente ura escaler e cinco horneas, prompto
para ser arriado para auxiliar a manobra da
araarraco; escaler esse que ticou depe ajado
no choque, tendo os cinco homens podido esca
par a urna morte norrivel subindo precipitada-
mente pilas tal lias.
O paquete soffreu pequeas avarias popa,
do lado de bombordo, e o patacho Per leve ape
as as amarras partidas e alguns arranhoes au
amurada.
Accrescenta o mesmo jornal que depois
deste desastre occorreu mais o seguime a bordo
do mesao paquete:
Seria 1 hora da tarde quando o carptnteiro
de bordo Jos Pereira Rebeilo, que eslava em
urna balsa de mad.-ira reparando as avarias que
o navio soffrera no choque cora o patacho Ptu,
cabio agna ;por ter-se partido um dos cabos
que a sustenta vara
Oe bordo trataram de prestar soccorro3, mas
o infeliz naoappareceu mais, presumindo seque
tivesse sido impellido para debaixo do vapor.
Jos Rebeilo era brazileiro e 81bo do Sr
Francisco Rebeilo, morador nesta cidade. Este
logo que teve noticia la desgraca metteu-se em
urna catraia, e prvido dos necessarios appare-
Ibos. audou procurando, mas intilmente o cor
po do desventurado Blbo.
A Federacao de Porto Ahgrejem data de 10 do
corrente, assim descreve o horror da catastro-
pbe da exploso e submerso do vapor Marata,
que Casia carreira eotre aquella capital ea villa
de S. Sebastio do Cahy :
O espirito da populaco de Porto Alegre foi
aoatera doiorosa e profundamente impressiona-
da tiela ocurrencia de um desses actos que, por
sua triste na tu reza, attiogem a todos os coracoes
Locando em seu seio a consternaco e o deses-
pero.
A lamentovel catistrophe, ainda vagamente
conhecida do publico, reveste-se das mai3 trgi-
cas circumstancias..offerecendo historia das
desgracas humanas urna das mais pungitivas
paginas.
A horrivel desgraca hontem occarnda no
tiuahyba. sera exemplo as aguas deste Esta
do e, ao que parece, teve origem no mais con
demnavel descuido e indifferenca por parte da
quelles sob coja guarda se achavam tantas vi-
das preciosas.
Diversas e contradictorias sao as informa-
gOes divulgadas por toda a cidade, cabendo-
oos offerecer aos eitores urna descripcao, a mais
exacta possive do horroroso desastre, conforme
nos foi narrado pelo aosso co-religionario Gui
Iberme Trein, nico passageiro que sabio illeso
do medonho sinistro.
A's 7 horas da manh de hontem samo do
nosso porto com destino a S. Sebastio do Cahy,
o peqieno vapor Mara/. Succedeu lhe na par-
tida apenas com differenca de 5 minutos, o va
por Monarcha, que conduzia para a Volta Grande
os socios de Club Veranisto,
A' entrada do lugar determinado Furado.
seriam 7 1/2 horas, o machinisto do Marafd,
vendo o Ikonarcha approximar-se, c nao que
ren o permittir lhe o avaogo que ameacava to
mar, por aposta que segundo dizem, haia en-
tre os respectivos machinistas, deu presso ?u-,
perior s forcas das caldeiras nao tardando em
ver tristemente demonstrada a imprudencia de
seu sofTri'go procedimento.
A exploso operou se immediatameote e
parte do vapor, com passageiros tripolaco e
carga, voou em estilbacos pelos ares a grandt
distancia.
En menos de cinco minutos 9ubmergio se
todo o vapor, voltando momentos depois tona
da agua a tolda com a cmara das senboras,
que ticou em perfeito estado.
1 Logo que occorreu a cataslrophe, o Monar-
cha, que ia a insignificante distancia do Marola,
deteve-se incontinenti e, procurando.prtsiar os
soccorros que o caso pedia, conseguio recolher
os passageiros que arada sobreviviam e o cada-
ver de Joanaa Dartrora, que foi trazido para ef
ta cidade .
t Tendo sido vi to de trra a exploso do va-
por, o Sr. Frederco Bier Sobriabo fez seguir
promptomente para o logar do sinistro os vapo-
res de sua propriedade Liberal e Cupy, reco-
rinde
Ihendo este o cadver de urna creanca,
ambos depoiscomboiando o Uonarchc
Desde que pela ciilade espalhou-se a noticia,
ao ponto do ancoradouro dos vapores que nave-
gara para as diversas localidades prximas 1 ca-
pital, affljio enorme massa popular.
THste'e na realidade comraovente tomou 8t
o acto de desembarque das iufelizes vctimas.
O solucar dolorido dos feridos, soltando sus-
piros que cortovam o coraco. casava-se em l-
gubre narmonia com o praatear de dezenas de
pessoas reunidas no caes, todas com o semblante
a'jouviado pelo soffrimento que se (raduzia nt
mais sombro dos olbares como no mais conges-
tionado dos movimentos.
Das 40 passageiros, approxiniadamente que
levava o Marola, pereceram :
Alaerto Steffano, commerciante na colonia Ca-
xias. homem alli muito ^onceituado. Levava
.':00li em dinheiro. alm de grande quantadt
de mercadorias, Francisca Dartora, Narcisa IIouT,
esposa de Guilherme Hoff e um filtra de nom
Osear e outro, Guilherme Oametlo Valentim. da
32 annos, operario da fabrica de Petersen & Kai-
ser, ,'udillia Belisaria, esposa de Riidolpbo Beli-
sario, e Jos, de 3 annos, seu tildo Rosaraiioda
Kley, de 5 annos, filha de Felipp i K1ey Jos da
<:osta Millano, commerciante era Caxias, e a rau-
Iber de Dametto Valentim.
Tripolantes GuilhemeEhlers, dispenseiro,
que ia servindo de commandante ; patro Patri-
cio Rodrigues da Silva, Joo Soares, raachioista;
Bernardo, foguista : Joo Antonio Duarte, de 22
annos, solteiro : Francisco. Firmno e Manoel,
raarinheiros.
Da tripolaco apenas salvaram'se duas pes-
soas, o marinheiro Bernardo e Guilherme Senil*
ling, fi'.ha do commandante e pralicante de ma-
chinista, que su :curabio hontem noite dos fe-
rimentos.
Ficaram mais ou menos gravemente feridos:
Luiz de Franca Almeida e S, ajudante da colo-
nia Alfredo Cliaves ; Jjo Antunes da Cunha Ne-
to, solicitador em nosso foro ; Thomaz S.JNew-
lan is. genro do Sr. Carlos Jacob Schilling 5 Car-
los Klinger de Oliveira, caixeiro viajante do Sr.
C J. Schilling. que com o Sr. New and se diri-
ga a S Sebastio do Cahy, Giovanni Chrwto-
foletti. Guilherme Trein, nosso correligionario,
supplente do juiz municipal de S. Sebastio,
onde tera casa commercial; Antonio Magri,
Strozza Paulo, Joo Dartora, Lucia Cancula,
Guilherme Schilling, lilho do p-oprielario ds
Marata. e que ia na qualidade de machinisto ;
nina mulher de nome Rotter, que se oceupa nest
eida le em vender diversos productos colooiaes;
Guilherme Hiff Carlos Felippe Kley. 3o supplen-
te do subdelegado de policia de S. Sebastio do
Cahy.
0 numero de victimas at agora conhecido,
:om o fallecimento de Giillierrae Schi.liag, de
-'4. ten lo sido salvas 14 pessoas.
Para esta cidade foram hojp conduzidas raais
os cadveres de Joo Aniomo Duarte, de ii an-
nos, solteiro, tripolinte do Marata
Jo-. de tres aanos, lilho de Rodolpho Beli-
sario, e Osear, de tres annos, lilho de Guilherme
Hoff.
O com nand inte do Marata, segundo inlor-
mura nos, tinha por costurae nao seguir aos do-
mingos, entregando o commando de seu vapora
s-u filho, cojo norae'j declinamos no decorrer
drsta noticia.
0 nosso informante. Sr. Guilherme Trein,
pir occasio da exploso, acbava se encostado
i'aniara das senh ras, quando ouvindo o estam-
pido, e como que impedido instinciivamenleati-
rou se ao rio, inmediatamente agarrando-se a
urna taboa que tinha o nomedo vapor, e da qual,
ilepois de sorena.lar um pouco, conseguio pas-
sar para a parte fluctuante do vapor, de onde foi
retirado pelo Monarcha e transportado para a
terr.i.
Na cmara, abracado a urna cadeira, foi en-
cnntraao o cadver de urna filha de Guilherme
Hoff, de 18 mezes de idad.
Daraetto Valentim, que podia considerar-se
salvo, poraehar-se fluctuante sobre orna taboa,
querendo salvar sua mufher que pedia soccorro,
l'.ii agarrado pela esposa de Hoff que tolheu-lhe
os movimentos, impossibilitando a salvaco.
Foram encontrados unidos os dous corpos.
Assim que teve conh9Cira"nto do facto,
nosso amigo Dionysio de Magalhes, desenvol-
veodo com a maior urgencia as providencias re-
queridas pelo caso, raaodou dous policiaes as
lugar do sinistro, afim de defender o vapor de
qualquer exjloraco criminosa, reqiristtando em
seguida do Dr. chefe de policia torga comman-
dada por um olcial para o desempenbo dessa
coinmissao.
Outrosim. requereu aquella autoridade de
delegado da capitana do porto algumas embar-
cages qe Mx-rfiassem o servico da remocSo de
cadveres e teve, por asfar eferd delegado fafta de
pessoal e raaterial para isso.
Faltando o auxilio da capitana do porto, so-
licitouo Dr. chafe de policia. do gov^roadordes-
te Estado, unvadas oanhoneirasde gaerra,pedi-
do esse que nao foi aitendldo.
Outras providencias esto sendo desenvol-
vas com a mxima actividade.
Consto que no cofre de bordo existia quan-
lia maior de vinte Cobtos d| ris, tornndose
por emquaoto impossivel precisar a sua exacti-
do.
Posto que grave o estado do cidadao Cunha
Netto, os seus mdicos contam salval-o.
0 Sr. Guilherme Hoff tomou conta dos cada-
veres de sua mulher e Hihos, lim de dar-lhes
sepultura na Barra, lugar onde reside.
Ao fechar a foiha, sabemos que acaba de
chegar o cadver de Patricio Rodrigues da Sil-
va, patro do Marata.
0 Sr. Joo Vargas, commissionado pelos
propietarios do Marata, hontem e hsje esteve
00 lugar do sinistro, arrecadando os volumes
que sobreoadavam.
Para tirar o cofre de dentro do casco sub-
mergido, o mesmo cidadao e3pera do Rio Gran-
de os apparelbos necessarios pedidos por tele-
grarama .
A citada folba accrescenta a 11:
Hoje pela manh, as embarcaces encarre-
gadas de recolher os salvados do vapor Marola
e os corpos que apparecessem, trouxerara at
rampa que fica ao lado da banca do peixe 15 ca-
dveres dos desventurados que pereceram na ca-
tastropbe.
Foram encontrados alguns as margens ds
rio e outros a fluctuar pertodo lugar onde se deu
a exploso.
< Todos estavam em estado de decomposico,
e muitos era completa nudez, nao se sabendo bem
a que attribuir semelhante tocto, pois nao houve
saque como ao principio se receiava.
Nos corpos de Costamilana e Steffano foram
encontradas avultadas quantias e joias e bem as-
sim no menino Christofolleli urna bolsa com di-
nheiro que o Sr. Giovani Christofolleli lhe havia
confiado.
Amanh, na secretaria de policia, e pernote
o cnsul da Italia, se proceder contagem ds
dinheiro, que foi devidamente separado, com a
designacSo da pessoa a quera Dertencia.
Dos corpos encontrados 13 foram reconhe-
cidos.
Um cadver do sexo masculino, de cor bran-
ca, representando 30 a 35 annos. vestindo calca
e collete pretos, camisa branca, casaco de case-
mira escura, em quadiinbos, ciato encarnada.
Ignora seo nome, suppondo se. entretanto, qut
seja de algum d'esses vendedores rabes, que ne-
gociem em bijouterias.
Ura outro tambem do sexo masculino e de
cor branca, representando ter mais de 50 anuos,
vestiiido calca de brm de Angola, casaco e col-
lete de diagonal, ignorndose o nome.
Alguns cadveres apresentavam grandes fe-
rimentos e contusoes. sendo que os de Ricardo,
foguista, e Fraocisoo, cnarinhtirt, estavam quasi
despedagados.
Aj Sociedade Italiana de Mutuo Soccorro Vic- -
tor1 Eraanuel II, com o auxilio do cnsul italiano,
tomou a si o enterro dos seus inferes compa-
triotas Ernesto bristofolleti, Jo3 Costamiliano,
Alberto Steffano Emmanuel Pastorino e Judith
Beiisano, indo muitos membrj& da colonia ita-
liana acompanhar os corpaat ao cemiterio.
Foi um procedimento aigno de elogios.
O pessoal empregadona lgubre torefa da
recolher os corpas tem se portado de um moda
digno, mostranlo se to probo quanto humani-
tario. N'esp'e numera esto incluidas as duas
pracas da gi.arda cvica destacadas no lugar d
sinistro. (
Apresentando seus nomes consideracS,
dos seus superiores, comprimos um d^ver/ cha-
mam-se Jayrae Triplico e Jos Ramio.
1 0 nosso amigo Dionisio Magalhes, subde-
legado despulida do i* districto, tem tido ho ci-
dadao J180 Vargas, commissionado dos Srs. Col-


r
*
t

V'

1
.""'



Diario de Pemambuco-Quinta-feiMode Mar$o de 1890










v-


%
*
m

j
i/
lar S:hilllnr, proprietarios do Marat. um aaxi-
ar dedicado o infuigavel, devendo-Ihaem gran
4e parte a regularidade 8 presteaa com que tera
conduzido a diligencia que Ihe foi coaHn"tiida
pelo Dr. che fe de pulicia.
Hoje, s t horas da Urde, foi trazido d'eata
cidade o corpo de Bosaoiuodo Ktey, de 5 annos
e idade.
T o que eleva o numero das victimas a 26, indura-
do o Jo joven Guilberrae Schilling.
Entaiio do Paran
Datas al 23 de Fevereiro :
O Sete de Margo, da capital, em data de 22
refere o seguinte facto :
' Como na noiie de aatebontem houvesse sido
preso e recothido a cadea d'esta cidade, o te
nente-capellao padre Jos Miria Tedeschi pelo
delegado de polica, cidadao Mauricio Sinke, os
olficiues da guarnigo resolveram representar
conectivamente coatra o facto ao digno go?erna
tbr do Estado, por intermedio do seu prestimoso
hefe, brigadeiro Cardoso Jnior.
Hontein, por causa de urna troca de palavras,
a, segundo nos informara, do proced miento des
atteicioso d'aquelle delegado para com o t'nen
te Herculauo la Araujo, fez este uso da espada,
dando se na secretaria de polica un ccnflicto
desaaradavel.
T.i ntii'm deram-se, nestas ultimas noites
encontros parciaes entre pragas de linba e al-
guns napolitanos, os quaes se acasteliaram em
urna casa ra de S. Francisco.
Dizem-nos que a eausa da irritaco proveio
dos mos tr.no- recebidos por ura digno ofti 'ial
do exercito de alguns frequentadores de bailes
populares.
Eatadn de S. Paulo
Datas at 27 de Fevereiro :
O Estado de S. Paulo, de 25, publicou a se-
guinte noticia :
0 cidadao Leao de Vasconcellos, delegado
de polica de Yt. leve denuncia de que no lurar
denominado Jacuh, distante duas leguas d'a
fuella cidade, se dera em Outabro do anno pas
sado ura crime de infanticidio.
Recuhiam serias suspeita3 sobre Prudencia
Maria de Almeida. inulher de mos precedentes,
onhecida no bairro coilo feiticeira e av da
crianca.
Foram inquir las 20 testemunhas.
Urna d'ellas aflirmou que logo que a crianga
lisceu, Prudencia tentou torcer Ihe o pe-eogu,
sendo impedida por tila depoente.
Outra diz que ouvira de Prudencia que,
se a crianca nao raorresse logo, ella viria t ngei-
tal-a nesta cidade.
Fernando, testemunha informante, de 10 an
nos de idade. n ,lo de Prudenda, diz que, no da
em que sua tia Anna deu luz a enanca, o que
deu-se noite, elle depoente achava se em ura
quarto contiguo, j deitado, quanda Prudencia,
quo o nao julgava alli, suflocou a crianca estran-
gulando a, e que dando cora elle lepnenteamea
java o de dar Ihe pancadas at matal o se elle
contaste alguma cousa.
Outras (estemunhas sao mais ou menos con-
cordes cora estas e pelos seus depoiraentos de-
duz-se perfeitamenle a existencia do delicto.
Fernando disse uais que sua av era fei
ticeira e que tinha em um borual diversos ob
jectos, como santos, cascas de cobra e de kaga-
dos, trancas de cabello, etc., sendo tudo isto en
contrado pelo delegado, prova de que a testemu
nba informante dizia a verdad.'.
0 delegado de polica mandou exhumar o
cadver do recera nascido e transportou a ossada
completa para aciiade de lio
Eiii seguida requereu a priso preventiva da
indiciada.
Capital Federal
Datas al 28 de Fevereiro :
Foi nomeado o vice almirante Edua do Wan-
deokulk para servir interinamente o cargo de
ministro dos negocios das relaces exteriores,
durante o impedimento do cidadao Quintino Bo
cayuva, ora em misso especial as repblicas
platinas.
Foi resolvido que a '.'onstituinte se rena
no antifio edificio do cmara dos oeputaaos, nao
excedendo a despena com as obras a fazer a
quanlia de 20:000*000.
Foi alterado o decreto de 9 de Novembro
de 1889 que concedeu a compaa EngeBho
Central da Parahyba do Norte e Sergipe garanta
de juros para tres engenhos neste Estado e ura
n'aqueile, elevando o capital a tres mil contos.
Foram autorisadas as companbian fraacezas
Sociedade Geral dos Telepbboes e Sociedade
Franceza dos Telegraphos Submarinos a esta-
belecer por meio de um cabo submarino com-
mu.iicaco entre o Para e os Estados Unidos da
America.
Leraos no Jornal do Commercio de 21 :
O Diario Oficial pubhcou hontem o se-
guinte :
Tendo-se suscitado por parte de respeita
veis orgos de publicidade, dnvidas insistentes
quanto s intences do decreto de 23 de Dezetn-
bro, em reacio imprensa compre declarar que
esse decreto nao altera o rgimen da liberdade
e responsabilidade anterior a elle.
interesse do governo provisorio a mais
plena independencia de opinio na discusso de
seus actos.
Fonos dos quemis insistentemente manifes
taram nao s dnvidas. mas lambem profundo
desgosto pela iflterpretago dada ao artigo do
decreto de 23 de Dezembro, referente im-
prensa.
Era procedente a duvida e justificado o des
gosto pois fci em virtude de tal modo de apre-
ciar o decreto que a Tribuna Liberal resolveu
suspender sua publicago. Foi lambem peo
misino motivo que licou adiado at agora, se
gundo boas inforraagOes, oapparecimeato de um
peridico que devia ser confiado direceo e re
dacgo de homens conhecedores das necessida
des publicas e affeitos s lides da imprensa.
E, dizemol o convencidos, nao eram a illus
trago, o patristisrao e a coragem cvica que fal-
tavam aos redactores da Tribuna Liberal e aos
homen3 apontados para a direceo do novo pe
riodico.
Nunca nos deixamos dominar do terror ; nun-
ca suppozemos que aqnelles dos nossos conci
dados. qne julgaram deverasumir no dia 15
de Novembro a responsabilidade de dirigir os
destinos do Brazil nm dii, viriam affastar nos
violentamente do nosso honroso posto, neiu
tentariam dirigir a seu talante a penna que rece-
bemos immaculada e immaculada queremos
transmit r aos nossos successores ; s a sus
peita seria urna injuria, e isto nao est nos nos
sos hbitos.
Sentimonos, sim, feridos como aquel le que
recebe offensa immerecida, sent a dr da injus
tica, magoon nos a snspeita generalisada e tanto
mais quanto francos e leaes nos haviamos mos-
trado : nem bradando adheses que considera-
?ames ociosas, nem fazendo reservas mentaes
qu': nio seriatn diguas.
Damo nos por felizes verificando que nossa
insistencia contribuio para provocar a declaraco
official cima registrada e com a qual o governo
provisorio consultou seus interesses. que nao
podem ser senaoos interesses nacionaes.
Em b^m desses interesses hoje, como no tem-
po do imperio, ergueremos a voz, desassombra
dos, reproduzindo os chos da opinio, apontan
do s necessidades que reclamarem satisfagao
prorapta, criticando sem azedume o que nos pa
recer merecedor de critica, e aconselhando leal
mente A critica poder ser s vezes mal cabi-
da ; o conselho talvez ocioso mas ser franca a
expressao do pensamento e sempre patritica a
inspiraco. i
Queremos a liberdade de imprensa, mas nao-a
licenca. que a sua maior inimiga.
Queremos essa liberdade nao para defender a
repblica nem para combatel a traicoeiramente ;
nao para endeosar o governo provisorio nem
para promover-lbe sordamente o descrdito :
nao pera defender os snppostos interesses de
nma classe, era para aprtala do cpnjuncto
harmnico que constitue a nago.
Queremol a, sim, para na ocesio opportuna
levantar obstculos, embora fracos torrente
das paixeg, ao enthusiasmo da idolatra, ao
predominio das ideas errneas.
Convencidos da inteira sincerldade da deca
raco ofiicial, e conscios de ter concurrido para
que se "manifestasse solemnemente essa nter-
pretago do decreto de 23 de Dezembro ; com
verdaieira satisfago qua a deixamos registrada
hoje nestas columnas.
L-se na mesma folba de 27 :
Foi hontem lavrado na secretaria da agn
cultura o competente termo de contracto com as
companhias Socit Genrale des TlDhooes e
Socit Fraocaise des Tlgraphes Sous mari*,
repreaentadas por seu procurador, o Sr.'A. L.
Hersenschmidt, para estabele:erem directa ou
iadirectamente, e por meio de um ou mais ca
bos submarinos entre a villa de Viseo, do Para, lo, por verem que a nova forma de governo em
e o littoral dos Estados Unidos, communicaco nada prohibe a adopeo desta ou daquella seita
telegraphica, licando expressamente prohibido o religiosa, urna vez que estamos no dominio de
estabeleciraentq de linbas telegraphicas para a plena liberdade de cultos.
Europa que parlara de qualquer p >nto da liaba, Assim, pois, deve estar o povo bahiano con-
fio Brazil para os Estados Unidos da America do vencido de que o governo da repblica em nada
Norte. | prejudicou a religiao que cada um emenda pro-
A coocessio vigorar pelo prazo de 35 an- fessar.
nos e no termo de 18 mezes dever acharse! No mez de Fevereiro findo os rendimentos pu-
immerso e funecionando o primeiro dos cabos. j blicos foram os seguintet:
Falleceram o Baro de Taotpbcous, antigo; Alfandega 907.84n#344
professor proprietario do collegio de instrnecao,
e o Dr. Fabio Alexaodnno de Carvalho Res,
sobre quem escreveu o Jornal do Commercio :
Filho legitimo do lavrador Antonio Jos dos
Res e de D. Mara Rosa de Carvalho Res. Fa
bio Reis nascen a 13 de Outubro de 1815. na
freguezia de Nossa Senhora da Dores, de Itapi-
cur-ocirini. Estado doMaranbo.
Tendo estudado humanidades na capital do
mesmo Estado, niatriculou se, em 1834, no 1
anuo, do curso da Faculdade de Direito de Oli^t
da, da qual receben o grao de bacnarel em
18 8.
Em 1840 foi nomeado collector das rendas
provinciaes da capital do Maranbo cargo que
deixou para exercer o de procurador fiscal do
Tnesouro Provinc.al, para o qual foi nomeade
em 1842.
Dez anuos depois foi nomeado uspector da
Alfandega do Para, sendo referandado o decreto
de sua noraeaco pelo Visoonde de Itaborahy,
seu adversario poltico.
Nesse cargo servio cerca de II annos, sem-
pre estimado e considerado por todos ; seiido
removido delle para o de inspector da Alfande-
ga Je Pernambuco, da qual foi removido para o
de inspector da Alfandega do Rio de Janeiro,
em substituico do coaselheiro Paes Barreta, que
havia fallecido.
Em 1867 foi removido desse cargo para o
de inspector da The30uraria de Fazenda do Rio
Grande do Sol. sendo ento ministro da fazenda
o cooselheiro Zacaras de Ges e Yasconcellos.
Nao aceitou a oome gao e, afastando assim
da carreira administrativa, dedicon-se ao magis-
terio particular e fundou e dirigi nesta capital
o Collegio Perseveranca de inslrucgo primaria
e secundaria, que manteve desde 1 de Selembro
de 1867 at que por decreto de 13 de Novembro
de 1872, referendado pelo Visconde do Rio Bran
co, foi nomeado inspector da Alfandega de Per
narnbnco.
Era 1875 foi chamado ao Rio de Janeiro
para collaborar no coditicacao dos regulamentos
para as Alfandegas.
Removido en 1881 para a inspectora da
Alfandega da Bahia, obteve aposentadora em
1882.
Alistado as lileiras do partido liberal des-
de os tempjs acadmicos, o Dr. Fabio Reis foi
pelos seus -mprovincianos, eleito membro da
assembla legislativa provincial e deputado as-
sembla geral em varias legislaturas e infinido
na lista trplice apresentada cora para desig-
nar o substituto do senador J 'aquim Vieira da
Silva e Souza. fallecido era 18-4.
Na academia de Olinda redigio, com Fran-
cisco Jos Furtado, Castello Branco, Carvalho
Moreira e Dias Vieira, o Argos Olindense, orgo
de doutrinas ultra liberae*; no Estado do seu
nascimento redigio O Maranhdo, 0 Dissidente,
publicages peridicas, O Progresso, a primeira
f.'llia diaria que teve o Maranbo.
Funcctcnario publico, legislador, jornalista,
educador ou pai de familia, o Dr. Fabio Alexan-
Jrino de Carvalho Reis foi sempre o apostlo da
religio do dever.
Efttado do Knplrito Santo
l>atas at 21 de Fevereiro.
Do dia 1 a 14 desle mez falleceram na capital
15 pessoas. sendo II defebre amarella.
Dos fallecidos desta enfermidade oito eram
italianos.
O governador do Estado um 'reou Diario
Oficial prra publicago de todos os actos ofciaes
seudo a typographia comprada pelo Estado.
Estado da Banla
Datas a' o Io do correte.
No dia 28 do passado teve luear a eleigo
de presidente do Tribunal da RelagSo, sendo
eleito o desembargador Jos Antonio da Bocha
Vianna que ja oceupa esse cargo.
A s-vca coutinuava a flagellar o centro do
Estado.
O conselho municipal deu nova organisa-
go ao servigo municipal, estabeleceodo o pes
s ^l do mesmo servigo e fixando Ihe os venci
sen toa.
Por essa occasio foram dispensados diversos
em pregados.
Foram dissolvidas as cmaras municipaes
e creadas intendencias e conselhos municipaes
na villa da Mat:a de S. J.o. villa do Morro do
Chapeo, villa de S. Francisco, villa do Remanso,
cid.ule da Barra e villa da Baixa Grande
Fallecer no dia 23 do passado noite o octo-
genario Joo da Veiga Munci. distincto litterato,
sobre o qual diz o Diario de Noticias :
Philo o*o distincto, nao Ihe sendo mesmo,
ha al.'uns annos, disputada a palma na primazia
o illustrado profess >r Murici, como era geral-
mente conhecido, recebeu sempre de todos os
seus collegas e dos seus innmeros admiradores
as mais completas proras da muita considerago
e respeita era que era tido o seu cultivo intellec-
tual e a sua profunda illustrago, no ramo de co
nhecimentos humanos a que se havia com alineo
dedicado.
Como philologo braslleiro, mereceram as
fuas opinies o mais serio acatamento porque
todos conheciam as solidas bases em que se nr-
tnavain sobre este ponto os seus conhecimentos,
sendo considerado como ura dos mais profundos
latinistas deste estado.
No idioma grego, que to poucos cultores
conta entre nos. e do qnal foi o illnstre morto
lente no seminario, era versadissimo, o que con-
stitua para elle mais um valioso titulo e.-tima
respeitosa e sincera admiraco dos seus conci
dados.
Para essa cadeira, quando creada noLyceu
Provincial, entrou em concurso, desdenhando
qualquer apota que nao fosse o que Ihe promet-
tiara os seus conhecimentos.
Tendo por competidor o Ilustre conselheiro
Demetrio Tourinho, j fallecido, foi este escomi-
do.
Nao era simplesmente as Hnguas que se
resumiam os conhecimentos do professor Mu
riel.
Em pbilosophia era profundo lambem, acei
tando a escola espiritualista, como ctholico fer-
voroso, que era.
A;m da face litterana, distingua se o il-
lustrado professor pela sua face de artista, dedi-
cando-se, ermo amador, msica, que cjnhecia
bem.
Dotado de rigido carcter e de corago gene-
roso, a sua muita modestia e a sua propria ndo-
le mantiveram sempre na penumbra esse lio
mem. que bonrava a trra que Ihe fora bergo.
O seu nomi' tornou se mais conhecido aps
urna polmica que sustentou com o illustrado
clerico Dr. Romualdo Barroso, ento arcebispo
da Bahia, de veneranda memoria.
No dia 28 de Fevereiro uUimo teve lugar a
procis8o do Sehor dos Passos e Vera j?. cora
bastante imponencia, segundo noticuu o Juraat
de Noticias, que acrescentou :
A procisso de hontem, gragas i intervengo
do nosso venerando arcebispo. e da boa vonlade
do Exm. Sr tenente general Hermes Ernesto da
Fonseca xcedeu em brilbaniisn o a dos annos
anteriores.
A ella compareceram e acompanbaram o ci-
dadao governador do estado, comraandante das
armas, membros da intendencia, commandante
do 5o batalbao de artllnera, commandante do 16
batalbo, grande parte da officialidade do mes-
mo. ofilaes da companhia de cavallaria, mon-
senhor Santos Pereira, todo o clero bahiano, ca-
bido metropolitano, seminaristas, D. abbade de
S. Benlo, provincial de S. Francisco, ngarios
de todas as ireguezias da capital, dive-sas innan-
dades, rdem Terceira ae S. Domingos e enorme
acompanharaento de povo.
Deu guarda* de honra todo o 9o batalho, sob
o enramando do lente coronel Francisco de
Paula Argollo, tacando as msicas do mesmo
batalho e do 16 de infantera.
Em resumo, podemos dizer que a procisso
hontem realisada foi a mais appar tosa que ces-
ta capital tem se feito nos ltimos annos.
A causa disso fcil de explicar: o povo
babiaao, que sempre viven e vive bem sob o do-
minio da religio catholica apostlica romana,
quiz mostrar a firmesa de sus creogas, hoje que
a igreja se acha separada do Estado.
A muitos produzio certa impresso sera ve
neravel imagem do Senhor dos Passos acompa-
%
Tnesouro Provincial
Municipal
32.936770
131.111*204
7.216*270
Guahy,
Pelo vapor costeiro Barao de
ti vemos as seguintes noticias:
Eatado de Sergipe
Datas at 28 de Fevereiro :
Foi nomeada urna commissio, compos-
ta do inspector e contador do Tnesouro do
Estado, e os cidadaos Jacintho Martins de
Almeida Figueiredo, Manoel Jos dos San
tos e Ricardo Curvel.'o de Mendonga, pa
ra apresentar bases reforma que se pro-
jecta do regulamento provincl de 26 de
Agosto de 1874, sobre arrecadacao de im-
postas.
Lemos na Gazeta de Sergipe, de 26 :
t O acreditado e intelligente commer-
ciante da praga de M-.roim, ccmmendador
Joao Rodrigues da .'ruz, a cuja actividad e
e desinteresse deve esta provincia muito
dos seus melborameutos, assignou hontem
com o Estado de Sergipe e como procura
dor da casa commercial do Rio de Jane i
ro, de Joao Jos dos Rea & C, o con
tracto de navegacSo a vap>r para essa pra
ga, dehaixo das seguintes e principaes con
digoes:
t a) Fazer a companhia urna viagem
mensal entre este porto e o do Rio com
escala pela Babia, Espirito Santo ou qual -
quer porto de Sergipe, quando assim con
venha ao [commercio e empreza.
i b) Pagar o Estado a subvencao de
tres contos de ris por viagem, podendo a
companhia fazer mais viagens, sera direito,
porm, a a:crescimo de subvenga o ;
c) As passagens e fretes serSo estipu-
lados de accordo com a tabella que for ap-
provada pelo governo ;
i d) As mercadorias estrangeiras, race-
bidas nos vapores por baldeago ou em
transito, e que venham pagar os direitos
de consumo nesta Alfandega, terSo na im-
portancia do frete o abatimento de 25 por
cento :
i e) O Estado dispor de duas passa
gens de primeira classe, mas sem comedo-
rias, em cada viagem, e gosar de abati-
mento de frete em certos casos e de isen-
cab em machinas e apparelhos agrcolas,
quando importados por sua conta.
E*tado de Alagoa
Datas at 4 de Margo :
Por decreto de 26 de Fevereiro, foi re-
formada a lnstracgSo Publica.
Nada mais digno de nota referem as
folhas desse Estado.
urna deffl consultas fosse nomeada urna
comojisslo de tres membros, sendo relator
o mais votado para propor por escripto o
cidadSo ou cidadao8 ma8 idneos do ter
mo ou districto, conforme se tratar de
delegado ou subdelegado ; e que urna vez
ap;rovado cada um doi ditoa parecer*,
con* emendas on sem ellas, ficasse dissol
vid acomm8sao que o confescionou ; o
que foi approvado por unanimidade.
Mediante propostas de difFerentes mem
broa do club foram por unanimidade de
votos -aceitas como socios do mesmo os
cidadSos Antonio Antunes de Alencar,
Fr*nasco Ferreira da Costa, engenheiro
Jos Heronides de Hollanda (?osta capitSo
Manoel Pitto de Campos e Jos Joaquim
da Silva.
Anda pop unanimidade de votos foi
eleito orador do club o consocio Antonio
Antunes de Alencar.
Resolveu se por unanimidade de votos
que as propostas para socios, a comegar
da primeira sessSo, sejam feitas por es
cripta, o,ajue os propostos nao assistam s
sessSes nao depois que o club lhes
communicar que foram acceitos. O ora-
dor eleito pedio e Ihe foi unnimemente
negada escusa do cargo.
Kesolveu-se que de hora em diante os
membros do cluL s poderSo fallar de p.
Foram essas as resolugSes tomadas pelo
club, segundo a acta que ficou fielmenie
copiada.
INDUSTRIAS E ARTES
C
Do Diarlo de Pernambuco
tiARANHUNS, 26 de Fevereiro de 1890
CidadSos RedactoresO Club Ordem e
Progresso, fundado nesta cidade a 16 do
corrate e cuja nstallagab vos foi commu
nicada, deliberou levar ao vosso conheci-
mento o resultado de suas sessocs afm de
o publicardes, caso julgueis conveniente.
Como sabis, o Club tem por fins
attendendo :
A que a repblica, que o rgimen da
liberdade e a nica instituico capaz de
promover o bem da Patria, pode nSo cor-
responder aos seus intuitos pelo atrazo e
ignorancia da maior parte da populagio
do Paiz ;
A que o governo provisorio e o governa-
dor deste Estado cujo acrisolado patrio-
tismo, elevacab de vistas, illustraclo e boa
orientacab poltica o Club reconhece,
podem ssr mal representados no interior
pelos seus agentes que j por ignorancia,
j por se acharem fora das vistas de seus
superiores e affeitos s praticas do ntigo
rgimen se sirvam da autoridade de que
estiverem revestidos para arbitrariamente
vexar o povo;
A que, tendo sido aclamada a repblica
pelo exercito e armada nacionaes e aceita
pela maioria da populaco, existem todava
muitos partidarios aferrados da monarchia,
que sorr iteiramente e cobertos com a"
mascara da hypocrisia buscarlo deturpar
o sentimento popular, calumniando a re-
pblica e os seus governoa;
Concorrer por tedoa os meios legaes
para o levantamsnto do carcter publico
nesta comarca, propagando largamente a
idea da liberdade, a auperioridade da re-
publica sobre a monarchia, a igualdade de
direitos de todos os cidadaos perante as
leis e os deveres de cada um para-.com a
Patria ;
Oppor-se pelos meios cima declarados
aos arbitrios e violencias das autoridades
que os praticarem, j levando os factos ao
conhecimento das autoridados supnriores
por meio de petigao ou por meio da im-
prensa, j denunciando aquellas autorida-
des aos tribunaes competentes, quando
taes arbitrios e violencias constituirem
crimes, o que poder succeder; procurar
desmasearar os hypocritas, e previnir o
espirito do povo contra as suggestSes mal-
volas delles aos actos do governo.
Disposto a cumprir rsca este pro-
gramma e a amplial o at, si o julgar con-
veniente, em bem da Patria, o club est
resolvido a dar-lhe a mxima publicidade
afm de que qualquer h- hitante desta
comarca que esteja sob a prestito de al-
gum arbitrio ou violencia possa recorrer e
elle.
Para esta publicidade o club conta com
o vosso auxilio, e por isso passa a tran-
screver a teta da primeira sesslo.
Eil a :
Aos 20 de Fevereiro de 1890 na
casa do consocio Victorino Alves Montei-
ro, presentes os membros abaixo assigna-
dos, em numero de 8, abrise a sessSo.
Leu-se o seguinte expediente :
Um telegramma do governador do Es-
tado, em reaposta a outro do presidente
do club, felicitando a este pela aua instal-
lcb, e esperando que o club correapon
der denotninacab que Ihe serve de lemma.
Arehive-a.e
Pelo consocio Victorino Alvea Montairo
foi propoato que o club, nio podendo, em
face de suas leis orgnicas, recusar-se a
indicar pessoas para os cargos policiaes,
guando consultado pela autoridade compe-
nhada por grande parte da guarnigo desta cap}-. -
tal; a oatros, porm, esse facto encheu de jubi- tente, resolvesae que para respoata de cada
Cnegou a Lisboa o pessoal e o mate
rial de urna importante companhia de ex-
plcracab agrcola franceza, que vem, con
tractada por diversos vinicultores portu
guezes, fazer plantag5es de cepas ameri
canas para nellas serem depois enxertida
as melhores c stas francezas.
A companhia traz grande porgSo de al-,
favas agrcolas, trabalhadores, carros-bar-
racas para estes habitarem, e vinte e nove
cavallos normandos, sendo o valor decla-
rado na Alfandega destes ltimos de.....
5:220^.
Esta companhia vai comegar a sua ex
ploragao por urna propriedade que o Sr.
Visconds de .hancelleiros possue na Cor-
tegana.
*
E' curioso notar qual a quantidade de
trabalho representada pelas estradas de
ferro.
As dos Estados Unidos empregam.....
250,000 homens nos diversos servicos de
transporte. Para realisar por traego de
sangue o transporte effectuado pela rede
das vias frreas norte-americanas, seria
necessarij empreg'r 13 milhSes de ho-
mens e 53 inliue. de cavallos.
O custeio daquella rede orga annual
mente por dous e meio milhares de fran
eos.
Para realisar por tracgSo de sangue* o
mesmo trabalho seria preciso despender
vinte vezes mais do que essa quantia.
Estes algarismo dao idea da revolugo
produzida no mundo pelas estradas de
ferro, as. quaes, anno por anno, faze
augmentar de muito o capital nacional, j
pela consideravel economa do transporte,
j por evitar o emprego de multido de
Dragos que se podem applicar a outros
mistere'8.
#
Nos 29 annos decorridos de 1854 a
1883 a prodcelo de carvSo na Inglater-
ra augmentou de 147 [0.
Tendo baixado nos annos immediatos
recrudesceu em 1887, attingindo algaris
mos nunca registrados em semelhente ge-
nero de produego.
De 65 .lilhoes de toneladas em 1854
elevou-se a 170 nos ultimes annos, o que
fez agitar de novo a questSo, outr'ora
muito debatida, do possivel esgotamento
das jazidas carbonferas da Grt Bretanha
em prazo relativamente pouco 1 mgo, a
exerapio do que tem occorrido na Blgica
onde algumas minas db signaes de dimi-
nuigo da sua riqueza primitiva.
A opiniSo dos homens mais abalisados
neste ramo industrial que, mesmo ad
mittindo certa progressSo na extracgSo,
comtanto que no seja indefinida, a In-
glaterra possue ainda' carvao para dez
secutas, senSo mais.
Para esta grata certeaa concorrem os
melhoramentos modernos que permittem
penetrar mais profundamente as jazidas.
*
A colheita abusiva das ostras empobre
ceu de tal maneira os bancos estreitos
que nSo produzem estes senSo quantidade
de molluscos de todo o ponto insufciente
para as necessidades sempre crescentes
do consumo.
Esta escassez, porm, tem achado re-
medio nessa industria da ostricultura que
permitte abastecer os mercados rom pro
ductos de ptima quilidade e tao abun
dantes que o prego vai diminuindo de
anno para anno.
Em 1887, ao passo que as ostreiras na-
turaes da Franga produziram 570,030 os-
tras, as artificiaes lancaram nos mercadoa
12 mili Sea de tae.s molluscos.
Arcachon o mais importante centro
productor do artigo, produzindo por anno
3 a 4 milhoes para os quaes os bancos na-
turaes apeuas contribuem com 50 a
60,000 ostras.
La Nature, revista scientifica, faz votos
para que os progressos da industria con
tribuam para tornar popular a oxcel ente
alimentagao pela ostra.
REVISTA DIARIA
Corpo de PolicaPor portara de hon
tem datada, do governador do Estado, foi exone-
rado a pedido o capito do 2> batalho de inan-
taria Antonio Ignacio de Albuquerque Xavier, do
posta de commandante do Corpo de Polica, e
nomeado para snbstitnil-o o coronel reformado
do exercito Antonio Francisco da Costa.
Intendencia MunicipalPor ter bavido
equivoco na noticia hontem pdblicada sobre a
Intendencia Municipal de Tacarat, damos de
novo a publicago dessa parte, corrigindo o equi-
voco.
Essa Intendencia licou assim compasta: Ma-
noel Correa da Graga, servindo de presidente;
Joaquim Pires de Carvalho Belfort, e Ardolino de
Novaes Machado Jatrutub.
Agente* do CrreloPor portara de 3
e 4 do corrale, do cidadao administrador dos
Correios deste Estado, foram nomeados agentes
do Correio de S. Vicente, Salgueiro e Triumpho,
na ordem em que vao collocadoi. os cidadaos
Tranquilino Ildefonso Barreta Caldas, Juvencio
Vieira de Sampaio e Fausto Ribeiro Vianna, em
subsiituicio a Ser.'io "atsarru'fo da Silva Marro
cog, Jos Jacintho da Hora e Cleraentino Alveide
Andrade, qne foram exonerados, os dous prime!
ros por nao inspiraren) conanga Administra
gao e o ultimo por falta de aptidao para o exer-
cicio do cargo.
Dr. Annibal Paleao No paquete Nerthe,
hontem chegado do sul, veio o illos'.re cidadao
Dr. Annibal Falcao, sendo recebido cora grandes
demonstragoes de aprego pelos seot amigos, se-
gundo o programraa delineado pelo Club Repu
blicano Viole e Dous e Julho.
Apenas o paquete fundeou'no Lamaro, para
alli se dirigiram em escaleres diversos desses
amigos e urna comraisso do referido Club, que
alli o siudaram, indo tambera ao encontr do
paquete o rebocador Amadeu, no qual tomaram
passigera urna banda de msica e diversas pes
seas.
Cerca de meio dia, o Dr. Annibal desembarcou
no Caes da Lingueta ou Praga do Commercio.
sendo recebido por crescido numero de amigos,
que alli congregades o esperavam, e sendo ata-
cados muitos fogueas e erguidos muitos vivas,
tocando a banda de niupica do Corpo de Pu-
lira.
Depois da troca dos cbmprimentos, segniram
todos era bonds e em carros at a casa de resi-
dencia da familia Falco, na ra das Pernambu-
canas, na Capunga, onde esperavam o Dr. Anni-
bal uitos outros amigos.
Alli, i hora da tarde, foi a todos servido um
lauto almoco, cuja sobremesa foram trocados
numerosos brindes, convergindo principalmente
as saudages para o i Ilustre viajante.
A praga do Commercio e a ra do mesmo norae
estavara embanderadas e o mesmo se dava na
ra das Pernambucunas, na Capunga.
Comprkneotamos o distincto cidadao.
Encllente medidaL-se no Diario de
Noticias, da capital Federal, de 27 de Fevereiro
prximo findo :
O governo provisorio acaba de tomar urna
providencia necessaria e importantiosima era
relagao ao ex imperador, cujo estado pecuniario
na Europa nao certamente lisongeiro.
Procuradores da ex familia imperial, saben
do das condig6es difficeis de vida de D. Pedro
de Alcntara, recorreram a alguns bauqueiros
conheciitas de nossa praga; mas, nao conse
guindo auxilio algum desies, empregaram ou-
tros meios, ate que ebegou o facto ao conheci
menta do governo provisorio, que procurou im-
mediatamente ir ao encontr das necessidades
do ex-imperador, proporcionando-lhe os meios
necessarios c de um modo honroso para ambos
O benemrito governo provisorio resolveu
mandar dar na Europa, ao ex-imperador, a
quantia de cera contos de ris, de urna s vez.
nara satisfazei os comproraissos que ja havia
contrahido. e mais tnnta contos de ris mensal
mente, para occorrer as suas despezas d'ora em
diante, at a final liqoidagao dos seus bens no
Brasil
Aquellas soramas, porem, nao sao dadas de
raao beijada, como muita gente suppe, mas
como ora emprestimo ou adiantamento feito por
conta do que D. Pedro tem a receber no Brasil,
de sua fortuna particular, que, se nio grande.
'la perfeitamenle, entretanto, para garantir Ihe
o resto de sua vida, se nao principescamente, >o
menos modestamente e de accordo com os seus
sentimentos philosophicos.
' Depois dos decretos de banimento e sm-
pensao da lista civil, decretos provocados pelo
ex-imperador, que deixou se levar por conse
Iheiros qu; o sacriticaram at ultima hora, o
governo actual nao poderia certamente restabe
lecer tal lista, embora mais resumidamente, por
que sena recuar em um acto enrgico que pra-
ticou e que as circurastancias do momento ex
igiam, enfraquecendo grandemente a forga do
governo; nem to pouco D. Pedro de Alcntara
poderia aceitar seraelhante favor, porque sena
ceder forga das circumstancias menos lisonjei
ras em que se acha actualmente.
O governo, mandando adiantar ao ex-impe-
rador aquellas quantias, procurou interpretar o
sentimeuto de lodos os seus compatriotas, quu
applaudem sem reservas aquelle acto, que cada
um de nos brasileiros seria capaz de praticar
se estivessemos no governo. Nao porque todos
fossemos capazes da fazer a poltica do senti-
mentalismo, qu tudo prejudicaria ento, mas
porque a generosidade ura dom natural no
nosso povo.
0 governo, fazendo o emprestirao ao ex im
perador, colloca o ao abrigo dos necessidades,
roas nao restabelece a lista civil, que elle annul
lou e que D. Pedro suppoz que fosse um direito
seu, quando a nago j o tinha deposto e a sua
familia.
O governo, assim procedendo, fica com di-
reito de tiscalisar e intervir na gerencia e liqui-
dagSo dos bens de D. Pedro de Alcntara, como
um dos seus principaes credores, providencian
do para que quanto antes termine to difihil li-
quidago e cujo prazo est marcado.
O benemrito governo provisorio, adiantan
do 30:00'.} mensalmente a D. Pedro, tira o das
difficuldades em que se acha e nao o colloca em
posigao humilhante de receber favores por meio
de subscripgo, elle que tem bens de fortuna
suflicientes com que o dotouja nago brasileira.
Servico militarE' hoje superior do dia
o cid?dao "capito fiscal do 14, e faz a ronda de
visita um subalterno de cavallaria.
0 2* batalho d a guarnigo da cidade e o
commandante da guarda de palacio, sendo esta
prestada pelo destacamento de cavallaria.
Alistara se come voluntarios treze indivi-
duos.
ama CasaAcham-se de mez os seguin-
tes montamos : no Hospicio de Alienados o Dr.
Piaxedes i Jomes de Souza Pitanga, ua Casa dos
Exposta3 o Dr. Antonio Marii de Faria Neves,
no Collegio das Orphs o Dr. Manoel da Trinda-
de Peretti, no Hospicio dos Lazaros o Dr. Joa-
quim de Albuquerque Barros Guimares, no
Asvlo de Mendicidade o Dr. Alexandre de Sou
za Pereira do Carmo, continuando no Hospital
Pedro II o comraenfador Jos Adolpho Rodri-
gues Lima e no de Santa gueda o commenda-
dor Joo Vicente Torres Bandeira.
Precioso achado-No Jornal do Commer
ci de 26 do passado l-se o seguinte :
O pedreiro da repart;o dos telegraphos Quin
tino Luiz de Faria achou hontem no antigo Pago
da Cidade, dentro de urna caixa um rico scept: o
de marliin e ouro encimado pelas armas de Bra-
ganga, em ouro massigo.
E' urna pega de grande valor.
O Sr. Dr. Baptista, director, remelteu-o ao Sr.
generalissimo chefe do governo provisorio, que
recommendou o pedreiro Quintino ao Sr. minis
tro do interior.
BevlHta iiiuwfradaAgradecemos a re-
messa com que fomos obsequiados do n. 579
dessa publicago.
Sempre interessante, procurarem n'a os as-
signantes na respectiva agencia nesta cidade.
S batalbaoDamos em seguida as or-
dens do da publicadas pelos cidadaos comman
dante e major fiscal do < batalbo de infama-
ra ao deixar o respectivo commando o tenente-
coron 1 Antonio Francisco da costa, e ao assu-
mil-o o major Julio Augusto da Serra Martins.
Quartel do commando do 2 batalho de infan
taria as Cinco Ponas no Estado de Pernambuco
3 de Margo de 1890.
ORDEM DO DA X. 172
Para conhecimento do batalho, publico o
seguinte:
c Entrega do commando.
Tendo sido reformado por decr-.to de 3, se
gundo consta da ordem do iia sob n. 33 da re-
partigo de ajudante-genaral de 10 tu! i do mez
prximo passado, em consequencia de ivtar com-
prenendido na conaigao que obriga reforma
todo aquelle official, as tres respectivas classes,
que attingir a urna determinada id ule, era vista
da resolugo do muito distincto e l. .emrito ci-
dadao Jos Simeo de Oliveira,'illustrado mare-
chal de campo e governador d'este grande Es-
tado, contida em sua ordem do dia n. 19 de boje,
passo o commando do brioso e disciplinado 2
batalbo, ao sea digno e honrado major-liscal,
cidadao Julio Augusto da Serra Martins.
Tendo era 1849, quando apenas co.ntava i9
primaveras, abrcalo a vida militar, que foi a de
meu presadsimo pai, de saudosa recordago,
d'este momento em diante, smente por forca do
decreto compulsorio deixo com intima dr, de
vos commandar, privado assim de nunca mais
ter o prazer de vos dirigir, em toda e qualquer
emergencia, urna voz sequer, que, como disci-
plinados e obedientes que Sempre fostes, daveis
prorapta e cabal execuco.
E' asss mortiticadora a minha separago, ma
xime, quando alimento a conviego e est a luz
da evidencia, que a minha constituig&o physica
e bastante vigor de que disponho. ainda me per-
mitiam, sert que duvida faga, alguns annos de
permanencia no senrigo activo, onde gostosa
mente e a vosso lado, desejaria continuar na de
fensa dos direitos, ordem e progresso de nossa .
querida Patria, que, com as auras democrticas
e puras, que actualmente agitam o sea res pai-
tado e lindo' estandarte, avanga em gloriosa mar-
cha, para a grandezas que est Cadada pela ad-
miravel uberdade e riqueza de seu slo e pela
salubridade de sen clima, a par de sen inoacto a
sympalhico genio hospitaleiro.
Nao passando na presente coojunctura de
nma triste chimera aquelle meu sincero ideal, o
que me sensibilisa at o corago,me despego,
perianto, de todos vos, cidadaos ofciaes, of-
ciaes inferiores, cadetes e mais praga 8, a todos
os quaes nao poda deixar de n'este momento
solemne enviar os meus sinseros e cordeaes ara-
d'-i.'Kirntos pelo muito que fizestes no intuito
louvavel de concorrer para a boa marcha e re-
guladado do servigo em geral; sem o que a mi-
li a boa vontade seria urna cousa sem effeitos
apreciaveis, vedadeiramente nulla.
E no dominio das agruras que me espesi-
nbam, n'este momento ingrato em que vou ser
transferido para a estagnago da ioaclividade,
que aborrego, pego que vos lembreis do comman -
dante qne em ocesio alguna descurou de vosso
bem estar, que nunca deixou de pugnar pelos
vossos reaes interesses e que vos dedica cordeal
amizade.
Pegovos que me fagaes o enorme e ultimo
lave r, a que espero accedis com a melbor boa
vontade, como moralisados, bravos e leaes ser-
vidores da Patria que sois, do que sempre dstes
as melhores provas.
* Continuai a respeitar vossss legitimes supe-
riores, continuai a cumprir litteralmente as or-
dens que receaerdes e continuai, finalmente, na
fiel observancia das regras da candura, da de-
cencia e da probidade, concorrendo d'esl'arte
para s estabilidade da Bepublica e para o sen
engrandecimento, que vai sendo j urna realida-
auspiciosa. Sede felizes; urna braco e adeus.
Assknado. Tenente-coronel Antonio Fran-
cisco da Costa.
> Est conformeVictoriano Costa, alferes se-
cretario interino. >
Ordem do dia n. 1
Tendo o illnstre cidadao tenente-coronel Ani
tonio Francisco da Costa sido reformado por de-
creto de 31 de Janeiro findo, em virtude da le-
corapulsoria, e me passado o commando deste
batalho em observancia ordem do dia do ci-
dadao marechal de campo commandante das ar-
mas, sob n. 19, de boje datada, fago publico ao
mesmo para sua sciencia; e jnlgo cumprir um
dever de honra, em nome deste batalho, con-
fessar ao meu Ilustrado antecessor, quanto nos
era grata a affeigo que Ihe consagramos, nao s6
pelas suas elevadas .qualidades tradicionaes no
exercito, as quaes, lera o cunho bem patente nos
exemplos de coragem ecalma de que deu subi-
das provas na campanha do Paraguay em aY-fe-
za da patria como attestam as paginas de glo-
rias inscriptas em sua luminosa l' de ofticio,
como tambem pela sua de^icago no servigo e
ustiasimas e ioiparciaes decises de seus actos.
E' pois cora o maior pezar que o 2o bulaiho as-
siste ao apartameuto de seu respeitavel e presa-
do chefe, que s guiava se pelo camiriho da vir-
tude, e cuja f de ollicio o maior patrira nio
que poder legar a sua familia, que deve orgu-
lliarse por to rico pennor e servir de exemplo
aos seus companheiros.
Tambem despedindo-me dos cidadaos capi-
tes Pedro Velho de Si Barreta, Francisco Jos
da Silva, Jos Placido Lucas Bion, tenente Ma-
noel Miuricio Looes Lima e alferes Joaquira Ba-
zilio Pyrrho, que pelo mesrao motivo do il-
lustre tenente coronel Costa, deixam as lileiras
deste batalho, do qual eram sustentculos da
disciplina, que sempre reinou nes!a corporago,
agradego e louvo os pelos bons servigos presta-
dos na paz e durante as ultimas campanhas.
Assumindo o commando deste brioso bata-
lho, 'a a esta espiuhosissima e difUcil, urna
vez que tenho de substituir a lio respeitavel che-
fe, nutro a conviego de corresponder especta-
tiva do governo confiado na illustrago, boa von-
tade e disciplina que caracterisam aos cfiiciaes
que o compem e tambem na iaquebrantavel
disciplina de que sao dotadas as respectivas pra-
gas. predicados esses que nao deixam nada a
invejar dos demais corpos do exercito nacional
por mais disciplinados c briosos que sejam.
Ficam de p as ordens do meu antecessor
at que o servigo exija qualquer alterago.
Assignado. Julio Augusto da Serra Martias,
major commandante interino.
Est conforme com o original. Victoriant
Costa, alferes secretario interino.
miau .acadmicaFaz hoje essa socie-
dade a sua inaugurago official.
A sesso solemne celebrada no salo do
theatro de Santa Isabel, o qual para esse lira
acha-se preparado e primorosamente ador-
nado.
A' solemnidade festiva nao faltaro nenhuns
desses requisitos que soera salientar taes actos
e recommendal os ao aprego.
A essa solemnidade comparecer o Exm. ma-
rechal governador ao Estado e o que ha de mais
selecto em nossa sociedade, dando Ihe assim
mais lustre, imprimindo-lhe um typo de distrae-
gao que se casa perfeitamente com a sociedade,
cuja existencia affirmada na mesma solemni-
dade.
Congregages de esforgos da mocidade acad-
mica, a sociedade que emerge d'esse corago
generoso e aberto s grandes aspirages dos
nossos lempos, ha de produztr os fructos, que a
patria espera do trabalna auspicioso dessa ge-
rago que se prepara como obreira dos grandes
problemas do seu futuro.
A PatriaDislribuio-se o n. 9 desse peri-
dico, cuja visita agradecemos.
Pranciaco da Rocba Salgado A
bordo do vapor Nerthe, seguio para a Europa es-
se senhor, socio da firma commercial desta pra-
ga Ramos, Salgado C.
Agradecendo a fineza do seu carto de des-
pedida, desejamos que faga boa viagem e obte-
nba os fins que o levam ao velho continente.
Orcamentodo Estado Recebemos o
folhet sob tal denominago, e que contem o
voto separado projecto substitutivo da minora
da commis8o nomeada para aquelle servigo.
Agradecidos.
Corpo Manto-A esforgos e solicitude da
respeitavel mesa regedora da irmandade do Sau-
tissimo Sacramento dessa matriz, sero na mes-
ma celebrados na presente quaresma os actos
da semana santa, mediante donativos que pro-
movem entre 03 liis.
PerimentosAnte hontem pela manila, nc
quadro de Paysand, depois de tomarem se da
razes, foram a via3 de facto e fenram-se um a
outro Jorge Ferreira das Neves e Innocencio
Luiz Bamos do Nascimeto, os quaes foram pre-
sos era.flagrante e recolhidos t Casa de Deten-
gao.
CapturoPela delegada do districto des-
ta capital foi capturado Francisco Euzebio da
Silva, pronunciado em crime de ferimento grave
no termo de Brejo ae Areia, no Estado da Pa-
rahyba.
Faculdade de DireitoPor declaragao
do Sr. ministro do interior Loestaro excluidos
das materias dos actuaes exames na Faculdade
o direito :onslitucional. eccleciastico e adminis-
trativo, devendo nelles serem argidos os exa-
minandos.
Traba'bou lectivos da Faculdade
Pelo governo foi autorisado o director da Fa-
culdade a adiar pelo tempo que for preciso a
abertura das aulas, em consequencia dos actuaes
exame3.
Club. Carnavalesco Imperiaea
Harinbe'ros Ficou assim organisada a no-
va directora desse club:
PresidenteAntonio M. V. Lins.
SecretarioJos Augusta L. de '.'aslro.
OradorA. Francisco de Salles Dutra.
ThesoureiroManoel de C. Saidanha.
FiscalAntonio Francisco de Souza.
Theatro Santo Antonio Nesse thea-
tro a companhia dramtica, organisada neste
Estado pelo Sr Domingos Braga, d hoje um
boni espeatacnlo com o drama em 6 actos Ot
seis degrat do crime.
Posto que antigo, o drama em questo bem
elaborado, le grandes effeitos scenicos, e com-
movedor. Merece ser apreciado.
A companhia pelos esforgos que faz para
agradar ao publico, digna de ser auxiliada.
Leiies -Efiectuar-se ho os segnintes >
- Hoje :
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra do
Imperador n. 21, le predios, joias roupa e co-
fres.
Pelo agente Martins, s H horas, ra das
Larangeiras ns. 21 e 23, de movis do hotel Res-
tauran!.


t



~
t







-
; -



.

^4




> -i

Diario de Perua
do
[la-feira 6 de Mar^o de 1890
Pelo agente Silveir,-. as 11 bsraa, rus
imperador n. 2. ue um sitio, com casa D-. e:n
Joao de Barros
Pelo agente Pinto, s II horas, i ra do Boro
leaos n. 45, de ferrageos avariadas e perfuioa-
KBImm rnaetores Serio celebradas :
Amauba :
A*s 7 1/2, no convento do Carino peta alma
deD- Rita Mara de Hollaoda Gavalcante ; as 8
horas, na matrii da Boa Vista, pela alma de D.
Anna Joaquina Los Vuelta.
Sexta-feira:
A's 7 boras, na matriz de Igunras> e na igre
ja da Penba, pela alma de Luiz Ferreira Bandei
ra de Mello.
Paimelww Chegados do sul no vapor
(ranees Nertbe :
E Duarte das Nevos, Pabio da Silva Barros,
Dr. Annibal Palco Carlos Falcao, Antonio Prao
cisco Ribeiro, Mara de Jess, Bonifacio Beroal.
Joao Arlhur Martina, Luiz Pilgueia, Alfredo de
Campos Fraoga, Odilor. Martina Barbosa, A. Ol
reir Panchinet.
Sabidos para a Europa no mesmo vapor :
Jos de Souto, Amonio da Silva Campos, Ma-
noel de Souza Almeia, Manoel Alvcs de Carva-
Ibo. Jos Domingoes Antunes, Placido F. Ribei
ra, Vi tor Pardemene e sua senbora, Cbiispim
dj Auiaral e sua senbora, Francisco da Rocha
Salgado, Amoldes Sandes, Luiz de Oliveira Li
a, Antonio Luiz Cavalcante Lima, ianoel Per-
reir de Carvalno, Joao Al ves Jacmtlio Jjaquun
Pereira Al ves. Peloso Vtncenzo, Giovaat Goidi-
ce, Cira Troceo, Rapbaeli Villari Francisco Mari,
?na sf-nhora e 3 filhos, Benedicta Pagand e I
lilbo, Gui-eppe Guidice, Manoel Pinto Jnior.
Laizi Romano, Edmund Marlier, Manoel dos Sin
tos Maxuniano da Silva, Manoel Gardoso Mi-
rante. .
Chegados da Europa do vapor alleraao
Rosario :
(oaquim Moraes Pimentel e Jos; Gcncalves da
Rotfta.
Cbegados do sul no vapor nacional Guahy
Antonio Juaquim de Souza. Joao Rodrigues
Filbo, Guilherme Jos Vieira, Porfirio do Canuo
Joaquim Lopes Ferreira, Joao Dantes Fontes e
Jjaqoim da Silva.
Sabidos para o sul no vapor nacional S.
Francisco* :
Dr. Ascendino Lins de Alboquerque, Amonio
Teixeira de Lyra e f lilbos, alferes ArcelhW Ao-
jusio Villas Boas, sua senbora e 1 praca. coronel
Df- de Carvalho, Jos Sevenno de Alm-idn
t-ciroza. Jordans, Maria Silva, Jos da Fouseca
Javme GalvSo, Jos Goncalves, Francisco Manoel
le Bnto. 2 eapitaes, 2 alferes, 2 l0' sargentos. 2
i* diios, i 2a dito e sua mulher. 3 fillvas e"l afl
Ihado, 1 furriel, 1 criado, zciiminosos. 2 pragas
<> linha, 103 ditas de polica 63 molberes. 0
:iiho*. Hermano Philipsen, Jas Francisco Fio
-enro de Souza.
nirt noria da* obrai So dea porlaidr Pernatubaco- Hi-< j
f'e, 4 de Marco de (810
Boletim meteorolgico
Barmetro a
Hora? 2 =-2. gi|
6m. 3 t. 6 l 27M| 20,6 29-0 30-.0 28-,3
739-23 21,16 78
:60-S7: 21.79 71
760-33 22,77 "8
759-03 21,85 m
759-15 21 34' 73
Temperatura mxima30,73.
Dita niinima-26,"75.
Evaporagao em 24 horas : ao sol9,".">; r
sombra4.'8
Chova- imla.
Direrco do vento : SE com pequeas inter-
rupgors de ESE turante todo o dia.
Velocidade media do vento3 "21
gurdo.
Nebulosidade media0,"45.
Boletim do porto
por se
m
a.
p.
H.
p.
Dias
4 de Margo
I
5 de Margo
lloras
9 24 da manha
340 da larde
9 -46
4. li (la manila
Operarc* clrup(t;cai. Foram prali
(adas no hospital Pedro II as secutles o.wra-
efies:
Pelo Dr. Malaqu:as:
retbroloaiia interna indicada por eslreita-
meuto da uretbra.
Postho'oraia indicada por plivuiosis e cancros
venreos.
Ra-pigeme caoterisagaoa thertnociuttrio, n
dicadas por ulcera;5es .ypbilitcas.
Plo Dr. Pontual:
PoMboiutnia indicada por phimcsis e cancros
yenereos.
COMERCIO
Revista do Mercado
R'X'XFK, 5 OS. Ul*<0 DE lStO.
O movimento limitou se a transaeges no mer
cado de cambios.
Bol
sa
casa de ,**M.vtmeoio uos pi- Cemlicr
sa da Casa de Detenco do Becife, Estado de Margo:
le Pernambocn, em 4 de Margo de 1890.
gxistiam4'6 entraram 10; sahiramS; exig-
es 441.
A saber:
Nacionae 408 ; malheres 17 estrangelros 11
-Total 436.31
Arrcoador. 408
ions 382.
Doentee 17.
Loacas 4.
Loncos o
-Total 408.
Movimento da enfermarla
Teve Baixa:
Jor Pereira de Vasconcellos.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
rnento por 142 pessoas,sendo horneas 63 em-
Iberes 79.
HonpiiHi Pedro II -O movimento deste
^tabelecimento de caridade, no dia 3 de Mar-
fil foio seguinte:
Entraram 12
Sahinun 14
Fallecen *
Existan 393
Foram visitadas as respectiva* enfermaras
>elo8 Drs.
Hoscoso s 8 1/4.
Gysne.ro s 9 1/4.
narros So 'nato as 7.
Beraraos 11.
Malaquias s 101/2.
Estevao Cavalcante s 9 1/2.
simoes Barbosa i II.
O Dr. Pontual nJo com parece u.
) cirargio dentista Auma Pouipilio s8 3/4
O pharmaceutico entrou s8 1(4 da manh e
ahios5 1'2da tarde.
O ajudanie do phannaceutico entrou as 7 1/2
e s ihio As o 1/2 horas ta tarde.
Lotera de S. Paulo-Eis os nmeros
premiados na 4." tee da 149. lotera receidos
telegraphicameote pela Casa da Fortuna em 5 do
COrrenle8, 24:000X
4560 2:4004000
1183 960*000
172 480OOO
.",561 480*000
Eslo premiados com 180* os seeuintes nmeros
1617 3729 4325 4466 5051
Eslo premiados com 6*.l* os nmeros seguintes
152 1038 1079 1173 1994 263i- 2868
3799 5149 5964
E.-tao p-emiados cora 365 os nmeros seguintes
i 149 508 946 1128 1447 2249 23!'o 2493
3017 3347 3426 3493 3520 3566 4125 4153 5477
5905^5023
Appioximacos
890 120*000
892 120*000
4531 60*000
4561 CO^M
Todos os terminajos em i e 0 tecm 12* ex-
ceptos os premiados com 24:000* e de 2:400*.
Lotera do Oro Para -Eis os premios
la 3 parle da 33." lotera do Grao-Par, ex-
-.rahida em 5'de Marco de 1890:
17923 120:000*000
1837 30:000*000
0464 12:000*000
7475 6:000*000
17697 3:000*000
Esto premiados com 1:500*000 os segrales
nmeros : :_ ..'__
7156 17376* 18397
Esto premiados com 600*000 os seguintes
',UllT: 5393 6444 10333 14837 17206
Esto premiados com 300*000 os segrales
B 47fi9 6502 10334 12665 14779
3690 7624 12588 13042 16576
APraoxuiAcoKs
17922 1:500*000
17924 1:500*000
1836 600*030
1838 600*000
10483 150*000
10465 150*000
Os nmeros de 17921 a 17030 estao premiados
cora 130*000 inclusive o da sorte gnuMe.
Os nmeros de 1831 a 1840 estao premiados
ioin 90*000 inclusive o da sorte de 30 contos.
Os nmeros de 17901 a 18000 estao premiados
ora 90*000. M ,
Os nmeros de 1801 a 1900 estao premiados
com 60*000. _
Os nmeros terminados em 23 estao premia-
dos com 60*000. .
Os nmeros terminados em 37 ustao premia-
dos com 60*000. T
Todos os nmeros terminados em 3 e / estao
premiados cora 30*900 excepto os terminados
era 23 e 37. _
A seguinte lotera corre no da 17 de Margo
com o plano de 250:000*000.
Lotera do tiraui-PraA 3* liarte, da
J3 loierv, cijo premio s-ra extiainda no dia 12 le Maigo (quarta
tiraude lotera da Babia Por tele
gramma recebido desse Esiado. sabe te que
corre infallivelmen'e hoje 6 8- Margo, essa
ennde lotera, sendo de 600:OOJ*000 o seu
maior premio. ______
Senhunrihi Miria ilo Es
ba, 35 amos, solteira, Boa-]
tre.
Jos Meades de Araujo.
nos, casado, BoaVisU ; mb
Francisco Ferreira dos f
40 annos, solteiio, Boa-Vist
Joanna Baptisla Ferreira.
nos. Boa Vista; leso cartf
Mana Rita de Barros Bai
annos, casado, S. Jos; tuber_
Manoel Joiquim de Miranda '
co, 70 anuos, casado, Olioda I
mago.
Amelia Lins Ferreira, Peruam:.
XMCA^Bn OFF1CIAE8 DA JDKTA DOS COK
BETOBES
Befe, 5 ae Marco (U 18W
A plices geracs. juros de 5 0 0, valor de l:000f
a 94o* cada una.
Na Bolsa venderam-se
10 aoouces gentes de l:O0000.
*) oresideiite,
Antonio Leona -do Rodngues.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Cambio
PBACA DO KECTjTE
Os bancos abriram a 23 d. para a prxima
mala do paqu-te Turnar, acbando pouco dinbei
H.uve aUum negocio em papel particular a 2
I/i e 23 3/8. A '
O movimento foi diminuto por ser da de ma-
l para a Europa.
PBACA DO BIO DE J^KEIBO
. As colagOes pela manbi foram as seguintes :
: 3 1/8 nominal bancario, o London 23 1/4 sobre
acaixa matriz.
o da 3, constou de 492.099 kilos, seWio 376063
para o exterior e 116036 para o interior.
Saccas
\* entradas verificadas at a data do hoje so
em a 682 saccas, seudo por :
flircagas.....
Vuores.....
V.raaos.....
Via-ferrea de Garuar.
V-i-frrea do S.Fraricisco.
Vi -frrea de Liraoeiro
517
69

casada, Graca; bepatile
Antonio Janoario das Neves, Per; ambo 35 ecco e redaego.
mos. solieiro, S Jos; UibercL',(,e pt,\,Stu*r-1 Com que direito
m'.ssSo, onde ahs eu nunca o vi, e que moitroj
a collegas seus.
Nao soo, pois, responsavel por essas inliscri-
pgoes e revelacee, que sera duvida ebegaram.
quig adulteradas, ao conhecimento de Linculn
por outros que nao en.
Em vista d'isso, comprebeode o publico, para
jucm principalmente escrevo, que a provocago
lo Sr. lysses Vianna, pelo menos, imper i
ente e'de rao gosto.
Eu nunca tomei coalas, oem me julguei como
-oito de provocar o Sr. Uly-ses Vianna quanlo,
:n publicagOes anonynas, tenbo sido aggredido
as columnas do Jornal do Recife, sob sua di
ta "
33 ^ ,i:>
ao__
Joaquim Jos de Olrada, Per 2, ,.n
nos, solteiro^Boa-Visu; congr br.tl.
Juventina, Pernambuco, 8 iae/,;s..-, J,
terite aguda.
Francolina, Pernambuco, 2am;.- Jauto Anto-
nio ; varilas. .
m feto do sexo masculiuo, Pern.jahiK j, Sao
lo Antonio ; nascido morto.
Laura Flora dos Santos, Ala_ anuos.
60lteira, Boa-Vista ; varilas cbof] ,ij-
Arcelino Pacheco, Pernambuco .a-
sado, S. los; diarrba. (
Joaquim Apoiinario lo &icraae ito, p\ nam
buco! 24 annos, solleiro, Graca ; tuberculose
pulmonar.
Jo;, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista ; g. sir
enterite.
_ 4 v
Faustino, Pernambuco, 14 dias, Boa Vista;
gastro ententes.
Joao, Pernambuco, 24 harai, Boa-Vista fta
queza congenila
Um feto, Pernamborx), S. Jos; na^cu morto.
Julieta, Pernaubuco, 15 raeies, S. Jds ; gas-
tro enterite.
Um feto, Pernambuco, Boa Visita
Um feto do sexo masculino, Pemambbco, Boa
Vita ; nasc u morto-
Um feto do sexo feminino, Pernambuco Hoa
Visia.
Florloda Vicnn*,ia de Sant'Anna. Pernambu-
co, 90 anocs, solteira, S. Jos; cachexia senil.
Francisco Berlhilino duNiscimenio. Marnho,
21 annos, solteiro BoaVisu; poeinasia gene
ralisada.
Marcelino, Gra;a; paralysia ceral.
Jos Navarro Pono, Pernambtio, 2? annos,
solleiro, Boa Visui; tuberculose pulmonar.
Eulalaa Manoel da C->ncei;o, Pernambuco
22..UUOJ, sottdiro B la Vijta; ne,iliU! b.igu
tica.
o faz a -mira o Sr. Ulysse,,
ianna. em igualdade de condigOes, a respeito do
bueno f
O Sr. Ulysses Vianna bata outra porta; e
. reia que disse urna verdade, affinnando qu'-
o.s nao somos uns
Recife, 5 de Margo-de 1890.
Felippk de Figueiba Fabia.
ptjblicacoes a pedido
Ilevcla^des e mere el m cutos
Pouws vezes temos experimentado urna tai
intima satisfago; melhor dinamos um leglmj
i r"iilbo por noticiar ao respeiUvel publico qm*
a clrcrjiL't Rosa AUem-mt u.na rueusa-teira par..
o eorpo tanto beoi-la como regalo que Je li
nissuno paladar, corao infallivel na cora le
eih'queca. ataques heraorrlioidae<, cornra-n
los e flores brancas.
Naalongamos considerag^s e limitano nos
pois, a oescobrir a riqueza da ce-veja La Rost
HUmana ja profesiada putilicaiuea.e. A cerda te
semprc oerdade Aim dos estabelecimento^
j aiinuncudos est ven la em oal.ro* im-
portanies estabeleciiueutos >los S,-s Fu da Cu
nha Vascoocillos. ra do Livramento ; Anloni)
Guilliermind dos Santoj ra Oirrtita, M./ruira Ir
mo, ra de Pedro AlTon-o; Jos da Silva Perci
ra Li-boa, iua do linuerador; Mantel Mtrtins
Lourengo, faboaiao; Fran.-.isr^ Mea les da Fon-
seca. Pilar jle Alagaj. Jo D MWHK0t d'Olivei
raeMinoel Ferreira Silva Veiga. Natal-; Je*)
Juvenal Barbosa Tinoco. Biposta Jnior & C.,
e Ismael Cefar Djarto Ribeiro, Macabisa.
preito sincero que vos desolamos.
Basta.
Recfe, 5 de Margo de 1890:
Gustavo Gal vo de Cavendisfc.
Miguel Arch hijo Baptisla.
Alfredo A. do Ke^-o Barro*.
Arsenio Gustavo BorgH* Fillio.
Qoilidon o Lias Caldas*.
Alfredo Barreto.
Francisco de P. Alboquerque Selle*
Felizardo T. de Brtto.
Cydronio C. Bandera de Mello.
Antonio Ramos <:h.ves.
Honorio Litis
Manoel Junuario da Annunciago.
Antonio Ludgero Monc irvo.
Alipio Candido de AnJrade.
Etistaquio L. de Lima Karro*.
Joo de Albuqnerque C. Soares.
Julio Clemenuno Camargo.
ulio Gustavo i Borg-u.
os Fonies Pereira Lima.
Joo Pereira de Azevedo.
Francisco Cleraeuiino Malaguetai
l.'iia.'io de Souza G. Sobnalio.
N Jtas de sentimeoto
tteas e a Hepabllea
COMMONICADCS
Dedaraco
O Sr. Ulysses Vianna. redactor e propnelano
do Jornal do Recfe, em artigo boje dado e=-
tampa n'eisa folba, provoca-me a explicar um
Uigocio de courinhos, a que se refero .urna po
blicagio anonyma feita a Diario de Pernambuco
de bontem.
Posto nao reooobega direito ia Sr. Ulysses
Vianna para fazer-rae provocagoes pes'oaes so
bre os rticos inseriJos na rubrica Puoi.cugoi a
pedido, do Diano; por si nples delicadeza, e em
atengo ao publico, declaro que nada sei sobre
tal negocio, nem jamis me uocopei com, s.me
litante assumplo.
Tenbo ji dito muilas vjzos, e repito, que nl<
acceito a responsabilidade qu-., lina forya. me
qjerem attribuir pelas puDhcagOes aiiouy na
feitas nos Ape4dos>\o Diario.
Riteranlo eita doclarago.aecresceolo qu.-
me cousidero responsavel, moral e legal, pelo
que publica o Diario Das suas columnas eii:to
riaes ou pelo que f.- por mira firmado.
Nada loulio de co.nium cora o Lincoln, a qu;
o Sr. Ulysses se referi. N>m j,usto, deduar
qualqaer solidariedade caire mim e o au'.or do
artigo subscripto com aquelle pseuloaTue. dy
facra de, sendo eu memoro da com^is'sao q>~-
foi Incumbida de rever o orgamento, ter appare
cido"esse escripu no Dmr-o, e fuer se n'elie
allusO--s a suppostas occurreociaj bavidas no seic
da mesma comitisso.
Oo que se pissou no re.cc?so d'essa coramissao
Kttafdei siyillo al para com os raeus meluores
feos, respeitando d'esi'arte o coqjpromirso to-
mado entre loJos os membros da diia com-
n isso.
be algoera sabe, ou supp.'. saher do que all
se passou, con certeza nao o ouvio de rairu ; da
mesma forma que nao fii de mim qu; um h rado negociante do Recife recebeu um docu
ment, qu*; disse pertencer ao archivo da com
soinina.
9-i
682 Saccai
4 0X1 a 4*500
3*700 a 4A2IH
2*700 a 2A'Jt>0
1*700 a 14CII0
1*300 a i8<0
IfOOO a 12!U
TABKLLAS AWIXADA8
i- '14 B
V
oa
c--
a>
c
~r o
C
o
! 1
a o


n i*
Asbncar
Os prea pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cando a Asso.'iagao Commercial Agrcola, foram
>h seguales:
Jumas.....
tranco.....
s menos.....
11 sea vado purgado .
rutes.....
Iteame
A exportago relia riela alfandegafleste raez at
o da 3, constou de 923.352 kilos para o interior.
As entrada veritic-u'as at a data de hoje so
oem a 13.372 pceos sendo por :
areacas .... 8.214 Saceos
..pores.....
uitmaes.
ia-ferrea de Caruar.
ia-ferrea de S. Francisco.
i.i-ferrea do Limoeiro
-.44
1 0>4
2 !23
205
Somrua.
13 3-2 i oyf,
a:
I
tlgodo
Nao cooton vendas.
A exportago feita pela alfandega neste mez at
Couros
Cooros salgados 373 ris, e os verdes a 229
ris
gurdente
CoU-e a 80UU, por pipa de 480 litros.
.tieool
C-ote-se a l?5*O0 por pip?. de O litros.
He!
*,ota-se a SSOOO por ptoa de 480 litros.
Pauta da Alfandcza
IBPM 3 A 8 DB MARCO n 1850
Vide o Diario de 2 de Ma g '
\'avs a descarga
Barca nacional Jfcy. varios scceros.
Barca americana Fred W. Larlon, algodo.
Barca sueca Balder. carvao. *
Barca allcm Scliuam, vanos gneros.
Bngue mlez TIM, bac:lho
Talacho n'a"ional D. Anua, fan-IIo.
'. mportaco
Vapor francez ..Nerlhe., entrado dos portos
do sol em 5 do andante e consgnalo a Afuste
Labuhe: .Lr
Xa'que 3,9i0 tardos a Amorim Irmaos 4 L.
KiporiiMO
Rscxrc, 4 us marc> k 18mi
F(tra o erimor
No vapor fraucez Ncrtke, para i*aris, crarre
garam : .
A. do Reg A C, 1 caixa com 2 kilos ae ouro
vciho e 2 dito? de prat* velba.
C. Pinto de Leaos, 2 kilos de ouro vrlhe e 3
ditos de pr U velua.
Cousseiro Imito. 1 cixa com 1 500 ramas de
ouro velbo e 10.70J di'ais do o rata velba.
. .'. Kr.u*e. 1 caixa com 4,701 gramas de ouro
velbo e 42,800 duas de praia velha.
Para Bordeaux, carreearatn =
P. Carneiro 4 C. 1 caixa (16 'alas) com 0!)
kilos de doce.
o vapor allemao Brema, para IIa!abur='0,
carreitou :
J. C. Levy, 400 pelles de cabra.
Wo o mter-or
No vapor allemo Rosario, p^ra SjO'o.
carregoo :
J. J. Moreira, 100 saceos com 6,0.0 kilos de
assucar mascavado.
ara S. Paulo, carregoo :
F. A- de Azevedo, 400 saceos com 24.000 kilo-
de assucar mascavado e 100 ditos eou 6,00o
ditos de diti branco.
o vapor nacional S. FrancUco, para Babia
carregaram
S. B. Amorim & C, 300 saceos cora lOOd
kilos de assocar mas aivado.
F. M. de Moura, 270 barris com 33,750 Uros
de mel.
ParaArac j, crregaram : "
Guimares V alete, 500 saceos com fa'riib
de mandioca.
F. de Barros Filbo, ."00 saceos com fannna de
mandioca.
Para V.lla Nova, carregaram :
M. A de Senna A C, 5 bricas cm 430 kilos
de asjucar retinado.
?io vapor uacional Pirapama, para ojsor,
J. J da Silva Campos. 4 barricas com 200 kilo-
de assucar braa:o mascavado.
No vapor inglez Cometa, para Rio ae Ja-
neiro, carregaram :
P. C.rostro A C, 100 saceos com 6,00* kilos
de assucar mascavado e 6 pipas com 2 880 lltre*
de alcool.
No vapor austraco Szechcny, para Santos,
carregaram: ____
F. M. de Azevedo, 2000 saceos com 120,00 <
kilos de assucar mascavado.
E. C Beltro 4 Irm2o 300 saceos cora 18,000
kilos de assucar mascavado.
ti. Burle U, l/KIO saceos com 60,000 kos
! de assucar mascavado c 1,00 ditos cjrn LO 000
i ditos de dito branco.
Arnoiim lrmos AC. "00 saceos cora 42 00
kilos de assucar mascavado e 205 ditos com
12.300 ditos de dito branca.
P. Pinto &C, 30 barris com 4,800 litros dj
ygoardente.
Para Rio de Janeiro, carr.'girpm :
A. S Cauto 4 C, 50 pipos com 2i,0D0 litros
de agurdente.
Mata 4 'czende, 20 pipas :om 9.600 tro3 de
agurdente
No patacho noruegaens Rio, para Santos,
carregaram :
Loteras do Estad j
O Sr. B-"naidino Lopes Allieiro fz urna pro-
posta para extrahir as loteras deste Estado, offe-
reeeado em favor di Santa 'asa de Miseri ordia
110:000* por aono pagos em prestages mensaes;
alm de outras vantagens admitte a franca veuda
neste E- de todas as loteras do Paiz.
E' o ceso de feliciiarmos a Sauta Casa por essa
importante verba di receitae ao governador po-
ter occasio de fazer um contrete vantajo.-o qtte
evita as sceua odiosas que diriam lugar s lu
tas da poiicia com os vendedores de bilh^ies d
lotenas estranhas, mel de vida de auitos pae-
de familias.
Os camb s'.is.
Ao* c!d' Aits:'liii'> Pcr.'lra CinUnnrcs.
PimusIsco Antonio de *a Bar-
reto Jualor e lu? .i-.o PrajJc-
rica l*ere ra d j Cairvalho.
i'e ruitti qu^ alguns ilns vo-jos admiradoras
cadetes e mleiio-e-* do 4' b.talhi. le iafant.i
-ii: que tiveram a fonuoa ile. por es-ago de a<
guos acao3. conivosco servirem, recebrtrlo rom
nraze.r vossas IkAes a coim-lhos qurado por cir
eomstanclM natuiaos >!a classe havia impino.*
necessidade ; c qu?. con taina bimk'de e cari
lujo, prop.-ip de vosso- caracteres senos e jus
tceiros, nos rainiravei^ ptwraUUque. vos de
mos com essas paiav. as sinjrel*.'* p >rm Hin-
!o nosso accyolailo- reconlie;imeito, a p'/va
u'ea, qae pooemos. 3 iii'S Podim privados a n) irais poder conterapl>
mos de pe.rto vossas virtudes, por forga d> le
celo n. 193 A de 30 de Jmeiro o\ n >, por.n
U%e nada jara que u como as, c*nhecc n--
vos-os passados de ;lr)i ias.
Sois reeoubeeidameiile bravos, pirque en) n
cas remoas sacriMcasU a serenidade do lar d
vossas familias pira em Dragos cora o fnm
do* eanhoes, ps>r eittre a-< ifaioradora*. metra
liias. dsfen ler.le- no*u r) Ilotismo de ura tyrainnc aula/..
Mjs os louro* q i-i nao l'aliii ao* burni
lanas ditas iiiiin irrednuras de ISSj a 1870
vera ayor.1 ne;se raora-'oio de sepirago, enun
nildar essas fromes do goerreiro*, cj^io rli-
juia de um passado de honra.
Movidos pela san ladi de to bon* amigo* e
cora pan hei ros .furnias que visio* de tributar
Mai i i; Rezeode, 2 00:) saceos com 120,000
kilos de assu ar mascavado.
H. Lun'.gien & C, 25 saceos cem 1,500 kilos
de assucar mascavado.
Amoriin I.-rtiaos A C, 100 saceos c:n 6'.KK)
kilos do assocar.br.raco e 20) ditos Cora 12,000
diios ile ti o mas java lo
No luarinjlez Eldra, para Pelotas, ca.--
eearan : .,
Maia 4 Rez-n le, 350 saceos rom ti.lSO kira-
deassuear ur.oie.i e 150 ditos cora 11,23 dito-
de ditomi;c.:va'o.
No huta O. .1;iiio, para Parnabybi, car
reyaraiu : M
E. C Jelt.-o 4 Irrn'io, 10 barrica* cora M
kilos de assucar reini.lo e lo dil s com 4s)
tilo i de dito iua vavadii.
rVmCamewda, carrP!.'ram :
F.truandes v ti u0, 10 barris com 900 lilra*
de arj.rdente.
i-ara AracatT, carregou :
P.,Birros Fh'o, 300 saceos con farraba de
ramdtoca.
Itinhel ro
SXPKDID
Polo vapor nacioaal S. Francisco, para :
Penedo it-OOOJCOO
iteadlnteatos publicas
tUl D MARQl
Alfaiidvua
essas phrases sera ohxo. como homeoa^em e vida< gem 0 qual o animal e a planta geiariam e
1 pelas vias e aiterias nao circuiaria o sangue ;
; o calor que produz as correles de ar e das
aguas, sera o que nao se levantaran) os vaperes,
nao se formanam as noven*, nao seriara coo-
duzidas a regar loda a acc da trra, semra que
as aguas resfriadas das regioes extremas nao
viriam te retemperar oas zooas trridas. Ailos
sem a qual nao seria a vista, cojo orgo to apro
priadameiiie feito.
Ah! -oiu ura estudo profundo e extenso de
! am sabio oo profundo coobecedor da sciencia,
de qu" eu oao soo nem um pessimo amidor,
com nm tal estado mostrara tudo que na natu-
reza effeito Combina id de ora immenso plano,
ama obra mmeusa de orna vootaae, de orna n-
telligencia infinita.
Mas sem mesmo om tal estudo de to grande
Iioiuhiu nos scencias, oa ta o que t olio dito par..
mostrJr que a organis-gao sO pode ser obra da
perseoalidade, da loteliig-rate vqn poder im.ueuso, iramtnsa forga qoe s pode ser
a mesma vooiade.
Mas. d'ouaV. vem esse poder, qa*m o creoe-?
E' o problema a qie nos propozeraas no pas-
do ariig* publicado. (D ario d i 26 de Fe-
vereiro)
Deixemos, poru, anda para o seguinte^aOm
de nao se tornar moito grande e*ie.
Recife, J de M^rgo de 1890 II da Repblica.
Aff-nso de Albuqa'rque itellt
P. S. -Continua o beroe das Trocas em sua
raiva by lrepholne.a, cada vez mais damuado de
inveja..porqu.t s pie pro-Juzir pedinlices e
obscenidades e por que nao se pode violar de-
baver Ihc eo meitido o po quando teve. .. raise-
raudile.nbranga de tirar o palr-. do alia' para
Ihe par a epnigarla ao horah o.
I>sciiiipo/. me p<-la Provincia e ao puhlieo
por que applaudio me por um arligi en ico de
q>ie qoiz Urar nartiHQ o Q i xiif das 11 ti eraras-
aventuras da V tascante trabadlo por orna wboewdade anda
u .i.- tola do qu-. todas as lotices da Brtoleza
ile que com tanta raiva de si mesmo se inn ar e-
peudido.
Jurou a seus deuses infe.rnaes que s-so. os
del'e, jjirot lli^s a lodo o transe fiig- se, ,
seiuindu se um mesqumh i no curapo do debate,
.mi- que nao tein idea oem se.ni,inenio ;. da loda
.-ciencia e das letras a mais ciassa ignorancia e
IH-dantismo. que o leva sempre a dizer asneiras.
iro.'.urou se fazer faceto, mover o riso, o ridicolo-
! i j :. 11 o nKino que o publico lamo anda hoje
aoplaude. NO.) saue anida o pobre di.'bo que
* po**r.el -ra ridiculo quem se da a elle, como
sr l\>os pedaaies, os tolos que se inettem a ser
enviajados.
j peltre diabo, n'o acnando materia qoe- lhe-.
'Ivs.-e (>ira lal proposito, creou a no.'a ftnz pr>
(foiJcAde seus bellos taien'os. parto nwito mais
fe.li/. que o gran lee to esperado do dramaturgo
,da- Bertol'-za.
Qoe iiodc proJuzir por'in um espirito que
jo.is al juna s ibe, ura i alma sera. swntiraento,
Mva mural, sein pudor para quera a. familia so>
oiu'.rece o desprezo, o -asainento o amor livrer
o-aniuvil d vanelo, e l) us
Este pobre dtabo lirou de meu artigoaseumpl
wra preda g*o sua ; fez de una criuca urna
nrada extra -a de obemidades para os rapazes
se rirem deltas.
A Provincia no-as admeUio-lo para mai se
ntiu einpor.-alriar. o pobre lioniein veio i/..uncla
'que, seriando chiste na lorpj jroago, as rece-
t*-ii -
Mas nao sei se com isto ganha o pequefto jor-
nal de tirageni de lautos mil. com essa puOiica-
gfte t o iramoril e obWQS, s deqoem n-ia no
le irv.'.o do :naior di'hoche a f.imili, oUr.
ti' v.-nli le rae a Ltnceta j Mratlio.iairijbemo
lar d j;no >. ^ o fe io Uii que ha de raots sa-
L.d-i eoi sen repago ; mais ella ja detxott tal
vicio ji i uverieu se era lim.
Mas a aura a inior anda, que sao a* familias
tolas qu sao atacadas, o palor da s-ociedade
lucir.
E' i.iipossivel que umi seanora- decente, ma-
i'\raa ou virgera, cueguo a acanar- de- lc*r urna
ilaq.uellas quidras da pro lo-fio.infame.
l'odem o* rapazes que s-'-iiiviera eu* libr-
rimas conversas, acbar muiui jraga as torpes
tjuaclriiiti.'S ; ra s nenhum a. nao ter pela fam:-
liy laoto desprewi como c autor da pegh levar
aquella gaSMlia cara, deix.ra qpe ella caia em
od >le fUa lillia, inullier ou mai.
A quauus mus asneiras luval o.Ivi a raiva do
po >r.; iiy Iropiioo a para vtn^ir se de- mira.
Descoaipootii me r-. q>i assii ser com
in .is gosto lido por meu* niraigos. que ali< Qa
sao p-.racos ; enibora inst me Jtaenpre gosio
por vel o assini lio raiv^nti..
Mas atacar a moral publica, oplo das fami-
li;is. ..
Ni poire diabo ludo est bom, qud elle nao.
i-ni n^iii moral runo Oeus. nem pudor ni-ui fami-
lia ; iwt* em uui jernal qim no lWo cora pro-
iu-.' Q-i-r perder sua freuzi* L^irilire se ao
ii.:iios disto, para nao-dar anda lamaiiho escan-
dllo .
Nao lem a Btrloleza aq,!w:lle votabuiaao dos
no inn lo los que rae Ujio ctaraado !
D wpeje ue poi* eom elle toda a su i raiva i
au Ine, con imam porera, o de*prezo de moral;
puolica. do pudor das taraiiia--
Recife, 4 de Margo de 1890.
Affons fAtbuquerque.
Renda IteMl
Oo da 1 a 4
dem de S
85:178*210
25:8o3y79
1H.0J2189
Renda do Estado de Pernambuco :
Do da 1 a 4
luem de i
18 1004896
4 973*349
23:076*245
Somma lotal 134:108^434
Suroda svcgo da Alfandega de Pernambuco,
5 de Murg> de 1890.
u ihesoureiroFlorencio Doraingues.
0 ebefe da secgjoCicero B. de Mella.
Ro da 1 a 4
dem de o
i&eeebcdoria geral
7:9*2^3:0
3:3l0J2i8
11 232328
Recebcdoria do Eaf a lo de
I a'ci-aaabaco
Uodiala4 1:96-3*431
dem de 3 4'i9071
4111502
Rttcife Dralaagc
Do dia 1 a 4 2 8217'J5
dem de 5 89u#959
3:712;73l
Vamos nos recodar lo estado do ulti no ar-
tigo ou ames dos precedentes desta serie, publi
cudos lia lautos ubs.
Nio pode a materia, obj jeto um :o qpe os atbeus
oaderos com o uoote de posivisias liie d-i
peftts luzes do seclo conhec^in qu>! uao pole ;u
ra.tena produzir o eorpo organsado, a pluita. u
dos animaes. o do hornera ; jiorqu. al. u'u-
quellas obris varias, de lio diF-reuios especie.-,
inaiiifesta-se urna con :epgo, u piauo sabio, so
bliine Je orna inl.-llig'.racia ue.iu! mi, n> s no
lodo de cada especie, cono de. cala um d i seus
ergios, cada um co.u seu li.u especial, eondu.
ceote a combinacj do to io4-viiaal de todo ;
manifesta-ae urna vontane para proJuzir tal
acgo, taes oDras.
Uanifesia s:, o dig ;, nao odsa q.ie se po-*a
por era duvida que o eorpo do turne.u, qulquer
aniraal quaiquer planta, nao pode s-r or^aois iJu
sem plano, sera coucepgo quesVi mlrHrgeotia
d, s a vontad" precede ao ulano e o executi.
Oim, a vooude s put ncia.da p-rs i .alida le,
que a aegao da materia prla frg.i atricivid
sua* partculas e raolecalas s-. po.le ser fula.;, <
portauo irapeisoal.
Coohec.Nuos a personal i.I'di' im ue latanwnh"
no homein, era sua y:ita>l. a-q.ui .-ui iuie*p-
enca tocan do s:uiini'ii'o qoe antes, ae ser me-
ditado era apellad desojo
Do simles Je*rj ceg a. a.-gio d > b-uli
eSejO que lvalo a alio g-"a;-, sua ji-nx
indoraila. irn II cuda sempre. uaruj a (L bo .itfin
quando de qual |uer molo e por Iciu-o qa pe.le a ras&O.
E' UuiDeiO a acgo do instiaclO>a qae o)e,le-e
fatalOl.'IUe o animal, com) qumdo fabrica o seo
uinoo, a aDellia o sen e.aeh.iint:. u niel lo anu
ile tauiis v..rias esp- ces, s.ui.-alier o jue estn
azen:.) ninh i. ou eacion- un mel, se n desojar
mesmo f*xer Ul cou-a, i-s-e n.uiio, c.ss.- en--,H mi-
ou ra.-l simple da raes n i loma e g s'.o enrea la
especie, sen a.lianuui-no- nem a".Z', d s-l--
jue ha memoria das eousis al lioj1. .U a
aeco rell cilla, planejida e cracel> da autei
eiicoutriraos [ lamed aumente no inniein.
Ora, todas a* obras da aig.i ruflJl?la do
hoiiicm. sao o-'ga'ii -a* todas a irn i i.'magO ^
da materia p >r elle f.-iias UX..S esis-Ai o o
duelo le sua l'o.gi, iMo-e- de sui volita.! -. f
mada d S-'O desej > por sua inoitiaeoiria. qi
coocebe. plioiqa e p-i-Pile a execugo do p!ft
E' a voitid.- o qoe constitu: a pirsoiaJi.lale.
Ora, a i>: .te. i i nto '-in p tsoiiiIi laile, ceg i;
obedece a- 1-is fataes qye a la-i/em ; cene, e
levada pelas l..rg:5 cegj.-. do que sao dOiad s a
soas parte.-.
Transf.n- n m s-> estas d:; d:IT.'.reores raod* e
em producios varios raas rcuore os m-suo-
quan lo o mesino o conjoneto das causas; utas
n> pole proiozlr O'j.ip'or nisad\> p.rqo-
Ibe. filfa a vo..ude, a. personalidade, a lUWIfi
gencia e ponaiitj a memoria.
Mjs nos eujontramos ao espado (qie-ivio
nala sem principio centro ou linv q le i
0* tem o lala) iMoonirarao* noi "*|i ico e.vrp -
ivgtaisados i' coja inunda var,eddr a uno-
cipil oor.i o h inieo
Ligo D-i u ii i vp>itad una inte ligio-ia, uin
persoui'ida te ipje as formn.
' nd.i mais u timos o noiajeni;, qae dw liar
mjnia con a var. adissim fono ic~. di* ga
li-aias espe ws, esl a. eMisimi ii d? c."-i.-
pn--1-oi'ins, de certos eorpo*, (.semio-di* lo-tj)
sera os quies nao uara viiu.ii inat.u'it: o-
corpo* orgnicos.
Assim o ar que por o na de s:ia^ pirhfs cora
peneales alimenta a vi-la do ani n.i'v c-ij >* ool
uie.s sao feito-. como nm nppjrerlio ctinaic > p ir*
i'Xtrahil o. esse mesm > que aumenta a eiirai
tilo fjiro s-ino q-.i" n io | len.i viver o no.i-m;
O ar qoe por nutra pirt-: alimi-n1;'. t planta, e
sustenta 0 equiliDrio dos corpos que su in win
sobre a superli;e da trra ; O ar sem o qual o
orgJo da aulieo eO'i>tpaido em con licoes_ para
ouvtr, nao tena effeiii; o cilor qu- alirarti a
Horcado Hsiaicpal de *. fase
<> iiio-viiRemo desie mercado oo da 4 de
Marg-o foi o seguinte :
Entraram :
17 (km pesando 2309 kilos.
1066 tifos de peixe a 20 ris 21*320
16 1/2cargas con farinha a 300 rs. 33 M)
5 diUsile finetas d versas-a 300 r>. U30O
33 1 t colu.imas a 6(>0 r>. 20it00
81 taiiolet-os a.400 rs, 16420
10 suinos a 200 r-. >*
I esciiptorJO a 300. rs.
67 compartimentos com farinba a 300
rs.
2H dito* de comidas a 300 rs.
99 dilos de legumes e fazendas a
400 rs.
18 ditos de suinos a 700 rs.
10 ditos de fres-raras a 60 rs
6 ditos de r-aniares a 200 rs.
28 talbos a 2
Rendimento de 1 e 4 do crreme
33'0
141000
39 600
12 6 0
ll.-.rl II
i ;,-Ji:i
36*000
227620
666^440
8945000
Pregas do dia:
Carne verde de 320 ;: 560 ris o kilo.
Suinos de 520 a 360 reis dem
Carneiro de 640 a 800 dem
-arinlia c 48J a 600 ris a cuia.
Milito te 42o a 500 ris idera
Fciio de 86) a 14200 idem.
lAUMSIIIrAMEEIliSO
Capital 20,000:000^000
fi Ra do Commercio ;>8
Doscoota letras e coalas assignadus.
Aduita duiheiro soore cango de ttulos e
m-rcadorias e abre, ewilai correles ecm garao-
tia dos mesuras ellito*^-
Recebe em Deposiio ttulos e valores.
Faz movimento de modos de pn.es a praga e
concede cartas de crdito, abono e banca.
faga era conta corren te do ra viiu.ra'.o 3 -/ i
auno.
j Recebe ilinhciro a praio Cxo cu por aviso.a
uro cunvenciooado.
E faz outras operag.'.s bascaras.
Vapores a eatrar
MEZ DE SUR.O
Europa....... Oreiutque-----,
Norte........ Pernambuco......
Sul.......... Valparaso.....
Sul......... ilarauho........
Ul..........
Europa.......
Europa.......
Europa.......
*u...........
Euroua..... .
Norte........
Sul.........
New-York
Tanwr...........
VilUde S.A'icolo..
Orubn..... ......
Magdalena .------
Don..............
Malangc..........
Para.........-----
Alagos ...........
Finance ..........
Norte......... Mandos
Sul........... Espirito Santo
Sul........... JVflif........
6
6
G
7
8
9
9
II
13
13
16
17
19
26
27
0
Vaiture* sahlr
MEZ DE MAKCO
Ceart e esc.. Pirapama.......
Hainburgo.. Valparaso......
Santos e ese Rjisar-i......
>anios e esc.. Orenoqa*.......
Pernambuco.....
itaranho........
Tamar.........
Onda ........
Una...........
M'tgdu'em.......
/>w......,.....
Mal'inge .....
Para............
agoas .........
FYn-'nce.........
Hondos.......
-ul.........
N'orte........
Souihampton .
Va i paris ..
Ua.'iiaecse. .
Ilueuos Ayres.
soutli;up*on.
Santos e esc .
Sul..........
Nono.......
Sul.
r, as 5 h.
6 as 12 b.
ii as 2-b.
i) as k.
6 as 5 b.
7 as 3 h.
S as 11 h.
'.1 as- 12 h.
10 as 5h.
;:i as 11 h.
H Bf 41 h.
13 as 3 h.
16 l| 5 b.
18 as 5 b
-2-.!. as a b.
fi as 5 h.
Sul.......
Horlmento do porto
Navios entrado no di o
Baenos Ayr.'.s e escala, 11 dias vapor
francez ferthe, de 2152 toneladas,
comm;;ndaate Le Cointre, equipagem
12 J, carga varios gneros a Augusto
- La'oille.
Bihia, e escala, 7 dias vapor nacional
Guahy, do 250 tonelaajas, commandanle
l>omngos Viegas, equipagem 26, carga
varios g eros a Pedro Osorio de Cer-
queira.
Ma^au. 8 dias hyato nacional Ginquixg,
de 45 toneladas, mestre Joaqmm Hono-
rio de Silvetra, eq-tipagem 4. car:a
'varios genarod a Manoel Joaquim Pes-
soae.
Macan, 10 diasSjate nanional Di knto-
tiia, de 60 toneladas, mettre Antonio
Q-:erino da Silva, equipagem 5, carga
sul, a Munoel Jo quina Peatoa.
Navio i mhidos no mesmo ata
Bo.deaiix e escalaVopor f.aneez iftri'ii,
commano!an:e Le Coin're, crga vanea
gneros.
Porto Alegre e escala Vapor ingl %
' ometa, commandante 0. Ogjr, carga
varios gomaros. t
Baltic: Bar cu americana Fred W. Garln,
capitao W. Reed, carga a'godo.
.'car Hya:c nacional Deas te Salce,
mestre Antonio J. do Desciment, carga
varios gneros. -
Babia o escala -r Vapor n.'cional S,
Frajicisco, commandante Jc.qubn da
Silva Pereira, carga varios gneros.
Observacpes
Fundeou no LainarSo o vapor allemr.o
Salomo o nSo communicou com a trra.
Procedente de Bordeaux e escala fur>
deof no LamarZo s 5 hora*e 45 minutos
datarde o vapor francs Orenoque que nSo
communicou com a trra por j ser tarde.
I


I >





-*
'
<.

.v
.
i o
V

i
*


V
I".
i I,


:
I
--fr
Diario de Pernambuco-Quinta-feira 6
1890
' Reunino militar
Convidam-se o officiaes do exe-rcito e da
armada, reformados o honorarios, a com
pare.n.rern subbado, 8 do corrate, as 6 ho
n, ,la tarde, no sali rta casa de residen
eia do inspector do Arsenal de Marinha
desto Estado, atim de tratarem dos inte-
jesses da ciaste.
Recita, 4 de Marco do 189).
Curso preparatoria
O acadmico Illidio da Silva Correia de
Oliveira abri um curso de portugjez,
franoca e in^lez, ra do Riachuelo n.
33, onde reside.
. Recife, 5 de Marco de 1890.
rmandade de Santa Cecilia
A cc-raiuissao auaixo asskoada Drumbida, por
espneho do lllio. Sr. D-. jaiz de direito prove
Ao? i>- capel las, .le admioisirar os negocios da
dita iruiaodade scieniilira a lodos os seus ir
ios que pm sesao de hontein assuniio o exer
txcio >ie seas louccocs e ao mismo tempo Ihcs
pede a observancia do corapromisso principal
Dente na parte rea'iva s coitnbuices atiiode
qpe. possa desempea ir se-os encargos e libertar
a iroianlade de seus comprouiissos, quer quan
to prestacio de suas comas, quer quanto
ton el u .i das obras da capeila.
Hecife, 4 de Marco de 1890.
Dr. Augusto Carlos Yaz de Oliveira.
Jote Tacares de Me'.eiros.
Manuel /guaci Tones Bandeira F.lh)
A'fredo Lopes da Goma.
,-atitino Mees Cwneiro Pinto
Candido los Rodrigues de Lima.
A o cofmerao
O abuzo assigndi>, retirando-se tempo-
ruriamente para a Europa, deixa como
en3 procuradores, para tr=tar de seus ne-
gocios oimincreiaes e particulares, os Sr?.
jfrbicu da Costa Ramos en primeiro, seu
wcio Jos Manoel da Canta cm segundo,
e M.-.noel du t'osta Raaos era teresiro.
O segando Sea na gerencia do esta be-
eciinento, continuund.i a rima sob a mes-
eta razan soc al de Almcida Santos & O.
Riuife, 4 de Mn,> de 1890.
M-aotl de Suiza Alnwidtt.
O cidadao Dr. chefe de policia man
da declarar que do dia 15 do me de
Marco prximo m diante, estar aberta
nesta reparticao a natricula para os ga-
nbadores e mocos de recados, da 11 h> ras
da manha s 2 da tarde, as segundas,
quartas e sextaa-feiras.
Sesretaria de pul cia do Estado de Per-
naa buco, 13 de Fevereiro de 1890.
O secretario,
Antonia Jo di >' osla Rioein Jnior.
I.* erru. Xc retarla do tioverno
do Elado du l'ernambnco, IO de
Feverrlio de 1 VJO.
Por e.:ta secretaria se taz publico a qu'm in
leressar iiossa. que, por poi laria de boje, do
atarete! Govvrnador do Estado, loi prorogado
p-ir oais tres mezes, para to .os es oflic.aes da
ruarla nacional, nomeados de 13 de Julho de
1889 ate 12 de N.ivemhro do mesmo anno, a
cantar da presente data, o praso para os referi-
dos officiacs solicitaren) as respectivas patentes.
0 secretarie
Antonio Ignacio de Mesquita Neves.
DECLARACuES
Universal uas su s aj>pl?ea-
eiirs. tanto como infa'l.vel u s seus eff_-i
tos, o bxtract > de Arelcira Mgica do
Dr. 0. C iisUil, o qual, emprrgado quer
externa, quer intern-mente, segundo o ca-
%tt, nra remedio vcrdai-immeritu assom
kroso p ra o tlivio iume'.iato e cura r^
dicul dus 8"guintes males : externos : ma-
ehu:adel*>s, contjsoe*, golpes, cortaduras,
ftidas, tumores, ulceras, queiraaduras,
mordidclas, osolacl",1 carbnculos, erup-
55:s. dcsIocacSe*, fratura*, escriayS ,
picadas de insectos, panarizos, mal da gar
g*nta, dos rjiiw e uuvid-n. dr de denles
edecab-C'.Int rm.s : Hemorih gia pul
monar, vaginal c nasal; lumbago, i ffec-
ees dos i uvi ios, tonsilitis, vmitos de san
goe, varieos s, pux>s, mal d s rirs, estrei-
anvr.io h retencSo <" urina, leiicorrhea,
di'iiiirhea, c>li'-a*, menstruac.*. penosa,
B-ns^'paroes, coqueluche, athin -'h > de ti*-!., a especie.
E" inf.iliv-1, asombroso em seus effei-
tos a erp c'a'mente fFcz cm caos de
almurrem as <: i n :ttu,asmo. 4
Dr. Alfredo Gaspar
.lI'EJO
Operador, partt-.iro trata com especial:-
a iJe molestias de enhorna e creancas.
Coni>aitoria r. residencia rua da impr-
r*rrjs j, Io uidar.
Ooi.snitaa de s 10 da manbl.
Lamadoe (por escripo) qualqttcr ho?a
TKLSVDOIIK N. ''ti
0 copselho da Inlcolnncia Municipal da Cio.de
deslinda e seu erntu, em viitude da lii, etc.
Faz cnsli.-r a nuein [airre^xtr po?sa que ca
viriu n- do ari. "i do cod^o d.- .'os'uras munici-
pal--, lira marvado o pr zj de 6) di;-.-., v.rs pro
prieaii^s das c.a-tas n'e.-ia <;i'iado que tivireui
teriei:o- em aborto que deileus para ai ruas.liee
coa ou travessas, alin de f> cuaivtu ui'.os terrenos
com muro, sob as penas impostas no ciLdo ar-
tigo.
E para que rhegue ap eonhecimento d todos,
mandou publicar pelo Di trio e affixar nos luga-
res mais pblicos d'esia mesma ridade.
Paco da Intenuencia Mauiclpal de Olinda. 3 de
Marco Dr. Albino G. Metra de Vatconcellos,
Presidente.
Jos Marcolino di Fonseca Manguinho,
Secretario.
Faculdade Je Direito
Tor esta se'rctaria 32 faz nublico qu?. por te
legramma de liuniem det-larou o Sr. ministro do
interior, em retsetti ao director da FoeuldadP,
que i:o so dispensados os actuaes examinan
dos de prestar rxames le Direito Constitaci nal,
Ecclcsias'.ico e Admmstral'vo.
Por outro Iclegranima foi o mesmo Sr. dir
1 ctor aotorisado a adiar pelo tempo conveniente a
abertura das aulas, cm razao dos actuaes exa
n.es.
Secretaria da Faculdade de Direito do Rccife,
o de Marco de 1890
0 ircrpJario.
B. de Aragao For a Roiha
Capitana do Porto
Aos comcnaadaaies, mestres e
c.npi-s
De ordem do cida1 5o cr.pilo do porto des te
Esta io recommenda-c a todos os coramandan
tf, mestres e capit?s ilermL>arcar;Oes a vapor
nachnaes o cumprimnto do decreto n. lOiil
de 26 de Ouiubro do anno prximo passado, po
blicadu em editaos nos jomaes desta c.dale cm
18, 19 e 20 de Dezca.br do mesmo anno, para
qu nao consinlam a bordo dos navios a seus
r..immando gfnao o pessonl de machinisias, fo-
guistas e praiiCoiies que oxiiibirem os seus ti
lulos respectivos, b\, como aquelle coja eb8e
-cj i equi>alente f'rea de cavallos de cada na
vi.-, indica Jo nos nuppas onstautes do supraci-
t.-.do decreto.
Cani aaia do Porto do Estado de Pernamboco.
3 de M reo de 1890.
0 secretario
M-rio F. de Casiro Cha\es.
Obras publicas
De ordem do cidadao engenbeiro director e em
viriudedaastorisacio do cidadao mare huleo
vernador d'esle Estado, de 19 do cjrrente, taco
publico que no dia 13 de Marco prximo vindou-
ro recebem se propostas em carias fechadas para
a execucto dos reparos da ponte do Pontal na
ilha de tamarac, oreados em 4:0634187.
As propostas devem s-r compcUntemente sel-
ladas, assignadas polos licitantes com as firmas
recoanecidas e deve:ao declarar o proco pelo
qual se obrigam a executar a obra, como o local
de sua residencia e as habilaeOes que possuam
pura ('irigir es trabalhos. as qiaes serlo bertas
ao meio dia em presenta dos prooonentes.
H i vendo du.is ou mais propostas ora completa
i-'UlJade de condiges soruo chamados os pro-
ponemos para doclatar quaes as moditcaces
que fazom atim de celebrar-se o contracto com
aquelle que maiores vantagens o (Te re cor.
Nao serio acceitas as propostas nos seguintes
casos:
!. As que excederem dos pregos do orja-
meoto;
2 As que nao forem organisadas de accorde
com o presente edital;
3 o As qie nao offe ecerem as garantas exig
das ;
- 4.' As que se basearetn sobro os precos das
propostas dos nutros concurren'es;
5.* As que forem apresentadas por pessoas
queja teiiliaui deixado dc.cumpnr coulractos
celebrados co;n a repartijao.
0 orcatcento e mais condicoes do contracto
acliam se n'esta secretaria, oudc ponem ser exa
minado? pebs pretendeotes.
Para conrener a praca cima, devero os lic-
t mies QC'p'.'sitar n'es'ia h'na'Uclio. ria ve.-pera do
dia da arrcmaiseSo. das 9 s 3 horas da (arde, a
qnantia de 203459, equivalente a o"i do raLr
do respectivo ercautento.
Secretaria da Difectoria d.". 0! m 21 de FeMTeiro de 1890.
0 engenhoiro ajn !.i ile,
A. Reno Xetto.
Es a da
jora
A commisso encarregadi de festejar a
S. :a K&Cada, previne aos fieio que no o-
mi^o 10 rf crrente liaver um leilo, e
isto rogfl a totKn os devotos o obsc-
prcj. ;.e;.ii;i, t niHndiruui levar commissSo
at>:i x i as'i.'MMia, pois que a fest terlu
:>r *.. ii 'Ja do cononte e nao no dia 24
>le X.V'iuo o. com por equivoco pub-licou
> Uiw ".
tvilntnue A!, du SoM&t.
.Antonio I. J> 11. B'trniH.
Utrui-rp.-i. S. D. Cava cante,
ir ne-icj ^iomtie Quede dh Towxea.
Ao publ.co
A Empresa Telephonica Bourgard, teo-
e precisando imdar grande quan
rdn ilu ludias que se ac!iam es'.ragad.is,
Irab-dhu este que pela siia natnrezn d lu-
>r militas iutcrrupvw-'s, ped os Srs.
;g.i;.nt s di-sculpa de ipulqucr altaque
ci.ivr d'irunte o trabal'-o.
EDITAES
< i-d <;'i,i Dr Augusto Guedes Correia
GiN'.diin. ituz uiuiiicipal e do cammircio
-io t :rwi. ce iti.mb etc.
Fii'' -iab.-r aos que o pregunte oiilsl de praca
rirrm eird'elle notiria Itvorem qu?, com o piaso
tf liirtfta, a cent ir d'e.-ta data, o purteirt dos
ti iji :'s d'estejuuo ha de trazer a publico pro
jjjn ri- venda e ;.rroniaaco, a quera mais ar
en m :> unco ifT'.-ffc-", nu dia 2) te lorrent'
nieriJe Marno porta da casa ttis audiencia?
,-,.i,. ,:....ir,,, j o; z: >. os terrenos de no ninados -
Va,'/:. : do O tira. D.ihaa e Pae Julo, d'ta ter-
ir". hr;?i'8dis pi lo r0 C piba-ib", riacho Pan^u
i i u : M.-.-epes e Siint^Ilila.. e avalla. 1
i i 11\. X '. ^i como as canoas exAt -n n us
-i a.!i!. s !e r. nos, avallad 9 < m 2 OOO^M. E
** ::a pagatiier.'o da ^xecari que
mo-.!,. .[.i i inaio Manuel Paulino da Cunta
' ': e r; ni_:b'.r. Qocin. por. uto, dm i("
ii- lu i..'~ e n unas quizer laoc r, c-.nnpanca
s'e ;uiz dia u lugir cima designados, as
II :> ila xaiill.
E pi .i (i" rbi'Kse r.o CsTibecimeato de todos
ncaei rmssor o presente em duplcala, um que
r ;li-ia cijm pilo porteiro dos auditorios que pas;ar a
c nrietenU" certidio, e olro para ser publicado
pe.i imprensa da capital.
Iramb, 1 de Marco de 1890.
gE:i Joao Barbosa de Soura, escrivo do com
ajercio. o escrevi.
Augusto Quedes Correia Gondtm. I
Kelacao das caima di fregiezia da S. Jo
s, cij> valjr locativj loi augmentado
para o excrcicio de 1890, pelo lanca
dor Affonsj Lu'jn de Albuquerque
Afelio.
Sua Imperial
S. 112. Co "lao de Abren 4490000
N. 114. FraRCeCO djs tJhagas
Moi.teiro 2.0$. 0^
N. l. Joilo Jo3 Becerra Ca-
valcante 600(5000
N. 17*. D. Emia Denicia de
Pana Gome 16S&Y-0
N. 17. A mes^a 43.'^00
M. 104. Jote S. Fernacdtsdj
Oliveira 1925000
N. 2/6 O. Alexandre Vianna
de Vascnncellos 200^000
N. 228. Francisco Fcrrera das
Chagas 168O0;)
N. 28 A. D. J.aqiiina-Maiia
da otceicio 1684000
N 236. Agoetinho Cezerra da
Silva Cavalcante 76OO0u
N. 252. D Felcidade Perpe
tua Mara da C.:iceicio '.4103D0
N. 253. Menores firboa de Sa-
muel do Espirito Santo Cho-
riza 1085C00
N. 264. Antn o Moroira Reis 24jOjO
S. 284. Firmino Aotoor Rodri-
gues 96tJOJO
N 296. Manoel Machado da
Rosa 1680j4
N. 298. O mesmo 3-jCOXO
N. 17. Heidciros de Eugenio
Goncalves Vasco o outros 9.0^000
N. 53. Sitiauo Pessoa de Lc-
^ moa 353X)00
N. 55 A. Joajuim do Aimeida
Gomes 5285000
N. 55 B. O mesmo 20050 K)
S. 57. O mesmo 25250U0
N. 61. Ricardo Jos Giru:s da
Luz 1925000
N. 8?C O mesmo 1925-00
N. 77. O mesmo 2165000
N. 103. Antonio Moreiru Res 1085COO
N. 107. Augusto Gomes da
Silva 1805000
1 sec.ao da Ricebedoria Provincial de
Pemambuco, 3 de Margo do 1890.
O chefe,
J. X. C. c Barros Campto.
Obras Publicas
De ordem do cidadao engenbeiro director e em
vinode da autonsaco do cidaio marecbal go-
bernador d'esle Estado, conlida em officio Me 15
do corrento, fago publico que no dia4f de Marco
prximo Tiudouro recebemse propostis, em car
las fechadas, competentemente selladase com as
respectivas firmas reconhecidas, para exeeuco
dos reparos do acude do pcoado de'L^goa do
Carro, na- comirca de Nazareth, oteadas ecn
i.206*705.
As prop'.is'a3 devero declarar o preco pelo
qual se obrigum os licitante*; a executar a obra,
como o local de sua residencia e as iabilitcdes
que possuam para dirigir os trabalhos, as quaes
seiaoi"bertas ao meio dia em presenca dos pro
ponenles.
Havendo duas ou mais propostas em completa
igualdade de condiges, serao chamados os pro
ponentes para declarar quaes as modincacoes
que fazom atim de celebrar se o contracto com
aquelle que lizer moditicacps mais van lujosas.
No scrao acceitas as propostas nos seguintes
;:sos :
Io As que excederem do3 procos do orea
ment.
2a As que nao forem organisadas do. accordo
om o presente edital.
3 As que no offe ecerem as garantas exi-
gidas.
4* As qae se basearern sobre os pretos das
propostas dos outros con arrentes.
3 As qne forem presentadas por pessoas que
ji onham dcixado de catnprir contractos cele
arates com a roparticao.
O orcarocato relativo a obra, as clausulas se-
ra es e epeciacs do rontracto e mais con^icOs
scro fraoqueadas n'esta secretaria ao exame dos
cu" crrenles.
Para concorrer a praga cima devero os lici
umtes depositar n'esia repartigao, na \espera do
dia da arremataban, das 9 s 3 horas da tarde, a
quinlia de 1104335, equivalente a 5 % do valor
do respectivo orcatneuto.
Secretaria'da Dircctoria de Obras Publicas, em
19 de Fevereiro de '890. '
0 engenheiro ajudante.
A Reg Nelto.
4:-I/.o dus^Rrtfis da Fazcnda
.\:-'ional
Hippodromo do Camp
Grande
Convido os possuidores de accOes preferen -
ciies, emittidas por este Hippodromo. para rece-
berem da mao do respectivo ibesooreiro os ju
ros correspondentes ao se uodo semestre, qae
serao pagos ao portador, de hoje at segunda-
feira 10 do corrente, das 10 horas da' manha s
2 da tarde.
Secretaria do hippodromo da Campo Grande,
5 de Marco de 890.-O presidente,
_________J. Innoo ncio Gomes.
Obras Publicas Geraes
De ordem do Ilustre cidadao engenheiro di-
rector das 0bra3 Publicas Geraes deste Estado
fago 8ciealea Antonio Pereira de i'arvalbo que,
existindo ooestalelro dr ponte Buarque de Ma-
cada nove a dez metroj cbicos de pedra de
granito perten-ente ao mesmo cidadSo, dever
este retirar as ditas pedra at o dia 31 do cor-
rente, e o nao fazendo, sero ntilisadas nos tra-
balhos da conservado do porto, pagando esta
directora 151 por cada metro cubico.
Seccao das Obras Pubjicas Geraes do Estado
de Pern->mbaco, em 4 de Margo de 1890.
O e3criptnr ro,
_________ Joaquim de Medeiros Raposo.
Mote Po Purlo^ez
Asscmlla geral
Pelo presente sfio convidados os Srs. socios a
se reunirem i m sosso de assomb'.a geral, que
ter lugar domingo, 9 do corrente, pelas 4 bo
ras do tarde, n-j Gibinete Ponuguez, para dis-
cutirem e votarem o rclat rio dauirecco e pa
rucir da commisso de contas, a elegibilidad^
da futuu dirpcco c bem assim deliberarem
acerca de outros as--umptos importantes, proce-
d as de propostj da flirectoria' para o qne pe
de se o concu's > de todo< os socios.
A assembla fauc:iona e delibera com a pre
senca de 15 socios.
Presidencia d'assembla geral. 4 de Marco le
1890e
Domingos da Cunha Guiantes Rucha.
Derby Club de Per-
nambuco
A directora desla sociedad!, em virtude do
art. 16 do decreti de 17 de Janeiro deste anno,
scientiGca qae licam disposigo dos senhores
accionistas, na secretaria da sociedade roa do
Imperador n. it, as copias doialanco, da rea
cao nominal dos accionistas e da lista das traas
lerendas das arcos realisadas nt decurso do
anno prximo lindo.
Recife, 1- de Margo de 1890.
Os directores,
Manoel da Silva Maia:
Jos de Oliveira Castro.
Carlos Jo de Medeiros.
MARTIMOS CONTRA FOGO
Companhla Phenlx Per
oanbucaaa
________RDA DO COMMERCIO N. 4fl________
SEGURO CONTRA 'm
Hoyal Insurance Compan)1
de Liverpool
CAPITAL S.000:000
AOENTE8
R.DEDRUSINAAC.
13Rua Mrquez de Olinda13
London & Brasilian Bank
Limited
Ba do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre ascai
cas do mesmo banco em Portugal sendo
im Lisboa rua dos Capellistas n. 75. No
'orto, rua dos Inglezes.
O vapor
E' esperado do sul no dia 13 de Mar
go, segundo depoU da deinor. De-
cessaria para
CONTRA FOGO
fhe Liverpool k Lendon k Globe
HSUHAITGE CD./IPAITY
lUWm, 3JSE2SA1 & C.
Boa do Commercio n. 3
Companljia tft &egaxo$
C0V73A FO&Q
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Josicao financeira fDezembro de 1887;
Capital anbscripto 3.000,000
Fondea accomulados 3.421,000
eeelta annnal :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros 143,000
O AGENTE,
John H. BoxineR.
I
Jfe!"
S. Vicente, Lisboa, Vigo, e SouthaarptoD
Redcelo de pauagen
... Ida dasvcUo
A Lisboa 1 classe i ti) t 30
A Southampton classe t 18 t 42
Camarotes reservados para os passageiros a>
Pe-nambuco.
.Jara passagens fretes. encommendas, trata-sr
x> a os
AGENTES
\morim Irmos & C.
N. 3Rua do Bon JesnsN. 3
Companliia de Seguros
canos Jo.-e de Medeiros. tt'Jt^ttt *. B> ? -
Santa Cas, de MiseTi^rdTa^*<<< ** *"*
do Recife
A junta administrativa desta Santa Casa con-
tracta com quem mtlhores vantagenj ollerecer o
t t i
Inscripto rio central da cm-
preza da estrada de ferro
de Ribeirao a Bonito, no
Recife.
ASSEMBLEi GERAL ORDINARIA
Nos termos expresaos oos arts. 13 e 16 di
dec-eto do governo provisorio do 17 de Janeiro
deste anno. sao convidados o.< S s. accionistas a
se rconirom, em assoinb eu geral ordinaria no
dia 12 de Margo prximo, a 1 bora da tarde, na
sede desta empreza, n. 74, Io andar a rua Duque
de Caxias, afim de ser litio o relalorio dos (la-
caes, o balaago e miis documentos do anno
Ando
Recite, 23 de Fevereiro de 1890.
.Os directores.
Jos Bellarmino Pena de Mello.
Francisco Lipes Guimares.
Sebastiao Al -es da Silva. '
Eicrivo Reg Burros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto d03 feitos da
Fazenda deste Esado de Pernamboco, se vende-
r em praga publica no dia 7 do vindouro mez
Je Marco, pelas II boms da manbS, deoois da
lu-liencia, os bens seguintes :
A casa terrea de lijlo e cal, n 13 sita rua
(o Fogo, freguezia de Santo Anloni >, perlenccn-
te aos herdeiros do padre Jos de Jess Mara
le Va.-Cor,cellos, avahada por 1:000*000.
O dominio ulil do terreno forciro a marinha,
sito rua do Padre Nbrcga, todo murado, com
o n. 24, onde se aihi a cpcCeira da Companbia
las Cirnes Verdes, perifonete do domioio
aos oer.ieiros do coronel Francisco Camello Pes-
-o-i de Lacerda, avaliado por l:(K)000.
Urna olaria ?ita no lugar des Coeibos n. 23,
freguezia da Uea Vista, edificada sobre 53 pila-
res, coberta de telha, perlencente a Vicente Fer
reir dos Santos'Barros, pelo preco e qu>nitia de
1:33'000
Um sobradinho e olaria contigua no lugar dos
felnos, freguezia da Boa Visla, sendo a mesma
alaria sobra esteio de madeira e cocerla de te
Iba. pertenceiile a Antonio Ca neiro da Cocha,
rielo prego e quantia de 990000.
A cafa terrea com rancho ao l.ido, de. t'jIo e
1, sila no logar denominado Ipotinga, f.egue-
:ia da Varzea, perlencente a Antonio Francisco
ios.prazeres, pelo pre^o e quanlia de 8I003.
Bens que sao vendidos para pagamento da
Pancada Nj'inial e usl.-.s.
Ilecile, 26 de Fevereiro de 1890.
O scliciiador,
Lu'z Machado Butelko.
Ea^enhi AQu-leNovo
FREGUSZIA DE S. VICENTE
Os abaixo assignados constitoiram seu bastan
te procurador o lilil. Sr Ur. Al ionio Clem-n-
lino Freir, para tratar de seus negocio- refe-
rentes as partes que tm no engenho Agude
Novo.
Recife, 3 de Margo de 1890.
L. A. Salazar Jonior.
Joaquim Paulioo icas Muniz.
Indemnisadora
\'i- termos do 1- do art. 23 do; estalutos a
directora convida aos Siv. acciooistas a reoni-
rein se em assemblca geral ordi aria, ao meio
dii de 11 de Margo vjodouro, oa sede da corona
nina. A rronio lem por flm deliberar sobre as
contar do auno social rindo em 31 de Dez-mbro
prximo p ssado.
Recife, 24 de fevereiro de 1800.
Os < eotores
Joaquim *lves da Fonsera.
Ar, onio da C. Ferreira Dallar.
Jos Ferreira Marques
rmandade
DE
N. S. da Conceicao dos Mili-
tares
E LEICO
De ordem do rmao prendentp, convido a
todos os irmos para comparecerem as 6 horas
dj'larde do da 3 do corrente (quarta-feira) no
consistorio fia igrfja para se procede- & eleigo
dos funrcionarios que t?em de reger a irmanda
de no corrente anuo de 1890.
Couristorio da rmandade de N. S. ra Concei-
cao do:-Mistares, 2 de Marco de 1830.
0 secretario,
Joo Paulo R. Cesar.
Ao commercio e ao publico
O abaixo ac-signado, pelo presente, declara ao
commercio e. ao p'ibiico que n sta dala comproa
ao Sr. Antonio de Aimeida Rabello o ni esiabe
leciruento de molbados sito rua ria Uniao n. 2,
livre e desembaracado de todo e quaiquer 0110.1
que possa apparecer.
Se alguem se julgar com direito a protestar
qneira fazel-o no praso de tres dias, a contar de
boje.
Recife, 4 de Marco de 1890.
Antonio Carvalho Monteiro.
foroecimeoto dos geoeros aba xo mencionados,
para o consomo dos cstabelecimentos a sea car
go, no trimestre de Abril a Maio do corrente
anno:
Alctria, kilo
Arroz, dem.
Agurdente litro.
Azeite de oliveira, dem.
Ara rula, kilo.
Bacalho, dem.
Banha de porco, idem.
Btalas, idem.
Cha, idem.
Cafa em grao, idem.
' arne de xarque, idem.
O bolas, tent.
Farinha de mandioca, da Ierra, litro
Feljo, idpm.
Fumo do Ro, kilo.
Gaz, lata-.
D:to inexplosivo, idem.
M!fio. kilo.
Manteiga franjeza, ideiri-
l'ciassa, idem.
Pao e bolacha, idem.
Rap, idem.
Sabao, idem.
Sal, litro.
Tapioca, kilo.'
Touciolo, il'-m.
Velas de carnauba idem.
Ditas stearinas, idem.
Violto branco, litro.
Dito tinto, dem.
V nagre, idem.
As propostas devero ser aprevenalas em
cartas fechad, s. devidamentc reliadas, pelas 3
horas da tarie do dia 11 do corrente. na sala de
sesses da janta, declarando os proponentes su-
jeitarem se a mulla de 5 % sobre o valor total
do fornecimento, se no praso de 3 dias nao com-
parecerem a esta secretaria para assigoar o res-
pectivo contracto.
Secretaria du Santa ''asa de Misericordia do
Recife, 3 de Marco de 1890.
y Otscrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
ASENTE
Miguel Jos Aires
M. *Rua do Bom Jru-X, *
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
.Vestes ltimos seguros a nica companhit
:esta praca que concede aos Srs. segurados semp
ao de pagamento de premio em cada setime
amo, o que equivale ao descont annual de cer
a de 15 por cento era favor dos segurados
[ftDEMNISADOR
Conipanhii de Segaros
MARTIMOS e terrestres
Rmabelccldaem 1855
CAPITAL 1,000:000^000
S1NISTR0S PAGOS
At 3 i de Dezembro de i 8 84
Varitimos.. J, 110:0OO^OOC
Terrestres. 316:000^000
44Ruado Commercio44
THEVTR
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado da Europa bo
dia 6 de Marco e segui-
r depois da demora ae-
cessana para
BSxa, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
'..embra-se aos Srs. passageiros de todas as
claases que ha lugares reservados para esta
agencia, qne podem tomar em qnatqner tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores a mercado-
ria3 que s se attender a reclamacOes por fal-
ta j, nos volumes, que forem reconhecidas na
0 ;casiao da descarga, assim como devero den-
tro de 48 horas a contar do dia da descarga das
i varen gas, fazerem quaiquer reclan: acao con-
sernentes a volumes que porventura tenham se-
zaido nara os portos do sul, afim de poder-pe
dar a tempo as providencias necessaras.
Batea paquetea sfto illnmlnado a
1 ts elctrica.
Para carga, passageus, encommendas e di-
a *eiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
9 Rua do Commercio 9
Secunda praca
Edital n. 25
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do dia 7 do corrente mez,
sero arrematado* porta desta repartico, 23
saceos, marca E, viudos de Ar.:caj no vapor
nacional Se>gipe. entrado era Janeiro prximo
passaJo, coiiti-u lo fumo em coma ceceo, e um
pouco estragado, abandonados io* direitos por
Sanios & C.
3 8erco da Atandega de Pernambuco, 4
deMurco de 1890.-u ebefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
Recife Drainag-e
A companhia faz publico, para eonhecimento
dos interessados, que collocou no mez de Feve-
re.io prximo passado, os apparelhos abaixo
declarados :
Recife
Caes da Companhia a. 32, apparelho n. 8,073
r andar.
Rua D. Maria Cesar ns. 3 e 3, apparelho n.
8 079, laja.
Sanio Anlonio
Ra Marclio D as n.9, appjrelho n. 5741,
luja.
S. Jos
Rua Luiz de Mendonca o. 30-A, app-.relho n
5,742, casa terrea.
dem dem u. 30, apparelho o. 5,743, casa
te. rea.
Boa Vista
Roa do Riachuelo n. 2 A, apparelho n. 11,010,
osa lerrca.
Recife, ide Marco de 1890.
J. F. Mackintosh,
Gerente.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
A junta administrativa da Sania Casa, era sua
.-essao do da It do correle, recebe propostas
para a. reconstroeco do predio n. 44 da roa
Mrquez de Oira*, em todo igual ao qae lbe
lca contiguo, sob n. 42. com excepeo smenle
do sotan e-do forro do l- an lar. que sao di|ien
sado^. Ser preferida das proposias qu i f rem
apresenladas, aquella que fono i< antojosa aos
lUlrtasea da Santa Casa.
Secretaria da Santa* Casa da M ser.cordia do
Ret, 5dcMu'Co de 1890
0 ecriv3o,
Pedro Rotrigu-s de Souza.
Hoje6 de Margo-Hoje
Empresa e direccSo do actor
EOmOS BRAGA
Primeira represeoago do liado drama em 6
actos, de grande espectculo do repertorio d o
immortal actor JOAO CASTAO DOS SANTOS.
OS SEtS DEESAOS 00 CIIHE
PERSO.VIGEJS
Jolio Dormilly Domiogos Braga
Fraocisco Augusto Peres
Carlos M. Moreira
Miguelo homcm negro C. Lisboa
Femando Leandro
Lacaille Rocha
Roberto Franca
Doocet, vendedora de laraojas Angelina
Luiza, ;ua lba Maria Luiza
Elomira Othilia
Fanny Anglica
Carolina Zulmira
Um caixc.ro Rocha
Um commissarlo Walfrido
Herthier Pacheco
Jos Monteiro
SoldHdOS. POTO, josadores
e criados
DESCRIPgO DOS ACTOS
l. acto, A ociosidade?. dito, As mu-
theresr-3* dito, 0 jogo4 dito, O
roubo5. dito, O astassinato
6. dito, O patbulo
Esta peca vai scpna cora todo o apparato,
como requer o seu autor. Chamamos a atieogao
do publico para este drama qoe urna verdadei-
ra li;ao. A empr. sa grata ao mano hospitaleiro
publico dete Estado, agrdese a beoevolencia
com qoe assistio a su.i estreia.
Os bilhetes esio a venda desde ji oa bilhele
ra do liiealro
Os espectculos princlpiam s 8 l| e nos do
mingos as 8 hjras em ponto.
Precos, os do costme.
Para sabbario prximo, cm eosaio.
Os Engaitados
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
~) vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Aimeida
E' esperado dos portos do nor-
te ate o dia 6 de Marco e de-
pois da demora indispensavel
.-fcguira para of portos do sul.
as encommeodas sero recebidas no trapiche
B .rbosa at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, passagens, e ncommendas e valo-
res rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Maranho
/ommandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do sul
at c dia 7 de Marco e ee-
iruindo depoif da demora indis-
p?nsavel para of portos do nor-
te ate Manaos.
as encommendas s sero recebidas na agen-
;i i at 1 hora da tard<* do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
-es ata-se com os
AGENTES
Preira Carneiro & C.
6*=Bua do Commercio=6
1 andar
CUMPA .XUIA PEB\AMBItl\A
DE
V ;Tega?5o costclra por vapor
PORTOS DO NORTE
Pirahyba, Natal, Maco, Mossor, Araca-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Commandsnt Carvalho
Segu no dia 8 de Marco s 5
horas da tarde. Recebe carga at o
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
i s 3 horas da tarde do dia 8.
ESCRD7TORIO
A) Caes da Companhia Pernambucanu
n.12
Muraos
S. R. M.
Sociedade Recreativa lloeidade
sarn trimestral no 24 do rorrete
Do ordem du Sr. presi -ente, convido os senbo
res socios que queirain tirar con vi tos p:ra este
s.irao, a apr<-sentareiu os nomed de seus convi
dados nrsta secretaria. O recibo do mes cor-
rent serve de iugresso.
Secretaria da Sociedade Recreativa Mocidade,
5 de Margo de 1890.
0 ^^ secretario,
Martiaiano Cruz.
United States and trezil
M. S. S. C.
O vapor Finalice
E' esperado de NevYork
at o dia 19 de Marco
o qaal depois da de-
mora oecessaria seguir
para a
B s&Sa, K!o de JaaeJro e Santo
"ara carga, passageos, encommendas e di
nhe'ro a frete : irata-se com os
Henry Forster & C.
8Rua do Commecior8
1* andar .
CHARGERS REUNS
Companhia Franeeia
DE
MayegacSo a vapor
Liiha quinzena.1 entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro e
Santos.
O vapor
VilledeSan Nicols
t
Commandante Tauquery
E' esperado da Europa at o dia
9 de Marco seguind o depois
1a indispensavel demora para a
i o de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga peles
"aperes desta linba, queiram apresentar dentro
le 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
loalquer reclamaco concernente a volumes que
iorveutura tenham seguido para os portos do
ral afim de se poder dar a tempo as provi-
Jerocias necessaras.
Sxpirado o referido prazo a companhia nao se
-esponsafiUisa por extravos.
F'ara carga, passagens, encommendas e di-
ih?iro a frete: trata-se com o
AGENTE


'
i .






:

Aunaste Labille
R)vai
Mail Steam f*.?ckei
Company
O vapor Magdalena
F.spera-se da Europa ateo dia 13 d
Marco, seguiudo depois da demo
r do costme para
Uahia. Ro de Janeiro, nontevl-
do e Buenos-Ayres
Para passagens, fretes e encommendas trata
se com os AGENTES.
9RUA DO COMMERCIO-d
.'ompanhia Bahiana de Na-
vegacao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Baha
O vapor Guahy
Commandante Viegas
Seguir pira os
portos cima
indicado no dia
7 do correute s
4 horas da tarde.
PanTcarga, passageos. encommcodas e di-
nheiro a frete trata-se cora o AGENTE
I
O VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante Bernardes
E' esperado do3 portos cima
at o dia 12 de Marco regressan-
do para os meamos depois da
demora do cosame.
Para carga, passagens, encommendas e dinbei-
o a frete trata-se com o
AGENTE
?edro Osorio de Cerqueira
17Rua io Vfaario--17



Diario de Pernambuco-Quinta-J


i
I
-L
i




I


I
i

Largo
Pacific Sl-eam Navigatin
Compan}
STRAITSOFMAGELLAN UNE
Paquete Oruba
Espera-se da Europa al o dia
9 de Marco e seguir de-
pois da demora do costume para
Valparaso por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di
eiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilsnn. Sons A L Limited
14RA DO COMMERCIO14
Gimpanhla da Mala Real Porto-
gueza
O vapor Malange
De 3,500 toneiadas
E' esperado de Lisboa at o dia
15 do correte e seguir depois
de pequea demora para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Sobre fretes e passageiros trata se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6-RA DO COMMERCIO6
1 andar
1 pipa e'5 barris com vinho brinco, cognac, li-
cores flobs, mobilias de janeo e Jacaranda, lap-
paradores com portas de rame, meias commo
das, carteiras, camas, marqueioes, toncas, vi-
dros extractos e sabonetes Anos, meias para ho-
mens e senboms, las, casimira em cortes e em
pecas e militas ontras mercadoras.
POR NTERVENCAO DO
Agente C'usmo
AVISOS DIVERSOS
Urna senhora competentemente habilitada
em instruir meninas as materias de ensino
primario, por ter disto longa pratica, propoe se
a eusinar particularmente em algum engenho ;
e par. que nao se vacille sobre sua reputacao.
o procedimento por ella exhibido, ser a sua
garanta. A' ser procurada na roa Velba n. 85.
Precisa se de nma i ma que ehtenda de co-
sinha ; a tratar na ra das Trincheiras n. 17,
loja.
COMPAXHIA PEBX4MBICA\4
DE
Vavegaco costelra por vapor
PORTOS DO SUL
Viageni ilircriniii ule Baha
O vapor Una
Commandante Monteiro
10 de Margo s 5
Recebe carga at o
Segu no dia
'horas da tarde.
dia 9.
Encommendas, passagens e dinheiro frete
as 3 horas da tarde do da 10.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pemambucana
71. 12
LEILOES
- QuintaTeira 6 de Margo, deve ter lugar o
leilo de 98 fogareiros avariado3 por ocrasiao do
leilo de mobilias austracas, radeiras de junco
e outros movis, perfumara e miudezas.
Leil
Agent<
ao
Stepple
De predios, joias, rovpas usadas e cofre
prova de fogo
Quinta-feira, 6 do corrente
A's 11 horas em ponto
No armazem ra do Imperador n. 39
O agente 8tepple por mancado e assistencia
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito privativo de or-
baos e ausentes, a requerimento do Exm. Sr.
onsul de Portugal, levar a Itilo, os bens per-
tecententes ao finado portuguez Rento Gomes Pi-
ano.
Urna casa terrea n. 125 ra Marcilio Dias
)Utr*ora Direita, freguezia de S. Jos, com duas
oortas de frente, 2 salas, 3 quartos, cosinha fra.
e um pequeo quarto.
Um casa terrea n. 22 ra Dia3 Cardoso, em
S. Jos, outr'ora ra do Caldereiro, porta e ja-
sella, 2 salas, 2 quinos 1 saleta, cosinha fra e
quintal.
Urna dita idem n. 21, ra do Coronel La
aenha, porta e janella, 2 salas 2 quartos. 1 sa-
leta, cosinha e quintal na freguezia da Roa Vista.
Um cofre prova de fogo, relogios- de ouro e
prata, corrente e medalha, aunis pares de
trincos, urna cagoleta, broche para retrato,
iga de coral, teteas para crianga, banco, ca-
sas de vento, caixa de madeira e lote de
"oupas usadas.
Leilo
Agente Silveira
le orna casa com sitio na estrada de Joo de
Barros n. 32
Qulnta-feira do corrente
A's 11 horas
No armazem ra do Imperador n. 2
O agente Silveira por mandado e com assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orpbos e a re-
querimento da viuva e herdeiros de Pedro Pau-
lo dos Santos, levar a leilo o referido sitio
cm casa, tendo os seguintes commodos : 3 ja-
ellas de frente, & salas, 4 quartos, 2 janellas no
ito. tendo urna puchada, em seguirnenio urna
pequea sala, cosinha e 3 quartos fra, cacimba
om boa agua potavel, bomba e tanque para ha-
rto, medindo 10 metros de largura c 13 de
imprmenlo.
Os Srs. pretendentes podem examinar.
Leilo
De 90 iogareiros de ierro, a variados, urna
caixa contendo thesouras, e outras fer
ragens, miudezas e pe fumarias.
Qointa-feira 6 do corrente
Agente Pinto
Ra do Bom Jesas n. 45
Por occasio do leilo de movis, quadros can-
dieiros gaz e espeibos.
Grande leilo
DoRestaurant Portuguez
A' ra das Larangeiras na. 21 e 23
Constando :
De 4 mezas grandes de amarello, 4 ditas re-
dondas com pedras, duas ditas compridas, duas
ditas grandes com ditas, 2 grandes guarda-loucas
de amarello, 1 fiteiro, 4 aparadores, 5 espeibos
grandes 12 cabides de parede, 1 porta garrafa
de madeira. 38 cadeiras de junco, 1 relogio ka
lendarlo, una machina de engarrafar, urna ba-
lanca decimal. 3 mezas de cosinba, urna dita de
opa, urna campanbia elctrica urna carteira se-
cretaria. 4 marquezC8 para solteiro. 20 quadros
de olecgrapbia, 2 lavatorios de agatba, 3 portas
garrafa-, 2 transparentes esleirs.
Um gnnde sofre de ferro prova de fogo. urna
prenga de copiar cartas, louca de jantar, dita de
almorc. copos, clices, garrafas, fructeiras, jar-
ros, facas, coiheres e garfos, roupa de mesa, dita
de cama, caedif iros "le gaz, tr-m de cosioha. fo
goes de fer o, tanques de lavar louca paos ae
handeira 2 grandes letreiros e outros muitos
perteneea >io Restaurant Portuguez.
tu.iHa-felra. 0 do eorrente
A's 11 horas em ponto
O agente Martios competentemente antorisado
kr leilo do Restauran! Portuguez, sito ra
das Laranueiras ns. 21 e 23.
Garante-se a casa.
Leil
ao
e um carrinho de 2 rodas para 2 pes9oas,
pichada por um cavallo com buos arreios no-
TOfl.
Sexta-felra, 1 do corrate
A's ti horas
N armazem da ra do Vlarquez de Olin-
dan. 48
Em continiiacao
Se 80 raixas com vinho de genipapo de prime i-
T* qualidade, 5 caixas coa vinho Vermuth fino
Precisase de nma perfeita engommadeira:
a trar rua do Queimado 60, terceire andar.
Precisa-se de um copeiro ; na ra do Pay-
sand n. 19.
Precisa se no becco dj Espinheiro n. 5, de
urna ama que cosinhe e engomme com perfeic ao,
e que seja matriculada.___________________
Precisa-se de urna boa cosinheira, que
durina em casa ; a tratar na ra Nova n. 39,
segundo andar.
Precisa se de um caixeiro de 12 a 14 annos
de idade, com pratica de molbados ; na ra do
Paysand n. 5.
Precisa se de um copeiro e ajudante ; na
Ponte de Ucba n. 36, em frente a estaco.
Precisa de urna ama para lavar e fazer o
servigo interno de casa le familia : tratar na
ra do Vigario n 5, armazem.
Precisa-se de um caixeiro que teuha p -a-
tica de raolhados e d fiador de sua conducta ;
no Largo do Mtrcado n. 25.
Aluga-se o 2- andar ta casa n. 4i. ra
da Assumpgo; a tratar na ra Duque de Caxias
numero 52.
Patacoes velhos
Gompra-se na relojoaria David, ra do Cabu
g n. iy ____________________
Feitor
Precisa se de um feitor que-entenda do ofli-
cio ; na ra de Paysand n. 19.
Copeiro
Precisa-se de um copeiro que seja fiel ; na
ra de Payando, n. 19.__________________
A p pareja
Na ra do Pires n. 11, precisa se de urna ama
que seja matriculada.
- Urna pessoa competentemente habilitada
para administrago de engenho o de qualqjer
trabalho de agricultura, assira como cobrancas
aqui ou fora da capital, se offerece a quem pre-
cisar ; a iratar com a mesma. no pateo do Car-
me n. 27.
Aluga se o 1 auda"
ra das Flores, com agua
Crespo n. 12, I andar.
do sobrado o. 3 da
; a tratar na ra do
Alugam-se o 1- e 2- andares da casa n. l'
ra Visconde de Inhama, com agua e com
modos para familia ; as chaves no andar terreo.
Alugam-se casas caladas e pintadas nos
andos de S Goncalo, a 8000; a tratar na ra
la Imperatriz n. 76.
Faz se negocio'com a loja da ruadoCabu-
g n. 2-C, propria "para miudezas, deposito,
joias ou outro qualquer negocio, ptima locali
dade ; a tratar na mesma.
Gomes Ferreira Maia, tendo comprado em
leilo as dividas da massa fall la de Martins
Pires & C. chama os devedores da referida mas-
sa a virem pagar seus dbitos traversa do
Queimado n. 9 at o fim do corrente inez, rindo
o qual se proceder a cobranga judicialmente.
Recife, 4 de Margo de 1890. ____________
REMEMO ESPECIAL PARA CALOS receberam
Pedro Antunes 4 C.
^Edcovas especiaes para dentes, evita as dores
e conserva o esmalte com o brilbo natural. 63,
ra Duque de Caxias. V: le a pena I
A o commercio e ao publico
Constndc-me que um tal Vicente Ferreira
Lima tem espa lyido que eu estou para me reti-
rar deste Estado, e que Ihe tetiho de entregar
meu estabelfcimenU, declaro que falso e que
o supplicante nao passa de um industrioso.
Recife, 3 de largo de 1890.
Jos Xavier Estolano Santiago.
Cdigo Criminal Brasileiro
Com m i-uta rio pbiloNophlco acl
entico
em relacao com a jurisprudencia e a legislago
comparada pelo Dr. Joo Vieira de Araujo
Comprehendendo todo o titulo primeiro da
parte primeira do cdigo e muitos artigos do
segundo titulo.
Um grosso volme de composigo compacta
em oitavo grande francez de paginas 48.
A' venda na Lhraria Econmica, ra do Im-
perador n. 73.
Arma cao
Vndese urna boa armago de amarello. em
bom estado, propria para qualquer negocio, a
qcal se acha ra Raro da Victoria n. 61 ; a
traUr na ra da Imperatriz n, 12, loja.
Gasa
Aluga-se a casa da ra de S. Gongalo n. 26,
muito fresca, com 2 salas, 3 quartos, saleta, co
si!.ha boa, quintal e cacimba trata se na ra
de Hortas n. 15.
Attenc,ao
Ao professor de piano Sr. Amaro Rarreto Fi-
Ibo pede se de vir tratar de seu negocio de 12
de Norembro de 1890, como nao ignora.
Arniaco
Vende-se urna armago envidragada e seus
utensilios, para taverna. muito propria para
principiante, na casa n. 1 roa larga do Rosario,
e garant--se as chaves da mesma casa ; a tratar
na ra Duque de Caxias n. 54.
Triado
Precisase de um criado para servico de ho-
mem solteiro em engenho ; a tratar na ra do
imperador n 81, sala de detraz, 1- andar.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de taverna e qae d Mador sua coaducta ; na
ra de S. Jorge n. 131.______________________
Licor depurativo vegetal iodad#
do medico Quintella
Este notabilissimo depurante que ven
precedido de tSo grande fama infallivel ns
cura de tSdas as doencas syphiliticas, es
crofofoeas, rheflmaticas e de palle, corm
tumores, ulceras, dores rheumaticas, os
teocopaa.e neTralgicas, blenorragias agu
das e chronicas, cancros syphiliticoa, ic
flamag-Ses viceraes, d'olhos, ouvidos, gar
gantas, intestinos, etc., e em todas a-
molestias de pelle, simples ou diathericaa
assim como na alopecia ou queda do ca
bello, e as doencas determinadas por as
turago mercurial.
Do-se gratis folhetos onde se encor.
tram numerosas experiencias feitas con
este especifico nos bospitaes pblicos
muitos attestados de mdicos e documen
tos particulares.
Faz-se descont em casa d
FAMA SOBRINHO & C.
Ra Mrquez de Oiiuda n. *i
til*. J"H0inrXSTAI08 MOftTaXV
u;:ge^to stevens
& niiiro subslltuln-to a cauterlsa<^io dos cavallo
oelofoco Hav! zr.:n\ ttheo preparado o-unloc
wmodlo verdaderamente crtlcaz rara enrar tod
.Hi.ie-Kruer Alteran til *rui enalto, luimtmm t>
Jirtanta e DWacf.;e t Wi i uurua. *p aaa*a i
Domo e contlnoo oxlto em t^".."^-
rtrta. hars >, e no principa* stabeleei-
i nto do cavallo em XnrMerrm e Barope.
Nunca deUa nodo alguma. E mBter expen
sm lo para flear convencido do seu valor.
VeruU-te em cauro com a eompeunu irulteactm
MI
Anta
Precisa se de urna criada que engomme cem
perfeigo e mais tervigos de casa de familia ; a
tratar na ra Conde da Roa-Vista n. 24 A, ou
ra Duqne de Caxias n. 93_______
Ama
Na ra da Aurora 109 E, precisa-se
de nma ama para andar com nma
crianga.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar e com-
prar, para car-a de familia ; a tratar na ra nova
de Santa Rita" .49, serraria._________________
Ama
Precisa-se de urna ama; na ra de Fernandes
Ama
Para casa de pouca familia ra do Vigario n.
25, segundo andar, precisase de urna ama para
crianga-_________________
Ama
para o su empr*\
l ra*to_ror H
em
ITBV
'i pon
INS.
lug
Fufe Lu*. Utn llrWml
m le-fMCfm : i K. S SUA**
No becco da Lingoeta n. 3, precisa se de urna
ama para casa de pequea familia, para cosi-
nhar. *
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar e mais
servigos de casa, que tenba matricula ; na ra
Imperial n. 42.____________________________
Ama
Precisase de urna engommadeira e que lave,
para casa de familia ; a tratar na ra Sete de
Setembro t. 12, antigo becco dos Ferreiros.
Ama
Precisase de urna cosinheira on cosinheiro
bom, para casa de familia ; a tratar na ruado
Cabug n. i4. de meio dia at 2 horas,_______
Amas
Na ra Mrquez doHVrval n. 61, sobrado, pre-
cisa-se de urna boa cosinheira e de urna criadi-
nha para andar com urna crianga. ______
Amas
Precisa-se de duas amas, urna para crianga a
outra para cosinha; a tratar em Fernandes
Vieira n. 60.
Amas
Precisa-sa de urna para engommar e outros
servigos, e urna outra pan comprar e cosinhar :
na ra da Unio n. 13.
Aluga-
se
os armazens do largo da praceita do Mrquez do
Herval ns. 5 e 11, proprios para qualqner offici
na ouestabeleclmeno ; a tratar na ra larga do
Kosario n. 34 botica.
AJ
uga-se
o sobrado de um andar e sotfio, caisdo e pintado
de novo, na ra Mrquez do Herval tratessa do
Pocinho n. 33 ; a tratar na ra Baro da Victo
ria n. 60.
Aluga-se
o sobrado da ra Servasio Pires n. 18, com
agua e gaz ; a tratar com Temporal Filbos,
ra do Bom Jess n. 57.
Arthur & Desiderio
continuam a comprar ouro e prata velhos, e
bem assim libras sterlinas e outras moedas de
ouro e de prata, e paga-se bem ; na ra do Ca-
bug n. 3. ___________________
Anjos e figuras
N> pateo do Livramento n. 36, 1- andar, ves-
tem se anjos e figuras com perfeigo, para pro-
cisses, por pregos commodos ; a tratar na loja.
ATKINSON
PERFUMARA ingleza
Kzoede tolas as outras pelo seu
perfume exquisito.
LOCAO de QINiNO de ATKINSON
sern rival para fortalecer e embelesar
os cabellos.
Osxautida inoffensiva.
AGUA FLORIDA DE ATKINSON
perfume excepcional para o lenco; dis-
tillado da mais exquisita eacolha.
/>cofifr*-M em Ctaa th todos o* rtafo-
ciantei a Patriantes
4. A E. ATKINSON
24, Od Bond Street, Londres
Mira de Fabrica Urna" Eo*abmaoaM
tubra uina Lvra le Ouro
com odaraeo na toUliitartc.
Para o invern
Os verdadeiros calgados impermeaveis, vulgo
couraga, fabricados pMo inventor Croas Sous,
sao depositados somente na loja de calgados do
Sr. Francisco Salles Albuquerque,, ra mento n. 35.
ESPECFICOS
DO CELEBRE
Or. Humphreys de Nova York.
Em uso mais do 30 annon, simples, fiejruros effl-
caxes e baratos. A venda as Drogaras e Phar-
maclas prlnctpaes o mais garantidas do Mundo.
No. Ct'RA
L Frbrr#s CongMto, Xnflammac^a............
2. Frbrff e Clica causadas por Lombrigas___
3. Clica* Choro c Insomnla t\ns ranlas.......
:. I>irrhea de Criancase Adultos .............
S- l>yenteria. Di'res de Baniga. Clica biliosa
6. Colerina Colrni-Mi rbo, Vmitos............
7. Tosh*, i V>rwtlpabilo. Konquidao, Itronchlte..
8. lio r do Dente* e de Cara, e Xemlga.......
9w Jtor do Cnbroa, Enchri'iueca, Vertl^-cm------
10. DiKpppMlo. Indigestan, li-t 11. rsupprcs&do da Ut&ru. Esc&ssaou Demo-
l lipnrorroea, J>ort^t'rnuoaH, iegra profusa
18. C'roHp, T'v^o)ouea,D1^1culdadede Kesplrar
1*. Herpe, Empc^ies, Eryalpela..................
15. Khrnninii-.mo, D.'.i rhcumaiicas..........
W. Tokflop Mr.lf":a. Febro Intermitiente.........
17. lleaiorrboidas, A lasoiTeiina-. internas ou
externas, simples on sangrentas............
7S. Opbthalniir'.'-1!:'^ Ira: -t* -..;i. inllammados.
lii. Catarro, cmidocu cltruiiico, Defluxo........
20. Co 21. A urna,.' traco difUeultosa.................
22. SHpimrhs.to dt"; i' lofcSoroJw ...........
23. Eurroli .:i :i<^jcs o Cceras........'.....
21. Debilidad o era., ou phjstca..............
25. Hidropesa* Aruinulac&c fiuldas...........
26. Knjoo de Mar* au-va. Vmitos......uv:-
27. "Tiolehtinvoarinaria Clculos ou Pedia
na Bexiga..............................
28. Impotencia, Dchldide nervosa, seminal..
, 29. Chavainhaw na Hoce-a, ou ApHta..........
aX Incontinencia e Ourina, Ourlnir-se na
OMaa -............
_*M 81. MesHlraacio doloroflav.PrarlW'...........
32. Molestin do< ormcuo. Palpttacoe^, etc
8S. Eprlepeia, Hal eaduc<>, Oottacoral. Baile de
s.\ito.......777...........................
84. Dipbtherin, Mal maligno de Garganta......
So. Cona-eotdcM Cbronlcaa, DArdeCabeca.,..
O Manual do Dr. Humpbrers, 141 paginas sobre
os Enfermldades e o moao d crala'', se da gratis,
pede-se ao seu boticario ou &
UrWPHKKVS' MEDICINE CO.*
10!) I i'lton Htreet*
NEW YORK.
nico deposit o para vendas em
grosso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C, ra Mar-
quez de Olinda n. 23
IAS DE 10:000 CUBAS
TIHTUBA DITIHA
JiOSTS SO BSSliATISD
DORES E DeDENTES.
PREPAKADO NICAMENTE
POS CALA8ANS & C.NA BAHA
MedioAmento heroico contra os rheum
tismos, Incha53es, dores aciaticas, nevrai
gias, dormencia, etc., empregando-se en
fomentacSes -sobre os lugares affectadet
Cura o beri-beri, as paralysias e as dore
de dentes.
Todos os frascos levam direcco'es par.
aso d'este medicamento admiravel.
Preco 1(J200. Descont de urna dui:
em diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. roa
Mrquez de Olinda n.23
Cosinheiro
Precisa-se de um cosinheiro ; na ra do Paj
sandn. 19._______________________________
Ra Mrquez de Olinda
Sr. Luiz Ferreira da Cruz j est disposto a
a gar sua letra? J faz anno e meio.
LULAS
Leite de mamao
Compra se leite sem fructo, fresco ou 6ecco ao
sol, paga-se bem ; na ra larga do Rosario n.
34, pharmacia.
Engenho
Arrenda-se o engenho Recanto, em Serinhem
inotnte e corrente, d'aguo, com boas terra3 e
proporcoes para safrejar de mil a dous mil
paes : tratar com Manoel Ferreira Bartholo &
C, ruado Bom Jess n. 4, escriplorio.
Menino para criado
No sitio n. 5 da estrada de Joo Fernaudes
Vieira se precisa de um menino de 12 a 14 an
nos, para cric do e copeiro:_________________
PoT20$000
aluga-se a casa n. 7 da ra do3 Pescado es, com
bons commodos e est limpa ; a tratar na ra
Duque de Caxias n. 89. loja.________________
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com pratica de mo-
Ihaios, de 14 a 16 anno3, e que d fiador de sua
conducta ; a tratar no Caminho Novo n. 79.
2. andar para alugar
Aluga-se o segundo andar do predi*
n. 4 da ra do Vigario Thenorio a tr
ctar no pavimento terreo do mesmo,
Cosinheira
Precisa-se de urna ama para cozinhar
no 3. andar do predio n. 42 da ra Du
que de Caxias, por cima da typographis.
do Diario.
Cozinheira
Precisa se de urna boa cosinheira para fam
lia que est temporariamente em Caxang;
trata- no esc-iptorio da companhia de bonos
Boa acquisicao
Aluga se a casa ra do Rangel n 63 e ven
de se a armago nella existente, propria para
taverna ; a tratar no largo da Alfandega nume
ro2-A.____________________________________
Alugam-se
as duas pequeas casas travessa da ra Bella
ns. 14 e 16, esto pintadas e caiadas de novo ; a
tratar na ra larga d i Rosario n. 34, botica.
OOOOOOOOOOOOOflftt
Contra
PUPiTACOES Sur fOCACES
PERTURBARES fe CiRCDIigiO
!IT!RC!Ii7E*CIl! ASTIMA
U.iV.3 es i j-om.-nodos coQslerdoo como
/ preludios du
OLUTUS DO CORRI
0t IMm loonmlritrr, o imprtco te
Granulos Aaimoniaes
Dp PAPIL.LAD.
UlaiortZ /artorar-ei -Ux Actiaemia -te Mtdtctna
< f- aria.
DWBlio mi: Pl- ElCO, 7, m Coq-Btra, iU&
la Pvnambooo : FRAN~ M. da s I,v A A C
loocwoocooooooooow
Muita atten^o
Comprase um estabelecimento de gneros
seceos, localisado no pateo da ribeira ; quemo
tiver e que, por qualquer motivo queira o ven
der, dirija se ra Mrquez de Olinda n. 54,
que achara com quem tratar________________
MARAVILHA CURATIVA
DO CELEBRE
Dr. Humphreys de Nova York.
A Verdadeira Maravilha do Seculo.
APPKOV ADA LICENCIADA
pela Inspectora Geral de Hysiene de
Imperte de Brazil.
A MereTi Iba Cara ti va remedio prnirtpto
para as Pisaduras, Mat'huc-jiduras, Cuntusoes, Tor-
ceduras. Corladuras, ou Laceracoav, AUlvla a dr.
wlanca o sangue, faz parar a lntammacao. redua
a ucha^ao. tira o descoramento, e faz sarar a erlda
como por encaato.
A Maravilha. Caraliva 6 alllvlo promptoe
cura rpida para (uelmaduras, Escaldailuras. e
(uelmadura do ol, e superior a qualquer outra
reaiedlo.
A Maravilha Curativa lmpagavel pan
toaasasHcmorrliagiux, seja do Nariz, dastieneivas.
dos PulmOes. do Estomago, ou a>: Hcmurrlioldas ou
Almorrelmascurasenipree nunca faina.
A Maravilha 'uralivaf unialvloprometo
Ka OOr de Dentes, de Ouvidos, da Face. Incha^ao
Face e Nevralgia.
A Maravilha Curativa orecursoprompto
c i.reeloso Dar Dores rheumaulcas, Alvijdo, Dore
Rigidez as Juntas ou l'crnas.
A Maravilha Curativa o grande remedio
pura Esquinencia. Angina, Amjedalas liuhadaspu
iflammadaseempre seguro, sempre efilcaz.
A Maravilha Caratlva de multo valot
como lnjecco para o Catarro, a Leucorrhea ou as
Flores Rrancas. e outros corrlDientos debilitantes.
A Maravilha Carntlva lmpagavel para
curar Ulceras, Chagas antis. Apostemas, I auarl-
doe. Callos, Frlelras, Joanetes e Tumores.
A Maravilha Coral! va* remedio prompto
para Dlarrbea simples, e de Dlarrhca cm-onlcfl.
A Maravilha Curativa S cxcollente as
Estrebarias e Cavallarlcas, pnni Torcedoras, Dona,
Pisadoras c Esfoladuras. Contusoes, LaocraOes, eo.
Para o tratamcnlo t prempta aira dai'
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias do f i erado,
dispepsia, indigestOes, clicas,
nauseas, diarrhea, priso do
ventre, falta de appetite, incom-
modos depois da comida, enxa-
quecas e dores de cabera cbxoni-
cas, rheiimatismo e nevralgias,
molestias da pelle, molestias pe-
ridicas das senhoras, e, alera
destas, muitas outras enfermidadesque se
classifico debaixo d urna liiflnidade de
nomos, todas porem, oriundas da mesma
causa, a saber;
Desarranjos dos oreSos de di-
gestSo e assimilacSo,
donde provm a impureza e o enfraquoci-
mento do sangue, com a debilidade e con- -
gestao de todos os orgio vltaes do sys-
tema.
Procurem-se
AS PILULAS CATHARTICAS DE AYER,
PREPARADAS PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est,-nidos.
DESPOSITO flB*f-
Sitio e casa no lrraial
. Muga-se urna das melhores casas e sitio
d'alli, com commodos at para duas familias, e
muitas arvores fructferas, dous minutos acirra
di. Man?abeira de baixo ; a tratar com Joaqun:
MoreiraReis.
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira; na ra Viscon
de de Goyanna n. 4. _______
Muita attengo
No Becco dos Ferreiros n. 6, pregueiasefe re-
cortam se babados de todas as larguras.
Amolla Lina Ferreira
Candido Hrmes Ferreira e seus tilnos convi
dam os parentes e an igos para assistirem as
missas que mandam rezar por alr^a de sua sem-
pre lembrada esposa e mai, Amelia Lins Ferrei-
ra, no dia l seu falleci-
mento, na igreja da Soledade, s 7 1/2 horas da
manh, antecipando seu eterno agiadeciaento
aos que se dignarem comparecer a este ac o de
religiao. ___________
t-m-m

Illuminato Soar.s Fonseca e sua esposa Ida
lina Marques Fonseca Mello, Cosma Mara da
Fonseca, Manoel Marques da Fonseca, Leopoldo
Marques da Fonseca, Leopollina Marques da
Fonseca, Jos Pedro da Silva, marido, mi, ma
nos, genro e filbos agradecern a todas as pessoas
que se digoaram acompai hir matriz de Bonito
e dabi ao cemiterio publico, os restos mortaes
de sua sempre lembraiia irma, sogra, mai e es-
posa, Maria Marques Fonseca Mello ; e de novo
convilara a todos os parentes e amigos para as
sistirem a missa que se manda rezar iia mesma
matriz pelo trieesimo dia do seu fallecimento.
no da 17 do corrente, s 7 horas da manh, pelo
que desde j se ronfos-am gratos.
t
D. Bita Hara de Hollanda Ca-
valcante
Trigsimo dia
Joaquim Elias de Albuquerque Reeo Barros,
sua mulher Florismunda de Hollanda Cavalcane
Reg Barros e seus filhos, mandam pelas 7 1/2
da manh de 7 do vigeBte, celebrar no convento
do Carmo urna missa pelo intindo de>cango de
sua estremecida cunhaia e tia, D. Rita M. de
Hollanda Cavalcante,e cooviiam a todos os seus
prenles e amigos pan que d:gnem-se de assis-
tir a esse acto de tanta magnitude, com o que
muito os pen hora rao._________________^^^^
f
Dr. Carolino de Lima Sanio*
3o anniversario
Isabel W. de Lima Santos roga por caridade
a todos os seus parentes e amigos o obsequio de
ouvirem a missa que manda rezar, segunda-fei-
ra, 10 do corrente, s 8 horas da manh, na
igreja da Soledade pelo eterno repouso d'alma
de seu charissimo e sempre chorado marido Dr.
Carolino de Lima Santos, 31 anniversario do sen
infausto passamento; e desde j protesta sua
eterna gratidao.
t
iiina Jt.aqnin l.ins % 'Helia
Napoleo Cesar Duarte e sua mulher convi-
dara a seus amigos e prenles para assistirem,
pelo eterno repouso de sua lembrada av, urna
missa que mandam rezar na matriz da Boa-Vis-
ta sexta-feira 7 do corrente, pelas 8 horas da
manha, stimo dia de se passamento.________
t
Teopliilo AqbuhIo de 4zcwedo
Souza
! anniversario
Marianna Pinto de Azeve.lo convida aos seus
parentes e amigos do tinade, para assistirem as
missas que manda celebrar pelo eterno repouso
de sua alma, na igreja da M.iilre de Deoa, sabba-
do 8 do corrente, i- anniver.-ario de seu .rerna-
turo fallecimento, s 7 1 2 horas da mauhS, do
que se confes^a -nteiipadamente agradecida.
Especialidades de Dr. Humphreys.
Remedios F-iperlficoK,
ITnroauto :>ln?-av!f:n<;n,
Kmedioa Svpuilittoo.
Reoiedloa Teteriaarios.
O Mannal do Dr. Hompbre>Ti M4 pajinas sobre M
Eofrrmldaik*emododocralasieOtratls, iiedo-
ee ao s-u boticario uu .
HBMPHKEY8' MEDICINE CO.,
108 Fulton Sirest, NEW YORK.
nico deposito para vendas em
grosso na imperial drogara de F.
Manoel da Silva & C. ra Mr-
quez de Olinda n. 23.
A o commercio
Os abaixo asaignados parcipam que nesta
data comp-aram a. !Sr. Maximlano da Silva o
seu estabelecimento no largo do Forte n. 44, e
que eyrava sob- a firma de Joo Cardoso 4 ''.,
livre'e desembaragado de todo e qualquer onus,
se alguem se julgar credor das ditas firmas apr-
sente snas contas dentro do praso de tres dias,
rindo o qual nao se attende a reclamacao al
guma.
Camello Cunha & C.
t
Manoel Joaquim de Miranda Nev
O commendador Antonio Gomes Miranda Leal,
autorisado pelo capo Manoel Seve Filho (au-
sente) convida os parentes e amigos do mesmo.
para assistirem a missa que elle manda celebrar
sabbado. 8 do corrente, s 8 horas da manh, na
Ord^m T.rceira do Carmo. por alma de*seu pai
Manoel Joaquim de Miranda Seve.____________
Francisuo Paes 0J3arretto, e srtuba
Maria Jos da Conceao Barretto, e seus
cunhados Flix de Barros Pimentel e Jos
Luiz de Barros Pimentel, do intimo d'alma
agradecem a todos seus amigos e parentes
que se dignaram acompanhar ao cemiterio
publico os restos mortaes de sua idolatra-
da esposa, mi e irma, a sua ultima mo-
rada, e de novo convidam para assistir a
missa que manda rezar na matriz de S.
Jos pelo seu eterno repouso, s 8 horas
do dia 8 do corrente, sabbado, 7." dia de
seu passamento.
A tod >8 eterno reconhecimento.
O OLEO PURO
-DE
FIGADO de BACALH
LMMAlf & KEMP
produz efeitos anlogos a es da
Efliulso com Hypophosphites
dos mesmos senhores, no caso de
ser preferido o tractamento nesta
forma para o curativo dos incom-
modos
do Peito) a Garganta e os PnM5es-
Muita atteit$i0
No becco dos Ferreiros n. 6, pregueia se e
recorta-se babados de todas as larguras.
Trompa
Vende se urna Trompa-Sax em bom es-
tado, do fabricante Thibouville, por meta-
de de seu preco ; a tratar no Pateo de
S. Pedro n. 18, das 6 as 9 horas da
manha e a tarde dab 3 as 6.
Morada excellente
Aluga se barato, na ra do Hospital Pedro 2-,
no lugar dos Coelhos, urna casa assobradada e
outra terrea com frente de azulejo, com agua,
grande quintal murado, muito fresco, prximo
do banho salgado, e commodos para familias
numerosas ; a tratar das 8 s 10 hora- da ma-
nh, com Joaquim Moreia Res, que all aluga
tambem casas de 6 7, 8 e 105.
Para cobranzas
Urna pessoa habilitada e aue d garantas, se
offerece para fazer cobrancas de alugueis e ou-
tras quaesquer; quem pretender procure no
escriptorio do Diario, que se dir quem 6.
Cosinheira
Precisa se de urna que cosinhe bem, seja ma-
triculada e que durma em casa dos patres, para
casa de familia, na ra Conde da Boa-Visia, n.
24 F. porlo de ferro.______________________
Patacoes
Compram-se patacoes e outras moed; s de pra-
ta ; no armazem ra do Commercio n. 4.
ttenco
a?
Para cobranga de alugueis de predios e ho-
norarios de mdicos offerece se um homem bas-
tantemente connecido nesta praca, e que tam-
bem presta fianca em predios para garanta das
cobrangas que fizer. Nesta typograpbia se dir
quem .__________________________________
Alague! barato
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Largo do Mercado loja n. 17.
Becco do Campello n. 1, i*, andar.
Loja do sobrado do becco do Calabougo n. k*
Ra do Nogueira n. 13.
Visconde Goyanna n. 163 com cgua e gaz
Travessa do i armo, loja n. 10.
Becco do Tambi n. 21.
A tratar ra de Commercio n. 5,1- andar
8cnptorio de Silva Gmmares A C.
Gereaes porpre$o
commodo
Como Hejam : miino, feijao e rava.
N'eves Pedrosa & C. teem para vender a reta-
lho ou em porgo os artigos cima, ra da Pe-
nha n. 33, assim como tambem vendem farello
de 42 kilos a sacen por 20500
Livraria Contempor-
nea
Instrumentos de muir*
Bonmardo, bombardino, barytono, tromp*
trombone, helicn, saxaphone. carrilon, bombo,
caixa, pratos.clarinitas. flautas.rabecas, violOei,
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quartos, gabinetes, corredo
res.
Molduras
dourads, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viaeem, diversos formatos, especialmente
para roupa de senhora e camarcte.
Novidades
para presentes, escriptorio. toucador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA & C.
Boa Primeiro de Harco n. 1
M^^^^^^^^^^2^^^^^^^^^^^^
EXPOSITION J& UMV""187B
Medsille d'Or^'CroiideCleTaliar
LES PLUS HAlUeS RCOHPEMSEt
E!PEBAl.KEMTEPREPRJOP-lf.AAFlflMELU)
Reconimendainos e-e producto,
eossiderado lelas celcl>Kiades mediis,
pelos seos principios de quina,
no ini> poderoso regenerador que eWjhece.
Artigos Recommendados
perfumara de lacteina
MommcudaJ pl*-' Meb::i4s leja..
GOTAS CONCENTRADAS para o lenco.
AGUA DIVINA dita agua de saudc.
UTE8 ARTIGOS A.CHAM-SE NA FABRICA
pars 13. rui d'Engtien, 13 PARS
Depsitos en todas as Perfumariu, Pharmseias
e Cabellereiros da America.
^<>
Precisa-se
jumero 137.
Cosinheira
de urna cosinheira ; ra rna Velba
Attenc,ao
Os proprietarios do arTiigo e acreditado arma-
zem do Lima, sito ra Baro da Victoria n. 3,
parter.ipam ao respeitavel publico e aos seus d)B-
tinctos freguezes, qne transferiram temporaria-
mente seu armazem para a mesma ra ao n. 9,
continuando da mesma forma a receberem suas
ordens rara Ibes servir com o costumado e habi-
tual desempenho.
Jos Fernandes Lima C
9--EA BASAD BA VICTORIA--1
Telephone n. 323
f*** *?lRY Vende-ve em tou Mrts
'


' *-.



Diario de Pernambuco-Quinta-eipa 6 de Marr;o de 1890
s
.i
v

'
-
\

>
.
v
TINTORERA
51
25--Rua de Mathias d'Albirquerque, artiga ra das Flores2S
Tiage e hmpa.com a m&ior perteico toda a qualidade de estofo o iazendas en
ceas ou em obras, chapos de feltros ou de palha, tira o mofo de fazendas; todo o
trabalho feito por meio de machinismo aperfeicoado, at boje conhecido.
Tintara preta as tercas e sextas feira, tinta de cores e lavagem todos os das.
>^ri n n
u u u ti.cr-
AGABO-SE COM AS DURES DE DENTES!
PILO USO I>0
Elixir, P e Pasta Dentifricios
RR. PP. BENEDICTINOS
da ABBADIA de SOTJT.AC G-irondei
Dom MAGUELONNE (Prior)
OMELHOR CURATIVO
E O
Dnico PRESERVATIVO
DAS
MfecgQBS Dentarias
)Wfc
m
yft
loo.
INVENTADO DO AMO
1373
PELO
Prior Fierre BOURSAUB
EXTRACTO I>A NOTICIA
A formula de PLXRRE BOURSAUD c saos procseos primitivos sao escrupulosamente respeiudot.
Eete Slixir dos aosaos Padres goza das proprierlades mais preciosas. Prevea a carie dos dentes que
torna alvos ao mesmo tempo que os consolida. Bipclle o sangue das gengivu que tonifica e reforca e
dissipa toda iucbacao. Purifica o hlito c sanea a bocea em que deixa urna frescura deliciosa e duravel.
Prevem e cura as ddres de garganta, as rouqnidoes, innammacoes, as apatas c irriucoes de toda especia.
N'uma palavra. o uso quotidiaao do MIJElr
de* IB. PP. Benedictino asse-
gura a aude perpetua da Oareavnta /3w*9m, rs r AnSi*} *syii/us
edamocc.Comovc,ocspecicocincu fif IfflJRStt (yc^e^eyy^.t^a
voss secular dos nossos Beverendos Padres
nada tem de commum com os productos
OBicamaente agradaveis espalhailos no coin-
mercio; d'elles distinguere tanto por suas
virtudes preventivas como por sn
accao curativa, enrgica, rpida e
certa.
------------------- AGENTE GERAL
BAZAR DO RECIFE
11-MJA BO MRQUEZ BE OLINA-11
DOMINGOS MANOEL MART1NS ^
Esta afamada loja offerece ao respeitavel publico, os objectos abaixo mencionado,
por precos sem competencia:
Espelhos grandes para salas de noivados a precos de 700000, 900000, 1200000
e 1400000 cada um.
Perfumaras dos melhores fabricantes.
Carrinbos para enancas,
Mallas, bolsas para viajantes.
Velocipedes para enancas de 3 ate 8 annos.
Espartilbos para seuhoras.
Briaquedos para criancas.
Rabados e tiras bordadas.
Bonecas alta novidade, completo sortimento.
Cadeiras com carrinhos para mesa de jantar proprias para
crianza.
Leques de fantasa.
Fitas modernas.
Albuns para retratos.
Costureiras com msicas.
Mui tos artigos para presentes.
Todas as Exmas. donas de casa tm grande vantagem em mandar seus pertado-
res comprar os artigos de miudeza nesta loja.

C2
em,'
,. &Gr>
A. SEGUIN, BRDEOS
Acha-se em todas as Perfumarlas, Pharmaclas e Drogadas do mundo lntelro.
u ii ci n>
240 rs. o cevado
Crotones lisos, francezes, cores fixas, pechincha! por 240 rs. o covado.
Cambraia de cor, florzinhas e ramagens, a 240 rs. o dito.
Cambraias cora menos larguras a 160 rs o covado.
Lautines de cor, padroes lindos com um metro de largura, a 320 rs. o dito.
Cachemiras lisas e achamalotadas para vistido a 2C0 rs. o dito.
Variedade de artigos que se vendem por todo prego.
21RA DO CRESPO21
OLIVEIBA CAMPOS & C.
(gescoberta nteressantissima
(PRIVILEGIADA )
PERFUMES ORIZA SOLIDIFICADOS
APRESENTADOS DEBAIXO BA FORMA DE LAPIS (12 liClOSOS CtelfB)
Basta esfregar levemente os objectos para pcrfuml-os
(a Cutis, Roupa, Papel para Cartas, etc.)
-iSSfc-
L. LECrUAND, Forneccdor da Corte de Russia
207, RA SAINT-HONOR, PARS
Vendase em todas as principis Perfumaras, Pharmacias s Drogaras do mundo.
MANDA-HE 1K PARS O CATALOGO ILLUSTRADO TRANCO de porte
500.800 e mW o covado
21RA DO CRESPO21
Merino preto trancado, duas larguras, 12 pura, de 500, 810 e 10000 o covado*
Dito lavrado, preto, com ramagem, padrSes de voiJe a 10200 o dito; fa-
nda d.- 2 54 0.
Cachemira preta para casacos, duas larguras de 20000 e 20500 o dito.
Na RA DO CRESPO N. 21
Oliveira Campos & C
Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Laureado da Faculdade de Medicina de Paria. Prnth Montyon
As Capsulas do Doutor CLIN ao Bromureto de Camphora empregao-se
as Molestias, as de Cerebro e contra as afleccOes seguintes:
Asthma, Insomnia, Palpitacoes do Coraco, Epilepsia, Hallucinacao,
Tonteiras, Hernicrania, Aifeccoes das vias urinarias et para calmar toda
especie de excitacao.
na Uma exolicacao detalhada acompanha cada Frasco.
Exigir o Yerdadeiras Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN & C'S
d* P&RIS, que se eneontro em casa dos Droguistas et Pharmaceuticos.
LOJA DO POVO
11Ra l. de Marco11
Com este titulo acaba da. abrir uma loja de fazenda roa 1." de Marco n. 11 e
en propTretj-rio convida o publico d'esta cidade e 4e tra a apreciar o seu BELLO
rtiiL-ento. Multas de suas fazendas sao reeebidas directamente.
GRANDE IfOVID ADE
Toile de pura seda de 10800 a 650 rs. o covada.e
Descont10 para as compras a retalho de 200000 para cima.
Chitas de 180, 200 e 220 rs. o covado.
Las lisas, imitacSo de cachemira, a 200 rs.
Ditas lavradas, dem idem a 240 rs.
Zephir com 75 centmetros, de largura de 8C0 rs. por 320 rs.
Ditos com 70 idem idem de 200 rs.
Ditos core 60 idem idem de 16 re.
Corte de casemira ingleza de 30500 e 60OCO.
dem de casineta de cor de 1010 a 10400.
dem de fustao para collete 20400.
Um completo sortimento de fichs, chales, capas para senhoras, espartilhos,
ia e casemira, cheviot, diagonal, pretcs e de cores, brins brancos e de cores, ca-
fis, oeroulas, toalhas, bramante, atoalhado de linho, panao da Costa, camisas de
*fancr!it e rcuitoe outros artig GttHERME CABNBIBO DA COMA
VINHO
Bktwai
RanMsM
pan
reconstituir
regenerar
o organismo
arr-lnado debellar
*:.c:ra,Chlorosi, Pobreza
liilade, Amenorrhea, Moleetia do
Fxqj'.'.o, ate. __
?ASZ8, EoTevard de Strastsurg, 50
ezn todos a phnrma ;i*a.
Tnico Febrfugo Regenerador
QUINA COCA
Extracta ala Cama

Hypophosphlto
J0H ANIMO
ADM1NISTRAC-O :
r-AKIZ, 8, Bonlevard Uontmartre, PABCZ ?
PASTILHAS DIGESTIVAS fabricadas em
Vichy com os Saesenrahido*dat Fnilei. Sio |
de gost< airnulaTel o a sua icco e oert con-
_____ _traaieS Digettes dtf/lreU-
SAES IE TlCUr PAM MMtlOS. Vm rolo pera um banbo, para as pessoas quo nao podem Ir a Vlcby.
Para evitar as imtaffs eMotr em todos os protuctos a
MARCA DA OOMP. DE ^riCC*"
Es Ptmanameo. Proterios acate atfc-a eua. UL2IK KOIOHLIN,
. roa oa Crol; Aua LA8ILLE.
Completo sortimento de chapeos, capotas e gorros de fantasa em todas a*
cualidades.
Fitas, rendas e bco de seda e algodSo de todas as cores.
Flores, plumas, passaros, algrttes e bljouteries para enfeites.
Cbapoe d feitro e castor, os mais modernos, para homens e meninos.
Recebe por todos os vapores as primeiraa novidades;; de artigos de sei
g'.nerc de negocio.
Raplmel Dias & C.
2 Ra do Baro da Victoria 2
^plVERem
J|* OVA PERFUMARA EX7RA-FI!
!OHYtO?0ie BO
S4B0. USENCIA. AGUA DE TOILETTE. PO DE ARROZ. OLEO.
ODONTINE
SABO DNTFRICTO
DO
DR. RIEDEL
A mellior preparacao hygienica para clarear e conserva"
pa
Approvada pela junta de hygiene do Rio de Janeiro, com a marca regiatrad>
a todos os Estados Unidos do Brasil.
YKNDE-SE AS SEGNTKS EASAS:
Maia Sobrinho & C.
Castro Medeiros & C.
Duarte & C.
Pedro Antunet & C.
Joao Bezerra &. C.
Netto 'ampos X.
Manoel Joaquiui liibeiro & C.
Maia e Silva &jC,
Barbosa & Santos.
Numa Pompitio.
Nunes Fooseca & C.
Manoel Vieira Neves.
Manoel Cardoso Jnior.
Manoel Colaba & C.
Papoula & Bastos.
Ribeiro & Almeida.
Antonio D. de Lima & C.
Sabino Pinho C.
Jlo Ramos.
Barros & C
Deposito por atacado:
THEO JUST
Largo do Corpo Sanio
imm
44-H14 B4R40 PO TRIIIFB..44
K3achDas a vapor.
Moeadas.
Rodas d'agua.
Taixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sern cravajsc
Arados
PBCHINCHAS
E'.com as Exmas. Familias
V'oiles de cores para vestidos a 240 rs. o covado.
Setns maco, verdadeiro, a 700 rs. o dito
Merinos pretos, garantidos, a 10200, 10500, 10800 e 20000 o dito.
Rendas de Hespanha, todas as cores, a 20400, o metro.
Percales finissimaB a 203 e 240 rs. o covado.
Sargelins, completo sortimento.
Metina, novidades em padr3ea, a 300 e 320 rs. o covado.
Man Jubas modernas a 10000 e 10500.
Cambraias Victoria, fina, a 20500 10 jardas.
dem transparente a 30000, idem.
Guardanapos com franjas, duzia, a 10800.
Meias inglezas, superiores, duzia. a 30000.
Lences de bramantes a 10800.
Cobertas de ganga, ferradas, 2 pannos, 205CO.
Colchas francezas 20000.
Cortes de fustSo de cores a 10000.
dem de casineta para calca a 10000 e 10200.
Bramantes de 4 larguras a 800 rs. o metro
dem de puro linho a 15600 o dito.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado.
Pegas de madapolao superior, 24 jardas, 50500.
Casemiras, duas larguras, a 108OU o dito.
Cortinados bordados a 50500 o par.
Panno de cores para mesa a 10600 o covado.
Atoalhados bordado, a 700 rs. o metro, duas larguras.
Toalhas felpudas para banho a 15000 uma.
dem de labyrintho para baptisado a 250000 e 30|J000.
Redes de cores a 30000 uma.
Todos os artigos de nsssa casa sao vendidos em connanca.
As vendas em grosso teem o descont da przea.
59Ra Duque de Caxias59
Loja de
PEREIRA a- M VGALHAES
_
a YAPOE
FABRICA DE LIVROS OE ESCRIPTURACAO
BR0ABBRHAPA9 > PAUTACA
] (I)anoel J. de Miranda
? 3 9 KA -* DUQUE DE -* CAXIAS 39 tfr
NUMERO TELEPHONICO 194 ~
Na Loja das Tres Portas
(AO 20)
Uma duzia de lencos fiaos, em caixa, por
20500.
Uma peca de esguio de algodao bom por
30500,
Uma peca de cambraia Victoria regular
por 20800.
Uma grinalda e veo para noiva por 70000,
80000 e 90000.
Um esparti Iho fino com um toque de mofo
de 120000 por 50000.
Uma duzia de meias finas para homem
por 50000, 60000 e 70000.
Um chambre de cretone, cores fixas, a
40500, 50000, 60000 e 70000.
Uma GuarnicSo de crochet branco e ma-
tisado por 70000.
Uro colcha de cor por 20000.
Uma sahida de baile por 20000.
Um covado de cachemira de listra de 20
por 10200 (duas larguras).
Un\a duzia de ceroulas de bramante de
algodao por 140000.
Um corte de cambraia bordada por 180OCO
( branco).
Um covado de cretone voile por 400 rs.f
barato.
Uma toa 1 ha para banho 10500.
Um covado de fustao branco, padroes bo-
nitos, a 360 e 600 rs
Uma duzia de toalhas para rosto por
30500, 45000 e 50000.
Um laque transparente por 20500.
Uma peca de madapolao americano com
24 jardas por 60500.
Um covado de flaoella branca por 400 rs.,
de 15.
Uma peca de bico branco, cor lisa, mati-
sado e creme por 20500 e 30000.
Uma duzia ne camisas alLemes por 360,
com e sem collarinho.
Um cortinato de crochet para janella por
70000.
(AO 20)
Uma peca de cambraia de salpicos bras*
eos e de cores por 40000.
Um metro de atoalhado de linho pard
com matizes brancos a 30000.
Uma duzia de meias de senhora, em caixae
de madeira, por 120000.
Um corte de linho bordado com matises
de cor por 130000.
Um covado de fust2o para roupa de ho-
mem a 800 rs.
Uma duzia de lencos com barras p*f
10300, barato.
Um covado de chevioth preto 20000.
Urna camisa de fianella, quaiidade regular
a 20500.
Um metro de bramante de linho, quatre
larguras a 10600.
Um covado de gaze arrendada de uma s
cor por 500 rs.
Um covado de 1 amazonas por 400 rs.,
bonita.
Um casaco de Jersey ricamrnte bordad
por 60000.
Uro vestido para menino 40000.
Um palitot de seda palha 80000.
Um palitot de alpaca preta 40500.
Uir guarda-p para homem 60000.
Um corte de metim em cartoes, alta nt
vidade a 70000.
Um metro de bramante de algodao, qoa-
tro larguras, a 10100 e 10200.
Um covado de brins pardo 280 rs.
Um covado de crep para coberta 600 rs.
Um covado de crep de 12 240 rs.
Um covado de renda hespanhola com na
metro de largura 20000.
Um covado de panno da Costa 10006,
10200, 10600 e 10800.
Um metro de atoalhado branco lavrado psr
10200.
Um guarda-p para senhora 100030.
Um palitot de brim pardo 40500.
Extractos de diversos fabricantes
Kalendarios com perumarias.
Caixas com perfumariab.
Roupas para banhos stgados
0Nravx3aj^x33es
Ftas de todas as c-es e larguras.
Bordados e entremeios.
Luvas de seda.
Piastons de cores.
P*t
20^-Rua 1. de Margo20
Junio iio Lomre
AMARAL & C.
o ha mais Fetal
As Parolas de Sulfato de Qui-
nina, da Bromhydrato de Qisi-
niiia.de Chlorhydrato, Valerianato de Quinina,
etc., etc., do Dor Clertan contm cada urna
dez centigrammas (dois graos) de sal de
Quinina chimieamente puro, de fabricis
franceza, e preparadas por um processo appro-
vado pela Academia de Medicina de Paria.
Debaixo de um envolucro gelatinoso, del-
gado, transparente e mui fcil de digerir, a
Quinina se conserva infinitamente sem alte-
rucao, e engolesem deixar o menor amargyar
na bocea.
Cada frasco contm trinta perolas, equiva-
liendo a tres grammas de sal
di'. Quinina.
Casta ridro tem a mtrea: X)
efmetiaperolaesldsimprentsiSfalavra:ClertnS,Pr:
Veade-se a varejo em qoa-i todas as pharmacias.
FABRICA E VKNDA POR ATA .AD0 :
Casa L. Frere, ra Jacob, 19, Parla.
MICROBIO
DA
Blennorrkagitz
d radicalmente aniquilada pelo emprecc da
NJECGO CADET
deposito ora al:
raara, nraievud Denin, i, *
V6t NoJoJi qut urrt di mbruiha a cada '
ridro da Itt.je.efia Cadet.
MsmKm cm todas u irUdiass tharmirl a Brajj.



-

-




;




M.M%.(lii 11* U
* f.% 11 A i.1, l> t_r *
-*uin
peaj tmsi ijiuIt
approrado psl& r&atrida oata de
Hygieas Pablie:. la Corte.
AuctorisadoporDccrctoImperia!
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSICO
de
Firmino Candido de FiguBiredo.
Empregado com a maior eficacia no
rhrumatismo de qualijaer natnrea,
em todas as molestia a fe/U, as
leucorrhcas ou flores brancas, nos
sofn-imentosoccasionado>pe!.-. impureza
do sangue, e finalmente as difterentes
formas da syphis.
1
i
i
Dse Nos primciros seis dias urna
colher das de cli pela manila e outra
noite, puramente ou diluida em agua
e em seguida muda-sc-ha para collie-
.-es das de sopa para os adultos e me-
tade para as cuantas. J^J
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhos rios ou
momos, segundo o estado da molestia.
SEFOSITO CMTBAI
f Francisco Manoel da Silva & C.
Droguistas
23 Ra Mrquez de Olinda
Pernambuco
^>"T---+V+++*--++++
VENDAS
Vende se urna mobilia de Jacaranda, cons-
tando de sof, cadeiras, jardineira. consolos, ca-
taras de bracos, loueeira. urna rca estante para
livros e muilos ps de llores ; no Caminho Novo
nurue ro 128. _____
Vende-se um importante pino do fabri-
cante Doerner : informar, Mello Biset, a ra
larga do Rosario n. 40. _____
Boa compra
Vende se um bom piano com pouco uso, do
autor Hery Herz, por p-eco muito razoavel; a
tratar na ra Mrquez do Herval n. 81, ou na
ra do Vigario n. 4. taveroa._______________
Atten$o
Vende S3 ra Real da Torre n. 21, dous moi
nhos e pertenees, proprios para quilquer cereal.
trigo, milho, arroz, favas, etc., etc urna machi
na a vapor em perfeito estado, garantida, rom
os bronst s flCsobrecelleutes, novos em folha
ti chas de ferro de differf ntes tamanhos, com
eicellente grelba e bocea de fornalha, taboa^ de
ferro para formas, de costado de amarello vinba
co, cfcldeires de cobre, torneiras de metal e de
pao. cubos, tooeis. pipas, um filtro de eobre
para qualquer liquido, podeodo filtrar 10 pipa
em 12 horas, urna prenca para espremer fru ;tas
e outros materiaes ; tambem atueam se cinco
armazens com telneiros e dependencias, com
grande baixa de c;.pim.__________
Vende-se
Quem nao comprar o grande kiosque con
fronte a escola modelo, bem afreguezado, o pre
ledente pode ver para crer. por preco commo
do ; trata-se no mesmo. _____________
Superior vinho de Al-
coba^a
O acreditado e antigo armazem do Lima pa;
ticipa ao publico e aos srus freguezes que acab
de receber urna nova remessa deste especia;
vinhc, escolhido propiamente pelo chefe desu.
casa, tornando-se recommendado por ser purt
e de boa qualidade. Jos Fernandes Lima & C.
ruaBaraodi Victoria na mero 3, Telephone323
Vende-se
ama mobilia de jauranda, composta de 12 ca-
deiras de guarnicao, 2 de_hracos, 4 consolo i com
lampo de pedra, I sof, 2 cadeiras de lona, 1
mesa de amarello elstica, 2 aparadores da me-
ma madeira, 1 sof, 2 espreguicadeiras, 1 guar-
da louca de amarello, 2 commedas de Jacaranda,
1 toilet de junco, 10 cadeiras de junco, 1 cadelra
de amarello, de balance, 1 mesa para jogo. 3
marquezes, 10 quadros proprios para sala, 1
mesa de pinho para jantar, 1 lavatorio de jaca
randa com pedra. 1 dito de amarello, 1 mesa
para cosinha, 1 dita pequea de amarello, 3 ca
deiras de amarello, 4 camas de lona, 1 resfria
deira, 1 guarda-comida, 1 mesa de amarello
para escrever, 2 consolos de Jacaranda com tam
po de pedra ; a tratar na ra da Inperatriz n.
14,3- andar. ^___________________
Pao centeio
Mello & Biset tendo recebido nova remessa de
farinba centeio, avisa aos seus freguezes que
continuam a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sexlas-feiras ; na ra larga do
Rosario n. 40.
FOLHETII

ODIO DE TIGRE
POR
::::: :::::::,
SIH.l\A PARTE
SOROft MARA JOS
(Continuacao do n. 51)
VIII
Quando o Sr. Diniz voltar e eu son
ber o resultado da sua viagem, por-me-hei
inteiramente disposicao delle
Lert pres?ntio que o velho nada diria
sem saber o que sua ama julgara conve-
niente confiar ao inspector.
Por aso, tnudando de tctica, replicou
simplesmente :
Bom, este primeiro ponfo est elu-
cidado ; passemos ao segundo. Devo di-
ser lhe que o Sr. Diniz levou sua ama
a carta que o senhor tinba escripto para
ella. Julgmos ambos que o senhor estava
na pista de pessoas que me eccarregara
de procurar. Nio verdade i
P ara engenhos
GUIMARAES & VA LENTE, partea
pam aos seus freguezes e Illms. Srs. de
eDgenho que, como semprc, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados,
garantindo tudo de primeira qualidade
presos sen competencia a saber
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinismoa.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito depeixe.
Pixe em lata,
(5 galoes.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa do Kussia,
(em caixas, barriquinhas, latas grande*
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo6
Canarios
No a; mazem da ra de Pedro Alfonso n. 6, ha
para vender grande porco de importante a
nanos belfas e allemaes. cujas precos razoaveis
se farac conforme a qnalirade dos mesmos.
Agua maravilhosa
Com a applicago desta agua, quem soffrer de
espinhas, panaos sardos, fmds e vermelh'do
do rosto, ficari perfeitamente curado, rtconhe
cendo a, desse modo, como nico especifico
eficaz. Alem desses effeitos, tem ella a pro
priedade de, tornando a cutis hmpa dar-lhe a
cor natural. A c da vidn qoe custa it, acom
oanba a respecti 'a indicacao do uso.
Abaixo as pomadas,
Vendem Farias Sobrino 4 C, /ua Mrquez dt
____________Olipd n.4i. \'________
Mercearia
Vende se a da Camba do Carmo n. 2 ; a tri
tar na mesma.
Casa dcj barbeiro
Vende-se urna bem localisada, montada j e
acreditada casa de barbeiro, sita iua do Bom
Jess n. 59, garante-M a chave ; a tratar na
mesma rea n. 12.
Attenco
Vendem se partes dos engenhos Tamoat-
meirim e Coqueiros, sitos na'comarca da Victo
ria ; bem como o sobrado de um andar n. 57 da
ra Imperial da mesma cidade ; a tratar na ra
larga ao Rosario n. 10, 1 andar.__________
Aos Rvms. sacerdotes
Vende-se por preco razoavel, as segiun
tes importantes obras religiosas, todas no-
vas, perfeitamente novas:
A Biblia Sagrada, em sete grossos vo-
luntes, traduzida em portuguez por Anto
nio Pereira de Figueiredo.
Um Breviario Romano, em quatro volu-
ntes, ediccSo de luxo.
Catecbismo de Perseverane^, em sete
grossos volumes, pelo padre Oaume.
Diccionario Universal das Heresias, Er-
ros e Scbismas, em um groBSo volume, tra-
duccSo do padre Antonio Gomes Pereira.
Theologia Dogmtica, por Gousset, em
dous volumes.
Theologia Moral, pelo mesmo autor, em
dous volumes.
Compendio de Theologia Moral, por P.
Oury, em dous volumes.
ExplicacSo Litteral e Moral das Epsto-
las e Evangelhos, pelo padre A. Guillois,
em um volume.
Manual do Sacerdote, por J. Schneider,
em um volume.
Caeremomale Juxta Ritum Romanum,
em um volume.
Sentido dos Ritos e Ceremonias da Mis
sa, por A. F. Cardoso, em um volume.
Memoria do Clero Pernambucano, em
um volume, pelo padre Monte Carmello.
A' tratar nesta cidade, ra Sete de Se-
embro n. 20.
Para engenhos
Lopes & Araujo, venden
a precos sem competencia
garantindo a boa qualidade.
os artigos abaixo mencio-
nados.
Cal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexplosivel.
Potassia da Russia em caixa
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttend.
Graxa em bexigas..
Boa do Livramento b. 38
Telephone 316
Aviso
Paulino de Oliveira Maia, nico importador
neste estado do importante cognac Pnaton,
tendo encontrado em diversas casas retalhadoras
as garrafas d'elle cora outro cognac ordinarissi
mo fabricado nesta cidade. vera declarar ao pu
blico e especialmente aos apreciadores do Pna-
ton, que devem exigir as garrafas que forera
cercadas por urna rede de tino rame de lato
arrematada no fundo da garrafa com nma pasta
de chumbo e com urna chapa tambem de
chumbo no meio da dita garrafa com a mar
ca da casa Landau Fils, de Bordeaux, a rolha
marcada a fogo com o mesmo distico, orna
capsula de ihumbo verde e amarello cem a
seguinte gravacSo no alto : Landau Fils (e
um passaro no mar) Bordeaux, sendo o rotulo
quadrado com igual inscripcio e no gargallo
urna etiqueta verde com duas estrellas.
Especialidades
PASTILHAS HYGIENICAS PARA
AO ENDER O FOGO, supprimin-
do o immundo kerosene e dan-
do n'um instante nm fogo inten-
so, a caixa com 20 pastilhas 100 rs
0LE0GRAPH1AS: Io. A importan-
te obra prima de Vctor Meirel
les: c A Primeira Vfissa no Bra-
zil *, grande quadro histrico da
descoberta do Brazil, medrado99
X 76 centmetros de valor real de
15* (poucos exemplares) 6*000
2 SCENAS DE CORRIDAS, qua-
dros de cavallos admiravelmente
desenliados e proprios para sa-
las. 26 differentes, nm 1*000
3o RETRATO DE SADI CARNOT,
presidente da repblica france-
za, o melhor anda publicado 1*000
CAMISAS DE FLANELLA para be- '
mens, urna de 2* a 5*000
PERFUMARAS, artgos para presentes. Quadros
e albuns para retratos. Carteiras para cigar-
ros e charutos. Cigarreiras e charuteiras de
mbar e espuma verdadeiros. Bengalas. Pa-
ndara. Lencos de linho a 4*500 a duzia.
Meias. Espartilhos. Leques. Bonecas e brin-
qnedos diversos. Fitas. Bordados. Luvas de
seda pretas e de cores e outros rauitos artigos
de miudezas.
Main barato do qne em outra mi
quer parte
NA
Rain ha das Flores
Ra do Baro da Victoria a. -II
Roya!
WIIMT
Bleod marea YUDO
Nao me atrevo a sffirmal-o.
Seja franco, Sr. Moun, nao julgue
que isto urna curiosidade da minba par-
te. Tudo isto se liga com urna causa cri-
me, e o que parece ao senhor estar muito
longe do fin? que visamos, acha-se talvez
muito perto. Tcnha, pois, confianca, e
crea que tanto o Sr. Diniz como eu lhe
sosos inteiramente dedicados.
E' que ea receio que o senhor zom-
be de mim...
Por que?
Porque, semelhante ao homem que
prestes a af bil raiz, eu, desesperado, recorr a um
meio que f'ar encolher os hombros a muita
gente. ,
E que meio foi esse ?
O magnetismo.
Hum 7 Hum disse Lerat distenden
do desdenhosamente os labios.
V ?... Tambem o senhor...
Conte-me sempre tudo isso. Nlo te-
nho gra< de confianca na lucidez dessas
feiticciras todas, que dizem ter trabalhado
diante dos soberanos da Europa em-
fim... nma vez por caso... pode ser..'.
Oh !, nao se trata dessas mulheres !
interroropeu o Sr. Moulin com um ar es-
candalisado. Son tio incrdulo como o
senhor a respeito dessas leitoras de btiena-
dicha
Est-me intiigando devras, crea.
A quem se dirigi entSo o senhor ?
Isso urna historia que vou contar
lhe em duas palavras. O acaso, um feliz
acaso, tez-me encontrar com o Sr. Van
Linden, e, por motivos que o senhor ha
de permiitir que eu cale, diligenciei quan-
to pude -elacionar me com elle. Reahsou-
se o meu desejo e travou-se entre nos urna
viva amizade, que dura ha dous annos, e
daonl partilha a gentd Branca.
Este excellente Whisky Escocez pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cada
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arm
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado
cujo nome e emblema sao registrados par
todo Brasil.
BROWNS & C, agentes.
Cautelas do Monte de Sor
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc
corro de qualquer joia, brilhantes e relo-
gios, paga-se bem na ra do Cabug n
T.4. n. Loja de relojoeiro.
Nova remessa
Oliveira Campos & C. receberam nova remesss
de merino de duas larguras, e de. todas as co-
res, padres lavrados, o que ha de mais gosto,
por 500 rs. um covado na roa do Crespo nu-
mero 21.
E ella merece-Oj segundo m'o asse
guraram.
E' urna creatnra adoravel! affirmou o
velho com vivasidade. Ora, apezar de Natty
ignorar a premeditacao do meu encontr
com elle e as raz3es por que eu o prepa
rara, uto lhe fiz mysterio da missao a cujo
cumprimento tenho cansagrsdo a minha
vida, sem um dia de desean^. Elle rio,
como o senhor, da minha credulidade, e
militas vezes gracejou commigo acerca das
minhas esperancas.
E sem que isso lhe abalasse a sua
fe?
Por forma alguma. Branca, porm,
comprehendia a minha .pertinacia e con-
solava-me. Ora, urna tarde, ha de haver
tres semanas, a minha amiguinha, que ha
via dias estava doente, nao pudra sabir.
Achava se nervosa, agitada, e por momen-
tos os seus grandes olhos azues mudavam
de cor como um prisma batido pelo sol. Eu
estava inquieto com aquillo, mas Natty
tranquillisou-me, dizeudo-me que Branca
tem muitas vezes isto ; somnmbula, e
padece peridicamente daquelles accessos.
Yam'.off est tratando-a e diz que o scu
estado nao offerece perigo.
E at mesmo diz o douto.-, interveio
alegremente Branca, que eu son um bailo
sujeito magntico. Por isso, pap Mou-
lin, quando qu zer saber o futuro, dirja-
se a mim. Bem deve comprehender qual
a idea que logo me assaltou o espirito.
Mas o que o senhor nao concebe de certo,
a pertinacia com que essa idea se me
apoderou da razio. Pensava todos os dias
nella. sonhava d : noite, nlo comia; urna
obsesso que degenerou em monomana.
Urna oc. asilo em que estava a s com
Branca, tallei-lhe com toda a franqueza e
ella encheu-se de alegra, na esperanca de
poder assim auziliar-me na santa missao I
Alerta com a Revotado
4-Raa Duque de Caxlas48
E'BARATISSIMO
Sur de linho a 4'JO rs. o covado.
Etamnes de todas as c6res a 300 e 400
rs. o covado.
Zephiros finos a 120, e 160 e 200 rs. o
covado.
Merinos d>> cores cam duas largaras a
400 rs. o covado.
Cachemira com quadros de seda para ves
tidos a 16 o covado, fazenda de 20COO
Ditas com toque de moto a 800 rs." o co-
vado.
Cortes para vestidos, ultima meda a7G00
um.
Ditos bordados a 10(5000 um.
Ditos bordados brancos e creme a 135000,
14(JC00 e 155000 um.
Casaco de seda franceza a 2)5000 um.
Cort:nados bordados a 60000 o par.
Ditos de crochet a 8)5000 e 10<5000 o par.
Ficns de retroz prateado a 1(5000 um.
Colchas de todas as cores a 2(5t 00, 3,5000,
45000 e 55000 urna.
C--bertas forradas a 25500 ama.
Braman'e com 4 larguras, trancado e liso
a 800 e 15000 o metro.
Toiletts para baptisados a 85000, 90000
e 103000 urna.
Pannos da '. osta para mesa a 10200 o co-
vado.
Madapolao americano a 650C0 a peca com
24 jardas.
Camisas, de meia a 1000 urna
Ditas de linho e algodao com collarinho a
20COO urna.
Toalhas para crianca a 120 e 160 rs. urna.
FustSo de cores para costumes a 500 rs. o
covado.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs
um.
Ceroulas francezas, a 10000 urna.
Atoalhado de linho com toque de mofo a
25400 o metro.
Dito de algodlo a 10200 o metro.
Algodao trancado para toalha a lyO. o
metro.
Espartilhos couraca a 40, 50000 e 6000
Lencos de algodlo brancos e com barra >
15200 a duzia.
Ditos de linho a 25500, e 3000 a duzia.
Nansuk fina a 120, l6u, 200 e 240 rs. o
covado.
Cretones claras e escuras a 200 e 210 rs.
o covado.
Organdis a 4C0 rs. o covado, fazenda de
c'00 rs..
Setineta lisa de todas as cCres a 240 rs. o
covado.
Ricos cortes bordados a seda para ves ido,
de 6 0000 por 250000 e 3O50C0. *
Costumes de Jersey para enancas a 7000
um.
Voile de algodlo a 240 rs. o covado.
Merinos bordados, de edres, a 600 rs. o
covado.
Crep, ultima moda, a 600 rs. o covado.
Cambraia de quadros para vestidos a 10830
a peji.
Brim pardo trabado a 240 rs. o covado.
Casemira de cSres para roupa de homem a
102.0 rs. o covado.
Para a quaresma
Merinos pretos a 800, 10000 e 10203 o
covado.
Manteletes pretas a D0OOO c 70000.
Fichs pretos a 15030.
Ricos cortes de cachemira preta bordados
de vidrilhos a 30(5000 um.
E muitas outras fazendas pretas como
sejam gorgorlo, setim e cachemira que se
vendem com o abatimento de 50 /0.
Nao esqnecendo
que em sua fficina de alfaiataria aprcm-
pta-se qualquer costume e em 24 horas,
assim como tem um completo sortimento
de brins, casemiras de cores e pretas, que
vende por precos sem competencia.
A Revolucao
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Vinho puro de Saotarem
Da quinta do Barra!
Os Droprietario8 do Armazem Central, ru
do Cabug n. 11, avisam aos seus distinctos fre
ruezes eao pespeitavel publico que receberan
aova remessa deste especial vinho, o qual st
recommenda por ser puro da uva, e s se reta
Iha em eu armazem.
Joaquim Christovlo & C.
Telephone 447
A
zulejos
Com lindissimas cores e desennos variadissi
mos, encontra-sc para vender um grande sorb
ment desse artigo, proprios para frente de ca
sas, corredores, cosinhas e banheiros ; por pre
eos 3em competencia na ra do Visconde dt
Govanna n. t.
que me impuz. Combinou-se que o Sr
Kerhoel, nosso commum amigo, entrara
na confidencia, e que, a oceultas de Natty,
adormecera a rapariga.
E deu resultado a experiencia? per-
guntou Lerat muito attento.
Muito alm da minha espectativa.
Eu tinha conservado alguns objectos que
haviam pertencido as pobres criancas, met-
ti lh'os na mo, e depoia de algumas hesi
taches, terrores e soffrimentoi vivissimos,
porque a violenta va um pouco a vontade
enrgica de tKerhoel, Branca acabou por
encontrar urna das crianzas, a quem, diz
perder os vestigios, porque atravessara o
mar.
E depois ?
Descreveu-m'a to exactamente, que
soltei um grito de sorpreza Era o retrato
do pai, que ella me fazia Sim, o retrato
do conde de Morlac, tal qual eu o conhe
cera outr'ora. E ella ignora lhe at o
nome!
E' espantoso murmurou o agente,
que j nlo se ria.
Disse-me que elle morava em urna
grande ra, ao cabo da qual via urna igre
ja, para os lados da Opera; qoe era me
dico e ella estava vendo o nome delle es
cripto sobre duas p'cas de marmore,
porta da casa! Finalmente, a torca de a
interrogar, comprehendemos, Kerhoel e
eu, que se tratava da ra de Cbausse
d'Antin.
E o senhor, naturalmente, foi logo
l muito depressa.
Est bem de ver Dei com o sitio e
com as du^s lapidas de marmore, tendo
iuscrrpto o nome de um medico.
E entlo ?...
Era o americano.
0 que nlo prova absolutamente que
ella se tivesse engaado.
A FLORN
Fitas lavradas com um palmo de larga-
ra a 20000 o jnetrov
Papel de arroz de todas as cores.
Chapelinas modernas a 50000.
Rendas hespanholas da todas as c5ras
pretas com c sem vidrilhos.
Lindas guanicScs de vidrilhos pretos pa a
casaco.
Grande sortimento de galoes, palmae e
rozas de vidrilho preto.
Bicos matiaados ce urna s cor como 6e-
am, granad, azul, rosa, beije, palha, chum-
oo, salmn, terracote e muitas outras cores.
Sabonetes perfumados a 500 rs. a du
Lindos "deaenhos para talagar9a.
Lencos de seda a 500 rs.
Bicos de seda e de algodlo com e sem
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodlo.
Franjas de seda com e sem vidrilho.
Renda hespanhola.
CollarinhoB para homem a 30000 o 4001
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 50*
600 e 800rs.*apeca.
dem com 3 e 1[2 metros, de qua'quer
argura a 10200.
Lencos de linhe em caixinhas a 350C* a
dita.
Meias para homenu duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Finas pulseiras americanas a 40, 6 c
80000 o par.
Cortinados todos de crochet para canu a
120000, 170000 e 190000 o par,alg; ns
de cores.
Ditos para janellas a 70000.
Pannos de crochet para cadeiras a 800 e
10000.
Ditos para sof a 20000.
Capellas com veo para noiva a 6000. e
80000.
Lindos enxovaes baptisados a 80 10$ e
120000.
Toncas de setim para baptisado a 30, 4f e
50000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha de
melhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas da seda, cano comprido a 20 pa
Ditas de seda para creanca a 10000.
Dita para moca a 10500 o par.
Espartilhos para creanca a 40 e 40500.
Ditos para senhora a 40, 40500, 50OG<< e
60000.
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Linha de machina a 600 rs. a duzia.
Albuns de pellucia de diversas cores.
Livros de missa a 10500, 20000, 2050
30000, e 30000 cada um.
Lindas luvas de seda com salpicos e cop-
listas, gosto moderno, a 20500 o paz
Toalhas para banho a 03OO.
Toalhas para rosto a 300.
Toilhas para mSo a 160 rs.
Babadores com inscric^es e paizagem a
500 rs. e 400000 a duzia.
Espelhos grandes com mulduras finas oe
cantos redondos a 40000 e a 60000 urna
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas de seda arree
dada com palmas canno comprido a
10500, 20000 a 20500.
ASSUCAR
Na refinacao do Saguei-
ral, alm do melhor assucar
refinado, encontra-se tam-
bem o afamado assucar das
usinas, Colonia Isabel
Santa Filonia, Car -
Ass.
Precos resumido?.
22Ra Direita22
Deposito da Companhia de
Fiacao e Tecidos de Per-
nambuco.
Neste deposito ra do Bom Jess n. 42,
vndese porprecjs rzoaveis e condices da
praca, brins d*". algodao de cores e algodaozinhos
de diversas qualidades, e tambem fio de algodao
em novelios.
Armacao
Vende-se urna pequea armacao com seus
pertences propria para taveroa, por prego ba-
rato, assim como um moinbo e torrador para
caf ; a tratar na ra imperial n. 133.
Foi o que pensei. Por isso, antes de
o visitar, pensei ver o medico na ra.
Pois bem', senhor, quer me acredite quer
nSo, quando elle sabio, ao cabo de duas
horas de eu estar esperando, pareceu me
ter soffrdo um choque elctrico. Era
exactamente o meu antigo amo, o conde
de Mura;! As mesmas feicoes, o mesmo
modo de andar.
. Mais novo, de certo ?
J se v, e foi o que a principio me
desorienten. Esse estrangeiro mostra con-
tar uns trinta e cinco annos e o meu pobre
Jorge deve ter quando muito vinte e cin-
co'; depois, o tal homem muito mais alte
do que o conde. Finalmente, como sub
casa d'elle, vi que estava regularmente
inscripto na universilade Cincinnati, sob
o nome de Petrus Weber.
Talvez adoptasse esse noma falta
de outro.
NSo verdade que pode explicar-se
assim o caso? exclamou o Sr. Moulin com
exaltacSo. Eu raciocinei como o senhor,
e tenho a crteaa de nSo laborar em erro.
N3o, Branca vio, realmente I... o seu
somno penetrou as trevas do passado. Re-
pare que ella nada sabia, e que me condu-
zio como pela mSo. .. Ah I asseguro lhe
que desde esse dia nao durmo... e a nSo
se dar o caso de ante-hoatem...
Isso foi enfilo muito recente?...
A sessao de magnetismo realsouse
na antevespera do Natal.
Foi entlo por isso que escreveu
Sra. de Morlac?...
Foi. Escrevi lhe assim -que voltei
de proceder s pesquizas a que procedi
Pois bem; nos o ajudaremos, Sr. Mou-
lin. O resto comuosco, e promette lhe
que antes de oito dias saber com certeza
se esse medico um dos dous meninos
perdidos. E desejo bam 4va c saja- crea.
A LOJA DAS LETRflF
A vm Duque de Caxias o. Si
/EN3E MAIS BARATO
B d descont a quem comprtr
de *00 para cima
Vende pelos seguintcs pfeos :
Las de qnadrinho-a 160 e 2tX) rs.
Zephyr de quadrinho a 100 e" 200 rs.
Percales claras e escuras a 200 a 240 n.
Casias de urna e cor a 100 rs.
Meriu preto com duas larguras a 440 nu
Cachemiras e merinos enfeitados a 400 ib.
Cortes de zephyr de quadrinhos bordadoa
4O00.
Fichus de renda e pretendes a 500, 800 e
l*00ff.
Esguiao pardo para vestido a 320 e 360 ca.
Brim pardo liso para roupa de menino a
240 rs.
Cortes de casineta de cores a liJCOO m*
homem.
Colchas de fu:tSo de lindas cores a 1803
e 2*000.
Cortinados bordados para cama e janea a
5*800 o par.
Toalhas para menino a 1*500 a duzia.
Guardanapos a 1*800 a dita.
Bramante de 4 larguras a 640 e 1*000.
Lencos brancos finos a 1*200 a duzia.
Espartilhos finos a 4*000.
Crinolina branca, preta e de c6res a 400 ea.
Baleias a 200 rs. a duzia.
Arco de ao a 100 rs. o metro.
Bicos brancos, de cores e matieados, toda
os prejos.
Rendas pretas e com vidrilhos a 1*000.
Mantilhas pretas hespanhola a 4*000.
Etamines de cor, phantasia, a 400 r.
Tecidos de linho muito finos e largas a
400 rs.
Cachemiras pretas arrendadas a 2*000^
Sedas de cores com listras ou ramagess a
1*400.
Surah preto e ds cores a 1*400.
Setins maco de todas as cores a ?00 ra.
Cortes de veBtidos de cachemiras bordados
a 15*000 e 20*000.
Cortes brancos Todos bordados a 15*000.
Cambraias bordadas e cem salpicos, finos,
a 4*000-
Cortinados de crochet de cores para ja nena
ou cama a 1*400.
Meias de seda para senhora a 3*000.
Penteadores bordados a 3*000.
Camisas bordadas para senhora a 5*000.
Vestuarios manijo para meninos a 5*000.
Capellas com veos para noivas a 6*000 c
8*000.
Setins brancos, muitos finos, a 800 rs.
Luvas de seda brancas, pretas e de co-
res a 2*000.
Meias arrendadas, brancas, para noiva a
1*500.
Novidades
Mosquiteiros com armacSo a 15*000,
Estantes para msica, para amadores, -a
5*0L0.
Oleados para mesa de qualquer tamasfco
a 4*500.
Relogios americanos espertadores a 7*006
8*000
Sabonetes finos a 500 rs.
Collarinhos e punhos decelluloide a todo a
prego.
Fitas de seda, todas as cores e todas as
larguras deadn 320 rs.
Retratos a oleo
Com lindas molduras douradas em alto re-
levo, e muito lindo para um presente a
para sala de visitas.
a 3 5SOOO e mala proco
Qualquer familia que desojar ter um lia-
do retrato bastante mandar um carSa
de visita nao importa que seja antigo,
basta dizer a cor dos cabello e cor osa
olhos para chegar um retrato desejaa.
Para ver, e fazer encommendas
Dirija se Loja das Listras Azues
61RA DUQUE DE CAXIAS-6U
PIANO
Vende-se um ptimo pa-
no, quasi novo, do autor Fe-
lippeHenriqueHerv; a tra-
tar na ra da Imperatriz o.
14, loja de camisaria.'
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, aico ia
go depois das casas novas da direita, vndente
todos os das leite puro de vaccas tourinss tas.
erra, garante-se a qualidade do leite.
Oh! senhor, como eu Ihes ficaref
grato exclamou o velho com as lagrimal
nos olhos.
Mas quanto outra crianca, a bella
vidente nada disse ?
Nada pode evocar nella a iraagem da
Henriquesinho.
Nlo desespero; viste que tem a
somnmbula ao seu disp6r, ser-lhe-ha f-
cil...
E interrompendo-se bruscamente e er-
guendo a cabeca, Lerat accrescentou i
vivac'dade:
Mas, com os diabos, ah est ata i
ravilhoso instrumento para as nossas pea-
quizas !...
NSo, senhor, nao quero, objecfem
velho aterrorisado. Branca soffreu marta
o outro da; segunda tentativa matal-a-hs.
Bom, repondeu o agente eondescco
den do. Fallar ei a este respeito com o Se
Diniz. Mas bem v, Sr. Moulin, prosi-
gui elle, que eu tinha razSo para o qaes-
tionar; |em primeiro lugar, porque fiqnei
habilitado a concl jir o que o senhor ea-
mejou por tao estranha forma, em s<^-
da, porque, nao sei o motivo, mas af~
ra se-me que a sua historia de magnetita
nao ser de todo intil. ,
Queira Deus que o senhor se naaea-
gabe!
Vamos, agora tratar de se rcsta~
belecer depressa, afm de estar pro rpf
para o que der e vier, porque tatvex em
bem poucos dias precisemos de si.
Se estiver com o Sr. Diniz, peea-%*
tenha a bondade de lhe lembrar que espe-
ro anciosamente a sua visita.
Nao me esquecerei. Adeus, menea
ro senhor.
Adeus, Sr. Lerat.
______________(Cottftnuar-se Aa)
Tvr> do Hian ra do Uusue cte u>ui n. a *
.


'
I .
I -
-"



:
i
.
SV
*

X
4*
1
\