Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16518


This item is only available as the following downloads:


Full Text

..?



/
''


>
1


Ai
PARA A CAPITAL-E LUGARES OKDE NAO SE PAGA PORTE
i
Por tres mezes adantados.
Por seis ditos dem......
Por um anno dem......
Cada numero avulso, do mesmo dia.
6,5000
12*000
23^000
,5100
Os Srs. A
de Pars, sao os
elusivos de i
nefe & C.
amjs ex-
;ios eprbqa-
e ngltfferra.
X
PARA |)ENTRO E FORA JX>
Por seis mezes a.anUdos*. .
Por nove ditos jdeo^ '.
Por um anuo idem.
' Cada numero avulso'. de das anteriores
ruls<& de
ESTADO *
. I *
13^500
200000
264000
. .5100
r

HSTRCgiO POPULAR
EITSAIO :!;II35SAr5!C0
DA
UTTE1UTURA BRA^LKIBA
sos
tSMPQS COLOHSASS
'-

(CoEtinuagJ.o)

.
Se se perderam as primeiras seraentes langa-
das por elle tetra, nem por isso o solo deixou
de tica: desbravado e preparado para a grande
callara que boje lao farta e abundante messe d
por essesvastis-tinos campos que se dilatam das
margeos do Amazonas aos do Prala.
J dissemos que Jos da Anchiela foi tambem
dado a poesa, e seus versos singelos e despre-
tenciosos, que to bem retratad a sua phyono-
mia moral, tem o valor das verjadeiras precio-
sidades areheologicas, pois sao talvez os primei-
ros que em lingua portugueza se fizeram no Bra-
zil ou que pelo menos chegaram at nos. Se as-
sim como suppotnos e acreditara aquelles que
se tem oceupado deste n chiela o fundador da poesa brazileira, embora,
presa ainda aos lagos feudaes da mai patria.
Considera vara-se perdidas as poesias e autos
do padre Jos de Anchieta quando ao Sr. Ale
xandre Jos de Mello Moraes Filho foi offerecido
na Blgica pelo Sr. Baro de Annos, miaistro do
Brazil nesse Estado e actualmente em Franja,
urna copia de multas produegoes do grande tbau-
matu-go, qu se aciiavam archivadas no Gollegio
dos Jesuitas em Roma. Na occasiao em que all
entraram as tropas libertadoras foraoi saqueados
alguns conventos, e a:hando se nesse numero o
tal collegio, cahio o precioso manuscripto em
poder de pessoa que o raostrou ao Sr. Baro de
Arinos, permitlindo-lhe extrahir aquella copia.
De volta ao Brazil nao encontrando Sr Dr.
Mello Moraes quera quizesse editar e dar a pu-
blicidade a essa copia, satisfez em parte os seos
patriticos intentos dando algu uas dessa? poe-
sias em portuguez na segunda edicto do sen
Curso de litteratura brazileira, Revista antro-
polgica, publicada por occasiao da Exposicao
anthfopolog ca,do Museu Nacional, e ltimamen-
te reproduzindo e dando novas poesias em por-
tuguez no seu primoroso Parnaso Brazileira,
obra em deus volumes, que muito honra a biblio
graphia da fragua > portugueza desta parte da
America.
E'do Parnaso Braeileiro que com a de vid a
rema do seu collector, trasladamos em seguida
a poe3a Ao Santissirao Sacramento e o auto de
Santa rsula, ao qual se refere Fernao Cardin
aa sua Narrativa epistolar, quando diz que :
representava urna procisso das onze mil vir-
jens vindas na nao que entrara pela trra dentro
toda embanleirada e msparanflo tiros em honra
do oiartyrio do padre Igmcio de Azevedo, cajos
lauvores entoavam al gamas dessas m;l vlrgeus.
As poesias de AnchieU nao sao inferiores as
dos seu 4 contemporneos que en to poetavam
em Portugal. Os autos de Gil Vicente nao sao
elbor dialogados que os seus, nem os versos
de Antonio Ferreira sao melhor metrificados,
ainda que na verdaic sejam mais conceituosos.
To scalo XVi. o seculo ureo do renas
cimento, s Caues sobreexceda a todos demais
poetas do seu lempo. Cucamos finalmente An-
chieta, atravez de tres longos seculos de olvido
e eraudecimento.
Ao'.Santiaaimo Sacramento
Oh que pao. oh que comida,
Oh que divino manjar
Se nos d >>o santo altar.
Cada da !
Filho da Virgem Maria,
^ue Deus Padre ca mandou,
E por nos na cruz passou
Crua morte,
E para que nos conforte
Se deixou no sacramento
Para dar nos cora augmento.
Sua graga.
Esta divina fogaca
E' maijar de luctadores,
Oalardao de vencedores
Extorcados.
Deleite de enamorados
Que, com o gosto deste pao,
Deixam a deleitado
Trausioria.
Saem quizer haver victoria
o falso con ten lamento,
Gosle deste sacramento
Divinal.
Este d vida immortal,
Este mata teda fume
Porque n'elle Deus e homem
Se contera.
E' fonte de todo o bem,
Da qual, quem bem se embebeda,
Nao teir, medo di queda
Do peccado.
\ Oh qae divino bocado
Que tem todos os sabores !
Vinde, pobres peccadores,
A comer,
Nem teddes de que temer
Seuao de vossos pe calos ;
Se forem bem confessados
Isso basta.
Que este manjar tudo gasta
Porqne rogo gastador
Que, com seu divino ardor,
Tudo abraza.
E' pao dos filbo. de casa,
Com que sempre se sustentan
E virtudes accre^centa.-u
De continuo.
Todo al desatino,
Se nao comer tal vianda
Con) que a alma sempre anda
Sati8feita. .
Este manjar aproveita
Para tcos arrancar,
E virtudes arranjar
as eatranhas
Suas gracas sao tamanhas
Que se nao po^em contar ;
Mas, bem se pode gostar
De quem ama.
PARTE OFFICIAL
\ l^^^^WP^fc
3 5. Pau-
minou
rido em
reo, por
son, da
m
m
Ministerio da Agricultura
K lara d< s privilegios de qae ira-
MoarlizoSd lo rfju menlo n.
h.SO de ao de Drirmbro de.ISS*
cHneedldoa ilurnaa f 1889.
M Patente n. 55i de "William Legrand Card,
dos Estados Unidos da America do Norte.
Melboramento nos apparelhos para eliminar
os metaes de suas matrizes ou gangas, re-
querido em 31 de Dezembro de 1888, de-
creto de de Janeiro de l*-89, por 15 anuos
2 Dita n. Mi-de Vctor Gueriueau e Pedro Ma-
- r;a BiOpr, do Rio de Janeiro. Apparelho
portallWe gazelicar oar ambiente para a
produ gao da luz, do calcrico, do movimen-
to e para derreter.metaes.e miueraes, reque-
rido em 19 de Janeiro de 1889, decreto de
23 de Janeiro, por lo annos.
3 Dita n. 663 de Conrado de Struve, idem.
dem para regular o gaz e sua presso, re-
querido em 8 de Jauei o, decreto de 1 de Fc-
vereiro. por 15 annos.
4 Dita p. 664 de Hcory Fobes lalien, de Jo
hannesbera (Transwal). Aperfeigoamentos
no tratameoto de rainereos aurfero e ar-
gentferos, requerido em 8 de Janeiro, de-
creto de I de Fevereiro, por lo annos.
5 Dila n. 6fi5 de Ludwig Mond e Cari Leoger,
de South Hampstead (Inglaterra). Systema
de bateras de gaz aperfeigoadas, requerido
em 7 de Janeiro, decreto de 1 de Fevereiro,
por la annos. -
6 Dita n. 663 de. Ludwig Keyling. de Berlim,
Novo processo de fabricago de caumbo e
balas, requerido em 9 de Fevereiro, decreto
de 1 Fevereiro, por 15 annos.
7 Dita n. 667 de Bernardo Euzmann, do Rio
de Janeiro. Nova disposicao para expedi-
co de telegrammas em caracteres de Mor-
se por meio de correntes voltaicas e com
emprego de um reais telepbjnico, rer/tteri
do em 30 de Janeiro, decreto de 1 de Fe ve
rairo, por 15 annos.
8 Dila n. 668 de Archibald Campbell Pontn,
de Inglaterra. Processo de fabricacao aper
Qoada de pedras, marmores e ar requerido em 8 de Janeiro, decreto de 2 de
Marco, por 15 annos.
9 Dita n. 6.9 de Frederico Sydfl
lo. Seccador de ftaf, a
Systema Prederico Sydow, re
16 de Janeiro, decreto de 2 de
15 annos.
10 Dita n. 670 de John Alexander
Escossia. AperfeiCDamentos relativos s
caixas e pesclos dos eixos das carruageos
e outros de vehculos, requerido em 18 de
Janeiro, decreto de 2 de Marco, por 15 an
nos.
11 Dita n. 671 de Jonn Henry Richardson Dius-
more, de Liverpool. Aperleicoameatos na
fabrica do gaz ex'.rahido do carvo de pe-
dra e nos apparelhos usados para esse tim,
requerido em 9 de Fevereiro, decreto de 2
de Marco, por 15 annos.
12 Dita n 672 Je Richard Repsotd, do Rio de
Janeiro. Apparelhos para seccar productos
vegeta es por meio do vapor e vacuo, reque
rido em 11 de "everelro, decreto de 2 de
Margo, por 15 annos.
<3 Dita n. 673 de Dan Rylands, de Inglaterra.
Muthodo aperfeicoado para fabricar artigos
de metal forrados de vi tro. requerido em
26 de Fevereiro, decreto de 2 de Marco, par
15 annos.
14 Dita n. 674 de LuisGonzaga de Souza Bas
tos, do Rio de Janeiro. Apparelho desin-
fectantes dos detrictos das cosinnas, reque i
rido em 30 de Janeiro, decreto de 16 de Mar-
co, por 15 annos.
15 i ita n. 675 de Julio Augusto de Cerqueira
Lima, de Urngaayana. Preparado denomi-
nado Peitoral Uruguayano, requerido
cm 19 de Janeiro, decreto de 30 de Margo,
Sor 15 anuos,
ita n. 676 de Eagene Wormes 'e Jean Bil,
de Paris. Processo para curtir conros por
tambores rotativos com applicacSo da elec
tricluade, requerido em 9 de Janeiro, decre
to de 6 de Abril, por 15 annos.
17 Dita n. 677 de James Gresbam, de Manches
ter. Ape: feicoameoto nos apparelhos de
freio de vacuo n.s caminaos de ferro ou ap
plica veis a el les, requerido em 31 de Janei-
ro, decreto de 6 Abril, por 15 annos.
18 Bita n 678 de Antonio Jos Pinto, do Rio de
Janeiro. Phosphoro cigarreira, requerido
em 16 de Fevereiro, decreto de 6 de Abril,
Sor 15 annos.
ita n. 679 de Francisco Goes Pacheco,
de Campias. Limpador de caf em coco,
requerido em 26 ue Fevereiro, decreto de 13
de Abril, por 15 annos.
20 Dita n. 680 de Osear William de Bergmann,
de Saecia. Aperfeicoamento em arma de
fogo, requerido em 9 de Margo, decreto de
13 de Abril, por 15 aonos.
21 Dita n. 681 de Jean Cuggia, de Nice. Es-
cada ascensor systema Cuggia. requerido
era 16 de Marco, decreto de 13 de Abril, por
15 annos.
22 Dita n. 682 de Alexander Parker, de Lon-
dres. Processo da extraccio aperfeicoada
de ouro e prata de seus minerios ou com
posto e em dissolventes para os mesmos
metaes, requerido em 30 de Margo, decreto
de 13 Abril, por 15 annos.
23 Dita n. 683 de Salvador Caroso, do Rio de
Janeiro. Processo para a fabricacao do pao
Napolitano > reque ido em 30 de Outu
bro (le 1888, decreto de 25 de Maio, por 15
annos.
24 Dita u 684 de Levi Franklin Smith. de Phi-
. ladelpbia. Batoques de vlvula de commu-
nicacao aperlfcijoados, requerido em 23 de
Margo de 1889, decreto de 26 de Marco, por
15 ano >s.
25 Dita o 685 de Richard Herbert Lapage.Lon
dres. Aperieigoamentoa em machinas Com
Sound para locomotivas, requpndo era 23 de
reo de 1889, decreto de S de Maio, por
15 annos
26 Dita o 686 :e Camille Augus'e 'Millet. Pa-
ris. Novo processo e apparelho pira curiir
couros e pelles, requerido em 30 de Marco
de 189 decreto de 25 de Maio, por 15 an
nos
27 Dita n. 687 Geirg' Rynaid e Albert
Rayuouti, Chi wu. Ape iKicoamenu.s "em
processo de pulverinago ou remeci de
minereos e apparelhos para esse tira, reque
ndo eiu 30 de M .reo de 1889. decreto de S
de Mai. im> i5 iQOOt.
28 D la n. 688 tn'n Pacheco e Silva, Cara
pinas Mold> dp fabricar temas, deonina
do Embocadura Telb-i^>, requerido em 1
de Aun!, der-r t> de 25 de Margo, por 15
anuo-.
29 Dila ii. 68J. Ani.iiiio Alvares Lite Pentea
do S. P.i'ui.>. N iv., ipplicaco do papel qu
iiliirtO i para a oufecgo de mappas de va
fe a< s "-iu ndo em 10 de Abril, decreto de
25 le M 'o. u r 15 unos.
30 DiU ii. 690. Hury pY-ucis Parsons, Nova
Yo k. Ap,.a''li i- api'rf iuajjs pira li^a e
aw.ubr.ii .. liv-. os de.vios e ... siguaes
-fle CHiriinh"* >ie f.-r.o, requerido 10 de Abril,
dfecieio 25de M-iio. por 15 unos
31 DTia n 91 iJr Apefieig- ueDlOS llTabilcO de sepatOi, bo
tas e to io^ o iiriigos couheciuoa
nob a de
nomraagao de calcado-:, rj \;\ riio em 15
de Abril, decreto de 25 de Maio, por 13 an-
nos.
3! Dita n. C9i. Howird, Matraves Ashicy,' W
gliterra. Machinisrao pejfeiyoado oara a
fabricago raecharrica de objecte ocos de yi-
dro laes como garrafas e- outros*raque-i-*"
em 15 de Abril, decreto Je 25 deanio, por
15anoo;. *'*^
33 Dita n.,693 Elihu Thompson, Massachusse
ts. Commutador de machina dynarao elc-
trica e meios para prevenir o jacto eleclri
co, requerido em 23 de Abril, decreto de 25
Maio, por 13 annos.
31 Dita n. 694. O mesmo. Masschussets. Ma
china dynarao elctrica com renladorea^a-
'----"-T*fti"imrnte elr^trica, reqlSeTiln1
em 2J de^riT, decreto de 25 de Maio, por
15 annos.
33 Dita n. 693. Societ de Fondation des Che-
tpins de Per glissants perfectioos, Pariz.
Systema sperfeicoado de caminho de ferro
de corrediga com propulsor hydraulico, re-
querido era 23 de Abril, decreto de 23 de
Mair, por lo annos.
36 Dita n. 696. E!ihu Thompson e E. W.lbar
Rice, M ssachussel. L'impadas de arco elec "|
trico aperfeigoadas, requerida em 30 de
Abril, decreto de 25 de Maio, por 15 annos.
37 Dita n. 697. Juraei Mactear, Londres. Pro-
cesso aperfeigoado para preparar libras, re
querido era 30 de Abril, decreto de 25 de
Maio, por 15 annos.
38 Dita n. 698. Meddleton Crawford. Nova-
York. Prensas aperfeigoadas para extraego
de liquilosou materia soluvel de materias
solidas compressivas, requerido em 3 i de
Abril, decreta de 25 de Maio, por 15 an
nos.
39 Dita n. 699. Estevo Leubecke Eugenio de
Faria Gongalves Teixeira, Rio de Janeiro
Calgamento lmpermeavel, requerido em 15
de Abril, decreto de 25 de Mato, por 15 an-
nos.
40 Dita n. 700. John E4ekeen, Re'.fe, Proces-
so de preparar pelles do. animaes para se
rem posteriormente manufacturados, reque-
rido em ll de Abril, decreto de 25 de Maio,
por 15 annos.
41 Dita n. 701. Joo K'.einer, S. JoSo de Rio-
Claro. Descascador econmico, destinado a
descascar e beneficiar o caf, rpquerido era
16 de Abril, decreto de 23 de Maio por 15
annos!
42 Dita n. 702. RudlolT Grubs & C, Berlim.
Machinas frigorferos, requerido em 8 de
Maio, decreto de 22 de Junho, por 15 an-
uas.
43 la n. 703 Charles Henri Theodore Hive
man e Albert Bewi.-k Cunin:nghan, do Io,
Londres e do 2o, Paris. Processo aperfei
goado de extraego de curo, prata e chum-
bo de substancias cootendo os mismos me
'.aes, requerilo em 16 de Maio, decreto de
22- de Junho, por 15 annos.
44 Dita n. 704 de Paul j Vieira de Souza, do Rio
de Janeiro. Novo carrinho de rao denomi
nado Auxiliar, requerid:) era 31 de Maio,
decreto de 22 de Maio, por 15 aonos.
45 Dita n. 705 de Charles Telber, de Paris. Ap-
parelho para coser, orejar e filtrar as agli is,
requerido em 16 de Maio, decreto de 22 do
Maic, por 15 amo;.
46 Dita n. 706 de Alexande,- Conceder & Owen
Llov Willi ms, de Loodres. Machinas aper
fegoadas de fabricar glo, requerido em 7
de lauto, decreto de 22 de Maio, por 15 an-
nos.
47 Dita n. 707 de Villa Georg Sorenaen, deSto-
ckholm. Fechauras aperfeicoadas, reque-
rido em 7 de Julbo, decreto de 22 de Maio,
por 15 annos.
48 tiita o. 708 de John Oldroyd & John William
Oldroyd, de Grunberg. Caldeiras de vapor
e fornalbas aperfeigoadas, requerido em 7 de
Julho, decreto de 22 de Junho, por 15 an
nos.
49 Dita n. 709 de Antonio Coelbo de Magalhaes,
do Rio de Janeiro Processo para preservar
as humidades das paredes, granitos e ma-
deiras, denominado Preservativo Maga-
lhaes. requerido em 16 de Novembro de
1888, decret de 22 de Junho. por 15 annos.
50 Dita n. 710 de Francisco Ortiz, de Nicfhe-
roy. Fogao Ortiz destinado a torrar, sec-
car ou eocerar lixo ou outra qualquer mate-
ria. Latrinas sanitarias, requerido em 6 de
Abril de 1888,decreto de 22 de Junho, por 15
annos.
51 DiU n. 711 de Luiz Manoel deOliveira Das,
do Rio de Janeiro. Latrinas sanitarias, re-
querido em 26 de Margo de 1889, decreto de
22 de Junho, por 15 aonos.
52 Dita n. 712 de Ignacio Lopes de Siqueira,
de Pedra Branca. Apparelho destinado ao
fabrico completo de farinha de mandioca e
polvilho, denominado Machina Siqueira, re
Juerido em 17 de Junho, decreto de 28 de
anno, por 15 annos.
53 Dita n. 713 oe William Legrand Carde, de
St. Louis .Estados-Unidos da America Con-
centradores seccoi e aperfeicoados para o
tratameoto de mineraes, requerido em 3 s
Abril, decreto de 28 de Janbo, por 15 an
nos.
54 D.ta n. 714 de Len Len Serpollet, de Pa
ris. Sysiema Serpollet de geradores de
vapor com vaporisacSo, requerido em 17 de
Junho, decreto de 28 de Junho, por 15 an-
nos.
55 Dita n. 715 de Correa da Silva & C, do Rio
' de Janeiro. Nova applicagao do material
rodante de estradas de ferro a engeohos de
beneficiar caf, requerido em 13 de Junho,
decreto de 18 de Junho, por 15 annos.
W Dita n. 716 de Hengy Harrison Dety. de Loo
dre3. Aperfeigoameoto no tratameoto da
rhea ou ramie e de ootras plantas Borosas,
requerido em 13 de Junho, decreto de 28 de
Junho, p.ir 15 annos.
57 Dita n. 717 de-flenry Albert Hughes, de New
Jersey. Processo aperfeigoado de prepara
gao de canna e ootras materias por diffusao.
requerido em 13 de Junho, decreto de 28 de
Junno, pT 15 annos.
58 Dita n. 7i8 .e Francisco Patricio Correa de
V roocefloa. d.v Rio de Janeiro ''arres para
o transporte de caixes vasios para eoterros,
requ* ido em 18 de Maio, decreto de 28 Ju
nho, por 16 aonos.
59 "Ma q. 719 le Mancel Monte Godioho do Rio
de Janeiro. Vinbo de Morrhuol maltinado
requerid > cu. 20 Je l)ate,il.iro .le l88, de
crelo d 9 de Julho, por 15 anoos.
60 Dita o. 7 0 de Ca los Ac;ioli de Aievedo
Bastos, do Rio de Janeiro. Novo sjatetua
de nulas de viagem denominadas MaU-
comoiplan referido em 26 de Junho de
1889 leer mo d 9 de Jatho, por 15 annos.
61 Dila n 721 rt> F nferick York Wolseley, de
Sidn'-y. Api .i- ni-s apere gnartos pira tOf
quiar cant.1 -. .va.los o uutroS animis,
n-queriil.i e j5 de Junho, decreto de*2t
JllllO, p" 13 .1 UIU-.
62 Dna ii. 722 .- Manuel J Marha*-
U, d-H'od. I.io iro. N-.voraale
para o iralegO en vas frrea^
d;ff,r.u'.us, uqaerido em 19de Juaua,
lo ue <3 J "i i* i5 n io .
63 Dita a. 723 de Mauoel D.os Ja '.'.
faulo. wa.'liioa de exirabir lo'rlj
minada Extractor Lotrico Di.
requerido ui 1 de Julho, decret.
Julho, p.ir 15 annos.
64 Dua n. 7*4 Je Euward John Halk- ilarnson
Norton, de Boaoigton. Colcnetes de
as apatadas a li'us destinadas-a segurar
e. it-uuir em mago: papis e objectos sem"
Ihanies, requerido era 23 de Junho, decreto
de 13 de Julhoi por 15 aonos.
iitfs ar725 deJflls Michael Strom Srockolm#
Michinismo napa enciicr caixinhas de phos-
phoro3, requerilo em 10 de Julho, decreto
'ije 20 de Julho, por 15 annos.
i D.:u Q. 726 ds Pedro de Oliveira Santos, do
deJaoairo. Navo sytema'de mbulan-
toanadas Ambulancias Rocha Fa-
qaerido em 26 de Margo, decreto de
j .le lup, po|J5 annos.
.: u 1.^*7 i'efcgu^j bandido Gomes, de
"o do Rio'-cWro, Mocbiua para mpar
'caf em coco, dehominada Aii.npador de
caf em coco, requerido era 6 de Abril, de-
creto de 20 de Julho, por 15 annos.
68 Dita n. 728 de C. Andressen, Jorge Eisen-
bach e Adolpbo Syddou, de S. Paulo, machi
ua para seccar cal, denominada Paulisia
, requerido em 6 de Julho, decreto de 20
de Julho, por 15 annos.
69 Dita n. "29 de Joao Demy Jnior, de Carapi
as. Apparelho destinado -o descascamento
do caf e do arroz, denominado Descasca-
dor Daray, requerido era 6 de Julho, decreto
de 20 de'J'ilho, por 15 annjs.
70 Dita n. 730 de Reiohold Handel. de Leipzig.
Novo iastrumento de msica Jenominado
Liihophone requerido em 12 de Jalao,
decreto de 20 do Julho por 15 annos.
71 Dita n. 731 de Lindolpho Jos Viera Ferraz,
de Barra Mansa. Serra de Ricorte-Hercules,
requerido em 12 de Julho, decreto de 20 de
Julho, por 15 annos.
72 Dita a. 732 do mesmo, idera. Lubrificador
econmico, reque-ido em II de Julho, de
creto de 20 de Julho, por 15 annos.
73 Dita o. 733 de Guiiherme Me Hardy, de
Campias Apartador ou catador de pedras
Me. Ardy, destinado a separar pedras do
caf, requerido ein 31 de Dez -maro de 1888,
decreto de 30 de Julio, por 15 annos.
74 Dita n. 73kj}e Bento Xavier, de Campo Lira
po. Novo processo para a conser-agao do
leite puro, requerido em 13 de Maio de 1889,
decreto de 30 de Julho. por 15 annos.
75 Dita o. 735 de Frederick Adolf Rahlen, de
Stuttgart. Systema aperfeigoada de engar-
rafar bebidas depois de ferraent idas, requs-
rido em 24 de Julho decreto ie 30' de Julho,
por 15 annos.
76 Dita n. 737 de Berohard Ludwig. ae Vienna.
Systema aperfeigoado de oroaraentagao ou
dcorago de superficies de raadeiras ou
* outras, requerido em 25 de Julhj, iecrelo
de 3 de A?osto, por 15 annos.
77 Dua n. 737 d3 Gorge Frederick Strawson,
de N'wburg. Apparelho aperfeigoado de
destribuigo de semehtes, adubos e outras
substancias solidas ou liquidas sobre a trra
requerido em 25 de Julho, decreto de 3 de
Agosto, pir 15 annos.
78 Dita n. 738 de Manoel Lopes de Mattos, do
Rio de Janeiro. Ura novo f*pU>sivo succe-
daneo da plvora e da dynamite, denomina
do Selolitro, requerido em 22 de Julhav
- f)ecreto de 3 de Agosto, por 15 annos.
79 Dita n. 739 de Jonu Hope, de Liverpool.
-Apparelbo aperfeigoado de fazer parar car
Vet bondvetc com avisador e iadicador,
Ovqfaerido m 30 de Julho, decreto d 3 de
,Agosto, por 15 annos.
80Di'.a n. 740 de Lacerda, Camargo & C, de
S. Paulo. Dito.para transportar rpido de
nominado Condu;tor Panllsta para transpor-
tar ou levantar caf e outros materiaes, re-
querido em 31 de Julho, decreto de 3 de
Agosto, por 15 annos.
81 Dita n. 741 de Angelo Tessaro, de Milo.
Machina systema tachygrapho musical des-
tinada a escrever msica, requerido em 31
de Julho, decreto (Te 3 .de Agosto, por 15
anoos. .
82 Dita n. 742 de Charles Tellier, de Pars.
Novo apparelho aperfeigoado para a produc-
go da forga motora, requerido em 1 de
Agosto, decreto de 3 de Agosto, por 15 aa
nos.
83 Dita n. 743 da Socit Anonyme des Moteara
Thermi Gardie. de Naotes. Systema aper-
feigoado de motor thermico, requerido em 1
d3 Agosto, decreto de 3 de Agosto, por 15
annos.
84 Dita n. 744 de Coll atino Marques de Souza,
do Rio de Jaoe ro. Pogohygienico, que tem
por fim tornar potaveis as aguas da chuva
ou dos rios, requerido em 7 de Maio, decre-
to de JO de Agosto, por 13 anaos.
85 Dita n. 745 de E.ihu Thomson, de Massa-
chussete. Systema aperfeigoado de soldar
por meio da electncidade, requerido em 2
de Agosto, decreto de 10 de Agosto, por 15
annos.
86 Dila n. 746 de Clemente Augusto da Assum
pgao e Emilio Silvestre Dias, de Lisboa.
Aperfeigoamentos no fabrico do gaz e coke,
requerido em 8 de Agosto, decreto de 10 de
Agosto, por 15 annos.
87 Dita o. 747 de Elidu Thomson, de Mis3a-
chussets. Machina elctrica directa de sol
dar, forjar e tratar 03 metaes pela electrici-
dade, requerido em 6 de Agosto, decreto de
10 de Agosto, por 15 anuos.
88 Dita n. 748 de Paal Villon, do Rio de Janei-
ro. Novo systema de testamento mechanico
das mandiocas e em geral das plantas fecu
lentas am de extrahir as fculas que ellas
contera requerido no Io de Julho, decreto de
10 de Julho. por 15 annos.
89 Dita n 749 de Luiz Jacome de Abren e Sou
a. di Rio de'Jau-iro. Apparelho denomi-
nado Sarcophago Inexhalante que adaptado
os carros fnebres tem por fim impedir as
''exhalages que se desprendem dos cavado
res, requerido em 14 de Junho, decreto de
10 de Agosto, por 15 annos.
Dita n. 700 de Theophilo Alvares de Sonza
Coutmho, da Victoria, Espirito Santo. Novo
apparelhopuotor com emprego do ar com-
primido e a que denominou Impulsor Tiieo-
philo Loutinho, requerido em 15 de Janho,
decreto de 10 de Agosto, por 15 aonos.
91 Dita o 751 de Jean Baptista Germenil Bon-
neaud, de Londres. Aperfeigoamentos na
prulucgo de pituras e desenos sobre
porceilana, loug e vidro requerido em 12
de Agosto, decreto de 31 Agesto, por i5
aun is
Si o u n "5! de Alberto Sidbottom, de Bae-
u,.-.iy. ... Sy,uKJiJ de caminaos de ferro
d:- .-.fusago para divertimeoto, requerido
eu II de argo, decreto de 31 de Agosto,
p c 15 anoos.
93 D ta a- 763 J3 Ethu TY-ms m, de Massa
cnusse-. Processo apeifegoado de lavrar
estampas, cravar e tratar de outro modo o
metal por meio da electricidad, requerido
era 19 I" Msto. d-creto d 31 de Agosto,
ou* 13 j nijj. a
94 Dita o. 754 de John R-i i. do Rio de JaneY-
rt i.,.!.) l'agua autora i i, requer-
m 19 le Agosto, decreto de 31 de Agos-
g- 5 l'l <-
. 755 de E iliu T lOioson. de Massa
ts. Novos pro.-ei.-os pa'a soldar me-
_rm>i. I. .-le-nric d.ile e app irelho
issl .n, req-iend. era 23 de A,'03to.
di 31 de Agosto, por 13 .nno-..
| 756 de Effisio CoI' al', ie S. Paulo,
para anuuocio*. requerido em ti de
decreto de 31 de Agosto, p)rl5
learre.
rido'em 27 da" Jplho,-
requ
Or
ue
de
90
97 Dita n. 757 de Dcwaldestin a C.,. de
Novo apparelho pniveri3ador, rfi
decreto de
Agosto, por 13 anaos.
l Dita o. 758 de Virgilio do Valle ViaflM^de
Larangeiras. Vinlio Espeptigj de Genipi
po, requerido em i7 da NoveJ^bro d^ 1838)
decjeto de34 de Agosto, ubr lo annos.*
99 Dita n. 739 dH Paul GiflVd, de fans. Nofrd
sys.heraa geraj^de balistiea d^ gaz lique-
facto requerida^uj 29 de A ;osto do 1889,
decreto de*6 de'^jjjtembro, por 15 annos.
100 Dita n.'700 de Jranymo Lopes de Castro e
^ouza, de.Mogyrainm.' Separador peneira
de duplo lira destina Jo a separar ca em
cereja, do se'co, psrs. pedn'i e matswarsos
xtranhos e separar caf beneficiado,Reque-
rido em 30 de Agosto, decreto de 6 de Se-
tembro. por 15 annos.
101 Dita n. 761 de John Momad Brosios, de
Atlanta Aperfeicoamento em machinas de
Costura, requerido era 30 de Agosto, decre
to de 6 de Seterabro, por 15 annos.
102 Dita n. 762 Antonio Luiz Lhevrand, de Can
tagallo. Corapressor Chevrand destinado
s caixas de phosphoros de seguranga, re
querido em 10 de Setembro. decreto de 14
de Setembro, por 15 anaos.
103 D.ta n. 761 de Maria Joanna Gomes da Cos-
ta, de Nyctheroy. Xarope de Veame com-
posto para a cura de etysipela ou lymphati-
t?, requerido era 25 de Junho, decreto de 14
de Setembro. por 15 aobos.
104 Dita n. 764 de Collatino tarque3 de Souza,
do Rio de J.n.'iro. Puriticador d'agua, re-
quer io em 12 de Setembro, decreto de 28
de Setembro, por 15 annos.
105 Dita n. 765 de Morris N. Kohn, dem Sys
thema de telephouia interna, porttil evo-
lante applicavel a todos os lins, requerido
em 3 de Agosto, decreto de 28 de Setembro,
por 15 annos.
106 Dita n. 766 ie Gustavo Prosper Cordemans,
idem. Novo appaelho destinado produ
cgo do gaz fabricado com essencias miue-
raes, requerido em 20 de Seterabro, de-reto
de 28 de Seterabro, por 15 anno3.
707 Dita n 767 de Santos Moura Comp, dem.
Carro de rno para conduzir cargas, deno
minado Carro Industrial, requerido em 30
de Agosto, decreto de 5 de Outubro, por 15
annos.
108 D.ta o. 768, de Luwig Glaser, de Berlim.
Cartuxo de p"gas de arlilh.ria para mano
bras -3, requerido em 27 de Se'.embro de-
creto de 5 de Outubro. por 15 annos.
109 Dita n. 769, de Joao Martiiis. do Rio de Ja-
neiro. Novo systema de fabricago de es-
leirs de palha, continuas sem emendas nem
costuras, requendo era 30 de ^etembro, do-
creto de 5 de Outubro. por 15 annos.
110 Dita n. 770 de B'lisano Marinovetchts Geza
Szarvady, de Paris. Systhema de aoiigoes
telephooicas por meio de um apparelho de
recepgo automtico, chamado Theatro-
phone, requerido em 30 de Setembro, de-
creto de 5 de Outubro, por 15 annos.
1 Dita n. 771 de Francisco Jos Ferreira de
Rezende, do Rio de Janeiro. Processo de
fabricar vernizes pora pintura e decoragoes,
com resina Jatehy, requerido era 1 de Outu
bro, decre'a de 5 de Outubro, poJ 15 annos.
2 Dita n. 772 de Francisco Comas de Buenos
Aves. Machina para fazer cigarros deno
minada Bousaek, requerido em 2 de Ou-
tubro, decreto de 12 de Outubro, por 15
annos.
113 Dita n. 773 de Thomson Hauston Iaterna-
tionai Electric Company, de Boston. Me
Ihoramento em escova de commutador ou
contacto de carvo para aso em geradores
e motores dynamo elctricos, requerido em
13 de Julho, decreto de 12 de Outubro, por
15 annos.
114 Dita n. 774 de Antonio Innocencio Augusto
da Cruz, do Rio de Janeiro. Processo para
a fabricago de agurdente extrahida da
fructa denominada Mamo, requerido
em 30 de Julho, decreto de 12 de Outubro,
por 15 annos.
115 Dita a. 775 de Guelfo Poltromire e Giove
nale Barbagelate, de Buenos-Ayres. Appa
relho Palveri8ador, requerido em 2 de Outu-
bro, decreto de 12 de Outubro, po-15 annos.
116 Dita n. 776 de Charles Langdotf Davies, de
Londres. Novo methodo de gerago 'hy
thiraica de correales elctricas com espe
cial applicagao acustna elctrica, requerido
em 7 de Ouiubro, decreto Je 12 de Outubro,
por 15 annos.
117 Dita n. 777 de Camille Dupeyrat, do Rio de
Janeiro. Gollete aperfeigoado, requerido em
2 de Outubro, decreto de 12 de Outubro, por
15 annos.
118 Dita n. 778 de Frederico Schmidt de Porto
Alegre. Machinismo destinado ao fabrico
do acido carbonizo liquido, requerido em 2t
de Outubro, decreto de 12 de Outubro, po'
15 annos
119 DiU a 779 de George Joseph Capewell, de
Cheshire. Machinas aperfeigoadas pa a fa-
bricar prgos, requerido em 11 de Outubro,
decreto de 12 de Outubro, por 15 annos.
110 Dita n. 780 de Henry Carrod, de South-
Croydon. Apparelhos aperfeigoados para
purificar a agua, requerido em H de Outu
bro, decreto de 12 de Outubro, por 15 annos.
121 Dita n. 781 de James Holms Poliock, de
Glasgous. Processo aperfeigoado oe ex'-
trahir ouro de seus minerios e apparelho
para esse fim, requerido em ll ie Outubro,
decre.o de 12 de Outubro, por 11 annos.
122 Dita n. 782 de Pedro Antonio Santangelo, de
S. Joao do Rio Claro. Machina para venti-
lar caf descascad j denominado Sem du-
plo ventilador Santangelo. requerido em 11
de Outubro, decreto de 12 de Outubro, por
15 annos. .
123 Dita n. 783 de Dr. Carlo3 Teixeira e S.
Lemwig Fog, do Rio de Janeiro. Processo
para extraego da cellulose dos .vegetaes.
requerido em 18 de Outubro de 1888. de-
creto de 2 de Novembro, por 15 annos.
124 Dila n. 784 de Friedariek George Wrackler,
de Iscbopau. Machinas aperfeigoadas para
penetrar fariuha, requerido, em 24 de Outu-
bro de 1889, decreto de 2 de Novembro, por
15 annos.
125 Dita n. 785 de Antonio de Souza Moraes, do
Ro de Janeiro. Corneta a Rio Apa, reque
rido em 11 de Outubro de 1839, decreto de
2 de Novembro, por 15 anoos.
126 Dita u. 786 de Alfredo Fernandes de Castro
Bravo, do Rio de Janeiro. Cognac de ,Alca
tro, requerido em 5 de Setembro, decreto
de 9 de Novembro, por 15 anaos.
127 DiU o. 787 de Jean Cateysson e Charles
Henry'-ethuin, do Rio de Janeiro. Placas
para grudar cartazes annur,cios, requerido
era 30 de Outubro, decreto de 9 de Novera
bro, por 15 anno*.
128 DiU a. 783 de Ledgerwood Monufacturing
Company, limited, de Nova York. Chapa
invenciv'el Lidgerwood destinado ao des
cascador do caf requerido em 23 de Outu
bro, decreto de 9 de Novembro, por io ao
Ii9 DiU n 789 le Luiz Evaristo da CosU Ca
br,.i, do Rio de J,.neiro. Novo systema de
latas para accondicionard.cesou gneros
anlogos, reque ido em 30 de Outubro, de
creto de 9 de-Novembro, por 15 anaos.
130 DiU n. 790 de Jales Foyallet/de Pariz. Nova
machioa para fabricar cigarros, chamados-
-*
la
*
Havnezes, requerido em 30 de Outubro,
decreto de 9 de Novembro, por 15 annos.
Dita n. 791 de Samuel Bevn, de Jundiahy
Machn i para beneficiar caf e arroz, reque-
rido era 24 de Julbo, decreto de 9 de No-
vembro^por 15 annos.
132 Dita n./92 d Amando* e Araujn Cintra
Vidal de Iohakja. Apparelho mecnico
Amando para uso das escolasae^coHegios.
requerido era 5 de No.vembro,-Jecrefo de
de Novembro. por 15 arlaos. *
133 Dita n. 793 de Pedro Teixeira GVilnho.de
Nictheroy. Xarope anti.aDj|lico q>Bjinado
ao tratameoto da asihioa, requerido .em^7
de Malo, dfercto de 9 de Novembro, porlS
ancos. .
134 Dita n. 794 d^ MJqoel Dias Cumpos, do Rio
de. Janeiro. Nova goiabada denominada
' Goiabada Cacao e Baumlba, requerido
em 2 de Novembro, decreto de 21 de De-
zembro. por 15 annos.
135 Dita n. 793 de Augusto Mario Coral, do Rio
de Jineiro. Novo forraicida e sua applica-
gao sera auxilio da agua, denominado For-
micida Progresso dos Lavradores, reque-
rido era 26 de Novembro, decreto de 21 de
Dezembro, por 15 annos.
136 Dila u. 796 de Len Seneaux. Apparelho
motor hydraulico aperfeigoado, requerido
em 13 de Novembro, decreto de 21 de De
sembr, por 15 annos.
137 Dila n. 797 de Thomson Hauston Internacio-
nal Electric Company, de Boston. Viacgo
elctrica, requerido em 21 de Novembro,
decreto de 21 de Dezembro, por 15 annos.
138 DiU n. 798 de Correa da Silva & C, do Rio
de Janeiro. Terreiros movis para seccar
caf, requerido em 13 de Novembro, decreto
de 21 de Dezembro, por 15 annos.
139 Dita n. 799 de Hirriet Ruth Tracy, de Nova-
York. Machinas aperfeigoadas de C03er, re-
querido em 23 de Novembro, decreto de 21
de Dezembro, por 15 annos.
140 DIU n. >>00 de Henry Hutchin.-on, de Lon-
dres. Tratameoto aperfeigoado de minerios
refractarios de ouro e prata e apparelho
para ete fim, requerido era 23 de Novem-
bro, decreto de 21 de Dezembro: por 15 an-
nos.
141 Dita n. 801 Jp Wilhara Anderson, de Lon-
dres. Apparelhos aperfeigoados para puri-
ficar a agua, requerido em 26 do Novembro,
decreto d 21 de Dezembro, por 15 ^annos.
142 Dita n. 802 de < arlos Trattini, de Genova.
Bia ou flu tuedor encuendo se automtica-
mente denominado FluctuadoriUliano, re
querido em 10 de Dezembro, decreto de 21
de D. zembro, por 15 annos.
143 Dita n. 803 de lose jh Sacco, de Pariz. Ap-
parelho posto em movimento por una moe-
da para phoographar automticamente e en-
tregar as photographias, requerido em 10 de
Dezembro, decreto de 21 de Dezembro, por
15 annos.
144 Dita n. 80i de Thomtz Gregory, de South
port. Apparelho de tiscalisago da loUgo
de traarwau e diligencias, requerido em 3i
,de Novemoro/decreto de 21 de Dezembro,
por 15 annos.
143 Dita n. 805 de Emilio Zeyraer, de Ctmpos.
Forno de elTeito continuo e cargas movis,
denominado Systema Jayme, requerido em
7 da (tegMMy decret de 21 de Dezembro,
por 15 annos.
146 Dita n. 806 de Edward Streardwon e Charles
Barker, de Hall. Processo e apparelho para
limpar carogos de algod... requerido em 10
de Dezembro, decreto de 21 de Dezembro,
por 15 annos.
147 Dita n. 807 de Kenti Hersey Carper, de Sa-
lem. Conductores mchameos de facas ou
fagulhas das locomotivas, requerido em 18
de Dezembro, decreto de 21 de Dezembro,
por 15 annos.
148 Dila n. 808 de Lever Brothers, de Port Sua-
light. Processo de fabricago de tetrachlo-
rureto de carbono, requerido em 18 de Dej
zembro, decreto de 21 de Dezembr, por 15
annos.
149 Dita o. 809 dos mesmos. dem aperfeigoado
de extraego de azeite. oleo ou graxa, reque-
rido em 18 de Dezembro, decreto de 21 de
Dezembro, por 15 annos.
150 Dita n. 810, de Luiz Francisco Kuffre. de
Vaiparaizo. Machina para desfiar e benefi-
< ciar a planta denominada Kamie. requerida
en 29 de Outubro, decreto de 24 de Dezem-
bro, por 15 annos.
151 Dita n. 811 de Martin Henri Rumpf, de Paris.
DiU de coser e bordar, requerido em 5 de
Dosembro, decreto de 21 de Dezembro, por
15 annos.
152 Dita n. 812 de Heinrlch Ostermann e Aref-
prip, de Geoebra. Nova liga metailica anti-
magnetica, requerido em 18 de Dembro,
decreto de 24 de Dezembro, por 15 annos.
153 DiU n. 813 de Charles Frederick Hime e
John Hrary Noad, de Londres. Processo
para preservar e tornar impermeaveis os te-
cidos e outias substancias, rejuerido em 26
de Dezembro, decreto de 26 de Dezembro,
por 15 annos.
154 DiU n. 814 d,; Bernardino Alves da Silva, do
Rio de Janeiro. Novo passador de marme-
los. goiabas e tomates, requerilo em 27 de
Dezembro. decreto de 27 de Dezembro, por
15 annos.
155 Dita n. 815 de Samuel Bevn, de Jundiahy.
Ma:hina destinada a seccar caf e outros
graos, denominada Seccador Bevo Melho-
rado, requerido.em 26 de D-'zembro.
2* secgo da Direetoria do Commercia da Se-
cretaria de Estado dos Negocios-da Agricultura,
Coramercio e Obras Publicas, 28 de J metro de
1890 O chefe. Thomaz Wallace da 'Gama Co-
carme.
Govcrno do Estado de Peraam-
buco
KXPEDIEXTB DO DIA. 1 i DE FEVSREIBO DE 1890
Officios :
Ao inspector da Thesourana de Panuda.
Autoriso o levailamenio daquan'ia 2: 00*
por coota da que acha se depositada no LoaJoa
and Brasilia-i Bmk. coifor.ae soIiciUs eraoffi-
cio a 133 le houteiu datado, para occorrer s
despzas co n as obras do edifici i destinado
Facuidade de D> eito e venc, .eutos do eage-
uheiro encarregado do respectivo sei-vico.
Ao mesmo. Communico-vos que o juiz
de dtreitj da comuca de Panellas, no Io da do
corrate raez, int-rrompeu o exerc.icio de seu
cargo, atim de entrar no goso da lieenca que l-
timamente me conced para tratar de sua
sade.
Na mesma data foi ubstnuido pe... juiz an-
nicipal. bacharel Jos Paulino oavalcania de Al-
buquerque. .
Ao mesmo.-Com a mformagno jiola por
copia, de 11 do correnta, sol h. 13 do Jictor
das obras militare trausraitto-vos pan os de-
vidos fin.-, as in lusas notas do gaz con n nido
jurante o mez de Janeiro nado, ora a ilura ua-
go da enfermar': uvUtar, do quirte i do des-
tacamento no 10 r.-gi.nenio de cavaliana, > dos
batalhOes 2 e 14 de infaauru.C immunicou-
se ao SDcreUno d i eommando das m .s.
Ao ins^e ti.- do Thesouro do E-'a io. De
accordo-com a vossa iaforra.igo .- 8 ao cor-
rele, sob a. 105 au o iso vos a raandirdes pa-
gar a quantia de 76*00), proveniente de quatra
entrramenos de pragas do corpo de poluta,
durante o anno prximo passado, conforme a

\-
'. "
i- -,
-



-
i* '
. :-*

'-i



:


-
*v


-
t

conta junta.Communicou se ao commsndte
_ A o inspector do Arsenal de Marioha.De-
clarando o Ministano da Marraba, em aviso n.
382 do 1 do correte ter sido, na mesan dala,
nomeado o 1. teaeute Silvio. Pellico Belcblor,
para exercer inteU*meole o cargo de ajudaote
dessa inspecgao, assim vos communico para
vosso coobecimeoto e devidos nns Commuoi-
Gou-se ao inspector da Tbesouwia de Fazeodt-
Ao engenheiro encanrgado das obras mi
litares.Approvando o quadro comparativo das
proposta3 para forn-cimenio de materiafes as
obras militares deste Estado, apresentadas pelos
cidadfcos Maooel da Suva Pana e Antonio de
Souza Olreira. ao qual acorapaohou o oIIico
dessa directora, de 31 de Janeiio ultimo, sol
n. 406, autoriso vos a contraclar, de accordo
eom a praxe establecida e segundo as odica-
coes da casa de observages do refendo quadro.
o fornecimento dos ditos materiaes cora aquelles
ao inspec'.or da
^regiooaes se devem reciprocamente mituo afi-
lio e coadjuvago
Para a stricta observan*}* do que aqui se acha,
estatuido e do mais que con vea ha adoptar sobre
o ai^uapto, licam revqgadoa os srR 38 a 52 do
regrramento de 8 de' Sovembro de 1873 e qu*es-
quer outras dispaiicOes em contrario. #
0 marechal gobernador do BSiado resol ve
nomear o Dr. Jmb AQtoaio de Pinhf B5rges para
Diario de PemambucoSabbado de 1 Marco de I
S90
- o fornecimento
{roponentes. -Communicou se
besouraria de Fazenda
Ao inspector geral da instruccao publica.
Coovm que providenciis para que pela eom-
Bistao nemeada em ai de Dezembro lindo, seja
examinado em lingua portugueza e anmethme-
ttca at a Iheoria das proporges inclusive, o ci
dado Joo Presciliano da Costa, pretendente a
officios de justica.
Ao inspector especial de trras e colooisa-
cao O cidado min.stro da agricultura, cora
mercio e obras publicas, communicou me em
aviso do Io do coVeote, haver nomeado o cida-
do Antonio Gracindo de Gusmo Lobo para o
cargo de secretario dessa inspectora, perceben-
do a gr&titicaeo annual de 3:000f.
O que vos declaro^ pira que deis inmediata
mente posse ao nomcudo, em cumpnmento do
mesmo aviso.^-CoramunicuU-se Thesouraria
de Fazenda. ,
Portaras: -
O Sr. superintendente da estrada de Ierro
do Recife a S. Francisco d plageos, de ida e
Tolta, por conta do Estado, da estago daEscada
i de Cinco Ponas, duas pragas de polica, pro-
videnciando quanto ao transporte de duas lou-
cas qne ellas coaduzem para a capital.
dem idera da estago de Lineo Pon-as a de
goa o cabo de esquartra do carpo de polica,
Pedro de Alcntara MunizSobrinbo, que destaca
para odislricto de Quipap.
Mutatismutandis aoencarrega-'o da estago
de Paireares para mandar transportar at Qui-
pap.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officiaes: .
Ao inspector do Theuro 10 Estado
marechal governador do Estado manda commu
nicar-vos que no requorirnenlo de Maia e Silva
& C, a que vos referisics em officio de 8 do
crrente, sob n. 110, proferio hoje o eguinte
despacho : ......
Nao procede a reclamujao, a vista"da rator-
macao do Thesouro.
Ao mesmo.-0 nnrerhal governador do
Estado manda commuuicar-vosque rica nteira
do do assumpro do vosso oflicio de 11 do fr-
rente, cb n. 111.
Ao mesmo.O marechal governador do
Estarlo manda communicar vos que em vosso
officio de 8 do correte, sob n. 108, tobre recur
so de pagamento de imposto na collectoria de
Salgueiro. lavrou boje o seguinte despacho :
.. Remettido ao r. chefe de polica para pro
videnciar. ,
Ao coramandante do corpo de polica.O
mareclial governador do Estado manda commu
nicar-vos que hoje proferio o seguinte despacho
m vosso cilicio de 20 de Janeiro ultimo, 60b n.
318, a respeito de; juda de rusto ao alferes de3se
lorpo. Francisco dos l'assos Baptista :
Remettido ao inspector do Thesouro do Es-
tado para attender, de accordo com sua infor
macao de 8 deste mez, sob n. 104.
__ Ao engenheiro liscal da estrada de ferro do
Recife ao Caxuna.De ordem do marechal go-
vernador do Estado remeto-vos 94 passes gra-
tuitos, dos forne::idos pela companhia dessa es
trada de ferro, para igual numero de passng-a-
dadas pelo Dr. chefe de polica no mez de Ja-
leiro ultimo, a servigo publico.
EXPEDIENTE DO DA DB FEVEREIBO DE 1830
O marechal governado- do Estado; attendendo
ao que representou o Dr. chefe de polica em
officio de 30 de Janeiro lindo, sob n 190;
Considerando que de inconteslavel conve-
niencia distribuir a orga policial de modo a se
rera attendidas as exigencias do servigo;
Considerando qae onvem fazer cessar as
ontinuadas reclamaces das autoridades e evi-
tar as constantes reinocOes de pravas, com gr-
vame para os cofres pblicos :
Resolve dividir o Estado em oilo reges, dis
triuindo por ellas o numero de pragas fixado
10 quadro em seguida transcripto:
1. regio
nesfa data officiou ao ministro da marioha no
sentido de habilitar a. Ttwsoufaria de Fazenda
com oteredito preciso ua i*BW[*inela de 134840
para pagamento integra/) dos vencimentos do se
oretario C^ssa capitana relatWos ao mez de Ja-
neiro uttiffio de que trataes em officio de 4 do
correntE*. 12. *
- Aev^igenbeiro fiscal da estrala de ferio do
wmmm
documentos que acoapaoharam o vosso officio
aVlO do correte sob n. 8
Ao cidadao lo Tepomoceno Baptista.De
oruem lo marechal governador do Estado acuso
o ycebidftnto do officio de 13 de Janeiro ultimo
cliegado hontem, no qual communiuaes que nessa
data assamistes o exercicio do cargo de director
geral dos telegraphos, para o qual fostes nomeado
por decreto de 11 do corrate mez.
Pragas
Recife 242
2.* regio
Olinda 13
Jaboalao 15
S- Luurengo l.i
Iguarass 12
01
3. regiao
Goyanna 28
Nazaretb SO
Limoeiro M
Pao d' Iho i
Timbaba ii
ltamb 10
Bom Jardim 1(1
Taqu.relinga 11
(jloria de Goita 8
120
4.* regio
Caruar 30
Brejo i'<
S. Bento 15
Victoria 15
Bezerros 10
Grvala 10
100
5.* regio
Escuda 30
Cabo 20
Rio Formoso 20
Palmares 20
Agua Preta i;;
Barre i ros 10
Bonito 10
Panellas 10
135
C." reaiao
Timbres 33
Buiquev 20
Garanhuns 20
Bom Cousellio 13
Aguas-Bellas 12
100
7." regia
lo^azeira 25
Villa-:;ella a
Flores 18
Triumpho 12
Floresta 12
Tacara l 10
100
8.* regio
Salgueiro 27
Granito 21
Ourkury 16
Boa-Visia 3
Cabrob 12
Petrolina 11
100
serviroo lugar de presidente do Couselho de la-; ido Estado deu hojej^ copveniedfc deslfnoaos
tendencia Municipal de Jaboato, em tubstituigo
do cidado Francisco Antonio de Souza Leo.
que nao acceitou aquella iacumiencia. -Commu
nicou-se ao nomeado.
6 marechal governado do Estado resolve
considerar sem ctTito a portara de 7 do corren-
te mez.ua parte relativa* nomeago dos membros
do Coaselho de inteadencia de Bom Jardim, o
qual Picar composto dos seguales cidadSos ;
Dr. lostiqo da Motta Silveira, servindo de pres!-
dete, teoente'coronel Maaoel de Farias Maciel e
Jos Rosa Lima de Agaiar.Remetteu-se copia
ao presidente da intendencia Mjoicipal de Bom
Janim.
Offiaos :
Ao Dr. chefe d$ porcia.Recommendo vos
que dei3 as providencias uecessarias no sentido
de se/ a collectoria de Jatob de Tacarat auxi-
liada 'pelas autoridades policiaes no intuito da
cobrjnga dos iroposlos de qoe trata o inspector
do Tnesouro do Estado no officio. junto por co
pia>tlM do corrate n. 6o. -Communicou se ai
inspector do.Tr^soaro do Estado.
Aocnsul de Portugal. Respondendo ao
olr'io do Sr. cnsul de Portugal, de 4 do correo
te, sobre isengo dos impostos na Alfandega ea
favor dos artigo* remettidos pelo goveroo portu-
guez ao commandante da corveta Hartlioiomeu
Dios, de que t-ata o dito officio, tlnho a dizer ao
mesmo Sr. cnsul que, segundo as informagOes
prestadas pela Thesburarta de Fazenda e pelo
Thessuro do Estado, os mencionados artigos go
sam direferidavisengio''
Reo&o ao Sr. cnsul meus protestos de estima
e considerago.Communicou-se aos inspectores
da Tnesouraria de Fazenda e do Thesoaro do
Estado.
Ao inspector da Tnesouraria de Fazenda.
Autoriso vos a maular indemnisar a F. P. Bou
litreau ou a sua ordem nos termos da vossa in.
formagflo sob n. 30 de 12 do coViente, a quantia
de 3938importan ia dos objectos de expe
diente por elle fornecidos a inspectora de trras
e lolonisago em 31 de Janeiro pretrito coofor
me a coata inclusa.Communicou-se ao iuspector
espe ial de trras e colonisago.
Ao mesmo.Attendendo ao que requere
ram os operarios do Arsenal de Guerra, recora-
meado vo3 que seja pago o salario dos mesmos
operarios dos dias 16 e 27 de Janeiro ultimo, os
quaes foram feriados.
Ao mestnc.Declaro-vos para os devidos
tins, que o Ministerio do Interior communicou-
me por aviso de 31 de Janeiro ultimo, n. 588,
flear approvado pela verbaCulto Publicodo
exercicio de 1889, o crdito de 2005 aberto so
bre respjnsabilidade d'este goveruo, alin de ef
fectuar-se o pagamento de congruas do vigario
da freguezia da Varzea, padre Marcelino Vieira
da Silva S, nos mezes de Agosto a Novembro
do anno prximo passado.
Ao m*3mo -Reraelto-vos copia do avi?o
expedido pelo Ministerio da Mariuha em 3 do
correte, sob n. 295, com referencia a crditos
Ao mesmo. O Ministerio da Mirioha em
aviso circular de 4 do correte, sob n. 320, re
commenda que as futuras coocurreucias sejam
as propostas escripias substituidas por propostas
impressas, visto tornar assim mais fcil a apre
cia'^o das coacurreocias.
que vos communico para vosso coubeci-
mento.
Igual ao inspector do Arsenal de Marinba_e
ao coramandante da escola de apreadizes mari
nheiros.
Ao director do Arsnal de Marioha. -Devol
vendo o incluso requerimento e mais papis de
Cesara Macieira de Oliveira, autoriso vos a mun
dar aimiitir na companhia de aprendizes artili
ees desse arsenal, quando houver vagas, os me
uores Joo e Miguel, lilhos da suiplicante, urna
vez que se achaui elles as coudigOes do r- gu
lmenlo de 19 de Outubro de i872, segundo
consta de vossa iaformago a. 105 de 13 do cor
rente.
Ao mesmo. R>stituo o incluso requeri-
mento e mais papis de Mara Joaquina dos Reis
autorisando vos a mandar incluir na companhia
de aprendices artfices d'esse arsenal, quando
houver vaga, o menor Henrique, filho >
cante, urna vez q e se acha elle as condigOes d,
regulamento de 19 de Ouiubro de 1872 segundo
consta de vossa iaformago de hoje. sob o. 106.
Ao iosDector do Arsenal de ari"ha.De
confornJdade co n a autorisagao do Ministerio
da Marinha. contida em aviso n. 319 de 4 do cor
rente, recomneodo-vos que de accordo coma
iiformago prestada pela Contadura da Marinba,
no officio junto por copia, mandis lavrar con
tractos para os di ersos foroecimentos aos esta
beleciraentos de marinha e navios da armada
aqui fondeados, durante o actunl exercicio.
Communicou se ao inspector da Tnesouraria de
Fazenda.
Ao mesmo.Informai sobre a inclusa peti
gao que ao Ministerio da Marinha dirigem di
versos proprietarios e mestres de barcagas e
canoas, esideales oa coruirca de Iguarass.
Ao Dr. juiz de direito do 2." districte cri
mioal da comarca do Recife.Transmiti vos
para o vosso coobecimeoto e lios convenientes,
copia do aviso do Ministerio dos Negocios da
justiga de 31 de Janeiro lindo, do qual se veri-
fica que foi aulorisada a remessa do reo Mal-
verti Valmirc, condemnado na capital do Estado
de S. Paulo a um anno de gales, para o presidio
de Fernando de Noronha.
Igual ao Dr. chefe de policia.
Portaras:
O Sr gerente da Companhia Pernambucana
do passagem de proa at ao Estado da Babia por
coata das gratuitas a que o governo tem direilo,
na 2.* viagem deste mez para os portos do sul a
Jo.- Gongalves dos Sanios.
Jos Francisco de Paula.Volte ao Dr. con
tador.
Portara de licenga le Luiz Ganzaga de Me-
zes Jnnior Ao Dr. coa'.ador para os devidos
TIus.
lieoliado Damasceao Rodrigues CeHio.Pa-
gfe se.
Medeiros & C.-Iem.
Recife a S. Francisco. O marechal governador 'os Cvsneiro de Albuquerque Mello, oflriodo
DESPACHOS DA SECRETARIA DO GOVEKNO
DO ESTADO DE PERNAMBOCO, 27 DE FE
VEREIRODE 189U
Abaixo assigaados empregado3 do extincto
Consulado Provincial. Sellem e voltem, que-
rendo.
Amalia Durvalina de Barros Marinho.Sim,
com ordenado, na forma da lei.
Antonio dos Santos Medeiros de Aguiar. -Selle
e volte, quereodo.
Adolpbo Machado de Moura.Informe o inff7"
pector da Thesouraria de Fuz^nda.
Brasiliana da Cunta ".avalcaot; de Alboquer
que. -Informe o cidado inspector especial de
trras e colonisago.
CompauhiadTrilhos Urbanos do Re;ife
Caxang,A' loterfaencia Municipal do Recif
para o tira requerido. ^^j
Francisco Barges das Cb^as.Sim, paga*
o porte na repartica dos correios W^
Francisco Alves & C. -Defndo com oCJ-o
de hoje Thesouraria de Fazeada.
Fe ix Gomes Fe.-reira.Ao Dr. chefe de poli
cia pira informar.
Hermelindo de Almeida AlcoforadoP.eraet
ti lo ao Dr. secretario da extiucta Assemba Pro
vincial para entregar rendimento*, se houver.
Innocencio Mendes Lopes de Mendonca.In
forue o iaspector geral da iastrucgo pu lica.
Bacharel Jos Moreira de Pinh .= \o inspector
da Thesouraria de Fazenda para informar.
Cooeo Juo Jos da Costa Ribeiro.Deferido
con officio de hoje Tnesouraria de Fazenda.
Padre Jos Lilao da Costa Machado. efe
rido com officio de hoje Thesouraria de Fa-
zenda.
Padre Joo Olympio de Souza Lyra. Defer
com officio de ho|e Thesouraria de Fazenda.
Jos Braz da Silva.-Sim, com recibo.
Luiz Cordeiro de Beoevides.Informe a Ia-
tendencia Muni-ipal do Recife.
Manoel Jo^ M.rins.=Remettido junta rae
dica, a juera o peticionario se apresentar para
ser inspeccionado.
Capito Manoel Eloy Mendes.Remettido ao
inspector da Thesouraria de Fazenda para atten-
der, de accordo com sua informrgo de 25 deste
mez, sob n. 171.
!'adreMinoel Zacaras de Souza Lyra.De
ferido com officio de hoje Tnesouraria de Fa
zenda.
Paire Manoel Ferreira da Rocha.Deferido
com officio de hoje rbeiouraria d i Fazenda.
Padre Pedro Pacifico de Barros Bezerra.De-
ferido com officio de hoje Thesouraria de Fa-
zenda.
Vicente Ferreira de Araujo.Remetl.do ao
director da extincta Assembla Provincial para
attender, se houver.
Pernambuco, 28 de Fevereiro de 1890.
O porteiro,
H. M. da Silva.
ajudaote do procarador fiscal de ltamb de 15
do correle, coatas do coliector de Gamelleira,
rrfereutes ao exercicio de 1886 1887, officio do
.coliector da Escala de20 do corrate, coalas do
coliector de Gamelleira relativa ao exercicio de
1888, coronel Augusto Martiniano Soares Vilel
la e sua mulher D Galiana Augusta Vilella.
Haja vista o Dr. procurador fiscal.
Marcolino Peiro de Souza Braga.Volte ao
Dr procurador fiscal.
Jou Baptista de Oliveira,Volte ao adminis-
trador da Recebedoria para informar se foi ob-
servado art. 69 do Reg. de 28 de Maio de 1887. e
se o laogador que fez a coliecta verificou nessa i
occasio que o predio em queslo eslava fe-
, chado
Joaquim Cavalcanle de Albuquerque.Decla-
re o peticionario a que exercicio se refere a sua
reclamagon
Officio do Dr. procurador des Feitos da Fa-
zenda de 20 de Dezembro ultimo.
Alberto Ulysses de Souza, Maooel Domiogues
da Silva, officio do Dr. procurador dos feilos de
30 de Janeiro ultimo, idem do mesmo de 9 de
Novembro de 1889 Ioforumeo administradorjda
Recebedoria.
este
A forga que for precisa nao s para a dislri-
*uigao aqui estobeiecida, mas tmbem para
uaesquer diligencias dentro ou fra do Estadt
ser prestada pelo commandante do corpo, re-
quisigo do Dr. chele de policia.
A' esta autoridade pertence a altribuigo ex-
etusiva de alterar o presente quadro, conforme a
experiencia o aconselhar e Ihe parecer mais coa-
veoiente reguiaridade do servigo publica,
dando coabecimenio ao governador do Estada
as providencias que a esse respeito adoptar.
Cabe aos commandante dos destacamentos re-
gionaes a escolha da comarca que lhes parecer
mais adequada para as respectivas sedes, poden-
o, entretanto, transferil-as, por conveniencia do
servigo, para qualqner comarca ou locadade
aomprebendida na circumscripgo territorial sob
soa jurisdicgo, com approvagao do Dr. chefe de
polica.
Batendo justo receio de perturbago da ordem
publica, ou occocrendo factos de tal natureza,
orna represso exija na locatidade augmento de
torea, ser esta requintada do destacamento que
bus prompmeote poder prestol-a, fleaodo en-
teudido que os commandantes dos destacamentos) M(ior do jjgtado manda omnonjear T08 que
O Sr. superintendente da estraoa de ferro
do Recife ao S. Francisco d passagem por conta
do Estado, da slago das Cinco Pontas a de
11>. juca, com direilo a bzgagem, ao soldado do
corpo de policia Ursusino de Araujo, que alli vai
destacar.
O Sr superio'.eodente da estrada de ferro
do Recife ao S Francisco d passagem, po>- conta
do Estado, da estago das Cinco Pontas a da Es
cada a um sargento e a um soldado do corpo de
policia, que all vo drill afir.
O Sr. superintendente da estrada de fe, ro
do Recife ao S. Francisco d passgem por conta
do Estano. da estago das Cinco Pontos a da Es
cada, ao alleres do corpo de policia Elias Baptista
da Silva _)o.-ta. a sua imlber e urna tia com di-
reilo a bagagem.
O Sr superintendente da estrada de ferro
do Recife a S Francisco li passagem por conta
do Estado, com direilo a bagagem, da estago
de Cinco Puntas a da Escada, a um Beldado do
corpu de policia, que regressa para o destaca
ment de Sermbem ccnduzin lo sua mulher.
O sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife a S. Francsco d passagem, por conta
do Estado da esiagao de Palmires a de Cinco
Pontas a duas pragas de policia e um preso que
vieram do termo ue S. Benln.
Sr. supe aledente da estrada de ferro
do Recife a Limoeiro o' passagem, por conta
do Estallo, ao. cabo de esqua Ira do corpo de po-
licia Goriolano de Siqueira Galvo, que destaca
para cidade de Nazare.h.
EXPZDIE.4TE DO SECRETARIO
Oificios :
Ao director do Arsecal de Guerra.De or
dera do marrcbal governador do Estado commu
nieo-vos para os fins convenientes que se a:ba
nesla secretaria afira de ser entregue ao inters
sado, depois de salisfeitos os deviuos direitos. a
portara do Ministerio da Guerra de 25 de Ja
neiro finio nomeando o capito bonororio do
exercito Antonio Pedro Dionisio para servir de
adjunto d'esse Arsenal.
Ao commandante do corpo de polica.')
marechal governador do Estado manda commu
oicar vos que nesta data profeio o seguint:des
pacno em vosso officio de hontem sob n. 148
sobre ajada de custo ao alferes desse corpo,
Elias Baptista da Silra Costa :
Reme', o -j W; p ctor do Tbesourc 4) Es
tado para altender nao havenJo racooveoieote. >
Ao mesmo.O marechal governador do Es-
tado manda communicar-vos que nomeou boje,
sob proposla do Dr. chefe de policia o alferes do
corpo do voaso commando Dem trio H-rmilio da
Co ta para o tugar de subdelegado do 1 dis
trido da Gloria de Gaita.
Ao capito do porto.O marechal gover-
eparrlco da Policia
2.1 seccao.N. 47.Secretaria de po
cia do Estado de Pernambuco, 2i de Fe-
vereiro de 1890.
Cidado -Participo vos que foram hontem re
colliidos Casa de Detcnco os individuos de
noraes Avelino Maooel. Manoel Antonio Cirios,
M noel Alves T rres Gallindo Manoel Fraucis-
co de Lima Guerra, Claudiao Fernandes, Jse
de Paula Barata e Solero Bernardo Gome*. '
A' ordem do Dr. juiz de direito do 4" disirlclo
criminal, foi lambem recolhido o individuo de
uome Pedro Pessoa, pronunciado uo art. 219 do
i'odigo Criminal.
Foram' ainda recoinido3 hontem, disposigo
do Dr juiz de direito das execug6es, os reos
Paulo Oitovil, Bernardiuo Gomes Dutra Jus Ri
beiro Portugal e Mathias Nery. remettidos pelo
Dr. ebefe de polica do Estado do Rio de laaeiro
como seoteaciados por crirae de raoeda falsa
.lira de terem destino para o presidio de Fer
oando de Noronha.
Na aoiie de 21 para 2i deste mez foi efectua-
da pelo delegado do termo de Iguarass a cap
tura do reo conhecido pelo nome de Cosme Ma-
tulo, pronunciado no art. 205 ao Cdigo Crimi-
nal.
Pelo delegado do districto de Varas, oo ter-
mo de Nazareth, foram remeltidos ao juiz com-
petente os inquerltos policiaes a que procedeu
contra Jos Laurentino e Lourengo Quirino,
ambos como incursos as penas do art. 193 do
Cdigo. Criminal.
Foram transraittidos os seguintes titulo? de
autoridades policiaes, enviados a esta repartigo
pela Secretaria do Go.erno :
Manoel Uclia de Barros Campello, Antonio Al-
tillano Pessoa de Mello, e 2 supplentes da de
legaca do termo da Gloria do iJoit
Alleres Joaquim Alves Barbosa Filho, ieuente
Jos Teixeira Bacellar e Joaquim Antonio de Le-
aos Vasconcello*. Io, 2* e 3 suppleotes da sub-
delegada do Io districto da Gloria lo Goit.
Henrique .Jos Hjnorio de Freitas, Lourengo
Vieira de Barros e Cypnano Francisco Lorreia de
Lima, subdelegado, 2 e 3* supplentes do 2* dis-
tricto da Gliria do Goit
Ildefonso Carneiro da Cunha Albuquerqa, I
supplent da delegacia do termo de Pao d'Alho.
Francisco Bacalho de Albuquerque Maranho,
Jos Mana de Souza Delgado, Bcllarmino Guedes
de An Jrade Lima e Jcaquim Damasceno Mari-
nho, subdelegado. !, 2* e s supplentes do Io
districto de Pao u'Albo.
Joo Camio Lavalcante de Albuquerque, Jos
Francisco Correia de Vascancellos e Joo Ribei-
ro de L-mos Vasconcellos, 1, 2e 3* supplentes
da subdelegacia do 2* distiieto de Pao d'Alho.
Foram propostos para cargos policiaes, os
cidaao8 seguintes :
Regino Cordeiro Falco e Fiaocisco Amaucio
de Araujo Io e 3 suuplentes da delegacia do
termo do Brejo da Madrs de Deus.
Leoncio Das de Carvalho, Francisco Ferreira
de Araujo e Rjdolpho Cordeiro Muniz Falco, Io,
S-'e 3o supplentes da subdelegacia do l*distric-
to do t i j > la Madre de Deus.
Paulino Anspicio da Silva Carneiro, subdele-
gado do districlo da Serra do Vento no termo do
Brejo da Madre de Deus. *
Manoel Gongalves de Safczn, Francisco Aato
nio Aragto, Joo Pues Lyra Braudo e Antonio
Vellozo Xavier, eubdelegado, Io, 2o e 3suppleD
les do districto de Santa Cruz no termo do Brejo
da Madre deOeus-
Netta data rccemmendo aos mdicos da po-
lica que sejam rigorosos na inspecgo que tive
rem de proceder nos individuos que pretenderem
se eogajar ua Guarda Cvica.
Para regularid3le deseo servigo maado abrir
nesta repartigo assentamento especial para os
preteodentes, afim de atteuder, no engajameoto,
prioridade das habilitagOes e robustez das pra
cas
Sade e fraternidade Ao mareohal
Jos SimeSo de Oliveira, mii digno go-
vernador provisorio do Estado de Per
aanabucoO Chefe de polica, Antonio
ykunes Ribas.
Recebedoria da Bstadode Per-
nambuco
DESPACHOS" DO DA 27 DE! FBVEBEIBO DE
fi*+ 1890 /
Aotooio Marques de Oliveira e Fraocisco Pia-
lo de Carvalho.Informe a 1* se:go.
Alberto Uiysses de Souza.A' 1" secgo para
os fins convenientes.
Manoel Monteiro Martins.A' 1 secgo para
os tins devidos.
28
Miranda &C, Jos Fernaales Lima A C, e
Braga & .A' Ia secgo para os fins devidos.
Eugenio Sanico.Informe a 1 secgo.
Joo Paulo Franco, Fernandes Oveira & C
Em vista das informagjs, nada ha que deferir.
Umbelina Possidooia de Azevedo.Sim, em
vista das informages.
Candido Tniago da Costa Mello.Iadeferido,
em visia das informages.
Irmaudadetio Seabor uom Jess das Portas.
Deferido, de accordo com as informages,
Iapcctordi geral da Instruccao
Publica do Estado de Pernaui
buco.
DESPACHOS DO DA 28 DE FEVEBED10 DE
1890
Jjs Mirabeau de Mello Mariz, Deferido.
Mara Liberata da Silva Fortes.Compra se.
registre se a apostilla de 26 do correnle.
Thrsonro do Estado de
Pernambuco
DESPACHOS DO DA 27 DE FEVEREIBO DE
1890
Antoui Bcllarmino dos Santos Leal, officio do
Dr. chefe de polica, sob n. 357, idem da Inten-
dencia Municipal do Recife, idem do Dr. ju de
direito da provedoria, idem do inspector da In
strueco Publica, sob n. 29 lo'orme o Dr. con-
tador.
Do Diarlo de Pernambuco
VICTORA, 26 deFevereiro de 1890
No dia 9 do correte, na nossa matriz,
foi celebrada com toda a pompa e brilhan-
ti8mo a festa de Santo Antao, orago de3ta
freguezia.
Ha naim annos nao tiahamos aqui
festa tilo esplendida o que devemos ao seu
thesoureiro o capito Antonio de Mello
Yrerosa, honrado negociante d nossa
praca, que aqui gosa de immensa popula-
ridade e prestigio.
Este mez, nesta comarca, a morte
tem sido implacavel, pois, com o seu hor-
rivel alphaage tem .cordado o fio de pre-
ciosas existencias.
Entre outras mencionaremos o triste
passamento do illustre cidad3o major Mi-
guel dos Anjos Alvares dos Prazeres, que
pelo seu genio folgaso e excelientes qua-
lidades era estimado de todos os victo-
rienses ; do cilaiSo Antonio Camello Gue-
des dos Santos, honrado agricultor resi-
dente no engenho S. Francisco ; e de D.
Rita Mara de Hollanda Cavalcante, ver-
dadeiro modelo de virtudes, idolatrada
esposa do capito Macoel Mara de H.
Cavalcante, e D. Mara Tneresa Bezerra
de Mello, digna consorte do tcuent? Her-
culano de Barros Lima.
O carnaval este anno, nesta cidade,
se nao correu com a animac/lo do anno
passado, en compensacao nao testemu-
nhamos as scenas do selvagem entrado, o
que devemos s medidas enrgicas empre-
gadas pela illustre intendencia e pelo
digno delegado de policia.
Acha-se convocado o jury desta co-
marca para o dia 10 do prximo vindouro
mez.
Tendo o illustre governador deste
Estado, por acto de 24 do mez findo dissol-
do a nossa cmara municipal e nomeado
um couselho de intendencia para substi-
tuya composto dos distinctos cidadaos Dr.
Luiz de Calda3 Lins (presidente) Theo-
domiro ChristovSo do Nascimento Valois
e Dr. Jos Rufino Bezerra Cavalcante
Filho, no da 5 deste mez tomou potse a
mesma intendencia, sendo o acto bem con
corrido.
Estando a nossa intendencia composta
de cidadaos honrados, probos e inteliigen-
tes della a Victoria muito tem a esperar.
Como nao somos daquelies que sadam
o sol na sua aurora, para apedrejal-o no
occaso, temos satisfacao em dizer, que a
oamara dissolvida foi urna das mais hones-
tas e que mais servic'os prestou a esta
boa trra.
Para pioval o
aqui reproduzir
occasio da posse
muito abona aos
dores.
Eil-o :
t Ciiad?lo8.Tendo o illustre cidado
governador deste Estado, por acto de 24
de Janeiro prximo fiado dissolvido esta
cmara e vos nomeado para substituir nos
na direccao dos negocios municipaes,
eumgrindo fielmente a sua ordem, heje
deixamos as nossas cadeiras e vos pasea-
mos o exercicio.
c Antes, porern. de deixarmos esta
camara| seja nos permittido apresentar-vos
o estado em qne ella sa acha, e descrever
vos em um succinto esboco o que fizemos
durante o tempo que aqui estivemos como
legtimos representantes do povo victo-
riense.
< Administramos os negocios munici
paes por espado de 3 annos e 30 das e
resta-nos urna gloria, que apezar de en-
contramos apenas no cofre municipal a
insignificante quantia de 680 res, fizoiaos
muitaa obras de utilidade publica, pagamos
uitas dividas, nio contraaimos nenhum
mprestimo, e ainda existe em poder do
idadao procarador a nSo pequea quantia
de 2:42tiA540.
no podemos deixar de
o se.: relatorio lido na
da intendencia, e que
crditos dos ex-verea-
c Na nossa administraclo foi
movimento do cofre municipal :
t No exercicio de 86 a 87 esta cmara
teve o reodimento de 8:774)5864 que reu-
nido ao saldo anterior de 94^620 importou
em 8:8690484, e gastou 8:4490778, pelo
que ainda ficou com o saldo de 41907C6.
a Nesse exercicio, no primeiro trimes-
tre ainda administrado pela cmara anta
rior houve o rendimento de 2:1620940 e
a despeza de 2:2o68S0, ficando devendo
93)J940 ; tendo, porem, o saldo de 940620
do exercicio findo, ficou de saldo apenas
680 res, que nos foi entregue no dia de
nossa posse, 7 de Janeiro de 1887.
No exercicio de 87 a 88 esta cmara
arrecadou 11:5180195 e gastou 9:3290695,
pelo que ficou com o saldo de 2:1880500,
que reunido ao saldo anterior de 4190760
importou em 2:6U8259.
No exercicio de 88 a 89 a nopsa ar-
recadag&o foi de 11:7940622 e a despeza
de 1O:J6605t34, pelo que ficou de saldo a
quantia de 1:5280018, que jun'.o ao saldo
anterior, importou em 4:1360271.
* No exercicio de 89 a 90, no primeiro
trimestre (Outubro a Dezembro) a renda
da cmara foi de 2:5050280 e a despeza
de 4:2150010, fie indo ella debitada em
1:7090730, cuja quantia tirada do saldo
de 4:1330270, ficou ainda a favor da c-
mara no dia 1 de Janeiro deste anno
2:4260540, que acha-se em poder do cida-
do procurador.
As cootas da receita o despeza do 1.
de J meiro at hoje vos serSo appresenta-
das pelo actual procurador.
t No cofre municpal estao recolhidas
apolices da divida publica na importancia
de 6:6000000, como garanta das arrema
tacoes dos impostos municipaes deste anno,
as quaes constam dos respectivos termos e
vos fazemos entrega agora.
Todas as nossas contas estilo regis-
tradas no respectivo livro, sendo que a^
do exercicio de 86 a 87 e de 87 a 88 j
foram appravadas pea Asserabla Pro-
vincial, e as do exercicio de 88 a 89 e do
primeiro trimestre de 89 a 90, no da 23
do prximo rindo mez foram envalas ao
cid-do governador deste Estado para
examinal-as e approval as, visto ter sido
disbolvida a Assembla Provincial, que
p-ir forca da lei do 1. de Outubro de
1828 era & cmara obrigada a prestar
contas.
Na nossa administraran gastamos com
obras municipaes 9:058j90J e pagamos
mandados de cust-is judiciaes na irapor
tanci* de 3:767>970, nao fallando em
2:4UO0OOO que pagarnos ao escrivao do
jury pelas suas custas.
O patrimonio que esta cmara tem
na comarca do Bonito, at entao conside-
rado un&vino encantado, hoje j conhe
cido desta mun cipaldado, que mandando
alli o seu.-actual sesretario o cidado Jos
de Oveira Maciel Reg Barros elle ven-
cendo mil diffieuldades conseguio organi-
sar a sua escriptnraco, escripturacao que
esta cmara nao tinha, pois, nem ao me-
nos saLia os nomes de seus foreros, quai-
to paavam e as denomina53es doi terre-
nos aforados, e.alem desse immenso tra
balho arrecadou, nos dous annoi que al)i
foi, a quantia de 1:1710900, quando nos
andos anteriores a arrecadaco do Bonito
era insignificante, e at havia annos e
annos que nSo rjgurava com um s<5 real
as contas da cmara !
a Durante a nossa administrara > fize-
mos as seguintes obras :
i Uai grande e bem construido depozito
para ossos no cemiterio; urna grande e
bonita ordem de catacumbas e concert,
e guarnecimento em outra ordem de cata-
cumbas no mesmo cemiterio ; urna bomba
e aterro na ra de Pedro Lins; aterro e
bomba na praca da feira do assucar;
abertura de valetas e aterro na ra do Barao
da Escada ; li upeza das valetas e aterro
do becco.do Capim : abertura de valetas e
aterro da ra do major Lins ; abertura de
valas e aterro na travs-a da mesma ra :
aterro da estrada que vai da feira do as-
sucar Estrada Nova; aterro e bomba
na es-rada do Caric ; iimpeza e grande
aterro da fr nte do estabelecimento do
Sr. Maooel Mauricio at o aqueducto da
ra da Imperatriz ; tres bombas na estra-
da de semitero; aterro e Iimpeza do la
macal por traz da ra da Imperatriz;
abertura do riacho Caja; pintura do aco-
gue ; um grande acqueducto obre o ria-
che Roncad r; Iimpeza e aterro da pra$a
da feira estaco; Iimpeza dos matos da
praca da Matriz e do Alto do Acougue.
i Deixamos tambem quasi concluida
urna grande bomba e caes no riasho Ron-
cador, na estrada do agougue.
< Quando tomamos conta desta Cmara
ella s tinha no seu pago urna velha mesa
e seis cadeiras, tanto que as nossas pri
meiras sesses tamamos cadeiras empres
tadas; porm, sendo isto urna vergonha,
fizemos entSo a compra dos seguintes mo-
vis, que b/je ornam esta sala : urna mo-
bilia de junco composta de sof, dozo ca-
deias, duas ditas de bracos, duas ditas de
balanjo, urna mesa redonda, dous consol-
los (estas tres pegas cobertas de marmore)
urna mesa grande, dous pares de lanter-
nas, urna estante envidragada e doze ci
deiras de bracos para as sessSes do jury.
< Eis cumprd* a nossa misslo
Resta nos urna gloria : nenhama c-
mara victoren8e fez mais mais do que a
que hoje finda.
As ditTerentes obras que fizemos at-
testarSo sempre que a nossa estada na
Cmara nao foi improficua, pois, soube-
mos arrecadar os impostos sem fiageliar o
povo, e tambem soubemos empregar oa
dinheiros da Cmara no que era til e ne-
cessario.
Embora auzentes da Cmara, conti-
HWDSTBiAS E AtTtS
A fabrica de tecidos Allanca, fundada
no Rio de Janeiro no anno de 1880, con-
stitue um dos maiores centros industraes
do paz.
Conta de presente 300 teares em act-
vidade, e a parte em construccSo dispor
de 950 com um motor de 2,000 cavallos.
Quando estiver concluida de todo, seus
1,250 teares oceuparao "1,800 operarios,
contando por agora j 850;" cuja maior
iarte habita em casas construidas por el-
es as proximidades.
#
Trata se activamente de estudar a con-
struccSo de urna ponte de 90 entre a
Inglaterra e a Franca.
Para isso acaba de formar-ae urna com-
paa em Londres da qual fazem parte
capitalistas importantes.
O projecto foi formulado pelos engs-
nheiros Fouler e Balner.
O custo da obra calculado no mxi-
mo, em 480,000,000 de francos para os
pilares e outros 480,000,000 para a su-
perstructura metlica.
Calcula se que a obra poder ficar con-
cluida dentro de 10 ir 12 annos.
*
A mineraloga promette Sueca gran-
des resultados.
Urna companhia, fundada em 1889,
descobrio no districto d Gellicora jazidas
consideraveis de chumbo argentfero, co-
bre manganez. ferro e graphito, a peque-
a distancia da estrada de ferro quo cor-
ta a regiao.
O mineral de chumbo, muito abundan-
te, contem maior porceutagem de prata
do que o das famosas minas de Sala.
Tambem reeentemente comegou de no-
vo a extraccao das minas de cob c de
Skrikeium, abandonadas desde 1832; foi
nestas minas que Berzeligs descobrio
em 1817 o selenio.
em
nuaremos a empregar ingentes esforcos em
beneficio deste municipio, que to descu-
rado tem sido pelo governo e at pelas
suas cmaras.
t A este acompanha a relaco de to-
dos os objectos pertencentes a esta muni-
cipalidade, os quaes agora vos fazemos
entrega.
c Sade e fraternidade. 1
Depois que o cidado Luiz Cavalcan-
te Filho tomou conta da agencia da Correio
desta ciaade, o servico alli tem corrido
muito irregular, e entao innmeras s3o as
reclamac3e8 dos prejudicados.
O Lidador, criterio periodio que
se publica nesta cidade, tem censurado o
mesmo agente do Correio, pedmdo ao dig-
no administrador as providencias preci-
0 numero de navios de vapor quasi du-
plicou no ultimo dscennioe a sua capaci-
d'de como tonelagem, gragas s dimen-
soes cada vez maiore3 das construc>3e
navaes augmentou n> mesmo periodo em
proporcao ainda mais forte.
Km 1889, s levando era conta os va-
peres de mais de 100 toneladas, conta-
vam se 9,256 em todas as ?guas do globo,
representando o total de tonelagem bruta
de 11,913,371 toneladas.
A marinha de vela, representada em
1879 por 49,524 na/ios com a capacidad
de 14,317,430 toneladas, baixou em 188t
a 37,5i7 navios com capacidade de....
11.081,197 toneladas.
Apesar desta diminuico, anda consi-
dera vel o papel da marinha de vela e, l-
timamente, tem-se manifestado pronuncia-
da tendencia para preferir a vela ao va-
por.
Ha meio seculo era rarissimo um nava
de 500 toneladas. Hoje, gracas ao em-
prego do ago, urna s casa de BordeauX
possue quatro navios de vela, cada um de
mais de 4,000 toneladas, e est fazenda
construir outro de 6,000 toneladas.
As razoes econmicas, que do prefe-
reacia vela, fazem esperar que den tra
de um decennio a marinha desta cathego-
ra ter muito alargado o seu poder nos
mares.
#
O agrnomo Deherain acaba de realizar
curiosas experiencias acerca do esgota-
mento das trras de cultura.
No campo de experimentagoes de Grg-
non, ao paaso que trras fertilisadas pro-
duziram 35,000 a 40,000 kilogrammas da
beterrabas, outras privadas de todo
adubo desde 1875 apenas produzirana
13,000. #
Analysando a composigo da trra veri-
ficou Dehraia conter esta actualmente
1,4 de acido phosphorico contra 1.55 ha
dez annos, nao sendo maior a diminuiga
da potassa e do azoto. Achou, porm,
considcravelmente modificada a proporga
do humus, tendo verificado que, em ves
das 16 grammas de carbono que outr'ora
pos3Ua cada kilogramma de materia org-
nica, nao se acham agora mais de 7.2.
A este facto attribue o experimentador
o empobrecimento da trra.
TBANSCRIPCOES
Resoluco til
(Diario de Noticias, de 13 de Feversiro da
Rio de Janeiro
Una vez que se discute, ao interesse darepu-
blica, a posico definitiva que deve ter o thefe
do governo provisorio, perante seus companhei-
ros e a nacao, couvem que o assumpto, pela sua
mxima importancia, nao seja abandonado, an-
tes de licarmos todos tranquillos sobre a mpos-
sibilidade de reproduzirera-se essas desugrada-
veis soprezas das divergencias ministeriaes.
No nosso actual rgimen no ha nem poda
haver crise3 ministeriaes, que abalem o espirita
publico, e que affectem o crdito ou o nome da
paiz, e, urna vez que entre o chefe do Estado e a
ministerio se asseote n'uraa norma de conducta
definida e precisa, toio o mu estar sanado.
A no:-so ver, o resultado que se deseja obter
ser conquistado, urna vez que se estabele^a a
rgimen dos Estados Unidos.
0 chefe do Estado de facto o responsavel,
perante a nagao. por tudo quanto se faz, e, nes-
tas condic&es, 03 seus Ilustres compaobeiros
sero os primeiros a reconhecer que as opiuies
por elle emittidas devem ser atlendidas e prs-
ponderantes.
Quem conhece o generalissimo, sabe que elle,
sendo incapa de recuar diante de um exercito,
nao sabe como resistir a urna razo ou a um ar-
gumento lale serio. Urna vez exposta a incon-
veniencia 'esta ou d'aquella medida, nao ser
da parte do marechal que haver ob3ecaco na
erro. Elle ser o primeiro a ceder, sempre qu
o interesse publico assim o indique e mais an-
da pelo motivo de nao aggravar com o peso da
unaacto injusto ou inconveniente a responsabi
lidade iumen-a e inilludivel que os aconteci-
mentos lhe do.
Agora mesmo os jornaes referem que o ex-
imperador se mostra muito satisfeito, dizendo a
lodos que esse coateatatnen:o lhe provm de na
ter mais a responsabilidad* do poder Se ella
:lgum dia a tives.-e tido, v I Todava, a parase
ex-iruperat mosiraque um tal peso pouco ap-
pititoso.
O que se trata de couseguir hoje nao brindar
o chefe do Estado com mais urna regala, mas
sim pedir lhe em nome do potriotismo e da boa
marcha dos pblicos negocios, mais um sacrifi-
cio conslderavel.
0 Bm qae com isto todos temos em vista
conjurar de vez esse perigo das divergencias a
o enlraquecimento suDsequente da autoridade a
do poder publico, que a nago qaer ver unido a
unnime, no fim ele zade de consolidar eeograa-
decer a repblica.
O nosso illustre collega do Correio do Po**
procaroui6(B sen-bello artigo de aate-hontem en-
caminnar o goveroo para a verdadeira doutrina
politica que deve ser eetabelecida na repblica.
X

.

t
i
p
- :
'> .'


mm
i


*
X
Diario de Pemambuco--Sabbado 1 de Majco de 1890
3

.<
.'

l \
. s.
- *
' A id de se faz?r o cbefe da Catado responsa-
vel pelos seus actos, deve ser acolbida com eo -
thnsiasmo pelos bem intencionados, principal-
mente por aquellos que viam a incoaveoiencia da
irre&ponsabilidade o eximperador, que nter-
vinha directameate em tudo, is vezes com pre-
jaizo do aerrico publico, que soffria as coqs
fluencias do poder irresponsavel dj soberano,
as que pela constituigo era irresponsavel e
agrado.
Adoptada a pratica salutar dos Estados Unidos
e tornadas mais frequentes as rettnies ministe
riaes, os govern03 entre nos sero duradjuros
orno os da grande repblica, inciaodo se coto
a entrada do novo presidente e lindando com o
prazo da eleigo, salvo sendo aquelle alto func-
don? rio reeleito.
Por e-sa harmona de vistas, nascida da ampia
discussao, da troca de idas-'entre esses oito to
mens, da'suainspiruco nos grandes inti-resses
4a patria, e de discripco sobre o que se passar
essas reunies, nascerao os governos estaveis e
fortes, dando-nos como a menor das consequeo-
cias uteis desta reforma, a tranquilidade com
pleta do espirito publico e o augmento de pres-
tigio da autoridade constituida.
Prestera os benemritos cidados que dirlgem
s destinos do Brazil mais este assignalado ser-
vico patria, e a posteridade bemdiri os su-
ornes, como o de patriotas que na la souberam
recusar ao engrandeciraentj da Repblica e
gloria do nome brazileiro.
Taes sao os nossos votos.
. V


Manejos prfidos
(Diario de Noticias, d > 19 de Fevereiro, Rio)
Estamos renles de que a declar cao do go-
bern, hontem publicada no Diario Oficial, des
fez as nuvens que os ioimigos da Repblica tes
tavam accumuiar sobre o horisonts da patria, as-
soalhando boatos e arguigOes infandadas, a pro-
posito diquesto das Miss0;s.
Nao eremos que nenhum amigo sincero do
actual rgimen tenha duvidas quanto ao modo
elevado como o governo provisorio encara essa
questo, nein duvid-i sequer ura momento de que
O digno ministro das relacfjes exteriores, cujo pi
Iriotismo tem estado tantas Tetas em prova, p a ler um pro eJlmento m=nos correcto.
O desejo de Quintino Bocayuva, como o d todos
os brazileiros e que olham um ponco para o fu-
turo, que essa velha que;to seja re.-olvila a
ontento nosso e da Repblica Argentina, tirando
para sempre da tela da discussao urna pendencia
grave, qne nos pode ser fatal a ambos, e que a
onica ameaca seria que vemos fra'ernidade ame
ricana, que precisarnos todos cultivar edesrnvol-
ver, no interesse commum.
Como hornera de lucta. com velho batalhador,
como jornalista independente, Quintino Bocayuva,
m 30 annos de vida militante em favor de todas
as causas nobres da nossa patria, adquiri, sera
duvida, um respeitavel numero de inimigos, que
aproveitam o ensejo de se desforrarem da hom-
oridade ou justiga com que foram por elle tra
trata' !os. Sao ssses sem duvida os que esoalham
que o illustre ministro dos es'.rangeiros deseara
os interesses de sua patria, para fazer js s
manifestagOes de urna outra nago, como se esse
movimento expansivo que temos observado na
Repblica Argentina nao tivesse o carcter de
urna manifestado de povo a povo, e nio se ea-
racterisasse sempre pelo intuito de honrar e fe3
tejar o Repblica dos Estados Unidos do Brazil I
J viraos, por occaso da lei de 13 de Maio.
que essa nago generosa e senaivel a todas as
glorias da America, se levantava para festejar o
nome brazileiro e para exalga r a superiondale
eom que sabamos resolver os mais temerosos
problemas do n sso meio social Em seguida,
recebendo una commisso de ornalislas nossos.
Timos as festas e os ca-inhos ao povo brazileiro
subirem ao dliria. Agora, sendo vistala por
um dos hroes de lo de Novembro e por um dos
homens que mais sauberam ligar o seu nome
unidade republicana da America, o povo argn
tino festeja Quintino Bocayuva, como festejara
qualquer outro ministro que l fosse ou mesrao
como outra qualquer naco sul americana anu-
dara, com effuso, a piesenca de qualquer dos
homens notaveis que ioscreveram o seu nome
nos fastos da revoluco de 15 de Novemnro.
Taes fados sao naturalissimos, frequentes," e
nao encobrem segundas intences. Tudo o que
se referia ao tratado das Humos, ao que no*
conste, por susceptibilidade natural de ambos 03
lados, foi resolvido em territorio neutral e amigo
em Montevideo.
A esse facto seguio-se, como era natural, urna
excurso do nosso ministro, pelas principaes ci-
dades da visinha repblica, tendo elle o lito de
estreitar os lugos de amisadeentre as duas gran
des naguas e sendo secundado nobreinente nes-
se intuito pelo povo argentino que o festeja
Ligar de quaiqaer modoasdemoosiragOes fes
livas que tm havido, de povo a povo, solugao
dada pendencia, 6 nao fazer justiga a quem a
merece, suppor se alimentos mesquinhos era
quem sempre se tem mostrado sobranceiro s
sfdu'co agraaecer muito mal as honras que
nos dispensara e sobretudo, aproveitar com
m f o ensejo menos favoravel para exercer
qualquer vin.'anga sobre pessoa desaffecta. Nin
guem que tenha amor RepuMica, que por ella
Baja feito sacrilicios e que conbeca Quintino Bo
cayuva. dar crdito a essas balelas, nem se dei-
xar colber, por incauto, as mullas dessa ma-
chinago rcvoltaote e insustentavcl.
As condigOes em que recebemos esta que3lo
no espolio da monarcaia, subsis'.em. Ha, agora,
nma tentativa para resolvel a, a contento dos
dois lados. O governo e a Genstituinte decdi-
ro em ultima instancia e ento ou se risca a
pendencia ou vamos ao arbitramento,solugao
essa que, como se sabe, on nos pode fazer ga-
nbar tudo ou perder tudo.
Em todo o caso, a correcgo do governo e do
nosso ministro das relages exteriores, incon-
testavel. Ura e outro imaginaram dar ao caso
urna solugao que contentasse os dois lados. Se o
povo das duas nagOes a approvar, muito bem,
estar tudo concluido No caso contrario, volta
o problema ao primitivo estado, ficando so a
grata recordago de haverem os dous povos pro-
curado resolver urna duvida de modo equitativo,
satisfactorio e honroso para ambos, cultivando
assim o sentimento de fraternidade que deve
orientar desde j a3 nagOes do nosso continente.
Quanto aos boatos, quanto i>s suggestoes pr-
fidas, nao ha duvida para nos que ellas lera a
mesma origem d'essas verses afTrontosas que
todos os das circulam, que tm visado cada um
dos ministros, isoladamente, no intuito de os di-
vidir, de enfraquecer o governo e de dar morle
s instituicOej gloriosas, que sao a honra do
Brazil, e que elle defender por todos os meios
como quem defende um patrimonio sagrado, que
ha de ser a nica heranga, verdaderamente
grande, que havemos de legar a nossos lilhos.

P
REVISTA DIARIA
Tribunal da BelacaoK u sesso de
hontem do Tribunal da Relaco, nos termos do
decreto de 20 do correte mez, o respectivo pse-
sidenle convidou os Srs. desembargadores pre
sentes para procederem eleigo do presidente
do tribunal.
Estavam presentes os Srs. desembargadores
Vsconde de Jaguaribe Alme da Santos, Olivei-
ra Andrade, Tavares de Vasconcello3, Alves Ri
beiro, Pires Gongalves, Pires Ferreira, Deln)
Cavalcante e Quintino de Miranda.
Todos votaram no desembargador Quintino de
Mi andi para o referido cargo de presidente do
tribunal, volando, porm, o desembargados
Quinno de Miranda no desembargador Viscon
de de Jaguaribe; pelo que foi eieito aquelle.
Em seguida o desembargader Delrino Caval
cante propoz e foi unnimemente approvado,
que se lancasse na acta da sesso um voto de
louvor ao eleilo pelo modo correcto com que
tem dirieido os trabalhos da Relaco, cuja proTa
foi a sua unnime eleigo.
Bknqmir p*ll(>co-No grande salao do
Hotel Internacional, sito na ra Baro de S. Bor-
t'a, realza-se boje o banquete poltico que a
>r. Jos Izidoro Mardns Jnior offerecem os
seas amigos e foi promovido pelo Club ti le
Julho.
O grande salo do Hotel Internacional acha-se
brilhantemente decorado para aquelle fim e ser
profusamente illuminado.
Para o banquete, que ser servido s 5 e 1/2
horas da tarde, foram convidadas as primeiras
autoridades do Estado, a imprensa e diversos
membros proeminentes do partido republicano
nao s desta cidade, com do interior do Es-
tado.
Agradecendo o amavel convite com qne fomos
obsequiados, corresponderemos finesa.
Tocar urna banda de msica no pateo interno
do hotil
O men do banquet? constar do seguate :
/ o age Consomm de volaille, a Silva Jar-
dim.
Pure croutons, a Annibal Falco.
Hors d'oeucreBearTO frais, anchis, crevet-
tes. olive.
Relev -Poisson sauce Tartare, a. Martins J-
nior.
Enlres -Chapn Periguent, a Deodoro da Foa-
seca.
Kil-t, ao marechal Simeo.
Jambn d'york, a Ribas.
Kotis Diodes truffesPetits sangliers.
Salaie entremetHaricots panuchos a la fran
gsise.
Bomb du triompbe de la Republique.
DetsertCorbeille de fruits Biscuits Raicas.
CafThLiqueorsFine Champagne.
ervlro militar-E' hoje superior do da
o cidado'capito Manoel Anselmo, e faz a ron-
da de visita um subalterno de cavallaria.
O 14 batalbo dar a guarda da cidae co
2* o ofcial.
Foram hontem nomeados oscidados major
Joliao Augusto da Serra Martins, capito Daraio
da Costa Leito, Dr. Braz Florentino Henrique de
Souza, c^pio Leoncio Luiz Pinto Ribeiro, te-
nmie Flavio Jos dos Santos e Silva, alferes Pe-
dro Nolasco de Souza e Luiz Bezerra dos Santos,
para pre-idente, interrogante, auditor e vogaes.
ao conselho de guerra a. cabo de esquadra Jos de Souza Leo. anspe
gadt Antonio Aze\edo de Olivejra e soldado Luiz
Domingues Pereira, todos do 14" batalbo de ia-
fantaria, pela culpa por que responderam ao de
da investi^aco.
Inspectora oip-rin de (erras e co
loaUaco d'eate Estado -Desde 13 do
passadu ssuraio o "exercicio de secretario d'esta
repartigio o Sr. capito Amonio Gracindo de Gus
mo Lobo, para cujo cargo foi nomea lo por por-
tara do Ministerio da Agricultura, Commercio e
Obras Pu'di as de 10 de Fevereiro Ando.
ProctssoAinunn tarde, haver pro
cisso do Senhor Atado, a qual,sahindo da igre
j i de Njssa Senhora do Livramento, pereprrer
diversas ras das freguezia9 de Santo Antonio e
S Jos.
Recreativa 1 de Marco II ije, ra
Es'reita -I Rosario n. 41, ter lagar a instada
gao da Sociedade Recreativa Io de Margo.
Rangel de S. Palo D-i regresso da cap
tal Federal, para onde fra chamado, passou
hontem, no paquete nacional Manos, o cidado
Rr.ng?l de S. Paio. escripturario do TQesouro Na-
cional, que acha-se em commisso no Cear,
para fiscalisar as despezas da secca e das obras
do agude de Quixad.
Agradecendo-llie a visita que nos fez, deseja-
mos-lbe prospera viagem e que colba na sua
commisso louros vrenles, de que merecedor
pela sua intelligencia, zelo-e probidade.
Tribunal do Jury do ReclfeFoi
hontem submettido a julgamento peste tribunal
0 reo Joaouira Telles d Menees, pronunciadu
no art. 193 do cdigo crinvnal.
A' hora em que escrevemos esta noticia (9 da
noite), anda nao terminou o julgamento ; pelo
que daremos amanh noticia circum.-taneiad;. do
mesmo.
Pensando em ti -E' urna linda polka
para piano, por Ascanio dos Gui rares Peixo
io, cuja a:eita;o ja deu lugar a estar em segun-
da edigo.
Os [respectivos exemplares encontrj se na
casa dos Srs. Preale & C, a ra do Barao da Vic-
ria. v
Agradecemos a qne nos foi obsequiosamente
offertado.
Seminarlo episcopal de linda
Agradecemos a olTerla do folheto relativo ao re-
sultado dos alumnos do mencionado Seminario
e Collegio liiocesano no anno prximo lindo.
Club CaladorAmanh s 10 horas do
dia rene se esse club carnavalesco *ua sede,
para procede- eleigo da respectiva directo-
ra.
Hsoclaco Medlco-Pnarmaceuti
ca-Em sess'ao de an'.ehoatem, expoz o Sr. r.
Joquim Loureiro cora rainuciosidade o caso cl-
nico que se dera com respeito ao tinado Vicente
Teixeira Coimbra.
Aps essa exposigao estab^leceu-sa animada
discussao, e nesla tomaram parle as Srs. Drs.
Malaquias, Carneiro da Cunha, Loureiro, S Pe
reir e Errairio Coutinho, terminando a mesma
discussao pela approvago de urna mogOo honro
sa pura o Sr. D-. Loureiro.
. Manlfestaco-EiS o discurso que, em
nome de seus cbmpanheiros, proferio o Sr. ca-
pito Jos Francisco Pues 3arreto, ante hontem,
ao offerecrera ao commandante do co-po de po
licia o seu retrato.
Cidado commandinte.A. oftioi lidade do
carpo, do vosso digno comraanio. compenetrada
dos s us deveres, se faz represantada para sau-
dar-vos, pelo facto do vosso anniversario nata
1 icio.
Ell que, muito se orgulba em ter-vos a sua
frente como commandante, nao poda olvidar os
inequvocos servigos que tendes prestado e o in-
cremento que tendes dado a marcha progressiva
da corporago que representa.
Desta forma grata e penhorada anda mai3,
pelas vossas qualidade3, que tanto se salientam'
quer como cidado ; quer como militar, procu-
rou um meio de poder-ves convencer, qual o
grao d'estima e consideraco qu vos tributa ;
e assim, resolveu mandar retratar-vos, aflm de
que podesse vos dar solemne testeniunbo da sua
graiido. Assim, pois, ella vos faz entrega des-
ta pequna e insignificante offerta. simples
porm, deve penhorarvos sobre modo, porque
n'ella vedes a expresso sincera da sympathia
que de corago vos consagra.
Outro nao podia ser o seu procediraento,
pois que, reconhecida como sempre tem se mos-
trado a benevolencia que lbe tendes prestado, e
as licges que, como militar intelligente e ames
trado lbe tendes dado ; o deverlfce impunhi,
para que, boje, dia do vosso anoiversario natali-
cio, viesse render vos esta bomenagem, escre
vendo em seu corago o vosso respeitavel -nome
como sigoal evidente de sua eterna gratido.
Tendo cumprido o dever de represntala, .em
seu nome vos felicito,, fzendo ardentes votos
para que, na brilhante jornada* de vossa Tida,
possaes ter a gloria de maoter illezo o vosso lau-
reado nome vendo se reprodzir um collar espleu
dido de auroras de felicidade.
Sao estes os seus desejos.
Parabens, pois, parabens.
Cidade do Recife, 26 de Fevereiro de 1890.
Jos Francisco Paes Barreta.'
Club Velbos Pandeaos A nova di-
rectora desstfclub carnavalesco para o anno de
1890 91, (con assim composta :
DirectorJos J B. de Freitas.
Vice-directorEuzebio da Almeida.
SecretarioDtmocrito Moura.
ThesoureiruAlfredo A C. i'runo.
Procurador fiscalManoel dos Prazeres.
CommissSj de syndicancia Jos Vctor do Nas-
cimenio e Cosme dos Prazeres.
Falle cimento Fallecen ante hontem e
hontem foi dado sepultura o seu cadver, o ca-
pito do 14. batalbo de infantera Jos Roma
de Abreu e Lima.
0 digno militar suecumbio a urna affecgao
bronco-pulmonar deixando viuva e tres lilhos
menores. .
Nossos pezames sua familia, e especialmen-
te ao seu cunbado Exm. Barao de Santa Cruz.
t'ongresso Instructiva Pernamliu
cano Durante o mez de Fevereiro ultimo foi a
bitiliotbeca d'esta so edade visitada por 23
socios que coosultaram 23 obras, em 29 vo!u
mes.
No mesmo periodo foram ofertadas as seguin-
tes obras:
Pelo socio honorario padre Jos Affonso de Li-
ma e S.Historia de unja viagem trra do
Brazil, por Jalo 4e Leri, 1 vol.; Novo Guia luso
brasileiro do viagente ni Europa, 1 vol.; Com-
memorago do centenario de Claudio Manoel da
Costa, 1 vol.; 0 baro de Penedo e a sua a isso
Roma. 1 vol ; Les merveilles celestes, par C.
Fiammarion, 1 vol.; A liberdade de cultos pelo
Bispo do P.r, 1 vol. ; 0 apostolado da imprensa,
1 vol.; e mais 7 volumes.
Pelo socio honorario Henrique Soares de Aze-
vi doDiscursos do Dr. Apiigio Guimares, 3 fo
Ihetos ; Grammatica Nacional, por Calda3 Aulete,
1 vol.; Compendio de anthmertea, por SaJvado-
de Albuquerque, 1 vol.; Plilosopbie du plan du
salut, 4 vol.; A piedade suprema por V Hugo.
1 folheto; Esboco biugraphi o do General mglez
Cordn 1 folheto; e mai- 5 brochuras.
Pelo socio honorario Francisco Augusto P. da
CostaRelatorio e Annexos apresenudos As-
n
sembla Geral pelo Ministro da Agricultura, Ro-
drigo A. da Silva, na fc* sesso da 20* legislatura,
3 vols.
Pelo socio honorario fre Paulino aa Soledade
AlcaniaraD. Quixole de la Mancha, por Cer-
rante--, i vol.
Pelo s ) Pontes ; La canna de M Bilsac 1 vol.; Leta
pes d'une conversin, 1 vol.; 1 mais 11 volu
mes.
Pelo socio effedivo Joo G. Maia e SilvaVer
sos de A. Chichorro da Gama, 1 folheto; Ele-
mentos de msica, por Accioli, 1 folheto.
Pelo socio benemrito Francisco Augusto P. da
Costa FilhoMiscellanea Biograpbica, 1 vol.; e
mais 6 volumes.
Compradas pela directora da sociedade Di '
cionaire de Medicine, etc., 30 volumes encader
nados.
JornaesA Provincia, A Epocka, Diario, O Ar
lista. Jornal do Recife, etc.
Presen l emente possue a bibliotheca 453
obras em 580 volumes.
Vapor NertbeEste vapor sabio hontem
do Rio de Janeiro, devendo ebegar a nosso porto
a: 5 do cor rente.
Assoctarp Pedaggica de Ver-
nambuco Hoje reune-se em sua primeira
sesso preparatoria, pelas 4 horas da tarde, na
Escola Normal
Bcndimento pblicos As seguintes
estages arrecadaram em Fevereiro :
Alfandega: -
De 1890 758:1424388
. 1889 907:5164710
. 1888 935:7024291
. 1887 709:2464886
. 1886 657:1274524
Recebedoria Geral:
De 1890 107:1404068
1889 101:2224743
. 1888 99:6404921
1887 48:7534960
1486 48:966*226*v ,
Renda do Estado de Pernambnco :
De 1890 193:9014639
1889 149:7364026
1888 267:9574650
1887 183:5734650
1886 127:7124076
Directora das obras de conservr -
e*o dos portos de Pernambucolleci-
e, 27 de Fevereiro de 180.
Boletim meteorolgico
Horas 111 Barmetro a 0 Tenso do vapor I a
6 m. 9 12 3 t. 6 27<,i 29,6 30,2 30-.6 29.2 758-83 759*69 759-24 757*90 757*o7 20,18 21,64 22,20 21,85 21,59 75 69 68 68 72
Temperatura mxima31,50.
Dita minima26,"7o.
Evaporago em 24 horas : ao sol7,-8 ; s
3ombra5,-3
ChuvaQuila.
Direcgo do vento : E de meia noite aos 18
minutos da tard. ; SE, ESE e E alternados at
urna noite.
Veiocidade media do vento2,"91 por se
guedo.
Nebulosidade media0,-45.
Boletim do porto
23 =3 -la Das Horas Alta'*
P. M. i. M ['. M. B. M. 27 de Fever. 28 de Fever. 10 -45 da manh 5-25 da Urde 11-48 6-44 da manh 1-.87 i-,06 l-,82 1-,15
Missas fnebresSero celebradas :
Hoje :
A's 7 horas, na igreja da Santa Cruz, pela
alma de D. Rila Maria de Mendonga Figueire
do ; s 7 e meia, na matriz da Boa-Vista, pela
alma de Vicente Teixeira Coimbra ; s 8 horas,
na matriz da boa V;sla, pela alma de Jos !r
meterio de Castro Amaral.
Segunda feira :
A's 8 horas, na Ordem Terceira de S. Fran-
cisco, pela alma de Henrique Fernandes da
Costa s 8 horas, na matriz da Boa Vista, pela
alma da Baroneza de S. Borja ; s 8 horas, na
matriz da Graga, pela alma de Henrique Fer-
nandes da Costa.
PassageirosSabidos para o norte no va-
per nacional Mandos :
Dr. Adolpho de Siqueira Cavalcanti e sua^ee-
nhora. D. Oiympia do Amaral Sampaio e 1 cria-
da, D. Anna Pereira e 1 criada, Antonio Jos
Gomes, sua senhora, 3 filhos e 2 criados, Dr.
Mizael de Souza e sua senhora, Jos Varandas
deCarvalho, Antonio S. de Almeida, Dr. Jos
Pinto de Oliveira Jnior, Thoraaz A. Alves de
Britto, Julio C. Paes Barreto, Francisco lardoso
Jnior, Salviano Correia de Oliveira Andrade,
Antonio Soares, Julio de Castro e Silva, Fran-
cisco Damio, Octaviano de Castro e Silva, Vi-
cnte Duarte da Costa, Fortunato Pinto da Mot
ta, Viente de Souza, Philadelpbo Pessoa, Ale-
xandre Jos Viveiros, Joaquim Elias, Fernando
de Oliveira, Joo Paes, Jos Pereira Neves Bahia
e 3 pracas de-polica.
Operacoes clrurglcas Foram prati-
ca das no hospital Pedro II as seguintes opera
ges:
Pelo Dr. Fernandes Barros:
Ampulago da cdxa indicada por elephantia-
sis dos rabes na perna direita.
Pelo Dr. Berard o :
Ablago de pterygio pelo processo de Arlt.
Pelo Dr. Malaquias :
Amygdalaloroia dupla indicada por hypertro
pbia.
Extracco de kisto sebceo da regio tibial
anterior esquerda.
casa de DetencaoM iviraento dos pre-
sos da Casa de Detencao do Recife, Estadr
de Pernambuco, em 27 deFevereito de 1890.
Existiam 441; entraram 13; sahiram 10; eis-
:em 444.
A nihf"r *
Nacionaes 414; mnlheres 19; estrangelros 8 ;
-Total 441.
Arragoados 401.
Bons 372.
Doentes 17.
Loncos 8.
Loucas 4.
-ToUl 401.
Movimento da enfermara
Tiveram baixa :
Mathias Ne.y.
Paulo O.hia.
Antonio los do Nascimento.
Tiveram alta :
Flix Jos de Oliveira.
Jos Ferreira Leite.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
mento por 196 pessoas, sendo homens 66. e om-
itieres 130.
Leiioes -Effectuar-se-ha o seguinte :
Hoje :
Pelo agente Gusmo s 11 horas, roa de
Hortas n. 41, da armar fio e mais perten gas da
taverna abi existente.
Hospital Pedro nO movimento deste
s:abelecimento decaridade, no dia 26 de Fe-
vereiro foi o seguinte:
' Entraram 4
Sahiram 5
Fallecen 1
Existem 401
Foram visitadas as respectivas enfermarlas
'los Drs.
Moscoso s 8 1/4.
Barros So irioho s 6 3/4.
Berardo s 11.
Malaquias s 101/2..
Pontual s 8 3/4.
Simos Barbosa s 10 1/4.
Nao compareceram os Drs. :
Cysneiro.
Estevo Cavalcante.
O cirargio dentista Numa Pompilio s 8 3/4
horas.
O pharmaceutico entrn as 8 lj4 da manh e
ibio s 3 i/4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrn s 7 1/2
e sito is 5 horas da tarde.
Lotera do Gram-ParaA 3 parte, da
33* lotera, cujo premio grande de 120:0004,
ser extrabida no da 5 le Margo (quarta
feira).
Ceatlterlo publicoObituario do dia 27
de Fevereiro:
Rosa Maria da Conceigo, Pernambuco, 12 an-
no, S, Jos; febre typhira.
Severino, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista ; me-
ningite:
Vicente Ferreira dos Santos, Pernimbucp, 17
annos, solteiro, Recife; beriberi.
Josepha Alves da Conceigo, Pernambuco, 18
annos, solteira, Boa-Visia; diarrhea.
Maximiano Manoel, Pernambuco, 2t annos,
solteiro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Jorge de Franga Lima, Pernambuco, 21 annos,
soltnlro, Boa Vista ; peritonite.
Thereza Maria de Jess, Pernambnco, 42 ao
nos, casada, Graga; fehre typhiea.
I
JJMPOCO DE TUDO
Das notas de um dilettante em gyro do mnndo
colhemos a seguinte noticia sobre Aden.
Antes de despontar o sol, ja me achava na
barca com alguns compacheiros para fazer urna
visita Aden.
O panorama imponente; os montes selva-
gens, de formagao vulcanica, cortados de forma
bizarra, que compoem a pennsula, sao o non
plus ultra da aridez e da desolago: parece que
queiuado3 pelo inferno, foram arremessados de
pois luz do sol forgas diablica. O preto e o
vermelbo escuro sao as cores dominantes, com
infinitas variagoes, sem um ponto verde, sem
um fio de berva.
Desembarcamos n'um lugar chamado Steamer
point, onde se acham situadas.as repartieres do
governo, o correio, as agencias eonsulares e
out'as, sendo logo cercados por negros somalas,
abyssinios, rabes, um tbeatro no qual viam se
e apalpavam-se tod s as novidades que aecumu-
ladas se apresentavam vista.
Tomamos um carro com destino cidade e s
cisternas que distara oito kilmetros do porto;
e n'esse percurso vimos por toda a parte fortn-
cages canhOes, aridez e rochas queimadas e
eccontr.imos tambem caravanas de camellos, car-
ros puchados por zebs e urna variedade ex-
traordinaria de typos e costume3 proprios para
encher um museu.
Os negros somalos com urna simples tanga na
cintura offereceu o maior contingente da popu-
lago e talvez o mais bello ; o restante urna
mistura rabe indiana com um limitadissimo nn
mero de europeus, para os quaes a estada em
Aden nos mezes quentes, um verdadeiro in-
ferno.
A praga subordinada Presidencia de Bom
bay com guarnigo de tropas indgenas; e em
nossa passagem 03 agentes de polica se pozeram
apo3tos, as sentinellas e os piquetes da guarda
nos fizeram as honras militares sendo isto praxe
geral observada a respeito de qualquer europeu,
as possessoes anglo-indianas.
Atravessamos a cidade, que construida re-
gularmente; por toda a parte ordem e pratica
relativamente ao Oriente, se entenda; o que
nos d um ptimo conceito da administiaco in-
gleza. Apenas estamos lora das famosas cister-
nas que se acham em urna garganta de montes
extraordinariamente pittorescos e escocezes, e
dos quaes, quando chove cada dous ou tres an
nos, a agua desee em cem cscalas e vai de ba
ca em bacia encher a grande cisterna que, se
rae nao engao deve conter 300 mil gales.
Essas bacas, construidas em numero de 600
foram reparadas pelos raglezes e acham se actual
mente em ptimo estado. Parecem novas, mas
infelizmente esto senprc vasias, si bem que,
depois do corte do isthrao de Suez, as coniigoes
climatricas de Adera tinham, segundo dizem
melhorado, visto terem-se tornado as chuvas
mais frequentes.
Hoje bebe se agua do mar destinada e cara ;
e antes vinha ella do interior em costa de :a
mellos, e tambem em barcas da costa d'Africa;
o que a tornava anda mais custosa.
A posigo de Aden de grande importancia
para a Inglaterra, a quEl prestase de baluarte
do caminho da India, como o foram antes as
ilhas de Perin e de Malta e o rochedo de Gi
braltar.
*
E' do Sr. Segismundo Teixeira :
intimo
(AO SR. J08 DE C. E SILVA)
Nao posso mais luctar, a lucta tambem canga.
Nao posso mais viver, a vida me asphyxia.
E eu sinto sucumbir em hrrida agona
Sem risos de prazer, sem risos de esperanca.
O mundoesse ocano enorme de martyrio,
De dor e de tristeza de pranto e de amargura,
Me traz accorrentado ao poste da tortura,
a rir contentemente, a rir como em delirio.
E os sonos cor de rosa dos dias do passado
Eu vejo se sumir no marulhar das ondas
Do mar do desespero, febrfl, encapellado.
Ns posso mais luctar, nao posso mais viver
Nao quero mais ouvir a voz da desventura,
Mostrando m'a sorrir a trilna do soffrer.
#
E' de Alfred Duval :
MUSA MINHA...
Pego a palavra. Nao pode,
Nao pode o senhor fallar
Pois n'uma trra onde o bode
Deve tambem discursar.
Negara a mim a palavra.
Orador de praga publica I
Di3cur303]de minha lavra!
Santo Deus, oh que repblica I t...
Desca pe, pego desculpa
Se fui eu quem leve a culpa;
Me perde por esta vez...
Eu pensei que o cidado
Era a influenza Mas nao.
Inda peior, inglez.
Urna curiosa descoberta foi ltimamente feita
na India. ,
Consiste ella no reconhecimento de urna plan
ta elctrica, que em distancia de seis metros, age
sobre urna aguiba calamitada; que a sua acgo
se agita vivamente e se approximara muito per
to da planta. .
A energa de urna to estranha influencia
varia segundo as hora3. Omnipotente s 2 da
tarde, absolutamente nulla durante a noite ; e
3uanlo a tempestado embravece, a sua intensi
ade augmenta em proporges notaveis.
Quarfdo chove, a planta parece suecumbir e
inclina a cabega; lica sem forga e sem virtude,
o que tambem se d, se alguem a protege co a
qualquer sombra, sendo que ento nao se ouve
estrepito algura como que partindo as fojbas, e
a aguiba calamitada, permanece immovel.
N'iugTjem anda vio um passaro on insecto poi-
sar sobre a planta elctrica : o instincto parece
advertil-os de que abi achariam nma morle
certa. .

Os eclipses constitqem infallivel relogio.
Estudando o movimento do systema solar po
dem ser calculadas com extrema preciso a3
datas dos mais remotos eclipses do sol e da la
e determinar de modo rigoroso as regiOes onde
taes pbenomenos foram visiveis. E, combinados
estes dados com as relagOes das chronicas que
alludem ao3 eclipses, ebega-se a precisar as da
tas de acontecimentos acerca dos quaes pairam
duvidas quanto ao tempo em que occorreram.
Este methodo tem sido empregado pelo Dr.
Mahler em urna serie de memorias, as quaes
tem flxa as datas, at agora incertas, de uotaveis
auccessos da historia dos Hebreus>^ #
A primeira pesquiza deste genero versou so
bre a data em que os judeus sahiram do Egypto
e as conclusoes do autor, fundadas no eclipse
do sol de Margo de 1331, combinam perfeita-
mente com os dados traosmitUdos pela Biblia e
pela tradico quanto poca do referido acn-
tecimento, que se realisou naquelle anno.
S sabio Mahler chegou tambem a provar a ri-
gorosa coincidencia de outros eclipsjs com os
textos biblicos e ou'ros.
Assim que determioou os elementos e a data
precisa do eclipse annunciado por Isaas ao rei
Ezechias, do indicado pelo mesmo propbeta por
occasiao do cerco de Jerusalm pelo re Pekacb,
de Israel, e dos qne se acharam eoa rehglo com
o cerco, conquista e destruico de Ninive.
De todos os eclipses determioou -o autor as
zonas de visibilidad*:, a duragSo do pbenomeno
e. a sua grandeza, tendo assim realisado colossal
trabalbo de clcalos astronmicos.
SPORT
Diz a Semana Sportiva, que ura cavalheiro
frequentador acrrimo das corridas, e que to
mou a pello a moralisago do turf, sesolvet ten
lar por meits praticps a realisago do seu drni
d-ratum
Instituir para esse fim um
Premio de Virtude
Precisando, antes de todo, saber ao certo
quaes sao os proprieUrios e jockeys serios do
Rio de Janeiro e Nictheroy, para proseguir no
seu louvavel empenbo, tomou a deliberago de
depositar no Hippodromo Guanabara a qnantia
de 5:000 que ser dividida em dous premios
de i0:00M e 5 0001, o prime.iro para o propne
tario que nunca ticer feito ma patota, e o se-
gundo para o jockey que nunxi tiver deixado de
disputar urna corrida.
A inscnpgo para esses premios acha-se aber-
la desde j e encerrar se-ha no dia 31 do cor
rente mez de Margo.
Urna commisso de dez membros ser depois
encarregada de verificar qual ou quaes dos in
scriptos se accam as condigOes exigidas ; e e
em ambas as classes apparecer mais de um em
taes condigOes, o cavalheiro em questo com
promette se a dar igual premio a todos.
Essa commisso syndicante na parte concer
nenie ao proprietarios que se propozerem ao
Premio de Virtude ser composta de jockeys que
teoham montado animaes seus ; e na parte rea
tlva jockeys, de proprietarios que os tenham
mandado montar.
A inscripgo deve ser numerosa.

Lord Blocho da Vida Fluminevse-nao mo
autor ; do e aceito.
Se autor seguido, pois, vamos cital-o ; e
para isso l vai o que elle diz :
Antes de mais nada, devenios como cumpri-
mento de um dever sagrado, L'ual aquelle das
chapas dos discursos congratulatorios, censurar
acremente a directora do club bippico nithe
ryense pela reprehensivel atlitude que reslveu
assumir contra os proprietarios honestos, que
as ultimas corridas se portaram com todo o
cavalheirismo e hummidade, mandando os me-
lhores caval los chegarem atraz, para nao canga r
llies as peinas.
A deshumana directora entendeu, porm, que
os cavados sao pura ah ujs bichos que bao de
estar sempre a correr devoras e a estropiar-se,
e por todos os meios illegaes e altamente cen
suraveis quer agora fina forga.. que todos 03
animaes toquem para a ponta, sem attnder a
que as poules dessa mam-ira nao do nem para
o buraco de um dos denles da mestranc 1.
Nos, como ura dos Ilustres jornaes da mu
nhfi, estamos do lado da mestranca.
Nada, aquillo de andar a annullar pareos e a
multar jockeys e proprietarios, nicamente por
que elles fazem urna modesta patota, nao tem
lugar nenbuma.
A annullagao do pareo do Monitor, por exem
po, fo: um atteritado dos mais clamorosos e dos
mais odiosos e ha de repercutir em todo o ve-
lho mundo como o attentado mais frisante da
corrupgao de costumes das directoras.
Pois ento s po;que bouve urna brincadeira
toa dos jockeys de Correcto, de Contralto e de
Monitor contra o ero, a que simplesmenle nao
deixaram correr, e quasi mataram cavalleiro e
cavallo ; tudo isso, porm, com pena do pobre
quadrupede, que corra mais do que era pre-
ciso, havia de annullar-se o pareo quando j
urna vez, em 1741, aconteceu ura competidor
queorar as 4 perms do outro, e apezar diaso pa-
gar se a poule do vencedor ?!!
*
Nao, isto nao tem lugar; a directora deve
olhar s para o poste de ebegada; nao tem na-
da l com o que se passa em caminho : o caval
lo que chega na ponta, o vencedor.
Eu, pcrexeraplo. que tinha 5 poule3 no Mo
nitor, porque aquillo era certo, hei de profligar
a attilude reprehensivel da directora, que jurou
aos seus deuses prejudicar a mestranca no jogo
commodo e fcil que ella fazia.
Nao decente nem comprehensivel que os
proprietarios dos cavados joguem com risco de
perder I
*
O mesmo lord, em sua qualidade de pur en-
glish. em outro momento de spleen. e3creveu :
A corrida de cavallos realisada domingo pas-
sado no Prado do Porto das Neves deveria cha-
mar-se antes correria de patoteiros: porque aquil
lo na verdade foi urna serie de escandalosos tri-
bofes, cada qual mais audaz e revoltante.
A parte do Ze pagante que navegava as aguas
do mestranca ra da outra parte que era depenna-
da pelos tribofeiros, e esta ultima soltava uns ge-
midos de raiva no lira de cada correria; mas ne
nhuma nnica vez soube protestar com energa
contra o-roubo que s escancaras lhe era feito.
E de um povo destes, que nem sabe correr
os ladres, olhando portan to para a mo que se
introduz na sua algibeira, sem um protesto, sem
um movimento de indignago: de um povo
destes, molle, indiferente, que se exige inter-
vencao franca e aberta as lucias polticas que
necessariamente se vo travar no rgimen demo
cratico, que para felicidade da patria foi inau
gurado'a 15 de Novembro I
O' povo, acorda desta modorra bestial, dessa
indifferenga que te iguala aos servos da gleba ;
mostra nm da que os ervos que Deus te deu,
nao sao ervos de brabante e vibrara ao choque
da indignago, como ao de patriotismo e das
ideas gneros is.
Nao queremos dizer com isto que te entregues
excessos, fazendo as estpidas destruigOes ma
teriaes que te aviltariam, attestando a tua falta
de educago.
Mas mostra te nobre e altivo.
Quando no3 prados te roubarem, como domin-
go puado levauta-te indignado, dirige te aos
cavalheiros que corapOem as directoras e exige
d'elles que se annullem aquellas indignidades,
para que o teu dinheiro nao passe assim impu-
nemente para os bolsos los tavoleiros.
Olha que nos vivemos agora em um systema
de governo em que a vontade do povo a so-
berana, e se tu nem sequer defendes a tua bol-
sa com energia, como has de defender os teus
direitos e fazer valer as tuas opiniOes nos comi-
cios eleitoraes ?
Vamos, um pouco de ervos mais afinados e de
vibrages mais elctricas, meu povo ; nao te
deixes ronbar sem protesto, que isso indicio
de servilismo e molleza incompativeis com um
povo livre e generoso!

O lord eslava com o spleen da revolugo pe-
la concitago do Ze pagante contra a mestranqa.
E isto na capital federal!
O que dir a mxstria d'aqui ?
CHROWICA JDDIC1AR1A
Tribunal da Relaco
SESSO ORDINARIA EM 28 DE FEVEREI-^i
RO DE 1890
PRESIDENCIA DO CIDADO DESEMBABGADOB
QUINTINO DE SOBANDA
Secretario, o cidado Dr. Virgilio Coelho
A's horas do costume, presentes os cidadaos
desembargadores em numero legal, foi aberta a
sesso depois de lida e approvada a acta da an-
tjeedente. '
Em seguida o cidado desembargador presi-
dente, em cumprimento ao decreto de 20 do cor-
rente mez, convidou aos desembargadores para
procederem a eleicao de presidente do Tribunal,
o que leve lugar fazendo o mesmo desembarga-
dor presidente a chamada dos desembargadores
Vsconde de Jaguaribe, Almeida Santos, Olivei-
ra Andrade. Tavares de Vasconcellos, Alves Ri-
beiro, Pires Gongalves, Pires Ferreira e Delfino
Cavalcante; declarando cada um delles a pro-
porgSo em que ia sendo chamado votar no des-
embargador Quintino Jos de Miranda votando
e3te no desembargador Vsconde de Jagnaribe;
sendo porUnto eieito por maiona absoluta de
votos o desembargador Quintino Jos de Mi
Concluida a eleigo o desembargador Delfino
Cavalcante propoz e foi unnimemente approva-
do, qne se consignasse na acta nm voto de Ion
vor ao eieito pelo modo correcto com qne tem
.dirigido os trabalhos da Relago, cuja prova a
sui unnime eleigo.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
os seguintes
jLGAMENTOS
Habeas-corpus
Pacientes:
Flix de Moraes Bandeira:Indeferio-se a pe
tico contra os votos dos desembargadores Ta-
cares de Vasconcellos e Alves Ribeiro, qne man-
daran) responsabilizar a autoridade processante.
Antonio Cesa:- Ramos de Oliveira. Mandou-
se soltar, unnimemente, decretando se a res-
polis ibilidade da autoridade que deu canea de
demora da formaco da culpa contra o voto do
desembargador Vsconde de Jaguaribe.
Joaquim Felippe da Costa. Mandou-se ouvir
a respectiva autoridade policial.
Recurso crime
Do Recife Recorrenle o juizo, recorrido Mi-
guel Rufino de Carvalho. Relator o desembar-
gador Oliveira Andrade.Negou-se provimento
unnimemente.
Aggravo de petigo
Do Recife Aggravante Virginio Horacio de
Freitas, aggravado o juizo dos feitos da fazenda.
Relator o desembargdor Tavares de Vasconcel-
los. Adjuntos os desembargadores Almeida San-
tos e Vsconde de Jaguaribe. Negou-se provi-
mento, unnimemente.
Prorogago de inventario
Inventarame Manoel Maria de Hollanda Ca-
valcante.Mandou-se em diligencia.
PASSAGBNS
O desembargador Pires Gongalves, como pro-
curador da fazenda e promotor da justica den
parecer nos seguintes feitos :
AppellagOes crimes
De Bom Conselho Appellante Seraflm Teo-
philo de Barros, appellada a justiga.
Da Princeza Appellante o juizo, appelladoe
Vicente Nogueira de Carvalho e outro.
De Cimbres Appellante o juizo, appellado
Flix Gomes dos Santos.
Appellago civel
Da Palmeira dos lodios-Appellantes D. Rosa
de Araujo Pessoa e outros, appellados Augusto
Martiniano Soares Villela p outros.
Do desembargador Alvas Ribeiro ao desem;
bargador Tavares de Vasconcellos :
Appellago civel
Do Recife Appellante a Companhia da Es-
trada de Ferro de Caxang, appellado Jos Ja-
cintho de Oliveira.
Do desembargador Tavares de Vasconcellos
ao desembargador Oliveira Andrade:
Appellaco crime
D.) Palmares Appellante o juizo, appellados
Joo Gouveia da Silva e>outros.
Do desembargador Almeida Santos ao desem-
bargador Vsconde de Jaguaribe:
Embargos infringentes
Do Recife Embargante Joo Christiani, em-
bargados Francisco de Paula Pires Ramos e ou-
tros.
DISTBIBigJES
Recurso crime
o desembargador Visconle de Jaguaribe :
De Nazareth Recorrente o juizo, recorrido
Christovo Puglese.
Processo de responsabilidade
Ao desembargador Oliveira Andrade :
De SouzaContra o juiz de dircito Dr. Miguel
Peixolo de Vasconcellos. _
AppellagOes crimes
Ao desembargader Delfino Cavalcante :
De Limpeiro Appellante Jos Zeferino Perei-
ra Cavalcante, appellada a justiga.
Ao desembargador Pires Ferreira :
Da EscudaAppellante o juizo, appellado Jos
da Roctr. Guedes.
Ao desembargador Monteiro de Andrade:
De Pao d'AlhoAppellante o juizo, appellad
Joo Antonio Carneiro.
AppellagOes civeis
Ao desembargador Silva Reg :
Do RecileAppellante Antonio Joaquim Gon-
galves Fraga, appelladas D. Oiympia Candida
Coelho e outra.
Ao desembargador Almeida Santos :
Do Recife Appellante (ratuliano dos Santos
Vital, appellados Almeida Castro & C.
Ao desembargador Vsconde de Jaguaribe :
Do Recife. Appellante Florencio Domingues
da Silva,appellado Francisco Joo de burros Ju-
nicr.
Ao desembargador Delfino Cavalcante :
Do RecifeAppellantes Souza Montinha & C.;
appellado Joao Olympio de Albertino.
Encerrourse a sesso 1 1/4 hora da tarde.
' 4s
1JDICAC0ES DTEIS
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia s 2 horas e fora
destas horas ra do Baro de S. Borja
n. 22. Espe sialidadesmolestia de enan-
cas., senhoras e parto. Telephone n. o2S
da casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8,
d consultas medico-cirurgicas todos os dias
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
dias santificados.
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
i da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.*
sudar. Telephone n. 389
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencie
ao Monteirc.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
ico-crurgica. Especialidades : moleeiae
pulmonares e partos. Ra do Marque* de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas uas 11
is 2 horas e na Casa Forte (P050 da Pa-
ella) das 6 s 9 horas da manhS e
ard. Teleshone n. 392
Dr. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1." an-
dar a ra Duque de Caxias n. 46, puden-
da ser procurado para chamados, na sua
residencia, a ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr. Alves Guimares, dedica-se me-
dicina em geral, e com especialidade t
molestias do corajao, pulmSes, figado, es-
tomago e intestinos e tambem s affecgBes
de criancas. Reside ra de Fernandes
Vieira n. 23, e tem consultorio na ra do
Bom-Jesus (antiga da Cruz), n. 45, onda
d consultas do meio-dia s 3 horas. Te-
ephone n. 381.
Advogados
O baehar'el Joaquim Ihiago da Fonseca
tem seu escriptorio de advogado ra do
Imperador n. 14, 1. andar.
O bacharel Bonifacio de Aragda Fama
Rocha contina a advogar. Escriptorio
ma do Imperador n. 46., 1. andar.
O bacharel Petronilho de Santa Cruz Oli-
veira, encarrega-se de levantar empresti-
mos perante o Banco do Brazil para auxi-
io da lavoura. Escriptorio ra do Impe-
rador n. 69, 1. andar. Residencia sitie
na Jaqueira, prximo estacao.
Occnlisa
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
aaes hospitaes e clnica de Pars e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
lorasdao meio-dia. Consultorio e resi-
iencia ra Larga do Rosario n. 20-
Dr. Barreto Sampaio, oceulista, d con-
jultas de 1 s 4 horas no 1. andar da
jasa ra BarSo da Victoria n. 51. Resi-
dencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra-
da pela roa da Saudade n. 2.
1

t

1
!
' f.

i

4M*>,
*tifti-fmj,"tfTTj-


r


Diario de PeraamtHico--Sabbado 1 de Mar$o de 1890
Drogara
Faria Sobrinho cado, ra do Mrquez de Oiinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, depos;
taos de todas as especialidades pharma
ceticas, tintas, drogas, productos chim
cas e medicamentos homeopticos, ra de
Mrquez de Oiinda n. 23.
Tinta de escrever
A melhor a unta Victoria, vende-sc b
500 rs. meia garrafa e a 800 ra. urna gar
rafa inteira na Livraria Comtemporane;
de Ramiro M. Costa, ra Io. de Marco n.
2, loja de ferragens de Albino da Silv>
6 C, ra da cadeia n. 42; loja de ferra-
gens jde Brandao & C, ra Duque de Ca
xias n. 46.
PUBLICARES 1 PEDIDO
Os grandes melhoranientos
in
O poder das naco*es est na razao direc-
ta dos progresso3 interiores que nella se
realisam.
Nioguem boje acredita que a causa do
rompimento do equilibrio, mesmo pojiti-
o, das npeSas, esteja no augmento do ter-
ritorio, como se suppunha antigamente.
Progre88os materiaes, progreasos
moraes e progreseo3 econmicos, diz um
profundo escriptor, eis onde reside o po
der das nac3es.
Compenetrados desta verdade que por
sua natureza intuitiva, nos os brazileiros
devenios empregar todos os meios a nosso
alcance para extinguir as causas que de-
terminam o amortecimeuto d3 nosso paiz.
Anda tempo de readquirirmos tudo o
que temos perdido; a victoria c tanto maia
favoravel quanto certo que o fogo do pa-
triotismo nao se apagou inteiramente de
algas coracSes bemfazejos.
Factos ha, se bem que poneos, que de-
monstram que mesmo entre nos anda se
destaoam pessoas que reconhecem a ne
cesaidade da iniciativa particular.
Quando em 1888 as ideas abolicionistas
preoscupavam alguna espiritos em que nao
se havam embotado de todo os sentimen
tos altruistas, o povo, despertado pelas pa-
lavras daquelles que na imprensa e na
praca publica defendiam a grande causa,
veio associar-se.ao movimento. Vio se o
triumpho esplendido que entao se obteve.
A um estadista pernambucano de alto me-
recimento, coube a gloria de ter dado um
golpe decisivo na questao, recebendj os
applausos das multidSes e as lagrimas de
agradecimento daquelles para quem a li-
berdade fora um sonho.
Quanto o povo brazileiro fo grande nes
sa occasiao!
Em commemoracSo urea le que abo-
li a eecravidao do territorio brazileiro,
ruidos-.s manifestares foram feitas, sur
gindo em alguna espiritos saos a idea de
elevacao de monumentos que attestajscm
sos vindouros que o povo, atinal desperta-
do, reoebera com palmas e flores a nova
le.
Assim foi que na legendaria Onda or
ganisou se urna coramissao para arrecadar
donativos, afim de erigir urna estatua a li
berdade e esse intento foi conseguido.
Esta cidade devia imital-a e compre-
hendendo a necessidade de aproveitarem-
se certas porcoes territoriaes que inteira-
mente abandonadas, serviam t3o gmente
para deposito de lixo e reunio de vaga-
bundos, a'guns homens da nossa socieda
de constitaidos em commissSo pelo Exm.
Sr. deaembargador Oliveira Andrade, quan-
do presidente de Pernambuco, como prova
solemne de sua adhesao grande causa,
acceitaram a incumbencia de promover a
construccao d'um passeio publico a que ae
dara a denominacao de 13 de Maio.
Para ease fim foi escdh'da a zona com
S-ehendida entre a parte septentrional do
ymnasio e o edificio onde funecionou a
Paculdade de Direito, no largo do Hos-
picio.
A' grandeza da idea correspondan! as
immen8as diflLuldades que se encontrariam
para converter o projecto em rjalidade ;
mas como a historia nos convence de que
nlo ha fim que nao se chegue a attingir
COMMERCIO
Revista do Mercado
RCIFF, 28 DE FEVEKEaO DK 18S0
O movimento na praca conslou de transaeces
no mercado de cambios e alguns negocios pe-
queos no de assucar.
Cambio
PRACA DO BECIFE
Os bancos adoptaram a laia de 2) 3/4, b:.vcn
do negocio a 23 13/16 no correr do dia.
No'houve movimento em papel particular,
querendo os eaccadores 23 7/8 e exigindo 03
bancos 24
{PBAgA DO BIO DE J/.KE1BO
A tasa nominal basarla foi 23 7/8 bavendo
procura para papel particular a 2.
TABELLAS AFPTX4DA9
z
i

3.
3
g
6T g 6
a- f
3 es c.
1 %, I "
Q
| J -i >
n
o
a
*3
O
9

9
m
I <\
SS 2
W 00
2'

Bolsa
JCfgoES OFFIOAES DA JUSTA DOS COR-
BETORES
Beeife. 28 ae fevereiro de 1SC0
Cambio sobre Pelotas e Rio Granae, 60 d/v. com
1 3/4 0,0 de descont.
com perseveranca e boa vontade, empre-
headcu a commisio os traba.ln.o8, adoptan-
do um plano j exiatente, organisado sob
a inapeccao do illustre engenheiro Four-
iiier. A aforeos daquelles qae a com-
p5em manifestados quer na actividade com
que arree daram esmohu, qner na boa dia-
tribuicao do servico, no Io anniversario da
le 13 de Maio, foi assentadaa pedra inau-
gural no largo do Hospicio com a solem-
nidado 'que um melhoramento desaa urdem
requer.
Nada faltou para o realce da festa, e ao
zelo da commissSo encarregada de dirigir
os trabalhoB, devemos a boa ordem que
nella reinou.
A festa com que se so)emnisou o assen-
tamento da pedra, parece, estimulou mais
os membros da commiaaSo.
Os trabalh'os continuaram com ardor e
a metade, senSo mais, daquella zona, que
toda' oceupada pelas aguas do ro, est
aterrada.
E' que os membros da commissao do
Passeio Publico 13 de Maio estao convic-
tos de que perseverar vencer e qie o
triumpho est na razio directa das diffi
cuidadas vencidas.
tendeada municipal de Bar-
rearos
A Provincia de 23 deste mez estampou em sua
parte editorial um artigo qu llie fra dirigido
(leBarreiros, diz ella, por pessoa credora de to-
da a sua coulianca, mas, que p?ra nos, nao
oulra 8eno a mesma que encarregou se,
logo a-ios proclam::cao da Repblica, de
passar telegrammas falsos para esta capital, dan-
io noticias de meetings, passeiatas, bailes, etc .
promovidos por pessoas, cujo concurso nesses
festejos, consisti nicamente em brilbarem pel
ausenca; esses manejos indecentes de uaixa
politicagem, sao sumientes para denunciar a
lon^a aaiancebia, e>n que o informante da Pro
cilicio esteve con o deleterio espirito de torpe
corrupcao do segundo reinado, alimentado pelo
sagrento alvorecer do terceiro.
Ha muito que esperavamos por e si exploso
de odios mal comidos, de injustin^avtiis tntere
8es. merecidamente offendidos daquellss que
tendo por longo tempo saciado sua voracidad
pantagrulica as tetas .gordas do orleanismo ou
ro pretino. nao recebem agora, pelos "apodjs
alirados do3 pateos das matrizes soire a cabeca
o ex-idolo do manifest de Tenerife, as oslen-
losas posicOes officiaes que receblam quando,
desacaimados, airavam-se furiosos e impotentes
sobre as mais crystalioas repatacOes da revolj-
cao republicana, como Silva Jurdim e Uarlini
Jnior.
E, como hoje nao ten a sui d spo-icao prest
>lentes empreiteiros dHkleicO^s r. patotas e sim
um bravo mi'echal, cojo coraco drt soldado nao
aninba baixezis e protervias, eil os ja eapalkao -
do ao redor de si essa baixa atmospherH de en
red is e intrigas, para conseuirem o bm viia lo.
Nao conseguirio.
Com palavras tomadas de emprestirao aos ci-
aaaCM de frente de msica flor da fente da
navalha, nao que se marea a reputac-j de u n
corpo administrativo, do qual, alm e dous
agricultores honestos e probidosos. faz pane
como seu president-, um carcter distioctissi-
mo, de tempera verdadeirameme republicana,
escorreito de quaesquer manchas a nodoar Ib;; a
alvura diamantina, como o Dr. Minoei Victorino
da Costa Barros.
Nosso intento nao defender a intendenta, que
pe defender com seus actos que sero os pro-
domo< de urna era de feheidade e progn-s-'O
para Barreiros: nao defender o Sr. Pedro de
Barros; nicamente dizer aos Srs. Olympio
Tneodoro da Silv e Dr. Jos Nicolao P.-reira dos
Santos : se verdade o qu^ diz u Provine a e
no urna revoltante calumnia, defeinlam se. -
Ss. Ss. eram a luinoria liberal na Camac Mu-
nicipal; ora, come vereadores corria Ibes o de-
ver de zelar pelos irrter^sses dj municipio ;
coijjo liberaes, o de expr aoi mumeipes os
mos actos dos euvadvep.irios; o que tize-
raiu? Nao zelaram os interesses muuicipaes,
pois que. deixaram passar sein protesto os ac-
tos criticados pela Procmciatrahiram seu man-
dato;nao expozeram luz da imprensa, nein
ao menos da discussao verbal, as baixezas
dos seus adversarios : trahiruiu seu partido ; ou
ento, nada disso tizeram porque eram conni-
ventes as delapidages, e e-ito trahiram tudo :
mutiicipio, partido e dignidade prepria.
Vamos.deteadam s; digara ilguraa cou?a, e
se querem urna responsabilidade legal pan a
provocaeao. pecam a seu amigo, o informante
da Provincia, q je descubra se e nos nos deseo
bri remos.
Recife, 26 de Fevereipo de 1890.
Un bertkoliz.
tmpos. respetado pelos govemos bem intencio-
nados e esclarecidos.
Isto nao repblica, nao nada. Iste sim-
plesmente o despotismo e tjrannia.
654 facas., cada faca representando 10 vidas
gottejando das ponas rubras, 6540 vidas des-
protegidas e inermes.
Nos que com esses meemos pobres e inoffen
sivos instrumentos defendemos o <'onde d'Eu e
a Provincia, e que com el les pretendamos con
quistar a repblica e tal vez a corda de ditador
protestamos em nome do direito dos justos, em
nome da dignidade huu ana, em nome do ataque
propriedade, com que luamos pela vida em
busca dos meios de subsistencia.
Protestamos perante o governador e declara
moa que esaas facas eram as nossas espadas, que
no. faztem respeitados, aopassoque hoje somos
diariarueate ludibriados pelos anooymos do Dia
rio.
Consta que o Juca vai mandar buscar os mer-
gulbadore3 do Jto/ti para pescarem no fundo do
Ocano esf.as reliquias vivas das nossas grande
zas e depostalas no Instituto Histrico, ond>
alm do mais ficam ellas mao para qualquer
evenUnlidade quando essa repblica rodar.
Cbico Torro.
Paula Nery
Manoel d'Abel.
Prado Pernimbucano
Acabo de 1er nos jornaes desla cidade que fui
suspenso pela directora do Prado, at 31 de De-
zembro do corrente anno de ioscrever all caval-
los, e como o publico nao eaiba razao disso,
passo a expol a.
Tendo inscripto no Prado o meu animal Cape-
ta no pareo de pequiras da corrida que teve lo^ar
no dia 9 do corrente, aconteceu que por occasiao
de medireiu os animaes, achirara que o meu ex
ceda da medida e por isso nao podia correr.
At ahi nada ha de mais. o que porm snr
preeodeu me foi que nao me quizessem restituir
a importancia da inscripc > do meu animal, pelo
que fui brigado a recorrer ao Dr. delegado do
1* districlo.
Ja o meu aniual bavia corrido no Derby em
um pareo de pequiras. com igual medida e ne-
nhuma m f porlanto existia de minha parte.
Mi f tavja da parte da directora do Prado, que
nao fez a declarado de nao restituir a inscripeo
ao dono dos animaes que nao dessera na medida
e aposaou se illiciumente do meu dinbeiro.
Todo os Prados desta cidade tm tido pareos
de pequiras e nenhum d'elles procedeu do modo
por que acaba de fazer com a mais requintada
m f o Prado Pernambucano.
Para que a directora do Prado exigi que os
animaes fossem medidos dias antes da corrida, e
nao antes da inscripeo? Foi sem duvida para
ter este p do art. 66 do Cdigo da Corridas, quan-
do entretanto, m f, so houve de sua parte.
Ha um meio mais fcil de extorquir se o di
nheiro alneio do que o de que usou a directora
do Prado?
Euoflni, llque-se o Prado com o meu dinheiro,
mas esteja certo que o seu procedimento ha de
ser condemnado pelos homens de bem.
rtecife, 28 de Fevereiro de 1890.
Thomaz Mauricio de brea.
Protesto
654 facas aliradas ao lamarJo !! Atteotado
rontra a propriedade, contra a bravura, contra a
liberdade;de matar, direito sagrado em todos os
;amnio sobre Londres. 90 d/v 23 13/16 d. por
11, do banco.
u uresidente.
Antonio Leona 'do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Uubeux.
Al sodao
Cota se o de 1* sorte do serlo na razo de
7*200
A exportacio feta pela alfandega neste mez al
o d'a 2 constou de 1.90.681 kilos, seado.......
1.750.493 para o exterior e 15.186 para o inte-
rior.
As entrada* verincadis at a data de hoje so
bem a 2G9oo accas, sendo por :
Bircacas...... 3-66:< Saccas
Vapores..... 176
Animaes..... *
Via-rerrea de Caruar. 2.053
V.a-ferrea de S. Francisco. 3 968
V:a-ferrea deLimoeiro 7.721
Somma-
26.955 Saccas
As&acar
Oa prs'cos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
m seirutntes: __
Jsioas..... 40J0 a WoO
ranco 39J a 45X'
Smenos. -8J0 a 2^00
Miscavado purgado l8-)0 a U'^'O
KrutOB..... 1*300 a lf*)
R:ume 1OJ0 a U*M
A exDortaco fea pela alfandega ne.-te mez al
o dia 26, consiou de 12 627.21 kilos, sendo *5.172
para j exterior e 12.582.042 para o interior.
As entrada* verlflei-Jus at a data de hoje so-
Chela est a natureza a espe
calmente as nossas flirestas americaaa8,
de planta, folhas, arvores e tanto e tanto
agente benfico com que a providencia in-
tentou allivar e anda supprimir as dores e
molestias corporaes da humanidade; porm
o homem tem olhos e nao v somonte
algam sabio, do tempo em tempo, oceupa-
se em deacobrir os segredos da natureza
em beneficio dos que padeeem, como tem
acontecido com a Aveleira Mgica da qua!
o sabio Dr. C. C. Bristol tirou e corabi-
nou o seu celebre Extracto Dnplo de Ave-
eira Mgica, admiravel conbina9ao cura-
tiva, bascaia as manvilhosaj virtudes do
Hamaroel8 Virginica, para o allivio e cura
radical de toda a molestia do carcter ia-
flammatorio, tanto intsrna como externa,
taes como; contusSos, ferdas, tumores,
ulceras, queimaduras, imaolacSn, carbun-
clos, erupvoes, panaricio, mal da garganta,
de olhos e de ouvidos; dr de dente e de ca-
neca ; hsmorrhagias, puxos, mal dos rins,
leucorrhea, diarrhea, Menstruaclo penosa,
coqueluche, clica, constipuj'io e asthma.
E' infailivel, assombrosa em sjus effei
tos e especialmente efiicaz em caeos de
almorreimas e rLeumatismo. 3
Auxilios lavoura
Pereira arneiro 4 C. continuam, autorisado-
pelo Banco do Brasil, conceder emprestimot
a lavoura da3 provincias de Pernambuco, Ala
gOa8. Parahyba e Rio Grande do Norte, mediante
as condicoe de que os interesaados sero infor-
mados no es^riptorio a ra do Commercio n. 6
das 11 hora? da manb s 2 da larde.
bem a 137.251 f uccos sendo por
arcacas ....
Vapores .
.animaes.
Via-ferrea de Caruare.
'/iayferrca de S. Francisco.
Via-ferrea do Limociro
Serrana.
54 857 8aceo=
6.675 "
8.626
77 Urf .
9 943 .
157 251 3 ccor,
Couros
Cotirot salgados 370 ris, e es verdea a 220
rts.
AC&iardeate
Cota-sc a 100(i0, porjJipa de 480 litros.
AlCOOl
Cota-se s 200*000 por pip?. de 480 litros.
Hel
Cota-fie a 55*000 por pipa de MO litro.
Pauta da Alfandcsn
gKU'KA DE 24 DK FEVEBElBO A 1 O MARCO
DE i .VII
Vide o Diario de 23 de Fevereiro
Vivios a descarga
Barca nacional Belt\. varios eeoero9.
Barca americana Fr'ed W. < arlon, algodo.
Barca sueca Balder, carvo.
Barca all-ma Sdiuam, varios gneros.
Bngue inglez Tulbot, bacalho
Patacho nacional Anna, farello.
Bxportaco
arciFB, 27 dr fevkreibo i>e 1850
Para o exterior
o vapor allemo Brema, para Lisboa,
carregaram :
H. Burle C, SO saccas com 3.6!3 1/2 kilos
de algodo.
No v;por allemo Valparaso, para Ham-
burxo, carregaram :
A. Steiea 4 C, 941 couros seceos 3algados com
10,692 kilos.
faro o mter'or
No vapor francez Ville de Baha, para San
tos, cirregarm :
P. Pinto dt C, 20 pipas com 9,600 litios de
agurdente e 15 ditas cora 7,200 ditos de alcool.
F. M da Silva & C, 5 caixas com 200 kilos
de rajurubeba.
Para Rio de Janeiro, carregaram :
M F. LeiU, 500 saceos coiu 30,000 fllos de
assucar oranco.
Amorim lrmaos & C, 25 pipas :om 12.000
I litios de agurdente.
! No vapor nacional Mandos, para Para, car-
regaram :
M. J. Alves, 200 barricas cjm 15,195 kilos de
assucar brauco.
J. A. de S, 138 barricas com 11,324 kilos de
assucar blanco, t
C. M. da Silva 50 barricas com 2,557 kilos de
assucar branco.
N. M. do Eirado, 100 barrica com 6,836 kilos
de assucar brauco.
H. Fernandes, 450 barricas com 25,286 kilos
de assucar branco.
J. Borges, 650 barricas coro 46,360 kiloE de
assucar branco.
V. Alves 4 C, 140 barricas com 7,806 kilos de
assucar branco e 50 ditas com 2,015 ditos de
dito rciiDdo. "*
A Guimares, 300 barricas com 14421 kilos
do assucar bianco.
K. Pessoa, 15 saceos com 1,(25 tilosjde assu-
car branco. I
Para Manos, carregaram :
A. Gurcaraes, 30 barricas com 1,162 kilos de
assucar branco.
M. Borgos & <'., 30 barricas com 1,890 kiles
de assucar branco.
P. Alves & C, 58 barricas com 3,085 kilos de
assucar braaco, 31 barris e 2 pipas com 3,872
linos de agurdente.
1 Borges, 50 barricas com 3,600 kilos de
assucar branco.
(2) Somno calmo e pcifioacilo da d8r,
tL a divisa do Xarope de Follet que
vence a insomnia seja o que fr a causa,
a fbre, as molestias, a nevralgia, as do-
res de cabeca, a tobte da asthma, das
bronchites e a grippe influenza, etc.
O Xarope de Follet d o somno verda-
deiro, aquello da natura, sem incommodo,
sem indisposicao, sem perigo; o somno
que o descanso calmo do corpo e espi-
rito. N'um frasco de Xarope de Follet
tem cinco ou aeia noites d'um descanso
completo, natural e reparador, e o frasco
se acha se em todas as pharmacias.
Cirurgpio Dentista
DR. ROBERT' P. RAWLINSON, for
nado pela Universidade de Maryland not
astados-Unidos, tem aberto o seu cnsul
-orio, na ra BarSo do Victoria 18, Io an-
lar.
Consultas daa 10 s 4 horas da tarde.
A memoria de meu irmo <9o
Francisco de .a mujo Lima,
fallecido em Nana s, capital
do Alio Amazonas, a 9? de
Dezembro prximo passado-
kesigna;ao
Se ob mortos sao no espago,
Puntos de gloria e de luz,
Do infinito no regaco
Fitam firmes cos azues ;
Se figuramos aer gotta
Que a trra chorando bota
A alma do ser humano,
Que se vai pel'espessura'
Dos astros coar mais pura
T chegar ao ethereo arcano ;
Se cada tmulo lampa
Qu se accende, ae pharol;
O epitaphio na lampa
Se parece n'arebol ;
Se o Sejhor do universo
Tem o'tinado immerso
No sudario do infinito :
Oh! entao da morte o braco,
Se fas logo o doce laco
Que nos une ao Dous bemdito
Mas sa a gloria dispensa
tomos qua vao d. trra,
Naquella planura immensa
Areia em nuvem que erra :
Se o Ser. Supremo s'esconde
Alm das espneras onde
O espirito Btibtil nao vai;
Entao a spr'anca da vida
A pos a morte c-jhida
Quando no campo se cahe.
Mas nao Minh'alrua vacil^,
Que a kbysma um mysterio
Alm dos orbes scintilla
Ente infinito c ethereo:
Elle regula os fados
Do mundo,-gentes,mudados
Far oj cursos d.s coi...
Homem, flor, para a gloria
Creado, e na victoria
Arauto, louro de Dous.
Suapendc, pola, o meu prunto,
Senhor, que eu bem te vejo:
No det O conjuncto teu ensejo.
La do centro da estrellas
Constante abrea viellas,
Pira o teu celesta apntco ;
Pala vi nebulosa
Tena lineado a formosa
Estcaia nossa sem risco.

Pedestal o firmamento
Em q e aasentaste a cruz
De teu fiiho, e o sofiVimento
Ordenaste por Jeaus :
Quem a cruz encont. a em meio
De sua senda, que veio
Fechar de sombra a paragem,
Nao ter jamis noite
Do, furacao o a$oite
De fogos vaos na passagem.
JaM. F. Martina, 70 barrica com 4,076 kilos de
i-.ssucar btanco.
t. Pinto & C. 101 barris com 9,696 litros de
agurdente.
Para Maranho carregou
J. 11. Dias, 5 caixas com 137/2 kilos de rap.
No vapor americano Mcance, para Rio de
Janeiro carregou :
V. da Silveia, 300 sacecs com 18,000 kilos
de assucar mascavado.
No vapor inglez Cometa, para Rio de Janei
ro, carregaram :
F. M. de Moara. 50 pipas com 2i,000 litros de
agu.rdenle.
P. Carueiro & C. 50 pipas com 24 000 litros
de agurdente e 650 saccas com 48 897 kilos de
algodo.
Para Rio Grande do Sal, carregaram :
P. Caroeiro 4 C, 700 barricas com 63,300 kilos
de assucar branco e 250 saccas com 17.778 kilos
de a'god&o.
No patacho nacional Rival, para Porte-Ale
gre, carregaram:
Amorim lrmaos & C, 775 sarcos com 53.125
kilos de assucar branco e 305 di os com 22^75
dios de dito mascavado.
No lugar inglez Lreyltouni, para Rio Gran-
ie do Su, carregou :
A. Guimares. 100 saceos com 7.500 kos do
assucar branco.
No lugar noraeguense Assur, par Santos,
carregaram :
Amorim Iru o 4 C, 150 saceos com 9,000
kilos tle assucar brancoe t,0o0 ditos com 6i,000
ditos de dito mascavado.
II. '(mandes, 400 saceos com 24,000 kilos de
assucar branco e 400 ditos com 24,000 Jilos de
dito mascavado.
H. Lundg en 4 C, 1.000 saceos com G0,c 00
kilos d assucar mascavado.
Na barcaga Therezinlia, para Parabyba,
car egou :
M. A. de Jess, 20 caixas e 10 garrafOes com
200 litros de geuebra.
Na barcaca SympUhia, para Natal, carre-
cot : ,
M. A. de Jess, 20 caixas com 160 litros de
geuebra.
Rcndlmentos pblicos .
IIKZ OH FEVER&IBO
Alfandega
Renda cera I :
Do da 1 a 27 726:498/803
dem de 28 31:643*579
J58:142*338
Renda do Estado de Pernambuco :
Do dia 1 a 27 153:86i*764
fdem de 28 4:486ll.'>a
163-350A919
Sormna total 921:493*307
Segunda secjo da Alfandega de Pernambuco,
28 de Fevereiro de 1890.
O tnesoureiroFlorencio Domingues.
0 chefe da seceoCicero B. de Mello.
Da sombra as luzas transporta
Tem de azas luminosas
Libradas por certo norte
A's regi3e8 fulgurosas;
Atrave8a as nebulosas
Como disparada eetta
E pelo infinito em recta
Medir auas alturas,
Attingindo as planuras,
Onde Deus marcou, a meta
As coB8tellsc5es e os ses
Aos ps o justo vai ter,
Fitar firme e juntos ver
Mil auroras, arrebes ;
Oj signos lendo, que aberto
O livro eterno tim perto
De qu'a trra folha negra,
E os hymnoa em harmona
Di creacao que nao ouvia
Ora sent em su'integra.
Nlo chores pois, alma minha,
A perda de irmao querido,
Sua vida foi-se asm ha
Para alm, ao mais subido...
Nao choros que n'esta senda
O Eterno s poz a tenda
Para descanco ; e se fin -do,
Considera um momento,
Irmao perdes. pelo evento
Tendo elle um co ganhado !
Oiinda, 3 de Fevereiro d 1890.
Manoel Theophilo de A. L>ma.
Dr. Silva Lea]
clnica ubdico cibhgica
Consultorio e residencia rna do Livramento
n. 6 1 andar Consu tas das 11 s 3 horas da
tarde. Chamados a qualquer hora, por escripto.
0)
ii
Leonor Porto
i
i
, Ra Larga do Rosario nu-
mero a
SEGUNDO ANDAR
( i Contina a executar os mais diBceis (
{ Jfiguriaos recebidos de Londres, Pariz,<
() Lisboa e Rio de Janeiro. (
. i Prima em perfeicao de costuras, em i
'em brevidade, mouicidade em presos e'
) Uno gusto.
Ao publico
AEmpreza Telephonica Bourgard, ten-
do feito a inudanca das linhas para o novo
edificio e precisando mudar grande quan
tidude de linhas que se acham estragadas,
t rabil lio este que pela sua natureza d lu
gar a muitaa iuterrup^oea, pede aos Srs.
aasignantea desculpa de qualquer falta que
occorrer durante o trabaluo.
O advogado Jobo Antonio de
Msgalhaes Bastos, voltou para o
eu antgo escriptoiio ra
Duque fle Caxias, n. (36, 1.
andar.
=**:
WSB
V*
fe
0 Dr. Ertftrlo Coatich^,
de volta de sua vaeem Europa, on-
de udo das molestias lo systema ner-
voso, lixou sua residenciare consul-
torio roa da Aurora n. 5.
ConsuliHs de ineio da As 2 horas.
TELEPHONE N. 367
S^
em:

9
Advocado
l
is
n. l clcs:als3 bs sauz
Madoa o seu escriptario para a ra do
loip-rador n. 32. pr meiro miar, onde
p-ie ser procurado de 10 du maulla s
4 da tarde.
Residencia Ra Imperial n. 113
Telepione n. 102.
m
HOTEL REIMAO
Porto
DIARIA 900 RES
Tubercnlose pulmonar
Cora garantida pelo Peitoral de Cam
bar.
Reeebtfdori
Do dia 1 a 27 67:74058l
dem de 28 19:3'J9487
gcral
i07.i40oe8
Recebedorla do Estado de
Pernambuco
Do oa 1 a 27 28.173*34\
dem de 28 2:3734376
30 550*720
Recife Uralnage
Do dia 1 a 27 9:773*i>'.)6
dem de 28 2:010>!8J
11:788*885
Mercado Municipal de Si
O movimento deste mercado no dia 27
vereiro foi o seguate :
Entraram :
16 1/2 bois pesando 2.151 kilos.
842 kilos de peixe a 20 ris
8 cargas com farinba a 200 rs.
11 ditas de fructas d versas a 300 rs.
33 1/2 columnas a 600 rs.
66 taboleiros a 200 rs,
10 suinos a 200 rs.
1 escriptorio'a 300 rs.
71 compartimentos com faiinha a 500
rs.
28 ditos de,comidas a 500 rs.
91) ditos de legumes e laucadas a
400 rs.
17 ditos de suinos a 700 rs.
8 ditos de fressuras a 600 rs.
7 ditos de camarcs a 200 ra.
29 tullios a ii
fos
deFe-
16/.8
16O
34300
20.5100
1320
2U00
300
31^500
14 39ti00
i!i9l>
800
liOO
5800U
222540
3:84018
Reudimento de 1 a 26 do Crreme
Precos do dia:
Carne verde do 240 a 560 ris o kilo.
Suinos de 520 a 560 ris idem.
Carneiro de 640 a 800 idem
:- arinha de 480 a 560 ris a cuta.
Milho le 420 a 4S0 ris idem
Feiio de 900 a 1200 dcm.
Vaporea a cnsrar
MEZ DEMAK.O
New-York .... Adcance.........
Euroua....... Trcnt............
Sul........... Mita...........
-Til.......... Tatuar..........
New-York___ Sale uu.........
Sal....,...... Guahii...........
Liverpool..... UumhoUl........
Europa....... Rosario..........
Sul.......... Valparaso .....
M.......... Nerthe...........
Europa....... Orenoque.........
Norte........ Pernambuco......
i
I
2
2
3
3
3
4
5
n
o

MEDICO HOMEPATA
JDr. Baltkfitr da Siiveira
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos orgos respirato-
rios e daa senhoras.
Presta-se a q ualquer chamado para
ora da capital.
AVINO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Bronchlte aguda ou chronlca
O Peitoral de Cambar o melhor rr-
medio.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
cx-chefe de cnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 s 4 horas da tarde, no Io
andar da casa n. 51 ra do
Baro da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Tolephone 285.
Residencia ra Sete de Sctem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephono 237.
Toase convulsa! coqueluche
Nao deis crian ca scno o Peitoral de
(Jambar.
Frederico Chaves Jnior
U39 RA BARO DA VICTORIA 39M
j J Priineii'o andar ( i
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
lade de molestias de senhoras c creancas.
Consultorio e residencia ra da impo-
-atriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da macha.
Chamados (por escripto) i qualquer hora.
, tklephosis n. 226
ED1TAES
O cidadao Dr. chefe de poiicia man-
da declarar que do dia 15 do mez de
Marc> prximo em diante, estar aberta
nesta reparticao a matricula para os ga-
nhadorea e moc,08 de recados, da* 11 h da manha i 2 da tarde, as segundas,
quartas e Bextaa-feiras.
Secretaria de pul cia do Estado de Per-
au. buco, 13 de Fevereiro de 1890.
O secretario,
Antonio Jote da 'esta Ribeiro Jnior.
,-ut.......... Maranho......... 7
Europa....... Magdalena....... li
fiul........... Don.............. 13
Norte........ Para............. lf>
Sul......... Alagos:.......... 17
Norte......... Manos........... 26
Sul........... Espirito Santo..... 27
Sul........... Trent............ 30
Vapores a sabir
HEZ DE -MAKt, i
Ruenos-Ayres Trent............ 1 as 2 h
Sales e esc . Adcance......... 2 as 3 b
Hamburgo ... Brema.......... t as 12 h
Southamoton Tomar.......... 2 as 11 n
Hamburgo.. Valparaso....... 4 as 12 h
antos e esc.. Bordeaux .. 4 as 2 n
Nerthe........... 5 as 2 h
r-antos e esc Orenoque .*,....... G as 2 h
>ul.......... Pernambuco....... 6 as 5 b
Norte........ 7 as 5 h
Buenos Ayres. Magda'ena........ 13 as 11 h
douthampion. Don............. 1J as 11 h
Sul.......... Par............. 16 as 5 li
Norte....... lagoas .......... 18 as 5 b
Sul.......... 2o as o h
Norte........ 'spii to Santo---- 28 as 5 h
Souihamptoo. Trent ........... 30 as 11 b
BAM0 SUL-AMERIGi\0
Ctpial 20,000:000|000
38 Ra do Commercio-38
DiKcoota letras e contas assignadas.
Adianta dinheiro sonre caucao de lilulos e #.
mercadorias e abre cuntas correles com garan-
ta dos meamos cfeitos.
Recebe em Deposito titules c valores.
Faz movimento de lunclos de praca a praca e
concede cartas de crdito, abono e li.iaca.
faga em coma corrente de uijviineulo 3 % a
anno.
Recebe dinheiro a prazj fixo cu por aviso,a
juro oonvencionado.
E faz cuiras operagOes barcarias.
Slovintcnto do porto
Navios entrados no dia 28
liuenox- Avres e escala 16 dias, t vapor inglez
Spenccr. de 1.737 loneldas,. KBId*iidante
wiiliaai H: Fairlen. cquipaaem 31ifrga va-
nos gneros, Blackburj, Ncedaan &<>.
Rio Formosu c. Tamandar6 hora?, va^or na-
cional S. Francisco, -de 382 toneladas, com-
mandante Joaquim da Silva Pereira, rquipa-
pagem 3, em lastro ; Coinpanhia i\>rnam-
bucana,
Navios sahidos no mesmo ia
Manos e escala Vapor nacional Jlaaos,
commandante Guilherme Waduington, carga
varios gneros.
Santos e escala Vapor frncez Ville d; Ba-
ha, commandante 4. Esnol, carga varios g-
neros.
([::
i
i:
1
.
ti
f-%
' '.'%
';
r
I

4


\V<
t'.


J
i

I
ly


Diario de Pernambuco-Sabbado 1 de Marco-de 1890
da Silva,
Edital n. 22
(Prazo de 3 o dfas
I* praga
Pela inspectora desta Alfr.ndega se faz publi-
do da ;7 Jo mez de Marco
serao arrematadas porta
desla repartigo as mercadorias cuntidas jos vo
lines atiaixo mencionados nos termos Jo Til. 5"
riv2o,
O Dr. Jos Ant mo C*rreia
juis de diroito de orphioi di comarca de
Olinda, em virtude da Isi.
Faco saber aos que o presente edital vi
rem o delle noticia tiverem, que uo da 5 co que as 11 horas
de Marco vindouro, dopoia da audiencia, i prximo vindouro
o Dorteiro interino dos tuditorios. trar a
r ., i J. j 'limes auai.vu iucui;iu:iauu: uus verujus uu ni.
publico pregao de reala por espaco de um Cap 5, da consolidago das ieis (as alfandegus
anno, um sitio no lugr Agua-Fria do
Fragoso, com duas casas, sendo urna de
vivenda e outra de rancho, servindo de
base a quantia .a 300|>UU0 animal, por
quanto aieve ltimamente arrendado,
qual sitio vai em praca para aer arrendado,
a requerimeato d Antonio Jos da Rooha
IJraga, tutor do orphao Agucllo, conse-
hor do mesmo sitio.
E pu,ra que chegue ao conbeci ment de
todos, maiidei passar o presente que ser
affixado uo lugar do costure, e publicado
pela imprems.
Dado o passado nesta cidade de Onda,
aos 2G de Fevereiro de 189.).
Eu, bamarl Francisco Lina Caldas, es-
tubBercH.
Jos Antonio Crrela da SUoa
2* Sergio.Secretaria do Governo do E de Peruaubuco, em 2i de Fevereiro rie 1890
De ordem do marectial goveroador do Estado fa
co publico, para os det:d03 fffeitos, o edital
atoaixo transcripto, pondo cin concurso o provi-
nenio dos oftinios de contador e partidor do ter-
mo de Agua Preta.
0 secretario
Antonio Ignacio de Mesquita Neves.
Edital
0 Dr. Jjsc Brando da Richi. juiz de diroito da
comarca de Agua Preta, Estado de Pernam-
buco, era virtude da lei, etc.
Faco saber aos qu_- o presente edital virem e
d'eile noticia tiverem e a quem intertisar possa
que, de conformidade com o art. 1 do decreto
n. 3,322 Je ii de Juiho de 1887, em virlude da
lei, llca marcado o prazo de 30 das, a contar de
hoje, para novo o concur;.odc provime .to dos of-
ffidosde contador e partidor de^ta -ornarca. crea
do pela lei provincial o. 1,405 de 12 de Maree de
1879, que ce acha vago por fallecimento do ser
Teniu.ii o Joaquiui Marques da Porciuacula.
Assim, pois, recomraendo a quera pretender
que se aprsente do prazo acusa indicado c oue
ustrna sua petigo com ex-irne de sufficiencia o
mais documentos exiaidos pelo decreto n. 9.420
de 28 de Abril de 1885 e maia legislagao em vi-
gor.
E para que ehegucao conhccimcnto W todos,
manat pausar o presente qu1 ser aflixado na
porta da Intendencia Municipal desta villa, o
a'elic se exlrahira copia p; ciari- gevernador desic Estado, em virtude ril-
ar!. 157 do decreto citado, com certid.'io do dia
em que foi aflixado pelo- porteiro dos audito
rios.
Dado e passado nesta villa d'Agua Preta, co
marca do mesmo nomc, em 12 de Fevereiro de
1890.
Eu, Pedro Severo da Costa Leite, escrivao de
orpbos. o escrevi.Jos Brando da Kocbj.
Cerlilico que aflixei Boje, 12 do correte, s
12 horas do dia, na porta da intendencia Muni
ctpal, o edital para o concurso dos oflcios de
contador e partidor desta comarca, e para con
star pas.-ei c presente.
O porleiro dos auditorios-Jo;:quim Jeronjrao
e Carvalho.
Subscrcvo eassigno.
A^ua Preta, 12 de Fevereiro d 18900 es-
crivo de erphos, Pedro Severo da Costa
Leite.
2secgo.Secreteria do governo do Estado
de Pernaiubuco. em Si de Fevereiro de 1890
De ordtm do marecbal governador do E-Udo
fago publico, para os devidos eVitos, o edital
afcaixo tiaiisc^Ilo. pondo em :oocurso o provi
ment dos < fli ios de paitidor e distribuidor,
conutdor e partiJor do termo de Garanbun?.
0 Secretario.
Antonio I acio de Mesqu ta Neves
Dr. Nilo Roarigues de Miranda, juiz de direi-
tu da comarca de G iraohuns. Estado de Per-
nambuco ua forma da lei. etc.
Fajo saber aos q e o presente edital virem e
elle notic a tiverem, que de conformidade com
artigo Io do decreto o. 3,312, de 14 de Julbo de
1837, em viriudc do cilicio do marcear! gover
ador deste Estado, rio 29 de Janeiro lido, tica
marcado o praso rie 30 dias a contarse de hoje
aara o concurso de provimea'o dos ofpcios de
partidor e distrknidor, contador e partidor des-
ie termo do Garanhuns, creados pela le deste
Estado, n. 304, de 29 de Mjo de 18(51. que nun-
ca loram vialiciaraenie prvidos, adiando seo !
eccopado pilo cidadao vicentn Ferreira Lu-tosa
e o 2o alo tidado Antonio Lourengu de Mello
Janior,; rabos provisioriamenle,
Assim, pois, recommendo a quem pretender
que aprsente se no praso cima indicado e
qoe kistrua sua petico cem exme rie suflicien
na e mais documentos exigidos pelo decreto n.
420. de 28 de Abril de 1885 e mais legislacAo
em vigor.
E para que cheque ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser aOixado na
aorta da intendencia municipal desta ciaade, e
ielle se ex ruhira copia para ser remetiida ao
cidadao governador de?te Estado para o lim
mencionado no aniso 157 do decreto citado cora
i-ertido do dia eru que foi aUJxado pelo porleiro
de auditorios
Cidade de Garanhuns, 11 de Fevereiro de
1890
Eu, Izidoro Florentino de Vasconccllos, escri-
vao do jury o subscrevi.Kilo Rodrigues de Mi
randa.
Certiliro eu official dejustiga e porteiro d.is
i.idiencias, ahaixo assignario, que hoje. aflix<:',
na portada intendencia municipal o edilal pelo
raso de .iO das, convidando concurrencia para
o concurso cs oflicios de jusiica de partidor e
distribuidor, contador e partidor deste juizo a
que tU'lo dou fe.
Cidc.de ''f. Garanhuns, 11 de Fe:ereiro de
1890. ofli-UI e porleiro. Ignacio Pereira da
Graja
E Dais se o5o continua rm dito edital c certi-
dao aqu bem e llelmente copiados dos proprios
onginaes, aos quaes me reporto e dou fe.
Cidade de Garanhuns, 11 de Fevereiro de
1890.
Em fe de vordade. Escrivao do jury, Izidoro
Florentino de Vasconcellos.Nilo Rodrigues de
Miranda.__________________________________
I.' nerco. Kerrciaria do Governo
do Balado de Peraambneo, 19 de
Fevereiro de 1890.
Por e;ta secretaria se faz publico a qncm in-
teressar possa, que, pnr portara de hoje, do
marcchal Governador do Estado, toi prorogado
por mais lre3 atoes, para toJos os oflicia-s u
tuarja nacional, nomeados de 13 de Juiho de
1889 at 12 de Novembro do mesmo tnno, a
coalar da presente dia, o praso para os referi-
dos offieiisa solicitrem as respectivas patentes.
O secretario,
Antonio Ignacio de Mesqoita Neves.
DECLARARES
Companhia 1e Segu-
ros A rnphitrite
Em curaprimenlo e para os effeito3 do art. 16
dodecreto annuucia t sTarfon a disposifo des senhores ac-
ouistii', no fsciiptorio da mesma empreza. as
contas do baiaoco, a relaco nominal dos as:o
ciad s e a lista da jjanaJjreriCia das aeces.
Recite, 27 de P)^Hwde ,89''
Manoel ifj-e cg -ilva Goimares.
______ aquim Ooto Ba;.to;.
Sociedade Recreativa Mag-
dalenense
Gonvi lo os senhores socios a se rtunirem em
B33r>mbli-a gjral no* domingo "2 de Marco, ao
meio da. para approvarem a reforma doi es-
tatutos.-O i- secretarlo,
Tito LiviodaSilvr.
mesas de rendas, si seus donos ou consgnala
nos nao as despacharem c as retirarern ientro
do prazo de 30 dias a contar da data deste edi
tal sob icna de, lindo o mesmo prazo, serem
vendidas por sua conu sem que Ins fique di-
reito de allegar contra os elT-iius desta vcnJa :
Armazem u. 1
Marca F D S 4 C, i ciixa n. 1078 vinda do
Havre no v |or fraocm VUie de Maceta, entrado
em 8 de Agosto de 1833, cousunaria a Francisco
Manoel da Silva & C comalo 200 vidros com
vinho medicinal, pesando liquido legal 74 kilo
graramas.
U na dita n. 1080. dem i lem. aos mesmos con
tenric 100 frascos com xarope medicinal pesan-
do liquido legal 25 kilogramm u.
Uaia dita n. 1081, id-m idem, aos mesmos con-
tenrto: /
50 vidros com creme da bi'mutho pesando li
quido legal 5 kilosrammas
250 ditos com capsulas raeticinacs, pesando
liquido legal 6 kilogrammas.
Marca M J C, um> dita n. 8574 de Hasobor-
go uo vapir aemao Lissibon, era 23 idem, or-
dem. conten-Jo:
3.500 graramas de plumas de pcnni para en
feites.
1.500 ditas de fbres artiflcines.
Mar.ii .llamante A uoc ntro A de um lado e
D do ou;ro, um pacote n. 1000 ideiriem 24 id^.n,
a Amonio Domiugu.'s Lima, coaleudo amostras
de fazeuda sem valor.
Marca C S 4 C, urna caixa n. 2, dem idem.
a Couto Santos & C, amostras de fsenla sem
valor.
Marca C V, urna dita sem numero, idem idem
a Antonio D. C. Viaun.', amostras de fazenda
sem valor
Marca R. de Farias & C, um pacole a 163,
ioem idem. amostras de fazenda sem valor.
Marca MSL4C. e;n cima e II P C, era
baixo, urna caixa n. 7689, idem idem, i ordem,
comeado:
2 teques de seda nao especificados com va-
retas de osso.
5 duzas di ditos de tecidjs de algodo cora
varetas de madeira poli-la.
Marca M*C.: urna d-.ta n. 1779, idem em 27
idem. a Medeiros v C, contendo :
<58 kilogrammas, peso nos envoltorios de pa
pe liso para e3crever.
Mana J 4 C. em cim ieHP4C, em baixo,
BOU dita n. 8525, idem em 23 idem, a Maia Ir-
mo. contendo 120 chapeos de pello de iebre,
simples.
Marca M J C, urna dita n. 5691, idem em 27
idem. a M. T. Campos, contendo :
lo kilogrammas de frascos de vidro ordina-
rio, branco, sem rolha, sem bocea esmen-
Ihada.
2 dito- de assucar de leite.
5 ditos de raz medicinal ira p na c'assiii
cada.
2 1/2 ditos de lycopo'Ho.
2 ditos de esponjas linas.
3 i/2 ditos de capsulas mcdicinaes.
5 ditos de flor de papoula.
2 ditos de magnesia calcinada ordinaria.
2"> ditos de flor de alfazema.
15 ditos de alecrim (llores).
i ditos de fljres uiodicuiaes nao especifi-
cadas.
12 termmetros divididos em vidro.
ataduras phonioadas.
Uura dita n. 5C93, idem idem acs mesmos, con-
tendo :
10 kilognmmas de cemente do galha.
20 ditos de incens.
2 duos de gelatina nao especieada.
5 ditos de canella em p.
5 ditos de plombasina.
5 ditos de cromatos de potassa.
2 ditos de oxido de zinro sahumada.
7 ditos de cementes de aoiz estreltaas.
2 ditos de esperraacete era massa.
500 gramraas de escamonea.
2>kik gramolas de pruciato de potassa ama-
relio.
2 1|2 ditos de seringas de borracha.
2 ditos de pomadas medicinal.
24 ditos de extractos d'; campeche.
41 ditos de llores medicinaos nao especifica-
das.
5 ditos de raz de nlcaeus.
2 ditas de raiz medicinal.
6 ditos de cascas medicinaes nao especifica
das. rasuradas.
300 graramas de manteiga de nozea mosca-
das.
Marca E G. urna dita n. 5145, idem em 24 idem,
a Eduardo Gomes, caajkrndo :
23 chapas para fabl^i de estampara, pesan-
do 39 kilogrammas.
Armazem n. 4
Marca A. J A. nove caixaa ns. 967/7S, do Hi
vre no vapor fraoces Ville i Ceari, em 20
dem, a Antonio J.is de Azevedo. contendo
obras de ierro batido esmaltado, pesando dos
envoltorios 386 k logra ramas.
Marca M & ''., urna dita n. 25002 idem no va-
por francez Vdle de Sin Nicola; em 30 idem'a
Medetros & C, contendo :
164 kilogrammas de livros impretsos com ca-
pas de papeuo.
8 ditos de ditos idem.com capas de velludo.
3 ditos de ditos idem, com capas de larta
ruga.
51 dit. s de cadarco de algado.
Arraazom n. 5
Marca diamante, HAS no centro e P ao lado,
urna caixa, n. 100, d?. Liverpool uo vopor ioglez
Mercliant em 23 de Juiho d- 1889, >is 4 San-
ios, contendo 7 duzias de facas, cabos de osso
com os competentes garios.
Urna barrica, n. 101. idem era 27 idem, aos
mesmos, centendo 54 k lograraraas de obras de
ferro batido esunltadas.
Marca R4S, tres ilius. ns. 663/5, idem idem,
aos mesmos, contmdo 756 kilogrammas de ferro
para engommar.
Armazem n. 6
Manoel Duarte Ferreira Jnior, urna caixa.
sem numero do Havre no vapor franci-s VMe de
Cear em 18 idem. nao consta do manifest,
cout ndo 40 pares de tamancosdequalquerqua-
lidade.
Marca AJS, tres dita?, ns. 05324 6. da sul no
vapor nacional Manot em 9 idem. n consta
do manifest, coottp.o 437 kilogrammas de pa
pe para es> rever, pan!aio e liso.
Marca MJGB, urna dita, n. 05395. idem idem,
nao consta do manifest comenta 30 kilogram-
mas de carto cortado para visita:
Duas ditas, ut. 05396/7 idem idem, nao consta
do manifest, contendo 381 kilogrammas de pa-
pel para escrever, liso e pautado
Urna dita, n. 05399. dem idem, nao consta da
manifest, contendo :
77 kilogrammas de papel para escrever.
17 ditas de enveloppes paratscrever. ,
43 ditas e papel laijado para escrever.
Urna dila, o. 0510o, idem idem, nao consta do
manifest, centenuo 16 kilogrammas de papel
para escrever.
Marca JWM. tres ditas, ns. 03229-05232/3,
idem i Jem, nao consta do manifest, conten lo
53*5 kilogrammas de papel paulado para es-
crever.
Urna dita, n. 05230, idem idem, nSo consta do
manifest, contendo*:
47 kilogrammas ce papel tarjado para escre
ver.
158 ditas de ditos pautado para ecrever.
Marca JWM, urna dila, n. 05234. dem idem,
nao consta do manifest, contendo :
90 kilogrammas de enveloppes.
30 ditas de carto corlado para bilaetes de vi
sita.
Mirra MCA, urna dia. n. 4215, rio Havre no
vapor francez Vilte de Cear em 18 idem aos
herd>iros de Manoel Cardoso Ayres. contendo :
15 kilogrammas de canelas de madeira.
14 ditas de Drins de linho para forro de livros.
2 ditas de brabantes.
1 dita de pi'iceis chatos.
3 ditas de reguas de madeira.
5 {litas, liquido de goniina arbica.
97 ditas de papel pautado para escrever.
15 ditas de livros impressos, capas de papelao.
4 ditas de peonas de ago para escrever.
3 seceo da Alfand?ga de Pi-rnambnco, 26 de
Peweiro de 1890.
O chefe,
Domingo? loaqrm da FoDseca.
Obras Publicas
De ordem do cidadao engenheiro director c em
virtude da autorisucao do cidaio marechal go-
vernador d'este Estado, contida em officis de 15
do correte, faco publico que no da 15 de Marco
prximo vindouro recebem-se propostas, em car
tas fechadas, competentemente selladas e com as
respectivas firmas recoohecidas, paraaexecucao
dos reparos do acude ao pooado de Lsgoa do
Carro, na comarca de Nazareth, oreadas em
2:206*705.
As prefrostas deverao declarar o preco pelo
qual se obrigam os licitantes a executar a obra,
como o local de sua residencia e as babilitaces
que possuam para dirigir os trabalhos, as quaes
serao bertas ao meio da. em presenca dos pro
ponentes. *
Havendo duas ou mais propostas em completa
iguaidade de condicoes, serao chamados os pro
ponentes para declarar quaes as modificac&es
que fazcm atim de celebrar se o contracto com
aquello, que zer raodilicacoes mais vantajosas
Nao serao acceias as propostas nos seguales
casos :
Io As que excederem dos precos do orea-
ment.
2 Aj que uo forera orgaaisadas de accordo
com o presente edital.
3? As que nao oVecerem as garantas exi-
gidas. -
4* As que se basearcm sobre os pre os das
propostas dos outros concurrentes.
5* As que forera presentadas por pessoas que
ji teutiam deixado de cuuiprir contractos cele
orados com a reparticfto.
O orea monto relativo a ebra, as clausulas ge-
raes e e^peciaes do contracto e mais conuic,es
scro franqueadas ti'e!a secretaria ao exarae dos
con crrenles.
Para coocorrer praca cima deverao os lici
tantes depositar n'esta reparticao, na \espera do
dia da arreinatacao, das 9 3 horas da larde, a
quantia de 110^335, equivalente a 5 % do valor
do respectivo orcameuto.
Secretaria da Directora de Obras Publicas, em
19 de Fevereiro de 1890.
O engenheiro ajudante.
A. Reg Netlo.
ti alzo dos Feltos da Fazenda
IVaclonal
Etcrivao Reg Barro
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos feitol da
Fazenda deste Estado de Pernambuco, se vende-
r em praca publica no dia 7 do vindouro mez
de Marco, pelas 11 hortis da manh, depota 6a.
audiencia, os bens seguales :
A casa terrea de tijolo e cal, n 13 sita a roa
do Fogo, fregueziade Santo Antonio, perteoacn-
te aos herdeiros do padre Jos k: Jess Mara
de Vafcor.ceilos, avahada por 1:000*000
O dominio til do terreno foreiro a marinha,
sito ra do Padre Nobrega, todo murado, com
o n. 24, onde se acha a cocheira da Companhia
das Carnes Verdes, pertencente dito dominio
aos her.eiros do coronel Francisco Camello Pes-
soa de Lacerda, avaliado por 1:200*000.
Urna olaria sita no lagar dos Coelhos n. 23,
freguezia da lioa-Visla, edificada sobre 55 pila-
res, coberia de telha, pertencente a Vicente Fer-
reira dos Santos Barros, pelo prego e quantia de
l:33''O00
Um sobradinho e olaria contigua no lugar dos
Coelhos, freguezia da Boa Vista, sendo a raesraa
olaria sobre esteio de madeira e cooerta de te-
lha, pertcnceute a Antonio Carneiro da Cuoha,
pelo prego e quantia de 9904000.
A casa terrea cora rancho ao lado, de tijolo e
cal, sita no lugar denominado Ipotinga, fregue-
zia rta Varzea, pertencente a Antonio Francisco
I dos Prazeres, pelo prego e quantia de 81*000.
Bens que sao vendidos para pagamento da
Fazenda N.ifional caruatas.
Recife, 26 de Fevereiro de 1890.
O solicitador,
Luiz Machado Botelho.
Recebedoria do Estado
Relacao das diffecengas pira mais encon-
iradas no valor locativo dos predios ur
banos das reguezias abaizo declarados,
que estao sujeitas ao imposto de decima,
relativo ao ezercic'o do 1890, pelo lan
gador Jooquim T. de Lemos Duarte.
Santo Antonio
Ra do Duque de Cazias Ns.
85 e 87 Adolpho Francisco
Lavra
Poco da fanella
Ra do Costa N, 18 Manoel
Antonio Goncalves
Ra do Costa Leite N. 1 Mar-
garida Ursulina da Silva
bacon N. 20 A Pedro Voglois
1.* seceo da Recebedoria
24 de Fevereiro de 1890.
O chefe,
J. X. C. de Barros Compeli.
Indemnisadora
Nos termos do 1 do art. 23 dos estatutos, a
directora convida aos Srs. accionistas a reuoi-
rem se em asaembla geral ordkaria, ao meio
dia de 11 de Margo vindouro, na sede da compa
nbia. A reomao lem por Qm deliberar sobre as
contas do anno social Hado em 31 de Dezembro
prximo ptssado.
Recife, 24 de Fevereiro de 1890.
Os directores
Joaquim Alves da Fonseca.
Auonio daC. Ferreira Baltar.
Jos Ferreira Marques.
S. K. J,
Sociedade Recreativa Ju-
ventude
Sarao bimestral em 9 de Margo em solmnisagao
ao 11 anniTereario da installagao ,de sua bi-
)liotbeca.
Convites nesta se Tetara ; o ingresso o re-
cibo do mez de Fevereiro. 5o se admitte ag-
gregados.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juveotude,
25 de Fevereiro- de 1890. O 1" Secretario,
M. J. Bantista.
1:80041300
60,JO0O
2400C0,|
300,J0:X)
do Estado,
C. C. C E.
Cluli Carnavalesco C aviilhciros
da i:u' ha
De ordem da directora deste Club
convido-os Srs. socios a comparecerera a
ra Duque de Cazias n. 81, 3." andar, s
6 horas da tarde, a fin de proceder se a
oleicao do novo conseibo administrativo.
O secretario,
Aristheo P, Mendona.
Praso de 30 e 15 dias
Secretaria da lntrucco Publica do
islario de Fernambiivu, ti de Fe-
vereiro de is'ji .
N. 5. De ordera do cidadSo Dr. inspector
geral, fago saber &* profesoras publicas remo-
vidas por actos de 22 e 24 do correte mez,
Mara Ignacia de lesos, para a cadeira mixta de
Bello Jardia, e Amalia Prudencia Alves Lima,
para a de Camutanga, que fica marcado pri-
mera o praso de 30 dias. e a ultima o de 15. a
contar das dalas das nomeagoes, para assumirem
o exercicio de suas novas cadeiras. v
O secretario,
Pergcntino S. de Arauju Galvo.
0 administrador d Recebedoria do Es-
tado' faz p ibl;co por det^rminagilo do Dr.
Inspector do Thesouro o para conhecimen-
to dos interessados, que no periodo de 30
dias uteis contados de 20 do correte, ser
effectuado por esta repartic2o, conforme a
relacao abaizo, a cobranca independente
do multa das annuidades e mais servicos
da Recife'Drainage Company relativo ao
2. semestre do ezercicio de 1889.
Recebedoria do Estado de Pernambuco,
17 de Fevereiro de 1890.
Imz Cesario do Reg.
BELACAO A QUE SE UEFEEE O EDITAL
8DPBA
Freguezia de S. Pedro Oongalves do Recife
Ras -Mrquez de Onda, Bom Jess,
Alvares Cabra!, Commercio, Bispo Sar-
dinha, Torres, Thom de Souza, D. Mara
de Souza, Vigario Tenorio, Barretto de
Mehezea, Mariz e Barros, Burgos, Amo
rim, Moeda* Tuyuty, Companhia Pernam
bucana, Madre de Deas, Domingos Jos
Martins, Mecates, RestauracSo, D. Mara
Cesar. Viscondo de Itaparica, Pharol,
Areial, S. Jorge, Vital de Oliveira, Gua-
rarapes e BarSo do Tiiumpho.
PracasAssembla, Chaco e Pedro I.
TravessasVigario, Madre de Deus,
Campello, Qomingos Jos Martins, Corpo
Santo, Antigo Porto, Bom Jess, Apollo,
Areial, Para FundicSo, Occidente, Guara-
rapes e Praga de t edro I.
LargosAlfandega, Corpo Santo e As-
sembla.
Beccos Abreu, Noronha, Largo, Pind
ba, Tapado e Paschoal.
CaesCompanhia, Brum o apollo.
Freguezia de Santo Antonio
RasImperador, Primeiro de Marjo,
Duque de Cazias, Cabug, BarSo da Vi-
ctoria, Trincheiras, Larangeiras, Largo do
Rosario, Estreita do Rosario, Francisco
Jacintho, Joao do Reg, Ilha do Carvalho,
Conselheiro Firetti, Netto de MenJonea.
Major Ag08tinho Bczerra, 28 de Setembro,
Barao de; Villa Bella, Santo Amaro, Pedro
Ivo, Matkias de Albuquerque, Paz, Pau-
lino Cmara, Fogo, Livramento, Penha,
Visconde de luhauma, Pedro Aflfonso,
Nova da Praia, Marcilio Dias, Henrique
Dias, Lomas valentina!, Coronel Suassu-
na, Santa Thercfa, 24 c".o Maio, Felippe
CamarSo, Mrquez do Herval e Cadeia
Nova.
Caes22 de Novembro.
CampoPrinceza.
TravessasQueimado, Cruzes, Mrquez
do Recife, da Ra Bel'a, Calabougo, Ma-
triz, Flores, Carmo, Bomba, Livramento,
HIPPODROMO
DO
CAMPO BRINDE
PROGRAMMA DA 11/ CORRIDA
QUE SE REALIZARA'
Domingo, 2 de Marco

Xomea
i
B
Pello*
*
Salara- e
lid. 3
Cor da vetrti-
menM'
Proprietarios
e 30 centmetros no mximo.Premios: 1504000 ao 1, 305000 ao 2o e 15*000 ao 3
Barnave ....
Ida..........
Feniana.....
Stella........
Coruja......
Boulanger...
19 de Junho..
Cas tan lio-----
Rodada.....
Zaina.......
Rodada......
Alazao.....
Castaoho___
Pernamb..
55
54
49
56
54
55
55
[Ouro e branco.
'Lyrio e ouro...
Grenat..............
Encarnado e preto...
i Encarnado e ouro
Coudelaria Emulagao.
Coudelaria S.Jorge.

R. Cardoso.
H. Gibson.
Coudelaria Arraial.
F. Jnior.
Despota..... S
Pnariseu..... 5
Cooforme 5
Haranguape.. 5
Royal....... 5
10
Rodado.
Castanho
Russo-pedrez
Alazao..
Russo .-
Russo-pedrez
Pernamb. 55
57
i 55
57
55
55
Branco e bonet verm.
Preto. ene. e ouro
Branco e encarnado ..
Azul e a ni are lio.. ..
Branco.............
Branco e encarnado .
H. J. Permann.
T. Pernambucano.
J. J. Valen te.
B B. Fonseca Filho.
J. Miranda.
V. Nascimento.
3a PareoTruno Urbanos1400 metros.Animaes nacionaes de meio-sangue. Premios :
300*000 ao 60*000 ao 2 e 30*000 ao 3
4113 de Maio-.
2 Chiron......
Mandarina.
Danubio.. -
Torpedo ..
Minerva
Preto........
Castanho.....
Rosilho......
Castanho ...

Douradilha..
S. Paulo...
Rio de Jan
S. Paulo...
(8
51
N
51
56
51
Verde e amarello...
Lyrio e ouro.......
Rosa e preto........
Violeta e ouro......
Azul e ouro.........
Coud. Independencia.
C. S. Jorge.
Coudelaria Cruzeiro.
M. N. Pontes.
G. H. de Araujo.
Coudelaria Cruzeiro.
i6
m
4' PareoAnlmaco850 metrosAnimaes de Pernambuco que nao tenham ganho em dis
tancia supejiur
20000 ao 3\
a 900, nos prados do Recife. Premios: 20
Nossa Senhora das
Angus*
Arsenal, 1. e 2. da Praia, Carcereiro,
S. Pedro, Viracao, Lobato, Poucinho, do
Beccp do FalcSo e Concordia.
Beccos da Ra Bella, Calabougo, Ma-
triz 1/-, 2. e 3. da Camboa, FalcSo e
1. e 2.a da Cadeia Nova.
Largos Paraizo, Carmo,- Penha, S.
Pedro a Praceta.
Prajas Independencia e Pedro I.
Freguezia de S. Jos
RasMarcilio Dias, Lomas Valentinas,
Coronel Suassuna, S. Jo3o, Felippe Ca-
marSo, Mrquez do Herval, Dias Cardoso,
24 de Maio, Passo da Patria, Padre No-
brega, Cadeia Nova, Vital de Negreiros,
Fre Henrique, Dique, AssumpoSo, Do-
mingos Theotonio, Padre Floriano, Chnsto
vSo Colombo, Jardim, Forte, Aotoni)
Henrique, Nogueira, Santa Cecilia, Santa
Rita, Padre Muniz, Praia de Santa Rita,
S. Jos, Pescadores, Praia do Forte, Ypi
ranga, Imperial e Luiz do Mendonca.
TravessasMartyrios, Ramos, Poucinho,
CJdeireiro, Gaz, Forte, 'rata, Sirigado,
Copiares, e da Ra Nova de Santa Rita,
S. Jos, Praia do Forte, Peizoto, Matriz
de S. Jos e Lima.
BeccosPalma, Caldeireiro, Gaz, As
sumpcSo, 1. e 2. da Ra Nova de Santa
Jiita e Matriz de S. Jos.
LargosForte e Mercado.
Freguezia da Boa Vista
RasImperatriz, ConceigSo, Visconde
de Pelotas, Tambi, Visconde de Albu-
querque, Aurora, Ponte Velha, Conde da
Boa Vista, Riachuelo, UniSo, Saudades,
de Camaragibe,
Bonaparte...
Turco 2-.....
Colosso .....
Pluto .....
Maranguape .
Humilde.....
Pnariseu.....
Cauby ......
5
5
5
6
5
10
5
5
RU3SO ...
Alazao..
Rodado..
Alazn.......
Russo pedrez
Castanho....
Pernamb.
57
57
55
55
57
55
57
55
Branco e encarnado..
Lyrio e ouro.........
Preio e bonet verde..
Preto e branco.......
Azul e amarello.....
Branco c encarnado .
Preto, escaro, e ouro
Azul e encarnado
ao 1, i0*000 ao 2 e
. Lopes rta Sveira.
Jos Ferreira d'Moura.
Coud. Republicana.
C. Nerundio.
B B. da Fonseca Filho.
V. Nascimento.
Coud Pernarabucana.
Alfredo Marques.
PareoVelocidatle850 metrosAnimaes pungas que nao tenham ganho em 1890 no
Htppodromo. Premios : 300* ao 1, 40* ao 2, e 20* ao 3
Faceira.....
Pi ramn......
Templar.....
Pindaro......
Delegado -
Corga 2.....
Rodada......
Castanho .
Rodado ..."..
Alazao.......
Castanho___
Rodado......
Pernamb.. 52
m 55
57
55
BT 57
55
Lyrio eouro.........
Rosa e prto........\
Branco e azul......
Azul e encarnado
Grenat...............
Grenat e preto.......
J. Cuoha.
i :oud. Bella-Vista.
Carvalhi & Pereira.
Coud. Ventursoa.
J. H. -Mariz.
Joo B. dos Santos.
Pareo -Imprenta1100 metrosAnimaes de Pernambuco.
e 20* ao 3
Premios : 200* ao Io, 40* ao 2o
Tupy........
Village.....
Good m o r
niog.....
Sans-Souci...
Florete.....
Baio.
Rodado .....
Baio .......
Castanho....
Pernamb
56
5i
51
54
56
Encarnado e branco. -
Preto e branco.....
Grenat.............
Ouro e branco......
Encarnado e branco..
F. C. R. Reg.
Jos Jcaquira Dias.
Bu fin o Cardoso.
0 Anna L. Mallos
F. Freir
OBSERVACOES
Os animaes inscriptos para o primei o pareo devem achar-se no ensilhamento s
9 1)2 horas da manhS.
Oforfas serSo recebidos at sabbado 1 de Marco, s 3 horas da tarde.
Recife, 28 de Fevereiro de 1889.
O secretario, Souza Carvalho.
Banco de Crdito Real de
Bernambuco
A administrado deste Banco, de con-
formidade com o art. 16 do decreto de 17
de Janeiro do correte anno, que refor-
mou a lei n. 3050 de 4 de Novembro de
1882, faz se.ente aos senhores accionistas
que em sua sede, a ra do Commercio
n. 34, se achara disposicSo dos mesmos
acopia do balanco, a relajSo nominal dos
accionistas e a lista das transferencias das
accoas durante o anno fndo.
Recite, 22 de Fevereiro -de 1890.
Os administradores,
Manoel JoSo de Amorim.
Luiz Duprat.
Antonio Fernandes Ribeiro.
17 de Setembro, esconde ^
tas Da Capella (le oantO'CamarSo, Rosario, Gervesio Pires, Dr.
Amaro das Salinas.
A mesa rege lora da irmandade do glorioso
Santo Amaro das Calinas, ndo podendo celebrar
ente anno a fesla da Senhora das Angustias, vis-
to ter sido sorprehendida com urna citaco para j bargador Nuces Machado, Visconde de
pagamento de cuitas do anno de 1882 4 1883 Qoyanna e AttracSo.
Vilhs-Boas, Socego, Principe, Santa ;ruz,
S. Goncalo, Coelhos, Hospital Pedro II,
General Seara, Coronel Lamenha, Conse-
lhoiro Aguiar, Barao de S. Borja, Desem-
(tempo *a commlssao regedora) da quantia de
181*000 que se acha paga, resolveu mandar re-
zar urna missa era louvor da mesraa Senhora,
Travessas Gervasio Bh*es, Atalho,
Coelho, Barreiras, Veras, Quiabo, JoSo
a or-
damiDgo* ? de Marc/i as Horas da manha. ha- Francisco, Mangueira, Campias e Palacio
do Bispo.
LargoCampia.
Becc >8S. Goncalo, Coelhos e Cacimba
dos Prazeres.
PracasConde d'Eu o Santa Cruz.
CaesCapibaribe.
vendo as 7 oras da noile urna ladaiiha
chestra, a expensas dealiuos devotos.
Consistorio, 28 de Fevereiro de 1890.
O secretario,
A M. d i Sika.
\
SANTA CASA
IIX'CAR
16*000
CANA PARA
dem da Guia n 25, idem
dem do Bom Jess n. 29, leja
dem idem idem, 1." as-ar
dem do Amorim n.>23, idem
lem idem idem, 2 andar
dem Imperial n. 151, caa terrea
dem do Vigario n 25,1." andar
dem item n. 27. toja
Ra da Gua n. 27,
En-.antamento loja, n. 3.
dem do Encantamento n. 1!, 2." andar
dem da Corapanliia Pernambucana n.
30, loja
Id?m do Amorim n. 69
Idem da Mad.-ejde Den n. 2,
Quadro da Detencao n. 5,
dem idea o. 2,
18*000
200;
12*500
13*500
w-Vig&aa
Contraria do Senhor Bom
Jess da Vmsacra da igre-
ja da Santa Cruz
De ordem da mesa regedora desta contraria,
30*iO0 convido a todos os nossos imos para conpa-
30*000! recerem, paramentados de seu3 hbitos, no
16*6601 domingo 2 < Marco, pelas 3 horas da tarde, era
18*000 nossa igreja, para irmos acorapanhar a procissao
14*000 d<- Se; hor Atado, que tem de sahir di igreja de
16*666 N. S. do Livramento. para a qual tivemos con
| vite da irmandade de N. S. da Soledade,* erecta
15*000 na mesma igreja.
20*000 Consistorio da confraria do Senhor Bom Jess
12*500 da Viasacra da igreja da Santa Cruz, 27 de Fe-
6*000 vereiro de 1890.-Servindo de escrivao,
8*000 Mantxl D. da ilva.
Escriptorio central da em-
preza da estrada de ferro
de Ribeirao a Bonito, no
Recife.
ASSEUBLE l GERAL ORDINARIA
Nos termos expressos nos arts. 15 e 16 do
deceto do governo provisorio de 17 de Janeiro
deste anuo, sao convidados os Srs. accionistas a
se reunirem em assembla geral ordinaria no
dia 12 de Margo prximo, a 1 hora da tarde, na
sJe desta empreza, n. 74, 1 andar a ra Duque
de Caxtas, alim de ser lido o relatorio dos lis-
caes, o balanco e nnis documentos do anno
6ndo
Recife-, 25 de Fevereiro de 1890.
.Os directores,
Jos Bellarmino Pena de Mello.
Francisco Lopes Guimares.
, Sebastio Al 'es da Silva.
Indemnisadora
Achando se vagas 20 accoes desta companhia
de ns. 31 35, 261 270, 286 290 por ter fal-
lecido o respectivo accionista, a directora nos
termos do art. 15 dos estatutos as vender, para
o que convida a quem as pretender, dirigir snas
propostas por intermedio de corretores geraes
ao esenptorio da mesraa companhia at o meio
dia de 4 de Marco vindouro.
Recife, a4 de Fevereiro de 1890.
Os directores,
Joaquim 'Alves da Fonseca
Antonio da Cunha Ferreira Bailar.
Jos Ferreira Ma-quis.
Consistorio da Confraria de
_\ossa Senhora do Uvramento
m J de Fevereiro de 189o.
De ordem do nosso irmo juiz convido aos
nossos irmiios confrades para comparecerem em
nossa igreja, domingo, 2 de Margo, a> 3 horas da
tarde, altra de encorporados acompanharem a
procisso do Senhor Alado que a irmandade de
Nossa Senhora da Soledade expOe vista dos
Seis.
O secretario,
Tuomaz de Oliveira Lopes.
Obras publicas
De ordem do cidadao engenheiro director e em
virlude da autorisacao do cidadao marecbal go-
vernador d'este Estado, de 19 do correte, lago
publico que no dia 13 de Marco prximo vindou-
ro recebem se propostas em cartas fechadas para
a execuco dos reparos da ponte do Pontal na
ilha de tamarac, oreados em 4:065*187.
As propostas devem s;r competentemente sel-
ladas, assignadas pelos licitantes com as firmas
reconhecicias e deverao declarar o prego pelo
fajuat se obrigam a executar a obra, como* o local
de sua residencia e as habilitages que possuam
para dirigir os trabalhos, as quaes serao abortas
ao meio dia em presenga dos proponentes.
Havendo duas ou mais propostas em completa
igualdade de condigOes serao chamados os pro-
ponentes para declarar quaes as modilicages
que fazem afim de celebrar-se o contracto com
aquelle que maiores vantagens offerecer.
Nao serao acceitas as proposta3 nos seguintes
casos:
!. As que excederem dos pregos do orga-
mento ;
2 As que nao ferem organisadas de accordo
com o presente edital;
3" As que nao offerecerem as garantas exigi-
das ;
4.* As que se basearem sobre os pregos das
propostas dos outros concurrentes;
5. As que forera apresentadas por pessoas
que j tenham deixado de cumprir contractos
celebrados com a.repartigo.
O orgamento e mais condigOes do contracto
achara se n'esta Secretaria, onde pofiem ser exa-
minados pelos pretendentcs.
Para concorrer praga cima, deverao os lici-
tantes depositar n'esta repartigao, na vespera do
dia da arrematago, das 9 as 3 horas da tarde, a
quantia de 203*259, equivalente a 5 |, do valor
do respectivo orgamento.
Secretaria da Directora das Obras Publicas
em 21 de Fevereiro de 1890.
O engenheiro ajudante,
_____________________'A .Reg Netto._______
SEGUROS
martimos comba m
Companhia Phenix Per
nambacana
RA DO COMMEBCIO N. 46

Io PareoEmatacSo 800 metrosEguas de Pernambuco, podendo entrar pequiras at 1 metro

h

'
2 PareoEnsato800 metros.Animaes de Pernambuco que nao tenham ganho n'estes qualro
mezes no Hippodromo.Premios : 200*000 ao Io, 40*000 ao 2 e O000 ao 3o
-
'
/-r
r
*



Diario de Pernambuco-Sabbado 1 de Marco
........,_______ -____________________ _______'. ,
1890
(A
A



i
MTOEMNISADOR
Gompaobia de Sepros
martimos e terrestres
E.ubrlerldarm 1SSS
CAPITAL 1,000:000^000
SINISTROS PAGOS
At Si de Dezemhro de 1884
Martimos.. 1,110:000#00G
Terrestres. 316:000#000
44Ra do Commercio44
EDIFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BAIXAS
Prompto pagamento de prejuizos
SEM DESCONT
A COMPAIVH1A
IMPERIAL
BE LOXDB.ES
EST: 1803
CAP Rt. ie.OOO:OOOAOOO
aentesBROWXS&C.
n. 5-ra do commercio-n. 5
!
Compaa te &*gur0*
costea ::::
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posifao tinanceira fDezembro de 1887y
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumu lados 3.421,000
Reeeita uuoual :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas
De uros
O AGENTE,
John H. Boxine.
607,000
197,000
143,000
Conipanhia de Seguros
|ieliae &t p*k*a
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. 9Ba do Ron JeaaiaiN> *
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros a nica companhifc
esta praca que concede aos Srs. segurados semp
;So de pagamento de premio em cada stimo
uino, o que equivale ao descont annual de cer
a de 15 por cento em favor dos segurados
OTRO CMHU FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
R. DE DRUSINA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca
gas do mesmo banco em Portugal sendc
im L8b6aruados Capellistas n. 73. No
?orto, ra dos Inglezcs.
CONTRA FOCO
The Liverpool Lendaii Globc
INSURANCE CO.IFANY
SLACnSEN, nEBSUl Si c.
Ra do Commercio n. 3
MARTIMOS
Royal Mail Steam Packel
Company
O paquete TVent
_35_l*(V Espera-se da Europa atP o dia 1 d i
jtMarco, seguindo depois da demo
S-a-aa-an,-;, do costume para
Babia, Rio de Janeiro, Santos,
Moa l o vi deo e Buenos- A y re
Para passagens, fretese encommendas trata
e com os AGENTES.
O vapor Tamar
E' esperado do sul no dia 2 de Mar
vereiro, seguindo depois da demore
necessaria para
fik
Lisboa, Vigo, Santhampton e Antuerpia
Keduccao de passagens
Ida Ida e voltc
A'Lisboa 1 classe SO M. 30
A'Southamptonl'classe 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros dt
emambuco.
Para passagens retes, encommendas, trata-s*
omos
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bon JessN. 3
Jompanhia Batiana de Na-
vegacao a Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O vapor Guahy
Commandante Viegas
__^__\ E' esperado dos portos cima
^Efi^JaLV at o dia 3 de Marco regressan-
r^vdo para os mesmos depois da
Bdemora do costme.
Para carga, passagens. encommendas e dinhei-
o a frete trata-8e com
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario-17
co
4VII1* PEBNAHBl'CANA
DE
Wavegaco costelra per vapor
PORTOS DO NORTE
Tarahyba, Natal, Maco, Mosaor, Araca-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Commandonte Carvalho
mi Segu no dia 5 de M arco as 5
>;&___?_ horas da tarde. Recebe carga at o
Bldia 4.
Encommendas, passagens e dinheiro a frete,
t as 3 boras da tarde do dia5.
ESCRIPT0RI0
Ao C'af da Qmwanhia Ptrnambucanu
n.12
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Lecointre
E' esperado dos portos do
sul no dia 5 de Margo
seguindo depois da demo
ra de costume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
a enca, que podem tomar em qualquer tempo
Fas-se abatimento de 15 0|(J em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepeo, os criados de familias que to-
marem bilbetes de proa, gozam tambem deste
a jatimente.
Os vales postaes s se dao at o dia 3 de Mar-
co pagos de contado.
Para carga, passagens, encommendas
nhsiro a frete : trata-se com o AGENTE.
O.paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado da Europa no
dia 6 de Marco e segui-
r depois da demora ne-
cessaria para
Bahia, Rio de Janeiro, uenot-Ayret e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
?revine-se aos Srs. recebedores de mercadu-
ras que s se attender a reclamacoes por fal-
tas, noe volume8, que forem reconhecidas na
0 casio da descarga, assim como deverao den-
tr j de 48 horas a contar do dia da descarga das
a varengas, fazerem qualquer reclamacao con-
3ernentes a volumes que porventura techara se-
guido para os portos do sul, afirn de poder-se
da: a tempo as providencias ndeessarias.
Batea paquetea ao i lio mi nado a
1 is elctrica.
e di-
Pre'isi-se de qulro em pregados, hmens
on meninos, para veoder caldo de canoa, paga-
se bea ; t.-ata-se no Porto da Madeira de Bebe-
ribe, sitio de Jos Vicente Godinh j.
Precisa se de urna ama de leite; a tratar
na ra Direita n. 10.
Precisa-se de amas, para cosinbar, lavar e
engommar; na ra do Pires n. 30.
-^Aoga-se a casa n. 83 roa do Hospicio
em bom estado e commodos para grande fa-
milia.________________;______________|
Alugam se casas catadas e pintadas nos
nndos de S Goncalo, a 8J00O; a tratar na ra
la Imperatrii n. 76.
e 2- andares do sobrado
a tratar no mesmo, pavi
Alugnel com-
Aluga se o !
roa de Bemfica n. 7 .
m< uto terreo, oo defronte n. 6
modo. ___________ ________
Aluga-se o 3- andar do sobrado n. 12,
ra Marcilio Dias, por preco commodo; a tratar
no 2- andar do mesmo.
-^"Faz-s negocio"com a loja da roa do Cabu-
g n. 2-C, propria para miodezas, deposito,
joias ou outro qualqner negocio, ptima locali
dade ; a tratar na mesma.
Pede-se ao Sr. Francisco Pereira do I.Jgo
o favor de vir roa do Amorim n. 66, a negocio
que nao ignora, do contrario se declarar po
este Diarto o que ;_____
Para carga, passagens, encommendas
o leiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Angoste Labille
-9 Ra do Commercio 9
e di-
Comp
anhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO SUL
3 vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do nor-
te ai o dia 6 de Marco e de-
,pois da demora indispensavei
seguir para or portos do sul -
oiuuiddas sero recebidas no trapich
B irbosa at 1 hora da larde do dia da sahida-
Para carga, passagens, e fleommendas e valo-
res rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Maranho
,'ommandante o eapitSo de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do sul
at o dia 7 de Marco e se-
L-uin-lo depoi da demora indis
Ipensavel para of portos donor-
le ale Man^u.
As encommendas s sero recebidas na agen
i i at 1 horada tarde do dia da sahida.
'ara carga, eiicommenoas, passagens e valo
es trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Cornmercio=6
lo andar
Uoited States and Brazil
M.S.S.C.
Ovapor Advance
E' esperado de NewYork-
at o dia 1 de Marco
o qoal depois da de
mora necessaria seguir
- para a
Babia, Rio de Janeiro e Manto.
3ara carga," passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
l* andar
Itamarac
LEILOES
Leilo
Da urmaco, balanca, pesos, medidas e restos
de bons gneros, da taverna da ra de Hortas n.
41, om importante checheo, 2 sabias e 1 bicodo,
vendidos em continoaco.
iioje t de Marco
A'$ 11 horas
POR INTERVENCO DO
Agente Gusmo
Leilo
Agente Brito
De movis loucas e vidros
Urna mobilia de Jacaranda, urna dita de ama
relio, orna cama franceza, 1 toilett orna meid
commoda, 1 marqoezo estreito, 1 dito largo, 1
goaida roupa, 2 aparadores, orna marqoeza, 2
guardas lougas. cadeiras de janeo, ditas de ama-
relio, 4 consolos de amarello, 1 berco de vime,
urna dita de amarello, 2 armarlos para amos-
tras, 1 candelabro de 7 lozes, 1 dito de 4 lozes,
4 candelabros de metal, copos, clices, loucas
para almoco e jan lar, 2 jarros grandes, candiei-
ros, conservas, vinhus, cervejas e outros muitos
objectos que estaro patentes.
^b 1" andar da ra do Hospicio n. 2
Terea-feira. do corrate
As 11 horas
____AVISOS DIVERSOS
Na freguezia da Boa-Vista
Precisase comprar nma pequea casa em
nma das melbores roas da fregoezia, por onde
passem os trilhos urbanos ou perlo delles, com
tanto que esteja em bom estado e nao seja de
preco alto : quem quizer fazer negocio dirija se
a esta typographia em carta fechada, com as
iniciaes H R para ser procurado.
Precisa se no Meco do Espinheiro n. 5, de
urna ama qoe cosinhe e engomme com perfeico,
e que seja matriculada.__________________
Precisa-se de ama boa cosinheira ; a tra
tar na roa da-Soledade n. 82.____________
Precisa-se de am copeiro -7p* ra do Pay-
sand n. 19. _______________
JPreciSa se de um menino para criado ; na
roa da Florentina n. 34. ______________
Precisa se de um copeiro a ajodante ; na
Ponte de Uchoa n. 36, em frente a esUcao.
Alogam-se o e t- andares da casa n. 43t
roa Visconde de Inbaoma, com agua e com-
modos para familia; as chaves no andar terreo.
Precisando se saber quaes os proprietarios do
terreno denominado Cazomb, no Pilar de Ita-
marac, para o fim de negocial o, pede se aos
mesmos que, munidos qoe Be acbem de docu
montos legaes que os autorisem a vendel-o, sem
prejuizo lgum do comprador, se drijara em
carta fechada as iniciaes H. P. S., devendo dei-
xal-a no e3cnptorio deste Diario, qoe ser pro-
corada.
Attenco
Para cobranca de alo gneis de predios e ho
norarios de mdicos offerece se um homem bas
tantemeote coabecido nesta praca, e que tam
bem presta banca em predios para garantia das
cobrangas que fazer. Nesta typographia se dir
quem .
artHWfi
MOMAIS,________
P*^ OLERy VMde-a en toda aortt
Pataces
Compram-se pataces e outras moedas de pra
ta ; no armazem roa do Commercio n. 4.
Criado
Precisa se de om criado ; no largo da Penba
n. 33, hotel.
Armacao
Vende-se urna boa armacao de amarello, em
bom estado, propria para qualquer negocio, a
qoal 3*6 acha ra Bario da Victoria n. 61 ; a
tratar na rna da Imptratriz n. 12 loja.
Vende-se
Quem nao comprar o grande kiosqne con
fronte a escola modelo, bem afregnezado, o pre-
tndeme pode ver para crer. por preco comino-
do ; tratase no mesmo.
Cosinheira
Precisa-se de nma cosinheira ; na roa Viscon-
de de Coyanna n. 4.____________________
Sitio e casa no Arraial
Aluga-se ama das melhores casas e sitio
d'alli, com commodos at para doas familias, e
muitas arvores fructferas, dous minutos cima
d Mangabeira de baixo ; a tratar com Joaquim
Moreira Res.
Arrematac,ao
Nao tendo apparecidj lancador para a arre-
mataco do engenho Jaguaribe, sito ;io termo da
Escada, na praca annunciada para o dia 25 do
corrente, de novo vai praca no dia 5 de Marco
com o abate de 10 0 0 sobre a avaliacao de. -
20:000*.
Precisa-se de urna ama para cosinha ; no pa-
teo do Livrameuto n. 36.
Benrlque FernanaVea da Co ta
D. Anna Martina Pereira da Costa, anool Fer-
nandes da Costa, D. Jovina Esmeraldina Fer-
nandos da Costa, Jos Fernandes da Costa (au-
sente). Augusto de Figoeiredo, D Maria Fran-
cisca Fernandes de Figuoiredo, D. Maria Martins
da Silva Castro (ausente), Albino.Fernandes de
Azevedo (jsente), D. Sophia Martins Pereira de
Azevedo, Antonio Fernndes Ribeiro e soa mn-
Iher D. Guilbermina Sophia Vieira Ribeiro, do
intimo d'alma agradecem a todas as .esseas qoe
se dignaram aiompanhar ao cemiterio publico
os restos moraos de seo idolatrado esposo, tuno.
irmo, cur hado, concunhado, genro e sobrinho,
Heoriqoe Fernandes da Costa, sua ultima mo-
rada ; e de novo as convidara para assistirem
as missas que mandam rezar na matriz da Ota-
ca, pelo seu eterno repouso, s 8 boras do dia
3 de Marco (segunda reir), stimo do seu pas-
samen'o. A' todos eterno re.Wihecimento

Menrique Fernande da CoNta
D. Mana Martins Pereira ta Costa, Manoel
Fernmdes da Costa. D. Jovina Esmeraldina Fer-
nandes 'da Cesta, Jos Fernandes da Costa
(ausente), Aogusto de Figueiredo, D. Mana
Francisca Fernandes de Figoeiredo, D Maria
Martins da Silva Castro (ausente), Albino Fer-
nandes de Azevedo (aosente); D. Sophia Mar
lins Pereira de Azevedo, Antonio Fernandes
Ribeiro e fu mulher D. Guilbermina Sophia
Vieira Ribeiro, do intimo d'alma agradecem
a todas as pessoas que se dignaram acora pa-
ndar ao cemiterio publico os restos mortaes de
seo idolatrado esposo, lilho, irmo, conhado,
conconbado, genro e sobrinho, Honriqne Fer-
nandes da Costa, soa oltima morada ; e de
novo as convidara para assistirem as missas qoe
mandam rezar na ordein 3." de S. Francisco,
pelo seu eterno repouso, s 8 horas do da 3 de
Margo (segunda fera), stimo do seo passamen-
to. A' todos eterno reconh-cimento.
A o publico e ao com-
mercio
i Manoel Loiz Ribeiro, sendo f jrcado a embar-
car hoje inesperadamente para Europa em on
secuencia Je alteraco em soa saode, e nao
podendo pela prestesa de soa viagem e do seo
estado despedir se dos seus amigos e mats pes
soas com quem tera relaces, o faz por este
meio, e offerece seu3 limitados prestimos em
Portugal ou em qualquer parte que o destino o
conduza. Outrosim, declara, que deixa como
seus procuradores aos Srs. Manoel Feneirada
Croz. Antonio Arco Verde e a seo filho Sylvio
S-tyro Ribeiro, finando este como gerente de
soa casa de negocio. Recife, 26 de Fevereiro
do 1890
CHOCOLATE ocm SANTONINA
UFiUira lara daitrilr u UMBBlfilS
bta Vermlftifo i recommeLdala pala
[ sea sabar agraiarel e msnajio indeJniia.
Exigir a ass/gnafura ;
Parla, 26, roa da Temple t as prlacliaaa Pharmaclaa."
Alugam se rua do Impe-
rador
Os 1- e 2- andares n 39.
O dito n. 37.
0 2- dito n. 31.
A tratar com Loiz de Moraes Gomes Ferreira.
Hiiita attenao
No becco dos Ferreiros n. 6, pregoeia se e
recortase babados de todas as Iargoras.______
Armacao
Vende-se urna peqoena armacao com seus
pertences propria para taverna, por prego ba-
rato, assim como um moiuho e torrador para
caf ; a tratar na rua imperial n. 133._______

t
Ama
Precisa-se de urna ama para rosinliar e mais
servigos de casa, que tenha matricula ; na rua
Imperial o. 42.______________
Ama
P*ecisa-se de urna boa cosinheira, paga-se
bem, para casa de familia ; a tratar na roa Du
que de Caxias n. 93, ou rua Conde da Roa-Vis
ta n. 24-A._____________________________
Ama
Precisase de urna engommadeira e que lave,
para casa de familia ; a tratar na rua Sete de
Setembro i. 12, antigo becco dos Ferreiros.
Ama
Precisa se de urna cosinheira ou cosinheiro
bom, para casa de familia ; a tratar na roa do
Cabog n. i4. de meio dia at 2 horas, _____
Ama
Na roa da Soledade n. 52, precisa se de nma
ama para cosinhar e mais servigos de casa, e de
om menino para criado.
Amas
Na roa Mrquez do Herval n. 61, sobrado,
precisa-se de orna cosinheira e de urna criad i
nba para andar com um menino.
Amas
Precisa-se de duas, sendo ama para consinhar
c a outra para sala ; a tratar na rua Doqoe de
Caxias n. 62 e 64.
Amas
Precisa-sa de urna para engommar e outros
servigos, e orna outra pan comprar e cosinhar:
na roa da Unio n. 13._________________
Aluga-se
na roa Direita n. 45. sobrado as seguintes casas:
.Y 40, roa de Agoas Verdes, com bom quintal
e cacimba.
N. 4, travessa da fandigo em Pora de Portas,
est limpa.
Ns. 11 e 20, travessa do Corpo Santo/, fsta tem
soto, est caiada e pintada.
Aluga-se
o sobrado da roa Servasio Pires n. 18, com
agua e gaz ; a tratar com Temporal Filhos,
rua do Bom Jesos D. 57.
Cosinheira
Precisa se de urna que cosinhe bem, seja ma-
triculada e que durma em casa dos patroes, para
casa de familia, na raa Conde da Roa-Vista, n
24 F, porto de ferro. ^
Milho
Perfeito e em boa saccarla, vende-se por me-
nos do que em outra qualquer parte ; no arma
zem n. 26 da Companhia Pernambucana.
Rita Mara de Mendonca Figuei-
redo
Jos Francisco de Figueiredo, Joo Jos de
Figueiredo, Maria Rosa de Figueiredo, tosa das
Mercs Figueiredo, Cecilia Maria de Figueiredo,
Jos Francisco de Figueiredo Jnior e iooFran
cisco de Mendonca agrade:om de intimo d'alma
s confrarias, irmaadades e aos prenles e ami-
gos que se dignaram acomnanhar ao cemiterio
publico os restos mortaes de sua extremosa es
posa, mi e irm, Rita Maria de uendooga Fi
gueiredo ; e de novo os convidar para assisti-
rem as missas que mandam celebrar na igreja
da Santa Cruz, pelas 7 boras da manh de sab-
bado 1- de Marco, stimo dia de seu passamen
to, por cojo acto se confessam desde ]4 samara
mente agradecidos. _______________
t
Fortunato Fortunato Jos Alves de Sampaio, sua mulher
e H.hos (ausentes), Cesidio Aristides Alies de
Sampaio, sua mulher, filhos e uetos, Carmelina
de Sampaio. Olindina de Sampaio, Maria Ameiia
de Sampaio, Mirandolii a Rranco de Sampaio e
seu- llio.-, Manoel Ildefonso Ferreira Maia e sua
mulher, Antonio Raymundo Paes de Lima Filho
e sua mulher, Joo Baptista de Medeiros, sua
mulher e D hos, e Alfredo Gongalves da Porciun
cula, maB 'am celebrar missas s 7 horas da ma-
nh de sabbado, 1 de Margo, na mat iz de San-
to Antonio, por alma de seu pai, sogro, av, bi-
sav e tio, Fortunato Jos Dias de Sampaio, e
contara que seas amigos e prenles, e os da fi-
nado a-sistirao a osse acto de religio e cari-
dade.
t
Vicente Teixeira Coimbra
Amalia Carolina Lavra Coimbra e seos filhos,
Anna Alexandrina Coimbra e soa fimilia, Bal-
bina Carolina iradilha Lavra e sua familia agra-
decem eos amigos e prenles que se dignaram
acompanbar ao cemiterio publico os restos mor-
taes de seu extremoso marido, pai, filho, genro
e prente; e de novo convidam aos mesmos a
assistirem as missas que mandim rezar na ma-
triz da Boa Vista, s 7 1/2 boras da u.anha de
sabbado 1 de Margo, stimo dia de seu falleci-
meoto, e se confessam gratos por mais este acto
de caridade.__________
t
loa Hemelerlo de Castro
Amaral
5* a ii ni versarlo
Rosa Anglica de Castro Amaral, suas irms
sobrinho- e cuobado convidam os seas prenles
e amigos para assistirem a missa que mandam
rezar pela alma do sea sempre Itmbrado lilho,
sobrinho e primo, Jos Hmete o de Castro
Amaral, na matriz da Boa-Vista, s 8 horas da
mab do dia 1- de Margo, 5- anniversario do
seu fallecimentq, confessendo se eternamente
gratos por este acto d- rdigiao.
t
Coronel Claudino Crrela de
Mello
Claudino Correia de Mello Jnior e todos de
sua familia, convidam aos prenles e amigos
para assistirem a missa qie mandam rezar* por
alma de seu sempre lembrado pai, corone! Clan
dio Correia de Mello, s 7 horas de terca-feira
4 de Margo vindooro, na matriz de Limoeiro, 30
lias de seu fallecimento, e por cojo acto de re-
ligio e caridade se confessam eternamente
gratos.
m-1 a*
I
Francisco Juxiimano de Castro
tabello
30 dias do passamento
Virgilio Augusto Lopes e sua esposa convi
dam os pareles e ami s do tinado, assim como
os seus, as8i.'tireni a missa^ que seguoda-feira
2 de Margo, mandam rezar na igreja de N. S.
da Conoeigo dos Militares, s 8 hoias da ma-
nh.
t

Baronesa de S. Borja
O Dr. Joao Jos Pinto Jnior manda rezar no
dia 3 de Margo, s 8 horas da manh, na matriz
da toa Vista, urna missa por alma da Baroneza
de S Borja (Benevenuta Amella Ribeiro Carnei
ro Monleiro). fallecida no dia 2 de Fevereiro na
cidade de Poito Alegre, e convida aos parentes
e amigos para assistirem a este acto religioso.
Morada excellente
Alaga se barato, na rui do Hospital Pedro 2-,
no lugar dos Coelhos, urna casa assobradada e
outra terrea com frente de azulejo, com agua,
grande quintal murado, muito fresco, prximo
do banho salgado, e commodos para familias
numerosas ; a tratar das 8 s 10 horas da ma-
nh, com Joaquim Moroira Reis, que alli atora
tambem casas de 65 7. 85 e 105._________
Valiosa riqueza
Mcito respeilosamente apresentam'is vossa
reconhecida prudencia e profunda sabedoria a
noticia de que a cervejaLa Rosa Almana-
infallivel na cura da enchaqueca e ataques he-
morrhoidaes e corriment03 : venda Machado
4 C, em grosso e a retalho em todos os estabe-
leeimentos.
se
00
Para cobranzas
Urna pessoa habilitada e que d garantas.
offerece para fazer cotirangas de alaguis e ou
tras quaesquer; quem pretender procure no
esenptorio do Diario, que se dir quem .
* ANEMIA, CHLOROSE
4 EMPOBRECIMIENTO DO SANGUEj
< CORES PALUDAS, CONVALESCERCA
.i Osafia ora Hospiaes de Para
< OaVDE DIPLOii de H0SB4,L iI-!lcc.m.imc*,,L'!i.,iml me ^r^_^_^_^
JVINEO ROBN
4 Toni'N>'rtro Reconi-
' titl/lntt
4 GRAGEAS ROBN
*
Medalhste
Ptt.Hkin |
Barcelona
Brvx*"*$i87$8)
er-prege t
de
\c mt/ito
.Iram d
erro, esseociutnuite
analmllavel.occauiooB
_ j>es*o< que ni o M
prestan, a qualquer tra-
tamento ferruginoso, os I
--viudos os mais rapldoa
constantes, sem nanea occa-
sionar dores de estomago nem
oonstipacao (pristo de reatre).
bitiiUtatl: Fk* MBDI, BHTfM (d.)
"m Ptrnimbuco : tnv M. ti SUTl *l
Gelo
Henri Fouqueau tendo recebido urna
nova machina para fabricar gelo, avisa
aos seus numerosos freguezes que nSo
haver mais falta de dita mercadoria, visto
cue a nova machina est em condigSes de
gelar o mundo inteiro.
Caes de Capibaribe. n. 14Deposito
rua do Cruz, n. 35Entrada pela rua dos
Tanoeiros,
O mellwr entriclo

uMw
ampregadat com _
Odontali&a f
'rillt Cilla. YER0A0EIM CAUI8 H MU &
, PARS: Semelta, U, m d'EnfWea
Aos Rvms. sacerdotes
Vende-se por preco razoavel, as segiun
tes importantes obras religiosas, todas no-
vas, perfeitamente novas:
A Biblia Sagrada, em sete grossos vo-
lumes, traduzida em portuguez por Anto-
nio Pereira de Figueiredo.
Um Breviario Romano, em quatro volu-
mes, edco de luxo.
Catechismo de Perseveranja, em sete
grossos volumes, pelo padre Gaume.
Diccionario Universal das Heresias, Er-
ros e Schismas, em um grosso volume, tra-
ducc3o do p*adre Antonio Goaies Pereira.
Theologia Dogmtica, por Gousset, em
dous Volumes.
Theologia Moral. pelo inesmo autor, em
dous volumes.
Compendio de Theologia Moral, por P.
Gary, em dous volumes.
ExplicacSo Litteral e Moral das Epsto-
las e Evangelhos, pelo padre A- Guillois,
em um volume.
Manual do Sacerdote, por J. Schneider,
em um volume.
Caere'moniale Juxta Ritum Romanum,
em um volume.
Sentido dos Ritos e Ceremonias da Mis-
sa, por A. F. Cardoso, em um volume.
Memoria do Clero Pernambucano, em
um volume, pelo padre Monte Carmello.
A' tratar nesta cidade, rua Sete de Se
embro n. 20.
** ai*, ntonus-rarios areasa**
UNGENTO STEYENS
j uni'X) suliBiltulnlo a canterisaco dos caballa
iso fogo. Ertu maravllhso preparado. o unlct
mnedlo vorladuiramente efflcaz para urar todau
u .u.-.esquer aIIcco tai lerut to caiaQg. Ealiratitiai *
aVfaitt-e BUltucas da tan i utiraza. O annoa la
ptimo e continuo xito esa todu a* cor-
vtdaaa, harn i, a no principa eitabelect-
cientos de caralloa em Xnajlaatarra e liil|l
Nunca delia nodos alguma. E' mlster ezpttri
ajenia lo para floar conTencldo do seu raJor.
Vende-se em caueaa com pura o seu empr~qo. emportugu* ^ .___
Waaiitt yret*rdo por H. R STEVENS. nirdic*-aana
4, p_* Uu, Uidi (Ic(l>um)
P**mtruco : F*i H. I UTA A**
pelo
Gasa
Alaga se por prego commodo o sobrado de
doos andares n. 65, na rua Imperial, prefere-se
alugar todo a urna s pessoa : quem o preten-
der dinja-se tua do Imperador n. 36, escrip-
torio do Dr. Moraes Silva.
Barato
SO' Rl LOJA DAS ESTRELLAS
Liquidacao de todos os arti-
gos que ficaram do anno
passado com o a batimento
de 50 por cento, a saber :
Fazendas de le
Pecas de madapolZo americano, com, toque
de mofo, a bS.
Ditas de algodSo T, a 50.
Bramai te com quatro larguras, de 15200
' por 640.
Dito de linho com 10 palmos de largura,
a 1660O
Atoalhados, lindissimos desenhos, de 2)5000
por 1^200.
Guardanapos de 45 a duzia por 20200.
Toalhas felpudas de 55 por 30500.
Esgui5es de 80 per 30500.
Pecas de bramante com 30 varas por
1O50OO.
Cobertores de peluda a 8C0 e 10.
Colchas de fust2o, brancas e de cores, de
40 e 60 por 20 e 30.
Grande quantidade de retalhos de chitas,
las, seda e brins.
Chitas, crotones, cambralas e
fusies
Cretones para cobertas a 240.
Ganga encarnada para cobertas a 200 e
240.
FustSes para cobertas de 800 rs. por 320.
Cretones para vestidos, desenhos novos, a
200 e 240.
Nanzuck, novidades, de 240 rs. por 100.
C as'mitas e brins
Cortes de casemira de 50 e 65 por 20000
e 25500.
Ditos de fust2o para collete a 600 e 800.
Dito de brim de 30 por 10600
Casemira fina de cores de 60 por 20OOO
20500 a 30.
Cheviots americanos de 50 por 2-5500.
Melton para roupa de menino a 320.
Brim pardo a 240 e 320.
Dito de cor a 240 e 320.
Dito branco a 5 ?, 600 e 7C0.
Dito de linho com o avesso branco de 20
por 800.
Dito n. 6 de 20500 por 10500.
Merinos e cachemiras
Merino de todas as efires de 500 por 240.
Dito ottomano a S00, 10, 10200 e 10500.
Cachemira ricamente bordada com um me-
tro e trinta de largura de 25 por 600.
Dita achamalotada, tanto pretas como de
cores.
Tecidos diversos
Toile de Vichy de 40a, 60J, 800, por 120,
200 e 240.
Esguioes pardos para vestidos a 320.
Lindissimas etamir.es a 320 e 400 o co-
vado.
FustSes brancos, Ia qualidale, de 10600
e 20 por 500, 600 e 800.
Mimos dos Alpes de 500 e 600 por 200
e 240.
Sedas
Chamalotes de seda prcta de .^5^0 por
2000.0
Surat preto de 20 e 40000 por 10200, 20,
e 20500.
Lindissimos chamalotes de todas as cores.
Completo sortimento de todas as quali-
dades.
Cortes de velludo e seda de 2000000 por
7O0OlO.
Palha de seda com palmas bordadas de 20
por 800.
Sedas de quadros e listas de 10600 por
800 e 900 o covado.
Setiiis pretos de todas as cores a 800 o
covado.
Lindissimas gazes de seda.
Para noivas
Riquis8ima8 surats lisos e bordados, gorgu-
r~es e setim.
Um completo sortimento de capellas e
veus desde 70000 304000.
dem de leques desde 60000 250000.
Todos os artigos necessarios para enxo-
vaes de noivos.
Confecces
Lindissimos enfeites, de vidrilhos de todas
r.s cores a OO.
Babados bordados a 500, 600, 700 e 800.
Bico8 brancos e de cores a 800, 10000 e
10200.
Babetes com allegoricos infantis de 30000
por 10000 a duzia.
Renda hespanhola preta e de tolas as cores,
bordadas a vidrilho.
Baleias de todas as qualidades a 240 e 500.
Anquinhas de rame.
Collarinhos e punhos para senhora.
Renda de la preta.
CasacosJ erseys para senhora a 40000 e
50000.
Para acabar
Um completo sortimento de plumas e flore
que se vendem pela quarta parte de sem
valor.
Artigos diversos *>ara humen
Camisas superiores de 50000 por 30000.
dem brancas e de cores com pequeo to-
que de mofo a 10600 e 20000.
dem americanas novo systema.
dem de mesa a 800 e 10000.
dem de flanella a 20000, 20500 e 30000.
Meias para homem a 240 e 320 o par.
Lencos imitacSo de seda de 40000 a 10200.
Gravatas de gorgurao de seda preta a 240
e300.
Artigos diversos para meninos
e meninas
Lindissimos visturios J erseys e casemira
para meninos e meninas. '.
dem de fustao branco bordados de 150000
por 50000.
Collarinhos e golas para meninos e me-
ninas.
Casacos Jerseys para menina, de 60000
por 20000 e 20500. "
Tapetes e csteiras
Esteira8 brancas e de quadros de 10000 e
10100 jardas.
Tapetes de coco a 10000 o covado.
dem avalludado a 10800, 2Q e 20500.
dem para sof, de todas' s qualidades a
120000, 150000, 180000, .-200000 e
250000. .
Alcatifas a 10200, 10300 e 10400.
Um campleto sortimento de tapetes de
todos os tamanhos.
E muitos outros artigos que se vendem
por metade de seu valor.
Loja das Estrellas
N. 56Rua do Duque de CasiasN. 51
Telophonc n. lo

'-
i
I


v^
'
J
t
-1



iJiario de Pernambuco-Sabbadolde Marr;o de 1890
tinturara
.
ni
25Roa de Matlas d'Albuquerque, ulica ra das Flores2"i
Tinge e hmpa com a maior perteicao toda a qualidade de estofo e iazendas em
pocas ou em obras, chapeos de feltros ou de palba, tira o mofo de fazendas; todo o
trabalho feito por meio de machinismo aperfeicoado, at boje conhecido.
Tintura preta as tercas e sextas feira, tinta de cores e lavagem todos os das.
i
MEIO-SEGLO DE XITO 51 PREMIOS
29 Medalhas de Ouro e Diplomas de Honra
ALCOOL
HORTELO'PIEHTA
-fiECOMMENDADO ^mBmm ^. INDISPENSAVEL
pelOS maS famaiiOS MediCOS >*JV Vt3^V durante a csaco calmosa I
PAfSA CURAR as Mm\\^L\m^ ^mbWd' m TF^^^^^aV
Indigestes, ___L%- excellent
Dores do Estomago,
Toilette e os Dentes
Grande Preservativo nos tetnpos de Epidemia
Fabrica em LYON, 9, cours d'Herbouville. a\sss\SN*NS'>-SN\*> Casa em PARS, 41, ra Kicher. i
EXIGIR 0 NOME DE RICQLS RECUSAR AS FALSIFICARES
Depsitos eo l'ernambuco : FB&K" H. i SILVA i C" e em Uu as Pbaroicas Srogarlai acrelUlu.
rs. o ceva
BAZAR DO RECIFE
11-RUA DO MRQUEZ BE OLIN&A-M
DOMINGOS MANOEL MARTN8
Esta afamada loja cfferece ao respeitavel publico, os objectos abaixo mencionado,
por precos sem competencia:
Espelhos grandes para salas de noivados a presos de 700000, 90)5000, 12OJO00
e 140(5000 cada um.
Perfumaras dos melhores fabricantes'
Carrinbos para criancas,
Mallas, btlsas para viajantes.
Velocipedes para criancas de 3 ate 8 aonos.
Espartilhos para seuboras.
Briaquedos para criancas.
Rabados e tiras bordadas.
Bonecas alta novidade, completo sortimento.
Cadeiras com carrinhos para mesa de jantar proprias para
criauca.
Leques de fantasa.
Fitas modernas.
Albuns para retratos.
Costureiraa com msicas.
Muitos artigos para presentes.
Todas as Exmas. donas de casa tm grande vantagem em mandar seus pertado-
res comprar os artigos de miudezas nesta loja.



Cretones lisos, francezes, cores fixas, pechincha! por 240 rs. o covado.
Cambraia de cor, florzinhas e ramagens, a 240 rs. o dito.
Cambraias cora menos larguras a 160 rs o covado.
L?.utines de cor, padroes lindos com um metro de largura, a 320 rs. o dito.
Cachemiras lisas e achamalotadas para vistido a 2C0 rs. o dito.
Variedade de artigos que se vendem por todo preco.
2iRA DO CRESPO 21
OLVEEA CAMPOS & 0.
'
T-
500,800 e
LIQUIDO I
Emprega-sc a>.V ESCO VA, e ac superbo ustru coMerra-s* pur am seinau em todos os
tempos, sobre o calado, os arelos e todos os artigos f.ibric^dos de coaro preto. A lama tira-se i
laTando e o lastro torna a ai parecer ue si-me vestidos. Nttbian manufactarina O, L., O" SaUron HU London, Inglaterra
Vende-ae em toda a. parte. __________
o covado Na Loja das Tres Portas
,.

21-RA DO CRESPO21
Merino preto trancado, duas larguras, la pura, de 500, 8C0 e ltJOOO o covado-
Dito lavrado, preto, com ramagem, padrees de voile a 1)5200 o dito; fa-
lenda de 244*0.
Cachemira preta para casacos, duas larguras de 25000 e 25500 o dito.
Na RA DO CRESPO N. 21
Oliveira Campos & C
Grageas Demaziere
iLPproTadas pela Xxurjpootorla, de Hygiene do Braz
CASCARA SAGRADA
Verdadeiro Remedio
Contra a Priaio de Ventre habita*!.
IQDURETOFERRO CASCARA
O mal activo do Ferrugmoao
Nao prodozindo a Priaao de Ventre.
Deposito gpral: PHARWAGIA G. DEMAZiERE, 71, avenue de VHPrs, Psris
Em Ptrnamhv FBN- M. da SILVA at V
Meu

^
KUL
aao-nnnitt
aOUlKSCi.
iiitanzioMl
pr prpuco-y*
PAR
I 4
\
'
.,
cl'33
lodo-Ferruginoso de Quina e Casca de Lar en ja amarga
Este medicamento Hcil de tomar, uo provoca nauseas,
e d cheiro agradavel. Pela sua comnosico, possue tods as
qualidades que Ibc p.rmittem combater :
a ANEMIA, a CKLOROSE, as AFFECCES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS*, a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego faci!, da sua accao multplice e
segura, da economa para os docntes, os mdicos receitam-n'o
de preferencia qualqucr outro medicamento similar.
DEPOSITO OIF.A1, i
PARS, 209, ra Saint )cnis, 209, PARS
VKNDKM-SK KM TODaS AS MU.NCIPAE PHARsUCIa 1)0 IMVKK.-O
DESCONFIAR DAS FAL3IFICACCES E IMITAQ&ES
LOJA DO POVO
IIRa r, de Marco11
Com este titulo acaba da abrir urna loja de fazenda ra 1. de Marro n. 11 e
leu proprietario convida o publico d'esta cidade e de fra a apreciar o seu BELLO
sortimento. Muitas de suas fazendas sao recebidas directamente.
GRANDE HOVIDADE
Toile de pura seda de 1(5800 a 650 rs. o covad.
Descontlo |, para as compras a retalho de 20f5000 para cima.
Chitas de 180, 200 e 220 rs. o covado.
Las lis??, imitacao de cachemira, a 20 rs.
Ditas lavradas, idem idem a 240 rs.
Zephir com 75 centmetros, de largura de 8C0 rs. por 320 rs.
Ditos com 70 idem idem de 200 rs.
Ditos com 60 idem idem de 16 rs.
Corte de casemira ingleza de 3)5500 e 6i50CO.
dem de casineta de c6r de 1510.1 a 15400.
dem de fustao para collete a 25400.
Um completo sortimento de fichs, chales, capas para senboras, espartilhos,
meib e casemira, cheviot, diagonal, pretos e de cores, brins brancos e de cores, ca-
misas ceroulas, toslbas, bramante, atoalbado de linho, panno da Costa, camisas de
ffane'a e rouitos outros artigos que enfandonho mencionar.
GULEEME CAMEIRO DA -CNHA
(AO 20)
Urna duzia de len^s finos, "em caixa, por
25500.
Urna pega de esguio de algodao bom por
35500.
Urna pe?a de cambraia Victoria regular
por 25800.
Urna grnalda e veo para noiva por 75000,
8#t00 e 95000.
Um espartho fino com um toque de mofo
de 125000 por 5,5000.
Urna duzia de meias finas para bemem
por 55000, 65000 e 75000.
Um chambre de cretone, c6res fixas, a
45500, 55000, 65000 e 7,5000.
Urna Guarn gao de crochet branco c ma-
tisado por 75000.
Um colcha de cor por 25000.
Urna sahida de baile por 25000.
Um covado de cachemira de listra de 25
por 15200 (duas larguras).
Urna duzia de ceroulas de bramante de
algodao por 14500.
Um corte de cambraia bordada por 1850CO
( branco).
Um covado de cretone voile por 400 rs.,
barato.
Urna toalha para banho 15500.
Um covado de fustao branco, padr8es bo-
nitos, a 360 e 600 rs.
Urna duzia de toalhas para rosto por
35500, 40000 e 55OOO.
Uin leque transparente por 25500.
Urna pega de madapolao americano com
24 iardas por 65500.
Um covado de flaoella branca por 400 rs.,
de la.
Urna pega de bico branco, cor lisa, mati-
sado e creme por 25500 e 35000.
Urna duzia ne camisas allemaes por 365,
com e sem collarinho.
Um cortinato de crochet para janeila por
(AO 20)
Urna peca de cambraia de salpieos bran-
cos e de cores por 45000.
Um metro de atoalhado de linho pardo
com matizes brancos a 35000.
Urna duzia de meias de senhora, cm caixas
de madeira, por 125000.
Um corte de linho bordado com matizes
de cor por 135000.
Um covado de fust3o para roupa de ho-
mem a 800 rs.
Urna duzia de lencos com barras por
15300, barato.
Um covado de chevioth preto 25OO0.
Urna camisa de flanella, qualidade regular
a 25500.
Um metro de bramante de linho, quatro
larguras a 15600.
Um covado de gaze arrendada de urna s
cor por 500 rs.
Um covado de la amazonas por 400 rs.,
bonita.
Um casaco de Jersey ricamrnte bordado
por 65000.
Um vestido para menino 45000.
Um palitot de seda palha 85000.
Um palitot de alpaca preta 45500.
Um guarda-p para homem 65000.
Um corte de metim em cartees, alta no-
vidade a 75000.
Um metro de bramante de algodao, qua-
tro larguras, a 15100 e 15200.
Um covado de brim pardo 280 rs.
Um covado de crep para coberta 600 rs.
Um covado de crep de 1& 240 rs.
Um covado de renda hespanhola coai um
metro de largura 25000.
Um covado de panno da Costa 15CO0,
15200, 15600 e 15800.
Um metro de atoalhado branco lavrado por
15200.
Um guarda-p para senhora 105000.
Um palitot de brim pardo 4550Q.
PGCH.NCHAS!.
E' com as Exmas. Familias
Voiles de cores para vestidos a 240 rs. o covado.
Setins maco, verdadeiro, a 700 rs. o dito.
Merinos pretos, garantidos, 15200, 15500, 15800 e 25000 o dito.
Rendas de Hespanba, todas as cores, a 25400 o metro.
Percales finissimas a 203 e 240 rs. o covado.
Sargelins, completo sortimento.
Metins, novidades em padroes, a 300 e 320 rs. o covado.
Mantilhas modernas a 15000 e 15500.
Cambraias Victoria, fina, a 25500, 10 jardas.
dem transparente a 35000, idem.
Guardanapos com franjas, duzia, a 15800.
Meias inglezas, superiores, duzia, a 35020.
Len50es de bramantes a 15800.
Cobertas de ganga, forradas, 2 pannos, 25500.
Colchas francezas a 250CO.
Cortes de fustao de cores a 150C0.
dem de casineta para calca a 15000 e 15200.
Bramantes de 4 larguras a 800 rs. o metro
dem de puro linho a 15600 o dito.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado.
Pegas de madapolao superior, 24 jardas, 55500.
Case miras, duas larguras, a 15800 o dito.
Cortinados bordados a 55500 o par.
Panno de cores para mesa a 15600 o covado.
Atoalhados bordado, a 700 rs. o metro, duas larguras.
Toalhas felpudas para banho a 15000 urna.
dem de labyrintho para baptisado a 255000 o 30,5000.
Redes de cores a 35000 urna.
Todos os artigos de nossa casa sSo vendidos em confianca.
As vendas em grosso teem o descont da praca.
59Ra Duque de Caxias59
Loja de
PEMEIRA M1GALHAES
*
lmili.ii ni* tuftettrii I tym i taparte U kutl.
QUINA E FERRO
Chlorose, Anemia, Debilidade
Pura das Febres________
' VINHOS TITDL.Ma5OSSIAN HENBY,
icio i 4ndtali fte(a* dt gtHt, fU eUbiinttce M Jm.'i r ria.-atcU.
A feliz reutil5o, n'este preparao. dos dous tnicos por excelencia, a qttxia
e o maso, coiislltue um precioso medicamento contra a Chlorose. ^rem
palliilaa. Anemia, Florea branca, Constituirse fracan, etc.
PARS, BAIN & FOURNICR, 43, ra d'Amsterdam.
Cepositarlos em Pernnmbnro : FRAN" M. da SILVA & C.
atxwmmmBmmmmmmm
^ico omNTl
75000.
Extractos de diversos fabricantes. I Fitas de todas as cores e largnras.
Kalendarios com perfumaras. I Bordados e entremeios.
Caixas com perfumaras. I Luvas de seda.
Roupas para banhos salgados. | Plastons de cores.
20Ra 1. de Marco20
ao Louvre
AMARAL & C.
THSWfi & Ctti
Curados pelos CIGARROS ESPIG
Oppresseu Toase Defluxos Aevralgiaa
LICENCIADOS PELA IUSPECTOUIA DE HYBIEME DO IMPERIO DO QRAZIL
Asplra-se a rumaca que penetra no pello, acalma o systema nervoso,
facilita a expectorac2o e favorlsa as funci,'Ocs dos orpaos respiratorios.
Vond* or ataoao, J. ESPIC, CO, ru Et-Lazore, em Parte. Axyo-ae uta OMugiti
tai PtrntmOMQ : FBAMCw K. Ita SILVA Cj. oa. rtmqpu BBSBMaaM **"'
DIGEST0ES
OIFFICEIS
Dyspepsia
Pena
\de Appetite
iiiiimmi.iriTrfiT
ELIXIR GREZ
^
TNICO DIOE8YIVO oom QUINA, COCA o PEPSINA
ADOPTJ.UO EM TODOS os HOSPITABS Medalha de Oaro o Diplom-xi de Honra
! PARS OREZ, 34. -U8 *- Beavrt. o eae toiias as ?ba TiSCii*
GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos
Dlarrha
chromra
VERDADEIROS
AGUA.PdeBOTOT
Os Inicos "Dentirficios
approvados pela ACADEMIA de MEDICINA
Branqueam os Dentes. Forticam as Gengivas.
DEPOSITO : 17, Ru de la Palx, PARS.
Antis/amente .- 89, Ru Saint-Honor.
DESCONFIAR-BE DJLM PAX,BiriOA9E
_Acham-sb as nmciPas Prooaria fmariitu arias.
OS MDICOS SOBSTITEM C0H XITO
o OLZOde FIGAD0 de BACALH0 assim como o VINHOdeQUINA
ELIXIR DCHAMP
i
COI EXTRACTO DE FKADO OE BACALHO COI QUINA E CACAO
M*te CMJEME ate CACAO e tmemmparapel Corroborante.
i *N AT4BA00 : DX70BLA.3MEZ*, 15, RU DE POITOU, PAI
OapoalUraM a fntmUtt i naur m. a, oclta A tr
i
uiirm
. 44-1.114 BAR40 O TftlUHPH44
fachinas a vapor
Moendas.
Rodas d'agua.
Taixas fuDdidas e batida*.
Taixas batidas
Arados.
sem cravacsc
CABELLO.
Augmenta, Aformosea
E FAZ CBESCKR O CABELLO
com assombrosa rapidez.
2.8 andar para alujar
Aluga-se o segund i andar do predi*
n. 4 da ra do Vigario Thenorio a tra
ctar no pavimento terreo do mesmo,
Al ugue! barato
Ra da Roda ns. 58 e 60.
Largo do Mercado loja n. 17.
Becco do Campello n. I, i", andar.
Loja do sobrado do becco do Galabougo n. 4.
Ra do Nogueira n. 13.
Viscoade Goyanna n. 163 cora agua e ga
Travessa do i armo, loja n. 10.
Becco do Tambi n. 21.
A tratar ra de Commercio n. 5,1 andar
secnptono de Silva Guimares & C.
Cosinheira
Precisa-se de urna ama para cozinhar
no 3. andar do predio n. 42 da ra Du
que de Caxias, por cima da typographii
do Diario.
Cozinheira
Precisa se de urna boa cosinheira para fam:
lia que est temporariamente em Caxang;
trata- no esciptorio da companhia de bonds
Boa acquisicao
Aluga se a casa ra do Rangel n 63 e ven
deseaarmaco nella existente, propria para
taverna ; a tratar no largo da Alfandega nume
ro2 A________________________________________
Algam-se
as duas pequeas casas travessa da rna Bella
ns. 14 e 16, eslao pintadas e caiadas de novo ; a
tratar na roa larga do Rosario n. 34, botisa.
Ooro Prata
Arthur & Desiderio com
pram e pagam bem.
3Ra do Cabug3
Attencao
Os proprietarios do antigo e acreditado arma-! p0 santo n. 27, armazem.
zem do Lima, sito ra Baro da Victoria n. 5,
partecipam ao respeiUvel publico e aos seus dis-
tlnctos freguezes, que iransferiram temporaria-
mente seu armazem para a mesma ra ao n. 9,
contionando da mesma forma a receberem suas (
ordens para Ibes servir com o costumado e habi-
tual desempenho.
Jos Fefnandes Lima i C
9SUA SASQ SA 7ZCT0SZA9
Telephone n. 323
Cosinheira
Precisa se de urna cosinheira ; na rna Vi3con-
de de Goyanna n. 4.___________________________
Patacoes yelios
Gompra-se na ra do Cabug n. 14, relojoa
ria David.
REMEDIO DO DR. AYER
CONTRA.
AS SEZES OU MALE1TS.
O Rkmkmo do Db. Aykr, descoberte
vegetal que nao contera a quina nem s
arsnico, nem to pouco outro ingrediente
nocivo, um remedio infallivel e prompta
para toda a qualidade de febres intermit-
ientes on maleitas. Seus effeitos sao per-
manentes e certos 2 nenhum mal abso-
lutamente pode advy- d* seu emprego.
Da mesma forma tertuj-se o melhor
remedio possivel para todas aquella
doonras que provm dos effeitos du*
miasmas, que 6e desenvolvem nos lugaret
pantanosos e infectados, e que geralmente
caracteriso-se pelas afleccoes de
figado e do baco.
O Remedio de Ayer curar sempre,
mesmo nos casos peiores, toda a vez que
fr empregado convenientemente e sa-
gundo as direcces.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYiR & CA.,
LowelL lttass.. Est.-Unidos.
Nova remessa
Oliveira Campos &C. receberam nova remes
de merino de duas larguras, e de todas a3 co-
res, padres lavradoa, o que ha de mais gos,
por 500 rs. um covado na ra do Crespo nu-
mero 21._______________________________
Coginheiro
Precisa-se de um cosinheiro ; naruadoPay-
sandn. 19.
Attencao
O agente ?estana est autorisado a vender os
cavallos de corridas seguines: Boulanger, M-
narchista, Capricho, loica, Vareta, Tivoly : i
trata- com o mesmo agente na travessa do Cor-
Rua Mrquez de Olinda
Sr. Luiz Ferreira da Cruz j est disposto
agar sua letra? J faz anoo e meio._________
Precisa-se
aumer 137.
Cosinheira
de urna cosinheira ; na ra Velba
Sitio
Aluga-se ou vende se um v.'.io no Poco da
Panella, junto a casa do 8r Loureiro, todo mu-
rado e com bastante? fruncirs dando fructo
boa casa com commodos para grande familia.
qnartos independentes para criados, cocheira
boa agua, perto dos banhos ; quem pretender
dirija-se ao caes da Companhia Pernamhucan
n. 4, armazem.
Muita attencao
No Becco dos Ferreiros n. 6, pregueiase e re-
cortam se babados de todas as larguras.________
Cosinheira
Pr;cisa se de urna cosinheira para casa de fa-
milia ; na ra da Imperatriz n. 13, 1- andar.
Ao commercio
Diogo A. dos Reis lendo o aonuncio do seu.ex-
empregaao Manoel Ferreira Leite, dizendo sahir
de sua casa por sua espontanea vontade,
declarar que inexacto.
Recife, 26 de Fevereiro de 1890.
tema
Casa em Olinda
Cede-se a quem presisar de banhos salgados,
urna casa na praa de S. Francisco, perto do
mar a casa tem cjmmodos para grande fanjlr
lia a tratar no escriptorii do Diarw.
1


'
'



I

- i
M






{

I
*
1
Se soffres porqoe peres
tT8 E CONVENCER-TE-HAS
CURA RADICAL
C
SEM DIETA
DAS
Molestias de pelle
SYPHILITICAS
Darthros, sarnas, ulceras antigs, im
pingens, bobas, gommas, cancros, rheuma
osmo e morpha.
Com os prodigiosos
XAROPE UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
ApplicagSo fcilUso sem perigoEl
fetos promptos, dicta razoavel.
Contra fados nao ha argumento
Estes remedios silo os mais commodot
do mundo. Envia-se gratuitamente, pel<
correio, direcgSes para uso d'estes med
camentos admiraveis.
Prego do ungento 15200 o frasco
Prego do xarope 35000 a garrafa.
Preparados por Calazans & C. Phar
macia Imperial, Bahia.
Deposito no Rccife
Francisco Manoel da Silva & C.
Ra Mrquez de Olinda n. 23
VENDAS
FarcJlo superior, 42 kilos
3#500 o sacce
Vende se r>o Largo do Mercado n. 12. t
JPo centeio
Mello & Biset tendo recebido nova remessa de
farinha centeio, avisa aos seus freguezes qne
continuam a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tecas e sextas-feiras ; na ra larga -jo
Rosario n. 40.
Livraria Conten pora

1183.
InNSmmeitfo de mnlea
Bomoardao, bombarrtino, barytono, troc
trombone, helicn, saxaplione carrilon.bom'
caxa, pratos.clarinitas. flautas.rabccas, viol'
realejos, caixa.i de mnsica, etc., etc. '
Papel pintado
para forro de salas, qnrtos, gabinetes, correa-
res.
Molduras
donradts, preas e deurudas para qcadrs.
Malas
para viacerr, diversos, formatos, especialme!'
para rcapa de senbora e camarcte.
Novidades
para presentes, escriptorio. toucador, etc., eti
RAMIRO M. COSTA 4 C.
Ra Prtmeiro de Harco n. *
Superior vinho de Al
cobaya
O acreditado e antigo armazem do Lima pa/
ticipa- ao publico e aos Eeus freguezes que acabs
de receber urna nova remp.3sa deste especia
vinho, escolhido propiamente pelo chefe dest;
casa, tornando-se recommendado por ser pur<
e de boa qualidade- Jos Fernades Lima & C
ruaBaro Vende-se
urna nnbilia de jac: randa, composta deiJca-
deiras de guarnicSo. 2 de_hracos. 4 consol* com
tampo de pedra." I sof, 2 radeiras de lona, 1
mesa de amarello elaptica, 2 aparadores da me?-
ma modeira. I sof. 2 espreguigadeiras, 1 euar
da-louca de amarello, 2 comin das de Jacaranda.
I toilet de junco, 10 cadeira3 de junco, 1 cadelra
de amarello, debabnco, 1 mesa para jogo. 3
marqoezes, 10 quadros proprios para sala, 1
mesa de pinho para jantar, 1 lavatorio de jaca
randa com pedra. 1 dito de amarello. i mesa
para cosinha, 1 dita pequea de amarello, 3 ca
deiras deamarelto. 4 raaas de lona, i resfr-
deira, 1 guarda-comida, l me3a rje amarello
para escrever, 2 consolos de Jacaranda com tam
piula ; a tratar na roa da Inperatriz n.
14,3- andar.__________
Arreio de montara
Vende se um todo guarnecido de prata, obra
tina e de Inxo ; a tratar na loja n. 5, a rea Ba
rao da Victoria. _______________________
Canarios
No arrnazem da ra de Pedro Affonso n. 6, ha
para vender grande porcao de importante a
nanos belgas eallemes. cujffs precos razoaveis
se fario contorne a qualkade dos meamos.
Attenco
Vendem se partes dos engenhos Tamoat
meirim e Coqneiros, sitos na comarca da Victo
ra ; bem como o sobre do do um andar n. 57 da
ma Imperial da mesma cidade ; a tratar na ra
larga ao Rosario n. 10, 1 andar.
FOLHETIM

latAii

Preparen tmm di|srelin
Approvado pelt lutrada Jacta de
Hygieae Prtliea da Corte.
Auctorisado por Decreto Imperial
de 2o de Junho de 1883.
COMPOSICAO
de
Firmino Candido de Figueiredo.
Empregado cora a maior eficacia no
rheumatisma de qualquer naturia,
em todas as molestias da pelle, as
leucorrke'as ou flores brancas, nos
soffrimentosoccasionadospela impurna t.
de sangue, e finalmente as diferente*
formas da syphilis. *1 L
l
Dase Nos primeiros seis dias urna
colher das de cha pela manha e outra *
noite, paramente oa diluida em agaa
3 c em seguida muda-s#-ha para colhe- |
->j .-es das de sopa paraos adultos eme-
g tade para as crianzas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhos frios ou
momos, segundo o estado da molestia.
DEPOSITO CEKTBAL
I Francitco Maiiotl da Silva & C.
Droguistas
23 Ra Mrquez de Olinda
Pernambuco
ODODETOKE
POR
HESBI TBSSIES
SEGUIDA PARTE
SROR MARA JOS
(ContinuagSo do n. 48)
Minha senhora, solugou ella cahin-
d de joelhos diaite da condessa, o senhor
loou-nn os meninos.
Bliaua soltou um rugido de lea.
Levou os ? exclamou ella. Quan-
do t Como ?
A ama contou entSo como o conde lbe
mtndarH que acordasse e vestisse Jorge e
fosee ter com elle cuvallarica.
levoc comsigo os dous anjinhos !
caoc'uio a pobre ama, oceultando o rosto
na roupugees do leito.
A cjndessa ouvira-a sem a interromper,
coa os olho fixos, agitada por ettreme-
cimantos violentissimos.
Ao B*ker que seu marido partir tsi-
nho em as naneas, soltou um segundo
i&'-fT+>V+V+'+V-t-+
Para engenhos
GUIMARES & VA LENTE, parteci
pam aos seus freguezes e II!ms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados.,
garantindo tudo de primeira qualidade e
presos sem competencia a saber
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
*
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito depeixe.
Pixe em lata.
(5 galoes.)
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa dn Russia.
(em cairas, barriquinhas, latas grande*
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--(.orpo-Santo--6
Cereaes por preco
cmmouo
Como aejam : milbo. feij&o e ravan.
Neves Pedrosa & C. teem para vender a reta
lh 1 ou em porcao os artigos teima, ma da Pe
nba n. 33, assim como tambem vendem farello
de 42 kilos a sacca por 2f SOO______________
Agua maravilhosa
Com a applicaQao desta agua, quera soffrer de
espinhas pannos sardas, (emdts e vermelhidac
do rosto, ficari perfeitamente curado, rtconhe
cendo a, desse modo, como uoico especifico
efficbz. Alera desses effeitos, tem ella a pro
piiedade de, tornando a cutis limpa, dar-lhe a
cor natural. Acida vidn quecusta 1*, acom
tanba a respecti 'a indic?cao do uso.
Abaixo as pomadas
Vendem Fanas Sobrinho & C, a ra Mrquez di
____________ Olipd n. 41._____________
Mercearia
Vende se a da Camba do Carmo n. 2 ; a tra-
tar na mesma.
Para engenhos
Lopes & Araujo, venden
a presos sm competencia
garantindo a boa qualidade.
os artigos abaixo mencio-
nados.
Gal de Lisboa.
Dita de Jaguaribe.
Oleo de mocot.
Dito para machina.
Azeite de coco.
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em latas.
Kerosene inexploi
Polassia da Russia em caxa:-
de 10 e 25 kilos.
Cimento Porttsnd.
Graxa em bexigas.
Rea do Lfrrameito d. 58
Telephone 316
*
ve.
Aviso
Paulino de Oliveira Maia, nico importador
nesle estado do importante cognac Phaton,
tirado encontrado em diver.-as casas retaltiadoras
as garrafas d'elle com ootro cognac ordiBarissi-
mo fabricado nesta cidade. veni declarar ao pu
Mico e.especialmentevaos apreciadores do Pha
ton, que-devem exigir as garr;fas que forera
crcalas por urna rede de uno rame de lato
arrematada no fundo da garrafa com urna pasta
de chumbo e com urna chapa tambem de
crmobo no meio da dita'garrafa com a mar
ca da cusa Lrmdu Fils, de Bordeaux, a rolba
marcada a fogo rom o mesmo distico, orna
capsula. Ce chumbo verde e amarello com a
-eguinte gravaco no alto : Landau Fils (e
um passato-no mar) Bordeaux, sendo o rotulo
quadrado cem igual inscripgao e no gargallo
urna etiqueta verde com dnas estrellas.
Especialidades
PASTILHAS HYGIENICS PARA
AG' ENDER O FOGO, supprimin-
do o immundo kerosene e dan-
do n'um instante um fogb inten-
so, a caixa com 20 pastilbas 100 rs
OLEOGRAPHIAS : Io. A importan-
te obra prima de Victor Meirel-
le:--: m A Primeira Missa no Bra-
sil ,grande quadro histrico da
descoberta do Brazil, medindo 99
X 76 centmetros de valor Jeal de
151 fpoucos enemplares) 64000
2 SCENAS DE CORRIDAS, qua-
dros de cavallos admlravelmente
desenliados e proprios para sa-
las. 2G ililTi rentes, um U0O0
3* RETRATO DE SADI CARNOT,
presidente da repblica france-
sa, o melhor ainda publicado 14000
CAMISAS DE FLANELLA para bo*
rnens. una de 24 a 54000
PERFUMARAS, artigos para presentes. Quadros
e albuns para retratos. Carteiras para cigar-
ros e charutos. Cigarreiras e charuteiras de
mbar e espuma verdadeiros. Bengalas. Pa-
a-liiria. Lencos de linho a 44K00 a duzia.
eias. Espartilbos. Leques. Bonecas e brin-
quedos.^iiaersos. Fitas. Bordados. Luvas de
seda pn-tas e de cores e outros muitos artigos
de miudezas.
Mala barato do qne em ouira qual-
auer parle
NA
grito, terrivel, sobrehumano e cahio para
traz, n'um espasmo assustador.
O Sr. de Morlac, ao voltar ao castello,
soube que o medico fora ver a condessa
e a declarara atacada de urna febre cere-
bral.
No dia seguinte, Baptista recebeu urna
carta de Henrique, em que este lhe an
nunciava n'um transporte de raiva que
effectivamente o seu prisioneiro e eva-
dir.
O intendente respondeu ao crioulo, nlo
lhe oceultando ponto algam da verdade.
f Por mais que facamos, diaia elle ter-
minando, a senhora est perdida.
t Restam-lhe a duas alternativas: ou
um processo infamante ou o claustro.
Neatas conjuncturas, que pode o se-
nhor fazer r" Esperar ? Mas esperar o que ?
Ficar em Franca? Isso accrescentar aos
soffrimentos de sua pobre amiga a appre-
hensao constante de que o odio do conde
pode alcancal o a si, enguanto que o se-
nhor impotente contra elle.
* Parta pois, Sr. Henrique, parta o
mais breve possivel! Pede lh'o a senhora,
imploro lh o eu de joelhos !
c D-lhe esta ultima "prova de affeicSo,
e juro lhe que o informare sempre do que
houver a respeito d'ella.
Quanto a mim, tico no meu posto, pa-
ra lhe consagrar toda a possivel dedica-
gao.
Cnstou a Henrique acceder aos desejoa
do mordomo, mas qnando soube que Elia-
na eetava hvre de perigo, acabou por ceder
as supplicas que Baptista lbe enderecava
todos os dias e depois de lhe ter manda-
do urna longa e apaixonada carta, pedindo-
lhe que a entregasse a sua ama, resignou-
se a partir para Batavia.
Entretanto o mordomo enviara emissa-
rios para diversos pontos, afina de ver e
descobria o paradeiro das crian$as, e ape-
Rainha das Flores
Raa doBrSo da victoria n. 41
WllSKf
Boyal Bend marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre
lerivel ao cognac ou agurdente de can
paxa fortificar o corpo.
Vende-se a retaino nos .melhores arm.
sena de molhados.
Pede Rojal Blend marca Vlado
cujo nome e emblema sao registrados par
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Cautelas do Monte de Soc
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc-
corro de qualquer joia, brilhantes e relo-
gios, paga-se bem na ra do Cabug n.
t4. n. Loja de relojoeiro.
Trompa
Vende se urna Trompa-Sax em bom es
tado, do fabricante Thibouville, por meta-
de de seu prego ; a tratar no Pateo de
S. Pedro n. 18, das 6 as 9 horas da
manLS e a tarde das 4 as 6.
as conseguir apurar que o conde as en-
tregara a alguem na gare, e que esse al
guem tomara bilhete para Tours, onde che-
gra noite, e ninguem podia dizer se Ji-
cara all ou seguir n'outro comboio.
Dous mezes depois a condessa de Mor
lac entrava, como noviga, no convento da
VisitacSo do Mans.
Ao separar se de Baptista, abrgou-o
com urna effuslo febril, dizendo-lhe :
S em ti tenho esperanga Em no
me de Deus, n2o esqueeas o teu jura-
mento !
Aqui o renov, minhs senhora, pelo
que de mais caro tenho no mundo Err-
quanto eu tiver um sopro de vida, consa-
grar-me hei a procurar que lhe sejam res-
tituidos os meniuos que lhe roubaram. Foi
em 28 de Junho que ih'os arrancaram dos
bragos ; pois visital-a-hei no dia 28 de Ju-
nho de cada anno, at ao dia feliz em que
possa trazer-lh'os.
Chegando a esto ponto da sua narragao,
sror Maria Jobo, que linha o rosto bauha-
do em lagrimas, olho pra o Sr. D niz,
que enzugava furtivamente os olhos.
O Sr. Diniz levantou-se, e iuchnando
se respetosamente, disse com urna simp-
cidade verdadeiramente cheia do gran-
deza :
Eu nSo paseo de um pobre emprega-
do da polica; mas se na humildade da
minha posigao puder por termo ao seu
longo martyro, creia, minha senhora, qu
tere cumpndo a mais santa obra de repa-
ragao que pode orgulhar um homem.
Nao diga isso, senhor replicn vi
ts mente sror Mari Jos, nao diga isso,
Alerta com a Revoluto
roa Baque de Caxlaa a. 4kH
E' BARATISSIMO
Sur de linho a 4.0 rs. o covado.
Etemines de todas as cores a 300 e 4X'
rs. o covado.
LeoBis com Iistrs de seda a 320 e 400
'rao covado
Zephir finos a 20, e 160 e 200 o co-
vado.
Merinos de urna b cor com duas larguras
a 400 o covado.
Casomira com quadros de seda para ves
tidosa 1 o covado, fazenda de 20000.
Ditos com toque de mofo a 800.
Merino setim a 1,5500.
Organdis muito fina a 8(5 a pega, fazenda
de 16)5.
Cortes para vestidos, ultima moda a 70
um.
Ditos bordados a 10)5000 um.
Ditos bordados brancos e creme a 13)5,14,
e 15)5 um.
Casaco de seda francezaa 2fi um.
Coronados bordados'a 65 o par.
Ditos de crochet a 8)5 10)5 o par.
Ficns de retroz de prata a 1& um.
Cortes de brm para caiga a 1)5 um.
Luvas de seda a 1(5 15500 e 25 o par.
Mantejletes de seda preta a 55 e 65 um.
Colchas de todas as cores a 25, 35, 45 e
55 urna.
Cebertas forradas a 2{}C L*nges de bramante a 15600 um.
Atoalhado de algor!o a 15 o metro.
Dito de linho a'25 e 25500 o metro.
Bramante de 4 larguras a 15, trancado e
liso.
Toillets para baptisados a 85000, 95000
e 105 nm.
Bordados e entremeios a 700 rs. a pega.
Sargelim de todas as cores a 200 rs. o
covado.
Toalhas felpudas a 35, U, 55 e 65 a du
zia.
Pannos da Costa para mesa a 15200* o co-
vado.
Madapolao americano a 65 a pega com 24
jardas.
Casemira de todas as c.-es para costu-
mes, a escolher, a 25 o covado.
Cortes de casemira de 35500 a 75 um.
Camisas de meia a 15 urna
Ditas de linho e algodao a 25, com colla-
rinho. *
Toalhas para crianga a 120 e 160 urna.
FustSo de cores para costumee a 500 o co-
e vado.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs
um.
Ceroulas francezas, a 15000 urna.
Atoalhado de linho com toque de mofo a
25400 o metro.
Dito de algodSo a 15200.
Algodao trancado para toalha a 150C0 <
metro.
Espartilhos couraga a 45000, 55000 e 65
Longos de algodao brancos' com barra' a
15200 a duzia.
Lengos de linho a 25500, e 35 a duzia.
Nansuk fina a 120,160, 200 e 240 rs. o
covado.
Chitas brancas e de cores a 200 e 240 o
covado.
Organdis de 800 a 400 rs. o covado.
Setineta lisa de todas as c'res a 240 rs. o
covado.
Cortes de fustao par collete a 500 -rs
um.
Ricos cortes de ves "idos de 6C por 255 e
305, pretos e de c6r3s.
Costumes de Jersey para criangas a 75
um.
E muitos artigos de moda e phantasia,
que s com a vista, asgim como em sua
officina de alfaiate prepara so qualquer
costume em 24 horas e por prego sem com
potencia.
Na Revoluto
HENRIQUE DA SDLVA MOREIRA
Vinho puro de Santarem
Ba quinta do Barral
Os propretarios do Annazem Central, roa
do Cabug n. 11, avisam aos seus distinctos fre-
guezes e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o qual se
recommenda por ser puro da uva, e s se reta-
Iha em seu annazem.
Joaquim ChristovSo & C.
Telephone 447
Azulejos
Com Hndi83ima8 cores e desenbos variadisai
mos, encontra-se para vender um grande sort
ment desse artigo, proprios para frente de ca
sas, corredores, cosinhas e banbeiros ; por pre
eos aem competencia na ra do Visconde df
Goyanna n. M5.
que dar novo alimento a minhas illus3es
e chimeras..
Chimeras que eu realisarei inter-
rompeu o policia com firmeza. Antes de
a ouvir, minha senhora, tinha esperanga;
essa esperanga converteu-se agora n'uma
conviegao.
Deus o ouga exclamou sror Maria
Jos, muito exaltada.
Ouvir me-ha, senhora. Tenha con-
fianga, que eu espero que voltarei antes...
Antes de?... interrogou a condessa
que, com o rosto collado grade pareca
absorver as palavras do Sr. Diniz.
Neste momento ouvio-se l fra, na am-
plid:o do campo, urna voz argentina e lm-
pida de crianga, entoando um velho cnti-
co sagrado e parando neste verso :
E resuscitou ao terceiro dia.
O polica estremeceu.
Ha pouco invocava a senhura Deus,
disse elle quasi em segredo, e eis que Deus
parece respouder-lhe, marcando-nos nova
entrevista para d'aqui a tres dias!...
Sim d'aqui a tres dias !... repetio a
Sra du "Morlac em tota prophetico.
Ernao, f em Deus concluio grave
mente o Sr- Diniz. At outro dia, minha
irmS.
VI
O Sr. Mi.ard esperava UB hospede
passeaudo no trottoir roa%^mwbconvento.
Apenas o inspector sabio, corren para
elle.
E entSo, perguntoj com anciedade,
esta t-aunteito, meu caro senhor?
Mais do que esperava, respondeu o
r. Diniz.
E, caminhando, contou ao agente du ne-
gocios o que julgava indiBpensavel que elle
soubesse.
' 1 FLORIDA
Fitas lavradas com nm palmo de larg
ra a 25000 o metro.
Papel de arroz de todas as cores.
ChapelinaB modernas a 55000.
Rendas hespanholasde todas as cor;s
pretas com o Bem vidrilhos. "
Lindas guaniguies de vidnlhos pretos pa^ a
casaco.
Grande sortimento de galSes, palmas c
rozas de vidrilho preto.
Bicos matisados de urna s cor como se-
am, granad, azul, rosa, beije, palba, chum-
oo, salmn, ter r ac te e umitas o u tras cores.
Sabonetes perfumados a 500 rs. a du ;
Lindos desechos para talagarga.
Lengos de seda a 500 rs.
Bicos de seda e de algodao com e sem
vidrilho.
Mantilhas de seda e de algodao.
Franjas de seda com e sem vidrilhe.
Renda hespanhola.
Collarinhos para homem a 35000 e 450>
a duzia.
Bordados de cambraia tapada a 400 rV,X
600 e 800rs.?apega.
dem com 3 e 12 metros, do qua'quer
argura a 15200.
Lengos de linho em caixinhaB a 350C1' a
dita.
Meias para homem, duzia a 45000.
dem para senhora, duzia a 45000.
Finas pulseiras americanas a 45, 6; e
85000 o par.
Cortinados todos de crochet para cam& a
125000, 175000 e 195000 o par, alg-. ns
de corea.
Ditos para janellaa a-.75O00. ,
Pannos de crochet para cadeiras a 80C e
15000'.
Ditos para sof a 25000.
Capellas com veo para noiva a 6500C e
85000.
Lindos enxovaes baptisados a 85 105 e
125000.
Toncas de setim para baptisado a 35, 4 e
55000.
Gnnaldas e ramos de seda, o que ha de
mclhor.
Lindas fitas n. 12 para chapeos.
Luvas de seda, cano comprido a 25 < pa-
Ditas de seda para creanga a 15000.
Dita para moga a 15500 o par.
Espartilhos para creanga a 45 e 45500.
Ditos para senhora a 45, 45500, 55000 e
65000.
Linha de machina a 60 rs. o carritel.
Linha de machina a 600 rs. a duzia.
Albuns de pellucia de diversas cores.
Livros de missa a 15500, 25000, 255
35O0O, e 35000 cada um.
Lindas luvas de seda com salpicoB e con
listas, gosto moderno, a 25500 o paz.
Toalhas para banho a 15300.
Toalhas para rosto a 300.
Totlhas para mao a 160 rs.
Babadores com inscrigSes e paizagem a
500 rs. e 450000 a duzia.
Espelhos grandes com mulduras finas Ce
cautos re iondos a 45000 e a 65000 urna
Bengalas flauta.
Grande sortimento de luvas de seda arret
dada com palmas canno comprido a
15500, 20005 a 25500.
ASSUCAR
Na refinac,ao do Saguei-
ral, alm do melhor assucar
refinado, encontra-se tam-
bem o afamado assucar das
usinas, Colonia Isabel
Santa Filonilla, Car -
Ass.
Precos resumido?.
22Ra Direita22
Deposito da Companhia de
Fiacao e Tecidos de Per-
nambuco
Neste deposito ra do Bom Jess n. 42,
vende se por precos rszoaveis e condigOes da
praca, bros d^ algodao de cores e algodaozinhos
de diversas qualidades, e tambem Qo de algodao
em novellos.____________________________
A Igreja e o Estado
Vende-se a obra completa de Ganga-
nelli sob o titulo cima, encadernada, por
255000, e diversos volumes ; no eBcripto-
rio deste Diario ae dir quem vende.
A ra da VisitacSo desemboca na da
Flora ; por isso, d'ahi a dez minutos, os
dous r ornen s parar a m porta de Paula
Lundi.
Foi um agente de policia que abri a
porta ; e como o Sr. Diniz se admirassa,
Mnard explicou :
Esqueceu me prevenil-o de que o
criado do nosso mancebo desappareceu no
mesmo dia que o amo.
Diabo E n8o o inquieta isso ? per-
guntou o inspector.
Tanto me inquieta, que j tomei in-
formagoes, de accordo com o commissaro
de policia, e etao dadas ordens para o
procuraren! em toda s parte.
Multo bem. Qjem era esse criado ?
Um rapazola de d^zesete annos, que
servia ao mesmo tempo de aprendiz ao
Sr. Lundi. De resto, sao muito satisfac
tonas as informag5es que colhi acerca
d'elle.
Nao importa ; preciso sab desappareceu e para onde foi, concluio o
Sr. Diniz entrando na casa.
As constru gies da ra da Flora sao
qua-i todas compostas de rez do chao, um
adar e aguas furtadas ; na rectaguarda
tm um jardim de maior ou menor exten-
sao.
A habitaelo de Paulo Lundi abedecia
a regra gerai dos edificios daquelie sitio.
A' enuada havia um grande corredor,
encontrando se esquerda o salo e a
sala de j .ntar.
No pnmeiro, mobi'iado com gosto e co-
quetisino, viam-se um piano de Pleycl e
algn quadroa bou, dous doa asaiguados
pelo dono da casa.
A sala de jaot>r era muito simples e se-
guida de urna cozinha.
Ao fundo via-se um pequeo jardim,
cuidadosamente tratado.
A. LOJA CAS USTRAS
A ra D qun de Caxias n. 6.
vTEN>E MAIS BARA.ro
da descont a qnen comprar
d OSOOO paradina
Vendr pelos Sjguintes 'prr'cfc :
L3s de quadrinha a ICO at2(JOrs.
Zejihyr de quadriaho a 100 e 200 rs.
torales claras e escuras a 260 o 240 rs.
Cassas de urna e cor a 100 rs.
Merino preto com duas larguras a 440 rs.
Cachemiras e merinos enfeitados a 400 rs.
Cortes de zephyr de quadrinhos bordados
45000.
Fichus de rerda e prate?dr8 a 500, 8C0 e
ltiOOO.
EsguiSo pardo para vestido a 320 e 360 rs.
Brim pardo li.-o para roupa de meninos
240 rs.
Cortes de casineta de cores a 15C0O par
homem.
Colchas de fu-tSo de lindas cores a !580i
e 25000.
Cortinados bordados para cama ejanella a
55800 o par.
Toalhas para menino 15500 a duzia.
Guardanapos a 15800 a dita.
Bramante de 4 larguras a 640 e 15000.
Lengoa brancos finos a 15200 a duzia.
Espartilhos finos a 45000.
Crinolina branca, preta e de cores a 400 ra.
Baleias a 200 rs. a duzia.
Arco de ago i 100 rs. o metro.
Bicos brancos, de cores e matisados, todos
os precos.
Rendas pretas e com vidrjlhos a lOOO.
Mantilhas pretas hespaabobva 45000.
Etamines de cCr. pnantasia-a 400 rs.
Tecidos de linho muito finW e largos
400 rs.
Cachemiras pretas arrendadas a 25000.
Sedas de efres com listras ou ramagens
15400.
Surah preto e de cores a 154(10.
Setins maco de todas as cores a 00 rs.
Cortes de vestidos de cachemiras bordados
a 155000 e 205000.
Cortes brancos' todos bordados a 155000.
Cambraias bordadas e cem salpicos, finos,
a 45COO- .*
Cortinados .de crochet de cores para janella
ou cama a 15400.
Meias de seda para senhora a 35000.
Penteadores bordados a 35000.
Camisas bordadas para senhora a 55000.
Vestuarios'marujo para meninos a 55000.
Capellas* com veos para noivas a 65000 e
85000.
Setins brancos, muitos finos, a 800 rs.
Luvas de seda brancas, pretas e de co-
res a 25000.
Meias arrendadas, brancas, para noiva a
15500.
Novidades
Mosquiteirog com armado a 155000,
Estantes para msica, para amadores, a
55010.
Oleados para mesa de qualquer tamanh*
a 45500.
Relogios americanos .espertadores a 75000
85000 N" # .
Sabonetes finos a 500 rs.
Collarinhos e puchos de celluloide a todo
prego."
Fitas de seda, todas as cores e todas as
larguras desde 320 rs.
Retratos a oleo
Com lindas molduras douradas em alto re-
levo, e muito lindo para um presente e
para sala de visitas. .
a 35-Soo e mais precos
Qualquer familia que desejar ter um lin-
do retrato bastante mandar um cartao
de visita nao importa que seja antigo,
basta dizer a cor dos cabello e cor dos
olhos para chegar um retrato desejado.
Para ver, e fazer encommendat
Dirija se Loja das Listras zoes
61ROA DUQUE DE CAXIASi-6l
PUNO
Vende-se um ptimo pia-
no, quasi novo, do autor Fe-
lippe Henrique Hery; a tra-
tar na ra da Imperatriz n.
14, loja de camisaria. '
Leite puro
Na estrada de Joo Fernandes Vieira, sitio lo*
go depois das casas novas da direita, vende-M
todos os das leite puro de vaccas tournas da
erra, garante-se a qualidade do leite
Os dous visitantes subiram ao primeire
andar.
O atelier do pintor era eontiguo ao quar-
to de dormir e deitava para o pateo.
Mobiliavam-n'o grandes divans estofa-
dos de couro com pregara amarella, algu-
mas commodas antigs, urna grande pro-
fusao de bronzes, gessoB, objectos de arte
e bibelots.
as paredes, desenhos, aquarellas, es-
bogos e pinturas de toda a especie, entre
as quaes cinco ou seis telas j promptas e
de valor real.
Este rapaz tem talento disse o Sr.
Diniz, em ar entendido.
Muito at confirmou o Sr. Mnard.
Entre as janellas via-se urna panoplia,
composta de armas da Oceania, machados,
arcos, flechas, zagaias, krisses, escudos de
pells e de madeira, e sobre a chamin,
junto de um relogio de onyx, dessangav
um revolver ao p de um punhal malaio.
Finalmente, sobre um cavallete, exhiba-
se o retrato de Paulo Lundi, feito por elle
proprio, e, segundo disse o Sr. Mnard,
maravillosamente parecido.
O Sr. Diniz desviou o cavallete, par
expr o quadro plena luz e examinal-e
detidameote.
Galante rapaz insinuou o policia
aposentarlo.
Sim, e bem galante! munnnron
inspector entre dentes; elegante, distinc-
to... nao adaiira que a menina Hermi-,
> i-
l
i (
1 E
f !
-:
i
ma..
De repente deu urna palmada na testa e
accrescentaado em voz alta :
Mas com oa diabos!... Eu j o vi!...
Oude aena ?... *
Provaveimente qnando correu em au-
xilio delle.
Continuar te-ha)
Tto Ho Dtano ru*o Duque de a*ia 4*
1 > '-

- ;
^

ii
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBAXE8E7I_AOWYGY INGEST_TIME 2014-05-27T21:48:54Z PACKAGE AA00011611_16518
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES