Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16516


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO L. MJMEKO 221
O f


a\C
At, LIMaaYatBS 0\DK NiO gE pAGA PUBTK
..........'.... 69900
.............139000
...............34*000
............ 9320
MARIO DE
.
Alias* Who., no Par<; Gouges d Pinto, no Maranhlo; Joaqwm Jo* de Otirmn d Pilho. no Ceir*;
VITMii, em Mamangaape ; Carlos Auicacio Monteiro da Franca, aa Parafcyba ; Antonio Jo* Gomea, na Villa
__________ Ant(>nio Ferreira de Afniar, em Gojanna f Joio Antonio maehaeo, no Pilar daa
**:W
FyTTLiS
le p>kvira
-^a
I -
ite.-Qaan-
i exterisao d'agua, co-
aar Media mnco. diz-se que
i* dr aWorf ajaaado os punto* dassa
ii- auUates do cen-
4*-se 0 BXMBM da M-
otaaln que ao nivei
pgatua da suparficie
plaao horison-
mppmreni* ou nivel a
peja-aa* apafeoef liqoktas qae o
aa rwJ *c caa:uaJe com o nivel
r. r*me en torn da si mesmo,
4> t^da* as aura* lomaria o aivel rer-
aac par efcate da forra cenlrifaga qua
tm awrnease dtarno. cano vimos no
Lie a* paragraph., qae se in-creve
-i *s ffc, a >uperficie e
o *..uaiar du qu bos polos, e pois,
c aB ana tattado do qae a qai.
it^nido* earn vaaoa
.Aiendeana dos liquid-*
1* rdhnria d> aivei. nao 6 s otaoifesta
se c-iea> n'ara masmo vaao, mu
lo se acaaai aa vases qae comma-
qcatsqaer qae seiam as forma? e
visas, dado hqmtio nao pd-
fsu'librh a? ao q-imdo o seu
i Icias os ra*c>\
rar cxaonmeatt meuie ease prin-
i- am rriumn de vasos de forroas
ai&reaasa, commumcaodo lodos
.-.-. bxisoltal, romo porexem-
. ana f arrafa, uma returta, am cy-
.*'.?.. etc.
aaa oa oatro qualquer liqaido
i aaaos. ahaarva-se qae, a medida qae
icahe do vase, passa para os oatros qae
tsaaa e eleva-se ea lodos ate
na mania a:tura. A parlir
, eiigoile fiea em eqoitibrio ; por-
use. can* aa presides ecerdda* por elle nao de-
t'!sda o gaalidade 2-1. Kasecmeale da saa allora, logo qae
en lodos os vaso. aeima do lubo
m*c^>.<, a prescao aeeaisariameote e
a-" parted e o eqoitibrio persiste,
iaio leade a escoar-se em ama
a aaam dij*cc>
av>> (auimuni-
liiiaiaof aliaTea-enleM.
3b q,a+ prec-.-dr Cjarainos a t.ypothese de eon-
Israel ledas as vases am raesm? liqaido. Mas po-
' CMierm os va05 banataa differentes,
! iraalali' dnersa^.
%esta hsBMbese o nivel na i Ben mais igual pa-
i.iades aaaioa awam densos ele-
--ka"j aaaif do qu; o mai- densos, e enlao a
- ifl>rio necessana para que ?t 6V o eqnilibrio
- .^a* .- ml arms -las column!/' hquidas qur se
.krmm^. eft m enlrt si no rorea inreisadas
nrntit*4:* dt '.'-< /,./" J:. isto (; que
- -aL saai do= i aaas. t: qaatro, ciaco ve-
autrdeesodo pec eanr pan que se de o
- ;.; so i i :ra no ISM re>-
|,;1mF. res, qaatr>-, ciueu vexes menor
..ara d w.ru ao seu lajyuUliu vaso.
Gm anaeapia deaoaslra se experimentalmente
aaxiiio da does lubo; de vidro de diaraeiro
ioasca area Ililjbii q-os. wiinnaaaiiiaaV) entre
idfiiumiiro dtuutulo.
?ABTE OmCIAL
daverne da provlncia
KKKOiBNTB DO DIA 28 DE ABKII. DE IS7i.
/.* secciio.
Officios : '
Ao Exm brigadeiro eotnmandaote das ar
:.Tendo defend* o reqaerimento em qae o
capitao do 18 batalbao de infantaria, Jeronymo
iKoaeio dos Santos, pedio permissio para demorar-
se nesta provincia, ate qae o governo iraperiat re-
olva acerca da peraata de corpos aolic>tada por
elle, e o major graduado do 9* batalbao da mesma
arnu, Bento Law da Garaa ; assira o eommuni w a
V. Exc para o sea coohecimento, e em reposta
ao sea otlicio de honlem datado, sob n. 331.
Ao mesrao. Teaaa o sol dado refbrmado de
i* batalbao de infantaria, Gustodio Exposlo, p-
dido ao governo imperial ser recolhido ao asylo
de invalidos da palria, por acbar-se imposslbtlita-
do d procarar os meios de sabsistencia, recom-
mendo a V. Kxc que, uma ver veriQcada a exac-
tidao do qae allega a referid-i oraca, fa?a-a seguir
para a corte com destiao ao indicado asylo, con-
forme determina o Exm. Sr. minlstro da giierra,
em aviso de 20 do corrente.
Ao mesmo.Commimico a V. Exe. para sen
conherimento qae por aviso de 21 do corrente,
foi maadado recolher a corte o brigadeiro JoSo
Gutlherme de Brace, logo qae termine a iospec-
cio do 9* batalnao de infantaria, aflm de alii ins
peccionar em eommissio o 7" e li* batalhose da
niftsma arma.
Ao mesmo.Commnnico a V. Exc. para os
fins conveniete<, que segundo censta de offlcio do
Exm. presidente do Maraahao, de 18 do corrente,
embarcoa alii na mesma data, com destino ao 9
batalbao de infantaria, o 2 cadete Francisco
Raymundo de Paula Salles.
Ao mesmo. Sirva-se V. Exc. a vista dos in-
cluwa papeis, que me serao devotridos, de infor
rair acerca da pretencao de Mafia de Siqueira
Torres, pedindo a baixa de sea marido Silvino
Jose da Costa, sargento do 2* batalbao do infan-
taria.
Ao Exm. brigadeiro Joao Guilherme de Bra-
ce.Resolvendo o Exm. Sr. miaistro da guerra,
conforme declaron-me em aviso de 21 do corrente,
que V. Exc. recolha-se a corte, logo que terminar
a inspecgio do 9* b italhao de infantaria, afim de
ffiefci concedfaa eon w veue/iiwMos
competirem para tratar da so* sande. I Actor
0 ptesJdeme da provtnela, trade em ista o\~ 0
que expfo o inspector da ttiesoararia proviiciaU proposta
em offleios de 23 de mareo ultimo e 23 do eorrea- Lpablica,
alii inspeccionar em commissao o 7* e 14 da
mesma arma ; assim o communica a V. Exc. para

t
s daas tut05 per er-lumnetas verti-
iaiJ aaaaei coin una escala dividi-
-a aaSanetrc.- :rarJa aa proprio vidro, dei-
u se aaerenrio ea arridtiie* \ a .. logo subir
.- aaaaaaa atari l piinwam, ceaao
i icaaa Sgurado
.. aaata-se ap-a subre o merca-
l a> aa Mhb, se no outr^ anguientar a co-
. aa demercorie per efleitc- da preaiao exercida
. (aa snkre a mercario du primeiro ; de sorte
jeaed > se esubeiece o eijailiLrio, o mercurio
. mi elevade no segued? do que no pri-
auatabo,de uxa quantidai^ r.preciavel na es-
.4 r-ri scCi I :abo.
.: se : !ae que, se na pnineira bypothese,
ataas de dei'a: -s e a agna, as :u~ columnas de
iron.- ravam lend) a thesma allora, e
- aa segTwdi, a d. segundo Mm maior do qae a
- aMaro, eqailibri a des'.e .t< :rescia com a de
.. ciiatiianaen'.e a dinerc-n entre as colum-
f t- d> at-rrir;*, apreciada e::i miilimetros, fax
-waanc a -: taaaaa d agua
4 Jl: ipreciand'.-se e^sas daas colum-
ie aaerrcrio e de agua qua se equilibram,
-^aa-se a^- a de mercario i I :', menor do qae a
ia afia ;u* lemcustra o f-rincipio, porqne, ro
--.. >, o mercuric 6 treie vezes e
I s decaaos de an mais dense do que a agua.
fvw4lilN-io tie liajMidoH rfilTereaitest
iaai ipii**- -I'ara cLOip.eur o estudo do
- ai*oo d Ii juidos, resta-Dos tomar em consi-
. -afiee zuo em que um dado vaso content II-
id deaic- ia^sdillerente-
^etaBypeaese, nao ba:ia >jue o superQcie de
am > lijoidos seja htrisontal, nlo; tarn-
wk* ,*e as HcH'dos se acliem super-
'** aa; tree* de fnasdeit'.dn >$ rrescentes, de
** peafc.rj isto e, que tique o mais denso
bawa,o- nj?aoj densos uc essivaraente aci-
e per ornem."'
ara de:astrar esie principio experimental-
aataaa, leau-se am fras alongado, que oatr'ora
rti*uva se .-3 dos qnatro r-meatos, nome que
I. fioaa, e deaa se-lbe denirw ayua, alcool, mei-
, e am tm essential meucs denso que o al-
Jaeie c frasco e tapado, ag.ta-se-o, e coroo que
\e n.i>. jrarea-se os qaatrc iiqaidos ; mas, logo
* *, oflts^Ddo-se o frasc erticalmonte e dei-
- lets 'i.-z curcpoasa, ve-ae c? liquidos sopara-
. a-se p- r.'e a e coaapiotamec dep Milan lo se o
a as foaa% acinaa delle a agua, sobre esta
e fii3jeate acima de tudos o oleo essen-
cai.ajae o aaaj denso ton qaatro.
r por eSeito da mesma propriedade que, nas
taaacadara; dos rios, ve-se a agua duce. qae e
aeaas densa do qae a agua ;aigada, permanecer
ianaae a'gzm lempc sobre a- jguas do mar, como
i aadiadx
t- ajada ea virtade da mesn:a causa qae a na-
*- J6*^ faaeaaenos denta do qae este, sepa-
*"* ** panco a poueo, e ?6i a a soperficie, on
e -e aeeamala.
(ContitvAa.)
saa ratelligencia.
Ao inspector do arsenal de "marinh.v -Em
satisfacio ao qae soheita o Exm. presidente da
provincia da Parahyba em offlcio de 20 do corren-
te, recommende V. S. toda a actividade na promp-
Baaasaa de duas boias, cuja constroecao em offl-
cio particular foi aotorisada pelo aviso do ministe-
rio da mannha, de 25 de hovembro, a quese refe-
re o men offlcio de 9 de desembro, tudo do anno
passado, as qaaes se desttnara ao balisamento do
porto e barra da capital daquolla provincia.
Ao mesmo. Antoriso V. S.,como solicita em
sea offlcio de hontom datado, sob n. J, a comprar
no mercado cinco toneladas de carvao cok, visto
a necessldade qae de tal objecto ten esse arse-
nal para as diversas obras a cargo da respectiva
offlcina, e nao ler apparecido quern se proponha a
fornece-los, embora annunciada a concurrencia por
duas veies.
^ Ao capitio de fragata Francisco Jose Coelho
Ne to.Fico seiente pelo seu offlcio de hontem da-
tado, sob n. 1, de haver V. S. na mesma data as-
sumiJo o exercicio do cargo de inspector do ar-
senal de marinha d^sta provincia, para o qual
fora interinamentc nomeado pelo governo im-
perial.
Ao director do arsenal de guerra.-De accor-
do com o parecer da cootadoria da thesonraria de
blends, a que se refere o respectivo inspector em
sua informacao de hontem datada, sob n. 346,
serie G, tenho a dizer-lhe, em solacao ao seu offl-
cio de 17 do corrente, sob n. 608, que o jornal de
12 de 16 de marco ultimo, inandadas observar pelo
avisj do ministerio da guerra. da masma data,
deve ser considerado applicavel uuicaraeate aos
serventes das offlcinas, e nio aos do almoxarifado,
companhia de aprendizes artifices, etc., em quanto
pelo governo imperial nao for re3olvido o contrario.
Quanto a exiguidado do referido jornal, contra o
qual com razao reel rnia V. S. no citado offlcio,
cumpre aguardar a deliberacao qua a respeito
houver de tomar o mesmo governo, a cujo conhe-
cimento submetto o assumpto.
Ao coramandante do presidio de Fernando
de Noronha.Transmilto a V. S. afim de que
faca chegar ao poder do senlenciado lleitor Custo-
dio da Silva, a Inclusa certidao, por onde consta
desde quando o mesmo sentenciado esteve reco-
lhido ao arsenal de marinna da provincia da Bi-
hia, confjrme requereu em 9 de marco do corren-
te anno.
2." seccao.
Actos :
0 presidente da provincia, attend-^ndo ao qae
requereu Joio Bapti3ta do Amaral, contador e par-
tidor do termo da Victoria, e a vista da informacao
do Dr. juiz de direito da respectiva comarca, em
offlcio de 24 do corrente, resolve conceder-lhe C
mezes de licenca para trartar de sua saude, onde
I he convier.
0 presidente da provincia, de conformidade
com o J 2" art. 1 do decreto n. 4668, de o de Ja-
neiro de 1871, resolve no-near provisoriamente
para exercer os ofQctos de taoelliao do publico,
judicial e notas, escrivao do crime, ctvel, orphaos
e mais annexos do termo do Triumpho a Ray-
mundo Floreotiuo dos Santos, interinamente pro-
vido no mesrao offlcio.
0 presidente da provincia, a vista da proposta
do Dr. chefe de policia, era offlcio n. 854, de hon-
tem datadj, resolve deraittir do cargo de sup-
plcote do subdalegado do districto do Bebedouro
do termo du Camaru, t'eliciano Zenobio Torres Gal-
lindo.
0 presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de policia em offlcio
n. 554, de hontem datado, resolve noraear para o
cargo de l supplente do subdelegado de policia do
di tricto do Bebedouro, do termo de Camaru, a
Manoel Thoraaz de Azevedo e Silva.
0 presidente da provincia, de cooforraidade
com o artigo PS S* do decreto n. 4668, de 5 de
Janeiro de 1871, resolve nomear provisoriamente
para exercer o offlcio de solicitador de ausentes,
capellas e residues desta cidaie a Vicente Licinio
da C'sta Campello, qae entrara logo no exer-
eicio.
Officios :
Ao Dr. chefe de policia.-Para os (ins con-
veoientes remetto, por eopia, a V. S. a in :lusa re-
laciio de 17 scotenciados, qae da provincia do Cea-
ra vieram com destino ao presidio de Fernando de
fforenna para onde tern de seguir na primeira
opportanidade.
Ao comraandante do corpo de policia.Ex-
peca Vmc. suas ordens, afim de que se apresente
no tribunal do jury desta cidade a guarda que
costuma condazir os presos que sao submetti-
dos a julgamento..
S. sectfio.
Actos :
0 pre3idente da provincia, attendendo ao qae
requereu Antonio Augusto Ferreira Lima, fiel do
thesouro do consulado provincial, resolve prorogar
por mais dou; mezes a licenca qae altimaments
te, sob ns. 438 e 18*, resolve de conformidade
eeero art to do te^ahrnedtd We 30 de aWri'l de
1873, nomear o airerei Fsidoro Cavaicante da
Albujaerqas, para etercrr o lagar tfe cobrador
da cofteetoria provincial do raunfclpio db^rejo.-
Offleios: '
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Para os fins convenieates commanico a V. S que
em data de hontem o Btm. Sr. vonselheiro presi-
dente da relacio deste distrteto conceden trinta
dias .de licenca a j deserabargador Alexandre Ber-
nardino do* Reis e Silva, confonoe participou em
offlcio da mesma data.
Igual mutatis mutandis, quanto ao baeharei
Candido Alves Machado, juiz municipal e de or-
phaos do termo do Exu.
Ao mesmo. Nao havendo inconvenient*,
raande V. S. pagar a Jose Lopes vlrmiro os ven-
cimentos do destacameflto da Villa Balla, relalivos
ao mer de marco proximo fiad#, eonforme soh'citou
o respejtivo commandants superior no offlcio em
qae reraettea as relacdej e ?rets juntos.
Ao mesmo Nao haven lo iaeoaveniente
mande V. S., em vista das relacSes e prets janti<,
pagar a pessoa que se raostrar competeatemeote
aatorisada, os vencimeatos do dest icameato" da
villa do Triumpho, relativos aos mezes de feve-
reiro e marco desta anno, eoofoane solicitou o res
pectivo commandante superior em offlcio de 14
do corrente.
Ao mesmo. Para seuconhecimeoto e fins
convenieates, communico a V. S. quo nesta data
relevei Leodegario Francisco de Carvalbo da multa
que Ihe foi impost* pelo collector da Escadi e
Gainelleira, por nio ter averbado em tempo a
compra de sua escrava Rita, a que se refers a in-
formacao dessa thesourana de fszenda, de 25 do
corrente, sob n. 337, serie G.
Ao mesmo. Transmitto a V. S., para o*
devidos fins 20 ordens, sendo 11 do tribunal do
thesouro naciooal, sob ns. 55, 56 e 54 a 66, 2 do
ministerio da guerra datada* de 18 do corrente s
hem assim 7 em duplicata da reparticao do aju-
dante general ns. 1,019 a J033.
Ao mesmo. Tendo nesta data, de accordo
com o parecer deisa thesouraria, de 23 do correote,
sob n. 322 Serie G, relevado o barfo de S. Brar da
multa que Ihe impoz o collector do Cabo, por nao
ter averbado, no prazo legal, a alforria de seu
escravo Barnabe; assim Ih'o communico para
sea cenheeimento e devidos fins.
Ao mesmo. Teado nest i data, de accord*
com o parecer da contadona dessa thesonraria, a
que se refere a sua iut'ormacio de hontem, Sob
n. 346, serie G., resolvid i qae e jornal da 11200,
fixado pels tabella annexa as instruccoes de
16 de marco ultimo, mandadas observar pelo
aviso do ministerio da guerra, da mesma data,
*eja comiderado applicavel uaicamente aos ser-
ventes daa offlcinas do arsenal de guerra, e nio
aos do almoxarifado, companhia de aprendizes
artifices, ate qae o governo imperial a cuja apre-
ciacao submetto a materla deCida o quo ebtonifer
mais acertado ; assim o communico a V. S. para
sen conheeimento e direecio,
Ao niesmo. Communico a V. S. para os
devidos fins que por despacho desta data resolvi
abonar as falias dadas de 23 a 31 de marco pro-
ximo lindo, pelo juiz municipal o de orpbaos do
terrao de Giranhuns, baeharei Manoel Lopes da
Cunha Maciel, visto ter provado qoe esiava f ira
do exercicio por inotivo de molostia.
Ao mesmo. Tendo nesta data autorisado o
inspector interino do arsenal de raarioha a com-
prar no mercado "> tonelladas de carvao de ferrei
ro e ontras tantas de cok, de que tem necessidade
para a respectiva offlcina, visto nao ler appareci-
do proponentes ao forneciraento de taes objectos,
apezar de annunciada a cuncurrancia por diver-
sas vezes ; assim o communico a V. S. para seu
conhecimonto e direccjio.
Ao mesmo. Man la V. S. pagar ao cabo de
esquadra do 2" batalbao de infautaria, Antonio
Joaquim Maria, a gratfficacao que Ihe compelir
por haver apprehendido o soldado da 4* compa-
nhia do mesmo batalnao, Joao Antonio da Silva,
como se ve do incluso attestado em duplicata.
Ao mesmo. Para os fins cunvenientes com-
munico a V. S. que era 14 do corrente assamio
exercicio do cargo de promoter publico da comar-
ca de Garanhuns o baeharei Francisco Caraciolo
de Freitas, eonforme partecipou em offl.-io de igual
data.
Ao mesmo. Paraos lias convenientes com-
munico a V. S. que, attendendo ao que requereu
o baeharei Graciliano Augusto Cesar Wanderley,
promotor publico da comarca da Flore, resol-
vi abouar-lhe, por despacho desta data, as fallas
que decorrem do dia 24 a 2o de marge pro-
ximo lindo, em que deixou de exercer as funcfSes
de um cargo por motivo de molestia.
Ao mesrao. Para os fins convenientes com
raunico a V. S. que en 23 do corrente participou
o Exm. Sr. desembargador Joio Antonio de Ar^ujo
Freitas Henriques, haver deixado o exercicio do
cargo de promotor da justica e procurator da
corda, soberania e fazenda nacioaal, perante a
relacio desta provincia, afim de tomar assento na
camara dos Srs. depntados goraes, sendo era seu
lugar nomeado interinamentc o Dr. Joje Pereira
da Costa Uotta.
Ao mesmo. Segundo participou-me o con-
selheiro Francisco de Paula Baptista, em offlcio de
hontem datado, acha-se elle na directoria interina
da Faeuldade de Direito, duranle o irapelimenlo
do visconde de Caraaragibe, por assim Ihe com-
pdtir na forma dos respective* estatutos; o que
commnnico a V. S. para os fins convenientes.
Ao nfesnio.Communico a V. S. para seu
conheeimento e direcgao que o capitio de fragata
Francisco Jose Coelho Netlo assumio hontem, como
participou-me em offlcio da mesma data, o exer-
cicio do cargo de inspector do arsenal de marinha,
para o qual foi nomeado interinamente pelo go-
verno imperial.
Ao mesmo.Para os fins convenientes com-
munico a V. S. que, segundo consta de aviso cir-
cular do ministerio da justiga de 18 do corrente
na mesma data solicitou-se do ministro da fazen-
da ordem para que seja essa thesouraria babilita
da a pagar aos carcereiros das diversas cadeias os
novos ordenados fixalos na labella que baixou
com o decreto n. 5,572, de 21 d> raez passado.
Ao inspector da taesouraria provincial.
Em vista da inclusa conta documentada mande
Vmc. pagar acs erapresarios da illuminacao pu-
blica desta cidade a importaneia proveniente do
g^sz consomMo dorante o raez de marco proximo
lindo com a IHaniaacao da mesma cidade, confor-
ms solicitaram os referidos eraprezarios em peiicio
qae nesta data defiro.
Ao mesmo. Sendo nrgeotes os reparos de
que precisa a ponte do Trapicbe, segundo commu-
nicou-me a reparti^io das obras|publicas, em 24
do corrente, sob n. 118, transmitto a Vmc., por
copia, o respectivo orcaraento, para qae sem per-
da de tempo maode por em arrematacao esses
reparos noi termos do art. 57 do regularaentD da-
quella reparticao.
Ao mesmo.De accordo com o qae solicitou
o^commandante do corpo de policia, em offlcio de
2o do carrente, sob n. 189, autoriso Vmc. a raan-
dar abonar por adiantamento 2 mexes de soldo a
am sargento e 6 pragas do mesmo corpo, qua se-
guem em diligencia para Villa Bella, a contar do
! de maio ao ultimo do janbo vindouro.
aaaaBBaaaaaaaBaaaaaaaaaaBaaai
TERCA FEIRA 29 DE SETEMBRO DE 1874
"ABA OKVTBO E FOB! DA I'HOl'LUCIA.
Por tres mezes adiantados..............
Por ftatf ditos idem...............
Por now ditos idem...............
Por am anno idem. .
#7M
1WM
SOUM
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGU^ROA DE FARIA FILHOS.
S
-

I
.
| Lemoa Braga, no Araeatj Joia Maria JuUo Chre, no Ami; Antonio Marques da SUt, Natal; Jose Justiao
*l nWannino dos Santos Bulcio, em Santo Ant< j Domingoa Joaa da Costa iraga, em Baxaretb,
Alves A C.na 'a'ahia; a A. Xavier Leite A C. v Rio Janeiro-

seccSo.
mear
nameme
deM
ra effee
nle da provincia tendo em vista a
rector geral interioo da instruccao
do corrente. sob n. 135, resolve no-
'ympha da Silva para reger interi-
eira do sexo feminino d i fregaezia
darante o itnpedimento da professo
ente da provincia, attendendo ao que
reqaereu mlvd. Antonio Preiro de Carvalho, vl-
rio coilada.tia freguezia de Nossa Senhora das Do
res da cidade de Caruaru, resolve conceler-lhe 3
mtes deliceuca com a respectiva congrua para
rr a pronaaia do Bio Grande do Norte a negocio
de sea ialensse particular, deixando sacerdote ido-
neo na regencia de sna freguezia.
Offldosr
Aa Btm. presidente da provincia da Para-
hybaNesta data recommendo ao iojpeetor do
arsenaljtefiariaha a maior actividade na prom-
atiflcacao Iks duas boias, destinadas ao balisamen-
memo do fcrto da barra dessa capital, e a qae al-
lade V. E. em seu offlcio de 20 do corrente, sob
n. t,878. |
Ao ftoi. presidente da provincia do Ceara.
Tenho ajraoara de accusar o recebimento do offl-
cio de V. Ike., n. 1, de 24 do corrente, aorapa-
nhando a gMaclo de 17 sentenciados com dostino
ai presidllde Fernando de Noronha. Nao tendo
vindo as respective guias, rogo a V. Exc. que pro-
"se sentido.
smoEm resposta a> offlcio de 8 do
qae V. Exc. accusa a remessa de dous
impressos, dos actos promulgados pela
legislativa dessa provincia, no anno pro
ximo passado, cabeme dizer que taes impressos
nao aeompanharam o referido offlcio.
y Ao Btm. presidents da proviocis do Mara-
nhao, Dr. Jose Francisco da Viveiros.- Seiente pe-
lo offlcio circular de 8 do corrente, de haver V.
Exc. naqaella data assumido a administrajao des-
sa provineb, na qualidade de seu 3* vice-presiden-
te, em razao de seguir para a corte a tomar assen-
lo na res*ctiva assemblea o Exm. Dr. Augusto
Olympij Gomes de Castro, eabe-me apresentar a
V. Exc. os raeus protestos de apreco e sabida con-
si leracai.
Ao Exm. presidente da provincia do Piauhy.
Accuso recebido o offijio circular de V. Exc,
de 20 de marco ultimo, cumprindo-me dizer q >e,
os dous exeraplares da colleccio de leis promulga-
das nessa provincia no anno passado, de que tra-
ta o referido offl :io, nio o acompanharam.
Ao mesmo. Recebi o exemplar impresso do
regulamen*) para a instruccao publica dessa pro-
vincia, de 20 de outubro do anno passado, que V.
Exe. se dWnou de rerastter-me com offlcio circular
de 30 de marco ultimo.
Ao Exm. presidente da provincia do Para.
Fiea a seguir na primeira opportunidade o offlcio
que V. Exc dirige ao mini-tro brasileiro em Pariz
para eojo fira ra'o remetteu em d >ta de IS-do cor-
rente. Rsitero a V. Kxc. a seguranQa de minha
estima e sabida coasi.lera^ao.
Ao Exra. coaselheiro Franciseo de Paula
Baptista.t-Pelo offlcio eue V. Exc. me dirigio em
difa d ho&ivflt, Hjaei seiente de haver assumido
interinamente a directoria da facaldade de direito,
como Ihe compete na foina dos respectivos esta-
tutoj, durante o impedimento do Exm. Visconle de
Caraaragibe. Nesta data, assim o communico a the-
souraria de fazenia para es fins convenientes.
Portaria :
A' Illma. camara municipal do Recife.Te-
do ouvido a repartifio das obras publicas, em offl-
cio de 24 do corrente, sob n. 121, a respeito da
planta dos Liosques que tem de str estabelecidos
nesta cidade, pelo Dr. Manoel de Figueirdr Faria,
remetto a Illma. camara municipal do Recife a
referida planta por mini approvada em data de
hontem, allm de a mesma camara dar-lhe o des
tino convenient?.
&.* secc3.
Ado :
0 pnsidente da provincia, attendendo ao
que_ requereu o teoente-coronel Manoel Francisco
de Souza Le.io, arrematanle das obras da estrada
de rodagem de Goyanna a Pedras de Fogo, e tendo
em vista a. informacao da reoarlicao das obras au-
blicas, de 22 do corrente, n. 114, resolve prorogar
por oito mezes o prazo marcado no respectivo con-
tract i para conclusao das ditas obras.
Offleios :
Ao eneenhx-iro chefe da reparticao das obras
publicas.-Nio sendo possivel executarera-se por
erupreitada os reparos da ponte do Trapiche, como
Vine, solicita em offlcio de 24 do corrente, sob n
118, porque a isto se oppoe o art. 100 do regula-
raento dessa rep.rticao, remetto nesta data o res-
pectivo oreamento a thesouraria provincial para
que com toda urgeneia ponha em arremataijio
aquelles reparos, nos termos do art. 57 do citado
regulamento ; o que Ihe communico para seu co-
nheeimento e fins convenientes.
Portarias :
Os Srs. agentes da companhia brasileira de
navegacao a vapor mandem dar passagem para a
corte, por conta do ministerio da guorra, no vapor
Ceara, aos recruias do exercito raencionados na
inclusa relacao.
Relacio a que se refere a portaria supra.An-
tonio Francisco do Nascimento, Calixto Correa Go-
mes, Joao Gomes da Rocba, Joio Jose do Nasci-
mento, Lourenco Jose Pereira, Manoel Alexandre
de Araujo, Manoel Jorge de Souza, Pedro Francis-
co dos Santos e Sebastiao Gomes Marlins da
Silva.
Os Srs. agentes da companhia brasileira de
navegacao a vapor raaniera dar passagem para a
ciirte, por conta do mioisterio da guerra, no vapor
Ceara, ao soldado voluatario do 1" regiment) de
cavallaria ligein, Francisco Antonio de Araujo e ao
desertor do mesmo regimento, Manoel Marques'Ca-
valcante.
Os Srs. agentes da companhia brasileira de
navegacao a vapor facara transporlar a corte, por
conta do ministerio da marinha, no vapor Ceara,
o cabo de imperiaes marioheiros Manoel Faustino
Ferreira.
0 Sr. gerente da companhia pernambucana
raande dar passagem para o presidio de Fernando
de Noronha, por conta do ministerio da justica, a
Maria da Conceicao de Jesus e aos menoros Julia,
Manoel e Jose, mulher e filhos do sentenciado de
justica, Antonio Pereira dos Santos, qae ai allia
cumprir a pena a qae foijooodemnado.
EXPEDIENTS DO SEOBKTAttlO.
1.* seccao.
Offleios:
Ao Exra. brigadeiro commandante das ar-
mas.Sua Exc. o Sr. presidente da provincia man
da declarar a V. Exc. para os fins convenientes,
qne por despacho desta data foram concedidos ao
recruta Manoel Gaimaraes de Albuquerque 15
dias para provar isencao legal.
Ao mesmo.-De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia communico a V. Exc. que nesta
data se providenciou no sentido de ser pago ao ca-
bo de esquadra do 2 batalnao de infantaria, Anto-
nio Joaquim Maria, o premio que Ins competir pe-
la apprebensao do soldado do mesmo batalbao, Joao
Antonio da Silva, conforms solicitou V. Exc. em
offlcio do 25 do corrente, sob n. 330.
Ao inspector do arsenal de marinha.Saa
Exc o Sr. presidente da provincia maada declarar
a V. S. em resposta ao seu offlcio desta data, sob
n. 3, que fleam expedidas as necessarias ordens
no sentido de ser transportado & corte, no vapor
Ceara, o cabo de imperiaes marioheiros, Manoel
Faustino Ferreira.
~ 2* seccao.
Offleios :
~~ n Exm" Pr cia.0 Exm. Sr. pre.-iJente da proviocia raanda
accusar o recebimento do offlcio de V. Exc., de
hontem, eommunicando haver na mesma data con-
cedido 30 dias de licenca ao desembargador Ale-
xandre Bernardino dos Reis e S Iva.
A2tSBImm%mmASi^- ^ P'Wldftnte da pro
Yja'li UI1IW5 SGSUsaF o recebimento do offlcio de
V. Exc. de 25 do corrente, eommunicando haver
na mesma data concedido 30 diasjde licenca ao ba-
eharei Candido Alves Machado, juiz municipal e de
urphaos da termo d6 Exti.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia raanda accusar o recebimento do offlcio de
v. Exe., de hontem datado, eommunicando haver
na mesma data nomeado o desembargador Jose Pe-
reira da Costa Motta para interinamente exercer
o cargo de promotor da justiga e procurador da
coroa, soierania e fazenda nacional, duranle o im-
pedimento do Exm. Sr. desembargador Joao Anto-
nio de Araujo Freitas Henriques, que em 25 do
correote seguio para a corte afim de tomar assen-
to na camara dos Srs. deputados.
Ao Dr. chefe de policia, De ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia incluso remetto a V.
S. um exemplar do decreto n. 5,572 de 21 de mar-
co ultimo.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pre-
vincia manda remetter a V. S. o incluso titulo de
noraeacao de Manoel Thomaz de Azevedo e Silva,
flcando assim respondido o offlcio de V. S., n. 534,
de hontem datado.
Ao Dr. juiz de direito da la vara criminal des-
ta cidade.-0 Exm. Sr. presidente da provincia
manda -cientificar a V. S. que nesta data se expe-
dio ordem ao commandante do corpo de policia
para fornecer a guarda qae costuma conduzir os
presos que sao submetlidos a julgamento perante
o jury desta cidade, como ^solicitou V. S. em sea
offlcio de boje.
Ao promotor publico da comarca de Gara-
nhuns.0 Exm. Sr. presidente da provincia man-
da accusar o recebimento do offlcio de V. S. de 14
do corrente, eommunicando haver na mesma data
assumido o exercicio do cargo de promotor publico
de.-sa comarca.
Ao commandante do corpo de policia.De
ordem do Exm. Sr presidente da provincia, com-
munico a V S. que nesta data se providenciou no
sentido de serem abonados, por adiantamento, dous
mezes de soldo de 7 pracas, que seguem era dili-
gencia para Villa-Bella, eonforme solicitou V. S.
em offlcio de 23 do corrente sob a. 189.
3.' seccao.
Offlcio:
Ao inspector da thesouraria provincial.De
ordem de S. Exc o Sr. presidente da provincia,
commanico a V. S. para es devidos Has, qae por
portaria desta data foi nomeado o alferes Izidoro
Cavaicante de Albuquerque, para exercer o la-
gar de collector do munlcipio do Brejo.
4.' secciio.
Offleios:
Ao !. secrelario da assemblea provincial.
N. 89.Manda S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, que endereeea V. S. para subir a approvac*o
da assemblea provincial, o codigo Junto de postu-
ras da cidade da Victoria, organisado e remettido
para a^se Dm pela respectiva camara munici-
pal.
Ao mesmo.-N. 90.-De ordem de S. Exc, o
Sr. presidente da provincia, remetto para ter o con-
veniente destino a informacao prestada pelo pro-
vedor da Santa Csa de Misericordia, sobre o re
querimento que a assemblea provincial dirigio o co-
ronel Agostinho Bezerra da Silva Cavaicante, fican
do assim respondido o offlcio de V. S. de 20 do cor-
rente, sob n. 31.
Ao mesmo. N 91.Cuniprindo ordem de
S. Exc. o Sr. p residente da provincia, remetto a
V. S. para serem entregues a apreciacao da assem
blea provincial, copia do efficio que ao mesrao
Exra. Sr, dirigio em 22 do corrente a camara mu
(Assignado.) Manoel da Cu'nha Wanderte-i
Lins.
Conforme.O major JosS Bonifacio das Santos
Vergulhdo, ajudante de ordens encarregado lo
detaibe.
ltepurtl^ao da policia.
t.' seccaoSecretaria de policia de Pernambuco
28 de setembro de 1874.
N. 1186.Illm. e Exm. Sr.Parncipo a V. Exc.
quo das commanicacSes recebidas hoje nesta re-
particao, consta que se deram as saguintct occur-
rencias :
No dia 26 do corrente, nao foi recolhido a casa
de detencao individao lgum, e no dia 27 foi re-
colhida a ordem do subdelegado de Santo Antonio
Feluarda, escrava de Geraldo de Siquoira Varejao
por and .r fugida.
No dia 24 do corrente, em terras do engenbo
Tanque, do termo de Barreiros, Francisco, pnrga-
dor, assassinou com quatro facadas a Joaode tal.
0 delinquents conseguio evadir-se, e contra elle
proseguio-se nos termos da leu
No dia 21 deste mez, no lugar Ribeiro, do termo
de Limoeiro, Christovio Gomes da Silva, easuil-
mente ferio com um tiro a Joaquim Gomes dos
Santos, sendo logo preso. O delegado respectivo
procedeu a tal respeito na forma da lei.
No dia 23, no referido termo de Limoeiro, foi
preso em flagrante, por crime de furto de caval-
lo, Manoel Antonio Alves da Silva, por antono-
masia Manoel Mendes, contra quem procodeo-se
nos termos da lei.
Deus guarde a V. Exc.-IUm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, digno pre-
sidente da provincia. -O chefe de policia, Anto-
nio Francisco Correia de Araujo.
(AGENCIA TELEGRAPHICA HAVAS-REUTEIt. )
A.VMM\Wft%lA ^ vvt^^o,
Londres SG de seleiabre.-as te-
eeloea de algoda\o ema Inglmterra
propiem-ge reduair m produiir atssa
terco.
Bahla 99.Cbegaram hoje aqui oa>
paquetee da real mala BOYNE e JV-
VA, e sahiram a tarde eate para
a Europa por Pernambuco. e aquel
le para o aol do imperlo.
Bio de Jaaeiro *S. -daegaram n
vapores V1LLE DE SANTOS e BUENOS-
A YRES.
Bahla 2H. -O vapor inglez DELAH-
BRE sahio hontem e o vapor inslez
VALPARA1ZO xahlru amanhi.
Bio de Janeiro ZH. -lambio aobre
Londres 'in 1/t d. bancario. e
r. s a SB 3/1 d. particular.
"ahla XS.-Cambio inall'iii.
COHHERCI.4E9.
nicipal da villa de Jaboalio, bem comoo orcaraen-
to para o exercicio de 1874 -187o, e parecer s>
bre elle dado pela eommissio respectiva.
despachos da presidencia, do dia 26 de seteuuro
de 1874.
Abaixo assignados babitantes da villa do Cabo.
Inforrae o Sr. inspector geral da instruccao pu-
blica.
Antonio Jose Alves de Brito.Passe portaria
concedendo um anno de licenca paratratarde
seus interesses fora da provincia.
Antonio Tavares da Silva.Remettido ao Sr.
inspector da thesouraria de fazenda para atten-
der ao supplicante.
Basilio Jose da Hora.Dirija-se a thesouraria de
fazenda.
Companhia Santa Thereza.Inforrae o Sr. ins
p;ctor da thesouraria provincial.
Domingos Ferreira das Neves Guiraaraes.De-
ferido com offlcio desta data ao tnejouro provin-
cial.
Francisco da Silva Miranda.Passe pirlaria
concedendo 45 dias de licenca com vencimentos
na forma da lei.
Henri jueta Amelia de Menezes Lyra.Ao ins-
pector da instrucc.io publica para deferir na for-
ma requerida, e nos term is de sua informacao de
23 do corrente, sob n. 244.
Joio Jose Ribeiro de Moraes.Passe portaria na
forma requerida
Joao Marques.Remettido ao Sr. inspector da
thesouraria de fazenda pira attender ao suppli-
cante.
Manoel Pereira de Almeida Cabo Verde.In-
forrae o Sr. general comraandante das armas.
Manoel Victor Fernandes Barros.Passe porla
ria concede3do a prorogacao pedida sem venci
mentos.
Coinmaudo das armas.
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
DE PERNAMBUCO, EM 28 DE SETEMBRO DE
1874.
Ordem do dia n. 849.
0 brigadeiro commandante das armas declara
3ue, a contar do dia de outubro proximo ?vin-
ouro, se observe o segointe :
1* Que a forca destinada ao service das guardas
da guarnicao desta cidade, forme em parada no
Campo das Princezas as 8 horas do dia, e sigam as
guardas os seus destinos ;
2* Que o service da guarnicao se faca de uni-
forms branco ou pardo;
3 Qae o toque de recolher soja dado as 9 horas
em ponto ;
4* Que na manhi do referido dia 1 de outubro.
se passe revista de mostra, em seus respectivos
quartets, aos batalbdes d infanteria, deposito de
recratas e companhias isoladas, pela ordem que se
segue : as 6 horas a companhia deoperarios ; as
6 1/2 ao 2* batalbao ; as 7 a companhia de cava-
laria ; as 7 1/2 ao 9 batalbao e Qnalmente as 8 ao
deposito.
0 mesmo brigadeiro, declara que a providencia
qae tomara pela sua ordem do dia de 6 de julho
ultimo, n. 825, de considerar eassada a menagem
concedida ao Sr. alferes do 9* batalhio de infanta-
ria Franklin Benjamin Fernandes de Moraes, foi ap-
provada pelo ministerio da guerra em aviso de 14,
segundo constou de offlcio da presidencia, de 26,
tudo do corrente mez, ficando sem effeito a porta-
ria do mesmo ministerio, do 15 de outubro do an-
no passado, que tal menagem concedera.
Lonilrps ?.-.lin\a do deseonto
na prnea contlnua inallerada. < on-
aolidado.s de 3 /, for account, a 99 5/9.
riiii.ioM hrattileiros de S */< de 1865, a loo ; diloa do lruaav
de G <>/., do anno de 1891. a 67 I/S :
dilog argeolinusi de O */o, do anno de
1971. a Sfl 1/*. Mercado de assu-
car flrme i o maacavado bom de
Pernainnuco n. vende-ae a 90/,
e o da liunia. aobre agua. a %l/6.
New-iork SO. Cambio sobre i.on-
drea 4-91. Ouro 109 -i. C'arrega-
mcnlos de care do Itio fair a It i 1.
e good a 19 3/-1 cents por libra. Vlo
dao mediano uplands a 16 /* cent>
por libra t as clie^adua de boje doa
portoa umericanos elevam-se a...
O.OOO fanloM.
Liverpool SO.O mercado de al-
Kodao eata lirme : venueram-ae ho-
je I'J.ooo in ii..-. doa quaea 1,600
de procedencia da America do Mul:
o fair de Pernambuco a 9 ti o de
Mantoa 7 I5/IO d., e o de MacetO
7 1/9 d. por libra. Assucar amerl-
cano bom de Pernambuco a "it it.
maacavado purgado SX/3. c media-
no de Haceio a 'il it.
Antuerpia G. Mercado de eafe
mala lirme.
Uamburgo 96. O mercado de ca-
fe" vat melborando ; enderana-se
noje S.500 aaccoa, aendo oa lotea de
wantoa a 95. '
Havre 'Hi. O total do depoailo
eleva se a 143.000 aaccoa.
(AGENX1A AMERICANA.)
Liverpool 26 de setembro.\lgodao :
nao soffreu alteracao em prec,os, apezar de
haver boa procura do fair; do de proceden-
cia brasileira venderam-se boje 1,600 far-
dos. Assucar: purgado de Pernambuco
21/3 a 21 1/2. Couros: mercado firme.
Sebo facil sabida ; preen 42 1/2.
Loudres 26.Consolidados 92 5 8 ; fun-
dos brasileiros 100.
Anvers 26.Cafe : mercado lirme ; o
do Rio 45 e 46 ; 0 de Santos 47 e 48 ;
deposito 25,000 saccos. AlgodSo: con-
serva-se calmo ; 0 fair de Santos vendeu-se
hoje a 90 ; existencia 10,000 fardos. Cou-
ros : do 11 io da Prata mataderos 155 a
172 ; saladeros93 a 100 ; 0 mercado sas-
tenta-se ; deposito 55,000. Las : do Rio
da Prata, mercado activo ; pregos 190 a
195; deposito 23,000. Sebo do Rio da
Prata : o de boi 24, 0 do carneiro 23 W* -
0 mercado esta calmo.
Lisboa 27.-Cbegou 0 urigue portuguer
UN1AO, procedente de Pernambuco, e sa-
hiram para os portos do Brasil os vapores
inglezes OLBEHS e PTOLEMY.
Rio 26 (retardado).Xarque : mercado
lirme ; existencia hoje 2,420:000 arrobas,
sendo 296,000 do Rio-Grande do Sul e
2,124:000 do Rio da Prata; a do Rio-
Grande vendeu se de 270 a 320 rcis; a do
Rio da Prata a 200 0 220 teis o kilo ; du-
rante a somana venderam-se 090,000 kilos
de ambas as procedencias.
Bahia 26 (retardado).Xarque : mer-.
cado fraco ; existencias hoje 961,660 arro-
bas do Rio Grande do Sul; do Rio da Prata
nao ha nenhum; 0 do Rio-Grande vendeu-
se de 375 a 400 reis 0 kilo; durante a se-
mana as vendas rnontararn a 243,795 ki-
los. AlgodSo de 1." sorte a 6JHQO ; dito
de CaetetdJ 8$ a 85600. Assucar branco
25100 a 20600 ; dito mascavado 1J60O a

*r
'.<


LM1 M i^lliri, H. ,C- i.ll yfr!* *""^ -.***_^ d* **"> de 1874
\t& M'&UM .1 WM



13900'; dmrdta Sffi aaercado desle gcnero esti
boen de COfl-gftUas *520i)
wfarior il|l|ll 7"f5i0 a 83100.; dito .de
Haarelh JW|1I() a 5J600. Bacalhao *
reUlbo 29*Mfc* tarnca. Carioha.de tri-
r-i 229000 a 239000 a barrica, e de -20) a
319v00. urao eaaawuiri 300
diti interior 2T8* 28L. Ja
oario 100, o bogs lC'JOO a
penor^iOOO aP6"0. PaoBrasil 600. fa-
rm ha de mandisea 1-?6Q0 0 alqui ire.
Bahia -11 as 10 h. e80 m. da -naaha.
Kulrim os paquetes inglwts JYAT/i /WE'-
VE, este prwceti^olo ie Eufepa e aqudie
do Rio da Janeiro ; amtios fahirio boj?
mesmo, urn para o*5"nT as 4 horSTse ooutr
para o norte ds 5. Tamb ;m vai sahir para
o sal o apor francez VILLE DE BAHIA.,
*a*-#
flJ;
nca, eae zoo o
300 rais o kiia;
'CaranlL oK-
OVn incemmQilo da Unyng*. raeidwHnrS dADH-
volvilo, f-i a causa ja sua morte, sk 28 jDonta
[idade, na flir da via*, qamlj a mini) the sajrza
chefo de* esperan*casrr
0 Dr. Camboiin era nm mogo das mais destine-
ta* qaali lada*^a-i| MriT ai>rKoiadA||eraltn
ta. AresRo ana que morreBKma pr
da ahaa paaja^p "Hh vai lade qec o&Mava. Jg
en pai, Bin SrlwJo do
iili4manv>s oaa>seepezames.
+i
tado amego.Vou cuuipnr miwha
de setsmhro de 187V. Men pre-
prrtOBSB*. das-
calqaigVstotce-
.Mdusrfiaf' fippbaiiulogtca bsabel. V j
;A edNkim'-fiita siiuada entra os ri.w J\V
que ehegou hontem.
tuthpso.
nige-toso cdati
f.CaTe venderam-setoje TnOTT
saccos, sendo 500 de procclencia brasilei-
ra; o do Bio a :M e o de Santos a 97 e 98 ;
ch tfci-iMrl-
na foi de 8,000 ; \jstet>\jgfi^PWt*
1*3.000. AlgoiPo: inafcaJo calrho; ode
Pernambuco 95 a o l Sarocaba 91. Cou-
m^* MUiqnn uu vtrir*it"frttti o jfw'j.
3I.idrid"27. II Trivel t'.'mporai aeaba de
ehir sobre a Caialnnbi. Coi uffi refAUei-
ro Gitadysma, sub <> peso d > qual BOGrre'
ran 27peasias o;n liver*n villas eaMeras
desapparei:en 11 alii p'pienaa povtwco>is
Muitos e lilidii fvra:n lo/.uidos : adegas,
arruirffaas, m-irt -fr-MlAgitJo-e perdi>b
n:ritos cen;ae : fract -.
Btjthm 27. AGAZETA diz quc e impos-
iel ebegar-s u :i accordo com a Dinar
!n*fa. n coiitiiiM s Ht*-:)taiil) ?s suas
redamac.O''* relativ.a ao cciudadi)4o Scblles-
ij{ II>IsU>in.
Paris 27.Vi gran do desidencia in*re os
b-*niijvrtits, por o-msa das ean4tlaturas
mpdoisuMS J)s priacipis Carjo1; e Jem-
'..:>'>) M.nMjHiyiu o vaparallamaoRIO,
pr->ce p#a 1'ernam-
Daoo o 'u-iar p >rtu^aoz CIDBXL.
Pari 2S de seieittbro d 9 h. S in. da
niaiiiia.Ciiegou d,s p )rtos do sol o pa-
qo*t mci#M4. PA Hi, (\<\v deve n-gr"SSar
aniauliJ.
Maraiihao 5.0 Dr. Vugulo Olyoipjo
'i. de Caslro, |H"sid.;i)te laprovincii. qu
.i-aha de ch"gar do sul, re^ssa^iio M re-
ut-as do govern ). Fni assignado 0 contr.a >
jTirt abasteciia/nite d'.i^w putav d capital
cjd a eotapaiaiia orgauisada ptd > Sr. Mar-
Hf.iis Hnyer e outros. sendo rtjefle la a pro-
|)ia>i q*m fara H'lWDJino u*^9i't>riwn
.vcioi n^pct i'4*> d> *lfp de Aaaeiro.
Oibi) s )! re f.yndres 2C lb.
ii.hia dti ii 3 b'jias c iJJ minotos da
tar-le. Kntrou o di-ju-te inglez VA.LP.l-
HtfTfO da Imba I; "acilin. V'.j'CJ do $1 e
v li'iiiwh iiivm niu 'flrrni'ln rnHinfe^taijAii
"^iilar fei'.a no^r. C'.friSt?l&-*irO Sinira.
Cunbio sobre Lnadres 26 I ft p'.rti^u'ar.
Tra^saafoes iusigaiiioamtes^
I'ara -2S ;is \ boras o 20 ininutos da (ar-
d^.Cambio ? >tne "f.ondros ~2i 3 S no Ban-
co M..u.i.
jj>^il asih>rase 10 miuutos da lar-
de. -Catobio sABre l.o*lklr%s 2'i 8.*8 no-
ininsl. Os' francos onSerVaram-se retira-
--
St,
i;ue ea saal
dv> goferno n>s e
a PalaeMil pr
eao i' em M #e set
da provinflHob
J^|Bt de^ftuaj
1*BTOive, na conlormi
outuhro de 1831, a
dar que se exe-.u'.
abaixo transcript
Art. Unico -As offlciaas de caldeiroiros e fer
Terros SpTaTTnTrra"5as da pTac> do ffiarify e Je
ontras ruas, para a rua do Bom Destino, nmca
tao somente em quo se p >Je;u installar ditas olTl -
cioas.-Os iftfiaciwej seriio muJtta.'S na -ananna
de loirjof) eoduplo na reincidensia.-Henrique
i rgximde fawwHh,*; v* ju^. -i* ^ *'
Fcsm da iHsociiv;i- (lores.A moUeiia,. mas piVidJiqli ac^liacio
dos talhadores de carnes verdes cumpne antc-
: iicnteni, ponta nor pottW,""UJ* qprogramma Ja|
foatt que promovcu e anpuncioa, no intuito de
FttfVfi"tf'*'le pf*'ado das ('brae da co
la, W"
A
Feite4ir, .11 a jdfcin:i!f pjsi;a.i t'cogru^iit
g,UuJf) iij^ij^s graos e vinte no-ve raiu
Ufude u" uito graos, seis atinutos e cincoenta
gundem, tendo na (rente a immensa serra do Es
quo sa coB^rtH m
aoi jovaos c iloaoa, ostf 22 ifceOc
fni poffleii) laaes opatenaes oc-
em menus it u:n amio,
Fr. Pidelis trabalbad* en
iadof raiMtde sermoj"
^gr.iiiJe nutiero daiaflfer
ndi'.-Oes de atrem aepli
augjatfiar com gr.
lem de cinco largas e exlensas
ndjUQ^\dos igati
03 e
CdMIMrta p
os competentes pilares de pedra e__caj, ..
olarias que recebera em fa^ro do 9 a 12 mTTreiros
dia 9'is ontnbro : t. ohra da homfca io Fra
la do norle, .in;a.la em
f>> M 00 ; 0 impostu de car
Recife, oryado em I
"./...,. .u na.'OSO,
8Wi6r;aWaJr
or^ada em
milo naci-
e 0 fbrneci
CM
demonstrar a sua adnesio generosa a grande idea
da erecgiio de um bospiciq para as infelizes victi.
mas da terrilqanta doen;a moral qie Cjosiste na
perda da ratfo. n
Grande nuraero do; membros da SQiiedade, tri-
jados da branco, e com laens d* "TW da* cp
nacionaps ah peito, fjrnlarara na, craja^fcJAfia
>\fl, e.datii desfllaram, formjiodo alas a uma dupls
ffla Je crianca.", trajadas de oraaco e gaiail> seis
Imlis carrleiros a nm oovilho, UdoJ eiiTou%atf,
njie con?tilp"ara a,oI!erenda da'*so;ieJale p^ra )
icilSo em beae*ftci3 Jo refariio moftu.cauntv.
c Na frente do ptestrn ft-bena bajidXda.i^a'iiJa,
a d'entre 0 grqpo .eroula ;'a majeilioso 0 esIa'tiJar-
tetari-ve.rJp,. .'ymbolo da n>issa iodepend-aeia,
penfttr/la tipm wcldade. Cffcuiania i pfes'ito.
-'.
>
h.f*A.a
#
REVISTA DIARIA.
spielo itc. aUenama.-Oa paranym-
jihos abaixo ludicadu '.avuiram as seguintes es
molas:
Tr.^n-.. )rtj 19:930iOO
U. FreJ iea Ov-ttli 101'4'KH)
Hiruoeta da Arav?gy SOO 000
.vir.a ) A i.i '.) de Almeida Jooiao jOOiOfli
Joij mil Hi i!!l) lilj, I80JOM
i). K.iiila (rank ,'iiilj BOttn
20:600*000
Main donativos. -S. Exc. 0 Sr. eomm n-
dadr presidenle da provincia acaba de receber
nais ^ segointftj loBUnfoa para as obras do hos-
I'.-iu ie aHenados :
Reciie. Si de setembro de 1871.-Mm. e Exm.
r. commiiidad. r Dr. Henrique Pereira de Luce-
iia. Convfiu-)do do gigantesco c brilhant-) futuro
h -ia ajMSa pmvincia e de que e do devcr de todo
1 :idadao amanle i!e snas prosperMades, concor-
rat de qualquer forma para as S033 grandiosas
obras : tomo a liberdade de offerecer 3 v. Fj.rc. a
qaaniia junta de 200* para sererh applicad s as
ubras dSaryle do alionadis, deque f'i e 6 V. Exc.
0 ten digno inkiador e esmerado pr.deetor, des-
calpando me V. Bxcpela txiguidade desemelhaa
te obolo. Soa com a major estima e cousiderayao
De V. Exc. rrmito tflettMsa venerador e criado.
Antonio Jose Roirignet tie Sonza n
Gabme da presidencia de t'eir.ambuco, em 26
de sctOmbru de 1874.I;lm. Sr. (;ommendador An-
tonio Jose Kdrigues de Souza.'-De posse da car
ta que V. S. teve a eondale de dlrigir-rte em 22
do corrente com a i|unlia de 200* para as obras
do bospicio de aHenid-*, vou signitlcar Ihe os
meus sinccros votos de gratidao e locvah) por ?
melluuite manifestarao de seus scntiinentos huma-
nitarios; aproveitando a opportiiBidade para as-
segurar os prole-tos de aprejo c consideraiao com
quaseu-De V. S. muila altencioso venerador e
criado.Henrique Poeira de Lucena.
Mm. e Exm. Sr.Desejoso de coacorrer tarn
bem com 0 men pequeno obalo, para qce se rea-
lise 0 piedoso e magn riimo ppni Exc, que, com todo o interesse, procara eielhorar
a sorte dos infelizes loucos desta proviacia, pro-
porciooandolhes um asylo -sommodo e salabre, e
nio rpcusando ante di'fflVuldade alguma, antes
vencendo-as todas, para levar a effeito a ernccSo
desse edificio, que sera no future uma recordaijio
grata da memoria de seu fuidador, e euja primei-
ra pedra ja conseguio V. Exc. assentar, aci.ei-me
por muito tempo embara^ado dbnte da exiguidade
dos recursos de qne disponho ; mas como a l>oa
vontade encontra sempre metos de manifestar-se,
nm acbou ella na arte que pcofesso. Resolvi,
pois, Exm. Sr., esculpir uma eelatua. Tenho-a
prompts ; e se bem que nao tenfca 0 merito da
perfei;a, devido a minba iusofQcieucia artiethca,
valtra sempro alguns reaes, que iwderao augmeh-
tar a somma j>p dorida pelas muiUs preciosida-
des que tern de figurar no bazar.
OQerecendo a V. Exc. para ti'. fim aste meu
hnrcilde trabalho, esperc que V. Exc, attendendo
menos ao seu valor que u pureza d09 meus senti-
mentos, se dignara de aceitar, c que me lara 0 fa-
vor de designar o lugar tm que a devo co lorar
on indicar a pe^soa a quem a devo eniregar.
Deus guarde a V. Exc. muitos annos. Recife, 2*5
de setembro de 1871.Mm. e Exm. Sr. commen-
dador Henrique Pereira de Locena, muito digno
presidente de Peraambueo Antonio Benveuito
de Cellini, a
a Gabinet-e da presidencia de Pernambtico, em
25desetenbro de J87i.-Illm. Sr. Antemio Ben
venut 1 de Cellini.Acabo de receber a communi-
cacao, que V. 8. fez ciia data de boje de fc-r es-
culpido uma estatua com i liao ao bazar em fa-
vor do hop.cio de alienados. Recibendo crm des-
vaaecim^nto nma tao importaote offerla, cumpro
0 dever de agradecer-lhe e louva-lo per seus*en.
timentos de huaanidaie e de paWiotiamo.
Quando a arte se panuacia por e;le, eoutras
nonieru a iii cimpoeiro cm nerieue a de alienad.i,-, a q.ial ^ompijecefaiu cerc'a de 't.
pe-fo^J, ejBre estas muiias de Jistine.iio, de
hos os s^xos.
.dimentai.aj dos prosO*
etencan. i..>l
vapor Ipejucn. -No doraingo, pela manbi,
ch 'goa este vapor da companhia oernambneana
io G
: do
26 do c
eado proliotor ajgMfco ^Hec
Ceara, 0 f r. telsp^preAA-ii
iosfenle.
1
Ilia, e
com 0
Adam
ou ma
ccionadas e
esta elev,
approv
el Joao
para
_ s do v __
tica, b rraeha e leite de mangabeira.
is aajaaare^^erwva>^s^g lfsjr^)^rTCnri:
ha "duas occasiao_dos casamentos. de daua ulbos mail.
0 importarrte agrjgultor_de Araiaoha teneate
a den um conto de
_ strar-se a
baSa"" no regis'.ro n.
4,993. lfaca^ d regi*tr e a **liiiinacao reque-
/iit.j. Li".:(.'b mu u-S
Lia ilanoel daCw;U-Caja^Js%j|djndo 0 regis ro
da domeajio de seus' caixeiros.Na forma pe-
dida.
zeodo a regis-
c'aixeiros.Pro-
de pjolos, e ataO^'X^'oi^nmmwa^atinMTam^co JCy^frXQ"
2'J milbeiros de*!*!elH>^il.-^ a^Xfc-^ "W Te#^*a as^iwasTamafnfrespecliva.
# lu^tfin dyUsiHip^eitoa^rcadi^^uepolerio
susteutar, riuranfa um anno, de oO a oO cabeeas
df gade Uf tj da maita, d onde sao cortalai as madeira*; ha
ainJa i*n pj0tfi t^sctuegapfffra .r,
doDattvo3 similares, em pr,il de nma idea, resul-
tam dons conceitos, que folgo de ver ccrrfirmados pelo Esia e RvTO^rTft.
a vaala^em do emprehendirnento ; e qu elle
ira a vante, acoropaahado aas brncaos o"9 p6vo,
nao obitante qnalquer crcpecilho que e Ibe ante-
ponha. Resta-me dizer-lhe que pode rcmetar 0
seu irabalho artistieo para a fecretaria deta pre-
sidencia, e pedir-lhe qne aceite osptotesjos de
consideraeau com que me assicno De V. S mcito
SHencipro e servo.- Henrique Preim de Lricena
mei
mu?lea.:
Dahrsf'gaio elle para a Tanjartneira, oade,,ehe-
gull a* o f/i boras da tar.to, ftpiSa reoeoiuo c^jin
pibil) pelo'povo alii reunido, e, ao som dasjnuai
ca- e ao e?tampid.> de gyrandoliu de fogue^ef
Os mcnibros da sociedade flzeram entab eatrega
da sua pr.nla, e esta f i desde I igo ornar 0 ba-
zar, ale ohegar 0 memento do,.leda -
P.mco depots voltou 0 grapo p3ra 0 Recife, ter-
niinanlo sa ajsim aafode^B e bonila fest^'.
X ftM>ila enmpeslrc Coatinuon ante-
houtem a fi-.-t. caiiipaeu-o cm beneSc'ado ho ercade 1,000
am-
bos os se'xos.
A festa esteve an!niaJis-ima.
Trvs ban las da niu-r-a uiaraia alternaisraentc;
0 bazar da? preflJu e.-t-va brilnautissimi ; e a il-
lOmfrracSo .i none nao desmeraceu em uada as das
[isu- anteriires.
As i tnras da tarde CuhiC)U a CjjrJbaiCTp das
flrendas. quo tvji-imOou in 6 a 1,2, t-fnJo Ulo des-
tino 2,6'0'J bllhttes; 1 que diz que foi apur.iJ.i a
qaantia de 2:500*0-0.
A's 7 Moras da ndfte p.'incipiog 0 li;i!ao das
prau las inenai entraram na dialr|tmii;io pri-
inarla.
K>f.) ',?iiao 4dt.on ali as 9,^ 1/2, e readcu bas-
lanZe, ;'-)!0 joe ainda iguora:n.)s o quanlo.
jiao r>i pQSMvel cvncluir^a venda de todas as
pr^u la- diJ-ima lis.jPara 6 leilao, e alcm dissi
muiias da;' venjidas loratn bovamence olliiftadas;
V^lo que e provavel q'ue' amda liaja nova fesla,
qne ?em dovida sera fella rttesma na cidade.
Nao houve 0 meaor disturbio ; j;eiucu em todo
0 tempo" (!e durajaq da festa a in dhoj" ordam, liar-
mmia e prazer.; e'feiizmeute nenaum ac^tdante
n is consta, que"se tenha dido, Jo qual teaba po-
dilo resultar 0 mais leve seriao a bi[ilhauta festa
campe-lre.
Aasasslnato. No dia 2i do eotr-iue. em
terras do engenho fanque, do lermo de Birreiros,
Francisco, purgador, assas'inou com quatro faca-
das. a Joao de til, pondo-se em seguida em fuga.
Tiro. No lagar ltibeiro, Jo lermo do Limoei-
ro. no dia 21 do correnta, Christovai Gj.mes da
Silva, casualmeote ferio com um tiro " mes dos Santos, sendo pre?o em flagrante.
Ladrao de cavalloa.-Em flagrante foi
pre o, n> dia 23 do corrente, no term) de Limoei-
ro, Manoel An'onio Alvcs da Silva, por crime de
furto de cavallos.
JVntaiiva dc aiorte. Iuformam-nos
que ii domingo (27) a tarJe, ai freguezia do S.
lose da cidade do Racifo, dous taverneiros, por
causa d'uma dulciuea prat', travaram iuta, da
qual sahio um delles ferido grave:m;nle com um
tiro.
Sesninario dc Oiinda. A irmandade
seminarirta de Nossa Senh< ra das Dorc*, ba pouco
restaurada pela iniciativa do zeloso reitor daqualle
in;tituto, procedeu no dia 25 deste mez a leiqio da
nova ma9a regedora para 0 anno compromissal Je
1874 a 1875, a qual licou composla assim :
Juiz.0 Rvd. reitor, padre Seb.-iti'io Con-ianti-
ao de Medfiros.
Procurador geral.-O Rvd. conego Mancel Joao
Gomes.
Thosoureiro. -0 Rvd. Valenano de Alleluia G^r-
reia.
1 seer lari). 0 clerigo Vicente de Moura e
Vascoacellos.
2. secretario.-Seminarista Joao Carlos da Cu-
nlia,
I'rocuradores.0< clerigos Joao Hermogenesda
Silva Braga Alleluia, Manoel Candido das Ghagas,
Antonio Soares de Meilo e Julio Cesar do llego
Barros,
Mordomos.Os clerigos, Severo Goncalvo3 Pi-
res, Antonio Fabricio do Araoj-) Pereira, Francisco
Vieira das Chagas, Luiz Francisco de SallesPossea
Manoel Pereira da Silva, SabastiaoBastosde Almei-
da Pessoa, Odilon Bemvindo de Almeida e Albu-
querque, Marcelino Vieira da Silva e Sa, Joaquim
Paulo \ ieira Malta, Dionyzio Peres da Costa, Ama-
ro Jose de Oiinda Barcellos e seminarista Joao
Hermenegildo das Candeias Filho.
H. J**r*kMi) mo.Amanha, pelas 9 boras da
manha, celebra-se a festivjdeds de S. Jeronymo
denoroinado 0 doutor maximo da igrcja, na ;e de
Ohnda.
E' orador do Jicangelho 0 Rvd. conego Manoel
Joao Gomes.
ConipaaUa dramatica iaaUaiia.
Eslreara bo;e no theatre de Santo Antonio a cam-
panhia dramatica italiaoa, que se acha de passa-
gejn entra sos, e da qual e director 0 Sr. -Froderi-
co Boldrine, levando a scena o drama em um pro-
bjgo e ires ados, inlitulado : Jocelia ou c mari-
nheiro da Martieica.
0 principal pap^l da pega sera derempoohado
pelo Sr. Enrico D, minice, que e reputado pela im-
prensa do snl am verdadeiro genio artistieo dca-
raatico, a qnera uaoOrda uaaiaosr.wa'celebri-
dade.
Pode confiar 0 Sr. Dorainice na justiQa do pa-
Mico pernambucano ; antee benigrra, que severa.
stBda nio falton aresta terra, pedeslaes parao 'a
lento, altares para 0 genio.
BUataeiro.-O vaper Marquez de Caxias la-
vou de nossa praga para a de Maceio 2:300*090.
0 vapor flaAia levou dejaossa praca para a
do Geara 3:000*000
Os vapores Mandaki e Jpajuca trouxerafli
para:
Miguel Jose lives 3 050*0(0
Pedro Ozorio de Cerqueira 2:443^000
Alfredo &Q. 1:813*000
Jose Doarte das Neves l:i'.0*0"0
Joio Ramos & Mafibado 1:200*'00
Goncalves Irmao A C. 739*000
Manoel da Silva Faria 34o*0o0
Manoel Joaqui <> Ribeiro 325*0W
Francisco Jotc dos Paasos Guimaraes 219*003
Jofe Joaquim ie Scuza Junior 200^000
Diogo Baptista 60*000
O JBxni. Mr. nifnisiro do ineperio.
Tendo a Provincia transcrito era seu riumt-ro.de
domingo (27) uma noljeia- da lleforma, ,do Rio de
Janeiro,,na qual te t|t de uma declaraoao feita
pelo Exi* e Rvai.,Sr. D. ViUt fobre negocios *)
bispado da Peniamboeo, apresssmo-nos em traaft-,
crever hi je no lugar conrpotenie uma complela
refotacao. do quo disse esse saccr4ne. Ikc^m
inendai' os a leitura do aitigo que traneoreyemo.-.
Colonia Isabel. '&obre este importrmte
estabelecimento qae e esla censtrnindo a esfcirgo&
do Exm. Sr. comtcci;dadcr Heariqne Pereira
t Ifjicena, ewrerefn-qos o spgumte:
animaes cavallares ao servico da
ao na que nut carca&w eu> bi coutruiJ.)>, <
am so acha garantido por.um largo e profunlo
vallado feito com toda a precisa symetria. .,.
. A obra do ediuclo vai em progressivo snda-
t 0 alicerce 00 primeiro quadra Ja, inclusive a_,
.c.ane)!a. t esla fconcluido, regulanJ1! de^raefro e 7
a.9 ^eutiralrCs de largura, ode 1.% S'raetroi de
Bf0fb.Bdida.jie.
tf fctao redos 242 inetros Je alicerce, e os ali-
cerces da.2i pilares, tendj cada yilar* largura dej
I metro e,oi qpa'Jra a profdridjiade de I a 2-
met. l ) '
' Nao ha ^uvida qua ii& dezemoro Qcara coa-
Cluido um'xaio du ediliaio, pois q:!e ja se ai-uaoV
[T ::i^tos' 143 milheirofi du lijolos J6 dih*ar>iates la-
maiiUos.. ..
c Etao preparadas as gradas para 130 laRellas,
e para todas as pastas; as gruSias linhas 1^ pr^qm-
pslontod ihe^our.ii, sijadj uU a madajra d ama
ne'tlo.. tii
.-FaciJjUri a coas.truc-^u desse raiJ, que e me-
lade do primeiro quajiraJit o asseuUtmeato da
bomba giie se prestafa a ccndu.-gao d'agaa, e d
da sefraiia, cuja roija s,or.aha conjluid.i, tend) t.i-
Tlas as Baas pertengas, para 0 que se fez umato
mija au rio I'iraugy, priacipiada em 6-inoiros e
auii:luiJa em 8 metros e 80 ceptjmeiros de com-
priineato, teulj a largura c-imegaji eai3 raetrqs
a cohcluida em 2 inelros a 86 ceutiuieiros, a a
freiita em 3 metro* e 10 centimatros, pi^r* 0 lad.)
ili barreira 18 lue'lxos e 76 cealimelroa de com-
prmento e I metro e 30 centimetros Ja largura ;
a entrada da bqeca tam 1 metao e GO cantimetros,
a largura dapprta e dc 33 caqtimetfos e a largu-
ra d 1 cavuuco de 1 metro e 83 seulimet;os.
a Ha um ag ids da pedra e cal, obra iraportan-
iisi:ua, da 22 metro* e 76,ceaiinv!tros de extensao
teado nm metro e 98 cantiaiatros de largura, e 3
metros e 36 centimctrvS de allura, tendo silo 0
alicerce comegado com a largura de 3 metros. ;
Esla agula serve para 0 engenho modelo, esta
era lugar anropniada, dulante iOO- metros. 00 rio
Piranijij, e receba agaa'de um regatq perenoe e
que couserva conslnotenieiue 0 mesmo volume
d'agua, notan-lo sa qua psa!tcarae> da tomada a do
acuJe *ao de p Jras, ^xU'ahidas dos rochedos par
m'eio da sploao de pol'vora e a raarreta.
a 0 Rvni. Fr. Fidelis nio ediffca someote, de-
djeaTfe.a, pultura da terra, 0 nesie service tern
ainpregado muito zelo.
\si.m, aohaip-se plants das muita- pilmeiris,
baHbdi, cupristes, japotiseiros, luraiigeirns, ji-
Hiuhai, i,-200 cufeeli\x, maiujaeirus, 430 ba;vi-
neiras dedivisas' quabdade.-, e outras arv >rcs,
;-uj'.'S nomes me uao lembro agoca.
4 Ja oxi-te uma pequeea fazeuda em boas coa-
digoui a coaiposta d| 18 hoi* Je eorreia,, 2 novi-
loos, 1 aovittio tauM, 2 aovilbas ttirin/it, 5 vac-
-..-,>, i uovilhas, 4 bezerros, 6,burros, 4 eayallos, e
II cahe;a de..g*jl,o auiao e casal Ja"canieir-i-
inglezt-.s. ,
t E' aJmirave! 0 que ha en quo se tern leito cm
tao poueo, tomo 1 /
a A aujig* cok-uu militar <1^ Piraenteiras, jiara
cuja fundagao il-,ispendeur>e, scgundo djiiem.som-
ma superior a dtizentos coiius de ruis^em 0 mez
de setemltro do anno passalosoachava.lao dascu-
rada que os ediGcios, alem de e-t*ren camplota-
meute arruinidos, tinham nas teotadas graude
quaatidade de arbust >s.
t Hoje, com a faliz e iaspirala lembranga do
lixm. Sr. presidente da provincia, e servigoi do
1 cansavel missionario Fr. Fidelis ja olferi:ca no-
tavel iudicio da importaate obra qua brevemaute
se crguera para attestar os innumeros e impor-
tanlos bunetlcios prestados a sua provincia pelo ze-
loso aduiinistrador.
A obra e colossal e pelo que se v<3 na planta
e me (oi explida pelo Rvm. capuchinho, tem 32
metros da frenle e 103 de [undo.
A partedestinada a habitaciio dos meninos tem
52 metros de Irenta e 75 de funJo, divididos em
dous quadrades.
0 primeiro qu drado tem 36 metros de fren'e
e 23 dc fundo ; e 0 segundo, que tem as roesmas
dimensoes, e dividido por um raio do edificio cm
1 :i- clanstros com 14 metros de largura e 28 de
fundo.
t Alem des'.es, ha um ouiro com 47 metros de
largura e 24 de fundo, destinado a cozinha, quar
tos para A 0 bra 6 assobradada, e os clau-trcs sao de
arcadas soli Jas e de apurado go-to.
< Ha no andar terrco 10 saloes de 13 a 16 me-
tros de eomprimento e de SO a 30 de largura,
alem de salas para as reparticoes e diversos era-
pregados, rala de recepgao, ijuarto do porteiro e
duas graades salas que eommunicam com a igreja,
que sendo da ordem toscana, Ik a no centro da
frento do edificio, e delta se destaca 3 metros.
No andar terreo esta 0 refeitorio coin 10 me-
tros de eomprimento.
No andar superior, na frente, estao os quartos
destinados ao director e professo es, e 12 saloes
com as metmaa dimensSes dos do andar terreo,
alem da sala de honra, bibliotheca, e alguns quar-
tos..
A torre do centro do raio qae divide 0 pri-
meiro do segundo quadrado, 0 de gosto ; e, ele-
vaodo se 20 metros sobre 0 edificio, tem no alto
o deposiio d'agua para aba-tecer 0 estabeleci-
mento.
1 llavera na frente duas alas de casas symetri-
cas, que se eommunicam com 0 collegio e formam
uma pra;a onde se fara um jardim, lago<, etc.
0 que vi e axaminei nao se pode descrever de
momento ; eniretanto, ahi Sea uma idea do qce e
actualmente e sera a obra que immortalisara 0
nonip do Exm. comraendador Lucena.
Nao sei se licaras satisfeito com a descripgao ;
porero, 4e*o dizer-te que, para facilitar a ediflca
gao torna-se necessario 0 prolongament) da estra-
da de Una ao engenho Pao d'Oleo. >
Uma poetisa. Eicreven-nos Victoriano
Palbarea :
tern destino a 8' pagina do Diarin, remetto-
IIips a'pdesia ioclosa, intitulada O petcaior, pro-
ducc'o de uma talen!oi poetisa bahiana a Exma.
Sra'D. Joaqnmlt J. N. da Cunh* Menezes, fllha
do barao do Rio Vermelho, ja fallecido, da qual
nao liohamos ainda conbeciaiento em virtuda de
soa exceestTa modestia, sem duvida.
c Pela originalidade da cor loeal que a distin-
gue, 0 pescador lilia-se a um geaero da poesia, de
qae poucos eaitores coaliecemos ; d'abl 0 merito
qae ibe altribuo e 0 desejo que tesao de que a
leiam.
Aguardo algumaa compositees. mais de tao
illustre enhora, afim de quo me seja possivel
ajuizar de seu genio poetico, com 0 acento que me
nao pode garaour 0 eoaheeuieBto someute io pes-
cador, com quauto esta por recommeodar a no me de $uf autcra.
Ja roeio legitivo as letras, e so por ellas on-
trsndo ainda, aoandn e roe^dezodo injpossivd re-
sistir a fatalidade da vocsgao.dou lbes ette ineom-
modo, se-p foij^cednndo antes a nm dawerde arhiza-
de. qae a impplsos de preteneoei litteranas, do que
ja nao euro por bons avisos de uma experkneia
curia-, por qae sou -moca, mas bem eurti.la p rquo
cedo encoatrei-me nas pFOvancas delia. 0
Cedendo ao desejo de- V. Palhares, publieamos
hoje, emaossn 8' pagina, a poe*ia a que elle se re:
(fere.
IBxposlftftp. -AmanbS, dia do S'. Miguel Ar-
ohar.jo, iiae-^fOdendo ser cilebrada a rtsosctiva
festivulade n mstria de S. Fr. Pedro Gongalvee do
Rueife, por aehar-sa. a igreja interdic'ta, estara alia
em eitpesigSo publics darante 0 dia e aoite, jendo
cantala uma ladainba.
ArremataeAee provinciaes..Peran- <
{e a junta do thos uro provincial vao a' praga no
aireoiea de, t a 3 4o orraie.....
o: 153*131.
,L'reftejuiBa,o*; trabaiaos d^aVrrea de(Bata-
riie, achando se ja promptos cidco e meio kilome-
n,tAif,r,*'.a*'u'lir de ;4T'Pa be *ara llaracanahu.
olan- Eram iiK'aasaveis nes-e Irabalho os engenho ros
Jse Waal a Ernoolo Mary. -
. socioJadc Propasadara da lus
trueeao i'u'itica. N j dia.l de oulubro
(juinta furaj as 6 huras da tar la, devarealisar-se,
na E-c la Normal, rua de Pedra Alf mso n. 29, a
assemble?.' geral de.sia si aiaJa Ie, com o numero de
membros;que cempirccer, Mia de oqvij.a leitura
Jo relajorio do aono qu lindou, difius#%) e,ap-
prjva^ao do p/trecec dje'doaUs,'e eleig^o do nave
.cunselnQ director. .,, t '
Proeiasuas. -Foram hjaiem lidos ossegulu-
tes, na igreja da .fossa Senhora do Rosario, que
serveiactuelmen^.dejmairiidaJrogue^a de Sau-
to Antonio,
1 Jenufieiagio.
Fr^acisca Jose Gaerra, coin MaaX.Uag laleaa de
Jesas. I o,. .; i-n^ -.
. Adap.fwrenciO; dos Sanies, com Tnereza Matia
de Jesus.
J se. tfedfio FeFnaades Videla, coqi Amelia Do
rol;ioa Jos Santos Ramos.
Silveno Femandes de Araajo Jor^a, com Pauh-
aa Segisiaunda de CarvalUo
Aiireliaao Caval.-aate da W>cha Wanderleyi com
Anna Jofquina Vieira de Melio.
I'rdro Vcllosoda Silva, com Maria Francisoa de
Ale near.
Bacbarej rbmorio Ilermoto Corraia de Brito, com
Zulmira AuBesia'SMvt!ira.
Am :uo Joaquim Dus, com Joanna Baptista de
OJiyvirar
Pedro-Fernandas teOliveira, com Ignez Caadi-
da da Silva RajZosj^; i,
Alexandre Pi a to Coa.vs, com Rosa Fraadsjadj
Reg). ,|
Manual Paraira da Araajo, com Isabel Mendes
Pinto Leal.
s,Pedro SatyiH>de Salles, com Guilhermiaa Cida-
lizia da Silva Alrraqaergue. ->
2.* ueauuciagSo.
Francisoa Antonio da Oiivaira Siatos, cam Eu-
lalia Maria -ia Tria I--. *; Lima.
Auionie Gmgalves ferrejra, com Maria Magda-
lena dos Passes Soares. f
Q:iinno Lopes da Assun^ijao, c.m Leaadra
Msria do Espirito Santo. *
Pedro Madeira, com Feliermna MariaVilla-seeca.
Dr. Autouio Maaoei do Siqueira Cjvalcante,
com Mar; i dos Aejos. de Souza Leao.
3." den.unoiac.in. i
Bachar*! Jose Cayakante.-le .Albuwerqoe Ucbua,
com Rita Augeboa Wa.nd.-i Ly CavaJaeate.
Augasto Xavjer Carneiro da Coaha, com Ame-
lia GtbBon.
Luiz Jose deSouza, com Maria Isabel do Espi-
rito Saalo.
EstevJo Francisco Gomee, comAutonia Aquilina
do Xascimento
Ezequiel Barboza dos Santos, eom Angelica
Maria.
Pratastos de le(s/a 0 eserivao,, de-
protestos Jose Mariano, esta da fa^aapa.:.. caito-
rio na rua Delia, iftjq do sobrado n. 37..
Lieilat*. d je (29 do orrente) effectua o
3genta Pinto, no sobrado da rua da Imperairu
a. tO. o leilio j do inoveis, lougj, vijkos e m-.Lj
objeetos, conforme o aaouacio inserido no lugar
competente deste Diario.
Muiias novas. Cliegaram a rna l" do
Marc.) n. 13, lojadas columnas, do Sr. Antonio
"lorreia de Vajooaccllo=, attire oulro3 artigos de
moda, os seguinle?:
Muito liulas sedas de cores lisas e achamalo-
tadas, fazeada de intoiro gosto e boa quali-lade.
Molernos cortes da vetidos da blonde para
noi ms.
Sa;.eriores la< o:n mescla de 3eda, lisas e com
listras assetinadas, fazenda da ultima racda e de
linlos g.stos.
Cortes de. ves ilo de cretone, bordados a seda e
acompaahados dos campetaatas tigurinos.
Cassas de cores de varies padrojs e novos de-
sea hos.
Lotcria. A que se acha a vonda 6 a 118,
abenefieio da igreja do Livraraento de Pao d'Alho,
que corre no dia 30.
Hospital Pedro II.0 movimento deste
estabelecimento, de 21 aodia27 de setembro foio
seguinte :
Existiam 387, entraram 40, sahiram 38, falle-
ceram 8, existem 381, sendo :
Homens 23S e mulheres 143.
iMiMrfiMrtfii
Foram visitadas as enfermarias nas tos dias :
A's 6 Ii2, 7, 6 Ii2, 6 l|2, 6 l|2, pe:o Dr. Ra-
mos : as II |2, 1, 11 l|2, 1, 1, 1 IA pelo Dr.
Sarmento ; as 10, 8 l|2, 9, 8 1|2, 9,9, pelo Dr.
Malaquias ; as 9 lr2, 10, 10, 10,10, 9 1|2, 9, pe
lo Dr. Murillo Vianna.
Eallecidot.
Ballhasar Garrido e Castro ; pneumonia-
Paulo Porfirio Franciseo ; variolas hemorrha-
S&aC^^aJlirjw^f^^^
jle sutemjiro de 1874. .... Ti..imf*cM jthit*'e 8af sMt
Domintros Bruao, branco, Itaii, 50 anao^ ca;z-
Bo, Roa-Vistii ; tetaao.
Alfonso, pardo,'Peraambueo*, 8 roezffi, Boa Vis
ta; denticao. ...
Julio, pardo, Pernambuco, 7 raezes, Boa-Vista ;
convulsoes. ^____
Felippe, areto, Pernambaeo, 30 Ifinesj ianto
Antonio ; mngotae.
Paulo Pompeu, pardo, Pernambuco, 17 raezes,
Santo Aatoaie, caia das ospoiios; denbgao.
Julia JaaOaiana de Jesus, branca, Pernarabueo,
14 annoe, eoiteira ; variolas.
Joaquiaj, branco, Pernanbueo, 16-.-meaa,Boa-
Vista ; caaenhoe*.
Manoel, Jwanco, PanaJ(Oeo, I dia, Boa-Vhta ;. J Marceliuo & C-
"FK'par^JWnam^o, 13 mez,,, Of Jose ; %**
branco-pneumonia.
^Jljaiaj asjda, HatnaajtsKo, 3 metes, Boa-Vista ;
^^'Tfanoel de Nossa Senhora da Sadde, bran-
pprnamhiipn ks anp"a, Santo aulonln ; laiiio
cai diaca. .
26
Maria, branca, Pernambuco, 4 annos, S. Jose
.-MWhr.attntoteednr1! *-' <;" I*'*
Manoel Firmmo da Costa Ferraz, branco. Pa-
De A. L. de O.iveira
ire a nomaagio nnex
eeda-ee ao registro prateodid
De Domiiigos Antoaio da :
ss a aoiiK'ai'ia de caUafro _,
xarra dt MeuJonga.Seja red
Da viuva Paula Lopes & Fl
a registro a noaiea-.aa que
requetida.
para reglstrir-
ida a Joao Tei-
a.
ara admittirse
em.Na forma
ja registrada a
se o registro
mauuei riruiiuo ua wi.sia reu, uuu^, ia- Ue liUJinaraes i\ Uliveira,
raajba, 27 annos, s*lleir, militar, BoaVbta, fe- j,,..^ eertttfao df ntmeacau
rimanlo penetraote.
- Fch Sawrino Gomes, pardo, Pernambuco,
annos, casaJo, Boa-Vista variolas.
20
Vicente Perrerra de Moraes, pardo, Parahjba, noraeacAo iaclusa de seus caixeiros. Na forma
nniaAa a*a*>t.'i C*atA A sIam >r-i Ji>mfivi>hAfii> >> -. _. a ^_ ^ _.
40 annos, caiado, Santo Antonio hemorrhogia
cerebral j.
Frawlso, pireo, PeVtMm&rrciT, *J hhs, Santo
Antonio; convulsoes.
Manoel, escravo, preto, Africa, 604qaet>P.ecife ;
apiplexia pulmonar.
Anna,branca,Pernambuco; 3 mezes, Boa>Vista';
vermes.
- 27 -
Alexandrina Maria da Conceigao, parda, Per-
naa.bacoj 38 annos. soReiraiS*oto Aatotrio ; in-
Qammagao do figado.
Luciuda, prata, Pernaraboco, 1 aano, Bpa-Vista
ft npfiitfl. ,< -
Olympio, pardo, Pcro'imbaco, Boa-Visu ; ao
^iicer.
Antoaia, preta, Peroambuco, 8 mezefc S. ws^
broaooite.
Joaqaiaa da Foncfjca S. Figueiredo, branca,
Peraauibuco, 73 aaaos, viuva, $. Jose; iatoxicagao
arsenio.-a.
Manoel, preto, PeraambKo, 6 me*.es, S. J^se ;
entete colite. > ..-
Maria, branca, .Perosmbaoo, 18 mezes, Boa
Vi.-la ; gaslw intar.le.
Joao, branco, Peraambueo, G mezes, Recife ;
gastro entente.
Hilatio'Paclieeo, preto, Pernambuco, 54 annos,
casado, Boa Vista, hospital Pearo II AUSulBiiear
eia das valvulasaortica*. i ,
Manoel, escrava, preto, Pernambuco, 19 annos,
solteiro, Santo AnUmio; ph ysica pulmonar. ,
Aatonjp, e^cravo, preto, Africa> 43 annos, sol
teiro, 9,-Joee, frialdada.
Maabtri, parJo< Pernambuco, 8 dias, J"50 i
espasmo. .. >
. Maoel, parJ'.Paraam'oiico, 2 mezeSi Boa-*, isia;
espaumo.
kftftta preta, Pernambaco, 8 dias, Boa Vista ;
espasmo. ,,
--------
. taiuiMCA smmtfL
T*la(7*.lL Il.t UKL.VC.iO
SBSSAO ESPECIAL EM 24 DE CEWtBRO DE
1874.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELIIEIKO
CAETANO SANTIAGO.
Secretta-io Dr. Virgilm Cotiko.
A's -10 horts da manha, preseotes os Srs. das-
embargadores Rais e Silva, Moita, Dommgues da
Silva e > um Leao, foi aberla a sessao.
Em coutrnuagao o Sr. conseheiro presidente
paasou a (azer o, relatorio dos aggravos.qna foram
julgados por elre e os adjuntos soripauos em ses-.
sao aLterjpi.
Aggravos de petigao.
N. 62.Aggravate Aatouio da Silva Junior,
aggravado AduTpba Mirquesdis Saal03.Jaizas
os Srs. desembagadores Domiogueg da Silya ei
Mottavr-Negou-se provimento ao.aggrave. ,
lN., 63. Aggravaate Aatonio >darS4va Junior,
aggravate o English Bank of Rio de Ja>a ra Limi-
ted.Juiaes os. Srs. desembarga-lore< souza Leao
e Rais o Silva.Deu-se provimento ao aggravtx
Eocerrou-se a sessao a meia bora depois de
meio dia.
De Alfredo Gibson, para fazer-se o registro da
nomeagao de caixeiro que den a Estaaislao Au-
gasto de Figueiredo. Registre-se.
De Fraacisco Jose da Silva 4 C, solici'ando que
uuuifa**5o dw sen cahcrtre JuJifUlm.
se legisire a
Pedro de Araajo. Como requerem.
De Valdeviuo Ribeiro da Silva, para passar-se
por cettidao o theor da, nomeagao de sea caixeiro
Jd*lo Marnef Nepomuceno.-De se. *^
De Guiinaraes & Oliveira, em liquidagao, para
de Joaquim Lopes da
Costa Albuquerque. P<.sse-se a cerlidao requo-
riaa.
Das mesmes. para proeeder-se ao registro da
gicas.
Joao Marques da Silva; tuberculos pnlraonares,
Miuei vina; tuberculos pulraonares.
Joaquim Goncalves do Cabo ; infeccio purulenta.
Boravinda ; tuberculos pulmonares
Felix Severino Gomes ; variolas confluentes.
Hdario Pacheco ; insufDeiencia das valvulas acr-
ticas.
Casa de> dntencuo.Movimento da easa
Je detencio do dia 27 de setembro de 1874.
Existiam prosos 315, entrou I, existem 316.
A saber :
Nacionaes 243, mulheres 12, -.-.trangeiros 21,
scravos 34, escravas 4. Total 316.
Alimentados a custa dos col'ros publicos 240.
Passaseiros. Cbegados dos portos do
norte no vapor nacional Jpojuca :
Jose Jacome de Araujo e 1 criado, Manoel Mar-
lins Pacbeco, Jose Mendes, Mathilde do Monte,
Francisco Antonio do Monte, Antonio Oscrio, An-
toaio F. Vieira, Antonio Gomes de Mattos e soa
senhora, Loureoca M. da Conceigao, Joao Cardeal
Liohares e 2 eseravos, Sabrdo Fliiizola, Jose
FachiBa, Francisco Gurgel e 3 escravos, Fraacisco
F. de Miranda, Benjamin V. Franga, Alexandre
Souza Nogueira, Henry Piloto, padre Joao Candido
de Souza e Siiva e 1 criado, Dr, Honorki Hermeto
Correa de Brito, Joao Getutio da Silva Chaves,
Viriano da Silva Cal Jas e sua familia, 0. Ueraelia
B. Cordeiro Fettosa, pair?. Jose Eeteves Vianna,
Joao Baptista SumooeK, A. Many, padre Jose Her-
minio da Silva Uorges, Salustiane F. Cacao, AIT in-
so de Albuquerque, D. Margarida Wanderley Ja-
ques e I escrava, Dr. Francisco da Silva Sal da-
nha e 1 criado.
Sahidos para o sul no vapor nacional Mar-
quez de Gcixim i *
Padre Joao Cyrillo de Lima, Francis co Qay-
mundo Lias dos Santos, Manoel Gomes de Almeida
Leite, Antonio Manoel Pedreira e?ua kroa, Clara
Joaqniaa Pedreira, Joaquim Manias y Manso Sil-
vestre Gil Braz, Jo.-ii Luiz da Silva Lravo, Henri-
que Bernardo Monteiro Junior, Guilherms Gre-
chagb, alferes Luiz Firmino da Silva CalJas, Cu-
pertino de Guimaraes Bastos, Joaquim S. Rarbosa,
Pedro A. Nilfo, Catharina Maria da Conceigao, An-
tonio Lopes Vieira, Josi; Joaquim da Fonte Gui
maraes, Jose Pereira dc Miranda e sua raulber,
Maria Fr^bcls^a.do Rego.
Sihidos aara, o norte no vapor nacional
Boil*
Dr. Eiia3 Fredc'rioo de Almeida Albuquerque,
Jesuino Gomds 'da Silveira, Miquel Ronback,
Joaquim Carneiro da Gosta FiJao. 0. Maria j.as
Neves Silva Martin JsfD. .
Hoipgittal Portuguez de tBenellcen-
cla/^^MovimnIo das enfermarias do- dia. 20, a"
26 do cprrento:
Ficafarri efh tralamenio 31, eniraram dutante a
semana 12, sahiram curadog 5, existem S.
Entra d <-emana "Sr, r!"'rd-.*noManoel F-.rnan
Tribunal te> coiutnerclo.
ACTA DA SESSAO DE 24 DE SETEMBRO DE
1874.
,>BSSIDENCIA DO EXM. SR. COKSELItEIRO ANSRLJK
KRANCISCO PERETTI.
A's 10 horas da mardii, presentes os Srs. de-
pulados secretario Olinto Bastos, Lopes Macha-
do a Alves Guerra, e o Sr. sopplente Sa Leitao,
S. Exc o Sr. consolbeiro presidente abrio a
sessao.
Lida, foi depois approvada a acta da sessao pre-
cedente.
inmmiaii
Distribuiram-so os seguintes livros :
Diario de Pires & C, copiadcr de Felix Pereira
da Silva.
DESPACHOS.
Requerimentos :
Da Apngio Fortuna, ciJadao brasilero, de 27
aunos de idade, natural do Ceara, negociante da
praga da Fortalczi, pediodo matricula de co miner-
ciante.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De Peixote At C, solicitando baixa em a nomea-
cao de eu ex-caixeiro Bellarmino Lins Wander
ley.Elimine-se.
De Pereira da Cunba lrmio, para eliminar se a
nomeacao de seus caixeiros, registrada sob n.
3,136.Dd-se a baixa pedida.
De Sa Leitao Fonceca & C, para dar-se baixa
em a nomeagao de Jos* Maria Rodrignes de Al-
meida, Jorge Henrique Camper e Joao Cor reia Ri-
beiro da Silva. Faca-se a nota requerida.
Do barao do Livraraento, requerendo certidao
da nomeacao de seu caixeiro Manoel do Nascimen-
to Araujo.-Passe se a certidio pedida.
De Francisco de Paula Lima, para qne lhe seja
certificado qual o nome, idade, estado, qualidade
e ordenado do seu caixeiro.-Certifiquese.
De Silva Neves & C, para dar-se por certidao
a nomeacao de seu caixeiro Ivo Duarle de Sena
Moura. Sim.
De Inaocencio Peregrine Rabello Braga, pedindo
certidao de achar se on aao registrada a nomeagao
de sea caixeiro.De se.
De Candido Theotonio daCamara, impetrando
quo se certifique achar-se oa nio registrada a
nomeagao de Santino Theotonio da Camera.Cer-
tifique-se.
De Ramos 4 C, para registrar se a nomeacao
de sen caixeiro Caetano Ferreira RamosRegis-
Ire se.
De Alfredo Prisco Rarbosa, submettendo a re-
gistro a nomeagao de Francisco Eulalio Ca^tello
Branco.Seja registrada.
De Jeronymo da Costa Lima, trazendo para re
gistrar se a nomeagao de sea caixeiro Amenco de
Revoredo Freire. Faga se o registro prelen-
aMot
De Franco da Cunha & C, para proceder-se ao
registro da nomeagao anoexa de sou caixeiro.
Proceda-se ao registro solicitado.
De Dnarte Amaral & C, apresentando a registro
a nomeagio junta.Registro se.
De Jos* M? ria Goncalves Vieira Guimaraes, pars
eflactuar-se o legistro da nomeacao de seus cai-
xeiros.D ferido.
De CasiHiiro & o., para fazer-se o regDtro da
nomeagao de caixeiro qae aeram a Miguel Joa-
quim Pereira.Faga-se o registro pedido.
Da Adamson Howie 4 C, sujeitando" a registro
as nomeaeoes inclusas.Eifeotaese o irgistro re-
querido.
De Joao do Rege Lima, sqbraettando a regi.tro
a nomeacao de seu caixeiro'Juventino dos Santos
Silva.Na forma requerida.
De Benjamin da Cunr.a Teireao, requerendo
que se regisire a nomeacao da sea caixeiro.At-
leadido. '
De Francisco Rufino Victor Pereira, apresentaa-
d^ategisiro a nomeacao juala da seu caixeiro.
Deferido.
Da Antonio Jose-Oandido de Souza, trazendo a
registro a nomeagao. de seu caixeiro Luiz de Mello
.Albuquerque. -Como requar.
De Manoel Maestrali, solicitando qne se mande
registrar a nomeagio annexa.Rsgietre i.
Dos raesmos, tambem fatendo'o ra?;m9 pedido.
Sim.
De Luiz da Silva Ferreira & fL, .para admittir-
se a reglstlo a uomeaelo de Francisco Jos6 da.
Silva.- Como pedeiu.
De Bernardino Alvcs Forrciri oflerecente a
rpgislro an^meigSo d3 seas caixeiro*, a qual!
pedida*-,* ** ,***
De Jevioiaaa Mania, aprssaWda, v*-iro a
nomeagao inoiusa de seus caixeiros.Defer-do.
De Raymunijo Pereira de Siqueira, para certia-
car-se se Doreucio Ftu'mencM de Faria te#e baixa
das nomeai;5es dos seas caixeiros.Certifique-se.
De Monteiro & Correia, apre.-enlando para re-
gistrar-se a nomea'cero am}f De Pereira da ituofta Iroiaos, solicitando o re-
gistro da nomeagao de sea caixeiro Antonio Car-
ddso de Queirbz Pon*eca Junior. Como re-
querem.
De Silva A Filho &. C, para registrar se o do-
cumeuto jdoto.3ifn.
De Manoel Bastos de Abrea Lima, offerecendo
a registro a inetusa rromeacSo.Coma pede.
De Severfaoo Ribefro' da Cunha, pedindo o re-
gistro do coittrato social da liroia Apri'io Fortana
& C- Vista ao Sr. dgsembargador llsv-al.
oVDaniel Pancraz Wil e Albert Kienler, solici-
tando o registro do sea distrato social. Vista ao
Sr. desembargador fiscal, depois de assigaados os
cm trains pelas icstemunhaf.
Ao meio dia, aSo havendo mais nada a despa-
char, o Exm. Sr. cmselheiro presideate eacerrou
a sessao..
PARIE PQLITIGA
PiRTIUO Cil.HNKUV.-lUaJIl
RECIFE, 29 DE SETEMBRO DE 1874.
V Proslncia.
f '
Nio deixaremos pas-acsem conLeetaflp,o ariigo
de faado da I'ruoincia n. 399. E' .preciso nao
eoneeattr- que elia fa<;a fortuna com a ry>tifie3eio
dos factos, aegando a verdade reconbecida por
A responabi'.iJade que tem a sit'iacao decahid',
das diiDculdades linanceiras em que tamos estado,
pela ma ge.-tao dos dinheiros publicos durante o sea
desastraio dominio, nao pole ser-lhe desviada,
ainda que ousadas sejam as negativas.
Assim, campre-nos dizer que a assaveraeSo do
Exm. Sr. Pereira de Lucena, feita ao govemo im-
perial d* qfle, em 186$o esludo financeao di pro-
vincia era o peior possivel, aisenta aa mais per-
feita ex'actidao.
0 qno S. Esc. asseveno, foi o mesmo que tem
a im prensa revelado, e o que fai .leownstrado oa
assemble! provincial na sessao dp corrente aono.
Os relalorios dos diver-sos presideni.es,, de 1865
para ea, jusiiiieam o acerto dessa asseveragao.
Naorimporia q;ie.a Provtnw, escripla por pes-
soas qne \emi os orgameiiU'S e balangos da the-
souraria -eem saber o que elles exprimera, neaj a
liaguagem, que fallam as cifras ; recorra a um
apanhado inexacto.e capcioso, publicado em dias
do- anno passado nas suas columnas, para com
elle oppor cuniestacao a urn facto de todo conhe-
oido e aieriguado.
E' fuadada aesse tnfie! apanhado, quo diz hoje
a Provincia, como dissera de outra vez, em ar de
triumpho-m aqui a demonstracao iiwncussa
pela verdade dos algarismcs !
Esla demonrtreeio incc-ncusta eooaiste era nn-
tas tlradas dos-bilan^os da thesouraria, iadicando
saldosem cada um dos annos decorridos de 1863 a
1868, angmentados taes saldos com os emprestimes
de uos annos aos outros, no iotuito de os fazer
avultar I
A inconsis'.encia desse arguxento veriflca se fa-
cilmente. 0 anno de 1864 a 1H65, par esc-mplo,
tomando de empre.-tiuio ao de 1863 a 1864 a quan-
tia de 148 contos, deixou, segundo o Dalango, o
saldo de 33.033*038 reis, e emprestou ao seguinte
(1865 a 1866) 130.
Esta quantia reune a Provincia aqnelle salio, e
assim o elbva a 166:033*038 1
Ora, se o anno de 1864 a 1865 emprestou ao
seguinte 130 contos a tomou ao anterior 148, e
visto que recebeu inaior somma do que aqueila
que empre-stou, o por consegninte o seu saldo real
e effectivo 6 apenas de 15:033*038, e nao de.....
33:033*038.
Isto posto, flea palenie que a gente da Provincia
anda as tontas, e nem ao menos sabe desirinjar
um balango.
Entretanto, e conveniente dizer-lhe que os ba-
lances nao exprimem o estado real das financas ;
e nos relalorios que elle pode, com seguranca, ser
estudado. Os balancos apenas demonslram o giion-
tum d arrecadagao feita em cada anno e da des-
peia respectiva o quo fica em duvida ; elles nao
meniMonam, sao os relalorios qne iodicam a divida
Liquidada.
Pretender avaliar do estado financeiro da pro-
vincia pelos balangos e orcamento', e inepcia,
si nao crassa iguorancia.
'E' subido que dos annos de 1869 a 1872 p^ra ca
nao se prccurou mais dissimular as difflculdades
financeiras ; a divida da provincia foi liquidada e
posta ao alcance de todo?, e licou sabido que em
1871 a 1872 essa divida elevon-se a uma cifra su-
perior a 200 contos.
Pois bem, vejaraos o qne dizem os balangos da
thesonraria : .
Diz o de 1869 a 1870 : t Saldo a 30 de -e-
lembro de 1869=33:849#O06.
Diz o de 1870 a 1871 .o Saldo a 30 de setenv
bro de 1870-38.294*964. d
Diz o de 1871 a 1872 :- Saldo a 3 de setem.
brode 187191*163. .
Ora, a prevalecer a argumeolacao da Provmat,
o que se segue e que ate 1872 nip existia divida,
sendo o estado das nossas finances prospero e sa-
tisfatorio.
Mas nao e assim : nesses annos, como nos r.cie-
riores, a divida existia.
PMlanto, a Prepim-in t>a nio s.ibe'o qne diz, ca
falia a verdade para deprimr dp honrarte aaraeter
do Exm. Sr. Pereira de Lucena, e dest'arte inno-
centar os seus cojreligionarios, arguidos caVmalba-
ratarem os dinheiros poblieos. Nesta hf^otaese
a coragem da Provincia exsede a tudo.
Vejaraos agora em que 6poca comegou a mani.
festar-,? a divida da provincia.
Em 1866 dizia o Sr. cooselheiro Partnggua, em
sen relatorio : fica eonsiderada diviejan passiva
69:000* em qne as cbras do calgamenlodae ruas
da cidade excaderam as quantias votatfas. b
Em aovembro do mesmo anno dizia o Sr Dr.
Manoel Clementine:Alem d'aquella divida.....
(11:000*) exUte a de 118 contos provenientes d-M
titulos de drvlda do calgwaeiito das. rnas da ci-
dade.
Em 1867 dizia o Sr. c< nsclheiro SHveira Lob*:
Existe alem de'ta divida (4:000) 118:000* da
iitulos provenientes da oLra do calgamento da ci-
dade.
Em 1868 dizia o Sr. bario de Villa Bulta
t... eleva-seadivida(dosemestre) a 129:7731361,
inclusive 90 contos qua -pop-fsaieidncia de reada
se temon por emprestimoa caixa de deeositm.> .
....... ... '4- i .
i A divida. (6 extract ) provaaaente de apoltaas
emittklas paaa o calcanwata, d^^ti:0#0i,rdc!0ea
a i32;'XO*. : .
Diz mais
um algarismo maior
. ...i..
Esla divida lem-de subu
por causa das otwa4>ubli-
cai qua so estao executando, e.qne um dot meus
antec? sores, flrmando.-sa ai loii. 61i9, cottratoa
no valor de cnais o*3 "00 contos3 -
Ve?e d'aqni qua em r86*S ja %avla uma divida
.certa de 381:773*301, a iiual devia, era ponto, ser
jaccrescida com mais de 300 contos.
Nv <\c-k nlsto.
EXEMPLAR ENCONTRADO
-.

\ -
\
i

,
i.
L
1
4


rrx,
ta&# &r Femmfouno Tercja feim 291 de Setena&ro de 18?#-
.'v

'.
E 23 de julho, em sea relatorio de enti^a 4b1]
a*laistfaraf, -dizia Mn> o mesmo Sr. bar.V) :
Divida passica dqjxtrcieio (info e do correMe.
c Do exerciejp jokoxjibts, Rulo, li-
quidada ate 19 ai> eorraote mi,
provonienie de diversjosBcattralof
que por deficiency* df*aitfeyteil
deUados de ser palof., |T i i
Do corrente exercicio .
Do eraprestimo c^nfrahidu
-com a caixa de depositor, son Jo 90
contos para occorrer as despezas
do exercicio findo e 10 para a do
corrente .........
111:113*183
15:118*160
100:00ft#000
226 211*313
II
loi;000*000
378:3ilj3U
Reunidat, i quewtia
lices emiltidas para o eilcaiwtu-
to da cidade........
Era o deficit ...
Assim, e forada duvida qua o Sr. toarao de Vil-
la-Bella deixeu aadminUra.aolegaBdoaoseusuc-
cessor a provincia enapeohada por ama divida ja.
liquidsJa de 372.211 a 143, a qua) un-ia Ue ser aug-
m nta-da-eam mat* de 3 B eonies, provtnientes dos
con'.ratos de obrat pubticaf, rjfecrzfidos pjr urn
dos seus (jf.'o)ts.
Foi nestas'tot lied33 rpe*a ailuarsituacao en-
controu as finances. Os eottfatae Cobras publi
cas venciam-se, as subveno5ss tambeni, e os co
(res esiavara esgotados e a aroviucia via-se sem re-
cursos pan satisfazer ovsew empenhesl
Era deste modo que a divida cresci&de-propor-
cues, e os credores rcclamavam e exigiam 0 seu
pagameato. Em taes apuros 0 distinct) Sr. conde
de Baepenly, seriamente preoccupado, nomeou
uma commissao para verlficar a extencio do de"-
licit e propdr 03 meios de cstipgni lo. Desta cent-
missao fez parte 0 Sr. Buarque de Macedo, que as-
sigooa 0 reiatorro em que se diziaresulta um de-
dcit de 6"79.'582*984.
Bepois de apresentado 0 relatorio vieram mais
prr-stacrjas de obras puWicas aogmontar a divida,
que aiiual foi liquidada em quasi 800 contos, como
pode dar testerauaho 0 iVrarado Sr. conamandador
Jose Pedro da Silva, entao inspector da thesoura-
ria provincial.
Chegadas as cousas a este pe, 0 illislre Sr. Bie-
penly, pncedendo a mais rigorosa eeonoiuia, or-
dcuou que das ?obras de dianeiros que rcsultas-
sem da despeza indispen^avel, so Ilzease ra'.eio pe
los credores. KJstu 8e let.
Por tfl'eito desta provideacia, os credores medi-
fiest am as suas reclaniacoes, e a siluacao diflkili
ma ameoisou-se alburn tanto, da modo que deu
espaco e tempo a urea as modidas post-oriores.
A visit, pels, do que acabamo3 de referir, e fora
de davida que, se a'guraa vez a provincia csteve
, is p >rias da bancirrota e quasi em fallencu, foi.
s ;in duvila em 1S6S; foi qua'alo -e vio obri^ada
a recorrar ao raleio para aiooni^ar suas divida'.
i\".\o e certameaio hoja que esia amea^ida de
crise, li'j-' quesMisfaz p>o'.ualmenl toJas os seus
ofii iromissos, jjue paga em dia 0; juros e am>rli-
.'.-.! i d;i sua divida pub'ica.
Nao tor<;a, pjrem, a Provmcia as palavras do re-
atoria do Sr. coado de Baepondy, par;* diminuir-
. Ihes 0 alcance. A lealdade e boa fe da argumeu-
tacao, antes de tudo.
Di:se esse distiucO administrador em sea rela-
torio :
Sadicieotemente informido do estado dis Q
nr.n^is, mou anico cuidado consistio em proceder
a proveitosas tcanomias, com 0 qu< 0 deficit do
exercicio findo, c.ilculado em G79:582*98i, licoo
reduzido as proporcoea quo ja racacionei em ou-
tro lugar.
l>este treclio do relatorio do digno Sr. coule de
Baepeiidy, ve-.-e q^ie S. Exc. so fei refereneia a
divida do exercicio Undo que e'tava liquidada e
nao a do current.*, que euibora crescida, estara to-
davia dependent** da liqaidac&o
Entrelanto S. Exc. nao doclarou que a divida dj
eiercici i liul) ficara exlincta, ao coulrario refere-
s> a outra par e do seu reiatario, em qtfe dizia :
t A divida passiva montou a quanlia de.....
1,490:926*216, seado i,3iG:!52 i788 proveniente
dos juros de 2 0(0 garautido a estrada deS. Fran-
cisco. Atigmentanlo se ajuslla quantia os.....
l'i2:00J*0Ji) de apolices emiiiida, e ainla nio
pagts, sobe a divida a l,6i2:926*28J.
Excluindose dosta quanua, eomo da outr?s te-
nios excluido, os l,3i6:2oJ*78S dos juros da es-
trada de S. Francisco, cam os quaes nao fazemas
conta por tor 0 governo imparial se enearrogado
de paga los; ficou liqaida, no exercicio do 1867 a
18CS, uma divida de 298:673*501,
t 0 laspeetor da thesouram, dz ainda 0 Sr.
eoodey calcnla no Mterdeio corrente um deficit,
que, a realisarse, augmenlara esta divida.
0 M-'tt calculalo pela thosouraria era do-----
302:o7o378i.
So nestas duas sommas 0 relatorio do Sr. conie
do Bappendy, anaun;iava u na divida de.....
499:249*285.
Ja se ve, poi, qua a Pravinci* faltia a exacti
d:io precisa n;io ao quanlo ao que referio cm reli-
cao ao relatorio do Sr. bario de Villa Bella, como
t'ambem no que diz respeiio ao do Sr. conde de
Baepeudy. 0 pnblico que ajnize do criterio e ver
dado com que Ihe falla essu orgao dos liberaes do
club ia ofliia brmca.
Continuaremos.
sim como on miwiwwi ipj fern a e
ido ensino prDns^nat
a Os swrifieio* qo fkerm09 fom *ste hWai*' 1
*tri9 wmptairtite nnpaaeidoa Brtaa nnUfens
qne delles bao do porvir a t*la*.>s elasees sociaes,
igmen'.o da ritqueu naciou.al. 0 govern>
bt$e a mnOaTtado dossas jjrovideaciad, e
Itos'pres'.a a mais flesvelada atleacao.
ETpois de esperar que *ui ourlo es(a{o vejamos
naS.provincias estibelecimentjs bancarios, Waft;
naaua a fornecor por Interesse modaco os c'apilaes
de que tituo neceisila a lavoura, maxime, no BorieJ
do iinpeno, ande 0 culiivd de assucar esia eip fie.
Fraade abatimento, devido ao elevado ca-to da sua
produ-fao a par do baj'so pre\;o que essc producto
lern dado uo morcado.
E 6 para notar como 0 dlscurso da cor6a re-
commenda a eselafa'ttda attencao dos poderes
competentes a instiluirjSo do ensino profiisional.
E' medida sem duvida esta qoe deve vir ae par
com a utiliwlma creiQao dos eslabolecimentos u
cre.dito, so pie precede! a>
Qpe apnjrcacao de certo terao -c'apitaes forne-
cidos a agViculWes, que pelaescassez de Jnzea nao
podem Jirar d'ellus as vantagens que lhes faciiitam
os conheclmentis tecbtricos je sua prolissao?
Se r/os fasse dado escolhefr entre a creacSo dos
bancos ruraes e a insUUtycao" das escolas agricolas,
dada a hypolhese da ihsufflciencia de recursos
para ambas as medida=, &erto, nao hesitariaraos
em.crptar pelo ultimo dos dous mslhoramenlos.
ill entre elles a mesma dlstancia que vai da
aptflicariao intct|igente das forcas indiN-idnaos ao
inepto desperdicio de peno.:as econtmias. Porqae
o trabalho esclarecido pela sriencia crei o capi-
taes, ao passo que a ignorancia exhanre-se em
esfor^ s por augmental-os, e nrjnca consegairi
cre*l-os.
0 goveroo, pois, se acha empenhada nessa
cruzada de ronovamento da agricalrora pela dif-
TusSo dos conheoimeatos neeessarios a este ramo
de industria, afim de que os sbus ppeduotos- pos-
sam compelir cyna os da ignal natuieza nos rner-
icados estrangeiros.
IP W8 U'H UIIW8B a-
_ UJUI UU .
desta sessao legi--lativa, e certo 0 lara con :entran-
do todo 0 seu patrlbtismo e tozei n'este ponto Wo
;vital de uossos interesses para ,que a industria
jagri''.eJa rehabilitada e elevadi a altura de uma
MftfisgiQ,,teebni^a e scantifica, po#a conaiJI^
.castl la|< 11..SBJ ircas para 0 ci'*clinto
rapido (Te nossa* fiaan/as, com 0 quo lucrara 0
paiz intoiro destioado como esta, pela uberdade do
jseu solo, a se coaslituir cm dos grandes abastecc-
Wores n s mercado3 do mundc.
nbsorvaorJo- M idiiyoifcy*1 e^ fSereap) -. 3*8Tle
SI de abrr> *e 1863.
< Ficaodo siAhill(!*'l*'y*:,p-*t-. mnlft-ugfa-
fis pela prosperidade-*** .*e|te^ _ecl*(a*cc*
Hesle bispado -De* gUSWi* -f. fl**.^***' e
Exm Sr. Dr 9e^"Ar> 11*1^ e s#ret'VrRj,ev'>tM > S*>^iskfot-im'^ itttp*".
rio.J-Frei Vi'tal.bisoo de. 01W**:i '
Eutro nestas faMjfte,i(a\-
huciosas, para n*Waf qde-rW^.W'promes^as vis,
nue emareWjei toa H l''jesl*p*sslr en t*m-
hzer oTfl?eJo^St'. blsjW* H*i* flz ficar esperand 1 de baMS all ordeos proinottidas,
e quo 6 sera duvidaSefr *Ye-J***! Revm. diz no seu aW4ioimW-4*-lf rasz : 1 0 ifite atkeglr* V. Exc. & que deltas (vs
ordensj nuked-Hoi nofitl*.
A toesourafia da faztnli lovanlou duvidas
rpianto-a e*eoatjio do avi-ia da 6 do favjcairi ; e
0 9r. D. Ff. Vawl-, em irta da 5 da abril, fea-me
as segniotes observagoes :
Teaho a hoara de accB*er 0 reeabimenta da
carta da V. Etc; com data de,*4 de-(ava*eU-o pas
sado, cammunicando-me ja haver expedide aviso-
para, me serem entregaes os vencimenios das Ian
tos do semiiiariu.
Peco a V. Exc. rail deaoulpas par vir inoom-
moda lo, vohando ainda a este assumpto.
t (jaaoda padt a V. $$c. a gfaoa aUedida, liaba
em vista-iluas'cc-ustM :'*'., obrigar os leates a se-
rem mais exactos no otMnprtdfento de seus deve-
rea ; e.ii'.iaugJnWiiv o awnftra/dasoadaiias, tan-
to do seminark) grande, a como, priniipalm -nt ,
no poqueno, restriogiudo nosUr iuluita 0 ordaoado
dos leates aetualtaeote existoalas, dan lo II10-, po
reai, cama e mesa no serHiuano. ilas, visto a
obrigatao (jue V. Bc. me poe da ramMVex a the-
,souraria uma nota com as faltas dos lentw, ja nao
posso realisar este piano.
Poderei pur em exaeucao os melhoramenlos
projactados, sendo ao rnesmo tempi obsarvada a
lausula inserida aaavise,. se V. Exc. se digoar
Ida roanOar ao chefe. da ibpseucria que satbfaja
sa conama nota minba, aflirmando em geral te-
rem os lentes cumprido o-seu deveres. Sabe
pirfeitameo'.e V. Exc. que sou ojwimairo interes-
sado em nao suslentar quern nao traballia ; dis-
triliuirci se npreHiuciuatfe mrcedm-iecundo labo-
rem fjm Qoand 1 o leule.oafhedraditj nao leccio-
nar, sera rernunerado queiin lhe Ijzer> as vezes.
u Creia V. Exc. que, a nao haver essa pequena
modincafSo, elou na mesma e nao poderei Ta'.er
cousa. algutna.
Besolvi as duvidas da thesoararja de fazomia, e
nosontido do que'meexpunha 0 Sr. b'spo de OiiQ;
da, alierei as or'dens ;xpe.lidas, do que Hie dei
'jonhecimenlo a 28 de julho.
Por aqui se vo (jue u Sr. bispo de Oiioda teve
aiuda nolicia das onions qae raodifiquei, em virtu-
a eom que fim 0 assevehales^'
Sr. defansor dh Associacio CottiWeralal, se Me-
preli provar as pretewJidas AlTRerRfcdW ia1> ffeg.
ie Ad*, ari^wweetei sert'aWetHe : *JO p^rireis
indispor os executores da kiic***1 l36a|s1que
lies merecem cooflaoga, peT.>nd*"'ViM*B- blima
lproposigan, e esta a canclusa}>i9:4e,pifa'Jo
^uzir.
Foram eslas as razors qe a -frtrckraava pa
filicar esta* buhas. ra+fai ojoando ijartorde* 00a-
ra 0 Bog. e Add. cil., a*a>, # adftliereis o
itactos, qae 0- agofMe d>t tann. narti tos drra, |i_s,
Dio Ihe compeio pruvar-v< a wa caveileB':ia
ion inconveniencia.
0 meu dever e cumpri-Io, e oWervla MRftflMe.
E' 0 que farei. -> s'b si 1 .'
2 de sotembro *e Wf'i. Ot on
Oagetfte, hme'UbnttKin dm Sitoa CiwflM-viVs.
smmm *
C mm q'oe corta Sr. crapregado da Hiesouraria
em uai dos dias passados procuroda'cerlo ta'il-
liao daalaidade, para lite passar cejlidao do qoe
apontava em um livro de esuripturacao particular
de Antonio Pacifico Simoes do Amaral.
Sera terio ? .,,j
E se e : como 6 que esse empregado se achava
d posse deum lal livro?
De duas uma, on deulh'o Amaral. agora, 0 eh-
laa sabe elle ond9 se acha esle, e 6 seu sooip, OD 0
livro sempre esteve em poder do tat metro, qae
era como ha muito quern diga socto comm.andi-
tirio da firma -AMARAL, D1AB0 COXO & C.
Alerta, Sr. promotor puulico.
0 Gambeta.
A' redaccao da -Ameriea JUtts-
trma
Pede-se aos Srs.Tedactorea da. America Illu$-
'Iradi, ou* declarein qua! foj a autoridade poljcia
Sempre soliei'.o cm pros guir na ardda tarefa de
dar um novo irapu'.^o ao desenvolvimeoto mate
rial e moral por que vai passando 0 imperio n?sta
quadra porventura a mais notavel nos fastos de
nossa vida civil e politica, 0 gabinete 7 de marco
nao tern descurado um so dos elementos que pos
sam eoDtriboir para estubelecer e consolilaro
magestoso editicio do fuluro.
Parace que 0 tempo se raultiplica para os in-
cansaveis obroiros e que a maa de Dous se revela
propicia aos vasti.s commettimento > que se vao
rtalisando cm pro! do engrandocimento desta
terra da Santa-Cruz.
E' que as uacSos no ultimo quarlol do seculo
XIX, graca< aos profundos esludos que a politica,
como as demais sciencias, tarn feito emprehender ;
gramas aos progressos qua aquella sciencia tem
alciiicado, deduzinlo da observafao dos factos 0
principio recaodo coroar das mais solidasgaran
lias a aocao das f ircas individuaes, a? na^oas,
dizia-mos, tem ne.Ueu ullimas anaos centuplicado
de energia e vitalidada.
Como que a almosphera que as rodeia, fal-as
respirar mai' rapido : vive-se monos, mas e mais
fecunda a exislenoia humana.
Quem, a nao ser algum espirito trafego, desjes
que se torn collocado em contradicfii com a
opiniao, e a quem nala apraz, negara 0 movi-
rneuto civilisador que revolve 0 mais iulimo do
corar;ao do paiz ?
A libertacao de uma ra-a proscripta e a reha-
bilitagao da digmdale do ciladao, rebaixada pelo
desprezo em qua de alguaia sorte tinham cahilo
os mais sagradjs direitos politieos eatre no*, sao
reformas que 0 actual goverao procura com todo
0 afQuco e ha do levar a mais esplendida effaett-
vilade; sao os traces mais salientes da politica
qae adoptou 0 gabiaeto.
Has era mister amparar 0 golpa subitanco des-
carregado na industria agricola, a principal fonle
de riqueza do paiz.
E 0 gabiaele 7 de marco, a bracos com as mais
arduas e arriscalas eraprezas a que ae tem aba-
lancado a politica no imperio, contrastando a ti-
midez dos governos traaiactos, e apezar do tempo
e dos esfprcos incessantes, crescentes que exige a
vastidao dos designios qua tem era raira realisar,
KB de pre ente exhibir mais uma prova do pa-
triotismo que 0 aaima, e que Ihe nao fallacera
ainda foreas para novas fadigas quando 0 serflcoj
publieo as reclaioa da sua aunca doimsnSia acti-
vidade. 1
Pasma ver como os recursos da que dispQ^ 0
paiz se nao tenham exaaohdo, tantas e tao mulli
plicadas sio as emprezas que exigem 0 eeaenrso
das fiaaocas do imperio; tao sabia e moderada
tem sido su applicacao t
Esta aono aa falla com qua Sua Magastade
abrio as camaras pediase como medida aaxilia-
d >ra da auncaltara a creacao de bancos raraes
hypothecarios, e 0 goverao obedecsndo a ta) im-
periosa rweas idale tenjou um raeio de pramorer
a fundacio Jesses estabelecimentos de credit',
mediant*? a garmta de dous por cento aobre os
capilaes que se destinassam a tae3 oporawss.
A exiguidade d is meios de qoe podia- aispOr 0
governo, uao 0 aut^isaya a des^enler maior
sonata.
Tera decoxrido por-em algum tempo e'tudo i8va-
nos a penuaiio de.-qua eHe tra sido ubliaado pelo
estudo. profundo e ac:arado de tao raoraeateso
assuoapte.
Nio nos engaoamos. A folia do eacerraraenlo
Ja aotual t-tsiao lg',slativa faz-aos cooaeber a
grata esperanca de gua a qaesiao dos bancos
agwhi e, -abias v-tas do gabiaele.
$tmmmc\m(& Ie o segajote trecho:
a Espera-SB. eate aaa> abualante colboita da
alguns d^tmMolypraflu^iiaanricolaj; mas 0 fa-
turn da lavoura reclama espectalmente^poderoso
O r. mlnistro do imperto.
Dovo nnaa explieaeio ao pnblico que leu no Jor
nil do Commercio da 13 do corrente 0 ofQcio
que me fti dirigilo em 12 pelo Rev. 3r. bispo D.
Fr. Vital.
Dizia 0 Sr. deputado Tarquinio de Souza, cen-
suraado 0governs qa> 03 professores do seaiina-
rio episcopal de Oliala estavam privados das seus
venciment03, e eu obscrvei que uao fazia bem em
tocar nest questao, porque foi 0 Sr. D. Vital
quern, pedio que taes venoiruentos lite fossem eo-
tregn^s.
Nada mais do que iuo.
Nestas palavras vio S. Exc. Rovm. um modo
mysterioso que p>dia prestarse a inleipretacao
desairosa A sua p'Sioi, e explica 0 facto em ler-
mis que significant que fui inexacto e fait .-i a uma
promessa.
Qianto a mioka inteocao, cu devia esperar que
0 Sr. bispo de ulinda a interprelasse com mais
jMiea, pdo conbecimeut') quo tem de meu ea-
racter, e a vista das provas de inteira conlianija
que Hie dei e constant de nossa correspondent
official e paiticuarl. Niugueua, que mo lembre, as
leva maiores nem lalvet iguaes.
Nao ha, na o'oservagao que fiz. raysterio neifl
insiuaacao malovola e injusta- Se os profes nio siopagos, quiz eu dizer, e nataralmo.ito sa
enteade, e porqae 0 Sr. bispo, a quem 03 vencimen-
tos diviam ser ealregues, nao os recebeu, e nao
deixou pessoa aulorisada para rccebui-os.
Qaanto a exactidao do facto, siuto qua 0 Sr. D.
Fr. Vital me obrigue a utostrar com documentos
de seu proprio panho e asslgaatara que esta em
conlraliccao comsigo rnesmo.
Confessaado qua solisitara 0 ro^ebiment) da
quaatia que aanualmente se despende com os pro
fessores do seminario, disse S. Exc. Revm :
o Este padido iil-o a V. Exc, mais de uma vez'
sendo a primeira pouco depois de chegado a mi-
nlia diorose, e a ultima, parece-me, por iaterme-
dio d* Exm. Sr. Dr. Tarquinio Braulio de Souza
Aaiarantko, em finde abril de 1873.
Mezes depois sa diguou V. Exc. responder-rae
qae 0 meu polido seria sitisfei'.o. Fiquei espe
rando.
Pole mui bem ser quo V. Exc. tonha expedi
do rdens nesie seniido ; mis 0 que asseguro a
V. Exc. e que deltas nunci lice noticii, nem
nunca me foram entregues os veneimentos dos
professores da seminario episcopal de Oiinda.
As palavras traosiriptas, com a for^a quo laes
da a autoridale de quom proccdam, podem indazir
muiiagente a acreditar que prometti ordeas quo
nao foram expedidis, e vi n agora at'.ribuir-llies
ellcito que nio podiam tor, desde que nao passa-
ram de proaiessa va. Seria em todo caso uma
falta nao communicar sua expedicao a quom as
folicitara e tivera respo-taque 0 fez ficar espe-
rando.
Preciso, pou, defender me, e exporei tnlo
quanta se pass au
Em carta de 23 de julho de 1872, disse-me 0
Sr. bispo da Oiioda : Pararealisacao desia olira
(am pequeno seminario ou collegio cccla3iaslico )
de necessidado palpitante, e para a reforms, indis-
pensavel, do seminario the-jlogico, veaho implorar
de V. Exc. dous favores : 1*, dar directameote ao
bispo desta di >cese a qaantia qua aanualmente 0
governo cxpenda com os lentes do seminario do
Oiinda, favor este ja feito aos outros bispos do
Imperio ; 2, dispensar-me uns 10:000* ou 12.000*
para obras. livros, instruments de physica e as
tronomia de que necessila 0 dito estabeleciraento.B
Respondi era 13 do agosto : V. Exc. dos meus fracos servicos, certo de que
nunca me faltara vontade para prestal 03, ja em
attencao a pessoa de V. Exc, ja. em atlanQao aos
seus nobres e utilistlrao designios.
c Sinio qae 0 seminari) da Oiinda esteja no mao
estado qae V. Exc. descreve, e, applaudindo a re
salucao em que V. Exc. esta de melboral-o, nao
ponbo a nicnor davida em coaoeder 0 qae de
mini depende.
a L Exc, manlarei entregar-lhe a quantia que annual
mente se despende com os lentes do semioario, e
concederei para obras, livros e instruments de
physica e astrcaomia necessaries a fundacio do
collegio ecclesiastico, que V. Exc. projecta, a quan-
tia de I2:000/.i
Para adiantar trabalho, j.i em 12 tinha eu ex-
pedilo aviso ao presidente da Pernambuco, dizon-
do que raandasse orgar as obras necassarias para
que, ou 0 veliio palacij episcopal de Oiinda, on 0
edificio comocado na raosraa cidide para a aoade-
aua de direito, pude33e receber 0 pepaena semi-
nario.
En 4 de oulubrore!ebi 0 orca-nente e autorisei
as cbras na importancia da 1*3 971*290, que foi
augmentada depois eom 8:891*581, pedidos pelo
Sr. bispo de Oiinda. Mas demorou se a requnica)
official, que eu havia indicado em minha carta de
13 de agosto, e consequentemente a expedicao de
ordens para a entrega ao Sr. bispo dos venei-
mentos dos professores.
Era 12 de novembro recebi com a carta do
Sr. bispo de Oiinda, na qual, comecando por tagra-
decer-me prufundamento os baneficios prestados a
diocese > a peJimlo outros que lhe oceorriam, con
claia due*a* : Peco a V. Exc. que oa< se es-
qaeca de mandar eoiregar ao pneoado desta dioeese
a quaptia qae aaooalua-ow sa despaade com 0
pessoa! dos lentos do seminario episcopal de oiin-
da. Creia V. Exc. que e esta medida 0 priucipal
faalaatento da reformat
Logo depois, em ontra carta da 21 do mesmo
mez, dizia-me : hflilBro 0 novo* V. >xe. a
mintia liumilde peticao a respeito da quantia des
peodida aanualmente com os tanfes. Roceio qaal-
quer mudaaua ministerial............. ......
Respondi, em 14 de dezembro, que nio liana
vlndo 0 officio que eu esperava ; 0 qae fez 0 Sr.
bispo escrever me em 1 do Janeiro da 1873 qua
ja me tinha enviado a reqaisicio, de cujadata nao
se recordava, que a presiimia extra viada, e que
rnandava novo efficio.
Com effeilo, recebi. na ruismi oeca^iao esse se-
gando officio com a data de 3t de dezembro de
de de sua carta de 5 de abril, e e elle proprio
quem 0 fliz :
Recife 10 de agosto de lS73.-Exm. Sr. con-
sellieiro. -Tive a honra de receber Itanteat, pelo
vapor i*i/n"a, tres eTrlas qae V. Exc. se diguou
,enviar-me em data* do 25, 28 c 30 do mez proxi-
mo pasalo ; e nao poaso deixar de confessar-
ma summameiite grato e reconheeido pola bonla-
que tomoa parte nos
Cajii.
divertimentos db becco do
de com que V. Exc. se diguou allender as minbas
supplicas e.n relacao ao ordenado dos lentes do
semioario, e ao novo conlingehte deslinado ao aca
bameuto das obras do semioario pequeno.
a Creia V. Exc. qua e esta u:n immenso seryicp
prest'ado nao so a nossa ca'a provincia, senao
tarnben a toda a diocese de Pernambuco. Como
pernambucano e como pastor, sa Item que inligao,
desta infeiizdioce>e, muito e muito alegro-me c -in
e3se favor de V. Exc,"do qual gardarei elerna me-
mortal.
0 Tenho a honra de ser, c ra respsito c alia es
tiraa.Do V. Excservo humilde e anigo aiten-
ciosoF/. Vital, bispo de Oiinda.
Mas, tiriam ddxado d: ir a thesouraria defa-
zenda de Pernambuco as ordens a que me refer]'?
Solicilei do Sr. ministro da fazenda a expedicao
deltas na mesma data dc 23 de Julho, 0 que decla-
rei ao presidente danroViucia, para qae 0 comma-
nicasse aqaefia thesouraria ; e cousia na seer eta-
ria de fazenda qae foram cxpodilas em 17 de ou-
lubrc.com a uiodi(icac/io, em qae eu coucordara,
solvendo novas duvda.j, genl-io sasciladas no the
souro nacionil, de se fazerem os pagaraentos, na 1
"por junto no principio de cada exerccio, mas por
parcelias em cada me.
Estou certo de que 0 publiCO, a vi-ta do qae Pi-
ca exposto, c de mais a mais inf.-rmado de que
nao tive reclaraacao dos professores, me fara a
jusPca de reconhecer^:
i.* Qae nao sou cul >ado do facto pelo qual 0 Sr.
deputado Tarquinio de Souza censurou-me ;
2. Que, se naoprovtfenciei a respeito do paga-
niento dos professores na ausencia do Sr. bispo,
foi porqus a urdem dunesouro permittia quo s
eniregassajai 3 veneimentos a pessoa
pelo mesmo Sr. bispo ;
Que nao faltei a neakuma promessa
autorisada
3.'
a S. Exc
4. Que em tempi commjni!|ui:i
Revma. as resolu>;3es tomadas;
5." Fmalmente, que tui exacto nas palavras qae
S. Exc. Revma. conieslou.
Htveria inexac'.idio se eu affirm isse que 0 Sr.
D. frei Vital reeebia 0 dinhoiro e nao dilnbuia
aos professores; mas nao emilti seineluante pro-
posicao, nao a emittiria sent provas, e eacuso di-
zsr que de S. Exc Rvraa. forxo juiza muito dif-
f'-rcute.
Joi'w Alfred) Coned de Oliwira
Rio do Janeiro, 18 de setembro de 187i.
da lavoura reelama especialmenteopodei
auailio ;#o erta>) soS taMfcco"*! laTorareii,
liupoMtos dc couseiiuo.
Deixariamos passar desapercebiJo 0 qua diz 0
Jornal d) Recife de 25 do setembro, com rclacao
ao3 impostos de consumo. se 0 autor desse as-
enpto tivesse sido mais minuci.oso na iadagacao
da verdade, e 0 fosse de modo tal, a mostrar evi-
denteraente que 0 pro sediment) do agenle arre
cadador dos impostos de consume- sobre 0 fuoao,
tivera por bass differentes disposiQiaes do reguta-
mento de 27 de juaho, e adJitamento de 18 de
agosto do corrente anno, e, aindi mais, se lives-
se sido fiol na manifestaQao do facto que se deu
com 0 passageiro Manoel Caroeiro dos Saotos.
Diz 0 essripto do Jornal do Recife. Tendo che*
gado a este porlo e vapor Wwquez de Caxias,
trazendo a seu bordo 40 fard ,s de furao com a
marca M. C. M., censignados a M. C. dos Santos,
que veio no mesmo vapor, com 0 fim de realisar
aqui a "eoda de sna mercadofia; mas, como as
offerlas que obteve nesta prafa nao lhe convieram,
resolveu aquelle senhor rcembarca'* 0 famo, e
seguir com elle, pelo mesmo vapor, para a cidade
de Aracajii na provincia de Sjrgipe.
Feito 0 competoute despacbo de reexportac.to,
foram 03 conhecimentos apresentados a esta agen-
da, afim de ser dado 0 desembaraco do costume.
0 Sr. ag'eate, porem, exigio mais dous conheci-
mentos : um para 0 dono da mercadoria levar
comsigo e remetis-lo para esta cidade, com a cer
tidao da alfandega do porto de desombarque,
lego que ahi chenasse ; outro para ficar na agen
cia com a declarac&o do capita >, de tor recebido
a bordo a marcdoria consume d> daspacho.
Ora, enlendilo como deve aer, 0 escripto do
Jornal do Recife, conclue-sa sem o raenor esforco
qua estas exigencias foram faitas a vontada do
agenle, e 0 enteudera assim, principalmente,aqnel-
les qiiena^o c.nliecerem os citados regulaaiento e
addilaraoato. Assim, para restabelecimeuto da
verdade, faz-se preciso conhecerdes a disposirao
de lei, qua auDrisou esta agencia do fumo, a
exigir do passageiro U. C. S dous despachos foi-
lot em vista da matricula de sahida do vapor,
tirada aa eapitania do porto ucanJo um dos des-
pachos nesta agencia, e acempanhando 0 ontro a
aaerealoria, sendo falio, porem, qae tivesse sido
imposta ao passageiro a cbrigaci de remetter 0
despacho que acompanha a mercadoria, logo que
chegasse ao porto da seu destino. E, nem seme-
melhante exigepoia poderla ser feita, por isso qae
lica concadtdo 0 prazo de sesseata dias a qual
qaer pss?5i qae exporte mercalorias para outra
provincia, ptra provar e seu desembarque. As
dispo'icraes da lal de qae t illamas sao as dos arts,
7 e 8* do addit^menla citado, e do 2 do art. T
capitulo 1* do regularue,nlo tamlem ja citado.
Foi islq, pou, 0 qae se pa-sou.
Dia aiuda ease artigo do Jorml i> Recife. De-
pois de laulo trabalbo e (adigis foi afinal 0 Sr.'
M. C. dos So-ntas aimittido a prestar a fianoa,. de
qua uraia 0 re^oJamento para 0 caso da expor-
*acso.
Nova seria de difficuldadas. Diversos nego-
ciantes fo.-m ITereoidos para fiador.e 0 Sr. agente
racu3oa os logos. Sr. defensor da. Asaocicio Cora-
mafial, qaando tweidea de narar ao pabli-ae
qaatauar hMl^. aao vtta eaUHoai* do raapaito a
verdade, poraaBw. da mmvin da falsHade
podem resultar conseqaencias mas, ou para
aqijdtei da quaat as .fatta, m paea. qa<:xa fcuHa.
t872r wde Ib^bwIiu^b tSM; BlfM U-"-* **\i***, oMsv a-^afdatfa qnattda WMveraatos
dens solicitadas, e del cotrhdclrflento official ao Sr.
bispo, qu-i me respondent rjaeseguintes termos
t PattciotlaSoladada, L7- da-area da 1873.{-os u*icrt
Eim. Sr.Acabo da aeceber q otfltio -de V. Exc,
cobrindo 0 av^ii porddpla, qae aW aalorfsa a re-
ceber na thesouraria da fawnda as hoJiwarios dos
prorasiores do seminario episcopal d| dioeese,
quadiversoa negooUates foram otferacidoe parar
liador, e que 0 agente recasoa-03 toioB. E' (also ;
es. oflaracidos foram
Faraaodes da Costa $ -C^ inxaediatameata "ac-
eaftqat Sa o-aasiaj 0 ttvetse feito, co:fto afase*-
tel em vowo-artfa, pwcdJe'ria ainda-de coaSw-
aaliade comat'kau Savasflaa wo foi, para ijue,
Jursitilu do rap to.
E' sob asta epigraphe que escrevemew, porqae
sob tlia que ten sido publicado lulo quantu sobr
esla queslao se tem escripto.
Muitobaqao nqssa familia, e principalmente
nossa exlramosa mai, viva- sob 0 peso da mais atroz
dilfamacao; muiio ha que as mais torpes iojurias
lhe sao assacadas, qae aft mais vis calumnias lhe
sao impuudas. E isto por quem?
Por aquclles mesmos que, para haverem a mao
de nossa inna, dispu'.avaai pelos j iroaas e ate no
foro a honra de Mem sidu nossos amigos.
Pouco ba gue gemiam os joruaes com a multi-
dao de carta* e alt'stados coin que a familia Cha-
con procurava provar urbi et orbi a gloria da ter
eoDVivMo com a aosa nas mais estreitas relates
de amisade. E sao esses meemoc os bomens que
hoja nos procuram cobrir de labeos, e fazer-nos
passar aos olltos da pnblico como uma familia del
sevanlijas.
Muito macs con-elheiros e advogados tem osses
bothen- !
I'ois que Quareis fazer ao editar ao publico
sensato, que e apeoas um sentiment j nobre e geac-
roso, que e 0 amor, 0 unico movcl que vos guia
nesta questao, r onicoiaceniivo qoe vos allucina a
razao a poato do nio liesilar em cobrir duas farni-
lias do luto, e laocardes oulras inuiias naraiseria,
eao ntesato tempo cobrir deignominia aquella mes-
ma familia em cujo seio dispuLais lao ardenlomeu-
le a honra de vos immiscuirdes ?
Qae brigais soiuonlo pela mao de Flavia Poppe,
e levais ao p-louriaho da di(Tama;ao^em que sois
grandes, a sua propria mil I
Quo! lingi-vos compadecidospekssoffrimenljs
por que cavilosamenle suppoadts esiar passando
Fiavia Poppe, e sois os nriraajros, o unicos, a ag-
gravardes, a moltiplicardes a levardes esses sod i-
u-entos ao ultimo grao do intensidale, farindonol
fundo d'alma aquelia mesnta que u 0 objecto uuico
de Juttfl or%cjSei I
Meutis, illudis ao publico, vos que assim prati-
cais e aconselhais. &ais maos, sois perversos, vos
que assim pralioais 0 aconselhais.
Ha cerca de dous mezes que foi apresentado ao
juiz de orphios, por Leviao Ijoacoo, 0 -mais insnl-
tooso requerimeni i, que podem conceber humanos
enlendiaioatps, contra nossa mai. Alii esse li latem
sem conaciencia ft-rio, como Iho e proprio, a dig-
uidade de uma seaborn qae nuaca 0 offandeo.
E" que 0 acadoDttico Lavino Chacon if nora 0 qae
acja digoidade, c par isso nao duvida mauonar a
;ilhoia. .
Nesse requerimr-nto, que por si so seria sufficien-
to para dar a coiihecer 0 caracler do seu signata-
rio, tornand0 0 repugoaute aos boraen? de bem,
tera elle o a.Tojo inqaalio vel, 0 dispudor, de in
sinu'ar qua D. Aliina Poppe queriaprostiiuir sua fi-
Iba e, cm uliioio reenrso, assasjinal a, conservan-
do a em uma casa, ao pe do seu sedactor, em que
dia-iiamente L suas proprias palavras) se pra-
tic M ados attenlatorios contra a sua honra e con-
tra a su i rid i.
Esse reqnerimr-nto nao teria ficado impune, nos
0 juramos, se considera^oos bem rtllactidas nao
tivessem acluado uo nosso animo.
Qacm falla e obra corao lacaio, so deve como
lacaip ser tratado, e 0 Sr. Lovino Chacon bem S3be
comb se costuma castigar inso'.encias da lacaio.
Mas a roll xao mostrou nos qua 0 Sr. L-vino pro-
curava de preposito um conllicto com os dous ir-
maos de Jo=9 Poppe, alim da envolvel os, em um
processo crime e inhabilital os, como suppoe ter
ipbabililado aquelle. A pruioacia, por crasegain-
te, pode em n6> mais do que a coragem. 0 Sr.
Levino queria cnvolver se comnosco, nos fagimos
para nao enlamiarmo-nos.
Desculpe nos 0 publico alguma expresio meoos
cortex que nos escapar, porque d muito 0 fel que
nos vai u'alma, 0 grave estado morbitulioario,
a qae lent levado nossa mai a perseguicao atroz
qne Ihe tem movido, e as pungentes injarias que
loe tem atirad.\ a familia Chacon, nao nos deixa
lugar ao cuoiinedimenio. Acaso nao pod;a 0 Sr.
Leviuo requerer a remoQio da tutca sem ia-
jurial a .'
Podia ; se nao 0 fas foi pelo simples prazer de
maltraiala. Por isso consinta-nos 0 direito de
fallarmos com 0 azedume proprio de filhos, a quem
a forca de soffi imentos, se quer assassinar a mai.
Perguul >r se nos-ha, porque nio viemos pela im-
preasa desmentiudo as allegacoes daquelle insoli-
to requerente ?
Nao nos pareceu conveniente discutirraos pela
iraprensa um requerimento qae ainda era objecto
de julgamento. Alem de qu8 faliava-nos uma
prpva tao extraordinariamenie evidenle, que por
si so nao deixasse a quem nao estivesse compleia-
mente fartoso, corogem para respoader.
Hoja, porem, estao venei'tis essas duas difficul-
dades : a primoira, pelos proprio3 Chacons; a se-
gaada, por nossa boa irma, a isso impellida ainda
por elles.
Nio contestos or Chaoo3 com 0 andaz reque-
rimento, ahi vieram no jornal de 19 do correate,
como fim de prevenir os aniraos dos juize3, com
um annuncio anonymo contenlo as mesmas acca-
sar,58s, os me3mos iasnltos.
Fortm pois elles, quem nos farcou a tratarmos
desta maieria, pois qne depois daqueUe escri, to era
irapossivel por mais tempo 0 silaacio.
A seguada difflculdade venceu-a nossa irma,
mandando escrever e assignando adeclara;3o, que
sob a epigraphequestio ds rapto mandou nos
para qae publxassemos, e para a qual, inserta
naste mesmo jornal, chamamos a attencio dc pu-
blico.
Nessa declaracao protest* ella solemnimente
contra : 1* os KM de aelvageria praticados no
engenho de sua lia, sem 0 manor acato a sna pes
soa qae la s achava e se acha hospadada ; 2* to-
4as essas calaoutias, iajarias e affront >s atiradas
sobre sua mai e sua familia ; 3 finalmente, a re-
mocao da lulela, aflrmaado que oppor-se ba a
ella com todas as forcas.
Ena declarable bSo preeisa *e camnaentario.
Desoiaearado esla, pois 0 embusta da familia
Cnacoa j o publico pode agora avaliar aparveMi-
dade desses homeos. E' aqaella, em cujo nemo
elles hypoctitameut* dtcMtm faRar, qua vem pa
blicamente dizer-lhes: "rfe pbariztico o vo-so
zelo, sao falsas as vossas allegagoes, rejeito vos
sa protaceSo, nao precoro, a4e quero, nao aceito
outra que tf5o seja a daqaefla qua a nalureza
raesma coastituio pa'ra'que-fi'a desse.
Cessem, prjis, qaSrs. Cba*)n3,de por mais tem-
po nerseguaj- 00s, e viveremas em eterua paz, cer-
tos de axe iamate recuaremos sempre que eaten-
dereot $5et Tacomnio.rlar-nos, porque a mais es-
taeiQ suirdarieoaila Kga a D. Attlaa Poppe todos
o iieus filhos sem excepjjo de urn so.
'Recife, 2=3 de sereniBro.de TO a,
Henfiq-ue Pvppe in pit a Lopes.
Marcetw Pofpe da Siira Lopes.
Muito aa-ftsfh mercadejado eoto> e- iaca oom%
nflid Ulhe iVilo beber1 os- ftjens officiososh
protectores: e preefeo, d'fempoii!.^ae eu fai?a" 0
siaior tal vez dos saerillcfes, quejiodi fazer uma
wuTher, *>a*v o publico dVsilltfdfr a maita redle
que por ignoraf a verdade, sa aeb* era erro.
.hmtaum rrmipaaianin iinjiiii fki <>rnhinn
peSndo qne eu Basse af unoada. a,sempre doce tu-
(ella de uma mat qm^lriiKl em) satisfeitos com
tao ajTojado_pas3p, gae (Tja por srura insalto atroz,
cabjraniaiam, iniuriaram, cobriram da opfjrobrio
a*6lenle'qne njefl;n>als caro neste man*', jp de en
?m* ctmi- elH a bd rrilnha familia. E fade isto
ifaram em tnamede pToteu<;au a ntm !!T
,'Oomo-'saeilpod?sse rronca paetaar cora BeWe-
llianta conducta I Como se ea podesse neMtca au-
torlsar a<:tos t&v reprovados'! Como se as podesse
deixar dc sentir as chagas prdfundas qua atMrtam
no-epracfto dsquella qae me deo 0 ser!
Obedecendo aos impulsos do coracao, esecutan-
db a vo? da eort*5leaci9, a cmjuliando 03 deveres
de uma filfia qae qaer db he-je em diatlte saber
sd lo, naudeinorei me em aisignar com 0 meu
proprio punho um protesto contra esse requeri-
mento, que mah paieec nm libello.
Parecia'-me qne isso deyli'ser sufflciente, e que
uma proteccSo tao pereirtptoriamente rrjeit devia ser de novo offeretMa.
Eis, porem, qai deparo uo Jornal d) Reeife de
1* do corrente, com um artigo que tanto tem de
curto c>rao de perverso ; a qne de fel modo me
abalou, tanfo ma afttigtrj, qoe julguei nao; me ser
mais posslvel ahster me, e que devia vir a irapren-
sa dizer bem alto querejeito tao importuoa pro-
teccao.
Jamns eonsentirei em ser tutellada por eutra
riessba, que nao seja a minna boa e carinhosamai.
Eavidarel lodus os reeufsos; recorrerei aos homens
da lei; supplicarei, se for preciso, de joelhos aos
juizes, aqneHes a qaem a lei eocarregoa a santa
missao de prolejterera a quem teve a desgra^a de
ficar sem pai. que d3o me fa;am dua3 vezes or-
phi; que a lei nao queira desfaier 0 que a natu-
reza rVz; que deix"eai,-para felicidade 11*.nha, con
tinuar a dispensar-me a mais desvelaUa das pro-
tec;oes mundaoas aqaella que, soube darme 0
ser, alimentod-mo eom sea proprio sangne.
Itej- Uo, repito, tao importaoa prote:cao. E nem
digam que eu nao tenho razao de assim pro-
ceder.
Ahi estao no3 jornae3, ahi e.:tao no3 aulos hinca
dos cootr.a os seres que me sao mais caros todas as
especies de iujuriaSrttodos os improperios qne mais
fundo podem ferir a'digoidade de uma familia.
E se is 0 nio f6ra Uulivo sufflil^dW, ahi eslaria
0 maior dos desacat03, quu se podem praticar con
tra uma casa de familia, praticado contra aquella
em que eu propria eslava hospedada, sem r algum a raiuha pessoa. Reprove, condemno, fstyg-
Hiatiso 0 barbaro alteutado do eftgenho d'Agua,_e
uao po3so deixar de coaservar lovencivel aversao
contra os seus autorcs.
Portaato, peco aos meus inlihtlados proleetores,
que como a maior dis protsccoos, me dei.xm vi-
ver tranqnilla e socegida no rcgaco raaterno ; que
nao continirem a affigir minha mai, porque me
despedacam a alma.
Engenho d'Agua, 22 de setembro de 1874.
Flint Poppe da Sdv.i Lopes.
advogado
Coaiarca de Santo Antao
Tribunal Uo jury
No dia 16 do carrenla foram submettidos a j a I
gamentos os ll.bfiros, aecusa los pc'.o assassinalo
do tenente coronel Alexandrino do Barros.
A sala do jury e galerias estavam repletas de es-
pectadores. A leitara do processo c inweafl as onze
horas do dia ; a accusacao pelas ciuco boras da
tarde e a dufeza pelas onze da noite, proferiodo 0
conselno a sentenrja de absolviQio as qaatro horas
da manha do dia segointe.
Da6aecessario e dizer que 0 illustre
Sr. Dr. JoM Teixeira, accusador no processo por
parte da v.uva do tenente coronel correspondeu
tlelmento ao seu mandate. Procurou todos os re-
cursos na sna vasta inteliigencia, afim de se.- pu-
nida 0 barbaro assaosipalo. Accusoa por i-arle da
kistica 0 promoter publico 0 Sr. Dr. Geroncio
Falcao. ,
Sequiram-saos advogados os Srs. Drs. Nicolao
Rodcigues e Vicente de Lemosi Nada deixaram a
dosejar. 0 Sr Dr. Vicente de.rnvolveu a deftzt,
procurando convenccr pelos argumentos e exe r,-
plos airresponsabilidade.d)3 aecasados, proluzia-
do assim um feliz resultado.
0 accusador particular appelton da sentenQa.
(Liberal Victoriense.)
Muito se tem occupado os homens do coraejio
e amante3 da humanidade, da salubri lade publica
em no-sa terra, como em toda a parte. Oi me
dicos da capital de.-ta provincia de muito procu-
ram encontrar um lugar, onde oclima favo-
recA as curas de cerias moloslias: e por bam
loDge se tem anlado, quando aqni, na di-tancia
de 20 leguas, pole encontrar-se 0 qne ha da me
llior. ,
Pedras de Fog), eollocada em una grando ele-
vaeio e extensa pltoieie, onde nao se encontra
aguas estagnadas, charcos, ou pantanos, onde
a veulilaQao e livre, 0 ar fresco e 0 climt tompe-
rado e secco, offerece as meiiiorcs proporcoes
para auxiliar a curl das molestias, qua daman-
daaa um ambienta benelico.
Alem das condicoes bygienicas, que a natureza
offerece. ha aqui boas casas, e uma populacao ge-
nerosa e hospitaieira, s-snipra disposta. a propor-
clonar commodos aquelles que sio para ca con
duzidos pelos.soffrimentos.
Alimentacio, alem dc conmoda, e da m3lhar
qualidade. "Ha optimos banhos de ciioque, e ea-
tre elles nm perlencente ao Sr. Clau'dino Jose de
Araujo, quo pela limpeza.a sseio e bom gosta da
ca-a, pode considerar-se bom em toda parte.
U que a'ii fica escripto, nodera ser aitestado
pelos que ca tem encontrado 0 restabelecimento
de suas raiiles arruinadas.
Persuadido disso, 0 povo de Itambe e Pedras
de Fogo convida aos qua pre asarem de tratar-se
em um clima salubre, que venham a esta terra
para onde 0 transport ja boje e muito facil, car-
toi de eacontrar nella nao so o que uma natu-
reza Drod;ga e propicia pode offorecer-lhes, como
Umbem 0 que depend-ir dos babilentes da terra.
Itambe 14 de setembro de 1874.
0 amanle da humanidade.
LT DIUrD Parfumeur A Paris.
. 1 JTI V fill W Savon ou iuc de laitue.
Transrorma o systema
Uma das maiores maravilha3 da sciencia medica
e a rapidez com que a saUaparr lha de Bristol, res-
titue as forcas perdidas ao3 doentes. So a expe-
rieneia p6de permitlir a enfermos 0 rea'.isarera
os seus effaitos nos casos de debilidade geral. Pou-
co imporia 0 estado de prostra^ao physica a que 0
doeuto se veja reduz' Bristol Ih'a tornara a restituir. Algun3 medicos
teem suggerido a injeccao da sangue puro Das
veias dos enfermos. porem, este poderoso restau
rativo converte cada uma gotta de sangue no cor-
po do doente em um louico efficaz, capaz da pres-
tar novas forcas aos musculos, aos nervos, ao es-
lomagoeatodo 0 machioismo animal. Qae ne-
nhuma pessoa por mais fraca e debil que seja per-
ca a esperanja de viver ate uma idade mai avaa-
cada, porque nesta preparaQSo exUie um principio
vital que restabelece as forcas dos mais debeis co-
mo por encanto. *
DescrwBiTi l*i WaV 3e*!t*liir/dlB4l74.
7apor iagte SMlent^ (esparadd) jatreaderlas
para alfandega erffapiehe Conceicio.
(ap-tr naoloaal-^ifw'ijgo-g^neros uacionaes para
0 trapiche da c'onipan'iia pornamUucaua,
j.,,1 e estraiiairos paraa^ana^^ .,
I^ale nacional Ww d-t J.irdtm Tecspae nacio-
naea para arm azamide Law* uaba & C
Brigua porlugae-. Bella % neros para o trapiche Conceivao, para
,. despaclia/.. jj, Mj .,
Barca franceza F>rW*'i*a -ges'so para 0 trapiche
Conceicaov para, despaehar.
Lugre inglez Jane -bacalhao ja de-paciiado para
0 trapiche Cooco^ao.
Patacho inglez Rortilo farinna ja deapacbada
para c*M *} Apollo.
Brigua austriaco -Batcar -urinfia ja despaenada
parao cae* do-Apollo.
Vapor cacional -. Cearti (6*perado) generos na-
ciottaes para 0 trapiche da companbia.
7 '
Importacaa
VaperMfdonal ,MarufaA, aiHralo dos porns/lo
sat em id-do correate coa iguado a coiupauhie
peruambucana da navegacao costeira por vapar,
m unfo-ton 1
Algedao 48- saccas a Miguel Jose Alves. Aisucar
11 saocos ao mesmo.
Farinha de mandioca 50 sacccs a Francisco Gon-
calves Torres.
Milho 240 saccos a Pareira Vienna Sa C
Pedras de araolar 200 a Francisco GoncaWes
llorres.
Patacbo inglez Aacifa. entrado da Haliimofema
mesma data e cons;gnado a Matheus. Auslia
i CX roanifeslou :
Farinha do tngo 1,415 barricas aos ceusignota-
rios. .,
Escuna ingleza lifmci, entrada de VfHMKg*
em 28 do correate e eansignada a Saunders Bro-
thers & C, manifestou : A
Bacalbao l.980brricks a is consigaatarioev
Vapor nacicnal tpyjun, entrado dos portqa. do
nolte na mesma daia e e msignado a compauhia
pernambucana de nave?; gii cosieira por vapor,
manifestou: .
Algodao 62 saccas a Jo. e LuizUoncaWes Farreira
& C, 22 a Luiz Antoia 1 Siqaeira, 91 a Braga&
Costa, 16aordBir., 78 a BelUrraina Gonjalves
de Araujo, 108 a Julio C. Pafs Barreto.
Couros salgados 190 a Sa Lett&o & Irmao, 323 a
H. 11. Araujo Saraiva da Mello, 16 a Alheiro Oli-
veira & -'., 178 a Oliveira F.lhos & C, 124 a Fer-
Dand-:s & Irmao. Calcado iciixa aCaldae&C.
Cafe 2 saccos a A. Mu'niz Mchado, 1 a Alfredo
Jarda, 50 a Beltrao & Filho. Caroe 1 garajao a
lose Guncalves de Souza, 4 a ordem. Chumbo I
barril a Silva 4 Alves.
Queijo 1 barrica a Cunha Irmao & C, 1 a Al-
fredo 4 C, 2 a ordem.
Sola 2,000 meios a Antonio Pereira da Rocha,
600 meios a Amorim & Irmaj.
Brigue portuguez Bella Fiaueirenu, entrado de
Li^boa na niema dalae causignadu a E. R. Rabel-
lo & C, manifestou: .
Acido sulfurico 2 ca xas a J. J Tasso. Alpiste
20 barricas a Paulino Jo^e d> Costa Am rim & C.
Azeite de oliveira 50 barris aos consignatarios, 20
a Amorim Irmaos & C. Azeitonas 126 ancorelas
e 13 barris a Joao Marlius de Barros & Filhos.
Batatas 200 meias caixas aos consignataios.
Caoaricas 4 bar. is aos cousigaatarios. Cal 100
barris a loa iuim Rodrigues T. do Mello, 100 a Jose
P. da Fonceca Gu'tnaraes 50 a J. Maota.
Conservas 20 caixas a Beltrao & Filhos.
los 100 caixas aos consignatarios.
Farello 600 saccos a Silva Guimaraes & u, IOU
a J >aqu:m P. dos S. Coimbra Guimara- s & C.^
Sapato de traB^a i caixas a Pereira Sucoci
Vel as slearioas 300 caixas ao? onsignatarios.
Vinho 31 pipas e 26 barris de q auto aos consig-
natarios 12 dilos e 15" ditos a Rosa &. Irmaos, 12
e 15 a Joao Jo^e R. Monde?, 32 e 25 a Amorim Ir-
maos &. C, 45 e 30 a Beltrao & Filhos, 8 e 10 a
Tnomaz d'.^qaino Fonceca & Sucoessores, 20 e 5
a Paulino Jose da Costa Amorim & C, 20 e o a
Souza Bastos & C.
Cebo-
Questao de fopta
Nio enchant demasiadamatm 0 caNx, porque BO-
csssariamenle elle trasbordara.
DE^PA^-HOSDE EXPORTAQAO NO DIA 26 l>
SETEMBRO DE 1874.
Para oj portos do exterior.
No brigae iogtez Oclavio, para 0 Canal, zar-
regou : S. Brothers & C 2,50) saccos com_ 187,300
kilos de assucar mascavado ; J. Pater & C. 4,00
ditos com 310,000 ditos de dito.
No vapor inglez .Vera, para Liverpool, car-
regcu : M. ft. Monteiro 182 sa:cas com 17,196 1(2
kilos dealg dao.
No brigue portuguez Tnumpho, para 0
Porto, carregou : M. M. Monteiro 156 saccas com
13,90 1(3 kilo* do algndaa
No brigue hespanhol Amalia, para 0 Rioda
v'rata, carregou: A. Lcyo 100 saccos com 7,500
kilos dc assucar mascavado.
Para os p urUfs do interior.
Para 0 Rio Grande do Su', na barca natio-
nal Njrma, carregou : J. L Leal Reis 17 barns
com 1,632 litros de aguaidente ; J. J. Ferreira o
caixas com 123 kilos de doce. .
Para 0 Maranhao, no vapor nacionai Balua.
carregou : P. Vianna & C. 30 barricas com 2,67o
kilos de assucar branco : para 0 Para, J. J. Gon
calves Beltrao & Filho 120 dita3 com 9,0 !o 1|2
ditos de dito.
CAPATAZIA
ieadioiento do dia 1
dem do d i 28
DA ALFANDBGA
a 20. 12:874A32i
: 362>l6i
13:236^48^
VOLUMES SAi;i::0o
No dia 1 a 26.....
So dia 28
.-'rimeira porta.....
legnnda porta
Terceira pona.....
fitpiche Ccncaig^o .
22,8i9
24
66'.
624
24,232
SERV1CC MARiTIMO
*J>arangas descarragadas n: trapiche da
aifandesa.
No dia 1 a 26.....
No dia 28.......
Ho trapicba Cotceicao ."
3?
40
AECF.BEDORiA D2 RENDA3 LNTiRNAS GE-
RAES DE PSRNAMBUl,
undimanto do dia 1 a 2o 4^*^*^
dam do dia 28...... 3:690;52b
46:823j33 CONSULADO PROV1NCLVL. f!tatr.,
rtwdimanto do dia 1 a 26. ****
Idem do dia 28 ..... 10:O96/6b
8i:C08>7i2
AGENCI4S PROV1NCIAES
Liquidos espirituosos.
Rendimento do dia 1 a 25 4.98U490
Idem do dia 26 *
JUNTA DOS CORRKTORES
Praca do Recife, tie setembro
de IS J l.
AS 3 HORAS DA TARDE
COTACOES 0FF1C4ABS
Gambia sobre Loodres a ao d|v. 26 lii d. por
t UGOO. sabbado.
Dito sobre dito a 90 djv. 26 3i8 por 15000, do
baoco e particular.
Cambio sobre Paris a 3'div. 368 rs. 0 franco,
do banco.
Qarubio sotiro Hamburgp a 3 div. 438 rs. por
R. M., banoo, sabbador'-^^.
Cambio sobro Lisboa a W div. 103 OpO de pre-
raio, sabbado.
Dito sobre dilo a 3 div. 108 OjO de premio
banco, sabbado.
Cambio sobre 0 Porto a 90 djv. 104 OjO de pre-
mio, banco. v
d. de Vascoacoiios
Prasideote.
A P. de Lemos,
SeoretaPio.
___
AJaFAMDKGA -
ilbaauaaaio dodia la46. fl37;o3iW3i3
UwndodttS-S.. 11:436^24
9.03*#o33
Bacalhao, etc.
Rendimento do dia 1 a 25 1:056*871
idem do dia 26 S61I444
Generos de estiva.
Rendimento de dia 1 a 23 4:168*261
Idem do dia 26 70*492
4:901*490
1:318*315
4:938*753
5:263*430
2:449^141
Farmha 6> trigo, etc.
Rendimento do dia 1 a 23 5:084*930
Idem do dia 25 J78*tOO
Fumo, etc. ^^
Rendimento do dia a 25 2:383*006
Idem do dia 26 86*Uo
Vioasre, etc.
Beridimeau do dia I a 2o 1:705*496
Idem do dia 26 -
t.:703*196
Tttfsouro poviacial dc Pcriiaiauco, 2S de, selem-
bfode4874.
Iei : Qesmvao,
He,', loio Qaineiro' M. da Silva Sanlw-


Diario de Pcraambuco Terca feira 29 de Setembro de 1874.
Cambio sobre Londres, 90 div 26 3/i
Bevlstm commercial
Da semaoa de 21 a it de setembro de
1874.
,.,d.M /*
por 1*000, banco.
Dito sobre dito, 90 d|v J6 U 25 */i d. por 1*000.
Dito obre Paris, 3 dlv 368 reis o franco, banco.
Dito sobre dito, 303 reis o franco, banco.
Dito sobre Porto, 3 d|T 108 / de premio,
banco.
Dito sobre dito, 90 djr 104 / de premio,
banco.
Diio sobre dito, pagavel em Lisboa, 90 d|v 103
*/. de premio.
Dito sobre Lisboa, 3 div 107 / >08 /
109 */o de premio, banco.
Dito sobre dita, 90 djv 104 /. de premio,
banco.
Dito sobre dit, 90 d|v 103 / de premio.
Dito sobre o Rio de Janeiro, 15 d|T 3/ % de
deseonto.
Apolicei da divida public* geral, de 6 por cen-
to, 1:020*000 cada uma.
Ditas da divida provincial, de 7 / 860*000.
Accdes do Banco Commercial de Peiaambuco.
40*000 cada uma.
Ditas da estrada de ferro de Sao Francisco
136*000 cada uma.
Ditas da companbia de Beberibe, 71*000 cada
uma.
Deseonto de leltras 9 % e 10 /. ao anno.
Frete para os Estados-Unidos /U schs, sera
capa. '
Algodio da Parah>ba, l sorte, 7*330 por 13
kilos, posto a bordo, frete "A e 5 %.
Dito da dita, 1* sorte, 7*250 por 15 kilos, posto
a bordo, frete '/ e 5 %.
Dito do sertao 1' sc.rte, de 7*600 a 7*700 por
15 kilos.
Dito, 1*-sorte, 7*600 por 15 kilos.
Entraram 1,710 saccas por terra e mar.
Assuear bruto bom, de 1*960 a 1*980, por 13
kilos.
Entraram 8,629 saccoslpor terra e mar.
L Aguardente. Colaraos a 64*000, a pipa
Arroz. Seui chegada, vendas 2*500 por 13
kilos.
Azeite doce em caixas. Sem chegada, cotamos
a 10*000 a duzia.
Dito dito em barris. Sem chegada,.cotamos
a 2*800 o galao.
Alpiste. Sem chegada, cotamos a 1*600 por
Banna. Sem chegada, ultimas vendas de 938
reis a 1*089 o kilo.
Breu. Sem chegada, ultimas vendas 14*000
a barrica.
Batatas. Chegaram 14 caixas 115/> e 1,300
gigas, venda de gigas de 1*300 a 1*500.
Bacalbao. Chegaram 3,300 barricas, que estfo
sem preco ainila. Deposito muito pequeno.
Came. Chegaiam 353,397 kilos. Em depo-
sito 70,000 arrobas, do Rio Grande de 5*200 a
6*200 por 15 kilos, e 4,000 arnbas, da do Rio da
Prata, de 3*200 a 5*800 por 15 kilos.
Couros seccjs salgados. Chegaram 220, vendas
556 a 566 reis o kilo.
Cafe Chegaram 3,309 saccos-, vendas quali-
dade baixa 7*500 por 15 kilos, com deseonto ; e
2.' baixa a 7*800, liquido, 8*300 por 15 kilos,
com deseonto.
Canela.- Sem chegada. cotamos a 1*633 reis o
kilo.
Gmento.-Chfgaram 200 barrica?, cotamos a
10*000 a barrica.
v Cebolas. Chegaram 173 caixas. cotamos a
9*000.
Cha verde. Chegaram 68 caixas, vendas l$682
reis o kilo, confonue a qualidade.
Cerveja Bass^ Ihlers. Chegaram 30 caixas,
cotamos de 7*000 a 8*000.
Dita Noruega. Cotamos a 5*000 a duzia de
garrafa.
Cognac Sem chegada, cotamos de 9*000 a
20*0o0, conforme a qualidade.
Farinha de trigo. Chegaram 0,713 barricas
Em deposito 12,600 barricas, e retalha-se:
Hungria a 30*000.
Trieste de 28^000 a 29*000.
Baltimore de 21*000 a 22*300.
New-York de 19*000 a 20*000.
Saccos, do Chile, 9*500.
Farinha de mandioca. Sem chegada. Deposi-
ts 2,300 saccos, de 3*000 a 4*000, nominal.
Farello. Sem criegada, cotamos a 5*000 o
sacco.
Fumo em roles. Chegaram 76; vendas de 7*
a 10*000.
Dito em latas. Chegaram 148 e 60,, vendas
de 12j a 13*000.
Dito em caixas. Chegaram 20, vendas de 123
a 13*000.
Genebra de larania. Sem chezada, cotamos a
7*000.
Dita coromnm. Sem chegada, vendas a
4*000, a. caixa dc dusia.
Dita d-; Hollanla. Sem chegada, cotamos a
3*000.
Diu em botijas. Sam chegada, cotamos a 380
reis por botija.
Dita lanterna magica. Sem chegada, cotamos
a 4*300. .
Dita vida 't'erna. Sem chegada, cotamos
a 5*500.
Kerosene.Sem chegada, vendas a 5*600 a
Savto sahido no memo dia.
Rio Grande do Sol-Barca braaileira Norm*, ca
pitao J, A. Ctmpos, carga sal.
Obervacao.
Fundeou no lamarao a ma barga americana,
nio teve cominunicacao com a terra.
ED1TAES,
0 desembargador Francisco de Assis Oliveira Ma-
ciel, official da imperial ordem da Rosa, ejuia de
direito privattvo de orpbaos da cidate do Reci-
fe de Pernambuco e sea termo, por S. M. o la
perador, a quem Dens gaarde, etc
Face saber a quem o conhecimento do presente
cnegar, que por e.-te juizo e a requerimento de
v rancisco Luiz dos Santos se procedeu a justifica-
pao de prodigalidade contra sen fllho Manoel Luiz
dos Santos, e depois da prova testemuuhal, e pa-
recer do Dr. curador geral, subirara os aotos a mi-
nha coucluiao, nos quaes proferi a sentenca do
theor segmnte :
Vistos os documentos de fls. 3, a fls. II, e in-
quericao de ll*. 13 a fls. 16, que provam estar o
justificado Manoel Luiz dos Santos pralicando actos
de completa poodigalidade, o hei por incapaz de
adminislrar sua pessoa e bens, que llcarao sob a
adroinistracao de sea pai Francisco Luiz dos San-
tos, a quem nomeio curador.
O escrivao passe ediul para ser afflxado no lu-
gar do costume e publicado pela imprensa, e cus-
tas. Recife, 14 de setembro de 1874.Franeisco
de Assis Oliveira Haciel.
E para que nmguem faca negocio algum com o
precitado prodigo Manoel Luiz dos Santos, senao
por iutermedio de seu curador, com previa autori
sacao deste juizo, maodei passar o presente que
sera afflxado no lugar do costume e publicado pela
imprensa.
Dado e passado nesta ciJade do Recife de Per-
nambuco, aos 16 de setembro de 1874.
Eu, Manoel do Nascimento Ponies, escrivao, o
subscrevi.
Francisco de Assis Oliveira Mar.iel.
Recife, 16 de setembro de 1874.0 escrivao.
Manoel do Nascimento Pon es.
Aosello 300 rs.V. S. S. ex-causa.-Oliveira
Maciel.
A camara municipal desta cidade, pelo pre
sente convida todas as irmandades e proprietarios
qne teem tumnlos e oatacumbas no ceraiterio pu-
blics, a mandarem quanto antes limpa los e repa-
ra los, como se faz necessario a conservacSo, o
formoseamento e decencia do mesmo cemeterio.
Pago da camara municipal do Recife, 22
de setembro de 1874.
)l J do Rego e A Ibuquerqne,
Presideute.
F. Augusto da Costa,
_ ________ Secretari >.
0 Dr. Joaquim Gon^alves Lima, juiz dos
feitos da fazenda desta provincia, por
S. M. Imperial, a que Deus guarde,
etc.
Faco saber aos que o presente edital vi
rem que, em cumprimento da ordem do
thesouro de 30 de dezembro de 1865, e
ias in?truce,oes que com a mesma baixa-
ram, findo o prazo de tres mtzes a contar
Ja data da pubh'eac,ao deste, sera" vendido c
arrematado em ha?ta publica celebrada na
oomarca de Itambu, a quem maior preco
olYerecer, J vista ou a prazo ate 11 annos
quando muito com juros de 6;' ao anno
pelo tempo da demora a comprebensao de-
ouminada, Buraco doexlincto vinculo
de Itambii, sita naquella com'arca a qual se
acha avaliada em cinco contos de reis e
cont-im segundo a medic,ao a que se proce-
deu e coDsta dos autos a extensao seguinte :
do lado do leste 1,110 braeas, do lado do
norte 409 bra^ss, do lado do noroeste 682
bra^as do lado do poente ill bragas o do
lado do sul 681 braees, sendo todo o ter-
reno proprio para a cuitura de mandioca e
outros legumes e ficando certos osinteres-
sados de que, tanto por tanto sera" referido
o lan';o do posseiro respec'ivo, na confor-
rnidade da ordem do thesouro, n. 15 de 28
do Janeiro de 18T+.
Recife, I j de setembro do. 1874.Eu,
Jose Francisco do Rego Barros, escrivao, o
subscrevi.
57 dKo. 1 etpelno n. 1.
28 dita. 1 dito a. 2.
dito. 1 atom 3.
30 dito. 26 ditos pequeno* dos camarotes.
31 dite. 1 naeta n. 1.
32 dito. 1 diu n. 1
33 dito. Idita n.3.
34 dito. 1 dita n. 4.
35 diio. 1 diu oval o. 5.
36 dito. 6 baneoe da mesa da camara.
37 dito. 6 ditos de dita.
38 dito. 6 moxosde de assento de pal ha.
39 dito. 2 coromodas.
40 dito. 1 armario de vidracas.
41 dito. % gnarda-copos.
42 dito. 1 cadeira de braco.
43 dito. 10 bancos do eonves.
44 dito. Louca de mesa constante de pratos
chicaras, pires, pratos travessos a cobertos.
45 dito. Vidro de mesa constante de garrafas,
jsopos, caliees e compoteiras.
46 dito. Apparelhos de camarotts,eon8tando cada
nm de bacia, jarro, onrinol, eseova e saboneteira.
47 dito. BaMes de folha para despejo dos ca-
marotes.
48 dito. Trem de meal, constante de terrinas,
pratos cobertos, assucareiros, manteguiras, galhe-
teiras e palmatorias.
49 dito. Talheres de mesa, constantei de fanas
garfos, colheres de sopo e de cha.
50 dito. 86 colcbdes de eama dos camarotes com
sens travesseiros.
51 dito. 200 lengoe*.
52 dito. 80 cobertas de caina.
33 dito. 30 toalbas de mesa.
54 dito. 150 guardanapos.
55 dito. 100 toalbas de tnao.
56 dito. 362 fronbas.
57 dito. 1 panno de meza.
58 dito. Trem de cozinha, consume de ealdeiras,
cassarolas, panellas, etc
59 dito. 1 fogio e 1 caldeira porutel.
60 dito. 1 lote de resto de tjntas, oleo e outros
objectos de sobresalente do navio.
61 dito 1 virador de linbo de 4 pollegadas.
62 dito. 4 espias de couro.
63 dito. Uma porclo de cobre novo e velho.
64 dito. I guindaste volante.
63 dito. 2 sinos e 1 campa de meUl.
Cnjos objectos serio vendidot em lotes designa-
dos pela numeracio mencionada, a qoem mais
der, visto me ter assim requerido o commandante
do sobre dito vapor Guilherme Waddington, e que
o abandonon por innavegabilidade, e as companhias
de seguros delle nao quizerio tomar conta.
E para que chegue ao eonbecimento de todos os
pretendentes, mando que seja o presente publica-
do nos lngares do estylo, pela imprensa, Unto
desta cidade como da corte do Rio de Janeiro e da
provincia de Pernambuco, o que cumpra.
Babia, 15 de setembro de 1874.
E en. Ohrio Jose Rodrigaes Pimenta, escrivao,
que o snbscrevy.
__________Carlos de Cerqueira Pinio._____
Ro* do Socego ns. i, 10, II, 18, SO e 4.
Roa da Uniao n. 10.
Rtu do General Seara ns. 6 e 31.
29%s,^7M,39Lrr.,*iM-,'3'i9'15-87'
Becco de Joao Francisco n. 11.
Preguexia de Santo Antonio
Rua do Imperador n. 77, pavimento terreo, e n.
79, soUo do 3* andar.
Rua do Marquez do Hertal n. 52.
Freguexia de S. Jose.
Hua oe Vidal de Negreiroj ns. 139 e 141.
Fregoeaa de S. Frei Pedro Goncalvei do
_ Hecife.
Roa do Brnm a. 88, 3 andar.
Recife, 28 dc~ setembro 1e 1874.
0 gerente,
J. Dowley Junior.
_.7 r ,a"'e,natocao do proprio nacional, dencmi-
nado Calabouco, sito a rna do mesmo norae, que
foi annunciada para o dia 26 do corrente met foi
adiada para o dia 3 de ootubre proximo vindouro.
por nao terem apparecido concurrentes
o que se declara para eonbecimento
teressar.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 28 de setembro de 18740 2 escriptti-
rano, serrindo de aecreUrio,
_____________Carlos J. de Sonta Correia.
a mesma,
de quem in-
^ANTA CASA DA MISER1CORDU DO
RECIFE.
A Hlma juau admimstrativa da Sanu Casa da
Misericordia do Recife, nunda fazer pubiieo one
Qajsalade suas sessfles, o dia 24 de setembro, pe-
;as 3 horas da tarde, tem de ser arremaudaTa
(piem mais vanugens offerecer, pelo tempo de nm
decUradoa108' ****** d* pniiot em 8eguid*
ESTABELEaMENTO DE CARIDADE.
Rna do Padre Floriano
Casa terrea n. 63......207*000
Rua das Calcadas
Caia terrea n. 30(fechada). ,
Idem n. 36 .
Vidal de Negreiros.
114.....
200*000
221*000
362*000
301*006
310*000
408*000
251*000
99*000
96*000
386*000
400*000
Edital n. 56.
Pela inspectoria da alfandega se faz pubiieo qne
de conformidade com a porUria da thesouraria de
fazenda sob n. 536, serie H, de II do corrente mez,
se hao de arremaur as II horas da manha* do dia
29 do corrente, no trapiche desu repartigao, dous
escaleres pertencentes ao servico da guardamoria,
que se acliam inmihsados para o mesmo servico.
Alfandega de Pernambuco, 26 de setem-
bro de 1871.
0 inspector,
Fabio A. de C. Reis
DECLARaSOES.
.ata.
Louea ordinaria.S?m chegada, cotamos a 380-
por cento.
Diu tina. Sem chegada, cotamos a 280 por
-ento.
Milho. Sem chegada, vendas 70 reis o kilo.
Manteiga ingleza em !aUs. Sem chegada,
ultimas vendas 2*390 r-iis o kilo.
Dita ingleza em barns. Chegaram 1,052, e
1,333'., ultimas vendas 1*033 reis o kilo.
Dita franceza. Vendas a 1*677 o kilo.
Massas. Chegaram 350 caixas, cotamos a
7*500 [per caixa.
Pimenta.- Chegaram 30 saccos, a 1*002 reis
o kilo.
Papel de embrulho.- Chegaram 212 fardos,
:-jUmos de 00O a 1 ;0i>l.
Pbosphoros. Sem chegada, a 2*600.
Oueijos ilamengos e prato. Chegaram 344
caixas, e retalba-se os Ilamengos de 2i400 a
Peracte a camara municipal ua villa de Ja-
boatao, esiarao em praja publica nos dias 16, 23
e 30 do correate mez para serem arrematados
per tempo de um anno, os imposes de
. coquet-
ros, a razao de 80 rs. por cada pe de producrio
exceptna- do se 10 pes para o uso do proprieta-
ry, e avaliados por 1:200* ; de afeiicao por
I.-200A obrigando-;e o arrematante a aferir os
pesos e medidas pertencentes a mesma camara,
sem indemnisacao alguma ; de 300 rs. por cafee-
ca de gado vaccum, por 300i ; de mascates e
boceteiras, por 100* ; de 200 rs. por cabeca de
gado suino, cvelhum e cabrnm, por 120*.
Os pretendente deverao comparecer com sens
fiadores, habilitados da forma da lei.
Paeo da camara municipal da villa de Santo
Amaro de Jaboatao, 9 de setembro de 1874.
Antonio de Sa e Albuquerque,
Pro-oresidente.
Miguel Germano dos Santos Pereira de Basto,
Secretario.
Sociedade Propagadora da
Instruc^ao Publica
Nao se tendo real sado a reuniao da assemblea
geral no dia 30 de agosto findo por falta de nurae
ro, sao novamente convidados todos os socios a
comparecerem no oia 1 de outubro proximo vinj
douro, pelas 6 horas da Urde. na rua te Pedrt
Alfonso n. 29 (escola normal), afim de con %tuid
a assemblea geral com o nuraero que se aprosen-
tar, ouvir ella e reviver sobre o seguinte :
Approyacao da acta da ultima assemblea.
Exposi^ao do movimento da sociedade durante
o corrente anno social, pelo presidente do coae-
lho superior.
Leitura e approvagSo da9 contas do mesmo con-
selho.
Pareccr da corimissao nomeada para indkar a
refo.ma de qne precisam alguns artisos do3 e^'a-
tutos.
Eleicao do novo conselho.
Secretaria da sociedade PropagadoM la 'n3-
trac^ao Publica, 18 de setembro de 1875
V. de M. Mello,
2 secretario.
Casa terrea n.
Idem n. 94.
Rna larga do Rosario.
f andar e loia a 24 A. .
J. andar n. 24 A.. 408*000
i.- andar n. 24 A. .-
Rua de Antonio Henriqnes.
'asa terrea n. 26......
Largo da Campioa.
Idem n 11 (fecbada)......
Rua do Coronel Suassuna
1* andar do srbrado numero 94 .
PATR1MONIO DOSORPHAOS.
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada).....
Becco das Boias.
Casa terrea n. 18.......421*0O(
Rna da Lapa.
Casaterrean.il.......202*000
Rua do Amorim.
sobrado de 2 andares n. 23 602,i>000
Casa terrea n. 34......; 2*000
Ruar do Bugos.
Casa terrea n. 21. 153*000
Rua do Vigario.
^ andar do 9obrado n. 27 243*000
I* andar do mesmo......240*000
Loja do mesmo.......300*000
Rna do Encanumento.
Sobrado de 2 andares n. 13 (fecbada).
Rua da Senzalia velha
Idem n. 16.......
Rna da Guia.
Casa terrea n. 25 .
idem n. 29.......
Rua da Crni.
Sobrado de 2 andaresn. 12 (fecbada).
Idem n. 14.........
Rua de S. Jorge
Casa terrea n. 100 (fecbada) .
Idem n. 103 .
, Rna do Ampare )01inda)
La?a tercean. 18 (fecbada). 240*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as suas flancas, on comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores, devendc
pagar alem da renda, o premio da qnantia em
que for seguro o predio que contiver estabeleci-
mento commercial, assim como o servico da lim
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da Sanu Casa dalMisericordia do R
cife, 17 de sstembro de 1874.
0 escrivao,
_ Pedro Rodriguez de Souza,
D, CORRE2IO
RelacJo das cartas que deixaram de seguir
para Hespanha, Portugal e Buenos-Ayres
por falta de franquta
,u^^Joaqiail?aoA'VMd6Brito Antonla Ma-
ria aa ennna, A J. Gomes Netto, Antonio Francis
co Ferreira, Antonio Francisco de Oliveira, Anto-
nio Joaquim Dias Medronho, Antonio Jos6 da Cruz,
Antonio Montetro dos Santos, Antonio Rodrigaes
Martins, Antonio Ribeiro, Bernardo de Faria Soa-
res, Domingos Jose da Cosu Aranjo, Ernesto Ma-
ae,^.Pinto'Fra.Dci*coFernndes Crnz, Francisco
da Silva Lnna Junior, Francisco Sales Mendonca
Suva Carvalho, Francisco Martins Rodrigues da
Conceipao, Henrique Pinto Alves, Joanna Diai de
Oliveira, Justina Rosa de Souza Peixoto, James W
Hall, Giovanno Cestaro Cetudino italiano, Joaquim
Antonio de Vasconcellos, Joaquim Jos6 Gomes da
Silva, loao Jose Paixao de Vasconcellos, Joaquim
Moottiro da Cruz, Joaquim da Silva Maia, Juan
Urilo Olavarria, Joao de Mello, Jose de Figueiredo,
Jose Gonpalves Martins, Jose Joaquim Correia, Jos6
Joaquim da Silva, Jose" Pereira de Lima, Jote Mar
ques de Freltas, Josd Rodrigues Ferroso, Jose da
Silva Matta, Luiza Diegues, Leacoch & C, Luiz
Tnom6 Gonzaga Juoior, Maria Amelia da Silva,
Maria Custodia Gomes, Maria Eugenia Feteiras,
Maria Ferreira, Maria Gutlerres, Maria Ricarda,
Maria Ro Gomes Leite, Maria da Silva Raraalho, Manoel Aa
caray, Manoel Coelho, Manoel Fernanles Monleiro,
Manoel Ferreira de Moraes (2), Manoel Jos6 dos
Santos, R. Knowles 4 C, Raymundo Fernandes,
Serzedello 4 C, Theodorinha Feteiras, Thereza
Balga Martins, Thereza de Jesus Menhara, There-
za Martins Torres. Themoteo Copella (2), Thomaz
Jose de Oliveira, Trajano Luiz de Franca, Victori
no de Almeida Rebello.
Correio de Pernambuco, 26 de setembro
de 1874. 0 official,
A. If. de Araujo Pernambuco.
fica transferido para o dia 2 de outubro, na casa
de penhores a travesaa da rua Duque de Caxias
n. 2, as 11 horas da manhi.
Agente Pestana
leilao
armaco, genems
to afreguezada
Rangel n. 39
DA
e mais utensilios da mui-
taverna, sita & rua do
Hoje
a%0 11 horaa cm pont*.
0 preposto do agente PesUua fara leilio, por
conta e risco de quem pertencer, da arroacio, ge-
neros e mais utensi'ios da muito afreguezada U-
verna sita a rua do Rangel n. L'f>, em um ou mais
lotes, a vontade dos Srs. compradores. 0mesm>
preposto avisa aos Srs. compradores que o balan-
ce acba-se era seu poder para ;s Srs. concurrentes
examinarem.
Santo Antonio
HOJE
Terqa-feira 29 do corrente.
EsCrea da 'coiupaiihia
ITA LIANA
LEILAO
DE
moveis, louca e crystaes
A SABER:
Um piano forte, 1 mobilia de jacaranda, 1 3ofa,
I jardineira, 2 consolos, 2 cadeiras de bracos e
12 de guarnigio, 1 secretaria, 2 cadeiras de balan-
ce, 3 espelhos, 8 quadras, 1 candelabra, 2 sernen-
tinas, 4 figuras, 4 jarros, tapetes e escarradeiras.
Uma cama de jacaranda, franceza, 1 commoda
de jacaranda, 1 lavatorio, 1 toilette, 1 mesa de a-
caranda, 2 guarda-vestidos de mogno, 1 guarda-
roupa, I marquezio, 1 maquina de costura, 1 fci-
noclo, 163 visus e 4 venezianas.
Uma mesa elastica, 1 guarda-louga, 2 apara-
dores, 1 sofa, 2 consolos, 12 cadeiras, 1 quarti-
nheira, 1 lavatorio, 1 relogio de parede, parcelat-1
para cha e jantar, garrafas, copes, caliees, comp .-
teiras, candieiros a gaz, 2 jarras e I Ucho.
Uma taboa de engommar, 3 mesas, 2 cadeira= 2
grades, 1 maquina para cafe e -indres.
DE
1:400*000
209*000
209*00.
201*000
800*000
600*000
241*000
207*000
Federico Boldrinc
Com o sublime drama em I prologo e 3 actos
JOCELIN
ou
0 marinheiro da Marlinica
papel osta a
Enrico Dominice.
0 principal
actor
cargo do primeiro
iVISOS MARITIMOJ
ft PlIRTft.
L
0 brigue portaguez Triumplw, pretende seguir
com mnita brevidade : para carga e passageiros
trata-se com os consignatarios Thomaz de Aquino
Fonceca 4 C, snecessores. rua do Vigario n. 19
No sobrado da rua da Imperatriz n. 10.
Joaquim Baptista Nogueira. *endo de eflectuir
?ua viagem a Europa, fara leiiao, por intervencio
do agente Pinto, dos moveis e mais objectos de sua
casa de re?idencia, a rua da Imperatriz n. !(-.
sendo que ditos moveis se acham em bom esUdo,
por ter sido monuda dita casa ha ponco tempo,
e ser sui familia composta de foucas pessoas.
_______0 leilao orincipiara as 10 l|2 horas.
LEILAO
DE
uma grrnde casa terrea, segunda ao la_o
esquerdo do aljobe em Olinda, era chaO
proprio, com ~1 salas, i quartos, cozinba,
um grande quintal, cacimba e agua en-
canada
HOJE
A's 1 1 horas da raanha
Nc- escriptorio, i rua do Bom Jesus n. 53,
primeiro andar.
0 agente Pinho Barges, bastanteautorisado, ven-
dera em leilao a refenda casa. Os pretenden:e?
podem desde ja e-arninar, e algum esclarecime:'
no escriptorio do mesmo agente.
fnstiiolo Arclieolngico e Gergra-
pliico fernambiicanii.
Ilaveri sessao ordinaria quinta-i'eira, 1
de ouiubro proximo, pelas 11 horas da ma-
il ha.
ORDEM DO DIA.
1. tjuestfiesadiadas.
2. Paroceres
co-
is
caixas, cotamos a
11*000
2*500 o queijo, e do prato retalha-ss de 13307 a
J*324 reis o kilo.
Sal. Chegaram 800 aloueires, vendas a UiOO
a alqueire.
Sabao inglez ordinario. Sem chegada,
tamos a 280 reis o kilo.
Dito da terra. Vendas, de 320 a 360 reis o
iilo.
Sardinhas. Chegaram 'iO
280 reis a lau.
Toucinho. Sem chegada, cotamos a
por 15 kilo?, procurado.
Velas stearinas. Sem chegada, ultimas vendas
d20 reis o maco.
Vinagre. Sem chegada ultimas vendas de
125*000 a $5*000.
Vinho tinlo da Figueira. Sem chegada, ul'imas
vendas de 213*000 a 230*000.
Dito de Lisboa. Sem chegada, ultimas vendas
de 200*000 a 210*000.
,.!?it?,Jran('ez- Sem chegada, retalba-se a
210*000 a pipa.
Dito branco francez. Sem chegada, Sette de
conta do retalhador.
Dito branco de Lisboa. Sem
vendas de 230*000 a 240*000.
Dito do Estreito. Sem chegada, retalha-sa
Dito do Porto. Chegaram 120
mos a 9*:J00 a caixa.
Edital n. 55.
ispectoria da alfandega se faz pubiieo que
as da manhi da dia 3 de outubro vindou-
reparti?ao, se ba de arrematar,
Pela iaspe
is 11 hor
ro, a port;, desu
livre de direitos e sujeitos ao imposto da capata-
chegada, ultimas
zia, 100 kilos de estopa com avaria de cupim.
parte dos fardo3 de marcas S B B contra-marca P
n. .70, e diamante A B no centra n. 7, vindos de
Liverpool no vapor ioglez Violet, entrado em 3 de
Janeiro proximo passado, consignados a Simpson
li C, no valor de 280*, aflra de fazer-se indemni-
saeao nos termos do 1 do artigo 293 do regula-
mento das alfandegas, combinado com o artigo 12
do decreto de 31 de dezembro de 1863.
Alfandega de Pernambuco, 21 de setembro
de 1874.
0 inspector,
Fabio A. de Carisallio Reis.
e mais trabalhos de om-
raissoes. ,
3. Palestra litteraria.
Secretaria do Inslituto, 28 de setembro
de1874.
I. SOARES D'A/EVEDO.
________Secretarioflperpetuo.
caixas, cota-
I.
MOVIMENTO 00 PORTO.
Navios entrados no dia 26.
.New-York77 dias, patacho inglez Bonita, de 1j7
toneiadas, capitao R. Le Galleis, equipagem 8
carga 2410s barricas com farinha de trico : a'
Matheus AutinAC.
Navios entrados no dia 17.
'JraDja e portos intcrraedios9 dias, vapor nacio-
nal Jpojuca, de 360 toneiadas, commandante
Moura. equipagem 30,lcarga diii'erentes generos ;
a companbia pernambucana.
Navio sahido no mesmo dia.
Portos do norte-Vapor brasifeiro Bahia, comman-
dante Aareliano Isac, carga varios generos.
Sahia e portos intermediosVapor nacional Mar-
quez de Caxias, commandante Santos, carga,
varios generos.
Navios entrados no dia 28.
^isboa-38 dias, brigue portuguez Bella Figueiren-
se.de 289 toneiadas, capitao Hilario Zachanas
Rodrigues, epuinagem 14, carga dirlerentea go-
aeros j a E. R. fiaballo id 8
^nlt.7,.8 diaVs5n > Branca, de
138 toneiadas, capitao W. Roberts, equipagem 8,
carga 1980 barrios com bacalhao ; a launders
^^itfomffrs ti. c.
0 Dr. Carlos de Cerqueira Pinto, official da impe-
rial ordem da Rcsa, cavalheiro da de Christo
e juiz de direito especial do commercio, neta
leal e valorosa cidade de S. Salvador Bahi dea
Todos os Santos e seu termo, por sua magesta-
de imperial o constitncional o Sr. D. Pedro II
quem Deus guarde, etc.
Fa go saber que no dia 8 do vindouro outubro,
as 11 boras da manna, a bordo do vapor nacional
Cruzeiro do Sul, fnndeado na ribeira de Itapagi-
pe, tem de ser vendido era leilao, pelo agente de
leiloes Luiz Zuany, o mesmo vapor e suas perten-
I- avaliado em sessenta contos dereis pelos pe-
Luzo-Brasileira.
A directoria desta assoeiacao participa a todos
os asscciados, aos BIbo3 destes e mais interessados
qne se matricularam n'aula de francez que ho e
as 8 horas, prin.'ipiarao os trabalhos desta aul'a
regida pelo consocio Dr. Lopes Lima.
A directoria espera nio so o comparecimento
aos ma'riculados, como tambem de todos aauel!e=
associados que a desejarem frequenlar.
A aula de lnsirurcao primaria principiara na
segunda feira.
Os socios podem freqa3ntar qualquer da3 aulas
independente de matricula previa, basta compare-
cer e mscreverera-se nolivro que Hies for apresea
lado.
Conipanhia Fidelidade
seajtiros maritimos e terrestres
A agencia desta companhia toma seguros ma-
niims e terrestres, a premios razoaveis, dando
oos ultimc-s o solo livre, e o setimo anno gratuito
ao segurado.
D.ua do Viseooda de Itaparica, antiga do Appolo
n. 51.
Feliciano Jose Gomes,
Agente.
FUJSDICAO
DE *
0. Starr & C.
Sao convidados os Srs. devedores a vir
satisfazer seus debitos, provenientes de let-
Iras e contas vencidas ; sendo que n3o o fa-
zendo ati o dia 30 de outubro proximo vin-
douro, serSo vendidas em leilao. PoderSo
comparecer ou mandar ao escriptorio da
r'undigSo ou do testamenteiro H. J. Cannan,
rua do Commercio n. 40.
Libras esterlioas.
Vendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
_______Hua do Commercio n. 42.
COMPASflJA PERiNAMBLCixNA
DE
lavesacao coateira a vapor.
Maceio, escalas, Penedo e Aracaju*.
0 vapor Jaguaribe, com-
mandante Julio, segui-
ra para os portos acima
no dia 30 do corrente, as
o horas da tarde.
Recebe carga ate" o dia
20, encommendas, passa-
e disheiro a frete ate" as 2 horas do
sahida : escriptorio no Forte do Mat'os
LEILAO
geiros
dia da
a. 12.
DE
moveis, loaoas, vidros e mais artigos
QUARTA-FEIRA 30 DO CORRENTE
as 11 h >rasda manha
A SABER:
Uma mobilia de l'aia. composta del'cadeiiis
de guarni;ao, 2 d:!is di braces, 1 sofa, 2 consol;-.
tampos de pedra, 1 mesa re'donda de amarelio, ti
cadeiras de guarnicai. 2 ditas de bracos, 2 con-
solos, 2 mesas de pinh..>, I lavatorio epertengas,
2 espelhos com molduras dourada?, 2 arandel.-.s
a gaz, i cama franceza, louca de porcelana. trc-i
de cozinha, 2 jarros, i lanternas, 1 candieiro a
gaz e outro3 muitos artigos que se acharao patea-
tes no acto do leilao.
0 agente Pinho Barges, autorisado pelo Sr. ] -
quim Moieira Dias, levara aleifio os refendes c. ?-
veis, no sobrado n. 3 j, a rua do Rangel.
Ao pubiieo.
sas
ritoa que procederam as vistorias, sendo o dito
elilao em 63 lotes, os quaes sao :
I.* lote eo seu casco com todo* os seus mas
tros, gurnp^s, vergas, paos de carga d ensarcias,
cabos, macbinas de vapor, i Unques de ferro para
gSaa'^? {erro ?.ama cofentede 00 bracas
3." dito. 1 machina de vapor, chamada gurrien
de forca de qua.ro cavallo, que serve pK
Oai L,a. jf
3.* dito. 1 bote n. 1.
4. dito. 1 dito n. 2.
o.' dito. 1 dito n. 3.
(>.* dito. 1 dito n. 4.
7. dito. t dito n. 5. Salvavidas.
8.* dito. 1 ferro grande de 14 quintae*
9.* dito. 1 dito de 12 ditos.
10. dito. 2 ancarotes.
11. dito. 1 araarra de fiO bracas.
12 dito. 1 dita de 45 diUs.
13 dito. Pannos consumes de 1 latino, 1 traauc-
te, 1 velacbo e 2 velas de proa.
14 dito. 6 toidos de lomna.
15 dito. Puliame do servigo do navio, constante
de cadernaes, moitoes e cabos de talba.
16 dito. 20 remos e sua palaaienU do
dos boles.
17 dito. 80 toneiadas de carvio de cardin.
18 dito. 3 biuculas com suas agulbas.
19 dito. 1 relogio da camara.
20 dito. 0 barametro.
21 dito. 3 lampeoes da camara.
22 dito. S lanternas e pbaroes.
S3 dito. 3 pbroes de roda e siastro.
24 dito. IS baldes.
25 dito. 1 bomba de incendio
cai.
20 dito. i aparador com espelho.
servico
com suas perten-
A mesa regedora da irmandade das Al-
mas, erecta na matrizdo Corpo Santo, faz
sciente aos devotos do filorioso S. Miguel
que no dia 29 do corrente, dia do mesmo
excelso padroeiro, esta* a dita igreja deco-
rada, a imagem exposta aos lieis e d noite
ter a uma ladaioba com musica.
Recife, 26 de setembro de 1874.
0 escrivao da irmandade,
Joaquim C. Hollanda Albuquerque.
Santa Casa de Misericordia
da Recife.
A IiJma. junta administrativa comma com quem
por raenos tizer os concertos de que precisa o so-
brado n. 94 da rua do Coronel Suassuna, outr'ora
de Horlas, pertencente aos esubelecimentos de ca-
ridade.
Os pretendentes poderaO saber nesu secretaria
quaes os concertos a effectuar, e deverao 3presen-
ur suas proposus em ca-tas fechadas devidamen-
te selladas, na sala das sessoes da mesma junta
pelas 3 horas da tarde do dia de ontubro vin-
douro. ,
Secretaria da SanU Casa de Misericordia do Ra>
eife, 28 de setembro de 1874.
0 escrivao,
Podro Rodngues de Souza
^ COMPANHIA '
Recife Drainage.
Acham se promptos para funcclonar os appare-
lhos que foram collocados nos predlos abalxo de-'
claradoa. Os senhores propcieUrios so deverio
delles tazeruso depois que receberem um cartlo'
da companhia que os autorlse para isso.
Freguezu da Boa-Visu.
Rua da Aurora n. 3.
4nnazens da companhia per
nambucana.
Seguros contra o fogo
A companhia pernambucana, disponao de ex
seilentes e vastos armaens em seu predio ao for
te do Mattos, offerece-os ao commercio em geral
para deposito de generos, garantindo a maior con-
servaeao das mercadorias depositadas, service
prompto, precos modicos, etc.
ambem recolhera, mediante previo accordo, ex-
clusivamente os generos de uma so pessfia.
_E?tes armazens, alem de areiados e oommodos
sao inteiramente novos e aspbaludos1, isentos d*
Jupim, ratos, etc., etc.
As pessoas gue quizerem utilisar-se destes ar-
aiazens, pederao dirigir-se ao escriptorio da com-
panhia pernambucana, qua acharao com quen
iratar.
Almeida Garret
Conamandante Tonaasini
E' esperado de Por-
tugal ate 30 do cor-
rente, tamrem, depois
de pouca demora den-
tro deste porto, se-
guira para a Bahia
Rio de Janeiro.
Passagens e frates de eargas, encommendas e
valores, tratam-se com os
AGENTES
E. R. Rabello 17Rua do Commercio 17
Entrada pelo largo 'do Pelourinbo.
Ilha de S. Miguel
*egue com brev.dade para S. Miguel o pallia-
bote portuguez Novo S. Lourenco, para onde rece-
be carga e passageiros : trata-se com o cousin-
natanos Thomaz de Aquino Fonceca A C Succee-
sorcs, ma do Vigario n. 19, 1* andar.
No dia 28 do corrente tem de ser arremata-
dos pelo juizo de paz de S. Jose, diversos moveis
pertencentes a Januario Jose Ferreira, a requeri-
mento de Joao Gomes da Costa, as 4 horas da
Urde.
*4^iv
w.!PS
Perante a camara municipal desta cidade
estarao empraca nos dias 23, 24, 25, 26, 28, 29 e
so do corrente para serem arremaudos por quem
maior preco offerecer, o segmnte :
Os alogueis das casas da praca da Independen-
ce, mas de Joao do Rego, Riachnello e Imperial:
os pretendentes a ues arrematacoes habilitem-se
na lorma da lei.
Paco da camara municipal do Recife, 22
da setembro de 1874.
./. J. do Rego Albuquerque,
Presidents
Francisco Augusto da Costa,
Secretario.
Pela recebedoria de rendas se declara ao
sontribuintes do imposto sobre industries e pro-
dssoes que 6 no corrente mez e no de outubro
vindouro que devem vir pagar o primeiro se-
mestre pertencente ao exercicio de 1874 a 1873
incorrendo na multa de 6 > todos aqueltes con-
tribuintes que flzerem depois do mesmo prazo.
Recebedoria de Pernambncor !. de setembro
de 1874.
Servmdo de admmistrador,
Jose Felippe Nery da Silva.
Companhia de navegaeao a va-
por bahiana, liniitada
Maceid, Penedo, Aracajti e Babia.
E' esperado dos portos
do sul ate" o dia 4 de ou-
tobro o vapor Goncalvcs
Martins, o qual seguira
Sara os portos acima no
ia seguinte ao de sua
chegada.
JEnUkmt1*1 encomraeDda3 P^^ageiros e di-
. Agente
Antonio Luiz de Oliveira Aievedo.
_________37-Rua do Bora Jesus37
Rio de Janeiro
Brigue nacional S. Paulo
Sahira com brevidade : para carga e escravos a
frele, trata-se na rqa do Vigario n. 7.
lino de S. Miguel.
Com mnita brevidade segue para S. Miguel o
conhecido paihabote portuguez Novo S. Lourenco
Para o resto da carga e passageiros trata-se com
os consignatarios Thomaz de Aquino Phceca &
C. snecessores a ma do Vigario n. 19.
COMPANHIA MSBSS3
DE
NAVEGACAOAVAPOR
Feira Economica
Rua do Rosario estreita n. 4S
Qnnrta-fcira .'S do corrente
A'S 11 HORAS DA MANHI
pelo agente Marlins.
Espelhos grand:?, toncadorc, aparadores, a-
mas franceza?, marqaeioes, pian-, meias commj-
da3, consolos com pedra?, mesas, cadeiras, uma
mobilia e diversos arligos de madeira, louca e o-
dros para uso domojtka o jardim.
Leiiao
i- -, DAS
dividas da masse iallida de .loao Francis i
Bittencourt, na importancia de.......
->:0045J2:}0
QUWTA.PE1RA IDE OUTUBRO
Ao .iieio dia
0 agente Pinto, levara novamente a leilao e D'.a
ultima vez, as dividas acima ditas, sendo que aha
venda sera realisada com quem melhores vanti-
gens offerecer, em vlrtade do despacho do lilrj.
Sr. Dr. juiz de direit!) especial do commercio.
Leilao
DAS
dividas da massa Iallida de Joao Ferreira da
Costa Soares, na importancia de.....
U8:527^374
QUINTA-FEIRA 1 DE OUTUBRO
Ao nceio dia.
0 agente Pinto, lavara novamente a leilao ep..;*
ultima vez, as dividas aeima mencionadas, sendo
que dita venda sera {ffectuada naquella occasiii
com quem melhores vantagens offerecer, em vir-
tudf do despacho do Illm. Sr. Dr. juiz de direito
especial do commsreio.
Feira Semanal
Pelo thesouro
Rua^do Visconde de Albuquerque na. 109 m
US, 26 e 189. '
ismmVS!*810 Pir6S n!"87,9,> 93, m'm>
Rua deS. Gonjalo n. 2.
Rua do Barao de S. Borjas n. si.
provincial se faz pubiieo para
queminteressar pnssa, que foram traaiferidas pa-
[ra o dia 8 do mez proximo vindouro aa arreraau-
Q5es segmntes :
Obra da bomba do Fragoso, na estrada do norte,
orcada em 840*027 ; obra da ponte do Mo<5s sobre
onoTapacura, orcada em 1:485/ ; o imposto de
capim consumido na cidade do Recife, orcado em
1:9394460, e fornecimento da liwwolatao dos
presoB pobres da casa de detencao.
Secrejaria do thesouro provincial de Pernambu-
co. J6 de setembro de 1874.o secretario
7 Miguel Affonao Ferreira. '
Commandante Quadros Junior
E' esperado dos portos do norte
ate o dia 29 do corrente e se-
guira para os do sul depois
da cemora do costume.
Para carga, encommendas, valores e passaaens
trata-se no escriptorio '
7-RUA DO VIGARIO-7
Pereira VUnna & C.
jj^
LEILOES,
Leilao transferido
0 que se bavia annunciado para o dia 16 do
corren^, para commoaidade dos Srs. rautuarios, I
mobilias eompletas, pianos
de armario, guarda louca,
aparadores, mesas para
jantar, camas francezas,
objectos de ouro, prata e
brilhante, jarros para flo-
res, quadros com finasgra-
vuras, livros de direito,
bercos para crian^as, relo-
giosdealgibeira deouroe
prata, camas de ferro, me-
sas redondas, com pedra,
carteiras para escriptorio,
espelhos grandes com mol-
4.4
^
-
r
V
.

/
4*
iMH



\
Diario de Pemambuoo Terca feira 29 de Setembro de 1874.
duras douradas, lavato-
rios, quartinheiras, casaes
de ratos, sabios indianos,
muitos [trastes avulsos e
immensos artigos do uso
domestico
Oiiiniii-IVira k oiiliiiiro
A's 11 horas da manna"
NA
PEIRA SEMANAL
16ftua do linperador-16
ARMAZEM
pelo agente Martins.
crmde iminm m mas Ait pe-
nu\m proximo futuro
Rua do Cabuga 2V". 5.
Os propriel.-rios desta aniigs loja do jnfa?, resdvcndo-so il.fi:.i:i-
TamrnUt hrpridar u son onHielcuiim nlo ; uii.Jom para acabnr to.!,->s
* sums joi d'oyr<, pr.v.a u uriliiai.t. s. com .enoruie ebaiimeiito nos
prfV'os, asslw como as encommendas ja" feiUs. que forem chegando da
Europa, polos precos da factura.
Ultimo leilao
DAS
dividas da roassa fallida de Joaquim Fer-
reira Lobo, na importancia de 3:1579936,
servindo de base a raaior offerta de......
IO0900O.
Quinta-feira 31 do corrente
Ao meio dia
O agente Pinto levara novamente a pela ultima
vez a leilao as dividas acima ditas, sendo que dita
venda sera effectaada naqoella apeasiao com qaem
melhores vantageus offerecer, isto em virtade do
despacho de film. Sr. Dr. juiz de direito especial
do commercio. _______.
Agente Pestana
leilao
DE
Miude/as, perfutaarias, iroveis, ouro, pre-
ta e brilhantes
QUARTA-FEIRA 30 DO CORRENTE
a* 11 horas em ponto
No armazem de agenda de leildes da rua
do Vigario Thenorio n. 11.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
:onta e risco de qnem pertencer, de chapeos
para senhorw, ditos para meninos, trancas para
vestidos, en'eites, tinteiros magicos, brincos de
plaquet, latoes, leques de sandalo, pecas de seda
para vestidos, lavas de pellica brancas e pretas,
ciganos e muitos ontros artigos relativos a miu-
dezas, pianos de arraario e mesa, mobilia de jaca-
randa e janco, mesas elasticas, sofas avulsos, pa-
res de espelhos grande3 e pequenos, carteiras, se-
oretaiias, cofres de ferro e muitos outros artigos
pertencentesa moveis asados e novos.
Tambem na mesma occasiao vendera uma fac-
tura de ouro de uma loja. cujo dono faglo, e ven-
dera por mandado dos eredores as joias abaixo
declaradas: pares de brincos, voltas, cacoletas,
pares de botd~es, anneis de brilbantes, ditos em pe-
dra, ditos decabello e com letra, aderecos, pnlsei-
ras, gaarnifoes para camisas, e mnitos ontros
artigos relativos a ouro, prata e brilhantes, que
se torna enfadonho meneiona-los.
DoM
Grande Liquid;^*,
Admlnlitraciei fAKIZ, IS, bouicwn Mootmartre.
.P**-ntUt.-A*tfUl lymplmllc.., lont
aY'M.'nt;'vti. ebatrnccoVl d flfc-.do.'do ba.-o,
I bumtiiiCue. vlnee.ac, roncrt tf.-, cukulo.a. .Ik bile?
m,!^".^" 7 A"'c-6" dlgctlTM. tacrm-
CElf STIRS. Affer50cs .lo vim, da bcsl-a.arofai.
-.u^.'J'""""'""''*'"*' ** -fflta-^S
[ -^T-'V *WWNwrln, d. bexlga,are/a*.
concre50, d.s onrlna., goi^ dlabetea, .ib^iinurlB:
EXIGA-SE .
o ROME da FOEKTB ha CAPSULA
useo ae Joias
Rua do Cabuga n. 4
Neste importante estabelecimento, vende se para acabar ate feve-
reiro proximo futuro todas as joias de ouro, prata e brilbates alii
existentes, por precos ate" hoje desconhecidos, bem assim at remessas
que forem chegando da Europa, pelo preco das facturas.
GRANDE LIQUIDACAO
TOLENTINO DE CARVALHO
Rua do Cabuga n. 1 c
Tendo resolvido liquidar o seu estabecimento de joias, declara
que desta data era dia&te os seus precos serflo extraordinariamente
redozido, como nao poderd haver competencia.
Grande Liijuidacao
0 COLLAR DOURO
Rua do Cabuga n. 3 A.
Os donos desta grande loja de joias,'resolvendo-se a liq-iidar o seu
estabelecimento ate principio do anno proximo futuro, vendem com
grande abatimento do precos todas as suas joias de ouro, prata e bri-
lhante como tambem as que for rccebendo da Europa, pelo preco
da fabrica.
A,*nted Vichy. dmnome*lM,chIo-i8:
RETALHA-SE
Na botica franceza n. 22
Boa do Bom Jesus
ODILON -DUARTE & IRMAO
oSBELLEIREIROS
Preniia<]o>J na exposirao
Grande Liquidaqao
Manoel Antonio Goncalves
3.
LEILAO
DE
fazendas e chapeos
(Em continuacjio e por liquidajao)
A saber :
Chapeos a Cavonr, de palua, de merino, de clina
de seda, de castor e la.
Chales de merino, de seda, de la, de metim, de
ganga e casemira.
Lencos de cassa, deseda, de chits, de gaDga e
cambraia.
Merino preto e de cores.
Casemira preta e de cores.
Gravatas de diversas qualidades.
Chapeos de sol de alpaca
39 pecas de mussulina branca.
100 dius de cambraia bispo.
20 ditas de gr ana dine de cures.
10 ditas de atoalhado cm.
4 ditas de atoalhado de linho ibraraante).
;t0 ditas de damasco de cores.
ii ditas de dito de la.
13 ditas de dito de setim.
20 ditas de filo preto francez.
120 ditas de panno para colchio.
100 dftas de mussulinas abertas.
10 dazias de veos para casamtnv -.
2 ditas de capas de casemira.
1 dita de tunicas de chuly.
11 ditas de cintos de seda.
.:>0 pecas de chitas de ganga.
40 ditas de cassas para cortinadns.
15 ditas de algodao enfestado.
iO ditas de damasco de linho.
10 duzias de camisas de linho.
100 pegas de sargelim preto e do cJres.
10 ditas de damasco lustroso.
Tapetes de diversos taraanhos.
E muitas outras fozendas.
Quarta-feira 7 de outubio
Rua do Bom Jesus n. 63.
Os administrates da massa fallida de Pereira
de Mello & C, usando da autorisacao que t'im do
Ulm. Sr. Dr. juiz de direito especial do commer-
cio, continuarao a dispor em leilao no dia acima
dito, por intervengao do agente Pinto, das fazendas
supramencionadas, que fazem parte da mesma,
e que tornam-se rccommendadas por serem mui-
tas deltas ultimamente dospachadas, e proprias pa-
ra a pre sente estacao.
0 leilao principiara as 10 1)2 horas em ponto,
ao armazem da rua do Bom Jesus n. 63.
Os pretendentes poderao examinar ditas fazen-
das na vespera e dia do leilao.
&VISGS DVERSOS
Rita do Cabuga" n.
Tendo rezoivido liquidar no menor tempo possivel o seu estabe-
lecimento, vende para acabar todas as suas joias de ouro, prata e bri-
lhantes, com enortte abatimento do precos. E as remessas que fo-
rem chegando da Europa, pelo prego das facturas.
N.5 A.Rua do Barao da Victoria.Ni 45 A.
LOJA DE JOIAS
DE
Escravo I'ugido.
Fueio do engetbo Ajadante, na freguezia da
cscaaa, no mez de janho do corrento anno, o
escravo. Martinho, de cdr preta, com 22 annos
aeiaaae, pooco mais ou menos, altura e corpo
regniares, oihos grandes e brannos, com principio
de barba, dentes perfeitos, cabellos carapinhados,
pes grosos e compridos; anda um pouco decli-
nado para freate, com a visu firmada para o
caao; a muito cantador e official de carreiro
oesconfla-se que o dito escravo esta occulto em
terras do engenho Para, na freguezia de Ipojuca,
pelo que, incorrera nas penas da lei, quern o tiver
occolto. Rogase as autoridades policiats e aos
capitaes de campo a captnra do dito escravo, e
ser entregue a seu senhor, Emilio Pereira de
Aranjo, no referido engenho, de quem terao a
a paga de 50/000.
Apipucos
1509 de gratiflcacao
Esta em Apipucos o men escravo Ignacio, o
qual tern os signaes seguintes : cabra acaboclado,
M annos de idade, altura e corpo regniares, ca-
bellos pretos e crespos, bigodinho flno e muito
pouca barba na ponta do qneixo, tem um caroci-
nbo de um lado da canella por fora, nao tem
unbas nos pe3 a excepcao de um dedo, tem no
corpo marcas de chicote e na pa direita um pe-
queno calo, falla mansa e baixa, cara bexigosa e
olhos brancos. Da-se 150* a quem o trouxer ao
engenho Arendepe, freguezia de Ipojuca, ou nes-
ta praga ao Sr. Francisco Izidoro Ribeiro de Car-
valho.Manoel Felippe de Souza Leao Junior.
KUA
P*
f^irERATRIZ
N. 82
[1/ ANDAR.]


de
\
1872
III A
DA
1MPERATRIZ
S. 82
.1. ANDAR.
Precisa-se
alugar um moleque de 10 anncs para o servico do-
meslico de casa de pouca familia : na rua Duque
de Caxias n. 97.
Acabam de reformer o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores con-
dicc/5es possiveis de bem servir ao publipo desta illustre capital, e a's Exmas. Sras. n'a-
quillo que for tendente & arte de cabelloireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupete, chignon,
coques modernissimos, trangas, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imnginavel em cabcllo.
0 estabelecimento acha-se provido do que ha de melbor nos mcrcados estran-
geiros, recebe directamente por todos <-s vapores da Europa, as suas encommendas e-flgu-
rinos de modas, e por isso pode vender 10 / menos que outro qualquer, garantindo
perfeicio no trabalho, agrado, sinceridade e prego razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos ern
porc,Xo e a retalho e todos os utensilios pertancentes a arte de cabelleireiro.
HOTEL
RESTAURANT DE BORDEAUX.
Rua Primeirode Marco n. 7 A., l.andar.
Quartos mobiliados com gosto
Perito cozinheiro francez chegado ultimamente da Europe. P. Sauvignac.
Assignaluras ipnsaes
Gabinetes particularcs
valao verde
Salao encarnado.
Admlnistrador, J. Dclsuc.
J0S JOAQIIM DIAS DO REGO.
Isto slm ja nlo 6 liqnidacao c qneima ?!
0 proprietario deste novo estabelecimento atnrdido com o inesperado eslridor dos gritos que
?urgera de todos os angulos desta grande cidade, annunciando a liquidacao dos estabelecimentos de joias ;
e, receioso de Bear SOSIN'HO, apezar de bem avaliar as grandes vantagens que neste caso deveria au-
renr; tomou a inabalavel resolu^ao de QUEIMAR todas as suas joias, com o unico fim de cneorporar-
se a grande caravana, e, com ella, seguir em romaria para.......6 segredo !
A pyra esta ardenteas victimas aguardam brilbantes o momento do sacrificioso fal
ermcadores.
os sacr
:t- J*i Posto,espera-se, comjusta razao, uma grande concurrencia dos amanles da ecou
) devemn'o ainda assim fazer,
e as JOIAS desta cidade, e nao
1 ellas !
que nao devem perder o ensejo de se proverem de objectos laes; e devemn'o ainda assim fazer,
que depoJs de todas es=as liquidates, com o novo anno, acabam s
tera o publi;o aonde dellas se possa prover.
V ella !
Doces, fructas e flores
Este estabelecimento, conhecido ha mais de 20
nnos nesta provincia, a rua da Cruz n. 11, o seu
proprietario tem sempre em sua maior attencao
em servir bem a todas as pe?soas que fizerem'as
suas encommendas dos seguintes geneios : doces
de calda de todas as qualidades, geleas de diffe
rentes fructas, e mao de vacca. xaropes de todas
as fructas, bandeijas com linos bolinhos, pao-de 16,
pudim, bolo, e outros de muitas especies; tambem
vende sementes de hortalices, muito novas, laran-
geiraa, limas, flgoeiras, limaodoce, laranja cravo
e cutras plantas para jardim, tudo isto muito cres-
cido, e cada uma planta em sua vasilha ; apromp-
tam-se bouquets para noivos, bailes e para jarros,
capellas de rosas e outras flores finas, e de frnc
tas, de preferencia a de contas, etc.
Grande vantagem
Utilidide barata
Por que e de gra^a
Mile novecentos object's
P'ra cfaegar p'ra todos.
Os proprietaries da eoofeitaria do Campus, para awia agradar aos seus numeros^s
amigos e l'roguezes, com especialidade js Exms. familiasque, iim honradu com suas pi;
sennas o seu
Pavilltao Campos
sito no mais pittoresco e aprazivel_arrahal(le
a
m
I
amanneira
ENSINO
DE
I'ARIIDAS DOBRADAS
E
ARITHMETICA
dirigido por
MANOEL FONCECA DE MEDEIR03
tres vozes por semana
a lar^e on a noite
Rua do Marquez do Herval (outr'ora
Concordia) n. 138 a HO.
ft'
Cavallo furtado
Em a noite de 7 para S do corrente mez, no en-
genho Pedra Redonda, do termo do Bonito, furta-
ram do abaixo assignado um cavallo com os sig-
naes seguintes : um p6 branco, uma estrella na
testa, uma orelba murcha, marca de peitoral, alem
de outros ferros tern em cima da anca do lado es-
querdo o nome blPO : qualquer pessoa que traga
ao engenho Stp6dlio cavallo, ou noticia delle, se?a
bem recompensada. 0 abaixo asaignado aproveita
o ensejo para leientifiear as autoridades noliciaes
e ao respeiuvei publico, que todos os anioiaes que
tiverem na anca do lado esquerdo o nome Sipo,
pertencem-lbe, pelo que so pGdera ser negoiiaaos'
por ladroes, e desde ja protesta contra quem os
comprar. EnfenhD Sipo.do termo do Rio Fermoso.
20 de setembro de 1874.
Joao Baptista Castanha.
1SSENCM CONCENTBADA
DE
Premiada nas expo
sifoes de Pernambuco
e Rio de Janeiro.
HEDJSMM DE PRATa.
Pharmacculico
Pela esrola de Paris
Successor de
Premiada na expo-
sicao de Vienna d'Aus-
tria.
MEDALHA
fir*
ARISIIDE SA1SSET .
Aluga se a casa da ilha de Bemlica n. 10 A,
com sete quartos, quintal fechado, com ca'cimba
e banho na frente, por ficar a margem esquerda
da ponte da Passagem da Magdalena, lugar mui
saudavel e pittoresco : a tratar na rua estreita do
Rosario n. 17, l. andar.
Aluga se um excellente sitio no Monteiro,
junto a estaQlo'da linba ferrea, com miutos com-
modos ; tem jardim, coxeira e gaz : a tratar na
rua do Imperador n. 83. 2.' andar.
Alugam se dou grandes sobrados, cada um
de um andar e sotSo, sitos a rua nova de Santa
Rita us. 55 e 57, com agua, gaz e cano de esgoto
com 13 quartos e 1 gabinete : qutm pretender
dirija se ao Forte d3 Mattos 8or cima do trapiche'
Dantas. '
aonde no domingo, 27 do crreote te n de Hffec Tomaram a delib-ra^ao d distnbuir gratis a cada pessoa quo alii {or em tii-mar. it
de seu
Pav lhao Campos
proprio, o qual pode durar J65 ou 36i dins, isto e utn
I'm objecto para uso
anno
golar ou bissexto.
Alem do que todos encoi.tr. ran no an* mo Paulbdo, mediante modicos pre^cs e, da-
ranto todo o dia : lancbe ebebidas de I,5d7 qualidades.
E tut. quaoli.
T
Lava-se
Tratamento puramente vegetal verdadeiro purificador do sangue. sem mercurio.
A Esscncia Ue Caroba e um remedio. hoje reconhecido como um poderoso depura
jvd e especial para cura de todas as molestias que teem a sua origera na impureza do sangue
como sejam : as molestias SyrmLmcAs, Bovbaticas e E-cnorutosAS, Rheimatismo, Empinge\= Dvr-
raos, Dlcbbas, Erupi;5es, etc. etc.
Os prodigiosos effeitos que tem produzido a En^encla de Caroba, por toda parte
onde ella tem siao apropnadamente oxperimentada, a tem feito adoptar como um dos medieamen-
tos mais ?eguros e mais energicos para a cura de todas as molestias de natureza syphilitica e
bouoatica. '"
A cada frasco acompanba uma instrccoao para a mancira de asar.
Pomada anli-darlrosa
Contra as affeccoes cutaneas, darthro?,
Tara cura das
comichSes, etc., etc.
Inguenlo de Caroba
boubas, ulceras, cbagas antigas, etc.. etc.
UNIGAMENTE PREPARADO POR
ROD0OAYE0L IBfflAUS, SUGGESSORES
Botica Franceza
22 Rua do Bom Jesus 22
ANT1GA RUA DA CRUZ
Pugio no dia 18 do corrente a escrava Sera-
phina, de cor preta, baixa, e com falta de dentes
na frente ; foi con^rada ao Sr. Dr. Ernesto de
Aquino Fonseca, suppSese tor ido para a villa do
tano, onde tem parentes : pede-ae aos Srs. capi-
hTncf^ ca,mp0 i0Uxa (JaJluer P* a oa appre-
^*$2Z*& 4 ro*<.*norlm n. 34, ou a pra-
r^SScL30'^303"' ^-^ g"e-
vie?d?Slm1?-46 a? mole G^^adedoa?trrndfl,,fa,Di,ia: 3 trft,ar M *
PBESERV4TIV0 DA 1RYSIPIIA
DO
Bacharel Manoel de Siqueira Cavalcauli
n, Reedi0 efflcaz,n5o so para curar qualqoer ataque de erysipela, como
para impedir o seu reapparecimento. K '
nnm APProvadoPe'o Soverno Imperial, aeha-se a disposieao do pnbhco
com a respectivasmstrucfoes, a'.testadosde pessoas notaveis, e de Medicos
Depositos unicos.
Rocha Si" rua d0 Bar5 da Vict:ria (raa Nova) n- 40. casa do Sr.
Rio de Janeiro : Cdrte, rua do Ouvidor, n. 78.
Gratis aos Pobres.
1 240 RS. 0 COVADO
Lindas cassas de cores o branca?, com listras o palmas assetinadas a 240
fSfil c?Ta: na loJa ** Antonio Correia de Vasconcellos, rua Primeiro de
e engomma-se com aceio e perfeicao roopa de
bomem e de senhora : na rua de Paulino Camara,
toja por traz da fabrica de chapeos de sol da
rua do Barao da Victoria.
ESCRAVO FUGIDO.
Fugio do engenho Atalaya, na freguezia de Se-
rinhSera, no anno de I860, 0 escravo Francisco,
mulato, com 16 a 18 annos de idade, ponco mais
ou menos, altura 0 corpo regulares, olhos|rasos e
azues, cor bem clara, cabellos bons, dentes per-
feitos, nariz afilado e curto, feicao bonita, sem
barba, muito moderado, pes seccos e bem feitos.
0 dito escravo foi do Sr. commendador Antonio
dos Santos Pontual, senhor do engenho Cabeca de
Negro ; comprado ao corretor Oliveira, morador
no Recife.'_______________^___________
Fugio do engenho Ajudante, ..na freguezia da
Escada, no anno de 1872, 0 escravo Guilherme,
com os signaes seguintes : pardo, com 25 annos
de idade, pouco mais ou menos, altura 0 corpo
regulares, cabellos cacheados, olhos grandes, rosto
comprido, com alguns signaes de barba, nariz
comprido e um tanto arqnerda, dentes porfeitos ;
tem umas sardas pelo resto, e faz movimento no
corpo auando anda, e na occasiao de cumprimen-
tar a alguma pessoa, leva 0 chapeo por cima da
cabesa para a retaguarda, 6 muito alegre e diver-
tido. Desconfia-se que esteja na cidade da Para-
hyba, ou em Nazareth. Por tanto, roga-se as
autoridades policiaes e aos capitaes de campo a
apprehensao dos ditos escravos e serem entregues
a seu senhor, Emilio Pereira de Araujo, no refe-
rido engenho de quem terao a paga de 300000
por cada um. N. B. 0 escravo Guilherme tem
uma cicatriz sobre uma sobrancelha.
AVISO.
Jose dos Santos Oliveira, arrenatante das divi-
das da massa fallida de Tbomaz Feruandes da Cu-
nba & c., avisa aos devedores da massa fallida que
mandem pagar seus debitos a rua Duque de Ca-
x as n. 70.
Aluga-se 0 andar com sotao do
sobrado sito a rua estreita do Rosario, n.
29 : a tratar na loja do mesmo sobrado.
P
UNDIIMii
RUA
i I Vi
!
it
(i
n L
i$
Escravos fugidos
Continuam a estar fugidos desde 0 anno
1870, os escravos seguintes : Francisco, crioul
com 28 annos de idade, pouco mais ou menos,
altura e corpo regulares, olhos grandes e brancos,
dentes perfeitos, cabellos carapinhados, uma ci-
catriz por cima do olho esquerdo, barba a Cava-
nbac, muito couversador e risonho. Antonio, ca-
bra, com 26 annos de idade, pouco mais ou me-
nos, alto, secco, olhos grandes e vermelhos, ca-
bellos nm tanto soltos, pouca barba, dentes per-
feitos, pes compridos e seccos ; ambos foram com-
prados ao barao de Nazareth. Desconfia-se que
os ditos escravos estso oecultos na comarca de
Pajeii de Fores, ou no Rio de S. Francisco. Ro-
ga-se, portanto, is autaridades policiaes e aos ca-
pitaes de campo a captnra dos mesmos o-cravos,
e serem entregues a seu seu senhor, Emilio Perei-
ra de Arauio, no engenho Ajudante, na fregue-
zia da Escada, de quem terao a paga de 300*000
por cada um. _______ ..**
j Desappareceu da rua de Pedro Affonso n.
23, no dia 21 do corrente. uma catorrinha do
reino, toda branca, que da pelo nomt de Con
don, estava com uma coleira de metal ne peseo-
go : qaem a trouxer on der noticia na dita casa,
sera recompeasado. ,
Na travessa da matriz de Santo Antorio n. 6
ha uma ama de leite, e seccaa constantetaente pa-
ra alugar.
(Pa.HHaudo o chafariz)
PEDEM AOS senhores d erigenboe o> tros agricult'ir-s, 0 compradores dflm
chinismo o favor de fazer uma visita a seu estabelecimento, para vcem 0 novo sortimen-
to completo que ahi torn ; sen u. tuilo superior em quxiiiladue fortidao ; 0 quo com a i >-
truc-;3o pessoal pode-se teritimr.
ESPECIAL ATTENCAO aO NIJMERO B LU.-AR DC SU PUNDICAO
V aporeS O rOQas d a^ua ds msis mttdernos systwmas e cm tamanhos co-;-
venientes para as diversas circumstancias dos senhor- s proprietanos e para descaro^sr
algodao.
MOendaS UG Canna j0 t0jos os tamanhos, as utalhores que aqui esistem.
-ttOClaS QOntadaS para animac^. agua e vapor
Taixas de ferro fundido, batidoe de cobre.
Alambiques e fundo* de alambiqueh.
iViaCniUlSniOS para mandioca e algcdao, e para serrar madeira.
r>OmDaS de patento, garantidas........
lOClaS aS macninas e pe^as do que se cosum a j recisar.
FaZ qualquer COnCertO de machinismo, a preco mui resumido.
rornias ue ierrO tem as melhores e mais berates existentes no mercado.
JliUCOninienQaS. Incumhe-se de mandar vir qualquer machini;mo A vontade dog
clientes, lembrando-lhes a vantagem de fazorem as compras por intormedio de pessoa
entendida, e que em qualquer oecesskJade p6de lhes prestar auxiho.
ArauOS amencaUOS e jastraoieates agric l8s.
RUA DO BRUM N. 52
PASSA1M>0 O CIIAFAliiZ
Podendo lodes
ser movidos a rats
por agua, vapor,
ou animaes.
1
u. if wit
Lindas popelinas de linh coin salpicos ede listras
assetinadas pelobaratissimopregode 320 rs. ocovado: na
rua Primeiro de Marco n. 13, lojt das columnas, de
Antonio Correi a de Vh sconcellos.

FALSIFICACOES
DAS PILULAS DE BLANCARD
A reputacjo cada vei maior de aoss&s pilulas
lem animaao em quasi todos os paites audacia
dos Ulsificadores. Aeobicia Ui mesmo com que
muitos d'elles tem se Htrevido em subslitiiir o
iodureto de ferro pelo vitmolo! !!
Rogamos aqni encarecidamenle aos aostot fro-
Setes para qne sempres e certiflquem da origem
? pilulas qne trasemo nosso nome, appellando,
*ntre ontros meios praticos, para a boa (A dos
oesos collegas o* pnarmaceuiicos. Sem duvida,
Quern tcitutemento vend* do mrdicauwoU) falsiScado < coatt*-
feito se fax complice de nm hlurio e mniu nvscomprooMtte
a caude do dooub- depois d* abuur it to* coofaoea.
eaew hoorado* iiUermediarioe Jblgaiie qne IkM
incumbe deer de comprar Ue someato as m-
DAUI'RAS riLOLJS DC BLA! em Paris, qoe' em casa
dos posses correspon-
deDlns,qoeremfimnag
caas de mai> repata-
j3o de'spu pan.
Pharmaceutico, rua Bonapertt, V>, tm Paris.
* verOfteielraa a*llulaa ae nianrard e uehSa <-m mm > kua tarwel.



6
Dtasto 4* Bttammnoe. --Taroa feira^9 de ge^iHlfct' fi* WNr
Scares de Amaral &C.
aviaatn aos fee*? frcgiifqesj que. mudaram o seu
estajeleeimenio de g*ro?'de etti*a, do armazem
atoeaes da nlfaodega para, o ajm-izem da rua, di
Sadre de Ditis d. 21 ^___
_____________________--------------------------------------------------------
Madama Preire, modwaa bratileira avlsaao res-
peitavel publico, qua conlinua na sua arte de
aiodista; asxim como, recebe pr todos os va-
pores da Europa 5gnriuos, os quaes acham-se
i diepesigao de seus freguezes, podendo ser pro
enrada para exercer a sna pnfiVsao, a rua Di-
ieiu n. 16. _
CRIADO.

?r*ebase deurn criado que seja del : no largo
di matriz de >anlo Antonio n. t, 1* andar.
Boa moradia.
Aii:?a >o iuir casa-(err
d;>res, ouju SialaiijH.iiunrj;
tal grande, row tacifaba J
S. Jose n 22. *
pa rua dos P&efe
inha fora e quin-
atar na travessa d,e
a-se
uma excellente casa terrea em Olinda, pateo de
S. Pedro Novo, com gaz e agua : a tratar com
Marc lino de Souza Travassos, no Forte do Mat-
109.
GAS 4
Alpga-se o sitio da estrada de Agua Fria n. 2,
com boa casa para numerosa familia e excellente
banho uo riaeho Jacare, rerto da estacSo do ca-
nuiaho de ferro : a tratar na rua Primeiro de Mar-
y> n. 23.____________________________________
Quem preci-ar do am optimo copeiro, para
easa de familia. ou de ti tnem sclteiro, dirija-se a
rua da Imperatriz, sobrado n. 63, primeiro an
oar. _
_ 0 Sr. Luiz Aprigio de Oliveira Salermo, quei:
7a apparecer a rua do Range) n. 67 a negocio
particniar ioteresse. _______________
Precisa se alugar nun prdia escrava, para
andar vendndo ccm taboiciro a rua : a tratar na
ma de Santa Rita n 2z._____________________
(tei instnnlaea
Craridir>sa descuberta!!!
>'ovidade impr>rtaiUissima til
Ouso quotidiano GENRROSO que se vende bo 1 andar do sobrado
_ 56, a rua da Cmz, torn a pro pre Jade de subs-
Muir com grande vantaieai e extraor.ioaria eco-
aoiiiia, os depnrativos tao npregoados e conheci
dos por salru e caroba, etc. 0 medicamento qne
annuaeiamos, na > cura todas a* molestias como
snccede 39 panaceias qoe ae annunciam, acompa-
nhadas do attestados; Maria, restabelece iuime-
diatainenle as f- r?a>>, e punnVa o sangue, sem a
jteSTaBtagera de ser nocivo a saiitlc.____________
Alu?a se por al^uus mezes o 2 andar d-
sobrado n. 53 la rua da lmperatii7, completameD
lemobilhado, a pessoa de pooca familia, preferin"
do-se eatrac^ra : a tratar n" memo.__________
~^r Alnga?e oma casa terrca na rua dos P.sca-
djie-, com 2 s;i!:is, .'! qnartos, coxinba fora e quin-
..: grand*, por prec i comra Ao : a tratar ua tra-
I i!; S. l -.' ii 22.________________________
Yara de orphaos.
O jn'z de orphacs e au?en:es de?la capital ma-
don sua resideacia para a rua do Viscoade de
Ali u rqne o. Ii. oulr'ora da eMatriz da Boa
\i.-u__________________________________
Ao corpo do commercio.
O abaixo : s- gnad-i deelara ao corpo do eom-
aereid desta cidade flue n3o se reapoosahiUdl
por qual r: r c m n que faQa o Sr. Lack, mcs-
iie que Li d.. ::i,ai cijSr. Siiva Ca-doso, sita
a rua do Barao 'ova.
Reetfe, 26 lesetembro d;> 1874.
Antonio Joaqnim Fernandez da Silva.
Aluga se o segundo andar 4 rua Uuque de Ca-
xias p. tti: a tratar na loja.
AiHoiio de Azevedo Vilfaroueo.
Pelo Dresc-nt9 sao convidados os afflhados e afi
In .das de Antonio de Azevedo Villarouco, falle-
cido em Portugal no mez de outubro de 1873, a
aprtsentarem dentro do pra^ de 60 dlas a conj
tar desta data, a certidao dd seu nascimento, eta
casa do abaixo assignado, testamenteiro instimido
pelo dlto fallecido, aflm de que sejam devidamente
attendidos na partHha a qoe lem de procederse
com a precisa igualdade, de accordo com a d'spo-
sicao tesumentaria. Recife, 10 de selembro de
18/4.Man el Azevedo de Andrade. ____
Signaes do negro Feliciano
Orloolo, idade 40 anno9, pouco mils oa nwoog,
alto, corpo regular, bem preto, desdentado, larba
do, mal leito de pes, tendo um dos dedos grandes
ou ambos bastante twos. Acha-se fugido ha 6
meies, desta segunda fugida, e da primeira esteve
dous annos no engenho Tombador, freguezia do
Bonjto, pertencente a Francisco de tal, genro do
eapitio Christovao Jose Machado, senhor do en-
gerjiii S. Christovao, da dita freguezia, e por estes
engenhos esta occullo, como lem*tado Veiepela
primeira vez preso pele capilSo decamps aoio
Ventura, jue mora em Agua-Pre.t;u!: reeoneen-
da-se a sua captura as autoridades pltelaes eca-
pitae9 de campo, e leva-lo ao engenho Minas No-
vas, freguezia de Gamelleira 0 dito negro intitu-
la-se forro eom o nome da Jose Feliciano.
Rua do Livranento n. 26
Aiien'iii. Einag. senkoraH ::!::
Aos viule mil covadosll!
A loja das tre3 estrellas acaba de receber um
importan e sortimento de lazinhas com listras e
Ibres de seda, que esta vendendo pelo diminuto
preco do 280 e 400 rs., fazenda que val 500 e
iWO rs.
A dlas, antes _ F. tgg, j <| *gf *f,
'_- / ____ "' t___l ___,
li wTmr h v
Natravessa da ma
dasCruzes n. 2, pri
meiro andar, da-se
dinheiro sohre pe-
nhores de ouro, pra-
ia e brilhantes, seja
qual fora quantia.
Na mesma casa
compia-se os mes-
mosiaet_a&eped*afi.
Atega-se
o 3* andar do sobrado da rua do Twaf io n. 5, com
grandes e bons commodos para familia, e agua
patavel : a tratar no arraazem da travessa do Cor-
po Santo n. 25. __________
Alnfa-se u_a casa em Oltoda, no mais beito
local, w pateo de S. Pedro-Novo, onde passava a
festa o coronal Vilella : a tratar no Corredor do
Bispo n. 73.______________ ______''
liiquldacitu a tlinliclro
Alerta economisUs!
A Suluna de Paiis, a rua da InjpenHriz n. 64,
convida aprover vos do qua ha de memor em a-
zendas, e por modicos precos.______________._
Caixeims
0 Pescartor, a aua Bireita n. 21, pr#cisa de um
i doua caJxciros'^para mjjhjdas.
rnnum %mmw*')pMt
nma grande casa terrea com bastantas commodos
sita na estrada do Lucas : a tratar na rnatio Vi-
gario n. 31.
= Precisa de duas amaa, sendo uma para co-
zinhar e comprar e ontra para ngommar a '
saboar : na rua da Cmocordio n. 43.
* Tn Precisa -te de uma ama para o servico
illllai ioterno de uma pequena familia : na rua
Dnqne de Caxias n. 54, loja.
Ama
Offr>ce-fe uma ama para
fiDgonimar e coslnhar para casa
de pouca familia, de pertas a
deutro : quern precisar dirija-se
a rua da Lapa n. 1_______________________
Ama de leite.
Preci^a-se de um ama dc leite sem Olho : aa
rua Duque de Caxias n. 6'4, lo}o.______________
Precisa s,e alugar uma es-
crava p.ira an Jar na raa : a
tratar na rua do Cabuga n. 3,
AMA
segondoTandar.
aMas
Declaraeao
Banhos e dormida fresea no
iSionteiro.
Aluga-se alii duas casas pequena*, tendo eafta
ata Irea quartos e coziaba : a tra-
tar na rna Nova, Iji n. 7.
Alug* se um rapaz excetleote copeiro por
a isso .aco.'tumado, para hotel ou casa de
. irj : a tr;.*ar n>i Corredor
po n. 73- Na mesma casa engomma-se eom
io rrion ime n e 1g tenhora.
ixciro.
'. am menino | :!.;: eom alguma
.. ";.. rna, dmd i nto de sua
act i : i i'al .v 1.1 pateo da Penha n. 8.
:!^a-se
, i da rua id I'ogD n. 27, etambem
parad' !o outro : trata-se a rua do
30 i -i.-m.
:

no yd riviil!
ou
Precisa se de uma pa
ra O'jzfnhar e ontra para
angommar, e um mole-
que ou preta que saiha vender na rua, prefere-se
escravas : a tratar na pjiarnacia Torres, a rua
de Marcilio Dias n. 135, aas 11 hlras do dia as 3
da tarde.____
m Precisa se de uma ama que
A WB'j% c.abe e comare para pou-
cordia n. 10.
tvs peeioas : na rua da Con-
Precisa-se de uma ama que saiba cozinhar;
na rua do Vigarij n. t9.____________________
i mm i Procisa-se de uma ama de meia
A M A iiiAe de boa toa,lacia> p"8 com"
f_.lT_./_ prar a cozinhar, e servico domestico
em cr,sa de pouca familia : na rua Duque de Ca-
xias n. 70, 1" andar.
Precisa-se de ama ama
no becco do Padre" n. 28.
ajue c ziohe bem :
. lad tao pcpnioM c mo a nossa, e
certo ia uffl.-ieiie a eyisten-ia de um unico
. no genero daquel e qne se deno-
ilaria do Campos.
IJ isle o motivo porque acaba do:brirsea
Dcia publiea no bairro do Racife a tua
;t n. 11, uma casa commoda e de-
' o titnlo de Assemblia do Commercio
0 ri -, i'.'ivel publico encor.lrira sempre
- .r. o ne^essario para :

Uina soiree.
Um baptisade e
Um lanclie.
ila tambi m :
le vai le de bebidaa finas.
: letos rtimenlo de doces para embarques.
.' dos e Iructas il" debcado fabor.
icjas cr.prich sjuv-nte p-eparadas.
Fiambres e lanche a qnalqaer hjra.
Tado com esmerado seen... prfcteza e precos eqm-
VOS.
22 Ru do Commercio 22
Mi ira Lima
Assemble i do Commercio.
:
Aluga-se nma exeejiente esciava sem vicio al-
i, a qaal engomma soffrivelmente ronpa de
senbora, e cozinha tanibem, com a condic^io de ri
as 7 boras da manha ate as 3 da tar-
de : a quern confer, dirija-se ao 1 andar do so-
.. da ru;1- N pvJ n. 21.
Salsaparrillia de Ayer
PARA P~RUICAR O SAKGU_.
O rename de qne goia este ex-
cellentc remedio i devido a milha-
res dc curas que tem operado, mu-
iias das quae* siio verdadeiramente
maravilhosas. Irmumeros sao os
caso* em que o systhema, parecen-
do saturado da liodridso ao enfer-
midades escroralosas, tem sido
promptamente restituido a saiide.
As aflecco
das pela contaminafao escroTulosa,
Tenio feito um annuncio, protestando sobre a
validade da venda do escravo Tertuliano, desde ja
presctndo do mesmo por me ter certiflcado que_a
venda do escravo f6ra rcilisada por meu irmao
Joaqni Jo e de Meira Lima, e declaro que toda e
qualquer transaccao que o mesmo tenha feito so-
bre o dito escravo, tem toda validade. Recife, 26
de setembro do 1871L. C. M. Lima.__________
mmm mwm
Rua du Roilun- -IS. sobrado
Primeiras leltuis, portuguez, francez, inglez,
di-senho linear e musica.
Sob a direcfjSi do professor HTtnino Uo-
drigucs de S'queir.i, funcionam dilas aulas
todos os dias uteis.
Recebe alu_~os iaternos, mtio pensionis-
tas e extornos; foroece Ddo o material para
escrip'a e livros aos principiantes, por pre-
r.fis rnuilo razoaveis.
_JZ__E~:--S: 'i'laW1 IHIl lji_u__U__
0 Ltr. luio Francisco Xavier Paes Barreto,
tranzido de dor -pelo passamento de sua muito
presada l\\ D. Rita Z'jferina Coelho da Silva,
inanda rezar por seu eterno descanso uma missa
na matriz de S. Lourenco da Matta, no dia 2 do
proximo fuluro mez de outubro, as 9 horas da
manha ; e convida as pessoas de sua amisade pa-
ra acsistir a este rcto de piedade.
Jose Ituiii Ramos dc aaiiveira.
3" anniversario.
Um amigo e comnadre do finado
Jose Bom Ramos de Oliveira, grato a
uas memoria.manda rezar uma mis-
sa por sua alma, quinta feira 1 de
outubro, pel is 7 horas, na igreja do
Carmo, convida a Exma familia e
a'migos do finado para comparece-
___i____i__________H_____l
Attencao.
Fortunata Fortes avisa ao3 pais de 6ua9 alumnas
e em geral a todos os chefes de fami|ia) tant0 jaqui
como de fora, que se scha mudada para 0 an-
dar do sobrado n. 21 da rua Neva> onde con|jnua
com sna aula de insimcgao primaria, ensinando
tambc-m todos os trabalhos de agulha, bordadosde
todas as qualidadeS) trabalhos de la, crochet e flo-
res, cim rauita perfeigao ; e em sua casa ensina
tambcm o francez, desenho, mu3ica e piano, por
ter para isso escolhidos professores. Aceita exUr-
nas e internas, affi n;a bom tratamento, muita ap-
plicacao, e o preco mais favoravel que em cutra
qualquer parte.
N. 21, 1 e 2 andarcs, Cambda Oft
do Carmo.
Uanoel Einediuo 18ego
Vallenca
Aluga-se umi escravl para Jfedo o servico
na rua da Gium.a. 146.
M0F1NA
Est4 enooura^ado 1! 1
Ajajoa mole em pedra dara
Tanto d_ ate qne a fura.
Koga-se ao Jllm. Sr. lgnacio Vieira de Mall
ascrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir rna Dnqne de Caxias n. 36, a con-
clnir aqnelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada desto jornaL em
flns de dezembro de I87i, e depeis para Janeiro,
passou a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
a por este motivo e de wivo cbamado para d
8m, pois 8. S. se deve lembrar que este negoci
de mais de oito annos, e quando o Sr. sen fllfco
achava nesta cidade.
Precisa se de urna ama
uma casa de pouca famtba :
va, loja n. W. ________
para o service de
a tratar na rua No-
Casa e lerroaos kralns u i Sal-
no nun
Joao Correia de Carvalho, artista alfaiate, ten-
do-se desligado da sociedade da casa commercal
existente a rna do Barao da Victoria b. 26, sob a
razao de Araujo, Carvalho A. C, acha-se novamen-
te esUbelecido na sua arte, a rua do Marquee de
Olinda n. 46, f andar, aonde os seus numerosos
freguezes o encontrarao prompto para executar
qualquer oh?a tenden'e a saa arte, com esmero e
promptidao. ______________^^^^^^^^^
0.
Antonio 1056 Rod'rigues de S-.tua, na iliesoora-
ria das loterias a rua do Crespo 6, 4nda sua
casa de taipa e terrenos de sens siiios no lug ir
do Salgadinho : a tratar somanto com mesmo.
Ali!^1-SC
o primeiro andar com grandes conw_do- n*lo
do sobrado sito na rua do Hospicio n. 6'i, jnnta-
mente a loja : a tratar na rua go Yig-n-n. B. 31.
CRIADO""
Para o servico de uma casa de peqwna fami-
lia pre:isa-se de um molcque escrayo e de boa
conducta : quern tiver e queira alugar, dirija-se
a rua do Commercio n. 17, primeiro andar, lado
do mar, entrada pelo la ga do Peloorinho.
CbegldoB de novo.
veuue-ae.
i I ^'* Troc-a-se.
B aluga-se.
No armazem do va*por fraroex, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7:
MOBIL! AS
de vime e de faia.
Vende-se muito em jonta ; cadeirae avulsas, de
balanco, de bracos e de dobrat: no armazem do
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, outr'o-
ra Nova n 7.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas. ipleay, opiau e pos den-
triflce, agua de flor de- laranja, agua de toilete
divina, florida, lavande, p6s de arroz, sabonetes,
crosmeticos, muitos artigo delicados em perfnma
ria para presentes em frascos de extractos, caixi-
nhas sortidas e garrafaa de dilferentes tamanhos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos bem conhecidos fabricantea Pirer e Coudray,
No armazem do Yapor Francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de dilferentes goatos r
phantazlas.
Espfelhos, lenufes, hivaejoiasd'ouro, tesourinhas,
canivetes, caixinhas de ecetara, albuns, quadros,
e eaixinbas para retratos, bolsinhas de velludo,
dita de eourb, a cestinhas para bracos de meninas,
chicotas, beugalas, eculo, pencinez, ponteiras para
charutos e cigarros, escovas, pentes. carteirinha de
madreperola, tapate para lanternas, malas, bolsas
de Tiagen^venesianas para janellas, esterioco-
pos, lanternas magicas,cosmoramas, jogos da gloria,
de (Jamas, de bagatella, quadros com paisagens
globos de papel para illuminates, machinas de
facer cafe, e&panadores de palhas, realejos de veio,
aecordaoa, aarriamos, e bercos para erianca3, e
outras muitas quinquilharias.
Brinquedds para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de to
dos os brinquedos fabricados em differntes parte^
da Europa, para entretimentos das criancas, tudu
a precos mab resumidos que e possrvel : no ar-
mazem do Vapor Francez, rua do Barao da Vic-
toria outr'ora Nova n. 7.
Ven_e-se
meteio, por p're
IrmaosA C,

'b"
Jamij*. pa rua do -Corri-
aiCo ? a' ifatir com Tasso
Alpacas de cftres.
Alpacas de cdres. flrias, com listras, largura
de chita franceza, a 360 rs o covado, 4 fasenda
de U : so na rua do Crespo n. 20, loja de Gni-
Iherme & C. __. ________
MAB1POIOE
Na^oja iJoTavSo vende-se madapol5es france-
izes mnito incorpados, com 20 jardas a 6,000 reis,
dito muito Boo com 12 jardas a 3,000 e 3,800 ; as-
aim como um grande sortimento de madapomes
inglezea de 4,800 ate 8fi00 e 9^00 : a rua da Im-
peratrrz h. 60, de Pelix Percira da Silva.________
Pochincha
> OJilcn Dnarte Irmaa receberam pelo ultimo
Gapor um-galUde efariado sortimAta. jejeoqmes
e c*belo lvmaoa, qu badajMah cletnef e
veuie-aa-neki araiaimo praco lOJ _da oat ;
B elles, ant"S qne se acabem._________________
f^enda^ muito barata¶
liquidar.
E' irem deptessa, antes qoe se acabem.
Cambraias de c6r, organdys, covado, a 2*0 rs.

Algodao azel, cavada, a ICO ts.
Idem de listras a SWts.
Chita preta muito fiat, covado, de 200 a jzo rs.
Meias para meninaa, duzla, a 2/ e 2500.
Chales deroerisoa 3*.
BTOUiloa entros artigos de fazendas e rcupas
feitas por muilo menoe de s*u itior por e_qe-
rer mudar de sorU_ento : aa tua de Barao d
Vietjria o. 14. ________
Cetvejf*


Calcado francez
A 915
Vende-se per preeos baixos ceraeja branca,
ajiarca Bas<, e preta, marcf aril, em barrieas,
ambas de superior qoalilade : n# escnptono de
Eduardo Fenton, tua Io Ccmmetcfc n 22, primei-
ro andar.______________________
Vende-se por comnaodo preco um terreno
com 35 pataaos de frente e 300 da fundo, com
oma casa de lijolo ainda por repartir, em chaos
proprios, situado no sitio que foi 4o Dr. FeUosa,
na Encruzilhada de Belem : a tratar a qual-
quer hora, na easa #Ss aodiencieners,_ ou suas
proximidadea, oom Francisco Luiz Beltrio, irrua
do Imperador.______________________
Boa venda

Escrava fugida
Desappareceu pela segunda vez, de casa de seus
senhores, hoje 2J do iMrreute, aserava ae nome
Juliana, com os s'goaes seguin'es : mulata aca-
boclada, cabellos corriJos, eostunia trazeios amar.-
rados, cara larga e com bastanies espinhas, nariz
chato, com falta de detttes na frente, cheia do cor
po,altura regular, Made 25 annos, pouco rnas ou
menus, lovou nasorelhas uas brincos de latao com
pedras brancas, tem as pernas acinzeatadas levou
um chale de merino estarnpado, de cdr hranea, ja
velho, 1 par de sapatos ae tranca, 4 vestidos de
chit \, sendo 2 claros e dous e*cnros, I camisas de
madapolao, 1 de algodao e 3 lencoes; alguma desta
roupa levon a no corpo e o rasto em urna trouxa.
Suppoe se que dita escrava e-ta acoutada em.al
gum callogy aqui nesta c dade, vindo do Rio Gran
de do None, embarcada, por kx nao sabe esirada
nenhuma para o centro : roga-se, portanto, a to-
das as autoridades policiaes e aos Srs. capita.es de
campo que en;ontrar dia escrava, leva-la rua
Duque de Caxias n. 76, antiga do Qu"imado, que
serSo geoero-amente recompengados.________
Botinas para homem
*'Acabam de chejrar grandes ;*eturas de botinat-
de bezerro, de eortavao, de pelica. de duraqut
com biqueira, de bewrro com botoes, e com ilho-
zes a 9{5000 (a escolher) por ter vindo grande
quanifelade por conta e ordem dos fabricantes;
ao armazem do Vapor Francez, a rua do Barao d
Victoria (outr'ora Nora) u. 7.
Para scniiara.
BOTINAS pretas, braneas e de cores. diQerentes
lisas, enleitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e dfe cores differenfts, bordados,
SAPATOS de tap.etes, chariot, castor e de tranca.
Para raeuinas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes.
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTlNADOS de diversas qualidade3.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para i_eainoa.
BOTINAS de bezerro, lustre e de corda'ao,
J BOTLNADOS e sapatoes, de bezerro, de deversas
qualidades.
SAPATOS de tranca.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, perb-sr
meias perneiras para horaens, e meiaaperneira
para menino3. .
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7.
c^oes e desordens, ngp-ai
mmr ua jusia contaminnfao escroiulo
ate produzireJn dores mortificantes,
tra sido '.am radical e tam geralmente enradas por elle, em
Soars os ponies do Iniperio, que o publico mal precise de ser
Ubi,:,!,) das suss virtudes e do modo de usal-o.
O vencno escrofuloso e um dos mais destruidores inimigos
Ura, senhorea-se occulti e trai9oeiramenta
miw orgr.nismo e deixa-o fraco e inenue contra molestia*
_*. Ora, patcntci* a tnteccfo de que corrotnpeu o corpo
entao, em inomento opportuno, lavra rapidamente sob algu-
K de suas hediondos formas, ja na cutis ja nos orgams
-vftaes. :. !.-.'. imo caso depsita, muitas vezes, tuberculos
ma* Mdnife*. no Ci^n lo, no coracao, etc., quando nao se laan-
aafitcm ''. tumores, etc.
A fciim.. r>( .ijrowi e tam perfMo nunca se deye dar
Bsrixa,' _ RILUA DU A.YBB pbdera cvltar
TOFu-'
Ai pesiC-i5 que sofl.-_ do Eryniptlat, Togo de 8. An*
S-i'o. Dn.lron, flmjttijenn, KhenmaHsmo, Tumorei,
V.ttritt, e eu.iliiidade dolorosa nos ouvidos, olhos, &c.;
tie nas o'-o=; T>y$peptta ou ItuMurstocs; Jlydropctia,
Xtlc&iian do Cftracao e do Tigado, Epylepsia, Kev-
rv'crii de varias o-itras arfecpoes do systhema musculai e
aenoso, acharSo sejirro _UtIo asando desta SAZSAJPAM-
XI7.BA DE AiCH.
A Smi.hlfla ou Koleatiaa Venereal sao curndas com o
ser: w*y potto DBS seji neccssario reals dilitado espaco de
_^ ::,^ar tam impertinentes enfermidades.
AlmorrlA, ou llorei Braneat, as ulccracoes uteri-
_s e em etrnl mrto^tns das mulheres sso tambem alTm-
_: e :.i, curadas por seu effeito purificador e
TiJfatiTo.
O xhrumtfUimo e a Gotta, quando causados Ijnr-saBn-
acoes db maisrfcis ajct_nb aa sangue, od#BS-lhe JaaiW
ainiti, de ate. irio modo o Mahdi Jfimmdo, Conf/eiiao o%
tnjtammmrvo do Wgado, Ietericia, quando rto orinnds*
as Biuis residue* no ;np~
A S*lsatx-rrllha c nm exeellnt restaurador 4a
*oca. vaatv d ijUhsmaj,
Assim, tcos os que soflicraoi Languor, PJdcgma, Del-
mmioi, Jiffvn* nig e que sao mcornTnodadoe com Appro-
mmmmoei jBJi m i Xervotn^m, qiialquer outra afrWCSo
aavtenita de DoUIHadc, acluaUo do seu aoder renovador
i segajro expadianta pwmpta oura.
a
yep
*x, MEDICO
vy Consultas das 7 horas da manna as
~zr Chamados por escrioto.
^ Especialidades. Doencas dos pul-
' moes e do coracao.
Bom bocado.
Recebe se encommendas de qualquer qualida-
de de bolos, banJeja- para ca ameutus, partidas
e bailes : a tratar na rua do Imperador n. 14,
armazem Fidelidada, ___u_____________
Aluga-se o armazem da rua da Madrc de
Deos n. 30, com sahida para a. rua da Cacimba
que aervio e serve para recolhcr Jeneros de esti-
va : a tratar na rua Djqu? de Caxias n. 75.
E. A. DELOUCHE
24-liua do Maiquez de Olinda--V\
Esquina do beeco kLargo
Participa a seus freguezes e amigos que mudou
o seu estabelecimento de relojoe^ro para a mesma
rua n. 24, onde encontrarao um grande sortimento
de relogios de parede, amerieanos, e cima de me-
sa, dos melhores gostos e qualidades, relogios dt
algibeira, de todas as qualida'les, patente suiaso,
de ouro e prala dourada, foleado (plaquet), relo-
gios de onn>, inglez, descuherto, dos melhores
fabricantes, cadeia de ouro, plaquet e prata, lunetas
detod?s as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratos.
naapABADA pob
f.C. Ayer Ca^ Lowell, Mass., E. V,
Olilllm fvmmtteai a Analmflmi.
Exmos. noivos.
Chamamos a vossa atuncao. para o no.vo i-ta-
beb'cimento qua acaba de aWir-se a roa dii Com-
mercio n. 22, denuiiiinado ASSEMBLE A DO
CuMMERCIO onde e preparam nca* bandejas
com grande variedade de bulinhos caprichosa
mente enfeiiados, tambem se apromptam bou-
quets.
Asiemble'a do Commercio
ateira & Lima
22 Rua, do Commercio 21
rrecisa.-se
i_*../i_a
Aluga-se ou vende-se uma grande casa terrea,
em Olinda, propria para grande familia ; 'am gaa
e agua encanada, sita a rua do Aljube n. 31 : a
tratar na rua da Imperatna n. 86,1 andar.
Obran inedietas do Unado vienrio
Francieo Ferreira Barreto
Acbando-su impresso o 1 volume (orosa) desta
iraportante obra, os editores avisam a todos os se-
nhores 8ubseriptores de o ir receber no lugar
aonde subeerewam a^sim oemo-os senhores que
ainda quizeremsubscrever, o podem fazer nas l-
vrarias desta praca, ou nesta typograpbia, rna do
Torres n. 10. mediante a importaneia de 51 paga
nesta occasiac Outro sko, fazemos sccnte as
sociedade?, a quajn eaafaraos circulares, que re-
mettam nos as lta# fls assigoaturas adquiridas,
para serem envlados osflxemplares. Recommen
damos essa olira a^ ilh>- Aluga-se por pre^o razoavel nma casa na
poyoacao do Caxanga : a tratar na rua, do mpe-
rador, livraria Universal, n. 84.______________
Aloga-s3
o terceiro andar do sobrado n. 5 da ru& do Viga
ijio, com hons o giandes commodos para familia :
a tratar no armazem o. 25, da travessa do Corpo
Santo. ___________;
Roga-6e ao. Sr. 'Chico Hsuws, que
queira. 'vir a rua Tluque de Caxias a. 60 A,
para negocio de seu particular iateresse.
Modista franceza.
Mademoiselle Eugenia Lecomte & IrmS, avrsaoa
a suas antigas freguezas e ao publieo em geral
que abriram novamente seu estabelecimeuto de
casa de cosluras a rua da Imperatriz n. Ei, pri
meiro aniar, pelo que esperain eontinuar a me
recer a concurrencia das pessoaa que precissrem
de seus services._____________________________
Catharina fagio.
No dia 28 de agosto proximo passado. ausen-
tou-seesta escrava, a qual tem os signaes seguin-
tes : e?tura baixa, rosto redondo, cor preta, p6s
pequenos, costumava vendor leite, anda sempre
com um cacete que lhe serve de arrimo por sof-
frer de rbeumatismo, ja e idosa e de najao Cam-
bin 1a : quem e encontrar, gegue-a e leve-a ao sitio
do Cafundo, estrada de Joao de Barros, que sera
gratificado.
m
O Monte Lima
tem um completo sortimento de galao e franja de
ouro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
abotoaduras douradas para offlciaes, canutilhos e
enfeites para bordado. Tambem se encarrega de
todo e qualquer fardamento, como seja : bonets,
talins, pastas, espadas, dragonas, cbarlateiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas, para criado
etc.; assim como um completo sortimento d
ranjas, galao falso para ornamento, cordao de la
com borla pa/a quadros e espelhos (conforme o
gosto da encemmenda) tudo por muito menos
preco que era outra qualquer parle: na praca da
Independencia n. 17, junto a loia do Sr. Arantes.
alugar nma escrava para vender na rua
na raa do Cabuga n. 3, 2' andar.
a tratar
HOTEL
Xtestawxmt de "Bordeaux.
Aberto toda a noite.cos dias de espfljjta-
culo da coTtpanbi* Hlna.t
Credcres
Massa fattida de Ttimnaj Ferrra-ttd* daijl'.u-
itba al&
Sam-el P. Ji'hw^n'dt C, adraauisiraldor
masea de Tbomaz F^rBandes da Conha, tju
aos ere tores da mesma nassa para ajrj^p
os seu< titnlos dentro da^razc frgal de,.pfto
aDm de verifkar os bimsws" Wul'i j a a_ja
da Senaala-nova n. 40 e'4J,.a_, 2fl.de,&at
1874.
n^ao
Madan a Albuquerque &
Irm5.
0 DESENGAKO.
rjja i de Marco k. 25
Janto a loja da esquiua.
UOLLANDA
Brim Hollanda, proprio para costumes para ho-
mens e meninos a 600 rs. o covado-6 pechincha !
Lenco com barra de cor, duzia IflOOO
Camnraia trantparente, pega 2i500
Brim branco de bnho, var* 1*600
Meias para senhora, em caixas moderaas,
duzia. 5*500
Cambraias pretas com pintBs braocaa, co-
vado *>k
Mdapol5es franceze3 fioos, peQa 5#500, 5*800
Bramante de linho com 11 palmos de lar-
goca.vara 2#GD0
So o DESE^JANO da roa 1" de afarg") a. ft
junto a loja da esquina. ________^________
Assoeiacao commercial be-
neficente
Compra-so os relatorios dos annos de 1853 a-
1867, desta assoeiacao : -juem os tiver e quizer
vende:, entendase com o archivist* da mesma
Compra-re ties porlas de araarello, que este-
jam em perfeitoeslado, na rua do Livramento n. 30.
raiMf.
Hotel de Bordeaux
Pela segunda vez, os senhores devedores a este
hotelj sao convidados a virem saldar seus debitos
ata o dia 30 do corrente, aflm de provenirem que
suas conUs sejam cobradas judi;ialmeatai depois
de verem aeus nomes estampados nos jor'nae* mais
lidos desUCidale. Recife, 23 de selembro de 1874.
0 admmistrador,
J. Delsuc.
Rua 1/ de Mar$o n. 14, 1. andar.
Teem a salisf&cao de aviaar as Exmas. Srs.,
que recebem poj todos os vanores, flgurinos, os
quaes estio patanlas para, todis aquella*s que qut-
zjerero vestlr-ao. com gosto. Sendo seus, trabalhos
neiMtos e mais baratos do qup em oftlra parte. m
q 14 t fiua, do Crespo, -. li g
l 'X Aluga-se o armazem de reeoltfer, do sobfa-
dp da rua dos Burgos n. 11, por detr-.z raa do
Vigariq i a tratar com Jose Feliciano Naiareth,
iWd^raifr.B. 20. __________.
Pe**1 pwaaate aao cbamado* oa aredowa da1
raassa fallida de Paulo Paroandaa da MeJIo Sub
Saries,para-aw prasod* ctaco dlas apresenta-
im sens litulos para serem verifleadea! ^v
pplo adminiilrader ; B raa, do Barao d Vwloria
Aluga se por. festa ou por anno, na rua de S.
Pedro Apostobi ou Paiao Castelhauo, tres casa?
terreas. com encanamentod'agua e ga, bons com- nn. do que ou^qS_'|uer P"16 -
raodoa e quinues gaanies e murados, eom diver- |^na \jtem ^fram mandar ver as amostras.
LEIS PRQVINCIAES.
Vende-se no t. andar desta typographia,
em raao do adoiinistrado, \ColleecQoes de
Leis Provinciaes a 500 rs. o exemplar de
cada anno.
mm
LIQUIDACAO
NA
Loja dc fazendas
DA
Rua do Crespo n. 20.
Las do cores miudas muito boas para roupa de
meninas a 160 e 200 rs. o covado.
La pretas, superior, a 400 rs. o covado.
Alpacas de cores finas a 320 e 360 rs. o covado.
So se vendo.
Dilas com listras abertas, fazenda fina, a 600 rs. o
covado-.
Cbitas de cores a 240 e 280 rs. o covado.
Metins de c6res m'udas a 280 rs. o covado.
Cretones, o melhor que tem vindo ao mercado a
400 e 440 rs. o covado.
Cambraias brancas, bardadas- a abertas, fazenda
mais fina que tem vindo ao mercado, e fazeuda
de 2^000 o metro, por 1*000 a vara; pe-
chincha.
Dilas pretas com floras miudas a 200 rs. o cuvado.
Cambraia Iransnarente, fina, a 3* a peija.
Dita Victoria, Ana, a 41060 a peca.
Organdy de assento branco e de cores, com tlo-
re* mifidas de ate a de la, a 400 rs. o covado.
E'pechincha. ..,_
Corles de easemira de cores moderaas a a*oou o
corle : 6 fazenda de 8*. E' pechincha.
Camisas de linho finas, lisas,,a 3o* a duzia, e fa-
zenda de 55*. '
Brim branco de linho a 1*400 a vara.
Dito Angola, verdadeiro, a 600 rs. o covado.
Madapolao francez verdadeiro, 24 jardas, a tx* e
7* a peca.
Algodao T, largo e superior, a 5* a pega.
Gorgorto prelo de seda para vestido e para collate
a 3* o covado
Toalnas alcochoadas a 4*500 a duzia.
Colchas grandes a.3*500 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
Lencoes de bramante a 2* um.
Lencos de linho, abaiabadps e em caixmhas a
Ditos de caca de cfires abaionadps a 3*500 a du-
E'ouuoa muiioa artigos que- ae vende por me.
ae*. arvoredos
Coro Santo n. 17v3.
de fructo : a
dar.n
tratar no pateo do
R-.cife, 25 de selembro de i87i.

luga-se o atroaxora d i arbrajdo. da rua D.
la Cesar n. 37, proprio para-rearjlher fazendas
,ser muito eapaeoeo e readitkado, ou para
fcuer est'belecrmenio : a traiar na rua de Do
os Jose M rtins n. 48, antiga Senzala-Velha.
All N. 9.
Io progre-so do pateo do Carmo vende-se man-
iugleza flor a 800 f*. a libra.______________
Na rua Nova n. 19,3 andar, vende je uma
e^gtajaataaa, par pa|a aiawaeda.
enganaja de
Onilberne i C.
WNUE-SE
Uma familia que se retira para fora da pro
vincia vende nm piano de armario de Herz, coi
pouco uso, uma mobiHa de Jaearanda, nma di
de amareUo para quarto, e diverse* objectos
caa de familia : quem precisar dirijarse aV ra
do Cirredor do Bispo n. 17, das 7 as 10 nor."
damanba, e das 4 as 6 da tarde, qafl^aj
eom quem tratar.
Vende se o estabelecimento de cabelleireiro, sito
a roa do Range! a. 36, prompto de todos os ob
jectos tendentes a arte, e tambem muito afregue-
zada, visto a pessoa ter de.se retirar para fera da
provinria, mnito propna para principiante.______
Grande liquidacao
Loja rua dn Imprratriz n. _8
Collar da Rainba.
Esta grande loja de roiudezss e artigos de phan-
tasia, vem deciarar por esse jornal, que esta ven-
dendo por menos de 56 0 0 do que em eutra qual-
perfeito eslado, 3*5C0 o par, dilas de custo de 7*,
por 5$, borzegnins para horaens, e um grande
sortimento de (Has de seia, e outras muitas mer-
cadorias e artigos de luxo, que so a vista faz fe,
aproveitem o bora e barato : na loja de miudezas
a rHa da Imperatriz n. 48.__________________
Bazar das Familias.
Reis e'Silva & Guimaraes, proprietaries desta
mui imporlante loja, sita a rua do Duque de Ca
xias n. CO A, esquina di estreita do Kosarjo, no
intuito de satisfazerem seus fn-guezes, eslao re-
solvidos a vender por menos 50 por cento db que
emoutra qualquer parte ; pelo ejue po-m a dispo-
si;So do respeitavel publico" e espeoialmente do
bello sexo, as seguintes fazendas com os respecti-
vos precos :
Riquissimas palonezas de gorgurao prelo, rica
mente enfeitadas, pelo diminute preco de 38*800
cada uma.
LiDdissimas popelinas, padroes inteiramente no-
vos, que vendemos polo dimiouio preco de 2*SCO
o eovado.
P. pelinas de differentes gostos, inteiramente no-
vidade que vendemos pelo preco de 1*6C0 o c i
vado ; e baratissimo.
Popelinas de linho com listras, fazeBda inteira
mente nova, que se vende por480 rs. o covado ; e
muito barato t
Lindissimas alpacas, gostos novas, muito lar
gas, que vendemos pelo preco de 1*000 o covadc.
Lindas alpacas pretas coml istras brancas, mui
to largas, que vendemos pelo diminuto prego d-
lSOCO o covado.
Setim branco macao, f.zenda muito superior, a
2*000 o covado.
Riquissimas caixinhas com e-peluo, cada cai-
xinha ccntenao uma duzia de lencos, pelos precos
seguin/es : 5*5u0, 6*000, 6*500 e 7*800.
Riquissimas caixinhas.de madeira eafeiladas, ca-
da caixiuha contends uma duzia de meias para
senhoras, pelo prego de 5*o(_ e 6*000.
Lengos brancos, fazenda muito superior a 2*0CO
a duzia.
Lindissimas cambraias brancas bordadas com
listras de crochet, fazenda inteiramente nova a
15100 o metro.
Riquissimas saias bordadas para senhoras, a
6*000 uma.
Um completo sortimento de lazinhas de cores
fazenda muito boa a 200 e 360 rs o covado.
Riquissimos pannos de crochet, tanto para pre-
sentes como para cadeiras de guarnicao de salas.
a 1*500 um.
Um completo sortimento de alpacas de cores,
a 600 rs. o covado.
Cambraia t3pada, Victoria, n. 26 a 7*000 a
peca.
Cambraias bordadas com pal mas de cores, a 400
rs. o covado.
Cambraias transparentes muito Cnas, a 6* e 7*
a pega.
Cambraias transparentes Nanssuc, a 4*000 a
peca."
Um completo sortimento de meias de cores para
homem, a *000 a duzia.
Ditas brancas era caixinhas, a 0*o00.
Dilas d.tas de 1*000, 4*500, 5*000, 6*600 e
Tuaibas felpudas muito encorpadas, a 6000:e
65500 a duzia. K...nA
Ditas alcochoadas wwtando linho, a 5*a00 a
Granadinas com listras assetinadas, a 800 rs. o
__T_QO
Merino prelo franiez, fazenda muito boa, a 3*
o covado. ..
CJTtes de casemir3, gosto3 novos, a 4*500 e
3*00o o corte. cioa
Bramante de linho, quatro larguras, a 2*JW a
Diio de algodao com 10 palmos. de largura, a
1*400 a vara ,
Dito de dito trangado, de quatro larguras, a
1*600 a vara. .
Madapolio francjz madraste a 6X800 a pega.
Dito superior irantoz, a 6*800 a pega.
Dito toglez, maravlHia, a 5*000 idem-
Dito, elephant*, arMW idem.
Um completo softimenso de clmas escuras e Cla-
ras pelos aegnintes pregos : 280, 300, 320, 360 e
400 rs o c vado.
Um grande sortimento da chales d* merino es-
tampados com listras de seda, a 3*200, 4*500.
5*0(>a6*OuO.
Ditos pretos lisos, a 2*O00;um.
Um completo sorttmento de algodao, de 3*800,
4*000,4jt00 e 5*500 a pefa.
Assim eomo outras fateBdas qne nao menck>-
namos os precos e qne se vfcndem msHW Barato.
Reis e SWa & Guimaraes, ^*
Gerram quanto antes a grande peobineaa I
Sd no Bazar das FaroiMas.
Rua Duque de Caxias B.-.W A.
1 Esta se acabando
i Eaaranie se a boa qualidade do vinbe .Nfftdaa
anintM *vLima, dra cbmnoa da.Beira, superior
a^dr*a^if*;^8ene**a no armazem de
^SiaaJ^rtsayc esaoraa-----(----____
Ratoei*af_^gk5a8,
t Ao^a^TUaiversjlcbettu, cm' a^imeote da
M^rbs de fetro para pegaf MfWW^J^.-.fg;
< %ip An tinta vautigem *)" -ama ao raueira
ku easaf 6.Wttirametffcptt'BoWsde de -van-
em : 4 rtta da BarSodi wferia b. .
4
*'
*



6Wo^6Cfmflftvtei ly&mh 29swqggfeffi^oflfee-wr*.
1
q
DE ,,[, v-,ii,,i
sendas e arrtigos tie aHa

novidade
WA DO PASSO
Raa Priineiro de Marco n. 7 A.
Ca>rdelro ">im4fg C, proprietarios
deste importante esUbeleelrnento, no louvavel pro
prosite da Bio deemeatrrera o cooceito que oa
asaa aaraerosos fnpMM Urn tea dispeasaao,
acabaai de receber de sua coota o mais rico sor-
liroeoto de sedas, popelinas. Its e arligos da ul-
tima mofla era Paris, e cdntinoarao a receber
por todos oa paqueies daqnetia procedenela ; por
M caa rasas a atleacao de seat fregaeaas os
tttnvidaai a darem am passeio ao aca itradttlili
mcnta, tarautindo Ihes qae encontrario a reali-
ao qae fica dito, e para prova dio nm pe-.
>rawao, cnjo iaf4vel nitrate despertara a'
jae do prrteadeolea.
Waaaim fazenda* a casa dog freguezes, e dio
amostras wdituie penher.
Artigos de atta novldadr e
ulilmn ndn.
Jim de vestido de linho guaroecidos de bico
oaxaesma fazenda a cor, trazendo uvella, bolea,
ztaio, etc etc
Wajllsiimus ehapeos para senhora, de cores e
m
n:'.f.q s

Cones de cambraia braoeos com Ifndos bor-
"= te cores com enfeiles da mesma fazesda,
' "**, etc. etc
Capes de la para meninas e-seafeoras, guarne-
:!* de arminoo. *M) I i
Yeataarios para hat-lMado.
"i^niss'imas camisas hrdadas para senhora.
ijeqaes d> madreperola, pafa noi*a.
'li-as c !cha de seda, para casameato.
defies de seda, lindas ceres.
Jergorao de seda brance e dito preio.
Sedinhas de delicai-s padroes.
Sent Macao de tolas as cores.
seadaaaplea pr-t< s e de Bores.
Vt-uaia preta e daaasoe de
Traaadiaa preta e de cares.
~il6 de seda branco a areto.
IHra* ba(juinas de seda.
Casaeos o> tth rino de cores, U, etc
aaadas braiieiras.
Cap-Has e manias para noiva.
Casntcaia de c.".re, dius mariposas brancas, de
rres. risas e bwladaa.
Pear de aeeqne (aovidade).
P-rcaJioas de quadras, astras, etc
Tr:ns de lic!"o para vestidos.
;Uo Je acres.
>i brdadas p ra seahori.
tiraaae sMehBeato de camisas de linho lisas
t'ordain. aaraaoBMB.
i de cores para bomem, senhora, meninos
i de ehapeos de sol para homens e
Herais de cores para vestidos.
Bo* peso traocado e de verao, bombazina, caa-
iu,a*,-nica, tc etc.
~ i it bnbo e algodSc para toalhas, e dite
de ii.
de imt i branco e de cores,
de liadas cures ocoi listras.
~haies de awrino de core*: e pretos
Mia* de taacaaa a ditea de caseaura.
Caaisas de caiu para aomem a ditas da fla-
l de 'inho e ditas de algodSo.
de crochet para sofa/ cadeiras, etc.
Laaca* aordados e dilos de !ai>yriatao.
licoa coles de vestidos de larlalaaa, bordados,
^ira aades, e tariataaa de todas 2s cores.
IMu de damaseo de 13, e ditas de crochet.
S-fartdao? Rsos e bordados.
Kiadard de seda, liadas cores.
iaas de seda para senhoras e meaiaae.
ras pretaa e de cores,
ropelinas.
I artipo tE3* era varia liVsimo sortimento,
aaa so em f c~ij como era qnalidade.
Las
3 li>Tas de seda, ditas com pain as bordadas,
ii-s iraa-f areties e de outras iaaitas qualidad. s.
Lavas
da adKea braaras e de cures, do verdadeiro fa-
FlaaliMCutc :
jpHu nara s fa, cadeiris, cama, entrada, etc..
-jaBr?ns araicas, chitas de todas as qnal'rfades,
aadaaaaies, escaiat, ; retaabas, bramanles, algo-
oea, odariahos, saah natias para bomem e
aeatjara, aaaVa e coiiarioh^s braoeos e de co-
~ yara ahors*, gravaias para bomem e senho-
-a, aestis b raadoa, leaens de linho braoeos e de
dav d: rambraia de linho, toalhas, goar
ana, etc, etc
[>Ja do Passo
Raa lii.neiro de Marco n. 7 A
antiaa do Crespo.
* reni as senhoras.
A Mignnth. t raa Doqae de Caxias n. 45, par-
jeajaaa beHa sexa qne acaba de receber da Ea-
{*. bbi caaapieto sortimento de arligos de ulli-
acba destiecessario fazer nm
, por ja ser bastante eonbe-
ar ffare em ter boos correspon-
a araseira qae apresenta o qne ba
o e por precos mui razoayeis, por
a ds .-crever somente o segninte :
brtmoiq

Grande liquidacao
No
do
ti s

m 7 2. R u a dH'"** m p e r a t r i z N. 7 2t
DE
Mendes Guimaraes & Irmaos.

.Blew* ti

H raa Direita n. fV, ,Jtt** se'toovRslma- oalde
Li^boa da nltima cbegada'._______')
Para o fabrjtea.de chap"6ofi
A NOVA ESPERANQA r
para armagSo de cljapeos.
Vende-se
CerouTas e caraisaS.
Na loja do PavSo, vkmie sacerbuiasfMn-
cezas de todos oe tarpanhos bara hotnem a
15600, e ditas de linho a 2to0, 2^500 e
woo.
Camisas brsneas com peitos de algodao;
NOVA ESPERANgA recetreao ararae proprto fazon(]a fina e p0r estarern urn pouco cn-
xovalha las a 20/5000 a duzia, ou a 19800
cada uma, ditas com peito de esguiflo dc
linho a 3?000 e 35500 cada uma, ditas
com peitos e punhos de cdr a 2J000 e
Vende-se pes 3e "sapofas
na rua do H spicio o. 75,
de optima qualidaaa
-----
tendo os proprietarios deste estabelecimento resoivido diminulr o^mnde depoSit'j de fah
lendas, cntenderam fazer esta grande liquiJacSo, cjinose vd Jos precos abauo menckuadps :
Chitas largas a 160, 200 a 280 r Vende-se chitas francexas e flnas a" 120,280 e 320
o covado. .' i
Laxlnhas a 120 reis.
Veode-sa latinhas para vestidos a 129, 240, 330 e
400 rai* o covado.
CnitSs para cdnVrtas a 280 reis.
Vende-se chitas par* ciberias a.180 e 380 r'eis
covado. 1
Alpacas da eoraa a 6i0 roia.
>|6 eil
Vende le alpacas de cores, flnas, part Testidos da
senhoras, a 640 reis o eovadi.
. Jletim da cOrea a 320 rei.
Vende-se raetird de cores para vestidos de senho-
ras, a 310 refs o covado.
Ca,s?as (teas a 280 reis.
Vende-se cassas francezas,'finas a 280, 320 e 360
rtis o coVado.
Cambrala Victoria a 3000
Yende-se carnbraia Victoria para vestidos a 3(
3*300 e 4f 00 a pe?a.
Cambraja transparente a 2 e 3*000."
Vende-se pe^as' de eatribrala transparento a 3Jl
3^500, hi e 51.
Cortinados a fc*000i <#
Vende sft eAninados bordados para cantasa 14*
<# e lad.
Ganga amtralla a 400 reis.
Vende-se gauga amarella para vestidos de senho-
ras e rdttj a parameninos. a 400 reis o covado.
SUM "
il__a---..., i.-.---^'
Rrim de c6rcs a 400'iJis
Vends se brim pardo de cores para ca'cist
400 reis o cuvado.
Toalhas para rotJo a 700 reis.
Vende-se toalhas de linho para rorto a 700 e 800
reis cada uma.
Chales de II a6i0 rei*.
Vende-se chales de la.de quadros a fiWreis, chav
les de metim a ii'160 r&s, chales de merino
lisos a 2a, e chales de ineimo eauatpados, a
360O, 4* e o*.
Aberturas a 2 Vende-se aberturas de linhoT)ordadas, para cal'
misas, a 2* e 3*o00> Ditas de algodao a
400 r<5is.
Cortes de caseaiira a 5*000.
Vende-se cortes de casemiras finas jara cal^as a
5*, 5*o00 e 6*
Cortes debrrmi 1*400.
Vende ?e cortes de brim db de brim de Angela a I "00 e 2*500.
Cobertas a 2*WW
Vende se coberias de chitas de euros a if.
Colchas a 2ij0
Vende-se colchas de fustiS frafa cam* a 2/, 34 8
4J.
Pale tuts a 3,000 rs.
Vende-se paletots de alpaaapreta a 3, 3,60
3,000 rs. ;.calcas de casemjra pr-ta^e de oore
letes de caseaiira prota e'ad'cores, e outfas
tas roupas feitas baratas e1 fftiendXs due'tst
quidando n-j I3;.zar .National,- a raa da Ira
Iriz n. 71
nfrHH-->
Uma propriedade drhargem da Cambfla
'do* Remedies, contendo ba'rro para toda^e
; qualquer obra, com uma grange olaria,
1 casa de vivenda e treS viveiros com peixes.
, Promette-se fazer todo e qfialquef negocio :
' a tratar com DelGm Lins Cavalcanto P,as-
soa.
--------------------------------------------------------, I,, ,i-1______
fi-PE
um scbrado em eaixio e nma casa terrea, sito a
raa da Soledade ns. 2 e S : a tratar na mesaia
rua n. 54, das 3 As 6 da tarde.___________________
Cortes de cambraia
Oreandv.

.
Organdy de acento branco e" ae'eor, com flo*
res raiudas e listras de seda e de la a 400 rs. o
covado, e fazenda de II, e i pech'ncha : s6 Da
rua do^ Crespo n. 20, loja de filberme 4 C
' j Cortes de casimira a 4$, 5$
e 6^000.
Na loja do Pavio, vende-se cortes do ca-
Diios! semira para calc,a a 45, 55 e 61I0O0, ditos
j muito fin> sde uma so cdr cots-listras ao li-
do, fazenda que sempre se voodeu a 95 e
10700O, liqui la-se a GftOOO para acabar :
& rua da Irhperatriz n, 60, de Felix Pereira
da Silva.
E' economico.

___-III--------------- ------------------!------- j----------------------------------

PREMLECfA Km
Graxa glycerina prr-pria
cordovao; vende a NOVA E
que de Caxias o. 63.
a,, a conservaeio do
iltANCA, a rua Da
A' rim do Cwhiitfrt n 1 A.
Os proprietarios da Predilecta, no intnito da
iousorvar o bom concerta que teem merecida do
respeitaveJ pyblico, disVluguindo o seu estabeteci'
mento d( mais qne nogociam no mesmo geaero;
teem seientiflcar aos seas bons fragnezes qne fn-
veniram aes reus correspondent?s aas diversaspar-
:^as d'Eunpa para lhes enviarem por lodos os pa-
quetes os objectos de luxo e bom gosto, qne se-
jam mais bem aeeitos pelas sociedades elegantes
laquelles paiaes, vista aproximar se o tempo da
festa, em qae o bello sexo desta linda Veaeza
mais ootenta a riqueza de suas toilletles ; e co-
mo ja reeebessem pale paqnete fraucez divers?
artigos da nltima moda, vaem patentear algnns
d'entre ones que se toraam mais reeommendaveis,
esperando do respertavel pubkeo a costamada
conenrreaiia.'
Aderecos de tartaruga os mais lindos qae teem
vindo ao mercado.
Albnns com rlcas eapsrs de awdreperola ds
velludo, sendo di-ersoe tamanhes e baralos pre-
os. I
Aderecos completos de borracha pn-prios para
Icto, tambern se vendem meios aderegos muito bo-
oitos.
Botoes de setim preto e de cores para ornate da
estidos de sechora ; tambern torn para collate
nalitot
Bclsas para senhoras, existe um bello sorfasen-1
de seda, do palha, de chagrim, etc., etc., por
barato preco.
Bonecas de todos os Ununhoa, Unto de looc*
como de oera, de borracha e.de massa ; chama-
mos a attencio das Exmas. Sts. para esle art^o,
pois as vezes temam-se M criancas am poaco in>
pertmentes por falta de am ob|octo qae as ea-
ireteoham.
Camisas de Iinbo lisas c com peitos bordados
para hoir.em, vendem-se por preco commodo.
Ceroalas de Hnho e de algodao, de diversos pra-
coa.
Caixinhas com musica, o que ba de mais lindo,
com disticos nas tampas e proprios para presen-
ts
Coques os mais modernos e de diversos forma-
tos.
Gbapeos para senhora. Receberam am sortimento
da ultima moda, unto para senhora, como para
menrnas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Cal^as bordadas para meninas.
Entremeios estampados e bordados, de lindos
ifisenhos.
Esoovas electrlcas para denies, tem a propne-
4ade de evitar a carie dos dentes.
Pranjas de seda pretas e de cores, exute um
grande sortizaeato de divercas larguras e barato
L
Que a NOVA ESPERANGA, a rua Duque del
Caxias n. 63, bem conhecida peiasupi'-riondade da,
seus af'igos de moda e phaataste, fca-ba de recc-1
ber diversas encommendas' de mer adorias de sua |
reparti^ao, que pela elegSneVl bem mostr* aptidao i
e bora go to de seus aritigos-'CMTespqadentes da
Europa, e por esta razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Duque de Caxias n. 6S, couvida a sua boa
e consume freguezia e cum especialidado ao sexo
amavel, a visitarcra na, afim de apreciarem aid
ondetoca oprimor d'arle.
A KOVA ESPERANQA nio querontrar no nu-
mero dos massantes (verdadeiros azucrin?) corn
extensos annuncios e nem preiende desarever a;
immeasidade de objeeios qae tem expostos a ven-:
da, o que serfa quasi impossivel, mas lirbftar se ha
a mencionaralgunsdaqBellesdemais altanovidade
e toma a liber Jade de aconselhar ao beRo sexo,!
que a visitem constantemente, para depois quo;
comprarem em ouira qualqoer parte bAo se arre- i
penderem, a vista do bom o escolhido soriimeatoi
que ha em dito estabelecimento; esta razao Um-,
bem demonstra que qualquer senhora do bom torn,
nao podera compleUr a eleameiade seu toilet:
sera que de um iasseio a NOVA ESPERANGA, ai
rua Buque de Caxias n. 63, a qual acaba de rece-
ber os seguint- s artigos de luxe .e inteiia novida-
de :
Modernas seUas para prenfderoscabellos
Primorosos leques de phan'asia.
Bonitas sahidas de bailes pan senhoras e meni-
nas.
Inlcresfante3 gravatas para senhoras.
Eleganies fachas de louquim.
Bons aderecos de madreperola.
Delicados adere^cs preios de pufa-lo e borracha
(gosto novo).
Salsa parrilria
Muito nova e grossa.
Vende-se por barato preco, am porcao ou a re-
talho : na raa larga do Rosario n. 34.
Espartilhos.
Na loja do I'avao, vende-se ospartilbos
dos mais modernos a >}S0Q e 15000 cada
um ; assim como bonttos cintos com la^os
de setim a 5?000, e sedinhas lavradas com
toque de mofo a 15000 o covado: a rua
da Imperatriz n. 60, de Felix pereira da
Silva.
Aflewld!

Jl conftii-i ia do Campos, sita a rua.4j Impara-
dor n. 24, unico estabelecimento -leste gfnero nes-
ta provincia, pmoorctona aos habluntes della as
maiores vnniagens IXlXJL
ne-
E senao vejam
uma pc9soa quizer tudo quanto e'
cosaario para
Um casamenvo
Um bapiisado .
Uma pariida
I'm cha para visitas
Um lunch
i Um lanto jantar
Nao tem mais do que ir oa mender & con-
feitaria do Campos, rua do
Imperador n. 24
Alii tambern re encarregara de bouquets, (lores
e folhas para casamento : assim come, de doceS
de todas as qualidades para embarques, e tem
ae cures unto de seda como de guipure.
duarades, 4e zaadreperola, marfim, tar-
aa-a, etc
debai'c
diversos ariig-s proprios para pre-
leBQBBOS.
, sera anssa, coaa capa de madreperola,
tartars*"', assrfiai, vt-lkido, etc.
if iaj de setim para bapiisado.
i Bordadas para senhoras.
da seda.
ia*fas.
sawai 4e urtarnga.
Tde nadreperoU.
i da audreperela.
aoras Baracaaeca.
meibcres e mais afamados
de sol pan senhoras.
las as cores e largnras.
Moscas.
jjagrets Swrar-aas destes malditos insectos? com-
i de auur mosca: pc>r 3^000
, a raa Daaaa de Caxias a. 45.
Calvice.
a raa Doqae de Caxias n. 45, ven-
:'o Vigor de Ayer, qne impede a
Saaaa
preco.
Pitas de saria. da g-rrgurao, de setim e de cba-
?loe, de diversas larguras e bonitas cores.
iTfZ trurrs^rea.lea4aSprima em coa- P PrePa"do9 fiambrcs inl^s"e te.
JI^SSI^JLT^ KXSdS. fp^SST"qualidades'empad"de cama'
^r^i^le^tSot a >a
35 ftJlSti8 B 9 ^ S9,,a braD<0S' ^! ^^^:Z!^e-i6 e bat,
GravausT^Wa homem e senhoras. Mft P^ 9". La^os de cambraia e de seda de diversas cores | A1UiteBra-s a v.sta e satwfaz-se as exigene.as
parasennora. joapaiaaar. >
Ligas de sed4 de cores e brancas bordadas part ^o na CODlieitb Tia QO Lam DOS
noiva.
Livros para ouvir missa, com capas de madre-
perola, marfim, 6so e velludo, tudo que ha de
bom.
Pentes de UrUruga e marfim para alisar os ca-
bellos ; teem tambern para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de madra-
perola, marflm, osso e dourados por barato preco.
Perfumarias. Neste artlgo esU a Predilecte bem
provida, nao sd em extractos, conio em oleos a
banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygienics,
Goudray, Gosnel e Rimel; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commodo
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a PredilecU um bonito sorti-
mento ft* diversos umanhos, unto para sofa co-
mo para entrada de salas.
Vestimentas para, baptisado o que ha de melhor
gosto e os mais moderno recebeu a PredilecU
de or arcto preco, para Scar ao alcanca
qtralqner bolsa.
Aos nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber aqnel-
les milagroses anneis electrifies, cura iufallivel dot
nervosos.
Lustres e arandelas- de vidro
para gaz
Na grande exposicao da ma do Imperador n.
35, junto ao escripfvio dd companhia do gaz, ven-
dem se os rcais bonitos e modernos lustres e aran-
delas de vidro para oaz, a.-sim como tudo o mais
qne se torna necesSafio para esse fim, sendo tndo
dos melhores fabricantes que ha nalfifilaterra. 0s
precos sao mais barattis'do que em < utra qaalqaer
parie, e cum a vantageai lecimento niandar assenUr 03 lustres ou arande-
las no lugar que 0 comprador quizer, sem que para
isso pague alguraa c.-u-a. Tanibera se compra ou
truca se lustres e arandelas ja usadas, mas qne
estejarn em cstado de poder servir.
CaldeJLisboa
25J500: a rua da Imptralriz u. 60, de Fe-.
lix Pereira da Silva-. '
Na loia do Pavao vende-se cones de eambrsia
iranspafenle com babads Jargos,,ianto braoeos
''como de cores, por baralos pre.-os, purterea at-
7{----------i----------~r.---------:------,,__ gum pequeno dffeito: a rua da Imperatriz n. W,
Cora dos eslreitatstento d orctra. de ^.x pereira da snva.___________
Engenhos em IVfaainani-
pela facil applica^ao das
SQNDAS QLIVAES
DE
GOfflMA ELAST1CA
As mais modefriW e aperfei^oaijfis de todas
as conhecidas
Yendcra-se
NA
PHARMACIA E DROGARIA
DB
Bartholomeu & C.
34 Rua larga do Rosario 34
Cortinados para camas
Na loja do Pavlo vende se um grande sortimen-
to de cortraados bordados proprias para camas e
janellas, pelo barato preco de 8, 9 e 10,000 rs. 0
ar, assim como colchas de damaseo para camas i
e noiva a 10 e 12,090 reise pectiincha: a
rua da Imperatriz n. 60, de Felix Pereira da*
Silva.
4
guape.
Vende-se os seguintes:
Barra,
Pregui^a,
e l*atricfa>.
A traUr com sens proprieUrios n;'su cidadt,
e para informacdes com Joaquim Pinto de fce:-
relies Filbo na mesma cidade de Mamamgaap*
is'so Irmaos C.
Atten^ad
Salsa par-ilha
Salsa parrillia
Salsa parrilha
tem para vender
muito nova e de boa qualidade,
Bartholomeu & C
i4Rua larga do Rosario
35.
Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios pat* senhora, ( ultima
moda) : a Magnolia a rua Duque de Caxias n. 45
e so quem tem.
Papai, mamai.
Como sao lindas as bonecas de cera que eha-
main papai, maraii, choram, andam, etc. So na
Magnolia a rua Duqae de Caxias n. 45.
Gaiolas, gaiolas.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu gaiolas de arame de lindissimos modelos,
proprias para passaros; a ellts antes que se aca-
bem.
Luvas brancas
de Jouvin : a Magnolia, a raa Duqae de Caxias
n. 45, 6 so quem as tem fres-as.
Para senhoras
Como sao lindas e modernas as gravatinhas qne
a Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, acaba
de receber I
Sedinhas a 1$500 o cov, do.
Venham antes que se acabom : na loja do Passr
a raa !. de Marco u. 7 A.
Grande liquidacao.
de miudezas e chapeos: no novo Bazar, rua
Marqnez de Olinda n. 53.
do
as desejadas lazinhas a 200
rs. o covado.
Rua do Queimado n. 43.
(Defronte da loja de chapas da Pracinha)
ELazinhas a iraiUQio de seda com fiquissimos
padroes a 200 rs. o covado. So o 43. Dao-se
amostras. Venham antes que se acabem, ____
Vende-se cal de Lisboa : na praca; do Gorpo
Santo n. 17, ansar. escrip'tono de Joaqaim Ro-
drigies Tavares de Mello.
Mt\m k Jjofl
A' H'flo a itl.ru
So na A-semblea do Commereto n. 22, rua do
Commercio, Meira & Lima.
-----------------------;----------1-, i ,., ,.,* -i i
A 120 rs. o'covado.
Na raa da Imperatriz a.^Q, vendafe para aea-
bar uma grande quantiJaJ? de las, rt'stos de di-
versos srtimeetos, desdd i20 rs. ate 300 rs.; no
tando-se que, quando havia sortimentos comple-
tos, se vendiam a 1*280 e 12600 o covado, ha,
grande vari-dade em fMdrosa. os1 que prhneiro comprar : na rua Duque de Caxias n. 88, loja
chegarem melb.r pechncha fario.a eilia a rua de Il
Imperatriz n. 60.
Chocolate hespanhol
muito lino, tem para vender ,na Assembled do
Commercio, Meir* & Lima." rua do Commercio nu-
mero 22._________________
E' baralissimo.
AttenQab.
PIAproveitem antes que se acabem, popelinas de li-
nho, padroes modetnos, pe'o baratissimo prego
de 400 rs. o covado : quem duvidar, venha ver e
de
Vejam e adrnirern.
A 500 rs. o covado.
O baratciro da rua da Imperatrizn. 60j
vende popelinas pretas coin L-iras asseti-
nadas pelo baratissimo preco de 500 rs.
covado. para acabar.
Lustres, candieiros
ij -
A empreza do gaz, tondo recebido uliimameaia
uma quautidade de lusires, candieiros, arandelas,
globos eic. etc., tudo obra de gosto e de primeir*.
qualidade ; acba seem posic3o de supprir a seuc
freguezes, por precos men. res do qae aotigamea-
te. Para verem as amostras, dirij^aMa a rua ds
Imp.rador n. 31.
Fiambres
Tem muito bons a Assen.blea
22, a do i ommercio.
do Comm-jrcij a.
Salsa-parrilha do Para
Tem para vender Antonio Luiz .!e Olivrira Aza-
vedo, no seu escriplorio, a rua do Bom Jesus c&-
mero 57.
Aos
cigarreiroB
A NOVA ESPERANGA vende
proprio para cigarros, de diversas
papel de licis
argnras.
Vende-se
Wilson Howe & L. vendeto ao seu annaies
a rua de Commercio n. 14 :
verdadeiro panno de algodao azul amencano
Excellente So de vela.
Cognac de 1* qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvlo de Pedf^de todas'as qnaUa*ades.
na rua do Vigario n. 19, prirneiro andar :
Vinho do Porto engarrafado, em barris e em
ancoretas.
t.'era em velas, de Lisboa, superior qualidade.
Retroi do Porto.
Cimento Portland, legiffmo -
de nova inveneao.
Farinha de milho
Vende-se farinba de milho moida a vapor, dia-
riamente, da 1* qualidade, para cascus, 12patacas
a arroba; da 2', para cangica e pao de provenca
a 11 patacas ; da 3*, para angu, a 10 patacas; da
4*. para mangunza, a 9 patacas : na rua do Goto-
I
Com um penteado destes pentea se uma senbo-1 d- -,
ra era dous minutos, e acha se decentementff yell *5' casa ae azulel-
penteada para um soiree, um baile, assistir ca-
; samento, e para ser noiva tambern : vende se pe-
' Io baratissimo preco de 235 cada um, e so na ca-
! sa de Odilon Duart6 & Irmao, rna da Imperatriz
n. 82, prirneiro andar. _____________J
Fuslio.
A rosa Principe Alberto.
Valsa para piano
Na loja de musicas e instrumentos de Emilio
Roberto, na rua do Barao da Victoria n. 17", acba-
se a venda esu linda valsa para piano, composicao
Fnstao branCo para ronpa de meninos a 500 rs.
o covado; e pechlncha : na rua do Crespo n.
20, loja do Guilheerm A C.__________________
na
Com este titulo acaba de se abrif uma loja
de fszendas a rua Primeiro de Margo n.
25, junto a li ja da esquina, e os proprie-
tarios estSo resolvidos a vender muito
barato para assim apurar muito dinhciro: |do maestro Candido Junior
so vendo-se.c q.ue se acredita. PreCOT$500.
ljaZinnaS. Vcnde-se duas casas na rua do Visconde de
Lazinhas de quadres pretas e braacas, a poyanna ns. 20 e 22, e urn sobrado na raa da Res- Na
oftA /...m^ .u '___a*, m.ic tauracSo n. 54. Aloga'se o aimaiem na rua do ;,o de
2*0 rs. o covado, asstna como d mats pa- Senho*r Bom Jesas 6 tudo ,rater na raa j COmo
droes; dao-se amostras.
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguezas qne vem a este mercadc
rna do Maranez de ufinda r>. 51
Vende-se um terreno com 200 palmos de
frente e 250 de fundo, tendo edificada uma casa
de madeira no fundo do mesmo, confronte ao ce-
miterio publico, em Santo Amaro : a tra'ar nc
mesmo a qualquer hora do dia^________________
Casemiras
Metins.
Metins, padrCes modernos
'
Senhor Bom Jesns n. 6 : tudo a tratar na rua
acima n. 16, das 6 as 9 boras da manba.
a28Oe30O
rs. o covado, chitas claras s escuras a 28w
Cura das hernias, pelasfun->300 r'- covado> caml>rs vietoru e
Sardas e panos.
sataaa e paaos quem quer; porque a
a raa Daque de Caxias n. 45, tem para
a TtrAaieita Cnlirajoria, jue faa desappa-
anaran eat poacos dfas.
i i i
Grande deswberta
Carativo das moleetias do
peito pelo
Taaapr ale aailphite do soda>
.%. BEat^ET
aVaf JCBartude mediCimenio que acana de
utaaa JaVpete dajifnetos D.-s Zalroni eParas-
a-s verdadeiro -peifiM ontra a
aaaaaaa provaraai aos grandee nnme
s por elks experimenUdos, como se ve
da aralemia de Paris de 21 de marco
aaao, eaeaaara-se nnicamente no
aXanWu da {harroacia e !roearia
de
-. BartkAloBuen A C.
xn Soa brga do Rosario N- 34
"ade-s^ a uveraa da rca da Ponte Velha
ili'd^dd^^aeijla e C3m ppns fmdos : a
r
das de borracha.
As melhoros e mais aperfeicoadas das ale hoje eo
nhecidas.
Vende-se
no
Pharmacia e Drogaria
de
Barlolomeo A C
A"
34. Rua l8Tga do RoSario 34
Vaccina. Vaccina. ,
Tendo o Sr. Dr. Jose Louraoco de Magalhaes,
montado na corle nm completo servicp deste ar-
tigo, tem aqui aberto nm deposlto da memo* 4
mais reCente, cajos *8Bt)8 se eoeontram na
Pharmacia e drogartt
A'
34-rua larga da Rosario 31. .
transpareuto a 3$0O0 e 3?>00 a pe^a, ma-
Vende-se
na Torre um silio com boa eastr, cool' 3 salas, 4
quartos, despensa e coiiaba, bom pdep d'agua de
beber. muito arborisado, e fora da casa uma saleta
Na loja do Pav3o vende-se nm grande sortimen-
casemiras de cores e mescladas, Unto claras
escuras, proprias para calea; paletots e co-
letes por precos muitj bara tos, assim como no
mesmo estabelecimentos se manda fazer qaalqaer
obra tendente a alfaiaie, com a maior presteza e
por precos mnito razoarels: >a raa da Impera
triz n. 60, de Felix Pereira da Silva. ___
Liquidacao de roupa feita
Na loja do PavSe- liiuMa-se nraa grande por-
; dapoloes coaa def ito a 4$O0O a pegu, raeias' c011 ( auart0 quarl0 para feitor, dito para criado, cao de ronpa para homens e meniaos.como sejam:
! para meninos o menioas a 2^000 a duzia, gallmheiro, tudo de pedra.e cal. ** de casemiras prei
brim Angola verdadeiro, com bonitos pa-
dioes a 7094%. o covado.
Chita preta com defeito a 25500 a,pecaf
] js lisas com diversas c 6res a 280* ns. o
Aproveitem
O PARIS .YAMERTCA, a rna Daque de Caxia3
ft. 59, primeiro andar, est& vendeddo catfado pelos
seguintfs precos:
Botioas de duraque pant senhora a 3.660 reis.
Ditas de dito preto a 4,000 rew.
Ditas de dito com botoes ao lado, a 4,000 reis.
Ditas gaspeadas, cano alto, para senhora, a
5,000 re s.
Ditas de pellica, ingleza, a 4,000 reis.
DjUs de duraque bordado, para senhora, a
5,000 rets.
DiUs de duraque, de eores, para menrna, a 3*.
Em qnanto e tempo
aproveitem.
calcas de casemiras pretas
Uma'casVcomiMlat 3 quartos, cozinbi e ter- os precos e qualidades jdiusde brim de An-
Tres casas pequenas, com 2 salas e 1 quarto, e fraks de panno preto e de casemiras de cores;
cozinha, porjSnto on eparado, em terreno pro-! coletes de todas as quaWas, por precos tora-
ti -jBftrtrt urn nnrTi ri tissimos, assim como grande porcao de camisas e
covado,- algodao marca T a %*oeo a pec. *, %V?errVo Pcom 30 palmos de frente e 400 de ceroulas por menos 3 0,0 do" sen
asstm como muitas outwfazendasoue,** L^ ,Snn0~3h*K? ^2?^^ do acabar :l rua da Impera.rizn. 60, i
o Desen-lRftrin n *k = a-..* t^n I reira da Suva.
VENDE-SE
Na rua do Vigario n 19, vcnde-se o. segU'Eie :
Cimento do Portland, cm r.rimeira mao.
Vinho do Porto, engarrafado, linissiino, era cal-
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, ingiez era caixas de duzia.
Vinho Collafes em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grume, idem.
Veode-se duas paries du uma casa terrea,
3lla a rua Velha n 79, com muitos bnns eoom^
des : a tratar a rua da Concetcio n. 60.
Bramante p: ra len a 1^800 2P0O e 2^500
Na loja do Pa"ao vende se srjperiT bramante
para leucoes, com 10 palmos de lurgura, que ape-
nas precisa de 1 vara I i para um lencol, seada
de algodio a 1,800 rs. a vaca, dito mats" ea-
corp'ado a 2,000 rs., dito de linho puro a 2,-tOO a
2,800 rs.; assim como aloalhados superiores, laa-
to de linho como de algodSo, por])refos muito eoj'
conta, e pe^as de algodiozinho pan lenedese toa-
lhas, tendo de 4,000 rs. para cima : a rua da Im-
peratriz o. 60, de Felix Pereira da Silva.
E' bouilo
As almofadas bordadas de la matlsadas quo ra-
cebeu a Sova Eaperanca, a rua Duque da
Caxias r "*
Aos meninos
A NOVA ESPERANCA, a rua Duque de Caxiaa
n. 63, acaba de receber um bom sorliment<* de fi-
nas bonecas que fallara, que riem-se e choran;
tambera astern mudas e surdas ou surdas-mud2s
venham ver se nao i verdade.
E' com as noiva3
A NOVA ESPERANCA, rua Duque de Caxias a.
36, acaba de receber boas raeias de seda proprias
pera noivas, e os apreciaveis ramos de larangVira
Cartes de casernira.
Corte3 de casemiras finas, gostos modorncs, a
5J500 o corte ; a elles antes que se acabem, e
pechincha: na rua do Crespo n. 20, loja de
Guilherme & C.
a Uverna sita a rua
muito afreguezada :
Rosario n. 40.
do Barao da Victoria n. 6!,
a tratar na raa estreita da
12
valor so para
Felix Pe-
torna enfadonho mencionar. So
gano da rua Primeiro de if arc/), n. 25 jun
to a loja da esquina.
Camisas bordadas.
Rosario n. 45, se dira quem veada.
Olinda n. 57, oulr'ora. poa daCadeia,
Camisas d!inha,;inrffzals, Irbrdarirt tioSti.torio dos Srs. Parente 'ViannV & C, com Jos<
du/a e a 3J?0W) cada trm. rf1&aij** b'rna do General c,or,no a
no da rua daCrespd, d?W'jtrtrtoc-a*Iftj4d,j
Veode-se uma escrava moca e de bonital ChaD^OS TWa Senhora.
flgura, sabe cozinhar 6 engomroar con* perfeicao jrD00 f ^:._!^ T! Ubr<,n _
esemdefeitos: atraUr.Ba rua do Muqnez de f ^ loja da Passo, a raa-Pnmeiro de Marco n.
nooscrip-!7 A, recebeu um rico sortimento de chap6oa
Jos6 para senhoras, pretos e de cores.
nna.

1'iL >
? -
taazmhas barata^
?fa loja do rVaoV'pafa liqrirJar, vemfeisiS
fittra pbir^go d& liazmhas de dArtS para
vestido*, tendo de1 890 rs. para cima ; Srt-
sim como ditas com listras de seda muito j
PARA LUTO
E' muito barato!
Popelinas de seda, fazenda' rMefrantante nova
a 1*000 o covado : so no Bazar das Familias, a
rua do Duque de Caxias n. 60 A, ae Reis. e Silva
& Guimaraes. ________ .
Vende-se um casal de esoravos, aeosturaados precos'baratissimos ; tambern uma grande porcao fisadb pela transaccio.
ao serviQo de engenho, por n/gcisao de dinhei- i ie cnaies preto3 de las a 4,000 rs. por estarem nm --------------------jf~
Rua do Cabygd 12
LIQUIDACAO
de joins de ouro, prata o'pedras preciosas.
Onro de lei.
Correntes do ultimo gosto, a oitava
Alfinetes para retrato, circulado de
perolas
Idem idem idem esmearladas
Idem idem idem robins
Relogios de prata bem donrados, de loj> a
Relogios para senhora, de ouro, de 40$ a
Ricos aderecos com pedras finas com
50 0,0 de abate.
Bonitas pulseiras do ultimo gosto com
50 0|0 de abate.
Brincos de phantasia dos mais bonitos
que tem vindo ao mercado, de ist a
VolUs com um bonito laco, por menos
'' do qae se vende em ouira parte.
Bonjtas cacpletas, Unto para senhora
como para homem.
Anneis de diversos feides, de it a
Pulseiras de cobra de coral por 60 OiO
de abate.
Tendo o proprietary deste esUbelecimento rece-
bido uma grande porcSo'dejoias dos ultimos gos-
5*500
55*009
604000
65*0 0
301000
80*000
I0JMI
20*000
Vende-se chiUs inglezas pretaa com pintas a
200 rs. o^covado, diu franceza mnito tina,Unto lisas
como com pinlas de 320 rs. para cima ; cantarj _.
preto a 800 rs. e muito fiao a 1,000 rs ; bc**a-' tos de Paris, e por precos ja resumidos, participa
zinas, princezas e alpacas de todos/os precos ; a todos os seus freguezes; bem como ao respeita-
lazinhas preUs lisas de 400 ate 500 rs.; assim Vel publico, qua se acha sempre prompto a servir
como nma grande porcao de retalhos Unto de' com toda a exactidao como costanja; certos da
chitas preus como de las, qae se vendam por qUe passara um recibo, pelo qual fica responsabi-
----------
bonitas a 6iO rs. o covado ; alpacas de cO- j "-L** pnad'09 e de bc a cond : na frate89a d0 j poaco rnssos : a rua da Imperatriz a. 60, de Fa-
listras de seda de 640 rs. para \C*^S. Pereira da Silva.
res com
cima : & roa-iJe Imperatriz n. GO, de
Vende se um pequencOitio
Pereira da Silva,
" l.| *.......J
Grande liqiiiidacaa.

. Beberibe, todo planudo de differenses
| cacimba de agua de beber, ca a de telha com
raeFuadao, em
frticteiras,
ex-
De calcados, fltas de saija largas a
tudo o mais concernente a uma loja de miudezas:
rua da Imperatriz n. 86.
. cellentes madeiras e qerto da estaeao, por com-
, modo preco : a tratar no porto do capim n. 39,
" nn nn moamr
Colchas para camas
Na loja do PavSo vende-se colchas de fustao
brancos, para cama a 2,500, dius de dito de cor
. a 4,000, cobertas de chita e de cretone, de 2,ooo;
estreUas, e oa no me9l" 'ngar com o deae. ___________;__ l para Cima e ditas de metim escarlate forradas com ,,
a rua da Imperatriz n. 60, j
Vende-se duas apolices da companhia do
Beberibe : a tratar no largo do Carmo n. 1.
madapolao a 5,000 :
de Felix Pereira de Silva.
li8fl!ISftS.
Camisas francezas brancas de algodao fino coat
frizodecor a 2*000uma, em duzia a 23*000;
e pechincha: na raa do Crespo n. 90 loja da Gai-
Iherme k C_____________'
Para, concertar meias
A NOVA ESPERANgA, a rna Duqae de Canal
n. 63, recebeu desu necessaria liirba.


ZKario de Pernambuoo Terga feira 29 de Setembro de 1574.
inTERATURA.
Ttos
De
AO MIX IfcOAO O M. JOSE FELIX
OA CUSMX HEHEZES.
lm amplitilf plait sans I tude el
art. Boileau fEpitre IX)
I
ogaUe,
&paz :
* boras,
boje te demons ? !
> aaooo do leme,
Be pe:
pteguigoso,
tao orioso
Jose.
Lf
e a Urrafa,
Kaa*>:
woto levaado
a fanoa*, e ospalhando
So chao.
da rede
Roida :
oaoaoi men brrgeirc.
esta redo primeiro
i owda de eoabira
Eaacoda:
Trax oa cooaboea a (arinba,
I as bolipi tmrnnittha
IU veodt.
I*i
O anzol ?
que o vento
Tom moraen..
Oaol.
Joa^oaaocodo leme,
Jd vai:
-%cM depress esta vela,
Itnz d aajacfla jaoolla,
lota esta vela
carregedo
i f Qoe taxes parado,
i asoordas e ocoflb
"Sos nemos:
* aaaos oorrer este mundo,
- pones graodes do fondo.
asq nemos.
(oooo too meu charuto
Acceader.
o as Sagas trouxeste ?
9 astacas, teesqaeceste
Oi
Mate
d'aoajtlla moita,
1 baacar a poita,
Hacbao.
p'ra baixo.
o rollo oa praia
0*0 te caia
So pe.
a quebranga
Doaaar :
*-* fe*s* oaapauTa a jangaua.
*^ao anootao a amaresada
qoe a outl ?
se Tern ella,
qoe n aquella
Eu too.
escorrega
vojeliawian p'ra o banco,
iaos qoeo aaar daodo no trauco,
Te qoeira.
Si coo reb-fo da lua.
\
.
Ufora?
tuer agora ?
O qoe e?
II
oa bkha.
I40 ji a oela, o o traquete
o oorraoo e o cacete.
Detraz.
o oesao mudado
Sti ja.
de manjuba,
smaralhuba
Li sti?
ji mrripiJ
P'ra alii:
Hfce o xrtarro pintanio;
' J vtoa ole carojando
P'ra'qoi.
Hirio a poata com geito
No mar.
t't-oas a greoeara, eestefeix.
l oases, qoe eu qoero efte peixe
Cercar.
(..a a lamia, e estas iscas
La itta, a aaar: sti fria,
ocuta pescaria
Terenaas r?
Puis a tarraJa.e a grozeira :
Caoiado
pa* a peue oio vi s embor*.
t s ftr,... oa 6co agora
ido.
esta poita
Ho aaar.
I-.j a joi ji sti vasio,
Hsaszgonao baixio.
Ill
esta vela,
it
>aae deste
oordeste.
eoto fresco.
mundo,
do fond':
Meslre, olba o rabo de gallo
- Ho peo :
Isso e* o tempo maldito
Que vem. Mestre, quo bonito
Xareo !
Vira de bordo, p'ra fora
Rspaz :
Enlrega ao ventp estas velas,
Vu a dri^a, que puxa ollas
P'r'ltraz.
IV
Meu mano, arria esta poita
Mo mar :
Oi-mo o corrico, a chumbado,
Oue eu quero d'aqui a urn nada
Pescar.
Ferra esta vela e o traquete,
Jose.
0 ceo sti maito escameuto,
t' signal de cbuva ou vento,
Naoe?
Se a cascalbada do lesto
Vier,
E a mare \irar p'ra o norte T
Sera" meu mano, o que a sorte
Ouizer.
t' muito bomobai'xio
P'ra no* :
Quanto peixe t Que bom dia !
Eugoda o anzol, e arria
Veloz.
Atira ao mar estas Gtas,
E o pente:
Olba a mai d'agua cantando I ?
Ji ella estava esperando
Contente 1
Hoje sim : (rapaz enrola
A vela)
Sapateiros nSo iremos,
Nem amassados seremos
Por ella.
Bom : ji no anzol, urn dourado
Senti:
Que lindo caramuru !
lira um gut- no aracambu,
P'ra ti.
01c : escoteia estas velas,
Hapaz ;
Quero arrastar o dourado,
Ji o bicho estu ferrado,
Li atraz.
Di-me ligeiro esta fisga,
Jose :
No li tambem meu cacete,
Que sti mesmo do traquete,
Ao pe*.
Arre, que custei ao bicho
Matar :
Di-me o meu c&cumbuzihho,
Que eu ji quero este bichinho
Sangrar.
Muito -caipora estis hoje,
0 que ba?
Quem sabe se o anzol tem isca .'
Olba quelageira arisca
VemlaT
Este anzol na pedra afia
Tambem ;
tngoJa-o jd n'um momenta,
Aproveita, em quanto o vento
N8o vem.
Mestre, quo grandesioba
Ferrei ;
Escoteia li p'ra fora ;
0 dia i Nossa Senbora
Eu dei.
A pindapoia fazermos,
Jose.
Hnje mesmo nao podemos,
Porque muito peixe tamos.
Ate.....
Arrastei quatro cavallas
N'uma hora,
E tres agulbo-js bandeira,
Dous xernes, uma lageira,
Agora.
Esqueci-me do dourado,
Rapaz :
Como vai boje a jangada,
Tio alegre e carregada
Li atraz I?
OIha p'ra o sol, ve li que horas
Serao ?
Quatro horas ? vamos erabora,
Levanta a poita : demora !
Pois nao I
Arriba da minba vista
Peroi
A cajazeira da serra.
Amura e cassa, que a terra
Eu vi.
Li p'ra boquinha da noite
Iremos
Levanta r os munzuis,
E depois nossos piguds
Busquemos.
Rapaz, que nuvem tao grossa
Li vem.
Nao tarda que a chuva caia,
E n6s tao longe da praia
Tambem !
Aperta o torno e que frouxd,
Tbome :
De terra ji statnos perto,
Mas o mar sti t5o deserto
JoseT!
Li vai um papu no sangw:
Do mar :
Rema ligeiro p'ra terra,
Que o c&> sti preto que atterra
Andar.
Que n6s tinbamos miu tempo,
Previ :
Mio viste um carapiri,
Quando eu deitava o puci
Alii ? \
Sentido, metie de 16
Jose*.
E vamos ji n'um costar,
Entra amura, olba o mar
Tbome.
Este temporal i.ao tarda
Cair :
Di-me outro remo, meu mano,
Vamos ji desse tyranno
Fugir.

Folga escota, que o mar grosso
Sti ji :
Anda rapaz, que raofleza,
Tu uao ves a correnteza
Que esti T
Cuidado co'o arrecife,
, i., Thome1 :
0 vento esti muito forte,
E a mare* corre p'ra o norte
Se amanba der-nos o tempo
Lugar,
I Os munzuis tiraremos,
! Qoe agora nada pudemos
No roar.
Por pouco que sobre as pedras
-Nu.s vamos :
Rema p'ra terra, ligeiro,
iSen&o aqueile aguaceiro
I.evamos.
'>
Que correnteza oa praia; '$
Rapaz:
Rema, rema que preguice,
Atira ji esta drica
P'ra traz.
Bern : ji stamos quasi era terra,
Meu mano:
Enrola a vela e o traquete,
Li vai cabindo o cacete,
E o panno.
Isso e temporal do sul,
Que vem :
Quando aonda chega, e espraia,
Olba o sargaco na praia
Que tem ?

Ora, ora, ora, salta era terra
Bregeiro:
Vai ji o rolo buscar,
Para a bichinha rodar,
Ligeiro.
Anda, aproveita a"quebranc,a,
Jose":
fippressa encalha a jangada,
Sentido na maresada,
Tuome.
Li vem Estacio arribado
Tambem:
Arre, co'a mare*, que tombo,
Ve rapaz, no bordo o rombo
Que tem.
Faz a jangada depressa
Rodar.
Li vai a onda levando
0 coffo, e os peixes deitando
No mar.

VI
Bern
por hoje estamos feitos,
Ora, ora :
Vai guardar rapaz a poita
Debaixo daquella moita
Agora.
0 mar dd nessa jangada
Alii,
Puxa p'ra cima raais ella:
Espicba bera esta vela
P'ra aqui.
Anda com isso ligeiro,
Rapaz ;
Di-me os.peixes, c6ffo, e os remos,
Que breve em casa estaremos,
Em ,paz.
Stendeste a rede p'r'o vento
Seccar?
Ole como carregades
N6s vamos, e tao cangados
A andar T!
Nossa cazinha de palha
.Li sti:
Apressa os passos bregoiro
Vamos andando ligeiro
P'ra li.
Bom : ji em casa contentes
Cbegamos :
Meu mano empurra esta porta,
Ou,... como ella toda torta
Achamos!
Isso quem fez, foi o vento,
Rapaz.
Vamos o peixe arriar,
E todo ella pesar
Li traz.
Chega fregueza, p'ra o peixe
Comprar :
Bern : stamos feitos agora,
E varaosji sem demora
Brincar.
VII
Temos pandeiro,
Temos canzi,
Temos colriia,
Temos pigud.
Gozinha o peixe
Sinhi Chiquinha ;
Pedro-sereia
Traz a canninha.
Rufa o pandeiro
Toca a sambar,
Chora a viola
Que eu vim do mar.
Abre esta esteira
Ahi no chSo,
P'ra u6s comermos,
N'osso den tao.
A casa 6 sua
Chico-biquara.
Entre e se sente
Nessa taquara.
Prima Miuda
Vai na vmdinha,
Compra um resqmrlo-
Si de farinba.
Fecha esta porta
Que o vento empurra :
Trouxe compadre,
Sua bandurra?
Ze -caipora
Sti tao calado,
Com a comadre
Stis enfadado ?
Ji sti escuro
Pedro-sereia,
Accende um toco
Dessa candeia.
Manoel-barriga,
Sem ceretnoma,
Chupa esta espinha
Com cachimonia.
Sti muito gorda
Esta alvacora :
Sua saude
Ze -caipora.
Rufa o pandeiro,
Chia o canzi,
Chora a viola,
Quem cantari ?
Compadre Antonio
Mais um copinbo,
Que 6 da branquinha,
Do curralinbo.
Ou... engasgou-se
Tia Joaona ?
Se fdr espiuha
Coma bauaua.
Mane-barriga
Sua. saude.
Para que Deus,
Sempre lbe ajude.
Bravo, frstis vendo
Zebayacu,
Que iiodo brinde
Fez Cabussu T
Rufa o pandeiro,
Toca a fo'gar,
Chora a viola,
Que eu vim do mar.
Compadre sente-se
Nessa tarynba,
E vi tocando
Sua marvmba.
E Andresurdo
Que nio comeu ?
Quer da branquinha,
Prirao Memeu ?
Sua saude,
Fold da Penha.
Do seu defunto
A quem Deus tenha.
Pula p'ra frente,
Joio-tempeiro,
Alegra a casa,
Com teu pandeiro.
Pedro-sereia,
Mais um copinbo,
Que e da branquinha
ho curralinho.
I. muito tarde,
Vao descaugar,
Para amanba
lrmos p'ra o mar.
Caia o pandeiro,
Pira o canzi,
Guarda a viola
No samburi.
E se o mio tempo
Lugar nos der...
Te amanba
Se Deus quizer.
Bahia.
D. JOAO'JINA I. N. DA CUXUA MENEZES.
tregue nas mfios do seu projurador na
proxima re'juifio do tribunal.
EXCENTRICIOADES AMERICANAS.- Os
norte-atioricanos leuaram sempre a palma
em excontneidade a todos os povos da ter
ra. NSo ha muito que o cidadao de Rich-
mond, Mr. Sorel, se apresentou na repar-
Qio depolicia, louco de terror, chorando e
dizendo que lbe haviam roubado um filbo.
Com effeite, um menino de quatro annosha-
via desapparecido de oasa. 0 commissario de
policia, commivido com a dor vehemente
daquelle pai, ordenou logo as raais activas
pesquizas. A' noite nio se fallava em outra
cousa em llicbmond. Toda agente-se in-
teressava por Mr. Sorel.
No dia seguinte o Richmond Ledger pu-
blicou um aviso, recebido mysteriosamente,
exigindo 20:000 dollars pela entrega do
menino. Entio a indignacSo foi geral,
sabia-se que Mr. Sorel era pobre e nio po-
dia apromptar tao aoasideravel quantia.
Depressa se abrio uma subscripgao ; em 24
boras se reuniram mais de 15:000 duros;
em outras vinte e quatro esperava-se c >ra-
pletar a somma. Porem eis que o Ri-
chimond Ledger publica um novo aviso
exigiudo agora 25:000 duros.
Os habitantes da cidade estavam furiosos
contra a policia, e el las mesmos se presta
ram a procurar os sequestradores. Os
dollars attluiam i subscripgao ; mas no ou-
tro dia um terceiro aviso elevou a somma
doresgate a 30:000 duros, adverttindo que
se era poucas horas se nio pagasse, o pai
receberia uma orelba de seu filbo Ire
monda situacio 1 Naquella mesma noite
Mr. Sorel rtcebeu um papel que coiitinba
uma orelha ensangnentada e estas palavras :
Amanba a outra ; e muito breve a cabe-
5a. Tiuha-se reunido graode multidao
em redor da casa onde gemia 0 desgracado
pai, quando, oh I fortuna I 0 menino appa-
rece slo e salvo contando que havia rogrado
escapar-se is maos dos sous roubad>res. e
que a orelba tinba sido cortada de um ca-
daver.
Sem embargo, como nos Estados-Unidos
todo 0 assumpto de sentimento e" tambem
assumpto mercantil ; de prompto se apre-
sentou a Mr. Sorel um emprezario offere-
cendo-lhe grandes lucres se 0 deixasse ex-
por 0 menino ao publico, mediante um dol-
lar de entrada por pessoa. 0 negocio le-
vou-se a cabo e os ganhos ao bolso. Mas...
quedesenlace I .. passado algum tempo, a
policia descobrio que toda a nistoria do se-
questro havia sido uma farca, disposta pelo
pai e polo emprezario, afim de apaoharem
os cobres ao publico.
VARIEDADE
ENVENENAMENTO PELOS CARACOES.
Eis uma noticia que vai dar que pensar
aos affeic,oados aos caracoes, cujo consumo,
someate em Paris, se calciila em centenas
de milhoes, que representam um valor de 4
a 5 milhoes de francos.
Os carocoes podem, em determinados
casos, converter-se n'um veneno e ultiraa-
mente contaram-se no Meio-dia da Franca
muitos casos de enveoenamento perfeita-
mente caracterisados. Grande numero de
pessoas, depois de os terem comido em maior
ou menor quantidade, sentiram vomitos,
nauseas, spasmos, collicas, etc., sendo no-
cessario langar mao de contra-venenos para
conjurar 0 perigo.
Veja-se agora o resultado das observacdes
que se fizeram em consequencia destes en-
venenamentos.
Como os carac6es se alimentam em ge-
ral de vegetaes venenosos para 0 homem,
taes como 0 loureiro rosa, etc., os consumi*
dores que commettem a imprudencia de co-
mer estes raoluscos sem os lavar com sal,
correm risco de envenenar-se de repente,
absorvendo materias essencialmente vene-
nosas.
Prova a justeza desta obiervagio 0 nao
ter-se dado caso de envenenamento algum
deste genero durante 0 inverno, quando os
caracoes estao encerrados na sua concha e
passam muito tempo sem tomar alimento
algum.
POSTOS METEOROLOGICOS.Os jor-
naes inglezcs mencionam os importantes
servicos feitos i navegarao pelo Centro me-
teorologlico, fundado ha 4 annos pelo almi-
rante Fitz Roy.
Ha estabelecidas nas costas de Inglaterra
10 estagdes dotadas de anemographos, e
29 telegraphicas unidas entre si, que po-
dem transmittir instantaneamente as suas
observacdes icerca da forga e direcgao
dos ventos. Aos navios que passam pro-
ximos dellas participa-se as variacGes do
tempo, afim de quetomem as disposigdes
convenientes.
Da estatistica do anno de 1870 a 73 re-
sulta que em 1870 se realisaram 63 por cen-
to das observacOes transmittidas : 64 por
cento em 71; 80 por cento em 72, e 79
por cento em 73.
Annuncia-se igualmente em Inglaterra a
invencao de um instrument baseado em
observagoes magoeticas, destinado a annun-
ciar os teraporaes que periodicamente rei-
nara nas costas de Franga e Inglaterra; este
apparelho, devido ao habil physico inglez
Mr. Owen Rouland, tem dado excellentes
resuHados nos ultimcs vendavaes.
MAIS UMA.Segundo refere um periodi-
co dos Estados-Unidos, tendo-se apresenta-
do ultirnamente uma negra moga e elegan-
te nos jardins do Tivoli de Chicago e pedin-
do um copo de cerveja, foi lbe negado por
causa da c6r do seu physico.
No dia seguinte apresentou-se um protes-
to no cartorio do tribunal do districto, di-
zendo que a pessoa em questio nio era
uma negra, mas sim uma mexicana, des-
cendenle em linha recta dos Montezumas e
que pedia 10:000 duros por perdas e dam-
nos que lbe haviam causado, negando-lhe 0
copode cerveja, cuja quantia pede sej-i en-
MISCELLANE4.Falleceu em Pau a con-
dessa de Bardi, na idade de 19 annos. Era
irmi do ex-rei de Napoles e da duqueza de
Parma, e havia poucos mezes que se casara
eora 0 conde de Bardi, sobrinho do conde
de Chambord.
Em Paris acbam-se expostas ao publi-
co as pinturas decorativas d esti nada s ao sa-
lao de descanco da Nova Opera. Dizem que
sio soberbas, e que o seu autor, 0 Sr. Ban-
duy, levara oito annos a executa-las.
Dizem de Wiesbaden, que 0 presbyte-
ro Augustio, preso ultirnamente a bordo de
um vapor do Rheno, por ter proferido in-
juries contra 0 imperador da Allemanha,
foi condemnado a dous mezes de prisao
pelo tribunal correcional de Wiesbaden.
0 tunnel de S. Gothard, necessitari
ainda raais de seis annos para concluir-se,
sendo uma obra t8o collosal como a do tu-
nel do Monta-Cenis. A longitude total do
tunnel e de |li,000 metres. No fim de ju-
lho havia 1,956 metres perfurados de ara-
bosos lados e no 1" de outubro haveri 2,400
metres de modo que a partir desta data, fi-
carao ainda 12,500 motros para perfurar 0
que representa 2,100 metres para cada um
dos seis annos que resta ainda para 0 prazo
do contrato, isto e, de seis metros diarios.
Actualmente o resultado diario e menor,
durante o mez de junho foi so de 3 metros
por um lado e 2 pelo outro, desde 0 prin
cipio do agosto foi de 3 e meio metros por
um lado e 1,85 pelo outro, 0 que prefaz
um total.de 5,35.
Ensaia-se em Franga um novo systema
de aquecimento de wagons por meio de
uma dupla corrente de ar quente. Para
um wagon de terceira classe, uma tempera-
tura de 15 a 20 grios constante nSo cus-
tard mais de meio centimo por viajante
n'uma extensao de 100 kilometres.
0 Gaulez falla da prisao em Nice do
capitao Donneau, como cumplice da evasao
do ex-marechal Bazaine.
Todo 0 material de guerra tornado
pelos prussianos aos francezes, durante a
guerra de 1874, isto e, baionetas, espadas,
espingardas, pegas, esti sendo transformado
para se armar com clle 0 exercito allemio.
Chegou a Paris, procedente de Diep-
pe, a celebre cantora Adelina Patti.
Em um dos numeros da Gazeta de
Colonia, vem publicado um curioso estudo
sobre a ety:nologia do nome do principe de
Bismark. Segundo 0 autor do artigo, este
norae viria por corrnpgSo de Btschoff, bis-
po, e mark, limite, fronteira e signiticaria
por consequencia. fronteira do bispo, isto
e, circumscripgao episcopal. Os antepassa-
dos do chancellor do imperio foram effecti-
vamente, os primeiros personagens do bis-
pado de Halberstadt
Dizem de Souabe, que uma parte da
fabrica de espingardas da casa Manser, si-
tuada em Oberadorf, foi ha dias presa das
chammas. Os trabalhos da fabrica foram em
consequencia deste sinistro interrompidos
por alguns dias, )mas recomegario breve-
mente.
Verdi em uma carta que dirigio ha
pouco i Ricordi, queixa-se amargaraente de
ter sido oxecutada em Ferrara, por uma
troupe, e n'uma arena a raissa de Requiem
que escreveu para Manzoni, bem como. de
ter sido tocada no piano em Bolonba, a
mesma partitura.
Teve lugar ultirnamente em Mertbyr
Tydvil (Paiz de Galles), um meeting de mais
de 50,000 operarios das minas de carvio
que se exploram n'aquellas redondezas.
Por uma maioria de 26,000 votos decidio-
se aceitar as propostas offered das pelos pa-
troes, isto i, uma re Jucgao de 10 por cento
sobre os salarios, reducgao que deveri du-
rar por ospago de quatro mexes consecuti-
vos, com a condiglo, pore'm, de que seri
nomeado um conselho conciliador formado
por operarios e patroes, como so pratica
nos outros condados do norte de Inglaterra
e especialmente no Staffordshire.
Foi assassinado na ilha de Jeso, no
Japio, 0 Sr. Luiz Haber, consul da Allema-
hha naquella localidade.
Foi nomeado pelo ministro de instruc-
gao publica de Franga, para director do
Tercetrg-Theatro-Lyricp-Crancez, o Sr.
Bagier. Ease deveri dar 210 ?epreseutagdes
por anno 00m operas ou operas ooaaicas.
Offembaeh, actual director do theatre
da GaiU, de Paris, acaba de abrir um con-
curao para inciUmeoto dos jovens autores.
0 primeiro preraio 6 destinado ao composi-
tor francez, autor da melhor opera comica,
propriamente dita, que for apresentada i
direegflo do theatre*. A peca laureada seri
representada em s-guida tres mezes. 0 ou-
tre premio destina-se a racompensar 0 au-
tor francez que apresentar uma comedia ou
drama, em um acto, em verso. A pega se-
ri tambem representada tres mezes.
-7 No dia 1 de setembro, teve lugar na
igreja da Paz, em Pootdam. a coniirmagao
solemne do filho do principe imperial da
Allemanha, em presenga do imperador, da
imper membros da familia imperial, do principe
de Galles, do gran-duque de Saxe-Weimar,
generaes, funccionarios e representantes das
municipalida-les de Berlim e do Postdam.
Segundo as estatisticas oificiaos ulti-
rnamente publieadas, a exteusao total das
grandes .luibas de caminhos de ferro aus-
triacos em 1873 elevavase a 7,622 kilo-
metres; a extenfio total dis qoe se acbara
em construcgao elevava-se a 1,146 kilome-
tres. 0 ministerio deu alera disto 39 con-
cessOes novas. Existem alii 2,369 locomo-
tives. 5,218 wagons de viajantes e 34,114
de mercadorias. Relativamente i roarinha,
a Austria possuia naquelle anno 6,648 na-
vios, de 273,214 toneladase tripoiados por
21,689 marinheiros. As machinas a va-
por representavara uma forfa de 18,103
cavallos. A totalidade dos vapores era de
99.
Durante 0 anno de 1873, nos diver-
sos caminhos de ferro de Inglaterra, Esco-
cia, Irlanda e piiz de Galles, houve 1,373
pessoas mortas el, 110 feridas. Entre os
primeiros contam-se 160 viaja.tes e 776
empregados ou agentes de eorapenhia. 0
numero total dosj viajantes transportados
nessas linhas foi de 455.329,188 e o nume-
ro dos que morreram foram 0 na proporgao
de 1 por 11,383.804.
Dr. inglez Hooker observou ha pou-
co que a folha da diooca expe.imenta tolas
as contracgoesde um estomago de animal,
quando se uolloca nella uma mosca. Os
phenomeuos de sucgao e de absorpgao sio
absolutaraente identicos. Quando ajguma
mosca pousa na folha, esta fecha-se logo e
succa a sua victima, matando-a. 0 mesmo
caso se di collocando-se uma pouca de car-
ne de boi. 0 queijo, porem, e para ella co-
mo um veneno, pois asecca. As substancias
mineraes deixam-u'a insensivel.
Pelo ultimo correio de Tokoama rece-
beram-se noticias do Japio. 0 Mikado ex-
pedio um decreto em que prohibe dirigir
aos japonezes convertidos ao christianismo
o injurioso epitbeto dekueits (diabos) e dis-
pensa os mesmos de contribuirem para cou-
servagao dos templos pagios. As tropas
japonezas da expedigio de Formosa occa-
pam-se com toda a actividade em des-
truiras aldeias dos selvagem canibaes, que
ainda nio ha muito assassinaram uns
naufragns japonezes. Segundo parece, des-
appareceu todo 0 perigo de uma guerra en-
tre a China e o Japio, por motive da indi
cada expedigio.
0 governo chinez comprou i Dina-
marca 0 vapor encouragado Dinamarca,
construid0 em 1863.
UM SUICIDIO.Um dos principaes ne-
gociantes de Paris, o Sr. Hautemulle, gran-
de armador e estofador que morava na rua
I.aflite, enveneoou-se, sendo precedida a
sua morte de circumstancias verdadeiramen-
te dramaticas.
Durante 0 dia esteve no theatre da Ope-
ra comica, a vigiar os trabalhos de restau-
rgio quese estavam fazendo, e is seis che-
gou i sua casa e poz-se a jantar com sua
mai. Durante 0 jantar travou-se entre os
dous uma discussao, por causa de querer
elle mandar seus filhos para a Allemanha,
em quanto que a avd desejava que conti-
uuassem em Paris, discusio que, apezar
de ser acalorada, nio degenerou em dispu-
ta. 0 Sr. Hautemulle pareceu ter cedido e
encaminhou-sc com a miipara 0 seu es-
criptorio.
Agora, disse' dei\ando-se cair n'um
sopbi, vou enrenenar-me.
E antes que a Sra. Haute.nulie podessc
refazer-Se do seu assombro, tirou um pe-
queno envoltorio da secretaria e engolio 0
seu centeiido.
Que acabas de fazer, perguntou lbe a
mai.
Acabo de envenenar-me, responded
muito soceqado.
Ao ouvi-lo, a senhora Hautemulle sontio-
se incommodada e cahio no canape.
0 Sr. Hautemulle acudio pressuroso a soc-
correr ; deitou-lbe agua no semblante e le-
vou-a para uma'janella.
Depois cntrou a correr pela casa como
um doido, gritando:
Soccoro Morre minha mai !
Foi buscar 0 medico da familia, que bre-
ve fez tornaremsi a Sri. Hautemulle, eo
qual, vendo o estado de exaltagao em que
estava 0 filbo, recommendou-lhe que se
deitasse ; este, porem, deu um passo para
traz, revelando no semblante um grande
soffrimento ; arrancou de repente os botdes
da sobrecasaca, soltou dous gritos roucos e
cahio no cha 1 como ferido pelo raio.
Estava morto.
As causas deste suicidio sio inexplica-
veis.
0 Sr. Hautemulle era rico e.apreciado
por todos.
0 enterro offectuou-se com assistencia de
grende numero de negociantes.
0 suicida deixou tres filhos.
RELOGIO KILOMETRICO.-Esti cha-
mando a attengio em Franca um relogio
kilometrtco ou pedometro destinado a me-
dir 0 caminho percorrido por om peio.
0 relogio levase no bolso dp casaco,
tendo 0 cuidado que vi sempre em posigio
vertical. Comega a funccionar quando 0
caminhante di 0 primeiro passo, augments
de velocidade, diminue ou pira ao mesmo
tempo que elle. 0 quadraote esti gradua-
do em 12 kilometros ; porem a agulha co-
mega de novo uma voIta,|ao termiuar a en
terior, sem difficuldade alguma.
Antes de 0 empregar deve regular-se por
meio de um pequeno ensaio, percorreodo
meio kilometro, por exemplo, e se nio esti
bem graduado adianta.se ou atraza-se como
um relogio por meio de uma chave regula-
dora.

4.
i
:
- \i
TYi' DO DUUtO..SUA DUQUB DE UUi^
1
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET0RTGH0U_QTPWRJ INGEST_TIME 2014-05-28T01:22:09Z PACKAGE AA00011611_16516
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES