Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16507


This item is only available as the following downloads:


Full Text
~T"
t : v.

.'.-. '
.-
ANNO L. MJMERO 212
'TV
PARA A CAPITAL B LUG ABBS 0\DE KKO SB PAG A PORTE.
For tres mezes adiantados. ^ ............ 69000
Perseis ditos idem. .'.............12*000
Por um anno idem.................. JijpOOO
Cada nuraero avulso _.......:........ }3}Q
*.
SEXTA FEIRA 18 DE SETEMBRO DE 1874
PARA DKXTBO E FOR A DA PB VINCI A.
Por tres mezes adiantados.......,.......
Por seis ditos idem...............
Por note ditos idem ..............
Por am anno idem. ... ...
1790M
I
PROPRIEDADE DE MANGEL FICUEIROA DE FARIA ft FILHOS.
AiGriiiTvnnss
ft In. Gerardo Antonio AWe.d Filho., no Parf; Goncalte, d Pinto, no Maranhio; Joaquim Jose de Olireir. dFilho, nocLr.; Antonio de Lemu. Braga, no Ar.catj 5 Joio Maria Julio Chrras, no As.6; Antonio Marque. d. SUt.. NatH ; Jose Justino
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, a Parahjba ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Penna; Be'armino do. Santos Bulcio, em Santo Ant< ; Bomingos Jose da Costa Brafa, emHaxareth,
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Jolo Antonio Machaeo, no PilaNas AlagOas; Aires d C.,na Bahia e A. Xavier Leite d C. p Rio Janeiro-
PARTE OFFICIAL
Governo da provincia.
tXPHHTNTB DO DIA 21 DE .\3IUL DE 1874.
1." sccaw.
Offlcios :
. Ao brigadeiro commandante das armas.Ve-
rficaudo-se pelos documentos annexos ao reque-
r.meulo de Joe da Silva Torres, sobre quo iufor-
;.. v.i V. Exc. e.M ofllcio de lioutem datado, sob
u. 308, e pela declaracao espontauea d) soldado
\oluutario da companhia de cavallaria, lgnacio
Gomes da Silva, ser esie escravo daquelle, aulori-
:o V. Exc, dos terraos da citada informacao, a
raandal-o eliroiaar da referida companhia, e fazer
delle entrega a seu senhor, logo que esie prove ha-
ver iodemuisado a fazenda national da iraporlan-
oia despendida ale o preseote com dilo escravo.
Ao mesrao.No caso de nao servir para o
exercito o recruta Bernardino Ferreira dos Smtos
r.'commendo a V. "Exc. qae o faca apresentar ao
capita) do porto com dostiuo ao servico da arma-
da.
Ao engenheiro das obras militares.Para quu
se possa resolver sobre a olferta de trezentos mil reis
qae, segunJo a proposta aanexa ao seu officio de
uontera datado, sob a 8!), faz Lasimiro Jose de
l-'reitas para a compra das madeira* em uiao es-
Vmc. emitta o seu parecer acerca do valor das
referidas madeiras. Quaolo a obra da substitui-
cao de pane do encanamento d'agua da mesma
tortaleza, para a qual nao appareceram concurren-
les, deve vmc. anuunciar nova praca.
2.' secrao.
Actos :
0 presidente da provincia, attendecdo ao que
requereu o bacharel Francisco Teixeira de Sa, juiz
Ue direito da comarca de Goyanna, resolve conce-
der-lbe 3 mezes de licenoa co u ordenado na for-
ma da lei para tratar de sua saude, onde Hie con-
vier.
0 presidents da proviocia attendendo ao que
requereu Melquiades Manuel dos Santos Lima, ca
pitaoda 3' compauhia do 4* batilhao de infant iria
da gaarda nacional desie mumcipio, e a informa-
cao do respectivo comm indante superior, de 20 do
correute, resolve, de conformidade com o art. 45
do decretojn 1130 de Iz de mar^o de 18'i J, mendor
que ao dito capitao se de guia de passagem para o
iuunicipio de Olinda. oade ?e acha residindo.
Officios :
ao Exm. conselheiro presidente do tribunal
da relacao.Digne-se V. Exc. de emiltir o seu pa-
recer, a respeito do que tratain 6s papeis inclusos,
(|ue em original remetto a V. Exc, os qua-s oppor-
tuna men le devolvera.
Ao Dr. ehefe de policia. Respondeodo ao
officiode V. S,de hontem, sob n. .">31, tenhoa di-
ler-liw, que opportunameate jra augmentado com
duas pra;a3 o destacament) de policia existente
na cidade de Olinda.
Ao commandante superior do Recife.Para
03 tins conveniences cnnmunico a V. S, que por
lortana desta data, raando qne se de guia de pas-
eagem para o raunicipio de Olinda, de conformi-
dade com a sua informacao, em otlicio de 20 do
correnle, ao capitao do 4 bataltio de infanlaria da
gaarda nacional sob seu commando superior, Mel-
quiades Manoel dos Santos Lima.
Ao tenentecoronel chefe de estado maior da
gaarda nacional dos mun cipios de Flores, Villa
I'-slla e Ingazeira, Francisco Manoel de Siqueira.
liecommenlo a V. S, q'ie asiu:na o exercicio de
cliefe do estado maior da imarda nacional desses
municipios, e o de commandante superior interino,
visto como o actual chefe de ejtelo maior Izidro
d^ Cruz Siqueira nao deve conservar-se n'esse
exercicio, nao so porque pcrdeu o respectivo posto
deixando do soiicitar em tempo a ua patente, se
tio tambem porque fol V. S. reintegrado nesse
mesmo posto, e assim e que de-e exerceTo.
Ao commandante superior da gU3rda nacio-
i .! de Flores, Villa Bella e Iogazeira. Por nao ter
\. S. solicitado em tempo a sua patente de tenunte
coronel chefe de estado maior. segundo declara em
sea ofllcio de 26 de marco ultimo, perdeu este
posto, e qualqu^r outro que anteriormente Ihe te-
cha sido conferido, em face do que dispoe o art.
7J do decreto n. 722, de 2/ de outubro da 1854,
E porque o coronel Fraoc so Miguel de Siqueira.
reformado em 11 de maio de 1867, foi reintegrado
no posto de t nente-corouel chefe de estado maior,
en 6 de outubro de 18o!t, a ellc- deve V. S. passar
immeliatamente o exercicio d;sse commando su-
perior.
.\o jaiz de direito de Oimbres,Estando coa-
: nuaJos os reparos da caoeia desta comarca com
o '.enente-coronel Severiano Monteiro Leite, pela
iiuantia de 4:7853496, e convindo que essa obra
seja fiscalisada por pessoa de circurnspeccio e cri-
I'-rio da mesma localidade, tomo o alvitre de re-
ommendar a Vmc. a respectiva liscalisacao, e
c ,ntando com a seu zelo e interesse pelo bem pu-
i'lieo, espero que Vmc. aceitara essa commissao.
3.' sec^Ho.
\cto :
0 presidente da proviocia, attendendo ao que
expos o inspector da thesouraria provincial, em
0 ficio de 18 do corrente, sob n. 179, resolve de
conformidade com o disposto m art. 10 do regu-
lamento de 30 de abril de il873, nomear o cidadio
Simio Chrisostomo de Souza, para exercer o lugar
de collaborador da collectoria provincial do muni-
cipio de Ipojuca.
Officios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. abonar ao Barao de Aracagy. aos Drs.
Antenio Joaquim de Moraes e Silva, lgnacio Joaquim
d3 Souza Leao, Manoel Arthur de Hollanda Ca-
valcante de Albuquerque e ao major Francisco
Raphael de Mello Hugo a a.uda de casto qae Ihes
c -mpetir na qaalidade de depatodos a assemblea
gern legislativa por esta provincia, visto terem de
secruir brevemente para a corte, devendo esse abo-
ej ser effectuado sob a responsabilidade desta
p.isidencia se para isso nao nouvercredito.
Ao mesmo.Em vls& das comas juntas, que
me remelteu o superintendents da estrada do fer-
ro do Recife a S. Francisco com officio de 17 do
corrente, mande V. S. pagar a importancia de
2720O, prcveniente de transportes dados nos trens
da mesma eHrada, durante o mez de marco ulti-
mo, por conta do ministerio da gaerra.
Ao mesmo.Transmitto a V. S. para os fins
convenientes, as inclusas noias do gaz consuniido
darante o mez de marc.o ultimo, com a illaminacio
dos qaarteis do 2* e 9 batalhoes de infantaria, de-
iiosito de recrutas, companhias de cavallaria e de
operarios militares, e bem ;issim com a do hospital
milltar. .. ^ .
Ao mesmo.Participando me our. mspe-
cior da saude publica em officio de 20 do corrente
rue por conveniencia do servico publico, demelti-
ra o guarda daquella repartigao, Jose Beierra de
Magalhaes, e nomeara para substituil-o o cidadao
Flavio Ribeiro de Vasconcellos; o qae commani-
co a V. S. para os fins convenientes.
Ao mesmo.Para os fins convenientes com-
launico a V. S. que em 2;i de margo proximo fin-
do assumio o exercicio do cargo de jaiz municipal
ue Garanhuns o respectivo sapplente Joio Cor-
reia Brasil, conforme participoa em officio da
mesma dan.
Ao mesaoo.Para os fins convenientes, com
xnanico a V. S., que em 12 do corrente entrou no
gozo de uma licenoa, o ba.'harel Manoel Lopes da
Cunha Maciel, juir de direito inferino da comarca I rente, sob n. 29. commnnico a V. S. que o Sr. a*>
de Garanhuns, conforme parlicipou em officio da
mesma da mesma data.
Ao mesmo.Para os lins convenientes, com-
munico a V. S. quo em 7 do corrente assumio o
exercicio interino do cargo de jaiz de direito da
comarca de Garanhuns, o respectivo jaiz munici-
pal Mauoel Lopes da Cunha Maciel, conforme par-
licipou em ofllcio data.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Mande Vmc, nos lermos da sua informacao de 10
do corrente, sob- n. 158", pagar ao pharmmeeniico
Claudino Augusto de Lagos, a quantia de 60*, a
qae se refere o men offl:io de 10 de fevereiro ul-
timo, pelo tratamento dos paizanos policiaes e'pre-
sos pobres feridos em deligencia no termo do Li-
moeiro, visto estar saaada a irregularidade de que
se resentiam os documentos que incluso devolvo.
Ao mesmo.Mande Vmc. pagar a Domingos
Ferreira das Neves Guimaraes a quantia de......
413*880 constante da conta junta, proveniente de
ubjectos por elle fornecidos para o expediente da
secretaria desta presidencu.
Ao mesmo. Mande; Vmc. pagar a Adelino
Sabino de Almeida Andrade a quantia de 504
constante da conta junta, 'proveniente de alaguel
no termo de Barreiros
do tres mezes da casa que
serve de cadeia, a contar dp Janeiro a mar?o deste
anno.
Ao mesmo. Era viita das inclusas contas,
que me remetteu o superintendence da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco, com officio de 17
do corrente, mande Vmc. >agar a importancia de
46*550, proveniente de irai sporles dados nos trens
da mesma estrada duranle i mez de marco ultimo,
por conta da provincia.
4.' sec{ iio..
Actos :
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o professor de inslez do gyranasio pro-
vincial, Dr. Felippe Nery (lollaco, resolve conce-
der-lhe dous mezes de licen a, com ordenado, para
tratar de sna saude.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu a professora la freguezia de Muri-
beca, Maria Leopoldina Machado de Mendonca, e
ten Id em vista a infonna;ao do director geral da
instruccao publica, de 17 d corrente, n. 126, re-
solve coDceder-lhe sessenta dias de licenca sem
venciraentos para tratar de sua saude.
Officios :
Ao inspector da saiilj publica. Mande-V.
S preparar e remetta a secietaria desta presiden-
cia uma carteira com medi lamentos homeopathi-
cos e iostruccoss apropriadas ao tratamento da
variola, alim de serenviad: ao presidente da ca-
raara municipal da villa de Oaricury. Recom-
mendo a V. S. que attenta a distancia do lugar
Sara onde se destina a ca teira, devera ser mui
em acondicionada, atim de i ;uese nao deteriorem
os medicament is.
Ao mesmo.Fico cero pelo officio de 20 do
corrente de haver V. S. por conveniencia do ser-
vi;i"i puDlico demittido o gui rda dessa reparticSo,
Jose Bezerra de Magalhaes, h nomeado para sub-
stitui-lo o cidadao Flavio Hit eiro deVasconcellos ;
o qae nesta data commaniq lei a thesouraria de
fazenda para os fins eoaveoie ites
Ao commissano vaccin; dor provinciaL Re-
metta Vmc. com nrgencia a secretaria desta pre-
sidencia algans tubos com p is vaccinico, allra de
serem enviados ao presiden e da camara munici-
pal da villa de Oaricury.
Ao subdelegado de Tim laiiba, Manoel Gomes
Cavalcante. -Fico certo, pelo officio que Vmc. me
dirigio em 2 de dezembro i Itimo, de considerar-
se exlinclas a variola e febres que grassaram nessa
freguezia desde junho do ann> passado. Cabe-me
louva-lo pelos servigos quo pustou em t;io crilicas
circumstancias, e recommend r-lhe que transmitta
iguaes louvores aos demais rpembros da commis-
sao de soc:orros. Quanlo ao cidadao Baldomo
Amando Freire, encarregado do curativo dos indi-
gentes, ja expedi ordem a thesouraria de fazenda
para pagir-lhe omo remunsracao de seu traba-
Iho a quantia de 600|, segaudoos atlestados que
comprovam o bom desempen io de semelhante in-
curabencia.
5." secrao
Ac to :
0 presidente da provi icia, attendendo ao
que requereu o Deutsca Bras lianische Bank, re-
solve, de conformidade com os arts. 13 e 46 do de-
creto n.,2,711, de 9 de njven bro de 1860, decla-
rar consiituida nesta proviccia uma agenda do
mesmo banco.
Officio :
Ao engenheiro Victor F urnie, chefe da re-
particao das obras publicas.Um resposta ao offi-
cio de Vmc, de 17 do correnti, sob n. 98, acom-
panhado da planta e orcami nto para o asylo de
alienados, e a sua carta particular, de igual data,
em que externa suas ideas com relacao ao as-
sump to, declaro-lhe que ach i ponderosas as ra-
zSes por Vmc allegadas para lao se fundar o pio
estabelecimento na ilha do N >gueira, a qual esta
pela natureza destinada a out os misteres, e con-
vido-o a ir examinar o sitio cenorainado Tamari-
neira, propriedade dos orphao sob a administra-
cao da Santa Casa de Misericoi dia.
Si do exame Vmc. achar qu e o dito sitio offere-
ce as convenientes condicoes, -eqaisite desta pre-
sidencia os respectivos titulos alim de levantar a
planta.
Devolvo-lhe as plantas e oi gamento que acom-
panharam seu officio, visto se ter de levantar ou-
tra em face do terreno escol lido, a qual devera
ser organisada, tendo antes em eonsideracao asin-
geleza do que a sumptuosida le, sem prejuizo das
necessarias accommodacSes.
O or^amento que Vmc. live de organisar deve-
ra versar sobre as despeza a fazer-so com as
obras necessarias ao pessoa administrative c a
parte do edificio, que compirtar 150 a 200 alie-
nados.
Outrosim, o piano do mes no edificio deve ser
organisado de modo qae no futuro possa ser aug-
mentado consideravelmente, sem prejuizo das
constructs qae tiverem sido feitas.
EXPEDIENTE DO SEt HETABIO.
2.' secfao
Officios:
Ao chefe de policia.D< ordem do Exm. Sr
presidente da provincia coma unico a V. S., qae
nesta data se aatorisou o inspictor da thesouraria
provincial a raandar pagar t Adelino Sabino de
Almeida Andrade a quantia de 504, em que im-
portou o aluguel de tres mezi s da casa que em
Barreiros serve de cadeia, ; i contar de Janeiro a
marco deste anno, como se vnlica da conta que
veio annexa ao officio An V. S., de 18 do carrente,
sob n. 529. ,
Ao 1." sapplente do jai municipal e de or-
Shaos de Garanhuns, Joao Coi reia Brasil.0 Exm.
r. presidiums da provincia nanda accusar o re-
cebimento do officio de V. S., de 23 de marco ulti-
mo, ommanicando ter assam do na mesma data o
exercicio do cargo de juiz mu licipal e de orphaos
desse termo.
- 3." sec$ao.
Officios :
Ao inspector da thesour iria 'provincial.De
orlem de S. Exc o Sr. presii.ente da provincia,
commanico a V. S. para os 1 us convenientes. que
por portaria desta foi data foi nomeado o cidadao
Simao Chrysostomo de Soazaj >ara exercer o lugar
de cobrador da collectoria pi ovineial do raunici-
pio de Ipojuca.
Ao mesmo. De orde n de S. Exc. o Sr
presidente da provincia, e set undo o officio d<^ (,
putado Dr. Manoel do Rego Barros de Souza Lelo,
quese declarou residir em J ib )atao, reside no -
genho Gurjaii de Cima a 6 leguas desta capital,
alim de ser corregido esse eagano, mandando-se
pagar ao referido deputado a ajuda de casto qae
Ihe cumpetir.
4.* seccao.
Offlcios:
Ao seoretario da assemblea provincial.
N. 82. Manda S. Exc o Sr. presideote da pro-
vincia qae on remetta a V. S. para ser apreseafa
do a assemblea provincial, o ofllcio junto por co-
pia, qae ao mesmo Exm. Sr. dirigio em data de
17 do corrente, sob n. 177. o inspector da thesou-
raria provincial, solicitando a abertura de am
credito exttaordiario na importancia de .....
I5:478ai60 para occorrer a despeza, nao decretat
da, com e pagaraento de juros das apolices emitli-
das por conta do emprestimo autorisado na lei n.
1,115, art. 37, visto ter-se esperado essa omissao
dentro do X* semestre do corrente anno linanceiro.
Acompanba nm original a demou-tracao appeusa
ao referido officio, do calculo relativo a emissao
ja effectuada e a provavel pelos fundamenlos nella
assigaalados.
Ao mesmo.N. 83.De ordem de S. Exc
o Sr. presidente da provincia, e para que a assem-
blea provincial resolva como entender em sua sa-
bedoria ; remetto a V. S. por copia o ofllcio que
ao mesmo Exm. Sr. dirigio o Sr. inspector da the-
souraria provincial em 17 do corrente, sob n.
173, acerca do occorrido na appiicacjio do 11 do
art. 15 da lei n. 1,115, relativamente ao iraposto
alii decretado dutinctamente sobre o vioagre im
portado e o contumido na provincia. Va> em ori-
ginal as informacoes que acompanharam ao referi-
do officio.
5.* seccao.
Officios:
Ao engenheiro chefe da repartigao das obras
publicas. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. qne nesta data offlciou ao
Dr. juiz de direito da comarca de Cimbres, recom-
mendando-lhe a liscalisacao das obras da respecti-
va cadeia ; conforme solicita em seu officio de 18
do corrente, sob n, 109.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao S. FranciscoDe ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, declaro a V. S., em res-
posta ao sea officio de 17 do corrente, que nesta
data se providenciou no sentido de serem satisfeitas
pel as reparticoes competentes os pagamentos das
qaantias constante* das contas que vierara jun-
tas ao citado officio, provenientes de passagens
dadas nos terns dessa estrada de ferro durante o
mez ultimo, por conta da provincia e do minis-
terio da guerra
N. 246.Pernambuco. Reparticao das obras
publicas, em 27 de agosto de 1874.Dim e Exm.
Sr. Agradeco a V. Exc. a portaria de 18 do cor-
rente, pela qual fica desde ja a miuha disposicao
o edificio da escola modelo, para o lim indicado
era meu officio de 7 do corrente, sob n. 231, ate
que Jse concluam as obras da ponte da Boa-
Vista.
Vou atilisar-me da autorisacao de V. Exc, e
trato de empregar o Sr. Gustavo Mermoad no le-
vantamenio da plaota da cidade do Recife, de ron-
formidade com as indicaeoes contidas em meu of
ficio supraraencionado.
Ainda que a portaria de V. Exc, de 18 do cor-
rente, me pareca approvar implicitamente o em-
prego do Sr. Gustavo Mermoud como geometra
aaxihar durante tres meses, do 1 de setembro
ao 1* de dezembro, com os vencimentos mensacs
de 225*. lalvez que essa approvacao nao seia suf-
Dcieutemente precisa para evitar qualquer diffl-
culdade da parte do thesouro provincial.
Rogo, pois, a V. Exc queira ter a bondade de
formular expressamenu essa autorisacao.
A proxima commissao de um engenheiro da
provincia ao serlao, ordenada por V. Exc, nos
obriga a organisar desie ja as bases da consti
tnicao do servigo da costa da provincia, afr.n de
ntilisar essa viagem o melhor possivel.
Os engeoheiros auxihares, com que eontava
para me auxiliar nesta organisacao, nao poderao,
como eu ja fiz observar a V. Exc. em meu reia-
torio de 7 do corrente, achar-se aqui e principiar
seus trabalhos antes do fin do anno. Eu fisaria,
oois, muito embarac.ado, ea razao de minhas oc-
cupacoes ja maltiplicadas, senao tives3e a felici-
dade de ter em minha companhia por alguns
mezes o meu pai o Sr. Victor Fournie, professor
de raatheraaticas, qae, tendo viodo visitar sua fa-
milia, consentio, a meu pedido, em demorar-se
algum tempo mais. afira de prestar ao servico da
costa o poderoso concarso de seus conhecimantos
mathematicos e astronomicos.
Ninguera melhor do que elle poJe ensinar aos
empregados do servigo os methodos mathemati-
cos, sobre os quaes repousa a geodesia, e redigir
as iu3truccoe3 segundo as quaes deverao.ser fei-
tas as operates da carta. Accrescenlo que meu
pa[p)dera, ao mesmo tempo, organisar na repar-
ti.ao o ensino da geometria elementar cuja ne
cessidade expuz era meu relatorio de 7 do cor-
rente, para o lim de habihtar um pessoal de con-
ductores e apontadores das obras publicas, deze-
nhistas, mestres de obras e agrimensores.
Esse ensino, uma vez organisado raodestamente
t jria am futuro o uma verdadeira importancia
para o progresso material da provincia.
Quanto aos detalhes, refiro-me ao relatorio de
7 do corrente, approvado por V. Exc.
A dura^ao da commissao. que seria confiada a
men pai, pode ser liraitada ao lim de dezembro do
anno corrente. 0 service ficara organisado com
pletamente, e o mathematico deixara a direc^ao
da execugao ao engenheiro auxiliar queneste m-
tervallo sera contractado para a direccao do ser-
vico topographico. E' pois durante os quatro
mezes que decorreram do 1* de setembro a 31 de
dezembro deste anno que eu peco a V. Exc. au
torisacao para conQar ao Sr. Victor Fournie pai,
professor de mathematicas, o ensino dos methodos
mathematicos e a reducQao das instrucgdes neces-
sarias a constituicao do servico topographico da
proviocia e a habilitacao de alumnos que poderao
depois ocenpar uliimamente os empregos vagos
no quadro do pessoal to:hnico das obras publicas.
Para essa commissao dever-se hia naturalmente
garantir ao Sr. Victor Fournie pai uma gratifi-
cacso mensal igual a que V. Exc fixou no re-
gulamento de 8 de juiho do corrente anno, para
o engenheiro principal auxiliar, chefe do servic i
topogaphico, e esta gratificacao se determina as-
sim, para um engajamento de dous annos: ven-
cimentos do 1 anno 3:2004. do 2 3:2004, ajuda
de casto. 1:2004, somraa 7:6004, sendo por mez
i|24 desta somma-316466J.
Em resumo, para levar a oxecacHo as conclu-
soes de meu relatorio de 7 do corrente, ja appro-
vado em principio por V. Exc, o para ntilisar
energicaraente o tempo qne vai decorrer ate qne
esteja completo o qiv liares, de cuio eiigajamento so trata na Europa,
proponho a V. "fixe. qo' autorisft ao director das
obras publicas, a e-jrpregar temporanamenle, a
partir do I* de sc\embro do anno corrente :
!. Durante ''.oatro mezes, ao professor Victor
Fourni6 pai. n0 en9ino do3 methodos matheraa-
ticos e n_ r'ejaccao das Instrucc5es, quer para a
constit'^ dQ g*erTjC0 topographico da provincia,
qu?'. _ira a jngtruccao do futuro pessoal technico
..as obras publicas, com uma gratiflca^ao men'al
de 3164667.
2.' Durante tres mezes ao geometra Gastavo
cipio do Recife, com u na gralili ucio menial da
225 0.
Deas guarde a V. Exc Illm. a Exm. Sr. Dr.
Henrique Pereira de Luc-ma, mui digno presi-
dente da provincia. Victor Fournie, engenheiro
director.
DESPACHOS DA PRKSIDKNCIA, DO DIA lt> DE SETEMBRO
DE 1874.
Companhia do Beberibe.Passe portaria eonce-
dendo a autorisacao pedida.
Demetrio de -Gusmao Coelho. -loforrae o Sr. ins-
pector do thesouro provincial.
Francisco Xavier Alvesdos Santot Lima. Infor-
rae o Sr. inspector da thesouraria de fatenda.
Irraandade do Senhor Bom-Jesus dos Passos da
igreja do Corpo Santo. Informe com urgencia o
Sr. inspector do thesouro provincial.
Joaquim Herculano Pereira Caldas Junior.In-
forme o Sr. commandante do corpo de policia.
Tenente coronel Jose Soares de Mello Avilim.
Informe o Sr. engenheiro chefe da reparticao das
obras publicas.
Joaquim Maria da Conceicao.Seja posto em
liberdade.
Jovino Bandeira.Deferido com o officio desta
data, dirigido ao thesouro provincial.
Jose Matheii> Pereira da Silva.Deferido com
officio desta data, dirigido a thesouraria de fa-
zenda.
Dr. Luciano Xavier de Moraes 5armento.-Sim,
nos lermos do requerimento, e em vista da infor-
macao do provedor da Santa Casa de Misericordia,
le 14 do corrente sob n. 136.
Bacharel Lycurgo de Albuquerque Nascimeato.
Deferido com o officio desta data, ao Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Luciano Magalhaes Ribeiro. -Iodeferido em vis-
ta das informacoes do thesouro provincial.
Maria Rosalina de Souza Guimaraes.Informe
o Sr. director interino do arsenal de guerra.
Manoel Victor Fernandas Barros.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Jose Bispo.Remettido ao Sr. inspector
da thesouraria de fazenda para attender ao sup-
pi icante.
Paulino Jacob do Espirito-Santo.Informe o Sr.
general commandante das armas.
Tenente coronel Severiano Monteiro Leite.De-
ferido com o officio desta data ao Sr. inspector do
thesouro provincial.
0 mesmo.Deferido com o officio desta data ao
Sr. inspector do thesouro provincial.
Valente tSi Irmao.Informa o Sr. inpeclor do
thesouro provincial.
Reparti^iSo da policia.
!. seccaoScretana de policia de Pernambuco
17 de setembro de 1874.
N. 1137.Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que for im hontem recolhilos adetengiio os seguin
tes individuos:
A' ordem do Dr. deiegado da capital, Lulz, es-
cravo de D. Itulina de tal, por andar fugido.
A' ordem do subdelegado do Recife, Francisco
Lebrei. a rcquisicao do consul iiglez.
Em 29 de agosto ultimo, no lugar denominado
S. Pedro do districio. do Tani, do termo de Buiqne,
Herculano Augusto de Barros e teus sobrinhoi
Manoel de tal e Joaquim de tal, crimin>soi de
mone, no termo > de Garanhuns, assassinaram a
facadas a Joaquim de Araajo Cupira, conseguin
do evadir-se os delinquents, contra quern proce-
deu-se nos termos da lei.
Deus guarde a V. Exc.-Illm. e Exm, Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, digno pre-
sident da provincia -O chefe de policia, Anto
nio Francisco Correia de Aranio
S^LSSlT^HSSH' igai"r FirminB *Z "*,' dal arcbnfctt da secretaria, pelo irabalho qua fa;
SASa^SJS!*^ZHbJ**!*!!!*!*!*- ^ en,prego.-Gi-------f .
r. BH>aiaKOK Pinlo. pela ordem, pe-
de e a casa cooseole na retirada da sna emeoda
(agencia tklegrapiiica havas reuter. )
Paris us. O raiididnlo bonapnr-
isia a oleicao d um deputadt* pelo
dvpartamenlo de Maine et Loire
reliron a sua caiididatara.
c otnir.iK i ti:s.
LonilreH lo de seleinbro. A laxa
do desconto continua a ser de 9 e
3/4 por cento. Consolidados de 3 /
FOR ACCOUNT, A 9* 5/8. Fllildos lirasi
liiros de r "o. do anno de 186S, a
09 1/S i ditos do Uruguay de O % do
anno de 1871. a 04 !/* ditos argen-
(inos de e %. anno de is*l,a 9t.
Os preros do ciiiv- vao subindo. Mer-
cado de care sent alterafao.
Near-York IO. -Cambio sobre I.on
dres 4.841. omo lOO 3/4. Carrega-
nentos de cafe do Rio fair a MB e good
a 19 3/8 cents por libra. Algodao
mediano lpi.vnds a IS 9/8 asms por li-
bra t chegaram lioje aos portos da
America do ><>ri- 5.000 fardos.
Mrrrponl Mercado de aio-
dao firniei venderam-se lioje 1.1.000
fardos dos quaes '.000 de proce-
dencia da America do Sul: o fair de
Pernambuco e de Santos a 8 d., e o
dito de Mai'i'in a 1 "i H d. por libra.
Antuerpla 16.O mercado de cafe
vai melborando.
HamburgolG.O mercado de cafe
esta animadu 1 lotes do averagf. de
Santos vend cram-mo a s.
Havre 1 o. o mercado de eafe me-
lborando 1 venderam se 3.SOO sac-
cos do bom ordinarto do Rio dc 91
a!? francos.
Harselha f. Cafe do Rio bom
ordinarlo a 91 francos.
ACF.NCIA AMERICAMA.)
\.\\ 'rpi)ol fa de setembro. Algo-
dao : mercado firme, sem alteracao
de precos 1 venderam-se hoje ".000
saccas de procedeneia brasileira.
Assucar > o mercado continua Ur-
ine ; as cotac6es de hoje foram para
o da Babla 1*8 a SO/6, e para o de
Nazareth 16/6. Cafe 1 do Rio ven-
deu-se a Y4I/6 e 7t>. Couross mer-
cado flrmisslmo.
Havre 16. Cafe 1 venderam-se
boje 3.300 saccos. sendo o do Rio a
91 e o de Santos a 97. Algodao:
mercado limit-, o de Pernambuco
96. o de Sorocaba 9t. Venderam-
se hoje I.SOO fardos. Conros : mer-
cado flrmisslmo.
Paris 16. O republlcano Rodis-
sat foi eleito pelas Antllnas.
PEMAMBUCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL
SESSAO ORDINAUIAEM i DE JUNHO.
PRRSIDBNCIA DO SR. FERREIRA DB AGUIAR.
Vinte minutos depois de meio dia, achando-se
presentesos Srs. Oliveira Andrade, Antonio Pau-
nmn. "no, Ratis eSilva Tiburcio de Magalhae', I.IW
secretario da assembly provncial.de 18 irj ^f. I Mermoud, no levantamento de plantas no muni-1 Rego, Goncalves Ferreira, Ueooa Lavaicanie, ma-
Portella, Camboim, Arruda, Felippe de Figneiroa,
Domingos Pinto, Cunha Cavalcante, Alipio Costa,
Goes Cavalcante, dympioMarques,Caspar Drum-
moad, Pinlo Pessoa, Gomes Parente e Vieira de
Mello, faltaodo sem causa participada os Srs. Sou
n Leite, Peretti, Arconcio, Gondira, Travasso de
Arruda, Tito, Dario e Laeerda, abre-se a sessao.
E' llda e approvada a acta da sessao ante-
cedente.
0 Sr. 1* secretario leu o segainte
EXPEDIENTE :
I'm ofllcio do seeretario do governo da provin-
cia. remettendo 0 quadro supplementar da divida
passiva da provincia.A' eoramissaadeorjaraento
provincial.
Sao lidas e approvadas as redaccoes dos projec-
tos de orcamento municipal, da reforma da instruc-
5io publiea e de ns. 43, 50 e 60, todos deste
anno.
Sao lidos, apoiados, postos em discussao e
sem debate approvados, is seguintes pareceres :
< A commissao de fazenda e orcamento nao
achando razao na reclamacao de Mr. E. Dumas,
consul de I-'ram.-a, re lain-,, men to a restitui^ao, de
subditos de sua nafao, de metade do imposto Ian
cado sobre joalheiros no exercicio de 1870a 1871,
por quanlo nao fazendo a lei respectiva differentia
entre nacionaes e estrangeiros, de modo 3 serem
estes obrigados a uma imposicao mais nonrosa e
por conseguinte nao dando-se 0 caso de violagao
do art. 6 do tratado de 8 de Janeiro de 186!; e a
commissao de parecer que nao tern lugar a resti-
tuii.-iio de que se trata.-Sala das coramissSes, 3i
de maio de 1871. J. P. Barreto de Hello Bego.
Goncalves Ferreira.
c A commissao de fazenda e orcamento, para
dar parecer sobre a peticao junta, de Henrique Au-
gusto Millet, precisa que pelos canaes competen-
tes sejam ouvidas as reparticoes de obras publicas
e de fazenda provincial.Sala das commissoes, 19
de maio de 1874./. I'. B. de Mello Bego.Go*-
gakes Ferreira.
< A commissao de fazanda e or;amento nao po-
dendo dar parecer consciencioso sobre a peticao de
Joaquim Jose Ferreira da Rocha Junior, fornece-
dor dos presos pobres da casa de detencio, por
nao ter juotado documentos, que podessem escla-
recer a commissao; e de parecer que seja a mes-
ma petigao remettida ao Exm Sr. presidente da
provincia para tomal a ua eonsideracao que me-
recer.Sala das commissoes, 30 de maio de 1874.
J. P. B. de Mello Bego.Goncatccs Ferreira.
E' lido, apoiado, julgado objecto de delibera^ao
e vai a imprimir 0 seguiute projecto:
A commissao de ordenados, tendo examinado
a pelicao e d -cumentos de Gnilhennina Basilissa
de Oliveira e Silva, professora jubilada da povoa-
cao de Queimadas, em que pede se Ihe mande
pagar os ordenados correspondentes a -s mezes
que decorrem de margo do anno passado ate 29
de Janeiro deste anno, data em que foi a snppli
cante jubilada, justifkand) a sua falta de (re
qUencia durante 0 periodo allegado com attestados
de professionals que a consideraram impossibili-
tada por molestia, de estar em effectivo exercicio
do seu magisterio, attestados estes que fundamen-
tarara a juuilarao da snpplieante com ordenado
corresp indente ao tempo de servigo ; attendendo
a procedeneia das razoes e documentos exhibidos
pela snpplieante em sua peticao, e de parecer que
seja d -ferida com 0 seguinte projecto de lei :
A assemble legislativa provincial de Pernam-
buco resolve:
c Art. unico. Fica 0 presidente da provincia
autorisado a raandar pagar a professora jubilada
Guilhermina Basilissa d'Oliveira e Silva, os orde-
nados que lbe sao devidos desde 0 mez de marco
de 1873 ate a data de sua jubilacao.Revogadas
as disposigdes em contrario.Sala das comraiss5es,
30 do maio de 1874.-2'. de Arruda.T. de Ma-
galhaes
O Sr. Tolentino de Carvalho (pela
ordem) declara que no resumo da sessao de sab
bad 1, publicado no Diario de hoje, se Ihe attribue
a autoria de um requerimento, apresentado alias
pelo Sr. Gaspar Drummond, para qne fossem pu-
blicadas as emendas entao aprcsentadas ao orca-
mento provincial.
Reclama, portanto, contra esta inexactidao, por-
que nio quer que pesem sobre a sua responsabili-
dade actos que effectivamente nao praticou.
ORDEM DO DIA.
Continua a 3J discussao do projecto n. 35 des-
te anno, orcando a receita e nxando a despeza para
0 exercicio de 187475 com as emendas apoia
das.
O Sr. Olj mpio Harasses -(.\":io devol-
veu seu discurso.)
Sao lidas, apoiadas e entram conjunctaniente em
discussao as seguintes emendas :
N. 204.Ao art. 15 13.Em vez de 4 rs.
diga-se 2.Ratis e Silva.
t N. 20o.-Subemenda a de n. illEm lugar
de 10 annos, diga-se seis annos.Antonio Pau-
lino.
t N. 236,-Subemenda a den. 135.E a 1:200*
0 do mordomo do mesmo asylo.Pinto Junior.
t N. 207.Ao art. 13 j 13.Em lugar de 4 rs.
diga-se 2 rs.Pinto Junior.
a N. 208. -Substitutivo do 13 do art. 15.4rs.
por kilogramma de generos de estiva importados
exceptuados a farinha de trigo. bacalhao e carne
seenAlipio Costa.
a N. 209.Additivo a eraenda da commissao so-
bre dividas de exercicios fiodos aecrescentese :
A Thomaz de Almeida Antanes a importancia de
93*320, gratificac2o que devia perceber como es-
crivao da fazenda provincial darante o tempo que
interinamente exerceu esse lugarG. Parente.
a N. 210.Art. additivo.0 2* official do con-
tencioso da thesouraria provincial sera n archivis-
ta com a cathegoria e vemimentos de official.
M. da Silva.
N. 211 -Ao art. 15 i 56.-Em lugar de I 0/o
diga-se 2 O/q.M. da Silva.
N. 212.Art 4 II.Accrescente-se : inclu-
sive a quantia de 5:000* para pagamento dos pro-
fessors* e anobiliamento da escola modelo Joao
Barbatho.-Tolentino de Carvallto.
t N. 213.Eraenda ao additivo que tern 0 n.
121.Suppriraa-se 0 membro da clansula 9.*
Na clausula 8 accrescente-se, depois de magiae
acrobalicas.Figuciroa.
t N. 214.Eraenda ao 3 do art. 33-depois
das palavras que for necessarie para os concertos
e construcgio mais urgentes das matrixes, accres-
cente-sesendo tres conns para a conclusao das
obras da matrix de Serinliiem.G. Drummond.
N. 215.-Art. 15 5 -Em vet de 800 rs. di-
ga-se 11000./. Mello Rego. Gongalves Fer-
reira.
N. 116 -A' emenda n. 150 do Sr. Tiburcio,
diga-se 4 O/q e nao 4 1/2.J. Mello Rego.Gon-
calves Ferreira.
N. 217.Ao art. 28.Accrescente-soe 0 di-
rector, da escola normal, pela creagio do enrso
para 0 sexo feminino tera 2:400* de ordenado e
1:000ft de gratificacio.J. Mello Rego.Goncal-
ves Feireira.Tolentino de Carvalho.
t N. 218.Artigo.-Fica a junta administrativa
da Santa Casa de Misericordia do Recife auturisa
da a permutar por apolices geraes on provinces,
osterrenos devolutoseos predios que necessity
rem granles reparos, pertencontes ao patrimonio
da caridade. J. Melllo Rego. ^ Qongalves Fer-
reira
t N. 2I9.-AO g 3 do art 1Accrescente-se -
incmsivB ^ gratiflca^ao de 200* annuaes ao om-
sob n. 141, e aa substiiuicao pela seguinte :
45 rs. por litre de gsoebra, Heores e outra-
bebidas espirituosas ou ferraentada-, cxeeptaados
os viBhus seccos qae pagario 15 rs > a qual t
apoiada e eotra em discussao sob e mesmo na
mero.
*tr. tonntivm Ferreira pede e a ca
sa conseate na retirada na emenda n. 20i.
o Sr. Felippe de Fis;eirM faz algu
mas considerac^ies, defendendo 0 additivo qu
apresentou relativamente ao theatro de Santa Isa-
bel e oppoodo-se a emenda n. 196, apresentad*
pelo Sr. 01 ympio Marques.
Nmgiiem mais pedindo a palavra, procede-se a
votacao e sio approvadas as emendas ns. 128, 129
135, 138,139,140,141,143. 145,146(1' parte 1
147, 148, 149, 151, 152, 153, 154 (1* parte), 155
159, 160,164,165. 167, 168, 170, 171 (! parte) .
217 ; sendo rejeitadas as de ns 130.131, 132, 133
134, 138, 137, 142, 144, 146 (1 parte). ISO, 154
(* parte). 156, 158, 161, 162, 163, 166, 171 (t-
parle), 172 e 206, e ficando prrjudicado a de u.
157.
Sobre a emenda n. 159 suscitou-se ama qaes-
lao de ordem em que toraam parte os Srs. Pori-I
la, Manoel do llego e Gaspar Drummond, dand('
0 Sr. pre-idenle algumas explicacoes.
Os Srs. Manoel do Rego, Ratis e Silva, F.guei
roa, Arruda, Firmino de Xovaes, Pinto Junior
Olympio Marques e Nascimeuto Portella, Gaspar
Drummond, declaram ter votado contra a emend.
que eleva a 4 0|0 0 imposto sobre o assucar ex-
portado.
O tir. Coes Cavalcante faz igual deela-
racao com refereacia a emeuda ao % 58, qne faz
dependente de averbacao as escripluras de pro-
priedade u Lana.
Achando-se bastante adiantada a hora e fahao-
do ainda muitas emendas a votar, suspende-se a
votaQio na de n 172.
0 Sr. presidente designa a ordem do dia seguint-
e levanta a sessao.
SESSAO ORDIXARIA EM 2 DE JUNHO.
I'RESIDKNCIA DO SR. KKRRURA UK AiiUAII.
Meia hora depois de meio dia, acban-do-se pre-
seates os Srs. Ratis e Silva, J. Mello Rego, Goes
Cavalcante, Travas'O de Arruda, Manoel do Rego
Aguiar, Felippe de Figneiroa, Laeerda, Gaspar
Drummond, Araaral, Camboim, Cunha Cavalcan-
te, Tiburcio de Magalhaes, Pinlo Pessoa, Tolentino
de Carvalho, Joao Barbalho, Domingos Pinto, 01:
veira Andrade, Nascimento Portella, G. Gondim.
Firmino de Novaes, Soares, Gomes Parente, Anlo-
nio Paulino, Arruda, Olympio Marques, Dane
Cavalcante, Uchoa Cavalcante e Vieira de Mello.
faltando sem causa participada os Srs. Tito, Ar-
concio, Peretti, Alipio Costa e Souza Leite, abre-st
a sessao.
E' lida e approvada a acta da sessao antece-
dente.
0 Sr. !. seeretario declara nio haver expe-
diente.
Sao approvadas as redargues dot project )s ns
97 de 1872 e 45 deste anno.
o Mr. CSees Cavalcante jusilflca 0 se-
Suinte requerimento, que sendo apoiado, entra em
iscnssao e 6 sem debate approvado :
a Requeremos que por inlermedio do Exm. pre-
sidente da provincia se recommende as camaras
municipaes a del observancia da lei provincial n.
79 de 4 ce maio dc 1839 de accordo com a geral
du 1.* de outubro de 1828, que lbes impoe 0 de-
ver de prestarem contas annualmente a assemblea
provincial, sujeitaado-as a uma raulia qnandc
assim noa 0 lizerem dentro do prazo marcado pek
art. 30 daquella \ei. Goes Cavalcante. Amoral.
Laeerda.
ORDEM DO DIA.
Continua a votacao das emendas apresentadas
na 3.* discussao do projecto n 35 deste anno, or-
gando a receita e GxanJo i. despeza para 0 exer-
cicio de 187475.
Sao approvadas a de ns. 169, 173, 174,178.
179, 183,187,189, 190, 191 194, 195 (!. parte).
198, 200 ({.' parte), 201. 103 11." parte), 207, 210.
214 (!. parte), 215, 216. 219 e 220 : sendo rejei-
tadas aade ns 175. 177, 180, 181, 188, 191, 192
(! parte), 1%, 197, 199, 200 (! parte), 202, S0:t
(! parte), 205,211, 212, 213 e 218; fcnideran-
de-se prejudicadas as de ns. 182, 184, 185, 186.
193, 208, 209 e 214 (! parte), e ficando empata-
da a de n. 176.
Fazem declarac&o de que votaram contra a-
emendas n. 174 oSr. Ratis e Silva ; n 203 0 Sr
Gonc.alves Ferreira, e n. 207 0 Sr. F. de Figneiroa.
Estando adiantada a bora, o Sr. presidente de-
signa a ordem do dia seguinte e levanta a ses**o
REVISTA DIARIA.
Cinarda local. Por portaria da Sissi-
dencia da provincia, de 15 do corrente, foi oosiea
do Jose Felippe de Souza Rodrigues pan e
cargo de sargento da guarda local do mnoicipu
do Bonito.
I'romoiorla punlira. Por portaria da
presidencia da provincia, de 15 do orrent* M
nomeado 0 bacharel Joaquim Francisco Pae* Bar-
retto para 0 cargo de adjunto do proaaotor pa
blico da comarca da Escada, termo de Gaaalleira
Hosplclo dc alienados Os paranym
phos abaixo indicados envjarain as seguintes e*
molas :
Transporle
Ad. Stotzembacb
D. Ernestina Borstelrnan
lot) Carlos Bastos de 01 veira
Ch. Patterson
Commendador Luiz Jose da Silva Gui -
maraes
Dr. Sebastiao da Rego Barros de La-
eerda
Dr. Francisco do Rego Barros de La-
eerda
Coronet Rodolpho Joao Barata de Al-
meida
Francisco de Pioho Borges
D. Josepha Maria de Albuquerque
13:700*0-<'
200*1100
200*000
2lW*OW'
u*oon
UTftOOK
I00ft00(>
MOftOft"
100*"""
100*00"
M04M0
17.i00*m>
Dona 11vo Daraos em segaida mais on d
nativo para as obras de novo hospieto de abnr,
dos :
t Gabinele da presidencia de Pmaabase mr
16 de setembro de 1874 lUm. Sr. Dr. Aatom
Maria de Faria Nevea.Agradeco a \. S. 0 doaa-
tivo de 100*000, qne acaba de rasMtter-sse torr
destino as obras do notpicio de alienados, e torn
vando-o nor semelhante ado de can aade, aor
sento-lhe os protesto de apreco e eosdsrac
com que son-Da.V. S aroiio attencioso e cnado.-
Henrique Pereira de Lucena.
alumnos para a eaeala prattra
Recebemos da reparticio das obras pnblicu 0 se
guinte: ,
A reparticao das obras publicas propue-st a dar
a instraccao pratica necessaria para a forma .a
do pessoal secundario das obras publicas a 1
on vinte jovens de 12 a 18 aanos, one serai
nidos sob a deaominacao de alumnot 4a
pratica, exerciUr se-hao no lerassaaisau ,*>
plantas, no desenho professional, nas wie.ni
elementaras das obras publicas, ao omssw lesast
que seguirao nm enrso oral nobre as thewiaa fit-


tT
'."?>----!*-----"*"
r-H"!*-
""*-'V
., ,t; ..' .. .^i
IT* *ff*tf
nenhre, am servant debase -: esias attersas" feleito po-" V7 votos o Sr. ijranoisco f.ibeira Pinto [TVlix PeioTrit da Silv.i, j<,;wo rv.inifija) Parades
Panes daprofts-io. I I >fAti .1 ; kWi>rtl* C ^fr lia* ** OsaaWeaa quo dcsejarem [ ;:r parte
escola,
parti cal^Mmgi por' eserlpto foils' noines,"iaad<8 s
moraday4r*Wtcando que estudos loera fafto*ou
<|ue pron>saJa'."Jfcem eorneja Jo a ewrcer.
So serSoadmUti dos depois rtoexhibirem provas
de que eonhecom b-ajn a sraramatic.i portugueza
e a arftbraetica, e qatf taem norSes de geometna.
Maiorcs conhecimentos da malfrcmnlica*. serac111m
etearent >""de prefercnciis assim imo decuhdas.
dissosicoea para o deseuho, e o MOhecimento da
liacua Vranceza ou da mgleia.
Uma commissao mum la tvdo cireotor das
rmras publicas Sera incumbiaa de veriflear as ha-
t-ilitacSes dos eanfiidatos.
Depak do sua almissto, rs alumnos da eseo
la pratioa fcceberao gratitSaraeaieoeusrao; mas
uao terafl-talario peios s ooino desenhistas oa como ajadantes no levasla
mento do p.an'as. TodrAia, depois de urn ana i
de estados, aijueiles, qa* se distinguirem, poderao
reieiMsr gratificacoes ccmo esiiraulj.
B #**. ttrtttiea. de tieomcUia.-:
aiuamentos noticia <3,ue, ha dias, pablicamos tie ja
esiar fBuociooando.piuvisoriainenu: no ediiicio da
escola mo&cllo, um curs i pratico das sc'icneias qua
coa>o;queaervomde base tie eaucsgio aoa indivi-
duos nue se destinam aos ca.-gos de conductor,
apomadore d<*renuita da*re[**mieA.j das ohras.
publicas, e bem assim as proU-.soes technicas de
oiestres de ubras e de agnmensores; vimos hoje
dizer duas palavras, refermdtl nos ao qua a tal
aoroposiio expeudm o Sr. <)genhavo Victor Fear-
Bie, quer no oflieio d:r;gi l-i iTlfiMsidencia da -i>ro-
vincla cm 7 de a^o.-t > proxim i rassado, a ante hon-
"te.n estamirndj e;n n ~->^ :. fu.iua.-< ^ub a rsteriea
?jrle Official, qaor v. < pur :i ntijrf:i iinsivl-ewa di-
rigio o nrcsmo en?euli-irv v JT n i rcferidotnez, e
b.'ijeigualmentii insfndy i;esie Diario, ua Tiibrica
'^Uda.
-V nitv^aein e c-tratii: \:\* faliaia abfoluta-
menu wks& proviitda :-. :,-,, pratipos -e tihuiois
da matsrias qa ntitrreti faiidj ind^pcnsa-
vfc| de conhPi-iiiif'nt; raij^cridos $va certas pro-
lis-OfS iridQstrnes.
A escola de Aries c uSJ-:jq.>, .tli njaal tanlo se
esfw^a a S'tticda-id (los Ariiii- neciianicoa e Li
beres, a quern "uuuca'ius fnrlarenTOi ao prater
de*rigir loavores, cpor asJim djtfer a uniea que
pessuinios, c es- mcsma iu^ompleia em seu pro-
gramma de aasiao, lendo coino pjtuo de mira o
Oerramauiento da instruccio p'rotHsional, alias lao
xitil, lao necessano a queoi, com> nos bra^ileiros,
f.omeija a djr us primeiroj passos u longa via
das iadu?trias, f>>r.: perenae de bs&s opiimos para
todos os pov w.
Essa pscoia, porem, d3o se dirig-i no fim de pre-
parar mdividu*s para os cargos de que aciina
fallamos, e, se em cerlo modo, pode forma'- mes-
tre.s de obra-, e-a longe da poder formar agri-
mensore-, digaes desie nome, pois (|iie nSo destri
bue a SL-ie:ic a (;,) e.mslitue o fuudo Iheoricu de
tal ftrtflssao iadostrial.
AprecianJo devijaniente er-e facto, e p.ir ou-
tro lado lende em vi-ta as dSBcuIdades com qae
luta a reparticao de obras puelicS9 para preeacbei*
os ciaros abertos no seu pessoal, (oi sem duvida
qae o Sr. Victor Foutnie coaeebea a iJii.t o pro-
cura re>!isa-!a-ri>! in-tit'.iir a escola pratica da
c 'inetria, iestipala a satitfarer inna neccisidade
paliiica, pda educa;io proiissiiail de individuos
que S3dc-i;re:n a< earreiras oa indu-lrias aqkoa
apotitadas.
Tr.itando-se aetnalmente de levantar a carta to-
P'gripliica da provincia, de coiiformi'ade c.:ta a
deitberagan !a A-seml>W i, que para esse misiex,
de-r.-toa verbs especial naorcamenlo vigente^ e,
em visia do navo regulamento da teparliche de
oofas pobthas e posteriorresolocao da presiden
cia, deveado vir do estrangeiro a!gaos'en1ieoheir pratici- para a^aelle trabalUo, c xiliares das obras pUWicaa ; o S.*. FoQrnio quiz
epretende uiilisa-los no prepare de disdipQlos n.i-
eiuuaos,qae dc faturo dtspensem oovos ea,:aji
mcatos dc etringeh"os para fin* analogos oa se-
melbante?,
K' pjr i**o quo, no ja citaJo oiiicio -do 7 de
ag.jsio, assiiu s-.- exprime aqueiie dlstiacto eugo-
uheiro :
t 0 maier servrco gee a c.-ia provincia pode
preslar o pessoal technico estrangeiro, quo V. Bxc.
engajou, e o de deixar discipnlos na.'ionaes. E'
sma verdadeira eseoia de geometria annexa a di-
Tectoria das obras publicas, que eu prctcndo es-
ta'oehcer sem despezai sensiTeis; e!la recebera
d:scipnlos gratultamente, depois dos concpetentes
exames, ao sabir da ia;ii'ucjao sepuad>-.ria ; os
empregara coino ajudantes no levantamcnto de
plantas, organisa^au de destuhos e depois nos de-
senhos da direct'iria. I
< A rastraecao theortca destes pniieantes sera
completaia ao mesmo tempo por mcio de liioes
oraes e exames, o que lh.cs gar.inbra uina instrae-
<;.'ii> suffleieiite para a organisacao das e.-coias de
onciaea fnteriores de arii haria e de cogenraria.
Deste mkkIo obtcrse ba rael ior resultado do que
pm a anq- xacno, ao galn'aete da directoria, de
paticani??, retteeado ordebados, nnia idosos e
ttesprovidoa ie meios de in-tiuecao.
Finaimente, de qaal pier mani ira que seja, si
se guizer seriamente realisar a earta geodisara e
topographica da pruvineia, torna-se pre^i^o o eibino dos mo hodut maihematicos, sobre os
qaaas repousa a g-'udesia, s\ja da-Jo aos anxiliares
desie servieb ; cnsino novo pura uos, simples re-
cordavoes pra outros.
Assim, pois, com um dimiuuto augmento de des-
pezas fieara salisfeita uma necessidade e preen-
chida uma lacuna, sem contar que grande vanla-
gfn res^llara para a provincia de ler u;n pessoal
i chnico capaz de, denlro em pouco tempo, ia-
cumbir-se de ama certa ordem de trabalhos para
os quaes fa'.lecem actualmeute os meios, por t'alta
S6 contando com os referidos auxiliares, euga-
jados na Europa, nos lios d correnic anno, o Sr.
Fournie nio poderia desde ja come^ar os traba-
Ihos da carta e abrir a escola de geometria, se
por ventura se nao Ihe deparassora dois auxilia-
res valiosos, por pt,uco tempo, nas pessoas do3
Sra. Gustavo Mermoud a Victor Pournio pai. este
professor de inathemaiicas cm Franga, e aqueilu
geometra do cantao de Vaud, na Suissa, em oujo
exercito federal tem o posto de capitao de arti-
Ibaria.
CoBtratando ambos por pouco tempo, pur que
pouco tempo ambos aqui se demoram, conseguio o
Sr. Fournie dar andamento aos seus projectos e
trabalhos, a d'ahi veio poder ter aberto a rcferida
escola a 10 do corrente, como ja aununciaraos, in
cumbindo se e seu pai do nsinamento das dou-
trinas qne constituem o cnrso pratico-theori-
o, que funcciona na escola modelo, cujo ediiicio
*oi dost'arte annexado provisoriamcnte a reparti
>.'io das obras publicas.
A* jastiScatiTas desse annexionamento provi-
sory acham-se expend! jas no ja cilado offlcio de
7 de agosto, e resnmem-se era tres pontos que
sao. Lecessidade de um gabiaete para os enge-
nheiros iacumbidos do levantamento da car:a da
-capital, gabioe'.e qne nao era possivel obter nas
obras publicas, por faltar alii espaco; necessidade
de collocar ao pe das officinas o depositos de cons-
trnccao da nova ponte da Boa-Vista os emprega-
dos necessarioi a uma activa fiscalisaeao daquel-
les trabalhos; e finaimente, ccnvepieccia de dis-
trlpnir o ensmo a que nos ternos referido.
clusao, que [pi aceiia pela presidency, sempre
disposta a auxiliar as ideas uteis e salutes como
e a do ensmarnento technico em questao :
Sou pois deopiaiao que, concedendo tempo-
ranamente ao servico topographico di reparlieao
das obras publicas o edificlo provincial da' esc'jla
modelo, V. Exc. facilitara a verdadeira funda^'u
do ensmo das sciencias na provincia, garaalindo
ao mesmo tempo a exeecdo de uma grande obri
de atilidade publica
Por semelhante modo, pois, o edificio da escola
modelo nao fica totalmente arndaJo do lira prin-
cipal a quo se deatina-a iastrnccao onhlica, e
apenas soffre um desvio temporario do seu fim es
pecial, dando-se alii uma instruccao pro(isional
em rez da iDlrucc^o primaria elementar para
qne foi construido, a para que ba de servir, logo
qae as circamslancias tcroem fxequivel o /unccio-
namento de escolas primarias no mesmo ediDcio,
o que por ora se nao veriflca.
Em corclnsao, a escola ereada por iniciatisa do
or. Fonrnie 6 de iatuitiva utilidade, e de certo uao
merecera senao applansos de qiem teaj por de-
*"aspirar a maior somma de bens para esta
"if ,a 1aal orn um fntnro e=pJefld!do.
,i^n m uma- vez remettemes o leitor para o?
ilous offlcioa, a qae acima nos referiraos.
raS*?,f^m,a *ana Tcreza.-Reuni-
^rjS de Pornambuco -~ ggxta ieira 18 de Setembro ^e 1874
l\i
/
quo desejarem, f IX parte des-.i] plcnie. ,, -Kw''-lo::u,vn{Casa di nagoci, a riia >l.i Jui'ttcra
inscrever-sa na sccretana" aa re- Depois dtl.do o mmaci iso pance: da comm.s- (:ir.niiiu i.j > p.y.id, ,ji comaiissaoV-ac-j&ej
sao fiscjl, qt> damos pub}
o posin -em ciisoussa* foi
vadi.
Saffinentemente disaatii
aiTeito a amortisaeaa do di
acordado com o voto da
cionisus eatrastaja man
novas a:c0e3, com 2 por
capital realisado, para a<
commissao jomposta do
lose Cuimbra Guimai aes.
ra3 e tenente-coronel
Seve, para auxiliar a
wistu a impnssibflidde
diata da3 mesroas acco
Nada mai. bavaado a
cidade*en'octfo ihgar, I :
" uaantmemeate appro
ao as 2 1,2 horas da tatde.
o o melo da levar-sa a
bim da companhia, fui
,439 aeoies quo as ac-
laseaw, ph emissaa de
ceato sobre o valor to
elle dm 6 noieeada, tuna
Srs. accionblas Antonio
lose 6uilfeerme GuLua-
rancisco dks Miranda Leal
ireetoria ne>se empenho,
cmissi) total e immc-
na qaaoVa actual.
tar, Toi levaotada a ses-
pedidi (Ji CjtnJiis>H0 .n.-arrejaJa
> aftinciS| pn-'uas par* o bazar d. Awhile
MtenHduJ,' ro^lveiam so a ir cm com .ilgunus piendas, pela; casas da frega"Zia'<* 'pies.
llomicldi-&)
ugar (koomiaado S. Pa-
dro, do districlo do Ta a, dq tarmo 4o Roiqna,
Hercutano AugS'no dfe
Matioel e Joaqaitu de tal
fctrros e ^?as s.ibr-iahoj
trimiaosos da murte. no
termode Garanhuns, assbssinaram, a facadas, Joa-
quim da Araujo Cupira; em 29 d& fosto ultimo.
Os delinqaenles conseguiram e/adir-se, mas a auto-
ridade competanto proaegua nos tirmus da lei.
Uovcrnn do Itispado. Por provisoes de
s> e 16 do corrente, foram noaieado3 coaljut >res
das freguezias: d-2 S. Loureafo da Malta, o ttvm.
Mario Arccioni; do Senhor Bom Jesus de Flares-
la, o Rvm. Antanio Manoel de Castilho Hrandao;
e d S. Felix, d< Buique, o Rvm. Joao Marques de
So uea.
Montr Pio tlos bnorarios da ever
c* deve haver scssao da asseuiblea geral djs laembro*
desta sociedade, para se tratar de negocio ur-
gente.
Ft-cK6zia da Capunga. Alguns devo-
tos a u;- lahros da cjafraria da Nossa Senlnra da
Graea maudam celehrar domingo (20), as 10 bo-
ras 'da Ki.nlia, uma aiissa solemnc a sua excelsa
padroeira.
In-i ituto APClieolu^icu c fceitsra-
plaico. Reanio-se hontem, sob a presidencia do
Exin. Sr. cooselheiro monsauhor Muniz Tavares e
com pssistencia dos Drs. Soares de Azevedo, Jacin-
tho de S.rapaio, AUjnso de Albj(|uarque, dos Srs.
Floriano de Brito. Augasto Cesar, maj.ires Code-
ceira, Salvador Henri jue e citurgtao Ferreira de
Almeida.
E' lida e approvada a acta da antesedente.
0 Sr. secretario perpetuo raeacijni o seguiule
expediente :
Um olficio do dire'tor da com;>anhia de Beberi
be, nffertaado um exemplar de seu relatorio do
corrente anno.Inteirado, sendo recebila a oiferta
: in agrado.
Oatro da directoria da sodedaJe riUzo^Brasil3i-
- ra convidando o iostituto a assistir ao acto da
i sulemnisagio de seu anniversaru no dia 27 do
corrente.
0 Sr. presideatenomeia para, em commissao re-
preson:ar o iastituto os srs. Drs. Aprigio, Augus-
to Ce-ar e Ferreira de Almeida.
0 mesmo Sr. secretario perpeiuo da conU das
segaiutes ouerias : varios numoros do Diario de
I'cru-iinbuco, uelo consocio Dr. Figu-iroa; aljjuns
Dumeros da Provineia, Faturo, Murao, Aposlol'i e
Coireio do A.-sii; um folheto sobre o lital-i Pupa-
do, cmteado uma eoaferencia do Sr. Dr. Araripe
Junior na Escola Popul.r do Ceara, olfertalo pelo
mesmo senhor. Esta-, offertas sao recebidas com
agrado e mandam-se archivar.
Eotra em_diseussao e e approval) um parecer
da comaiissao de fundos e orgumoijs ub/iado o
balanoo de n-caita e- daapasa do 1 trimestre.
E' lido um parecer da commissao do adiniisao
desocios, cuja vutatio e adiada a reqiicrimenlo do
Sr. Dr. Sampaio.
E' igualmeut.1 approval) un raqnerinjeato do
mesmi Sr. Dr. Sampaio, para, iadepeudeuto de pa-
recer da 'ommissao especial de reforma de c.-t.itu
tos, .-er subraeUida a discussSo na sessio seguaite,
a proposta qua apreseutou sobie a a'diaissao de so-
cios.
E:u virtuda da approvaeao do presente reqaeri-
mento, o Sr. presidente daeiara ?uspeasa a apre
sentai^io de propostas ; em quauto o iastituto nao
lomar sobre o assurapto delibera;ao dellui^iva.
N \o havendo mats nada a tratar, o mesmo Sr.
prcsideale design a a ordem do dia u levanta a scs-
sao.
I*alutarcg. Celebrar-se ha pela primeira
vez na matriz dessa villa, no domingo (20), a fes
Uvidade de Nossa Senhora das Doras, 0 Rvm. Jo
so Esteves Vianna encarregou-se de pregar no
septenario, que n esta fazenlo cam todo brilhin-
tismo, havendo bencao do Sautissimo todos os
dias. Xa vesper'a orara o Rvm. vigafio da fregue-
zia. Xo dia da festa havera primeira communh.io
de meuinos e meninas, e comraunhao geral para
todos gue se apreseatarem jastilicaJjs pelo Saora-
meuto da Penitencia. Orara no evanc'elo o mes-
mo R;ra. Vianna; e a taide procederse In a con
sagra^ao da fregaezia do Sagrado Curasao de Je
sus, havendo Te Deum, no qaal pregaia o Uv/n.
vigario de Gamelleira, padre Joao Augusto.
i*:t>3aiiti-oi>ia. 0 Sr. comoiendador^Joao
da Cunha Magalhaes, tendo tiia noa.eade. pelo
Exm. Sr. desembargador juiz de orphsos, avalia-
dor dos prelios pertencente3 ao easal do Dr. -^le-
menta Jose Ferreira da Costa, e contemplados no
luvcatario da mulherdo mesmo ; olfereceua San-
ta Casa de Miscricorlia, com applica^ao aos cofres
do patrimqnio da caridaie, a quantia de 36^000,
que lhe tocou por semelhaute trabalho.
Actos desta ordem sao sempre dignos de louvor
e de imitaca).
Companhia do olito vivo. Envian-
nos -o seguinte:
Vicente Coimbra da Silva, e um membro des-
sa companhia que no dia 10 do corrente, as II 1/2
horas da uoite, foi preso na freguezia da Boa-Vis-
ta pelo Sr. subdclegado coroael Decio, cenduzindo
no hombro uma grossa alavanca de ferro, linginlo
cacete, enfiada na pouta da mesma as bctinas, tra-
zendo na algibeira um bom canivete de raola, fa
zendo se crer assimum viajante noctumo e pre-
tidenle.
Nao eslando a policia pela inculcada honesti-
dada que mal preteodia imp3r o fallado Uerde, tan-
to raais, que, tentando a principio resistir, julgou
depois de melhor partido fugir; o que nao pole
conseguir apezar das diligencias por elle emprega-
das: tal era o cuidado que inspirava sua figura
imponenle.
No interrogatorlo immadiatamente feito, de-
clarou elle, entre muita3 contradicdes, que vinha
da Capunga e ia para o Caboco, freguezia do Pj>-
ro da Panetla, assistir ao parto de uma mulher
com quern prctende casar-se.
0 innocente vinha das bandas da freguezia de
Santo Antonio, e com efTeit), trazia excsllentes ins-
trumentos para partos.
Esta elle incurso nas panas do art. 300 do co-
digo criminal, e Ihe esta sendo instaurado o ioque-
rito. a
Passamcnta. Ante-hontem den a alma
ao Creador, victima de padecimentos antigos, o Sr.
bacharel Francisco Vicente, dos Santos, mogo de
excelleutes qaalidades, e doiado de bastnnte intel
Iigenci3. Affectado de pbtysica pulmonar poucos
mezea depois de formado, o Sr. bacharel Santos sd
pode aprese'ntar com prova da robustez de sna in
telh'gencia, aqaellas que deu perante a Facullade
de Direito do Recife, onde obteve sempre appro-
vacio plena de seus mestres, e os louvores d,e seus
collegae.
A seu inconsolavel pai ncssos sinceros peza-
mes.
Sera deaculdo tConsta-nos que, ha al-
guns mezes, foram mandados ao Sr. Dr. i.* pro-
motor publico do Recife os papeis concernentes
aos empregados o despachantee da alfandcga, da-1
mittidos ha dons annos on privadw de alii en-
trarem, allm de qua procedesse de conformi-
dade com a lei ; e que ate agora nenhnra anda-
mento tiveram os referidos papei9.
Sera desenido do Sr. Dr. prpmotor, ou a afiluen-
ela de trabalhos o tem inhibido de tratar d? pro-
cesso dos refcridos empregajos e despachantes .'
Em todo easo e" de mister1 que esses papeis te-
nhara andamento e qua sejam julgados oa delin-
quentes, se 4 que os ha, a ilradas a limpo reputa
Boa-Visu, para terom offerecidaj no dia 27. A'
vfctt de tantas provas de aciuies:caeia a ohtecto
Kb sublime, e de esperar qua o novo bazar seja
mvUto tnais opulento que o qie infelizraente in :en-
dioa-se no domingo proximo passa to. Lemhra-
raos as Exmas. Sras, que sn. nio esqaecam de
mabdar ^ualquer prenda, pof iasigaiticante qua
parcca, por qe a commissao as vezes deixa de-
pedir-lhe, com rejeio de iraportunal-a*;
uingueiu duvida que o bello lexo, 6 o mais
apropriado quo Deus formou, para exerapr a
virtuda da caridfide. Esperamos rauito das
Exaiaa. senhoraa.
A foruiiga hraaca.-Os estalctros de
Boatb.um ollreoaram o curioao espectacalo de
um uavio da linha quasi novo, destruida por um
etixame invisivel de formigas braneas, qu'e roe*
ram m.-.-lairas ate ao exiremo de as f r.;erein cabir barcoa
a peJajos.
&' i.itereasanto o relalorio aprcseatada por
este raotivo ao alni'.vantado, demonstrando os
terriveis effe.tis da Urmiga branca nas zouas
tropicaes.
1Ii\MI>r;p m: I it are x A guarnigio
de Parts executara brevemente uma serie de
graa-Jes manobras que dararao 8 dias.
As priucipaea aerao a defeza da peninsula
de G.'uaevilliers, e o ataqac e a defeza de Vit-
loaeuse Saint Georges, e a da Chatillou.
O cifeclivo das tropas qua hio de tomar
parte uas aec/oes, sera de parto de 80:003 ho-
mens.
As tropas acampadaa em volta de Paris ja o-
mecaraa osexercicios prenaraiorios.
I'sit niva eat a:>ci*(os> Lose em
utu jorual do Paris.
i Ha mezes que o casamento de Julio II...
o da madeaaisello Braaca G... ia sendo adia-
do; a formosa noiva pertenoa ao grupo das
preeiosas da noa*a opoca, que diz3m sitn um dia,
a nao no seguinte.
0 fuluro estava tanto raais desesperado, que ha-
via ea*ommeadado um fat > complelo eo habito sa
craineutal ia se empoeirando uas costas d'uma
cadeira do seu gabiaete : nao podia dar uma
volfa, sem que o maldito do fato nao agucasse o
punhal que as crueis Urgiversa^oes de Branca
lite haviara eravado no coraijao.
Como hornein de ordem, disse um dia com-
sigo : 6 preciao metter a roupa na gaveta, ma*
pai a qae a traca nao entra com ella, vou usar
ia uma receita por junto da qual o bicbo nio
querera nem sejuer ro^ar.
AGnal, Branca disse que sin*, e Julio en-
vergou o fato radioso. Celabrado o casamento na
mauie, toca a ir para a igreja.
Comecada a cereraonia religiosa, Branca,
ajoelhada ao lado do seu futuro, pedio-lhe que
segurassa n'um frasco de sal ioglez qua a incom*
raodava, e o noivo metteu a prec.osidade no bolso
Uas a rapariga, cada vez mais coinmovida, e que
pareeia estar quasi a raorrer :
a Pole amor da Daw, do ca depressa o frasco
Sr., exclaraou.
Julio, atrapalhaio, mette a mao ao bolso, e
3cni reparar pegcu no quar quo fosse quo apre
senlou a uiulher, a qaal, depois de o haver levado
ao aariz, o aiirou ao chao, e soltou um grito de
horror, que geloa de susto quaatos es'.avam pre-
sentes.
a 0;ham-s3 interrogam-se ; raarido esta cor da
cal, e a noiva cor du violela.
0 que a pobre mulher havia respirado, era
simplesmente uma esseneia fetida de qua o polwe
a> homeai havia usado como receita iafallivel
con.ra a tra^a.
Julio R... ja nao sabia.a qae sauto se havia
de apegar, as pulavras expirava.u-ihe nos labios
e o di i fii duro para elle.
Biparatta, qae a node fossa mais seroaa e que
os viahos geuerosos, exciuado os cerebros, fa-
riiai'com qua sua mulhei se csqiecesse ; mas
engahoa-se, pots ella mostrou-se insurpportavel
co.no nuaca.
Qaal sera o des'echod'esta comodia ?
Ueoiou.*itracav sig-uiflcativa.0 en-
terro civil ia Sra. Raspail teve lugar eutre nume-
rosa cuncorreneia de puvo. Ae meio dia e meia
bora, o carro fuuebre salliQ'da casa mortuaria era
Caenail, e chejou as duas boras a porta de Or-
leans. Alii graude numero, de amigos da familia
Uaspail e de raembros do partido republicano
reunio-se ao cortejo que se encammhava para
o eeaiiterio do Pere-I>achaise passando pelo bou-
levard Arago, ponte de Austerhtz orua daRoqnatto-
Em todo o transito fam-ae reuoindo numerosos
grupos, principalmento de operarios, e toraaram
lugar no prsslito, que foi angui ntando ate exce-
der o numera de seis mil pessoas. Maitasmulhe-
res levavam na mao ramos de perpetuas.
Junto a sepultnra o Dr. Dupr6, orando em oomo
de alguas membros da familia Raspail, agradeceu
a assemblea as damonstracoas de sympathia que
eila acabava de dar aquella familia, que soffria
lao duras provacoes : e offere'ea como exemplo
para todos a viJa do Francisco Vicenu Raspail,
d'esse l.o ae:u de bem que ainda prosegue com
alaiiravel ardor no cumprimento dami-sao demo*
crati'a qae a si raesmo sa impoz, dasde a moei
dada.
0 rapido e cabroso iraproviso do Dr. Dttpre foi
saudado com brivos e numerosos giit03 de Viva
a repnblica !
Execucao. Foi ultimaraente eni'orcado
em Xova York um tal William Jackson, accusa-
do de haver assa-ainado sua irma. A' ultima
hora, confessou o crime. Qaando sahia de casa
de sua mai, onde ti aha ido tomar cha antes dc
ir procurar trabalho, sua irma quiz acorapa-
nha-Io.
Por trea vezes lhe pedio que v Basse para
casa; vendo que ella penistia em querer ir com
elle, abrio o sacco de viagem, tirou uaia nava
Ilia de barba, e cortou-lhe as guelas. Ella mor-
reu exelamando : Oh I Will (abreviatura de Wil-
liam.)
Quebrou immedialamente a navalha que depois
foi encontrxda, andou vagabnndo toda a noite,
erapsuhou no dis seguinte pela manha um paletot
e um collete e comeQou a beber.
Contou entio o sou crime i quern quiz ou-
vi lo ; depois foi pedir trabalho, encontroa-o e
qae se apresentasse no dia sa-
'Jfc
'IWcozinhoira'.
A sua hiibilajioo, como se Sabe, das n^ai*] situ-
Q principal aposento, occupado por Garabaldi,
nao contem senio um fqga^ u-j^leito, algomas ca-
detras, ama etanen qae lhe foi* provalmonte dada,
{"qlpwve nclla ama tirmi, c a um canto do
uarianan montao de livros.
" im&S aili tarnbcin "l1- D**o gesao do co-
fonel Hfllla, morto na Poiooia, e ora grande ralra-
*-,w9. do general amerieaao Flores,
mm o aposento mais rieo da ca.
A aba produz aiuilas ameadoas, figvis a avas,
mas teta-poueas la(augeira e limaeiros, tendo si-
do cstaa arvores trauaphutadas por Oaribaldi, que
as eHltlva pcssoalmeote.
A ilba abunda em cabras e veados selvagena.
rneoBtram-ae taubem muiloi fttos braros e co-
braa.^
beira mar, n'am pequeno porto, ha dous
um pequeao, que {i o trajecto entre
Laprera e a Magoalena, e outro 4e 9 metros de
t.iiis,>a, pafa u viafPtta de longo curso.
Este ultimo esta abrigado debaixo de um al-
peodre, que Garibaldi ehama o arsenal.
JUellao.Hoje effeitua o agente Pinto o leilao
aao so das-dividas da massa fallida ile- Joao Fer-
reira da Costa Soares, como das dividas da massa
do /o3e.Franci*co Bitteacoort, e da parto do so-
brado da rua do Duque. de Caxias n. 60 e 3-si-
tlos em Papacaga, bens da massa de Bento da Sil-
va & C.
- Tambem offactua hoje o agente Martins, as
tl horas do dia, uoarmazem da rua do Irapera-
dor n. 48, o leilao do movcis, diversaa fazendas,
paunos.de crochet para cadeiras, cortinados e ou-
tros muitoa objectos, que aerao veodidos sem re-
serva de prego.
Igualmenta effectua o a sen to Dias o leilao
dc dividas na impoitaacia de 21:3974060, perten-
centes a massa fallida de Tho naz Feruandes da
Cunba & C; as 11 horaa da manha, no primeiro
andar do sobrado o. 37 da rua do Marquez de
Olinda, oscriptorio do agente.
Lateria. A quo se acha a veala e a 117*
a beneficio das obras do altar da confraria de S.
Benedicto, a qaal corre no dia 22 do corrente
mez.
Casa de detencao.Movioaento da casa
ie detencao do dia 16 de setembro de 1874.
Exiatiatn presos 333, entrarara i,
sxistem 33i.
A saber :
N'aeionaes 2C2. naulherea 8, astrangeiroa
wcravoa 37, escravas 4. Total 334.
Alimentados a CU3U dos cofres poblicos 261.
Movimento Ja enfermaria no dia 16 de setembro
ia 1874.
Teve baixa :
Maria da Conceigao, parto.
Bernardo Vieira da Silva, rhearaatisma.
Luiz, escravo de Simplicio Narciso do Garvalho,
le.-ao no eoraeao.
mamwhrnmumL
Joao da.Cuniia Soares Guimarae-,Aogelj lieu-
DE
TnianiL .i us i vt to
SESSAO ESPECIAL EM 17 DE SE1'EM*BR0
1874.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELUEIRO
CAETANO SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgdio Coelho.
As 10 horas da manha, preseutos os Srs. des
emiiargadores Alneida Albuquerque, Accioli, Sau-
za Leao e Reis e Silva, abrio-se a sessao.
0 Exm. Sr. coaselhtiro presidente pasaou a re-
latar os aggravos de pcticao cujos aJj-mctos foram
sortead's eat sossuo anterior.
N. 53. -Aggravante D. Emilia Birreto de Gus-
mao, aggravado Joaqaim Albino de Gusmao. Ad*
jaaitos os Srs. desemiwrgadorcs Rats e Siiva e
Souza Leio. Negou se proviruento.
X. ol Aggravante Jose Pereira da Cunha, ag-
gravado o juizo do commercio. Adjunctos os Srs.
desembargadore3 Reis e Silva e Souza Leao.
rijues da Silva.Approvado.
a A'commissio do ce'miterio publico desta cidade,
e de parecer que se fornegam as 10 enxadas re-
qunitada.s peio adininutrador do mesmo eeaiite-
rio, vistaser cousa de urgente necessidade. Pa^o
da caraara municipal do Recife, 9 de aetembro
de 1874.Theodoro Machado Freire Pereira da
Silva. Bellarmino do Rego Barr is. Appro-
vado.
Foram aubraetlidos os segu'mtes reqieriraontos :
Reqaeiro queeata camara rametta ao Exm.
presidente da provincia a copia do termo, que o
fiscal da freguezia de Atogados fez escrever contra
oinfiactor do art. 123 das posturas muaieipaes,
pela destruifSo da eatrada do Taquary, pouco
adiante do anligo engenho da Torre, vi>to conti-
nuarein as excavac.oea na mesma e.-trada, destruio-
do-se as antigas eercas, arrancando se marcos a
tudo quanto serve para mostrar a divisao da pro-
priedade p rticular com a propriedade publici,
empregando 03 infractore3, a forca, iastrumentos
para arrancarem o barro da estrada publica, e
canoas para conduzirein o barro paraoude con
vem aos infractore's; cujo darano causado ate" hoje,
tem o valor superior a um conto de rs. : pedindo-
se a S. Exc., para dar suas ordens, aflm de que
o infractor aeja punido palo crime comraettido e
obrigado a reedificar a estrada, no estado *rn que
ella se achava antes da destruicao. Recife, 9 de
setembro de 1874 Je^e Mria Freire Gameiro.
Approvado.
Julgando de grande interesse que sejam publi-
cados em boletim os trabalhos das sessoes desta
camara, proponho que a corami-sao de poiicia
conlrate com os proprietaries do Diario de Per-
nambuco, oa com qoem raais vantagens offerecer,
a purdicacSii dos mesmos trabalnos. Paco da ca-
mara municipal do Recife, em 9 de setembro de
1874.Cunha GuiraaraesApprovado.
Requeiro que o engenheiro da ramara va exa-
minar as ca declare o estado era que etlas se achara.
Requeiro igualmento que o secretario inter-
me, se os individuos qua arremataram as dilas
casas obrigaram se a concerto las. Paco Ja ca-
mara municipal do Recife, em 9 de setembro de
1874 Canha Guimaraes.Approvado.
A' vista dos autos de desapropriacao d> ca
sa em frente do mercado publito, pertenceute arts
sahiram 3, herdeiros de Joao Brito Correia, os quaes foram
apresentados telo advogado, a camara resolveu
qiie fossem ditos autos a commissao depolicii,
para entender se com os proprietarios, ou seu ad-
vogado a respeito do pretjo da de3apropriacio de
que se trata.
Foram despachidos os requeriraentos seguinles:
De Antonio da Fonceca o Silva, Antoni Car-
los Pereira Burgos Ponce de Leon, Antonio Igna-
cio Heitor, Francisco Jose Moreira Costa, Henri
quo Bernardea de Oliveira, Hilario Pereira Ra
mos, Joaquim Francisco Colas, Joao Gualtert
Correia, Jose Fernandes de Oliveira & C.*, Joaquim
Antonio de Lima, Joao Joaquim Alves, Jose Anto-
nio Marques, Jose Augusto de Arsujo. Joaquim
Estanislao de Medeiros, Manoel Periando Masca-
renhas, Tboraax Antonio Guiraaraes, Zeferiao lose
da Costa Valente, dous abaixo assigoaloa.
Nada raais havendo, o Sr. presidente lsvantou a
sessao a 1 1[2 hora da tarde.
Eu, Francisco Augusto da Costa, secretario, es-
crevi. ^^ ,
Manoel Joaquim do Rego e Albuqucrqitr? pre
sideote./. Maria Freire Gameiro. -Jose .Cesirio
ie Mello. Theoioro Sbi-chado F. Pereira da Silca.
-Bellarmmo do Reg^Ban-os. Juao da Cunha
Soares Guimardes.-Dr. Pedro de Athiyde Lobe
Moscoso.Jose da Silca Logo Junior.
,
Xegonse provimento.
X. 55.A
Aggravante Joaquim Civalcante de Al-
buquerque, aggravado Manoel Francisco de Sou-
za Lyra. Juizes os Srs. desembargidores Almeida
Albumarquee Accioli.Deu-sa provimento.
N. 86.Aggravante Francisco Joaquim Gomes
da Silva, aggravado Jose Rodrigues Peixoto. Jui-
2es os Srs. uesembargadores Souza Leao e Ac jioli.
Nao tiraaram conhecimento por nio ser caso
de aggravo.
Eneorrou-se a sessao as diiaa horas e meia.
ordenarara-Ihe
guinte.
Xeste meio
rou muito o
tempo, foi capturado. Deplo-
crirae que havia comraettido, e
nymo
Foi lida
denta.
o approvada a acta da stasao anteee-
Aehando-se vago um lugar d3 director n r i i^ftCrrente a? p0rj0
ta do Sr. Joaqain Rodriguel Tavarefda Melb/toir S0rn0S3O-P Tl
joes que gemem aob o pesu de accusagoes graves,
Dous annos de espera parajum iulgamento alias
simples, pareee de sobra, e osSimpIicado3 nos pro
cessos em questao teem carradas de razao quau-
do se queixam da lentfdao da justiga.
Esperamos que o Sr. Dr. prbraotor publico fara
mn esforco, e quo dara andamento ao3 sobrediios
papeis.
Expesicao de Pbilo delp&la. Os
membros da commissao incunbila do agencia-
raeoto de prodnctos para a exp isicao universal de
Philadelphia sZo eonvidados a sa reunirem hoje,
no primeiro andar do sobrado la rua do Impera-
dor, onde lem escriptorio o Sr. < ommendador Nas-
Icimento Portella.
vapor .llauduhu'. Cliegoa na noite de
16 do corrente ao porjo do Ma
eio, era vjagem
Muito dignos de Ian'or. Os Sra.
declarou que amava sua irma com a maior ter-
nura.
Jackson raorreu com grande coragem e aju-
dado pelos auxilios da religiao. A sua exe-
cucao foi a primeira que teve lugar em Xova
York, desde a aboliclo das cxecucoes era pu-
blico.
Por esto motive, foi enforcado no interior
da prisao, era presenga do rauito poucas pes
soas.
Xem o jniz nem o jury baviam- interposto era
3eu favor recurso algum para scfr perdoado.
Raptorcs de crlancas.Diz- um jor-
ual francez que em Lonires cerlos malfertores
se enlregavam ao rapto de crlanjas, ignorando-se
o fim.
N'um dia destes uma criada de Mr. Walts, ho-
raem doa mais cavalheiroa e rico joalharo de
Clerkenwel, passeava com uraa criancinha de 8
mezes n'um carrinho do vimes.
Cma mulher chama-a e pedelhe que tomo con-
ta d'uma ou ra crianca ; neste meio tempo rap*
tara-lhe a criancinha que arabava de deixar.
Imagiue-se agora as dolorosissiraas angustias de
seus pais, ao acharem-se sem aquelle filho, que
era o unico I
A criada esta loaca de desespero. Foi dada a
queixa a policia, que emprega todas as diligencias
para encontrar os criminosos.
Cm ladrao nis to rico. 0 celebre ladj-So
Rosa Sandor, chefe temido de uraa das raais afa-
madas quadrilhas da Hungria, foi condemnado a
forca pe(o tribunal. Havendo sido aentenciado
por causa das suas proesaa de3'de 1830 a 1840,
fci-lhecommauda a pena por Kossuth, o celebre
revolucionario da Hungria.
Por1 occasiao da revola3o de 1848 formou um
bando, que trfrn'o'ii o titulo do Esikote, e figurou
em vanas bat.lhaa. Depois de abafado o movi-
vento revolucionario, voltou aa suas facanhas, foi
novamente preso e condemnado a morte. 0 impe-
radcr commutou-lhe de novo a pena.
Em 1868 partieipou da amniatia geral; raaa,
setupre incorrigivel, voltou ao roubo e ao aa-
sassinato para sofTrer tercaira e ultima sen-
tenea. .
0 sea3 coraparsaa (cerca de vinte) tive-
ram o premio de 10, 15 e 20 annos de prisao cel-
lular.
aai-iJtaldi.Le-se o Seguinte n'uma folha
franceza :
a Os recsios causa dos pela saiide do general
Garibaldi nestes ultiraos tempos, e qae teem attra-
hido a altencao para elle, leva-nos a dar alguns
CAMARA MUNICIPAL.
PRIMEIRA SESSAO DA TERCEIRV ORDIXARIA
EM 9 DE SETEMBRO DE 1874.
PBBSIDBnCiA DO SB. RSOO E ALBUQUEBQUE.
Ao meio di i, presentcs os Srs. Osario de Mello,
Gameiro, Dr. Moscoso, Cunha Guimariies, Theo-
doro Silva, e Rego Barros, abrio-se a sessao.
Lida e approvada a acta da antesedente, leu-
se o seguinte
EXPEDIENTE :
Offlcios:
Do Exm. presidente da provincia, approvando a
arremataeao feiia por Lourenjo Alves de Souza,
perante esta camara, do imposto de 60 reMs por
pe de coqueiro, pela quantia de 3054000.Lavre
se os terracs respe' tivos.
Do inspector da thesouraria de fazenda, com
despacho do Exm. presidente da provincia, man-
danJo a oamara informir sobre o'.requeriraento
4e Loureoco Ribeiro da Cunha Oliveira, no qual o
mesmo pede por aforamento am lerreno de mari-
nha, silo oa rut Imperial. Informe o engenheiro.
Bo director da companhia de Baberibe, offere-
cendo um exemplar contendo o relatorio, balaago,
conta corrente, orcamento e parecer da comrni3-
sio fiscal, do anno financeiro de 1873 a 1874.-
Recebido com agrado.
Do administrador do cemiterio publico.remetten-
do a relajao dos cadaveras depositalos na capella
do cemiterio, a da ccra arrecadada duraote a se-
raana. -Ao procurador.
Do procurador, participando, que tendo-se en
tendido com o procurador do Antonio Ferreira
Ramos a respeito da desapropriacao de um terre
no, sito a rua de Riachuello, o dito procurador
lhe dissera que o dito Ramos nao dava o terrono
por manosde 254000 o palmo. Ao advogado para
promover a desapropriacio judicial, nao levaudo
era conta as berafeit.rias, que por ventura exis
tarn.
Do contador, remettendo o niappa demonstrativo
das despezas feitas pela camara com a verna ex-
ped'ente e impressoes e bem assim ao que fal-
ta ainda pagar-se ale o fim do exsreicio de
1873 a 1874.- Reooetta se a S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia.
Do mesmo, informando a peticao de Zeferino
Jose da Costa Valente. Deferio-se a petigao.
Do mesmo, informando a peticao de Antonio da
Silva Santos, successor de Manoel Domingues da
Silva, na arrematacSo do imposto de 120 reis por
cada carga de farinha, na qnal o mesmo Santos
pede permissao para poder continuar a cobrar
dito imposto, dando por sou fiador Jose Antonio
Barboza, tem a dizer, que acha que deve ser at-
tendido. Concedeu-se, prestada a fianca; e pe -
ca-se autorlsa^ao a S. Exc. o Sr. presidentejla
provincia.
Um requerimento de Felippe Rodrigues Santia-
go, pedindo o pagaraento da menaalidade de 104
pelo enlerramento de pessoas pobres na fregaezia
de Afogados. Ao procurador para pagar ao
supplicante pela verbaComitefio.
Um requerimento de Manoel Jose" Dantas, pedin-
do licenea para murar seu terrcno de marinha,
sito a rua do Hospicio. A' coramissSo de edlu-
cacSes.
Determinon a camara que se oflleie ao procu-
rador, dizendo-lhe, que nao tendo elle comparecido
ha dias na camara, sem constar offlcialraente o
motivo porque deixou de fazer, causando isto pre-
juizo as partes, que perante a camara solicitam
negocios, cumpre qae o mesmo procurador com-
pareca ou raande a mesma reparticao pessoa ido-
nea, que satisfaija 03 encarg a, que Ihe sSo inhe-
rentes.
A camara resolveu qae se peca autorisacao ao
Exm. presidente da provincia a deliberaclo por
ella tomada, concedendo a diversos marchantes
de carnes verdes continuarem nos arrendamentos
dos talhns no acongne grande da ribeira de S.
Jose, sob as mesmas eondi(5es e pregos palos
qnaes haviara arreraatado, ate que se concluam as
obras do mercado.
A oamara, resolveu que se solicite de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, remesaa dos numeros
do Diario Official,que ae publica na cone.
Foram apresentados os seguintea pareceres :
< Sendo praxe antiga, segundo consta dos pa-
peis, o receber a secretaria da caraara emotnmen-
tos pelos titulos que passa, termos de contrato, etc.,
etc.; praxe que se ignora a lei em que se firma ;
mas que tendo sido mantida pela Illma. camara
indeferindo as reclamacoes contra ella levantadas,
entendeu que se deve formular uraa tabella de
Companhia Santa Thereza.
A com nissao fical ten lo examinado minuciosa-
mente a cscripturacao da companhia Santa Tnere-
za relativa, as contas do anno proximo findo, con-
ferio os respectivos do:umcntoa com os lancamen-
toa da eaixa, diario etc. e achou tado de confor-
midade cora o balanco, apr sent.ido, bem como o
trabalho da escripluracio feito com odevido asseio
e regularidade.
E' pois de p.recer quo sejam as re'eridas contas
approvadas.
A commissao julga porem de 'eu dever expar
vos, qae attenta a crise porque e-ta ainda passaa*
do a nossa praga desde a inauguracao da compa-
nhia nao tem sido possivel levar-se a elfeito a no-
cessaria emissao de acioea para fazer face ao pa-
gamento do nao pequeno debito contrahid*- para
conclusiio de todas a< obras de gaz e agua.
Esse debito raonta a 79:888JO 10, que era vista
de pesados premios de que esta sendo sobrecarre-
gadaa companhia, sobre a quasi totalidade daquel-
la quantia, o seu debito cresc; do dia em dia, e
parade conveniente que os senho'es accionlstas to-
raera a daliberacio que julgarera mais acartada no
intuito de polar a coaipaahia exonerar-se de tio
oneroso compromisso.
A commissao fisctl eapora ser por v6s descul-
pada pela daraora havida na apresentacao do re-
3ultado do exame qiie acaba de proceder e qae
subraelte a vossa apreciarao, sendo isso devido a
circumstanoias imprevistas, que a impedio da o fa-
zer no tempo competente.
Pernambuco, 9 de setembro du 1874.
Manoel Jose da Cunha Porto.
Ferreira & Malheus.
A raoitj oa f<4 r jn>a;eieri imnaei.'ata dat a
vica*. oa nio.
'Xi primdr. cue voriflc.v-se a hypotbese li
art. 193 d> c itltg criminal; o se;aad<>, r>n*"i-
laind' as se/i'ia- ferimeiiid gr.;ve-, ettea deTiajt
ser puoidoa peiaa penaa 4., art 2 i.i, uao aeada li-
cito enstigar com fogo a uma micra escrara ; o
que ae nao cjiuprebende no caatigo in d-rad>, qa-
a lei sonant* ant iris*, contttaiudo o exeesao ua
crime.
Cruna, pois, dizer o pr imotor qae nio tm*ia aa
que d"ouaciar Xlo e isso am c ciodal.i ?
A socfedade ceareose icbava .;e poasaidt d.
borror e indignacto, e reelaman to a crime a ma.
aerera panicao, enleodcu o preiJente qne 4c*ia
tomar meiiJas eiergicas em hornenagehi a lei, i
raoralidade pubbca, substitoiado por toridadea qne nao souberan eamprir aen dever.
Eia aqui uor<|ua esta sendo insaJtaJi t-do*
diaa o distinct) btrio dc loiipatit, com applaas <*
da Provincia !
Eia aqui porque dizenKs qae ;c a remojaa da
Sr. Dr. Daniel, foi rtevida exclu-uvamenle M aea
prucedimento ua qucatao do Dr. Joaquim Fel-em.
teve razao de sobra o preid>'iite, qae so jo le tef
arguido ie se haver cm baDevoleacia.
0 proteato, poi, transenpto pela Prorinri* hoa-
ra ao bario de Ibiapaba, e e o corpi 4e 4H:cto dc
seu autor.
Voltaraoa a queatio, e for pre'iao.
Recife, I" de sUeinbro de 1871.
r V
Mofina
Se o partido prjgres guardanlo a attitude f.aidal de ia parcce wtar
apaixunado, nao estai:* lonok v\%\ s'h o \'. *-
t'AMIAB 0 SR. CIIRISTIA.SO (ITTHNI UUANBO rErri! *
Asr.R.Ngvo nos co.nseiivadobes \ i >vti.ni
ESTADO PRESKXTE.
Ao menos sera ariwDod* li aev, emt ora n*na
logica tern-ei, teramn um [end dUmo fetdit em
vezdesto wautsco f.idausso lirkrvu
Aprijio GHimviir*.
(Opiniao Xacional, n. 17 Ja 21 de i.jvemb-o d"
1867 1) '
Fesia cmnpestre.
Os abaixo assigo-.dos membros da coniui-*-
encarregada de agenciar prendas um i.en>!:
asylo de alienados, exlremanvnte agradecida a la-
in qae runcorreram a festa de doaaiaan, ttm
pdo presente manifestar o sen reconhcritueato
e conviJar oara comparecerem oovamcat*' a*> 4
horas da tarde do dia 27. no mc-nni m marincira. nude pela ultima vt tem J^
ao publico na prendas q :e receberam.
Aeofmniaaio senteque par m.tiv.ia indepc-
tea a sna vonlade, nao fosse ma* brilliant** a fta
de domingo, pori^m espera aalislazer plenaio ;.
dia 27, a l-ala* as pessoas qae ae digoar' m
parecer ao bazar das preuJis qne lhe tem *il
ferecid s.
Para previnir qual juer acrid>nte oaabiixo a-
signai .3 ja obtiveram da gener sidade 4o Evr<
5r. bario do Livramento a recin*>trnci') do harrr-
cio qne de>ta vez aera eobert i de zinco e cpa;o-
so de modo a offerecer as pn*siveis c >mm.i ,
A C"mmis*ao faltaria a nm dever de d< or.,
se tambem nio agradecesae aos que Lie tiz ram
donaliv s, e pur i-to pede-lhes que aeedeai ni*v
esta prova de seu reconhecimento.
Co diando ainJa na g-nerosida I- dis babitan*.
desta cidade, a comaiissao espera reecber rmv -
presentes para a f:sta futura ; c, i entrega de alguas ibje-tus que Ihe team *it>*
off.rUdos, resolveu antcriaar a cada um do mcn.-
bros que a cumpiie, a recebel os naa casas &
resi4encias. oa escriptorios de cootnercio.
Hecif.', U de !'temb-o de 1871.
I.aiz Goncalves da Silv.i.
Ji-a juim Olynlho Battna.
JoaaatM Dias da Sontoa.
.\d"lpho Sclmiith.
Joao Carloa Bast"* de Almeida.
Roiolpho Kruken.berg.
Joviniano Mania.
Dr. Pedro de A. Lobo Moseaao.
Francisco J. P.nto.
ni'rlararao.
Declaro neata data, que na ia teoho com a
riolico critico inlituiada Drasd lUmslrait c
por cousa alguma me reapon-abiliso.
Recife, II de aetembro de 1874.
Herrulano Carakmle de Alkmqmerqur
I-
V-
Btetor hi .Vlisenlia
Oa priifes ores em arte.letra* e acieacia*. aaem-
broa d- clero e inagistrad>>3 : t nio o medico, n-
rargiao, deotista e artisti, que deaejaa obter o
titulo e diploma de doatar, on ba-barei heaorrt->.
podem dirigir ae a MeJicua, rua do Ret, ia, rn
Jersey (Inglaterrai o qaal Ihe^ dara gratuitamen
te todas e quaesqaer informacoes aobre a r
versidade.
P^rfimear k Ptv it.
lo Exm. Sr. presidente da
provincia.
Chamamos a aitencao de S. Exc. para sanar os
abusos que praticam os fornecedores ^e generos
para o arsenal de marinha, sendo mais escandalo-
303 dous fornecedores de carnes verdes, que qne-
rem fazer daquillo sea patrimonio, nao po lendo
ninguam mais concorrer, porque cites empregam
todos os meios para afaatar, desde a corrupcio
pelo dinheiro, ate o iusulto, e se algnem a isto re
siste, elles requerem nova arremataeao para con-
seguirem o senlim.
Ainda ultimamente deu se o facto seguinte :
Annunciada a arremataeao do foroecimento de
carnes verdes, apresentou-se no dia marcado uma
proposta de 420 rs., o kilogramraa, a qual foi a
raais barata, porem, um daquelles senhores, a pre-
texto de esquecimento, apreaantoa ama mais bara-
ta, por cujo motivo foi adiada a arremataeao; nes-
te intervallo elle dirigio-se ao proponento de 42)
rs., e Ihe offerecau 100AXKI0, para elle retirarse o
quo sendo sabido por outro, este outro na arrema-
taeao adiada apresentou uraa proposta de 400 rs.,
a qual foi aceita; agora, porem, consta-nos que
a iuelle senhor procura cbterir pela terceira vez
a praca, allm de que elle lique com o foroecimento.
Chamamos, pois, a attengao de S. Exc, aflm de
que nao cousinta este monopolio.
Negocios do Ceara.
0 protesto do bacharel Daniel Alves de Queiroz
Lima, ex-promoter da Fortaleza, que a Provincia
de hoje transcrove, aggredindo por modo deseom-
rauoal ao illustre bario de Ibiapaba, a quera o
partido con ervador do, Ceara se orgulha de ter
por chefe, e o requintd do despeito que cega, e
por isso rnereee desculpa.
Nao conheceraos ainda 03 verdadeiroa motives
que determinarara a reraieao daquelle bacharel
para a coraarca do Sahoeiro, e quando este acto
oossa ser exclusivamente attribuilo ao desgracado
aconteciraento das Damas, nzdes de sobra teve o
illustre barao; porque em verdade nio tem jasti
licacio o procedimento do referido bacharel, nesse
aegocio, como passamos a demonstrar, sem preven-
cao ou paixio.
Do exame medico que se procodeu na eacrava
do Dr. Joa juim Falicio, e eonstituio o corpo de de-
licto, consta que as sevicias e queimaduras podiam
ter apressado a morte, e com certeza tornaram
angustiosos seus ultimos momentis. Pois bem,
sendo o auto respectivo remettido ao promotor
para proceder na forma da lei, este requeren qu \
ficasse archivado (on sepultado no po doa carto-
rios) deixando de dar a denuncia por nao saber de
que nem de quern 111
Nao se acredita!
Ainda mesmo quo as presnmpco.-s fos3em todas
no sentido de innocentarera o Dr. Joaquim Felicia,
araigo do promotor, era iadiapensavel instaurar
proce3so, que era o eadinho d'onde podia sahir
expurgado de pena e culpa.
MasnSo, e logo a priori jnlgadr innocente, p3a-
se pe Ira em cimi do corpo de delicto ; e quern
assim procede torn a coragem de vir ao publico
L.T,PlYna1gggag
ELEIfAO
por devocao dos juizes c jui/.is, escrivaos
escrivies, fnorJomos e morlonnas, qu*5
ha j de f.-stejar a Virgcn Nossa Senhora
do Tergo, que so venera em sua igreja
n'esla cidade do H xife, na ultima i i-
minga do mezjle ou'.ubro do cor-
anno.
Juiza por eleicao
Exma. Sra. D. Maria da Conceicio Ferreira
esposa do I lira. Sr. Manoel da Silva Gir *
Escriva por eleicao
Exm. Sra. D. I.ma da Silva Ramos, filka do Him
Sr. Antonio da Silva Ramos.
Juizes por dev Os Exms. Srs.:
Desembargador Jose Felippe de Soaia Lean
Senador Alvaro Barbalho U-*hoa Caraleaaie.
Escrivaes p r devo^io
Os lllms. Sra.:
Joao Jose Rodrigues Men lea.
Antonio Jose Somes.
Mordoraos
03 lllms. Srs.:
Joaquim Julio da Rocha.
Francisco G. Bastos e Sa.
J .so Adolpho Olivi'ira Lima.
Coramendador Joaquim Felippe da Costa.
Antoni a Lopes lirapa.
Domingoa Joaqaim Ferreira.
Francico GueJes de Araujo.
Sevonano Ferreira de Scum.
Juizaa por devor-io
As Exmaa. Sras.
a coragem de vir
protestor por uma remocao que devia aceitar com
agradeciraento para nao hear inulilieado, pois mo
rem ser demittido e responsabilisado I
Por qualqaer lado quo se encarc o corpo de de- riae3 ranjosos, outran adalteradas,
licto, nao se pode negar a existencia deum crime.|uma grande parte das cjnpiii^Se
D. Maria Carlota Vieira Mielal, capoaa do BOa.^
Sr. desembargador Oliveira Maciet.
D. Maria R >salina doa Passos Gaiauriea, eapoa
do lllm. Sr. Francisco Jose doa Passos Gotasa
raes.
Escrivaa por devo.ao
As Exaias. Sraa.:
D. Fruetuoaa Fran a'sca Ribeiro Oalea, eapoaa do
lllm. Sr. Antonio Dates Manias.
D. Benigna Marques Muniz, capon do Dim. Sr.
Affonao da Cruz Muniz.
Mordomaa
As Exma*. Sras. :
D. Maria Amelia Cavalrante de Albuqaerqae, li-
Iha do lllm. Sr. Francisco Cavalcaate Albuqn**r
que Mello.
D. Maria Leopoldina Pereira da Silva, Una do
lllm. Sr. Antonio J >se Pereira da Silva.
D. Maria Wandarley Fontanra Loureiro, esposa d
lllm. Sr. Leonidaa Tito Loureiro.
D. Rosaiina de Sa Lt- tio, fitha do lllm. Sr. Joa-
quim Jose Leilao.
D. Generosa Baplitla, tilba do lllm. Sr. Maaf-ri
Joaquim Kaptista
D. Maria Adelina da Siqueira Baptisu. eapoaa do
lllm. Sr. Modeata do Rego BapUaU.
D. Maria, esposa do lllm. Sr. Ricardo Joed Gene*
da Lnz.
D. Amalia, esposa do lllm. Sr. Domngos Joaqaiaa
Ferreira. _^
O coadjuctor pro-paroeaa,
Fr. Antonio de Santa
Oleo ptrro naeaMriaaal da*
bacalbao* de l.4aaaaJB i
Quando oa orgioa da respiracao sao
do3 debeis para expellir a mueoafitade
pela enfermi Jada inflammatoria, nao ha
da sciencia medica, nada que se posaa
como tonico, ao oleo de ngado de
rem ouvimoa dizer quo oa resultados di aa
ra'rjao variant. Algamaa sao co-apostu ae
I qn
i
x,|
i
i<


***%'UL-
nie.-nij nouje sao.qamaJeU'iienle eap'ir
venio Je it In ssjas,,o oiec pure m
nal da
DteWe<*MMM' ** Bejtfofefefc ^ & g^mbM fc*ft8*fe
>.--^-..
rnais negomos do commisaao, q'uer ooramer
ciaes, quor banca.rios.
liga.ia de^alta* dp ^laa. & Sema. nolle te waS'(3-, ,",',"'
mis am Aspect aTpriraafeiee dWa repuu- .OeCGUta lattras,
clo wuversaL qua alu boja ajinca dasraenw as (aiio, compra cambiaes, e
e torn;
esperaagas op's daehjef," Os medicos o'recommon
dam, porque a suaeJflcaeia estamais quaprovada,
nos peiorad casos de afficciids pulmonaros e es-
crofulosas.' Oufros .oleos dtf tl^So~ie bacalhao,
podem ser puros, porem este indispuiavelmente o
6. Cono seja ura objecto da maior importancia
para aqueues qua. padacem dospulaid'es e da gar-
J;anta ; aquelle que lur seottur d'uma prepafacao
egitima, fara ,bam eiu contiarse unieamenie na
de Lamuan 4 Kemp.
BK
diqljekcr a pre-
sacfl viJ*
aazo, a voutade do tomador, sobre as se-
gaijites pracas estrnngeira i enaeionaes :
Loutircs. Sobre ) union ban* or
LONDON, 0 LONOOM AND HANSEATIC BAN*,
limited, e varias casas de I.* class*.
Paris. Sobre os 1 anqueiros fould
<$ C, MARCUARD ADR^ d^L .^ A^DiCQOE,
j V1GNAL & C. 3
Hamburgo. Sol* dt Srs. joAc
SCUU BACK & FILH'S.
Lisbon. Sobre
por
N. 7.
JUNTA DOS CORRETOUE5
Praca do Boctfe,19 deaeteaabro
do 1994.
AS 3 HORAS DA TARDE.
C0T*g5KS 07FKUBS "* -
Algodao do sertao I' sorts 74600 por 13 kilos,
hoolem c hojo.
Algodao de sorte 74600 nor 15 kilos, fcon-
tern.
Algodao da Parafiyba. 1* sorte 74230 por IS
kilos post* a aordo a frote de 3|i e 3
0|0, hontea.
Cambio sobre Londras a 00 d[v. 26 3i8 d. por
1*000, lunlem e hoje.
Dito sobre dito a 90 d|v. 26 1|8 por 15000, do
banco, hontem.
Cambio sobre Paris a 90 div. 365 rs.. o franco,
do banco.
0. de Vaseoneetlos
Presidenle.
A P. de Lemos,
.Secretario.
os
Srs.
FONSEGAS,
0 UNIAO DO PORTO
SANTOS & VIANNA, 6 SEI ASTlAO lOSt hi
ABREU.
Porto. Sobre o BA^d
O Sr. JOAQUIM PINTO DA F( NSECA.
Para. Sobre o bai co commercu-
do para, e os Srs. franci's :o gaudencio da
COSTA & FILHOS.
Slaraniulo. Sobre o Sr. jose" fer-
reira da silva junior.
Bahia. Sobre os Srs. marinhos & c.
Rio de Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MERCANTIL, BJ NCO NACIONAl e
8ANQUE BRASIUENKE FRANCA SE.
Banco do IMinho.
240,000
24*,0OO
IM.Offo
Jqaquim Jose Goncalves
por todos os vapores sobr<-
Aoadia.
Belti
ALFANPK'fA
Keaair:acio do in I a 16. .
'doia do du 17 ....
352:673/840
41:938*041
394:617*8
Dascarregam nojn 18des;Ierabro da 1874.
l'alacho iDglez Gatalta (atracado) mercado-
rias para alfandega.
Brigue allemao Willielinine varios gensro3
para o irapii-he CouceiQao, para dcspa-
cliar.
l.ugar pcrtaguez Julio vinho para depo^ito
no irapiche Conba.
Hiate amer.cano-S. T. Baker- farinha ja despa-
chada para o caes do Apollo.
DE'.PACHOSOE EXPORTACAO NO DIA 16 OM
SETEMBRQ DE 1874.
Pa: a os port'os do exterior.
No brigue liespanhol Nicacia, pira Barcello-
na, carregou : J. F. Cardoso Ayros 8 barricas com
7!5 kilos de assucar branco.
No pataclio porluguuz Oliiid', para o Rio da
Pratj, earregoa : Amorim Irmio3 & C. 120 barri-
cas com 11,914 kilo> da assucar branco e 50 ditas
com 5,947 ditas de dito mascnvado.
No navio portuguez JV. S. Lourenco, para a
Ilha da S. Miguel, carrL'gou : T. A, Fonceca & G.
Su:cessores 67 barrii com 6,390 kilos de mel.
Para oi portcs do inie ior.
Para Camaragibe, na barcaca t'lor do Passo,
earregoa : A. J. Lopes 1 barrii com 96 litros de
aguardeate.
Para Villa da Penha, na barcaca Annaes da
Fama, carregou : A. J. Lopes 2 barricas com 150
kilos de assucar branco.
Para o Natal, na barcaca Bella Flor, carre
>o : T. A. S. I. Oliveira 6 barricas coro 329 kilos
ds assucar reDnado
Aguida.
Aveiro.
Beja.
Chaves.
Elvas.
Amarante.
Guimaraes.
GovilbS.
1 Melgaco.
Portal egre.
Areas de val de vez.
Celorieo de Baste.
Caminha.
Mangualde.
Ponte do Lima.
Povoa de Lanhosa.
Faro.
Guarda.
Leiria.
Lisboa.
BarceHos.
Coimbra.
Mirandella.
Penafiel.
Castelio
EspozcnJe.
ao & Filho sacam
Monaao.
Orar.
Porto. .
Tavira.
Kegoa.
Vizeo.
Figueira.
Lamego.
Estarreja.
Valenca.
Villa Ri al.
Cabeceii as de Bastos.
Braneo.
le Azemeis.
Oliveira
Povoa dd Varzim.
Vianna do Castello.
Villa-Nova de PortimJo. Villa-No' a de Famalicao.
Villa do Conde
Mas iSbas.
Madeira, S. Miguel, Faial
CAPATAZIA
Baodimean ia dia l
dsji do dia 17
DA ALFANDBGA
a 16.
8:861*761
8445237
8:906*018
VOLUMES SABii>03
No dia 1 a 16.....
No dia 17
Priaaira poria.....
Segunda porta.....
Terceira porta ......
Titpich* Oaoi}ao .
13,762
118
117
144
325
16,465
SERV10O MAtliriilO
'arengas descarrsgadas no irapicbe da
alfandoga :
No dia 1 a 16.....
No dia 17. .....
No trapicb* GouceiQio .
17
17
iliSDORU DE RENDA3 LNTfcRNAS GE-
RAKS DE PERNAMBUC
UMiditnento dc dia 1 a 16 22:934*601
fdaiB do dia 17...... 2:298*311
23:233*142
GONSULADO PROVINCIAL
RaadiOMtta do dia 1 a 16.
11am do dia 17 .
27:101*610
1:789*500
28:891*110
AGENCI.1S PROV1.NCIAES
Liquidos espirituo3os.
Rendimento do dia 1 a 13 3:683*565
ida;ri do dia 16 129*047
Bacalhao, etc.
Rendimento do dia 1 a 15 744*163
Idem do dia 16 16*480
Generos de estiva.
Rendimento de dia 1 a 15 2:372*226
Idem do dia 16 71*242
Farinha de trigo, etc.
Rendimento do dia 1 a 15 3:616*158
Mem do dia 16 681*744
3:812*612
760*643
2:443*468
Fuiqo, etc.
Rendimento.do dia 1 a 13 1:692*962
Idem do dia 16 85*649
Vinagre, etc.
Rendimentojdo dia 1 a 15 1:303*930
Idem do dia 16 o3*631
I -------->
-------------4:297*902
1:778*611
1:337*561
14:430*797
rulho, uma casa terrea arrend
por
N. 12. Joaqnim Lopes de Alme
uma casa terrea arrendada por
N. 36. Manoel Antonio Teixeir
da
da,
de
uma casa terrea
Thesonro povincial de Pernamoco, 17 de setem
bro de 4874.
0 escrivao,
Joao Cirneiro M. da Silva Sant N,
SE6UR0S
NARITINOS
CONTRA E0 FOGO.
A corapanhia Indemnisadora, estabelecidi
aesta praja, toma seguros maritimos sobre
aavios e seus carregamentos e contra fogc
em edificios, mercadorias e mobilias: m
ma do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Seguro coDlra-fogo
IHE LIVERPOOL & LCfflDOH 4 GLOl
INSURANCE COMPANY
Afenlwi
Launders brothersd c.
11Corpo S&nlo11
\ignsto F. fOlivtlra k C.
A casa eomnaercial e bancaria de iuguato
A d'(^aveira A3 onn,mn, 'j nm* casa terrea arrendada nc r
oa USES. H d exwucao de Ofdem s. 1C. Joio Galeno Coelho, ima
lra emoarque^ie prod^ctos e de todos o- casa terrea com sotao arren lada
SEIJUR
MariliiD!)
Terceira.
S
e cojilra-fogo
GOMPANEIA
Phenix Pernamt ucana.
RUA DO COMMERCIC N. 34.
COMPAKHIA~ALIIAKgA ,
seguros maritimos e terreo
ires estabelecida na Bahi?
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:00(000.
foraa seguro de mercadori is e dinheiro
iico maritirao em navio de vela e vapora
para dentro e f6ra do imperi >, assim come
wntra fogo sobre predios, generos o fa
road as.
Agente : Joaquim Jose" Goi igalves Beltrao
ua do Commercio n. 5, 1 atdar.
Oompanhia Indemnisadora
do Porto.
CAPITAL 2,000:00(^000.
Thomaz de Aquino FoncecaitC, successors
agent es.
Em companhia totna seguros naritimos e ter-
restrc3, dando nestes o septimo ai no gratis aos se-
gurado3.
Hua do Vigario n. lf>.
Capital,
fnndo
SORTHEBN.
M
de resorva.
i,000:000$00<
A gntes,
Mills Lc lham & C
RUA DA CRUZ R. 38.
EDiTAES
Consulado provincial
Para sciencia dos contribuint >s do imposto da
decima urbana e os efTeitos legae:, em segaida pa
blicam se as alteragSes veriflcada i no lancamento
do mesmo imposto no correale a ino Qnanceiro de
1874 a 1873, (lcando aberto o piazo de 30 dias,
nos terroos do art. 38 do regu amento de 6 de
abril do corrente anno, as reclai aacoes quc por
ventura possam ter a fazer os ini eressados.
Alleracoes veriflcadas no lan^arae Uo da decima ur-
bana da iregueziada Boa-Vista, no anno corrente
de 1874 a 1875, pelo langador Eduardo Frede-
rico Banks.
Travessa do palacio do) Bispe.
N. 4. Manoe 1 Jose Monteiro, uma casa terrea ar
rendada per 420,000
N. 12. Antonio Jose Soares, uma casa
terrea arrendada por 420,090
N. 20. Migud Archanjo de Figi ei-
redo, uma casa terrea arrend da
por 240,000
N 24. 0 mesmo, ama casa terreajpr-
rendada por 288,000
N. 23. Joao Jose de Amori m, ama
casa terrea arrendada por 500,009
N. 23. Maria Soares de Amor m,
uma casa terrea arrendada por 500,000
N. 27. Adelaide Soares de Amor m,
uma casa terrea arrendada por 540,000
Rua do Socego.
N. 6. Loiz Moreira da Silva, ujma
ama casa terrea arrendada poi 240,000
N. 8. Jospha RuQoa de Ca-tro Car-
,000:000500i
360,000
240,000
Albuquerque,
arrendada por 360,000
N. 38. 0 mesmo, ama casa teirea
arrendada per 500,000
N. 30. Jo6 Faustina de Lem.s, i ma
casa terrea por 300,000
N. 52. Joao Luiz Ferreira Ribeiro,
ama casa terrea arrendada poi 260,000
N. 53. Joaquim Hachado da Siva,
ama casa terrea arrendada por 240,000
N. II. Luiz Ferreira Raposo, uma
casa terrea arrendada por 120,000
N. 63. 0 mesmo, ama casa teirea
arrendada por 120,000
Rua do Principe
N. 16. Antonio Ontes Martins, i ma
0(casa terrea arrendada por 600,030
N. 28 A. Jose Correia de Brito, t ma
easa terrea arrendada por 240,000
N. 3i. Romao Rodrigues, uma (asa
terrea arrendada por 400,000
N. 1. Manoel Antunio Teixeira de
Albuquerque, uma casa terrea ar-
reuJada por 300,000
N. 7 A. Jose Baptista Braga, am: ca-
sa terrea arreadada por 330,000
Travessa da rua do ?. jncipe.
K. i. Felicia Maria da Good gao,
ama casa terrea arrendada poi 444 000
N. I A mesraa,3 uma cas ter ea
iirendada ppr -144,0000
Segnnda travessa da rua lo Principe,
N. 1 3. Bernardo Gomes da S lva,
240,000
Dr. Joao Jo?e Ferreira de
Agmar, uma casa. tferrea arrdada-
5K, a 0 mesmo, uma edsa tarrt* ar-
readada *or
w ^ m Sanida W* Joa de Barfos.
.* Trajano Jose de.Jbtande. ama
casa terrea uj| lTW V**
Jt 3. JoaquftpJJMiaJ(3o.-la^ luca cl-
sa terreajdjsidida^m dm*, arrendada
N. J3. Joaquim.RiWroGama, umpor
tap com 4^isla0as, arremlada3 uos
pTr0a a 144* cada ama, U- .*
das par mjm
Rua da Sana Cruz.
N. 10. Joao Luiz Ferreira rWe(w, m
sqbrado de um andar e loja por 1:000,000
N. 28. Vicente Antonio do Espirito San -
to, uma; casa terrea por 360,( 00
N. 48 Luiz Jose" da Gom Amorim, uma
casa terrea por 300,000
N. 71 BesaardinaFraucelinadeGarva-
Iho, uma casa terrea por 720,000
N. 3. Marianna de Farias Botelho, uma
casa terrea divididaem tresarrenda-
das a pnmeira por 144^, a segunda
por 192i e a terceira por 144,000,
. todas por 480,000
N. 17. Antonio Marlins de Carvalbo
Azevedo e outros, uma casa terrea
por 800,000
Rua de 3- Goncalo,
N. 8. Fraacisca Guilharaiaa da Sit* >jf
e Bernardina de Senna e Silva, uma
. casa tejrea joor 300,0'JO
N. 9. Maria babel Antuoea do Oliveira,
uma casa terrea 240,000
N. 13. Antonio Car Jaso de Oliveira, 1
casa terrea por 240,000
N. 23. Manoel Geulil da Goila Alves, 1
casa terrea por 240,000
Becco dos Cuelhos.
N. 1. Jocii Carneiro da Cunha, ni
meia-agua por 96,000
N. 3. O mesmo, 1 dita por 96,000
N, 5. 0 mesmo, 1 dita por 96,000
N. 7. O mesmo, 1 dita por 96,000
N. 9. 0 mesmo, 1 dita por 96,000
N. 11. 0 mesmo, 1 dita por 96,000
N. 13. 0 mesmo, l.dua por 96,000
Rua dos Coelhos.
N. 24. Manoal Fernandas Ribeiro, 1 ca-
^ sa terrea por 480,000
N. 1. Doming oi Antunes Villaca, 1 casa
terrea avaliada por 360,000
N. 3 Ur. Jos6 Gou^-aWe* da SUva, 1
casa terrea avaliada por 3BO,000
N. 5. Dr. Sebastiao Goncalves da Silva,
1 casa terrea avaltada por 360,000
N. 7. Dr. Jos6 Goncalves da Silva, 1
caaa terrea avaliada por 360,000
N. 9. Luiz Alfredo de Moraes, 1 casa
trrea avaliada por
N. 11. Luiz Antonio Pereira, 1 casa ter
rea avaliada por
Rua do Hospital Pedro It.
N. 7. Marcelino Jjse Loj)es, 1 casa ter-
rea com sotao por
N. 9. Antouio Carneiro da Cuuba, 1 so-
brado e 1 telheiro que serve de ola-
ria e um quarto ao lado, este arren-
dado par 72 j, o sobrado por 300^ e
0 tol-fteiro por 128i, tudo por
Rua do General Seara.
N. 6. Antonio Cardoso de Oliveira, 1
casa terrea por
N. 14". Jose Marques de Souza Coutinho,
1 casa terrea por
Alterajoes feitas no lancamento da deejma urba-
na da freguezia dos Afugados, no etercicio de
1874 a 1875, pelo lancador Izidoro Theodulo de
Mattos Ferreira.
Estrada Nova
N. 18. Jose Lunguinbo, uma casa ter-
rea arren !a ia por 72,000
N. 24. Marcolina Rosa D.niz, uma ca-
sa terrea dividida em duas, arrenda-
da toda por 168.0CO
N. 28. Vicente Joao da Costa Monteiro,
uma casa terrea por 72,000
N. 30. CandidoA. SodredaMotta,uma
casa terrea por 180,00-)
N. 28. L'>uren;o Rodrigues da Silva,
uma casa terrea por 114,00)
N. 40. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por 168,000
N. 44. Claudiua Candida de Rezendo,
nma casa terrea por 3GO,000
N. 63. Bernardo Tavares Coutinho,
uma easa terrea por 200,000
N. 64 Viuva e herdeiros de Jose Joa
quim de Oliveira, uma casa terrea
BP.iOO cs supttcantes eompraVarn df8 Ulenslliftftearma
Sf9 pela quantia do 163, julgando aehr-se o
Si6(lS-0j,*,lid ^vidarnente.aualifjida nor defer-
rnineao darte juho poraceordb dot ctedbres do
Jjao Alexandre Vierra, por conta Tisea de quera
* tUffodo, pore"*, agora ho conh ci
memo dos coppli'daDtei que nao procedera a ar-
rematacao por aoiorisacSo ds V. S., viito nSo
haver contra o referido Joao Alexandre Vieira
proeedimeuto judicial, nem aceordo dos credores
no mesmo, os supplicante* veem em tempa pro-
r, para segnraoca do sea direlto, que nao- se
achtm raiponavau.por ipiilBiiitr iivii* id ma*
mo Vieira, vj^o terem a.Tematado o estabefecimeB-
Hequerem qoe
icado
360,000
360,000
480,000
500,000
180,000
240.000
to. nos termos aeima MUnfos;* .
ijeia tornado por t.-rino 9 stf pr^fcala, e publ
Sfa^'"!iPrensa' (,UTa01'8 tres dlas uteis, para os
1M do direito. Assim, pedem a V.&. deferimen-
-, E: 1 Antouio Com js da SrWa JonioT& C.
I&taya a dita petieao-seJ.la4 co-n 0 seHo de es-
tan^itea de 20) rs., reguiarmento^ iaatJisAdiJ.
Na qua! da 0 de?paclio' srguinte :
earao reqaan Recift, 10 de selerabro dc 74. -
Barrai dc Laeerda.
Emvirtude do qua! fjra apelicao dhtribuida ao
esflnvao deste joizo Manoel Maria 'Rodrigues do
naauraento, o qual fei lavrar 0 terrao do protesto
do tneot seguinte : Termo de protesto-Aos 16
de setembro da 1874, na cidadb do Recife, em men
cariojrn>apparaceram os suppiieanie3 AntonieOo-
mes da Silva Junior & C, e disseram perante mirn
e astestemunhas infra assignadas, qoe reduziara a
protesto 0 cqniedde de sua peiieao retro, a qual
omsreciam cimo parte do presents quo fiea s^n'-
do, e do eomo assiui o disderam e pl*)tebta-arn,
Uvrei este termo, no qual depoia de lido, se lir-
laaram com as dUas testerannhas ; eu Secundino
Heleodoro da Cunha, escrevente juramentado o
escrevi; eu, Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
raentn, escrivio, o subscrevi, Antonio Gomes
da Sthra Junior & C.. Joaquim Jose de Abreu e
Francisco Joaquim Pereira. Por forea do meu
despacho 0 escrivao f*z pa-sar 0 presonte, pelo
qoal chamo, eito e hei por intimado a Joao Ale-
xandre Vieira, e bem assim aos seus credores,
para que fiquern scientes de todo 0 oxpendido.
E para que chugue ao conhecimento de
todjs, maudei passar 0 present*, qu.8 scrd
publicado pyla knpreusa e alDxado 00* lu-
gares do costume.
Recife, 17 do setembro de 1874.
Eu, Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
mento, cscrivaor o subscrevi.
Sebaslido do llcgo Barros de Lacerda.
Ao sello 300 rs.V. S. S. ex causa.
Barros de Lacerda.
por
N. 66.
48),00O
84,000
84,000
120.000
Marciano Carneiro da Cunha,
uma casa terrea por ..
N. 68. 0 mesmo, uma casa terrea ar
rendada por
N. 76. Joaquim Ferreira Estevcs, uma
casa terrea por
N. 106. Antonio Jose da Silva Olivei-
ra, uma casa terrea com um telhei-
ro que serve de garapeira, tudo ava-
liado por 8i,000
N. 114. Maria do Carmo Rodrigues
Campello, uma casa terrea por 72,000
N. 116. Simao Thomaz de Aquino, uma
ca3a terrea por 120,000
N. 125. Pedro C. da Silveira Lins, ama
casa terrea arrendada por 72,000
N. 126. Luiz J 'so Antonio de Mello,
uma casa terrea por 96.000
N. 154. Joao C. L3menha Lins, uma
casa terrea arrendada por 120.C00
N. 156. Miguel Torquato Teixeira Li-
ma, uma casa terrea com um telhei-
ro que serve de ranjho, tudo por
N. 158. Jose Paulino de Almeida Ca-
tanho, uma casa terrea com dous te-
lheiro-, sendo urn rancho e outro ola-
ria, tudo avaliado por
N. 1. Isael da Costa Amorim, uma ca-
sa terrea por
N. 3. 0 mesmo, uma casa terrea arren-
dada por
N. 5. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por
N. 9. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por
N. 13. Enedino Goncalves Ferreira da
Luz, uma casa terrea por
N. 15. Viuva e berde ros de Jose Joa-
quim de Oliveira, uma casa terrea
com nm telheiro que serve de ran-
cho, tudo arrendado por
N. 21. Jeronymo few), nma casa ter-
rea por
N. 23. Candido de Jesus Jordao Caldei-
ra, uma casa terrea por
N. 25 Simplicio Rodrigues Campello,
uma casa terrea por
N. 37. Jose Bernardino de Frertas, ama
ea?a terrea por
N. 75. Luiz Francisco de CarvalhoKaes
de Andrade, uma easa terrea por
N. 77. 0 mesmo, ama casa terrea
por
N. 79. 0 mesmo, uma casa terrea
por
N. 81. Henrique Manoel de Naseimento,
uma casa terrea por
Cordeiro
N. 2. Ben to dos Santos Ramos e Fran-
cisco Magalhaes Rapozo, ama casa
terrea por
N. 4. Francisco Magalhaes Rapozo, ama
casa terrea por
N. 6. Antonio Francisco das Cbagas,
um telheiro que serve de olaria ava-
liado por
Estrada para 0 Bongy
N. 6. Ignacio do Naseimento Goncal-
ves da Luz, uma easa terrea arren-
dada por
I' seccao do consulado provincial de
buco, 14 de setembro da 1874.
0 chefe,
Eduardo Augasto de Oliveira.
Perante a camara municipal desta cidade
estara cm praca nos-dias 18, I1.), 21, 22 e 23 do
corrente, para ser arrematado por quern menor
preco otTejeeer, 03 rsparos da rua do Quiaho da
Iregoeiia iis Afogados, oVcad ,s na q.wnlia do
5'.)84i(!i : qaem pretendor .irremitar essas con-
certos orapareca nii indnados dias, no paco
municipal, munidos de funct idmea.
0 orgamento acha-se na secrelaria da mesma
camara, onde sera auresentado ao3 que os quize-
rem cousultar.
Pago da camara municipal do Re:ifo, 17
le setembro de 1874
M. J. do Rego e Albuquorquo,
Presidenle.
Francisco Augusto da Costa,
Secretario.
0 desemliargad >r Francisco de Assis Oliveira Ma-
del, ofD-.-ial da imperial ordem da Rosa, e juiz
de direito privativo de orphaos da cidade do
Recife de Pernambuco e seu termo, por S. M. o
Imyerador, a quera Deos guarde, etc.
Fa-.-o saber a quem 0 conhecimeato dj presente
chega--, que por este jnizo e a requerimento de
Fravcisco Luiz dos Santos se procedeu a justifica-
cao de prodigalidade contra seu lilho Manoel Luiz
do3 Santos, e depois da prova testemuuhal, e pa
reeer do Dr. carador geral, subiram 03 autos a
ininha conclusao, nos quaes proferi a senlenca do
theor seguinte :
Vistos os documentos de folhas cinco, a folhas
onze, e inquiricao de folhas trez; a folhas dezeseis,
que provam estar 0 jastificado Manoel Luiz dos
Santos pratieando act os dj eomplela prodigalid^de,
0 hei por ineapaz de admini-lrar sua pessoa e
bens, que ficarao sob a administrac io de seu pai,
Francisco Luiz los Santos, a quem nomeio cura-
dor.
O escrivao passe edital para ser aOlxado 111 lu
gar do costume e publicado pela imjH-ensa, e ens-
tas. itecife, 14 de setembro de 1874.Francisco
de Assis Oliveira Uaciel. '
E para que ninguem Caca negocio algura com 0
precitado prjdigo Manoel Luiz dos Santos, senao
por Intermedio de seu curador, com prdvia auto-
risacao dsste juizo, mandei passar 0 preseutc, qie
sara afflxa 10 no lugar do costume e publicado pela
impreusa
Dado e pa;sado nesta cidade d Recife de Per-
nambuco, aos 16 de setembro de 1874.
Eu, Manoel do Naseimento Ponies, esjrivai, 0
subscrevi.
Francisco de Assis Oliveira Maciel.
Recife, 16 de setembro'de 1874. 0 escrivao
Manoel do Naseimenio I'ontes.
Ao sello 300 rs. V. S. S. ex-causa Oliveira
Maciel.
37 difas de asstfear msecavtido reflrado.
Jantar
Nos domiogos, terga e qaintas-feiras.
139 grammasde carMirerde crna-
II dftis de toneinir?-.
ft deciiitros de farmha de mandioca.
Was ^egundas e quartas-feir-as,
2S9 gratnnJas de can seeea.
11 ditas de toucinho.
2 deeilMros de feijao.
5 ditos de farinha de ruandtoca.
Nas sextas-feiras e sabiiados.
Jantar.
219 gremmas de bacalhao.
2 deciiitros de ferjao.
5 ditos de farinha de mandioca.
2 centilitros de azeiie uoce.
4 ditos de vioagre.
Leoha e sal necessarios para o prsparo
da cemida.
t* generos serao enfregaes no eslabelecimento
a cusa do fernecedor, que tambem ministrara 0
Ul-iribni la, harbaate necessario para a divisao das raeoes da
carne e bacalhao. Sendo 0 cafe fornecido crd, 0
fotnecedor dara 0 torrador e raoinho a sua eusta.
Dielas-n. 1.
1 quarto de gallinba.
Lenba e sal.
N. J-almocp.
1 pao de 143 grammas.
1 sdpa de- caldo de gallinha.
Leoha e sal.
Jantar.
1 quarto de gallinba cozida.
57 grammas de arroz para eaoja.
Sal, vinagre a ienha.
N. 3almoco.
0 mesmo da dkta n. 2.
Jantar.
Meio quarto de gallinha cozida-.
1 quarto de gaRtnha assada.
1 pao de 143 gramma3.
Sal e Ienha.
114 grammas de arroz.
I*. 4almojo.
7 grammas de cha da India (verd>-..
1 pao de 143 grariimas.
57 grammas de assucar branco relinali (3
aorte).
Lonha.
Jantar.
439 grammas de came verde.
5 deciiitros de farinha.
Lenha e sak
N. 5-almoQo.
0 mesmo da dieta n. 4.
Jantar.
439 grammas de came assada.
114 ditas de arroz.
1 pan de 113 grammas.
Lenha e sal.
Secretaria da pclicia de Pernambuco, 3 de se-
tembro de 1874.
Conforme.Miguel Alfonso Ferreira
CaMar..- o. da Cast/
Camara 4 Guimaries
Caixav Filial do Baaeo
DomittM daslecba
Dsvid Setasaio
Ednardo Preston
Padre ErotYto Ferreira _
Francisco Simdes da Silva
Francisco Menu
P. H. Cardts
CasW
daCoMta
JV7.
<:*<>
Ul>
M#or--
UP
UOiv
**:-
-'*
li*Ttr
nsvr
if*>->
SJtf>
Ifttfin
*7*'
2"*:i7--.
::Uiv-
12),000
300,000
96,000
96,000
96.000
96,000
72,000
200,000
120,000
84,000
144.000
120,000
144,000
144,000
144,000
120,000
200,000
48,000
240,000
Pernara
0 Rr. Sebastiao do Rego Barros de Lacerda,
juizde direito especial do commercio nes
ta cidade do Recife e seu termo da capi-
tal 4a proviacia de Pernambuco, por
S. M. imperial e constituc*iiial o Sr. D.
?edro II, a qw*v ileus uade, etc.
Fuco saber aos qua pien*a acHtal virem e
delle noticia tiverem, que Antonio Gomes da Sil-
. C., me dingiram a petic&o do tbeor se-
va J. uaier <- ) e
&m. -- ,
n;!1^" ?L "' Iaix 4e direito do commercio.. ^~
K?/*"uo uG?me5 aa snv Junior & C, com-
merciantes estabelecidos owtiHraca. que, tendo
sldo anaunciada a venda ep> leilao da armacio e
utens.hos da taverna sita 1 rok do Vigario The
mono n, 33, segunda se vtfttca do jornal junto,
Hi
^ClAXACOES.
Devocao
de Nossa Senbora d) Rosario da igreja da
Madre de Deos.
Eleicao.
De ordem da mesa regedora convido a todos os
nos-os irmaos a comparecerem no consi-torio da
igreja da Madre de Deus, no domingo 2() dn cor-
rente, pelas 3 1|2 horas da tarde, atim de reunidos
em mesa geral, proceder-se a eleic&o da nova me-
sa que lem de reger esta devocao no anno de 1874
a 1873 Recife, 18 de setembro de !S7i.
0 escrivao,
Francisco Jose Cnaves.
0 Dr. Joaquim Goncalves Luna, juiz dos
feitos da fazenia desta provtneia, por
S. M. Imperial, a que Deus guarde,
etc.
Faco saber aos que o presente edital vi
rera que, em cumprimento da ordem do
tbesouro de 30 de dezembro do 1865, e
das instrucgoes que corn a mesma baixa-
ram, findo o prazo de tres mezes a contar
da data da publicagdo deste, sera* vendido el
arrematado em basta publica celebrada na
comarca de Itambe, a quem maior prec,o
offerecer, a vista ou a prazo ale 11 annos
quando muito com juros de 6/o ao anno
pelo tempo da demora a comprebensSo de-
nonainada, a Buraco do exlincto vinculo
de Itambe, sita naquella comarca a qual se
acba avaliada em cinco contos de reis e
contein segundo a mediguo a que se proce-
deu e consta dos autos aeitensao seguinte :
do lado do leste 1,110 brae;as, do lado do
norte 409 bracas, do lado do noroeste 682
(tineas do lado do poente 411 bragas 'e do
lado do sul 681 bracks, sendo todo o ter-
reuo proprio para a cultura de mandioca e
outros legumes e ficando certos. os interes-
sados de que, tanto por tanto sera referido
o lanco do possMtaa respec'.ivo, na confor-
midada da oraertj do tbesouro, n.. 15 de 28
de Janeiro do 1874.
R;ctfe, 15 de setembro de 1874.Eu,
Jose Francisco do Rego Barros, escrivao, o
subscrevi.
0 Illm. Sr. Inspector do tbesouro provincia
manda fazer publico que cm cumprimento da or-
dem do Exm presidents da provincia, datada de 12
do corrente, se ha de arrematar perante a junta
do mesmo thesonro, no dia 24 do mesmo ran, a
quem por menos liter, o fqrnecimeDto dos presos
pobres da casa de detencao, no trimestre de oulu-
bro a dezembro proximo vindouro ; sendo os ge-
neros de que se compoe as diarias e dietas dos
mesm .is presos, os eoostantes das tabetlas abaixo
transcriptas.
Ab djarias a dietas dos presos pobres nao node-
rao exeeder a 4JD0 rs. diarloe, c jrn excepQio do
fornecimento feito aos presos militares, que sera
de 352 rs. diarios, conforme o disposio no aviso do
ministerio da guerra de 22 de maio de 1858.
"Epara constar se mandou publicar o presents
pelo Diario de Peinambttca.
Secretaria. do thesouro provincial de Pernam-
buco, 15de setembro de 18740 secretario,
Miguel Affonso Ferreira.
Jantar.
Tabella organisada em virtode da ordem da pre-
sidaacia, de 15 de jnlho ultimo, e de cooformidade
com o artigo29 daVi doorearaeato vlgente.
Sera foriaeida aos presos pobres, recolhidos a
casa de detengao, a seguinte allmentacao, a razao
de 400JS. por oada preso.
nuoc<) para todos os dias da semftna.
l- pao de farinha de trigo com o peso de 143
grammas. ..
3j> aramraas de cafe em |tao.
57 ditas de assucar mascavado.Teflndo.
Ceia para todos os dTea'da" semana.
l pao ou bolacha de 86 gnanrtnas.
36 grammas de ca.tt en* jrao,
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesou
raria de fazenda oV-st.i provincia, convida-se as iliaizo 3#* Foit
;!--1 artaixo deciaradas para comparecerem
nesta thesouraria, por si ou por pessoa coulierida
que as represente.
Francisco de Pul ?a Peixoto
Felizardo da Costa
F. F. Borges
Francisco Goedea de A ran jo
Francisco Manoel do Monte
Francisco Goncalvpj da Silva Pereira
Ftonano Francisco da Silva
Prancisco Luiz de O'iveira Axeredo
Guiiherme Ferreira Pinto
Caspar Antonio Vieira Guimaries
Isabel Maria da Costa
Jo<4 Gomes Vieira
Jusd Maria Ferreira
Joio Manoel da Cnsus Araujo
Joio Silverio de Souia
i se Nogoeira da Costa Soarc.
Joao Antcaio Ribeiro
Joaqnim C.-elho Barboza
Josd de C ntb liuimara-s
Jose Goncalves da Cruz
Joe Thompsoa
Join- Lilly
ioti Felippe MafMas
Jose Luiz Ferreira da Costa
Jose F. d-' Nazareth (africaau)
Jose Portelia da Costa e Silva
Joed Fontes
Joio P dro .->donr \ C.
Joanna Maria dips Pttacres
Joao Bapflsla da F :-.- -r Junior
Jtt'juim los ': '\
iofia J <' if !,. mo* :?.zalhie-
Jo!>! J >aqniin da Silv.
Jose Franci-r ;::n i
Kraft T.iii A C
Luiz Poerh
Laerteia | : I. J s- da G
Aaaorin |
beucadai J I <
Lourenc > J & rv.,:i,.
Mannel-'!. \jh>\ lo I'anar
M iDueJ K-:rr ;...
Miriosl k*4 \ asa 'l mas
Maria Kk-iit i
Mseaa klftdi -, o *> i\tgo Mdl T.SVo
Manoel Aotoaiu da Azevede i^k.
Manoel Sonnlvea "< Oliveira if TIM
Maaoet aaaii ftaixaa ijkt"
Mauoel Ant-mio Ja Costa firarcaate i:*7~>
Marianso de Snata
Massa fallida de C. J. da Silva Soiaaarie* ll-Su
Maria Isabel da Costa 3-500
Maria haM da Fonrcra
Manoel Aot-mio de Carv.ilho 7 *7.i
Manor-1 da Silva Sampaio. *J6i
Pedro Vonshostera 71 li>
Pedro Maunr i rr
Raymundo (escravo de F. F. B rpes, t-l
Robert Austin 11-33 >
Raymundo Carlos Leite & In-. j HO
Salustiano J. Lima S2 7J.
J. Leoa Rue :t win
Samuel Puv.-er Johnston & C. 18 50"
S .Ivador Ho Irigues da Siiva 5i-CG-1
Tnoniaz tie Aquiao Fousecs Junicr (her-
deiros) M.440
fhom.-.z l%mands da Csasha l" 750
Tseodura Jda-Silva BrafaUsa :ii I8.>
Tiicmai l-i!, ri. Victorino Augusto de Carvalbo -!7n
Victorino D. Alv..- Mais r 07n
Massa (allida 1^ Jose L. Pereira Junior 49 f"
Frrr. ira i Martin* 22 I
lames Iluttoo 7-
iftOA
u >
.-
i ?
torn
:i40O>.
*20rt
>7il6'
6i*.
ii,f-> >
iwra
.iton-i
144981
Ma*OJ
Antonio Manoel da Cunha.
Actonio Clementino da Costa Ribeiro.
Ant ioIo Jose (Cardoso.
Ainar-o Vieira Jose da Silva.
Benedict) Alvcs do3 Santos.
(laetana Feiicia Cherubina (iollaca.
Cecilia I;aquina Monteiro da Costa.
Emigdio Vieira de Lemos.
Francisco de Paula Pesoa de Albuquerque.
Joao Francisco do Rego Barreto.
Joio Francisco.
Jose Luiz Moreira.
Jose de Matt js Polycarpo.
Josd Vicente dos Anjos.
Manoel Ferreira.
Manoel Severino de Souza.
Maria Alberta dos Martyres.
Maria da Aonunciacao Jarneiro de Sampaio.
Maria da Assumpcio Cesar.
Maria Joaquina de Araujo.
Maria Jacinth* Pereira.
Maria Urmina Pessoa de Albuquerque.
Marianna Hermogenes da Conceicao Sampaio.
Marianna Leocadia da Fonceca.
Ri'a de Cassia Vieira Cavalcante.
S'crciariada'the'soutaria de fazenda de Pernam-
buco, 16 de setembro de 1874. -0 2J escnptursrio,
servindo de secretario,
Carlos J. de Souza Correia,
laiijicrinlsocicdadc do Artistas
llecliauioos o L De ordem do director convido a todos os so;ios
desta sociedade a comparecerem na sede da mes-
ma pelas 10 horas do dia 20 do corrente, para em
assembleageral, comas demais sociedade.' ariL-ii-
cas, tratar se da fusao projectada.
O secretario,
____________P. Paulo dos Santos._____________
II ispital Porluguez ds Benelieen-
cia cm Pernambuco.
Domingo 20 do corrente tera lugar a festa do
10 anniversario da installacao deste hospital.
As 8 horas da manha celebrar-se ha missa can-
tada com musica de orchestra em louvor a S. Joio
de Deus, patrono do mesmo hospital.
A's horas do costume sera servido o jantar aos
enfermos.
0 estabelecimento estara franco a todas as pes-
soas que o queiram visitar, e as 7 horas da noite re
sar-se-ha uma ladainha ao mesmo patrono, em
accao de graca e em lauvor de todas as pessoa;
que directa on indirectamente teem auxi'iado a
missao de caridade deste pio estabelecimento.
Hospital Portuguuz de Beneficencia, 15 de se-
tembro de 1874.
Luiz Duprat.
Secretario.
Monte-Pio dos Honorarios
do Exereito.
Tendo sido approvados pelo Exm presidente da
provincia os estatutos da mesma sociedade, con-
vida-se a todos os Srs. socios alim da que compa-
recam no dia 20 do corrente, is 10 horas da ma-
nha, na sala das sessoes, a rua do Coronel Snas-
suna n. 144, para se tratir de negocio urgente,
tenlente a mesma sociedade.
da lu;i'jiu.
i-rhao Torres Baiadeira.
ScXia feira, lb de setembro proximi viulmr- .
depots da audioncia respectiva as It boras do dia.
ira a praca por ven ia o seguing :
As c|'iatr; (i -rti'.- da casa n. *>9 da rna d*Sasn>
Rita, a qual tern 31 pal mo* de vi; e fij dN-s d-
fundos, 2 sa:as. 5 pi art <*. c zinha f>ra, qoiotr;
murado e cacimba, phi ina et:id >, >: f.ireir .
avaliadas em Ir290il03, para pajacvnti daoc-
cuqSo por desimas contra Loiz Caniido Ferreira
ouiro .
A' casa n. 5 da raa d^ Mssttm cm Oiin.l...
06 palm >- do omprim-.-nt > e 33 dstoa de irgnr*
2 salas, 3 quartos, qoiaial em aberto, em mao e
lado, avaliada em 700,1 Oj para pacamentj da ex-
cucio c ntra Ant nio Games de Jduiara.
Mem n. 8 da rua da Mangaejra, freguezia I
Poco d. Panella, com 1 jinella- e u na p frente, 31 palsBM dc no. CO iitos de loado*. f sa
las, 4 quartos, cozinba fora, quintal ens aberto, r
clmba meeira, avaliada em l:000|000 p.-.ra pasta
meiil) da execueao c.nU"a 03 filnos de Jja^ut.n
Pires Ferreira.
A casa n. II da rua do Amp.v aa Olinda. c >...
16 palm M de fid scbre U9 de fundos, 2 salsa, c.i
gabinele, 4 quartos, qu n'ai era ab. rt >. c >ztaBi
iuterna, solo proprio, avaliada em l:0OO?'i00 psra
paga u'T.o da exe:a;Io contra Raf no Aagrn**
Mate.
Recife, 29 de agosto de Is7'
Osolicitador da fazenJa provin ial,
J. F. Correia de Araajo.
A.rinazensda companhia per
nambucuna.
Kj;ii:*o> centra o foro
A companhia pernambu.'ana, Uis; >r*do Je et
.ellejites e \atos armaen-ren seu predio Be f :
te do Mattos, offerece-os ao cammerrio ea gerv
para deposito de generus* ga ran undo a wa,i eoa-
iervacao das mcrcidoria- depositada^, sen;-,
^romplo, precos modicos, ate.
arnbem recolhera, mediant previo accord^, ex
;lusivamente os generos de nma so pnanfa
Esles armazens, alem de arejadus flossnedu*
tao inteiraraente novos e aspnaludos, isentos 4*
:upim, ratos, etc., etc.
As pessoas qae quizerem ntilisar-s* 4mtu *
nazens, pederao dirigir-se ao escriptono da a...
panhia pemambucana, qae acbarao com torn
tratar.
le
iri-
Massa lallida
DE
Amorim, Fragoso, Santos &
Companhia.
Sao convidados os senhores credores, abaixo de
elarados, para receberem o ultimo dividendo, no
esoriptorio a rua do Vigario n. 13, 1* andar.
0 pagamento 6 feito as quintas-Ieirae, das 11
horas da manha a 1 da tarde.
As importancias que nao forero procoradas ate
o dia 17 de setembro proximo, serao recolhidas ao
deposito publico.
Antonio Domiogos Pinto
Antonio Maria Gonzaga
Antonio Maria do Rosario
Abrahao Cuslrenvard
Antonio Bernardino de Sena
Alexandre Buchaman
Alvss & C.
Antonio Jose de Souza Guimar3
Antonio Luizf "- ..,- -
*":, ..fiofflwa
fuwmo Maria O'Coneh Jersey
nfoaio Farnandes Ribeiro
nlonio Barbosa de Bastos
Barbosa & Simoes
Brito Queiroz-Rego 4 C.
Bafcia lnnao3 & C.
iJatvatto& C. Giaja Bethrish
Cetesthio da Cosu .
Cultodlo Floro da Silva
Caetano C. da Costa Ramos
4396
241620
141880
84360
5e-
%utfJ
34320
14050
231080
14170
O4830J
Couxellio de eeasapraa
nha.
0 conselho centrata no dia 19 do corrente mr
a vista de propostas recebldas ate as 11 horas da
manna, c sob :i3 condieT>?s do estjrto o forneiraeati
no trimestre proximo vindouro de outubro a d
zembro do corrente anno. do> objectos de farda -
mento abaixo de declarados.
Para aprendizes artifices.
Ronets do uniforaies, bonets de servico, hlnsas d
brim branco, blnsas de algodao anl, blasas c" -
panno azal, calces de brim branco, ealeas d al;
ilao azul, ean>isa> de algodaosinho, cobertorcs il-
ia, cobertores de algodao, calca de paasw ur.
cintos de conro branco enveraiiado, colcate d
linho cheios de paiha, fronhss de algrda^inh
lencos de se ia preta para gravatas, h-nroes 4e ai
godiosinho, sapatoes, saccos de guardar roepa-
travesseiros de linho cheios de palha.
Para artifices avnisos.
Blnsas de panno aznl, blaas de algodao a
ctleas de brim branco, :alci de paano aznl, n
misas dc algodiosinho, cintjs dc conro braaeo n
veraisaae.
Para imperiaes marinhrircs, apreadizes ditos i
marinhagem.
Bonets d) panno azul ferrete, camisas de bn:
branco, calcas de brim brines, capu de ditos p~r
bonets, capas de oleado preto para ditos, casaisa*
de ilanclla aznl ferrete, calcas de dito, mliaiss 4*
linho cheios de palha, cobertores de 14. calcas
dc panno aznl ferrete, calcas de algodao aaat, ea
misas de panno azal ferrete, camias 4* alaadf~
azal, fardas de panno aznl ferrete, leaeet 4c seia
4-reta para gravatas, sapaldes, saccos 4e losa de
marinhagem.
Tambem o conwlho r> meocw***0 dia, 4 aa
ignalmente de pro^^'recafcite a** asU lat*
t,re- "ae cimento e carvao -MftBtft
^ a compra de *0^-j2y *f*
uboas de forro deiusanHo****** *** wm
com o peso de 380 a 360 kilograsBSMS.
Sala aas sc?s5e3 do conselho de cosapr" 4c
rinha, 15 de setembro de ifc.
Oseeratarie,
Alexandre ktirittutiM Jaj-a.
1:97(U1M
444360
3490O
Hospital Portigiei *e I***
cia eu Perwmtaco.
Domingo, 20 do eorraate, tara lugar a
do 19* anniversario da iastaMaeio desks bog4al
A's 8 boras da manha watarirse-fca aia>
cantada com musica ds arejjastra, sat lse*ar a
S. Joio de Dens, patroan to I



I


Diario da Pernambiiuu Sexta feira 17 de Setembro de i874.

A's boras do costume sera servido o jantar aos
enter mos.
O eitabeleclmonto estara franco a todas as pes-
soas que o qaeiram visilar, e as 7 boras da not-
te rexar-se-la uma ladainha ao mesmo patrono,
em aect de fracas e em louvor de todas as
pe?soas quo directa ou iodirectamente tern aoxi-
liaio a missao de caridade deste pio estabeleci-
mento. -
Hospital Portuguez de Beneficencia, IS de se-
tembro de 1874.
Lai Duprat,
Secretario.
Seccao 5.* Secretaria da presidencia de Pernam-
buco, em 9 de setembro de 1874.
Por esta secretaria se fax publico para conheci-
mento das pessoas a quern pom interesiar, que
fica marcado o prazo de 60 dias, contxdos da pre-
sente data, para serem apresentadas ao Exm. Sr.
presidente da provincia, proposUs em carta feclia-
da para fundacao de engenhos centraes nos mu-
nicipioi de Jaboatao, Cabo, Ipojaca, Seriohiem.
Eseada, Barreiros, Agoa Preta, Iguanssvi, Goyan-
na, Rio Pormoso e Santo Aotao, ignaes aos exis-
tentes nas ilhas francezas de Martinica e Gaadelu-
pe, madiante as vaotagens e condicSes expressas
no artigo 66 da lei n. 1,141, de 8 de junho do cor-
rente anno.
0 secretario,
Joao Diniz Ribeiro da Cnaha.
interino, Jo qnim Pinto de
de 1874.-0 escrivao
Almeida Junior.
Contrata se a lavagem e concerto da ronpa dos
doentes deste hospital, para o trii lestre de 1 de
outubro a 31 de dezembro do correite anno.
Quern quiier se iocumbir de senelhante servi-
ce apresente suas propostas em (artas fechadas
na secretaria do mesmo hospital no dia 18 do cor-
rente pelas 10 horas da manha.
Hospital militar te Peraambuco,
de 1874.-0 escrivao
Almeida Junior.
SANTA CASA DA M1SEK1CUKD1A DU
RECIFE.
A Hlma. junta administrate da Santa Casa da
Misericordia do Recife, mania fazer publico que
najsaiade suas sessSes, o dia 17 de setembro, pe-
las S horas da tarde, tern de ser arrematadas >
quern mais vantagens offerecer, pelo tempo de am
a tree annos, as rendas dos predios em seguida
declarados.
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE.
Rua das Calcadas
Casa terrea n. 30(fechada). 221*000
Idem n. 36........221/000
Vidal de Negreiros.
Casa terrea n. 114......362/000
Idem n. 94.........301/006
Rua larga do Rosario.
!. andar e loja n 24 A.....900/000
2* andar idem........310/000
2.* andar n 24.......408/000
3.-andar n. 28......251/000
Rua de Antonio Henriques.
Casa terrea n. 26...... 99/000
Largo da Campioa.
Idemn 11 {fechada)......120/000
Rua do Xogueira.
Casa terrea n. 17 (fechada)......331/000
Rua do Coronel Suassuna
1* andar do sobrado numero 94 386/000
Dilo dito numero 41.....307/000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada)..... 500/000
Becco das Boias.
Casa terrea n. 18.......421/CKX
Rua da Lapa.
Casa terrea n. S.......202/000
Rua do Atnonm.
Sobrado de 2 andares d. 23 602*500
Casa terrea n. 34...... 2/000
Ruar do Bugos.
Casa terrea n. 21.......153/000
Rua do Vigario.
andar do sobrado n. 27 243/000
! andar do mesmo ...... 300/000
Loja do mesmo.......375/000
Rua do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 13 (fechada). 1:400/000
Rua da Senzalla velha
Idem n. 16........209/000
Rua da Gnia.
Casa terrea n. 25......209/OOC
Idem n. 29........201/000
Rua da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 12 (fechada). 800/000
Idemn. 11.........600/000
Rua de S. Jorge
Casa terrea n. 100 (fecbada) 241/000
Idem n. 103........207/000
Rua do Ampare )01inda)
Casa tercea n. 18 (fechada) .... 240/000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as suas fiancas, on comparecerem
aeorapanhados dos respectivos fiadores, devendo
pagar alem da rends, o premio da qnantia era
que for seguro o predio que contiver estabelecl-
mento commercial, as.-im como o servigo da lim
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do R
cife, 17 de a^osto de 1874.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza,
CONSULADO PROVINCIAL.
Por esta reparticao se. faz publico aos devedores
dos impostos pertenceutes ao exercicio em liqui
da?3o de 1873 a 74, que no dia 29 do corrente fin-
da se e prazo marcado para o recebircento deseus
debitos com a multa de 6 0|0, ficandi sujeitoss o
que nao pagarem ate" aquelle dia, a serem ajuiza-
dos com a multa de 9 0|0.
Consulado provincial de Pernambuco, 1
de setembro de 187V.0 administrador,
Antonio C. Machado Rios.
FUNDIQAO
DE ^
C Starr & C.
Sao convidados os Srs. devedores a vir
satisfazer seus debitos, provenientes de let-
tras e contas vencidas ; sendo que nao o fa-
zendo ate o dia 30 de outubro proximo vin-
douro, serSo vendidas em leilao. Poderao
comparecer ou mandar ao escriptorio da
fundigao ou do testamenteiro II. J. Carman,
rua do Commercio n. 40.
Hosp
ital militar de Pernam-
buco.
Contrata-se o fornecimento dos objectos abaixo
declarades, para o expediente desta reparticao, no
trimestre do primeiro de outubro a 31 de dezem-
bro do corrente anno.
Papel alraago pautado Fiume, resma.
Papel marca Jesu, folna.
Papel mataborrao, folha.
Obreias, paes.
Canetas, uma
La pes, um.
Canivete, um.
Tinta preta.
Quern quizer fazer dito fornecimento apresente
suas proposus-em cartas fechadas nesta secretaria
no dia 18 do corrente pelas 10 horas da manha,
com as respectivas amostras.
Hospital militar de Pernambuco, 13 de setembro
de 1874.0 escrivao interino, Joaquia Pinto de
Almeida Jnnior.
Contrata-se o fornecimento de generos alimenti-
cios para dietas dos doentes e ragoes dos empre-
gados no trimestre de 1 de outubro a 31. de dezem-
bro do corrente anno.
Aletria, kilogramma.
Ararat*, idem.
Arroi, idem.
Assucar refinado, idem.
Batatas, idem.
fiolachas, idem,
fiolacbinhas de araruta, idem.
Biscoutos, idem.
Cna Hyson, idem.
Cafe moido, idem.
Dito em caro;o, idem.
Came verde, idem.
Dita de porco, idem.
Farinba de mandioca de Muribeca, litro.
Feijao preto, idem.
Goiabada, kilogramma. \
'jalinhas, nma.
Leite, litro.
Laranja, uma.
Lenha, toros, cento.
Macarrio, kilogramma.
Manteiga ingleza, idem.
Uarmellada, idem.
Ovo, um.
Paes de 114 e 762 grammes, kilogramma?.
Sal grosso, litro.
Tapioca, kilogramma.
Xoucinho de Lisbea, idem.
Vinho do porto engarrafado, litro.
Vinagre de Lisboa, idem.
Todos estes generos devem ser da niolhor quali-
-dade qoe bonver no mercado : qnem quizer fazer
dito fornecimento apresente soas yropostas, em
cartas fechadas, na secretaria deste hospital, no
dia 18 do corrente, pelii 10 boras da manha.
.Hospital mUitar de Pe-nambuco, 13 do selerabro
13 de setembro
interino, Joj quira Pinto d
quim Klviro Pereira Magalbaes, Joao Chrysostomo
de Olivei'a Pelagio, Julio Pires Lobo, Jeronyma
Maria Ramos, Joaquim Pereira de Mello Morae*,
Manoel Pereira da SMra Bambiiha Manoel do Rego
Mellov Manoel Migueis, Maria Graciana, Dr. Pedro
Jorge de Souza, Querubino Jose dos Santos, R^nios
Carrera Pernandes, Romnaldo AWes Per:cff. Sil-
vestre Jose da Roeha Pinto, Salust',n0 Francisco
do Nas rimento.
0 official, encarregado do registro,
Jose Candida de Barros.
Contrata se o fornecimento de iangMsttgai de
Hamburgo para serem applicadas ae doentes do
mesmo hospital, no trimestre de 1 tie outubro a
31 de dezembro do corrente ann.
Qoem quizer fazer dito fontfeimjento, apresente
suas propostas em carta fechada i esta secretaria,
as 10 horas da manha do dia 18 dc corrente.
Hospital militar, 12 de seterobo de 1874.-O
escrivao interino, Joaquim Pinto de Almeida Ju-
nior.
Os Srs. pharmacenticos que qn zerem fornecer
os medicamentos abaixo mencionat os e outros que
po8sam ser precisos para o receitu rio do hospital
militar, no trimestre de 1 de outi bro a 31 de de-
zembro do correote anno, compare jam na secreta-
ria do mesmo hospital, no dia 18 do correo."
pelas 10 horas da manha, com as suas propostas
em carta fechada, indicando os precos dos ditos
medicamentos.
Agua ingleza.
Acido phenico.
Arseniato de soda.
A lumen calclnado.
Alfazema.
Alcool.
Agua de flores de larangeiras.
Algalias.
Assucar Candi.
Balsamo tranquillo.
Bromureto de potassio.
Chlorureto de zinco liquido.
Cevada.
Carbonato de raagnezia.
"aixas de pinho para pomadas.
Calomelanos.
Essencia de thereb-atina.
Flores de tilia.
Flores de sabugueiro.
Funda dupla.
Granulas de arseniato de soda.
Gomma gutta em po.
Gomma de batata.
Hydrato de choral.
Ipecacuanha em raiz.
Glycerina.
Limalha de ferro.
Lrahaca em grao.
Oleo de figado de bacalhao de Kempb.
Idem, idem, idem ferruginoso.
Pilulas de Bland.
Pomada de cacao.
P6 alcalino calcario de Boyer.
Oleo de mastruco.
Pastilhas de enxofre.
Sabina em po.
Rosas rubras.
Scilla em escamas.
Sassafras.
Suspensorios testiculares.
Salsa de Bristol.
Salsaparrilha.
Sulphureto de potassio.
Succo de groselles.
Vinho de Moithier.
Xarope peitoral inglez.
X a rope iodureto de la Rosa.
Xarope da seiva de pinho maritimo.
Tartrato de potassa e soda.
Hospital militar, 14 de setembroi e 1874.0
escrivao interino, Joaquim Pinto de Almeida Ju<
nior.
Pela recebedoria de rendas se declara ao
contribuintes do imposto sobre indus rias e pro-
Qssoes que e no corrente mez e no de outubro
vindouro que devem vir pagar o irimeiro se
mestre pertencente ao exercicio de 1174 a 1875,
incorrendo na multa de 6 |. todos ai ueltes con-
tribuintes que fizerem depois do mesn o prazo.
Recebedoria de Pernambuco, 1. ie setembro
de 1874.
Servindo de admini trador,
Jcse Felippe Nery di Silva.
0 Iilm. Sr. inspector do thesonro provincial,
manda fazer publico, quo cm cumprii lento da or-
dem do Exm. Sr. presidente da provin :ia de 12 de
corrente, tem de ser arrematado perai te a junta
do mesmo thesouro, no dia 24 do mez que corro,
o imposto de 8 por cento sobre o capi n de planta
consumido na cidade do Recife, or;ado na quanlia
de 1.939/460.
As pessoas que se propozerem a estk arremata-
cao comparegam na sala das seasoes i la jnnta do
mesmo thesouro, no dia acima indicad>vpelo meio
dia, c'ompetentemente habilitadas.
Secretaria do thesouro provincial de Pernambu-
co, 14 de setembro de 1874.
0 secretario]
Miguel Affonso F srreira.
(lompanhia Fidelidai
scguros maritinios e teijrestrcs
A agencia desta companhia toma seguros ma-
ritimi s e terrestres, a premios razoa eis, dando
nos ultimos o solo livre, c o setimo am o gratuito
ao segurado.
Rua do Visconde de Itaparica, antiga do Appolo
n. 51.
Feliciano Jose Gomes
Agente.
CONSULADO PROVINCIA.
Por esta reparticao se faz sciente aos contri-
buintes dos apparelhos, difference dos mesmjs,
annuidades e encanamentos da Recife Drain a g-
Company do semestre finds em dezembro de
1872, que foi prorogado por mais dez djias uteis e
recebimento que ora se procede, terminando a re-
ferida prorogarao no dia 14 de setemBro vin-
douro.
Cotosulado provincial, 29 de agosto df 1874.
0 administrador,
___________Antonio Carneiro Machadb Rios.
De ordem do Illm. Sr. inspector dajttie9oura-
ria de fazenda desta provincia se faz pal ilico, para
conhecimento de quem irrteressar, qn< no dia 26
do corrente mez, pelas 2 horas da tardi, perante
a junta da mesma thesouraria, sera posti 3m hasta
publica para ser arrematado por qnem n aior lanco
offerecer. o proprio nacional, denomin do Cala-
boDco, sito a rua do mesmo nome, nes a capital,
servindo de ba-o para a arrematacao a i uantia de
3:110/, maior lanco offerecido na ultim ipra^a.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 5 de setembro de 1874.0 2 escriptu-
raio, servindo de secretario,
Carlos J. de Souza Co 'reia.
Olinda.
Vai A pra'.-a a casa n. 14 da rua do Com-
mercio (outr'ora Quatro Cantos), da cida-
de de Olinda, situada sobre o ca'no deno-
minadoCarecaonde fOra a taverns de
Jose Perne ; tendo 4 portas de frerite, quin-
tal, bons commodos, chuos proprios, etc.,
pelo pre^o de 800-000.
A arrematacao da referida casa,Passim co-
mo da armar;ao e generos da taverna, terd
lugar nos ultimos dias do corrente mez de
setembro.
Concerto instrumental
DA BANDA DE
MUSICA ALLEMA
Hoje
A'S 7 Ii2 HORAS DA H01TE
MO
Jordim do Campo das Prineezas
Em beneiicio do
Asylo de Alienados.
Pro^ramma
Marcda intitulada 0 teroar a ver de Clarens.
Due to da opera Natiucodonosor de Verdi.
Aria de Igenia de Lovi.
Walsa -Os romanos de Streck.
Melodias da open Martha de Plotow.
Ouvertura da opera Os italianos em Argel de
Ros-ini
Polonaise de concerto de Clarens.
Polka de phaataaia por Temmelhack.
Watsa intitulada Do reinc du sons por Faust.
Ouvertura da opera Norraa de Bellini.
Grande dueto de Stabat Mater de Rossini.
Galope militar de Lessmann.
A commissao encarregada do bazar de prendas
em favor do Asylo de Alienados, a qnem foi of-
ferecido este concerto,- pede .encarecidamente a
popnlacao dwta cidade e particularmente as
ExmasT familias o compared mento, concorrendo
com o que dietar os seus coracdes para que pos-
sa corresponder ao fim a que foi destinado este
beneficio; e desde ja antecipa os seus agradeci-
mentos. ,
THEATRO
Santo Antonio
Sabbado 19 do corrente
ULTIMA REPRESENTACiO
Definitivamente ultimo espectacnlo de despedida
Em ben-.ficio dos irmaos
Eduardo e Anselmo Sawyer
Progratunaa.
1.* parte.
(Pelos caropanologos)
1.* Marcha da opera Norma de Bellini.
2. N. 6 da opera Traviata.
2.* parte.
(Pelo Sr. Anselmo no seu copophonio.
1.* Tango de Alii Baba.
2. Les Gardes de la reine Walzer.
3." parte.
(Pelos campanologos)
1.* Quella pira. N. 18 da opera Trovatore.
2.* Hymno Nacional.
4.a parte.
(Pelo Sr. Anselmo no seu copophonio)
l. Scena e Polacca da opera Rigoletta.
2. 11 wazer Indiana.
5.* parte.
LA GALLEGADO
Dan;ado pelo Sr. Anselmo e sua senhora.
Principiari as 8 horas.
twsas mmiMto
Librae eslcrlinas.
Vendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
_______Rua do Commercio a. 42.
Ilha de S. Miguel
Segue com brevidad* para S. Miguel o palha-
bote portuguez .Yoro S. Louren^o, para onde rece-
be carga e passageiros : trata-se com os consig-
natarios Thomaz de Aquino Fonceca & C. Succes-
sores, rua do Vigario n. 19, 1* andar.
CdARGEllRS R^lA1N
COMPANHIA FRINCE2A DE NAVE-
GA$AOA VAPOR
LINHA MENSAL ENTRE 0
Havre, LisbOa, Pernambuco, Bahia, Rio de
Janeiro e Santos.
STEAMER
\tlXR-1N& Bvmv
Commandante,P. Robert.
E' esperado da En-
ropa ate 23 do cor-
rente, seguindo de-
pois da indispensavel
demora para os por-
tos de sul de sua es-
cala acima referidos.
Para fretes, encommendas e passageiros, trata-
se com
OS CONSIGNATARIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA 4 C.
12Rua do CommercioEntrada pela rm
_____________do Torres.______________
Ilho de & Miguel.
Com muita brevidade segue para S. Mignel o
conhecido palhabole portuguez Novo S. Lourmco.
Para o resto da carga e passageiros trata-se com
os consignatarios Thomaz do Aquino Fonceca &
C. suceessores a rua do Vigario n. 19.
Pacific Steam Navigation Coiupam
ROYAL MAIL STEAMERS. *
Em o
1 andar do -^brado da rua do Marquez
ft w -'*0,inda n- 37-
o agente w^^.em observancia ao respeitavel
despacho do, mn,. sr. Dr. tuix especial do com-
mercio, '.,,vari a leilao no dia e hora indicados,
as div'ila8 Q2 impertancia de 21:39780fiO, as quaes
Mfom parte dos bens pertencentes a massa fallida
de Thomaz Fernandes da Cunha & C.
0 mandade com os nomes e guantias de cada
devedor acha-se em poder do referido agente, a
onde pole desde ja ser examinado pelos Srs. pre-
tendentes.
(DE 4081 TONEADAS)
Comma ndante Shannon.
Espera-se dospor-
tos do snl ate o dia 27
do corrente, e depois
demora do costu-
me segnira para Lis-
boa, Bordios, e Liver-
pool, para onde recebera passageiros, encommen-
das, e dinbeiro a frete.
. B.Nio sahira antes das tres boras da tar-
le do dia da sua cbegada.
AGENTES
Wilson Rowe C.
14PRACA DO COMMERCIO1
0 brigne portuguez Triumpho, prelende seguir
com muita brevidade : para carga passageiros
trata-se com os consignatarios Thomaz de Aquino
Fonceca & C, suceessores, rua do Vigario n. 19
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.^iavega^ao eoateira a vapor.
'ARAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSOF.O', ARACJl-
TY, CF.ARA, MANDAHC, ACARACU* E
MARANHAO.
0 vapor Pirapama, comman-
dante Silva, segnira para os
portos acima no dia 22 do
corrente as 5 horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 21, en-
commendas, passageiros e di-
nheiro a frete at6 as 2 horas da tarde do dia da
sahila : escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
LEILOES.
Leilao
DAS
dividas da massa fallida de Jose Francisco
Bittencourt, na importancia de.....
2:004,5230.
A's 11 horas.
0 agente Pinto autorisado por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz de direito especial do commercio, le-
vara a leilao, as 11 horas do dia acima dito, as di-
vidas da massa fallida de Jose Francisco Bitten
court.
Os pretendentes poderao desde ja examinarem a
relacio das dividas existentes em o escriptorio do
referido agente, rua do Bom Jesus n. 43, onde se
effecluara o leilao.
PRO&RESSO MARITIMO DO PORTO
Gmpreza portnense de na\csaciio a
vapor enlre Portugal e o Brassl
0 VAPOR
Commnndante Contente
E' esperado do
sul, ate o dia 20 do
corrente, depois de
Souea demora dentro
o porto, seguira para
Lisboa e Porto, com
;fc^
Sociedade Recreativa. Ju-
ventude.
De ordem do Sr. presidente convii o os Srs.
socios a reunirem-se na sala das sessots desta so-
ciedade, domingo 20 do corrente, as p horas da
manha, para em assemblea geral extrjaordinaria,
elegerem o vice-presidente, por ter p effectivo
sido eleito presidente na sessao proxiria passada.
Secretaria da Sociedade Recreativa Jnventude,
16 de setembro de 1874.
Orestes Mont tiro,
______ secrei trio.
ADMlfllSTRAgAO DOS CORREIOS DH PERNAM-
BUCO, 16 DE SETEMBRO DE 874
Relafao da correspondencia registrada sem valor)
recebida de diversas procedenciat ati esta data,
e que n&o tem sido enlrcgue por ignorar-se as
residencias dos destinalarios.
Amaro de Oliveira Dntra, Antonio J. P. de Men-
donca, Antonio Luiz do Amaral, Antonio Felippe
de Santiago, Cosme Jose dos Santos Calado, Fran-
cisco Ma-tins de Aranjo, Francisco Manoel de
Araojo, Franeisco Ferreira da Costa e Mello, Fran-
cisco Cavalcante de Albuquerque Lias, Floreneio
Izidoro Leal A C, Luiz Gonzaga More ra, Jose Ma-
noel de Araojo, Jose Cactano de Albuduerque, Joa-
Almeida Garret
Commandante Tonaasini
E' esperado de Por-
tugal ate 30 do cor-
rente, tambem, depois
de pouca demora den-
tro deste porto, se-
guira para a Bahia
e Rio do Janeiro.
Passagens e fretes de cargas, encommendas e
valores, tratam-se com os
AGENTES
E. R. It a hello tl C.
17Rua do Commercio 17
Entrada polo largo do Pelourinho.
Companhia de navegacao a va-
por bahlana, limitada
Maceid, Penedo, Aracajii e Bahia.
E' esperado dos portos
do sul ate o dia 23 do
corrente o vapor Marquez
de Caxias, o. qual seguira
para os portos acima no
dia seguinte ao da sua
chegada.
Recebe-se carga, encommendas passageiros edi-
nheiro a; frete.
Agente
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
_______57Rna do Bom Jesus57_______
COMPANHIA RRASILEIRA
DE
NAVEGACAOAVAPOR
Portos do sul
CERVANTES (fretado)
LEILAO
DAS
dividas da massa fallida de Joio Ferreira
da Costa Soares, na importancia de .
98:5270371.
HOJE
A's It li9 horas.
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do commercio, em virtude do reguerimenlo
do administrador da massa fallida de Joao Ferreira
da Costa Soares, o agente Pinto fara leilao das di-
vidas conslantes do mandado existente em poder
do mesmo agente, sendo 94:075^094 em contas de
livros e 4:452280 em letras.
0 leilao sera effectuado as 11 1[2 horas do dia
acima dito, m escriptorio do mesmo agente, rua
do Bom Jesus n. 43._______________________
INovo leilao
DA
metade do sobrado de 2 andares, sotao e 1
grande armazem, sito & rua da Praia n.
35, hoje Pedro Affonso, com as seguintes
commodidades:
Primeiro andar.Grande sala forrada, alcova e
1 quarto, no corredor 1 quarto, sala de jantar, 2
quartos, despensa e cozmha fora.
Segnndo andar. 1 sala, 1 alcova e 1 quarto,
no corredor 1 quarto, sala para jantar, 2 quartos
e 1 grande terraco ; sotao, 2 saloes, 1 quartos e
cozinha com janeilas para o mar, 1 grande quin-
tal, grande telheiro e cacimba.
Hoje
A's 11 horas da manha
No escriptorio a* rua do Bom Jesus n. 53,
primeiro andar
0 agente Pinho Borges, autorisado, vendera em
leilao a referida metade do sobrado acima mencio-
nado, por conta e risco de quem pertencer.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examinar,
qualquer esslarecimento o mesmo agente pode
LEILAO
DE
moveis, loucas, fazendas
tura
e caixas para cos-
HOJE
Sendo :
Uma importante mobilia de jacaranda, a Lniz
XV, medalhao duplo, I dita de amarello, cspelhos
com molduras de jacaranda, 1 dito com moldura
dourada, 1 rico lustre, mesas de amarello, cadei
ras de balanco, aparadores, cadeiras avulsas, ditas
de bracp, de jacaranda, consolo*. mesas redondas,
carteiras para escriptorio, maquinas de costura,
marquezas, sofas de amarello, jarros, meios appa-
relhos de porcelana para jantar, diversos tapetes
para porta e 3ofa, casacos dr. crochet para senbo-
ras, fechus, espartilhos, caixinhas para costura,
ditas para amendoas, e muitos outros objectos que
serao vendidos sem limile para liquidar, por inter-
medio do agente Martins, na rua do Imperador n.
48.
Leilao
DE
moveis, lou^a, vidros, pianos de armario,
ditos de mesa, 1 reparticao para escripto-
rio com balcao
Sabbado 19 do corrente
AS 11 HORAS EM P0NT0.
Wo armazem da rna do Bom Je
sus n. AS (antiga Cms).
0 agente Dias fara leilao, por conta e risco de
quem pertencer, de 1 mobilia de jacaranda, com
tampos de pedra, 1 guarda-louca. 1 guarda-rou-
pa, camas francczas para casal, marqoezoes, mar-
quezas, aparadores, cadeiras de ferro, ditas de
amarello, consolos, mesas redondas, quadros, can
dieiros a gaj, mesas elasticas, secretarias, santua-
rios de jacaranda, ber^os, cadeiras de balanco, di
versas obras de plaque" e muitos outros objectos
que estarao pateotes ao acto do leilao.
Leilao
DE
Uma excellente armac,5o de amarello pro-
pria para qualquer estabelecimento, sen-
do toda envidra^aua e envernizada, com
balcao e fiteiros, mais un outro balcao,
liteiros e joias, da loja de ourives a* rua
do Coronel Suassuna, antiga rua de Hor-
tas n. 15, entitulada Pencinez de
Ouro.
Sabbado 19 do corrente
0 agente Martins fara leilao por ordem e conta
de Manoel Martins de Moura. da armacao e gran
de quantidade de joias, de gostos modernos, que
serao vendidas ao correr do mart-:llo, para li-
quidar.
Principiara as 11 horas do dia acima;
leilao
DE
20 barricas com fariuba de trigo, avariadas
a bordo do patachoinglez'.l?mie Mitchell
SABBADO 19 DO CORREOTE
as It horas em ponto
Por intervenr;ao do agente Pinto
No caes do Apollo, armazem do Sr. Jose" Duar
te das> Neves.
Agente Dias
leilao
dar.
0 mesmo agente faz sciente que o sobrado esta
em boa conservacao, bem edificado, tem linda vis-
ta e esta situado em uma rna rauito commercial.
LEILAO
gb^
E' esperado dos portos do none
ate" o dia 17 do corrente e se-
r'ra para es do snl depois
demora do costume.
Portos do norte
DA
9.* parte do sobrado da rua Duque de Ca-
xias (outr'ora rua do Queimado) n. 60
Tres sitios em Papacaga.
Bens pertencentes a massa fallida de Bento'da Sil-
va & C
Hoje
A's 11 horas
O agente Pinto, autorisado pelos administrado-
res da massa fallida de Bento da Silva & C, em
virtude do despacho do Illm. Sr. Dr. luiz de direi-
to espeeial do commercio, levara a leilao, nao so a
9.* parte do sobrado da rua do Duque de Caxias
n. 60, como os 3 sitios em Papacaca, servindo de
base a offerta obtlda. im
0 leilao sera effectuado uo dia e hora acima
mencionados, no escriptorio do referido agente. a
rua do Bom Jesus n. 43.
Co
andante Carlos Gomeg
fjss*
E" esperado dos portos
do sul ate" o dia 17 do
corrente e seguira para
os do norte depois da de-
________________mora do costume.
Para carga, encommendas, valores e passagens,
trata-se bo escriptorio
7-RUA DO V1GARI0-7
Pereira Vianna & C,
LEILAO
DAS
dividas na importancia de 21:3970060, per-
tencentes i massa fallida de Thomaz
Fernandes da Cunha & C.
Hoje
as 11 horas da manha
DE
moveis, vidros e diversos artigos na casa de
residencia do Illm. Sr. capitao Doyle,
consul de S. M. Britanica
Ema a Casa forte, confronte a estarao do Chacon
Segunda-feira21 do corrente
0 agente Dias, autorisado pelo Illm. Sr. capitao
Doyle, consul de S. M. Britanica, que sa retira pa-
ra a Europa, levara a leilao. no dia e lugar acima
indicados, os nnveis e mais artigos que abaixo
se mencionao, existentes na casa de, residencia
do mesmo Sr., na Casa Forte, confronte a estarao
do Chacon.
A SABER:
Sala de visitas
Dous sofas de amarello raiz, 2 consoles, i dito*
de jacaranda, com tampos de pedra, 1 mesa de
abrir para meio de sala, 2 cadeiras de bracos
americanas, 12 "ditas de guarnicao, 2 esprigaga-
deiras, 2 ditas de brakes, estufadas, 2 espelbos
grandes com moldura dourada, 1 piano de armario
e 2 pares de jarros para flores.
1, quarto
Um guarda-roupa de amarello, 1 lavatorio com
pedra, 1 cana de bronze para solteTro, I espelho
com columnas, de jacaranda, 1 pequeno s)fa, 1
espelho com columnas, dc jacaranda, menor, e 1
mesa de pinho. .
2.' quarto
Um guarda-roupa de amarello, 1 marquezSo ,1
dito para solteiro, 1 meia commoda, 1 cabide, 1
banca, 1 lavatorio e suas pertenjas.
2. sala
Uma mesa elastisa de 5 taboas, 1 grande apara-
dor de amarello com pedra, 1 espelho grande com
moldura dourada, 4 quadros com diversas vistas.
3 bancas de amarello, 1 dita com pes de columua
11 cadeiras de guarnicao, de amarello, 2 ditas de
bracos, 1 dita de balanco, 2 espreguicadeiras, 2
candieiros para kerosene, 2 pares de ciUticaes de
vldro e 1 par de jarros para flores.
3. quarto
Uma cama de ferro, 1 banca de jacaranda, com
espelho, 1 dita de amarello, 1 espelho com colum-
nas de jacaranda, para cima de mesa, 1 armario
envernisado e 2 balaios para rpupa.
Sala de jantar
Uma mesa elastica de 6 taboas, 1 guarda-louca
de amarello, 1 apa-ador de dito, 1 dito de dito
eom columnas, 1 sofa, 2 bancas, 1 mesa redonda
de jacaranda, com 'tampo de pedra, 1 gnarda-co-
mida de amarello, com caixa de arame, 1 cabide
para roupa, 1 filtrador, 12 copos para agua, 8 va-
sos para lavar os dedos, louca para almoco e jans
tar, calices para vinho, garrafas para dito, palhi-
teiros, 1 porta-licor, 1 dito de vinoos, de crystal,
4 pratos de electro-plate e guarnecidos de prata,
com tampos que podem servir de outros tanlos e
1 salva de metal.
Cosinha
Uma machina para llmpar facas, 2 mesas de
pinho, alguus cavalletes para taboas de engomma-
do, tampos de arames, 1 balanca, 1 machina para
engommar roupa, 1 dita para serrar capim, 1 dita
para lavar roupa, 4 cadeiras de ferro Ipara jardim
e 17 vasos com flores.
Os Srs. concurrentes encontrario as 10 1|2 ho-
ras em ponto, na estacSo junto ao arco de San-
to Antonio o trem que os conduzira ao referido
leilao.
Duas grandes armaedes para meio de
com 3 ordens de taboas e 6 palmos de I
Duas ditas para parede, eon 8 oroaw 4 pr-
ows de fundo.
Tres anaacfes de armazein, 2 balaios port ear-
regar fatendas, uboas pira neaaa noitot ou-
tros objectos de escriptorio e annaxoa.
Terra-reira tide ''enlcj
No armrzem e 1* andar do sobrado da rua
do Bom Jesus n. 63.
Os admioistradores da massa fallida de Pereira
de Mello ft C, autorisados pelo Illm. Sr. D-
juiz de direito espeeial do commercio, fario le-
lio por intervenrai do agente Pintr>, dps novar,
miudezas e mais objectos de escriptorio e araa-
zem que faxero parte da referida massa e exideo-
tes no primeiro andar e andar terreo do sobra'
da rua do Bom Jesus n. 63.
Os pretendentes achario aberto nio so o inb-
zem como o escriptorio, na vespera do dia do le -
Uo, afim de que possam melhcr examinar as bu--
ras, armaedes e mais objectos achna indicados, *
concorrerao aoacto do leilao, terca-feira 22 d
corrente.
Em continuacao
vander-se-ha 30 caixGes vasios de madeira os r>-
uhu, grandes e pequeoos, e caixas de zinco cfla; -
dres.
4
LEILAO
DE
miudezas. calnados, perfumarias, chapeo-,
livros em branco, papel fino para cop::
cartas, dito de peso, pautado, dito i
de, balances, fitas, botinas para
ras, sapatos de la preta, eiasticos,
tas, meias e muitos outros artigos
Terca-fcira 9% i Por intervenrao do agente Pinto
No armazem da rua do Bom Jesus n. 63. J
Principiara" as 10 !|2 hora* rrn pnrMC
LEILAO
DE
brigue brasileiro Jab<3atao
238 toneladas ingiezas
QUARTA-FEIRA 23 1)0 CORRENTE
Ao meio dia
Em frente i AssociacAo Commercial.
0agente Pir.'.i legalmente, autorisado, levaii a
leilao, dia, hcra e lugar acima meocicnados
casco, mastros.ancoras, correntes, velas e mais per
tenc.as do brigue brasileiro Jaboatao, em um I
te e prompts para navegar.
Em continuaqao
vendera o mesmo agente, depois de auves aaau
cios, os sobresalentes do mesmo brigue, conta::-
tes de uma oota em poder do ageote.
Os pretendentes poderao desde ja examiaar
dito navio que se a :ha ancora Jo em frente do tr
picbe Loyo, ver era o inventario, nao ai do q
pertence ao navio, como os sobresalentes, ao c -
criptorio da rua do Bom Jesns a. 43, e coaeorr -
rem ao leilao em frente i Associacao Commerci J
no dia 23 do c rrente.
LEILAO
DO
grande hotel d'Europa
a rua do Commercio n. 12
SENDO:
0 arrendamento 1 ?*-a em qce estamoatad: .
dito hotel.
Os moveis, utensilips de cozinha, louca, porce-
lana, camas de ferro. vinhos de differentes qua.':-
dades, licores, eaatarfas, mcas de marmore, (
grande aparador, cadeira*, relogio*, contnoA* .
pannos de linho a mais ohjecus p-rtenceates
dito hotel da Eunpa.
QninluTciiu 2i do corrente
as 10 horas cm ponto.
0 agente Pinto, levaii a leilao, por autoria.
do Sr. E. Dumas, g rinte do.consulado de Praia. ,
liquidatario do espoli: do fmadi Eduardo Turpi:
em presence de seu ehaaeaNer, os mmk e ma -
objectos que fazem perle d> hutel da Europa,
rua do Commercio n. 12 : garanundo se |o ira -
passe do arrendamento da mesma casa, ao c
prador.
A venda sera ft i:a n um so lote ou era d
sendo o primeiro o arrendasaeaM da casa, e
gundo dos moveis sn t ua eu ma.:
e differentes i' les, i I d"S Srs. comprador

Leilao transferido
0 que sehavia ar.inn-ia Jo para o dia l-, pa .
commodidade dos Sn. niutuarios, fica trar
ferido paia o dia 2 de outubro, ca casa de peat
res, a orafatsa da rua Duque de Caxias n. 1, .
11 boras da manha.
MISOS DVERSOS
An
ta
PRECISASt de uma para cngomma.
outros servicos de ess?, do pouca familia, i
rua do Capibaribe n. iO.
Franclscj Vicente dos Saat^s
sua fami'ia", agralecem as pessc
que ajo^.piDharim ao ultimo j
zigo os retos morUes de seu
Iho Fran:i.-:o Vicente dos Sao:
Junior, e regain as mesn.as p
soas e aaa seus amigos, o obseqi
de assistir I raissa gae pelo repouso d alma d
mesmo Qnado aadam c?'ebrar na s-gunda feir
21 do corrente, na cap<-'.la do cemiterio, as 7 h -
ras da manha.
doa Hygino >' suuxa .nIn
Anna Carolina de Magalhies fia -
vao, rens ilhos e genio, sums
men'.e agradecidos as pessoas qx
acompaoharam a ultima morar -
os res'.os uiortacs de seu marid ,
pai e sogro Jose" liygioo do Son: i
Gal vao, rogam-lhes' o obzeaaio d
assistir as missas que, pelo descaoco da alma i i
mesmo fmado, se rezam segunda-feira 21 I
corrente, as 7 1|2 horas, no convento de S. Fran -
Cisco. ^_________ ^^^__^
Aluga-se a casa terras n. It, siu a roa c
Vtsconde de Goyanna, .outr'ora Cotoveltot tu
duas salas, tres quartos, um independente, cowan..
cacimba propria, apparelho Drainage e um pequ*
no pomar de frocteiras : ft tratar aa rna larga d
Rosario n. 36, loja.
Nao se entenle com o r.baixo assignado a diri<: i
que se acha na rela.a. publicada pelo agente P
nho Borges, para o leilao de 18 do corrente, vis:
como o abaixo assignado n.ida deve ao Sr. Pan
Fernandes de Mello Guimaraes, como o mean
declarou na presenca de mais de duas isaoa
Recife 17 de setemqro de 1871.
Joaquim Demetri? de .ilmesda CaTaleaaJa.
-
\
LEILAO
DE
objectos de escriptorio
Conistando de:
Uma burra, prova de logo, grande, de 2 portas
e sobre rodas, do muito conhecido fabricante Mil-
nes, 1 dita tambem grande, do fabricante Haffner
freres, 1 carleira para 4 pessoas, 1 dita para 2
pessoas, 2 ditas para 1 pessoa, repartimeno de
escriptorio, 1 balcao, 2 armarios, 1 relogio, 1
prensa para copiar cartas, tinteiros, envelopes, pa-
pel e livros em branco.
MEDICO-CIRURCICO
DO
X Dr. Pedro d'Alhayde L. Moscoso
PARTEIRO E OPERADOR
JJrRaa do Viacomdr de
ESPEaALlDADK
Molestlas d
Consultas das 7 as 10 boras 4a ma-
nha, todos os dias.
Das 6 as 8 da noite, nas seguodaa, quar-
tas e sextas-feiras.
Os doentesque mandarem os saats eha-
mados por escripto at 10 boras
abl "serao visiudos em suas <
atdCMaVaV^aY>taaVJit-M

HbVHHHRbVbVHbVI
.



PARA OS DOENTES
BKMKDIOS ACONSELHAD03
s**
Ctm combinacao especial nos permitte de iiulicar ao publico
olgums remedios francezes os mais apreciados no mundo inteiro, e
preparados em Pariz debaixo dos olhos'dos inventores. Ninguem
ignora os cuidados minuciosos com que se preparam em Franm os
remedios. A merecida fama d'estes productos, desinvolveu a inveja
dos contrafactores os quaes detramam,p'inciptUmente nos mercados
do Brazil, productos contrafeitos, assemelhando-se muito com os
vcrdadeiros, vendo-se o envolto e a tarja dos frascos, mas quasi
sempre, deploravelmente preparados, constituent um perigo continuo
para a saude publica. Devem os compradores dirigir-se as cams
abaixo mencionadas, as quaes tiram os setts productos directamente
dos inventores.
INSOMNIAS* A insomnia e causada geralmente,
ou por dores vivas, conio acontece no% casos de gotta, rheu-
matismo, nevralgia, enxaqueca, dOres de dentes, colicas, fe-
ridas, etc, ou por preocupacOes moraes, ou por um estado
geral difficil a relatar, e algumas vezes o grande calor. 0
Xaropa da Chloral de FoIUt tornado por duas ou tres
colheres de sopa n'um copo d'agua, vence a insoinni.i e em
poucos minutos da ao doente, o somno natural e reparador.
Ao accordar a cabeca nlo se sente pesada, mas um bem estar
perfeito e o result ado d'essa medicacao.
Nunca sera sufficienle a attencao de todos sobre este ma-
ravilhoso producto que ae apreciara em cada familia. Pode-
se dizer sem exageracSo que quem usar uma vez do Xarope
da Chloral de Follot, conlinuara a ter em casa um fiasco
d'este mesmo xarope para quando for necessario.
INCOMMODOS DO ESTOMAGO. As molestias
nervosas do estomago, gastralgias, gastro-enteralgias, pyro-
sis, etc., curam-se com o Carvao da Belloc i.iiuaudo-se
uma ou duas colheres de sopa,ou algumas pastilhas a occa-
siSo da comida maior numero das vezes sent-se mejhoras
desde as primeiras doses.
Nao se pode insistir bastante sobre as qualidades deste
remedio, do qual o uso tornou-se popular, pois e exempto de
perigo algum. Para as doencas d'intestinos c d'estomago, e o
remedio o mais efficaz. Em 1849, a Academia de medicina
dava-lhe a sua aprovacao e aconselbava aos medicos de o re-
ceitar n'essas affeieOes, as quaes muitas vezes detenhnan
tanto os doentes como os medicos.
NEVRALGIAS. Sendo na cabeca ou nos membros,
curam-se muito melhor. -e muito mais rapidaimuite loroando
duas ou turn Perolas d'essencia de th6rebentina de
Clertan, do que com qualquer outro remedio. Estas Perolas
do tamanho d'uma ervilha engolem-se coin muita facilidade.
Este producto e d'uma eflicacidade maravilliosa, neve vezes
sobre dei tira em poocos minutos as nevralgias as mais
agudas. Nao se pode deixar de aconselhar aos doentes que
soffrem d'essa molestia de usar este remedio.
Para se obter um bom resultado, e necessario que a es-
sencia de thSrebenthina seja perfeitamente rectificada. De-
ve-se exigir a firma do Dr Clertan na tarja de cada frasco de
Perolas d'essencia de therebenthina
SOLITARIO. Fallando no Kousso, o Dr Bouchardat,
diz, no sen formnlario : E' o melhor toenifago, mas &
precizo rnnherer n mm nriirem : pois o D' Trousseau, asse-
verou-me que algumas vezes o Kousso de ma, quaimade ocea-
sionnou envenenamentos. > ^
Le-se tambein no tratado dejhereapeutica dos S"' Trous-
seau et Pidoux : o Os pos de Kousso tendo um sabor nausea-
bundo tomam-se difficilmente por essa razao. I'n pbarma-
ceutico de Pariz S' Menlel teve a idea de os granular mixtu-
rando-os com assucar, preparados d'este inodo, e a cousa
a mais simple para se tomar, mesmo para as criancas.
0 Kousso granulado de Mentel 6 garantido de
primeira qualidade.
RHEUMES-TOSSE. Desde 18-20 a Pasta Pei-
toral de Regnauld e o peiloral mais afamado, na sua
fabricacSo n3o entra o opium.
AFFEIQOES DO -PEITO- (bronchites, nsau, encom-
modos da garcasia). 0 ale atrao de Guyot (Goudron de Guyot),
licor conoentrado e graduado, facilita a preparacao immediata
d'uma agua d'alcatrao muito efficaz n'essas doencas. Basta
uma coiner de cha n'um copo d'agua. Poucos remedios em-
pregam-se mais frequentemente do que a agua de alcatrao;
resultado das suas propriedades incontestaveis. 0 grande
consummo deste excellente producto desinvolveu um grande
numero d'imitacdes, pecres umas que as outras.
0 Verdadeiro Goudron do Guyot leva na tarja. a firma
do inventor.
0 S" Guyot Umbem prepara umas capsulas redondas do
tamauho. de pillulas, contendo o air a trite da Noruega, liquido,
toman-se estas capsulas na occasiiio da comida, e podem
sobstittiir a agua d'alcatrSo.
Mas doeni;as as que nos referimos, acontece muitas vezes
que o doente soffre d'uma tosse persistente, iinpeiliii'lo-o de
dorrnir; duas ou ties colheres de sopa de Xarope do
Chloral de FoIIet lomadas a noute ao deitar-se Hie darao
o somno reparador ajudando a cura.
RACHITISMO TISICA. Deve se tomar todos os
dias algumas collicres de sopa, d'Oleo de fig ado de Ba-
cilhau de Berths. Esle oieo prepai-ado com os maiores
cuidados eounico que foi approvado pela Academia de medi-
cina de Pariz.
DIARRHEA. 0 remedio melhor para curar estas
affeicoes 6 o sub nitrato de Hismulh. 0 S" Bouchardat,
professor na Academia de medicina de Paris, diz o seguinte,
no seu Formttlario magistral : K geralmente muito dillicil
deengolir de um ate dez grammas d'ums pos tao pesados
como e o s;ib nitrato de Bismuth. Embrulhados n'uma obreia,
esta muitas vezes rasga-se, em agua assucarada OS pos v3o
logo para o fundo.
0 S" Mentel, pharmacentico em Pariz, rcsolveu estas pe-
quenas difficuldades misturando, e l'azendo em granulos, o
sub nitrato de Bismuth com parte igual de assucar. Estes
granulos vendem-se em frascos, e a tampa d'estes frascos,
mede exactamente dous grammas de granulos, seja, um
gramma de sub nitrato de Bismuth. Esta substancia prepa-
rada d'este modo e inalteravel. Basta enrher a medida tantas
vezes quanto se queira tomar do grammas, e engole-se rapi-
dameiite, o que I muito foci, bebendo ao mesmo tempo um
ponco d'agua.
0 Bismuth granulado de Mentel e para as criancas
o iviircdio o mais vanlajoso porque o tomam como confeitos.
FESRES. Querendo-se cortar rapidaiiientc um acesso
de febre, o melhor remedio e o sulfata de Quinina; sendo
para curar Ic-bres antigas, persistenles oii periodicas, convem
dar-se a preferencia ao Quinium Labarraque. Em pou-
cos dias a febre desaparece, e o mellmr preservativo e de
tomar todas as manhaas um copo de licor, deste vinho. 0
Quinium Labarraque e um dos productos de primeira
ordem que tiveram a approvecao da Academia de medicina
de Pariz.
i .
DIGFSTOES DIFFICEIS. (EsiMtoscAs, VMHteen.)
Engolirduaso trei Perolas de Ether de Clertan n'uma
collier d'agua. Effeito quasi immediato.
Havendo muitas imitacoes exigir a firma Clertan na tarja
dos frascos.
ANEMIA, POBREZA DO SANGUE. As Pillu-
las de Vallet constituent nm poderoso lonico para a refei-
cao do sangue. 0 Xarope de Robiquet de pyrophosphato
de ferro, serve melhor para as pessaas que mal supportam os
remedios solidos; este remedio contendo os principios cons
tilutivos do sangue, tem um gosto agradavel, tanto assim
que, os doentes o toman facilmente.
Estes dous remedios sao dps primeirosqnetiveraoa appro-
vag3o muito rara da Academia de medicina de Pariz.
Ha numerosas imitates das Pillulas de Vallet.
PURGATIVOS. A Limonada purgativa de
Roge coin citrate de Magnesia, approvada pela Academia de
Medicina & o typo do purgativo salino. Nao causa nunca infla-
macCes d'intestinos, o que acorilece com outros purgativos
mais violentes. Pode ser preparada em casa na occaziao de a
tomar; deita-se n'uma meia garrafa d'agua um frasco de
Pos purgativos de Roge.
Poucos remedios tem sido mais falsificados que os pos de
Roge. 0 Brazil esta cheio de productos falsificados, mal pre-
1 parados e nocivos a saude. Devem exigir que o frasco traga
em cada extremidade um sello imprimido em quatro cores. *f
FALTA D'APPETITE. 0 Rhuibarbo sempre
gozou de muito conceito para regularisar as funcues do esto-
mago e fazer recobrar o appetite. NSo se applica frequentemente
por causa do seu sabor desagradavel. 0 S" Mentel teve a
excellente idea de applicar a este remedio o seu systema de
granulacao. O rhuibarbo em granulos do Mentel,
toma-se um pouco antes da comida. Na tampa de cada frasco
acha-se uma pcquena uiedida dando a dose acustumada. Estes
granulos engolem-se facilmente ou com uma pouca d'agua ou
n'uina collier com sopa.
CONVALESCENCA. 0 Quinium Labarraque
approvado pela Academia de Medicina e o tonico por excel-
lencia. Este vinho incoinparavcl e administrado com grande
successo as pessoas fracas e debilitadas, as mullieres que
acabam de parir, as meninas que difficilmente sfi formam e
desinvolvem-se.
Este remedio combinado coin os ferruginosos, ajuda muito
e facilita a sua accSo, quando esses sao necessarios.
DENTIQAO DAS CRIANQAS Para facUitar a
denticao, prevenir as convulcocs e o racbitismo das criangas,
n3o podemos deixar de aconselhar a Osteine Mouries,
quo e uma combinacSo de phosphato de cal gelatinoso c d'al-
buinina. Sendo esta preparacSo feita em farinha grossa, pre-
para-se em sopa com leite ou com caldo. Na tampa de cada
frasco, acha-se uma medida dando a quantidade que se deve
tomar.
Este medicamento teve a approvacao da Academia de Medi-
cina, ec inventor apresentou uma memona a respeito d'esta
prepaiac3o, a qual foi coroada pelo Instituto de Franca
RETENQAO D'INTESTINOS. A magnesia e muito
receitada pelos medicos como laxativo ligeiro. Sendo esta
substancia desagradavel a tomar, aconselhamos a Magnesia
granulada do Mentel. Um gramma e a capacidade da
medida que se acha na tampa do frasco; a dose acustamada
c uma ou duas medidas.
DENTIFRICIOS. A descoberta do snlfato de Quinino
pelo S" Pelletier, membro da Academia de Medicina de Pariz,
fez um grande servico a humanidade, elle quiz tambem se
occupar da hygiene da boca, e para esse fim elle empregou
todos os recursos da sciencia.
A aJtencto dos denies, segundo as suas observacoes, e
muitas vezes eamada pelos dentifricios inventados e empre-
gados ate hoje, sendo elles quasi sempre composlos de acidos
que sao contrarios aos principios da sciencia. 0 S" Pelletier
inventou entao dous dentifricios, um solido e outro liquido,
offerecendo todas as garantias que se possa desejar para o
bem estar da boca.
A Odontine do Pelletier e uma massa mole sobre a
qual passa-se a escova ligeiramente. Da aos dentes a brancura
tao procurad#sem nunca estragar o esmalte. 0 Olixirio
Odontalgico de Pelletier fortifica as gengivas, perfuma
a boca, e tira o cheiro do fumo. Basta deitar algumas gottas
desta prepara?ao n'um copo d'agua para lhe dar um sabor
suave e especial.
EPIDEMIAS. Durante os tempos d'epidemias, cho-
lera, febre amarella, bexigas etc, 6 muito necessario tomar
precaucoes hygienicas. Sem mudar nada no seu modo de vida,
deve-se evitar todo excesso-em tudo, sendo susceptiveis de
enfraquecer mesmo momentaneamente. Lavar-se umas poucas
de vezes por dia e deitar nos quartos, agua fria na qual se
deitara umas colheres de Licor Labarraque. En tempo
d'epidemia, este licor empregado d'este modo 6 o melhor pre-
servativo. E tambem muito util nos paizes quentes para
desinfectar os quartos dos doentes.
Para purificar o ar e destruir os miasmas que se produzem
nas inhumacoes, os quaes s3o muito perniciosos, deve-se em-
pregar sobretudo este licOr.
Convem ter muito cautela com as numerosas falsificagoes.
AVISO. I ma in-,tru:\o dctathada acompanha sempre cada um dos productos a cima meneionnadoa,
Unico depositona pharmacia de P. Maurer & C, rua do Barao da Victoria n. 25
MOFINA
Esta eneouracatlo!!!
Agua mole em pedrii dura
'Tanto da aie que a >ura
Roga-se ao Dim. Sr. Ignacio Yieira de MeU
? scrivao na cidade de Nazareth dosta provincia,
'avor de vir a rua Ducyue de Caxias n. 36, a con-
!uir aqrelle negoc o qoe 8. S. se comprometteu a
-eaiisar, pela terceira eaasiada deste jornal, em
'm de deeembro de 1871, e depo:s para Janeiro,
.iseovL a[fe7ereiro oabril de 1872,u nada enmprio;
por este motivo b de nova ehamade para dito
m, pois 8. -S. se deve lembrar qce este negocio
le mais de oito ami os, e quando c Sr. seu nlho m
>chava neeta cidade.
Alugj
ja-se
:a Olinda, no largo dc S. Pedro Apostolon. U), a
:aa com muito boos eemmodos e iwm local, para
passar a festa, com gaz e agua eiicaoados, perto
Jos banbos : a tratar na rua do Barlo da Victoria Dr.
Em cumprimento do despacho de V. Exc. sobre o
reqnerimento do Dr. Manoel de Siqueira Caval-
canti, teobo a informar o seguin'.e : Aeho jnsta
a pretencio do supplicante, porquanto o seu me
dicamento preservativo da erysipela tem da-
do muitos bons resnltados, nao so nesta cidade,
como na cGrte, onde elle tem sido applicado com
vantagem e e procurado. A preparaQao dellet
simples, por ser tintma de uma so plant a. ;0
inspector, Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso.
Declare, por ser verdade, qne padecendo de ery-
sipela, foi-me dado pelo Sr. Hanoeh de Siqueira
Cavaleanti nm medicamento, do qual fazendo uso
por alguns dias nunca mais, ate hoje, me tornou a
accommetter essa enfermidade. Por me ser pe-
dido passei o presente, por mim feito e a?signado-
Rio de Jaoeiro, 16 de juaho de 1871. Duqrie de
Caxias.
Atteslo, que tendo empregado o medicamento
dymnamisado, qne noe foi fornecido pelo Sr. Dr.
Manoe! de Siqueira Cwalcanti para o tratamento
da erysipela, colhi sempre resottados snpenores
aos de todos es medicamentos conbecidos. Em tee-
temunho da verdade, e por me ser pedido, flrmo
o presente. Rio de Janeiro, 13 de junho de 1874.
Saturnino Soares de Ueireltes.
Preservativo da Erysipela
Desceberto pelo Bacharel
Manoel de .Siqueira Cavaleanti
loutr'ora rna Nova) n. 3. Concordo perfeitamente com o parecer sopra.
S#PfQOK^-QSSQQ-iaaSS3W*S3 Dr-/oaauim Jose da Silca Pinto.
i O abaixo assignado, dontor em medicina pela
i faculdade do Rio de Janeiro, eimrgiao-mor de
. brigada nonorario do corpo de saride, cavalheiro
da imperial ordem de Christo, etc.
Attesta sob jnramedto de sen grao, qne tendo
ueado de um medicamento qne lhe foi fornecido
pelo Sr. Dr. Manoel de Siqueira Cavaleanti, de-
Tendo o Governo Imperial permutido ao des- nominado Preservativo da erysipela tiron
obridor Tender aqaellfl medifanumtq, o publico, sempre o melhor resultado possivel, de sorte que
). tem a sna disposicao. I o* doentes ate boje nao Ibram acommettidos das
Sepofiitoo imlcoa. ; erysipelas, qne soffriam frequentemente. Rio de
Recite ; rna do Barao da Victoria (rua Nova) Janeiro. 19 de junho de 1874. Dr. Josd Lino Pe-
rt. 40. casa do Sr. flocba Siqueira. .reira Junior.
Mo de Janeiro : Corte, rtu do OuvidorJ Tiveem 1871 dez erysipelas em uma perna, fui
n. 78. I a Europa, e considerei-me enrado, voltei pouceM
0 Preservativo da erisypela la 6 bem conheci- depois, tlve novo ataque ; tomei o remedio Preser-
do : entretanto transcreve-se pare este asnuncio,! valivo da erysipela do Sr. Dr. Manoel de Siqueira
do Jornal do Commercio 4o Rio, o aestad< in- Cavaleanti, e cesson a moletfia, ha mais de nm
' anno. Creio ser isto effeito daqoelle remedio. Rio
fra.
.i:
Queiram os Srs. doentes o* kv, e vef por de Janeiro, 13 dajnnho Aeiili.-Baraode Cabo-
iuem eetloertes assjgnadof. \frto.
luspeetor da saude publica en Pernambuco.' Grailn ao* pobrea.
LIYROS A YENDA.
No primeiro andar desta typographia em
mao do administrador, veade-se os seguin-
te livrinbos :
O uiatuto Esperfto- dialogo ins-
tructive, critico, analytico, hjatorico e mo-
ral, entre um matuto e um liberal por 500
rs. cada exemplar.
Edueacilo Familiarromance, e
uma serie de leitura, 2 volumes por IJPOOO.
Martens, mauuel diplomatique1
volume por 19000.
Obras de llablycompletes 12
volumes por 9000.
Bignonobra completai volumes
por 29000.
FrltotEspirit do ^Droit1 volume
por 19000.
VatelDroit des Gens2 volumes por
29000.
V. BargesEconomia Politicai vo-
lume 1*300.
FieldingThe history Tom Jones2
volumes 3#0O0.
Uhy oueDes con flits2 volumes 34.
Histolre Kcclesiawtlqne6 vo-
lumes 69000.
Boiuieau-Melanges6 volumes 39.
RousseauPieces diverges4 volu-
mes 29000.
Macei6.
Bacharel Lourengo do Albu-
querque
' Advogado
IRua do Roeario q, I.
Aluga-se
uma excellente ca?a terrea em Olinda, pateo de
S. Pedro Novq, com gaz e agua: a tratar com
Marcolino de Souza Travassos, no Forte do Mat-
tos.
CASA
Alagase o segundo andar a rna Dnque de Ca-
xias n. at: a tratar na loja._______________
Aluga-se o armazem do sobrado da rua D.
Maria Cesar n. 37, proprio para recolher fazendas
por ser muito espacoso e reediflcado, ou para
qualquer esubelecimento : a tratar na rna de Do-
mingos Jose Martins n.48, aoliga Senzala-Velba.
Antonio de Azevedo Yillaroneo.
Pelo presente s5o convidados os afilhados e afl-
lh*das de Antonio de Azevedo Villaronco, falle-
cido em Portngal no mez de outubro de 1873, a
apresentarem dentro do prazo de 60 dla, a con-
tar desta data, a eertidio de seu naseimento, em
caia do abaixo assignado, teatamenteiro instituido
pelo dito fallecido, afim de qne sejam devidamente
attendidos na partilha a que tem de proceder-se
com a precisa ignaldade, de accordo com a dispo-
sicao testamentaria. Recife, 10 de setembro de
1874.Manoel Azevedo de Andrade.
ATTEHCAO
Perdeu-se um brioco de ou'ro, guarne-
cido de perolas, hontem a" noite, da rua do
Imperador a" rua da Florentina; qoem o
houver achado, pede-se de o restituir no
Hotel da Indepaniencia, que se gra-
0 Sr. i^uiz Aprigio de Ohveira Salermo, quei-
E. A. DELDCE
24~l.ua do Maiquez de Olinda l\
Esquina da beeco ILargo
Participa a sens fregoezes~e amigos qae mudou
o sen estabelecimento do relojocro para a mesma
rua n. 24, onde encontrarao nm grande sortimsnto
de relogios de parede, americanos, e cima de me-
sa, dos melhore* gostos e qoalidades, relogios dc
algibeira, de todas as qualida e, pateote suisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaquel), relo-
gios de onro, inglez, descuberto, dos melhores
fabricantes, cadeia de ouro, plaquet e prata. lunetas
de todes as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratos.
1 Joao C rreia de Curvalho, a:liU alfaite, lei-
do-se teriigado da rociedade da casa cmiiiselal
existente a rua do Harao da Victoria a 26. -ub a
radw de Araaft, Carvalho c\ C, achase mmhb>
le e>!at \f\& i na sua arte, a rua .1.. atamoet d>
Olioda d. }, I* ar Jar, aonde M seu* numero*
freguezes n mivrv* rmiitinto para execoUr
qnalqaer ol i arte, com m.-ro
pr> mplidao.
Feitor.
Precisa se de um que eatenda de horta e d
Flores : no cae* do Aprtdn n. tiit.
1
LVlB.
Aluga-se ou vvnde se nnu grande caa leT-r-
em Olinda, pronria para grand-; familia ; tem gaz
e agua encanada, mu a rua do \ljuh* c. 31 : i
Iralar na rua da Imperatriz n. 86,1 andar
Vej
iS^mmwmmmSk
am
'0>
0 Coraqao de Ouro, liquid a :
Correntes de ouro, modernas, para relogios, a 5<.'>O0 a oitava.
Relogios de onro para senhora, a iOd, qae em outra pane e 100*.
R-logios de prata bem dour-dos a lot.
Rozetinbas de brilbante a Hi. '
Anneis de pedra cum lettra a 6fi.
Anneis para por cabello a 2,5.
Pencenez de unro a li)^.
Pencenez de prata dourada a 3*500.
Dedae> de prata, (undo de pedra, a It-
Brincos de coral e euro para men'na a l/.NOO.
Cacoletas muito modernas com 50 por cento de abate.
Polceirinhas de e ral e ouro para crianca a 104.
Pulct-ira de ouro e coral, feitio de uma cibra, a 10J
Obras do prata a 400 r*. a oitava.
Brincos para senhora. muito modernos, a lal, em ouiri pane i 4 0*.
Voltas de ouro e crnzinha, com 50 por ceuto de abate.
Grande sortimento de joias de biilbante com SO ;, de abate.
Brincos de coral para senhora a it.
Correntjs de ouro para relogios a ISA cada uma.
Aderecos por meta le do ecu valor.
Sortimento completo de joias, que vendo per mettdfl Jo sea v.Lr.
v y
A liquidagao.
Modisla franceza.
Mademoiselle Eugenia Leeomte & Irma, avi?am
a suas antigas freguezas e ao puolico em geral
que abriram novamente seu e^tabelecimi-uto de
casa de cosluras a rua ila Imperatriz n. 5, pri
meiro andar, pelo que esperam continnar a me
recer a concurrencia das pessoas que precisarcm
de sens servicos.
m
1
m
Advogados
Vicente de Liftmos

**
lureliaiio de Carvulliu.
24Imperador- 24
HMffft *ff Mr* i rttfffffi
Catharina fugio.
No dia 28 de agosto proximo passado ausen-
tou-se esta escrava, a oual tem os siguaes seguin-
tes : estura baixa, rosto redondo, cor preta, pes
pequenos, coslumava vmdor leile, aada yempie
com um cacete que Ibe ?erve de arrimo por s-of-
frer de rbeumatismo, ja e ilo-a e de na;ao Cam-
binda : quem e encoulrar, pegue-a e leve-a ao >itio
do Cafundo, estrada de Joao de Barros, que seia
gratifieadj.
Aluga-se a casa terrea n 19, sita a rua do
Visconde de Goyanna, ouir'i ra Cotuvello, com 2
aalas, 3 quar-o, 1 independentf, cozinha. raciinba
propria, apparelho drainage, e um e--"\u- n> po-
mar de frucleiras : a tratar na ru. larga do no-
sario a. 36, loja.__________________________
Casa para alugar
Aluga-se nma casa ca rna do Visconde de Goy-
anna n. 109, com 2 salas, 4 qsartM, cozinha. ap-
perelho de zambrone, gramie quintal murado e
com diversas arvores oe f uc.io, cacimba e purtao
para a cambda, aonde se poiie tomar banbos sal-
gados e temperados : a tratar no largo da Santa
Crnz n. 4._________________________________
Escrava fugida
Em primeiros dias do cor erne mez fugio do
engenbo Capivara, fr> gue/i > de Gamelleira, estuc^o
do Ribeirao, a escrava d* nomt* Genensa, levando
em companhia um liihinho de idade de G mezes,
de nome Manoel, o qual tem a cor bem alva ; a
dita eszrava tem 30 e tantos annos de Hade, cdr
parda e avermelhada, esUtua e corpo rrgulares,
cabelios carapinbos, conservando-os grand's, do
rem sem amarrar, ies seccos e dent-s limados.
Alenxdestes signaes viziveis, tem outros eucober-
tos, como sejam, as veias dias perna" impolada e
uma cieatriz em um peitd, pelo qual nao da leite :
recommenda-se as autoridades competentes, bem
como aos capitaes de campo a captura de dita es
erava, que podera ser entregue no mesmo enge-
nbo ao depositario Joao Hospiro CbdVes, on no
Recife, a rua da Cadeia o 56, onde se recompen-
sara com 50J1 ou mais.
00 0^f0*-00
*A -' Una !' i""'i u: CsaSfSJ11 ML
H DR. MANOEL KNE INO R. VA EN' \ '
d >lccliro
fft TcnsulUs das 7 a* 9 \\i t.nra* Oa ma- A
"^ nhaa
ffl hamado? a joalquer hora do da ii'.<> k
* E-pP'-ial dad-is inole-ii.is # psMsSa
flr* e do c. ra.;-io. w
Atten(;a6.
' Fugiram no dp M pvra 17 do pr -
isadn m<4,drsl eafMhe Lit*r Igui'zia dU Rcala, ; escravos sc-guinii-s :
Pai km, estatura a-lta, muito Ma, li \^ groz-
i'sos, ordhas grandes e ?alien!e*. tai?. i
I chain, Irtii-ca gr nde, dentt-s perfoitos r "in
falla de unht- SM pe tdade de B ann ?. .-.i, f*
[afunlada ; perit-nreu ao Sr. Antinio i*>nl.- !'?<
. Barri'tn, reaMeuM ru ^asu.ina Dm V. ,
'teve na etdiflo d^ Rt-cife ir.tandu e leslia. d'nnde saino re-^.-hiHi'Cid'").
Luiz, idade 40 annos altura regular. *. ,-r I
: corpo desdeiitaiio, calvo, e cabello | ti-o. It n
uma fistula do fteilo qn>- lbe i natui at, i
caroco nns pdtoa proiimo ao aapcoea n t/ui I
i veio de ma ri>rna 'as autoridades puMaes a capitaes de
a qtii-ra os api.ri-hend'T, que os c.indun
mo emeuho acima. an i rna D.ioiia n *0,. nd
geaernsatwnte graaflea^-aa ha.
- Alupa se por alguns mezes o T and.i
sobrado n. 53 da rua da Imperatriz, coon
le mobilhado, a p?ssci de pouca famili;-, pr<
do se i-irangeira : a '.r^Iir n'i ana
Aloga-se um gr.fiJ;- s brado de aaa xaat.r
souio, BHu a rua sova da Bask l!-,u o. 57. r in I
quartos e urn gahii?!\ i^n ,<: i "-> '-
qurm prrteaaVr, dirij-. pa nParla 4a saaMMd a
cima dn trapiche Dni*.____________
Atteaqdo
Desappareceu no dia 13 do corrente, o me-
n r Adelino, pardo, trajava cal'.a preta, jaqueia e
chapeo de feltro, preto, que se achava no poder
do abaixo assignado, aprendend> o orBciu de al-
faiate; e como ate esta data nao teoha apparecido,
roga-se as autoridades poli.-iaes ou a quaiquer
pessoa que delle tenha noliria, a entregar na rua
de Marcilio Dias n. 116
___________Antonio Juviuo Torres Bandeira.
CASA DA MT11H1
AOS 4:000#000.
BILBETES GARANTIDOS.
A' rua Primexro de Marco (outr'ora rua d
Crespo) n. 23 e casas do costume
0 abaixo assignado, tendo veadido aos sens fe-
lizei bilbetes nm meio o. 87 com 4:0001000, e
outras sortes de 40* e 204 da lotena que se
acabon de extrabir (116*), eonvida aos possuido-
res a virem receber na conformidade do costume,
sem desconto algum.
Aebam-se 4 venda os felizes bilhetes garantido?
da 1' parte das lotenas a beneflcio das obras
do altar da Irmandade de S. Benedicto (117*), qne
se eztrahira na tercaeira, 22 do corrente mez.
PKECOS
Bilhete Inteiro iduuu
Meio bilhete 24000
KM rORCiODB 10OC000 PAftA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete i#7*f0
Manoel Martins FSuza.
Lava-se o engomraa-se com a mai.ir p^. fcic>
pontualilade roupi dp h-nnem, snhora earlBja>
cas. assim c.imo cose se por qnalqn r fitu in *
por m"dieo pre?'' rwaai tie aenhi-r.i c decua >c*a
na rua Velha n. 71, anur.__________________
Aluga se a loj.i bo :i imi.ijio nan tavenn ti
rua Oireit* n. 36, nruil bom* local, e de novo, a chave esta juat >, na casa n. 29 l< ja d
tamancos.
Ao commercio.
0 abaixo .''..s-i/T^'l" ,!:^lara ao n^b,:'--, r i
' cspcialida le a-1 "Mmroerrin. qua e.trrpr n aS**i
D. Uu'belna do Rego Maebado Xavier, a > a k>j
de fazendas. sita a rua Primei'o deMar;i n V.
livre e desembaracada de qnal iaer onu*. R.W .
17 de setembro de (874.
Daniel Ferreira Ramo..
Soares de Amaral & C.
avisam aos sens fregceies que modaram o ae:
esta elecimento de gaoeros de estiva, do armaaen
docaes da alfandejTH para o anaaaeai aa rua d .
Madre de Deus n. 22_________________________
Ma Jama Freire, modista bra.siletra avisa ao re- -
peitavel publico, que coouniia na sua aria modisia; asim emu, reenbe por todos aa va-
pores da Europa Sgurioos, oa quaes acham
a dioosic.ao de saus fragaezes, podndo ser pro-
curada para exercer a sua prjussio, a roa D.
reita n. 16.__________________________
CBIIDO
Precisa so de um criado para todo o service
na rua do Commercio d. 22.
- Quem preci*ar do am optimo eopHro. part
casa de familia ou de h. metn soHeiro. dmja-s a
rua da Imperatriz, sobrado n. 63, primeira an-
dar.______________________________________
Pergunta que nao offeude.
Pergunia-se aos Srs. collectors do ircposea .:
bre as cans que veodem cal de LiabAa, se ae 41
lairro de Santo Antonio lambean oao esUo iija*t'
ao mesmo imposto ? A W deve ser igaal ear i
todos.
____________________0* arqfadiradia.
r Precis*-se fallar aaa Sra lift*l J.-* c-
Souza Hello, Antoaio Pinto GseeVt de Par** at
Veriato de Freitas Tavaraa, a saftca de i
inte-essei: na roa do Yigano a. 1>____________
Casa em (llni iy.
Aluga-se o sobrado de um anda com boos com-
medos : a rna de s Beoto n. 21: a tratar com
Joaqoim Lopes Maebado, a rua do Enca ntamento,
0. 2.
t no P4o 0 Inn. J'lio Olyrapi. te Sm Ljn
mud. i ma e.treiu do Hftho i
coin fiawlio Uttto 4 Simw.
Alitgft-ae
am rootwm. de 10 IftMM 4*
pra cssi da paaM : a Mr M
Affomo eotr'on 4ft Pnto a M.
n> i"*"
/







I
Oiviq &,Ffimnm &, fci?a .18. d^ getembre de
Mu
Na travessa darua
da&Oruzes iir 2, pri-
meiro andar. da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na luesma casa
compra-se os mes-
inos metaesepedras.
'H- U\JVi JjM,*,
Aprop*
-se
ran do <:,,,..><;,. n.
E' din, abram-se as p;.rtas
Oo predilecto arniaiem.
Eulrem todos apressados
E olhem : reparem bem :
Aqui, a mais coiuplela coll< cr.io do vinhos linos
do Porto ; alii, uma riea e palpfunte porcao de
doces de todas as qualidades ; anola, um grupo
proTocador dos maia ch.'iroios e delicados acepi-
pes; alem, uma grande vanedade de uiassas fi-
uissimas para sopa ; neste lugar, o emolliente
arii z e ogoftoso cafe; naquelle, a nura massa
de tomate, a s horosa araruta e a boa goouna
de mUho; ne la prateleira, as mais finas e sabo-
rosiseimas conservas ; na |uell i, os mais corrus-
caules e exquesltos UeoTea ; naqucll i outra, uma
elegante reuniao Je biler e cerveja de superiores
qualidades ; neste fiteiro, igaaiias oinbriag .utes ;
nauiwlle, o eipecial molho ioglez, a nova mostar-
da e a excitante, pimenta em" no ; neste moslra-
dor, uma rara constellaejb da novidades e es-
pecialidades ; no tecto, os delicio-os presantos
para fiamhrc*; neste canto, os apreciados pre-
sunlos do La.ncgo ; naquelle, paws, cbouriQas,
linguicas e salctiichas ; naquelle outre, queijos
flamingos, rntos a londrinos; neste promonlo-
rio., aromaiicos e Goat ebarutos da Dahia; ne.-tas
latas, diver.-as qualidades de era de sabor e gus-
u transce denies ; naquellas, o desej ido 'matte en
i ') e em toLas; nete reservado, o delieioso ca-
cao em p6, o subslaneial ehoeolate francez, hes-
panhpl, porluguez e nachnal; naquelks niclios,
vinie qualidades de legumes em conservas, alem
de outras tantas de penes dos inais apieciados
na Buropa ; la uvinro, uma importauie galena
de bctlachinhaj Haas dos n;:.;s afaniadoj fabrics a-
tes; desle lado, r mais mspirante fii -Ira de pipas
com vinhos de I iJos os sitios conhecidos.de Por-
tugal; ii,.|ii lie, a fiulsMii.a mantejga i ^Isza e
f:aaceza; o bam toucinh), a Qaa bauhae um
grande u i g n r is ran s e mdindrosos ;
la no f_ndo, fresco a tartar e .agua qrrasi que ge-
tada a que us visitantes teem direito sein nad*
pagatem. Appareeam.
Dm vista, pois, desta emporio
Que alem vai da descripcio,
Oode nao ha iuterdictos
.'v.' i tao |i >uco excommnnbSo !
ai nao ili.-a convencido
Do |ue vamos de dizer :
V'amos a casa dj.Campos
Comprar a paz, o prazer I
Alem d i que, in i; sera
(Juaudo eu vos dti a cerleza
De que os generos na mesa
ao estomago pas?ar;i.
Levando o amor, a luz,
A vi la, a feiieidade
i^ iii.-|iirando a caridade
Fara rasgar o capuz
Da negra supenli(3o I
itao a luz do dia
'- sanla yastrononnia
ra ni) coraclo
'i .. do inlinito,
Fazend i a alma lateule
zer com \ Cam seja I imdil
0 seu Khanix ;;mazeai,
i icvemi ir
gar e saliir
S i|uiz-rm .s passar bem.
Aluija-se
i s i a lo da re' do Vigario n. ii, com
:b> para /amilia, e agua
uo armazem da travessa do Cor-
... n.23.
:
Ama dc
Trrcisase di uma ama do le
s';ni fllho : na ma Duque de (axias n. 01, lojad
Rival Sem Seguudo.
l'recisa-su de npia ama
nbeira : na rua do Crespo o.
te que aeja sadia e
ALUGA-SE
uma grande cssa terrea com b
sita na estrada do Lucas
gario n. 31..
astantes commodes
a li atar ua rua do Vi-
Precisa se de uma ami.para cozinhar e
mais algum servico de casa ( e pequena familia :
no 3' andar d'esta typograpbia.
= Precisa de duas amas, endo uma para, co-
xiubare comprar e outra pai a engomoaar e en
saboar : na rua da Cmocordii n. 43
A ryio Precisa-se de uma
xxiiia. inierno to umapeqat
Duque de Caxias n. 51, loja.
()ue seja boa cozi-
ama para o servico
na familia : na rua
Offwtce-s^
eogommar e
de ponca fal
dentro : qua
a rua da Lapa n. 1.
Ama
uma ama para
izinbar para casa
ilia, de pertas a
preeisar d*irija-se
AMA
Precisa ie i
bar em a
do Vjgario n
nhar em casa tie familia: na rua
i. I
Palaceto
Ainda esta por alugar-se o p ilaccte da Ilha dos
i'atos, do finado Custodio Jose Alves Guimaraes,
J. de morou ultimamente o Sr. C r. Ignacio de Bar-
ros : a tratar na rua Primeiro c a Marco n. 7 A.
uma para cozi
familia: c
9, segando andar.
Signaes do negro Felioiano
Crionlo, idade 40 aanos, pouio mais ou menos,
alto, corpo regular, bem prelo, lesdentado, barba-
do, mal feito de pes, tendo um dos dedos grandes
ou ambos bastante tones. A( ha-se fugido ba 6
me^es, desta seguoda fugida, e la primeira esteve
dous annos no engenho Tomlador, freguezia do
Bonito, pertencente a Francises de tal, genro do
capitao Christovao Jose Macba lo, senhor do en-
genbo S. Christovao, da dita frej uezia, e por estes
engenh.os esta occuKo, como ten estado. Veio pela
primeira vez preso pelo capita i de campo Joao
Ventura, que mora em Agua-P'eta : recommen-
da--e a sua captura as autoridades policiaes eca-
pitaes de campo, eleva-lo ao ei genho Minas No
vas, freguezia de Gamelleira. 0 dilo negro intitu-
lase forrn com o nome de Jos6 'eliciano.
DE
8 *
A. B. da Silva Maia.
Medico parteiroe operadir*
Una iio Hasgel h. Ca ~"
ultas das 8 a; 10 boras.
Cbamados a qualquer hora.
Gratis ac3 pobres.
?
'A
%
s
CHARUTOS
DE
Joso Furtado de Simas.
Uaico tza de Olinla n. 15, de Bonrgard & C.
OLINDA.
Aluga se por festa ou por anno, na rua de S.
Pedro Apostolo ou Passo CasteDhano, ires casas
terreas, com encanameuto d'agua e gaz, bons com-
modos e quintaes grandes e murados, com diver-
sos arvoredos de fructo : a tratar no pateo do
Corpo San'.o n. 17, 3." andar.
atfM
VtV,
DE
1
Premiada nas expo-
ic5es de Peraambuco
e Bio de Janeiro.
MEDAL!) A DE I'll ATA,
Pharmaccutico
Pela cscola de Paris
Successor de
Premiada na expo-
sifao de Vienna d'Aus-
tria.
MEDALHA DE MF.RITO
v ARISTIDE SA1SSET E. J. SOUffl
Tratamento purarnente vegetal vcrdadeiro purificador do sangue. sem mercurio.
A Essencia de Caroba e um remedio hoje reconhecido como um poderoso depura-
tivo e especial para cura de todat as molestias que teem a sua origem na impureza do sangue,
como sewn : as molestias Stphiuticas, Boubaticas e Escrofulosas, Rheumatismo, EstPiNGENS, Dar-
THOS, DfcCERAS, EBUPOOKS, ETC. BIC.
Os prodigiosos effeitbs que tern produzi-o a Esscncla de Caroba, por toda parte
onde dfla tem sido apropriadamente cxperimentada, a tern feito adoptar como am dos medicamen-
tos mais keguros e mais energicos para a cura de todas as molestias de natureza syphilitica e
boubafea.-
A cada frasco acompanba uma instruccao para a maneira de usar.
Pomada anli-darlrosa
Para cura das
comichSes, etc., etc.
dc Caroba
boubas, ulceras, cbagas antigas, etc.. etc.
UNICAMENTE PREPABADO POB
dartbros,
0
RODQDATAOL IBIiUS. SUGCESSOREi
Bolica Franceza
22 Rua do Bom Jesus 22
ANTIGA RUA DA CBUZ )
240 RS. 0 COVADO
ADVOGADO
B1CIIAREL J0AQUI5IGUEXNES DA
SILVA HELLO.
ft 93 Bt:m owtrcila do llnsario 93 jj,
;, priiuciro audar. ^
rZl&
Aliened
A loja do lou;a da rua d3
Imperatriz n. 6,
querendo acab. e im relalho, loucas Cuas e grossas, vidrcs, ricos
eaudieiros e iarros do diversos autores, per um
preco resum'do que fax admirar ; vende se tam-
bem a rica armacao de am re Ho, toda envidraga-
das : quern pretender dir ja-se a mesma loja.
Hotel do Commercio.
Participa-se ao rc-speitavci publico, qne abrio-
.se o hotel acima denommado, sito a rua da Ca-
de a n. 6i, no qual se encontrara verdadeiro3
p^tisco a portugueza e a hespauhola. Ignalmente
recebe-se assiguatura* por modico preco, garan
tmdo-se asseio e promptidaa. A rapazeada que
venria, pois que nao se arrependera.
Casa e terrene baralos no Sal-
'adinho.
i',?Antonij Jose Rodrigues de $uuza, na thesoura-
ria das loterias a rua do Crespo n. o, vende soa
casa de taipa e t^rrcnos de sens sitios no lugar
do Salgadinho : a tratar somente com o mesmo.
GASA DO OURO
Aos 4:G03>000
Bilhetes garantidos
Rua do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. SO, e casa do costume
0 abaixo assignado acaba de vender nos seu:
motto felizes bilheies a sorte de 700J em um
meio bilhete i.e n. 3833, a sorte de iOOg em um
bill.-1.-. inteiro de n. 1183, e um meio de n. 2606
com a sorte de 100$, alem de outras sortes meno-
res de 40*000 e 20*000 da loteria que se acabou
de extrahir (116); convida aos possuidores a vi-
rem receber, quo promptamente serao pagos.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeita
vel publico para vir ao seu estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes.qua nao deixarao de
tirar qualquer premio, como prova pelos masmes
annuncios
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
'antido3 da I* parte da loteria a beneflcio das
obras do altar da irmandade do S. Benedicto, quo
se extrahira no dia tr-fa-feira, 22 do corrente
mez.
Inteiro 4*000
Veio 2*000
De 009000 para oima
Inteiro 3*500
M3io 1*750
Recife, 5 de setembro da 1874.
Joao Joaauim da Costa Leiu
O Sr. Roberto dos Santos Mello Vasconcellos,
tem uma carta em casa de Arminio & Moreira, na
rua de Barao da Victoria n. 36.
Aluga se o segundo andar do sobrado da
rua Primeiro de Marco n. 14 : a tratar no pri
meiro andar do mesmo.
Fillulas Catharticas
de Ayer.
Fara todos os effeitoa d
um remedio laxaate.
Nao ha segnnunente, un
remedio tarn universalmenta
procurado como um cathar-
tico ou pnrgante, e nenhum
ou :ro tem sido tao osado em
todos os pr-.izes e por todas as classes, como estas PIZLU-
Z.AS, suayes ma3 efficazes. A razao 6 evidente, foruiao
nm remedio muito mais certo c officaz que nenhum outro.
Aquelles quo os teem ensaiado sabem que se teem curado
pelo seu uso, os que nao os ens&iarao sabem que seus amiiros
e visinhos so teem curado, e todos conhceem que o resultado
tirado uma vez, se tirara todas as vjzes, c que as PILLU-
LAS nunca ralluio por consequencia de erro ou neetieencia
na sua composicao.
i- T?m2? miU'arcs "obre milhares da certificados referentes as
distmcfts curas que hao effectuado ustas piUulas, nas moles-
tias que em seguida mencionamos, porem sendo taes curas
conhecidasemtodaaparteaoodetetm penetrado. des neces-
sario e pnblica 1^>3 aqui. Adaptadas a todas as idades e a
twlas as condicoes, em todas as climas, nao contendo calom-
tomn0dntcm^ut^?l"'l'luer droga d9lteJria. eUa podem ser j enfeites para bordado. "Taobem se enearreaa de
5S&M'5!SyrS^^ qlqnei fardamente.como
Lindas cassas de cores e branca?, com listras e palmas assetinadas a2iO
rs. o covad-J: na loja de Antonio Correia de Vasconcellos, rua Primeiro de
Margo n. 13.
f^lmm*mgimmgmi y*i&im ijJiuii^ I
|
alioa or dc pianos
55
55^Rua do Imperador-
Ex-afiuador das antigas e tfamadas casas Pleyel & Hen, e antigo direc tordar
officina da casa Alphonso Blondel.
Tem a honra de declarar ao respeitavel publico desta cidado, que tem aberto
sua casa de concertos e afinacSes de pianos, qualquerque seja o eUado do mstrumento.
A' mesma casa acaba de receber um grande sortimento de pianos dos raelho-
res fabrfcantes de Paris, como Erard Pleyel, Henri Ilerz e Alphonse Blondel) todos
os pianos sahidos da casa Dhibaut sao garantidos
Compra se e recebe-se em tioca os pianos usados.
llua 1. de 3Iargo n. .7 A, immtivo andar
Hoje, JOde-setembro de 1874
MOBILIADOS m COS!
Toma-se assignaturas mensaes
Perito cozinheiro .francez, chegado ultimamente da Eu-
ropa. P. Sauvignac
GMNETES PARTICULAMS
Salaoverde
Salao encaruadu
Administrador J. Delsue.
A.coimercio.
gJose Carrciro Baposo, tem ju:to e contratado
vender ao Sr. Jose de Souza Ropaso, a sua ta vcr-
na sita a rua da Aurora n. 9 livre e desembara
da, e se alguem se Julgar com direi:o a mesma,
apresente seus titulos no praso de tros dias, a
conlar da presento data.
Recife, 15 de setembro de 1874.
de costnra, f
Gca m
ao comhercio
Os abaixo assignados participam ao respeitavel
corpo do commercio que desde o dia 5 de agosto do
corrente anno, ieem ju to e contratado uma so-
ciedade mercanlil, a qual gyrara sob a razao de
Vercosa & Irmao.
S. Jo-6 daExtrema, 16 de setembro de 1874.
Joaquim Buarque da Vercosa.
Joao Buarque da Vercosa.
Fimdioao do Bowman
Rua do Brum n. Hi.
Possando o riialniiz
0 engenheiro Alberto tendo voltado a\ Europa,
tem a honra de por se aj disposir;ao daqnellas pes
soas que o procuraram durante a ausenela, on
Sue desejam eotender-se com ellepara os misteras
e sua proGss&o.
Fernandes Vieira.
Nome Verdadeiro do portagnz Joao Fernandes
Vieira, celebre nas guerras de Pernambuco con^
tra os bollandczes, 1 vol 1*000
Livraria popular a rua Nova n. 59.
Allcncao.
Alngase o excellente sobrado do Poco. perto
da Matrix, em optimo estado de limpeza e com
accomodagoes para grande familia ; e muito pro-
prio para collegio ; assim como a casa logo a su-
bida da ladeira de Apipucos, perto do banho, mui-
to fresca, e bons cammodos, tudo por preco muito
razoavel. A tratar no escriptorio do Dr. Alcofo-
rado, das 10 boras da manliU a- 4 da tarde.
DEPARIS
Aluga-se
o primeiro andar com grandes commodos e solao
do sobrado sito na rua do Hospicio n. 65, junta-
mente a loja : a tratar na rua do Vjgario n. 31.
O Monte Lima
i tem um completo sortimenio de galao e franja de
1 ouro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
[ abotoaduras douradas para offlciaes, canutilhos e
seja : bonets,
sasao pallauai- sendo tambem purarnente vegetaes, nao po- lal,n? P9tas, espadas, dragonas, Cliarlateiras, ban-
dcmresuli^ajen"ei-ospreiudiciae3 8erx)racasoforemtomada das, abotoaduras lisas e douradas, para criado
sadaqvWro i^i!^- p-8pcl- qu3 serve ? -coberta P" tic.; assim como um cpmpleto sortimento de
^^^^^SZUaj7u^icjr^rMiaai PolaUoparaolaainento, cordio dell
damente cur&. Para a jyy.pepaia oa Zndigetiio, BU- Com borla Para QUadrOSl e espelhos (COnforme 0
piuenria, Languid*!, Taitu a.) Appetite, devem ser Rosto da encommenda) ti ido por muito menos
tomauas cm dose moderada a fim dc cstimuiar o estomago e ( prejo que em outra qualq ter parte : na oraca da
restablecer suas funccaos saudaveis. lmlain.rnl.nn;, n uLi.i"-' v ** "**
ccaosi
Para as Dotncat do Figado e f uas diycrsas symptomai
Enxaquecas Iiillosiw, Dor de Vabeea, IcterU-ia, Col- \
ice Bilioto, e Jibrm Illliotai, dsvem se tomar tambem
cioderadamente em cado caso, para correger a accao yiciada
ou remover o obstaculos que a auma.
Para a z>ysei4(v>-iu ou Diarrhea, 6 geralmente bastante
Una dose pei]tipn:u
V'J*lthe*tmat.smo, Gotta, Am las, Falpitacdo do
Coraeuo, Dorem not ilharga* ou cvitan, devem ser
tomadas coutiiiuadsmente, at altorar a accao dos orgios
di^egulados, de sorte qua a meleott* disappareca.
Para a Ili/droperta e InatUoOm HydrojUcat, e preciso
loma-i-as Irecjueutemente e em ponoes assas enuides para
produzir o eflelto do um purgativQ t'mstico. Como Diae*
tiro para o jantar ou comlui, toma-se uma ou duas para
: a di
(ndependencia n. 17, junto
4&HRUA DO BARAO DA VICTORIA18
Pryidro andar, enirada pela rna de Santo, Aiuaro.
Madame JPotelleret, modista franceza
tem a satisfagao de avisar a suas amaveis fregoezas, e em geral a todas as senhors que se vestem e
se tocam a parisiense, que acabi de receber pelo vapor Ville de Santos, uma magniflca eseoiha dos se
guides artigns do mais apnrado gosto :
CH\PE0S de palha de Italia, ditos a ingleza e de arroz, em todas as cores, 016 preto para luto etc.
UIT03 de palha da Italia magnificamente enfeitados para meninos e criancas de mais pequena
idade. Uma grande parte destes cbapeos foram enfeitados por uma das mais afamadas raodistas do
Boulevard dos Italiano3, alii o centro da mais apurada moda.
GRANDE variedade de (lores e plumas, tudo o que se pode ver de mais lindo e mais moderno
para um tqacado de baile e para guarnicoes de chapdos e vestidos. Adere;os completos de llor de la-
ranja odorifera, para casameato, assim como flores e botdes para guarnicao e enfeile de vc-tiJ.,.
F1TA de gorgorao de cor e preta, ditas de ehamalote para cintos com diversos raatizes, filo preto
e branco, renda de seda preta e branca, dita dc U, velludo preto e de cores, galio de seda etc., etc.
GORGORAO e panno da liubo para vestido de senbora.
Uma eseoiha de (robes de Chambre) ropoes guarneaidos de rendas e bordados. Camisas e vesti-
mentas demiajuste, collarinhos para senhoras e mecas.
Temos alom do queacabamos de mention r uma grande variedade de peqaenos artigos que tor-
nar-se-hia massante a leitura dellej, o que bast a dizer que e tudo quanto se faz mister para o chique
de uma toillete comm'il faut.
MAI1APOI OES
Na loja do Pavao veade-se madapoides franco-
zes muito incorpados, com 20 jardas a 6,000 reis,
dito muito ftno com 12 jardas a 3,000 e 3,500 ; as-
sim como um grande sortimento de madapoloes
inglezes de 4,300 ate 8,000 e 9,000 : a rua da Im-
peratriz n. 60, de Felix Pereira da Silva.
a loja do Sr. Arautes.
Livraria oopular.
Fazem-se carlSes de vlsia e casamento.
Marca se papel e envelopes a vontade do fre-
guezes, com iniciaes ou nome por extenso em typo
Gothico, '
Romano,!
Biblico, ;
Rennaissince,' -
ou outn qualquer : pelo rriodieo preco de 1*000
cada caixa I ,
&9-Raa Nivav-59
E baralissimo.
Attencao.
Aproveitem antes que se acabem, popelinas de li-
nho. DadrOes modernos, pelo baratistimo pregc
de 400 rs. o covado : quem duvidar, venha ver e
comprar: na rua Duque de Caxias n. 88. loja de
Demetrio Bastoi. klJ
Vojaiii e adinircm.
A &OO rs. o covado.
0 barateiro da rua da Irnperatriz u. 60,
vende popelinas pretas com listras asseti-
nadas pelo baratissimo preco de 500 rs. o
covado. para acabar.
Bods pianos.
Chegados de novo.
Veode-sc.
Troca-ie.
E aluga-se.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
MOBILIAS
de tine e de faia.
Vende-se muito em conta ; cadeiras avulsas, de
balanc.o, de bracks e de dobrar : no armazem do
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, outr'o-
ra Nova n 7.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oreos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilcte,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
crosmeticos, muitos artigo delicados em perfnma
ria para presentes em frasccs de extractos, caixi-
nhas sortidas e garrafas de differentes tamanhos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos bem conhecidc3 fabricanles Piver e Coudray,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
4.1 ligiss de diflcrentes *j;oa(os *
phantazlas.
Espelhos, leques, lnvas, joias d'ouro, tesourinhas,
canivetes, caixinhas de costura, albuns, qnadros,
e caixiuhas para retratos, bolsinhas de velludo,
dita.de couro, e cestinhas parabracosde meninas,
cbicotes, bengalas, eculo, pencinez, ponteiras para
charutos o cigarros, escovas, pentes. carteiriaha de
madreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esterioco-
pos. lanternas magicas.cosmoramas, jogos da gloria,
de 'lamas, de bagatella, quadros com paisagens
globos de papel para illuminacdes, machinas de
fazer cafe, espanadores depalhas, realejo3 de veio,
accordaos, carrinbos, e bun; js para criancas, 8
outras muitas quinqniihari.i/.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade qus se pode desejar de to
dos os brinquedos fabricad^s em differntes partes
da Europa, para eutretimentos das criancas, tndu
a precos mais resumidos quo e possivel : no ar-
mazem do Vapor l'ranctz, rua do Barao da Vic-
toria outr'ora Nova n. 7.
Calf ado. fraacez
.--.
Botinas para homem
^Acabam de chegar grandes jacturas de botina:
de bezerro,de cordavao, de pelica. de duraqut
com biqueira, de bezerro com botSes, e com ilho-
zes a 9^000 (a escolher) por ler vindo grande
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
ao armazem do Vapor Francez, a rua do Barao at
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para senhora.
BOTINAS pi etas, brancas e de cdres. diflerentes
lisas, enleitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados,
SAPATOS de tapetes, chariot, castor e de tranca.
Para meuiuas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portaguezes.
Para meninos.
GOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao,
ABOTINADOS esapatdes, de bezerro, dedeversas
qualidades.
SAPATOS de tranca.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, peri.*ir
maias pernoiras para homens, e Sieias perneira
para meninos. ,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7.
Talho do pateo do JParaizo.
Aluga-se este grande talho com o balcao de
marroore, balauca e pesos : a tratar na rua 1.*
de Marco, antiga do Crespo, loja do Passo, junto
ao arco de Santo Antonio.
COMPBA*.

Compra-se um escravo de meia idade, qaa
saiba tirar leite, para um sitio : na rua larga A*
Rosario, Ittja n. it._________^_________
Compra se a-a codho de Lisboa : qoeai o ti?
ver e quizer vender, dirija se a ru do Vigarll
numero 26.
VrND*S
LEIS PROVINCIAES.
Vende-se no 1. andar desta typograpbii,
em inio do administrado, Colletcn'ics it
Leis Provinciaes a 500 rs. o exemplar oa

cada anno.
Camisas.
~
Camisas (ranceus brancas de aliidao Qn cop
lljOOOnmi, em dtrila a ttzO0,
frizo de eor
e pecbincha :
Iherme 4 C
na.rua do Crespo n. 20 !< Vende-se
ama casa na villa de Barreiras, na rua do Coa-
mercio, por preco modico : a traur cm Ta
Irraaos & C.
GftUfiiatwi
Vende-se uma coHeccao
deste periodico critico, joco-
so e moral, escripto pejo fal-
lecido padre Miguel do Sa-
cramento Lopes Gania. por
12|000: no 1. andar desta
typographia, era mao doad-
ministrador.
12 Rua doCabugd 12
LlULlDAr.VO
de joias de ouro, prata e pedras precioas.
Ouro Ue lei.
Correnles do ultimo gosto, a oilava NH
Alfinetes para retrato, circulado de
perolas
Idem idem idem esmearladis
Idem idem idem robins
Relogios de prata bem douradas, de 13i a
Relogius para senhora, de ouro, de 40 a
Ricos aderegos com pedras linas com
SO 0|0 de abat.
Bonitas pulseiras do ultimo go?to era
50 0|0 de abate.
Eiincos de phantasia des mais Itnuiius
que tem vindo ao merca^o, da. ISi a
Voliaa com um bonito laco, por men< i
do que se vende em nutra par:.'.
Bonitas cr.coletas, tanto para senhori
como paia homem.
Anncis de diversos feitios, de ii a
Pulseiras de cobra de coral por 500|O
de abate.
Tendo o proprietary desle esUbetecirr.tntj t ce-
bido uma grande porcao de joias dus uHinius go?
tos de Tans, e por precis ja resumidos, participa
a todos o< seus freguezes, be .a como ao respeita-
vel publico, que se arha semt re prompto a servir
com toda a exactidao como costuma; certos de
que passara um rccibo, pelo qual fica respon-aU
lisado pela transacrio.
veuue-se uma escrava moca, no, coziui.cii^
tanto de fogao como de forno, n.a cng mmaiein
e coslureira, e faz doce de tcdas as jualiJad^s : *
tratar na rua do Marquez do Hcrval, antiga iua
da Concordia, n. 239.
Vende-se duas eaau de taipa coberas d te-
lha.no Jordan, Iogar mite fre'eo e sadio ; bll
todo negocio : a tratar na rua Im;>erial n. 19.
Vende-se a taverua da raa de S. Jorge n. I >,
em Fdra de Pertas, Item affcguezada e com pou
cos fundos, propria para um priucipiantc : a tr*
tar na imsma.
6U009
3O4M0
80000
co;ooo
t-.'*K0
Vende-se duas ntgrotas di 1J aunus de id^
de, de bonita Ggura, cm principio d babihdali-
uma preta de 30 annos de Made, cuziaba e en
gomma bem. por 700*, e uma parja de 2iannu>.
de boa figura, e quitapdeira e faz todo servico, por
"OftJ, por haver precisao : no paio de S. Pcdr
n.2 4.
Vendo se uma raulaia con lo ann~s de i-la
de e com habilidadps, vinda da matto : a tratar
na rua da Concordia n. 30.
Alpacas de cores.
Alpacas de cores, fina, com Irstras. largurr.
de chiia franceza, a MO rs o c vado, e lazmda
de ii : so na rua do Craspo n. iO, Mi de Gui-
lherme & C.
Atlenc-uO
promover u OigesUio e ajudw o estomago. Uma ou duas to- ,
Sg&Sem *^ *^ >- ** -ZTAiog^sei uma boa casi com exefl^e, eom-
mi.te bom, tomaodo uma jWodos, a rua do Coronel 3i a=suna a. 169 a tra-
w^ muitas vezes, decidlda- tar na mesma rua n. 171.
- e reataurao a
Quulquer que s; adm
ou duas d'estas pillulas se .
ruente ni^llior, por raz&o qu
RppareUiv digcsUYO.
PBEPAMnaa,,^
J. C. *rer&C+, LoweU, Haw, E^f,
S FOR
* '
Aluga se ou vende-sd um piano rM arma-
rio : a tratar na rua do Barttotrxma^Jis.
Na travessa da matriz de Santo Ante No n. 6
ha uma ama de leit", a aeecas constaatemente pa-
ra alugar.
Potassa da Bueia a 6 rs*
o' kilo
Ven4a-se *o ascrjptorio de Oliveira Pifcos &
C. : largo do Corpo Sauto n. 19.
Aos Srs. de engenho.,
Vende-se pecas de algodao da Bahia, com %%
varas, tendo um pequeno defeito por Si e li a
peca : na rua do Crespo n* 0. loja do faaerklas
de Guilherme dt C. 7
Lustres, candieiros e
iiraiidelias.
A empreza do gaz, tendo reeebido ultimamente
uma quantidade de lustres, candieiros, arandellas,
globos etc. etc., tudo obra de gosto e de primeira
qualidade ; acha se em posieao de supper a sens
fregnezes, por precos menores do que antigaowft*
te. Para verem as amostras, dirijam-se a rua do
hnperador n. 31.____________________-
Coques modernos
. Cintos de couro
Recdtttt a Magnolia, a rua Da^ae de Caxias n
4, e esta vendendo mais bajraio que -em qualquer
outra prte.
Adyerte-se a qnem interessar possa o presente
aviso, que ningueua se illuda com o que propa-
la Salvador de Siquelra Cavalcante, tendente ao
engenho Tres Brajos, porquanto dilo engenho e
tudo quanto nelle se contem (escravos e bois) se
acha snjeito a hypothecas de dobrado valor, sen
do a primeira destas hypothecas lavrada na ci
dade da Escada em 1856, pelo oicrivao Mathias,
tendo por objecto a compra de partes do mesmo
engenho ; a segunda em 1860 ou 61, na mesma
cidade da Escada, pelo escrivao Damasceno,
por o;casiao da composicao feita com o tenente*
coronel Joao Florentino, tendo por objecto o pa-
gamento de eerta quantia com garantia em todo o
terreni da composicao d'alem do rio Sibiro ; a
terceira Ue 13:200^, e a quarta de 63:418*000,
ambas lavradas nesta cidade em 1862 e 1863,
cartono do iabelliao Almeida.
Com a maior dessa? bypathecas se precodeu
a sequestro em todos aquelles bens, inclusive as
safras, cujo depo'sito foi feito em poder do Ba-
rio de Pirangi, na mesmas cidade (escrivao Da-
masceno).
E' portanto evidente que, quem flzer negocio
com Salvador, flado nas safras, ou na safra do
engenho Tres Bracos, perde sen tempa e o seu
inheiro: nao se illnda alguem com o Salvador,
fue nao salva, mas sdmente compromette e aven-
tura._____________
Aluga-se uma loja no sobrado atraz da ma-
triz n. 44, muito fresca : a tratar no Corrector do
Biapo -n. 73, a qualquer hora. Na mesma casa
tem para 8e alugar um excellente copairo muita
1mI, e um esoravo trabalhader de euxada para se
vender : a tratar a qualquer bora.
Aluga-se o t andar do sobralo da rua do
Padre Florlino n. 69 : a tratar na praoa daTaAe-
pendncia ns. 18 e 20.
Organdy.
Organdy de acento branco c de cor, com tie-
res miudas e listras de seda e de II a 400 rs. o
covado, e fazenda de li, e 6 pecbincha : to aa
rua do Crespo n. 20, loja de Guilherme tt C.
Cartes de casemira.
Cortes de casemiras fioas, gostos moderaoa, j
51500 o eorte ; a elles antes que se acaawii. e
pechincha: na rua do Crespo n. 20; teja d--
Guilherme & C.________________________
Veade-se oma mulau-vrnda do matto, com
l.'i annos e com habilidades : na rua da Concor-
dia n. 30._______________________________
Madeira.
Vende se, por preco commodo, algumas duzias
de taboas de amarello de 2 palmos de largura.
com 27 a 28 de comprimento, madeira para por-
tas e forro : a tratar na rua do Imperador n. SO,
terceiro andar.
Attencao
Salsa parrilha
Salsa parrilha
Salsa parrilha
muito nova e de boa qualidade, tem para vender
Bartholomeu & C
34Rua larga do Roeario34.
Nosica nova
Grande successo musical I Phautasia para
pianoDinorab ou le Pard LIVRARIA POPULAR
_____________Rua Wova a 59
Salame de Lyon
A. lttfo m liter*
So na AssembWa do Commeraio n. M, ma 4
Commercio, Melra it Lima, _______________
Fiambres
Tem muito bons a AssainMe* do Commercio n
22, rua do Commercio.
Chocolate hespanhol
mnito finoj Um para veadar na Assemble* do
Commercio, Mir Lima, rua do- Conunerao uu-
nf 22. ^______
C. F. Martina jRiheicp
)




j?-

Faaeadas e artigos de alta
novidade
NA
LOJA DO PASSO
Raa Pruneiro dc Marco n. 7 A.
(Cordelro *im*cs Jk C, Rroprietarios
deste importante estabelecimento, do louvavel pro-
prosito de nio desmentiren o coneeito que os
seas aumerosos fregueies Ihei tern dispensado,
acabara de receber de sua coota o raais nco sor-
timento de sedas, popelina-, las e arligo* de ul-
tima moda em Paris, e continuarap a receber
por todos os paqaetes daqaella proeedencia ; por
isso cbamara a attencio da seal fregue7.es e os
convidam a darem um passeio ao sea estabeleci-
mento, garantindo Ihes qae enconlravao a reali-
dade do que fica dito, e para prova dao um pe
queno resumo, eujo rafalllvermente despertara a
attencJo dos preteodenles.
Mandam fazendas a casa dog freguezes, e d5o
amoslras raedianle pennon
jlrtlgos io alia novldadc e
ultima moda.
Cortes de vestido de linho guarnecidos de blco
da mesma fazeada e cOr, trazendo fivella, bolea,
einto, ete etc.
Riqaissimos chapeos para senhora, de cores e
pretos.
Cortes de carrbraia bran:os com Jindos bor-
dados.
Ditoa de cores com enftites da mesma fazenda,
Bgarino, etc. etc.
Capas de li para meninas e senhoras, guarne-
cidas de arminho.
Vcstuarios para hat-Usada.
RiquUsimas camisas b>rc!adas para senhora.
f.eques de madreperola, para noivas.
Rieas colchas de seda, para casameato.
Certes de seda, lindas cores.
Gorgorao de seda branca e dito preto.
Sedinhas de delicaJas padrSes.
Setim Macao de tolas as ceres.
Grosdenaples pretos e de cores.
Velludo- preto o damasco de seda. -
Granadine preta e de cores.
Filo de seda branco e preto.
Ricas basqtiinas de seda.
Casacos de merin6 de cores, 15, etc.
Mantis brasileiras.
Ca pi lias e manias para nojva,
Carahraia de cures, aitas mariposas braacas, de
core?, lisas e bordadas.
Flor do bosqae (aovidade).
P-rcalinas de quadros, listras, etc.
Brins de linho para veslidos.
Fustao de csres.
Saias bordadas pira senhon.
Grande sortiraento de camisas de linho lisas e
bordadas. para humem.
Meiae de cores para homem, senhora, meninos
e meninas.
Sortimento de chapeos de sol para homens e
senhora.
Merinas de cores para vestidos.
Dito preto trancado e de verio, bombazina, can-
So, alpaca, etc. etc.
Atoalhado de linho e algodSo para toalhas, e dito
pardo.
Damasco de 11
Brim de linho branco e de cores.
Setins de lindas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos
Ditos de touqaim e ditos de casemira.
Diario de 'Pernambtrco Sexta feira 1 8 do Setembro de 1*74.
_____________________________~__"j__ *____ "Sw*-
N. 7 2.
Grande liquidaeao dc fazendas
NJ
NAG
p era

Salsa paiTilba
Muito nova e grassa.
Vende-se. por fcarato preco, em poreao ou a re- ie .q?afl0J quarto para'feitor, dito para.criado e
tathn : na.rua larga do Rnsario ft. 34. I ^/['untiro-, tudo de pedra e cal, em terreno pro
Vcnde-se
Na Torre, sitio com boa ca?a, com 3 salas, 4
quartos, despenia, cozlnha, bom poco d'agua de
beber,.multo9 arvoredos, e fura da casa, 1 snlela
a taverna sita a rua
muito afregnezsda :
Rosario n. 40.
VEBl&E-SE
do Hariio da Victoria n. 61,
a tiat?r na rua eslreita do
UIL.
Mendes Guimaraes & lrmaos.
Tendo os prnpr etarios deste estabelecimenlo resolvido diminuir o gr.ande deposilo de fa-
zendas, cntenderara fazet esta grande !iquidacao,_ como se v6 dos prccos abaixo raencionadps
Chitas largas a (60, 200 e 289 n'iv
Vende-se chitas francezas e Dnas a 120,280 e 328
o covado.
- L3*inhas a ISO rtis.
Vende-se lazinhas para veslidos a 120, 2i0, 320 e
400 reis o covado.
Chitas para cobertas a 280 rels.
Vende se chilas para cobertas a 280 e 360 reis o
covado.
Alpacas de cores a 6i0 rois.
Vende-se alpacas de cores, Gnas, para veslidos de
senhoras, a 640 reis o covado.
Metim de cores a 320 re"H.
Vende-se metim de cores para veslidos dc senho-
ras, a 320 reis o covado.
Cassas fiuas a 280 reis.
Vende se cassas francezas. Unas a 280, 320 e 3G0
reis o covado.
Cambraia Victoria a 3*000
Vende-se cambraia Victoria para vestidos a 3,
3*500 e 4iC00 a pe?*.
Cambraia transparenle a 2 e 3*000.
Vende-se pecas de cambraia iransparcnlo a 3f,
33500,4* e 5.
Corlinados a 14*0(0. *
Vende-se enrtinadus bordados para camas a 14*,
16* e IS*.
Ganga amarella a 500 r6is.
Vende-se ganga amarella para vestidos de senho-
ras a rou; a paraiueoinos. a 400 reis o covado.
Granadine a 500 reis.
Vende-se granadineprela com listras brancas para
veslidos de senhora;, a 500 reis o covado.
Madopolao a 3,000 rs.
Vende-se pecas do madapolao inglez fino a 3, e
4,000 rs.
AlgodSo a 3,500 rs.
pecas de algodio a 3,500 4, 4,500 e
400 k'.s
cures para
Cil'lJIS ?
Brim de cilies a
Ven'le se brim pardo e de
400 rois o covado.
Toalhas para rofft) a 700 reis.
Vende-se toalhas it linho para ro^to a 700 e 800
reis cada uma.
Chales do 15 aGiO reis.
Vende les de metim a 1*160 reis, ehales de merin6
lisos a it, e chaies de merino estiinpados, a
3*600, 4* e 5*.
Aberturas a 20009.
Vende-?e aberturas de linho bordadas, para ca-
misas, a 2* e 3*500. Ditas de algodao a 200 e
400 reis.
Cortes de casemira a 3*000.
Cura das hernias, pelas fun-
das de borracha.
As melhoros e maia aperfeicoadas das at6 hoie CO-
uhecidas.
Vendese
na
1'iiarmacia c Drogarla
de
Biiriolameo A G.
A'
3* Rua.la/ga do Rosario 34
Vaccina. Vaccina.
Teodeo Sp. Dr. Jose Lourenco de Magalbaes,i
mootado na.cdrte am completo servico deste ar-
tigo, tem aqui aberto um deposilo da melbor e
mats recente, cujos lubos se encontram na
Pharmacia e drogaria
A'
3i-rna.larga do Rosario 34.
prio.
Uma casa, com 2 salw, 3 quartos, cozinha e'
terrace aim, quintal raurado e 1 quarto para
criado. em terreno proprio.
Tres casas peqaenas, com 2 salas e 1 quarto, |
cozidha (por junto ou separadas) era terreno oto-
prio.
Um terreno com 30 palmos de frenle e 400 de
fundo, tudo no melbor local e por pouco preco :
na raa estreita do Rosario n. 43, se dira quem
vende.
Vaccina
Vende-se
e era
Dilos
Can isas de chits' para homem e ditas de fla-
n dlla.
Ceroulas de linho e ditas de algodao.
Pannos do crochet para sofa, cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de lahyrintho.
Ricos cortes de vestidos de tarlatans, bordados,
para bailes, e tarlatana de todas as cores.
Colchas de damasco de M, e ditas de crochet.
E^partill^o^ lisos e bordados.
Foulard de seda, liadas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e do cores.
Pupelfnas.
Neste artigo tcmos um varialissimo sortimento,
nao s6 em gosto como em qoalidade.
Las
com listras de seda, ditas com pal nas bordadas,
ditas transparentes e de ootras rnuilas quahdads.
Lnvns
de pellica brancas a. de c6res, do verdadeiro fa-
bricante Jouvin.
Finalmente :
tapetes para sola, cadeiras, cama, entrada, etc..
cambraias brancas, chitas dc todas as qnai'dades,
madapoioes, esguiao, iretanhas, bramantes, a.'go
does, collarinhos, punhGS, miias para homem e
senhora, punhos e collarinhos brancos e de cu-
res para senhoras, gravatas para homem e senho-
ra, peitos bordados, lencos de linho brancos e de
cores, ditos de cambraia de linho, toalhas, guar-
danapos, panno fino, etc., etc.
Loja do Pnsso
Rua Priineiro de Manjo n. 7 A
antiga do Grespo.
Vende-se
5,000 reis.
Transparente3 a 1,500 rs.
Vende-se trausparentes para cadeiras a 1.3C0
rs. para liquidar.
MaJapoIJo a 4,500 rt.
Vende-se pecaa de madapclao a 4,500 e 3,000 ;
brim dito franctz muito fino, a 7, 7,500, 8 e
8,300 rs.
Braraanto a 1,600 rs.
Vende-se bramante para Ieocoas, de algodao,
com 10 palmos de largura a 1,600 rs. ; dito de li-
nho muito fino a 2,500 o metro.
Algodao infestado a COO rs.
Vende se algodao infestado para toalhas e lea-
foes a 800 rs. o metro, dito muito gao a 1,000, e
dito trancado a 1,280 rs.
Saias para senhoras a 2,000 rs.
Vende se saias para senhora a 2, e 5,0(0 rs.
Espartilhos.
Na loja do Pavao, vende-so espartilhos
Vende se cortes do casemiras Unas para calcas a! Jo* vaB^ modernos a 39500 e iSOOO cada
urn; assim como bonitos cintos com la?os
de sotim a 5C000, e sedinhas lavrndas com
toque de mofo a 1000 o covado: A rua
da Imperatriz n. 60, de Felix pereira da
E BOM SARER-SE
i Qae a NOVA ESPERaXCA, a rua Duqae de
Casias n. 63, bem ennhecida pela superioridade de
sens artigos de moda e phantasia, acaha de reco-
ber diversas encommendas de mer adorias de saa
repaiti^ao, que pela eleganci i bem mostra aptidao
e bom go-to de seus aiuigos c.irrespondentes da
; Europa, e por e*ta razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Doque de Caxias n. 63, convida a sua boa
e constante fregaezia e com especialidade ao sexo
amavel, a visiiarem na, afim de apreciarem at6
5*, 3*500 e 6*
Cortes de brim a 1*400.
Vende se cortes de brim de cores a 1*400.
de brim de Angola a l*M)0 e 2*500.
Cobertas a 2*000
Vende se cobertas de chitas de euros a 2*.
Colchas a -2,i ( o
Vende-se colchas de fn?t5o para cama a 2*. 3*
Chapeos de sol a 2*500.
Vende-se chapeos de sol de alpaca, pequeaos, para
meninos, a 2*300 e 3*. Ditos pequenos, de soda,
para senhoras, a I*. Ditos para homeas.de al-
paca, a 35500 e i*. Ditos de merin6 a 4*500.
Ditos de se"Ja, finos, a 6* e 8*.
Tapetes a 4,000 rs.
Vende se tanetes para sala, de diversos tama-
nhos, a 4, 3, e 6,000 rs.
Cortes de cassas a 2,300 rs.
na raa do Vigario n. 19, primeiro andar :
Vinho do Potto engarrafado, em barris
ancoretas.
:.'era em vela?, de Lisboa, superior qaalidade.
Retro* do Porto.
Cimento Portland, legitimo
TEM
0 43 Queiraado 0 43
r.a/iiiiiaK merdadeiras.
a 200 rs. o covado
Todos se admfram it
Lasinbas verdadeiras com lindi simos padrSes
a 200 rs. o covado ; e fatenda de 400 rs. : apro-
veitem que e pechincha. 0 43 convida as Exraas.
amilias para mandarem buscar as amostras.
Rua do Qnciniatlo.
muito nova, verdadeira, Inglezn, chegada pelo
Mendfizi : na pharmacia aninrieana d-' Ferreiri
slaia & -., a rua Duqae ae Caxias n. 57.
Wilson Howe & U vendem no seu armai
a rua de Commercio n. 14 : /
verdadeiro panno de algodao azul amencano.
Excellente no de vela.
Cognac de 1" qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as fma!idad*
Asunicas verdadeiras
tflchas hamburgnezas qne vem a este rnerta
na my do Marnnez daolinrfa 5*
Vende-se am terreno corn 200 palmos de
frente e 230 de fondo, tendo eaificada uma casa
de madeira no fundo do mesmo, Cbnfroute ao ce-
miterio publico, em Santo Auaro: a tra;ar no
mesmo % qualquc-r hora do dia.
Casemiras
Lortmados para camas i ^ f*x rwm
a loia do Pavao vende se nm erande snrtimen-! R/-+/Xrn
N'- loja do PavJo vende-se am grande si-rtimen-
lo de oasemiras de cores e mescladas, tanta claras
como escnras, proprias para calca ; paletots e co-
letes por precos muito baratos. as-im como no
mesmo estabelecimentos se rr.anda fazcr qaalqaer
obra tendente a alfaiite, com a maior prsfltexa e
por prec-s maito rnzoaveis: a rua da Impera-
triz n. 60, de Felix Pereira da S.lva.
Cortes dc cambraia
Na loja do Pavao vende se cortes de ramlr. ia,
transparenle com Labadws largos, tanto brancos
como de cores, por baratos pre;os, por terr-ni al-
gum pequeno defeito : a ru.i da Imperatriz n. 60,
da Si
iiva.
lilies uc tasraii a J.ouu IJ. : .-n.ln tnr* rv nrin-rr H'lrto
Vende-se eor:e* de cassas finas para ve..lidos> un.ei0fw\WFna\ri n? .r -
'iiwi a -i '(\n r i A i>DVA fc-bPhHAACA nao quer or
-,ooo e J,oOtJi r. mero dos mmm (verdadeiro^ a;
Cortes de li a 4,000 rs.
cortes d-3 la t-ara vestidos a 4 e 5,000
Vende-se
reis.
Roupa feita em liqnidacao.
Vende-se ceroulas ds algodao a 1,000, ditas
mais Unas a 1,200, ditas de linho a 2.500 rs.
Camisas a 2,000 rs.
Vende-se camisas francezas ^finas a 2 300, 2,500
e 3.C00 rs.
Paletots a 3,000 rs.
Vende-se paletots de alpaca preta a 3, 3,600 4, e
trar no na-
(verdadeiro* azacrins) com
extensos annuncios e nc-m pretende descrever a
immensidade de objectos que tern exposloa a ven-
i^, o que serta quasi impossivel, mas limitarse-ha
a mencionar alguns daquelles de mais alta novidade
e toma a libenade de aconselhar ao bello sexo,
que a visitem constauternente, para depois que
comprarem em outra qaalqaer pane Die se-arre
penderem, a vista do bom e escolhido sortimento
que ha em dito estabelecimento, esta razSo tam-
bem demorrstra que qualquer senhora ds bom torn,
nao podera comptetir a elegancia de sea toilet
Na loja do Pavao vende se nm grande sortimen
to de corlm; dos bordados proprias para camas e
janellas, pelo barafo prec de 8, 9 e 10,000 rs. o
par, assim eomo colchas d>> damasco para camas
de noiva a 10 e 12,000 reise pechincha: a
rua da Imperatriz n. GO, de Felix Pereiral da
Silva.
Vende-se pes de sapotas
na-raa do H spicio n. 75.
de optima qualidade
3,000 rs.; calces de casemira preta"e de cores, co-1 sem que dAum passeio a NOVA ESPERANCA, a
leies de casemira yreta e'decores,'e outras m
tas roupas feitas baratas e fazendas que eslao li
quidando no Bazar Nacional, a rua da Impera
Irizn. 72.
Loja de fazendas
DE
Guiihentie k C.
0 antigo barateiro contiiuia a vender por menos
do que outro qualqner, com a franqueza e sin-
ceridade ja conhecida.
Las de cores a 210 e 240 rs. o covado.
! Las pretas superior, a 400 rs. o covado.
La e seda, fazenda de 1*400 por 700 rs. o co-
vado.
Chitas de cores a 2i0 e 280 rs o covado.
Metins de cdres a 280 rs. o covado.
Crelones de padroes hndos e modernos a 400 e
j 440 rs. o covado
aUrtigos"da"ultima modafem' p^tentear'a'lguns Bapiisias de liudos padrSes a 400 rs. o covado
Cambraias de core; mmdas e graudas a 280 rs. o
A.' rua do Cabala n. 1 A.
Os proprietaries da Predileota, no intuito d
conservar o bom coneeito que teem raerecido do
respeitavel publico, distingnindo o seu estabeleci-
mento dos mais que negociam no mesmo genero
veem scientificar aos seus bone freguezes que pre-
veniram aos seus eorrespoudeutes nas diversas par-
cas d'Europa para lhes enviarem por todos os pa-
quetes os objectos de laxo e bom gosto, que se-
jam mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
daquelles paiaes, visto aproximar se o tempo de
festa, em que o bello sexo desta linda Veneza
mais ostenta a riqueza de suas toillettes ; e co-
mo ja recebossem pele paquete Trancez diverso
E com as senhoras.
A Magnolia, a raa Duque de Caxias n. 45, par
.icipa ao bello sexo que acaba de receber da Eu-
ropa, um completo sortimento de artigos de ulti-
ma moda, e como acha desaecessario fazer am
enfadonho anuuncio, por ja ser bastante conhe-
cida, e caprichar sempre em ter bons correspon-
dentes, sendo a primeira qne apresenta o qae ha
de mais moderno e por precos mui razoaveis, por
isso limita-se a descrever somente o segainte:
Settas doaradas.
Bicos de cores, tanto de seda como de guipure.
Leqnes dourados, de madreperola, marlim, tar-
taruga, osso, ete.
SuiiiiiaH de baile.
Preaentea. diversos artigos proprios para pre-
sentes.
GoUntaas e punhos.
uanual para missa, com capa de madreperola,
tartaruga, marlim, velludo, etc.
Sapatinlios de setim para baptisado.
Camisas bordadas para senhoras.
Lisas de seda.
Franjas mosaicas.
Adereros de tartaruga.
Voltas' de madreperola.
PulseiraS de madreperola.
Lindas flores para cabeca.
Boip.au de velludo.
Pes-ruiuai'ias dos melhores e mais afamados
fabricantes.
CbnproM de sol para senhoras.
Fitas de velludo de todas as cores e larguras.
Moscas.
Quereis livrar-vos destes malditos insectosf com-
prai uma machina de matar moscas par 3*000
na Magnolia, a rua Du^ue de Caxias n. 45.
Calvice.
A Magnolia, a rna Duqae de Caxias n. 43, ven-
de o verdadeiro Vigor de Ajer, qne impede a
cahida dos cabellos.
Sardas epanos.
So tem sardas e panos qu?m quer; porque a
Magnolia, a rua Daqne de Caxias n. 45, tem.para
vender a verdadeira Cuticuleria, que faz desappa-
recer estas manchas em poucoa dirfs.
Grande descoberta
Curativo das molestias do
peito pelo
Varope de salphUo de soda
A. BiilWET
Este importante medicamenio qua acaba de ter
reconhecido pelos distinctos Drs Zalloni e Paras-
chevas como um verdadeiro .--pecrflco contra a
phtysica, segundo proraram nos grandes name
ros de casos por elles exnerimentados, como se vd
na sessao da a:ademia de Paris de 24 de marco
do corrente anno, eneontra-se unicamente no
Deposito da pharmacia e drogaria
de
Bartnolomeoi A C.
N- 34 Raa larga do Rosario N. 34
Vendts?, dnas Prt83 de uma casa terrea,
sua a rua \elba n. 79, com mnitos bons commo-
dos : a tratar a raa da ConceijJo n. 60.
d'entre elles que se tornam mais recommendaveis,
esperando do respeitavel publico a costumada
concurrencia.
Adere^os de tartaruga os mais lindos qne teem i
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e d i
velludo, sendo diversos tamanhos e baratos pre-'.
os Cambraia transparente, noa, a 3* a pe^a.
Aderecos completes de borracha proprios para i!!^'*!^3' Ji*?0?^ V6^.,.
lato,tambem se vendem meios adereos muito bo- &*&H!2ffiSX&% \ }*"; $ Ta"
,,1^ Y Brim branco dehnho a 1*400 a vara.
covado.
Ditas pretas com flores a 200 rs. o covado.
Cambraias braocas, bordadas a abertas, fazanda
mais flna que tem vindo ao mercado, e fazenda
de 2*0C0 o metro, por 1*000 a vara ; e pe-
chincha.
rua Duque de Caxias n. 63, a qual acaba de rece-
ber os seguinfs artigos de luxe e inteiia novida
de :
Modernas settas para prender os cabellos
Pritncrosos leque9 de phantasia.
Booitas sahidas de bailes para senhoras e meni
nas.
Interessantes gravatas para senhoras.
Bfegantes faehas de touqnim.
Bons aderec/os de madreperola.
Delicados aderecos pretos de pufalo e borracha
(gosto novo).
Botoes de setim preto e de cores para ornato da ^^^^**l^'l!^^^,,*i,
Midos de senhora : tambem tem nara collate Madapolao francez verdadeiro, 24 jardas, a 6* e
7* a pec a.
Algodao T, largo e superior, a 5* a peca.
GurgorSo preto de seda para vestido e pat a collete
a 3* o cevado
Toalhas grandes a 4*500 a dazia.
Colchas grandes a 3* uma.
Lencoes de bramante a 2* um.
e3tidos de senhora
nalitot
Bolsas para senhoras, existe um bello sortimen-
de seda, de palha, de chagrim, etc., etc., por
barato preco.
Boaecas de todos os tamanhos, tanto de Ioucj
como de e.'ra, de borracha e de massa ; chama-
mos a atlencio das Exraas. Sras. para este artigo,
Cobertas de ganga, forradas, a 2* e 3*.
pois as vezes tornam-se-as criancas um pouco im^; ?*-" -i"- ?-h,T
MvtiSMitM nor falta de nm nfiieptn mi a U en-. Len5?s.de. "ho> ?banhados
pertinentes por falta de um ob)ecto que as en
tretenham.
Cami9as de linho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem-se por preco commodo.
e em caixinhas a
3*300aduzia.
Ditos de cores a 3*500 a duzia.
E ouiros muitos artigos por precos barati3Simos.
Z^^M^JeV^^T^ pre- j % %* ^ *V W das 3 porUs. Dao-
03.
Caixinhas com musica, o que ha de mais lindo. (^nrf*a riA Pfl com disticos nas tampas e proprios para presen- vyu* tc
te
Coqnes os mais modernos e de diversos forma-
tos.
Chapeos para senhora. Receberam um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas. t do, fazeada qae sempre se veadeu a
e 6#000.
Na loja do Pavao, vende-se cortes de ca-
semira para calca a 49, 59 e 6#000, dhos
muito lira sJe umas6cdr cam listras ao la-
9#e
Calcas bordadas para meninas. 1100000, liqui Ja-se a 0^000 para acabar :
Entremeios esumpados e bordados, de lindoi ^ rua da Imperatriz n, GO, de Felix Pereira
desenhos.
Escovas etectricas para dentes, tem a proprie-1
dade de evitar a carie dos dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, existe am
grande sortimento de divercas larguras e barato
preco.
Fitas de saria. de gorgnrao. de setim e de eba-
mpif.t.9, de diversas larguras e fconitas cores.
Faehas de gorgurao muito lindas.
Ft r artificiaes. A Predilecta prima em con-
ervar sempre nm bello e grande sortimento des-
as flores, nao so para enfeite dos cabellos, como
(ambem para ornato de vestido de noivas.
Galoes de algodao, de li e de seda, brancos, pre-
os et de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Laeos de cambraia e de seda de diversas cores
para seabora.
, Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, com capas de madre-
Eerola, marfim, 6s=o e velludo, tudo que ha de
om.
Pentes de tartaruga e marlim para alisar os ca-
bellos ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de madre-
da Silva.
Esta se acabando
E garanle se a boa qualidade do vinho paro das
quintas do Lima, des nms da Bcira, superior
ad da Figueira, e so se encontra no ai mazem de
Jose Feruandes Ljma & C, a rna co Barac- da
Victoria n. 3, seus successores.
Laazinhas baratas.
Na loja do Pavfio, pa-a liquidar, vende-se
uma pJtf^ao de laazinhas de cdres para
vestidos, tendo de 320 rs. para cima ; as-
sim como ditas com listras de seda muito
boriitas a GiO rs. o covado ; alpacas de co-
rts, cum lisLras de se cima : & rua da Imperatriz n. GO, de Felix
Pereira da Silva,
Aproveitem
0 PARIS N'AMERICA, a rna Daqae de Caxias
n. 39, primeiro andar, esta vendendo calcado pelos
segaiutrs precos:
Botinas de duraque para senhora a 3.500 reis.
Ditas de dito preto a 4,000 reis.
Ditas de dito com botoes ao lado, a 4,000 reis.
Ditas gaspeadas, cano alto, para senhora, a
5,000 re s
Ditas de pellica, iagleza, a4,000 rels.
Ditas de duraque bordado, para senhora, a
5,000 reis.
Ditas de duraque, de cores, para meninas, a 3*.
Em quanto e tempo
aproveitem.
Cal
Na rua Direita n. 14, vende-se novissima cal ds
Lisboa da ultima chegada.
Penteados
Cura dos cstreitamento d'ureira
pela facil applicarao das
S0NDAS OLIVAES
DE
GOMfflA ELAST1CA
As mais modernas e aperfeigoadas de todas
as conhecidas
Yendeittrse
NA
PHARMACIA E DROGARIA
DE
Bartholomew & G.
34 Rua larga do Rosario 34
E' eoonomioo.
Graxa glyceriaa propria pawf a coaservacao: do
perola, marfim, 6sso e donrados por barato preco., cordovio; yeado a JnOVA ESPEBjANCA, a rna Du-
de nova inven^ao.
Com. um penieado destes pentea se uma senho-
ra em dous minutos, e acha se decentemente
penteada para um soiree, nm baile, assistir ca-
samento, e para ser noiva tambem : vende se pe-
lo basatissimo preco de 255 cada am, e so na ca-
sa de Odilon Duarte & Irmao, rua da Imperatriz
n. 82, primeiro andar._______________________
Para o fabrico de chapeos
A NOVA ESPERANCA recebeu o arame proprio
para armacSo de chapeos.
Perfnmarias. Neste artigo esta a Predilecta bem
provida, nSo so em extractos, como em oleos a
'banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray, Gosnel e Rimel ; sao indispensaveis pan
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commodo
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados .para-bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta nm bonito sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
me para entrada de saias.
Vestimentas para, baptisado o qne ha de melber
gosto e os mais moderno f recebeu a Predilecta
de or ar&to preco, para flcar ao alcanoe
qualquer bolsa.
que de Caxias n. 63.
Bngenhos em Mamam-
guape.
Veade-se os legnintea:
Bfemi,
l*rc;uif,
e Patrlcio.
A tratar com seus proprietaries nesta cidada
e para informacoes com Joaquim Pinto de Mei
relies Filho na mesma cidade de Mamamgnap*
3so irmsos 4 C.
Para qualquer servico
Assemblea do Commercio
Rua do Commereio n. 22
Meira i Lima
Os proprietaries avisam a seus fregnezea qae
teem para vender o seguinte :
Cinco minutos da atteacao
Doces seccos e em calda
Empadas de camarao
Plambres prep'arado
Salame de Lyon
Tudo bom.
Bolos inglezas
Fructas preparadas
Vinaos shperlofes
Cerveia gelada
Pndo bom.
0 bom cafe deMoka
Petiscos e bons boeados
Na assembled
Se serve com agrado,
Tndo bom.
Bohnhos para cha
Pudins, paes-de-16
Charotos da Bahia
E Jogo de domm6.
Os donos deste estabelecimento avisam
Vende-se
Uma pro.priedade a* margem da CamWa
dos Remedies, contendo barro para toda e
qualquer obra, com uma grande olaria,
casa de vivenda e tres viveiros com peixas.
Promette-se fazer todo e qualquer negocio :
a tratar com-Delfim Lins CaTalcante Pes-
soa.
Ceroulas e camisas*
Nti kqa do- PavSo, vende-se ceroulas fcan-
cezas de todos os tamanhos para homem a
UWOO, e ditas de linho a 2&0O, 20500
3tf000.
Camisas brancas com peitos de algodao,
fazenda lina e por estarera um pouco en-
xovalhadas a 20^000 a duzia, on a 19800
cada uma, ditas com peito de esguiao de
linho a 39009 e 39500 cada uma, dttaa
com peitos e punhos da cdr a 29000 a
29500-t a ro da Imperatriz n. 80, d Fe*
lix PBreira da Sttva.
VENDE-SE
um sobrado era caixao e uma casa terrea, sito a
rua da Sole Jade ns. 2 c 1: a tratar na mesma
raa n. M, das :; as G da .rl"._________________
IP** Allendri!...
A corrfeit-ria do Campos, slfa a rua do Impera-
dorn. 24, unico estabelecimento deste genero Bes-
ta provincia, proporciona aos habitantes delta as
maiores vantagens
Se
E se nao vejam
quizer tudo quanto e
uma pessoa
cossario para
Um casamento
Cm baptisado
Uma partida
Um cha para vis i las
Um lunch
Um lauto jantar
N4o tem mais do que ir ou mandar &
feitaria do Campos, rua do
Imperador n. 24
Alii tambem
ne-
Botoes de aeo para ves-
tidos.
Na raa Duqae de Caxias n. II I, se encontrnra
os procurados botoes de ac<> e d; metal para ves-
lidos e casacos de senhora e de meaiaas e P^r
, pr*-g>.'S mais fcaratcs do qne cm outra paife:
Vende-se nm pequeno itio com duo' cazi-
nhas de taipa, cobertas de tolha, tendo uma del-
las 2 quartos, sata da frente e d-. jantar, e cozi-
nha fora ; e a outra i quarto, sala da frente e
de jantar, com 07 palmos do freule n de fundo
460, no Iugar do Arraial, perto da estarao da Casa
Amarella : a tntar na rna da Palma n. 100.
Liquidaeao de roupa feita
_Na loja do Pavao liiuida se crna grande por-
( cao de roupa para homen? e meninos,con:o Si-jam:
; calcas de casemiras pretas e de cores, para todos
I os precos e onalidaoes ; ditas de brim o'c Aa-
. gola para differentes precos ; ditas de brimd-^
i cores, pardos e brancos; paletots saccos, eaaaeoa
e fraks de panno preto o de casemiras de cores;
coletes de todas as qualidas, por prejos bar.i-
tissrmos, assim como grande pcrrao m can isas e
' ceroalas por menos 3 Oio do seu valor jo para
j acabar : a rua da Imperatriz n. CO, de Felix Pe-
reira da Silva.
Chapeos para senhora.
I A loja da Passo, a rua Primeiro de Marco n.
7 A, recebeu um rieo sort mento de chapeos
para senhoras, pretos e de core-;.
"PAKA LUTO
Vende-se chitas iDglezas prelas com \ Mas a
con- 200 rs. o^covado, dita franceza mni Dna. tanto lisas
como com pintas de 320 rs. pars cima ; cantaj
preto a 800 rs. e muito i no a 1,0,0 rs ; bomba-
zinas, princezss e alpacas de todos os preco?;
e enearregam de bouquets, flores lilinh prela, |isa3 ^ 40Q m ^ ^n
e folhas para casamento : assim como, de doces
de todas as qnalidade3
para embarques, e tem
sempre preparados fiambres inteiros e a retalho,
pasteis de diversas qualidades, empadas de cama-
roes e de came.
De ludo que alii se vende, garante-se a boa
qualidade, limpoza e promptidao.
Enfeitam-se ii mbres, bolos, paes-de-16 e ban-
deijas, tudo por precos razoaveis.
AULalegrase a vista e satisfaz-se as exigencias
od paladar.
S6 na confeitsria do Campos
como uma grande porjao de reialhos tanto do
chitas preta* como da las, que so vendem p ir
precos baratissimos ; tambem uma grande por$ao
de chales preto- de las a 1,000 rs. porestarem uiu
pouco russos : a rua da lmperatiiz n. CO, de Fe-
lix Pereira da Silva.
Sobrado.
Novidade!!
Venham antes que se acabe I
Madapolao francez fino a 3*200, 5*000, 6* e 7J
a peca. i
Dito inglez, fino, a 3*500. 4*, 4*800,5*000 e
5*500 a peca.
Algodao bom a 3*500, 4^000, 4*500 e 5*000
a peca.
Chitas claras e escuras, a 240, 260, 280,300 e 320
rs. o covado. t
Ditas trancadas, fina, a 280, 300 e 320 rs. o co-'
vado.
Las japonezas a' 200, 220 e 240 rs. o covado.
Sapatos de chariote e de casemira, para homem, i
a 2*. i
Dito de dito, para meninos e meninas, a !*800. ,
Chapeos de todas as qnalidaaes, para homem, a
2* 2*500, 3*, 3*500 e 4* nm, e para menino a
1*800 am I
Collarinhos de linho a 2* a duzia, e de papel a
200 e 240 rs, a duzia.
E ontras muitas fazendas qae se veade com 30
por cento menos de sea valor, na raa do Livra-
mento n. 30, loja do Lima Continho & C.
Vende-se em nm.* das melhores ruas des-
ta cidade, nm sobrado em bom estado : a tratar
na rua do Barao da Victoria n. 69, taverna, oa
na praca do Gonde d'Eu n. 17, taverna.
Salsa-parrilha do Para
Tem p3ra vender Antonio Luiz de Olivira Aze-
vedo, no seu escriptorio, a rua do Bom Jesas nu-
mero 57.
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANQA vende papel de linho
proprio para cigarros. de diversas largura?.
VENDE-SE
Na rua do v"igario n 1% vende-se o seguinte :
Cimento de Portland, em primeira ma>.
Vinho do Porto, engarrafado, finis3imo, em cai-
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglez em caixas do duzia.
Vinho Collafes em an?oretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grume, idem.
Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios para senhora, ( ultima
moda) : a Magnolia a raa Duque de Caxias n. 45
e so quem tem.
Pap
ai, mamai.
Como sao lindas as bonecas de cera qae cha-
mam papai, mamai, choram, andam, etc. So na
Magnolia a rua Duqae de Caxias n. 45.
Gaiolas, gaiolas.
A Magnolia, a rna Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu gaiolas de arame de lindissimos modelos,
proprias para passaros ; a ell is antes qae se aca-
Luvas brancas
de Jouvin : a Magnolia, a rua Doque de Caxias
n. 45, e so quem as tem fressas.
Para senhoras
Como sao lindas e modernas as gravatinhas qne
a Magnolia, a raa Duqae da Caxias n. 45, acaba
de receber I
Sedinhas a 1#500 o covadQ.
Venham antes qne se acabem ; na loja do Passo
ami' de-Marcen. 7 A.
Fnstao.
FustSo branco para roupa de meninos a 500 rs.
o covado; e pechincha: na raa do Crespo a.
20, loja do Guilheerm & C.
n.....oa na rua da Imperatriz n. 60.
Armazera daAsemblea.
lANnM arandeia# de vidro
paragaz
Na grande ex-posieao da rna do Imperador n.
35, junto ao escriptorw da coropanhia do gaz, ven-
dem se os mais bonitos e modernos lustres e aran-
delas da-vidro para gaz, asskn como tudo o mais
3oe se torna necessario para esse fim, sendo todo
os melhores fabricantes quo ha na Inglaterra. Os
precos sao mais baratos do que em outra qualquer
pane, e com a vantagem que 6 o dona do esttfce-
leciraenlQ mandar assentar os lustros ou arande-
las no Ingar que o comprador quizer, sem que para
isso pagae alguma coasa. Tambem se compra on
troca se lustres e arandelas ja usadae, mas qne
estejam em estado de poder servir.__________
Cal de Lisboa
Vende-se cal de Lisboa : na praca do Corpd
Santo n. 17, anaar. oscriptorio de Joaquim Ro
dngaes Tavares de Mello.
Cokhas para camas
Na loja do PavSo vende-se colchas de fustao
brancos, para cama a 2,500, ditas de dito de cor
a 4,000, cobertas de-chita e de ere tone, de 2,500
para cima e ditas de metim escarlate forradas com
madapolio a 5,000 : a rua da Imperatriz n. 00,
de Felix Pereira de Silva.__________________
E' com as noivas
A NOVA ESPEBANgA, rua Duque de Caxias n.
35, acaba de receber boas meias de seda proprias
pm noivas, e os apreciaveis ramos de larangeira
Aos menims
A NOVA ESPERANCA, a rna Duque de Caxiaa
n. 63, acaba de receber um bom sortimento de fl-
nas bonecas qne'fallam, que riem-se e choram;
tambem as tem mudas e sardas ou surdas-mudas
venham ver se nio e verdade.
Grande liquidaeao.
de miudezas e chapeos: no novo Bazar, rua do
Marquet de Olinda n. 83.
as desejadas lazinhas a 200
rs. o covado.
Rua do Queimado n. 43.
(Defronte da loja de chapeos da Pracinha )
Lazinhas a imitacSo de seda com riqaissimos
padrSes a 200 rs. o covado. So o 43. Dio-se
amostras. Venham antes que se acabem,
CALCADOS
2
Chegou para on. HI, rua do Duque de Caxias,
um completo sortimento de botinas e sapatos de
entrada baixa, de duraque e chagrin, para se-
nhoras e memn.-s ; borzegnins de pellica.. ede
bezerro, para meninos; chiquitos de lustre e de
chagrin para criancas ; e mais ontras qualidades
de calcados, tudo mais barato do que em outra
parle.______________________________________
I JMlQitO
As almofadas bordadas de la matlsadas que re-
cebeu a Nova Esperanra, a rua Duqae de
Caxiaa-p. ** ___________________________
Polassa da Russia
Domingo* Alves Uatheus, a rua do Vigario a.
5, tem para vender superior potassa da Ruisia
em barris de 25 kilos, por preco modico.
Aos nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber aqtjel-
tes milagrosos anneis electricos, cura infallivel doi
nervosos.________^_____________ .
Para concertar meias
A NOVAESPERANgA, a rua Daqae de Caxias
n. 63, recebeu desta necessaria linha. ^^^^^
Vende-se um sitio na Capnnga, ma da Bai-
xa Verde n. 14, com 81 palmos de frente e 300 de
fundo, ccm uma casa, e bastantes arvoredos : a
tratar na mesma.
Bramante para lenc6es
a 1#800 2JO00 e 2|500
Na loja do Pavao vende-se superior bramante
para lencoes, com 10 palmos de largura, qae ape-
nas precisa de 1 vara 1/4 para um lencol, sendo
de algodao a 1,800 rs. a vara, dito mais eu-
corpado a 2,000 rs., dito de linho paro a 2,500 e
2,800 rs.; assim como atoalhados superiores, tan-
to de linho como de algodSo, porprecos muito em
conta, e pecas de algodSozinho para lencdese toa-
lhas, tendo de 4,000 rs. para cima : a rua da Im-
peratriz n. 60, de Felix Pereira da Silva._______
Pesos e medidas.
de Hswkes&C., a raade
Vende-se cm casa
Bom Jesus n. 4.


w9m
Diario do Pernambuoo Sexta feira 18 de Setembro de 1874.
I

ASSEMBIEA GERAL
CAMARA DOS DEPUTADOS.
OnCAMENTG DO IMPKKIO.
(Continuagao).
Em 1873 uma lei especial n. 875 de26
de abril nutorisou o presidente da provincia
a mandar abrir os cauaes da Sarangonba e
doSangrndouro, da lagoaMirira, com a lar-
gurn, profandidade e corapriinento indis
pen-avais as navegagdes respective ; e, es-
tabelecerido os meios polos quaes devia ser
feita esta "bra, deo ao presidente a faeulda-
de de eff-ctuar successivamente as opj,ra-
goes de credito necessarias para haver ale
6000:0025100. E quer V. Exc. saber, Sr.
p'esi lento qua! era a intngao da assem-
bles provincial ? Na lei do argamento do
mesmo anno, dat ida de 5 de oiaio e sob
n. H82, decretou o seguinte :
Art. 1/jO presidente da provincia e au-
ton^aln a lopender no exercicio de 1873
1S74.. 15. Juros a quo estd obriga-
da a fazeuda provincial por sua diyida,
pelosttulos de credito da introduced) de
co onos, pelo empreslttno que contrahir
para as obras da Sarangonha e do San-
gridouro o pela garantia concedida a Cora-
panh a Hy iraulica do Rio-Grande e Pelotas
ed estrada de ferro do S. Leopoldo ........
180:000^)00.
De modo que, em 1. lugar, as autorisa-
O&es para execugao de obras durarn tres an-
nos pela lei de orgamento de 1871 ; em
segu do lugar, a lei do orcamento de 1872
manditu fazer as obras de quo so fall"u ;
em 3." lugar, uma lei especial do 1873
mandou tazor as mesmas obras estabr-leeen-
do o mod porque devia o presidente da
provincia procede:, e a lei de ornament"
Jo mfsmo anno providen :iou para que se
pagassom os juros da quantia levantada por
empresti'uo com a qual o presidente hou-
vesse de Inzer as obras.
0 Sr. Florencio de abrei :Veja V.
Exc. as dUposicoes transitoriis.
O Sr. Mimstro do Imperio : -Sao as se-
guintes as que tem relagao com o objec-
to:
Art. 3. Fica o presidente autorisado a
abrir ereditos supplemental e extraorlina-
rios a e a somma de 600:0009, uos seguiu-
tes casos : 1, quando as q antias nutadas
n despezas a que sdo destinadas, e houver
urgente necessidade do satisfaze-las; 2\
p ra pagar a divida publica provincial.
1.* Esta faculdade so p derd ser
exercida quando nao estiver rrunida a as-
sembled provincial.
2. Se, porem, estiver reunida a as-
sembej, nao poderd o presidente da provin-
cia abrir os referidos creditos nem autorisar
a despoza sem que e!la seja previaraente vo-
tada em lei.
i." 0 credito sera aberto por ado
que sera pub icado no joroal official.
Art, 4. Fica o presidente autorisado a
realisar operagocs de credito, se as neces-
sidades do tbesouro provincial o exigirem
ate a nnportancia do credito de que trata o
art. 3.
Art. 7." Fora dos casos moncionados
nos arli^os antecedentes e sem as formaii-
dadns am prescriptas, nao podera o presi-
dent*, sob pena de responsabilidade, forne
cer fundos, nem dar ordem para despeza
que nao tenha sido centemplada nesta lei,
ou que exoe la ds quantias nella cousigna-
das.
Assim ve-seque, tendo sido em lei especial,
e em lei de orcamento, autorisrda uma despe
za especial, dando se meios especiaes de oc
correra esta, e chegando-se a providenciar so
bn- osjurosdoemprestimo asdisposicoestran
sitorias nao so referem dquella despeza, mas
a outras que podenam sobrevir, e para estas
autorisaram com certas clausulai o presi-
deiite da provincia a abrir os creditos ex-
Iraordinarios e supplemental necessarios
ate* a importancia de 000:0009.
Des a autorisagao nao poderia o presiden-
te da provincia usar senao pelos meios fixa-
dos na lei ; mas e claro que nestas d spo
Sicdoa nao so pode comprehender o que esia
estabelecido por meios especiaes e para uma
certa e determinada.
0 Sr. Florencio dk Abreu :Nao se
confunda ; o presidente levautou impos-
tos estando reunida a assemblea provin-
cial.
0 Sr. Ministro do Imperio:Os impos-r 0 Sr. Martinho Campos :0 equivoco
tos de quH se falls, levantados pelo presi- de V. Exc. a este respeito estd em suppor
dente da provincia, sdo exactaraente aquel-1 que S. Alteza tem direito a compensagao.
les qua a lei citada de 1872, no art. 5 Desde que Sua Alteza recebe o dote, tudo
6, tinha autorisado a levantar. j ma is reverie a" nacio ; e isto clausula ex-
Os creditos para outras despezas ordiaa- pressa no contratodo casamento.
rias e previstas no orgament) sao os que 0 Sr. Ministro do Imperio :Eu expli-
nflo pixliaui ser abertossenio quando a as-'co a V. Etc : era uma questao importante,
semblea provincial estivesse encerrada. Em'e sobre ella quiz ouvir a seccSo competente
todo o casoahi tem s > que dispde a legis-jdo conselbo de estado ; de accordo com o
la^ao da provincia do Rio Grande do Sul:' parecer deste, sub;netti a questflo & camara
a camara ajuizara se o presidente daquella'par* que faca o que em sua sabedoria en-
provincia, procedondo do modo que tenho tender. 0 certo 6" que, em virtude da re-
exposto, iufringio a lei; eu couservo a "soIuqSo toraada pelo governo, de negar a
convcgSo de que olle procedeu regularmen-'SS. AA. oiSrs. Condes e Condessa d'Aquila
te. (Apoiados.) licenga para continuarem a residir na Eu-
0 Sr. Florencio se Abreu : Mao apoia- ropa, cossa a dotac,ao, e ha de ser pago o
do. jdote. Resta uma duvida, e 6 se o Sr. D
0 Sr. Ministro do Imperio : Perguu-.FUippa, que veio para o Brasil quando era
tou-me o nobra deputado se eu considero!aindi menor, e quando sous ajgustos pais
constitucional urn governo do provincia em [eram consiierados principes brasileiros,
perdo o direito que jd tinha adquirido.
cSo realisada e acabada. Mas nao 6 tal se^elle consultou sobre ado de sua competen-
a respecliva assemblea legisla-
luta com
tiva.
Sanhores, ado vej > item nos nossos pre-
cedeotes, nem na no>sa bistoria politica,
nem en alxuma disposicao de lei, porque
se deva eutender qua a assemblea provin-
cial exerce para com o presidente da pro-
vincia a mos'Urt accao qu i o parlamento
a-:arco para com o mioisterio, isto e, que s6
snja prosi'lonte da provincia o cidad&o que
mereca a coatianga da assembles provin-
cial.
Isto nao e questao constitucional, omo o
nobre deputado o quiz fazer. E agora vem
a pello dizer ao uubre deputado que nas
Republicis mais adiantadas", nos Estados-
Unidos, por 0x9 nplo, typo do regimes, de-
mocratico, e tambom nas Republicas do
Prata, os ministorios no dependem de mo-
do algum ilas camara> legislatives.
0 Sr. Martiniio Campos:Mude V. Exc.
a nossa.fonm >'e governo.
0 Sr. Mimstro do Imperio :Nao, se-
nhor ; o quo eu quero mostrar 6 que se
pdde comprehender perfeitamente uma as
senblea provincial em luta com 0 presidente
da provincia, sora que isto determine a de-
inissio desse presidente. So a assemblea pro-
vincial liver motivos justos contra 0 presi-
dente estes motivos servirao, seguudo a
apreciacSo do governo, para demitti-lo.
No caso vertiMite o governo uao poJe ter
na provincia do Rio-Grande do Sul senao
urn presidente coose vador, porque a sua
politica e couservadora ; querer que, por ser
liberal a assemblea daquella provincia, se
mande para alii como delegado do governo
conservador um presidente liberal, parece-
rae que e uma pretengao inadmissivel.
(Apoiados e apartes)
Sr. presidente, o nobre deputado pelo Rio
Grande do Sul perguntou tambem : 1, se 0
FOLHETIM
JOANNA
UM J0G0 DE PAIXOES.
:P0R
George Sands.
(rRADUcgao de x. x. x.)
PARTE PRIME1RA
I
(Continuagao do a. 211.)
N'estas circumstancias 0 amor a* locomo-
cao e a"s aventuras amparava-se de mim, e
eu deixava as nossas risonhas colinas para
im>rnar-me 0 clevar-me aos 'sitios mais sel-
vagens e mais perigosos, acompanhando os
Cafadores de ursos e de cabritos-raontezes,
ab;indantcs ainda, n'esses tempos. Tambem
era para mim um prazer acorapanhar os
goias quo dirigiam os naturalistas as ruinas
de Rulando, ao Monte-Perdido, A torre
Mallet, aos circulos do Marbore" e de Trou-
modse, e aos Montes Maid itos, etc.
D'est'arte foi que toraei gosto pelas scien-
ciai naturaes, que entrei & estudar com
ard ir logo que regressei A I'au.
Meu pai nao s6 me dava liberdade para
p&r;orrer a montanha, mas tambem me pro-
tegia contra as suaves reprehensdes de mi-
nha m5i, que, inquietandose com as mi-
nhas longas escursoes, receiava que n'esse
des^nvolvimento de actividade physica, 0S.0
so mo iosse 0 gosto pelos estudos, contra o
quo alids eu a tranquilisava, asseverando-
lue a minha dedicacSo aos trabalhos intel-
le-jtaaes.
E 0 que e facto e que todos os annos eu
obtinha diversos premios, e que meus com-
panheiros deestudos, que me viam sempre
a lor e muito occupado com assumptos es-
traiihos ao programma dos nossos estudos,
mostravam-se de ordinario invejosos da fa-
cili.i.de com que eu os apanhava nos tra-
tulhos, quando se approximava a 6"poca dos
exames ; e s6 me perdoavarn essa facilidade
em attoncao a bondade do meu caracter, e
pjrqua, como diziam, se eu era forte como
um touro, em contraposicSo era docil e
njanso como um cordeiro.
coutrato matrimonial de S. A. 0 Sr. Duque
de Saxo tiuua sido submettido & approvagao
do poder legislative ; 2, porque ha de fi-
gurar no ornament', a vorba de 75:O00J)
para dotagao de Sua Alteza.
Recordarei a* camara que 1865 foi apre-
sentado ao corpo 1-gisUtiivo esse contrato
matrimonial pelo ministro dos negocios es-
trangeiros dc entao, e sobre elle houve dis-
cussao em que tomou parte 0 nobre depu-
tado por Minas-iieraes. A camara, pois,
tem conbecitnento desse contrato.
Quanto ao motivo porque figura na lei
de orcamento a dotacao de 75.0009, ros-
pondo que 6" uma disposicSo clara e explici-
ta da lei, que peco licenja a camara para
ler.
Sr. Martinho Campos:Apoiado;
houve lei autorisando.
0 Sr. Ministro do Impsrio :A lei
n. 1,2..7 de 1 dejulho de 1864, que esta-
beleceu a dotacao de SS. AA. Imperiaes
quando bouvesse de realisar-se seu consor-
cio, declarou que ficariam em vigor as dis-
posicoes da lei n 166 de 29 de setembro
de!8i0 com algumas alteracoes; e uma
disposicao da lei de 1840 que nao foi alte-
ra.ia e a seguinte : Art. 2. 0 esposo
que sobreviver ao outro, continuari a per-
ceber a metade da referida dotaQao, em quan-
to residir no imperio, ou se se ausentar com
iicenc,a do imperador.
E' 0 caso em que esta" S. A. 0 Sr. Duque
de Saxe. Assim a dota^Io que figura no
orcamento acha-sa ahi em virtude de dispo-
sicao terminante da lei. A respeito deste
ponto e quanto me basta dizer. (Apoia-
dos )
_ Em relacao a Sr. D. Januaria, Condessa
d'Aquila...
Opinions muito respeitaveis do conselho de
estado entondem que elle deve ser mantido
como principa brasi eiro, com todas as re-
galias ; 0 e tambom esta uma questao que
ha do ser resolvida pelo poder legislative
Senhores, do discurso do nobre deputado
pelo Rio-Grande do Sul, re ta-me responder
a observa^ao fiual, e e: que eu nao me des-
vaire pola posigaj de ministro, que n3o te
nba orgulho nem amor proprio, que seja
docil e ce la a todas as indicates da jus-
tiga.
Eu, Sr. presidente, nSo me accuso de
ter tido nunca orgulho por esta posicSo tran-
sitoria de ministro, em que, se procuro ser-
vir ao meu paiz, todos os dias conhego o
mal que a mim mesmo faco., Nio tenho or-
gulho nem amor proprio, e o nobre depu-
tado e muitos out-os seus correligionanos
tem razao para saber se sou solicitoe apres-
sado em ouvir as queixas dos meus adver-
saries e em dar-lhes 0 remedio que me pa-
rece justo, mais ate, Sr. presidente, do quo
as dos proprios amigos, porque, se sou da
escola que diz que os favores sSo devidos
aos amigos, entendo que p >r issb mesmo, a
justica deve ser mais pura e mais escrupulo-
samente feita aos adversarios.
Agora, Sr. presidente, darei algumas in-
formacO^s ao nobre deputado pela Bahia
quo hontem fallou em ultimo lugar.
Quer 0 nobre deputado saber se e certo
que estf nomeado para uma missfio especial
em Roma 0 Sr. barao de Araguaya.
0 Sr. baroo de Araguaya esta" nomeado
nosso ministro era Roma. Nao vai em mis-
sao especial; mas, conveniencias do servico
ordinario da diplomacia determinaram a re-
morao do Sr. barao de Alhandra para uma
missSo importante e a reraocao do Sr. ba-
rao de Araguaya para Roma. Vai este no
mesmo caracter que ja* tem ha 6 ou 8 an-
nos, porque nSo p6de perier em sua cathe-
goria.
A respeito da convencao sanitaria de que
0 nobre deputado pedio noticias, dSo ha ra-,
z3o para 0 que S. Exc. disse, e foi com
tanta pressa aproveitado como meio de
acbar uma nova falta. Eu declarei ao no-
bre deputado que a con*engao sanitaria nao
era acto concluido. NSo e exacto que eu
tivesse negado.
0 Sr. Araujo G6es Junior :V. Exc. vo-
tou contra.
0 Sr. Ministro do Imperio :Votei con-
tra 0 requerimento, porque entendi que nao
devia dar ao nobre deputado c6pia de um
acto que ainda nio estava con:luido.
0 Sr. Araujo Goes Junior :Estd pu-
blicado em paiz estrangeiro.
0 Sr. Ministro do Imperio :0 que esta"
publicado em paiz estrangeiro e 0 resultado
das primeiras discussdes ; mas isto foi sub-
mettido aos goveruos que tomaram parte
na convengao, depende de decisio, ainda
nao foi approvado, nao e, portanto, um
acto concluido
0 Sr. Araujo Goes Junior :J4 foi sub-
mettido ao congresso do Prata para ser ra-
tificado.
0 Sr. Ministro do Imperio :Mas, repi-
to, nao e um acto concluido, porque 0 go-
verno do Brasil ainda nSo concordou com
nio pela aceitacao dos governos que nella
intercom.
Tambem me-perguntou 0 nobre deputado
0 que ha a respeito do Lazareto da Bahia.
S. Exc. disse que sem epideraiss 0 Lazareto
estd sempre aberto, fazem se despezas, etc.
As ultimas noticias que tenho do Lszareto
de Monserrate na Bahia sSo as seguintes :
ha via fobre amarella no porto ; 0 Lazareto
tinha sempre doentes, cuja numero variava
entre 15 e 30 ; quando havia maior nume-
ro, 0 presidente da provincia tinha alii dous
medicos: quando 0 numero descia a 15,
tinha um s6 medico.
As despezas avultavam e o presidente da
provincia, 0 Sr. Cruz Machado, propoz-me
a substituicao do medico director do Laza-
reto e indicou-me outro para realisar. urna
reforma e economies. Com effeito demons
trou-me que se fazia a despeza de 1208000
com cada um dos doentes, ao passo que
elle podia dar tratamento igual com a ta-
bella do hospital de marinha. Foi neste
sentido que se fez a reforma e eu nao pude
doixar de louvar o acto, visto que se tratava
de economias.
Ha ainda algumas outras observacoes do
nobre deputado, pelas quaes passaroi muito
rapidamente.
Perguntou S. Exc. 0 que pensa 0 governo
da administracao doSr. VTenaocio Lisboa.
Sr. presidente, quando 0 governo nomeou
0 Sr. Venaucio Lisboa ,para presidente da
provincia da Baha, estava convencido de
que olle era digno dessa commissao ; e ate
que factos mostrem 0 contrario, nSo p6de
mudar de opiniao. (Apoiados). Ja* ouco al-
gumas queixas : trato de apura-las, porque
nSo se dove julgar uma administragao pelas
primeiras iuformacdes. (Apoiados).
Nao posso, por ora, emittir a respeito do
Sr. Venancio Lisboa senao o juizo que deri-
va da confianca que elle me mereceu em
administragoes anteriores (apoiados) ; nao
posso julgar da sua administragao na Bahia
senao pelos seus actos. (Apoiados).
Mas disse 0 nobre deputado que eu estou
nesta collisSo, ou de approvar os actos do
Sr. Cruz Machado e assim rejeitar os do Sr.
Venancio Lisboa, ou vice-versa ; e raencio-
nou os actos relativos a uns collaboradores
da thesouraria provincial e ao inspector do
gaz.
0 Sr. Cruz Machado tinha nomeado tres
collaboradores para a thesouraria provincial
e tres para a recebedoria, porque havia
muitos empregados licenciados, uns pela
assemblea provincial, outros pelo presidente
da provincia ; fazia-se 0 langaraento da de-
ciraa, era necessario adiantar-se 0 trabalho,
0 possoal nSo era sufflciente, o presidente
langou mao de um meio administrativo mui-
to em uso, qual 0 de chamar temporaria -
mente, vencendo gratificacdes, alguns colla-
boradores.
0 Sr. Martinho Campos : Isto e muito
usado aqui.
P Sr. Ministro do Imperio : 0 que ha
de fazer um administrador, um ministro,
um inspector de alfandega, que tenha tra-
balhos atrazados ?
Ora, o Sr. Cruz Machado nomeou os col-
laboradores quando precisava delles : a ne-
cossidade desappareceu; o Sr. Venancio
Lisboa despedio-os. Onde estd a contra-
dicc3o ?
OSr. Araujo Goes Junior :Qual a ra-
zao por que desappareceu ?
0 Sr. Ministro do Imperio :Porque 0
servico estava vencido.
0 Sr. Araujo Goes Junior :A razaoe-
que o Sr. Cruz Machado queria accomrao-
dar esses afilhados.
OSr. Ministro do Imperio:0 mesmo
deu-se a respeito do inspector do gaz.
Havia dous inspectores : 0 presidente para
melhor fiscalisacao, nomeou mais um ins
pector; desappareceu a necessidade, o Sr.
Venancio despedio-o: onde estd a contra-
dicgao ? (Apoiados).
Disse 0 nobre deputado quo 0 Sr. Cruz
Mchado suspendeu uma lei que concedia
privilegio para uma fabrica de papel.
Ndo e exacto. 0 Sr. Cruz Machado su-
muito^^ mnortante^^ ^ C6rtaS COadloes J"}ou este negocio ao Sr. ministro da agri-
cia, sobre aexpedicdo da carta.
0 Sr. Araujo Goes Junior :Suspendeu
a execucSo, posso ler ate' 0 acto.
0 Sr. Ministro do Imperio : Quanto
ao Sr. Antonio Vicente da Costa, contra 0
qual pronunciou-se 0 nobre deputado, e* um
empregado que passa por intelligente : 0 Sr.
(>uz Machado entendeu que muito convi
n^a que elle fosse i-xaminar as colleclorias
provinciaes, do mesmo modo que 0 governo
geral manda examinar as alfandegas e as
inspectorjas por commissoesespsciaes (apar-
tes), visto que havia factos dignos de nota.
0 inspector da thesouraria geral tambem
julgou conveniente mandar examinar na
mesma occasido e pelo mesmo individuo as
colleclorias geraes. Agora quer saber a ca-
mara 0 que produzio essa inspeccdo? Fo>
ram recolbidos 16:000-9 na collectoria de
Santo Araaro e 32:0000 na de Cacboeira.
0 Sr. Ruy da Fonseca, de quem fallou 0
nobre deputado pela Bahia com elogio, elo-
gio que uao coutesto ; 0 Sr. Ruy da Fonse-
ca, que e influencia politica e collector...
0 Sr. Augusto Chaves : Homem de
bem.
0 S.\. Ministro do Imperio :... tinha
deixado de arrocadar 80:0000, importancia
de mancados judiciaes a que nao de>a
execugao.
0 Sr. Araujo Goes Junior :V. Exc. sa-
be como isto succede.
0 Sr. Ministro do Imperio : Em todo
o caso era uma quantia importante fora dos
cofres, e 0 presidente, mandando examinar
o que havia a este respeito, deu prova do
seu zelo administrative.
0 Sr. Carlos Peixoto: Isso abona 0
caracter do Sr. Cruz Machado.
11a outros apartes).
0 Sr. Ministro do Imperio : Ndo
contesto que 0 Sr. Ruy da Fonseca 6 digno
e honrado ; mas estava nessa falta.
0 Sr. Martin ho Campos :V. Exc. me
p6de inforraar se 0 presidente demittio os
collectors?
0 Sr. Ministro do Imperio .Demittio
o Sr. Ruy da Fonseca da collectoria pro-
vincial
0 Sr. Araujo Goes Junior : Separou a
collectoria provincial da geral, entretanto
9-e 110 seu relatorio opinou pela annexa-
cao.
0 Sr. Carlos Peixoto : Das pequenas
collectorias.
0 Sr. Ministro do Imperio : Resta a
ultima accusagdo.
0 Sr. Cruz Machado, estando autorisado
para reformar a instrucgdo publica, pensju
que 0 internato da Bahia, frequentado por
muitas alumnas, 9 que prepara professoras,
devia ter uma aula de piano e canto, 0 con-
tratou.um musico distincto para professor,
pela quantia de 1:0009. Sabe a camara
quanto a musica figura no ensino publico e
ate na instrucgao primaria. Em certos pai-
zes adiantados as escolas bem organisadas e
bem estabelecidas teem mestres de musica.
0 Sr. Cruz Machado, autorisado a reformar
a instrucgao publica...
0 Sr. Araujo Goes Junior :Sem aug-
raento de despeza.
0 Sr. Ministro do Imperio : ... en-
tendeu que convinha contratar um mestre
para ensinar piano e canto. Para um ho-
mom que tinha economisado, que promoveu
a arrecadagdo da divida da provincia, que
moslrou-se tdo moralisado na administragdo
(apoiados), e um grande crime ter nomeado
um professor de musica I
Sao estas, Sr. presidente, as accusagoes
feitas ao Sr. Cruz Machado.
Responde depoi calorosamento a algumas
phrases pronunciadas pelo Sr. Ignacio Mar-
tins no seu ultimo discurso sobre a materia
que se discute, e as quaes julga offensivas
de seu caracter de deputado.
Fundamenta a sua argumentagao sobre 0
extraclo do Dktrio do Rio na parte em que
refere 0 que disse aquelle deputado a pro-
posito do encerramento das discussoes.
Comprebendera perfeitamente 0 sentido
com que o Sr. Ignacio Martins dissera que
so os oradores deviam requerer os encerra-
mentos dos debates. E' 0 primeiro a re-
con hecc-r que ndo e orador; fallecem-lhe
para isso todos os dons.
0 Sr. Ignacio Martins, em aparte, diz
que o seu pensamentondo fora insinuar que
0 Sr. Anisio nao era orador. Empregdra a
phrase referindo-sa aos oradores que fallam
na materia.
0 Sr. Anisio, sem attender dquella expli-
cagdo, proseguio na mesma ordem de ideas,
mostrando-se visivelmente otTendido.
0 Sr. Ignacio Martins ueclarou entao e
ainda em aparte que se retirava do recinto,.
visto 0 orador querer continuar no erro de
sua interpretagao, argumentaudo sobre uma
falsa idea.
E com effeito o Sr. Ignacio Martins reti-
rou-se, e 0 orador continuou discutindo ca-
lorosamente a phrase ja citada daquelle de-
putado, e exaltando ironicamente os seus
meritos oratorios, que diz serem supenores
aos do Thiers e Erailio Castellar ; aos de De-
mosthenes, aos de Occounell, aos de Mira-
beau.
Levanta depois outra phrase do mesmo
discurso, aqu^lla com que 0 deputado pelo
2 districto de Minas dissera que para elle
muito importantes.
0 Sr. Araujo G6es Junior :Ndo estava
concluido, mas era publico.
0 Sr. Ministro doJImperio : Aquillo era
que os negociadoresconcordaram, dependen-
te da approvagao do governo, 0 nobre de-
putado quer por forga que seja uma conven-
em que
de deza-
preoccu-
meu pai
Se tal era realmente 0 meu caracter,
ignoro, visto como minha personalidade
nunca appareceu aos meus proprios olbos
senao como uma questao de stavismo, al-
gum tanto fatal e inconsciente.
De sangue paterno eu herddra a forga
physica, a confianga nos perigos, e 0 amor
das lutas, ao passo que de minha radi ou
do seus av6s protestaotes resultdra-me a
seriedade dos modos, a reflexdo, e a rigidez
de consciencia.
Por essa razdo e que tao raras yezes me
occorreu acharme em desaccordo comigi
mesmo quo, posso dizer, nenhum merito
me cabo pelo facto de ter sempre procedido
bem nas dif&ceis circumstancias
por ventura me acbei.
D'est'arte caminhei A6 d idade
seis annos, sem de modo nenhum
par-me com 0 futuro.
Evidenteraente os negocios do
prosperavara, visto como, de dia para dla,
augmentava 0 nosso bem estar, e eu jd ou-
via fallar de um dote de cincoenta mil fran-
cos para minha irrada, e de outro tanto
para mim, n'ura futuro mais ou rnenos
proximo.
Fallava-se tambem de se me mandar estu-
dar medicina em Montpellier, logo que eu
acabasse meus estudos no collegio.
Minha irrada, que estudava com perseve-
ranga e era muito piedosa, tinha a idea de
consagrar-se d educagdo de meninas, e tra-
tava de aperfeigoar se para obter 0 respec-
tivo diploma.
Ella ndo queria ouvir fallar de casamento,
e dizia que ndo desejava correrdhe os ris-
cos
Meu pai chamava d isso phantazia de
crianga, e minha radi, combatendo com
dogura semelhante ide*a, fazia-o sempre com
uma tristeza que sobreraodo me intrigava.
S6 no anno de 1838, durante nossa es-
tada annua na montanha, 6" que tive a
chavo do enygma qua nos envoi via.
Tendo partido certa manhda para uma
de minhas grandes escursoes, da qual s6
devia regressar na tarde do dia seguinte, eu
e meus camaradas fomos obrigados d voltar
n'aquelle mesmo dia, porque um espesso
nevo'iro tinha envolvido a regido que de-
viamos explorar.
Entrei c;n casa muito tarde ; e, pare-
cendo-me que todos jd se achavam deita-
dos, e ndo querendo despertar minha mai^
quetmha 0 somno leve e era madrugadora,
entrei para 0 meu quarto e deitei-me sem
fazer 0 menor ruido.
Achava-me fatigado e prestes d dorrair
quando percebi que meus pais fallavam na
sala de jantar, perto do tabique que me se-
parava d'elles.
Puz-rae d escutar e confesso que ndo foi
essa a primeira vez, e que nao tinha es-
crupulo de faze-lo.
Havia muito que eu me persuadira de
que devia sorprender-lhes 0 segredo, e que
esse segredo, que era meu pela forga das
cousas, e porque algum dia eu teria de
acarretar com a sua responsabilidade, devia
tornar-se meu por effeito da minha von-
tade.
Julgavam-me muito mogo para m'o con-
fiarem ; entretanto eu me sentia homem, e
capaz ndo sd de aceitar todas as suas con-
sequencias, mas tambem de por um termo,
por minha decisao e energia, ao doloroso
desaccordo que reinava entre os dous espo-
sos, alids ternamente unidos sobre todos os
demais pontos de vista.
Escutei, pois, como disse, e, tanto mais
convencido de que tudo saberia, quanto
ignorando meus pais que eu ali estivesse
era natural que fallassem sem rodeios e sem
reticencias, maxime sabendo que 0 quarto
de minha irmSa era situado mais longe e
que 0 criado dormia no pavimento inferior.
Entretanto era tal 0 habito em que esta-
vam de fallar baixo que, embora de nada
desconQassem, entraram a conversar A meia
voz. Ndo abstante, pouco d pouco, no ar-
dor da discussao, se foram esquecendo das
precaugdes, e aGnal ouvi tudo e muito bem.
Como? pois queres casa Io ? dizia
minha m5i. Estds louco ? E pensas faze-
lo antes destes dez annos mais proximos ?
Pretendo que seja d'estes cinco ou
seis annos ; respondeu meu pai. Eu nao
tinha ainda vinte e um annos, quando des-
posei-te I
Mas I...
Mas eu era muito mogo ; ndo e isso 0
que queres dizer ? Fiz loucuras, e com-
prometti 0 teu dote A culpa, porem, foi
tua, minha querida, porque quizeste que eu
praticasse 0 commercio regular, que, para
cultura, porque respeitou diversas resolu-
goes de consultas do conselho de estado, que
considerara inconstitucionaes semelhautes
leis. Quando tinha de expedir a carta de
privilegio, julgju conveniente consultar 0
governo geral: nao se trata, pois, da sus-
pensdo propriamente de uma lei provincial ;
Estou cangado, doente, e a hora estd pas-
sada. Terei occasiao de dizer-mais alguma
cousa ; devo ainda resposta aos nobres de-
putadosque sereferiram d questao religiosa ;
mas, em hora tao adiantada e no meu esta-
do de saiide, ndo poderei emmaranhar-me
em tal questao. Por isso ponho aqui termo
ds minhas observagoes, pedindo d camara
desculpa por Ihe ter roubado tanto tempo.
(Muito bem, muito bem. 0 orador e viva-
mente cumprimentado pela maior parte Jos
Srs. deputados presentes).
0 Sr. Pinto de Campos : Pronunciou
um magnilico discurso.
um ignorante como eu, ndo darn senao agua
para beber. Bebi muita I mas afinal dei-
tei-lhe vinho, e 0 erro estd prodigiosamente
reparado.
Ndo fallemos n'isso. Tomo i Deus
por testemunha de que isso foi contra a mi-
nha vontado;.... mas, repito, nao fallemos
n'isso.
Pois sim, ndo fallemos n'isso, com
tanto que me ames tal como sou ; mas ouve
a minha idea I Antonio Perez tem pelo
menos trezentos rail reales em dinheiro e ge-
neros, e a Manoela e tilha unica, e a moga
mais guapa das Hespanhas, como diz a
cangao. Estou certo de que 0 pai se daria
por feliz de ter por genro um medico, tanto
mais quanto isto sempre lisongeia pessoas
como nos.
.....Como 116s -.' Entao elle e um ho-
mem como tv, ?
Sim, e um dos nossos meihores asso-
ciados, um homem de ferro e fogo 1
N'sse caso, ainda que sua Glha seja
tdo Leila quanto dizes, ndo a quero para
meu tilho. E que idade tem ella ?
Quinze annos.
E' muito.
Como, muito ? Acaso ndo tens mais
dous annos do que eu ? E por ventura os
por isso mais feia, menos amavel e menos
amada ?
Cala-te, serpente negra; seessa me-
nina tem as tuas ideas, e por consequencia
as de seu pai....
Qual 1 ella nao tem nenhuma ide"a ;
nada sabe. E' como nossa Glha.
Onde estd ella, entto ?
- No convento, por isso que ndo tem
raAi. Estd sendo educada como menina
honesta e como boa catholica.
Ah 1 sabes...
Sei que isso, segundo pensas, nio 6"
um ponto essencial, Sra. Huguenote ; mas
a religido e-me indifferenle.
Desgragadamente 1
Tal vez. Tratarei d'isso depois, e tu
me has de converter ; mas o que e verdade
e que essa menina ndo podia deixar de ser
educada na religido do seu paiz e de sua fa-
milia ; eaffirmo-te que ella 6* bem educada,
e que u uma. verdadeira moga, por quem
estdo apaixonados todos os estudantes e ra-
pazes de Pampelune. Quando ella vai a
REFORMA ELEITORAL.
fir. Carneir da Cunha comega
por justiGcar a maioria no apoio que presta
ao rainrsterio, assegurando que ella ndo faz
0 sacrificio de suas opinioes.
orador as malarias estavam sempre encerra-
das, porque nunca assiste ds discussoes.
Ndo quer dizer que haja nesta phrase
uma falsidade, mas diz que ha uma inexac-
tiddo, porque signifies accusa-lo de uma
falta de dever que ndo commetteu.
Fazendo neste ponto uma forte recrimina-
gao contra 0 deputado a quem se tem refe-
riJo, deram lugar as suas palavras a vivas
e energicas reclamagdes.
0 orador, exaltando-se a ponto de Gear
rouco, disse para os deputados que 0 inter-
rompiam com seus protestos, que havia de
usar do direito de defeza em toda a sua ple-
nitude.
Appella para as actas. Ellas bdo de as-
segurar que nunca falta ds sessoes. E' dos
primeiros a entrar no recinto. Invoca 0
testemonho do presidente. Muitas vezes vai
cumprimenta-lo d mesa quando os bancos
ainda estdo desertos.
Algumas vozes disseram entao que esta
defeza era a censura implicita da maioria.
0 orador, sem responder ao aparte, diz
que, quem falta ao seu dever e 0 deputado
que se ausenta da camara para ndo votar.
A estas palavras romperam novos apartes
e maiores contestagdes.
0 Sr. Martinho Campos observe que tem
feito isso tdo respeitaveis caracteres, que jd
ndo p6de admittir a opiniao que faze-lo seja
faltar ao dever.
0 orador apoia a sua opiniao em um
facto identico aos que se tem passado na ca-
mara, que se deu ha pouco na assemblea
franceza. E le um artigo do Journal des
Debate, onde elle e seriamente censurado.
Refere-se d abstengdo collect! va.
0 Sr. Ignacio Martins, vollando ao re-
cinto, pedio a palavra, e 0 Sr. Martinho
Campos lembrou em apartes as paredes do
governo, a sahida dos ministros, e as retira-
Jas da maioria nas ultimas horas de sessdo.
O orador lou ainda um tracho de um ar-
tigo de fundo do Globo, onde tambem se
censura a opposigao pelas suas abstengoes
collectivas. Depois de outras maitas consi-
deragoes, 0 orador da questao pessoal passa
d materia du debate, ontrando na analyse
dos systemas eleitoraes.
E' partidario da eleigdo direda censitaria,
mas ndo quer 0 censo nem tao baixo, que
toque nosuffragio universal, nem tdo eleva-
do que so chegue ds altas classes sociaesj;
quer 0 censo em um termo regular e dorao-
cratico.
Sustenta depois que a eleigao direda nao
e idea de programma liberal, e procura de-
monstra-la citando datas em que esse parti-
do a combateu, e noraes de alguns de seu?
chefes que a repelhram.
igreja com as suas companheiras, dd-Ihe
trabalho passar atravez dos olhares e sus-
piros de todos aquelles raogos.
Imagina um corpinho delgado, flexivel
como uma cobra, dous olhos azues com
pestanas negras, um cabello, dentes, um
porte... I
Bravo I bravo dir-se-hia que estds
apaixonado I
Certamente estaria, se nao estivesse
por outra, a unica d quem tenho amado, a
unica ,que jamais deixarei de amar.
Lisongeiro I onde pretendes chegar ?
sem duvida nao protendes casar teu Glho oa
idade de dezeseis annos ; e julgas que essa
bella Manoela esperard que elle tenha a idade
de homem....
Ella de certo esperaria se 0 amasso,
e sera duvida ama-lo-ha se 0 vir, viste como
elle jd ndo e crianga, e que, sem lisonja, e"
tdo formoso quanto ella e" bella.
Ah 1 eis ahi 0 teu Gm ; queres apre-
senta-los um ao outro 1
Como noivos ; e porque ndo ? 0 pai
consenting, que eu 0 sei, e ate tratamos. ..
Ndo quero exclamou minha mai
com vivacidade.
Mas, reflecte...
Jd reflecti 1 Ndo, nao consinto que
meus Glhos contraiam allianga com pessoas
que se occupam em semelhante mister.
Calma, calma, masinha 1 ndo des-
prezes tanto assim teu marido e a fortuna
que elle te deu. Segundo tuas ideas, teus
Glhos, fagam 0 que fizerem, nao se casardo
facilmente, porque, embora se conserve a
cousa secreta, dia vird em que procurardo
minuciosas inforraagoes, e certamente as
pessoas cheias de prejuizos, .como tu, hdo
de dizer que a origem de nosso bem-estar
6 impura. N'este caso, recebkrds alguma
affronta por teres visado muiti alto, e nos-
sos Glhos de tudo isso sd colherao desgostos
e humilhagfies, ao passo que, perraanecen-
do no seu meio natural... Se rasoavel ;
ndo quero que Lourengo vd para a monla-
nha dar tiros nos guardas da alfandega,
nrm passar contrabandos era lugares onde
ds vezes se cahe com elles. Ndo 1 estd as-
sentado quo elle serd burguez e medico,
da mesma sorte que Manoela e burgueza e
senhora ; e assim serd. Mas con vem que
elles nao se tenham d censurar reciproca-
(Continuar-se-ha.)
mente a origem de sua fortuna e a condigdo
de seus pais. Eis 0 que e prudente, eis o
que convem ao interesse bem entendido
dos nossos Glhos.
Pareceu-me que minha mai Gcou aballa-
da ; mas nada demoveu-a d consentir na
entrevista projectada por meu pai, que aG-
nal prometteu esperar ate 0 anno seguinte,
epoca que minha mai Gxou para tornar .-
fallar n'esse assumpto.
EmGm, eu era senhor d'esse fatal segre-
do I Meu pai era contrabandista ; tal era
0 seu commercio e a sua industria !
Confesso que, ante essa revelagdo, 0 que
primeiro senti foi uma especie de conso-
lagdo, semelante quasi d alegria ; e assim
foi porque, segundo os prolegomenos da
conversagdo, reciei que fosse cousa peior.
Quando esse receio dissipou-se, achei que
rainha radi era severa de mais para com
meu pai. ReQetindo, porem, melhor, com-
prehendi seus escrupulos e suas angustias,
Ella era bastante mstruiada, e, por isso.
sabia que todo e qualquer commercio
frauduloso e* um attentado social; e eu, que
jd tinha aprendido alguma cousa no tocante
ao mechanismo das sociedades, tambem co-
nhecia que ndo se escapa d acgdo de ne-
nhuma lei sem offender a todo 0 equilibrio
da legislagdo.
Mas, na especie, como diria um advoga-
do, eu ndo podia condemnar meu pai, por
isso que 0 facto de ser elle contrabandista
por heranga, como a m6r. parte dos habi-
tantes da fronteira, se constituia realmente
um attentado, merocia indulgencia, attcn-
dendo-se a sua ignorancia d respeito de uo-
Qoes que deviam ter-lhe sido dadas na in -
fancia.
0 contrabandismo e" sem duvida uma es-
pecie de banditismo, tanto mais quanto
aquelles que se ddo a esse mister, ndo es-
crupulisam eta accommetter os guardas da
elfandegi que os perseguem, fazendo assim
degenerar facilmente em mortifera cacada
de homens essa outra cagada de mercado-
rias baratas.
1
.
,-
{Continuar-se-ha.)
TVf \>V DIAR10. RUA DUQUE vt. CAJUa*
^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYXGZVG7B_O71CDU INGEST_TIME 2014-05-28T00:24:52Z PACKAGE AA00011611_16507
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES