Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16503

Full Text
ANNO L. NUMERO 208



s
i
PARA A CAPITAL E LUOABES 0\UK tlA SB PAG A PORTS.
for tres mazes adiantados. ............... 89000
for aei ditos idem......... .. -..... 12*000
Por am anno idem..................14*000
aCada numero avulso................. #320
mu i i ii^
SEGiJiVM FEIRA 14 DE SETEJIBRO DE 1874
i
1
PARA DEMTR M FBA DA I"YWiClA.
Por Ires mexas adiantados............. .
Por seis ditos idem...............
Por note ditos idem...............
Por am anno idem. .. .........
M7M
Sf0M


?
PROPRIEDADE DE MANGEL FIGUBROA DE FARIA F1LH0S.
ft frs. Gerardo Antouio Alve* 4 Filhos, no Par*-; Goncalvea d Pinto, no Maranhio ; Joaquim Jose* de Oliveira & HLuo, no Ceara; Anttll) de Letum Braga, no araealj j Joiu If aria J alk> Car at, no Assa; Antonio Marqaes da Silv., Natal ; Jose* J
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, aa Parahyba ; Antonio Jose Gomes, na ViUadAjpenfea; Be'armino doi Santos Bnleio, em Santo Ant* ; Doraingos Jose da Coj* Braga, amBaMTatai
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Jolo Antonio Machaeo, no Pilar das Alagoa* Ahes d C.na Bahia; a-A. Xavier Leite dCr Rio Janeiro-
rasisuc:.: rorvLAE
Elenaeutos de physica
LIVRO PRIME1R0
caiitulo vn
raOt'BIEDAOES !Ef ULIABBS AOS S0LID0S.
{Conti nuacao.)
Maleabllidatic. k maleabdidade e a pro-
{triedide que teem os metaes ductis da se destcu-
derem 9ob a acQio do martallo. Esta proprieda-
de augmenta muito co;:i a lemperatura ; e todos
saLem que o ferro f.>r> se melhor quando quente
do que quando frio.
O ouro e muito mile&velj ainda mesmo oa tem-
peratura ordinaria.
Para reduzir esse metal a folhas muito delga-
das, os balefolhus on nultiadores de ouro come
am por fjbricar, coin o auxilio do laminador,
lamiaas compridas de dous a tres ceutimetros de
largirra, e de urn mmimetro de espessura. Era se
guida cortam essas hraioas en pequenos qua-
drados, e depois d-stendera estes quadrados sob
a accao do martello, eortam novameate as larai
iias, e de novo BObmeUeO) os quadrados de ouro a
accao do martello, e assim por diante, vao sempre
repetindo a operacao.
Convem, porem, observar que os batefollns nao
trabalham com o martello directamente sobre as
laminas quadradas, nio ; pois, nesse caso, elles
nSo poderiara contirjuar a operacao dura ate mui-
to tempo, porque as lamina! se fealeriam e frac-
turariam. Assim, pois, elles eollocam as lamioas
entre folhas de uma sahstaucia que, embora em
delgadas camadas, apreseata grande resistencia, e
eutao batem sobre es'.a, que traasmitte a accao as
laminas.
Essa subs', racia cosuraa er papel velim, per-
gaminho grosso bem desjogordurado, e Qnalmen-
ta pergaminbo muilc; duo.
Pelo processo acima chegam os batefolnas aob-
ir folhas de ouro tao tenues e delgadas que, para
fazer com ellas uma espessura de urn millimetro,
lorna-ee necessario reunir oitocentas e superpe-
las amas as outras '
Sao essaa folhas, assim preparadas, que se em-
prega nas artes paradrarar metaes, madeira, pa-
pel, panno, etc., etc.
A dnctilidade do:- metaes varia, seguodo sao
files trabalhados na fietra, no laminador ou com
o martello.
Grapando os metaes. i>uaes par ordem de due-
lilidade decrescente, acha-se os assim classiQ-
cados :
Quando trabalhados aa Geiraa platiaa, a pra-
ta, o ferro, o cobre, o ouro, o ziu:o, o estanln e
o cbambo ;
Quaud) trabalhados no laminadoro onro, a
i rata, o cobre, o esunho, o chumbo, o zinco, a
{ilatina e o ferro ;
Quando trabalhados com o martello-o chum-
bo, o estanho, o our o zinco, a prata, o cobre, a
I'latuia e o ferro.
Todos esses metaes i-.vem ser puros, visto co
mo, quando estao ligados com outro metal ou com
*!ualquersabstanci2. .::nam se quebradicose mui-
to pouco duct is.
PARTE OITICIAL
Governs da proviacia
EVIEOIENTK DO D1A 17 DE AB;UI. DE 187i.
i: secifio.
Aolo :
0 presidente d. prjvia.-ii, tea 1 < en vista o
termodsesaffl'3 an;.-; pr copia aooftbio d>
ia^pestorintirino i arsaail demiriahi, do hontem
dil.ti), sob o. 870, i) qnl oa-ti have: Joi)
Fraojiseo Kerra-. presUio exane, at coaformidi-
dj do art. 3" do rc.\i an :a!o qne baixoncom o
roton. 132i, de"' le fevereiro de 1831, e silo
rjpprovalo plenam^me para servir de 4 raaquinis-
la de bar^as a vapor, determiaa que pela secreta-
ry da presidencia se expeca ao examiaalo o com
lenle tilulo de habiliu^ao, conforme o Jdispo to
art. S" das Instrnccoes mandadas observar pelo
d--creto a. 2,600, d; t d>.- junho de 1860.
Officios :
A) Exm.brigadeiro commandante dasarmas.
Sirva-se V. Exc. de mandar pur em liber Jade o
recrnta Floriaao .V^rja-s da Silva, qua provnu
isenQao legal.
A: mesm). S.r.a se V. Exc. d; mindar por
:in libcrdade o reran Brasiliaao Ferreira do
Aibuquirque, que provoa isenjao legal.
\i inspector c3 arsenal de marinlia.Teado
nesta data deteraaiuilo que a Joao Francisco Fer
raz se passe titulo de habilitacao para servir o lu
ear de 4 maquiais'.a de barcas a vapor, assim o
declaro a V. S. em resposla ao seu ofJ;io de hon-
tem datade, sob n. 870.
Ao mesmo. -Providenefe V. S. de modo a
veriflcar si no vapor Cruzeiro do Sul vieram os
! emigrantes consta ::es da relagao nominal junta ;
drvendo no casoaO-rmitivo issj mesmo declarar
in referida relajao.
Ao director d i arsenal de gaerra.Trans-
mitto a V. S. para &- devidos effeitos os dius in
clases conhecimenlis de quatro caixoes com ear*-
binas e a compete1.:'-' m laiQao, vmdos da corte no
vapor Panni, ebe?*i < hoje a este port); cumprin-
do que V. S mand: r.-eber taes eaixSas no arse-
nal, de manoha para on !e deverao ter sido desem-
barcados, conforme a; ordens em vigor.
AoJ mesmo.Afim de serem concerlada-,
maadd V. S. reco'.h- r a esse arsenal 8 e^pingardas,
tendo cinco o com^e-eate correame, as quaes lhe
serio apresentadas por part do Dr. chefe de poh-
eia, e fornecer a mesma autoridade 10 sabre3 com
o correame eorresp ,adeite.
Ao mesmo.i'ara satisfazer ao que solicita o
inspector da thesoararia de faseada em oflkio de
1'i do correnle, sob z. 238, serie J, recomnndo a
V. S. que proceda aos exames coavenientes no
Bentido de verificar si o almoxarife desse arsenal
Bernardo Falcaij de Sjaza esta em algum alcance
para com a fazendi nacion U ate J2 de selembro
5-; 1873, remettend > me o resultaio dessa averi-
jiua'.io para ser traasmittida aquelle inspector.
Ao mesmo.Tcansraillo a V. S. para os fins
conveniences o inelaso termo lavrado pela com-
missao que assistio a abertura dos caixSes contea-
do calcado, vindos da corte com dostino a es3e ar
senal. Ao Exm. Sr. minislro da guerradou sciencia
de haver-se veritl :ad > em um dos ditos caixoes,
que chegou nesse arsenal ja aberto, a falta de 1">
pares de 9apatos para o completo do numero de
200 qne dereria eiie center.
2.* scfio.
Officios:
A) Dr. che'e de policia. Resoonlo aos seus
otfliios da hoote:n datados, sob ns. oli e5l8, de
clarando-lhe qne a d'speza na importaocia de
SSfMO feita com a alimentaclo do liberto Jastino,
durante o tempo que esteve na casa de deteacio,
deve ser aatisfeita pela ex-senhora do dito liberto,
visto haver este siio recolhido aquelle estabeleci-
mento a pedido da mesma com destiao ao servico
do exereito, para o qual foi jnlgado incapaz.
Ao eommandante superior da guarda naeio
nal do Recife.-Nao tendo comparecido um dos
offlciaes qne devia formar a iuata de jastica para
julgar em ultima instaneia aou3 soldado? do corpo
de policia, designe \". S. tres officiae* superiores,
qne devem reunir-se amanba as 12 horai do dia
nesie palacio, afi n do form ir a referida juatt.
Ao c I'li'iiin lanto superior da guarda oicio
nal dos monicioios de '.abrob.i e Exd. Iaclusa
devolvo a V. S a proposta para offl :iaes da guar
da nacioaal desse commanlo superior, juala a
seu offkiode 28 de nnn;i ultimo ; devendo V. S.
aguardtr a reforraa da rae>ma guarda, afim de
dencia.
Ao juiz de direito da t* vara De V. S. sua*
ordens para que seja apresentado ao brigaleiro
coramandaote das annas um senteafiiado de jus
lira, afimde serempregado m serviQt da fachina
do forte do Buracu em subslituicao ao de mine
Joao dot Santos Barros, que foi d'alli ntanlado re-
tirar para a c>sa de deieurao, por ter apresentadi
mau comportametito.
Ao juiz de direito de Ticaratii. -D > ofilcio
dirigido a es'a presidencia em 30 de marco ultimo
por H.ilbin i Pinto Bandeira se collige, que e elle
promotor publico interiio, bavendo um adjunlo
no ter.noi de Florf sti. E', pois, evidentejque o re
ferido I'into Bandeira fxerce seu cargo indevida-
mente, por ser o adjunto substiiuto legal do pro-
motor publico. Coavein, portanti, que Vine, com
a brevidade possivel de a rasao de existirem simui-
taoeamente na mesma comarca estes dous func-
cionariDs.
Ao promotor publico interino da comarca de
TacaratuEn resposta ao oflkio de Vm;, de 30
de marco ultimi, tenlio a dize -Ine que regular foi
o procolimento d) juiz municipal suppleate do
termo de Floresta recusando consentir que um
dos indiciados ao homicidio perpeirado na pessoa
de D. Maria Francisco de Sa fosse interrogado
nesse termo perante Vmc ; porque no reipectivo
sumraario piraa formacae di cnlpa temelhantes
diligencias devem ser feitas onde se inicion o
mesmo sumraario, como e de direito.
3.' secgao
Aeto :
0 presidente da proviacia, attendendo ao que
requereu Manoel Victor Fernanies Barros, prati
cante da thesouraria de fazenda, e tendo em vista
a informacao do respectivo inspector, de 26 do met
findo, sob n. Hi, serie G, resolve conceder-lhe
tres mezes de licen;a, com ordeflado na forma da
lei, para tratar de sua saude.
Officios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Para seu conhecimentcr e fins convanientes, remet-
to a V. S. a inclasa portaria de nomoacao Je Ely-
sio Viilar da Silveira Villa Secca para agente do
correio da freguezia de Tunbatiba, desta provia-
cia.
Ao mesmo. Annuindo ao que solicitou o
commandante superior do municipio de Taearatu
em offlcio de 26 de fevereiro ultimo, aatoriso V.
S. a mandar pagar a Flavio Gmcalves Lima, a
vista dos inclusos prets em duplicata, os vencimen-
tos das pracas da guarda nacioaal destacadas no
districto de Campinbos, a contar do de dezem
bro do anno passado a 15 de de fevereiro do cor-
rente.
Ao mesmo. Maade V. S. pagar a Moreira
& Braga, de conformidade com a folha e prets
juntos em duplicata, os ve.icimentos do destaca-
menlo da villa do lirejo- relativos ao mez de mar-
co proximo Undo, cSnforme solicitou o respectivo
commandante superior em officio de 5 do corrente.
Ao mesmo. Tendo-rae inforraado o direc-
tor do a imminente ruiua o barraeao que em Santo Amaro
das Sal.nas servio de quartel a companhia de ca-
vallaria, o qual ja desabou em parte, recomraendo
a V. S. que, de conformidade com a ordem do
thesouro, n. 116, de 31 de mai > de 1872, mande
por novarnente em prac-a o refer id o barraeao, ser-
vinlo de ba e a avaliacao primitiva, attento o mao
estado em que se acha.
Ao mesmo. Gommunico a V. S., para seu
eonhesimento e fins craveaientes, que nesta data
in lfiiru a peticio do arrematante das obras neces
sarias a casa em que funcciona a recebedoria de
renda?, Francisco Augusto Pereira da C isla, ao
qual se refere a informaQao dessa inspectoria, de
lo docorren'.e, sob n. 2il, sfrie G.
Ao mesmo. A' vista do que expoz V. S.
em officio desta data, o autoriso a mandar effec-
tuar sob responsahilidade desta pre ideocia, ao
almoxarife do hospital mililar, o abooo de 2:000*,
a que se refere o meu officio de hontem.
Ao mesmo. Para os fins convenient in
closo reraetto a V. S. o titulo de recooJuccao do
bacharel Antonio Paulino Cavalcantede Albuquer-
que no lugar de juiz m inicipal e de orphaos do
termo de Caruarii.
Ao inspector da thesouraria provincial. A'
vista da inclusa conta documentada, mande Vmc.
pagar ao bach.ire! Joaquim Jose Ferreira da Ro-
cha Junior, fornecedor da alimentajao dos presos
pobres da casa de detencio, a quanliade.......
3:922*039, em que iraportou 0 f rnecimento de
sustento e dietas para os mesmos pre3os no mez
de marco proximo findo.
Ao mesmo. Mande Vmc abonar 30* de
ajuda de custa ao tenente do corpo de policia, Ma-
noel Caatano Vieira da Paz, para sua traosferen-
cia do termo de Salgueiro, em que se acha desta-
cado. ao de Ouricury, onde vai exercer o cargo de
delegado.
Ao mesmo. Mande Vmc. pagar ao bacha-
rel Etutioo Augusto de Almeida; administrator da
casa de detencao, a quantia de 36*900, despendi
da de Janeiro a marco deste anno, com os objectos
necessaries para limpesa e asseio daquelle cstabe
lecimento, oomo se ve da inclusa conta que me
remetteu o Dr. chefe de policia era officio de 15 do
corrente, sob n. 508.
Ao mesmo. Recomraendo a Vmc. que, nos
termos da sua informacao de 10 do corrcote, sob
n. 160, manic entregar, mediaute lianca, a Frei
Ludgero do Santissima Nome do Maria, guardiao
do convento de S. Francisco desta cidade, o pro
duc'o do beneflcio da i* parte da loteria n. 8i,
concedi la em auxilio das obras da respectiva igre-
ja, na importancia de 720*.
Ao mesmo. Em resposta ao offlcio de Vmc,
de hontem datalo, sob n. 171, rernetto lhe copia
da portaria desta data, pela qual resolvi declarar
que a flanca das arrematacoes de obras devera ser
prestada nos termos do artigo 36 da 1-i provin-
cial n. 991, de 1871, ficando sem effeito a primei-
ra parte do artigo 48 do regularaento da reparli
clo das obras publicas, de 24 de fevereiro deste
anno, qnando diz : a a lianca devera pelo menos
corresponder a nma terca parte do valor do orca-
mento das obras.
4.' secgHo.
Aclo? :
0 presidente da proviacia, tendo em vista o
officio da camara municipal da villa do Cabo, de
26 de matyo ultimo, sob n. 422, resolve declarar
que o a't 11 das posturas additivas da referida
camara, approvadas provisoriamente por portaria
do 1* de outubro do anno pasado, deve 9er lido
na 2' parte : -As redes de cosla, de pescar, paga-
rao 40 rets por cada metro qne contiverem, e nao
400 reis, como veto no projecto da camara e esta
na referida portaria.
0 presidente da provineia, attendendo ao que
requereu Joaquim Jose de Moura, professor publi-
co na cidade da Escada, e em vista da informacao
do.director geral interino da io3traeoao pnblica,
de 11 do corrente, sob n. 124, resolve conceder-
lhe 15 dias de licenea, com ordenado na forma da
lei, para vir a esta cidade.
Officios :
Ao Exm. presidents da provineia das Ala-
goas, Dr, Jjao Vieira de Aranjo. Respondendo
ao officio circular de V. Exc, de 15 do corrente,
em qne me participa haver prestado jurameato e
assumido a administracao dosia- provineia no dia
12, teobo oceasiao de apresentar-lhe os proteslos
de minha particular estuna e subida eonsiJerar.i >,
e de offerecer lhe os raeus servig-is, sob qualquer
rel$ao que V. Exc. delles se queira atilisar.
A > Exm. presidente da provineia do Rio de
Janeiro.Accuso recebido o exemplarimpresso,
que V. Exc digoou-s; re Better me com offieio
de 28 de marco ultimo, do reiatorio apresentado a
assemblea legisiativa dessa provineia, por ocea-iao
de installar-se a sua sessao extraordinaria no dia
20 daquelle mez.
Ao Exm. presidente da provineia de Minas
Gerae,-!. Fio de posse dos dous exemplares im-
presses da collecyio das lei* dessa provineia, pro-
mulgadasno anno proximo passado, e rem-ttidos
p >r V. Exc com offlcio de II da marco ultimo.
Ao provedor da Santa Casa Je Misericordia.
Autoriso-o a entregar a Serafun Velho Camello
Pessoa de Albuquerque, proprietario do engeaho
Matary, na romar^a de Giyanaa, a educaada por
elle solicitada para servir de perceptora'a suas li-
Ihas, mediante a condigao de que falla o mordemo
de mez em sua infonnacio de 16 do corrente, e
que acorapanhou o offlcio de Vmc de 17, sob n.
833.
Ao mesmo. -Teode de priacipiar a funccio
oar no 1.* de maio proximo viudouro a fabrica de
liacao e tecidos, fuudada na Passagem da Magda
leoa, e de que e emprez irio o commendador Ao-
toaio Valentim da Silva Barroca, -in virtude da
lei n. 1,000, de 13 de junho de 1871, baja Vmc.
de mandar entregar aquelle commendador nesse
dia doze educandos do collegio dos orphaos,'de
idade de 12 a 15 annos, preferinio os qne forem
filhos de v iluntarios da pitria e acharera-se a ex-
peasas da provineia, aos quaes por forca da refe
rida lei o emprezario se obrigou a mandar ensi-
nar o officio de teeelao, e para esse lira acaba de
reqoisita-los.
Portaria :
A'lilraa. camara municipal do Recife.Afim
de qne essa Illma. camara providencie com nrgen-
cia, incluso remetto por copia o offlcio que em
data de hentem dingio ao Dr. ebefe de policia o
delegado desta capital em relacao ao prosed men-
to dos michinistas das companhias de trilhos nr-
banos do Recife ao Gaxanga e do Recife a Olinda
e Beberibe.
5.' sectlo.
A clo:
0 presidente da provineia, attendendo a que
da combinacao do art. 43 do regulamento da re-
particao das obras pnblicas, de 24- de fevereiro
deste anno, com e art. 36 da iei provincial n. 994,
de 1871, resnlta divergence, resolve declarar que
a tianca das arrematacoes das obras devera ser
prestada nos termos do art. 36 da ciuda lei ; fi-
cando sem eff-ito a I.* parte do art. 48 de referido
regulamento, quando diz :
a A lian.a devera pelo menos corresponder a
uma terca parte do valor do orcamente da
< obra. >
Officios :
Ao Exm. conselbeiro director geral da repar-
tic3o da Estatistica.-Remetto a V. Exc. as infer
macdes em original pre-tadas pelas camaras ma-,
mcipaes de Boa-Vista, Cabrobo, Salgueiro. Dari-
curx e Exd, a respeito dos quesitos constantes de
uma nota appensa aos ufficios de V. Exc, de 29
de setembro do anno passado e 4 de marco do
cc rreote anno, aos quaes respondo.
Ao engenheiro chefe ca repartigao das obras
publicas. Examine Vine a planta que a este
acompanha, devolvendo-a com informacao sobre a
couveniencia e elegaacia do inodelo Aikiosques,
que teem de ser estabelecidos nesta ciJade pelo
Dr. Manoel de Figueiroa Faria, concessionario
desse servigo.
Ao mesmo.Remetto a Vmc. para os devidos
effeitos copia da portaria desta .data, pela qual re
-olvi declarar que a fiioy.a das arrematacoes de
obras devera ser prestada nos termos do art. 36
da lei proviocial n. 994, de 1871, licaodo sem
effeito a 1.* parte do art. 48 do regulameuto
dessa reparticao, de 2i de fevereiro deste anno,
quaododi* : A fianc i devera pelo menos cor
responder a uma terca parte do valei>du orga-
mento das obras.
Ae mesmoRemetto era original os officios
da II..in camara municipal desta cidade, de'<23 de
marge ultimo c 15 de corrente, sob ns. 23 e 29,
bem como o orcamento que a esta acompanhou,
para os concertos de q'ie necessita a coberta do
respectivo pago municipal, afim de Vmc. informar
sobre o referido orgamento.
Ao engenheiro encarregado das obras ge-
raes. -Orce vmc. com urgencia as obras necessa-
rias a seguranga de um quarto que deve servir
para guardar sa moeda de bronze e oulros valores
no pavimento terreo em qne funcciona a thesou -
r .ria de fazen la, o qual sera indicado pelo respec-
tive inspector.
EXPEDIENTS DO SECBETARIO
I.* seccao.
Officios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.S Exc. o Sr. pre3idente da provineia man-
da declarar a V. Exc. que nesta data se previden-
ciou no sentido de ser lhe apresentado urn snten
ciado de justiga, afim de substituir o de nome
Joao dos Santos Barros no servigo da fachina do
forte do Buraco.
Ao mesmo Nesta data se maidou satisfa-
zer o pedido de onze vassouras de piassava riia-
ueadas de ferro, a que acompanhou o ofOcie de
V. Exc, de hontem datalo, sob n. 297 ; o que
communico a V. Exc. de ordem de S. Exc. o Sr.
presidente da provineia, em resposta ao citado
officio.
21' weeao.
Officios :
Ao Exm. conselheire presidente da relacao.
S. Exc o Sr. presidente da provineia manda ac-
cusar o reeebimento do offlcio de V. Exc, de hon-
tem datado, remeltendo mais um relatori i apre-
sentado pelo Sr. desembargador Lonren;o Jose
da Silva Santiago, quanio presidio a 4 sessao do
jury da comarca de Iguarassu.
Ao Dr. chefe de policia.S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provineia manda communicar a V. S.
que nesta data se expedio ordem ao director do
arsenal de guerra, afim de serem fornecidos dez
pares de algemas com os respectivos cadeados,
conforme solicitou V. S. em offlcio de hontem, sob
n. 513.
Ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro
vincia manda communicar a V. S. que nesta data
se expedio ordem ao director de arsenal de guerra
para fornecer dez sabres com o competente cor-
reame, assim como recolher ao mesmo arsenal
oito espiugardas para serem concertada*, confor-
me solicitou V. S. era seu officio de hontem, sob
n. 517.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da
provineia manda communicar a V. S., em respesta
aos seus offlcio3 de 15 do corrente, sob ns. 508 e
609, que nesta data se expedio ordem a thesoura-
ria provincial, no sentido de serem satisfeitos ot
pagamentos solicitados n i mesmo officio, em vista
das contas que a elle vieram annexas.
Ao commandante superior do Brejo e Cim-
bres.De ordem do Exm. ir. presidente da pro-
vineia cemraanico, a V. S., qne nesta data foi au-
torisado o inspector da thesouraria de fazenda a
mandar pagar a Moreira & Braga os venctmentos
do destacamento da villa de Pesqneira, relativos
ao moa de marco proximo findo, como solicitou
ease commando superior era offlcio de 5 do cor
rente.
- Aft
Florestai
manda
risada S
Gqncalr
deslacai
deeorri
I5.de
comma
mmandaole superior de Taearatti e
E* o Sr. presidente da pravincta
r a v. S. quo nesta data foi auto
Souraria de fazenda a pagar a Flavio
lira* a importancia dos vencimeMos do
o du Garapinrio*, relatives ao> tempo
1* de dezetnoro do auuo pasftuio- a
eretro ultimo, conforme solicitou- esse
superior em offlcio de 26 do titado
mez de hawreiio..
-r- AojUxjio direiio da 2- vara.S. Exc. Sr.
oresideote da pro/in^ia manda communicar a. V.
S. que a janla de ju.-tiea que ha da jttUar cia ul
lima instaacia don sol Jades do cope de policia
deve reunir-se ao dia IS do corrente, as 12 Uoras
do dia, neste paiacio.
Ao commandante do corpo de policia.S.
Exc o Sr. presidente da provineia manda declarar
a V s., em resposta ae seu officio de 13 do cor-
reote, sob n. 169, qne nesta data se expedio ordem
a thesouraria provincial no sentido de ser abonada
ao tenente desse corpo, Manoel Caelano Vieira da
Paz, a ajoda de'cuslo de 30*000, afim de tran.-fe-
rir-se de termo de Salgueiro para o de Ouricury,
onde temde exercer o cargo de delegado de po-
licia.
4 sec^ao.
Officios :
Ao secretario da assemblea provincial.
N. 75.Manda S. Exc o Sr. presidente da pro-
vineia, em vista do offljie da camara municipal da
villa de Cabo, de 26 de marco ultimo, sob n. 422,
que eu declare a V. S., par. os fins convenienlee,
que o artigo 11 das posturas additivas da referida
camara, approvadas provisoriamente pelo mesmo
Exm. Sr., e remeltidas a essa assemblea com offl
cio de 31 dafuelle mez, na parte em que dizas
redes de ftOsu, de pescar, pagarao iOJ rs. por cada
metro qu* contiverem deve dizer40 rs. ;
engano este que, tendo partido daquella corpora
c io, a:aba de ser por ella desfeito.
Ao memo. N. 76. De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provineia remetto a V. S, pata
ser apreseolalo a assemblea provincial, o regula-
mento em original para aferw.-io de pesos e me-
didas pelo systema decimal, organisado e remetti
do pela camara municipal da villa de Pao d'Aloo
em offlcio de 7 do corrente, com deitino a mesma
assemblea.
Ao mesmo. -N. 77.De ordem de S. Exc o
Sr. presidente da provineia e em satisfagio ao qne
reqnisitou V. S em offlcio de 9 do correute, sub n.
23, remetto, para.serein apreseutadas a assemblea
provincial, a informacao prestada pelo inspector
da alfandega sobre o 1 e 2* quesitos, e copia da
represeatagSo que a mesma alfaadega dirigio a
Associagao Commercial acerca do recjjnimeoto de
carregamentos de vinho. conforme solicita o ultimo
quesito do referido officio.
Ao mesmo. N. 78. -Dando cumprjmento
a ordem dVsS. Exc. o Sr. presidente da provineia,
remetto para sub ire m ao eonheauento da assem-
blea provincial, seguodo requisilen V. S. em offl
cio de 2? detrmrgo ultimo, sob n 20, um mappa
doraonstfrtivo da populacao de cada freguezia
desta provineia, com ducriminagao de livres e
esrravos, e as informagoes presladas pelos inspec-
tores d.a the ourarias geral e provincial acerca
Ao.V e 3^ quesitos do referido offlcio^ Releva di-
zer que em vista do recenseamento nio p"^ er
satitl'eito o 1 quesito na parte em que exige a dis-
crirainagao de sexos.
Ao mesmo. -N. 79.De ordem de S. Exc o
Sr. presidente da proviacia remetto a V. S. a peti-
gao iostruida de do'.umentos, que a Illma. camara
municipal desta cidade dirige a essa assemblea,
reclamaudo contra o centra_to effectuade entre a
presidencia e Augusto Cesar Fernandes Eiras e
outre para edilicagae de maladouro publico.
5." seccao.
Officios:
Ao administrader dos correios. S. Exc. o
Sr. presidente da provineia mania declarar a V.
S. para seu coo lecimento que nesta data remet-
teuse a thesouwria de fazenda a portaria de no-
meagaode Elysie Viilar da Siiveira Villa Secca
Sara agente do correio da freguezia de Tun-
atiba.
Ao mesmo. S. Exc o Sr. presidente da pre
vincia manda declarar a V. S. que flea sciente de
ter sido nimeade praticante dessa administragao
Candide Ceciliano Autran da Metta e Albuquer-
que ; conforme cemmunica em seu offlcio do 17 do
corrente, sob n 41.
Aos agente3 da companhia brasileira de na-
vegagaoa vapor.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vineia manda declarar a Vs. Ss. que fica inteirado
da chegada do vapor Parana dos port03 do sul
do imperio, e da partida do mesmo para os do
uerte amanha as 5 aoras da tarde ; seguodo cem-
municam em seu officio desta data.
11 DE SETEMBRO
DESPACHOS DA PRESIDENCIA, DO DIA
DE 1874.
Francisco Jose de Lima.Inforrae o Sr. comman-
dante do corpo de policia
Henrique Bernardes de Oliveira.Dii-se.
Luiia Maria da Conceicao.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marmha.
Capilao Luiz Francisco Teixeira.Fornegase.
Manoel Joaquim Baplisla. Informe o Sr. Ins-
pector do thesouro provincial.
Maria Francisca da Pia.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polieia. ..
Padre Simlo de Azevedo Carapo3. Defendo
com offlcio desta data a camara municipal da cida-
de da E?cada.
Teixeira, Chaves & CInforme a camara mu-
nicipal do Recife.
Reparticao da policia.
!.' seccao__Secretaria de policia de Pernambuco,
12 de setembro de 1874.
N. 1118-Illra. e Exm. Sr:-Participo a V. Exc
que das communicagoes recebilas hoje nesta re-
partigio, consta que se derara as seguintes occur-
rencias:
A' minha ordem, Benedicto J036 Soares e Jos6
Andre Soares, sentenciados vin io3 do presidio de
Fernando.
A' ordem do subdelegado do Recife, Benedicto
escravo de Jose de Souza Leao, a requerimento
desle.
A' ordem do do 1* districto de S. Jose, Vicente
Ferreira da Silva, preso em fiagrannle por crime
de ferimento, a dispo9igao do Dr. juiz de direito do
3* districto criminal.
A's 5 horas da tarde de hontem, na casa n. 119,
sila a ma da Aurora desta cidade, e perteoceote
a viuva de Francisco Augu9to da Costa Guima-
ries, manifesteu-se um incendio que teve princi
pio no cino da cosinha e chegou a queimar parte
da coberta, sendo porem, pouco dep >is extiocto,
fracas aos <-sf irgos empregados por diversas pes-
soas que alii comparereram.
Dens guarde a V. Exc-Illm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena, digno pre-
sidente da provineia -0 chefe de policia, Anto
nio Francisco Correia de Araujo.
abi ouro a raioe- efaeios ; mae do qnecertamente
nao descoafiara era que oa dia o velbe mondo te-
ria de ir pedir exemples politicos ao novo.
Nao conterapl* hoje a Franca, a repoMca dos
Estades-UnidO!, o imperio constitucioaal do Bra-
sil ; a liberdade aos dons extremes t Kao ba go
verno forte sem a. provanga d liberdade. Tal e a
opipiao de D. Pedro, iraperador do Brasil.
Um antigo dizkz: < A ferea nao fere-seoao pe-
la dextra da opiciao. Com effeito, nao ha forca
no alto, sem raizes na terra.
Quando se da uma coosltiuicio a omparz iocu
te-sK^tfre a febre politica.
Muito tempo tem de gastar para salvar-se das
crises que o remedio beroico provoca.
E' uma questao de tempoi.
Mat, e tamoena urgente ojie o> paii esleja aa al-
lura dos sens diseitos quando- se kbe concede os
direitos do homera.
O Brasil ufferece nos a respeito urea boa liciio.
Vio-seessa napao padecer todas as crises das doen
;as politicas. Veoceu as pela sabia barmooia do
poder e do Estado. Preseatemente D Pelro II eo-
Ihe ou melhor da a collier a seu povo os benelki js
d.s Instituigiaes liberaes q,ue triunipharam de tan
tas revolugoes.
Nio e dos mais snaves para a arvore da 1 berda
de o clima abi.
Mas as molestias raoraes. nao perverterara, como
entre n6>, o espirito nacioaal. No- Brasil nao se
consider* o soberano iniraigo da nagao lira e ou-
tra complelara se. Em Prauga nada e indivisivel,
mm mesmo a republica. E porque o espirito po-
litico do Brasil tao firme 6, e tao estavel, que o
imperador D. Pedro p6 le vir estudar a Eurepa
sem viajar com as preoccupacoes do poder.
0 imperador D. Pedro na a veio a Europa bus-
car a arte de governar os liemens. Nem seria a
politica franceza que lhe desse o amor das innova
fdes. 0 que mais preoooupava-6 na velba Euro-
pa erara as maravilhas da velha Europa.
Ha no Brasil uma escolade bellai artes. 0 Bra
sil de ha muito que e fanstoso. Foi empenhs do
imperador que elle se ternasse artista.
Iafelizmente se ha no Brasil poetas, romaocislas,
historiadores, sabios, nao ha senao um verdadeiro
artista, D. Pedro. Nasceu o imperador com o sen-
timento do bello. Elle mesmo e am bonito ho-
mem. Tern a cabegaenergica de Carlos V, rectifi-
cada pela pureza das linlias. 0 conde de Gobi-
neau, nosso rainistro no Rio de Janeiro, ja esculp-
turou com fidelidade esia fronte luminosa, qne
lembra tambem a -.abeca do conde de Nieuwer-
herke, cuja alta estatura tem, alias, o imperador.
0 raundo e o livro- dos reis. Eis a razaoda via-
gem do imperador a Europa.
Ha reis que nao sabem ler aquelle livro. Estes
divertem se nas mesquinhas insigmficancias, nos
vaes espectaculos das fulilidades; mas os esplritos
snperiores penetram ate o fundo das consas e das
ideas. Os costumes nao sao para elles tio so a
comedia das paixoes, sao a representagao da poli-
tica.
Qnando Pedro o Grande veio a Franca, nio ne
ce9si ou de interprete para ler nesse livro do espi
rite politico e moral da nagao; compreheadeu a
Franca passada e a Franga fulura. Admirou nos
sos portos, sold.ides e palacio. Ergueu os horn-
bro3 ante os nossos prejuizos e parlamentos. Vol-
tou as suas terras decidido a fazer uma nagao an
tes de preoccupar-se de formar am povo.
Era que pensou D. Pedro, que possue uma nacao
-e um povo, ao ver a Franga dos nossos dias ?
Com certeza, po If ria ter n M dado boas conselhos
como outr'era o czar os deu a esta republica an
tes de ler a lettra que se chamava a regeacia do
duque de Orleans.
Ha no gabinete do iraperador do Brasil um ad-
rairavel busto de Alexandre, bello como se fiira
arte antiga, posto que esculpide por um moderno.
VVnl.> se o grandioso do heroe, do conquista-
dor, do senhor de munde, temperado por nio sei
qual sorriso olyrapice, qtie parece um tanlo chas-
quear das grandezas pereciveis, recorda-se logo a
gente das palavras do Cesar : Ainda nao tinha
a minha idade, que ja conquistara a terra intei-
ra. D. Pedro, mais razoavel do que Cesar e
mais conquistador do que Alexandre, diz ante o
raarmore, radioso :
Pelo que me tuca conquistei o meu povo.
Quando se cenver3a com um soberano nio ha
as mais das vezes discussao pelo forte motivo de
falta de habito de contestar-se ao soberano, e prin-
cipalmente porque o soberano nio se da ao traba-
Iho de contestar aos outros. Mas com D. Pedro
nio e assim. Suama^estade sabe have-r-seeequi-
librar-se, porque o imperador tem em politic}, em
arte e em litteratura ideas formadas.
0 imp rador nio desgosta mesmo do paradoxo.
Eu lhe ouvi, entre outras apreciacoes inteiramente
pessoaes, externar uma bella critica do sol no ca-
racter de artista photographo.
Na sua opiniao nio se mostra nem intelligente
nem fiel. Bem se via que D. Pedro trazia am Ja
os olhos cheios das vertigens das obras primas de
Raphael.
0 que elle queria levar para o Brasil era uma
das camaras de Raphael para nella presidir o
seu coaselho de ministros, tao convencido estava
de que o bello crea o bem. Por taes pinturas da
ria de boa vontade o famoso diamante da coma do
Brasil, avaliado em 240 railhoes. D. Pedro senlio
ter de passar tao as pressas por entre os homens
e as consas, as ideas e as obras. Mas ja disse am
viajante, que para bem apreciar um paiz, preciso
c parar am dia on um anao.
De facto, quem vt- pela alma como pelos olhos
pode tudo abarcar em um memento com o duplo
olhar.
D. Pedro portante, apreciou perfeitameate. Nio
ha qu:m melhor converse a respeito dos paizes
percorridos: o Egypto e a Italia.
Moveu piedosamente a mesa dos Pharaos e in-
terrogeu a Roma antiga, a Italia e a Renascenca.
Quaesquer que sejim os bellos borisontes, as ne-
vadas montanhas, os golphos pueticos, entrevistos
por D. Pedro, em sua viagem, nada encontron,
nem Napoles, nem Constantinopla, que por am ins-
tante podesse apagar-lbe as recordacdes lumino-
sas e fantasticas do R o de Janeiro.
Tedes os dias visitava o imperador tres on qua-
tro monumentos e recebia a visita de Ires on qua-
tro homens distinctos. Despia se com a mais per-
feita graca do manto imperial.
Esse homem qne governa o imperio o mais vas-
to do globo, aparte a Russia e a China, tornava-se
um simples viajante, espirituoso e erudite.
0 que de certo modo causava sorpreza, nos que
gozaram da boa tortuoa de conversar com o im-
perador do Brasil, e qne conhecia elle todos os
francezes de nota, como se entre n63 vivera.
Tinha a graciosidade de recordarlhes as suas
obras, livros, discursos, qne elles proprios, mais
ou menus, haviam esqnecido.
Fallava a liogna franceza do Viielhor tempo, co-
mo verdadeiro dilecltanti. Vrovou a nos qne Pa-
ris nio se havia te^pitaUtMo. exoepto para oi
parisienses.
Affligir-ir^nei SP sem 0 qnerer, hei fallado com
eI6"> ^ um soberano, pois que e Ul o offlcio de
rei f
A velha estava a morrer com a* snas tone as it
triotes cores Qnando sHe eontemploa essa face
de pergaminbo, di patada era parfe pelo diatom
am tanto por Deas, nnpHlio coa esoanto o eor-
tiaado exclamando : Bis, abi jm a Praaca do
grande rei.
D. Pedro nao encontrocera leito fe morte Main-
teneo alguma, mas a propria Fimaea, a velha.
Kranja nao deitarara na-ja para o Moralo *
0 imperador do Brasil podena lor trromoMido
as corboas : Aqui jaz a wlha Franca. SauJou
elle, pfem; nma ootra Manga reoaaetala ja, <
que vivh-1, como o Brasil, pela liberdade e peU
lei.
Na sua- viagem a Paris, o imperador D. Pedro
recebeu a vis U do chefe de Qnem e-o chefe de divisao HoffMnith >
K' um antig official da raannba franceza, qne
alcangou sua alu graduacao de chefe de divwao
no servico do Brasil, aoode ba^lbou beHas cam-
panhas.
Se vellou a-Franga. e que se ]aer sempre vol-
tar ao ponto de onde se partso. mas a sna anva
patria lhe e too cara como a antiga.
Por isso quando H >ff>miih laarou-se cneio n>
lagrimas as raaus do imperador, foi exclaaandn .
Posso ja- morrer, pois qne trouxe-me Voaaa
MagesUde um perfume de mioha patria adontiva.
Jaw it / Ferti.
( AGENCU TELEGRAPIIIC\ It A VAS REL'TKR. )
^lAlAlMMua lUmMW
Liaboa ildr nriraarirn
cmbaixailur ao iimrrno de
aha, Junto- a. corn- ate r
aprPHt-niou bojc sum rrmate
e foi reeenln* cum, Iuan nta twn
lidadea.
r>arla 1*. OrmJiaivad.r ate
verno ae Heapanha jumtm no |ro
aio da Fraacn rh*a
rechal Mae-Mi
rii
niatro hegpanhol aeeloroei
aa quo o reatabeleel
la^-ocH politic** aa
Heapamha. contrtlMiira
aacao a* aruerra elail.
lac-lahon atem 4 eomtV
faaemao vetoo pelaa
aa Hespanha.
Madrid 1Eaa vlata

i
tido ae Cuba, e do deaeavalvli
aa rebelliao* o govern* a
eat* embarvaual* .mm at
exereito para, eaaa coionla.
Loadrea K.-Aa mltlaaaa aotlrioa
reeekiaoa aa America ao Xorte eo-
are a eolbeltr ao ala;odae aieaor
paia aao pome* llaoa^relraja.
Loadrea II. -t'hrrita bojc vapor
inslcz KKPLER, proccacnte a Rrail
l.iMltou IT. Aqiil rhriiiN hoje o
paquete da real maala inclcca l>'H -
RO, proeedentc do Rio da Pram pe-
lo Bra all.
couwki'.i i ti:s.
Londres 11.A taxa do desroato na pra-
ga e de 2 3 por ceuto. C.onsolilaJos de
5', for account, a 9i 5 rt. Furtdos br-
sileiros de o 0, do anno de 1865, a 9't 1 i;
ditos do Uruguay Ce 6* 0. do anno del87l,
a 62 I 2 ; dtlos argentinos de 5" ,, do anno
de 1871, a 90 1 2 Mercado de cafe frou-
xo ; vendcram-se 800 saccos, de qualidade
biu, a 58 por cem libras, e o do Kio boa
ordinario a 72 0 mercado de assucar esti
firme ; o mascavado bom de lV'rnamboco
n. 8 a 19/.
New-York 11.Cambio sobre Londres
i.85. Ouro 109 3 4. Carregamentos de
cafo do R-o fair a 16 c, c coon a 1714
c. por libra. AgoJio mediano cplasps a
16 7 8 c. por libra ; cbegaram hoje aos
portos dos Kstados-Unidos 3,000 fardos.
Antuerpia 11.Nada se tem feito ao
mercado de cafe.
Ilavre 11.0 mercado de cafe esti frou-
xo; venderam-se 200 saccos do bom ordi-
nario do Rio a 91 francos.
Marselba 11.Cafe bom ordinario do
Rio a 90 francos.
Liverpool il.0 mercado de algodao
esta" muito firme ; venderam-se boje U.OO*
fardos, dos quaes 1,200 de procedencia da
America do Sul; o fair de Pernambuco a
8 d. por libra, os ditos de Santos e de Ma-
ceio a 7 7,8 d. idem. Deposito total .......
810,000 fardos, sendo 159.000 do Brasil.
Veuderam-se na semana 78,000 fardos, sen-
do 17,000 do do Brasil. A imports, ao da
se.nana elevou-se a 21,000 fardos, dos quaes
1,000 do Brasil. Assucar amencano boot
de Pernambuco a 21 6 por com libras ; dito
mascavado purgado a 22 ilem; dito regu-
lar de Macen'i a 21 <>.
Mondres 1-2.I'.outinus a ser de 2 3 i
por cento a taxa do desconto na prar^a.
Consolidados de 3. for account, a 92 5,8.
Fundos brasileiros de 5*., do anno de 1845,
ft 1/1; ditos do Uruguay de 8 ., do an-
no de 1871, a 6 1 2 ; ditos argentinos de
6% do anno de 1871, a 91. O mercado
de cafe continua frouxo, nio so aqui como
em todos os portos do continents.
New-York 12,Cambio sobre Londres
4.85. Ouro 109 11. Curegamentos de
cafe do Rio fair a 16 cents., e cooo a 17
1/4 cents por libra. Algodao mediano
uplands 16 7 8 cents por libra ; as cbega-
das de hoje aos portos dos F.stados I nidos
foram de 3,000 fardos.
Liverpool li.Mercado de algodao qoie-
to, mas firme ; venderam-se Ijjj^ urfof*"

Os reii artUtftfl,
D. PEDH0 U.
yuando Christovao Colombo doscobrio a Ameri-
ca, sabia uive; j de imperador era nossa bella Franc 1, que dos quaes 950 -ii|fe1enlrt j. America do
^se die maldelles somos acreditados sob p:ila I,,,,, .H ^.wceientes aa Amenca ao
vra, e, se pelo contrario. olhara-nos doas vems,
Canvem, nao obstante, a coragem de proclamar
a verdade, mesmo quando a verdade deve ser
dita.
Rivarol escreveu : se fallares bem dos prineipes
nao es senlo um cortetlo, a mai, um philoso-
pho
Pedro 0 Grande qniz ver Mine, de Maintenon
?3^S qm deijasse t Franja.
SU1", o F.vnt de Pernambuco a 8 d., os dito*
de Santos e de Maceio a 7 7'8 d. por libra.
Mercado de assucar sem alteraono.
Havre 12.Mercado de caf"' inalterado.
Deposito toUl 159.CQ0 ',acs.
ffteaa, tefrm AMERICAKA.}






d*e de P< ritnmiiurn
r,/H, d Saacoa t
3/ do M11MMHA0
*ll.f70> 9M<|N I&8.I90 do Brwsit.
Londrea-U^coiisolidados 8;
ftnndo* ItrnMlIelruN !JI 1J.
XetV'YoiWr'tlt ll^udHii meditKi*
to mm.
_ Uavrt It. Cafe jdU> Rio 9-11 de
Vancoa 99. Ylsedao, vcnioram SO>
SOO fordo*, o de IVrunnbiic* a *
e o deNun(os Kck* do boi de ."it
f- e SO c. a sa e a*, de earucln de
GO a si. ( iiiiroih menrndu caanso.
Llflttoa 1T TUT r o puqucte ir-
tuKuo ALUEIO* 6A RUST para Per-
T*f !hl OiKiiHaJd Ii It j\ai?H^^ E^rnambuco Segunda jeira 14 de Setembro de 1874 *<) 0H3M K J &//i
auT*J rtl
iinmlimo, It aft in r Hie fie Jnnciro.
('ticKsii iioje pjitjuete iuglec DOL'RO
prwrcdciite do Hi* do, ITHU peld
Israeli.
Livc-rpuol l. ttfOiI:\( do Mara-
mlsao dc 9 3/4 a 1/4. Neko : vendc-
vjm-*tc douH carreg-ninestcos a etie-
*S*r !" /.
twdreo .CwnwiiKdwdoa 1MB&*,
VendoK itruMilctr-OM JI5I I '9.
Madrid It.-Foram rcccbidosi em
Hiiilicii. in pnplica, pelo chore do
'<' **'ivo. ten d'AuMtria e da Alfemanba.
Bcrlloa I. ContltMBa n evpaalsOo
don dinhiiiMOWMI do Caadadu de
, Schk-NWiit, Ocmbatiadorda Oinu-
marcu ucaua tuiic {liuleklaa iiuiue-
di;itamcnir contra cute furto
Paris, fa. Morcadi* laaiterada.
< heguu lc UverptMsl pur t isliim, e
vapor iagleac CEAHEKS& t K>uiu para
esie uliini) port* o tit-igwtt porasa-
suei LIGE.RO.
M'ARiU 1>E PEiiflaiiBlJOU
j RECIFE, li DE SETEMRRO DE 1874.
\uiioiu* I hhI do impei-to.
H m.om, as ie uv.ia ii oraa da tnrda, fnnteoe no
lamarae o vapor inglez Gussendi, trazendo jornaes
da ttatHa d*-IU! it do corrente. iHsllet uxtratii-
in is 0 ^ue segue :
BO i.i: j \NT;iiiM.
Forum rewbidas aa Ualihi o9 seguintes telo-
grammae :
llio de Jaueiro, 10 da seleiiibro.-Cbegou a
Montevideo o Maiinho6' 0 vapor brasiletro Para
transform sua viagem para o dia 14. Puycerda
fol alandocadaAJonipUtainente pelos carkstas que
a si'.iavam. Os catlittas assaltaram a praca de
Castro.-0 vapor (ialateia, eimssario official, in-
c-udiuu-ae.perto de Santander.
idem, as 10 h. e 10 m. da manha Entrou
doosvitab- do norta .> vapor branleiro Saki.i. 0
mimsiroaoiencaoo fi recebido em Montevideo.
apreseiUauio sua* ,:redeuciaes aQ pie?iJeoto da
repuliHea. 0 vap.or portuxue: Julio Bhuz alie
para Lirboa.pitispurUiS dj Urasil, uo dia li a- i
huras da Urde. -
Idem 9 a i li. e 10 m. da tarJe.-Jk-rcado (Irme.
<;*inbiu:: algutra' baftcos a 2'5 t/8, n nmnal scrti
...madores itanco trauo:/. 20:j/iC. Papui p.-itl^
i:jlfir?6 3j8-, (.(Trfre'-Mliv. o uaiico naTional sacciin
3(1,000 hbras a 20 Iffe
I if:n JO. as..' H. e 30 :n datkro* A 72.*
Ijioeia.B. 206 cor,'a-12 do c rrtiitB
hoatMwo Jut/it/.
Ham.l-li. >: JS-in. da-tti-do.Puru ;t dera'<
tea-bra.0 presi Jeat>' .ia republica eicapfta dfcser
assas>iaa#*. A-idea ie um canjrre-ao |i;i*arirattr
da ,iudp.)fl(|encu Je Cuo-.j g-u.iia.ierreei. 0 va-
por liraUiro i'a&t aj sabir ..ui;uil|, e a pwiu-
tdvz*U4w Dinii 4w.'Hi. t{*. st-m to
laadjjrfJ! pauieular 'i.t,8, iiw:iiHio.
< ifli.'J, ii J h. u oo in. da urde. -Os jr-roaea
de .opaubague r de
fieiiitsi, t) gwnu hejita. U pari*mi-nt) fji
aberitt ou duii e Um-havid waius nUe*-.|iejJa-
i.uei.
LuadM6,."0 ii.inU'.io LpmUol fji nxbido.
vivjjs.4a6 Woiun!..* .iiire o abiaot3. de LwiJrei
e o de WasMogton ilire a caplara Ja vapor in
f lei -CirCiHiia >ui-> uwrtiu r^^ijicaott ;(*!/*/ i/.i.
... IJAHti'.
A corVeta bra>Relra Me'uilm clvgara ao porto
da capital, prooiid^nte :, !',i.i de'Janeiro o corti
iisstrai no Para ^' s.ju co-iiriandante o capit;to-
tmeata Kdu.irdj A de 0.'i\vir.,.
Airibara, ;)or ir de-arvuraio. o patacho in-
plez Silirrlandi, fjfij i.i para-o Hid Grande do
Sul.
No dii .9 dt RorraaM f.i iroubada a igreja de
S. I.azaro, naca^itil, i|^vando* ladroes diversos
OTOMM de prata. Dm ustavan i is imagens.
O eatnbio asim laottirai t'-gulava 20 d. b in-
eario e padtoriar.
So as-a ioi jrsu'i, que actusu no
commj-siq, para eleva^i oerd^n4> 'Los 4em<**^,|d#ari'*.
empregados, n.io vcjo razao'para que ella n\> e|a
vasse"lambemo do medico.'cnjo sefvic/ftent eres-
cido, porqse, proporoao qae oresce a popiHafi*,'
rpesce tanibem o servi^o desse medico, sem con-
tar com a dilTerenea do groco dos generos alimea-
ticioj.
E' ^ro, portanto, qua tendo cwscido o servi;o- sou qiie at'iresijBia emendaiT
0 Sr^ Toi.-.ntino
obrigarao ilisto.
WiUTU B i.va :Puis
oe Cabvalro:Nao

entao nao
^ao^tfaho J depfilado pelo I* disiricto, o Sr. fifMir^ uf *nrdara V Exa
' tne^nJo-'para 200 reis o imposto d3SfT>a1nTo ftf. nenriqii".. vTe
a-j tvsrvjai d tewetfiynso murado dontio daMMlfiWro fregne -dente da-VetUu'A
p fia. IpfcBSTiw de Cahvauio :-Acho qae nao
e^oitatrvo. 'V
0 4it? rflVis'^^iLVA : Naohei de encarregajv
me de examinar quaes os empergados da camara
pjunicipal fluej^mal Pagoa.
0 Sw. Tfiu-.N^ji df. Cautm.ho : TarOo exarai-"
iw dp (toeife, e por
aiiKmeujtf do dobro.
cjnse |eneUi 'JMrdnd.t
p-.recu queoaTBrMtJUver
UMl

ASSEluBLEA PMY1NCIAL
SES?\i(>i;rj|.\"AitIA EM 28 DE MAIO.
(ConcUuib.J
"re< Sr. i> wpio iB.irisues : (Xao devol-
U KM itiM.ui'.o).
o r, Ratta e siiva Sr. praeidente,
mandci a raesa ires emendas an prajecto de orca-
ineMe mankipar, (jue se d'sculc. Cumpre-Rie,
poMBto, juitlik-ar cada iiira d( Has.
A 1' cinema que maudei 6 sustitutiva da 2
[arte do do art. 2', e'dii : (u\).
ST. presitleDO', ea nao teria a rrl'sxiodir a res
peito da MsuseVao ieittt paragrdftho, so nao vis-e
que u ienan aMertur', em god estava o projeeto
era i' dlscutti), apresentou sc nma emenaa das-
do a djus anuimieiises i:4O0j de ordettado e 000a de Bratifleacad, e\6-
vando-se assim .* sous I'ciKimentos a douS can*
tos do rcis.
Sr. presidente, e por demais injusto que t,-ndo
a camara 3 amanaeBse*, e marcar.do o projeeto
igual or.ieuadu a cada um delie.", Ucasse por essa
emenda mais beth aqutnboadus (bus am.inaeuses,
e o 3 nao fosse tambem considerado neste aug
rnento de vencimentos.
Com o seniimentosomenieda jiistica e da eqni-
dade e que confeccionei a emenda no sen'.ido de
iguularos venennentei de lodol .;lle<.
Se sao 3 os auaanneosea da eimara muuicipal,
se P>dos eiles teem as-iuqsmM :iilriliuifoes, se as-
sim considerod o projoeto, ta'ato que deu a lodes
eiles igual ordenado e igual gratiiicarao, cjmo,
sem injostica e sem !U]tt$tic{i flagrante, ficaram
conslderados peia eo>ewhi .que se mandou na ses-
uao anterior, dous c^n >rdj>nado de 2:000*000 e
o terceirocora ordenado inferior ? Me parecen in-
justi^a manifeSta, mu.to 'ftdgrant*, e tot isto o que
me raoveu a mandar aemoB-la de que trato. Ouio
que assim o teatio justtead..
A i> eraenda e ao g 3" do aft 2; e diz : (le>
Sr. presidtnte, qnando vojo que uo actual pro-
jecPi de orca:nento se adgmentaram os ordenados
de quasi todos os emnregad.w-da Dannra rnnoiei-
pal, e quando vejo que o medico da mesma cama-
ra, ala ser solieitp e zaiosa ao iwmpriaienlo dos
scus deveres, c.imo eret'o quo oiDgucm contesta-
ra, tem usano Iratatlio, presta rmff'oftante servi-
co e percsbe apanas o ord'.nado de i :800J00O,
ningucm deixara de coofessar qm&e ihe faz injus-
tica nao augmenlndo se iaajb*M, ys aeus vcncl-
men'.os, quo o ?eu actual ord'-.Tia-lo nao cjmpeu-
sa o tralaluc c servico, que pres';ar com reconheci-
da solicitude.
O Sh. ToLEtriKO dk Carvauio : Apresentou
alguma emenda elevandj o ordenado do advoga-
do ?
0 Sr. Arm t Sjlva :N;io.
0 Sn. Tolemtijw de CAnvAtB.): Entio & io-
jasto.
0 Se. Ratis e Sovva :XOo lerei Juvida eca va-
tar por eila, o nobre dopuudo a apresente e eoale
com o men voto; quero provarlhe que *oc
jajto.
OSr. Tolknting obCasvalho :~Eu qae apre-
sente Apresente o oefcre depotado.
O'Sg. Hatis e Silva It-Mo me hei de eucarre-
gar de emendar todo o projeeto.
0 Sr. com 200*.
O Sr. ll&jtis b Silva :- Masaoto quo quati to-
dos os erapregadoH liveram mejhoramento de ven-
c'mento, o algans foram eseluidas ditto.
OSr. Tulexiik-j de Carvauio Ja um apart-.
OSr. m-ns KJlm :A respft;fo do raedieo,
de qerj3 estava fallandu, ha muit annos que elle
peraebe ordeaadodi f:8(J0?000. So actualmen-
te se eleva o ordonado dos eiupregad.j?, e ce.-la-
inente porque so i-ec-iqlwco que a vida nao e^ta
tioje pelo mesrao prero qtt outr'ora, pir quaijto
na cicco ou ~a" ----- -
do medico, e aendo hoje a vita raaito mais difflcii
do qae ootr'ya, tem lle diretCo a urn. augmentot
no sen ordenado, cocao teem os outre* dos 0 Sa. Goes CavalcXntc : -Mas os eotros occa-
pam-oe excisivamenle do sen emprego ; e o me-
dico pode exweer fora a sua proiisslo. A ppe-
pria eamsra nao julgou cop.venienieolevar os vea-
cueao9do inecncn, timo^wt nao propor
O Sr. Catis e Silva ; Mas a occupacao do
medico c tal, sao taes as aHrtbBic*e* qie tftpt sao
irapostas pela camara municipal, que ni > i*fe !<
ta terapo paia exercer* sua pgsfissao com parti-
r iilarai ia^i ri 1 iii~>fi ' xiiflnTTT", /TapirTf, pwrs, Tjtstwm wg^ j*o ihu ran tit~
justica negando-te o augments quo profonho de
200.
O que vein a ser 200*, seafaores ? Farao por-
vedtura diirereo'.-a bos eofres da camara, quando
estes se acham em tao boas circumstancias, quan-
do a eamara M!m dtheire para pagar fcem a qflem
a-serve ? O accrescimoe runito pe^ueno, julgo,
ponanto, que esta no cv*t> deMier approrado.-
a 3' I'lueaUa e 2* papU do- art. Sr, e dia : (J&J
Sr. presfdente, d soiToRador 3o presos pcCreS
da cata ds d-;teB-;ao lica inuito mat pago oim a
gratiticaclo d* 300*, quo Ihe da o orcauunto muni-
cipal.
O Sr. V'ieira oe y.ELLo i Pefa demissao. -
0 Sr. AnnujA :Va viter de outro offlcio.
0 s* Ratis b Silva : O mesmo se podia dizer
era relacao aos ouiros eraprtgadus : a quem nao
rlzer couta peca deaissao.
O solicitador dos presos pobres, tendo haqnatra
annos passados oirBrecido o^Jseus servigo* gratnita-
inente____
O S. Viuira de Meli.'i: -Ah I
0 Sr. Manuel bo Rlgo : Quer agora a sor-
relfa.,..
O Sri. 'atis a Silva : Nao a a sorreKa ; eq vou
dizer o que ha. Ha quatro annos este individuo
olfereeen os sens servicos gratoitos como solicita*
dor dos presns pob as da caea de detenc.au, e
prestou-os effeetivamente ati agora com tuJa asc-
iicitude, com todo o lelo. Mas porque' o solicita-
dor prestou servicos grutuito* dnrante. 4 annos
nao se segne que seja obrigado a presta-los in
Heranm.
u OSr. Tolektjxo de Carvaliig :Entao retire
o oiTercciraento.
(Ha outros apartes).
OSr. Ratis b Silva : En> quanto.elle pode,
servio gratuitamente ; servio e nada exigiooupe-
dio, mas h >je qoe Ihe faltam os recursos para vit.
ver, que perdea a sua pequena lortuna de modo
qae com inuita dAcj4JaJe vive. nao tera elle di
railo a ex'.'r nmagrMilicacao f
O Sn. GiNOALvas Feerkira Parece-me qa^lo
i.-.ct) do ser admiitido como solicitador doe presos
pjrtres ]a e mnito.
O Sn. Uvris b -IL7A : -O que e verdade e que
elle tem projtado service* muito valiosos, verda>
deiros servicos.
Se os nubres deputados quorem ver examinera
os documentos com qua elle instruio a peticAo.epi
que reqaeiea a eia a-tsexiilo.i a gratilicacao, nao
sei de quanto, e verao de que quilaiosio ai servi-
ces flesse funecionario pirtilico.
O Sn. Tolkntlvo.de Cviivaliio : 0 adro^ado
dos presos pobres esia no m:smo caso : olTerecea-
?e fcratuitanreiMe, ja recebe crdenado, e agora
qinr que seja augmeotado.
O Sr. Ratis k Silva :Cinio ia dizondo, os no-
lircs deputados oxaimnem os documentos com que
elle instruio a sua peneao, e veiao ahi os cerlili-
cadis quo elle' apr^eiita; nao sao documentos
{{raciosos ; s5o (wrlillcadjs como este : (Ie)
O .-n. Vimra de Mello i Nao mais fe2 do que
cumprir os fens devere..
i 0 Sn. Toi.entino dc Carvalho : Peraote mim,
duranle dous anuu<, elleoao defeniett urn so pre-
o pobre.
0 Sit. Ratis e Su.va :Veem os nos nobres de-
|Hit.'!dos*qtt3 o solicitadar dos presos pobres lera
eumprido o sen dever por este modo ; e, re*pou-
d'jndo agora ao aparte do nobre deputado, direi
qae, aeao soticrtador dos nrcses pobre3 se quer
negar a gratilicapa>, a pretexto de que elle e obri-
gado a cnmprir os seus deveres, entao-nao coDce-
damos a nenhnm a rerauneracio de seus boos
service, por teem obrigacao de cumprir bemosseAis deve-
res, a, pjrlanlo, nao merecem gratifieacao aigu-
ma.
0 Sn. Tolentino nE Carvalho :Nao ; os em-
pregados leera ordenado e gratifieacao.
O Sn. Ratis b Silva : A argumeniacao do no-
bro depntado leva a esta couoiu^ao.
OSn. Vikira de Mello : -Nao. seubores, aqui
trata se de um ei'.ipregado, que otfereceuse gra-
tuitamente.
0 Sit. Hatis s Silva :Empregado que se offe-
receu e quo servio gratuitamenle o tempo que
po-leservir, mas que nao estava obrigado a servir
sempre de graca : elle nao se obrigou a unto.
0 Sn. Tu.'ntino de Carvamij: Pois retire o
olPrecimeuto.
0 Sr. Hatis r Silva : 0 ofkrecimenlo osa ta-
citamento retirado, desde que elle pede a gratili-
ctao ; deede qae elle a pede, e porque nao pode
mais servir de graca.
A lei do ornament > concede 300*.
OSr. Vieir\ dg Mfllo :-V. Exc. ainda quer
mais ?
0 ?n. Ratis e Silva : Quero mais porque elle
s^ obriga a ajudar o solicitador da camara. visto
cuino este nao pdde veneer o servigo quo tern.
O Sn. T.ii.F.xmo db Carvalho: Elle nao pode
ajudar o soliei'ador (la camara.
0 Sn. It \ti> i: MLvv: Petqae nao pode ?
0 Sn. Tockmtiko db C.vr.vAUto: Porque o so
lioitador tem attribuii;5"S propria.
OSe. Hatis e Silva :.Mas desd3 que elle e
oonsiderado ajudaute do sobcita-lor...
0 Sn. Tolentino de Carvalho : Por quem ?
OSr. Hath e Silva :-Por esta assemblea.
0 or. Tolemti.no de Carv.u.ho : All I Isto e
cousa futnra.
OSn. Hatis e Silva:-Pois e nesto sentido
iiie eta a emenda ; que se Ihe Jd 50Q*000,!licando
elle obrig.ulo a subsliluir o solicitador nos seus
imiedimeotos.
Sr. pretider.te, o solicitador da
O Sit. Ha vis a Silva :-Examiaeisomtnte quan-
to aquellet eapeegados, fue ma reclamaram o seu
djlrlito.
0 Sn. ToLtSTtNC de Carvalho :~*las pelo pro-
jeeto devialervisto a dilfcrenca
0 Sr. 1UTB e Sitv\ : Vi ; mas. gado* naiMreel maram da, aasemblea o augmeato
dos sus treneimentas, entpelamo o olieit*dor de
que trato. reclamou, enlefoi sa#rfMf.
0 Sr. Tolentiw* de C.ARVAuie: &' porjue
iBtiita cenM aao safe* pedir.
O *. lUfi k Sav'A :-Sr. paeadeote,,, so nao
reira de l.ncena, mui digno presl-
_ 'Arndticafta. -K,ii escuji, nyrmal do.sexa feminiao.
a Cabinete
ro de rtlT74~.-l!lraa. e Exma. Sra"; D.
Ernestraa Victonna dos Santos Reranger.-Agra-
o a V. Exc. rndo trabalho* agulhaqoeme
fcinetteu em dajt de 7 do corrente, eom destine
_ ao leilao em Doficlicio do hosnicio de a'ie,tada
gueaiaa, quipto h* outro espM^h 0.^voa-'-r1cencia.-Sc*com\pe1tDelonsid^r^
kit^s&-emr? daSr-^ **' ttwsx?^e *-- -**iqm Pe-
lugar, devoTKlificar a razto, poljS a'a&eJ, jEus:
Tr.
voados suburbanos.
, Apreseato, i)a Jo ujMarafraplio que pawec-mt tir fica* pr
juuMM), porqoe podein ;ipparecar dovidaafe noS
pooa)s qae estao
1 *eaifetP. 8Mkr fMMfarr*. miaha-o
de *)rnr-Blo, an HespaaOa; da a, win: liucett e
I). Jose Cnrre>. faU4osea> Alnuadan d- D. Joan
(.airtacho, minwtra da farm la ; d > aut r draraafr
c.o B. Lciiz d> Egijrhr, far?"Plo ; do frracipo D
AfTauso de Hourfcoo ; de A*r*> vWidt, cupitao
alleroao, fuzilado em EsMla ; do D Locio del Val-
le, inspector dncorpo de engenhoro; do rr.ar-
e do aMBWomj Op*r-
tei.
aixos mencioiudos envuram as segu utes
ransporte
S?'inSXtf'ESlFCRRE!BA : ~ nobre depu,a' I 9''^J''-"- Albina Jose daSilva
Pantos
aBiosB w Iteoo: -4[as AUoeeeMrf Amoveva Rasa "da-.lva
OOMorar of motfvos pefoa qnaea nao posso aceitar D. Praneisca Carolina de
a SBSft U!aJj pur ? r!f.K** Osf\,N,^tP?,r'*'0?1, Commendador Joao Ignacio de Me-
J 1''r Xu0f-K00 IXeT -Propoe; vou demons- deiros Reg*
S^eemSrJlTri^tn K c*mAn d'z o -Venen.e coronel Joaquim de Sa Ca-
sioaueennjistetiacreacaottmbernde umportero; D. Anna dos \nios Torre* d* A-
aciualoaenteesteservico. efeito por umaraanuen-, raujo J
F^adianii. du maij /i-n ,- f>. habel da Cunha Magalhaes Leal
.,/,-. -^ miit: (le akHB- "^*PS*""-" i- Emilia C. de Moraei Ferreira
Zn,T:?hTT de W'leiro e ama- Tenente-coronel Antmio CaMos de
NktfMf em jo|. so ndividno, aciresea qtw sendo I pirIid- Borges
Srf27!SS? Cr*?i0 Je ,,m amanuense arefci- D. Anna l^bel Ramos da Costa
ns| o actuat porteino, que tamtiem e amanueose, D. Rosa Caudida Neves do Reeo
possara a uervir na aeoretaria e.-te logar, aecumu- Commendador Henrique Berna
camara mun:^
pal tein servico superior a9 suas forces, porque ac-
cumula tambem o lugar de solicitador da fazen
da. Vdem os uobres deputados que sendo assim,
cllo nao pode dar promuto cumprimento aos seus
deveres...
0 Sn. Olv.mi-io Marques:Di perfeilo cumpri-
mento, como prow.
0 Sr. Ratis e Silva :... porqoe todos sabem
que a camara municipal lem uma renda a arre-
ea Jar de pom do t70:00OfiW0.
O Sit. Olvmpio Marques : Mas o solicitador
Oada tem com a renda.
0 Sn. Hatis e Silva : Porque?
OSn.Olympic Mabqurs: Porque a arrecada-
cao juridica compete ao proeurador.
O Sn. Ratis e Silva Qaai e entao a obriga-
Cao do solicitador?
OSr. Oltmpio Marques :E' tratar das caufas
da eamara.
0 Se. Ratis e Silva : Pois nao sera oeeessa-
m qae rsse solicitador tenna quc:n o auxilie?
OSb.0ly.mpio Mabouks rNao ; porque-a ca-
mara tera pattens causa*, e o sobcitador ^dide cui
dar dellas.
0 Sr. 1U.tis e Sii.va : --Eolao a camara muni-
cipal do Recife uao tera questao. nenliama, nao
demsoda niBguem, nao tea direilos sens a faser
valer e manter ?
Depois, senlieres, ainda qae nao sejum tao gran-
ges os afareres do solicitador da camara...
0 Sr. OLYMpie Marquee:Nem a assemble*
pode indicar rj'flO'o solieHdHor tal va faer tal ?er-
tffo.
0 Sa. Ratis e Silva : -... aicda que nJo sa-'
jam J2o pe'BOsos esses afazere?, o sojicitador p6de
adoecer, poie ier uoj impelihtento" qttalquet, e
nao sera c mveniente 'jue e'fe tenha cm/uxiliar,
que haja quain o snbftit-aa nos 'jftus irapedimen-
tos?
OSr. Otyjipjo Uarques :Bern; entao a ca-
mara que nom^ie ouiro para substitui'lo ; raas a
asseinbl63 nao po ie indicar qual seja.
O Sr. Ratis t Silva :Ma parace qae-pdde.
OSr. Oltmpio Marowbs .--^JSao pddo..
O Sr. Ratis f. Silva :A' .ntt do servjeo cmo
tem pr^tido o s^ieitador dos prwoi pobres, como
itcabei 3e mostrare idle provou com documentos
que se acbam juntos a peticao, enleodo qae a as-
iemblea fare justifa -iando Ihe, em vez da JOOpO'-O
tenho satisfeito a casa nas consideracdos que fiz
para-lui'tinear asminhas etirendi, teabo qoaseien-
cia de que as ja
cxprimi, a me foi
A casa votara como eutender.
*r. Ol5nplo Marrs :-(.NTto devul-
veu seu discurso.)
- Sao insis lidas; aporadas e eotradvlgaalmetite e
discussiio as seguinles emenda/ :
or N. 4().-Frflnlguaados t>s efwimeii dw^
fiea#s-tk muBicipio do Recife aos-do auuouenses.
Marqutt in suca
L N 41. Ao art. 28. -Fica a camara municipal
de Ciuibres- autori3ada a-despender ata.: a qn
tia do l:0iK)*0O0 para a reiviinlicacao de|en de
-eu pat im iuio.-,inluuio l' Silva. n
N. 49.-^ Ao art. 28.F:aa a camara ojBoicipai
do Rio Form jso autori-ada a applicar o saltte do
sua receita a coastruecao e uma casa do marca-
do.Marques d'i Silva.
N. 43. Additives ao orramento municipal.
additivo ao art. 27. 0 ordenado do fiscal do Rio-
Formoso sera de 300*008.Marques daSjjv*.
t N. 44.vo art. 2iJA.camara municipal da
Esfada, aiam da quaniia .tie, psla lei n I,l2f> do
anno passadb, fol aotorisada a pagar a Hilario Ur-
binoya 3irva;escrlvao do jury donermo da Esca-
da, fica autorisada a pagar mais ao mesmo eseri-
vao a do 396*7('0> de custa* judiciaes em que a
mesma camara foi.cmdemDsda; elevando-se a
verba.Mafq>ies d-i Silvj.
N. 45.Subemeadaao do Sr. Maooei do Rego,
sobre acreacao do lugar de porteiro. -Suppnmi-
se delra a ereaeao do lugan-referidu, taaaJo |n
ocenpar funcofies respectivas outro araanuease.
l.dt SUHo Rego.
N. id. Ao art. S8 acore'seaote se : -fi a do
'ao d'Alho a pagar a Francisco Pereira de Souza
L- in. s. arrem itante da limoera do
Gloria, a quantii de 42*000, e a Firmiho
cio de A ran jo, arremataRte da limpeza do aoosgue
e pateo da foina da villa da Pao d!Aiho 78*600.
Pinto Junior.
a Ni 47.-Emenda ao | 3ido art. 2. Em vez
de 800*000 -diga.se- 1:000*000 -Joaquim de
Arrad*.~Matqufs da. Sih'i.
O *r. Ilnioel do neawiSr. presidente,
direi poiicaa p*fi.wa, iao -omente para justifkar
a!gumas e:i,endxs que apre^en'.ci.
Propuz a supprensao de uma emenda approvada
era 2" diiooesaa e apresaniada prlO'Oobre-dcpuia-
do pelo 2' disiricto a Sr. Gomes Parente, oonoebi-
da ne.-tes terrnos : (Id)
a A camar* monicioHl'de Olinda contianara a
cobrir os foros dot lerrenos, qua possno no muni
eipio do Recifev d
Entendo que a afsembiea nao tem competencia
paralegislar sobre e-te asiumpto.
0 Sr. Olympij Mabqcbs : E' um negocio que
esU iHMglnop.
0 Sr. Manoel do Rego : A camara municipal
da Recife'. segahJo e^tou inform.ido, e*la,de posse
dcsles. terreaos, cobrando seus foros, e por coose-
queocia paroce que esta asse.r.ble i naopodade-
terminar que sera a camara de Olinda quem os
ha de eobrar.
OSr. Gomes Parente : Quem Ihe disse isso,
informou-lhe muito mal. Eu iho iofonno o con-
trario.
0 Sb: Manuel do Rego : Aio-Ja adraitlindo que
assim cai >eja, a assemblea nao e quem ha de de-
cidir errtra as duas caraaras, qtial dellas tera ra-
ziio.
OSn; Gow.s PareaIte :0 governo geral man
don qoe a asseuiMea dccidis-e.
O Su. Makoei. do Hkgo : Se ha liligio, vap as
duas cainaras perante os tnbunaes e liqoWcm os
seas direitos; a assemblea nada lem que ver com
isso.
Pare?e-me quo e3es terrenos, que perlenciam
outr'ora^a camara municipal le Oliuda, pela ciea-
.1o do municipio do Recife, devem licar perlenceu-
do a camara respeciiTa.
0 Sr. Gomes Pahente da um aparte.
0 Sr. Manoel do Bum : Isto e u i.ue sempre
sneeede. Em t do o caso entenio qae a assem-
bled nao tem competencia para fazer o qua o no-
bre depntado preiendo.
Alliancar.tra uie que a camara municipal do Re
clfe esta cobrando os foroi destes terrenos.
0 Sn. Gomes Parente :Nao, senhor.
0 Sn. Manoel do Rego : Sena e exacto isto,
se a camara de Olinda e que os esta cobrando,
para que o nobre depuuoo apresentou a emen-
da?
0 Sr Gomes Parente : Para evitar -lonflictos.
O Sr. Manoel do Rsgo:Seria inulil a emen-
da, se nao fosse exa to o que digo ; a sua apro-
sentacao prova o coutrario do que o nobre depu-
tado diz, prova que a camara municipal do Recife
esta cobrando os foros, e o nobre deputado quer
que de agora em dianie sejam eiles cobrados pela
camara de (linda.
OSr. Goms Parente : Prova ju>tam:Me o
conirario do que o nuore deputado esta dizeniu.
0 Sr. Manoel do Rego : Entao nao sei para
que serve a emenda do nobre deputad.-.
0 Sr. Gomes Pabkhtb : -Para eviiar o arbitrio
da camara.
0 Sr. Manohl do Rego : -Eotao se e uma ques-
tao de propriedade, alii eatao os tribunaes para re-
solve-la.
Julgam ambas as camaras que esses terrenos
Ihes pertencern ; ell.3 queliquidem esta que.-lao
de propr.cdade, no loro compelenle, porque a as
semblea nao tem competencia para decidi-la.
Esta e a minha opiniio, e sem duvida e fundada
era direito : questoes semeihantes resolvera se pe-
rante os iribnnaes jmiiciarios e niw perante a as-
semblea. A prova di-to e que o nobre depntado o
anno pas-ado, apresentoa uma emeada no mesmo
sentido, e a assemblea nao quia aceita la; estou
informality disto, o sem duvida com muita razao,
porque o mais e arbitrio. A assemblea resolva
com entender; L?ndo emittindo com franqneza a
minha opiniao.
0 Sn. Pinto Pessoa : A assemblea e quem po-
de resolvsr; o nobre depnlado sabe disto. 0 sen
intnito 6 prolelar a discussao, 6 inlnito vistvol.
OSn. Manoel do Rego : Entao terrlw o inturto
visivel de protelar a discussao, quaudo trato de
jnetiflcar emendas que apresentei ? Considero is
to como unBa^lnjttria, e ja no a pnmeira vez
quo o nobre deputado me faz tal censura ; mas,
partindo do nobre deputado, pode ser que nao ie
n'na esta kitenoao, e por "isso two lomo na conside-
ragao? que poderia merecer.
O dR. Pinto Pessoa : -Tome bo pon:o que qni-
landoasfuaofOes-dearchivwia, e entao so tera a
camara. se rjomear am porteiro, etc.
Logo aoaraara julgn que o mewno amanuense
niopoda ser porteire e julga necessaria
Cao> do lugar de porteiro. Portanto. *e a assera
blea-
Henriqae Bernardes
Francisco Ferreira
de Oliwira.
Cominendador
Ballar
a orea- Antonio Domrag03 Pinto
assera- D. Idallna de Sonza aoalinho
. lp'h aemeB**" depuudo, faz oj>. Carolina da Silveira Lins
conirario do que a camara pede em seu relalone. Teneate-coronel Joio de Sa Caval-
'""P3"* cante de Albuquerque
0 Sr. Maxokl do Rego : -Eu, pais, nJo posso Thomaz Newbinpng
adoptar esta emenda, e nisto vou de aecordo com las* Jfceome Tas'o
o que a camara propoe, pois entendo que a astern- j Custodio Francisco Martins
met- nao.deve deixar de attender as fcropostas.las Monsenhor Franc sco Muniz Tava-
camaras, pnncipalraente- quando baseadas na re- j res-
gularfdade do service. Luiz Antonio Je SiqUeira
Apreetoto tarobera o segurateadditivo- (Id) a O. Caudida llosa de Moraes Barros
camara raSnl,c,t'ai,do eci'e randar^ ajardinar a Major Jose Joaquira Antuaes
praca de Pedro II, podendo despender para ease
Um ao presente-exercicio, ate a quaniia de 20:000*,
deduada da verbaunapcadno.S4* do an. 2rpar-'
te 4' (deeapropriacdes).
A lu qua ii a*iin-i o ajardinamenlo da pra-
ca ie Pedro II. qua e-ta era um lugar -de desem '
10:100*000
500*000
100*000
1(K)*000
100*000
j00*000
*00*QOi>
100*000
100*(X<*
100*000
100*00)
100*000
100*000
100*000
100*000
100*000
100*000
100*000
100*000
100*000
10ft-5(M0
lOOOOOJ
101*000
100*0; K)
100*0. ;o
100*003
ioz das Duat Trwu
nico.
Gravuras rppro^entando: d
flilhao, do Qi.iaria da Coenca,
Teruel; o aa-niado coalra a
diverse* phases do ealiivo e col
ilhas Pbilipinas ; lres viaias das
virus de
.Alara. 4e
4e liivma'k .
do fu;no nas
s de Trr-ya,
ultiraamenle descobertaa ; variat wta rp.-r^sea-
13:100*'00
Propngadora da lnMfrnecuo.-Pro-
- ducto dos biihetes passados para o concerto de 4
-! de jalho, a beneficto do conselbo direcior dc~
uVueue da b;^u,ef *u "-amito, e que uaa .itougue da era-istado correspondH.nie a unportancia desta ci I TraL'MVjrfe- ioob*
lino Venan- dade. 'n, iLni.uij. r..... di..;.. }~{
Dr. Autoni i Jose da Costa Ribeiro
Morooo ?e a quaniia de 23 eontos para desapro- Dr. Jos* Jodquim de Oliv.-ira Fonseca
pnacoes^qua nao me paneea urgante, porque po- Manuel Jose de Paiva Pinto
dom-ser feitas com mais demota, aopasso que ama Samuel Vas de Oliveira
praca Uo simples em lugar- tao important^ u*o fl-| W.- w Webster
cabem iosta cidado, causa estrahheta ao*. qae iltlchard Cooolly
ueila desomMrcara. As desapr.Tpnracdes nlo sao Thomaz da Carvalho Soares BraadSo
neaessacw, a.camara as fara quaudo poder, Ur. Antonio fldmlogos P.nto
como terrwulo aiehoje, entralanto que.o ajardi-
namento dessa praca e eonsa. esseneial.
Offereoi lainbem uma emenda aograootando
mais *0O mo ordenado do amannen6* ria e ja dei em onira necasiao a razao jastlfica
tiva desse pequeno augmento ; tem elle muita
maur servico do que os amanueu.-es da seeretaria
e pomao parece me de justica. o aocrenjimj pro
poslo ;.cmu ell'eito este i ataooense, aldmido gran-
de trabalho que tem cora-ai oontas,. e o en gado.de rubricar todos-os-livros de UIa*,.quesao
muito numerocoi.
Emlim a assemblda resolvera como julgaraeer
tado.
Teoho jnslificado as minhas emendas, e babili-
tado a assemblea a dar urn voto consciencioso.
O Mr. Tolentino de Carvalho
(Nao davolvea o sea discursi.)
E' fraalmoiMe li ia, a,, -i 'a
diseased, esta emenda.
N. i8.A' nltima pane do art. 4*-accres
e a Francelino Olyrapio Pereira da CMi-
Dr Ernesto Vielrade Mello
Dr. Jose Climaco do Espirtto San'.o
Dr. Joio Hi.norio Bezerra de Menezes
Leonardo de Siqueira Cavaleante
Candida Alcoforado
Vasco da G;mi Lobo
Corrmren ladcr Manoel da Silva Santos
(WO
0*000
5*000
5*0C0
5*000
oiOOi)
o*000
>*"O0
-1*000
o*000
oJIKJO
4*oro
4*00! I
0*000
i*000
lOiOOO
2.014*000
foltectoria de .laboatao.-Ale o lim
de outubro proximo vindoaro, esta e?la;ao arre-
cadara, sem muita, os imp-istos de industria e pro-
fis-ao.
leitpo.sctH prorhteiaes. Em 29 do mez
corrente, encerrar seha nodnsulado Provincial
a cobranci da deeima e mais impestos sobre esta-
balecimetitos commerciaes, relativjm'.nie ao exer-
0 0 itra tambem em | c;Cj0 nn lo de 1873 a 1874.
E' aproveitarem o tempo os que o nao tivereni
feito, aflm de evitsrem maior despeza.
t
!fr!* ac^nl, K55S U" ^"a ^'^ ^ "t **<***<>. No dia 11 do corrente, as 3 bo
veira, osonvio da subdelegacia da freguem de f ras Ua ,arde, manifest, u-se incendio na casa n.
S. Fr Padro Glaives na unportancia de 4o*900. |o Ja rua da Aurora, onde reside a Sra. vuiva
-Meutino de Crvullio. do priinnsf;0 Angus to da Costa Gaimaraes, come
.Mnguera mais pekedo a palavra encerra se a cando pela chamine da cosinla. A csforoos dos
{RKJbSHiT^OTSS -W-S- S' vi,ii,hos [iC,i0 eile sfr.,i,rail3jDa uraa p5* p3-
?? r.. ',b p o'' 2' ?*' J8 ?" ** t8, '2 ds coberta da cosiolia.
*7 w'rt? af ; jPS&M* &*' Hi 2' I Annlveraarlo. Amanha e o dia anniver-
17 29 (2' o3' paries), 30, 36, 37, 40 43 e 47. ?ario da proc|amaQao da iadepenflencia da
As emendas approva las lorao, na forma do re-' D|j,.a da Amecica Central no ann de 18;4.
repa-
gimeuto, de soffrer uma nova discussao.
Estando aliantada a hora, o Sr. presidente de-
signa a-ordera do diaseguintj a levanta a sessio.
?"vT%jna.j-~----------
REVrSTA DIARIA.
i>inii<'iri>. 0 vapor D mlit levou para
Maceio !:7-O..(t0O.
0 vapor /liquid trouxe para :
Tasso Irmaos oO'iOOO
Amorim Irmaos & P.. 33341'0
r'rimo Pacheco Birges 223*609
Fraga & Roeha ISOafKW
0 vapor Jaguarlhe trooxe para :
Profesaora pnbllea. Por'-portaria da Antonio Ferrsira da Almeida 3:2O0*O''O
presidenela da provin-Ma, dg 10 do corrente, foi i Manoel Xavier Correa Lima 2:(H)i*0i)0
removiJi Anna Carolina Cezar de Mello, d i cadei-' Jose Pinto A Gaina J 000*000
ra do sexo famiuino da Pedra da Buique para a de \ Antonio M. Pereira Vianna 1:600*090
Verteotes. i Joao Francisco de Sonza 700*000
AutoridadcH policines.-Por portariasi Heis artistas.-Do Jorml do C.mineroio,
da presideocia da provincia, de 10 do corren'.e,! do Rio do Janeiro, transcrevemos, sob a rubrics
foram nomeados : siibdelegado do district-) do Pi- Exterior, um artigo sobre S. M. o Sr. D. Pedro II,
roenteira*, o 2s supplenle tenente do corpo de po- que aquelle jornal ao publicar preeedeu das so'
licia Antonio Francisco Cordeiro de Mebo ; 1, 2! guintes pal.ivras :
o 3* snpplenles do subdelegadj do districto de Pelo interesse que nos de-parta tudo quanto
Qaeimadas, do termo do Born Jardim, Joso Cor- !se refere a noss* terra, damas o artigo ooto titulo
deiro do Arrul3, Francisco Xavier da Silva e Jose! vai logo ostampado.
Antonio Soares. A revh.ta em que appareceu e o Arutta, a
Casa ffara eseola pnbllea. Damos j mais rica e luxuosa, Ulver, do toda< as publca-
t^m sgnida um importante e valioso donativo f.ito eoes dessa-genero na1 Europa.
Relige a princiiialmerfte o celebre escriplor
Arsene Ihussaye, astro dos mais bril!i:mt3s na
litleraria consteilacao franceza.
Ja pelo august a porseuagem a |Me diz respei
zer.
0 Sr. Mangel do Rego : Ja disse que, partindo-
do nobre deputado, nao tomn em consideracae.
Ao art. 14 apreseato u;n paragrapho addilivo,
incluindo a despeza de 365*000 com o scrvento do
cemilerio .:? Jabnatao.
Esta despeza vein nc orcamento da camara mur
nicipal da JabuaCio, a' m copia escapou de ser
C'inieni.'.tad'.i. Tanto e assim que, sommando-se
as verbas, vd-ae-qne faltam esses 363*000 para
completar a seraraa total, ja incluida no projeeto.
Aprasento tambem nma oatra emeada, para cor-
rigir um engaqo de copia : (id)
f Ao art. 30-S 21, em vez de 10 rets diea-se
10*000. "^
O Sn. (;6ec Cayalcaate : Nao e necessaria a
emenda ; esta eineddado no projeeto.
(Ha urn oalro' aparle).
0 Sr. Manoel do Hi go : Hespondo ao nobre
depntado qoe mo guio pelo projectque e impres-
pelo Sr. Jae Pereira- de Aranjo, distincto e abas
tado prop: ielario oa comarca da E-cada :
Him. e Eirrt. Sr. Desejando cancorrer por
minha vez para o engrandecimento desta provin-
cia, e convencido de qua e a iaslrucgio do povo to o artigo, ja porque raras sao as pessoas que'as
um dos seus principacs eiemcntjs da | rosperidade,' signam entre nos o Artistn, j a porque poM de
e que para corresponder el.'a ao importante fim a 'certo niodoe timular o gosto artistico, iao infeliz-
qne se destma, faz se preciso qua era tod'as as lo-! mente adormecido hnja entre os brasileiros, etta-
:;.|idades hajam edilicios aproprialos e com mos -ertos da que bem recebido sera
accommoIacScs indispensaveis as a-piraeoes do Recommendamos a sua leitnra.
fuluro, peco licenja a V. Exc. para olfarecera pro- vapor Goreovado. -COegou taMflM pro-
vincia uma casa terrea de tijolo, com trirtta palmos cedenle da Europa este vapor da Iraha do Pacili-
de frente, 43 d.- fun lo, nma porta e duas janellas \ co, tendo sahido de Lisboa a 2 do cjrrante, ao cs-
do frente, quintal murado, caiada e pintada, no! curecer.
valor de tres eontos de reis e que pissdo no lugar \ A' hora adianlida (5 da tarde) em quo ncebOBMa
deoominado S. Jose do Bffa Esperanci, da comar- os jornaes e carla*, e so adiantando elle pormeno-
ca da Escada, para nella funcciooar a escola pa-' re de factos e occarrencias que ja nos foram
blica dessa loealidade quo, pela uberJado do seu commuuieadas pelo tekgrapho, reservamo-nos
solo o condijSss de riqueza, nao esta longe de para no nosso numoro seguinte, publicarm js o i|ue
ser oni dos pontos mais Irrfportantes desta provin- trouxe esse vapor.
cia. Vai neste meu offerectJienlj nma prova da Cabo snbmarino. Lemos no Joninl d-i
subido apreco e elcvadi consideraeao ao *abio Bihia, de 11 do corrente:
governo deSua Maftestade o Imperador, nomeada-j 0 Sr. E. Pa-ker, snperintendente da compa-
rtenio a S. Exc. o Sr. conselheiro ministro do im- uhia telegraphica, mandon na noite de 8 do cor-
perio pelo rauito qne ha feito em prol da instrac- rento, um grande saveiri tripolado por 10 saves-
cao pubHca da provincia o a pessoa de V*. Ex^., ristas ao mando do Sr. Vicente Ferreira da Gpia.
digno delegado daquelle governo e que tera sabido c um telcgrapbtsta, .para irem suspendeodo n c.bo
corresponder as suas vistas patrietleas promoven- desde o pha-o! da Barra, afim de descobrircm o
dk> com esforco inandito, os mais impottantes me- lugar partido. Comccoa esse trabalho na raaafe
Iborameitlos moraes e mstcriaes de que se resen- do 9, suspon-lendo eiles o cabo pela proa do saver
tia a provincia, tornando sc dest'arte credor do re ro o arrean.lo-o pela popa em quanto o permitti
eonheciment) dos que, cemo eu, sabem prestar a vasante.
cflmo
verdadeira adhes.io a V. Exc. Concluindb rogo
a V. Exr. quo se digne ie d-r suas ordens para
jue se torne effectiva a entrega da referida casa.
Deus guarde a V. Exc. por largos aonos.-^Re-
mendador Henrique Pereira de Lucena, mnito dig-
no presrdeate derta provincia. Jott Pereira de
Aravjo. b
Paficio da presidencia de Pernambuco. -Ha-
cife, IV da'seterrtbW) d 1874.RepoOdendo So
offlew doY. S., de 7 do corrent*. ho qual teve a
Ja disUnle da barra corca da 4 logvto, a
aceca do uma milha dacosta, na posi;.io do N. E.,
a forca da eneheote formanto bojo no cabo, o a
violencia do vento os iropediram de continuar, e
' seado 4 boras da tarde, e nada tendo conseguido,
resolveram cortar o cabo naqnella altnra, aroar-
rando as poatas a duas boias, ate nova resolacao.
! (< Agarradas ao cabo havia grande quantidade
do ostras, one muito difnVnltaram o servijo e fe-
riram aosque o fiziam.
Houvo occasiio era que o saveiro este\'e a ser
tando hclos occorridos em diveraaepaMzcs do roan-
do, observados ptr um viajoate ; etc. etc.
0 tawo, atom dp nnter as oxpHeoeSe* de todaa
eaaaa gravuras, contrm mais as reviitas geraes das
ocenrrencias MM s.
_Aeaela postal. CoBM Mal fnn--
cionar a agencia postal da estacao de Ipnjnca, na
'ia icrrea do S. Fraucuea, sendo para eila rifiOi
didas diariamenle roalas pelo trera das 8 horas e
meia da manha.
Vapor Ciquia. Por este vapor, daCorr)-
panlMa Pernatnoopana, recebeiiMa MObado 0 tar
de jornaes do Ceara at* 5 do rnrrente.
a- Os trabalbos da aascarbfj; foram pn-rogadw
por mais dez dias.
Fallewram : o Rvm. Raymond Fir a inn de
Souza Pinheiro, vigaria encommeadad.. da Cache*
ra; o Rvm. llnymunl" Frfn Tetmwavl ^r-h em-
coinmeiida.!o ril; p CVi-i.aaw AiU< r
Egg, empregado da ca -a commercial dc I. ii*
Freire A R
A n-iva directoria do Clnb Ceare* rhrr>n at*
im organisada :
Presidenu, o Dr. Ant raio Mendea da Cruz Gat-
maraes, thesoureiro Aatoaio d..* S-ato llrapa Ja-
nior.
Directoria : Guilherme Cear da Rocba, lr. >;.*.
noel Ambrnsio da Silveira Torre* Portugal, br.
AJulphu H-rbater. J.au G>rdeiro e Dr. J*e fu.-
h\lmo M-r.des aiagalbaes.
Supplentes: Dr. Croncalo de Lag-* FTnaM
Bastos, Joaqnim F -jn de Mello. Franefrro Otttio
da Fonceca Filho, Antonio Non<'s THr-ira de hW-
lo e Dr. Antonio Pinto ifafuetra Acn.di
A via ferr-pa de Baturite renleu no mei de
agosto l..'>8l*i(iv
0 bacharpl Daniel Alves dc Qneirz Lima
foi removido de prouukr public i d:. pi tal parj
a do Saboeiro.
A alfandopa renden no mez de agosto.....
172:256*171.
Do Rio Grat.de do Norte a da Parahvba na-
da recebemos.
A'ovan publlcnroea. Sob a denTnna-
cao do Coni/is htmm, aqii o Sr. B. L. C.rm-r
de pjblicar um ppqaeno voiame, que fr part; tia
biblioteca de algibelra, contendo os rom-pf"
Amores de nm botirarm.-Raiode kax,*-IHB0xon
Sobre o casimerit.., J i nnioiia a diod... Xwte
de K Joao. Sui -ida, Verdades, p Aventnra'
senilmeat es, todos eiles da penna d-> lhaORB#t>0
espirilaoso escriptor. qoe asign ie Kork laoier.
E' um livrinho apreciavel, e qne, peto m^diro
prero de 1*000, distrabirt o leftcT algomas h-v-
ras.
Acha-se a venda em todaa as livraria*.
aixcellnnca. Abrm-K ja em Stork.dm^ j
:iT!gtesso Intcrnacional de amropoioet* e arehfr.-
logia prehistonras. Na pritneira it win estiv-ram
presentes cerca de r>"!0 membros. .N"e~a nrtmeira
sessio traton-se so da ronstitnieao da nn sa, -eaio
escolbilo para pr<.-::. nt- o omde HoiRimr Hanvl-
tca, um dos sabios ma;s pmiaentes outros cargo* sao de;irx.penhado5 par meml-r. I
diversas BafOes. A muntcinalidade OV Sirtrhvlm-i
olTereceu-lhes to pmMiB de Ha-selbarh nma graa-
de fasti mtisi al, que f i seguida de ama a-i
q.jal t unaram parte i(H) cmnvas.
Um dos corrcspondentP' do Mr****-*I iipln-
matiqae em Rima, c.-creve a-i referidw pn>0ir.
que no Vaticano $c de-cjava que o bi*ps se at -
stivessera da introdii'ir nn so is pa?iorB* -
qnesloas p diticas pr. ;.ria;ranle ditas. l-ol-ln-A
sido dirigidns communicaroes u'este serti^n.
Acaba de Mlecor em Pans sor.>r N .laMa,
da congregacao de S. Vi:eata "e Panla. A r--te-
ri.la seuhora, que mundanamente tinha e nom* de
N" irischkinne, estava aparenUda com as famni-,
imperiaes da Russia e Prussia e renui ri elevada posicao e nqnezas para se dedicar a fon-
datfSo de asylos para os pobres, a enjo cuidilo e
cocfagroa pessialoMOta.
A carta dirigida p r D. Francisco de Asai*.
a di versos pen ulic. * guides terrnos:
t Sr. director d t prriodico a QpBBB. 0>m a
maior estranhcza vi reperir c coinmeniar, e com
nao meaor surprer- renrod ;xtr no *ial' peri
daoo qoe V. reduce, as absnrJas bistort* qne
tem puWicado e ctr^uladw uliimamente, a u.*
quaes, fallando-se de todo o ponto a verdadi
procura inatar a opiriio pnblica centra a' raiona
pesoa. B meu isolara-nto da p btica e de quanta* pwnsaas
j gam acluaimeate c m 11a, e nao dere ? r c >nsa
n va qae, se teem curgi 11 .1 siv.-n;as n*.-st-'< di.
nis questoes eoaeern an -so liil.-i :..,;,
Affonso, nao tiveraea por mutivoo ridicsf i
conlo de soror Patrxir.K de qne nao tenl
cjnlieciiuento, mas sim a grarissisBB qu-. -!ao tie
nma as.-ignatura prtstida p t esta e a qual tar
oppaz, aid onJe liuh.t aut..ridade para isso, a qaat
assignalora, ligando a poaaoa e o futam d- ;rra-
cipe, esperan;a da p.'^a. a dak. .nmados kM-
luos, o afasta compl-iii'nte di tranquilla re--
gnacao com que dev- ..joardar as deci- s da
01(80 bespanhola.
Pelo quo toca aos ; rincipios hberaes quo pro-
fesso, basara dizer, rasp .-.dendo aos n^
-tores qea sou tilho popajiaf infante l>. Fri-
cisco de Paula e da insmi rtal D. Luiza C'rlota,
cujos nomes nao pod. .- r .- pn-cidos dos qne e
pre am de amantrs da iiberdade. R-p I
insercao desta rectificacao aiim de que se re-ts-
Meeaa verdade d s factos. Francisco de \-
Maria.
A esposa d.- Rasps:'!, o antigo noaii nUnas
do povo, proscript- em 1851, acha-se em f-scban,
r-duzida a mais extrerni m,-eria. 0 Sr. de Ra -
pail e sen filho mais novo i-.-taa actnalm'-2te pre-
sos per in jtivo das c-'rd-imnac"< pronnnciada*
cootra eiles por recasiao Ja publicacao d ..Imanack. meteor"!-pic \
Entre as mull us erpostroes ps^cti^eA ^ne
fazera sem cessar cm IcMterra, chama ag ra *
at :uao -i dedicada aos alimentos. Veem-se n rila
todos us frucix, maojares e pratoa coahecid- era
tolos us paizes e poee-se diser qne nao se desBO-
bre se::io a falu do aeopipa favorilo do? caai-
baes.
Parece que em a^a caca J i de javalis qoe >
ret de Italia, leva tin ; mc i no P. ra .ate, esteve a
sua pessoa exp sta a am ac ideate desastri^o.
'
so e di-tribuido na casa, ondc se Ie 10 teis t! ;.ao
10*' 00, cocao deve ser.
0 Sr. Pinto Pessoa : 0 nobre dfyuttdo sane
J Qiilraa cjnsas. jnapio mis disto !
D SB. Manoel do Rego : S,.'j do qofqiieTo ;
nSo tenho que dar g|Jss\Tt' to flollrltlsiiutftdo do
meu procedimenlo.
Aprewnlo mais a^'Segittrfi?* crrfirrtt.i
Ao tfi. ao-fatMitP.'o. 80 r reno a mar^/n da^strada do Recife a Apip^ic s,que
aao osn'ver macr.io, excepiuados^ os quo tiverem
generosMado (la offerecer a provincia u:iia casa pariido pela forja que a mar6 imprimia ao cabo
terrea do ffjoFO na povoaeSo de S. Jose da Boa Esta gehte voltou na madragada de hontem.
Esperaneo, eom trinta -palmos de frente e qnareata Ens tranoita. 0 vapor Corcmnd* Bonze
e oito de fundo, caiada e pintada, no valor de tres 494 passageiros. eom destino ao sul do imoerio.
eontos de reis-, para servir de escota publican's- Escola pratiea.Desde o dia 10 do cor*
quella locaHdade, curapro o dever de ionval-o por rente, acha-so aberla o fuoccionando provisoria-
esse acto de patrfofismo, que levarei ao conheci- mente no edificio da escola model), a escola, de
.rnento dj governo imperial.-Nesta dala remetto que ha tempos r.os o-.-eapamos, projestada pelo-Sr.
o-jt copi* o referido olllcio ao thesonro provincial, Victor Fonrnie. director das obras pnb'licas desta
a rogo a V. S. quajra mandar lavrar a competeate provincia, para o lira de habilitar e. por Hasai di-
eseriptura de doacao, que sera aceita pela procu- zer, crear eng. :;lieiros praticos,e mui especialmen-
radona fiscal daquella reparti^ao^Deus guarde lepara prepara: um pessoal capaz de occupsr eer
? i *-~Hmr'Qtte Ptreira de Lucenai^-Sr. major tos cargos da reparticao de obras publicas, tas
Josa Pereira de Araujo. como condnctores o apontadves
slain lUnaiivoM. Para o leilao das pren-' Mais de espaco nos ocsuparemos cam ele as
dai, enjo prodiielo deve ser applicado as obras do sumplo, quo de'certb 6 credor de ace urn 4 a refl*
nospfcio de alienado.", acaoa de sr recablda a fe xfio e maduro exame, e expenderemos algamas
guinte rffepia
f Recife, 7 da setembro de I874.-Wlm.. e-Exra.
Sr.-Felicilando a V. E*e. pela louvavef idda-'de
fundar na n ssa patria um asylb paraosaMsnailos.
ofTersco psra dito fim tf*e dimmuto trabalho de
agolha por mfm fello ; seotindJ profundamenta
nao poder auxiliar a V. Exc, como desejarav Paco
consideracdas em ordem a tornar pateotes os be
nelicios que de semelhants idea podem e devem
re?altrpara esta provincia.
Iilnstrncaa hespantsola e anaerl-
eana.-Para a respectiva agencia, livraria dw
Sr.-Silva Cardoso. cV Pessoa, a rua do Barao da
Victoria n. 59. aeabani da cbegar os ns. 27 a 30
portanto a V. Exc deseuipa por tao insigniiieania d'esle jornal illustrado, sem dnviarf alguma suDe
offtgia e aproveito adpportonidade para reiferar a rior a lliustracao traace&i, nao s6 SS* 8ravn'ra
o
V. BaO a segurlnca de
distincta COnejder5c3o g
minha perfeita ertima e a texlo, como naeitidea dalexecucao daquRas e
p m..-, .fa, v. Exc, Deus impress*) d.ete. Nessea noraeros acham se :
Prorlaseias. F, ram no dia 8 Moe o*segu:n
tes, na igreja de Nataa f enhora do Rotario, a e
serve aetualmente d.- .*r:r da fr^gaezta dr Sin-
to Antonio.
I.* dv,nr!n'-i-.c*o.
Xavier Caraosro da Cao>', com Aaw!i i
MSB.
Manoel FraarJsca t v : mior, com A-toala
Maria da Conceicao.
Bstsvao FranciscjGr.ncs. c-m Anioaia Aqaliiaa
do Xasciraento
Ezequiel Barbozn IM Tut, corn Angdi.-a
Maria.
Luiz Jose de Shim. Boat Is ria Isabel do Epi-
rito Santo.
Bacharel Josef'avalcinl*cr Albu-rnerqac" ct^.a,
com Rita Angelica Wander! y ''.avahaatp.
1.* iriiin -i.i.;5 >.
Francisco Cvpnam da Silva Santos, ccra Clara
Feliciana Ribeiro da Silr.
Amraro Aleixo ds Silva Santo, com Maria M*r-
oehm do Jeos.
AaJtmio Gomes rorr; z com Lniza Candida Paa-
tora.
3." dnnnri".aij.
Antony Jnlio F-rretr*, r- n Russiiaa Pbdad i-
ph Alves.
Pedro Aoionio S.?m.1.. co S verna Maria 4a
C mceicao.
Joio Maxi.ai.no Porein \\ "Vku, cm Olvaaaaa
Amalia Bsrccs Leal
Maaoel Pereira i kt era Frsncisca Maria
Ma^dilena.
1 40 Mirinho Je Ar:.nio, com Laareaoiaa Maria
do Esoirito Santi.
Gregorio J)?p .taSilvi, r -i Maria de Frenao
Lins.
JoseHyciai Diarte Perairs, com Mari^aOU
Dmablla Nobre Camara
Franeelino Aagnsto dt- OV eira, com Lilla Caaha
Sidrta da Molta.
Jovioo Hnorato do Nacmu-:it\ cosb Maria oaa
Oore?.
FraaciscD BbrrefiA Gut-aa-i:, cmb
da SUva Piracntef.
Joao Marra Feroao k c i'a-J'a Mori* U
C r.r-.ric-io.
i


-----hat

taiu
mM

-------


1
fl"**> A (Bonttefcuc* Se^nitoij*$a2 14 (teigbfttf.tol <# mt
i

* %
MinocKW^TOtfUfH^^^311'3 Pi-'tro:H|,a nm peso fal_sinead?!e_uma
de-Sou/.
' *' "-
2H-
proteuo
a bede
re oo dia 13.
1Leil#p
peTT da Cxi& Forte, a qoaf
I0*
jia, l.a, elTeclua o agenle
I tf.T^i iSto,T^rej'% pttta bo-
ras, em'pW. ""' ^' *^
Os ,vJm'mllratiorcs da massfAlliiadePenei-
ra de arelloft'C, ren*) dclibeVa'doalogar o-arma-
retir pertcTteante 3- mesma mass.1, *n*jm em'lei-
liio, por'iufiffyeofao do agcata "Pinto, nao so a*
fazendas altr^xTsfentes, enmo tambem as earteirasj
edfres, arrnaeao o mais {.crteneas'da escriptorioa
tado ne ccflfofniidade com os antidftcios ja publi-
'cados-trawr^o-comoct^ute deste Biario.
5 iiicuj.JUfUftpait'.da ea.-a
So dia 11 de scteabro de'lBtt/* a
-Lpresos Mi entraram 13, sajji'rain 3>-
A-tttfer ;
NaciouaK 2JI, ;au.lhe:-c- 7, estr,aageiros 23,
acravos-37; e4eraas 4. Total 342
Aliiaewaaoi a ciuia do.- cofres publieos 237.
Jloviiaeulo Ja eafermaria aodia 11 de selembra
i<8 baixa :
>Jua-> Felix Fernandas-, 6.0JM.
Paaaagelras. -rVindos dos portos do uorte
no vafwr ^cuu^l Giquid :
Joaftjlh *.*#*! C^Gosies, Joae ".-d* Mello, An-
tonio Francisco Ramos, Horacia Fr'ancis:o Ramos,
Vital de SoiizaJUijin, Joaqaiip Moreira Reis, Jose
P. dos Santos;'VieeMe -PemHra da Paixao.rpadre
Antonio F. de Betiai Queiroz, Francisco das Co a
gas FernuJoj, Aibe, A. da ViJ.i, Luiz J. Gonzaga
; Junior, D. Joanna B. A. bins e 1 filbo, D. Isabel
Maria di .^iftajsillaoor Martini Ferreira, Antonio
F. Barges, Hri SieVa Ramos e <*!! esaravos, iaar|Uirrr D. Pessoa,
Julio CarJoso da C Araujo, Torquato D. R. da Ca-
mara, Luiz II. de 6. Ht-is, Aiairo Barreto a sua
mullier, Laanndo P. Sinias e 1 cii'-da, Juilharme
L. Varella, Jose R;drigues, padre Bernardino de
S. F. Luslosa, Antonio X IV. de Aragao, Francisco
J. F. da Silva, Antonio J do Soaza, Antonio F. Pau-
lino, Z'.'feiino Morei^a, Angela Saolen, Frederico
Ulys.-es, Auiuaio 0. Pinto, Damiao F. dos Santos,
Antonio Simonet, 2 praeas, 1 preso e 2 eseravos a
eutregar.
Vinios da Earopa nj vapor inglez Cored-
cado :
A. B. Sehewy, Aspinal, Lea\ E Jeanzenand, A.
Jeauzeuiod, Antonio G.arcez, Jo?.(|nira Alvos Jacin-
trio, Jose de Almeida, Antoaio Ferreira, Antonio
Rocha Resettle, Joao Alvos Jacinlho, EiuarJo de
Mello, Jose" Maria Dantas Amorim, M. Gonjalves,
J. P. A. Folgoso, Jo?e de Sooza Cardoso Pimentel
i; sua wobora
Cemitcrio publico.Obituario do dia 11
de setembro de 1571.
Mana, parda, Pernambuco, !i dias, Recife;
iraqueza cong-xtha.
Precil) T.iciano do Jesus, pudo, Pernaiubuco,
10 anuos, Ooa-Visia ; tuberculos pulmonares.
[anoeeacio, perda, Pemaaibuco, i mezc9, Santo
Antonio; Convulsoes.
Hartiniana, prela, Pernambuco, 10 annas, S.
Jose; myelile.
Maria, parda, Pernambuco, 2 ami is, Santo An-
tottio; variolas.
Manoel Marciauo Ferreira. b anco, Pernambu-
co, 71 alines, casa!;i, Ilccife ; cougesiao cerebral.
ignaci j Francisco dos Sautos, caboclo, Brasil,
30 auiius, viuro, S. Jose ; repealinamente.
Antooio Raynouudo d > Xaseimento, pardo, Per-
nambuco, 28 annos sulteiro, Recife ; variolas.
Jj4o Jose de Oiiveira, branco, Pernambuco, 60
annos, solteiro, Boa-Vista; cacbexia palusire.
Maria do Jesus, parda, Pernambuco, 33 annos,
solteira, Boa -Vista, hospital Pedro II; cachexia.
la f(e<
.. do/qM de bacalbac |o-
' Do"fl" tf?fllB^ia mwilo uma ^eUcao 4Rejtarroino Goncalvede
Albuquerque. -TOl&W.ieTpeliau-. >Jtarf
Do mesmo, mrorminifiS^iww1 de Julio -1 '
P<,'.4*.miri-*W'"->' Tpeticao.
;.iDo, ja^fB^isCaaor do-*miter^>.a3^Wico^a
gneiia db S. ywe^o.'daM^a,,MjoOeap|9 0
niapjia obituaf.'o dos annos do 1(J70 a 1873. -rft.'
queapejio. m il A\.UM.
aflini9fi^dq|di|cJnka jbileMiozia
1868 a lij"iJ.--A %uuui pedu
Do flseaPda- feefgoeina de rssa"Senhora da Gia-
i'a, femettondo a relapao das inultas-impojlas por
aqiwlia liscelisacao :.-Deodato Gon^nlves T.rittf,
por iufraecao do art'laO lituioO^datei pTOWOda
1,129 de 26 de junho de 1873, flor ter apitaaes
todas a
abcess
isrfOTfni
tumor**, j 26'/ d.
fe
n.
soltos, em 8i. Au prucurjulor. I
Do mss'iio; CA3IARA 1UIJ1NICIPAL.
bESSAO EXTRAORDJXAUIA KM 2 DESETE*-
BRO DE 187S.
. PRRSIDK.NCIA D) SR. THK000R0 SILVA.
Ao meio di 1. presentes os Srs. Cesario do Mel-
lo, Dr. Moscoso, Rego Barros e Loyo Junior,
abrio-se a sessao.
Lida e approvada a acta da antecedente, leu-
s.> 0 seguiute
EXl'EDIEME :
Offla'os :
Do Exm. presidenle da provineia, autorisando a
cauiara como iinmediatamenle iutercssada na
.lanta da cidade, e respectiva, carta topograpnica,
se 0 quizer, a contratar 0 geometra Gustavo Mer-
moud pelo pre^o e para 0 iira expeudido no offl-
cio do engenheiro chefe da repar'ieio publica?, do 7 di> corrente, que remetiea por 00
pia Que se responda quo a camara aeeita, e re-
:olven contritar pelo tempo de ires raezes.
Do raes:m>, dizendo ijae para poder resolver so
bre a aaturisacio que pede a camara para despen-
der inais a quaatia de 300^, por eslor quasi esgo-
tada a verliaExpediente e iinpressoesvolada
na lei do orcamento vige::e, cumpreque a cama-
ra remetta a deuionstra>;ao do despendido e do que
i.itu despender. -Satfelaca-se.
Do mesnio, em resposta ao desta camar. relati-
vameate aos ieparos da carada da Torre, tem a
dizer que, correndo a conservacao dessa estrada
por conla de.-ta camara, .1 ella cumpre mandar
tazer os alludidos reparos. Que se responda que
a estrada de qiXe se trata nao e municipal, a qual
tern 9ido seropre concertad.i e conservada pela re-
particao das obras publicas.
Do mesmo, recommendanao a camara que com
a brevi-Jado possivtl envie amoslras de lolos os
mineraes que forein encoutrados neste municipio,
deeiarando o lugar em que cida uma dellas (Or
aehada, alim do formarein se as eolleccoes pre
cisas para 0 osluJo da nossa mineralogia, trabalfio
em qae s; empeniia 0 Exm minlst/o do iraperio.
Ao engenhtir-o.
Do mesmo, convidando a camara para aseistir
ao cortrjo que no oalacio da presidencii setam do
fazer a augusia elligie lie Sua Mageslade 0 Impera-
d>r, a uma hora da tarde do dia 7 do corrente,
anuiversario Ja inJependene^a e do imperio.In-
teirada
Do inspector da thesouraria de fazenda, com
despaciio do Exm. presidenle da provineia, mau-
dando a camara informar aeerea de am requeri-
mento de Jose Lopes Dias, que pede por afora-
inento nm terreno de marinha sito a rua Imperial.
Inlorme 0 engenbeiro.
Do secretaria. desta camara, dando inforraacues
anerca xlos emolumentos que peroeba. A' Cum-
niissao de policia com 0 advogado.
Do adininistrador do cemiterio publico, reraet-
tendo uma relacao dos cadaveres depositados no
cemiterio, e da cera arrecatiada durants a sema-
na.Ao procurador.
Do mesmo, pedindo dez enxadas quo sao preci-
sas para 0 service do cemiterio, bem como 09 ob
jectos que pedio em cflicio de 12 do corrente.A'
.-.irnnnssao do cemiterio.
Do engenheiro cordeidor, dando inforraajoes
sobre a extensio e prorundidade do terreno, que
tem de ser aterrado na rua Princeza Isabel, alim
de que poasa a camara satisfazer a ordem do Exin.
presidenle da proviBcu em offlcio de 21 do inez
proximo passado.Qae se satisfaca, remettendo a
h. Exc. a iufurraacao por copia.
Do mesmo, pedindo a camara a dispensa de pro-
''eder a ama nova avaliacao das divisoes internas
da mercado de S. Jose, por Hie parecer qae seme-
Ibante trabajho se torna desnecessario, uma vez
que a commissao de engenheirosnoaieada pela ca
mara para exaiainar aquellas cbras, ja proeedeu
as avaliacoes, e bravemeate sip'Cientara no rela-
torio que irata de confeccionar. Ao mesmo, para
cumprir a ordem-que se lbe transmittio.
Do mesmo, iaforroando 0 requerimento do ge-
rente da estrada de ferro ^0 Recife ac Caxanga,
no qual se pede liceuca para fazer remover 0 abri
go que servo de esta^ao no Monteiro para a Pe
flra-Mole.Doferio-se, de conforraidade- com a in
tormacao.
Do dseal da freguezia de Santo Antonio, remet-
tendo a rela^4o- dos acongaes exiMentes naquelia
freguezia.Ao archive
Do mesmo, ptrticipando que na nolle de 30 do
correate inuiilisaram 0 appareUw da latrtna do
caes da casa.de detenjap, e qe aeuppaajita
reeuia-s* fazer 0 ccucerta Jem qua a cfmars se
responsabiltse. -Qae se offlcio ao gereate da c"om>
pajihia, para que mando (ajer 0 Concerto p>r eoQ-
ta da camara.
Do fiscal da freguezia do S. Loareac*, panic!-
panto one naquefia (re^ocziv nUta,afiepa9 ajn
wtno decames pertiacente a Jose Bezerra Giv-J.-
teai oaze (ainos, as qnaes-esiao em cauforraiJale
oomas posturag.Hm vi^.r luteicada.
A' vi-ta do reqaeriiitenlo de .Tbemai Aatonio
GoiMiaritfs, qiia foi suameilidu pela commissao de
-mercado, a camara resolveu que lica*se o dito
Guimaraes cbrigado ae aagameuti da quantia d"
zOj.wensaes pelus talbos qae occupa, e que se
expeca ordem ao procurador para suspeader U>& ?
o pracedimento contra dito Guimataea.
Foi apresentada a seguinte proposta :
a l'mpoujio ,qua se soljtfite da Exm. presidenle
autorisaefr para a-ftetuia de nma la'rina no forte
do-Hallos, uo iagwsuxvi eouve/iieiuo. tagoila ca-
mara, 2 de setembro,d*,1874. toyo Junior.
Foi apresenlado 0 seguipte parecer :
0, A commissao do mat3dou.ro, tendo examjnado
A materia da.petjeao dos acreautantes das uiljos1
do mercado public j de S. Ini, e conheceiilo que
nova mercado vira a licar prompto dontro da
cmco ou seis mezes; sa ,0 arcemjlante .tfAbjilbar
com a nicesjaiia activiaTade, e. to parecer,que sa-
deUra. a peticii) delle.i. mwJaoto se ^que contiauea
a .pagar os m.qsmos prego3 por que os.afremataram-
e'sa'j as mesneas condi'cSes. Payjo da camara taa
oicLpal, oui 30 toagasto de,1874.-Dr. Lob'o Mas-
cozo. 1) -tApjirovado.
Foram daspachadas. as segu'n'es peticSes :
De Anton'o da Silva Saotos, Antonio Jos6 Braga,
Antonio Ignacio Heitor, Bell^rmino GonQalves da
Albuquerque, Barao de-NaidareUi, Gastodb Fran-
cisco Mai tins, .-Cardoso &.C., .1 laudino.t'amara,
Manuel Jose de Malta?, Matheus Au>;in & C(2),
Manuel da Nascimenlo Pacheco do Medeiros, Julio
Adolplio de Souza, Jose, dos Santas Aguiar. Joao
T. Mai tins dos Santos & C., desembargador Joao
Paulo Monteiro de An IraJe. Jovino Bandeira. Joa
qaim Clemenle Rjbeiro,do Brito, Isabel Egidia
P. ggi de Figueirado, Pinto Mendes & C, 11. Fan
lino Ferreira Ltma, HyginoNedino Pereira, Zefe-
rino Jose da Costa S'alente.
Nada raais ha*endo, o Sr. presidenle levanlou a
sessao as duafhoras da tarde.
Eu, Francisco Augustoda Costa, secretario, es-
crevi.
Jl'tnoel Joaqnim do Rego e Albuquerque., pro.
sidente. Jose Cesirio de Hello. Hheaioro Ma-
ckado F. Pertira da Silva.Joao da Cuuha Sjares
Guimaraes.- Dr. Pedro de Atltayde Lubo Moscoso.
Bellarmino do Rego Barros.I. Maria Freire Ga
metro.
QLPANOKU.4
iwjduuftow ao dia I a 11. .
fr*k3 Jo Uccifcf I deaeteuibrw
tt)TA-cflBs drSfiAits
Algodio do Gojmpa sem. iaiaaceao 6*300 por
la kilos,' ftoirem.
Algouao.- qiediano 6^500 por 13 kilos, Jiontero.
^f^'fVf^Wflteadofpn*a&$ rsl 0 kilo.
IoabW|Mw3ias9ii*ailjj78:frDbkilo .
CambM sobre
-1I0O0.
Dito sobrg Wrls^O d[v^l,r6l3 0 fonc,
le^lita, Jo d|v 368 reis 0 fn^ ban
a bordo, ffete >/ e 5
u,
%
v job reis 0 frMb, banco.
%UWr pMjrkaw,- poslo
de diHI Mft*MtU
(783 rail
Londres a 90
d|v. 26 I [4 d. por
djy. 26.3i8 d.-por U, hoatam.
. ae Vascojiceiios
Presi'dente.
A P.deUmoe,
SecMiari(i.
206.23Sii6fi
:6704978
f. II
:909#4
v^A^yts
GES A
O tlcreasor do barao do Jabnalao.
Nao mais hoar u as columnas do JoinU do Re-
cife 0 distincto sacerdote, defeusor do barao de Ja-
boala-i, titular modeio, que no engenho Buscaii, a
ireni.' de gente do povo, para cuja eduoacao tan-
tos e tao nobres e pectaculo o civilisador exeraplo, narrado pelo nro-
prietario daquelle engenho, no Diario do 30 de
agosto ultimo.
Nao voitou,a carga 0 illuslre defensor do ordeiro
titular: nos, porem, que na qaestao religiosa nao
cqmmuDgamos a mesa do suspenso do Sr. D. Vital;
nos, que em presenja das verdades florestaes do
Sr. Moura, somos uns mentirosos, pediremos veuTa
a S. Rvma para duas palavras, curvados ante 0
deslmnbrante prestigio do ordeiro titular, que ilia -
mina com os raios Je sua immensa intluencia a
com. re a, que tem a forluna de possai-lo. Nos,
que nao somos mensageiro da paz ; nos, que ne-
nhum serviQa havemos preslado a instruccao pu
blica na patria; nos, que advagamos interesses in
confessaveis; n6s, que nao buscamas a lei, e sim
0 arbilrio, adoptado com a mais selvatiea arrogan-
cla, pediremos wnia a S. Rvma e a sua senhoria
baronal para declarar:
Qae os facto3 enminosos, constantes do commu-
nicado do Sr Rodrigues Campelio, publicado no
Diario de 30 do agosto ultimo, acabam de ser con-
lirmados em juizo pelos depoimeoios do oito (8)
testemunhas.
0 que restani agera ao Rvra. dofensor, e ao or-
deiro titular, filli 1 de servicos "prestados a instruc-
5io ?
Provar, quo odcshoneslo propri tario do enge-
nho Buscaii seduzio oiio homens do povo, para,
sob juramento, virem dizer contra a verdade.
Esperamos esla prova ; pelo. la Jo religioso. do
Rvm. defeusor ;ptla parte social, do ordeiro barao,
esforoado campeao dos melhoramentos pathos.
VeviaisiiiM sciatica.
As aevralgias sao molestias que apresentam-se
sob as formas as mais variadas e que podem-se
locahsar pouco mais ou menos em cada parte do
corpo. Tambem nao e de admirar que se tenha
preconisado contra esse genera do affeceoes uma
tao grande quantidade de remedios. Dev'e-se con-
fessal-o, muito paucos realisam as promessas que
tinham feito ao priocipio.
0 doutor Trousseau, profe33or na e3cola de
medicina de Paris, occupouse muito do modo do
tralamento razoavel e ellicaz das nevralgias. Kile
afflrraa, no seu Tratado de therapeutica, que para
curir as nevralgias e as sciaticas, 0 remedio quo
teve 0 maior exito, foi a essencia de therebentina.
EmQm 0 Sr. Dr. Martinet, n'ura relatorio que
apresentou a facu'dade de medicina, aQam;a que
curou 38 eases de nevralgias e de sciaticas sobre
70, pelo uso da essencia de therebentina.
A grande elBcacia desse medicaraento nao pode
por consequencia serpostaem duvidanas affeceoes
supra mencionadas : e, cousa nolavel, o bem
estar faz-se logo sentir quasi sempre depois das
primeiras doses. Mas sob que forma poder-se-ha
empregar a essencia de iherebentiaa ? Este me-
dicamento tem urn cheiro tao nojento, am sabor
tao picaote, que 6 impossivel tomal-o pnro. Mis-
turado com 0 cafe ou com qaalquer oatro liqdido,
ainJa provoca nauseas. 0 doutor Clertan chegou
a encerral-o n'ura enveloppe de gelatina muito
tenue e transpareote, e formou pequenas bolas
redonda9, do tamanho de uma herviiha, as qaaes
elle denoroinou Perojas. As Perolas de thereben-
tina de Clerton engolem-se (apiJaniente com al-
gumas colheres d'agua, como se fossem pilulas.
A forma feliz desse medicarnenta deu uma grande
fama a essencia de therebentina, e hoje nao existe
um medico em Franca que nao reeorra as Perolas
de therebentint do doutor Clerton, nos casos de
nevralgias on de sciatica. E' sempre sob esta
forma qae Trousseau teceitava este medica-
mento.
Emfim deve se accrescentar qae 0 doalor Cler-
tan obteve a approvacio da academia imperial de
medicina de Pari9 par esse lindo modo de capsu-
la. ^,
nedarar.au.
Declaro nesta data, qua nala i-mha coti 0 pe
riolico critico inlitulado Brasil LUuslrado e <|ue
por cousa alguma, me responsabiliio.
Recife,. i I de setembro de 1871. ,
Herculano Cavalcmte di Aibuquerfue.
DMoarrsgiaiJii>i9-44-do setembro de 1874.
Urigua liemJq T, Wilhelmine.-mjutfiaiaa nara 0
,T^4^ff.car,.43nap},r. 1
Lugar portugdez Jkho vanos jgeneros para
0 tfapiche fjjncei^ao, "para d*pacbar^
LugMlogJaz ObMdi'o -iiTarinha tla irigo ja d#s-
ipaeaado nara o caes do-Apollo.
u -*
MfURAQio at, pam-Aaoos enacos aos sbkbbo.-
1 summon a ixo-evtor.m: spoiitaqao. ka asaLUo
OB 14 A i9DB 3Bl'8.MBIia BE 187i.
AlgeJao em rama oula 446 rs. o.kilo.
Carvao de pedra eatraugeiro, tonelada metrica
20^000. q
i^roea-de algodao 20 rs. 0 kilo.
Carvao aaimaliem bruto 300 rs. o kilo.
Couros -de boi soceos salgados 35b rs. o kilo.
Alfandega de Pernambuco, 12 de.solem'iro de
1874.
0 1 eonferente Maaoel Antonio Rodrigues
Pinheiro.
OP c uferente-Jaaquim Aurelio Waderley.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 12 do
agosto deifgfa.
0 inspector
Fabio A. de.Carvalho Reis.
Iiuitortaeao.
Vapor oacional Gtquid, enlrado das porlos de
node em 12. do corrente e consiguado a caui.i.i-
ahia pernambucana de navegagao casteira por va-
por, maoifestou:
Algodao lOOsaccas a Luiz Jose Pereira da Cos-
la, 10 a Clementino Faria Tavares & C, 32 a Luiz
Antonio Siqueira, 27 a Moreira Reis & C, 30 a Ju-
lio C. P. Barreto.
Came 8gara]aos a Cunha, Irmaos Si C, 4 a
Alheiro, Oiiveira & C, 1 barrica a J. A. Quintal,
1 a Parente Vianna & C. Cafe 23 saccas a iNetto
Campes & C, 3 a Alfredo Garcia & Irraao, 2 a
Augusta Caors. Courinho 9 molhos a Luiz Gen-
Qalves da Silva & Pinto. Cobre velho 3 barricas
a Manoel dos Santos VtHaca. Couros salgados P8
a Henriquo X. Araujo da S. e Mello, 162 a Julio
(1 Pas Barreto, 241 a Oiiveira, Filhos & C, 254 a
Femandes 4 Irmao, 103 a Sa Leitao & Irmaos.
Fazendas 1 caixa a Rolr gues & Irmao.
Gorama 10 saccos a JaSo Ramos &Machado, 8 a
Jose Ferreira Pinto de Magalhaes.
Milho 50 saccos a Liiiz Goncalres da Silva &
Pinto.
Penaa de ema 1 pacote a Gomes de Hallos &
Irmaos.
Saccos vazios 1 brrica a Costa & C. S.l.i 1,287
roeios a Moraes & Irmio, 431 a Gomes de MaUos
& Irmaos, 60 a Luiz Goncalves da Silva & Piato.
0E1PACHO8-OK BXPORTaGAO NO DIA II 1)1
SETEMBRO DE 1874.
Para os portos do exterior.
No navio inglez New Ingld, para 0 Canal,
carregou : S. Brothers & C. 4,000 saccos com
300,000 kilos de assucar mascavado.
No brigue portuguez Triumpho, para Lis-
boa, carregou : E. R. Rabello & C. 290 couros
salgados com 3,480 kilos.
No vapor inglez J. Diniz, para Lisboa, car-
regou : B J. Pereira & Irmiio 1 caixa com 43
kilos de doce.
Para os portos-do inteior.
Para Maceio, no vapor nacional Dan'.as, car-
regou : J D. Simoes & C. 1 caixa com 37 kilos
de doce.
Dito de C;')yanna, l'aorte, 7/2-K) por 13 kilos.
la-<4e dila, sew i-pec^ao, 6^300, por K kilos
Oil*, ntediaoo, 6/q> fnK kdas.
Dito do sertio strte, 7*300 por 13 kilos.
Ent ar>un, 1,630 saccas por terra e.War.
Assqcar. -,- Cotambs aoaUltimps prefos.
Eolfarnrt t,ln\ saccos pov terra e mar.
Agaardcma. Cotamos a 63*000.
a ..Lror (:be8aram 645 saccos, nllima -MMa,
2*600 por 15 krlos.
Azeile doce em caixaa. gem chegada, ulttmasl
vendas a 10*009 por caixa. "
to dito ema barri.-f -Sifn f legada, nominal
/Mfa^zia, 2.C00
r^teas da tebi!a?JO%sajJffliJ,3et iiks -W^03 d(J
Lisboa uS vapor pb'rlugua>--/i///'o Dint:, iCrearre-
.gados em 24'tfe Igo^tc/pM^iOid-Undo, coosiW1**
a ordem. "no yalor de 47**650; ft que deixaram d
ser 'de#paehados dontro do praeu marcado por
edital n. 47.
Alfandega drPefnaiataao, i t de setembro
de jKif./; .7 ;ifj ;ijj :'/
0 iuspeclor,
fabio A. de CarvdOw Reis.
.......11= ,i
Fa ratio, sacco.
^pmo do Rio, kil: iramxA.
Gjz,

r*
.ttECl
J
' Htm clipg-.da, folailus a 4*600 por
GAPATAZIA DA Al.FANDEG tlendimento do dia 1 a 11. dsm do dia 12 . A 5:716*579 802*457
6:516*736
V0LCM5S 8A11IIM)S So dia 12 .'nmeira poria..... iogunda porta ..... rsreeira porta .... rirpicba Ccncei^ao . 8,075 321 151 180 399
* 9,116
SERVigo MARlTiMO ii>arangas descarragadas no trap alfandena : So dia 1 a 11..... fo trapicbe Conceicao . icLe di
15
13
RBCSBEDORiA DE REN DAS LNTiRNAS GE
RAES DE PERNASiBDD."
..eBdunento to dia 1 a 11 15:933*042
dm do dia 12..... 3:346^289
19:279*331
GO.NSULADO PROVINCIAL
fUnJiueato do dia 1 a
dam do dia 12
II.
L.T.PIVER*
, Partumerii) specials.
A base de Iit a'irli.
Quasi rousumaildu viva.
Quem nio ouvio fallar do caso de Dolores Men-
desdeLima? Foi ella atacada de escrofulas de
am aspecto e natureza a mais asquerosa e rapi-
damente mortal. Grandes ulceras, qua cada dia
se tornavam raais profundas, eonsummiram a
came de seus raembros inferiores; e ate 03 ossos
raieia.vjitor,'.wj>i--
DanV*'-' -iada.
r-i-i na fiwaezia da S. Ia6, daado as infor-
L";!^"1119 lBe forara lBi*-aM*ea d taltios
enaeytes east aafregueziaInMirada.
iiii^ii1^!?* f^"QW *>*** articipan-
^ fta.?^01** VmUttvMf *=Aunto Jose
u .rt?S;.P*r"n' MwWi'lo -na Pasugam da
Magaaiena com venda, por ter no ealabelecimonto
se lbe apodreceram. Esteve dez mez/s ^ Q*m.a
convertida n'um fi.quejeto.' ChamaraoV.se medi-
cos ae lOdas as parle.3, a todos alias, a 4esengana
ram. ^iUhe reslando por tanto outro recurso do
que esperar pela morte.
Achando se pois em tao criticas' circurastancias
Ihe rocommemlarani que tomasse a Salsaparri-
Jh.a de Bristol, -ertta.it saivoa, como /*' antes
della havia salvado a. ouiros mil. Repriraio-sea
calamldade, cicairisaram se as chagas; recapefdu
as forcas e 0 appetita, n'oma palav^a, a saude, a
alegria tormram a visitaUa, e djesde entao tefi
gozado dessa s supnemas felicldades da terra, a
saiide do corpo e alegria do espirRo.
A facoldade-raedica consents qae se anndacle a
Salsaparrilba de Bristol, como 0 remedio mais
prompto e seguro de quantos 9e conhecem, para
RECIFE DRAINAGE
Rendimento do dia 1 a 11. .
Idem do dia 12......
16:597*999
966*468
17:564*467
21:924*878
6:255*417
28:180*295
AGENLIAS PROVINCIAES
Liquidos espirituosos.
Rendimento do dia 1 a 10 2:096*leO
Idem do dia 11 -987*512
Bacalhao, etc.
Rendimento do dia 1 a 10 698*8i3
Idem do ilia 11 *
Generos de estiva.
Rendimento de dia 1 a 10 1:606*914
Idem do dia 11 84*336
Farioha de trigo, etc.
Rendimento do dia la 10 2^)24*106
Idem-do dia 11 *
Fumo, etc.
RenduaentO|.dodia I a 10 947*448
taem-doriia ii HJ360
2:033*842
698*843
1:691*460
2.024*106
2*500.
^Alpiste
15 kilns.
Banha. Sem chegada, vendas 938 reis 0 ki|o.
Breu.-^-. Au cpegada.icotainos a l|5*000 a bar-
rica.
Batatas. ,Cbegaram 169 caixas, iJQfyz, ultimas
vendas.a **30O.pgr;caixa de a arrabas.
Bacalhao.- Chegaram 500 tinas. Em deposito
2,0O aarrieas. e- retalha-sfl de 20*008a 22*000
Ume. Sam chegada Em ..deposit*. 52,000
araobas. do ltk>:GBada de 3*000 a J*800 ,por 15
liiios, 10,000 am to* .da Ho Rio da Praia, de
i*300 a 5*300.
r.L?*?.r"3w!^s*,a>109--^ Cbie&awm^06,-vWdas,
BM, bub a- 566 reJs, 0 .kilo.
Ditos seccos e-pichados, vendas 763 rdis o-.kiloL
Cafe. .Chegaaam JJ9 saccos, yendas 8i500
por 15 ieflos. '
-Gael. Sem chegada "cotamos-a-l*699 reis 0
kilo.
Cimento. Sum cjetfadav tdiamos a 9*000 a
barrica.
Cebolas. -*Cae|3ran;3filk4ixas, e 200 molhos,
ultimas vendas MJfdM **-
Cha. Chegaram 44 caixas, 33/2, vendas a
4336 0 kilo, conforme a qnalidade.
Corveift Bim JWers. iGl|garara la caixas, co
tanws de .T^gUOO a 8^000.
Dita Noracga Vendas 55900.
Cognac- Uiagaram 13 aiias, cotamos de Si
a 20*OCO, .coabrrae a qualidad.e.
Farel.1,0. Gnegaram 4,150 ?asco3, vendas a
5*000 b sacco.
Earinha- de trigo. Chegaram 2,538 barricas
e 2O0/2 En deposito 12,621 D.arricas, e retalha-
se: ,
Hupgria de 30*000 a'SrSOOO.
Trieste de 23*000 a 29*0l"0.
imerlcana d,e 20*000 a 24*000.
. Saccos, do Chil", 9*500.
Farinhade mandioca. Sem ehegada. Deposi-
t >4,00> saccos, de 2*500 a 3*500, nominal.
,Fumo em rolos. Chegaram 131, vendas de
13*. a 13*300.
Dit) em latas.- Cl?garam 100, vendas, do 13*
a 13*509.
Dito em caixas. Chegaram 59, vesda-, de 13*
a 13*300.
Dito em pacotes. Sem chegada, vendas, a
135000.
Dito om encapados. Sem chegada, nao houve
vendas.
Genebra de larauja. Sem chegada, cotamos a
7*400.
Dila commum. Sem chegada, cotamos de
4*500 a 5*000.
U.ia de Hullanda. Sem chegada, cotamos de
3*300 a 6*000.
Dita em botijas. Sem cnegada,. cotamos a 3o0
reis por botija.
Dila lanterna magica. Sem chegada, cotamos
a 4*500.
Dita vida eterna. Sem chegada, cotamos
a 3*500.
Kerosene. Sem chegada, vendas de 3*200 a
5^300 0 liquido, em lata.
L'>uca ordinaria.Sem chegada, nltimis ven-
das a 38i)*/de prcmia sobre a factnra.
Dila fina. Sem chegada, ultimas vendas a
280 /
Milho. Chegaram -230 saccos, vendas 75 reis
0 kilo.
Manleiga ingleza em latas. Chegaram 175
caixs, ultimas vendas a 2503 reis 0 kilo, latas
amarellas, e roxas a 2*3% reis 0 kilo.
Dita ingleza em barns. Chegaram 132 barris,
vendas de 1*633 reis 0 kilo.
Dita franceza. Chegaram 73A e 75/2, vendas
a 1*633 r6is 0 kilo.
Massas. Chegaram 12 caixas, ultimas vendas
a 7*500.
Pimenta. Chegaram 60 saccos, cotames a
1 *043 0 kilo.
Papel de ombrulho. Sem ehegada, ultimas
vendas a 800 reis a resma.
Phosphoros. Sem ehegada, vendas a 2*500 a
groza.
Queijos flamengos e prato Chegaram 351 cai-
xas, retalha se dos flamengos de 2*400 a 2*300 0
queijo, e os de prato retalha-se de 1*307 a 1*416
reis 0 kilo.
Sal. Chegaram 460 alqueire*', vendas a 1*400
0 alqueire.
SaLao inglez ordinario. Sem chegada, co-
tamos a 280 reis 0 kilo
Dito da terra. Vendas de 330 a 360 r<5is 9
kilo.
Sardinhas. Chegaram 20 caixas, cotamos a
280 reis a Uia.
Toucinho. Chegaram 90 barris, cotamos de
115000 a 11*500 por 15 kilos.
Velas stearinas. Chegaram 200 caixas, cota-
mos a 520 reis 0 mac 1.
Vinagre. Chegaram 43 pipas e 125/j, ultimas
vendas de 115*000 a 130*000 a pipa
Vinhotioto daFigueira e de Lisboa. Chegaram
159 pipas e 275/3, vendas do da Figueira 213*fi00
a 230*000, e do de Li? boa, vendas de 200*000 a
205*000.
Dito (raaeez. Sem chegada, retalha-se a
210*000 a pipa.
Dita branco ftancez. Sem chegada, Setle de
conta do relalhad r.
Dito branco de Lisboa. Sen chegada, vendas
de 200*000 a 240*000.
Dita do Estreito. Retalha se a 210*000- a
pipa.e chegaram 261 pipas, 48/2 e 60A, no carre-
gamento do Guadelupe, que seguio para 0 sul.
Dito do Porlo. Chegaram 300 caixas, randas
de 8*100 a 9*800 por caixa.
Pela recebedortr tf read** e daclara ao
conlribuiotes do imposto sobre indusim* pro-
Ussoea qae e no corteme mez e ao de onsubro
vindouro que devem vir pagar 0 pritneiro se-
mesire |H'rt-.'.ocenle ao exercicio de 1874 a 1875,
incorrenda na inoi.ta de 6 |, tod\>s aqueltes can-
tribuipte^ que llzerem depoi* do, mesmo pra^o.
Recebedoiia de Pernambnco, 1. de setembro
de 1874.
Saraiodo de administraJor,
* sa Felippa Nery da Sjtva.
I-man^de de S^Lta
reeilia
De ordeui da mesa regedora conviJo a todos os
irmao t professores para mesa geral no dia 14 do
correate, as 11 hora* da manaa, alim de traur se
de oego-i*urHenie> pain da irmandade.
Cuii-iaiori.i em m.sa, 10 do atieiubm de 1874.
0 secretario,
________ Bento da Silva Ramalho.
ainteiga, kC,S"'P,no-
Polassa, idbtu.
Rapt, idem.
Sifoao, idem.
Sal, litro.
Tapioca, kiMgramtao.
Tonchalio, idem.
Vet as da earn rub a idea*.
VHas st<'arina,mr.>.
Vioagrs de U*boa, NM.
Vjolio liiHo, idem.
Vin>o braBoe, idem.
v
OTPANHIA
BtEBEaiBE.
Os Srs. accionlslas desta companhia que
desejnrem apreciar 0 relatorio e mais pegas
a elle appensas, relativo ao anno quo Ur-
mim-u em 30 de abril ultimo, dirijam-se a
respectiva secretaria,.rua do Cabugd n. 16,
que Ihesserao forneCidos.
Eacriptorio da coopanhia do Beberibo, 3
do seteiabro de IS74.
0 secretario,
Luiz Manoel Rodrigues Valenca.
dnmlmb de Franca em Pcr-
msinliuci'.
ConvoeacSa do credores
0; iredor.s de fioado Eduard Turpin, sao con-
vidados a se reunirem quarta-faira 16 do corrente,
ao meio dia em {.onto, na chancelhria do consu-
lado de Franca ; para proceder se a verilca^ao
de seas creditos, sob juramento ; e deliberjrem
sobre as roedidas a tomar para a successao do
dit.. finado.
Tada e qaalquer reclamario -ulterior nao sera
aeeita para os ere .'ores presentes nesta praca.
Depois do exame dos creditos, factura, sera
apresenlado um eslado approximativo do psssivo
aclivo da dita successao.
Pernaii b.co, 10 de setembro de 1874.
0 gerente do consulado,
E. [Dumax.
De orde.sn do lllm. Sr inspector da thesou-
raria de fazenda desta provineia, se faz publico
que, tendo Luiz Jose da Costa Amorim, como pro
curador de Dommgos Jose da Co3ta Amorim, an-
nunciado pelos jornaes desta cid3de, de6, II, 12,
15 e 16 do uiez de juaho proximo passada, ter
perdido seto apaliccs da divj la pnblica, sendo
uma Je 400* da n. 1,043, vencende os juras de
S 0|0 e seis de at. 64,023 a 64,028, do va or de
1:000* cada uma, vencendo os mesmos juros,
aqaella da emissao de 1828 e aslas da de 1863,
requereu de conformidaJa com aatea aonaacios a
esta thesouraria para requisitar outras apolices
dos mesmos valores e numeros, na lorma da lei.
K:i vista do que esla thesouraria pelo preseate
intiraa a pessoa que se acha de posse das referidas
apolices a vir apresonta-las nesta reparticao dentro
do prazo de 30 dias, a contar da presente data,
visto serein as mesmas coacideradas sem efTeilo, e
se ter de provideociar no sentido de serem ellas
substituidas por outras.
Secreiariada taesouiaria de fazenda de Pernam-
buco, 11 de setembro de 1874.-0 2 escnptarario,
serviado de secretario,
_____________Carlos J. de souza Corraia.
Por esla delegacia se faz publico, para coohe-
cimento de quem interassar possa, quese acha de-
positado na secretaria da policia um relogio de
ouro, cbronometro, que foi apprehendido, 0 qual
sera entregue a quem se mostrar com direito ao
mesmo. '
Delegacia de policia do 1 districto da capital,
12 de setembro de 1874. .
Democlito Cavalcante da Albuquerque.
A arrematacao do arrendamento do proprio
nacional, sito em Santo Amaro das Salinas, annun-
ciada para 0 dia 5 do corrente mez, fiea adiada
para u dia que for opportunamente annunciado.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, II de setembro de 1874. 0 2 escrip-
turario, serviado de secretario,
Carles Joao de Souza Correia.
A arrematacao de seis armarios, annanciada
para 0 dia 12 do corrente mez, foi transferida
para 0 dia 16 do mesmo, 0 qae se declara para
conhecimento de quem interessar.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernaii-
buco, 12 de setembro de 1874. -0 2 escripturarlo,
servindo de secretario,
Carlos J. de Souza Correia
A junta adminirtrativa da Saati -
ricordia da lleoia pracm eoalraur a 1
to do asmear reloada da S* a 3* s-.rta foe
de coasumir tudo os eslabeJanimaiUoai M*i B sea
cargo, do trimealre de i^utubru a Jejaaace *a
doaro. e recuba proposia* para mi* aa uia d
suaa ses.>ue>, pelas 3 huras da Urdr d<> js 1? do
correute, devaad* serem |iraaantidi aa
peranw a mesma juau, eia fraacu:
acondicionadiw.
A junta administraliva da Santa Casa da Hi-a-
ricordia do 'I'ciie prectra contratar n fiii: etatn
to da carne vi-rde qua teem de auayrr **> aa
e-tabaieri eoto* pio< a sen cargo, no trmawte 4-
outubro a dczen.bro vindouri, < rwh- ,-r p*lii->
na sala de soas sessdes. pelas 3 ho-at la ttrde 4 >
dia 17 do corren e.
Cta
ia dalfcsa
pm?
%mm
Ml
! U
m
w.
Festa 1I11 Tamarineira.
Vinagre, etc.
-Hendimanto do dia 1 ^ 10 *3*432
IdemdqdjaH *
9394008
Navio eiUrado no dia 12.
Acaracu e portos intermediarios12 dias,
vapor nacional Giquid, do 223 toneladas,
commaiidante .Martins, equipagem 25,
carga differenlos generos, a companhia
pernambucana.
Navidtsahidot tw-metsno dia.
Bahia e portos intermedios vapor nacio-
nal Dantas, commandanle Francisco Pe-
reira,, carga Varios generos.
Aracaty--biate nacional Gr^ciosa, C3pitao
Xoao Vieira de Mello, drga varios ge-
neros.
Navios entrados no dia is.
New-York r- 63 dias, paUcho, inglez Anna
Mitchell, do 173 tpueradas. capilSo San.
ders, equipagera 7, carga farinha de tri-
go e ouros generos; a Johnston Pa-
.ter^.C. recer-da commissao fiscal, relallvo as contas
Liverpool eL|sa&a,. sendo, 12 dias do ultimo pnrto anno passado, e bem assim para tratw-s
vapor inglez Corcovado, de 2>405 la.neladar, *
qnmaodante J. I. B. Darke, cara vaaos ge-
ner.a; a \Y"on Rowa.& C. Seguio as 6 bo-
ras da iu,fde para 0 sul do imperio.
AJaatevidtj> pelasBa^ia, spnolo -2 dias do,utti910
porto-yapor inglez G>stfn1ir de l,20O**-
'das, equipagem 26t capit^o
Continuando a grande
festa da Tamarineira com
cavalbadas, 6 bandas de
musica marcial, e outros
divertimentos para a tar-
de de amanha, domingo 12, e ficaiulo mui
perto da Encruzilhada, a companhia ferrea
de Olinda, ftxpedira* trens para alii, e vice-
versa, todas as meias boras, a principiar das
2 1/2 da terdc as 9 1/2 da noite : havers'
illummacio na estrada da Tamarineira a
Encruzilhada.
Precos, I.1 classe 250 rs., 2.a dita 120 rs.
0 gerente,
L. J.de Miranda.
CoiiipaBhia
Santa Thereza
Nao tendo eompareeida numero legal de accio -
uistas, aflm de funccionar a assemblea geral, cea-
vocada para hoje.sSo de.novo c nvidados os mes
ra'os senhores para reunirem-9e do dia 17 do cor-
rente, ao meio lia, no 1* aadar da-rua do Vigario
n. 13. 0 fim da reuniao e a apresentagao do pa-
recer da commis9lo fiscal, relatlvo as contas dr
A junta p.dmicistrativa da Sani;.
ricord a do Recife pr>?risa contratar
to do pao e l.olacha qo r?e d rursumr tod os estabelecimeatos plus a sen carg <, ao mmetr>-
de oatubro a dezembro, e recebe para isto prapw
las an sala de suas sessfies, pelas 3 boras da tar-
de do dia 17 do c rrente.
Secretaria da Santa Casa de Sli'eTiciriia de R-
.ife, 10 da setembro de 1874.
O escrirao,
_________________Pedro HaaViama fcm
Perante a camara niamcipal 4esU cidHw
estarao em \ raca n> dias 5, 7, 9, tQ, II, ft, II.
15 e 16 do corr<-nle, pan sire.n arrematadoa aor
quem maior prcco i-il-reccr, as sfguin.-s readas
os aluguei- das casa- da pt^ca da lad pf daacia,
ru-ts de Joao do Rego, Riachuell ImpariaL das
cas'Dhas <*a ribeira da frega-.zia daBia Vista, e
dos tat nos dos acoogues da mesma fregoazia : 0*
pret-ndentes a laes arremai.io>KS, habilitetn-**
na forma da lei.
i'ngo da camara municipal do Re ife, 4
de s-jtembro de 187 V
Theodoro II. F Pertira a SUpk,
I'ro-prosi'icnlc.
Francisco Anpusto da<>9la,
^ecr^;;a^io.
SANTACASA DA MISERICORDIADO~
RECIPE.
A Hlma. junta admimsrrativa da Saata Gaaa da
il sericordia do Recife, mania tazer publico fM
a ; las 3 boras da tarde, tem de ser arreaatadaa a
juem mais vantsgens ofTerecer, pela te^npo da an
a tr-.s anuos as randas dos pmBaa wn segaida
J-iclarados.
ESTABELEaMENTO DE CARIDADB.
Rua das CalcaJas
Ca.-a t-rrea n. 30(feclud). tMJOfe)
Idem n 36........Ml*onn
Vidal de Nefreiros.
Ca-a terreao. 114......3C9J0t*
Idem n. 94.........301*00*
Rua Urga do R MM,
l." andar p loja n Ji A.....900*000
t* andar idem........3I<>*<'00
I* andar n 24.......400*00'>
Rua de Antonio Ueariques.
Casa terrea n. 26...... f*0i>o.
- Largo da Campina.
deron U(fecbada)......HO*0>
Rua do Nogneira.
C?sa terrea n. 17 (fechada)..... 33MT<>
Rua do Coronel Sni 1* andar do s brado numero 94 3%*# O
Dito d:to numero .41......7*0
PATRIMOMO DOS ORPHAOS
Rua da Hoed a.
Casa terrea n. 21 fechada).....MOJOOO
Becco daa Boi.-.
Casa terrea n. 18.......421* >
Hua da Lapa.
Casa terrea n. ~.......l/Hju ;
Rua do Amorim.
Sobrado de 2 andares n. 23 liMj.rn
Casa terrea n. 34......51*0*
Roar do Bugos.
Casa terrea n. 21.......153J0CO
ttaa do Vigario
2' andar do sobrado n.27 243*Onr<
1* andar do mesmo..... .'M0*Wn
Loja do mesmo.......:t75*0''
Sobrada de 2 andare* n. 25 I:30B#0IM
Rua do Eocanlataenu).
Sobrado de 2 andares n. I3(fecbadai. 1100* > '
Rua da Sanzaiia vetha
Idem n. 16........ttMOMtJ
Rua da 1 ana.
Casa terrea n. 25......209*oi>
Idem n. 29 .....JOI*m
Rua da Crn:.
Sobrado Je 2 andaresn. 12 (fecha'ai 800*ih.
Idem n. 19........ 6oO*Otk.
Rua de S. Jorge
Casa terrea a. 100 ((eciiada) 541 *.">
Idem n. 103........207*W*
Rna de Gervazio Pires.
^asa terrea n. 2. 300*0i"
Rua do Ampare iDiioda)
Caa tercea n. 18 (fechada).... 240*00'
Os pretendentes di-varan apresenur ao ado da
arrematacao as suas fiancas, ou eoaajataeere?.
aconipanhados dos respeciivos Qadorea, daven 1
pagar alem da renda, 0 pramia da quaatia e..
qae for seguro o predio qat coctiver aaUbele.- -
memo commercial, assim' como > scnico 4a Km
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da Sanu rasa da Misericordia d^ R.
cite, 17 de aCosto de 1874.
0 escriva ,
Pedrn Rodriamet 4* faua.
COMPANHIA
BEBERIBE.
Theso
bro de.
var.os gdaeraa; a SMaod^'i Bro?hw 4'c ^'Sl*
gum potteo depois pira a'Rnropa.
463*43? ^-^Henelidaa -
L :cargi krinha de
Forster 4 C.
A'otno sahido no mesmo dia.
Rpsario de Santa Fe patachq allemio
- JhwieU Durchard, capitao C. Peters,
Joio (Jarnelro M. da Sil'vaSgtos. mW* mesma que.Aroi^w ,dft, Wjrrjeojl.
...... .......
. 8:7
^-Povinoial de Peraanwco, 12 dTseiTip
Reviwta commercial
'Da serdaQa Be 7 a ^2 de seiembro %
Cam'bio sobre l-ofidres, 90'd|v'^6;V, d.'lfi1 %It.
por 1^000. p
Difo sobre dito, 90ti[v 26 d. por 1*000, banco.
Dito sobre Lisboa, pagavel em Londres, 90 d(v
upiiaa Davia,; eqnipagem J,
trigo e outros generos; a H.
tros assumptos de interesie' da"" ^.*v-ae,v"
forma do art. 16 do3 es" ; -jaipaihr. Na
gar aefinltivam'"- u, a reuniao tera lu-
senho"-- "e no dia 17 do corrente com os
..oa accionistas que comparecerem, e suas
declsQes obrigarao a loda coxpanhia.
Recife, 10 Be setembro de 187.4.
4
- I
Haiti*
^^
Just
u gerente, .#
J- S. Came
mo J.
to
*-*^
P09.
t
(tal n. 47.
. Pela MpefeUfh'ii alfaWega se faz puMico;tle
a3 il horas, da manhi Ao dia 14 do mez correoto,
na trapicjje QpqceicJo, se fta de arrematar, Iivrea
Casa de Mkerl'cordia
da Recife.
Perante a lllroa. junu admimstrativa desta San-
ta Casa yai a praca em seasio do dia 17 do cor-
reple,.pejas 3 hojas, da tar4e> .t*. fgroecinwnto de
generos quo foftm prefiisos no trimestre de outiu-
brp a deaeom^.vindoutUjraOs, estabeiecimenlos
P103 a seu dargo, exceptoo hospita'. Pedro II, cons-
taoles da reraStoom segu-da :
Aletria. kilogramme
Agnjrde.nte.-lltro.
Rzeite dbee.'idem.
Arrox, kilagraramo.
Racalhlb,'Mem.
anba M3drzo, idem.
Batata,'iSm;"
Cha bysson, idem.
Cafe em grao, idem.

A directotia desta compaohia, declar
aos Srs. concessionarios Ja petmas d'afu
que todas as obras conceracntes 4s mewuif
s6 poderao ser teitas com sciencia da dire
I toria e presenc,a do respactiva einpregado :
isto para evitar os abusos qae so dto cons-
tanteinenle, e para que nao ftqama sujoi
tos as multas competentes, tnatida faier a
presente declaraclo.
Escriptario da companhia doTMfcwiU-.
3 de setembro de l^i,
O secretario,
lAiix Manoel Rodrigues i'aknea.
CONSULADO PRO.ISaAL.
Por e-ta reparticao se faz ; uWico aas daaadir--
dos impostos perlencentas ao erfrefdo em Hsip
dacio de 1873 a 74, que no dia W do correaieie-
da se e prazo nwreado para 0 reeebimeato 4a kq>
deliitos com a malta de 6 O|0. Heaado foj^tom 1
que 0J0 pafearam at aqflrlie dia, a 9crn ajnu
Consulado provincial de Pernambuco, I
de setembro de 1874.-0 aiaunislrAdflr.
Antonio C. Maehadt Rios.
DE .
a Starr C.
Sao cooidados of Srs. dav*dtra r.
satisfavr saus debitos, ^^ejSente* d
tras e Qontas T"^,aS ;^enio que nil 0
?endo at* ^ ^ ^0^0^,0 pr*^
^m^ wrio veodidas em l-aj^K
jSnlMWCW OU 404:*'> .*****.
j fnndfclo on do testamenteiro H. J. Caantn.'
1 rua do Commercio n. 40.


Segmrda
Gonpanhia Fidelidade
ritimos e terrestrm
A agenda desta companbia toma seguros ma
riUm s e terrestres, a premios razoavets, daado
nos nltimos o s6k> livre, e o setirao anno gratuito
aoseeurado.
Roa do Visconde de Itaparica, anliga do Appolo
n. 51.
Feliciano Jose Gomes,
______Agente.________
~)3SULADO PROVINCIAL
Por esta reparticao se fat scieote aos coniri-
baintes dos apparelhos, differenoa dos mesons,
annnidades e encanameotos da Recife Drainage
Company do semestre lmd em dezembro de
187*,'qu tot prorogado por mais dei dias ateis e
recebiraento qae era se precede, lermlnando a re-
ferida prorogacaa no dia 14 do setembro via-
4ooro.
Coknolado provincial, SS-de agosto de 187 i.
6 -adaainiitrador,
Antonio Carneiru Machado Rios.
Pelo thesouro provincial se fat puWico para
qnem interessar possa, rpie foi transkrida para
0 dia 17 do corrente mez, para ser arretnalada
perante junta des*e :,thesouro a obra da
5 onto da _loes sobre o rio Tapacara na estrada
a Victoria, orcada -m 1485*00.
Secretaria do thdsouro provincial, o de setem
bro de4874.
Q secretario,
Miguel Affuaso Ferreira.
De ordem do-lllm Sr. inspector da ttiesoura
ria de faxenda desta provincia se Caz (ttblico, para
conbeciraento de quem ioteressar, qae no dia 26
do corrente met, pelas horas da tarde, perante
a jniita da inesma thesouraria, seraiposto em hastt
publica para ser arrematado for quern maior lan-.-o
oflarecer. o.praprio nacioaal, denominado CaU-
bonco, sito a raa do mesmo eorae, nesta capital,
servindo de base para a arrematado a qoantia de
3:110^, maior lanco oflerectdo oa ultima praca.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambnco, 3 de setembro de f874. -0 2* eseriptu-
raio, servinfJo de secretario,
Carlos I. de Sooza Correia.
CHJMMHBUBS REUXI8
COMPANBU FRiNCEZA DE NAVE-
GAQAO A VAPOR
L1NHA MENSAL BNTRE 0
Havre, ijsboa, Pernambuco, Babia, Rio de
Janeiro e Santos.
STEAMER
ULLE lllg. B \VU V
Coiuiuamlunle. !. Robert.
E' esperado da En-
ropa ate 33 do cor-
reote, segoindo de-
pow da indispensavel
demoia para os por-
tes do sul de sua es-
cala acima referidos.
Para fretes, encommendas -a passageiros, trata-
se com
OS OOWSHJNATaRIOS
AOGOSTO P. D'OUVEIHA 4 C.
i_Rua do CommercioEntrada pela ru*
do Torres.______________
R1SC0 MAR1TIM0
N. A. Anderson, capitio do palhabote americano
Frtmfc Koioard, vindo de New-York com carga de
farinh* de trigo gaz outras mercadorias, com
Vsti-na ao Ria Grande do Sal, entrado neste porto
com agua abetta.-pTecisa para occorrer as despe-
aasdo concetto 1o rnesmo navio, cerca da qoan-
tia de 45-080#, sobre o easco, frete e carregaiuen-
to do dito ttavio. KMTertas, em cartas feehadas,
erao receWdas noeoosnlado americaao, ate o dia
la do corrente mez, ao meio dia.
Agente Dias
Novo leilao
DE
duas cases de taipa sitas era a rna dos T6cos,
no povoado dos Monies, terrao de Agua
Preta
TERC.V FEIRA 15 DO CORRENTE
AS It MORAS DA MAS HA
0 agente Bias, em obiervancia ao respeitavel
despacbo de lllm. Sr. Dr. juiz -special do com-
mercio, lev*ra a leilio, ne dia e hnra acima iodi-
cados, as Tefendaa casas.
LEILAO
AVISOS OVEBSOS
CMADO
freeisa-se de um criado,
com urgencia, que d fiador
a sua conducta: no caes de
Opibaribe n. 40.
!
NA
ADMINISTRA AO DOS COHREI05 DE PER-
NAMBOCO, 11 DE SETEMBRO DE 1874
Faco ptiMico qae do dia 14 do corrente mec
comecara a funccioDar a -agencia do correio da
esugao a> Ipujuca.
A mala iera expedida diariamente pelo trem das
8 l|2 boras da inanhi, e a cor re? pondencia rece-
bida nesta admimsiracao ate as 5 boras da tarde,
e na agencia do coireio das Cinco Pootas ate as 8
horas da rnanha.
Affonso do Rego Barros,
Administrador.
ADMINISTRACAO DOS CORRE10S DS~ PER-
NAMBUCO, li DE SE3EMBR0 EE 1874
Malas a exi eJir-se.
Pelo vapor nasional Cwuripe, esta administrj-
;ao expede malas para Mamanguape, hoje (14).
Recebem-se jornaei", impressos de qualquer na-
lureza, cartas a registrar e cartas urJinarir.s, at^
3 boras da tarde.
0 administrador,
Affonso do Rego I arros.
LEILOES.
Agente Pestatwt,
LEILAO
"W"T"
mw$ mmmm.
D2
100 ^arrofoee com cevadiiiha e 4 fardos
oen comiohos, desembarcados ultioia-
meate
Hoje
Am 11 horns em pout
No armazem do Sr. Annes, defronte da al-
fandega
Opreposto do agente Pestana fara leilao, por
couta e risco de quern perteocer, de 100 arra-
foes com cevadiaha e 4 fardos com cominhos, des
embarcados oWmamente, em um ou mais lotes,
a ventade dos Srs. compradores. _________
Feira Enonomica
Rua do Kosaiio estreita n. 4-5
QUARTA-REIRA 16 DO CORRENW
as I I horas da manha
Jarros, caeherros, gan^os, macacos, pinhas,tu-
0* de louca para jardim, I mobilia eaulhada, a
as francezas, marqnezoVs, cadriras de gnaroi
cao, ditas de braco ejbalan;o, consoios, baneas, me
sas aparadores, maqnioa para eostura, araodelas,
lou?a, vidros para uso domestico e outros mnitos
artigos
pelo agente Martins.
Leilao
em
Libras esterlinas.
Vendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
Rua do Commercio n. 42.
COMPANUIA TERNAMBUCAM
DE
Xuvegacjl costcira a vapor.
MAMANGUAPE.
0 vapor Coruripe,
command ante. S-.ntos,
seguira para o por-
to acima no dia V
du corrente mez, as 3
horas da tarde.
Dao-se bilbetes de eargaatdo dia 12 e de pas-
^agens, er.cornmenil^s a dinheiro a frete ate as 3
boras da t.vide do cia da sabida : escriptorio do
Forte do Mattoe n. 12.
IIha de S. Miguel
Segue com brevidvle para S. Miguel o paiha-
bote purtuguez Noco S. Louren^o, para onde rece-
oe carga e passageiros : trata se com es eonsig-
aatarios Th^naz de Aquino Ponceca & C. Sncces-
ores, rua do V'igario n. l.>, 1' aalar.
Gonpanhia amecicanae brasileira
do paquelps a vapor.
Ate o dia li do corrente
e esperado do norte o
vapor americano Sou/It
America, commandan-
te Tenklepangb, o qual
depols da deniora do
SOStnme, segoira para o Rio de Janeiro, com esca
a pela Bahia.
Para passagens, trata se com os agentos Henry
-orster it C, rua do Commercio n. 8.
CO.MPAiSHIA raRSAMBUCASA
DE
Uavc^acilo custeira a vapor.
Maceio, escalas, Ponedo e Aracaju*.
0 vapor Manddhn, com-
mandante Marlins, segui-
ra para os portos acima
.'TTi^FnVv^ no dia 15 do corrente, as
*j horas da tarde.
Recebe carga ate o dia
li, encommendas, passa
i'?iros e diiheiro a frete ate as 2 horas do
Jia da sabida : escriptorio no Forte do Mat'-os
d. 12.
Pacific Steam toigalioii Compan>
ROYAL MAIL STEAMERS.
(DE 4081 TOXEADAS)
CoincnaiidaiKe Shannon.
~v__ "> Espera-se dos por-
\___"*Jj^i tos do 3ul ate o dia 27
do corrente, e depots
dademora do costu-
me seguira para Lis-
bon, Bordeos, e Liver-
oool, para onde recebera passageiros, encommen-
das, e dinheiro a frete.
X. B.Nao sahira antes das tres horas da tar
ie do dia da sua chegada.
AGENTES
Wilson Rone A C.
14PRACA DO COMMERCIO-1
COMPAKH1A BRAS1L.E1BA
DE
NAVEGACAOAVAPOR
PorlOK do SUl
CERVANTES (iretado)
E' esperado dos portos do norte
ate" o dia 17 do corrente e se-
guira para os do sol depots
da demora do costume.
DE
PAZENDAS .
inglezas, fraucezas, suissas e allemas,
contiouaQao epor liquida$ao
CONSTANDO DE :
Chitas escuras, algodSes, cobertores, mussuli-
nas, camisas de linho, ceroulas, pannos e case-
miras, pretas ede cores, bombazinas, merino?,
Srosdenaples, espartilhos, cassas de cores, organ-
ys. cambraias brancas, brins brancos e de cores,
brins pardos, Angola, peitcs para camisas, sargo-
lins, chap^os, peitcs de camisa, collarinhos, cha-
les, len ra casameato, cbitas de ganga, damasco de ia e
algodao, ricados para colchoes, fazendas de linho
proprias para seleiro, e muitas calras fazendas
Tercja-feira to de sttembro
No armazem da rua do Bom Jesus n. 63.
Os adminisiradores da massa fallida de Pereira
de Mil'.o & C, autorisados pelo lllm. Sr. Dr. juiz
de direito especial do commercio, continuarao a
dispor em lei ao, por Intervencao do mesmo agen-
te Pinto, as fazendas pertencentes a mesma mas
sa, e existentes no armazem da rua do Bom Jesus
n. 63, onde se effectuara o leilio.
0> Srs. preKn lentes podcriio examinar ua ves-
pera e dia do leilao a varieJade e sortimento das
mesmas fazendas, algumas das qnaes ultimamente
desnachadas e recentemente tiradas da alfandeRa
LEILAO
DE
30 caixoes de pinbo, vazios, e '.Ocaixasde
zioco'e flandres
TERCA-FEIRA 15 DO CORRNETE
a 1 h-ra em pooto
No armazem da rua do Bom Jesus n. 63.
Por occasiao do leilao de fazendas ltmpas e ava-
riadas, pertencentes a massa fal ida de Pereira d?
Kello & c;
\o dia 1 do corrente
Os mutuarios po3suidores de cautelas vencidas,
cujos j.renios nio foram pagos, venham resgalar
ou reformar ditas cautelas sob pena de serem ven-
didas no leilao que ten Ingar n i dia acima desig-
nado, na casa de penhores, a trave sa da rui Du-
que de Caxias n. 2.
camisas
DE
de linho, lisas e bordadas
AVARIADAS
Terca-feira jlo do correute
ai 11 horas em ponto.
Por intervencAo do agente Pinto
No armazem da rua do Bom Jesus n. 63.
Por oc;asiaodo leilao de fazendas da massa fal-
lida de Pereira de Mello & C, conforme esta an-
nunciado.
Agente Pestana
LEILAO
DA
armacao envidragada, com balcao com pe-
dra marraore, pipas, caoteiros, gaz e al-
guns generos
TERCA-FEIRA, 15 DO CORRENTE
As 11 horas em ponto.
ao correr do marteUo
Na taverna denominada Novo Mundo, em
l'rente A rua do Vigario Thenorio n.2
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco do sr. Anton o Pinto da Lapa, da
arcacao de amarello envidracada, com balcao de
pedra marmore, pipas, canteiros, gaz e alguns ge-
neros, em Dm ou mais lotes, a vontade dos Srs.
compradores.
0 mesmo preposto declara qae garante se a
ehave do dito estabelecimento, livre e desembara-
cada de quaiquer onus.
Agente Dias
INovo leilao
DOS
geoeros existentes em o estabelecimento da
rua Duque de Caxias n. 40.
Terca-feira 15 do corrente
As 12 horas em ponto
0 agente Dias, levara novamente a leilao, por
despacho do lllm. Sr, Dr. juiz especial doc ommer-
cio, os geoeros* acima indicadoa, os quaes fazem
pane dos bens pertencentes a masia fallida de Joa-
quim da Silva Coata,
0 brigue portoanex Tiiumnha ?*<*** sesou" mandado contendo o intentarlo a oe reapecti-
cm.. 3>uiU brevidalle: para cargai e oas^'*** \ P5W &ha?e em poder. S "**> -".
trata-sa com os consignaurios ThomaaTAqnino *.***' P0*16 Kt e^min^ &0i &* PW"
t-yapptc* 4 C., sttcrtssores, roa do Yi|ario n. i9itonow?3
PorlOK do norte
< omniniKinnte Carlos Gomes
E' esperado dos portos
do sul ate o dia 17 do
correote e seguira para
os do norte depois da de-
___________mora do costume.
carga, encommendas, valores e passagens,
xatage no escriptorio
7-RUA DO VIGARIO-7
Pereira V'ianna & C.
Agente Dias
leilao
DE
moveis, vidros e mais artigos
QUARTA-FEIRA 16 DO CORREOTE
AS 11 HORAS DA MANHA.
Em a casa n. 11 a rua do Barao de S. Bor-
ja, outr'ora rua do Sebo.
0 agente Dias, competentemente aatorisado,
levara a leilao, no dia e hora acima designados,
os moveis e mats artigos
A saber:
Uma mobilia de faia composta de I st la, I con
solos, 1 jardineira, tampos de pedra, 12 cadeiras
de guarnicio e 2 de bracos, 1 guard a louca de
amarello, 1 lavatorio, 1 commoda, I cadeira de
balanco, de faia, 8 quadros com diversas vistas, 2
pares de jarros, 8 cadeiras de bracp, americanas,
3 pannos para mesas, 12 copos para agui, 18 di-
tos para vinho, 2 garrafas para vinho, ondieiros
para kerosene, diversos livros e outros muitos ar-
tigos que estarao patentes no dia do leilao.
4' camara municipal.
Pergunta-se quern 4 o encarregado de fa-
/.er a limpeza das ruas da freguezia de San-
to Antonio ; essa pergunta se faz por se a-
charem as ruas em pessimo estado de lim-
peza, principalmente nos dias em que os
taes varredores dizem fazer o servico. Vol-
taremos senao houver uma providencia.
O sentinella.
mi da fortiiw.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
A' rua Primevro de Margo (outr'ora rua a-
Cretpo) n. ts e casas do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido nos sens fe-
lites bilbetes am meio n. 816 com "OOiOOO, um
meio n. 2893 com 2004, um meio a. 3051 com
100*00(1, am meio a. 2931 com 1004, e outras
sortes de 404 e 204 da loteria que se acabou de
extrabir (US'), coovida aos possuidores a virem
receber na conformidade do costume, sem descon-
to algum.
Acnam-se a venda os felizes bilhetes garantidos
da 6* pane das loteriaa a beneflcio da igreja
da Ca>a Porte (116*), que se extrahira na lerca-
eira, 13 do corrente mez.
PREQOS,
Bilhete inteiro 4000
Meio bilbete 24000
cat PoaglODB 1009000 paiu cm a.
Bilhete inteiro 34500
Meio bilhete 14750
Manoel Martins Fiuxa.
7
QC1.NTA-FEIRA 17 DO CORRENTE
ao meio dia
0 agente Martins rendera era leilio, por ordem
de seu proprictario, o silio do Remedio, n. 18,
freguezia dos A fogados, em chSos proprios, com
319 palmos de frente e 638 de fundo, com cacim-
ba e uma casa em ruinas, tendo a guns arvoredos,
ficando a frente para o rio. Os pretendentes po-
dera desdeja o examinar e concorrerem ao leilao
FEIRA SEVEAN1L
16 Fua do Imperador 16.
DAS
divides da massa fallida de Jose Francisco
Bittencourt, na importancia de.....
2:004^230.
Scxta feira IS do corrente
.%.' 11 horas.
0 agente Pinto autorisado prr mandadj do lllm.
Sr. Dr. juiz da direito especial do commercio, le-
vara a leilao, as II horas do dia acima dito, as di-
vidas da massa fallida de J se Francisco Bitten
court.
Os pretendentes poderao desde ja examinarem a
rela^ao das dividas existentes em o escriptorio do
referido agente, rua do Bom Jesus n. 43, onde se
effectuara o leilao.
LEILAO
DAS
divides da massa fallida de Joao Ferreira
da Costa Soares, na importancia de .
98:o27#37V.
Sexta-feira 1 .Vs 11 1 \'& horas.
Por mandado do lllm. Sr Dr. juiz de direito es-
Secial do commercio, em viriude do reijuerimento
o admini3trador da massa fallida de Joao Ferreira
da Costa Soares, o agente I'ioto fara leilao das di-
vidas constantes do mandado existente em poder
do mesmo agente, sendo 91:0734094 em contas de
livros e 4:4324280 em letras.
0 leilao sera tffectuado a- II \\i horas do dia
acima dito, nj escriptorio do mesmo agente. rua
do Bora Jesus n. 43.
LEILAO
DE
miudezas, calcados, perfumarias, chapeos,
livros em branco, papel fino para copiar
cartas, dito de peso, pautado, dito araiza-
de, balances, utas, botinas para senho-
ras, sapatos de 13 prta, elasticos, grava-
las, meias e muitos outros artigos
Terca-feira 91 de setenabro
Por intervengao do agente Pinto
No armazem da rua do Bom Jesus n. 63.
Principiara as 10 1|2 boras em pnnto.
LEILAO
DE
objectos de escriptorio
Coustando de :
Umaburra, prova de fogo, grande, de 2-portas
e sobre rodas, do muito coohecido fahncante Mil-
nes, 1 dita tambem gran le, do fabricante Haffner
freres, 1 carteira para 4 pessoas, I dita para 2
pessoas, 2 ditas para 1 pessoa, repartimentj de
escriptorio, 1 balca", 2 arraarios, 1 relogio, I
prensa para copiar cartas, tinteiros, envelopes, pa-
pel e livros em branco.
Daas grandes armacoes para meio de armazem,
com 3 ordeas de taboas e 6 palmos de fundo.
Duas ditas para parede, com 3 ordent e 4 pal-
mos de fundo.
TTes armacoes de armazem, 2 balaios para car-
regar fazendas, taboas para mesas e muitos ou-
tros objectos de eseriptorio e armazem.
Terca-feira SS do corrente
No armrzem e 1* andar do sobrado da rua
do Bom Jesus n. 63.
Os adminisiradores da massa fallida de Pereira
de Mello k C, autorisados pelo lllm. Sr. Dr.
juiz de direito especial do commercio. farao lei
lio por intervencao do agente Pinto, dos moveis,
miudezas e mais objectos de escriptorio e arma-
zem qae fazem parte da referida massa e existen-
tes no priroeiro andar e andar terreo do sobrado
da rua do Bom Jesus n. 63.
0 pretendentes acharao aberto nlo &0 o arma-
zem como o escriptorio, na vespera do dia do lei-
lio, afim de qae possam melhor examinar as hur-
ras, armacoes e mais objectos acima indicados, e
concorrerao ao acto do leilao, terca-feira 22 do
corrente.
Em continuarao
vander-se-ba 30 caixoes vasios de madeira de pi*
nho, grandes e pequenos, e caixas de zinco o flan-
dres.
Antonio de Azevedo Villaroueo.
Pelo presente sao convidados os afilhados e ati-
Ih >das de Antonio de Azevedo Villaroueo, falle-
cido em Portugal no mez de ontubro de 1873, a
apresentarem dentro do prazo de 60 d!a, a con-
tar de-ta data, a certidao de seu nascimento, era
casa do abaixo assignado, testamenteiro iastituido
pelo dito fallecido, afim de que sejam devidamente
attendidos na partilba a que tem de proceder-se
com a precisa igualdade, de accordo com a d sicao testamentaria. Recife, 10 de setembro de
1874.Man el Azevedo de Andrade.
Casa para alugar
Aluga-se uma casa na roa do Visconde de Goy-
anna n. 109, com 2 salas, 4 quartos, cozinha, ap-
pcrelho de jambrone, grande quintal murado e
enm diversas arvores de fmcto, cacimba e portao
para a camr/ia, aonde se pode tomar banhos sal
gadus e temperados: a trafar no largo da Santa
Cruz n. 4.
Ao commercio.
0 abaixo assignado, tsado saoado mi
favor de Andre Coelho Cordeiro Ootra _
por Francisco de Paula Cavaleaate List, a aratro
mezes, a veneer em 10 ie Janeiro da t7a\ iada-
ra qae ninaoem fa^a trasaaccie
pena de nnliidade.
Recife, 8 de setembro de 1874.
Antonio Luii da Silva
Maria Lodgera Ferreira, Elia Ferreira, laaoel
Candido Ferreira (aoseotes) e Pacwn Viaaata 4
C, cordialmeote agradecem
panbaram ao ultimo jazigo o ratios aaortaea de
seu mar'do, pai e amigo Maooet aWeiaaw Ferrei-
ra, e rogam Ibes o obseqnio de asatstir as aaaisaa
Sue pelo rrpouso da alma do raeaaM iaado, kin
e celebrar se na quinla-Uira 17 do eorraatte, as
8 horas, na igreja da Madre de Deoa.
fogs3oa^nv;
ivessa (km Rf-
Perganta-se ao Sr. (heal dos AJa_
conseotio edifieir du as easas na tcneiai dos Rf-
melios contra as postaras municipaet, com aor-
tas de Ires palmos e meio de largura e seodo w
tas na rsr|aioa da ma, so por qae pagoa a mnlu
de :{"{"iikj Grande escandalo.
0 mnltado do Boe.
Bods pianos.
Chegados de novo,
Vende-ie.
Vroca-oe.
aloga-ae.
No armazem do vapor francos, a rna do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
MOBILIAS
de virae e de faia.
Vende-se muito em conta ; cadeiras avnlsas, de
balanco, de bracos e de dobrar : no armazem do
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, outr'o-
ra Nova n. 7.
Perlumarias.
Finos extractoe, banhas, oleos, opiata e poe den-
triflce, agua de flor de laranja, agua de toilete
divina, florid a, lavaode, pos de arroz, sabonetes,
crosmeticos, muitos artigo delicados em peruama-
ria para presentes em frasccs de extractos, caixi-
ahas sortidas e garrafas de differentes tamaohos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qnalidade
dos bem conhecidos fabricantes I'iver e Condrav,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova a. 7.
Quinquilharias.
4rtigoai de dlfferenteai tomtom *
phantaziao.
Espelhos, leques, luvas, joias d'onro, tesourinhas,
canivetes, caixrahas de eostura, album, quadros,
e caixinbas para retratos, bolsinhas de velludo,
dita de couro, e eestinbas para bracos de meninas,
chicotes, bengalas, eculo, pencinez, ponteiras para
charutos e cigarros, escovas, pentes. carteirinba de
madreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
de viagens, venesiacas para janellas, esterioco-
pos, lanternas magicas,cosmoramas, jogos da gloria,
de damas, de bagatella, quadros com paisagens
!;lobos de papel para illuminaqoes, machinas de
azer cafe, espanadores de palhas, realejos de veio,
accordaos, carrinhos, e bercos para crian^as, e
outras muitas quinquilharias.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se p6de desejar de to
dos os brinquedos fabricados em differetes parte^
da Earopa, para entretimeDtos das criancas, tudu
a preQos mais resumidos que 6 possivel: no ar
mazem do Vapor Francez, rua do Barao da Vic-
toria outr'ora Nova n. 7.
Calcado francez
A 9$
Botinas para homem
* Acabam de chegar grandes jacturas de botina.
de bezerro, de cordavao, de pelica. de doraqnt ?caba de renefcer boioes Iilne de Onix, com tr -
com biqueira, de bezerro com botSes, e com ilho- signias mafonica^ para punho a If e a 71 a pa
zes a 9^000 (a escolber) por ler vindo grande
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
EXSINO
"^ DE
J MITIDAS DOIUUS
.a AHITHMETICa
*\ dingido por
V- MANOEL FONCECA DE MEDEIROS
1 tres vezes por nma
a tarde on a aoita
JpJ Raa do Marqnez do Herval ( outr'ora
^ Coocordia ) n. 138 a 140.
ahata* nvnMk
Aluga-se
ami boa casa terrea mm qaatro qaartus. cozxt i
fora e bom quintal, s la a rua Vi lua a. W : qa- i
a pretender, dirij* ? a raa do Sbo a. 8.
Antonio Pinto Lapa, vendo > annuncw do b:.
Pestana, agente de lei'oes, qaanto m leilao qa* v.
fazer terca-feira, 15 do corrente, a armacao ar-
um objectos da Uverna denominadaNovo Mm
do- em (rente a raa do Vigario Then rio n. 2,
que declara ser por conta delle Lapa, faz pat.
que nada absolaamente tem com o leilao qae i
trata, e que se deixou de later bora o lanjo -
offereceu por occasiao do 1* leilio, foi ptrque de -
xaram de satisfazer a- condicoes apregoada- p-
mesmo agente, no acto do leilao, e segando coa a
do prutesto que immeJiaUnaeate fez perau
lllm. Sr. Dr. juiz de dir-ito especial do c^mmerr'
A Grisolita
Cabo.
Arrenda-se o sitio Gayrii
a rua do Ho^picio n. (0.
a tratar ne-ta cidade
Joa (uim Pacheco da Silva tendo se retirado
para Europa no dia 10 do corrente, por falta de
tempo nao pode despedirse de todos os seus ami-
gos, e por isso pede desculpa de8ta falta involun-
taria, e offerece o seu liraitalo prestimo em qual-
quer parte que se achar.______________________
Na travessa da matriz de Santo Ahtorio n. 0
ha uma ama dc leito, e seccas constantetriente pa-
ra alugar.
as desejadas lazinhas a 200
rs. o covado.
Rua-do Oueimado n. 43.
(Defronte da loja de chapeos da Pracinha)
Lazinhas a!{imitac.io de seda com riquissimos
padrSes a 200 rs. o covaJo. So o 43. Dio-se
amostras. Venham antes que se acabem,
Bazar das Familias.
Este montado estabelecimento de fazendas, sito a
rua Dnque de Cax as a. 60 A, esquina da e.-treita
do Rosatio, recebeu um grande e variado sor-
timento de fazendas do ultimo gosto, e Keis e Sil-
va & Guiraaraes, seus proprietarios, eslao resol
vidos a vender por menos 30 por cento que em
outra qualquer parte.
Teem em exposicSo constantemente e a veu-
da, o seguin'.e :
Popeltnas de linho e seda, padroes inteiramente
novo3, pelo diminuto preco de 11600 o covado.
Grauadine de seda com listras assetioadas a 800
rs. o covado.
Grande sortimento de alpaca de cores, gosto mo-
dernissimo, a IJ o covado.
Saias bordada3 para senhoras a 6/, preco que
nao ha era outra p3rte.
Um completo sortimento da lencos de linho ja
abanhados, cada duzia em uma caixmha com um
espelho, pelo preco de 5*300 a 64.
Ricas caixinhas de madeira enfeitadas cada uma
com uma duzia de meias para senhora, pelo pre-
co de 65 a duzia.
Ditas para homem, nas mesmas caixinhas, de
6*500 a li,.
Um completo sortimento de cambraias hranca e
bordadas com palraas de cores a 400 rs. o co-
vado. \
Cambraias de cores com listras de chrochet a
520 rs. o covado. Fazenda inteiramente nova.
Lindas alpacas pretas com listras brancas, pro-
prias para luto, por prejo que ninguem pude ven-
der, a IS o covado.
Lavas de retroz, sen dedos, para sonhora, a
1JIO0 rs. o par.
Lindos pannos de crochet para cadeiras e pre-
sentes a 1*500.
Um completo sortimento de meias de cores para
meninoi e meninas, a 3<500 e 4*.
ateias de cores para homem, a 94.
Um completo sortimento de meias brancas, pa-
ra homem, pelos precos seguintes : 3*500,4*000,
5*500 e 6*500.
Cambraias transparentes, suissas, a 7*500 a
Ditas trasparentes de 4*, 6* e 6*500.
Cambraia Victoria n. 26, pelo preco de 7*500 a
peca.
urn completo sortimento de lazinhas de seda,
pelo diminuto preco de 3:0 rs. o covado.
Lindos sapatrabos de 13, inglezes, para meninos
de 6 raeies a dons annos, pelo preco de I *000 o
par-
Lindas touquinhas de 616, enfeitadas de seda,
pelo preco de 2* uma.
Riquissimos chales de merino e seda, pelo di-
minuto preco -de 12* um.
Grande sortimento de chales dc merino estam-
pados, pelo preco de 3*200, 4*, 5*500 e 6*
am.
Chales de merino, lisos, por 1*800 am.
Um completo sortimento de camisas de meia
para homem de 1*200 ate 2* ama.
Um comploto sortimsnlo de camtsas bransas,
inglezas e francezas para homem de 30* at6 60* a
duzia.
Um complete sortimento de colaiinhos de linho,
pelo preco de 4*500 ate 7* a duzia.
Lindas capinhas de la e seda todas guarneci-
das de arminho, a 9* uma.
Madapotio francez, madras te, a 6* a peca.
Dito muito superior a 6*800 a peca.
Dito inglez, fazenda muito boa, de 4*600 ate 7*
a peca, precos que ninguem pode vender.
Algodao de marcas ja conhecldas, largos e es-
treitos, de 3*800 ate If, a peca I
Assim como outras fazeoaas qua nio raencio-
namos os precos e que se vendem muito barato,
Reis e Silva & Guimaraes,
Corram quaoto antes a grande peebftipba I
So no Bazar das Familias.
Rua do Duque de Caxias n, 60 A.
ao armazem do Vapor Francez, a rua do Barao dv
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores. difJerentei
lisas, enteitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phar.tasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados,
SAPATOS do tapetes, chariot, eastor e de tranca.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portnguezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de corda ao,
i BOTINADOS e sapatoes, de bezerro, de deversas
qualidades.
SAPATOS de tranga.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, pertir
meias pprneiras para homens, e meias pemeira
para meninos.
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da "Victoria n. 7.
cadeias de prata de 6 ate 14* : na rua estreita C i
Rosario n. 15.________________________
Hotel do Bordeaux
Os senhores devedoresa este hotel sao coavi,.-
dos a virem saldar seas debit is com a major 11
vidade possivel, afim de previnirem ;ue saas
tas se'am cobradss judi'ialmeai*, dejtoH d" vere
seus nomes publicadi>s nos j -rnaes mais lin d"- i
cidade. Recife, 14 de e>mbn d? t8"V.
_______________J. I'i"sue admmistrador.______
Feitor.
Preeisa-se -In um p;e ent-'nJa deh>rta
Flores : no cae* do Apollo n. 69.
Sabonete vegetal pre-
servative do conta-
Tcneiiie-c-oroiiol Joao Valecitim
Vilella.
Isabel rgnacia de Gnsmao Vilella,
feus filhose genres agrad'Ci-m pro-
fundaiiente a todos os parentes e
amigos que se d gnara-o de acom-
panhar ate o ultimo jazipo os restos
mortaes de seu sempre -horad > es-
poso, pai e sogro, o tenenle oronel
Joao Valentim Vilella ; e aprovutando o ensejo,
rogam a todos os parentes e amigos do mesmo se
sirvam assistir as missas de requn m ijue, na igre-
ja de N. S. do Carmo mandam resar a- 7 horas da
manha do dia 14 do corrente, setimo Jo passa-
mento.
Antonio Barques du Aumrim e sua fami'ia pe-
dem as pessoas de sua amizade c parentesco para
assistirem na ler^a-feira,, 15 do eorrsnte, pelas 8
horas da manha, as missas que devtm ser eetebra*
das no coovento da Carmo de.ita cidade, por a'ma
da digna e vir-tuosa esposa de seu particular ami-
go o Sr. comrnendador Victoria > Pinto de Si Pas-
sos, do Rio de Janeiro ; e faiendo extensive este
convite aos amigos do mesmo Sr. Passos, lhes ti-
carao extreraamente agradecidos por este obse-
quio.________ ______
Gertrudes de Oliveira Mello Silva cqnWda a
todos os parentes e amigos do seu fallecido marido
Tranquelino Candido da Silva, para assistirem a
missa do pnmeiro anniversario do seu na^samen
to, a qual tera lugar segnnda-feira, as 8 horas da
manha, na igreja de N. S. da Penba.
210
CD
intonio <-oEicalve< <3a ^ilva
D. Anna Franceiica Goncalves da
Silva, Francisco Seller de Figueire-
do, D. Francisca de Figueiredo, Dr.
Birnardo de Mendon?a, D. Maria de
Meodonca, Souza Leao e ?ua mu-
Iher, viuva, genros e Qlhos le Anto-
nio Goncalves da Silva, fallecido em
Lisboa a 16 de agosto, convidam a sens parentes e
amigos para assistirem ao memeo'.o e missas que
mandam resar no convento do Carmo.as 9 horas da
manha do dia 15 docorrene, 30 do seu falleci
m-mto. Por este acto de caridade ficaai desde ja
agradecidos para com aqu^lles que se dignaretn
assistir.
^cKudl^a^Tlarlado Livraiaiento/
Francisco Joed da Silva Maier, ppngdu da mais
acerba dor, pelo passamento de sua sent, pre lem
brada mulher D. Claudina Maria do Livramento,
agradece a todas as pessoas que se dignaram
acoropanhar o seu cadaver ao cemiterio publico,
e de novo as convida para assistirem as missas que
por sna alma raanda rtzar no dia 15 do corren-
te mez, as 7 horas da manha, no convento do
Carmo ; e desde ja se confessa snmmamente gra-
to por mais e.'te acto de religiao e caridade qae
esoera merecer.__________________
Joaqaim Juw- Ciudtnlio .lunior,
Democrito Cavalesnte de Albu-
querque raanda resar ama missa
por alma deseu Gnado amigo e col-
lega Joaqaim Jese Godinho Junior,
no convento de S. Francisco, as 8
horas da manha do dia 17 do cor-
reote, primeiro anniversario de sen
faltecimento ; e pede a assistencia dos collegas e
amigos do mesmo linado.
Rna do Bon; Jesus n. 10.
Aluga-se armazem e o 1* andar do sobrado a
rua do Bom Je-us n. 10 : a tratar na roa do Im-
peradorn. 57, loja.__________________________
Pergunta-se ao geren e da corapanhia do
gaz desta c dade, se autorisou aos caxeiros desta
companhia a nio receberem dinheiro de cobre,
isto com detrimento dos consuraraidores.
Recife, 13 de setembro de 1874.
Isto Ihe pergundta um eomummidor.
venerco.
A de-ccberta do um meio pr"s.rvaiiv>
da infec;So s\jdiili:ii\i |.-n
atten'.ao de moil -
desde tfoc* mni waaota, a
t/ sem JoviJa p< io desje de i
htimanidade a- lunestas eeawquroeiaa
I i n' trto e I !>- rpcio d | ti I
malefic".
0 Or. Antonio Ferreira _feoUnh
lit ,i naatlcn na cidade do r ho-
m?m abastado, qae com in. desin-
teressado emp'-niio se aa_Mfi u por
longos annns a estudo e ra at-
tingir um ta> loovavH qnao humauitam
destderatam, jnlp ter Jeacafctrti -ha-
tanciis vegeiaes, que rrnnidas cm for-
ma de sabont !, prodaai ra com Hicacia
e de onta m J it.tcndi-
do e:T
Sna ..'..': M I
merosaa aaperieanin tmmu oo hospit |
d; cidade do Porlo. e do b^ra result:;! <
q'ie o pafcBen ten MMi i i -n dp tal
; \ i, |m II aflvan a nr-mio de
/' !e nis [ortes, i como N -; no
; T.".:.! I to Porto dc t it
raaio de>;< ~.nno ) a qaem lb? mt var a
impr Icaid-s te if -m; invctr
\ ;"r ml risa ;.l i 11 Dr
\) a -'.' i H -bonet-s para
esta pro-iacia e rr.ra Mas pavrta-
cia: do !!orte, i a Pharmn i.i :'' -Ml, e
para obtara wal^ef IrW I at n-
sidendos falsiflci b t >.1 -
qua aio levarom o rotu!.
E) -it.
P!i rmada Central
]x Bua do Imperador 18
1
I

AVISO.
~\ fligi-so aspessoi! qt:e devem a s abai-
.ci xo a:r:gnados,qae hajam de vir ou maat-
_,'r'. darem p^gar os seus debitos de carne*
J-| verdes, dentro do prazu de 10 dias, c(m- ij
' i lados desra d.ta, .'.ib pena de verem pn- t
A
blirados s sens nones neste jnrnal ale jt-4.
:j? >.: -I'r.'am o= dit" .lebitos : podem S
olrigir-se 3'rua do Rangel n. 35. na f
raa da Aurora n. tt, 2 andar. Recife,
la Kief-bra de l*7i.
Fclippe 1' mat's k C
CONSULTDRIO *
I UEDICO-CIRURGICO Z
Xk DO ^
* Dr. Pedro d'Alhavde L. Moscoso j
PiRTiriiin R ViPKRarniR
*R
I


P4RTEIHO B CPERAIX1R
do \ '-<-<<> de 4lkinqii-r-1
que a. *9.
BSPECI ALIDADE
MI(taua I aenkeraa o
rulaoi.
Consu.tas das 7 as 10 boras da ma
nha, todos os dias.
Das 6 as 8 da noite, ou segnndas, qanr
tas e sextaa-feiras.
Os doentesqae mandarem os seus cba
mados per escripto at 10 boras da aw
nba serao visiudos em saaa cm*-.
*
Casa em Olio-da.
Aluga-se 0 sobrado de um andar com bons com-
medos : a rua de S. Beoto n. 31: a tratar com
Joaqaim Lopes Machado, a raa do Encantamento
D. %
Alerta a poltcia
Andam qaatro individaos procurando a loja de
relogios e subindo escadas a rua do Cibuga e sens
lados, is 10 horas da noite.
tfa\a_]___t ___K___-____--_--a_-l_-'<__i
O Monte Lima
tem um ;.-m[ leto sortimeato de galao e fraaja da
ouro e prata, verdadeiro, de todas as larntras
abotoaduras dooradas para oflktoea, caaM-_-ss e
enfeites para bordado. Taaabeaa a* w|i da
icdo e qualquer fardamento, como seja : boa*. -,
ulins, pastas, espadas, dragonas, ebarlaarina. bar-
das, abotoaduras lisaa e dooradas, pin eriad ,
etc.; assim como am coa_B*Ma sort-Mad* da
ranjas, galio fabo para oraama-to, eardta da 4
com borla para qaadroa aaaaflbaa (eaadar-M 1
gosto da encommeada) tal* par -Mb) asea s
preco que em outra ouatqaar parta: aa praca c
Independentia n. 17, juato i loja do lr.
.


't-
Dtwio do ^etnamouw p- Segunda feira 14 de Setembro de 1874.
!
>
Hakis
G1RVA0 n BELLGG
APPROVADO NU ACADEMIA IMPERIAL DC MECICINA
em 27 detembro de 48'.9

RIS
PARIS
PARIS
I
//C'\Gi.
T
B'sobretudo as suas propriedades eminentementeabsorventes,
que o tmi de felloe deve a sua grande efficacia. Recora-
naenda-se-o especialemente contra as aflieccOes seguintes ;
GASTRALGIAS
DYSPEPSIA
PYROSIS
AZIA
DIQEST6ES DIFFICEIS
D6RES DE ESTOMAOO
CONSTIPACAO
COLICAS
DIARRHEA
DVSSENTERIA
CNOLERIHA >
HODO DE EIHtEGO. O Cmto MW rtharbon de Btllw)
toma-se antes ou depois de cada comida, sob forma de P6 ou de
ruiilta. Geralmente o bem estar sente-se log* depois das pri-
meiras doses. Uma informacao entensa acompanha cada vidro
de po e cada aixa de pastilhas.
Dfposiio em Par!*, L. FRKRIv, 19, roe Jacob.
Dnico deposito na phannacia de P. Maurer & Crua do
Barao da Victoria n. 25.
PARIS
/jO Cot
I
PARIS
lllll
llllitillliril
IJHU^M
DS
PEPSINA
DE
HOGG


1 Pilulas alimentosas de Hogg com pepsina aciduia, propriaa para molestiaa
gaatricaa dyspepticaa, etc, e nos casos de digestao dlfficil on impossivel.
2* Pilulas de Hogg com pepsina ualda ao ferro reduzldo pelo hydrogeneo.
para molestias chronicas e as doencag que das mesmas resultao (escorrimentos, fluxos-brancos,
menatruacoes diffioeis) e para restabelecer as saudes debilitad&e.
Pilulas de Hogg com pepslnave proto-loduro ferreo inalteravel, para molestias
escrofulosag, lymphaticas e syphHiticas, para a tisica, a cacbexia chlorotica e para as affeicoes
atonicas geraes do corpo.
Em, frascos triangulates de 1O0 et 60 pilulas j precos indicados sobre os frascos.
Deposito em Pernambuco, A. REGORD, e nas principaes phannacias.
PR0DUCT0S de J.-P. LAROZE
Pharmaceutico, 2, rua des Lions-Saint-Paul, Paris.
XAROPE DEPURATIVO^.r^:.olODURETOoEPOTASSIO
Remedio infallivel contra as affecgSes escrophulosas, tuberculosas, can-
crosas, rheumaticas, tumores brancos, glandulas no peito, accidentes
syphiliticos eecundarios e terciarios.
XAROPE LAROZE
TONICO, ANTI-NERVOSO
de caica de
Rocommendado por todos os medicos para regularizar as funcccie.s !>
estomago e do intestino.
XAROPE FERRUGIN0S0|I-H^I0DURET0 de FERRO
. O estado liquido e o melhor meio de inocular o terro contra as cores palli-
das, as flores brancas, as xrregularidades e falta de menstruaqa'o, a
anemia e o rachitismo.
XAROPE SE0ATIV0t.r:::, .oBROMURETOdePOTASSIO
Chymicamente puro. Eocalmante mais certo contra asaffecc'ici de coragSo,
dasvias digestivas erespiralorias, nas nevralgias, na epilepsia, no /i;;->
terismo, nas nevroses em geral, na insomnia das eri&ncas durante
o periodo de denticSo.
DEPOSITO GERAL
NO BRAZIL
Rio-de-Janeiro : T. DDPONCHELLE e C.
GLOBULOS DE JOSEPHAT
DE CQPAHIBA PURA
ASPECTO DA CAIXINHA ABERTA
1
Os Globulos de Josepbat, como se pode ver no dcscnlio que aqui vai, sac
cornpletamente esphericos c pouco mais ou menos da grossura de uma ervilha,
t/>rnando-se d'esla maneira faceis a engolir-se ; sua capa gelatinosa sendo-muito
liaa, pode-se absnrver uma quantidade relativamente consideravel de copahiba
li'iun fraco volume.
Cada caixinha eontem 70 globulos representando 28 grammas de copabiba,
isto e" aete grammas dc copahiba de mais quo as caixinhas ordinarias de commer-
cio, eujas capsulas grandes e ovaes sao engolidas com difficuldade.
Em tod.i as circumstancias os Globulos de Josephat tem grande vanlagem.
AVISO IMPORTANTE
A copahiba do commereio i frequentemetite faisificada e n'este caso perde
todas as suas propriedades. 0 prospeeto que acompanha cada caixinha indica
urn meio facti de reconhecer as falsificacdes. Por este meio cada qual poderd i-
teirar-se da purena absoluta da copahiba que introduw nos metis globulos.
Depsilt feral: u cast L. rlERE, 19, rua Jacob, m Paris
Unico deposito na phwmacia de P. M*yrer & C.~rua do Barao da
Victoria n. 25."
O JlDTOGIOO
\ff nso dc \Ihuqncrqiic llellti
.ncanibe-se .k, t.rmnova c. bran\;ai amigavel
a juilirialjnlf, u$im cftn -utr-m neg cin-
souei_:nontes ,i.sua inofssio, uns lugaKa>-|ir"M
',-.3 !inh* Frrea, e nos nuirc- it-niio> y o iiuua
. cfla ehUde; para rufu auxtitu.ti-iii >j rinni'-.-
iauie .-oliclii.lures b>hilitMd> e pi.6of, r<".,-'"i
.ni'-.'snio'c no enianui pel* boa geUto o e>'IU
U que iho (or cunnado.
Mediaote aiodico honorario acmle a<>s chmado:
\t*ri diligencias ou coosultas fora da ciilade e do
termo e incumbese da defeza de appeHacors ante
o tribunal da relacao. Pode M prucurado de
mtio dia 4s 3 boras da tarde em sen eteripldriu
'uma do l)u Aluga-sc
o primeiro andar com graodes commodos e sotao
do suliradii siU> na rua do Hospicio a. 65, Jnnta-
menleiloja : a tratar na roa do Vigario n. 31.
Alugaiu-e duas i as s terreaa pei|uenas, ui>
timamenle acabadas tendo cada uma deltas, duas
sajas, lresqoartos,cozinha fora e mais um quarto,
I'iro de serventis exclasiva e bom quintal niura-
do, ua trave.-sa *a rua do Principe, da fnguezia
da Boa-Vista: entender-se com o sou proprieta-
rio, o Dr. Aguiar
OC. harmwcullco, *, r. de Cuutiglloae, Parii, vtmlco proprlcark> prrparulor: I
lunocncio P. Rabello liraga tem justo e
contratado a venda de soa caa de charutos e
eigiro, rna e^treita do Rosarie n. 16, ao Sr.
Jo-6 Antonio Domingues de Figueiredo : te al-
gaem ee julgar credor 6a me?ma, apre!enteee
nestes tre? dia?.
Recife. 10 de setembro de <87V____________
Talho do pateo do Paraizo.
A1uga-e este grande tamo rom o balcao do
marmore, balan;a e pesos : a tratar aa rua l.
de Marvo, aniiga do Crespo, loja do fesso, jooto
ao arco (!e Santo Antonio._______
Auseotou-ae na niaiih* de 5 do corrente, de
casa de aeu sedkOF, o e.cravo Justino, crioulo, com
23 annos de Made, boa aliura, fei^oes grossas,
aarir chat.t, pescoco grosso, priocipiando a barbar,
pernas arqueadas, e fcastante esperto, levon vesti-
do calca de brim pardo, camisa de algodao, japo-
na de baeta com foiro enearaado, cbapeo de baeta,
sendo quasi novo ; suppoe-ae que scguio para Li
moeiro por ter alk pai, ou para t'assasunga por
ler alii naseido, e ter dito a alguem t sr desejo de *r
ver os parent's, eu mesmo ande pemo do Recife a
procurar quem o compre ; quern ope&ar e levaT
a ru^ Oireita las Afogados n. 66 A, "padaria,
gratifwara. _______
Quem precisar do um opiimo ccipeiro, para
casa de famitia ou de-homem eOheiro, dirija-se a
rua da Imperatriz, sobrado n. 63, primeiro an-
dar._______________
Madame Freire, rnodista brasileira avisa ao res-
peitavel publico, qne condmii na jua arte de
raridista; assim como, recdje por todos os va-
pores da Europa Sgurinos, os quaes achamse
a disposicao de sens fregneKS, podendo scr pro
curada para exeroer a sua protlssao, a rua Di-
MUfi. 16.
Alugi
a-se
pflr presas muits moderaflos tres boas e freseas
casas ei Santo Amaro, sendo atna na rua do
Lima :i. 18, e dm*, na rua da Fundicio ns. 8 e 10,
sao todas pinutdas e raiadas de novo, tem bins
quintal's e cacimbas, com espacesas soteas (tendo
janellas pora a frente e fundo) coDtendo todas
cilas rxcellentes commodos para grande familia :
a tratar na rua do Lima n. 30.
Aiuga se o andar terreo, o 1 e 2" andares
do sobrado da rua do Eurgos n. 11, estando todo
caiado e pintado de pouco : a tratar com Jose Fe-
liciaao Nasaretb, a rua-da Praia n. .20, armazem.
AlkncitO.
Aluja se o primeire andar do s.tbrado n. 40 da
rua da I.nperatriz : a tratar na mesma rua n.
86, 1.' andar.
JARDIN DAS PLAMAS
MOFINA
E8ta encoura^ado !! !
Aarajk mole em pedra dura
Tnnto c!a ntd ifuc a fura.
tcga io Vat, Sr. ignacio Vieira -to Hitl
*TivSj na idade de Ni^ircih des! pro-mr;a,
''Vi. dt vir rua r*u jne d* Cav; n. 30. i cor.
;0Vj ajue'.o r:eor'' Jtk% $ f% wra\v Jieli.-a i
jalbar, prla tc;^lra"'u-^iada di.-i. Joiual, er^
ftns de deiembro de 1871, e depois para Janeiro,
oasaou a fevereiro e ahril de 187J,e nada cumprio,
* por este motivo e de novo cbamado para dito
jm, pois S. S. B deve lembrar que este negocio
le Tiais de oito aunos, e quando o Sr. eu tilbo'w
..-hava nefu cidade.
Preservative da Erysipela
Descoberto pelo Bacharel
Naaoel de Siqueira Ca\alcanli
Tendo o Governo Imperial permlttido ao des-
cobridor vender aquelle mediramento, o publico
o|, tem a sua disposlcao.
Depoaltoa nalcos.
Recife : rna do Barao da Victoria (rua Nova)
n. 40, casa do Sr. Rocba Siqueira
BM de Janeiro : Gorte. rua do OUTidor
n. 78.
0 Pregervativo da erisypela ja e bem conheci-
o : entretanto tranicreve se para este annuncio,
da Jornal do Commereio do Rio, os altestados in-
fra.
Queiram os Srs. doentes os ler, e ver por
quem estto elles assignados.
Inspector da taude publica em Pernambuco.
Em cumprimento do despacbo de V. Exc. sobrer o
requerimento do Dr. Manoel de Siqueira Caval-
canti, tenho a informar o seguinte : Acho justa
a pretencao do mpplicante, porquanto o sea me -
dicamento preservative da erysipela tem da-
do nmitos bons resultado?, nao so nest a cidade,
como na cdfte, onde ello tem sido applicado com
vanlagem e procurado. A preparacao dtlke
simftes, por ser lintma de uma so planta. JO
iBspector, Or. Pedro de Athoyde Lobo Uoscoso.
Declaro, por ser verdade, que padeceado de ery-
sipela, foi-me dado pelo Sr. Manoel de Siqueira
Ovalcatfti um medicamento, do qual fazendo uso
por algans dias nunca mais. ate boie, me tornou a
accommelttr essa enfermidade. Por me ser pe-
dido passei o presente, por mim feito e assignado-
Rio de Janeiro, 16 de juaho de 1874. Duque de
Conies.
AUesto, que tendo empregado o medicamento
dymnamisado, que no; foi fornecido pelo Sr. Dr.
Manoel de Siqueira Cavalcanti paTa o tratamento
da erysipela, colhi sempre resuttados supt-riores
aos de todos os medicamentoscenhecidos.Em tes-
Wmunho da verdade, e por me ser pedido, firmo
o presente. Rio de Janeiro, 13 de junho de 1874.
Dr. Saturnino Soares de bleireiles.
Concordo perfeitamente com o parecer supra;
Dr.Joaquim Josi da Silva Pinto.
0 abaixo assignado, dontor em medicina pela
faculdade do Rio de Janeiro, cirurgiao-mor de
brigsda bonoraria do corpo de saude, cavalheiro
da imperial ordem de Cbristo, etc.
Attesta sob jnramedto de sen grao, que tendo
usado de um medicamento que Ihe foi fornecido
pelo Sr. Dr. Manoel de Siqueira Cavalcanti, de-
nominado Preservalivo da erysipela tirou
stmpre o melbor resultado possivel, de sorte que
os doentes ate hoje nao foram acommeltidos das
erysipelas, que soffriam frequentemente. Rio de
Janeiro, 19 de junho de 1874. Dr. Jose Lino Pe-
reira Junior.
Tiveem 1871 dez erysipelas em uma perna, fui
a Europa, e considereime curado, voltei pouco
depots, tive novo ataque ; tomei o iemedio Preser-
valivo da erysipela do Sr. Dr. Mancel de Siqueira
Cavalcanti, e cessou a molesfia, ba mais de um
anno. Creio ser isto effeito daquelle remedio. Rio
de Janeiro, 13 de junho de 1871. Barao de Cabo-
Frio.
Gratis aos ponres.
O
^ W%.
1
19
Coasultorio medict
DO
Or. Kurillo.
R11A HO Vh;\HIO N 1,1- AXDAP.
Kmm .-h-rsj da Patate, ,> fra-
7:catiM h-. !: : '-; etnadHK,
i i i (: ra.1 t w do
i i ..i la n -::- ; ;., dr U?. pfto-
::< --in
lun-alu.- J..- C a- S : rat da aaaabl a
Jo m-io lia a? doa* bacaa da tarda.
GRATIS A0.; POUBGa.
Etpecialidadet: Mciertias de seafcoraa,
da pelie a de erianca.
AO PUBLICO
E. A. DELUCHE
24--Rna do Marqnez do UMi-2. j^ffi
Joio Cirrpia de Caraallm, aitiHa alfaiata, lea-
do-e deshgado da pociHade da casa coiaaercal
' existfnte a roa do Baric raiia de Araujn, Carva in \ C, acaa-M noraiea
te e-!abelfcidn na sua an-, a rua do Marqaea de
Oiinda n. 46, I* andar, a onde <>* freguezes o en^onrarilo prompto para execour
obra teudeotc a ? ua arte, torn eamero e
idao.
Esqulna do hecco Largo
Partfcipa a sens freguezes e aroigos que mudon
o seu estabelecimento dc relojoe ro para a mesma
rua n. 24, onde eneontrarao wn grande sortimento
de relogios de parede, amerieanos, e cima de me-
sa, dos melbores gostos e qqalidadVs, relogios dc
algibeira, de todas as qnalida e, patente snisso, ,rUr 0li ob'do da fl tita. aa rna e
de ouro e prata donrada, foleado (plaquel), relo- 'tosanon. 35 defronte d> Ur l.-onar4o. ____
gios de onro, inglez, descoberto, dos melbores Quem pn-cu.r J-; Ban aiua para i > ser-
fabricantes, cadeia de oaro, plaquete prata. tunei.s vico exterao, para casa de ponca fawt aara
detodps asqnalidades, tndopor precos ajuito ba- enzinhar e engommar, dirijase a ma Cain
ratos. d'Agua n. 7.
Gomedorias
comedoriai
Prepara se comedon.ii para qualaoar
manlando se levar em nas ca'*, todo
feio e mais em conta do rae 'm ootr
parte : quem qniat-r axpHtaHMar, pdv
... a
r co3-
.u I
Loja de
joias
N. 11- -Esquina da rua do QahatA Ml 11
Este estabelecimento cntinua a r*ceber grande sonimento de joias mdernaa, de aaro, L:.-
naate, e mais pedras preciosas, e boas obras de prata de lei.
Condecora(f*6es.
A Coroa Brilbante recebeu ricas commendas, cfflcialaios, baMaa do NN I prata doorad*.
paraAodas as ordens ; assim como delieados la:>nlirs e b mendadores da Rosa e de Christ". Rtaa finas de seda oara a cacapanl i 11 !', iay, t'-d:- s -r-
dens, e para liquida^ao de muitas joias que tem na I ja, o donn r I r ii, rain *>
que em outra qualquer parte, garantindo a b a qtialidade do "on i> da ptaia, aor meio denrr*
conta com recibo. 0 estabelecimento onlinua abort a noite s'.e as 7 Boras, na ru. do Cabaga n
11, loja de joias de Antonio Serailm da Silva.
Yej.
am
!


pe-
A rna da Ventura n. 35 ( Capunga)
A hi se encoatram :
Lonmgeiro* celeeta de nmbigo enxertadas a ;ta
Sopotiseirot e sapoteiros em vasos, de 1 all
palmes e ate ja com flores para dar fructo, 3!em(-
das seguintes plautas de ornato e de fructo por
preee muito commodo.
Laranja cravo.
Dita de doce do Para.
Dita lil.:u: .
Dita tangerina.
Lima da Persia
Dita dbig.
Limao francez.
Dito doce, euxerado.
Oiticoro.
Palmeira iprial.
Parrelras.
Pinneiras.
Rdmeiras.
Breiras.
Rozeda.
Ubaia.
Abacati.
Acacia.
Ariticam a
Canclla.
Casnarina.
Carolina do principe.
(,ondec,a!
CoraQao da India.
Figneira.
Flamboyant.
Frufta-jiao.
Ingado Para.
Jam bo.
lasmim laranja.
Laranja da China.
L'ita do ceo.
Dbaia e outras mvitas.
GRANDLOS ANTIMONIAES
DO
dr. PAPILLAUD
Nova modicacSo contra at molestias do cora-
cio, osthma,edtarrho, eoqueluche, tisica, etc.
QRANULOS ANTIMONIAES FEHBUQI-
nosos contra anemia, chlorose, amenor-
rhea, neuralgia, nervosa e molestias escro-
phulosas.
QRANULOS ANTIMONIAES FEHBU5I-
nosos com bismuth, contra as molestias
nerviosas, das vias digestijas.
Pharmacia E. MOUSMER em Saujon, (Cha-
rente-InKrienre), Francia. -n
Deposito em Pernambuco: A. REGORD;
MAURER, phannacentico. _______
&
LIYROS A YENDA.
No primeiro andar desta typography err:
tbo do administrador, vende-se 03 scguin- \\m
te livrinhos :
O niatnto Esperto- dialogo ins-
tructivo, critico, analytico, historico e mo-
ral, entre um matuto e um liberal por 300
rs. cada exemplar.
Eilueaj'tto Fanailiarromance, e
uma serie de leitura, 2 volumes por S1J000.
Martens, raanuel" diplomatique1
volume por 19000.
!>ras l Mablycompletas 12
volumes por 89000.
Ilijrnon obra completa '* volumes
por 29000.
FritotEspirit do Droit1' volume
por 19000.
VatelDroit des Oeios2 volumes por
29000.
F. BorgesEconomia Politica1 vo-
lume 18500.
FieldingThe history Tom Jones2.
volumes 3>000.
BavoneDes conflits2 volumes 35-
HisAoire Fcc!esiasli*',ie vo-
lumes 69000.
IloiisscaiiMelanges 6 volumes 39.
RoustjeauPieces diverses i volu-
mes 29000.
.
0 Coracao de Ouro, liquida :
Corren'es de oaro, moderaaa, para rel g os, |90
Relogios de onro para senhora, a 503, one era ootra .
Rtlogios de prata bem dour dos a 1?^.
Rozelinhas do brilliant* a (%#.'
Anneis de pedra com littra a <>.'.
Anneis para por cabello a 2J.
Pencenez de ouro a H'/.
Pencenez de prata dnurada a 3AS00.
Dedae- de prata. (undo de pe Ira, a If.
Brincos de coral e euro para nxuinn* a I/SOO.
Caqoleta? mnito mnderna.s com 50 por ceatB de al
Pureeirmhas de. c ral e onro para criaaca a Wf.
Pulceira at- euro e coral, foitio de uma e tra, a 10j.
Obras dc prata a 'i00 rs. a citava.
Brincos para senhora, muit> DMdarnos, a i'i l,< :;i nil '. vf.
Voltas de ouro e cruziuha, com I ) p ir a :.' J
Grande sortiotrnto de j ias do 1 iihanl
Brincos de coral para senhora a '....
Corrrnt':s do enw para n! gi L8J sad
Aderecos por mela :e da sea i
Sortiroento aoiBpletii de j.iias, que v.:i.'e p r
S^

A liquidacao.
\tten^ao I


ii-
1
Na rua estreita do Rosario n. o-"i, prepara se
bandejas de bolinhos de todas as qualiJades, para
casam'ntos, bailes e baptisa 'os a 2i'a o a 134 ;
bandejas Com bouquets e fitas gosto de sens donos e com aeaeio ; prepara se
bouquets de cravos natura s par? Boivoa,eoro I
tas bordadas a ouro, sendo a encommenda feita,
j oa 6 dias antes ; faz-se uao-de-los eafeitados e
pudins, semedo, tudo proprio para preseotes ; Bo
res de todas as qnalidades, lindos I n uels para
offerta, velas ricas enfeitadas para i ..ptisados; to
da encommenda de flores, aieos, palmas, rosa*, j
e capellas ; tudo se faz barato com prestcza. Tam-
bem se faz gorros bordados a ouro, cbaruteiras c
qualquer obra bordada a ouro.
2t-Una do l\
DR. VA.N.KL V.\ i I K\ K.V
:.
tai 'I;; 7 ua da tm-
bamados a i n h dia on
da
a Jo Joracio
mm.
u sr. L.iiz Apr:-. :*. iveira Salerico.
ra appareecr a rua do Ri : n. 67, a nefociad
p rti .'... .
if
m
m

in r.r tad**
Aiiencao.
.Hodisla frameza.
jj
Pofii !.i tn dh l
sado met, deste
p-ir.i I;
jlao I. i

MASSA peitoral a XAROPE
de NAFil de DELANGRENIER
Paris, id, rae Richelieu.
M Medicos dot IloiplUes de PirU contirm
sa *aprlorldeae iobre todoeoimlpitore
e na podtrota tfficacia net 10MM attkmai,
grippe, comuluche [tons cmvulta), Inflem-
mecao doa bronetaMe. irritaflti do veito
da garganla, etc. (Cautti': -o%lra at faltifica- \
ctti. Depoiiloi nu pbn. Ma eredltdi t
BraiiL
+***1**^
Wrdadeiros
GRACS DE SAUDE]
\
*dodouior France.
#
#
**
0 melbor e o mais
ulil ilos pnrgantes con-
becidos. a'oaicro-
a faUlllcacbc*
exUten a'eaae aie-
lleunwnlo.U\ipir,
alaoi t.i aseignalura em tinla VEKMIf-BA
i<- a Bouviian, o Ictreiro, aijui jucio,
frilo in 4 CORES.
Paris, pfaarmacia l.eroy, 13, rua il Anlin.
EM^XORES
Deposito em Pernambwo, A. REGORD.
CASA
Aluga se o segundo andar a rua Duqne de Ca-
xiagn. Si: a tratar na loja.
:
: .
%
Maceio.
Bacharel Lourenr^o de Albu-
querque
Advogado
Rua do Bosario n. 1.
Aluga-se o armazem do sobrado da rua D.
Maria Cesar n. 37, proprio para recolber fazendas
por ser muito espacoso e reediflcado, ou para
qualquer esubeleeimento : a tratar na rua de Dg-
mingos Jose M rtins n. 48, antiga Senzala-Velha.
Fara qualquer service
Vende-se um escravo bom, cor parda, battan'.e
possante, e chegado ha pouco de outra provincia,
proprio para todo o servieo : na rua do Iroperador
n.... on na rna da Imperatriz n. 60.
Mademoiselle Eugenia Lccomte A: Irm.i, avis.m
a. suas antigas fregoezas e ao publico pm geral
que abriram novamente sen estabcleeimealo de
| ^asa de costuras a rua da Imperatriz n. 5, pri-
meiro andar, pelo que esperatn eonlinnar a me
recer a concurrencia das pessoas qua preernrea
de sens servicos.
Advogados
Vicente de I^enios
Aareliann de Corvolho.
24-Imperador24
. Oatharina fugio.
So dia 28 de agosto proximo passado aoaea*
touse esta eaerava, a nual tem os signaes seguin-
tes : estura baixa, rosto redondo, cor preta, pes
perjuenos, costumava vendor leite, aada sempre
com um cacete que Ihe ser\Tj de arrimo por sof-
frer de rbeumatismo, ja e idosa e de na?ao Cam-
binda : quem e eocontrar, pegue-a e levc-'a ao silio
$-> Cafoado, estrada de Joao de Karros, que sera
graiiflcado.
i r-
guezia !. ;:-:.i ia, is et
Paulo. ciUtura alia, '
sos, r> Ibai .'ranJes e
chato, bocca rr ode,
(alia de Bol is dm pea.
afun lada ; ; :i h ;iceu r
Barreto, i-.-: J 11 em (
teve na cidade da Recife
lesti.i. donde nkia resub
I.uiz, idade 10 annos, a
corpo, desdentadn, eatVo,
U!na fistula' i i |0< i-< i p
caroei :; i xlrao ao pe :aco, o qoui pr -
yeio de :ua coiaada, e e i
as aotoridain r liciaej e c HJ m
i ;'i-;ii os anpnhasdrr, qua ^ i.. na .
mo on. 'ci: A,-:ma. ou i rua Di. ata n. <>.
genemamenta pMataar-*>fe.

n .
. i>a.~u pi
. '' '
' "
:r.
.) :e ie uc a t
.
I I | I
r ml
Copeiro
Preoisa de um bom cri*. ': [ j aerrifs '
cjp^iri : ri r-ja do Bar' ,i V| |
Administrador
CRIADA
0 pescador pracisa de uma para cozinbar e
comprar : a rua Direita n. Jl.
Precisa-se de um criadode" 10 a 12
annos, preferindo se portuguez : a tratar
o Travessa do Vigario n. 1.
Atten^ao
Se o Sr. Gareia, porluguez que foi feitor do en-
genho Caga-Fogo, quizer eoipregar se, dlrija se
ao engenho Santos Meodes, da freguezia de Tra-
eunhSem, ou ao eseriptorio de Oliveira Fiihos &
C, largo do Corpo Santo n. 10
Admlnlitracaej PaRIZ, IS, bonlerafd Moatmartre.
CRUDC-UULIE.Affeeeaet lymphatleAJ, doencaa
d Tlu dlgeIivas, obifrnccoes do Sndo t do baco
obslruccOei vltceraea, ooncrecocs ealealMM de bile.'
HOPITtl. AffeceiJes ,'ai T| dljetllrat, iBcon-
modaa do eitomagn, dlgeaiio dlflkr), Inappetencla, I
ellESTINS. AffcrrOcidoerjna, dabealga,arelM
concrecoes da onrlnas, gola, dlabetee, altuinlnnrU.
HtUTtRIVE. Affcceflei tot rim, da bnlga, are!a,
concretOea das onrinaa, gota, diabetes, albnmlnnria.
EZI6A-8E
o ROME da FOERTB a CaPSCLA
Aa Fontes de Viehy, aelma nomeadas, acliio-ie :
Escrava fugida
Deearjpareceu da casa dc seus senbores, hon
tem 9 do corrente, a escrava de nome Juliana,
com os signaes seguintes: 20 a 22 annos da idade.
mulata acaboclada, cabellos crespas, c ..-'.uma tra-
ze-los amarrados, cara larga, com bastantes es-
pinbas, nariz chato, com falta da denies, cheia do
corpo, aliura regular, tem no rosto, do la Jo dire:-
to uma cicatriz de qoeimadura e pertfas acinzen-
tadas, levou veslido de chita escura, cbale de
merino estampado, velbo e de cor branca, camisa
do madapolao, sapatos de tranca, velhos, e levou
em uma trouxa am vestido de cambraia branca, e
soppoe-se qua mais alcuraa roupa de uso : roga-
se aos Srs. eapitlea de carapo que encontrarem
dita escrava. le?a-la i rua Duqne de Caxias n. 76,
antiga rua do Queiraado, que serao generosamente
recoBjpenjados.. T ?
SITIO
Aiuga-se nm .Mtio todo rourado, tendo casa pa-
ra familia, cacimba com exceiiente- astia. 2 tan-
ques, am para banho e outro para lavagem de
roupa, com arvoredos frucriferos e muito bom
en pirn podendo ter sempre nm cavallo, tendo a
casa um quarto proprio para estribaria, bastante
fresco e muito perto da estacao do caminho dc
ferro e bonds ; nos Afogados, a rua de S. Miguel
n. 105 A: a tratar na Boa-Vitta, rua da Impera-
[rit, estabelecimento n. 8.
r*rn estraBsaira ch<>gaJ, :... ,
I Janeiro, onde seuipre a*hm aWN|. I > aa fa: -
Idas de oaf-: de aasucar, ten 1j bzaialei road: -
cimentos, especialroente da aataaB e aaada
?ssucar, se otTerece para dirigir ou admiaistr^r
qualquer engenho ou faaenda agricola, ra i
que apresenta os mais lisonjeiros atlesaaai !a
suas habilila^'oea e conducts ; a panaaajr ao I -
tel Alhan.a,.a rna do Commereio, cade w >:-
xara carta com sobesrnpto i S. L.
Os ahaiio assignados Jeclarara ao rii-
vel ccrpo commercial, que d'sle IV de aa>*ta !-
timo diss Iverara a sociedada quo lioaam aata
praca sob a traa dc Davia A Peinaade* ficaad >
a liquila.;aj da exlincu lirma a cargo do mc;j
Pernandea, qne contra Mo nor a a-setedjafj coa tex
irmao Braa fantiario Pemande*. cjja liraa gyrari
sob a razio de J J>e Joaquim Fercindes A. inai)
Pernambu.-o, il de agosto de I87i.
Josd Lopes Dvia.
_________________Jose Joaqnia Fer
Alnaa-sa por alanns meu i a> andar d-
sobrado n. S3 Ja rna da Imperatriz, rooapletaaBea-
te mobilhado, a pessoa de poo:* famih'a, pnfwtn-'
dose estrangoira : a traur an roaato.
Precisa se com nrgencia de um feitor para um
Sequeno sitio, e qne dc fianca a sua condacta :
irija-se a roa do Caboga n. 16, l andar, das 10
horas ao meio dia.
Aluga-se a casa terrea n. 19, sita a rua do
Visconde de Goyanna, oatr'ora Cotovello, com 2
s alas, 3 quar-0', 1 independente, cozinha. cacimba
propria, apparelho drainage, e um pequeno no-
mar de fructeiras ; a tratar rta rua larga do Ro-
sario B. 36, loja.
Ndoba nais caieHit
brairCds.
TiNTURaRIa JaPOHEZi
SAeunicaapprovada pelts scalawu a>
iciencias, ;ecouheoidA s perk? t

tem apperecido ate* boje. Detwjtno priakk
pal i rua da Cadeia do Rtwik, aaje laF
quex de Olinda, o. il. I.' andar,
todaa as boticat e casas da
TWOS.
toda (JM
topriMk


<6


I
>&&!*> ia$m*fha*od C^fegBda>^ra 14-& fejf&4
Na travessa da ma
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhaiites, seja
qual for a quantia.
v N& mesma casa
eompra-ae.os nies-
mos raetaesepedras
I"
Afca-Ae- Precta-se di oma ama de tUtffjuB seja sadis e
.sea) filho : na lua Duque de Caxi.B."91, lojado
IVival Sem Ssgundn.
l'recisa-se de urua mav nheira : na rua do Cre&po a. 5
ALUGA=SrT~
uma grande casa terrea com ba3tantes coromodos
sna na estrada do Lucas : a tratar na roa do Vi-
gano n. 31.
Precisa se de ama ama iiara cozinhar e
mais algum servico de casa de pequena familia :
no andar d esta typograptoia.
A !% Preeisa sede uiiiaania psracom-
** fMM Wl Wr e camber em-casa'de homem
sotteiro : na rna Nova n 69, loja.
=' Precisa de duas araas, teotfo^mapara co-
zinliar e comprar e ootra para acgoinmar e en-
sauoar : na roa da Craoeordio n. 43
Ama de leite
Precisa-sr de ama ama sem filbo, que seja de
boa conducta : a rua do Cotovello n. 139.
:<*>e tudi> quBMO o antigo annuoeio diz.
iai^ee um ccrto nodtr assim o quir.
Alli'Ud!)
iitSes de fazor patents a* sorpread*ntes es-
.KMWades, conduzidis pek> nliirno vapor, com
wafc-o direcio an muito apreoiado e frequeotado
Azraazem -do Campos, a ma do Imperador n.
9, ssrapru um dever de gratUKo agradecendo do
May, desil;: ja; a cowplaceneia dos leitorcs
toe Jerem este annuoeio da principio a cabo
a j32arem-se de sua indicayao.
Isto postor.
Esffem ancioso ver cntrar no armazera.
Km qnizer da barriga passar bem :
Alimentacfto pura.
Stiissas ilnis.-irtias para ?6pa, como aiiida nao
I esta praca, attenlo o apurado gosto e supe-
rs subMaucias | rimas, como sb pode
.? na fr."i!ica e espoiitaaea recorninend3cao
iMdieos mais afamados da Franca e Al!e
saaSa. Uma < xp^rion.-lii convencera niollior e
9cr O3o niio bcsiteis.
Escolha franca.
Otma de rir. ereme de lajiioca, fieole de pom-
'- terra, :'; r de farine de mais, semoule de
to" '. la -a do liresil, Hear de rir, semoule
* tit i Has qnalidades francezas, pot-
' Italian Alem d> qut ha muiias ou-
ldci que ficam a disposicao dos aman-
'orc-so : lrag.im lisiheir.i "e garanto-lhcs
' arei aj) mais exqoisito paladar. Ver para
in r para saber.
Em conclusao:
Direi como diria, quern dira,
Vin!o t'vtos um ma;o comprar:
Sao furadas \
SID), sa\) veias sle-arina
Dc luz suave e mui iina :
Cinco bora? uma dura
' sao ile boa ,ros:iira I
Note bem:
*-- turnenda-se partieolarmeate aos ainantts
pir. : mails saborosa e hygienica canni-
^ ex| r ^amente i>ara regain dos es-
3W2-'v:iv* Bncs e J:- ic d- e que se pode saborear
>ief xtasia lo era vista deste vursinho, qu;'
( r iulp ea !.i guva'a l.crnielicamenle la-
a .
Eis aqui a Sna car..' :
B bade snta briitiaule :
;".' iura. 6cheirosa e boa,
3*b rro a e palpitante.
Amfl Precisa-se de uma ama livre ou es-
jn.iu.ai ctjv, 4?IOB do igari0 ai j9) segundo
andar. {
CUBTWiqao'DOBOVMiJi
KUADO BRUM N. 52
! i.i-
A rvio PiWisa-w de uma ama para o servico
miLo, ,n[er^0 ,je on,, peqaena farrrfHa : na rua
Duque de iCaxia* B- 6Wi4ja.
Ama
Precisa se de
Oisos n. 14.
utoa ama : oa rua dos
Ppeoiia-se de- uma ama
de meia idade, qne tenha
boa conducta pua oaabar
e comprar para casa de poivia familia : a roa
Duque de Caxias n. 70, priinriro andar.
AMA
AMA
Precisa-se deuma ania que
saiba bem engomraar : a roa
do Barao da Victoria n. 8.
Precisa-se de
uma casa de pouca
va, loja d II.
uma ama para o servico de
familia : a tratar na rua No-

er. -
CO =-'-
izi a
CO
CM
Aluga-se uma ama para
eownhar, preferiudo-si para
fcra da cidade : a iratar na
rua larga do Rosario n. 11, segundo andar.
AMA
(Passando o chafariz)
PEDtM AOS senbores dq. eDgenho e outros gricultorts, e compradores de ma-
cliiiiismo o favor d fazer uma viajta a sou estabelecimento, para verem o novo sortimen
to completo que ahi tern ; sendo tudo superior em qualMadu c fortidfio ; o que com a ins-
truccfio pessoal pode-se verificar.
ESPECIAL A1TENCA0 AO NUMERO E LL'tiAR DE SU V FLNDICAO
V apores e rOClag U agua dos mais modernos systemas e em tamanbos con
venientes p^r.i^as diveriaa^ci^ciJiB*^!!*;^* dos senborts proprietarios e para desearor;ar
algf ddo.
MOOndaS fie CaUQa 4e; tod* s lamanbos, as metres que aqui existero.
KOdaS OentadaS paia aaimaes. Bgua e vapor.
Taixae d. leuro fusi|ido, batidoe de cobre.
Alambiqucs e ftindos -de-alamljiques.
MacnimsmOS t j,,ra j^ndiow e algod*>,e para serrar msitoiMi. f ser movidos a ml
BombaS de pateote, awritidas.......-;. TcTamma^.VaP0r'
iOClaS 118 maCrnnftS e per;a^ do que se oostioa preoisw.
FaZ (JUakflieT^OBewte de mcbini*io,,afnpi tnui rwumido.
rOPmaS Cte lOFfO tem as melhprsse mais baratas existetites o mercadto.
JQnCOIlimenuag. Ii,cprBb-se de mjoiJarTir.qualquer maobiDisrao a venlado dos
elieoies, lerabr*ndir>-lu*s a .vautagem de.aere/a aj ooiDpros por intepmedio- d pessoa
eattndida, e quo em quaJquer naeessidade pode Hies prestar auxilio.
Arad0S americaHOS e-iwituflientos agric tes;
RUA BO BRUM N. 52
J C3J*
Premiada nas-expo-
? sieves de Pernambuco
e Rio de Janeiro.
'fc.UEDALHA DE PiUTA.
ARISTIDE SA1SSET
AlifiL'STO CH
Pharmaceutico
Pel ^srrfiln +r Purls
Successor de
MfUju
ism-
TratameHto pnramerrte vejfetal-veTdade?ro puftfieaAor do angne. semnerrorio.
A EHscnrtaie Caraba e am renedio hoje reconbafiito umno am poderos* 4epara-
pecial para cnra de lodas a.-* molestias que teem a sua orifjcm na impurcn 4fl fu,;'
m : as molestias SviMnLrrreAS, JiuUu.vTic^aj ^.E^rofulosas, Rheuhatismo, E:
.1M% J&T.ERA9, ERUPCOES, ETC. El C.
jitf'Os prodigiosos effeitos que tem pttiam'a *iF.*mmrl* Ur- (arnha
^Ra tem sido apropriadamente expermentada, a tem feilo adoplar romo um
ais seguros e mais energicos para a-eara'-de'iodas as molestias de natureza
tica.
A cada frasco acompanba uraa instrutcao para a maneira de tuar.
d^BCe.:
iza^pi^^.

fvContra as afTecco-s cutaneas, eVttorea, wmlKWw, etc., etc.
lHguei4 J(tf (aroba
Para cura das boubas, nlceras,A #hagwi "urnigas, etc.. eti-.
L'NICAMEXVB JABRMIAIX) POR
vRODQDATROL MkUl SUCGE5 OEEi
Bislica Fxanceza
22 ,BLua do ,&om Jsus22
Aiml SUA. DA .UIUJZ >

Pal ace te
Ainda esia por alugar-se o palacete da Illia dos
Ralos, do liuado Cuslodio .1 .ise Alves Guimaries,
onde moron nltiraamentc o Sr. Or. Ignacio de Pr-
ros : a tratar na rua Priraeiro de Margo n. 7 Ai
Traspassa-se urea grande cssa com commodos
para grande familia, e decentemente preparada,.
em um dos aiais apraziveis arrabaldes, passando
pcla porta a liaha dos bonds : quern pretender,
dinja se a rua do Vigario n. H, 1 andar.
Aluga-se
o 3 andar dc sobrado da rua do Vigario n. 5, com
grandes e bons commodos para familia, e agua
potavel : a tratar no armazera da travessa do Cor-
po Santo n. 25.
Massa fallida
DE
Baslos & Lcmos.
No escriptono de E. A. Burle & 6., a* rua
do Bom Jesus n. <&, paga-seo 3. e ultimo
dividendo na razSo de 1,351 V, aos cre-
dores dcsla massa.
As iraportancias que tiao forem procur-a-
d;;s ate o ilia 21 do corretite, seraarecolhi-
das ao deposito pubiico.
Kecifn, 4 do setemliro de 1874.
.--:


.;,: !Sn IKSO*a^i
t
ciss;-.I'-iico-c-irfifgtco)
m

.:
i)E
A. B. da Silva Maia.
;.!."iicn parteirae" opersd r.
ti'.r r-JA-nRel 5 3
iudas das 8 6baraados a qaalqoer boaa.
firatis aos pebresii
%
%
ft
I
y
CHAMTiVS
DE
Jose Furlado de Simas.
czic'; dep it> en Pennmbaco, a rua do Mar-
'. OKuda n. lo. d Bonrgard & C.
Tillulas Catharticas
de Ayer.
Para todos os effeitos d
um remedio lazanto.
Nao ha segur&mente, uii
remedio tarn universalmeut'e
procurado como nm cathar-
tico ou purpante, e neiihum
outro tem sido tao usado em
!&>>. oa point e por todas as classes, oomo estas pillu.
JLA3f suaves raas efficazes. A razao e evidente,formao
am reini'tlio muito mais certo e efficaz qne nenhum oulro.
Aqnelles que os teem ensaiado sabem que se teem curado
pdc sea uso, os que nao os ensoiarao sabem que seus amigos
e riv h Ji.is se teem curado, e todos conhecem que o resultado
tixado uma vez, se tirara todas as vezes, e que as Pine
TLABnuaca falhao por consequencia de erro ou negligencia
aut a composi^tto.
TemOH railhares sobre milhares de certificados referentes as
detmctas curas que hao effectuado estas pillulas, nas moles-
tias que em scguida mencionamos, portm sendo taes curas
cooheciclos em toda a parte aonde teem penetrado, des neces-
ttjk,:( publica 1-os aqui. Adaptadas i, todas as idades e a
tadas as condicoes, em todas as climas, nao contendo calom-
riauo ncm outra qualquer droga deleteria, ellas podem ser
tonrulns por qualquer pessoa com toda seguranca. Sua
capei d'u -sucar as conserva sempro frescas, as torna gosto-
CASA DO OURO
Aom 4:00r000
Bilhetes garantidos
Rua do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. 30, e casa do costume
0 abaixo assiguado acaba de vender nos sens
jjuito fehzes bilhetes a sorte de 7G6* em um
meio bilhete t'e n. 846, a sorte de 1004 em um
n-.t 11 de n. .(!.!)I, e um meio de n. 2531 com
a sorte de 100s, alem de outras sortes menores de
iO^OOO e 20f000 da loteria que se acabou de ex-
trahir (113); convida aos possuidores a virem re-
ceber, que promptamente serao pagoe.
0 mesmo abaixo assiguado convida ao respeit
vel publico para vir ao sou estabeleeifliento com-
prar os muito felizes billietes.que nao deixarae de
tirir qualquer vremio, como prova pelos BMMBCS
annuncios
Acbam-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
-actidos da 6' parte da loteria a beneflcio da
igreja da Casi Forte, que se extrahira no daa ter-
(.a-feira, 15 do corrente mez.
S'recos
inteiro 4#0tXi
tfeio ifWi)
He tO9000 para ciw.
Inteiro 3*500
Meio *73o
Recife, 3 de setembro Joao Janauiin da Costa Lots
Signaes do negro Feliciano
Crijtilo, idade 40 annos, pouco mais oa raenos,
alto, corpo regular, bem pielo, desdentado, barba-
do, mal feito de pes, tendo um dos dedos grandes
ou ambos bastante torus. Acha-se fugido ba 6
me.es, desta segunda fugida, e da prim^ra esteve
uuus annos no engenho Tombador, freguezia do
Bouito, pertencente a Francisco de tal, genro do
capitao Christovao Jos6 riacbado, senhor do en-
genho S. Christovao, da dita freguezia, e por estes
engenhos esta occulto, como tem estado Veto pela
primeira vez preso pelo capitao de campo JoSo
Ventura, que mora em Agua-Preta : recommen-
da-se a sua captura as autoridades policiaes e ca-
piiaes de campo, e leva-lo ao engenho Minas No-
vas, freguezia de Gamelleira. 0 dito negro intitu-
la-se forro com onome de Jose Feliciano.
4* m da Bardo fa Triaapho (ma do fom) as. twr.i m
CABDOSO & IRMAO
AV1BAM aos senbores de engaahds-9 outros agricultores- e ao publico em nral quw
coatinuam a receber de Inglaterra, Fraafa e Amerie, todas aaferragens e maeuii-.. a-
jessarias aos estaJbelesiajentos egricolas, as mais modernas e melbor obra qoe tem vindn
10 mercado
V apOreS de forta^ de 4, 6,be 10 ce^allos, os acelhores que tem Tttdo-ae raerad
jalQeiraS de stybreselantt* para vspores.
JlOenaaS mt3ei?aS e mtas mo*nJcs, obra cmo nun.ea-aq>ai veto.
FaixaS fundida# ti bati2*r dos melhores fabrrcantes.
KrOdaS d aglia COfn Cnbaje-d ferro, fortes e boa acabaia.
riOuaS CientadaS le todos--es irmittm e qaalidades.
Etelogios eapitos para 8vapors.
fjOmDaS de ferro, de repuefco.
^iraflOS de diversas-qualidades^
^OnnaS para aSSUCaJ^grandes fr?equenas.
farandas de ferro fun^ido, fracas d& diverses-e bonitoa p***.
OgOeS irailCezeS para leoha e cernio, obra- superfo>-
DitOS ditOS parhgaz.
Jarros de ferro fundido para &m.
r es de terro paw mesa e ^mco.
Alacliina para geiw ,guai
V alVUlaS tara boroba e banbeiro.
Oorreiae mglezas p^ machinisno.-
t>aHCOS e SOiaS- COm tira^ de madeirflv para jardim.
GoncertOS concertam-compromptidao qaalquer obra oamacbiiu, para o qu* teea
sua fabrics bem montada, com grande e boa pessoa!.
EnCODHiiOlldaS mai1^ani vir Por ncommend* da Europa, qualquer macbisasmc,
para o que se correspondem com uma respeitavel- oasa de londres
com uat dC'S moihorus engeobeiros de Inglaterra ; incunsbem-se de mandar assentai
iitasmacbiiias, o se cespons^bilisam pelo bom traJbalho das mesraas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) n& 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
24,0 KS. 0 XmABO
ODILON DUARTEIIMAO
-irao L L E1 ^E !liO;S
Premiados na exposicjk) de J?872
Lindas cassas de cores e brancaV, com listras e palmas assetinadas a 210
rs. o covad) : ha loja de Antonio G)rreia de Vasconeello--, rua I'rjmeiro de
Mar$o n> 13.
i6Nan
55
, mill-.....,
Constructor e alinadur de pianos
liua do Imper dor-
55
Ki-afinador das antigas e ifamadas asas Plajat A Horz, e-aistiga direr- u,i li
oflicina da casa Alphonse Blonde!.
Tem a bonr.i.de,deelaTar aorespeiUvel ipublkjo dasti ;idaio, qw tem abcrto
sua casa de concertos e afina$6es dj.pianos, qualquer que seja o e.tado do>iiislratacn'
A' mesma casa acaba de receber um grande sortimento de pUnas '1 >s mtlh-i-
res.fabrkantes de Paris, como Erard Ployel, Ulenri Uerz e .tlphonie *oA', tod.n
os pianos sabidos da casa Duibaut sao garanlidos
Compra se e reebo-se em troca os pianos usados.
i o palladar, sendo tambem purameate vegetaes, nao po-
u residtar cfTeitos prcjudiciaes se por acaso forem tomauaa
i qoze desraasiada. O papel que serve de coberta para
0L1NDA.
Aluga-se por festa ou por anno, na rua de S.
Pedro Apostolo ou Passo Casti.lhano, tres casas
terreas, com encanamento d'agua e gaz, bons com-
modos e quintaes grandes e murados, com diver-
sos arvoredos de fructo : a tratar no pateo do
Corpo Santo n. 17, 3." andar. _______
Aluga se uma casa em Apipucos, em optima
posiqao e bons commodos para familia : a tratar
na rua Sete de Setembro n. 15.
ADVOGADO
HxCHAFiEL J0AQL1M GLEWESDA
SILVA HELLO.
93 Rua estrelta do Rosario S3
prlmeiro imilar.
RUA
DA
MPERATRIZ
N. 82
'!. ANDAR.;
.:32vVQ
^it^

fFfHtJO'iMe' ;
RUA
DA
MPERATRIZ
"N. 82
1." ANDAR,
Acabam de- reformer o seu estobelocimenio, collocando-o nas melhores con-
duces possiveis de bem servir ao publico desta illuslre capital, e as.Exmas. Sras. n'a-
quillo que fdr tendente a arte 4e cabelleireiro.
Fazem*se cabelleiras tanto para hamenscomo para seaberas, tupete, chignon,
coques modernissimos,-trances, cachepeign, tecidos, desgnhos em cabellos, quadros tu-
aoulares, (lores, bouquets e todo e qualquer toahalho.imaginavel em cabelio.
0 estabelecimento acha-se provido do que ha de BBelhor nos aaercados eslran-
geiros, recebe directamente por todos os vapares da Europa* as-suas encommendas e 6gu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 /0 menos que outro qualquer, garantindo
perfeic,ao no tcabalho,' agradft, sinoeridade e preco razoavol.
Peateam seabocas, tanto no estahebicimento como fora ; vende-se eabellos em
porcio e a retalho e todos os utensilios pertencentes i arte de cabelleireiro.
llua 1. th Marco n. 7 A, primeim avtlor
Hoje, 10 de setembro de 1874
AFARTOS MtBILLiDOS COM i)
Toma-se assignaturas memoes
Perito cozinheiro .francez, chegado ultimamente da Er
ropa. P. Sauvignac
GABLNETES PARTICULAftES
Salao verde
Salae enearoado
Administrador J. Delsuc.
I
iada vid ro leva direccoea minucioeas com retecSo as secuin-
tes molestias iteaente curao. Para a Ztyipepsia oh Indigeitao, DU-
jpiietMexa, Languidez, i'alta de Appetite, devom ser
Wp^fca em dose moderada a &m de estimnlar o estomago e
aaatkbiecer suas fonccaos saudaveis.
Para as Doenema do Figado o suas dirersas aymptomas
MmBBiruecas JUlloias, Dor de Cabeea, loterida, Coi-
w* BUiMs, e Febres BiUotat, devem se tomar tambem
ikradimente em eado caso, para correger a accio viciada
nmover o obstaculos que a causSo.
P" a DytenlerUt t Dimrrhea, 6 gerateente bastante
aavdose pequeua.
"* nheumatitmo, Gotta, Arretat, Palpitacao do
*"'>r ore nao ilhargai ou eottat, devem ser
1m continuadammte, ate altarar a acclo dos orgioj
*iragnl!idos, de sort>ia a Biolestia disappareca.
Tun ftydropim XnahaeSeo Hydroptcal, i preciso
n-l-a frequsaUmente e em porooes assas grandes para
laotfncir o effeito -de p ptugratfvo drastieo. Como Digtt-
Mvpani o Jnntarofl cemK, toma-se uma ou duas para
jravr a digetflb & ajadar o wtbmafo. Uma ou duas to-
*! m em qoaad", eatiawlio ou estomago a abrar sau- A loja de louca da rua da Imperatriz n. (
Tjffi*~*- qcerendo acabir qganto anteiAeQidft nor atacado
^\^m^.^^^^X& ^.^'hoJouSsOqase^&tSs
55*naIhor, por rajfio que ellaTpurm^rrMtauSia candieir09 e ial'r03 ^e divgrsos autores, por um
prejo-resumldo que;fai admirar j.ten'de-se tam-
bem a rica arnsaeao de- am>relIo? toda envidraoa-
4as : quern pretender dinja-se a maama loja.
Alugam-se contantemeate amas seccas e de
-eite : na travessa da matriz de San.a Antonio
In 6.______________________1_________
Alnga-se
uma casa reediticada, com commodos oara gran*
de familia e o sitio com liastantes fructeiras, na
Capunga, rua da Vuirafn. 9 : a tratar na rua
Duque de Caxias n.-!H.
Alleo(#o
.o digestiro.
JCC. Ayer & Ca^, LoweU, aa,E.U.
VKM3E 8S POR
Aloga se uma excellente eMnvapara todo o
servico : na rua da Gloria n. 146.
PREPARIDO POR
BA1THOLOM0 k C.
-
PhafmaceBlifas'da-casa reaUeS. M. F. ekei def orli^al
Premiados era diwrsas exposicoes com o primeiro pre-
mio de sna olagae.
Ox<-ppe t>wfaramr>^/MrantidoPORANTB.vEaKTAtnao conte"m em sua eempnicao
umsd atomo de epto, e sira sdmente succos de planlaa iowgenas,. oujas proprtedades beneficas na
cura das molestias que pertencem aos orgJos da reRiragao, tem sido observadas por longo tempt pe-
los medico* mais distidctos.que oreMimendam e rjisserevaai todos os dtas no tratamento das brou-
chiles, tanto agudas como chronicas.asihma, tosses labeldes, escarps desangue, tblsloa ao prifloiro
grao e contra as irriia;5es nertttsas,
'M *= 'Mualarga do Rosario 34
MODAS DE PARIS
48RUA DO BARAO DA VICTORIA W
Priijieiro andar, enlratla pela ma de Sanlo \mrti
Madame Potelleret, modista franceza
tem a satisfagao de avisar a sua3 amaveis fregaezas, e em geral a todat as senhsras qoe se vestem
se tocam a parisiense, que acafei de receber pelo vapor Vitie de Santos, oma maptili.; eseotha do* ?-
gutotes artipos do mais apurado gosto :
CH^PfiOS de palba de Italia, ditos a ingleza e de arroz, em todas as cures, 616 preto para lulo et<-
DITOS de palha da Italia niagniQcamente enfeitados para meoiaos e crianrju de mais peqaeia
idade. Uma grande parte destes chapeos foram enfeitados por uma ds mais afaraadas modistas d;
Boulevard dos Itahanos, a'.li o ceniro da mais apurad t moda.
GRANDE variedade de (lores e plumas, tudo o que se pode ver de mais Imdo e mais modem
para um toucado de baile e para guarnic5es de chapeos e vestidos. Aderecos completos de flur de la
ranja odorifera, para casamento, assim como floros e botfies para gaarnicao e eulats de w-lidn.
FIT A de gorgorao de cor e prela, ditas de chamalole para eintos com dtversos malice*, filo pr*t
e branco, ren ja de seda prela e branca, dita de li, velludo preto e de cores, galio de sda etc., etc.
GORGORAO e panno de linbo para vestido de senhora.
Uma escolha de (robes de chambre) ropoes guarntcidos dc rendas e bordados. Camiam e vest,
mentas demi ajusle, collacinhos para senhoras e mccas.
Temos alum do queacabamos de menciomr uma grande vsriedade de pequenos arligovqae lor*
nar-se-hia massante a leitura dclles, o quo basta diier que e tud) quanto se fax mister para o ehi.yi -
de uma toillete comra'il faut.
...------
Antiga loja de ferragens fioas dofaUecido Dubawy.
0 proprietario desta loja tendo chegado recentemertte de Paris, e tend) obfigado a
voltar muito breve, esta inteiramente resolvido a liquidar, e assim vende de kqje era
dianto com grande abatiraento : a dita lcja acha-se muito b^orsortida, nio so 4e fern
genes finas, inglezas e franceias, das que o antecessor Uubarry sempre recebia, sendo
para oarapitia, tuarciueiro, pe*lrei.rj, tanosiro, lorneiro, etc ,o;c. : como tambera fjMBpletr
sortimento dobombas para puxar agua,,tUeusilios da coziiiha, de ferro batilo, e^aobado
eiorradode porcelona ; comosejara bules, ca*r*das, frigideiras, etc., etc. : soUiment
de espelbos para adorno de salas, varas douradas para fo-mar quadroa, finas aaUmpas
nio s5para quadros oomo paracosmoratits, ricfl*esUmpas^g/axuras feitas em ipairac.
Cai formato muito grande representando o principio e'Urnlio mundo : sortimfoto de
vidros finos -grande e pequenos r>^a cosmoraaeas : appanelhos-rie porcefana flpa toda
branca, dourado e colorido, e ditos para jantar, e grande sortimento devajp flore?
para ewoa de toilette, etc., etc. : grande sortimento de brinquedos paraoif0$M, e naui-
tos outros artigos, e todo e qualquer artigo se vende de hoje em di|ai|* !
iento, aBm deliqukiar inteiramente, visto o propfietar.u.tafifU'Mrtir muito breve part".
Europa: na Roa-Vista, rue'anttrpffl'atrlrHfST*
mento
a


'#
-*.
DteiV* 'ftsmambue6 & gfegiMk 3otel do j^mmertfio.
ffaycl publico, .tue ibiio-
tifcra\i; sftd A to4 da.C<-
Participa-se 10 rc*i
?e d howl'aciiwa detV
(Jo;* n. 64, t* ojmi m' ttfeoMteri p:tisco ayotiufutn* a aesrurjhtla., Ignalmeirte
rucaberae aasiguaturas par tuodicn. prea, gar tinda-se assejo o protnRtidJj. A nmazeaifa qae
v3irtT, ptffr'rfue ftaS'sa' arrtpendeVaV
Casa e terrenes haratos-i Saf
gadiiiiw.
Antonio Jose Rodrigues de Scaia^na thesoura
ria das totortas a-, rua 4o Cwsjw.n. ti,, venda sua
casa de taipa g terrenos de seus sitios no -lugar
do Salgadwho '. a tratar somente cop o raesmo.
mPPonarflaaBM
*
COMfftAS.
Cottfpra-se un -oxrarvo de 23-a-35 annos de
-;dade, qae n*> tenba iviaiOB e qua seta sadto, pro-
prio para Iraaaltw do nadaria,. e ateOu* aera e-
enteader dotrabalho : a tratar na rna do Cama-
rao n. 17.
Lompra-se rm escravo de meia idade, que
si.iDa ttt*v lelte, para urn silt*: na raa larga do
Rosario, le)a x>. ta.
LEES PRQVINCIAES.
Vende-se no l.'nidfir Jesta typograpbia,
m inao do adroiuistrado, CoUceapees de
Leis -Provincial a 00 re. o exemplar de
cada anno.
As umeas verdadeiras
Bichas himtxztgaexis mw veni a esto mercadc
na re* do Mamaet deiwmda n. 51
Loja k fazeadas
DB'
Giiilfermc i C.
I Wm*toK <(# 'tasffj**1*' BOM SARER-SE
MUSS
fazeuda
6 pe
0 aalige baratouu p.ontiwia a. .vender por mecos
'do que outro qualquer, com a .ranqueza e sln
eariaaife ]a couoectda:
Las tie o6res SCO e 240 rs. o covado.
Lis pretas superior, a 400 rs. o covado.
Li e setoyfazeaede 1*400 por 7u0 rs. o co*
vado.
Chitas de cures a 240 e 280 rs. o covado.
Meinw de cores a 280 rs. o covado.
Crattmes de padrbes Iindos e modernos tt 400
440 rs. o covado
Baptistas de Iindos padrSes a 400 rs o covado.
Catnbraias de cOres miudas e graudas a 280 rs. o
covado.
Ditas ptvtas com flores a 200 rs. o covado*
Cambraias brancas, bordadas t abertas, fazeoda
mais Qua que tern vindo ao rnercado, e
de 2*000 o metro, por I 000 a vara
chincha.
Cambraia transpflrente, fina, a 31 a p<-ra.
Dita Victoria, liaa, a 3*o0'i a peea.
Algodao traocado, alvo, a 440 cs. a vara.
Brira branco delinho a F*400 a vara.
BHos de cores de llnho flno a 500 r.. o covado.
MartapoUo fratcae verdadeiro, 24 jardas, a 64 e
74 a peca.
Algudae T, largo e snpcrior, a Si a peca.
GorgorSo preto de seda para vestido e para collete
a 3< o cevado
Toalnas grandes a 425X10 a duzia.
Colcbas grandes a 31 uma.
LenQoes de bramante a 24 um.
Cobertas de ganga, forradas, a 2# e 3$.
Lencos de linhi, ybanhados e em' caixinfe&s a
oHm a duzia.
Ditos de cores a 34300 a duii.
E Autrps teuitos arligospor preco* bara'.issimos.
So na rua do Cre?po n. 20, loja das 3 portas. DIo-
araostrss.
[ A: Magnolia, i-ma Duifoe de- Cawias'n. 46; par*-.
(Ucipa a-j helle.sexo qie acxba dareceben da Eu-,
j ropa, um oniiileo sorUmento de artiaos de pto-!^ |
ma moda, e como aofia desn'ecessacio'fa^ef um'
eqfadoiihu antmnfcio, fwr Ja ser feastaaw' ern'ire- f
eida, e eaprrliar sempfe em Mr bonp worrespo^ |
denies,-sende a pr ineira que apresenta a|neha.
de ma is moderao e por.precos mui razoaveis,.por
Isjo limila-se a descrever somente o segjimte ;
Scftas dbtfrads?.
TEM
'QuearHeVlA ESPERANgA, tut-Owm de,
Cfexiasm 63, bem conhecida pelasuparioridade de'^ -. .
' seus artiaos d* moda e phantasfa, acaba de recc VJ 4o ------ vU 1 ber divers*^ ncorDmendas de mer adorias de wa
1 fepartioaVt, ode pela eleganci i bem mostra apliJSo .
' e bom go-to de seas anligos aerrespondeoles da ,
As man Kidaraas<* 8p6foi^iias de todai Europa,>e per cta razao a NOVA SPEBAHQA,'
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a sna boa '
e constanni'frpguezia e com especialidade
GOMMA EULSTICA
l.ftziiiiiti.s vcrdaMrlr.is.
(19
Vende-w um terreto com 20O palmos de
frentee 150 d. fond, teade iviilkada nma ca?a
de madeira nr. fuudo do mesii);), cacfruuie ao ce
ifiiterio ubiico, em Santa Amara't a uatar no
ge;mo a MWQBar hora do dia.
VENDED
iq, vende-se o seguinte :
f-mprimeira ina-i.
, eogarrarado 'Raissimo, em c-ai-
xa% de dazia. 1
Dito dito em bafris e anror^.as.
Vinho Sherry, in*iez em caixas de duzia.
Vinho Collares em ancoreia*.
Cera em vela->, de Lisboa.
Cera em grnme, idem.
Na rut do %'igaria-n.
Cimeoto de Portland,
Vinho so Porto, engai
QFOSVAO
DE
Bfoa Atores, tanto de seda OTuti de-pnipono.
MMMM*Uwa*l0%j do iuada^pirela, mar-Oin, iw-
laruga, os.-o, etc.
KnEiidaa de bai e.
Treaentca, diversos artigtis proptios para pre- J
scntes.
boIiuiiHH q pmihos.
Manual para niissa, com capa U maiireperola^j
tartaruga, maifim, velludo, eic.
Sapatlntioa de setim para baotisado.
VaBi(aa-lMrdadas para stnhoras.
i.tan de seda.
i itija m.osaias.
Atlcrecoa de tartaruga.
Vctitns'de madreperla.
PulanlrHM de madreperola.
Lindax flores para oabega.
Bolaaa de velludo. .
Porfuiuarins dos melhores e mais aiamados
fabneantes.
cuniit'OM do sol para senhoras.
Fitas de veiludo/de lodas as coo:s e largur-s.
Mosoms.
Quereis Irnar-vos destes Bialdltos insectos? com-
prai uma mae'diaa de malar taoscas pi* S4OO0
' na Magnolia, a rua Du.juo te Caxias a. 45.
Calvice.
A Magne-Ha, a rna Dnijae de Caxias n. 45, vec-
de o verdaaeiro Vigor de Aver, que impede a
catida dos -cabeUoe.
Sardas epanos,
S6 tera sardas efanos quetft qoer; por^ua a
Magnolia, a rua-Du^ae de Caxias n. 45, tent para
vender verdadea.Cttticuleria, qne faz desappa-
recer-esUsjnanchas em poaces dias. .
conbecidas
YcBdeBT'Se
NA
a^200 rs. o covacio
Todos se aduiiraaa tt
Lanohas Vc-rdadeiras cuur lindi kiwa*
200 rs. o eova jo ; c fazenda d". \
PBAUMAGIA E MMXrARU
~ DE
Bartholometi & C.
34r. l\ua larga do Rosario 34
Muito
parrilha
Minco nova e groesa.
Vtnde ?e por barato preco, em por^o ou
talho na m larga do Rwarfff n. 34.
a re-
CorteS decasimira a 4#, 53
e 6*000;
Na loja do Paviio, yende-se cortos de ca-
semira para calsa a 4, 08 e 60QO0, ,d."tos
mut'lo Qnosde uroa s6 cdr com listras ao la-
do, fazenda que ^empre so yenduu a 9JJ e
10JSOOO, liquidate a G^OOQ para acabar :
A rua da hpperatrij a, 60, de Felix Pereira
da Silva.
Grande descoberla
Fa^ndas e artigos de alta^SeffiblM do ClJiercio
novidade
NA
Ghegou parao n. -111, rtta do Buqne de Caxias,
um eompUte-eoriimentoda-botinas e aaaatos de
entrada baixa, de duraque re chagrin^ para ge-
nhoras e meoraas; borzegains de pellica a de
bezerro, para menino?; ehtQiiitos de la-tre e de
cfcagrin para crianeas ; e mats oulras qaalidades
de calgados, tcdo mais barato do que em outra
ptjtt*
Vende-se
Na Torre, I sitio com boa ca^a, com 3 salas, a
quartos, despertsa, cozinha, torn noco d"agua de
Defeats mnitas arvoredos, e fera da casa, 1 %a!eta
e 1. quarto; qnarlo para feitar, dito-para oriado e
gallinheiro, tudo de padra^e <:aL em,treao.aro-
prio. *^
Uma casa, com 2 salas, 3 quartos, caeiitba -e
ierraco atraz, quintal minado e 1 qnarto para
criado. em terreno proprio.
Tres casa* pequenaSj cent i salas e 4 quarta,
cozidba (por;janto ou separadas) em terreao pro-
prio. r
Um terreno com 90 palmos de frenfe 400. de
funde, tudo ao melbor local <> por poueo preco :
na rua estreita do Rosario n. 45, se dira quat:
vende.
uwullCEIH
Vende-se uma collee^ao
deste periodioo so e moral, esciapto pelo M
lecido padre Mig;uel do Sa-
cramento Lopes Gama, pdr
12^000: no 1. andar destaj
ty-pograpbiia, em mao do ad-
ministrador.
Barris vasios
Vende no-se na rua larga do Rosario n. 34,
Casemiras
N i loja do Pavlo vende-se am grande sortiraen-
to de easemiras de-cores e mescladaa taoto claras
como eara calcaj paletots e co-
letes por pre;os mcnTj baratos, assim como no
mesmo estabelecimentos se manda fxzer qualguer
obra tendente a alfaiate, com a maicr prssleza e
por precis muito razoaeeis : a rua da Impera-
iriz n. 60, de Felix Pereira da Silva.
PARA LUTO
Vende-se cbitas ioglezag pretas com piulas a
200 rs. ojcovado, dita franceza.muito iiaa.tanlo iisas
como com pinlas de 320- rs. para cima ; cantao
preto a 800 r*. e muito f.ao a. 1,000 rs ; bomba-
zioas, jmncezas e alpacas da lodoi os precos ;
laziabas preUs Iisas Ue 400 at 300 rs. ; assim
enmo uma grande porcao de reialhos (anto de
cliiias preta- como de liis, que se vendam por
precos baraussimos; tambem uma grande poreao
de chalet pretos de i... a 1,000 is. purcsiarem um
pouco russos : a rua da lqiperatriz n. 60, de Fe-
lix Pereira di -Silva. ^
Cortes de cambraia
Na loja do PavaoSvende se cortes de cambraia
transparente eom babadeg hrgos, tant^ braecos
como de cores, por baralos pre;os, por terera al
cum pequeno de{ei(o : a rua-da Imperairiz n. 60,
de Pelix Pereira da Silva.
Bramante p ra lencoes
a 1#S00 2^000 e 2^500
Na loja do Pa^ao vende-se fiipetior'bramante
para leocoes, com 10 palmos de lurgnra, que ape-
nas precisa de 1 vara 1/4 para om knpol, sendo
de algodao a 1,800 rs. a vara, dito raaU eu-
ornado a 2,000 r^., dito drt Imho puro a 8,600 e
2,800 rs.; asgioi como atoalhados superiores, tan
to de linho como de algodao, porpresps muito em
conU, e pecas de algodaozinho para lencdese toa-
!has, tendo de 4,000 rs. para eima : a rua da Im-
peratriz n. 60, do Felix Pereira da Silra.
Vende ;-e um siijo na Capunga, rua da Bai
xa-verda n. li, com 81 palmosdafrente e 300 de
fundo, cm uma casa, e haslanU'S acvoredoi :
tratar na luetma.
loja do nm
ia Prinierro dc Mar^o n. 7 A,
^Cordeira Simfien <^, proprietariot
< -te imporiante estabelecimeaKi, no lou*.-avel pro-
igrosito de nao desmentirem o concetto que os
seus numeroscs freguezes Ikes tern dispensado,
acabam de reecsber de sna conta o mais nee sor-
.jtimento de sedss, popelinas,.las e arttgos de ul-
tima moda em Paris, e coatinuarap a receber
por todos os paquele? daquella proeedeccia ; por
isso chanvam a attencao de seus freguezes e os
convidam a darem um passeio ao-sea estabeleci-
mento, garantindo-lhes qoe encontrario a real!
dado do que fica dito, e para pn va dao- um pe
queno resutr.o, cujo infalUvelruente. despertaia a
attencio dos preteudentes.
Maodam-fazendas a casa. dos freguezes, e -dao
amostras mediante penhor.
Arttgos t- alia imm idade e
iiltiuin moda
Cortes de vpstido de linho guarnecidos de -bico
da mesma ^fazenda e cor, trazendo flvella, bolca,
ciuto, etc etc.
Riqaissiojos cliapeos para senbora, de cores e
prelos.
Cortes de cambraia francos ccm Iindos bor-
dadns.
Dito* de-cores com eaSeiles da mesma faieoda,
flgurino, etc. etc.
Capas de la para meninas e-senfaoras, guarne-
cidas de arminho.'
Voatoarini para baptaantti
Riquissuaas camisas >b< rdadas para senhora.
Leques de madreperola, para noivas.
Ricas colchas de seda, para casamealo.
Cortes de seda, limlas cores.
Gorgorae de seda braaca e dito preto.
Sediuhas de delicad^s pa Iroes.
Setim Macao de todas as cores.
Grosdenaples pretose de cores.
Velludo preto a daafMce de soda.
Granadine preta e de cores..
Filo de seda branco -e preto.
Ricas ba^cuinas de soda.
Casacos de merind de cores, 14,-elc. 0
Man'.js Itrasilernts.
Capellas.e mantas para noiva.
Cambraia de cores, atlas inaripaaat brancas, de
cores, Usas e bordadas.
Flor do boeque (novidade).
Percalinas de qaadros, Wstras, etc.
Brins de linho para vestidus.
Fustao de cores.
Saias bordadas para senbon.
Grande sortimento de camisas de linho lisas e
bordadas. para homem.
Meias de cores para homem, senlioca, meninos
e meninas.
Sortimento de chapeos do sol para -bomens e
senhora.
Merinas de cores para vestidos.
Oito pn'to iraneado e de verao, bombaziaa, can
ao, alpaca, etc. etc.
A.toalliado de linho e algodSe para tcalhas, e dito
.pardo.
Damasco de li.
Brim de linbo branco e de cores.
Satin de lindas cores.com li&ras.
Chales de merino de cores e pretos
Ditos de touquim e ditos de casemira.
Canisas de chita para homem e ditas de fla-
nella.
Ceronlas de linbo e ditas de algodao.
Pannos de Srocbet para sofa, cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de laoyrintho.
Ricos cortes de vestid:s de tarlatana, bordados,
para bailee, e tarlatana de todas as cores.
Colehaa de damasco de \i, e ditas de crocliet.
Espartilhos li-os o bordados.
Foulard de seda, liadas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e de core3.
Popelinas.
Neste artigo tcmas um varialissimo sortimento,
nao so em gosto como em qualidade.
Laa
eom listras de seda, ditas com palnas bordadas,
ditas trau.'parenies e de oatras tnuitas quaiidad $.
Luiaa
de pellica brancas e de cores, do verdadeiro fa-
brieante Joovin.
E'inalmenie :
tapetes para sola, cadeiras, cama, entrada, etc..
camljr;-ias brancas, chitas dc todas as qual'dades,
madapolSes, esguiaj, iretanhas, braraantes, algo-
d5es, collarinhos, punhes, meias para homem e
senhora, pnnhos o collarinhos brancoe e de co-
res para senhoras, gravatas para homem e senho-
ra, peitos bordados, lencos de linho brancos e de
cores, ditos de cambraia de linho, toalhas, guar-
danapes, panno flno, etc., etc.
Loja do Passo
Rna Primeiro de Manjo n. 7 A
antiga do Crespo.
Rua do Commeroio n. 22
lleira k Lima
Os proprieterios avisam a seui freguezes qee
teem para veader o seguiate :
Cinco miautos da aUenjao
Doces seccos e em calda
Empades de eamarao %
Fiambres preparado
Salame de Lyon
Tudo torn.
Bolos ingletes
Fructes preparadas
Viulios superiares
Cerveja gelada
Tudo bom.
0 bom cafe" de Mdka
Petiscoa e bons bocados
Na assembloa
Se serve com agrada,
Tudo bom.
Bolinhos para cha
Pudsas, paes-de. Id
Charuios da lialiia
E jogo-ee dmino.
Os donos deste estabelecimenta avisam a seus
freguezes que nio sio egoistas e promenem ven-
der barato, para vender muito.
li 2 Kua ArmazoKt da Aserabloa.
peito pelo
\uropo DE
A, Ba<;u.\UT
E-ve imporiante tne'dic-^ttcfiio quo acaba de ser
t*eeonhecido pelos dlstiuctos Drs -Zalloni e Paras-
-hevas -como am verdadeiro epen(te contra a
ohlysica, segando provaram nos f i juries.aue
,ts de casos pur elles experimenlado, como se vd
|ua sessao da acaJeniia de Paris de 2t de marco
! do correute anno, eneontra-sn unicamente no
Deposfto da [harmacia e arogarla
de
BartlaeKn< A C.
N. 34 Raa larga? do Rosario N. 31
para gaz
Na grande e.xposicSo da tua d<) lir*r>/i
33, junto ao ecript MM Ja ctmpanbia dogaz, dem te os mai* bonitos e nv.d rno IuMtm mm-
delas de vidro para gaz, a mui coat) tudti a aant
quo se torna necessary) para csse am, saaia tad*
dos melhores fabricantes qa- ha na Inglalrna. Ot
precos sao mais baralos d. qae i-m i .
parte, eom a vanlagem qua e u d
lecimealo n.at.dar arsruiar I s lu>lre> a
la* no lugar que o c utacatta quiier, scat
isso pague alguma ectisa. Ttmbem -. cnMfta<
troea se lustres araadHas ji n.-..d.-s. bum car
estej^m em sstaaa do p-d.-r rervir
Egara'nte se a-bna qualidade do vinho puro das
quiatas do Lkna, des oainpos da Beira, superior
_ ao da Figaeua, e yo se eucontra no armazom de
CUFatrVO'daS- mOleStiaS dOI^ Farnandes Lima iCinu co Baric da
, \Mtona n. 3, seus sue
Botuos de ago para-ves-
tidos.
Na rua Duque de Caxiu n. lit, & *naontrra
i procurator bo'.oej de ago e de metal para ves"
tidos e casacos do senhora e do meninas e por
precos mais baratra do que em ontra parte.
CavaJlo.
Vende-sc um bonilo cavallu da ettimacao, gran-
de e novo, ruo, proprio par.: sella *bom an-
dador : para ver nas Cinco I'jntas, cocheira do
Pedro.
Terreno d venda.
Vende*1 un t^rreoi nor juuto.ott retalhando-
se, tendo 122 pal.nog d- /rente e 358 de fundo.
lambem se vende GO a 70 mil lijol..?. 600 alquei-
res de eal, 400 tijoloa, fanellas, etc., etc., e que
tudo.existe noj.nesmo lugar, o nor proco comrao-
Lai.ra!ar a raa *-' "' ''! v v f^I*. loJ "o-
U*tTD 11.
Cura das hernias, pelas fun-
das de borracha.
As nif-.lhr.ro* e mais aperfeicoadas das aid hoje eo-
ntteeidas.
Vende se
n a
Pbnrmaela e Drogparia
de
Bartolonieo t* C.
A'
S4. Rua larga cjo Rosario 3.4
Vacoina. Yaccina.
Tendo b Sr. Dr. Joad Lourenco de Magalliaes,
montado na corte am completa servico deste ar-
tigo, tera aqui abgrto um deposito da melhor e
mais recente, eu|os tobos se encohtram na
Pharmacia e drogaria
A'
_______3-rna, larga do Rosario 34.
fta loja do Paviio vende-se madapoldea franca-
zei muito incorpados, com 20 jardas a 6,000 rdis,
JitomoiM flno com jardas-a 3,000 e 3,800 ; as-
sim como um grande :ortimenio de madapolSes
inglezes de 4,500 ate 8,000 e 9,000 : a rua da Im-
pe-atriz n.60^de feJlj Pereira da Silva
A' rua da CahujfK n. 1 A.
Os proprietarios da Predilecta, no intuito d
consewar o bom concerto que teem merecid dc
respeitavel pnblico, distinguindo o sen estabeleci-
mento dos mais que negociam ao mesmo ^enerc
veeia soieniiiicar aos seus bons freguezes quo pre
veniraraaosseus eoFaesponjlentes nas diversas par-
cas d'Esropa para Ibes enviarem por todos os pa-
quetes os objectos de luxo e bem gosto, que se-
atn mate bem aeeitos pelas eooiedadas elefantes
daquellcs paizes, vis'.o aproximar se o tempo de
festa, em que o belle sexo desla linda Venexa
mais oslenta a riqneza de suaa toillettes ; e co-
mo ja recebessem pele paqoete francez diverso
artigos da ultima moda, veem patcntear alguns
d'entre elles que se loroam mais recomuiendaveis,
esperande- do respeitavel publico a costumada
concurrencia.
Aderecos dc tartaruga os mais Iindos qae teem
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e d
velludo, senio diversos tamanhos e baratos pre-
os
Aderecos cflrapletos de borracha pr^prios para
loto, tambem se vendem meios adere^os muito bo-
nitos.
Botoes de setim preto e de cores para ornato de
estidos de senhora ; tambem torn para eollele
noiltot.
Ealsas para senhoras, exisle um bello scrtimen-
de seda, de palha, de chagrim, etc., etc, pur
baraio preco.
Bocecas de todos os tamanhos, tanto de louc?
como de. cdra, ue borracha e de massa ; chama-
mos a attencao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as veses tonuun-se as criancas um pouco im-
pertinenteg por falla de um obtecto que as en-
iretenham.
Camisas de linho lisas e com peltos bordadc
pain homem, vendem-se por preco eomraodo.
Ceronlas de linbo e de algodao, de diversos pr-
08.
Caixinhas com musica, o que ha do mais lindo,
com disticos nas tampas e proprios para presen
te
Coques os mais modernos e de diversos forma-
tes.
Chapco? para senhora. Receberam um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
i^alcag bordadas para meninas.
Enlremeios estampados e bordados, de Undoi
desenhos.
Escovas electricas para dentes, tem a proprie-
dade de evitar a carie dos dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, existe um.
g-ande sortimento de divercas larguras e barato
preco.
Fitas
Boa aoquisiq-ao
Vende-se um sobrado slto no p-teo da S6, em
Olinda, -edificado em chSo proprtu, eom grandes
accommotiacfies fiara numerosa famtlia, reedili-
ado e pia murto fresco e com quintal ; a tratar ao pateo
de Pedro' H n. -6, 1 :* aadar.
ffl economico.
Gr3Kas^"enn* -nrooria pata a eocseiivacie do
cordovao; v nde a NOVA ESPERANCA.aruaDn-
que de Caxias u. C3. .
e com espeeialHiade ao sexo
^SS/*11'* K*Urera vcilcro qae a pethinch v OUaaavMaaa
DAe SSiJ*a?pfRaS?A nao qer anlA no nn-
mero dos massanles ("verdadeiro* jzucrins) com
extensos annuneios e nera pretende, debcrever a Run Ju?i
immensidadadaohjectos que tem expostos a ven-------------------------------:
da, o quesafla quasi impoaeivel, mas limiur se ha LuSirCi e arandclaS UC VlOTtf
a moncionar alguns daquelles de mais alta novidade
e toma a liber Jade de aconselhar ao bello sexo,
^ue a visitem constantemente, par> depols qne
eomprarem em outra aaalqner parte cio se arra-
penderemi a vtata do bom a eieolhido sortimeato
gue ha em dilo estabelecimento, esta razao tam-
bem demon&l:a que qualquer senhora do bom torn,
Qao poderi completar a e.Ieganeia de sen toilet
sem que dd um passeio a NOVA ESPERANCA, a
ma Duqoe da- Caxias n. 63, a qual acaba de rece-
ber os seg-uint s artigos de luxo e inteira novida-
de. :
lliilatlHti seltas para pren4er os cabellos
Priin Bonjus sahidas de bailca part senhoras e meui-
nas.
Interessantes gravatas para senhoras.
Elegantes fat-has de touquim.
Bens adereco* de madreperola.. i'eutes girafe, propns para sent
Delicadee aderegus pretos de pufalo e borracha moda) : a Mataolia a rna l)u j-te d.
(gosto novn). _________e so (|u> rr um.
Papai7 luiimal
'^mo si'i lm'!,.s as MMaa d< ra qu'- mam papa;, ti.amai, ch rain, audam. <-.- Be aa
Magnolia a rna 1'uqae le tixUs *. l
Gaiolas, ^aiola.-.
A Mr-gn-iia, a rua Omm* la Caamt n. 4k sa-
cebeu gaioias ie atatne dc iiadi- i
protrtas para passams ; a el!.> ml* ua m *';
Liin.
Para o fabrico de^'haptk*
A NOVA ESPGftAUCA r .. p'jk-^w
para armac'o d.- <-tupe<*.
Luvcis l.rsaras
de looiia : a M.gnniia, a ru< Dgq>-< StC
n. i5, ^ 6qi5em ar> tcm fr"as.
Pcntes girafc.
'a.
mmm
a* a f
Esta se acabando
successores.
Peiitodos
de

ra
nova mvencao.
Com tun-paateado des-tes pentea se uma senho
em doas minuios, e acha se decentemente
pentt-ada para um soiree, um baile, assistir ca
' samente, e pjra ser noiva tambem : vende se pe-
lo birattesimo pVeco de 25-5 cada um, 6 sd ca ca-
sa de Uu.lt ii Duarte \ InHaa] rua da lmperatriz
n. 82, priiiieHjo andar.
E' b'liiilo
As aim ifadas bordadas di la malisadas que re-.
cebea a Xova Esperanca, a rua Duque tie
Caxia" '"' i
All N. 9.
-se
No armar.em da tr< mheta da 1MB e..ina
no pateo do Carmo, vrr.de .-a insat- ia
tlor a 11 e a 1*200 a lihra, e fr--j.
\^l-X\JLv-- JVj 7*0 rs. a libra ; bem n.mo conuniia a lor mt
boat sortimento para qnalqner rbefe d.>
lima propricdade a margem da Caiuboa '*er sua dispinsa, par seja da ;ira-a oa an
matt .
Ceroulas e camisas.
.dos Utmudios, contend*) barco para toda e
qualquer obra, com uma grande olaria,
; casa-da vivenda fc tres viveiros com peixes.
Prom*tte-se fazer todo e qualquer aegocio :
a tratar com Delflm Lins Cavalcante I'es-
soa.
L^azinhas baratas. j
oja do Pav5o, para liqeidar, veulc-se,
Para senhora h
n 4.". .
Na
uma poiao de laazinhas do cores para
vestidos, tendo de 320 rs. para cima ; as-
Na loja do Pavao.utide-sc. ceroulas fran-;simconwdi,aS com listras 'de seda muil0
1 bonitas a CIO rs. o covado ; alpacas de cO-
res com listras- de seJa de 610" rs. para
cima : a rua da lmperatriz n. 60, dc Felix
Ctmo sao lin-ias ?> mixlerba- ..' ^r
a Magnolia, a rna Duque de Caxiaa
de receber I
Sedinhas a 1.^500 o cov <*-j.
Venham antes que se acaae.:.
a ma I.' d Htno n. A.
na ia c. >-
Fntti.
cezas de'todos ostamaiibos para homem a
W60O; e ditas de linho a 2$00, 20500 e
scorn.
Camisas brancas com peilos do algodSo, pefeira ,
MSrnda hna e por esUrem um pouco en-j-
xovalhadas a 20^000 a duzia, ou a 15800
cada uma-, d-rtas-com peita. de esguiao de-
linho u 3J00O' e SfftfOO cada nma, ditas
com peitos e punaoB de cdr a 2$0OOV e \
Fastao branco para ronaa de menin'
o covado; e peche !ia : na rua C
'2 -, luja do Gnilhecrm A C.
a S/Jn
:rav* ^
Colchis
Aproveitem
lit Pereira1 *a Silva.
0 PARlS'rt'AMKRIJA, a rua Duque de Caxias:
2S5O0: a rua da Ibtratriz n. 60, de Fe^JjM. *?*"' Mt* TeDdeB(io ^^ Pdo*\
Bolioa* Ditas de dittrpreto a ifiOO reis.
Diies de dito om botoes ao lado, a 4,000 rCis.
Ditas gaspeadas, cano alto, para senrwra, a'
: 5,00(1 rd a :
I Ditas de pellica, ing'.eza, a 5,000 rdls.
Ditas de duraqne bordado, para senb'-ra, a
4os **r6ia-
para camos
! Na loja do Pavso vmJ -> c^lcha^ ds ft
brancos, para cama a 2,*00. ditas de J... *
I a 4,000, cobertas da clula e de rret.idf. ce .
para etna e -ditas de metim i>varlate f rralai t -
j madapoli-i a HfidQ : a rua da laapetatria j_
de Felix Pereira de Siiva. r
Cal
Na rna Direita n5 14, vende-se novissima cal de
Lisboa da nltuna chegada.;
I
ricnmos
A OVA ESPERANgA, a rua Duque de Caxia*
n. 62, acaba de receber um bom sorlir.;.-.uU de fi-,
nas bonecas que fallam, que riem se e cboram ;
tambem as tem mudas e surda9 ou snrdas-mudas j
venham ver se nao 3 rerdade.
------------------------------------------------------------------------_____________ i
[T
Ditas de duraque, de cores, para meninas, a '-if.
Em quanto 6 tempo
E' com u noiva
A NOVA ESPEIt.VCA, na i i.; a -.
36, acaba de receber in a meia: i' ': i ^-_-
pera nia, e ris apr^cinvcis rhinos (' l"-f s .
Veaoe-se ou U grande e eleganle jumt Ma, pnprll pira !r*
'.a, chegado agi.-ra da Eufupa : a I .tar aa rat
Imperial n. 166. de BMW as 7 h.;a., e it
! de das 4 em dianle.
aproveitem.
al de Lisboa
VENDE-SE
um sobrado em caixlo e uma casa terrea, sito a
rua da Soli--lade ns. 2e4: a tratar na mesma
rua n. 54, das 3 is 6 da larde.
Appaiellios para ba-
nhos,
Os immensos- benelicios oblidos na
cura de variadissimas moleslias com o
emprego r*ci nal da agua fria, tem fei-
to inveutar apparelhos, qne tornem facii
e ao mesmo tempo ulil a applica^ao des-
te meio as pessoas, que por qualquer
circtrmstancia nao podem frequeutar os
estabelecimentos aproprratkis psra tal
dm.
j A pbarmacia central tem exposlo a
venda os apparelhos que sao hoje repu-
tados aa Europa como superiores, e qne
servinde parados uses medi'os, podem
igualmente servir pan banhesde lira-
peza e de prater, pocquo funccionam
.com pouca agua e em pequeno.espaco.
Com taes apparelhos pode-se tomar
banhos em duehes de chuviscos, em co-
lumna ascendente ou descendente, ge-
raes, ou parciaes.
0 mesmo estabeleeimonto tem para M
vender apparelho proprio para banhos I
a vapor simples, ou com substancias
' medlcinaes, e pequenos apparelhos de
immensa presslo para os ehoqaes locaes
por meio da agoa fria.
| Fotassa da Russia
i Damingos Alves Watheus, a rua do Vigario n.
5, tem para vender superior polassa da Hmsia
em barris da 23 kilos, por preco modico.
Aos nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber aqnel-
Mes milagrosos anneis electricos, cura infallivel d .;
nervosos.
Vgani e admirem.
A fb&O rs. o covuiio.
0 barateiro da rua da lmperatriz n. 60,
vende popelinas pretas com listras asseti-
nadas pelo baratissimo preco de 500 rs. o
covado. para acabar.
Vende se cal de Lisboa : na prata J? "..*
Santoo. 17, 1 anaar. aaatiptari .!- lu. ;a -
erig"es Tavares de Meita.
- Wibon Howe 4 C. vea^eai oo Ii .iirau
a rua de (iommercio r. ti :
verdadeiro panno dc alg Be a^ul tAmmmt
Excellente Bo de i eta
'Jognac de t" qaalidad Vinho de Bordeaux.
Carrie de Pedra de toda* as laaMlBaia,

refli
Vende-se pes de sapotas
narua do Hi spicio n. 7o.
de optima qualidade
tiiftBjlMfe*M^3B:lIiia'*HHI tBBf>^ml*^(j$jppi
Aitendti!...
A confeiuria do Campos, slta a rua do Impera-
dorm 24,unico estabetecimento deste genero nes-
ta provincia, proporoion* aos habttantes deHa as
maiores vaniag^ns
Se
E se nao vejam
uma pessoa quizer tudo quanto e
cossario para
ne-
de saria; rt gTrgnrao. de setim e de cfca-
Facbas de gorgurao muito lindas.
Fi. tia artificiaes. A Predilecta prima em con-
ervar sempre um bello e grande gortimento des-
ag flores, nao so para- enfeite dos cabellos, como
tambem para ornato de vestido de noivas.
Galoes de algodao, do la a de seda, brancoa, pre-
os ei de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda de diversas cores
para eennora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouviicroissa, com capas de madre-,
oerola, marflm, 8sso e velludo, tudo qne ha del
bom. I Urn casamento
I'eutes de tartaruga e marfim para alisar os ca- j Um baptigado
bellos ; teem tambem para tirar-caspas. ulna partida-
Port bouquet. Um bello sortimento de madre- UrtTcha para visilas
pefola. marflm, 6sso e dourados por barato preeo.H uro lnnch
Porrumarias. Neste artigo esta a Predilecta bem { um iaQt0 jantar
provida, nao so em extraetoa. como am, oleoa a.rNRo V?m mais do que ir oo mandsr a
binbas dos melhores odores, dos- mais afamados < ZZT ^" \
fabricantes, Loubin, Plver, Sociedade Hygiemc*. nana do Umpos, rna dQ
Coudray, Qosnel e mmel; sao rndispensavefs para- Iniperador n. 24
* festa. AUi tambem seancawegam de bouquets, Cores
Saias bordadas para senhora, por commod*: e folhas para casamento : assim como, de doces
precp. d4 todas as qualldades para embarques, e tem
SapaUchos delS e de setim bordados .para bap- sempre preparados flambreg Inlelros e aretalho,
tisados. pastou de diversas qualidades, empadas de cama-
Tapetes. Reeebeu a Predilecta um bonito sorb- rdea a de came,
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co- DS .'^ V** se vende, garanle se a boa
mo para entrada de salas. qualidade, limpeza e promptidSo.
\ estimentas para, baptisado o que ha de melhor' Enfeitam-se fiambres, bolos, paesde-16
gosto e os mais moderno s reeebeu a Predilecta j uei]af.>,ndo por precos raioaveis.
de or arcto preco, para flcar ao alcance \ AU'*'e8TJ-se a vista e salisfai-se as exigeacias
gnalquer bolsa.
Grande liquidacao.
de miudezas e chapdos: no novo Bar, rua do \
Marquee de Olinda n. S3. -.,' w.
con-
Lustres, candieiros e
araodellas.
A empreza do gaz, tendo recebidc ullimamente
uma qnantidade de lustres, eandieiros, arandellas,
globos ete. etc., tudo obra de gosto e de primeira
qualidade ; acha se em posic&o de ,-upprir a seus
freguezes, por precos men. res do que antigamen
te. Para verem as araostras, dirijam-se a rua do
imperador n. 31.
Salsa-parrilha do Para
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, no sen escriplorio, a rua do Bom Jesus nu-
mero 57. ____________
Vende-se
uma casa na villa de Barreiros, na rua do Com-
mercio, nor preco modico : a tratar com Tasso
Irmaos & C.
VENDE-SE
a taverna sitaa raa do Barao da Victoria n. 61,
muito afraguezada,: a tratar na raa estreita do
Rosario n. 40.
Vacoina
muito nova, verdadeira, ingleza, chegada pelo
Mendoza : na pbarmacia amerieana de rerreira
Mala & C, a roa'Pnqne ue Caxtas n. g7.________
Espartilhos.
Na loja do Pavao, vende-se espartilhos
dos mais modernos a 3&50O e 4iKX)0 cada
Engenhos cm Mamarv-
guapc.
Veude-se os icguinius:
Baarrat,
Pa*eynlra.
e Patrl-
A tratar com sens proprietaries i. -
parajnformacoes com Joaquim Pi: io '
ilho na mesma cidace dt UaaMaigk*.
_________________Tassa Irmios '- C.
Cortinados para camaa
Na loja do Pavao vend" se um grand. ,
to de cortinados bordados propnas ; aia
janellas, pelo barato preco de 8, 9 c 10. >
par, assim eomo colcbas dedamas? parget
de noiva !a 10 e 12,000 r-'-is-e | ctiacha .
rua da Imperatrii n. 60, de Felix I'c...
i M'.va.
Aos cigarreirc
A NOVA ESPERANCA vende -\,- .
proprio para cigarros. de diversas Ui*(
Coques modernos
Cintos decocro
Reeebeu a Magnolia, a rua Dj ,-.. I
45, e esta vendendo mais barato qn< ots
outra parte._____________________
E baralissiuto.
Attencao.
Aproveitem antes que se : eabem, p- |*l ruit*
nho, padrdes modemos, pe o bara'.; -!>
de 400 rs. o covado : quem davidar, vnk i
comprar : na rna Duqne dc Caxias a. 8', tagi
Demetho Bastos.
Vende-se a casa da raa do RaaMM* a
Jue olna para a e.-trada ile ferro do Redfe
ranciscc, fella ha tre< acnos o. de anucm.
cao extraordinaria a dita propriad de U.
r.odos paia gianda famiba trataee air..
perialn. 217. ________

Potassa da Rusia a 600 t>.
o kilo
Vende-se no escriptorio de ON-eira r JK- .
C. : largo do Cor, o Santo n. W.__________
Liquidacao deroupa fe'^t
Na loja do Pavao liiqida se oaa graod
um, a^.coambcwtoscintoa com IW^^&^SS .ae^TaraT,
de setim a 5?000, e sedinhas Iavradas com!ot pracas e qualidades ; ditas de brim de A-
. ba_ toque de mofo a 19000 o covado : d rua gola para differentes precos, d.us de brim _i
da. lm|Mtrt> n. 60, da W* pereira, da 2"^"^^^' ie --
od paladar.
So na confeitaiia do Campos
Silva.
e fraks de pauno preto
sa-cw. i
casemiras daata
Para concertar meias
. A NOVA ESPERANgA, a rua Duque de Caxia*
n. bi, reeebeu desta oecessaria linha.
Camisas.
Camisas fraacezas brancas da algodao flna com
frizo de cdr a 2^000 nma, em duzia a 23*000 ;
8 pechinsba : na rna do Cresno n. 20 hi a do Gui-
Iherme 4 C
coletes ;de todas aa qualidas, por preros
Vende so a fabrica de cigarros da rua das' tissimos, assim como grande porcao die caK*- a
Triuoheiras n. i3 : a tratar ua mesma, ou no. ceroulas por menos 3 Ojo do sen valor_ r
sobrado do pateu do Carmo n. 3. acabar : a rna da lmperatriz n. 60, de
Aos Srs. de engenho.
Vende-se pecas de algodao da Bahia, com
! acabar : a rna da
! reira da Sriva.
FauV
25!
Chapeos para senhot
varas, tendo' um peqneno defeito por 54 a 7* a J A loja da Passo, A raa Primeiro dc
peca; na rua do Crespo n. 20, loja de faxendas 7 A, reeebeu um rico s rtjaeato d
I de Guilherme &C. / P*ra senhoras, pretos e de cores.
a'
I DATITTNCORRETA1


8
^fc* ? Pernambuqo Segjiada ftfra 14 de ^tembro de 1874.
ASSEMBLEA GEBAL
*-
CAMARA DOS DEPUTADOS.
REFOBMA ELEITORAL.
(ContiouagAoi.
E' verdade que, sendo aceita a base da
populagao politica, s q aliflcagoes dos ci
dadaos votantes sio os elementos para a dis-
tribuigio. PoJem )s conflar nas qualifica-
gdes de volaiite feilas A vonUde dos parti-
dos que tem a maioriii nas juntas qualities-
doras ? Apezar disso, confio mais nellas do
que nos receuseamentos. (Apoiadus;.
Se, por u n lado, o espirito de paitido
tende para o cerceamento do numero dos
qualificados, afira de diminuir a forga dos
adversaries e as difliculdades da luta; do
outro lado, a nobre ambigAo de man ter a
ipfluaucia parlamentar da provincia neutra-
lisara a acgio estreita do espirito partidario.
E as qualtficagoes, segundo o projecto, nao
vaoservir deb.se para a fixagSo do numero
dos eleitores? A logica ionpoe que sirvam
tambem parala distribuicaodo numero dos
deputados. See base seria pa-a uma cou-
sa deve se lo igualmente para outra.
t-tpoiados.)
Considerando a populagAo politica, vou
ainda demonstrar que o augment) concedido
as d:.vocs8s.,provincias nAo guarda a iusta
preporgfio.
Nao tomarei em coiisideragAo a propor-
gao com o numero dos eleitores : porquanto,
por offeitodo art. 1 $> 10 da lei n. 1082 de
*8 de agosto de 1800, o eleitorado nao a
guarda com o numero dos votautes. Foi
outra concessao tio illusoria como a da
emenda que disculimos.
A base da distribuigio dos deputados,
sendo a populagio politica, produzira urn
resultado mais oquitativo, afastando ao mes-
nio tempo a necessidade de tantas excop-
goes odiosas.
Segundo o mappa, a que me refiro, o to-
tal dos votantes el, 113,1 il psra 122 de-
putados geraos. Assim, pois, no systema
da igualdade, deveria regular um deputado
para y,l32 votantes. 0 Grao-ParA, teudo
4U,tv:} votantes, nAo precisaria de favor
algum para dar cioco deputados, alem de
mais um, para corapensar a difference que
se da com outras provincias, nas quaes a
proporgao estA abaixo da parcella 9,132.
Actualmente a proporgAo de um deputa-
8 CearA 10,710
Piauhy 10,517
10 Maranhio 8,600
11 Pernambuco 8,885
1 Minas-Geraes 8,186
13 ParonA 7,858
U Sorgipe 7,790
15 Santa Catharini 7,130
16 Rio de Janeiro 7,048
17 S. P.ulo O.iOO
IS Rio Grande do Sul 6.059
19 Alto-Amazonas 3,529
20 Espirito-Santo 3,324
Paulo, um deputado estA para 6,300 votan-
tes, ao passo qub em Pernambuco, a pro-
porgAo A para 8,335. Mas V. Exc, Sr.
presidento, que e paulista por nascimenU,
aabe qua naquella provincia nio se aug-
menta o numero dos votantes e dos eleito-
res a olho e por arbrtrio ; ba sempre mui-
to escrupule a este respeito. E' esta a razao
pela qual a proporgio, sob este ponto de
vista, e desf.ivoravel a S. Paulo. Quanto
aos eleitores, a proporgio e ainda mais des-
favoravel a S. Paulo.
0 Sr. Campos deMedeiros :
Faca a com-
nutnero de votantes e a
do pa-a um certo
seguinte:
eleitores.
Amazonas 3,529, 55
Gr3o ParA 13,591, 191
Maranhao 8,600, 425
Piautay 10.537, 120
Ceara 10,710, 159
Rio-GrandedoXorte 15,022, 238
Pir.-.Hyba 10,7i3, 156
l'emamboco 8,335, 155
Alag6as 12,157, 271
Sergipe 7,79/, 72
Babia 14,703, 269
Espirito-Santo 3,324, 74
Rio de Janeiro 7,048, 166
S. Paulo 6,800, 131
ParanA 7,853, 100
Sant Catharina 7,i3o, 107
Rio-Grande do Sul 6,059, 94
Minas-Goraes 8,186, 149
Govaz 11,360, 188
Matto-GfOSSO 13,334, 69
Ora, como x': a camara, a differenga en-
tre e numero de votantes e o de eleitores
nao u proporcional. 0 projecto corrigeessa
anoraalia, nSo pondo limite algum certa-
mente por conliar nas qualificagoes quose
rao :" ibis. Resta que a distnbuigao dos de-
puty los seja feita sobre a mesma base, de-
pois do flxado em geral o numero da reprc-
ssntagao mcional.
Para mjis facil apreciagao, inserirei no
meu discuiso o mappa das provincias, co-
megnndo pclas mais prejudicadas actualmen-
te na alludida proporgAo com o numero dos
votantes:
1 Rio-Grande do N-Jrte
9. Babia
:} Pard
4 MattoG rosso
> Alag6as
6 Goyaz
7 Parahvba
15,022
14,703
13,591
13,334
12,157
11,300
10,743
Sendo a popula^Ao politica a baso do au- paracSo dos votautes.
gmento, a distributedoi deputados deve-' 0 Sn. Joao Memoes :Tratei jA dessa
na ser feita oa proporclo das desiguald*des comparagAo. AliAs apezir deterem estas
que alii vAo notadas. Somente o Alto-AnM- duas provinces uma popula^Ao quasi igual,
zonas e o Espirilo-Santo receberiam favor, 6 notorio que S. Paulo contemn maior nu-
por causa da necessidade de dar representa-'mero de est.iangeiros, ale'm de mais da du-
ftjto As miuorias. 0Grao-ParA, portal, nAo pK) de escravos. Isto oxplica tambuiia
precisaria da enlrelinlut, por ser actual-. differenga dos votantes, para naenos, na pro-
meirteuma das mais prejudicadas. 0 Matto- vrncia de 9. Paulo.
Gro so estA no niesmo easo. | E' obvio, que entendendo eu que, nAo
As provincias do Rio Grande do Norle, j s6*1**1'* popalegao politica, senao tunbem
Bahia, ParA, Slaio-Grosso, Alagoas, Goyaz,' Ya"0 owtros elnmentos, devem influir "*
Parabyb, CearA e Piauby, t^m manifesto distribov;ao do numero dos deputados pelas
direito ao augmeot^ da sua representac.ax>, diversas provincr, a differenga eontra S.
se a popuKc^ao potittca /6r a base da distri- Paulo naVdeve ser a que a emeoda substi-
buirao dos desputodos. itutivalhe import.
No art. 1/ ; l.'do meu projecto substi- j 0 mesmo- posso d'mr do ParanA, qa era
tutivo aproximeirae o mais posstvel dessa a comarra da pr*>vineia de S. Paulu.
base ; embora ado a sejuisse A rises, atten- (Cniando foi declarjda provincia, ja" o mime
ta a necessidadt; de coasiderar outres ele-', ro de eloitures-tinha sidu fixado, e en ate
mentos tambem de order* politica, como j;i deinoustrei qe ao Parana' nao se bavia
sAo a maior oa a >neuor prosperidade, e so- = foilo favor.
bretudo o iodispeaavel e^uilibrio ue re-[ O Sr. Diogo-e Vascbnceiaos : Tijro
perdido muito com a separagao.
C* Sk. EoFRASie* Coihieia di arm aparte.
FOLHETIM .
0 BARALKO DE CABTAS
pon
I.. Leauscn le >uc
HADUCCAO DE I). CLARA MOTTA.)
Ill
(Continuasao do n. 206.)
Kntramos no bosque vizinbo, e o estran-
geiro, parando, perguntou-me de repente :
I'.ntSo ? meu cbaro Ivarsen, jA vistes
a mocs que vos annunciei ; agrada-vos ?
Aquella peigunta, era um tanto melin-
drosa, e por isso respondi :
E' sem duvida a mulher mais bella
que leobo visto, mas a belleza, s6 sem mais
nada, nao basta para fazer uma boa esposa,
e, pois, para dar um parecer mais completo,
e preciso tempo...
Que tempo pedis T
Naosei...
Bastam-vos duas semanas....
Conforme.... hanaturezs que se des-
-vendara a primeira vista, e d'estas 6 a mi-
nb.-i ; ha outras, porem, que se enyolvem
em um mysterio eterno 1
Nao acontece isto, porem, com Ra-
chel, creio eu... Rachel 6 facil em dar-se a
conhecer. Assim, pois, deiia-la-hei aqui
dur.iiite duas semanas ; e estou certo de
que ejuando voltar estareis de posse do se-
gredo do seu caracter.
EntSo, isto e serio ?
Muito sdrio... e n5o estranho a per-
gunt- porque ella e natural, e eu a com-
prehendo bem. Achaes o meu procedi-
mento muito singular, e, com effeito, A
julgar polo ponto de vista coramum, seria
difficil ter outra ida.
Entretanto, lenho reflectido muito. Sou
tutor dtisM mo^a : seus pais, como jA vos
disso, vrlliose qoer.doS amigos meus, mor-
los prematuramen!?, confiaram-n'a aos meus
cuidados. Tratei a com a leroura de um
pai ; e o meu homem honrado e digno, qua possa subs-
tituir-me nobreraente. Estou velho, e qua
A beira do tumulo ; e, ser errante e atof-
mentado, sem morada Gxa, n8o espero mu-
danca alguma na minha sorte.
Masnosenhor, charo.Ivarsen, enefntrei
o homem que procurava, ba muito. para
pp'sentagao nacionsd. I'ui apenas um pou-
co iniusto para com as provincias do Rio-
Gran re do Norto e do Piauby ; mas eotao,
ainda nao eram conbecidos o dados esta-
tatisticos das suas repeitivas- popalai.oes.
Ao passo que, no systema da emenda, o
augmento do numero dos depotados elevjc
se a 41, salvo engano, no seu substitutivo
essu numero eleva-se apenas a 3--l>.. Se do*
A provincia de S. Paulo somente 12 depu-
tados, nAo attribuo A Babia e a Pernam-
buco mais do 15, reduzindo awioor a tres
deputados a maior difference actual. Con-
cedo tambem A provincia de..Minas-Geraes
somente o aceresciiuo de um. deptKado. A
conveniencia de um razoavel eqpilibFio entre
as grandes deputagoes e" reconDeeid geral-
mente.
No meu projecto substitutivo.dividkndoo
municipio neuiro em dous districtos, attri-
bui-lbe seis deputados. Nao se explica o
accressimo senao por altas razees de conve-
niencia politica ; e e certo quo estas nao
podem ser esquecidas em assumpto de ta-
manfaa importancia. (Apoiados.) E' ver-
dade que, dando ao municipio neutroseis
deputados, e A provincia do Rio de Janeiro
doze, sao dezoito deputados dasta regiAo
do imperio ; e, porlanto, licaria superior A
Babia ou a Pernambuco. Mas ninguem
dirA que isto nAo e razoavel.
Assim comprehendo eu o augmento da
representac,So decada uma das provincias.
0 mais e patenlemenle arbitrario, e sdmen-
te feito para amparar certos interesses.
Eu creio que a emenda substitutiva foi
coufeccionada para favorecer a provincia
de Pernambuco. Somente para isto.
E, se nAo tomemes todos os termos de
propo.-rao con a provincia da Babia.
Pernambuco tem de populacAo apenas
988,232 A Bahia tem 1,249,990. Ac
tualmente, eio Pernambuco, ba um deputa-
do geral para 8,335 votantes ; na Bahia,
porem, a mesma propofl}3o A para 14,703.
Ainda actualmente, em Pernambuco, ba
um deputado geral para 155 eleitores so-
mente ; ao passo que na Babia, a proporcAo
e para 269. Como, pois, eiplica-se que,
sendo a populagao a base aceita, o accres-
cimo para Pernambuco 6 o mesmo que se
dd para a Bahia ?
A respeito da provincia do Rio de Janei-
ro, a superioridade de Pernambuco e ape-
nas de 165,488, quanto A populagAo, e de
1,287 votantes, quanto A quota-parte para
um deputado ; e, porem, inferior quanto
A proporcao do eleitorado. NAo obstante,
obterA s6 3 deputados, e Pernambuco ad-
quirirA 4.
Sob o ponto de vista da populacSo politi-
ca, vejo bem que a provincia de S. Paulo
e inferior a Pernambuco ; porque em S.
minha filha querida. Como dissetfeis, sois
de uma natureza facil de penetrar ; e, com
a experiencia que tenho do mundo, co-
nheci logo as bollas qualidades que vos
destinguem, e por isso resolvi casar-vos
com Rachel. Entretanto ella nada sabe
dos meus projectos, e se me nao engano
tambem os occultastes Obrastes com prudencia, ainda que eu
nao approve em geral os segredos entre pais
e filhos. Eu vou partir... e, quando vol-
tar, e provavel que ache vencidos os obs-
taculos.
Tal foi a nossa conversagao. -
Regressamos, e, quando entrei em casa,
nao pude deixar de raanifestar a admira-
cAo que me causavao facto de ver que uma
moQa como Rachel nAo encontrasse na ci-
cidade um esposo superior A um aldeAo.
Meijir respondeu A minha observacao de
uma maneira t5o vaga, porem tAo resoluta,
que, com quanto nao me satisQzesse, foz-aie
todavia guardar silencio.
Sim, me disse elle ; outro qualquer
procuraria para Rachel um homem rico e
de posigSo ; mas eu que a conheco atA o
intimo d'alma que sei que seus desejos sao
puros e innocentes ; que conheco que ella
s6 ama o que e simples, bello e bom ; quiz,
prefiro para ella, um homem de juizo, e
nAo leviano, como muitos que se encontra
por este n undo ; um coracAo justo e vir-
tuoso, e nao um negociante especulador que
ve em sua mu'her uma mercadoria cujo
valor pesa pelo que ella leva em dote.
Na noite do mesmo dia, quando Rachel
se recolhia A seu quarto, Meijir pedio A
meu pai permissao para contiar-lhe sua fi-
lha por quinze dias, tempo que gastaria
para ir A Bergen, onde o chamava um ne-
gocio muito importante, accrescontando
que nAo se animava A expola, visto que era
mui delicada, As fadigas e perigos de uma
viagem mui difficil.
Elle apresentou a cousa de um modo tAo
natural, que m.'ii pai nAo pdde deixar de
consentir.
Entretanto, no dia seguinte pela manhAa,
depois que Meijir partio, meu pai disse-me
con ar preoccupado.
Ivar, agora que reflecti bem, acho ox-
traordinario que Meijir, para quim somos
desconheridos, nos teuha assim dcixado a
filh^... e em uma casi, onde nao ba outra
mulher senAo a criada.
Mas, meu pai, uAj se acha ella aqui
OSr- Pkreira boS'Sasto*:^Teaa pr-
gredido'muito E-nao querem'dividir Mi-
nas 1
O Sr-.JoAo Me.\oes :^Sut'Gatberina,
que da" atalmente 2- deputados, regula
um para* J67 eleitores- e um para 7430
votantes. Esta provincia est exactarnen-
te no mesmo caso das provinciae-de S. PAu-
lo e ParanA
Tambem alii nAo hoove excesso na few-
;ao do numero de eleitores, d sorte qpe,
>ior ocasi*> de oi3cutar-se a lei in 1,082: de
l8nle agosto'de 1860, a-prop or ^o nSo-aa-
manteve sufficientemeate exacta.
0 Rio-Grande do
d* prosperidadte sao eonhecide>nlo tem
iNBa representacSo- correspondeute At s-aa
lraportancia politica e commercial
JA demonstrei que o augmento da depu
taQAo desta provincial eu nao de via ser con-
cedido, ou entaodever ser de trae> deputa-
dos,. consideraodo-se tambem a papulacao
escrava. Infelizmente o-tal Iimile- do tereo
prejudica tambem esta provincia, de sorte-
qoe, tendo populacio sofliciente, e reunia-
lbores condijdes do que a provincia de Mi-
nas-Geraes. Se a base e, po em, a popu-
lacAo pohtica, a difficuldade desapparece,
porquanto a quota-parte dos votantes, cor-
respondenle a um deputado, e- apenas......
8,186, eJportant), ainda A inferior a" quo-
ta-parteda propor^Ao'geral, 9,142.
A base da populac^o, pura e shoplesmen-
te, sem o accordo com outras coodigO js ou
outros elementos, conduzir-nos-ha a absur-
dos na pratica. E* o queprocurei demons-
trnr, fazendo a conparagao entre as diver-
sas provincias. A raaiores absurdos ainda
nos levarA se prevalecer a regra do liinite
do tergo para o augmento. A fmjao da
totahdade da representac,ao deve serfcita
sobre aquella base ; a diatribuigao, porem,
assentando sobre desigualdades, nfio pode
deixar de rcgular-se por outros priucipios,
coucorrendo com a populagao outros ele-
mentos quo se preudem A questao em tal
caso. Se nao ha este recurso, preftro, como
mono* injusu, segundo ja disse, a base da
popula.;ao politica ; aluu de ser a maishar-
monka com o systema parlamcrrtar, por-
quanto somente os cidadaos activos- tomam
parte na elei*;So.
Se mwo pode ser aceita a baso da popu-
tagau pohtica, sob o pretexto de cp# as
qj*alihc\;6es aao obra due partidos em
inaiona, e que porlanto neo forneceriam
elementos- certos e seguros- para a propor-
cionnlidatftpda dhiribQi^ao, ata e duviu>>-
soq.ue elecoeatos raws iocertoe-e raeuos se-
guros- off reeem os- recenseamentoa,
cuj^
do- outros elementos de superioridade, e
reduzida a ter somente oaugmentode dous
deputados, emivez de tres-1
Sabemos qpe a provincia do Rao-Grande
do Sul con tem grande numero de estran
geiros, alem de grande-escravatura ; por-
tanto nao o- de admirar que a populacAo
aetiva eleitora) seja inferior. So se tonur
par base a populagao geral, comprehenden-
do nacionaes, estrangciros e escravos-,
sem duvida que o Rio-Grande- do Sul deve
dar nova deputidos. (tpoiadaa.)
Entendo que a provincia do Minas-Geraes
ji estA sufficientemeote representada. Ke-
clamaQoes.) Quando muito terA direito a
mais um. deputado, por causa do bom. jogo
do novo processo eleitoral acaito na reuoiAo
da secretaria do minieterio. da agricultura.
l-'allo na bypothese de que Pernambuco
se contente somente com accrescimo de
dous. Mas, se Pernambuco quer da* mais
quatro deputados, e justo que a provincia
de Minas-Geraes exjja tudo o qua puder
obter. Se sao sovnente as. vaidades e os in-
teresses que estao em jogo, a provincia de
Minas-Geraes nAo deve eeder um palmo de
terreno na luta. Neste caso, entendo quo
a deputa^Ao mineira dove ser elevada a 3S>
membros. A proporcao, que existe actual-
mente entre as duas deputac;Oes, deve ser
guardada o respeitada no accrescimo.
Tratando se do augmento das divecsas
deputagdes, sem uma base razoavel, surge
immediatamente a difficuldade quanto A de
putagAo mineira. Se a base A a populagao
em geral, nenhuma provincia estA em nie-
as qualoucagOe* senam. mais exastas ; por
iq.ue os partidos, nao se-arregimentando em
massa para a luta ebitoral, naa'seriam
wnpelliooa a eapellir dws alistameotos os
seus adveasarios. Com o-voto incompleto,
ao'contrari;. ospartidos permancefao em
frante um ao outro, coma aqui nos-disse,
nasessao de 30 de abril do auuo p%ado,
o nobre miaistro do imperio; e, pass-, o
partido ei maioria na juota qualitioado-
ra, aspirando d ooaqiiista des- dous tergos
do eleitorado-,. ha de perpetuai os costcmes
actuaes, diminuindo^. o maia- possivel^.o
numero dos adversaries. A emenda subs-
Uiutivamantem fraudes ;. epreteode queas
9I, cuja-eondigt;es-j qualitioagoes seraO melboradae-t
Propondo o-voto singular na eteigao prr-
mariartinhaeia vista desinteressar nas qua!*-
iicagdes os parados. 6* candidates ao elei-
torado pleiteamm pela- inclusaados seue
adberentes; masj nao sendo susteolado esse
pleito pelos partidos em- massa^a eausa da
'direito teria mais facilidade de teiympbo.
Entretanto o-nobre rainistro da imperio*
descon&ssa boja o que- affirmoa o anno
passado ;.e,.propondo-QOs agora o voto in*
duvida que o fazia no interesie cooservador;
mas ningnem dirA qua o "expedieote estA
acima do direito, da moral e da critica.
O governo de NapoleAo III diridia o paiz a
eontento, para obter uma representagao Gel
ao imperialismo. O empenbo estendia se
a impedir o successo de certas candidaturas
iudependentes, favoreceudo ao mesmo tem
po outras mais prudentes e seositas, na
phrase governamental.
Neste ponto argumento por hypothese,
fisto que combato a constitucioualidade da
divisSo das provincias em districtos eleito-
raes A coustituigao e expressa ; e ate os
cidadAos eleitos nas assembleis paroctiiaes
sao denomina Jos eleitores de provincia. A
divisSo d provincia em districtos 6" tambom
prejudicial aos partidos, os quaes. com > eu
j6 aqui disse, se sublividem em tantas sei-
tas parti Jarias quamos sSo os districtos elei-
toraes.
A vida das provincias na.^ deve ser assim
mutilada, V. Exc.., Sr. presidente, queper-
Cence a wins proviucia, embora pequeoa,
mas do bibitos, sentrioentoi e interesses
coiBinunj, na lia de dizer q,ue_ pertence
este ou aqueHe districto, se eiU fdf divi !i.|
em dous: dirA sou paranaense.Nin
guem diz que pertence a urn- districto deter-
miiiado', porque' em gerat todos- amam a
sua provincia.
New comprehendo que se pretend^ que-
brar a uoidade pohtica pr.viueial, e--o pre
juizi da-sua unidadb- administfrativa. Nao
e possival apagar atltonomia provincial
da volos obtidas aa etaigao. >
Ora, 65** provideocialo pAlaaarhr, das
de que o process:) ad.tptado i o do voto ia-
completo. Aqualla aadiia an tomada z
religAo $o voto s ngular; aaata nrwaaseU,
en ten leu se muito ben qae a aHaiatro,
desde que obtivess) a m aao aaaaara 4t
votosda primeira eleigia, deveria eonssaW-
rar-se reeleito.
O Sr. Ba&ros Coira :O mesmo sa di
com o voto incompleto.
O Sr. Jo.lo Mk.ides : -Eu nio peas* as
si in. Em meu concaito, i uma reakigic
artlflciosa e ridicula. Por isso, e para ac-
correr A difficuldade, proponho aa meu
projecto subrtitutivo a rerogagau da art. If
la coustituigao, somente oesaa parte. Nao
e preceito eonstitucional. E nao sai a ratio
ponpM um depatadu, qua e aoaaaaaa mi-
uistro, ha de aerder o sea lagar da depata-
do. SAo preconeertos antigos. que bojn nio
tem r.Ba.i de s-r O que acooleee, preva
lecendo o preceHo do- art. 19, A qae o dapa-
tado, nome do raimstro, aiuda OMaaa no
regimen da- inaiona, ve-se obngado a aaaa-
digar votoa, capitu*aado-aa4eiigeochaaat-
arrazoadas-, e s icriScando roteresaas a eoo-
*uienciasdr alta ordem. 'Apoiados.)
Eu desfija- algum asclarecnoealo a etae
iiscalMgitf er ate impossivei. j^poiados".). I,e e muito-certo que-a eleigao po'r districto
Na e eigAo primarw com o vomsiugular, ;abate muito o nivel in repres-meacao;
tao bem, como em casa de seus proprios
pais ?
Sem duvida, meu Ivar. Mas convem
que ella se nAo aborrega deste deserlo I E
accrescentou : E' a creatura mais encanta-
dora que tenho visto ; lodas as sUas feigoes
respiram graga e innocencia I
Eu pensava do mesmo modo que meu pai,
porem nada disse, embora meu coragAo pal-
pitasse violentamente, e uma perturbagao
secreta me fizesse corar, e como que me ad-
vertisse de que desde aquelle momento, a
minha sorte estava de algum modo em mi-
nims maos, e me annonciasse terriveis dilli-
culdades a veneer.
No almogo, meu pai annunciou A Rachel
que Meijir tinha partido.
A' principio ella mostrou-se contrariada
mas, pouco A pouco, socegou, e pareceu
achar prazer em nossa companhia.
Esta convivencia de todos os dias, debaixo
do mesmo tecto, A mesma mesa, para logo
dissipou a excessiva timidez que eu experi-
mentava era presenga da jovon senhora;
mas a sua doguradeu-me coragem, de sorte
que, quando ousei fallar-lhe, tinha tanto a
dizer-lhe e ella me ouvia de tao bom grado,
que nos tomanam por amigos de iufancia.
Ella era boa, e parecia interessar-se por
tudoo que lbe mosravamos : os cavallos,
o gado, as aves, o carro novo, as planta-
goes de cevada e aveia, e sobretudo o jar-
dirazinbo, que eu cultivaya com minhas
proprias mAos, tudo attrahia-lhe attengdes.
Levei-a a passeiar pelas collinas e pelos
valles, e, muitas vezes, passeiando pelo
bosque, foraos ate as margens do Glonmen.
f^Ordinariamente os nossos passeios eram
ao nascer do sol ou A tardinha. Meu pai
nos acompanhava do ordinario; mas nio
podia ir longe, e logo nos deixava A sos.
Assim passaram-se os dias em companhia
de Rachel, no entanto que, durante esse tem-
po, o trabalbo esteve parado.
Creio nio ser preciso dizer que os meus
remorsos deoutr'ora, quanto ao fatal jogo
com o estrangeiro, tinbara desapparecido.
IV
Esperei pelo Sr. Meijir com tan!aimpi-
ciencia quanto temor outr'ora me iuspirava
a sua reapparigAo. Mas a sua ausencia
prolongou-se uma semana alAm do tempo
marcado.
Afinal elle chegou, e, A primeira vista
comprehendeu a disposigdo do meu espirito.
Muito bem, Ivarsen, disse elle quando
nos acbamoss6s ; vejo que, no que lhe diz
completo, perpetua todos os int'cvenient- '8ua'dadeexisterttev
que eile entao iamentava.
A.emenda sabslitutiva-ainda contem ou-
tros deleilos. Contem nao s6men(e o de-
feito do atlribair ao governo o acbitrio na
distribaigao do augmento dos deputados, a
qae, pela constituigao. pertence somente ao
corpo legislative, senAo tambam o dar ao go-
verno o ainda maior araalrio de liver os li-
raites das diversas ciEeamsuripooas eleito-
raes.
Senbores, isto A uma-.questao muito gra-
ve, yuan Jo trata-so da uma reform* desta.
natureza, ha sempre em todos os paizes
summo escrupulo em attribuir ao governo
o acbitrio de fixar as- eircumseripeoes eleit
toraes ;. entretanto a emenda confere esu
attaibuigAo ao governo, que de tal arte poie
crear maionas onde the aprouver. (Apoia-
dos.)
Admirorme de que a execugao das leisde
1855 ede 1860 nio nos sirva de experien-
cia para nAo reprcduzirm is uma tal delega-
gAo.. E estranbo que o nobre ministro do
imperio accedesso A emenda substitutiva,
arrogando->e este arbitrio podoroso.
0 Sa. Martikho Campos.: Toroa-se se-
nhor da eleigaok Quern faz a circumscri-
pgao eleitoral faz a ele'igAo.
O- Sr. .Io.vo Mi-.xot-s :.-No regimeu de
Napoleao III esta questao da circumscri-
pgao eleitoral era muito debatida no. parla-
mento francez e nos jpruaes; nao era uma
questao pequena. O: governo tinha todo o
interesse em afogar a populagao uxbana em
uma maioria degpopuia^3o rural.. Nao ha
respeito, tudo corre bem. Sem duvida, jA
vos convencestes do que vos disse Rachel ;
resta-ine agora saber o que pensa ella.
Estivestes A sos com ella muitas ve-
zes ?
Muitas ; sem numero ; pois o que e"
verdade e que so me occupei com Rachel.
Como ? Pois abandooastos o trabalho,
o jardim, e o gado ?
Oh gosaram dc uma completa liber-
dado.
MAo signal para o arranjo da casa,
mas, tanto melhor para o amor. Quando
estiverdes casado, reparareis o tempo per-
dido.
Ali receio que isso nunca se realise,
pois me parece impossivei que uma moga
tao nobre e tAo bem educada como Rachel
possa vir a amar um coitado como eu 1
O Sr. Meijir fitou-me com a sua costumada
bondade e examinou-me attentamente du-
rante alguns minutos.
Esse exame minucioso poz-me n'um sup-
plicio ; meu coragAo pal pita va fortemente.
Rachel, disse emfim o bomera singu-
lar, sempre seguio os meus conselhos, pois
sabe que amo-a como pai. V6s tendes
Ivarsen todas as qualidades necessarias para^j
conquistar a dedicagao e o amor de uma
mulher. Sois mogo, e tendes um pbydco
agradavel ; sois bom, e tendes uma grande
e natural delicadeza de sentimentos. Tan-
tas vantagens que conquistaram a minha
amizade econfiangp, certamente vos recom-
mendarao aos olhosde Rachel. Entretanto
nAo quero dizer quo jA tenhais conquistado
o seu amor; isto vein devagar, e, algumas
vezes, mesmo depois do casamento. Mas
espero que os vossos esforgos, a minha in-
fluencia, e sobretudo o vosso amor apressa-
rdo o desenlace que aspiramos e que deve
ser para Rachel, de mui feliz consequencias.
Estava naquel'e momento de tal modo
preoccupado com minhas esperancas, que
mal eu ouvi o que Meijir me disse. Notei
entretanto em sua voz uma tal ou qual gra-
vidade que ale entao nio reparAra. Seus
olhos vagavam incertos, e com um brilho
exlraordinario. De instante A instante elle
ongolia uuii pilula.
Essa gravidade, esse olhar triste, fizeram
desapparecer inteiramente a descoufianga
de que o estrangeiro queria abusar da mi-
nha simplicidade de aldeAo.
Elle apertou a mao A meu pai; depois
beijou Racbel, offereceu-lhe o brago, o sabio
com ella.
Sinto que o nobre- ministro da' imperio,
qjie o anno-passado aroyuguava para qrie
woltassemoa i eleigAo por provincia, como
propoz no sen projecto-e o declarouA esta-
aogusta caraara, sinto- muito, digo, que
elfe se tivesse submettido a este system.*,.
que^traOuz apenas a aspiragao de pequenoa
interesses de mfloencia toeal, e porlanto uao
p6de ser obstaculo serio a uma refoama des-
ta ordem e import.mcia.
Alem de arbitrio, que e-joverno se^arroga
na emenda subetHaliva, ba-u-ma lacuna que
desejo ver prev-eaida, se iufehzmeute- passar
a emenda.
O 5* esta" assim redigwla-:
O Bumero lie-membros-ds asserableas
legislativas prowoeiaes terA- am augmento
proporcional ao* das deputados i assem-
blAa geral.
Alem dequer parec-j-me- estranho que o
governo/..sem raeees plaueiveis, e quando
os recuraos tinazeeiros das pvovinciaes de-
pendent muito da ecouo n-iaou do menor
dispendtoy promava o augmento dos- mem
bros da* assemllleas provinciaes, deploro
ainda neste poatO'-a permaoeneia da des-
E que-proporcSe eessa ?' Se boawer fra-
egio, qua) a re< augmento? l'ego-a attencAo do nobre mi-
nistro dedmperio-paxa este ponto-; salvo
se deseja>fazer paasar a emeada substitutiva*
sem a necessilade-da accondo por convicgoes-
formadas- (apoia-ios-, e satisfaz-se apenas.
couiadSusoes sem. exama e adquiridas 3
priori. (Apoiadua).
O :' da emaada e Jefectivo ; nio ba
meio d-chegar a veriticj^ao do augmento
exacto dos membros das-assembleaa provio
ciaes.
Eu desejo tambem osrir o nobre miais-
tro do imperio sobru uma espaeie que se
prenda Aconstituigao ; refiro-me a o facia de
ser nomeado ministro da coro* um deputa-
do e?eito pela- minori>do qualquer distri-
cto, e portaiito suj'iilo A.reelei^ao.
\L util conhecer ct.no S. Exc. preteude
acautelar esta-bypothese.
O Sr. P.. Belisario :Estava prevenida
no projecto primitive por maanda da com-
:uissAo espeeial.
O Sr. JoAo Menses :Se tiver de sujei
tas-se A reeleigao, a.derroU e ceria. Salvo,
se o governo eutende que nio e potsivel a
derrota de um miaistro.
Nao sai se a emenda substitutiva compre-
hende somente o art. 4\ ou se tambem U-
tr6e a emenda da commissAo especial^ que
mandava acurescentar o seguinte paaafra-
pho : No caso do art. 29 da coastitui-
gAo politica do imporio, basta que o minis-
tro obtenha na reeleigao o mesmo numero
O 9%* JoAo Mekoes :E' ftmkm ex-
plicr este ponto, para qae saibaaaoa a qae
esturocs-a discutir. S6 h-j>jee quesoaaaaMS
qua a disrussao- versaria sobre aate eoHO-
da substitutiva d) art. 4.* : ha dooa dias
debatwmos aqui o desc >i>hecido. Ap-^ia-
dos.) N*oestamos aqui seuii para diaea-
tir, e depo s votar. PretenderA o suaerao
que oaseusexpwdieates de reform* eleitoral
jsej isubslitativanio lab lids boatem seoau de-
pois de- dada a bor >.
Menaiooo este facto, porqae note uaaa
oerta aetividade, e ougo um' certo ruaaar,
| Vozes>:>Oh !
O'Sa^ibio Memoes :...por isso, ereio
qpe o governo nio quer distimie. A .Va-
tfwejA deefarou houtem qua este diseaasao
era meraraanie oflkiml, istt> e; qae o qae
foi asseotado em ooafereocia da mioistros a
fez-se aaetamar oa-sacretarta* do ministerie
da agriciiltura e o que ha da passer. Sa
assim e,._pilgo preterivel, ocaao expedieaia
mais leei e mais ireeco, a diaaolucio desta
august* camara, porque nada tem que fa-
zer aqpiil
; O Sr.. GusmAo boa : Isto di-se em-la-
das as discussoes-; cada ami tem suaopi-
niao fomaada.
respeito, porcpie a ernenda envlisussi r
rece-substitutrva do art. 4* e
ii v.i da commissio especial.
r pa-
rece-stibstitutrva do art. i*e da enenda attdi-
C Sr. Barr-96 Cobra : Nao apoiado.
O Sa.. JoAo Masats : -N3a aa dA em te-
das aa discussoes. O nobre- deputado, qae
ji decUrou ser redactor da /Vaeio, aao fez
bem ea prevenir o espirito pablio, diaeodo
que esta discussao teria merataente official.
O Sa. GusaAo< Lobo : vV Exc. qae e
escriptor publico, sabe qua nos jornaes ha
uma parte editorial e outra iaeditoriaL
OSr. JoAo Mesdes:ttejgftM deputado
sabe que esta emenda substitutiva ainda nio
foi discutida. E" este o primeiro dttcarto
protendo sobre tao importante assaoipio.
Neia mesmo i discurso, porque me- luoitei
a fazer algumas consider agues.
OSr. GvsaUo Loao.:V.-Exc. eatA.oc-
>.jp, e diz que nio A um discurso I
O Sr. Nm Estmua Teixeiim. : Tem.
iftlUdo proficientemunle. Vpoi dos,
O Sr. JtoAO Mexbcs : Sinto que o no-
bre deputado por Pernambuco cntenda que
lea sid'j- long.is estas minhas ohservacoes.
Peuso* ao coutrazio, que a materia carece
aiuda de maior desenvolvimeato. O aa-
siimpio.e gravisiimo, porque o poder 9\-
culivo uaodesiste de interv:.- na (lei^to,
emb.:;-a incul^ie. outros &.atimcntus, A-
poiauos;. *
(Coutinuatse-hi.)
Que gente singular I disse me meu
pai; entretanto tem bam coragAo.... A
moga e um anjo ;.. mas ve-saque ambos
estao liistes.
Eu nada pude responder a meu pai, pois
tinha o coragao opprimido.
Como 6 que, continuou rneu pai,
pdde elle deixa-la aqui por tanto tempo ?
Em parte alguma, som duvida, ella esta-
ria melhor do que aqui.... Mas, emfim, os
outros nao podem saber quaes os nossos
sentimentos, e ba muito poucos pais que se
resolvam assim a deixar suas lilhas em casa
de estranhos e em um sitio tao distante.
Mas, sabeis que ella n8o e sua filba ?
Que importa, se ama-a como tal, e se
ella, sem duvida, nao conhece outro pai ?
Como lastimo esta pobre creatura, o quan-
to desejaria que ella ficasse comnosco, psra
sempre II
Estas ultimas pdavras de meu pai deci-
diram-me a fallar. Contei-lhe tudo o que
se tinha passado entro mim e Meijir, refe-
rindo-lhe o nosso jogo e o modo como ga-
nhci o dinheiro e os diamantes de Rachel.
Nao lbe occultei cousa alguma. Disse-lhe
que a parlida de Rachel seria para mim
um golpe mortal; e contei-lhe a minha
conversa com Meijir, os meus desejos, e as
minhas esperangas.
Meu pai abanou a cabega ; a paixiio do
jogo, tal como lhe mostrei em Meijir, fez-
Ihe ter algumas suspeitas. Mas o bom con-
ceito que fazia de Racbel em nada se a'te-
rou, somente lastimoti o achar-se ella liga-
da por lagos tAo estreitos A um jogador.
Foraos interrompidos por Meijir.
Es'e homem Wo triste e tSo nxjsterioso,
tinha nio obstante, o talento de dar As cou-
sas mais tristes um que de agradavel.
Elle agarrou meu pai pelo brago e me
disse :
lde ter com Rachel ; ella vos espera ;
eu tenho que conversar com vosso pai.
Posto que jA lhe tenhais dito tudo, talvez
restealguma cousa ainda a accrescentar.
Nio corri, voei A casa ; mas, ao chegar A
porta, parei de repente : pareceu-me ouvir
um suspiro.
Eu era.presa de uma emogao vjolenta.e
perguntei A mim mesmo se nao seria um
crime querer forgar assim a ioclioacAo da-
quella pobre moga. Mas, julgando-me hu-
milhado por nio ter podido prender o seu
coragAo, d'aquella mesma humilhagAo tirei
coragem e resoIugAo.
- Sim, disse comigo mosroo, se nao'TiT
ehegar a agradar & Rachel,, ao menos cWa
saberA quo as minhas ideas e proposito aao
sao os de um misersvel. e que eu nao pre-
tendo abusar do seu estado e da depeuden-
cia em que estA do seu tutor.
Eutrei, pois, no seu aposento; pare:
diante della, peguei-lhe na mao tremula
fallei-be ; mas o que disse, unoro, nao ma
reoordo. Meu coragia palpitiva e foi do
Amag) do peito que partiram as palavras
que meus labios murmuraram.
Lembro-aie somente que Racbel, cujos
olhos se banbaram de lagriraas, ficau cora-
da como um morango, e disse me com um
terno sorriso :
Conformo-me com a vonude de Mei-
jir, pois combina com a inclinagao do meu
coragao.
Meijir veio ter comnosco ; e acbou Rachel
em meus bragos, pois eu apertava-a de en-
con Iro ao coragAo.
Elle pareceu me satisfeilo com o resultado
da converse que tivera com meu pai ; mas,
apezar de sua alegria appareote, n-tava-se-
lhe um quer que fosse que e inquietava.
Na sua viagem A Belgem seus olhos fica-
ram como que amortecidos ; e seu todo
apresentava uma mudanga consideravel.
Notei que tomava as pilulas mystcriosas mais
amiudad is vezes.
Meijir deu me pouco tempo para reflectir
e em dez minutos o contrato foi lavrado :
Rachel tornou-se minha noiva.
Elle cbamou me e disse-me :
Cbaro Ivra, desejo qae isto se face, o
mais depressa possivel. Amanhia iremos i
casa do cura mandar correr oa banhos, para
o que trouxe a cert id ao do baptismo de
Racbel e outros papeis necesssarios. Logo
depois partirei para Christiania, oude too
terminar alguns negocios de interesse, que
espero concluir dentro de ties semanas.
Quando realisar, espero assistir As roasac
nupcias.
Passei as tres semanas name especie de
extasis, sem poder crer na minha felicici-
dade I
Emfim Meijir voltoo, e acompanhou-nos
ao altar, serviudo de testemunha dos nossos
juramentos eterno3.
(Con/inuar-e-/Mi.;
Lj i)i>i-T<>. miA tKHii.- t tajUajj


I