Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16493


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^p*mb3bi
!
ANNO L. MJMERO 198
>73* &
*

PARA A CAPITAL E HUiKKS 0\I>U [%* 8E PAGA POBTE.
tor tres mezes adiaoUdos................ gwoo
Por sois ditos idem.................. 129000
Por ura anno idem.................. 349000
42ada numero atalso .............. 320
r
"*
- ovridman
i
TERCA FEffiA IDE SE1D1BR0 DE 1874

PABA BKITUO B FOBA |>A PBOVL1CIA.
for tres maze* adiantados............... .
for aei ditos idem................
For nore dito* idem.................K9U0
Por urn anao idem..................179000


PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA F1LH0S.
t, trs. Gerardo Antonio Ahresd FUhoa.no Par*; GoncaWes & Pinto, no Maranhio; Joaquim Jose de 01i?eira d Filho, no Ceara; Antonio de Lens* Braga, no Aracatj ; Joao Maria Julio Ck* a* no And; Antonio Marquee da Siha,KaUl; Joed Justin*
Pereira d'Almeila, em Mamangaape ; Carlos Auxencio Monleiro da Franca, ua Parahyba ; Antonio Jose Gome*, na THla da Penna; Be'armino dos Santo* Bulcio, em Santo Ant' } Domingoa Joed da Costa Braga, em flaxareth $
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das AlagOas i Aivea 4 C.,na Bahia; e A. Xavier Leite d C. p Rid Janeiro-
ICTUCCiO FOFULAE
EHementos de pliysicu
L1VR0 PRIMEIRO
CAP1TULO V
. LK1S DA QUBDA DOS CORPOS, PENDULO.
(Continuacao.)
Metrnnomo.-O metronomo .' aiada uma
applicacao do isockronismo das oscillacocs do pan-
dulo.
B' sabido quo o apparelho qua lem es.-e norae,
devido a Maelzel, nan e senao am pequeno pen-
dulo, de que se servi m aquelles que estadan mu-
sica para o lim de marcar o andamuntci dos tre-
cbos que executam ; e, como quer que ostes teem
compassos ou andamentos diversos, comprehen-
de se que se faz ini-ti-r que esse apparelho mar-
que oscillates diflerentes
Para esse tim, terminando o pendulo na parte
inferior, por uma bola de chumbo, e osciliando
mu torno du urn eixo horisontal eollocado a dis-
tancia convenient^ dos exlremos. a haste do mes-
mo pendulo tem, acima desse eixo, um para que
se move a voutade ao longo da dita haste, e nesta
se fixa por meio de um parafuso.
Esse peso manifesiamente se oppoe, contraria o
oiovimenlo oscillatorio da bola de chumbo, vislo
como quando esta tende a oscillar da direila para
a ejquerda, aquelle tende a mover a haste em sen
tido contrario ; e essa resislencia e tanlo maior
quanto maior e o brae.) ae alavanca sobre que
obra, isto e, quanto maior e a distancia que vai
do eixo ao pento em que s6" acha o peso m vel.
Por consequencia, quanto mais te levantar o pe-
so raovel, tanto mais ientas serai as oscillates do
matronomo e vice versa.
Na parte inferior do apparelho acha-su um ma-
chinisrao de reloiri >, cuja mola.'como nos relogios
commuus, faz andar uma roda de recontro com
bastante forga para, a cada oscillacao do pendulo,
cnocar um dente dessa roda de encontro a uma
palheta exisleote no eixo da haste do pendulo, de
forma a produzir uma pancada cadenciada quede-
termina a medida ou compasso desejado.
Finalmant', na frente do apparelho, e por traz
da baste do pendulo, acha-se uma escala gradua-
da com nuinaros, que iudicam em que al ura deve
ser eollocado o peso movel da raasraa nasle, aflm
de se obter em cadi minato o numero da oscilla-
ijoas que se quer.
fARTE OFFICIAL
Goveroo da provincia.
EXPKDIE.NTE DO DIA 8 DE ABRIL DE 1871.
1* $ecao.
Officios :
Ao Exm. brigadeiro command inty das ar-
ntas.Sirva-se V. Bse. de dar suas ordens para
q'ie a? i horas da tarde do dia em que seguir
para o sul o vapor Cruzeiro do Sul, esperado do
QOi'te, esteja postada em frente a rampa do caes
da rua da Aurora uma guarda com musica a
bandeira, afim d fazer as honras devidas ao Exm.
president'! nomeado para a provincia da< Alagoas,
Ur. Joao Vieira Araujo, por occasiao do seu emb-r-
que e bem assim para que a fortaleza do Brum de
uma salva quando o referido vapor deroandar a
barra.
Ao masmo. -Sirva-se V.Exc. deexpedirsuas
ordens para que esteja postada era frente a ram
pa do caes da rua da Aurora, as 4 horas da tarde
do dia em que seguir para o norle o vapor espe-
rado do sal, uma guarda com musica e bandeira,
afim de fazer as bonras devidas ao Exm. presiden-
te nomeado para a provincia do I'iauhy, bacharel
Adolpho Lamenha Lias, por occasiao do seu em-
barque ; providenciando V. Exc, outro jira, para
que a fortaleza do Brum d* uma salva na ocsasiao
n que o m.'smo vapor demandar a barra.
Ao inspector do arsenil de rnarinha Provi
aeacie V. S. para qm as i inras da tarJe do dia
.1 qae seguir para o sul o vapor Cruzeiro do Sul,
esperado do norte, estojam atracados ao cae da
rua da Aurora a galeuta e embarca;oes precisas,
aim da tran^porlarem para bordo do mesaio vapor
u Exm. presidente no mead > para a provincia das
Alagoas, Dr. Joao Vieira de Araujo, sua familia
e a respe.tiva b.igagem.
Ao mesrao.Do V. S. suas ord03 para que-
i- c boras da tarde do dia em que seguir para o
norte o vapor esperaio do sul estejam postados
na rampa do caes da rua da Aurora a galeota e
ombarcac5es prgcisas, allm de transportarem para
bordo do'mesmo vapor o Exm. presiiente nomea-
do para a provincia do Piauhy, bacharel Adolpho
Lameooa Lins.
9.' secQiio.
Actos :
0 presidenie da provincia, resolve de confor-
inidade com a proposta do Dr. chefe de policia em
^eu offlcij de hoje, sob n. 471, nomear o tenente
Blanoel Emygdio do lispirito Santo para o cargo
de delegado de policia do termode lnga;:eira.
0 presidenie da provincia, resolve ie confor-
alidade com a proposta do Dr. chele de policia em
oflicio de bontem datado, sob n. 464, nomear o te-
nente Joao Francisco Cavalcanle e Manoel Qaintao
d Veras Pranea, aquslle para o cargo de subdele-
gido de policia do 1" iistricto do termo de Bezer-
ro?, e esto para o de 3* supplente do mesrao subde-
legado.
0 presidente da provincia resolve, a vista da
preposta de Dr. chefe de policia em offlcio de hon-
tem datado, sob n. 464, exonerar o ten.sate Josu
Floriano de Lima e Jose Chri9tiano da Silra, aquel-
le do cargo de sabdtilegado de pilicia do 1 dis-
trict do termo de Bezerros, e este dode 3* sup-
lente do mesmo sabdelegado, arabos a seu pe-
didc.
Officios :
Ao Dr. chefe de policia.Respjndendo o
eflicio de V. S., de hoje datado, sob n. 46U, aprovei-
to o ensejo para cbamar sua attenciio ;.cerca das
publicaciies iasertas no Diario de Pernumbuco, n.
78, relativas ao accidente de que trata o ditoofflcio,
dt-vendo V. S. fazer proceder ao competente inque-
rin, afim de ser punido o delinquent?.
ao mesrao.Scienle pelos officios da V. S. de
a : dalados, sob ns. 460 e 474, do barbaro as
sassinato perpetrado era 17 do mez proximo pas-
ado na pessoa do alieres Joao FranciscD da Silva
Castro e do soldado Lino Theotonio de Araujo,
por Antonio Ferreira Lima, no termo de Ingazeira,
tenho a dizer-lhe qae nesta data ordenei que se-
guissem para o mesmo termo 25 praxis de linha
comraandadas por um olBcial, e rjna foje retirado
o dastacimanto do eorpo de policia alt existente,
coon soicitoa V. S. no offlcio s>b n. 4'54.-Outro
oim, reommeodo-llij queemnome Jesu presiden
cia louv o respectivo delegado de policia Severino
Martyr Siqueira, e os subdelegados dos districtos de
S. Jos6 e S. Pedro, Ifanoel Marques Ferreira e Ge
raldo Ferreira da Silva Mello, pela acertadas e
ea?rgicas providen: as que tomarara afim de rea
Jisar a captura do mencionado Ferreira Lima, de-
clarando lhes qua snbmetto ao conhecimento do
governo imperial o iraportante servic3 qae acabam
de prestar a orJem iiublica.
Ao commandante superior interin3 da gaar-
da nacional de Floras, coronel Izidro da Cruz Si-
queira. Sciente da maneira energies a decidida
por que se hoave V. S. afira de cap'.urar o autor do
assassinato do alferes Joao Francisco da Silva Cas-
tro e do soldado Lino Taaotonio de Araujo, o louvo
esse por servico que prestou a ordera pablica.
Ao commandante do corpode policia. Expe-
ca Vmc. suas ordens alim de recolier-se ao corpo
sob o seu commando o destacamento quo se acha
no termo de Ingazeira.
i 3.' seccuo.
Actos:
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Abdias Bibimo da Cunha Salles, 2" es
cripturario do consulado provincial, resolre con-
ceder-lhe 2 mezes de licence em prorogai;ao da
que lhe foi coacedida por portaria de 19 de Janei-
ro ultimo, para tratar de sua saude.
0 presidente com o art. 52 do regulamento de 21 da jalho de
1868, resolve nomear o praticante da secretaria da
presidencia Lyndolpho Olympio dos Reis Campello
para exercer o lugar de 3" escripturario da 4*
sec^ao da contadoria da thesjuraria provincial.
Officios :
Ao nspector da thesouraria de fazenda.
Para os fins cooveni^ntes comraunico a V. S. que
em 26 de inarco proximo passido o Exm.
conselheiro presidente do tribunal da rolaeio con-
cedeu 30 dias de licen;a com ordenado ao bacha-
rel Joaquim Co Ibo Cordairo Cintra, juiz de direito
da comarca de Garanhnns.
Ao mesmo.Providencia V. S para que se-
jam abonados por aliantamento a forca do 2 ba-
tillrto de infantaria que daordem desta presiden-
cia segue para ingazeira, composta de 1 tenente,
1 inferior, 3 cabos de esquadra, 20 soldados e 1
lambor, quatro mezes de vencimentos inclusive o
corrente.
Ao mesmo.A' vista do que expoz V. S. era
offlcio de 4 do corrente, sob n. 121,serie G, auto-
riso sob responsabilidade desta presidencia o cre-
dito de I:899i496, qie se faz preciso para com o
ae 1:7054531, concedido pala crdem do thesoaro
n. 28 de 12 de fevereiro ultimo, prefazer o total
Je 3:6054027, por que foram contraclados os repa-
ros do caes da rua da Aurora.
Ao mesmo.=Mande V. S. abonar ao desem-
bargador Joao Antonio de Araujo Freitas Henri-
que* a ajuda de ensto que lhe competir na quah-
dade de deputado da asserablea geral legislativa
pelo 3 districto da provincia da Bahia, visto ter
elle de seguir brevemente para a cdrte ; devendo
esse abono ser effectuado sob responsabilidade
desta presidencia, si para isso nao bouver ere-
dito.
Ao mesmo.A' vista do que requereu a
companhiaFerro Carril desta provincia, relativa-
mente a quantia de 5:0004000 em moeda de cobra,
recolhida a essa thesouraria, mande V. S. trocar
a dita moeda por outra que soja papel ou nikel, vis-
to estar undo o praso para o respectivo recolhi-
raento; devendo licar depositado o troco e reraet-
tar-se o cobre para o sul.
Ao masmo.Tendo nesta data, de conforrai -
dade om a informacao d'assa thesouraria de 7 do
corrente, sob n. 141 serie G, relevado Domingos
Antunes Villaca da multa que Ilia foi impostapdla
recebedoria de rendas por nao ter dado a matricu-
la no praso legal os ingenuos Maria, lilha de sua
escravaHerculana, e Guanencio, filho de sua escrava
Franceliua ; assim o declaro a V.'S. para seu co-
nhecimento e devidos effeitos.
Ao inspector da thesouraria provincial.Con-
formando-me com a informacao de Vmc. de 24
do mez Undo, sob n. 141, tenho a dizer-lf.e que
couvenho na elevacao de 8 para 124 mensaes do
aluguel das duas casas qle no Giquia estao ao
service da remectiva barreira, como exige o tenen-
te coronel llanoel Joamira do Uego e Albuquer-
que, proprietario das mesraas casas ; e autoriso
essa thesouraria a ellactuar n'aquella razao o
pagamento do referido aluguel, a coatar lo 1 ae
marco Undo.
Ao mesmo.Conforme solicitou o Dr. chefe
de policia em offlcio de 30 do m v. tiaJ >, sob n.
412, mande Vmc. pagar a Joaquim Martins de Al-
meida ouao seu procurador a quantia de 774000
proveniente do aluguel de sete mezes da casa que
na freguezia de N. S. da Graca serve 'de quartel
ao respectivo destacamento, a "coatar de setembro
de anno pissado a margo proximo Undo.
Ao mesrao.Mande vmc. pagar a Jose Igna-
cio Avila, arrematante da obra do paco da assem-
ble provincial, a quantia de "IM i'il'f, a que tem
elle direito pela reconslrucgao da galeria destinada
para senlioras, como faz certo o certilicado junto
da reparticao das obras publicas; devendo Hear em
deposito nessa thesouraria 10 l/o para a responsa-
bilidade da obra.
Ao mesmo.-Para os fins convenientes co-
rauoico a Vmc. que, tenlo sido roubalaen 17 do
mez proximo findo a quantia da 1:3574140 que o
alferes do corpo de policia Joao Francisco da Silva
Castro conduzia para pagamento do soldo do des-
tacamento de policia de tagazeira, s6 poude della
ser apprehendida a de 1:3064000, que se acha de-
positada n'aquelle termo.
Ae mesrao.Tomanlo em consideracao o
qu9 allegou a mesa regedora da irraandale da Se-
nhora Santa .-lun.i, da igreja da Madre de Deus,
recommendo a Vine, que, nos termos da sua in-
formaQao de 16 de novembro do anno passado, sob
n. 519, mania entregar, meJiante flanja, aquella
mesa ragelora a imporlancia da 9304, resultanta
da parte da loteria extrahida em 30 de agosto do
mesmo anno a favor das obras da referida igreja.
Ao mesmo.Mande Vmc. pagar a Jose Pa
reira Bastes, procurador da camara municipal da
villa de Palmares, a quantia de 1254, era que, se-
gundo as inclutas contas docuraentadas, importam
cinco mezes da aluguel da casa que na raesraa
villa serve de cideia e quartel ao respectivo desta-
camento, a contar de setembro do anno passado a
fevereiro ultimo.
4.' seccao.
Actos:
0 presidente da provincia resolve nomear
Francisco Jose de Moraes e Silva para exerter o
lugar de praticante da 2A seccao da sscretana da
presidencia.
0 presidenie da provincia, attendendo ao que
requereu a professora da povoacao de Vertentes,
Jacintha Avelina da Cruz, e tendo em vista as in-
formacoes da directoria da iostruccao publics, de
30 do marco e de 6 do correate, sob ns. 106 e 114,
resolve prorogar-lhe por dous mezes, sera venci-
mentos, a licenca que lhe foi concedida por porta-
ria de 28 de outubro do anno passado.
Officios :
Ao Dr. inspector da saude publica. A este
acompanha o requerimento dooumentado da Ma-
noel Jose Goncalves Braga, recorrendo para esta
presidencia do d-spaeho negativo da Illm. camara
municipal desta cidade, sobre a pre:eo(;ao de esta-
belecsr-se uraa fabrica de sabao na rua do Barao
do Triumphs, bam como a informacao da mesraa
Illm. camara rainiciptl, afim de queV. S., ten-
do em vista e dando cumprimento ao disposto no
art. 49 do regularaento n. 828 de 29 de setembro
de 1851, informe como seu parecer a semelbanta
respeito.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia
Attentaa inlorraacio de Vmc. de hontem datada
sob n. 841, deferi o requerimento de Agra & C,
pelmdo autonsacao para prestarem a flanca, a
que se obngaram pelo contracto do servico mor-
taario e de carros funebres, por meio de hypothe-
ca da casa na made Santo Antonio n. I, em Be-
beribe ; o qne Ibe communico para seu conheci-
mento e devidos effeitos.
5.' tecgao.
Offlcics :
Ao Exm. Dr. Manoel do N'ascimento Macha-
do Portella. Tendo por acto de 4 do corrente
de conformidade com o aviso do ministerio dos ne- f Ki ban on
gocios da agriculture, coraraercio e obras publica3, Mow-Yoric
do l*de dezembro doaano proximo passado, no
meado uma commissao composta de V. Exj. como
presidente, do Barao do Livramento, dos bachareis
Kuiino Augusto de Almeida, Joao Barbalho Ucboa
Cavalcante, Francisco do Barros Lacerda, Igoacio
de Barros Uarreto, dos eaxenheiros Victor Fuurnie,
Paulo Josede Oliveira, Felippede Figuetroa Faria,
Jose Tiburcio Pereira de Magalhaes, Manoel de
Barros BArreto, do Dr. Augusto Cirneiro Monleiro
da Silva Santos, do major Jose Antonio de lint i
Baslos, Joao dos Santos Ferreira Barros e Ca los
Eduardo Mnlhert, para promover a acquisicao de
produclos e specimens daindustria nacional nesta
provincia, no intuito de ser o Urwil representado
vantajosaraente na exposicao universal, qua sera
inaugurada em Philadelphia no mez da abril de
1876, por o:casi.ij do eentesirao anuiversario da
independencia da republica dos Estados-Unid s ;
assim o communico a V. Exc. para'seu conhecimen-
to, esperando de seu patriotismo que aceitara essa
commissao Mutatis mutandis aos de mais no-
rm ados.
Ao engenheiro chefe da repartieio das obras
publicas.Era resposta ao offlcio dassa reparticao,
de 1 do corrente, sob o. 87, relativo ao engenhairo
do 4.* districto, Joaquim Gomes de Oliveira e Silva,
encarregado de iaspeccionar as obras da cideia da
Floras, lica Vmc. autorisido a dispensal-o dessa
commissao. Outro sim, declaro-lbe que as suas
consideracoes expedidas no citado offlcio, com re-
larao a commissSes iguaes, serao aproveitadas lo-
go qne se offereca occasiao de sar enviado algura
engenheiro ao interior da provincia.
e,e on am Duo de o u H 1 t. O do
dinario a 99.
*w. Camblo aebre
LomircH i.sj. Ouro lOD />. Care
fair do Bio 19 e, Vi^oiUo me-
diumi uplands* in 1/8 e.'
Liverpool .-O mercade de al-
Kodao eHtit flrme. Veaderaam-se
lO,OOU rnrdos, neudo l.liuu da Ame-
rica do Sul. o pair de Pernambaco
e (I'- MantoH a 8.1/M d.. o dilo de Ma-
ccio UH I IB d. O mercado deassu
car inalterado.
Murxi-iha S9. vksik ii de Per-
numbuco S9/SO fraaeoa.
tutuerpia !>.Veaderaa so a,.ISO
snecos com cafe. O bom ordinario
de saiiioK a i.
Bio de Janeiro 30. ( iK-uiram as
vanorei* HENRI IV. VILLE DE SANTOS,
UALLEY, JULIO DINIZ e ITAJAHY.
Baliia 3o. -Ctaeson o paiiuete in
glem BUENOS AY RES.
izin de Janeiro 31 Os paqnetes
in*lezes NEVA e LACYDON ctaegaram.
Cambio sobre Londrcs 98 d. banca
rio (irme, c nominal o particular.
Bahia 31. -Camblo sobre l.ondrcs
95 i H d. bancario.
KXI'KDIlOMli DO SECRETARtO.
1.' seccao.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.S. Exc. o Sr. presidenie da provincia man
da declarar a V. Exc. que nesta data foi autorisa
da a saii.-facao do pedido feito pelo commandante
do deposito, de 30 vassouras de piassava para o
servifo da limpeza do respectivo quartel.
Ao mesrao.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia raanda declara a V. Exc. que nesta data se
expedio or Jem a thesouraria de fazenda no senti-
do de serem abonados por adianlamento 4 mezes
de vencimentos a forca do 2 batalhao de iofan
ria que segue para ingazeira, confor
V. Exc. em offlcio de hontem, sob n.
2.' secgSo.
Offlcios :
Ao Exm. conselheiro presidente do tribunal
da relasao. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
raanda accusar o recebimento do offlcio de V. Exc,
de 26 de marco proximo passado, communicando
haver concedido 30 dias de licenca com ordena-
do ao Dr. Joaquim Cordeiro Coelho Cintra, juiz de
direito da comarca de Garanhnns.
Ao Dr. chefe de policia S Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda remeller a V. S. o in
cluso titufo de nomeacao da delegado de policia do
termo de Ingazeira.
Ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda remetter a V. S. os inclusos titulos
de nomeacSo de autoridades policies do 1 distric-
to do termo de Barreiros.
Ao mesmo.De ordem da S. Exc. o Sr. pre
sidente da provincia, communico a V. S que nes
ta data se providenciou no sentido de ser paga pe-
la thesouraria provincial a Joaquim Marlins de Al-
meida a quantia de 774000, proveniente do alu-
guel de 7 mezes da casa que na fr&guezia da Gra
(a serve de quartel ao respectivo destacamento,
conforme solicitou V. S. era offlcio de 30 do mez
Undo, sob n. 442.
Ao mesrao.Daordem do Exm. Sr. presiden
te da provincia, communico a V. S. que nesta data
se providenciou no sentilo d9 ser paga pela the-
souraria provincial a Jose Pereira Bastos a quan
tia de 1254000, proveniente da 5 mezes da alu-
guel da casa que na villa de Palmares serve de
cadeia e quartel ao respectivo destacamento, con
forme solicitou V. S. em offlcio de 30 do mez fin-
do, sob n. 443.
3.' seccao.
Officio :
Ao inspector da thesouraria provincial.-Da
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, com
muoico a V. S. que por portarias desta data foram
noraeados Lyndolpho Olympio dos Reis Campello e
Francisco Jose de Moraes e Silva, o primeiro para
o lugar de 3 escripturario da 4* seccao da conta-
doria dessa thesouraria, e o seguodo para o de pra-
ticante da 2* seccao desta secretaria.
4." seccao.
Officios:
Ao 1 secretario da assemblea provincial.
N. 64.Manda S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia que en remetta a V. S., para subirem ao co-
nhecimento e apreciacai) da assemblea provincial,
as portarias juntas por copia, de 17 de junho, 7 e
19 de julho, 27 de agosto, 3 e 19 de setembro, e
19 e 22 de novembro ultimos, em que o mesmo
Exm. Sr., resolvsu abrir creditos supplemental
a difTerentes verbas dos exercicios passado e cor-
rente. Aconpanham, tarabem por copia, os docu-
ments respectivos a cada um desses actos.
Ao mesmo.N. 65.De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, retnetto a V. S. para ser
apresentada a assemblea provincial, copia do acto de
4 de dezembro ultimo, em que o mesmo Exm. Sr.,
usando da autorisacao constante do art. 37 da lei
n. 1,115 de 17 de junho do anno passado, resolveu
raandar emittir, para os tins do art. 38 da referida
lei, 1,000:0004000 era apolices ao par e a juros de
7 por canto ao anno.
5.' seccao.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. De ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia, declaro a V. S. que nesta data se provi-.
deociou no sentido de ser paga pela thesouraria
provincial ao contractante da obra do p-co da as-
semblea provincial, Jose Ignacio Avila, a quantia
de 5624540, proveniente do trabalho executado na
galeria destinada as senhoras ; conforme solicitou
V. S. em offlcio do 1 do correnta, sob n. 88.
Ao gerente da companhia pernambucaoa.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S., em resposta ao seu offlcio de bontem
datado, que os vapores Pirapama e Mandahu po-
dem seguir para os portos do norte e snl ate Gran-
ja e a Aracajii no dia 15 do corrente as 5 horas
da tarde.
:amadqaan*iafc
( AGENCIA TELEGIUPHICA HAVAS-REUTER. )
ttltflrMM ^ ^^!^>V^%.
Bruxellas So de agosto. o eon-
gresso internacional termlnou sens
trabalhos. mas acerca das resoln-
cdes approvadas nada transpirou.
COHHERCUE9.
liondres 0. Consolldados de 3
O/O, FOB ACCOUNTANT, a 3/4 I fandog
brasileiros de 5 O/O do anno de
1865 a lOl 1/2, ditos do Uruguay do
anno de 1891 a SO 1J i ditos ar-
gentinos do anno de 1891 a 95. O
desconto contlnua a % 3/1 por cen-
to. O mercado de cafe estaquleto.
e sao limit a (I as as procuras. O de
Santos bom ordinario de 95/a 7,
(AGENCIA AMERICANA.)
I.i verpoal SO. Algodao mercado
fiouvo i as eoto^des de boje saw :
Pernambaco S 1/8. Ccara 9 3/4.
Rniiiu 9 5/8, Maranhiio 8 1/4 : stock
150.790 fardos do Brasil. Assucar >
vi-ndas facets i coton-se o de Per-
nnmbuco a 30/3. Cafe : o mercado
esta desaalmado ; stock 89 3,913
quintaes.
Bavre 98. Cafe t venderam-se
hoje l. loo saccos i o do Rio a UH e
o de Santos a 103. Algodao > mer-
cado sem alteracao i as vendas de
hoje fur a in 800 fardos ; chegaram
LIGEIRA, de Santos e UNION DES CHAR-
GEURS. da Ria de Janeiro.
AntrrftS. Venderam-se 3.000
igaceaa 4le cafe de Mantos. ordlna-
i o bom regular dlsponivel.
sboa 30 as 8 h. e 45 in. da oi-
ie Cbegou das portas do Paclnco.
pelos do Kio da Praia e Brasil o
paquete ingles LUZITANH. Nstieias
de Hespanha disena que os carlis-
tas afi-im\arain o fogo contra I'uy-
cerda. cujo eerco se annunciou in-
exactamenlequeelles tlnhamaban-
donado.
S. I'etersbargo ru. Anauncla-se
o ensamento do prineipe avalilcmir
com a princes a Maria de Mecblem-
bnrgo.
C'opcnhasue SO.Corre como pos-
slvel uma ruptura de relacoes en-
tre a s-iiaiuurca t- a Prussia, inoii-
vada pela expulsao de todos os di-
uamarquuses do coudado de Seb-
leswlg.
Paris 30. Ksta publicada ofil
cialmente a nomeacao de Jar
nnc para einbaixador cm Losdres
O marei hal Mac-Mabon. presidente
da republica, na sun viagem a Bre-
(iinii:i. prorlamou aos bretdes afllr-
manilo que o setenato sera llel-
mente mantido. O ex-ministro 8cb-
neider foi ntacado de uma paraly-
sia s esta moribundo.
Rio 31 a I Ii. da manba. Vent
entrnndo o paqnote inales NEVA, pro
cedentc da Europa por Pernainbu-
co e Bikhia.
Mailtos 3!>. saiiio para Pernam-
buco o lugnr allcmao ELIZA MARIA,
Bahia 30 as 11 it. e 15 in. da ma-
niia. Entrou da Europa o paquete]
BUENOS-AYRES. que segue auiauha
para o Bio de Janeiro.
Rio 30. Cbegaram|os paquetcs.
portuguez JULIO DINIZ e frances VIL
LE DE, SANTOS, ambos da Europa por
Pernambuco.
i.oikIi <--. SO. Consolldados OS
3/4 ; fundos brasileiros lOl 1/S ; 5
por cento frances 08 9/8.
Havre *a. Cafe : vendcrnm se
l.OOO Macros, sendo 500 do Brasil ;
o do Rio a *. e o de Santos a 103 :
chegados lit semana 14.000 contra
13.000t consummo 1 l.OOO contra
5.000 : exlstencla HJs.ooo contra
OO.OOO do anno anterior. Aluoaao ;
as \4-iiilas de hoje montarana a 11
mil fardos. sendo 900 de proceden-
cla brasileira : o de Pernambuco a
98 e o de Santos a 03 e 04. Sebo de
boi 5S. e de carnelro -lO. Couros :
mercado anitnado i vendas de hoje
3.0001 o de boi. de Montevideo.
Malaado 04. Cbegou o vapor VILLE
DE RIO.
Paris 30. Foram demittidos dans
prefeitos e dons mib-prcfeitos.
Bruxellas 30. Terminaram as
conferenclas do congresso Interna-
cional.
Rio 31 a i a. e 35 m. -4a tarde.
Cambio sobre Losdres SO banca-
rio, 30 i li e 33 1/8 particular. Ma-
bio para Pernambuco o vapor fran-
ces HENRIQUE IV.
Bahta',31 as 4 b. e 34 m. da tarde.
Cambtos sobre Londres 38 1/8
particular, sobre Paris 383 rs. Sa-
hio para os portos do norte. de saa
escala ate Pernambuco. \o vapor
O.I.Vr.lS. da companhia Bahiana.
Para 31 as 8 b. da tarde.Cambio
sobre tohdrea 38 1/4 particular.
| doputados, tendo sido subs tit uido o systeraa do vo-
te uui-nominal, consignado no projecto primitivo
do Sr. ministro do impeno, pelo vot) incoaaplato, o
que traz como consequeocia a alteragao do actual
numero de dapntados, e do mesmo modo o dos se-
nadores; idea esta, qne- assim como e bem acceita
por uns, e tambem nal aceita por outros. .Nose
nado, principalmeute, parece que ella na; acha
bom acolhimenlo. E isto se explica. Ha alii se-
nadores r presentantes unicos de snas provin-
cias.
Tern, pois. elles grande influencia nos negocios
dasta, porque nao ba outra ou outras vozes que se
ibe antepooham com a autoridade de represenUn-
te directo e immediato da provincia, em quern se
presuppos interesse mais vivo e conhecimento pe
culiar da terra qua o elegeu. Dasde que algumas
das provincias, que actualmente nao dio mais de
um senador, derem dous, e facil da ver que a in-
fluencia do aetual uaieo senador iera de enfraque-
cer-se, licando dividida.
E' assim, pelo meuas, que se explica a activid.v
de com que nesles ult.m s dias tem accudido a
tribuna da respecliva camara certo senador que
ate eutau se uuha da algum modo abstido de la-
mar parts nas questoes politicas.
Nao lhe exporei qual o meio pratico adoptad >
para esse voto iocompleto, porque nos jornaes
acliara a emenda da cjmmissao que foi acceita; as-
sim como a base sobre que deve assentar o nume-
ro de deputa los e senadores que, dara cada pro-
vincia, a excepcao de Malto-Grosso, Goyaz, Amazo-
nas, Espirito-Santo e Para. Gada uma das quatro
dara 3 deputados, e a ultima 6, nao obstante nao
lerem popula^ao para dar nm deputado por 30 mil
habitante;.
Quanto a aquella prevaleceu a idea de que ne-
nhuraa provincia daria menos de tres deputados.
Qnanto a estas teve-se em consideracao a sua im
portancia e posicio commercial, e por isso fez-se
uma excepi.-ao a regra estabelecida para as provio-
cias granaes, com a restricca) da que o augmentc
proveniente da base toraada nao excedesse de um
turc>.do numero que actualmente da cada uma.
Assim, por exemplo, qualquer qua seja a popola-
cao de Pernambuco, a sua deputacao aao sera de
mais de 16 raembros.
A opposicao, que por todos os meios e modos
tern combatido a reforma, e qua na primeira dis-
cussao grandes escarceos levantou contra o voto
uui-noininal, agora accusa vivamente. o govern)
por ter sido snbstituido aquelle systema pelo do
voto iocompleto, 'dizendo que elle cedera a imposi
io qua lhe fizera a raaioria era uraa reaniio ha-
vida na secretaria do ministerio da agricultura,
quando se teva de passar a segunda discu^sio do
projecto.
Na verdade, consta-rae, que naquella reuniao,
ourindo o governo as diversas opinioes dos araigos,
e de accorlo com a declaracao fails pelo Sr. mi-
nistro do imperio na sessao do anno passado,
quando aprasentou o projecto, de que nao teria dn-
vida em acceitar as emendas que (ossem reconhe-
cidas de vantagem para raelhor se obter uraa boa
reforma, accedeu a idea do voto incompleto, que
em ultima analyse da a represenlacio das mino-
rias, qua e o pon.o cardeal da reforma.
Desde que se cbega ao mesmo re?ultado, embo-
ra por meio diveno, entendeu o governo que nao
havia ratio para deixar de respeitar certa reoug
nancia nascida da novidade do systemie nao de
espirito iiostil, quando estava no animode todos os
amigosauxiliarem-no e concorrerem para a refor-
ma da lei actual, desconceituida e proclam ida por
gregos e troyaaos.
Nio se pode, pois, dizer que houve imposicao, e
meuos que o governo cedeu a esta.
0 peior e que a reforma nio se fara este anno,
o que importa dicer que, dado mesmo que na
vindoura sessao seja ella levada a effeito, talvez
nao possa ser applicada a futura eleir;ao, visto que
uma de suas bases, a qualilicacao, prccisa de um
anno para ter'eiecucao. Em tal case ainda tere-
in is mais uma camara eleita pela lei actnal.
Nao sera por culpa do governo qne, na verdade,
tem feito todos 03 esforcos possiveis, para fazer
passar a reforma. Os meios protelatorios, porein, de
que se tem servido a opposicao, forte pelo numero
e pelo valor de seus membros, tudo tem inutili-
sado.
Nem lei do or?amento tereraos.
Ate o presente ainda se nao passou do orgamen-
to do ministerio da marinha, cuja discussao so
amanha talvez seja encerrada. Faltam ainda os
da guerra, obras publicas, fazenda a receita geral.
Ainda mesmo que houvesse a 3.' discussao, nao se-
ria possivel ate o lim da sessao fazer passar sequer
em 2.* na camara esses orcamentos, que ainda nao
foram discutidos. Depois seria ainda preciso con-
tar com a discussao no senado.
Assim e, que por mais prolongada que fosse uma
prorogacao, nio seria bastante para termos a refor-
ma eleitoral e o orcaraentc.
Por tanto teriaraos sempre que appellar para o
principio da futura sessao, visto que o governo tem
lei do oreamento ate jnnho vindouro. Nestes ter-
mos e de suppbr que nao haja prorogacao de ses-
sao ; mas nada ainda se sabe a respeito.
No senado foi fraalmente approvada a lei do re-
crutamento ; mas, com osofTreu emendas, tem de
voltar a camara dos deputados, onde neste resto
de sessao so pedera ser discntida core pretericao
"da reforma eleitoral, ou dos orcamentos; pois que
ahi esta a ordem do dia dividida em Jua- paries,
cada uma das quaes e destinada a uma dessas
materias.
No mesrao senado esta era 2.* discussio, actual-
mente, o projecto de forcas de terra.
O das forcas de mar Ja foi approvsdo tambem em
2.'; depende ainda de 3." discussao. E' de suppor
que arabos possara passar ate o lim da sessao, e
nisto ficaremos.
Eis o que tereraos da actual sessao de nosso
parlamento I
Entrelanto nao 6 por falta de discussao qiie ella
sera uma das mais estereis que temos dito. Poucas
teem sido tao trabalhosas e de debates tao caloro-'
sos.
DSTEBIOR.
Correspondencia do Diario de
Pernambuco.
RIO DE JANEIRO
COBTB, 25 DE AGOSTO DK 1874.
As noticias que, por meio do lelegrapho, rcceb;
diariamente desta capital o Diario, dispensam me
de esCrever lhe com assiduidade, para narrar o
que por aqui occorre. .
E' est3, e nao outra, a causa porque tenho dei-
xado de escravar-lhe. As minhas cartas actual-
mente nao podem ter o interesse, qua outr ora ti-
nbam.
Com tudo, como nos achamos nas proximidades
do encerramento do nosso parlamento, dir-lhe-hei
hoje o que ultimaraente ha nelle occorndo.
Na camara dos deputados continua a segunda
discussao do projecto da reforma eleitoral, que vai
sendo lo-gamente debatida. Apenas se acha ap-
provado o art. 4' com as emendas da co.amis3ao,
e hoje comegou a discutir-se o art. 5 que trau da
eleicao dos senadores. .
N^aquelle estabelecen se o modo da eleicao aos
DimODEPERNiMBUU)
" RECIFE, DE SETEMBRO DE 1874.
Noticias do sul do imperio.
Chegaram hontem os vapor americano Merri-
mack e inglez Potosi, trazend.i datas : do Rio da
Praia 20, do Rio de Janeiro 26, e da Bahia 29 do
corrente.
Eis o qne colbemos dos jormes e cartas:
REPUBLIC AS DO PACIFICO.
As noticias do Chile sao desfavoraveis.
As cbuvas consumes atrazaram a lavoura a tal
ponto, que se receia grande diminuicao nas proxt-
mas colheitas.
Continuava em Valparatzo a crise monetaria
e fallava-se era novas faliencias.
A crise do Peru affectava tambem os merca-
dos chilenos.
Em toda a costa do Chile tem havido lempesta-
des e muitos navhs pequenos foram a pi |ue.
O wbo telegraphico do Pacifico, de Valpa-
raizo a Panama esta em construccao, e assim cm
breve commnnicara com a Europa pelos Estados
Unidos.
Havia tranqnillidade na Bolivia, nio se re-
ceiando novas perturbacpes.
O Dr. Corral e o general Quevado e Belizario Sa-
linas sao candidatos a presidencia futura.
\
Dizia-se que o ultimo reunia melhores proosbi-
lidades de victoria.
Em Tarija orgaoisoo-se um club sob a pran-
dencia de Samuel Campero, com o tim de defen-
der a integridade territorial que se ditiaaowacasa
()-lo Chile, e o povo ollerecia ao guverso dinbeiro
e 5,000 soldados.
Esta nolieia |i nos havia sido transmituda pein
lelegrapho.
Sahira de Sucre nma expedicao sob as ordeon
do coronal Biliiark) i^auseco, c )m o Um de abrir
uma estr da desde essa cidade ate a Bahia Ne-
gra, a raargem do rio 'aragaay. Essa astrada
podia ser um dat sahidas quo a Boh ria procura
para o oceano ailanUco, mas a Bahu Negra es-
ta em territorio contestado pela Republica Argen
tina.
HKI'i in n:\ DO I'Ainr.lHV.
O jreco da carna verde achava se baslaate
elevado, pois qua a libra des>e genero era de 2
reales.
Encalhara uo Lambare o vapor brasileiro U.
Prancisca.
BKI'UBLIi:\S DO PR ATA.
Preoccupava a attcnQio em Bnen is-Ayres a ca-
restia da carne verda, que chegara a preca fabu-
loso.
A camara dos deputados discutia ura projecto
de lei autorisando o governo a Lomear sem demo-
ra naquella cidade e na campanha commissoes
graluitas da cidadaos incurabidos de iodiear os
meios conveaiemes para que cas.-e a eicassez. Se
nao se puder ob:er gado na provincia de Buenos-
Ayres, deverao governo mandar busca-lo em San-
la Fe, Entre-Hio- e ao Estado Oriental, e detenm
nar que a came ^eja vendida por pre; > que nan
excada de um patacao por arroba
Para aendir as despezas necessarias ahrira o
Banco da Prouincia um credito de 400,000 peso*
fortes.
Km Baenos-Ayres dizia-se que morrera mais d
metade do gado vacenm da provincia.
Deyia pariir de Buanos-Ayres o Rotates com
dest uo as costas da Patagooia.
R-aliiou-se no dia 14, no theatro das Varie-
dades, um grande banquete offerecido aos Dr*.
Avellanada, Alsioa e Acosla, por varios raembros
do parti Jo nacional. A fesla durou ate depots das
10 horas da noite.
Dizia-se que^AvelUneda orgaaaaria oseu mi-
nisterio do segainte modo : interior, Dr. Saturni-
ne Laspinr ; ins'ruccao pablica e cultos, Dr. Ber-
nardo Irigoyn ; fazenda, Dr. Lucas Uonzalsz.
Quanto as relates exl-riores ainda nio se sabia
quem seria o escolhido para dirifti las. O minis-
terio da guerra e mariaha sera dividido em duas
reparticdes, ministerio propriamente dite e ins-
peccao geral das armos, sendo nomeado para
afiuella o actual ministro da fazenda Santiago
Cortinez e para a inipeccao das armas o coronel
Roca.
Qnebrara em Bneno* Ay res e evadira se nm
negoeiante italian,deixando um passivo de 240,000
pesos, moeda nacional.
Proseguiaiu as investigates sobre o assal-
to a casa do u-g mie I.in is ; os dous indivi-
duos presos tinham feito declaracdes qns nio dei-
xavam a menor dovida sobre sua colpabilidade.
Tinham-se evadido da cadeia em Entre-Rio?
Juan Medina, Frederico Graz e outros, presos en
Gualeguay por suspeitos de tramarem revoltas.
O estado da provincia nadi tinha de lisongeiro e
receiava se ;.|gun levantament Em Santa Fe receiava-se tambem nma in-
vasao de iaiiM em grande numero.
No Estado Oriental fora de novo eleilo se-
nador pelo departa:n-nt> de Duraino D. Anuro
Carve.
BIO DE JANEIRO.
No senado, no dia t\ de sgoslo, entrando em
1' discussao o projecto de nma estrada de ferr>>
era Alagoas.de Piranhas a Jeluba, o Sr. Saraiva
disse que precisava da oa*ir aooiniio do presiden-
ts do ccn?elbo, porque nao dispondo o ihesonro
de fario* recursos, da>eja sab*r se nio ha outra-
estradas da maior utilidade. Pedio tarabem eseia
recimentos ao Sr. Sinimbti, autor ao projecto. Po-
t) que nao seja adverso M projeclo, advoga prin-
cipalmente a estrada da Bahia, pois que o valle de
S. Francisco nao sera em 20 annos que fornecera
productos para mais de uma estrada.
Expendeu largas consideracaes a respeito, e
pergunlou como vio os estudos da estrada de S.
Paulo, sendo de opmiao que essa estrada deve ir
na direccSo da fronteira de Mafo-Grosso.
O Sr. Sioiinbii disse que nao se pede cootestar
a ulilidade do projecto, pois tends a ligar os por-
tos de dous granites rios.
Nao encontra procedencia nas razoes do Sr Sa-
raiva.
Nao rd collisin entre o projecto e a e-trada da
Bahia. Dasde 1861 que e favoravel a asla.
O Sr. Zacharias abservou que o Sr. Saraiva nio
contestou a ulilidade do projecto, ao menos em
ura sentido restrictive.
O Sr. Sinimbii, senhor da materia. definio a.
mas como o executor da lei sera o governo, de
seja ouvir o presidente do conselho. Pergunta se
e pensamenlo do mesmo prolongar a estrada da
Bahia.
O Sr. visconde do Rio Braneo presidente so
conselho) sempre comprehenleu qne a estrada qne
ligue o Baixo ao Alto S. Francisco, nio implica
com o prolongamenlo da estrada de ferro da Ba-
hia. Em these >i de opiniao do Sr. Saraiva. mas
nao se pode tudo fazer de gotpe.
Pelo conhecimento qne re vela da materia. mni-
to deve merecer do senado a palavra do Sr. Si-
nimbii.
O projecto nao decreta a estrada, antorisa o go-
verno a faze-la e este usari da aotorisacie qnaa-
do devidamente habilitado a tomar a sna respoa-
sabilidade.
Tranquillisa o senado quanto ao escrupulo con
que nsara da autori'acao. Pede ao Sr. Sinimbii
que indique que a autorisacao Gone comprabea-
dida no credito de 100,000:000* da lei de selen-
bro. Quanto ao prolongamenlo da estrada de S.
Paulo ate Hatto-Grosso, declara que tt esta a fa-
zer os estudos. E' mnito da politics das estradas
de ferro.
0 Sr. Zacbarias redarguio, dizendo qne o pre-
sidente do conselho nao comprehendeu bem o pro-
jecto em discussao. Este nio o anlcrisa a fazer
estudos, para depois construir a estrada ; sup06>-
nos feitos. No enilanto qne reserrasse o presi-
dente do conselho o direito de modiiicar a antori-
sacao, como ja procedeu alias com as estradas da
Pernambuco e da Bahia.
E' approvado o projecto era 1' discussio.
Passando-se ao dabale sobre a lei 4a forca ae
terra.
0 Sr. Saraiva examinou diversos topicos do re-
latorio do ministro da guerra, para m i-trar qae o
mesmo senhor avanca alii o que nio faz nem
pretande fazer. Proraetteu continnar no mesao
exame.
Ficou a discussao adiada.
Na sessao de 25, o Sr. Dias de Carvalbo dea i-
gumas informaodes a respeito da pens*': concedida
aos menores, Illaos de D. Goilbertnina Duira da
Fooceca.
Na discuss*) do projeek. de forcas de t*ira, o
Sr. Junqueira (ministro da guerra), respondeoiiV.
ao Sr. Saraiva, declaron nio poder diminnir a ci-
fra de 16,000 pracas qne pede para o exeretto.
Depois de ter tocado ao debatido ponto do< volua
tarios, affiangou lar-e ja colhido bons resuliadoa
com as anlas do exercito. Nio lem oegalo licea-



jjLhi ,. -...;.:; m ,i < ^i^^ ih I8I
^
m: rt;l/ J-WfP
I
ca aos ottciaes
Quaiito ao foroecimeulo do c*vaH^fc^*rf
qua teria de MXMevideBtia uai deovsito dosses,
.lumaes e triMc/Mf melhorar, hes a raga, q l
esla deeahida. jM&yjf>n '1ae na relativo ao
transporte que'Sj9Hjli9* No tecenie iMMmtMRiia de iptvndses meaores,
eUudaC au.\i- Assextruu o oradux-qaa-u Sr, mitiUcu.teai->u
dea a eond do quio pode i
qml, qae poss* admiitir ale 80 alcmnos ; 85:000$
seia o maxituc'. .+
0 Sr. Sar&iva, wDl'mwndo bo (xatie dn wfelo-
rio do tnioiHrc 4a puerra, viis-e qu;. roduzidbiromo
esla o corpo dii e iigenboiros a ini>i|;uitlcai)'.es obras
min'tare-, enteadia rer isso dtploravel, pelo qne 6
-In is ieibiilta occuparem-se de oirr: eivis. Pelo
iboof da compsar. fell* ao visconde de Maui, de
uiiia propriedadtjMa para quarte>, oonipromeReu
d mioisiro oafdwros exerweias fraancelroe-e aJ
wamislracao dos sens succtsaores.
Fallatiti) dg fabn.-a defeiro k Ipanema, per-
tgunlou sVjd-dKi se fbrie* aqueJIs metal.
0 Sr. mraistfo da guerra (em aparte): la.
gasto com cada tacao do cafe qae ja pagou na proviacia omie foi
^ar das alegrias do ministry, o diuheiru quo des-
pende com aquolle estabelecimcnl) 6 malbaralado
Reconheceu ser o director ia fabc.ca o major
Mursa, BBr htihil edistineto ofliciil, worecador de
todos os -elogios, mas a stva these essiguinte ;
sem qae eetiaja preparadoo eoHrtMMaa^el paed a
fabriea de Ipanema, e perder tempo edinheiro.
OSr. Mantra a guerra : Preparei o conibus-
tivei, coaipruu sa niuv.
0 St. Saraiva insislio era qae seffli desperdica-
do djotatro, oarqao-Bao epuMiial sndeataf unt
fabriea de ferro com tenha. Ora, coaao entre So-
rccaha e Uapefcoiaga h a too* a.?rolwbilidade de
haver ntioaa da oarvao do pedsik, au o primetre
d.-'ver do mtaiatre tuajidar f ft'iHBC aque(la
mina*.
0 Sr. Silveira da Mott i :E>U > ia DVaMtotla*,
e dixeiD que raacedoram ;a (*rivilegiu dtmxplo-
ra-las.
(OenegacSes do Sis. minisJro d.i guerra e re-
51'deute do coiiMlaio.)
O Sr. Saiaira, eatrando ntfpw-ll) dearbiira-
p-n-id.is ree(aniac leriado o quo $e du pur alii qui o govento por
similitude' MM uiMiJado aiMM a leiiagaoem Mmi-
levideo de susleutar as retla:ua.oes Ji vi?co-
d'' de Uaua, o que deu lu^.ir a qae a eoverno da-
;!! i.: fs'.a 11 peryaota era o me^mo proourador do pavhta.
Perguutou o que e feiio do llipura. Cor.io e
preciso viugar a meaisria dus minislros que fun
o..r.uu aqaelk osta'teiocira-'nto, d-claroj qn i nar-
rjiiia a historw da sui tuuJac.V) e Je quanta glo-
ria eahe dlseo ao Sr. Mariaao de Azevedo. Pedie
ao mini>tro cjue diga so esla decidid6 a aaxibar
aquelle estabtlecimenio, hoje ctl-mia, oa ac'ubar
com' He.
0 Sr. mioisiro da guerra : -A uxiliar.
0 Sr. Saraiva, nes?e atm, deve maudar abrir a
estracki que Ifgen-e ao Tiete. Pissoa a insixtH-
em slguiuas das sua< cemuras da vespca, argu
meniaudi a defesa que Hie oppozera o iniai-lro.
Fic.-u liaOi a di Dado ao detate o projacio da nova proviacia
de S. l-'raorisco, o Sr. de 15"mimbii, pnnci
piando por declarar que o proj>cto, on > agora
f;ta, cosisli'.ue um d is mairres :riu:iipho3 da op
.m-|i_j.i do senado. e fclicitiudo em fegnida aos
-enadores de Mirs por ttrom alcaojado livrar
paile daqoelh proviiicia que hiviam incluido no
project), peiio explicaoio e eadareeimentr^quM-
;.i a c-rtos pcqtus, ao govern) e a cmni-sao i]ue
deu pare:er a respeito;
0 Sr. Candido M-nJts. cjmo membro tfeafta
MmaiissS>ja dt-clarou que f-Udlmirwdo do projeelo
o ttrninio de Minas, Doratteneao a reprentacoi's
de algunia-t popola^Vs mineiras, e tMbeiD por
cao tornar em dma>ia exteasa a nova provincia
a qual licara cew-JW leguas dc eonwrimeftlo e<
de largura. I'ossoo depois a I >oga^ considera^o*
eocaroceodo a WtlMade do projeeu e iodteando
as alias vantasjeos politicas e fodaes da nova pro-
vineia.
Fu com ipalavrao Sr. Siiveira da Motta.
Ni Daman dos de/mt.idos, no dm ik de agofto.
- oiiiuuan > a tUscosoio do art. 4. do project) de
rt'orma eMtoral, o Sr. Klori-ncio de Anreu, tuada
rt-spondido a algaas MpiOM do diseorso do pre-
ce^eule oraaW {> Sr. Carieiro da Cuob.0, fe*
taraajiiKmsidiwacdaj hnpagnaodo a geueralidade
to project* .'a>sando a oasiderar o artigo em
discussio, conibateu as dispo^icde^ nelle cootidas ;
(allvu contra o modo pur quete esla prcjedendo a
e-i iii-iica geral do impfiio; disse (jue uaovia razao
para o angmeuto da? depu'.a;ojs, a uSo ?er| a von-
;sde de cjadasBBadet cum a* exigeootas dos po-
tt'Utados do l.orle.
0 oraJir disse ser sudicionto o numero actual
de represeotaafen de paiz, e respendcu a a^cusa-
<*ao fvita pelo Sr. inmistro do imperioao partido
fiberats quaado di-se oada ler ei.o reformadodu-
note a sna e.-taia no p.^der.
0 Sr. Ebas Jo Atbat|Uerqae,_pe>a erJem, Feqoe-
rtu o encerrameiitj da discu^.^a).
T-mdo a camtra resolrido ptl.i affltmatirs, f.>-
ram approvadas as emendas da cominissao, lican
do preju licado o art i. do projcUo, sendo appro-
vado oseguiuie :
Sobstitna s pelo gcquinte :
Art. i" Sa eleii;":o de deputed t a asseniblei
f-?ral e de membros das asseuitil^as Irg slativas
i-rovin.-iaos, liavera as seguittes literacies :
i.* Para ieputadds a a?scmbl6a go a I ou para
metabroe das assembleas legislativas proyinciaes,
sada ele ti.r votaia em tantos nomes qoao'tos cor-
- spondt-re:n aos doas terc's do numero total
!iiai cado para o di-incto.
.( Se o numero is areado fara merbros da as-
semolea legi? ativa provincial for superior ao mtil-
tiplo de Ires, o eleitor aidicionara aos dou* lercoS
ara ou dous n unes. de cidadiios, conforrre a frac-
ciu> excedenle.
> i. 0 numero de d. pulados a asscmblea goral
de cada proviacia, excepto as do Amazonas, Ma -
to-Grosso e Espiruo Saulo, que elegcra tres de-
putado:, e a do I'ara, que efejjdra seis, correspon-
ded a respectiva populacao, seguudo o receusea
ciento, na ra:LJio de 50,000 habitantaa por deputa-
do, comtanto que uao cx^eda ao que actualmente
cada araa elege, e mais um terjo. A traeciu su
perior a lo.OOO habitantes co;respondera a um
deputado, quuodo este cste^a dcutro doterco do
aogmeoto.
3.* Nas provincias em qua iielo augmanlo d
deputades bouver aeeessidado dc allsrar us acluacs
districtos, o governo duveia iguala-los em numi
ro de eleltores, quanto for possiv 1, comtanto que
as freguezias de um mesmo mucicipio pcrtengain
iQtegralmente a um s6 collegio e dUtricto
Nenhum districto dara menus de tres depu-
tades a a.-?tiiibiea geral,
< Nas provincias em que o nuuiero de deputi
dos nao e prestar a divisJo 'Je tres por dblrictos,
taveta districtos da qua'.ro, e os ileitores respecli
vm vctarao em tres cidadaos.
Se a prcvlncia nao poder Jar mais de cinco
deputados, ha era um s do os eleilores em quotro cidadaos.
5." O numero de menb:3S das assembles le-
gislativas provinciaes tera utu a.ugmento ptopor-
cional au do deputad.ta aa:emblea geral.H-
Crar.a.liandeira de Hello.A. J.lkniLiuet*
Passando-se a 2." parte da ordem d > dia (ofca-
mento da miriaaa), o Sr. min tro da mariuiia,
.respoudeu aos prrfeed*ntes oradores, Srj. Rodrigo
Silva, Piiilieiio tiaimaraes e Ouiui-j-K'-trada I
ira. Drfendea -o regulameato das afomocMi &>
olBeiaos da armada e expbcou o metivo por que
baviani eido daopedidos os oogeabeirw que se a-
iliavam au :.tiviro d repuiicao a sou cargo
Quanto a aomeacao do Sr. corontJ Cardoso iunjor
p ira nseaibro adjuuu Jo conseilu naval, aio.-trou
oorador que nao hotivera iliega.iiaio aefte ssu
. a i. Depois Je baver respoaaicio a .varies topi-
cos do diocursa do Sr. Kobeiro Cuiiaa ou o favto uciMTfido entre S. Etc. e o ex-kUical
de fateada Julio da Gaoia : este indisiduo aao .
cliegou a exercer o cargo para que toa no-1
Dieado como addiio. Remettido jjrew para a po
iicia em raaiw de desaeat i j ratkadj e^j .-,4 i do
oradctr, maadou se %i<: se llu asi'Satasse pra^a oa
marinha, por nSo se saber se efle era effectiva-
manie dasertor. Posteriormeate decobrio-ke que
Julio da G ma desertara do corpo policial da pro
rincii quando devia cuuprir uma pena q.;j Hie
fora iaapoata peJo coaselbo de disciplina daqueJie
corpo. Scieate disto, maadou dar-Iae baixa e ;e-
meltel-o aopresidento da proviacia do Rio Je Ja-
neiro, afim de ser posXo a dispo6i;ao do comiuan-
daate da forea de policial d'allL G orador leu va-
ries documentor para moatrar qae Julio da Gaau
era utubim desertor confosu da armada, e (|ue
conseguira illadir as re-'pectivas aut jridad*!-, tro-
caado o nome.
A discussao licoa adiada pel* bora
Naaessaode 23, o Sr Slarlinfco Campos, pela
ordem, disse que tinba de fazer algumas couiiJe
ra^'oos a ropeito das iuforn.ac5Q3 maadadai a ca-
vexameji que esu-, aoffrenJo. os !?: lore* tfc'Jte il*-ptwtodwfc'
nas, e S. Paul-i : desde 18 dome* passado par, caV iar^'M *>b<*** ,-
ha em 'Qvlna 160 guias despresadas pelo co'osu,- ^teuiitfa.U'jaoipvicI
ladb d< corte. MfoWdYcttnnnikao.
Nao ba rmao ^ara s Begar despaoho de exio- k- juia nao tem o
va cu
luiio sabal[ colhido, so porque a respeciiva
i-/. vi'icia do Rio de Janeiro. Expoadendo tdto con
sideraedes, lembroe o orador o alvitre de oe4rar o
gqveroo geral atotalidade dos imoost'is detxpor-
(a;ao, dando depbis a cada pratMoia a ftott que
Tespectivaraeete 1be Dear. Disse. mais qae a es-
trada daferraft. Pedro II esla perdendo muito
ca(6 por eausa do ele vado preeo m areado 4 a sea
tan fa para o trrasporte dsquelfe prodnelo ;' citoa
outrosisM Tacte de exigir a strada de ferro pelo
tnmjtm desde a "rtrfe tUd-^bOn. liOlfr pdrfH)
cada alqueire de sal quo aifai no mercado casta
apenas 600 ou 7(10 rets, e coaclaio fedindo zo%r.
ininistro da-jtKSica qu^, oo.aio represenjpBJq^pr
S. Panto, o ajadas3e no iotuito de Tazer que sejam
a b, Bs^tfk- 4ta^^a^i^sissi^^B^^^s^^^B^i^^ssaa^^\ ^UA^^B^Aj^^^k^yp^t #lx^^^^ h s^^^^^^^dd^s^A-^ ^^^k aaaL^^^a^^^^b ^4m^a *^u%Ibi4aa a 4PV^44a^at ^
ros.
ny, Uiiariii ill- Iii4l\e^, Wrrnt-ck, Mkzx Lium.Xi df-C* aunis, em ^reia;o.-s Tffp-
Cirtos C>ta, e Martnho, para cotiferfawr as V{s*. sq juros.
iias' tes4\ irr.fioruiiie as*-ocia^*o, quo tiii *:'i-lap' ?'< *1." *Sra i preferilos op.'rariov
al*-piH;-todwri.'dii-(^ prcseot<,a qn-ilJkfwi, '-xt >i<%lo.'-l'ni los portugu'-4eWl
iar-iH*,>* hii}Ios dos auseoles fvefflMtj ]&&&&*, 'i ooliu it* i\niMn
ift'ejWtirvtt? irtq* c|-t*se meJica para di>e!r rrabalWi da C'5mmijjjao. ii;aa<-.dtf*>bes:ian:i >la>, hoi.ati'Was a t
sem veadmento.
no Para,
Foi rirorocada, por seis ai.-xo
ajceuc doTiuii de djreAo de
biadbarel Sfcisniajfit Aatoi
Arliits.ni se a afcida da^sto^fll idj ao juit
dedVeito JT>ao Frasjc&co Barte,rentsviio da co-
sswia de Anadia, ea pTo'Stueta das Ahgoas, para
a de Carnard, a de PeruAinbaco.
Marcqu-se o prsfco de try mases para entra-
rem em exejck)> *o\ iuA>* de 4*4?'l0 Anton:o
Jo.-e de Cast'iha eVirfttsV &1l*^re de F*tia,
toa^HSfsi^liespanii ilas, tioi.ati'lez.is e do*
da?TWerica, cjmo o Peril, Chile e odtrdi.
iepnif.aiuetn;
mn
erere-
Wa-Uti iiiuw-
iiitias.ifi.'lezia,
K-la dos
reuKivspos v
ft panta djk
etofo
Passando-se a 1* parte da ordem do dia (discus-
sio do art, 5 do projecto de reforms eleilo-
ML
0 Sr. Carlos Peixoto combatea o jrrtixo e a
eftienda, fatendo raTfas consiJerar^es aceYca da
froe.-alid.Kie do projejgo e -do dispoito na emen
A discussao Qcou adiada pela bora.
Pa?sando-se a 8" pane da ordem do dia (orja
mento do minist-'rio da marinha),
O Sr. Pinheiro Gftimaraes, depois do declarar
qae nao reclamsva a premio Munthyon para io-
dividuo a cujo respeito ialerpellara o Sr. mioisiro,
fez largas consiaere.^es para mostrar qna nao po-
diasn set aoeitas as explicapde* dadas por S. Exo
quando respouden a interpeMacfto do orador.
OSr. BiW^nconrt Cotrim disse ser effteiivamen-
te deploravel o esla to do aosso material flucuiaa-
le. mas qne reconhecia o empenho posto pelo Sr.
winistro em melhoral-o.
6 encoaragado Independencia satisfaz as vistas
do mesmo Sr. ministro. porque e'ta nas condicoes
reelarnada pelis necessidades da nossa for^a na-
val ; nao e um navio de luxo nem apppar.toso.
R-pondeu o orador ao topfeo do discurso do
Sr. Daine-Estrada Teixeiraem que eram c*nsu-
ralas as-despms feitas com concertos aos vapo-
res Amazon Mugi e Bahia.
Explicou a despeza feita com a roostraccao da
MFveta Sele de Setembro. Xeste ponto, chamou a
atteneao do Sr ministro para os ioconvenientes
praticos que r-sultam do dovo regulameot) do
arsenal, no tocante ao movimento entre as ollhi-
nas e a inteodencia que forneco a mr.teria prima
para as constructs de obras
Depois de vartas considerate* s bre o pro-esso
da Ibcabsajao a bordo dos n.ivios, mostrou o ora
dor a cuBveaieoeia de ser reformado o piano ac
tual de estudosda escola de roarinha ; bem com)
o Sr. dejulado peo nvoiJipio neutro, desejaque
haja alii mais c*tu3o pratico do qae tbeanoo, e
reconheite rpie neahum progresso fara a MM ar
mada emquanto n-io tivermos esqnaJra* de evo-
lUCOPS.
Falloa na conveniencia de auxiliar o min'.-teri'i
0; marinha apublioaeto do uma ravista innriti-
ma, redigida por ofBeiaes da Boasa armada, e em
qae, *mto olnciaes como simples mariuheiros, po-
desseifl beber noi;oes uteis a re'peito dos diverts
melhorsmtntosrealisados nas armadas dos paizes
mats ndiantados.
U orad ,r conoluio, lembranda ao Sr. mioistro a
conveniencia do reaiisar-se agara o que ja f. i ro
co'ilmrido polo proprio governs poam de sum ma
j'alidade para nos a rnudauca. da estacao naval
do Rio da 1'rata para Santa Catnahna ; nao ha-
vendo ja- receio que tenhamos da sostentar uma
lnta Baa] regides platmas, eta de; esperar que o
governo brasHairo nao se doscuidaria de ad>p!ar
qu.ialo antes aqueila aicdi 1.
A JiCOfis*0 licou adiada pela h >ra.
Por dearetei de 19 de agosto :
Coiicedeuse a gradoa^io do post) de bi"igal-i-
rp, ca forma do dupaato no 2' dj art. 2i do re-
pulameuto qie baixou com o deer.to n. 772 de 31
da man; i do 183i, ao coronet comaianlante do
1 batalhao de infautaria Joio AatMii > de Oliveira
Valporto.
Fui n >raeado 2 cirurgiio do corpo de saiiJe Jo
e\ercito o doutor em meJicina Atabalipa Ameri-
cano Frauo.
ConJeJeu se a demissa-i que pedto do servico-
do execcUo ao cayitao do. 3" batalhao do ariilheria
a pe, ll-iijainia Franklin de Albuquerque Lima,
en coul'ormidade da immedis,ta e imperial resolu-
i;5o de i2 lambem do orrenie, tomada soDro
coosuita duconsalho supremo militar.
Couceden se reforrna no posto de alferes, ven
cen.do o respeetivu so'do por ioteiro, em vista do
que dtspde o 3 do piano que br.ixoa com o do
creto de 11 de dezernbro de 1815, ao sarg-nto
ajudante, einpregado na co.'oaia militar de Saala
Tliereza, na proviacia de Sauta Cathaiiaa, Jose
ioaqnira de Oliveira, visto contar mais de36 an-
nos de servico e acharse impo>s;bilitado do en-
tinuar no mesmo servico.
F ram concedidas na forma da imraedir.ta e im-
perial resola.tao de o de abril do auno pa-sado e
do decreto n. 5,138 de 4 do dezernbro d-J 1872, as
hodraa do posto Je teaente-coronel do exercito em
que servio no exercito cm operacoes no Paraguay,
como cbefe da reparticao fiscal, a Sebas'iao Mar-
ques de Souza, e as de tenente ao ex ten ale gra-
duado 3" rlueial da extincta pagadjria militar
iuate ao 2 corpo do mesmo exercito, Elias Jose
I'-'drosa.
Por aviso de 1"5 deste met foi nomeado o coro
r.el do -riadii-maijr de ariilheria Jose Joaquim de
Lima o Silva para o lugar de menibro effectivo da
:ouimissao de mellioraiuentos do material do exer
cito, passando para o do rasmbro adjuncto o ma-
jor Caadido Jose da Cosla, coaf jrme pedio e foi
propo-lo pelo presidenle iuterino dadiiaommis
sad e commandants geral lambem iolerino da ar-
:na Je ailtlheria.
Por portarias :
Do 13 do mesmo mez, fui nomeadosocretariodo
corpo de estado-maior de arlillieria o eoronel gra-
dualo do mesmo corpo Pedro Fr. ncis-'o Nolasco
I'ereira da Cuuba.
Dj 17, foi nomeado secretario do esquadraode
eavallaria da prvincia do. Parana o alferes do
dito esquadrao Joao Faria de Oliveira Lima.
De 18; foram nr'ine.vlos: os 201 teaentas do 1
regimento de artilharia a cavallo Francisco Jose
Velho e Francisco de Paiva e Azevedo, este para o
lugar de quarlel raeslre, e aquelte para o de aju
danle do referido regimento, em subslituieao aos
I" leueutes graduados do dito regimento Joaquiin
Alves da Costa e J-.ao Rodrigues Morei.ra dos Saa
los qae obtiveram aa referida data exoneracaa
Jaquel'es lugares.
O alferes do 2 batalbao de in'aataria, Gerciao
Martins Cruz e Jaauario da Silva AssurotpcM
para os lugares, este, do quartcl-mestrc, e aquelle
de ajudanle doei! iJo batalii.aa.
Foi iraasfendo da companbia de eavallaria da
proviacia da Uahia para o 5 regimento da mesiaa
arma o tenente Jose Bento Pereira Tobias.
De 19, foi transferido do 17* para o 13 bala-
lliio de infanteria o alferes Henrique de Freitas
Lima.
De 21, foi aoraeaao recruiaJor na proviacia
do Espirilo Santo o alferes honorario do exer-
cito Antonio Joaiuna da Silva, qua se achava ad-,
dido a cumpaa'aia de iaiaataria da meocioaada
proviacia.
S. A. o S:\ onJe d'Eu partio a 2-j Jo agosto
para Nova FriSurgo, icompanf.ado pelos Sr?. ba-
r5is djClemeuttf e de Nova Fiiburgo.
Falleceram : a Exraa. Sra. D. Juaana Maria
Rosa, naai do conselhefro Octaviano Rosa,; o bri
gadeiro Luiz Jos6 Monbaro ; e Antmjo Gone lyes
Tiacca Junior, commandante do vapor Galgo.
Nj doming-) 23 deagesto, reuuiram-se na
rua do General Caraara n. 17, os Drs. Jose bdato
! da Rosa Moraes e Valle, Alves L-JbbFigueire4o
ilagalhies, Medeiros Goaiei, Macedo Snares, Jea&
Liao Perxira, Moua Maia, Anienor, Henrique Ca-
mara, Piato de Sa, Paula Cafta, Augusto, Costa.
Fazeida, Soeiro Goarany, Raposj, Aptonio .'ose
Moreira, Rjbeiro de rdenddaca, 'Soi6 Loureoco,
f3omsucce3so, Piaheiro Guede?, Vinel'i, Ricua
i'rota, Ferreira deAraajo, Gamier, Vilhena, Sa-
raico, Si Ferreira, Xavier, D. Ja3 da S lveira. Go
dov# Jose Murtituo, Sobastiao Saldanha Baeqo.J
Pereira Rego Putto, SJvino Gailherme' Teixeira,
Alfredo Rego, Hilaru de Gouvea, Werneck, Joio
llariuli >, Roelia Lima e Carlos Costa, com o flm
da estabelecerem uma astociarao que tlvesse
par bases nao so o .jutttvo das sciencias a:eJicas
c lino tanibcm o soocorro matuo da classe. Foi
atcliamado presidenle da aEsemblea o veaeraado
medico Dr. Joce Rent. Ja Bosa, que coartJou
para sscretarios os Drs. OrTol Cosla eRocha Li-
ma. D pois de uma discussao, em qua tomaram
parte os Drs. Antenor, Moraes e Valle, Figueiredo
'e Magalbies, Soeiro Guarauy, Werneck, Carlos
ultimas
fina
Lavada
Superior c
I" boi
1 regfrhr
I* ordtaarh
Btba
a ordinSTia1 '
t S 4* O itoverni, anias d-i re.ilisar qualquer
c-iulrato, colli^ira tiias as iufoimacous n esclaaa-
ain:ai. do* mloM-w (- eotwnle-i do Brazil sobre
as caai'Cues io flmpo, prefo e oatrts com qae
ia.ii* antajosaHlita po-safb ser aoatraladoataa^
operarios agriordaF. \
ObiiJas estaa infarmanl'i s'rjo publicadas
pe!a im;>rcu**.paa conliecim tat* doe ioteressados,
q-- as tunaram p.T base- de sua propostas.
Art. 2* O gowrn i atieoderi ins contratos que
celebrar com o agricultures a aoofenieacht de
prepararem habMco.'s para oa operarios corrMUa-
dos, e se res*rraffl o direito fie flscilfa*r o cum-
primeuto dos co aratos, quernor parte dn agri-
cull rttf, quer por parte dos mballialuret contra-
talo*.
Art. 3." Fica o governo autorisado para a
execucao dests let a faz-*r as operx;6es de credtto
quo julgar necessarias, e a expodir os regalamen-
los taspeetivos.
a Art. 4." Revogam se etc. Babia e sala das
sessdes 48.4.Olavo Goes.
A baroBetade Parajoassii, em .signal de ju-
bilo pelo cansorcio de sea, neto, o. com'uenJidjr
.*** Mrwiz IWrreto de Aragio, Kberton gratatta-
iiiefite a sua escrav* Lucreeia.
Pela presideucia da pruvincia foi saascioaa-
dn e pnblinaJa a lei n. 1,427, ttxando em 900 pra-
c*- a forca do corpo do policia.
-r- A Siata Can do Misericordia d% clJade de
Santo Aaiaro estabeleeeu am sala i paid as mo-
iners gravidas, subtuiuistraado-Uies parleira, me-
dfco e ir.ilaiiv.'uto. e dMWRMI a btneo pa
ra rec-atuano dos doeetas exiernas, loruecen lo-
Ides medicamcBtos graluit.ineoto.
Arribara ao porto da capital : o hiale inglet
a vap r Xcel&man que d'abi sablra, co u carvao
de pedra, para tSacliainpton, para limpar o ruadd;
o vapor ioglez-atumocdt/t, qua d'ahi sanira 14 dias
autes para Liverpool, para eonceriar uma pe^a d.
machina
O oegooiaale Jose Woto da S. Moreiras orga-
uisou ama saeiedado em cotoman lita, com o ca-
pital de ;t'jO:0:iUf que ja foi subscnpio, boo a de-
uominaca? di -Sociedala EJilicadora, cam o
liin do idilic.ir no largo do Caes Doorado, uma
pra^a de mercado, e da abrir uma rua qua ligua
esla largo a praca do Riaehuell", edilic.indo pre-
dios nos tijrreuos adjaienies, cajas proprietarios
aau > queirain fizer por si. Ja se acaava promp
ta a respecliva plaota.
Na capital grassavam fobres de mao cara-
cler.
Resumo da lista d.js preios da 3
a a. .ftlm de iraiarsn Jury ti rt-.5-ir.-', >aifi ireeora^i h-iili-n
3il Sr,. ituzes ile ticio. SarteadJ a c i.is -lb da
r9 Hj-
proaaii-
c ado no art. 205 do coJiga criminal.
beiislitio do asylo d-1 S. Joao de Dous
203............
34............
2*88............
;)G5............
434, 8378 e 130) ......
3054, 1041,2rb21, 413, 1431 e
WJ4...........
420, 1538, 853, *36, 2-47S,
3i9'J, 3087, 2324, 2094 e
12711...........
2JJ0, 122i,32U, 32, 2791,
541, 901, 767. 835, 6M,
17(i;, 1760.801, 1600 2->i3,
22.0, 1927, 97.', ft 10 el 141
loteria
8:00 I
wot
201*
mm
20*
10*
ill_______LLgS*

ara a curoarca tie .lacobiua, e p
era. i
es, sftbaaMTel !< MureHm 4>
Araujo Lei i Vega, removido, como chefa de poll-
ciaf da ffpvbiera de- Ha% Grtsso para a do Rio
iiMdedatai. .
Declareu-se ao presideme da provmcia ds Per-
Bamlwoc, em re?po.'ta ao effloio bt 86 de 45 de
iunho proximo lindo, au.e j^. I*ai lugac a iastal-
lacao da comarca dbxfaboXW pate juia etibsiituto
uilimawente pomeada, nem pole .elle entrar ja
ettt exeeeWe, Mnsierado-9e *m*nmM c imarca,
ate qua sa ipstalle, tprmo anoexoa da capital.
-^ISis *r Bottttas coritmeTeraes das ulti
daus ; -.. .._..
t'lfmetfas Ayrtr^.Piwco'se re baje, ai
oaaibiOi sobre baadaee a 48 3i4 d. sobre Airtuer-
pia a 3.17 e sobre o Rio a.30,(!0TJ.
Vtndeo HHtflbtaa desat par Mmgd>Uma a II
liS rls. fU. p >r fanisas a oavaa de> arvao de pe-
dra rw Mart/M a |2 ps. ft*, par t nHaia.
i IWfe-N uma barea hpnhobr para earr-y
garosMs no-Hia de JanoTo com desuaa aa Caaal
a ordem, a 37 s 6 d. e 5 fti!>diwipa.
Jairttooideo t*.~liinient eaaje saenram se
sobra-Lasateea 40,000 em caraMo a 50 3;4 a 50
3f4 d. eeibpo Parts- f. JOO.OdO dc5,33 a 5,->4 a
frs. <,0deobre Antaerpm a preja que nao iraas-r
pirou
c O mercado de exportaca-a ect9e pacalysda.
Freteuse a goleta iagleza rVMB; para car-
rngar madeiMs uo Rie-de S. Fr.weiaco, cumdosv
liB a n issa praca, por 4 *|40U
Bio it hmatra 25. -t> fhercado de carabio
cousommutae MMoi e lirmt.- BfiMMram se tran-
sa"cdes mais que regalares sobre Ltudras a 2<1 d
papal baaeMTo, 2t|S 36 3fN e-28 1(4 d pwticu
lar, e pequesas sob Fna-;a a 3GS rs. por franco,
papel bau.;ari>; e36l rs., particular.
>ida se far. em sobt-raoos.
t As apoTieM geraes d-t 6 0)0 contiuaaram a
apresewar muiia (iraieza e teudeucia para alia de
pivrro*. Jlegoiaram-se pejiieaos lotes a 1:027,009
e l:0H.*ji e uma partita m 1:035,60) a dmheiro.
e No tawoado de accoes apenas bos conston a
venda de um lote das-do liam-< Rural e llypothe
can a a 22i,000 e de outro das du Banco Mereant I
de Santos a 48,000, a dinhetro.
m veadas de cafe f >ram pequj uas.
c DepoiS tfi sahida da niti;ni pSqnMc norte-
ameruraav yerrderainse 214,9>'0 saccos Sendo:
Para osEstados-Uuiios 12i-,t509
Para o Canal e norte da Earopa fii,200
Para o Ciba da Boa Esper3a{$ 9M9
Para o >rednerraileo 6603
Para varios pdrtos WOOD
A existehcia b iji o de HO'.OfW sacc-ts, contra
40,00) em igual dati do mez passada.
c Para nfeltior campar.if.aT dos precis damos
com as cota n5es d; hop* as 'tj^er vigorsvam a 25 Je
julho finido:
'"25dVfntin 2S ovp.tfo
OiOOa ?,20> 6,800 a 7,500
6,810 a 7.1^0 7,l"fVa 7,500
G,\m a ee-iO 0,-)50 a 0,700
6,100 a 6,250 6,1#0 a 0.-."lO
n;m a wyy ,1,400 a .7oo
4 SHO a 4,6'i0 4,700 a 4 830
VOW a 4>'(j 1,0 H) a 4.300
A tendas de assucar effectnaias h; lora n
regirl'ares-para con-iHiia. b
- A iffftradbCa renJeu de i a 25 da 8*> 2,820:420*58.
MrNAS-nrmAes.
SeguiiJo uulieaa u Uitirio de. Minas. saiiio 11 >
Jia 17 d.i ciJade de M.irianna para e.-ti co.'te o
Sr l>. I'ebo do LicerJa, Uspa da diocese do Rio
de .liaeir.
S. Ex:., ao paasar par Ouro Prclo, ttoa a oalaj
cio cumprimeatar 0 vice-president.; da proviacia.
I.e. so no iJi'irtu tie Minis, de 18, mO a Upi-
graphe capluras tinptHtaMes :
a U captiao CarUxt Augusto Hiliuiro Qwapw,
conmanlaale da lor;a rUifinadi nn h.jJo.io
d'EI-rei, e incuaiuido pelu Dr. cbefe de policia da
provmcia, no dia 4 do cor ran la mez realisau, 110
ierma da LajMjL a 7 legaas J; distaocia da ci-
Jaile, a prisao imporlanle dus criiniuosas Jo.iqaiai
Th i:naz de>A mes Gabriel, Tnoiae, Joaquiia elCaiuillo, lo Jos pro-
uiuiciados uo rl. 192 da codigo criminal, 0 pri-
meiro coma mauli.ule e os demais cama mauda-
laii.is do !irbaru assassiuata porpeUado ua pess.ia
do uii'eli/. Rellanuiao dc la., e qae, v.'u iiiilueucu
e pratacajaji de qne gozaa a paella criiniaoso, fa-
zendeiro abastado, se arliavaiu ia.punes e tran-
quillos, zoinbando da acfiao da jqaiaca, de,? le I8J7.
por isso que as autoridaaes locaas, ua falta de re-
cursor, nau se abalan^avam a pronde-los.
Mil louvores ao ciiefe da policit, Or. Francis-
co Maria Correa de Sa lleueviJes, qua ro carlo
espaco de sua adunnistracao policial ja tem dad;
exuberant-.* provas da ser inaausaval pcrsa^ui-
dor des ciimiuosos, conseguiodo, pelo acerlo das
madidas empregadas, a caplura da naa pequeno
numero delles, e de qua sabe comprehen ler a
altura 0 iinporlancia da misao que Ilia foi con-
liada. Mais algum tempo de sua iliuslrada e eaer
gica admau'ttia;ao, e a proviacia ver-se-ha das
as-oiiibrada dessa liorda da assassjuon qua in
lestam us municipius, com meuoscubo das jul-jii
des e das leis.o
-1 Por uma escalla, que desla capiui lez taguit
0 Dr. chefe de policia da.provmcia, fji cap'.uraJa
no dislrielo da Rocjis N'.vas, leruio de Cae'.e, o
reo Francisco Ferreira Fraga, con ieainadu desde
10 de fevoreiro de 1859 a qualro mazes e dous
dlas. de prisao, e respousavel por um crime de
1101n.uaJi j, pr.-iiioaJo ba uiuilos anaos no mesmo
lenuo. Eslu criiiiinoso, pela pruleccaa do qaaga-
zava, vivii traaiuilioe sem re:eio da policia.i
t Uiariaiiuula vao apparecenJo OS rasultauos
das ac ;iuJas medidas lomaJas por S. Exc.
Noticia 0 fhnrtl da Jaiz da Fora, em dala
de I.' ateiii:
a No dia 18 do correa e fai assaisiaade por am
seu etcravo de nome Raymuado, o alfores lloao-
no Ribeiro do. Aiuu-iJa, iaieuJeiro da districto de
S. Fraacisco de Paula, lermo desla cidaJe. Eis
como foi pniiieada o crime, segaadu as d.^iara-
cues do assassino, que 0 eonfessou. com lodo 0
cyniamo.
a 0 MMMMM mandar.i Kaymunda levar a
comiia aos trabalhadores na 1 o;a, seguiado elle
pouco depois para la e ordanando a unicrionlinho
que liie lovasse am. animal para vollar. Em, lu-
gar de dirigir-se par a roca, Raymuado esperuu
0 .-eahai n) eamiuja e a traicio, quaado e.rie- ia
passando, descarregou-lhe na cabeca uma pancada
de fuuee, qua.'0 pros iron, cab iujdo do brucos. a
asf laado 0 r -to na caio ,
< Depois dalle mono, virou-o para emia e se-
giiio para a rjea, oude eontiauou a iraaa'Uar com
os ouiros. 0 eruuio qua Iraaaa o aunnaJ, eacoa-
*i ia jo 0 cadaver de lljaorio, deu 0 alarme, re-
cafiiado immediatainenu as suiaaaitaftsrmr,aRa4n:;r;7da noiie; os"egundo coTicerto dadspoia ban-
maado, que ja bavia mantfealado a mUKaa d* ^ de musica allema, em benefieio da Santa Casa
.IsKiifiara Camik'-ircIskT Seat.:8- qa.nl.) 4 prineira Oavi-U. qa nao o-)i>
1 au mu-
. lt)r-^HFt|B dMjfBBnaiifBi .#:, ti*m a I fit axioiastis d^sti assoei.ic 10, abi-lnta >U f ,a .!..> lies, iliu'uti aii a
senlangi f>i submettido a iuigiannto q
rioel de Barros Braga, 'sublito fiortuguez,
cado
m
saaie'in;: e\-iiif.. qa o eital> avi~ .1 l(>
ta (-am*!-la 1+ih iipwd.-a*l. r./m > c,n*.ah-,
*>'> a,M iJo Ja :i,i,.aaui StusOa ptiiK caacibaa I -
ss o ri ;or d 1 jei Oj.* de. Q 1 ao to a 2" dan Ja, qae o recnr* 1 d> jraea,
d 1 mesmo awdo qua 0 de revista, nan M-pead-* a
Mdo u eSaito
_|UJ > a p#aa
cipiui,emfir.no a d-iutriia das xtmo> n-. tj j-
a absalvlca-i do 22 do janer. de 183 i e JUS de 24 du uiiliii.ro de
ticupoa-se da aeeasaca > Sr. Dr. 2 pro-oul-tc axe; i;i d j- iiiaitM < >
lico, e da defeza 0 Dr. Ja-tia, Autiau de susji-ndvi d iveurso J graf*
^asultando da decislo do jury
ran, par Iba tar aqu-ilo raeoaltecid) a ju^jiiicitiva 1871, emli r-vi-u ale.a da pena e*t>iui. a< J<
'fffft 1* do art. 14 do m-sma cadlg) cnmiual, a dgrodi e gile*. n>ier.aas d-> art 7 da lei I
ordem de man.dada sastar pelo Stm. Sr! preiiden'.e do terceira Juvida, qae 0 rewrsa d-- graca pjl-
fo
tribunal, p ir elle appellado da masma para 0 tri- j interposto em qual pier terap>, d4e que a --o-
buaal da relacSa t-oaa de ac/tatea 1 -nna p issado em )algd... !ej
Aaauaaiitnd*.-Em 9 do correata, Them> guarda a V. Esc Van W Anttmio Duaite dc
IheoJose" da Saal'Aoni mitou Ionacen;io Jidda Aseetdt. Sr. presiliat* da pnriacit da 1'ira-
Jlello. no termo de Buique, senJ> preo inai-. i hyba.
diatatBeute. 0 respet.ru ioqulrito poliiial teve 0! Cont-'araraj aMMMkRh Fa.
aoaaeaaHata flasio). lagtaoiado p .r S.'M. 0 Imparadir da AllemaBu
Dinltciro. 0 vapir Merrimick traaxe 0.01 a ..rJ;m di Ciroi Raal d.i Prau o Sr. Dr.
12:0005 para Joaqalm IT. Ferreira f Jlenrique Xaegeli.
0 vapor Cercantrs troaxe para : | Apurnmento du ccaso. O I Ml d*
Joao Licio & Filbo 4:0:K)Ji00 MoraGfli feua 01 diracnna g ral dieaiahMM,
Joao Quirio0 da Aguilar & C 3:500*000, ate 0 dia 24 da currant-, era d 1 8,i31,ot baUtaa-
Jasc Rodrigues de Sjoq oOOibOO tes em t.-do o imperio.
0 ;ujsina vap-ar lavoa de nossa
Parahytaa
Caara
Maranhao
Para
Para a Enropa. -Cora 12 recabi-Jos em j Macao 0 a/i italiaao .Vis >.'.( Ci a 1..
praca oara:J. itrrovan trageji:*. I* ,u f.lha p r-
Vli-JStlO ragueza rif-wa a-fai nr:a o-.i .p: hap
3:470*0 K)
3 2l8i'.4l
mais Je J m* m/.,s lava pjr U-istrj 0 g* >
oceano
4:0:W3000 X, dia 8 d:|i:ha oMan sihia d-.
R3.' I
aa-so pcrlo, levoa o vapor Potosi 160 pxssag-iros. lalo pir '1 1 Iman'ij, c miazfa 1. a sea t. >r:
G;vallv rartitdoa.-Na sabJelegicia do \ctolics enMaaW BMI.1.. conn MjM
district) di Peres, acham-se dapoiitaJis dus ci [para C*lla, 8,000 ait dee com Maaa Mea-
vallas, s.mla um eastadnd e oat-o ca?tanh) cn-cit,' diariis. Ao ca'-> Je J -us .b.i? d-i vug. in, 0 .a. r-
tamaJospela raspe.-tiv.i autariJaia a d us ladrdOi, jprtte debar-fo dc^coftrla 11 oa on-pir.i,i. eat
REVISTA DIARIA.
VsJturl :ta(tn i>)f ci:il. P.ir parlaria da
pretidencLada pBoMseia, de IH de agosto, foi a)-
meado 3' supplan e d> subdelegad) li fregaeiia
do Bom CoasSbo, PeJro Cavalcante de Albnquer
q' Sobriiiho.
Uuarila local. -Por parlaria da prosidan
cia d.i proviucia, de 28 da ag->slo :
Foi d.-clarada sem elleil) a parlaria de 31 do ju-
Ib 1 qua r.'.maveu o sarge.uto da guarda knal das
iftuoieipios da Ecada e (lameilaira, Minoel Joa-
quim de Lima, para 0 de N izaretii, par naa ter
a-eilid.i.
Foi aomaalo sarganlo di guarda local do ma-
ciiiio de N.'i'.arelb, Joaqaia Josj di Cosla M-alla
anapurlaatc melhoraaacnto. N-fira(BI
Maiciativa e esforcos da Sr. caaimeodaior J..a-
1*im L'pas Maeaada, digoo pr>'sidnale da A-so-
Vtoeao C>:naiar:ial Benalicaate, estiiu V em M8pd>
ras d-i satisfa^iio de uma necessidada di que ha
Mi|to se rasentia esta cidida. Traia,e.se scahor
d.i id)!en.;ao do mai 1 de regular ao cert* a bora
merediam da 1'aroaaibuca, aii n Ja acabarmos
com a iacorl za ivn .jue tarn peito. a falta de u::i observit.aio regular qua a de-
Urmiaa
Asetm, aeaJn 0 Sr. Machado da conseguir da
prasjdencia d provmcia a colloca^a) de uni pe;a
cavenionte a lal servico, em- lugar aprapria-Jo do
aasenal da marinha, aoompanh da de passoa com
pelen e a mimieia-la ; e d ; campa ihi 1 talegraphi
casubmanna, a de 1111 lio especial, que, pirtn
do de sua estacao. onde ha o precis:) apparelho de
objervacaa. e iodo termioar no ouvido dajualla
[)e;a. pruduia, par cotnbu*Uo electrica, a indica-
paa da bora meridiaaa com a denoucii) de am
tiro da mesma pe;a.
Emqnaala se nao obtem do eompetente ministe
rio 0 foroecimeaio da polvora nacessaria a osse
servico pablieo, pres'.a seaindao Sr. Jaajuira Lo
pas Machado a da-la gratuitameote.
Brevemento, scgundo nos cousta, camecaremos
a goaf desla malhoramento, pela que so uos resta
levaut.ir em lionra aoacto do Sr. Lopes Maenad'.
f>s pastas louvores de que sao dlgaoa todta aqaol
I"?, qua, como S. S nao descuratn da promover 0
progresso 0 engrandecimeulo de seu paiz
Heniiimcutos. No mez de agosto arre
cadaram as seguiates estacoas liscaes :
574:4985849
952:55'idflftl
45:5305909
6):9d5i737
105.9J659F4
67:3395400
16:0895087
25:6035 i2 i
mara pelo Sr, winistro d 1 fazeoda, acerc.a de guiai 1 Cosla, foi pelo Sr. presideute nameada uma com
de cjfi4. 'mfssSo composta dos Dc?. Anienor, Soeiro Guara-
auiar 0 =eal|jr.; pte.-^ coqfesjjou tudo
seado procesiado.
0 crime deu sa,nAk>14r.dl#lBinado Fanil,
peito da fazeada da.. Pfe(Mlla04, -PwiuaedaJe do
as-as-:iaa-lo.
IMlla. I
Os irabalbos prorogados ate 31 de agosto.
-' Na sessao da 19 forap approvadas as iudscagoes
para que se represente ao governo imperial no
f sentido da re;"orma eleiloral director e sobre a na-
cessidade urgaata de auxiiios a lavoura.
Na sefsJo d'j 26, o Sr. Olavo Goes fundamentou
a mandou a n.esa 0 seguiule projecio, qu^, a re-
qaerimento do Sr. Baggi, leva logo 21 leitrjra para
entrar aa ordem dos lrar>alhus :
A assemblea legislativa decreta :
t Art. h* Flea 0 govern jdlprovineia auforisa-
do a dejpeader ale a quantia de 200 contoi de
reis para a introduced de trabalhadores agrjcolas,
sob aa seguintes bases ;
!. 0 governo median'e coutrata com agri-
cullores da proviacia adiaatara ale dous ter5trs:
di qttantia nacessana caraa injraduccio de cada
un operario agricola, .calculando-se para islo as
despezas a fazer eom cada rjm delles dosde 0 pon-
to da parlida ate 0 da chegada.
2." Por sua parte 0 agrrcultor se obrigara ao
rofltnbplso desso adiantamento, prestanlo para
8S59 (Im a' rjAfanlias convenientes deniro do pra-l
Alfanlega
Em igual mez de 1873
Recebedoria de rendas geraes
Em igual mez da 1873
Consulado provincial*
Em igual maz de 4873
Onpalazia
Em igual mez de 1873
>oticiM da eorte. Recommendamo3 aos
leiiores a imssiva de nosso corretpon lente no Rio
de Janeiro.
Vapor Ccrvautea.-E.-Jc vapor, quo esteve
em nosso poi to, frelado pala compaoltia Brasileira
para fazer a lerceira viagem do mez de agosto ao
uorle do imperio, e um lindo navio, de boa inar-
eha, e de commodos aeeiades e confortaveis. Fez
a viagem da Rio de Janeiro pela Babia e Maeeio
em ciaco dias e boras, 0 que poe patente as con
diodes em que se aeha.
Noticia de tn:4o a.!.'.'.' destituida
de fundameoto a noticia espalttada desde sabbaJo
nest a cidada de achar-se gravemenle doeate 0
Ex o. Sr. senador conselheiro Jose Bent) da Cp>
aha e Figueiredo. S Iv\:. escrevea a sett irmao
n'um dos nltirais dia< de agosto.
Ti-anaporte W^rn'crk. Sahio hoatein
a tar Je para o Miranhao, eondutindo 0 Sr. Hawks
'haw e a commissao dj aogenheiros quo procade a
'esludos p>ra mei bora men to de por to 5 do Ura.-i1.
Concert u> musical. Dave realisar-se
am inlia, no larJim do Campo das Priacens, as 7
0 esla dt! Misericordia do Recife, com 0 seguinle pro-
gramma :
Parade Marech, de SeiJenglaoz.
Duetto da opera rYwwn, da Belline.
I'otpouri de Uedgrkrmz, de Beker
iWalsaaus Hxhwalds greener Bergea, do
Fausto,
0'tfflOUW Aa.^aiJ'aeidM &m#ouz, de Soppe.
Pulka da mesma opera-r-d* Herzog.
ilarcba dai- opera Tannhauseis de Risardo
Wagner.
Cavatida da opera Alt ilia, de A'ardl.
Walsa Os Hydrophatas, de Gaogl.
Potpoufi- da opera A Ttaviata, d Verdi.
Galppe po{ Gremmai.
Quodtibet por Hoskau.
Ilaverao caJeiras e ban;os em gcaode qaanti-
dala.,
\tiva pnbTit-acaa. -Racel^flmoi do Rio de
Janeiro, um peiuouo fofheto-Rffl&ryts de npi sa-
tjtorii rehtipas-aq Ihro'Jerusalem'n> monsrnWj-f
Pinto de Camp is. n) qual so pabllcarn diversas
carla* de' aaWisaMW ,'escriptores, conro os 8rs:
barao de Santo Angela, bajfo de Araguaya, D'
Antoaia da Costa e ccms^rreiro Viale, elo'grand 1
essa importantt! obra, e eollocaado a a par da? Are*
Ihores do genero. a atilor termina resrldndan-
do a* accasaefies f.>ftas ao moa?nhor Cuopos, com
a propria? pala.rra< do sea ivro.
Agradecem-'s a olTorli
quo deciararam havel-os fartali nos engeaho<
Jane) e Yelladi.
N1 sablelegicia da frejuazii da Varagt
acban se lambem deposiudos ciaca etraUos, sea-
do uai alazao, cam a frent-i abirta, outro alaz'i),
com umi e-trella na te rugo sajo e oaln rugo pelrez; os qaaes foram
apprahendilo* em p der d: Mmojl do Bon Fi:n,
6)3)0 stisp.-itos da serem furiados.
t'adavcr. -Em 20 da correate, H>i eneoatra
do em urria matta da termo da Garnnh :n, 0 5a-
daver de u na m airier de nima L'tna dos Pra-
zeros. Da vistiriaa que n> m;smi psandia proce-
der a policia e Hihga;ois a resaeili, vanilcoa se
ter siJo es-a muiher assassina la por sea raarido
Lttiz Lucas da ?ilva. 0 qua! f ji logo preso.
At) pe da cadaier da Luizi euontrar.m uma
criknciaha, lie p>u^a depois fall;jea; era' filba
tesja ia'eliz.
Partatlo CocIIia. P.i)u no sabbaJo para
a Europa, a borJ > do vapar in<;:ez D)uro. 0 artis-
ta -tramatiM L. C. Furlado C Vho.
Fcrimcnta. E-iviam-nas 0 seguinle :
Foi,feriJo domlogo u timo. na aorta des*as se
nbores os uegociantes M mtairo Guerrero 4 C, n
escravo Pedro, p puo e les jrdeir.) d', pr flssa >, na occasilo em qn-'
se racalbia aq quartil a raa -ica dj 2 bata'hio da
lin'.ii, ,-is 7 c maia haras da noite. 0 asac>ino
n*o foi preto e nos coa>ta qae a policia nai e sa
beJora deste crim;, pois o; senhoras do escravo ta-
maui n.ida paderem fizer, por nao ter c-ta m'.j
preso em llagranta.
iKi-j'ja da ttloria.Hor.tom pelas 5 hiras
da tarde, cj;ne?ira:a os excrcicms rcligiosos do
mez do! j.-os.'.
1'iiiui'ii Ver.le. Acha-se funcciouiaJa a
escola publica ddssa lo .'alidad', na raa do Pr n
cipe n. I.
Soclcilade proposal!ora, -Em 27 d-
agosto faucciaa-m 0 C)a re presentas 8 de sens membros.
Depois de li la e approvada a acta da al'.ima sea-
Mf\ torn iu 0 casein > coa'accimenta do sogmnle
exped cr.te :
C.n olllci) do c.aselheiro Manoel Franciso Car-
reis, agriiecaoio as benevolas expressrles qae Ihe
foram dirigida; pjlo caaselho superi r, em virtude
do quo h.i feito em favar da caosa parque tanto se
empen'ia a socialade prjpagaJor'. Maudau se
arabmr.
Outn da Sr. Gustavo Wertheimer, agradecen.lo
e aceitaa lo 0 litulo de socio honoraria, qae the fd
ra con'erido, e hypothecaodo seus sarvi;i3 em fa-
vor da sociclaJa. Manloa-se a chivar.
Anitas ns. dos jornaes Cent-fine Je N.ica/, Tt-
mettioSi [oli redaccao. Foram remetlidos para a
oibliotheca d) Moatir >.
B, passanl) a orJaaxdo Jia, foi li-Ja e appro
vadi a seguia'.: anew, Ja E'ca. Sra. D. U.-sulina
da Silva Oiiveira, v.aa-prasM 'nta d 1 inaim> on
'.-elho :
a Cmstanlo Ja um artigo publicado en um
jornal da Pianby, transeripto na Diirio de Per-
Mstoooo da 21-do corrcnie, qae oassa cans cia e
comprovinciana, a Exin Sra. D. Candida Lamenha
Lias, Dsposa do Dr^djlpln Lamenha Lias, presi
dintoaaqaella proviacia, craara alii u:na sociela-
de pralc-7tara da infancia dasvaliJa eomposta
exclusivameate da s-.-nhoras, cam 0 lim de prover
de vestuarios e Irvros as criancas destitpidas d 's-
ses meios, para poderem fraquentar as es:olas, pro
poaho que este canseliio se dirija a mesm. Exma.
Sra., felicitando a pelo ado luuvavel.que acaba de
praticar.
0 Sr. Moraes Mell 1 apresenta ao conselho s-ape-
rior um olD:io dirigido ao daseluo parochial da
Uoa Vista, pelo consocio Jose Fraaciaco Ribeiro da
Sauza, no.q-aal declarava ce-sar 0 offiTeeiracnt'
que fizera de 30 lugares no seu collegio desde a
1 b-iall.a.Ao da sociedale, por ter tr^spastado 0 do
minia e po^se do mesmo c jllegio ao con.'go Augus-
to Adolpho Soares de Ku?cd, co.atiauando, porem,
com 20 lugares a disposijio da sicieJaJe na aula
particular, que tem a rua do Vigario.
E 0 conselho ten io sciencia deque nao so na
anno proxim > liada, co no na correala anno, erato
aqaellas 50 lugares preeachilos gratuilamente em
favor da sacieJaie, leud) 6 daqu.-lles alamoas
feito exames de rtiveraui prcparaUnos na facul
dade, e .-ida approvadbs, resolvea por uuaoimida
de que sa Iha conferisse 0 tilalo de socio boaora-
rio, e se Iha ofBciassc agradeceado os relevantjs
servicos que rrestara e que conlimia a prastar em
sua aula particular.
0 Sr. Dr. Pinto Junior, par parle do conselbo
director da paro^hia da Qoca da Paaella, declaroa
3ue na dia 11 de agosto, aqueila caaselbj lorooa
ebalxo de sua protacglo a esc ; 1 da sexo famini
no regida pela Sra. D. Auna Joaqaiaa de Barros
Waaderley, no lugar do Eacaaamento, a qual ia
ser fechada par aio terem os pais da atnmn.is
reearsas para caatinuar a rmate las na escola.
0 queo meiiuj caaselho cjn*egu!fa daqaella se
nhora qne a sua escola passasse a ser mixta, sen-,
do nella admittidos ra minas e uieniaos ate 9 aa'
aos de idade, coacedeala-iho daas gratiflcacdes
uroi menalm;ate por cada ataraao que freqaan-
ta-se a.ese il.i e oatra de ciaco mil reis par cada
alivmoo quo tos de livros, papel e 0 mais qae fosse necessario iia-
ra 0 easino.
0 coo3elho superior delibarou qua so touvasse
0 conselho director do Poca da Pan^lla por mais
este importante servijo pres'.aio a causa da ins
truccaa popular.
Assira deu ocoaselho par Unniaada a sostaa.
Lux -Acaba de cbe^ar da Rio de Janeiro, 0
n. 4 da revista scieniifico-liiteraria Lux! Como
os precedent s esse numero vem cueio da iatares-
sanles artigu sobre sciencias, lilteraraturj, poe
sias e noticias variadass,
Minlsierlo da raarinua. Por parlaria
de 18 daste mez toi nomeado 0 1 teneata Manoel
Joe6 Alves Barbosa nara servir como oageaheiro
na offtcina de ma;tnna- da arsenal da marinha
dasta carte. E par outra de 19 foi nomeado 0 ca
pirao tenente Felippa Firmiao Rodrigues Chavas
para commanJar o brigae-barca llamaiacd.
Em 17, este murlsterio approvou a nom^acio
feita pelo Dr. cirargiio-moi da armada, do 2' ci
rorgii) Dr. Manoel Lidgero da Oliveira Campos
para servir oa divisao naval do Paraguay.
Sentenca de acoutes.-U minister!) da
justica dirigio a presideucia da Parabyba, em 20
do eorrente, 0 segulnie aviso :
Ittm..e Exra. Sr. -0 juiz de dL'eito da comar
oa de Marangoape, represenlando sabre 0 facto de
ter 0 respectivo juiz municipal dado execucio a
uma seateaca de acoutes contra am reo escravo,
n*o obstante o recurso da graca interposto por
seu curador, suscitou as duvidas seguintes : |*
Sa a suspensao da pena de aaontes, d que trata
a ultima parte do aviso n. 363 do U) de junho de
I8lit, imparta a cass.^oaa absatata do castigo; e
neste caso. qual a autoridade c >mpe!?ate para or-
Maoa'-la; 2" so-tem elreito saspansivo 0 recurs) de
emigraatei In.i '.:>. !>ir s.j a^o li-r.ir*m d > '. r-
ca. 0 eapitao mialia li;a mait-r n> parao 1
tade Aos coolie*.
Na dia segaiute, p-r.-.n, 'is m>!aales q^i- e-tt
vaiBliarberti armaram-se de MM* part: I -,
acas, iiTm e r.'inu,, e precip.'arjm-e 1 b'e a
giaraiyi,ajrm rosMBjM haMOa I gi mm >-
piugarilas e lew .Ivers sobre s am-aiiia 1 -s
c 0* c uli-s co reran pan a fin d.r;a-
deiMBaaa baa fas aa ommmjb d qoa aMhjwia-
cia acudissrt as Mbas para atioapa* a Mic-nlki.
N-j catriiantu ae MrihM iiiam so botm ^uhai
os cimpaali..- r .s BMBM e relorjad s pet aMa a--
sassinaiiatn a tripi-laca-.
1 U commandante d> nivi', q'i: p-r-.-b 1 >
plaio, em fez de iiiau-iir dar M M ubi.-. I.:'. ig-
ual para qua fadertaoeai ao mr aa waalaMaja
iugio nelles c-im parte la gente qa- inn ma
navio. Os qua IL.iraai a bud a, mm a tin J' >
despeaiseiro e u intcrprete, na > p-d-r.1111 ..hsiarta
q :e 0 MSeodi i sa coma;MMI as maieri m mi-'D-
diavais .pie inn alurli; h uve 11:01 expinsa)
ineJjulia, e ujMvtie fji pel ,s ares, a MM 11 H*ai-
lV)i del tripolaai-; qae .-u IMMM MMtda
escaleres. com tula a g-n'.e qua lican a tio.-Jo
cerca d^ 700 pbmom I >
Feftta llllerria.Lemos no Joi*.l J-
C iBMBMM. do Rio <\r. Janeiro :
A caivite do Sr. cunselbi-iro Jo-c Fed
de Casiilh'i, peoaMM hoaH>:i) (23i m Mlaa ik C ab
Mozart Bunierjsa ebrilhanie kwaMaMi de mM
ras e 1 -avalh-iras, eatre os* quaes se viaiu mui..
dos cultures e a 1 igos das noas b itras.
A's II luras da niauaa rbogarain S-. aid.
!mperi 0- aoimpaahadai de >eus sein..n.ri -s a ea
traram no salao ao sun do hyaia naci >nal.
u Execnl.iu se enlao urna 'yaij-honia -. .:.. #-
gaida 0 Sr. cwiselheno Casuln > aa Ml as tU : 1-
i;ao ex|iozqal o li 11 daqa. I la rt-umio. Use sabV
metier a ipr.:ci;i\'ao das pesois presti-.i -
urna das teniativas MM pelo MMi deCaatiU
p:-.ra nacio ali-^ar ni lilteratura p iriugu-z^ as p-.-
dneco.s dos grand.fs eage.ahos e-tr.niii in.-. .a-sa
prooodor a lai'.ur* bm wriadoMaaaM de mm
t:.ulucf.io do IIMMMnajM de JI here, mas io!e
upia collaoa(M destaadmiravel e pr fund 1 ts:udv
do pbil is.ipho manJista n nosso tempo, ve-.j.
com a lingnage n dc atria, MMhatMMl -i-ti
de confoiiiii lade con o.-.u-o< e costumes cmh!> .a-
poraaeos. Exilic >a tajyid m-ute a acc.a)i*ac>-
meJia, e analys >a em largos trie. )> eararw d..-
diversas pers.jaagaiis ijii" a Ha apparecaai e mo--
troucamo cada u 11:1 d.-IUs e uai hpo aca: aj .
Depois de algu:uas coasider.i.." -s wM e g"ni k
Jtulicre, coneluio agradecen io a uas mag-?t 11 -
e as demais pOMOM piaseMK o tcreui ac.--1
ao seu cmvile.
A palavra sempre animada J) Sr. con---
Castilho foi 0 brilbaate pratag > Ja (eata aau
seguir.
Oaaiecou MtSo a leilara da comedia, racar-
reganJo sedo re,:ilar a* div-rsas fal.'as, ;.l a li-
tres seaboras, sojos names na > aos jal/am n aalj
risadas a meaeianar, os Sr-. me h ir m C
e Cardoso do tfeoezes, Dw B weh Varel x e E-
crignollc Tannay. Eruato Cybria, Ferreira fc
Sampaio a doas javaas.
Nos intervalios dos cinco act s da omedia am
c-jro compost > de oito sen!; >ras canton uma n;
sa preahtera : uma seohura reciton de um 1
aairancar do auditoriu fcrvonxMS ai-
poema de Tnemat Ribeiro A Cunnde; oatra
saahora ,-autou uma gracitea w dea e o Sr Artbat
Napoleao ex-.-cutoa ao piano c-.m a h.ilet u! n ->-
Ilia uma dilli*il pQ.a de Concerto.
t T-iiiiiuada a ieitora, 0 Sr Tliomaz Ssl iai u
eiton, oil italiam, 0 aJmir.ivel oaema d" '
qua todos continent e aiinirai'i. c mnitos sa
Bed*: Os ci'iiit.'s do barJo. Paaaaale p -l-.a la-
biosd) emiuaiite arti-ta a- iaipreea{d -s .! I
as saa phrases amuro*as, os StMaiaoloa
que Ihe agitam a alma e a torturam, e qae '
Iho tao bem descr.-vca, ad juinraai n>vo tig r a
extra -rJluano eobmda.
Tanto quanlo se poJeaprociar n:n tra!
litUsrario da lango folego e.n nma prim-'ira aj ji-
c'n, 0 Mis imtln-jpi, do Tiseanda de Cast
niiis um il >r.iu da sua va-ti coroa de poti e tra
doctor. A phra-e p -rtugu za de cunlio, 0 .--
eaergic, clicia c smara, a |iropriedadede expres-
sao e das imagens, todos esles dotes e ontn.- BJM
tanlo ivu'lam a> dtsliacte litlefBta, gloria do a
paiz, paleateam se na imilaea 1 da Comedia de M-
iiere. Sa tem ella defeitos ni) os p)lemos de-!
brir, eolevad is taUvz pel.) cn.'.ntoqae no* in-'piri-
va a leitura feila cm garal pr cavalheins conh-
cadores da f irmasis-ima liagaa p irlugusza c ha-
beis n 1 mancj.) da palavra.
t Djrante a Icitnra m il se onvia 0 respirar da
aamerosa asserablea; l.las estavim snspen*o
dos labiol dos leiiores, ras um oliiar, um MB, um
acena, un gesto iadicavam que do pa.-sava ac-
cuito un psnsamentj, desapere.-bida uma bellexi,
daspresado um conceilo : a idea e a forma tinham
alii juizes campe'.eat-s.
t A festa litieraria c ariistica de honiem iai naaa
das mais bnlhantes qua MttJJ prasMtisit; assiai
Jeviaser: pre.-tava-o hinecag-m a.Mul.eieea
Cast Iba, nomes que vivc a> era]uanlo as I U as
livarem cullores.
Melo circulanle. 0 amci4/i,di.-cut:ode
a nova loi amencana sobre 0 mai 1 circulanle, fez
algumas ubservacSes a respeila do papel roo geral que n.\a dcixam de ser applicavci* au P.:--,
e, p iriaulo, as citarei:
Hi dous topicoj da lei que se deTe tor em vi-u
!. Qao nio prejudicara seriamenie 0 progresso
natural dos Estados I'aiJjs, 0 qual teole a nraa
vo'.la ao pagamealo em ouro.
Como rautlas vezas lemos moslrad), dabaixo da
iaflueneia da lei aniiga, aqnelle progress) era fr-
me e iuevitavel.
E n juaai-> se usar em am paiz, qae estt roau-
naameate augmeQlaulo, da mesma quantidateaV
bilbctes com orc-'Ucao fjr-.ada. os diios hilbeles
davem leader a aagmeoiar de valor ; a iraporMi-
cia das iraasaccoe* que tea de ser saidadas ang-
ineala anauabuenle, e nao ba no taeio circalaase
augmento com qua se posia sajdal-as. E, devida
a aceao iocessaa.e Jesia causa iaap-artante. porem
oecuila, que os grreitbaeks ja augmeotaram unlo
de prejo coiapaiativamenta < om 0 oaro.
Ao terminar a suerra 0 premio
do our) era....... 50 (,
actualmenie e de..... to *i>
0 qae mostra uma redaecao de.
10
Como as leis actaaes nao bio de impedir esla
prog-essi > e com) 0 presidenle Gran oppoz 0 sea
veto a tadas as propostas qua a nnbiri. iiiim
podemos com razao acrediur qae alia conunuara
a actaar tio efficazmeide como d'antes 0 qae fara
sabir pouco a pouco o preeo do greenbacks, a poa-
ta de Bear em completa igualdade com o mesar-o
namero de dollars em oaro.
2.- Nao di:ntnu) 0 etl'oilo salutir do eslad. -
gRii-a interposto da sentenja da acoutes, por irazer' cioaario da clrenlaclo das Greenbacks nem dimi-
a sua execucaa daranr irreparavel; 3' se darante' naira tao pooco as desagradavcis difflculda-los qae
a suspaa.a'dj castigo, em consequencia da grave trai muitas vezes, esieest^doe-tac'-onario. C so ja
perigo da Vida do padent'*, 6 admissive! 0 recuiso
de grar.a. S. M. 0 Imperador, a quem foi presente
0 offlcio de V. Exc., de 5 de novembro do anno
mastramos mnitas vezes. a eiroaicae fiduc aria ia-
convertiv-. I de uma imporJaaea realmente iixi e a
origam mais formidavel que se pode imagiaar t'a

p3ssado, sob n. 97, com a representac/i > do dito i careslia do diuheiro e do panico.
juiz da dir-iiij), tead) oavida a seccia de justiji do J Uma circulacao metallica (wJc ser augmentada
conselln de estado, m-,ul,i declarar a V. Exe.,' em nnn cri=, norqne a alia ren-'n'i-'t m t.^-i *<>


6h*h**Wm*M*i96 ^^^HM 1 *"Metim ie Mfl

prciflosos d# Oi
local e incot
. title drums';.*Via"*
deua.no hlgai'-detia emisi
Qala locaiidade tern Jo Ilia
\ita allraU os
Poreia uin |>3|
pofle Set attr.
aufficienti) qa!s
todo o eomi
'P*rJyMdjVfrt^4ttwnr.aliiiL'/.i5lB &-q pstfgjf,
rosuHantowOM^, praliua uernittdsa'', a' jjrinfci pi* o,
mpreg&-ft*iemei') iraz abuadancii e facilidales
a cqsla, J^m,' da penura e iWlkutdades que so
brevem m*h tarde. '0 principal roollvo da ultima
crisa,fqi oue a falla Aaayreenh'tcts fatbaixaf a re-
sera obs b^ntmjwi&yYorJc a raenos do ijue.d
sen minimum le^f;efujs a principio apnaxioH-
ram-se depois foram aletfl Jo sou limits, e. port
tanto, sdffreu o seu credit). A .lei actual qada fz
crae*posso. iftersr este-r&ftiltado; em circumstah1.)
cias identicas devemos nos preparar para preseq
ludn#
Af-eaar dMaW4>< com a ealtar;i do atg.tdio s ft 00,000 aeres menoi do que em 1873, a produeeio
da aigod.i>, Bangmana-auPjpranette ser maior em
consequpicia-<4ombi >r readiiaanto quo sees-
pera.,~
"*K*Wtfmismotldar che t&itei da America deixant
ver qne do proxmo verao liavera iima melhera
: muito reat em totos oj rainot do neg>oio. Em
Uava Yerk. estau se ammulaudo eapiues ; e em-
prestimos oum Jireito goitre titulos do gaverno tern
lido uffarecidos a 2 ] i *
Segando o Pluia do Ga.-tu e-uo in hi prosjieru:( do qun do auao
passado, e em toda a part) o ifcnh :iro a iibundan-
te, quasi qua sem exempts, Barece quo a Califor-
nia segurou em ejiheitn de ocreaes no valor pro-
___vaveimeulo d cmco unions -lerliaos e qua Um-
bem o E-> :ado de Oregon tern sobraa para expor-
tar.
Ciaas*>oaie*ai*i, 0 ilunicipto, folha da
VassouraA. pubiiaou, uma mionciosa aoticia sobre
ssta nova iuduitria, que comcca a ser expiorada
am Campis.
Nesta noticia, rainlstradi, segundo declara a re-
Cor da folha, pel> Sr. Joao Carociro da SHva, em
cuja casa se fazern esses chaf-eos. nenntraruoi a
ssguinte duscripijao do p(octo empregado para
preparar o nape e tecer es cnspeos.
a Cutliido o sap.', a pallia da haste e immediata-
mente ncada, ate liear o tallo limpo. Abre se erte
entao em seis partes, eom uir.t agolha, deixaodo-
sjj todavia 03 lilameoios presai-por uma extremi-
dade.
P5e-se depoisao sol e uma vez sejcos tornam-se
a dividir os lilaimatos o mais possivel. Isto foito,
'prinwpia-.-e o trabalhoda tear.
^-wmeca-s* pelo fondo, nuaiodo-se qnatroou
coco fji\cs detallesecom dies fazendo urn pe
queno circulo, a que se vao juntando outros can-
ccatricos, colioado-se Wda ate o tamanho necessa-
rio a entao vai-se com os dedos jmprimindo o fei-
tio ; conseguido o ^ual cr.a o mesmo proresso,
S3 preparam as abas: ao se ha mister de for-
ma.
c Estes chapeos sao muito bonitos e proprio^
para senboras.
Ageacia t'ie^r:ii; lii< ;i Anaericanw.
Telegrammas que, seado communicados pelas
agencias a diracloria goral n^ Rio da Janeiro, nao
n>s t'orain commnuicidos:
Loadres, 25 de agoslo.A declan^ao oiBoial
d) recoohjcimento da H.tspanba sera commuaiea-
da ao govnrao1 d Midnd ein name de todas as
potencias que eutraram no aceordo. Pareca que
se xi(,''J do actual goverao h;span!iol a promessa
de fazer rt-unir proxumenfuiia assemWea. Fal-
la-se de outros compromise nesie ponto teem-se
suscitido algumas duviuas. Attribne-se a e3te
facto nao ter ji lido reatilada a oommanicaQao
official. Dli-sd niesmo que dous govern>s nio
aceitam o reconliecimeBto sem as referidas condi
ross. Parece qae um deiiese o da Franca. Com-
municam de Santandcr qas foi approhiudido urn
carregameato do mooicSes Je gaerra para os
carliitas. Saba-so que o ex-matecJial iiazaiae
vera pira aqui: alguns ios oonapirtistas que o
foram renefaer na Suissa. voltarara boa tern. Nida
se tern decidido a raspeito da (ragata liidependen-
ri; o navio csta senltainanchando.
Bruxellis, i'i de ago-i i. Puricciniu hontem
c congres-o iuternaciin.il Fui discutid) o arligo
q;ie disooe que aos habitaates do qualquer torri-
torio invadido, qua nao fawm part) d> exerclto,
. i expressamente prohibido liostilisarem o inimi-
go pr meio da torqt anui.da. A maioria das de
legidos reieitou esta djspOsifio. Corre que o ex-
marechal Bazaino sahira do Coloaia amanlil em
Tiagem para aqui ; com destino a inglaterra.
. Paris 33 de agosto. Hontem reunio-se em
Versailles a comruis.<;Io permaneute. 0 governo
foi interpellado sobro o* a.-los por ella pr.aiicado>
ni aasencia da assembles. A discussao foi ani-
mada. Com referenda as prisdes quo tiveram
lujar em Marseille e as medidas da rigor a qae se
maniou proceder contra os internacionalisiai e
wntraa ita?reapela suspeasio de algnns jer-
naes ; respoudeu o mini-tro dointerior procuraudo
explicar o seu prucodimento. Sobra a fuga de
Bazaine, o governo respoudeu qne os indiciados
ne=?e erim^ scriam sevarameate castigados, espe-1
raodo podar miuistrar todjs as iafonua^oes depois
determinadoo iaqaerito a que se estava proce-
lendo. Julgou quo nio se poJia attribuir ao
facto alcanee algum politico. Varsou depois o de-
bate sobre o estado d33 aagociacoes relativas ao
reconbecimeuto da Hespairto. Declarou o gover-
no que o negocio so adiava ainda peudente, e
; i a Franca ni) tomara compromisso algum de
nnitivo. Pareee i|ue o governo italiano prop ra a
dissoiueji) d) oarlamento. A maioria da eommis-
sao aceV.ou as explicates do zo\"erno, cujo pro-
eadimento foi por ella apcrovado depois de pro-
iongada di^cussab.
a Rio Grande do Sul, 2'i de agosto.Como esta
va anninciado, elTectuou-se no dia 23 a eleioao
dos membros da assern'oloa legislativa provincial,
v TOtacio conhacrJa dx collejios tint) daste dis-
rieto (o 2*) como do 1 ia maioria do votes aos
ididatos reeoounendaddS pelo pirtilo liberal.
: se issegurar quo o resaitado tlaal da apara-
ijao dos doas districtos se-a idsalieo ao Jos colle-
< gios ja conhecidos, porqoe o eorpo eleitoral de to-
da a provineia pertence aopiniSo politica desse
matiz. >
a Loniro3 25. Agjravam-se a3 dilBculdades
para o bom resaitado dj aicordo aobra o reconhe-
0imeote d Hespanha. Oizem de Berlim que os
gcvernos tia Austria o da Franca opposm condi-
r.i's ao aceordo. 0 mesmo correspondente ac-
crescenta que o governo allemao nio desists por
sua parte da assamir a respon!.abilidda de tal ma-
dida, embira as outras potencias o nio acompa-
nhem. Consta aqui que o gabincte inglaz tambem
so tern collocado era reserva. Parece conQrmar-se
que a ceniigSo de esperar o estabelscimento de
um governo legal em Baspanha, para se proceder
a -eu re--onhecimento, e o ponto que lem susei-
udo este desaccordo eatre algaraas potencias.
Contioiia a dizer-se quo esta imminente a gaerra
entre e China e Japao, e qua para isso se fazam
proparativos. Em lokohana preparavara-se al-
gam navioi para rcforgar a esquadra japonezi.
v eontinaa;ao dostemporaes tem caasado, nosEs-
taios Unidns, perdas mais on menos sensiveis. A's
ultimas reunioes do congresso internaciooal de
. Bruxellas teem assislido os dalegados da lodas as
potencias. Foi abandouadi a reserva para se con-
segoir a rejei^aj de algan.- do: artigos, quese dis-
cotem
c Madrid, 25 de agosto. -Ha tres dias que aqui
correu qua o general M)rioues tomara da novo a
offensiva eoatra os carlistas nas immediaeoes do
Estella. Neabuma inform: caj clQcial tem sido pu-
tlicada. Hoja e o general Zavala que S3 diz ter
operado am raovimento sofcre Mendigorria. Nida,
por^m, sa sabe de certo. Ante-hontem houve um
forte tirote.o entre a guarnicao de Bilbao e as fac-
$ost carllslas, que ha muito"tempo se conservara
nas proximidaJes da^aella praca. 0 inimigo foi
persegoido ate mnilo distaute da praja. Ficaram
em poder dos tiberaes 30 priaiooeiros. Cresce o
desanimo com a demora das opa/acoes. Tem-se
reaoido o coaselho de miuistros, segaado corre,
para discntir as condicdes do r3conhecimento. Ha
divergencias entre os minutro3: espera-se araa
raoditicaga: in gabinetc. Tambem se diz qae a
crise comprehende todo o ministerio. t
Ajada de cnst aos magistradoS.
Na sessSoda camara do* deputados, de 22 de
ag03lo, foi julgad > objecto 4e aolibaracao e man-
dado imprimir para oatr r na ordem dos traba-
lhf'2, os seguintes parecer c projecto:
t As eommissoasde jastica civil e de pensoes
a ordenados tiveram a vista o reqaerimeato da
aigQQs desambargadores osmsidos para as? rela-
50^3 de Goyaz e e Matto-GrossD, no qaal .pedera :
* l. Ajnda de casto qae os indemnise das das-
pens de viigemfeitas para o ?eu trarfsporte para
a ^dc das ditas rela^des.
is Providencias afim de cue nJo sejam pre-
judicados ens sua autiguiJade demagistrados pela
mora da posse dependente do prazo marcado para
I meama p.jwe.
" Brnquaato ao priraeiro ponto, ascoramissoes
jalgatnae aqnidade a reclama^io dos peticiona-
rios, e-sio de parecer quo se antorise o governo
a indemnisar os ditos da-tembargadores dessas des-
pezas, concadendo-lUes uma quantia igual ao or-
* Buqaanto to sejandVvdrrlo.>' mrti
mi'*oesntefldem;qOTireclJr%Ho eM p
cada, em rhti "flo ^(rue'lfetebBfeceti' o"
do'detreteide-l'Tle ^te^nWmo1; wuarido mari
tartar aigaid^de4eraJtterrpj*a5 JterI*W,
lireito notneados'desethhargaft^es^ qae toraass*
posser*Haus novo* lugjres deiitto do prazo oul
cajto pelq governo ; nio hivendo-porta,nto"nece3-
stddbde nsra.pfovidepcia.
< As copvenieqteias prrbrrcw acorrielhara quet se
provldeneie de Torma peirnaneme Wit- rela{4o i is,'
futnras oomeaooes pata oxargo dqde^etobargador.
ffabeiecendost ajnda de cflsto para: aqaelles ma-
fijfradts, qae passim do" para 2' instaoeia.
a Se aos joizes de dirtito removidos de unus
para ontras eomarcas ja a lei concede ajuda de
r^lxisUain 368, entraram 43, sauirata 11, filfe4
e*fam 10, existert-'SW, >mdo :
'flomens 23i% ma*t*t$s>rt7.
*!
Catharina ; hftrfiHtecnronica,
teopoldina'Maria da Coucefjao ; tabercnloj
nronare*.
J^a'PranciserdaConcel^ao; ewerlte etolriea,
/osepha Maria da Concef0o ; brdropisia.
Jos^Pereira da Costa ; fijdroptsia.
fcolz Adves do Carrao ; tafierculoj pabnonares.
cusljj, atteaUs as despezas i que sao obrfgaios, Vvcencia; entente chrenica.
__^. _____________ A____.- ______________._^_-*a3. L^. __ Ifiiltrtt nil* fin l^^nAnln?-. .
para toniar oota de sua aova comanca, aao ha ra-
uio para ntfnr-sa ifaal auxillo ao injt dadiMito
que por forya de seadespacbo Sem de transport r-
sa para ir exeocer o novo cargo.
a Assim, p^ra saliafazor ao quo flea expos to, as
coaunissdaajoigam oaoveaieate pro por o segainte
projecto:
t A aiaamblea geral reaolva :
a Art. 1." Aos juizas de dtreito nomeados de-
embargadores te aonceaara uma ajuda de custo
regulada oos turmos do decreto n. 687 de 28 de
jultio de 1850.
m Paragcaptia uco. Aos desembargadores, qpe,
por nccaiiao da exect|cio da lei de 6 de agosto ide
1873, oq posterior mane foram noraead is para as
relatoes da Cuyaba e Goyaz, e tomaram posse dos
seos lagares uo prato ware ado pelo' pWa^f,' se
abunara, como indemnisatjao de despezas, uma,
quantia igual ao ordenado de seis mazes.
t-iArC-*.* Ficam revogadas as dispasicoes em
contrario.
"Paco da carmr* dos deputados, em-SI de
agosto de 1874.T. Alencir Araripe.B. da Gu-
nfta FeiTeirn.Jose B. G. Akoforado.A. S. Car-
neiro da Canha.
Kleiio da Paraliyua do \orle.-
Na mesiiia sossao foram lidos e mandados imprimir
OS 9e*uiules parei.vres :
A commissao de constitui(io e poderes, exa-
minaado as acias autheaticas da dd .ao primaria
reaUzada a 18 do agosto.de 1S"2 ua parochia de
Nossa Seuhora do Rosario da povoacau da S. Jo a*
(provincia da Pirahyba do Norle), \wrificoa qta,
navendo-se recolhido a araa 1,'uii ceJulas, con-
forme reconheceu-se aptis a 3' chamada, apparece,
entretanto, o cidadao Antonio G mgal vas Uautas
com o numero de 1,600 votos; de sone qua a vo
tai;.ia com que Qgura excede em 184 votos o id
m-ro que, em maximo, poleria reunir.
f Sommados todos os votes recebidos pelos di-
versos cidad.io* de que trata a acta especi.il da
apurajao, verifica-se a falla-de 163 votos, ao passo
i|ue nao consta haver enconlrado cedulas em bran
co, nera contendo numero de nomes inferior ao
dos eleitores que a parochia devera e|eger.
a Por estes motivos e a onamissio de pareea
que seja declarada nulla a eleifio realizada a 18
de agosto de 1372 na parochia deNoasa Senhora
do Rosario da povoacao de S. Joao, da provincia da
Parahyba do Norte.
c Sala das commissdes, 21 de agosto de 1874.
//. Birboia. Fieit is Henrique*.
a A' eommissao do coustituicao e poderes foram
prasentes as authsnlicas das eleigoos da eleitores
raalizadas a 18 de agosto da 1872 nas parochias
da N >.-.sa Senltora da Giia da villa do Patos, e
No-sa Seuhora Is Remudios da cidada daSouza ;
o mais atteaio exame convenceu a commissao de
que nas suprameacionadas parocaias correa ragu-
larmante o pro:esso eleitoral, sen Jo obsarvadas
lodas as solemnidades legaes; coulra a validade
destaseleico-s nao exi*ta protesto nem reclaim-
cues: e, portaato, a comioissao de parecer que se
jam docUradas vatidas as eleicoes da elailoros das
patochias de Patos e cidada da Souia, da provin-
cia da Parahyba do Norte, o recouhecidos os po-
deres dos re a Sala das coinmissoas, 21 de.agosti de 1874.
//. Birbosa.Freitas ttenriquit.
tten^ao de. dircitos. Por decreti n
2,520 de 19 do corrente, foi o governo autorisado
a concwhr isengao de direitos de iraportagao on
doquie^quer taxas as macliioas e utansilios ne-
ceSwMDa a i Inminici) a gaz das ci Jades de Ma-
ceio e Aracaju e para foraacimento do agua pota
vel ae-ta ultima cidade.
Pdo de n. 2,52! da inesma data teve tambem o
governo igual autorijagao ralativamonto aa fuauhi-
nas e utensilios pracisos as emprezas de canalisa-
cao da agua potavel e gaz nas cidades de Olinda,
Goy3nna e Victoria, da provincia de Pcraambuco
Prorogarao tie licenca.Foi prorogada
por um anno a concedida ao l" escripturario da
thesouraria de fazenla do Maranhao, Luiz Carlos
Pereira Castro.
Lellde*.Hoie effectua o agente Dias o lei-
lao de uma pori;io de caixas e saccos com assu-
car h-anco avariado abordo do pataeho argenti-
uo Ctrios, ultimunentearribado a, este porto em o
armazjm do Exm. barao do Livramjnto, junto a
guardi-miria da alfandega, as 11 boras da ma
nhii.
Hoje effectua o agente Pinto, o leilao de mo
veis, ljucas e crystaes, conforma esta annunciado,
para a casa di rua da Princeza Isabel, em frente
a ponto de Sauta Isabel, e perto da estacao da li-
nha ferrea do Recife a Olinda.
liOteria. A que se acha a venia e a 113*
a beneficio da igreja do Espirito Santo, a-qaal
corre no dia 3.
Casa de detencaa.Movimento da casa
da detencao do dia 3D de ago3to de 1874.
Existiam presos 343, 9xistera 343.
A saber :
Nacionaes 270, mulheres 6, estrangairos 24,
sscravos 33, escravas 5. Total 343.
Alimentados a casta dos cofres pablicos 274.
Pasaageiros. Chegados do sul no vapor
nacioaal Ccnante :
Laurentino Jose do Miranda, Olympio E. A.
Galvao, Fr. Angelo Palermo, Plorenci Biago, Luiz
M. de Vicenzo, Nicola R. Visenzo, Pieiro F. Mello,
Pas ual Nicola, 2- cadete Herothides D. Galvao,
cabo lose' J. de Azavedo, soldado Luiz F. N. do
Rego, Francisco J. Domingos, Antonio Joaquim
de Faria, Manool J. de Souza Lima, John Boxi-
veil, sua raulher. 1 filho e 2 criados, Jose N. Gui-
maraes, ArgnoaOzene, AntonioU.de Carvalho, J.
S. Ferreira, Francisco F. Ramos e 2 escravos a en
tregar.
Seguera para os porlo3 do norte no mesrao
vapor :
J. A. Silveira, Diuiel V. da Rocha, S da Silva,
A. EL Seixas, 11. Maia, sua mulhsr, 4 Mhos e 1
criada. M. J. Francisco, A. Bertha, R. M. dos San -
tos, Manoel A. da Silva H, J. N. T. Alves, P. B.
da Silva.
Vinio dos portos do sul no vapor americano
Merrimick :
Gustavo L. Furtado de Mendonca,.
S.hidos para o norte no mjsmo vapor :
Alberto T. Sumon, capitao W. U. Grozier, 3ua
mulher e 2 rilho3, W. S. Thompson.
~ Vindos dos portos do sul no vapor inglez
Potosi :
Falcon de Crinier e Lino Victer Dias Hinheiro.
Loteria do Rio de Janeiro. Resu-
mo da lista da 8* loteria (205) em beneficio do
hospital de S. Joao Baptista de Nilherohy, extra-
hida a 24 de ag03to :
N. 532...................... 20:000*009
N. 4844...................... 10:00.)5000
N. 4892..................... 4:000*000
k 1703...................... 2:000*000
Ns. 4963 e 211 -1:000* a cada-um.
Ns. 1171,. 1629, 1989 e 134-808* a cada am.
Ns. 898, 1041, 1185, 1410, 2339,2756, 2901,
3571. 3672, 4422, 20OJ a cada um.
Ns. 151, 181, 303, 630, 780, 1183, 1343, 1769,
1811, 1893, 2048, 2615, 2769, 33ft, 3575, 380J,
4803, 5430, 3433, e^690-10Q* a cada um.
Ns. 215, 278, 369, 419, 455,' 465, 493, 561, 578,
632,'677, 630, '948, 1035, 1100, 129, 1807,
1309, 1311, 1381, 1405, 1596, 1675, 1757, 1836,
1830, 1999, 2125, 2127, 2313, 2427, 2470, 2493,
2319, 2678, 2831, 30-46, 3468. 3-^8, 3339, 3633,
:i74b>37o0. 3915, 392J. V349, 4053, 4282, 4517,
4760, 4793, 509'., \nii, 5134, 5232, 5426, 5327,
3644, 33-j; e 5925 -40* 4 cada dm.
T.ansformacao- 0 Sr. Zeferiao Vafen-
te, acaba de transformar ama immtnida estribaria
em am rico eKab'erecimeato de molhados, na casa
da esjuina a'orfda param os trens de Apipucos,
ao arco de Santo Antonio; vale bem a pena visi
tal-o para ver 0 quanto node a vontade do ho
mem, e 0 qaauto e elle merecelor da proteccao do
pnblieo.
Hospital portoguea de honeflren-
cia. M jvinnto-4as enfermarias na semana de
23 a 29 de agosto a* 1874 ;
Existiam 28, eniraram 4, sahiram 5, fallece-
rara 3, existem 28.
Entra de semana 0 Sr. mordomo Marcolmo Joa-
quiro Daarte Simoes.
llospital Pedro II.0 movimento deste
estabeleoimeato, de 24 ao dia 30 de agosto, foi 0 se
guiute :
I
1
Advertencia.
voram visitao^,ii4''%nfetniar^ aes
Hatfaftlta da Conceic^o ; tetano espontaneo.
I.uiz ; variolas hemorrhigicas.
Vicente Jretreir* d SiUa; gangrena.
(HHOMd JtDKHRJt
TRIB1 V4I, DA HIIAHO
SESSAO DE 3rDE AGOSTO OE i874.
PRESIDESCU DO EXM. SR. COT4SELHR1RO
CABTANO SANTIAGO.
8eo*ttario Dr. Virgilio Codko.
.As 10 horas da,nxanha, presentes. os Srs. des-
embargadores Accioli, Domingues Silva, abrio-se a
sessio.
Em seguida 0 Exm. Sr. conseJheiro president.-
passon a relatar os aggravos, oajos adjunclos fo-
ram sorieados tm aessao anterior.
.N. 48. Aggrananla Franowce Marcelino do
Amaral, aggravado Frederico Pereira M-inteiro.
Sorieados es Srs. desembargadores Uoaaoguas
Silva, e Accioli.
' Deu-se provimanto 10 aggravo, pira qae I jniz
a q 10 reionoando seu despatsho, de a vista pedioa.
independente de deposiio de multa um. nio pode*
ter logar.
N. 41'. Aggravante a companhia Recife
Drainage, aggravido 0 commendador Antonio
Gomes Natto. Adjuactos os Srs. desembargado-
res Accioli, e Domingues Silva. Negou-se pro-
vimento.
Eocerrou se a) sessio ao meio dia.
i^narerparir'fom-terceiros.dftJofs de fefto 0
vcrjo, scgulfldo se poste/iormente, 0 'r^ctj d>|
ir^aarf *',' ftmio u I iima solernnrdade' ape;
fMWintcirre au'm^-drherderro de'retrridiareu
seelUrrhfrsi^a.
So-depols deisa- uHtmia sotemmdade e qae 0 in-
venurio se ceffsid^ar fttdo eaeabdo; e e. d^hi
er^dlapte qne-se conrftcc. x ftfmeza e1 rarte>a Ha
tranmumo otr antes 0 Mimotts nao rfpudiar a
hefanca tambem
Ora, se a tixa do seller de" heranca 6 ptrga do-
pals de reitas as partllhas e da thrdP'o mvenjariOj.
e_lo Hqaldoque fiear, dedazid,* as dpe/s e
divdas, se 0 sdlo nap pode ser pag'o antes dfaso,
e sf isso e e tem sldo observado, 6 manifesto a loJa
evjoencia qae nia se deve copsiderar como tend*
effeto retroactive uma rtfsposlca^ que snjeita ao
paganento da taxa, b-'ra^Qas cujos inveotarbs
nao -nham sido conc.jidos.
E'cliro; portanto, qe 0 artlgo 61 do recola--
menteiq questio oao consign* 0 principio da re-
troaqivldade.
Seoi sello fosse pago antes das partilhai e in
ventvio feito ; :-k a (azenda deveg da norte do de cups receber a divida da taxa,
p:i;cdo qne se Hie adjudic?se bens sem ser ne
(jss jio ver qnal a importsneia com que cada um
J8 Herdeiros tem de con:orrer para esse paga-
ent|, entao sim e que as disposicSes do regula-
ent oao podiam, sem grande offeofa ao princi
b dj nio retroctivldade, sujeitar.i4axa, conform
e Ms posteriores, bena ainda hao iaveniariados
partilhados.
Ns< na e oem pole haver effeito retroactivo na
fsjMBjcao do regulamento.
i Ottro ponto da accusacao jIo tabtseador provin-
m, foi 0 arligo 3Ado meszao regulimento cun-
ntsdo com 0 arligo 12.
Enxergou 0 tal rabiscador contradicolo entre
>as duas disposiroes, quando nao ha seme
"sia coosa.
-tanta contradlcQio entre ess as duas disposi-
., quanta ba entre a regra e a excepgao.
No artigo 12 acba-se estabelecida a regra, ei,o
itiga 34 acba-se consagrada a excepQao, exig da
ailos principles da moral, da ratio e do di-
fito.
Se h% contradicfao disparatada em alguma
Cousa, dia se encontra na Cabefa do rabiscador
provinciftno.
PARTE POLITICA
IMTID Cft\S3BIl% 41*0it
RECIFE, DE SETEMBRO DE 1874.
Moflutt.
Tudo se inverte, as innovagoes formi-
gam.
I'alavtas, e aiem deHas naila, a nao ser
a3 desasrjdas preteu^oes absolulistas de
meia duiia de velbos corrompidos e dc-me-
ninos pretenciosos e stuitos, que cousti-
tuera hop (1887) a dor offi- ial do paiz.
Os hootens de consciencia devem tr por
seu prim?iro empetiho acautelar 0 povo
contra as traicoes oratorias, contra as anna-
diltiis de palavr-as, co n qu->, os homens
desta triste sitaagao (os libiraes !) prepa-
ram as ruioas do paiz.
Os-'Saltiiibancos, os salteadores da bolsa
e da viJaao paiz aprosentam a ;.i.stuln, 0 1I-
ludern os viandantes com jogos de palavras.
Marco .4ntouio irao tnttiga.
Diz tudo ao povo para tuelnor servil-o.
S a ziublicidade de todas as miseries po-
de curai as nossas chagas.
Ouomta! dissers, Pernambuee, patria de
Nunes Jkchado I
O^paizj que va" cuvif.-do a discussao das
inauditas'. miserias e eobardias policisos, e
jul?ue.
A tnen\ira e !evaJa d iu3 ultima poten-
cia.....
Que riam e folgueni os filhos dsgenera-
doB desta toira : 0 dia bade cliegar......
Marco Antonio depoa a punna fatigado de
ndiguacia e de despreso, para que a poli-
vi'i nao 0 mande esborioar.
(1867.)
iarr.o Antonio, on 0 Dr. Aprigio Jaslinia-
1 no da Silva Guimarues !!!....
i^S
Os provincianon pcopositalmente, (quern sabe se
oao e por igaorancia ? ) se revelam deseoohecedo
res dos priucipios mais comesinhos c triviaes.
O artlgo de fundo da Provincia de 27 e um at-
testado vivo e evideole do quo atii iica dito.
P >r mais de ama vez temos abarto es olhos da-
qaelljs senhorespara cenbeoerem a verdade, que
se manifesta com toda a ciareza e evideno>a, e to
davia tiles continuam ohstinados nessa obce-
ca?io.
Se assim e, e se por esta razio devem elles ser
tidos em conta dos paiores cegos, 0 que devem >
lazer com semelhania gente ?
' -De que operacao 110s serviremos para forca-los
a abrirem os olhos se elles nio querem faze-lo ?
- Mi sao dilBcil e aruVua u a nossa e.u ensmar 0
que sa devia tec apreudiio nos baacos da acale-
mia para evitar escrever destemperos.
No meio de (ado isso, 0 que mais nos admin e
a facilidade com que a redaecaopipeineillnq nun-
da eslampar nas colpimus do seu j m..:, taoia
a3ieira e desconchavos, quo o simples bom seaso
reprova.
Nao precisa possuir grande copia de ccnlwci-
raento e nem ter uma tina perspicacia para ava-
liar i-ade logo da forra dos rabtseadores incon-
scientes da Provincia'.
A 27 do corrente, conheceimmediatjiiientaque 0 sen
antor, na apreciacio do regulamento para arroca-
dagao da taxa de heran^a e legados, invertend) a
doutrina certa e correhta em direito, sophisicu
mil e grosseiramento as suas dispo^igoes..
Naquelle e^cripto ataca-se 0 dispnto no arligo
61 do aUadido ragalimeuto, como offepsivn ;.o
principio da nao reiroactividau^ das lei-, addnsia-
do-se argumentos especiosos.
DlspOe o artlgo 0/ : O que Oca expostu aos
artigos antecedentes e* extensivo a tudas as arre-
cadagoes e inventari>s actualmonie pendentes em
que hoover divida de taxa de haranca ou legadtr,**
0 rue'nao tiverem aido jul^ados por senien..:,i na*
epoca da publicacao deste regulamento.
Esta dispjiicao eidentica em tudo a do artigoN-t>r< redactores.Veoho protestar
9 do regulamento gcral para arrecada^ao da t^xa calumnia que, me dizem (porqoe uao
de heranja e legados.de 1842, que assim se exprel
sa : 1 0 que fka disposto nos artigos antecedents
e extensivo a todas as arrecadacoes e inventari
actualmente pendentes em que liouver divida .
taxa de heranca ou legado, e que n.io tiverem set
tenca de partilhas passada em julgado.
Onde esta, tanto nesta disposicao como naquell)
0 effeito retroactivo tao fallado pelo rabiscad;
provinciano f
Por maior qae seja 0 esforco intellecioal, ni:
guem encoutrara em taes disposijoes consagral
urn so pensameuto que se refira ou domine 0 pit
sado; 0 ao contrario em ambas, 0 ad verb ic i
tempoactualmente, e^ta indicando que tudo al
referese e rege 0 futuro, e nao a epoca anteri'jf,
como cavillosa e grosseiramente entendeu 0 rj-
biscador provinciano.
Se bem que essas disposigoes nao contenh-in
effeito retroactivo, com tudo bom e qua digams
ao rabiscador provinciano que 0 rigorismo a qm
levou 0 principio da nao retroactividade das leii
so e admissivel em materia pes-oal; notinla-4
entretanto, qae mesmo em direito criminal esiftj
principio e algumas vezes modilicado, soffre excejl
Qao se os efleitos da lei sao benelicos.
0 principio dos romaaos/citado pelo provincial
aao e appltcavel ao caso, porquu nem 0 regula-!
mento do Exm. Dr. Lacena, e nera 0 de 1842, re;
trotrahem ao pissado.
0 argamento que 0 provinciano deduzio ds
alvara de 9 de novembro de 1734, para susteniar
0 effeito retroactivo, que se lhe aligurou existir ni
regulamento, e fragil por~demaij, e fraquissimo.
Ainda que 0 alvara citado, e Av. de 16 de
fevereiro de 1876, tenham estabelecido que a poss
dosbens de fefunto passa ao3 seus herdeiro- co.n
todos os effeitos da natural, repellindo assim 0 que
os romanos admitliam a respeilo de posse civi
eniretanto e preciso nao exagerar muito para nao
se chegar ao qae foi dito pelo provinciano.
Quando 0 alvara estabeleceu que a posse pisaa
para os herdeiros escriplos oa legitimos com todos
os effeitos da natural; quiz com isto nao tornar
essa especie de posse dependente da um facto real
oa material; mas isto nao contradiz
Protesto
V-Sr< redactores.Venho protestar contra uma
leio esta fo-
lha) publicou 0 -Jornal do Recfe, contra mim, di-
^endo quo eu. apezar de nao querer encommendar
0 eorpo de... cobrei e recebi os emolumentos.
E' falsa, e calumnijsa essa noticia, pcrqnanto
nada recebi, e tenho orJenado ao meu prioste,
pessoa eucairegada de passar as guias, que nada
receba daquelies que nio podem ter sepullura
eeclesiastica. E if. alguein, que nao 0 Rvd. prioste,
recebeu essa migalha, eu nSo recebi, e nem foi
autorisado.
(Jaeiram Srs. redaeteres, publicar este meu pro-
testo, de quo Ihes licara agradecido
0 coaego vigarto, Antonio Marques de Caslilha.
Um voto de apreco
Ao Uvm. *i'. Fr. Pedra da Piirifloa-
e&o Paes e Paiva.
Nunca baluucamos 0 thuribuh da lisonja para
queimar incenio a quem quer que seja. Dates-
tamos a impo-tura e a meutira, assim eomo a li
sonja e a a:ulacao. So apreciamos e aquilatamos
0 merito, aonde quer que elle e3teja.
Assim, pjis, sem cor politica, despidos destes
sentimentos baixos e detestaveis, qua.so encontram
asylo na vileza ; unicamente, em amor a verdade,
viuios hoje a imprensa, prestar um voto de ad-
miragao e louvor ao Rv.n. Sr. Fr. Pedro da Puri-
Bcecao Paes e Paiva, cujas qualidades, aqu', de
todos nos, sem cor politica, apreciadas, 0 collocam
credor de soberano elogio, quer 0 encaremos sob
0 caracter de professor, cuja cadeira regia com
zelo e proflciencia ; quer como sacerdote, que
prompto em seu ministerio, desinteressado, modes-
lo, honesto, seoi bypocrisia, e por todos olhado
com respeilo e admiracai; esentili, com muita
saudade, a sua retirada do meio de nos, que uo
; curto espai;o do pouco mais de um anno, ja nio 0
' prejiamos, 0 estiraamos como amigo util e neces-
sirio a esta localiiade, aonde, pela vastidao de
aas luzes, pela regidez de seu caracter. prompti-
io de seu ministerio, deixa uma lacuna difflcil de
er substituida ; tanto mais em uma quadra, como
digni pro-parocho
:rj^iB$*qua:aa-Jolgiriifllel|ginte, lAsHcadt) e
hasfldo u ^ uma iHwlMv*|nitia, nao deve conseh-
iir que a 9**$'* 'V*6 ura dia ltl8 Da de pertencer
se'.acompanh u>,^a,n ^Bni ',a de bai*a esphein.
Se este JDsufentK'midl,,a olt>hiSB Par* os seB*
VleMios -e peasa^e tm .n>i,er[aa d *a famjlia,
ulvit o tempo nao. Mm ehea*."*6,. Pa" (,e'wr at6
da famiiia da nwpa cjih a (MtaJ W.1 FIaer Pt*r*t>,
(poinada).
?.' ao chefe detsa. honrada famiiia' a qjern eu
reeommeiido cnida*) para eom esse mdusfr7
U roMder.
Awtit de Florida at- Murray A lsn
As seaboras qua estao acostomadas a osar pos
de arroz, que so faz intumeeer 0 rosto, feehando
os *>ros da pelle, privando a evaporacao ia so -
perfieie ; obrariam eom jnizo em por iuteiraraenie
de part* semeMkaBle iafradraato. aabstituiodb em
sea lagar este puro cosmetico floral; 0 qua! adki
so perfuma a peHe com ama fragraacia tao fresra
e delewavel comoo respira e eheiro das fibres
meias ab-riis ; mas aim tambem faz remover todas
as macolas qae des&iam a formosura das feicoes.
dando aus vass superaciaes am aspecto sauilaval
e vigoroso, restituiado as feicdes a primitiva cor
rubicunda e macia, dando-lhes ama para e Irnda
transpareada e elastickhde. Todas essas agnas
adstnogentes, pos e pomadas, etc., do dia, aao fa*
zem majs do que arruinar a pelle e e-lragar a
formosura, contaminando mais tarde ou mais cedo
i propria saudo; era quanto que a lendencia deta-
agua saudavel e aromaliea, 6 ioteiramente op^osta.
Quando mistarada n ura pouco d'agua, tcraa-se um
excellente e exquisjt-o meio de lavagem, para os
denies e gengivas, dando a bocca e ao pal dar um
delicioso gosto aromatico.
LT P I V C D Parfumeur a Paris.
I ill Cl\ ? 8aon au iuc de laitue.
v-13T^J*J *je*tmri HMMltKJtm
SOMMER0IS.
JUNTA DOS CORRETORES
Praca do Reeife, SI de aarosto
de LH3JL.
AS 3 HORAS DA TARDE
C0TA?0IJS OFFICJAKS
Cambio sobre Londres a 90 div. 2o 7i8 d. por
UOOO. banco.
Cambioaobra Lisboa a 3 d|v. til 0)0 de premio,
banco
Camhio sobre 0 Porto a 3d|.v. 113 OjO de pre-
mio, banco.
a. ae Vasconceiios
Presidents.
A P. de Lemos,
Secretano.
Rend:mento de I
Idem do dia K
*o 1:JW|32TI
j________ flemwaa 4a **ir.
l?*llrT? *?** ^iwAos
Idem do dia 29 120*352
------i-.
Kariaha de irifK Me.
Rendkaeato d 1 a 18 s-. mim*
Idem do dia 29 iatfMlt
Fiinw,
Rendkdento d I a 28
Idem do dia 29
i 91101**
Viaaara, ate.
Rendimento ia I a 18 S:MO!SJ
Idem do dia 29 4
l:t43
ALFANTIBOA.
rteoJvmamo do d>s la 29. ,
am ae d;j :il .
527:5351361
46:913*188
57i:198*8i'J
Descarregam hoje de sotembro de 1874.
Palhabote americano Trank H<. ward varios ge-
nerus para deposiio ) trapiche alfami -
gado Barao do Livramento, generos
inflaramaveis para deposito no trapiche
alfanuegado Vieira.
OESPACHOS DE EXroKTACAO SO UlA 29 l)B
AGOSTO DE 1874.
Para os portos do interior.
.vo vapor inglez Douro, para Lonlres, car-
iegou : It. Lchmeltau 4 C. 2 barricas com 28
abacachis.
No palacho nacional Bemficn, para a \ iba do
Conde, carregou : J. F. Balthar 22 traves de sicu-
pira.
No navio portngaez Christina, para 0 Rio da
Praia, carregou : J. J. G. Beltrao & Filho 70 pipas
com 33.600 litros- de aguardente
Para os portos do er.tericr.
Para 6 Rio Grande do Sul, no pataeho na-
cional Franco/in, carregou : Amorim Irmaos A
C, 1,110 barricas com 106,655 kilos de assucar
branco.
Para 0 Rio de Janeiro, no pataeho nacional
JS^WflJlfttoo^WiBueaT^fcileor- 0lVV
Para 0 Xatal, no hiate nacional Fior do Jar-
dim, carregou : A. Oliveira 4 C 2 barricas coin
180 kilos de assucar reQnado.
portos do
a Pereira
r actual, era qua 0 uoss) digni pro-parocno e
. e nem im- ikcha, ha mais de dous mejcs, sem poder acadir
pugna 0 que as nossas leis teem adoptado, e todos l|os reclamos de suas ovelhas, que tem nelle encon
os escript ires de semslhaate materia 0 dizem, isto
e, que 0 herdeiro nao pode ser oulorgado cabeca
de casal, oci'upa os bens da heranca, devendo ser
considerada injusta no aso contrario.
Mas 0 cabeca de casal na > pode dar es;a outor
ga sem que em juizo se apresenta uma reUoao dos
bens do defunto, contendo todas as fjrmulas sacra-
mentaes, e 0 juiz a tenham poreoaforme, emhora a
posse e 0 dorainio ja tenlia sldo passados aos her-
deiros logo depois da rnorte do testado oa iutesta-
do, em virtude de lei.
E' 0 Sr. L. Teixeira quem condrma essa dou-
trina nos seguiuies tarmos : Entre nos pela
morte do defunto passa. 0 dominio eom a posse
civil, tendo oseffeitos da natural, para os herdei-
ros, legitimos ou ascriptos.
a Cora tudo, continiia ainda 0 mesmo eso-ininr
como a posse nio e jasta, seoao deiv'-, j.*',radi'
cao da cousa ooncedida pafcj titulo, o'herdeiro que
porsaaatitondaden:'vada ^ JXn^d!
heranca sem 6at.orga do csb;a de casal tera uma
posse tnjusta. g
caiezTdl^n^"^ aSiaiai ipsa >ure deraaoda
2K?. t ,.CTa p09SQldf ; n*rde'ro que era
v rtude da lei tera a posse da heranca sem mais
?Sn^,ihftm?rtod0tMtad0 oa 'ntestado,?'
cisa que se lhe tome certo e tlrme 0 seu difcito ;
necessiia que ao anirao de possuir, ja assignaiado
pelo alvara, como existente independente de outro
facto, que nao seja a morte do primeiro possui-
dor, acompaaho a- tradicio ou traspasso da eousa
herdada.
0 herdeiro tem, pois, logo qae 0 testado oa in-
testado morre, a posse da heranca, mas nio pode
usar e gozar exclusmmente dos benirqae existem
em commam sem a divlsao ou partilha, que e 04
qae torna eonhecida para com terceiros os objee^
tos, que cada herdeiro possue.
Sem esta Ibrraalidaae, todoa^ot herdeira*. nos
suem, mas nao podem ter certeza da quantiaade
dos bens possuilos pbr ci*a ura ; e nesse estado
de posse de ben3 pro t'Bditjtso.-nenhum gozo eir
clusivo podem ter; seado por isso necessano que
us bens sejant inventariados & partilhados.
,-,Em resumo 0 herdeiro entra na posse da heran
5a, sem dopeudencia de um facto real; e essa
Importacao.
Vapor inglez Cervantes, entrado dos
sul em 30 do corrente e consignado
Vianna A C, mamfestpu :
Cafe" 449 saccos a Pereira Carneiro & C, 100 a
Tito L. Soares, 40 a Beltrio & Filho. Cangica 2
sacos a J. J. Rodrigu s Mendes. Cigarros 10 bar-
ricas a David & Fernandes, 2 caixas aos consig-
natarios.
Fardamento militar 1 caixa a Joao da Silva Loyo
& Filbo.
Fumo 32 caixas aos cousignatarios, 30 rolos a
Beltrio & Filho, 11 volumes a J. T. Carreiro & C,
1 caixa a J. B. dos Reis.
LJs 1 caixa a Monhard, Mettler & C.
Massas 50 caixas e Antonio Annes Jacome. Mu-
sicas impressas 1 caixa a Victor Preal.
Papel pintado 2 oixas a Nogueira A Souza.
Papel e objectoa de escriptorio 2 caixa3 ao inspec-
tor da alfandega de Pern>mbaco.
Carga da Bahia.
Charutos 5 caixas a Domingos Alves Matheus, 1
a ordem, 1 a Hermann Lundgren, 1 a Otto
Bohre3, 2 a Bonrgard & C, 3 a Domingos da Costa
Ferreira. Chapeos de sol 2 caixas a Oliveira &
Irmao.
Fazendas 13 caixas a Monhard, Mettler & C, 1
a Moreira Halliday & C, 1 a Keller & C. Fio de
algodao 10 saccos a Beltrio a Filho.
Panno de algodao 100 fardos e 20 saccos aos
consignatario3.
Retrato 1 em 1 caixa a Lopes & C.
Carga da Maceio.
CalQado 1 caixa a Lyra & Viana.
Lugre americano New England, entrado da
Newporte em 31 do corrente e consignado e
Saunders Brothers & C, maaifestou :
Carvao de pedra 550 toneladas aos consigna-
tarios.
CaPATAZIA DA ALFANDEGA
iandimeato do dia 1 a 23. 15:1474061
dam do dia 31. 899*178
16:089*087
iado sempre prempto auxiliar, quando necessitam
Je pa^to espiritual; pelo que se torna cada vez
Jiais digno do apre?o e estima ae todos desta fre-
rte'ia que saudosos carpera a sua retirada.
s" naconfi-sao desta verdade, aonde sd palli-
lame'nte se espeloa a imagem da verdadeira es-
ama e gratidii, qua tributaraos a pessoa de V. S.
Ittra., offendemos a sua rmdestia, nos queira des-
ffllpar. .
Attendendo a qae so reina em nos 0 desejo de
ae testemunhar uossa sincera affeii;ao, aceite 0
Km. Sr. Fr. Pedro da PurificaQio Paes e Paiva
Se voto de louvor e da admiracao que lhe dirt-
nag ra era confirm 15*0 do que liie ulrigiram
sws amigo* da Agaas Bellas, nos jornaes de julho
' agosto de 1869, e no de Janeiro de 1872.
Qiipapa, 20 do agosto da 1874.
Os de V. Rvm. amigos e r'speitadores,
Tenento-coronel Izidoro Ferreira Boteiho.
Major Francelino Goilherme ds Azevedo.
''Agostinho Joviniaao de S. Pfi'xoto,
Laurentino Ferreira "Pi raen'lel.
Victoriao Jose Palriota. .
Lourenco Candido Ferreira da C. Oliveira.
Francisco da Rocoa Vanderley.
Alteres Caetano Pej'faua da Costa.
Professor publico Torquato L. F. de aleiio.
fenente Joao Joaquim Ribeiro Campos. ^
Capitao Claudino Jose de Mello.
^iogo Henriques de Souza.
apitao J se Alves Camello-
jferes Jose Rodrigues de Lima.
joaquim C.-rdelro da Lima.
Jargino Bezerra da Silva.
Jeronyrao Ferreira de Moraes,
Subdelegado Domingol Ferreira de Moraes.
(Estavam todas reconhecidas.)
Yeio a tempo,
'jjJjSe e deverd'uma moca'curaprir cegamed'^ osi
nreceitos impostos por ura homam que d'- ^^r
aesposal-a, 0 c..... oaixeiro do Ca!-j0C;o' tem ra-
tto para se mdignat por ter si'-, f.lira noiva .
bldo a passeio em companb^ gl (?m5?a de Si
simples pr.atico da barra. "* "* ,al^, uo
29
VOLUMES SAHlDOd
No dia 1 a
Mo dia 31
>rime4ra por la
iegonda porta .
Tsrceira porta .
Tirpiche Ccnciao
30,016
66
65
372
189
30,712
SERVICO MARIT1MO
ilvarangas descarregadas no trapicte da
alfandega :
No dia 1 a 29.....
No dia 31.......
61
4ECEBEDORIA DE RSNDAS laNTfRNASGE
RAES DE PRRNAMBUCO
tandimento do dia 1 a 29 Mf.7*'7
Mem do dia 31. _a-3J738
45:530*909
rJja**tv
Thesouro proviaeial de r>araafotraa, M iaaa-i
to de 87.
0Mn*io,
Joio Carneiro M. da JMca taata*.
Auguslo F. d Oliveira i C.
A rasa comaaereial a baacaria de Aafost^
-j d'Oliveira A C, A rot do Co;nroercio oa
42, eeicarrega-se de execuijao da ordooa
para enrbarqae de prodoctos e dc todos o-
raais negocios de commissao, quer ooaaraer
ciaes, quer bancarios.
DecdDta kttras, e tuaoa dioaeiro a pr-
mio, eorapra cambiaea, ate* 4 vaata m a
aazo, i vootade do tomador, sobre as se-
guintes pracas estratigeiras e nacioaaes :
iiondret. Sobre o moti bauk or
LONDON, 0 LONDON ASM A4*MaTK MMiK.
limited, e varias casas de 1 .* class*.
fcnaarfc. Sobre os baaqueiros focL*
& c, marcuard awsaut A e. e a. aLacori.
V1GNAL & C.
Hamburg*. Sobre os Srs.
SCUU BACK dc FII.U B.
Lisbaa. Sobrq os Srs. roe
SANTOS & VIANNA, e 5ESA8TIAO tttfk t>
kBREC.
Port*. Sobre 0 banco iwiao do fotT"
O Sr. JOAQUIM PINTO DA FONAKCA.
Pra. Sobre o banco coaMEacta
00 para, e os Srs. rRANCtsco cacdencio sa
COSTA & FILHOS.
HaraaabAo. Sobre o fir. aosc rra-
REIRA DA SILVA JI7NIOR.
Hahia. Sobre os Srs. buinros dt c
Rio de Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MERCANT1I., BANCO NACIONAL -
BANQUE BRASIIIENNE /RANCAISE.
Banco do Minho.
Kettrao A Ptlko **cm
Joaquim Jose Ooncalve*
por todos os vapores solir'
Anadia.
Aguida.
Aveiro.
IJ-ja.
Chave*.
Bvas.
Araar aBI
Guimariie-.
Covilhi.
Melgaco.
Portal'jgre.
Arcos de val de vez.
Celorico de Bast<;.
Caraiuha.
Mangualde.
Ponte do Lima
Povoa de Linhosa.
Villa-Nova de Portimao.
Evora.
Fafe
?3T.
Gusrda.
LeWa.
Lttbea.
Baraafl a
Cotobra
Minndeli.i
Penariel
ViiU
Moatuo
Ovar.
P-jfte.
Tavira
Reoa.
Viieo.
Fifu.'ir
Laaaeg.
1.
Vataaca
Caaaaaaraa de Bast-
('asteho-Braoc >.
Esporeflde.
Oiiveira de Ateoms.
Povoa de Varnm.
Vianoa do Casleli
Villa Nova de Fadtat
Villa do Corn
!%'aa ilhaa.
Madeira, S. Miguel, Faial e Terc in
SEGUROS
Haritimos
0,
coBlra-l;<
COMPANHIA
Phenix Pernarabucana.
RUA DO COMMERCIO N. 3.
companhiaallianca
seguros maritimos e terre-s
tres estabelecida na Bah!,
em 15 de Janeiro em 18 7C
CAPITAL 4,000:0000000.
Torna seguro de mere* lorias e diuheir
ico maritimo em navio de vela e Wptvaa
,>ara (ientro e fdra do imperio, assim c
onira fogo sobre pre-iios, generos *
road as.
Agente : Joaquim J-.se Gon^aiv-'S iaitrfc'
ua doCommercio n. 5, l'andar.
Capital
fundo
NORTHERN.
.... 0.009:00P:
de reserva. 8,O00:O00^J>
Agntes,
Mills Latkam d C
RUA DA CRL'Z N. S3.
CONSOI^DOPROVtNCIAb
Readlmeato do dia 1 a 29. .
idem do dia 31 *
:*55>026
o a-~-M J-ll5a!fE DRAIXAGE
Rendimento do dia 29.
idem do dia 31. ,
70:902**'
31:liU267
3:883*479
SEGUROS
HAR1TI.H0S
CONTRA 0 FOGO.
A companhia Indemjiisadora, esUi>c!>
aesta praca, toma seguros naaritimoa *>-
navios e wn earregsmwntns e contra f
em ediQcios, raercadorias e mobiiias:
rua do Vigario n. 4, paviuaeLto terre^
Seguro eoulra-ftigo
THE LIVERPOOL & LONDON 4 GL
INSURANCE C0IPAN1
SAUNDERS BROTHERS* C.
11Corpo Santo11
Companhia Indemaisadora
do Porto.
CAPITAL 2.000:000A900.
lliJUlf <*< ^juiao Finceca C, f/, ^

Fmctca C,
ogen:ei.
Esti companhia torn* set""*""
restros, dand" *"*"" maritimas
"-" ^,v o sepumj aaai gratis ao -
?"*** VlarU 1*
e w:
35:0*4*746
AGENCIAS PROVINCIAES
Liquidos espirituosos.
Rendimento de 1 a 28 5:081*332
Idem do dia 29 90*217
.5:091*359
JOWMENTO DO PORTS
.Yauio sahido no dia 29.
Aracajd e portos intermedios. Vapor naciaaa'
(hsrmripe, commandante Saotos, carp ia.'
geoeros.
Navio entrado no dia 30.
Rio de Janeiro 6 e meio dias, vapor aacioaai
Cervantes, de 1037 tonalada*. cosain'-
Jorge Gonc^lvesreTripaft* *" r*r?* *TfrJ>*
tes generos; a Pereira Viaoua & C
I
\
[jam EXEWPiflH amam i


13*
iXano de i'ernambuw -rv^hW- fel b Seter&bro de 1874.
OburvafSo.
N*o houvesabida.
Naviot entrados no dia 31.
New-Port 3i dias, lugar americana New-En-
gland, de 461 toneladas, capitao 0' Baxter,
equipaeera 9, earga carvio; a Sanders Bro-
thers & G.
Rio de Janeiro e Bahia 6 dias, vapor ameri-
cano Merrimick, da MOO toneladas, commaa-
dante W. Wetr, equipagem 97, ea'ga cafe e
ontros generos ; a Henry Forster 4-C.
Rio de Janeiro e Bahia 5 dias, vapor inglei
Potosi, de 2057 toneladas, commandante Arthur
G. Gordon, equipagem 112, earga ditlerentes
generos ; a Wilson Howe 4 C
Navios sahidos no mesmo dia
Miranhao. Transporte brasileiro de guerra
Verneck, commaadaote capitao-tenente Cruz.
New-York por S. Thomax e Para. Vapor ame-
' ricano Merrimoct-, coramanlame Weir, earga a
meaaaa que trouxe dos portos do Sal.
L verpoot por Lisboa Bordeaux. Vapor inglez
Pototi, commandante Gordon, earga a mesma
que trouxe dos portos do sul.
Rira e portos intermedios Vapor nacional Cer-
vantes, commandante Jorge' Goncalves, earga
Merenles generos.
Rie 4a Prata. Bngue norueguense Adonis, ca-
pitao Olsen, earga assucar.
EDITAES.
Consulado provincial
Para sciencia doe contribuiates do imposto da
decima urtiana e os efteitos legaes, em scguida pu-
blicam se as alleracoes verificadas no tancamenio
do mesmo imposto no correnle anne fioanceiro de
1871 a 1874, licando aberto prazo de 30 dias,
oos terroos do art. 38 do regulainento de 6 de
abnl do correnle anuo, as roctaraacSes que por
ventura possam ter a fazer < s ioteressados.
Alleracoes veriticadas no lancameata da decima
nrbana da freguezia de S. Frei Pedro Goncalves
no exercieio de de 187*1873, pdo lanc-ador
Felinto do Hego Barros Pessoa.
Rna Maria de Ram-.
N. 4. Isabel Joaquina da Silveira, uhj
sobrado de dous andares por
N. 10. Jose Jacome Tassi, urn so-
brado de dous andares por
M. 5. Doiningos Jose Ferreira, urn
sobrado do um andar e loja arren-
dado por
N. 7. Herdeiros de Joaquina Maria
Pereira Vianna, um sobrado de
dous andares por
Rua dos Burgos.
N. 4. Praneiseo Rodrigues dos Pas-
ses e Jcse Juaquim Pereira, uma
casa terrea arreudada por
N. 3. Manoel Rodrigues Costa Maga-
lhaee, urn sobrado de dous anda-
res e loja por
Travessa da Madre de Deas.
N. 10. Ferreira & Loureiro, um so-
brado de dous andares e loja por
N. 16. Joao Martins de Barros, um
sobrado de tres andares e loja ar-
tendado por
N. 7. Jose Marcelino da Rosa, um so-
brado de dous andares e loja ar-
rendado por
N. 11. Joao Tavares Cordeiro, uma
casa terrea arrendada por
Rua do Amorim.
N. S6. Francisco Feraandes Duarte,
um sobiado de dous andares e lo-
ja arrendado por
N. 5. Hanoel Francisco Marques,
uma casi terrea arrendada por
N. 33. Antonio Fernandes Rioeiro,
um sobrado de deus andares por
N. 39. Manoel Franciseo Marques,
um sobrado de tres andares por
N. 43. Manuel Moreira da Gama e
padre Jose Ferreira Guedes, urn
sobrado de tres andares e loja
por
Rua da Moeda.
N. 11. Herdeiros de Caetano. da Cos-
ta Moreira, um sobrado de tres an-
dares por
N. 17. Antonio Baptista de Araujo,
um sobrado de dous andares por
am sobiado 3e Uiii an !ar e loja ar-
rendado por
N- 35. Francisco de Paula Goncalves
i* e Silva, urn sobrado arrendado por
Kua do Tuyuty.
N. 13. Manoel da Silva Lopes", um
sobrado de tres andares 6 Inja ar-
rendado p r
Kua da Companhia Pernambucana.
N. 2.Manoel Marques de Amorim,
uma casa terrea arrendada por
Caes da Cirrpanhia.
N. 10.Maria JoajuiniRibeiro, uma
casa terrea arrendada por
N. 20. -Companhia l'ernamb-Kana,
um sobraco de um andar e loja ar-
rendado por
N. 22.A mesma, um sobrado de
nm andar e loja por
S. 24.A mesma, um sobrado de
um andar e loja por
N. 26. A mesma, um sebrado de
_ um andar e loja, arrendido por
N. 28. A mesma, um sobrado de
um andar e loja arrencado por
N. 30. A mesma, um soirado de
um andar e loja arrendado por
N. 32.A rne^ma, um sobrado de
um andar e loja que serve de ofltt-
eina
Largo da Assemble*.
N. 11. Angelica Bernjida de Mi-
randa, uai sobrado de quatro an-
dares e loja arrendado por
N. 17.Porliria Rosa de Meilo 'iui-
inar2es e Jose Pinto da Cunha Tei-
xsira, um sobrado de tres andares
e loja arrendado por
Pra^a da Assemblea.
H. 2. Manoel Martins de Araujo
Castro, do sobrado de um andar
e loja arrendado por
N. 5.Barao do Livramenlo, uma
casa terrea arrendada por
N. 7.0 mesmo, uma on terrea
arrendada por
N. 11. 0 mesmo, uma casa terrea
arrendada por
N. 13.0 mesmo, uma casa terrea
arrendada por
N. 15.0 mesmo, uma casa terrea
arrendada por
Rua da Madre deDeus.
N. 30.Jose Francisco Lavra Pen-
na, um sobrado de dous andares
e loja, arrendado por
N. 36.-Francisco Machado Pedrosa,
um sobrado de tres andares e loja
aneuitado por
N 7.--Antonio da Silva Pontes Gui-
maraes, um sobrado de dous an-
dares e loja arrendado por
Rua de Domingos Jose Martins.
-V. 26. AntGnio Joaquim Cascao,
uma casa terrea arrendada por
N. 34.Manoel Joaquim da Costa,
um sobrado de um andar e loja
por
N. 102.Antonio Diogo da Silva, um
sobrado de um andar e loja arren-
dado por
IS. 104.-Manoel da Silva Lopes, um
sobrado de um andar e duas lojas
por
846,000
800,000
756,000
800,000
300,000
376,000
1:100,000
2:000,000
1:300,000
6S0.000
1:200,000
300,000
430,000
1: 00,000
l:2CO,00O
1:200,000
800,000
6C0.000
1:000,000
900,000
i.
2.000,000
1:200,0001
me alrigio a peticdo do theor seguing 5
Peticio.
Illm. Sr, Dr. juiz de di^u, d0 com*
mercio.Jose" Luiz de M**,Vo, successor it-
qaidatario da exlinr*^ firma Mello <& Oii-
veira, sendo-lhp Manoel Xavier Ramos da
Silveira, de;;edor da qaatrtia de........
4349190, e Duarte Jose da Silveira, de.....
50S.J360, e Candido Francisco de Mello
ed 2534710 e Jose Manuel da Silva
Barros, de 2909410, debitos todos lantes de letras qne estSo prestes a pres-
crever, querendo o supplicante per meio
do corapetente protesto tnteTromper a pres-
cripcao, vem Tequerer a V S. -digue-se
de man Jar to mar por termo o seu protesto,
alim de ser intimado aos supplioados, por
que esles estejam ausentes em lugar incerto
e nfto sabido, requer outro sina, a V. S
dig-tte-se admittil-o a justificar a ausencia,
afiaadeser aintimacao feita poroarta deedi-
tos na forma e preenchidas as termalidades
da lei. Em tempo o supplicsate declara
qua as letras aceitas pelo pnineiro sup-
pbcado e de 7349190, e a do segundo de
i52239:<60, tendo ambos dado a quan-
tia por conta.
Pede a V. S. deferimento. E. R. M.
galmente inutilisada com a data e assigaa-
tura supra.
Recite 8 de agosto do 1874.Rego Bap-
tista.
Despacho.
Juslilique-se juiitaii lo-si as letras. Re-
cife, 8 de agosto do 1874.Barros de La-
erda.
.E nada inais se continha em dita peticao
e em virtude do meu despacho, fora feita a
distribuigio ao oscrivSo Erne6to Silva, de-
pois do que via-se o termo de protesto do
tbeor seguinVe :
Termo de protesto.
Aos 22 de agosto de 1674, nesta cidade
do Recife, em meu cartorio, perante mim
as testemunbas infras assignadas, compare-
ceu JoseLuiz de Mello, successor e liquidata-
rio daextincta firma Mello &01iveira porseu
advogado Dr. Francisco do Rego Baptista e
por este foi dito quo reduzia a termo o con-
teiido de sua peticao retro que offerecia co-
mo parto da presente, e de como assim
disse protestou, e depois da lido assignou
com as indicadas testemunhas.
Eu Francisco Xavier de Souza Ra'tnos, es-
crivao escrevi.Francisco do Rego Bap-
tista.Joaquim Canuto de Santa Anna.
Manoel Silyino de Barros FalcSo.
Nada mais se continba em dito protesto,
lepois do que o escrivSo intirino fazendo
sellar e preparar os autos m'os fez conclu-
sos e neltes dei a sentenca do theor se-
guinte :
SentcnQg.
Hei por justiftcada a ausencia dos supplica-
dos, pelo que o protesto de folha; ser-lhes-
ba intimado por editaes com 30 dioe de
prazo, affixados e publicados como e de
costume.Custas ex-causa.
Recife 25 de agosto de I87i. Sebastiao
do Rego Barros de Lacerda.
E nada mais s^ continha em dita sen-
tence. O escrivSo fez passar o presente pelo,
theor cbamo, cito e hei por citados aos
referidos justiheados o que for a bem de seu
do quaidireito e justica.
I'or tanto tida e qualquer pessoa, paren-
tes, aroigos ou conhecidos dos referidos
do o expendido.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei fazer o presente que sera" affi-
xado nos lugares do costume e publicado
pelos jornaes.
Dado e passado nesta cidade Jo Recife de
Pemambuco.aos 28 de agosto de 1874.
Eu, Francisco Xavier de Souza Ramos, es-
crivao interino, subsirevi.
Sebastiao do Rego Barros de La-
cerda.
o aegniat* : 40 <*,uias *e -oculos flxos, todos ferroe W ditos 39MHO.
Idem idem u. 1571 dita idem idem, contcodo
esegu'uite : 10 dun as de escovas de cabello com
ooslas de madeira, para fato e oaber.a, 3 Mas de
Silas com cabo de os?o, para dente\ i[2 dita de
ditas para calcado, no valor de 63*809.
Idem idem n. 155 1 dita idem idem, contendo
o seguinte : 6-kHos de caneias com cabos de ma
deira, 13 kilos de dttas com cabo de esso, 7 kilos
de lapis para escrever, no valor de 161*733,
Idem idem a. l$8 -1 dita idem idem, coitendo
12 eapftifeos com molduras de madeira, dourados,
no valor de 120*.
Ida* S S C n. 179-1 dita idem idem con-
tendo o segMnte : l81cilos de peates de bu'alo ou
chiCre, uao especiflcados, 1 kKo de dito de narftni,
no valor de 128*800.
Idem idem n. 126 I dita idem idem, com 67
kiks dej>eotes dechifre, nao esperincados no va-
lw de 371*200.
Idem idem n. 127 1 dita -idem idem, com 861
kilos de^rioes de uapelao vasios para antes no:
valor de 160*533.
Idem idem n. 17 1 dita idem idem, cotteado
49 kilos, peso nos eavoltortes, de aliiuetes 4e co-
ore, no valor de 53*200.
Idem triangulo K no cent o n. 321I iuldem
idem, a J. Pammyer, conteodo 9 kilos ddplons de
panne, no valor defiiO*.
Idem CG4C n. 503-1 barrica vindado rfrvre
no nario francez Rio Grande, descarregala en29
de outubro de 73 e consignada a Carvalbf Gona-
raes A C, contendo 98 kilos, peso liquidolegai, de
grampos deferro, no valor de 114*333.
Idem I C M ns. 72[t2l 50caixas vodai no
navio boltandez Elisabeth, descarregadat em I"
de novembro de 73 e consignadas a J. J. dtCar-
valbo Moraes, contendo 2,183 kilos, peso ihuido
legal, de vidros para vidraca, no valor de 5091366.
Idem C G & Co. 3,691-1 dita vinda do .tyre
no navio francez Soxie Andre, descarregar n 4
de outubro de 73, a Carvalho Guimai %
contendo o seguinte : 43 kilos de fius de 4da
lisas, 120 ditos de oleados de algodao, .impl, 1
duzia de chapeos de sp>rteria, enfeitados, ra
crianca, 30 le<]ucs de seda com varetasde mad^ra,
nao classilicados, 5,400 grammas de acol madreperola, e 6 kilos de fitas de sera lisas, do
valor de 4:273*. '
AILndega de Pernambuco, 28 rfc agosta de
1874.
O inspector,
- Fabio A.dcC. Hen.
Edital n. 41.
Pela inspectoria da alfandega se ftz publico cue
as 11 boras damanha do dia 1 desetembro vm-
douro, a porta desta reparticSo, se hao de arre-
matar, livres de direitos e sujeitas ao impostoda
capatazia, as mercadorias abaixo ceclaradas, in
nunciadas a leilao por edital n. 3', e que deiia
ram de ser arrematadas por falta ce concurrencia
ao valor official.
Armazem n. 2
Marca R R e contra marca H i. 211 1 caixa
vinda de Liverpool no vapor ingle1. Gassendi, des-
carregada em 7 de Janeiro de 18'3 e consignada a
Lemos & Guerineau, contendo 103 kilos de per-
fumarias em vidros ordinarios, no valor de 2fti*.
Idem V G e contra marca A P n. 6,079 30
ditas vindas do Havre no navio francez Coligny,
descarrecadas em 13, 17 e 18 de Janeiro de 73 e
consignadas aos mesmos, contend} cada uma 12
garrafas com champagne, medindo todas liquido
legal 270 litros, no valor de 945*.
Alfandega de Pernambuco, 29 de agosto
de 1874.
O inspactor,
Fabio A. de Carvdlho Reis.
deiros)
Thomtz Fernandes da Cuoha
Thaodora J. da SHva Braga fiiha
Thomas Eaborae
Victoriao Augusto de Carvalho
Victoriue D. Alves Maia
Massa fafiida de lose L. Pereira Junior
rerreiradtHarUna
James fluHon
17*720
31>180
111700
Jl70
5?070
491680
222600
7J990
HmiU* J*a de Miserloonlia
do Recife.
Doordem da junta administrativa desta Santa
Casa, cenvido a todos os senhores mordomos e ir-
maos, para que se diguem do aasistir ao acto da
coIlocacKo da primeira pedra do edificio que se
vai construir para hotpicio de alienados, no lugar
da Xamarineira, pelas 4 horas da tarde ao dia 8
do -corrente.
Secreuria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 1 de setembro de 1874.
O escrivab,
Pedro Rodrigues de Souza.
CONSULADO PROVINCIAL
Por esta reparticao se faz sciente aos contri-
buiates dos apparelhos, diflerenca dot mesmjs,
annuidades e encaaamentos da Recife Drainage
Company do semestre tlnde em dezembro de
1872, que foi prorogado por mais dea dias uteis o
recebimento que ora se procede, terminando a re-
ferida prorogacao no dia 14 de setembro vin-
douro.
Consulado provincial, 29 de agosto de 1874.
O administrador,
___________Antonio Carneiro Machado Rios.
A arremaiacio de seis armaries, annunciada
para o dia 26 do carrenta mez, foi transferida para
o dia 12 de selembro proximo vinlouro, o que se
declara para eoaheeimento de quern interessar.
Secretaria da tbesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 31 de agosto de 1874.
O 2.' eaeripturano, aervindo de secretario,
Carlos Joao de Souza Correia.
sobrado de um andar e sotio sob n. 14, silo a raa
do Coronel Snassuna, antiga de Hortas, tendo do
largura 4 metros e 50 centimetros, 17 metros e 95
centimetros de (undo ; com 3 portas no pavimen-
to lerreo, com 2 salas, 3 quartos, coiinha externa,
quintal murado, c om portao para o pateo do Car-
mo, tendo tres portas de frenta, sob varandas de
ferro, com 5 quarios, 2 salai e um terrico no pri-
metro andar ; tendo no sotao uma janella de pei-
loril, com 2 salas e 3 quartos, cozinba externa,
editicado era solo foreiro ; a vita do estado tra
aue se acha, foi avaliado por 10:000*. enjo pre-
dio vai a praca a requerimento de Domingos Jose
Ferreira, consenhor do mesmo predio, e como in-
ventariante dos bens deixados por fallecimento de
sua irma D. Jezuina Candida da Natividade Fer-
reira e ontros consenbores do dito sobrado ; afim
de que possa em praca achar meibor preco, e por
isso cencordaram em dita praca.
Subdelegacia do Peres, 31 de agosto de
1874. Por esta subdelegacia se faz constar que
hontem foram tornados a dons I id roes dous ca
vallos furtados, sendo um castanho e outro casta-
nho caxito, e dizem os ladrdes terem sido furta-
dos nos engenhos Juneo e Velludo, e se acham
depositados : seus donos poderao comparecer nes-
ta subdelegacia, que dando o ferro e signaes cer-
tos, lbes terao entregues.0 subdelegado supplen-
le em exercicio,
Marcelino Antonio Pereira.
No dia !. de setembro, tem de ser arrema-
Udo depois da audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de
direito da primeira vara e civel os bens seguin-
tes : 1 piano rauito bom, 1 sofa, 18 cadeiras de
guarnicao 2 ditas de braco, 2 consoles e 1 jar-
dineira com tampos de pedra marmore Una, sen-
do tudo de madeira de jacaranda, em muito bom
estado ; cujos bens vao a praca por execupao de
D. Anna Cecilia da Silva Guimaraes contra Jose
Eleuterio de Azevedo : os pretendenles, podem
dirigir-se no dia acima indicado, ao meio dia, na
sala das audiencias. O edital esta em poder do
porteiro.______________________
l?l'tARAGOES,
2:000,000
2:000,000
-2:000,000
4:300,000
3:000,000
3:000.000
1:000.000
1:SOO,000
1:300,000
1:200,000
2:000,000
2:000,000
2:000,000
-2:000,000
2:000,000
1.400,000
2:100,000
1:300,000
300,000
600,000
684,000
O desembargader Francisco de Assis Oliveira Ma-
ciel, official da imnerial ordem da Kosa e juiz
de direito privativo de orphaos da cidade do
800,000
Edital n. 32.
Pela mspectona da alfandega se faz publico qne
as 11 boras da man hi do dia 3 do mez vindouro
no trapiche Conceicao, armazem de bagagem se
faa de arrematar, livres de direitos e sujeito's ao
imposto da capatazia, 13 pequenos volumes, con-
tendo amostras sem valor, que deixaram de ser
despachados dentro do prazo raarcado por edital
n. 180.
Alfandega de Pernambuco, 29 de agosto
de 1874.
O inspector,
Fabio A. de Carvalho Reis.
O Dr. Sebastiio do Rego Barros de Lacerda,
juiz de direito especiM do commercio,
nesta cidade do Recife de Pernambuco,
por S. M. imperial, etc.
Fago saber pelo prf sente que Jose" Luiz
de Mello, successor e liquiclatario da extiocta
iinaa Mello 6: Oliveira por seu advogado, i
Recife do Pernambuco, e seu termo, por S. M. o
Imperador, a quem Deus guarde, etc.
Faco sabir pelo presen'.e que o Dr. Vicente Pe-
reira do Rego me enderccou a peticao do theor
seguinte:
Illm. e Exra. Sr. desembargador juiz dos or-
phios.Diz o Dr. Vicente Pereira do Rego, que
em cumprimento do primciro resptitavel despa-
cho de V. Exc. para se pioceder a inventarlo dos
bens deixados por sua sogra D. Rosa Maria Mon-
leiro de Paiva, faz-se mister justilicar perante V.
Exc, que uma das rilhas e herdeiras legitimas da
mesma falleida, de norae Maria Rufina da Paz e
Paiva se acha ausente no sertao desta provincia,
em lugar incerto, para o que requer a V. Exc. que
admitta a jusiilicar o deduzido, e provado quanto
baste, seja julgado por seotenga, para produzir os
eifeitos legaes. E assim :
Pede a V. Exc. deferimento.-Espera receber
mercd.
Estava sellada com uma estampilha de 200 reis,
inulilisada da forma seguinte :
Recife, 18 de agosto de 1874.- Dr. Vicente Pe-
reira do Rego.
-Na qual petlcio proferi o seguinte despacho :
Sim, e designo o dia 20 do corrente as 11 horas
da manhl, em casa de minha residencia. Recife,
18 de agosto de 1874__Oliveira Maciel.
Em consequencia do que produzio o 3upplicante
suas testemunhas, e subindo os autos a minha
conciusao, nelles proferi a seatenca do theor se-
gainte :
He: por jnstificada a ausencia da co herdeira
D. Maria Ru6na da Paz e Paiva. e mando qne a
mesma seja citada por editos de 30 dias, e custas.
Recife, 25 de agosto de 1874.Francisco de Assis
Oliveira Maciel.
Em cumprimento do qual se passou o presente,
pelo theor do qual hei por citada a dita herdeira
ausente D. Maria Rufina da Paz e Paiva, por todo
o conteudo na peticao neste transcripta, para que
dentro de 30 dias compareca neste juizo por si ou
por seu procurador, para todos os termos do in-
ventano a que esta procedendo por fallecimento
de sua mai D. Rosi Maria Monteiro de Paiva, sob
pena de revelia.
Pelo que toda e qualquer pe-soa poder-lhe-ha
fazer sciente de todo o exposto.
O presente sera publicado pela imprensa e affl-
xado no lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 27 de agosto de 1874.
Eu, Manoel do Nascimento Pontes, escrivao, o
subscrevi.
Francisco de Assis Oliveira Maciel.
(Estava sellado com uma estampilha de 400 rs.,
devidamente inulilisada.)
Massa lalljiia
DE
Amorim, Fragoso, Santos &
Companhia.
Sao convidados os senhores credores, abaixi de-
clarados, para leceberem o ultimo dividends, no
pcrintoriu a rua do Vigario n. 13, 1* andar.
O pagaraento e feito as quintas-feiras, da* 11
boras da maoha a t da tarde.
As importancias que nao fore'm procma ate
o dia 17 desetembro proximo, serao recolhida> ao
Edital n. 40.
Pela inspectoria da alfandega se faz publico que
as It horas da manhJ do dia 2 de setembro vin
douro, se hao de arrematar, livres de direitos e
sujeitas ao imposto da capatazia, as mercadorias
abaixo declaradas, que deixaram de ser despacha-
das dentro do prazo marcado por edital1 n. 180, a
porta desta reparticJo.-
Armazem n. 4
Marca S N 4 C n. 20 e 22-2 caixas vindas no
navio alleraio BrilhanU, descarregadas em 1 de
pSS J3 f8i3 e cnMnadas a Silva Neves &
o contendo io8kilo^ peso liquido, de cartas para
jogar, no valor de 520*800.
tei Elisabeth, descarregada em 17 de novembro
de 73 ecoojigoada aos mesmos, contendo cadarco
de algodao, nao especiflcados, pesaodo uos envoi.
rios 109 kilos, no valor de 330*633
Idem idem ns. 39 e 40-2 ditas idem idem, con-
tendo ISO kilos, peso nos envoltorios, de pen'tes de
coif re nao espeoiScados, no valor de 840*.
Idem idem n. 1661 dita idem idem, contendo
deposilo publico.
ADtonio Domingos Pinto
Anionio Maria Gonzaga.
Antonio Maria do Rosario
Abrahao Custrenvard
Antonio Bernardino de Sena
Alexandre Bjchaman
Alves & C.
Antonio Jose de Souza Guimaraes
Antonio LuizT. Marques
Autonio Maria O'Conell Jersey
Antonio Fernandes Ribeiro
Antonio tiarbosa de Sastos
Barboza & Simoes
Brito Queiroz Rego & C.
Bahia Irmao3 & C.
.arvalho & C. Clara Benthrish
Celestino da Costa
Cuslodio Floro da Silva
Caetano C. da Costa Ramos
Caetano O. da Costa Silva
Camara & Guimaraes
Caixa Filial do Banco do Brasil (saldo)
Domingos da Rocba
David Selessie
Eduardo Preston
Padre Ernesto Ferreira da Cunha
Francisco Simoes da Silva
Francisco Menu
F. H. Cardts
Francisco de Pauh Sa Peixoto
Felizardo da Costa
F. F. Borges
Francisco Guedes de Araujo.
Francisco Manoel do Monte
Francisco Goncalves da Silva Pereira
Flonano Francisco da Silva
Francisco Luiz de Oliveira Azevedo
Guilherme Ferreira Pinto
Gaspar Antonio Vieira Guimaraes
Isabel Maria da Costa
Jose Gomes Vieira
Jose Maria Ferreira
Joao Manoel da Costa Araujo
Joao Silverio de Souza
Jose Nogueira da Costa Soares
Joao Autonio Ribeiro
Joaquim Coelho Barboza
Jose de Couto Guimaraes
Jose Goncalves da Cruz
Jose Thompson
Joins Lilly
Jose Felippe Martins
Jose Luiz Ferreira da Costa
Jose F. de Nazareth (africano)
Jose Portella da Costa e Silva
Jose Fontes
JoSo Pedro Adour 4 C.
Joanna Maria dos Prazeres
Joao Baptista da Fonceca Junior
Joaquim Jose de Gouveia
Joao Jose de Lemos Magalhies
Jose Joaquim da Silva (orpnao)
Jose Francisco Barreto
Krab Tom a. C.
Luiz Puech
Lucrecia (escrava de L. Jose da Costa
Amorim)
Leocadio Joaquim da ConceicJo
Lourenco Jose Carvalho
Manoel de Azevedo Canario
Manoel Ferreira da Silva
Manoel Jose Antunes Torres
Maria Eleuteria
Massa fallida de Franeisct do Rego Mello
Manoel Antonio de Azevedo
Manoel Goncalves de Oliveira
Manoel Alves Barboza
Mauoel Anionio da Costa Brancante
Marianno de Souza
Massa fallida de C. i. da Silva Guimaraes
Maria Isabel da Costa
Maria Isabel da Fonceca
Manoel Antonio de Carvalho
Manoel da Silva Sampajo.
Pedro Vonshostem
Pedro Maurer
Raymundo (escravo de F. F. Borges)
Robert Austin
Raymundo Carlos Leite & Irmao
Salustiano J. Lima
J. Leon Ploeg
Samuel Power Johnston 4 C
Salvador Rodrigues da Silva
Tbomaz de Aquino Fonseca Junior (her-
V-
Companhia Santa Thereza
Sao convidados os senhores accionistas, afim de
reunirem-se em assemblea geral, no dia 10 de se-
tembro proximo, ao meio dia, -no_ 1 andor a rua
do Vigario n. 13, para continuacao dos traballios
adiados na ultima sessao, inclusive a leilura e
apreciacSo do parecer da commissao fiscal, rela-
livo as contas do anno proximo Undo.
Recife, 29 de agosto do 1874.-0 gerenle,
____________Justino J. de S. Campos.______
Associa^ao Commercial Be-
neficente
De ordem di directoria sao convidados os se-
nhores socios a se reunirem em assemblea geral,
no edificio da mesma associacao, no dia 1 de se-
tembro proximo, a 1 hora da tarde, afin detra
tar-se de negocio urgente. Recife, 29 de agosto
de I874.-0 secretario,
Maaoel Gomes de Mattos.
!4*5t0
14*880
8*36
3*3J
l*05'i)
23*96(1
1*17*
*32
l*02t
*28(>
i*720
1:979*!9
4i*36f
4*881
29*29i
3*90>)
1*95'
6*30
10*9i>
8*361
16*60
8*36
13*65'
3*90<
20*4"i
10*90.
32*76-
2*30
1*17)
*03i
AVISO.
Quinta-feira, 3 de setembro, as 11 horas, depois
de firi'l.i a re-peetiva audiencia do Mr Injquim
Correia de Oliveira Andrade, juiz substituto da pro-
ved, iria de capellas, tem de ser arrematada por
venda a quem mais der, a casa terrea n. 25, sita a
rua de Lomas Valentinas, avaliada por 1:600*.
Oulra na rua do Visconde de Albuquerque, fre
guezia da Boa-Vista n. 27, avaliada por 2:000*.
pertencentes ao patrimonio de Sant'Anaa do termo
do Cabo, e vao a praca por deprecado do juiz pro-
vedor de capellas do dito termo.-Escrivao, Nones
Ferreira.
De ordem do Illm Sr. inspector da tbesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico, para
oohecimenio de quem interessar, qne no dia 5 de
setembro proximo vindouro, pelas 2 horas da
tarde, perante a junta da mesma tbesouraria, ira
a praca para ser arrematado por quem mais van-
tagera offerecer, o arrendamen'o do proprio na-
cional, em Santo Araaro das Salinas, ,que serVio
ouir'ora de quartet de cavallaria
Secretaria da tbesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 20 de agosto de 1874.0 2* escriptura-
io, serv indo de secretario,
Carlos J. de Sonza Correia.
Companhia Fidelidade
tefuroa naaritimos e terrestres
A agencia desta companhia toma seguros ma-
riUm s e terrestres, a premios razoaveis, dando
oos ultimos o solo livre, e o setimo anno gratuito
ao segurado.
Rua do Visconde de Itaparica, antiga do Appolo
n. 51.
Feliciano Jose Gomes,
__'_____________________Agente.____________
HOSPITAL M1LITAK DE PER-
NAMBUCO.
Contrata-se o fornecimento de generos alimen-
ticios para dietas e racdes dos doente* deste hos-
pital, para o tempo compleraentar do presente tri-
mestre. a findar em 30 de setembro, a saber :
Aletria kllogrammo.
Ararcta idem.
Arroz pilado idem.
Assucar relioado idem.
Batatas idem.
Bolacbas idem.
Bolachinhas deAraruta idem.
Biscoutos idem.
Cha hysson idem.
Cafe moido idem.
Dito em caroco idem.
Carne verde idem.
Dita secca idem.
Dita de porco idem.
Farinha de Muribeca litro.
Feijao preto idem.
Gallinha uma.
Goiabada, kilogrammo.
Leite, litro.
Laranja, uma.
Macarrao, kilogrammo.
Manteiga ingleza idem.
Marmellada idem.
Ovo nm.
Paes de 114,762 grammos, kilogrammos .
Sal grosso, litro.
Tapioca, kilogrammo.
Toucinbo de Lisboa idem.
Vinagre de Lisboa, litro.
Vinho do Porto engarrafado idem.
Todos estes generos devem ser da melhor qua
lidade que houver no mercado.
Quem quizer fazer duo forcecimento, apresente
suas propostas em cartas fechadas, na secretaria
deste hospital, uo dia 1 de setembro proximo vin
douro, pelas 10 horas da manha.
. Hospital milititr de Pernambuco, 27 de
agosto de 1874.
0 escrivSo interino,
J. Pinto de Almeida Junior.
f PARTE..
2elo Sr. Anselmo, no mq copopnoM)
grimas da Aurora (da Emilio de Lagej.
1* Hymno Nacional Brasileiro.
3 parte.
(Pelos campanotogos)
1.* The queen Gurd (Waltz)
!. San aoo-d. Polka, (J. Straoy.)
3.* o muito liodo e serapre apptaoMv a. 6 da
opera TraviaU, andante e alogro brilhante de Ab-
forse '5 lui cbe I'anima.
Principiari as 8 boras.
AVISO
Para poder-se apromptar os copot que devem ser
tocados com acompanhamento das campaianai co-
mo esta annunciado na primeira parte, sa abaixara
o panno por 5 mlnntos.
4VIS0S MARITIMOS
B*orta da
nlt-rin* A. Iz*a.
E' esperado dos portos
do none ale o dia 2 de
setembro e apM para
os do sol devois da de-
mora do costume.
Para earga, encommendas, valores.e paasaftns,
trata se no escriittorio
7-RUA DO VIGARIO7
Pereira Vianna A C
Armazens da companhia per
nambucana.
Seguros contra o foso
A companhia pernambucana, dispondo de ex-
.ellentes e vastos armaens em seu predio ao for
le do Mattos, offerece-os ao commercio era gera!
para deposito de generos, garantindo a inaior con-
servacao das mercadorias depositadas, servicr
prompio, precos modicos, etc.
a mbera recolhera, raediante previo aceordo, ex
iiusivaraente os.genero3 de uma so pessoa.
_ Estes armazens, alem de areiados e commodos.
sao inteiramente novos e asphaltados, isentos d
:upim, ratos, etc., etc.
As pessoas gue quizerem utillsar-se destes ar-
nazens, pederao dirigir-se ao escriptorio da com-
panhia pernambucana, que acharao com querx
jatar.
INSTTUTO
GRAPHICO P
Haverd
ARCHEOLQG
CB E GEO-
GANO-
nana quinta-feira,
39*00)
4*04*
1*951
2*0GJ
*09J
2*7^
9*091
10J39
6O*70
li>990
25*9/0
2*280
8*390
16*480
27*210
20*070
'1*|90
"1
3*790
3*900
24*370
7*800
269*180
2*)20
2*560
2*170
3*900
6*100
17*160
6*330
82*580
1*950
3*900
4*0
85*600
11*380
41*000
1*090
214200
134*9(50
U760
21410
41870
3>9u0
111280
3*900
31760
78270
1660
71*230
18950
4JI90
11*130
9ll0
221730
3W0
18J00
oi600
11 horas
I.'
2S de commis-
sessao ore
desetembro proximo, pelas
nha.
ORDEM DO DIA.
Questoes adiadas.
Trabalhos e pareceres
soes.
3. Palestra litteraria.
Secretaria do Instituto, 31 de agosto de
1874.
Jose Soares d'Azevedo.
Secretario perpetuo.
Juizo dos lei to* da fazenda, es-
crivSo Torres Bandeira.
Sexta feira, 18 de setembro proximo vindouro,
depois da audiencia respectiva as It horas do dia,
ira a praca por venda o seguino :
As quatro partes da casa n. 59 da rua de Santa
Rita, a qual tem 31 palmos de vao e 69 ditos de
fundos, 2 salas, 5 quartos, cozinha fora, quintal
murado e cacimba, em mao estado, solo foreiro,
avahadas em 1:2005000, para pagamento da exe-
cucao por decimas contra Joaquim Candido Fer-
reira e outros.
A' casa n. 5 da rua do Amparo em Olinda, com
66 palmos de comprimento e 33-ditos de largura,
2 salas, 3 quartos, quintal em aberto, em mao es-
tado, avaliada em 700,000 para pagamento da exe-
cucao contra Antonio Gomes de Moura.
Idem n. 6 da rua da Mangueira, freguezia do
Poco da Panella, com 2 janellas e uma porta de
frente, 31 palmos de vao, 60 ditos de fundos, 2 sa-
las, 4 quartos, cozinha fora, quintal em aberto, ca-
cimba meeira, avaliada era 1:000000 para paga
mento da execucao contra os filaos de Joaquim
Pires Ferreira.
0 sobrado de dous andares n. 30 da travessa do
Livramento, com 2 salas e um quarto em cada um
dos andares, com 38 palmos de compriio sobre 15
ditos e 2 pollegadas de largura, avaliado em .
3:000000 para pagamento da execucao contra
Jose Martins Pontes.
A casa n. 11 da rua do Amparo em Olinda, com
16 palmos de vao sobre 99 de fundos, 2 salas, um
gabinete, 4 quartos, quintal em aberto, cozinha
interna, solo proprio, avaliada em l:000g000 para
pagamento da execucao contra Rurino Augusto
Mendes.
Recife, 29 de agosto de 1874.
0 solicitador da fazenda provincial,
___________J. F. Correia de Araujo.
Commando das armas
De ordem de S. Exc. o Sr. brigadeiro coraman-
danie das armas desta provineia, sao chamados
a comparecer com urgencia no quartel general
as nrajas reformadas do exercito, abaixo mencio-
nadas ; aquellas, porera, que por motivo de mo-
lestia gue as inhabilite de comparecer pessoal,
mente, u-verao remetter ao mesmo quartel genera
cortiricados dos Rvds. parochos ou das autorida-
des policiaes das localtdades em que residirem
c:m os quaes provem a sua existencia :
Alexandre Dias do Couto.
Alexandre Semeao da Cruz.
Antonio Alves Lopes Baptista.
Antonio de Deus dos Santos Luz.
Antonio Francisco da Silva.
Antonio Gomes de Oliveira.
Antonio (ioucalves Roza.
Antonio Joaquim Baptista.
Anionio Jose Corre Cantagal.o.
Antonio Jose do Espirito-Santo.
Antonio Moreira da Silva.
Antonio Rodrigues Segundo.
Antonio de Souza Neve?.
Bernardo Felippe Paes.
Bernardo Francisco Je Paji;.
Braz Jose da Fonceca.
Calisto Jose dos Anjos.
Candido dos Santos.
Domingos Goncalves de Macedo. .
Francisco Xaviet do Couto.
Joaquim Manoel Bezerra.
Joaquim Mauricio Masso.
Jose Alexandre de Almeida.
Jose Alves do Nascimento.
Jose dos Anjos Neves.
Jose Francisco do Carrao.
Joe Francisco das Chagas.
Jose Francisco Monteiro.
Jose Gomes Ferreira.
Jose Simpliiio Nogueira.
J)ao Alves da Costa.
Jovino Machado Malbeiros B:if;a. X
Luiz Gonzaga. \
Luiz Paes.
Manoel Felippe Camaxdo.
Manoel Ferreira.
Manoel Francisco de Souza.
Manoel Gomes Teixeira.
Manoel Jeronyrao da Silva.
Manoel Joaquim do Paraizo.
Manoel Laurindo de Souza.
Manoel do Nascimento Mendonca.
Manoel Roberto.
Manoel Xavier.
Marcal Bezerra de Paula.
Olindino Demetrio Antunes.
Simplicio Jose de Oliveira.
Sotero Jose Pereira.
Tertuliano Domingos de 5am'Anna.
Vicente Jose Seneca.
Secretaria do commando das armas de Per
nambuco, 27 de agosto de 1874.
Francisco Camello Pessoa de Lacerda,
Tenente coronel secretario
COMPANHIA I'KRNAMBLCANA
DE
IVavegaeao eostefra a vapor.
Fernando de Noronha.
0 vapor Jaguaribe, com-
mandante Julio, segui-
ra para o porto acima
no dia 3 de setembro fulu-
ro ao meio dia.
Recebe earga ate" o dia
2 de setembro, encommen-
das, passageiros e diaheiro a frete ate as II bo-
ras do dia da sahida : escriptorio no Forte do STat-
'oi n. 12.
COMPANHIA PERNAMBLCANA
DE
*IavegMcito eootelra a tapar.
iRAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORo', AUAC*.-
TT, CF.ARA, MANDAHC, ACARACC' I
CRAXJA.
0 vapor lpojuca, comman-
dante M<|Dra seguira rara
os portos acima no dia 5n
setembro proxirco futuro. a *>
horas da tarde. Recebe earga
ate o dia 4, encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete ate as 2 horas da tarde
do dia da sahi la : escriptorio no Forte do Ma-.: -
n. 12.
Risco maritimo.
Carl Peters, capilao do patacho allemio Hen-
rietle Burchard, vindo de Liverpool com earga de
tri hos de ferro e ouiras mercadorias. com det:no
ao Rosario de Santa W, enlrado ne>ie porto com
agua aberta, precisa para occorrer as despezas do
concerto do mesmo navio, a risco mariimo, da
quantia de 14:000*, pouco mais ou menos, sotre
o casco, frete e carregamento do mesmo navir
Offertas em cartas fechadas serao recebidas no
consulado do imperio germanico, nde a carta do
fretamento pode ser exaininada pelus interessados
ate o dii do mez de setembro proximo vind:-a-
ro, ao meio dia.
Libra esterlinas.
Yendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
Rua do Commercio n. 42.
Para.
Pretende seguir para o indicado porto com ma;
ta brevidade a escuna portuguera CkruUwt, p r
ter parte da earga ; e para a one lb.* falta tra:a-
se com os ensignatarius Juaquim Ju>e Goncai *
Belirao & Filho. a na do Commercio n. 5.
PARA E VAILMU
A escuna Georgian a tendo engajado pan
seu carregamento para o Para, recebe tamberr.
para o Maranhao, c.w convenba fazer a es.-aa
a vista do frete que appar.oer: a tratar na rua i
Amorim n. 37.
UESSAGERIES HARITIHES.,
linlia inriisal
Bah'a,
de Janeiro
i^^a
E>pera- ropa ate o dia 7 to
corrente, < e g u i n oV
depois da deroora (,
costume para Bce-
A\res,t(caBdo c.i
Montevideo.
I.inlut mensa!
ERYMANTHE
E' esperado dos ti-r-
tos do sul ate 9 do
correnle, seguindo de-
pois da indispensa-
vel demora para Bor-
deaux, tocando im
Dakar (Goree) e Lisboa.
Para fretes, encommendas e passageiros : a rra-
tar com
OS AGENTES
Harisinoiiily A l.ahillr
9 Rua do Commercio 9
Arremataqao de um bom
predio
Perante o Dr. Qnintino Jose de Miranda, juiz de
direito da 1",vara do civel, em audiencia do dia 4
do mez de setembro proximo vindouro, torn de ir a
praca para ser arrematado por quem mais der, o
mm
Santo x\ntonio
Ultima semana.
GRANDE FUNCCAO
Qarta-feira 2 de setembro.
pela companhia doa celefcreae
unicos no seu genero
CanapanoIoos Escoeeses
Cornposta da familia Sawyer
D. Clara, n. ffopnia, D. firaca e D
Elisa, e os 0rs. Bdoardo e
Anselmo
com as suas 160 campainhas de metal e60
copos de crystal.
Depois que os professores da orchestra execu-
tarem uma linda ouvertura, a familia Sawyer
execuur o seguinte :
Programma
1.' PARTE.
( Pelos campanologos )
!. Marcha "Victor Emmanuel.
2." La Belle Helena (quadrilha.)
3.* Aria do Tenore da opera Martha, tocada nos
copos por miss Clara, com a:ompanhaoiento de
campainhas.
Companhia de navegaela a va-
por bahlana, liiuitada
Maceid, Penedo, Aracajti e Bahia.
E' esperado dos por.c
do sul ate o dia 10 v
corrente o vapor Dantas,
o qual segnira para
portos acima no dia se-
guinte ao de sua cbe-
gada.
Recebe-se earga, passageiros e dinbeire a fre*
Agente
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
_________57-Rna do Bom Jesqj57_________
Pacific Steam Navigalioi Conpaiy
ROYAL MAIL STEAMER
Goreovado
(De 3.805 toneladas).
Com man dan to G. N. taalaa.
Espera se da Eurofia ate
dia 13 de setembro e seguira
para Bahia, Rio de Janeiro,
Montevideo, Buenos A y r e s,
Sandy Point, Valparaiso, An -
ca, Islay c Callao, para onde
recebe: a pasageiros. encommendas e dinbeiro a
frete.
N. B Nao sahira antes das tres boras da
tarde do dia da sna chegada.
OS AGENTES
Wilson Rowe AC.
____UPRAfA DO COMMERafJ14
PA
0 brigue portoguet Triumpko, pretende seguir
com muita brevidade : para earga e pajitgwTrat
trata-se com os consignatanos Tboaas da Aoaiao
Fonceca A C, soccessores, roa do Viyario 19
Para a Bahia
pretende seguir com muita brevidade o palhasan
)owii Arthur, tem par'e de sen carregamento
gajado : para o resto qu- Ihe falta, trata se con
o seu censignatario Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, rua do Bora Jesus n 57.

MUTIIABO 11



s
I
S
HmHMP -f*Jt' telra '1 do -flMnta-felitti
Par* o Mo da Jmro segue
muita brevidade o patatap nacional
na : tein parts da ca
resto, a tratar com A

Aracaly
Para c porto acima sah cm brei idade o pa
lliabote r.:icioiul Maria Amelia, recon>truid'> tie
now, de que * pratreo Francisco Tho-
oiai de Assis : para carga e passageirns, trata se
coin Antonio Alfctrto do Soiua A guitar, a rua ii>
Araorim d. 60.
LEILOES.
LEILAO
DE
moveias, louja, crystaes, 2 violdes, 1 vio-
leta e 1 rabeca
A saber t
Urn piano forte, mobilia de jacaranda, 1 dila
de anarello, com 1 sofa, 1 mesa, 2 consolos, 2 ca-
deiras de bracos, 12 de guarnicio, 5 transparen-
tes 5 quadros a oleo, estampas, principaes vistas
de Kama, jarros e vasos para flores, 1 relogio de
mesa, casticaes e manga?, e candieiros.
Uraacama franceza, 1 commoda grande, 21a-
vatonos, 1 cabide, 1 espelho. 1 sofa 2 mesinhas,
e 2 descancos de pea.
Uma mesa do jaDUr, 1 aparador, I qoartinbeira,
Ijuarda comida, 1 sofa, 12 cadeiras de guarni-
cac, 1 armario, louca para eba e jantar, vidros a
crystaes.
Dous vialdes, 1 rabeca, 1 violeta, 2 pistolas, 2
batquiohas, 1 mesa de amarello com 2 gavetas, t
banheiro. 1 taboa e eavallele para engommar, I
escada, i maquina para Javar roapa, 1 balanca,
serra, serrote, i forno, 2 mochos. 39 saquinhos
com carvao chimico, 1 gallinheiro, 1 mesa de pi-
nho, 1 faxo de cobre, 1 lote de flandres, trem de
cozinha e outros accessorios de casa de familia.
HOJE
Terco-feira t de tettembro
Na casa da rua da Princeza Izabel n. 54,
em frente a" ponte de Santa Izabel, onde
havers' a bandeira leilao.
0 agente Pinto, autorisado por nma familia que
mudou de residencia, levara a leilao os moveis e
mais objectos acima descriptos, existentts na casa
da rua da Princeza Izabel n. 84, esquina da ma
da Saudade, onde navera uma bandeira no oitio
da mesma casa,
OJeilao principiara as 10 1|2 bores.
4e raaceira de amarello, tendedeira, ca-
bide, um excelleate balcaO de amarello/
earteira, tret pares de sparadores, fl
4mii%!M, rirrrlif1irre,'.h-rg\t dc i hi.-**,
encanairisiito, mamMas o,u.ii registry.
oo correr do inrirtello
Hoje
Tiica-iVira I tl s-leiiibro \y
[H'ha^enleHarlhis.
Na casa n. 20 da rua do Vftrfufj le de Albuquer-
que, antiga ma da Malrii da I! >a Vista.
A'i H horas do dia acima.
Agente Pestana
leilao
DE
uma caixa com 12 duzias de couro de lus-
tre, uma dita com trancelins de retroz e
26 libras de retroz preto, tudo em per-
feito estado e para fecbar comas
ao correr do marteUo
Leilao
ttef
faien-las, nrmncJo o utensiliis portunnontPS
4 massa full.la de Anton A MXcfuwi dns
SaiU.-.-, t-xiM-iiU'S i)*iaja>itjol, a rua iio
l** io Plil)lii
OLI.MA-PKIHA 3 HO COitRKNI K
i< i itorus Pur inandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do cuminercio desta cidade, e a reqoeri -
memo dos curndores liscaes da massa fallida de
Antonio Maehado dos Santos, o agente Pinho Bor-
ges fara leilao da* fazeniias, armario e utensilios
<|ue Ciinsiiiue a massa fallida do siipradim.
LlilLAO
da
rua
Terga-feira 1 de setembro
As' 11 horas em ponto.
No armazem de agenda de leiloes
do Vigario Thenorio n. 11.
0 preposto do agente Pestana, fara lei Iio por
conta e riseo de quem perteueer, de 1 caixa com
12 dnzias de couro de lustre, i dita com trance-
lins de retroz, o 26 libras de retroz preto, tudo em
perfeito estado, ao correr do martello, para fe-
char contas, em um ou mais lotes, a vontade dos
Srs. compradores.
DE
BO
\t* Os mutuarios po3suidore de cantelas vencidas,
cujos preraios nao foram pagos, venham resgatar
oni reformar ditas cautelas sob pena de serem ren-
didas no leilao que teri lugar no dia acima desig-
nado, na casa de penbores, a trave.-sa da raa Du-
que de Caxias n. 2.
avisos DVERSOS
feaivs
i affoNtia.
Maria da Conceicio Vciga, Manuel Gon^al^l
is Perfrtra Ota. Franfl*e de Paula Goncalve:
terrr-ira. Felippv >Vry frugalves Frircira Costa i
lceatoGAf.i|\ Ferreira, pi Io presente apraie-l
ij nra'.ocs a loilos < M is
lArentes < :,iMiuo> i|ii ai-oiiipaiiharam a uliimaj
iin-r;-ita 0< r i..< limrtar* d f.-n nnii pte:. m.i.|. leriiloein 2ti aque!la |HjMg ,^ durauie mpus snlTriiifi.t a
molpstia, laniM inequivocas | ?io Ihe maiiifostaram. De novo peilem e rogam
aos mesmos parenies e amigos, hem assim a to-
dos aquellcs que por tsquenmento deixaram de:
ser eonvidados para o enterro, o carldnso ob>e-J
quio de assislirem as raissas que, pelo descanco
elerno de sua alma, teem de ser resadas' na.
c*Pe''a do cemiterio publico, pelas 7 boras da ma
nna.de quarta-fcira, 2 de setembro Tindouro, 7
dia Jo seu passamento.
MOFINA
Estd encoura^ado !! !
A?fa mole em pedra durn
Titiit.* ,-ln nte |n a T:tr..
H-g;<-*av Kite.. Si. ifnaoi Vieir* 1k Mjo
?vtiv;i Dj- cida.ie d.t .Na/Are.ih '!"-:a proriaria,
'atur de nr a ,-ua fuqne Jo '.va:.i..? n. .W, a cou
;luii Vineilf ne^i.-in -\w S. S. se e,m!|:ro::.e.tt.-u a
feaiisar, peia tcrceira ctiamaia desie jornal, eui
flnsde dezembro de 1871, e depots para Janeiro,
passou a feverein. e abril de !972,e nada cuvipno;
por cste inotivo 6 de noro chamado para dito
im, puis S. S. sc deve letubrar que este negocio
le mats de oito annos, e qnando o Sr. seu time
ichaTa nesu eidade.
m
es^
LEILAO
DE
Um cofre de ferro, prova de fogo, 1 banco de
madeira, 1 earteira, 2m3chos, 1 ban:o, 1 mesa de
amarello, 1 dita menor, 6 cadeiras de amarello, 1
prensa para copiar, 1 banco para saccos ra9ios,
2 transparentes para janellas, I balancinha para
cartas, 1 relogio, 2 garrafas de linta, 1 bacia,
2 stnetes para carimbar cartas, 1 livro razao, era
branco, I dito diario, em branco, 4 ditos de let-
tras de saques, em branco, 2 meias resmas de pa-
pel, 6 meias ditas para copiar, 2 ditas de contas
de venda, 1 maco de papel azul para embrulho,
3 regoas, 1 codigi commercial de Orlandv, 24 fa-
Ihetos (revolta de Maranhao)
Hoje
Terga-feira 1 de setembro
as 11 h.-rasda manha
. >. armazem da raa do Bom Jesus
(antisa Cruz) n. s, t< andar.
Por mandado d> Illm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do coramercio desta eidade, o agente Pinho
Borges fara leilao dos objectos acima menciona-
dos, pertencentes a massa fallida de Joaquira Jose
Ramos, os quaes se acbam sob a gnarda do depo-
sitary da mesma massa.
LEILAfT"
DE
uma por^ao decaixas e saccos com assucar
branco, avariados d'agua salgada
Hoje
Terca-feira 1 de setembro
A's 11 horas da manha
Em o armazem do Exm. barSo do Livra-
mento, junto ;S guar Ja-moria da alfan-
dega
0 agente Dias, competentemente autorisado pelo
Sr. Atlolpho Reese, capitao do navio argeotino
Carlos, ultimameate arribado a este porto, em
virtnde de forca rr.sior, era viagera do Aracaju pa-
ra o Canal, por ordem, levara a leilao, no dia e
hora acima indicados, para occorrer as despezas
havidas, e com a respectiva licenca do Illm. Sr.
inspector da alfandega, em presenca do Illm. Sr.
vice-consul argentino, ou de seu delegado, uma
porcao de caixas e saccos com assucar branco,
resto da carga do mesmo navio, e que se acbam
avariados e depositados no armasem n. I, junto a
uarda-moria da alfandega.
DAS
mercadorias, armarao, candioiro a gaz e
mais utensilios existentes no estabeleci-
mento da rua do Rosltrio da Boa-Vista
n 56, pertencentes a* massa fallida do
Azevedodt Coelbo
'. QUARTA-FEIRA 2 DE SETEMBRO
a's 11 boras da manha
0 agente Dias, era observancia ao respeitavel
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, levara a leilao no dia e hora indicados,
as mercadorias, armacao e mais utensilios como
acima se menciona, os quaes fazem parte da mas-
sa fallida de Azevedo & Coelho.
0 balanco pode desde Ja ser examinado pelos
Srs. pretendentes na rua do Marquez de Olioda n.
37, 1 andar, escriptorio do referido agente.
IADV0GA00
BICIAHL JOAQDII fiCENm DA I
SILVA HELLO. 1
3 Kna estreita do Rosarlo S3
primetro andar.
Agente Pestana
leilao
DA
armagao, generos e mais utensilios da ta-
verna denominada Novo Mundo, em
frente d rua do Vigario Thenorio n. 2
Qoarta-feira 2 de spt-mbro
A'S 11 HORAS EM PONTO.
G preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quem perteueer, da armacao,
generos emais utensilios, da taverna denoraioaia
Novo Mundo, era frente a rua do Vigario n. 2, a
qual se achasortida, aeadoo balcao todo de pedra
marmore e a armacio^envidragada, livre e desera
0 Dr. Luciano Xavier de Moraes Sarmen'.o,
previne que nada deve; todavia qnem se julgar
com direito, queira apresentar-se a raa da Auro-
ra n. 61, andar, e comprovar seu credito, que
sera immediatamente satisfeito.
0 Sr. Paulino de Oliveira Maia tem uma en-
commenda vinla de Portugal por um passageiro
do Neva : na rua do Marquez de Olinda n. 12.
Mulher
Precisa-se de uma raulher para vender na rua
hyre ou escrava : na rua de Pelro Affonso, ou
trora rua da Praia, n. 27 on 29.
felica Florlnda Coelbo
Antonio S. Borges, Antonia J.
Borges, Estevao J. Coelho e Joseph a
F. Coelbo (ausente), Raymundo N.
Coelho, Alexandria S. Coelho, Jo-
vino J. Coelho, pelo presente agra-
deeem eordialmente a todos os co-
racdes caridosos que se dignaram
acompanbar os restos mortaes de sua presada mai
e1?.fra> Angelica Florinda Ooelho, ao cemiterio
pubiicoi; pedem, pois, descnlpa de antecipadamen-
te nao haver leito o devido agradecimento quando
annunciaram a missa funebre do setirao dla do
seu_pai lamento, por esqueciraenti involuntario.
0 br. Alexandre deSouz^PereiradoCarnjo,
seu mano (ausente), sua mulher e filhos, assas
agradecidos as pessoas que ae dignaram acompa-
nbar o cadaver do seu semprelembrado pai, sogro
e avo ao cemiterio pubiico, de novo Ibes rogam o
candoso obsequio de assisfirem a missa, que pelas
7 horas da roanhS do dia qniata-feira, 3 do eor-
rente, maadam resar na capella do cemiterio, pelo
repousoeternq do mesmo flnado, pelo que se con-
fessam eternaaente gratog.
^fltfj}^

%
1^'
Q0 S*
Alugase uma casa na rua de Lomas Valen-
tinas n. 104, defronte da sachristia do Terco, com
commodos para familia : a tratar na rua do Cal-
deireiro n. 36.
Jose" Antonio de Araujo, so'Ao da firraa com-
mercial, que gyrava sob a flrma Araujo Carvalho
& C, estabelecidos a rua do Barao da Victoria n.
2ti, avisa ao corpo do commercio e ao respeitavel
pubiico que separou a sociedade que tinha com
o socio Joio Correia de Carvalho, ficando desde
ja o socio Jose Antonio de Arau'o, responsavel
pelo activo e passive.
Recife, 31 de agosto de 1874.
Alugase
o predio n. 28 sito a rua do Barao de S. Borja,
antiga do Sebo, com commodos para grande fami-
lia, contendo agua e gaz encaoados, e apparelhos
de limpeza, grande quintal hem plantado, com
portao que deita para a rua do Atalho ; para ver
a cbave acha-se na mesma rua n. 18 : a tratar
em Olinda, ladtira da Se n. 6.
Lava se e engomma-se por muito barato pre-
eo, no pateo de S. Pedro n. 4, ao entrar na rua
de Lomas Valenlinas ; assim como, tambem se
coze toda qualidade de cosiura. da moda e mes
KY^JSJSR* DUS' T um oa ma'3 l0" 'no outrasbrancas para maquina '
tes, a vontade dos srs. compndores.-------------------------------- 4 ______________
Feira bemanal
Leilao
DE
PAZENDAS
mgle;:as, francczas, suissas e allemas, em
continuaQBo epor Hquidagao
CONSTANDO DE :
Chinas escuras, algodSes, cobertores, mussuli-
nas, cimisas de linho, ceroulas, pannos e case-
rairas, pretas e de c6res, bomtazioas, raerjnos,
$rosdenaples, espartilhos, cassas de cores, organ-
dys, cambraias brancas, brins br;mcos e de cores,
brins pardos, Angola, peitcs pan camisas, sarge-
lins, chape'os, peitcs de camisa, collarinhos, cha-
les, lencos, tapetes, meias, capas de seda, v6os pa-
ra casamento, chitas de ganga, damasco de la e
algodao, riscados para colchoes, fazendas de linho
propriis para seleiro, e muitas outras fazendas
HOJE
Ter^a-feira 13 de setembro
No armazem da rua do Bom Jesus n. 63.
Os adminisiradores da massa fallida dePereira
de jfcBo & C, autorisados pelo Illm. Sr. Dr. juiz
de direito especial do coramercio, continuarao a
dispor em leilio, por Intervencao do mesmo agen-
te Pinto, as fazendas pertencentes a mesma mas-
sa, e existentes no armazem da raa do Bora Jesus
n. 63, onde se effectuara o leilao.
Os Srs. pretenlentes poderao examinar naves-
pera e dia do leilao a variedade e sortimento das
mesmsis fazendas, algumas das quaes ultimamente
'lespachadas e recenlemente tirad.is da alfandega.
Agente Pestana
LEILAO
DA
muito afamada barcaga Rosa Cruz, de pri-
meira viagem, pegando MX) saccos, ou
c.nxi mil arrobas
Hoje
Terca-feira 1 de setembro
as 11 horas en ponto
?Ja porta da AssociagSo Cc mmercial.
0 preposto do agente Pestana fara leilao,-por
conta e riseo de quem pertencer, da barcaca Rosa
Cruz, cotnpletamente nova e auas pertencas,
prompta a navegar para qoalqner porto, a qual
se acha fundeada no caes do Ramos para os Srs.
pretendentes a podar examioar.
0 mesmo preposto avisa os Srs. pretendentes
me nao so vends s, dinheiro como tambem a pra-
zo, e para man informacoes na agancii de lbiloes
a rua do Vigario Thenorio n. 11
uma mobilia complete, com
tempos de marmore, toi-
lettes de mogDo e jacaran-
dd, tempos de pedra, ca-
mas francezas de jacaran-
da e amarello, guarda lou-
cas de amarello, 2 pianos
de armario (3 cordas), 1
mesa para jantar, espelhos
dourados, bidets, quadros
com fmas gravuras, objec-
tos de brilhante, ouro e
prata, relogios de algibei-
ra, ditos de parede, ditos
Atterigao
de
cima de mesa, miude-
zas diversas, 1 cofre per-
feito (prova de fogo), ber-
c,os, 1 grande quadro dou-
rado, de tabella para ca-
belleireiro, estantes para
livro?, carteiras para es-
criptorio, louca, crystaes,
jarros, para flores, 1 mala
nova parfl viagem, cha-
peos para senhoras, 1 es-
cada de abrir e fechar, 1
rewolver pequeno para al-
gibeira, 1 grande lavato-
rio, com pedra preta, e
muitos artigds de uso de
casa de fomilia, que se
torna massante declarar.
Qumta-feira ."> do corrente
A's 11 horas
NA
FEIRA SEMANAL
16Raa do Imperador16
ARMAZEM.
pelo agente Martins.
Na rua estreita do Rosario n. 35, prepara-se
bandejas de bolinhos de todas as qualidades, para
casamentos, bailes e baptisaios a zOf e a 15^ ;
bandejas cm bouquets e fitas dim lelreirss a
gosto de seus donos e com asseio ; prepara-se
bouquets de craves natura.s para noivos, com fi-
tas bordadas a ouro, sendo a encoromenda feita,
5 ou G dias antes ; faz-se pao-de-los enfeitados e
pudins, semedo, tudo proprio para presentes ; flo-
res de todas as qualidades, lindos bouquets para
offerta, vela? ricas enfeitadas para baptisadOs; to
da encommenda de flores, arcos, palraas, rosas,
e capellas ; tudo se faz barato com presteza. Tam-
bem se faz gorros bordados a ouro, cbaruteiras e
qualquer obra burdada a ouro.
00 0000-^000
J-j-" de Hallanda Cavalcante, faz scien-
te aos digaos pais dos seu* alumnos e
a quem interessar possa, que mudou-se
da praca do Coude d'Eu para o becco
do Veras n. i, onde o encantrarao sem-
pre prompto no exercicio de seu ma-
gisterio, cuntinuando a tomar todo o cui-
dado na educacSo dos seus discipulos.
Recife, 31 de ; gosto de 1874.
mm*-m*m*m*mm*w*
Armazem de trastes
Na rua do Duque de Caxias n. 34, outr'ora das
Cruzes, abrio-se um novo armazem.
CASA DA FflfiTIA.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
A rua Primeipo de Margo (outr'ora rua dt
Crespo) n. 23 e casat do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido no* seus fe-
lizes bilhetes um raeio n. 364 com 200*000, um
meio n. 2248 com 100*, um meio n. 1095 com
100/000, e outras sortes de 40* e 20* da lote-
riaque se acabou de extrahir (114'), convida aos
possuidores a virem receber na conformidade do
costume, sera desconto algum.
Acham-se a venda os feltzes bilhetes garantidos
I da 9' pane das loterias a beneflcio da igreja
doEspirito Santo (Ho*), que se extrahira no
sabbado, 25 do corrente mez vindouro.
PREfOS,
Bilhete inleiro 4*000
Meio bilhete 2*000
KK pop.gioDE 1009000 para cm a.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
___________Manoel Martins Fiuza.
"liOOWOOO;
Da-;e sebre hypotheca : quem quizer deixe car-
ta fechada nesta typographia, com as iniciaes
M. T.
O Monte Lima
tem um completo sortimento de galao e franja de
ouro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
abotoaduras douradas para offlciaes, canutilhos e
enfeites para bordado. Tambem se encarrega de
todo e qualquer fardamento, como seja : bonets,
talins, pastas, espadas, dragonas, charlateiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas, para criado,
etc.; assim como um completo sortimento de
ranjas, galao falso para ornamento, cord&o de U
com, borla para quadros e espelhos (ennforme o
gosto da encommenda) tudo por muito menos
preco que em outra qualquer parte : na praca da
Indeuendencia n. 17, junto a loja do Sr. Arantes.
Preservative da Erysipela
Descoberto pelo Bacharel
Nanoel de Siqueira Cavalcanli
Tendo o Governo Imperial permittido ao des-
cobridor vender aquelie mediraraento, o puLlico
ja o tem a sua disposicao.
Depositoa nuiro*.
u-cire : ru do Baric da Victoria (rua Nova)
n. 40. casa do Sr. Rocba Siqueira.
lo de Janeiro : Cdrte, rua do Ouvidor
n. 78.
O-Preservativo da erisypela ja e bem conheci-
do : entretanto transcreve se para este annuncio,
do Jornal do Commercio do Rio, os attestados in-
fra.
Qneiram os Srs. doentes os ler, e ver por
quem es/ao elles assignados.
Declare, por ser verdade, que padecendo de erv-
sipela, foi-me dado pelo Sr. Manoel de Siqueifa
Cavalcanti um medicamento, do qual fazendo uso
por algnns dias nunca mais ate hoje, me lornou a
accommetttr essa enfermidade. Por me ser pe
dido passei o presente, por mim feitj e assignado-
Rio de Janeiro, 16 de juabo de 1874. Duque de
Caxias.
Attesto, que tendo empregado o medicamento
dymnamisado, que no foi fornecido pelo Pc Dr.
Manoel de Siqueira Cavalcanti para o tralamefUo
da erysipela, colhi sempre resuttados supenores
aos de todos os medicamentos conhecidos. Em tes-
teraunbo da verdade, e por me ser pedido, flrmo
o presen'e. Rio de Janeiro, 13 de junho de 1874.
Dr. Saturnino Soares de Aleii elles.
Concordo perfeitamente com o parecer supra.
Dr.Jooquim Jose da Siloa Pinto.
O abaixo assignado, doutor em medicina pela
faculdade do Rio de Janeiro, cirurgiao-mor de
brigada bonorario do corpo de satide, cavalheiro
da imperial ordera de Christo, etc.
Attesta sob juramedto de seu grao, que tendo
usado de um medicamento que lhe foi fornecido
pelo Sr. Dr. Manoel de Siqueira Cavalcanti, de-
nominado Preservative da erysipela tirou
sempre o melhor resultado possivel, de sorte que
os doentes ate hoje nSo foram acommettidos das
erysipelas, que soffridm frequenteraente. Rio de
Janeiro. 19 de junho de 1874. Dr. Jose Lino Pe-
reira Junior.
Tiveem 1871 dez erysipelas em uraa perna, fui
a Europa, e considerei-me curado, voltei pouco
depois, tive novo ataque ; toraei o temedio Preser-
vative da erysipela do Sr. Dr. Manoel deSiquei'a
Cavalcanti, e cessoti a molesfia, ha rnais de nm
annol Creio ser iato eff=ito daquelle remedio. Rio
de Janeiro, 13 de junho de 1874. Barao de Cuba-
Frio.
Gratis aos pohres.
2-i-Kpa doNarqitzdf Olinda-ii
Esquina Particiia a srr.s frrgnezes e amigos que mci.u
o seu esUbelecimento de rrl.^jurni para a mesT.a
rua n. 24, onde rococlraAo i.m sran.-te .rtimen:
de relogios de parede, ameriranr-s, a cm.a de me-
sa, dos melhores gostos e qoalidadfs, relogios do
algibeira, de todas a.-qualida <*. pataala sou.-.,
de ouro e prata dourada, fuleado (plaqn t), relD-
gius de onr... inglei, labrieanles, cadeia de corn, plaqurt e prata. luneus
de tods as qualidades, lode por precos muito t-
ratos. v '
&^^C>0-Qi^^-3X^XK;; >
Acaba de chegar para a casa de Gustavo, cabel-
leireiro, a rua do Marquez de Olint'a n. 51, i an-
dar, um lindo sortimento de c jques de cahello
humano, de diversos feitios, de preco de lit a
15*000.
Crcrcentes de cabellos compridos p?r 15*.
Crespos idem idem (o par) 5*.
Topetes fnzados a 3*.
Trancas compridas de 10,12 e 15*.
Grampos frizados (duzia; 4*.
Diademas a 5*.
0
m
0
a
0
0
0
0
0
0
0
Cozinheiro,
Precisa-se de um cozinheiro : na fabrica de fia-
gap e tecidos, na Magdalena.
Caixeiro
Preiisa-se de um caixeiro com pratica de mo-
lhados, para a ciddae da Escada, de 10 a U annos:
a tratar na rua de Pedro Alfonso n. 54.
= Precisa de duas amas, sendo uma para co-
zinhar e comprar e outra para engommar e en-
saboar : na rua da Cmocordio n. 43.
LEDAO
?.
DOS
Woosihos -Ja padaria Ramoida, constanrjo
DE
moveis, louga, vidros, pianos de armario,
ditos de mesa, chapeos de feltro e diver-
sas miudezss
QUINTA-FEIRA 3 DO CORRENTE '
As II horas em ponto
Wo armazem da raa do Bom Je-
sus n. 88 (antiga Cruz).
0 agente Dias fara leilao, nor conta "e risco de
quem pertencer, de 1 mobilia de amarello com
tampos de pedra, guarda roupas, guarda vestidos,
guarda louca, camae Irancexas de amarello, dita
de mogno, dila de jacaranda, marquezS^s, mar-
quezas, mesas elastica quadros, candieiros a gaz,
1 samuario de jacaranda, e muitos oulros objec-
tos que estarao patente? ao acw do leilao.
Modista franceza.
Mademoiselle Eugenia Lecomte & IrmS, avisam
a suas antigas freguezas e ao pubiico em geral
que abriram novamente seu e3tabelecimeuto de
casa de costuras a rua da Imperatriz n. 5, pri-
meiro andar, pelo que esperam continuar a me-
recer a concurreocia das pessoas que precisarem
de seus services.
Alugase por alguns mezes o 2 andar d-
sobrado n. 53 da rua da Imperatriz, cotnpletamen-
te mobilhado, a pessoa de poaca familia, preferino
do-se estrangeira : a tratar no mesmo.
Joao de Azevedo Pereira, estabelecido nesu
cidade, faz pubiico que de seu poder se desenca-
minharam duas letras, sendo uma da quantia de
901*618, aceita pelo Sr. Dr. Francisco de Paula
Cavalcnnte de Albuquerque, morador no engenho
Soledade de Porto Calvo da provincia. das Alagoas,
em favor da viuva de Jose Baplista da Fonceca
Junior, pelo annunciante arrematada; e ontra de
390*840, aceita por Francisco da Rocha Passos
Lins, a mesma viuva, e tambem arrematada pek>
annunciante ; cuja letra ja foi de saldo de com-
pensacao de contas do Una do Candido Nunes de
Mello & C, pelo qne previne aos mesmos senhores
accitantes nao as pague a quem as apresentar sem
que se mdstre habilitado com procuracjto fa an-
nunciante com poderes para pode-las receber,
porque se assim o flzerem tem de paga-las de novo
ao annunciante, que declara que nao as tem ate
hoje translerido a ninguem, nem autorisado sua
cobranca se n5o ao^eu proenrador, o solicitador
Joaquira Cavalcante de Hollanda Albuquerque,
qoe 6 o untco autorisado de tratar de seus neW
cms nesta eidade e f6ra della, e a elle podem os
mesmos senhores se dirigir. Recife, 25 de agosto
de 1874.
Alberto F. Damon, pela presteza de sua via
gem e muitos afazeres que se accumullaram nes-
tes proximos dias, nao ihe foi possivel despedir-se
pessoalmente dus seus amigos, e o faz pelo pre-
sente, exigindo desculpa aos mesmos senhores.
Ao mesmo tempo ofleroce-lhes o seu prestimo na
cidade de Philadelphia, Estados-l'nidos, lugar da
sua residencia,
DIALOG!)
M....tu ja vistes I o que In...? o grande progres-
so do Zeferino ao arco de Santo Antonio, como
esta bonito ? Sim senhor I o maganao teve gosto;
neste genero e o primeiro, nio ha melhor I ja se
pode ser vendelhao em Pernambuco I 0 caso e
que os freguezes concorrara, pois esli salgado I
Se concorrem, e porque nao ? Bom ponto, casa
bonita e com luxo, bons generos, precis commo-
dos, bons empregados e agradaveis para os fregue-
zes, elle 6 sincero, que mais ? I Pode fazer nego-
cio, pois ja hoje qualquer senhora pode descancar
alii a espera do trem, e comprar o que precisar
sem acanhamento : e tii sabes que a melhor fre-
guezia 6 a do bello sexo I E' verdade, nao ha
quem lhe resists.
OITerece-se uma mulher de idade e de b a
conducta para servipo interno de casa de homem
solteiro : quem precisar, dirija-se ao pateo do
Carmo n. 21, a tratar com a mesma pessoa.
Alugam-se barato umas mei-aguas na tra-
vessa das Barreiras (becco do Aquino) : a tratar na
rua do Cotovello n. 25, casa de azuiejo.
Aliened.
Aluga-Mj altos e baixos d<> sobrado da r-i
Imperial n. I. canto da travessa do Ubm, tmt I
armarao emais perteDcas para taverna, ^.,r:i
iu/ar n.uito proprio para ul n. p. cio : quem
pretend, r entenda-se com o pr-j.iioUrio, na raa
do llospicio, soi.rado n. 35.
uWouTendI
No primeiro andar desta t) pograpbia u
mSo do admintstra ior, >oa m os Mraia<
te livrinhos :
O niatuto E tructivo, crilico, analvlico. historico e rr. -
ral, entre um matuto e um liberal por a'J)
rs. cada exemplar.
Educa?ito Familiar (MMML
uma seriu IIuric it*, manual diplomatique 1
volume per 19000.
Obras lo Mahly -cornpletas !-
volumes por 82000.
Billion-obra complcta -1 total
por -25000.
FritotEspirit do DroitI r/oIiHB
por 15000.
ValelDroit des (iens-
25000.
R'\ Borges -Eco.iCffiia
lutne 1*600.
FieldingThe bidorj Tea Join s_
volume* 3#000.
Bavocic Des conflits i volumes
Ilistoisc F(.'ci('siu.tCi(|uc G ?o-
luines 03000.
IftousiNcuu Melangi 3 (j volum s ST.
Ihmm Pieces difcrses4 I
mes 2JT000.
0iDSiKSSS3i0i^>^i5SKaiii
g
!
8
3
8
-- v lumc-s
P liticaI
DO
lla-. Mwrlllo.
RITA DO Vifi RtO \. I, *. AM1.';:
Recem-chf^ad 1 da Europa, i-nd.- Ire-
queutoa os nospitat
podera iser praeorado a qaalqeat 1.
dia ouda n<.ii. para objeeto dt su< pi
fissao.
Consultas das 6 as 8 I "ras da naaki a
do meio dia as duas hoi as ea tarde.
GRATIS AOS P0BBB3.
Eipecialiiuitt: HmhOm d mb
da pelle e de criauca.
Aluga-se
uraa casa terrea no principle da E-trada .Nova,
com duas salas, dous quartos, cozinha fora e um
quarto ; muito proximo dos bonds: a*.trattr no
mesmo lugar, primeiro sitio a direi'.a, depois da pri-
meira bomba.
AVISO.
Nao se prestando 0 pequeuo espaco do armazem
n. 10 A, a ma da Madre de Deos, para um abaste-
cido deposito das diversas marcas de furao, que 0
abaixo assignado almejava ter, acha-se d'ora em
dlante aberto outro estabelecimento aobamesma
denomina;ao de
ARMAZEM DO FUMO
A' rua do Amorim n. 41
com todas as proporcoes desejadas, e onde pode-
rao os senhores freguezes dingir-se, certos de que,
como ate aqai, acnario sempre a par da modici-
dade dosiprecos, a maior sinceridade possivel. En-
tre as differentes marcas de fumo da Bahia e Rio
de Janeiro, que tem sido annnnciadas, acaba de
cbegar uma encommenda especial, que muito deve
convir aos senhores freguezes. Consciente 0 abai-
xo assignado de que neste genero de negocio nao
esta sem competidores, fara muito por evitar qne
tambem os tenha com relacao ao pequeno lncro
que procarara obter da dita mercadoria.
_______ Jose- Domingues do Carmo e Silva.
Os senhores que se acham devendo na cocheira
de Santo Amaro n. 1, queiram quanio antes virem
saldarseus debitos, sob pena de serein chamados
por esta folha. __________________
- Sr Luiz Aprigio de Oliveira Salermo, quei- 9KKKSQQC1QO' >/XS?0R^>f, *
ra appare er a rua do Piangel n 67, a negocio do
paricular iaterese.
corles de wsdaos de
C^ guarnecidos de bin da linho. ___
y^ trazend.) fivella, bols.i, bi toes, STT
mmZm cinto, et*., etc. : na loja do Pas S^
so, rua I'rimeiro de Marco n. 7 SS~
m^m A,de S^
t rdciro Sitiioes k (..
Nos abaixo assignados temos justo e emtra
tado, 0 primeiro vender c 0 segundo comprar a
taverna sita & rua da Santa Cruz n. 71; portant..
quem se jtilfiar credor da 1 esrna, queira apreses-
tar suas contas uo prazo de tres dias para m.-: .
pagas, nao so obrigando 0 comprador por qual-
quer onus a ijie a refenda taverna esteja su;
ate esta data.
Pernambuco, 11 de agosto de 1874.
Feli>berto de Medeiros Barl
Jose Marpues Salqanha.
AOPILIliO
Joao Correia de Carvalho, artista alfaiate, ten-
do-se desligado da sociedade da casa commercial
existente a rua do Barao da Victoria n. 26, sob a
razao de Araujo, Carvalho & C, acha-se novamen-
te estabelecido na sua arie, a raa do Marquez de
Olinda n. 46,1* andar, aonde os seus nuraerosos
freguezes 0 encontrarao prompto para executar
qnalquer obra tendente a sua arte, com esmero e
promptidao.
joias
N. 11Esquina da rua do Cabuga IV. 11
Este estabelecimento continua a receber grande sortimento de joias modernas, dc onro, bi -
lhante, e mais pedras preciosas, e boas obras de prata de lei.
Condecoracoes.
A Coroa Brilhante recebeu ricas commendJIs, offlcialatos, habitos de ouro e prata douraiL
para todas as ordens ; assim come delicados laclnhos e botoes. para cavalheiros, offlciaes e coc-
mendadores da Rosa e de Chris: >. fitas flnas de seda para a campanba do Paraguay, todas as or-
dens, e para liquidacio de muitas joias que tem na 1-ia, o dono resolveu a venler m'ais barato &j
que em ontra qualquer parte, garautindo a boa qualidade do ouro c da prata, por meio de urn*
conta com recibo. 0 estabelecimento continua aberto a noite atS as 7 horas, na rua do Cabuga n.
11, loja de joias de Antonio Serafim da Silva.
CALISTO.
Fugio no dia 16 de julho proximo passsado o
escravo Calisto, tendo os signaes segnintes: esta-
tura regular, bem preto, belcos grossos, pes feios
com marca de cravos, nma cicau-iz na costella
esquerda junto ao vasio, pouca barba n o
queixo e idade de 22 annos. Pede se as autori-
dades e capitaes de campo a apprehensao do re-
ferido escravo e leva-lo a rua Direita n. 40, pri-
meiro andar, que serao generosamente recompen-
sados (os ultiraos) ou ao engenho Cabrnnema,
freguezia da Escada.
Aluga-se o 2* andar do sobrado da rua do
Crespo n. 14 : a tratar do i andar do mesmo.
Grande liquidacao.
de miudezas e chapels : no novo Bazar, rua
Marquet de Olinda n. 53.
do
Aluga-ee
as casas n. 151, sobrado na rua Imperial; a 13,
3* andar, na rua do Bom Jesus; n. 101, em Santa
Rita, e 2* andar e sotao na rua da Aurora n. 37 :
a tratar nesta rua n. 61.
GiWEIHO
S. CARLOS
Vende-se ouarrenda-ae o engenho S. Carlos, em
Ipojuea, moente e corrente, com todas as obras
em perfeito estado de conservaeao, e muito bom
d'agua : a tratar na travessa da rua Duque de Ca-
xias n. 3, i* andar, com Gabriel Antonio "de Castro
QaJjtfUL
Aluga-se o tereeiro apdar da casa n. 32, a
rua estreita do Rosario, com commodos e muito
resco : na .thesouraria das-toteriM.
VINHO e XAROPE de DUSART
COM LACTOPHOSPHATO DE CAL
Os medicos dos grandes hospitaes de Paris receitSo ambis cstes medicamentos, consider
ratios como reconsUtulntes e reparadores por excellencia paxa excitar o appetite, despertar a
fome e conseguir a assimilacao rapida dos alimentos.
O seu einprego subministra as mulheres graviUas o elemento generador do feto, as amas
um corrective certo dos dcteitos que possa ter o lcito, e as crian^as rccem-nascidas c criadas
com o biberon, um panacea admiravel, que, neutralizando as mas qualidades do leite, previne
e cura a diarrhea a que sao propensos.
Nas molestias dos ossos, fractiu^is c feridas, apressa a s^ldadiirt dos ossos, Tornado pelas
mocas, produzem o mesmo elfeito que os melhores ferruginosas; pclos Usicos cicatrizao rapida-
mente os tuberculos dos pulmoes, e emfim pelos convalescentes e os vclhos. pelas pessoas
usadas pelo trabalho e pelos excessos ajuda-lhes a recobrar as forgas esgostadas ou perdidas.
PILULASdeBURINduBUISSON
(XODORETO DE FERRO e MANGANEZ) apprt.Ti.laj pela Icadeaua it U O hris.
m^.n!HC^itJ!0 fre^*en'edas pilulas de iodureto de ferro provem de que nio entra n-ellaa
fSESHSSS&S^r haunidoao ferro no orgaUno, <$& 7SUB
ai?& IStSS^lSSS'^ manganez de>urin du Buiason, approTSwU. pla
SfeUonS? nMr.5SSSf* s^alMem estas condicoes, e e oste o motivo p5o qual os eusj
"~ aa ^eiMtraapao, e nos aooldentes de siphilis constitacionai
e em Pernambuco : FBRREIRA. MAIA C; -M.-A BARB02A, e nag pri*


^'~~i_ w"t y ,'w*w/ FERREIRA.
CJptw pharmacies de Portugal o do Brazil,





'"

Diario dePemmpm
fTap^TAiMl de' eMfehRlH
-
>
E
;i
B&travessa darua
&sruzes n. 2, pri-
efro andar, di-se
fcheiro' sobre pe-
:d&ores de oiiro, pra-
. e brilhairtes, seja
yjal for a quantia.
Fiu raesraa casa
e pi;t-se 03 mes-
m< raetaese pedras.

!&>
Rio Doce
_rJ*nra casa. para p.issar se a fe.-ta, com
rmhtas aomm >di JaJcs e pur poitco dinheiro, com
hMttawarfgr.u I-. e de agua doce, tend> a dbposi-
4'Joa^BM p(-Ju o^ucif? pan beberem agua
wde. etc. Aluga =e lanbom outra casa
s* laAiri do V i.iJmro, cm Olinda, para passar
safoto : a-TrsMr com o pudre Bandeira.
Cias tndo quapto o autigo annuncio diz.
AUcfl^ao
nao
Aai }l fazer patente as sorprendentes es-
fnasaSfiBdi.-.-. conduaidas peb u'limo vapor, com
CesJae dire i a-: muito aprcciado e frequentado
Jkemxm do Campos, a rua do Imperador n.
93. rsespfo cm dever de gralidio agradecendo de
exsgS*, ds.-iju ja, a campacercia dos leitores
goe 'sreai este annuncio de principio a cabo
fXHa&KEi-iii de.sua injicacao.
Isto posto:
;*m inclose ver outrar no armazem.
tfn qjainr da t-arriga passar bem :
Alimentagao pura.
as Baksiraaa para sApa, corao ainda
saa jsia [>:a$a, attentu o apurado gosto e supe
iifcjai3e d substaacias primas, coino se pode
MkJi? sa franca e espjatanea recominendacao
Itos aadfeos mais afarnados da Franca e Alle-
i^tis. Lma experfencia crnvencera melhor e
pa ,u iao iitsiteis.
Escolha franca.
'Jrjjj* de rir, creme de ta rioea, Beetle de pom-
r.. J7ia, Qeur de farine de mais, semoule de
ir^xani, L.^ca do Bre-sil, ficur de rir, semoule
tm !? 3 o.' .s muiias qnalidades fiancees, por-
U;sn*3ss e ualianas. Alem do qut ha muitas ou-
fciM!:.;..- qtie Ream a dispoMcat dos aman-
: tragam dtaheiro e garnnto-lhos
iij. Mtefarei aomais exqaisiso paludar. Ver para
zn?. aiiOfaT para saber.
Em conclusao:
i ; como diria, quern lira.
k'indo todos am ma<;o eomprar:
Sao f uradas I
Jim, aSo velas atearioa
De loz fnave e mui lina :
li :as uma dura
I ,".:> de boa ^rcssura '
Xote bem :
. :-se particuhr;neoie aos amantcs
t>.. jga a ir.uiio saborosi e hygienica canni-
i. r la e.\pre5amento par.i"regalo dos es-
7. : 5 e de icidos e n".e se pode saborear
9 estasiado em vista deste yersinho, que
potato cada garrafa !ierm8!ic3mente la-
?\% aqui a fina can-a
baile gota brilliante :
E' pura, e chcirosa e boa,
lab iro a o palpitaate.
W^
Afjpa^l^os ; ff^a ba- ) 0,
. nftos,
! Oi immonsoi bPBeflcJct*.' obtldo? na
cur a de ynatlii'iiaa luuU'stiai cm o
emprego r;.ci nal da agua fria, ten* fei-
io inveotar apparelbes, que tornem facil f
e an me*mo tempo util a applicacio des- L
u meio as pesscas, que por qoalquer
circumstaacia Bio podem frequentar os
ivlabelecimeotos apropriad s p-ra lal
I'ua.
A pharmacia central ten exposlo a
venda os appatelhos que sac hoje repu-
tados na Europa como superiorea, e qne
servindo para 01 uso* medi o, podem /
igualmente servir pau banbos de lira- \
peia e da prazer, porqoe funccionam
com pouca agua e em pequeno espa^o.
Con taes apparHluis pude-se tomar
lianhos m dufhes de ahuviscos, em cof j
luu>aaacertdeote ou djevcenfattf, Jf
rtum, ou pirciaei.
0 merino esubelecimento tern para
vender apparelho proprio.para banhos
a vapor simples, ou com subsuncias
medicinaes, e peqaenos apparelhos de
immensa pressio para os choques locaes
por meio da agaa fria.
Amaraote.
Anadia.
Arcoa
A.veiCJ.
Agueda.
Arco de Baulbe era ca-
beeeiras de Baetos.
Bawx
\ Barwllos.
I. Wa.
BaagaiK*
Chaves.
i
V
*i [3
, uoura. '
I Govilhi.
CafleHo Branco.
(
liraik'e csUkleckiento de mo-
00
IS
00
^
U39
DE
Zeferino Valente & CL
Este novo e Undo esubelecimento de mo-
Ihados ao arco da Santo Antonio, esquina
aonde param qs trens de Apipucos, vai ser
aberto ao 1. de setembro ; esperam pois os
proprietaries, que o rsspeitavel publico nio
s6 concorra a tisitar o grande estabeleoi-
mento, como que lhes conceda toda sua pro-
!ecgao, pois de sua parte se esforgarao em
bem servir atodos, tanto em precos como
qualidade dos generos, sempre com agra-
do e sinceridade.
CASA DO OURO
Am* 4:0009000
Bilhetes garantidos
Rua do Bardo da Victoria (ov.tr'ora Nova
n. 30, e casa do costume
0 abaixo aasignado acaba de vender nos sens
Baito felizes bilhetes a sorte de TOO' em um
bilbete inteiro de n. 3763, a sorto de 100* em am
meio de 22.8, e um meio de n. 1095 com a sorte
de 1004, alem de ouiras sortes menores de 10*000
e zOiOOO da luteria quo se acabou de extrahir
(114); convida aos possuidores a virem receber,
que promptamente serao pagos.
0 niesmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes bilhetes,qus nao deixarao de
tirar quaiqucr premio, como prova pelos mwmes
annuncios
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga
'antid03 da 9; parte da loteria a beneficio da
igreja do Espirito Santo, que se extrahira no dia
sabbado '6 de sotsmbro vindouro.
Pfmm
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De 1003000 para clana.
Inteiro 3*500
lleio 1*750
Recife, 29 de agosto de 1874.
____________Joan Joaqutm da Costa Leitt
Quem preeiiar alugar uma
escrava boa cozinbsira, diri-
ja se a rua do Crespo, hoje
Pnmeiro de Marco, loja du Parso.
RCIALhIBkIRAGA
37 Rua do Amorim 37
Sacca oualquer quantia a prazo ou a vi?ta sobre este Bunco ou suas respe:tivas agercias
nas segulntes cidades e villas de Portugal, ilnas adjacentes e Hespanha, a saber :
Guarda.
Guimaraea.
Gouvcia.
Lagos.
La mega.
Lisboa.
Louie.
Melgaco.
Mjjtandella.
Uoncio.
Mealhada.;
woQte-roor a vetho.
Oiwairada Areneia.
fivar.
Paa6ebv%tW
Pmhel.
Funchal.
Madrid.
fiareellona.
VrgO.
Poriutal
Caminha.
Elvaa.
Eslremcr.
Eton.
' E*posende.
Familicio.
Faro.
Figueira.
Fafe. .
Thomar.
Tavira.
Torres No1
Valenca.
Vianna.
Villa dfd&'lfc
Villa Nova da Cerveira.
I Ikai
Fayal.
eapaa la*
Cadiz.
Orense.
Coruna.
4
Ponte de Lima.
PortimJo.
Pit; to.
Povoa do Vartim.
Port'Alegre.
Po-oa de Lanhoeo.
Hegoa.
Silvee.
Santo Thvrso.
Villa Beat.
Vinbaes.
Vizeu.
Villa da Feira.
Villa Pouca de Aguiar.
Villa Heal da S. Antonio.
.
-

ESSENC.A CONCENTRADA
3PE
AMA
fc mmw saisset e. j. soom
Tratamento paratneate vegetal verdadeird pnriflcador do sangae. sem mercurio.
A Esscncia de f.aroim 6 um remedio hoje reconhecido como um poderosi
tivo e especial para cura de todaa as molestias que teem a sua origem na impuroza d
como tajaa : as molestias Stphilitioas, Bocbaticas e Escbopolosas, Bjiecmatismo, Empi.ng:
tros, Ulcbhas, Eai'pgOEs, etc etc.
Os prodigiosos effeitos qne tern produzi'o a Esscncia de Carobn, por toda
onde ella tern siao apropriadamente esperimentada, a tem feito adoptar como um
tos mals seguros e mais energicos para a cura de todas as molestias de n^tureza syphilitic*
boubatica.
A cada frasco acompanba uma inslrucgao
depura-
sangue,
s, Dab-
Carobn, por todi parte
dos roeJirjmen-
* ^SCRIPTORIO
a rua da Companhia Pernam-
bucana n. 2.
a rtii %mVt
INCIPAL.
Santa Rila
ns. 55 a 59.
E&ta empreza de transpose de mercadorias, inaugura o trafego de suas linhas no
dia 10 de agosto do corrente anno.
Nervico la Kstacua das Claeo Ptttas para o RoclTe.
A empreza eucarrega-se da eotrega das cartas vindas pela estrada de ferro aosseus
freguezes, de tirar e entregar-lhes ate art horas da rnanhS, as amostrfl? do assacar
cheg.'ido na vaspera, pagar & vista do conpecimento o respeftffo frete e fazer conduzir o
assucar e os outrcs generos com a maior promptidao para o armazem dos compradores
ou recebedores.
0 preoo tit Inmsporle comprehendiioi os servicas afcim* ,7uepci^nados, a carga,
deswrya, e arrumacdo no armazem 6 :
Por sacco de assucar................ 120 reis.
Por fardo de algodSo................ 1 pO re^is,
Ancoras ou barris 4 razao de......... 23Q00 riis a pipa.
As cargas destinadasaosengtnhr.s e.rtmeltidas pelos freguezes daampreza-serao
t runs por tadas grafuitarnente para a estnplo dfis Cinco or.deixistirem ostrilhos, mas em-qualquer jtonto dos bttirros do'Recife e Sanfo An-
tonio, gg tg tt
Si'i'vioo do Forte A empnza encarrga-se dereo ber-cooi o sea p'ssoal os a^ocares e meis generos
dos trapicbes ou do caes, com directa.-} aos armaz quaes'iuer ouiras do bairro do Recife na {.roximidade de uas linhas.
0 preco de tramporte comprehendida aaarga e descarga e arrumacdo no arma-
zem e :
Por sacco de assucar................. 80 rljs.
Por fardo de algodio....,.,,........ IOaI reis.
Por ancoras ou barris a" razao de........ 148- 0 reis por. pipa.
Recife, I de agosto de 1874.
para a maneira de usar.
Pomiida aoti-dartrosa
Contra as affecoSes cutaneas, darthros, comichoes, etc., etc.
tngiuailo de (!arba
Para cura das boubas, nlceras, chaga3 antigas. etc.. etc.
UNICAME.NTE PREPABADO POR
EOUQOAYROL IRMAUS, SUGGESSORES
Hi liea Franccza
22 Rua do Bora Jesus 22
AMIGA RUA DA CRUZ )
Precisa-se de uma ama que seja boa cozT-
nheira : na rua do Crespo n. 7
Precisa-se de uma ama para
cozinbar e mais algum sevico
de casa de pequena familia : a tratar no 3.*
andar desta typographia.
AMA
Precisa se de uma ama para engomraar e
mais algum servico de pequena familia : no 3 an-
dar desta typogroj'hia se dira._____________
Precisa se de uma ama pa-
ra cozinbar, para caaa de fa-
milia : na rua do Visconde
AMA
de Goyanna n. 129.
Ama
Precisa se de uma ama para cozinbar :
na rua do Livramento n. 28.
Na rua largi do Rosario n. 28, segundo an-
dar, precisa-se de uma ama de leite e que nao
lenba filho.
PTJNDIQAO
RUA DO
DO BOWK
52
v&i'- u Dezerra Pesaoa Lz sciente ao res-
i .lablioo e com espicialidale ao corpo do
ne, que no dia 11 do corrente dissolveu a
Kserfifcfe qne tinha com seu irmao Joaquim Be-
- .-::..->, cuja firma gyriva sob a razao de
.^ ilrmaos; fieando s.bsua responsabili-
-> passivo da extincta firma, como da
;U gue de sens ceedores cbieve o referido seu
.: i irmao.
- 1 U' rgostode 1374.
/gnacio Bezorra Pessoa.
Ahiga-se
. :,-;...'j andar, com grande; commoios e sotao,
^. natalosito a rua do Hospicio n. 65, junta-
aiiu. a loja : a iratar na rua do Vigano n. 31.
>
isittono iiieiiicfi-cirorgico m
DE iS
B. da Silva Maia. ^
Sedico parteiro e operadcr.
tiaa do Hanger n. 54
Couiultas das 8 a*; 10 horas.
Rhamados a qualquer hon.
Gratis aos pobres.
i
i
CASA
se o st^uudo andar a rua Duque de Ca-
"'.: i tratar na loja.
?iues do negro Feliciano
fjr ciio, idade 40 annos, poico mais ea menos,
arpo regular, bem pieto, desdentado, barba-
s., n&', feito (I: p. s, tendo um dos dedos grandes
ea aabos fc.^-.aij -, tortos. Acba-se fugido ba 6
k-.= desta sejui da fugida, e da primeira estove
*os ancos no ongenho Tombador, freguezia do
aaio, pertencente a Franciaco de tal, genro do
aajiao'Chnslovau 1mA Mactado,-senhor do en-
y"Q S. Cbristovio, da diu freguezia, e por estes
f(h03 esta occ ;lto, como tem estado. Veio pela
panawa vez preso pelo capiUo de campo Joio
^:3?aa, que mo.a em Agua-Preu : recoramen-
w a sua captura as autoridades policiaes e ca-
paij de campo, e lava-lo ao engenho Minas No-
vas, freguezia de iamelleiia. 0 cito negro tatitu-
*j ibrro com o tome de Jo Feliciano.
OLINDA.
*jta-se por festa op por anno, na rua de S.]
JSw*^0'" on PJ830 CasteltJoo, tres caas
a.iiM^-wjto^cj^aujgn^^oaa e az bons com
**aq.-.a.es
je *fbredos dt
S*m Santo n 17, 3." andar.
Uarros no Oaxanga
No d-raingo, 30 do corrente, abre-se mm nova
cocbeira de carros de aluguel, a qual e situada
junto a estacao da Via ferrea ; para aluguel de
carros trata-se na mesroa com Joao Francisco de
Souza. A qualquer hora do dia ou da noiie acha-
rao carros promptos para qualquer parte._____
ALUGA=SE
uma grande casa terrea com bastantes commodos
sita na estrada do Lucas : a tratar na rua do Vi-
gario n. 31.______________________________
Aluga se o armazem do sobrado da rua D.
Maria Cesar n. 37, proprio para recolner fazen
das por ser muito espacoso e reedificado de novo,
ou para qualquer estabelecimento : a tratar a
rua de Domingos Jose Martins n. 48, antiga
Sanzalla-Velha.
de todos os tamanhos, as melhores que aqui existem.
l'ERDEII-SE
nma letra da quantia de 3:400^, sacada por Gau-
deucio Lopes de Araojo, aceita por Francisco Ce
zario de Hello Janicr, garantida por Antonio Joao
Ferreira Monteiro, e endossada pelo dito sacador e
Jose Maria Ferreira da Cunba, a vencer-ae a 1 de
dezembro do cerrentc anno. Por esta occasiao
previne se a qnem a acbar, que ella nenhum valor
tera para si, visto que ja se acham ineirados o
garante e endossante ; e pelo presente se faz certo
ao sacador e ao aceitante, para que nenhum del-
les pague dita letra se nao ao abaixo assignado :
quern pois a tiver achado, qnerendo restituila,
leve-a a rua do Marquez de Olinda n. 16, que sera
recompensado. Reoife, 26 de agosto de 1874.
_______ Joaqnim Olinto Baatos.
Palace te
Ainda esta por alagar-se o palacete da Uha dos
Ratos, do finado Custodio Jose Alves GuimarSes,
oade moron nltimamente o Sr. Dr. Ignacio de Bar-
ros : a tratar na rua Primeire de Marco n. 7 A.
CHARUTOS
DE
Jose Furtado de Simas.
Unieo deposito em Pernambuco, a rua do Mar-
qn>-z de Olinda n. 15, de Bonrgard & C.
MEDICO-CIRURGICO
I
I
es grandes e inui^d -, com diver- \M(
fle Tructo : a fralsr no'paleo dolc^
no pate
0
Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso
PARTEIRO E OPERADOR
do Visconde de Albunuer-
ESPECrALroADE
W MolestlAa de te;
1
9. nha, todos os "dias.
Os doe^q^maqd^i^^s^MBofca-
mejalnoiii.
Consultas das 7 as 10 boras da na-
nna serao vLsitados em sqas q*su.
lv^mmmiemiMim
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senhores de engenho e outros agricultures, e compradores de ma-
chinismo o favor de fazer uma visita a seu estabelecimento, para verem 0 no.vo sortimen
to completo que ahi tem ; sen do tudo superior em qualidade e fortidao ; o que com a ins-
truc5o pessoal podc-se verificar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NLMERO E LUUAR DE SUV FUNDICAO
V aporeS e XOuaS Q agua dos mais modernos systeraas e em tamanhos con-
venientes para as diversas circumstancias dos senhores proprietaries e para descaror;ar
algcdfio.
Moendas de eanna
XvOQaS QentaCiaS para animaes, agua e vapor.
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
MaCnmiSmOS para mandioca e algcdao, e para serrar madoira.
xJomDaS de patente, garantidas........
lOaaS as maCllinaS e pegas de que se costuma precisar.
raz qualquer COncertO de machinismo, a prego mui resumido.
r Ormas Qe ierro tem as melhores e mais baratas existentes no mercado.
UnCOmmenQaS. Incumbe-se de mandar vir qualquer machinismo 4 vontade dos
clientes, lembrando-lhes a vantagem de fazerem as compras por intermedio de pessoa
entendida, e que em qualquer necessidade pode lhes prestar auxilio.
AradOS americanOS e instruments agric las.
Podendo todos
ser movidos a mao
por agua, vapor,
ou animaes.
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
BENEDICTINE
LICOR DOS MORGES BENF.D1CT1N0S DA ABBAD1A DE FECAMP
Esle celebre licflr tao
appreciado do publico
ao ponto de se encon-
trar hoje em todas as
boas mezas, tanto no
Restaurante como no
jantar domstico; nos
grandes hotels como nos
saldes dos principes, por
isso e elle tamben o ob-
jecto de numerosas imi-
lacoes, cuja maior parte
de falsa provenencia.
Como termo final de
garanlk aos consomma-
dores cuidadoaos um
piodycto pnro, exquisito
e essencialmente hygie-
nico, contra estas lalsi-
fidacScs detcstaveis de
man gosto e nocivo, 4
.saude, damos retro o
modelo da garafia e mais
acima o dos sellos e le-
tre'wes que envolvem o
verdadeiro Ikdr benedic-
tino.
(
<
0BSERV1CA0 IBIPORTAim..
Rccommondamos particulurmente ao publico em geral, o e.ri-
gir o letreiro acima, qui 4 sempre postono fundo das guraffas
desde o V de Outubro de 1872 quetcm a aasignaturn de
A. LEGRANS aine. director gebal
N. B. Em tempos de epidamia o bem;digtino e um preservativo
certo; am grande nnmiro de celebridades medicas tem dado o
certiflcado bem formal.
Deposito gcr-als A LEGRAND ainc, cm Fecamp (Frnnra .
Deposito geral em Pernambuco, A. REGORI).
/
A
COALTAR SAP0N1NAD0
DE LE BEUF
DESINFECTANTE, ANTI-MIASMATieO, GICATRIZANDO AS CHAGAS.
Adoptado pelos hoapitaes de ParU peloa'da BSarinha .nviitar franceia.
E'se excellente tonico possue ama eflicacia vtrdadciraraonle mararilhosa nas ulceras gangre-
nosas e eserofulosat, nos cancros ulcerados, no anthrax, naotorrhea purulenta, na ozena, no
crup, feridas pelus armas de fogo, enfermidades do idem, etc., elc.
Emprega-se, mezelado com mais on menos agua, em chnmacos, lorCos, injeccSes, gargarismos.
Como dentifricio ordinario (ama colnerada das de cha ti'um" quarto de copo d'agua) e mnilo c.-pc
cialmente cllic.iz para pariiicar o bafo, tanar as g-ngivas doentei e toroar finnei os
der.tes escarnados.
0 seu uso e muito hygienico, sobretudo em tempos d'epidemia.
Uma oolicia circumslanciada vae com cada frasco. I'xiga-se a firma do inventor.
Fabrica em Bayonna [Franca), em casa do Sr. LE BEUF. Pliarmaceulico de 1* cla>e.
Deposito*: Paris, 25, rua Keanmur; Pernambuco, A. REGORD onde se enconlra lambem a
EhnulfAo de Alcatr.io vecetalde I.e Bcuf para (axer a a;ua de Alcalruo, a unica prcparacuo coc-
cenlrada e lilnlada contendo em si o alcatrao sem ser allerac.o nem modificado.
I
Constructor e aOoador de pianos
Rua do Imperador
55
Ex-afinador das antigas e efamadas casas Pleyel & Herz, e antjgo direc tordar
officioa da casa Alphonse Blondel.
Tem a honra de declarar ao respeitavel publico desta cidaie, que tem aberto
saa casa de concertos e afinagdes de pianos, qualquer que sejao e-tado do mstramento.
A' mesma casa acaba de receber um grande sortimento de pianos dos melho-
res fabricates de Paris, como Erard Pleyel, Henri Herz e Alphonse Blondel) todos
os pianos sahidos da casa Dbibaut sao garantidos
Compra s e recebe-se em troca os pianos usados.
mmmm # t 9mmmmmmm%
PH.4BMACIA NORMAL |
. ^ DE W
JfO^K BMaEAH DE xlIMRA &
11Largo do Mercado Fublieo17
(Antiga ribeira de fit. Jose)
mi. A^Z* ser i e.acha se disposicio do respeitaTel poblico esU noy4 phar-
jnaa e drogaria, completamente provida-do indSpengawl a ntn estabelecimento dessi na-
'^SkS&^Tp meeiboTpsa.ChimiC09 m6diCi^nt03 preParad03 no Mtraa"
fM ^"' ? ^ ?er5 6mPM despaehadas com a mais seria attencao,
e sempre sob is vistas do phsrmaceutico qae"comp5e"a nossa 8rma social.
As pessoas qne se dignarem oe honrar 6 nosso esatbelecimeato com a sua conflan-
fH de flue serao capscianclosamente gervidas, nao sd relativamente ao
tamb^ui ppdlciiade doe pec6.
de bezerro, de cordavao, de pelica. de duraqm
com biqieira, de bezerro com botSes, e com ilho-
zes a 9-J>000(a sjcolber) por ter vindo grandi
quantidsde por conta e ordem dos fabricante?.
ao armazem do Vapor Francez, a rua do Barao ds
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para senhera.
BOTINAS pi etas, brancas e de cores, diflerentei
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com sale, brancos.
pretos e de cores differeates, bordados.
SAPATOS de tapetes, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cSres differentes.
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTTNADOS de diversas qnalidades.
SAPATOS de tranca portngnezes.
Para aueninoai.
BOTINAS de bezerao, lustie e de cordavao,
^ BOTINADOS e sapatoes, de bezerro, de deversw
qnalidades.
SAPATOS de tranca.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, pert>r...-.
meias perneiras para homens, e meia3 perneira
para me;ainos.
No armazem do Vapor Francez, a rna do Barao
da Victoria n. 7.
Altendfi!
!
iii
ttHTitlMI
lions pianos.
Chegatfos de novo.
Vende-se.
Trora-se.
E iiiuKa-t>e.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
MOBILIAS
dc lime e de faia.
Vende-se muito em conta ; cadeiras avulsas, de
balanri, de bracos e de dobrar: no armazem do
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, outr'o-
ra Nova n. 7.
Perftunarias.
Finos extractos, banbas, oleos, opiata e pos den-
trilice, agua de flor de laranja, agua de toilets,
divina, flurida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
crosmeticos, muitos artigo delicados em perfnma-
| ria para presentes em frascos de extractos, caixi-
ohas sortidas e garrafas de differentes tamanhos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qnalidade
dos bem conhecidos fabricates Piver e Coudray,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos do dtflTerenteai gomtom e
phantacia.
Espelhos, leques, Iuvasi joias d'ouro, tesourinhas,
canivetes, caixmhas de costura, albuns, quadros,
e caixiohas para retratos, bolsinbas de velludo,
dita.de conro, e cestinbas para bracos de meninas,
chicotes, ben galas, eculo, pencinez, ponteiras para
charutos e cigarros, escovas, pentes. carteirinba de
madreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esterioco-
pos, lanternas magieas,eosmoramas, jogos da gloria,
de damas, de bagatella, quadros com paisagens
globos de papel para illumiiacoes, machinas de
fazer cafe, espanadores de pihas, realejos de veio,
accordaos, carrinhos, e bercos para crianjas, e
outras muitas quinquilharias.
Bnnquedos para meninos.
A maior variedade qne se pode desejar da to
dos os bnnquedos fabricados em difterntes parte?
da Enrapa, para entretimento9 das criancas, tndo
a precos mais resumidos qne e* possivel : no ar-
niazem do Vapor Francez, rna do Bar3o da Vic-
toria ocar'ora Nova n. 7. 9
Calcado francez
A 9$
iS'iff iSSSL-lsoM coufeitsria do Campos


A couf;itiria do Campos, sita a rna do Impera-
dor n. 21. uaico estabelecimento deste genero cos-
la provincia, p.-oporcioaa aos habitantes della as
maiores vantagens
Se
E se nao vejani
uma pessoa quizer tudo quanlo e ne-
cossario para
Um casamento
Um baptisado
Ua partita
Lm cha para visita*
Um lunch
Um lanto jantar
Nao tem mais do que ir oo mandar & con-
feitaria do Campos, rua do
Imperador n. 24
Alii tarabem se encarregam de bouquets, (lores
e folhas para casamento : assim como, de doces
de todas as qnalidades para embarqnes, e tem
sempre preparados fiambres inteiro- e a retalbo,
pasteis do diversas qnalidades, empadas de cama-
r3es e de carne. '"'.'' '
De tudo que alii se vejade, garante se a boa
qnalidade, limp^a e promptidao.
Enfeitam-sfffiinahres, aolos,pie3de-i6 eban-
deiias, tndo por pl*OM raxoaveis.
Alii alegra-se a vista ^atisfaz-se as exigencias
i paiaiar.



m
j
^
Diario 4e#toaafcbu^ ~ Te*$a* t& 1! SalgapuMllui de Ayer
PAjusniumMit o'frAMrtntV
0 r if.'.
-'
Orom
ceDehtc renieJio ^ difriJo a milha-
rea" da prai i qo* Wfe opotmdo, at*.
itu rt* q(u .n6o wSdackvamioW
maravfhosas. Inrmmeros fto OS
taaot
do sai
midadi
promnJaineiito restttul*) 4 saiido.
As 'antccCeii e desordens, aggravar
das'pelu mltnirunto escrofnloaa,
M prot!a**m ddres mortifieaitta,
W:m Side tajm radical e tarn geralBrente caradaa por Ue, em
todoe os pentoc do Imperio, qae o pnblieo ma} preclsa de ser
fnformado das uas virtudes e do undo de nsal-o.
O Tenaoo escrofuloso a um dos mats dtstruidorcs intanfcfSS
darnCatMrmao* Ora, sen!r* do nosso organismo e deixa-o fraco irerme cootjn Brateatiu
fatiej. Ora, patenteia a infect de que corrompea o coreo
t eittSo, em momeirto^pflrtmiw, lawa rapidwneiite sob den-
ma de a v*a. Neste ultimo caso deposiia, mMitas wies, ruberHulo,
joapntaKx-. no Jfendo, notoracfio, etc., quanda n&o se man-
ai^"1 '-t-'coei tuaores, eto.
^ptkomm active,
'R podera evitar
-.antes <: npnurtcerem ca proprios
0 usa da SVJZSU "AKBILBADE AT.
V-Zi"^S2fca&2fJ ***uiwM.mo, >
12?*"* *eiiap)iltdade dokrota noi oaridoa, olhos, *o.s
55***! *" **"< ^ 3'*Mto, JSpylmim, ffee-
rtOfimt de vanas outn noivoso, acharao seguro alfivio u*mdo desta &11SXPJR-
f.HITA -fc ATEJt.
A Syphiiu ou JTofeatta* Tnereas sao curadas -cam o
sou ueo, potto que seja necessario raais dilitado espaco da
tmpo para subjugar urn impertliientei enfermWades.
A LfUcorrhr'm, ou floren *rwu, as ulcerncOes nteri-
nis e am geral as molestias das m ilheres sao tambem allivia-
a.a -e iStriornieBe curadaa poi- seu effoito purificador
v.gorativo.
0 KheumatUtno en'Gofta, qiaods cauaados por acca-
nuhfoes de materias extraobas ao aaiigue, oaaem-lhe faofl-
ir.cnte, de mcsnio modo o Mat de M*gm*o, Congest** Oo
Itiflammacno Ui il::u5 residues no sangDe.
A Salsaparrllha cum excellent rpctaarador Oa
forca e -igor do ystBema.
Assim, todos oque sofirerem T.ihqmot, Phlegmm, Drt-
n.aiot, Insomnia e que tao iiicomniadados com Appro-
hentoet e Teniores Kervoios cu qutlquer outra afKccao
frciOBleatede r>i*ili o maim egro expedlonte de prom pta.4 anu
iREraraba rota
J. O. A-yei- Ca* Lwvt\\, Mass, E. U.
eA{meo> PraeOteas e Analytic*.
VENT5K TS1S FOR
..,
,n1rt>
ii
NA '{''"r:
|T

I
Rua .da Imperatriz n. 60 iggK **P* *' ra**
PAR4 limUlAI! Pnnac A* ^....1.....1 __________ '
rnatina
PARA. LIQUIHAR | T^as de maJap-.-lflo com psq-jepo rtqoue
. !do avanaa l;i50u.
preta a
rovailo.
&OO ra.
I
Titas
A' rua do Cabuga a. 1 A.
itas de &lgo.lao$iftho rraitn cncurrndo, o plourielariog da. Pradliec
0 Pt5o rendc granadina preta e l.rrada com- leve toque de avaria a i^OO. ^aowemr o b^ cSceitoqi
pelo barato pror;o de 500 rs o covado.
ALPACAS PRfcTAS A 500, 6i0 E 800'RS.
0 PbvSo tern am grande sortimeuto de
alpacas pretas, que Tendea 500, 6*0 e 800
r*. o covado, assim como grand0 sorli-J
rnento de canWes, bombennas, prin'cezas
pretas, merittfs, e outras muitas fazendirtj
proprias para luto.
Madapolao eBfestaJ c.ilti 12
perfelto cslado a 3000.
._ que teem raerecido do
janlas %m resp^itaVel pabfico, distiujraindo o seu estabeleci-
mento do: mais que negooiam no mesmo gnerc
COMMA 6LAST1CA
A* flMil tuoderca* t aperfei^oadafi de todas
as i conhecidas
Vendemse
NA
mm m liteir4.
Bof." aa*r desta V^grsphiX ^s '* hora* tk;
tarde >ea di.mte, st dira quern precisa
uma.
m' 'frastes.-
Corapra se-e veade-se trastesnevot
V *s usados n>*-arniazea, 4a rua o im-
/Afo- itrador n. 46

CAMtftAIA VICTORIA A 4^00, 4J500,
05000 E"TjOOf.1.
0 ParSo vende um grande sortimRto de
eambmfa Victoria e transparente com
8 1/2 varas cade peca, pelos bratos precos
de 4000, 450, 5^000, 6JW00 e 7^000
a peca. assim omo, ditas de salpico bran-
co, a 75000, t5 pechineha.
CAMrSAS1 FRANCEZAS A 2jj000, StfSOO
39000 E 39500.
0 Pavao vende um bonito sortimento dt
camisas francezas com petto de alg*d5p.
25000 e 2C500. Ditas com peito de linhc
de 390C0 a 6JP00O. Wtas bordadas muitt
finas de 69000 a 165POOO: asstm comt
grande sdrtimento ds ceroulas de 'linbo e dt
algodSo, por precos ;baratos, e tambem tern
completo sortimetfto de punhosu collarinho*
tanto de linbo como de algodaa, por prec<)i
em CRTINADOS B3RDAD0S PARA CAMA i
3AKELLAS, I* 79 ATE" 5000 O PAR
O Pavfio tends um grand? sortimento d
certinados bordados, proprios para cams t
j$nellas. pelo berato prego de 79000,89000.
10,5000 ate $S$000, assrn como : cohsai
de d-imasco tie \h muito fina de 109000
.ij 125000'cade uina.
1BRAMANTES A 19800, 25000 E 25500
O Pav3o-vsrifle bramantes para Ieic6r*,
tendo 10 ipaimos de tergura, seEdo o-d
algc-lao a 173800 e 25000 a vara, e de Hi*,
a 128*00, 25800 e 39000 a vara: e peekii.
cha.
pprac rtj m..in. ix. .. nn j veem *oientJIcar aos seaboot frfcguezesquapw-
de mai.apolao'com 20 jxrdas veairamaosfeas correepoodentes nas dive?sas{af.
tf>5LU. i jjj d'Europa para lhes enviarem por todoe ospa-
Br;m par.io para roupa de homem e me- V*ete& os -obiectob de- luxo.e bom gosto, que ae-
ninos, covado a 400 rs i*01 mais b*!* ace"*0* pefa* sociedades elegantes
i S?M rte chitB ** *- n wo e; SRS J2T bvet ffiSKSSSTIBS
I a^uuu. pjgis ostcala-a riqueia de suas toiUeltas
eco-
Bramante de li'ubo com 10 pa linos de 0 J* recebcssem'pela paquete fraacez iverso
lagura,fara a 2^6(0. irtigos da ultima moda, veem patentear-algum
a lASad COm8Palmosdolar^^
a ipouu. lidanciirrciicia.
E>partilbos brancos e de cores a 'iS e
^000,
Crteos db ensimira a 4^e 5^000.
A t>>iOO r.. a dazia.
mf& de algodSo, finas para meninas e!
meniHos de tcdos os t manbos, para todas' fc:u'' ^^bem vendein melos aderejos muito bo-
?s idados, pelo preta de SjJSOO a duiia, por'
baver grawde quantidde, para acabar.
S6 na rua da Impvratriz n. 60.
concurrcuoia,
Aderecos de tartaruga os mais linJos que teem
vicdo ao mercado.
Atbuns oim rieas eapas de madreperola e d
veltedo, tendo di8rsos taroaobos e baratos pr-
Aderecos coraplctos de borracha prcprk* para
0otoe de seiim pre*) e de cores para oroato d
^estidoa de seLhora, tambem vcro fart collete
pajitot.-
Aos nervosos
m
15
.,
.^olsas para ser*nras, exi*te um b^io sortimen-
d sod*, de palfca, de hattim, etc., etc, pur
A NOVA ESPEnANQA acalwt de'reeeher eel-l*^i5!re'p- ,
les milagros-js anncis electricos, eura infaHiwjTdo.' B^^ae todos os Uwyanhos, anto de loao*
nervooa. : cotae.e ceBa, de borraefca e.de aussa ; cbataa-
-;----------------------------------------------. I mas aneu^aa das Exrnas. Sra's. para este artigo,
t? /t/kRa > n -avaiili a bom9*vs toTDam'?e criat^s um pouco im.
h con its-seitiortts, \%s*"w*^ ^55 >'-
-A .Magnolia,-arna Du({ko de Caxias'a. 45, par- Camisas d^ linbo l^cs ^e com peitos fecs^adoa
j-ticipa x-j belli, m-jlo (jue acaba de reeeber da Eu* vaahdmom, vr-ndett-so per? *recn eommedo.
rropa, um c}teto soitinieiiio de art^<* de uiti-! te''"U,R de imnoe slpwJae, de diversos pre-
na moda, fCi'ino acha desnecessann fazer om ""&
enfadoob.1 awiunoio, for ja aer bait*Dte &>nhe- GaSsiieha* com aiiHiea, o-epie ha-de aaia Undo,
cida, eeaprietiar seiupi-e em tor tore uorrespom \?'Jta V&iw* uas -aui|)as-e pruprios pf.rapresen-
denies, seado a pr mesra. o,ue anresea'* o que ba i '
de mais ntodernu e por preyos nmi razoaveis, p^r/ 0piee os maKlnoderBKi a de divarsos forma-
ls.-o liinittcea deserrver sntnemr-o' se'g unite : ,t0*
Seita* diuradas. Cb*peoeparaaiahora. fieoeberaru am sortimento
KiooN de .Ores, icatn de seda Li*!*iucH donrados, de madfeperola,.marfiin^ar* '
Ora lfc eStreteHrHffd d-orefn-i Glieguem que 6 barato
Lindos padioes de chnas escuras e Claras a 240
ra. o coYaeWtlt) ,
Cbitas Tinas emetint de 260, S i c 3C0 rs. o
covado.
Madap.ilao bom de 4* e 4*800 a peca I
Dito fraticez lino, dn^f, e* GfUoo a peca I!
Ditoeafestado cm izjardas SiftH) a pecalU
Algijdiu braacx) bom do 3a?*0, 4i000 4*800
e :>f a peca .'III
Brim pardo tranfado a 320 rs. o covado, dilo de
cor a 100 e 3C0 rs. o covado 1(11!
) IVp. linas de 8ia de 1*4300, 1 JiWO e 1J600 o
ccva:o; muito iindasl
I L4s japonezis a 200, 220 e 2i0 rs. c covado tt
Leneos de c6r de 700. too e 13 a dmia 111
Dito- abaahados, brancos. de linbo e algodao,
'de U600e2300adu2iamr
i E dutras muitas fazendaa, qua e v^cdem muilo
baratae : na loja de Lima Coutinho & C, rua do
Livramento n. 30._____________
Aos meninos
[ A NOVA ESPEHaN\:a, a rua Dnqiie de Caxias
d. 63, acaba de recrber um bom sortinient'* de fi-
nas bonecas qne fallam, qne riem sr n I'b'Tatn ;
tambem astern muda* e snrdas ou sonLi'-rnuflas
venham ver se i;a ( S rerdaie.
PHARMACIA E DR0GARIA
DE
Bartholomeu & C.
34 Rua larga do Kosario 34
Salsa parrillia
Muito nova e grossa.
i Vende-se por barato preco, em porcao ou a re-
Ulho : na rua larga do R isario n. 34.
VENDE-SE
aaia eaaa na via de Barreiros, na rua do Cor*
tarc-.o, por preco modico: a tratar com Ta.tc
Irmaos C
E' com as noivas
I A NOVA ESPERA.V(;.V, rua Du, ,.r. 1p, .; jjas D
36, acaba de recelwr lca< meias w '.
ptra B' iras, a os apreciaveis ramo.- B> I., ngir
J
se a alrevam con-
testar.
K' boiti
' As almnfadas bwaada4 de la malls' da- qoe re-
cebeu a A'ovn Kttperunca, a rua Dnqce de
Caxias n. 63.
Penteados
de nova invencao.
Com um penteado iesfes pentea se uma senbo-
Capellas ?imp!es e cowveo para -nnvas."
CalCas bordaaas paw meniaas.
Enaeuteios c.-tampados e bopfedes,- de lindx*
"^Kjinaos.
Escovas ete^ricas. para denies, tern a propria-
t tie-,-n ,la",M" para nissa, com oepa de madrtoeraiay.' *&&<> de'evfcrr a-Carte dos dedtes.
VXranQe peCmnCJia a 4#@00 'aruruga, marfim, vellmlo, etc'. I Fraojaede1-seda fretas.ede'66
Si>ainlio* de setim para bapfJsada.
tariifia, osro, etc.
KitliM-aH de bai-y.
I*rK>n*es, rNNjwos artigocproprioa para inv
seates.
KoHtihaK e penbos.
Compt*-se WR.'f ixes de capim para prantar !
a traterti=t rua do Crespo n. f6f 1 andar.
Lustres, caedieirost
araBifcjHas.
A empreza M quanUdadede lustres, ojndieiros, anmdellas
globoa etc. etc., tado obra de. gosto e d-. primeira
![us!idade ; acba seem positjeo de mpprir a eus
repuez'.'S, por preps nieu. res do que antJfamen-
te. Para verem as amostraa, dirijam-se j- raa do
imperadiir n. :tt
VeUde se um pequeno-sitio com duae casi-
nhas de taipa ctfLHrias .le mHmA( tendo uma del-
la?-2 qoarlos, sala d; fr-nte t de jantar ecczinba
icra ; e a ontra i quarto sab da frenle e de ian
:ar, com 97 pafmos de frente e dp fundo 4^0, no
iugar do Arraial, perto da'.acij da <^a Aina-
rella : a tratar. na tna r=a Raitria n. IGO
AfiUAS AHIU'ERAES NaTUHAES
DE
Vichy-ltaet
!!rcrTiv^w a de t"i por s-^re-ii as unitas que conservam todas as suas
propriedades depois de transjeiladas.
FOn'e S. Marie, e a mais efficaz na anemia, na
alburjKnaria, na hlorosis, no -empjbrecimeiHo do
fangue, e uas febres intermiitentes. Os resultados
obtidos nai diabetes sao muit) notaveis.
Fonlc Elisabeth, nao se altera nnnca e e a tacis
nca dasagunHle Vid,y em bicarbonatq/de soda
em magnesia, e recemmendadiv prios-eirnoretffi8
dieoa pela sua efficacia nos enporgifamentos o
bgado, do baco, nas alTeccoes do estomago, das
nns, da bexiga, nas areias e na gotta.
BXUA-SB
o cone datfante na <*i)iiia
vende-te em caixas e a reulho, no unico de-t
posito
PHARMACIA AMERICANA
FcrrriraMitia dContpanlila
S7-KUA DUQUE DE CA3UAS-57
E' BOM SAREB-SE
, Que a NOVA ESPERAKC-A. a raa'Duqua da
'-.ax:as n. 63, tem cunheoida i>elas
^uperieridade de
e 5|000
CORTES DE CASEMIRA.
0 Patac reccbeu uma grande po?;ao de
cortes de casimeras de cores para eal^as, e
vende pu-3 barato prtrgo de 45000 c 59000
cada corte, na rua da Imperatrn c60, loja
de Felix fereira da'Silva.
ESMERALD.f!
0 Pavoo recebeu um bonito sortimento
das maic elegantes esmeraldinas eom listras^
de seda, sendo em cores e padrftes as mais
novas qae tem vicdo ao mercado, propnns,
para vesttdos, e vendfe pelo baratiesimo pre-'
90 de-8ed rs. o covado, a* rua d-a-Imperatrij
n. 60. F
0 Pm>ao qvjtima osmrtigos
seguintes:
Cortes de combraia branca, transparefite,
com eoi-eUes bordados de la a aflftt.
Dit s todos branoos bordados a d2.S000e
139000. -
DitoG muito ricos a 2o9000.
Bonitas lansinha para vestiges, om lis-
tras de seda, covado a 800 rs.
Ditas ditas transparente* e de maita fan-i
tasia a iiOO, 640 e-00 rs.
Cintee de setim de tudas es cores a 5980O-
Punbcs com gollinbas de esguiao a 500 rs.
Sedinhas de cores, sendo de liatras e la-
vradas, om toque de mofo a 19000. '
Ditas de dita ditae sem mofo a 15600 a
29000.
Diversas lansinbas 4)ara vestidos, de 240
ate 500 fs.
taniiMU* bordadas para-stnhoras.
iitcaet de seda.
Ki-iijitN mosaicas.
AiipriTOH de tartaruga.
A*rta i*Mlcirai de madreperoia.
I^mUrh iloros para cabs^a.
Boiwan de velludo.
j6res, exists on
K'lade sorirreento de divercas Jcrguras e berate
j-yreco.
J Fitaa de saria. Ar. gcrgin^o. de setim e da cba-
1 oa>iote, & dtteT larguruse bonitas cores.
Faoftasd gopu*8o mwit tradas.
Fi. rms. p.rWicisea. A Pretiilaeta prfma em con-
i ervar aamfire an bello e artmle sarUmento des-
J as" flo:es, oao so para enfeits dos c^bellos, como
. tamhem.pwaortf.to dc v-stife de noivas.
O barateiro, na rua Primeiro de Marco n. J,
antiga do Crespo, esti iiquilando suas lazendas,
por men's 30 por cento do qne em ontra qual-
quer part*-; e a prova dijto esta no que vatnos
mencinnar. ra em aoM minm.n, e acha re Axes':*"
A saiirr : j pentcad. para am aoire-j, um bai'"
Mzintias burguezas, bonitis gostos, ine ramen- s-'"'ieii"1> e nara er D.dva tambem : >
te novas no mercado a 140, 160, 180 e 200 rs. 0 l>sratisimn preco 'l1'. 25*. '-ada in>.. t
cerado. So-'o barateiro. sa de OJilou Duarte & Irnta), rua i
Panama aiariposa a- 440 e 500 ra o co-! n. 82, primeiro andar.___________
vado. Sao-liudos-os g-.sto9 7 nuito liodos 'oLli'iAh, A 1 XFlf\*\ ,. ~Z
Crctone francertraneaJo, b.m gos;., a 300 rs. oeailliiao h l^DU'J O LilV
o covado. Aproveitem. Mandem ver amostras
Cortes de creUme bordadus a 5$. Sertpossivel ?
E' que eu compnei.
do.
Venham antes quo se aca-bem: Da loja do Passe
a rua {. do M.trro n. A,
210, 260 e 280 rs. So aqniaw
a 360 e 400 rs. 0 co-
I'va pura.
Vinho verde de Amaraote. especial, vendera Po-
eas & C.f a rua (streita do Ros^'io n. 9, junto a
igreia.
GaJdese*godtiQ, de l-e *e Seda, braneos, pre-
cis ei de diverias cores.
Gr>M* de iwfia.para, htMBem e aeuboM*.
Lac/is de eamLraia e de soda de diverse* car**
pata anora.
Litss'de-sedade ooPes^e traacas bordedas part
-PeaTumarfas dos methores e ruaS; KtHDOKkt
fabrirantes.
( inipi-oH Jr sol pars-ssohoras.
liiufc de vdiudo de todas at cores e 1argun.
Moacas.
Quereis Hrrar vos destft-maMltiweeto?CoB^ u,itfW-
=prai uma nachiiM de raaiar meacM p"r SiOStK-iii Liws para vouw aiisfte. com caf<8'de madr-
aa Magootta, a rua liu'w de Caxias a. 45. ] pe"0'*, ne?lta, os Oa A Magaolia, a ma 'Dii^nc de (5aXJS n. 45, v-.i bel'oa^ Aaeajraxmhem/para tirar caspas.
de 0 verdadeiro Vigor do Aver, cabida das -cabellos. j pefota- aartka,.osso e dousadog por b.iato preco.
PeTfemarlac. Neste arsifraestS a PredSecta bem
qae impeda
Sardas sardas e pac-x; quem ,j rua Ouep*!ei Caxias a. 45, tefS'papa j abricefrtes, ^Lonbiik Fiver, Sociedadt. Hygieniea,
viK-dadeira CiMwaleria, Ouias boas a
barateiro I !
Baptistas de lindos gjsto
vado. A ellas, a ella*.
Que lindos ^ojios em popelina9 e vendemos a
tU.e 1^500; todos ynerem 1,5800 e 2&. Sao de
izoatoj do vos.
Grosdenaples de cflresa 900 rs.", 1*2*0 e I$iO0,
e pechineha 1
Madapolio (ranceza Gf, 7i e 7*500, 0 melhor;
que ha.
, Carabraia transparente e Victoria a 3*500, 4*; Vende >e 11m cofre prova de fogo, com rap&r-
e 5* a peja. tvnentos para livros : a tratir na loja da agaia
Brim" par vado.
Brim AngMa superior a 500 rs. 0 covado. E'
bin to.
E^guiSo do liohoe algodJo a 3*500.
Dito com 40 janLs a 18*. Qtie grande pechin-1 i
cha I 1
COFKE
\ilM\CiO
Chales a burgueza cum listra a 3*500 E'
desenganar, rao ha quem rivalise.
Lencos de linho a 2*8We 3/200 a dozia. Q'jem
tem i'. ofles ?
Cobrbas adamascadas a 3-j.
Meias para homem a 3*500
Toalhas felpudas a 6*500 a duzia. Aproveitem
antes aue se acabem.
Brim brancn, expositjao n. 5, a 2* a vara.
Ataalhado adamaseado a l*i40avara. Nao e
barato ?
Chapeos de e&emira para boraem a 3*. Como
e barato 1
Bom sortimento de ch.ipeo? de sol de seda para
A aguia branca, vende a anuaeao de soa loja
por baratissimo preco, atsim como todas as mer-
cadorias existenles.
, provida, nao ?6 era exftttos, como era- oleos e senbora a 2*. 3* e 3*600. So aqui ,
So tem sardas e paco<5 quem *yxf< poaj86*! D^"l*s ^8S"fl*5'fwres adores,' dea mats lafamados! Dftoi para homem, alpaca a 3*500.
JMagnoha,j rua Ouejw*!eiCaxias a.45, tera'papaj '^bticefrtes, sLoabiik Piver, Sociedadt. Hygieniea,! Bitos de meriuo, duas core^, a 4J500.
vender a vordadeira CiMkwIeria. reaer estas aiancbas entvpoucos dia-.
JSatsa-pannliia do rara
Tem pa ra vender A-ntasco Lniz Ac Olivelra Ase-
"edo, no sea cscripUcio, a rua doHJjm Jesa*a-
mero 57.
seiuanlgos de mod-, e pbantaaa, acaba de recc
btr civers.s ucoiwnendas ue mer'Bdoiiso de sua
repacticao, que pela elefaiai 1 bem moetra aptidao
e bom go lo do sous antigos cerre>pvnde3es da
Europa, e por esta razao a JVOVA ESPERANCA,
a rua Duqne de Caxias n.6J, convidaa sua boa
e constante fregueeia e com e^ecialidade aa sexo
amavel.a visitarcmna, afim da apreciaroa aid
onde toca 0 pnmor d arte.
A NOVA ESPERA?.CA nao ouer oitrar no au-
mero dos massantes (verdadeiws azucrins) .com
extends atnoncios e nem praieade deserevar a
imrneosidada de objaetca qao lem exprjstos a vea
da, o quessria quasiimpoe*j a menctonar.alguns daqueHes demak alia novidadr,
e toma a liberiade de acotwelhar ao bello sexo,
qua a visitem cnnstantemeBte. para depois- qoe1
cornprarem em ^>ntra qualqaer parte nao se area-
perdanem, a vista do bom e eseodhido soriimeato
flue ha em dilo esiabelecimenlo, mta razao tam-
bem derconst'a qu qualquer Feabora do bom torn,
nao podera corrrpletir a ele^meift de' sen toitel
seal queV um passeio a NOVA ESPBiUJiCA, a
rna Da^ue de Caxias n.63, a qual acaba aarece-
ber os seguiat s artigos de luxe e inteira novida-
de :
Moderna scUae para prender os cabellos
Primnroaos lequos de p ban tasia.
Bomus sabidae de bade* para senboras e meai-
nas.
Interessanteg gravatas para senhoras.
Elegant* faenas de tooqyim '-
Boi.s aderec* de madrtpaala..
.Oelicados aderecos preioa.da paUk e borracha
(izosto novo).
(m e imtm WHSSm ii &
Loja de lazendas
DE
(auiliierme & C.
0 antigo barateiro continua a vender por-caenoa
do que outro qualquer, com a franqueza e sin-
ceridade ja conbecida.
Las de cores a 200 e 240 rs. 0 covado.
Las pretas superior, a 360 rs. 0 covado.
La e seda, fazenda de 1*4.00 por 700 rs. 0 eo-
vado.
Chitas de cores a 340 e 280 rs. .0 covado.
Metins de cores a 280 rs. 0 eevade.
Crolones de padroes lindos e moderaos a 400^
440 rs. 0 covado
Baptistas de lindos padroes a 400 rs 0 covado.
Cambraias de core.- miudas e graadas a 280 rs. 0
covado.
Bilas pretas com fio?e9 a 200 rs. o eovado.
Cambraias braocas, bordadas 4 abertas, fazeada
mais fina que tern vindo ao mereado, e fazenda
Wttsoa Bawe A Av. vendem no eu arnwnn>i
a rua de Commercia veriideif 0 panuo 4**igodao azt: amencacc.
Bxceliente &> de vela.
Gognac del* qnaii '-Ttoho de Bordeaux.
Ctrvao de Padra de todaj as qnaljdadea
Engenhos eai Masiam-
Vende-se cs segnintes:
Barra,
*lrV e Pairiclo.
A tratar com seus proprietarios cesta cidad
fc.iara inf*TaUf r)!ei Filbo ca mesma eidade de M:iaamguapi
Tasso .irmaos festa.
Site* bwoVlria.- pa
preojw.
Sapaoaabes de la e de-setim bordacot .para bao-
tisados.
Tapeies. Becbeu a Predilecta nm bonito sorti-
ojanto ids diversos tamaabos. tanto pera sofa co-
mo para entrsda de sa!s.
Vestimeatas para, baptisado 0 qne ha de melhor
gosto eas.otcw moderno t recebeu, a-i'redilectt
de or arcto preco, para Dear ao alcance
inalquer boisa.
Ve-
mas podeinos garantir qne s5o superiores.
-senhora, per commodcj nham apreeiar !
Aidm destes artigos, outras fazendas que temos
grande Ueposilo, luaa que u.lo lazemos meu^io
dellaf, para nao messar nossos freguezes ; mas
que.achar-se-hao patentes a vista dos comDrado-
res.
' 0 battMlti quem convida a usa
cia 1
DE
fazendas finas
Rua Priuieir j dc Marco n. 7 A -
D
Cordeiro SimoesoC, C.
expenen-
Acs
A NOVA ESPERANCA veade papel de
proprio para cignrros, da divrsas larguras.
eigacreiros
linho
Cogues modernos
Gintos deouFO
^Recebeu a Magnolia, a rua Di^ue de CixiJs n
45, e eeti vendeudc mais barato que em qoatquer
ontra parte.
de 2*000 0 metro, por 1*000 a
ehiBcha.
vara ; e pe-
gtfdffifta,
Antonio Jose RodrrfriM ddSiuza, na tbesoura1
ria das. lotarias a ruado Caespe n.'6, vende sua
casa de taipa e terrenes de aeng sitioi no lugw
do Salgadiaho : a tratar somente com 0 mesmo
(Mm.
Cunisas franeezas brancas de algodao flno com
friao de car a 2*000 nma, em dtlzia a 23*000:
e pecbineba : na rua do Crd'p&a. 20, loja do Gui-
Hi erne 4 C.
Boa acquisicao.
Vende ae. uma excellente e bem construida ca-
sa, com 3 p-.-la? de frente com commodos para
grande familia. na rua do Padr; Fbriapo n 42 :
a tratar Ra Ra d9 8, Jorge n. 18.
Camfctaia transpareate, fina, a 3* apeca.
Dita Victoria, fina, a 3*500 a peca.
Algodao trancado, alvo, a 440 rs. a vara.
Brim branco de linho a 1*400 a vara.
Ditos de cores de linho Coo a 500-rs. 0 covado.
Madapoiao francsz verdadeiro, 24 jardas. a 6* e
7* a pe<>.
Algodao T, largo e superior, a 5* a peca.
Gorgorio preto de seda para vestido e para eoMete
a 3*o eevado
Toaloas graades a 4**00 a duria.
Colctaas grandes a 3* uma.
Lencoes de bramante a 2* um.
Cobertas de ganga, forradas, a ii e 3*.
Lencos de linbo, abanhados e em caixinhas a
3*800a duzia.
DK01 de cores a 3*500 a duzia.
E'outros muitos artigos por preeos baratissimoi.
Sd na rua do Crespo n. 20, loja das 3 portas. Dao-
se amcetras.
Lustres e arandelas de vidro
para gaz
Na grande exposieao da rua de Imperador n.
33, junto ao escriptorip dacompanlMa dbgaz,vea--
demse os mais bonitos e modernos lustres e aran-
delas de vidro para gaz, assim como tado 0 maU
que se tornanecessario para esse Cm, sendo tudo
dos melhores fabricantes que ha na Ingaterra. Os
preeos sao mate baratosdeque em outra qualquer
parte, e com a vantagem one e 0 dono do estate-;
leeimento mandar assentar os lustres ou arande-
las no lugar que a comprador quizer, sem qae para
isso pagae algama cousa. Taaibenv-^e. compra en
troea se lustres e arandelas ja usadas. mas que-
estejam am estado de poder servir.
Vende se a prazo e a dipheiro a taVerna da rua
do Raagel b.39, propria para prlnoipinnte, por tea
poucos fundos, a qual so-se vende porqae seu do-
no tem de Tatirar-so para o mato nestes 15 dias'
um de brats'r de sua saude.
B&iiaequisi^ao
Vende-se um wbrado sito no psteo da fie, em
Olhida, edificadd' em chao proprio, com grandes
aceommodaciSes para numerosa familia, reedifi-
cado e pintado de novo, com bellKsima vista
muito freied e com quiuta! : a tratar no pateo
de Redro II n. 6, !. andar.
.1
'I
\ ende-se pes de sapotas de optima qualjdade
rua 4o II spicio n. 75.
Vende^e urneicolleecaa do CARAPUCEI-
RO, periodico critico, satyrico, jocoso
moral), eSriripid pelo faHecldo padfo Miguel
dd S. Lops ttannb ; a pessoa que qaizer
eomprar drri/i-se ar> 2.* andar desta typo-
graphia,- daWfttibS ate 9 boras, edas 3 da
fa*de em diattte"
VBNDE^E
Grande descoberla
Curative das molestias delb-^
peito pelo
Varope dc sulpUUo ie iala
DE
A. bi;r;t
Eate-imporuote med*eamento qua acaba de set
reconhecido pelos disiinctos Drs Zalioni e Paras-
cbevas como nm verdadelro especlfico contra a
phtysica, segnndo provaram -nos grandes nnme-
ros de casos por elles experimeniados, coma te ve
na sessao da academia de Paris de 24 de marco
do c:rreule anno, encontra-se unioarrrente no
Deposito da pharmacia e drogajfa
de
Baathatomea AC.
N. 34 Rua larga do Rosario N. 34
Vejam e admirem.
Pentesgifafe.0
Pentes gira/e, proprios para senbora, ( ultima
moda): a Magnolia a nk Dli-rue a-/Ka**." n. 45
e so quem tem.
Fapaiy mamaf; i
Como sao lindas as boaecas de cara que cija-l
maropapai, mamai, choram, aBdaiB]-etft.f S6 ba*
Magnolia a rna Duqae de Caxias n. 45
Gaiolas, gaiela*'.
A Magnolia, a riia Dirqne 'de Caxias n. 45. re-
eebea gaiolas de arame de lind?imos m.)dere!,4 pafa amicaa de cliiwewi
propnas para passaros ; a ell w antes qae Be aea
nra sobrado em cafeao e uma casa terrea, site a
ru-'da Soleaa#e''Tis."t e 4': a tratBr'na1 mesma
rna rt.6i, das 3 as 6 da tarde.
aiteverna sita a rua io Barao da Victoria n. 61,'
mdapc-afjeaoezada : a tratar na tu estreita do
Cabriolet' a vendi
Vende-ae um cabrfbtet de ,dda3 rodas, cam
par de arreios, tudo em bom estado : a verii^'hi*
da lmpsratriE n.65, que achara'tora-qaawtitliilv
A' rua 1. de Marco n. 1.
(Aniig-a do Crespo)
Agostinho Ferreira da Silva Leal & C.
E' economico.
; Graxa glycerina pnpria para a eonservacao do
cordovao ; v.nde a NOVA ESPERANCA, a rua Du-
que de Caxias n. 63.
Vende-se a taverna da rua das Cinco Pontas
n. 148, com armafao de amarello envernisada
e com poucos fundos e commodes para familia :
a tratar ca me;ma rua n. 144.
AO N. 9.
No armaZem da trombeta da fama commercial,
no pateo do Carmo, vende-se manteiga ingleza
flor a 1* e a 1*200 a libra, e fr^nceza a 800 e
760 rs. a libra ; bem como continda a ter um
bom sortimento para qualquer chefe de familia
faaer sua dispensa, qner seja da praca ou do
mait>.
a.
Vende se um piano armario, com excellentes
vozes e de pouco uso': na rua larga do Rosario
n. 16, primeiro andar.
Grande pechineha.
Cortes de gorgerao de seda
para collete a MM c chapeos
de sol de seda a Sfi.
Vende-se cortes de gorgarao de seda de coiee
para collete, pelo baratisaimo preco de 2* e cha-
peos de sol de seda | or 8* : quem duvidar ve-
nha ver e eomprar, na rna do Dnque de Caxias
0. 88, loja de Demetrio Battos.
'" .n'j i '....... i.ind ......
' o fa-brico de chapeos
A NOVA ESPERANgA recebeu o arame pfopf-to
A 500 rs. o covado.
0 barateiro da rua da Imperatriz n. 60,1
vende popelinas pretas com listras asseti-
Vfende-se ^^
Na rua do Vigario n. 19; vende-se o seguinte t
Cuneiito. de Portland em primeira man.
Vicbo do P6r;o engarrafado, finisslmo, em caixas
de dutta.'
Ditto em barris e ancoretas.
Dito Sherry ioglea era caixas de duzia.
Dilo Collares em ancoretas.
Cera em vetas- de Lisboa.
Dita em gnlme de Lisboa.
Vende-se
uma casa na villa de Barreiros, na rua do Com-
mercio, por preco modico : a tratar com Tasso
j Irmaos & C.
a FW^ssiaiia a 1 GO' rs. o
covado.
Wraadaaoelmaddn. *, JtiM
>oja da WatfraKadia.
E' PfiOHaNCHA r !..
Yendem
Wilson, Rovre & C.
Em seu armazem a rna do Trapiche n. 14, o (
gpftate :
, Atgodio ami amencano.
Pio de vela.
Carvao de pedra de todas as qoalidades.
Tudo rrruito barato. -
Azeite de peixe (
No trapiebe Dantas, no Forte do Mattos. junto a
companbia pernambucana, vende-se azeite de pei-
xeem barris a 1*800 o galap.
--rWuVcoacetrtiEtf- meias-
A^WOVA ESPEBANCA, A raa Bttqaa de Caxias
.' uf J, recebeu rjysti necessaria lipha
CoziHbeiro.
venae popelinas prews com listras asseti- ,T .,.. i u^iatf.
covado. para acabar.
A05" 1000-e tantos
chapeos de feliro e massa, para homens e meraii
noslfl AeU;iim, 3*,3*00e ae soi para senhora e meninas a 4* e 31800 omtf /
sendo de seda. Boia para viageai a U. nual I
fi-^8 P?ra*pmem,e menino. Chartote edaca-
simira 11*800 e 2*000 tun par I I Na loja-de
LimaCwwAiSi'&c., rui dffllW;
lojai
_dffjyramento n. 3ft
FnsliW.
1 Vctoria n.
J^MJ FNitawha:.aa
2"\loja do Gadbeawn 4 c.
rna do Crespo n.
ti
t'Oveittem
i 0 PARI8 JiAMEWGA, a rna Duqw de Caxias
n. 69; pruaairo andar, esta vendendo calcado pelos
ites precos':
otinas de duraque para senbora a 3.500 rets.
Itas de dito preto a 4,000 rite:
itas de dita com botdes ao lad,a 4,000 reis.
Ditas gaspeadas, cano alto, para senbora, a
pitas de pellica, ingleza, a4,0OO'reis.
Dftat de duqee bordado, para senbora, a
5,000 reis.
Ditas de duraaue, de cores, para meninas, a 3*.
Em quanto 6 tempo
aproveitem.
, Asunieas verdadeiras
i Biobas hamburguezas qne vom a este marcada
oa raa do Marauez de ulmda n. 81
i Para senhoras
Como sao lindas e modernas as gravatinhas que
i Magnolia, a raa Duqae de Caxias n. 45, acaba
de racaber I |
&' esta nma das casa* qoe hoje pode eom an-
uazia offerecer aos seus freguezes um vaiiadiss-
Bjosortimeqto de fazendas finas para grande toi-
ette, e tem assim para nso ordinario de todas as
lasses, q por prefoa vun'.ajosos, das qnae.3 hi am
equeno rcsumo.
Siandsm fazoml.i- as fasas dos protendentes,
jara o que tem pfssoal necessario, e dao amostras
uediante peuhor.
Cortes de seda de lindas cdres.
Grosdenaples de todas as cores.
Gorgurao bi anco, lizo, de listras, preto, etc.
Setim Macao, preto e de cores.
Grosdenaples preto.
Velludo preto.
Granadine de seda, preta e'ide cores.
Popelinas de lindos padroes.
Filo de seda, branco e preto.
Hicas basquinas de sed3.
Casacos de merin6 de cores, I?., etc
dantas brasileiras.
Cortes com sambraia branca com lindos bcrda-
Kicas capellas e mantas para noivas.
Itiquissimo sortimento de las com listras de
eda.
Cambraias de cores.
Ditas maripozas, brancas, lizas bordadas.
Nanzuques de lindos padroes.
Baptist is, padroes deiicados.
Percabrai d quadro?, pretos e brano?, listras
ic, etc.
Brins de linho de cor, proorioe para vi -tides,
>m barra e listras.
Ricos cortes de vestido dc linho. t sita da
oesma cCr, ultima mod."
Ditos de camlraia de era.
Fustao de lindas cores.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho e al-
lodao.
Sortimento de luvas Va verdadeira fabr: :a de
avin, par- homens e senhoras.
/estua'1 para meniaoa
Oizo* para baptizado.
'"hapeos para uto.
Toalhas e guardanapos adamaseados da i da
rjpara mesa.
Colchas de li.
Cortinados bordad- s.
Grande sortimento de camisas de linbo, lizas e
ordadas, para homens.
Meias de cores para homens, meninos e m<-ni-
t*.
Ditas escocezas.
Comni.eto sj.timeBto de chapeos de sol para b>
ate* e ssancras.
Merino de cdres para vestidos.
Dito preto, trancado e r>ito de verao.
'nilbado ds nbo e algodao para to
Atoalbado pardo.
Damasco de la.
Brins de linho, branco de cores e preto.
Setim de lindas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos.
Ditos de cateaira.
Ditos de seda preta e de cores.
Ditos de touqnim.
Camisas de chita para homens.
Ditas de fianella.
Ceroulas de linho e algodao.
Pannos de crochet para sofa, cadeirai e couo-
Lencos bordados e de labyrintbo.
Colchas da efdehet
Tarlatan a d* todas as cores.
Ricos cortes de vestidos de tarlatans bordadoe
para cortes.
Espartllbos lisos, bordados.
Forrfard de seda, ilddas cores.
Meiaa de seda para senboras e miiiii
Rioaa fachas deseda e li para aeahoras.
Rico sortimento de leques de raadreperolas
>M0.
Damasco de seda.
Casamira praa e de cores.
Chitas, madapoiao panno fino preto a azul, eol-
arinhos, panhos delinho e algodao, gravatas, la-
ra de fio de Escossia, fapetes de todos os tama-
aho'a, belsas de Tlafem, peflos bordados para ho-
sens, lencos de linho branco e de cores, toalhas
ruardaaaocs. eta., etc.
E' barati$sib*a
Attencao.
Aproveitem antes qne se acabem, popelinas de b-
nho, padrSes modernos, pelo baralissino paw
de 400 rs. j covado : quem duvidar, veaha eomprar : na rna Duqae de Caxias n. 88, loja d
Demetrio Bistos.
Vede-se um piano novo de Herz: a rua lax
ga do Rosario n 26.
I
T


8
Siario de Peniambnco fer^a fob* 1 de Setemhto de MM.
i,..ii
ASSEIBIEA 6EBAL
CAMARA DOS DEPUTADOS.
REFORMA ELEITORAL.
(Cootinuac. So).
Ate aqui a junta incluia no alistaniento,
ou excluia delle. Agon so pode excluir.
Excluir I Jamais ; nem mesmo um mem-
bro da junta que falleces.se f
0 Sr. Heraclito Graca v-E' umi sabia
disposigao do projecto.
0 Sr Araujo Lima:Sim, comprehen-
do toda a sabedoria.
Desconfiando da junta, julgando-a fonte
de males, o Sr. ministro quiz reduzil-a ao
papel de inspectores de quartoirSo, d remes-
sa de listas. Eis porquepretendeu introduzir
na junta duas creaturas suas, tiradas dos
proprietaries ; eis porque privou-as de ex-
cluirem ale algum de seus membros falle-
cidos f
0 Sr Herclito Gracada um aparte.
OSr. Arauo Lima :-NSo tem alcance
o aviltamento da junta ? A insinua^ao de
corroraper a eleicSo Quern nao sabe que
todos os males das eleicons provem do go-
verao ? E" sincero o gaveruo em seus de-
sejos de restabeleeer a pureza do veto popu-
lar? Pois bera, indico-rao urna reforma de
aeeitacSo universal. A candilatura olli'cial
o am crime. (Apoiados.) A intervenes
do governo na eleicSo, per si, por seus a-
gentes, pela fore* publica, 6 um crime
(Apoiados.)
0 Sr. Heraclito Graca : Estd escripto.
0 Sr. Arauio Lima : Mas viola-se todos
os dias. Nao so quer isto '.' Entao a refor-
ma nao passa de comedia com que o gover-
nos6 trata do augiuentar seus meios de iu-
fluencia.
As juntas trabalham seis horas, em ses-
soes publicas, decidindo os negocios por
maioria de votos : publicidale e maioria de
votos, e cousa velha. Apenns alteram-se as
9 horas da manha ate ds 6 da tarde, como
dfantes era. Como todos pedimos ao traba-
lho nossos moios de vida, bom e" que se a-
brevie o service publico.
0 Sr. Joao Memoes :9 bens 6 muito.
0 Sr. Araujo Lima:A maxima vanta-
gem estd na observajSo do service publico.
A grandeza de taes alteragoes estd acima de
minha comprehensSo I
As actas que se fazem uma por dia elo-
vam-se a uma somma immensa, a rnais de
cem. Quanto trabalho I Quanta despeza I
Certas actas sao assignadas pelas pessoas
que intervieram no acto, e pelos cidaddosJ,
que o quizerem. Onde jd se vio isto ? Que
bem results d'ahi ? Sao cousas feitas com
pouca discricao.
0 Sr. Heraclito Graca dd um aparte.
0 Sr. Araujo Lima :Grande Deus Por
caridade !
0 Sr. Leaxdro Bezerra :SSo palha-
gadas.
0 Sr. Araujo Lima :Feito o alista-
inonto pela junta, extrahem-se c6pias para
enviar-se uma ao presidente da provincia,
ou ao governo, outra para licar em poder
do presidente da junta, e outra finalmente
para affixar-se, alem dapublicacao pela im-
prensa. Com a lista supple-rentar faz se a
rnesma cousa. Mas tudo isto e provisorio.
Dahi a pouco reune-se a junta munici-
pal, faz e refaz tudo d^finitivamente. No-
vas copias, novas remessas, nova affixagao,
nova publicac/So. Nao ba empregado, tem-
po, dinheiro, secretaria que baste parata-
xnanlia papellada, para tamanbo trabalho,
feito em duplicata, nao se sabe por que I
Pela lei de 1846 as juntas da qualifica-
c,5o faziam o alistamento definitivo.
p 0 Sr. .'o.\o Mendes:Apoiado.
0 Sr. JAraujo Lima :Desde que seme
ibante trabalho lhes foi retirado, tudo isto
e illogico, confuso e desordenado.
Chegamos ao 8." d composigSo da jun-
ta municipal. E todavia no principio do
munclo, ou da lei, jd se prescreyeu o modo
de formagao e da junta. E' primor de lo-
gica I
Kenova-so aqui a novidado da assign;tu-
ra de actas tambem por cidaiaos presentes.
0 Sr. Ueraclito Graca :Isso
novidade.
0 Sr. Araujo Lima :Aponte-se
que autorise isto.
(Ha diversos apartes.)
E' novidado de tal ordem que pode
ministro requercr patente de invencao
sadas.)
Sr. presidente, l'ago observacoes rapidas
para nao sbusar da bondade de V. Ere.
No 10 preserevem-se assessors da jun-
ta. E mais abaixo se 16 : esta reuniao,
por ;essao I Quando se abrem ou se en-
cerram os trabalnos desta camara, bem po-
deria V. Exc.Sr. presidente, dizer : esta" a-
berta ou encerrada a reuniao da camara dos
Srs. deputados 1
0 Sr Heraclito Graca:Isto nSo e
frivclidade
0 Sr. Araujo Lima :E' frivolidade a-
pontar erros de linguagem na lei"?
Isto nao se tulera no ministro da instruc-
fj3o publica quo e um doutor, um sabio.
(Risadas.j Se. eu tivesse valimento, para
V. Ex., Sr. presidente, lhe faria umpedi-
do, e que nas conferencias, que tSo sabia-
xnente dirige, incluisse algumasobre gram-
matica nacional, naose esquecendo decon-
\idar os Srs. ministros para se distrabirem.
(llilaridade.)
Ha ainda neste paragraphs uma cousa
quo excita reparo: e podera (a reuniao,
isto 6, a sessao) ser interrompida, depois de
lb clias, selfouver muita affluencia de tra-
balho.
Eu pensava Sr. presidente, que quando a
junta tinha afTiuencia, ou muita affluencia
de (rabalho, trabalhava "mais. Agora flco
sabendo o systema qne o Sr. ministro do
impi rio ensina. A juntajdeveri dizer:
corrio temos muito que fazer ; nSo faca-
mos nada, vamos passear. (Risadas.)
0 Sr. Hrracuito Graca :V. Ec. nSo
leu todo o paragraphs- quo diz : o traba-
lho nSo sera interrompido. .
0 Sr. Araujo Lima :Li, e diz precis'a-
me:.te o contrario :o trabalho podera* ser
interrompidonaturalente para a junta on-
tregat so & vadiac2o. (Continuam as ri-
sddas.
Sr. prejidente, sintj que em obediencia a
V. Exc., eu nao possa analysar 'detidamen-
le todo o projecto. Vou concluir, fazendo
uma ou outra reflexSo rapidamente.
Jd o disse e repito: o projecto estabelece
quiitro instancias, ou recursos da junta de
qucililicagao para a junta municipal.
0 Sr. Heraclito Gra ;a : NSo ha re-
curso algum.
0 Sr. Araujo Lima : Nenhum ?
0 Sr. Heraclito Graca e outros se-
Nhores pepufados : Nenhum.
0 f r. Araujo Lima :Vejamos isto. A
junta tem d<-z dias para reclarnagoos.
0 Sr. Heraclito Graca : Isto e outra
ca0sa" ill f
0 Sr. Araujo Lima :Dio-se on d8o
dez diz para a junta ?
0 Sr. Heracuto Graqa : Uorregir seus
erros.
0 Sr. Araujo Lima j E' isto mesmo.
Nesses dez dias dias a junta attende ou nSo
is reclamagdes.
0 Sr. Heraclito Gra'ca : -Attende.
0 Sr. Araujo Lima : Mas se nSo atten-
de, ha recursos para a junta municipal.
0 Sr. Heraclito Graca :Mas a instan-
ce e do inferior para superior. (Apoiados.)
Isto e que e reenrso.
0 Sr. Araujo Lima : Desde que a junta
municipal pode alterar o acto da junta de
qualilicar.ao, c manifesto que a lei a consi-
dera em qualidade de superior. No mes-
mo caso estd o recurso para ojuizde di-
confhieridlits havidas entre os colhjgas e a dados a titnlo de alimentos. E oao devor*
migos no seio da commissio. Nesse cami- J empregad publico votar ?
Cesta contestacSo, que se tornou -anima-
a lei
o Sr.
(Ri-
reito....
0 Sr. Heraclito Graca :Primeiro re-
curso.
0 Sr. Araujo Lima :... e do juiz de di-
reito para a relarao.
0 Sr. Heraclito Graja :Segundo re-
curso.
OSr. Araujo Lima :Ora, estes-quatro
recursos nSo sSo regulares Com maisa-
certo procedeu a lei de 1810, que sd con-
codeu dous recursos.
0 recurso para o juiz de direito foi lem-
bran^a infeliz. Envolvido ordinariamente
nai politics bcal, o juiz de direito nSo tem
a imparcialidada precisa que seus actos-re-
querem : com tao fatal attribuicSo, o jiz
de direito perderd a neutralidade que por
ventura guarde. Decidindo contra estes ou
contra aquelles, terd amigos on ioimigos,
que o arrastarao d luta iufallivelmente.
As relacoes evidentemente estao em con-
dijOes de melhor julgarem, sem ineommo-
do para o povo, segundo o augumento que
tiveram.
0 Sr. Presidente : Previno ao nobre
deputado que sao passados os tres- qoartos
de lira, depois de concluida a da primeira
parte da ordem do dia.
0 Sr. Araujo Lima:Eu tou concluir.
0 projecto annuncia um p:incipio que e-en-
cantadpr, a permanencia da qualificacao.
Ate aqui a junta de qualilicarao revia a
qualiflcacao todos os annos, incluindo- a~
quelles que haviam adquirido acapaoidade
de votante, excluindo aquelles que a ha-
viam perdido.
0 Sr. Heraclito Graca :NSo apoia-
do, combine V. Exc. uma disposicSo- com-
outra e verd.
0 Sr. Araujo Lima:A qualificagSo &
tao permanente pelo projecto, como o era-
pela lei de 1846.
0 Sr. Heraclito Graca :N5o apoiado.
0 Sr. Araujo Lima. :--A differenca ca-
pital estd em que dantes a revisSo era obra
do povo, ou da junta de qualificacSo, ago-
ra o e do juiz municipal ou do governo.
Habil como e o Sr. ministro do imperio,
dirigio seus ataques contra a lei de 1846.
Pe ante pe queria metier dous membros na
junta de qualificac,3o (risadas), dous de seus
proprietarios (risadas) ; pe ante peV queria
metter ainda uma creatura sua na junta
municipal (hilaridade.) Alto I Ikadou-lhe
a commissao estd guardado ; aqui nSo en-
tra ; o Sr. ministro retirou-se (risadas) mas
abracou-se com o juiz municipal, a quern
entregou a prova da rend a, a revisao da
qualilicarao.
Como Francisco 1, bem pode o nobre mi-
nistro dizer : tout est perdu, hors I'hon-
neur, isto e, o juiz municipal. (Risadas.)
Jd o disse e repito, ndosei que paixSo e
esta do Sr. ministro pelo juiz municipal,
que hoje e quasi mero preparador. NSo, Sr..
presidente, nenhum povo livre pode entre-
gar a qualificacSo, a eleigSo, ao governo-ou
ao juiz municipal, delle inteiramente depen-
dente. Com o recurso papa a relacSo a lei
de 1846 era mais sabia.
0 Sr. Heraclito Graca :No projecto
tambem ha recurso para a relacSo.
0 Sr. Araujo Lima :Obrigado a termi-
nar miahas refleccoes, faco-as ds carreicas.
Dd-so grande importancia ao tUulo de
qualificacSo. Tres, quatro mil votantes vSo
uma e mais vezos d casa do presidente da
junta a receber seu titulo, guardarn-no em
um buraco da parede (risadas), perdem-no,
cedem-no ao cabalista que apresenta porta-
dores falsos de titulos verdadairos; e extri-
birdoo titulo de um livro detalSo, fechado
em uma caixa com tres chaves, distribuidas
pelos membros da mesa, que sSo cinco; re-
colhido em casa do presidente da junta, que
de improvisar livros de taloes, sobre livros
pode taloes 1 Isto temexequibilidade e valor?
Algumas palavras ainda expressas a res-
peito das nullidades, quosSo a garantia da
verdade da eleirao, pensa-o naturalmente o
nobre ministro.
0 juiz de paz incompetente ou nSo ju-
ramentado.
0 que 6 juiz incompetente? Desde que
isto se nao explica, nao adiantamos um
passo.
Nao juramentado I E' requisito que nun-
ca falta a juiz de paz algum. Os cabalistas
sabem arranjar juramentos magnificamente.
Concurso, para a eleicSo da mesa, de
pessoas em numero tal que influa no resul-
tado.
E'amesmaincerteza, E'maioria? E'mi-
noria? Pode a maioria incompetente nSoin-
fluir noresultado da eleicSo e pode a mi-
noria influir.
0 Sr. Presidente :0 nobre deputado
tem-se conservado na analyse do artigo ;
mas jd deram 3 horas e por isso peco-lhe
que tenha a bondade de abreviar suas ob-
servacoes.
0 Sr. Araujo Lima:Sr. presidente,
em obebiencia a V. Exc. interrompo a ana-
lyse do projecto, e vou concluir,
0 artigo do pvojecto em discussSo nSo
tem valor algum ; e um acervo de regras
inuteis, frivolas, desordenadas, com o fim
unico de entregar ao governo a prova da
renda e a qualiGcacSo dos votantes, isto, 6,
a eleicSo.
Voto contra o artigo.
Vozes :Muito bem, muito bem.
(O-orador 6 felicitado por grande nume-
ro de Srs. deputados.)
O Sr. Heraclito Graca diz que
sorprendera-o o deputado por S. Paulo, o
Sr. JoSo Mendes, nedir a palavra a favor do
projecto para se afastar apenas da opposicflo
em nSo aceitar a eleicSo directa.
Sente ter-lhe de responder. Elle devia
fazer uma defeza magistral, e limitnu-se a
reproduzir faltas e defeitos, que so suppri-
riara na commiss5o. Provou assjm pelo
modo como dis'.utio, que o projecto tem
merecimento real.
Sorprendeu-o mais ainda, nSo no espiri-
to, mas no coracSo, o querer revelar as
nho tao ingrato nSo o quer acompanhar.
Conuorda com o orador a qjem respon-
de qoe o ministro cedeu em muitas ideas e
opinions Na commissSo ninguem tinha o
dom da infallibilidade. Todos queriam bem
servir o paiz. NSo dird mais, porque nem
0 caralbeirismo, nem a lealdade permittem
ir alem do que diz o relatorio sobre o que
se passou ne seio da commissSo.
Responde d accusacSo formulada pelo Sr
JoSo Mendes de querer o ministro do impe-
rio impor o sou projecto d maioria. Doduz
a prova do contrario do facto de ter elle a-
presentado o projecto usando da iniciativa
de deputado e nao da de ministro.
0 que o ministro disse e que queria a re-
presentavSo das minorias. Desejando que
se faca o melhor, aceita as emend is razoa-
veis, e assim procede como ministro consti-
taciona!.
Para provar que o seu procedimento e in-
censuravet, eompara-o com oSr, doJoSo
Mendes, era relacSo ao seu projecto elei-
toral.
Ambos modificaram as suas opmides.
Sostentando assim a improceefcneia d>
accusaijSo do Sr. JoSo Mendes, deduz; que
o ministro do imperio n*o e* contradictorio
por aceitar emendas ao projecto.
Acha exagerada a aceueatjSo de que da
lei que se prop*e ha de vrr a dissolucSo
dos pa rthi os-
Os pertidos sao filhos do espicito publiso.
Nascidos- da opioiSo, nSo morrem por dr-
cretos dogoveino.
Diz qwe na Franca nSo ha parttdos, ha*
facgoes. Os politicos alii n*o-se abrigam
sob a cori96tttricao, conspiram E, quando
se ataca a constiluigSo,. nSo ha partidos.
Mas na Franja nSo ha constitoicSo, dls-
seram ao mesmo tempo-- algumas vozes.
0 orador proseguio, sem responde aos
apartes, que !be contesta-vem aquellSj opi-
niao e dizendoque era no-Rrasil qoe bavia
partidos. Negar-lhes nesta terra a existencia,
e^negar o movimento.
O-que nunca se vio foi a- divisSo dopar-
tido conservado?em colligaejlo monstrjosa
com o seu inimigo natural.
Aqui foi o orador interrompido por mti-
tos- apartes e protestos- de libenes e dissiden-
tes, dizendo uns eoutros que nao bavia col-
ligacSo e asseverando ao mesa>o tempo mui-
tos-liberaes que ella existia. 0 presidente
tocou repetidas vezes a campainba, pedindo
ordem.
Quando a assemblca se ttaoquilisou, en.
trou o orador na* analyse dos arguments
que estabelecera o< Sr. Joao Mendes.
Acha absurda a declarae.So de naciona-
lidade, que elle quer quo so bca na lei,
e diseute depois as presumpc,desda renda
legal.
Neste ponto confronta as pelavras do Sri
JoSo Mendes com as disposifdes do seu pro-
jecto. para demoBstrar a impfoeedencia de
suas rezoes. Estao no seu projecto as
proprias- palavrassque censurou no do rni-
nistro.
0>Sr. JoSo meades, em.aparte, explice*
o sentido das suas-palavras, proounciadafraaj
tribuna e exaradas-no projecto.
Occupou-se depois com a perroanenci*da
qualificacSo.
Leu a disposigao da lei de 18IG para
mostrar quanto e different* o projecto.
E, fazendo muitas consideracfos sobre a
ma ter ia, foi interrompido pelo Sr. Araujo
Lima com ura liiulciu- Oo auoil^j joUro o
qualificacao dos condemnados.
O orador sustenta qjie nao era precko de -
clarar na lei que elles- nao votavam, porque
isso era prinoipio estabelecido no art. 8 da
constituicSo.
Depois do mais algumas reflexoes sobre
as proposals que sustentr.ra o Sr. JoSo
Mendes, passou a responder ao discurso que
pronunciara o Sr. Araujo Lima nasessSo de
28 do ccrrente.
Respeita-o pelos seus talentos, pela sua
illustrS5o, pelasua peobidade politica e pe-
la sna dedicacao d causa publiea.
Observa que, como o Sr. JiOSo Mendes,
elle desceu a pormenores e a minuncLosida-
des taes, que nada Ihe'escapou.
Discutio os artigos, paragraphed, divi-
soe6, periodos, id^as, palavras e ate pontos e
virgulas.
E a tudo chamava frivolidade, a tu-
do dizia que faltava o senso commum, que
faltava a grammatica, que faltava a lo-
gics.
Elle foi tambem injusto com os oradores
que o precederam na tribuna, com o Sr.
Alencar, com o Sr. Gomes de Castro, oom
o Sr. GusmSo Lobo, e por ultimo com o
Sr. ministro do imperio.
Negou-lhe os seus talentos e ate" mandou
o ministro para a escola.
Censura-o por ter citado proverbios e an-
nexins, que no livro de Cervantes s6 cabe-
riam na bocca de Sancho Pansa.
Durante esta exposicao teve o orador al-
guns apartes do deputado a quem respon-
dia.
Passou depois a combates as duvidas que
elle apresentara sobre a representacSo das
minorias. Pareceu-lhe achar um erro fun-
damental em toda a sua argumentacSo. E'
considerar a lei pelo estado presents, quando
ella feila para melhorar o futuro.
Annunciou que formulara algumas emen-
das, que mandard a mesa no sentido de
melborar o projecto, que todavia nSo acha
deficiente. _
Aprecia depois o titulo de qualiBcacSo,
que tem por uma garantia do cida-
dSo.
Le em seguida a lista das qualificacoes
para mostrar quanto ella e larga, abrangen-
do grande numero de classes, que teem ren-
da presuniivel.
0 Sr. Araujo Lima sustenta calorosamen-
se, em aparte, que novedecimos da popula-
qJo fica fdra do projecto sem ser qualifi-
cada.
0 que se pretends fazer e o mesmo que
lancer uma gota dagua no oceano
Havendo muitas contestagoes, o presiden-
te pedip ordem tocando a campainha repe-
tidas vezes.
0 dialc^, porem, ainda continuou. Di-
zia o 9r. Araujo Lima que tudo fica sujeito
d prova; respondia o orador que todos sSo
qualilicados com renda presumivel.
Occupa-se depois da renda liquida e ren-
da bruta.
Combate as theorias que sustentara o Sr.
Araujo Lima.
A renda liquida e determinada por pre-
sumpc^o. Em uma lei eleitoral nSo p6de
haver principios applicados do rigor da scien-
cia. Adduz um argumento dos vencimentos
do empregado publico.
Segundo os principios que estabeleceu o
deputado pelo Oara, elle nao tem renda li-
quids, porque os seus vencimentos lhe sSo
da, pelos apartes do Sr. Araujo Lima e de
outroj deputados, passou a rspouder aos
ministre? 8s o for, como serd depois elei-
to?
Depois de apreciar largamente estase oo-
outros pontos da argumentacSo, domoran- tras hypotheses, servindo-se do exlbplo do
analyse das quatro ministro da agricultura, que foi reeleito por
da na<;ao. Mas ao deputado da minoriJ fal-. resistencia aos desmaodos ejexcessos do po*
tard o prestigio proprij. G poderd tfrjdar,-
a que se referio aquelle depu
39 vatos, sustentou que, passando a lei do
voto incompletp, na proxima eleigao o seu
parti lo vird d camara em maioria. Se se
levasse, pois pelo iuteressa do momento os
seus votos seriam pelo projecto, mas elle
olha principalmcnte a felicidade do paiz. 0
seu partido venceria, mas ficaria a bracks
ora as mesmas dilfieuMaJes ; o que quer e
realisar as suas ide"as no poder.
Mas como faliou em projecto, diz se e o
instancias
tido.
Tendo o presidente por mais -do uma vez
lembrado ao orador que era pissada a bo-
ra, elle terminou o seu discurso enviando d
mesa as emendas que annunciara.
O r. Igaaclo Martins nSo pode
dispensar se de responder ao ministro do
imperio, embora n5o esteja presents pelo
receio que tem do encerramento da discus-
s^0' do n.inistro do imperio que se diseute ? Le
Lite nao publicou o seu discurso, mas as muitas emendas do art. 2, e pergunta
tem presentd o resumo do Diario do Rio, que ficou do projecto ? Lembra ainda que
fiel na opiniSo do proprio ministro, e por o ministro se sojeitou a novas emendas
esse responderd. J apresentadas fdra do parlamento na secreta-
Analysa em primeiro lugar a opiniSo que na da agricultura.
elle sustentara a respeito do poder modora-' Ve neste facto que os deputados do raaio-
dor. (riaprocuram mostrar o seu predominio so-
A sua dootrina foi contraria d lettra ex bre o ministerio, fazendo lhe irnposicoes
pressa da coBstitaigao. |E' a propria commissao quem dpresenta subs-
0 presidente observou ao orador que titutivo,
s$ podid disewtir o art. 2* da lei eleito- j Trocam-se muitos apartes, e o orador
af' |prosegue dizendo que o ministro tem mu-
tate era torn eoergico replicou queo pre- dado constantemente de opiuioes. 0 pro-
sidente-consentir* que o deputado pelo Ma- jecto e a prova da volubilidade do ministro
ranhao fallasse sofcee politica getal, nSo po- do imperio.
dmdo asdim prohihil-o de responder ao mi-
nistro do imperio.
\* Expwcou ainda o pres-idente o- seu' proce-
dimento.
Honteiii observara dquelle deputado que
se rest-ridgisse.
Mas que se diseute do art. 2 ? pergunta o
orador ; e eHe mesmo respoude : o projec-
to ji* nSo existte ; mas se a discussSo se de-
morasse teriaraos substHutivo do substitutivo
do substitutivo- do substitutivo."
A assemblea rompeii em geral hilaridade,
0 orador,. eontinuaado-. Jen o artigo-da que raais se prolongou qomdo o Sr. Diogo
|eonstitoi;ao qoe se refera ds attribuigdes-do
noder moderador.
Velar nSoe abstar, Um o oador, accen-
funndo a phrase. 0 votoe um direito sbs-
pensivo. A vontade do poder moderado?
nrio e superior d vontade nacioual-.. Dissolver
a camara s-consolter o paiv.
<) ministro e que foi inconvenionte em
suas palavras. Veic-rasgar o vei, que deve
tobrir- esso poder.
Refere-se depois- o orador d eleicao di-
rrtetai
0> ministro' nSo devia dicer que estd
convencido que o seu partido a nao
quer.
A nacio brasileira nSo e" o seuparttdo. E
elle 6 ministro-do peiK; nSo e ministro de
um partido.
Para provar quo a> eleicSo- directa estd
consagrada na opiniSo, diz que opcrtido
liberal unanime a quer ; que a quer tam-
bem eia. grande,. seneo na roaior parts-- do
psrtido conservador, tendo ate no seio^ da
maiorirjjinuitos-votos,.e allude,, por esem-
plo, ao deputado pelo-Maranhao.
A razSo constitucional 6 de nenhum peso.
O'govarno nao se importa com>a constifcai-
Cao do imperio.
Ella tem sido constantemente rasgada pelo
ministerio 7 de ma rep.
0 presidnftte pedio- novameate ao orador
que se rest ring isse d mater ia.
Este, respond en do a um aparte do Sr.
Gusmio Lobo,. que-lhe contestava aquella
proposti.ao,. disse-lhe que olhass* para a sua
Eirovincia. Votara iaoonstitucionalmente i-.ma
ei que id devia estar suspense.
Aquella lei foi una cortezia ao ministro
do imperio ;-. um, icmSo do ministro foi em-
pregado, a sabe-se- agora que aceitou o em-
0 Sr. Moraes Rcgo acudio em parte pela
honra do.ministno..
0 orador, replicando energjeamente,. dis-
se que ninguem, mais do que elle respoita o
honrado ministro do imperio.
Mas observou ao deputado que o inter-
rompera que aao defendesse o que nSo era
ataoado.
Nunca ninguem, duvidou. da honradez do
visconde do. Rio Branco. E elle nunca veio
justificar-se. Nunca veio defender a sua
honra, que e invulnoravel. Como tem sido
o presidente do couselho, assim devem sor
os seus coJlegas.
0'presidente insta mais uma vez para
que o orador entre na discussSo. da mate-
ria.
Replicou o orador que o presidente nao
tolhera o ministro do imperio, quando elle
defendeu a sua pessoa mostrando-se grande
orador.
Observa ainda o presidente que a discus-
sSo s6 p6de versar sobre o art. 2.
0 orador sustenta a necessidade de res-
ponder ao ministro, por que a maioria s6
quer o encerramento da discussSo. Ainda
hontera foi testemunha de se offerecer vo-
luntariamente ao ministro o encerrar-se a
discussSo Quando assim procede a maio-
ria, elle orador nSo p6de deixar de fallar,
por que nSo sabe quando o tornard a po-
der fazer. E' por estes faotos que o povo es-
td descrido.
Depois de mais algumas consideracoes
passou a occupar-se do censo. 0 seu parti-
do nSo quer o censo baixo. NSo quer tirar
a ninguem o seu direito.
0 que o ministro disse foi urna patrio-
tada.
0 partido liberal nSo exclue pessoa algu-
ma de votar ; ao contrario garante o direito
a quem hoje o nao tem respeitado. Quem
exclue da urna e* quem sustenta a eleicSo
indirecta. N6s fazemos eleitor o votante.
0 votante hoje nao vai eleger, vai excluir.
Exclue todos que podiam ser eleitores, pa-
ra s6 o ficarem sendo alguns.
Aqui e* que nSo ha garantia de direi-
tos.
Fallando das emendas do projecto, ob-
serve que o ministro nSo devia dizer que
aceitaria mas que aceitou.
Elle curvasse a fraccdes da sua maioria ;
curva-se com receio de perder o que mais
adoraa pasta.
Tinha o ministro. sustentado o voto nomi-
nal e combatido o voto incomplexo.
E', portanto, evidente que aceitou a im-
posigSo da maioria I
Chegou a vez do ministro humilhar-se.
Elle porem humilhou comsigo os seus ami-
gos. Fel-os passar pelas forces caudi-
nas.
Acha humilhados com o ministro os de-
putados que tinham sustentado voto nomi-
nal.
Pedindo nesta occasiSo a palavra o Sr.
GusmSo Lobo, referio-se-lhe o orador di-
zendo que elle que nao tem a volubililade
do ministro, ha de" continuar a sustehtar o
que sustentou.
E', apologista do voto incomplete Mas
s6 o quer na eleicSo directa. Na de dous
grdos o unico meio de representacSo da mi-
noria sem perigos 6 a eleicSo por districtos
de um s6 deputado.
Na caaaara nSo ha representantes deste ou
daquelle partido ; trios sSo representantes
de Vaiconcellos disse em torn faceio ; o pro-
prio ministro e um substitutivo.
0 presidente reclamou a altenjSo da ca-
mara e o orador passou a occupar-se da es-
pecialidade do artigo-em discussSo.
Depois de se referir a algmis pontos me-
nos impjptantes, occup m-se da representa-
cSo das minorias, sustentandoqu-* o projec-
to destr6e esta pequena repre3entaQSo que
tinhamos pela l;i de 1865. Faz-'uma larga
argumentacSo para o demonstrar.
Trata depois das rendas e da qualilica-
cpo.
Combate eom vehemencia o principio de
se qualiucar o fidalgo so porque o 6. A
epoca dos ttdalgos jd passou. A. epoca de igualdade,edo povo* A esistencia de
fidalgos entre n6s-e te-um anachronismo.
Sustentou ser inconstitucionai a qua ifi-
cagao dos caiseiros, alem do primeiro, que
tem voto pela constituicSo porque s6 esse
se julga iudependente.
Us recursos-designados no projecto, foram
em seguida apreciados largameate, desde a
organisacSo d junta parochial.
Faz algumas indicacCes, que ioram acat-
tas pela commissao.
Combate o titulo do- qualificajao e diz
que esta e nsenos permanente do que a
actual.
Pergunta se-o governo estA. resolvide a
aceitar emendas no artigo das incompatibi-
lidaiies? Vote contra esse artigo porque o
nSo satisfaz. Quer a independencia com-
pleta do poder. legislaivo. Quer incorapa-
tibiUdade absoluta.
Acha uma grande coatradieSo entre as
opiuioes do governo exaradas no projeato e
o facto de ter elle distribuido empregos e
condecoragoes a deputados mais do qca ne-
nhum outro govern.>.
DiJ que aSo ha collig3Q3o-nas opposi^A^
liberal e conser.vadora. Ha.auniao dos par-
tidos para bater o inimigo commum.
Apoiou esta polilioa nos-exemplos-da In-
glaterra o ate da Franca na propria vota-
yao que ante-hontem teve lugar em Versail-
les, e que o telegrapbo nos transmittio.
Se a dissideneia conservadora subir ama
nha ao poder, encontraisa. o partido liberal
na su&estacada.
Na eleicjio directa ha. de encontra-lo a sou
lado. Com grande energia disse entSo o
orador :
Nao estamos com o governo; nSo es-
tamos com a dissidenxia ; estamos no aosso
posto de houra.
Recapitulando as. suas consideracoes, dis-
se que o ministro do imperio deixara a co-
r6a a descoberto.
0 governo nSo quer a reforma eleitoral;
uem quer a representacSo das minorias ; o
que quer e obstar a que seja a lei do paiz
e eloigSo directa. Mas, apezar de todas as
tricas, quer queiram, quer nSo queirara,
ella ha de ser lei do paiz.
Sr. J. de Alencar (attencao) :
Sr. presidente, aliaal p6.de V. Exc. con-
ceder-me a palavra, que eu ospero ha cer-
ca de cinco dias, de maneira que tive tem-
po de sobra para esquecor o que protend ia
dizer.
As causas da demora desta discussSo, eu
nSo pretendo inqueri-las, e ainda menos
moralisa-las.
V. Exc. u testemunha de que, mantendo
nesta casa a posicSo que occupo desde 1ST 1,
posicao de adversario do gabinete, tenho-me
tambem conservado inteiramente alheio ds
estrategias dos dous campos inimigos; mas,
Sr. presidente, permitta-me V. Exc. uma
observai.ao, que tem toda a connexSo com
o projecto que se diseute.
A honrada opposicSo, impedindo a adop
cao de uma reforma eleitoral, incontesta-
velmente absolve o governo da responsabili-
dade que contrahio perante o paiz. (Apoia-
dos.)
0 Sr. Leandro Bezerra :Elle nSo diz
que tem maioria ? Podia fazer a reforma
por si.
(Ha outros apartes.)
0 Sr. J. de Alencar :Se na proxima
eleiao o poder, jd tSo propenso aos abusos
em nosso paiz, e armado com os meios po-
derosos que lhe offerece a defectiva legis-
lacSo em vigor; se o governo usando de
sua forca e aprendendo nas licOes que lhe
esta dando a opposicSo, excluisse os seus
adversarios das urnas, nSo teriam elles nem
ao menos o direito de exprobagao e de
queixa I (Apoiados.;
Essa exclusSo seria o corollario logico da
attitude que tem infelizmente assumido nes-
ta casa a oposigao a respeito da questSo
eleitoral. (Apoiados e nSo apoiados.)
Senhores que fatal eclypse e este de uma
opposicSo que despende sua actividade, que
emprega todos os seus recursos, que con
some sua eloquencia e seus talentos paia
todos os dias, a cada instante, ensinar ao
poder o que elle ahds jd sabeque e neces-
sario excluir do parla nento a opposicSo que
lhe poe tropecos ao bem, como ao mal.
0 que a honrada opposicSo estd abalando
o que estd solapando, nSo 6 o governo, mas
o proprio principio de opposicSo (apoia-
dos) : o que estd fortalecendo e robustecen-
do, nSo e" a discussSo, nSoe- o principio de'lV? l>o DtAlttU. HOa uuyCt
mais o proprio poder, ciijM tendonoias
para o abuso todos conhecemos.
E' facto iu con testa vel e que ha de ser
registra'do pelo periodo da historia deste pe-
riodo panomentar, que um dos mais fortes
elementos do actual gabinete e a opposicSo
apoiados e nao apoiados) ; pelo menos, se-
nhores, e" a opposicSo que fazendo uma
guerra systematic* a reforma eleitoral, om
tem collocado a par deste gabinete, que
sempre hostilisei nesta tribuna, e qoe pre'
tendo hostilisar sempre que o julgue con
veniente d causa pobiica.
(Ha diversos apartes ; o Sr. presidente
reels ma a attencSo.)
Feita esta observacSo preliminar, eu vou
entrarna discussSo do art. V do projecto
eleitoral.
Estou em duvida para algtins oradores
que me fizeram a honra do occupar-se no
correr deste debate com proposicdet por
mim ennunciadas ; como, p9rena, e**** pro-
porsicdes se referem, ou d po itica geral, ou
d questSo da prefereneta entre os d-Mia sy*-
temas, directo e iodirecto, aguardarei a oc-
casiSo opportuna pare tomer em considera-
CSo os discursos qoe aqoi se tem pronoo-
ciado.
Nao acompanhare* tr roteiro tracado pelo
illustrado orador que me preecieu na tribu-
na, o nobre depulido yela proviocia de Mi-
aas-G-iraet, cuja palavra fluente e animadi
eu ouco sempre com summo prater, porque
sinto nellas- o calor das convicc/^s- sioce-
ras.
0 nobre deputado a quem me rehro, o
Sr. Ignacio .Martins, descremi longas para-
bolas : S. Exc. reiDontou-se a alias iLgieee*
onde planda o poder moderador ; foi a Pr-
nambuco, entendeu com a assemblea- pro-
vincial-dcerca das-lets le impostos, uhima-
meute votadas : cam >at:u a representacSo
das min-'ihas, advogou a eleigto dire-,ta, e
responduu ao discurso que havia proferido o
nobre miaistro do imperio na discussSo do
art. !.'
V. Eu:., Sr. presidente, naturalmente
imo conseutird que eu-siga o trace-do dis-
curso do nobre deputodo, E acho-lhe razSe.
K necessark) acabar com- este argumento de
precedentes, d sombre-do quil sa proj.-cta
emertar emnossa constituwcSo um sysiena
eleitoral de que nunca se teabrarara- e que
nSo cogitaram-osautoras-d* lei fuu-Jameii-
taL
Entretanto, se V. Exc. me fizesse graca
dedistratiir-se ummamento.au aprovetiana
ess* cochillo de Homers para demo- strar
ao nobre deputado por Minas que nao a
doutrina do poder moderador, como eu a
professo b como a tem professaio e partido
conservador, que nos conduz ao absolutismo
(apoiados) ; a, ao contrario, a doutrina sus-
leutada pelo nobre deputado e pela eaeola
liberal.
Senhores, a- confusSo do poder modera-
dor e do poder executive eoUoea a ceroa
nes'-e dilemma fatal: Ou etta ho de iotervir
directarnenteoa adrainistracao-para resguar-
dar suas perragativas, dt quo-pole ser pn-
vada por serpreza ; ou ella se ba de restria-
gir ao inglorio papel de apontador de rainis-
terios, esse invento exceutneo de Scjes, qua
Napoleao profligou cam tao energicas pala-
vras.
No primeiro caso temos o despotismo im-
perial ; no segundo o despotismo ministe-
rial, muito mais perigoso e-fuaesto que o
primeiro. porque o despotismo ministerial
nao tem a grande responsabiUdade morale
t> .-iii in .- ryia en*olA a coroa. e a acmupa-
nha nao sn no presenle como ate peran-
te o supremo tribunal da posteridade.
(Apoiados.)
No governo represeuUtivo como eu enten-
do, so pode existir absolutismo pela cosfu-
sao dos poderes ; emquanto elles perma-
necerein. distinctos, emquanto funccioua
rem na sua orbita natural, nSo e possivel
despotismo : mtuilem-se o equilibria poli-
tico.
Nao^e, pois, senhores, discrimiuando os
dous poderes, moderado; e executive, tra-
Cando a orbita iiilependente em qua cada
um delles deve gyrar, que nos marcbamo>
para o despotismo, e, sim, cou/undindo
esses dous poderes, de que result* que um
e naturalmente absorvido pelo outro.
0 Sr. Puesidente :Rogo so nobre de
putado quo entre na materia em discussac
0 Sr. J, de Alexcar : Sr. presidents,
V. Exc. conhece a docilidade com que eu
aceito as. suas menores admoestacOes : mas.
tendo-me cousentido que oxpenlesse esta.-
consideracoes em resposla ao nobre deputa
do por Minas-Geraes, parece logico que V
Exc. continue sua benevolencia, e me por-
mitta que eu faca tambem a esse respeito al-
gumas consideracoes acerca das ideas aqui
emittidas pelo nobre deputado pelo Rio de
Janeiro.
0 Sr. Presidents :Observo sempre aos
nobres deputados que ciujam-se d materia
em discussSo, mesmo para evilar as respos-
tas que costumam apparecer.
0 Sr. Joao Mendes : As consideracoes
do nobre deputado teem toda a relacSo com.
a materia.
0 Sa. J. de Alencar : V. Exc, Sr.
presidente, verd que eu nSo abuso. (Apoia-
dos).
0 nobre deputado pela provincia do Rio
de Janeiro mostrou sorpreza por ver advo
gada por mim esta doutrina, que eu reputo
sS e a unica propria para realisar no go-
verno representative a verdadeira liberdadc
pratica ; porque, Sr. presidente, com o po-
der moderador, tal como se acha organisa-
do em nosso paiz, considero o Brasil uma
republica, porem uma republic* muito su-
perior dquellas que teem este nome (apoia-
dos) visto como nSo estd sujeita ds commo-
Cdes e abalos da eleicSo do poder executivo.
(Apoiados).
Jd um ministro liberal do Brasil, escre-
vendo a um cidadSo americano urns carta
que foi publica e notoria nesta cdrte, disse
que o Brasil era uma republica como a dos
Estados-Unidos, com a differenc* de ter per-
manente o poder executivo.
Aceitando a qualilicacSo, entendo que
houve um equivoco da parte daquelle nobre
ministro.
No Brasil o pessoal do poder executivo
nSo e permanente ; no Bread, com a orga-
nisacSo do poder moderador, gozamos desta
grande vantagem : que a mudanc*/ do poder
executivo nSo estd sujeita ao lapso de qua-
tro annos; mas effectua se logo qua a opi-
niSo publica exige uma nova situafio.
E' esta a superioridade do governo oto-
narchico representativo, como poder mode-
rador, como estd constituido em doom
paiz.
(CorOtnuar-ae-na).
^

!
Ofc


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3OCQZ6ID_22XY5L INGEST_TIME 2014-05-28T01:48:26Z PACKAGE AA00011611_16493
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES