Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16363


This item is only available as the following downloads:


Full Text
































































VItarluha de trigo EXTRA STATE SHIP-
P INO BRANDO de $5-75 a $5-95 CENTS por
k barrica.
'. LISBOA, 9 de outubro. '
4.ambio sobr Lorindres, prazo AV 90
4tlas de vista (DINHEIRO) a 53 pences
ior 1000, moeda forte.
AXgencia de Perniamuia o, O 10 de ou-
iubro de 1877.
|
PELO DIRECTOR, J. I3ROCHIER.


INSTRJCCAO POPULAR

S Eleientos de Chimica
METALLOIDES
Broimo
Onde quer quie exist chloro, encoutra-se
Lambemn o broinmo; por isso que Mr. Balard,
oxaminando, em 1826, as aguas das salinas,
descobrio este corpo, que se extrae, ha :ar-J
:ins annoe, das'soJas dq sargaCo.
0 O procesbo de extracgaQ do bromo 6 extre-
!namente simple, eo. is4 .dlca e ste
co.)rpo de suas comnbtim es, fazendo passar
ias aguas, qu os conteen, u1l3 corr't'enlt i
thloro. A ner-,ia cliimica desLo ultiTmo, sendo
maior do que do bromo, este toria-se livre e
tinge de anarello o liquido. Agitando dopois
Oste fiqulido corn cthL, sopara-se o bropo,
.ue se dissolve inteir;imente no ether, que
-;obrenada. Para ter o btoio n em esidO de
pureza, a soluiao therla (. depois tiutada pela
potassa, afii do obler u1m sal, qi, o tratado,
depois disso, polo aoido sulfuiro o pe!o poro-
\ydo de ,angaiiez, abs.!t!t. COieo o sal
niarinho na preparacio d& chloro.
Ha t:itj grande anal d.- eatrO as proprieda-
*1-s ctiiuiicas dlo cii', 'j, do hro:n e do ioudu,
Ie que passamos a occuspr-nos, que, feita a
historia do pri.eiro, nWo ha necessidade de
!tsisli' sbb, a doW oulros; bastaria mesmo
dlicar s-u existencia, Pe applicaQaes de uwaa
jn;po'.t-,icia consi eravel, pois que referem-se
Spliho4rapliia iio tivssrn, nests ultimos
r'yljpos, clainado a fJ atU,.:1,ro sobre estes cor-
p:' de umna maioira tod.i p.irticuilar.
)0 bro ))6 un lli.luJl dj umn vermelho es-
cdro, d in s:ibo r t'opu,;,,nanlte, e, como indica
-eu ZiOull, de muito mino chlii'o. Elle gela
p--20i, serve a 63. A teOisto de sei vapor
,tiyo granre, quo, bas.a dorra!ar algLiumas
,,tj-xs em unin balio, para que a atmnspili'a
,ofrior de.3e bnl'o se torl1O do LIU verOI'llih
'--*ro. E' soluvcl nti'agua o no alcohol, mas
;bretLJo no thrI. )DesLr6e etericaanente
3^n .i natorias orgbi;icas, colorindo-;s ,leo ala-
"tlo, o que o toern feito propor reentcmeinte
,inoo caustico.
0i br'Oio forila tl3ta.its Comlposlos cono O0
.!t!oro, gozando ida; m iisiuas propried-idos,
if>,is em inenor gr;o.
Judo
Assim colo se e!loonitr' o brolno oudeoxis-
i.- o. chloro, assim tanti)in encontra-so o
',wlo aode se.achatn essrs daUs corpos. Elle
extrahe, pois, do seus co;npostos naturaeos,
.'.olulauiente por muj,) do moesmos proces-
sos *vloro e o bro:n ). E' sol)relu;o de
S1i I ..... as mnarinhas, iaes co -.) osw sat'-
.,'15 : quaes s aha a .la iiio ao minatal que
trl j al marinhi comn o chloro, quo o
1ti, 0 1trahido para -is i cussid.ados dos ar-
ies e da indLustria.
/ I) iodo (. umn corpo solid.),, quo so apresenta
o, ;,ijiiariaUncnlte sob a foi'mna de lamninas ou tie
?'!iulasde Umi cinzi.nt) tietallico, o quo o foaz
i .sneelhar-se muito d plombagina. Seu chti-
SanAl)og) ao do cli!hro e do brorno, mas
imnos inteauso. Se so aquece o iodo, elle
,iuz, logo vapores :ce tma hlslln. cur violeta.
J" I )oucj soluvel n'at1,i, e, i) coitramio, mulito
^ -, -.tvel 1o alcohol. ('>rno o dhloro o o I)romo,
,s-' ..* las messmas ra.zis, exerce sobhro as ina-
,!';'ias organicas urna actLo destructiva, colo-
'iito-as de ain:irello.; essa acgao 6 pouco
S''";,s ,, miass o conacto 6 sul'icioutemenite
i^ T i.,'\.,!ongIlo, a destruii;1i ,3 6orppleta.
"H la tuni (cido iotPco 0 um f ,'; lo iodhy(dricL,
:.'ssiin corn l h-: acidos chlorico bromico, chlo-
1ryldrico e bromhydrico.
(s lodo fat descoberto por Conrtois cm 1811,
; m.t suas propriedaEdes chihicas foram estabe-
|tewdas principalmente por Gay-Lussac.


.)jrmos dAsle corpo, que aida n'ao
i 1 ** ado em estado isolado, se o aci-
|u'o !farimaeorn o hydrogeneo, e quo,
III'' ^K'sua@nsttituicao chirnica, e muito analogo
) ;ios compostos ihydrogenados d's tres elemen-


tos da s.erie chamiada chlorada, no fosse de
ifti empiego important em certas arts e
principalmnente na gravyIr ae pintura sobre
vidro.
'fratanto o mineral conhAeido por spath-/lr
S pelo acido sulfurico, em uma recta de chum-
I AO -, depeiindem-se vapores, qse, condensa-
d 4osetarecothidos, formamn umrn liqutido que a
3t08100 W muR)strado que 6co :Mposto de'
) i', h rogeneo. As ,
fizeU"4ar o jnow*4*4&Arnrk


.,,, ---- : e international do Pfiladephia. Fia aste
Governor dt provincia modo satisfeito b ffleio deo. de 2do de
EXPEDIENIrE DO DIA it DE SETEMBRO DE 1877 jUnho, em que Podio informal 8 esse6reso
[ peito.
Acto :,.- Ao calp'to do port,9.--A'v16%to M16-4e
president ncia, aLtendendo ao pe o agent prouiad dos 4irditbs .0U
que requereui o profe sgopublico da casa de vicia das Alag6as, a.a cidade, emoao
detenCAo, Antonio dos Santos Falieo, a tend detoje, consider WS.'sem effect a or'
em vista a informaCAo a. 182. de 12 do corren- que expedi am 28 do agosto, no sentido"
-te, do inspector geral da instrueao putblica, ser impedida a sahida deste porto dq:ii
resolve conceder-lhe dous mezes de !Jcenca, FR em Des.--GCoimunicod-se ao diLb a ei
coi ordenado, para tratar de sua sau4e ond0 inspector da thesourata de fazene
Hie convier '- -No itmos da nformax dessa i sp -
Officios: ria,' ,de,4o corrente, n." 580, roby Joao.Ca'
--Ao commandant das armas.-,(Cmmu- vilcahte d Albuquerque, da ta deo I
nico a V. Exc., para os fins convenien.tesgque que ^A6 dz d'eollectorde Painoas, perar ,
fcla approvado o contrato feito pelo copselho ter dadf t iditricula, no prato legal, a itkglnuR
ecoanomico do-hospital military, coin Jos6 An- Josepha.-.Mutatis m.tandis quantg is atii
tonio Guedes da Triaadde, no trimestre vin- itpostas P collectorias do Rio Form6zo,!
douro, para o concerto olavagem de roupa do, Bonito e Btjo& a Ernesto'do Garvalh9 Sares
doentes, e bern assim a delibe'raao que tomou Brandio, Lttiz deArauJQA querque e Traao
de chamar nova concurrencia para o forneci- Targino Peretrt do BritB. "
meuio de generous aliuenicios e outros objec- Ao mesmo.-.-Devolvo a V. S. osinelusos
tos necessarios ao mesmo hospital pelas raz.es documents, para que nos termos da-sa in-
expostas no officio do respective director inte- formal d 2d agso, sob n. 5,3, Txde
rino, annexo ao de V. Exo.; sob n. 708, desto p acao de de agosto, sob n. 5h mdande
rnez, que assio fea rospondida.- Gommun, anigar ao capit o 9oataallhio do Infaitaria,
z s r sPedro Velho dr9 A Bitmtot ommandante do
cou-so thesotraria do fazenda. deshacamento de Goyanna,45980, provenientes
;. Ao Dr. Augusto Trajano de Hollanda da desp'eza feita cornm o fornecimento de luz ao
Chacon.- Designando a V. S., para inspeccio- mesmo destacamento, durante o mez de julbo
nar as professors publicos Manoel .lenriques #44imo, providenciatido no sentido de sere-
de Miranda Accioli e Philomena Paulina da fftuado ao referidoecapiLi~q, logo que houver
Silva, esta na. freguezia de Campo Grande 0 cre ito, o pagamonto ca importance do41800;
aquello.aa villa de IguarassO, os qqaos re- relativa ,t despeza de igual hatiurezt offetua-
querei~m lieenC~a, allegando incommodos de da no eez dIjInho. .
safide; assim a communico a V. S., e espero, Ao ufletino.--Nos termios da sua inforut-
que aceitar essa incumbencia.ode4 do crrenten55, adV. pa-
Ao inspector da thesouraria de fazenda. Ir "no 1e4nenh tei Wxll. 5.; at .i. S.a
gar ao engenheirb ,'wfillirn Is iiI
RIemetto "a V. S., para Os fins coavenit4s, :057$406, relatives A rmediq'o pof el!bfeltad
copia do aviso de 4 do dorrente, n. 4,i356, em 12,440 braasd6 terras' -" be n et
que o ministerio dbo imperio declare que pelo .alcdambnto do Br6oj dbpsi aovaTaca
credito extraordinario do decreto legislative durante o mez dejuih6, cd I me, o atte o
i. 2 726 db 27 de ju nho, fica approvadq, oe Yunt._ d h
40"5000 0,, aearto sob responsabilidadedesta d hesr roviial -Tendo re-*
presideneia, em -18 do agosto, p4Fa.c.itinua- video que de accord corn a exposto no'of
e0o das Iespezas corn soccorros .S victims dessa'inspecloria, do'1 1do*correi
da seccz! I ".
seja effectuada por cohlia da'verba-' oe6#t
Ao maqsmo.- Se estiver regular a conta, -do orgamento i'igente, a comnpr 4& 6-;
em duplicata, made V. S. pagar a Fielden sos livros offereci'donr pbwIor
Brothrs,,,3 .400, provenientes do gaz consu- dot fiscal desse thesouro, u
d '"l aie dejulhoa4tom a illu-d isa essqup
i nuS tu0upiicai miuiiar. .g....Qr considerados n'edessarios iLrdi p .'
mot l,,amitar. -tgdaraas con- questes do fazenda; assim oedl t f5
.1-~k,A ta esmo.-n. a n N aro a ras con em resposta ao citado offici.'
IV.oIas;m duplieat, r Ao director interior do"A ad e
~~i ~~tap Pqtiis, 00. L 4wra "IiujtO 0q~
ra. -Xndufada 4,* k i=
4 16io 'no s mezes a agos to, comr a danti das armds. -recornnendo a Vine. que
illuminaeco dos atiarteis da companhia do ca- d Tu1 P"l r -
valara euo2,,e t- mtthao t%,tarctiw w nro~vidmpie o .qi-ne da vor" a nqrfa da thle-
vallaria e uo 2" e 0-' i th,o= d. uura,,I ,,i. souraria do tazenda, nos dias '19 e 20 do c00ar-
Ao ruesuno.- Truansmitto por copia, a V;. ronte, feita por pragas da conipanliia do ope-
S., para seu conhecieento e fins convenientes, rarios militares desse arsenal.
o avis,) de 3 do corrente, em que. o ministerio .Xo juiz municipal& Panall-s.--Em res-
da justa presidenciarala approvado ob sua restponsa- post ao seu officio de 6 do corrente, tenh3 a
qi sta posidencia abrio sob u responsa dizer-lho ique remetta para a capital, atim de se-
bilidade o crediLo deo 1:1:t0 d916, ; vrcrba do remn desltiados fd comnpanhia de apreadizes
15 art. 2', da lei o od(anento do exercicio marinheiros, os orphaos- desvalidos que exis-'
fiado. tirem nos differentes poatos desse termo, po-
Ao mesmo.- Teondo rosolvido de accord dendo Vmc., nos termos do arise circular do
corn a inf.,rtnagb dessa inspectoria, de 13 do ministerio da marinha de 21 do mal d o 1876,
corrente, n. 577, relovar Anna Rosg do Nasci- autorisar o abono de ura diario nuo e eden-
mento, da multa do 50000, que lhe imp6z 0 te a 400 riis a cada menor que para aquelle
collector interino de Bozerros, por ter aver- tfim hoaver de transpor distancia major de
bado f6ra do prazo legal a mudanca de doen- dnas loguas.
cilio dos escravos Loureneo, Agcsuinho e Jo Ao delegado do l u. Delarando
secha- ~ ~ ~ r -si oioiVSnnin i Ao delgid de Bdlque. Dedlarando o,
sepha; assim o doclai'o a V. S.. para os de- juiz de paz president da junta parochial da
vidos fins.. ..... .. ... .


Ao do thosouro provincial. Autociso
Vie. a manlar eflfectuar em apolices de 7 por
ceoum ao par, pela cotlagao da praga, de ac-
cordo coin o art. 53 da lei n. 1.245 d9 -17 de ju-
nho de -1876, c a informa(n-o dessa inspecto-
ria do 17 do corrente. n. 122, o pagamento de
1:751882, relative l)restiLaS.o de respoasabi-
lidado da obra do seg-indo lan.-o da estrada da
Victoria a G:'avatl, d;' q.i.- 6 arrematante o
comnnen-dador Luiz Unig-,,'Ives da Silva, a
(quei se rcfereo o incluso certificado.
Ao tmesmo.- Nos terms da sua infor-
magio do 15 do corrento, n. 131, made Vminc.
pagar ao procurador especial de Hampshie &
North Wilts Banking Company, Jfoao Dowsley
Junior, 116:363$478, provenienetos do sorvigo
execu.ado pela companhia Recife Drainage,
no semestre tdo janeiro a junho ultimo.
Ao da iinstruccao public. Autoriso
Vic., confurme solicita em seu officio n,
-188, de 1 ) do corrente, a declarer que a licen-
.a coicedida d professor public, Francisca
Seraphico de Assis Carvalho, deverd contar-se
do din 17 do agosto.- Ofliciou-se ao thesouro
provincial.
Ao conmnissario do policia de Itamb6.-
P6le Vmic., cont'foroa solicita em sEu officio
de 12 do corrente, eliminar as praCas Jos6
Francisco Bezerra e Feliciano Maciel da Silva,
pot' seremin incorrigiveis.
Portaria :
A' vista do que representou-tine a camera
municipal do Recife, em uofficio n. 76 dt. 6 12 do
corrente, deelaro-lhe, emin aiditamento ao que
dirigi em t 11, que approve o arretdamento por
tresainos, dascas.as da 1Praoa da Independen-
cia, a que se referemn as relayocs armnexas ao
predito officio e ao de n. 75 de 5 do mnesmo
mIez. Outrosim, approve a arrematacgo por
urn anno, do imposto de 120 r6is sobre car-
gas de farinhlia, expostas iA venda na ribeira da
Boa-Vista, fei.a por Luiz Moreira da Silva.
EIPEDIENTE DO SECIAETARIO
Otficios :
Ao Dr. tiefe do policia interjno. 0
Exm. Sr. presideilLe mandau communicar a V.
S.. eimn resposla ao seu officio nI. 719, de 14 do
corrente, qu em 6 desto rnez, ordenou ao'
commnissario de l)olicia de Iluarasgsu, empre-
gasse no servico as praqas da guard local de
Ita maraci.
-- Ao juiz do direito mnterino da comarca do
Bezerros.- l)e ordem do S. Exc. o Sr. presi-
deate da provincia, transmiito a V. S., em
resposta ao sou officio de 11 do corrente mez,
um exemplar impresso da fall coamn que o
mosmo Exm. Sr. abrio a. sesslao da assembl6d
legislative provincial, em margo do. corronte
anno. -
Ao agents da compaehia brasileira de
navega.ao a vapor. De ordem de S. Exc. o
Sr. president da provincia, accuso recebido
o officio em que V. S. communiqa a chegala
do vapor Espi'ito Santo. procedente dos por-
os do sul, e sua sahida para os do. norte,
haje i tarde. # 1
EXPE)IBftr.JDO DIA 18 oE sErTiMBao0 o*M477
Actos: i Cd! ". .. ,
0, 0 m1&Lta n Hae C n a4a. i d&P


Conceigad na reara, nao ter podido dar come-
C.o aos trabathos do alistamento relatives ao
anno passado, por falta das listas que devem
ser fornecidas pelos inspectors do quartei-
rmo, recommend a Vinemc. que expeca termi-
nantes orders, no sentido de soer quanto an-
tes cumprida pelos refbridos agents, a'obri-
gacou que Ihes impio o unico do art. 14 do
regulamento n, 5,881 de 27 de fevereiro de
1875, devendo informnar a razio, porque ainda
nao teve execuCao a ordem desta prosidencia,
contida no officio de 5 de abril e reiterada no
de 23 de atosto. -
A6 admisti'radordos correios. Corn este
sera entregue a Vinem., para fazer chegar ao
seu destino, a mala enviada pela legagao do
Brasil emiNew-York, no vapor Cassini, corn en-
dereco ao Exmi. Sr. ministry dos estrangeiros.
Ao Sr. Nuno Campello de Albuquerque,
president da junta parochial do N.,1. da Con-
-ceicao da Pedra.-Em resp6sta ao officio de
Vmc., sem data, tenho a declarar-lhe que, nes-
ta data, recomnnendei ao delegado de Buique,
a expedifito de terminantes ordens, no sen-
tido d3 serem quanto antes fornecidas pelos
inspectors de quarteir'o, as listas de quo tra-
ta o unico do regulamrnento n. 5,881 de 27 de
fevereiro de 1875, cumprindo, portanto, que
Vine. empregUe todo o enimpeio para quo os
trabalhos do alistamento relative ao anno pas-
sado, fiquem concluidos corn a possivel brevi-
dade e sejam remettidos so juix de direito,
conform dispce o art. 24 do citado regula-
mento.
Portaria
Declarqv, cainra municipal do Recifo,
em -'resposta ao seu officio n. 77 do 14 do cor-
rente, que approve a arrematago feita por 3
annos das casas da Praga da Indopendencia,
ruas Imperial e de Jodo do lego, constantes
da relagao annexa ao predito officio.
EXPEDIENTE DO SECUETARIO
Officious:
Aojuiz de direito do 2- district critmi-
nal.--0 Exii. Sr. president mnanda coi;nuni-
car a'V. S. que do presidio d3 eo:'niando r:m-
grossou o sontenciado Jacintho RWr.os Macha-
do, conform solicitor V. S. eam se officio de
6 do corrente.
Ao engenheiro ajudante d4aepartiCaio das
obras pu bhcas Do ordem 8S. '-'xc. o Sr.
president, aceuso o feoebirninto do oficio de,
V. S., de honutl, sotb Bo qual cofrn-tl-
nimca ter andaa|- pas o'ertificario do pagt-
,nento do 9:0832 iao arrematante do calCa-
mento, por havej-ecutado no Pateo do Mar-
cado Publico de os6, 1287,90 metros qua-
drados de calgai te-te dpedras faceadas, 3t0
metros corcentes'd- diano. de esgoto de 31
classes e 2 boas do mesmo esgdto.-Cormmu-
mncou-seao thesouro prvincial.
Ao engenhei qp-chefe encarregado do pro-
tongamento da estrada de ferro do Rec#e AS.
Francisco. 0 rxm. Sr. previdente _ifda
transnittir,-a V. S. a copia do chefa do policla lnmerino, e decE e q4 .
serA altendida a reclaina.o coans do off-
doido V., n. 456, de 12do cqruilte,1eo V
-hbeurt fo.a di.onivol.


J "i)A cio Prospn r Montantha.-
Nes lk pvidep etp enido de

S l de San .ea 9 Luz
JIMI
erreimft o.--presente
M Otbrdo arsaaal de marinha
.q"e trata,-
,wa da redaiocia de Pernambuco, 10
d o k: eteiro, -
t;: I~I^o '6.tftpzlvee do, Sana's JU~iQ.
,,-;^ ,i-t;, '; --
artta da policia
: 78"2.-- Secretaria da
p eP mbuco, 9 de outubro

w Exin. Sr. Participo a V.
Sforami hontaw rqdec(bhidos i
ca 'det~pn A ord'em do subde-
le gde Santo Antonio, Maoel Pau-
i l q~swifeftt6- e Leael FraqptI-
o f st p6r distur s '''s.' *
I Aaoes ,da tarde do do dia 20"4,
m0o ultimo, nas can pinas do en-"
'en' Diomzante, do djtrisot de Ti'a-
.Ci m, )a occasiao erniqie o res-
Ssubdelegado'procurava effectuar
a do criminos& Jose T'alh,&ad,
rador e de outros que se'aedia-
casa de Talhado, esta e seas
(oppomeramr teAaz resis-
.t detif m sobre a forQa; ern
rfi1a do que travou-se seria,
a qual sahio ferido urn sdldado
mojlprto um do&s.aimiiosos, de
no Pianc6,- send 'itifts *e
dos p ita i. so va.j, -"-,s
evt''aO tado e urn ottro" -
Pela. i horas da tarde do dia 5 do
correnle, no lugar Areias, do district
do Pees, Jodo Januario das Virgens,
feorio levemente com. urna facada a
Manoe. dos Anjos Wanderley, e logrou
evadirse.
SobXe estes factos as respeutivas au-
toridades policies procederam nos ter-
ruos da lei.
Deus gnarde a V. Ext.--lllm. e
Exrn. Sr. Dr. Manoel Clementino Gar.
neiro da Cunha, dignissimno president
da provincia.-O chefe de policia inte-
rino, Ilermnogenes Socrates Tavares de
Vascoacellos.

N.o 784.-2.1 Seceao.-Secretaria de policia
de Pernambuco, '10 de outubro do 1877.
Illm. e Exmrn. Sr.-Participo fA V. Exe. que
forainm hontem recollidos 4 casa de detenoio os
seguir4es individuos : .
A' minima ordem, Jose Fraficisco do
Nascimnento e Manoel Ferreira Barros,
vindos do termno de Iguarassft, o pri-
meire como sentenciado, a disposigo
do Dri-. juiz de direito das execiges, e
o segundo como criminoso de morte
no termo de Nazareth.
A' ordem d) subdelegado' do 1a-dis-
tricto de S. Jose, Joaquim reixeira de
Andrade e Antonio Josd de Torres,'por
disturbios. ', -'
A' ordem do de Beldm, Feliito TbTb-
maz Telles, como Yvagabun-ioe ,4sor-
deiro. ;"
Deus guard a'V.- Exc.-HIlm. e Exm. Sr.
Dr. Manoel Clefnentino tEarneiro da Cunha,
muito digno president da provincia do Per-
nambuoo.-O ct>^ do policia interino. H-1r-
imogenes Soerates "Taiwes do V;sconcellos.


.EXTERIOR

Revista econorfilca estrang p
A adninist,'ago do palacio de Abd-iil-Azi's
"1876: sets graves defeitos-A esqUadrvalf e o
exercito-IInflaencia do p arasitismo co'rtezdo
no.s desttins da ttrquata-Intri'/as palacia-
,las--O partido dao pposi5o.
A Turquia tern jft aoquirido a gloria dd Ser
objccto do pasmoao dut!LtBeseman as. Occupar


a attenao do inundo tanto tempo, e oofferecer-
Ihe prodigamente surprezas trinumphando on
batendo-se corajosamente contra a enoram
Russia, fazer banhar de sangue moscovita o
caminho indicado por Pedro I, obrigar a gran-
des saarifileios e ao ernprego de tecursos quasi
extremaos um colosso que parecia capaz de
prompltamente esmagar o apodrecido imperio
ottomnauo, tudo isto se attribuiria a milagre,'So
aquellas gente s do sulto nao losserm rmahio-
metanas.
SAntes deSta guerraji a Turqaia tinha as-
sombrado o occidente corn a sua carta cons-
titucional; hoje, combinadas conm es~e arrojo
politico as" peripecias bellicosas, fica-se des-
contlando ue o imperio ottoman desde muifo
fazia repido*s progre.jos, e que a Europa os
itgorava. %,
IEsta ignorancia nBo era complete ; muitas
'pesoas certatmente onheoiabi a organisa&ao
desse paiz ; poi,' era icemparavelmoente


EMPREGADOS IABRAS TURCAS
Gran-marechal 1 14:500
Camaristas 9 13:500-
Secretaria 9' 10:800 '
Inspectores 2 1 :000
Thesouraria 5 3:000
Guarda-roupa 7 5:640
Astrologo 1 600
Barbeiro em chefe 1 240
Copa 13 4:820
Caf6 7 3:960
Tabago, jogo de da-
mas 9 4:200
Jarro 7 816
Illuminacio 11 4*940
Aquecimento de quar-
tos, etc 13 1:248
Tapetes da oracao 4 528
Medicos e boticarios 48 28:604
Esmoleres 12 2:700
Preceptores 2 1:200
Ajutdantes de campo 20 2:000
Guarda 50 5:400
Musica 301 10:000
Cavallarigas 935 112-120
Cahiques 399 19:192
Pateos de feras 176 46:295
Porteiros e guards 409 15:605
Cosinrras 359 451:391
Jardineiros 351 16600
Criados 725 29725
Haren 880 588:684
Ptincipes 13 214:800
Antigo palacio 226 12:060
Ai*go thesouro 16:720
Placoios -- Gastos do
conservaC.o 150:000
A libra turca vale mais do 4$ ; a somma
destas libras equivale a 7:200 contos de r6isv
0 sultio possuia nas suas cavallarigas 625
cavallos; dous dolles tinham custado 1:000
libras cada urn, a bagatella do qaatro cootose
tanto. Os carros eramni 250. E, comtudo,
Abd-ul Aziz nao se deleitava muito em anadar
de carruagem. Os olbjectos de seu principal
affect estavam.... no harem ? Nao We pa-
teos de bichos. 0 iOaAOere do service del!.s
vangloriava-se da alta igpolPrtacia do seu car-
go; reconhecia-lhe, por6mw as diffleuldades,
porque no dizer deste funce.ionario os ani-.
maes occupavam no coraclao do imp -a-
melhor lugp,,j, Parece que as ou-O, i
la muiato d _aa qopartilha dos si -R4


dolle : a sua paixuo era pelas aves fortosa :
regosijava-se de ouvil-as cantar ; talvez elle
mesmo as cantasse nos seus extasls. Tinha
ayes aos milheiros. Tigros, panthers, leOes
e zebras cram -150, cada urn dos quakes gastava
em care mais de 700$. As cosinhas deixa-
yam a perder de vista a de Alcobaa ; 400:000
carneiros e 10:000 cabritos ou anhos eramn alli
preparados annualmente; serviam-se ao meio
dia 6,505 pessoas e A noito 5:005; no primeiro
repasto participavam 1:500 estomagos de para-
sitas, de gente sem occupacio definida na
co6rte ; viviam como o sulto.: nio trabalha-
yam e gozavam A criadagem miida e grahda
amnava ainda mais a desordem da adiinistra-
1@o do que os melh)res pratus ; ao sahir do
palacio levayam comidas o bebidas, que de-
pois Ihes enchiam os bolsos de dinheiro da
mesma sorte qu o mesa outras Dhes haviam
cheio o estomago. A delapidaClo tornara-se
em negocio corrente e s6rio como ouitro qual-
quer : perlo do palacio vendiam-se optimas
comidas que vinhamn da cosinha imperial : era
uma espocie- de contraband, sdf~tcientemente
lucrative, que por isso hfhlndia respeito, e
que sendo ventajoso para muitps, encontrava
s6'ia defeza nos interessados amnantes da falta
de vigilancia.
Ja virnos quanto o sult'o gostava de ayes
formosas que ;camassem bern; amava quasi
igualmente a music vocal humana e a instru-
mental ; ao jontar daam-lhe arias turcas e
trechos de operas europ6as ; saboreavi tudo
gulosamente, mas nao lho bastava. Quiz un-a
orchestra de escravas. Organisou-se logo). As
pob)res parigas l iam desempenhando a sua-
miss'ao,i dar ao senior os puhnOes em music
por instruments de vento; algumas depressa
nmorrerarfn pthysicas; Q sullto gozava no en-
tretanto.
Do antecessor, deile contava-se um caso en-
gragado : quiz que Donizetti Ihe fosse orga-
nisar a sua music a Consrantinopia. 0 grande
maestro nio foi; mandou-lhe o irmaio fingindo
que era elle proprio. 0 chefo dos creates
achou-o t.o born como se fosse o author da Lu-
cia e da Somnambula: viveu e morrow na
crenCa de Donizetti e de Mahomet.
Entr'e os camaristas havia alguns graude-
mente infelizes por nio cahirem na graga do
sulto.. Conta-e que umn seesquecera de oc-
cultair botn collarinho da camisa dentro da
gola do casaco ; *transgredir assim a etiqueta
foi caso para o sultao se indignar ; home
quae detestava us meios btandos, elle ordenou:
1* que os carpriqtas nao mais usassem de ca-
misa; ,2o, q6 a otransgressor da discipline do
un.forme deixasse ^.ervigo e-fosse para a mu-
sica Ao palacio. 0 pobre homomt no sabia
uotgta! Valia tanto como alguns de nossos
dilttati ..


fiavamin-se as co" qpeuo depois se IanCavam
nos saccos desde que as hastes estavamn bemrn
carregadas.; conta no sacco era muitas vezes
conta de sacco, e sempre difficil de procurar :
difficultar as investigagoes era de grande utili-
dade para os funccionarios do palacio ; a eomo
so sultao nao faltavam recursos, esta desordem
adminlisttva tinha aspect de bondade. Tanta
gete se sentia brutalmente feliz por causa
della I... -
0 astrologo era petsonageuk important:
qutando o sulito emprehendia viagens ou se
achava incommodado, -punha-se elle a convpr-
sar cenom a lua e cor a3 strellas para fabricj
prophecies. No palacio'.avam4he subidi'14-
tenap, que provavoa o baii' *ivel da sciotiQ
n a nr n jalla ,t a <, i


P. osoal empregava-se em arranjar e dart aua
poturnada ao sultao paia lavar a ooca depois
Sdas comidas.
D A lIuminacAo dos pOraoioesera exoet '
foi para aresidencia imppfial que se oaeOio
o primeiro gazometro .e CoAstawanopti
quaggo nais tarde a wMicpatidadI 64Gaata
e de Pes quiz ijliuiminar st .baiwo contra-
toA corn a administrqi do.polaioi; o gaz foi
vendido tiAO car-, q", q, consumido no pop
- ficou4e graca !,,, ;-.. .
Abd-ul-Aziz dispendeu sommas fabuloset
SconstruqOo de palocios e kiosques; 3.3540
SlibMras turcas ao todo, o'.ao cOtan m a Ow e
prVANe.s6 as que foram preca e
, aciode Tcbega -aaustaram irhniwdv"y
condos! 0 edifcio e os jardinI .Wmppe.ra r-
ca de umrn kilonetro na muarals tgiilfot
* Bosphoro. Se accrescentamorn os gbmowe;m
una mesquita, perfaxemos 7.799:) W lUb&, -
0 sultao distrahia-se corn os movi' Ml
dos navios quo nandara construir : formnaWtn
uma esquadra respeitavel: 9 fragatas oora&'>
Cadas, 9 corvetas, 2 monitors, 7 canhoneka-,
34 vapores pequenos; a marinha turca tinha
Mnais 10 fragatas de madeira. 9 cutters de v6l4a,
5 brigues de vela, various transportese 10 bar-
cos con dragas.
.Das janellas do palacio, Abd-ul-Aziz eutre-
tinha-se emin ver executar por estes navios as
suas ordens caprichosas: umas vezes mut&i.,
va-se a linha de batalha, outras trocavam-fe
apenas os lugares dos vasos de guerra. Feg',
bniquedos corn enormes valores. quo devoia;-
se'r exercitados instruments de' defeza, i u..,t
ra-os urn povo que estfA para morrer, ou pIra.
rejuvenescer.
DistriJuindo por quinze annos do seu reina-
do as despezas de construc4&o, reunindo-lhes
os gastos habituaes do seu palacio, o despre-
sando dispendios que sAo relatUVaMnte pe-
quenos, chegamos au total de quasi des ail
contos por anno. 0 quo preduz estrtanlabea.
no 6 tanto a sonmma despendida comoo o mr-
prego della; dissipadora e immoral, a adii-
nistracio do palacio era, por6m, ainda mai "
escandalosa do (que dispendiosa.
Precate-se o leitor contra apressadas con-
clusOes deste quadro de miseria political; ba-
bituados no occidente a considerar como-dea-
de long tempo moribundo o iraperio das Of-
manlis, facilaente, tomamos qualquer dos.
seus erros como prova da certeza do noeo .
jaizo ; mas de quantos pavos naese poderiam
fazer descripges analogas, os quaes. povos.
pouco tempo depots se regeneravanm ?ITemnos
o exemplo em Portugal. A despeza .i6ditda
casa real em 1804 a 1806 foi de 1,276 ;otoso ; ",
s6 em cara i4,m 28 contos; derretia-se corn-
demrnasiada press; as -cavallaricas levavam,
335 contos; a enfermaria dos criados, 29; o -%,
particulares dqo servigo, 322; a uchariai tam- :
bem 322W; etc.. 5
Nesta c6rte' de D. Joaio VI nasce, poi'6m,''.
uin dos nossos mais notaveis homes deute
seculo, D. Pedro IV, que sabia viver corn co-.:
pomia, reformnar ccin arrojo, e: dareKemrplos..(j
de valor e coragem. Neste -pai,P qualaat4w -c'
metwopole parecia convertida em eolonia-W-iJ
forCas navaes ou apodreciam no Tejof ou es
tavarn no Brasil, o epmrcito deflnhava, e today
i UxLraCAo tendia a sujeitar-nos a ordens
-a rvoluoo de 1820'abrio camiinho fA
-v : :.asabe o eue


SUma obra recenternente publicada, escripta
por urm official que foi professor da escola mi-
litar de Constantinopla, assevera que a Tur-
quia p6de defender-se cornm urnm exercito de
900,00 liomens, corn 2.000 peas e corn 600,000
homens de reserve.
A tropa de linha dAi 153,000 pracas de infan-
teri:a, 5,(00 do cavallaria, e 20,000 de artilhe-
ria comn 118 baterias de campana. A primei-
ra leva da reserve dai 487,000 homes; a se-
ganda 33,000 homes e 1,200 pgcas de arti-
lheria. 0 exercito auxiliar deo cavallaria pres-
ta 48,000 cavallos. 0 contingent do Egypto e
de 7,000 homes e 18 canhOes. Zboinski, au-
toe da obra a que nos referinos (L'arm6e ot-
Lomanec, sou organisation actuelle ), Paris) af-
firma que as tropas tiir'cas estlo exeellente-
mned armadas.
,Dltemnos os gastos da cosinha do palacio
ottomano, e que se nutriain della 5,505 pes-
soas. Este exercito deo convivas tinha grande
influencia political. Esfoi'c-ava-se por sustentar
quemn Ihe consentia viver na ociosidae, ou
em trabalhos pouco uteis, e combatia quan-
Los pugnavam pela reform dos costumes pa-
lacianos. A cosinha e as salas de jantar tor-
narain a forea political do parlamento. Leva-
vain a cor6a a p6r e depo a ministros. Nao ti-
nham v stages nern discursos pomoosos, mas
possuiam a intriga. 0 sultao podia dominai
a Turquia, mnas nao tinha forCas contra a fra-
queza delle mesmo. Era home, e nao tinha
a grandeza ique se edifl' a a prepo de lutare
de soffrer pelo bern. E levado d cathegoria de
imperador, e chamnand.i subditos'e vasSallos a
tantos homes e at6 a alguns potentados, elle
era victim dos seus vicios alimentava-os corn
as forgas do povo ; entfraquecia a Turquia, ten-
do por missio engrandecel-a.
Midhat-Pachi, um dos homes mais notaveis
do imperio, quiz reagir contra o exercito de
devoristas que povoaram o palacio.
Um escriptor que conhecia Constantinopla,
disse ha pouco tempo:
,K Mil vezes so Ltein feito o quadro dos sul-
tOes entregues corn toda a sun ignorancia e tc-
das as suas preoccupagiSes f influencia da
sultana-mai e do harem ; mas ainda na o 6 bern
conhecida f6ra do imperio a fora da institui-
QAo chamada palacio. Ali D.ivem 6,000 pes-
soas, cujo unico pensamentol -cujo unico fin,
6 conservar a todo o custo as suas sinecuras,
assegurar a impunidade a todos os seus actos
de violencia, de brutalidade ode rapina. )
A Turquia soffre as consgquencias dests
crimes. e as forgas de que ainda pode di,-
Po h ttirelm matter a su" na -
dade, ceramente a opposicao
terados saberot curar essas
Se eillap fizer, terA dado -K -
raniak- atzV.que Ilhe dari
odito OWas aaiores solemniad
aiormesenhords da terra: as palin
uebraam-se facilmente. 1
Os progresses economico-politicos d&.
qain vaiocriai por umn grande exercitw A
guardasse, a ella, e a nds todos, d H-
do Oriented : seria o exercito dos quetra aham
em hartmonia corn o ideal da luintnidade.


DIlRIO DE PERIIABIU

RECIFE, I1 DE OUTUBRO
Noticias da Europa -
Pelo vapor inglez Guadiana, chegado ,!J
ton aomeio dia, recebeinos jotiaes.e '0W
A1IA~boa at 28 de setembro, dos 'u -
," ,ipque segue
FRANCA
1) vrn bicou-seo o4P1- -














toe". ta .... a mediaQlo seria urn appello is polteflS wofhcimdu erousn a 25 que .os'historio :Os
Recomienesarmm1sIrosAde poll- da parte dos belligerantes, e que atl hojeq, e a Bqk"4ra contraria iBICvram ao loIot ou fas
cia que duara odo eleitotal.'dessesrn'to- da. ha a tat respeito. so receiam_ rpmipimento. tio v ranjao ikdo dado pare
da a atnplituded.Sf. tnrnmiiios,ooea os candi- A Presse falla no mesmno-sentido qwynt&A' Ei Vtiha tif6riuarnm quo a terg seu genuine representanLe o
datos terrain de apresentar o sou program possibilidade de uma mnediacao. ( 0 moment das perdas das trupas romanas tern sT Qr. ro nhba, seie sair, relirario o
os eleitores, tendo corLtudo o cuilado de nAo u psyohologico, ainda nao chegou para as par das a differences doe Sa-. eum aiAo, e nata,.aija faraIo ara
consentir, qua nessa o azesr ,ger a .'e'
Assen attaques ( i spesss sar Tima hoera comttai mais algima
do; dissolvendo as r-Ada4iln'r-essem Vasesaw o 0assuinpto,. q. valh. 1 p ena
tft se des-gem. ied
G)asedess erun Io 0 A"a doi sa iiir nJirei.
e-r.i-sotrarioa a* lr se no ministerio do. reino, sob a
graimnas e aro n on soqu .ra aC om a d ca Wasta asse a a 8es o.ssardeal ptriaram,-acom4s
nuwito que se nkj c L es doe0, Os pRi de ea occa- Me bur o dq e so das carealas phiia nritme, pa coinis-
quandodatLrires omi n o -a ie us ctrbea- siao ra da rec s 9s rvoes.;s ( pri iras
lioosas e ataques.o o u &tiuc ,& opi d Ports nA4BaceirrW p qu e I1 s s ecr s deram conaa dos segtin-s
uE' a liberdade a tiarnto o se a rs i onl nger M *o a fdi bd o ft A u ma
nro faga gue wH laou 0 ao!ac&7iak 2 l dm a .idobs asr a0 ula ma reu-s d d
presddinLe da i pbli c 4uv Io ca w oe ze ta allemaa expripe o- rec e aaqueo a qu uma umnadoircasianos atravesso Da commisso de P ernambico, 4;28S

expr"l;"6;0,v~l~s~n\e l^npo e o acodreeeioy~nh suma no re diee cirae sao aet ra^e- -senca aouoooa p~
pusiLivameHte aos eleiLores quaes so o sn eus Russia apoiada pelo-chanceller de ferto, se a linlia ro f lV d o ts i- as nDa vo i sso deasribui( aIo ;0a 0-
# eor ao a inel p oh 1 das subacs obLidag pw aquella
canlidatos; quetu naio tLar nelies d contra o n0ho ssr\a da allianga dosnao P4Lrdores tu. s .reat dosne relv. d Fir ibr 4 1e,
governor. para impodir quea a Turquia tioioss dre'to- a cDa nesma c"iiss!a mas (cono produc-
0 Fijaro do 23, publicaa circular eleio- das as iconseqLe ,s 02,.,pMai,, as cott. lt.e.ra ,,porna
rat l do-*w -Tw ..-,,erms-t. 0 ?Wg ea-, primae-se nests iermos: S'leimte ifo-comselho do mifstros apfeonL sowiedade da senoras Brasilia&-Lasitani.
prrensa opp sicioislai puirHlitar o no prio o Neo se cassa de rapetloje que a paz do ram ous mlhross. ds g oblnete fts, 1mrls- 2:OL-0i315, appliceavel, por deLeriu ainagio espe-
elbif"ai *'E' urn documento i valio;eissirno, io rutur depeade do azcco Kidtkre# L llan s nes ao rueiidiaenido qua p8a4 I te, fseu cial das promotoras, paa s.correr as viuvas
u4W"6 S l!lhs trabalhos (to home do esta- e a Aiist.ia; mas sabeo-t tmniLo bern e. Bur- prosideAtb ,4insJllho do intiist-rs Iseeonsi- 0 orphatos de victimas das i.iuii( ctes, dis-
do, cia perdaI a FraMva h.jo .plorvf flira, quer( u a.Lu i nro e I)e a maenor mLenco ,4enava diide.si do. pl )si a t do e U a magestade a rainha.
a-S'riTh ers omoi r irecordaiindo as su- pa- bellicosa, e se a Allerartha, cose o crenos, 0 cei escreveu ao gal)inete pedio o-lhel queo a saieldisde dramatic Lu w-Brzlieirali
lavrA ew asseindd namonnal de B.brdean, den- ten tainhem dispcwsit-3es paeificas, nAo 6 ne- oimammse' r"frente dospnegoao6,,es'olve-o do Pmrd, libras 4M, 1 shlilings, e(9 ipencs, su
t eH B des.,. ,e Mestres da :rnnC ar cissario, concluir am aocqcrdo particular para do-ew anseiho a quesifti da pmel dflia, em bscrpi.o prumovida a'quella cidade.
u ~Al ."smo u wi ferido r quicqu v%.l e pro ^ erV. pazc do vista da grawidaide dos czicumstno ia.- comi.nnissao porl uuez do Buenod-Ay-
cwr 1oie deate.ad" O n,,sso orsfln'ito r Sendo a Russia lado vencid, de que ladoe sta- Os inistros roesolvera coritnar 'carp a res, Ibras 155, entrees polo naisLerio do.
cuidtAdbO devote see A,0o lwmiaeor; e peiarrel e rd ameagada a paz? gerearcia) das :i as spastas, adloelo'a"mn reino.
asrfe-tidah. QuondI) 'est-vP.+' ado, efl S ntra quen so deveria protege essa pobre ao do porusidente do ceiroelI;'eo andl ,r diri qual o regimen quoa lho eCov6n adoa.,i paz ieutopa, o ^se ingue a poderea av eagar, sed cada ministry o ditreito do convocar 0 N.col.o e das ilnas deo Gab3-Vrite, -Prosida
1 arda quo a ?1rarva eleges Itber~irna~men- seno as seu.4 proprius deeAusores? ctuisel)ofitaado for preeiso patawd'aqgocios paele ispo d ocese, e por intermnedio do ml-
te'wmaassemblta quoe prolarinui a reputeic.a; loard Da rby dirigito ub eouvit particu- da sua repartigAo., .isr_ da sca-ct e Ultramar 31 M663.
e-que pon.xAisequencia a republican o e ea- slar ao.pvens)aiLradoras das potencis sigmiata -- -zenLos*pachi-bazoiiks procraram Via- v io 4r A iodo e. Souza SA Mlheiro, do
do-eg1ad'AiMraiua e a4etla l&edve todo (res- rias do tratado die 1856 para so runirenno tar-'e sulalo grago ein Larissa. Furarn oe- 0 donasivos obtidos de divetsad
paAo4.-dedicalko sojam quaes forem as ante- seu casLello .de Kuowsley-ark na segunda se- pellidos. pess as,*9[o aO *
riasrspqqp im.de ,.i'ha urn. niana deoutubro. K' ina comforencia prelimni- 10poriselho d grego protetLou, e o .overno it SliSr. J..ao Anastacio do Agui ar iranda,
(,Diml*"dasI5n d isIodreiL d pedirr ao gover- nar, sem earacler neniahum offri'ial, o enica- urco. aitL que gverid1. ell4rn quta comnl prolucto do concerto recitas da idos
naMposo:,..dnrse-peea mantenhar patria niriote corn odo convrsas amiizaveis, parase i)unituaos en V ouss ddqpa eU att ifvce-cnsu. en Et 2 8as,3$7ue6 em ac
h;asiladoaais' s laberdadres political que as chegar a u i.ic urdo, aaoas bases da media-e ... .., ,ic- o.,.n s em l a em oa
n ~Md item nriedido com parCimonia. Zo. Todos osembaixadores consultados, os Acerca desse 3aiz escreve nosso& a re&.s- Sr.Jus6 Eaeo ," ahdo, Lina, produicto da
riIe nte "-l.etMitten hojeo essas liberda- seus g ver,,os aceitaram o convite. oadott de Imi U -w fuiJ o' .i, subsMripeti a quo elle promoveto, 3d8 8.
dtwesponde que 0,psxirmo utffragieo ode- (0 gr'ero iinglez conta muito corn este ac- AMfiria A l ti 0.-- Os secretaries inforrnmram haver-se dado
ciaddr id s que, seguirdo eiej nnca em n u terndo aaresolver a quesi o da cofer encia sarmento do re Ai a. eIpau'oi sta -Jwa fie executo ao desejo di -conmisso de sio-


n~lnno outro, geracoes 9poinalica ust da cor i smNto du* rt~ihe z 1w^Atira'rTa Inala hfier'Pyra disribwiaaol as ajiufl
po.ajim a Franca gozou de menos liberdale., e urop6a,, a fi'lia do dpl'ue de m'tpelr.et i do- nhoras de Nl.her'.y distrib~indo is viuvas e-
AffastAindo a pessoa do president come it- m rnagina so e ralmenLe que principle o de 13is-, frNifanes.resido. l itc .s'As. orp-aios das ietimas das"nunlgSes,a im-
reimpdmsvel, dirige-Fe aos miistros, quele sb mark tpsie do calulado, previstlo e combinai- turias annunciou sua prima a inftrt- D. portancia de 2: 8i, que para elias f6ra
chiaados sempre a cubr- a responsabitidade do na rso.iil.-o da questao do Oriente, a que tM, r iJe:;, terejta filhia do duquta qaue, %n ee detinrada. .A
deiefe, e diz-lfhe,: ,Colloceai-vos entire (fl Ie- s6 eietern a cave para resolve o problem saneto mo orei Atso l btio. M arifestaram igualnnte o si reoI i-
gald ae e o direito, e no estais em n'urna, ,qaq teorn vista nascer eo desapparecer muitas consentitnentoda am i.,D.larbel: ana a aro lue to
neoio outro, e Th. an S u a-e ce No diu.,16 ,' iiiaez' tla..stws4ao.' din rt laaitas i aSzes asre oprenas, are-n a ,pt@ s
nIoelmrenda aos eleitoce.-qo gera ses edipl oma cai qu s. .4 li es r p ata a
,Ahoroiiwea nosenq eo pIe e Deus di.q)5 is.... qu,4 C e ac v Sb [ oa echnta ninsell nnsi e.,otipormantes e rdpetidos trabalhcs tye'~ i-
eWlirdiwewupor tod.-s as rneios legaes e ao 0 prinoipe de Bisrnaik 6 urn simple mortal D. lerees partiram para o Esdrialltn es, que'f6ra feitos na su a ofii A'isa-
s ad s; tberdades politics qu ele [ m r. que s engana co qualur outro enga- de ireue cmpriientt pai alari.. .,, ram daressa conta..
Thiam].selv6re-^defendei, tanto soboese dr d jj e riraado a Russia razeraguerra A t'o-- a 0 casamrento efeetuar-se*a pr v-aelv.- a Foi rbgitrdo na al ti, c l touvr
dofdmarbons, como no segundo imperio, c,)- ta: ,no partilhbara Je certi as illasoes do ge- monte no proximo Jez tde 1avriro. h" generosidad od*8. $189stro hr'jQt.
mo na stua qualidade de president; liberda- neral Gourno que imnaginava poder t.,iar G.n;. OSr. Bartlielomy Sain-1Hlaiif cntremgoI'-o ( ,:'A cow:nissao a rimi AIou un(0-'~Ia i( C, dI
des-quo sho urn eltumento de progress od n tantinol)la ,o firn de urn passaio military, corm emmixador--dt lleoanha em Paris, 0tmnr-7,031 requerimento6 4 gado*,,edores
de irodem que teriaon salvado as inonar- u punhado e cossacos; mas julgava quoe as quez de olins, as insignias db.Tbsiof d.no pplas inunda,95,s.
cNia, sn-ti'4SSem sid acoltidos pos sob- turcors eran meos capazes desta resistencia que tinham perteancido o Thiers. Esta resti- DVstes, lfratn apanas aLttadios 3. ,
rrafei, e. qe -hao deo sivara republica. energica .qu ehe ten valido hoje a admiragfo tui;5to 6 do uso quando falPetealgrum do can 16:' 6 074i; sand,) iaferidas. 3,369, re-
kem.Franga eoncentron todos os sens pansa- geral, e acreditava tambem quo o exercito rus- m emlbros daquella insigue.ordem. querimentos.



~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~~~< J5aa~~i6d"t na serac2 chenoe-idi{ p ^siae eshrd ioaei prd- A oeaoesf4,yeialtoSO < A elo is. appvu. aqel d34:ri0ui6
mntes, todos os-seus desejos sobre estas ga- so era mais apto em dar olpes decisivos con- de sd a hire pe 'sd. a e; us pqfal A cop nisso approvouaequo distrib-
ratias prticas a quo em outro tempo we tra os turcos.d ".IAEai .do s0unistro *da 'peIrdo.a $ o 4Q dO.
p eomiUi camar libeedds nSecessauiis. Estas Este duplo erro sobre as foras dosd ous Aeqrer, riisl d a ,Un rOtie itr- raInportancia total




g~iise pares ovin^ N coitede -lpar 18 oslaera tpirco mtc ram attend ntlu~es f o sid mpritifia TqB'poludelefipu,
gar tia.parem copiadas dol Ingaterra, pr- radverserios poz a political do chaneeller emm oitae e i rbsLiti d o ivircnt- das subscripqoes
quo assegura"a a gnandeza e a pfosperidide f perdas nPa viai e seid u bseaori pese 0





toeurdnd^o ~n~Z) ~ i falta esrumno abriga am .0gde eroamdridcar ea s a at--jmz aSnaCrzfinm~e intai e eohcinnoplsrlv
aesteaograade-paiz.- Aas no e s6a alli quo el-as ita Gbriiga-o de certoa moficar ao s at- rante D. iranciso de I'. I'avia resde lroi.Ao r ebidae s aso-48:9693
s, urEna neciosslade; ess a garantias recahi- ttude. Oprinci pe de Bismark n eo teimhso, nes m dian foi ao Ecuriao prestar jr e Appliados a so-





suirin *hoj e nerss~ade s s' garah n tias^ pM r^i a e'cdrmpr reivitza dos dot pe- aGsii o b-ero e celebrar ort p;a ratrmobio dominrio do born senso universal. e sabte contar com as realidades. Por ontrola- nas amr1os do sober an de elebMirar cos ci ros 1i97:66S$007
do co-A2 la a c assia i a reconliecor us v orrosEsta cruise durou o de dura urn relampagO. 0 i Vutado s n' esla





Ret menmr Sto o omo n a Hava, T end B osrux as, bo^u i doo bTe ~ od lwn .* Rea6ernltm e o e-olmo, en Ha', em rn nrixla, o :nettidos, e que so devidos iauma inexac- r. AnmLquera: 1vai daebir pasa Paris, & .- sessao 6:800$000 i1:4680O7
Ie ta aprecia~ao do general Ignatiof e entrevO-sd chly : b
em Mlunich.e em Tarim. "In_ Lt ;! 'p .. 6 (i l a" h3:'0t9,
( Unianacateo qu edigna de ser oll a anecessidade doe sahir do isolarnento paraseo ,oepe ha poucos d4is. desegainoan os Saldo 34:,00 i
Sentries na '.gcivilisat- da, ndo ter` cono pri- approximnar da Europa, que s 6 capaz de ter- po0sItrstus'de qu a n-ao deveri contar con- o" Approvo-ii que se faa apagasentlo de
e 6ntrC' ao des aireiar da lo e aco p in- oar o drama sangrento ia Bulgaria sern hu6 dtlque de ]a Torra pak' cousa:41, n, p ,V poar ceato aos requereates qua provareter
sa ireo doredizer ensase des milhagao para a tcRussia.a e .l, ellerpoprio &o pertere-Aquelo partid:o. / reeoastruido os seus predios, eCrn as condi-
Is t oireto a edizer sea pnsamento, t,., ou ministro da governapar -dirigios c nra- tRs-siseana d o qeiia
set goaratido contra o arbitrario ea to os asw o ,a a .OES "" ao dMILITAR 0 iiso ores, asraao drigo de s .segurarna e duraCo o xiidas pela
gorirostieprepieddeo dreiV ti olgerPlewna : icua u OvP4ia(joces das proviutcias wIQ& sub- 10'rmissilo, emnoonformidade d:)anriuoj
gearos de propriedade, adireit de eleer a noit d 7 pa a18 os t'urcos atae ara ende instrucods pita 0 c umpriiento da. omiaqueo 'pporturnarmenteso foi publicado. rio
se-, pressiLo os seus'mandatarios. osseus re- muitas vozes Grivitza e foramn renellidos c electoral, e parox i a co.mmissao deliberou qu a mesa taste-
pri.etantes rnunicipaes, o de despedir s mi- grandes perdas; no dia depoisdo seio dia le a refana o d o Srr Pedno.1'ar "t'dei...
nists qe nb tieren mjori noam-ameto..mde....rs;noia -18 nepisao meioata ento .Pedroiuit,e[aric.Ped-e Aliedo ntcataa
ng-trs qua no verersnanioria nopder d oalamen- qe a Amnrqlueza e doSanta Cruz foli nomi t l lnab;, o'seu reconhecitnento pels relevan-
toruae n doa she dpesia do por ae frente deGrivitza, o qu domina, n o o poden- ariacl noc o e- t ie so s s e i ternprestao
foecaqole6dvddo Lemor, e rondo repellislos corn gi-andoe per- Attonso. .. ommnniao ctestie quo eli-a so instailou.
S' v6s, ,itor,, a pronunciar so pos- das ret-rocederam areaa 5r1,itza que esLA per- Caiticou-se o uito o governor porter pr a A s ubaom isso epnrega a aior diei-
suin.os a1hoje essas garatias ne -essar as a feite fortificada, em Paris A dispose tide Vallejo .iranda t geneisa para' qu na seguiante r Ouni d gran-
todsos goverrios liv:res. Disso-vos no come- _.A 0 rinoiciamn do ~ quo contirruava milihSes patnaa exposigao do t878 d ",oa cornmissao poscsa apresenta a conelus~o
go 4louegimnen, replablcano : ,tA victoria per.-
toneer~ao rnais prudent. a) Tendes ,nostra- blequelo e bembrnde ,trmo do Plewna. ,, Foi executati& uni rno condemoadD 4ll .ris seu~s tra balos...,..
A6 cidade o os re~miotos saeo vigorosarnente capital em Lacedon. Dentro do nrea so a. aO Sr. Maigcarenhas.,' omfcial da socrotaria
do at6, hoje'que a motlerago, a paciencla, a burn~ardeoados; os turcos onto respondern, sup- ser~io executados m ais tros.r'd u r'a ..iei m t;l d di d s -T -.
oonflanr~a na legatidade erasi virtudes quo~l ii OesasseaA-n as muniQ~es. a Os theatros comegam a inaugrirarno t geda, o.ra LJQedeu m~t e d ic" doainfTiz
silo estranh~as A4 sociedade mordierna. 'Bfieg s& a22, oticirn ee,a-que. eetrbaiho elenvern. do
DeBielm t 22 n tii s ue'srtoted tabl osdei v no- sarge ... .e .. ~ te br d
dentro es pouco fazer historic ; s~de `4 altttra $O os turcos atacararn em masse o redueuto die La-se no journal hespanbol Fl Pilau/at~qua annoy passadfo foi exautoirado e hojs so acha
da vossa inissito politica. Fat-sis ver pela una- (irvtmli Irilds eo, m..a,, t-',,' nrrr uv-.at q, ,- Dii,.o ao I-toopanha pague o prooo aatali uo Limolbmu. riaLa luUtit1aau
nimidiade dos vosso' votes, quo Os vcm~05 .teuaoWmitinopia na mo,mla data diz-se que coupon externo quo soevencor, Os consoilda- torr~a-se notavel, dizem, os quo assistirarm a4
w,verqarmoa fuodara,,a Ibuuo'tias espur-duas nl O exer-~ito do Osman-PachA continue a r-esisti; dos hespanh6es quo Oppareeeram Ai vends na leitura do original, pela elevac'io (10 estylo,
vossas divis~es e quo tends cirno o vosso an- ao s ataqrIds quotidianos dos russos. HoBt,'a, ae25 d cn,-erlor,,e alcanganama pre die polo iateresse quo inspi~itjn os rapidos o bern
tigo president urn unic0 tim :--a gioria e a No dia 33 reicebeu Plewna-uRn comboio do -1,41ocnao -2,212pr iuta no combinados quadros do r~rnlance o dasoripSes
fehicidade da floss-a querida patria. >) muniSes, commnandado polo general Chevkef- tim do rnez proximo. correctas o elegantes dos, costumes daquella
-- No dia 22 c~mpareccu ii Sr. GamboltLa no Pach` coinianlante do oxercito organisado a( Diz-se quo o marqoez d'Orovio, mimistro nossa provincia. 0 Sc'. Mascarenhas tenciona
tribunal do pohicia cor-rectional, para dizer tie em Sofia, quo Qntrou noh pr~a. corn 30,000 ho- da fazenda, logo quo conciua alguns trabtlhos vendor a outra parte da edirilo ne Brasil. 0
sua jrrsti~a solbre a opposikto por elle feita A. orns. urgontes do quo so occupa, pr-oeurar~i estrqdar, primneiro volume qnte se intitula--0 Laivo, de
sentenua pronuirciada couti-c iell A revelia nio Dizern de Bucharest a 251 quo os goneraes do accord corn o competernte director ral, &snyue--j,4 so acbha no prtlo. As outras par-
primneiror., ..julgarnmeto', ...... 0 advogado,. ....... do GaRm- russos tencionavasm fazer'um jnovirnento corn- algurnas ,nedidas tendentes a augmentarco~n- tes da edio~o QttA auccesivamnato i',o sahbn-


,a, 0,,, otr A ,o ,, apresentou a in competen- binado sabre Plewna e Chipka, nas as cli tvas sideravelment a os rendim entos do estado. d sao :-- Multh .'adu S pli .io de u1
e Assogurara as folhas do vinto e cinco (do hmomcn, Gri reaYdafri .-4ua0, Bnzxa 20 Berel.-
cia do tribunal correccional parajulgar da cau- coatinuas Ltornaram as communicates quasi Madrid) qura as folhntrada do vinte-almirano (dePavia hlos.m.wst, Crioa d faaei aa d Farerra.
sa, fundando-se em que nao eea ur simsliql impossiveis. Madrid) que a entrada do vice-almirana Pavialos. Mterios de W n dFW
delicto, do offense ao presidebte da repbli. Ptendo reabastido Pl ara a pasta da mnarinha, nao modificou a fei- Alcangim 19 do gosto, as noticias do
e ultrages collectivos; inas quoe eraR un7 vai estabelecer urn campo entrincheirado em o do gabinete. M mbiqueb r N.o s a iito s ,fdactonas.
do excitag.o aoodio e ao despreso contra 6go- Orkante. A estrad u entre Plewna e Orkanie A' ultima hora accrescentou nosso cor- Achavam-se no prazo dBoror;iu.to a villa
Vern constituido, e quo nessa qualidad Odevia esti desempedida. Os roumanios que a occu- respondent.n de Qielimane 1,500 cias, arunpdos, do regulo
seor ju io plo u sary. 0 s ui discursiaas foi boi- aos o(( A prineeza Merc6dos, que f6ra atacada no Montepvoira, quo vinhan- na inaLOnQo de li-
lharnte, e itisivo de opposio. pobi vam& r aras-se paa os ads do Danubi, Escurial do febres intermittentes, vai melhor e rar a deslorra das hostilidades que Ihes havia
Responded o dolegado do n inistrio pihl e ac i russos em direcgEio a Loftchcar ; as tropes jba sahio a passeio. mandado fazer no anno passado o governador
sustentandoaCO eteneia do tribunal;udt eOrkani6 eomnpe-se do cireassianos, o beta- Morre hontem o popular poeta Narciso interinoo daquelle district, o capituo Bacel-
curso do Gastabido foi tlmbe bastantsgulaes albaezes e outros, vio di- Servia. Havia muitos dias quo padecia doen- lar.
nourS~notael~dO St. asabdfota esatatgir para Plewna outro corneboo do suniQSes.
0 tribunal regeiton a tip~ do incompo- ~- Dizem do Pesth que algurnas centenas de rave. A forca da guarn
tribunal regitou a quest de icompe- tureos protegifs .p-a artilheria de Silistria ( 0 marquez d'Orovio, ministry da fazenda, va apenasa de 60 soldados, mal equipados, de
tencia, e resolve entrar aos debates. ad- ffu apresentard em t15 de janeiro, ds c6rtes, oor- sorts que- pouca resistencia lbes podem fa-
vogado do Gambetta declarou quo no advoga- tatmravossara ieo orun ine desembarcerarnnob amecntor orn h xcedent6s. TDmittii-sai z5di-uzer
va a mcateria perante o tribunal, e o tribunal Ltorditorio rouaico coilinodcortarem e s a
-aaraei eat tiuaeatiua o cciminho tie G0iltz a Buchiarest. rector do thesoi~xro. Tenho-o repefiuo mil vee.4ets2
confirruon a sentenga p:onunziada A revelia o cai(P0 de Gres. Partenis para Paris brevemente os delega- nos em quo us bondosos leitores do Bai tern
contra Gambetta e MIurot, gerente da Republi- ize d Andinopi a 19 d setem o qu dos incumbidos do tratar a questao pautal. apaeca do s ih s cm as ir-
que Fr'.ic,.is,. Dize. de Andnnoplig.a 19 de setembro quo PORAo a paciencia de ler as minhas cartas; a. adni-
SA orde ni o foi altered e (mbetta A sa- os tnrcos atiramn de diae de noite sobre as PORTUGAL nistra5o military das 12 colonies, assih como
hida orde tribune foialteadesahire ambtpor uma Spo si P es do desfiladeiro de Chipka, impedindo De Ltsb6a escreve nosso correspondent, em ella esLad 6 peior do que a o l.ermos tantas co-
ta resnrvada, teve uma ovaiao a os russos de reparar as guas foruificaCoes. vinte e oito de setembro lonias e dominios al6mn-mar.
0 m inistro do interior o Sr Fourton diri- De Constantinopla a 19 communicara o minis- a 1 H'a dins foi pelo ministerio da guerra sus- ( Desfaca-se Portugal do algumnas se nlo
S0imistrcla do interior o Sir. Fourton din- ir o dos estrangeiros quea o forte de S. Nicojco em citada uma antiga ordem do exercito que prd- p6de tomar-se outro expediente, e procuremos
sgiu ma circular n s sd i lciftores, fundando- Chipka que havia sido na vospera occupad6 pe- t'ibl 'manifestaces collectivas, seja em que tornar poderosas e fazer angrandece aquellas
s 0 bispo de Oreinas o anifesto presidencaloup las tropas turcas f6ra depois occupado elpos .entid6 foiem. Uns quizeram interpreter nes- corn que ficarmos i
S0 bispo de Orleans Mgr. Dupanloup diri- russos. Acolumrnna turca que atacava'delnte 91act "db ministerio da guerra urma censura a Estes destacamnentos de tropas, Pouco u-
go ura carta acos seuas ourreligionarios politi- o reducto, dvia seo apoiadae reforGadapor ou- offiiae qu& foram esperar A gare do carni- merosas. malt armadas equipadas, servem
cbs, rdecomreneidano quo abandoque o system tras duas columns manobrando a direa.e 4 b 4 de ferro o Sr. Fontes no seu regresso ; apenas de provocaio a genLio, que nlume-
ma de abpreste ndo- p oio contr.qua o radio ao. esquerda. Amarcha desgas foi retardada pac r 1do Uqit p e rma, e julgo que entenderam rosissimo, e em geral dispondo de boas ar-
governo, prestando-Iliaapoio eontr4,o radiea- obtauose[rtefs sfuss -
lismo. -. S"1 .. ..eeo ,"iosOs russos ebendo sM e r, eferia a s provas collectivas de mas de fogo e polvora excellentt, que o com-,
1" ON FRE .. DE.. ,'R O eforC;os e'vendo que tinharn a superiorid-a e .. ..
O NF NI D eforos esquo tha a upeod4de .t 'siT ai i raias do bartalhao de cagadores mercio europu temrn artes de Ine fornecer. Es-
N cONFEiENCIA DE SALZiivo sobre deumero, fizeram urn retorno offensivo, dian- de que era colonel o Sr. Joao Leandro tas guarnigaes, de theatre de segunda ordem,
No so conhece ainda nda de positive sobre to do qual a column isolada retroeedeu to- Villaftis,recentemente protnovido a general, para defender os presidios espallados em re-
acouler-eacia do condo do Andrassy corn o mando -as poiasaneir- .; e
a frci ad cd de BA~ ra-ss tom qoe mando as ~ps es anteriores, deiam ao .mesmo cavalheiro, oferecondo-lhe moeas regi5s cercadas de perigos, sSo ineffica-
pr-irwipe de lBisrmark; asseg'ura-se, porom, quoa ~iosatno's
o charmi-eller da Allemanha estaria dicidido a De Bucharest a 19 de seLambro participam os officials as dragonas, os sargentos a espa- zes.
tratar com rispidez as turcos e a impor-lhes quo os turcos occuparam o mosteiro de S. Ni- da, Os musicos o chapeo armado, etc., etc., E ainda sobretudo, o pessimo system da
a (.ir:ncipacio dtas provinci-rs christas doc B(l- colh A (sCsquerda do desfiadeirg de Chipka de- etc., e a publicao de urma carta de agradeci- promnover quilquer sargento aventureiro e ig-
konris e a independcncia da Roumanina. front de Zeleniadrava, onde ha uma4-boa estra- mento do mesmo ex-coronel, agora general, ni"rante ao posto de alferes para o ultramar
\Au seios ate (pn,>Lo s isto vr- para "Gabrova, evita.jido assin a passage aos offerentes. Todos estes testemunhos de- para alli ir se-iuindo poSLos e ltornar-se com-
Na sbos at quo port o seja isto verda- e Chipk-'. pwem a fa or das sympathias que o illustre andante de forcas o governador de un dis-
deo, ,,,iS ^ aptmar^eas Shmmitente 0 ,iai tIe De LjsLaiLntinopla a 20participam quc em general soubti conquistar no commando d'a- tricto, qualquer gnte que iro ten corn quern
p6u em pratica taes rafotttes; pr Un lad a concern,., 1e urn comnl)te erntre Tiriova e queU nao deixam de ser por iSo se aconelhar, nem, pela maihr pirte encon-
AuLria io se padA assciar As intengies Gabrv,'a, emn lue urna par-t das tropas de S*. ,mna irfra-io. dos principios disciplinares quo train recursos na oropria inelliencia e sensa-
ialevlas da lle ela Truia ; mais Iinan-'ach.i so havia cienrhado. s ruios e.pWito ciumpre manner a tod o-custo. Lez para se conduzir e para manner is boas
polem faze ItAeS CirUnSucias. haviinsi do obrigaJos a retirar-se na d co Reovou-se a crise ministerial ; princi- relaOes corn os indigenas, dJra sempre tris-
cai neuical. A Allemanrha aecar-se-hia pois d e Tiirnova. plou pela retirada Jo Sr. Car ns RBento da Sil- tissimos resultados.
emni tace da Turquia, e s,-ria s6 a imp6r-lhe a Biella va, que era ininistro da fizunda, com3 em < govoer-nador geral de MoCambique, con-
sun. vantLade. A Turquia q(e nl o quiz aceitar. Dizem do Con.tanlinopla a 22 que Mehemet- tempo lhes. contei corn certo -desenvolvimonto selheiro Jo.s Guedes. achava-se atacad,) das
a dad01111NM rirqwehla das pr'etendes da AI-.lib.e
a K r a prein~oes da A- li baleu completainente os russos depoias que ,ne dispense agora da mais pormenores. febres. 0 novo governadar geral, corraael.con-
ne~ ssario e on. C p rnr. coinbalte qmo du'ruH 10 horas ; hs .a, u Ficou o Sr. Jos6 de Mello Gouv%'u, ninis- selheiro Francisco Maria da Ciunha, ainda
lnecessariU 'e pirte a p;irle s,'wo consi i_. r'Mto da rharifniiha e ultramar, corn a interinidlade ,quella data nao tiuha alli chegado.
marl4a, viassp'lkgumas dnvis&eW,. li avantth caigo rr.ita dis linanC-rs.
nyaa-pFnas i rrgrs div fB rio rl lYa das IianIas. A canhoneira Mindello tinha sahido de Mo-
Os. E Eb 1 as Os ,ax ru.miose,,siW k r oas .ab r r e .gor a -. o general A ntonio F lo rencio de Qam biq ue p ra ai ba hia T engere. afli n de visi-
conr ,io fr estdeni"p'ode.-d$ Pi que se demnitte, noticia que no tar os ports principal, e levaltar urn piano
vs dr D errnnars Lao seisa- voa r-tin eesdtadcfOilOgo dodo iro pa- delta.
to., qqiF so doixamsscrr. Lindiizir souCargo unica-' tel-genealn-N
tom' de rxasse4 c, nh,4r i- iCo, n)ticia que 3s jornaes de vinte esele a 0 vapor Sena seguio para o interior w la
merae dm o lir ,l ,lf, lor as al daLo-. toys -ep,-tram Lo ls, c a quo alguns fizerar Coin- provincial cm o capitL&uo harros Vanna, ar,
aniha tdios Hohen/,z.,ller. -' .. A situa- ,o o exercl3o' lfev 31 et-Ali antes meunitaarios explicativos. Segundo o J.lo.nal dle estud'ar as melhoies posi5Oes ondti se de-
0 e xrcit,) alien-to hi ,i c,,n- ituido'senao do co.nb-itL era a; se-uitih : -- a al;i dir.iLa,, Comnercio, (,pposiiio ao Sr. Souza Pint!o) l'i veni cunstruir os fortins-pa a'flscaisacaio
para dcfetenrlr A patri arllhmii. 0) que tpr;eran ,cuiiiirnill ia pj, .\c:i:ni.l- Pacht (in Sri.n ,i.or estlr.inli lo piralguns do.-; seus collegas emn aduaneira. 0 director das obr'a..pubicas ia
I- k .')i.. .su n ia ie to a b q ." h a
Ali-manhilia que ver ni-)s designios da.Prussia *a ala esi-,eri-la, coinnma; i.iha pollo u Ap*` corisflho de ininistros o ter elle ido visitor A provincia, Joaquim Machado, saa1fn, dia 21
em favor da Riis-:a' t Hassan eii, Cei k,ina, c o centiro por Assir-Pa- sun ca.st o Sr. Fontes. 0 Sr. Pinto, que pro- para PNo e dep.ms para Mesa,.- s lb .romon-
S, o chanrcelle'lia A.llernanrlr: fos-;e bastante Ocli em iHaleikon. cqrava coin avileOz um pretext,) pare se reti- torio's assim denominados)h,atia de tragcr a
imprudente para se li-e.i- no conlilcto oriep- Um itele.-irinma dJo Shumla piblicado pelo rar, traLou logo do ir pedir a sua cxonmrac.u, estradai que deve ligar Qest.-4os o:ontos crn
tal, veria iue as l)ull,;m tircis s:io ao' I)oa-; Dlily Newiv, lIz 'i'" as i risso s pi-rderam nesse dizern, devendo ser sbibtiltiido peloi general o littoral. E' doeespdr.a grande desenvtoli-
parai quebl)rar as cai.as allfinoas, corno as ca- combanib- 4,0:)) nrtlos c 8,000 feridos, e os tur- Manelo. 0 Di irio Popula ministerial diz quo menio commercial na ciidaS logo que esteja
,eajs russas; e pudriam cxperunipejitar, que uin cos ao t.)do 4.0o ). n-u sabio o fun4arnento que ten e-sta noticia, concluida esta mnportante ob#.
lxercito irechanic.), com o exercilo alleniao, Bi6lla e;lat convortida em unm camp en- inas accresaetita que o general Souza Pimtu, a Por legramima do Porto, de 26, iahe-se
nao 6 frito para veiicer faeilm-nte patriots trinctiheiiao; ten inheg.ido alT granndes refer- quanlo etnroR para o im)initerio), declarou qae a sulripgAo naquella cidade em'itavor
decididos a m,)rreir pela integridade' do so1G. e.,Wos le trnpjs e grranis caihOes Krupp. loae que s o po uco tempo acitava a pasta dts viclaias da-secca no Brasil estava em
que nf'to teem ile receiar trai(;Ao algumaa d A.r, tropes iniscivitas retiraram-se para da guaeria, e quo, por vezes tern instado cumrn 4:500S. A o slisso resolved adiantar algum
seus concidadaobs, no rnais forte da luta. Naz de Banika-Orp.e entrincheiraram-se em o nmarquez d'Avilapara rque o substitia. dinheira e ar jA l:0'J$) fracos.
0 prince de Bismnarf, 6, por6m,, LsUto Tchankene. 0 a, 0 Jor al do Coercio, po'r6m, diz qu e a Hoje, 14o Anniversario de S. A. o principe
i prudent para sq, arriscar a atall 0 corpo d guard impperial russa corn a crise e geral pcrque. l ambem0 o Sr. Barros Q real D. Carlus Fernahdo, niao havera receplo
SSe al] A&a se te5diplomat3 n e e orders deo Cunha,. mjmilmro das obras.pauplicas, vio corn soleimno no pgo, ficando contudo odia cm-
oitr. ,gJi.rlfl l !, 6fia orZoiar ^0 o et eti iP Ip Q apgrial qee. di~t. La q ; 'qnspho d /.'slr. &opra- %e-sierad& de graL4d, gali, paa st'-pLs os.e.TeitfS.i
". ,. 11 PI .x 4f qj .'
91 pa. 4'0 'Need,"" .


S.ii -..asr .. zta 0 Lepoima, ,aW mesmo ermo, pois
hs sao caS coSn 0 overtadoi ar do tudostou bervmiMnado.
Zcldr. 'Ficnt-lhe o taiboin "ilh o ue' 0 a No dmia 5 do po rrente distrifbuio-se soc-
ual conde de Bobone. e I orros [nesta mesina villa] para 2,.80 pessoas,
(ISA O important as compras que pef TO- inclusive 483 re:irantes ; e dahi paira cd teem
nisterio das obras pub s se tern effectuado chegado uns :00, e de uns e outros muitos
em Lrsb6a, para attender As requisites das teem-se renrado, por6m calculo ainda aqui
ilhas dos Avores, onds reina em todi a sua existirem berin a mnetade.
forga uRa rise alimenWtia tjaeoni posLo rei Ama nlh? 6 dia de distribpr of, goccorros,
graves difficuldatles a adminbmtaoo daquellos e do resultado dairei science a Vk,.
dietrictos, princtpalmente tde Pernta Delgad v O1 retirantes s~io nuo povoe aoompreheij-
(ltha de S Miguel/. sivel, usudam de nome, mudafn do-thajoi, efa-
Regiessram hoje do camp ribento dte T:t zorn qtuantm artimrnanhas Ihes yea A idea pa-
c. aua s.-?is qiqnrteis permaiuentes os diren- ra tudo q9 "
ta'corpoas que alli teem estado a exereltar-se v E' utnalutae tprrivel em a qual me vejo
sob o commando do general do brigada Jose mettido. 0 par ains quo so fawa aada srtisfaz
me~ir ^idod e*id po mi qesefaaoaa sits
PaLul no de S Garnaeiro. U esse povo exigente e preguigos,). Deos
a Diz-se quoenas exiavaCbes a que a.Sr. Es- guarded a V. :'.-llrm. Sr. Dr. Miguel Gongmal-
eatko* da Veiga e o seu ajudante Antoniu Paula yes LiRa, digno juiz. de ,ireito da emnarca do
Serpa, conductor auxiliar de obras puhblicas, Carol)j5.-O de lo de licia, Js Sares
teo mnaudaJo proceler no Milheco, proximo de Ie .fail ei .) sare
EsLoy (Algarve) so torn encantrado valiosissi- Jury do Ille-Ie-Fu iecinouil, ntemn, es-
masanigulAides que dev-cmn leegar breve- toetribunal, coinm 39 j tUi0zs ie fact,, send
mentla aolisbo.' subiftido a jtigamento o r6e Jos6 Antonio
SHa T notlciasdeo Maicu atW 8 ageosto. 0 dSi, qu em ns Tidt jtlIlo it. 187.re-
deputado pot Macau na legislature que come- tenide nesta cidado reduzir a esera'vi* ahu
Ca emi 1879, o' Sr. Jio Eduardo'- Scarnichia praupria sobrinha, a menor Senhorinh VMria
partrai para Lisboa em fevereiro. da ,Conceivito.
u Fizeram-se j-A as arraiuUta,;bes dos seguiin- Fl)i semi advogado o Sr. Dr. L. E. Riodrigues
Les exclusives ; opio, carn-s vacca de Vian-11 na, e foi alsoh,-ido attentas as respostas
porco, pei;d eo e loteria de macapio. dojury Qjiz presrJente Uppell ot..
'9 O*.pW foram superiores aos do anno Continuamn a sa multados s jurads ni.
trangac t.0jogo du fantuioi tanabn pra- comparecentes. jurors no
ca ja dnas ,es ; mas os chinas fistra gi'6ir Dlnhelro 0 vapor Grudiani levou" de
e/nio o quizeraw arretnatar por rais deo100 nossa praCa para a do Rio deJan iro 6:0O0;f
'Mil p~aucas fperbo do Wkontoe de rtis. fortes 1. pr s 1 m ? aer600
,rail paaas [porte de rontoode r~is. fortes J. Para o sul do Ilmperlo-Com 8 ernbar-
SDiz-se.que o bispa 3qiUella diocese, o Sr. cados em nesso porto, levimu o vapor Guadiana
A. Manqhl de Souza Ennes, teniona retirar-se 91 pasagseiros.
para Lisboa em nrarao. Arrlbada-.A barea allema Der Nod, que
a Dizern do Faro que ultimuaminta cahio so- ri em viagem do Rio de Janeiro par Nova
{bre o dis[,'ido de Alfelte am temnporal de su- oka uln? lr Nv
bin o distr-ictoido dAlee fo tun r aporal te sua- York- arribou hontem ao nosso porto, neo s6
doeste, icprankitdo de forte trowoada emii- por ter -falecido no dia 25 de setembro urn
ta chut'a ; foramn grandes os prejuizos, princi- tripolante, con por achar-se doonte o respec-
palinente no figo. 0 quie estava a secear, apo- tivo comrnmandante.
dreceu em paarte ; e o quo estava ain'la pen- Western anmd Brasiliai Telegraph-
dente cahio, inutilisando-se mais de metade. Desde o dii 8 do corirnte 4 tardc a;ham-se
A colheita da armendoa fotabundante ede ex- restabelecida" as coM manicages telegraphi-
cellente qualidade. cas entire b Recite o q Rio dc Jareiro gp1os
PNoPorto continua a haver abundancia de ocabos dessa corpanhia.
forragens vdnres e seccas. Generos alimentieios-liegnr hunb
0 O tempo tem corrido pessimo para as co- 1to iosso port, procedento do Santa Citha-
Iheitas e para a natura:tio dtas utvas. A pro- rina, 0 pat:cho brasil)iro J ,o, ta,, crlltim
duciao dovinhr dove ser lirnitada, Oao s6 por carregarnnto de ofarha e fei ', alir compra-
causa da inters'uJadroe do oidinr, imas em co0- do pot conta da coOmmnissio cenrldl l" ) ocor.
sequencfA-do riuo tempo. ros As vicLimas da socta nesta pnvmclaa
(( No Diario do Gooesato, de 25 do corrente, Graudie deseen(l encla -- tf~ l .:h do
vieramn pbl)lic,'lios os estaLutos da comparthia oont f;l'eceu, nA ci-ladle do jiten,,jt, Ig-
e ,44e seiPs a, ruroitimos Tayus, ha pouco fortala inacia Jaoselpha i t'alcante dfe Alhuq4rque,
rv i ; ascida a 2, de jt o do 787, '.rl 18,7 por-
flns d companhia so:seurar osi: -It- IYade.,-'
aO .fln 1103 a cornpanhici sS" soguaur as tarto 90 an,,os, 3 mezes e 11 di-I, I e
barcds ip navogaimn no rio-Tejo; tornamr s`gi- Tendo crso muito ,n",] etvuon dbpois
ros- stibro'I fazonidas- tnt'p~spcrt ml usn-i mesmoti2,)1nc;-h
rioo ,' f zdasd. re '22 I )s, tendlo tido 8 flh-is, 28 n alos. 64
rii f6ra del le.0 .bisnetos, e tataraneto, ao todo .1il1 pessoas,
10 fr,, lo da ornpruriia 6 nb 2020 crAitos de ,has quiaes existern actualrmlente : urna t[lha,
rcis, dividido em acqoes de'-0')00 cahla rumIuna. I 41 ljiSiaeLos, e 1 Ltamtaraneto, ao todo
Na pette de fer-ro s6t o D.I'o, devcn bre- 51 I pessoas '
veoiente, cor'ere-se as duas,"extremidades do Servigo (o exercito e armada --N o
Laboleiro a ligar no centre, quando seja con- rLando sido possivel reunir-se, no dia 1o de
cluios s pilares de ferro que assentamn sobre agdste, por circuinstancias extraordinarias, a
o durso do ni-ca., juuta parochial da freguezia. da Boa-Vista, para
a Falloceramn o capitalist de CaRminha Joa- proceder ao alistaennto dos cidadibtos, resi-
quim Jost Hibeiro Guiimarnes, e no Portoo o detes na parochia, para o servio da armrada
Sr. Jo.lo Luiz de Souza, deixa'ndo diveisos le e do exercito, 0 Sr. coronel tDecio d eAquino
galos a estabelecifnentos- de caridlade. Fonceca, presidtate dajunta, desigunou odia
, Nas praias da Granji, n'uma recita de 10 de novernbro oroximnti para essay reuni-o,
arnadcrea, representou-so pela prhnoira vez a que se realisara no consistorio da respectiva
Roca de Hercunls, comedian do Sr. i inheiro matriz, nos dez dias eonsecutivos d.is 9 horas
Chagas. Dizem que tern mnuito merecimento. da manI5 As 3 da tarde.
a Vai ja em 463$509 o product da subs- Batalhiio patrioticoi de artistas- s
cripgAo aberta ante-hiontem pela redacSZio do membros da commission organisadora desse
Journal do Commercio de Lisb6a, afim de erigir bhatalhao deverio rcupjr-e no dia.14 do co-
um monumento a Alexandre lter-cul.no. 0 Sr. reats, As 4 hon'as da tarde, na rua de TuyuU
Vicente FerrerNeto de Paiva, insigno juris- [antiga da Lapa] n. 8, 10 andar, afiit de resol-
consulto e intimo amigo do grande historiador, vereom sobre assunpt teneto 'ro esmo
subscreveu corn 400$ fortes. E' notavel a object.
carta que dirigio Aquella folha, e que os meus Loteria da provincla Hoje. [i. do cor-
amigos podem ler no n. 7,161. ientej, se extrahirA a loteria 244., em bene-
( Ultimamente foi collocada no comiterio flcio das ohras da matriz de'Jablaaio.
de Agramente, no Porto, umna estatua do bene- Os bilhetes achar-so A venda na thesoura-
merito con Je de Ferreira, que deixou o0 impor- ria das loterias e loja de calfados Jo Sr. Por
tnt lgado ivilisdor, qual i qu se des- to; A praa dandependencia ns. 37 e 39.
tinou aedificacao de casas de escola por Lodo o As listas sahirao no mesmo dia dti extrac-
paiz, sem center carn a avultada somm-a q ye ^o; quanto, porrm, aos pagamentos dos pre-
cd paraum ho lar de aliadgs q I ios, s.er-a lugar do dia seguinto em diante.
-- utmd,~i dt/cfta-oss t~t0- 1im 'thesouro escondido--Coin quanto
rad'r ut r. :tienoso e- a cmpanhia do zaczuelas, quo aqui
radar :esteve ha alguns annos, reprosontado a come-
a Acerca-da-stu~ a o politi a tern continuado 'i4ia, qure hoje Bo b4d ena, passareinos a riar
a corner os moals variadns boatos, sendq um sen enredc, acompanianto-o no desenvolvi-
delles e por ventura o quo so .-n-aa.ia m~m mv,,tu quo Loi nao pe~a.
,mktur ir n(ef ea, quo o goner-al Souza Pinto, CrneTa o 10 adoe pnar u rcore do campo-
ministro da guerra, annuira a desistir da sua aezes de amnbos Os sexs quo felicitar a Lucas
pr-jmpta sahida, alt quo se resolvesse acerca $ Madaloena plo consorcio quo em breve as
da sua subslituicao. Referiam outros, bontem -nib
A noite, que se tratava de completar o gal)i Parti
nete, o quo se realisaria dentro de pouo "ouvos P o acro, ficam altercando os dous
fo voIat ecausa dos ciurnes quo desperta
aias, e que o president do conselho, [marqupz ema Magdalon a ainabilidade corn qne Lucas
d'Avila e Bolama] pref-ria recorrer ao con- tratara as ourBa-cannponezas que alias iuito
curso dos seus amigos, ou dos que na prm.- o estimavamrn por usa da bella voz de. ltue
nite eotjunetura seguem ureapolitca neutral eraS daa lladao.l ozd


ante as dous grupos que tern organisaCAo de- Intervem Roque, o fereiro, que exproba a
finida. SAo rfttitas as verses e o numero dos Magdalena no tter feito can do amor que ella
cava!heiros indigitados para a recomposiefo Ihe consagrava.
do gabinete 6 muito crescido. Os noivos-6 quao ni oestavamr Ira massadas
a $ahe no meadow de outubro, para latacao, o e deixam sozinho o desgratado O rcipulo de
Afriea, transport do Estado, levando contin- Yulcano, que flea a rumninar vingangac
gentes de tropas e offlciaes de marinha, para Nesta occasito Escaligero, a quem sequ-
renderem os que la estio na estagio naval. brara a carruagem em que viajava, preciscme
.... | -, ,u m fe rre iro .
.in ti1i1 If0 tal Escaligero, maestro da capella r. ale
director do real theatre, f6ra chamado us elo,
FNB C rei, que lhe disse" o Ndo se fazern mais ope-
ras em Madrid, porque o tenor Caiarelli per-
REVISTA DIARItA deu osagudos; rhas deve haver outroa teno-
Colleetorias provlnelaes-Por portaria res no mundo; portanto d'aqui ha um mez. dia
da presidencia da proVincia, de 29 de setem- dos annos da rainha, quero uma opera nova a
bro, foi resolvido que pelos escrivAes das col- cantada por um tenor excellent. Arranja-t-.
lectorias provinciaes sejam substituidos os como poderes.
respectivos collectures, em todas as suas at- E Escaligero tomara unia carruagoo, e an-
tribuioes, vista acharemn-se supprimidos os dava a galope em busca de um tenor.
lugares de cobradores pelo art. 47 da lei n. Ouvindo cantar a Roque quiz ver se acha-
1,179, de 12dejunho de 1875, e nao poder por va seu home, mas JRoque daria apenas para
esse motive ter 1-igar a substiticAio dupla dos corista.
referidos collectores, conform o disposto no Lembra-se entao Roqlie de urna perversida-
art. 22 do regulamento de 23 de junho de de-indicar o rival comno cantor perito para
1874. descartar-se delle.
Commissio central de soccorros- Voltam os noivo; da igreja ; Lucas quer re-
Foi-,ios remettido o seguinte para publicar : colher-se A casa, mas thi dizom que o costu-
a Villa do Salgueirc, 16 de setembro de -1877. me do lugar que sejam as amigas que levemrn
-It1m. e Exm-. Sr.-Tenho a informinar a V. a noiva a camera nupcial; pede entao Roque
Exc. que na primeira quinzena deste mrnez a que Lucas cante urm pouco ; Lucas accede ; o
secca continuous sempre horrida e por demais maestro fica enthusiasmado, e em quanta faz
aggravada pelo excessive movimento dos re- ao tenor, que ignorava que tinha um thesouro
tirantes, (que, havendo deixado.o Cariry, que escondidQ na garganta, as promessas mais
se achava dolles inundado, por se irern aca- vantajosas, que Lucas recusa, Roque chaaa
bando as moagens das cannas, tern effectuado es crnados de Escaligero, que o ajudamn a
nova retirada, atravessando a serra Araripe, raptal-o.
e derramando-se por toda esta comarca em Inquieta pela demora, sahe Magdalena eam
differences direcOes. S6 nesta villa hAoche- busca do marido, que suppOe arrufado com
gado uns 60o reotirantes, maitos corn direcim o ella : sabendo do ocoorrido, chain por soccor-
a Tacarati,, outros coin direca.o a Cabrubo, ro e calie des;naiada.
cujo movinento verA V. Exe. do officio junto Era porum ti:rrJde.
do delagad,) daluelle termno, outros finalmente 01 ." acLO passa-se dez anrios ,lepois n'urna
demoranim-se ainda por aijii, onde desde 25 de caa sil c catpo.
agosto ultitno at' 1-2 do corrente, deixou tie DnuriLute este tenpu Luc:as, tenor applirdi-
haver distribuiq.o pihlica. pelo que trazeni do e t'estejad i da curte e das damas. passava
os habitantes atroplladlissimos corn suas clih- alegre o desmidstimnento a vid i coimo podem
radeiras. fazel-o os ar'istas felizes.
a P6dle, pois, V. Exc. copmprehender qual Nio procurara nunca saber da mulher,
nWo sera a calamnidIado e a consternagdo que mas de divenir-se, e mudara o nome para
lavra por toda esta comarca, cuja populhaso FdRtoro.
Acha-se si)brernodo lesanirnada, nao so pelas Roquehu.usara tambernm Madrid ; chan,iava-se
faltas queconstanternente 1Ao-sp, qutiando es- Roiluielio era Aori.-st. d)o theatriu real ; muito
gtla-se o ,iop isilo da.s villas, seinmo e priici- amn,_io de Lucis, e rno menos extra\'agante
palmente pUrque a distribuigio public no do quj elle na icp)hlera etm tine gyrava.
attinge, i not p6lo attiigir a tolda populag-o, M.i: ttaleua hiascara umac tin que tinlia em
comno hei i dexplicado em outros officios, pIo Ht-vana ; a tnt eduicou-ia umineraIlamieInu, e
que o furLto de gAdo vaccurnm e ca.i llar e-;iA e n put sria incri. ileixou-lte illminensU foiImirit U
scena, q ianto au caibrum, ovoltliunm etc., pa- o liiul o mle inirlueza ,il M:tmgir.
rece (lue nao licard sernente. Volt-ira aii alri, chauimara por sina ,ormo-
Os genret'is que chegam sao mui p)uco,)s snura a :'Itta ,'I,'I l ii iuiLos, InclusiVt'? de Fili-
pars a ipopulaCo; e, sobre essay I',lIt, seo iaoro e i,, E-n;aligero, a iuoin tomara. pae
absorvidos em sua maior parent ple alluVio mneestr dtie rmtrica, e. quo estava apaironado
do rltiraniite. de mnod,) qu e tanutn esLes crn,) p-r ell., inas imir cuj,) jiiterinedio'eritendia
Us naturaes, furAtam tuldo quaInto ten.ontrain. .lagdalenai a)roxiniar-se do nmr-ido sow so
(( eCi pl)recis') pois naiorrs provitmrea iars ttar na ch:,)iec r. .1
ariun de rl]eo:aj:i niaior presteza na vn.la dlos JNaqiuellei ne.osro dia prontditera Escaligero
generous. que estes sejim eni mi muito ni.dis lver 'Filil)ro e osc,)rst-as do theAitro a canita-
abunJan ca;, assim coino que se conserve los rein, IIno) palaio daI n marqueza, urina composi-
deposiLos algnim, dtaheiro, que sirva para acu- cdo que lizera em honra sua o apaixonad6
dir de pronmpto quolquer falta, como para pa- maestro.
gatem-se os frotes, fatta esta que tern a corn- Acomnpanhava^Magdalena urna#aMea, Rosa,
missiko por vezes ponderado e que nrito ha que tomna parte.ne prineiro a.to6equeestaea
sido rmeiodiada atl'esta data. Beos guarde a senhora dos segredos da ,narqueza.
V. Exc.-Illm, e Exm. Sr, Dr. Manoel Clemen- Dadas estas oxplicagoes, sigamos o enredo.
Lino Catriroda Cunha, digrnopoesidente des- Ineo Roque levau a marqueza uai recade do
ta provincia.-O juiz de direito, MA ful Gon- Escaligern, rbconheee Rosa, qa. twaueia.'.
ulvejdo t en -reconhpe,a e Ro ai pem -uade-lhe qaw
4 Biebgaoia dAe poflcid do tefneusAC6 bmrtbd Uta,- ba-viac sirvIda, depol. as p fH -
Sa-ll' l q

7


---I
-I
t





























A

1i


voltar a.s 6 e 20 minutes, estando no Recite As
7 e 10 minutes, pela mesa linha.
0o trein, que devia sahir do Recife As 6 ho-
ras e 10 rninutos da manhi, sahirdAs 6 e 35
minutLos, e chogari ao CGaxang4 4s 7 e 35 mi-
nutes.
0 trem, que devia partir do Caxanga. as 5
horas e 45 minutes, sahirn as 6 e media, pelo
ramal do Arraial, devendo chegar ao Recife
as 7 e 28 minutes.
Estes trens sucstituem os tres primeiros
da nova tabella, os quakes ficam supprimidos.
Esinola-Fazemus hoje entregar, A tamilia
necessitada dai rua dos Pescadores n. 35, a
quaitia de 2j$000, que corn esse destbw a^s
foi mandada por um anonymo da rima t*jfr-
quez de Olinda.
Vapor de passagem--Hontem, cerca de
urma hora da tarde, passou, ao hotisoiAe de
nosso porto, de norte para su au p nrc va
por, armadoa galera, que $V de
guerra. N-o iou bandeira ii
Reuniao social--I01 l fbi noi
te, dove reunir-se a asse ih a geral dos
membhros da sociedade dramatica particular-
Canipezina-, na rua da Imperatriz n. 32, afii
de proceder a eibao da directoria effec-
tiva.
Theatre Santo Isabel-Representou-so
ante-iurlten, nesse theatre, a Zarzuela, en
tres actos, Brincar corn fogo, tomando n'ella
- parte os artists Villa-Real [estreiante], Bbna-
plaita, Gerner, Dicz, Orti Filho, Bendone, Ju-
hatio, PJ. Josepha Garcia o D. Francisc lItes-
panha.
(Correu inuito bern a execucio por part de
todos os artists, e especiahlnente pela Sra
1). Jusepha Garcia, quo esteve inspirada no
2! e 3' .0clo, cantando coin gosto e mestria to
d os Os trlchos inusicaIC.
0 Sr. Villa-Real (estreiante), primeiro banri
to;tu:) di ci npaiihia, loin voz fresca e agrada
vel. f. tsl,ante lirneza, como cantor, e 6 at'
tisfi itti ,traluo e de mnerito.
0 Sr. Bonaplata satisfez no papel de duque
de Medina.
Hojl s61e ad scena a opereta emn trees actors
-Tit*5suiur, escoudido-, original dos maes
tros B irbieri e Ventura da Verga, na (lua l to-
main pairl os artistas DD. Josepha Gareia (
Fraicir'u. la.spanha, Srs. Gerner, Ortiz, Gal
vao e Ortiz Filho.
Arinaiversario- Gompletain-se hoje 385
annos [:.ii fti d.cobsrta a America por Chris
tovao Culo'nbo.
Cidade incendiada Um despacho di
Berte dia tiocia da destruioAo, por umn incen
dio, de part da cidade de Airols, Tessino.
Forain cainpletamente reduzidas a cinzas
170 c:sas, fiando sein abrigo mais de 2,00
pes.,jas,',a uiaior partte operarios do S. Go
tha rd.
S0 cansolho federal decidio -o levantamenti
n imiediato 46 uma companhia de soldado
I dO e lenlha afire de serem empregados n,
: *onstrupi9 1ae abarracamrnentes provisprios.
,?: Otpuendio comeCou As trees hoftias JLtard
-emr U na ofcina. Soprpva viltai ate i
: IStt, ae dentro emi pouco a cidade estava abr


local do
e Ander


o cad,


T&- :M:'::'S anors comno ito, Lucas&AP
-ootavs. mubet Dhur~a, iss a um
bool 4 ade 1w 0 confirtna
a 'rusente em
0AU hda, entra,
i11 l .llilow i-i^t~^Wdot-ft 1^
s indignalo da marque a.
WO* t*CigS OU naif4,,^
Sque nao amava a Maagdalena ; que adivinlhva
nella apenas o ideal de sen Amor, porque
Mugdalena se parecia como a marqnexG,.e esta
dA-so, a takes razOes, por vencidae oonven-
cida.
Communica liucas ao maestro Escaligero
que vai casar corn a rnarqueza; o maestro, fu-
A ,SO, quar dar ua escaadalp, e aUlega quie
win permissAb do rei nao p6Ua casar Lucas,
qu faz part da casa real'; mas a marqueza
Seste oernbarago dizendo quoa ocasamen-
ab tidal lugar, o que toma Lucas como
io de applacar a furia do maestro.
eegue-se o terceiro actor qve tern lugar na
sala do concerto.
Terminado este, e ficandcsinho Esealige-
ro, leva-lhe Rosa u ma cartawaM~ada por Mag-
daleaa Mastranzos, mulher de Lucas, na qual
se diz quecom foi elle que raptou Lucas, ha
dez annos passados, para fazel-o music, di-
ga-lhe que vai sua nmuiher cornm o Ordinario
buscal-o, para qu Oelle a mantenha em sua
companhia.
Exultando por achar tao prompta vinganta.
vai Escaligero dar parte ao Santo Oficio de
que Lucas era bigamo.
Rosa informa a Roque de que Magdalena 6
viva; Roque o couimunica a Lucas, que flea
xnuito perturbado corn tal noticia; eis que en-
tra Magdaleua corn o trajo do lo acto, dando-
so cumno criada da marqueza do Manglar, que
vaada hIaumar o noivo A coapella do palacio pa-
ra realisar-se secretataewre ueasamen O.
Magdalena tinge reonfiecet o marido, e diz
em bradus, por mais que elle Ihe pede que se
cale, que nao o largara.
Para tornar mais pungente a situaaio de
Lucas, Magdalena, ao reconhecel-o, deixa ca-
hir o castr!al, e fica tudo as escuras; entuo ao
mesmno tempo represent corn aloea e curtpo
marqueza.
Interv6m a inquisiio, mas em tal conjunc-
tura explica Magdalena que ella e a marqueza
sAo a mesmia possoa, aclarando-se d'este mo-
do o enredo.
Bardo deNazareth-Ao passar pela pro-
vincia da Bahia, de volta de seou passeio a cOr
te do imperio, esse nosso amigo foi assim fte-
licitado pela imprensa :
S0 Diario da Bahia No vapor national
Par, hoilteinm chegado a este porto, segue
para Pernamrbuco, vindo do Rio de Janeiro, o
nosso ilhistre corr-eligionario e distinct ami-
go o Eixn. Sr. barh o do Nazareth.
( Todo o dia de hontemn passou S. Exe. en-
tre n6s. E os numerosos amigos, que aqui
tern, sentirain-se felizes de urna vez tnais ma-
nifestar a S. Exce. o alto aprefa e elevada con-
sideraQ.io em qae tein os sfts,merecimentos
particulares e civicos.
,x S. Exc. hospedou-se em casa do nosso
honrado amigo cornmendador Umbelinao Gue-
des de Mello, e ahi, como em casa do nosso
prestante amigo Barno do Reio Real, que ofTe-
receu-lhe um auto banquet, foi alvo das mais
vivus saudaq(es de numerosos currehligiona-
rios e amigos.
a Saudando ao illustre liberal da nobre pro
vincia de Pernambuco em sua passage por
esta cidede, desejanios-4he prospera viagem,
e quo volte a continuar a prestar no seio de
sua digna provincia os servigos importantes
que ja lhes dove 9 partido liberal.
(( 0 Monitor.- No vapor national Pard vie-
ram hontem da c6rte e seguem hoje para
Pernambuco o nosso illustre amigo o correli-
gionario Sr. barao de Nazareth e sua Exma.
senhora.
a Voltando a sua provincia natal, deve
achar-so summamente penhorado o distinct
liberal pelas significativas provas de apre~o
corn que foi acolbidb em sua viagem, princi-
palhierite no Rio de Janeiro e em S. Paulo,
onde teve occasia.o de demorar-se mais tempo.
s Fazemos votos polo feliz regress dos
viajantes.
Professor publlco=Por deliberaoao da
presidencia da provincia, de 8 do corrente, foi
mandado rescidir o contrato, mediante o
qual o Sr. Jolo Valentim do Amaral regia a
cadeira public, do ensino primario, de Ga-
melleira de Buique, par verificar-se nellc a
hypotlhese do art. 119 4o do regulamento de
27 de novembro de 1874.
Via ferrea do Caxanga Conforme se
v6 do aniuuncio. que vai publicado na seccao
competente, o Sr. gerente dessa companhia
alterou a nova tabella do horario, pela formal
seguinte: "..
0 trem, que devia sahir- ofcinas As 5
horas e meia da 'nanb, partiA do Recif a
essa hora, indo pela linba ptri at6 Apipu-
cos, ondo dove chegar as 6 horas e li4, e d'ahi


moatasoes ou de repercussOes, de que W tamn
fallado, e que teem causado receio a alguns
medicos, o Sr. See disse que se exagerava o
valor dessa objecIo. Os pretendidos retro
cessos para o lado do coracIo ou do cerebro a
dos pulmoes que, segundo so tern diUo, sobre-
(6ru enoresultado da desapparicdo brusca de
manifestaba5s articulares, declarou o Sr. SAe
serem complicagOes hapituaes da affeccao got-
Stosa, accrescentando que, para a acWAo do sa-
i licato se tornar efficaz na gotta, nLo 6 prec.;s
ministrar d6ses maximas, conmopraticam :
Smedicos inglezes e allemAes.
Eis a formula do Sr. Sde : pocao contends
30 grammas de salicato de soda em 300 gram
Smas de agua, para tomar 'deau- a a.4es collpa
Sres, segundo a constituiCao do doeni4 a a,
i casino da comida, afirn de imp4i;r s Wc.io ir-
Sritante do medicamento jap vas dpias, vas
Quando accessos, agu4ps voqo.eawwo4ar-se
na gotta chronic, da-se o s341to0 pAd6se dl
8 a 10 grammas, como se mint*Kra np rbAu.
e matismo particular agudo. .Assii ,qqe se dis
- sipam os accidents agudos,, 4do-se dO4as me
nores de 6, 5 otl 4 gramnimas, que sem hi.con
veniente se tomatn durante quatro, cnaco ot
seis mezes.
S 0 Sr. See citou um caso extraordinario tI'
Gotta saturnina, que durava havia seis annos
i e que em tires semanas foi curada polo sali
- cato.
0 salicltod aier tesr ppoduzido effeito
favoraveia .idoenoa deArefas. Finalment
Seis um ctso que ultrapassou todas as esp3
I rapnas do' illuetro lactiltativo :Uprin 4"etI, q(1
- jA nada via m i. isequenfAa da gotta, reou90e
- rou a v)sta e o movimanto ao mesmo tempo
- graQas ao salHoto de soda !
Expedbi&o fo polo norte. Mr. Wey
prectl, lbea eonhecido #plorador austriac
Spela viagnie que ja fez ao polo norte, vai emr
a prehender uima nova expediqca, acompanhal
- do condo Wilczek, que generosamente fez ur.i
parole das despeza-; da prirneira expediQco.
A actual viagem dove. dur.,r simruplesment
- um anno, e 6 feita unicamente corn o fim dI
Sestabelecer um post de observages" meteors
gicas no "lortb da nova Zemrnblai e ainda outro
e em diversos pontos, que serao posts em coim
inunica,;ao corn a terra flrmie por meio de tita
s estateo estabeloeida em Finmark.
- Perisa-se tarnbam em estabelecer estaeOe
- do mesmno genero no polo austral.
S Hla probabilidade de urna nova expediCii
- ingleza ao polo norke. A' este respeito tel
sido feita ullimamente urna series de conferen
5 cias polo commaindante Cheyne, cuja come
- tenciae 6 incontestavel. A despeza 6 avaliad
emin 25,000 e, empregando unicamente um na
e vio de vapor, corn- provisops para tires onno,
A cidade de Glasgow, na Escossia. propoe
se concorrer corn um terco da verba ealculada
s e espera-se qu e Londres, Liverpool e outra
0 cidades concorrerocornm o rest.
- A' pedido da sociedade do geographia d
Bruxellas, o commandant Cheyae fez na Bet
o gica unma confrrencia acerca rda exploracAo d
s polo norte e da viagem projeCtada. 0 disc
a so foi traduzido em francez e spalhado po
toda a Beqlgpa. 0 presideute da sociedade P
e metteu' que um official belga acopupanbarkt
o expedifto, quo seistoutros beigas iriam tana
l- bem, cor o fim de o entrartem na ganiedo co
trends.
t Desta wanetira pfeptBd. Belgica q4e a IU
ad- i fluctue .n M ma 9 p r*#fupd
a. -t Q4roRsIW POWB 4W1


Tl^^?4U6lfl;-Or :0:^:WOlflO 0
ttVM*H a84varnti nunezea catar no,
tlwa seA disciputbs, iau om.- uda-
&l 4|ent isadopn am gostl M1 o pro-
nnciado. I ,setendia queoeste aceplpe, essean-
cialmente Ia eal, oomquanto muito val-
y$sAr.-fi pHmU do eapirito IA&WWo. KS-;
* e rprjiae osI ..le.Aoeixas-"
sem t6l-o-hia mwida. todas as refeigdes,
Compartilaando desta fraqueza o seu amiga
**N |et. : '-1
mquanto a saude do velho presidonte na-
da deixaua a desjar, nmnguem Ihe co4U'aria-
va a sua paixao plo guisado,; mas, quando
as forgas comegaram a fattar-lhe, depois de
14 de muio, e que foi necessario submettel-o
A urn regimen elementary, a Sra. Thiers, sae-
guindo A, letra *s canselhos do medico, pros-
creveu severamente o bacalhAo cozinhado
sob qualquer f6rma. 0 illustre velho quei-
xou-se muito desta interdiceao rigorosa, mas
sua sua esposa e atL a prpria Sra. Dosne
mostraram-se inflexiveis.
0 antigo president, comintudo, tinha um al-
liado naSr. Mignet, e, de tempos a tempos,
via-se este ultimo penetrar no palacio de S.
Jorge corn um volumoso embrulho debaixo do
braco. Cumprimentava rapidamente'as Sras.
e ia procurar o Sr. Thiers ao seu gabinete.
Mandava-se saM* d'alli toda a gonte e fecha-
vam-se as portas havev, sob o pretexto de umn
trabalho urgehte e serio.
Ficando s6s, os dous aminigos desfaziam o
volumoso embralho, que naoera outra cousa
wais do que uri grande tacho de ferro batido,
envolto em um journal e cheio ate aos bordos
de bacalhdo guisado, um guisado untuoso de
uma brancura idmaculada e feito por unm co-
zinheiro provegal, o Sr. Martin, de 'Aix, eS-
tabetecido em Pais, ua rua do Faubourg
Montmartre.
Os dous amigos de infancia saboreavam len-
tamente, coin delicia, o acepipe prohibido, e
quando jA nano havia no fund do tacho sequer
umrn bocado de bapIhAo, abriarn entlo satis-
foitos as ports" d6 gabinete e o Sr. Thiers
coin os olhos brilhantes e as palpebrlar humi-
das, exclamava corn aquella sua pequena voz
aflautada:
( Sirm. meu caro Mignet, isto 6 obra prima
do espirito humano!...
Emn casa julgavam que se tratava de al-
guin trecho de elevada litteratura e a pega fi-
cava pregada.
Uni dia, porem, a Sra. Thiers, cuja solicitu-
de estava continuamente disperta, descobrioao
tUcho, encontrou os dous culpados em flagran-
te delicto e fez amnargas accusaoes ao Sr.
Mignet, que desde enilao nunca mais se atre-
veu a eutLrar no palacio de S. Jorge c6m um
embruiho debaixo do braco.
Peixe phenomenal Um journal estran-
geiro da-nos noticia da pesca de um animal
curiosa.
Urna das embarcaCbes de Fkcamp, destina-
da a pesca das ostras, logrou apoderar-se ul-
tiramente de urn peixe phenomenal, que tern
chamniado niuito a attenQAo dos habitantes da-
quelle pCrto. Este animal aquatic foi expos-
to alli pelos marinheiros do barco a curiosida-
de public, mediante a retribukqbo de 5 centi-
mos de entrada.
Os naturalistas chamam-lhe tetr,'odon-luna.
0 sou conjuncto p6de facilmente comparar-se
aumr disco luminoso, pois que a sua superfi
cie, quasi circular, despede urna luz bran-
(Iquiissinia, nuui semelhanteao clarrao argenteo
da lua.
Este peixo enconlra-se corn frequencia no
Mediterraneb, e habitat tambem as aguas do
Oeeano, em cujas attitudes se pesca 'As vezes
desde o Cabo' da Boa-Esperanca atW A extre-
midade septentrional do'mar do Norte. A sua
specie e muito phosphorescent.
0 grande naturalista Lacepeda, referindo-
se ao totrodon-luna, diz que as pessoas que
se approximamrn, no meio das densas trevas da
noite, Jas ourelas do mar, emni cujas aguas
habita este peixe, chliegam, cheios de surpre-
za, a dirigir eus aiolhos para o ponto luminoso
que irrompe delle e equivocadamente o tomamn
coma o disco brilhante da lua, que vamente
procuram na amplidao obumbrada do espaco.
Saade publica.-Na sessao da academia
franceza de medicine, de 4 de setembro, um
dos inais destinctos medics de Franca, o Sr.
Germain Sae, tratou largamente do emprego
do acido salicilico e do salicato de soda no
tratamento do rheumatismo chronic, citando
diversos casos em que o salicato produzio a
cessabao das doros, e ate a diminuicao das
tumefaceoes articulares.
0 illustre medico recebeu de diversos colle-
gas de Paris e das provincias a partecipacaIc
de muitos curativos de gAta aguda e chronic
pelo mesmo medicamento. 0 salicato opera:
l.. acalmando a dor ; 2.0 diminuindo ou dissi-
pando os deposits ; 3. exercendo acaio eli.
minatriz, expulsando da corrente circulatoria.
pela via venal, o excess de acido urico ou d(
u rates, que A a causa do mal. A' respeito d(


i roAase an *Iwoii PWL 1-
; No 1' 1 "tror^ OMI4ji
igreja Mttiz td villa deSujriAem, pela alma
-do majoe Antonio Ctimnae, Moreira Tem-
poral.

Vapores-Sao esperados os seguintes:
Minho do Sul at6 14
CGeari ado Norte at6 15
Penedo do Sul a 15
' Bahia do Sul at6 47
s Potosi do Sul at6 20
OrgawqWn d ,IOSl atA 20
Delamb-rea iropaat $29-
SVille de Rio de I I t -
.asewio ^ 4I .opafttt $2
A ep4 dt Europaat6 25
Par AO N9e a6 r
SPemambuco (o Sui a 27*
STaqwff do Sl at6 29
e Leilles Hoe realisa-se o seguinte:
.Pelo agentPe fu i rqa do Bor Jesus n
43:: de upm.4pio pa rua dlo *A i ae, e ue mn
terrepo na rua dos PsO s,' Le" zia dos Afo
L gados.
Amanhi devenfm alisarise os seguintes
Polo agente fartin. na rua, do Marqoez do
e Herval n. 25, de diveFsos objects a1 exis
Stentes.
- Petlo agent Pestana, d rua do Vigarion. '12
de mobilia de nmarcineiria de todos os usoe
Sdomestices, videos, relogios e obras de electro
e plate.

SPas~sageiros-Sahidos para o norte no va
por national Pard :
J' oaquim dos Santos Lima, Rodelpho Gome
Se Silva, Manoel M. Monteiro de-Andradle, Char
los G. Basevi, Jts6 Pinheiro Lobo Menezes
SJureumenha, Raymundo Marcos Ramnos da Cruz
" Manoel Pacheco Borges, Jose Francisco de
a Moura Junior, Clemente Lima, Antonio iFran
cisco de Paula, Antonio de Hullanda Dias Pa
e r6des, Bernardino Cahom, Majoli Roberti e
e criado, Jos6 Itufin de Souza Rangel, Joaquin
. Cardoso de Alneida, Bernardo Norat, Agosti
nbho Antonio da Silva, Joao Narciso de Senna
J ose Luiz do Valle Mello, 1 imperial manr
a pheiro.
Chegados da Europa no vapor ingle:
s Guadiana :
S Eduardo Mettler, Manoel B. de Figneiredo
o Jbaquun L. de Alneida e John C. Me. Gal
low'ay.
Sahidos para os portos do sul no inesmi
. vapor.
a AffonsoArthta|Borges Leal, Antonio Augus
Sto VieiradaiSlvi, Dr. G. Naegeli, A..A. Fer
s. reira da ..t. DvN. Antonio J. Sant'Anna, su
" malher e d qs ilos moenores, Jos6 Borge
a, Gurjao, Ernest ime, Allan Paterson.


Cemitelio pWlico Obituario do dia. 9
de outubro de 1877:
Manoel Alves dos .Santos, petom, Ass4, 24
anngs, casedo,'Boa-Vista, hosp4 U 1';
diarrhea' hydropesia. .
Paotia M aria -da o ncei(Slo' ...m '.b
buco, 56 annos, solteitfra, BoA- hospital
Pdro 11 i ,iparalysia, s : W *.
Jse MarceIUo dos Santos, pano, Pernu -
bucot 35aaos, solteiro, 40. Viit .oital
Pked w w I canore,


dade, eo am "
"1. 0 0cetrotdaiaseret
2.9 0 pra eupregado na s tcdtahri so t vi-
0an 0 .* ..,, : ^ |: ~ ; ,*1* ,*.'1 ^ "/1;*
3.o. Cada uma das comme es a acio-
naes nomearA umaou dous dsisfW&doa, 'pcatr.
regados d o ommunoicfEtem ia m ommin I
icaes as ordens doipPeuidwtejeaml.
4. Para occorrer as despezao 4a ltga, s es-
tabelecerd um core central. .
5.o As repartiGoes da presidandla geral se,
dividirto em sete secdbes, cada umi detaV te-
xn seu secretario, e se coinmunicarad corn a'
repartic&o central, para todos os negocios da-
sua competeneiOa.
As sec&5es serao :
4. Uniao dos jurfseonsultos catholicos;
2.8 Sociedades catiholioas de operarios;
3. Commits centraes;
4.& Paizes catholicos ;
5.* Funecionarios diocesanos;
6.a ieposito geral;
7.a Commit 'para a uniao dos homes
scientificos, na defeza scientifica do catholi-
cisino.
Os demais pontos do programme *$o for-
moulados nestes terms :
Lo Defeza das prerogativas e da liberdade
da igreja e do papa em face das leis que as
restringem. Restabelecimento do powder tenm-
poral, do qual foi despojado o papa, cow des-,
prezo.dos direitos da santa s6, e do catholici.-
mo.
2.0 Exposigio e deisonstraglo dos perigos
da pretendida Jiberdade.
3.o Luta perseverante 'contra e indo i -
lismo, isto 6, contra o principio, em: e
do qual cada am se represent a si mes-
mu, nas questies religiosas, economics e po-
liticas.
4.o Combate incessante contra a falsa idea
do deus do estado, e contra as falsas tenden-
,cias mnaterialistas da nossa 6poca.
5.o Luta contra ofanatismo politico.
6.0 Luta contra a influencia da imprensa.
7.o Defeza da these Roma 6 o centre da vi-
da sobre natural, isto 6, a cidade Eterna.
8.0 Estorqos para destruir a usurpagao cornm-
mettida pelo governor ,aliano a 20 de setem-
bro de 1870.
9.0 Uniao de todas as forgas da intelligen-
cia, e de todos os recursos materials para o
triumpho da boa causa.
10. Orgaoisagao da impreasa catholica. Ca-
do um dos grandes centros terd urn corres-
pondente principal, o qual receberd de Roma
as instrucVbes necessarias, e as transmittird
aos respectivos jornaes.
11. CreaQAo de escolas industries, biblio-
thecas, e sociedades bibliographicas para o
povo.
12. Estabelecinmento de bancos catholicos e
de circulos ca~holicos, nos quaes serao ad-
mittidos tanto os nobres como os plebeus.
19. IntituivAo de sociedades de soccorros
mutuos, e caixas do soccorros; rmeios de ob-
ter a reparaeao dos ataques calumniosos da
imnaprensa liberal.
14. Applicacao A liga, segundo o desejo ma-
nifestado pelo papa, de todas as sociedades
catholicas existentes. As sociedades conser-
vario a liberdade de acgao para' as suas boas
obras; devendo, comtaudo, indicar-lhes a li-
nha de conduct quo Ilies cumpre seguir,
afirn die mnanterein entire si a uniao e a solida-
riedade.
15. Colligacio da nobreza e do clero para a
grande luta a favor da sustentagao da liberda-
de e da soberania da igreja. Consolidaglo
dos lacos, que, tern o clero corn o episcopado'
e este corn a santa s6. A divisa sera: Todos
para urnm e um para todos.
16. Assistencia pecuniaria, e solidarieda-
de entire as cidades, povoS, aldeias, e parti.-
culares, para a sustentagto de missionaries
encarregados de tragar a todos uma 4lrecqao
salutar.
17. 'reaqiio dos departamentos telegra-
phicos nos grandes centros; todos estes se
corresponderao corn o do Vaticano, o qual da-
ra pela sua part o imptlso, sempire que gs
foryas catholicas tenhamn que razer um es-
forgo.
Missas funebros-,Seralo oetebradas :
Iloje: as 7 horas da manhb, na igreja do
Terco, pela alma de Migueldoa Anjos de Al-
meida Villar6ca; e as 8 horas, na matriz de
Santo Antonio, pela alma de D. Blaadtna&Ania-
lia Fragoso de Albuquerque.
ArnanhA : as 7 horas e meia da naa ha,
) na igreja matriz de S. Jos6, pela ahua de D.
Ignacia Josepha Cawalcante de Albuquer-
: que..
. No dia 13 As 7 erhas 4da rnanha, aa ma-
. triz da Bea-Vista,,i .la da deD. Maria Eu-
" Nv diat r: VN ani&' manah, na ma,
triz da viila do Cab0, *Da do oonselhei-


0 tbom Democrito.


Pianos para as loterias da

provincial


I
4000 bilhetes a 4$000
Sello de 4,000
, verbas al50 6005
Porcentagem da
thesouraria 3205
Beneficio '15 ,2:4005
Conmis.Ao do
thesoureiro
10 aLo 4:600S


1 premio
dito
1 dito
2 ditos a
4 ditos a
8 ditos a
16 ditos a
32 ditos a
730 ditos a

795 -


4:000$
2:0005
400$
200$ 4005
100# 400$
40$ 3'20#.
208$ 3205
10$ 3820
4s 2:9205


3205 b. brancos 4:0

4000
II
4000 bilhetes a 4$000
Sello do 4000
verbas 150 (
Porcentagem .da
thesouraria- 2
Bene.ficio 15 o[o 2:
Comnmissao do
thesoureiro 1:(


16:0005000


4:920$000

11:0804000


180$
)205 16:0005000



16:0900000

)00$

o004


3004


4:9205


Spremio
Sdito


dito
ditos a
ditos a
ditos a
ditosia
ditsn n


1
2
4
10
20


4:000$
1:0005
400$
200$ 400P
100$ 400$
40$ 400$
206: 40
109 4008


4:9205000

11:0805000


736ditosa 5S 3:W6 .
-- -<.--. 14iOg^O$
815 prerniados I'1:08$ -.--k
16:OO0"t6
8 f5 b 'i": "...
3185 brain '1. *-cos'>.: ll '~~l
'iM~~wi~~ri~d&' A'' *i.''^' "i *^*^' '."'-^'


'que


t~itas joder~a


r; ,Geipwes, rua- do 'It eoradr n.
,.S,: M ~ w ~ iB 1 (W o -

r 4* DAvlo D tnd. rda do Im-

ftzeWAas e otd41s
AnonioCoffitreiaje, 4Vaowllos', rua
PrimeiirfeMa.ro- n. r .
Shapellaria aodas
Costa a C & C., rua Primneiw de
Marco n. 6.
Fabrtica de cigaros a vapor
Bougard : C.,' Recife 15,.r.a do
tarquez de Olinda, Santo Antonio 3,
rua Pirneiro de Margo, B6a-Vista 54,
rua da irnperatriz.
Pharmacla e drogarla
Ferreira Maia. G., rua Duque de
Caxias n. 57.
Encaderna-o, pautasCAo e papelaria
Miranda Junior, rua Duque de Ca-
xias n. 37.
Liebes de iraacez
iLigses theoricas e praticas de fran-
c z, pelo method mais facil para se
a render esta lingua em poucos mezes.
C rso todos os dias na rua. da Aurora
a 44, .2.0 endar.
Gastronomia
A chiarmazem do Campos 28-rua do
A Iamperador-28
Leite condensado superior, presun-
t s para fiambres, linguas afiambradas
(em latas), fiambres em ilatas, chi fino,
d ces, licores. acipipes e grande varie-
d dede vinhos finos e de pastes.
V ndas corn desconto, em grosso e a
rekalhio
William Inglis & C., rua do Impera-
d r n. 57, 7armazem, grande deposit
d fazendas franwezas inglezas, belgas
e Illeines.

i LICI si
InUBEIA(OES A PEDIIO

Comarea de Jaboatio
Chama-se a attengdo do Exm. Sr.
president da ,provineia para o facto
que se vai dar publicidade, visto pen-
der da decisdo de S. Exe. um recurso,
concernen;to a negocios da camera fmu-
uicipaldeste trmno.
SFoi elirninado, por deliberagao desta
camniara um vereador pelo fitil pretex-
to de ser 20 supplente do jui-z substitu-
to, ser nunca ter entrado no exercicio
deste cargo !!
Pergunta-se
A camera municipal tern competen-
cia para assim eliminar urn vereador,
creando incompatibilidades alguresa-
chadas para ageital-aes, a sou modo, a
casos diversos ?
IgnorarA esta camera que os sup-
plentes de juizes substitutes s6fuac-
cionarn no impediment delles e se-
giindo a escala de suas supplencias, e
nao cooperam active e conlinuamente
corn elles, cbmo succede aos supplen-
tes dos juizes mwiicipaes nos seus di-
versos districts, argumaento da lei de
Set. art. 8 1, Regul. desta lei art.
6o ,-3, e art. 18 l0?
Ianorara tambem que nas comarcas
especiaes, como 6 ella onde ha um s6
ju.i de direito nuo ha divisao de dis-
trictos especiaes, para nelles terero
exercicio os supple s dea juizes subs-
titulos, porque isto s6 tern lugar nas
eomarcas geraes, oude soreonte ha jui-
zes municipaes, segundo so deprehen-
de do art. 60 4 do Regul. cit. ?
Ignorara ainda que as attribuic5es
dos juizes substitiitos sao outras queas
.dos juizes municipaes, e portanto di-
versas sao as dos seus supplentes ?
Jaboatao, 4 .de outubro" de 1877.


President.
J. Leal Reis,
Secretario.
I ALFANDEGA
Rendimento do dia 1 a 9
Idem do din 10


317:2256998
25:65I1874
342:8776872


Descarre am hoje 1t deoatubro de 1877
Brigue sueco Esmeraldac, feno despachado
para o 5o ponto.
Polaca hespanhola Camegucyana, madeira des-
pachada para o 5o ponto.
Patacho national Jaboatio, farinna para o 2o
iponto.
Patacho allembo Alert, generous nacionaes para-
a terra.
-Patacho brasileiro Paraguass4, generous nacio-
naes para a terra.
Vapor naciorfal Bmraganpa, (esperado) generous
nacionaes e encommendas para o tra-
piche Companhia.
VW-por ingiez Guadiana, (esperado) varies ge
neros e bagagens para alandega.
Barca ingleza Glentilt, ferragens dfespaehadas
para o lo 5o pontos.
Lugar irglez Dora, (atracado) bacalhdo despa-
chado em transit pelo trapiche Con-
eeigbo.
Brigue portuguez Damido, vinho para deposit
notrapiche Cunha.

Iuiapcrta~ao
Patacho national laboWtWo, entrado
de Santa Catharina em 10 do corrente
e consignado ao Viscoede do Livramen-
to, mrnanifestou :
SFeijao 400 saccos corn 23,520 kilos.
Farinha de manildioca a granel 218,040
kilos ao consignatario.

Patacho national PwagaussA, ntra-
do da Bahia na meama data e consig-


nado a Fraga Rochb, & C., manifesto :
Cordas de piasava 888 peas ,a Isac
Esnaty. CamaraM 24 barricas a Anto-
nio da Silva Pontes Guimaraes.
Farinha de mandioca 434 saecos A
ordemn, 300 a Josd q Rego Pontes, 300
a0s c. nsigniatrios. Feijao 7G saccos aos
miikWos. Fio dealgodio 10 saccos a
ftRidHgues de Faria & C.
Milho 4,65A saccos a Joaquim Mon-
teiro da Cruz, 50'a Jorge Tassb. Massa
aliienticia 35 caixasaos consiguatarios.
Panno de algod.o' 26 fardos .4a Do-
mingos Alves Matbius,.
Tapioca 40 sacos aos consiinatarios.
Vinho 12 pias e 6t5 a Cunha I:r-
rmaos & C.

Vapor inglez Guadiana, entrado dos
portos da Europa na mesrna data e con-
signado a- Adansopn Howie & C., mani-
festou :
Amostras 30 volumes a diversos.
Chapdos I ca xa a Cratiler Frey & C.,
6 a Gongalves, IrmAo & C., 1 a Jodo
Christiani & C. Calyados I caixa aos
mesrios, 3 a ordem, 3z Mendes Lobo
& C., 2 a Monhard letter & C. Camni-
as'c$aixas a Cratnor Frey & .Q., 2 a
KIlein Frerek. qiservas 4 caixa a or-
dem. '"
Drogas 10 votumes a Joao da S; Ra-
mos, 3 a Francisco Manoel da -Silva
&C.
;Pitas de algodio 1 caixa a Isac Es-
naty.
Livros-l caixa a F. W. SchWvartz.
Mercadorias diversqa 1 caixa a Klein
Freres, 1 a Nuescih & C., 7 a Otto
-Bohres & Successores, 5 a Oliveira
Bastos. &.; 2!a'iAlipio Vieira C., 2
a Josd T.: Leitet "too, 2 a ortern, 9 a
Wilsoan Broti6r 4AG-, "Melas 2,icaixas-
a Mbonhard MetteA 4C.- Manteiga 12
caixas a B. Tho on o i& C.
!01,eo de linhaga 10 4arns a- a4Yanis-
co oian da Sfii .-Objeetos
pian belefaph'tw S 1^(ia# a:'Btasiviftnk


N. 435.-Todas a dilagesou
demotra. g"' pergosaB.-Quan-
do a enfermidade ataca os orgaio da
respirago, a suna jarcha ptogressi-
va, 6 teitivel e rapia, a'o doente ndo
deve perder uma s6 hora ern lancar
mniordo Peitoral- de Anacahuita quan-
do a tosse, as suffocaies, o catarrho, e a
difficuldade do respkiar annundiam, qtwu
a enfermidade come(oa a desenvolver-
se e a coutaminar as delicadas mern-
bronas e tecidos cellulares dos orglos
da respiragdo. Uma s6 d6se tomada
emtempo evitarai muitas d6res e soffri-
mnientos. Por'dm por mais forifidaveis
que sejam os symnptomnas, por mais ar-
raigada e iiveterada que se ache a
molestia, nern par isso deveis desespe-
rar. Os casos reputados corno incura-
veis pelos medicos os mais experiwen-
tados e experiences, sdo alliviados e cu-
rados diariamente, mediate o uso dei-
te admiravel e minaravilhloso balsamno
pulmonar. Ndo deixeis, pois, de acu-
dir Ai elle immrninediaitamerntc qu, aro-
sente a approxirnago da enfermidade,
porquanto ekiste umn period ias affec-
gAes pulmonares, em quie e precise in-
felizmente peider-se toda a esperanoa.
Nao arrisquieis, pois, vossa vida por
meio de mal cal)idas dilag5es e inuteis
demoras. Corno garantia contra as fal-
sificacoes, observe-se hem que os no-
ines de Lanmafn 8: Kemp venham es-
tampados e(n letras transparentes no
papel do livrinho que serve de envolto-
rio a cada garrafa.


COIIERCIO

Junta: dos corretores
PRAgA DO RECIFE, 10DE OUTUBRO DE 1877
As tres horas da tarde
cotaQes offlciaes
Couros seecos salgados, 385 rs. o kilo, hon-
tern.
Farinha de mandioca, do. Aracajt, 6$700 por
80 litros, hontem, d chegar.
Gambio sobrp o Rio de Janeiro, 310 dv. corn
3/! 0/0 de desconto '
Camubio sobre Londres, 90 Id/v. 25 d. por S1000.
Dito sobre dito, 90 d/'v. 24 3/4 d. por 1000,
bancario, hontem.
Dito sobIre diuo, 3 d/ e Avista, 24 1/2 d. por
1$000. bancario
Canibio sobre Paris, vista, 391 rs. o franco,
baneario.
Cambio sobre Lisboa, vista, 116 0,'0 de pre-
mio, bancario.
Desconto de letras, 9 0/0 ao anno, homem.
i3ernardino de Vasconcelos,


2,284

VOLUMES SAIIIDOS
No dial a 9 : 7,220
,io dia '10 ,,
Primeira portna o53
Segunda porta 0
Terceira port 430
Trapiche Conceiilo
Trapiche d'Alfandega
8,313

SERVI(O MARITIME
Alfarengas descarregadas nos t'apiches
da alfondega
No d ia 1 a 9 3
Nc dia 10 1


NAVIOS
No dia 1 a 9
No dia 10


ATRACADOS


RECEBEDORIA DE RENDAS INTER-
NAS GERAES DE PERNAMBUCO
Rendinienuto do dia 1 a 9 11:1680893
Idem do dia 10 2,5076701
13:676594


CONSULADO PROVINCIAL
Rena-' rnt'o do dia 1 a 9 39:213t16
Idem do dia0 3.'5W844
42:7767790






A companhia de se-

guros Indemnisadora, es-

tabelecida nesta pra,

toma seguros m.arttios

e contra of0ogo, riua do

Vigario n. 2, casa com

I rente para a Praga do

Corpo Santo.



'SEGUROS

Maritimos e contra fogo
Companhia Phbnix Per.
nambubana
Rua do Commercio n. 34

Companhia 9de
telrestreseniarif

p Fidelida& de ...
Estabelecida em Lisb6a em
1835
Toma seguros A premios modicos :
rERRESTRES de toda a especle, icontra os r'is-
cos de fogo ou suas consequencias
M.ARITIMOS sobre fiercadorias importatdas
exportadas em vapores e navios A vela.
Nos seguros terrestres faz a concessAo gr'
njita do premio do setimo anino aos -.e -
dos tlue durante seis annos eonsecutivos ftl-
rem seus seguros nesta companbia. ,," :
Agents nesta cidade Miguel Jos6 A1ve
rua do Bom Jesus,.ontr'orasda {t1ruz f)
a da'R45L 1 *1 1 -1 -i.'.^* 'Il :l* ^


d~tl, _1a 'Crarftd flEAu-
usto Bemet, 2'2a AftolGo r C tr.^ de
s oi t" t a ; a'IL-tL
'a &oiwaftes, itno &' &t 464 Con-
signatarios, 4 a Olikdto,jardim .
a Luiz Antonio Siqueira, 20 a SM,
nhard, Mettler A*C., 32 A fraido
VIira & C., 57 a Miltls Latbha O'I .,
'li a Fernanues Carvalho & C.

Patacho inglez A(exanrdrw a 1( de New-Port na mesa data e consig-
nado ta 'W5i[on lirothers & C., mani-
festoun :
Carvao de pedra 380 toneladas.aos
consignatarios.
DESPACIOS DE EXPORTACAO NO DIA 9 DE
S OITUBRO BE '1877 .
Portos do exterior
Nao houve dospaehos para o exterior.
Portos do interior
No vapor national PtrapanM. carregaram:
para o Aracaty, Sergio de Magalhbes 11 barris
com 625 litros de mel ; Julio & IrmAo 100"8ac-
cos comn 4,000 kilos de tarinha ; L. R. -Pereira
da Silva 10 ditos corn 600 ditos dedit. e.10
ditos com 300 ditos de milho.
Para o CGearnA, F. P. de Farias 150 saccos corn
6,900 kilos de farinna.
No vapor nacionl S. Salvador, earregaram:
para a hahia, D_ A. Matheus 25 volumes corn
2.800 kilos de assucar branch.
Para Macei6, J. de Otiveira Mello I barril
com 90 litros dealcool.
Para Aracaju, J. de Oliveira Mello 12.brrri-
cas corn 690 kilos de assucar refinado Flo-
rentino da Silva 5 diias c,m 450 ditos d0 dito.
No vapor nacioriaml laIjuaribe, carregou : para
o Natal, a Companhia Pernambucana ,O sac-
cos con I12,000 kilos de farinha. 20 ditos corn
1,200 ditos de milho, 40 amnarrados corn 300
kilos de came.
Na barcana S. Jodo, carregaranr: para o
Natal, D. J. da Cunha Lages ( saccos .Aom 375
kilos de assucar branco, e4 ditos eom 300 ditos
de dito muascavado ; J. A. G. Pires /unior 650
ditos corn 26,000 ditos de farinha.
Para Macahia, J. A. G. Pires Junior 150 sac-
cos corn 0,000 kilos de farinha.
Para Parahyba, F. W. Schwartz 199 saccos
coan 10,440 kilos de farinha.
Na barcaga B. Espe)'anca, carregara, ,para
Mamanguape, A. J.. T. Lopes 4 volumes corn
600 kilos de assucar branch e 10 sacdos oCom
500 ditos de farinha.
Para Macao, Trajano T. Moura I pipa corn
480 litros de aguardento.
CAPATAZIA DA ALFANDEGA
Rendimento do din I a 9 -&34t$02
Idem do dia 10 .67A189
v:"o0091

VOIUIUMES ENTRADOS
No dia a 8 2,268
No dia 9
Vapor inglez John Etm," 16


]^.


tH:(


I


I -, ff 7 -


























EST: 1803 I
Segutrt entra, o risco do fogo, casa i
outros edificios, fazendas, generous
mrercadorias de toda a especie.
Capital 16,000:.00i00(


e


e


)


AGENTES
BOWN THOISON & C
31 Rua do Marquez de Olind 31

ISVIITO DO PORTO
Navios entrados no dia 10
Bahia-16 dias, patachlo brasileiro Paraguas-
su. de 169 toneladas, capital L)urenco R.
de 0. Ramos, equipagem 8, carga farinha do
mandioca e outros generous ; a Fraga Ro-
cha A C.
Santa Catharina-30 dias, patacho brasileiro
Jaboatao, de. 280 toneladas, capital Joao
iGOncalves Reis, equipagem 11, carga fari-
q oha de mandioca e feijao.; ao Visconde do
k Wivramento.
Southampton e portos intermiedios=46 dias,
Vapor inglez Guadiana, de 1590 toneladas,
comnmandante I. Braud<*r, equipagem 100,
carga varios generous ; a Adamson Ilowie
&C.
New-fort-t46 dias, patacho inglez Atexandc,'
de2f26 toneladas, capitao Samuel Winter-
flood, equipagem 9, carga carvao; a Wilson
Brothers & C.
Rio de Janeiro 13 dias, barca allem Dier
Nord, de 4908 toneladas, capitlo Eduard
Lange, equipagem 31, carga caf6 ; ao mes-
mo capitio.
Navios .sahidos .no mesmo dia
Buenos-Ayres corn escalas-Vapor inglez Gua-
diana, commandant Brauder, carga parte
Sda que trouxe da Europa.
Cabo Verde-Barca portugueza .Aiexandre Her.
culano, capitao Antonio A. de Almeida, em
lastro.
CearA corn escalas-Vapor brasileiro Piwpa-
ma, capital Silva, carga various generous.
Bahia-Barca ingleza Meteor, capital William
.Jones, carga part da que trouxe de Terra
Nova.
Bahia eom escala=-Vapor brasileiro S. Salva-
dor, commandante Manoel A. de Souza Bel-
trao, carga various generous.


EDITAES
Editaln. 356.-Deordem do ins-
pector geral da instruccao public e
nos terms do art. 75 do regulamentc
de 27 de novembro de 1874 se declare
achar-se marcado o prazo de 40 dias
para a ihscripdo e process de habili.
tacao dos candidates que pretenderem
concorrer ao provimento da 2.a cadeira
do 1.0 anno da Escola Normal, vaga poi
demnissAo do bacharel Jorge Dornellas
Ribeiro Pessoa. Secretaria da instruc.
cao public de Pernambuco, I de ou-
tubro de 1877.-O secretario, Joaquhnim
Pereira da Silva Guimardes.
0 Dr. Jos4 Jacintho Borges Diniz, jui2
substitute do jiaizo especial do cornm-
mercio desta cidade do Recife e seu
term, capital da provinqia de Per.
nambuco, por Sua Magestade o Im-
perador, a quem Deus guard, etc.,
etc.
Fago saber aos que o present edital
virem ouadelle noticia tiverem, que no
dia 11 de outubro do corrente anno,
se ha de arrematar por venda a quem
mais der em praca public deste juizo,
depois da respective audiencia, o se-
guinte:
Cinco oitavas parties do sitio de ter-
ras no lugar do Chacon, freguezia do
Pdo, corn casa de vivenda, a qual tern
sessenta e quatro palmos de frente e
cincoenta e nove de fundo no vio, corn
uma porta e quatro janellas de frente,
tres salas e oito quartos, corn frente
para o rio, estando tanto a casa como
o sitio bastante estragados, avaliadas
ditas cinco oitavas parties em um conto
e quinhentos Mil rdis; cinco oitavas
parties do sitio de terras contiguo ao de
cima, serm casa, avaliadas ditas parties
em -quinhentos- ail reiis; cinco oitavas
parties do sitio de terras no lugar Lu-
ca, na estrada nova do Gaxanga, divi-
dindo for um lado corn a estrada real
e terras do engenho Cordeiro, e por
outroe, com terras de um tal Machado
6 eutros, avaliadas ditas cinco oitavas
partes em quinhentos mil ris : pinho-
rodos por executeo do ViseondIe do
Livramento e Jose Antonio de Brito
Bastes, contra os administradores da
massa fallida de Fernando Stepple da
Silva e herdeiros de Luiz Amavel Du-
bouicq. -
SE nao havendo laniador que cubra o
reco da avaliaao a arrematacao sera
feita pelo preco da adjudicacAo na for-
ma da lei.
E para que chegue ao conhecimento
de todos, mandei passar o present edi-
tat. ue seria pbiicado pela imprensa
e : eiiao nos -lugares do coOUme.,
Cidade do. Recife, de Pernamnbuco,
17
Eui, Francisco Carneiro Machado
Rios), escrivao provisorio o subscrevi.
* J 7ose Jacintho Borges Dniz.

:3dita n. 357.-De ordem do ins-
etotr. geral da instruccao public se
dclaera aos Srs. professors publicos
*laar-Se aberta a inscripea-para as con-
Bnas pedagogicas a que se refere o
n. d 1e1 de dezembro do
p ado. Secretaria da i nabtwco
de Peruambuco, lo de outubro
i'-^! etario, Jdoaquim Pl-.
!'1, wffcsa 41
s:'! ;: ::.. '1 ia sJ .i i ii I il iii..'.i :.
W .W" oid sis


*nde1 -" ,ille p a servu4 -
rdo ~ m e w ei o a qrent at
r~~~aemo, e r
dote aos ert p nserao. Nestesro
termos pedea V. Exc. rdelerimeqto.-X.


Esc1v d'-i Brit.-Espera receher mer-
c6.-Recife 12 de setembro- de 1877.--
O tutor e curador .T, uiz Emygdio. Rodri-
gues Vianna.--Etava ura estampilha
e duzentos reis, inutilseisada n afrma
do estylo. Nada 'preaos se continha em
dita petio e basello, depose do queto se
rdis aninua'es, obrigrando'-s'e o arnoinatan-
to, aos contertos. P' conserva~p., Nestes
terrrnos pede a V. Exe.fdelerimnep to.-


Esivia o despacho do theor Sreguinter mer-
SimC.-Recife 12 de setembro de 1877.--
O tutor e cun'adot' fuAz Ernygdio Rodri-


gu-Oliveira Maciel. E par onstar, man-
dei passer o presenters, inque sera af6rxado
nos lugares do costume e publicado


pela imprensa.--Dado e passado sob:
dita pet signal e sell ou valhado ser
via sello ex-causa, nestho cidade do theor seguinteci-
Sim.-e de Pernambuco, 13 dos 20 de setembro d- 1877.
-Oliveira MaciFlorian constar, man-i.
to, escrivoo prz esrente, quvser e saffixadobscre-
nos lugares do costume e pubticado


pelvo.-Fran ciprensa.-Dado e passado sobMa-
mnoel. sinal e sllo o vha ser
sello ex-causa, nesta cidade do-Reci-
o do Pernambuco, aos 20 do setemnbr-
do 1877.- Eu,Floriano Corre'a do Bri .
to, escrivdo, oa fiz eserever o stibscre.-
vo. -F -Ancvisco do. Assis Oliveira Ma-
noel.


2' secRo. -- Secretaria da presidencia de
Pernambuco. em 6 de outubro :de 1877. Por
esta secretaria se faz public, em additamento
ao edital de 2 do corrente, que a serventia
vitalicia dos officios de 2 tabellio de notas,
escrivAo do civel, crime e privativo das exe-
cucoes civeis do term de Panellas, corcorre-
rain mais os cidaddos Francisco Luiz de Pau-
la Cavalcanti e Franklin Velloso de Gusmao
Uch6ei;. 0 socretario Henrique Marques de
follanda Cavalcanti.
Thesouraria de fazenda
i)e ordem do Him. Sr. inspector da
thesouraria de fazeuda, fac.o saber que
cm cumprimento do art. 14 (lda lei n.
601 do 18 de setembro de 1850 e auto-
risado pelo aviso do ministerio da
agricultura commercio e obras publi-
ca4 de 44 de agosto proximo p.issado,
transmittido pela presidencia em 4 do
mez de setembro lindo, vao a praga
para serem arrematados por venda, pe-
rante a junta desta thesouraria. a quern
mais olferecer, a urma hora da tarde
do dia 5 do mez de dezembro vindou-
ro, 16 lotes de terras publicas devolu-
tas na barra do riacho Carit6, pouco
distanite da colonial Leopoldina, servin-
do de base para o prego da arremata-
co umn real por braga quadrada ja of-
fertado, alhm das despezas de medic/ao.
E para constar a quem convier lan-
Car em ditos lotes de terras, mandou
fazer o presentC edital, que sera pu-
blicado nos jornaes desta ridade e'affi-
xado nos lugares mais concorridos da
comarca de Palmares.
Secretaria da thesouraria de fazenda
de Pernambuco, 8 de outubro de 1877.
0 secretario,
J. Mendes Pereira.
Perante a camera municipal deste
cidade, estara novamente em hasta pu-
blica, nos dias 11 e 18 do correlte,
para ser arrematado por tempo de um
anno, por quem mais offerecer, o irm-
posto decapim de plant pela quantia
de 4001000.
Os pretendentes deverdo comparecer
nos indicados dias, habilitados, na f6r-
ma da lei.
Pago dacamara municipal de Olin.
da, 5 de outubro de 1877.-Bardo da
Tacaruna, presidente.-Marcolino Dias
de Araujo, secretario.
Edital n..3S8-Poresta secreta-
ria e de ordem do inspector geral da
instruego public, faz-se saber ao pro-
fessor Joa.o Valentim do Amaral, que
em virtude de autorisa*ao do presi-
dente daprovincia, de 8 do corrente,
fica rescindido a contrato mediante e
qual o mesmo professor regia a cadeira
public de ensino primaria de Gamel-
leira de Buique, visto ter-se verificado
a seu respeito a hypothbese do art. 119
1. do Regulamento de 27 de novem-
bro de 1874.-Seearia da instruccao
public de Pernaiiheuco, 10 de outubro
de 1877.-0 seeretamia, Joaquimn Perei-
ra da Silva Guimares.
1- -- t


De ordem do Imn. St. inspector des-
ta thesouraria se taz public, em aum-
primento da ordeim o'Exmn. Sr. "pre-
sidente da provincia cOntida em offi-
cio de 22 do corrente mez, sob n. 122
que esta novamente aberta a concor-
rencia para ser contrftado corn quem
maior vantage oe&recer A fazenda, o
fornecimento do fardamento "As pracas
da companhia de policia desta proviin-
cia, a saber : bonets a Cavaignac 86,
gravatas de sola envernisada 86, blu-
sas de panno fino azul 86, calgas de
dito 86, blusas de brim pardo 172,
calgas de dito branco 172, camisas de
algoddozinho branch 1t72, sapataes [pa-
res] 258, capotes 86. As pessoas que
a elle se teIzrem. proper, deverao
comparecer t.nI rppartigl.o pelas 11
heats da aI b'di4a 25 de outubro
proximo vindouro, co6mn suas propostas
em carts fechadas acompanhadas das
amonistras das fazendas e mais objeptos
que 'tiverem de.- ser, empregados no
supradito fornmcimeHto. E para que
chegue ao conhecimento de quem in-
teressar possA, se mandou affixar o
present nos lugares inais publicos
desta capital e publicar pela imprensa
desta proviieia e di de Pernmrmnbuco.
Secretaria da, thes9'uraria provincial
do Rio-Grande 4oN 'te,26 de setem-
bro d,1877. 0ofiial, Justiniano
eAlvaideQmiistai. -
0 ornqi eW .",4"'nuao Fdseca,ptW


Diitaaa a fazer as, Oeciaragoes, e dar
as informal ..es. precise, a esclarecero
jitzo dU junta revisora, que tem-de
apur.ar esse alistamento. E para conhe-
cimento d todos, mafdeivrar o-pre-
sentp edital, que serA affixado na porta
da matriz e publicado pela .imprensa,
e que vai por mim -feifo e ubricado
pelo- juiz de paz. E, eu Alvaro Paulo
Noblato, secretario da junta parochial,
subserevo, Alvaro Paulo Noblato.-
Freguezia da B6a-Vista, em 10 de outu-
bro de 1877.-Decio d'Aquino Fon-
seca.
0 procurador dos feitos da fasekda
provincial, tend recebido do thesouro
provincial a relaQao abaixo transcript
dos devedores de 60 r6is por tit,'o de
aguardente consumido na freguezia do
Recife, relative ao exercicib de 1875 a
1876, declara aos ditos devedores que
Ihes fica marcado o prasb de 30 dias na
conformidade do art. 53 da lei n. 891,
a contar da publicdcd6 d'este, para re-
colherem a importancia de seus debitos
ao thesonro provincial, certos de que
find o referido praso se procederd a
cobranQa judicialmente.
Recife, .o de outubro de 1877.-Mi-
guel Josd de Almeida Pernambuco.
Relagao dos devedores do impostor de
.60 reis por litro de aguardente con-
sumido nas freguezias da cidade do
Recife, no exercicio de 1875 a 1876.
Domingos Jose Martins n. 52.
Antonio Jose de Carvalho 308000
Visconde de Inhafima n. 49.
Antonio Bento de Campos 605000
Marcilio Dias n. 141. Antonio
Jose Pereira da Cunha 905000
Marquez do Herval n. 146. An-
tonio Alves~da Costa 36$000
Vital de Negreiros n. 4. Anto-
nio Pinto Lapa 60000
Dita n. 20. Antonio Cafedeino
de Carvalho 36.000
Dita n. 141. Antonio Jose Dias
Pinheiro 60(000
Dita n. 155. Antonio Felix Pe-
reira Junior 608000


Domingos Theotonio n. 49. An-
tonio Moreira Reis
Nogueira n. 29. Antonio Mar-
ques d'Oliveira
Forte n. 19. An.tonio Francis-
co Vieira
Santa Rita n. 3. Antonio Jose
dos Santos
Imperial n. 51. Antonio Jose
Dias Pinheiro
Dita n. 107. Augusto. Gomes
da Silva
Dita n. 279 A. Azevedo & Oli-
veira
Travessa de fDomingos Villaca
n.6. Antonio Innocencio Fer-


605000

485000

60000

48000

248000

24$000
36M000


reira da Silva a-,8000
Travessa do Principe n. 9. An-jl
toni o Jose de Souza Carva- `
lho,

Attracqao n. 3 A Anna Hermi-
na d'Oliveira Pereira 189000
Estrada do GiquiA a Jaboatiao.
Arsenio Gomes de Albu-
querque 68000
Dita. Antonio da Moatae Sil-
va 8(000
Arraial n. 60. Andr Pereira-80
Soares 98000
Casa Forte n. 8. Antonio da
Silva -Portella, 20000
Ilha do Rato n. 3. Augusto
Menezes 20$000
Largo de Apipucos n. 56.
Antonio Joaquim Ferreira
Porto 36$000
Dita n. 17. Agostinho Dias Tra-
buco 369000
Estrada tara o Emgenho. An-
dre Vital Alves 208000
Caiarai. Antonio Uch6a 1000(0
Cangassu. Antonio Ribeiro de
Souza 75000
Bornm Jesus n. 28. Andrd Bar- -0
bosa S. -36 0
Travessa do Pocinho n. 67. Al-
yes lfaia & L. 60$000
Comnedrecio n. 10. Beltrao &d .
Oliveira 90000
Amorim n. 44. Bernardo Fer-
reira Loureiro 60000S
Becco Largo n. 1. Bernardino
Machado Botelho 75000
Coronel Suassuna n. 12. -Be-
zerram C. 609000
Dita n. 119. Bellarmino Lou- ,.
renoo de Si 659000
Largo do Mercado n. 13. Bar-
bosa & Guimarles 50(000
Riachuello n. 19. Bernardino
Jose da Costa 259000
Visconde de Goyanna n. 31...
Bento Domingues Dias "-0#$000
Motocolomrnb6 n. 63. LBernar-. .
dino Jose Gt.nalves dos
Santos 20-000
Estrada -Nova n. 47. Bernardo
Gonaalves Coutinbho 16000
Cangassi. Belarmino dos San-
tos 9$000
Bispo Sardinha .n. 12. Carlos
Alves Barbosa 3" 000W
Ponte de Ucha n. 21. Claudi-.
naM. Co61ho 21(00,
Direita n. 60.-Candido Jose dos
. Santo6 Barata. 121000
Estrada do Giqui, a Jaboatao
Candid da Costa Guirna.,
raes 7%00'
-Dita. Cosma Maria da Luze -
Souza '79000
S. Jodo. Gurino. Vieira de. ;'
MHlO 12 g ,1- 125 .W
Vital do Negreiroe R. W. (7 *i
MAtn d.X'.^.. A A^ fIK-.1 -fl


MA&Ao, Exristo N.
018-6Albuquerque
p a. 6..Francis-
o Mi (oelho -.
araguilmefs n. 2. Francico
-Iosd 4aSilva Santos
Paulito Camara n. 44. Fran-
cisco'losd Soares Ferreira
Visconde de Inhauma n. 48.
Francisco Josd Coelho
Dita n. 3. Francisco Pires &
C.
Cadeia Nova n. 11. Francisco
Jose Guedes de Lacerda
Marquez do Herval n 155.
Francisco Toeres da Costa


jContinua.)


65000

605000
244000

60800
eooooo



789000

78o000

810000
60#000


DECLARAiOES
De ordem do Him. Sr. engenheiro
chefe interino da reparticao das obras
publicas, faco public a qu am interes-
sar possa,.que, em virtude da ordem
do Exinm. Sr. president da provincia,
vai a praca perante esta reparticao, no
dia 20 do corrente, ao meio dia, a obra
de embarreamentodos diver'sos areiaes
da estrada do norte, no lugar denomi-
nado Cha da Mangabeira, n, impor-
tancia de 1.:257$490. 0 orgamento e as
condicoes do contrato achamn-se nesta
secretaria para seremexaminados pelos
pretendentes.
Secretaria das obras publicas, 1 de
outubro de 1877.-0 official, Jodo Joa-
quim de Siqueira Vareido.
Estrada de ferro do Recile a Ca-
xangA.
A pedido de muitos passageiros, o
trem que, segundo a nova tabella, de-
via sahir das officinas as 5 horas e 30
minutes da manha, sahirA ,io Recife a
essa hora, indo pela linha principal ate
Apipucos, onde deve chegar as 6 e 15
e d'ahi voltai as 6 e 20, estando no Re-
cife As 7 e 10, pela mesma linha; o
trem que devia sahir do Recife As 6 e
10 Oda minanha, sahira As 6 e 35; e'chega-
ra ao Caxangai As 7 e 35 ; e o que devia
partir do Caxanga as 5 e 45 :sahira as 6
e 30 pelo Arrai'al, devendo chegar ao
Recife ais 7 e 28.
Estes trens substitute os tres pri-
meiros da tabella, que ficam suppri-
midos.
Escripturario da companhia, 10 de
outubro de 1877.
F. E. Fenh,
Gerente.
Pela recebedoria de rendas in-
ternas geraes se faz public que o nes-
-te mez de outubro que tern de ser pa-
go, livre de multa, o primeiro semes-
tre do exercici, corrente do 1877- 18,
relative ao impostor sobre industries e
profiss6es, depois do que sel-o-ha corn
a multa de 6 por cento.
Recebedoria de Pernambuco, 4 de
outubro de 1877.
0 administrador,
MaAwel Carneiro de Souza Lacerda.
Santa casa da misericordia do
Recife
Por esta secretaria se faz constar que o him.
Sr. thesoureiho, no %all o da casa dos expos-
tos, no dia 15 do corrente, pelal 9 horas da
manhl, fa'd pagamento das mensflidades ven-
cidas de julho a setembro find, ais amas que
se apresentarem corn as criangas quo Ihes
foram confiadas.
Secretaria da santa casa da misericordia do
Recife, 8 de outubro de 4877.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues. de Souza


Consulado de Portugal em
Pernambuco
Por este coulado se faz puablico
parm conhecimento de tod6sa os subdi-
tosr pot'tug ,.: e natdlf1tdos por-
tugoezes, residites nest cidide, que,
em virtude do decreto de 6 de junho
proximo passado, tern de proceder-se
ao recenseamento geral da populato
existente no Reino,.no dia 31 de de-
zembr6 do corrente anno, e comocom-
plemento deste recenseamento, houve
sua magestade el-rei, por bern ordenar,
em portaria expedida a este consurado,
pela repartiao0 de statistical do minis-
terio de obras publicas, commerce e
industrial, que se proceda -tambem ao
recenseamento da populagao portugue-
za residente no districto deste consula-
do; eoem virtude desta ordem, convi-
do-a todos os portuguezes, ou natura-
lisados portuguezes,: residenrtes no dis-.
tricto deste consulado, .no dia 31 de de-
zembro do c0rentI a, n;. a remette-
rem a eateConsulado, p or eoripto, in-
formaCOes que contennham os nomes,
idades, estados, profissos suas e de
cada pessoa portugueza de suas fami-
liHas, corn a declaraeao dos qne, em ca-
da lugar teem residencia .labitual ou
nelle estio momentaneamente de pas.-
sagem ; ou dirigifrem-se pessoalmente
a este obnsulado para darern estas in-
formac5es vocalmente.
Recife, 27 de setembro de 1877.-
0 consul,
C. de A. Guim4rdes.
Insiotuto. Arohelgaic> CO.e 6eoo-
*graphio- Peruambuoauio
Havern sessed ordinaria no dia quin-
ta-feirti; -Ido cdrrente, pelas 11i horas
da' rnmah.-Ordemn do dia.--Parece-
res de commissoes e o mais que occor-
rer. Se.retaria, do Instituto, 8 de ou.
tubro de 877. -0 secretadrio perpetuo,
Salvador 1?enrique de Albuquerque.
..a.. ... 's publicas
De ordem d 11m., lS engenheiro
chefe da repair tiao das .-oras pnbli-
cas, fao. publjcoq ueno-i4S8, el0
do correrte,' fica interko 'l o atran-
sito devehiculosg' i pela ponte
da Tfcaruna, em con quencia da col-
-oeaAo do nov last,
-Sftmf -Aia drepartiO-io up.obrasI


a eoig-\agj
dade. ,f
socios.


rrmaa-*uz nsw tw1 nora aa iiufK, part
idos~m assembMageral, proce4o-9
da d irectoria eSectiva doest soci
'ode-se o comparecimento de todos o
Recife, 10 de outubro de 877.
01 secretario interino,
Minoel da Silva Carvalho.


I,
a.
0S


Estrada do ferro do Recife A
CaxangA
Do dia 15 do corrente por diante a carga
para as estates de Camioho-iovo, S. J6ose,
Torre, Ponte- de Uci6a, Jaqueira, Parnamei-
rim, Sant'Anna, Casa-Forte Porta d'Agua.
Dous Irmlos e Pedra-Molle, s6 sera despacha-
da havendo pessoa qte a acompanhe; ou
quando houver na estLco do destiny quem a
receber immediatamente que chegar o trem ;
o que deve ser declari.do na occasilo do des-
pacho.
No caso de falta da pessoa que- deve rece-
ber acarga, esta seguirA para a eslaQAo minais
proxima, onde houver empregado que a
guard.
Escriptorio da comranhia, 8 de outubro de
1877.-0 gerente,
F. R. Fe'nn.




A companhia fArrea de Olinda, com-
prasulipas de oitysica comas dimens6es
seguintes :-comnprimento 9 palmos,-
largura 9 pollegadas, e grossura 4 polle-
gadas.-O gerente, L. J. de Miranda.
Santa Casa da Misericordia do
Recife
A lllma. junta administrative da Santa Casa
da Misericordia do Recife manda fazer public
que na sala das suas essSOes, n. dia 14 de
outubro pelas 3 horas da tarde,teem de ser
arrematadas, a quem mais vantagens offerecer,
pelo tempo de um a tras annos, as rendas dos
predios em seguida declarados:
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE
S Rua de S. Bento emOlinda.
Casa terrea n. 16 300SO000
Rua do Padre Floriano.
Casa terrea n. 47 2048000
Idem n. 49 (fechada) 151S500
Idem n. 45 (fechada) 51500
flecco da Carvalha
Idem n. 5 208$0
flua da Virafgo 908
Idem n. 7 2078000
Idem n 19 24090 0
Rua larga do Rosario
3.0 andar opsobrado n. 24 A 2675000
Loja e lo andar do sobrado n. 24 A 963117
Loja do sobrado n. 24 1 :036450


Rutia da Imperatriz
Casa terra n. 68
Rua (da Moeda
Sobrado de 2 andares e sotio n. 37 [fe-
chada]
Becco do Abreu
3.o andar do sobradO n. 2 (fachado)
4.o idem idem
Loja idem idem
Bua dos Pescadores
Idem n. 11


Idem n. 92


tiira Oe S. Jorge
Rua do Pharol


Idem n. 80
Rue do Encantamnento
Loja do sobrado n. 3 (fechada)
Rua de Santa Rita
Casa terrea n. 34
Ruita das Calpadas


Idem n. 32
Idem n. 34
Idem n. 70
Idem n. 4
Idem n. 2


Cinco Pontas
Rua de Santa Thecza
Rua do CajA


362S500

3755000
90$000
906000
120o000
2445000
:304(000
183e000
1806000
230#000
1365000
231$000
2886000
2085009
1908000,


Rua da Moeda-
2ob,.ado de umn andar n. 41 3475007
Rua da Lapa
Sobrado de um ander n. 8 3785000
SRua do Visconde de Albuquerque
Casa terrea n. 91 208S000
PATRIMONIO DE ORPHAOS
Largo do Paraizo
.4.o andardo sobrado n. 29 (fechado) 2435750
2.Q idem idem 35
Rua da Laps


Casa terrea n. 2
Rua da fadre de Dew
Casa terrea n. 20
Idem idem n. 16
Idem n. 2 (fechada)
Be:co das Boias
Sobrado de 2 andares n. 16
Idem idem n. 14
Idem n. 18 (fechada)
Rua da Senzalla Velha.
Casa terrea n. 18 [fechada]
Sobrsdo de 2 andares u. 132
Ruta da Moeda
Casa terrea n. 45
dem n. 47
Rua do Born Jesus
1.* andar do sobrado n. 29 (fechada)
Rua do Amorim.
Casa terra n. 49
Idem n. 45 [fechada]
Idem n. 24
Idem n. 26


201#M0(
722500(
827 000
233S40W



1835000

2179M00

225#000
=s~~


case _Rt-It de S. Jorge -
casa terrean. 14"d Jo4 -2425000
Idem 94t 2515000
Idem n.t100 [fechada] 262992
SOs nretendentes deverAo apresentar no actor
da arremataCao as suas fldngacs, on comparece-
rem acompdnhados dos respectivos fiadores,
devendo pi&r alem d4a renda o premio 'da
quantia em que f6r seguro o predio que con-
tiver estabelecimento commercial, assim coom
oservigo da limpeza e prego dos apparelhos e
annuidades. o a
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do.
Recife, 30 de maio de 1877.
Oescrivlo,
S edro 6drauaa de Souza.
COMPANHIA-

Gymastica e aArobatia
OIIIENTE PERNAMBUCANO
DIRECTOR
METHODIO SILVA


Esplondido serAo

[1 do corrente, As 7 horas da
I ua da Unido n. 63
(Atraz do gymnasio)


oite


Prograaama.
S.a part -A foroa d'um Hercules.
2.a (( --Duplo trapesio.
3.a o -Pao voador.
4..a o -Posig5es academics.
5.a 4 -Uma hora eti Paris [pelo
palhago-.
In'tervallo de 10 minutes
6.a --Dt locag6es diabolicas.
7. : -Os torniquetes (trabalho
semr rival).
8.a -As argolts loriambucanas.
t -09 jog-podoeVeta
10. c 0 boticario .a a (poelopa-
to. i ..pa-


Espera-se dos por-
tos do sulatWo-dia
17 do corrente e de-
pois da demora do cos-
S tume, seguird para os


portos do norte.
Pare carga, encommendas, valores e passa-
gens, trata-se na agencia, escriptorio de conm-
missoes de
Bernardino Pontual
12 -Rua do Bomrn Jesus-12
CHARGERS REUNIS
COMPANHIA FRANCEZA DE NAVEGAgAO A
VAPOR
Linha mensal entre o
ffavre, Ltsboa, Pernambuco, Bahia, Rio de
Janeiro e Santos
STEAMER
Ville de Rio de Janeiro
Commandante A. Fleury
t ^ E' esperado da Eu-
ropa atd o dia 22 do
corrente, seguindo
Jdepois da demora in-
do- sII d dispensavel para os
ports do sul desua escala acima refe-
ridos.
IRoga-se aos Srs. importadores do carga, pe-
los vapores*desta linha, queiram apresentar,
dentro de 6.dia", a contar do da descarga das
alvarengas, qualquer redamaCao conoernente
a volumes que por ventura tenham seguido
para os portos do sul, afim de se poder dar a
tempo as providen.ias necessarias.
Expirado o referido-prazo, a companhia nao
se responsabilisa por extravios.
Para carga, encommendas, pass-Geiros, tra-
ta-se corn os
CONSIGNATARIOS
Augiito F. de Oliveira & C.
42-Rua do Commercio-42
Entrada pela rua do Tortres'
Companhia de navegagao a va
Spor Bahiana, limitada
Aracajui, Estancia e Bahia
0 vapor
Bragan a
"Sd- Mh E' esperaJo hoje do
Penedo e seguira para
os referidos portos no
dia 14-do corrente, ao
nleio dia.


Macei6, Penedo., Aracaju,
Bahia
0 vapor
Penedob


Commandante Pere
SE' es-
" pot-tos ae
ia 1,11) d


Estancia e


I







4


-4'


Companhia hespanho
S-_ DE- .


ZIAZIEILAS
Quinta-feira 11 d 4. RECITE DE ASSIGNATURA
Magnifica funcgo
Zarzuela em 3 actos, original dos
Srs. Barbieri e Ventura da Verga, sob
a direcgao de scena do Sr. Thomaz
Galvao:
Um thesouro escondido
Personagens
Magdalena, aldeA Sra. Garcia.
Rosa Sra. Hespanha.
ucas, aldedo-Sr. Lerner.
t scaligero.i aestro Sr. Ortiz.
Roque, a-- Sr. Galvao.
Um inquisidor --Sr. Ortix Filbo.
Aldeiaes, coristas da opera, damas,
inquisidores e curo geral.
Principiara As 8 horas.
Havera depois do espectaculo trem
pra Olinda e Bebenribe e brnds para
Magdalena, Fernandes Vieira e Afoga-
dos.
Os bilhetes achamn-se A venda no. eq-
criptorio do theatre.


IARITIIOS
COMPANIIIA PERNAMIBUGAN-
DE
Navegagao costeira por vapor
Portos do norti'lc
Fernando de Noronha
0 vapor Giqui4,
commandant Costa'
seguird para o porto
acirna, no dia 15 du
outubro, ao meiodia.
Recebe carga at6 o dia 8 ; eacommendas,
passagens e dinheiro a frete, at, As 3 horas dA
tarde do dia da sahida : escript6rio na
Rua da Comnpanhia Pernambu-
cana n. 12.
DOMPANHIA IPERNAMBUCANA
DE
Navegaglo costeira por vapor
Portos do note
Ceara e Aracaty
0 vapor Pirapama,
commandant Silva,
seguira, para os porto;
acima no dia 10 de ou-
tubro, A s 6 horas da
manhii."
Recebe carga, encommendas, passagens
dinheirb a frete, at6 as 3 horas da tarde da
vespera da sahida.
Os senhores carr egad ores queiram mandar
hoje [4) ao escriptorio da companhia declarar
os volumes que pretendem embarcar, afim de
ser resolvida definitivamente a viagem, no d&ti
e hora acima indicados.
Escriptorio-Rua da Companhia Per-
nambucana n. 12
Companhia Brasileira
DE
Navegagao a vapor
PORTOS DO NORTE
PORTOS DO SUL
0 paquete a vapor
Ceara
Commandant Alcofbrado
$E' esperado dos por-
y yf toa.do norte ate o dia
15 de outubro e depois
da demoja do costume
seguirapura os do sul,
I inclusive o de Santos.
PORTOS DO NORTE
O PAQUETE A VAPOR
Bahia
Commandant o primeiro-tenente G.
Waddington.


I I


I


I ,


)
)
(
I
( I
I
I




















ft r-sdos por-
to dosul-nodia I4 do
correntp,o qual depois
:da detbora'do costume,
seguira para Antuer-
pipta Southampton:, to-
cando nos portos de S. Vicente, Vigo e, Lis-
b6a.
Tern dous vapores por mez, desta compa-
nhia, tanto para b sul, corno para Europa.
As chegadap e sahidas sAo as seguirtes :
Da E-iropa
Lie Southampton nos dias 9 e 212 de ,A.a met..
De LisbOa nos dias 13 e 28 de cada mez.
De Pernambuco nos dias 10 e 15 de cada mez
Do sul
De Buenos-Ayres nos dinas 1 e 15 de cada mez.
De Montevideo nos dias 2 e 16 de cada mez.
Do Rio de Janeiro nos dias 9 e 24 de cada mez,
Da Bahia nos dias 12 e 27 de cada rnez.
De Pernambuco nos diasAJaSEe cada mez.
PREQ0 DAS lM GENS
CLASSES
1. '2.' 3.a
ParaLisb6a e Vigo. 20e25 15 9
Southampton 30-35 20 13
Bablja.. 50' 255 15$
Rio de Janeiro. .100$ 50$ 3f.
Montevidto. .. 23 14 76.8.
Buenos Ayres 24 12 8
Bilhetes de ida e volta teem urn abatimento
de 25 por cento.
DA-se vinho gratis aos passageiros de to-
das as classes,
o Faz-se grandes abatimentos a favor de fa-
milias e para reduceoes sobre os preeos da
tabella, trata-se c6m os consignatarios.
Adamson Hlowie ft C.
Rua do Marquez de Olinda n. 37
Entrada pela rua do Bispo Sardi-
nhan. 37.

Companhia des Messa-
geries Maritimes
LINHA MENSAL
0 paquete


Orenoque
Commandante De Somer
SEspera-se dos por-
tos do sul no dia 20
do corrente, seguindo
tdepois da demora do
~costume para BOR-
BEAOX tocando em
Dakar, Lisboa e Vigo.
Para passageiros, encommendas, etc., a tra-
tar cornm o
A(CENTE
Auguste Labille
9- Rua do CommAroio--9
COMPANHIA PERNAMBUCANA


DE
NavegagAo costeira
Parahyba, Natal, MacAo,
caty, Ceara, Acaracif
no Piauhy


por vapor
Mossor6 Ara-
e Armarragdo


0 vapor Jaguaribe,
c6rnimandante Julio, se-
guirA parao portoaci-
ma no dial5 do corren-
S te, -s 5 horas da tar-
4M9- a. .. de.
Recebe carra aJ6 13 ; encommendas, pas-
sagens e dinheiro a frete at( as 3 horas da
taade do dia da sahida : escriptorio do
Forte do Mattos n. 12.

LEILOES

LEILAO
DE
Urn sitio na rua do Maxixe, em Afogados,
corn 378 palmos de frente, coni viveiros, -o-
queiros e outras arvores de fructo.
Um terreno corn cerca de 100 palmos de
frente, em quo se achamn edificadas 5 casinhas
de pedra e cal, na rua dos Pogos, na mesmna
freguezia do Afogados, corn cerca de 100 pal-
mos de fundo.
Hoje
As It horas
POR INTERVEN(iAO DO ACENTE
S PINTO
Na rua do Bomrn Jesus n. 43
Os prelendentes poder.io otter qualquer in-
,formagao no estahelecimento do Sr. Jos6 Pro-
gresso, nos Afogados.

Agente Pestana
LEILAO
DE
1ti duzias de cops lisos de vidro, 7 ditas
de calices, niobilias de jacaranda, guardas--
tou-as, aparadores, carmas francezas, mar-
quezues largos e estreitos, conimnodas, meias
ditas, consoles, soffis, cadeiras, mesas elasti-
cas, carteiras, lavatories corn tampo depe-
dra, cabides, quadros. relogios de parade,
ditos de outo, diLos de prata, figuras, fructei-
ras de electro-Ilate, porta-cartoes, de dito,
porta-colheres dtie dito, salves 4d dito, porta
essencias de dito. paliteiros de dito, copos de
dito e rnmiitos outros objects que estarao pa-
tentes no acto do leilao, para serern exarni-
n ad o s. .
SEXTA-FEIRA 12 DO CORRENTE
its i1 horas em ponto
No ai'mnazem de agencia de leilkes, d
rua do .Vigario Thenorio n. 12
ao correr do martello
POR INTERVEN(AO DO AGENT
PESTANA
LEILAO
DE
UJmn registro e 2 candieiros de gaz, carros
de rmo corn rodas, ditos sem rodas, telhas,
tijolos de alvenaria batida, barrotes de
amarello, ripas, pocgas de cordas, enxamds
de louro, costados de sicopira, varas para
canvas, taboas, solipas, urma porcao de qui-
ris, I jarra e 3 espeques
SEXTA.FEIRA '2 DO CORRENTE
A'S 11 HORAS
No armnazem de rnateriaes da rua do
Marquez do Iet'val n. 25
Pelo agent Martins

LEILAO
DE
3 casas terreas ha travessa daPaz, fre-
guezia de Afogados, de ns. 38, 40 e
42
SABBADO 13 DO CORRENTE
A'S 1i HORAS
No a 5@m da ra do Impera-
0 apteo Martins farA leillo des casas aci-
! a,. ficada# ern terreou "
lll,:1^i.: 0 ~li patol*^'l ^ d1r I^ *~O


lik jum amo UI| umsiiiuit reiprowo uo
cprnnerciol. vendor noa dias acima 24 cz'sas
terreas, um bow Sitio e trees terrenos proprios
para eldiawn, sendo 'ascasas de Ujolo, em
So10 prpiuo, em ruas de commercio alugdas
quasi todas por precoq Iue d do oresultado
de W1000 mais ou menos, tudo em Mamangua-
pe, provincial da Pa rahyba, mais 6 caass e
terreno na villa da Independencia. na mesma
provincial. Se veiderd mais 371:7005579 em
divides, Derter.ce ..c. tud ao. rernanescente
da mussa fallida de Marques Barros & C.
0 catalog de tudo corn as precisas decla-
ragOes poderao os Srs. pretendentes procurar
em As ruas do Born Jesus n. 53, do Bario da
Victoria n. 18 e Irnperatriz 42.
0 leilo serA effecttado.
No escriptorio do referido agen-
te, & rua do Born Jesus n. 53,
10 andar.


AVISOS DIVERSOS
AttenCio
Maximino ia Silva Gusmao, filho do
major Antonio da Silva Gusmao, de-
clara ao public 'que protest contra
qualquer acto de indignidade que en-
volva o nome de seu finado pai, o que
farA sempre em honra de sua veneran-
da rnemoria.

Muga-se o predio da
rua de Rortas n. 4, constando de ar-
rmazem e sotto, corn 2 quartos e salas
proprias para moradia de quem n'elle
se estabelecer corn taverna, para o que
temn armafio e utensilios e o lugar e o
melhor possivel, a tratar na thesouraria
das loterias.
Precisa-se de uma perfeita cozinheira
na saboaria do Recite.


lINDO tRSALL

No rcstauranie italia
no, rua (las Larangei-
ras n. 23. vcnde-se o eA-
cellentle vinho Marsalla
I)clka Falloria de Gia-


come:
do,


a preco commo-


-PRECISA-SE de uma ama para
cosinhar e comprar: na rua da Concor-
dia n. 43.
Pretende-se alugar uma casa corn accom-
modacoes para familiar que tenha sitio ou
quintal, proxima da cidade, em qualquer dts
estradas por onde passam as linhas dos bonds,
Passage ou Fernandes Vioira, tendo encana-
mento d'agua 6 gaz ; indemnisando-se de
qualquer bemfeitoria : a tratar'na saboaria do
Recife.
-PERDEU-SE no dia 0 do corrente,
no theatre de Santa Isabel, urn alfi-
nete de peito corn urna pedra no centro
que lhe chamnam topasio; pede-se a
quern o liver achado e querendo res-
tituil-o, serai recompensado: A run Du-
que de Caxias n. 91.
Consta que se pretend vender a casa
terrea n 46, sita A rua da Assumpcao, fregue-
zia de S. Jose, avisa-se a quem comprar que e
foreira e devo alguns f6ros, assim como o lau-
demio.
Para cozinhar e engommar corn perfei-
,3o, para uma s6 pessoa, offerece-se uma
mulher portugueza : para informanoes, na rua
larga do Rosario n. 27.
Precisa-se de uma cozinheira, preferin-
do-se eserava : na rua do Queimado n. 31,
segundo andar.
Urnm est.angeiro precise alugar umn sitio
que tenha baixa de capim, estribaria- e com-
modos para criados, que seja proximo da ci-
dade, em qualquer das entradas por onde
passam as linhas ferreas e bonds : a tratar
nesta typographia."
0 unico deposit dos
remedies do Dr. Ayer 6
em casa de Adamson
Howie & C., arua do
Marquez de Olinda n.
37, entrada para o es-
eriptorio rua do Bispo
Sardinha n. 37, outr'o-
ra rua do Encantamen-
to.
Fugio desta prara, no dia 23 do
mez proximo passado, o escravo An-
tonio, mulato de 35 annos, poucQ
mais ou menos, pertencente ao Sr.
coronel Jose 4e Carvalho de Araujo
Cavalcante, morador na fazenda Carn-
po Alegre, em Papacaga, levou ura
pequenairouxa corn roupa, e vestido
corn cala e cainisa de afgooalo de lis-
tras e chapeo de couro, jia velho; 1
baixo e grosso e tern algurma barba,
usa da rosario no pesco1o, tern os ps
apalhetados, falla mansa e diz ser li-
vre: queni o apprehender e o levar A
rua do Marquez de Olinda n. 50, ou a
seu senhor na mesma fazenda, serA
gratificado.
Precisa-se de unia amn, ia rua
da Aurora n. 19, 1.o andar, que saiba
cozinhar e engommar e que se preste
a ir par f6ra da cidade.
Traspassa-se uma hypotheca da quantie
de 3:500; sobre urn predio de dobrado valor :
auem pretender faser este negocio, deixe car-
ta fechada neste, graphia corn as inicines
8.S. P., para so rado.
-- PRECISA- deo ura ama que
entenda de engoiniado, coaturea e
mais services domesticos: na rua da
Concordia in. 12.
Precisa-se alugar urn bither ou ccmprar:
no becco do CaJu n.. 40.
I. S. Carneiro dae Cunbi, sendo obrigado,
por motivo deorca, maeor, a "ir amauht
para o note, delta, 4urante sua cuf' ausen:


-Alugg-so emn uiinf pakra reaM umba pump
--A U PW WI PI nR IP i
comexelenescommqodos Pam.famiea- 4
meira da ladeir. 4 ia a iriord*ia n.l 1, ;t!
urn pequeno sitio com portWo para o Born-im
e nmuite enxuta. Na rua da Imperatriz n. 8 20
andar, se dira eomrn quem se trata.
-- Quemn precisar de uma engommadeia,
tanto para roupa de senhora como de home,
dirija-se A rua o1n Hortas n. 67, que acharA
corn quern tratar.
Tendo-se desencaminliado uma cautelta
do Monte de zo corro desta provincia, sob n.
154, datada de 17 de julho do corrente snno,
proveniente de urn emprestimo de .ds. i7J00,
e seus juros rs. 510, total s1. 171510, roga-se
a quemn a achou, o favor de trazer a esta type-
graphia, visto quo nao tendo valor algurn Para
outrem. se faz mister 'ao sighatario da meserna
cautella para uitknar essa transacAo c&rno0
dito estabelecirmento.


Aluga-se o sobrado de urn andar e sotao
ai rua de Lmrnas Valentinas n. 27; o segundo
andar corn sotlo no pateo do Terco n. 27 ; o
primeiro andar e pavimento terreo a rua do
Rangel n. 41 ; a casa terrea a rua deo S. Jolo
n. 79, c finalmente a case corn pequeno sitio
no Espinheiro, onde morott o Mangirioao : a
tratar no segundo andar da casa n 41, rua do
Rangel.
--Aluga-se o segundo andar e loja do so
brado da rua do Apollo, hoje Visconde de Ita-
parica n. 33 : a ver as chaves e tratar, corn o
seu proprietario, a praca do Gonde d'Eu n. 9,
segundo andar.
Aluga-se barato a casa som sotao, arma-
CAo e mais utencilios para taverna, d estrada
dos Afflictos entire as duas primeiras esta-
GOes, em bom ponto para negocio : A .tratar
na bojca da rua do Visconde de Inhafima es
quina para o mercado.
-Aluga-se o armazern do predio da rua de
S. Joao n. 8 : a tratar na rua Duque de Caxias
numero 80.
-Aluga-se o segundo andar do sobrado da
rua de Hortas n. 48, corn sotio, 5 quartos,
quintal e cacimba : a tratar no primeiro an-
dar do mqsmo sobrado.
Aluga-se o sobrado n. 85 A rua do Mar-
quez do Herval, bern construido e asseiado,
tern todos os commodos iara tres families,
bomn quintal e cocheira para a rua da Palma :
os pretendentes dirijam-se A rua Primeiro de
Margo, sobrado n. 12, prinmeiro andar, das 9
horas As 5 da tarde.
ALUGA-SE o terceiro andar e so.
tao da casa da rua do Commerci o n-
10, hmuito fresco, corn commodos para
familiar : a tratar no armazem.
AMAQ Precisa-se de duas, ua
para lavar e engommar e.
outra para cozinhar, para casa i'de fa-
milia: a tratar na rua do Visconde de
Itaparica n. 32.
llla Precisa-se de umrna ama que co-
III zinhe bern e compare, para casa de
pequena familiar : na praqa do Conde d'Eu n.
30, segundo andar.
Am ii Precisa-se de uma ama que saiba
cl oser corn perfeicAo; n'%. rua do
Morquez do Herval n. 12.
AMA Precisa-se de uma para co-
zinhar, corn prar e engommar:
na rua da Concordia n. 153.
Ani- Precisa-se de uma ama que seja
Iiac perfeita cozinheira, para casa de
fanilia : na rua Vidal de Negreiros n. 16, se
gundo andar, outr'ora pateo do Terco.

D. Blandlna Amalla Fragoso
de Albuquerque
Lydio Mariano de
SfAlbuquerque e sua
S fliha- Anna- Clotilig
Fragoso de Albuquer*'
que agradecemdo in-
timo d'alma a todos
-- os seus parents e
'" --" amigos o obsequiodeo
Lerem assistido no cemiterio public a inhu-
maCro do cadaver de sua sempre lembrada
esposa e mi D. Blandina Amalia Fragoso de
Albuquerque, e os convidam de novo a assis-
tirem as misses, que pelo eterno repouso de
sua alma, mandam resar as 8 horas da manha
do dia 11 do corrente, setimo do seu falledi-
mento, na matriz do SS. Sacramentot de Santo
Antonio desta cidade, confessando-se desde jai
por esse favor etem*auept agradecidos.


Antonio SBe5 Moreira:
Temporal
B Manoel Germano Re-
gueira Pereira de Bas-
-tosconvidapelo presenie
a todos os seus amigos e
os do finadoAntonio CliH-
Nmac Moreira-Temporal,
residents na freguezia
_d e -l para assistirem a ura
Tnissa que pelo eterno repouso de sua
alma, manda rezar na igreja matriz da
mesma freguiezia, no dia 16 do corren-
te, pelas 9ndras da manhA, trigesimo
do seu falleCiMnento, e confia quese
prestarao a este actor 4.e caridade o que
muito Ihes agradecerA. Recife, 8 de se-
tembro deo877.,
D.. -k JA nAbftU
de Albuquerque ..
0 capital Mqdoel Claudino 'de Oliveira Cruz,
D. Isabel Claudina Cavlcati de Albuquerque
e seus filhOs alferes Gerclino Martins deKi-
veira Cruz, D. Raymunda Laura de Araujo
tCruz, D. Firmina Felonila de Oliveira Gru;,
tenente Claudino Marinho de Oliveira Cruz, D.
Maria Claudina Cavalcante de AlJbuqueque
(ausente), alifres Jo-o csudihn de Oliveira
Cruz (ausente)., alferes pharnaceutioo Arsenic"
Custavo Borges, D. Maria Amelia de Oliveira.
Borges, genro, filha e.netos de .D; Ignacia Jo-
sepha Cavalcanti de Albuquerque, possuidos
da mais pura gratidao, agradecem a seus, -p
rentes e amigos que se dignaram acompanbfr
os restos rmortaes de sua chara mai, sogra e
av6 ao cemiterio public desta cidade, e re-
gain aos mesmos, aos seus parents e amigos
a sua assistencia A iissa do sotimo dia. que
mandam celebrar As 7 1J2 horas da manha do
die 12 do corrente, na igreja matriz de S. Jos6;
protestando os mesmos desde ji o seu etorno
reconkecimento plo acto de liata religio e
earidade. t I ,


Monteiro'
seus filhc


ilas


OQs abaixao assign dos, residentes na
cidade de Santo Agostirnho do Cabo,
em homenagem e culto a veneranda
emnoria do inclyto magistrado conse-
I ciro Anselmrno Francisco Peretti man-
d m rezar por su alma uma mrnissa de
requiem no dia 45do corrente, As 8
h ras da manhg, na igrja matriz da
aesma efidade, .e convidam a todos os
p oentes, anJgos e admiradores do il-
I stre finado para assistirem a esse
a to religioso em suffragio daqujIlle
g ande espirito que foi u ma verdadeira
g uria desta provincia.
Francisco Teixeira de Sd.
Jodo Gonzaga Bacellar.
Andrd Cavalcante de Albuquerque.
Candido Valeriano da, Silva Freire.

D. Maria Euphrosins. Ferreira
STouvinho
Adolpho Frederico Tourinho e Joao Baptista
Tourinho, filhbo e sobrinbo de I). Maria Euphro-
sina Ferreira Tourinho, fallecida na provincia
da Bahia, convidam a seus araigos e colleges
para assistirem4 a miissa quo' por sua alma
mandarn resar no dia 13 do ,corrente, setimo
dia de seu fallecirnento, na matriz da Boa-Vis-
ta, pelas 7 horasz*da manha.

AGORA M


NAO PODERA' HAYER MAIS CABELLOS BRAN-
COS, COM A TINTURA CHINEZA
Preparada por A. R. Ramalho.
21-RUA DO MARQUEZ DE OLIN-
DA-21
Esta tintura faz- tornar os cabellos
rapidamente pretos serm offender a cu-
tis, e muito facil de se applicar. Cada
frasco acompanharA as instrucgSes ne-
cessarius.
0 autor da tintura chineza ndo preci-
sa de encher as columnar d'este journal
como muitos outros autwres fazem, en-
grandecendo sous preparadclos a ponto de
tornal-os uma maravilha, sem se lembra-
remn que, a maneira que seu autor os
eleva, o public os p6de :rebaixar, pot
que as mais das vezes F enganado.
Portanto, o autor da tintura chineza,
certo do born resultado, jAi pelas mui-
tas experiencias que se tern feito, ja.
pelas b6as provas que sempre tern tido,
recommend esta tintura.
Pede tao s6mente que experimented
ella, para depois fazerem seu juizo:
Unico deoosito, cm casa de seu au-
ro acimn



SMedicina e cirurgia
Dr. Cantalice *
Medico operador pela Faculda-
Sde de Medicina do Rio
^ de Janeiro
Especialidades:
Syphilis, molestia's das vias
respiratorias e dos centros ner.
vosos.
Chamados por'escripto a qual-
Squer-hora.
Consultas das 9 As Ili horas.
P6de ser procurado A rua -
Nova n. 58, segundo andar, ou "
f na mesma rua.
51-Pharmacia Popular-51

r Jardim das plan-

tas


No Mondego n. 80
Ahi acha-se a venda sapoteiros e sa-
potizeiros de mais de 1 a 12 'palmos,
em vasos, corn grande copa e de tron-
co de mais de pollegada e meia de dia-
metro, alguns floridos e atd corn fruc-:
to : por prego de 500 rs. a 88 ; laran.-
geiras enchertadas, selects e de urn-
bigo, a 35000, e as plants de ornate
e dos fructos seguintes :
Abacate. Inga caixno.


Abiu.
Acacia.
Agafrao.
Acafroa.
Adienia.
Ameixas.
Dita do CanadA.
Atriticum a pe.
Bacupary.
CambucA.
Canella. .
Carambola doce.
Cassuarina.
Carolina do princi
Cidna,
-Ceondega.
Coracao- da India.
Coral.
Courana.
Dende.
Figteira.
Flaiboyanb.
TIFlor de algodao.
Fructa-pAo,
Grumnexamc.
Imbfi.
Irb M IU


Jamnbo.
Jaboticaba.
Jaca.
Jasmim laranja.
Dito do Cabo.
Laranja da China.
Dita do cdo.
Dita cravo.
Dita de doce [ do
Para 1.
Dita branca.
Dita tangerina.
Lima da Persia.
ipeDita de umbigo.
Limao azedo.
Dito francez.
SOiti-coro.
Palmeiira imperial.
Dita rubra e outras
Pereiris.
Pinheiras.
Romeiras.
Roseiras.
Sabdo vegetal.
Ubaia.
E outras.

-O M ** .W


PMi* 1 p ndtP*b w', I^Sm-
mt. 4 eVttot LIA 1 Mtn, al'xuk" iowls


AVWfo* poe AAoawmia% deaidedciIk. dar
6'6de todas as1?repaimeoes ferrugiaosa
g a quoniat~odlz mals t tferroto sai
gastrice. 2
S dhIfin. izeAcaclon (' ( d medaiia* xix taU
Pat a eftaeas Mmg ) asfIx45 fjlja4s lg
di s A1as imparas e iueff1)~we a s viz


I N .


0 rande rermedio ia ta t :1e
temrn sidochimicamente a-iana 0 -
commendado pelo Porto Medicato In-
peial de Berlimn, como possuidur "
mais. ala excellencia e efticacia no cu-
artivo da Phtvsica e todas as moletias
da garganta, do peito e dos plumNes
Vendem
Bartholomeu e Comp. A. Gaor's, Jose
Elias de Moura c Comnp, P. Paurey
e Corn.

.I EA ANTI-NERVOSA-S
I i;O Pca;iurroto arsenical
C^Y aI POICOTO2C:^Ai.& j
-,.,' cr c- L N.AU /. ? ,
"' ( \-;.^' ci: y ^Ai JA *


0 D, LUNEL de PARIS cita o seou journal do
naedicina caos surprehendentes do Catow,
.ro.ahito_, Tos- teiaou, etc., cumadas p6lo
emprego do
XAROPE E DA PASTA
MOUSSERON, Phar" em Dijon (pFraa).
LER 0 PROSPECT
Deposito em Pernoabco,
JOSE ELIAS DE MOURA e 0.







L. BARROU
Successor de A. Mollard
Paris, 14, rue Martel, 14, Paris.
ESTES SABOES SAO SUPERIORS PARA
O TOUCADOR, E PRESERVAM AS MOROEDURAS
DOS MOSQUITOS

SAUiO SULPHUROSO DE TOUCADoR
SABA0 SULPHOROSO MEDICINAL
SAB30 10 ACIDO PHENICO
SBAO DE ALCATRASO
Depositos em todas a- priahlpim Pharm... -
cla> e Porfuaasltas do smuado.
S ua Pesaonbuco,.em casa de |
0 E MIA OE MOURAS Oe,

---- -- ---



aft enxaquet-as e ncvralgiiis saio a<; em algun? moinuto; c,)m n!s Perota
d&'esnc Ha <.e DerbentiOUGA do
Dr CLEBTAN.
3 ou 4 d'estaf Pcrolas produsen= un ali-
vio quasi instantaneo; de tl forma que se
a primeira dose naO proJu- effeito e inutil
continuar.
Cada fresco conteom 30 per)las, o quo dai
logar a ser feita a cura d'uma ,nxaqueca ou
I d'uma nevralgia por prevo insignificante.
A essencia dte terebentiia devendo sr
rectificada corn cuidados species, convem
desconfiar des imitacoes e exigir, cemo
garantia d'origern, sobre cada fresco, a as-
signatura CI.ERTAN.
Em Paris, casta L. Free, 19, ruaJacob.
Yendem os Srs. Barboza, Bar-o
ltholorneu C; Ferreira Ma a eC.


,- W -. -- .]":
S" .... .- .- .. ...
--









c a
f*? .y .y i ,- ,, : !-,- .l' ." *.-::, ;
1 ., 1. : .'-




^ ^ **" .. ;*.




?URTcGANTB DE MAGNESIA\
C CHOCOLATE DE$BRifeREX
*Eite chocolate ir uii gos~to agradavel, 6
R de nina GRANDE EFFICACIDLDE
contra a ihjs, aPimti(a e a.s Humores. Em
doses peqt.iiis elk cura a prinues do vente.
*^ Deposiios nis'irincipaas Pliarnacias do Drasli


. .... ......... S UPw www ... ........ w MM w
PeofbuMsi Ilma-fl4ag, JeckoyClUb e outros.
hTlap Toilele da altaaoseiedae edas ci -"ri ada
Auda TdoUeT, olAguad'Alfuemn,.A&ua da Florid a. Agar
doejeoloor Saeo de Limio, Glyeeria para os cabeilos
A sde oGlycrina, Bel e outrs. P6 fArros de
Tioleta, MA deatiaa para as ddns de deniets, etc.
II 804,U, KItut-OWt, e ti aatUl rhW,a* 1dres.
to"a ea io IsMtoi. M midiu a Cinic.. (Proatistaa;.
.mE d do Fabrics fo lnegitraia R torldis Btom


'XAROPE LENITIVO PEITORAL H. FLON
Recoimendado ha mais de meio seculo pelos mais celebres Doutores de todos
os.pales, crmo send urn especiflco notavel contra as CONSTIPA(OEOS, Tosecs
Tf osas, Tosses convulses, Calharros agudos ou chroiicos, tc.
0 gosto agradavel do AROPE Di FLON e asuaacciio :.doci!saate em todas
s Irritatoes do peito Ihe valeram a sua reputacgo universal c ihe asseguram para
seinpre o seu alto valor therapeutico.
Depositarlos em Paris. RNAL, Medico-Pharmo e Ca, successorcs, 28, rua Taitbout.
kOW ? mumbuco: LIA de MOURA a CO ;-F. UASOIL da SILVA ;-FERIEIHA MAIA e QG


COLLARES ROYER
0 Wia. appro*ados pela Acadeo:ia te Mer-na, Ic ,n. aw i conoA e
eneue mm productos, attrahido a cuoidez dos alsificadoreo, que par
laciliar a criminoza industria nao e pja6, nem receia6 ausunmciaf
VhA* f Cw GOLL AE CON 0 MNEU HOME. Previno as familiar
p juaqtwu .e dA ees filhos que, para eiilar fasilscar6es, devoem i exii,
Wuq m.e C.LLABES ibae sejo eatuidos em caixaa de tamn;.s d
secahk' s um ias cobertas peks 4 rotulos corn a minha marc de fabrica
o mem a pmi e vctou circuastanciado, e selladas per uma medalba
- Iutr I COLLAM 1072L Rue Saimt-Martia. L Pa.*


PILULAS PUgR6ATIVAS
DE EXTRAOTO D'ELIXIR TONICO
do Doutor G U ILLI 8 aimwfelro ea i-ap deIBMn.
Contra os H MIO]S YI8 V OS aA Febres, as Dysentarias, a Febre
marella, Vomit, as D s pidemias, s Do aa de figado,
do estoago, do bao, dos tinstinos, contra o Cholera morbus, etc.
ESTAS PILULAS 4AO PRiPARADAS PoR PAUL GAGE, PHARMN!"
Unico proprietario da Verdadeira formula
PARIS, 9, u d GrenUle-Saint-Gewmain, 9, PARIS.
EstasPflulaacontimn'lumpequeno volume sobre os intestinos scm can(ar o doentV.
os prciplos medicamentosos do Eliir to- DtDas Pikolas cquivalein a inae COUler (c
nio ontra o humor. visoosoe do doutor elixir e coustitucin umn laxan c; quatro F!.
GUILLi que ha 60 anuos trn goseado no luas cqvalcm a duas colhlivs de clixir c
intundo Inteiro deu stm muceao immno besbm consituem mn ipurpaie lFc: sois I PiLula
,n.ereete. equivalcin a tret co~Hores dc clirir e oanstl-
E' o 'jaIao vege* por expellencia. tuem um bom pturgante
Em toas a oencas otadas acima;, clle Para mais esclarecimeroo., ler a brochttur
exerce umna noo crta, constant, e efflcaz qwu ai jumto a cads vidro de piUula.
Dcposto em todfe as Prlncipaes Pharmnacias da Americet principalmnente
em Per ambawo, na oasa de d ..ELIAS DE MOURA e C0.


IODO-FPUO COl QUINA

* -dW o 6o 6 6eide ytaoi


I



'I
1
f!


I














WI,


'' *;,I~ ^ T r / 1 f \ T A \ T
A&irCNQRiOeDm

Neposito em Pen


Rua do Vigario Tporio n. 31.


ISCtiPTORIO DO BA.iO DE IEEFICA
Ped&-se aos senhores agrimultore- que maudem
ver -as. amostras pois csta fazenda 6 cspecialnentc
tecid-i para o trabalho da agrticuura
Desconto enm relaqaoa importancia da, vcnda


| PHARMACIA IOMEOPATHICA




A. CARS

DEPOSITAO DOS PIIODUITOS HOEOPATIC )S

Jr DA CASA
Globulos puros Variado sortimento
de Catelan CASTILAN IRMAOS de earteirbs
Globulos dynamisados DE para globules e para
eTinturas PAS.-S tinturas,
, Tubos e Irascos vazios 22-RUA D.BOM JESUS-22 cha e chocolate
Sde todoes os tamanhos. PERNAMBUCO homeopathico
- j^^ j^< ^^.^~.^^ .<^ ^^(g).^. PER AM UC


FRANCISCO I. DA SLYA & C!


IP UITAD=M
* KXPOITABORXM
de
)ROGAS,
?uducts hebimioss
E IOAI



* OARANT
* tuf
akS W*ir3Tf
2^


Mum
de
pHTAS,
Pinosis, Oleo0
Venmu.
ItucB iueniB

INaTRUMChtTO
Mdcametomm,
Homeopatbioo8
dPurifis Vos,
a Valbhaum
Par


83 Rtt -o -ar-quez de O inda, 23
3WeN^AbMBXUOO

lI tI CABEI1OS 1BRANCOS


Agua de chnolina

Para tingir instantaneamente os cabellos
PREPARADA POR "
BARTHOLOMEU 4.
PHARMACEUTICOS 1D4 CASA REAL CE S. M.PF. EL-REI DE POMRT1AL, PREMIADOS EM A
DIVERSAS EXPOSI(OES DOM 0 PRIMEIRO PREMIO DE SUA CLSSE..
Unico composto, cuja base principal sAo principi s vegetaes, que p6de
por isso ser usadopor tempo indefinido, SEmX 0 MENOR RECEIM de altera-
gao da safide. Estaagua admiravel da aos cabellos, em poucos miWtos, uma
c6r e brilho natural, desde o castanho ate o nregro, e, ao contrario de todas as
Winturas conhecidas, tern uun aroma agradabiisimo, que facilita oeeu uso as
senhoras,. ainda m nais diffioet. AFFIANgAM-SE O- RKSTLTADOS E
EFFEITOS INOFFENSIVOS, qndr a applicabao seja lifitada, A barba, qudr
comrnpreh6nda as cabellos da cabeqa. .
Tbdo o frasco, quae nao tevarassignatura em mataruja brana, deve sr
regeitado como uma falsificagiao.
DEPOSIT GERAL'
PHARMACIA E DGMRIA &
34---Rua Largado RosArio---
Pernmbuco.






IWIECCIBDO DU BUEI

UNICA SDERANA E INFALLIVEL
Na cura da leucorrh6a, flores brancas e eorri-
mentos recentes ou chronicos
A bleneorrhagia ou'purgagdo, urma itflammagao do canal da uretra, occa-
sienada a maior part das vezes pela communicavao impura. Nao umaafTec-
cAo geral, que d6 lugar, come a syphilis a accidents secundarios. E' uma af-
'ecgao puramente local. EfTectivamente, os medicamentos que ha muito teem
qido applicAdos interiormniente contra este mal, takes como a copahiba- cubebas,
-etc., nao produzemn effeito senao communicando as ourinas algumas das suas
1.omposigbes, que, pela sua passa gem 'atravz do canal, se tornam urma verda-
ieira injeegdo. f f.':"
Para que sera necessario carregar o estomago corn essas preparagdes nau-
eabundas e repugnantes ? Para que. pr4ei.Qs intestines corn a sua
acgao irritant? A resposta e si*apte: -Nas se i a",a descoberto uma
uistura que, introduzida directan.pite canaL4_pu i i mesmos effeitos
iem temer mAos resultados. As I'WeCf tao TIWI ati aqui, conseguem fa-
zer parar a purgaao-, por4m pela il"nRitEr e-wotum a l pl duzemD no canal,
iAo uma-ameava permanent d'apert. aflqpgP.ao mu tB *rrivel que o mal
que se pretend curar. Eis aqni p ijpe iniot )arte dos medicos, recusam,
oem razao, de as empregar. ,, .4o
Presentemente, este fundad temor nao exf.. A J..o 0 n6s apre-
art q0an~t bas aou q n[ pe
ietamos ao pubhlico, que cents 90anmw de bons result na terrompi-
do, no e irrita .ante. E' ai-bnorrhaqica em tod palavra.
tjeremps dIzer 0 a causa do ngi, qtb ^^ jit .e6e mementos
d. pu1 gao., e tonilicando a iowbo! v M #I sua ori-
s.W A -. a pplicacAo nao ddotv4%eLsia.ii 4ie seiuea
introducegao, essa impressed e da pouca et sensaceo
4 e nao 6 desagrada4. ,:10It t&atMR6no MYX ou-
r "iar panr fazer pararem naid 'temt trn ainda as
'', ti-a asi seizpre basta um s6 frasco pa. auiaa nu hou-
..s w .-, :. Ma ffou resistiMe, ao 'emprego & s'tMt'':
i 'lM ^ ;161' :": '"": '' : eg t:m otmlalta'w iiiF^ nt i regimen.
hIiga ta :~ jL[ .nt... e


..,' f 0 '* hIg '

I Phwrasoeutioo pelo. acmletu1a de mwgici-
l n. iadaBiiWte
0 Gme -nvo dseb eto
|Grande e no.vo deseebrimnto


SPECIFcO OA PIHTITSICA E DOEWAg ,
0 Jarwncar .oamposoo *za:rep peilo-
rat 6 umn edicamento precioso, e o m-
ior peitwal atl hole coohecido nos an-
raesdamedieysa. E contiderado especifl-
co has molestlas segnintes : defluxo. tos-
se sizples oa rebeLde, oaLawbho pulmo-
,ar, affecwges da garganta e phtysica.pul-
tnonar. So1 innumqras as curps effc-
tuadas desfde o semt descobrimento. 9'
empregado em alta escath petos medieot
especialistas.
SSalsaparrilha e caroba
DR
Carlos BitterU urt
Grande depurativo do sangue
Empregada nars hydropesias, rheumnaLis-
mos, affecQes golosas, infartos glandu-
lares,- escrofulas, syphilis, papeipa, mo-
lestias chronicas da pelle,, cachexia mer-
curial. lupus, sycose, eczema, care es-
crofulosa, dysuria, darthros, boubas, bu-
bOes e Lodas as molestins que teem a
sua origem na impureza do sangue.
D6se : urmsa quatro colheres de s6pa
por dia em agua e mais progressiva-
mente.
DEPOSITO GERAL
Pharmacia popular
Carlos Bittencourt
Rua Nova a. 51
Pernambuco


Aluga-se
dous grande armazens A rua e caes do Brum:
a tratar no largo du Corpo Santo n. 19, pri-
meiro andar.
Para banhos do mar e
passar a festa
Aluga.se urnta excellent casa na
Boa-Viagem, inuito fresca, tendo com-
modos para grande familiar : a tratar
na rua. do Aragao n. 1, segundo andar,
ou corn o Sr. Dr. Pitanga, a rua da
Imperatriz.
Copeiro
Aluga-se um optimao copeiro, escravo: a
tratar corn Candido Alcoforado, no largo do
Corpo Santo n. 2.
Cozinheiro e copeiro
Para esses services aluga-se um meo-
leque de boa conduct, e um outto
para servigo em armazemin oa sitio : a
tratar na rua do Aragao n. 1, seguado
andar.

30U000O
Atten(!ao
Escravo fugido
No dia 4 do mez find fugio, no port da
Bahia, de bordo do vapor national Bahb'O0
escravo Romnualdo, que seguia viagem Z
porto para o Rio de Janeiro, de propriedade
de Luiz Jos6 da Silva Guimarles, negociante
no Recipe, queo houve por iompra em 25 de
maio de 1869, a Jeronymo Theotonio da Silva
Loureiro, morad6r na Baixa Verde, cujo as-
cravo tern os- seguintes signaes caracteristi-
cos: co6r acabralhada, estatura 5 p6s. 1 polle-
gada e3 pontos, cabello preto e carapinho,
rosto comprido, olhospretos, cornm olhar amor-
tecido, nariz afilado, locca grande, todos os
dentes, barba-pouoa, e corpo groswe, em umna
das mlos, por traz do pulso, tern unm caroo
a especie de um lombinho, pronuncia compas-
sada, conserwAdo-se, quando fall, em attitu-
de humilde e vista baixa, tern de idade 30 6
32 awnos, poweo mais ou menos, 6 filho de Joso
e Antonia, escravos de Manoel Salvador, de
lugar Fazenda Grande ou Paje( de Flares,
d'onde o referido escravo 6 natural, e onde ex
ercicia o officio de ferreiro. Sahio desta cidade
vestido corn calCa e camisa branca, paletot de
alpaca preta, chap6o do Chile, levou um ba-
huzinho de couro, corn bastante roupa branch;
assfra como consta que no acto do emnbarqua
aqui, um preto foi A bordo e entregou-lhe a
quantia d e 600000 a mandado doe uma amasia
de nome Romana. A provavel que teaha mu-
dado de nome e de vestuasto, e que ande
calQado, para assim intitular-se livre e illudir
a vigilancia das autoridaden. Ha de corn cer-
teza seguir camiuhe da Bahia para esta eida;-
de, em algum dos vapores da companhia bahi-
anna, desembarcando em Macei6, ou palo io-
terior das duas provincias ; roga-se, portantt,
as autoridades policiaes e aos Srs. capitals de
Campo, ou ai qualquer cutra pess6a que delle
tiver conBecimento, o apprehenderem, parti-
cipando ou entregando-o ao eu arespectino
senior. nE ecifet, itta do Gommurcio n. ,
que serio reenmpensodos viom ,3 wtileaUta
acima.

Advogados
[ Os Dirs. A. Clodoalde de Sou-
za e Jose Eustaquio Ferreira _
Jacobina mudaram seus escrip-
] torios para a rua do Imperador ar
n. 57, primeiro andar do ore- ,{l
dio, em cujo pavimento terreo
teem armazem de lazendas os ^
Sr. W. [nglis & C., entrada
pelo eaes 22 de Novembro. .

A Botina Maravilhosa.
Recebeu um variado sortimento de
calgados Melies para homens e senho-
ras e sandflias de marroquim inglezas
para senhoras e homes.
RUA 1.o DE MARCO N. 19.


A' NAPOLEAO E RUSSIANAS
Betas para montaria do fabricante
Melids, recebPu a Botioa Maravilhosa.
Rua 1.o de Maroe n..19.
aoznheiro
SPara casa casa de Tamilia ainda. se
pi'recisa de um born cozinheiro, no Men-
guiinho, sitio n. 2, ou Caes do Apollo
:r. 71. -..
Aula' patiular
0 professor M. C. Silva Braga, a-
c4ando-se despedi4o dQ.. collegiq S.
Uj par motives alheo.s aa. eu "mis-
*m "_' a.a ra (tf~ ~f^ 54'It^tM A- ^nU.70Z


...... jj L' A...... ... | .. ... J ia........
tratar na Copunga, na rua das Pe;'nam-
bucanas, n. 12.
Piano, music e rraneez
Ressente-se a falLa na cidpde de Ma-
mamguape de urea senhora, para lec-
cionar piano, music e francez ;. haven-
do naquella cidade bastantes meninas,
e desejo dos pais dar-lhes educago,
conform suas posses, deixam por
tanto de o fazer, uns por casa de des-
pezas e outros por nio quererem ex-
portar suas iilhas ; faria bo.a aquisigdo
a senhora que so resolvesse jr para lIa ;
qualquer pessoa qua desejar algumas
explicaQ6es neste sentido, dirija-se i
rua da Cruz n. 37, Recife.
Breu purificado
claro, barricas de 400 libras; no armia-
zem de Jorge Tasso, a rua do Amorimrn
n.37.
Medalhas milagrosas
Chegaram de ouro em ponto grande, para a
loja Mlode Ouro, a rua do Catbugai n 9 A.
Ao public
N6s abaixo assignados prpoprietarios
da Confeitaria do Campos, sita 4 rua
do Imperador n. 24, prevenimos aapu-
blico e cornm especialidade aos no-ssos
amigos e freguezes, que o Sr. Manoel
Goncalves Caseiro, deixou de estar em
nossa confeitaria desde o dia 1o do cor-
rente e que por isso qualquer negccio,
tanto interno como externo, relative ao
nosso estabelecimento, dove ser dirigi-
do a n6s S6r e s6mente. Recife, 2 de ou-
tubro de 1877.
Marques & C.a


WTT.ECIII
Os abaixo assignados declaramn ao
respeitavel public que o Sr. Manoel
Paulo dos Reis nesta data (ldeixou de
ser caixeiro da. casa, sita i rua do
Commercio ns. 4 e 6.
Recife, 5 de outubro de 1877.
BHerman Lundgren & C.


Aluga-se
duas casas na Capunga, uma na rua das
Crioulas n. 61, e outra nos Quatro Cantos n.
29 B: a tratar na rua do Vigarlo n. 33, pri-
meire andar.

M IAmtAo
Precisa-se saber aonde existe Augusto Pin
to de Barros, filho de Damiana do Carmo, na-
tural da cidade de Villa Real,. a Portqgal,
vindo para esta provincia em 181:. qCwrendo
qualquer pessoa fazer -o obseqa-de Rr noti-
cias, dirija-se A Paulo fJulio, a Mdo do vapor
national Ceard, que deve chegay a este porto
no dia 15 de outubro, dos portckQs d-3 norte.
Cozinheiro e .'ejro
Aluga-se um escravo perito cozirinheiro e co-
peiro : nos Quatro Cantos da Capunga n. 18,
a qualquer hora.

Aos fumiana s
0 abaixo assignado, estabeIecido corn
fabric de cigarros, convicto da j ustica
qutie o public dispense aos Fro4uctos
de sua fabric&, expostbs a venda em
seusi .W^ ^ ^ 4a' P-0Jo
s 41s -. n Aa,, Sr. Joa-
quim B.T 'ltis, previne hos com-
pradores de ses cigarros que ultima-
mente descobrio q.ue a1guns vendf-
lhbes, corpprando-os em porgao, ven-
dem-os a retalho, ficando com os roe-
tulos, que depois cedem a outros fa-
britantes.
E comrno o abaixo assignado ltm cn-
viccao de que os fumos que emprega
sAo bons e escolhidos e que, natural-
mente, estes outros fabricaites, que se
apadrinham corn os seus rotulcs, nao os
fw"'ao corn os mesmos fumos, trazendo
assim um descredito pars sua fabric,
pede a quem comprar cigarros de suas
marcas e neo os acha.r bens,, qu e ve-
nha conferil-os, para afinal conhecer-se
quem siBao os falsilicadores;.
Ainda no dia 3 appareceu-lhe umrn
menino offerecmndo 18 rotulos, que
dizia ter comprado a um seu visinho,
a 640 rs. o cento, o que prova a... eco-
nornia do mesmo seu visinho.
Recife, 9 de outubro de 1877.
Josd Antonio Domingues dc Figuqeiredo.
Aluga "
o sobrado a rua do l ti 9,
corn commodes para ^9, famiift,
muito fresco e corn magg. e possa ,o
bond pela portai fttralrr na rua,
Araga u n.- 1 dQ (____4 .

4s B# ibe e -
4 1. -ca. par,: seiena
,*.j: pii~ra. di'
,| .- ,a


.....f.e ida i

El' pea nao joga.
Agra mole em pedra dura,
ft daat qu.6fura.
# Amata 6 d bro ,e, que se nao
e*M ftrado por ser estanhG da).
S gag-se ao Dilm. Sr. Igoacio Vieira
e Mellb, escrivio da cidaile de Naza-
reth, deeta provincial, o favor de vir i
rua Duque de Caxias n. 36, a concluir
a uelle negocio que S. S. se comprQ-
netteu a realisar, pela terceira chama-
d deste jomrnal, em fins de dezembro
d 1871, e depois para janeiro, que pas-
iou a fevereiro e abril de 1372, e nada
e mprio; e-por este motive, pois, Ode
no chamado para o dito fim, pois de-
v S. S. lembrar-se que este negocio 6
[d mais de oito annos, e qijando o se
! or seu filho se achava nsta cidade
20.:000^000
Dl-se a premio ajuros s,ob predios
et diversas quantias: i rua de Hortas
n. 86, se dira quem di.
Ama escrava
Precisa-se de uma ama para vender
bhnln. nrpferep-seat nCena sia das.rnv a.


Tiniura Japoneza
A unica approvada e premiada pelas
academies de Paris e Loind- es, por no
ser prejudicial a safide, encontra-se nas
princip-es casas de cabelleireiros e em
toda. as boticas principles d- Pernam-
buco, Caors, Bartholomeu & C. Mau-
rer & C. e rua da Cadeia o M, ..o an
dar.

Fumo hoHandez.
e cacbimbos de barro vende
H. Ledebour, rua do Commer-
cio n. 17A io andar

Born predio para alu-
gar-se
Aluga-se o predio do Dr. Castello Branco,
sito A rtia das Pernambucanas, na Capunga,
corn jardim. sitro arborisado e tLodo murado,
*asa com banho; acha-se todo reparado e
pintado de novo, 6 muito arejado e tern gran-
des tommamodos para familla; osa predn flea
proxirno a nova ponte que se vai fazer para a
Torre, o preco 6 commodo, e.tra*a-se no se-
gundo andar da rua do Queimado, casa n. 73.
Na Magdalena
eluga-se uma boe ca aa em anua e 9uz, sla A
rua de Passand(t n. 19 : a tratar na rua da
Florentina n. 32, taverna.""
Capellas mortuaries
Rua do Barao da Victoria [outr'ora
rta Nova] n. 40, 1o andar, tern bonitas
capellas de flores avtficiaes, por pregos
commodos, assirn como fqzem de per-
petuas naturaes, sendo estas feitas a
encommenda tres dias antes.


Grande casa
Aluga-se a excellent casa da rua do
Padre Nobrega n. 30,.com jardim na
frente, gradeamento de ferro, agua ea-
canada, corn deposit e banheiro e
boas accommoodac6es para familiar : a
tratar di rua do Duque de Caxias n. 52,
1.o andar.
Boa acquisicio
Aluga-se a casa corn armapo e mais
pertengas da antiga e mrnuito afregueza-
da taverna, na povoacao do Macaco,
freguezia do Pogo da Pnel la, por prepo
commodo: a tratar Yjrgo da Alfan-
dega n. 2. ,___ "
Aceo entr amigos
Fica transfer ft da 1l deste mez para a 2a ao
mesmo, a acglo que corre corn 'a sort de
4:000S, um relogio de otwuro de lei, e corn a
immediate um annel inglez, dspuro.
Boa a
Aluga-se oa 2o ndki eba do so-
brado da run da Impotri~tn;. Q&.teo-
db corm mdos parne goWOfamiuiao,
agua. enaknada, -est.!aa do eaiado ,-
pi~b4. W SS~
xvttoin. .*^'v ;,Bffifal~e'- *01-^.
Ji^'Miati~~~~nf04 lt^ ~ S S S SS~ist !evu^ .tsi


. ,


",F,
n.-, .Jes, e quo B scabe.
Esa tivos. ligidos
nf^1'dt 0d dest e 1577 fgitam do
engenho Camatagibe, do termo de Serinbiem,
dousesoravos de nome Jose, sendo um alto,
corpo regular, pouca barba, cabelo carapinha-
do, tern um braco queBtadu e por isso -urn
'pouco torte, tern algumas cicatrizes de reiho
nas cestas ; este escravo foi coinprado em 16
de mato deste anno nesta oidade ao Sr. Pa-
tricio Jose Tavares, qua o comprou na cidade
da Parahyba. O. oatro de allura regular, cor-
po tambem regular, muita barbs, fall fins,
idale 31 annos ; foi comprado na rpesma data
em que o outro, ao Sr. Manoel Travassos Sa-
rinho, emorador em Born Jardim, Parahyba;
este escravo e viuvo e deixou filbos na Para-
hyba : roa-se As autoridades policies e aos
capitals de campo a apprehensgo dlastes es-
cri3vos, gratifcaafdo-se a qutm os entrcgar
nesta cidode aos Srs. lManoel Alves Ferreira &
C., a rua df-. poslon. 4. primeiro andar, ou ao
respective .enhor, no engenho Camoragibe,
em Serinhaem.
MrYA%^- k. W, JAq^'^ ^^
Aluga-se um exceltente sitio em Be-
beribe, no Porto da Madeira, junto ao -
rio,contendo mui boa casa de vivenda, .
corn todos os commodos precisos,
1jardim corn gradeamento de ferro, ca-
cimba e algumas arvores de fructo.
bern como um gradde Lerreno corn
Sbaixas. de capima a tratar no largo do
Corpo Santo n. 15, o andar.

Bolos de encommenda
Faz-se bolos de encomrnenda para
casaumento e partidas, na Capunga, Fl
rua das Perunnbucanas r. 12.
Moleques e rapazes
Precisa-se de uoleques e rapazes
para vendor bolos e bolinhos pelas ruas,
paga-se b6a vendagem, na qual podein
ganhar para mnais d dez tustbes. atl
4 ou cinco mil reis por dia, conform
a diligencia : a tratar na Confeitaria do
Camrnpos, A rua do Imperador n. 24
Olinda
Aluga-se umacasa terrea, corn 2 sa-
las, I gabinete, 3 quartos, cozinba f6ra,
sita A rua do Sol, na praia de S. Fra.:-
cisco, em Olinda, distant 400 passes
do mar, offerecendo assim a grande
vantage de poder sahir-se della corn
trajos proprios para o banho salgado,
alern de sua proximidade a esta'ao do
Carmo e ser confront a capellinha deo
S. Jose : quem a pretender, dirija-sc
ao sobrado n. 5 da rua de S. Pedro
Martyr, da mesma cidade, a tratar corn
o sou respective proprietario.

Cognac
SBisquit Dubouche & C. e
~* *
H. Ledebour, rua do Compmer-
V cie 17, 1o andar

PARA COZINHAR
Precisa-se de urnma ama forra ou es-
crava, p'eferindo-se desta ultima con-
dicibo, para comprar e cozinhar : na
rua Duque de Caxias n. 42, terceiro an-
d.a. (nesta typographia). Adverte-se quo
tifk poucos dias a familiar ter& de sa-bir
bara f>ra da cidade.


Vende-se este artigo no caes do Cavibaribe
n. 38, em pequen'a- e grandes quantidades.
Vende-se
no telheiro quo servio para a reconstrucCho da
ponte dos Afogados, porl'hio de madeiras do
qualidade, e quantidade de pedacos de ama-
rello, de 5 a 22 palmos de comprimento, pro-
prios para officinas de inarcineiros c carapi-
nas, assim como 1,200 palmos de gradeamen-
to da madeira que serviram no passadigo da
referida ponte.
A 20.) o milheiro
de cartas de a 1) c e taboadis brochadas,
organisadas por J. A. de Castro Nu-
nes: vende-se na Papelaria Commer-
cial, A rua estreita do Rosario n. 12.
Attencao
Vende-e umna armaao na entrada
aa Terre propria-para venda, cuja casa
onde estAi collocads tern cornodos para
familiar, depen.4ente ao lade. Tambem
se.a uga, oa fWa mas cunta ao p.?
tendente: a traW ,rra Direita n. 30.


A10$
E paaabar
(Cores de i seda, pedraw
moderaos; veoa 00 k.,N-
do Baso da L.116.La .,.m ^1


*-j


a1


fW^ Ua^ i^~aV9MIH# WWK~ (**ll-y friAJil~imj .I '-.Tmj I W g'.l -*KV^^^JilWr \ W.1 UK --L.^>tT"aP7U -4, %J'-ft g^


IN


0* <)it^D J^^ P~ or-
ra lese aso sBenre proprietau
rios-dos enen os, .para estud ar o ter-
reno emssmwar4riltos para conduzir as
cannas dos seus partIdos para a casa
do fabric. Aimn da modicidade do
preco que p6de custar esta vi% de trans-
porte, ella offerece ao senhor de enge-
uho, presteza, menos aemincia de bra-
cos, maenos fadiga e,waa mj ethodao po-
dendo os trilhos ou via permanent
serem mudados e collocados todos Os
ainos para os lugares em que se acha-
remin as planta~tes.
A construcqo de takes trilhos p6de
ser empreitada ou feila por adminis-
tragdo. sendo que se proceder- a um
ajuste ou contract pelo qual o beahor
de engenho saberA logo o custo da
obra. A madeira a empregar, atd na
construeao dos carros ou carrogas,
poderd ser tirada nas proprias mattas
do engenolw
Offerece-yWambem para fazer de-
marcag6es e nivelamentos para leva-
das, etc., etc.
P6de ser procurado 6 rua do Crespo,
loja n. 0, dlas 10 da rmanlha s 2 ho-
ras da tarde.

Por 25i
Aluga-se a casa n. -07 da rua do Marquez do
Herval : trata-se na rua da limperatriz n. 47.


f^S ^^*e


1 ARAillA\L





Sociedade
Precisa-se de um socio que tenha o capital
de 800$ a 1:000$000, para taverna : quem ti-
v. e quizer, pdde dinigir-se ao cases 22 de
Ngve'mbro n. 54, que achar coarn quem tratar.
em um dos primeiros pontos de negocio desta
Capital.

CASIA DE PENHORES
TRAVESSA DA RUA DO
DUQUE DE CAXIAS N. 2

Julio Isaac, pede
a todos os Srs. mu-

tuarios que t~m cau-
telas vencidas, ve-
nham resgatal-as,
vporquse s estA liqui-a

dando todos os va-
(lores em core; nao
Nhojemr .5, queaisa conqemp tres-r










,se recebendo, desde
Zhoje,' mais empres-
hlimo sob penhores.
Recife, 16 de ju-
nho de 4877.


ALUGA-SE
o primeiro andar do sobrado n.-32v,
rua estreita do Rosario; 6muito fres-
co, tern -commodos, agua do Prata e
gaz: na thesouraria das loterias.

COIPRAS
--COMPRA-SE uma escrava que
saiba bern cozinhar: a tratar na rua
larga do Rosario n. 32.
Compra-se um estabelecimento de m_-
lhados, quo srja em boa localidade: na rua de
Hortas n. 17, se dird quem compra.
SCompra-se um escravo de meja idade quo
Feja robust e de boa conduct: no largo do
Corpo Santo n. 19, escriptorio.
Compras
Compra-se ur cylindro de padaria: na rue
larga do Rosariob 22, loja.


VENDAS J
Vnhd el-se o


I .1


14 "1--




















Vende-se o oag 4 sp
SALiNDNi TR^ teeUnxifara
render em seu escriptorio a prka d6Corpo
*- Slanto n. 14 *"* ':11 de a I Iv 'd 1 1
I Tintas em massa, branoa,dealvaiade duiia
o e de chumbo, verde e preta.
Oieo de linha a em latas de 8 1i2 gl5es.
ln"io do Porteo,superior.
Dito Sherry.
Oognaa. Em ca4as do urma duzia.
Gerveja branao e preta, da miBto conbecide
marca Z, em caixas.________
Verwz pra maobilias e
armacoes
Querem envernizar suas mobilias
or 15000 ? E' o custo de urn frasco
verniz, queen da para envernizar urma
mobilia. Conserve seu brilho per es-
po de 6 annos. Os frascog tern nos ro-
s a maneira cornmo deve serefita a
sua applieagdo e por isso. p6de ser ap-
plicado per qualquer pessoa.
VENDE-SE NA RUA NO VA N. 30.
Veos e apellasparanoivas
Chegaram lindas capellas e vfos de blond
deseda para noivas, a 6, 8 e 105, 6 baratissi-
mo : na fragata amazonas, rua Dnique de Ca-
xias n. 47.
24-RUA DO COMMERCIO-24
Neste estabelecimento vendee' o
vardadeiro e superior viho die Boi-
deaux;, tanto em barris cqlno em engar-
rafado, e mais barato do q em qual-
quer parte, por ser recebido de cqnta
propria. No mesm6 estabelecimento
compra-se garrafas vasias que tenham
S servido para vinho de Bordeaux ou
cognac.
Chapeos para senhoras
Elegantes e primorosamente enfeilados cha-
peos, acabawT de cihegar pelo ultimo vapor, oe
quaes estao se vendendo por proeo muit.
commodo : na Fragata Amazonas, rua Duque
do Caxias n 47.



Lindissimas baptistas para vestidos
a 240 rs. o covado.
Variadissimo sortimento de maript
zas, a 400 rs. o dito.
Grande sortimento de popelinas par'
vestidos, a 400, 500 e 600 rs. o covad
Maripozas brancas, o que tejn viaidc
de mais gosto.
Riquissimo sortimento de cretonm
corn desenhos inteiramente novos.
Popelinas de seda pura, a 1#000 c
1*200 o covado.
Popelinas de seda branca para casa-
mento, a 1 000 e 16200 o dito.
Madapolao francez de duas larguraa.
a 56000 e 55500.
Cambraia transparent para vestidos.
S a 34500 e 4 000 a pea.
Fustao branco para vestidos e ves-
tuarios pars meninos.
Bramante com 4 larguras, a 16500 b
vara; muito barato 1
Camisas bordadas para senhora, a
35000 e 46000; qlue pechincha !
Gorgoraio de la, de cores lindas paruc
Testidos, baratissimo.
Leques de madreperola fines, dese-
111os riquissimos a iM$000.
Chitas : grande s rtimento e para todo
preco.
Temos urn complete sortimento de
- fazendas, das quaes a maior part nac
annuDciamos, para nao enfadarmo.s
os d gnos leitores, e de todas se dac
amostras e mandam-se em casa das
Exmas. families para melhor escolhe.
rem : na Fragata Amazonas
47- Rua Duque de Caxias-47
STomeni nota:


14-Rua do Imperador-14
0 ARMAZEM DO NUNES
(NutriCAo instantanea)
^ Grande variedade
de generous alimenticios
de superior qualidade.
Modicidade espantosa!
Facilidade gastrica!
Vantage proveitosa!
Veijam:"
0 Nunes tern resolvido vender barato, bara-
tissimo ; garantir a superioridade de suas
mercadorias; sustentar uma prodigiosa varie-
dade de generous raros e saborosos, e final-
mente mostrar a facilidade de qualquer pessoa
passar bern corn puco dinheiro.
Custa pouco
Venham tirar a prova e depois digam se ha
quem ten ha sortimento mais variado e supe-
A, or; que venda mais barato e de melhores
S provas de sinceridade e-franqueza do que o

Batatas
Vende-se muito novas a 35000 a cai-
xa e 60 rs. a Jlibra : na rua do Livra-
mento n. 31.
Campo na cidade
Vende-se urma casa reformada de novo, corn
6 quartos 2 salas, sotao corn janellas, cozinhaf
f6ra, estribaria, cocheira, deposit d'agua,
banheiro, quartos, tanque de lavagetn, jardim,
a grande quintal, em uma das melhores ruas
da Boa-Vista : para ir ver e tratar, i rua Nova
numero 13.
S- Venile-se no escriptorio de Tho-
maz de Aquino Fonceca & C., a rua
do Vigari, n1. 19
Cera em grumrne.
Cera em velas.
S Cera de ahelhas.
S Cal de Lisboa.
Cimento Portland.
Potassa da Russia.
Fie de algoddo da Bahia.
A lgodio branco e de cr, da Bahia.
,Geneb)ra ingleza, Old Tom.
l r :: Vinbo dot Porto em caixas de urna
eem acoretas e barris de


qatlas Mpan Ye sapayt9qa, rnaifpa. s-

Ptwjel e env, e rp es ip1ip,
1penhas caligraphicas de boa quafidade,
bons lapis e canetas, optimal tintapira
Secrever-se, dita para warcar roupa
agda pala pratea os metaesf aspas pa-
ra espartilhos, forra4as ie canurc,
talagaria para bordai'-e i1 la, e seda
frouxa para bordar-se:, a iova Espe-
ranRa 6 quem tern.
Axrtigos baratos
Agua florida a If, fita de linho a 60
rs. a peca, papel amisade a'400 rs. a
caia, cordao para vestido a 20 rs. a
pega, envelopes a 500 rs. a caixa :
na Nova Esperanga,. A rua Duque de
Caxias n. 63.
Artigos de luxo e phantasia
Estampas allegoricas para ornar sa-
las e gabinetes, bonitos leques corn plu-
mas e sem ellas alta novidade, lindos
livros delembrangacom capa de mafrin,
proprios para senhoras, delicados ra-
mos de finas flares para cabega, novos
coques de moldes simnples e elegantes,
agulhas para crochet, sendo de ma-
dreperola ; tudo isto encontra-se na
Nova Esperanga, 4 rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Para os que sAo devotos
Um pequeno sortimento de finas es-
taminpas de santos : receheu a Novi Es-
peranca, d rua Duque de Caxias n. oo.
Para as floristas
Papel para petalas, dito para folhas
de rosas, calix e peitilhos e mais pre-
paros para tal fim ; tern a Nova Espe-
ranca, aa rua Duque de Caxias n. 63.
Aos pais de familiar
Quereis distrair vosso filhinho, ou
presenteal-o ? dirigi-vos a Nova Espe.
ranca, a rua Duque de Caxias n. 63,
comprai um lindo brinquedo, pois que
ella recebeu um complete sortimento,
e estA vendenio per prepo muito razoa-
vel.
Bonecas
Umrn born sortimento de bonecas man-
sas e choronas, pretas e brancas : re-
cebeu a Nova Esperanca, d rua Duque
-de Caxias n. 63.
Cabellos brancos s6 tern quern
quer
A Nova Esperanca, a ruia Duque de
Caxias n. 63, tern a verdadeira tintu-
ra para tingir cabellos, pretos, casta-
nhos, 6 instantanea e ndo damnifica os
cabellos,.e vende-a razoavelmente.


Cal de Lisboa
Venae-se cal de Lisboa, chegada no
ultimo -vapor, ea muito boas barri-
cas : no largo do Corpo Sar-to n. 15,
primeiro andar.

Mudou-se o tempo
JOAQUIM FERREIRA CAMPOS & C.
Rua 1.o de Marco n. 21.
RECEBERAM AS SEGUINTES NOVIDADES:
Lencos de linho. corn letra e barras
de cores a 95, a duzia.
Toalhas alcochoadas pars rosto a 45
a duzia. E' pechincha.
Meias de cores superiores para ho-
mem, duzia 85, 10 e 125000. Sao lin-
das.
Meias superiors para senhoras, du-
zia 10$ e 125000. Admira !...
Brim branco alcochoado superior a
35 e 35500 a vara. E' baratissimo.
Coques frisados do ultimo gosto a
58000.
Cortes de linho bordado, a 125000.
Linho bordado, covado 500 rs.


Dito liso corn 4 palmos,covado 360 rs
Alpacas corn listras de seda, covado
500 rs.
Chitas chinezas para colchas, covado
500 rs.
Camrnisas hrancas para menino, uma
25000.
Cambraia slisas de core, metro 500rs
Algodao corn 5 palmos de largura,
vara 400 rs.
Toalhas felpudas, monstruosas, pars
banho, a 28500.
Lindas mariposas, brancas e de co-
res, a 360 e 400 rs.. o covado.
Fil6 preto corn salpicos, vara 500 rs.
Brilhantina preta e de cores, cova-
do 500 rs.
Esguiao amarello, corn duas larguras,
vara 1820t.
" Lindissimas mantas de setim *para
home, a 1$000 e it00.
Casemrniras de cores, finissimas para
cosburnumes, covado 35500.
Especial flanella azul para paletot,
covado 3#000.
Damasco de 1A e seda, pelo diminu-
to preco de 3;000 0o ovado.
Capas de borracha, prova d'agua e no-
vidade a 248000.
Cortes de casemira de cores, lindos
desenhos, a 55000 e 106000.
Camisas de linho para homemn, o
que ha de superior, a 405000, 505000
e 60S000 a duzia.
Ditas bordadas, uma 65000.
Ditas de bonitas eretores, a 305000 e
408000 a duzia.
Cambraia preta fina, vara 640 rs.
Maatilhas a brasileira, a 58500.
ROUPA EITA .
E' tdo bonito 'qtirnento deste ar-
tigo e per tio | preco, que s6
corn a presenCa do gante cavalhei-
ro, se poderA mostrar a realidade.
Bolsas e indisponsaveis
Amaral, Nabuco & C. acabam de receber da
Europa, pelo ultimo vapor, um li.pdo sortimento
de bolsas e indispensaveis, de couro, seda e
de velludo, para nieninas, neninos, senhoras
e hornmem, seao ruiRo etegantes, e endem no
Bazar Victoria, a rua do Barlto da 'Victoria nu-
ero 2. .1
Potassa sjia4H


plados e bonito retotes& t oas asa
ltres, tanto de listras como de quadros.
Jtue se vendem a 320 e 360 o covadai
6 cnhhicha: Ara deo Duque de Ca-
|xs n. 55, loja doe Pereira da Siv

Vestearmo s para ir
,sad&s
Chegou para a nova loja do Pavao UM:
bonito sortireneto de vesi"a'ios e l@i
letes proprios para baptisados, vindo Ga.
da umm em seu carte r que se vendeu)
de 85 ate 248; isto a rm aq)uoe de.Ca
xias n. 55, loja de Pereira da SiW
&~C. C .
1lopelines a 360 ,e?0'
Chegou paraa loja do w'iao urn
ante sor-mnento bonAas popelinas
qe uadririhos, prop iar para ves[dos,
tendo de todas as c6res,que se vendem]
a 360 e 400 rs. o covado; assim eomo
um bonito sortim.ntno de marinnar.


Srs.


".1
AO
proving cia
averen 0o


10 do nada n~
-d os'0, It&doda m qualid Meo o
W4 ven4ik a prazon a d iro, corn des-
a 'Pmoiio resumidos,,
ACHINAS -iavapor, de forma de 4, 6, 8 6 10
s as memIores q.e aqui teem vindo.
OEI AS e meifas moendas, obra superior, im-
eI '. desaunhar, por virem comwr arttes.
VO$fMAS pra assucar, pinladas e (ivanisas.


das mais finas lindas'que temvindo RO U i tesebe acabadas -
ao mercado, a 400 rs. o covado ; isto.0 A0 ee r afau as.
ruaeDUqe deo CaxiaS n. 55, loja dee' P. RI S DEN AI)AS de too os tamanhos e qua-
eira dSilva & C. '
-VENDE SE a taverna estaheleci. lidades.
da no quarto n. Ida ribeira da Boa-
Vista, aqual 6 boa acquisigdo per de- TACHAS BATIDAS e fundidas.
pender de pequeno capital, ser muito
afreguezadaeemXlugardemuitacon- ARADOS deo todas as qualidades.
currencia: a tratar no largo da Alfan- Ia m I
dega n. 2. -M INH Para mioca.
FOJ1N S'.para torrar farinha, e
u Vinho de Bordeaux TODAS .S FERIAGENS preisas a agricultural
a a4$000 por duzia de meias a looinm>?*
garrafas corn capas de palha. esta provi :
C1 XOS ortias-de vinhos fi- : ,a
^nos-0000.i ENCOMMEN)AS- Mandai vfr da Europaqual-
H. Ledebour, rua do Com- i.l v da
merc n-.17, 1. andar. quer machinismo, responsabilisando-seda sua
I N M9'r)
'2 ,\\ m m /boa qualidade.
Cimento portland CONCERTOS-Concertam qualquer machinismo
Vendorn Jose Joaquin Alves &G., d ins do
Barge da Victoria n. 69;.,
Bao Vti. f efazem contrato annual para lodos os concertos

O do engenhos; para esse fim teem a fabric hem
montada, corn grande e bom pessoal, e dirigida

Pechinchas em liqui- por dous engenheiros
dao 'w.-. FRANCISCO CORBEIA DE MESQUITE CARDOZO,
Na loja das tires portas I (ha pouco chegado da Inglaterra.)
Arua do'Crespo n. 20 A
Lindas lIzinhas de quadnho, gostos GEORGE BRAIN (omaispratico e antigo que aqui ha)
novos, a 320 rs. o covado: e pechincha. d
Grande poro deo pipelines de linho, Rua do Brum ns. 100 a 101.
bons gostps, paira 240 rs. o covado. A. B}.e.
Bonitasbati&tes, todas sortidas, miu- rOr uai do Apollo ns. 2 e 2 B.
dinhas, 240 rs. o covado. ..- *_ ----...
Etoayles de cOres, ultimosgostos, a i D I CH
440 rs. o covado: aproveitem. afITi
LUzinhas escocezas, padrOes escuros, I LIII l1rll i i n
para 160 rs. o covado.
Rices c6rtes de linho pardon, liso e Na loja d'Ainerica A rua do Cabuga n. 10,
bordado, aberto, 98 umrn. MENDES & C., LIQUIDAM AS SEGUINTES FAZENDAS POR, PREgO,
Chitas escuras e claras, para 200L e BARATISSIMOS ,
240 rs. o covado. A t t e n a o
Lindissimas mariposas, brancas e de- V.
cOres, lisas, de flores, achamalotadas e Popelinas de soda, fazenda de 2$ a 18200 pars acabar.'K,"
arrendadas, para 320, 360, 400, 500 e Ditas d'uma s6 cdr imita(io de gorguro'a 16010. ""
600 rs. o covado. Grosdenaples e gorgurdo preto de seda, pregos sem coiapetencia.
Bramante de algodao, 4 larguras, Setim macio, todas as cores.
para 1$400 e 10600. Vdos e mantilhas de filo6 preto de soda, precos rezumidos.
Dito de linho, corni 10 e 11 palmos, Filo6 de sda preto, branch e de linho corn salpicos e liso.
parsa 2 e 25500 a vara. Bombazinas, merin6s, alpacas, cantdo, princeta e lI lisa para vastidos, etc..,
Fazendas do ultimo gosto, novas etc.
Jaines lisos, urma s6 cOr, proprios Alpacas de cOres para vestidos, magnificosortimento.
para vestidos, a 800 rs. o covado. Baptistas miudinhas, finas, lindos padres e scores fixas a 240 rs.
Gorgoroes de lI, as mais lid-as c6res, Mariposas brancas e de cOres, cretones chitas, born sortimento para todoF
para 900 rs. o covado. os precos. .
As mais lindas popelines de seda pu- Saias brancas a 2000, e pecVjnclp, aproveitem.
rapor 1$800 o covado. Penteadores de casas lisa berdados a 48500, 6 barato.
Os mais moderns gostos em ls es- Punhos e collarinhos para senhoras, enfeitados de renda, 6 novidade.
curas, fingindo quadros, 800 rs. o co- Vdos de il6 pars cliapdos corn salpicos dourados e prateados.
vado. Gravatas'para senhoras e pars homes, esplendido sortimento.
Elegante sortimento de gravatas e Meias de cores e brancas para senhoias, homes e meninos.
mantas para senhoras, e muitos artigos Lencos de linho em caixinhaade phantazia, duzia 45000. K
de phantasia, que vendemos mhito ba- Camisas de meia differeutes quatidades e precos. J?!i
rate. Cambraia adamascada para cortinados, e cortinados bordados. ; :. of
Loja das 3 portas, antiga do Tapetes de todos os tamabhos.
Guilherme Secilias, bretanhas, esguiao de linho e bramante de 4 larguras.
,^U-* "'1 Casemiras pretas e de c0res em peas e cortes.
rPasio preto e azul especialidade~para 75 e 88000.
i .G ^ ha brancas e de cores e cobertores de l.
2 oq h Chales ri rainha Victoria
ehi nca m i "^ -Ricos chales, mantas superioridade em tecido e cores, nunca vistas a 121
Cechincha em casa Espartilhos a Princeza Rgente, sao lindos.
amisas brancas, com collsrinho,,a Granadina prefa de seda de listras e quadrinbos. .
2(5 a duzia, uma 15800. Chap~es de sol, seda trasr'ada e eastoes de phantazia.
Ditas de cretone, o que ha de melhor, Collarinhos para homens,. superior qualidade a 78500.
a 305 a duzia, uma 2*500. Leques pretos bordados, Iisos e de c"es sortimento complete.


Ditas francezas, brancas, as mais ele- Uhales, pretos, tordadose, lisos e de cores, sorumento complete.
gantes em punhos e collarinhos, diver- Camipsa brancas e de c6res o melhorsortimento possivel.
sos gostos, de 505 a 605 a duzia. Cobertores escuros de la a 1#800, 6 pechincha.
Grande sortimento tambem de pu- Ditos brancos a 1$000 urn.
nhos e collarinhos. Lensos de esguiao, fIOes, a 25000 a duzia, e pechincha sem igual.
0 rnesmo em meias. e ceroulas, de Alta noiYldade
menor atd o maior prepo, bern como e Fichis.de da, recebidos honter, 6 o o d
mantas e gravatas. Fichsde l e sda, recebidos hontem, o qe de mais gosto se pode d
Antiga loja do Guilherme, ma sejar, e vendemos per commdo prego
do Crespo n. 20 NA LOJA D'AMERICA A' RUA DO ____
n VENDE -S Essencia concentrada de salsaparrilha e caroba
Uns importantes lavatories inglezes, PRPARADA POR
de mogno com tampos de pe4ra, qua- PREPARADA.P
drados e triangular para canto de ca- BARTHOLOMEU
sa, cor ospparelhos prateades, gosto #HARMACEUTICO DA CSA REAL DU ". .M. F. EL-R1 DE PORTUGAL
modern, na travessado Marquez do PREMIABOS M DIVERA EXPOSIOES.
Recife n. 12 A, casa do machinists de Para urs de todas a3 moletias que tern sua origem na impnureza do
gaz, Luiz Moremira & C. .__ angue, come sejam as molestias syphiliticas, boubaticas e escrofulas, rhema
ageo aa isboa emping ens, dartros, tumores, uleetras, efupQes, etc., etc.
,*agieo de Liusboa' 0 ^^ b Sio E i^^s
Em paquanas do gRaide. .. .. s: ve eITO GEBAL EM SUA PHARMACIA EDOGANRIA
EM pequenas e grandes porgoes : vende-se 3 ... -, Ruit L a'do R w .....
ns saboaria do Recife. ^ wiLaga'4 Rsalo'3
IPERNAMBUCO.;
.d Ahrinaqa. P1 1 n A.l eA Itii


a 2s,
ri a


Nanzukesa 280 rs.o e-
Svado


Receberamn Almeida & Campos os
mais lindos nanzukes para vestido, ele-
gantes padres e as mais modernas
cores, para 280 rdis; Opechincha.
Rua do Crespo n. 20.
Almeida & Campos.
Correias para machines
Fogoes americanos para lenha e car-
vao.
Grades para a lavoura.
Machines para descarogar algodao.
Machines a vapor de forca de 2 112, 3
e 4 cavallos.
Vendem-se na rua do Marquez de
Olinda n. 14.
320' o covado
Almeida d& C. a' rua do Crespo n. 20
Receberam hontem novo sortiments
de ldzinhas de quadros miudps e con-
'tinuamn a vender a 320 rs. o covado. Ga-
semira encarnada muito fina, e. lindes
percales, cretones e batistes duas e4-
res para vestidos a 500 rs. o covado.


Fazendas


e modas


Conquista
6 Rua do CabugA 6


400 rs.o covado
Rua Duque de Caxias n. 43
COrram e venhim vet
Popelines de livho e seda, padre
inteiramnente novos, use actualrmfnt
em Pariz, per tMO rs. o covado: aI'e-
amostras corn penhor. 0 43 da
liDuque de-Caxias. .
^ Vende-se ....


na rua


}


w.\^ v^xman^-MW


da ruabuqud;e
(Antiga do Quelmado)f
Linho pardo para vestidos, a 1p.
o cavado.
- Organdis corn listras de lI, a 35509 a
pea; 6 modern.
Bretanha de linho puro cpm 30 me.
tros, a 85 a pea.
Varas da mesma, a 32@0ris-, 4 ..
chincha.
Mariposa branca, bordada, a 49 wa.
o covado.
Batistes finas, a 240 e 320 rs. o*e.
vado.
Mariposas a duqueza, a 400 rs. o te-
vado.
Chita indiana, a 320 rs. o covado.
Brim pardo lisb, fino, a 440 rs. oee-
vado.
Pegas de cambra'a Victoria, fina, a
35 a peca.
MadapolIo francez infestado, a 55 a
peca.
Brim pardo tranpado, a 400 rs. *ee-
vado.
Chitas escuras, a 240, 280 320 rs.
o covado.
Chales de casemira grega, padres
especiaes, a 2$ um.
Casemira preta, final, a 18400 o co-
vado.
Camisa,' hordadas, finas, a 35 urma.
Organdis bordado corn flores;*a 560
rs. o covado.
Peqa de 'algodao a 3$ e S3$500..
Pega de camibraia dtratlsarente, fina,
a3S500 e 458.' "
Folores de cores, de ite'Aa, pa-
dr'eS ultirnamente chegado, 'a 500 rs.
o covado. .. ,r. t
Chita escarlate, propria para vesi-
dos e polonezas, a 320 i.d c6cvadt.
Alpaca pretax, fAna, a 440,ors. 6 ce-
vad .' -. ., 4
Merin6 trangado,'"'oni 6 palmos de
largura, proprio para roupa de homes
e de senhoras, a 28500 o covado.
Setim Macd'o de todas as cores, 'a
1$500o covado.
Toalhas acolchoadas a 4$ a duzia.
Meias para meninos e meninas, e
3$ a 48 a duzia.
Ditas do cores para homes, a 41 a
duzia, e outros muitos artigos por ba-
rato prepo, vende-se em grosso e a re-
talho a
RUA DO QUEIMADO N.43
Arnmaen, e loja de Guerra &
Fernandes
Binoculos
de madreperola, marfim, tartaruga e
metal : vendem Amaral, Nabuco & C.,
rua do Barno Victoria n. 2.
Capellas mortuarias
Amaral, Nabt: o & C. receberam se.
timent6de elegaites capellas funebres,
brancas e pretas, corn as seguintes iro-
cripcoes :
A rneu pai A meu filho
A' minha mai A' minha filha
A meu esposo Saudades
A' minha esposa Lembrancas
Unia lagrima
Vendemna rua do Baraoda Victoria n. 2.
Folar de ecres
a 500 rs. o covado
Rua do Queimado n. 43
Rival dos barateiros
Folar de la e seda, corn listras e Ias
vores, padrOes aovos, uso actialmente
em Paris, pelo medico preco de 5
rs. o covado ; venham ver ou mandem
buscar as amostras, mediante qualqae,
penhor: s6 hano 4&3 da rua do Quei-
mado.
















as: foi por elle
e tratada nafri-


que tendam a ditidndir enm iossa patmia
:a luz intellectual, nao nenos e quiC(t
imats necessaria que a luz do sol que
<.nima os series e afugenta as trovas:
porquanto consider que as trcvas d'al-
riia, envolta na atLflosli)er" calliginosa
do erro, sao mais temniveis P do consc-
quencias rnais funejtas que as da na-
ture za material [Muito bem.]
0 esciarecimiiento do espirito, que
sempre tevee teoA por objective a pes-
quiza da verdadt, ( absolutanmente in-
dispensavel ao l 3omem moral, que sem

FOLHETIM

OS FILHOS '1) mONFI
POR
FERNANDEZ Y GONZALEZ
UOIUJME I
PIliMEIRA PARTE
OS AMORES DE YAYE
CA:P1TUjLO XIV


l-:,I Q1:.E S .3 S.AB E PQ ,I'. Ui, DEJ X AiI- RA .V
0 'APITA,)O ESTit)PEADO
(Con!in1ii(,o do n. 231)


[ats debal(de pritendi loevar os ineims
;oldados a at::Cac i) a cid Ade. 1asci-
i.ava-os a vista di a n-l Lha proximrna.
t'or lim um rii p,;zc:raa,-se cm abetr-
ta rebelliao, fui-me precise marchar
em frente d'elles para o cobicado the-
souro, daado as costas i cidade.
Mas a media quc nos approxima-
vamos da montaiha, mudava esta, se-
nao de farina, deo c6ur. Principiavamos
a ver o tomr n J.':al da terra, d'entre a
qjual grande no nIro doe corps bri-
Ihantes rellcti tj' o: raios do sol.
N'umna noite em iIe a lu.a cheia des-
prend(ia un esp!.nilido fulgor, mnudou
a montanha do aspect : parecia de
prata. .
Os monies eomeaia'am ad,4escontfiar
4o seu portentoso acha7o0, 'eu sabia
ai o que devia perusar a respeito d'elle.
Aquelta montanha que A grande dis-
tancia parecia de ouro, ferida pelos
tras do sol, e de prata, quando a lua
a illuminava, nao era main que uma.
'po irade brilhante, ardbsiat. -
, tttdo, os monfies quizeram che-
S..... p-d'ella, e s6 quando tiveram
avueiThs pedras, eaanadao-
"r nenrarn de qu, se qua


natural.
0 SR. B3ARAO DEIACIEO6 :--Mas isto d
um mal geral. {IApoiados].
Nestas mesmas escolas europeas que
n6s admirainos tanto, sobretudo de lon-
ge, atravdz da distancia, o pessoal do-
cente nao e todo cornposto de summi-
dades scientificas [apoiados];. cA e lI
mas fadas ha.
Estas verdades, Sr. president, nao
carecem, a mrneu ver, de provas e nem
de coinrnentarios; e se eu precisasse
icdrroboral-as, bastaria appellar para

cornarca. Deviamos portanto esperar
um ric a despojo, s encaminhammo-nos
resolutamente para a povoagao.
I Mas antes de alk chegarmos, sahio-
nos ao enzontro 'ima embaixada do
senado. Aterrados corn os nossos con-
tinuos triumphos, os indios preferiam
chegar a um acc6rdo.
Convinha-mae isto perfeitawente, por
que na paz rnelhor que na guerra po-
Sderia chegar ao descobrirnento de D.
Ignez. Exigi como primeira condicao,
e segundo o costume, porque a reli-
giao era a mascara corn que os hespa-
nhlioes disfarQavain a sua cobiga, exigi
que o tempo idolatra se convertesse
cm temple christao ; quo em vez do
monstruosa simulacro de.ouro macigo
que os indios adoravam, se collocasse"
sobre urn' altar um cracifixo de ma-
deira ; que se sepultassern os craneos
humanos que serviarn de tropheos ao
temrplo, e qune para evitar qae aquelle
culto abominavel se rcproduzisse, me
eatregassein os idolos e alfaias desse
cllto.
Corn assombro meu, os ermbaixado-
res em vez de repellirem a minha pro;
posta, aceitaram-n'a em nome do sea
rei Calpuc, e do mesmo modo consen-
tirau em me pagar um pesado tribute
por cada um dos habitantes da cidade ;
exigi, alWm d'isso, para minha segu-
ranca oe Aa minha gente, que el-rei
viesse para o mew'de n6s e entrasse
ao meu lado na citae, o eentregasgn
aos meas r*soldados o temple e as ha'-
bita6es dos sacerdotes.
Aprazou-se a entradana cidade para
o dia seguinte, e n'essedia a horacom-
binada, apresentou-se-me. CCalpuc, o
tarivel rei do deserto, com alguns dos
euns inagnaas;ja.|p, emt contrario dos
duques qe,,AO "'4tJ^no Ptl neeera, e
oue so faziam C trah rtar em andas


Rsnsob a iifluincia d6 nia estrel- I O
W*- m'qantf' apreseotadi a
1P a camara th ainuitos mneze ha m C,
Aissaoede iniiueio public
I o derradeiro merubro (nr
Soer ebo nosns e fturos. t- em ^^B ha ama' -s
.s p6i eentrar naordem dos st. t
lialbs ha 1 5 ou i6 dias.' da certeza oluiese
it atAje temi-se conser- 19q1tea Verbo Di- t
"d.4 ,ordem dodm~iao, l^ ^ ? ^ ^ $
.. P order do dia, dvine, do iente, posi- [
s, emmre collocado ti- ve ovis u miam-
eterido por mate- N io a1M v, (
am a e opublico reco- t mteria 6, pois, ima trans-
0 1nl o "de"iml)rtancia mui"d
en ie W iimportaclt ae mul- cendencia, e taneo qu 0aW constan-
onio Oh Oh !1 a ellea ente exigido.atlen ato pura-
ilensas de preparatonios a estudan-d, esforgos e geraes clioios de to-
te, etc.I etc. cs os governor do mi 'civilisado e d
SSR. GOMES DE QWnRo: -A querm e todos os philosophos que teem so- s
ira esta censura.? mente em iira o bern da humanidade.
Vozes : -- A' mesa;. Ella esti pedindo que Ihe votemos to- q
0 Sn. BARDo DE MACEI : -Conven- des as nossas locubraces, atd deixal-a d
6ido, como esteo, segu-ndo me permitted definitivamonte constituida.
i minha intelligencii apoucada, de que 0 governor do Brasil, que podia, ter t
o project e superior ciam importancia a feito mnito *mais emr prol da iustrucao
,nuitos que nos tern occupado o tern- publi*_i 4 o isso que ahi'temos, no
po, solicited ainda ha pouco a inversfio se tern deuidado entretanto deste rea
ta t-.'parto da ordem do dia, afim de m imrportantissimo do serving do esta- .
ser elle tratado de preferencia a esses do; desde que nos emancipamos da s
A;tos e imnportantissitnos negocios de tutia etrangeir4, que coneebeu e ege-t
dispensa a estudantes e outras mate- cutou, como piano politico a conseiVa-
rias semelhantes, c passel pelo dissa- eago.de sua vasta oolonia nia penumbra 4
hor de ver qu e o meu requerimento foi e nao no escuro; desde a nossa glo-
r;ejeitalo. [,\artes I N..;W fo,'mulo, aei-
Iejeitado. IApars. N formuo : iosa independencia nao tem desconti-
xas. PodeariaoaproseNtatl-ascooimepi- nuado o empenho de elevara instruc-
bIo da' uaid iponinparaudo o'rprQ. i- t-.o public di maior altura; quem es-
Q=ento da casa emn reIacao a0 mm,,e a tremo de preveng3es comparar o que
n~tros Srs-.,4epa~dos quie sni sen tat~o
.tros Srs .,,iids sujntam os era entao, e em tempos ainda nao mui
over tpom n que s. ostIna er rets, a instrueiio public em geral
para corn 6s iwrado., mei6bros.iv a op- no Brasil, sobretudo a instrucQo supe-
posiao iberai. .Nao si se ha exem- rior, coin o que 6 actualmente naodei-
pA de.que' .algim* vreprese.taints'da xanirA de reconhecer e confessar que,
,pposirab'tne'h'm sido negados pdiios apezar de tudo quanto se tenha ditoe e
o urgencia. pssa 4di7.er-se, havemos progredido
O Sn. WIhIIASIO CG nRiA:" -- Mais (de niito, nao tanto quanto podiamos, nao
OiA vez. taimto quanto era para desejar; havemos
0 SR. BARAO uJs MAmCEI : Entao e progredido ndo so em relacao ao esta-
por excepao, nf regra 6 a concessao. belecihinnti de escolas superiors, que
iloje mesmino foi requerida e concedida nao tinhain, como ao numero e iim-
urgencia a um ilustre deputado libe- portancia t mdterias nellas ensina-
al. pouticos inomentos depois de moe te- das, e sobretdo em relacao d capacida-
remn negado a que eu havia pedido. de do pessoal docent c aproveitamento
0 Sn. GOMES DE CASTRO -- Parece dos alumnos. Ja vailonge o tempo em
ate que houve proposito. que o professor subia A cadeira s6 para
0 Sn. BARAO DIE M.:s'" :- Nao se- ler tvelhas e carunchosas apostillas de
nihor, nao houvco. Atril.uo o facto uni- idWas ainda mais velhas e atrazadas, sem
camente ao pouco quo 'valho c peso no nenhuma explicanao, e exigindo arenas
conceito da camiara nmuitos naio apoia- da rnemoria dos discipulose ue, coma
tore (10s discipulos,' quo, Como
dos] e A minha pouca ielicidade pessoal. machine de repetic.o, fielmente as re-
Oeixemos isso de p:irte e tratomos do produzissem ;..hojce 6incontestavel queo
que convdm, que e a discussao do cmi nossas escolas superiores ha homrnens
project, emnbora mie tenha cabido a intelligentissimos, proficientes nas mna-
palavra emn hora in uito adiantada, que terias que ensinam...
nao me permitted entrarem largas con- VOZES :-Cmo V. Exc.
sidera^(Ss. 0 SR. BARXAO DE MACEI6 :-... profes-
Assim me.sino agr(de(o a conce;- sores autorisados, verdadeiros mestres,
1;io : antes tarde do que nunca. Ja era qu6 honrariam as tribunal europedas
tempo, Sr. presideinte, mnais que len-- nas faculdades e universidades mais
po, de nos occupaLrMnnos (d1iestaocomrno bem reputadas.
okta, tao moments a o impre.ijndivel; 0 SR. BARAo DE S. DoMuXGos : V.
de negocio tao )ri'eiiro e que C significa Exc. estA nestecaso.
trna mnediul- : ldeclinavel para n6s e o SR. BARO DE MACEI6 :--Senhores.
para todos os povos que aspiram an fe- assim como tenho a.rnaisdecidida aver-
licidade pela cul ira da intelligencia, sao a negar justica ao verdadeiro meri-
como unito mneo ,le c-iegar a ella, e to, assim tamhbern nao serei eu que ve-
que pugnam pela conquista do suas nha sen o pregoeiro de meritos negati-
verdadeiras lihordades, as quae.s so \-os, de meritos que nao existern.
se pude ol)ter mediate o nohlrecimelm- Conhe,-o que ao lado dos nossos pro-
to exacto dos direilos e deveres, que fessores habilitadissimos aimnda temos
incumbem ao homem constituido emn alguns, felizruente ,eapequeno.nunme-
sociedade, e quo sca imnpossiveis no ro, aos quaes fallece comp<|encia de
eptado de ignorancia habilitacoespara.ensinar.
Apraz-me sempm'o tratar assitosI 0 SR. COELHO ROrnUES Islt e


manto. de tela fabricado corn pennas.
Os.qie fonrinavam o soue acampamnen-
to tikbem traziam alguma peca de
ves-tario castelhano: este uma gorra,
aquelle umngibao ou uis calI5es, ou
simplesti-nte umas 'betas. Demons-
teou-me isto.que me temiam en me adu-
lavam, e confirmou-me n'esta.,-i da as
inequivocas mostras de distinc*, que
lesde o primeirb moinento I me
dispensou ; estendeu-mne a m'-to usa
de Castella, e o que maisn jni ara-
vilhou, declarou-me em boz| caste-
lhano, se bern coina pronuncia um pou-
co estrangeira, o quanto estava dispos-
to a manter comigo duradoura amniza-
de, todas as vezes que eu sub4crevesse
a razoaveis condig6es.
Em seguila encaminham&nos- j un-
tos parp a cidade, indo Galpue u, minha
direita e entire as fileiras dos meus ar-
cabuzeiros, e.atraz os peace caciques
que o tinham .acompanhade, a maior
part dos quaes manifestava no rosto
o receio e a desconfianqa.
Durante o curto tr.ijecto que fizemos
ate a cidade, disse-me o rei quo ti-
nhi.m sido satisfeitos os meus desejos
a respeito do temple, e que os aposen-
tos dos sacerdotes 'situados m volta
d'elle ja estavam prearados para re-
reber os meus sdldados.
ffeHctivamente, via-se do campo que
os craneos humranos, que no dia aate-
rior coroavam a parte mais elevada do
temple, tinham desapparecide' fnseu
lugva 'seo viam cem hastes com gan-
4eirinhas de todas as Ores em sinLmal
de agasalho' e regOjo.
Era preiMs deealo &0esteaspec-
to 'c docilidade,to ap respeit
e adorag0.'Va, rlidip piofessarn
pelos ieos id.os616 ura ,precispoes^'. ig
MOS preparadw ri faz&r frcwuaia,
ciluda,. eo s mesatfifes .0s


tu.olpi nt A : l.ste, e de
*larai-que alli nada se ensina, que
tal sei rende.
"0 SR. CoR iA. DE ARAJwo: -.N&
lisse isso. i
0 SR. BARAO DE MACE6) :-EsIt no,
liscurso delle, que V. Exc. leu aqui.
)epois'de annunciar que na faculdade
udo era uma miseria, por dar forva i.
ua assercao, accrescentou que hi nao
w ttiidaia anatomia. Quando V. Exc.,
Sr. president (o Sr. Barak da Villa da
Barra), foi digno professor e ornamento
la nossa faculdade, na qual eu e'os
tosses colleges deplomamos a sua ausen-
;ia, vie e sabe que se ha alguma mate-
*? que se possa estudar corn mui
pFande aprovyitamento, maior do que
wm qualquer outro ramo das sciencias
naturaes, no Brasil e princilaalmente no
Ri*.de Janeiro .6 a anatomia, para a
|itl em rigor nao 6 precise mesmo
professor; basta a quern I;iver pratica
Te estudar, e tiver visto deseccar algu-
nas vezes, terlivros, instruments, ca-
laveres, boa vontade e coragem pare
trabalhar.
Ora, isso nae falta a nessa mocidade.
Da escola do Rio de Janeiro tern sahido
'uitos mogos que sabem perftitamente
anatomia.
Eu nao tomo sobre mirm a incumben-
cia aliis inutil de refuter aquellas pio-
posigaes enunciadas no senado (inver-
doadis como talvez devesse qualifical-as,
mas nao qualifico e retire o termo).
Naio as refute porque ellas sao em ge-
ral devidamente avaliadas ; e porque
entendo que o silencio 6 resposta con-
digna i aggress6es descommunacs coma
estas; e amda mais porque nao tratan-
do de responder-lhes dou a prove mais
cabal de respeito e considercaino is can
e aos servicos prestados outr'ora ac
magisterie por esse meu ccllega, lent(
jubilado e director.aposenta:lo da facul.
dade por el le exautorada.
Nao as refute; devolv-as intactas i
fonte de onde partiram.
[ Apartes ].
Senti tambem sobremodo, Sr. presi
dente, que o illustrado professor, de
putado por Pernambuco, nos declarassi
aqui que a sue faculdade de direito s4
acha mnais ou menos nas*r mesmas con
dig6es em que aSelle senador quiz col
locar a de medicine do Rio de Janeiro
0 SR. CoWIf& DE ARAUJOo Eu nii
fallei dos professors.
0 SR. BAiAlO DE MACEI6 : V. Exc
nao fez distincao; leu o que se diss,
no senado; is$o e6, que na faculdade d
medimna tudo amnmiseria; que nad,
se aproveitava. principalmente em ana
tomia. Quando o honrado deputad,
lia essa memoravel part do discurso d,
Sr. senador Jobim, eu dei o seguint
aparte, que esti. no sei discurso: o V
Exc. tern a mesma opiniao corn relagA
As faculdades de direito ? V, Fez a per
gunta, poirque procurandail nobre de
putado a autoridade, que julgava ta
liosissima, de^Btii velho mesftre pap


ra de iaamns *



ra oinstrum toll I =__1 1-i I ^^t "S
do a escad S oss Q U
SineW, Sr. *dnj te, o' eidas I



fca, ~ 0 par porFaifca- deo d^lha
de noinob re ie, !O co, d
Srofessoonlitnene da r
!0
a'culdade ireitodo
moernnenit6' is- I
sao de instribo public a a-
ra, no intuit dea combater d
Tue era se discute, fosse aq i O h r
e umadasinjustias mais s1
direi mesmo, do ruma offetas en
a, paras noiaqualifica-ao de o pta- I
neira, atirada da kibuna. do pado (
contra a facul4ad ade dmedicine Rio
de Janeiro, con"tra essf6eo 4ojz, ao '
equal oBrasit'* em. grafl "attea
sua illusirw e a sua glori it de
urns -Osiy iunmens. jus(AvaveI de I
ratidn o; ,inju:tia e offense oato mais ie
e aespantar, qmndo par tidas de umn
anciao respaitavel pela sna idade e posi-
gdo social, de um medico que foi pro-
fessor daquella facuLdade durante vinteo
annos, e della director per mais tempo
ainda; tanto mais de estralnhar, quanto.
impliea contradiedo ruanifesta entire a
opqAc o apresentadita tribuna do se-
nado e as sues palafi come director
dessa faculdade, escripas emr desem-
penho das obrigaem .Oscargo nos rela-
torios a4nuaes, dirigidos so ministrodo
imperio, em que faltavaatd corn hyper-
bole do estado fluorescent no qual se
achava a repartij~ue dirigia.
Eu pego licenoi a camara para ler
apenas dous trechos desses relatorios,
para que se veja a coqtradicgo palpa-
vel que ha entire a opiniao do senador e
a do director da faculdade de medicine,
opini6es que sao de um e mesmo su-
jeito.
No relatorio de '1868 o director da
faculdade de medicine do Rio de Ja-
neiro, que ei justamente o senador aque
eu me refiro, asseverou ao Exm. Sr.
ministry do.imperio de entaio o seguin-
te, depois de ter fallado coin elogio de
algtuns professors nominalmente, ex-
primio-se nestes terms :
SQuanto aos outros.lentes e opposi-
todrs, nada deixaram a desejar n, exer-
cic:o' das respeetivas Adeiras; @e cum-
pre-me informar a V. Exc. do louvavel
esforgo que todos empregarana para
master *os credits .desta faculdade,
como uma das mais illustradas dos pai-
zes cultos..))
E' esta a convicio h-ansmittida em
1868 pelo director da faculda- de me-
dicilaa w se-siipel'otr 6 r. ministry
do inipe.," .
Em tr por igual oiesido de dar
conta ao ministry das oceurroitias do
anno escolar no estabelecimento sob
sua direceao, Oie fallout no memo sein-
tido, nao ja a respeito dosprofessores
cathedraticos. poi'6m a respeito dos
oppositores que nao tinhlam ainda a ca-
thegoria do mag'isterio definitive.
Nesse tempo pleiteava-se uma ques-
tao que hoje felizmente e lei do paiz:
tratava-se de eonceder aos oppositores
direito de access aos lugares de lentes
cathedraticos sem procedencia de novo
concurso ou de novas proves. A este
respeito o relatorio, de 1869 diz, corno
you let: Porque nao poderao passer
a lentes os actuaes oppositores, que ja
em concurso exhiliiram provas de habi-
litacao,, sendo ate alguns ja notaveis
nos ramos da sciencia, a que se teem
dedicado exclusivamente, e tendo servi-
d. tiols annos corn zeo e granite pro-
veito (dos athmrnos?
),"


ti

I



d
t













)
,]
'I

(
(
(


iuno .pr 0 i,
4r aradod 6, .O S .RJ D
Wftoi fsagio lida pr ihe doa a orignaldade; oq
owunhttm eprovei- ~;
11C0do POhu aprove- que aquelle .nobre ex-Iminit
anlento tesultate do ensino, esAe fac- denou estudo serio sobre o.
o gravissimrno recahia, o niio podia dpi- o SR. FAm i aDoiA:,-A id, a 6
gar do recahir. enm mu grande parte antiga; e da cc aiinte.
;obre os professors de meicina, e 0Sn. BAioeA. 6 :-Sfja; daW
arnbem mais ou menos sobre os de de quaodo dataro qutie,,or? eto que o
Ihreito, a cuja inaptidI se attribuiria o Sr. conselheiroiao Alfreoprocurou
',sultado negative do seu mnagisteri.o dar-lhe andamento. Tudo indica, Srs.
0 nobre deputado. nao se exprinmio que o espirito de reform, que a ten-
)em clarameute ou eu, o que e mats dencia para a perfectibilidade nao osti.
)rpvave1, nrdoo entendi bern: por quat- minorta entire n6s, que 6 uma verdadeira
to a proceder a intelligencia, que dei a aspiragao national; nato conheco outra
muas palavras, corria-lhe o dever em- tao claramente accentuida. Este me-
prescriplivel de exhibit proves authen- mo project, modesto come o6, vemn dar.
;icas de tal'assergao, que iria ferir a testemunho do desejo arde -e que se
lignidade e os brios de uona respeita- tern inoculado no animo de todos os
oel corporacao decent, come a facul- que procuram o nosso melhoramento
dade do direito do Recife: provas, que na ordem intellectual.
ieviarh ser trazidas aoconhecimento do 0 nobre deputado que rompeu o de-
parlamento em today a nudez da veirda- bate adopt em parte as Ideas 'lo pro-
ie, afimr de que elle provasse de promp- jecto, e em pate as regeita, e combat.
to remedio o mal, se rmal existe, e as- Eu que, sou o menos habilitado pare
simr tambem para conhecimento do paiz, entrar na liga (nao apoiados) e,,envol-
que tern direito a saber' destas cousas; ver-rne na luta das idWas, devera talvez
provas, que'eu desejava para meu pro- conservar-mne calado, principal mente4d-
prio esclarecimento, pois estava-e estou pois do substantial discurso, proferi4o
convencido do contrario, e penso que pelo honrado deputado pelo Rio de Ja-
a faculdade de direito do Recife de hoje neiro, relator da'commissao de instriic-
6 muito superior ao antigo curso juri- cAo public, quaqdo S. Exc. combateu
dico de Olinda de trinta ou quarenta a meu ver, corn muita vantagem, as
annos passados, superior emrn tudo, man idWas do illustre impugnador. Devia
xinme na capacidade e illustragao dos conservar-me calado, porque nao-pode-
lentes actuaes, e no aproveitamento dos rei dizer tao bern, nern corn tanta va-
discipulos. lentia de razao, coeio o illustrado rela-
A prova disso tenho-a eu no proprio tor; nemr tenho a veleidade de trazer
honrado deputado [apoiados], nos de- luz ao muito que S. Exc. esclareceu a
mnais professors seus colleges, quie t1m materia (nao apoiados.)
assento neata casa, e nos outros seus VOZES :-E' modestia...
illustradoscompanheiros do magisterio, 0 Sn. PBARIO DE MACEU6:-... mas a
taluntos robustos ornados coin as galas posi(ao especial em quo me acho collo-
do saber [apoiados], e que fazem hlionra cado, como membro da com'nissdo, col-
ao Brasil; tenho-a tambem nos fructos laborador e signatario do project que
que ha produzido aquella frondosa ar- se dispute, e assimn tamnbemn comno len-
yore da sc.encia, e que ahi estao A vista te de uima faculdade do imperio, nao
de todos. rme permnitte o silencio, e traz-me a
tribune para por minha vez protester
Isto nao quer dizer que n6s tenhamnos contra as idWas do hoinrado dleputado
pronunciado a ultima palavra em ma- por Pernambuco e defender o project.
teria de instructo superior; significa Sr. president, na impugnagdo que
s6ornente que nao temos ficado estacio- estou tentando, nao posso acormnpanhar
narios, parades juntos ao primneiro mar- o illustrado professor a que tenho a
co da estrada do progress, que temos fionra de responder nos v60s de sua
caminhado, devagar o verdade, mas profunda erudic.o, que divagou por
sempre para a frente; resta-nos mnuito quasi todos os paizes cultos da Europa
como disse o nobre deputado que se as- e America, assim como pelas paginas
senta a meu lado, a fazer, muito temos da historic antiga e modern, em bus-
que trabalhar para que a nossa instruct, ca de autoridades e exemplos para es-
ao valHia o que 6 nos paizes rnais adian- teiar a opiniao que emittio; nao o se-
tados do que o nosso; e neste sentidodif- guirei, nem de long, pela minha reco-
ferentestentarnens tem-se feito em epo- nhecida deficiencia intellectual, histori-
cas d(livers s, ja exigindo maior copia ca e litteraria (nao apoiados), e tambem
de conhecimentos em linguas e scien- por um achaque chronic de velho pro-
cias, como preliminares ou preparato- fessor, em cujas palavras, mesmo con-
rios para a admnissao nos cursos supe- tra a sua vontade, se descobremrn al-
riores, jat augmentando o numero das guns vestigios de umn tal ou quial peda-
inat3rias ensinadase as obrigag5es dos gogismo e a manifesta ao clara das
professors, reformando os estatutos impressoesque lhe deixou no cerebro
para melhor, dando melhor dimecvao e o long habito de argumentar sempre
mais proficua^ ao method pratico dos de unA certo modo, o que constitue para
exames, etc., etc. elle urea especie de gymnastica da in-
Projeetes de.reforma em mais alta telligencia, fora da equal nao sab equi-
escala tamisido tambem confeccionados librar-se.
por alguns doSrs. ministros que se de- Sr. president presando em gruio ele-
votam de coraga4 ao adiantamento da vado a autoridade dos sabios o a liao
nossa terra, e trazidos ao parlamento da historic, que e a voz que o tempo
national, como o mesmo illustre depu- deixa no espaco, a repetir couseis do
tudo declarou em seu discurso, citando passado, todavia estimo ta, bern em
os que form apresentados a camera murto lume da razao que 1)eus me
do Srs. deputados pelo cx-ministro do deol', para guiar-me, e quando procure o
imperio o Sr. conselheiro Liberato Bar- apoio de intelligencias superiores at mi-
rozo e pelo Sr. conselheiro Paulino de nira faco-o, nao corno quem busca abo-
Souza,quando muito digna-e proficiente- n)s de f6, porem corn o fiun a-
mente regeu a pasta do imperio por on- recer as minhas idlas,. 4,as,
de correm os negocios da instruccao modifical-as ol deixal-as, sao
public. boas; e isto depois de bse ada-
Aldm disso devem existir na secreta- mente submetti~lo oceterio alheio aos
ria dos negocios do imperio numerosos dictarues da ininha razao.


e importontissimrnos trabalhos elabora- Se cogito de algurna questAo d;fficil
dos a requisico dos respectivos minis- e delicada, antes do pergurntar aos ou-
tros por pessoas competentes pelas con- e e r)
tros por p c t ps tnrs do quo pensao sobre ella, em 1.;
gregagaes das nossas faculdades, aca- lugar dirijo a pengmita a mirn reesrno;
demias e escolas, todos tendlentes a re- so a resposta me clara e satisfacto-
formar o estadlo da iinstmucC~iio pub iica es.ina epsa e6car ad-fco
formal o estado da sru o public ria deixo de procurar algures eselare-
nopaiz, centre riles sa r dignos de cimentos de que penso nao precisar.
mencAo os que foram ordenados pelo
Sr. conselhleiro Joato Alfredo, ministro
do imperio do gabinete 7 do margo, --
sobre a fundaeio de urma universidade; (Coithi.uar-se-ha)


Os pavimentos e os tectos
cedro e tado atti, sob o onto
dos costumes de indios, era
maravilhoso.


cram de
de vista
region e


Calpuc conduzio-nme em pessoa, atra-
vez de muitos pateos, e aposentos, e
por furn, no recondito do seu palacio,
parou diante d'numa tlmofadi de ma-
deira grande, onde nao se divisava sig-
nal algum de porta.
Ides entrar, disse-me em torn
grave e cheio de autoridade, onde s6
teem entrado ate agora, minha esposa,
minha filha e esses tres sacerdotes
christaos que acabamin de vos offertar
o santo sacrificio da missa. Tudo isto
vos ha 'de parecer estranho e mara-
vilhoso, e'com eTWeio o e. Por isso
mesrno espero que v6s, procedfndn
corn a fe' e sygillo corn que deve pro-
ceder um cavalheiro, quando '6 pre-
ciso, guardareis profundo segredo a
respeito de quanto ides ver e ouvir.
Prometti-lh'o, e entao Galpuc car-
regou em mota occulta e aehamo-nos
n'um aposento guarnecido inteiramnien-
te ao uso de Hespanha. Atravessamos
outros aposentos iguaes, e no tim Cal-
puc abrio unia porter, e introduzio-me
n'urna dapella oua oratorio em cuja
frente havi;t um altar. Al6m d'este
-havia mals dous altares uLm de cada
l a d e ,- a
No do centre naoSe via image al-
gama, no da direki via-se uma ima-
gsin demad.riada Virgeth das D6res,
e noae. querda butra de S. Joa.o
Evangelista.
Aos pesado altar da Virgemni estavam
ajoelhadas duas nulhaeres, que se le-
vantarain sobresaltadas ao darem co-
migo, e dirigiram-so pra ureina porta
situada i esqurda .doWtiar do centro.
*: soeraie mis, 4iise Cat,-


gio. A dama que tinha diante de mirm,
e que parecia contar vinte e oito annos,
admniravelmente formosa c estida corn
um siigolo trajo branco, era oorigi-
nal do retrato que vira etn cast ,o) du-
que deo ila Jarilla. N'uma palavna, era
D. Ignez de Cardenas, suia filha.
A que a acornpanhava, e inem parecia
ja mulher pela cstatura, era urna me-
nina doe uns nove annos, tainbeui d'uma
admiravel formosura ; mas ern cujo
trosto se via o torn dourado da rata
rnexicana, os .olhos muito pretos, tao
comrnmuns centre as mulheres indiauas,
e o cabello profuso, encrespado e liu-
zente, (qtue tantQ realcaa sta fornmio-
sura.
D. Lgncez olhiva para min coie ca-
riosidade, c sua filha, qnto ;ern duvida
o er, p1:,-Iae Ihe hlierdara as f6rrias
e a formnosura, olhava pira inirna comi
um receio instinctive.
--- Vindes de Hespanha, cavalheiro ?
perguatou-nime ). Ignicz enmexcellente
castelhairo.
Ha iumrn anno, senhora, respoudi
comrn a mrnaior naturalidade, que atra-
vessei a fronteira do desert por ordem
de D. Jodio deo Cardenas, duqiue do la
Jarilla.
Notei que D. Ignez se fazia extre-
rnamente pallida, e que Clpuc fran-
zia leverrente o sobr'olho.
Este cavalheiro 6 nosso hospede,
disse Calpuc a D. Ignez que novamen-
te mecumprimentou, dirigirido-me al-
gumas palavrns eamaveis 0 se retirou
levtando a menina, ola mao.
Fiquei s6 comrCalpu ...
Precisamos de failar a disse-
me Calpnc, e de tIos cor Wp Jen4
Mos; tende a boaee do me sO'iir),.
,eavalheiro. '
E traaspalom outra porWo situ
I a .r1'/ -* 1 t( _' dafffn '1WI

*, i -

It^







I





; i.
{V.1
^
*'y
^

(F
^^ ^


justiHicar o seu pensamento e provar
que a instrucao superior no BrasiLesti
emn muito atrazo, eu querh saber, se
esse desfavoravel juizo se imrnitava ao
ensino da medicine, ou se tarnbern se
estendia ao da jurisprudencia. A res-
posta que rne den o illustrado professor
da faculdade de direito do Recife, foi
deste theory: (( Mais ou menos, por ser
professor da faculdade de direito do
Recife, nao hei (le deixar de dizer a ver-
dade. D
0 Sn. COIIRA,, DE ARAUJO: --Declaro
duas e tres vezes que nao me referi ao
pessoal docente de nenhuma faculdade.
0 Sr. BNiRno DE MACEi6:-Estipno
muito essadeclaragio, que me aflivia
de urn grande pezar. Mas V. Exc. ha
de conffssar, que de sua re3posta ao
mrneu aparte, do sea mais on menos,
nose podia inferir, senao que compre-
hendia na accusaao de ser tado misc-

povoag6es indias,:pbdira que se abrisse
urna brecha, o que se etffoctuara. I
Ao transpormos a brecha, sahirann-
nos ao encontro urna multidao de in-
dios que d maneira de salltimbancos
corn tambores batiam o conpas3o, e
grande copia de forrr.osas bailarinas
ue nos precederam tocando e dangan-
(o atd ao templQ onde penetrainos
Oor umra alta escadaria.
No interior do temple vi corn assomn-
kwo que sobre o pedestal oad-e por
eOrto eitivera o idoto, se erguia umn
magriifieo crucilixo de madeira, e sahi-
rain-nos encontro tres anciaos reves-
tides, nada mais nern menos do que
como os sacerdotes catholicos e coin
os mnesmos paratmentos "
Calpuc apontLou para o altar c disse-
me- : 1
Eis o Redemptor do mundo, cur-
vai a cabega, capitdo, e adorai-o, visto
que vos permittio chegardes sAo e sal-
vo ate estas re.motas, legides emr meio
de tantos-perigos.
A voz de Calpuc era a d'u n chri.Aio
cheio de 3%ro que augmentou. a minhav
admiragao. Prostrei-nme ante o altar,
prostraram-se os meus soldados, e s6
ficaramin de pe el-rei e os seus magna-
tas, se bemrn que n'urna attitude res-
peitosaa urn lado do temrplo.
Celebrou-se inmediatamente missa;
depois da mnis-a o mais velhb dos sa-
.cerdotcs dirigio-me, uma ce'ta p:;-.tica
em que exaltava o valor e a f6 que me
haviam levado* aqulilas recaotas le-
gioes pamra derrarnar n'ellas o conheci-
mento da verdade divina, e arranear ao
erro aqettues infelbes idolatras. -
Depos-i 'isto, a mninha companhia
aposeoltou-se nAs habitag5es. que esta-
Ylamamr'oda d, Ltemplo, -as quakes do-
*pina-vats'a povoaQ, A af l pu.c1 levon-
mec nmtUiza -ai rAsna _caaa. a. c uiiia Uo La


OAS;A




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1NFNKUCH_KPNWQI INGEST_TIME 2014-05-22T23:43:22Z PACKAGE AA00011611_16363
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES