Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16277


This item is only available as the following downloads:


Full Text
































4TELEGRAIMIAS



1- h1TZg DA ^GZ1CZA S!7T5
(Especial pars o Diario)

VIENNA, 2S de outubro, A tarde.

S0 Rel da Servia exige que eja
st reabeleeido o equillbrio nos Bal-
ikans.

CAIRO, 28 de outubro.

S0 governo acaba do estabelecer
Unm imposto sobre o coupon da divlda
egypela.
7
BERLIN, 29 de outubro.

0 parlamento allemao tfoi convo-
cado para 19 de novembre proximo.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
29 de outubro de 1885.




INSTRUCC10 POPULi

Chorographia do Brazil


(Extrahido)


DecrlpCo


geral do palz


(Contintagalo)

S Ilhas.-Sio inumerveis as ilhas que possueo
Brazil. quer junto ao littoral, "quer espalhadas
aus vasta extensao do Oceano, dentro .das im-
mensas bahias, extendidas so long dos rios ou
disseminadas nos lagos. Partindo do norte para
o0 sul, faremos menqio apenas das quo se toinam
mais notaveis pela sua extensao, posigio geegra-
pica, en importancia political.
Maraj6 (on Joannes), situada na embocadura do
grande rio Amazonas, corn 275:795 metros de
comprimento, 173:904 metros de largura e 965 ki-
lometros de circuit (superior, portanto, em su-
perfici, a mnitos estados europeus, takes como a
Dinamarca, a Belgica, a Suissa, a Hollands, e a
Grecia), ~ banhada por caudalosos rios, come o
Mondim e o Arajaz, que teem 90 e 100 kilometros
de curso e cuja terreno 6 dos mais ferteis do Bra-
zil.
Ao norte de Maraj6 flea a ilha Caviana, corn
S 110 kilometros de leste a oeste e 62 kilometers do
norte aso sul, occupada por importantes estabeleci-
mentos agricolas.
Junto ao cabo do Norte, encontra-se a de Ma-
racd, corn 5 kilometros na maior largira e 40 ki-
lometros de comprimento, encerrando umas lag6as
abundantissimas do mais fino pescado.
A ilha do Maranhdo, situada na costa da pro-
vincia do mesmo nome, entire as bahias de S. Jos6
Sde S. Marcos, 6 nuito fertile e povoada; e n'ella
eat edificada a cidadc de S. Luiz, que 6 a capi-
tal.
Itamaracd (on ilha dos Qosmos, segundo Ayres
do Casal), na costa da provincial de Pernambuco
(da qual a separa o estreito mas profundo canal
denominado Rio de Santa Cruz), tern 20 kilometros
de comprimento e 13 na maier largura. 0 sea solo
6 de urma tertilidade prodigiosa.
Itaparica, a entrada dabahia de Todos os San-
S tos (da qual parece ser um fecho natural pars a
formagio da barra) tern toais a sua asuperficie eo-
berta de arvoredo e de fazendas deo cultivo produ-
zindo fructos do mais estimavel sabor. Mede 35
kilometros de extencao e 10 de largura. Esta ilha
tornou-se notavel na historia do Brazil polos en-
earnigados combates na gaerra da independence,
S em fevereiro de 1823, pelo que recebeu o cognome
doe. Itrepida.
o asu de Itaparica fica a de Tinhor onde se
ergue um bell e modern pharol.
Ainda na costa da Bahia ficam as pequenas ilhas
ohamadas dos Abrolhos, notaveis unicamente por
serem am escolho perigosissimo da navegxaco.
Na principal (a de Sana Barbara) esta edificado
um pharol catoptrico cuja luz alcanca 32 kilome-
Espirito Santo, na costa da provincia do mesmo
nome, ten apeeas de notavel o sirvir de assent a
S respective capital, chamada Victoria.
Na provincial do Rio de Janeiro sao dignas de
menglo as ilhas Grande, JargeGrego e oMaranbaa
Na mesma provineia, dentro da incomparaveol bahia
de Nictheroy ou Guanabara, encontram-se perto
de trezentas ilhas e ilhetas, todas fetilissimas e de
u m aspecto grabiosamente pitoresco sendo as
anis notaveis : a do Governador (corn 13 kiome-
t roe de extensao), e a de Paquetd (saudoso retire
dopatriarcha da indepenudencia, o honrado Jos6
BDnifacio de Andrada e Silva).



SPATTE OFFICIAL


Alferes Joao Pamphilino Cavalcante. -
Informe o Sr. commandant do C orpo de
Policia.
Jose V. Cavalcante. -D6-so.
Joao Mendes de Barros.-Providen
ciado.
Desembargador Joos Francisco da Sil-
va Braga.-Ao Sr. inspector da Thesou-
raria de Fazenda para attender ao suppli-
cante.
Landelino de Luna Freire.--Remettido
a junta medical provincial, a quernm o sup-
plicante deverA apresentar-se par& ser ins-
peccionado.
Maria Marcionilla Pereira Lima.--In-
formne o Sr. inspector do Thesouro Provin-
cial.
Bacharel Miguel dos Anjos Barros.-
Informe o Sr. inspector da Thesouraria
de Fazenda.
Maria Joaquina dos Santos Abreu.-
Entregue-se pela secretaria, mediante re-
cibo.
Secretaria da presidencia de Pernambu-
co, em 29 de Outubro de 1885.
0 porteiro,
J. L. Viegas.

Reparticlo da PoUela
Secaro 2'-N. 1370.-Secretaria de Po-
lieia de Pernambuco, 29 de outubro de
1885.-IlUm. e Exm. Sr.-Participo a V.
Exe. que foram hontem re3olhidos A Casa
de Detenglo, os seguintes individuals:
A minha ordem, Anna Maria da Coe-
ceigeo, remettida come alienada pelo juiz
municipal do term de Goyanna, afirnm de
ter destine para o Asylo da Tamarineira.
A' ordem do Dr. delegado do 1 distri-
to, Alfredo Antonio Gomes, per disturbios;
Joao dos Passes da Costa Lima, Manoel
Albino de Barros, conhecido por Boquinha
e Antonio Ribeiro de Britto Guimardes,
per crime de roubo.
A' ordem do subdelegado do Peres,
Jos6 Anastacio de Olivoira, por crime do
furto.


A' ordem do do 1 district
Vista, Luiz Francisco de Oliveira,


da Boa-
por em-


briaguez. -
Pelo delegado do term de Limoeiro,
foi remettido ao juizo competent o inque-
rito policial, a que procedea contra Ma-
noel Joaquim, filho de Joao Gongalves, e
morador uo lugar denominado Gangorra,
como author do tire que soffreu o capitdo
Joaquim Ribeiro de Farias Leite, em data
de 14 do mez find.
Deus guard a V. Exc. -IUlm. e Exm.
Sr. conselheiro Jos6 Femrnandes da Costa
Pereira Junior, minato digno president da
provincia. 0 chefe de policia, Antonio
Domingos Pinto.

Thesour Provlnielal
DESPACHOS DO DIA 28 DE OUTUBRO DO
CORRENTE
Fernandes & C., Affonso Arthur Soares e Joa-
quim Ignacio Paes Barreto. -Informe o Sr. con-
tador.
Jodo Alvares dos Przeres.--Certifique-se.
Antonio Josh Peastana, Joo Pires Ferreira,
Digna de Santa RTsa e Manoel Joaquim Xavier
Ribeiro.-Registre-se e fagam-se os devidos as-
sentamentos.
Manoel Jos6 de Magalha.-FAntregueose pela
port.
Companhia Pernambucana, officios do engenhei-
ro chefe do prolongamento, offieio do Dr. chefe de
policia e Jos Severino de Almeida Pedrosa.-In-
forme o Sr. contador.
Contas da extrac*o das 219' a 228a parties da
loteria da Santa Casa.-Examinem -so.
Josino Jose6 daes Chagas e Manoel Marques da
Silva.-Informe o Sr. contador.
Alexandre Jos6 de Fanas e Felismina Amelia
dos Santos Reis.-CAwtifique-se. -
Victorino Domingues Alves Maia.-Informe o
Sr. admmistrador do Consulado;
Eleuterio Vieira Carneire Lima.-Informe o Sr.
collector da Gloria de Goiti.
Fielden Brothers.-Junte-se copia dab informa-
gbes.
9e. 29-
Gerente da Companhia do Beberibe.-oA. con-
tencioso pars processar o recoihimento, havendo
depois vista ao Dr. procurador fiscal
Amorim Irmios & C. e Joao Pinto de Lemos.-
Deferido, de accord corn as informag6es da con-
tadoria.
Aurelio dos Santos Ooimbra.-Deferido, faxen.
do-soe poela contadoria a transterencis das aoUlice,
quo para isso the sioero aprsentdas.
Contas do commando do corpo de policia, do IVi-
gr0 Francisco Raymundo da Cunha Pedroas e
17a part das loterias do fundo de emancipa-
91o.-Approvadas.
Antonio de Moraes Gomes Ferreira.-Resti-
tua-se.
E. A. Burle e Areelina Xavier Carneiro Rodri-
gues Campello.-Deferido, dand-so se baixa a col-
lects e debito delta reaultante em vista das infor-

Jes6 Francisco de Almeida Doria. -TE gistre-st
e faam-ae as deidas ntAs. -
Comfpanhia do Bebribe.-Deferido, taosndose
Dr. Geruasio gues Campello.-otome o
4,. coeo~~r de Jalbeatb ^ ^;1. ..:.


rente, e autorisagico da lei n. 1862 de 31 de agosto
ultimo, sob as egniates condiges a:
1.a Obriga-se a confeecionar o livro d tombo
dentro do tempo, e deo conormidade eom as exi-
genoinasdo dito editalplanoa, modetlo e reas,
n'oeie apontados.
2.a C eomeplemento do livro organisar de
nformidade corn as regs do r grins, map-
pas topographic.. de tdeos o 91reneo perteteon-
tes a munaipalidade dentro do perimetro da ci-
dade, contendo os edificieos e trando as eon-'
fronta "es.
3.a Coi.promette-e a fauer o trabalho sob im-.
mediat inspiec da aira, e a ser accessival a
qusalquer inodiua exigenciaa que trnha por
fun methodifiar dito trabalho e traer sua dese-
javel perfeiio, mm importar-se o proponeate corn
qualquer augment de trabalho quae porventua
4ac=eits i quantis de 3:609M000, em moeds,
como pag" dads no tempo, o corn as condigoes
isdisadasi io dito edital de 2 docorront-e
Prenamte Propolf m' Tombo. e na =;w rdadeira acaepoU 6 o in-


Propostas:
lllms. Srs. presidents e mais membros da Illma.
Camara Municwipal.- 0 abaixo ssigpado propoe-
sea confeccionar o Livro do Tomb d Muuieipa-
lidade, de accord corn a f6rma estabelecida pela
Camera Municipa do Rioe de Janeiro no Uen Lavro
do Tombo, e sob as bases spresentadas polo edital
publicado no Diario de Peruambuco, de 25 do cor-
rente, pela quantia de 3:2005. Recife, '26 de se-
tembro de 1865.-Joacuim Candido da Silveira
Carvalho.
Proposta A lnlma. Camera Municipal do Recife.
-Proponho-me A confeccioner o Livro do Tombo
d'essa Illma. Camera Municipal do Recife, de que
trata o soen edital insert no Diario de Pemawft-
co, de 23 do expirante mez, mediate a quantia de
3:2005 ; cumprindo observer que, aceitando como
aerato in totum as condiCoes impostas no mesmo
edital, naio me afasto tambem das regraa de direi-
to que lhe form applicavels, tudo de aecordo corn
o referido edital. ecif, 28 de setembro de 1885.
-Jobo Paceco de Medeiro#.
0 abaixo assignado prop.0e-se Afazer o Livro do
Tombo, de que trata o edital d'essa llma. Camara
publicado no Diaro de Pernambco, de hontem, de
accord corn os pianos e models adoptados pela
Municipalidade do Rio de Janeiro, models que lhe
foram apresentados e examinou pela quantia de
4:0005, aceitando os deveres e direitos descriptos
no mencionado edital.
0 mesmo abaiio assignado se obriga a addicio-
nar so alludido livro, um mappa demonstrative de
todos os predios existentes nasa cinco freguezias da
cidade do Recife, se pars isso Ihe for mais abenada
a quantia de 5005, auxiliando-o ainda essa Illma.
Pamara na obtencao dos dados necessarias pars
eosse fim. Recife, 28 de setembro de 1885 -Fran-
cisco d'Assis Fernandes Vianna.
Illms. Srs. president e mais membros da Ca-
mara Municipal do Recife. -0 abaixo assignado
propie-so confeccionar o Livro do Tombo, d'essa
Illma. Camara, de conformidade corn o seu edital,
de 22 do corrente, obrigando-se al6m aisso a pro-
curar nas estacoes publicas de cartorios, af6ra os
lives e documents que Ihe form forneciddos por
essa Ilima. Camara, aquelles documents que pos-
sam aproveitar na confeccLo do rwdrido livro ;
historiando al6m disso os motives qu e deram lugar
a creaclo d'essa instituigio do Recife.
0 ataixo assignado obriga-se mais aponutar os
cerceamentos que tornm soffrido as attribuigbes das
Camaras Municipaes, em vista de leis e resolugOes
posteriores a de 28 de outubro; mediante o abate
de 21 A/, sobre a quantia votada para a roferida
obra. Recipe, 28 de setembro de 1885.-Francisco
Pacifico do Amaral.
De accord corn o edital destas hUms. Camera,
publicado no Diario de Pernambuco, de 25 do cor-
rente mez, o abaixo assignado se prop5e a confee-
cionar o Livro do Tomb. da Muniecipalidade ebri-
gando.se pelo seguinte:
1,o DarA comego so referido trabalho logo que a
Camara Ihe hoqver fornecido urma lists dos bens
de seu patrimonio, corn indica*io dos titulos em
virtue dos quaes os possue, isto 6, se por compra,
permuta, doaslo ou legado.
2.0 JuntaiA um mappa do municipio, indicative
de todas as propiiedadee da Camara, seguudo a
lists supra.
3.o EntregarA o trabalho no prazo de um anne
depois de comegado, fazenudo depois as alteracoes
que a Camara julgar necessaries no que for rela-
tivo a omiasses por part do contratante.
4. Fara copiar o trabalho em livro cpnveniento
fornecido pela Camara, logo quo esta o fiver acei-
tasao.
5. Faari de novo o trabalho se a juizo de pes-
soas competentes nao estiver de conformidade corn
esta proposta.
6.0 DeixarA de "receber a ultima prestaa'o so
exceder do prazo de um anno aoima referido.
Do memo mode terA o abaixo assignado direito
so seguinte pars dar plena exeeugio as clausulas
supra:
1.o Reeeber da Camara a lists de que fallou na
la das-clausulas anteeedentes ;
2. Receber da mesma Camara os livres, papeis
e documents necessaraos A confecco do referido
trabalho;
3.' Reeeber a importance de 4:0005, em quatro
prestasoes em trimestres veneidos A contar do dia
em que tiver comecado o trabalho, aendo g ultima
logo depos de acaito esne trabalho pela Camara;
4. Recebera nova prewstaco trimeosal pwr as-
crescimo de tempo devado A falta da mesa Ca-
mra.
O proponents se compromette a desempenhar o
referado trabalho. fazeudo-o segundo os melhores
principles que regular a material. Recife, 28 de
setembro de 1885.- Jose Lopes Pessoa da Costa.

PBCPOSTA OFFRRECIDA A ILLMA. CAMARA MUNICIPAL
DO RECIPE
0 abaixo assiguado, advogado morador n'esta
cidade, prop~oe-e a coutractar corn a Illma. Ca-
mara Municipal a ceofocco do Livro do Tombo de
conformidade corn o edital de 22 de setembro cor-


blemas, questoes que se agitm, aminsa memo as
mais insignificautes e remotas; urn trabalho em-
firm que falle dahistoris, das tradigcese gtorias
quo cable em grande part a municipahlidade do
Reocife, pela nobiliasima attitude qlueo atem ca-
bido m todas e phase da s meams hitoris.
opropOfenPtspls, em~in no solo, patriotic-
mo e inteream illustre Camara Municipal do
Recipe, espers a isa attebeng solr. s ens, ;ropoi-
ta e que decid comolAr de justi.a.
0 peticionarlo ,ffereee come titulnos doe abilita-
C0 pars o trabalho que s e propoe faer, oT dca-
mentos que acompanam a presente.
Recife, 28 de Setmbreo do 1885.
Francioo Aguto Iereira da Costa.


POP1TA


HIlm. e ms. Br.
Camera Muniipal d
asn Vltada odnOW (


do corrente, recebendo por ene tIabLWho gratil-
ca* ode 2:8000000.
0 baixo signUado acceita tod as causulas
contidas no memo edhtal, e enmo garantias do born
desempenho do trabalho que as prop_5e fazer, offe-
rece :
1.; A sua Carta de doutor em sciencias junrdi
cas e sooiaes pela Paculdade de Direito do Recife
corn approval plena. -
2x. A sea nomeaao de engenheiro dessa Illma.
Camara, sem querimento do suna part, e o mode
atisactrio peolo qual doesempehou essa commis-
sao por espao de 11 A 12 annos.
3.' A sua nomeacio deo interpreted public pelo
meretissimo Tribunal do Commercio desta pro-
vincia, tambem semr requerimento de sna parte, as-
rim come o mode satisfactorio pelo qual exereeu
esse bgr por longos annos.
4.a sua nomeaca de lente substitute de ma-
thematica e philoophia do antigo Lyoeu desta
previncia, preeedendo cogeurso public, assim eo-
mo a de lente catedratico deo inglez no actual
Gymnasio Provincial, lugpr em que se acha apo-
sentado.
5.a 0 ter compost e publicado difforentes obras
scientificas e litterarias, send algumas approval
das polo conselho director da Instrucao Publics,
como proprios parsa o ensino da mocidade.
6.a 0 ter sido um dos principals redactores do
Diario de Pernambuco, correndo debaixo de sua
exclusive direcg&o, por espago de 11 annos, nao
s6mente a principal partenoticiosa (a do exterior)
sendo tambemn a part litteraria dessa folha, que 6
sem contradiacgo a primeira da provincia, e uma
das primeiras do imperio, send quo foira durante
o tempo em que o abaixo assignado fazia parte.de
suan redactso que tomou ella o deaenvolvimento e
importancia qnue ainda conserve.
Recife, 28 de setembro de 1885.
Dr. Fdelippe Nery Collago.
Francisco Augusto Pereira da Costa, vein pe-
rante a Illma. Camara Municipal do Recife, pro-
por-se A confec. :o do Livro do Tombo da mesma
Camera na forma do edital de 22 do corrente, corn
o abate de 10 0/. sobre a quantia votada para re-
muneragao de semelhante trabalho pelo art. 35
das disposigoes permanentes da lei provincial n.
1,862 de 31 de agosto do corrente anne.
0 proponents considerando qua o Lirso do Tom -
be, de urma corporagio distincta, como e 6 a Cama-
ra Municipal detta capital, deve tractor de todos
os negocios a seu cargo, indicando corn precision e
claureza tudo quanto de um moment possa eluci-
dar as questaes e negocios municipaes, mostrando
os precedentes e resolugoes jA temadas, sem ser
precise recorrer-se a buseas, pesquizas e informa-
$es, quasi sempre tardias, ou que trazem a pro-
telaglo de negocios de immediate resolugo, o ca-
nhecimento de todo o servio a sean cargo, e tude
quanto possa interesaar-lhes, offerece come pro-
gramma do sen trabalho as segnintes bases, al6m
das mencionadas no referide edital:
BAZES
I Camara Municipal, sa creagio, edificio, pre
rogativas, fact notav6is legislate respective.
2' Estatistica, topographic do municipio, crea-
gio, villa, cidade, frequezias, districts de paz e
de subdelegacias, limites e leis respectivas.
3a Edificiom municipaes, resolnuo da Camara
sobre a sua construct e, fundaglo, conclaslo, cue-
to, discripglo e tudo mais que digs respeito, quer
a part historic quer a economic.
4a Servigos e obras municipaes.-Nunaera.do,
contractors e tolas as occurrences e particulari-
dades de cada um.
5a Finanas.-Orgamento de receita e despeza
at6 1885, emprestimos e tudo quanto diga respeito
ao assumpto.
6a Leis provineiaes e posturas.-Codificagcao de
todas as leis provineiaes e artigos de outras, que
digam respeito a municipalidade e as soeus tinte-
resses e das suas postures.
7a Contractos.-Artigoe de todos os contracts
de companhias qu e digam respoito aos interesses e
fiscalisacd da Camara.
8' Rua&.-Origem dos nomes, mudanas, .-
dogcao, edificaSo, predios, resolugo ee datas, his-
terico geral e particular.
9' Hibliographis.-Noticia chronologica e sys-
tematica dasi publicagees municipaes. Posturas.
Relatorios. Re ntoa. Instrweuoes, etc.
10a Admmistragio.-Euumewacgo dos vereado-
wee que tern servido na Camara dbsde a su ewrea-
'do.
0 desenvelvimento do programme que o peticio-
narlo tem a hours de apresectar a illust'ada
munieipalidade do Reef-ih, imports a .propria histo-
ria do municipio, corn toda a parulculandade, mi-
nucioaidade o exactidlo.
0 proponents, por6n, nao procurou attender es
interoses da municipalidade polo lado resultante
de um grande abatimento, embora se limitasse so
programme que se 1e no lropeotivO edital.
o poticionario etondo, (6 nsa humildo opinade
individual) que hai vai emente no quantum que
tenha de despender a Camira pars a conotcgao de
um semelhauts trabalho, o ntereomo e a vanta-
gem; mass sim que ese trabalho seja complete,
que *atisfaca todas as neceraidades, quo sir'a de
juisas mais antigas questbea, e que de um me-
mento elueid, liquid e roaolva quaesquer pro-


( Conclusfo )
Na camera municipal
Quando os exploradores chegaram A Praga de
D. Pedro, era quasi noite. 0 editicio da camera
estava mebandeirado, sendo depois illuminado ex-
teriormente corn done renques vivissimos de gaz,
ladoados por estrellas valadas de v dros poliero-
moe neimados per um floro, aso centre do qual
brilhavam as seguuates palavras : Homenagmem a
CapteUode lms..
A entrada do edificio, a escadaria e a salad dos
retratos, onde se celebrou a seas&e de recep9lo,
estavam tapetadas corn us estofo granada, e or-
namentadas coma plants. Tres candelabroa de
braize ilhiminavam a salt da sessee, a que dava
ingresso um jardim de inverno improviasado na
ante-camara dos retratos e ao meio do qual es-
bracejava um mag.ifico fou.
Chegados ao edicio da municipaliiade deram
entradna u sala das sessaes, conjunctamente corn
as pessoa ecorporAeA que at6 alli os haviam
dooopanhado.
Depois de igumr tempo de demorn, o Sr. presi-
dente, Dr. Correia do Barros, oceupou o wen lugar
temdo A dirolta o 8r. govemador civil do districto;
mg*uia-le a camera, a direits da qual se aents-
.-1-'1 -: m &^- -- mu me- 11 ^a- ._-*j nt_< Am 1


ueenearo e important por alguns Sr. vereado-
res, a quem toi mostrado.
omoquer que esta Ilma. camera vai tarn-
bemrn coutrnetar oa service da numeraglo das caeas
na rua d lcidade por meio de playa e este ser-
vigo tenha alguma afiaidade corn o que faz ob-
jecto do Tombo, o abaixo asiguado obriga-se
igualmenute a lanal-o corn toda a clareza e mi-
nuciosidade no livro do Tombo, ae a Illma. camera
achar convenient, logo que for dito trabalho con-
cluido pelo contractante.
Quanto ao preco, on remunera*ao do trabalho
dor Tombo, entendo o abaixo assignado que, es-
tando oell ja estabelecido na lei do orgamento,
destinando-lhe verbal fixa, e limitada, np 6 a elle
que se referem as vantages da conerrencia,
massim as condioes, corn que deve ser contrac-
tado e executado o serving.
Be, por6m, a lllma. camera municipal entender
de outro modo, isto 6, que as vantagena, de que
falls a lei, ago referentes ao prego do trabalho,
nested caso o abaixo assignado ficarA satisfeito corn
o que for arbitrado por esta Illm. camera ; em
cujos sentiments de justisa e equidade muito
c )nfia.
Isto posto ; naio obstante entender o abaixo as-
signado a lei pelo modo enunciado, ae apparecer
algum econcurrente offerecendo-se pars fazer o
trabalho, de qua se trata, por menos do preco es-
tipalado na lei supracitada, o abaixo assignado
pede preferencia em igualdade de preco, attento
as vantagens que offereco, e as habilitaces, que
presume ter para executal-o corn perteigio e de
aceordo corn os intuits da Ililma. camera muni-
cipal, conformande-se entretanto corn o modo dos
pogamentos declarados no edital.
Ainda mais.
Do mesmo'edital publicado se deprehende que
a Him'. camera nao exige prestagio de fianga para
garantia da execuaeo do contract, nerm isto tern
razto de ser, no s6 porque acha-se elle garanti-
do desde que os pagamentos ago feitos parcial-
mente, e A proporgio da execucao do servico, como
porque fica a ultima prestaco presa atW que, con-
cluido o trabalho, seja accito e approvado pela
Illma. camera, send o contractante obrigado a
reformal-o, ou mesmo a fazel-o de novo, se nao
corresponder as condicoes do edital; por esta sa-
zao nao cogita o proponents de fianga em sua
proposta.
Mas, se porventura a ilm*. camera a exigir, ou
algum concurrent a offarecer, uno seja isto mo-
tivo pars perder o proponents a preferencia que
pede, porque a esta condicao tambem se sujei-
tara.
Recife, 28 de setembro de 1885.-Pedro Gau-
diano de Ratis e Silva.
Estavam todas as propostas acima rubricadas
pela Illm,. camera.

DESPACHOS DO DIA 28 DE OUTUBRO DE
1885
Pelo 8r. Dr. Barros& ego, commissario
de policia:
Antonio Jolo de Amorim, pedindo que
seja eliminado da respective collecta o car-
r de io d e seu use particular, sob o
n. 145, visto ter-se inutilisado.--Como
requer.
Antonio Ignacio Heitor, pedindo licenga
para encanar agua para o predio n. 65 a
rum do Imperador, concertar o encana-
mento do de n. 47, a rua da Aurora, e
encanar gaz pars o predio sito a estrada
dos Afflictos do propriedade do Visconde
de Silva Loyo.- Idem.
Joaquim Moreira de Sampaio, pars en-
canar agua e gaz pars os predios ns. 70 a
rua de Santa Rita, n. 139 a rua da Au
rora e 1 a dos Coelhos. Junte licenga das
Obras Publicas.
SJoao Francisco Leite, replicando pede
que seja-lhe concedida a liceungs que soli-
cita, pars canelisar agua e gaz pars os
sous predios de ns. 145 e 147, a rua do
Oonje da Bja-Vista, independents de jun-
tar licenga das Obras Publicas, como exi.
ge o anterior despacho, o quo nao se fez
precise, visto nro ser salgada a referida
rua. -Come requer.
Secretaria da (ainara Municipal do Re-
cife, 29 de Outubro de 1885.
0 porteiro,
Leopoldino C. Fer'reira dz Silvh


EXTERIOR

Capell. e Ivems ao Porte
(&trakido)


chores, se noo podeois conferir o titulo deo cids-
dios portuenses aos exploradores, sabei quo, entire
todas as grats recordiags que conservam, sera
sempre a mais viva o acolhimento que acabam de
reeeber neta cidade, onde se eonubrtneiam to-
dos os emprehendimeto uteis e arrojadO de paiz,
deade o infant. D. Henrique aWi a ctnquaste dali-
b erd a d e. -.. ... ; 1 1 .
A assemble, quo iterrmpei amiudada ve-
zes o eminent orader, saudouo no final corn um
ovaeo enthusiastica e pr.longada.
Levantou-se entao Roberto lvens, a quern a as-
sistencia acolhen corn grande ovaico, e, agrade-
condo as manifestaes de que era objecto, pro
nuncion em phrase rapids e eapontanea um poque-
nine diseurso. .
Uma id6a tinham em mire, ole Capello, a so
emprehenderem a travemsida d Africa-'-.bem4-r-
vir a patria; outra these surgio aso piarem pela
ultima vez o continent nenro--fazel-a vibrar per
um vivo entimento.
VYm uas mndea da que t8 aidos aOir
urn premio aos seus marvioa. Vindo o P.rto,
pretatvam hom m a A dda ne 4o be= oa
.aeolhit &a a ova i.s okaiig 46.. ,-
llao, ZotiOs agora -llanat #Wmwxop*- de .
quo etappisn e. qw
eram a eWn^ essao d9^BlMe'*&~l^~^*H^;j*^ 6; .,!--''"s
Torminon protestaudop 4 i-if^
s. e o ,ot 'leenuieuetto- r 8 0 d* 40
'V wada i -*. .;1-*1:1^/'-^.f^ s 11 1''^ 1 '1 ^"^'^ fa S


dos servings que vai prestar-Ibe; W. do tode,
por6m, dos limited do heroiamo sasaer:ulado, e
excedo a meta das maxima e
homes, a quem a vida oforea '
owisontes, doixzem as Imilias quoe -
amigos que os oestremeeem, e a pataq'es ad-
mira, pars ir de coraglo love, e animo serene, ex-
por-se a todes as privageas e a todos oa perigee,
sem outro note que nao- sja o sagradeamor da
patria, sem outro objective que noi seja alargar
as conquistas da scicueia, devassando os mayste-
riosos segredos de um vasto continente deseoihe-
cido, e sem esperanua de outra recoup a que
nae seja a admiraglo do mundo cult, e os applaud
sos da conscieneia propria I
a Pois tudo isto fizeram Brito Capello e Roberto
Ivens! II
SNos longos e desolados dias da sua paregi-
nauao pelos sertbes africanos, agors rouqb"da t-
abandonados pelos servigaes que lhee fugia, logo T"
lutando corn as enfermidades proprias daqnetl la
paragons inhospitas; perdidos hoje nsvastas
regioes palusties de que s6 miraculosamente po-
deriam escapar corn vida, obrigas imanh pela
sanha dos indigenas em guerra a retroceder no
camiaho que levavam; penandb umas vexes as
horrorosas augustias da fome, tendo muitas outras
como recurso unico o product da caga; ;o quasi
rendidos de penuria e defadiga, chamando a mote
come term nuico dos soffrimentos, corn que jd # -.
podiam, era recobrando alento aso fitare.
na bandeira das Quinas, quae os guiat
pars elles representava a patria que tat- am.g m::
eis aqu s meus senhores os lineamentgs prinWca -,
da gloriosa epopeia que tern por argAunento ai Tcda
de dezoito mezes qua viveram aquetia dous be-
nemeritos cidadlos.
Numerosos erros geographicos emindadoa, im-
portantissimos curses d'agua rigorosameate deter-
minados, o systems orographico cuidadoismente
definido, valiosissimos apontamentos sobre as ri-
quezas animals, vegetaes e mineraes, e finalmente
preciosos estudos sobre a indole e os costumes dos
indigenas daquella part d'Africa, takes sao os re-
sultados fecundissimos do glorioso feito realisado
pelos nossos hospedes benemeritos.-
a Qua a patria tire da iaganuha de Capello e
Ivens os proveitos qua della podeim e.devem deri-
var; quae m conjuncto de providencas economi-
cas levante do marasmo, em que deoha, o traba-
Iho national, de modo a quo n'um future muito
afastado possa a industrial portugueza levar As re-
gioes agora exploradas os productos, em quae se
convertam as matters primas que dellas recebe-
mos; que a nossea marinha mercante, protegida
emfim como ja em outras 6pocas o foi entire ns, e
actualmente o estA send em paixes quo devem
servir-nos de exemplo e de li9ao, pessa em breve
por a metropole em iatimo coutacto corn as colo-
nias, takes sdo os votes quo em nome destas cidade
formula a sua Camara Municipal.
a Meus senhores: Na impossibilidade de con-
ceder a Brito Capello e Roberto Ivens recompoesa
condigna do grande feito, que j A Ihes immortali-
sou os nomes gloriosos, desejava so menos a cidsa-
de do Port6 honrar-se a si propria, conferindo-
Ihes o fdro de cidadIos portuenses; neo iasso,
por6m, pode ella fazer em vista dim leis qua nos
regen.
a Que na acts desta sessao solemne fique regis-
trade que a patria do infante D. Henrique quoria
nobilitar se, considerando seas filhos d'adopgdo
Brito Capello e Roberto Ivens, e que a cada um
destes benemeritos portuguezes seja opportuns-
monte entregue uma c6pia da mesma acts, takes so
as resolu~oes, que, em nome do Porto, tomou a sia
Camera Municipal. a
Terminada a leitura, o public que enchia a sas-
la irrompeu em prolongados applausos.
SMerus senhores-disse o Sr. conselheir;o Pi-
nueiro Chagas-bem long estava eu, quando en-
travays ha pouco nests cidade sempre heroics e sem-
pre digna, de imaginar que tao breve teriaS de
agradecer em nome da marinha portuguesza, que
tao francamente represent, o acolhimeato feito
polo president da camera, em nome da cidade, a
dons dos homes que melhor sabem hourar a far.
da da marinha portugneza. (Grandes applan-
sos). +
c 0 Sr. president da camera, continuou o eora-
dor, exprime o desejo de que resurjamos do ma-
rasmo em que ate agora havemis jamdo, e que es-
ta travessia correspond. a urna benefciaei-o pode-
rosa pars a causa da humawidade. E' tamnmm
ease o nosso desejo, o desejo de todos, o se Cape!-
lo e Ivena vem ao Porto, A valeate cidade do tra-
balho, 6 porque precisam diser-lheque oss antigos
atravessando os oceanos, form finear a eras em
terras ignoradas, elles percorrendo essas meimas
terras, abriram caminhos pars a industrial, pro-
porcionando elementoe de investigacao scien-
cia.
c Folgava de poder dazer que acabavam de atra- -
vessar umr tira de Portugal, correndo o povo A
beira dos caminhos pars saudia os exploradores,
como agora o fas a cadado, manufeetando assim
qu, nitidamente, reconhoce os servicos paeetadoe
a patria e os sacrificios consummados pelos doua
benemeritos exploradores.
Sc Depois de assignalar o earacter accontuada-
mente liberal da cidade do Porto, eonoluio: e- So-





























.A.
AD C134avv; -ignMon-
-.Fem'ira e Silva Bastos, repreaen.
to ftes i T Gyanasio Club; e Silva Lisboa, o
' ex-wodeto dt Era Nova, representante do Gym-
utomas ta de Lisboa.
A!,. --* et iade ropreaenta a Folha do Povo o Sr.
'."Xtow. i WON.. .__
-..i^-- .....aSvngoo Hotel do Porto
'" ) .fS. a.eamwai municipal, Brito
m staims coma o Sr. minim-
tro dirmanuha, dfigiranm-s'parao a Grande Hoie
Sdo Perto, euja frontaris estava brilhantemente il
lnminadi, fazendo a gurda de honra n 3 interior
do edificio o batalib escolar de Santo lBdefoaso e
tocando em frente, na rua de Santa Catharina,
urma bands de music, que executeu differences pe-
gas ati a meia oite.
Os exploradores receberam uam grande numero
de pessiaa quo os form cumprimentar.
Findo o jantar, R.bcrto [vens, acompanh'do do
Sr. ministry da marnha e governador civil, Via
conde de Guedes Teixeira, foram ao Atheneu C-3m
inercial, onde se demoraram ialgum tempo.
Pe"a ruaa e pragas
As prinucipaes ruas e pragas em que se organisa-
ram embandeiramentoa e illuminag6es, SA da Ban-
dcir, Passos Manoel, Santa Catharina, Formosa
(na part e comprehondida pela Sociedade de Gee
graphia) e praga de D. Pedro, offcreeiam hontem
A note am galpe de vista animadissimo.
Na Praga Nova, ali6m da illumiuagao da casa da
camara, outras haviam em predios parti-culares ;
illu.niuada tambemaesrvejaria io lade occidental.
S No escuro da noIfe, os bales venezianos que se
balouoavam nas janellasmfe muitos predios da rua
SA da B-indeira, produziamn excellent effeito. Mag-
nifies a decorago da rua Passos Manoel, onde
esti o edificio do Atheneu Commrcrial. Os dous
focos electrical, da forta de 4,000 velas cadi urn,
eneliam a rma d'uma claridade vivissima. Nas
S janellas dos predios, galhardetes, flamulas e col-
chas de damasco.
'- Na rua de Santa Catharina, no espapo compre-
hendido entire a rua Formosa e a de Santo Anto -
mio, alm do Grande Hotel do Porto, illuminaram
bastautes easa particulares. D'estas algumas
S hovae quae tinhama globes de gaz As janellas. A
S- illnmiaago, confiada ao Sr. Jos6 Moreira de Mat
Store, nao p6de ser feita a tempo.
Hoje
Capello e Ivens tencionam visitar hoje a cor-
veta Sagres, porto de Leixoes, e as obras da ponte
D. Luiz.
Os dons exploradores contain tambem photogra-
phar se hoje n'um doas ateliers desta cidade.
.. Theatros
S A empreaa Diaz partectp.i-uos por urma commu-
nicacao official que oas dous exploradores assistirao
ao espectaeulo d'amanhb.
A companhia de opera comenica. eonsagra-lhes a
receta de hoje no theatre do Palacio de CUystal.
A sessod do Athenetu
Hoje, pelas 8 1/2 horas da nolte, realisa-se no
S Atheneu Commercial, a sessbo solemn, a que pre
sidiri o Sr. miaistro da marinha, fazendo o dis-
curse de abertura. Fallam tambem osa Srs. Ma-
noel Emilio Daltas e Dr. Jobo Arroio.
N'esta session saero entregues aos exploradores
a3 mfldalhas mandadas cunhar expressamente pele
Atheneu, para corn ellas premier a heroics tra-
vessia dos- douns arrojados africanistas, seuns aocios
f.onorarios.
A ornamentagio do magnifico edificio 6 dealum.-
'brsdora.
0 atrio- estA adornado corn plants das soberbas
... eollecoes, do horticaltor Loureiro; fetos arboreos,
coccus australia de longas folhas laminadas, pal-
meiruca&dietwa iadea,e uma profuso de outras
-plants, frmando grandes massigos, emolduraudo
os eMpeolbw; ou enttelagando os ramos numa abo-
balU de verdura.
A' balaustrada da vasta escadaria 6 circundada
de grande Ceoreoas do earvalho e louro, corn fitas
azues e braneas alternadas corn ancoras e cadeias
d'ouro. Em rods da parade ostentam-se riquissi
mas panoplias de armas, desie o seaenlo XI ao se
eulo XIX, espadas, adagam pabhaes, montanteo,
masas, hatlabardes, rapidres, espadins e algumas
pecas de armaduras, coma gorjaes, esporas, etc.
Entremeiasdom-s panoplies, ha tioph~es de remos.
Estam soberbas paaoplias form cedidas ao Athe-
neu'por um membro da cotonia fraucesa desta ci-
dade.
No salao -estat ao fundo outro tropheu de appa-
relh.s nauticom, velas, remos, ancoras, e panophas
de asTnas africanas, pequenas lanes, azagaias,
- arcos, aljavas e settas. A balaustrada da galeria
6 tambem armada corn cor-as de louro e carvatho,
e asucowrpmsteaadae. Aoe lados ha dons mappas
da Aufrfia, undo eatbo tragadas as datA viagena
dos epeloradores, sobre "a ports da entrada esta
inscnipto-n ust emeodo a divisa dj intante D. HWn
ni lro': Talent de bienfaire. Sobre os espelhos ha
letreiros corn os nomes do nossaos navegadores e
descobridores.


A panopha afrieana que eatAsobrance'ra mesa
da presidenis 6 ecomposta de armas que, per oc-
casilsod.t pimeira traveasia, foram cedida i ao
Atheae paoa dous Hlustres explora4ores.
Por today a parts, flores, plautas, cor-as, que
.prodi amaeffeitowmagieo e realgam a beUeza
,de rnaentaQsgio, haailmente dingida peo Sr.
Ausaedio Marqaues Pi'to.
A esmao na bolsa
Ajanhi, poals.1 hora da tarde, realisa-se nested
-edifieio a sesia esolemne, na qual a Associaglo
Commercial e a Sociedade de Geographia Conm-
mereial reebedo as explosaders.
A AUeaiaode CioNeial de Lisbas eaeolteu
Spara& r-ro v eomLeta asesbio, oG Srs. Ro-
drigas.da.wi6as, Ramiqu KeudaLh, ,Jo6 Pe-
reiimirBarha,Cairloas Pacreir Piito Basto e An
Stonia a tAva P aid d Magalbhaes.
Osttrahaio mas aasao a mauito nota-
oeis.
A oseada tom am largo tapete vermelho vivo e
as degraom sao bordados por bellas conitferas.
0 bast ms iaaU d D. Henrique eatA cer-
Scadasdeobandena embbmea. militares, navaes,
- wanhBns, balts. tamhwori vaim reu s- owhda, ro-
da daleme, etc.
A g amda deiaoadiAoa fw uahefros
da e.4Mta .jS W. -_ ,e l.. d.. a

;. 't ,,ma d~t Wmunm as- P ohirt m i.s


o tronom*-





mill i 11(1
a... 'ae..dait im ap


^^^fik~t^^A^|.o .1^^j, ^ D WM.


ra.
Grande enthuaiasmo e animate aa cidade em
test.
Logo As 7 o banquet no Palacio de Crystal;.
eateitado corn bandeiras e trapheus a. sala do jan-'
tan
*0
Porto, 12.
A sesaLo solemn do Atheneu terminou As 11
horas da noite. Assistiram muitas senhoras.
Fallaram various oradores sendo todos muito ap-
plaudidos. 0 Sr. Piuheiro Chagas teceu o pane-
gyrico dos dois exploradores e o elogio da eidade
e do At/aenesu. Depois de recebidas as medalhas,
o Sr. Ivens agradeeou a diatincoo, e fez uma
breve exposigo do sea emprehendimento na Africa.
Os illustres exploradorea foram entio maito vie-
toriados. As raas proximas do Atheanu estavam
profusamente illuminadas.
Porto, 12, man/a.
Na Granja prepare se grande manifcstaoo po-
pular para o regresso dos exploradores.
Porto, 12, tarde.
Terminou as 2 horas e umn quarto a sessao so-
lemne da bolsa que esteve muito concorrida.
Fallaram o president da sociedade do geogra-
phia, o da associate commercial, o Sr. ministry
da marinha e o Sr. Capello.
Fazia a guard de hears uma fJrga do 18 corn
music.
(Havas).
(Do GCorreio da Noite).


INTERIOR
A questao dar misisses
(Do Paiz, da c6rte, de 20 de Outubro).
De urn illustrado cavalbeiro, eonhecedor do tear.
litorio litigioso das Nisaies e muito competent
para ter autoridade neste assumpto, recebemos a
seguinte carta, na qual so rectificam alguns poatose
erroneos da ligeira exposiao feits pela Nacion, de
Buenos Ayres, ao dar notieia do Tratado celebra-
do entire o Brazil e a Regblioa Argentina.
No artigo da Nacion, de Buenos Ayres, trans-
cripto pelo Pais, ha algune enganoa em .relagao ao
territorio litigioso entire o Brazil e a Republiacs
Argentina.
O primeiro dresses enganos foi dizer a folha pla-
tina que n6s pretendemos ca limits pelo Chopiin
e pelo Chap ?c6, quando esse 6 ao contrari3 o limited
pretendido pelos argentines.
Semelhante engano foi simples inadvertencia,
poise que mesmo pelo accord. ultimamente celeira-
do pelos dous paizes v6-se que os rios a que os ar-
gentinoe chamam de Pcpiry-guasa e S. Antonio-
guasu sao os que chamamos Chapee6 e Chopinmle
se acham mais internados em nosso territorio.
Dons outroas enganos, por6m, tmrn a. meams a fo-
Iha, quo conv6n destazer.
Um foi dizer que a zona litigiosa tern apenas
cent leguas quadradas, quando aemeUlmnto exten-
sao eleva-se a mais de 600 leguas quadradas.
Dd factor, se admittirmos que da fez do Chipim
A do Santo Antonio existiam 20 leguas rectilineas,
sendo igual proximamente a distancia do Chapee6
ao Pepiry; so minultipliearmos essa distancia pela
de 30 leguas, quoe 6 a quo separa o Uruguay do
Iguassi, s6 ahi teremos as 600 leguas quadrade.
0 outro engano 6 support que o Chopim e o Ci,;
pee6 corramt, ete de Norte paa .8al e aquaetle dei
Sut para Norte, quando a direeclo dos menciona-
doa rios 6 de NE para SO e de SE para NO, for-
mando assim a cunha a que corn tanta propriedade
se rferiu o Sr. Baro de Cotegipe.
Dada eusa explieaso faremos urma ligeira due
eripao de teirritorio litigioso.
O Phopim e o Chapee6 t6m as anss nascentes ao
oriented dos campos de Palmas. Atravemsam eases,
campos, correndo quasi parallelunente em nwoex-;
tenslo de 17 leguas rectilineas. Depois incliaam-
se : o Chopim part o Iguasai e o Chapee6 pars o
Uruguay, precipitando-ae no sertioem various sal-
tos, at6 A coafluencia.
Nos campos, centre os dous caudaes, eatro a villa.
de Palm-as e a freganszia di Boa Vista, povoados
brazileiros. Ahi ha tanmbrn uma collectoria pro-
vincial a margem do Chapee6 e junto a estrala
qua seguem as tropas que do Rio Grando so diri-
gem a S. Paulo.
Ao Oeideate dos campos do Palmas, proxima-
mante pela curniada que divide as aguas do Igua-
sla e do Uruguay, segue uraa picajla de cargueiros,
quo se dirge ao Campo Ere. Esse eampo, muito
menor qua' o de Palmas, do qual diats 12 leguas
rectilineas, 6 povoado pur braaileiros. A. meoma
picada, contanuando na direcabo do Occidente, no
fioa do 9 leguas chega A eampiua do Arnerico, po-
voada por uma familia tambem de brazileiros.
Nessa eampina as agwas quo corriam s86 pars
o Iguasfi e part.o lruguay comepam tambem a
cerrer parao Parana. Ahi nas proximidades de-
vein eetkr-n nauMgefhrd.M4ma Automio e do PN
piry e so so proceder asums nimissa explora-
gao 6 provavel qup sejam eneenkados vestigios
da passagem dos antigos exploradores.
Sete a cito leguas A S 0. da eampina do Awe-
rico acha se a campina de S. Pedro, povoada par
argeotinos que so occupam na extraccgo do matte.
E' este tambem urn posto niitar da Republics, o


qual 6 coinmandado peto major Aparicio, o mesmo
quo emra companhia de um ngenheiro allemio nao
ha muitos'm -zes vei, aos ecampos de Palmas.
Na camping de S. Pedro, ao oriented de um rio
que desagua no Uruguay, gravou, em 1861, o rans-
ior Manoel Marcondes de Sa, em urma arvore, as
inisiaes do Imperador, come para mostrar qne at6
abi iam os limites do Braiil. Ests limite. simplea-
mente conjectural, nia tern sido iltrapaassdo atW
hoje pelos nossos visinhos.
Parasadireita e para esquer da pieadsa que
sguimois a.nica que atsavessa o teritdoflitigio.
a MurMt- diverse veios d'agni Dalhi, sendo
Soomipletamente desconhecidos-on sertres, eobertoff
,do florestas siuhdares; que eatendem atl o Uruguay
e o, IguRas, a inertezan-sobre as veordadeiras nus-
. eeates do Pqpiry o do Saato -Astof-
. Iis, qmnto & lhib -eentrl daregilo no setU"
do de aO 9Somono a ede -IAI outrsu
insas eoobedess-s do Uruguay-e a do Ignam .1
1sta, a part-r da fox do Chopiu, quo aewhs
pme03 aeoesidente doweamporBi, moege erpe.
toandinaditeegio gern de o0., eneoftaro Co-
teOpe, precipita.so na oorrdsir se d fltto Ca-
xim, im at* eutro rio sinda iuaint1 e hsega
so santo Antonio, reconhecido esxptl-adr petom.
aango demareadous.
A outrm ub, asprtir do npee4 sguoata-m
,bm merpentuando e eneontra os rioa do serth,
p uyov lrd, os t. -aegg a-Ppiry, dos
leop. sehwds Salte. *tase tfab-Uhp.
d~omuna ask's.- limbs. auf rttnn af

Urqt y 4.4Sl~ft~ f; out rW -aa
doI~o- .6

impl
*ORM 6-M3S
O M JS J'~**'OdljB M~lii


-', ,a n a aam m a a n mw-w--P


AL-A


Nuppleatem de Jut. mualelpal-Por
portarias da presidencia da provincia. de 28 do
corrente, foam nomeados pars os tugares vagos
de supplentes dos juizes municipaes osm segdintes
cidadlos :
Termo do Rio-Formoso
30 Supplente, bacharel Joaquim Jos6 da Silva
Santiago.
Termo de Villa-Bells
2- Supplente Manoel Pereira da Silva e S.
30 Dito Joaqnim1r.anselino de Sounsa Guerra.
Autowldateu pidMles Per portarias
da presidencies da provisoa de- 28 do corrente o
preoposta do Dr .hef do pdloa, sforam nomeLsais
m seguintes autoridadetpoiiiasa, emaubattuick o
daas actuses que fie&a exonerads.
&eguesia de 8. Frei Pedro Gaonualve. do Re

S Suppleiteio saldmhadr empterMs.7..rp
Nsatfr B~f&fM
30 aibaJsue ASoMoefirm
Dthaio.t dJpp6eI-. t t&Beam)
5> a& JB6 Ownis dtS

Terao da Agusskfloass
ob..
3D..s.GM,,&4Amw-.


30 Supplmts do--ueMgpd Maod Fsmnfri
deoAraujo.

so1. NI 1 111t

A>S~tratiKK~~ri^&i'JMitafll~Fh


'ma. .. ,
*- -. ,..


F


do 4bheiros Whipaha Aa 4omasiai amA4a do
egenaheiro B vy; veuimenatos pao integral-
mente a empregados-auseates; oGdens do sere-
$ario da commission antorisando o adiantamento de
diroheros por intermedio de casa de eommorecio a
auxiliares da mesma commnissio; tudo isso e mais
aIgmau cousa forneceria material pars urn grand-i
volume intitulado: Os Escandalos de Quixadd.
Deixamol os de part para.dizer o quo por junto
Lez- a commission Rley, durante todo o tempo im
quo trabalhou, e que resume-se nas saguintes
ohms prelhninares : desvios e alarg.imentos n'uma
antiga estrada, a abertura de ura estrada de pou-
Cos kilometres por campos de pastagem, e levan-
tamento de barrat'es e ranchos ptra os emprega-
dos e auzxiliares da commissilo. Nada maim.
Acerca da tal estrada aberta por entire o capin-
zal, ha. um facto curioso a relatar: 6 quea n'uma
gazetilha do Jotrnal do Commercio deuse noticia
do important caso da commission ter ja realisado
um-grande trabalho, abrindo urma nova estrada
de 100 kilometroa, atrav6a da. floresta do Sertdo,
quaudo esta estrada, diz o relatorio do Dr. Reis,
6 uma rogada teita a foice, semn uam destocamento,
soam um signal de que trabalhou alli a picareta...
E aliAs essa grande estrada aberta n'uma fb
resta... de capim, apenas custou ao Estado-
12-M0005009!
Fallando das obras do engenbeiro RBvy, 6 im
possivel deixar de fallar n'tim carretio, on cousa
que o valha, par elle planejado o qua o mesmo en-
geaheiro mandou fazer em Biturit6: o carretiga
tal, peso represeatava, qae nao houve meio do re-
tiral-o do lugar, nemo ao menos dar-lhe um pe-
queno impulse!
A historic d'esto prodacto da mais adiantada
engenharia A euriosissima, tal come foi relatada
nos officios do 10 eugenheiro da commission e do
director da estrada do ferro de Baturit6.
Basta dizer, nao aos ongenheiros, mas aos ho-
mens de bomrn sensao, que d'essc carro o eixo das
rodas traziras-repousava sobre o estrado do
mesrmo carro!
OlbemquejA 61
E' no officio do director da estrala de oferro de
Baturit6 que se encontram affirmaosea notaveis e
risiveis, acerea da administrator R6vy no negocio
do avaud: as suas exigencias de carros pars con-
ducaio de material, e ao mesmo tempo que se des-
encaixotasse, armasse a tornasse a desarmar todos
0s machinismos; o facto do fazer scu represen-
tante, para requisitar passes e trocar telegram
mas, a um individuo que havia respondide ao jury
da Fortaleza por crime de estellionato ; e muitos
outros factos sbo alli descriptos corn g.andc feli-
cidade e sentimos nbo poder trazel os para estas
colhamnas... porque muitos sao.
0 engeaheiro R6vy, nbo aerediftando quo para
fazer ranchos e abrir picadas no capinzal tivesse-
mos trabalhadores capazes, mandou vir de oagls
terra, especialmente contractados, dous mechanics
e um oleiro!
Oras, valha nos Deus, qua nom ha mais a'este
pait quem saiba fazer telhas e tijollos!
Ir al6m do-qua vai dito nao aria mais do que
reproduzir a mesma series de desmandos que carac-
terisam esta mal fadada commisao, cujas despezas
no exercicio de 1884-188b elevaram-se a.......
189:7915393, que corn as 4.:503496 gastos em
telegrammas, attiugemn A cifra de 194:2945889 -
de3peudido 1t6 n'ease exercicio!
0 Sr. Dr. AarAo Reis, no senu minucioso rela--
Storio, div:
Resumindo, eonclue-soe. que o s trabalhos (?)
'executados (??) pelo Sr. R6vy no noasso pai: tern
ja custado ao thesouro national a importancia ele
vada de
341:390;195
no 'emtanto que d'elles nada maim tern tirado o
Eatado quo tnao simple projeetos de reaervatorios
para a9ades e a dolorosa verificaoo experimental
deque... Y etc. etc.
Pois muito bemrn. N6s, por nossa part, conclui-
mom diversameate, quando recordamoas que esse
home, tbo prejudicial e tio oneroso ao paiz, tudo
tern feito, sem r qu e as administra,9es suecesaivas
dos Srs. Carneiro da Roeha, Moura e Antonio
Prado jalguem-se bastante fortes para mandalo
fazer aqudes mais longer. BastA. lembrar qua- os
trabalhbas da commiasu foramna suspenios, ha seis
mezes, e que ha seis mezes esta no Ceara o Sr.
Ryvy, continuaado camo chef de urna comnciihio
que uada taz, pereebendo o ordenado mensal do
1:2405000 e cercado de 14 auxiliares, quo igual-
meato percebem pingues vencimentos.
A conclusbo a tirar 6 bean diversa, poise. E' que
o engenheiro J. Jules R6vy, de quem se diz ser
sustentado s tode traase per Sau Magastade o Im
perador, quo a fiaa for9a. impinge noi as mais do-
vidosas capacidades scientifieas etrsungeims, 4
um homem felis, sim -mas pci nado-tras con-
tribminteo una care amigo do ch te do Estado.



Colleeloria provincial -Par portaria da
presidencia da provincial de 28 de outubro coaren-
te, foi nomneado, sob proposta do Theoouro, o cida-
dbo Manoel Bamos de Albuquerque Maranhbo pa
ra exercer o cargo de escrivbo da coUectoria pro-
vineial do munieiplo de Aguas -Beloas.


.I.


Jg Oternato -doe ams Britto.
Aaduh Louqaa R3Ldr*!

asU wasa Br. Dr. Souza, pore
den do abdeegadoda paroehia de 8. Frei Pedro

ciad Chags Barros, pads, de oerea -dA 16
snasos do idadoe; a q na zaptA das-da s i a
paa, ema. Affogaedasobi depositada 'amat esua da.
rua do .rquezj de Oliuda, par Adelino Antonio
J6ba da Silva, qua a illudio corn promeus. de es-
samento.
A pobresinha estava violada.
Tambem osamimau o mesmo Dr. Houa a A Ida-
lina Carolina da Sila, plrda e-de 17 annos de
idade, a qual, sob o pretxto de casameato, tfora
seduzida por Seraphim de Araujo Souza Ribeiro,
pardo e morador no Corredor do Biape, em Julho
ultimo.
A vastoria foi realisads de ordem do Dr. doele-
gado do 2' diatricto, e confirmou adenuncia.
Ae&lcelea-we -Hantew, pela manha, um
individuo bemn trajado foi A .loja a. 47 da rua Mar
quite. de Olinda, de Nunes Coimbra & C., e pedio-
hes que mandassem fazendas parm luto rana da
Praia n. 46, lrevando caixetro algum dinheiro
miudo pare troco.
Os dons da loja, vendo um individuo limpo e
bem apesasoado, nao duvidiram mandar as-fazen-
das; mas quando o caixeiro ehegou A ponte Pe-
dro II,o tal individuo, pretextando nocessidade de
ir comiprar am atalde, pedio-lhe 21J000 que o
caimxeiro promptamente the entregou.
0 caixeiro seguio pars a rua da Praia; 0...
foi um dia o tal individuo. Era elle um larapio
geitoso e industrioso.
Esse sugeito, ou melhor ease ladrno 6 alto, more-
no, usea bigode somente e tern cahellos ctsepes.
Anda beorn vestido e ,6 ladinao. Dizem que veio do
Rio de Janeiro, de onde sao muito commune estes
typea.
Acautelem-se tados contra elle e seasw conge-
neres; e que:n poder meta-o na cadeia, que presta
ser, igo A humauidade.
Ferment. grawe-Hontem, As 10 horas
doras do dia, no lugar Encanamento, district p.o-
licial do Pogo das Panella, Jos6 Antonio Ramos
ferio gravemente corn um tiro de pistols & Joo
Valeriano Wheltfiel, corn quem andava intrigada
e corn quem travara nma dispute na occasion do
passar elle- pala porta da casea de sua residencia
no referido lugar.
0 criminoso foi preso; e o ferido, por eonselho
ao Sr. Dr. Jos6 Joaquimrn de Souza, que, A pedido
da autoridade compet.nte, o visioriou, foi man-
dado recolher ao Himpital Pedro II.
Osj ferimentos sao 17, todoe de caroegos de chum-
bo, e occupando a fae, o pescogo eo peito, espe-
cialamente ao lade esquerdo.
Soeledade Becreadiva .Juventude
-Ema 27 da corrente foi empossada a nova direc-
toria d'esta sociedade parao exercicio de 85 a 86,
a qual fieou assim constituida :
Presideate-Calisto Maia.
Vice-presidente-Jobo Cagader.
1 secretario-Joao Alfarra.
20 secretaria.-Luiz G. Amorim.
Thesoureiro-Mamed e Girio.
Vice theaosoureiro-Antonio Flores.
Bibliothecario Joaquim R ibeiro.
Commissao de ex-tame de contas Bento de
Aguiar, relator; Jo2b Meadonga e Jos6 Gongalves
Dias.
Apeates-do Correle-Par actos da presi-
decei itd& provincia ,de 28 e 29 do corrente, e sob.
proposta do administrador dos Correios, foram no-
mead.o agentes depsa raparti*o:
Na Gdoia do Goiti, Jeuaiaa Pachecdo Am&-
ratl
Em. Senriham, Jose Jorge Pontes :
Em Cha, da Carpiva, Theodoliado Cavaleaate do
Albuquerque;
Em Panellas, ManAol Joaquim da Siltv Bar-
roe:
Em Cabrob6, Antonio Firmino do Rego Pinto
Em Palmares, Francisco Serafieo de Aasis Yas-
coocellos.
Na estagIo de Agus Preta, Bernardino de Pai-
va Cavalcante.
EdemBo -central do Cabo- No dis
24 deste mes e em presenga dos Illmw. Srs. Dr.
eongeuheiro fiscal,preaidente d .Companhia The
Central Sugar Factories of Brauil (Limited), Mr.
Lambert, gerente geral da Companhia, Mr.
Connor, dos Extob. Bra. Visconde de Campo Ale-
gre, Drs. Felipps de Souza Leao, Amorim Saiga-
do, a Silvestre Dattaa do Albuquerque Linse Ro-
d-igues Campelib, proprietarios todosdos lugares
.que aforaeerm cannas ao eagenho central do Cuba,.
deot elle principi A mafra de85 a86, satiafazeado
perfeitamente A eopeetativa d'aquellas pemsoas,
nao tendo podidat continuar a moagem par ter se
partido tun a nnti quo pretde a nmoenda a corrente
da osteira de canna ; o quo teado sida repanado,
pmoneguio heatern e ontinaua A dita moagem mnito

Form introduzidoas diversos melhoeamentos que
facilitam o trebatho, mehaore o fabrico e diapensa
parze do grand pesmoal empregado na safra pas-
aids.
E' gerente do alludido -engenheiro Mr. John
Willian Gilliennoe, que o foi no anno fido, ou an-


for-






., '-. .fS S S o ot iE -. .





E de 8 TB'180 004 1 :5


It pw co o wse osasssoes 'a
cc I C


I-A-


Eaercicio do 1883- 1884 1:5516896
Exercicio de 1884 -1885 2:709J190
TAmbem durante oa primeiro do corrente exerci-
cio de 1885-1886 Onlhe a setembro) os rendimen-
tos coipardos cona os dous anteriores tiveram um
augmento ds 5:5665390.
A santa Cama tern de receber mais da Thesoura
nra da Fazenda, que os vai cobrar execativauente
assomma d 31:287?910provenientes de 339 guins
deo-vidas por now easas desta praga, consignata-
ria, de naviQs.
Esta ultima quantia reunida aos excesses acnma
fazem corn qae haja um augmento e favor da San-
ta CaUa de 50:688$499, e nbo de mais de cemcon.
tos de rs. como ultimamente informaram e foi p i-
blicado em uma das folhas detta c*dade
Sejam, por6m cern ou cincoenta contos, o que &
certoe6 que a Santa Casa deoMisericordia rece-
ben urnm important auxilio e que bern m"recem
aquelleso quae tanto coneorreram e ainda estao con-
correndo para quo arreeade o qua por lei Ihe 6 con-
cedido.
' Romance-Para a Livraria Flumincnase, A
ra do Barao da Victoria n. 9 chegaram as cader-
netas de ns. 33 a 37 inclusive do romance 0 Ca-
dastro da Policia, de E. Vidal Valeriano e Roca y
Roaos, romance historico hespanh-l, vertido pars
portuguez e publicado pela empreza Horas Bo-
manticase, de Lisboa.
Cltoria do leQ Dizmm -nos desta loca-
lidade quo, no dia 25 do corrente, alli falleceu Se-
verino Josd dos Reis Carvtlho; victim das con-
sequencias de uma congestao cerebral.
Era homemmaior de 50 annos de idade, tenen-
te -.oronel da guards national e chetfe do partido
liberal do lugar, ended goasava de estima e consi-
deragAoe.
Dinlbeiro-0 vapor Jacuhype trouxe do nor-
te pars.
Diversos 16:5755770
Industrial la Muigera de 1890 a 188.4
--Le Bulletin des' grande s uwines de Turgan pu-
blicas um estudo bemn important sobie a industrial
lanigera em Fianga, segundo os doeumentos e o
quadro synoptico de M. Cesar Pau'ain, membro
da camera de commercio de Reins.
0 prego do-trabalho de certa porbao de lo, qae
era em 1,800 do cinco sols seis diaheiros A meada
de fios de 500 varas o u 32 francos o kilogrammo
em trauma de 700 metros, decahio em 1879 para 1
franco 25.
0 prego do meriu6s, que era de 16 francs o
metro e os dos tecidos em forms de cruz, coma o
da saija em 1808, baixon a I france a 20, de sor-
te qu e se teria hoje pelo prego pageo. adiantado
atigamente por umrn metro, tree metros do mesmo
estofo melhor feito.
Os algarismos sao o mais belle elogio dos pro-
gressos d'esta induatria.
O prego da lM de Champagne (la quatidade) la-
vada miuuciosamente, 6 de 6 francs e 40 cent o
kilogrammo, depois de diversas-oseltlagoes.
A. produego total da Frangs em teeidos de lb,
daotea estes ultiaos aneano pode aser avaliada
termo. medio em 1,20 milhoes paor anno, dAs quaes
345 milhbes abe exportadas. RBina tern contri-
imudo part esta produccgo corn 150 milh6es, ou
cercade unm oitavo da cifn.-total da Fran-a.
Para os negocia-tes de algodio.
--Esrevem do Nova York pars o Percurteur-d'An-
vers:
AcoolheRta de algadbo este anne, segundo as
apparencias, sera enorme nea Estados-Untdea do
Sul, isto 6, nao haverat menos de 7 a 8 milhoes de
accas ; em eousequencia de que jA oas preee bai-
xasam ; mas coma suecedeu fazerem-se som re-
Terva muitamvendas, sobreveio logo a reacgce, e
resultado coma era natural, foi hbaer perdas sen-
siveis nas vendas jA rebaixadas, tanto aqui, c.ma
emi Liverpool. .
a De qualqner maneira a tendencia 6 absoluta-
mente pela dimiauigao de prego, e o trabalho foi
reduzido e sumpeoso em muitos districts manu-
factureiros do note, porque a perspective d'uma
abundant. colheita, diminne ja o valor dos artigos
manufacturados, e o conmuma nbo se opero senbo
pelas necessidades inmediatas. Form convoca-


pess6as.
Os 35 drama,
urn, representam
corresponded :
Aos emprezarios
Q actors


representados cemrn vozcs cada
6.360:000 francos, dos quaes


decoradores
alfaiates
proprietaries dos theatres
pobres (por direitos dos hos-
picios)


1.400:000
1.250:000
21I:O.O
149:000
700:000

630:000


Sque assentam os eartazes 80:000
a musicos 157:000
comparsas 350:000
a bombeiros de guard 70:000
commerciantes de azeite 525:00
empregados 140.000
Smachinistas 180:000
Scabelleireiros c cabelleireiras 93:000
Os meus dramas tem dado trabklhoo em Paris
durante dez annos a 357 pess6as.
Triplicado o numero para todos os departamen-
tos de Franga, siao 1:041,
Em tudo isto nbo vao comprehendidos os con-
trabandislas litterarios da Belgica e aos tradaucto-
res estrangeiros.-Alexandre Dumas.
Leil OGes-Effectuar-se-hao :
Hoje :
Pelo agent Pinto, As 11 bhoras, no largo do
Corpo Santo n, 17, de pren'dios e vauccas.
Pelo agent Martns, As 11 horas, na rua da
Palma n. 76, de moves, pianos e outros objects.
Pelo agent Stepple, as 11 boraus, na rua do
.Imperador n. 24, de differences passaros nacionaes
e estrangeiros.
Amanba :
Pe'o agent Britto, As 10 1/2 horas, A rua de
Domingos Jose Martins, da fabric de cerveja ahi
sita.
Pdo aqgente Martins, As 11 horas, na rua Di-
reita n. 109 dos moveia, relogios e objectos da re-
lojoaria ahi sita.
Pelo agent Gusmno. As 11 horas, na rua do
Born-Jesus n. 49, de livros, oleado, .papel, charu-
tos'e diversos artigos.
lissa9 funelares-Sergo celebradas :
Hoje :
A's 8 1/2 horas, na ca ella do Gymnasio Per
nambucano e As 8 horas, na matriz diL Boa-Vista,
por alma do conselheiro Jos6 Libe: ate Barroso ; As
7 horas, em S. Jose de Riba-Mar, por alma de D.
Guilhermina Alves da, Silva ; As- 8 horaus, na igre-
ja.da Coneeicgo dos Militares, pela do capitAo de
mar e guerras Joao-Baptista do Oliveira.
Amanhi :
A's 81/4 horas, na matriz da B6a-Vista, per
alma do D. Etelvina dos Santos Pinto; As 7 ho-
rvawna igreja da Madre de Deus, par alma de
Francisco Perreira da Silva.
Terca-feira :
A's 8 hora na matriz da Escada por alma de
D. Anna Margarida Cavalcante de Albuquerque.
Pamagebtrlos-Sahidos pars as portos dc sul
no vapor Jaguaribe :
Francisco P. da Silva, Pedro Chastinet, sua se-
nhoraa e 1 filho menor, David Russo, Euelide V.
Malta, Augusto A. Tinoeo, Dr. Jos6 Maria, Faro
Rolemberg, Evangelino do Faro, J. F. da Silva e
sua senhora, Dr. Alvaro 9. Uehoa Cavalcante Ju-
nior, Joaquim Lopes F. Pinto, Francisco Rama-
Iho, Alfredo J. F. da Costa, Alberto F. de Men-
donga, JSs6 P. de Albuquerque, Dr. Goncalo P.
de Azavedo Faro e 1 criado, Alfredo Bernardo,
Jos96 Lima, Robert Paccy e Francisco Josd Fer-
reira
operaeGescirurgicaa -Foram prticadas
no hospital Pedro I1 no dia 29 do corrente, as se-
guintes:
PelotDr. Estevao:
Reseegao do maxillar superior esquerdo, recla-
mada por polypo do seio corn destruiabo do osso.
Peloe Dr. Berardo:
Extirpag1o de um kisto da palpebra superior.
lietes-a da provhncta. Sabbado 31
de outubrq, se extiabira a loteria n. 17, em bene-
ficio da aatriz de Flortes.
No consistorio da igreja de Nossa Senhor:- da
Conceigio dos Militares, se acharbo expostas as
urnas e as espheras arrumadas em ordem nume-
rica, A apreciagao do public.
Loterita Extraordinarta do Ypl-
ranga.- 0 terceiro sorteio das 4a e 5a serier
desta important loteria, cujo nasior premio 6 dc.
t100:000000, sera extrahida no dia 10 de dezem-
bro.
Bilbetes A vends na Casa da Fortuna A rua 1'
ie Margo n. 23.
Oraude iolerta da corte-Esta grande
'oteria, cnjo preaio grande 6 de 500:0001000',
serA extrahida no dia 12 de novembro proxsimo vin-
douro, gonforme se aeha mareado.
Os bilbetem aeham-si a venda na Cas- a Feliz, A
pra-a da Indeprniwtecia. ItS. 37 c 39.
Tambem asham-se o veArda ua Casa da Fortu-
na ,a rua lde Mango 1. 23.
Loteria de 3OaOflSiOOO. A loteria
193a serie B, eorre impretcrivemrnte no dia 30
deo outubro.
Bilboterat vends nI Case. Felz da praca da In-
depeneia as. 3Z e 89.
Tambem aafa-meeA ,veads na..Cia da Fortuna
a Pnuneiro-de Margo n. 23.
Loteria de Nacei6 -A 7V part da 10a Io-
teria cujo premio grande 0 do 100:0005000, seral
ex~ruhiiha impreterivelmente hoje 30 de outa-
bro.
Os bithotem acham-se a venda na Casa Felz
prats da aIndependencia na 87 e 39.
Ioterim do Maranhao -A 1a part da la
loteria deosa provincia, em beneficio da emancipa-
gic e Santa Casa de Mimericordia, eujo maior proe
io 64 OOO050 0, serA extrahida no dia 25 die no'
voeateo proximo vindoaro.
&chmm-so exposto a venda os restes des-:hilhe.


tea na Casa dalortuna & rua Primeiro de Margo
.ns28.
inM- i' nvMadb oalMiu -
&*rftrlnbAidaBnest* estabelecimate 62 rueam
-o& esoeumo do di. 98.do econate.
*amSuNo iunlclpal do L Jon.--,-O
movimento date Mercado no di a 28 do cmwte

Entraram :
27 bWe psando 4.297 kiloasi
238'J-&os pclxe a20.rei a .0
S50AImaf'dtv& mind ilbo e foe:e.-
a i00o dw .. ifwl,
11 diswubIh ta. diveus is 0.0 0 1 ., "

.. 6 .e^ri^ ,t.'.-*J


o Aos operarios :-Apresento-me candidate a
deputado, e pego-lhes votos : eis oa meos titu-
les.
Em 20 annos de tmabalho escrevi 400 volumes e
35 dramas.
Os 400 volumes representsm dando a cada um
urma tiragem de 4:000 exemplares, e vondidos a
cinco francs, 11.853 .-600 Mfrancos, doa quaes cer-
respondem.
Aos compositores 364:000
Aos machinistas 528:000
Aos livrndros 2.400:000
Aos distribuidores 1.600:000
Aos ageutes 1.600:000
A.s gabinetes de leitura 4.580.000
Aos desenhadotes 28:000
Eatabelecendo o trabalho diario em tires francos,
eorao cada ann o tern 300 dins dc trabalho, os
meus livros deram-no durante 20 annos a 692


das cercs de 30 fabrics de. algodbo do sul pars
Augusta (Georgia) para combinarem n'uma linha
de coadnctalcommum na lucta pela concorrencia
do Note.
Procurar-se-ha igualmente estabelecer um
prteo firms que-se mantenha usna part meridional
da Uaiao.
0 eatuhao Flgoier Deve-se ao tenente
commUdandate Folger urma nova pega de immense
valor, segundo as experiencias notaveis que foram
feitas em Annapolis. E' numns arm& de pp-queno
calibre, cujo projectil sacanga urama velocidade ini-
cial de 666 metros. Ese cantbao destinado prin-
cipalmente ao serving da esquadra, langa projec-
tis m de ago capazes de perfarar as metralhas, das
torpedeiras e dos cruzadores. Uma carga de cer-
ca de 270 grammas Iho permitted atravemsar cha-
pas de 7 decimetros de espessura.
Experienciaa f.itas em Sandy-Hood mostrarlo
quo eta peoga pode imaprimir uras velceidade ini
cial dc 686 metros a mn projectil da 42 grauinma
conm uman carga de polvora de 30 a- 40 gramas.
Uma nvo mhdIl-A VossichAe Zeitung pn-
bliea noticias muito interessantee de um novo pro
pheta mahometano, que hIt alguns annos, fandou
umn. extenso remino no Alto Niger.
Este mahdi chaims-se Sumori, e, se continuar
goaawto de tanta felieidade eome at6 aqui, facil-
menlte akeamqr, repstaso muito superior i do
outrao mahdi, quo taunto dea que tazer saos in-
glazes.
V' au-demms porsonagenf qae tpparecem- e de-
eapparecem corn igual rapidez na historic do isla-
nmiOa esAijs uniea misa eaonsiste em propagar
o Ooem scztemrmime os-infe.fa
Nada.swat & eerlt da-o arigem. Segud-
oan, descended da mysterious tribu dos Fulas ; se-
gadoow la, dos.-Uandomgm.
Parece que fo i inieiado a sua n miso densta
denarsa peo Hadseh Oar, As' orders do qua4 peoe-
joa no Senegal contra os francezeas. Odeia pnn
cImftl Seas-otmanueus e combate-os lfogo eier-
ro naa margens do Niger.
0-emi.a eoatk-ituxd proximo das fontesd'a-
queue rio e a 6apouwo dseoahe"id, n&a esieate
paa os europens, mas at6 pars os africanos.
A f ge, alferes, sao aervgo da Fran chbamaedo Al-
&aeus-.Wi pi-qu iefnt Sma m cMits 46 %-
IMo, (9- de latitude N-. a-Ss.W' doeIngkMadO,
saQm A&I S --
Os fraa es quo, pelt primeira vor e4187)-
{MaiMeas at F"Ow tiVwume qw era'




|u 0 u.mtribus que Be
5 -"--enu m t oPe
-a atI aa
V-^ n r^ ^ '^C~a~ eWirB-.
jlff | I LL.* 1-1

raM^^wtribus que se


tea ate o ultimo dejolho deste anno, do cngenho
Coyambuca, e do qual foi transferido pars este do
Oabo por deliberago -da C omnpanhia, coma ounioo
dbo gerentea apaz de o levastar do estado de
abatimeato e admimaistrago em quo ase aehva; :
paler qu-, so terets scieneia off agricaeores de
Cuyambuea, fixaeram uma repreaentaoao geronte
gemal da Companhia, em 25do dito Jalho, pedindo
arevogago da alludida transtaencias, eexutan -
dice o melitoa do reMerido gerente, a quint todavia
no-foi attendida por ser urna deHberafoa da di-
reotoria e necessaria saos intresses da Comfps
niia.
Vts-o via de-Caruard. -A' partir do
I.o de novembro proximo vigorara. nesta ferro- via
mn,.novo horatio de trends de parageiros, o qual
v puMblieado ns meolo dos is*es.
Segando ease horario haverA nos dias uteis doas
trees pel- ntanmI e dues A tat-de, tate de ida,
eome de- vclt, sndcar:
Do Jeeif a Jabosto: ah 6 horas n 30 minutos
e 7 hws e 15 minuattto da-manhii e as-5 hon e
7 buomr e imiutWas d terd.
DEr-Jbdtib nu eab M Ais honma e 20 nmi-
tow e 8 horas e 8536 miautos da mamuhe 6 horns e
lOiszudtos da tir-8-khoa-a& nalteL
N.. di sadtifidads os ens erao Oma seguir-
tas:
S Do Reite A JibsAteA : S 8U i hrs da manhl, e
D orae 5 5 boras dattod.
Ds/abmoati.raa Recit: s 9 hoas e 15 minutes
dsMnMid e-5 hm &- "7 braUs d ta Lre. -
- flbO-ar'adaaswf e- e 9f- 0Cd8gw .1
O'4ab AtONad*s, *s&Wg.*dt sV t t < M
d vaoeerdtoitt^u tagutwBMW
sinBmeniaserp e -Im iuk 'lawwquado re-

w ^ 11W 6 Mark


,,, 1. ..
























Vsflterloe pablicC-Obituario do dis 28
-4-owurrouute :
Stlquiqozs Ignacic Besorw de Melo Peoam-
baeo, 5 annas, eoltiro, brmeeo, ia-Vista ; in-
teeglo urinosa.
Franoelina Genoveva, Pernambauo, 82 -annos,
solteira, parda, Gragt ; tubereutlo pulmona-
re-s.
Viconte Dias da Silva, Panshybe, 24 annos,
aoltoire, pardo, Ba-Vista; tuberculos pulmona-
res.
Antoni M-artiaisno da Sitva, ,Paxhyba, 25
aunos, casado, pardo, B~a-Vista ; esmagamento.
Apotinario Pereira da Silva, Pernambuco, 37
annos, viuvo, pardo, BOa-Vista; tubereulos pul-
monares.
Luiz de Francga, Pernamhbaeo 60 anam, soltei-
ro, pret, Boa Vista; tuberculos pulmonares.
Antonio Albertino, Pernambuco, 3 dias, pardo,
Boa-Vista ; tetano dos ree.a-nascides.
Paulina Dias de Figueiredo, Parahyba, 65 an-
nos, casada, branca, Santo Antonio; diabetes.
Candida Maria da Conceigilo, Pernambuco, 30
annos, solteira, parda, Recife; tisica.



INDICACOES UTEIS
Kedlieom
Consult orio medlco-clrurgleo D
Ped re de Attahyde Lobo Moseozoe a
rua da Gloria n.39.
0 doutor Moscozo dA conseultas todos os
dias ateis, das 7 As 10 horas da manhlI
Eate consuitorio offorece a eommodidi-
de do powder cada doente ser ouvido e exa-
minado, seu ser prosonciado por outro
De meio dia As 3 horas da tarde sern o
Dr. Moscozo encontrado no torreao A pra
ga do Commorcio, onde funeciona a ins
pecao de sauide do port. Para qualquer
d'estes dous po-ntos podero ser dirigidos
os chamados por carta nas indicadas hornm
0 Dr. lJoqaion Camara medico
dentist dA consultas A ria Barao da Vic-
toria n. 51. 10 andar.
Encarrega-se de qualquer trabalho de
cirurgia e prothcse duntarios ; extrahe den-
tea por inmeo da anesthesia; obtara {chumba);
colloca dents artefi-iaes e corrigo as irre-
gularidades dos dents.
0 Dr. Mello Gomes, de volta do Ca-
tende, onlen osteve comminissionado pelo go-
verno. tratando do fvbrs de inao caractr,
continuta a raceber chaminados por escripto
a qualhiucr h1ird do dia e da noite, na sua
residencia 'A run Nova n. 27. Consaltas
das 10 ao nmcio dia.
0 Dr. Bdchior du Gama Lobo, "medico
operator e parteiro, recentemente chegado
a esta capitai, fixou sua residencia A run
do Visconde do Caznarngibc [(Hospicia) n.
20, oaden pode scr proeurado para os mis-
teres de sna profissiio, a quialquer hora do
dia ou da noite. Da consultas iuedieo-ci-
rurgicas do incio din As 3 horns da tardo.
51 Ran B.*rao da Victoria 51
Dr. Barreto Sawnpaio dA consultas de
1 As 4 horas da tarde, A rua do Barnio da
Victoria n. 45, 2o andar; residencia rua do
Riachuelo n. 17, canto da rua dcs Pires.
Dr. 8imoes Barbosa medico e pat iro
mudoiu o su consultorio para A rua do
Marquez de Oliada n. 64, 1 anJar. N.
telephonico 279.
0 Dr. Aclbiades Villoso continue a ter
consultorio, na sua antiga residencia, A
rua do Bar?.o tSa Victoria n. 45 1 andar.
DA consultas das 7 As 9 horas da manhit
e acoie sos charuadcs a qu dquur hora.
Pratica oparaicoes.
Sudanca de consultorio
0 Dr. A. Iriho avisa aos seus ilientos
que muilou o sou consultorio pars a rua de
Qasimnado n. 46, l.a andar. Consultas
tados ca dins das 11 as 2 hera -da tarde.
Drogaria
Faria, Sobrinho & C., drogustas poi
attacado. Rua Marquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoed da Silva & C., depo
sitanios de todts as espucialidades pharnat
eeutieas, tintas, drogas, products chimio
e medicameates hornceop-ticos, run do Mar-
quez dc Olinda n 23.
Beo;Iea francsza e drogarla de Ron-


qea~VrJiVWr6remf.
A. de Cao. *s
Nestes estabelecimneato fundado clesde
1821 cncontra-seo as pro luctos chlnmicos
drCgis, tintas, olos, pinceis, vcrniz -s das
melhore a -nircas; to'l.s as espocialidades
pharinacouticas dos legitimn)s autores, aum
variado s.rtimrnento de fualas e aguaa ni-
aneros, os granules dosimdtricos de Burg
grave e produitos Aespeciaes da Flora Bra-
sileira. :22 ru- da 4 Crz, Recife.
Nova -Halmbargo
Nso te tenio ca'luido em agosto, cnmo
aS csp-rava, as obras do antigo p:tvilhiao
central qua so ax''ha jA transformado no
bhllo e primuinroso T/watro Ghilet que bra-
vemn'te s ra inmauguraxi; continue o mao
vinue;to de bilhares c emrauns e aextav.ados,
jog') de bali, sorvigo do cerveja e lunch
no terrags eI music aos sabbados e do-
mingos sob a diree;o d'2 habil profes*M
Antonio Marins.



PIu4ifld 4n, n 4iIDO

fituiro do nEKtst eflseae
der ime.fUntzil


aeMsxdos i MU e.. 6
a -.asa -lagstusa 5U yS.PSI
imitor o que pvas l .- ., ha omito quoe
io publ seonstos do

Existem centre a acossis, funebio,-
narion en erregad W, aecusao em eadw'
um dos eatadioa di oda ia.
Smtw4WS p toopm4.tur Aonidatorib
pu. eo, oianeeoutran
pbbeo, crgagntdi tal, is. toT afls emaetna
paips.
Nao s6 n2o formam esoia fmecionarios um cror-
pv unico de magWtustora,oM tambem sauns a:.
t ibui6eoses eatlo l dp_ de tor quella-extenslo, qui
era conveniente dar-lbs, oade quer que o inteo-
resse public reelamane a moterfeencia e a collar
boraciao dresses adrogaos sa soeedade.
0 ministerio publieo doenria constituir ama ma-
giatratura sui geeris, om ergos especiaes em
todos os grios dajurisdieoo commum, organisada
em urma ordem gerarchica, que partiado do aim-
plea promoter pblieoiahbihe.atl o ministry da
justiga incumbido das -taedietoo do mmisterio
publieo.
Snumamsnte 3til 6 aiapeseeia do ministe-
rio pub'ieo vi d-vis da taJuicatumra,fi' da. qae haja
nma mutual syndicaturs e inspesao entire, ci dous
ramos judiciarios :
... Alto-,s sic
Altera posit opema res et conjrat aidce.
N'este ponto parece-naos a legislagAo prussiana
muito mais logical, do quo a franceza.
Entre a amovibiliJade e a inamovibilidade dos
funcionarios do ministerio publico, que traze n
iguaes ineonvenieates, pe saos que ha a seguir
am caminho intermedio, perienis vacuum, jual 6,
admittir em these a amovibilidade, intriseca a-'
caractr exaecutdivo da institaipq4, oestringindo, po-
zD,,coM algoumis endi-ioes o absolato arbitrio
do gover.
0 descnvolvimeito d'esto nicmvelvins;ltut a)
pass qne abira numa -nova brilhaate carreisa uo
lado da magistratura, trark maivres garantias A
ordem e A tranquillidade pablieas, ampliar e for
tificarA o imperio da lei, zesara molhor as interesses
sociaes, os direitos e as liberdades civicas.
Para preencher eesa elevados eacargos tern :o
ministerio public que assentar no priacipioa uni-
tario e na subordinagao gerarchica de tod9os os
seus membros.
Nao pretendems corn isso tirar-lhes nem o di-
rcito de iniciativa, nem a independencia moral.
0 membro do ministerio public ha de gozar do
direito nao .a de p6or--e em movimento, gem
aguardar o impulse do alto, como tambem de dd-
duzir perante os tribunaes as suas raz5es, confer-
me a inspiragio do saa conacit nia.
Silo dons direitos, que Ihealo iniispeousaveis.
Da iniciativa ha 'e surgir a responsabilidade, e
da i'-tdependeneia nascere a imparcialtdade, que
erguerao no conceito pub'ico, sua bella o utilisi -
ma miassao.
Tao credora e de enucomios e digna de ser des-
envolvida a irmtituigao do minibterio public),
quanta 6 condemnavel essa antra instituigAn, igual
mente de origein tranceza, que violntamento,e
contra o espirito da coustituiego politica introdu-
zio-se m, nosso paiz.
Referirnao -nos ao ramo adultero da arvore da
justice, que denomina-se contencioso adminis-
trativo.
Verdad ira cqntradiclo in terminus, na cnergica
linguagm. dL R. do Mohl, essa crtagib da Fran -
ga rcvolucionaria imports una fligrantc invasao
no enmpo do poder judiciario.
Tudo quanto diz respeito ao direit:) e a appli
cafao da lei, caho natuoalmente sob a esphera de
acao desse poder.
E' maxima proverbial na Inglaterra que : where
is a wrong, there is a rimedy.
Ora esse remedio contra a violaa.o do direito
perante o bomn sensao mnglez e a razto esclarecida
s6 p6dc encontrar-se na)s tribunavs.judiciarios,
cuja independeacia 6 g.rautia de absolute impar-
ciaidade.
Fui tendencia de nosso legislator at6 a L. ds
23 de Setembra de 1811 d.avolver ao poder judi-
ciario o conheeimento absolute dos direitos dos
ci ladios, qua,!quor quo fosse a origen doses di-
reitos.
Essa lei, porhm, e a anterior Prey. de 21 de
Oatubro de 1834 cao-e.ou a reagir contra a ton-
dcnciu liberal do legialador.
Q me renaia in dominio da administrator tudo
quanto constitne a pura acao--merum imperium=
Q a chuamaai jurnsdice.) graeioss -imperiwm mix
turn, in quo magis imperil qamrjurssdic:iowis finest,
6 logic) e cousoaute corn us direitos constituQio-
naes do po.-'r ex.-cutivo ; revestUl-a, porn, do
um:i jurisdmcciio stricto sewns, cotrogar-lhe, coma
a jqiz, a solug.o de coatendas juridicas, em quo
ella uneama 6 parte, sujeitar A sun apr ciadao doe
direilos dus cidadi's&; 6 inverter as principios rue
dimentaes da secioncia, violar o djgm t fundamei,-
tal da separa.ito dos poderes.
Tcr subrneotido a admifistragiio public e os
p mrticulares ao rnsmo fdrs, foi para Plinio um
dos mais brilhantes feitos do reinado do imperari >r


Trajano : Eodem firo tztasn!r prinrdpatus "et liber-
tas, qcew prceeipua tua gloria est.
Bern tizeraj a Belgica -e a Hollauda, que gra-
varam ease principio em eaos leis fandsmeutnes,
e tambtem a Italia, que corn a lei de 20 de Margo
de 1865 procuroau,ablir umaminstituigao, con'ra-
ria ao genmo nacional, e que alti penetrara pela
tendencia de gattomarenia.-outr'ora dominate.
Dasorganisado, eomo s3 aeht em nosso paiz, o
contenciosi a4minaistrAtiro, e conititainto nAi au-
tarisada opinion do Viscowic de Uruguay urnm ve-
dadeiro chAos, aoado nbo peoatrou ainla nm raio
sequer de luz, urma reform a csse respeito 6 so-
-bre maneira urgent, mormente se effectuar -Se a
deaeuntraliiaqalo dministrativa des p-oviacns e
dos municipios.
Seo coutenco33 geral, exe p!uando talvez u que
refere se ao Thesouro, verdadeiro status in status,
jaz em desordm en e canfasoi, e offereeean.lo tao
poucas garantias aos direitos dos cidedos, o qiw
seri quado U-) lodo da adminiAtraiao geral sur-
girem a administrail) provincial c a -municipal
completamonte indep -ndetit" ?
A reform do coateneioso administrative pole
coasiderar-secom razio umn c.mnplemeato noCees-
satrio das ref.r-n madminiaistrativas.
E, que senti jo sler, p)rh!n emprehendidWs ess.-
fefEoUMLn ?
Dar a jurisdicgio conteneiosa Ais memas .snutO
ridMaitde eaectim, 86 evi latemente iusuahu4'o sa-
gcdeo direito do eidnbo em Itlocau.to ao amor
proprit, ao esptito de cohernia politi,-oa oni uinsa
palavra aos eapribchoas doa adm. mrttMOS.
A creaeilo do especiacs tribunes -adtaleistrati-
1os, e.uj.?-pr.zeftin em Frav.s C omnenin, Ma-
carel eovien, ;al&n de o r'ineiqtuivel p Io ex-
traurd.iau gW .lautM9SeAidoHt dlto e do des.
pezns, quo tmttzi,, peeaew.1-j6 p.lai as erigoeo,
porque bilie do seio da* mnisma-admniuistragio-e Ceo-
Ino porque divide emn dous o unico p ,der j idicia-
ri-:rfecouhecide pela csstuicio, sin tcr aa.Vd1-
Eases moerios puotiilMtAes -abarionoaram depis
o seu project, o qual, ehseg.do a ser proposto e.a
tempo da republic& de 1848, pnla eomiseioio db
cottiiitnt.,'fIo foi aeeiWtjpta usseatulha nacio-
hid fia-Set a. ...... '
O&adireitos d -d j ler que eja a
Sim p"-.te'p...g e
sa pet(o t L.UtV iepeemed, t "do
podi-r judieial. t.i'^
CwAQ$ o pfta.q i,nVf,,V. deve ser -o poder,
incumiWO" 'e r ,gpcia .I
l'od-rA bhvernad 'idw'uirinabsmtB ordoe_ e xi-
gir o Consciho-de -9 rb coneww ive petas
Hut esaenqa, e esefti!Ew EPoltics peOO sea
lei deus& B 4. 4slftos s86 tem
Do aecouido pea -j -. gpri o da CUcAtittmior

vwo bet-a,-- -p.,
vMo ds .iiaini- ^ ^aaiBi


Hpntem foi o aesoaso qwa foe descuhrir
n'este grade purificador do sau e s wr-
tude .de eurar a asthma, quo as a -to.trn.
into coafirmar por inatiumeras curase de
individuos que soffriam echronicamwnte dos-
ta torrivel molestia; hoje 6 o meomo acesa-
so qae, pateuteisa ur a de wo iua hydro-
clel E -ainda ha qae divide a effioaz
aegco d'este remedio ?! ,
ATTESTADO
Recife, 14 de Outubro de 1885.
Ill n. Sr. Antonio Pereira da Cunha. -
Conhecendo as virtudes do caji e da jura-
beba, o, estando na Barra deo S. Matheus
provincia do Espirito-Santo, onde era juiz
municipal e doarphbos, vendo annunciado
o seu Cajurubeba, procure fazer use ema:
minha familiar, produzindo excellentes re-
sultados.
1.- Minha fhllha de 27 mezes de idadu
nba andava pelo enfraquacimento qu- lhe
sobreveio depois de ter sofftido aphtas e
uma forte mesenterite, tendo tornado boas
dozes de medieamentes sern resiltado,
quando resolve dar-lheo o Cajurubeba no
principio de Abril ultimo; o 0em Maio so-
guinte, coarn o uso de ua frasco, andava,
ficando gordinha e esperta, e actualmente
corn perfeita saude.
2." Tendo feito tambem uso em Abril
e Maio, do Cajurubeba per incompodos
que soffria, note, no oitavo ao dzeimo dias
de sua applicagAo grande reacogo pelo
apparecimento de dores mgudas n'um tes-
ticulo affectado de hydrocele, e na perna
correspondente, sobrevindo urn furuncubo
por on le extravasou grande quantidade de
liquiio, que receioso quiz abandonal-o
o que nao fiz A instancias de um amrigo,
que aconselhou-me sua continuaglao, vendo
ao completar dois e meio frascos curada a
hydrocole quo tinha a 6 annos mnais ou
menos e d'aqual nao quiz operar-me.
SAt entato nao havia n'aquella localidade
o Cajurubeba, e erm Ju.oho quando deixei o
lugar a sua procura era extraordinaria,
dando optimos resultados a sua applicagato.
No mais son de V. S. attento vereador.
Manael Tobias do Rego Albuquerque.
Estava teconhecida a firms.

Ao public
Os abaixo assignados, tencto registradea depo-
sitado as suas marcas industrials e rotulos das
suas preparaces ha jaunta commercial do Rio de
Janeiro de conformidade cam as presecripgoes das
leis do imperio do Brasi.l, declaram e partieipam
aos interessados, que como unicos proprietarios,
tern direito exclusive de usar as marcas indsu-
triaes e rotulos relacionados cor A manufacture,
fabrlcagbo e venda dat segointes prepartaoes
Agua de Florida de Murray e Lanmtn.
Tonico Oriental.
Peitoral de Anacahuita.
Pastilhas vermifugas de Kemp.
Oleo de figado de bacalhbo do Lanman & Kemp.
Emulso de oleo de fig-,do d e bacalhio coram hy-
pophosphites, de Lanman & Kemp,
Salsaparrilha de Bristol
Pilulas assucaradas vegetaes de Bristol.
Extracto duplo de avelcira magical de Bristol, 9
unguento de aveleira magic de Bristol,
e quo, portanto, perseguirno a tedos as falsificado-
res ou imitadores das ditas marcas industries e
rotulos, procurando que sejam castigados cornm to-
da a severidade-da lei.
Tamben acautelamos o public contra todos
aquells que intentamn substituir as nossas prepa-
ragcxs scuma mencionadas corn artigos falsifioados
que levam rotulos ou marcas industries que imi-
tam as nossas.
Lanman & -Kemp.

C, HIlcmann

Usinas de cobre, latao e bronze e de -e

Golitzer Ufer n. 9. Bedim. S. 0.
~ e efialidadeo.


nas e ajprcllw

para fahriias da assucear, deatillase&s e ro-
fina;oes cam todos as aper&-~oanmentbs


modernmoe.
INSTALLAVAO DE:


Etsbole-iamento filial nu Havana asob a
metsma fiuma de C. Heok-knann.
(QnanI p,1oieu. 17.
links rpemntuites

Haupt Gebri'der

Par inaformnages uiaijaim sea

T.il
ow~lHR DO. t
liffi~taifffuf.


^Silrt"8 > i^a^I~u Tiira(
.1 oMaha, d-o X ,." r.i....-



-2 i- doe J MAeen j.
18 rflis, do BN. tlyuro IfTh~a Cmnleanta.
14 Thomias, doajor -Atuio 'Pora da Cn-
t os Lima.
15 Joaquina, do maor ah AutonioA Owtro.
6 ,Atonio, de -Jo Palo da Silva.
1 .emina, de Mitc Rams e Siqim Lop..
18 Joanna, de m'nciorM.tes e A UjiWo.
9lD tfwi, de Joio Alves doa.Ajnta.
20 Antonio, idem idea.
21 Israel, de'D. Felippa Plina Cvalhato.
-2 Prudeneoi, do Dr. Joe Joaquim Tavares Bel-
"t"Tiristiano, de Francisco 1ftcg Santoa.
24 Esperanga, do Dr. Hermogenoes' ates Ta-
vares de Vaseoncellos.
25 Delphina, de D. Maria Meoqaita de Oliveira
Lima.
26 Jorge, de D. Ignez Veronica Correia de Arau-
jo. ,
27 Jacintha, de.D. Mareolina Ferreira Catie.
Recife, 26 de oeutubro de 1885.-0 aeeretrio,
Dr. Jobo de Oliveira.

Depiad."4e lasse
Declaro aos metom amuigoe e ao eleiorado deeta
Capital, que soe candidate pelo 1o district, A um
lugar na Assembla Provincial, no proximo pleito
eleitoral,e que opportunamnwntefarei ptbliear a ni
,nha circular.
0 bacharel, Joaquim M. de Seixas Barges.

Fact4 e ni w-as.
Aos quese desqjam trcftr sem ten oment&r a
saude oam preparadw mineral eos.
Nesta typographia e na rua Direita n. 43,10 andai
vende se tminturas homeopathicas para inofensiva cu-
ra das seguintesmolestias: asthmatic, ainda mesnm
bronchitico; erysipela, enxaquecas; intermittentes
(sem o emprego do faltal qmnino); tosse convmilsa
falta de meotruaio; cameras de sangue; estericos
ou metrite; does de denotes ou nevralgia, metrorra-
-gia; vermiflgodenti9oo e cennvulsbes das criangas:
tudo manipulado de hervas do paiz.
Assim coma tratanm-se escrofulosos em qnalquer
rio e gommatesas.

No teme rival!
(15)
0 Cajurun ba nuo reccia de entrar em
compete ia corn qualquer outro depurati-
vo dos mais aprogoados e proelamados na
cura do rheumatismao,da syphilis, dos dar-
tros, das erysipelas, das lueachorrheas,
etc., porque a confianga -etfm que foi offo
recilo ao public como urn remedio pode-
roso tem-se robustecido corn facts sem
conta de curas verdaleiramente miraculo-
sas: e se fosse possivel apresentar-se' em
campo, como fazem as duelistas, sen-o a
arena do combat as doontes, e as armas
aos remedies, ells correria, certo da victo
ria, a enfrentar-se com qualquer comped
dor.
Ousamos dizer ao paciente que tiver
perdido as esperangas de melhorar ou cu-
rar se do seus males, depois de ter usado
de todos as depurativos annunciados e co-
nhecidos, que resorra a ele, certo de que
no scera baldada sau tentative, porque e
impossivel quo o rmal permane-a indiffe-
remoe ao use de um medieamento tio ener-
gico e poderoso
Neo so cxplica de outro moda o emba-
ra9o que as que tinm interesse na venda de
outrcs remedies procuram crear ao con-
suma do Cajurubeba, que vai substituindo
nas prateleiras 4aas pharmacias e droga-
rias as mals preconieados depurativos,
para dominar so sile no campo da thera-
peutics.
As doutrinas mais hostiFsadas e cam
vehemencia impugnadas, cujo desenvol-
virnento so procurou omobaragar at6 corn
armas, travando-se guerras orueis e de
Icnga duraglo, quer era philosophic, quer
em religillo, todas sahiram sempre trium-
phantco. Pals assmn tan doe acontecer coin
as virtudes do Cajsnzeba, quao sondat a


express) da vcrdade, niAo se receia dos
golpes que ibs 4Jigamn seus ambiciosos
inimigos.


Xnrpe k IjLtkl
0 amaA (lecythis idatimooo) cor
-o qual se prepare estec xarope 6-ufr'vege-
tal An flora brasileira.
E' urn agent therapeutic poderosissi-
mo contra a as molostias do peito e da
aistfHma,.a
Os numerous offeetades quo d'elle -thm
feito iso -conseguiram um resultado muito
-satisafaeter, aeahando -por e reconhcocer
qup 6, t-b*hqjo a-owthor-prepsano ptim
a cura Aa afthma, bronchite asthwatica e
an-ig,-e ^yyesa .. wipoausao-oo em-
prego do caroenioD 6has do estramonior
e plants nardati, quo acabam quasi
sempre pel-,) Ahso qua delles sae faz e raes-
ma pelo uao.-proongado par proluzir effci-
tos desastrosms sabre a smuado e em geral
entorpecimento do crebro.
VESRDSE NA
Bant"&.mraaua do BasMquey"l 1Fr6-
2ea2s RUAemsM A. Caer2
22 ,iTA &A-CIUZ 22
,, L --


Medolee c0pcaada
De volta de sun viagm a Europa Onde
1 frequenton a s hospital de Pia, tenado
4hito curs o especial de meutia de-o suaho-
ras (parto) e moleotiade, mniaos, sabrio
e seun consultorio A rua do Marquez de
*inda n. 53. oude 6 eneontrado do meio
horan, e deeta hota em diante
em sua r sao patoo da Santa
Cr n. 10. (





nil'CeiUnka (mnodlsta) para a
rua do ".nperaor m. 56, 2' ,andar por
ima .-do armasem de-musicas do Sr. Pr6al-
'les, onde oonutima As ordens daa" Exmas.
families e de suas ireguezas.

Medico

1Dr. Soeaat r M
DA consultas de 11 As 3 boras da tarde, na rua
Nova n. 23 (esquina da Camboa do Carmo) 10 an-
dar. Chamados a qua)lquer hera.
Ea.pecitlidaf-atloestias nervoamas, ataques
hystericos e epilepticos, paralysias, nevralgias,
caimbras e dermeneiss.
Tracts o beriberi pelo unico meio eflficaz, o gal-
vanismo.


leNeO e parleiro

Dr. jwaitn wmr
DA consultas cdas 12 As 3 na rua do Ca-
bugi n. 14- l.--.andar- Residencia tempo-
raria no Manteiro.



Medico partetro e operator
fonsultorio A rua Duque do Caxias n. 59, pri-
moiro endar.
Residencis A ruas Payssandiu n. 15 (Passagem).
D& consultas das 11 da manh As 2 da tarde.
attande a chamados pars a os misteres de sus
prohssio a qualquer bora.

OCULISTA
Dr. Darreto Sampalo. medico ecuhsta
ex-chete de clinics do Dr. de Wecker, di consuls
tas de 1 As 4 hers da tarde, na rusa do Barl-
da Victoria n. 45, segundo andar, exeepto nos do-
mingos e dias sanctificados. Residencia-rua de
Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.


-C
t



CO
Q


In
0



0
0



o-
0
LTJS
Pd


C.6


S=' C FiD
so a -









I b. .aat





r-
o so
tb's ^d*U
00 Orr-





^ -2p 0 s ^^
0 s^^
ft S m


EDITAES


Juizo dos feitosda fa

Zamda
(Eserivio War r Baadeira)
No. dia 13 de Novembro proximo future, depois
dr. audionoia, irmo A praga por venda as easas
abaixo d( elaradas peahboradas pela fazendd pro-
vincial.


Ari gf Be eBimMaarri.Mtjno


Mtabekeumdto ao len'Px epds t
douh, s mis emf o I f ,e -.-.f-l.
quim da Omtn Maio,.
Armacslo
Armaslo e baltlo d& iouk ,awBuisdw, 5.- ,;
teiro da mesma padbieridu Ws eidy Mt IMBB-
blema corm o distico de Jos6 Domingues de Fi-
ueiredo, existentes no becco Largo a. 1, valia-
1idos por 1sj-0m a l9
Dominguma de Figuo idio. .

Dons e aizoea gSaru", bal"02, ti A, itead-
dsin g t. N a sDi-q 1 be-
lanUapeque I dtta gra 'b lut ti -ao de
pesos aoD'20ki0I, 1 brm noen-, a 41 cylindro
amerisuo, tudo avalia&de em M QO eMteuaente
a Domings Jos J da Cumba Lagas.

A Camara Municipal da eidade do iteefe
convida aes donos dos estabeleHoatmw eene-
ciaes das fregubzias de Santo Antonio eoBsa'Via-
ta, pars virem A seeglo eompeteuteAferir os pesos,
,adida. e balansas dos mnmos, no proziu esa
de outubzo, sob ,Bara 3..
Pago da iniai Munici 28d. as-
tembro doe 1885. --
Dr. Antonio de Siqueira Carneiro da Cunha,
Presaidexte.
Francisco de Assis Pereira Rochs,
Seeretarlo.
Dr. Joaquimn da Costa tibeiro, juiz deo
direito do civ 1 desta cidade do Recife da
provincia de Penmmbuco, por Sua Ma-
gestade o Imperador, a uem Des
guard, etc.
Fago saber aos que o preaente edital .dA Be
dias de pregAo e ties pratas vimo, -que por este
juizo, finds que sejam os ditos pregeos e pras,
iem de ser arrcmatadas a quem mais der e mawr
lance offerecer, no dia 21 de novembro do ms
proximo vindouro, As 11 horses damanha, -e emia
sala das audiencias, depois da audiencia remspecti-
va, os bens que toramn penhorados. & Francisco dos
Santos Macedo, em execuc*o que Ithe moveJohns-
ton Pater & C., cujos bens s, o as constantes da
respective avalmago existence ecm poder e cartorio
do escrivao que eate subseacreve, e qual 6 do theor
seguinte:
Duns duzias de taboas de amarello, tendo de
zomprimento 27 palmos c de largura 16 pollega-
das, coarn duas pollegadas de grossvra, avaliadas
por 2004.
Tres duuias de taboas de amar4lo, tendo de
Co00 priment, 24 palmos e de largura 12 pollega-
das, corn pollegada e meia de gressura, avaliadas
por 2404.
Um cofre de ferro (grande), proves deiogo, con
quatro e meio palmos de largura e 6 de altura,
avaliado em 2504.
E assim serdo os ditos bens arrnmatados a
que m mais der e maior lance offerecer -no dia e
hora acima indicados.
E pars que chegue a noticia o conhecimento de
todos, mando so porteiro do juizoaffixe o present
no lugar do costume e que passe a respective cer-
tidao, sendo publicado pela imprensa.
Dado e passado na cidade do Recife, capital da
provincial de Pervambuco, aos 23 de Outubro de
1885.
Eu, Antonio Burgos Ponce de Leon, escrivao, o
escrevi.
Joaquim da Costa. Ribeiro.
0 cidadAo Jeronymo Jos6 Ferreira, jnia de pa- em
exercicio da freguezia da Boa Vista, em virtude
da lei etc. |
Faz saber aos que oa present edital virem ou
delle noticia tiverem que em hasta public Adeste
juizo, devergo ser arrematados, depois da reapec-
tiva audiencia do dia 30 do corrente mez, corn as
formlidades e pregues do estylo, as bens -seguin-
tee:
6 cadeiras de guarnicao de madeira de jaca-
randA corn assent de palbinha novas avaliadas
c.da urna em 74, 4 ditas de bragos da merma ma-
deira corn assento de psihinhe, svaliadas em 124
cada urna, 1 sofa da meats madeina com assento
de pailhinha avaliado em 304, cujos bens vflo a
praci par execuaogi que move Thomaz de Carva-
Iho C. contra Antonio Pedro de Si Barreto,
achando-se as ditos bens em poder do executado
na casa do, sue residencia Ariaasedoea< 8
E nio haveado lanador que cubra o preoo da
avaliaoao a arremataao sertA feots pelo da adju-
dic-igo corn o abatimento da lei.
E pars que chegue so conhecnento de todos
se passou o present edital que aeri publieado
pela imprensa e afia&. sos lugares do costume
de quo se juntari ecrtidao aso aut 8s.
Dada e passado nesta cidade do Recife fregue-
zia da Boa-Vista em 19 de Outubro de 1885.-


Eu, Alfredu Francisco de Seuza escrivio, escrevi.
Jcronymo Jo&s Ferreira.
0 cidadlo Joao Gomes de Oliveira, juiz
de paz mais votado da freguezia de S.
Frei Pedro Goncalves do Recife, etc.
Faz saber a os senhormes eleitores d'esta
freguezia, naetforma do art. 124 do Reg.
quo uaixou cam o decreto 8,213 de 13 de
agosto de 1881, que teoudo do proceder-so
no dis 30 de novembro proximo vindouro,
a eleiglo para deputados i Assemblea Pro-
vincial, devem os mnesmo senhores eleito-
res, no indicado dia 30 de novetubro As 7
horas da manhb, compareceirem no Arse-
nal de Marinha, muuidos de seus compe-
tentes, titubs, afim doprestarem seaus vo-
tos, de conformidade com o disposto nos
art. 141, 142, 147 4 154 do Reg. ci-
tado. .
E pars que chegue ao coonhbecimento do
todos passou-se o present, que sera pu. 4
blicado e afixado n'esta Fregoeaia do RIs-
cife, aos 30 de outubro',doe 1885. -
Eu, Bonjamim Am6s Jos6 da Fonceca,
Escrivlo, o escrevi.
Jolo Gomes de Oliveira.

0 capitaio Jose Rufino Climaco da Silva,
L.o juiz de paz da fr'gunzia do Santo
Antonio da cidade do Recite, em vir-
tude da hlei, etc., ete.
Faz aber a todos aos Sras- eleit res d esta
parochin, que tedi id, o.dessa.do a dia
30 de noveiubro proimo fut io,-4ra so .
proceder a eleiglo da&etitfr Aws u
bla Provincial, qp-tW do Esin-dar .M
biennio doe 1886 a48'817, erxNst
a circular .f ifids'tries U
cipal do 26eAeten*Si'
a este juizo diriti"4r
par acto do Ext. 8r. dnsel.
sidente da provinsia d 2T
proximno pasedsi 6' .e
voca pra qu -se.-re4 .*S-
Camara. Municipahn'-l
quaterl w I-w
modello oa &.1i8
fieio dea.


































~LIiA~OYS


lecebedoria de ermambnco
Lfosto de industries oe profisseos
0 a-dmuistrador da recebedonria a visa aos se-
S nhorms eontribuintes do imposto de industrial e
'. pofiop5e queo finda-se no fim do mez o pasga-
m t. at livre de multa do 1 semestre do exercicio
cein dedo 1885-86, dpois do quo sera cobrada
ecru acorn a t b zeleeida.n
ecebedIia, 29 de outubro de 1885.
Alexandre de Souza P. do Carmo.
Snabdeleaela do 10 districto do
-.-- frofla[legacia se acham depositades uma
r aul 4tantnha, urnmc.vallo tambem cata"o, urn
cardlio e outo rudado, toes apprehenudidos em
mAo o poder deo Jose Valeriano do Rego Barreto,
por suspeitos de term sido furtados.
So chamados aquelles que se julgarem corn
direito aos memoss, afim de, no prazo legal, da-
rei anasi juatifieaoes.
,An onio Valerio dos Santos Neves,
Alferes, subdelegado.
~ IRMANDADE
DABS
Alma da mattris de S. Frei Pedro
son alves do Beele
Em eumprimento do disposto no art. 30 do cap.
5o do compromisso que rege esta irmandade, con-
vido a todo 0os irmioe pars, no 1- de novembro,
pelas 9 1/2 horas da manha, comparecerem no
onsistorio e proceder se a eleigio da nova mesa
regedora que tern-de dirigir a irmandade no mf
turo anno eompromissaL
Conistorio, 27 de outubro de 85.
0 escrivio,
S Castro Menezes.

Imperial sociedade
DOS
Artistas Mechaneicos e
Liberaes
Findande se no dil 30 do corrente c prazo mar-
cado per esta soeied ide pars o cumprimento do
disposto no art. 19 1, convida-se sos irmaos
que nea quizerem incorrer nesta pens, de compa
recerem na primeira assembl6a geral annunciada.
Secretaria da Imperial Sociedade dos Artistas
Mechanics e Liberaes de Pernambuco, em 28 de
outubro de 1885.
Telles Junior,
1- secretario.
iRMANDADE
DAS
Almaa erecta na matris do S1. Sa-
cramento da Boa-Vista
De oriem da mesa regedora desta irmandade.
convido a todos os nossos irmlos para compare,
cerem em nosso consistorio uo dia 1- de novem-
bro, pelas 10 horas da manbl, afirm de reunirmos
em numero legal, como determine o art. 14 do
compromisso que nos rege, e de conformidade cim
os arts. de 31 L 49 do mesmo compromisso proce.
der-ee a eleiao da nova mesa regedora para o
anno eompromissal de 1885 A 86.
Conaistorio da irmandade das Almas, erects na
matriz do SS. Sacrament) da Boa-Vista, 28 de
outubro de 85.-0 escrivio,
J. M. Lemon Duarte.

Club Concordia
Samstag 81. dieses Monats geselliger abend.
Das Directorium.


COIIERCIO
Bola eeommerelal de Pernam
buco
Recife, 29 de outabro de 1885
As tree horas datarde
CotrzGe. ojfleiaee
Apolicos de divide pablica de 6 0/0 ao auno e do
valor de 1:0005 ao preco de 1:090A000
cada ums.
Ditas de diia de 6 0/0 aso anno, do valor de 200,
ao preco de 2185 cada usa..
^ Cambio sobre hondres, 90 d/v. 18 1/16 d. por 1,
houtem.
Cambio sobre o Rio Grands do Sul, 90 d/v. corn
1 3/4 0/0 de desconto.
Gambia sobre Par, 30 d'v. corn 5,8 0/0 de dos-
canto.


3
*1


Na hora 4a bolsa
VenAdranw-:
talou cised i pablica de 1:0000.
itaidem do 20M
A. Loonardo Rodriguea,
PreidemW
Eduardo Dabeux,
Polo seeretailo.


4' RENDLIFNTOS PI
*t ~ ~ o is e adeotubro di
9, -Lnus-mad-Dla 1 a t8
aI d 29
-/ *. .. .
a-28-'-
lit-. .. ", ,


I
isiS


~-


IUBLICOS
1 1885
774:2281M92
14^2846
18&M78


12:447578r,
4:6185866
126:b$6651
81:4451619
83:638906
85:0844825


-ID* 1a28 13:4951033
1775094


13 6731127
PAUTA



NEW .i.
,r t_. ....86
W' .ateb,.


mo. '13._
4.i. .-
.wo*i da
^^*is ISO


taverna
N. 6. Antonio FerreiroNobre.
ga, idem
N. 1. SAntos & Maia, idem
N. 3. Theresa Carolina de Me-
deiros, officicina de barbei-


ros
N. 7


365000
725000
108#5000

245(000


Baptists & Santos, ta-


Na barca ingleza Harry B., carregou:
Para New-York, J. S. Loyo & Filhe 523 sac-
cos corn 39,225 kilos de assucar mascavado.
No vapor americano Finance, earregou:
Pars New-York, P. Carneiro & C. 200 couros
espichados crn 1,200 kilos ; H. Nuesch & C.
25,850 courinhos de cabra.
Naescuna portuguema Christina, earregou :
Para o Porto, J. 8. Loyo & Filho 123 couros
salgadoe corn 1,476 kilos ; J. B. Michelles 1 bar.
rica com 46 kilos de assucar branch e 1 dita ornom
404 ditos de farinha de mandioca.
No patacho portuguez Dous Irnfoe, carre-
g o u : # "
Parso Porto, S.Guimarnes & C. 28 pranchoes
de amarello.
Para o interior
No vapor americanj Finance, earregou :
Par o Para, A. B. da Costs 10 barricas ecrn
800 kilos de assucar braneo; A. Bahia 20 pipas
corn 2,880 litrs do aguardente.
No vapor national Jaguaribe, earregou:
Pare Maoei6, Bartholomeu & C. Successores
2 barris comn 190 litrom de aguardente.
No hate national Camelia, earregou :
Pars Maeo, P. E. Paes de Lima 250 saccos
cm farinha de mandioca.
No hiate national Santo Antonio, carregou:
Pars Maeei6, B. A. dos Sanmton 23,103 litros
de sal.
No hiate national Dew te Guie, earregou:
Pars Aracaty, F. Silva lIbarrica corn 65 kilos
de assucar braeo.
Na barca Arowra, earrega :
Pars oir6o, C -. A. d Aramjo 1,000 saeos
eorn faliabs de mandioea.

S MOVIMNTO DO PORTO
Navio enad no dis 29
Baltimore-- dtsbara igexa ae, do 350
toaolada eoquiagu 3 carga farina de trio,
I ordem, espitloT. M. 3ur.
Navie msaidos no memo dia
New-York-Bares normueguene pGrid, capitAo L
OJsOem, earga assuear.
Bueos-Ayres-Lugar ihaglo Leading Chief, ea-
pitlo Win. Richards, earga varios generous.


Nqem
Neva


VAPORE8 E8PERADOS
do uid
do ml
l~ovembro -"


hoje
hoje


a
"a
^' a
,'*. .; ';
-5;"


ra, idea -
N. 11. Francisco Teixeira de
Moura,', tanoeiro
N. 13 Augasto Paulino de Fi-
gu'e'do, idem.
N. 21. Maria Baptists de Mel-
lo. casa de pasto
N. 23. Camillo Vicente Ferei-
ra, tanoari -
Fundo
N'. 25. AnicetoRibo"as, taver-


Da
N. 29. Jobo


Alves Pimentel,


N smtaris da muts O da Miseriordis doa
Recife arsam- ,por espao de uam 6 trees an-
nos, as eass absaizxo declaradas : .
Baa da aMoodasn. 45,
Ide idem n. 47 s
1dem dnu n. 49 80M0M0)
Bua do Bom Jesus n. 13, 1 andar 805 000
Idem idem'na. 18, 2- andar 2405000
I lem idem n 14, pavimemto tarre I*
andar 6000 1
Idem idem n. 29, 1- andar 240S0O
BRua dos Burgos n. 27 2165000
R"u do Vigario n. 22, 2- andar 240J000
Idem idem n. 22, 8* andar 2401000
Rua da Madre de Deas n. 10-A 200000
Caes da Alfandega, armazem 1:600AW0
Rua do Sol, sobrado n. 9 6u05000
Becco do Abren n. 2. loja ;48500
Largo do Paraizo 29 2- an dar 300"0.
Rua da Deten*on. 3(dentro do qunadra) /
mei'agua ....--' 841000
Becco doQaiq n-&-- 1445000
jeeretaw ia Santa Cask do Misericordia do
"ecite, 29 de outubro de 1885.
0 escriv4o,
Pedtro Rbdrigu. de Soma.

Monte Pio dos Honora-

rios do Exercito
De ordem da direetoria desta asomciagio, con-
vido aos senheres socis A comparecerem na sede
da mesma, as 5 horas da tarde de 2 d- novembro
vindouro, para em assembl6a g tal discutir-se a
reforms dos estatutos. Outrosim, nlao eogitando
as nossos estatutos qual 9 numtro de socios que
devem comper a assemblea geral, ella terA lugar
cjm o numero que comparecer. Recife, 29 de ou-
tubro de 85.
Geroncio Santos Teixeira,
Alferes, 10 secretario.

Associa;io Pri agueza Beneli-
ceule
Assemblea geral
De nova slo convidados os Srs. Associados a
comparecerem na sAde social, domingo, 1 de no-
vembro, ais 4 horas da tarde, para em sessao ex.
traordinaria deliberar-se sabre aasumpto impor-
tante, e que muito prejudicara a maioria dos so-
cios se n o attenderem a presented eonvocaoo.
Recife, 29 de outubro de 1885.
Manoel Lopes Ferreira,
Secretario ad hoc.

MaN g Sonto Atlnio
Irmandade das Almas
Tendo convidado aos irmlos desta irmandade a
comparecerem no respective consiatorio, no dia 28
do corrente, para o fim de se proceder a eleicao da
mesa regedora do anno compromissal de 1885 a
1886, e nao tendo comparecido numero legal de
nova tago o presented convite par a s 6 horas da
tarde do dia 1. de novembro se reunirem no lugar
indicado e pars o mesmo fim.
Consistori, 29 de outubro de 1885.
0 escrivio,
Manoeld Alves.
Relaglo dos contribuintes collectados na
form dos | 15 e 16 da lei do oaga-
mento vigente na fregueia de S. Frei
Pedro Gan9alves do Recife.
Mariz de Barros
N. 6 A. Jolo Luiz da Costa,


V VLRJA I
.60#060
6(Q000

725000

36#000

24-000
24#000

36"000

49#100

570600

36#000


48#000

54#000

545000
405000

245000

905000

246000

300#000

240#000

80#000

180#00j

1805000

100#000

19,0#000

1205000

1805000

24#000


verna 45
la Secgo do Consulado Provincial,
de outubro de 1885.


o000


0 lancador,
Fdelinte do Rego Barros Pessoa.


IRIIMADADE
DC
Divino Espirito Santo
De or dem da mesa regedora, communico aos
devotes dc Senhor Santo mristo dos Milagres, que
tend esta mesa resolvido celebrsr no dia 22 de
novembro proximo a fsta do Senhor Santo Chris-
to, que se venera em nossa igreja, espera que os
mesmos devotos nos auxiliarlo como os demais
annos, corn a sua valiosa coadjuva&lo, concorren
do corn alguma prenda para maior bnilbhantismo e
melhor resultado de urn basar, que sera effectuado
na tarde do mesmo dia, cujo fim serk dar maior
realce a mesma febtividade ; em tempo serA de-
aignado os lugares para onde deverlo ser remet-
tidas as p-endas.
Consistorio da irmandade do Divino Espirito
Santo do Recife, aos 27 de outubro de 85.
0 esSivio,
Julio Ferreira da Costa Porto.


Esirada de (erro doBonito
Os ior-




Ox coneessionarims da projeatadis OSrada die fer
ro deAgua Preta A Colonia Soccorro, no intuit
da darem eomego aos trabalhos em breve tempo,
ten tesolvido incorporarem usa mciedade anony.
ma; pars e se fim convidam o public em gerateLe
particularmente os fazeadeiros daquella ubezina
zons J virem subc er 6 capital que poderem,
dentro do prazo de 90 dias, A contar de heje, de-
poab do que se marsara dia pars se reunirem e
tratar-se da iaorpora*o d a companhia. No lar-
go do Corpo Santo n. 2 encontrarlo exposto o li-
vro das assignaturas, ond e tambem tchario pea.-
sos que ies ministry qualquer in ormasT que
exigirem a respeito. Reif, 1 de otubro de 85.

Fr guezia da Boa

Viuta
0 fiscal do 1- diUte4do d frgemia da Boa
Vista dahms a Mattno doe enbrew tavernero
pra o art. 187 6 4 I 3L.. d. 9 djimho do
1878, que vai ablii:-.o .
SArt.87.-w As OR=a
a, vramou. arI ;S_ od.n setiao
5.'.rite- fh-ow as f-UM, -da bites datrafte o
Stempo em quoe .stiveM ta do ijae, a &a-
o;it#,o 0 a dooma n W mU ebirolir .
Sto do earavos oa de vadios to de ,lo
que eqles estivemm proidae de mereadorilse
far& i aaaedtatsme whi wji- djPa*a
So dono da taveros, Iji 4e e on bi s
Sa multa de 00Q. A ve as a dem-
othaos E tsam ew s d3 1"1
a bom drt-- ; ff'tercfrt ". ^o .
mdim -n ft.. ao kd.


P. 1
Recifoe ..
Tigipi 'd
J,,oatao


orcife n o
JabMaoo
Mlorenos


6'.50
7.10M



'7.35
7.56
8.25


6.30
6.53


7.15
7.40
80


Jaboa~tio


M.2
Morenos
Jabostl,


7.86
8.00



9.20
9.45


.41




7.20
-7.38


8.35
9.5
9.25


DR TARDE


Estares


P. 3
Recife
Tigipio .
Jaboatao
P. 5
Recife
Tiggi6.
Jabsato


4
"0
4
0
.0


"-4


Sstag5ea


P. 4
.... 5.00 Jaboatao
5.20 5.22 Tigipi6 .
5.38 ...... Recite .
S P.6
.... 7.10 Jaboatao
7.33 7.35 FigipiO .
7.49 ...... Recif.


"i
4




S6'.26
6.50


8.16
8.40


80




6.10
6.30


8.00
8.20


DIA8 SANTIFICADOS
/D- .MAU I


48 '"0
Esta--es '-


P. I
Recife ...... 8.00
Tigpi6 8.20 8.23
Jaboatlo 8 39 8.42
Morenos 9.8 ......


06 4
Estates go -g


P. 2
Moreno ...... 9.15
Jaboat'o 9 41 9.50
Tigipid 10.6 10.9
Recife 10.30 ......


DE TARDE


ce
Rstaqaes o


P. 3


"0
a3
M4


Recife .......V 2.00
Tigipi6. 2.20 2.22
Jaboato' 2.38 ......
P. 51
Recife ...... 5.00
Tigipi6 5.20 5.22
Jab3atdo 5.38 ......


Es agues


P. 4
Jaboatao
Tigipi6.
Recife
P. 6
Jaboatao
Tigipi6 .
Recife .


60
0)
CD)




"3.16
8.38


7.16
7.38


300
a.


3.0


3.18


7.00
7.18


Secretaria do prolongamento da estrada de fer-
ro de Pernambuco, e estrada de ferro do Recife a
Caruarti.
Recife, 29 de outubro de 1885.
0 secretario,
Manoed Juvencio de Saboya.

Sociedade Auxiliadora da Agri-
cultura dePernambuco
AVIO /
Cumpre-me levar ao conhecimento de
todos os Srs. socios, quo nao tend podido
funcionar hoje o conselho P.dministrativo
por falta de numero, wm quei o dia quarta
feira 4 de novembro proximo vindouro para
uma sesslo extraordinaria do measmo con-
selho, na qual serA discutida a proposta do
Sr. secretario geral relative a colonisaglo
e deliberar-se-ha comes membros que com-
parecerem na formia prevista pelo art. 30
de nossos eetatutos. k
Recife, 27 de outubro de 1885.
Puulo de Amorim Salgado,
-Vice gerente.

frnilafep QIu Aluepr ickna

matriM S, os& R0cifo
Pelo preomente convida a todos os moso irmbs,
para compareceoem no constorio desta Matrix
no domingo 10 de novembro pelas 10 horas da ma'
nh, afim de proeder-me a .leigao da nova men
regedora que tern de dirigir a "rmndade pasra o
anno compropromissal de 1885-1886.
Cansistno da irmandade das Almas erects na
Matriz de S. Jos6 do Recife, 30 de oatubro de
1885.
0 escrivio
Antonio Manoel dos Santos
0 s1


SSKuIMS

CONTRA FOGO
The Liverpool & London &Glob

INSURANCE COIPAN
AGENTS,
Banks bRms lfls & C.

THEATRE



SANTl IADEL

DfrevcAo da aetrol
30meuia bo o antos
Grande companhia dramatica
da qual fazem part a mesa actriz e os
distinctos actors
Eugenio de Magalh es
E "

Xisto Bahia

Grande espectaculo!


Sabbado
Em beneficio do artist
0110lhwmo At Y 40IM
Corn a primeira representa~ao nests epocha do
admiravel drama em 6 ectos, original italiano de
F. Ciconi :

A Estatua de carnme
0 pap2l de Conde Paulo de Santa Rosa 6 deo.
sempenhado 6ela priunira vez nesta capital pelo
artist EUGENLO N.WALHIES.
Acceitam-se desde jA encommendas de bilhetes
para este espectaculo ne Hotel Oriental e na bi-
Ihetaria do theatre corn o Sr. Arantes.


MARITIMOS


ROYAL RAIL STEA- PACKET
COMPANY

0 paqueteNeva
Commandant W. Gillies
*" EP esnerai


do sl no cdia 3O do
corrente, seguindo
Ciepois da demora
necessaria p a r a


Lisboa e Southamplon
Pars passagens, fretes, etc., tracta-se com os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
S-Rua do Commereio-3
Companhia Braslleira de Nave-
sme" a Vapor
PORTOS DOSUL
Vapor Espirito-Santo
Commandants Joo Maria Pessoa
E' esperado dos
: ports do noarte
t ,- atodia 2 deno-
vembro, e depois
ida demora india-
pensavel, seguirA
pas s ports do1
i suecebe tam-
bem carga para Santos, Pelotas e Rio Grande dc
uSal, free modico.
Para earga, passagens, mooommendas e valores
trt-5e na age1ia s -
46- RUA DO COMMEROIO-46
United Staes & BrasiiaN S. S.C

0 paquete Finance
^ E,' esperado dosd portos do
f ~sul ad o dia 30 de outubro e
depois da demora necesmsaria

*ara~fe-,Parai P~ambdg,

Para earga, pa~e osa imeoa. ndas -dinheiro
(ros!: tracta-se comos

0 vapor Nrrlmack


FEsperm-s deNew
Port-.New&, at6o
dia 16 de novem-
Bto o qoal guira
depois da demora
dessuaria pars


acts-i


m&IO -N.

P*as mega-

m~fv, Aracaj6.


A's 811horas
PORINTERVEN(QAO DO AGENTE
Pinto
No armazem do largo do Corpo Santo n. 17
Por occasilo do leilao de vaecas tourinas, vaccas
da terra e porco de raga inglesza.
Leilao
De 2 taccas oinas, sendo uma corn cria-
e 2 vaccas da terra -
De am csal de pareos de raga ingleza.
EXTA-FEIRA, 30 DE OUTUBRO
A'S 11 HORAS
Agente Pinto
No Largo do Corpo Santo emfrente ao ar-
mwm n. 17


Leilao

De oveis, I pi anoejams
Tends am mobilia de jnnco branco, sum 12 ea-
deiras de guaarnigao, 2 ditas ;de bro. 2 dita de .
balance, 2 conmolos coarn pedra e 1 ,a, 4 as
de Vwm gpo% I piano as mesa ,d m i-
cset, 1dwis de obalano, 1 lavatorio deinA-.
rol l1 iMaoerIsOO 1Im marque$%a l owme
"af% 4mabides, -a-
%ldeltib*5, 12 <^ia~deiamfi* g^
naw a& Softurio 6 gaia,1 *^ ^
ciOm ped m 184te
d e w u t* e i f ^^

i'^,^^


iden
N. 31. Bento Ferreira da Cos-
ta, torneiro
Moeds
N. 11. Jeronymo Joaquim Soa-
res dos Reis, idem.
N. 17. Rosa Gomes da Cos-
ta, taverna
N. 21. Marques Lima & C.,
deposit
N. 15. Os mesmos. idem
Moeda
N. 27. Joaquim Joae de Cam-
pos, casa de pastoa
N. 29. Almeida & C., taver-
na
N. 31. Companhia de ecarnes
verdes, agougue
Companhia Pernambucana
N. 2. Joao Rodrigues Maciei-
ra, euchinmento "
N. 4. Sebastilo GongIves de
Britto, armazem de recolher
N. 6. Fonceca Irmaos, artna-
zem de recolher
N. 8. e 10. Antonio Maria da
Silva, enchimento I
N. 10 A. Marques Lima & C.,
idem
S. 10. C. Lyra & Irmaos, ar-
mazem de recolh-r
N. 12. Jos6 Antonio de Couto,
Vianna idem
N. 14. Francisco Genuine Can-
ceiglo, idem
N. 18. Pedro Alves de Aze-
vedo, prensa
N. 24. Joao Martins Viegas,
tanoeiro
N. 30. Joaquim Carneiro, ta-


%avega5e Costeira per Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Nataled, Macdu, Mousord, Ara-
caty e Ceard
0 vapor Jacuhype
Commandant Fabio Rino
SeguirA no dia 5 de
novembro, is Shoras
da tarde.
Recebe carga atW o
Eaeommendas, passagens e dinheiroe afreto aWt
As 3 horse da tarde do dia .ia sahida.
ESCRIPTORIO
ees da Compabhia Pertambu.
eana a. 12

CHARGERS REUNIS
Companhla Franeeza de Navega-
oie a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis-
ooa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro o
Santos

SteamVr Villo eg Pornmbco

Espera-se dos ports
do sulWat odia 8cde
novembro, seguindo
lidepois da indispoea-


Os vapores desta companhia entram no porto
ancorando em frente ao cAes da pra"a do Commer.
cio c sendo muito incommodo o embarque dos pas-
sageirosno fundeadouro das paquetes transatlan-
ticos, no Lamarao e demais devendo todos aportar
ao Havre, que 6 o porto mais visinho de Paris, 6
f6ra de duvida que ha grande vantage para quemn
quizer ir i Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, ahem de serem os precos
das passagens mais modicos, as despezas do embar-
que aqui e as dc transport do Havre a Paris, slo
muito menores do que as que demandam as viagens
nos paquetes das outras linhas.
Conduzem medico a bordo, sao de march rapids
eofferecem excellentes commodos e optimo passa-
dio-
As passagens poderio ser tomada doe aatemo.
Recebe carga, encemmendas e passageiros para
os quaes tern excellentes accommodates.

STEAMER Ville de Bahia

SE' esperado da Euro-
pa ats o dia 6de no-
t vembro, seguindo de-
pois da indispensavel
Sdemora para a na-
bila. Rio de d1a-
-neiro e Santos.
Roga-se aow Srs. importadores decarga pelos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
ides a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer receama concernente a volumes, que par
ventura tenham rseguido para s o portos do sulsoi
de se poderemdar a tempo a providencias neees-
earias.
Expirado o r~ferido praise a companhia no so
responsabilisa por extravios.
Recebe carga, encommendas e passageires, pars
oas quake tern excellentes aceomodag6es.
pagasto F. de Oliveira & C.
ALGENTEN
42-RUA DO COMMERIO -42
d Lisboa e Porto
Segue cern brevidade pars Lisboa e porte a
patacho portugues Dous lrmaos8: parsao resto cia
carga quo falta, trata-se corn Silva Guimarles &
C., A rua do Comrnercio n. 5.






Das duas cames terress grandee so subir a ladeiua
dia povoaqlo 4. Apipucos corn sccommroda~es
pars grande familia, corn ague encanads, bgaha
do chuvisco e porte do rio Capibaribe.
S exta-felra, So do corrente A.i oa


I


!


A 0 fl


do


I


dm

































S DJ moveis, relogios, ferramenta para relo-
S joeiro, harmonies, realejos, livros, per-
famarias e maquinas do custura.
Constando, de 1 balco corn 6 g;tvetas, 1 fiteiro
grande, 1 dito pepoqu, I diro sextavado, 1 mesa
de louro, 2 bantas de jacarandA comn abas, 2 ditas
de amarello, 1 mesa relmda, 6 eadeiras de gaar-
nioct, 2 ditts de bras, 2 ditis de b:lango, 1 sofA,
S 1 eommoda secretaria de jacaranda, diversas, ma-
quiuas do custura, harmonicas, 2 reatejos ou caix.
de musical, escadas, cabides, relogios de parede,
I 1 maquina de espremcr caji, 1 estanto e diversos
livros e romances.
Bacias do folha, pilhas para lavar nauo nive!
pars agrimensor, 1Vsanfona, banco de tcrno, trem
de cosinha e muitos outros moveis em born uso.
SABBAD9 31 DE OUTUBRO
As It horas
Na riua Direita casa n. 109
GIENrTE MMTINS
Authorisado polo Illm. Sr. Gaudencia Aristhides
Leal de Barros que se retire pars o Rio de Janei-
ro, far& leilio dos mwveis, relogios e mais artigos
da officina de relojoeiro.

Leilao

Em continuatao.
De d versos livros de direito e litteratura peas
de oliados para meza, cobertores oleados de di.
verses cores pars meza, clieharutos de Havana e
da Rahia, barricas c n f imo picado de Goyaz,
cigarros de H wivana, papel pars cigarros, minobi-
lia, grande quantidade dc enovcis avulsos novos
usados, guard vestidss, mezas clasticas de 3
e 6 taboas, relogios de paredes, albums para re.
tractos, mappas geographicos, jarros, espelhos'
quadros, ettagers, 1 cofre grande inglez e ou-
tros objects que seril- vendidos.
Ao bater do martello.
Nabbado, at do eorrente
A's 11 hjras
No armazem da rua do Born Jesus
n. 49
Por intrven.to do
Ageite Gusinmao


Leilao
De canaries do irmperi), casados e solteiros,
nascidos aqui no paiz, sabiAs da mats e
ecapoeiras, cardeaes, carainaa, cabocli-
uhos, urna xeecllente parelli do patati-
vos da Parahyb i c c ntoria iazobipe e
outros passaros to'lo da b)as cantorias
Agente Stepple
Ternpa-feira, 3 de novevibro
No armazem da rua/oo Imperador n. 24
A'4 -1 -loras


AVISOS DIVERSOS

Ama para engommar
No 8- andar do sobrado denta typograpbUia n
42; preeisa-se de ura que desempneiuhe corn perfei-

Aluga se o 1- and r corn sotka da ruas do
Coronel Suausuna n. 139, tern commodes para nu-
merosa familiar ou mesmo pars duas fcmilias per
ter duas eosinhas e a entrada seacparada do 1 aa
dar, reconstruido, eaiado e pintado ha pouco tern-
po ;a tratar usna rua do 1,npratriz n. 56.
Oucm quizer alugar o 20 andar do s:bra-
don. 43 do rua da Aurora, procure as cha-
ves em powder do Sr. Negreiros, a rua do
Imperador n. 30
rn EstA pars alaurar a casa n. 6 a& rua do
Condo da Boa-Vista : quem a pretender
procure as behaves em poder dn Sr. Ne-
Sgreiros, A rua do Imperador n. 30.


pelo que das 4 hora da ia 'e diante etara
postada umabands martial na. laa eslada que
emfrenta o edifleio faiendo as honra da festa, ha-
vendo por conseguinte
"lantar?, eCom muis g'ats
E pela primeira vez nests provincia haverA, des.
as.mesma horse em diante no largo da povoagao o
divertido brinquedo do v
cse-cEl
muito usado non primeiros jardinsda europa; send
que os pr 'prietarioa darao m lkuade premio
ao vencedor
Os proprietarios do eEtabelecimente avisam que
no sabbado j. poderio reeeber hospedes reservan-
do-lhes ahi urma agradavel,
Surpresa
Certos de born coroamento dos esforgos que em-
pregaram e empregam em master a ordem e toda
a moralidade em um eatabelec:mento tio necessa-
rio ao aprasivel arrabalde de Beberibe, esperam
Cs proprietarios todo o acolhimento do respeitavel
public a quem promettem c garantem
Servir bern

Predios in mAfogado
Vende se quatro, em chao proprio, reeanBtrui-
dos ha pouco tempo, sits na ruta do Quiabo ns.
15, 17, 19 c 21, que rendem mensalmente 321, e
se dao baratos em virtue do dono ter de reti-
rar-se para f6ra : a tratar no pateo da Paz nu
mero 23.

Piaios
Chegaram os esperados pianos escolhidos nas
uelhores fabrics, per Victor Prallii; na rua do
Impcrador n. 55.

Ama
Precisa-se de uma para cozinhar para
casa de familiar, na Passagem, rua de Ben-
fica 1. 17 A, sobrado amarello.
Urgenacia
Precisa-se de boas custureiras na rua da Auro-
ra n. 43 pavimento terreo.

Boa aquisiCao


Por motives de molostia vende-se em JaboatAo
proximo a estalo os'estabelecimentos de mercea-
ria, padaria e hotel 25 de marco bastanto aerdita-
do ao comprador faz-se a concessio de arrenda-
ineonto e tambem vende se 2 burros e 3 carroeas e
2 bois.

Cosinheiro onu cosinheira
Precisa-se n'um estabelecimento para coeinhar
s6 ndu dias uteis, dorminde onde quizer. A tratar
na rus Nova n. 13, loja de musicas.
Capitio de mar e guerra doao
Baptista- d'Oliveira 'G u i m a-
raes.
A famiiia do capitio de mare guerra Jolo Bap-
tista d'Oliveira Guimarlea, coavida sos parents,
amigos e cellegas do mesmo, para asistirem algu-
inas missas que serlo resadas na igreja da Con-
cciq'o dos Militares, pelas 8 horas do dia 30 do
corrente, setimno dis de seu passamento.

i 'A z '"sssffs'z~v -


D. Paulima sIM de Figuelredo
Joao Antonio Colla o Dias, Jos Colla;o Dias,
Manoel Collano Dine, Joaquim Collao Dias, D.
Antonia Leopoldina Dias, D. Joanna Dias de Le-
mos, Hermenegildo do Amaral Lemas, Joaquim
Mcdesto da Silva, agradecem As pessoas que se
dignaram acompanhar os rests rmortaes de sua
sempre lembrada esposa, mdi, sogra e tia, e ro-
gam-Ilhes o favor de assistirem miusas do seti-
mo dia que tero lugar no dia 3 de novembro, as
horas da manhi, na matrix de Santo Antonio, po-
lo que protestam'ettrn: "t i :, ,_


$ 0.oo, ema amamcamo. 0, Z*
SA'v=mA Pon TOOS os DaomSrAS. Tambm,
enva-We pelocoeo p et o doota;11
QDiLLee K 3 r9
QU!U. "-HBRqt, SLK


JulgandoserdegumIua daded4.negodaantsda
America do Sl,temfiode sd Mdaeros prepara-
dos em material mais leve doquoe seam careteis de
p1o, estamos pramptom a forecer paaa exportacao
DOs descda, retroz de seda e da debordar,de
todas as qualidades, peparadas em lancedeiras d
papel ,ou de pennas como acima epresentado.
Temos todos os tamauho defio preto e mais de
quinhentos coem
-, Dira-mfteA"ra 631 Market Street, 469 Broada,
Philadelphia, U. ewYo U. A. .
Trieofero
de Barry,
Farante-se que
i z creater o
CABELLO
ainda mnesuno nas cabeca
mats calvas, bem comno que
emcra radicalmente
a TINHA e a CASPA.
Popitivamente impede a
quedi e o embranquooiments
la^wrfM^do CABELLO eeiamtdoe soca-
sos o torns invariavelmente
Macio BriMante, Formoso e
Abundsnte
Em auso hams, Cde ottentaannot
Se tem 'multr vendna que nenhum
ont.rnprepparado parso cabello em
DOn.. -undo.
Agua Florida:
de Bamy.
DUPLA .*-
Preparads segundo a formula
rlginalusada pelo inventor no
anno de 1829.
Ternom duas vezes mals Fragrancla
que qualquer outra.
Dura duas vezes mais tempo.
E'muita mals rica de perfume e"
males suave.
E'muito mais Finna o Delicada.
Tem dobradaforea Refrescativa *
Tonica no 5anho.
Fortalece ao Debile ao Cancado.
Cura as Dores de cabeca e os'les-'
malos., -9
E'muitlsslmo Suprior a todas as
outras Aguas Florildas Actual-
mente a venda. ._--^
Descoberta Importatisima.
Puro Oleo de Fiado de Bacalha,
CON
IODURETO DR FERRO,
Barclay & Companhila^
I DR -







Cnra radicalmentc e corn mg sgranva os peore i cameo
de Phthisica, Escroftlas, Rhmenanemo, as doencas
da Espinha Dorsal, dos Qunadria dos Os8os, as In-
flammaoes do Figado, do-Bao e do Utero, etc., etc.,
e restitue ao corpo enfraquecido e fatigado omen pri-
itivo vigor earredondadodoscontoruos. 'Weeod-
nimente umu rande descoberta o Puro Oleo da
Flfts d de wbaeolao eatomn Roreto do
Ferre-do Barclay d Neo Yorw 1 9 "1
Xarope de Vidas
de keuter No.l


tlu PFriieirO de Iarpo 2
0 abaixo ,sigaido tend, vendido nos
seous afortunados bilhetes garantidos 4
16lm de outras sorts de 32#, 16# e 8#, da
oteia (16.'), qlue e acabou de oxtradir,
cmnida aos posmuidores a virem receber
us conformidade do costume sem desconto
algum.
Acham-se a vendaos seuns afortunadoe
bilhetes garantidos da 2a parts das lots-
rias i beneficio da matriz de Floresta (178),
que se extrabirA no sabbado, 31 do cor-
rente,
Preeos


Inteiro
Meio
Quarto
Sm quant
Iutbiro
Meio
Quarto


24000
1,5(000
Idade malor de ioOO
3,5500
1#750
4875
Manoel Marhins Fiona.


D ASA iOOU0

Aes 4:008000


uam do Bario da Victoria n. 40
e easas do eostume
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 2.a part das loterias a
3eaeficio da matriz de Floresta, (178), que
se extrahirA no sabbado, 31 do corrente.
Preeos


Inteiro 4,000
Meio 26000
Quarto 16000
Oa porglo de iOO6 OOO pa
eima
Inteiro 30500
Meio 1750 -
Quarte 875
Joao Joaquim da Costa Ldf..


ra


C A FELIi
AS 41:000J$001
E

BILIETES GARANIDOS
Praa da Independen-
cia ns. 37e 39
0 abaixo assignado vendeu entire o0 seus
falizes bilhetes garantidom da 16a loteria,
e sort de 100lo em 4 quartos n. 2979,
dim de outras nmuitas de 326, 16# e 8.
Convida s poeuidores a virem reeeber
sea desconto alum.


iINS lE VA

Superieres costumes de exeelleite fa-
zenda e muito bem preparados para banAosde
mar.
Para senhoras. 104000
Para honens 8000'
Para crianas. 5 000
Recebemos ultinamnente um grande sor-
timento de divcjsos tecidos novos para vesti-
dos e inteiramente apropriados para a pre-
sente estagio.


LOU'VF

FRANCISCO GURGEL DO AMARAL & C.
RFia n1 f' it0o Iri, 20
ESQUINA DA RUA DUQUE DE CAXIAS
N. lelephounico 18


FUNDICAO


GIRbAL


ALLAN PATERSON t C

N.44--RutdoBrum--M.44 '
JUNTO A EF CAVAO DOS BONDS
Teom para vender, por preE modicos, as seguintes ferragens:
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
Criva'es de diversos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de forro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modeloa
Portas de fornalha.
Bancos de ferro corn serra circular.
Gradeamento para jardim.
Vapores de forga de 3, 4, 5, 6 e 8 cavallos
Moendas de 10 a 40 pollegadas de panadura
Rodas d'agua, system Leandro.
Encarregam-se de concertos, e assentamento de machinismo e exectc am qualquer
trabalho corn perfeiVZo e presteza


A


-~.-' I


-y- -

























Staa no Largo do Corpo Bmaato n. I9,


Aluga-^se
...... '/ 1 & inP


lan


ii


Ahiga'se
a cam earn sotea A ru i do Conde da Boa Vista
a. 28, corn agua e gaz ; a tratar na mesa rua
a. .I, padaria, on Marquez de Olinda n. 60.

Aluga-se
a lo0, 1- e 2, aaitre$.da caeah a Imperial n.
19, .orn mui4 so. WA. S, gradeouisail' agua
enowlda;, *rt: tawua Duque detmns nuf
aoa9a. .: ____ _
mapgae "

o a' 2" andar a nra das Larangeiras n. 18, com
^ mm atde familiar ; o 8- andar a rusa
4=P0iwjga;Jd asrti n, 22 i? a -rater unto"
d Bom Jwius n. 1, escriptmio.
Aluga-se
a caua a becco da Bomba n. 1, piutada e caia *
da: a trata na .a .Dirttan. 106..

1kia
Precisa-se deoumaama perita cosinheira, para
emaa de fatltl: wtratar na rua Nova n. 15.
X *W~A Na padaria da rua do
.'a--_ ,Brum~n. 62,. reisarae dce,
uui- sns ~i -uij fi1T 1 ^
w ma'ainaglm- int .


l a kniriN.atrgieira precisia de m&a ama
par& o Bervigo da casa; a enderecar-se a rua de
H&rique Dias n. 1, junto A igreja da Estancia.

Attencao
Declaro ao respeitmwepublioo e especialmente
S oeorpo commercial, quo desta data em-diante
deixou, de ser interessaado em minha casa de mer-
cu.a.., sita g rpa do Marquez do Hervwl n. 141,
S o Sr. Joaqiin (oncGalwys Ferreira Sevc. Recife.
27 de cutubro de 85.
Francisco JosA. Fe nAndes Marco-.

Atten ao
0 abaixo assignado pedio ao Sr. Dr. Francisco
Augunsto de Almeida, lancador da recebsdoria de
S Rio de Janeiro, o especial- favor de responder os
biietes postaes que o abaixo assignado Ihe tern
endiirecado, e qut. parece nao ter recebido taes
bilhetes, tornando-se assim cynico, e que nao era
dinheiros dos negros que os compu e nao deu Ii-
berdade#. 0 tbaixo assignado pede-lhe que Ihe
made pagar 440A000 de principal, dinheiros que
paqou de aluguel de ,aasa A D. Annunciada, c
S mais dinheims que ihe adiantou.
SAntonio da Silva Gusm0o.

AttendSo
Prepara-se eom perfcigio, gosto e modicidade
de proeo, panaps, colchas e cortia-4os de crochet
poar qualquer deBsenho que seja e a vontade da
pessoa.; a tratar na rua do Visconde de Albu-
querque, 1" andar n. 44, sobrado.

A eonmmermio
Os abaixe aesignados declaram ao public e ao
cerpo eommnercial, que o Sr. Maooei Fernandes da
Silva deixou deeer sel eaixeiro desde hoje. Re-
cife, 28 de outubro de 85.
Guimnares "ocha & C.
PhIarmaela e laboratorlo espe-
elal hiomeopathleo do Dr. %a-
bino. .
Verdadeira homeopathia ; vesdas em grosso e
a retalho, Lrua do Bar'o da Victoria n. 43.


, 0 '.rn0' 2 w _






Por 24000
A.haL- Be0 onegundo andar e moto a rua drd
.ioua-5emtrme ni. O. 5tod& caiado e pintado de
n2ilp.jbpm bonds oemodos e muito fresco ; a tra-
t;*s livraria Parnknse, rva Primeiro de :Manr
n6pe 7 A.
--or 24 ajuga4e a casa n. 78 da rua do
padxs .i eg*r itk d, 4 quartoa 2 salas, quurto de
eN eescofora, eeinba c apaelbo no
qmta com gas eaeo&adI, ejm esfadn de limpesa
p11 .Br e tr'ar bia. ravessav .s P'aW do-Forte n.


,- ":" "-: '-sewAs prec#dm



^'^^ Ail^ a-
-, t das *.ngem s a.,'-



i-Singr prop;;apai.
-C' Mo aim maft r m Mq &a
.-'' aes brad
t o .Sobino.


~*1 -
J--*~ -


* C


- i
i


FABWA TiGlE

4-M- o Bio da Victoria---
Anliga rua No va
A-o publiro
Viuva Goncalves & Lorga, proprieta-
r:os dIa FABRICA TIGRE, chamain a at-
tenglo de sus freguezes, tanto da capital
como os do interior da provincia para os,
seus optimos e afamados -igarros denomi-
nades BOHEMIOS E PRI.ORES.
E ses cigarros t rua m sc recommendtr
veis nlo s6 pelo delicado aromn.a e sabo-
como tambem peLh inalterabilidade dos ta-
bacos can que sio manipulados ; tecres-
cendo quo attenta a circumstancia do se-
remn manufacturades *com funos de primnei-
ra eacolba, procedu.tes de -Goyaz e Minas,
pro uctos estes .que conser-aam sew pre pro
gos sltosonoo5isow ut-.rcado, s0o os cigar
ros BOHE-MIOS E PrIMOBES, vendidos
por preo relltivtimente nmoiflco.
E para que os imitadores fraudulentos
dos cigar s da bem conhecida FABRICA.
TIGRE n-Do eD ftieuem a illaquear a hoe
fM dos incautos, ja al:'oveitaindo se cos re-
tulos servidos, ja inanilando fazr imnitnOoe
grossciras da aiarca dai FABRICA TI-
GRE, os &-baixo assignadon previnenm Os
seuns freguezes que -eputem coma false
lodos o0 cigarroa cai'is inortuallis e rotubos
niilo levirem o etwblia regibtrado da fa-
briea, (embleuna .ef toe ie para inteiro co-
nhecimento do orlcs ;nserimnios no 'vbeg.
rio deste) exceptuarnia-se os PRINCEZAS
IMPERIAES aj.s mnortulhas n-io sao
inarendas.
Alem da nwrca D(.)HE3IOS n FARI.
CA TIGRE tern ;as seguintes mareas de
igarros de primtir.! .,alidade I


BoheaUios
Princezas
Primnorcs
Pedro Affoioo
Dito (hits grasses
Flor Hespanha


05000
.16000


QS'Xoo
66w+o


ra-ilhaciro
5
1-
Jt
a
*


Recife. 23 de ;tc;s.l.ro ( '1885.
Viuwa C ( '.C & Lrega.



4A-Br. 'Jc& CC..v-',. .a.v two Wranderi.,
VirGot miapdi~i~rikri i/.n^rAL.'oreCp5aa5 5.r O w
*f e1 ao qmew e ah,4 -*Ja, -

o -,

.a- "a ,'.- S-. "." .+7... -
to l


1* bSAlb,'3UU~
I vU~ir em D*S~


O lM; t = ;j _o|. .. .. ... ...d. M "

as *e!tgu. .ui mcenm &aofo pam a gofte n 0; -M imijm.uruzj
o W- I "W r o B ft .-,-n- !f ,-"
Paee Os mal;e doggafaha, hroncfitesa dre a go toss
Tumores nus glandulas e todas as molestias da pelle nio teem sehte e .pPar os members
contiahidos e jmnctoras recias, ob _-I


^ros


o


Essas medicinas do preturadas s6mmnte inEsabeIgirlmesiNMamnru.
73, NW oWO7D Sfh-I (mates 638, _&x 6 ltx t, W.;. .O ...
F vendeamn em .31as pbamadqdnlveM.
compradome slo convidados aptaMte a e-inar rotalos At auaka x.eP-oe, ue nao teem a
_____direcsao, 533, Ooezd Street, ion m. 5


R:PA2: IS,', l Rua de 1'AIbbaye, 14, ^A.I'I'
Coutra a Apoplexia, o Cholera, o EnJ6o do mar, a, Flatos, as oU1as. Idl- .e*\ '
gmatf., a Febro amarella, ete. Lee o prospecto no qua! vai envalvido cad2 vidro. ('A")swJ7..,-^
Dove-se exiglr o Ictreiro brBco o preto, em todos os vidros, a
seja qua! for o tananho, cnno tanilxmn assignatura :
SDposilos em todas a- Pharraacias das Americas. -S





af lIC W E a'J :i ioaLO .,I, i-rYS, ;"a,,O C; e'. a tn i ..S .. ...
" 38 55 '' ., ie ^ haccs do rarn., cara si -.0. i..'o, g,r,. fs,,e. sD)us do en.--
7e, t(awtipa^"-l+. s.".'-.-'?.; do *:eL0., d &.'a t '*. In .- w s*6a B- yi. -- f. v ',
dado^ ^^ w^M ^.vfswV-^ -a^ ?iaiE&**^?:


S AVALHEIRO DA ORDEM DE LEOPOLDO DA BELGIOA,
CAVAtLHEIRO DA LEGOlAO DE HONfIRA DE PRhAM,
IMM EM 0A0NDADO DA ORDEM DE CHI fSTO DE PO"TUOAL.
Reconheeido pelas primeiras autoridades medical como
motestave e o mais efflcaz de todos
Contra a TISICA e as MOLESTISd de PEITO,
a DEBILIDADE GERAL, o EIMMAGRYCIMENTO das CRIAlgAS,
a RACHITIS e toates as .AFrECWES NSCROFULOSAS.
ZKU Vende-soe SolINTE em garralaes qo lovio na capusmd
eDo 9 a assignatura do D' DE Oiilo a mtiusatura 0'
AS i, M Y4W A Do0'.- Cautela C6n as Jmiut.aes.
Ufim O ARAI, BSIOB t i C, fi2G, mg tl-m, Ludlo .
Venda-se 9oU lo68a as prkMIaoa lharmaoias do Mundo.


:1
4
I
I
K. -a I I


.f T ri A.*MOarbo xito Ra t
a ms HClb Tfc~ el rc4l'eiitaP i)^ &M .-3t
Z& Ul U .
.. M, r .- .. .
,, U *


I


Mas IAXaIs
Sis owicux- sfM
O 1ga WWRO AWICA 9040 YA1,
J. ncLa,'tga A.s tUrE,
*I;4LdeS LLiS


"fc--.y^|r.'tf 044. fr~^10 9.
,EST naoq, 30w 'a.aan tr aoGa
8o umn _,.R,ijdjt u < tak t.
; IVIVlt-'- u : Aa C priamftiva
, t ,l is'u!b. to F2A 'L da .ILVA e aa
I -" -- ,. -,-..- -,-,-
i .. jytfss'^i~i!"1*!, J '1'1-- *??^- .- .. .
., uwS^i.^'.t -,'.'., -l., .


r-.siiq


Dr. ~sbwo.


Guilhermina Alves da Silva
Guilherr*ina Cuatodia Alves do Assis,
Maria dos Anjos Guilherimina de Assis, Jolo
Guilherme de Assis, Pantaleao Guilherme
de Assis, Agostinho Guilhermeno de Assis, Ti-
burcio Valerinno Guilherme de Assis, Cosne
Damilo Gailhermie de Assis, Pedro Gui-
Iherne de Assis, e Francisco de Assis Ro-
drigues Pinto, convidam ao Sr. Maximiano
Alves da Silva esposo e aos parentee e con-
hecidos de sa nunca equecida filha e irms,
GuIlhermina Alves da Silva, para
assistiremn as misses quo por sua almra man-
dam celabrar na igreja de S. Jc&se de Riba-
Mar, hbjie 10 de-outubro (sexta feira,) as 7
horas da manh:; desdeja so confessamr
summonmente agradecidos, par cujo actodas
almas bemrn formadasa.


0 desembargador Domingo. A. Alves Ribeiro
manda rear uma misma pela alma co cn.mselheiro
Jose Liberato Barroso, no dia 30 do eorrente, tri-
gesimo dim de sen pessaaiento. A miss ser. re-
sada pelo Exm. DeAo Farisn, ma capeila do Gym-
asaio. Afs 8 1/2 ln raa.da wabh.


Etelsina don. Satos Pinto
Francisco Ignacio Pinto, sens filhos e eu .badas,
convidam neus par.nten e "imigos para assistiremn
urea miss que mandam celebrar-por alma de sun
esposa, ma'i. madrasta e irmna,Ett Ivina dos Santos
-Pinto, na matriz da Boa-Vista e nw i .pella do ps-
v:ado de Freauioas, i 8 1/4 horas da manbA-do
lia ,.oi 814) -uriq 1. anniversary de seu
pass imente -deej'Ja'-uitecipam es scu s igradeci-
m'ntco.


Comme ud u-E Jdaquim
ttaim*wreftiua-d's,
Os negocinntes de gener.s de eativa, Constirna.
dos-fio faeel-n'ento de sei digs& eomp,-iheiro
o c. mmeendadrtr Jo6 Juaquim )iEs Fernandc,
,- adenm-efsz, ,4ees pe4o etirne d.eeoauo de fua
-Alar W-"dk 4 4 Oplovmbru doc correnle inno, As
9 amr," E'Bd),- mti -lgrem* uttriz do Corpo
nit:-o, triptmo asqa( presrn a ua &M l uo dS Wiv-
a howa~cw :PcK&renqtw8 s tll ~
ilo e bexsFei, 98d e ogtfio te d8.
Domip e8s Alves Maft'us.
M l tida*Silva Gnuimaries.
Jceigi~rJ dDAtncorim.
.... ,^i p,,i,t'V _Mfe.
._, Tca f^ R u.


a--


Preeiua edom- rn uswinhe corn peifeilo
a ma do MKazru 411 Utal n. 10.


Quem tiver e quiner troel.w-a dmj-a-e rua
do Cabgi a.,A, qaeue indieaiA qoi quem tratar.

Venesianas
eade e tn t venaa'uam muito boas; na rua
t'rmeiro de Margo n. 16.

A 3000 ao seco.no Forte do. Matto trapiche
Vianva.

Cass:lartas p 'ra
alugar
Aluga-se o I andar do-obrado n. 23 a rua de
S. Jorge, e 55 rua da Gaia, cornm bons commo-
dos ; a tratar na rua da Assamp* o n. 58.
Modista
Na rua da Penha n. 3, 1 andar, trabalha-se
con promnptidao e apseio, per pregooS commodos.

Engommadeira
Precisa-se do uma engommadeira que dU abono
de sea CondAucta, par casa de familiar ; trata-se
na rua da Madre de -Dens n.. 34, 1- andar, ou no
Entroncamento, junto 4 refinaVao do Sr. Carpin-
teiro.


Precisa-se para comprar e cosinhar, para casa
de pouca familiar ; no pateo do Carmo n. 18, se-
guando andar.

Caixeiro
Na travessa d Queimado n. 3, se dira quem
precisa de Am caixeiro de 14 A 16 annos de idade,
corn pratica de molhados.
Cosi6eira
Precisa-se do uma boa cosinhbeira ; a tratar na
rua Duqae do Caxias n 90.
~~ 0fiufir
Preelsa-se de umn cosinheiro que sejA bom e te
nha pratica de hotel; na-rua da Madre de Dens
uume.o 3.


Cruz de Almas n.i,


7,


com rica e sumptuosa
casa de vivenda, tendo
esta, alem de gran4es
accommoda(oes para
uma familia de flno
trato, diversas outras
dependencias, ca d a
qual mais rivalisando
entire si nos melhores
e mais asseiados conm-
modos.
Tern agua e gaz en-
canados em toda a
chacara, casa ee" -
dencias; gallinhfeiros

de ferro, viveiros pa-
ra passaros,jaulas pa-
ra bichos, repuchos,

tanques para banhos,
jardim e -itio, tudo

feito a caprieho ee-
stituindo um verdadei-


ro recreio.
Esta casa


e conhe-


cida pela chacara do
finado Tasso, fieaw! 6
a 2 minutes da estaaio

da Jaqueira, pdea i .
uha principal d -fr ,.
do Recife a Caxang
e a 5 miniauos daa,_-.
marimeira pel .o
dasmesTa e n.


-Herr4oEi -


V-,:'
^St.
J-t, '


II-www..~ ~--w-~w-m-


VINHO GILBERT TSEW-
S FEBRIFUGO FORTIFICANTE approvado pela Awademia de Medicine do Pais
I SON =a ai dos 4 Ezpeiienoia
Ia de boa ext tern demqnpstrado a efLohcla inoontestavel deste VIWXO, quer como nt-j
,pwiedSw para cortar as Febrpe e evitar o seu reapparecimento, quer como fItiftee m gM
Convalescengas, Deblidade do Sangue, Altaa doe meutrmalo.; Xnappetenetl, iges.-
$|w, .dml, 1ObrW.dades *rvosas, bmldade Co ausada pela edade ou por excesses.
Eat F.ink.&, quo condim mma/ principlos activos do qu oo pepaerados similares, vende-se per prepo um
pouco main elevado.--lIo *e deve ojeotar- contra o preo em vita da reconheocida efficacia do medicamento,.
I PHannacia .0, ISW30Q-CT.T71W, 37M, rua Saint-Honord, PARIS
Mloaxwsitarios em Pezera mbmo : FPM? M..* & a S3LI S7-V.A. & OC%


, .


A.',

-,%.
VI-P
oil".


w


m


W,


.nll


, *.- .; ,

:"* r
F *. -% .. ...
q-F .*H&^
fe1. &ova


-^*M^.-


H


k


Excellent vi-


venda

Aluga-se o magnifi-

co sitio da Jaqueiraou


















.-;. eU .-- j. :. .... ....~m t


C aa siando.-.I z

RAm p do ino e dor oife. rs olv- Grhda, 0e v.inmta.. -- do OEM m ,. ,-
oseaeern iaaataadogod da prodo r da ...mhia-a s- :-
nr 1r Fran9a, Inglatera, AutariaHerpaanh a T- I Ttorra sl ,a"-
TELBPHMBM EtNae. Eaad.--idi -,, -- A ./1 A IVS tl R ^
Attefdendo -a ecessidade de que so re- N. B.-Isforni w brBdac iBBkaa, A A
aentia esta gande ddade de uma agencia *rlaw das pw& eowtm a- IB f .tntr "
pars promover aegocios diversos, resolve- wmhi aft eat.. #m- inio ndsi" a"oufa k i. uftJ lif"'WB ""';- -
m os estabeleder u rea a- rua do Im perador,1A nm as" e re po-inaoiA 'U, o m.6 U i.-..
5 Le andar, a qual corn as cautellims ,
devidas, usando da maxima descript5o e i n U Wl Cahcmiras corn bulinhas de veio, a i 140 o a
Agenciar conipras, vendas e alugaeis IIV I if L WnIoDac: de edA bordada do-as a0 a dar.getI
de predios, compras e vendas do terrenos, 1 i llDlil coado. O I
apolices geraes, provinciaBcs, municipaes', Cachemiras de todaa as c~res, a 1l e 1500.o eo.
apolicespemne-Se vado.
ou da companhias nacionaes e estrangei- SOa e Setm maeAo de todas as cares, a 15000We 15400o Aj
ras. T covado. em
Reedber e adiantar ordonados de funo- C IS A1S 4 "'f) CO- l [en, mf&io preto a 11200, l56f0Ast54,a0ioidita. gam3,0.i
cionarios publicos, quer da cidade, qucr do p. .. Ga umaaa.. matinads o 4 todawasicare a 4090 res,, blusf n
0 o dito. Mai l
interior. m truqfl&I.opr par.e, 7a8etinetas lavradas e hsAgs de todaaoo1creB,460 e mo t
ectuar mudanas lavagens de ca- r 500 ra. o dito. bn.feito
sas, transportes de mercadorias. COMIO Mrind6 pretos de duas larguras, 1 e 1.|00 o 3, 6 gr
Descontar lettras. .n A Fieco cre. linda, 640 r. o dito. patrn
Promover liquidag5es e ividas esds- eV IJilAJde Cambraia Victoria, 36200 a pe a.
pachar nas repartig3es quer civis quer ec- ...m1 .. ,,. J em transparent fins, 3to00 e a dits.
o dipenas i u ~11J Id*Tem transparento fins, 3W600e .4%5 ia.
clesiasticas, solicitar licenas e dispensas q, ( atl Cueu r quautieuJtu Cureone:e0arosfinoO320e 3 rs. o covado.
para casamentos; dispensas de impostos e -A J Chitas escuras, 180.e240 r. dito. Na oj
pagagneuto destes em qualqaer repartieo. Naua do II- t Dera Baptistas matisadas" d c 6res, largas, 200 rel o0 maioi
Cantractar causes no cime, civil e corn- M y. a J F ,r a 500 e 0 rs. o dir. orient
mercial. nr 32, lojd ejoiasFustRao de cares, 500 rs. toI ds
Promoverace3s de despejo, fechamen- t Marisa da India eom ronhas.20e.330 ras
tO de balangos e escripturaes mercantis. J F r dio, aproveitemquen hega par todo,
Colher e ministrar informaqes sobre 0 0 ersnA e Popelinas de sed t- 20,0e 3060 rT.o dovado. A
Alpacas-furta-ovs peehintuha, O60rso ditor, COrn s a
qualquer negocio. _________________________ toque de mofo a 320. r n
___ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __tria n. 40,
Escrever ou promover a publica9go q u.1d a noiw 3 r. peo barat
artigos para jornaes dscien-Cochas de crochet, rca 10, 12e 15, um a.a
arti os Par oaJ o s pGrin ldasde e' u, 95, 125 e 55 urna. op cia i
tificos. e---d----- -- Cortinados, *icanentebordadoa, para cama, 75 e da eaquina
Itdigir contracts e papeis de qualquer Vende-se ou pemtnuta-se por easas em Afogados 85 o par
natureza, ou Boa-Vista, 1 born sitie em Beberibe a tratar a Setim branco macao, 15, 15300 e 1600 o oova4o. ]
Contratar edificar3es fornecendo' plants rua do Marquez d Oinda n. 30. Popelins rancasd sda, 800 r. e 15000 o dito
eSetinetas brancas, finns e bord&das, 560 e 600 r*s.
.91 oditol.
e orsaamentos. Ibm Angenlb
Alugar criados, amas de leite incumun- D& In B.e l Meias pars senhora, 34500 e-4,a dusia.
bindo-se de fornocer estas corn attestados Pec ii as Pdr
medicos, dando garantia do comportamen- Vende-se por prpo o mais commodo possivel, Brimpard, Iona, corn 41/2palmos de lrga
medios, and garntiado ompotam n- boat ocrenh28 casas doIardesmonteeco-Brim pard.o trIna~d, ecrcom / atoqude do inofoP
to dos riads qu alugar um born engenho d'agua, sito na comarca ce Ja' a 3S00, 360 e 400 rs. o covado.
to dos crado~s que alugar en vista dos t- boatho, orn 28c isas de lavradores, moents e cor- Brim pardo trau do, esao, cointmtoque de maofo,
attcstados, d6s amos anteriores. rente, boas obras, machiniamo cm perfeito esta- 500 e 600 rs. o dito. t
Promover collocaoes no commercio. do, suffleiente para safrejar annualmente maim de Malesquins finos, 10500, 1500 o 25 e-crte. Patots d
Em resume, occupar-se-ha a agencia de 3,000 P5es. Faz-se todo negocio pela urgencia Casemiras inglezas de quadros corn defeito,. 2500 i aZde &q
od qaucrn goci licioq n a a ue tern o proprietario de obter a quantia de-que e 2A800 o dito. Dite de p
od e qualquer ngocio lcito limits precise pars effectuar outro negocio, e assim ofe- Idem superior, 8S300, 41500 e 6W o di boa
possiveis, garantindo todo zelo, actividade rece todas as vantagens no preco ao comprador ; Idem de duns larguras, 1200, 150e o ooM DitoB de i
e sigillo. a tratar na rua dx Imperador n. 44 1- azdar, a vado. "1 2o
Esperamos do-publico em-geral a prote.- tambei na nmesma ua n. 54, 2 a.am. Flanela ingleza para paletots, 15 ie2 0 o dit Dites dec
"Caseufra. pret'disgona; 2920 e 250odito.- Dites de
-1o do que carece uma empreza desta na- Cai le e victoria o C a e. l We w d
tur2z3. d t b o dCabriolet e victoria,-Cobe54a eem s Di t oer".
Recife, 23 deoutubroda 1885.- Vende-se urn cabriolet e urma victoria em p. LenSes de brarnante,. 2 urn. Ditodp
Peiaoo &v Cp^ felto estado : a tratar na rua Duque de Cazt Dnamasco de cores para mesa e panno de piano, Ca1as de
~______~~_________ numero 47. 60a. eovara. e dries, d
b re a. do movada.0 D ita s deem
n dera I drtaade n raga pars -eaman de-tcaal,-al5. Ditasdca
CafDamaseo para mesa, 15M00 o covaja. i Ditde
&)ft o.fta ^azOdrtres deo ;gorgoae preto pars college, 25000 e de 0oulsa d
S endo csta a lmandeir aetiaciwomte arvorada w_ee ^&Wurn. a -
pars a pleito elto0", reoiveram M htfina. api..- .anas ia nhoa, reameute bordada. 3;D500 diCe ee4
d1o & C., ealabdecidd oonan z m lif- e 4w000uma. C.. uetia e
I O dos 4. ru eatreitrdo o ria1,o 1n lj, Correr com. Saiae oars senhom a. id.m ide9, 4, 54500 eo 65000 Oa e
EoIT I o que est aoseo alcance, vendendo por pregoa umr. Can ,
MIIT1L W~ muito bamato, os segaintes geruros df la qPali. Meims para home, 83500, 4000 -e 5O06aklduziT brancaa,
Participam ao res- dadi, s&saber: Seroulas brdacbI ddoramante, 000, 1RA l ]aeOf
Maet publics, quie arn emiad.,a I Ao"a-p
I it Arvetbifiro, oqque ha. de melror aecte genero Rede de ce, 45 e 6 a. Tmlhasg
c4ntmuam ter um sor- on ...^ goo -_
Qaeijos d e lmno.Idem boa-vista 65 adita. 00 s vemide
t into de oi ac d goiaba e batata Algodio superior, 3,800 a pe.a corn 2J0 jardas, rdo ut
J' 5~anteiga americana em la-ta do libmra. ------ --- :a-- ICi
amis m dern s do A elbee, antes quest s~e abom, vista. quo o quo, 6 Bei 0 nosso ipoder
om is modernas e dos ^^bo eq n brt, on dm a.s
mrais apurados rostos. Ainda mais AG public, ofhireMin.. Na i
or da pmaema. Complete e liadinuina sutaeuto de-editas' a1,
Compromettem-se Formecida epe 2O2 8 .o
e Dito de pe0o. Camias frincezas para komom, a,25, 24500'o 35
avendrl mals rW yo Aruarestreit, do Rosario n. 1, Martida or. c
aVed er maisA barCC o A ruseatitd o & C a Liudisimalaatinetas de quadrinBos eoutros de-
"e el-----r-qual La nim de a:.600 rse. o.: Mt:apolr o
dlo quIP e^Ioultra qulal- f.a~ il&M de mrJ-B- r PiuiSsimascamisasdecretone, modernaa,,3^ 7" Dito faanQ(
.U ~SCA tHd^~A Ia r iS fClaa~ Que lindas Betinctas iaponezas, a 360 re., de es- .eom 20O


_ ____e n2-f Vende se nasra do Marquez d OliiMadan. 6 to de 800 rs .. ^. Dito fane
VaUd seal uJ -, Cnd' d e 800 4Jjhaviote% 21) 2MO! e 31 o di
que"f- fr Part.6 Colr p- C~eamireixg e OW .lei~t
l u lI H Vende-se na pharmacia-do Dr. Sabino. Cambraias transparentes corn 8 1/2 iaras, 34.80 gya..pnr
49- e,405O0, so P~lnc
aWtL W. Utt fI I U. L 'k --- -- .,.,' "-' --"-. 4-f4# O; *d'pannc
Carnmau delorsoe wcre, .S ), 4A00bit.a*uft"
I1W171Ii ".I.LUo -iIlA 4 ,500. e6. p 'o .pr-.1io
MV. .J. Gerald p tipa so spui 4i pti1 qa QuinWdos lequcsf.tasl., 1um5500 e2i5um.rn mr.o
If C L IkA I f E I A tern urn grande sortimento de luvas preta s para o rim brano alcochoado e tran.ado; 15 0 a vras Bramante
S. *r\X u [ 1 I I I II. Odia de finados; luvas de hnmens, senhoras e crian- L[ndas colehas escoceasa, I00 urnsma. largura.
IU21)~ U UJ IV pr t W0, 1 U ,rua do Cabuga n. 7 1m andar entrada pela CamnivaBpretpdm, a 400 cg. o covadc, propri, u5m B PS
rua~das Larangenr -.. pa .mefmiw I it ing
He Jost Fernandes Gomesad .e -is- tun macio de todas as. cores, -300 e0 0 W o do limo,
EM GAMELLEIRA DAlauiM"ia eovad.- t. "regofo'
Mot novo estabelecimento, motadao nesta villa, m aSII= Maeipara- hombie meni2nos, a240 Io. o par.. e ezoul
achtLBe A disposaio arowr.psaageiros, odea Vendese baratoo para 9 e.oruidar -uhrsi"Pr eili, i fl, l e 140o pada. ae
ExIm famili encontramao bom tratamento, ex-i n o, p l q M' vado. .. paem w
cell~mte commodss.aoam.d4 [- raps o bas lan Gas dtO fa. I iea7-'e Rom0,o,
cell~tes commodoa asseio na hospedaria o m odi- Bo de bananas do- fahrcaute Romo, aa4o,iins,.d c a 9, a. s. o va4o, l Dits oem
cidade nos preeos. em1 bUon estadb : n run uo Bktau n. 96, -unibia de criam. e em v
.-Ra-a 1a de DPemubro-- armazera. Vien de- lisdo, ae-d deo 000, a 5a00 a toatmdb
.^\' -'---- T--- -- '' "---- dumaL ^ --. : ,- esa,toi
BW tf ^fwi&~j fM~pi fz4*izaa, naeosaea < pert uweaa 40 r. ,iisa tro
*ft I.. ft^..-.U mRl .,m,.tLiados lengo. "staoadesedoadlJ4800.a duzia. Auoim cOB
yo u Empaen fido oosttfmneato de fizus todapre7o. Pops 4<
ri.d l-t I I / Ulill 1 1 II Linftm c6rtes ede fuft para ejAle a e W mgte. q
DOiwadma bwm pow j Iasahaw rft -a
._.... ,,^.., I~ *9 ^ ( f J t ~I^s- B Duque de V.4AsI ,.Ak :lo. ua
n i~fiffin B^WliS antuih SaKS s OUXRa_ _
U IUIE .U A -MAJ A Ioj de oma deea duonDv *e.aa, j 119,
4a "'CWT OI~fF^T T &T ( t ioeebeu um eaplendido xtiinto di f.as mo- IT 1 "
etma&til (fq"-H W [. I tnarin, dede o quo ha de./.Ai.r tbples at o[ ."'V- "

P^,_tM^ .,-.---- -----,-;---- qua,-- --
.~a~wt ", -.w/we,,- .. '5


_. IJ. .
unah& dicadis; ..ui mnadabeouw



idoe BawateiroudaLBmar Vista, veade-.
>hA o dOouamup..-df r .4e duIo-i ,.
ido ingleasa e comw beitas comes, peki
me -_peo da 2M0a e2WSpB o eova
lt pioppie pma m aemmes, edaa met
be n ammunim ,' esutuuei.s mi
is de palitot, eala e colete por 30oBO O
ande pocincha : na loja da rua dm I
a. 40, ejquina do bheco des Perreiro.
Kspartiho s
a 46 e a .0
a da rus da Imperatris n. 40, ven.ei
Is epartihs para umhw a 50mi/
ins aA4O00f; auim Cnoo um bhni-
o de fichlus de 1200 at& 35000; isr
Sesquina do becco dos Ferreiros.
e ria6s pretos
*, N IJ' e!(0 o ooswad
teiros da Boa-Vista, A rua da Imper.
veadem amuito bons merieds pmeto
o preo de 15200, 15400 e 11800o a
rim como sortimento complete para luti
ta", eretones e caseminras ; isto n lojr
d" beece de F,,rrros.


upas pma how.us

5 baratissimo
wd IW, m4z a. 0
9JA DON BA4RA7EIPO
[easmrims de quadriuboa, fi.
o me lava
annao proto fino fazenda mnito
asemiro dequadrinhe liUstri-
ryajos, 5580
enef, &rfido 3,
memizs escuiaforrudos 8500
asemiras de cores clams e es-
IOUDO
summina de widmo, de IQa I~12;0W
mW pretaino; fAuadas- 1860
caseumrasa CoB aiffereates pa-
e 5500, 65500, 85 e '-1000
semira do cordlo W0
semaira preta sed a& 8e 9 10e 0
35sw pritm P 6J G
e crenella, obram. m o be I
1 200 e Ij60
Saburgo de linho a 1&800 e W
muito bemr feiteo a 800 e a u
prande sortirmento da camaima
tauto francezae como ingleas,
lino como d te algeda, endo
09, 35, at6 R
ad* acntunento de meia-emaru
Mna, .de 820 r o i ar o t6
rande ortimenato de toalhas,
ra rosto com para baih, que
m pe- preqs muito raaoave.
o 6 corn grande reduouo de preooe; i
nuina do been dos Ferreiros.
&endas brancas
@pi dos barratero
da l9, a-visa
qf .ff .Vj
bmuadvlpw -4
coR 20 vosaa
on, fazenda muito encorpada,
rams a 5A, 55500, 65 e o5
es, amenoeano, fzenda muito
7a s" 12


prsa pam tuaor'Ino de um
l, metro, r.
ide eeam 8 palm, de krgm%
de algod a corn 10 almost do
proprio para fuer lenAes de
mow, meetro-.
.de quatme arguruas, mdo
I metro
IpIroprias pars leo, toethas
as, seeddo fenda muite snoor-
ma pegs. eoam 80 vara a 14A
Ira i,,- ., .1. *. :
a a mew&.. amodida alion,
L~,inL,
adamameado pas toalas d&
ado 9 pnfmn de-rgueta, me-
* an eonmpl.to. aorietfb do.
ae ajgedozioel amero e
que secvrode a pes. detIMO


Importado doio. do Janeiro e garantido par Beri'ardlwo Maras d rm,
o .meUor e mais aromaftico=qe .em a este mnerqado, vende.se na run do CIO'.
. Olinda a. 15. casa dae :


. I- 4;


SJose A gitoi .4s 4 Santos


Too ADtS freguezes


LP
Nestft remessa quo acaba.de ehegar. voe em cinco latas daons deins q6
bahets dagande loteris. da cO rte, ficando os Srs. consumidores d'este fumnn hlib
doe a ftirar os quinhenras aeontos, .er despnderem um vintem. -


SINGERSINGER
mm"A It mGl KACHIAS. llmm
VTEDAS MULTIIO ANNO 603,22
1ICem Ro0 tem ouvido fallir das faimosas imachinas de costira de
.- Singer?


Em prestaaoes semi
DE



isomo


mei


fQuandb o pagamento por este- system w
B Li effectuar dentro de. quatro mezes, aatimentd
Sde 5#000.'
S-Abatimento do 10#000 a dinheiroA vista.
j-Roga-se aos pretendentes- d vfrem aso eM -
criptorio da companhia para inbrmam9e6 irk
cumatanciadas.
S Immensa e real vantagem 6 obter-so e
ieihor artigo nas melhores condigeft.
De hoe em dlante inguen eomp.warr* sena a verdEelra
mahina de. *ll nW R
PO RQUE?

1.o POTr ser incontestavelmente a melIer, aIlt forte, imais be o as
hada, teal -i---ong, =als duradoura, a unica qua tem obtido mai dea 300
meduihas, e a uioea qne tern mais d- 100 initadores-
2.* Por existir um deposit succursi& d, propria companhia, onde sp gFw-
te etess maewI .p pop mi tempo ilIudtadoo, e onde; sempre se encoan
atudo quo diz eapeita. as-melaua.
3, 0Finalmente, porque aqueies poessoas que at6 o presente. porfalta de mol
rS ,podiam aisfazer o sw desejo eomprando una, d'estas exoellenteo macIin.
podar agera comrn today a facilidade- compral-as medianta, a, modica presto d4e
Recommendamos corn insistencia -io as IHiUdanm aOmI s malha
qe j ftouzm InM emne e que aI pauau s de4 RUINS I
'E!&OES.
Veudemos tambem linha superior, retroz em earretels, agplhaa, -fet., lu2
Ale crochet, peas avulaao para as machines, tudo de superior qualidade .e .por prep
est m&ompeteacia.

RBa do Cabngia o. I A, Pernambnheo
Direc o erat para America do snl...-1,I ria do Ok vudf 11
.lie-deJmeiro. Casa matriz,.-44 Un10 Square, New-wITA
osertos m machines deo todos os autores per pregos baratissiaos


140( P0R SEMANAW



JOSEPH KAUSE t C.
Aeabam de a melenmr o sen ji bemn conhddO


impertmte estabelecmento d rna- o.


ft

0

N



M


U


'C-i
.., ,- -
" "._ I ." -* ; < f .-






:.


2A5t

























.:.) ... -* *- ..+ -' o)
-IK q -- Mas Aa I qataot& certesa
f 4 .Quo quo vondi b rarobado.
ia --. Eats 081M 6 preciao que nos des,
*' cdbIido Galfoi a psesa quo te encear-
JudiO hesit aigmns minutes, e, renun-
ido A sna s abula absurd, respon-
den:-
... JA disse que abe sei o nome dessa
pesaoae que...
Acabemos corn isto e! n6s a conhe-

S0 miseravel olhonu -'para o agent corn
um soriso apalermado.
--Os vestidos, disse immediatamente,
pvrtSoce a uma mulher a quom tu au-
ziliaste atiral-os deo casa della corn outros
valoresque: estlo em seao poder. Chanma-
soe Amelia Boitel; 6 esposa do capitbo Te.
nard de Marby.
Sr. sabe d'isto ?
Sabemos de tudo. Escute de duas
coum umsa, ou 6s o cumplice desta mu-
Iher, que dispondo pars fugir de casea,
S dos bens commune, so v6 hoje perseguida
per soen marido, o qual declare que ella
foi auxiliada e aconselhada per um indi-
.viduo do qua] deu os signaes, o que mo-
tivoue a tua prisalo.
-0 marido disse isto !
-' A mulher defende-so da accusaglo,
dizendo que '6s tu o autor de tudo, que
Ihe armaste umna cilada.
Ella esta presa?
E fazendo esta pergunta, Julio pare-
ceu mais satisfeito; estimava mais saber
que Amelia estava presa, o que explicava
a a sue ausencia quando elle voltou do que
ter o doloroso pensamento de que ella o
abandonara.
Nao tinha que que hesitar, compromet-
tie a mulber, o que jA estasva feito, mas
ago a perderia dizendo a verdade; elle
justificar-se-hia.
Bern, Sr. Huref, visto isso, vou di
zer-Ihe a verdade.
No procures ainda enganar-me; sa-
bemos de muitas cousas. .. Fallando fran-
camente, p6des sahir d'aqui; se nos reatar
a menor duvida, reclamo um inquerito e
sujaito-teA prisao preventive.
Vou dizer-lhe a verdade. -A Sra.
de Marby era uma pequena operaria; oen
urnm operario que fabricava caixas. Foi
"esa 6poca qoue a conhed, isto ha uns
dez absno. Chamava-se Amelia Boitel
Amava-a, qusria easar-me corn ella; o pal
S recunoun, o saram n's corn um soldadc
.elho e brutal. Levou uma vida de gaI6.
Um dia enoontreia ; amava-me ainda; eu
tAmbem amava. Contou-me que estava
agatada oom o marideo e quo nbo podia
mais viver corn elle. Pareceu-me que se
tinha dada um negocio... escandaloso.
Comprehend que ella no amasva aquelle
home, corn o qual a forgaram a ca-
mar-se. Foi-lhe prohibilo voltar pare cas,
sea marido expulsou-a ; disse-me ella, quo
poderiamos viver juntos, se a quizesse au
ill. r a ir a sua casa buscar tudo quanti
lhe pertencia. Como os vestidos, as ren
dam, ale pertenciam ao marido, acompa
aheid- pars ir reclamar o que era d'ella
e tendo medo do marido, prometti defen
del-a. 0 marido naoestava em case.
oo ami.. ao eexcellente pars ella razser
que queria, e, aproveitando-o, evitava un
accidents on um escandalo, talvespeior d
que isso ;" porque, jA disse eu amava-a, e
+. encoatrando Amelia, nbo abandonaria fa
eilmente. Els come foi; ella tiros o qu
lhe pertencie, e as suas joies, e entregou
.se tudo pare collocar no carrot; depoi


FOLHETIE


4


DIVORCIADA

DDE

IATO m I TJISTjS


S.

Au
by


~1
- -


RGUNDA PASTE





(om.~.u,. do. ..



.B6y de t0.


M9a 4pameips (Osedorf tinha feito
4Mr o corpo, esprasdo




--ioa, o. o of
001koo n 'ion.


M.o qua n

as. a Sra. de
iMrby ido e as reao .n
.Me eoat talkher. foramneonoobu a
em tua casa.
Foi ella quem oi levou, eu nao oe co-
E' possivel. Noise oase o inquerito
no esdarecera sobre este ponte, disse Ha-
ret, muito tranquillamente, guardando os
talheres.
Julio estava desorientado corn aquella
calm, e perguntou timidamente:
Mas, Sr. Huret, o senhor prometteu-
me que, se eu dissesse a verdade, nao te-
ria lugar o inquerito, e quo en seriv solto.
Sim, se ta dissesae a verdade o in-
querito sari& util. Nao a dies.
Juro-lhe que digo o quoe 6 verdade.
Bern, meu rapaz, come o que dimes
em nada te justifica, e o jue me contaa
prova que a6s o campliee d easa mulher,
dove conservar-te preso at6 mais amplas
informagBes.
Fazemos mal em ser leaes com.os
seahorse. Promettem e nunea cumprem.
Houve alguns segundos de silencio, no
fim dos quaes o agent disse:
-- Tu 6s um tolo, meu rapaz, fago-te
Sver que 'talvez precise de ti, que poderei
Sempregar-te, e que pars isso ficavas livre.
Pego-te que te justifiques, senSe de tudo
ao menos pars podermos respouder Aquelles
que to denunciam; porque, 6s um pateta,
esta mulher servio-se de ti pars roubar ao
soen marido; hoje, que, corn a queixa do
marido, devemos confundil-a e perseguil-a,
ella diz que foster tu a causa de tudo.
SFoste tu quem roubou, foste tu quem oc-
I cultou as joias, a prat e oas valores, de-
Spois de ter vendido os vestidos; ella que-
Sria viver long de sou marido, levando o
que julgasse pertncer-lhe ; tu a auxiliaste
Sdeclarou ella, depois fugiste corn as malas
e as joias-expulsando-a.
Tudo isto sao machinagtes I cxcla-
moun Julio atordoado.
FPomos esta manhbA A tua casa, nao
enoontrAmos a mulher, e soubemos que
tinhas vendido os vestidos. 0 que fizesto
das joias, da prata?... A prove de que
estas joias estavam em tua case, 6 que ea-
ScontrAmos os talheres.
S Julio Minguet estava contrariado corn
a face que tomava o seu negocio; mas Li-
nha notado de passage algumas palavras
Sdo agent, que exprimiam quo elle era in-
i telligente, e que s6 dependia de si mInua
posiglo ; sem comprehender, vio que havia
urn meio de sahir d'esta difficuldade. Por
Sisso, mudando immediatamente de mode,
D disse :
Nao lhe menti, Sr. Hurt; talvez
Snbo dissesse tudo, mas nbo faltei a verde-
de. Vejo que, procurando diminuir a felts
dos outros, crimino-me: n'esse caso, re-
Snuncio. Quer saber tude, vou t udo dJzer-
Ihe.
S -e_ E'.o mais simples proceder pruden-
Stemento, no tou intoresse.
Entlo Julio Minguet fallout francamente
o e contou depots a origem des relagbes que
rivers coal aquella a quem chamavam s
- Sra. de Marby; contou que a beoia Amelia
tinha side durante muito tempo a amante
d'aqueile a quen ella chamava o velho, c
; que era o presidents Matheus des Tail

Ouvindo-o, o agents teve um movimentz
de despeito.
n Seria por ser obrigado a reconhecer que
o aquelle que devia representar a jnsti.a;
>, que devia dar o exemplo era o primeim
t-culpado, o principal -autor da catastro-
e phe?
L- Seria porque achava a explicagbo do at.
s tentado do cspitbo de Marby no procesmo


No cume do pico de Adam, oem frento eA
impression do p6 de Budha, os seus elha-
res s6 se dirigiam pars bern longer, pars o
norte, lA onde amavs, onde era esperado.
Tinha depois subido a costa de Caro-
mandel, visitando successivamente Tanjo-
ra, Fritchinapaly, Pondychery, Madrasta
SMesiapura, onde S. Thomas foi martyri-
sado o ended o Christo, talvez viveu duran-
te a sue ausencia da Jud6a, bebendo nos
livros dos Brahmines os meis belles pre-
ceitos da sue divina doutrina.
Mas, nem A vista dos yogis, esses peni-
tentes voluntarios quo suppliciam se em
honars de Schiva, nemo o espectaculo phan-
tastico das ruinas da cibded do grande Ba-
li, de cajos pagodes am cupolas aiada emer-
giam Uo largo corn a mar6 baiza no come-
go d'este seculo, nom os canticos das vio-
timas de Juggernaut esmogedas polas ro-
das do carrot de Kali, a deus sanguine.
lent, nem on rugidos da barr de Orisma,,
nada inha mitigado a perturba de som

Quando, despresando a eshtrad de ferre,
jA aborts n'essa 6poea, em part ao mbnot,
de Calcutta a Bombaim, atravesseou a pe-
ninsula do Indostio pelas velhas stradas
quo soe perdem unsa florostas do Malwa, sob
o teet dos ChQ td, onde o viajante en-
meats apenos um sAi Ag, eo agu, a ima-
cem do Vera nune deixou d*. apparmeo-
6e4 nas grus. d'Em ba!4-sm profum4oas
4w teavernwde Slcs,Q, w e ouwido
Mar.M cerrtdos ao mrugid do- tieS, bera


why -Not ="46~TA
v. ,.gti pfl I^^^' i^B-. H ,- ", ^^ ',. o W W^+ .- ,.'

e.- |_.^.,. .j.M ITI tw" .,,, AS.
a"ass qM.oo J ,B+o'1B|i.. .. e

--EIApoAeiw -fIa&do d'eilo.
Nuwwa. Mas conhkoo o noe; foi
per cause d')le que nos tornamos a en-
contrar.
Como ?
Sim, imagine quoae eu tialm em meu
poder umna dusia de cartas, assigqMadas por
?l-s-diri.gida a u&m Aristides da Furge.
Nest. moment ean estava arruinado, e dis-
se commigo : Talve en poass ganhar
alguns sobios eoar isto.
Nio amavas mais nests 6pooa?
Sim, amava ainda. Comprehend :
havia pelo: menos uns doze anaos quoe nao
nos viamos, e depois, sabe, nao disse-lhe
que pensava s6 no dinheiro... E demais,
quando se 6 desgraado, nao se olha de
tao porto pars essas couusas de delicade-
za5.
Come obtiveste estas carts ?
Julio Minguet ficou desnorteado; nbo
esperava por esta pergunta lastirnava ter
fallando n'este detalhe.
Mas era precise responder; ell e dise:
Isso 6 uma outra historic; foi um ca-
marada que subtrahi-as corn outros;
mostrando me, reconheci a lettra e she
pedi.
Ah disse o agents corn um sorriso
singular, que embaragou ainda mais o pa-
tife.
Juro-lhe que digo a verdade.
Continue.
Aconteceu uma ainda melhor ; pro-
curei a morada de Amelia; encontrei-a,
fui A case d'ella, reconciliamo-nos, come
Ihe disse a pouco. Devia levar-lhe as car-
tas, que tinha occultado em lugar; fui bus-
cal-as, tinham-m'a roubado.
Julio Minguet aoe notou que o'agente
nai )he perguntou o quae continham as ca"-
tas, o luger onde as tinha occultado, por
quem julgava que ellas tinham aido rouba-
des, e, finalmiente, em quae malos poderiam
toer cahido; nbo notou tambem que Huret
parecia conhecer a existoncia d'essas car-
tas e saber o quo tinham feito d'ellas.
Minguet esperva, emquauto o agent es-
Screvia no seu livro. Ells levanton a caba-
9a, dizendo:
Vamos, prometti que se fosse since-
re, dava-te a liberdade; disse-te qae pods-
ria emnpregar-te em aiguma consa.
0 rostoe de Julio estava radiaotse.
Eu dise today a vrdadei, Sr. Hurest.
Sim, poueco mais ou menos; o quo
no me disseste, en sei.
E come os olbares encontraram-se, con-
- trariado comn o do agents, o miseravel absi-
- xou a cabega.
As tuas relagaes corn estate mulher fo
Sram criminosas. Mas issue foi uma peque-
na falts da tuas vida, so eativestoe tantc
tempo sem v6l-a: 6 que estavas em uum
lagar do qual nao se sao quando se quer.
Desde que sahiste da pisaeo, dez vezes
fizeste o quanto era precise, pars voltares
para ella.
Se procurassem saber de que mode a.
cartas de que falls eae-ram em tuas mioe
talvez encontrassem unicamente n'este ne-
gocio, motive pars te agarrarem.
Oh I Sm. Huret, dimse Julio tremendo.
un fui eu que... -
Nao indigo, quero dizer-te, quo ostha
em meu poder, e que as minha fantasia
" depend. a tuasorts. Pertences-nos.
Em luger de to encaroerar, quero eo-
- pregar-te, se tuo meroceres.
Eateu prompt a fazer tudo quanta


per aquaellas quoe tinha amaldigoado. Ella
tambem soffria, portanto, tambem era pars
lastimar. Entio, era a isso que estavas re-
dusida a mulher que se chamaera princess
Olsdorf ? Nao serial demasisdamente seve-
re o castigo ? No tinha ell e abusado do seu
direito inflingindo-o ? Ne teria side mais
humane ringer a sue hours corn o sangue
dos dous culpados ? Nao devoeri elle, polo
meoes, ter deizado a Lies a filha, cuja pre-
senga Ih-i teria mitigado as dOres ? E co-
me estava punido e0e home do aitraje
que lhe tinhas feito? Podia ells adimittir quo
as cousas continuassem assim ?
Ease Paulo eyri n tinha-lhe maculado
a honra e tirade a muiher e, seomoe um mi-
seravel, abandonava o lar conjugal, ao qual
devia sentir-se prom por tantas obriga-
5oes. E elle i vivis feliz sem peusar no mat
que tinha feito I No, isso nlo era possi-
vl 1 Qa.tro annos antes o pru'pe o ha-
via condemnado A morte me no cassame
tom a mulher qua tinbs descido at6 el.e;
deixando de sBr o protector legal d'essa
mulher, esqu kedo odos se s deveres,
tonasva a se rmesponsavel so marido pebl
ultraje feito. Era a elle. Pedro Olsderf
que competia vingar squea, quo expiava
taLo cMnimte a ua fltM .
0 que o prineip'e a* dizia a si memo,
o quo nao q"a coafewar, oea que.. es-
as trite- ao o et antori a
ftmer Osm e- o at etlo, AM1 era elo *h.-
made .urops me.ft aupiio d
aoracqU do qae P46a wit,~l^dopa


EacL oeinlnedo Sr. Hurst, od son- E
tar comMigW.-
E recorda-to d'ia : poderias -ser
apontado, denuneiado e reoonhecido se
viereas aqui. Esqforis absolutamtnte este
h5gar. Um agenate ira a tua soasa de dous
em dons diastomar as tuas informages.
-- Bem, snhor.
Aqui neo es conhecido poer pessoa
alguma, unieauum eu aoei quo tu znos ser-
ves. ..
S---- Sr. Hurt, nad tern a reooiar, tenho
mtito interests em servir bern, e em ser
prudente,
Bern, apressa-to; depols d'amana
um agent ira a tae oase, an te mdarAs
sem nos pirevenir.
Sm, Sr. Huret.
Vai.
E o agents guardon as notas, dispondo-
se a occupar-se corn ontros negocios.
Tinha despedido Julio, mas este nao sa-
hioe, ficou muito embaragado, voltando
centre as maosoa seo chap6o.
Huret vio-oe. dine surprendido:
Como I ainda estA ahl ? 0 que es-
peras?
0 senhor sabe perfeitamente, Sr.
Huret.
Nbo, nao sei. Que to made condu-
zir a rua por urn guards ?
NSo Sr. Huret; mas provei-Ihe que
pronderam-me corn umsa execugo falsa ;
nao roubei, o que vendi era meu.
Sim, compreshendo, julgas assim. Fi-
nalmente queres o dinheiro quo estesva em
teu poder ests mauhb I
Corn a breca! d de tods a justiga;
o dinheiro, os talheres....
NAo, os talheres estao apprehendidos,
o negocio nao estA toerminado, tai o sabes
melhor do quo quaalquer ountroe. Vou entre-
gar-te o teu dinheiro.
0 agents Huret tirou do seun bolso a
quantia quae elle envolvera em uam pedago
dejornal. 0 miseravel abo dissimulou a
a legtis quo sentio corn a restitaiglo.
Agradeceu ardentemente a Huret e te-
tirou-se, tendo ainda, assegurade o aseu
zelo o a suam dedicao. Chegando so caes,
Julio comegou a correr; tinha necessidade
de proceder corn today a liberdado d9 res-
pirar livremente; tiuha tide pr umn mo-
mento um tel temor, que o negocio tomes-
sBe usa outra direeglo, que achava-se ale-
gre. Uma outra cause da alegria do patife,
era quae, al6m de tudo is viver tranquillo,
sabendo-se protegido per aquelles que ate
entbo temia.
O agents Hurest, fando s6 no seu ga-
Sbineto, felicitava-se, cornm o que tinhas feito
Spela manhb, e dies:
Este patife ser-nos-ha de grande uti-
lidade : 6 por- elle que nos guiaremos ; o
aco insousciente, que guise o inimigo con-
tra o seu done.
Bateram A ports, Huret maniou entrar.
Um empregado veio dizer-lhe:
S 0 senior, esta manhi, nalo den or-
, dens.
Como, quando sahio, nao desoeu ?
Nao, Si. Huret.
S Elle foi'coavidado pare almogar, e ests-
vs tie apressado qae esqueceu-se do ser-
vigo. Vieram relatorios?
-- Trouxeram e estou a espers.
VA buscar e trage-m'os-Diga que
" hoje nao ha nada-Amanhb.
Bern, Sr. Hurest.
0 empregado sable, voltou immedia-


dizel -o A doente e procure dar-lhe um pou-
co de coragem. Mando ordens i Russia
pars que meus filhos cheguem a Pariz so
mesmo tempo qae eou. Envie-me noticias
pars Roma, hotel Minerva. D
Depeis, tambem per telegramma, pedio
a Vera qlue eativesme prompts, afiA de par-
tir para Paris, er oom Alexandre Tekia, ao
primeiro avisoe. Ella devia ir para o Gran-
de Hotel, ond receoberia instruccoes suas
emqunto o eserava.
No dia sguaute, na ocscasilo em quae o
fidalgo russo embarcava no Osiria parn fa-
zer uma viagam que devia ser mais penoss
o devia pareoer-lhe mais longs do que to-
dams as quoe tinha feito atd entlo, os seaos
dons telegrammas chegavam a Pariz e a
Pampeln, ends e amrama ma emogio fa-
cil de comprhender.
A Sra. Dubrel comergava a acreditar
qae as suas cartnm ao pinoipe Olsdorf fica-
nam em rsposta, todavia, nes meosma
menUa em uo Ih chogon o telegramma
do primeirs maido de Lisa, osea bonito
rosto, de ordnioo tic triste, trahio prayer
inmenso, a' dwespoi do dewsasoego quo
lhe causave a sade d Sera. Paulo Meyrmn.
Er porque a Sra. Percior, sua mi,
tinha'ido scorda-la corn unm noticia espe-
rada, em segredo e orm tiuides, am ue
.tretatuto a Anpradeui. De Nova-Yok o
4r. Nabrol in oswripto qut, cozmovido
a idaekpi*o e do p eto
dauer, nau etav a longe eqoeor o
i QiA9do niao a
l *aift^ fbtc~ t 9WI


mm ainaib3 asW^ nis
-Von notr-~f 4
0 a s Ho im awo o se-
undo en7* = nignanduAoim elhar rapi-
do sobre o ,torus dide :
0 qf 6iste.... E le aattu :.-
monte :
c Hontem, entire onze horas e meia noi.
te, sna rue Feuillaantioes, vi um home,
qneuo parecia disimullar o mais psesivel cos-
tear o m'iro da casa das irmnes Magdale-
na-Arrependida.
Depois de certificar-se de que ninguem.
o podia ver, tiron do son bols ur molho
de ohaves, no fim de alguns minutes, con-
seguio abrir umas pequena port, que ser-
via ou-r'ora so jardineiro, mas de que
hoje unao s utilismi.
Temendo que o iudividuA ftsie am la-
drio, fui immediatamente bater A ports da
communidade; na me responderam ; vol-
tei pars o meu posto de observagbo, e che-
gui exactamqnte no omemento que uma
outra pessoa se introduzia pela mesma
ports no jardim da easa.
Fiquei a espera. Pela uma hora da ma-
drugada, vi sahir o primeiro que tinha en-
trado; dirigio-se para a praga do Obser-
vatorio, onde um carro particular o espe-
rava. Voltei pars a rua Feuillantines e eu-
contrei-me corn o segundo individuo, que
acabava de sabir. Inutilmente procurei
ver-lhe o rosto... Dovevo vigiar?
E o que devo fazer?
0 que quer dizer isto? disse Huret
muito admirado. Eis uma singular corn-
munidade. Vou guarder o relatorio e vou
eu mesmo esclarecer este negocio. Depois,
relendo o relatorio, esci eveu:
a Relativamente no aviso desta mauhl,
6 precise continuar a observer todos os
dias; siga um e ontro e mande-nos dizer
immediatamente o resultado. v
Depois escreveu sobre o envelope:
a Sr. Durand, negociante das quatro
estag5es, rua Enfern n... Paris.
Eu fare o resto. Agora voltemos a
tratar de negocio grave.
E o agent comegon de novo a ler os
suas notas.

V

SEGUIMENTO DO QUE SE PASSAVA A NOITE
NA CASA DAS IRMXS DE MAGDALENA AR-
BEPENDIDA

Em uma linda noite, clare, fresca, e em
que uma virago brands saoudia suave.
mente as grande arvores do parque- da
case das irmais de Magdalene Arrependi-
da, entire onze bhoras e meia' noite, o Sr.
Matheus des Taillis descia do sou carro
na praga do Observatorie. Depois de dizer
so se coceheiro -quo `espeam dirigi-se
para a extremidade da rua FeUlantines.
Sen procurar se era ou aoe observado,
camiuavs so long do murs, parando, e
voltando-se pars procurar urns ports.
Entretanto 6 muito simples; a ports,
disse-me elle, acha-se quasi na extremida-
de do snureo... Talvez seia do outro lado.
E voltou. Encontrando a ports, demo-
rou-se em abril-a, porque ella parecia ser-
vir poueo. Aponas entrou e fechou seo
fazer ruido a ports, sentio que lhe pegs-
yam na mio. Voltou-se e vondo vagamen-
te na sombra o vulto de ura mulher, dei-
xou-se conduzir facilmente. Aquella que o
guisea dise-lheo:
Venha, senhor, nada receie.
Elle pareeou admirado per nuo conhecer
a voz. Depois de ter caminhado alguns
minutes, a mulher que o eondztzia parou,
mostraudo-lhe ura moita, disse deixan-
do-lheb amao:

mais um memento parn dar A nossa queri-
da doente a unica esperanga que p6de seal-


mar um pounce as suas dOres.
E voltando corn a Sra. Daubrel parn
junto de Lisa, disse a esta ultima:
A nossa amiga toern ua boa npticia
a dar-lhe, mas nao a darA so a seihora
aoe prometter ficar calms.
Usma boa noticia I disse a Sra. Mey-
rin, comn ease triste sorriso que so estereo-
typava nos seus labios descorados, quando
procuravam consolal-a. P6de haver algn-
ma pars mirnm ? 6 os beijos de means fi-
lhos poderiam alliviar os means soffrimen-
toe, a eu nunca maise os verei.
Nem ponsava no marido.
Talves, disse Martha, no torn o masle
meigo.
Talveo! repetio Lisa, erguendo-se
brusoamente, de olhos arregalados. Voce
disse talves I! Ah I uo me engane; causa-
ria a minha more I
Corn as mra.o emmagrocidas puxou a
Sra. Daubrel corn energia ostranha, sup-
plicando tanto corn o olhar como corn a
voS.
Assustada per essa exaltaego, Martha
nalo ousou accresoentar uma palavra.
Duamnmnil prehendu quoe era precise
ftaer cessar esma sngutias, mesmo corn
rsco de usa arise perigos.
-Posb bem, sim, dssme esle per sua
vez: sim, brevemeate os sous filhs eats-
riso a sea lado. ,
0 primiptrephou Asus amiga quo
m Pa dento de om mon, 0
a ew~ Tr S .o (asOdN&virpera
PLr 6 pa do a lprimv po mais tempo
a -
Ar *d61.Pii~i da pobre awaken. imdi..t
Ain-
vft C^ Nte^ go wq orft
-^^iiofcaaaonea~o wa46
'{,-'*' .^dMob-y-- ^* S -? ^ *" "


Obrigada, msu c aro amigo, oio met
aterease, obrigada.
Ji tases a reates eligiosas?
N ainda nao.
Veiamos, continuous MatU._ do.
faill, tern quo fallar-me; juigo que- ao
Spara pedir-me conselhos, vilso quo to-
mou umarns decislo.
-Do fiear aqui, aim I Approva-a?
* -Oh I certamente nao. E ainda uma
cousa em quo faz mal e de quo ha de ar-
rep3nder-se.
Nio; a casa 6 agradavel, todas as
minhas compatheiras sao mulheres come
eu, que tiveram grande desgragas na sum
vida, que foram abandonadas ou que aban-
donararn os maridos; outras sao viuvas,
mas todas foram casadas.
E, velhas finalmente.
Fallemos soriamente, nao temos maui-
to tempo.
Mas no nos apressemos; es* entre-
vista faz-me pensar nos vmte Sunos. MaN
esperei que me recebesses na tusa cela.
As nossas cellas sao ditididas.
Esta entrevista A noite 6 de receiar;
mas corn a tua entrada para a cas trou-
xeste as id6as extravagantes.
Eu tinha pedido a irmi superior pars.
recebel-o antes de pronunciar os meus vo-
tos ; ella a principio acceitou, achando isto
maito natural, tanto mais que eu Ihe disse
que tinha necessidade de conversar corn o
senhor, principalmente no interesse da mi-
nba pequena fortune. Ficon comibinado
que eu escolheria o dia, e poderia fallar.1hor
no grande sallo. Quandoia escrever a car-
ta, ella perguntou-me so o senhor era num
amigo ou um parents, eu disse-lhe quoe
senhor era um amigo velho, meu conselhei-
ro. Nao tinha ainda dito o seu nome, dis-
se-lhe entAo. .. A scena mudou de repen-
te; sem querer dizer-me o motive, decla-
ronsme que oppuuha-se absolutamente a
que o senior viesse a esta casa.
Foi esta condiggo quo impoz para rece-
ber-me n'eeta casa. Cedi. Entio, a noite
contei a minha infelicidade a minha com-
panheira de cell; ella disse-me que, so
eu consentisse, havia um meio de receber
quem quizesse, sem ter de que receiar;
sete ou oito em pregavam este meio.
E' eneantador como retiro.
Acceitei. Escrevi-lhe, e foiella quenm.
o guiou 6 ella que estA vigiando.
E' exactamente a casa de que pro.
ciavas.
Condemna-me por ter feito corn que
o senhor viesse.
Nao. Mas quern 6 esta mulher, a su-
periora, pars quern sou urn object de hor-
ror?
-A nossa irmI ? Oh uma dimm 9
meiga senhora que dove ter aide smut bel-
l ae qaoe ainda hoje esti muito m m 1i
uma grand. deg-"ag quo a arras a,, fta
dar estate casa de refugio. Sou marido foi
moreto polo seu amaute; eem so g
um escandaloso process, o ama
demnado por esse assassinato.
Ella como se chama ?
A condessa de W ..
Oh I tudo se explica; mas iso 6
muito velho, eu era juiz de instruecao, fui
o encorregado do processo. Nao foi um
duello, mas sim um assassinate, perfeita-
mente combinado per ella e por ells. Re-
cordo me: ella era linda effectivamente.
Tudo repousava sobre usa carta d'ella ;
veiu procurar-me sabendo que o process
a tomar usa outra face, e pediu-me para
salver o amante. Comprehendes que eu ro-
cusei; per isso odeia-me.
Amelia teve um movirmnto de duvida 9
de admirabeo.

(Cotinuar--e-ha)


.. ... -- I *I
ums consolasoo supremrna, empallideceu hot-
rivelmente, cruzou as mbos e corn uam so
lugo murmurou, levantando pars o c6o oa
olioss brilhantes de febre:
Oh I men Deus, rogo-vos, meu Deua I
deixai-me viver mais urn mez!
Depois cahio de novo, meio desfallecida,
no sen leito de dor.
Mais ou menos na mesmas occasiho, a.
ceres de quinhentas leguas de distancia,
passava-se uma scena mais intima, de ns-
tureza muito diverse, mas nao menos to-
canto.
Havis inais de dous mezes que Vera
Soublaieff nao recebia carts do principle
Olndorf e estava muito inquieta, quando
recebeu o telegramma de Bombaim, pe-
dindo que se preparasse, aima de partir
pars Pariz.
A principioe pensou que tinha lido mal
que estava sonhando. Acalmou-se, por6m,
comprehendeu e o seu corao o encheu-a
dejubilo. Ia tornar a ver aquelle a quemn
amava, que eeperava havia trees anno9,
aquelle cuja longs ausencia tinha-lhe cau.
sado tSo crueis angustias.
Mas, de repente, Vera disse de si part
si que se o prineipe a encarregava de lo-.
levar oa filhs para Pariz, era porque tinU
occotrido aiguma couss extc@ordinarsa:
era porque aqaella que fora prinzici 0b
dorf, duvida, estava mot., eela en
verenh.u-se de s6 ter pa o u pS -
pria felipidave.
Entretanto reflection que se a Sra. M .
rim tiveoe succumbido, a Sra. D l
lk'o twm communioado; a e tio, aM
cur Sprfundar o mystqrio u
hi, fprocurarAlekandre e. T9 ~ g|
hjmavm a paqassaa atM^ ^
A* bjom, auntUCiadio a"
tetoalwamm a w~ Orj^ B--
`0a.*d~ioo M ll|gl EM


- '2


%



- .
O. :%.


it-,'' -IW

*-*:., ..;




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPMMSRR4O_66ICVH INGEST_TIME 2014-05-22T21:42:13Z PACKAGE AA00011611_16277
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES