Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16210


This item is only available as the following downloads:


Full Text







































RIO DE JANEIRO, 14 e janeiro, As
10 boras e 45 minutes da manhma. (Roce-
bido as 11 horns o 40 mninutos da manhn do
15, pela linha terrestre! !! !!)

Estao eleltos, em 1.0 escrutini6,
deputados geraes:;
Pelo 3.o district do Maranmao, Dr.
Augusto 0. Gomes de Castro (C);
Pelo 5,0 district de i. Paulo, o con-
selbetro Manoel Antonio Duarte de
Anevedo (C).

RIO DE JANEIRO, 15 de janeiro, A 1
hora e 25 minutess da tarde. (Recebido
as 5 horas e 50 minutes, pela linha terres-
tre.)

Foram elcitos, em 2.0 escrutinio.
deputados geracs:
PeloG6.0 distrlcto de S. Paulo, o con-
selbeiro Martini Francisco Ribeiro
de Andrade e Silva (L);
Pelo 6.. district de 3Minas Geraes,
o Dr. Antonio Justiniano das Chagas
(C)s
Pelo 2.0 district da mesma pro-
vincia, o Dr. Antonio Canrlos Ribeiro
de Andrade (L) .
Foi reconduzido no cargo dejlz
municipal e de orphitos do termo de
Pao de Assucar. na provincia dam
Alag6as, o bacharel Luiz Gonzaga
de Almeida e Araujo.
Poi nomeado jniz municipal e
de orphaos dos termos reunidos de
Obidos e Faro, o bacharel Mlarco Tu-
lio dos Reis Lima.


(Especial para o Diario)

PARIS, 14 de janeiro.


As tropas chinezas atacaram a s
guarnicao franceza do Cambodge.
(
Sao sensiveis as perdas dos fran- (
cezes. f
Da Cocbincbina foramn enviados
reforcos de tropa. C

PARIS, 14 de janeiro.

As ultimas noticias de Saigon an-
nunelam que as tropas chinezas de-
sappareceram do Cambodge.

PARIS, 15 de janairo.

A Camara dos Deputados adion
suas sesses para 27 do corrente.
em consequencia dias proximnas elei-
res senatoriacs.

Agencia Havas, filial em Pcrnambuco,
15 de janeiro do 1885.



INSTRUCCiO POPULAR


PHOTOGRAPHIC

(Ext rahida)



Operacies e processors photogra-
phicos
CAPITULO IV
-ETOQUES, COEBS E AUG1ENTOS DE IMAGEx3
"Quando mesmo tenha havido a maxima cautela
em ;todas as varias operaq(es, que ora acabamnos
de deseroever, tanto para obter o clich como a pro-
w posiiva,-ainda assim, sao incvitaveis certos
defitoa provenientes de accidents imprcvistos.
S-k'-poieAo da chapa collodionada durante dous
o9 tree segundos a mais na camnara esecura, os rc-
.a ente chimicos nilo sorem absolutamente puros,
a'-s deitado uma vez a mais o liquid rcvela-
e *.Oda varias outras caus:is, coustitucmn suf-
.4terminages pars quo a preov seja al-
-' ae c 03 ponhuados, que apparccem no
:O geralmente do nlo ter sido a cliapa
:,a ,devidas cautlas, ou mesmo tambem
,lWs da poeira quo andam continua-

i^ pow, eorrigir takes defeitos que
el o aspveto da prova photogra-
d UcId enchem.se coin um pincel
mCina ligdtirxamnte gomnmada.
.marito sesivel entire uma som-
ranece-se tumbem pelo mesmo

devo secr feito cow muito
acppemoviata qUeos tira
j^^^H vi. aareor e'brkneco na
.4


Nos retratoa sha, por'eamnplo, os paeitilhoa dae
eamiaas, qoe pela sua alvuraw o offered em o w-,
peeto de um trmnguUqhatq aemu pregas nem meia
tintas produziado um d4testavel effeito. Urn pin
eel corn tinta da Ckia e sepia, e duas ligeiras
pincelladas artisticas, taubn desappareaer este de-
feito.



PART OFFICIAL
Einmsterie da Wutlf a
Por portaria de 5 d6orrente ooneedeu-e a
Joao Clementino da SiLva dispense do lapso deo
tempo decorrido, afim de que poses, no praso de
tree mezes contadots desta data, solicitor a reatpec-
tiva patente, pare prestar jurameto e asBunIiri o
exercicio do posto de tenente-coronel comman-
dante do 9o bata&Ao d infantaria da guard na,
cional da comarca de Oanguaretama, na provincia
do Rio grande do Norte.

Einisterle da arinha
Foram nomados:
Contramestre da officina de constmrucoes navaes
do arsenal de marinha da provineia da Bahia, o
operario de la clasee da inesma officina Ricardo
da Silva Ressa. Patrio-m6r da barra da Guara-
tiba, Paulino Augusto Soares.

ilnisterlo da Guerra
Por decreto de 3 do corrente foram promo-
vidos: ao posto do capitAo, para a 64 companhia
do 18' batalhio de infantaria, o tenente Pedro
Jos6 de Lima, e ao de tenente da mesma arma, o
alferes Joaquim Maria de Sant'Anna, ambos por
antiguidade.
Por decreto de 16 de dezembro finds foi no-
meado Antonio Pinto de Miranda Montenegro,
para o lugar de almoxarife da 2a seeceo do al-
moxaritado da intendencia da guerra.
Foi expedido o seguinte aviso:
Ministerio doe Negocios da Guerra.-Rio de Ja-
neiro, 31 de dezembro de 1884.
Iim. e Exm. Sr.-Declaro a V. Exc,, psra seu
conhecimente e em resposta ao seu officio n. 323 de
7 dc novembro ultimo, que nao plde ser attondido
o pedido que faz relativamente ao fornecimento
de fardamento ai companhia de operarios militares
do arsenal de guerra dessa provincia, para sea
usado em occasiao de incendios, nao s6 por nao
hayer credit na lei do orgamento para tal des-
peza. ecmo porque semelhante fardamento nao soe
acha comprehendido na tabella appro.vada pelo
decreto n. 9,049 de 27 de outubro do anno pas-
sado.
Deus guard a V. Exc.--Candido Luiz Maria
de Oliveira.-Sr. president da previncia de Per-
nambuco.


Governo da Provinela
EXPEDIENTE DO DIA 2 DE JANEIBO DE 1885
Actos:
0 president da provincia, de conformidade
orm a proposta do engenheiro director das obras
Ie conaervagao dos portos de hoje datada, sob n.
2, resolve nomear o cidadao Libanio Presidio de
narvalho parn exercer o cargo doe coaajuvane oe
2a classes do servio de escripta daquella reparti-
ao, visto nao haver o cidadao Alcides Fulgencio
Barata de Almeida se apresentado para tomar
posse do referido cargo, para que foi nomeado em
10 de setembro do anno proximo findo. -Fizeram-
se as devidas communicacees.
0 president da provincia resolve nomear o
cidadao Martinho Joao Torres Rolim para o lugar
de continue do Thesouro Provincial, vago pelo
fallecimento de Antonio da Silva Araujo Alcofo-
rado.
0 president da, provineia, de conformidade
corn a proposta do Dr. chefe de policia em officio
n. 2 de hoje datado, resolve exonerar a Joio Fran-
cisco de Albuquerque Barros do cargo de 20 sup-
plente do subdelegadzi do 31 district de Maran-
guape, termo de Olinda.
Outrosim, resolve nomear, em vista da mesma
proposta, ao capitio Joaquimn da Fonseca Caval-
cante Galvao para o cargo de lo supplente da
mesa subdelegacia, vago per nio ter o nomea-
do prestado juramento.-Communicou-se ao Dr.
chefe de policia.
Officios:
Ao conselheiro president da Relac-io.-Sir-
va-se V. Exc. de providenciar no sentido de ser
fornecida a certidao do process do r6o Antonio
Leoncio de Mendon.a, que quer interpor recurso
de graqa.
Ao commandant das armas.-Declaro a V.
Exc. para os devidos fins, que, seguado consta do
telegramma que me foi dirigido pelo Exm. Sr. mi-
nistro da Guerra em data de 31 de dezembro pro-
ximo fiudo, fica dispensado do service do presidio
de Fernando de Noronha o capellao do exercito
conego Telesphoro do Paula Augusto.
A' Thesouraria de Fazenda.-Nesta dada
appro;o as propostas aceitas polo conselho semes
trial do Arsenal de Guerra em sessiao de 27 de de-
zembro proximo find, para o fornecimentc de di-
versos artigos ao mesmo Arsenal.
A' mnesma.-Remetto a V. S. as inclusas con-
tas concerneutes k passagens concedidas nos car-
ros da Companhia Great Western of Brasil Rail
way, no mez de novembro ultimo, ao engenheiro
fiscal dos engeuhos centracs, afim de que, nos ter-
mos de sur informacao de 29 de dezembra sob n.
874, made pagal-as.
Ao Thesouro Provincial.-Em responta ao
officio do Vmc. datado do 1' de o :tubro ultimo,
s)b n. 207, tenho a declarar-lhe que :.,jprovo o ac-
to da junta desse Thesouro pelo quai deferio a pC-
tigao do superintendent da estrahia de ferro do
Recife ao S. Francisco, no sentido do dar-se bai-
xa na collect do supplicante par:a a contribuiiao
do 11 art. 2 da lei n. 1,786, comprehendendo-
ze-lhe no disposto do n. 11, part la da taibella an-
nexa 1 mcsma lei.-Devolvo a ssa inspectoria a
mencionada petiAoe.
A' mesma.-Tendo deferido hoje a petiaoe
da inrmandade do Espirito Santo desta cidade, a
quo se rcfere a informacio desse 'i'he.ouro datada
de 22 de dezembro ultimo, sob n. 30)1, autoriso
Vmc. a maidar, nos terms da mesmIa itformacao,
entregar o produc.o do bcneficio da 1 i,' parte da
loteri:i, conceJiio A alludida igreja, ui.a vcz pres-
tad:as as contas das despezas feitas corn as obras
da dita igreja.
Ao director do Arsenal de Guerra.-Appro
vo as propostas que devolvo, aceitas pel.i cemmis-
slo de compras em sessao de 27 de dezembro pro-
ximo findo, para o fornecimneutd do dinersos arti-
gos a esse Arsenal, e que vieram aunexas ao offi-
cio de Vmc. de 29 sob n. 1,355.
Ao engenheiro director da estrad.i de ferrc
de Paulo Afbfonso. Tendo em vista o officio d(
Vmc. datado de 3 de novembro ultimo, sob n. 166
acerca de passages concedidas nos tens dessm
estrmda de fetro, A requisicao de autoridade eeI-
petentea, solicito dessa direetoria a remes.a dm
respoctivos documents, senio em origiuaes, a
menos por copua, afim do que esta P'residenel
possa resolver a'respeito. '-
Portarias: "._..' ,,
die 9 do oon
..-.: --, Devej.d 4 ./ceder.*a .d Q ,Q o
^?^^^ ^^UibA'^ Ehfl ea


porta Aunicipaes os eagehos oentraes a que'o se
efore o deareto n. 8,N88 wpodido pelo Ministerio
4Agricultura, Commuaercie e Obras Publicasn em
W9-do outubro do musmb mif o 0a porem, nao.
os dispensa do eminprimento da diblposio contida
no art. 6 das instrucoea' de 18 de setembro de
1872.
0 Sr. gereute da Companbia Penrau bucana
made conceder pass-agem a r6 at6 Natal, a Ma-
noel Veriuoio de Medeiros, por contadas gratui-
tas a que o governor tern direito, no vapor que tern'
de saguir no dia 5 do corrente para os portos do
mort'.
Igual pare Arthur Wolfati, at6a Parahyba.
0 Sr. superintendente da eatrada de ferro do
Rsfe t S. &Iw .wOmanuide transportar lor con-
ta do Ministerio da Guerra, da e -tae de Cineo
Pontas a de Catend4, um catx" corn o peso de 13
kilos, contendo uma ambulancia, e entregar ao
eommandante do destacamento alli estacionado,
afferes Joaquim Ignacio Pereira Lobo, conform
solicita o brigadeiro cammandante das, armas em
officio de 30 de dezembro proximo findo sob n. 683.
-Communicou-se ao general.
EXPEDIENTS DO SECBORSTARIO
Officios:
Ao 1 secretario da Asembl6a Legislativa
Provincial.-S. Exc. o Sr. preidente da provin-
eia manda communicar a V. S. que nesta data
proferio no soeu officio n. 158 de 31 de dezembro
find, acerca do ponto dos empregados da secre-
taria dessa Assemble6a relative ao alludido mec o
seguinte despacho: Remettido ao Sr. inspector
do Thesouro Provincial para os devidos effeitos.
Ao juiz municipal de Gamelleira.-O Exm.
Sr. president da proviucia manda communicar a
V. S., em rcsposta ao sen officio de 15 de outubro
ultimo que segundo consta da informaneo la The-
souraria de Fazenda form pagos a 24 do aiudido
mez e ao procurador de V. S. os vencimentos a que
se referee o dito officio.
Ao juiz municipal de S. Bento.-S. Exe. o
Sr. president da provineia manda remetter a V.
S. em resposta ao sou officio de 11 de dezembro
ultimo, copia da iuformagAo prestada polo com-
mandante do corpo de policia, cm 30 do alludido
mez, sob n. 1,178, a reapeito de pagamento do
soldo do destacamento dessa localidade.
Ao promoter public de Born Conselho.-O
Exm. Sr. president da provincia manda commu-
nicar a V. S., em resposta ao seu officio do lo de
outubro ultimo, acerca da diaria dos press pobres
da cadeia dessa localidade, que ja se providenciou
relativamente A regulardade de pagamento da
mesma diaria.

Repartifo da Policia
Sec9o 2.'-N. 37. Secretaria da
Policia de Pernambuco, 15 de janeiro de
1885.-Illm. o Exw. Sr.- Participo a V.
Exe. que foram hontem recolhidos A Casa
de Detencao os seguintes individuos :
A' minho ordem, Candida de tal, at6 que possa
ser transferida para o respective Hospicio.
A' ordem do subdelegado do de Santo Antonio,
Manoel Xavier da Cruz, Maria Francisca do Es-
pirito Santo, Clementina Juliana Cyrne, Rachel
Mario Rosa do Espirito Santo e Maria Joaquina
da ConceicAopor disturbia.,
Deius g-arcd- ar V.Exc. Innt-. -6- m-
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel, muito
digno president da provineia.--0 chete
de policia, Manoel Ventura de Barros Leite
Sampaio.

Camara lunielpal
DESPACHOS DA SESSXO DO DIA 17 DE
DEZEMBRO
Augusto Gomes da Silva.--Deferido.
Jos6 Eleuterio d'Azevedo, contratante
das obras do matadouro da Cabanga.-A
Camara s6 accita a fianga consentindo os
demais consenhores de immovel.
Joaquim NicolAu Ferreira. Deferido,
de conformidade corn o parecer do Sr.
vereador Cussy.
Bacharel Luiz Rodrigues Ferreira de
Menezes Vasconcellos de Drummond. -
Como requer.
14 DE JANEIRO
Pelo Sr. tenente Vtegas, commissario de
pocicia "
Zeferino Pinto d'Aguiar, pedindo licen-
ca para ter uni pequeno botequim durante
a ftsta do Santo Amaro das Salinas.--Sim
pago o imposto s6 durante os dia3 dos fes-
tejos..
Polo Red. padre Mello, cgmmissario de
edificacoes:
Manoel Joaquim Ramos e Silva, pedia-
ds li~en~a para mandar tomar goteira em
seu predio n. 27 ao Largo do Bemfica.-
Dando previa sciencia ao fiscal. -Conce-


L




0

a
a
I,
I




I'
EL


dc-se.
Secretaria da Presidencia de Pernainbu-
coP 15 de janeiro de 1885.
S0 porteiro,
J L. Viegas.


DIARIO DE PERNAIBUCO

RECIFE, 1 DE JANEIRO DE 1885
Retrospecto politico do anno
de ISS4
(Continuacao)
Comeo ht tempos so exprimia tun distiucto jor-
nalista, a republican, ha quartorze annos .cxisteute
em Franga, n io C nua entidade metaphyslc.i, uma
deu.a sobrenatural, qualquer cousa de minythologico
entrando no dominion da historia coino umn fuada-
dor e dyminnastia.
Essa republican 6 cousa mais modesta e ao ines-
mo tempo mais s6ria. E' nm phenomenon social e
um produeto invencivel da intiraa logica a qne
obedecem todos 3o successes humanos. Ap6s os
crimes, as loucurase os desastres do imperio, a
opiniao public da "Franca cm 1870 indieava-a
eomo a unica sol,,io poesivel. Nio foi Thiers
quern a inaugurou. ElUe teve apeaas o born seuns
de reconheeel-a e o patri6tiemo d oservil a, come
deelarou constantomente.
A prova mnaia valiosa do q"- tal repulbca s.o
6 vai facts arbitiraui, o qpits^] r.ee
ikmat" '-viiutkda tM'f4 Thlxsfb
,tll win
po a ..iqo.ur..oses. ._


* laprofundas appreh6nees, mas os successeso
triores teem mostrat4ue o desapparecimen-
o grande cidad.o nio foi mais tunesto A per-
adas inatituigbes republicans do que a
p nixa de Mac-Mahon.
ode dizer-se qae a terceira republican tern atW
r"bido maior forea dos contratempos, que ha
o entado, do que de seus proprios triumphos.
E'o que acontece comn todas as instituicoes esta-
betcidas polo concurso de circumstancias naturaes
e milludiveis : tudo Ihes 6 favoravel, tude Ihes vemn
wm auilio, porque fora dellas nada ha em condi-
fes do viver e progredir.
No 6 s6 das intrigas e conspiraq5es dos diver.
som partidos monarchicos que a actual republican
franceza tern sahido constantemente victoriosa.
Ella ha tamrabem resistido, gragas ao bohm senso na-
cional, a todos os excesses e loucuras dos republi-
canos intransigentes, dos revolucionarios meta-
physloos.
0 absolutismo das theories de Rousseau, abso-
lUtimo que levou do 9 thermidor ao 18 brumario
que condemnou A morte a.primeira e a segunda
republican cm Franea, -tern encontrado presente-
me*te na grand maioria do paiz uma resistencia
energica de mais para que os mysticos, os illumi-
nado, os que esperavam no advento da nova re-
publica a volta da idace de ouro, possam asnumir
a direcAo political ou dominar a vontade do go-
verno.
A cruise industrial e agricola, de cujos effeitos a
Fran9a ha tempos se rosente, deu ensejo a que as
vAs dcclamagies do socialismo anarchico e impo-
tents passasse dos meetings ao ar livre como o
de 1883 na explanada dos Invalidos- e das*baru-
Ihentas sessoes dos clubs para Q recinto da cainara
dokeputados.
Em janeiro do anno passado uma delegagao das
camaras syndicantes c de diversas corporao5es de
obreiros parisienses apresentaram ao parlamento
urma pztigao em que se pediam i providencias no
sentido de attenuar a crise commercial e dar tra-
balho e meios de existencia A numerosa populaaio
qne em Paris e na Franca estava n'aquelle mo-
mento scm trabalhar. )
Excellente occasiao para um trasbordamento,
am verdadeiro diluvio da bacharelice intrigante e
deacomedidamente charlatanesca d'alguns apregoa-
dores de panaceas sociaes I
Depois da celebrc petiqAe dos obreiros pro-
ducto sem duvida de suggestoes political, nao se
fallout por muito tempo se nito da medonha e pavo-
rosa crises economic. Segundo certos semeadores
do terror, as populagAes laboriosas da Fran9a ti-
Asam chegado ao ultimo grAo daldesgrao ; o comn-
mercio, a industrial e a agriculture estavam com-

prego de extraordinarias medidas de salvao pu-a.
blici. Formou-se pouco a pouco essa triste legen-
da, eonforme a expresso do ministry dos negocios
da fazenda ; estendeu-se, propagon-se, de modo
que todos os partidos se apressaram em langar
mao della como arma contra o governo. ( Que
fazia este em beneficio do povo ? Era aquella a
republican demscratica tao gabada ? Tinha ella
adiantado um passe quanto A solugio do grande
problema do pauperismo ? E todos os partidos da
opposicao, depois dessas interrogac5es esmagado-
ras, exclamavam a porfia : Ah se n6s esti-
vesscmos no poder fariamos a felicidade das mas-
sas populares. 0 manA celeste cahiria abundant.
mente em todos o03 pontos do solo national.


tualidade de um moment para o sutro ? Admit-
tamos que tal transformaQAo seja possivel, e que
a sua realisaglo nao exija praso superior a um
quarto de seculo : o mal de que se diz soffrer hoje
a nagao, teria por certo, tempo de matar o doen-
to. 0 discurso a que alludimos teve a vantage
de p6r todos oa partidos na contingencia de expli-
carem-se tAo francamente como fez o Sr. Lan-
glois.
0 Sr. Baudry-d'Asson aceitou immediatamente
o desafio. A soluqAo procurada 6 extremamente
simples, disse elle. a Para que todas as cousas
entrassem desde jal nos e seuns eixos, bastaria subs-
tituir a republican pela monarchia legitima. v Mas
onde esta o monarcha ? deviam perguntar. E
depois, como argument mais serio, seria occasiao
de notar-lhe que, no caso, o remedio era mais pe"
rigoso de que o proprio mal. A historic registra
tantas crises e miserias de outros tempos, que o
Paiz nao parece estar nada dispostao e renovar a
experiencia. Se a agriculture luta actualmente
corn difficuldade, o que dizer de sua situacao du-
lante o antigo regimen, no tempo da monarchia
regitima ? A falta do necessario era entAo o esta-
do chromnico do paiz. Morria-se litteralmente de
fome nas bellas epocas passadas.
Parece entretanto que o deputado realista nao
tminha inteira confianca na proficuidade da sua ei-
tada soluqao, porque tratou de auxilial-a corn a
proposta seguinte : c Uma somma de vinte mi-
lhbes serA sem demora distribuida por todas as
cameras syndicantes de Paris e da provincia. ,
Quemn havia de dizer que semelhante quantia
seria sufficient A terrivel cruise econotaica de que
a opposigio fallava corn tanta insistencia e corn
um phenomenal disperdicio de interjeigZes ?
0 Sr. Laisant contentava-se corn tree milhoes.
A popularidade da sua proposta foi prejudiciada
pela modestia do pedido.
Valia a pena perguntar se a distribuicao d'essa
somma seria sufficient para mudar o character da
situacao geral ? 0 que apparecia de mais claro
e positive em semelhante project era a necessi-
dade de sobrecarregar os contribuintes corn mais
urn peso de impostos na importancia de vinate mi-
lhies. Nao seria possivel conceber-se modo mais
original de melhorar ascendig5es economics de
um paiz.
A essas propiosas seguiram-se outras nao me
nos singulares. A todas ellas responded cabal-
monte o Sr. Julio Ferry n'um discurso notabilissi
me, provocado pelas interpella9oes dos Srs. Lan-
glois e Tony RBvillon. 0 honrado presidents do
conselho mostrou que a actao governativa nao po-
dia estender-se directamente e cornm vantage a
mao m uwuui-f-u-vuta seonomiea ae-unta namv-
nalidade, demonstrando ao mesmo tempo, per meiq
de dados positives, que a rise industrial, mercan-
til e agricola da Franga, long de star em 1884
no seu period agudo, tinha melhorado muito da
primitive intensidade.
a Affirma-se, disse i elle, que ha nests moment
uma crises que requer o emprego de medidas ur-
gentes e extraordinarias. E" isto verdade? Ap-
pollo para cada um do v6os e perginto, se de um
modo geral, corn excep9lo da industrial parisien-
Be, ha uma cries industrial no paiz, de tal modo
oppressora, que requeira o emprego de medidas
extraordinarias ? Nao, senhores, garanto-vos, que
nao ,.
E o Sr. Julio Ferry patenteou quIo f6ra de pro -


Bio da Priatt
Datas de Buenos-Ayres at6 1 e de Montevidbo
2 dt. janeiro:
0 general Roca, president da Republica Ar-
gentina, distribuindo, no dia 28,.ot grande pre-
miaos da exposioio continental, agradeceu o concur-
so prestado pelos expositores eatrangeiros.
Em Buenos-Ayres estava na ordem do dia un
caso fatal de febre amarella, que ali se dera, se-
gundo a affirmagao medico-official.
Na manha de 25, o director da assistencia pu-
blica recebeu communica*ao do director do hoaspi-
tal de S. Roque de que umn individuo, de nome Pe-
dro Danic, remettido pelo inspector da 20.a seecao
e recebido no hospital a 24, era um case de febre
amarella, no dizer do Dr. Juligo Fernandez pai,
medico da enfermaria onde se acehava o tal Danic.
0 director da assistencia public ordenou imme-
diatamento que o doente fosse transferido para o
edifieioque se esta construindo para lazareto na
rua de Entre-Rios e que se isolasse o hospital de
S. Roqne, onde se, dora o caso, e tabelecendo-se
cordao sanitario na previsIo de uovos casos, se
porventura se reconhecesse que se tractava real-
mente de tebre amarella.
Corn o doente, que diziam ser disertor da corvO-
ta austriaca Aurora, o que foi negado officialmente
pelo commandant do mesmo navio, ficaram tam-
bern isolados o director da casa de isolamento, Dr.
Penna, dous praticantes e os assistentes a que as
attenqoes do caso exigiam. Tendo fallecido Da-
nic, o Dr. Pcnna, por ordem superior, autopeou o
cadaver e concordon com o diagnostic do college
Dr. Fernandez. A despcito, por6m, desta opiniao,
various medicos affirmavam que tractava-se apenas
de um caso de ictericia grave. a Uma vez termi-
nada a autopsia, diz o Dr- Penna na sua commu-
nicacao official, os restos do cadaver foram corn
pletamento qncimados, fazendo-se assim desappa-
recer todo motive de contagion. 0 mesmo se pra-
ticou corn suas roupas, etc. ,
0 circulo medico argentine pedio ao minisfro
do governor que se estabelecesse a cremacao dos
cadaveres segundos os systems adoptados na Eu-
ropal
El National de Buenos-Ayres, condemnon o al-
vorogo causado polo tal case do iebre amarella
nests terms: Aos medicos e corporaq5es quo
tem a seu cargo a vigilancia hygienica cumpre sa-
ber guardar reserve ; sobre elles, pois recahe a res-
ponsabilidade das noticias cque nao s6 amedrontam
a populacgo, como influem tambem poderosamente
nas transac5es de valiosissimos interesses e affec-
tam o credit do paiz.
0 telegrapho a esta hora ja tera communica-
do a todas as parties do mundo a existencia de um
ease de febre amarella em Buenos Ayres, o qual
nao est'i comprovado ainda ; mas, quando 0 esti-
vesse, nada significaria emquanto o mal nao s:
propagasse. Por6m estas observagies nao as fa
o povo
(( Ha um case de tebre amarella ? Pois toca a
fugir, para qualquer part, nao importa onde, nero
corn quo. Malbaram-se tudo, abandona-se o em-
prego, esgotam-se em viagem todos os recursoo,
paga-se semr tugir nerm mugir, o que 6 exigido por
uma xud viyfnda g .aasJDAV mdofantasma& da
oinvimbra do tasma, que sombra e no outra .on-
sa 6 at6 agora a existencia de febre amarella em
Buenos-Ayres.
u Entretanto, casas que at6 ante-hontem eram
alugadas per 50 pesos fortes, pedem jA hoje por
ellas 200, corn contractors per 6 mezes, e peor pouco
que dure o panico, os ranchos mais miseraveis vao
custar os olhos da cara. *
No anne findo a Alfandega da capital argentina
arrecadou 22.000.000 do pesos fortes. As outras
altandegas da republican produziram conjunctamen-
te 6.000.000.
Rio Grande do Sul
Datas at6 3 de janeiro :
0 Journal do Commercio de Porto-Alegre de 25
de dezembro di a seguinte noticia :
a A's 10 horas da nuite de ante-hontem (23) a
casa de negocio dos irmaos Jos6 Teixeira da Silva
e Mauricio Teixira da Silva, sita na cstrada da


Era de prefer que essa agitagao essencialmen- posito era o alarido que a situacao economic es- uavaaaa, teo assaltaaa per um grupeo ae -
r A .. seas, mais ou menos, as quaes a tiros e miachada-
te politica acabaria per largos debates na cama- tava produzindo na camera, depois da petigao dos das destruiranm as ports e janellas. Quatro dos
ra.: Quemrn 6 que desejaria passar por indifferent obreiros. A propria cruise industrial parisiense era assaltantes conseguiram penetrar no interior da
ao grave problema da miseria ? Quern deixaria entio menos grave que durante o anne de 1882 e casa, em busca do filho do major Moraes, de nome
de aproveitar o ensejo de mostrar os seus belles principios de 1883. Affonso. que pretendiam matar, segundo declara-
u e p i u c it i. u o j^ -i A i ar a m t e n d o e s te q u e a lli e s t iv e r a m e m e n to s a n te s
sentiments polo maior numero? Monarchistas 0 incident terminou pela nemeaiao de uma poram, tendo es tqucapar-se. stivra mementos ant
soatmenon Plo uonpodido escapan-so.
puros, representantes do socialism christio e re- commissAo compost de quarenta membros e en- (c Jos6 Teixeira foi ferido, quando pretendia fe-
publicanos ferozmente intransigentes, defensores carregada de estudar a situaao economic do char uma das janellas. Sen ferimento 6 grave, na
do socialismo democratic, estavamn todos accordes paiz. opinion dos peritos que procederam ao exams, nao
neste ponto : cada um acreditava possuir um reme- A proposta para tal nomeacaio parties do Sr. Cle- tendon side possivel ncontrar a bala que penetrou
deoi d inuroimeritinieno bra~o esquerdo.
die especial, mas infallivel contra os males denun- menceau, que depois do diseurso importantissimo hoem, hora da tarde, teve e Dr. che-
ciado. 'outro ponto reiuava a harmoenia entire do Sr. Julio Ferry nao encontrou sahidea mai ai- fe de policia conhecimento do fact, e prornovendo
todos os membros da opposia'o da camera, e vem rosa para o grupo que dirige. Realmente o resul- desde logo as deligencias necessarias, interrogou o
a ser queo todos tinham e. vista aproveitar a crises tado de uma discussao tao estrondosa nao podia oflendido e fez partir para o lugar do crime o Sr.
delegado de policia, aiim de proceder ao compe-
tao fallada, segundo os sens interesses particula- ser mais mesquinho. Assim mesmo o governor op- teatea toe na caa.
res on de grupo. Ninguem perguntava se essa poz-se a que a extrema esquerda o obtivesse. 0 Mafio alicerce, mio edilfcio.- Porque
crise existia realmente corn a intensidade apre- president do conselho combateu a proposta do 6 que todas as preparagoes ordinarias para o ca-
goada, on, se polo contrario, se apreseatava me- Sr. Clemenceau, que entretanto s6 procuravai ficar belle do resultados tao desanimadores ? E' sim-
no grave qu nos ans anteros. essential n'upa posiio men s esquerda cm relaao as seu plesmente porque o seu effeito 6 puramente super-
nos grave qua nos annos an ores. eenia i ficial. Eilas humedecem as fibras por um moment,
era fallar e preceder come se a situagao economi- eleitores. A camaa reconheceu isto, e approvou a e evaporando-se deixam-nas mais seccas que d'aa-
ca fosse verdadeira e excepcionalmente assustado- proposta contra a vontade do govmrno. Este ex. tes, a sua composi~ao nilo tern consistency alguma
ra. Estava alli uma machine political post em poz-se a esse pequeao contra-tempo sem motive a sua virtude 6 nenhuma. Mui different 6 a Ope-
moviento, dizia am critico, e cada qual devia algum plausivel. raao deste rico e rare aformoseador e vigorador
movimento vegetal, hoje tao conhecido debaixo do iome-o
naturalmente esforgar-se por tirar della o maximo E bemn certo As vezes o ditado : c Quem tudo Tonico Oriental! Elle estirnula os vases do era-
prestigio e influencia eleitoral. Felizmente, os quer tudo perde ,. nee, e a cuticula o absorve; 6 entao recebido pe-
proletarios, as classes trabalhadoras inA se nSo dei- Corn essa votagao anti-ministerial na camaraN las raizes, e passa em seguida as fibras eapillares,
xampoam te gca sseiamone c t os deodputados, coincidio outra no senado, que se lubricando.as e nutrindo-as. Os mesmos elemoan-
xam explorer tao grosseiramente como n'outros do e tos que copem as fibras, forman na pant do
tempos. Nao temrn mais em Franca a viva f6 corn recusou a acceitar o pensamento do governor, quan- engridientes do Tonico1a-par a renovar e coase-
que outr'ora acreditavam na rhetoric de certes to A federagAo dos syndicates de industries simi. ar 'o enbello e dar-lhe vigor, brilho e espeseura
salvadoros. Os programnmmas mais fascinadores e lares, pensamento que foi ardentemente defendido -por cereto quenio ternm igual no mundo.
retumbantes, os mais vastos projects de recons- na camera alta pelo Sr. Waldeck Rousseau.
trmccao social, nio podem mais veneer a sua justi- (ContinUa). Jose6 Teixeira declarou que entire os assaltan-
truc~~~~~~~~~~~o ~ socal napoc ai ecla u de _. reconliecer Manoel Ignacio Pavio, Ole-
ficadora desconfianqa, o seu intelligence scepticis- tJs s6 p6de reconhecer Manoel Iguaio Pavo, Clo-
no. 0 progress da doutrina positive, fel-os RECIFE, 16 DE JANEIRO DE 1885 Capita ie outro abde cujo rnome uao se record, mantes
eomCapitaerqeeouea s6meeid deoseialisonNooeise o PaefleoRio d
cope0endr qu na s medida de socialism o S do Paclc Rio da que silo todos aggregados ou vivem sob a prote-
praco, vale mais que um milhio deo theories ar- Prata e sal do Imperlo ao de uaa D. Joanna, canada corn Joaquim Fer-
bitrarias. Que providencias rasoraeis iriam l)ro- 0 paqucte inglez Elbe, entrado hontem do sul nandes Eras;, resident no lugar-Tnristeza; ac-
pr Os deputads da oppose na ca r france- a as noticias que constam das rubricas Parte e crescentando que o filho de Moraea Ihe dissera que
pr os deputados da oppoSia a caara rance- Interior, trouxe as seguintes : a mesma D. Joanna, qne ahils foi sempre reputa-
za? Na extrema esquerda ou na direita quo se- rPacfleo da ma mulher,jurou, 15 dias antes, que o manda-
rie de idtas aproveitaveis illuminariam governor, Datas telegraphicas at6 39 do dezembro: ria matar, ameaqa qu e parece teutou levar a effeito
que nio devia ser unicaoncte accusado, o que era No dia 28 o president do Chile encerrou solem- con o fact quo se deu na eat de sum morada. ,
nernente a exposiqe national, distribuindo on pro-- Foi preso em Santa Victoria o oriental co-
facil, mas ecselarecido, o que nao deixaya de ser mios. nhecido polo nome de Jos6 Rodrigues, cheie da
Sdifficil? A critical s6d por i nao seria safficiente.I Discutiado o orgamento no Senado, o senador quadrilha organipada no Tahym e que assassinou
Se o trabalho faltava, era precise dizer poreque Concha y Tore, servindo-se deod.os estatistieos Quintiliano Jos6 da Silva.
prossee ten ells do apparce undante e ra- ofliciaes, demonstrou que o estado financeiro do Estaa pris fo10 eioia A requisiC o do cheref poli ,
Spido; s o tommercioa elle do appareciz ser abchaa atacado Ch;le, ao contrario do que se spc.ape-ava depois de ticodatronteiraorientaldoChuy'portersidoalli
Spido sonoommercio do pluida a guerra, poce lisongeiro. Provou Ju6 R drigues (cujo verdadeiro nome 6 Tiburcio
D de paralyima, porque meios devia entrar na pleni- corn os mesmos dados a decadencia da industrial, e Birococh6a) author de um homicidio. commettido i
Stude da forgAe aetividade. propoz. como medidas efficazes para levautar o para roubar 1:2 05, e de outros crimes.
> oe atoe auiaa.p rotapofnacir mnipaUah 0 Sr. Saturnino Rtioes, proprhtaio das Men -V
0 Sr. Langlois, deputado da maionra, corn um Chile prostrao fianceira em qae se acha, 0 geiras Fluviaes, mandou construir nalnlate Ma-,
o desafio i (ezfteA esquerda, teve o grande merito aalm da economic, a roducgAo dai emisso de papel sages peq luviaes, mandoue conatmruir na m Inater -
do goverac, revogaego da lei que autorisi o depo- tree peqad eno vapoUrs, quo vii e mpregSa na o a, U-
- deaprsenar mara um. system a social corn- site, nas areas do erario, de quatro milhoes, e bern reirm a do Alto Uruguay, entre Santa Rosa, Urn- ;
i petA. L.gauio a op.it,' do proprio presidents e a;im da que exige o pagameat, dos direitos de guayana e Itaqui.
ido. o aweso, r. L.m.o'i*s fez ua discurso nota- altaadega en mnoeda metallica, amortizagao men- Em Alegrete foi ultimamente fid4 oat o
o, no emtie di ia s b itca do Po- sal do 100.000 pesos papel atA roduzil o a 16 mi- diencia na Camara Municipl, no e i
.dde; compra annual do um milh deo pesos em a g, o 2 tabellio Sr. Pod
Ad. o dh o-qftm o Urdo paraainta6r 6 quai que barras do prata, depositando-as athe completa.ex- solicitador Affomeo Liraco de A.. "tu
W116 ,,, q v-auL O sya- tineegao do papel. DqUiao Cment^ra queoeU
idae, uerdrar~ Dix uam tshegrammarndo Callio, datado do 30 do ~YOR uimcnr sn
s o t am. i doesembro, quo A saltinas noticias recaebida do f it e d_
Arequaipa,adog do gver n e do general Oaere, dit. .a tee.tm s1do.
Ibh Al por eam^uwaaow chaa a t acl extreme de pobrena
I ,,.~..o~,.Of e *am u iae nmter topas, roMr noe ultiMoG inaa -. "



.:
-. 1 .- ,. .


#


" .- .


'v.


0.

t^*K






















iNQ


PP t -A N I, a'ik. JintiueoMa imQai

~I b;e | dlspamriuDo tiro,qjque proston' ta
V .-m.iB; mdia .ttaipr sentou-5sWapof
.v- ,* p Io facto. -
|.^ B. 8. LeopliA a AMaunlde wnaugeli
" 410% o DI)r. Rotuamunnd eo.entro;mnm pat
0, u s ignore, pretendendo cada qual dell
awebusvarnente suas a igmeja e a escola;
S S 4o vUan pleito judicial que foi ganho pe
u l ermund, preparou-se o outro grupo pa
.. t m a queso a forca de armas.
Oqm au ento ambos a fazer reuniSoes e coi
pr"i"ento e municos; e a noite de N
+ ,M rou de aaaigalada e ior uma luta fratricic
|&9B ado oapitio Pereira, sabendo do occori
= ...vesse pdido providencias ao Sr. ch(
&7 qa, ue requisitou e fez partir no trem
.t e uma forea de linha sob o commando de o
,fiial.
Co a chegada da forga aquietaram-se um po
c os animos.
Consta ao Mereantil term ido A capital algu
e1dados influentes.
Em Jaguario fallcceu o tenente coronel Jo
in quin Maria de Oliveira Villas-BHas, vereador i
amara Municipal.
Santa Catkarina
Datas at6 31 de dezembro:
Nada .que mereca mengao encontramos nas f
lhas.
Parana
Dataa ats6 3 de janeiro :
As 9 horas da noite de 25 de dezembro os pr
sos Manoel Marques des Santos P Manoel Joc
condemnados a gal6s perpetuas travaram luta :
prisao n. 5 da cadeia da capital, ficando o prim(
re oomo numa contuslo na cabeea e o segundo cc
um terimento grave, feito corn instrument corta
te ponteagudo.
Na freguezia de Iguassi desabou, no dia
do passado, a casa de propriedade de Emilio Si
veira de Miranda, onde estava reunida a family
composta de sua mulher, que ficou ferida na cab
9a, duas filhas e sua segra.
0 Sr. dos6 de Barros Fonseca libertou sem n
hum onus a sua escrava Rita, e o Sr. Benedic
Gomes das Neves o seu escravo Joaquim.
Foi capturado e recolhido a cadeia de Par
nagui o sentenciado Pedro Jos6 Couto, que se ev
dira da fortaleza da mesma cidade.
lina. -Geraes
Datas ate 4 de janciro:
A Provincia de Minas descreve nos seguint
terms a tempestade que na tarde de 31 de d
zembro ultimo cahio eobre a cidade de Ouro-Pret
a 0 aano velho despedio-se hontem A tarde
n6s deseucadeando sobre a cidade medonha to
menta. Durante cerea de uma hora de trovoae
secca, as descargas electrical succediam se qua
semr inierrupcao, sendo algumas de respeitavw
detonacoes. Depois, cahindo chuva abundun
acompanhada de vents fortissimos, a trovoada i
gradu .-Imente abradaado at6 cessar de todo.
SCahiram rains em various lugares e predios,
temos o pesar de registrar uma desgraca; a mor
do cidadilo Antonio Augusto Soares, fulminado p
uma faisca electric em um chalet proximo A, s
offiliia de forreiro. A mesma faisca fulminou ta
bern um cavallo quo so achava A pequena distar
cia d'alli.
Antonio Soares era um cidadao pacifico e un
muito perite em sen officio, economic e de recc
nhecido amir ao t-abalho.
,, Consta que tambem um infeliz carrniro, per
do Saramenha, foi morto por um raino.
Sob a epigraphe Assassinate o Monitor S
Mlineiro de 4 do corrente narra o seguinte: aN:
cercarias da Ponte Alta, povoa..Io distant des
cidade (Campanha da Princeza) quatro leguas, f
assassinado no dia 29 do passado o Sr. Polydo:
de Salles, segundo se diz, por dous ou trez indiv
duos qu e sirviramin-se de touces e paos para con
m ;ttercm o crime.
S0 cadaver foi trazido a esta cidade, e no ho
-- -pital~ -aM ino'~ar g "-a zrtopai -para v fi
de se coaheeer a causa real da morte.
,( 0 Sr. delegado de polieia, alferes Arauj
tern se mostrado corn inteira boa vontade, nao po
pando dilligencias para que este crime barbar
cujas causas nao nos sao conhecidas, nao fiqi
impune.
,, Fornm peritos os Srs. Drs. Bernardes e Goa
vea, Rocha Azevedo Junior e Jose Bras Ces
fina. c,
Escreveram do Ubero-ba aoJornat do Con
memroi da ortca:
a Na noute de 24 pars 25 do mez findo, hontea
no arraial do Verissimo, quando celebrava-se
missa do natal, urm filho de Joao Valerio, do non
Manoelb-MN-ria de Toledo, assassinou um individual
alii potcio couheido ainda ch imado Innocenci
0 assassinito foi resultado de um conflito, do qu
tambeo ficou mortalmente ferido o proprio Mano
Taled<,, que se ach;, preso e em tratamento, a
poder ficar em estado dc snr conduzido a cade
desta cidade. Nao hamuito tempo que Tolhi
respondou no tribunal do jury de Uberaba par et
me de ameacas, no district da cidade, sendo a
solvido pnr snte votos. ,,
s, Paulo


Datas ate 9 de janeiro.
,, No dia 31 As 7 bora3 da noute, na capiti
Jeonynmo Jose6 dos Santos pedio a Paulo Joaqui
de Cainargo que abandonasse as pretenZes de c
samento co:n sua filha, pois, nem oelle nem ell
queniarm. 0 apaixonado pretendente vio no cons
Iho c pedido do Jeronymo um) a offeusa, e chama
do em particular deu-lhc trez pu'haladas.
,( 0 assassino apresent'i-se A. policia e dechl;
rou t,-r praticado aquelle ,cto em defesa pr
pria.
,, No neosmo dia, as 2 horas da tarde, no bain
da Gloria, Messias Gomes do Costa provocou e a
gredio Olegario Borges de Almeida, sendo assass
nado por este.
,( 0 assassino apresentou se as 3 horas da ta
do na estaca, de urbanos. ,
0 Coreio Paulistano referee o seguinte :
No din 22 dezembro, ao sahir o estafeta
correio da freguezia de S. Pedro do Turvo para
villa de Santa Cruz do Rio Pardo, foi cercado p
um grnpo composto dojuiz de paz em exercic
Antonio Botelho de Carvalho, do filho deste Jo
do Carsmo Carvalho, que 6 subdelegado em exei
eieio, do official e justica Maximiano Caetano c
Figairxedo, de Jos6 Manoel, Jos6 de tal conheci<
p' por Juca Arrieiro, e JoaoJustino, os quaes intim:
ram &i-isEtafta para que entregasse as cartas qi
trasia do Sr. Joao Americo Bressene.
S.Comno eneontrassem opposiio, agarraram
estafeta, passaram-lhe minuciosa revista, e su!
".-. trbiathi bhe uma pequena mala contend u
u"s.. ma dejornaes para Francisco Mendes e du
eartas parai o coronel Emygdio Jos6 da Pieaad
apsasram-se destas duas carts! 0 estafeta d
c"' e io deu part do occorrido ao delegado de p(
'. n.s&A Santa Cruz, o qual long de dar provy
.9' deMkon reeommendou-lhc que ficasse quiet, poa
qwaxla valia apens mecher corn isso!
.c Note-seo quae o Sr. Joao Americo Bressane ni
eoni&va no agent do correio de S. Pedro do Tu
S vo, Outodio Ribeiro de Castro, e que 6 a um ten
S po agonte do eorreio, escrivAo do subdeleg:alo, a
l selar do juiz de paz e do subdelegado, e quo pe
trise eelebridade de que gosa teve parte salien
no aatad e ommaettido contra a eleigio do Taru
aw s es ta de communica o official Mas
e ta ,ke hinfoenado de que na mall do correi
.oJI maUa particular train o estafeta eartas
O I r.onome, awunelhou e levou a effeito o a
m i Ble, doV-p f oa umm etmtnentoe, entire outros,
j IkR jv o bdeegado e e um official de oju
M^ir$-D .hu lU.U de Desembro de 30 d

B !odo odial9doearren
^^^ M^li~k.Ajnas"9 Hfari fi m la~hm. +h


Mipw du cuo .e is um

|ioufogo equwd el i i


do sil o seguinte telegramma :
ri ( S. Paulo, 8 dejaneiro.-Botucatui-Duarte de
b Azevedo 72, Abelardo de Brito 60. Intervengaio
de capangas da gentle do governor. Os eleitores da
opposicao atacados e detidos quando iam vAtar.
( Para livral-os foram amigos. Houve luta, fe-
al, rimentos e mortes. Eleitor da opposicao preso an-
im tes de vntar, por mandado dojuiz Benjamin a re-
a- querimento do filho de Tito, grade protegido da
1, situagao. A populacao aterrada. Esperam-se
-. noticias identicas dc outros pontos do 50 district.
- -Antonio Prado. ),
Vimos outro telegramma, no qual se affirma
a- exactamente o contrario, dando-se como certo que
0- o grupo aggressor se compunha de gente da oppo.
sigao.
ro a So o tempo podera trtr a limpo quaes os res-
Sponsaveis por acontecimento tao lamentavel, ver-
si- dadeira selvageria, que deve de snr empenho da
autoridade punir exemplarmente, de onde quer que
r.. partisse. ,,
Rio de Janeiro
Datas atW 10 dejaneiro :
do Lenos no Jornal do Comrmercio de 5:
a Consta-nos qu' por decreto de ante-hontem
or foram concedidos os favors mencionados nos
1I 2o. 3' e 5o do regulamento n. 8,357 de 24 de de-
s zembro de 1881 A companhia que, dontro do prazo
r- de um anno, for organisada pelo coronel Luiz de
de Albuquerque Maranhio, e por Joaio Candido Tei-
do xeira da Costa para o estabelecimento de um enge-
a'- nho central destinado ao fabric de assucar de
le canna no municipio de Timbauba, da provincia de
Pernambuco. Declara o decreto nao tomar o go-
0 verno, direct ou indirectamente, qualquer respon-
b sibilidade de futura concesslo de garantia ou
fianqa de jurors, reservando-se o direito deo fazer
as para o mesmo municipio concessses identicas a do
e, referido decreto.
do 0 municio de Timbauba, da provincia de Per-
.- nambuco, conta 87 engenhos de fabricamao de as-
sucar, e suas terras siao reputadas particularmente
r- aptas para a cultural da canna.
Entre os favors acima mencionados nao se
Lo comprehend o de isene*o de direitos de importa-
r. 91o, por ter sido vedad-a esta isencao pela lei do
n orgamento em vigor.
_- -De 6:
la a Hontem, ao meio dia, pouco mais ou nnenos, o
te antigo relejoeiro Emilio Joio Gondolo, estabele-
o70 cido na rua da Candelaria us. 6 e 8, poz termo aos
0 senus dias disparando no peito dous tiros de revolver.
Ln, a Deu-se o triste facto em umn quarto do sotao
de do estabelecimento, onde costamava dormir o Sr.
8- ChristovAo Dupr6, somo de industrial do finado.
0 a Todos os empregados estavam na loia quando
3- ouviram a detonate de um tiro; immediatamente
o Sr. Christovio mandou ao sotio um dos eaixei-
do roa, por6m este apenm comepon a subir a epfada
ouvio segunda detonalo e mecuou espavorido.
te a Subiram entlo outros e encontraram Gondelo
ro ja cadaver eastendido no chlio, proximo de uma ja-
M- noen. A seu lado, perto da mIo dreita, estava
r n Mrevolver g ado, e que faltavam trees cap-
saits. Urn dUa tsi fob depoin encontrads W'
U caUto do qusto.
1k *Oqm&d dwn das qestas, umai dhrigidawao
-o Sr. J M a el na r rudo Ouvidor,
va qual nsreria a uigsos Upetes e 0.0w*0ijos -
i N-z- haa ompnww. .; G VU @Ulow % 1f







.
,
"', ..-ateth ta .- ~' d-, awte at .ra


'+ a w w ... .-a..
::-- ,i- iS." 40 "rLit "K -


S0 p M A eadela duas
|i espital i dispis do jul. municipal, remettido
- o idgado da villa do Auamguy. a
ftj ..&* gOMBakd.4k~p aus a oPNMI 0 tr d9
ou pall m O do ao ntow W
ngsppsrsa*oerta deou namkwnida qM
Iif Sisdadjojiteruiadj GIwia, vA tor tAcoloniat
' ;pBinga4J%6mp0ao elkena decaIdo Lavgf
x4 sqgaindo a.dimmwtis dasntign oL team public iti
u cjtI a,<o&.
-, 0 tluinalids relao. edlebrou o ano.-pS
e6 sado97 swuiesando 92,ordiaexias e 5 extraordiL-
do das, e tau.nhecum o -eproferio smnto aa
or an 744 came., das quacs 552 biaei .e 192 crmmi-
oea names, sendo:
e Civeis-Recursos eleitoraes 252, appellacSos
lo 199, aggravos 74, conflitos de jurisdiagio 8, revis-
ra ta 7, prorogaoes de prazo de inventario 7 e car-
tas testemunhaveis 5.
M -Crimes-Appellacoes 116, reeursos 61, ha-
beas corpus 11, procemso de ieponubldade 3, e
revista 1.
ri- Entre as causes julgadas ha grande numero
ate que deu entrada no anno findo. Deixaram de ser
da julgadas por falta de prepare 50 e par inconpleta
im revislo 172. Destes proenssos So civeis 143 e crt-
minaes29.
u- Os Srs. Dr. Pinto Goucalves, Almeida Ju-
nior e Jos6 Oliva offereceram ao Lyceo de Artes e
us Officios, uma rica medalha de ouro, a quo deram o
name de Premio Ypiranga, para o alumni que alli
a- mais se distinguir.
da 0 Correio Paulistano transcreve no dia 8
do corrente do Diario de Campinas as seguiktes
noticias :
Augusto Barrandon arrombou hontem a port
o- da casa pertencente a Exma. Sra. D. Maria Jos6
Guedes, no campo das Canelleiras, e, penetrando
no predio, roubou um par de brincos e numa ma-
china de costura.
e- A machine pedio para que lh'a guardassem em
s6, uma venda das immediacues, e os brincos quiz
na vendel-os ao Sr Charles Dcvienne.
ei- Desconfiando este senhor do individuo que lhe
)m offerecia os brincos, deu part do caso A policia,
n- sendo o larapio preso e recolhido A cadeia.
0 mais interessante 6 que Augusto Barrandon
28 6 formado em engenharia e home muito illus-
1il- trado. Ao vicio da embriaguez, a que se d Itre-
ia, quentemente, se attribue ter elle descido A tnste
)e- posi*ao em que se acha actualmente.
Quern nos diz, porA6m, que nao apresenta Bar-
ie- randon um desses casos pathologicos, pouco vul-
ito gares, mas de que tern apparecido alguus exem-
plos?
a- Deve ser considerado um simple maniaco on
a um depravado, que se deixou veneer pelo vicio e
por elle foif precipitado ao pego em que vivem os
criminosos ?
Hontem, das 6 para as 7 horas da manhi,
es umn preto fugido, pertencente ao Sr. Joaquim Ce-
e- lestino de Abreu Scares, penetrou na casa de
o: Francisco Duarte, feitor da turma n. 7 da linha
de Paulihata, e encontrando alih s6mente a mulher de
r- Duarte e uma crian da um chap6o, uma garrucha e outros objects, ten-
,si tando tambem violcntai a mulher.
.is Aos gritos da aggredida acudiram alguns mo-
te radores visinhos, fazendo o preto abandonar os
'oi seus perversos intentos e escapar-se prompta-
mente.
e A mulher de Francisco Duarte teve de susten-
'te tar por algum tempo luta desesperada corn o es-
or cravo, que a segurava polo pescoco, onde Ihe pro-
ua duzio algumas ligeiras echimoses.
-m A Folha de Minas de 4 transcreve o seguin-
n- te:
Em Uba bateram-se corajosamente os grupos
til capitaneados pe os lavradores Batalhat e Valente.
0- a As armas escolhidas foram p.nhaes e baca-
martes.
to a Durou a luta 4 horas, ficando a victoria inde-
eisa, e tres cadaveres no campo da peleja ; con-
ul tam-se tambem quatro feridos e dous contuses.
as ( No acto de fazer-se o auto do corpo de delic-
ta to via-se o solo excarvado e as folhas das arvores
Foi tintas de sangue.
ro ,, A visinhanea esta aterrada !
i- -Lemos nDo Jornal do Commercio da corte
n- de9:
n S. Pauto. 8 dejaneiro -Na cidade de Botuca-
s- tA, pertcncente aa 50 district eleitoral, onde hoje
cc IP itffoe4riioi ,o oocrXinO eSCrUuictii, *enedo T^Hidita-1
tos o coaseLheiro Duarte de Azevedo e Dr. Abe!
a, lardo do Brito, effectuou-se regularmente o pro-
u- cesso eleitoral dentro da ig-rFja, sem que couste
*o have sido alterado por qualquer perturbacaio.
ue A' media legua da codade, por6m, um grupo de
cerca de 50 individuos impedio eleitores de enitra-
\- rem na mesina cidade e fez uria morte, dous feri-
a- mentos graves e dous leves.
,, 0 delegado de policia de BotueatA military )
n- fez corpos de delicto e abrio inquerito.
,, Deve partir hoje daqui para Botucatu o chefe
do policia eorn forea de linha. .
a Na seccao competent vai publicado um tele-
ne gamma a respeito, dos acontecmentos que se de-
uo ram hontem na cidade de Botocati, circumscrip
o. cao pertencente ano 50 district eleitoral da pro-
al vincia de S. Paulo, no qual entraram hontem em
el segundo eserutinio os Srs. conselheiro Dr. Duar-
t6 tc de Azevedo e Dr. Abelardo do Brito. A'cerca
a dos mesmos acontecirmentos affixou hontem o Bra-


em face de telegramm nas dalhli expedidos, e entire
elles um do Dr. juis de direito, exigindo a presen-
9a do chefe e de forca.
Esperando-se a cada moment o fallecimento
de nosso presado amigo Sr. Joaquim Cavalcante,
em consequencia da gravidade do ferimento, fize-
ram conduzir um dos criminosos, Jos6 Lacerda,
para o Passo de Camaragibe ; o perverse assassi-
no Joaquim Lacerda eouseguio evadir-se.
e No mesnmo dia 5 A nuite seguie para allio
nosso respeitavel amigo o Exm. Sr. Dr. Espin-
dola, que chegou tarde por ter fallecido minutes
antes o inditoso Joaquim Cavalcante.
a Em uma carta, que temos A vista, dizem-nos
que nao se descreve o pezar e a indignaao de
que estio possuidos a numerous e illustre familiar
do assassinado e a populagio do Qnitunde! ,
Lemos na. mesma folha de 9:
Chegara-nos agora mais algumas informa93es
sobre o assassinado de nosso amigo o Sr. Joaquim
Cavalcante.
(( Em diversas cartas que temos A vista dizem-
nos, que nao se pode descrever o pezar e a indig
naqao de que estio todos plssuidos, e que s e tern
procurado corn todo esforco acalmar os animos do-
minados do espirito de vinganga.
c 0 enterro teve uma concurrencia, nunca vista
nesta localidade, de pessoas de todas as classes
sociaes.
a Compareceram para prestar seus services
medicos os Drs. Costa Barres, Buarque, Nolasco
e Pedro da Cunha, chegando depois o Dr. Es-
pindola.
Foram infructiferos os ingentes esforos em-
pregados pelos distinctos medicos.
a Ao dar o ultimo suspiro Cavalcante deix6a
entrever um sorriso significativo de uma alma
nobre, e na mesma posigio ficaram os labios de-
pois de morto.
Ao ser ungido o Revm. padre que assistia e
seus ultimos moments, perguntou-lhe: so per-
doava aos assassinos e a seus inimigos : responded
elle que de todo coracie, e que nunca conservou
odio A pessoa alguma,
a 0 preso Jos6 Lacerda que estava nas cidade
de Passo toi mandado buscar pelo Dr. chete de
policia pars assistir ao inquerito.
a As autoridades estIo procedendo corn toda a
calmapara punigao dos criminsoss. a
Escreveram A mesma folba, de S. Luiz de
Quitunde :
a Foi preso hoje, ao amanhecer, na Barra de
Santo Antonio Grande, Joaqain Lacerda, assas.
sinao de Cavalcante.
a Corriam boatons sobre a diraecao tomada per
elle apis o delicto, dizendo auns que elle soe re-
tirara para o Recite, outros que para o Passo, ou.-
tree que par& Macei6, outros que para a Barra,
pensando outrosa que elle seo conservava nesta villa
de S. Luis.
Ei coam teve lugar a prislo dell.
No dia 7, A. noite, deoeia w s* ean ,Parsa
a Barra, Urbsuw pal do J qqim Laperwgls e de
Jose Peoro, e ao posar ma t a 9 oetmeb -
villa e o c itre US .. OV.


mow b& m "w pEwM ant & jWA n 4wg
04~MMo 0 aft.-


**'bi e M~-j-ria6t6Ai^ l~ee^
1 40


f Coq~nw -'unn eoTb m imeetni
Uo~lin~igtp,.ldoadomdrW'im ,da.-
Ik.3oeusdo d..r Cmrnwllk



0 Dr. TI nnz Cadlho, medico dii poleiapr
cedeu a exalme no cadaver. .a-
do s 7:
P Pels quantia dno 8:t~ Aten o to Qde bo
^Iria^B~t~l~ doilitea ai d ta-
WIN eodUOMuoa sEcrivi^fteo r A in MWp i~


beiprovis detia oidde A Afandoga do Pmmbu
U.a; o Mrrt4mnpdo. b'qwm, 0-Po|hijp.,


ur.;a bomba d vapor pars etin do in di
0 Dr. Tlji nnz Cdelho? medieo da policia, pr6-

cedeu ao exan e no cadaver r.
De 7:
Pei& quantia de 8: 7388 eedflt o erpo dte b&
beiros desta cidade A Alfandega, de Pernambuao
uma, bomba de vapor pars, extinegio de incendiom,
tendo, a menena teiimau-IL 0-P-2211ad-120 'AMOMR
e fora asufficiente de jaeto par veneer a altura de
30 metros. A bomb e seuns acecessorieso foram re-
mettidos pars aquella provineia em einco volumes
pelo vapor Mqwu .
SCorn o preo da ceusIo adquirira o meneiona-
do corpo urma bombs de vapor igual is que rees-
beu ultimamente da fabrics de Shand, Mason & C.,
de Londres ; trees bombas de mao para encher edl-
deiras e varies outros utensilios do nervigo de ex-
tinegao de incendios, como mangneiras e appare-
lhos de xegistro.
a A nova machine destina-se A estaeio de S.
Christovao. a
Eim as noticias commercaes da nultima data:
Rio, 9 de janeiro de 1885. 0 moreado de earn-
bio conservou- se sem altera o: os basnco wew
a 19 3/8, d. sobre Londres, e foi esta a taxa do din.
As tabellas no Commercial e no do Commercio
c as taxas no London Bank e Englisk Bank sio
as seguintes:
Londres 19 3/8 d., a 80 d/v.
Paris 491 rs. por fr. a 90 d/v.
Hamburgo 606 e 605 rs. por m., a 90 d/v.
Italia 500 e 497 rs. por lira a 3 d/v.
Portugal 278 e 277 %/ a 3 d/v.
Nova-York 2U610 por dol, A vista.
0 movimento do dia foi. pequeno sobre Londrea,
a 19 3/8 d., bancario, e a 19 7/16 e 19 1/2 d., pa-
pel particular; e sobre Franca a 491 ra. banca-
rio.
Na Bolsa o movimento foi regular.
As vendas de caf6 conhecidas at6 As 5 horas da
tarde cram de 14,377 saccas.
Espirito-Santo '
Datas ate 4 de janeiro:
Sob a rubrica-Facto grave, escreve o acaheei-
rano de Itapemirim:
c p Na noite de 11 para 12 do corrente, deu-se
um conflict centre os Sr. Drs. Gil Diniz Goulart e
Joao Vasco Cabral Filho, no escriptorio daquellc,
na chacara de sua residencia, onde se achavam a
s6s, por ter estA se apodeiado violentamente de um
document, que inutilisonu e pertencia A casa com-
mercial de Mine. Guimaraes, estabelecida na cor-
te.
c,, Informam-nos qne as consequencias desse fac-
to sorprendente teriam sido funestas, se nao fora
a prudenci-% do Sr. Dr. Gil. 0 acontecimento pro-
duzio grande sensanlo no espirito da populagao
desta villa.
Este facto, levado ao conhecimento do Sr.
president da provincia pelo vapor de 13, deu lu-
gur a demissao do Dr. Vasco no dia 15. ,
Foram igualmente demittidos, a bemrn do service
public: do cargo de promoter public da comar-
ca de Santa Cruz, Jos6 Alves da Cunha Bastos
Junior; do de carcereiro da cadeia da Nova Al-
meida, Antonio Correia do Espirito-Santo; e no-
meados: para o primeiro, Deolindo Amaro da Cos-
ta, e para o segundo, o carcereiro da cadeia de
Linhares, Heleodoro Estevio do Nascimentb.
Foram tambem nomeados: Antonio Francisco
da Silveira escrivio da mesa de rendas de Itaba-
oana, e Custodio Jos6 Vieira guard fiscal da de
enevente.
0 movimento do porto da capital no semestre
ultimo toi:
Entraram 141 embarcag5es, sendo : vapores 66
e navios de vela 75 ; sahiram 150, sendo 71 va
pores e 79 navios de venla. Nestas embarea9oes
entraram 140 eastrangciro, a saber : 42 italianos,
ee- puitleuoimoI, ia- lumuvccco;4 -Ia? -J cc-nnnB 1
francezes, 11 hespanh6ee, e 7 inglezes : sanbla
84, sendo: 30 itahanos, 15 portuguezes, 12
hespanhoes, 10 ingle'.as, 8 francezes, 5 allemacs e
4 prussianos.
A Alfandega da Victoria arrecadou no mez pas-
sada 9:195453, isto 6, mais 3:640A175 do que no
mesnmo m'z anna do anterior, cuja renda foi de..
5:5555278.
Bahia
Datas at6 13 de janeiro :
Nada encontramos nas folhas que mermca men-
cao.
Alagoas
Datas ate 14 de janeiro :
Sob o assassinate de Joaquim Machado Caval-
cants, lemons no Diario da Manha de 8 :
c No dia 5 as 9 horas da noite seguio para S.
Luiz do Quitunde o chefe de policia intarino, Dr.
Aurchoano Ribeiro, pars syndicar do crime alii
oceorrido e garantir 'i vida de um don caminosos


de SA hy e filhas em casa do Dr. Luiz Carneiro
da W iha, conselheiro Jos6 Caetano, na do Dr.
Miranda Ribeiro, e Dr. Ramiz Galvao e familiar
na do Sr. Carlos Reingantz.
SAntes de fallar da cidade do Rio-Grande devo
referir-me A barra.
a Para fazer desapparecer os embara9os oppos-
tos por ella A navegagio ha a considerar os trees
seguintes mcios: 10 canal lateral; 2a dragagem;
3o canalisaggo da embocadura por meio de molhes.
A solucao mais geralmente aceita 6 a do terceiro
meio. E' o que ftoi applicado para o melhoramen-
to das importantes barras do Danubio e principal-
mente na do Mississipi e na do rio Liffey (porto
de Dublin) pela analogia de origem corn a do Rio
Grande. 0 custo das obras para o complete me-
lhoramento estA orgado em 10,000:000;000.
a A cidade do Rio Grande, situada a 320 2' 5"
Lat. S. e 80 58' 49" Long. 0. (meridiano do Rio
de Janeiro) e principal porto da exportacAo pro-
vincial, esta em terreno arenoso muito baixo, que
form c6moros desde a barra, eorn suaves ondula-
95es, apresentando um espectaculo unico na Ame-
rica do Sul e talvez s6 visto no Egypto. Suas ruas
slo largas, mais ou menos bern alinhadas, corn
boas e solidos edificios, entire os quaes merece es-
pecial mencao a alfandega, creada em 1804 % pe-
dido de Joa6 Marcellino de Figueiredo. No an-
coradouro viam-se muitos navios embandeirados,
nacionaes e estrangeiros.
a A fundagao desta cidade comecou pela anti-
ga povoa9ao e fortaleza que no anno de 1737 es-
tabeleceu ao sul da barra o brigadeiro Jos6 da
Silva Paes, no seu regresso da colonia do Sacra-
mento, onde fora levar soceorrds so governador
Antonio Pedro de Vasconcellos, que resistia a um
sitio post pelos hespanhoes; como o local nao of-
terecia born ancoradouro, tfoi transferido por or-
dem de Gomes Freire de Andrade, entao governa-
dor do Rio de Janeiro e S. Paulo, para o sitio on-
de esta presentemente, adoptanio-se par& a nova
povoaglo a plant tragada pela ordem de 17 de
julho de 1745, mudando-se o orago de Sant'Anna
para S. Pedro, e concedendo-se-lhe a cathegoria
de villa. Assim teve origem a actual cidade do
Rio Grande, cuja populanao, que a prineipio cons-
tava de soldados, toi augmentada em 1747 corn a
vinda de casaes acorianos, como em Santa Catha-
rina. A lei provincial de 27 de junho de 1835 ele-
von-a a cathegoria de cidade.
a Suas Altezas visitaram hontem as 11 horns a
samara municipal, a Santa Can de Misericordia,
que a euforqos de Rodrigo Fernandes Duarte foi
installada A 15 de maro de 1885, occupando o
cargo de mordomo do interno cm o ordenado de
9.., vwto te elle dado. em vidat tudo quantopoa-
"aia (cA do 20aM ntoat doe A* & Sata Oam.-
Ternm as moguint.. me nn pha: a-
eia qae .faroooe o -a e a pobre, gratis,
t 3,000 a uit t ou i muos; cemiterio
o casa doe expwstos. 0 1ah.! Bpitdloi odffi-
ead&r m awwd muoql iBM.n
l m 'mm q~ am" m w'tn .1m

.odo.m-.U .mui-


l" .......' fti~ =wu "" "a'a'd


q tca d ocas e l %ao aor bilado

r^M autori ON4 .11
fl~gtoniNn '"**n Lmm m .))llili iu u

uN eopdidos de diverqo .a wr ar n
"mmrtetanto, Joaqua frqowdix l pamx.
tM desos mange, lm (eMobu semo
dor a qaMdo pasoavam wetr sd a wr.
dadea.llm e as oavia,**N 4 W e aNq.,
aceitijism
0 aasssiuato de Cavaleante nao foi filho da
quemtincula da oecasiaaN elle foi o resaltado de
= tenebroso piano qm que tomarm partes Os ir-
WON de J;oaqu LwUa e dao eabemos, memo,
ne mais aliem.
A verdade ha de apparecer.
O~quaei-nesvmiddo, o qae ineeramente
lamentamos, o que eaunwa viva indignagao 6 ver o
Iterese oom quae nojentubas epoletas politicos pro-
owam colcar uam tacto de tanta gravidade no
tewasno da.polifiea prtidark.
it nato Dona I
a Em ama soeiedade eivilisada into 6 horrivel,
6 altamente deponente de seuas credits.
w Puna-se o crime, e defenda-se a innocencia e
enm ma eomo em outra conasa no ha, ngo pod.
haver a menor offoasa, mais proceder-se como
neast villa, e f6ra della proeedon certas figures
6 mais que-falta de educaglo de costumes,
6 umna selvageria senao co-participao no atten-
two



INTERIOR

Vlagem de Of. Altezas
(Jornal do Commercio)
Cidade do Rio-Grande, 1 dejaneiro de 1885.
-SegnudojA sabem os leitores do Jornal, SS. AA.,
aeompanhados de seus filhos corn seu preceptor
Dr. Ramiz Galvio, Baronesa de Suruhy, veador
conselheiro de estado Jos6 Caetano de Andrade
Pinto, estado major do Sr. Conde d'Eu e mais pes-
soas da comitiva, embarcaram no paquete nacio-
nai Rio-Pardo, no porto do Desterro, indo a bordo
despedir-se de SS. AA. muitos funmcionarios e
passoas grades daquella cidade.
SA's 8 horns da noite de 29 de derembro par-
tin o paquete, passando As 10 horns em frente ao
pharol da Barra do Sul do canal de Santa Catha-
rina.
w A 170 milhas ao sul do Destorro foi avistado
o iaquete n.cional Rio Grandc, que regressava
do sal e parou na altura de Tramandahy ao sig-
nal do Rio-Parde, largando deste um escaler corn
urm 2 official para saber do commandant do Rio-
G-rande se havia a bordo alguma carrespondeucia
para SS. AA. e entregar urn telegramma, dirigi-
do a S. M. o Imperador, no qual o Sr. Conde d'Eu
dava conta da excellent viagem feita ate aquella
altura. Voltand'i o escaler, seguiram amboa os
vapores sua derrota, o Rio. Pardo para o sul e o
Rio-Grande par o norte. A's 6 horns da tarde
foi visto ao largo o paquete Rio Jagwuaio que,
tendo mudado o helice em Montevid6o, seguia via-
gem para o Rio.
Hontem .s 5 horas da manha foi visto o pha-
rol da afamada barra do Rio Grande e As 7 o pa-
quete Rio-Pardo fundeava em frente ao caes da
cidade. Subiram logo a bordo a Sra. D. Maria
Joannia Pinto Lima e oa generaes Valporto, Au-
gusto Cesar da Silva e Jos6 Luiz do Carvalho, ca-
pitao do porto Pereira da Cunha, commandant da
barra capitio de fragata Duarte, commandant e
officials da canhoneira Henrique Dias, Drs. Car-
neiro da Rocha e Miranda Ribeiro, commissio da
proan do commercio, offi.ialidade da guarda na-
fonal cornm seu commandante superior interino o
coronel Antonio Chaves Campello e muitas outras
pessoas gradasa e tunecionarios, que saudaram SS.
AA. Entre elkes vi o coronel Eduardo Carlos
Cabral Desct4mps, consul brasileiro em Montevi-
de., que de proposito veio ate aqui para saudar os
principes e acompanhal-os em toda a excursao ano
interior desta provincial.
w Poncoudepip- .... 1-1-----c A A_. e toda
'a obani-Fva no eaes que din para a ran do Carmo
hoje Dezeseis de Julbo. Uaia salva de tiros e fo-
guetes atroaram os ares duranoe algum tempo e ao
som do hymno national, dirigiram-se a p6 SS.
AA. acompanhadas de numerosa multidao, fazen-
do a guard de honra o 17 batalhao de infante-
ria, ate a igreja da ordem 3a de Nossa Senhora do
Carmo, cnde recebidas a port do temple pela ir-
mandade, ouviram miss solemn pela sun chega-
da a esta cidade. Esta igreja foi comecada em
1800 e concluida em 1809, sendo bispo diocesano
D. Jos6 Caetano da Silva Coutinho, que, por pas-
toral de agosto do mosmo anna, autorisou ao padre
Frmncisco]Ignacio da Silveira, para bensel-a, o que
se realisou a 6 de novembro do mesmo anna. E'
um bonito temple.
SS. AA. recolheram-se ano palacete do Sr.
Barao de S. Jose do Norte, pal da Sra. D. Maria
Joanna Pinto Lima, que ia acompanhando SS. AA.
A comitiva dividia-se, ficando a Sra. Baronesa


de 1875, Philadelphia de 1876, Na
Berlim de 1882, Buenos-Ayres de 1
na recent exposicao de Porta-Ale
medalhas d e ouro e 3 de prata. E
mente 150 pessoas. DA trabalho
Tsae ftIra u ncarrega An orphAs
tura doe capotes para o exercito.
fabric actualmnente nao 6 menor d
todos nacionaes, corn excep9ao ape
tra-mestres.
a Tern contratos em vigor corn
various fornecimentos. 0 machine
6 considoravel, havendo ao todo 1:
apparelhos nos dous edificios.
a 0 estabelecimento sustenta un
meninos, a qual funcciona diariam
tada por urma turma de menores, e
tra trabalha. Ha uma caixa ecoi
operarios, centre os quaes existe un
neficencia, concorrendo elles con
mensaes e a emprezi corn uma
corn as multas recebidas por infira
mento intern da fabrica.
,( Sua Alteza, acompanhado do
dirigio-se d'alli ao quartel chamad
no qual estA aquartelado o 17 bal
arma. Foi ease quartel mandado
ordem do legendario Marquez do
ministry da guerra do gabinete Si
edificio vistoso, de vastas proporO5
dade par acommodar grande nun
tern enfermanias, pharmacia e toda
cias necessarias parn o born aqu
tropa.
( S. A. a princess imperial vis
da via-ferrea do Rio Grande a I
trem voltou para a cidade, e aind
praga do Mercado antes de recolhe
a Hoje As 7 horas da manha Sus
taram ao mercado, onde se encont
fructose, principalmente pecegos. 2
manha ouviram missa na matriz, e
bordo do vapor Rio Pardo, que seg
Porto-Alegre.



lREVIST DII

Ferro-via de Olinda-No
anno de 1884 foi este o balance dei
Receita
Despeza
Saldo
A despeza absorveu 73,38 o/o da
Por kilometro de linha foram :
A receita
A despeza
0 saldo
Tranzitaram nas linhas durante
trens, dos quaes 20,212 ordinaries
sendo que destes pararam em tc
18,224, foram expresses 908 e forai
N'essea trens foram transports
passageiros, sendo 191,400 de la
de 2a classes e 1,580 corn bilbhte' di
Deram-se no correr do anno 6
quaes resultou: 1 morte por esmag
turas de perna, e 2 esmagament
P65.
A more foi um suicidio, e os dei
devidos A imprudencia das victimai


^JVBy:AO UMf~UOUafL
tcional de 1881,
L882, e alcanuon
gre de 1884 5
Imprega actual-
A 250 costurei-
do asylo a cos-
0 pessoal da
le 175 operarios,
mias dos 4 con-

o governor para
iismo da fabric
30 machines e
ma aula para 30
ente e 6 frequen-
mquanto a ou-
nomica para os
a fund de be-
n contribuigees
quota annual e
cqiao do regula-

seu estado major
o de infactaria,


do


q e a b"o do ope--
Sboa O ,exos ea iiyr p "
o doe unm &um.
Al6m de IbolntWA reuaui torn oebid es--
molas, legadox, muh, an eihaenefiM delnte-
ris concedidas pe,.m proviial.. Sos
recuraoadece o iyw Ht nr i nad
part o trabdoa >t'i,'~ i c a
taeno pag* lSia -s ta t do KUleri ia
pela oeduaceuatp de na epus. Do
trabalho dan aWWI a ".iijte dapoata
da em urmsa camixas icapm-_ ormar um pse
lio em beneficio deloas, peeulio que hoje attinge a
2:0005 eonvertidos em apoliccs, dos quacs recebe
eada "ylada, ao ahir do estabelecimcnto. a p ir
te que Ihe correspond, independent de um pc-
queno dote a que tern direito.
0 tabalbo de comtOrLdaa ayladas nada dei-
xa a desejar quantoA perfio e 6 tio be repnu-
tado, que recebem encommendas da capital do Imr-
perio. Ease trabalho reade annualmente quantia
superior a .:003A. Todo o srvigo do Pstabeeci-
mento 6 feito pelaa orphas qae, al6in da educaa
intellectual, religiosa e moral, aprendem todo o
servigo domestic, porque o asylonlo tern criadas.
0 maior empenho da actual administrator 6 con-
eguir os meios de realizar a reedificagao do pre
dio do asylo, que 6 acanhad.s. Possuc um pequeno
peeulio que esperaaugmenutar gradualmente.
a Sums Altiaa visitarau os edificios da praoa
do commercio, em cujo livro de visitantes assaigna-
ram seus nomes; a- alfandega, que 6 netavel pela
Sun bonita construegia; a bibliotheca Rio-Gran-
dense, fundada a 15 de agoato de 1846. E' esta
uma bibliotheca verdadeiramente popular. Sem
nenunum auxilio do governor tern ella passado por
diversas phases, alguawmas da quaes de verdadeira
decadencia, mas eneontrou elements de vida na
dedieago de seus socios, eujo numero 6 hoje de
600, elevando-se o numero dos seas volumes a
cerea de 12,000. A sahida delles regular annual-
mente 11,000. Frequentam as salas de litura 25
a 30 pessoas por din. Tern aulas nocturnas gra-
tuitas de portuguez e arithmetic e cursos de de-
senho e escriptura*o mercantil, sempre bemrn fre-
quentados. A sua collecaio de jornaes 6 notavel.
0 maior empenho da associagio, cujos estatutos
foram approvados por acto do governor provincial
de 8 de agosto de 1878, 6 prodigahsar a instruc-
Oo ao pub!ico, sendo actuilmente sen maior em-
penho erigir um edificio proprio onde possa ins-
tallar se a bibliotheca corn todas as commodidades
para o que jA conta corn cerea de 22:090S, estan-
do calculado o custo do predio em valor superior
a 60:000;. Suas Altezas tambem alli se dignaram
de assignar os seus nomes no livro do3 visitantes.
a D'alli seguiram Suns Altezas, para a fabric
de tecilos de o propriedade de Rtheingantz & C.,
unica que existeno Imperio em condig.es tao boas.
Encerra todos os apparelhos necessaries para, da
la em bruto, produzir precioso tecido. Consiste a
fabric em dous estabelecimentos separados, o
principal na cidadeb onde se acham a fiacao e os
teares, e f6ra della outro onde os tecidos sLo pre -
parados e tingidos e onde sao lavadas as las.
Acha-se em congtruecgio novo estabelecimento
junto A tinturaria, todo de pedra, tijolo, e ferro,
para onde vie oser mudadas a fabric de fiagao e
tecelagem de las afirm de fiear reunido todo o es-
tabelecimento. 0 actual cdificio serA aproveitado
para uma fiacao e tecelagem de tecido de algod.io,
cujo machinismo deve chegar e ser assentado as -
sim que estiverem removidas as machines de la-
nificios para o estabelecimento, o qual terA vastas
proporoese occupara al6m da tinturaria e outras
ependencias, uma Area de cerca de 4,000 metros
quadrados.
Appliea a material prima produzida no paiz, isto
6, a di. crioula e lU mestia ; transformando-as,
mediante os processes de lavagem, cardagem, fia-
co e tecelagem, tinturaria e apresto, em baetas,
flanellas, cobertcres de tiversas qualidades e co-
res, chales de variados padroea, eassinetas, bae-
t5es, etc.
(( A ainfinpmaa aPnnp'nnwna


tallao daquella ,, A urna, que foi reconhecida pelo president
reconstruir por a mais membros da mesa eleitoral como a propria
Herval quando da referida seccao, nao apresentava vestigios ex-
nimbd. E' um teriores de ter sido violada.
Ses, cornm capaci- (( Terminado o inquerito As 5 1/2 horas da tar-
nero de praas, de, o Sr. Dr. chefe de policia remetteu ao Dr. juiz
s as dependen- de direito do 2 district eleitoral a urna laerada
artelameno da corn o sello da sun reparticao e assignaturas dos
mesarios, acompanhada dos autos da diligencia.
itou a esta9io ,, A's 6 horas a urna foi conduzida, em carro,
Bage, em cujo por um official e uma praga do corpo military de
da percorreu a policia, indo o carro acompanhado a distancia por
er-se a palacio- dunas prawas montadas do mesmo corpo.
is Altezas vol. (Ao Dr.juiz de direito apresentou-se a mesa
tramin saborosos eleitoral e requereu que lhb fosse entregue a uMna.
N's 10 horas da Deferida a petiaoe, ainda requereu a mesa que
a embarcaram a alli mesmo na presenca do juiz. fosse aberta a ur-
uio viagem para a, o que feito, veritficou-se que existiam dentro
della tres livros, o das actas, o da inscripcao e o
da transcripgAo, nao se achando este ultimo en-
-- cerrado, mas apenas transcripts nelle os nomes
A fOrdos seis primeiros eleitores que nao tinham compa-
R marecido para votar.
a Dessa circumstancia assim como do estado
dos livros, lavrou o escrivio Luiz Caetano o comrn-
proximo findo petente auto; sendo em seguida entregue a urna
sta via-ferrea: A mesa reclamante.
192:8254300 Os membros da mesa parochial da 1P eeio '
140:4944130 da freguezia de Santo Antonio enviaram ao SSr.
D. Braz de Souza Silveira a seguinte declaruggo;:
52:331y170 ,, N6s abaixo assignados, president, secreta-
receita. rio e mais mesarios da mesa parochial da I& see-
gio da treguezia de Santo Antonio, s6 temos a oIn-
15:3064838 var o procedimento regular e energaco que teve o
11:210A836 Illm. Sr. D. Braz de Souza da Silveira, subdele-
4:0965002 gado da parochia de Santo Antonio, faendo re-
o anno 21,440 colher A secretaria da policia da c6rte a urnsa quo
de passageiros, servio para a eleiq.lo havida, a 4 do corrente; non-
oidos os pontos aa seciao, na qual se conteem os livros e mais pa-
m mixtos 1,080. peis referentes a esna eleiqao, segundo deelara o
idos 1.098,970 respective escrivao, que ahi fielmente os guardoj
classes, 906,000 a sempre tern tido em seu powder a' respeet
e period. have.
accidents, dos c A tao prestante e distincto cavalheizo pfo
amento, 3 frac- tam mais uma vez seu respeito e onsideraeosvo
.os de dedos de fazem mwato espontaneamente.
c Rio de Janeiro, 5 dt janeiro de 1885.-Za.
mais accidents risto Xavier da Veiga.-Dr. Joao de Dew da Ca-.
L nha Pintk.-Antonio Joaquim Rabelo Brapa.-Dr.
;oram da noite, Manoel Monteiro de Azevedo.-Jo&o Teuxeira de
Antonio, Ma- Abreu.0
ico esquerdo de De T:
io meio de umona 0 Sr. A. G. Pereira da Silva, subdelegq o
da freguezia de S. Christovio, dirigio hMtD*- 6
o foi vistoriado seguinte officio ao Dr. chefe de policia :
za, que sonsi- Communico a V. Exc. que hontem, pea*4!w
ras da tarde, uns individuos, abusandao da -- -
de meia noite cia do capitAo Moura RibeirO, morador A 2 le
run da Fioren- S. Luiz Gonsaga, em cujo poder estava oa
amos Francisco aetas da 3' secao desta freguezia, _o,
individao, que illudir a vigilancia de sun senhora, subtri o
os6 de FiNguei- referido livro. ,o-p-
mos armado de Como me foi ordenado por V. in
dad ass previdencias no intiulto de aert
ido ligeiramen- ordem public, que felizmente na
mtirsado ocal- CtiuA a wprovidonciar aim de evitag
a coma pan- t. contra so attentado, te
Nifto de todow -ande. seueo.
am fugi t: .&a ata--A. G. W-
U-88112 b *'h '.* koa dn-_




4 "',. = :"q:
--. c._, J+ .X 5,:,
c ^ skte

ar^S ^'s^iit^^jF


o;em
tartl onto e d ev ,di, '^ H |
'J -l i alto Aprame m 'ontai..a. ....
d+ ducacao p r. .m-ieniafa o i~lfl if i^
n. 18 da rua do PEae.
1 eanH.uo Ae@de,,leo-T"
ram hontem as anlas deste excel -.ta*
educagio primari.. e secundaria P tra
no predio n. 153 da rua do Visconde
sob a direccao do Dr. JosP Ferroir
Vieira.
No annMMo proximo findo"este --i -g
a exames no Cursoe Annexo A, Fo
81 alumnos, dos quace foram op Q'u.
tincuao 3, plenamente 23 e simglsnmenn ago
apenas 10 reprovados.
A porcentagem dos approvadoes eorn
e plenameute 6 de 33/ %, a dos ap
plesmente de 55 %/, e e do reprovudode".
apenas.
Estes resultados constituem o mejthr -v -
collegio sob o ponto de vista do ello
que inspiram a instruccAo dos alumnues.
Paqaete Espirito Santo-Tendo ao 2
hontem A tarde da Parahyba, o paquete nadWi
Espirito Santo deve tocar hoje em Peramabuu1
em viagem para o sul.
Em transito-0 paquete Elbe levou hontem
para a Europa 172 passageiros, sendo 12 tomados
em Pernambuco.
Dinheiroe-0 mesmo paquete trouaxe do l
para:
New London Bank 300:000OOX
Os ciganos da Regenela-Para a UL-
vraria Eeonomica chegou o 5o e ultirmo volWume
deste romance de Xavier de Montepim.
Revista do Exerelto Ir-alleiro-Re-
cebemos o numero desta revista correupondate
ao ultimo trimestre de 1884. Eis o sen suamta-
rio :
I.-Memorias da eampanha do Paraguay, pelo
capitio retormado do exercito Miguel Calmon.
II.-Visita 6. fabric de ferro de S. Jo~o de,
Ypanema, pelo tenente de estado-maior A. G.
Souza Aguiar.
III.-O emprego dos munares na artilhria hra-
sileira, pelo capitao J. R.
IV. -Ligeiras consideram6es sobre as fortalezas
da barra do Rio de Janeiro, pelo capitio de arti-
lharia Arthur Moraes Pereira.
V.-As principles exigencias da tactics de
combat, pelo capitio de artilharia Joo Carlos
Lobo Botelho.
VI.-Aerostagao military.
VII.-Bibliographia.
BencAo de Imagemn-No domingo, 18 do
corrente; As 5 horns da tarde, tera lugar na igeja
de Nossa Senhora dos Afflictos, a benclo da uoa.
gem de Nossa Senhora da Coneeico, que tern de
ser alli installada no altar em conclusfo. Official
o Revm. vigario da Graa.
A eletcAo no Rio de Janeiro--Le.
mos no Jornal do Commercio de 6 do corrente :
A's 10 boras da noite de ante-hontem, pas-
sando o Sr. D. Braz de Souza da Silveira subde-
legado de policia da fraguezia de Santo Antonio,
pela run do Visconde do Rio Branco, noton que
havia alii reunia.o de muitas pessoas, e procuran-
de saber do motive a que era devida, sahio-lhe ao
encontro o Dr. Jos6 Alves Pereira de Carvalho,
que lhe declarou que o escrivio do juiz de paz da
sobredita freguezia achava-se dentro do cartorio
alterando ou falsificando as actas eleitoraes da la
seccio. Respondeu-lhe o Sr. D. Braz que seme-
lhante supposicAo nao tinha fundamento, porquan-
to o escrivao achava se na repartifco da polieia
e nao no cartorio, e mandando-o chamar elle se
apresentou sem tardanga. Entrando etrao o sub-
delegado corn o escrivao no cartorio, foi este in-
vadido por umn grupo de individuos que tentonu apo-
derar-se da urna, nio o conseguindo pela opposi-
eao feita pela autoridade.
Durante o rest da noite conservaram-se no
cartorio o subdelegado, o escrivao, o Dr. Jos6 Al-
vas Pereira de Carvalho e muitas outras pessoas.
c, Hontem de manhia, notando o subdelegado
que nao cessava o movimento nas proximidades
do cartonro e reeeiando por isso que a urna fosse
atacada, resolve leval-a para a repartic1.o da po-
licia. Nessa urna, que estava fechada corn cha-
ve, existiam, segundo diziam, os papeis e docu-
meutos relatives A eleiao a que se procedeu ante-
hontem na la seceao da parochia de Santo An-
tonio.
c Na reparticao da policia, perante numerosas
pessoas, o Sr. Dr. chefe de policia mandou tomar
par termo as declaracoes do Sr. D. Braz da Sil-
veira, do escrivao e de varias pessoas que estavam
a par de todo o occorrido.
c Assistio a toda a diligencia o Sr. Dr. Ottoni,
1 premotor public, coavidado pelo Dr. cheoe de
polieia, achando-se tambem presents o Dr. Fer-
nandes de Oliveira e Henrique Alves de Carva-
lho.

















Jt~,
I


^-.4

*- "


o n dsdbr, i dg~~~ es- e
.... nsardo plal
^6 l a quo teve lugar
-tSe tn oa rmnad dos negocios dos Bal.
di g~ran um ladu sabre Wilkelms-
*'"IM^^PIfl tsebre o, jardim Portas, architraves
oIg marmore, as prea edes teem uma
easre B coo peito dc rola; os cortina-
^He i pMnodoeadeiras entretahto isio d'am
lconduz i sala, tern a largura de
aL e se desdobra m igeda osamente em
A H.an8 a tida adornada de flores e pequeaas
.- fln lorro.
.: e d.acgrande sal ha umra saiiaha corn
il cm e no meio maito carregada de livros so-
zi tafrica Occidental, d'athlas e cartas geogra-
SIn mappa d'Africa gravado no celebrc es-
ouleriugto ide Justas Perthes e de dimensjes
tollom-s peande d'uma das piredes.




iantesuma eola 4
O saeinhs aedestinada a bibliotheca, e pfde-se

eI nao curiomo -No tribunal criminal
-O Milh comeaou o proessdo contra seis jovenus
-V ioo 20 depublicanos. E' curioso o sea interro-
oMedor'h que possamos doU Corriere della Sera Mi-
Ba 3 de dezembro de 1884. u..
0 iaterrogatorio dossc aoeaedo.dzi esse journal,
traou-oe um verdadeircua e p rst asolas as-
p Lrtes a e 1oi, a *. fM-,.
Osa seis accusiApe s sea lo& bm dque silas de ca-
deirlas, pareciam oa etudcantes comnahiros do
uassineoll na comedia milanesta soierravilia.
,' irola, interrogadoem primeirohlagar, disse: que
junhoplassado foifuundado o irvido jovetude
finpublicano 20 de dezembro. Smos ao todo quinze
a n deebw l e nosreunimos onde podiamos, ni s6de
d'alguma sociedadoe irma. A circular que annun-
ciava a nossa associa-ao eu a escrevi, e um amigo
Pra dene Na circular posesates a Oepigraphe
oa e sempre daUli al tranco que querzis dizer
com isto ? o
Girola.-Na circular occorria uma epigraphe,
eaua tomei de Mazzini por vel-a sempre repetida
na ojornaes.
Pallaste3 de Mazziui e de Andrea Vochiere
Quem era Mazzini?
Era... era...
Un publieidistas, unm philosophy eum refor-
meador politico. E Vochisro quenm era ?
Era um...
nUm repblicano d'aquelles fortes. Obracom
o penaamento e com a ae-io o que quer dizer !
Qaer dizer... obra coua o pensamento e coam
a aclc-Ao.
Sabeis que naso ao permittidas as manifesta-
goes publicas de ideas contrarias ao p)dir consti-
taido. Academiaomesnte, sobre o camp theorico,
podeis livremente dizer-vos republican, monar-
csta, socialist, mas v6os sahites da theoria Fara
eatrar nos factos e por isso offendestes a lei.
Eau nojalguei que o fazia.
E' preiso sabsr tmanter as propriaS opinioes
e ser here disseste-o. Aquillo que dizeis hoje
hoje e contrarioa tudo quanto affirmates na vossa
circular.
Interrogado o soabre o segundo faceto, ahis-
toria da bandeira a estaeao central, Girola disse
que era sua intenhao levar as fits permittitidas
por lei. Foram os seus amigos que as poseram.
0 exame do Ora si comegou e acabou coam usa
pergunta.
0 terseiro a ser interrogado foi Brambilla.
President -Dalli al tronco, o que quer dizer !
NIo saberei... E' uma maxima da demo
cracia
Tenho eotendido Basta. E vos Zecchini,
jalps que seja licito peoder se amtta.nar republiea-
no'.rn o peusamento e o coranao ?
Nao senhor.
Gervanini, o mais jovem, e o mais impaciente
dos interrogados, fallou com. feminine loquela.
Presidente Que quer dizer a dalli al tronco,
EAtende-se livrar-nos de todaos oa malls.
a- Isto a derribar a monadachia ?



o ss ag utes a fora' pub-ica
H- Ento se fica a monarchs a j vossa sonhada
republics pauco me iportac; basta que seja um
governor honesto e born.
E' precisoestudar ainda umpouco. Do factor
da estacao que me podereis dizer ?
A bquedeira foi logo entregue aat agents,
mas today a poprlaeso indignada, se voltou contra
os agents da forca publiea.
Ho nir tambem ura eorajosa joven que atraveu-
se a avanear para arrancar a bandeira.
-- Deve-se ser prndente. Sabeis o que e pru-
dencia ?
-- A pradencia e...
-Aquella virtude que ensina a mant~er as pro-
prias opiniuda e a respeitar a lei. Seutai-vos.
Vo3 Brianzoai, sabeis o que quer dizer ,, dalli al
tronco,
E' urea maxima innocente. Nao 6 um nome
subsersivo. Assignei aquelle manifesto, iaas logo
depois ine retire daquelle circulo
NiO hl via. accord entire os so,:;o0. Nao havia


ahi seriedade.
Assim acabou a questao dos cinco accusados.
Depois da desposiAo do cargo de delieta, ban-
deira, fitas, lencos, e manifestos passou-se a leitu -
ra dos documents.
As informac5es dos accusados foram boas s6 Gi-
.rola 6 queja per outras vezes tinha sido condem-
nado por ter tornado parte em demostracoes repu-
blicauas.
D,,pois do interrogatorio das cinco testemnuuhbas
tomou a palavra o P. M. cavalleiro Clerici pela
sua requesitoria (( contra a intantaria lige;ra do
partido republican u concluindo pela condemna-
go dos cineo accusados.
Ao P. M. reponderam os advogados defensores.
Esta mnanha comeqarao as replicas. A tarde~sera
o summario do president, a decisa.o do jury e a
sentenqa.


Manumissfio-A Exma Sra. D. Maria Na-
talia de Siqueira Lins econcedeu liberdade, sem
onus, A sun escrava Desideria, de 36 annos, dis-
peunando simultaneamente dos servings dos qua-
tro ingenuos, filhos da mesma Desideria.
e A respective carta de liberdade foi remettida A
sociedade Ave Libertas, para fazer entrega.
Operates cirurgicas-Foram pratica-
das no hospital Pedro 11 no dia 15 do corrente as
neguintes:
Pelo Dr. Malaquias
Circumcisao e descorticaoio do l)enis con an-
toplastia da mucosa prepucial, reclamada por
phimoses e elephantiases do penis.
Pelo Dr. Berardo :
Pupila artificial optical reelamada por mancha
da cornea.
LeUoe --Effectuar-se-hao :
/ Hoje :
.11qie:
Pe lo agent Pestana, As 11 horas, na ports
S- ....:- da Alfanda, de phosphoros.
Petle agent Larmo e Silva, ao ui meio dia, na
-^ travesba do Corpo Santo n. 27, de moves, louqas,.
.. -etc., etc.
7-- -Amanha:
ldo agente A. Gimtaraes, -as 11 horas, na rua
._ do Brum n. 92, de moveis, balanqas, etc., etc., do
armazem ahi sito.
o. il*taafi funebre --Serao celcbradas :
'-- Hoje :
A A's 8 horas, na igreja do Livramento, por alma
da D. Francelina das Neves Farian ; as 7 1/2 ho-
A jan d.a Madreo de Dens, por alma de
^' .... !Bwurgard; as 7 horas, nib matriz de Gra-
*": .. vL -alma do Dr. Antonio Pereira da Silva
*;'.- da 7 1/2 horas is 8 horas na igreja do
.='ilj Sa'to, por alma de D. Rita Aureliana

S,.i A horara, no convento de S. Francisco por
;:' ;.- sl; J Aotonio Preira de Oliveira; is 7
tomrira dc Carse, per alms de D.
m~j reaenema Qwwdo-Jreitas;

por Alm%*

AMAn


6413
2616
1067
2425
787
1451
1934
2195
2821
2823
3219


2:000#000
1:00000
1:00S000
1:000ow
1:000000
1:000,000
1:0005000
1:0005000


Appr.
Appr.


NUMEROUS DOS PREMIOS DE 500#000
265 3420 II 4563 6412 Appr.
332 3503 4786 6414 Appr.
705 3856 5274
1238 4138 6821
1311 14472 6870
NUMEROUS DOS PREMIOS DE 200S000
162 1585 2467 3045 4001 5067
571 1595 2673 3160 4076 5877
i043 1635 2676 3419 4280 6128
1l77 1935 2703 3555 4489 6653
t359 2439 2754 3955 4742 6937

NUMEBOS DOS PREMIOS DE 100#000
106 1572 2248 rS 4444 6389
284 1592 2262.. 3162 4617 6414
449 1794 2376 3514 4823 6714
499 1834 242 3659 5637 6896
595 1891 2463 3693 5782 6930
611 1894 2479 3868 5890
822 1934 2746 3921 5943
1164 2197 2893 4368 6167
NUMEROUS DOS PREMIOS DE 40#000
99 1537 2565 3610 5054 6283
291 1646 2576 3775 5060 6364
385 1736 2649 3841 5250 6536
401 1747 2682 3862 5311 6577
566 1751 2758 3919 5343 6606
714 1838 2769 3951 5362 6726
865 1942 2822 3991 5170 6760
916 2017 2836 4106 5492 6843
1000 2020 2860 4225 5589 6942
1050 2128 2896 4305 5624 6956
1069 2306 2940 4364 5868
1131 2315 2963 4443 5947
1191 2339 2993 4517 6023
1211 2351 3109 4588 6032
1374 2364 317T0 4698 6086
1435 2404 3256 4613 6114
1470 2455 337i 4765 6155
1493 2511 3543 5026 6260
Eis a os numerous mais premiados na
2.a part da 11 loteria( 168 B), emru be-
neficio do Hospi-io de Pedro II, extrahida
em 7 do corrente:
NUMEROUS PREMIOS
3639 .. ....... 30:0005()#0)
5797 10:000,5000
321 ...... 4:000#000
2159 ....... 2:000#000
467 1:000#000
1320 1:0004000
2076 ... 1:000#000
2966 ...... 1:0006000
6634. ...... :000#000
NUMEfbS DOS PREMIOS DE 500#000
1595 2546 3739 4134 5395
1919 267-2 3927 &53 -6596
NUMEROUS DOS PREMIOS DE 2006000
218 1313 2267 4059 5145 6768
260 1796 2393 4124 5205 6728
280 1809 3553 4252 5563 6900
NUMEROUS DOS PREMIOS DE 100#000
50 2348 3270 5078 5587 6723
325 2420 3431 5198 5820 6875
1291 2527 3663 5229 5916
1332 2608 4086 5328 6473
1768 2795 4807 5425 6548
2208 2931 4836 5459 6671
6895 ..... ........ 50Q00O
NUMEROS DOS PREMIOS DE 406000


30
33
100
111
382
399
453
526
548
550
617
620
622
639
656
762
767
825
844
919
925
951


1011
1102
1119
1408
1415
1511
1516
1582
1654
1686
1740
1781
1791
1964
2016
2079
2081
2153
2157
2175
2206
2287


2304
2346
2449
2621
2632
2696
2717
2772
2841
2960
2965
2976
3043
3070
3082
3135
3147
3165
3209
3309
3324
3358


3365
3380
3392
3417
3485
3487
3508
3590
3618
3638
3772
3857
3868
38S2
3884
3938
3941
4070
4149
4166
4222
4496


452S
4564
4869
4873
5088
5100
5260
5344
5388
5448
5539
5592
5607
5611
5641
5651
5678
5725
5792
5883
6042
6051


6060
6166
6311
6353
6440
6458
6484
6507
6524
6531
6571
6655
6694
6702
6795
6799
6821
6866
6872
6873
6976


Loteria da provincia -Sabbado. 17 do
corrente, se extrahirA a loteria n. 101, em ben -
ficio da igreja de Nossa Senhora do Livramento
da Varzea, pelo novo plano approvado, no consis-
torio da igreja de Nossa Senhora da Conceigao dos
Militaries, onde se acharAo expostas as urnas e as
espheras aurumadas em ordem numeric .A apre-
ciacgao do public.
L]oteria-A de n. 169 B, do Rio de Janeiro
do 30:00000A 0 serA extrahida no dia 17 de jaaei-
ro.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna, run 1
de Marco n. 23. '
Loteria de 30000t 000 -A loteria 169
s6rie B, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
to melhorado, corre no dial7 de janeiro.
Bilhetes a venda na Casa Feliz & prasa da In-
dependencia nus. 37 e 39.
3a grade loeeria da corte deo......
6sOOOO45EO -Com novo piano muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham-se &A venda A Casa da For-
tuna, a rua do Crespo n. 23, as bilhetes dosta lote-.
ria.
Grande loteria da conte-Esta grand
loteria, cujo preraio grande 6 de 5w0:000=00O,
sero extrahida trevemente. .
Os bilhetea acham-sO A venda na UaC a Foeli i
praca da Independencia on. 37 e 39.
ercado Maunltipal de X.oe -. 0
movimento deste estabeleoiaento no .dis 14 de
janeiro fo o eguinte:
Entraram pamsraerem oivadidao- M boiseian-
do 8,682 ki%@. "
No meWao dia i. .. o
tabeleeoieato:
Peuse, 216 klo.
?mou-n, wulsk e feijba, 80 ca-vy.
F~etau divemas, 27 d.4m
4-..


ta a dei 73l9.a ... ." -. _:

no matadouro publift da- UiMaP .C US I
sumo do dia 16 do dorteff,;52 r84. .
elm& &e -- nwe oftMovineato doinp
sOs no dia 14 de jan
ExiFatiam press 386, entraram 8: sahiram 6,
existem 388.
A saber:
Nacionaes 356, mulheres 6, eatrangeham 1
easeravos 12.-Total 388.
Arratoadoe 361, sendo : bona 345, doentes :
-Total 361.
Movimento da enfermaria : '
Tiveram baixa:
Manoel Ja6 dos Santos, por Barraca, Thd
Rodrigues da Silva, Antonio Soares do A
Innocencio Ferreira de Lyra e Antoniu Barbe
de Araujo Barros.
Tiveram alta
Manoel Bezerra da SiTv e Manoel E. de Felis-
berto Braga.


PUBLICAGOES A P


Parahyba :
ILLM. SR. PLESIDENTE E MEMBROS DA JUN-
TA APL1iADORA DO TERCBIRO DISTRWCTO
ELEITQRA1,DA PEOVINCIADA PARAHYA
DO NOATN.
Erminio Melquiados da Silva Ramoas,
desta paroehia de N. S. da Conceigao do
Areia, e fiscal do candidate A deputao
geral por este district, Dr. Jos Soriano
de Souza, de conformidade corn o Regula-
mento n. 8,213 de 13 de agosto de 1881,
que baixoui para a execu9ao da aura lei
n. 3,029 de 9 de ianeiro do citado anno,
vem respeitosamento perante Vs. Ss. por
meio da presented reclama~gi a born doe
interesses legitimos e do direito qu e ihe
assisted, reclamar contra as elei9oes proce-
didas nas parochias do Coralo de Jesus
de Piloes; e de N. S. da Conceigio d'A-
aoia e para quo a sua reclarma6 no senti-
do de serem julgados nurias as eleiioes qube
nas supracitadas parochias foram effectua-
das, passa coa a devida venia a expander
os motives legaes e assas provados, que
bem demonstram a manifosta nullidade do
respective pro-esso eleitoral.
Convocada a furmiago da mesa eleitoral
de Piloes para o dia 28 de novoeibro pro-
ximino find, compareceram em o dia apra-
sado, alem dos juizes de paz e supplentes
respectivos, o cidadlo Mathias Soares Ca-
valcante sob o falso fundamento de 3o
juiz de paz desta parochia, assim o fazen-
do tomou part e nos trabalhos da organisa-
ago da citada mesa de Pil'es, funccionando
illegal e criminosamente, por quanto tend
o dito cidadao Mathias Soares sido nomea-
do juiz municipal supplente em data do 14
de agosto do cadente anno e prestado ju-
ramento em 4 do outubro proximo find,
ipso facto nao podia mais exercer as func-
goes de juiz do paz, por hayer perdido o
lugar por for9a da aceitaglo daquelle cargo,
como preceituam terminantemente os avisos
sob ns. 145 de 29 de omaio de 1884, 687
de 26 do julho de 1850, 340 do '24 do se-
tembro de 1873, 69 de 10 de fevereiro de
1875, de 7 e 11 de outubro de 1881, 7
de dezembro de 1882 e decreto n. 687 de
*26 do~jalo-de48O AUie omu~
tes e indistructiveis disposioes, quo bem
demonstram a veracidade do allegado, nao
trepidou o alludido cidadao, e na forma-
co da meza electoral de parochia de N.
S. da Conceigao d'Areia de novo compa-
receu e nao s6 fez part da sua constitui-
9o comeo at mnesmo funccionou nos traba-
lhos eleitoraes effectuados em o dia 1 do
corrente mez, postergando assim o direito
escripto e as terminantes disposigoes da lei
corn grave detriment da moralidade e da
fiel execuveo da lei eleitoral.


So6 demonstra este procedimento o fire
proposito de que so achava possuido o
mencionado cidadao de inqulnar de nulli-
dades insanaveis takes eleigoes, no intuit
de prejudiear os candidates Drs. Jose So-
riano de Souza o Jose Lopes Pessoa da
Costa nos eus mais justos e legitimos in-
teresses.
Certamente, Srs. da junta apuradora,
outro nao podia ter sido o movel, que le-
you o alludido cidadao a assim praticar;
porquanto protestando o reclamante em
tempo opportuneo contra semelhanto fraud,
a mesa eleitoral em vez de attender ao
protest formulado pelo reclamante e adhe-
rito pelo fiscal do candidate Dr. Jose Lo-
pes Pessoa da Costa, e deste modo sanar a
nullidade nao quiz tomal-o na considera-
go devida e ostensivamente procedeu os
trabalhos contra a espeetativa geral, quan-
do 6 certo que o protest do reclamanta
acha-se, coino bemrn pdde a junta apreciar,
motivado emn solidas bazes e secundado por
disposigoes do leis frisantes e quo jirmais
podcrao ser refutadas corn os principles
justos e regulars de uma logical argumen-
tagio.
E' f6ra de toda a duvida que infracglo
extraordinaria dos preceitos legaes consa-
grados no Regulamento de 13 de agosto,
se deu corn a intervenglo do cidadlo Ma-
thias Soares nos trabalhos eleitoraes das
supracitadas parochias, ponto este que nao
p6de janais ser contestado seriamente; e
se verdade que slo nullidades absolutas
e substanciaes todas aquellas qua nascem
da violaglo das lois que fulminam essa
pena (P. Bueno Proc. C. See. 31 n. 3)
claro estA que as eleiges das parochias
acima mencionadas acham-se nullas de pie-
no direito, por manifesta violaglo do pro-
ceito consagrado em a lei n. 3,029 de 9
de janeiro do 1881, e conseguintemonte
nao podiam ser tomadas em consideraco
pela junta apuradora os votos nellas con
feridos aos candidates que concorreram ao
eserutinio do dia 1" do corrento meo.
Do facto, a intervenco indebita do ci-
dadao Mathia. Soarea nos trabalhos elei-
toraes uldmameote realisados, nao temrn
iqualficativeo, pinipalMiente se attender-se
quo o ,mesmo apea"t funcciomou uma s6
ves dumate oWpo d& too&qe temde-
c arrict i d- proM da prauat
lei dwAi G W por sia6
Sadim1*,I Q


Atr, QUYKmaw di ren-
Aes;0 nownos tribaua Direito,
I0P 'e ainda mai df pro-
122 e 126 da Camuura dos De-
ir bs sobre as eleigces do- 11 district
RE inmbuoo e 10 district do Piauhy.
uanto a oonsulta de quo se socorreu a
ia pars provar a regularidade da pre-
sengs do cidadlo MAthiaa, no ternm razlo
4Oeser, uma veo qw ao tmern applicaflo
ad 0.o8 vertente, porque referindo-se a
ciaqlta so Aviso de 22 de outubro de
1881, e este tratando de mudanga de do-
micilio do cidadao juiz de paz, nalo pode
danodo algain tor assento na especie ver-
tAte, que trata da perda de lugar por
manifest e absolute incompatibilidade.
Os avison de 7 b 11 dottubro de 1881,
ode 7de dez mbrode 182 e o de 7 de
mango.de 1883 slo os actos do governor
oepedidos pars o caso em questlo, e o go-
yerno parsa melhor eaclarecimento e nenhu-
lia davida future expedio em data de 10
I.e fevereiro do corrente anno de 1884
Avis decisive sobre a material, on o qual
declara qua os juizes municipals supplen-
*8 nao podem exercer quaalquer outras
coes inherentes ao cargo electoral por
dar-se accunmulaglo do funcoes incompa-
Weis.
Qra, desde. que os Avisos de 7 e 11 do
quttUbro, 27 de dezembro e 10 de feverei-
ro sio. unanimes em dolarar quo o cargo
4 juiz municipal supplenta nao pode ser
icumuladod potr emprego de natureza al-
atma, clarn esti que o cidadao Mathias
Ae podia tomar part nos trabalhos elei-
raes, e desde qae assim o fez, violou urn
Vreceito legal estabeleeido e cbnseguinte-
meute nullificou as eleigces de Piloes e
Ama pelo principio juridico -E a quos
agc fieri prohibentur, si fuermint facto, non
solum inutilia, sed pro infectis efiamn ha-
bowr.-
Demais, como 6 corrente, o legislador
no intuit de cortar a fraud no process
eleitoral, oercou-o de formalidades e con-
dig5es indispensavei. pars attingir a este
fim. So estas condioes 'aIo sao ,preenchi-
das, dicta, a razao qua o acto 4 nullo e
esta nullidade 6 substancial, porque affec-
taa essencia do mesmo actor; assim a con-
firms o AccordAo da Relaglo do ParA de
25 doeagosto do 1882.
Donde se ve quo o cidadao Mathias corn
a sua indovida presenga nullificou as elei-
90es effectuadas nas parochias de Areia e
Piles, polo que nao podem ser as mesmas
apuradas, e conseguintomente infringio e
ferio de frente a disposiclo de lei clara e
terminate e por consequencia tornou-se
passivel das penas do art. 137, 140 e 302
do Cod. Criminal.
Assim, senhores da junta apcradora, o
reclamante expendendo as razoes quo Iho
pareceram adequadas, sufficientes e bas-
tantes para corroborar o objecto da sua
reclamagao o provando exhuberantemente
a nullidade das jA mencionadas eleicoes,
esapera e confia que sejam despresadas as
ditas eleig5es e nao computados os votos
nellas contidos por se acharem elles con-

tuidas; do memo modo pode quo seja
junta a present reclamaao eo doe. As res-
pectivas copias authonticas para os fins de-
terminados na lei n. 3,029 de 9 do janeiro
do 1881.
Justi~a.

Eleleaio do 9 dlstrleto
Nada temos que ver corn as conclusoes sobre o
resultado da eleicao deste district, contidas no
artigo que no Jo-nal de hoje publicou Ignotas. 0
poder competente, a Camara dos Depatados, li-
quidara este negocio a respeito do qual nenhum
interesse tmos.
0 nosso umtuito, escrevendo estas linhas, e pro-
testar contra as allegacoes apresentadas 4 respei-
to do modo como correu o processo ekitoral em
Quipapi. Ignotus nao foi informado por quern
quizesse imparcialmente, sem paixao ou interesse,
dar-lhe exacta noticia da elei~io daquelle colic-


gio.
E' falso que houvesse apparato e ostentagao de
forga por part do delegado de policia. 0 honra-
do tenente Souza, al6m de ser naturalmente ami-
go da ordem, 6 soldada e sabe respeitar as ins
truccaes recebidas de seus superiores.
E demais, amigo pessoal e politico do candida-
te liberal que concorreu com o Sr. Alccforado e
nelle votou, segundo nos foi affirmado.
Nao 6 mais verdadeiro o que disseram a Ignotus
relativamente ao engenheiro a quern se attribue
intervengao no pleito em favor do candidate con-
servador.


COMIERCIO
Prapa do Recife, 1 & de janeiro
de 18@5
As tree horas da tarde
Cotaaeg .ifficiaes
Apolices provinciaes de 7 0/0 do valor de 1:000,
A 1:0124 cada uma, ex-dividendo.
Cambio sobre o Rio Grande do mui, 90 d/v. c:ma
1 314 010 de desconto.


Na hora da bolsa
Venderam-se
10 apolices provinciaes.
A. Leonardo Rodrigues,
President.
M. J. da Motta,
Secrctario.
RENDIMENTOS PUBLICOS
Mez de janeiro do 1885
tLAooA----)e 2 a 14 328:039A978
Idem do 15 34:853A399
3132:893A377

PlcBaDoaBA=]l)e 2 a 14 13:208A000
Idem do 15 198A790
13:706A790
ONULADO PRovciL&L-De 2 a 14 119:922A330
Idom de 15 4:410A278
121:332A608
Amwa Dinosm-i)v 2 a 14 1:7805117
Idem dl 15
1-780A117

DESPACHOS DE IMPORTAQAO
Vapor napaaWi..u,oq eatrado dos ports do
nortN, no diaq4 do cormelt, e %onaignado A Com-
pubhiseS ganade NavogaIL o Coateira par
'4pos,uaifiitM:
-Alga 9 ,sa* ordea, 97 a Eodaigaes Li-
.;&&-*aWz*a9=tK a tio 4&C., 187 a Ma.
MsPw*Av449. a EL 1 abLh m C., 120 a
.t Tft Maia, 56 a F. F. Saboia, 22
-..t.I1~ L ai m i m -c a n -


~Port
'^ilM~ff^I Aw i bTr- & C.. Cwalur
,, "-. --, % -
' ,- ... 'PP






4w, '


-d
eomi prwum -sbrfe o eleaomdo em favr
conwyrador.
Naio 6, poi, eacto qo on engenhio, tenhai
absmado de son infltuneia sobre oB empregados da
estrada de ferro. intervindo no pleito.
Da outras irregularidades apontadas e referen-
tes aos collegias de Panellas e Bonito nao non soc-
euparemos, porque nosso intuit nao 6 discutir a
eleiqAo.
S Eleitor de Quipapd.
Llota dos Exms. Sre. paranympbos e
parainympbas oelclados para an]
mlbslrem a ben.e seolemne da ima-
gem de Nonsa Senhora da Concel-
c&o, na greja do AlAiclos. no do-
mnigo I do1 corrente.
Os Exms. Sra.:
Presidente, Dr. Sancho de Barros Pimenttl.
Chefe de policia, Dr. Manoel Ventura de Barros
Leite.
Teneute secretario, Joaquim Pereira Bastos.
Negociante, Serafim Ferreira Maia.
Proprietario, Joo Ignaceio Medeiros Rego.
Manoel Gonyalves Ferreira e Silva.
Commendador Antonio Pereira da Cunhi.
Negociante, Jose Gonalves de Barros.
Dr. Alvaro Augusto Carneiro Leio.
Dr. Manoel Francisco Teixeira.
Dr. Manoel de 84 Barrette Sampaio.
Jos6 Machado Souza Pimentel.
Dr. Fabio Alexandrino Reis e Silva.
Dr. Francisco Jacintho de Sampaio.
Dr. Antonio Annes Jacome Pires.
Negoc'ante, Antonio Pinheiro.
Camarista, Antonio Silva Neves.
Proprietario, Marcelino Pedro Souza Braga.
Jos6 Duarte das Neves Junior.
Proprietario, Justina Silva Boa-Vista.
Negociante, Antonio Lapa.
Antonio Basilio Santos..
Negocianae, Francisco dos Santos Moreira.
S Bernardino Lopes Alheiro.
Mauoel Ferreira Baltar Junior.
Negociante, Joalo Custodio Martins Leite.
Proprietario, Jos6 Moreira Silva.
Guarda-livros, Rodolpho Pessoa.
Negociante, Adolph* Olympio Barros.
Ferreira Crux,
S Francisco Guedes Araujo.
Professor public, Ermelindo Elyseu da Silva Ca-
neca.
Jose6 Gongalves de Andrade.
Negociante, Antonio Jos6 Azevedo.
Jor'ge Soares das Neves.
Alfredo Ferreira Baltar.
Guard livro, Julio Soares.
Alexandre de Pinho Borges.
Manoel Alves Letsa.
Negociante, Antonio Fortunato Ribciro Bastos.
Exmas. Sras ;
Esposa do negociante, Manoel Ferreira Baltar,
) do Sr. M. Pestana.
D. Amelia Azevedo Neves.
Esposa de Antonio Jos6 Azevedo.
Sde Serafim Ferreira Main.
Sde JoAo Custodio Martins Leite.
D. Amelia csposa de Jos6 Prudencio Santos.
D. Rita esposa do Sr. Alfredo Alves Martins.
D. Marianna Francisca de Andrade.
Esposa do Sr. Manoel Marques Lemos.
D. Senhorinha Clementina Pessoa.
D. Emilia esposa do Sr. Ferreira.
D. Abiia Affonso Pereira Lamego.
D. Lucia Euthalia Nunes Oliveira, esposa do ca-
pitao Luiz Ignacio Nunes Oliveira.
Esposa do Sr. Rodolpho Pessoa.
A commissao declare quc a.s esportulas que 05
Srs. paranymphos derem serao reservadas para a
conclusa'o das obras do altar da mesa image
que se estio fazendo na igreja.
0 secretario,
Antonio Carlos-Correia Araujo.

Inlandum, Begina, jubes renovare

dolorem!!
Descobrio-se afinal!
A trees dias andava somente a cauda te
'fora : sahiboioje a cabeoal! 1 .,
Em tao boa hora. 0 homesm comr-
effeito ura notabilidade medical 1 !
E' o mestre do todos: sem o parecer
d'elle um pass se nao pods dar na scien-
cia medical deste mundo de meu Deus!
Comno poeta, alem do notabilidado me-
dica!
Que voo de imaginablo, que accesso As
musas!!
As nuvens disseram basts, ate aqui
ninguem chegou !1
Como 6 poetico comparar os amores da
rainha Sichde que para se escapar As per-
segui9es de Hiarbas atirou-se a usa fo-


gueira!
Que sublime comparageo!
0 home 6 grande: incommensuravel!
Corn seus setenta janeiros e quarenta e
tantos de mestranga modica compare os
amores de Dido com os do cholera-mor-
bos! E que tal!
Mas querem saber. Pelo dedo so co-
nhece o gigante : desde o prirneiro artigo
todos una voce disseram: A LU[ tIL VE-
cmo! Nao pode ser outro. De Pernam-
buco medico s6 p6de ser o grilo-mestre, a
notabilidade medical! Todos sem excep-
9o ficaram sabendo que aquella epigra-
de carnauba-57 saccos ass mesmos, 10 a F. F.
Saboia,
Gomma de mandioca 27 saccos a Luiz Goneal-
ves da Silva & Pinto, 28 a Gonmes de Mattos Ir-
maos, 36 a Euscbio da Cunha Beltriio & Irmio.
Sola 8 solos a ordein, 37 e 2,685 maeios a Gomes
de Mattes Irmaos.

Escuna allemi Harmanna, entrada de Porto
Alegre, no dia 15 do corrente, e consignada a Maia
& Rezende, manifestou :
Farinha de mandioca 1,500 saccs aos consigna-
tarios, 1,500 a Pereira Carneiro & C.

L-gar inglez Busiris, entrado de Bronswick, no
dia 15 do corrente e eonsignado a Henry Forster
& C., manifesto :
Madeira de pinho 200,583 pes aos consignatarios.
Mercadorias diversas 24 volumes A ordem.

DESPACHOS DE EXPORTAQAO
Em 14 le janeiro de 1885
Para o* exterior
No brigue norueguense Okonom, carregou :
Para Liverpool, Engenho Central 1,500 saccos
corn 120,000 kilos de assucar mascavado.
== Na barca norueguense Appia, carregou:
Para Liverpool. J. H. Boxwel 400 saccas comn
29,819 kilos de algo:.Iao.
Na barca norue-aguenuse Sinah, carregou:
Para Liverpool, J. H. Boxwell 100 saceas corn
6,859 kilos de algodio.
Nopatacho inglez Wern, carregon:
Para New-York, J. S. Loyo & Filho 600 saccos
corn 45,000 kilos de assucar mascavado.
=- No patacho inglez Keldnan, carregou :
Para New-York, J. Pater & C. 850 saccos e m
63,750 kilos de assucar mascavadc).
Na barca americana Archer, carregou :
Para New-York, H. Forster & C. 5,474 saccos
corn 410,550 kilos de 'ssucar mascavado.
Para o interior
= No brigue inglez ( ambrion, carregou :
Para o Rio Grande do Sal, Baltar Irmaos 6A C.
200 barricas corn 20,940 kilos de assucar braaco e
100 ditas corn 11,023 ditos de dito mascavado.
== No patacho dinaiarqucz Vermern, carre-
Para o Rio Grands do Sul, B. Olrveira & C.
650 barrieas corn 71,390 kilos da assucar branco.


MOVIiENTO DO PORTO
Navios ,frad no dia 15
Natal (Africa)-35 dias, barca ingle.








-
.. .- .,. .. ,.*- -. lt : "


zaml Na, neroat

V ond tirar as inoerteza:
bndo-E' o mestre I .:.. .-
Minha av6 me dizia due ha ,iB" ,1..:
gadeiro, que sub:o to to 1 ,I "-
do a antiguidade e 0ab os 8
tend doas filhos jA homcns do baii;.
sando que elles nlo desnem par& 4oaW 1 A
guma propoz-Ihes, ou entrarem pot*. A-
des, ou assentarom pra9a. Os fila-,
ram polo segundo alvitre; o u0MinQ -i/ U-
o general sacudindo o p6 do ftiWrd a met- gI
teu-se debaixo do peso das dr*aOKu .
ell talvez nunca honrasse e mao ve-
tir os dous rapagaes e IA foi- se o#4 .t
do quartel a chegar a hora do-taoo i &-o
dew. Sendo roecebido con today. '.
tinencias por onde passava c Fii -mi,,
cretaria e ahii comprimentando o-e,
dante aprumou-se boremn, desceu m r 'aom o
a farda e em torn do discureo onulioo
disse: Senhor coronel, V. S. onde vi
estes dous rapazes, jA homes do bam a na
cars, ja capazes de pegar em uma eapin-
garda nbo sabem palavras- BisCENAS.
0 capellao do batalhio que estava pre-
sento e nao perlia pinguinhos de cera
disse :-Sr. hrigadeirro, um brigadairo qua
diz-BISCENAS decidio da sua sort.
UmI mestre, uma notabilidade nedica
quo diz que bexiga e vaccina s6 d" umaves
decidio "da sua sorte: porque quemo nlo
sabe que hoje todos os govemoas ds prin-
cipaes nagocs do mundo, Fran9a, rngla-
terra, Russia, Estados-Unidos, Hespanha,
Portugnal, Allemanha, Austria, e todas as
na95es do globo mandam vaccinar e revac-
cinar 50 voezes at pegar porque-* saboem
quo bexiga dA trees e quatro vezes e -Ac-
cina s6 tern vigor duranteo oito a doez an-
nos e em.toda part se estA vacianauo e
revaccinando e fazendo leis austeras corn
multas, prises e privates pde jnatriula
ou emprego ; e jA entire nds vae.s 4afehndo
alguma cousa.
(Coitado do mestre 1!! Si vis me flere,
dolendum eat primum ipre tibi. 0 mestre
ohorou de novo os infortunios do Dido
porque renovaram-lhe as reoniniscencias e
eu choro os seus infortunios porque re-
ceiou pensarem que era outro o author dos
seus artigos...
Dine.

Na'o hesitem em purgar-se quanto pre ci-
sam as pessoas quo conhecem as pilulas do
Dr. Dehaut. Nio receiemin fastio nerm fadi-
gas, porque ao contrario dos outrospurgan-
tivos, este s6 obra bem quando 6 tonido
corn bons alimentos e bebidas fortificantes,
como vinho, caf6, chA. Quern se pwrga corn
estas pilulas p6de oscolher pars toinalas, a
hora e refeigo que mais Ihe convier con-
fnrme suas occupagoes. A fadiga do pur-
gantivo send annullada polo effeito da
b6a alimentagAo, so decide facilmente a re-
cormear tantas venzes quanto for neces-
sario.
Deposit em todas as pharmacies de Per-
nainbuco.

Recommendadas pastilhas de Dethan
o -at ca& 4noag -Aai gajtai extiacgoes
do voz, inflammaoaos da bocca, effeitos
perniciosos do mercurio, irritago causada
pelo fumo, e particularraente aos Srs. pre-
gadores, professors e cantores, para fhes
facilitar a emissao da voz.
Deposit em Pernambuco-Pharmacia do
J. C. Levy Successor--Run do Bargo da
Victoria n. 25 e em todas as pharmacias.

Recommendamos as pastilhas e pds
Paterson (BISMUTH E MAGNESIA) contra as
doenQas do estomago, acidez, arrotos, eo-
mitos, colicas, falta de appetite e digestoes
difficeis; regulatisan as func90os do es-


tomago e dos intestinos.
Deposit cm todas as pharmacies de
Pernambuco.

0 viuho de Bellini fortificante, toni-
co, febrifugo, anti-nervoso, cura as affec-
9Os escrofulosas, febres, nevroses, cores
palidas, irregularidades e empobrecimento
do sangue, etc. Re,'ommendado as croan-
gas, senhoras debeis, psssoas idosas ou
enfraquecidas por doengas ou excesses.

A injection Brou hygienica, infallivel
e preservative, a unica que cura, semn a-
zaZidu Chief, de 394 toneladas, capi-
tao James Johnston, equipagem 11, em
lastro; A ordem.
Lagos (Africa) 45 dias, pat.icho portu-
guez Rapido, de 205 toneladas, capitfo
Joaquim Tavares da Silva GOudinho,
equipagem 10, carga varies generous ; a
ordem.
Buenos-Ayres por escalas 15 dias, va-
por inglez Elbe, de 1772 toneladas, com-
mandante Brander, equipagem 104, car-
ga varios generous; a Admson Howie
d C.
Sahido no mesmo dia
Southampton por escalas, vapor inglez
Elbe, commandant Brander, carga va-
rios generous.
Rio de Janeiro-Barca national D. Cla;'a.
capitAo' Antonio dos Santos, carga ma-
deira de Pinho.
Rio Grande do Sul Patacho portuguez
Fanny,, capitio Felix Alves Pinto, car-
ga assucar.
Canal Patacho inglez Wern, capit~o Ro-
bert Lloyd, carga assucar.
ObservaUes
Suspenderam do Liuarao para Guam o
o brigue suecco Pipita, eapitao M. L.
Pahlsson; em lastro.
Para a Bahia o patacho portug aez Rai-
do capitao Joaquim Tavares do Silva Gon-
dim.

VAPORES ESPERADOS
Espirito Santo do norte hojq
Marques de Capsias -daai'a hhe
Card do sul ".
Hambrg da Bahia "
Patagonia da Erop. ; i
Guadiana da Euxopai
Merimmae de.Nempaot-NHa a. .
Orenoque do-saL.
Memji de Trite .
Sptor da Europa
PenMM.oo -do ul a
Arolaiko do Cadiff.




.s -.


d esteumagoe d"in ,te

s omprega para recobrar o
10over aA digeafo, reparar as
nriqueor o robusteoer o organis-
AprvOnr a anemia e as epidomias
&"plos calories, no ha bebida su-
0 4 o mho de quina Araud.
Kawtr4a e a venda nas pricipaes phar-
SPernambuco.


hstiluto 19 de &bril

14na do Progresso-1
WNu mero telephonfIeo e1
DIRECI^AO DO
Bacharel Luie da Costa Ferreira P.
Carreiro
Este estabelocimento de edueacao, recentemen-
te mudado pars a rua do Progiesso n. 1, offerece
aos Srs. pais, pelas magnificas accommodates e
boa hygiene da nova casa, todas as condtiOes exi-
giveis de um estabelecimento de educaglo su-
perior.
Centinufia a aceitar alumnos interns, meio-
pensionistas e externos, assim come continua
omr o curse de ferias abrangendo todas as ma-
terias pars os exames officials de fevereiro, do
aceordo corn o programma do Exm. Sr. ministro
do imperio.
Pens6eN e honorarlos
Interno per trimestre adiantado 140A00)
Por mez 501SOO
nais de um irmto tern o abatimento do 5 ol sobre
cada pensao.
Semi. interno d'aula primaria ou de uma
s6 aula superior 754000
De mats de unra aula superior 10000O
Externo d'aula primaria per trimestre o1500
De urma aula superior por trimestre 20$000
De mais de uma aula superior por tri-
mestre 303000
Lavagemn de roupa 15iA 00
Dansa, music, ou desenho, por trimes-
tre de cada unma 20000
Corpo docente
Aula primaria, o director e auxiliares entire os
quaes sua mae.
Lingua national, geographia e historic, Dr. Vir-
ginio M. C. Leao.
Lingua fr minceza e rhetoric, Dr. Carlos Porto
Carreiro.
Lingua latina, Dr. Jos6 M. Acauau Ribciro c
auxiliar.
Lingua ingleza (theorica e pratica), Dr. Julio
de Mello Pilho.
Philosophia, Dr. Alfredo Pinho.
Mathematica o director.
Sensoria, o academic Julio Pires Ferreira e
auxiliares.
Curso especial de ecripturaciio metcantil pelo
Sr. Adolpho Guedes Alcoforado, habil guarda-
livro de nossa praca.

Portuguez, franeez e

inglez
Pedro Marques offerece-se para leccionar cm
casas partieularcs as materials aciimda.
Promette empregar os niceios A. seu alcanee para
adiantamento dos que quizerem se utilisar do scu
prestimo: tratar na typographia do Tempo das
11 '. 1 da tarde.

Escola particular
Rua Vidal de Negrelrosn. 190
Maria do Carmo Rodrigues dc Almeida, faz
sciente aos pais de suns alumnas e ao rcs.peitavwl
public, que suat aula acha-sc abcrt a no diai 7 de
janeiro proximo vindouro: o ensino consta do pri-
mciras lettras, trabalhos de agulha dc differenites
qualidades, flores, music e piano : reccbe Iguinas
alumnus intcrnas.

Aula particular para meniias
Vidal de Negreiro n. I1
Carolina Leopoldina Cuelho de Araujo, particlpa
aos pais de fatnilia qae de fewcreiro cn diante
estarA aberta sua anla particular para meninas, :a
rus Vidal de Negreiros tpateo do Terco) n. 12,
1- andar, ornde a mesma leccionar6, primeiras let.
tras, trancez. piano e diversos trabaihos de agulia.


Escola particular

Run do ] riiroz do llerval i 9
(ANTIGA DO SOL)
Ann* Theodora Simeos, avisa ao reopeitavcl
publieo e sos pais do suas alumnus, que no dia 7
de janeiro proximo vindouro, principiardo os tra-
balhos lectivos do seu estabelecimento de instruc-


"o primaria, continuando a receber alumnas in-
ternas, meio-pensionistas e externas, esperando
,'-.s mesmos o acolhimento e proteceito que sempre
lhe diaspensaram, certo de que einprcgari todo o
esmero no adiantamcnto de suas alumnas.

Dr. Bettencourt
Cirurgia: estreitamentos da urethra e do recto
curados pela eleetrolyse scm dor ; fistulas; tumo-
res do zero. Hydroceles sem injeeVao (cura ra-
dica). Embalsamamentos pelo process de Su-
cqet. Uleceras. Medicine: molestias do peito
e d& garganta. Syphilis, molestias venereas e da
pelle ; affeeges do coraso. Rua do Marquez de
S Olinda n. 34, das 12 As 3 horas da tarde. Chama-
dos por eseripto.



S Dr. Bello Gomes

{ ediee owe-rador
Raa do Barlo da Victoria, antiga (
ra Nova n: 37, 1 andar
On& pd.W, se er'. procurado A qual-,
quer hors. 'ddia e da noite. Con tsvlft
Ose0s omeio di,'. Recebe chamados
oresc pars fera da capital. Deo I
es-:mcE especialidade so estudo de
o^^ ^ ^ atl pei ffe ecres sy:
F ^B Affdti o amboso8w sexes.
A".R=RLO TELHOMCO N. 156
*. ,,- U


tode t'


a Ma


raa a de* w ni 1ii 7, ut d-* 4 r
Pires.

0 BDr.AI-
MEICO
Continue a dar consulted das 11 as 2 hboras da
tarde, em seu antigo consultorio, A rua Larga (do
Rao!prio n.6 3,* Indai. OhxoiApm r escnpt
a uqalquer hoira, na pharmaci Bartomeu & C.

Cajurubeba
Uia cura m ilagrosa!

lUm. Sr. Firmino Candido de Figueire-
do e Antonio Pereira da Cunhlia.-Eu abai-
xo assignado, afirmo quo soffrendo de urma
escrofula a mais de 18 ou vinte annos, a
qual per rmnitas vezes, me deixou em csta-
do do abatimento; a nto sup6r escapar, e
tendo a principio tornado diversos remedies
de curandeiros, trataruentos medicos, to
mci mais Salsa Parrilha de Bristol, Sal-
sa Parrilha de Ayer, Salsa Caroba e Ma-
nacd de Eugenic Marques de Hollanda, po-
rem tudo i6to era imipotente, ou vivia dcs-
enganado de ficar born e scm gosto na
vida; succede porem que lendo o Ditzrio
de Pernambnco, deparei corn um annuncio
do milagroso CAJURUBEBA, entendi
para mim mesmo ainda esgotar este; man-
dei ver um frasco, e principiei a tormar,
qual por6min nao foi mieu espanto quando no
fim deste, ja a ferilda declinava e nos fim
do segundo jA cu estava born, tomei o ter-
ceiro nao que precisasse mais, pore.n cn-
tendi assim, hoje pore'B ache moine corn umna
safide robusta e uma nova vida, descde en-
tdo no d(eixarci de aconsclhar aos meus
amigos para que como eu possam gozar
das prodigies desto miraculoso retmcdio.
Como do outro modo nso posse minanifcstar
a gi-atid'o de respcito que devo no inven-
tor deste remedio o Sr. Firmnino C. do Fi-
gueiredo e propagador Antonio Pcreira da
Cunha, offerego-lhes esta para ser publi-
cada, e assim chegar ao conhccimc-nto do
todos.
Pilkcs de Bananeiras, na provincia da
Parahlyba do Norte, aos 22 do novcibro
do 1884.
Candido Luiz de Franca.
Reconliheo verdadeira a firm., supr-r de.
clarada, ser do proprio assignanto e don fI".
Villa da Iudcpendcncix, 2 do dczcmbenro de
1884. Fim testemunho do vrdadeo o tabcl-
liio public Pr-ancisco Xavier Cawvlcante
de Albuquerque.




Instilulo Academico

153 Rleu a 0oVisc gdo0 8&ymia 153
(Hondego)
Este collegio, cstaLtle id!o can umn dos
mais vastos edificios d'cata cidalc, acliha-se
convcnienteminente preparado parn rccc.bcr
alunnos interns, semit e extcrnoscxto s.
A situato do cfSlicio c-u- -tun dos lug'nres
mains hiygienicos, a disposiyi(o dos sal.-.s de
estudo c dormitorio do acordo coin a boa
discipline, a c-xccllcnte chacara, panra r1-
creios, o Corpo docente c a longa pratina do
director nas umaterias do ensino devema ocr
penhores assaz sufn.cicntes do optirno dc-sen-
volvinento pihysi<.o, intellectual c nioral da
infancia.
Pensoes e lionorarieos
Os p'ogamcntos suio f--itos adiantadarcnte
per trimestros nos 5 primciros dirs dos ,nc-
zes do janeiro, abril, julho e outubro. 0
director nao forneco objecto alguir ao alum-
no, salva. a conveucao corn seu pae ou tutor.
Os alumnos interns pigaram por


trimestro
Os semi-internos da eschliola in-
fantil
Os semi-internos do curse sc-
cundario
Lavagem e engommado de
roupa
Externos do curse primario
Externos por qualquer class
do curso secundario
Por qualquer classes de artess.
Piano


1501000

7I3000

100,000

205000
20;000
15)000
151000
3060001


Rcsultado dos exames officiaes prestados pc-
los alumnos do collegio durante o anno de
1884.
PORTUGUEZ
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
provado plenamonte.
Joaquim Nunes Ferreira Coimbra, idem.
Jos6 Luiz Gongalves Ferreira, idem.
Arconcio Camboim de M. Vasconcellos,
approvado.*
Elisio Alberto Silveira, idem.
Andre Dias Pinheiro, idem
Alfredo Olyntho Barbalho, idem.
Antonio J. do Rego M. Netto, idem.
Carlos de Paula Lopes, idem.
Justino E. das Neves, idem.
RRANCEZ
Zeferino Pontual, approvado plenamente
Manoel C. do Rego Barros, approvado.
Carlos Adour, idem.
Manoel S. Nunes Machado, idem.
Jose Martins Fiuza, idem,
Reprovado 1
INGLEZ
Jos6 Gaspar da Silva Loyo, -approvado
com distilncco.
A,*edo Felippe da Costa, idem.
'Joiquim Nuanes FerreiraOoimbra, ap-
provado plenamente.
JoaoOuatodio de iB. Cosa, idem.
Alfredo da Silra Loyo. ideim.
MIaaoelC. d .o Rego B approvado.
Andre Dias Pinheiro, idem. .
Joaqim S. do Arruda Falclo, idem.
3Jo6 L-Uliz G. Ferreira. ido M-.
Biprovadeos 4. '* X -
-v T1 -1 1,/ *,1 ; *-:. ,L A T -l r -l:. -11, : 11: .


DI. Delmira S. da Costa, approve O ple-
namnente.
Eautiehio Autrant, approvado.
-s6 Hlingo Gon9alves, idem. :
Joao, S. do Arruda Esa1C, ideoi.
Eduardo I. Fenreira da SU dI I
Jost-N. Ferreif Aoimbmra, idem. r
Jos6 Ferreira Muniz.atm;4 .
Praxedes B. do Mendonga Vasceuelok.,
diem.
Joio Ctstodio de Barros Costa, iaem.
Horacio Cicero da Siva Tavaremsidei.
Manoel Cavalcante do Rego Barro-r idem
GEORA-PHIA -U
Ponpeu da Silva LIureiro, appyovadoq
plcnamente.
Jolo S. do Arrada Falcao, idem.
,Joilo Custodio do B. Costa, approvado.
Eduardo J. da Ferpeira da Silya, idem.
Jos6 Martins Fiuza, idem ..
Manoel Cavalcantedo Rego Barres; idoit.
Reprovado 1.
HISTOIIA
JoUto Siqueira de A. Falc'o, approvado
corn distincego.
D. Delmira S. da Cota, approvada p'te-
namnente.
Jos6 Ferreira Munizi approvado' -plenaw
monte.
Jos6 N. Ferreira Coimbra, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
provado plenamente.
Joao Castodio de Barros Costa, appro-
vado.
RHETORICA
Joto Siqaeira do Arruda Falkao, appro-
vado plenamente.
Manoel Alfredo M. do Passes, idemn.
Reprovados 2. :


ra ettr
men deo


MIS
535


Abrira as aulas no da l2 4o romeote. Ad-
mitt. alumnos intemor, besiu-internoaie externoe.
A dirnetoa,
0: A del'

iiution fran aise de de"ii-

..a uo Waw& d o. ja (amtlga do
n leivodeste eooome r em 7 de
oMneio de 1885. Becebe-ae aiuana, intirnas,
se"iinternas e extenas.-A director,
1. Adour.

Embarque
O' cirurgilo dentists Jose Basilisco par-
tecipa aos seus clientes e amigos, que se-
guo no dia 5 para o sul, ea' bwea de rie-
Ihoras i sua saude, e espera. qie na sun
volta continue a dispensar-lhe a confian
ca, corn que sempre o distinguiram.


Inslitulo vaccinico
an&a LaLrga do RioariO G. p, I. a a dan
Funciona todos os dias uteis do 10 as 12 horas.
0 director
Dr. Arriuda BeUr&o.


COLLEGIO
D
1f T~ A& r4 a S3m a -l -m- a


D. DeHira Seundina da Costa appro A l A
D. Delinim'a, Seundina da Costa.. appro- Nj 1 X -Fu So k DA1111ENHA~


vada plenamente.
Jo-io S. de A. Falclo, idem.
JoAio C. de Barros Costa, approvado.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.


Manocl Cavalcante do Rego
idem. ,
Jos6 FerrelraMuniz, idem.
Reprovado 1.
RESUME
Approvados corn distiinc$io
Idem plenamenute
Approvados

Total


Blarros,



3
23
45

71


Reprovados 10.
Para conhlceimento do public o director
do collegio declare que os ctrsos do anno
Iccr.tivo comeqaaio a 15 de janeiro de 1St:5
Rcifc, 24 do dezembro do 1y4.-
0 dI;rct-)r,
Jos. 1FerreiraI da Cruz Virc'a


Esc01a particulu r "

Para o exo IVemenaino
E1. iatrha dom Atijos Dorautelflln s m-
tirar coimipetcntementca habiiittadai, tern ibecrt,
,i4n sua residtcia, isa Dyino d, .Ii,,s n.t7x ,
;Ar diir- iti6.aau apa ru iArfle ritin'etr tfftr &^AJ
o sc'xo f-menino, a qual funceimonA dis 9is 2 hm-lrs
dia tarde dos dias uteis. E'nsiu., al6 (tidas mate ihia
que coustitucm t. ivstrucqto primnain;t ; os (livcrsos
trabalhos de agulhams. As pessoas que a quiz-roei
honrar confiando-lihes suns tifhas i),,damn dirigir fdv
:i casa acimina, ou corn sun pai o profssur Catmara.


City College
iRua das or'orss n. 3I
As aunas destes collegio abrem so no dia
corrente.
Recife, 5 de jauceiro de 1885.


12 do


Collegio Nossa Seniho-

ria das Victorias
RUA DO HOSPICIO N. 10
Este collegio continuarit diranre o anno lectivo
de 1885, abrindo suas aulas no dia 10 dc janeiro.
Admitte alumnas internal, semi-intcrnas e ex-
ternas.
As directors,
Blanche d'Herpent Torgo.
Baronne Lucie d'Herije t.


Collegio Pedro 1
Cacs do liamos t. 32


As aul-as (dtstc bet:bleimto i riciin iplarao a .
funccionar no dia 7 do correnut c RIecbein sc
aluiminios iuternos, ineii-lieinsioJnisrt:s c extcrn -s.


inslitutio Phlomialico
33-RUA DO VISCONDE DE AL-
BUQUERQUE-33
Cnrso de instruaeo primiaria e
secunda la
DIRECTOR
BACHARIEL OLII"-a
VICTOR


Internato


e externivo


As auias deste estabelecimento de. iustruccie
edueaoo estarilo abertas do di& 7 do correate t4m
diante.


O academic Julio -de Mello Filbo, pro
pOe-so a leccionar, segundo o programs
official, francez e inglez emi- collegios -e ca
sas particulars, ou em saa rcsidenviatA
runa do Coronel Suassuna n. 173, por mo
dice prego. -


Acabamos de receber o n. 144, eorres
pogdente ao, dia 15 (amanhS do torrent
Pavid Corassi i eanema-l redator,'
prietario d'est imjortate jorni deo


Rua do Cabuga ns. I e 9
segundos andares
Os trabalhos deste

collegio comeqaraio a
12 de janeiro.

As disciplines ensi-

nadas sao: primeiras

letras, portuguez,

francez, inglez, alle-

mao, geographia, his-

toria, music, piano,

desenho, costuras,

bordados, etc.

Admittemn-se alum-

nas internas, Imeio-

pensionistas e exter-

nas.


Collcgio do Santissinio

Coragao de Jesus
Este collegio pars instrucco do sexo fe
minino e que funciona no predio n. 15
da travessa do Vcras, abrira suas aulas
no dia 12 de janeiro proximo.
Tendo feito acquisi.Ibo de bons profes-
sores para as materias quo constituem o
ensino do mesuno collegio, acha-se nas me-
Ihores condiges do preencher o sou fim.
Slo professors os segaintes Srs:
Primeiras letras-D. Maria Luiza Sam-
paie.
Portuguez Dr. JoAio Feliciano da Matta
e Albuquerque.
Arithmethica franccz c gengrarhia
idoen.
Doscuho Jeronymio JosS Tlls Ja-
nir.
Piano c mnusica a dir.'ctora.
A 6-e.' dc( ss1 disciph.i's, o collgio cnsi.
,tI .a( lios d';Igulh;., boh ,,rdus, ct-.
R',cife, 31 d' (o dezcmbro do i-_4.
A director,
IT-?cnltina Cesaria de 1do.


Guilai0o! g o Nsa gs thoma gPaz
No dia 12 do corrcente sert inaugurado
t' i'ua do Barito da Victoria n. 46 2o andar
corn o titulo acima, un colIc-gio do educa-
giAo pars o sc-xo femenino), rccebando alum-
nas inter-nas seai-intr-rnwa c cxt-ra.s.
0 ensino compor-se-ha das rn.,t curse prirario e secundario, alem do di-
versos trabalhos d'agulhlia, desenho e piano
come ver-se-hia dos estatutos que so distri-
bucm no mesmo colbegio, nos quaes a di-
rectora especificna o csino e as qualidades
dos trabalhos
Quaesquer informa das pelos Illms. Sr. Ryd. vigario da ire-
guezia de Santo Antonio o Dr. Miguel dc
Figueiraa Faria.
A director,
Ma'ia da Paz e Freitas\


I Eusit par Uiar
- 0 professor Ioa 3o#*afelwr
D"Ca ri c o ti aleeciofar;. no s6 c6


Tem as meua qualidade therapeutieas das
aga c Selter,, Apollinario e outras, excellent
Dse uioffi8entos das mmbranas mucosas, affec-
5es rheumaticas e artriticas, escrofulas e moles-
tias de glandulas, edemas do figado, soffrimentos
do figado causados pela .esidencia prolongada em
eliman trepicaes, ;hemhonOies, congestues pul-
monares e cerebraes, hypocondria, rheumatismo
gottoso, eatarrhos de today a eapecie, nevralgias,
asthma, syphilis e molestias eausadas pelo mercu-
rio, asaim comr a presta par ser bebida pe a ma-
ai, qundoem eonequecia de falta do diets na
vespera apparecerem irregnlaridades na digestio
Agente geral e depositarie

TIEO. JUST

17 --Corpo Santo-17


EDITAES
Prolongamento da Estrada de
Ferro do Recife ao S. Francisco
e Estrada de Ferro do Recie a
Carunaria
De ordem do Jim. Sr. director engenheiro chefe,
tfao public poblico que ate o dia 22 do corrente
mez ao meio dia no escriptorio central desta repar-
tiVo A rua da Victoria n. 3, recebem-se propostas
em carta fechada part o fornecim.ento dos objeetos
seguintes necessarios aos trabalhos da repartieio
Aname da cobre, kilo
Dito de latao, idem.
Dito de zinco idem.
Algod'o da Bahia, metro.
Ago de Milao, kilo.
Agua-raz, litro.
Alvaiatle de zinco, kilo.
Dito de chumbo, idemn.
'Arcia para inmoldar, barrica.
Alavauca c;ladas de a;-o, una
Azeite de coco. litro.
Dito de peixe, idum,
Amarcllo francez, kilo.
AafrAo ( tinita,)idern.
Boncts, mI.
Bandeiras impqri:csc corn dous panuoS, uirla.
Bocaes para caiudeeiros, urn.
Barbaate grusso c ftuo, novello.
Brochas cinuts e redondas sov-tidas.
Burracha cw l- ,iol, kilo.
Cadernetas -m branco papel alhnao pautado 5(
folhas, unam.
Ditas de pouto ( conformne model) idem.
Canetas de mnadeira, idenm.
Canivctes bonds d hac dus folhas. un.
Caixas coin oulehetes n. 2, 3, 4, 5, urea.
Cestas para p),ipeis idem.
.la da Bahita, kilo.
Cal preta, alquoiro.
Chaves ingiczas, mna.
Carvilo do fcrreiro, kilo.
Chaanin'es para cu ndiciros, urn.
Candieiros para kerosene, idem.
Cobre em lcnuol, kilo.
Cadinhos, urn. .
Cadiados grandes patients, i3em.
Ciscadcrcs grande, idemn.
Cemento Portlainrd, barrica.
Chaves do parafusos de ao, umr.a.
Dita de dita francez, idem.
Corda de linie, peca.
Cannos dc ehumbo, kilo.
huinbo de ibirra, idem,.
Carirbos de b.,rracha para datar, urn.
Cadcir.s austriacas, urma.
Cops de vidro, u1n.
Ce., kilo.
D)obradicas d, latro coin parafa.isos, par.
Ditas de ferro coin parafasos, par.
Escarradeiras de louca, uima.
Espanadors dc palha, urn.
Estauhbo, kilo.
Enx',- c.i,, n it:te nl:', ,na.
Espiiit., (it vi hio, iitr,.
Euvc,-pp,.s i'.drados :;uarc,;dos, coato.
Dit.-s peboy, uiu'ts scnin tnaarc- cu.'unto.
binit'tui'To Il. c.ut'ii.- p;!tot; g !;"d(: ti, urea.
Fecladouras dc latao para gavtias c,:n parat'.sos
Ditaso ,ito rro con p;-rafasos, idem.
Feort '.i>a c3 ,ortido, kilo.
Dito ,ltc ing o, id'iin.
oerro.hos df lat-o para i- rtas e .rmnarios, :mm.
.Rto- do fanr- parA portas e arnarias, idfil
Ferru crn lI',o!, kilo.
Forces ruacil.,acs, uano.
FormS.es sortidos, urn.
Ferros l.ra su.ldar, kilo.
Goinma arubics em carol; ki!o.
Dita dita dita, tr.sec..
Gaxota dc liuhdo, kilo.
Gaxeta patt-,. metro.
Isola,'ic S o. -*>t :k i, a:. .
Jar'a c-;ii ; *;l:(inr;'i. l},t.
J;;rra., -:, ;.
Ka--.i ::i "-. H D.
| Xero/;"; :* ",t.


L atpis ,: .: '.i : i.
LatA.o o:r .. kl,,.
Limpra c. .-., ':i.
Dita lte F,,!, r F s. 2 ,' 3, ,]'zia
Livro. I:; .;:;cu pau el uL i;:, ..,;. 0 1
foihas, uin:.
DiL;os ditos ditos caCrr 5'), 10), 150 e 2)0. idem.
Lampf-es para kerosene, idem.
Lixa franceza, folha.
Dit: Ismeril, folha.
Lavaturio dc ferro coom j .rro a b:%,-ia dI loupa, um
Limas, mursas, meia canua, chatas, triargulo, iIIn-
gleza, umea.
DOt:s bastardas, meia conn., chat;ss, '-iaugulc
iigtlcza, idem.
LinmtS:s hinglcz's, sorli'i:s, urn.
L'..ntrnas par- kprozeta, u:.t.
Li para pavio, kilo.
Mata barrio cylindro, umn.
Maebados americanos, idem.
MachaidiunIhs americanas, urea.
Mordente fr'-ucez, itro.
Niveis de blula d'ar ccm- caiza e se;. .u:..
Oleo para apparelho, frasco,
Dito de linhauca, litro.
Occa amraella, kilo.
Oleo de mamona, litmo
O'eo de banma, litro.
Occa arrada, kilo.
Progos francezes sortidos, kilo.
Papel almago pautado (Fiume), resma.
Dito dito liso para impressio (eommum), fulha.
Dito dito liso bon para impressao, folha.
Papel para officio marcado confcrme o .modello
resma.
Dito tile a cirquer, ralo.
ito niatta rro b orne m, folha.
?Papelseeante para eopiador, idm.
Pifadl'em&biu& bom,1dem.
eo k 1
P~eo e ilh, ,0


Saudswo, Kilo.
8itetse kilo. ...
Tints itampom frasco.' !
IDita carmine, fraco, -
Dita-dita, pio. ''
Dita preta (bleu black), litro. .
Tinteiros de vidro, urn.
Trenas de fio mectathllico de 20,0ma a
Taixa de eobre, masso.
Dhade lataoi mass). 1
Trade de annel e rosca, urn.
ToulbhAs felpass grande, urma.
Tijolos frmncczes, urn. L ;
'Tinta verde-cromo, kilo.
Tints azul ultra-mar, kilo.
Tints pars impresslo lithographia, kilo.
Vidrs brancos 0,756x04i5x0002, urn.
Vidros brancos 0,660x046x0002, urn.
Vidros fuscos 0,560x01z30x00., urn.,
Vidros fuscos 0,850x0420x0003, urn.
Verniz branco, litro.
Dito preto japio, litro.
Dito gold sine, litro.
Vassouras de piassAvas, uima.
Ditas americanas, urma.
Velas do spermacete, kilo.
Vidros para nivcis d'agua, urn.
Verniz de litographia, kilo.
Vermellito da China, kilo.
Zarcao, kilo.
Zinco em barra, kilo.
0 fornecimento sera contratado per seis mezes
e feito conform as sespectivas requis 95es.
Os objects serao de primeira qualidado e entire,
gues convcnientemente acoudicionados no alms-
xarifado ou na estaeio das Cineo Pontae, segundo'
a exigencia do servigo.
Neste escriptorio enccntrar-sc-ho as amostras-
e bern assim os esclarecimnentos necessaries. As,
propostas serao abertas e lidas no lugar, dia.e he-
ra acima indicados na presenga dos Srs. propo-
nentes que deverao assignal-as e indicar nas mes-
mas suas residencias, e o fornecimento podera ser-
ajustado coin umn 6 propouente, ou parcialmente
conforme as vantagens offerecidas.
Sceretaria do prolongarmeuto da estrada de fer-
lo do Recite ao S. Francisco e estrada de ferro
do Recife a Caruari, 13 do janeiro de 1885,
0 seeretario interino,
Mlanoel Juvencio de Saboya.

Edital nI. 41
2a praia
De ordem do 1im. Sr. inspector se faz puhlico-
que as 11 horas do diat 17 do corrente mez, serA
vendida em leilao no trapiehe Conceiao a merca-
doria, abaixo declarada:
Arminazem 7
Marca CWRP Novo caixas n. 1 a 9, vindas de-
Now-York no vapor americano finance, entrado4
) em 18 de maio de 1884, contend folhinhas im-
pressas em umina s6 cr, pesando liquid 350 kilo-
grammas abandonadas aos direitos por Adamsno-
Howie & C.
3a seceAo da Alfandega de Pernambuco, 14 de-
janeiro de 18085
0 chefe,
Cicero B. d. Mello.
2.a secAo.--Secretaria da presidencia de Per-
naminbuco 13 do janeiro de 1885.-Edital.-Por es-
ta secretaria se faz public de conformnidade cjm,
w art. 11 do decreto n. 817 de 30 de agosto de
1851, o ndital a,',ixo transcripto pondo cm con-
enrs(e mn o. prazo de (;) dits os officios de seoq=-
1o t.;bclli:1u dILc 1tas, escrivao do crimine, ciwl,
comiercio, Iprivativ'o dc orplhlos c auscntes do
tcrmo d-) Cabo.-O sccretario, J. A. de Albuquer.
que Maranh'Lo.
EI)ITAL
0 Dr. Luiz Salazar d:i V-iga Pessoa, juiz muni-
cipal o de orphaos fo termno do Cabo por-S. M.
o Iucprador, etc.
F;,, saber is qu o presented edital virem, e
delle noticia tivi-rcmn qti se ache cm eoncurso
cori o pr.zzo de GO di 4s da diata deste oaofficios
vitaliciu d e scgundo tabelliao de notas, eserivao
do crn.i,, civel, eurnmercio, privativo deo orphios
e anseutes deste ternn,, vago por falleciamento do
proprictari. capit.o a Manoel Jos6 de Sant'Anna e
Araujo,ofiicios cr abos pcio dl\'arA de 2.7Tdejulho
de 181t mnaindado vig)rar pela lei pr v.incial n.
8(> dc 5 dc maio do 1810, a qual dispoo no art. 4
onw' os ecrivas dis villas do Bonito, Cabo e PAo
ht'.\lln quo tiver ,n titulos vitalieios, passario a
se-virr o, scusc:npreg',s pcrante as justices nova-
monte creadas, scm, que Ihes faca mi.ster novo ti-
tuI.
Os pretendentes deverlo apreseutar suas p1. ti-
0.5s devidainente instruidas nos terrnos dos de-
crotos ns. 817 de 30 de agosto de 1851, 4,668 de
5 de janciro de 1871 e 8,276 de 15 de outubro de
'1881, no prazo aeiaa mencionado.
E para que chegue so conhecimento de todos
mandci passer o present que serA affixado no in-
g'ar do costume.
D'ido e passado nesta cidade do S. Agostinho
doCabo, em 12 de janeiro de 1885.-Eu, Clarindo
Hermeto Lins, escrivao o escrevi.-Luiz Salazar
da Veiga Pessoe.
Condf'rme corn o origia;w que vwi scr aflixado no
luaar ma.-, p10b:ico a. do cstt.m. ', S un fe. Cabo,
? i2 : .:; *i o ,l; I.,5 .-0 esfii;',lo, CtarindoIter-


Edital !i. 40
'2" praca,
D e or.i:n 1do I!hn. Sr. iims;cctor se faz public,
u'!. as 1 Iora. (L i1ji t 1' d, rrez courrente, serao
'n!didi:s ca lei.ci, no trapieche CouceifI;o, as mer-
addri.us abrlaixo declaradas :
lTrapil c l;iraio do Livram-rn'to
Marca MAFA, 2 barris de quito, vasios, vindos
de Lisbon no vapor francez Henry IV, entrado
cm 6 de junho de 1883.
Marca NF&C, 1 dito idem idem no vapor fran-
cez Ville de C.aranhdo, idem em 11 dejulho idem.
Marca MFM, 1 dito idem idem na barca por.
tugueza Bolina, idem em 2 de novembro idem.;
Marca &TC e contramarca G, 10 caixas idem
do Liverpool no vspor inglez Author, idem em 8
dc ngosto idem, contend conserve de leite, pesan'
do bruto nas lhtas 218 litros.
Scm marc, 14 saccos idem do Porto no patfa-
cho portuguez Robim, idem cm 17 idem idem, con-
tendo louro, pesando liquid 112 kilos.
Trapiche da cc)mpanhia pernambacana
As inercadorias seguintes apprehcndidas no
presidio de Fernando de Noronha:
29 garrafas de vinho do Porto, medindo de ea-
pacidade 20 litros,
21 ditas corn aguardente de canna medindo
todaas 16 litros. 'N
14 ditas corn geaebra, medindo todas 181itros,
fiuga alcoolica 9 litros. -
9 garratoes con vinho secco, medindo todos f157
litros. ;
16 garrafdes corn aguardente de canna, m i4n-
do todos 274 litros.
2 ditos vasios.
3a Secio da Alfandega de Pernambueo, 18 de
janeiro de 1885.
0 chefe,
Ccero B., de M*Uo.


DECURA~IES


os^litglex e portagwx.














.8


1h.-=0 escaiyiv .
ilFT I..I^ ob *as>k'f>o>~


S~~Corre geral,


SExpEedi 0 adiniuictra jor fiz public que. a partir dc 11
o.'.eorrentc mez lior diante, cuin a abertura d
rafego da ceatcAo de Quipip'ti do prolongurment<
diat-tratda do ferru do RKcei' ao S,. S.Fran.-isc.j, si
malias do corietio pars alquella locdida-i, sr.k
'xpedidas diariamente p-h: t!.'Sh m:5 1 esrala dti
fero, podendo a co:-rcspm.l, n.:i:L r p)3.-t; n1I
admiaistraoolo o0. ,ma u.enicia l.s. Chinco Pont.is.
Pernuambuco, 14 tie j.ineiro do e.5.
Ai-o-A so do I,.go IJarros.
Deuitscer, l iuIfsverein
Generd Vt'rsam.U-ithl.i:: ;I j.Ainuar lb85.
Abcudls 8 Uhr en Lacaelc des Clubs Coneor.li
T'igosordnung :
-Reclhuiungsablago utuml.
ecuvaMl des A.,;.elih3S's.
IW. hRimenrs Schrif fitehrer.

inademiiisadora
A diree o du'ta oaimpanh;it dt s1guros c)ivida
os senhorcs z:cciouistas a sc reunirem eil mssemn-
blea g-Pral cx:1rute:l'.;iraia, quc dlevcrA tter lugar no
escniprorio dca m2-i;mL com)ninhia, ao mcio di.t de
19 dejaneir.- 7'1 ,-:i:r-) vin-t1tro. 0 i nm da rcf.ri
da reunii) 6 a v:.;''u: s.ti r ppr;,rovatiAo dos esrta-
tutOs d;i nesnt. cioi i1P:1it ulinmauneate rcforma-
dos de ac.ordeo coin : 1i m 150 (to 4 dc novemrn-
bro dcl 18S2. .jaii .i de 1885.
0O: direct.orei.s,
}[ Ir qi m ierin'uirdes de Olivuira.
Joa-uim Ahlv's dit lonscen.
Josc dai Silva L ,)yo Junior.

CMthu dr Boa-Vista
0 ifoo do I listrico d.t fircguozi:a da1,0a
Vista, :iutor'i:' ;)!.Io I- .vni Sr. vere. ador coin,
miss-.rio d !''":., :ra a quern intcressar
p s ,qr Lr., u oe-1 l' 'r1f"
posj;? q'c !.nl( ,n .,l olir. p6 It, s'r eomecad:I! a.nttes
de co.celdi .li ; lic. 1(,.i. Camrnar', quo deverA ser
visti pOlo e f is r *?- ctiiv, scn: o q(ue os inf'acto-
res sijeitar-se iLAo -s peniu. d) ;rt. 91 da lei n.
112:) tie 21'; dejh-l: ,- 1S73. ) ta-Vista, I) de
janeiro ,Ic 18o.--0 lhdcmlt


das 9 horas
seu vigesimc
;10 111110 o s 1
ilctutos fiit,
.s-fciras o
Escrip';ori,
,'t 1S85.


ao ,ucio dia dos ditis uteis, o
Sd(ividendo a raz;io de 8 o"1
Ilo (&'.li onm diantc os paga-
os as mcswlas horns nas ter-
sab)bados.
o da coinpanlia, 7 d(e janeiro


0 gerente,
A. Perei-a Sim5es.


Camara municipal
Despesas fcitas corn as folhas da limpesa das
ruas, prac'as, caeo, pontes e travessi.s das fre-
guezias de S. Fr. Pedro Gonitives do Ve6ift,
Santo Antonio, S. Jos61, Boa-Vist i, Gnri\(i, Afo-
gados, r t seteana de 1 a 10 do corrente mez.
Despendido corn as follias da limpesa da
freguczia de S. Fr. Pi'iro Gonealves
do Recife 1823160
Idemn idem da freguezia de Santo An-
tonio 201 .360
Idem idem da frcgueziai de S. Jos6 329,6-)
Idem ideni da frognezia da Boa-Vista 321 t640
Idem idem da fregiezia da Graqa 22,800
Idem idexc da frf,'uczia de Afogados 1030OO


Rs. 1:0704600
Contadoria dia Camara Municipal do lRecife ein
12 de jautciro de 1885.
0 contador,
Jos Maria de Souza Araujo.
Club Carlos Gomnes


lir.inmci. Anrjii): lirln 1.) U;Milvak-itce. Assemblea geral extraordinaria
A Camnua .ut micilhnl d (ci lade d) Recifei Do ordc-n do llm Sr. president, e para se pro-
convi:, iio (s doins dos e-ttbeeci, vila: ,is f'-g.viiziag da Grac:i, [l\co da Panellah e v(do .os senhores socitos a se reunirum na sede do
S. Lb .urc:(;o dI Mdt~ta, p-ira vir,-'m a sceciu. cn- clllb, secgunda-feirt 19, As 7 horns da noite.
et.-vtt aferirem os pesos, inelli.as e balanitas dos Scrretaria do Club Carlos Gomes, 15 de janciro
ia.s:,V)1, 10o iri'xiPio Incz dc j:inciro, sjb peoa Flc 1885.
dao i 7 David F. Porto Baltar,
Pa',o ,la Ca'mn u-.: Minici-Mal ld RcI'fe, 30 de 22 secretario.
2ov.-c:nbr) dc IS11.
Jya Cc-arW.),dod 1racs,
Club coneordia
Iiit to. u i ~ iu
Pecdi. (Uaodiano de dll'uis c Silva,
S.'ervt:itri,. Sonntag 18. d. Mts. Nachmittago Kindcrfest
-- t ud Prciskegeler.
D- 1 ,oren dI illin. l cRin. Sr. pairec Antoniio Das Directorium.
11. oIi e Albaqort-que, v'.rmalr cu-:nisariro de Pela secretaria da Camara Municipal do
.-iinie.(o1) s-., avis:i a qn in interest r p s-st, qui iRccife se tz sciente a quemin interessar possa, que
,is iu-lis.i's ,hriid.s A llmina. Camarai, pedindo Ia s,'ssilo dc 21 do corrente irA A praca public a
!,cen<;>prae(,d:ifci-,-, 'vcot,) seri (ie tacordo cOin factura dos concertos da cobcrta du casa do ce-
oart. 75 d1: Li n. 1129 d 26 de jnnhao de 173, o miterio do Cackte, hrMados em 4925080, devendo
i.i d., ti her ine t0ii'.i> : os .3-ectcndentcs a esta arr:in ttni atso ficaremin certos
Q:t:loh s' tivr d cdifik:,r, retdificar-, (h.moiir do qeUC pela urgencia da obr.i, dove ser ella co-
o:m fsi"zri !:,liier cn,'rtu, s recurori lieen, a ine.tda deutro do dons dias ldepois do terno do
A Cain.tra Muiiempal, n1 .u il se pedirA igtualmen- contrato, e concluida dcntro de dez, sondo os ioa-
c o fivl:mihment,), ciordm Ktauio uinais prcceitos sy- teriaes da qualidade especeficada no orm'unent.),
tetrHios ; tU.ial), a .S:! d ; 0 o ioml. dI o mi',tre ne pod-rA scr vmstou nesta secretariat pr quera
d(uo.r;>, ri.! mva:i-- a declar;,io quando hiouvcr quizcr concorrer A arrcinatavio.
OluuauP d.; inestre. Pageo da Camrnara Municipal do Rfcifc, 15 dc
Secrtaria (l da amari .\Iimicipai do Rccifo, 12 aniro de 1885.
2Ic jalluiro dc 1 5 Padre Antonio de Mello e Albuquc.qu,
Pc G. doL Ratis e Silva, Vice-presidentc.
accsctaroie. P. G. de Rautis e Silva,


Soele~ade likenefeente Luzo-
6$rasEe.sra
SESSAO SOLEDNE DE POSSE
De urdict do Iliu. Sr. director couvido a todos
os elfius p ir-t osdivmcr,). ca-rgos n' nova admiIms-
n.l',osr,'a Soi.ed-td do u;O comu m reit, a cormpa-
i-ecert'Oi ;t Soism., .itiinueit d l posse, a a q'Ilal tvtit
]ugmir no dia 18 do corrente 'domingo) pelhs 12
horas da manha, sendo e xtensivo o precu-nte com-
vite a ti)i3s os Srs. soci ts cen geral.
Secr-t:ria cida directori;t (1: Sociedl:td Beliefi-
cntc Luzo-Brasiieira, ;ws 14 do janeiro d 18835.
0 seeretario,
Antonio Pcrcira dc Madawathcs.
______ _---
AsSociacaO Portuie-
za de Beneficencia
D! ordcr da directoria scientific ans
Srs. associados que, a contar de I do cor-
rlinte, acham-se em execuXIo os seguintes
artigos de lei. approvados cm ses-fo d'as-
sembSi,:t geral de 23 de novcmbro proximo
passado :
Art. I." Para os socios casados, viutivos
corn filhos e soltoiros que se casarem te-
rerna d reito para suns familias aos bcnefi-
cios do que tratam os | 3, 8, 10 e II do
art. 32 dos estatutos, contribuirio corn a
mensalidade de quo trata o art. 19.
SUnico -Para os actuacs socios casa-
dos e viuvos ceon filhos, flea concedido o
prazo (de 3 mezes para comncaremu a con-
Lribuif.o de que trata o presonte artigo e
para os soltoiros que se casarem flca con-
cedido prazo igual contado da data do seu
casamnento.
Art. 2.o Dado o case de que algui so-
cio nao satisfaga o quo determine o par-a-
grapho unico do artigo antocedente [1)
no prazo determinado, o podcra fazer pos-
tcrioi'mente pagando as mensalidades cun-
sideraIdas cm atrazo, e s6 poder-io ser be-
neficiados suas viuvas e filhos tantos mne-
zes dopois quantos os que pagaram atra-
aados.
Art, 3.1o S6 sero benofic-iados as viu-
vas e filhos lcgitimos ou legitimados dos
socios, tcndo bide '-ontrahido o tmr.trimion:o
cu feita a legitimanAo pelo mneios 6 mezes
,ntes do I'fAlleiuimonto do socio, c quo cste
,stivesse iem (dia no pagameiit,) ide suas
,-ontribuiv.cs ( 2.o do art. 12 dos cstaitu-
tuos e art. 1 destes).
Art. 4.0 Fiea revog-ada a part do 6o
do art. 58 dos Estatutos, quo diz
Sem face das syndicancias. )
Seeretaria da directoria, 13 de janeiro
die 1885.
0 secrctario,
Manoeld Lops Ferreu'a.

Escola Normial


De ordeam do Dr. director fz-se public a quema
iuteresur posa, que as matriculas deste curse
,-tateio abertas decade o dia 15 do correnute atc 3
de l Bpu proximo.
Opiedldtme matriculna do I anno deve-
v.poas requeimentis corn co docu
idsade major de 18 anaam Para
Abvhiter moffrido t.o-demnzao


Secr'etario.

Baneo do Brasil
Pliga-se o 620 dividend na mazo de 9A000 por
;Cs'OL ; II I (ft dlo Comirnc,;o n. ,G. 1 nu"ir
= N6s abaixo assigiiados, concordamos a ni;o
cPlinprar noam expor A venda iinitaq.t, algu:na do
afain-ado Whisky Eseossez Royal BWend, mara
viado, do que sao agents os L-rs. Browns & C., e
pr,,wettemnos fnzer tudo o que furd dc ness) aleance
para protcgcr a dita marca, a bern dos interesses
dos nossos freguezes. Recife, 9 de mnaio de 1884.
Antonio Sampaio do Nascim nto.
Torres Irmao.
Carlos Pluym & C.
Darningos Joaquin Ferrecira.
Jose de AzeveJo Brag & C.
Abrantes & C.
Ramos & C.
Joss Joaquin Alveos & C.
Por Carroll & C., Ant'. dos P.;ssos.
I. Laguin & C.
Campos & Monteiro.

..... dlmpatua-Sglltd ThwarlZ
De abasteeim nto d'agna e hiz a
cidade de Olinda
Sw. wT I. K "
Pelo regulamentoda compinhia'etst estipulado
I. Que quaesquer reclamaVSes accrca do servi-
e0 public on particular, quer do fornccinento
dl'agua, qi, r relative A illhminaai' o, para sercm
attendidas devemn ser feitas Pon scr, itro. dooadas
e asslgnatlas, dirigidas ao escriptorio da comnpaithia
(officinas de gaz nos-Milagrcs) diariamente.
II. Que si'o responsaveis por s,'me!hantcs reela-
nma5ej os3 sens signatarios, no case em que as des-
pezas niio sejain da competencia da companhia
(canalisa;:lo no solo das rims p)r onde pastemx os
nen c nentos).
III. Que a companhia reserve para si o d reito
de fechar a communicaejo do giz ou agua a qual-
quer casa oun estabelecimento, cujo DOO nao pa.-
gar corn piomnptidao suas contas de eonsurnmo, .as
quaes deverio scr pagas em Olinda.
Publicando estes artigos para pleno conheci-
monto do public, aprovcitc a oportunidade pa-ra
de.-lor'. que qualquer conta de cousumo ou con-
en rto d'agua ou gaz s6 dove ser pago mediante re
cibo e estando per mint rubricado.
SEscriptorio da companhia, Ide in'iro dc1985.
A. P. Shimes,
Gcrr.ntc.'

THEATRE






lIMb Dramatico aliar .

Sabbado17 do corrente
terA lugar a soiree dramatic mensnl sendo leva-
do a accna o drama em 4 actos:


CaU&LO
e a cspiitudia e edia em 1 acto :


a a


Ullm.c
A orchei
bemimerits-
1oytt.ip
Sali


d ust .---,, .r,. -" ..- .. ,.
por oi sea produi, qt-i -iate,
das 10 boras da 4wa tyih h dtmw aoostrano
no edificio quem o= a ., .
Secretaria da Impemia 8ocd dos Artieta
Mechanicos o Liberae, 12 do ianciro de 1888.
Francisco da Costa Bamee


Patagonia


da demora do costume.


Es pera-sc dos
portos da Europa
at o dia 18 de jA-
ueiro e seguiri
|para os do stil e
do Pacifico depois


0



0
'*


4



$


Para carga, passages, encommendas e diuheir
a frete: tracta-se coLnos
Consignatarios
Wilson Sons &c& C., Limited
N. 14-RUIA DO COMMUEROIO- N. I1

United 14 tes & Brasi Mail S. S. C
0 vapor
Merrimac
k Espera-e ds New- Port-News
W ate5o din 19 de janeiro,
I eguindo depois da demora
ncoessaria para
Bahia e Rio de Janeiro
Polos vapors desta companhia dao-se passa-
gens para Liverpool ao preqo de 200 dollars ; c
passageiro desembarcaado em New-York tern ga-
rantia a passagens para Liverpool quando Ihe ap-
prouver per vaipores de la ordem.
Pars carga, passages, cncommendas e valores
tracta-se corn os


N. 8


AGENTS
Henry Forster & C.
- RUA DO COX-'LC.GiO


1.-andar
Companhia Bahiana de Navega
Vio a Vapor
Macei6, Villa Nova, Penedo, Aracaju,
Estancia e Bahia
0 vapor
Marquez de Caxias
Commandante Nova
SE' esperadodos portos aci-
S 'ma at6 odia 16 de janeiro,
e regressara pa-r os mes-
eMs os (lepois da demora docos-
Stume.
Para carga, passagens, enconunmmendas e dinheiro
ai frete tracta-se na
AGENCIA
7--Rua do Vigario 7
lomingos Alves Matheus


i stro-fluB ari Ll0yfl's Stilo

Navigatii .0
U VArcOi.
Memfi
E' esperado de Trieste,
at6 o dia 20 do corrente e de-
pois da demrnora necessaria
seguirA para a

Bahia, Rio de Janeiro e Sanitos
Par-a carga, passagens e encommendas tracta-se
XGENTES
Henry Forster & C.
RUA DO COMMERCIO N.
1.- andar
CO-HPANXIIE DES MESSAGE-
RIES WiABITILMES
LINIIA MENSAL
0 paquete
Orenoque
Commandante Morteinard
E' esperado dos
)portos do sul not
dia 20 do corrente
seguindo depoisda
Temora do costu-
me para BOR-
DEAUX, tocando em
Dakar e Ishoa
Faz-se abatimento de 15 por cento em favor das
families compostas de quatro pessoas ao menos e
que pagarem quatro passagens inteiras.
Por excepiSo os criados das families que toma-
re mbilhetes de proa gozam tambem deste abati-
mento.
Os vales postaes s6 se d.o at6 o din 18, pages
de contado.
Para carga, passagens, encoimmendas e dinheiro
a free: tracta-se corn o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCI9 -9
compankia Brasileira de Nave-
gaiao a Vapor
PORTOS DO NOTE
0 vapor

Ceara
Corn n-n.l:ztue o 1 tencate Gu,?h,.r'nc Pa-
chLCO
E' csperado do3 pcrrcs do suI
BB:.'7 /T at6 o dia 1S de janeiro e
\segu'h-i depco3 da demora in-
dispeneavel, para os poorto
I- do norte att? Manuios.

Para carga passagens, encommendas e va Lores
caeta-se na agencia
40-RUA DO COM IERCIO'- 46
PORTOS DO SUL,
0aor


ow-


I --


L s- ~o d *e~t


Alluirs


Tocando no
tearf, Par, Madeira e Lisbeoa


Para pasaagens, frete, etc. tracta-se corn os
agents.

Borstelmann & C.
RUADO VIGARPIO N. 3
1 andar
COMPANUIA PEINAUILBUCANA
DE
Navegawao Costelra por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macdo, Mossor4, Ara-
caty, Ceard, Acarahu Canwssim
Segue no dia20 deja-
neiro o vapor Ipojuca,
co eommandante Telles
As 5 horas da tarde.
Recebe carga at6 W
a-i- i dia, 19.
Encommendas, passagens e dmheiro a frete ate
As 3 horas da tade do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Cases da Compaahla Pernaimbnu-
eaa n. 1ii


LEILOIS

Agente Pestana

Leilao


De diversos caixoes corn phosphoros, mar-
ca Jonkopings (grande).
Diversos ditos corn ditos, idem (pequenos).
Diversos' ditos coin ditos, idem (vulcao).
Diversos ditos corn- dit", idem (cavallo).
Diversas caixas corn batatas.
Sexta-feira 16 do corrente
A' 11 HORAS
Na porla da Alfandega
0 agent Pestana, compctentemente autorisado,
farA leiilo, p.)r conta dos exportadorcs, de diver-
sos caixues corn phosphoros, acima mencionados.
Ao correr do martelIo


Leildao
Sexta-felra, 16 do eorrente
AO MEIO DIA EM PONTO
Carmo e Silva
S1 mobilia de jacarandai, obra de gosto e bemrn
acabada e nova, 1 dita de moguo corn pedra, obra
de gosto, corn pounce uso, 1 dita de pao carga,
nova.
2 guardas-vestidos, 1 guard louca, 1 mesa elas-
tics, aparadores, commodas, mnarquez5es, lavato-
ries, 1 rico santuario de jacaranda, obra do Por-
to, 1 piano novo, machinias, bombas, estantes, me-
zas p,.ra eseriptorio, prensas para copiar, fiteiros,
arm2rios, quadros, espelhos. relogios, videos, lou-
gas, ferragcns, miudezae, joias de ouro e prata,
relogios, espingarda e outros muitos objects que
se acham'presentes e que serlo vendidos sem re-
serva 4. preeo para fechar contas.
2K.~avme Go~pirtol--a^

Leilao
De moves, lounas e vidros constando de cama
franeeza, marquezoes, mesas clasticas, berio, 4
malas para viagem, cadeiras avulsas, quartinhei
ras, lavatorios, mesa para eseolas, bancos, mesas
para escriptorio, ditab para advogados, sceretarias,
bancas pars jog), earteiras, p-rensas, qnadros,
guaria lou as, sopeiras, garrafas. frascos, rolelo-
gios de parade, e muitas obras de o uro quo serao
vendidos semr reserve de pre9o.
Hoje
As 11 horas
NVo armnuzem da -rua do Bomn Jesus n. 51
POR INTERVENOAO DO AGENT
Gusmio

Leilao

Sabbado 17 de janeiro
A's O1e 1l1 horas
0 a.gente Silveira levari a leilo generous, e ar-
mau,3o do taverns sita A rua Velha n. 82. Ga-
rante- se as chaves.

Leilao
De esteiras, 5 balancas de rodas, 2 ditas de bra-
cos, 1 meza para jantar, 1 aparador, 5 carteiras
para 1 pessoa, 1 dita para 2 pessoas, mcch)s para
earteiras, estantes para papeis, prensa pars copiar
cartae, balcoes, repartimento para escriptorio, ec-
fre de ferro, eetrado para escriptorio, 1 lavatorio,
4 balancas decimals. ternos de pezos novos, ditos
uzados, pranchas para assucar, 10 pedras, barrios,
taboas, cabides pars socadores pas, socadores,
ferros para assucar, 3 picaretas e l1 caixues para
deposit de aesucar e 2 pranchSes grandes para
embarques.
Sabbado, 17 do correnle
A's It horas
"POR INTERVTrNQ,.O DO AGENTE
Alfredo Guiimaraes
N3 armazcn da rua do Bruni n. 92, cudo esteve
estabelecido o Sr. commeniads.r David Ferreir:'
B Ita-.

Leilao
De 5 eaixas orom mobilias de junco e ca-
dcetraus avulsase 2 caixas corn entremoios
kirdados.
Terea-fera, 2i de Janeiro

AMtnle Pluto
No ariiazern da rua do Bom Jesus n. 49


Em eontinuaqio
venderAi o memo agente uma burra prova de lofugo,
1 dita franceza, 1 earteira, 1 mesa corm prensa de
copiar, 1 balanga decimal, armarios, mesas, ca-
deuira e outroa moves de escriptorio.

Leila
3. --Il f sfeut*s e quirads
:~ ~~ $46- .'. .
cb 4 I par a o meir


-I-,"- alt-.


*T""sy ^ *"AMR- m.- a d .- ;,k.<" M :..-


So aobrado &da a do Born Jeua n. 49



A EstayIo
A Esta a-o


Compra-so dous numerous d'esse journal
de moda publicado no Rio dc Janeiro; sAo
do 30 de outubro o 15 do novcmbro do
corrente anno. A tratar n'esta typogra-
phia corn o administrator, no 1 .o andar.



ATTENf, AO
Vejam este quadro
d'aquelles que sao PON-
TUAES no mode de sol-


ver


compromissos,


que sao convidados a

virem a rua do Impe-
rador n. 79 a negocio


que nao ignoram.
Srs. :


SenadorJacinthoPaes

de Mendonva.
Jose Dias da Silva, da

Victoria, onde ejuiz

substitute.

Maj or Bartholomeu

do Rego Barros, ve-

reader da Caminarade

Gamelleira.

Alipio Accioli Santia-

go Ramos.

Joai de BarrosSantia-

go Ramos.

Clementino Pereira da
Costa, de Barreiros.

Antonio Ribeiro d'Al-

buquerque M a r a -

nhaio, do Cabo, enge-
Snif-o Ara ag'y.
Lourenqo Bezerra de

SiqueiraCavalcanti,

engenho Castello,

Ipojuca.
Joao Baptista da Con-

ceiQao,engenhoSan-

ta Rita, Serinhaem.
Joaquim Manoel de

Souza Oliveira, en-

genho Cachoeira

Nova, Serinhaem.

Francisco Mauricio de

Mello e Silva, Rio
Formoso.

Aluga-se ou vende-se o sitio do Cumbe em
Tieberibe, onde residio o Sr. Vailenca achando-
se a casa limps, o sitio bern plantado de arvures
fructiferas, o qual confinda. corn o rio desse nome,
onrde tamrn lupgar para o agradavel banho ; corn 4
quartos, 2 salas, copiar, cosinha f6ra, quartopara
i criado, etc. Para inforrmaoes, nesse lugar, ta-
verna do Sr. Jacintho. junto a estacao, ou corn o
proprietario ai rua do Beafiea ni. 5.
Aluga- se baratc -s aeguintes casas :
Sobrado n. 3, cacs do G:o .metro.
Casas terreas :
N. 7 da a esma rua.
N. 52 4i rua de S. Jo',
N. 5 run de S. Jor'z?.
N. 10-C a Ilha de I., :. c .t grade quintal,
agua., eneunada e vi.. :i..
Tr'm.ta-se ui rua doC,.. i,C '-o enetro n. 3, loja,
corn o Sr. Valenc:i.
Preciso-so iei :, c,.iui-iir.i- p.ura casa de
famili', paga.se berm : :. tr;lar nui rua do Barao
da Vactiria n. 39, loja.
= Precisa se de iu:a a,n p):rs cosinhar e iraib
scrvicis de casa do tani;ia. e ,I. um meniao para
compras e rceados : a tratar na rua do Marquez
de Olinda n. 51, 2- niudar.
Aluga.se na r I[n hper:d duas casas, urna
de padaria. corn foruc, e rttensiiios, e outra de moo


radia. ns. 198 c 19>. p:.i pree.) muito commodo-
a fallar coin JoAe l.'elii ..ro de Nazareth. A irun
de Pedro Affinso (o.urcr.r run- d:L Praia), arma-
zem n. 20.
Aluga-se a casa isisobradada u. 19 da rua
da Ventura (a Cpun,-,. ])ropriedade do Dr.
Jolo de SA e Albuquurqmi-. ;i qual tern exeellentes
commodes e grande sitic : a tratar na run Pri-
mriro de Marco n. 13.
Jos6 Paulo Botelho, tencionando retirar-se
temnporariamentt pars a Europa, julga nada Jdyocr
neosta praa ou f6ra della ; todavia quern se con-
aiderar sen credor cu da firm Jos6 Paulo Bote-
Iko & C.. queira apresentar-se corn os respectivos
documentos, dentro do praao de trees dias, a con-
tar da data de hoje. Scientifica mais que deede
1 ddedxembro pasado cedeu seu estabeecimen-
to si ft Ira de Pedro Aftfranso n. 68 ao Sr. Anto
ak Jos6 laped Brag, fiamudo este senior encar-
sde'd. Iidago do aetlro Jos6 Paulo Bote-
as "& C. -.-l 15 de janeiro do 1885.


i*^ : Acnot atu'B ekfnsurmw que untst
^lMI*Jiilk*I''t^*rifl* fr am~o eopimdo Jeaam'm
.i~~i~i'Si~~tfyii1 '*l OP ^ -- ***- j"gMI de."* 86.uu
^|j^^JPan.&


= Aluga-se o 1- andar do sobrado n. 23, A run
da Penla, corn agua e gaz eneanados : a tratar
na rua do Itaperador n. 31, armazem do gaz. As
eaves se acham no 2- andar do mesmo sobrado.
= Offerece-se uma ama portugueza para casa
de pouca familiar, para cosinhar ou engommar : a
tratar na rua do Bartholomeu n. 43.


Aluga.se
uma grande casa, sita A rua da Aurora n. 167,
pintada e caiada dc novo. corn grande sotgo, pro.
pria para grande familiar, corn canalisacao para
gaz, corn agna, quintal todo murado ; a tratar na
rua do Visconde de Goyanna n. 100, entroncamen-
to, Manguinho.

Excellent sitio para

alugar
Aluga-sc urn grande e exce1 znte sitio, na tra-
vessa da Casa Forte, corn cr sa de tijolo, corn mui-
tosa commodos, tendo 4 quartos, 2 salas, cosinha,
urn grande pd6o e mais duase cacimbas, todas de
optima agua de beber, corn terreno de cerca de
1,500 palmos de largo e mais de 2,000 de fund,
tendo muitas arvores fructiferas, cormo sejam :
mangueiras, cajueiros, coqueiros,jaqueiras, fructa-
pao, bananeiras, oitis-(or6s, pintombeiras, dende-
zeiros, etc. 0 terreno 6 o melher que se p6de
imaginar para lavoura, e tern plantado mnita
mandioca, macacheira, canna, etc. Este sitio ae
faz recomendavel por scr extremamente sauda-
vel : quem pretender dirija-se *4 Casa Forte, sitio
do Dr. Cardim.

Aproveitem


6OO rs.
Vende-se 500 garrafas de vinho de genipapo a
500 rs. a garrafa : na rua de Domingos Jose Mar-
tins n. 104, taverna.

Caixeiro
Precisa-sc de um caixeiro corn pratika de mo-
lhados : na run da Aurora n. 85.

0 Paulino
proprietario do antigo archi armazem do Campos,
6 o unico que tern o afamado chocolate dames, o
melhor que se p6de desejar, e em caixinhas de 1/2
kilo : na rua do Imperador n. 28.

Cosinheira
Precisa se de ura ama que cosinhe corn per.
feic'o : aa run Duque de Caxias n. 52.
z= Precisa so deuma ama; na rua do Rangel
amlcro w1.
a-- '' ll I IN"





Antonio Joaquim Pereira
de Oliveira
Lydio Marianne de Albuquerque ccnvida aos
seus parents e amigos para ouvirem as missas
que manda resar as 8 horas da manh! de sabbado
17 do corrente, no convento de S. Francisco, peto
descanso eterno de seu verdadeiro amigo e cu-
nhado Antoni.- Joaquimn Pereira de Oliveira, pro-
testando-lhes, desde jai a sun gratidao.
E. de 0. Doeea
Manoel de Souza Rocha c Theodolinda Baltar
de Oliveira commemoram o 1 anniversario do fal-
lecimento de sua presadissima esposa e filha, Es-
tephania de Oliveira Rocha, corn algumas missas
que serio resadas polo eterno repouso d'alma da
mesma finada, segunda-teira 19 do corrente, pe-
las 7 horas do dia, na igreja de N. S. do Tergo ;
antecipando os seus agra-.decimentos As pessoas de
sua amizade que se dignarem a comparecer a este
acto de religiao e caridade.


9 .0 ..


Ermelinda Senhoriunha Vieggs
Os filhos da finada Ermelinda Senhorinha Vie-
gas convidam aos parents e amigos para assisti-
rem as missas que teem de ser celebradas no dia
19 do corrente mes, 20 annivcrsario do seu falle-
cimento, na igreja da Concei"ao dos Militares, As
8 horas da mnanhi ; pelo que se c nfeasam eter-
namente agradecidos.


ci conhecido do mundo intciroI I
w como o melhor 6 mais perfeito
do todos os sabaos de toilette. 1
M_ Especialidade.
SEstractos 6 essencias triples j
0 de eheiros. Agua de Colonia. |M
A Vinagres de toilette. P6s d'ar- .
q roz. Pommads. Azeites 6 to- ]
1^ das class de perfumariasfinas.
Superiares qualidadess
p*/os pos principaes Per- I1
fma--s, Pharmacias 6 Cabel- [
l eireiros do Brazil.

Mudha do Progrcaso Viennae 173. 1


X .. ".- -
- .'. '* 4. '"" % .'* "' ....' *~'^ ;* e '':' **; :' : .'. *', .
. ,, .. ,' % ,.* ..
-E.,. -,, ,t .'...-- -,-


* 1, .-


~"?t'~


-'" i'10 n rctitrio.
Compahla do Trllte UrI fJ, --.-.... ...

R cif a Oll ia 1a Blrib i SARITInOSa
d l lIBfi le it .p ., -. -

DIVIDENDO acific Sleam Navigation Compan
Apartir do dia 12 do corrente at6 o dia- STRAITS OF MAGELLAN LINE
241 scra p:.i;o no escriptorio da companhia 0 VAPOR


x-A^v- t. -*)
-m' p--.to a*-- i^*^^'. SP S ^
nato )jparecm a mitae vesa, qpot
quem pretender entenda-se oeirm
S runa da Madre de Dens n. 36, 1- at
0 abaizo assignadp, tewndo ei
casa do 8r. Jobo da Cunha Vasoncelp,h
esteve seis annos, dous meres e trees dSia -oes-
viqos do mesmo senior, exercendo cargo do caa.
xciro, vem pelo present cumprir urn dem agt
decendo so seu ex-patro acima referido pes
boa. maneiras e tratamento, e bem aesim pau
multas consideraq8es que se dignou diopenmar-
lhc durante este period ; agradece por igaal f6r-
ma ao seu amigo o Sr. Francisco Alves Masbado,
seu ex-companheiro (corn distinceAo).
Jo8A das Nevps Pedrosa.
= Precika-se de urn merino para caixeiro : ua
rua da Florentina n. 4.
PrccisL-se de um criado para familiar : na
rua Nova, loja n. 16.
Pessoa habilitada offerece-se a ensinar,
quer em casas particulares, quer em collegios, as
materials seguintes :portuguez, francez, inglez,
philosophia e sciencias naturaes : na loja da rua
do Cabugi n. 9 ae dirA quem 6.


- V.'

-'a-,.


Ibs 4[ 6rw Qs


I


k-j 0


"^' ^ ."^ '


I


it.d,
.-IS


Ample
(U6IBt










1 -
'a-
.7.


Oriez~al.


Ama
Precisa-se de uma ama para cc sinhar e lavar e
que seja de boa conduct, para casa de familiar de
tree pessoas ; a tratar na rua do Barao de S. Bor-
ja n. 49.
Aluga-se a grande casa n. 159 A rua Impe-
rial, de azulejo, corn porta e duas janellas de
frente, estucada e ladrilho de mosaico, contend
2 salas, 1 gabinete, 5 quartos, cosinha f6ra, quin-
tal e muitos quartos no quintal, que 6 murado,
tendo portio pira a estrada de ferro de S. Fran-
cisco, cacimba corn muito boa agua : a tratar no
escriptorio n. 54, primeiro andar, a rua Duque
de Caxias.
Alugam-se o lo andar da casa n. 18, o 20 da
de n. 66 A rua Direita; o 10, 2 e 3- da de n. 3 A
rua da Penha; o 2" da de n. 25 a rua de Santa
Rita ; o lo da de n. 34 A rma do Rosario Estreita;
a tratar na rua do Hospicio n. 32.
== Precisa-se de uma ama para lav-r e engom-
mar, para trees pessoas ; na rua do Imperador.n
35, 2- andar.


a


Quem quizer alugar a casa n. 4 A rna
do Conde da Boa-Vista, p6de procurar
as chaves no estabelecimento n. 30, A
run do Imperador.


= Precisa-se de um criado para casa de fami-
hlia : na rua Nova, loja n. 16.
- Aluga se para fcirlia o primeiro e segundo
andares do sobrado A rua do Barae da Victoria
n. 14 por 504, todo pintado : a tratar na loja do
mesmo.
Precisa-se alugar urn criado forro oucrb- es
vo, ou umnia preta para vender flores e bolos, pa-
ge-se bern ; no Caminho Novo n. 128. Na mes-
ma casa se dirA quem vende um xarope e tintura
de plant vinda do eentro do sertio do Ceara,
para cura de molestia do peito e asthma, que jA
tern feit) muito boas curas. Na mesma casa se
vende parasitas em vasos prcprios para sala ou
embarque._________
-Precisa-se de um criado e de uma cosinhei-
ra : na run Nova n. 61, 1 andar.
Albino Gon4palves Fernandes
tern uma carta vinda de Portugal, na rua da Im
peratriz n. 13.
Aluga-se o armazem do sobrado da rua do
Duque de Caxias n. 37: a tratar corn o Pinheiro,
na rua larga do Rosario n. 38, 2 andar.
Jose da Silva Moraes participa a seus ami-
gos e freguezes que mudou seu estabelecimento de
cocheira de carros de aluiguel e cavallos a trato,
da rua da Roda n. 60 para a rua de Santo Amaro
n. 3; a entrada pela dita rua da Roda.
Por festa ou por anno, corn pigamento adi-
antado ou fiana idonea equivalent, aluga-se o
pequeno sitic da travessa da run da Mangueira,
que foi do fallecido Joao Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alem de muitas arvores fructiferas, tan-
ques e cacimba corn excellent agua potavel, e se
aehar murado, tern casa de habitacio em born es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e um quarto f6ra pars criado ou feitor, accrescen-
do ser esse sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e ais duas estaVZes da Casa Forte e Caldeireiro
da linha-ferrea do Recife ao Caxang'A : quern o
pretender p6de entender-se corn a familiar do Sr.
Manoel Miranda ou corn o Sr. majinr -ln,. Camel-
lo tdo wgo narrow una mensma travessa da rua da
Mangueira, que The mandarao mostrar e poderio
dai as informac5es necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, A rua Velha n. 59.
PARTEIRA
Rua da Aurora numero 1.
=Precisa-se de um caixeiro portuguez de me-
nor idade, que d6 informaao de sua conduct e
tenha pratica de taverna : a tratar na rua Vidal
de Negreiros n. 8.
Aluga-se a casa n. 1 A rua Lembranna do
Gomes, em Santo Amaro, grande, fresca e pintada
de novel, tern agua : a tratar na rua da Impera-
triz n. 32, 1- andar.
Compra-se
urma besta parida : na rua estreita do Rosario
numero 24.

Procisa-so
de uma menina para andar corn uma criauca : na
rua das Cruzes n. 28, 2- andar.
Ama
Precisa-se de uma cosinheira : na run das Cru
zes v. 28, 2- andar.
Dous andares para ahgar
Aluga-se o 2- e 3- andares do 1redio A rua
Duque de Caxias n. 61, corn commodos para fa-
milia : a tratar na loja do mesmo pr dio.
= Precisa-se de uma ama para cosinhar em
casa de familiar : na rua Imperial n. 42.
Aluga-se a casa da rua da Uniio n. 67.
tern commodos para familiar, agua encanada, gaz
e grande quintal : a tratar na rua d) Apollo n,
22, armazem.
= .k quem interessar declaramos que nest,
data Aespedimos o nosso empregado Joaquim An-
tonio de Araujo. Recipe, 12 de janeiro de 85.
Floriano Passo C.

NOLESTIAS dos BRONCHIOS e da GARGANTA
(Dalluxo3, Catarros, Coqiueluche, Laryngite)
XAROPE e PASTA de VAUQUELIN
PARnS, Ph1, 31- run de Clary. e em todas Ph' e Drogneris.
<>tmwxxxoxatxxxxKXKXmw
^tk XPOIQO DC PARII 11175
ouft DI PoAIUiruO


I.

hr

FL


>5 E*i-

-~ -- *. a~. ~ai..s- -
-, *~ 2-,-.
to -


vOSEPH KRAUSE a_ C.


ME






0
U


Acaban de augmentar o sen ja bern conhecido
importance estabeleoimento i rua 10
de marfo n.- 6 corn mais
um salao no to andar luxuosamente pepar-


rado e provide de uma exposi-


clo de obras de prala do Porto e electr
dos mais afamados fabricantes do


Convida, pois,


o-plate


mundo inteiro.
as Exmas families, sens numeo


rosos amigos e freguezes a visitarem
o seo estabelecimento, afim de


apreciarem a grandeza e born gosto corn que
o obstante a grande
despeza, o adornaram, em honra
desta provincmia.

AHEA- E ABB TODAS I A7 8 8 DA NOITH


(1

a






M

N3


O Ur


DPPRESAO ~NEVI GA S
wmuS.'m y r musu me .
0 Blra-Be a fumaca que penetra no polio acalma o syrptora nervouo. ftdltta
a tpceioraao e =avoriua as funcQoes 1 origaos resp .rlo .
won. em tae"do e- amea e BESPIC, 126, rua" x6t&m4iW --M" -ais
ptitta or ipM .FRtANC' m. do sz&IWVA, &


VINHOGILBRT SEQUIN
F(8hIFU8 FOR71FICANTE approvado poloAcademia da M"W"ni Aso .2
Soaeta ao5 4 ExzperioU j
ae d bm 1 demautrado a eacis Incontestavel deste VXMZO, qo6r cofma s -
pedwe- pentie moortar as Yebrese evitar o sen reapparecimento, qu6r como ertfleaufstltsA
Qoaysinaa ubiiUfG~eoa te ge MenstruA fo n elcia, iy-0
0r-ftem 4 gs=unrnMI5 es aoUSB b16,70= pla j M
Ego Vil., q9a ConMm rMaI$ prinoipios ctiros do qua oas preparados uimilares, vendos4n99 pop jO f
pomeso uaeienlo.--Ndo a sdes ,abjear contra o pre. em r'ata da reconhectda efflcaoia do mliioamwto.
Phamacia (-. 'U4CW r 378, imia Saint-Honor6a, PARIS
3Ds Aovt arios m P:er- a ,i x oo: Y:r3R .A da. SXLV.A. & 0


PILULAS DIESTIVAS DE PANCREATINA
de DEFRESNE
PkhWm.Motid de 1- Claie, Forieftedr "oS Heoaptao ds e P
A Panoreatina empregada nos hospitals do Paris 6 o mals podero-o
digestive, qua se conhega, visto como tern a propnredade de digerir eo
tornar assimilaveis nlo s6mente a carnet e os corpos gorduroso., mas|
tambem o plo, o amido e as feculas.
Qualquer qu3 seja a causa dai intolerancia dos alimentos, alteracao, ou
ausencia de succo gastrico, inflammaC_, ou ulceracbes do estomago, ou
do intestine, 3 a pilulas de Pancrea'dna de Defresne depois da co-.Ff
mida, sempre alcancam os melhores resultados e sao por iso preacriptas
pelos medicos contra as seguintes affecQOes:
Falta de appetite. Anemia. Gastrgia |
Mas digestoes. Diarrhea. |Uleragoes cancerosas.
l Vomitoo. |Dysenteria. Entermidades do figado.
Flatulenoia estomacal. Gasirites. Emmagrecimento.
Somnolenoia depoisdeoomer, evomitosq aeaoompanham a gravidez
PANCREATINA DEFRESNE em frasquin Dsa oom a dose de 3 a 4 colhe-
radazinhas depois da comida.
Eem h w DEFRESNE, autor da Peptona, PARIS, en today at harliacias


PELLETIERINA
DE
TAITRET
Laureado pelo Instituto de Franca
Fornecedor da Marin,,a franceza e dos Hospitaes do Pariz
0 remedio mais certo e o mais facil de tomar
I'ARA COMBATEIt 0
VERME SOLITARIA
Cada dose e acompanhada de uma instracao detalhaa.
PARIZ, PH6ca TANRET, 64, RA BASSE-DU-REMPART
S sesitarios na Bahia : AGUIAR I a & Ca .


Verdadeiro Purgafivlo,
I LE ROY

E 0 remedlio mais antigo e o0
m5is universalmento empie-
gado contra todas &s molestia
Sepidemncas ou outras, causadas
ela alteraao dos humores. I
L OT-repara exnlusova '"q aR Ph.rmaciR lY
COOTTIN Gecio ae LI ROY ji
j.. ila doa Seine, Sl. emo Pnrsrfai~


AS
Enferidades Secretas
BLENORRHAG-AS
GONORRHEAS
FLORES BRANCAS
CORIRIENTOS
rooentes o. antigos slo curados om
ipouooe dias em secret, sem regi
men nem tisanas, sem cansar nero
pmolestar o. organs? digestivos, peas

e injec&o de


DO DOCTOR FOURNIER
PARIS. 22, Place de la MedAiMs .-


tI tLxgiP -abrk, W4 tC.xa-4. ltotuiot & AJitauu bm ,-
s :er PMreo: *2 S .71
sf* Pa..,M"M PM AAr. -da dIL'
dfiJ VU rnI VIZ WuZ'an


0I13


IU]


[ il


Em prestaCoes





18000


Por


P6de adquirir-se as verdadeiras machines de

SINGER

Quem no deixara de comprar agora umna destlas afamnadas machi.
nas?
Venham a succursal da companhia Singel na


RUA DO CABUGA N. 1 A
N. B.-Yendemos tambem linha superior, retroz em carreteis,
aguihas, oleo, linha de crochet, pepas avulsas para as machines,
tudo de superior qualidade e por prefos sem compelencia.


FU BI[AO


BI [FRI
DE


CARDOSO & IRMAO

RUA DO BRj NI. 100 A104
DRPOSITO EU/k DJ APOLLOKH.1 12 B
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas relaqoes directs


antes,


[nglaterra,


corn os melhores fabric
tincto engenheiro de ]
grandes vantagens para


provam corn os apparelhos completos
tes nos engenhos Massauassu' e Bo,


offerecem


assen-
sque, e


meio apparelho no engenho Coneeiao.
MACHINAS a vapor trabalhando so


corn


o fogo do assentamento, podem ser examina-
das as que foram assentes nos engenhos Be-
len, em Timboassu', Cucati, em Gamelleira,


Diamante em
mara e Lages


Goyanna, I
em Itambe,


em Pao


d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte


Parahyba.
Chamam


a atten"ao


para os novos vapores que temrn recebido do
acreditado fabricante Robey, que se recom-
mendam pela facilidade de conducao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand6


de mencionar os eneenhos


locado, porja terem vendido 85 para diversos
lugares, e por issoja devem ser bern conhe-
cidos.
Sao os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da collocaqao e por sua
duraiao.
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-


*0 fi /
rIV%~f n'0a


sito,

,, Ve
I (;Oiitf


CHOCOLATE ooi SANTONINA ,
IIBIULVEL paiM sfrtlr u LBIJB M-4
301 Ubr a'M< G V e oiOaser4om lM idia
Exigir a assignatan :.
PJ'aris, Pa' CoLhET-d'Alat. faPOruz. ~o.FB kll'M.',,iSa A & C'


SCO .-.9-lA T3OAS AS -S



iir| i Wciit'aIa .a UFrSt,
i SAi neurvtw e, S

"SWA.MM;'Pi.afcutim7'p13
ligns. !- I VS..


I-


i agriculture, tem sempre grande


sendo tudo da melhor qualidad(


ndem
I-


a prazo


ou


a dinheiro


COI


itFERRO GIBRABRD


Sdepo-
n des-
n des-


Apprvado pela Academia do MedioinA de Par*i
Ap@aqIdo pea Juska Central de Hygiene publica do-B-ra.i.
0 Ptuor flermrd encarr2gado do Relatorio :Academia demonsirou
Se 4d facflineI aseceito pelos doentes, bem-t4alerado pel estoma|,
reatawa a forpms e pwa a choroanemia ; que o qw d4ingue' p7 f-
culameie *&a now sal de ferro, 6 que ndo causa pyw do venture
a "mbae,- eleaod4se. a 46se, obt&m-se. d fecpe ume '-S. j
O PEBR O GUAUR9 Id 4|iaia, careo paUiwas A imbras 4t ote..--
TnafepobirO~mWttn~ dftwjue; for foas tgptwaawtine* a~mgpe.
~gpI~as r 0 wesddhqadid.
e r ^ 6 o t ps ^ t ^'g r u &o a s = 9 t~ & oodan if t d t a
i^^0 a 0U


...&r.w,,,:


~. ,AyeP1
t ^sfife-tyers Halr 1l<
S CFISAWLHO SUA
^JY ^^"^\J) VAKkEW SEM ICML
PAA 0 CABELLO,
S TORNANDO-0
MACIO FLEXIVEL E LUSTROS
Ftenrado oelo Dr J C AYRCIA loweillitWUi
DEPOSIT GERAL
13--Run Primeiro de Marco-IS
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAM1SQN HOWIE tt C.
N. 38 = Rua do Commercio =N.3
A venda em todas as boticas e drogarias



Vinho Nutritivo de Carne
Unico legalmente auctorisado pelo
governor, e pela junta de sailde public
de Portugal, documnentos legalisados
pelo consul geral do Imperio do Bra-
zil. E inuito util na convalescenta de
todas as doencas; augmenta conside-
ravelmentc as forces aos individuos
debilitados, e excita o appetite de um
miodo cxtraordinario. Urn calice d'este
vinho, represent umn born bife. Aeha-
se a venda nas princiuaes pharmadas.

Francelina daM Neves Farias
1 anniversario
0 tenente Albino Leite de Farias e suas filhas
mandam resar uma missa por alma de sua muito
presada esposa Francelina das Neves Farias, sex-
ta-feira 16 do corrente, pcels 8 horas da manha,
na igreja do Livramento ; para isso convidam a
todos os seus parents e amigos, a quem se con-
feasam intimamente gratos.


Anna Moreira de Jesus
Augusto Moreira da Silva, tendo recebido a
infausta noticia da mnorte de sua estremosa mii
Anna Moreira de Jesus fallecida em Portugal no
dia 18 de dezembro de 1884, convida a todos os
parents e amigos para assistir as misses e me-
mento que por sun alma manda celebrar na igre.
ja de Nossa Senhora da Penha, no dia 19 do eor-
rente, trigessimo dia do seu passamento, pelas 7
horas da manh', pelo que desde jA se confess
eternamente grato.


Antonio Joaquim Pereira
veira


de Oli-


A viuva, filhos, tio e cunhados do finado Anto-
nio Joaquim Pereira de Oliveira, feridos do mais
doloroso golpe, pela premature more do sen pre-
sado marido, pai, sobrinho e cunhados agradecem
do intimo d'alma a todos aquelles que se dignaram
acompanhal-o a sun ultima morada e de novo os
convidam assim como A todos os parents e am;-
gos a assistir as misses que por alma do mesmo
mandam resar no convento dos religiosos Fran-
ciscanos, pA 17 do corrente, pelas 8 horas da ma-
nha.


D. Rita Aureliana Kroeger
Christiano Kroeger e sua familiha cordialmente
agradecem a todos quo acompanharam os restos
mortaes de sua presada esposa ao cemiterio, e
roga aos mesmos senhores e a todos os mais co-
nhecidos e amigos que se dignem prestar o cari-
doso favor de irem assistir as missas de setimo
dia, na igreja do Divino Lspirito Santo, das 7 1/2
As 8 horas de sexta-feira 1(6 do corrente.


Clinlo Fernandes da Silva lanta
Sexta feira, 16 do corrente, setimo dia do falle-
cimento de Clinio Fernandes da Silva Mauta, ce-
lebrar-se-ha, As 7 boras, na matriz de Santo An-
tonio, uma missa pelo repouso eterno de sua alma




Maria Egypciaca de Locio
Lumachi
Frei Jorge de Sant'Anna L'cio, Adolpho Car-
neiro Cavalcante, Thereza de Loci, Lumachi Ca-
valcante, Angela Maria de Lima e Alexandrina
da Rocha Bastos agradecem cordialmente a todos
os parents e amigos que se dignaram acompa-
nhar os restos de sua presada irma, sogra, mii e
prima ao cemitcrio public, e de novo os convi-
dam A assistirem a missa que se tera de celebrar
no convento do Carmo desta cidade, sabbado 17
do corrente, As 7 1/2 horas da manha. Particu-
larmente Frei Jorge de Sant'Anna Locio agrade-
ce aos veneraveis irmios religiosos, ao Revm. Sr.
vigario de Santo Antonio c os Revms. padres
mestres, que expontancamente prestaram se a
suifragar, e acompanhar o cadaver de sun chorada
irma A sua ultima morada.


Joao Baptista C--es'ar e Theodora Maria dav
Mercza Cesar convidam bos seus parents e ami-
gos para assiitirem as miss s que mandam cele-
brar na order terceira do Carmo, As 7 1/2 horns
do dia 17 do corrente, por alma de sun presada
mai e sogra, Jocepha Muria dos Prazeres Cesar
de Freitas, fallecida cui Portugal, trigesimo dia
de sou passamento.

Ama
Precisa-se de uma para cozinhar para duas pea.
soas, que seja livre c que nao tenha familiar: run
do Cotovello n. 141.
Ama
Pxecisa-se de uma ama pars cosinhar e lavar ;
a tratar no Chaeon, sitio da Pena.
Criado
Na rua do Born Jesus u. 45, .* andar, se pre-
cisa de um criado..
Boa acqisiq&. i
Aluga-se una linda caa de campo ia P*Ams-
gem da Magdalena, rua do Paymand4 A.!s
gaS, agua enasada, jardisax euma .
dcapim: a tratar naaaaj.unW -..

::. r ,*. ,4

-" _
.: '
.


-w --,7'
... .. .-..p "" ,,.
-t "_-" o 1.J*..e, -S.-


. . .--...-.
-; "I s -, L. --


semana


e comn um dis-


encommendas, como


Pao Amarello, Ca-


Vidracao


dos Srs. agricultores


em aue os tern col-


i-s
A,


**-


ca


1 1 %-" %p JILAL 0


I


















:ir~aerp lob eq!*

oitinuam teru .sdr
limento de joiL das
maMs moderns e dos
mais apurados gostos.
Compromettem-se
a vender mais barato
40o que em outra qual-
quier parte.

bao cMiiL

Criado
Precisa-se de um criado : na rua da Aurora
numero 109.
Ama
Precisa-se de uma para comprar e cosinhar em
casa de home solteiro; rua do Queimado n. 54,
Ama
A' rua da Imperatriz n. 53, lo andar, precisa-se
,de uma para todo o service de uwa casa de pe-
quena familiar.

1. DE DRUSINA & C.

Nta h B1-oJnss in 18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de coummissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da Allema-
nha, Franpa, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.---Informases sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes,
bombs, etc. para incendios e outras ma-
chinas e utensilios.

Aluga-se
a sala de detraz do 1 andar do predio sito A rua
Primeiro de Mar9o n. 18, muito propria para es
criptorio de qualquer natureza ; a tratar na loja
do memo predio.

Ama
Precisa-se de uma ama para lavar e engom.
ar : na travssa dos Pires n. 5 (Geriquiti).
Aluga-se barato
0 20 anaari'da ruado Bom Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife,
Casa terrea da rua da Ponte Velha n, 22.
A casa terrea na rua da Palma n. 11
A. casa A rua do Visconde de Goyauna n. 79.
A casa terra n. 7 da rua de Lomas Valeutinas.
A loja n. 10 da travessa do Carmo.
A tr tar no largo do Corpo Santn. 19, primeut
audar-
Loteria da Parahyba
Na estabelecimento n. 2 C a rua do Cabuga,
acham-se expostos a venda os bilhetes de nma
nova loteria da Parahyba, organisada segundoium
born piano, que contem os seguintes premios:
1 dle- 4:000^060
1 de 1:000000
1 de 200000
2 de 100000
4 de 50^000
15 de 20000
40 de 10000
50 de 5000
500 de 2500
Este ultimo e o preco de cada um bilhete ali,
sendo die em Pernambuco 2750 para os vende-
dores e na casa 3000.


Os premios slo aqui e alli pagos integralmente,
serm desconto algnm, A vista da lista da extrac-
cAo.
Sao estas vantagens que no 'podem deisr de
ser apreciados pelos que gostam do jogo das lo-
terias.
Muga-se barato
f o primeiro andar e a loja corn 2 quartos, quintal
e port, do sobrado n. 38 A rua estreita do Rosa-
rio : pm ver, as chaves estlo na taverna de.
front, e a tratar na rua de S. Jorge n. 56.

Roubo
Na noite 24 para 25 roubaram da rua da Impe-
ratriz n. 6,3 andar os seguintes objects: send
o ouro todo de uma image, resplandor corn uma
rneia uIA toda de brilhantes, tires grandes no cen-
tre e diversos menores, uma cruz de ouro e o me-
nino Dems corn core cordlosinho de ouro corn
um n coraCAosinho de filagrant.
Um alfinete redondo corn esmalte azul e um cir-
culo de brilhantes corn um bastante grande no
centre, umsa ers corn 7 bilhantes e uma volta de
perolas, um atacador de euro corn diamantes, umn
S par de brincos eem dous brilhautes em cada&brin-
co, umn annel corn 5 brilhantu, outro de nove pe-
rolas, um par de brincos de mrosinhas corn perolas
e rubins, e divera objectss de ouro, assim como
uma moeda de ouro de 200GO6 e outra de 5O00,
seido esta ultima manchada de azougue, quern
trouser noticias desses objects serA generosamen-
tjx"Atifieado.


..-.. .', ,, -
.... furfado
t)Lm r Comprida, term da' cidade do Li-
i furtado uri eavall a 6r russo sujo corn
Asi ped&es, tires ecascos pretos e um claro,
" amd so se lhe toea, o terre faz volta a
dm" A n-pm e -continuando outra'volta a hita-
lkd esquerde, castrado, cacete, acaban-
Wa, pertenccnte a Antonio Ferreira de
pqual gratifica corn 20 A pessoa que o
der, podendo dirigir-se aa amoradmia ou
S irmae o Severino Felieiao de Br-
40s, npador us Passagem da Magdaleaa.
-s d-'mna-bha.
Caario d 'tteanba


'-". ..





!f.~ '.:
...




,' ..* -
. <:> *


Martins & Bastos
Mrnambuco
Nimero telephlnieo n. 8



AO COI CIO

Viagens ao ceniro
De Onhada i&Itabayatna por Igaa
ras*, Goyannaa e Itaomb6
Todos os sabbades, As 4 horas da tarde : passa-
rens tomamn-se A rua Primeiro de Marco n. 1,
De Itabayanna A Oliunda por Itam-
b. Goyana e IguarasAt
Todas as tergas-feiras, As 4 horas da tarade:
assagens A tratar corn Louren o Pereira d'Amo-
rim, em Itamb&.
Viagens avulsas para qualquer parte e em qual-
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e
a pregos commodos. Essas contratam-se A rua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nao podeiem ir nas diligencias.
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos corn refinaAo
de assucar per grosso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveram collocar o telephone em
eeu estabelecimento para mais commodidade nos
pedidos de seus freguezes. Recebem tambem en-
commendas para f6ra desta praqa, garantindo
pontualidade, modicidade em preos e sinceridade
em suas transaceoes. Os proprietaries esperam
merecer a proteccao de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77
Por 221000
Aluga-se e 2. andar e setio As rua de Lomas
Valentinas n. 50 : a tratar na rua Pirmeiro de
Margo n. 7 A, livrana Parisiense.
Lympha vaceinica
Chegada polo ultimo vapor; vende-se na botica
franceza e drogaria de Rouquayrol freres succes-
sores de A. Caors, rua da Cruz n. 22, Recife.
Ao public
A abaixo assignado declara so respeitavel publi-
co nao se responsabilisar por qualquer duvida con-
trahidas pelo Sr. Jose Teixeira da Costa em u
nome, fazendo o present para evitar duvidas.
Recife, 8 de janeiro de 1885.
Maria da Concei9lo Seixas.
Trastes
A? rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-se
luga-se e troca-se novs e us'idoa.
Aviso
JA chegou para o unico agent nests provincia
o acreditado kerozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha A venda no unico deposit A
rua do Born Jesus n. 38, junto ao correio.
Ama de leite
Precisa-se corn toda urgencia de uma ama de
leite para Olinda, casa de familiar conhecida : a
tratar na rua Duque dc Caxias (Recife) n. 30, 1-
andar, de 9 da nmanhA As 3 da tarde.
Balanceador
J. dos Santos Vieira, corn pratica de balances,
contratos e distratos sociaes, offerece os seus ser-
vies aos senhores commnerciantes. Charnados A
rua do Rangel n. 3, ou em sun residencia, A rua
da Penha n. 7, primeiro andar.

Molestias do estomago e

dos intestines
As dyspepsias, desordens gastricas, enxaquecas
digestoes difficeis (azias, flatulencias) sao comple-
tamente curadas corn o usa das

DO!!A ANTI-DY8FPllT'IOAS
preparado puramente vegetal da flora brasileira
Vende-se na flotlea Francezade
Rouqunayrol Freres -
SUCCESSORES DE A. CAORS
22-Rua da Cruz--22. (Reoefe). *
Cosinheiro


No 2. andar do predio n. 35 A rua da Impera-
triz precisa-se de um cosinheiro.

Cozinheira

Na praa da Inde-
pendencia n. 38 a 40
se diri quem precisa
de uma mulher forra
ou esecrava para co-
zinheira de casa de
familiar.

LINHA COATS

Luroa '.as mai&ma, e a a Maei de 6
4o -Ntaio pe m gmackiM 9 -pa ewe a 131.
-n7==.ia siaIthea a =o.~
Pede uNka.mevuA am o some
J. &r,. D S -


Inteiro
Meio
Quarto
Joaquim


36500
1#750
875
Pires da Silva.


CAS FELIZ
AOS 4:000A000
E
2:000000
BILUETES GARANNIDOR
Pra~a da Independen-
cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado tern exposto a
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
3a parte em beneficio da igreja de Nossa
Senhora do Livramento 101, que se extra-
hirA sabbado 17 do corrente.
Prepos


Bilhete inteire
Meio
Quarto
Em pornpo de


elma
Bilhete inteiro
Meio
Quarto
Antonio Augusto dos


45000
2,5000
1,5000
1005000 para


3,500
1,5750
,5875
Santos Porto.


GI A 100 OURO
Aos 4:0004000


Rua do Barlo da Victoria a. 40
e easas do costume
O abaixo assignado acaba de vender
em seus felizes bilhetes quatro quartos de
n. 4,471 com a sorte de 4:000, e diver-
sos premios de 32,000, 16#000 e 8S000.
O mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi-
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 3.a part das loterias a be-
neficio da igreija de Nossa Senhora do Li-
vramento da Varzea, (101.a), que so ex-
trahirirA na sabbado, 17 do corrente.
PIE COS


Inteiro
Meio
Quarto
am perplo
Inteiro
Meio
Quarto
JoA cl0


45000
2#000
15000
de 1o00#00 para
elma


aquim da


3#500
1#750
#875
Costa Leite.


Ama
Precisa-se de uma cosinheira : na rua da Au-
rora n. 109. Ar
Ama
Precia-se de unsa engommadeira : na rua da
Aurora n. 109.
SCaixefr.
P demad um ixoio paticda : s re-
,..X i '^ aco em BindTa I


itn 1r'ert ile :l1r nl. 3SS
0 abaixo maignado tend vendido B
mou afortunados bilhetes grantidom 4
quartos n. 3,067 corn a isorte de 200000,
4 quartos n. 2,690 vomasorte do 200#000,
4 quartos n. 3,342corn a sote de 100#(00,
4 qurtos n. 4,689 eom a sort e de o10W ,
al&6 de oatraa ortes de 32., 16 e 8& da
loteria (100.A), qe su acabon convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem dewconto
algur.
Acham-se a venda os seus abrtados
bilhetes garantidos da 3 pSartoAl lote-
rias em beneficio da igreja do Nowsa So-
nhora do Livramento da Varzea, (101.2)
que se extrahira na sabbado, 17 do cor-
rente.
PrE VOS
Inteiro 45000
Meio 26000
Quarto 1M000
Cm quantidade malor de i000
Inteiro 3#500
Meio 1,750
Quarto S875
Manoe l Martii Fiuza"


A VENTUIOSA

Aos4:o000000

BILSETE8 GAiMTS
16-Rua do Cabug&-16
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tea garantidos daloteria n. 101 em beneficio
da igreja de Nossa Senhora do Livramen-
to da Varzea que so extrahirA na sexta
feira 17 do corrente.
PRECOS
Inteiro 4#000
Meio 2400
Quarto 1l000
ftendo quantldade superior
a 100:000


0 i KillerHO -tal go Porry DaDis
latador da dor


Urn- amigo dos pobres,
facil applicaglo, 40 annos


economic e de
de success es-


pantoo.
Nenhuma familia dove estardesprovida
deote remedio.
Externamente cura: furunculos pana-
ricios e outros tumores torcedura dos ten-
d5ei intumeceneias das articulages-do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
qeimaduras-golpes, etc., etc., etc.
Internamente cursa: cholera, molestias
do fi"do, dispepsias, ulceras doengas de
gar&ta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitates.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
&GC.
ROGARIA E FHARMACIA
Ria do Bario da victoria n. 95
Froeos grandes 1#500
Pequenos 1#000


Duzia de frascos Wandes
Pequeno 'p,,.


126006
96000


Aluga se uma boa casa caiada e pintada de no-
vo, corn 8 quartos e 2 salas, cosinha e quintal
grand corn cacimnba, sita A rua de S. Jorge n.
66 ; a tractor na ruan do Baras da Victoria n. 3.
Costureiras
CPrecisa-se corn urgencia de costureiras; na rua
Larga do Rosario n. 36, 20 andar.
Ama
Precisa-se de uma na rua Nova n. 15.

VENDAS
Vende-se um sitio no Barro, que foi do fi-
nado Ignacio Ferreira da Costa, corn casa grande
de mortdia, em rchos proprios, corn alguns pls de
fructeiras, perto do rio : a tratar em Afogados, A
ruan do Notocolomb6 n. 13.
Vende-se por 2:8004000, quantia em que
estA avaliada, urnsa part do engenho S. Francis-
co, no termno de Serinhaiem, distant duas legoas
da estaAo de Gamneleira : a tratar corn Antonio
Franco da Silveira Lins Filho, do engenho Santa
Catharina, no ternmo de Porto Calvo.


'.E barato
Vende-se um terreno em Boberibe, corn 257
patdlros de frente e mais de 1,000 de fundo, o qual
fica junto ao do Sr. Francisco Antonio Barbosa:
quern quizer dirija-se aos escriptorio deste Diario,
que se dirA quern vende.


SAtten ao
.atheus, Austin & C., 4 rua do Commrnercio n.
18, i pars vender:.
SPilnho de resina


Chegado agora e de superior quail
weoimtfdimensoes :
S 11/2X9
11/2 X 12
2X 12
3X12
3X9
4X9
41/2X9
Em totes a vontade dos compradores.


II-


idade, das


_1!


Livros para escoias
CASTRO NUNES, compendio elementary da
grammatiea national, segunda edilao correct
e aawt-ada por Je6 Martiniano de Souza, 1
voluble.
AEM e.lemntw de switkmet*, nova edice
reot e mulhorafa per J0s6 Martiniano do


tavel public um gran-
de e variado sortimen-
t6 de relogiosdos mais
aereditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.

Todos os relogios
vendidos n'esta casa
sao garantidos.

Ria 0hoamISu


loja do Pedro Antunes & C., A rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como sao lindas!!!
Bonitas e elegantes bonecas, 6 o Pedro Antu-
nes & C. quemn tern, torna-se indispensavel entre-
ter o espirito das interessantes crianoas, pelo que
os proprietaries da Nova Esperanca nao poupam
exforgos; rua Duque de Caxias n. 63.
10,000 bolas de borracha
Especialidade para fazer present as criancas,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos soeus
freguoezes ; Nova Esperanca n. 63, A rua Duque
de Caxias.
Cabellon brancos x6 tern quem
quer
A verdadeira e especial preparagao, vende o
Pedro Antunes & C., pela quantidade que vende
prova a sua especial qualidade ; na rua Duque de
Caxias n. 63.
SAo bonitas
as luvas de soda abertas, canno alto, que acaba
de receber o Pedro Antunes & C, A rua Duque
de Caxias n. 63.
Para os banhos salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de sapatos especiaes ; rua
Duque de Caxias n. 63.
Sapatoes napolitanos, especiaes, pars o tra-
balho do campo, tern o Pedro Antunes & C., e
estA liquidando pars fechar factura ; rua Duque
de Caxias n. 63. E' a Nova Esperanga.

Papelaria
Papel e enveloppes de alta phantasia para es-
crever, de cores e bronco para quaesquer miste-
res, de impressio de differences formats, de soda
pars flores e folhas. Tintas de impression, de es-
crever e copiar, dos melhorcs fabricates conhe-
cidos. Deposit da afamada TINTA SARDINHA
do Rio de Janeiro. A unica casa sonde se p6de
encontrar um complete sortimento de papel e ob.
jectos de escriptorio sna
Pharmcacia homeopathica
DO
Dr. Sabino


Vendas em grosso e a retalho, descontos
tajosos ; ruan do Barao da Victoria n. 43,
Pernambuco.


van-


L. .tr T~ lril I M ( --, -. ii-iiilB' .
11m_ las l bdmk.
Arud .MB dm e pnfiua
Cambnuiu boidadu e a weru..
drtm o.- pm 'n b&im


Fiohian de sda e do 11
Ospaado deaflis de laL
Parae tl-ar
Coilarinhos o punho. para users oie hornoa, d&
Carisas m e colarinho. e sew punbo., corn pu-
nhos e .corn collarhos e punhos pars home.,
desde n. 35 c 45.
COmnius pars meninos decade n. 28 a 85; gem col-
larinhos, de n. o2 35.
Captsaswd malb adores, calsgollaepa
nhos 9p Be o -ura. _
Gravatas, grnkde variedade.
Meisa crus, braneas, de cores e pretas.
Cpaho tpete, males, esteiras, bolss, veUudi
ns, brins broncos e de cores, luvs, perfumna
miss etc.. etc.
Papoula & C.
I1 -nua do Cabug&-ie
Em frente a matriz de Santo Antonio
FarinkaLactea
Nos primeiros mezses a alinenta8 o mac
natural e apropriada pars alimentar a criade
ga de peito 4 o proprio leite matemo o qua
em caso de necessidade deve ser substitun
do pela
FARINHA LACTE]A DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a fan
nCa Lactea como poderoso element nu
trictivo pars a infancia e distinctos meldi
cos do Brasil e da Europa reconheeeras
ser A do Dr. FRERICHS a melhor n'est
genero.
Deve-se pois evitar ,onfiar o fihinhe
usa pessos estranhia e de comportament
nlo conhecido muitas vezes o germen
numerosa mnolestias.
Vende-se a verdadeira farminha Lacte
do Dr. Frerichs:
55- RUA DO IMPERADOR 55
Estdecimento de muaticas e piano de Pia
___ LtorProaZ e
Cimento portland e potassa nova
Vendem Orestes Travassos & C., em sou escrip-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.
gener; 0






Vende-se por prec muito razoavel unma casa
terrea corn alguns commodos A rua d Lomas Va-
lentinas n. 90. Tambem se vende uma parte do
engenho Jussara da freguezia de Jaboatao, e a
menos de unsa legoa da estrada de ferro de Ca-
ruar : quern pretender, dirija-se A run da Au-
rora n. 85.

Bilbar

Rua do Imperador n. c3
Os proprietarios d&te bern montado e conhe-
cido estabelecimento, tendo recebido directanmente
dia Europa um grande sortimento de tacos que ha
de melhor neste genero, temros de bolas de marfis,
-de primneira qualidado, jogos de dtomin6 e outros
artigos concementes a este fim, e como tenhamr
tambem feito ura reform em sens novss bi-
ihares, forrando-os e collocando marcadores na
tabellas de todos elles; per isso convidam an
seuos freguezes e amigos, A visitarem como de cos-
tume este estabelecimento onde encontrardo tam-
bern um complete sortimento de bebidas finas cemo
sejarm : vinhos, cervejas, licores, champagne e re-
frescos gelados de dizersas fructas do paiz, e o
magnifico cafe moka a qualquer hora do dia on
da noite.
Outrosim, vendem bolas, pans e tacos usado
por meodico prenoo. _
Carrop a para carneiro
Vende-se ura boa carroca para camneiro, a ver
e tratar na rua do Born Jesus n. 61, agencia de
leil mes. _____d____

Para OS OfYos-os
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na


para laremns, de 320 rs. o par, ate 500
Collarinhos, grande sortimento de colla-
rinhos, tend de 55 a duzia ate 85000
Toalhas, grande sertimento de toalhas,
tanto para rosto como para banho, que
se vendem por pregos muito razoaveis.
Tudo isto eom grande reducao de preos : n
loja da esquina do becco dos Ferreiros.
Novas setinelas lavrada a 00
Chegou para a loja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz um grande sortimento dasa
a iflindas setinetas lavradas, tend de todas as
c ores mais novas que tern vindo ao mnercado, inclu-
sivamente pretas, send a fazenda mais bonita que
tern vindo para a festa, e vende-se a 500 rs. o 00-
vado, isto na loja da esquina do bececo dos Ferrei-
ros.
Cazemirat Inglezas a 2$500 e
2$800
Na loja dos Barateiros da Boa Vista, vende-se
urn elegant sortimento de ecazemiras de duas lar-
guras, send inglezas e corn bonitas cores que se
vendem a 25500 e 25800 o covado, send muite
proprias para coa.tumes, e das mnesmas tambem so
mandam fazer costumes muito bern feito de cal9a
palitot e college por 305 e 355, e grand& oecincha
na loja da rua da Imperatriz n. 40 a ejquina do
becco dos Ferreiros.
Fustles a 400, 06- e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, A rusa da Impers-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de faua
toes broncos, proprios pars vestidos e roupas dt
creangas pelos pros acima indicados ; isto na e-
quina do becco dos Ferreiros.
LUsinhas para vestidos
Alheiro & Silva, A rua da Imperatiz n. 40 sea-
barn de receber um grande soitimento das maik
bonitas lansinhas para vestidos, send lpacau
de cordao ccm lindas cores a 500 rs. o covad,
gurgurses lavrados tend de todas as cores a 560
rs. e ditos muito fins corn brilho de sedaa 800 rm.
todas estas lbainhas sae inteiramente udxtenaa, e
vende-se na loja darua da Imperatriz n. 40 a ee-
quina do becco dos Ferreiros.


4@-3ua da liaeraie4
Mdaolalomuito largo Cm 2mOv"ra4i 00O
Dito, ueda muito encorpd que p
roae breto, com 20 vAM a 6
40. 6 650o
Dito fn=4n, mericano, fasends muito
ft a eeMorpa do 1 &e 1Ull00
Algodo 0iestao com 9 pmos de lar-
gus pan1 th rilen ow um s pan-
no, metro a
Dito trangade corn a mesms largura,
prepno par a lencoes e tohas de
mass, metre a I15
Bramanto de algodo corn 10 palmo. de
largura, proprio pars fazer lneag6 ded
um s puanno, 'netro Ut
Dito frances, sendo de linho, metro a
15800 e 1500
Dite ingles de quatro larguras, se udo
de line, metro a 2j500 e 2800
(reguelts proprias pars leng6es, tot-
Bias, eeroulas, sendo fazenda muit.
encorpada, cads peg& corn 20 varm
por 10800 e em vara a 500
Ditas corn a mesa media a 800 rs., ou
varaa 400
Atomlhado adamascado pars toalha de
mesa, tend 8 palmnos de largura, me-
tro a 1800
Assirn como um complete sortimento de
pe de algedozinho americano e
minglez, que se vende por peca de 3J at6 6j000
Iste uas loja da esquina do beeco dos Frroira
Casemiras de cores
De :000. at6 6:000 rs,

H rownil iir ida
Aiheiro & Silva A rua da Imperatri n. 40, tern
um immense sortimento de casenmira de core;
tanto claras como escuras, que vendem a 25000,
25500, stW 65 o covado, e das mesmas mmadam
fazer qualquer poca d'obra ou costumes, por pre-
os inuito rasoaveis, assim como tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannes pi!-
tos ate ao mais fino seda que vem ao mercado,
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa & vontade do fre-
guez e cornm today a perfeigo e presteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
beco dos Ferreiros.
LinIQs a 160 ris
On Barateiros da BWa-Vista vendem muito boe
nitos linhos de uma s6 c6r e de listrialms para
vestidos, send a 160 riis o covado e de cores i ,,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do bewo
dos Ferreiros.
Espartilhos
a 4W e 5#000
Na loja da rua da Imperatriz n. %u venae-us
muitos bons espartilhos para senheras a 5;000,
sntos pars memnas a 45000, assim como um be.
dito sortirnmento de fichus a 35000; isto na loja da
qeiuina do beeco dos Ferreiros.
Para festa
Vende se

Roupas para homes
POR
PreVo s baratissimor
Rua da Imperatriz n. 40
LOJA DOS BARAIEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 65000
Dites de panno preto fino, fazenda muite
boa 75000
Ditos de casemira de quadrinhes e listri-
nhas, forrados 800(k
Dites de casemira escura, de cordao, for-
rados 8500C
Ditos de flanella azu], forrados, send fa-
zen Ia que nao desbota 105000
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 10500(
Ditos dc panno preto fino, forrados 105000
Ditos d3 casemira preta de cordao 105 e 125000
Calcas de casemira corn differentespa-
droes, de 55500, 65500, 85 e 105006
Ditas de casemira preta sedan a 85 e 10500G
Ditan de casemira dc cordao 65500
Ditas de casemira preta 65000
Seronlas de creguella, obra muito bern
feita a 15200 e 15600
Ditas do Hamburgo de linho a 15800 e 25000
Colletinhos pars dcntro, send de ore-
guella e muito bem feitos a 800 e 15000
amisas, grande sortimento de carnissa
braneas, tanto francezas coma inglezas,
tanto de linho coma de algodap, send
de 25, 25500, 35, ate 65000
Ditas de cretone de cor de 25, 2$500 e 35090
Meias. grande sortirnento de meias cruas


m


) .




1'
'S


?-ittr urns W>n 1^nroa~g^ 14o to^ r .......... .. .





Ciparsatur po u a todo, se proferida por .iat, quo co -. &

Sda quadrilha do Bello Francis- espreita.
oI4 elle assim o quizessem: mas o de- Quq disbo estmo a razCr aquAliw -
sappracimcnto dos referidos bandidos pro- malandros? lEstlo muetidos no matte, quo (fji
* v9 qa e aquelle genero de divertimento nera a points do nari. sm Ihe vi. A
ulo era muitr do agrado d'ealcs. Quanta Estgo talvez a colher violetas, eas-
a aereditar que tinham partido, nio havia poudon o Vira-Tripas.
WSS quo reflectir sobre cste.poato 0 ou- Do- repente calou-ns, Scoou.-immovel, at- cc
ref BelBo Francisco estava alsi e dosmen- tanto, corn o ouvido A esecuta, come quern lh
n ti r ta uupposi.Ao. 6 eorprndido por um ruido. pr
Thiham qua esperar ainda duas boras Caminhos palr Vasseur, que, sentado pc
u amanhecesse a que o dja clareasse a no memo logar, parecia prestar grand mr
srada aos viajantes, que os podiam soc- attenyto a rumor suspcito. ro
ea"m e demais estee viajantes nfo se- Ouve tnsnto ?
rium em t `o grande numero nem tao ou- Ougo, be um instant. Que sos pre- ne
sados qua fosso precise ura quadrillia pares param elias? Continuous Vasseur apurando lh
atacal-os. o ouvido.
Tonho confiauca em Meuzelin, disse Bcrnab6 ficou tamnbemi attcnto. sa
Vaseur. Corna certeza elle aidanjnr't un Agora! disse bruscamento Bernab6:
meio de soccorrer-nos. estlo accurulando em cima do. telhado
Tern razio, mias chegara ella antes porgo de substances imrfammaveis, is
qua estes vagabunrid nos fanaim o nov-o as- quakes vro deitar fogo. Daqui ha pouco o
ealto qu e nos preparamr? disse Bernabt velho telhado arderza como uea tolha d
Qual sara o piano ? papel.
Ignore. Dovcm tor em uira fazer 0 tenente olhou para elLe espantado. g:
nose sahir do enosso refugio, disse o te- A! disseclloe, onde, 6 hi em cima pt
afente. que ouves rumor ?
E repotiu" E', e o senior? perguntou Bernab6,
Espetremos : sorprendido por seu turno.
Ora, emquanto esperava refleetia sobre Vasscur apoutou para os pus. o
a situaglo. Vasseur, esquecemlo a suea n Eu, aqui.
posiQio n'aquolle momento acari-iava u a A esta resposta o lira-Trips deitou-so
suave recordaio, o qua fez coian quo ellao e poz-sc A ecscuta.
A 'oltasse um long sumpiro, murmurando: Coin os diabos, 6' por cima e por
0 que tora acointecido a Gomvasia 2 baixo! exclamou ede.
Julgo quo esta em podr do amigos Ao inruesmno tomupo as labaredas irrompo-
quae a protegerio, disse gravemente Ber- ram pelo telkado e una Iiorrivcl cxplosai
Bab6. ttroou os area.
S Emquanto o tonente olhava para ella dei- 0 casebre foi abatido ate os alierecs o t(
xando traduzir no sou. olar a esperana, as parades vacillaudo decsmin oronaram, en
o ,ViraT,-ipas, continuou : volvendo nas suns rmuias os quatro corpa- e
Sime tenho a ertnoz qua ella foi sal- uiuheiros. i
va por sou tieo, o Porco Mdntez. X t
Nibo 6 verdadciramento um iimbecil a (
queue urso. Quanto a tinuras e astuciaa Quando a guerra civil destruio e inc -
estou conveneido quo leva muita vantagem diou tantos castellos nas provneras suble- a
ao Bello Francisco. vadas, psr milagro popou a encantadora
Nilo cotreu mairt no en calgo do raptor propriedade do Brevierc, situada a douas
de sua sobrinha. tiros de cspingardu, da margem esquerda
o gigante levava pou -a distancia sobre do Loire, nao long de Beauprieu, entire a
ella para poder contar ,:,'0 lhe escapiria ahdeia de Chalonue a a do S. Floront-le-
corn a fuga. Tendo o Pou co f ontez volta Vieil.
do, e vendo a Salina, advi ihou tulo. O0 Castello tinha sido saqaeado, mas as
0 seu inimigo estava nti jconstraccoes fiearam cm pc c intactas; de
-Mas, objectoAe Vassinr, porque razib sort quo apenas se tvc do miandar os
aaio veyr atacar o Bello Francisco no seu morris de Anger, de Namtes para a pessoa
qscondrijo ? qua finha do habittar o castello, ao cabo c
Pelo mesmo motive quao nos fez as- de longos annos depois da partida do son f
,efar para soccorrer Ger,'asia, quo o see- ultimo done.
erado sahisso da suna teeo Assim, come Era quinze dins debpois dos acentei- c
6s, o tio taevo mode quo : colosso, antes mnntos da Salina, precednteouento conta-
da luta, se vingasse na sua prisioneira, e dos, quc so passav. em Briviere a seguin-
ainda como n6s, quiz sorprehender o t0a- te sena entree duas mulheres novas, uras
tante fora do buraco ; entaio trpou para a i loura, de crca de dezoito aineuos, e a on-
arevore quo est junt-a A porta da Salina e, tra, do babellos protos, quo dovia contar
escondidoentre as folagensdo enormotron- vinte tree annos; mras ambas de uama bel-
co quo esta sobreposto A port, ficou a cs- lcza incontestavel, do genoros diffrenutes. ,
per ua, como tigre qu abro as garras, p.ra A mais vnelha, recostada cm urema poltro-
se lar;ar sobre a su presa. nad, posiro quo fazia roaecar, per debaixo ]
E foi por cisso qua elle ficou iminovl fde um rico peiteador do moussselina da t
quando o'Bello Francisco sahio do case- India, .da. as apulcas do se col,
bxe, disse o tonente. domaina0 a loura, que, vestida com um
Sem saber quo tinha procedido per- simples roupa'o de l', estava sentada de-
feitasmente, visto quo nos encarregamos d, t'roate della, eam um tambor.eto baixo.
sue tarefa. Aeredita que do alto do tronco Cem umn sorriso de bondade o urma voz
ellt nio nos tivesso vnsto de sentinelba f mcig quo solicitava ume a confidencia, a
Salina? Nio advinharia, vendor Meouze]in mais vcha pcrguntava.
chegar carn os seus rmeos, o meio iveu .- Mas, queridinha, sU franca: tens al-
tado para attirahir o Bello Francisco? gum namorado?
Qnando ois ianamnos no oncaleo dos In .-. Nao minha scnoeora, responded in-


cendiarios aproveitou a occasion quo 1e 1 genuamente a mais oca.
deixava o campo livre. Julgando-so saffi- Ouvindo esta resposta a outra levantou
cientemente vingado do Bello Francisco, um dedo, e coin n rise quo paracia de
que ia cahir, acreditou ele, em nosso po- duvida disse:

F OLILETIE acabunhava Albina, fadiga sin-
gular para urea rapariga tLj forte.
Albina fazia mal em obstinar-se,f
dizia ella, fallando tanto A joven campone-
AM O p A rzacomo As outras raparigas; fazia mal,
A i 0 R i IAT V J N OI era amuito melhor qua so fosse deitar, de-
pois do tomar urna boa tisana de grisma,
POR que faz buar e cura depressa. De qua
serve ser forte, se ha moments em qua a
febre abate a gente... A grams cura as
JUL 10 M A R Y calafrios, produzindo urma transpiragaio abun-
dante... Nao 6 verdade, voces ahi?
Sim, sim, disseram os camponezes, de
boeca cheia, sentados a urma mesa, cujos
PRIhEIR.A PARTE pes estavam press ao chio da cosinha.
Belloret chegou-se.
N EM UMA NEM DUTRA. Era um home baix, secco, musculoso
e de olhar bondoso.
Parece que tu nao estAs boa, Miran-
Continuagao do n. 11I) d(a. Fazes mal de continual a trabalhar.
E' melhor que voltes para a tua easa e
I nulo receies pelo teu dia, eu t'o pagarei
inteiro.
De novo e ainda em voz baixa ella re- Voce 6 muito bom, tio Belloret, fico-
peioI: he obrigada, mas posso ir at o tim...
:Gaspar Eu to supplico... Gaspar! Tienneta engana-se... No foi urma mo-
*, 9 marqueasz ji estva longe... mas ou- lestia quo me fez parar de manhb... pen-
f porque voltou-se... sei qua tinha torcido o p6, mais nada...-
s0 a mopa estivesse na sombra ete nio Agora, esta acabado.
a teria pdo reconhecer, mas ella estava Como quizeres... entretanto nio tens
- u arWA4. cars de quern esta boa, e eu nto quero que
VTa-a -i lids como um lengol, de olhos. voltes para carregar magis, 6 trabalho
i.f.td afsndqde mlos unidas sobre o muito pesado. Ta irAs trabalhar no feno,
Sen abert, porque faltars- 6 mais leve.
:I." gargauts atava secca. E poucos minutes depois Albina sahia
.obrecrlion, beeitmu por umn de nov o corn o Anciho no honbro.
,A dep ii emolnoeaiW h ombros, en- 0 tio Billoret tinha dito: ,E' mais e-
i *s no vextro o cavallo quae ve.
SP|| aAt6 quatro 46cra.'da tarde ai mgs ae I
C. dooite..li% ^d. xtoiu ver indio& 'deuage. -,
M~i A~a. Ne lt ..- 4 sal uia-& .., '. W,
gritmr. Wane ato ax t etaa rne
Jhsaa s M4fu1-.big A


e s Mign hdit.e quoI
tr qu, a a bplla trigueirsa excla-

m! nXo quer coafensar que
na.:^ ; a i, S, "'"
O.}ervatia; efo tnimon-s p a pntat:
.:- E a aidortato w t ,,lwx
Una nuvem rapid passou polo seam-
rate da outra.
Pareoeu hiaitar; mast aemn precitsar se
lava do present on do pauado respon-
?-:
a- Sim, Gervasia.
Estas dousas palavras foram aecentuadas
im um torn secco 9 um relampago passeu-
e por diante dos olhos. Seria colera re-
imida; saeria ura dor secret? seria iura-
Dssivel advinhar qual d'stest dcus senti-
eautos foi despertado poLa porgunta d.(
09a.
- Pois bomrn, contiauou. Gervasia, ensi-
e-ma como se conlirce que so ama, oeu
e dirci se amo.
- Quando nio eskS junto a n6us pen-
ino. n'uelle.
Gerva sia corou, a coin voz timida, disse.:
- E' o qua me acontece. -
- Assim que nos deixa queremos vel-o
)ltar, continuous a outra.
- E' ainda o que me acontece.
A outra seanhora beijou Gervasia e pe-
aindo-lhe na cabea corn as duas mlos,
erguntou-lho corn voz affectuosa:
- Quores saber ai vcrdado ?
- Quer-, miniha senhora.
Polo que me disseste, ininha qucrida,
teu coraga'o esth captive.
E a queiona-roupa:
Quo faz elle?
Creio que 6 negociante,
Comno so chamina ?
Nio sci.
Oude morna?
Ignoro.
Ouvindo estas respostas, a senhora sol-
u uina franca gargalhada.
Crms, n.o sabes, ignores, disse o lla
om irowia. Al minha filha, ahi estA uin
ornmem ben fcliz, pois qu,-, conservando-se
ao mysterioso, conseguio fazer-so amar.
)utra cousa, one c c.. nmo o conheceste ?
Em Megin. A priweira vez- foi o
rcaso quo o levou A nossa casa; depois
'oltou ate o dia em que o deixei de'ver.
E Gervasia soltou urn profundo sus-
)iro.
Nao o .tornaste a ver ? repetio a se-
ahora. Esqueceu-te entt o?
Nflo, fui eu que sahi bmuscamento da
ldeia.
Sem o ter podido prevenir.
Situ, disse tristemento a moga.
A confidencia foi interrompida par urn
sriado bisonho, desastrado, qua, dopois; de
azer utnAa raveroncia, pergunton :
A sfihora quer receber os dous envia
los da communena de Beaupreau?
Quo entromn 1
Antes das visit serem introduzidas, -a
,eohora foi abrir urn pequeno movet, d*
)nde tirou um papal.
Os dous homens antraram.
.- Cidadi, disse o mais baixo, a met
'ever orJnna-mo pedir-ta quo me oxhiba,
i lieenc quo auetorisa o teu regresso pars
Pranca a prove a tua illimmnasio da- list
dos imirigrados.
Sem dizer uarn palavra, a senhora mos
trou Ihe a certidito. A leitura do papo
rri.o satisfcz ao homemzinho, quo corn
;ravidado do um fuse impertigousec di
zendo :
Visto isso, 6s a viuva Meralem, nas
cida em Brivire ?
A senhora fransio a- tests ounindlo aqull,


interrogatorio.
Esse documents nao prova isso ? re
plicou elkI coin um tornm secco, toenandl
o'papel das mitos do homne-n quo a inter
rogava-
Elle ia de novo fallar, q'aimudo .aquell

E mnrmurnava :
E jA era tempo! Eu ni tinhlia mai
forga !
Alguns operarios, quo caminhavam a
lado dos cavallos, de ancinho ou gadanh
ao hombro, corn pass alegre, entoaras
urma copla em voz forte:
Mas Billoret interrompeu-os :
Em vez d'essas tolices, pegam ante
a Albina qua Ihes canto alguma cangiozi
nba... ella sabe muitas, e temrn a gargant
de um pintasilgo.
E' isso, disseram todos, vamos, A1
bina, uma canglo. Alegra-te um pouca
Pareces arrastar os p6s como se estivesse
carregando cem libras nos hombros.
Eu! disse Albina assustada... Qua
remn qua eu cante ? Pois nlo!
E o que ha nisso de tbo extraordi
nario ?
Albina passou a mlao pela test.
Parecia distrahida.
Evidentemente, passava-se um drama n
seu espirito.
Evidentemento, angustias terriveis a ma
goavam.
E saem duvida, taqbem, era preciaose dis
similar esse drama, occultar essas angus
tias, porque ella canton.
Havia lagrimas na sun v3z... lagri
mas ardentes nos seus olhos... nirmuet
as via.
Parou de repent .... No podia. ni
fall r... um solugo embargou-lhe a voz.
Essa Albina 6 um verdadeirao.i;
xinol, dimia .o campomnees... E o fit
optic?
-Ohm,? np .mn '
0 fil. iiBe a pbre moina, gOo;
aei mat-, esqaeti-set.I. ha tate
qua niqWcaoJ~
Aad -s, pr.-'i
"t ,it.b ." 4.,


-.. il.. 4 .


'- A eadeas, precndoa querer rocordar-
.sedisel: ,
AI-. Fipart, consorva ainda o grado 'ap.
ptlM'.lbicoutr'oa-? -. ,-
"4Rrt, corn asqulls peguanta em ref.-
Mflu ao M- Appetite, sokoU an garga-
lDi' e abfrindo .- ms terme bocca, quo
doazow ver -us 4entom largest, fortes a
grand, miapoadRu:
Sempro I Sra. condessa, aempra !...
Pomo amd, -aehruceiod a me eang mar,
dizsr 'daupmenton.
Oh'! t 0 m I ino o que sarA! dimme
a eondesa com urns m apecie de admiragB0
ironies, voltando itwmdiatamento para jun-
to -do pequeno movel, d'oude tirou o papol
quo acabava do apresedtar.
Dirigindo-sa para o lugar onido estva
collocado o morel passoun por.diante de
Gorvaaia. Disse emu voz baixa algumas
palavras ao oaurido da mogapque sahio inm-
mediatamonte do quarto, dizemlo :
Vou prevenil-o.
Esta interrup9to desagradou ao anilo,
quo dava pelo nome do. Croutot. A mc-
nor contrariodade toria as canitos raivo-
sos.
SOB.
Croutot demnonstrou a sua somalhanga
nesto ponto, dizendo onm tom aecco e inci-
sivo, qua parecia una praga:
Porquo razilo, cidadla, naho obedeccu As
prescrig5es do decreto sobre a entrada
de immigrants, quo ordena a todo o re
comcliegadlo aprsenta'-so aos oflieiaes nu
nieipaes da seccito da sun communa?
Porquoe esperava quo os officials mu-
nicipacs fossmcin ba.stauto armnavois para 1no
procurarem... E como vr nfo me eonganci
corn rela9ao a vossa deticadeza replicou a
condessa am torn amavel.
Corn aquelle clogio, Pipart inclinou so,
accrscentando :
E' mnuita lhonr.t para n6s, Sra. con-
dessa.
MAlas Croutot n'o era capaz do. dizer:
SSra. condossa. Dypois de un gesto do
desprezo por sea college Pipart, continuous
somupro aspero
Sabes, cidadIl Meralc, quo esse coin-
parecimento diante dos officials minunicipaes
importa um interrogatorio, afinm de consta-
tar a sua identidadeqe do per~nittir quo o.
tre no gozo d'aquelles bons que nAio forair
vendidos gjela nagao t
interrogue, qua eon responderci, die
so a Sra. de Meralec.
O anfo voltou-se coin todo o orgulho d
sua autoridade qua acab.avarn d reconhe
cer.
Cidadl, disse ello, maia grave qu<
a um per, diz-se fillia do ex-marquez dc
e Brivierre ? -
A Sra. de Merald4grocurou no sou mo
vel, de onde ticou dunse rtid6s quo mos
t-in a Oroutot, rcspoudendo :
Aqui ternom a minha certidio do idade
a lavrada pela parochial de Chalonne e certi
e duo de obito do meu pai, quo morreu m
estrangeiro em 1797.
Croutot pegou nos papeis a percorreu o
i coan as othos scm dizer palavra: depoi
s entregou-os a condossa, quo os apresento
a an college munipal, perguntando"
a Quor tambzau ver, Pipart?
Este, coan urn sorrisodos mais soduntc
i- res, affaston oS papeis, dizendo :
"1 Naio 6 precise, Sra. condessa, cc
a nhe~o a perfeirarmenta. E' o rotrato vir
i- do seupai... e demais, depois da leitur
que acaba do fazer o mnu college Crouto
'- parecia quo eu in verificar depois d'ello
Nato praticarei esta injuria para corn ella
e Orgulhoso corn a importancia qua lh
tiava Pipart, o aborto-responden:
E' viuva, ci-ladl?


o Viuva do condo dee M[eral,:c, que n
Sesposou na Austria trees mezes antes d
morto de mcu pai, a quo morreu o ant
o passado na dlufeza da ponte do Constance


nfo ccio aqui... prefiro ir doitar-mejA....
Qucres quo mande cha'.ur o medico
de Recey?
Oh nlo, disse ella corn um gesto de
susto, qua logo reprimio, amanha nao terei
mais nada.
Sahio da herdade e foi-se, atravessando
os campos; era noite fechada. Levantou-
se uma ligeira brisa fria que, passando pa-
las arvores, abalava as folhas jA seccas.
Ainda nio havia estrellas, e para o lado
do oceidente uma larga zona purpura ras-
gava o c6o corn um trago.sanguinolento por
cima dos matos.
Ah I quem me dora estar na cama,
disse ella, parece qua punca hei de che-
gar...
Agora, que ella estava s6, A noite, nio
tinha maip que dissimular... o seu halito
sahia-ihe estridente do peito.
E' torrivel o que estou soffrendo !
E caminhava, apoiando-se em um bas-
tat, que tiubsha apanhado perto'da ceroa.
Ella ul.omorava usna villa, mas em uma
casinha dictate do- Recey, duzentos ou tre-
zentos metros, A beira do bosque.
Estava alfi, a6, sem parents.
Soeu paia e sa mui tinham morrido, dei-
sando-lhe por today Iheranga a casa, um
jardim, urn campo. atrAx do jardim, urma
vacca, ura. cabra o almas gallilihas.
Havia um anno. tinha ella sido pedida
em casameitear:VaM vezes e tinha cons-
Depoi a', qie so8reviveu
Stanteme"aavx "d0 ii

t ^* 0


corpo do men r x. 'oiti o.
para a eer
idoneidade foi- o toutpmnnho
deo cinco pesso" ibatiam ao lado "ci
de mean maridoa &viram cahir mor-
tamhnnte ferido n.iq Querem ver as as- Ca
s-igMturas ? 4
Muito berm!! dise Croutot, entregan- qt
do os papeis A condessan, depois deo ler corn fe
attenglo. hi
Eminquanto a S ta.Mew leke foi guardar as c
suas certides ao lade das oatras no pe- se
queno s1, Pipart, por sen turn, tomaou
a palavra: ,
Disgoram-nou, minha aefihora, quo a rc
,diligemcia que ha OitO dias trouxera aqui,
foi atacada entro Anjers e Ingrandos, por ji
homons da quadrilha do Corta CabecAs.
Inutlizmcnte 6 verdade, disse a con-' t
dessa, estrernecendo de horror corn aquella
rocordag-ao, p
A patrulha ambulante nio cumprio o ci
sou devoer ? pcrguntou Crout, reftorindo-se
aos cinco soldados quo acompanhavam a
diligencia. d
Os bandido sassassinaram-n'os. C
Coitados minurinurou Pipart. u
Mas, gontinuou Crout, s6 houve ess:as
ciuco victims? a
Inielizmentu una-), rospondeu a con- e
dessa. No measmo comapartimento em que g
eu vinha, tinha tamnbom uma senhora ain- S
da moga. 0 bandidos arrastaram-'a a
quea-na roupa. d
Fuzilaramn-n'a, ropetio Pipa.irt; tcn-
tou entibo defender-se?
Nib fez nada, nada disse. Os b:m
didos dirigiram-sa .A portinhiola, coma quem f
esta bern inforinadlo. nmio hourv a me- t
nor lihesitagZto entree ruin o ella. Logo qu e d
a nmataram, deixarain a dilignMeia conti-
nuar o soeu caminho.
Foi entao unicaminnte pmra ascassinar,
quo atacarami a diligencia? pir-ganteu Pi-
part.
E' do supper.
Forque? continuous clle. E' prociso
saber quenai era essa mulliher; e para isso
sara precise um inquerito.
Umn inquerito! observ'ou Croutot.
Como o faria? Procuranlo alguein qeo A
Svist.a do cadaver o reconhecosse ?
Sem duvida.
-- Saiba enfto, cidadato, quo quando o
i corpo foi encontrado estava decapitado.
E dirigindo-se A condessa, a quern teioma-
va ern nao dar o seu titulo :
S6 tu, cidada, nos poleras dar argu-
mas iuformna)oes preciosas.
E' verdade, responded ella, mas nada
posso dizer quae seja.- util. Entrou paria a
carruagem em Flocha, de note fechada.
SDepois de perguntar a quo horns a dili-
gencia chegaria em Nantes, pretextou
Su'ai urna grande fadigsi e adormeceu. 0
barulho da descargi aeordou a. Antes
mnesmo de reecuperar de todo os sentidos,
foi arrancada da carruagem e assassinada.
P- E, coin am uedfmrio do terror, balbu-
eiou"
Pareceu-mo quo un sinistro presagio
s se annunciava para mnim no din sin quo ou
s entrars nos incus dominios de Brivibre.
u A proposito. Esquececst-te ainda,
Meraloc, do satisfazer urea das fornalida-
des iinpostas polo decreot quo regular a res-
l- titnicgio des bens aos immigrados.
-. Qulil?
a- .- Ti-nuas quo contastar a tua identida-
o de pdr trees testemunhas quo attestassem
'a terren me conhiecido outr'ora.
t, A viuva voltou-se pars Pipart:
Urna dallas aqui esta. Ni e verde-d
do, meu Velho amigo?


,e Com o maior praz.,r.
Bern; disse Croutot, faltam ainda
duas.
S A segn seun sera unmu vclho servidor da
la nossa casa. Na-) se dove demorar, disso a
10 enimdcssa.
s. -IFalta a ultima, insistio Croutot.


piro c cahio na cama, quasi sem sentides.
Ficou assimn mais de uan. hera nessa des-
ordainem, sem fazer um movimento.
Foi despertada por trees ou quatro pan-
cadas, qua bateram A janella.
Urna voz, a de Tiennetta, dizia:
Entlo, Albina! Ent-to, Albina ?
SA moga ergueu-se corn difficaldade.
E' voce, tia Tiennetta ?
Sim, sou neu.
0 qua quer?
Quoro saber se tu nao precisas de al-
guem qua passe a noite comtigo...
-- No, hlo, vou melhor, obrigada.
Como quizeres, pequena; nao to in-
commodes; em todo o caso, se durante a
noite precisares de alguma cousa... eu
sou velha... tenho o somno muito leave, e
a minha casa nio flea longer da tua !....
E a boa mulher segaio o seu caminho
corn essa recommendagfo.
E s6 n'essa casa, por cima da qual ba-
lougavam-se brandamente as grandes arvo-
res da floresta, dounadas polo outono, s6'
sam auxilio, por entro torturasa horriveis,
mordando os punhos para nio gritar, invo-
cando sdmente a "Deus, recurso supremo
d" infelizes, eol deu A luz urm filho.
Essa menina ertdotada de uma coragem
de home.
Entdo, corn a creaturazinha nos bragos,
sentindo que ia desinaiar, e nia o queren-
do-receiosa das consequeneias d'essa fra-
queza molhou umrn lenco na agua fria da
bi ha e o atou na cabega.
Ioo tfeaeo-lhe umrn ponco o sangue o

tie-ts do reloio de parade marcava
A "fl e Aaa9. 4da vela, queoenfraque-
ae &na oqq p&r-se, aUllumiou o quar-

plor w "- .e. -
ErfiawitO G~s.. &g


9M o velbo ws'iro$
fic asetrO era OK e^ K. :
'm^twn.*mo g~bjpwg*
vsero io os.dous offioek o
N, 4a dixeui#anspaeeur 0: P qto ;
Abelu-io a menor impressuo que DmB O-'
BO ~ ~ ~ a up.iirOq OrEnsp
Wepo; etsar tqilon* hob ,B l"V.^
uasi que imperceptivel mso.v to
a corn os sous largos homr
ia interpretar como um signal
or aquelles does importunes, q apt.-
entavam no castallo como autoriu .
Sra. condessa nmandou-ine p8mur
or Gervasia ? disse ella corn a at vox
oUca.
- E' verdade, mou valente Cardeuc,
isso avyv.
4-'com um Sorriso aos labios, accrescen-
ou :
Nio me record do singular alcunha
?elo qual, segundo mo disseste, 6s conhe-
ido agora 1
0 Porco Moitez.
E effoctivamento elle tern o pello
leste animal, disse cm torn do gracejo
Croutot, quo ao lado do caseiro parecia
in rato magro junto do um boi.
0 Porco Montez, am attenglo a sua
nia, nao respoudeu nina palavra ao gra-
cejo do monstrengo, minas durante um seo-
gundo olhou fixainento para a doentia pes-
soa do motejador.
Entretanto a Sra. e Meralec continoou,
lirigindo-soe ano seu casiro.
b'stes senhiores., Cardeua, v6mu, em
Lomo da municipalidado Beaupreau, de
quo fazem parte, procurar-me afim de
fraocer lies todas as formalidades impos-
tas polo decreto quo auctorisa a volta
dos imnnigrados. Una dessas prescripg5es
ordcna me que faiga reconhccer a minlia
identidade por trees testemunhas.
Pipart via quo era occasiito do entrar
em scena. Abaixou a rono a dous p6sa de
altuira e :epetio a sun phrase:
Conheci-a deste tamanho. Por isso
estou prompt a scr unia daa tires testemu-
nhas :
Muito beom, Pipart, disso graciosa-
monite a coudossa.
F par.a provar que, so elle a reconhe-
cia, tambein ella por seu turn se recorda-
va de sua pessoa, a viuva pcrguntou, ri-
do-se :
Ainda comes ura pernas do carnaei-
ro de oito libras, como outr'ora, mneu caro
Pipart ?
Cornm esta porgunta, os olhos do gulotio
brilharam coin um ardor gastronomico, e
movendo os labios e os maxilares, como so
mruastigasse ossos e came, responded :
Hoje como dous I
--Aqui tens a minha primcira teste-
munha, disse ella, queres ser a segunda,
Cardeuc ?
Certamente. Ha duzentos annos, os
Cardeuc t6rin de pai a filho explorado a
propriedade de Saint-Florent-lo-Vieil, que
depend do castello de Brevi're. Eu, ha
vinte annos qua a explore em virtude de
urn contrato, quo posso mostrar, a quo
foi passado polo Sr. seu pai, Raul-Yvon-
Luiz Jarniel, marquez do Broviare. Vi-a
nascer o apezar de ja haver trcza annos
que patio, tendo a senhiora n'essa 6poca
dez annos, reconheco-a por Joanna-Clo-
tilde, a filha do marqunz, meu ultimo amn ,
o do quern a sonhora 6 o retrato vivo.
0 Porco Montez, tend dito isto corn a
sua voz cavcrnosa, voltou-se para Croutot
e disse :
Estou prompt a asignar.
-- E' precise qua'estes testomunhos so-
jam dados por escripto ? perguntou a viu-
va, dirigindo-se a Pipart.
Sire, ,mnia secnhora, affirmou o co-
mill.bo.


Nesse caso vou buscar papel e pen-
na, disse a condessa, abrindo o movel on-
do guardava as certidoi-s.
(Contifzia).


segredo a roupa para a creau:a e a tinha
escondido no fund do um armario, cuja
have trazia semnpre comsigo.
Sabia tambem quakes os primeiros cuida-
dos a dar ao pequeno e como convinha en-
volver o corpinho sam apertar demasiada-
mente os frageis membros.
Tiuha ajudado a ovens mlis, suas ami-
gas, n'esse trabalho tlo ajradavel, quo a
ella parecia agora tao amargo...
E' qua para aquellas, a maternidade era
um orgulho; para ella era urma vergonha !
urn crime !...
Sahio, a pouco e ptouco, do abatimento
quo seguio as does; voltou-lhe o sangue
frio, a presenga de espirito, a faculdade de
reflectir.
0 grande relogio, na sua comprida cai-
xa de carvalho, deu cinco horas.
Tinha ella ainda duas horas de noite,
isto e, duas horas sam angustias sem su.s-
tos.
A crean9a, junto ao sou seio, no calor
do leito, nlo se movia... nao dava um
vagido... cumplice da mli, pela sua tran-
quillijsde.
Albina deu-Ihe um long beijo, apertan- .
doeo nos bragos, como para protegel-o :
Coitadinho, a que vida esta, tadve",
destinado ? murmurou ella. -
Lev%&tou-se, ou antes deixou-se cahir o .,
f6ra da cama e vestio a creangs.
Ao sea primeiro vagido, A suan prmia '"
necessidade doe beber, ella deu-lhe leite do
cabra.
E quando, As sete horas, a' claridad
penetrou por baixo da porta.. ihun.BI"..
do, vagamente, o theatre d'osseu'eriin ; K
drama da vida, Albina, piflid, na:. 'A:i,.
estpvanms calm. '* w 1
E quando Tiennetta, indOi I1wm (
Fails, batoeu a piar '"I.


St








I-



r;.2
' '
,'- "
^..6


k,- .'.




'.'





t o : *.


Pt 4,


-o




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQLH139DS_F0J26J INGEST_TIME 2014-05-22T21:43:07Z PACKAGE AA00011611_16210
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES