Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16106


This item is only available as the following downloads:


Full Text





~: 'r.:t~
rr *


a Ak
* a 6 .B .' -
/ .


'. 1
'^ *


.;*.,-. .'~




WI


d we U 0 C' 0 C


*C -
^ ** /
* -


C' 6 ~ S
s-B C 0 0


S


* .0* ~
S *0 S..


"PROP' ..DE MANO-"L Ff*..


p ~ .- a a S ~


LdW
kfI
*i ,

, !


)A DF tAIA F L,
:^ H "


SU -- Ao general commandant das arms. Clarindo Bibeiro da Cunha Guimarbe.--In
Iws Transmitto a V. Exa., pars on fins oonvenian- form o Sr. director da escola Normal.
__________________ tes, as inclusas guia de soccorrimente de 13 Gremio dos Professores Primarios.-Infor-
pragas do exercito, constantes da relacio no- me o Sr. director da Escola Normal.
S G DA AIGA BAWA minal por copia. as quaes estavam addidas d Irmandade de Nossa Souhora da Luz da
m o fa r MAYu companhia de infantaria da provincia do Rio igreja de S. Josed de Riba.-Mar.-Nbo tern lu-
'Grands do Norte, foram remettidas pans gar por deficiencia de forga.
(Pelo cabo submarine) aqni corn destiny a c6rte, conform communi- Joao Marques Correia.-A' vista do parecer
cou-me o Exm. president daquella provincia, medico nbo tern lugar o que requer.
LONDRES, 2 de fevereiro. em officio de 20 do corrente. Por esta occa- Maria Leopoldina Pires Ferreira.-Informo
silo declare a V. Exc. que acabo de expedir o Sr. director da Escola Normal.
ama ria dsCommns ab as necepsarias ordens, afim de que no vapor Maria Candida de Mirandt.-Nesta data of-
A Camara dos Communs acabsPard, esperado do norte, sejam ellas, bemrn co- flcio aso thesouro provincial no sentido de eas-
de approval, depols de uma sess&o mo suas families, transportadas a seu destino. cripturar no quadro da divide passiva e em
quae duron 43 horas, a lei, apresen- Ao inspector da thesouraria de fazenda. favor da supplicant a quantia 'd e 22OO ore-
gs" pw um. dos md g -M -De conformidadeo car o que resolve o mi- lativa ao tnimestre de ordenado, a que so re.
ta pa um dos membros do gabi- nisterio da agricultural commercio e obras fore o art. 150 do regulamento de o de abril
na abelecendo na Irlanda urma publicas em aviso de. 10 do corrente, dou nes- de 1879; visto achar-se encerrado o exercicio
Sespeclal. ta data provimonto aos recursos a que se re- a que pertence a despeza de que se trata.
I especifa erem as informagOes de V. 2. de 21 de julho, Secretaria da presidencia de Pernambuco,
Essftm sessdo tel assaz tempestuosa, 2 de agosto e 14 de dezembro do anno passa- 3 de fevereiro de 1881.
havendo discursos energlcos e vehe- do, sob ns. 513, 556 o 878, interpostos por An- 0 porteiro,
na Francelina de Miranda e Silva. Manoel Jo- Jode Gonfalvewdos Santos Junior.
meates. se de Almeida Dod6, Francisca Carolina Te- -
Apenas se declarou haver sido ap- norio Cavalcante e Rosa Tenorio Cavalcante, Inspectoria geral da instrucgdo
o o jctod gveo too das multas em quae incorreram perante as col- public de Pernambuco
provado o project do governor, todos lectorias de Olinda. Caruarfi e Buique, por in-
O* deputados iriandezes retiraram-se formagoes do regulamento n. 4,835 de 1 de de- EESPACHOS DO DIA 31 DE JANEIRO DE
do reezuto da carara- zembro de 11371. 1881
do eito da camera. Ao inspector interino do arsenal de ma- Candida de Drummond, professors publics
Essa nova lei dA ao governor poderes rinha. -De conformidadexcom o aviso do mi- da 6.' cadeira da freguezia da Boa-Vista desta
extordinarlos, que ihe poermittem nisterio da marinha de 11 de dezembro ulti- cidade.- Cumpra-se e registre-se.
r os h p mo, determine sao inspector da thesouraria Francisco Amancio da Silva, professor pu-
no future manter a tranquillidade na de fazenda, em officio de20, que mandasse in- blico da cadeira do povoado do Janga.- Bn-
Aha ventariar o mais breve possivel, os objects caminhe-se.
Sdo almoxarifado dese arsenal, references as Leoncia de Luna Freire, professors publics
AgenCi Havas,. em Pernambuco, 3 de IotasJ encerradas dos e xercicios do 188 a da 2.a cadeira da cidade da Victoria. Certi-
1879 e 1879 a 1880, atim do quo podessem snr fique-te.
fevereiro de 1881. liquidadas as mesmas contas, o que commu- Juveniano Jos96 Simaes, professor public
niquei a V. S. no refernido dia 20. Tendo, pe- da cadeira de Alagoinhas,.- Cumpra-se e re-
rem, o dito inspector ponderado, em officio n. gistre-se : marco o prazo de 25 dies para en-
892 de 21, haver nbo s6 ordem -do thesouro trar no gozo da licenga.
f f l'T An ff fTAf national n. 35, de 12. como tambem o aviso Dia 1. de fevereiro
do ministerio da fazenda ao da marinha, de Maria do Livramento e Silva.- Remettido
14 tudo de fevereiro do anno passado, dispen- ao delegado litterario para mandar que a pro-
(Pelo telegrapho terrestre) sado a pratica de serem designados oemprega- fessora certifique.
dos dan thesourarias para procederem so in- 3 -
RIO EJANEIR de feereiro ventario dos objects 6 cargo dos officials de Leobina de Barros Cavalcante Lins, profes-
RIO DE JANEIRO, 2 de fevereiro, is 9 fazenda, salvo permittindo.se quo esse servi- sora publics da 4.a cadeira do sexo masculine
horas e 55 minutes da manhia. (Recebi- go s e executasse f6ra das horas do expedient da freguezi de Santo Antonio.- Cumpra-se
Smediante retribuiclo do respective ministerio a registre-se.
do ao meio dia). e bern assim feito sentir, no citado officio, qua Bacharel Cicero Odon Peregrino da Silva,
a suB repartiglo nio tinha um empregado em lento da cadeira de allemao do Gymnasio
Por decretos, de 29 do passado, disponibilidade, e que podesse encarregar-se Pernambucano.- Cumpra-se e registre-se.
foram nomeados: da commission de qua se trata. resolvi, por of- 0 porteiro,
daao ea o raad ae ficio de 27 do mez proximo find, sob n. '74, Joo da Cunha Moreira Alves.
Inspector dathesouraria de fazenda submetter o expesto ao conhecimento de
de Matto-Grosso, o primeiro escriptu- Exm. Sr. ministry da marina de quem
aguardo decisae, afim de que tomando em de- Ropartlgto da polUcia
rario da do ParA, Caetano Alberto vidaconsideraclo, se dignasse autorisar, pelo Secolo 2.a--N. 166--Secretaria de po-
Munhoz. ministerio a seu cargo, uma retribuigo aso@ lcia de Pernambuco, 3 de fevereiro de
Segund s u a eempregados da thesouraria de fazenda, que 188|. -Illm. e Exm. Sr.-Participo a V.
Segundo escripturario da thesoura- fossem designados pars semelhante incum-
rila da Parahyba, o segundo da do Rio bencia. Fica deste modo respondido o seu of- ExC. que foram recolhidos a casa de de-
Grande do Norte, Diomedes Bazillo ficio n. 204 de 20 do corrente. tenolo OS seguintes individuos:
doa do RNore-. Ao inspector do thesouro provincial. No dii 1, 1 ordem do subdelegado do Reci-
de Castro Romeu. Tendo em vista o expendido na informal o fe, Wilhelm Larsen e.John Jansen d requisi-
Se ndo esrlurarlo da thesoura- dessa inspectoria de 20 do corrente, n. 515, glo do consul d,. Suecia.
egundo escrlpuraro a esoura autoriso Vmc. a mandar entregar ao Dr. Jolo A' ordem do da Graca, Manoel Antonio de
rla do Rio Grande do Norte, o conti- Bernardo de Magalhbes,|independente da abo- Jesus, por crime de furto e usao deo armas
nuo da mesma Josd LeltAo de Almel- naglo de que trata o art. 234 do regulamen- defezas.
da. to de 2 de julho de 1879. a quadtia de 6009000 No dia 2, d minha ordem, Manoel Vicente
da correspondent ao product 12a parte n. 67da Ferreira, vindo do termo do Rio-Formoso,
Pol mandada suspender a order loteria concedida a favor das obras da nova come sentenciado; e Salustiano Gomes da
pnsi! par ser rsponsabilisado o contador Aojuiz de direito president da junta sentenciado.
do correio da Pata. revisora de alistamento military da comarca A' ordem do subdelegado do Recife, Maria
ee o Dr. A lous A r P do Cabo. Accusando o recebimento do offl- Angelica da Conceiglio, Maria FranCisca Bra-
Falleceu o Dr. Alfonso Arthur Pe- cio de 18 do corrente, em que Vmc. communi- chman, Maria Eugenia da Silva, Joanna Ma-
reira Monteiro, advogado. ca-me haver convocado novamente a junta ria da Conceigco. Josepha Maria da Conceigo
revisora dessa comarca pars o dia 7 deo feve- e Anna Francisea de Oliveira, por distur-
RIO DE JANEIRO, 3 de fevereiro, is 3 reiro vindouro, afim de proceder d revisio e bios.
arde. (Reei apurailo dos trabalhos da parochia de Santo A' ordem do de Santo Antonio, Maria Mi-
horas e 50 minutes da tarde. (Recebido Antonio do Cabo, visto nbo ter compareciAdo randa de Lima. Eufrosina Maria da Conceigio
fa 5 horas e 40 minutes). 6 reunibo do dia 18 deste m oz a dalegado de e Afra Maria de Mendonca, por disturbios e
policia e e president da camera, declaro-lhe, offenses a moral publicsa; Jos6, escravo de
0 camrbo affrouxonu em resposta, que, no caso de nbo reunir-se Manoel Paulo de Albuquerque, por crime de
O ab arouxo ainda dessa vez a junta, pelo mesmo motive, furto; Castiliano Gongalves de Barros, Fran-
As transacgoes de hoje foram exija dos membros, que faltaram, que decla- cisco Pereira de Souza e Manoel Antonio Si-
realisadas : a 22 d. per 10O00, do ban- rem par escripto as razOes de semelhante pro- rmoes de Brito, por disturbies.
A 2 cedimento. Ante-hontem, is 10 horas da noitoe no
co ; e a 22 l/8 d., dos partictares. Outrosim, recommend a Vme., qaie solici- quadro do Valerio no Campo-Verde da fregue-
te do juiz de paz, president da junta paro- zia da Boa-Vista, travando-se de razOes o ca-
chial do Ipojuca, a remenss do alintamento be do 14 batalibbo do infantaria Anton'o Fle.
IARDTE 0 FfW1lAL daquella parochia, fazendo-lhe igual exigen- rencio corn e paisano Antonio de tal, ferio a
cia no caso de nbo ter side alli feito a dito eote corn urna estocada no peito esquerdo.
alistamento, trazendo Vmc. tudo ao conheci- 0 offendido foi remettido pars o hospital
Governo da provincia mento desta presidencia para ulterior delibe- Pedro II, aflim de ser tratado do ferimento
T D[D 24 DR JANEIRO D181 ragbo. a rque foi considerado grave pela victoria que
EXPEDIENTE DOL DAo presidents e vereadores da camera se fez, e contra o delinquents, que se acha
Actopresident d provincial, tend mucipal de S. Bento.-Pelo officio, a que res- recolhido no respective quartel, precede a
-rse- pondo, de 13 do corrente mez, flea inteirado autoridude competente non terms do inque-
tco recurso interposto par Monhard, Mettler de haverem Vmcs. prestado juramento eas- rite pohcial.
& C., em que reclpmream contra a deciseo da sumido o exercicio de sous cargo afim de Pelo Dr. delegado da capital foi remettido
junta do thesouro provincial, que confirmou servirem durante o quatriennio de 1881 a hontem ao Dr. juiz de direito do terceiro dis-
a exigencia do consulado que cobrou confor- 1885.-Igual aos da camera municipal da ci- tricto criminal o inquerito pohcial a que
me especifica o art. 87 do regulamento de 4 dade do Espirito Santo de Pao d'Alho, em res- procedeu, a requerimento do Dr. primeire
de julho de 1879, direitos sobre impostos pa- post ao officio de 9. promoter public, contra Victor Luiz Vieira,
gos nas alfandegas da Bahia e da Parahyba, Portarias: Alexandre Felix de Souza e a praca do corpo
corn relagbo a mercadonias dos recorrentese -- Insistindo na ordem que transmitti a de policia Roberto de talS autores do espan-
considerando, de accord, com o parecer do camara municipal do Bonito, no officio de 10 camento do prte Jacob Antonio Vieira.
mesmo thesouro conrido em officio de 10 des- do corrente, e que deixoude ser cumprida, co- Dons toardo a Vp EXcb -Aitmi e EVm.
te mez, sob n. 494, que a lei do orgamento v- ma consta da representagba junta par copia, Franklin Arnrico do Menezos Do-
gente nbo revogou o dito regulamento e os mando oue essa camara de posse a nova ca- Sr- Dr- .raklin Amene. de Meneze Do-


I.,.







I'
I?







'.'' '*










.<
- ...-*









..
















.|-)









' .


/..[-
..*




*-,
J. ,


eumad f b r oonceodido ao--ito sor Izidalo
do FroifteMa G aO. a gratiffoaqlo do meriMo.
- Ao W. 6eq04"r para seun caheoimato:
Offacig dp9 It. mecretario da presidencia,
commu iOam baier rocabido o- Exm. Sr.
pres"idntrd provinoia o m vokorio deste the-
nouro e mal spe.'anex&s.- Ao Sr. conts-
dor panrs sou oobhoimnnto.
RodopIano Floreneio de Carvalho Calumby.
-'Infoesa Sr.-contadot.
OfflaiA do_ ngenheiro ajudantQ da reparti-
gao das obras publics communicando ter
side roitbida definitivamente a obra da pin-
tura da ponte de Afogados. Ao Sr. conta-
dor pars seu conhecimento e devidos fins.
Francico Candido de Medeiros.- Deferido,
toamando-oee por termo a flanga offerecida.
Manoel Martins Fiuza.- Defe-ido, por nao
ser responsavel pelo debito dos anteriores
inquilinos o ovoe que occupar o pavimento
terreo do prodio n. 38 a raun do Bario da Vic-
toria, vido provar-se que acbase desoccu-
pado o mamo payvimento. '.
Narcis% Maia & C. Inferdo6, visto ter
incerridb V preacrilpQO do art. 114 do Reg.
de 4 deojulodo 18"9.
D. Idalitfa Porphiria do Amaral.- Regis-
tre-se e facam-se as devidas notas.
Pedido do porteiro deste thesouro.- For-
neags-so.


REVITA DIARIIA
Facada.-Ao hospital-Pedro 1 foi recolhi-
do ante-hontem a tarde o individuo de nome
Antonio Nlorencio da Silva,pardo, solteiro,
de 20 annos de idade, natural do Rio Gran-
do do Nort, afia de set tratado do urnma fe-
rida pouetmante, foWt& pcr faca, na regilo do
peito, lade direito, ferimento que foi conside-
rado grave.
Referie elle que, cerca de 11 horns da noite
de 1 do corrente, estando a conversar, no lu-
.ar CaMo Grande, corn a amante do cabo do
o batlhio de infantaria, de nome Antonio
Firminoacercou-se d'elle essa praca de linha,
e',sem ais que nerm para que,deo-lfhe a facada
referidakdepois da que evadio se, indo pars e
quartel4
0 eri 4noso foi prese entretanto ao reco-
Iher-so eorpo.
Roun andaz-Hontema, eerca de 3 horas
e media tarde, na occasilo em que o Sr.
Jose G uaes Alcoforado. empregado da com-
panhia da via-ferrea do Caxanga, passava
pela tratema do Corpo Santo, na freguezia de
. Frei Pedro Gongalves do Recife, em direc-
gao A um dos bancos alli sits, onde ia elle
reoolhwo erea de 3:000S em cedulas, envoltas
n'ma Iun a, sabio-lhe ao encoptro um cabra
pw r o qual, seo duyi4a auspeitando ou
teados Miencia do que confinIM o.embrulho,
arrobatou-o violentamente e da a correr
pela rus da Cruz, em buses dtdo'l !m.
Passado o primeiro instant de;estupor, o
Sr. Alcoforado poz-se no encalgo de fugitive,
gritando que o pegassem, 'e n'esse empenho
foi auxiliado por varias pessoas, que segui-"
ram atraz do ladrao. Este, atirando parts do
embruiho, como engodo aos seus perseguido-
res, julgou assim escapar corn o rest ; mas
sahio.lhe o anno bissexto, porque a persegui-
glo presegaio, e, gragas A ell&, e especial-
menote so esforcos dos empregados da via-
buwa do imoeiro, p6do o la4rio ser preso,
perto do Brum, de onde foi conduzido para a
estagblao da guarda-civica.
Antes, pordm, d'essa prisio, tendo oladrio
procurado homisiar-se sobre o balclo da taver-
ns do Sr. Manoel Jose Pereira de Castro, na
rua dos Guararapes, e nao convindo n'isso o
Sr. Castro, deu-he o ladrio uma facada, pro-
duzindo-lhe um ferimento leve.
Isto e main o facto do roube fez affluir gran-
de massa de povo para a rua do Commercio,
oade 6 sita a estacgo da guards civic ; e,
conduzido para esta, foi ahi o ladrne revista-
do, sendo-Ihe encontrado parte do roubo,
que, unida a acima indicada, que f6ra reco-
Ihida pelo guarda-livros do Sr. Jose Guilher-
me da Silva GuimarAes, nai prefez a quantia
roubada ; polo que 6 de presumir que o ausa-
do ladrbo tenha jogado f6ra por parcellas a
part que nao foi encontrada, e isso durante
isu desenfreada carreira.
0 ladrio, urna vez encetado o inquerito,
foi mandado pars a detengbo ; entretanto 6
singular que s6 podesse elle ser preso par
pessoas do povo, quando e certo que na fre-
guezia do Recife ha urna seeago de guards-ci-
vica e autoridades policies 1
Nao a este o primeiro roubo, nero serd o ul-
timo que so dk n'aquella freguezia, em horas
de grande movimento commercial, e, par as-
aim dizer, as barbs da policia local ; e serve
elle, ainda main, se 6 precise, pars demons-
trar que o estado d'essa freguezia, coma ja o
temos dito, 6 anomalo e reclama toda a atten-
gbo do Sr. Dr. cnefe de policia.
Na freguezia de S. Frei Pedro Goncalves do
Recife, onds se acha todo o commercio de
grosso trato, bancos e outros estabelecimen-
tos de credit, etc. ; onde se ajuntam diarna-
mente dezenas e dezenas de marinheiros de to-


das as nacionalidades; onde emnflm o movi-
mento dos negocios e da populaglo 6 immen'
so durante o din, e a noite tudo repousa na
oonfianqa do respeito a lei ; 6 imprescindivel
p6r test da policia quem, A urns grande
energia e notavel prestigio, juntoe um esforgsa-
do empenho em bern cumprir a &rduatarefa de
fazer reepeitar a vida e a propriedade dos ci-
dadaos.
Estard o actual subdelegado n'eete caso ?
Cremos que nao.; e tiramos essa creoaga dos
repetidos crimes que alli se tern dado de cer-
to tempo para ca, crimes qtje poem patent
Sa fraqueza moral, o despre"'gio da policia
da freguezia, onde entretanto seafacil achar
Shomens nan condicies precisameWi requeri.
i dasn parsa o cargo de subdelegado.
S Pense nisto o Sr. Dr. chefs de policia; E
Sflamos em que S. S., bemrn intencionado e cri
Sterioso come o6, nao deixard de procurar me-
a lhorar o estado d'essa freguezia.
Luta e ferimentos. Francisco Pereira
Sde Souza, branco, solteiro, natural do Ceard
de cerca de 22 annos de idade, 6 um rapaz qui
a nao desgosta de passar vida folgada e mila
e gross.
Na neite de 1 para 2 do. corrente fei ell1
respirar o perfume de uma camelia moradora ni
o runa do Fogo, chamada Eufrosina Maria di
. Conceigo; e, como quer que quizesse prega
um logro nessa cameia, nio 0 e pagandoa
preco do perfume que respirara, a mulhersi
nha, auxiliada per urma companheira e pao
Sum outro rapagao que estava aus casa, robe
1. lou-se, travou luta, resultando do grande ba
r- rulho ficarem quebrados e reduzidos A frag
mentos todos as moveis da cass, do qual i
1- 3 e 1/2 haros da manhi poude escapar-se Son
o za em fraldas de camisa, tendo levado am
- boa tunda que Ihe produzio diversas escoria
goese echymosm.
a Sahiado da easa da referida Camelis, Solz
j. deilou a correr o foi tor a run da Concordia
, ond foi preso pera patrulha rondante qu
1. o levou pars a eastaoa da guards civic.
a Ali o eneontrou no dia nogainte, oa Sr. A&
i. aides Barata, %abdelegade da freW ia d
r- 8antd Antonio, o.qual asadou proeedet i. vT
s toria no offendido, acto que foi pratieado pel
a. St. Dr. oua, prosfutido-0e non detai
tftno do inaerito. v _-.


M40em d'AwN .'GHo, a cargo da Imperial
Itiedade dip &iistas Meohanicos e Libe-
, map tambem o parecer que, em sesEso
de 28 de janeiro ultimo, foi adoptado pela d
cngregaglo do mesmo Lyceu, relativamente
ao programme do ensino quo dove ser mi-
nistrado newe estabelecimento.
S8o trabalhos esses que merecem ser lidos,
tanito mai quanto revellam a natureza de
um estabelecimento que no o tern par no im-
perio quanto ao seu programme de ensina- i
mentor, que visa former artists, dignos des-
se nome. t
As aulas do Lyceu, como ja. dissemos, de- ri
vem comegar no dia 7 do corrente, guardan- t
do-se a seu respeito o que prescreve o cita- d
do regulamento no que respeita 6 matricula
non differences curses do programma. d c
Como esse programma s6 flcou organisado n
depois de jk aberta a matricula, e algumas i
peooas ae Inscreveram antes de weoes.-i
nao p6de ter inteiro conhecimento M. aw i
desejos ja manifestos nessa inscrip e 6
natural que se modifique o numero"-os que t
pretended frequentar as aulas pars que se g
0
inscreveram, -
Todavia, aqui damos o resultado dessa
inscripglo : a-
Matricularam-se 231 individuos ; e, senuo t
alguns pars mais de uma material, o numero d
das matriculas expedidas 6 de 379: sendo :
para as aulas de portuguez 133 ; pars a de f
arithmetic 57 ; pars a de geometria 22 ; pa- j
ra as de dezenho 50 ; pars a de geographia s
6; para a de algeba 7 ; para as deo francez ,
35; pars a de latim 11; pars a de inglez 7 ; p
ara a de italiano 1; pars a de tachygraphia g
8. para a de philosophia 4 ; para a de ana- r
tomia 4; para a de historic patria I ; para t
a de histonra universal 1; pars a de meeha- m
nica2; para a de music 28; e para a de r
physics 2. I
Eases numerous e a variedade das inscrip- r
goes dizem assas qnanto se p6de e se deve a
esperar do ensino professional que vai come- c
gar sob os mais lisongeiroi suspicion.
Juizo do civel do Reciie. Nos autos
civeis, em que sio parties, como autor, Re-
ginaldo Candido da Silva, e reo, Ernesto e
Ovalle, foi lavrada, em 1 do corrente, sen- d
tenags, polo respective juiz, o Sr. Dr. Jos6 w
Manoel de Freitas, julgdndo procedente a
acgo, pars o tim de ser o r-o obrigado a
indemnisar o autor da quantia pedida no w
libello e custas. g
Embarreameuto de estrada. -A repar- c
ticao de obras publicas contrata, no dia 12 I
do correnteo ao meio dia, o embarreamento n
de 727 metros correntes da estrada de Itapis- p
suma 6 Nazareth, orgado em 2:38f$742.
Companhia Brasileira.-O vapor Espi- .
rito Santo, tendo sahido hontem a tarde do i
porto da Parahyba para nosso, dove hoje aqui Q
amanhecer.
Nevos vapores de reboque.-No do- a
mingo, pela manhi, fundeou em nosso por- a
to, sob a bandeira ingleza, o vapor Emperor, v
-de 55 toneladas, construido na Inglaterra, pa-
,ra se empregar em reboques dentro deste por- L
to e nas costas do norte e do sul da pro- w
ivincia.
E' todo de ferro, mdde 90 pds de compri- F
monto, e 18 de boeca, demands 10 p6s carre- d
gado. e movido por uma machine da forga de
65 cavallos, e acha-se classificado em 1. clas-
se no Lloyds. c
Brevemente deve aqui chegar um outro, 9
quasi semelhante dquelle e nas mesmas con- t
dlcoes, corn a denominagio de Victoria.
Pertoncem ambos 6 acreditada casa corn- a
mercial don Srs. Wilson Son & C. Limited. C
Comarca do Recife.-0 Sr. Dr. Manoel
da Silva Regoa, juiz da provedoria de capellas d
e residues, despacha diariamente, das 10 ho- e
ras da manh a s 3 da tarde, no primeiro an- e
dar do sobrado n. 35 da rua do Imperador, h
salls da frente. s
Fallocimento-Victima de antigos pade- d
cimentos, falleceu ante-hontem, e foi hontem d
sepultada no cemiterio de Santo Amaro, D. t
Alexandrina Annes Jacome Pires, esposa do 1
Sr. Dr. Antonio Annes Jacome Pires.
Tinha a fallecida 65 annos de idade, e nesse
long peregrinar pela terra do sobejas prvas.
de nobres sentimentos e dan main raras virtu- I
des, que soube transmittir 6 numerosa prole ,
que deixoa. 1
Nossos pezames a seu esposo e fllhos.
Mandahek.-Esse vaporda companhia Per-
nambucana, tendo sahido hontem do porto de o
Jaragud para o nosso, pelas escallas do costu-
me, deve aqui chegar amanhb.
Porto do Recite-Consta-nos que o Sr. ca-
pitAo de fragata Ferreira de Oliveira, inspec-
tor do ar.-enal de marina, convidou o Sr.
inspector da alfandega para urna reunibo, afire
de, par commum accord, ficarem definitiva-
monte designados os lugares onde devem fun-
dear os navios em franquia, carga, descarga,
etc.
0 accordo dos dous chefs das repartigSes,
que fiscalisam o nosso porto, fard apparecer
nelle a ordem que hoje nba existed. I
Generos alimenttcios-Pelos navies Iso- I


lina e Fairy Bell, vieram para nosso merca-
do : alhos 427 canastras; bagres seccos, 14,450;t
battatas, 100 caixas; cevada, 92 stccos ; con-
servas, 43 caixas; farina de mandioca, 2,000
saccos; feijiao, 570 ditos; tainhas em salmou-
ra, 31 harris ; vinho, 30 pipas, 465 barris, e
3,054 caixas.
Riacho do Matto.-D'esta localidade nos
escrevem em 30 de janeiro ultimo.
a Entre 6s lagares Jacintho e Goiabeira, na
matts do Espinho, ao amanhecer de 27 do
corrente, foram encontrados vestigios de lu-
ta, nodoas de sangue e fragments de roupa
le mulher, e restos de comida. Suspeitando-
se de algum crime, varias possoas seguiram
os rastos do sangue, qua conduziam 6, um dor.-
Srego proximo d'aquelle lugar, e ahi acharam
- um cadaver de uma mulher, tendo, entire ou-
tras, um ferida penetrante de um lado do
peito.
a As pessoas que isso viram alii deixaram
o cadaver., A noticia do facto, porrm, espa-
lbhou-se. Entretanto, ate agora,nenhuma das
s autoridades policies se mexeo pars fazer as
, averiguagOes necessarias, e provavelmente as
Saves de rapina deram cabo do cadaver.
Aqui continuam os furtos de cavallo de
modo escandaloso. Na ultikma segunda-feira
3 furtaram dous do preto Braz; e com o este
a gritasse na rua que, se os seus animass nbo
a apparecessem, elle poria d i mostra a calva de
r muita gente boa, 6 tarde. estavam os cavallos
o em seu poder. Que tal lhe parece isto.
i Da villa de Muricy, da visinha provincial
r de Alagoas, pessoa fidedigna me escreve di-
i- zendo que no dia 22 do corrente, um indivi-
*- duo, culo nome nao me foi dito, armado corn
Sumr punhal, ferioia 8 possoaes, seis das quaes jL
s falleceram, send 4 homes e 2 mulheres. A
i- coausternagio produzida na villa foi immense. e
a grande trabaIlho teve o missionario capuchi-
i- no frer Cassiano em aalmar o povo que para
ali affuio em numero superior a 500 peg-
a soass.'
a 0. sanguinoso drama tove par origem
o ura, pilheria que aso iminoso jogava un
iadividuoi relativalpte a sua incapaci-
I- dade parscamar coilnumoga corn quom dovis
ie tir-e reaquolla dig, par ser ella branca e be
a. iData *.elk&MiO.efaio.
o A oi migorti do e o~vigario da fre-
edeiM ai ozM poe a v fs domeeise ende-
hado, qsi,' memo depois de preso, la-
S t-M df i telos attingido.
a 0 acriotio do miuienario foi urma da
Sieimams. .


a Em, consequencia d'issoa e para moralisar
a caso, frel Cassiano fez umas pratica, a que
se seguio urma procissao de penitencia, depois
da qual foram enterrados ao p6 do cruzeiro
da igreja grand. numero de facas. punhaes,
pistols e bacamartes. ,
Limoeiro.-Escrevem-nos em 31 do pas-
sado:
a Aqui chegaram a semana passada os jor-
naes da cOrte e dessa cidade trazendo-nos a
ntegra da lei electoral ultimamente promul-
iada. E' a nossa eartas de emandipagio polio.
ica, e nbo podia deixar de ser, como foi, ge-
ralmente auito bemrn aceita e acolhida. Mui-
aos, 6 verdade, nbo creem ainda na efficacia
de suns disposigoes, acostumados como esta-
ram corn esse bediondo e abominavel regimen
los phosphorus, das actas falsas, das desig.
nagOes, dos petulantes e audacissimos reco-
ihecimrnnos de identidade de votantes, das
b eoiU dos papeis a ujos, etc.: nao creem
i*msa qua certos cef'es politicos do aldeia,
Iguras groteseas e caricatas smirni-analphabe-
os, immoraes e riminosos ate, sem fortune,
sem familiar, sem outro prestigio main do que
Sbafejo official, foram afogados no nade,
d'onde-nunca, para vergonha deste paiz, de-
riam ter sahido ; que fundou cernm elles a tris-
1e e abjecta subserviencia de miseros coita-
dos, instruments passivos que se moviam
1o seu aceno, sem consciencia de que apenas
aziam a cauda dresses magnus capangas, cu-
es titutos de benemerencia nao eram outros
senao bern servirem a quem os commissiona-
Ta, paras trabaiharem no aviltamento deste
>ovo. Nio creem, mas se souberem erguer-
se, se nbo deixarem corner a revelia seu di-
eito, so procurarem qualificar so, tirar soeus
itulos e se corn elle se apresentarem nos co-
nicios, verbo que a assemble eleitoral nio
epresenta mais aquellas bachanaes, aquel-
as nefancas orgias que tantas hecatombes
>roduziram ; verao que a lei reconheceu-lhes
Sdignidade de home, a autonomia do ci-
nada e finalmente que o sou voto jd nao
Surn sophisma, um embuste, mas uma rea-
idade.
F6ra pois, corn o indifferentismo, esse
stado marasmatico em que a naclo atrophia-
ia vivia immersa, devido tudo aso ambiente
nephitico e impregnado de padres miasmas,
inrundos da geral corruapgo que por today a
parte lavrava. Inda que o onus da provays
aos cuntst alguma cousa, 6 covardia entre-
garmo-nos i mnercia, e mantermoso estado de
;ousas a qua o esbulhe de um dos nossos me-
hores direitos nos tinha reduzido; armemo-
nos corn o nosso titulo e vamos corn elle de-
ositar na urna os nossos votos, e s6 assim
era o paiz genuina representagbo, o que o
naiz em mais de meio seculo, ferca e dizel-o,
nunca teve. Tudo nos dove inspirar confian-
;a, e mais que tudo os magistrados, por cuja
ionta correm a qualificacgo e a eleico. Per
*qui felizmente parece que ha vida, que ha 4;
nimacbo... a lei discute-se e todos parecem e.,
aostrar-se confiantes em sums promessas.
a No dia 16 do corrente, Vicente Ferreira
jima, tend.o tido urma luta corn Honorio Ma-'
ioel d3 Souza, seu companheiro de can, de,-
ois de reciprocamente se maltratarem. deu-
he um tiro, do qual Honorio poueas horas
lepois fallecera. 0 assassin foi preso em
lagrante por pessoaas do povo.
Um tal Joaquim Magno, por negocios de
cordbo azul e encarnado, tomou urma boa
i6va de pdo, da qual ficou gravemente mal-
ratado ; confessou-se e acha-se deo camas.
Attribue as offeasas que soffreu a um tal
Ienrique Cardoso e um certo Quitoulas ou
Cetonio, sous adversaries em corddo.
a A habitual monotonia, a que vivemos con-
Lemnados, foi quebrada nos tires dias que pre-
;ederam ao do martyr S. Sebastibo, corn a
celebraglo de umrn triduo, em honra do Santo,
iavendo, como s6e succeder em takes occa-
Sioes, musical, foguetes, grande concurrencia
Ie povo, missa e procissno, queimando-se.no
dia final um pequeno fogo de artificio ; o qua
:udo, cia nestas altnras, e, na carencia abso-
uta de melhores diversoes, 6 altamente apre-
eiado.
a Temos tido tambem abundancia de uns
:avallares, cavallos marinhos, massantes, de-
senxabidos, e se atiram a nossas algibeiras
oam tal gana coma se fossem suas; entretan-
to, apezar de nada mais exprimirem do que
especulagbo, rapazes, a nieninada e muita
gente quo 6 elle concorre, riem-se come per-
lidos e acham summa graca nos sujos Seobas-
tioes, Catharina e Matheus.
a 0 entrudo jd vai sorrateiramente entran-
Io par aqui, ja se expsem 6 venda uns nau-
seantes papos de borracha, corn quo se em-
porcalha quern arma e quern detests essay im-
mundicie; corn que se ataca impune e desa-
foradamente a saude public. Oulr'ora essa
selvageria era usada somente durante o tires
Itas. quo precediarn a quarta-feira de cinza;
hoje, corn os progresses dan luzes do seculo.
os bugre$, quo gostarn de chafurdar-se na la-
ma, comegam-no logo em dezembro. E nbo
ha correccgo possivel para esses reos de pa-
licia ? pars losses quebrantadores da lei. Cor-
to nbo ha porque os sous executures man-
Lram-se impassiveis... as vezes tambem jogam


sua limada.9
Pagadoria de lfazenda.-Nesta estagio
pagam-se hoje as seguintes folhas:
Junta commercial, justiga de I1' instancia,
consignacgo de officials, alfandega, correio
geral.
Leiloes-Amanhii realisa-se o seg ainte:
Pelo agmte Silveira, ao meinoS dia, na rua D-
ue de Caxias n. 37, do engenho S. Sebastiio, e
a seis casas terreas.
Peloagente Pinto, as 11 horas, na rua do Born
Jesus n. 45, de piano, moves, quadros, vi-
dros, espelhos, obras de electro-plate, etc.-
as 10 1/2 horas, na mesma casa, de fazendas
limpas e avariadas.
Polo agent Pestana, as 11 horas, na rua do
Livramento n. 21, de moves de jacaranda, vi-
dros, ouro e prata.
Pelo agenie Martins, is 11 horas, na rua
do Commercio n. 48, de cautellas de penho-
res do Monte de Soccorro.
Amanh& devem realisar-se os seguin-
tes :
Pelo agent Martins, is 11 horas, na ruan do
Imperador n. 16, de pianos, moves, etc.
Pelo agent Pinto, as 10 horas e meia, na rua
do Marquez do Herval n. 31, de piano, moveig,.
tapetes, quadros, louags, crystaes. etc.
Quarta-feira deve realisar-se o seguinte :
Pelo agent Burlamaqui, is 11 horas, na ruan
do Imperador n. 49, de diversos predios e ter-
renos, pertencentes 6 massa fatlida de Ma-
noel de Azevedo Andrade.f
Missas funebres-Serio celebradas:
Amanahi : is 6 e meia horas, usna capella
de Joo de Barros, pela alma do major Do-
mingos Soriano de Azevedo e Silva.
Segunda.feira: is 8 horas, na igreja da
Madre de Deus, pela alma de D. Maras J. das
Neves.
Matadouro da Cabanga.-Foram abati-
das, hontem, pars o consume desta eidade,
45 rezes.
Vapores.-Slo esperadoas os eguintes:
Gironde da Europa hoje
Kspirito Santo do norte khoje
Cordillera do sul amanhl
Pernapuco do sul a 9
Gigy of Rio do
aneiro do sul a 10
ret da Europa a 11 -
Commander d uBaro a 1 .' -.
Cowd do AWto r ata-


I.


. a


5.
A~


dl


7 .O ra ,*- .
.-* i


p ,,.


direitos pagos sao os de importago e nboaos mara no dia 30 deste mez. 6 quo Ihe tenho na, muilt aigno president aa provancia.
de expedionte, quae se cobra por mercadorias por muito recommendado, sob pens de sus- -0 chefe de policia interino, Joaquim
navegadas por cabotagemr; considerando quo penslo e respansabilidade.-Remetteu-se co- da Costa Ribeiro.
a intelligencia aventada pelos recorrentes se- pia desta portaria aos signatarios da represen- --
riaa destruigio destes prinncipios, cuja ra- taco dirigida a presidencia. The ro rvncial
cionalidade nao precisa de prova, seria duas Theseuro provincial
tariffs Pars a percepelo do mesmo iroposto, a- 0 Sr. agent da companhia pernambuca-
setari fan para a percepcainharo do mesmo impostos nde navegaco 6. vapor-fagca transportar ate DESPACHOS DO DIA 3 DE FEVEREIRO DE
sofia finalmente encaminhar Soda a |reporta-S otdeMae6prcnadom sei 11
91o para outran provincial, afim de illudir a oporto de Macei6, par conta do ministerio 1881
mposi~go provincial: resolve near provi- daguerra, no vapor Pirapma ossoldadosda D. Maria Rosalina Antunes dos Passos.-
mout o smencionado recurso, e determinar companhia de infantaria da provincial de Ala- Deferido, para nao ser responsavel o novo in-
equo as expegacopiadeste ao inspectordothe- g6as, Honorio Jose dos Santos e Joaquim An- quilino por debito dos anteriores, visto pro-
souro, paras os fins convenientes.-Rometteu- tonio dos Santos, que d'ali vieram escoltando var-se a desoccupagco do telheiro de que se
e ia s*o inspector do thesouro provincial, um deserter. -- Communicou-se ao general trata 6 travessa das Barreiras n. 10.
0 president da provinia attendendo ao commandant ass armas. Contas da 38.' parts da loteria do hospital
que ruereu o bacharel Cicero Odon Pere- n0 o Sr. gerente da companhia pernambu- Pedro H.- A pprovadas.
grino da Silva, professor de lingua allemI n cans de navegago a vapor faga transportar Contas da'i. part da loteria do hospital
?lanasio Pernbmbucano, e tendo em vista aW o port de Piranhas, por conta da provin- Pedro I1.- Approvadas.
il mania o do respective regedor, de 29 de cia, no vapor Pirapama, 9 individu n denome D. Candida Vellozo do Azevedo.- Indeferx-
Msnoel Joaquim, criado do alferon do 20 bats-dprunodslnaet a eia
liombro do anno passado, e a do inspector io JodeinfacntariaMardanfJoas dPereirao a do, porquanto dos langcamento dan decimao
l da instruinfo nantarin Marian nos P6reida di urbanas venifica-se, que a casa n. 3 a rna dos
gemro da instrucmoa o publicesove de accor do S.ilva, de qerata a portaria dents presiden- Pates do exercicio de 1874-75 por diante fdnr
dezembro do mesmo anna. resolve do accord Vadoqoj
corn a disposiglo do art. 13 da lei n. 1,498, de cia, de 22do corrente, mandando dar pass.- sujeita contribuigbo da decima por quantis
10 deo julho do dito ann, transferir o peti- gem ao dito official para aquelle porto corn superior a 13500 ; e assim, comprehendida
cionario para a I cadeira de mathematics do destiny Lvilla de Tacaratd.-Cormmunicou-se no disposto do art. 18 da.novagiao do contract(
refenride Gymnasio. Commuuicou-se ao ins- ao general commandante das armas. da Recife Drainage, e obrigada 6s annuida
n-EXPEgDIENTEg DO SEOBETARIO dsqes h orm
pector geral da instruccgo public. OfficEIOS desquonseoebcobram.
Officios: cos Contas da thesouraria da reparticlo dasi
Aoconselheiro president do Supremo Ao lo supplente do 5 jniz substitute obras publicas,'elativas aos reparos da point,
Tribunal do eJustig. Pasr o as d n o S V .desta cidade.-De ordem de S. Exe. o Sr. pro- do Pontal em Itamaraca. Hapa vista o Sr
Tribunal de Justica. --Passe as reis de V. t^ ? T o r
ad d a sidente da provincial accuos o recebimento d o
Exe. a inclussrenponta do juiz do diroito di officio de T. S., de hoje datado, communi- Dr. procunador fiscal. -
comarca de Po d'Alho, bacharel Joaquim Pi- car assurmido o exercio do Irmandade d Noss Snor a Conci
rononalves da Silva. reclamacode anti- a do Peres.- Satisfasa a exigencia do Sr. Dr
Sonalves d a Silva, direito bachareaio de anti-de 50 juiz substitute desta capital, n as quai- costader.
o do juiz do direito bacha~rel" Espemidibo d
Baros Pimentel. Communicou-s dde de 10 suplente. -- Communico-se o Pedro Antonio Argemiro da Silva.- Ao Sr
Vo i eitoda -ColacdeP oudle inspector da thesoearanria de famenda,
d direito da comarca de Po d'Alho. Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro contador pars mandar escripturar.
d igaridente da provincia da Bahia.- doRei S" Franisc" -De rdem de S .'nna A-'H vista do Rego Dantas e Irf
J Bil, dl B ter-he sid erdoado Recifo e dao S.r ta Cara, requigtando a entrega do prodDct
E p qc. se dign idoeprovideucisinEc. a Sr. presidentsjdr-pravincia cemuni- mike. -- Hajd vista a Sr. Dr. perocunador fibs.



S^^ ^ / K S^ de P r m n o. O t o i ,p as s D CH OS DA PRE8ID ENC.I&DO I.A 3 DE form o^ 0" Sr. oontac aor.
mdoos dV. Ex direct. copia do offici os do em ..ue o Dr FEVEstEIRO DE convenient r.Jo J oaquim de Souza.-Deferido, par
juiz de direito execut igor da setenas crimi- Antonio Gaidino da q Fonaeem.-Informeo o e r. Dr. adminidebito de cannuidadeo, re


naes nests cidade, declara nada constar na- Sr. inspector da thesouraria de fazenda, vo ao semeetre de julho a dezembro de 18T!
Antonio Fpreire Ramo .
qulle juizo A e reqpeito.o Interponha o porquanfficio doverifca-se que a casa u. 5 aSn
Ao preSid tande ta Rela do Recife recuro, gardando a formaldde exigidas vessa das Floresitando ac ntra-se com prehendida nc
Tnmittindo a inal a inclu- pelo titlo o do regstslamento deolod2 de julho ismpan st do art. da noval o do 3 pmcento.- Ia
do Peemernobo. 0 P jry DESPACHOS D&L PRESIDPeNCIA. DO DIA 3 DE formsoa Sr. contadlor.
Mios do V.Etxc.,copis doeOfficl o em quo a Dr. FEVEREIRo DE 1881 Dr. JospvJiaquim do Souza. -Defarido, pa

juizdo dirito executor dab slicto de V.naxc. Antonio da Silva Foaspoeca.-Informe oS.tcia levliminadoa debito d annuidadeshia, m
ques mnet cidade declaformada constar na- Sr. inspector da thesouraria de fazenda. e ao sor notrefer d juhe a doembro do ir8m
quo llsmo jizo juiz de peito.Antonio JosF de Mrr iranda Falco.--Interpnha 0 porqueno verificse qu a casa u. ar
-o preside a I on1&00 dRec ocife. -,;.rocurn, guardando anfommalidides exigidas vesa dan Flares achi-se co1rnpehsndida
Tran mittindo eam Oi-OIginaadinclu-rPoalo tituloer do regulamento do 2 do julbo ison91b do art. I7 ca DovagiE do contrato 4
maW aei o0Main s~ror devoivindos, do 1979 do thesouro provincial. -Recife Drainage, soncie a respectiva, impel,
do rio RoVOld, ;Iicito do V. Jfte. Antonio di Silva Canipas. Informs a Sr. }aaoia lovads 6. doblto di Coxflpanhia, Iml
quoorinicliis a soautenga: ispeotor da thaosuraria Io fazmda. 0* sMQs aIL e1- norefere a concertos, e aim sman
Imp 66O ju iz do direitcL.j1 Antonio Joed do Miranda Falclo.-Bi~t
00 3.ikuo,em efrmo lloja, asokr. ilaspeotor da thesourariadoJ' R0sr
airya 1 I ?rovideneuar 'am fins gayoaietnt. "u
Woli &. o doina dn ia di Pa-Nim. OW "


* *- *


V' :


IN-.


i


' I1


f


* .' '*











- -I,.


estam horas


wtwi~w^1 KEGULLVfitso DO LICSO Ine *AES-E OF
i &re~iado FICJDS


Artn. O. LLvcetu


IP


Arts 'Qffleios insti- PA
lia ni-rommosl 1 1- iii


Bes0


Too 6r 4 vS 3. 4 m S. 4r,
Movimento do .
Bntraram 11*,
Existiam no a
Existem 596, send -:6inonaes : aado
16, do sexo masculine 296, do sexo femenini
192 ; estrangeiros 73. estrangeiras 12 ; escra
vos 4 e escravas 3.
Proclamas de casamentos.-Laram-se
no 'nW2 !do -eorrnte-na mstifz 4e S.-BBS
os aeg.uiMates:
Prsineirs duiwwiafjo
MartiahoFpancisoo do Araujo oom France
,jina Sidronia de Sailes.
Joaquam Antonio Ferreira Jacobina con
Emilia Netto.
Segunda deusnciado
Angelo Roberto Rodrigues corn Maria Cecilia
da Silva.
Jas6 Vieente de Aramwjo, viuvo, corn Maria
Prancisca da Conceicio.
Jeaquimn Manoel Benevides oom Maria Vioen
-oia da Conceicio.
Januario Pompozo de Almeida corn Vicenci
Akntonia Gonsalves de Miranda.
Auitnio Aseondino da Cruz Castro oom Maria
.Liiza Pessoa Lima.
Antonio Toscano Pequeno corn Antonia Cle.
meontina da Conceicao.
Josd Faustino de Santa Anna corn Martiniani
Joaquina da Silva.
Eleodoro Severiano Ferreira Ramos cmap Ama
lia Francisca de Paula. *
Jose Gomes Ganches corn Helel Joaquini
Tasso de Mello.
Jese do Amarnia coin Emilia Maria dos Reis.
Terceira denunciacdo
Virgolino de Souza Lima corn Maria Francis
-ca FalcIo, exposta.
Vicente Livino Cainpello corn Julia Quinti
liana Ferreira.
Francisco Honorio Bezcrra de Menezes con
Maria Z-ferina da Cunha Rego.
Cesario Ramos de Souza corn Francisca Maria
da Conceicio.
Victorino Jose Pereira de Abreu corn Maria
-Eugenia da Costa.
Maroolino Ferreira da Luz, viuvo, corn Can
dida Maria da Conceicao.
Joaquim Elias do Nascimento corn Salustiana
Barboza da Costa Pestana.
Cecilio Severino Accioli da Rosa corn Maria
da Paixao, exposta.
Sergio Leandro da Silva corn Secuniina Luiza
dos Anjos.
Braz Joaq.aim da Canlha corn Ravmunda No
nato da Conceiceeo.
Alfredo Gordilho Costa corn Alice Iraydes
da Cruz.
Jose Francisco de Salles corn Joanna Marii
aa Coneiaeeo.
Leandro Joaquim de Santa Anna co i.- Joanmn
Rosa Evangelista das Dores.
Melchiades Floro de Miranda Fragozo con
DI u Baslana Alves de Castro.
wkAagelo Roberto Rodrigues corn Maria Cecilia
da Silva.
QSsa de Detenao. -Movimento dos pro
son, BO dia 2 do corrente :
Existiam press 443, entraram 17, sahirar
4, existem 456, a saber: naeionaes 396, mu
iheres 18, estrangeiros 14. escravos 28.-To
ta 456.
A.rracoados 385, send : Bons 358, dozen
te 2i7.
Movimento da enfermaria:
Tiveram baixa :
Padro Jlse de Oliveira.
SAntanio'Ferreira da Cruz.
1e terio publico-Obituario do dia 31
d e janeiro de 1881:
Justmino Minervino de Jesus, pardo, Parahy-
ba,23 annos, casado, Boa-Vista; tuberculosis
pulmonares.
11arcelino Jose dos Santos, pardo, Pernatn
buco, 27 annos, Boa-Vista, hospital Pedro 11i
congestlo cerebral.
Anna Joaquina de Souza, branca, Pernam-
buco, 56 annos, solteira, Santo Antonio; ad
mi a generalisada.
Maria, parda, Pernambuco, 3 dias, S. Josd;
espasmo.
Maria Amalia, parda, Pernambuco, 4 me-
zes, Boa-Vista; espasmo.
Maria, parda, ingenue, Pernambuco, 8 dias,
Boa-Vista; tetano espontaneo.
1 de fevereiro -
Jogo Pereira da Silva. pardon, Pernambuco,
16 annos, solteiro, Boa-Vista hospital Pedro
II ; tuberculos pulmonares.
Hermenegildo da Silva Lopes, pardon, Per-
nambuco, 28 annos, solteiro, Boa-Vista, hos-
tlital Pedro II; delirium tremens.
Antonio Francisco Ferreira, preto, Pernam-
buoo, 35 annos, viuvo, Boa-Vista, hospital
Pedro Il: tuberculos pulmonares.
J D&o Braga, preto, Africa, 50 annos, viuvo,
Boa-Vista, hospital Pedro II; tetano espon-
taneo.
Maria dos Martyres, parda, Pernambuco, 60
annoe, viuva. Boa-Vista, hospital Pedro II;
variolas hbrmorrhagicas.
BRsalina Maria da Conceicao. parda, Per-
nambueo, 30 annos, solteiro, Boa-Vista. hos-


pital Pedro II; syphiles terciaira.
Arna Apolinaria Azevedo Souza, branca,
Pearnabuco, 47 annos, casada, Boa-Vista;
calculos biliarios.
Cara Maria da Costa, parda. Pernambuco,
26 aneos, casada, Gra.a ; tuberculos pulmo-
Snaves.
Francisco das Chagas Belrnonte, 38 annos,
remettido pelo subdelegado de Santo Amaro.
Urn rccem-nascido, branch, Pernambuco,
Graga: asphyxia ao nascer.
Maria, parda, Pernambuco, 3 e meioannos,
Sauto Antonio; congestio cerebral.


CHRONIC JUDICIARIA

Juizo especial do commercio
AUDIENCIA DO DIA 3 DE FEVEREIRO DE
1881
Jtiz-o Dr. Thomaz Garcez Pa-
ranhos Montenegro
Cartorio do escrivao Josd Franklin
Autoamento de patieifo de Jeoo Luiz ide
Paula.-Indeferido a peticbo de fl. 19.
Protest marititno do lugar italiano Vm-
cenzo.-Indeferida a peticro do fl. 160, e que
so passe mandado de levantamento a favwr do
BarAo da Soledade-
Assignaclo de 10 dias
Autor Gustavo Leziaseno Furtado de Men-
doaca.-Julgada procedento em parts.
Accres ordinarias
Author Dr. Antonio Jose Ferreira Avires. -
Julgada procedente em part.
Autor o commendador Antonio Josed Maga-
lhbes Bastos.- Julgada procedente em part.
Acebo executive
Autor Hlermann Lundgren, cessionario do
capitbo R. R. Barcley. Deforida a quota do
advogado, de fl. 249.
Execuqio de sentonqa
Xawqaente Ignacio Barroso de Mello.-Inde-
.e kiRa petigio de fl. 106.
Exequento Baro de Nazareth. Despresar
doi oe subargos do fiador.
CartO,'r do ewrwio interino VicetW
Silva&
S Ac&qo ordfnaria
Autores Joaquim Jo,6 Gnugalve Belttrfio &
Filhow.-JulgadaFaa p cSe Ik aco e ipro-
cedente a reouvenpao. -
AMqo de srubiii*o
Autor Antoao Francisco daCoita.-Jff.
da improcedente. .
,. 1xecugeo de sentenga
Ezequente Jos6 de Souza Barreirow. -E116
metta-se oqautos sojuizo deprecate W#r
Julgamento ha. embagos doeA. 9.
Fallencia. e. Manol4 do Anparo .J. -'
Mandeu-se fazer entrega aso fallido do s1ti6,
cortaume e spus rendimeutoa. -


m. m sdoe Pro essorees approve em Con
o gregaeo de 28 do corrente mez, e que fe
r part do presented Regalanwaao.. -
Art. 3.o, No programdaL edifptde bema em
e ,jojraqnjte agulantmonLO.a.rila atera
q*aes qR a expnncre= 1ia mpati
vems corn -o reoueros 'da, BoWdade.
ATt. 4.'0 oi.peVodmn MrtfriMlar6, alum-ne
- effeetivos- as-aualas dos-eursot especiws seon
que ftenhum ffait o curse geral, -e nera nai
a deste serum que teaftham freito o curse preparetI
nrio. E' Hvre, porem, a matrioula nas aulai
coomplementares ou supplementares.
i Art. 5. Aquellies que sem terem frequen
tade as aulas do curse preparatorio quizeren
a matricular-se nas do curso geral serao sub
mettidos a exame das materials d'aquelle, ben
- come os que nao tiverem frequentado as do-
preparatorio e do geral serao admittidos'com<
F effectivos nas dos especiae scendo approvadoe
nas materials d'aquelles.
S Art. 6. Estes exaenes srito feitos dirrante
o mez de fevereiro, perante uma commission
Sde tres Professores. designados pelo Director
send uni o da cadeira respective.
i Art. 7. A's aulas complernmentares ou sup
plementares serio admittidos aquelles doi
- matriculados que a juizo dos respectivos Pro
fessores forem julgados corn as habiihtacse
a previas necessarias para curseal-as.
Art. 8. Os exams exigidos no art. 5.' serfti
dispensados aos que exhibiremn sobre as dis
ciplinas, nelle nyncionadas, certidOes de ha
- verem side nellas approvados em estabeleci
mentos publicos ou em institutes particularly
- da mesma natureza que o Lyceu.
Art 9.u Alem dos alumnos effectivos, qum
1 devemrn frequentar as aulas segundo a orden
estabslecida no programma adoptado peli
a Congregacao. havera ialumnos lives ou ama
does, osendo assim denomi-nados aquelles qu
a nfio poderem ter a frequencia precisa ou u(
quizerem seguir corn regularidade um carso
" complete, os quakes deverao ser inscriptos
-corn esta declaracto e ter nas aulas assent se
a parade dos effectivos, estando, porem, uujei
tos ao mesmo regimen escolar o send -ao
a Professor-es facultativo chamal-os a liccao e
aos demais exercicios e a ellsi livre presta
a rem-se ou nao is liccbes e trabalhos das au
las, e podendo ser submettidos a exame do
- pois dos effectivos.
Art. 10. Alem dos alumnos effectivos e li
s vres matriculados podem frequentar s3 aula'
aquelles a quern o Director, ouvido o respect
tivo Professor, permittir.
Art. 11. As matriculas comegam a 15 deja
a neiro e terminam para os effectivos no ultimo
de fevereiro e para os livres on amadores n(
1 ultimo de marco. Estes prazos poderio ser
prorogados pela'Directoria, ouvida a Congre
a gacqo dos Professores.
Art. 12. 0 ensino seri gratuito nao s6 panr
os secies e seus filhos come para qualquer in
dividuo, national ou estrangeiro, livre ou li
1 berto, e do quklquer sexo que seja, nioe tend(
" alguma circum-,tancia, como molestia cotta
- giosa, etc., que tome inconvenient a sua
admissno ou continuacio no estabelecimento
Art. 13. As aulas comecam a funccionar a
3 de fevereiro e termain'ram a 15 de out'u!bro
except at do 1o e 2o annos do curso prepaui
torio que continuarao ate o fim dea outabro.
Art. 14. As aulas' setrio noctutnas, salyc
deliberaglo da Directorka ouvida a C6agrega-
I dao, niio podehldo., porem, excede'r del10 ho.
r"s da noite, send o tempo das liccoes nos
- dias e horas das aulas fixados no principles d
s -cada anno pela Diedto0ia, onuida a Congre-.
gaco, a al-tetadas durante e anno tambemi
- oom audiencia desta.
; Art. 15. Durante o anne lectivo seto tee.
riados os dias de carntVal, os da semans
- santa 25 de marco e 7 dc setembro. Os do
mingos e dias santos serio de preferencia des-
tinados is conferencias que forem admittidas
sobre asartes e officios.
Art. I1. %o frim de cada rh*z os Pri'gessbres
rernmetterAo ano Director notas, ektrahidas das
respectivas cadernetas, sobra o comportamen-
to, applicac~o e aproveitamento de sens alum-
nos, em vista das quakes e das dos pontos dia-
ries se formarmi boletins bimensaes parai se-
rem entregues aes pais ou tutobes dos alrm'-
non ou aes proprios aumnos, que sobre gi vi-
verern.
Art. 17. Os trabalhos executados pelos
atumnos nio sabirio do estabelecimento, e
depois de figurarem nas exposigSes que hou-
verem, terbo o destiny que pela directoria for
determinado, podendo rmesmo ser vendido e
o seu product applicado as despezas do en-
sine.
Art. 18. Os alumnos guardarai, tants nas
aulas, como em qualquer outro lugar do re-
cinto do estabelecimento, a decencia, a quie-
tacao e urbanidaide que seo proprias de pes-
seims bern educadas.
Art. 19. Os alumnos que dentro das auias


perturbarem os seus coidiscipulos corn pala-
ras, gestos ou accoes, dlstrahindo-os dade-
vida applicaqio, ou os que, mestio fdra das
aulas, praticaremh accoes indignas e inbivis
series pela primeira vez, reprehendidoe, pela
segunda mandados retirat da sala de 1 atI 3
dias, e pela terceira vez despedidos do Lyceo.
As duas primeiras penas podem ser applica-
das pelo respective Professor ou pelo Direc-
tor, podendo este amphiar a segunda ate 8
dias e devendo a iultirma preceded atidiehCta
da Congregaeio.
Art. 20.0 nome do alumno que houeaver side
despedido do Lyceo, sera publicado, em
edital dentro das aolas respectivas, durante
o anne leatifo, corn a deeignagio da falta que
houver commettido.
Art. 21. 0 alumno que tiver em qualqaesr
das aulas do ensino pratico, quarenta faltas,
nfo justifleadas ou oiteata justificadas, em
um anlno, nmio podera ser admittido a concdr-
so para premios. Nas aulas oraes bastara, po-
rdm, um niumero de faltas igual a terga par-
te dos dias qto se o over de daraulae em
um anne, para Mo ser admittido a exams,
salvo liesaoa eapseiml do Direoto, ouvida a
CongergawS.
Art,. 2. 0 aiumno quo so retirar da outsla
aem auteristqio do Professor, seri admoesta-
do pela primeira vez, castigado corn umn-pon-
o*-pola segunda, e pela tereeira impedido de
frequentar per 3 a 8 dias a reepectiva aila
ate nova order do Professor Oe Director.
Art. 23. 0 alumni qua somparecer na aula
depois de tornado o -ponto-nlo podera to-
mar part. nos estudos sem o partieipar a.
Profmsaor,
Aret. 24, 0 alumno quo perturbar a drdam
da aula, nio obedeosndo is determine e4 do
Professor, seon mandado r4tbrar da sala polo
Professor, pa polo Conselheiro de semana, ou
pelo Direcwr, que podera, em ease de nooes-
sidade, obrigal-o a isto por in-ermedio do por-
tairooe ; e ne s- ada assim reealeitrar, o Profes-
sor suspenders a ligio, representando ao Di-
rector para quo eate, ouvida d Congregagieo,
resolve como f6r de justiga.
Art. 25. Os alamoae.que iateaiooaslmente
rasgarem ou r atilimtrem ae eftampas a qua-
dros do etabeledhiento, que queutawm mo-
deloe, esatnags dtU meWEvis, qae LOWdrst ot
rabiscaretih pelaspatred4 qaE arnaanem edi-
taes, ou folbas do livros da bibliotheea so-
rio despedidos sobre pfoposta do Profesmow
ou do Conmsethei'o de demana dirigida a6 Di-
rector davida & Congregooo.
Art. 26. O ilumno qw# flr injuriadd per
seats oHegi odfpor quelqum emapregado do
eftbeledlie o repreoetatt VerbalmOntte 6*
ilr eemripto ao Director, que ptovidelgoiapa
adfitda totia d
'^^ME^ ~blK IM JURMraf ou'prob
W!

LSsdad6--ipoma out u-do himebt91o scion
S.tifica para o officio ou arts respective, assig
.nadq- MkO dip4tor;.p*pideutq da C.areaa
ao,1u0d1 4ewCoaselheiros, ain dos Lease'
ultimo anno do curso, 10 Secretario da Direc
to4.a -e t*% ',4 'l0. IsB 4f ftt, po
r6m,fbc5timvsewamade'es matriculadosee
ro dadMs--c--eieappFovaio'das a
,teriase d e aeos--prepurateor-iigra_-e da
a tsv wppkmetearr em que a ram exami
. nados, pesadoe polo .Secretario do Lyoe6o o
s seu auxiliar e rubricados polo 1o Seeretari
da Directaria.
Art. 30. Emquanto'a Sociedade nao tire
ealMcinas oa Professores podelho dar aos seo
discipuloo demonstraqoes practice ams office
anas ou fabrics que existirem metsa cidade
- em dias determieaados polo rofessor do aecoi
o do cornm o Director, obtendo este ou quell
s o consenso do dono. administrator ou direct
tor da fabric ou officina.
e Art. 31. Find o anno loctivc a Coegrega
Sgo accordara sobre o proeesso dos exames
dia em que devam comegar, numero de exa
minandos e o mais peculiar a esse servigo, de
signando tambem os'exarninadores. Os -grao
Sde approvaco sereo-simplesmente, plawmen
te. corn distincedo. Alem disto haveif par
sos alumnos que mais se distinguirem por su
applicacio eaproveitamwonto, mediate pro
o posts dos respectivos professors, a-precia
- das pela Congregaeao, premoios, mneniohonro
Ssa, medalhas, livres, instruments de traba
- iho, etc.
S Art. 32. A reuniao dos Professores effect
vos e adjuntos em exercicio constitute acon
e gregacao, que seri ouvida pela clirectoria en
Strudo quanto respeitar ao ensino, e se reunir
a urma vez per mez sob a presidencia do Prc
- fessor quo o Director designer em cada mez
e servindo de Secretario o Professor que o Presi
o dented escolher e come osecretario auxiliar o so
Scio artist que o Director designer no princi
Spio de cada anno e .que sera substituido quan
- do e por quern o mosmo director quizer.
S Art. 33. A csda cadeira correspondera ur
s professor, podendo haver mais de um quand
e juizo da Congregacio for resolvido pela Di
- rectoria, seudo indeterminado o nuhnero d
- Professores Adjuntos. Para a admission d
- Professores effectivos a Directoria ouvir-a
parecer da Congrege.aco e dare preferencia ao
Adjuntos que houvorem servido e quizeren
s ser effectivos.
Art. 34. Os Adjantos substituem os Effec
tivos em sus faltas u impedimentos. Es
-tando presents ou havendo side prevenido
do que os Effectivos nao p6dem comparecer
o explicarao as licc6es quo estes teriam -de ex
r pliear, para o que deverio *enatender-se rinfrptf
- corn os Effectivos e mesmo acompantar-lhe
os curses, e distribuir entire si os Adjunto
a de- cada cadeira o servigo de mode que umn
- compareca sempre ah6ra da aula.
Art. 3S. Os Professores procederto o rinai
S:pratica e elementartnente possivel, tend(
-. mais em vista a applicafto dos pridefpios co
a -nheeidos do que a sua discurmio, chamandc
a a, ttenco dos alumeaos pare 5a#rate ditse 61
I ceias que 'rais rhelaeo tiver eom a arte Oail offl
cio, a que a dedicareim.
Art. 36. A' Ootgregaefo dos Protssores I
A dada n'in d'entes'be ielar peo regimen ds
3 ulWn e proftcuidtde do ertino, propendo i
- dfrie1tb rk o que fOr ebnl*ve'entes ao dsin'o
- 'oredfitos do Ly' i presided t a q' alquei- piofessor Bs a1derten
Scias qelfi6fe -tnlo a Diiectbria da Soeiedade parA qne se-
jam diOpitusaddseoserVi0s do professor queue
notftrth'abiita-do ou de'osidioso no cumpri
me ito do a'n dever, disp nsa uu serd
t dada em Officio da Dire&ftoria, agradependo O0
- servicos.
- Art. 37. Aos Professores cabe reclamar do
SDirectdi ou de qualquer dos Conselheiros de
semrnfa as proyvidencias que forem necssaria,
e espebialm'ei'te coinpareceir s aulas A hera
marcada, mintendo n'ellas a ordem neceessa-
ria, e podendo prorogar o exercicio escolar
per mais unea hera alem do tempo designadc
sempre que com isto nao perturbed a aula qh6
na horae sguinte tiver de ser dAda na mesma
sale ; obsai-val os programmas que foronm
adoptados pela Congregacio, e prevenir td
Director-, ou Conselheiro do' semana ou respec-
tiv0 Adjunto das faltas que tiverem de dar,
afhh de serem substituidos.
Art. 38. Cabe-lhes tambem especialmehte
dispertar nss alumnos a emulagio e gosto
pelo estudo e amior ao trabalho.
Art. 3&. Alam das regalias concedidas pelos
Estatutos da Sociedado acs Profeseorts que
gratuitamente ensinarem, send considerados
socios effectiuos e pbdendo ser elevadoh a hoI-
norarios e bemfeitores nos cases pelo mesmos
preVistos, 0 que mais releVantes serVie0s
prestar duiarnte o aeno serati, dmstinguido cem
ama-medaiha de ounro-offertada pela Socie-
dade.


Art. 40. 0 Lyceu flea sob a itnmediata ind-
peceao do Director e da Cotilihitso Artistica,
cbmposta de 8 Conselheiros e dia auxiliar da
niesma, devendo os memnbros d'estas distri-
buir haftre si o serico, da inspecoSo de mode
qud em cade semnati dous d'elled compireeam
diariamente e assistainm is aulas, havendo nm
liVro em quae diariamente notem nmo so o seu
eomparecintehto eaono dc!arem as faltaS e
irregalaridades que observarem, as reclama-
cbes que Ihes forem feaitas pelos Professores e
Adjuntoe, alulbnues e emprgados, a as provi-
dencias que na ausencia do Director heave-
reimn tornado, afim de que este tude conhe a e
p-evidencie ou love aso conhecimento da Con-
gregaoio e da Directoria para qualquer pro-
videneia.
Art. 41. Havera os empregados necessaries
para 0 sdrvico das bulas ; um livro de pre3
senca dos Professores e Adj tuntos ; livro de
matricula, de terms de exames, de sessOes
da Congregacaio e os demais que form reels-
mados pelas necessidades do servigo, alem
dans eaderner e pal a se'tm tomadeos ospontos
aof slamnnEs Btatitettladosv quar pelo Profes-
sor quar pelo 4apregad respective.
Art. 4S. (aJ4arda ou Porteito tern obriga-
q!o do ibrir# e felhar as, poftas do ediflcijo e
das aulas, segundo as ordend do Direcior ;
evitar quest6es ou desordens entire os alum-
nos,. passeios de uma patha outftas alas e ou-
treos quaesquer actors perturbadores da or-
dem ; cuidar do asselo do ealificio; imptdir
por meios brands que aTfgreift perturbed d i-
Jelnciaf necestio ao estudo ; tofmr oponto aos
alifmnoe, d viglal-os, dando parte ao Profes-
sor, aoOonailhelIro de semana ou ao Director,
do mio comportamento que tenham ; e obstar
i sahida de quslquer object da Sociedigde.
Seaf doadjUvado pot- utn oa mais coati(uot,
conformerf relmar *o setvigo.
At. 43. Sempre que for possivel haver!,aedatl
dos concursos de emulagio durante o anne,
um concurso de exame no fim do anno, em
que figurarlo os trabalhos que os alumnos
houverem concluido, tudo segundo o pro-
gramma que for organisado pela congregate
e orm antecedancia publicado.
Art, 44. As medalhas corn qua a sociedade
premier os alnaunos e distinguir os professo-
res toerdo de um lad0 o emblana das artes e as
palavras-Lycdo de Aries e Officfos-, e do ou-
troe-Imperial 8oeiedade doed Artistes Meeba-
nicos e Liberaes de Permambuco-e-Recom-
pensa ap merin.-
Art. 4&. Palos certificados e diplomas pasa-
rio osexaminandos ou titulados quantia me-
dics, quo sera tada pela directoria, deAti-
nada as despezas do WAind.
Directoria da liprfal d8i'edaded dos Ar-
tista. Mechanico a Liberaes, 3l do-jkaeifo de
1881. '
f or.
R MS-k a df sciknoiio S Q ARA.
I PAilBrtoInfMA odi ae,.nto
Illma. directorla e diatincto eOqnbooonte
A" .'


qua lvou
:qne nona 1o.n


oil ~ikII~ ,lmmedu


.. ^ nhas de Asia
mdp por son ..uiwl
medico ope- quasi sempre s',
de meio dia e
afcs~i as0 dM e"


i-!..... ....
mo sensivU ~&da .~sten prat i ooe
'' A'a AlgSW pess -G. cons0-
espinhosa sib I : ULraR tabele0 ada_ de
&n~ten,^ 83 S~p ^udt.^ l^D-^Bdwi i ra be^.^ le^ iplBadas- de
tentamen, V"= -"SS
rndeo canbec 5 u larga do oR6.o "n (rr $y mlo das-
orme das no 0tdia as 2 ^e lrphrS rajf.ai .n-
ribsm d a; enud~o IUWesI~
saI oebeneEvo alquer hora diaqe se u aoit.I as Aaes solver o
a nossu o[ea inevl l- ipro*4tra m te or6m,
er a s noseasa, ur. Ferreira Walls@w maa, eu 0 Frag, te porem
n e to de este at m a W ie Consultas has fl s da 'taird&. Seumit1 para-mustaza dos
I- capit-a e ducacudoCartista-portant hamados a qualquer hora. Residencia reoates concerts uccas pela de-
ieca euaodoartista--portanto qaq~ eir~oo omo~emdia
Si sua importancia individual e social; pois ao largo do Corp Santo n. 17, 2.0 andar ra s entde madeira
L-uguem- davidwai qa.no -seoula mAtual aa roo orpS on 7 .Para. odos dorm ent es, madeira.
o vindourw, o artist eeta occupando e oceupa- Aivo .io. Par- qe estas pequenas estradas de
raun doss mgares mais importantesjna vua Manoel da Trindade Peretti, Caes 22 ferro sejam realmente uteis nas fabrics,
SeioeiA. deNovembro n. 57, 1. andar. Mnas, tl8tas ; ma-iap tara, st,
3- Sjamos brees. t0 bacharel .lanoel Nioldo BReaueira mister encontrar Ua sytema queLdispense
I- Entendemosqueosaestudos quedevem pre- Pinto de Souza. procmador fiscal do completameate o emprego demadeiras e
a pauar o born artist, ddvem ser grupados em e o n ,unoqua[ as panes da estrada, taos como
i- tres cursos-Curso preparatorio, curso geral e esouro provincial, mudou o seu escrip- l as pares da estrada, taes com
u urnes eWpecaes, sagundo o piano apresentado. ltorio para a rua do Imperador n. 42, pri- Inas, reclas, curvas e cruzamentbs .d)s-
o Esta distinoio 'de curaos indica que ne- meiro andar. sam ser construidas em peas singelas e
nhum alumno podera matricular-se no curso 0 Dr. Tarquino de Soura Amaranle, postas no chao quando ao dono approu-
ir geral ser exame das materials do curso prepa- vers sew concurrencia de obreiros espe-
i ratorio, bern eomon s curses especiaes s tem seu escriptorio de advocacia a rua vese cocurencia de obreiros spe-
i- exame das materials do curse geral; cornmtudo Duque de Caxias n. 70, 1.0 andar, onde ciaes.
. sAo admissiveis es aiumnosouvintes. sera encontrado das 10 boras da manh as A Est problema tern side resolvido de
- aEsbe piano, que a primeira vista parece 3 da tarde ua maneira complelta e salisfactoria.pelo
o censuravel por se adornar corn effeitos de ofli- d arde.Sr.ecauville nie, egeheiro constru-
m- cealismo, nis o dbve ser corntudo, porqe a Pharmacia homeopathica Sr. ecauville ai eog eiro costce-
losso ver,-a earta adquirida corn este traba- Augusto Ca,,rs, depositario dos produce or em Petit-Bourg (Seine e Oise) e acre-
i- lho, deve serVir de base para requererao il- tos homeopaticos da casa de Catelan [r. dilamos que vamos presLtar um serv40
, lustrado govero0imperial a concessao de ga- m.os. Variado sortimento de carteiras real A todos os fabricantes em decrevero
k- rantias pare ostitulados; garantiasestasqae para globolos e para tinluras. Globulo- modo de usar a estrada de ferro porta-
tornarfoproficuosen ostrabalhos desta ocie- pros e dinamisados. Tinturas mates e it papra o traosp)rlte dos products da fa-
- Recife, 28 de janeiro de 1881. dinarnisadas. ChA e chocolate horLs zenda do Sr. )ecauville, em Petit-Bog.
aJosd Ferreira da Cruz Vieira. thico, etc.: 22 rua do Born Jesus antiga O estabelecimento do Sr. l)ecaniHe
a Jaquintno rVerdeaideA. Cavalcade. rua da Cruz, Pernambuco, defronte do ami6 consiste, aliem da fabric em 1,120
Antonio Pereira Sbim~es. ars ner--~ u~vao o og
I Jodo-dos Santos Ferreira Brros. chafariz. acres, iteiraiente cultivados por forfa
Dentista de %apor e trabalhades corn a via ferrea
Programma de ensinamento Thomaz Espiuca, cirurgilo dentist. portalil, cuja iuha principal tern 3 mi-
i- Consultas atl meio dia. Presta-se a cha- lhas de extensao. \ beterraba e condu-
-" LYCEO DE ANTES E OFFICIOS mados por escripto, A rua Primeiro de zida a urn deposit, carregada depois nos
L CURSOPREPARATORIO[3 ANNOS) Marco n. 18, I.0 andar. wagons que a conduzem para a distiltla-
.d 1o anno Pharmacip cao, sendo a polpa prodozida collooada
J- Cadeira unica.-Leitura. Calligraphia. Nu- Frarncris',;o Manoel da Silva ,O C de- em outros carros que a levam para o ga-
, meraco e as quatro operacOes sobre intei- positario de todas as especialidades phar- do. 0 wagon que trouxe a polpa se en-
- os ann. maceuticas, tint-as, drogas, products chi- che na manha segui'te corn o estrume do
D_ 2uanao -D-a.- hn a! eunecmostm d
i- l' cadeira.-Leituracorrecta de prosa e ver- micos e medicamentos homeopatbicos, rua dia antecedente e volta para o campo,
- so. Grammatica, etymnologia. Licoes das do Marquez de Olinda n. 23. onde e logo descarregado para um de-
cousas. Hourgard & C. posit0 ao lado da via ferrea ; o carrot de
n 2a dite.-Cailigraphia. n^ T U ^ ^ni~anpsl r0ldola via fierrea ; o ca-ruo do
1o 3' dita.-AsCquatroperaoes. sobreitei Recife rua do Marquez de Olinda n. novo carregado de beterraba de urn depo-
i.0 3a dita.--As quatro operaqOes sobre inteiros, 15 ; Santo Antonio, run Primeiro de Mar-sisnsurlasdetad taasi
i- fraccOcs, decirnaes e principios de metrolo- 1 ao Ao rua Primeiro d Mar- siLo no ouro lado da eslrada vuta assim
e gina. -o n. 3; Boa-Vista, rua da Imperatriz n. para a distillaC.o. DIesta forma sio os
e 4' dita.-Desenho lin,.ear figuress geometri- .-Grande fabric de cigarros a vapor. tres products, beterraba, polpa e estru-
O cas). -R e Especialidades : Cigarros, charutos de Ha- me regularmente distribnidos sem inter-
S35 annoe vana e nacionaes, cachimbos, tabaco e ob- nipio
I- cadeira.-Leituraccrrecta de prosa e ver- jectos para fumantes. Livros de medici- As pedreiras, que sio as mais impor-
Sso. Grammaticse, analyse grammatical e lo- na dosimetrica e unico deposit da fari- tantes no Sena superior, completam o es-
I- gca. Lie6es daseotns. Extrcicios orthogra- aha late da de Nestle, para os meninos de tabelecimento do -Petit-Bourg.
s phicos.
S 2' dita.-Calliraphia. er peito. Sao elias exploradas por meio do ulna
3R dita.-Arithmetica (proporporcoes, regra BEMEDIOS HEROICOS via ferrea portatil e de urn piano inclina-
Sde tres. Isuas applicacoes mais usBaes). PELO do autematico quo leva as pedra para
s 4a dita.-Desenho linear (principios de or- Bacharel M. de Siquera C. construcgao e para macadam ate as em-
s natos). .--Preservativo da Eryqipela, para barcacoes no Sena. V'arias vezes estas pe-
6a dita.-Ge-graphia erhistoriepatria. ..ar a Erysipela, impedir seu re- dreiras tern m roduzido 325 yards cubi-
61 dl t.-Gegrphiae historic patria. a
S CURSO GERAL(2 ANNOS) apparecimento, curar Rheumatismo cas de pedra 'dm um dia e como se von-
S1 cdeira do petritmet, ia. Algebra a Variola, ou Bexigas. de 3 s. 3 d, por tonelada, post i bbr-
- 1, caddor-20 gAritbmetica. Algebra atd 2.o-Regulador da menstruagio, para do, o transported mais economic 6 da
o equacoes do2 gro. Geometria plan. casos reconte a ati e Aa
.- 2* dita.-Historia das arts. cases recent e antigos doe lalta da mens- major importatcia, e foi j istamente es-
3a dita.-Deseni ode ornatos'e das ordens truacao, para favorecer o trabalho do tas preiras qu o Sr. Decaville stdo
irchitectonicas. part, a sahida das secundinas, fazer ap- s dipferents systo as de transportville est, do
8 ~ ~ 2 d nno SaeC~wea e^fp lrh Z os differences systems de transport, *do
Scadeir.-Algebra parecer secrepo de leite, e os lochios sup- quo resultou a invenoao da via ferrea
Io 1adeira.-Algebra superior e geometria fmidts.
o(e- Estes reomedios encotram--secor port'til, cdja cogttruco 6 h6Bje a afle
6 2a dita.-Nogdes de physica e chimica (es- Estes remedies encontram-se corn ins mts pr!itd a
1t udo dos prihcipaes phenminenos). Nogoes truco'es e notaveis attestados, WtMd as imtduddis excavt46s nit -
-geraes de historic natural, especialmente gee- le imUltcaia-S
-ger-ac dledreiras do Petit Bourg por esta via ferret
3 dita.-Desenho de flguras (corpo huma-do atr, a Fom osa n. 33. Li- pequena, reconhecemos que ireainenteme-
V do). AquaDrells ra-'i a Economica, rua do Crespo n. 2. recia o ome que n'uma rennio d Aca-
iE CUR0S ES PECIAES OBRA Luvas demia Nacional Ihe dera o Marqqez de n-
(DCONSTRUCTOR CIVIL OU MESTRE DE Papoula lare, ao ntregar ao constructor a -
o anneo d" C., A largo da atr2iz de Santo Antonio, dalha dfo our-o; Urn cn iinho dei cr o
o venetta afo o par
1' cadeira.-Trigonometria. Geometria des- e veLdeija a 3o 0 par. dal l nt?80
- criptiva. Estereotomia. Kalendarios para 1881 Lilhputiane quo prdeareIiover tnaluhsd. '-
2' dita.-Conhecimento dos materiaes de A Livraria Parisiense A rua Primeiro Possuindo o Sr. Decauville, aletit da fa-
.3 dita-Esthetia.Tri g dos offcios, d aro n. 7 A acaba de receber grande prand edreiras do Fotit-Bouenm e ll a
* 4 dita.-Estudotheorice pratieo do soe- poro, uito bonitos, e vend a atern e exde
bras e perspectives. Appareilhamentos em Agua Figaro meios para aperfeicoar esta via ferret,
gesso (c6rtes de pedra). Visitas as officinas Para tingir instantaneaimonto os cabel- porque a experiencia vai indicando-lhe os
cia cidade. los, sem o menor receio para sauzde. Be- melhoramentos a Vids os btovltrbs Htre-
dCiae. 2o Oflft tiea Franceza e drogaria. A. Caors, ru~a nias de Terro-vias port-ateiS, que em @u
1' cadeira.-NocSsehmontares do calculo da Cr z n. c a oe t sOp uo hr
* differencial e integral. Mechanica racional. da cruz n. '2. annos obte^ lodbs os p~ettios de hoar,
- Considerace6s sobro a extensbo, compressbo, Bcccarat Sem excepio algqma, na5 expoSies quoe
flexioe torsgo dos corpo8. Grande lla1ttldavo doe jouas, porcela, tiveram lagar na Franca, Inglaterra, Bel-
i 2 dita.-Construccoes civis. as. vldrbs e criystaes no armazem gica e Suecia.
3' dita.-Architeeturi, inclusive esthetica Bftccatkat
e archeologia. 0 proprietario d'este estabelecimento., Deve-se este rapido success as multi-
4a dita.-Estudos graphics daa regras de situado a rua do Barao da Victoria n. 13 # qualidades da via ferrea pequ-ena, e
;onstracgo. Desenho do architecture. Or-- cbnvida aos seas amigos e freguezes i sor- quo a expebrencia tern mostrado igualmen-
nis 01 dseponsects. Viss c fd, tirem-se dos referidos artigos, em conse- to utila fabnicantes e mneiros, como aos
DE. MBCHI ou MESTRE E -UNiCX0, OFi- quencia da reducao de precos que estabe- agricultores. Inventada ha 18 mezes para


CINA DE FE&Ri-RpI SERRALHEIRO, CALDEI- leceu para terminar mais promptamente a conuuzir Deterrana, emprega-seagora no
RHIROETC. (DOUS ANNOS) liquidaao, transported doS raiores canh.es.
1 anno" F uu iea .
1l cadeira.-Noc~es elementaies de calculo DGEaideIsortirento do funo do todas asPGo
differencial e integral. Mechanica racional. aidsrtimentoe fm de todas as
ConsideragSes sobre a extensio, compressio,uadades, e das marcas mais acredita- 1. Estrada de ferro.-Esta nova es-
ileo e torgp dQs corpos. qas neste nmercado. Nos armazehs de Silva, trada de ferro 6 baseada no principle de
2' dita,.-J'hysica industrial. Paiva & C. d rua da Madre de Dens n' a cr sobro u rn ne
39 dita,-Desenho de machines. Visitas is i e 26. ,distribuir a carga sobre um grande nu-
officinas da cidade. 2 e odas mero de eixos, toda vez qto 0 material
1 cdeir-Motores aching (mech Gotgorde de seda de lindas cores e corn so pbde dividit, taos come anna, beter-
1 ca deirap .-Motores es machines. (mechani- seda lavrada, propnia para enfeite. Cha- raba, batatas, tijolos, lenha, etc. 0 ma-
ca qpl id s iachns.
~~torial a carregar 6 devidido b~m prop, rgSei
2 dit.-Methllo e~pia. p06os de palha do Italia, para seuhoras, de 1 c0 quintaes sobre cavidido t n proporoS
9 dita.-Continttuago do deserihoe de ma- jostos no0os e rieamerite enfeitados. Gran- de 5 n 10 quintaes sobre cada o tragt, -
chinas. Visits is officinas da cidade. e variedadd de leqtiies de phantasia, ds- trnd cii 2 eixos. Se ao contrdis d, 4
DE INDUSTRIAL OU MESTRE DE FABRICA DE PRO- tos diftdrentes e muitq indos. Ditos do te al transporter no pode ser i
DUCTOS CERAMICOS, TINTUR&RIAS, ETC. tos como, e pelt de cartel
(DOUS ANNOS) madreperola proprios para noivas. Fi- bUido, come iUma pea de artilheria or
l anne ohus de seda de c6res. Ditos de tonquin mexedploea deitado sbte dnosa carrs ci
1' cadeira.-Technologia. 4Mto. Palitots, capas e fina de a ha
2' dita-Chimcepp d as artee. eto. Palitots, caps e flchus de cacho- v s_ movedico, tendo Icada carro
2 dita.-sChimica appioada i.studo es. Mira preta, bordados e corn enfeites de uous ou inmais ixos. Esta nova via-terrea
3 a d it a .-- D ds e n h o d e o r n a i bs E ks t u d o s o L m s d p e i a a c P r a o "
brd gedso. Viitas is fdbricas e offltcihas da vidrilho. Gorgores de seda preta, para e sido appelidada (Portador l e .e a a
didade. veslido, de 1600 at6 6OO0 o covado. So- mas p vantage qde seo
20ad. annoe tinetas lisas, com fazehda propria pard os trilhos eMinura sb pe a corn bs ,ddfn
la cadeira.-Ceramica.
2' dita.-Esthetiea earcheologia especial. enfeites. Outros muitos tecidos e artigdt. es e as talms do juuca o, a li tin 1a
3' dita.-Desenho de flgura (corpo human- Na rua 1.0 de Maroo, loja das columns ser collocada em qualquer lugar, tirada,
no). Estudos de moldagem. Visitas as fabri- de Antonio Correia de Vasconcellos e 0d novo collocada corn grande proii
cas e officinas da cidade. ddo e coin mdmi pouco ttabatho. e' rtV-c
bE A01UIMEMNOR (UM ANNO) r trdida et pedagos do ,1 2,206 e 5 4
I. cadeira.--Ttigonometriza. _e A _"tros, quo variam conforms o peso do tri-
2' dita.-Topdg tphia. Afritnesura. e- lbHd ousado. Ttsi do meeHOr ferire e do
maroaO Sc._ _
9d di*-0leaehosu Otd proliitts. Trabd--" i e t a 4o d k 4Rk., 9500 6 de 7 kilb-
lhoi t d.d fposh t r t.Tra1 4i1b di feroa e de tMvitoh t F itro correrite sAo c6hstfti-
rA. SsaPPLeMsNTARESEm .s;'.&
Frnez. LAS aa .Peit-Bourg. s esp -ialmenie para este system. sa
ngez. Fabric.r-D tmville--aine. Pet-Bourg. rilhos so uma rproducolo etacta 0
I1talian. Franpa. miniature dos grandes trilhos emptedba
A1n1mo question de transport das materials til estradas de fro, e tern ft0'tatlb a
Latimn. pesadas n iolamosa grande distancias, maior resistencia que seopbde obirar. Send0o
Historia universal. tem sido resolvida pbla navegaoo fdos collocados como eia per-attente os mais
Philoopia. nrios e pela iffitetisa rede de caminhos de lveg podem cartegar 25 aintaes eig
Physiologia das paixoes. ferro que cobre hoje todos os paizes indus- eixo, e cotno via l0ttatil 12 at0 6 1o6
Anaomii. triaes. Os moios, por6m de transportar takes; no ultimo case, collocadbs
Pintura.
Music. mercadorias na agriculture e no commer- reno desigual em compriimntos 4e,
Ecomtfis political. cio A peqtienas distancias tg6m sido muito 2,150 e S metro's c Oufoirmi fr"
e-s aistica. imperfeitos at6 aqui, do que resultou uma venie'te.--
EsTriottfSo'mereantil. elevaiocomideravel no custe de; produc- A ia d6 40 e S centdiem & U ,
*~ m l cao de miutos artigos. : foi escolhida, por ser a S riif
.... --... MA ...... .. ,..... E com6'o o agricultor nio p6de levantar mailg pJrtatil, pbis dinWhtiemt ,f
!iMMmvalo r alor d o se f i ict0 conform os seus latr etftre 6s dottel lho ha
Lir A 9J1 desejois, dei dle pritar toda a attenco em cada mAo0, i carrear uma
--.-" ,-..- ,--- -a prod&69o economic ; e aper da de metros, fque pdsa 54 ki|of m
fgrantt pert feioo quo ja aliquirkafl as mais ou menos. ..
Pedro dAthaftIe Lobo tOsKo so, I MW 1oi, aldda so pd m feftidat umi e- aas'ftinftB.
c~olas Wsa~ole.ispu W pssas(jiO0 o i~ qCqwmfia de trahkbo .i" i'un rrmo do smr- Iagas* a e~
~mt~e~41~ie qo Grbft I' Vqal.AuA4. qd tonI sd& ~doamta
aft% I A4

' ri' oeceatrado r:.]L. ,-
casa A rug U & wf'W
dilMaiuva~t t ai, 12Mkwm ~....-UIS W Ud nAS*v


-~


r
-' -~


*m ordtm


i iv',


te


lam o


0'Vn


nsuuma.uiaa wMtlnvas ae0





















'gt i.irt- t coma a a part
' penetr
tw. aina que ste esWua t4 ha
Wx*VaftAl-lfi'o piza
.' oada trav esa se awham dous furor
M pr erFkes passarem preg0es on para
%; / seguros em taboas ou pranchbos
qPadQ sa Lem de travessar tnm soo mlo t1
soLo,, on. para segurar emd dormeates pro
4imente collocadas no chao quaado s(
pretende fazer a linha permanent. Dest;
totma pode so estabelecer uma linha ex
temamente solid sem trabalkadores ha
bilitados e sem demora.
A experiencia mostrott que na maiorik
dos cases a via-ferrea pode ser collocadM
permaneatemente sem dormentes de ma
deira. Basta cavar cenLtimetros de pro
fundidade-para os trilhos, collocar as Ii
nhas rectas, as curvas e os cruzameato!
nos seus lugares, e de calcar a terrajunt(
aos itrilhos on de cercal-os de asphalt o0
macadam, se a lioba tern de ser atraves-
sada por carrooas ou carrots t preferivel
usar os trilhos corn guards. A juncg.c
dos trillios se ellectua sem pregos nern
espig6es, simplesmente cullocando urn em
seguimento ao outro; ruma das extremi-
dades chamada macho 6 provide de talad
de junct;ao segura, e so colloca por baixc
da cabea do trilho j. assentado appelli-
dado de femea, e a iigidez destLe system
6 tal que a linha inleira pode ser levan-
tada do uma s6 vez, sern que as juntas se-
jam desmanchadas.
Esta pequena via ferrea e portanto per-
feitamente porlatil, uma vez que pode
ser collocada e levantada seram o auxilio de
instrumnento de qualquor qualidade. Para
dar uma idea da facilidado destas opera-
C6es, onde se tern de remover os trilhos
frequeatemente, i. 6. nas salras de beter-
rabos ou de cainas, etc. ; quanta homes
levantam 100 metros de trilhos e tornam
a collocal-us ein distancia do 30 metros
no espago de 50 minutes.
As Alas do junciaiu Ia extremidade mna-
cho sio furadas, e o furo curresp-nde corn
um outro furo praticado na extremidade
femea, de tal sort que as sec6es podem
ser munidas corn espigdes, quarido n.o
ha necessilade de ,emover a linha.
Curvas para direita e para esquerda em
compriment-.s de 1,23 a 2,5i) metros corn
raios de 8, de 6 e de i metros, tornam-i'a
applicavel a todos as (ins. Comn a bitola
de 40 ou 50 continmetros, o rain de 8 me-
tros e applicado i tracc.o animal, os raios
de 6 e de i metros sb servem para tra-
balho brapat, e raios inferiores so em ca-
sos excepcionaes. Quando se toria neces-
:ario usarde curvas em que uma extre-
midale machu se achar em face de outra
macho, ,.u uma extremidade femea, en-
Scontrar outra extremidade igual, se for-
nece uma pequena secq.o de cerca 25
centimetros de 'inpri',.lto chamada passe
parlout.

Rio Fornoso
Ao Exm. Sr. president da pro-
vincia, Dr. chefe de policia e
mais auto, idades.
0 abaixo is5i.iitiJ', te'-do lid,, no Diario de
Penainbuco, .;e "5 ... pineirr, proxir-o p.ss.aln,
uma public i::'o ha qual e '-Ie caluuiniosa-
oent acc'is'd.j ,le ,nfr'n ir '.',s'i.cos barbaros
a 'urn. su' fillia, vem pe-.!f aS .,utori la'j.:. quo
syndique.aJ ao faut,'.' Jl,, i iiJ,' a '-uella publica-
dao para,'esta I *r'n fic're tredes sriben,]c
qupm .. iie qu i'., eaniaz a vrz public.
Ri'-' Forni'- ,, 1 ,ic tr?'pre(r. de 1881.
Ul,'%nc c.) lie'rnardo de Oliveira.

Matriz de S. Jose


Constaudo-me que ;i 27 do passal:,. houve
mesa regedlora -la iurnan-lade do Santissimo
Sacra :.ento do S. Jos.e, para deimnittir-so o
guaria .\.'-c;nno Franca, prote-to contra
tal acto, visto que narn tive sciencia de tal
mesa, neril p)r mirain toi expedlido o necessanrio
aviso, corno prescreve o respectiveo cominpro-
misso : estanlo ate em rnmeu poder o mesmo
comprwmnt-,a e o livro das actas dia mesa re-
gedora.
Recife, 3 de fevereiro de 188).
0 escrivao,
Jaodio PathIcco de Medeiros.

Rio Formoso
Tendo vindo daquella localidade o nosso
amigo o Sr. capitao J. F. Diniz Junior, gra-
vernmento doente, e tendo sido conflialo o sou
tratarnmento aos habeis Srs. Drs. Malaquias e
Ranmos, temrnos scircia de que esti salvo.
,Os numerosos anigo- do Sr. Diniz Junior.
ftaz'.'m votos pelo seu complete restabeleci-
mento.
Recife, 1. de tfeverciro de 1831.


l1s1i iluto


Iii gi z d .'e -


iambuwo
Esltrada dc Johi' de Barros, chacara u. 24
0 abaixo assigna'lo, tem a satisfaQho de.
Scomrunioer ao respeitavel public e corn es-
pecialid: de aus pais de familia-, Iue no di a 10
do c. rrente abtir-se-h-o as'aulas destelhtti-
tuLo, tdwitLkindo desde ja alumnos interns,
1ti-o pensionistas e externos.
0 programma de esudos conslarl de umrn
cursor primarin escolar que cooprehenderd:
Orthographia, Leiturai, Calligraphia, Arithme-
S tica, Grammatira, Gecgraphia, Escripturcaao,
Elocupfo, Desenho e Musica vocal, ensinddos
em Inglez e Portuguez, e dn urn cnaso secun-
S dario academnico, que co)mp.ehendera Ihtglez,
S Pbrtiaguez, France:, Allemao, Latim, Grego,
Philosophia natural, Anatomia. Physiolegia,
Hygiene, Bolanica, MAlineralogia, Zoologia, Chi-
S mica, Geologia, Arithmetica mental, pratica e
commercial, Algebra, Geomnet,-ia, Trigonomearia,
S Astronomis, Historia geral, antiga ea dtiMWM,
S especial da Europa, Estados- Unido e rasil,
hilosophia mental e moral, Logica, RhWoriea e'
geonomia political.
O0 pessoel, ducente compOe se do Dr. W. T.
Robin .dn .. M., Dr. Chas E. Sheltoif' A. M.
Dr. J-Jo Baptista Regueira Costa e Mrs Wse
| T. Rt.,btion dM.s. Chas E. SheltonG. -
I'. Qestro dested pmofensores cheg'atim nRW"
mn tea dos- stardo -Unidos, onaeetlrt"',-'
is mais oele f uni-erit ades e adqditfiftl
oww'ania pratiec de mao stevlo.
Ao D'. Joho Biptlsta Readura OeCta' MtiA
f' ewfffada a4 e&tlt d* inhaguei port aflS
". qciatm iraeaft< ttp ntuetnteglevtfrn'.
Praa o.0 eosit ufiW 1IF W -6
slo w s ** at 4


r. E' Oeai;I^ 4Aeia&~iuoreoospro
1 feaots 0! teig 9fo bead edi0P
amw aq edh aH an o dod"aitlno., platttt-
|..in.* p ri ft "us, prOiW -do, boaftla,
S',t ,,ravdth. feldadw a'Deua ne G6iithi
atun-i do H:RsMl, sm efmtlht das crencas
as u'npggas to qoft.
Sreii.iolsas de i tf mv, assumptoVetB vqaJe hao
- seralcaqtd4mip p~fessadu6ft p. U;4t'%T
r 0l a ntn51o5(af de i (.00
o p<, triuiestre ;lVOQO, ,qs aeio pensiunista,
90SI(00 os extetbs, puUhlttodo do um 6 ma'
Stenria, 2 -, de does" d mnais do d %.,'AOS,
" sen4e feiLto es pagraiem, pis Ulmestre'
1, aiiantados.
0 Enia. edo Inglez
Ea aditampaneatoj presents eticia, decla-
Sre o abaixo assign, que.,para commodida-
e de das pessoan resioevtels nesta cidade. acha-
a se aburta para ambos as. sex's, desdo' din
21 Je dezem-ro dto anne passado, uma aula
nonturna de lingua Ingleza, pelo melbodo de
Pestalozzi, a qual ja conta urn grand aume-
ra de alumnoa, sendlo assaz satisfactorio o re-
a sultado atL boje obtido.
a 0 ensino as meninas 6 dado em sala sepa-
radla, e confiado A senhoras competentemente
habilitadas.
Admittem-sa vieo 6. os que nao tiverem no-
co algruma da lingua Ingleza, como os que
$ nuela quizerem aperfeicoar se.
A aula funecirna is 7 heras d& note, A rua
SNova n. 23, 20 an-far. todos os dias uteis ex.
I capti o eabbado, a 24-' 00por trimestre, pagos
,disntad~s.
SPaea quaesquer outras informagbeV dirijam.
'e as interessades do Instituto, A estradatde
J'o5o de Barros, ehacara n. 2S, ou A rua Nova n.
S3. 20 andar, ou finalmente, ao pateo do Pedro II
i n. 79. 1 andar, a entender-se corn o Sr. Jo-
_ vino Bandeira.
0 director,
S Dr W. T. Robinson A. M.


Collegio Dous de De-

zembro
RUA DO HOSPICIO N. 53
Os 'directores d'esto collegio apresentam ao
publieou o resultado dos trabalhos d,'s quatro
rnezes d sua adminlstracao. Realmentp, o
quadro do resulted, abaixo declarado nuo e o
que os Directores -nmbicionam, nemn 6 de en I
cher a wedida do. desejos das pessoas que
na'i canheCani as tires surcessivas alteraCoes
de di'-ct -ria, que este estabelecimento teni
suffrilo no curLu espago de annn) e meit, alto-
rago3es estas, qre por inais sabias que sejam as
i.dmnisLriCtes, semnpre imprimemn mrudnCas
'ia irdem e meth'ido, e portanto pertuibam e
retardam a mardha regular do ensino; cow-
'udo deve ser satisfactorio para as pessoas
que, tenJo nacompanhado ,, novimentl d'r'ste
ccllegio, (. lulgam corn ju-tigei e desprevenidas
de toda paixo.
Resultado dus exames no anno lectivo de
1880.
Porluguez
Judo JEronvmo Poni.ual Rangel, plenamente.
Anasit.-io de Paula Covalcante, idem.
Matel Pulycarpo Mureird de Azeved', idwi.
R.do!plih. G.ints da Cunha Leal, i tern.
Fran isco Xavier Hamos Tozer, idem.
Eu.e'iio R.,mos Carneibo da Rucha, idem.
Zetfeiino Guncalves Agra, simplesmente.
Manuel Hirghets, idem.
Jose Eugeiu Mortira Alves, .dem.
Samuel Ramos de Faras., idem.
LuIz Raumos (2'rneirn da Rocha, ilem.
Joaquimni Andi6 Bentzem, idem.
Francez
Manuel de B-rrus Bez-rra Cavalcente, samples
cenite.
Jose Jaronynio Pontual Range!, idem.
Augusto du Nascimento e Silva, idem.
Alvaro Augusta do Alrneida. idem.
Fira:icisco Antonio de Souza Beirez, idem.
Eugerno Ramos Carneir, ja Rocha, idem.
J-')s de B13irros Pim-ntel. ilem.
Ingle:
Jooa.) Carlos Cimboirn do. MeJurQa Vasconcel-
IlS, simpi'-s -ienie
Jo-6 Rofdri-,ues Tavares de Mello, idem
Antonio ,'e Souza Le.o, idem.
Miguel Cursin9 Villa-N.jua, i tem.
Fclippe Carciro Rolidigucs Gampello, plena-
uji-nte.
Aprigio Antni da Silva, simplesmnente.
Jos( Honrique Caineiro da Cunha, idem.
Luz ae C-jildas Lins, plenamente.
Rodfulph. Gones Leal, simpleswente.
Julio Sabbta e Silva, idenm.
Latim
Antonio de Souza LeAo, .-implesmente.
Luiz die CG'idi.s Lins, pleriamente.
PeIr. Jui 'a:o ids N,-es Vieira, simplesmennte.
Ail'relo 0 ilion, ile(o.
Frdn :;scoi Aiheu Cavalcantt, idem.
Rhsetorica
Lujz ie C:,ldas Lins, plenamente.
Geographia
Luiz die Cal as Lins, plenamente.
Historia
Pedro Joriao ,'as Neves Vieira, simplesmente.
AIfredo Ojilln, ilem.
Hura-.io thivhes, idem.
Arithimetica
Fiusto Cavj'cante Gadelba, plenamente.
Man -el lliv'hes, inimpleErmeate
Antuniu ie Barros Barreto, plenamente.
Manoel Fl-,riano de Brito, simplesmeinte.
Jesuino Pinto Lobno, plenamente.
Geometria
Fausto Cavalcanti Gadelha, simplesmente.
Jis6 Joaquim Guimaraes, plenamente.
Jesuino iinto Lobao, idem.
Algebra
Jos6 Joaquimni Guimaiaes, plenamente.
Manoel Fl...:ano dc Brito. sitrpesmente.
Alfied" Vieira de Souza, idem.
Mariuno de MAedeiros, idem.
Phlilosophia
i'edro Jurda5o das Neves Vieira, plenamente.
o; lo Odillon, simnpi-swente.
Fausto Gavalcanti Gadlha, idem.
Mariano de Medeiros, idem.
.Approvados plenamento '18 l
Approvados 357 5
Reprovados 11
Os exams de sciencias form piestados em
oati as puoviucias.
Apresentamod Lambem ao conhecememto
das pessoas a quem intereeaar possa, o nosso
cursor dn instrucvlo primaria, que eat dividi-
vidido em curso preliminary, elementar e
compleerentar. cujas materias eslao dispostas
pela sequinte forma :
1 ANNO CURSO PRELIMINARY
Exercicios de intuleio
Reli,io-Prrmeiras oracoes do cbrnstau, ideas
fundaunentaes da moral christl.
Leitura
Calligraphea


Arithmnetica-As quatro operagoes sobre intel.i
roe, por meio ae contador mechanieo.
Grammatica-Gonbecimento das diversas es-
. species de palavrae pela vista dos objeftos.
Desenhe-'-Desenho linear. ,
Gymnastica-JExercicioa pfeliminlares.
2o ANNO GURSO EHLAiNTAR"
Reliii&.-. tItrirr& christl. .
Moral-- Principules c:e mo1id explicados pelo
professor.
Laitura--Leitum correbnede prsima verso.
Caltigraphi.-Eecripts sorrente.
Auitnaetica-As quAro opermoe oilres b ilWe-
ros, decimeo e'-fraoetg,B'systaum legal de.
pesos e medidasj problesa&ae uspgommum.
Grammaticad--iyiologi*, ernhogptp praUti-
tici or meio'do ditalo.
Geo bi.-OEogitolaI. do Brotl.
Scindias naturaes-Principios de physical o
he" 9" ista
Hr ti'.e "ft" -^


~*, -I,'...
.7


Scier.eias nnatu-e ipiu. geries ile -Yoo-
fogial, be$4Vi, 'h AW *w I e 0i"e-
ralcffi^ '' ** """ "* '*
A.tri.rttftj*iD1"!!'i eheiuloov te. ittW) 110-'
QO-8 do Go-t,,Biitq PrAeW.rrlt'#hrl-n 'ulturase
Semploiaee., -owis Luautss.
IHygieia
Deqqt'J--Q-sif o urmiat,, 3itta dc Brasil
, teja4'oeca.t'e .a pr. -'ifciadpe t'ernarmbu'-o
J~ym!cpt- Exvtc c,,s,
Fran,'e--Ch so prrclio.
Os prot,-ores :... 'urso gerolr sa, s Ss
Capitulitfw LPeeira do Bprros e Silva.
Dinamerico Augusto do ego fRangel.
M.. P. J. C/aair*.
Os directors faoultan-.a vista do estabele-
ci'nento dsde 9 hoi as dt nm;nhia, atl 8 boras
dOL noit., a t3 .-AS 4me peri -os qu0 se inleres-
sam pela rnstif afta intMiu-t';A.
Recife, 15 tie janeiro de 1881. ,
Os directres,
iachurel losA Bandeira de MelLo.
Jesa Ferreira da Crus /Vieira.


I TIBIBM



21


,. .>,^, |...,.t .. ... "aS S 1" ,Mw ~ ^ ^ > e j i~d .4 B "

" AttEt-aH tithvig. l: e ^^^^ ., ^ ^*e~ vs ftM ,
"tft'oXS.jita.: : roe de conb'.oid..Wei,,uHi de peoder asee-
M Alnartila-.do annrrtleLtivo parn as.ju i gurar &q' dieelw a sa seib. liyta-
dSla otHm1ld.it E ^rts terft e 'crJ ,i :; tt.p@feigw anow=tar"w, qp. m, ytv.-
tdert 88 eir dianLe,; LEAo s'someA para alotisfiem, /.
bbU Afl0. An nt.. -n~iv~o ~ncna mjao*


Iollegio d^ N. d&.

Ajupajro
Rua da U0ui 4umo o,4
EsLe catLbelecimnento do e 1uaae& d- meni-
nas estarA aberto do diu 7. de janeiro em
djante

A' caridladc ublica
As mlwlhere uneesitadas, residents na Ira-
vessa do Be naido n. 531, na freguezia de S.L
Jose. ainda impluiahr a caridade public


TO
,I


Fill A


' AS uwauina -nsinsue nu ovu voiuem-
mento.s&o as segtaines-:
PootgpeHfeafrawo, geograpbiae aiostia-
f4pakmawBwpeIlofBia,., padme Vaois.
IlgiUe-rpol dirQi4ora.,
Primeias Itras e boidados--pela 'Sra. D.
Augusta da.Silva.
SPiano e armtoW-.peo Sr. Gustao Werthe
ilOer.
Desenho e piotura-eolo Sr. Aurelio de Fi-
-ueiredu.
Instrucqao religioxa-pelo Sr." vigarin Vel-
l<*Bo.
As linguas fdlladas no coliegio so: o paor-
tuaguez, franeez e inglez.
0 codlegi., re.:,b; alumnas pensionistas,
sime-pensaonistas e exte. nas. As aulas esta-
rao abertas do dia 10 do janetiro -rn diautp.
__ .,=... ;. =--- -.a -. _-


iI' IJCHOA-21


IICANE


As aulas deste collegio estarao abertas do dia 7 de janeiro de 1881 em diante


__ COMIERCIO

JuntIl ?- ^T m '
PR .; >* u *(l *' -Fc FEVEI(E1HOf
icq: If i
;.. I S':- ; I -
: .* .;.* ti:' < i ; ".
AcQces ':ompanli. oe S-egurt.s In.;oeani-
Sajoj a. d v.,lor reralisad., le 2005U, U,
a 3-'.OSOt c;.ain urmu, p.t meio ne pro-
Cambio sobre Para, 90 1 v. cown 2 0/0 Jo des-
c 0riLi-.
;.a,: ... ;. ,)I r'-'.-. 90 d. ;.. 2 7'16 d. p,r
i..0 .:1! l. ., l--f'1' 'a .
Dito sobre ditu, 90 1'v. 22 1.2 1. por IO000,
[JoL1S ( ii. *ni' if r:, l 8r (I ;'*.-." .i noj.
M. I. ,i. MtLla,
', ,1* o.t e.
P. J. Pir.to,
Pe.. se :reinric.


50:473.881
48:118at32
98.595l143


No patacho inglez Zircon, carregou :
Para o Canal, J H. Boxwell 4,350 saccos
comn :'6,25', kils de assucar mascavado.
Na barca norueguenso Galathea, carre-
garam :
Paia o Canal, F. Cascao & Filho 1,550 saccos
corn 116250 kilos de asrucar mascavado;
Para New Yok, Julio & IrinIo 1 000 saccos
cow 75,10 kilos de assucar mascavado ; J. S.
Loyo & Filho 378 dito. corn 28,350 ditos de
dit:..
No ligar americano Lemoite, carrega-
ram:
Para New- Yo:rk, Julio & IrmAo 5R7 saccos
com 44,025 kilos oe assucar mascivado.
-- No hiate ajericano A. W'. Barker, car-
reatou :
Para New-York. C. R. do Passo 520 saccos
corn 39,000 kilos de assucar nascavado.
No vap,,i francez Gironde, carregaram:
Para o Rio da Prata, P. Carneiro & C. 250
barricas cm 25,715 kilos de assucar firnco e
250 ditas corn 26,137 ditos do dite mascavedo.
No patacho portuguez 3. de Castro, car-
egfaram:
Para Lishoa. Baltar Irr-aos & C. 653 couros
salgaos corn 7,836 kilos.
Na barca portugueza Nova Vencedora,
-r'rPL'OU I


Importagao Para o Por
.Barea portugueza lbolina, entrada do Por- 326 kilos de
to em 2 do correute e consignada a Silva Gui- O
mares & C., manifestou : No brig
Archotes 5 volumes a Francisco Guedes de ram :
Araujo. Alho 22' canastras a Domiogos A. Para Urug
Matheus, 100 a ordem, 100 aos consignatarios. barricas com
Batatas 100caixas aos mesnios. Na bare
Conservas 43 caixas a Orestes da Costa Re- garamn :
go Monteiro. Para e Lij
Farellos 160 saccos aos consignatarios. Fei- I 10 saccos ,'
jio 20 saccos aos mesmos, 150 a Baltar, Oli- No pata
veira& C., 120 a Francisco Guedes d. Arau- ram :
jo, 100 a Domingos A. Matheus. Ferragens Para Porto
24 volumes a Parente Vianna & C.. 7 a A. A. lumes corn 2
Martins, 5 a Oliveira, Bastos & C.. 2 a Fran- do e995? dito
cisco Ribeiro Pinto GuimarAes. I a Maia e No v p,
Silva. Paraa o Rm
Linha 4 caixas a Narciso Maia & C., 7 aJo- cora 7,5 0 ki
se Joaquim de Azevedo. Livros 1 caixa a Seo- ditos com 30
bastiao Lopr.s Gui-'naraes. Nohiate
Moinhos 6 Volumes a J. Pereira Moutinho. Para o Nat
Pomada 40 cunhetes aos consignatarios. saccos corn
Pahltos 18 calxas aos inesmos, 3 a Francisco
G. de Araujo, .2 a ordein. Pregos 52 barrios a 'WUGEBEDOR
A. A. Martins.- 20 a Rabello & Sobrinho, 47 a R
Oliveira, Bastes &. C., 16 ,a RoQdrigues de Fa- ..ndim.nto
ria 4r C., 6 a Manoel J. Pereira. 9 .d:,:io
Rosarios I caixa a Enilio Soares. Rolhas
9 saccos a Doodingos A. Matheus, 5 a Fran-
ciswo G. de Araujo, 12 coupeiros e 1-12 cestos
aos consignatarios-
Sabonetes 1 caixa a Maia e Silva, 1 a An- |
tonio Jose Ferreira Monteiro. n nt
Vidros 16 caixas a B. Duarte Campos & C. d e
Vinho 30 pipas 165/5 e 40/10 a Canha IrmEos i
&- C.. 50/5 a Maia.-Pacheeo ,& C., 25/5 e 30/101
a J. da Silva Salgueiro, 12,/5 a A. A. Martins,
9/5 a Luiz Moutinho, 3.5 a Francisco Jose da
Costa Aranjo, 55/5 e lW/10' a Ferretra Rocha.
& C., 50/10 a Domingos Aives Matheu'., 2/5 e indimet.
2/10 a Campos & C., 1,5 a Mansel da Cunha dim en
Lobo, 1/5 a Sebaotiio Lopes Guimarles, 4/10
a.J. Rodrigues Costa e Silva, 4/4 a Antonio
M. *achado, 2/4 a Antonio Jose Ferreira Mon-
teiro, 1,350 caizas a Francisco Ribeiro Pinto
Guimarges, 450 a Rabello & Sobrinho, 688 a
Doiniagos A. Matheus, 32aos consignatarios,
24 a Ferreira Rbeha & C., 4 a J. Ferreira&
Baltar. I


SBare& inhleza Fairy Bele entrada do Rio
Granile do Sl ala m rmema data. e consiguadt a
H. Fortter & C., .palifestou:
SBoes seccol14.450.
Gpradf 02 saccos.
F=ri.n de mandioei 2%000 sieeos.
bQetapa ibarris.
Saw 5 Weaias.
STailbas m salmoura 31 barrio a ordem.
I- .if,

e**Ee.tjL Z",4


',- ..' -' t" b,.?' RTAQAO NO DI
FEVEREIRO DE 1881
-ortos do exteriLh


i DE


to. F P. dos Reis 4 barricas corn
issucar branch.
rtos do interior
rue hespannul Chanito, carrega-
uaymus, J. S. Loyo & Filho 416
48,779 kilos de assucar branch.
a portugueza Marianinha, carre-
Grande do Sul, M. Pacheco & C.
om 7,500 kilos da sasucar branco.
icho national J. Pinto, carrega-
j
-Alogre, M Pacheco & C. 245 VQ-
1,253 kilos de assucar mascava-
s corn 66,544 4litos de dito branco.
om national Pard, carregou :
deJaneiro, P. Antunes 1, 0 saccos
ilos do assucar mascavado e 400
1,000 ditos de dito branco.
s national B. Jesus, carregaram:
al, BeltrAo Juniur & Rezmnda '100
farinha de mandeoda.

IA DE RENDAS INTERNAS tGE-
AE'Q" DEPERNAMBUCO
do dia 1 6386030
.-a 3 1:891i975
2:5305005


NSULADO
do dial
Sdin 3


RECiFE
dia 4
dia 3


PROVINCIAL
9:1805292
12:794J038
22:074133)


DRAINAGE
4785500
'1:6291l00
'1:807g800


~F~C1ifkitJS


m1logo


u 34
-, '.j:. .. I,


cOMPANHIA E SEGUHOS

IN.
TOMA SEGUROS MARITIMOS
E CONTRA FOQO
Largo do Corpo Santo



iiJM'ERE :j

lcompanhia de seguros
CONTRA FOGO
EST: '1803


4egura contra o eien do to.-
go, easaw e outrsedifileios,
S genereoas, e mereadorias do
toda aespecir,.
CAPI .AL i;JO:OOOS000
Para ma..-. infor i..,;oes em casa de
BROWNS & C.
51 RUA 1-0 MARQUEZ D'OLINDA 31

Seguro contra logo
The Liverpool & London &
Globe
Insurrawce (Conipany
AGENTS
Saunders Brothers ftC.
11 -Corpo Santo-1k


-OYVIIENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 2
Rio de Janeiro 20 ,dias, polaca hespanhola
Felix, de 190 toneladas, capitAo Pedro Pa-
ges. equlpagem J1, em lastro ; a J. da Sil-
va Loyo & FilhoB.
Rio de Janeiro- 22 dias, sumaca hespanhliola
Venturita, de 153 toneladas, capitao G. Ma-
ristany, equipagem 10, em lastro; a J. da
Silva Loyo & Filhos.
Porto -30 dias, barca portugueza Isolina, de
271 toneladas, capitao A. T. do C. Sampaio,
equipagem 12, carga varies generous; a Sil-
va Guimarles & C.
Cardiff 56 dias, barca nerueguense Ida, de
329 toneladas, capitao T. Andersen, equipa-
gem 10, carga carvao; it ordem.
Londres 29 dias, vapor iaglez Emperor de
55 tbneladas, commandant J. B. Ball, equi-
pagem 9, em lastro; a Wilson Son & .
TerreNova-31 dias, patacho inglez Britaniea,
do 130 toneladas, capital J. BSnou, equipa-
lgem 8, carga bacalhio; a Johnston Pater
| C.
14rtifr--54 dias. patacho noraeguense Wenao-
nah, de 202 toneladas, calatie A. Hersch,
equipagem 9, carga carvao; a Johnston Pa-
ter & C.
Rio Grande do Sul -35 dias, barea inkleza
Fairy Belle, de 646 teneladcau, capital T.V
IGdrer,-eqeiWpgvm-1, 0U9& variS une-
roe: a ordem.-.
S NaV*i n d| me MM dia
Ilha de Femn dbbOs M ;?o!ia M'eira Prinpe
do Grda-.Bitm, y 9 l,,wtennto.e
Gomm *Bt
Ca~a-B~oohoinge~jr~fcapitt- W.Nhit,6


I


IellI I He .


estylo, e depois -a iespectiv'a audiencia, so ha
de arrmatar por quern mais der, ,m praga
public deste juizo, o bern seguinte:
Umra part do eigenho Massiape, woente e
corrente, corn todas as suns terras e mais
accessories, o qual engenho sitnad, na fre-
guezia de S. Loureng., da Matta. e loi avaliado
por 50:000$. send a referlda part correspon-
dente a quantla de 34:1615504, send qua a
rnencionada part a'o engenho vai A piaga pqra
pagamento da execueAo qiie por e.te juizo
move D. Anna Julia aa Costa Brito e outros
contra Francisco Luiz Cavalcante de Albuquer-
que, e caso nao appareva landcior que cubra
o preeo da avaliaCao, a arremataC5o sera feota
pelo da adjudicaCao.
E para que chegue ao -onhecimento de to-
dos. mandei prssar o present', edital, que sera
publicadu pela imprensa eaffixado nos lugares
publicos do costume.
Dado e passade nesta cidade do Recife de
Fernambuco, ao prineiro dia do mez de feve-
reiru de 1881.
Recife. -28 de janeiro de 1881. Eu, Jds6
Franklin de Alencar Lima, escrivao, o subs-
crevo
Thomaz Garce: Paran hos Montenegro.

Juizo dos feitos da fazen-

da national
Escrivda Torres Bandeira
No dia 18 do corrente, depois da audiencia,
irio a praga por venda -os predios abaixo de-
clarados, penLborados por excucAo da fazendce
provincial:
llecife
SSobrado de dous andares A rua da Madre do
Deus n. ;32, coarn 4 metros e 50O centimetros d .
largura, 13 metros e 90 centimetros de coac
primento, o pavimento terreo 6 armazem4
em cada urn dos saperiores tern as segnimS ,
commodos: 2 salas, I quarto, cozinba so lado,
sollo con-I- si sa e-4 quarlw sead a euitiiidl
pelo becco da-Cacirnba-a.aglado em 2:080M0
pertencente a viuva eoerdeiros do Jose doc
Santos Nunes de Olivoira.
S.1086
Casa terra a, rua d Vidal de NegreicoSwn.
40, com 4 metros e 2On0timnetrs de logguta,
28 metros deo comprimento 2 salas. .2 quartos
e sotlo, avallada em 8:0005000, perltaneente a
Americo de SA Albuquerque.
ams. serres sit. iifblur da n
A pw tws8 a 5,oewtimetros Ielw
I9 w 'a&snUmtr de- dmnpthamW
4aw4E5si5.irani swab"% 800 BO 1p wr-
t JB 1u sta no)mMmo, lUg4piCalMw
S. cow I pcirta delinW.U 8 U rmU,
omUtiIdUtoa do lmrW., ,T M 44 u
metro do mri ou.tm mitr M .
< -^ wtut>|9 perenote~i i^
de Albuqueroqt. .

turi oA 7 i e.t
ssaL'1~~W ir5SUJlk H H


--P MONTE


._B d ,w~tficadag ras .*^4iw
=. p.. r *
<~ Jotg da S*ara.Vtrwfc
5M nartsjnge, m6tljfwriojd* tlSt', PatI eail
oetarila be, I f3fipOce, em vista ,to q* id
vW owdigmnielmo r. psg'Oeulrt dh
eaw portarth "e ta. d1r*,,, qaas fle ics awuuo'e
prazo de quatro mezes pare af. anta.Hadus
apresentarem na mh i. aseeretaria Ouss pro-
pestasaaowpanhsds4e do respeoaiee6 ptanos
de eonlefaidate cam as' )eie 0eram em- vigw,
para cousltrqi&ode umea esgfaia delerro, quo,
teodo po r ponto de paruda ar cidadkp de. Pfti-
mares vi terminar na vilta do Bonito, 0no tev-
moe da lei provincial n. 1,455 deo 91 der jutsi
de 1879, absixo transeripta; deixando-se par
ora de dar ecuoao A menckioala lei. quante
A L'onrstucClo de urma outia estroua de f-ro
entire a rteuida cidade -de Palmnares e a mar-
gem eequer::. do rio Jacohip+ onu em uwm ponto
fronteiro A extincta colonia r,-ilitar de Pioes-
teiras por defender de decisao- de ura reprt-
senta'gao ,iuigids ao goveino imperial pelos
concessionarios da estraita de ferro do Macei
a Jicuhipe a que se referee o decreto n 5,792 de
17 de novembro de 1874. 0 secretario, Jos6
Austiegesille udrigues Limau.
Lei n 1,455.-0 bacharel AdcGpho de Barros
Cavwlcanti de Laerda, presideonte da provincia
de Pernawjbuco :"
Fago saber a todos os sees habitantes quoe A
assembled legislativa provincial decretou e es
sanccionei a re'oluCao -eguinte :
Art. 10 Fica u presidente da provincial auto-
risado a contiiatar coin o Barlo do Serinihlem,
Sebasutlo Alves ita Silva e o major Jos6 Awvs
da Silva, ou corn quem melbores vantagem
offerecer, a conlstrurcA.)i d-- duas estradas- de
ferro, cuju ponLo de partlid se'a a Villa deO Pal-
mares, terminando uma ni' margeinm esquerdh
do iiu Jac:uhipe, ern nm ponlo fieonteiro a ex-
tiin'ta colonia irnlhar Lreopoldina e a ontra na
villa de Bonito, mediante as condigbes S
gu iites:
10 As estr d.,s serto de bitola igual a du
prolonaamento da -strada de ferro do Recife
ao S. Francisco.
'20 No contrato quo celebrar o president
da provincia fixara de accorJoi orm as contra-
tanLes os piazos para a aprf-sentaCAo dos pla-
nos v estuios das referidac estradas bern como
para a conclu?5o das ,bras de cada nma dil-
las ; as condiCoes tf-chnizas cas mesmas; os
points nus quakes se devei., estabelecer esta,
Cges, tanti- n'uma cujo n'outra ; as multas
por infracao de qualquer das clausulas esti-
pulsaas ; os caso, de recisio de ccntracto e
finalmente tudo quarnto for a bern dii seguran-
Ca e b6a expcuo Jas bras
3 Seida n.- edi.io aos contratar.tes privi-
legio por 90 (niuveita) annos para usO e goso
aas referiidas estradas. contadus para cada
urn da data da conulusg) das respeftivaFobras;
nio podenlio alguem coosLruir durante este
praz u estradas d- mesajo genero para os mes-
mos pontls, nem na mesa dirtece'o, em uma s
zona lateral de 12 kilometres.
40 Todo o rumaterial e mais que for impinrD.
,ado para a co.islrucQ.u e uso da estrada ELcar
sent .:e iu.postLus provinciaes e mnunicipaes.
5 A ronstru, Q.A e o service das estradas,
sera., fi-calisilos ptr um engenheiro nomeado
pel, piesid.nte da provincia, e cujos avenci-
mentos correi;.o por conta do cusleio dos mes-
aias.
6 Os contrataoLtes terio a fculdad6 de
assentar os .seu: trilhos no lito das duases-
traidas actualmeniLe enm construcC., para a co-
lonia Soccorro a margem do rio Jacubipe, e
paria a villa de Bunitu, caso o gverno imperial
conceda a :-utorisacau que para isso queira
suli':itar o preside..te da provircia.
Art. 2 Fiaina revogadas as disposicOes em '
contrario.
Mindo pcrtanto, a todas as aut.ridadps, a
quern o :onhecimaento e execuCko ja piesente
iesuluuco partencer que a cumpram e facam
cujrir tao inteirarrente c, tlm. 0 secretario da presidenria desta pro-
vincia a faga imprimir publicar e correr.--Pa,
licio da n'esi~encia de Pernamuuco. 9 de iu*
.ho de 1879, 58 da independmncia e do iu-
pi~rlo. L. S. Adolphio de Barros Cavulcanti de
Lacerda.
Sellada ,v publi'ada a present resoluVao
nesta serretoria da presidencia de Pernemba-
*o, aos 9 de junho de 1879. 0 official maior
servindo de secretary, luuoel de Stqueira Ca-
valcanti.
0 Dr. Thomaz Garcez Paranhos Mon-
tenegro, juiz de direito especial do
commercio desta cidade e seu term,
por S. M. o Imperador, a quem Deus
guarded, etc.
l-'aco saber aos qua o presante edital virem
e delle noticia tiverem, quie no dia 2: do car-
iente mez, nnias os dias dd liI epracasdo


2.






*I-'r






LI

-I





I

i1
t
S


I


" ^


t" )i


'YE









'I'
4








-'I










































Pela inspectorla da alfandega se faz public
quo, por falta de licitantos, n0o tendo side ar-
rematadas 1 t caixas de marc AH&C us. l a
14, vindas no vapor inglez J. J. B., descarre-
gadas em 9 de abril deo 1880, contend 759 k-
logrammas de folhinhas impressas. abando-
nadas por Adamson Howie & C., no valor offi-
cial de 5:060S, se transfer e arrematacto pare
ais 11 horas da manhi do dia 7 do corrente,
A port desta repartigIo.
Alfandega de Pernambuco, 3 de fevereiro de
1881.-O inspector interino,
Cesar Orlandini.



DECLARAIOES
Obras publicas. De econformidade
corn a ordem do 11Im. Sr. engenbeiro chefe e
director da reparticAo das obras publicas, faco
publico que no dia 12 -de corrente, ao meo
dia, perante esta reparticlo, vai A praca o em-
barreamento de 727 metros correntes na es-
trada de Itapissuma ; Nazareth, orgados em
6820742.
0 orgameuto e condic0es do conttato acham,
se nesta secrets ria para serem examinados pe-
los pretendentes.
Secretaria da repartiglo das obras publicas,
3 de feverel e de 1,81.
No impediment do official,
Antonio da Costa Silva Maduro.
Inspectdo do arsenal de
marinha
Faco public. de erdem do 111im. Sr. inspec-
tor, que no dia 31 de janeiro foi vistoriado o
vapor Jaguaribe. de propriedade da Companhia
SPernambucana de navegacao costeira, e de-
.' clarou a commission de peritos que podia o
vapor continuar a navegar.
Inspecoo do arsenal de marina de Per-
nambuco, 10 de fevereiro de 1881.
0 se,-retario,
Antonio da Silva Azevedo.


Recebedoria de.Per-


nambuco
Taxa de escravos
0 administrador da recebedoria faz public
que finda-se no dia 28 do eorrente, o prazo
para pagrmento livre de multa da taxa de es-
cravos, do corrente exercicio de 1880 1881.
Recebedoria de Pernambuco. 1 de feverei-
ro de 1881.
Alexandre de Souza Pereira do Carmo.

Recebedoria de Per
nambuco
Divida active
Q administrator de recebedoria, dando cum-
primento a p.,rtaria da thesourafia de fazenda,
n. 12 de 28 de janeiro ultimo, faz public qua
se vai proceder a cobranCa amigavel dos im-
postos ainda nao pagos, relatives aos exerci-
cios de 1867 A 1868 em aoiante, cujo pagamen-
to deve ser feito nesta repartiauo aos respecti-
vos cobradores, ate 30 do julho vindouro, de
conformidade com a circular n. 69 de 31
de dezembro proximo findo, que prowgou o
prazo estabolecido pela le n. 40 de 13 de ju-
Iho do anno proximo passado, e com as ins-
trucgoos do ministerio da fazenda de 20 de
maio de 1879.
Recebedoria de Pernambuco, 1 de fevereiro
de 1884.
Alexandre de Sousa Pereira do Carmo.


'05
w
Z~
z
0

go
cA


iv
w
?.



0
0



M
mo
5b

.&.CO







ccc
(A
bQ
12





bo
t0*
0,bO

mw


(B- 0D
*ST
r>op -'0
rn0.03

0. 0S
0
.gOD
I 00
00

*o

'0


3.o 2.o 1.0
U

soo
tb-* I a_" 0___
00 v W w 5 0 w 0

) "n m "a

rO o -- .b
"D "hO 9" 0<0 tO" "" O
t0 10*0 *^t A0 Q_

0. 0. 0. 2
I 0 *2.W *2

bS **'0* V tW '0
** ** '. '* .
0 0 O H


0
0.

6w,
S


0
to-a
K 0
-t


0


0
0.
U 009
31


0.
06
PIS K(B
so0


co "* 0' ~tO co X *

OW, WoS-
e ,, Al -e ,,e
0 S,

I 1



m t "g ^"s1"m"
5 0


O V ;a S.&I


G&I
Sp


.0


7p-
to
>*
19
a'.


:0
0




I!
P5



a.
*0
0
a'-


10
z
0

K





51

30
I*t
P.?


Sbmmercaul Eutfrpe
do eorrnte, o mNoM dia, sewsslo
m," pra se proo.e-
s a P .V~T~alg "&r
T."SS40 1^ ^ e elog~er-

n Gao d socime Tqi -'--" gum
-wadria do CMabi.e-vmji ods



t..*. .- "- O rtt t b :
*w -. 9

*=: ..... .,- ..B l. .^' -1
',"'., .:2.":..t .est


SJos HoSorie Bmera de Meneze.
Companhia Phenix Per-
nambuacana
De conformidade corn e art. 19 dos estatutos
serbo vendidbas acoes dosta companhia ns.
756 A 765., Os pretandenatea so convidados a
apresentar aS as propostas em carts fecha-
da, potr intermedio de orretor pral, at6o dia
3 de fevereiro proxime., A I hora da tatrde, no
escriptorio desta compaihbia.
Companhia Phenix Pernambucana, 22 de ja-
neiro de 1881.-Os directors,
Luiz Duprat.
Joao Jose Rodrigues Mendes.
Manoel Gomes de Mattos

Obras do Portr
Pela directoria das obras de crnservaclo
dos portos d'esta provincial, madda-se fazer
soiente a quem interessar possa quo, de ean-
formidade corn o aviso de 29 de dezem!?ru' pro-
ximo passado do miniterio da agriculture,
commercio o obras publicas, no dia 28 de fe-
vereiro proximo vindouro ao meio dia na mes
ma repartigio, recebem-se propostas em cartas
echadas psra odmprar, ou contratar corn quem
mais vantageom offerecer a construcCAo de tres
cao6as de 50 tonelada- cada uma para o trans-
porte de vasas extrahidas pelas drags d'esta
repartiCAo.
RepartiCo das obras de conservaglu dos
portos de Pernambuco. em 24 de janeiro de
1881.
0 jo eIcripturario,
ifanoel Duarte Pereira.

Companhia de Santa
nnu- .....


votrro e Isnto:
A& ,er:
dPe.ao auear da estaglo das Cinco
PiBtas ao RDcfle 100 rl1s.
. Por saca de a lgodo da estacao das Cinco
Pqntas ao Recif 900 rMis.
Por popa cOM agardeoto da estagco das
Cinco Pontaaao s o B 25000.. .
Pbr saco oearn massuear dos trapiches aos
OrmIm1 W00 reis.
A eapn5 lonmiotora continua a conduzir
e d_6epatr. gratuiKment os oboectos dos
eues quoeforeApofides t aos so-
Abiored 'inp- rns; oncrr.5s do despa-
her quutqar quantla de dinelro, tirar as
amoslras dos massneares na estaolo e trapi-
ches ; entregar aos senhores correspondents.
para o que ternm. am possoal habilitado e pra-
tco, e pel 6 qual so responsabilisa. Pade e
espera o auxilio dos saenbores agricultords,
eorrespondentes e commerciantes, mesmo a
bom da agrioultura do commercio.
Recipe, 10 e fevereiro de 1881.
Jo& Antonio da Costa Meria,
/ Gerente.

COMPANHIA
DO


BtIBILRIBE:
A directoria da mesma complnhia,
de confermidade corn a resolution da
assemblda geral dos Srs. accionistas,
reunida no dia 27 de janeiro findo, con-
vida aos mesmos accionistas a reuni-
rem-se no dia 7 do corrente mez, pelas
12 boras do dia, no escriptorio de sua
sde a rua do Imrperador n. 71, para,
de accord cornm o art. 52 dos estate tos,
apreciarem e resolverem sobre a refor-
mi dos mesmos, que se acha feita.
Preceituapdo o citado art. 52, quo
para o caso deo que se trata, se aches
presented, por si e seus especiaes pro-
curadores, accionistas que reprosentem,
mais de metade do capital da compa-
nbia, a mesma directoria solicita que
os Srs accionistas oao fattem ao coin.
parecimento no indicado dia.
Escriotorio da companhia do Bebe-


inereza ribe, 3 de fevereiro de 1881.
de iliuominaao a gaz e abastecimento1 0 secretario,
d'agua, na cidade de Olinda -
Dividendo IGabtnete Portuguez de
No escriptorio da via ferrea de Olinda. esta- i
g3o da Aurora, paga-se diariamante o quarto Leitura
dividend daqoella empresa, na razeao de & 0/0, r
ate o fim do cerrente mez, das 9 horas ao meion CONSELHO DELIBERATIVO
dia, e dahi por diante nos sabbados as mes- De ordem do 111i. 6r. president, convido
mas boras. Recife, '24 de Janeiro de 1881. a todos os Srs. vogaes deste conselho .A com-
L. I. de Miranda, parecerem -as 6 horas da tarcde de segunda
Gerente. feira 7 do corrente; A sesslo 6 extraordinarily,
-Em presa L/omo -r-taA convocada por officio da directoria, de accord
Es ptresa Lo oco otra tcoTn o 30 do art. 60 dos estatutos.
Gabinete Portugaez de Leitura, 4 de feve-
Escriptoi n0 A rua do Visconde reiro de 1881.
de Itaparica n. 7 Francisco de Oliveira Mata,
A empresa locomotoha, desta cidade, fez du- 10 sectetario.


SOCIEDADE LYRIO PASTORAL

Sabiado 5 e Domingo 6 de fevereiro de 1881

ENORME NOVIDADE
GRANDE MAHAVILHA


SUCCESS CUESCENTE
Dous pomposos espectaculos corn o brilhante concurso
eximio artisia .


a peiaouW Us DpoJJ-
tos do sul at6 b dia 9
do corrente, e depois
da demorado costume
loe^rtascmlseguire para o0 por-
tos do norte.
Para car f, S8sagens,encommendas e va-.
loies, trata-se corn o agent
Bernardino Pontuat
44-RUA DO COMMERCIO- 44
1Ai'jPAN'HIA PERWAMBUCANA
DB
Navegagfo Costeira por Vapor
PORTOS BO SUL
Barra-Grande, Porto de Pedras. Cama-
ragibe, Macei6, Penedo e Aracajui
Segue no dia 8 do
-- correnkte, o vapor Conde
d'Eu, commandante
Silva, As 5 bhoras da
tarde.
Recebe carga ate dia 7. Enaommendas.
passagens e dinheiro a frete at6 As 3 horas
da tarde do referido dia.
Escriptorio
Rua da Compauhia Pernaubncaua
u. 12.
COMPANHIA DFS MESSAGE-
RIES MARITIMES
LINHA. MENSPL
0 paquete
Gironde
Commandante Mor au
Espera-se .
?E(i nopa no (-1
4 fioe ft.werelt-.
i qua! depois a
denieora de () a t-
tUmfe, seitwla '
p a ra Bit-.,,,
Ayre's, toCt,,d.
nos portro Pa
Bahia, io de Janeiro e Mo-&-
teviduo
Para onde recebe carga. encommendas, pes-
sageiros e dinheiro a f rete.
AGENT
Auguste Labilet
9-RUA,.DO COMMERCIO-9
Lisboa-e Porto
A barca.a portugueza Novo ieancio, recebI
carga a frete para os p-litos acioa, e levetl
segutr coin breiidarte -Atratar corn osconsig-
natarios Jos6 da Silva Loyp & Filho.

Aracaty
Segue nestes poucos dia- ,, hiate Graciosa.
recebe carga ; a tratar na rua da Madre de
Deus n. 8, ou no cues do Luy,', a bordo do
mesmo hiate.

--. .LEILOES

LEILAoU
De fazendas
Limpas e avariadas
CONSTANDO:
De madapoloes. aln,'d5es, burgos, cast6res e uutr.s fazendas ingle-
zus.


do POR


10a representaaodo se pre app rama pastoral, eriginI 1 do Sr.
Candido C. das Neves, dividido em 3 actos e 7 quadros, denominado


GABRIEL E LUSBEL


0


'-3
BO&m


Dara principio a representahao o mijnoso escripto do artists LI
corn o additive ao mesmao pastoril denominado
0 PECCADWRI ARIEPENDIDO
UPU3lU SObT~ AfU~ ^; S..
0 peregriuo SR. LISBOA
Lusbel Bebianq
1.a camponeza, a menina Amelia
2.a c ajovem Dondon
Pastotas e camponezas
Music arranjada pelo sympathico professor

DEro 0MIACAO pMW QUJADeOS
toequadro 0 peccador rrependido


2.0.
3.o S
4.11
5.*


6.o
7.o


SBOA


A seducogao
0 nascimento de Messias
0'desespero de Lusbel
Herodes perseguindo as
pastoras
A estrella do Oriente
Grande apotheose


N. B.-Tendo o artist LISBOA escripto um additive ao paetoril para ser,
representado no Theatro Santo Antonio, pela* Saciedade Lyrico-Pastoril, esta
aceitando, em prova de reconhecimentp, conferio-lhe -o diploma de socio bene-
merito, pedindo-1he ao mesmo tempo para fazer parte no seu mirmoso trabalho,
ao que elle accede da methor vontade1 denmpenhando o papel de
PEREGBINO
0 resto dos bilhetes estA A venda n6ojescriptorio do theatre no do dia do
espectaculb.


GOMOAIA


Pat


-a-, '.
if- :. ", ..; .


Hoje
Sexta-feira, 4 de fevereiro
A's 101/2 horas
INTERVENAO DO AGENT
PINTO


No armazem da rua do
n. 45


Born Jesus


(Em continuacao)
VenderA o mesmo agent, 3 carteiras, 2 arma-
maybes inglezas. mesas para fazendas, fi-
teiros, cadeiras, 2 pianos, 1 mobilia, camas
francezas, camas de ferro para meninos.
quadros, pertences de urn tlheatro, fogOes
de ferro e ontros muitos objects que serao
vendidos ao correr do martello. por ter de
se entregar a chave do mesmo armazeo.

Agente Pestana

Grande leilao
Dericos moveios. espelhbs, quadros, secreta-
ria de jacaranda, lougas, vidros e obras de
oiro e prata.
Sexta-feira, 4 do correote
A'S 11t HORAS
No wegundo andar do sobrado sito a rua
do Lirramento n. 21
0 ijlm. St. Dr.- Lopes Coelho da Silva, tendo
chegado do Rio de Janeiro corn a sua gxm.,
tamilia e tendo a infelicidade de fallecer- sua
esposa, far& leillo por intervenclo do agent
Pestana, dos seus moveis, completamente no-
vos e de gosto.
A saber:
Uma mobilia corn tempo de pedra, 1 piaxo
de jacaranda, do fabricante Henry Herz, 1 lin-
da secretaria de jacaranda obra de gosto, a
qual esteve na expoicato,r ricos quadros de
moldura dourada, escarradeiras, candieiros A
gaz, lanternas, jarros, rologiodeo mea,eta-
geres e enfeites de mew..
40 Odarto
Uma rica cma doe Jecarand obriv 4o Reip-
gin, 1 grande e imortantse toilhete de Jaca-
rarind, corn tampo de pedra,obra do Remigio,
1 guarda vestido de amarello, 1 cablde deoo.
lumnas.
2o Quarto
Urma cama franqeza de' jacaranda, meia
commoda. I santuario, I cabide de columnaas,
I raclogio dorado, patented para cima de mesa.
3o Quarto
Uma cama de adarello, I estate, 1 ecma
de ferro para crianga, I bahb guapdee I ban-
quinbt de amareilo.
4 Quarto
Urn uMaquezuo largo, I maca para viagem,
g bancas para joge, I lavatorlo de ferro e 1
cama de Vento.
Sala de jantar.
U ma mesa elastica- I-gurda loua,.p. -
radorw,.1eoxsoft, it oopo0osO" t es&a a-h&M de


DE

0 agent Silveird. comupeteoitemente autori-
sado pelo bastaAte procurador de D. Ismenia
Lopes de Aliaeida. inkentaraante dos bens de
seau casal. por more de seu marido i commen-
dador Joaquim L pes de Almeiia, levaiA a lei
I1o 6 casas tei areas sitas, sendo 2 A rua do So-
cego frevziaezia da Boa-Vit5ta sob ns. 12 e 14, 4
,litas d rue do, Pilar freguezia do Recifo sob
ns. 15,17,19 eo21, lodos mn solo proprio.
Sexta-feira 4 de fevereiro
A'S It HORAS ELM PONTO
Na rua Duque do Caxaas n. 37


LEIL U
De Mcveis. louga e vidros
'11S;101.1':


Umn Oiano do ama'iiao>, un iliL-, d," mesa, una
Uw bilua de ji ;,irmw,. -ianrias de vi'Io, ta
petes, iarn's e-pzlirit.s. ,;'r, ir"'s g s .j gz. a-
lh:iceiros t' valtd*er tiaji,-ezas. qi;.i los, **HII ;t -e telciae, fuj es d"
lern < r c p -.- tut's aldi, laMl'ere.
Hoje
Sextfa-feira 4 de fevereiro
wl ntIt Pinto
v N 't ll'*| .';l m" '-. h| i .h'- i r i. 4';.
^Ed C% C.)NTlNUA A AO)
U2 ; .'--' ,.l:.,r',-. nt,,,.i ;ihe, .,;t pardi 4 p.-s.";',a .
tlt t*l ;-,,S 11 I,' ,1 y.- ;.s, rlr rl'-r 'IuS Ci lhilt'4
fla~I ri 11t ma t- -- iii,, tI'h.Sr ii'jieuh'5 t!o nii>
le .l -i til' e it |ilt-. t ;S ill '/. ti.
l.t too
a c:l. -vi d i :. ll-cyti) fd:t 1 tic d B.'inI) .jes ,.-. 1.
4'", Idt,- *',,,i ui-,.,la ,f-nte aos senhot'*. <,(ite
(.-i 1 ;aI' -Lj.,'-L ,-. se -iignfrn re ira i ,s 1 a \' "1
Z..k' d-.3 i-iiS dro n o) -, n'ri- si-r l Vt-i-lidiS ;ao
lo r r 'l J *iit.j rLa llr., |i. l i, i 4 de tevcrel0o.

Monte de Soccorro de

Pernambuco

Leilao

Este ,cst:.-betecilerat.) aid leil o, no dia 4 de
fevereiro proximto vi.idour. pc.r interv *neao
do agent Martius, a fi ru,. Commpe'cio n. 48,
As Ii boas da manli,. dos ohjnctos (qite nau
turem retiratoQ at( a veseeria] d&s seguintes
cantelas a dinhe.ro 'o vo-ttado.
Os objects estaiAu expostos a apreciageo
treS dia- antes.
CAUTELAS
Ns.:
:.817-Usa corrente eciQoleta part relogio.
dous anneis, dous pares de rosetas,
umR volta de trancelim e cinco re-
quififes, euro de 18 quilates.
2.820--Um alfinete de Giuro para retrato, uinm
par doe brncs, aimacruz, uma volta
de trancelim e tries requififes, ouro
ale 1i quilates.
2.h29-Uin cord.o, ouro de 18 quilates.
2.838-Um par de rosetas, urn alfinete corn
brilhantes.
2.839-Uma pulseira. um par de brincos, dous
ditos de ro)setas, tres alfinetes. dous
anneis, dus vo[tas de trancelimm
uma crtz, um buzio em ouro.
2.82--Urn relogio de ouro de lei.
2.844-Um alfinete de ouro corn brilhantes.
2 850-Uma vlta de trancelim, cous dollars
corn lag',s, umn annel e tres botOes
ouro de 18 quilates.
;.853-Uiaa tulseia doe ou o corn bIilhantes
2.883-Urea corrente e cacoleta ,a'a relogio,
ouro de lei, e um relogio de ouro.
2.895-Um relogio de .uro para senhora e
nrna cacoleta corn onix, ouro de lei.
2.899-Uma salva de prata de ei.
2 901--nma dila idem.
2.905-Um par de brincos ouro de lei.
2.906-Umrn anne! de ouro corn um brilbante
grande tres cruzes corn ditos, um
relogio' de ouro, uma eorrente para
relogio. dous bules, um assucareiro,
urma leiteira, u-ia tigella, um jarro e
bacia, uma tampa e prato para man-
teigueira, um paliteiro, onze coheres
para s6pa, doze ditas paras cha, 12
facas com cabos de prata, onze gar
foe, um trinchante, tries culberes
para trar sopa. arroz e assucar, tudo
prata de lei.
2.911-.Um relogio de ouro de lei.
2.925-UUm trancelim e uma cagoleta, ouro de
18 quilates.
2.949--Um,alfinete de ouro para retrato, um
dito, umn par de rosetas corn cama-
pheo. um par de brincos, dous ditos
corn cores, urna puleira, trees pares
de rosetas e seis anneis. ouro de 18
quilates.
2.978--Uma pulseira e um cordbo de ouro de
18 quilates.
2.979-UUm trancelim e um par de broncos,
puro deo 8 quilatee.
3.003-Umr @pushefra de auro e um alfinete
coatendo brilhantes.
3.020-Um correntaob corn passador, euro de
Slei. ..
3.032-Um-collar, urns volta deo ordo, uma
medlbsa, ama cruz, dous alfinetmi,
dous e meio pares de rosetas, um
par do be Weo e quatro pegasde brin-
Sos, ouro Tie 14 quilates.
3.085-Um annes deo uro corn um brilbante.
3.038-UUm tranceqrm corn passador, ouro de
18 quilates.
3.043-.Uma pulseira, uma volta de ouro, um
tranoelim e um par de broncos, o uro
de lei.


3.080-Uma corrente para relogio, ua sie-
to. urma cagoleta pequena, ea um an,
nel de aura de 18 qmlates.
3.090--Urn alrneto, dous pares de rosetas,
a um panel, um ponteiro, urma rga-
ouro de lei.
Recife, 1 de feveiro do 1881.

Sar Pinto.

,. |0 -


Agente Pinto
Hoje 4, deve ter lugar o leilao de fazendas
avanradas e mnveis de escriptorio, gigas corn
louca e birricas corn copos ; As 11 horas, no
armazem da rua do Bom Jesus n. 45.
0 de rnoveis. louca, crystals, quadros, pia-
nos, da casa em que residio o major Jerony-
mo Theotonio da Silva Loureiro, deve tar lu-
gar sabbado 5 do corente, no sobrado da ruma
do Sol it. 31, bern como o de cabriolet, car-
ruoas arreios.

Terceiro e ultimo

Leiiao
Do engenho S. Sebastiao
SEXTA-FEIRX1 4 DE FEVEREIRO
Ao meio dia
POR INTEHVENQAO DOAGENTE
Silveira


LEILAO


D'tom cabriolet de 4 rodas, 2 carroCas para 2
civail s. I ma hina de cortar capim, 4I ar-
reios p.>ra carroas e 1 arreio pira cabrio-
"-a.
Sabbado 5 do corrente
A'S 2 H1ORAS DA TARDE
Por interveng&o do agent
PTNTO
Na rua do S,), em f.ente a ctsa n. 31. onde
((lev letr -In ar ii lailAo de moves, louQa, crys-
lt,' e in fMClxcellrntt plano.
LEILAO
D3 urn tx'elee:rt. piaino frte e quasi rnovo, e
de. um dl's tis c'.rihe',.i'tos labricantes.
,.lb)h;do, 5 ( fevereito
ao mio dia
P1or (,'easiio leilao (:e moves, louca e
nry'staes, no sbrado da rua do sol, n. 31.

LEIA
De moves, lougas e crystaes

Um piano urte, emn optuiho estado doe con-
servac5o. I linla imobilia de jacaranda, corn
I s, fd, 4 'osoril.s, cadeiras ae bragos e 12
le ;gurrmc5o. '2 ban'-s para jogo, 1 tspete de
sofa, i espelho oval, 7 quadr.-s corn finas gra-
vuras, 4 jartos para flares, 4 castiaaes e fan-
tlerrias, 4 figures, 6 tapetes de purta, 2 ditos
de coco, 4 escaur-oeiras e I tapete de c6co,
pano de sala e I cartinho para menino.
Uaa camna fra wceza, 6 cadeiras, 1 mesa e
satituario de j-aear:;.tdA, 1 conomoda comn pe-
dra, 2 lavatomis com espelho 2 ca.ides,l
marquezao e outros ubjecths.
Una mwesa elastica corn 7 tabcas, 1 guard
Iouua c-nvidraeado, 2 aparadores tomneados,
1 quartinheira, 1 sifd, 1! -cadeiras, 2 cantonei.
ras. 1 apparelho para chA I dito para jantar,
copos, calices, gnrratas, compoteiras, bande-
jas, 1 galheteiro de Elect:ou-plate, 3quartinhas
e muitos outros objects de casa de familia.
Sabbalo 5 de fevereiro
No 2o andar do sobrado da rua
do Marquez do Herval n. 31.
(Em frente da escola modello)
0 agente Pinto, autorisado pelo procurador
do Sr. Jeronymo Thetonio da Silva Loureiro,
levara A lei ao os moves e mais objects da
casa em que residio a rua do Sol n. 31, em
frente da escola modello.
0 leilAo principiara
A'S 101/2 HORAS

LEILAO
De bonds moveis e I piano de
Blondel
Sendo 1 mobilia de jacarandA a Luiz XV corn
tempo de pedra, 1 piano de Blondel, 1 cadeira
para dito, 2 cadeiras de balanco, 2 pares de
lanternas, candieiro de gaz. jarros o escarra-
deairas. Uma cama franceza de amarello, 1
guard vestidos, I media commoda, 1 toillete,
1 lavatorio, 1 banquinha. 1 mesa elastic, 2
apparadores. 12 cadeiras de, junco, I soft e
outros mnitos moves em born estado.
SABBADO 5 DO CORRENTE
A's 11 horas em ponto
No 1 andar do sobrado n. 16 da rua
do Imperador
0 agent Martins, autorisado por uma fami-
lita que se retirou para o Ceaia, fara leil&o dos
moves acima.
AO CORRER DO MARTELLO

Agente Burlamaqui


LEILAO
Quarta-feira 9 do corrente
as 1i horas
No armazem da ruta do Imperador n. 49
Por mandado do mim. Sr. Dr. juiz de direito
especial do commercio, o agente acima farA,
ieUao dos predios e divides abeieO declaradol
psrtefoe.tea a mass dallida deilanoel de Azo-
vedo Andrade, a requerimento de Fernandes
Osrvalho & C., administradores da mesma
mamas.
Born emprego de capital
A saber:
i cast torrea na cidade do Pilar nas Ala-
goas.
1 dita em Campina Grande, na provincia da
Parabyba.
4 ditas na cidade do Limooiro, na rua do
momma tome, send uma dellas corn ran-
cho.
1 dita terrea. am Pin dA Asmirnr_ naa AI-_


goas.
0 mesmo agent em continx
as divide0 em otas do livros
maior stt em tijtW d.4
t da ipotaMia e I
doemn ah3
qu ea im'a^s


A
r ,"
', 0- .


is.


~0
al -~


.* ...-; 7 \ ".' ..
-* .: ,', "a -< t i ? .. :
. ... .-. .,.. .. .,-.,....
:'. ... '.S.- .-> .* .- *1 .. : .. 1-


WH-~. -'*- '4'-
1l


-,' ., -,. ,': ... .r,\. '.
,- ., .. .
*^^.1.^^' 9.-'.*^^^ ^


Pacific Steag igation Gom-

KUM1lUGANA STRAITS A8 ALINZ

rra .r vapor 4 -Sffre dosgortO
^Sfl ~ ~ ~ d OAfirr 0|-- oUatfdl# 610
.Wo, Mossord, 0e soal- s d6
S CeardO
S o ,i so,. 5 ,


Uum Jug-


E^--.li




















{ xdo, a

"pr^ o, eehap6oo qw stS, e
iy a O,oni b v-oa do
*mW 'Psab iso lado : queni o a podr
x~io OAr-Joakquhfm Rodriguas 7 Yvtes do
i onso Sr. Bemrnardino Pomtual nesta pra
gn, ema seon ashor em Barra Graddu, ou n.
eausago S. Viteente, nomeolag lur.t quae serr
ben recompensado.
lobo BapUsta Acaioli.
Recommenda-se aos senhores alpilis ie
campo a captura d escravo Luix Fialho, mula-
to, mogo, que se acha fugido A mais de um
mez, o qual foi escravo do fallecido Eaxm. Via-
conde deo Sussuna, e hoje pertennce a Manoel
Caldas Bawreto, por ihe tocnar wn partilha do
respective inventarto, e a quedh sera entregue
no engenho Sapucaia de Beberibe.


A commisslo administradora do patrimo-
nioe de N. S. do Lor6to convida pelo present
aos devedores do mesmo patrimoaio, para, no
prazo de oito dies, virem satisfazer os seus
debitos, porante o respective thesoureir., Jos6
da 8ilva Barros, na povoalio da Vends Gran.
de ; e so assim o noo fizerem, sue nhomes
serAo declarados por etsie jornl, e al6m diso
se procederd immediatamente a cobranoa ju-
dicial. Venda Grande, 15 de janeiio do 1e881.
Manoel Francisco Eduviges.
Antonio da Silva Rocha.
Jos6 Silva Barros.
Antonio Jos6 Ferreira Azevedo.
Bellarmino V. Souza.
Jose Manoel da Rochba.
Precisa.se de urma aua para cozinhar e
lavar: na rua do Visconde de Albuquerque
numero 29.
=Precisa-se de umn caixeiro corn pratica de
taverna; a Iratar em Olinda, Ladeira dj Ri-
beira n. 32.
P- Pecisa se de urema professors para ea-
.sinar a ler, escrever e costoras, em casa de
um proprietario de umn engeOho distant dez
legnas desta cidade : quern pretAnder encarre-
gar-se desse mister, deixe carts fecbada corn
as iniciaes A B C, em casa do Sr. Correia & C.
Ar ra do Imperador n. W6, pars ser procurado
-- Precisa-se de um criado: na rua do Brumi
n. 82, 2 andar.
--Precisa-se de unma preta escrava pars en-
gommar e fazer o serving intern de urma casa
de familiar : A tratar na rua da Soledade, casa
que ficsa entire a rua da Conquista e Progresso.
Recommenda-se aos senhores capitles
de campo a capture do escravo Luiz Fialho,
mulato movo, que se acha fugido ha mais do
um mez, o equal foi escravo do fallecido Exwn
Visconde de Suassuna. e boje pertence a Ma-
noel Caldas Barreto, por Ihe tocar em partilha
do respective inventario, e a quem sera en-
tregue no engenho Sapucaia do Beberibe.
Aluga-se por muitu modico preco a case
de azulejo da rua Imperial n 108. tendo 2 sa-
las, 5 quartos, cozinha externa e quintal corn
portAo, e grande cacimba independent: a
tralar na rua Larga do Rosario n. 3i. botica.
Continia fugido ha dous mezes o eicravo
Cypriano, de 20 dnnos de idade, baixo, fulo,
pescoCo grosdt, falta de denltes na frente,
peroas um pouco torLas : quem o apprehen-
der, p6de ontregal o A rua da Aurora n. 81.
onde sera recompt-nsado.______
Fugi Jdoengenho Cdival-anti, d. comarra de
Nazareth da rnati, na noite de 24 para 25 do
corrente, das7 para8 boras da noite. o escravo
mulato Bruno, criado. idade 19 pars 20 annos,
baixo, espadauo, cabellos earapinhos, e cos-
tunma conserval-os bastlnte grande, olhos par-
dos. rosto mais cumprido quo redondo, dentes
perfeitos, pees regul.res, send um pouco lar-
go proximo aos deios. E' bern ladino, sabe
ler e escrever e gosta de recitar poesias.
Quern o capturar sera generosamente recom-
pensado conduzindo-o cem Loda seguranCa a
este engenbhn ; ignr?-se a direclp, que tomuu
porAm ha suposiCvo que seguio pars o Recife,
onde nasceu e morou, atl a idade de 10 annos
pouco mais ou menos. tendo sido vendido ao
finado major Paulo de Amorim Salgado corn
quem permutei por um outro escravo de nome
Gaspar, por occasilo do inventanro do corn-
mendador Paulo de Amorim Salgado.
Firmezi, 31 de janeiro deo881. Fugin
deste engenho o meu escravo Albino no die
27 do corrente, o qual tern os signaes segnin-
tes: alture boa, r6r preta corn algumas mar-
cas de bexigas, idade 21 a 26 annos, levou ca-
misa de ligodao riscado, calea e paletot bran-
cos e chapdo do cbile, todo este vestuario p6de
ser substituido por outro; elle 6 bastante ati-
lado e muito bonita figura. Rogo, portanto,
aos capitaes de campo e a qualquer outorida-
de a prisao do mesmo escravo, devendo ser
entregue nests engenho ou ac s meus corres-
pondentes Tavares de Mello, Genro & C.. pra-
ea do C ,rpo Santo n 15. Quern o apprehender
serad bern recompensado.
Bargo de Piraugy.
Precisa-se de urn cozinheiro ou c,zinheira
que seja limrpo e perito na sus arte; a rua da
Aurora n. 73.
Na officina de calcados da rua do Jardim
n. 19, precisa-se 'Se algumas pessoas para di-
versos trabalhos pertencentes a mesmna offi
cina.
Precisa--e de um official de funlleiro ; na
Aca di Imperatriz n. 79.
A senhora que per engano trocou na noi-
teoda partida do Club Euterpe, urn chale de
sedan, queira restituil o a rua do Hospicio nu-
mer 10.
-.Precisa-se de costureiras que trabalhern
corn perfeicao : na rua da Imperatriz n. t3, 1o
andar. Fazemise tambem plissus compreste-
za a 40 rs. o wetro.

Caixeiros


nm pratica de taverns; quern precisar de
oous. dirija-se A rua do Msrquez do Herval
d 130; um tern 10 annos e o outro 18.
Fabrica de fiaClo e tecides
.da Magdlalena
Neat& fabrica preeieafe de teI4elos.
[1--Aluga-se por commolo pro-o, e para
qualquer estabelecimento commercial 'ou otfl-
cins, urma das lojas da easa n. 32 da rua de
Marcilio Dias on rua Direita ; a tratar na botl-
ca n. 34 da rua larga do Rosario.
"- Aluga-se o sobrado daf ruda Aurora n.
161, o qual tern excellentes salgs e quartos,
multo fresco, tern agua e gaz, jardirn, itc.; a
tratar na casa immediala n. 163, de manhb atA
an 9 boras, e !das 3-da Lorde em diante,
Aluga-se a loja do sobrado n. 6 a rua
Direita; a do n. 3 A rua da Penba; a de i. 8 6
rua do Fogo; a de n, a16 rue de Lotlas Va-
lentinas; o 10 e 20 andares do sobrado- n. 25 A
pa de Santa Rita ; o le andar do n. 16 Arua
de Hortas; a casa corn sitio, no epiwbeiro, o
qual foi do Mangericlo : a tratar no segundo
andar do sobrado n. 41 A run do Rangel. ou
comn Augusto Octaviano deo Souza.
4luga-so duas casas assobradadas, corn-
bastantes commodos parasfaifilia, limpas e
fresoas, na rua da Fundiclo us. 8 e 10, com-
digO5 razoaveis: a tratar na rua do Capitlo
Antonio de Lima n. 30. Santo Amaro.
Aluga-se urma das lojas da casa 32 da
ruas Direita, pars qualqueu estabelecimento
commercial ou officina: a tratar na botica da
rma larga do Rosario n. 34.
Ala-se o sobradinho de um andar i
ruM do- Sfl uaumnna .06, e o 2. Andar
to6ai mroa damtPeoham29; a tratar na

Pmo P *4,deourea ampaoaMr-
* f.t qidls "' Og.ot"


I


,o CAPITAL-
860,00 IM% W tes.


A ex.UaoQo d'eap loteria 6 diviIsa sm toes aoteios oomr mtervalleos do trees dlase
rode OSfoum s teem direlto ass tree sqoNorteo, offerecendo W asin sMWe bystem a
vautag a a um s numer0opoderst tinrtins repmlos.d
No fti deo cada sortelosera publieada uma Us.ta dos numerous premiados. Depots do
terceiro ultimo soriolo sera publioada urma lists geral, corn a qual se farn o pagapoento de
todos os premniOs.
A nitldez da impressbA, a numerago, o cuidado, 0 finalmente a confeoooo de lda
esta loterla 6 fetta polo pesioal da thbesourarla das loterias da COrte. cuja long praUcs offe-
receB as melhores garantias paia a b6a exeouclo d'este servigo.
0 process de extr.cgo semr o mais aperfelgosdp.. As importancias dos bilbhetes ven-
didos sero recolhidas aoThesouw! ionl.
A ber :A L
AL siber: .


S -- Primeiro sortelo
63.47 premios no valor de
Sebdo: '
I premio de 150:000O
S dio. de 50000
1di:e de :2009
4 ditos de 40:000$ 40:0009
10 ditos dn 5 0005 50:000S
16 ditos deo 2:000 32:0008
40 ditos de 1:0005 40:0005
50 ditos de 500 $ 25 0006
1tO ditos de 290S 20:0005
250 ditos de 1005 25:005
1.000 dites de 505 50:0005
5.000 ditos pars todas as


centenis, cujo al.
garismo terminar
n'aquelle em que
eahir o primearo
pemio d'este sor-
teio, achando-se in-
cluido o mesmo nn-
mero a 205


602:000$


100:0005 602:000$
Tercel


52.209 premios no valor de .
Sendo:
1 premio de o
I dito de o ....
1 dito de .....
2 ditos de.....
4 ditos dde.
8 ditos de ......
12 ditos deo .
20 ditos de ..
60 ditos Ie ...
150 ditos de.....
350 ditos de.....
600 ditos de ..
1.000 ditos de.....
50.0UO dito." para todas as de-
zenas cujo algarismo
terminar n'aquelle em
que sahir d primeiro
premio d'este sorteio,
achando-se incluido o


Segundo sortelo
6.618 premios no valor de
Sendo :
1 premio de "00.0C
1 dito de 100:0O
1 dito de 50:OC
1 dito de 20:00
4 ditos deo 10:000 40:00
10 ditos de 5:000$ 50:(
15 ditos deo 2:000$ 30:0(
55 ditos deo 1:009$ 55:00
80 ditos deo 500 40:0(
150 ditos de o 209 30:0(
300 dilos de 10:1)$ 30:0(
1.000 ditos de 505 58:0(
5.000 ditos para todas as
centenas, cujo alga.
rismo te'miinar n'a-
quelle em que sa-
hir o primeiro d'es-
te sorteio, acbando-
se incluido o mes-
mo numero a 20$ 100:0C


ro sortelo


50:060$000
20:0008t00
10:0005000
5:0001000
2:0005000
1:0009000
500S500
200,000
1001100
508000


795:0008


00
mg


KJ5
0)0
X)$


0)$


795.0001


2.575:0005000


1.00:000:00
200:000=000
100:'9)Q 000
100:0005000
80:0009000
80:000000
60:00,5000
40. 00000
60:0005000
50:0100000
60:000,00
50r:0000000000


mesmo ,'umerb a. 12000 600:0005000 2.575:000$000

TQD05 05 nMiG 5I0 rA G EK3DESCUT?
0 abaixo assignado avisa ao public, que acham-se a venda em seu
estabelecimento a rua Primeiro de Marpo n. 23. os afortunados bilhetes d'esta
grande loteria, estando Ilabilitado a satisfazer qualquer pedido em poroo, por


pregos mUIto razoaveis.


23 Rua Primeiro de Marco


23


FUNDICAO DO BOWMAN
.*


RUA DO BRUM


N. 52


PASSANDO 0 CHAFARIZ

Offerece vantagens para as encommendas de
caldeiras de vacuo, apparelhos de limpeza do

caldo, evaporasio, ou cozimento a vapor, etc.,
etc., pelas suas relaCes directs e pelo bom

exit dos apparelhos ja assentados por ella.
A fundik&o contrata, quer por pre o fixo,
qu6r para mandar vir os apparelhos por conta
do proprietario.

Garante, assenta e ensina o trabalho em
qualquer dos easos.


NiESTA FUNDIGAO, A MAIS AMfiuA


1~6aA I~a(U-


i1NCIA, VENDE-SE A PRAZO, OU A DINHEIRO COOM
DE0OONTO.

INCUMBE-SE DE TODO 0 CONCERTO,, jUIt
OE PECAS TRAZIDAS A ELLA, QUIR DE MACHINES
'M SEUS LUGARES. FAZ CONTRATO ANNUAL


i-A TCOOS


OS CONCERTOS


OfF cNOENl4n.


Alambitues do Alberto sao de cobre, sem
a.a eo camee-jo d oag -par, o res-
? -A J- em u, e 4 l NO. "M a 0ar 0debi'

4La 4 P ~ dO te preys a* medlem, P". deo bisda

OA Cll"IIJAS, novidade Intluoduzxia per eat eas
had.4 a*a.s, o. vapor.es mer ealdelra, abod-teate mo
pof, e pedead tear agus a alt-ra de oitenta paRlme, go-
uearmad per um menlab. Pedem ser vistem em trabalho die-
riamente.
0O R.MAS

TEM k PANDE NMV 0O A VENDER


RUA


-,p -\.


I I
FARIZ


~I .11


,w:


9 i


4.


do %ouuos 0 saoa
suit= I s
swiss u ant~p^S s No news prepauado do forma a .o 4aiu&u
Me6-o BmoatT, o.zemme a a todou aa individum qu uoAm dau
IDS1iuui1m inE.. P
6; Asi moml dd sauoos .a_.mop a .i M u peoa
w mo pB d p ~tes dai iyphili eacham mewoal, qura pot eoeios
m .g Vmino 'pwm_ ab a Me primitiva, o vigor e a esgiao da iau aM orgaslpa.
Iglitmo rn dinMeates dm, oovaleunmasa dpopius do part ead qm do w olusi.
doe a d phal, leuco e flores bUanoa a e m today m mooM-
.Assibsqs. dto jsw'm soyar nu filhinhou devem fauer uso d'-te viuho com o
4-athreiodtrwanmittiado i Cemga 0 nonauitos precisos pawm o u11 dusewuopa to Ra-
.d sauutoifm 6 o mulbow regssmador, o main podewoso q a s tam formnwlado hald hoje,
pulaho. debiliads, impoteuqmam precocea e wtiwilidad dIa inllhar dovida as misdo
W .tta d'uam. .stilate, quo love Os ovgeoa a sm fA u nomef nataras primitive. A
hbsMmsa no tastamfnto da epilepsia e molestiam nervomaw.
lb soffrom do poio iovm eafer uso d'eate vinho luntamente corn Xaope do
Depoito geral em grosso e a retalko
M A% 0M O1IA GALSENO
ftA bo AAbR DA VICTOJAjX6 N 1


XROPI DE JARMACARU COMPOSTO


BE-TTIEThAOTJB.T


GCRIDi DESCOBIRTA


Especifico


das molestias pulmonares


Approvado pela Junta Central dc Hygiennc da Corte


Bate rarope 4 um compost precioso e o melhnr peitoral conhecido ate hoje nosg annaes da
therapeutica.
NEo precisamos importar auais esses remedies estrangteiros que se dizem pezitoraes, preju-
diciaes a saude, e que sio de nenlfum valor a vista do no.-..o preparado.
Nao tern o inconvenient (le produzir nauseas, cormo fs que por abi se annunciam, vindqs
do estrangeiro.
E' mister que o public se convenca de unia vez para sempre de que nAo ha necessidade
de recorder a elles, porque quasi sempre sao comhinac6es que mais tarde t-azemn effeitos nocivos.
Nao ha precisho disso, isto e, de importal-os, visto como o Brazil e opulentissimo em vege.-
taes medicamentosos, e pode-se aftirmar que a sua Flora possue especificos que levam de ven-
cida a todos os outros de paizes estranhos.
0 Xarope de Jaramacaru do Dr Carlos Bettencourt e de uma acgio energica e de um ef-
feito maravilhoso, manifestado logo corn as primeiras doses.
Temos conseguido muitas curas no tratamento das seguintes molestias ;
Asthma, deflutxo, those de qualquer natureza, bronchite, catarro chronic, togs ooaruah
phtiaica laryngea e pualmonar ou molestias do peito e da garganta.



,, -, ..2| d.,



OU iEF1 DE ACALHA'O
A.s expe'nencias feitas durante mais de vinte annos, teem provado que este
oleo 6 de uma efficacidade certa, contra as molestias do peito, a Tisec.,
Brenehitis, PrikOe do venture, Cata.fhes., Trosuse chioll-
cm, AfTee .eS* eseroftulosai, Tumores glandulario., _o-
lentlas da pell, E]mpilgeR ]Yaqueza geral, e tambem efficaz
.para fortificar as crianCas fracas e delicadas. E' ap-adavel e facil a tomar.
DoVe-so dconflar dos oleo8 ordlarbos e princlpalmente deo todas as compostuo esoM-
tau gla opeCuWscA pars subsUltuir o oleo natural, corn o pretexto de tornal-o ala effl-
eaz e mais agradavtl, culo resultado, e cansar e Irrltar o estumago Inutilmente. tEs oleos
.50 ate perlgosos.
aw se ler certeza de tomar o verdad-eiro oleo de /tgado de bwalAao natural e puwo, deB-
se Comprar Somente o OLEO DE HOGG, que so vende em vldros triangulares (o model
fol deposltado segundo a regra da lei do Brazil).
61.-,e eigi e nome de @OGG, a de mais, o certflcado do Sfnr LESUEUR. Chefe dos t.rwa-
SoAS cimico d a Facu.lade de Medtana de Parts, que vai imprcsso no rotulo cotiladO em cada vidro ~
Maag,,r. 0 oleo de Hogg se vende em todas as principaes Pharmadlas.
Depodtaro par agenda por atacadoem Pemtmbuco: FRAN-X M. da SILVAe C*; FERREIRAR M A e 0 V.




SXAROPE


Quna -Laroche- Ferruginoso

1p Embora do t leo sempre crescente da QUINA-LAROCHE honrada d'um
promio de 4,6600 fts, Medalha de Ouro, etc., ha numerosos casos nas
quaes a Sensibilidade Irrita.uado dus Mucoas. podem fazer que um Xar-po
s seja preferido aos vinhos ou aos Elixires de Quinquina.
|go XAROPE de QUINA-LAROCHE FEBRUGINOSO
P coibinado corn o pyrophosphato ae ferro e de soda, corn os principals das tres e-
Slaores quinas,constitue uminedicamento Tonico reoonetitcidnteporexcellencia. A
Pa=sue as mesmas propriedades como o Elixi Quina-Laroche-Ferrugiaoso
!P CONTRA 4
,S\ ANEMIA, CHLOROSIS, SANGUE IPOBREr
CONSEQUENCIAS do PARTO,
MAS DIGESTOES etc. .
Actiwa a nWxcFOes dc: argos e da ao
Sangso os Globalos ecairnados que oazem
Ss am forfa e bclleza. Nao caura de modo
aifum @ Estomago, exctla o Appetite e ZteCz4
Mw -29 wn, inuUw J.APACA 'nfl-.7 3a e.-Vf-M I.


Ul.1Ir a firm


PARIS-22, 2o, 19, Pue Drouot, 22, 2o,19-PARIS





-uto do emmnt&
j0 m sovevulalvo muaw supeloraso 1 Thgiecorn Okb oU
OftW, etc.. dos quass oflOis te, eomasceuonvnlentoc
urn, uminteraediaro o ent a. oa SI=Ae cj aco 6 rapids pa. =
0Pftugas e o veftatctrlo cuja energa nbcouvens m certoa cuas.
tern niuea eOsto ilstintanoa a continue n' o causando nem d6res,
I." V Om eelohbOes. porem unlcamente calor, um levc ardor e urm
let veamefldddo.
:I0 A~~ #*tDwan no no* Desa agaudos on chronicos, Bronchits, ,rppes Rb_
UXWMtw. Angpias, e geralmente todas as Irritac.es a
O4 9 te assim como as D "D6e ntuf r ou0 rghe aft
* a ar^ h *W e 0 nrosd.s macpuiaham m c.h
ftymaiw.. I'5A.HANOW M. da 8ILVA & C.
.m,.w..m mmWw. &L.F_ ,w .w--WW JL


IUTRI1O


CHAPOTEAUT

CON PEPTONA PEPSICA
C(--a-o de vacca dige rida e assi k 'aila-vel)
.. r-'_ --_
ii Qumado op alimentoe' clheio' no eslmni.igo transrornmAo-se na presenCa do
,succn .austricro mn urma suijsLtLanc.a sojuvel, chiamnada Peptona, que,. seudo
,Icv ; le, la s LoI.:t ;ts ilm tes d du cu'(, |i4r mci fIta circulaCfto venosa, serve pars
*a li ,a,;ir os noss(os ewcids: niuFCilais, <.spos e nervous, e entretem finalmente
1 : vidit C a s~ttade. Nl'lll-os-A's t':-aa'icias proviarao que, tratando a came
d(ic' Vtcc, o i,-'f:( alimnrLo pariacip;.l, n<..l,, saI'uc gastrico dos animals, obtem-
S. 11111 ;irfa'ft~ ifit-eit); ; -te,-sc';!: .ta'iv' ;, '.tl!ll, ii se for-na naturalmente
1' ii, a:'t::Lr:,,a. :.ta cmaro de vzar.cq ci,'cl.ia, ;..sociadla a um vinho gene-
%S' i.'c a. '1:r;aN:v.l, c01n-11iie ) V.in.L: Cc J-u;tc:3. -?sica de Chapoteaut,
*i qltie Ipresta-si:1 I11'iI:. :eL at i .li; ;,, i]cm'q[1 qu(Uit ao estomrago n o p6de
dlig'ri'. E.ttq v i (i ::;:.t" n:.a ;' '., (,'e Oa:L'(,1 \i i 'iLih s conLendo extracts,
w.i .II aoL'CO d L' c tir'. ,r'cl :t zi;;w,'a i'."- :l n ; j;.1 a 1:i1.1 ;-act:.tlO nutritiya.
S OVinhao-dc Chaoctoaut ci,, ,-i i,:..':n -n---lc-centbs, aos anemico.
S6ia>6Licos, Cs1 pa":oac. ":..:" % ...rc' cnicrzMidades, u.s aii a. -. &ic'esto.-nago e ga1trlgwa9 as
que teri horror aon. ; ia..ii-.m '.-* i .'id o ,s i.ucunuados pel6Otra-
ai, a idade, as exceccs ss, .:: -. n,:-', dyncnteria, as molestias
".*El* P "Ias .f.^CG9,s car3'C.-fC1. :., .,- C. '0e3 e- lOng f iadigas. Admi-
,- at ada s na.%,uyi.;.L<-.c. ti (,. .- -a i.. .& ',',&LCt seciec;ci.o do leite e
;- Bmerr suas q eliitaic.7 ii: I ir aa 'i'va ctlias niaordaa
g e^oyBaig 'ei o. q t:. ^. an I a ". l, ., n," *'.*e ..s ..u ..: llu e as
mIta':i ..&--- < ;- eG,
W11 tmula de Gi- o,.C. favo-
I I-. ..
.. -... ..-
7 q V .ww_0.."


ural.


Wenal


9


0 VIGOR DO CArO u 0 na pbrn parao af 5e
mesmo tempo agradavelsaudavel e effica pM
conservar o cabello. Por meio do sen uo e
cabello rugo, grimailho, e enfraquecido, dentrq
pouco tempo revolve & cor que The 4 natural *
primitive, e adquire o briho e a frescur do
caboello da juventude; o cabello ralo so toru
denso e a calvicie muitas vezes, post que ae
em todos os cases e neutralizada.
No ha nasda que pode refoxmar o cabellq
depois dos folliculos estarem destruidos, e as
glandes cansadasu e idas, mais se aimd restarm
algurne podem ser salvadas e utilizadas pele
applicacao do Vigor. Libre de essays substancias
deleterias que tornam muitas preparacoes de ests
genera tam nocivas e destructive ao cabello, o
YVigor somente Ihe e beneficial. Em yes de
sujar o cabello e n fazor pegajoso, o conserve
limpo e forte, em ocllzando o, impedindo a qqQda
e o tornar-se rugo, e por consequinute previnee a
c".lv:. :e.
J 'U1' uso da toilette nao ha nada mais & dew-
r; nAo contend oleo nem tintura, nae pode
naaucLhar mesmo o mais alvo lengo de cambraia;
perdura no cabello, Ihe dit. um lustre luxurioo,
e um perfume muito agradavel.
Para reforniar a cor da barba, e necessaio
maeis temnio de que cornm o cabello, porem se pode
appressar o eflfeito, envolvendo a barba de noite
cu:n unm leu<;,j molhado no Vigor.
IPRIEPAADO POR
Dr. J. C. AYER & CA., LoweU, Mas.
lEstadoe TTUnidoe,
CU."- -.,r,'teos e Anaaslveog.
-.-* 1 _n f 's -o -


Aluga-se o sabrado e soto dis rua de D.
Maria Cesar n. !8, corn commodos para gran-
do familiar, tern agua: d tratar na mesma rua
n. 30.
AMA Precisa-se de una para comprar
AMA e cozinhar: d rua Direita n. 119,1
andar.


,.SjgjUADESoo urowltj




Approvada pela ACADEMIA DE MEDICINE
e a unica admittda nos HOSPITAES DE PARI$.
PmmaW do IataWfb an Doutor Corvisart, em 1856
Medalha Was Exposir'es internaciouas de
PARIS LYCN V1ENA PRILADELPHIA -- Pk=
1157 1572 1f73 1876 fW8
Emnpregada coma o maior excito contr
DISPEPSIAS,
GASTRITES, GASTRALOIA,
FALTA D'APPETITE,- PITUITAS,-VOMITO,
DIGESTOES TARDIAS PENIVEI,
DYSENTERIAS
outras desordens da Digestdo.
0so AS rFORSAS M
ELIXIR ..... de Pepsina
VINHO ...... de Pepsina
I1LULAS ... de Pepsina
P8....... de Pepsina i
Pass, Hom-BooumAT, 7,tAi~ld


JU -i t.l- tmm
* A-ntsd ebithcygmejruic L~


0 mTemin A
-.00 *


!S.^ -- -,,- =4S,* _.. a. All. r...;... ~," ._*
I .' -.' .__- -
t 41 It .. ,t


Da. Co APA-ILOJ:S


Manoel Martins Fiuza


I

i












I-.


/ 4



*1*

i


i.

!. .. 3
f'--. -t-
i' ^ j.-


'^5


I --


1 IT- '.T&- I L 1 T T T A' 7 7
T,


an


-w i


ALAL&&


(... r i. -
I" ,,'*


=;nId


. J
/., q


."? .V


n *


4:.-. *, ... ,


- I. ', -...






























a prol
17C


4:006'000O
400:'000900


I h''T I
i BT',.. -.1


-I -' '


'p.'a,


F
fastaig


100:000$000
50:000$000
20:000$000

10:000000

1:000$000
Existem afida na !ja de joias do Julio Fuerstemberg alguns bilhetes A venda.
Quem for econormico e quizei fazer um mimo principesco deve comprar urn destes bi.
Ihetes.
Nio ha tempo a perder


Aos 1,000000000


It

-'I,




r1

?-










.4"'

.






7'''














'* .-7,;'
A




,;k


i



BEL -.d '












ilow










el
tn pug%
imS!




fM g




T


cooSE3



k-4 "C?




UMA
r^*\ )Bmail


rn U

e-U-
*- C:'

U 2" a
GO
'0 0
o *.*CJ M 5
C%.

CIS
^ei n
CA
00
I cz4 ) cu




cni

Sp 5 OS.. 5-


S C, 0 O to*'2
SC1 3 CISo







0 CL~


*^ c' o0
^ '0 0
(DA 0c 03 E ^^










*



CD 0
&U r e (D-gb-aI ^ ^




CZ r 0 0 05c ^^^




s_ 9I O C D






o ~ 00
I0 g 0 S
S-, w^ 0/ ^ ** ^M-B~af-











CQ CZ






6^ 'il Is) C ,)
,C- P.S- -V


















~ ~ ~ ~ i i;nS- ss.
co 0 > w 0 0
1 '^






5.., "S S.
~~ cc~o






0-2 3
C, '*3 r- 's^ca ^
*^ _.. CZS c z







rA 0 &0 "."3



.-at
Q0 c- MOcz .-



S-El cu cOd^ c

CL 0 =.


CD 0 ^ C


0
0

^

p=l







pa

f=^


z
I

I

I

i3


&











o




z


11 APO)LLO
LDADE NO GENEBO
irra"- & i *i'i i b- sm&* .^


- *4I


i:Jg


F ima __ .. IS tI se
. qu. t tW da
Owst lml _,_
6&M -aunfb 8 ia


"-wo "Aplca.o
Z oom ex ctldaomasdd-0
:0 & dMff arauafazs a etoten-,



.4os ".eta fazdesappa-.
r pp~aco- S as inoha6es parciaea
"F,- m 1raentom da uni-a; A finai'


sante o meihor rewedia, sempre qua for he4
-isario aco grnentad as ebOC.d .un1|ita.
camQ preporevwr.



0r s a go eolIP 1eura sopa pretenr di
0oC~l cnfhblfenea! faz desappa--

pa s aduwtos, e das do chb a aOes parcianeas
(K6tt, ,w dtMlentos da uriva; 6 final
mente o Welhor remedial, sempre quo for ne
Omsario augmentar a aemec&da urina.
Dmvs a custro so] %7,~htf sopa por dig
para. os adults, e das de chd para as criangasi
puro ou dissolvido em agua fria.
DiMte
Comidas poncoteesbW, abstanCabr-os vi.
nhos alcoolicos, do pimentas, e tudos os exci-
tantes.
Deposito creral


Pharmacia e drogaria, A rua larga o io Rs
o n. 54, Pernambuco.


SBARROS REGO
E ADVOGAD0.
E Mudou sua residencia e
Sescriptorio para a rua Estrei-
Sta do Rosario n. 43, 1 andar.


'p


letalhamento
Manoel de Moura Esteves estA retalhaddo
seu sitio corn a frente para os trilbos do Ar-
raial, corn tires casas de tIpa, duas cacimbas,
muito perto da estaclo da Magabeira de cima,
lugar muito saudavel e recreation, preno mui-
to commodo; trata-se na rua do Ipaerador n.
50, 10 e 31 audares e nos iias qantificados no
mesmo sitio.
Remessasu para Portugal

eilhas
Maia, Pacheco & (;., A rua do Commercio n.
40, fcilitam remessas de menores e maiores.
quantias para Lisboa, Porto e ilhas, e todas as
de mai& villas, aldetas, cidades ou dependen-
cias do remo.

Alhga-se
a casa n. 59, A rua dos Guararapes : a tratar
na rua do Commercio n. 34, 2 andar.

Advogados
Os bachareis Antonio 'Justino de Souza e
Pedro Affonso de Mello mudaram o seu es-
criptorib para a rua Duque de Caxias n. 61,
unde pode ser procurados tooos os dias uteis,
das 10 horas da manha &As 3 da tarde. __
Ama e criado)
Precisa-se olugar uma ama para cozinhar e
engomomar, e de urn criado para o serving do-
mestico : na rua de Hnrtas n. 15.
Tapipire
Fugigram do engenho Tapipire. da comar-
ca de IguarassO, na noite de 30 de dezembro
proximo passado, os seguintes escravos :
Gaspar, alto e secco do corpo. represent
45 A 50 ;nnos pouco mais ou menos, preto,
olhos grandes, pouca barba; este escravo foi
comprado em 1878, ao Sr. capitao Innocencio
Furtado de Mendonga, da Alag6a-Comprida
na Parahyba do norte, e e de presumir que
tenha seguido para alli, per ter irmios naquel-
le lugir: o outro de nome Vicente, conheci-
ado por Manoel Vicente, cabra, de 50 A 55 an-
nos de idade, barba branca, e as vezes costlu-
ma raspar. tendo os dous dedos grande dos
pes muito abertos, parecendo quasi aleijado;
este escravo foi comprado ao Sr. JosA de
Mello Azevedo, em poder de quern tern um fi-
Iho por nome Agripino', e que talvez fosse emr
procura desse filho.
Portanto pede-se as autoridades policies
ou aos Srs. capitRasdecampo a sua capture,
e d eLtregar no referido engenho, ou no Re-
cife ao Sr. Francisco Gomes de Araujo, rua
do Apollo n. 11, de quem serao generosamen-
te recompensados.

Ao Sr. Sabino
Pede-se ao Sr. Sabino Romao de Luna Frei-
re, que nos diga. onde se achaa n'esta cidade o
Sr. engenheiro Pedro Fornaghi, ou por esto
journal, ou na rua do Marquez de Olinda n. 43.
Caixeiro
Precisa-se de urp qienine de 12 A 14 annos
de idade: na rua Impecial n. 45.
1-5*O"
E' o aluguel do 10 adar da rma do Padre
Floriano n. 69, e 3$ do servijo de limpeza; a
tratar na Pracinha n. 22.
Arte de cot r vestidos
Cor o numero 49 dalfoddalIustrada chegou,
para a Livraria da Empreza LitterariaFlumi-
nense, um supplement de grande utilidade
domestica; costa de oito paginas, do mes-
mo format da Moda e contem tadas as indica-
g5es indispenmaveis para qualquer senhora
apprender a cortar os proprios vestidos.
Ensina concisa e claramente tambem a ma-
neira de fazer diversos trabalhos de agulha,
taes coma. frioleiras. crochet siannez, etc.,
etc.
DA-se gratis a Itodas as Exin.3' St." assig.
nantes e a qusm novamente assignar t~o util
journal, quo din a dia yai tomando as propor-
c5es necessanas a substituir os jornaes es-
trangeiros, tao difficeis de comprehender, nao
s6 pela diversidade de lingua, costo tambem
pela falta de explicacoes.
Resta poucas assignaturas para o cor-
rente anno.
2 C. rua do CabugA 2 C,
Aluga-se barato
Rua do Visconde de Goy/anna n. 79.
inua do t'oronel Suassuna n. 5.


Travesse do Cnmpello n.. 1.
Porto da MNdeira, rua da Aguasinha n. 7 (Be-
beribe) bomn sitid ; trata-se no largo do Cotpo
Santo n. 19,10 andar.


Bantas
Aluga-se por $W o3* *a n..
Barao da Victoria potr I'4 eas
Dias Csrdo a; e por ffe. no 1
da Palma; a tratar daes to i
da Pima ;iw ^'g1-fia
4iMv .f tIUZ1laHB.
i-i-fc--


I
21 4 rua do
n. F 6 A rua
da rua
t da taude.


Ss.


U



-~1 -.


0 mesmo abaixo assignado convida
aos possuidores a virem receber na
-conformidade do costurme, seri descon-
to algum.
Acham-se at venda os felizes bilhie-
tes garantidos da 48.' parte da Joteria a
beneficio do hospital Pedro II (97a), que
se extrahir4 sexta-feira 4 do corrente.
PREgOS
Bilhete inteiro 46000
Meio 25000
Quart .. 000oo
Em por9io de o O05#0O para

Bilhete inteiro 34500
Meio 15750
Quarto A875
Jodo Joaquim da Costa Leite.




Aos 4:000S000
BILHUITEi GAUAANTIDOS
A' RUA PRIMEIRO DE MARB (01-
TR'0A RUA DO.GESPO)N.23 E
CASAS O DOCO tIME.
0 abaixo assignaio, tendo vendi-
d nos sup afortunados bilhetes, 2
meios n. 3820 com a sorte de 4:000., 3
quartos Dn..3611 corn a sorte de 2005, o
inteiro n.3712 corn a sorte de 1000,
e outras sorts de 32S, 16S e 8#, da lo.-
teria (96.a), que pe acabou rie extrabir,
corfvida aos possuidores a virem re-
ceber, na contormidade do costume,
sem desconto algum.
Aeham-e, t, venda os seus asfortuna-
dos bilhetes garantidos da 48.a part das
loterias a bernficio do hospital Pedro
i. 9Wqev .&* "owa sexta-feif 4
d.o. 4"r9

T~h~ili~feNOW`B


'Os.,.


&QS :~OIOOO
0 abarxo assagnado vendeu entry.
a sus bhiintes garantidos daloteria
96a as sorte, 'de Ip05090 em quarto n.
W4^, e dour qufttos n&. 293, aldm
de outras de32, 16S e8MX..
Convida os possuidores a virem re-
ceber serm desconto algum.
0 mesmo abaixo assigiado tern ex-
posto a venda os seus felizes bilbetes
garantidos da loteria 97a, a beneficio do
hospital Pedro IT. que tern de extrahir-
se no dia sexta-feira 4 do fevereiro.
PREgOS


H1*ilie-. q tuo *i ,lp esttver .

tais grande loletib
qe soete- 2uIMl, de V d
0. dbgpi Wdo16



p e. p .I'o


h d rdeoae C 'ps. R 36 .
E', mi ei", da ceraf o I
Pois adevia vir, oun
E se mandasse .vtutlo quO motiva as
saudea4AJ 0 S.'. tim 4"do, uf.
adrna !Iara que se estera cuqondo
uma uot6 pata ser cantada, A 'aa a
qual logo seiA publicada.

Dentista
E. Epamfnondas RbdrIgues da
Silva, pharmaceutio, e dentist
pela fausplde do medicina do
mO de JatteiMa e suocesor de J.
IL Leroux, encarrega se de tria-
balhos dentarios, por pregos
commodos. Acha-se ai su ga-
binete das 9 e media As 4 horas
da tarde, At rua do Bardo da
Victoria n. 23, 1.0 andar.

Moveis
Compra-se. vende-se, aluga-se e troca-se
moveis novos e usados de todas as qualidades.
As compras effectuam-se de prompt a di-
nheiro A vista, qualquer que seja sua impor-
tancia.
Em todos as transac5es, sAo tomadas em
consideraCo as.nocessidades-doi Srs. preten-
dentes, que ericontrario maiores vantagens
do que em outra qualquer pajte.
ARMAZEM DE MQVEIS
(A' rue do Duque de Caxi3s n. 37)
Um m oleque
Quern Liver e quizer alugar urn moleque de
12 annos para o service domestic, dirija-se a
rua de llortas n. 15.

Fustoes brancos a

400 rs.
Na loja dos barateiros aa Boa-Vista vende-
se superiores fust5es brancos e c6r de perola,
proprio pdra vestidos e roupas de creancas.
pelo barato prego de 400 rs. o covado ; isto na
rua da Imperatriz n. 40, esquina do becco dos
Ferreiros.
Cozinheiro
Precisa-se de urn born cozinheiro, para casa
de familiar de duas pessoas : a tratar na fundi-
Qu de Gardoso & Irmdo n. 100 a4 104, rua do
Brum..
jacob
Fugio no dia 6 de dczembro proximo pas3-
do, da casa de winha mAi D. Cesaria Candida
Nobre de Gusmao, o escravo Jacob, preto,
alto, magro, do seivico de cdrmpo, e as vezes
bebe, muito coohecido eiB Jaboatlo; a pri-
meira vez que fugio foi preso adiante de Una,
onde ahi vivia cowo livre: quem o apprehen-
der, send em Uua, entregue. a meu irmalo ahi
estabelecido. Aquiline Francisco da Silva Gus-
mao ; em Jaboataio a minha mai, e nesta cida-
de ao abaixo issignao, que recompensard.
Maximino da Silva GusmAo.

Aluga se
a casa da rua do Viscoode de Goyanna n. 113,
a da rua de S. JoAo n. 83, e rua dos Pescado-
res n. 5: a tratar no caes do Apollo .n. 75.

Precisa-se -de urn criado para o service de
easa e loja: na rua Duque de Caxias n. 91,
prefere-se escravo.

COZINHEIR A
Na rua da Crioulas n. 1, Capunga, precisa-
se de urea que tenha quem Ibe abune a con-
ducta, paga-se bern.


CASA D2 OURw



Bilhetes garanlidos
Rua do Barao da Victoria n. 40
e casas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
entire os seus felizes bilhetes urn quarto
de n. 2,903 eomr- a sorte de 1006000,
aldm de outros prernios de 326000,
165000 e 8000.


Pare leccionar primneiras lettras
tres meninas, precisa-se de uwa
nho. na comarca de Bareiros :
esetiptonrio de Leal & Irmao, A rua
de Olinda n. 56, 1 andar.


e music a
para enge-
a trutar no
do Marqnez


VISO
-vjso
Aos devedores tie D. Luiza Francisca de
Souza, quo teve negocio de tazendas e rendas
nesta cidade, e falleciJa ha pouco, fica marca-
do o prazo de vinte dias para irem saldar os
seus debitos A rua da Palma n. 34, sob penn
de serem descriptos os seus nomes no respect.
tivo inventario, que tern d ser requerido pelo
abaixo assignado, procurador do testamentei-
ro. R.cife, 3 de fevereiro de 1881.
Joaquimn Canuto de Sant'Anna.
aixe iro
Precisa-se de um caixeiro de 16 a 20 annos
de idade, corn pratica de taverna : ra rua do
General Seara n. 31.
;.. $)'a

Prefere-se escrava, que seja boa cozinheira,
para nma familiar na Torre ; dirija-se d rua es
treita do Rosario n. 23.


t

Umbelina Zeferina de Souza
Frederico M. de Mello Tavares e AbdrAe J.
de Castro Tavares, ainda possuidos do mais
profilando sentiment pflo falleciment' da sun
presada prima, Umbelina Zeferina de Souza,
cnnvidam a todos os seus amigos a parents
da finada a assistirem una missa, que por al-
ma da mesa mandam resar no dia 5 do cor-
!entt, na itgrja da fSnta. Cruz. As 7 1/2 horns
ia manhA, trigesimo dia do seu fallecimento;
e desde jA so confessam summamente grates
a tldas as pessoas que comparecerem a este
actor de religiao e caridade.
Maria Rita da C. Neves, Affonso A. das Ne.
yes, Lydia das Ddrese Neves e ma is parents da
finada Maria 1. das Neves, agradecem do intimo
d'alma as pessoas que se dignaram acompanhar
A ultima morada os rests mortaes da mesma
flnada ; de novo rogam-lhes o favor de assisti-
rem as wissas do setimo dia. que se ho o de
celebrar na igreja da Madre de Deus, As 8
horas da manba do dia 8 do corrente.
,VSi.


0 abaixo assignado mAnda eelebrar missa-
por alm de seu irmao o major Domingos Soi
riano de Azevcdo e Silva, no din 5 do corrente
(sabbado), ads 7 horas, na matriz da Boa-Vista,
e As 6 /'2 na capeila de Joao de Barros; por
ctjo acto de4de j- se confessa grato.
"Pe-oaudiauo de Rtes e Silva.

Aa me ereio
0 abalfxo asigmad dedara pelo present
que Besta 4ata eomprou a o Sr. SebastiL6o Line
de Brito Vascoacellos o sen estabelecimento
de molhados sito A tua do Hopicio n. 34, livre
fmbua d. 4&t4& d o ae qualquer onus:
a ea~pj pnp dlesi ao mesmo,
~'&tA&s,- a con-
d o*de1881.


vbkwu2. Ioins-
a ddiaatos.

/.-X J tea4~ lia^i~e kVicto-
S.j.... a tdf, ..Oadak


I -
-~ -


-" .---- ~i -T- .T'^,r tij' : Llf if-'-'-
a alei i 6nnnILa t Jot 6 -L
grmtlfiinace IhBe..3'I egti~iO' W "
!v grp'reow d@eoft. '

Fez se vnteg -per -m-i
.gua e g z., e tqui ;al. qu ao I p l
cinco quartos intemios, pa .fjw
'Vista: quem a tiver dirtsja"-6 rta. B-
quezdo Olinda n. 25. 1t andar.
Casa para axosr
Na rum de Vidal do Negriros (pate doWt-
o), n. 30, corn armac&o para estabeleitWSO
commercial: a tratar na mesma ru a, l8s 2
andar.
SiWO plra ah ,:r
Corn boa casa e armazem. no largo dos Ra-
medior, defronito da igreja: A tratar corn o
commendador Barroca, em sna residetoia e
na Magdalena.

Hotel Central
Aluga-se corn us bilbares e mobil's, oN cada
andar em separado: d Lr;tar no progress do
pavimento terreo.
Criado
Precisa-se de urn para seiviqo do casa do
familiar : A tratar corn Manoel Gulmaries. no
escriptorio aos Srs. Maia, Pcheco & C.
A IA ..Na rua do Imperador n. 28araa-
AAtzem do Campos, precisa-se de uma
ama que saiba begin coziphar.

COIPRP S
AttenC7io
Compra-se os Diaries de Pernambuco ns. 122,
123, 147. 157, 458, 199, 225 a 251, 266, 272 e
276 do anno de 172, ns 2, 4, 6. 35, 46, 118,
119, 142,168, 169, 173. 175, '212, 215. 216, 223,
224, 240, 246, e 261 de 1873. ns. 3. 4, 49 a 73.
123 a 145, 264, 2(5, 266, 268, e 273 de 1874,
ns. 258, 259 e 276 de 1875, n. 145 de 1876, n.
242 de 1877, e berm assimrn os ns. 2, 3, 6, 8, 9.
10, 51. 52. 57, 62, 66. 75, 79, 95, 160 o 166 do
Jornal e o Tempo do anno de 1878, os ns. 147
e 217 de 1880; a tratar "na rua Velha n. 112,
das 4 boras da tarde em dianto.
:,p Faces g-i-raes
Compra-se apolices geraes: na rua do Born
Jesus n. 4:;, 10 andar.


VENDAS


Em porqAo de 100#000 para
cima
Bilhetes inteiros 3M500
Meios 15750
Quartos 5875
Antonio Augusto dos Santos Porto.
Ama de leite
Precisa-se deo uma, na rua das Flores, n. 3,
sobrado : paga-se bern.
'. n -



-- u .-, a" J I.T
PC



I> ^s ".I
r- Ec C a S
CU .






"a "-. o ^
- > ?:. 0.-- w t
PQ 7 S~cr, -
S- 0 "

0^ 2 |' 0. ^
1- | r- 0010

CC c -. c. r .P .

P wo ess a
4a = 0 C>. (Z

j cc~c N Wc o
E N 00
0 0a

0 :n



'0 to 02 0 pm"

^ E4E0 0c o 00 o_
00 0 I D

- -
-co r2 Ci *z
40 c0 0


*~f. C3 -a ccso~
'. M f- :z CU

a < 0'3 ct 'I'S
con CDD


0 0-O



Professor


Piano
Vende-se barato um piano de mesa, enm per-
feito estado, prodrio para aprender: A ver e
tratar -- estrm da do Pombal case n. 18.
Borracha p: r limas
de superior qualidade; vendem Rodrigues de
Faria & C., A rua de Mariz' e BDrrus n. 411, es-
quina da rua do Amorim.
Papel de impression
Formatos do'Diariode Pernambuco eO do J0r,
nal do BRecife, verdem Rodrigunes de Faria &
C,, rua da lfriz e Barros o. 11, esquina da
xua Io Ammorim,,


Superior borracha para
limas
No escriptorio de Doraingos Alves Matheus.
A rua do Vigario n. 7, tern para vender iorttw
cha para limas, de superior qualidade, che-
gada no ultimo vapor.
Vende-se
uma taverninha defronte da estagao do Porto
da Madeimra, propria para principiante, qbe.
dlsponba d6 pouco capital; a tratar, na mes;
ma taverna.
Vendese a oasa da r.u, Duque de Cx
n. 11$;. a- arwconm Damitob Perira Santos, a
runa do Piayaaadi n. 53, Ps m. -



A& ma,
M N,'M-.VI
'.-^ W .yf ,F. 7,.jy.
1.,^"l^ ,ri m wu .- :^


.... .
. -, ,.* / ""
.
S.' "


- p.- -. ''
'I '
I


. .. "' ...'..
- a..--


Bilbetes inteiros
Meios
Quartos


45000
25000
15000


I
I.


N


*J


*';., '3


f


-.^^*^a%? ':
*'*^aA&J.jHBk.''.


*IT-1
&-"


Carrinho para crianpa
Vende-se uma victoria nova paraum camei-
ro: A tratar A rua Marquez do Herval n. 113,
lo andar.
SVacca de leite
Vende-se uma, mouito boa leiteira, e panrida
de poucas semanas : para vyr e tratar na Mag-
dalena, sitio do commendador Barroca.
Melro e canario
Vende-se um e um canariu do imperio, per-
feitos cantadores : na rua das Laranjeiras n. 2.

Tabares de Mello, genr

ft Companhia
Praca do Corpo Santo n. 15, 2a
andar, vendean a prazo on a
dinheiro comn deseento
Cal nova de Lisbon.
Oleo de mnocot6.
Potassa da Russia.
Enxadas do Porto.
Esu.umadeiras e passadeiras.
Formas de ferro para assucar.
Vende-so barato a mais antia e muit-o
afreguezada taverna, no melhor ponto do Bar
ro. corn poucos funds, boa para principiante;
a tratar na rua Direita de Afogados n. 66 A, o
m6tivo da venda se dira ao pretendente.
-. Vende-se o esiabelecimento de molbados
qito d rua do Livramento n. 31 ; a tratar corn 0
respective propri-tario.
Vende-se a casa da rua -uque de Caxias
n. 113: a tratar cow Damiao Pereira dos San-
tos, rua do Paysandi n. 23, Passagem.
Vinho superior do
Douro
Em pipas, barris de 5 e 10Q: vendern Cor-
reia & C. Succ-ssores, A rua do aImperador nu
mero 46.

Sellins inglezes
Domingos Jose Ferreira & C., A rua d9 Barao
da Victoria n. 1, esquina da run das Trinchei-
ras, tern para vender umrn grande sortimento
de selling e silhoes inglezes e arreios; bern
como colxoes e travesseiros, tudo bowa e ba-
rato.
0 BEIJA-FLOR
SLste sympathico estabelecimento recebeu
agora bonitas las para vestidos,, petit-pris,
em chitis, lindos padres a Pompadour, Ie.
ques chinezes, flchus de seda, delay, phanta-
sin e gosto, cretones, popelines, et3., etc. :
0 Beija-Flor 6 pequeno, mas tern sempre
sortimentos escolhidosp ra mnimosear os seas
freguezes, por pregos razoaveis.
2 D-RUA DO CABUGA-2 D
JA J bastante conhecida a lojinha do Beija
Flor, do
Augusto Flgueira & C.


- ;Nq











w<'p


j it? i'
A. ,


=.
JA .


0 COVADO
Pechinchal
Gretones lisos de todas as c6res a 380 o co-
vado: 6 pechincha S6 o 43 da rua do Quei.
made.
Madapolao francez a 3S00 a peca.
Batistes de cOres finas a 20D) reis o covado.
Voeham a pechincha.
Na'iposa arrendada, pad roes lisos, a 240 o
ovado S6 o n. 43 da rua Duque de Caxias
n. 43. DAo amostras cornm penhor.

Grande pechincha para
principiar o anno
DE
Na loja dos Barateiros da Boa-Vista,
d rua da lmperatriz n. 40
A SABER:
Acs oito mil oovados de gorgo-
rAo para vestidos a 320 r6is
Vende-se urn grande sortimento dos mais
bohitos gorgories corn delicadissimas cores
para vestidos, sando fazenda de alta phanta-
sia e de tuito boa qualidade, coin padres
miudinbos e muito modernos, pelo baratisj.
me preeo de 320 r6is o covado, isto devido a
ter-se foito uma grand compra d'esta bonita
fagenda. S6 na rua da ImpEratriz n. 40, esqui-
na do becco dos Ferreiros.
ALTAS NOVIDADES EM CASIMIRAS
a 25 o covapo, ou a 35500 o c6rte.
86 os Baratoiros di Boa-Vista p6dem venr-
der casimiras de duas larguras corn as cores
claras e escuras, send fazenda fira e de rutn-
to boils goats, proriaes pars calcas, paletots
e Ofeltetes, assim come pare roupas do meni-
nos, pelo baratissimo.preoo de 2S o covado ou
31500 o cofte de calCa : este diminuto pTevo
podr quo sevehde, 6 didbO a ter-se feito g'rah-
doe dew~ra d'eute Sarttg, quo so vende muto.
eais bureto do que em outrta qualquer part ;
na rua da Imperatriz t. 40, esquink do becco
doe Ferreiros.
Novos linhos paYa veit'ios, a 106 Wis
o covaco
Na loja do Blrate'Wos 'ah dw-.sta ,eWe-
se ufia grande quaitQfwe 'e n6vos liMAWb
de unma s6 M6r para vestidos, tende de todes
as e6res, cjarass e escures tambem de listri-
nhas, que se liquidam a 160 reis o covado,
aSim comeo urn mleganle soiAThentb dab k V*ib
ibbitak baptites dore core*, adrbes ovos e
cores fixas ; isto na rus dafmperatriz n. 40,
esquina do beeco dos Ferreiros.
Cretones e chitas para vestidos, a 200,
240 e 280
Os Barateiros da Boa-Vista vendem cAitas
claras e escuras de cores send fazenda mui-
to boa, covado a 200 r6is.
Ditas escuras e claras corn as c6re's fixfas,
a'20.
Crtdnes muito finas para vestldos, 6ores
claras e escaras, coam pt"ueno toque de mofo,
a 280.
Cretone vordadeiro, cornm delicadbs gosto$ a
Potiprdour, tnd'o dar'o6 e tscuros, a 9W0.
Peroa*es brmncfs. padrOeb UmiudinhoA e
Mres fixes pars vestiges e repes de orimuas

Grande pechincha!
Othn1la

Aluni-se uma casa part pequena famlia, na
raa de'8. Francisco n. 2, tledb excebllent6 Siata
e ihito petto dos banho 6i kidbs ; a thats
na Tia do Barlo da Victotia N. 0.

Vinhos Bopdeaux
Os bNielhoibs e inais afanradok dtM6 hoje os
fhas egulontbs marcas:
S. Estephe.
Chateau Moot- Rose.
Pontet canet.
Unicos agents
MAIA PACHEICO & COMPANHIA




a que de ax



Cfinhtas eos a ifl rle-a' cotado. -
l 0.



peca.
Fusf'o branco 1para rvcstflos a 50Oe'is o oo-


valo.. .,
Mv plieO. brana a a80 r6is o covado.
Barstles Tfsas'a 30 rels o nbtro, grande V*a-
riedade de padres.
BabtfUs mindinhas a 200 tris o covado
r.(tbs 'de casimira muito grandes a 35 cads


uM.
Ditos frocados a Poimpadour
o4U


a f'ftda *.


iM 'is o6ies, 'atrm cMo" fl49
a ffilSBta.


.L.


.* ', o ,J l ip, .p ,

twi, como se o fizerem bert, 6 btt-
f&'*tiodwr6 j m b4n ce (*M s,
6. a Ymawo womparih.ttos 'H.S
'odte p af so alria x '
a frawcou So3me
Vende-se em grosso e aretalto, coni
o dtdviao deseontdo -o tO a 1'5lyo.
'N. B.-E' mito preiso explica5aes
sos portadores, pars melhor acertaretm,'
qe esta tiuttra se vende s6 na rma do
Mrquez de Ofinda n. 21, 1.e andar,
rao sedo Id comprada, falsa.
(SALAO DE CABF.Il V.RMO.l
E' vantajoso
Vende-se a olaria coam casa de sobrado, vi-
veiros e bkstante terreno para cr Ao de ani-
maes, no lugar denominadolLucaw. qclu iBre.
tender, dirija-se 4 rua Imperial n. 238, eu na
Passage, taverna do Beato, quae so dard'in-
formaCbes.

Cretones lisos a 280


nid.
PNlseiras pretas con enfeites de Cel-
ataid
Ditas & itritaeo de tartaruga.
Ditas pretas, grand variedade.
Espartighoa, cinuira regente, os mais
altegates at6 hoje cohnbecidos.
Espartilhos ooaraga e outras quali-
tades.
Pefumnarins dos melbores fabricantes
legAs e francezes.
CairMhas com perfumarias proprias
tara preentes.
OGwarnigdeS de pentes a imitaVie de
artaruga, para coc6 e marrafa, gostos
So2detflos.
Capellas corn vYe para neivas.
Retis de fl e de lartmteikas pera
'estidos de t riva.
Lequet de owe e seda, brafeos, paft
,Iots.
Dito 6 td re b pfeto, ton plutmes
Bolas dc% f htt hi yara tetles.
PhtM de Cetleli t ra kegio de'ta-
oellos.
')8UO8.
Bordados etn cbainbtala Victotia e
hsr~ntriete, gtftttt fbiattlMift~b.
Bd 0 ttW IZtao0 e pra tft s paka
*swsaos.
opttet- imitaco dO6 c abtlio.
Vaitfd de bbanetas pf tmenfnow
S21 4tk dt *ftfb da 1i tgft
affocmas pra bois
#e'nde.-e tes ctarrbas phra bois, ptprias
para carregar assucar: f vi t tta cocldfra da
loatfotsra e trtar ib pateo do LiAammeMt n.
6, to and*.

Coira a osse
,* bl tbotoi~al Jrtle
WO_ rco leotet amtioM pel6 tfaselbt
de state pubIIt Od5i Peat1ttl esalado e ap-
provado we hopitaes. G adA fresco esti
acompaohado de a i impresso corn as obser-
va$s"dos prrncipsas f'idicos de Lfsbba tore-
6bnbtira pB 06nstne dtb B teBk
Path&ra a debilnde

pharmacia France
R9fW lftid&6com preMlose ail ent e repa-
rader e bteeUente tonieo reeonstKtintet esta
farinha, a unica legalmente eautorisada e privi.
legida em Portugal, onde f de d 1O 4uasi gtal
ha ftiitt ahndb, VIfta- e 6 '6, dI taco-
MeodMb litoVeft'% ak MM6as debeiB, ae N ie
padecem do peito, em convalescentes de quaes-
quers dsOeNa w 'aeia6 ameml eseiSOem
-geral nse que caroeMA do eforoas so orga-
nisjpo,
Uiaico 4posito em Prnambuco, A
rut ado lariquez de Olda n. 23, pha-
macia de Francisco embfl ,a SfiNta
i-C ........ ...... .... ......... .......


Merin eaplmaW
40a jiOW reis
Os Banateiros 4a Boa-Vista Veodtd
MERINOS a 50 r6is. Bonltos Ac I '
.Whia< 6 d, rf t-ra -t4 wleaa-phan-
tala, aa500W rs o covfe.
ALPACAS 400 r6is.-Bonitau sipwes deo uma
s6 cOr, tenodo e todp a t'bre e as
mais bonitas 4e etf viffdo so mer-
cado, d 400 rdis o 6tVldo.
FUSTOES a 640 r6is.-Bomis uBtets d4e uma
s,6 cr, tendo de todas as cores e
brancas.l 640 res o covado.
CAWbRAIAs a S 0,,-Cafittr&1as 6 Vrctoria,
fazenda muioblia, a 8S, 800.e 40
.altnaals fits que veems ao ner-
cado, per prego berate.
DITAS tapsarentes-faz nlaIte ftta, de
IN0 as fto'tes 4e'veem ao
mercado.
ofte *a -tn da, imestuiz n44O.
J.J-&"&1<*U&** ,, *,&jL f-iu


Peehin*'.
A nova loja t do Aze-
.etoo, refaw c I ruta (do Bo r& da VatdOria
J'a. c 9, f oa cebr' os 4W~ft U'dego. :
*UftB"ia M,- qie *t6<.,hojetrndoeos
i~mi~mia~mN,"~v g,bojo, tout -ind. a.,
mercado, e os esta irenddo pornmuito-cm-
I Boo preo; fit {tes cfae o0cbmkid ,
a*4ig M~.4Eafi me dhX~rtta~tricom
&4lef^tf~lw.l^ v95ft


r.- I ,-


-v -t r. IF -


'0eEi# IIssqi~i

~ r6pI~sa~.Th~


1 I...:
ksk, a
tE IwOpqCIbl5 b
11 VW6. *


s* Pompadour para Uinfsla 32'3 f
m M.ibCtedo.b
Vi .al~ 4tMOONS% dlo t. ~m %a

, .-re W ~~ aU,e 3q e 4|
Nabaja d.
Fragata Amazonas
Raua do Dug" de 'C4xis numemt 47.


*'?E5Mij~8*bse fialt
g k 1* .g mm mma e'faa
5
AH lowefgif eaDa u




FWa'ujas de d, padres moaempsa
I.du. nfqfflffom.MB xZ


i ijt-tI .i seda,.o ,a." ha de
a QpradO gote e d o cres as mais
ipropriadas para fazendas, boje mais
im moda.
Frajas, de seda preta, o que ha de
nelior aeste genera. t
Framjas de seda do varias cOpes.
Bico de Guipeur, branco.e preto.
Bico de seda, preto e branch.
Dito de li, pretocom e seor vidrilbo.
Ftas de gorgoarfao de todas as largo.-
as e e do cem espcises.
SFitas de sanrja, voludo, escocezas e de
itim, yrmae variedade,
Luvas de pellica, de cores, brancas e
pretas, pra homes e senhoras.
Chapeozinhos, toucas e sapatinbos de
ietim e merino, bordados,o que ha de
-"ais gosto para baptisados.
Floresartificiaes, escolbido e variado
;artimento.
Plumes de todas as c6res para cha.
9600.
GoHllarinhos, punhoF e lengos pars
omens.
Gollinhas bordadas para senhoras.
Collarinhos e punhds ,' dos e lisos
ira senhoras.
Porta-cauda de ve.
Preparos para flores
Mignardize para trabaio de crochet.
Guarnig6es de tres pontes, de Cellu-
Ad, para coc6 e marrafa.
Brimcos, pulseiras, cagoletas, cintos e
setinhas-de tarracha; tude de Celli-


vado.
Mariposas brancas srrendadas a 400 rs. o
covado.
Popelinas brancas de seda para as Exmas.
neivas a 800 rs. o c uvado !
Alpacas de seda de coaes, uiWas, a 480 e 560
rs. o covado.
GorgorOes de lM, lisos, a 360 rs. o covado!
Atoalhado bronco bordado a 1(500 o metro!
ColchaS de cores de fustlo, francezas, a
25800:
Cortinados ricamente bordados a 105 o par!
sao de 185.
Espartilhos de courage, superiores, a685!
E muitos outros artigos per precos menos
-80 0/0 que em outra part.

Si'0 59
A* rua Duque Je Caxias n. 59, per baixo do
bilhar, loja de Carneiro da Gunha & C.


BAZAR VICTORIA
I-RTTA "DO IARAO DA VICTORTA M__T


-Neste estabeleciWento encontrara o respeLi-
tavel public o qeguinte :
MALAS de madeira, de couro e do tapetes,
grandes e menores, para viagem.
CHiCOTES de baleia corn castlo de marfirw
e de osso.
LUVAS de oamurga, de 11 e de fio da Es.
cossia.
ESTAMPAS de cidades, montanhas, etc.:
etc., e sacras.
QU&DROS dourados para or mesmos.
LINDAS BANDEJAS DE METAL e de cha-
rAio.
PINGENTES de.vidro lapidado pat'a cande-
labro.
COMPLETE SORTIMENTO de jarros do co-
res, brancos, grandes e pequenos, proprios
para santuario e toilette.
CADEIRAS de vime pars criangas, cadeiras
de balance e para mesa.
EELEGANTES ESPELHOS Corn molduras dou-
redas pars sasio, peqsenoe, corn 2 e3 vidros,
mondura de metal, para pentear-se, etc., etc., e
pequenos corn augmenito para banca.
Vende-se na rua Nova h. 2.
Amaral, Nabuco & C.
vexd'h por reos eohmoios osB Beguint*s
grti=os doe o a e .1hantasta "
UVAS DE PELL ,A brancas e de cores
p'ftas. pars bbtens e 0tflhorts.
LINDuS RAMO8 fe ;toree poem cabea6 e es.
fedtes de vestide.
MIIAS FIO DAKSCO-SIA, de oindes c6res
para sdnboras.
ENFIADOMES DE ALODDKO, de linho e de
sed, tOaratobrMhoB.
&TACADORES DE AO para espartilhos.
BOTOES DE LOUQA, osso, madeira madre-
perola, metal messa e seda, pretos, brTancos,
e de cores, a Pompadour.
VESDIDINHOS e VESTAURIOS completes
para baptisados.
BERQO DE PALHA, e de madeira.
FIO DE LA K SEDA. a Pompadour, para
bo0dar e urn HndO sottitento de aixlnhas e
objetto pftra preseftes.
VENDE-.SE NA RUA DO BARBXO DA VIC-
TORIA-N. .




FArifL XMCICtWOS
Rua do kta*ts da Vtodifa n. 39,
aMtiOg rua "OUV
6rhudes-variato sertimetb a artiges pa-
ra fumantes.
Bolgas, cachimbbs, pokiteirab, porta-tdgaV
roS, chaiteira, porta-phosphcrot. linde U- w
tm pata ftwo, 16 gam wam 'oacai auI.
Charates de Haven, BBahia e Penmkbuoa-
DOS.
Cigatros de palha, semod 6 naho, fabrfcalosi
om es telhoftes tuasa e seMotMpoio, Gas
trds wIlf, Omton ePollOWx, Vesokas,
Pegasos e S pars Mim.
Pennb um lau poisklae fis4gaih* PkAnie
Goyaz, Rio.-R e, PicFA Poimbs, .GapAnhn e
o verdadeiro fume caporal da Balla.
Caporal francez em paCotes de SO0 te 0
graMias.
qt para cigarros, Bardou, Sans Hemde
tbXsimpeli, Abadie e a ieolalldade s .uplMa&
para cigarto.
Phbosphoros de cerea e os verdadelres "IokI-
pingI.
#*l* Itl ,e itMneiida de UtiMS
pam lta te"Wi
.' t.ft!i?..a M i,^t~ll t '


S6m te o11 d f9 ra quG do'
Caalas
Casemiras para veostidos, fazenda superior,
lindos padroeb,.'a OT vs. o roadO!
, BnBM'Ia Iftawoetes, faezenda inliramen-
to nova, a 700 rs. o covado !
..Crotonesmodernos, a 280 rs. o ditor
',Natsks flmlssimas, lindas c6res, a 2200
SPeas deoWMIdapoleo .ez, Boo, 4jardes,
a 415M01
Cortes 4do csemiras fiAas, a S9%200e 000.
A nas!
Ditas em ,ea diagonal, pa *t2W0 eaS00
't*adoa! I
..FlafelA iglezfa. .propfta ,para patitots, a.
l = .o dito! I
Brim pardo ehcorpado, para roupmasi der t me-
moo.
0ito Ade .c6res, a 400 rs. o cova, aWor
verb i!
V Dito branco exposigaoe superior, a i&0 a
vara I
ImportantS6tWmtait dGm tideape luteWIu

J a.j1" ,
Wws I a;guaa
M go


dboa'
apll ?I-


ilra T5f906E
,betlof; ofterta
o


jw) A fits, .e, d e eagcri e
gOT ao, fm~do ei Taloftt feltos
aS is tetita. doe crs, .df torta-
ftosa at W', seiq tdfo #a ^SI0.
IUB i e alpaca pretae de 3 t6'760O-
thmisas toibdernan, rnm petto de at-
gtablimitanab linho, a 25 a 2*500.
vitas mtDerdas, corn peito de linho,
C 'eroutlas tie greguela, fazenma mnito
ro pada e imdito been feitas a 18200
e IM .
B3ilns pardps a 320 rs.
Na rua da Tmperatrlz loja n. 40, es-
qui'aa do 'Beeco dos erreiros, vende-so
brings, pardo liso, para rotpa de ho-
mefns e meninihos pelo barato prego de
do 320 rs, o covado, por ter um leave
toque de mofo, que larga logo que se
laye.

PORNMAS PARA ASL

SUCAB


Novo


systemna


do for-I


mas amcricanas para &s-
-mcar, feilas de madeira:


amnostras no escriplorio (eI


I~aLLz~r'
I


N.o la" do -'.I 7 N4-b 1
foo^t deslWbrits
Teem pars !iier0. por pregos miodlaes, ass sagutesLersgeas:
Tachas fundTi&las e baidas.
Crivag6es de diversos tamanbos.
Rodas de espora idem idem.
Dtas angDalires idem idem.
Alambiques ae Tsrro fundido.
varanaas de ferro batido.
Oitas de dito.fnndido, de linA4os models.
Portas de tornaTha. .
Bancos de ferro corn serra circuhr.
Gradearmento para jardimn.'
Vapores de forga de 3 1 6 cavallos.
Moendas de 10 a 40 pollegadas de panadura,
Rodas d'agua, systems Leandro.
Enoarregam-se de qualquer concerto, assent. : icniusm e e
a qualqaer trabalho corn perfeigao e presto.


BuAI i .ti


&c.if


GRANDE


GIIArE LOTERIA E I


& C -- f. -..
Zaundors Broihers & C., .s S 10- AL
praV. do Corpo Santo n. 1,U9
It, primeiro andar Vende-se bilhetes,
ao,., "i des e pequenas porcoes

Ra 43 BO0U RG.
Rua Duque de Caxiasm s
Cambraia Victoria para 38 a pega. _Tambem s icha]


u.'-u" uuuarnaa cm aOOcULU pI-LU oa O ars.
o covado.
Cbitasouras a 20)0 rAis o covado.
ILenCebranoos abainhados a 15600 a duzia.
Ditos corn barras a 21&00 tambem a duzia.
Algodlo #a Bahia para saccos a 320 e 34C
reis o metro.
Brim prete para luto a 0O0 r6is o metro.
Geroulas de brawnnte a 18200 'sida ura. E'
pechincha.
FustOes a 4a00 rs. o co-

fado
Rua do Queimado n. 43
Venhar a elles
FustLes branco e de cores, proprios para
vestidos de senhors e meninos, polo preCo de
400 rs. o covado, valem 7N0 rs.; vende-se pars
liquidar faetura.
Baptistes lisas
corn grande variedades de cores, a 200 rs. o
covatio.
Cretones lios
corn variedades de cotes, 6 pechineba, a 280
re. o eovado.
S60o43
Pefrte (t a pta da Ivdependenela

Roul por medida
N'este es tab ieaet takmbem e manda'
fazer quaesqnet pe a* de obras, eoao sejam :
erefs., fraquea, eloa e colletes, i venbade
dos freguems, e istbe por peeves mifto razeoa-
veis ; e para este fim encontrarAo urn magni-
fioo sortimento de ponuos fines pretos, e ea-
sltalras tanto pretas tomo do cores, sendo
ft'acezes e inglezas, assim come grade sor-
timante de merin6s pratos e outtas fazendas
para lute, e manda-se fazer qualquer ehcom-
menda corn a maior prompUdlo, responsabi-
lIsando-se os propliobrios dA te estabekei.
mrotS pela boa execote de sea trabaltWe,
isto 6 rte da Imosratriz n. 40, esqmina 40 bee-
ce ds Ferreires, loja de
AIher & Silva

AGUA FIGARO
mbl vvl pwa resttuir ane a-
b.aes grisalhes a cer natram
da juventude, garantindo-se
Ssem perigo : para per si pro-
pfa Uigir instaakaeamemte os
= s ebarjbs.
pf IMUNICO D P OSITO
&ota Franceza e Droyg.
nria-A. Caors
RECIFE
an do earn Jesus n, I, dfruote do chafarii.
J,.-

Os barateiroa da. oa-Vismta venfet
umn grande sortimento de fazendas
brancas, por prego muito em conta:
'a RpoW-VPicas fle uIap e frnOOez)
na6ltol eft 123rdMcaS:j
Dito francez, m Aldildart % onOvaras i
45500, 5000. e0000.
Algodlo Inlesta4o, corn O paltmos de largu-
ra, PT opt pra'pM. metro a 00'-rs.
Bite eiMca~odo tuilto sne6ipa6o, oem 8
pahlmoeMAlrgura,pai taloalhaes e.1e36es, me-
trqa. IglO.
Gfioela, fazenda branca muito oncorpada,
pwra Eoesa e ceroulas, send a peca morn 0
v"w, pfr 41.wi a vm a M00o.
.t 4efdf4gto o* 6 lwguif, pTO-
Pie para Ian'4es, o maato. a 4 S .
Diro de linho comrn a momaS largura, a UXXO,
' Atsalbtie.4upesior althado orn8 lmlma
do laruna, 9-4lo cor e lavorMDn alow4*,,v
aetro a t/800.
'Dit6 de linbo adamascado, corm a mesma
agirra,. iaetro -a ^rS.
-Pateos 4a Cosa listrudes 0 de quadres,
ewiss jara ob~rp-eza doe jaatar, *ooi~4o 'a
tGuardaDqoos de linho, Lasenda muitoehoa,
dttziaa 5|Dd&.
Isto na-'trs da uaettiL nu4,0, e.i-
na

o0 Bazar Vietoamamkaide xvbwenRur*.
pa, n iwieiM tWQ do mamnmia-.
ues, ,,IelbXoae. a B. m.w oams, J)irIcIIe
pr.etas, feoIbs deui, mulheres, lowtaiue,
moaos, velbHms, erletoe sot e idiveI5 itE-
oaes. *
Oslpsmt~e jfa an& e~uvps 4sf~a
cftowa 0006om 4114eg #a.
Frabljem, trauge; 11 -l i 1 Aibele'i-
d.s e pratade, au au v j^.
tfmi s tyji^o ^^g^ *ail.. .. or~


grande loteria da corte.


):000:000


xecutash


CORTE


~PiUL9


meios e quartos, em gran-


ARD C.
nm a venda os bilhetes da


ntenio Pedro de Souma Sarems & ., vendem machines de costura de te
des os systems e de todos os tafrnabos, desde o prego de 144000 a 1105000, .
em porgieo fazenm desconto oonforme a quantidade; teem sempre especialidads.
no so6 em machines de costura comaoe de pregufare de tiotar.-fazr meias.
No mesmo estabelecimento ensina-se a coser, e concerta-se qualquer ma.
china, paa o quo ten bern m ontada a ofirina


CUAI-ST TMEILA


Ete cognac, hoje sem compelidor pelo .eu nimio prego e superior quali
dade, e que obteve por isto os primeiros premios na grande exposipao universe,
de Paris 6 hoje o mais pnocurado, sAo s6 potr sua SUPERIOR QUALIDADE E
PRE(0 BAIXO come parque cada garraf de litro comporta assim garrafa e
meia. de kiguide, e o torn po iso mtnito larato para os SHIP-CHANDLRES,
HOTEIS, RESTAURANTS E VEWDAS A VAREJO.
UniOes agents does enacs Muller Fdres
MAIA PACfO & C.
40-RUA DO COMMftCIO-40
Todas as garrafas trazem os rotnlos corn esta decIaradio
Caueia .com talMfiriaboes
0 unice vermdeiae eognac 'Muller F6res aqui importado pelos
agentes--MJAA PAEliCO d& C.-Raa do Gomnmroio n. 40.
As caixas representamn em marca de logo deseoaho do palacio Trocader
am Pas.o As onps sI, rothas e'oarmfas sao todas authenticada s corn a firm
i-MUf6ERm O SL..
CAUTELLA COM AS FALSHFICAVOXS


ESPE. Alk Lw ALAD E
DE,
BA1ITImOMEU &a C.
Pharmaoeutioos premnlados em diversas exposivase
Nao olbando s6meate ds especulagdes, destinamos parte de nossos estu
4os e observa.9es a descoberta de composigoes corn medicamentos novos, o
eom os poucos, on aminda no expenrimw.caos, para procurarmos obter acurk
ou ao mhencs lma sensivel modific4io, 4.a march dos terriveis padecimeto
ue afigerm a humanidade. c que atW hoje teem zombado dos meibs conhecid
a medicine. .:
...As melestias dus pulmdes, e dos demais prgaos da respira5o, c ,O1era-
das das mais graves por suas funestaM conse, pe~cias, e que infeBin ep e, sam
qua se cnheiga a causa, tanto se vai desenvolvendo entire n, nDOS tern. mree.
cido principal attenglo, e temos a elias dispensado as maisaturiads inquirigZes
Acbamose -de formular urn preparado de mui .&gra4avel gosto, e portanto
de facil a plicaIo a todas as pess6as, qualquer que eja Seu seX9 e idade, quo
expomoswao publico sob o noptne-2-ra sedativ peitral ,antiastwmatico ;-que
seido umn comiosto priBCip'lmente ie bases vegetaes, produz effeitos clmantes
iimediat9, smr cdmter -mener quauidAe de opio e seaus compostos, ou os
entUcot,:!, ISo pe .ifdsa-a.lbHcao, A
i'0 M ir ww 9Orwal &-OPatico tem as precisas proprisdades
padebenar pi as aifecos da garganta, do peito, e mesmo d e.-
t. -&a. ,;Gemq Ace, em..ue oj tern sido .bastajita experimeita..
%MQs m ais atisfactorios resuitados.
59MOR-'btitd cowo verdadeiro e09 n",%nipaq.
_os catarrhosos, e todos 0s mais ao I ,^rl
tamos preprados AoNs osm ,
Stap, e agora formal os mais sw"u
-, a.c~mtliaoco amo *ta "a


*


LOTE1RA


1 ,5MO:o499OOO


A,
'A
~4.


V9


I,. ;
-.( 'ii


e1
:. I '
a-.. t ,


I'


, ', ,
ad; .

"-f !-'*


-.I-



4....
.........






i"* '
*'"-' ,


1~


i"T








-t.


t..




o ,



,..? ,


I


t .


|


*'* -flB. JBj .jj


0 .59 da rue buoue -de
Riquissimos fichus do I a 3J000! 6 bara-
tissimo.
Magnificos bornus de l e seda a A!
Pamnes de oarecbet ptav oadeta a IS!
Ditos grades pars soa a 83 aproveitem.
Gramadimes de seda, finoas, corn pequeno
;efeito a 320 rs. o covado! fazenda que casta
p 000'!
Fast5es bordadoe, brancos, a 500 rs. oco-


DAr


I


;vew-


L-<<,.. ^


-" :'-" ,' : '' "
, .. ... '*


timll


" r w -,t


p. ,; -
** { ^ r'.. ^ .


I


6.















E Ua0e.q........ ..que os altos
empregadec da .do n que os
fudoaoariit do turm, uwem qpe as
dloses citificas das.:diveras erdens,
simplomeate per exeroerem uma peque-
na fngcao no fstado, venham auxiliary
corn sua sciencia e suas altas luzes a for-
mago da lei, que rande norma que ha
de roger todas as re=e juridicas..
Mas quer-se difficultar o progress do
imperio, pondo-lhe todos os obstaculos
imaginarios, que nio so umea realidade.
Cita o quo tern occorrido na Ipglaterra,
desde o seculo XVII, e declara que os que
sustentam o artigo em discussion sao ar-
chitectos de ruinas, devendo ser conside-
rados como takes.
0 orador desenvolve extensamente o
que pensa aierca das incompatibilidades
temporarias e as absolutas.
Tratando da emeoda do nobre senador
pelo Maranhao, que amnplia um pouco
o pensamento da commission, levando a
probibioio do exercicio da funcClo publi-
ca durante todo o period da legislature
em vez de cessar temporariamente o exer-
cicio do emprego emquanto durar a sessIo
legislative, nio vY a necessidade disso; en-
tretanto, a idea 6 muito defensavel, e tern
side adoptada em differences paizes.
Nio estaria long de fazer uma excep-
C.Io aos seus principios para adoptar uma
outra incompatibilidade para o exercicio
da funcio; mas simplesmente afastando,
a simultaneidade do exercicio, e mais nada,
No v6 nisto autagonismo, nem inconve-
niente de nenhum genoro, porque na re-
presentaeao national dove querer-se cida-
dios de todas as diversas classes e profis-
soes para a deliberago e boa formagio
da lei, e porque nio se ha de querer tam-
bemrn que os cidadios, depois de prestarem
esse service A naco, voltando aos sonus
districts e provincias, vio exercer os seus
empregos? Porque vedar-se que o func-
cionario public, uma vez que nio per-
manece no exercicio do seu cargo, volto
ao sen lugar depois de preenchido o man-
date ?
Tem-se de fazer lois para as diversas
classes, para os diversos interesses so-
ciaes; e si.actualmente nio estlo repre-
sentados os diversos profissionaes e as di-
versas especialidades, corn "a lei do pros-
crippie que se discute, maiores impedi-
mentos se cream.
Os empregados publicos sao malsina-
dos 1 E quaes sio esses, a nao serem al-
tos funccionarios da fazenda e de outros
ministerios, e que possuam muitos titulos
scientificos e larga pratica da administra-
glo, quaes sio esses que se proponham a
disputar a representagio national?
A grande praga do mundo 6 a venali-
dade da eleicoi, chaga viva que corr6e
a Europa, que impossibilita os grandes ta-
lentos de subirem a tona d'agua, de se fa-
zerem salientes e merecerem a escolba de
uma nacionalidade para a honrarem.
Na propria Inglaterra nenhum talent
se faz eleger senior a peso de outro de alta
protecqIo political. Cita o que diz Stuart
Mill, e observa, que ao pass que Glads-
tone lamenta que os grades talentos deo
sua naco vio ao parlamento desde a sua
mocidado para so educarem nessa escola
political, esclarecendo-se na difficil scien-
cia da administration public, afire de
bern servirem a patria nos conselhos na-
cionaos, quer-se proscrever-se do parla-
monto os grandes talentos brasileiros po-
bres e desprotegidos, e tanto mais despro-
tegidos quanto mais dignos forem, e tanto
mais guerreados, e hostilisados quanto mais
honra tiverem, hombridade e character.
Corn essa lei rachitica, mesquinha, de
manipulacoes mystificadoras, so se conse-
guiri o que houver de mais baixo, sordido
e vil no campanario.
Um grande talento, quo honrou sua pro-


vincia e sua patria, um diamante de pni-
meira agua, de quoern foi amigo, e cuja
porda lamentavel e precoce ainda hoje cho-
ram as musas e as lettras patrias, Jos6 de
Alencar, em tempo em que o orador nio
era ninguem, offereceu-lhe uma obrinka
corn uma dedica,o que recordari seom-
pre; e nessa obrinha, grande esforco seu
pela verdade da representacoi national e
da representacoi das minerias, Jos6 de
Alencar defended as ideas sis, pelas quaes
o orador tern progugnado, fundando-se
nesse grande engenho brasileiro tio infe-
liz, que nem poude lograr a honra de ser-
vir sua patria no senado, quando tantas
eleicoes impostas polo poder maculam os
annaes da nageo.


iw", e cofiludl


W contr ',,o
rndo contra o


arti 10.
Vieram w mesa, foram oasu. apoiadas e
ptas em discuado as sewgates eifndas
additivas do Sr. senador Nunes Gonoal-
Ves.
1 Depois das palavras--e emprego ou
cargo publico-acrescente-se-gratulto on
remounerado.
( 0 mais como esti na emenda.
a Sala das sessoes em 4 de novembro
de 1880.-J. D. Ribeiro da Luz. w
a Depois das palavras-ou access em
sua carreira-acvescente-se-e nem exone-
rado do emprego ou cargo public que
exercer, semr quo seja a pedido.
c S. R.-Sala das conmissoes em 24
de novembro de 1880.-J. D. Ribeira da
Luz. *
Depois das palavras-quanto a sua
antiguidade-acresenlte-se-e soldo.
( Sala das sessoes em 24 de novombro
de 1880-I. D. Ribeiro da Luz. ,
0 Sr. Jaguaribe : Volto A tri-
buna, Sr. president, por j ulgar necessa-
rio dar uma ligeira resposta ao illustrado
Sr. president do conselho e ao digno se-
nador pela provincia de S. Paulo. ,
Occupar-me-hei, em prhmeiro Ingar,
corn parte do discurso do illustrado sena-
dor por S. Paulo. S. Exc. me desculpari
esta audacia, que sou o primeiro a reco-
nhecer que entire o acanhamento da minha
intelligencia e a elevaoao da sua a distan-
cia 6 incommensuravel.
0 Sr. Jos6 Bonifacio: V. Exc. pode
soer men mestre.
o Sr. Jaguaribe : Pareceu-me, Sr.
president, ouvir ao nobre senador por
S. Paulo que essas incompalibilidades es-
labelecidas polo arligo em discussao, ou
antes essa coacCao moral em que o artigo
colloca aquelle que possa ter a honra de
ser eleito, callocando-o entire a espada e a
parede, obrigando-o ou a renunciar a um
cargo de que tenha feito sua occupaoao
toda a vida, ou a renunciar a honra que
lhe proporciona a vontade do corpo eleito-
ral; pareceu-me. digo, ouvir a S. Exc.
que em nada offended esta lei ao principio
constitutional que tornou o cidadlo bra-
sileiro elegivel em toda e qualquer part
do imperio. A raz7Ao quo em abono desta
opinion deu o nobre soenador por S. Paulo
foi quo, portencendo ao poder legislative
crear 6mpregos e estabelecer suas condi-
c0es, pode muito bem uma lei determinar
que o empregado desta ou daquella or-
dem, no deva occupar um outro cargo
senio o da repartico a que se acha li-
gado.
O poder legislative pois, concluio o no-
bre soenador, esti no sen pleno direito es-
tabelecendo quaesquer limitavoes nesse
seatido por meio de lei ordinaria.
0 nobre sepador me permittira dizer-lhe
que segundo me parece, houve equivoco
de sua part. E' certo que o poder legis-
lativo, esta nojseu direito de crear empre-
gos e estabelecer as condiQoes da existen-
cia e do modo desses empregos; mas e
certo tambem quo o poder legislative or-
dinario nao p6de fazer limitag5es naquillo
que a Constituicao tern estabelecido como
norma indispensavel dos diversos poderes
politicos. (Apoiados).
Nao 6 tambem verdade quo seja possivel
a lei fixar o empregado ao seu emprego por
meio de uma collaQao tal, quoelle d'ahi nao
possa ausentar-se por esta ou aquella cir-
cumstancia. Portanto, desde que se reco-
nhece que per maror fixidado quo a lei te-
nba estabelecido do empregado ao empre-
go, diversas circumstancias podem arredar
do sen cargo o funccionario public, co-
mo, por exemplo, se da corn as licencas
por molestia ou outra causa...
O Sr. Jose6 Bonifacio: Isto mesmo 6
estabelecido por lei.
O Sr. Jaguaribe: E' certo; mas a
observacao de V. Exc. em nada invalida
o argument que eu ia produzindo.
O afastamento ou ausencia temporaria
do funccionario result da propria natu-


reza das cousas, porque o men college
comprehend bern que o bomem esta su-
jeito a todos os inconvenientes de sua
existencia precaria. Por consegninte, quer
a lei o estabelecesse, quer nao, o em-
pregado baveria de deixar emprego ou
ausentar-so delle por meio de licenca,
por parte do doente, etc., e em consequen-
cia de outras circumstancias que nao po-
deria deixar de dar-se, desde que a natu-
reza 6 invencivel e inflexivel em suas
lois. Ora, desde que se reconhece essa pos-
sibilidade de ausentar-se do sen emprego
o empregado public, como nao quer re-


FO HTIM emn companhia de Jorge, depois da fiesta
OU T J ~do castello de Saidt-Ouen, nDo fizera a
seu irmao nenhuma confidencia relative A
entrevista quo acabava de ter corn Mary
AS MULHERES DE BRONZE Warton.
Queria guardar so para si o soffrimento
POR e a inquietao que despertavam em sua
alma as palavras da moa.
XAVIER DE MONTEPIN Entrando no sen modesto quarto de es-
tudante, atiron-se sobre o leito; mas em
S G'UDA ?AR.T vio charnon o semno.
SRepetia, uma atras da outra, todas as
0 EVADIDO DA DOURADA phrases de Mary, perguntando corn an-
gustia qual era o sou verdadeiro sentido
(Continuacio do n. 26) e a quo causa real devia attribuir os
terrores da pobre creanoa a quemn ama-
XXXVIII va.
Mil pensamontos confuses acudiam-lhe
Jocelyn tomou o caminho de Saint- ao pensamenonto, e a despeito dos seus es-
Ouen, onde sabia quo era esperado corn forces n ioe conseguia restabelecer a mais
impaciencia. diminuta ordem nesse cahos. Por mo-
Cora e Jolo Renaud achavam-se juntos mentos, teimando em achar uma solucao
e interrogaram-n'o corn o olhar. possivel e verosimil, admittia a existen-
Esta tudo acabado, responded oelle a cia de um rival, apesar dos protests da
essa interrogagio muda. moca.
E foi feliz ? disse vivamente Cora. Este rival, com erteza, nio era amado,
Ate o present fui, mestre. mas certamente ella temia-o, e era delle,
0 enterro tera lugar amanbhi ? sem duvida, que vinha o perigo de que
Amanhi, is quatro horas. ella Ihbe fallava em terms tanto mais as-
Para onde sera levado o corpo ? sustadores, quanto eram vagos.
Para onde se leva habitualmente os Como saber se essa suppossolo estava
corps dos press fallecicos nas prisoes de de accord corn a realidade 1 Como desco
Pans... par a vala commum de P6re-La- brir esse rival, desfazer os seus projects
0 rest fica po minh nta, disse e tornal-o incapaz de fazer mal ?
Joio Renaud. at disse Leopoldo propunha estes problems, e
Eu o acompanbarei ; continua~ajon naturalmonte nmo podia resolvel-os.
cel, o aomque panhara i; cqualqnuou I A's 8 horas da manbi levantou-se seom
celno Iporquel Bedpara tor quaiue-e 1 tn fechado os oloos um instarte.
.jno ip e, or quo iy acbnoelbou-ihe o trabalho.
drique o,eaow e da placa qij h ewr .-o bedecer-ihe; foi A escola do di-
prgada amanUi sobre o caixao. r 0 aula em que leccionava
a, o por on-
:ir doltaldo t as pa
SLeopeddo Opmne, voltando Pama Paris lirag do asi Pa-^S^


dlode wat^~ W4e1on! o e~M f
p6de. "e"aars d.do % Imroo ea ^
s.parar-se para G u dera
do, qual 6 o de
dos sens coocidados, que o jlgam mais
bemrn collocado, durante um c1tq tempo,
nos altos conselhos da naao? (Apoia-
dos).
Per maiores que possaln ser as preven-
06es da lei para que o empregado no se
ausente do emprego, ha de isso necessaria.
mente acontecer pela propria ordem das
cousas, sem dahi vir prejuizo mior aos
interesses do paiz. Mas, se durante um
determinado period p6de ausentar-se por
forQa maior'o empregado, porque naio o
poderi fazer para lnoo incorrer na p6cha
de mao cidadio, nio desempenhando o
mandate legislative, o qual, nio send in-
teiramente obrigatorio convem comtudo
que seja logo cumprido pelo eleito da
naQco ?
O Sr. Jos6 Bonifacio :-Mas V. Exc. ar-
gumenta corn a convenidncia ou corn a
competencia'? A competencia para dar
licenca 6 a mesma para nio dar compe-
tencia.
0 Sr. Jaguaribo :-Estou apenas mos-
trando que as cautelas que a lei tenha
tornado para noe se arredar do emprego o
empregado public, nio impede que
elle se arrede, e uma vez que elle se arreda
por outros motives, que nio reputo mais
importantes do que o de um mandate
eleitoral, soeria muito natural e logico que
so admitisse tambem a ausencia por mo-
tive do mandate e isto quando nDo hou-
vesse lei, que suppenho constitutional, as-
sirm determinando, como ja se tern feito
ver.
Em verdade, senhores, eu penso que a
creagio desta incompatibilidade 6 uma
infracodo da constituiiao. 0 nobre sena-
dor que me preceded o demonstrou corn
uma eloquencia que nio posso de modo
algum igualar. Mas no desempenho de
meu ever, lerei um artigo da constitni-
Qio, do qual procurarei deduzir as infe-
rencias quo me parecem natnraes.
Diz o art. 95 l6) :
c Todos os que podem ser eleitores, sao
habeis para serem nomeados deputados.
c Exceptuam-se :
( 1. Os que nao tivoerem 400 de roen-
da liquid na forma dos arts. 92 e 94.
o 2. Os estrangeiros naturalisados.
c 3. Os quo nio professarem a religion
do estado v.
As excepcoes deste artigo ja foram re-
vogadas pelas leis que discutimos, e,
portanto destas nDo me occuparei; occu-
par-me-hei comn seu preceito geral, que
no art. em discussion pretende-se revogar
igualmente. Desde que este artigo esta-
belece como regra geral que todo o cida-
dio brasileiro que tenha as qualidades de
eleitor, e mais a renda do 4000, p6de ser
deputado.
0 Sr. Mendes de Almeida :-Agora 6 at
sem renda alguma, conforme a opiniao do
Sr. president do consrlho I
0 Sr. Joss Bonifacio :-A constituicao
nesse ponto trata do cidadao e nDo do
funccionario public.
O Sn. Jaguaribe :-O nobre senador per
S. Paulo 6 bastante illustrado para com-
prehender quo quando se diz-todo o ci-
dadao brasileiro-estio ahi comprehen-
didos os empregados publicos.
Uma disposioi tio generic nae p6de
soifrer limitao~i, senie polos tramiles
egaes.
O St. Mendes de Atmeida : --Apeiado.
O Sr. Jaguaribe :-Deduz-se doste arti-
go que o corpo legislative se ha de corn.
per de tedo o brasileiro que esteja nas
condiQoes estabelecidas, que mereca o
apoio national, e que receba o mandate
de representar a nacio; esse ha do vir to-
mar assento: essa 6 a regra, 6 a moda-
lidade do poder legislative. Estabelecer
restriccoes, determinando quo taos e taos


cidadios, quo alias tenbam a'renda e ou-
tros requisites, nDo venham fazer part
desse poder, 6 uma limitaiao manifesta, 6
uma restriccoi ao poder politico legisla-
tive...
0 Sr. Mendes de Almeida :-Apoiado.
0 Sr. Jaguaribe :-E' pois sb pelos tra-
mites legaes, isto 6, por meio de reform
da constituico p6de ser essa regra alte-
rada.


Dir-me-hio
radas; mas
renovo o meu
mate a cabea


: ja as excepoues estio alto-
eu voteL contra isso e hoje
i protest para que nao se
i, ji que se matou o corpo.


ouvidos senlo como urn murmurio con-
fuso : nao comprehendia, ou antes, nada
ouvia.
0 su easpirito, a sua intelligencia, o seu
coracol, todo o sean ser, emfim, estavam
no castello de Saint-Ouen.
Sahio bruscameute do curso.
Impossivel trabalhar, dizia comsigo;
e demais para que ? Pois tenho necessi-
dade de vestir a toga de advegado e de
passar a minha vida sobre os autos em-
poeirados da chicana ? Sou rico tambem,
eu... rico corn uma fortune modest, 6
verdado, por6m sufficient para a sinpli-
cidado dos meus gostos. A minha parte
da heran0a materna esta em casa de um
tabelliao. Na minha maioridade, d'aqui a
dezeseis mezes, terei qaatrocentos mil
frances. Dezeseis mezes, 6 muito tempo,
por6m nada impede que meu pai adiante
a 6poca em que gosarei de uma liberdade
quo me pertencq. Ser-me-hia entso possi-
vel dispOr de todo o men tempo, de nao
deizar Leonel Warton, que parece admi-
ravelmente disposto a men favor. Ganba-
rei completameite as suas boas gragas.
Fal-o-hei confidence do meu amor per
sua prima; approvara os meus projects
de future, e Mary, vendo-me proLtegido
por elle, nao tern mais pretexto para aban-
donar-se, como fazia hontem, a terrores
chimericus. Hoje mesmo verei men pai e
pedir-lbhe-hei que consinta na minha eman-
cipaoio Porque m'a recusari ? Sou ra-
zoavei e serio, elle bern o sabe, e sabe
tambem que fiao ealnjarei uma fortune,
da qual, em alguan mezes mais, terei li-
vre posse. p
Leopoldo entrou em casa para vestir-se
e tornou a sahir para it ter corn seu ir-
mio Jorge. Enoootrou-o no boulevard,
porto da passage da Opera.
Jorge acabava de comprar am ramo,
de deo Inizes, e dispunha-se a maadal-o


. ON


Foi muito louvavel, e ainda hontem
eu me referi a essa disposiolo como uma
verdadeira ioterpretago da constituiCio,
sem que em rigor se possa dizer que essas
leis fizeram restricQoes, devendo-se polo
contrario considera-las como a expression
do espirito constitutional que na verdade
nio seria bern executado, desde que'nio
se entendesse naturalmente prohibido que
o individuo por si mesmo, corn sua pro-
pria autoridade, se fizesse eleger.
Comprehonde-se que a intelligencia op-
posta seria foroada e contraria ao direito
natural, que determine que ninguem pos-
sa ser j uiz em causa propria. Portanto,
essas leis podem ser reputadas como ver-
dadeira interpretaolo constitutional, mas
tudo que dahi adiantar um pass, alem
do ser uma infracolo da constituicao, se-
ri inconvenient, porque a pratica vai
mostrando quo corn essas prohibio6es nao
teremos senao de peiorar.
pele seun groom, corn um bilhete de visit,
a Laura Warton.
E' uma galanteria do bom gosto e
aconselho-te quo sigas o meu conselho,
disse elle a Leopoldo, quo nio esperou pela
repetiClo.
Os dous ramos partiram juntos; vimoes
as mo0as rocebel-os; Carmen sorrindo e
Maria suspirando. Jorge convidou sen ir-
mio para almooar no caf6 inglez, e depois
deixou-o para ir Bolsa.
Leopoldo tomou lentamente o caminho
da rna do Rocher, e baton corn a mro
tremula A port do predio em que habita-
va Marcal Dereyne.
Como esta men pai koje ? pergun-
tou elle ao criado, que Ihe veio abrir.
- Sompre a mesma codsa, senhor,
desgrapadamente n2io se reproduz nenhu-
ma modificaAo favoravel no sen estado.
Posso vel-e ?
Mas certamente, senhor.
A Sra. Rosa Bonchamp esti junto
delle?
Sire, senior. Ah desde que meu
amo esti doente, nunca mais o doixou.
'E' uma pessoa muito dedicada.
- Leopoldo fez um gesto'de enfado.
Ter do fallar diante dessa creature, pen-
sou elle, 6 odioso e sern difficil.
SEsteve. a ponto do retroceder, por6m
depois que reflection que a situaCao seria
a mesma no dia immediate, e no ontro, e
indefinidameute, e que por consequencia
se nol1 fallasse nessa occasion nao falla-
ria mais. Visto isso para quo bater em
retirada ?
Assim resolved ir adiante.
Anadncie a minha visit a me'u pait
disse elle ao criado, subindo ao primeiro
andar. "
Marcal Dereyne estava estendido em
uma grdnde poltrona, perto da janelia en-
treaberta.I


I oisth,;

r seIdente, pqe comrswas
Ivra sal alibavadas, tenho,respon-
jdo ao ndWbr enador por S. Paulo.
Agora, 'pemtta o nobre presidon
te do conMelho que me occupe o corn
sa argune1tabao. S. Exc. dizia hon-
temrn: Quero uma camera, um corpo le-
gislativo, ;omposto de cidadios que nao
tenham dependencia do governor. Por-
tanto, o que S. Exc. quer corn estas ia-
compatibilidades 6 aperfeicoar o poder
legislative, para que nio haja membros
dose important poder dependents do
governor.
Nada mais louvavel do que o intuito do
S. Exc., si elle podesse ser realisado por
meio deste project ; mas, senhores, an-
tes de tudo eu noto que S. Exc. nio se
importa absolutamente corn as quest6es
constitucionaes, desde que entendeu que
para fazer sua lei come a imaginou, tudo
era licito, nem havia na constituicol bar-
reira que naojpodesse ser transposta. A
S. Exc. -6 indifferente essa argumentaolo
de dizer: fere-se a constituioo, ha limi-
taolo a poderes; o que S. Exc. quer 6
que se realise o piano que imaginou. Mas
a verdade e, senhores que o piano imagi-
nado por S. Exc. nao pode dar de manei-
ra alguma os resulados praticos que S.
Exc. espera ; e isso 6 manifesto para
quem conhece o nosso paiz e a nossa
historic.
Senhores, rendamos homenagem aosho-
mens notaveis deste paiz, respeitemos a
sua obra. 0 brasileiro que comecou a re-
conbecer a incompatibilidade necessaria
em nosso macbinismo e procurou reali-
sal-a, foi Euzebio do Queiroz. No minis-
terio deste eminent cidadlo, si nao me
falha a memorial, pois 6 um facto um pon-
ce antigo e eu entao nao fazia part das
cameras, recordo-me de que prohibio-se
expiessamente aos presidents de provin-
cia, quo eram eleitos, nao per circulos,
mas por provincia, que se fizessem eleger.
Ate estava na pratica deste paiz ver todos
os presidents e chefes de policia eleitos
deputados ; era, isso escandalisava, por-
que comprebendia-se bemrn que essas elei-
96es nio eram naturaes, 'eram impostas-
V6-se, pois, quo os homes praticos,
reconhocem que certas immoralidades nao
se corrigemrn per meio do medidas legis-
lativas.
O Sr. Cruz Machado :-0O facto nao 6
perfeitamente exacto; recommendou-se
que nao fossem eleitos pelas respoctivas
provincias, mas presidents houve que in-
fringiram a recommendacao.
0 Sr. Jaguaribe :-Si esse 6 o comple-
mento que V. Exc. quiz fazer a minha
proposigoe, nao adiantou nada, porque
neu tinba do oacupar-meo corn as excep-
0oes.
0 facto foi verdadeiro, senhores, em
toda a extenoQo do Brasil ; apenas infrin-
giram essa louvavel intenolo do governor
o president do Maranhbo e o de Sergipe.
O Sr. Mendes de Almeida :-0 do Ma-
ranhbo foi o contragosto.
O Sr. Jaguaribo :-A verdade e quo foi
eleito pelo Maranhao, send tambem per
sua provincia natal, a de Minas Geraes.
Ambos esses cidadaos, hoje mortos, form
homens muito distinctos ; neo thes faco
nenhuma censura, refiro os factos para de-
monstrar que de enteo 6 que comecou este
desejo do crear takes e quaes incompatibi-
lidades, quejalias eram nccessarias
Depois vieram as lois de 1855 e 1860 e
finalmente a de 1875, regularisando essa
incompatibilidade; isto 6, decretando quo
os funccionarios nao pudessem ter vota-
Gao, nos lugares onde exercessom juris-
diccao.


Assim, pois, parece-me que uma e ou-
tra escola political do paiz, as autoridades
importantes tonm entendido quo os presi-
dentes de provincia procedem mal, fazen-
do-se eleger, e nio so nas proprias pro-
vincias quo governarn, como por outras.
Eu nio sou infenso A eleicio de um ou
outro president, que tonha elementos na-
turaes; mas p que nao posso admittir 6
quo se queira excluir outras classes do
funccionarios, que podemn ser bons auxi-
liares do governor, e se faca uma excepQao
exactanmente em favor dos presidents de
provincia.
0 Sr. Cruz Machado :- As presidencias
de provincia nio sio empregos; sio com-
missoes political.
O Sr. Mendes de Almeida: Os presi-
dentes sio os verdadeiros vibri6es das
eleio6es.
A I.


As pernas paralyticas repousavam, co-
mo as de um r ottoso, sobre um monte do
almofadas; os encostos da cadoira susten-
tavam-lhe os bragos inertes.
Os olhos do armador, luzindo corn um
brilbo especial no fundo das orbitas, ani-
mavam o soeu rosto sombrio.
O criado entrou.
0 que 6 ? perguntou-lhe a ex-go-
vernante.
Minha senhora, esta, ahi um dos fi-
Ihos do senior.
Qual ?
0 Sr. Leopoldo.
0 que quer ?
Ver o senhor.
Rost virou-se para o paralytico:
Men amigo, disse ella, bemrn ouvio..
quer receber seu filho ?
As palpebras de Maroal abaixaram-se af-
firmativamente.
Bern, continuous Rosa, introduza o
Sr. Leopoldo.
o moQo transpoz a porta, e sem cum-
primentar a pretenciosa e loureira enfer-
meira, foi direito a Marcal, a quern beijou
nas duas faces, dizendo :
Born dia, meu pai. Acabo de saber,
corn grande desgosto, que o sou estado
consorva-se quasi o memo, pormn nada
o incommoda, come desejo.
o Sr. Dereyne nada soffre, felizmen-
te, responded Rosa. 0 doctor veio esta
manhi e deu-nos a esperanca de uma me-
lhora muito proxima.
'Era impossivel fingir quo nao ouvira.
Leopoldo fez A saa interlocutora, por
unica resposta, um rn- movimento de cabe-
Va, quo ella podia interpreter come qui-
zesse.
Execrava e despresava essa mulher,
amante conhecida d seit pal, e, abusando
sem pudor da suaintaftfehicia nefasta, mal-
dizia sobre tUdo a sua pmenpa,' no mo-


I k doe5
inconve-
de*Jaiflr~iov tN
niencia que os president. provincia fos-
sem deputados; a talpontoque isto foi
object de desharmonit centre os membros
daqueoe ministerio, retirando-se um dos
mais distinctos delle, da primeira compo-
sie. Ora, quando isto 6 notorio, vemos
agora o novo gabinete, da mesa situa-
,o, estabelecendo incompatibilidades, mas
resalvando os queridos delegados do ga-
binete E o nobre president do conse-
Iho veio atW dizer que noo se p6de deixar
de comprehender os presidents na excep-
cQo, porque esta 6 a escola political do nos-
so paiz I
0 Sr. Saraiva (preoidente do conselho):
-Os presidents de provincia nao podem
ser eleitos nas provincias ;:que adminis-
'tram,
0 Sr. Jaguaribe :-V. Exc. queria tam-
bern que voltassem iquellas antigas 6ras,
quando os presidents eram eleitos pelas
provincial que governam ? Isso tambem
seria demais I
Pois eu acabo de dizer que, quando nio
havia legislaCAo nenhuma, ji urn governor
bastante honosto julgava de seus brios
acabar corn oste abuse, prohibindo ox-
pressarnmente essas candidaturas, e ainda
o nobre president do conselho vein dizer
que a faculdade do serem eleitos, nio e
para o serem pela mesma provincia 1 Isto
entie seria fazor a nacao retrogradar 30
annosI
0 Sr. Mendes deo Almeida : E depois
faziam-se as trocas.
0 Sr. Jaguaribe: Mas, Sr. presiden-
to, primeiro que tudo note esta diver-
gencia entire os homes politicos do mes-
me partido, entre os dous governor que
se succedem, o que demonstra que nio
ha idea assentada, nem no paiz, nem no
proprio partido.
E depois, senhores, serial verdade que s6
as presidencias sejam a escola political,
que deva fornecer administradores para
este paiz ?
Parece-me quo nio.
Pois, quando S. Exc. diz que que nio
quer no parlamento os altos funccionaries
de outros cargos, cargos, alias, em que
tambem se adquire scioncia administrative
e pratica do diversos ramos da adminis-
tracao, 6 logico dizer quo os presideotes
devem ser elegiveis, porque as presidencias
sio escolas political? I
As presidencias, Sr. president, sio tan-
to escolas political, como sio as directo-
rias das diversas secretaries do estado, co-
mo sao os lugares de secretaries das pro-
prias presidencias, como sio, emfim, to-
dos esses empregados das diversas repar-
ti4oes quo diariarnente folbeamrn livros para
satisfazoer as perguntas dos ministros e
dar-lhes respostas conveniontes. (Apoia-
dos).
O Sr. Saraiva (presidents do conselho):
Nio tern comparacao.
0 Sr. Jaguaribe: Em segundo lugar,
si os presidents de provincia, em sua
mission silo mais ou menos politicos, 6
fornoso confossar que a sua mission prin-
cipal nio 6 political, mas administrative,
e a inversio dresses papeis tern sido a cau-
sa principal dos males deste paiz.1
O Sr. Mendes de Almeida: Apoiado;
disse V. Exc. unea grande verdade.
O Sr. Jaguaribe:--Foi por taes moti-
ves que ministerios antigos, a que me re-
feri, prohibiram expressamente que os
presidontes de provincia se fizessem eleger
por eltas; bern como o ministerio 5 de ja-
neiro entendeu nio ser convenient que
os presidents de provincia abandonassem
as suas cadeiras para vir tomar assento no
parlamento; porque as interinidades, nes-
tes cargos de primeira ordem, sio ordina-
riamente prejudiciaes.


portancia a merecer muita discussion, mes-
mo porque os ministros podem impor-se
o respeito ao principio consignado no pro-
jecto de lei.
0 Sr. Mendes de Almeida pon-
dora que a doclaraCao do hbonrado Sr. pre-
sidente do conselho-de que nio liga
grande importandia a este artigo-p6de
terpor fim desviar delle a attencoi dos
opposicionistas, visto nio se comprehender
como 6 que S. Exc. abre mao de.disposi-
olo tio important quando tantos esforoos
empenhou para afastar do parlamento os
funccionarios publicos.

(Continda)l


mentor doe uma entrevista que elle deseja-
va fosse intima, e completamente confi-
dencial, porem nDo podia dar-lhe ordem
para que sahisse, e al6m disso reconhecia
que sem ella ser-lhe-hia impossivel, se nao
fazer-so entreter polo paralytico, pelo me-
neos compreheader a sua resposta, visto
como Rosa tinha o privilegio, por meios
sb della conhecidos, de traduzir os pen-
samentos de Marcat Dereyne.
A amante por sympathia de Rene Mat-
tefet comprehendia isso e sentia se inex-
pugnavel, por isso disse comn uma ironia
mal disfariada :
Sente-se, Sr. Leopoldo. 0 nosso que-
rido doente estai encantado de vel-o. En-
cantado... Encarrego-me de dizer-lhe da
sua parte...
0 mo ootomou uma cadeira, hesitou du-
rante um ou dous segundos, e, decidiodo-
se subitamente, murmurou :
Vim, meu pai, primeiro para abra-
Qal-o, e em segundo lugar para fallar so-
bre um assumpto muito snrio, e ao qual
ligo grande importancia...
Rosa interveio.
Talvez fosse convenient, -disse ella,
esperar para isso o complete e proximo
restabelecimento do senior seu pai. Uma
vez, por6m, que a sua opiniao nao e essa,
e que sem duvida os motives que tern si
urgentes, p6de explicar-se. 0 Sr. Derey-
ne terno ouvido perfeito, a intelligencia
clara, e encarrego-me de traduzir palavra
per palavra o que elle julgar conveniente
responder-lhe... Nio 6 verdade, Sr.' De-
reyne ?
As palpebras abaixaram-se.
Rosa accrescentou:
-Quaando o sep r sen pai fecha os
olhos quer di' rw.'...-Quaado oeon.-
verva abortos-e.g laseie"so 1est.. da
dos, e agora p&de obituar. -
Type 4flDumo num &o 0aqu. it...
41**
46*


Il 4


boa te~ao~a~amrelecirqueao
serA illudida a sua ret1 a. -
. Esta reform, feita Como vai sedo.,la
de ser uma lei aristocraica; e ap memo
tempo que exclue grande part do fnc-
cionarios, daquelles quae melhor servigos
podem prestar ao paiz, no par.F toi, ad-
mitte os protegidos e as C do go-
verno, os braoos que e as suas
ordens I
Na verdado neo sern animador para o
nobro president do conselho dizer-se quo
a sua proposta excluio a naao em massa
de intervir na eleicoi, ao mesmo tempo
que concede privilegio aos funccionarios,
nie a todos, mas precisamente AquellI
que mais podem abusar e cuja influencia
mais fatal pbde ser no machinismo elei-
toral. No ha a menor justificaCio para
esta excepcao, grandernente odiosa, e no-
civa ao concerto desta reform.
0 Sr. Mendes de Almeida : Tira todo
valor a reform.
0 Sr. Jaguaribe: Eu, Sr. president,
nie desejando que se diga que tomo o
tempo ao senado, vou concluir, notando
peor ultimo uma contradicoao do nobre
president do conselbo.
0 Sr. Saraiva presidente do conselho]):
-Tenho cahido em muitas.
0 Sr. Jaguaribe: 0 fimn das incorn-
patibilidades estabelecidas por S. Exc. era
arredar do corpo legislative o funcciona-
lismo. Mas, quando se fallava na expOer
riencia adquirida nos altos cargos, S. Exc.
disse que nio dispensava essa experiencia,
porque o funccionario depois de aposentar-
so, poderia ser eleito deputado. Isto, se-
nhores, importa uma ameaga aos cofres
publicos, no tempo em que tanto se fall
em economrnia Si os funccionarios para
seem deputados, ganham o direitoe de so
aposentarem, havera duplicate de empre-
gos, e assim o thesouro terA de ser onera-
do corn o dobro das despezas.
E diz-se isto, Sr. president, neste nosso
paiz cujas dividas crescem de um modo
espantoso, a tal ponto quo, si uma pode-
rosa mao nao puzer term ao furor das
despezas, necessariamente caminharemos
para a bancarota I
Tenho concluido. (Muito bemrn)
NW havendo mais quem pedisse a pe-
lavra, encerrou se A discussao.
Votou-se e nio foi approvado o artigo
da proposta.
Votou-se e nao foram approvadas as
emendas substitutivas da camera dos de-
putados e da commission de constituicio.
Ficaran prejudicadas as emendas dos
Srs. Correia e Leio Velloso.
Votou-se e foi approvado o artigo subs-
titutivo offerecido polo Sr. Nunes Goncal-
yes, salvas as emendas a elle offerejidas
polo Sr. Ribeiro da Luz.
Votaram-se e foram approvadas as emen-
das do Sr. Ribeiro da Luz, accrescentando
a palavra-gratuito ou remunerado-e-
o soldo, sendo regeitada a que accres-
centava-e nem ser exonerado do empre-
go ou cargo public que exercer, sem que
seja a pedido.
Entrou em segunda discussao o art. 11
da mesma proposta.
0 Sr. Saraiva presidente do con-
selho) :-Sr. president, o meu pensa-
mento, quando escrevi o art. 11 da pro-
posta, foi ovitar os inconvenientes das can-
didaturas de ministros por provincias que
nDo fossem as de sua residencia habitual
ou de sou nascimento.
0 disposto no artigo en discussao evi-
taria as censuras que de ordinario sao fei-
tam quando se dio candidaturas semelhan-
tes.
Entretanto nio posse ligar ao artigo
outra importancia senie a quo so deriva
desta oonsideracao. 0 senado decidira si,
ate mesmo no interesse dos ministros,
convem ou nio adoptar a medida. Vota-
rei per ella ; mas nai a considero de irn-


Y


.. '* ^ *-


- i


A L 'A'
" :. .




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG6N3X7GE_AY3FBB INGEST_TIME 2014-05-22T23:14:27Z PACKAGE AA00011611_16106
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES