Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16082


This item is only available as the following downloads:


Full Text










*-9-
,) '
- -*- "


~rwemsd~m~


S. 'r :- .
*.. ... (, .. *. .. -..


ie.o4i~.


* -49


PA~k U- FSA DA PROVILIVIA


-47 ,..-
'^;o. '-.^. '" =.... ei

*' **-- ( ..


oInezs adiuotado......
a' ditos iden. -...
-um amno idem. .
Sasypro avulso, de dia ateriores.


270O0
. P20


S ;. _-. .~


Sroprieb a tt jfanoet


-,TKLEGRAIIAS





(Especial para o Diarioo)

PARIS, 8 de novembro.

Duraute o diaWle bontems deram-
Se aqul mete cameo de eholer-aseor-


bus.


BERLIN. 8 de novembro.

S. Hi. o Inmperador Gulihermeachba-
se restaibeleldoi do eneommodoque
que teve.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
8 de novembro de 1884.



IISTRUCCIO POPULAR


a vlrxxIdao
(Extrahido)


PART I
GENERALIDADES
In-PRPPRIEDRDES GE"&ES DO VIDRO
(Contiauap5o)
(aznto mais urn vidro for diro e infusivel, me-
nos sera alteravel pela acao dos agents atmos-
pherieos e climas. 0 ar alters. sensivelmente a
transparencia do vidro, actuando sobre o silicate
alcalino que eutra ua sua compasico. Nota-se
este effeito u as nossas vidragas e espelhos ; nota-
-se Bobretudo nos vidros antigos eancontrados nas
ruinas, o8 quaes estao muitas vezes como que re-
cobertos de um verniz aetaUllico e quasi so tornam
opaeos. A agua a terver alter o vidro muito
mait rapidamente; torna-se alealina se n'ella se
abandoaar im pedago de vidro, e a meacgo sera
tanto mais prompta quanto mais queate estiver a
sgua; por iuo, a fortiori, o vidro 6 ataeado pelas
dissolugues a lalinas e acidas. Assim ao e6 rare
ver vidros de garrafas atacadas pelo tartaro que
se aeha no viaho. Em geral pode-se diser que
todoes os vidros que se deixam ataear e perdem o
polido por urma ebulli9go prolongada corn as disso-
lagoes coneentradas de alumen, de sa! marinho, de
acido sulphurico, ou de potassa, sAo de mA quali-
dade. Os vidros, em que dominam os sicatos al-
valiaos, sio atacados pelos aides; oe que poe-
suem coin abundancia o acido silicico, sao ataca&dos
pdos alealis. E' e046 49 eMB pseams 0 t do
vinho basta para ataear o vidro das lmafatfs ; e
muita gentle julga que esta acio nao se exerce
sem uma reacoo favoravel, que muito aetna para
fazer invelhecer o vinho.
A densidade do vidro, varia corn a sua compo-
siIao, emo se ve no quadro seguinte:
F-int-glass, 2,8 a 2,6. Vidro de Bohemia antigo,
2,396. Crown.glass, 2,487. Espelhos fundidos,
2,488. Id. assoprados, 2,506as 2,564. Vidraga,
2,642. Vidro degarrafas, 2,732. Crystaes de Bo-
hemia, 2,892. Crystal plumbeo, 2,9 a 8,3.
tContinua).



PiRTE OFFICIAL

Governo da Provinela
EXPEDIENTE DO DIA 27 DR OCTUBRO DE 1884
Actos:
0 president da provincia tendo em vista o
que requereu a comnpanhia da estrada de terro do
Recipe ao Limociro c a informacio n. 634 prestada
pelo respective engonheiro fiscal em 2 do corrente
resolve que em additamento a portaria de 18 de
sotembro ultimo sejam observadas as seguintes
disposic5es relatives a expedigio de telegramma
pela mesa eatrada de ferro de accords corn a ta-
bella infra:
la Os telegrammas particulares serao recebidos
tanto nos dias uteis como nos dias santificado ou
de test national, durante o temp3 em que estive-
rem abertas as estates telegraphicas.
2a Pela transmissao de telegraiamas particula-
res aerio cobrados os pregos da tabella juuta que
regular o prego de urn telegramma simples e em lin-
gua national de vinte palavras incluindo o ende.
revo, porem excluindo a assignatura. Telegram-
mas em lingua estrangeira ou em algarismos pa-
garlo dupla ta-xa.
3a Os telegrammas que tiverem de 21 a 30 pa-
lavras pagarao mais metade do preco de urn tele-
gramma samples, os de 31 a 40 pagargo o dobro e
assim por diante augmeatando sempre mais me-
tade da taxa simple po:- dez palavras que exco-
derem ou fraccAo de 10 palavras.
4a AM taxas sergo pgas ao agent da estatgo
d ptocedeneia na oeaeiao ,em quo o expedictor
t presentar o telegramma.
5a Temrn preferencia aos telegrammas particula-
tem os que forem relatives ao serving da estrada, os
do governor geral e provincial.
6' Os telegrammas particulares deve center os
nomes da estagAo do destino das pessoas a quem
dao dirigidos, lugar de residencia do destinatario,
rua e numero da casa.
Devem serescriptos de modo que possa enaten-
der-se lettra por lettra.
Nao devem center observagoes, rasuras. palavras
emendadas ou mutilisadas per meio de riacos.
7'a E' prohibido qualquer telegramma contrario
" as les, prejudicial a seguranca publics ou offensive
a moral e bhns costumes, ou aos interests da em-
trada.
8' Muitos telegrammas suncessivos do mesmo
expedictor, pars o mesmo ou differrntos destinata-
rios, s6 podem sor aceitos quando ndo weaver on-
tros telegrammas a transmittir.
9* 0 expedictor. pods pagar de antemlo a res-
pesta do telegramma que apresontar, fixando o nu-
mere de palawHa.
Nete caso a minute do tIslegramua ha de tsr a
decdaraiao-Respostaa pagaa-pakwres-antes da
10".8i a.repoesta tiver menor nuniwo da pa-
lavrs do que toi indicado no teltupoamm a com-
psala resiturah a past s us ed n npones
jio amro e palawM f _-s, o wwuo sera


^.r ~ ~ ~ ~ ~ ro W';... *< -
,- -'
., __ s *^ / -


i'.
V

';
tt.


0 president da prvinia, attendendo ao
que requereu o subdito portugue" janoe de Oli-
veira Faeo, resident ne ta pro rida, resolve
de aeorde eosr o dispoe ano D de= ma. 1960, de
12 de julho de 1871t e urando d. atttiblioJ con-
ferias pelo art. 14 da lei a. 8140 de 1882, natura-
liar o refendo mbdito Mportug anoel de Oli-
vera Famec, oafim de que po 90 goMr de todes oa
direito, temas preroavas que pels Comti-
tuio etm as cdados baleirs ata
lifadoL.
0 p ridents da previncia, atteum &de o o.te
rsqutao subdit. poraigUe { mUrba J J6 do


0 expedictor tern direito a restituigo da taxa
nos seguintes terms:
Quando o telegramma nao chegar a seu destiny
por qualquer causa dainda ao service do telegra-
pho.
.15' Entrain na couegs de palavras, tudo o
.!% o expedictorew em sum miputa pars ser
t*irB1ittido.
Conts-se como urmsa qnaaer palavra a que nio
liver =ais de set sy -L contiver mator
numero sera contada
16. Toda palavra oirpta de modo
que former uma sd, eomn ta coutada, de con-
formidade corn o a anterior. Si pe-
r6m, as partea do qu wa.s eoumpuser form es-&
criptas woparameat f'6 uo reunidas pel
(raco elj y ie U grbl a e~ come outran
I jao.ractur alphabetieo ou namero isola-
de, tod a palavra ou particular como una pala-
vra.
y18a Os numerous eascriptos em algarismos con-
tam-se por tantas'palavras quautas form as se-
ries de cinco algarismos que contiverem, e mais
aerie pelo excedeste.
19.0 Sera contada como umra s6 palavra o nu-
mere que tiver menos de ciico algarismos.
20.a Cada palavra sublinhada entire paren-
theses ou virgula dobraacm serA contada como duas
palavras.
21.a Os signaes de aecentaacao, os pontos e as
virgulas, no serao contados.
22.'. Nao serio taxadas a data, a bora da apre-
senav.ao do telegramma, assim como o lugar da
procedencia, senior quando o expeditor as escre-
verua minute e exigir a transmissio.
23.a Nao serio taxadas quaesquer palavras ou
signals aerescentados no interesse do servio.
24.a Os telegrammas serao entregues aos seus
destinatarios quando dirigidos para o Recife e
seus arrebaldeas limitados no largo de Nossa Se-
nhors da Paz de Afogados, Passagem de Magda-
lena, largo de Santo Amaro das Salinas e Fernan-
des Vieira, mediante o porte de 400 reis pagos no
acto da expediieo.
Parsa es perimetros das cidades de P-o d'Alho
Limoeiro e Nazareth, e mais estaq5es interme-
diarias iediante o porte de 200 reis, pagos no
acto da expedigao.
A Comapanhia nio sera responsavel poroentrega,
dentro de urn tempo marcado, de telegrammas que
forem atteadidos alem destes perimetros, porem
empregara as sons esforos para achar portadores'
oobraado para este fimn o porte de 14000 por legua
pago no acto da inscripeAo.
25.' As asagnaturaa mensaes, pagas no acto da
assignatura habilitando ao assignante a transmit-
tir 30 tolegramias simples durante o mez a um
s5 enderego, serod feitas corn o abate de 20 por
eento d& tabella.
26.a Eate abate nao tern effeito Para os portes.-
Remetteu-se eopia ao engenheiro fiscal.


yndicancia desse Presidio, procurou saber o re-
iultado de urn recurso de graa por elle inter- q
Mosto. T
-Ao Thesouro Provincial.-Devendo ser ap- d
licada em auxilio do Monte deo Soccorro, na con-
ormidade do 50 art. 10 da lei do ergameonto vw
ente, metade do imposto ahi decretado soe ab ,
orcentagem do thesoureiro das loterias ordina- A
ias da provincia, reeommendo a Vinmc. que nos
ermos da sua informago de 22 do eorrente, n.
31, made entrega ao theroureiro daquelle es
abelecimento a unportancia de 8300i oerreapos-
lente a metade da de 6001 que so acha recolhida-
ease Thesouro e di z reapeito a part do referido F
:mposto relative ao trimestre de julho a aetem.bre
io corrente anno.-Communicou-se ao president e
do conselho fiscal da Caixa Economice e Monte
Ie Soeorro. t]
- Ao mesmo. Mediante fianca, nos terms
ia sua- informaglo de 23 deete mez, sob a. d
233, made Vine. entregar ao vigarie da fregue-
xia de Cimbres, Rvd. Jos6 Bernardmino de-Paiva, a
mportancia de 600A correspondent ao product r
sa la part da loteria n. 79, extrahida em iavor z
Is matris da referida freguezia.
Devolve o requerimento dirigido pelo mesmo vi-
gsari a emse Thesouro.
- Ao director do Arsenal de Guerra. De J
eonformidade corn o aviso do Ministeio da
uerrade 16 doeomreate, inande Vm.. tomeer a,
ompanhia de infantaria da provin.iado Rio-Grau-
Ie do Norte o aidamento eostAtU das duams i-
Ilumas notas de 6 de satoembro ultimo, a i
lod na repartigae doquartel mestre meU p
sjuste de eotas do mn. pasdoa e pfgamestedo
onte an. s,
S-Ao autda d*da anre domio-
Pam %LutMa Zt. dom!-to a vat. & Ban
reaota<&tf qfOWil do 16 d0 en"ete. nos, a
wptfiitlas^^w xpei hjeso jui do ya"


be $aria & Jitho


-. Mutatis mutandis, aojuiz de direito de Villa Amancio Cordeiro, alienada, atW que possa ser A Estrada Nova deo Caxang, freguezia do
Sell, Bonito e Floresta. transferida para o asylo da Tamarineira; Argo- Afogados. im.
--Ao jaz de paz mais votado da parochial do miro Philomeno Jose de Souza, Marcolino Victo- ogados. m.
1eio da Madre de Deus. Declaio a Vmc. que rino de Deus e Jose de tal, por disturbios. Manoel da Cunha Brandlo, pars man-
em vista do disposto no art. 167 do regulamento A' ordem do do 20 distrito de S. Jose, Joaio de dar fazer urn forno pars padaria em sita
Opedido corn o decreto n. 8,213 de 13 de agosto Souza Lelo, por embriaguez e disturbios. casa n, : 1 rua do Bar a de Benmfica,
e 1881, nio se devera proceder a acts eleitoraes A' ordem do do 20 district da Boa-Vista, Ru- iaa de A ado d oe
n parochial do Bello Jardim, creada pela lei n. fino Placido de Aguiar, alienado, at6 que seja reguezia de Afogado. Defe o ober
1,830 de 28 de junho ultimo, por star verificado transferido para o asylo da Tamarineira; c Vale. vadas as posturas.
_e intormagc5es prestadas a respeito pelo Dr. juiz riano Raphael dos Rcis, por disturbios c offenses ;. Urban Sabino de Paula Costa, para
td direito da comarca do Brejo e respective Ca- moral pu'blica. mandar reedificar a sua casa Ic taipa sita
nara Municipal, que aquella parochia foi consti- A' ordcm do do 20 distrito da Graca, Jose An- u, rada de S. Francisco, f'c ezia da
"id_ com urma parte de territorio pertencente ao tonio dos Santos, por se achar pronunciado em a strada d S. Francisco, frguzi da
.,1o district eleitoral da provincia. Assim fica crime de ferimentos. Varzea. Sim, page o imnposto.
em effeito meu officio de 18 do corrente. Pelo subdelegado da freguezia do Recife, foi Secretaria da Canara Miunicipal do Re
SPortarias : remettido ao Dr. juiz de direito do 10 district cri- efe, 8 de novombro de 1814.
S- A Companhia Pernambucana. 0 Sr. ge- minal o inquerito policial a que procedeu contra oeI.
1ate da Companhia Pernambucana made dar Fabio Severino de Jesus, como incurso nas penas 0 porteiro,
Issagem a pr6a, ate ao porto da Fortaleza, no do art. 205 do codigo criminal. Leopoldino Ferreira da ,ldva.
vapor que seguir paraos portos do norte a 5 de Deus guards a V. Exe. IIhn e Exm.
nevembro proximo, a Francisco Maria da Concei- Sr. Dr. Sancho de Barros Pirentl muito
, uma filha de nome Maria Gongalves do Espi- d rede daprina -O chefe do IO
.Ao Santo e um netode 3 annos de idade, por con- digno president da provincial. -0 chefe de
ii das gratuitas A que o governor tern direito. policia, 3lanoed Ventu'a de Barros Ljeitc, 1 I__ __OR
A' mesma. 0 Sr. gerente da Companhia Sampaio. ~E--e r d- -
Pernambucana made dar passage A r6 de ida e Engenho central de Wramhr
vwja entire esta capital e o porto do Natal, no va- d
quo seguir para o norte a 5 de novembro pro- Thesouro Provincial (Joridl do Cinobs ,'(fo do -( de ou
j-Wo, a Thomaz de Carvalho Soares Brandao Fi- SPA D I 7 D VR tubro)
l[I Ulysses de Carvalho Soares Brandio e Au- DESPACHOS DO DIA 7 DE NOVEMBRO


mezes de lieen"a, send um oern ordenado por i
teiro e outro por metade.
Officios:
Ao president da provincial do Maranhao.-
Nao acompanhando o officio dessa presideneik, de
15 do corrente, a certidio das peas do precesso do
r6o Jonas, esoravo de Jos6 Marianne de Mello,
que pretende interpor o seu recurso de grag da
penna de ga16s perpetua, que Ihe foi imposta p
jury de Alcantara, rogo a V. Exe. 9ue se dogi
de providenciar no sentido de ser mimntrada a
ferida certidao, de conformidade corm o daftii
2566, de 28 de marco de 1860, ejlniitai in i-
formagao do juiz da coademnan o de acoxs.cem
o diaposto no aviso ciracular do Mix 10rio da J.u-
tiq& n. 28 de 28 de junho de 1866.
Ao'eommandante das armas. jvw-se V.
Exe. expodir suas ordens pars que hW s, as 5 b-
ras da tarde, se ache pastada em frente ao Oemi-
terio Publco, a far"a precisa, afim do faser as
honras funebres por occasiao de ser dado a sepal-
tara ao cadaver do capitio de 20 batalhbo de in-
fantaria do serviqo de reserve da guard naeisanA
da comarca do Becife, Jos6 de Albuquerque nS
Loyola.
Ao director da Faculdade de Direito.-Pa
cumprimento de ordem do Miy4$erio da Justis,
sirva-so V. Exe. de enviar-mroiuarela.ao dos ha-
chareis formados no anno delbscomrn as respee-
tivas notas dae aproveitamen$t, conduct e gr&g'
de approvacilo.
Ao provedor da Santa Casa 4Miserioordia.
-Para os fins convenientes tranmitto a V. Exe.
a copia inclusa do aviso n. 4361, de 14 do corren-
te, do Ministerio dos Negocioa do Imperio, relati-
vo aos bens legados a essa Santa Casa por Elias
Baptist& da Silva.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.-No
intuito de evitar despezas corn a remessa de col-
xues e travesseiros As companhias de aprendizes
marinheiros, e por ser de toda a conveniencia que
o ealcado para os menores seja-lbes tornecido sob
media, evitando-se deste modo da parte das mes-
mas companhias as frequesites recusas deste arti-
go por inadequado ao pessoal a qae destinava de-
terminou o Exm. Sr. ministry da marina, em
aviso circular de 16 do corrente, sob n. 1,683 que,
atW ulterior deliberacao, sejam takes objects ad-
quiridos a proporgio das necessidades, nesta pro-
vincia, e pelos pre"os constants dos mappas ulti-
mamento remettidos a secretaria de estado da-
quelle ministerio.
0 que declaro a V. Exe. para seu conhecimento
e devidos effeitos.
Ao Dr. chpfe de policia. Transmitto a V.
S. para sen conhecimento e fins convenientes, o
aviso por copia do ministerio da justiga relative
a concesaio de passagens por conta do mesmo.- s
Fizeramn-se as devidas communicaUses a Thesou-
raria de Fazenda, companhia brasileira de vapo- A
res e companhia pernambucana.
A Thesouraria de Fazenda.-..Declaro a V.
S. pars seu conhecimento e fnas conve-ntes que,
de conformidade corn o aviso do ministerio da
guerra, de 16 do corrente, nesta data antoriso o
director do Arsenal de Oerra a mandar fornecer a d
companhia de infantaria da provincia do Rio
Grande do Norte o fardamento constante das dnas .
iotasjuntas por c6pia, de 26 de setembro ultino. (
organisadas nas repartuito de quartel-mestre-ge-
neral, pars ajuste de econtas do anne passado e
pagamento do corrente ano. u
_- A mesma.-Eetaviso '. 1,427 de 76 do cor- c
ente, participou-me o Exm. Sr. ministry da ma-
inha haver na mesma data autorisado o inspec- r
or do Arsenal de Marinha deasta provincia a ef-
ectuar a montage da serraria a vapor do dito
Lrsenal. devendo a despeza ao exceder de......
:3360314, e correr por conts da verba-Arsenaes p
-do exercicio corrente. ,,
O que declare a V. S. pars seu conhecimento e a
levidos fins. r
- A me sna. No intuito de evitar despezas F
om a remessa de colxoes e travesseiros As corn-
anhias de apreudizes marinheiros, e por ser de r
oda a conveniencia que o callado paraos meno- -
es seja -lhe fornecido sob media, evitando.,se
este modo da part das mesmas companhias as ci
requentes recusas deste artigo por inadequado ao
essoal a qual se destinava, determinou o Exm. L
r. ministro da marinha, em aviso circular de 16
o corrente, sob n. 1,683, que, atW ulterior delibe-
acao, scjam takes objects adquiridus A proporao VT
as necessidades nest. provincial e pelos preos
anstantes dos mappas ultumamente remettidos A t
ecretaria de estado daquelle ministerio.
0 que faso co-star a V. S. para seu conheci-
sento e devidos effeitos. a1
--A mesma.-Remetto a V. S. para os fins v-
onvenientes, _copia do aviso do Minusterie do Irn- C,
orio de 16 do corenote n. 4345, conceernnte a
pprovacao do credit de 555913 rs. aberto par u
ata Presidencia para pagamento da gratificacao
ue competia ao lent, substitute da Faculdade f(
e Direito do Recite, Dr. Joaquim de Albuquer- f,
ue Barros Gutmaraes."
=- A mesma. Pars os fins convenientes.
"anamitto a a V. S. a carts imperial pela qual -
i nomeado Jodo de Siqueira Brito official da "1
>rJem da Rosa.
- Ao Commandanto do Presidio de Fernando.
-Transmitto a V. S., por c6pia, o aviso do Mi- q
isterio da Justica, de 16 do corrente, afirn de dar d
elle conhecimento ao sentenciado Francisco a
Lttelio Simonelli, que por meio da commissao de


r. inspector da Thesouraria de Fazenda.
Padre Tristlo Henrique da Costa. Re-
wWlad a junta medical' para mandar ins-
peamioniar de su64e o supplicante.
SbeWtaria da PresidAncia de Pernaw
vww, 8 de novembro de 1884.


J0L. F


k di P


Justino da Silva Boa-Vista e Maria da Luz
Gitiraaa.- Informe o Sr. contador.
Manoel Fernandes Velloso. Ao contencioso
para attender
Jose dos Santos Fragoso e Ursula Guilbermina
da Cunha Lins. -Certifique-se.
Lourenco Ferreira de Araujo Carola. Informed
o Sr. collector de S. Bento, sobr'estando por ema.
quanto em qualquer procedinmento contra o sup-
plicante; visto que, reconhecido ser o barracio
ora existente no sitio Concei~lo o transferido do
lugar Pestana ou Estiva, e pelo qual foi satisfeito
o respective imposto da collectoria de Garanhuns
por todo o exercicio de 1883 -1884, nao p6dflestar
sujeito a repetiqito do mesmo imposto nessa collec-
toria no referido anno financeiro, para umn mesinmo
estabelecimento, s6 pela circumstancia de mobili-
sagio inherent a sua natureza.
Martins & C., Almeida & C., e Muniz & Fer-
nandes,-Informe o Sr. Dr. administrodor do Con-
sulado.
Joaquina Mafalda Alves de Carvaiho.- Regis-
re se e faam-se os devidos assentamentos.
Padre Manoel Ferreira da Rocha. -Ao conten-
cioso para os devidos fins.
Jos6 Carlos do Rego Valenpa. Haja vista o
Sr. Dr. procurador fiscal.
Manoel Antonio Pereira. Em vista da infor-
imac"o do contencioso, s6 existed na seccao a con-
ta do imposto de 60 por cento, achando se j A em
juizo a reference ao de 120 reis por litro de aguar-
te, e por isso pela mesma seccAo s6 lhe p6de ser
dada guia daquefle imposto, cumprindo ao suppli-
cante, portanto, solicitar a outra do cartorio.
-8-
Dr. Pedro da Cunha Souto-Maior, Anna Rosa de
Jesus Teixeira, Democrito Carlos de Miranda Pei-
xoto, Jos6 Antonio do Couto, Ernestina Carneiro
Lisboa e outros, Maria Jeronyma e outros e con-
tas do commando do Corpo de Policia. -Haja vis-
tajo Sr. Dr. procurador fiscal.
Vigario Genuino Gomes Pereira.-Junte-se co-
pia das informag6es.
Adolpho Joe6 do Araujo.-Pague se.
Coronel Herculano Alves da Silva.-Informe o
Sr. Dr. administrator do Consulado.
Domingos Antonio da Silva Beiriz.-Certifi-
que-se.
Tuae Guedes de Mello e Vicente de Mc ..es
Mello.-Escripture-se a divida.
Fielden Brothers.-Informe o Sr. contador.
Dr. Eduardo de Barros Falco de Lacerda.-
Certifique-se.
Manoel Cavalcante Coelho e Manoel Jos6 da
Costa Cabral.-Informe o Sr. Dr. administrrdor do
Consulado.
Antonio de Samnpaio Naseimento, Saraiva & C.,
Antonio Gonualves Ferreira Cas .ao, Manoel de
Medeiros Rocha e Antonio Fernandes Xavier de
Lima.-Intorme o Sr. contador.
Contas da procuradoria dos feitos.- Exami-
nem-se. it

Camara Municipal C
DESPACHOS DOS DIAS 6 E 7 DE NOVEMBRO f
Pelo Sr. Dr. Jose Osorio commissario I
de edijficages: f
Antonio Alves Ferreira, pedindo licen-
9a para mandar arriar a frento da casa
terra n. 7 A rua Larga do Rosario, levan-
tando uma sotea.-Sim, observado o pa- ,
recer. 4
Antonio Jose Leopoldino Arantes, ge
rente da companhia Locomotora Pernam- d
bucano, pedindo licenga para abrir um u
portlo no muro do quintal do sua casa n.
3 sita ao becco do Code, bemrn como cons- a
truir telheiros dentro do mesmo muro. !
Sim, pago a imposto. d
Clara Maria da Conceigao, pars mandar c
reedificar a sua casa de taipa, sits a Mag-
dalena, nas proximidades da linhba ferrea
do Liaaoeiro,-Sim, de accord corn o pa-n
recee y f
Isabel Correia de Amorim, para man- c
dar substituir madeira da coberta do sua a
casa n. 21 a estrada de Joo de Bar-ros,
freguezia da Graa, 'fazer coziuha, mura c
na cagada, abrir um portao no mum- cm
trente a casa e fazer pequenos reparos no
interior e exterior. Simr, page o imposto. l
Jose Joaquim Marrocos Percira, para a
mndar substituir madeira da coberta de
sua casa n. 92 a.rua da Palma.--Deferilo '
page o imposto.
Jose Jacintho do Ol.veira, para mandar m
levantar umr telheiro sobre esteios no fundo
de sus casa n 5 A estrada da Ponte deo
Uchoa.--Defenido, do- accordo corn o pa- ,
recer.
Jose Mauoel de Sa, pars mandar subs-
titnir madeira da coberta de sua caaa sits '
a estrada de Bartholonueu, freguezia do',
Poao da Pauella, fazer um lance de murm-
no sitlo e outro no fund do quintal, bem r


como umas mei'agaus encostadas ao pri-
meiro lance do muro. -Deferido, depois
de satiefeitas as exigencias contidas no pa- ,
recer.
-Tman :m An#A% An 'a- P t^.-'- I


umuoquius aUhuulu urnua u om m riwam
parsa mandar ,croertar o portiao de casm n.
NA" 38 A rea dan Perambuoaas, fregaeaia
das Gra .-Dofoido.
E^ Dr. Jos= Benarde Galvb. Aloordo,
para mindar fer divmmaw aodrt' eam
a o s s -am site 0 CaOMW to, ,fsompe-
E*i. Pogo da Paa i*.ju bm s'baa ituzi-
SX0 de trew:. eMo -as for'm do pa-


Av*i a *$e ad Budlloa a sua c f i


Pur decreto de l0ide m.irv-) ade 1I K fo a-onscc-
did;L a garaitia de juro de 7 e, sobr'- capital d,-
J00:(OJ.)5 ;i compaihi.Li que 1. cngai-l..iro Manoel
Coetano da Silva Lar', org;Anizais-- pars esta-
belecer um engenho central no munieip:.o le IAn-
gra dos Reis ; a 29 tic outubro do mesmo ann o fo-
ram approvados es estatutos do engeuho ceatrmal
de Jacuecanga, cuja denominaqio t oi mudada
para Bracuhy por decreto de 18 dc fev. reiro de
1882. A 7 de abril de 1&S3 foram approvadas as
plants, desenhos, process c orcamenao e a 7 de
dezembro do mesmo anno os contratos pars forne
cimento de canna.
0 enzenho central de Bracuhy recebe a canna
por mar e por terra. Para o service do mar tern
seis saveiros de aao, cada urn pars 15,(A00)u kilo de
carga, tres lanchas movidas por vapor para re-
boque e uma ponte de madeira de 2.0 metro de
comprimento e trees e meio de largura, corn guin-
daste para sete toneladas. Um aterro corn 20
metro de comprimento sobre 12 de largura figa a
ponte A fabric, e sobre o aterro corre urma libsha
ferrea dlupla, que temrn em urma das extremidadeo
a balanca. Para e service por terra tern vias
ferreas corn dcsvios que ligam as p!Anta4ese cir.
cumvizinhas A fabric. Estas linhas esrrem sabre
uma estrada de 6 metros de largura sobre 1 .: N., dc
comprimento; pars ellas ha 150 wagons para 800
kilos de canna cada um.
Dos trilhos passam os wagons, carregados. parns
um elevador, que os eleva a um estrado de ma-
deira, situado a 3 metros e 86 centimetros do
solo. 0 elevador A de ascensao vertical automa-
tica e sysfema rosca sem fim. Eate appareioh
recebe movimento da transmisaio geral por meio
de correias, e pode elevar 5,000 kilos de peso
bruto. Na descida serve para os wagons vaSios.
Os wagons no estrado principal passam saobre
trilhos sos lados dos corta cannas em awmero
de tires ; estes apparelbehcs silo de system. Warn-
rieck de Bran, Moravia, e compoe-se cada m de
um disco de ferro vertical de movimento rotativo
impnimido pela tranrmmisio geral, mediate cor-
reias; os discos coastem cads um eia ifcas do
melhor ago, podendo soer substitdlda. sr
amoladas ; estes discos produzem 200 o s0 por
minute, sendo perfeitamente torneudos I ten-
talos por tortes fundamentos de fterro fundido.
As cannas cortadas obliquamente em pedao.
de forms elyptica e de tres millimetros de es-
pessura, caherm sobre um cond ctor de bom ra.- a
vulcanisada, de movimento alternative rectilinio ;
um canal de madeira semifechado envolvc o con-
ductor e apresenta 12 portas metalicas movediaas
que formam outros tantos conduetores. Estas
portas fronteiras a 12 vazos diffusores, serverm a
conducio das cannas cortadas accumuladas sobre
o conductor para os diffusores.
Depois desta distribuiglo e fechados os va-os,
eomeca a extraeeao do caldo nos 12 apparelbos de
system cylindrico, corn entrada e sahida een-
traes do caldo os diffusores silo de ferro batido.
solidamente cnstruidos tendo 930 miliimetroa de
liametros, 1,180 de altura e 8 nectolitros de ea-
pacidade. As extremidades de ferro fundido sio
fechadas por tamposa movcdicos de diametro um
p3uco superior equilibrado par contrapez(l par
facilitar a manobra e adaptam-se hermneticamente
pelo systems Dantzenberg. Os diffusorsca con
nunica n-se iuteriormente por tubos corn agna,
caldo e vapor, cujo diametro A de 120 aillimuetrws
podendo fear independents por meio deo valvulas
especiaes do systems Luis. Por eate meio isela-
se perfeitamente cads um delles, facilitaado a
carga e descarga, cads diffusor, esti ligado a urna
naldeira maltitubular de cinco metro quadrados
de superficie de aquecimento, chbamada calori-
sador, cujy fi e 6 elevar a temperature do caldo,
la passagem successive que este faz do nam dif-
usUor pars o outro. 0 caloric tran-mittido pe6lo
calorisadores 6 a vapor a 4 1,2 atmospherns de
pressiLo, sendo esta indicada por malpotiaimetros
de que estAo munidos cada um dos calorisidores,
alem das valvula3 de segurana. Dos diffuses
extrahe-se de 3 em 3 minutes 'uma poreao de cado
apreciado por douns tanques de term batido em
communicagio corn as mesmas, aos quaese di
la Europa o nome de boe.-ja'ijers.
0 bagano isento de assucar cahe ple par1e i1-
erior dos diffusores em um canal de madeira que
a conduz para outro de alvenaria que vai ter ao
mar.
Dos boes-jaujeurs, o caldo vai por meio de to-
>os, pars ciuco tachas denominadas atia-dores
Ie 72 hectolitros cada uma. Estas tachas coated
-ada urna um system de tubas parn a introduc-
;io do leite de cal, de vapor e de asido carboaieo.
A cal de marisco convenientemo nte lavada o de-
uida em reservatorio matalico, e ietrudsuida -
maturadores por um montac ado : o acido am-be-
siC) proveniente da combuatbo da leoua de for-
salha dos geradores de vapor, prtviimmte Invlde
refreacado em vasos apropriados, 6 injectado ern
grande quantidade nos saturadores por urna bombs
mnemnatica do grande forces.
Terminada a operacao da satn:aco da eam pio
ieido carbonico, todo a couteudo do atarad-r,
esadd, carbonate de cal e mais residue dem |.1
33u proprio peso, par 2 moata-salde, que -
icto continue, o tas passar pans filtro-prlua de
25 quadroa cads urna do systems Ddae de Halle,
&.llemanhs. Os filtro-prenas eronsados per
nittem a lavagem abseoluta dos reidwr qse .u-
riormente sao utilisada pelats uqutama: -d.
appare-lo sahe ialmeute o caldo, iseat de n-


teias organicam emo sspeao.
Na sahida do flltr-premsa, o scaldoe levad.
per urma bombs s um reservatorio de frmo bat d,
o qual cable pr preado natural me interior d I*
eorpo do triplice efeito.
sate appan h'o, ja cobee wo Bmsop-,
s de tires rapes m on ealdeinms do lam di-
9ms e oidnmoate ematnmidas, nysm Wd-
Icherck d4pln BohbbML
0 emlorlea empregils 6 v0?= do an*%-
circula pol interior d. tubes imetN
d na spmsm Por mel. _-
tarnat do ooslri. Os tA jw ue m e
disautre ( iwalib" sRO -
reldadem, nealuaai mm a- d-I *

4k ai -mmb% i_ -


n an Mahan&-


. .. .


1-5--

41. __


j : ". '


' *
.T.-..'. 7 ," .. iT
S- -. p- *
4'^^.


. -..,"^ Z.' -... .
,. .- a--': ,.
.: : -,#. _


-- .. c -
-. -, p-.^ -: !


,. 4--,:: i:


I 5
'4-s


gusto Dionisio Gomes do Rego, por conta das
graiuitas a que o governor tern direito.
-#- A' meamL. -- 0 Sr. gerente da Companhia
Pernambucana providence afire de ser transferi-
da pars o dia 2U do corrente a sahida do Giqui6
pars Rio Formoso e Tamandar6.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios :
Ao commandant das armas. -De drdem do
Exm. Sr. president da provincia communice a V.
Exe. para seu conhecimento, que segundo partici-
pou o Dr. chefe de policia interino em officio n.
1,161 de 25 deste mez, foram expedi los as preci-
sao ordens no sentido de regressar da comarca do
Bopito para esta capital, o soldado do 2 batalhiio
deo infantaria Domingos Lourenco Torres Gallin-
do, de que trata o officio de V. Exe. de 22 do cor-
rente, sob n. 542.
-- A' Companhia Brasileira de Paquetes a Va-
por.--O Exm. Sr. president da provincia manda
aecusar o recebimento do offic.o em que V. Exc.
eommunica que o vapor Pernambuco, chegado hoje
is 7 horas da manhi dos portos do sul, seguirA
pars os do norte, amanhi as 5 horas da tarde.
A' Companhia Pernambucana. -0 Exm. Sr.
president da provincial manda accusar o recebi-
nmento do officio de hoje em que V. S. communica
Stransfereucia da sahida do vapor S. Irancisco
ara os portos do sul, paras o dia 29 do corrente,
is 5 horas da tarde.

DIPACHOS DA PRESIDENCY DO DIA 7
DE NOVEMBRO
Abaixo assignados proprietaries e mora-
lores no povoado da Torre. Informed o
3r. genheiro fiscal da Companhia Ferro
Dari.
Dr. Antonio Joaquim de Barros Sobri-
". -Sim, nas condic~es em que tem sido
W~fdido.-
IAnna Joaquina Lins Vilella. -Indefe-
ido.
"Bacharel Francisco de Carvalho Gon-
alves da Rocha.-Justifico as faltas. De-
ois de notada na secglo do archive da Se-
retaria do Governo, remetta-se este reque-
imento ao Sr. inspector da Thesouraria de
agendaa, para os fins qonvenientes.
Fielden Brothers.--Informe o Sr. ins-
wctor do Thesouro Provincial.
Fielden Brothers. Deferido corn o offi-
io d'esta data a Thesouraria do Fazenda.
Bacharel Francisco Pothier Rodrigues
iima.-Como requer na forms da lei.
Francisco Nunes Pires.-Apresente al-
arA do juiz competent.
Genesio Libanio de Albuquerque Mon-
>iro. Indeferido.
Vigario Genuine Gomes Pereira. -Re-
aettido ao Sr. inspector do Thesouro Pro-
incial para attender ao supplicante de ac-
ordo cocm a informaglo de 29 de outubro
ltimo, n. 246.
Gouqtdo Cavalcante de Lacerda.-De-
srido cornm o officio d'esta data no Dr. che-
e do policia.
Bacharel Jos96 Lomelino de Drummond.
-Deferido corn o officio d'esta data a
'hesouraria de Fazenda.
Bacharel Jos6 Cavalcante de Albuquer-
ue Uchoa. Remettido ao Sr. inspector
a Thesouraria do Fazenda para attender
o supplicant em ternos.
Joaquim Jose Gongalves BeltrIo. Re-
ueimra a Thesouraria de Fazenda a liqui-
6eo do debito relative, ao exercicio fin-
o, e aguarde a docislo que n'osta data
olicito do Governo sobre o pagamento da
mportancia reference ao exerdicio de 1883
1884.
Jobo Thomaz de Aquino. -Informe o
wr. commandante do Corpo de Policia.
Joae dos Santos Coelho. -Informm o Sr.
agenheiro chefe da Repartilo das Obras
.ubiicas.
Jos6 Trm-Yes de Menezes.-Informe o
r. Dr. inspector geral interino da Ins-
rucao Publica.
Medeiros.& C.-Informe o Sr. coroner
director do Arsenal de Guerra,
Capitlo Manoel Joaquim de Trevas Ma-
inho. -Apresente a Thesouuraria de Fa-
etta o titulo da nomieageo.
Pedro Francisco de Paula Baptists.
Uttendido corn o officio expedido hoje ao
L'hesouro Provincial.
Silveatre Aires de Alencar. -Inform, o


-a


-I.


V


w -


1 ,.-'-


2" .
.' ... .


. .,


PARA












ilme danitustsate
B."-


^*^~~ Oai s'jtciiajd ou e xaaspe, cabs pol6 se
S poprio p m a interior de doim t M-a*
e qa atenm te o elevaimm aumW roj09
d e! 35 queoaid6f system Dele, que iUina
matsrias ii nelle suapeaas. -
S' DahiM o caldo 6 lovead, tres reservation d
seis metros e abi ur dei
....: -aao para ea~|~~bi m'f lg .lMl_
dade 6em eadg ou
cinco metros adhlt IX v
bume.
0 caldo ummaz .ifl dwI nM _ea att
S tanques de hahow tii*> iq r dsa e o
S precedentes.
A renovaygd mCb6 fU| e ffeo dy
S tema Becker, Y i|ntad l
vado em dornas d-deiram, eom-rOemprego ,S
S cessivo do acido-chlorydrieo e das aguas amonia
S chaes proveuientes do triplice effeito. Antes dc
i entrada do forno o carvio 6 enxuto a vapor.
Dis quatro tanques preeedentes o caldo ,6 aspi
ride por duas taahas de vacuo, ambas de cobrh
S ds offleinas detsbew de-Prai estas twhm
sAo de dapla serpentinaa e de 30 meVr.s qu&dradc
S de superfiCie de aquectmento, cada uma. 0 va
o n A produzido nests appaibos par dunas, boa
btas, cautendo uum secylindnw de vapor de 3(7eA
vallos e mantido estavel pQr umzondensador d
rolo, system ja demeripto.
Doe apparelhos preeedentes sahi a massa crys
taliada constituindo o primeiro jacto, o qual 6-re
f trescado em 300 cixas de system Sehutaenbuck
contendo cada umr 85 kilos de massa,|paraa-sjac
Stos subsequentes disps5e de 27 reservatorios me
tallieos de capacidade total ie 2,916 hectolitros
S,. Para transport da masa crystalsada a outro
-:. corps, a fabric posse 12 wagons apropriados a
* servigo interno.
A massa cerystalisada, depois de turbinada enr
apparelho proprio, A conduzi a por um wagonett
suspense, para seis gr tmdes turbina tecliad is
do system Ortman, de Bruix.-llas, d- inoviinent,
interior. Cda centrifuga pro'luz emn umi hor.
280 kilos do assucar branco.
0 xarope proveniente da turbin-igem, A reunidl
em 3 rservatorios de ferro, subterranoos, doitde
aspirado per appareihos de vaicuo pari produzi
os jactos suibs-qneutcs.
Par.it refiirtio possit a t'tb.ici d.,us tanque
par- diluir e clarific ir o assucar- : o- tanques st,
muni O.s de valv ilas d'agua a vapor; de dua
bombas toc.idaas por transmissl, ides'inM it3s a elo
var o .issue.ir diluido aos filtro d car'.'ivAi aniin
de dous apparellios es-'ece,: sarvind,) p-itra ig
gli mt-.ir o :iassuear ',n p'-jieno)si cibos.
A frmncntai;,o o ultimo inael r feito '-m loz,
-1-irn is 'Je in:tdeira ( de Ioi. Umn i b nm'ia a api
authomatica do svyst'in-i de D- :hum el o eva ont,.'ii
do das ,lornas ,lep )is 1:i frimn-itii) a mm -Ip;.ir>
Ihdi eo cobri- erin mulurni, svyt-mi Savalle, on k
se op;era.-a iistillne.1o. 0 proiucto deste aspare
li.) ,'. Jepots refificato em nitr,) d m'srno rnt i
t-tnbemrn em ctli'nni, ap,'fi-ot ao p)r Klla;
Rauy, de Bram.Iblas. A. din-is ctn'tis s-it' Ii
gai.Is IU6 uTn si vaso matiallict de grin I- -iltirni-
n le *., .icham i--nail-a-: inas s 'rtentinas oper n-
lo i- ,ai n. a-rite pari-a in lens;: Vi d, '; v pot'e- .il
Coolicos.
A :igun veon por tinn -.anil tforre s 'ci,. I
uina i-r;tici:t '1,, 2,0)) inetros, e nai faibrii' & ele
,-vila ;i altur. die 15 mnetros p-)rn qiitr. bolnib s
duas a vapor v duas tocadas p.'lk ti-r.nsmiissi, -
rali. N-ssa altura C recebidi& em rres tan'-uL"s,
i'on'le distribuida : a qu:irtnid nd- d'azua cleva-
da C6 de 3,61J) litros por mintit-.
Urna mnachia de divtribu,''io vitria\el, ,o- 7T.
cavallos, systems Lebrum, de Ne.niy (B -Igie.i),
aetia u.,et ctrausmiss;ito oe 70 m'tros quie minwe to
dos os apparelhos e machinismnos.
Disipe a fabrica de 5 gira lores de vap)r, sIp-
pareihos multo-tubulares e inrxplosivos do syste-
nma Denny & C., de Villebroet d.i B-gie.i, : cala
um con.e 16 13 tubos de 3 metros mcinio de co n
:pi-iin-'ito e 121)0 centimn>tr-os de diaminentros, repre-
sentando uin.stiperficie d, aqiieeinr-nto di 222
metros q iadrados e 125 eaivallus de forqa. A ali-
minta(tAo so tfaz c inm ;igi de con.'ensuiqo por
iina bomb do syvtein koil-t ,le Pilza, aspirrtn-
do do 2 tanques e-Iiiiiric)s e.nh-cidos pelo ioii-a:
retour d'eat. Ec e.iso de desarranio da bgmb.i a
allmentacIo se faz por um roesecrvatorio de ,ran-
des dhtrwnsues que sobrepse on giradores. ?s 4
giradoras esito em communicaio- corn um canal
do alvenaria de 4 metro quadrados de aeecao
onde me reune a fumaca que em seguida deapre i-
de-se na atmosphera por uma chainusA de forro
de 32 mctros do altura e u'n metro e seett-ta de
diametro.
As div rsas machines, apparelhos, reservato-
rios e dornas sao ligadas per tubes de ferro fundi-
do, batido ou cobre, cuja ditninao v~iria de 10 a
480" miilinetros.
Possue a fmbricas um laboratorio para as diffe-
routes analyses concernentes a fabric i sucar c alcohol, tondo os mais aperfeicoados appa-
relhos, para deternninar o peso espeeifico dos li-
quidous, o acilo carbonico a porceitagem a'calina
dos liquidos, balaunas de m-ior pr-'ecisao e um po-
larimetro dto Schucdt e Haeuskh.
Tern ura pharmacia e offieitaan de ajustagin
de maohims'ta e trabalhos din cobre e ferro.
Represent o edificio em posicgo hmnisoatal um
grande grampo, coin fundo c angelo recto, tendo


as peroas transversdlneute cortanas pelo corpo
principal formando fachada, que so destaca do
tfaundo it, gramps do 8 metros, formaido inter
uaeite uina grande area e h-A,,cnd.- no centre
desta urn torreao.
As pernaas tern 9n,60 de largura. e 44 a 50 de
comprmnoento, o fun io do grampo tern 14 metros de
I irgura e 67 de comprimnento. As parties que for-
main o corpo principal tern de cada lado 13 mrtros
e 7 i de largo e 12 1/2 iJe comprimeuto. 0 torreao
teal 14 metros de largura e 8 de fundo. A altura
do edidieio e uniform., : 8 metrim t maio acima, das
solaras coam exclusio do torreo que A de 15 me-
tros lateralmente.
0 edit&io A toAo de d)a.l'-A, e tij Alo' teadno-so em-
pregado eate uas aresr s vivas. A coberta do
ferro galvanisado e o .jlo da t. ,rica ladrilhadi
de lagedos. A ientrada da ltuz ar e feita pur 9J
ab rturas.
0 elifiuio toi comecado iha dous annos sob a di-
r.e o1< d-i eiigeohiro Manoel Caetano da Silva
-. 'I. lue sc ctcarreg.ou da montagem de o dok
,.s ipparelihos e maclhinismos, por elle escolhi-los a
coinprados em diversous paizes da Europa.
0 priumeir, engenlho ccntril no Brasil em quese
adoproi o systeuta d--e diffus'isao, foi o de Bracuhy
pr.)prtie lade dos Sris. Souz.t Ir-anos &. C., que o le-
vantaram corn cs seus propr-ios capitals.


REVISTA DIARIA

Exttimaecao da variola em Paaluares
-Da secretaria da preoidencia remetteram-nos o
seguinte para publicar :
Sibma, e Exm. Sr.-A commission, abaixo assig-
nads, nomeada polo antecessor de V. Exe. e en-
carregada para distribuir soccorros aos indigen-
teo accommettidos do variola nests cidade, ternm a
satieaeio de commnunicar a V. Exc. que conaide-
ra find a sus miasao, porquanto acha-se extincto
esse mal, e si um ou eoutro case iiolado aids ex-
istn nao tern elle chegado ao sen coaheeimeato.
Duranite o tempo em que a commissilo se enear-
rmgiu dos respeetivos trahaihos foram atacado. do
mal 249 indlviduos i deste3 falleceram 62..
a A' disposi*o da commissalo foi posts pelp
anteeesior doV. Exec. a quantia de 3005, quo da
collectoria geral reeebeu-se, seomdo que esa, quas-
tia foi today dapemudida, bem como a de 3475 quae
* eamridado puticular offrtou, asaim mais 400%il -
se dos medicamentos fornc'.i .os pelo Sr. inpeptor
de seaude publics, que muito solicito tornou-so sos
ecumido" e vtita dos vaiolmaaB
Sa A eamuissk cumpre un devmr,, Isu& ao
v conheeimato de V. Exc. que pes.. dedUjaQa e
s ervigos pestadoseA s gratuitao. A d. o di.M do!
utmB9if os Dmia. Jolm Maria Sevao e Kael. Mal-
g|1 Ye' ioeuayeua Jujd auiqc. yor
I Ua~yphosawtiob 0- o-e 4w tiA, JUM'Pun Gw
calves do AlbuquCPquerw,&.Juuigv.-
I ~ ~a IWM~ Vlb -a.t


&4guts Xmvi"ite Uia. eapitlo Jwaim a
alyvu do Albqurquqe Junior, x se
espontaneas e sdmtealm-6 qm a
mesmos deavalidoa durante o periodo da erefida



!l O .e B, Na m-

Mj.. d
..h.& &Sja


0 -acMiBf do ew'-3d o resulted
- dos actors de hontem:
a anno
Ditlmira Scuandina da Costa, plenamente.
i- Argemiro Alvares Ferreira de Souza, simples
a, mente.

is JuInau l,daSiva Pinto, idem._
i Julio Cear Gomes dia Silva, idem.
2- Ant- io Caetan ) de Jjaus, plenameate.
3 anno
.-Mauo.l Pedro Villaboin, distincuao.
J iaquim Cindi-lo Marinho de Souza, plsnameatt
s- ELutaido Ferreira de Cerquoirt, idem.
SAtitfu-Joaquim Pires id.,- CArvalho e Albuquc;r
k, que, idem
! FrianAisco de Farias C:.,-tr, simplwmante.
,- L turentun- Gonq.lives de S'nna, idem.
s. 4 anno
)s Helveci' tie 'arvalho G.nis, simplesmento.
Lo Gumersiuno Brssa, plenainente.
Virginio Marques Caraeiro L"Io, Hem.
n Jo, Ctmuillo Liahtres dc Albuquerque, simple
e meute.
S, Militilo -los Saut i Sar.Ahy')a, plinimunente.
o Arthulr I.- nVusrib Biacuen'u:-a, distiuccao.
.A 5' anno
;i : el Ag ipito Pe'eir- pI 'n im.:ite.
o Ri.,l-uho de Carvtalh >, ideun.
6 Lniz ,irb tilho Ueh6 i Ca-'alc inte, idem.
ir Tiom ,z Goms .it Silvt, ilem.
0) int Victor, id -in.
!s Jardelimno G')qilves ,le S n I, idiem.
-o Este.'s recb-ramn o grt.) d- bach-nrel.
B Exames da Escola Normal-Amanh
e i..;-; -mmi As 9 horas as provas oranes, smdo iha.
tl intdos os s,?guiiites altumnnuos :
3. anno
Arthur- Oct iviano da Silva Ramos.
M tii-,2,l Justiniauo tios R,'-i.
r D. J-.t-iuiii' G-uomns Peirei- Jde Lyra.
D. Aimn'i Carolina Peireira de L) ra.
D. l'lii:.-i:iIa Gomes Pcreira de Lyra.
) I). Anto'iia I'eregrina Cavaleante de Albuquerque
D. .M:iria d'its Neves Guimarles.
I D. Joanna Augusta de Albuquerque Jacome.
S 2.' anni
- MoJesto FIl.reutino Herniuto dos Santo. Correia
i .Jo'.) Cliry,)-iostomino Ide Me.llo Cabral.
- Joswc do Re.g.) Cavalcante Silva.
D. Adelaide Augusta da Silva Mcllo.
D. Maria Amnalia da Silva Mello.
i U. Maria Zulmi.'a de Barros Lima.
D). Fraineic.i Emilia Spencer Ntro.
- D. Maria Ro-a P-t-;eira.
Ladr6e. mascara'loi-A's 3 hora, d:
i ,lugni-a-la do bhont tfi assaltata a venda d.
- Si.-ta linlio, p,.rtencent, Vicente Ferrnanles hd
Silva, por 10 a 12 hbmnens armados e mascaradao
.I e aos qui'es elle naio clieeeu.
l Intin-.lo o Sr. Vicent-! pira abrir a port, nv,
quiiz :i-e.'ler a tilo li:s.rraoala exigencia, pormA
aliial resolvcu-so a attiidel-os, pois iam 'jA deste-
Slhiar a casa e arroinbar a porta.
D -pois de pM.-'tri-e' n v n n v -n ia coneqaram a
dcir buse.i rigorosa n) quo havia alli de valor, le-
v ,ud ) mais d- 2W04 em dinheiro, 2 aancis, 2 tran
c liias c.)ai caqoleta, 2 pares de brmnc.is e 2 de ro-
7ert:s de ouro. Nao satisfeit.s carn isto conduzi
ran m tis 2JO c4lurutos, 1,0)) cigauruos, 1 cliapo
r de feltro e out--os objects.
En sgui la r -tim-riun de muito a seoj salvo,
pois qiti a ve.dt existu -:n lugar erinma c no po-
-i:t o roubad o a nao querer arriscar a vida a t6a,
bra-ar p r s.corro, que neo [he chegaria abso-
luta menaoststupa ; amim .-ummo oi leveoaialte
fuerid. corn n la= eadm beoa eom a em. uma am
preto velbo que com om imi-,
A anmaidade pelieuhl toma o emhoeimuato, do
Sfacto.
More repeww*$ut -.Aate ho;tes,kA- noite,
falleee- repeatfinammete a- esi*-Ao da guard ei-
vica da parochial deS.- Frei PedNi-o Goaalves do
Recife, um individnuo, de cor branca, doe cre de
3,) anuos de ida Ie, d& n -me Joilo de tal Brags.
Esse individuo que-era d&Ao & embriaguen foi
para ali remettido pelo pai, par nao poder supor-
tal-o em easa, attcnto o seu estado de alcoolismo.
Cbegaudo a estagio referida, o infeliz foi ac
cominettido de delirium trememn, e pouco depois
falleeea.
0 cadaver fAoi vistoriailo pelosl 8ri. Drs. J, J.
de Somiza e Costa Gomes.
LiSertacao-0 Sr. Theodore Benzer dos
Santo, estabelecid o nesta eidade corn loja e ofif-
eina de moveis, co nc.sdeu hontem liberdade a sua
eracAva Jaiuaria Maria da Conceieao, sear onus
algum, dispeasando tamnb-m os serviwos de Anna,
dc 8 annos do idade, filha da referi la eserava.
O Sr. Benzer foi levalo a pratica de tao bella
a- :-To por t'' ,sbidoqu: Januanim, aceommettidi
do dsejo, de ser livre e nao tendo dinheiro algum,
tuntara, As 8 horas da noite de quinta-feira, na
cidade de Olinda, poa-termo sua.-xistencia e a
dia flha, atirando-se ao mr-r, na praia do Uarmni,
tind, sido, telizmente, ambas salvas pelo vigia
dc trstacio da estradi de fcrro do Recife a Olinda.
Januarin, pmra realisar aquelle aeto de deses-
pori havia am trrarlrs as coutas a sua filha, corn
ura cord, .quo ponco antos counprara em Olinda
n'uma venda.
0 Sr. delegate) do Olin la eapitito Jose Nunes
de Oliveira, havia to.nado conheesmento do oceor-


ri do e soulbe que Januaria tinham sahido do Recife
'.um dos tren-r d.i t irdo d'aquelle dia, afihn dc
r.ahisr o seu perigo o inteuto. A mesma auto-
rid-,tde co:nlouvavel zelo, a trouxe depois para a
c isa do Sr. Benzer, ondc ella asabs de receber a
sua cauta de- alforria.
Nest.i noticict ha mais de uma nobre acqlo, a
tidas elo iamos.
Tribunal do Jury do Recife-Ama-
nhA, sob a presidencia do Sr. Dr. Adelino A de
Lumna Freire, juiz de direito do 20 district eri-
t. i.ninal, deve ie tamir-se a 6 sesa'o do tribunal do
juiz do Recife no corrente anne.
Para essa sesao foram sorteados os seguintes
jurados:
FregWuezia de S. Frei Pedro Go zcaloea do Recife
Jose Pedro de Casiro.
Jose Isidoro Pereiras dos Reis.
Joao J0a6 Rodrigu%.
Pedro Rodrigues Sonres.
Freguasi de Santo Antonio
Franoisco Antoeio de Albuquerque Mello.
Hermes de Sousa Pereira.
Sebastilo JusA Gomes Penna.
iFrAncelino Deodato. Rodrigues Ferreira.
Commendador Antonio JoFe Rodrigues de Sousa.
Job6 Fernandes de Meeo.
Flavio GonaQlves Lima
Pedro Alexandzino Carlos Maia.
_regueria de 8. Joe
(lementieo dos Santos Liao Semeate.
8ilvino.Chaul o de Albpqotqqe bebrelra.
Marcos de Almeida Lima.
FrIegsia da !Ba-Vista
Eugenio Laur) Maciel Monteiro.
Fmaeiso Vieira Perdigio.
Ebdre JosA Pilto.
Tbaaomax.do A iao Medeiro.
Affonaso Houorto Bastoe.
tenente-corqnwl Manoel Martbm Pimza.
Antonio Pbnipo-s.3spo.o

Manoel Domfuague- aS-
JOAiO co dPr ismg.Xsviqr.

5ft"O a vows* Ab
,uwCmlnB4 AH lq~Mtl

'WKe ln~iil aasO p~.
wFiU

doSieb,
tdoi.R~pgoedel-os aB5ef:.
J~ja Franciaco dha Caahtt.
.MrI o -iadoPop
haif Uehoa.
M 4c 4 Lm. r


)aquete national Mandos levou d'aqE
CJear1:O
ceark I:(KIDMW
i- lMaranhio 2:000J9(
Par& 4:0000

Cifta-sEta-naoia* o ene rou MeUDtrabalhos e
31 do passadn.
Forms conoedidas 2 matricalas a amdemioe
pobres, que o requereram por coat do fundo so
cial.
. Se rgApe& e Aag&soa -O vapor S. &Salvado
entrado hontem do sul, trouxe folhas de. Sergjip
- atW 26 de outubro e de Alagoae ate 7 do correant
As noticias de ambas as provincia slo de into
resse local.-
Conuterencia-- Realisa-se hoje, no thesti
Santa Isabel, a 4' das eonferencias promovid"
pela Commissio Central Emancipadora, send
confei-ente o Sr. Dr. Maitins Junior, cujo prc
gramma 6 o que ante-houtem publicamos. Come
- qarA ao meio dia.
Capella I S. Miauei-O Rvd. Sr. vig-
rio do Afogadoa nos communicou havern reesbi
para as obras da capelia de S. Miguel:
Dr. Fl'rmogenes Socrates Tavares de
Vascn:-ellos 10M00
To ditrictlo de S. Joes -Alguns nego
ciantes c artists dos 100 e 11" quarteiroes do 2
district Ie S. Jose se offereeeramin a respective
subdolegado) par a ausilial-o no policiamento da
'juelles quarteirnos.
Aeito o offerecimento, teem elles feito rnoda
a in.cturuas, tecmin conseguido mnelaorar alli o ea
- ti !i i-o s'gtii-ina dt propriedade.
Operasrem eiruarglcato-Forarnm pratica
Wl):- m, hospital Pedro II no di.L 8 do corrente a
s,'guiutes :
I' .lo Dr. M.ilaiquias .
.AlaiL-) 4.1) testiculo esquierdlo, lig-idaura do c ,r
,11.' "in )' *I c Lrt ut, iadii'.la p h'r-m ttocele
upurdoe .ilt-.-r:;q.o i test iciulo.
P2o1 Dr. Poutual :
Diltttc,'Lo p11 rhirnai) c itittnr di r-tuha ingui
Ui- ';erotail.
U9Nspital Perlr* it- Estiverim 'Im trnatL
in,-at) dur.ritt) o mez ud. Li tuibr;)o i no consiuItori,
i-.;t i do b in o) do h)-pIit id Peihro II, ca rgo d-
Dr. Xugu-uto Serafin, 113 loeuteis. dos quakes 4
couItiautr .in Jj inez d- s.'tenro e 72 eatirar-i
nest:mb. s-.n.lo 2 innal;rhei-e, 21 hm)ines e 2J
ri-i ii is.
Ile lnioes Moelae- lHoje ha as seguin
tcs:
[).I centr'aria d-s SS. Crispimn e Cr;spria oc
aIo cmuvento do Carmo, ts 11 horns, para eleiq-,
L nova mena.
Da A.4ssocia,,'o Porti.,teza ,1,, Beneficentia, As4
horas da tarde, part disaussio de additivos i.t
e.t.itutos.
hi, Coitfr-aria do Stehor Born Jesus da ,iu-
SSacra, ,Li Santa Cruz, As 6 hojas da tarde, pars
eleioao.
Amanhai ha as seguints :
Do Atheneo Mieical Pernamnbucano, is 4 horn-s
Sna respective sAd>.
D.I Beupfi,:eiate Liso-Brasileira, is 6 horas da
tard-, na respective scde.
Villa de Quilpapa Esereveram nos en
13 do passalo :
Foi aqui obs r/ado perfeitamente o cecypse
luinair do 4 do corrente, do qual tratava todas at
iolhuinhas meuos a de prt.a do JurnaJ do Recife,
quo deixou todos em conjecturas, dando coaa de
um eelypse invisivel no dia 6, isso per ser a pri-
meia-eomakRldna e qme nida dizma daquole.
ra Scpat Diarios uombaamde nau.i uasa.aapi<
nato em S. Benedicto. Foi a autoridado qz;e qfs-
se c o acreditamo; ma,- a noticia ab asoo*t ac
long.
Os crimes alli sao tantos que ja ninguemusG
oceupa Bm contal-os.
a Acha nos- prudeateque S. Exe. refor-caeomr4
praVts o nosso destacamento, ifim de que se possa
mandar 3 para all A dieposi9Ao do respective subA
delegado, eassim talvez aquele, district policiai
fique no regimnemn legal.
SEsperamos providencias.
A semana passada recobeu umras cacetadas c
3o supplente do subdelegado do district de QuAei-
madam, Manoel Joaquim de Santhiango, denbra da
minma povoaoao.
a 0 aggressor resistia a ordem de conduzir urn
officio e aoabou polioiando a politia, cujo resultado
no e lisongeiro para a civilisaaie, ainda que ag-
gredido tinha apenas sahido epntuadido.
a Na noite de 4, a do eclyps, vimios ao sudoeste
alguns relampagos que trduziram se em uma tor-
tissima troi orida e aguaceiro no sertao do Papa-
gaio e seroa do sertao TarA, acima de S. Bento,
seguudo pessoa certa que dalli velo e-no. refiw
,, Tambem -hontem tivemos aqui o noaso quiuhio
de chuvas, que cahiram regularmiente de 1 hora
da tarde as7 da noite.
Nao imagine que beneficio nos trouxe essa
chuva ? 0 algodA-o, a mnadioea e a canna ores
cem maiis metade da produccao actual.
A experiencia tern demonstrado e os povos
adiantados confirmam que, quando uria indust ia
qualquer nao gosa pre~o, e o momento em que de-
ve o industrial cuidar em produzir maior uaunti-


dade; porm, -a nosea popula,'o agricola que ignu.
-ra de todo os mais comesinhos preceitos da agri
cultural procede justamente do moda contrario.
a Na epoeha actual em que se devia eucidar em
situar eafra de canna pars o anne, annuncia-se
que vio ser abandonadas muitas engenhocas, que
hoj ceons tituem o principal recurso agricola deste
nunicipio, graas 4A. noticia sempre aterradora da
baixa do assucar.
S Deoens queira qne as cousas melhorem e que o
pv'a so convenga que em todo cas> convey semain-
pro trabalhar e produzir muito.
EstA quasi concluida a colheita dos feijoes;
nao foi a desejada, come em tempo previmos, mas
sobrepuja As neessidades da -nossa populaalo.
FTelizmnente a locomotiva ahi vem psara coady.
zir aquillo que em outros tempos perdemos por
causa dos transportes.
,, Aute-hantem paawu a pequena macbina de
lastro aobre a celeboq ponte do Coral, a deo mi
asaetamento da noesp estrada.
,, Era ella o embarago da abertura da nossa es-
taqlo, embaraco que jA nAo existe, porque nao. !a
trabalho insuperavel desde que os encarregados
delle deeavolvem tod activida4Q.
Consta-noa.que o ultimo luar foi alh batant.
approveitado e per isso dupressase veuceu o grin-
dc obstaculo.
a 0 nivelamento definitivo do itso dca edar-'Ia
jA se acha alem da noaesa estan9- eprosegue.
,, Devemop esperar que os trilioa sheguem aqui
atW o meiado de novembro.
a At breve.o

A|Janipa--E F 5 do crreate,eoaevamq:nos.
desteovoadj m o. seguinte:
a Coino sempre, venbo pedir-lbes o especial ob-
sequio da publicaVio deetas linhu.
a Asab de- chega o whneoiiento. da Scie-
dwI tea DomcaJ d .Akil, qua falwfrLfi -
O~ld& o-rpwfeaw Ma A C.wqte de, Stat&
Roni, qpe aqui esteve e quon a mem&n Suda-;
squello -uf pimhw^a~ slo fwiue.'nui nta e.-aq
devem hao : G, e. inuton ( .
cams
A socied log. que teve conheeimeanto d.
facto, fesmm o.sew esmaios por ties dis e oi.-
denon que e maondasse ocelebrar uma nisua de tri-,
gesimp d* .. ..l


m


SP dteersburgo acaba de ser julgado umn process Loteria da -Provincita-Quarta-feira, 12 na dosimetrica e unico deposit da farin-
politico de certa importancia, que, inutil er do corrente, se extrahira a loteria n. 86 em bene- nha laciea de Nestle, para os meninos de
aecrecentarss, prende coomnihilihsmo no impenro. fieio da matriz de Salgueiro, no consistorio da ptoe eite conead
0 numwro dos accusadosera do 14, dos quaes igreja de Nossa: Seahora da Conceicao dos Mill.- pe densado.
seis offices. tares, onde se aehario expostas as urnas e as es- Dregaria
C principal reo era o coroner Ashembrener, que pheras arrumadas em ordem numerica A apre- Francisco Manoel da Silva & C., depo-
eommandava ultimamente urn regimento da Rus- ciaiao do public. eitarios de todas as especialidades pharma-
sia meridional, e nihilista dos mais perigosos per Lterla de 30:0008000 -Sabe-se per scuticas, tintas, drogas, products chimico
caasa, da propaganda que fazia no exereito. Era telegramma recebido pela Casa Feliz, que a lo- 7 'P01113 do Mar-
ao mesmo tempo ama especie de inspector d'esta terial63 A,extzahida hontem na-corte, foram pre- e mde ena homo3 ati.os, rua do r
soeiedade-ecreta. Os seas cumplices e elle de- miados os seguintes numerous: quez de Oinda n 23.
van passar comn as suas tropes para. o la4o do 3 30:000g000 itlea ftraeea
partido darevohwIao,mal ella rebeatasse. 993 10:0001000 Rouwuayrol Freres successores de A.
No process figuravam em seguida trees mu- 1.502 4:000A000 Caors.Neste estabelecimonto encontra-se
Iheres, send urma d'ellas Vara Filipava, que tom 34 grande loteria da corte de ...... dos os medicamentos homenathicos da
sido alma c vida de todas as conspirs6e e de to- 501OO00006-Com novo piano muito van- ad o a.daes le atls
dos os attentados depois de 1878. tajoso. grande e offamida casa de tean. 0
A propaganda por ella feita nos exercitos do Acham--se a venda A Casa da Fortuna, A rua granules dosimetricos de Burggrawe. As
Caucaso e n'outros pontos da Russia, fornecia s6do creipo u. 2, os bilhetes dosta loteria. especialidades pharmaceuticas da Euroda
per si capitulos importantes para a hitonria d re Loteria de 30,000 04 -A loteria 163 e-'auda A eri aercasd ad uroaa
voluqAo russa. Felipava tern eerca de 27 annos. si-ie B, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui- America, dos verdadeirus autores,
As outras duas mulheres chamam-se WAlkens- to minelhorado, corre no dia 15 de novembro. drogas, produetos chimichos, tinLas, oleos
Lein e Thcemedanuva, e tomaram, como aquella, Bilhetes A venda na Casa Feliz A praqa da In- pinceis, vernizes Productos especiaes da
parte important a ltiias eospiraes, ddependencia n. 37 e 39. flora brasileira e today qualidade de funds.
Etatre oa seis officines ha alguans que perteneem- Leterla-A de n. 163 B, do Rio de Joniro Recebe sempre vaceina fresea e boa. Rua
Aartilheria e oatros A marinha; oa outros ros aw 30:000A000 serA extrahidano dia 15 de no- ru n 2 ci e
saio aceuseados de term escondido o assassino do vembro. da Cruz n. 22, Recife.
coronel Sondeikie. Bilbete- A venda na Casa da Fortuna, rua I'
0 rosuitado do processo foi o m srno de todos os -eJ Marca n. 23.
procesos do nihilismo. Os r6os que nao foram Grande loteria de Nitheroy-Estalo e, iLa 1 A PInIK0
condemrnados A more foram-n'o a trabalhos per- teria, cujo premio grande 6 de 400:0005000, serA n5ILICACOES A PEDIl
petuoas para a Siberia. brevernmento citrahida.
(Condemnalos A pena ultima foram os seis offi- Bilhetes A venda na Casa da Fortuna, A rua 1 -
ciaes, Vara Felipava e uma outra das mulheres. de Marqo n. 23. Aler e nsegrede
BMtatstIea dos medfi..-No eamgres Loleria de 1 :00:0 000l 0 -Esta gran-
so international dna ascianias medics, havido- de loteria 4o Rio de Janeiro, brevemente serA ex- J4 nia o posso resistir
em Copenhague, annunciou -se que presentemen- trahida. Caro anjo, esta affiieio !
te em todo o mundo ha 189,650 medicos, dos, Biuhetes A venda na Casa Feliz A pray da In A voz de minh'alma exprlme
quaes : lependencia ns. 37 e 39. 0 querer do coraqcao!
65,0. 0 nos Estados-Unidos. tia*nde. IteriBa da corte -Esta grande
35,000 na Grai-Brotanha e nas suns colonies. loteria, cujo prernio grande A de 500:000(000, Diz -me ate quande. terei.
32,150 na Germania e na Austria Hungria. sera extrahida trevemente. Esta vida de amargura?!
26,300 em Frmaaa. Oa bilhetes acham-se A venda na Casa Felix, A Olha! repara que soffro
10,000 na Italia. praca da Independencia vs. 37 e 39. Santa e bella creature.
5,000 na Hespanha. Loterkta ie sei6f Corre impreteri-
A idade doka seberanmos--is aqui u i velmente no dia 22 do convate. Ea te quero, oh I minha bells,
iateressante asumpto da idade do todos eos sobe-s Bihetes garantidos A venda, na Casa Feliz, A Como a lux do elaro dia I
ranos existentes. 0 decaoe des. monarchs 6 o prap da ladspendencia ns. 37 e 59. Corn amores t4 me encontras
imperador Guailherme da Geimania corn a pesada Loterla 4do I1o de aaneiro-A loteria E me inches de harmonica !
idade de 87 annos. a n. 36 B, do Rio, de 20:0005000 sera extrahida
Uo em seguida : no dia 11 do corrente. Vem a mim, oh! carol anjo
0 papa Leo X[II1 73 anuoa Bilhetes A, venda na Casa da Fortuna A ru 1 Mitigar meu cora.io !
0 rei dalUollanda 67 da-Maesna.23- Quero ouvir d'esses teas labio.
O rei de Dinamarca 66 Vv #Afl kir. --hegades dos portos do sul A divine permiunao!
A rainiuMa Victoria 65 Ano vn P.ao.4 onal S, Savador:
0 rei de Wuxtemberg 61 Da: T BL R. da Cruz. suas wanhra e 1 cri- 0 afferes, Manod Juio de O/veire.
O imipemador do Brasild 58 a do, ria, gn4acia, Domigos Gongalves, Argo-
o0 i dSaoai 56 miro Biuarroa, F.. Y. Konnworth 2 praws de
O imperador d'Anstris 55 a policia e ieatenciadq, Publcamos hoje a chaps cmeonrador, orcq*-
- 0 l .dea Socia e Noruega 55 a -Cleaa *sd. vup a procedeamia no vapor sada de accordo .om as adhesoea pi T.
Orsi doa s Balapa 49 naciomw4J rj Wm44"aj duatricton eleitowam
O ide. Wtbgn1 45- Qo4Vido.Nagx awx&eLMuIa aria da Con- l* M.1mdoas ow dopajs..k IMidafa
0 reida Rumaa~a 4" eR1w;! XWnW. drI C
0o o Trqim 41 ."e"Mad n jm ]& de,,pal Be U. 06 % A
-0MLIffli 40 M OtwrVs dno. 44 7 de saass I p --
101"Ms fa& PsaBiA 39 -.. top Oibrq U 99pW": M AL__
58 a88 eAu" ^ ui4di:
:Aj~~iji&&MiiL2 as A,,U6.aaBzissr TYg,.rM P iM r if.j


i1 -


: .. T ,
sin, y,
1-'.
l ~ ff:., .. .= _-, ': .." ..::- ,


- 5~


4.j e..
.


,'.../.' ,lE -s-.cl


-- ~ -
-
- -*. s.- -
.7


* .7.-
-~ -4;
- ~- -~ -


r
1' 1 '', !


*. '


-'i>--sr


W" Al .-.c...a oAtrw .quo muito o da to4os eases territory Con ft ol a MI A
a Iocae, usd ha uteglaterra sse aposdon ds a coetma da Africa ate a 6 tub do 0-5 401440 8s"M r&acl =I&
NotieiMloeae nada ha e seja digo de Zanzibar ao sul e abre urmsa westrada aou grades Mb deo 480 a 3520 rag a cis.
a o aor unma chnwuslaque apparoceu lagos do interior para opportunament se 0poderir 1SCdo800" & 00 5 u.d
.4 noite; tudo mao-vyi regular, granasa a Sudan. 6 t cn v0e4 .
Ui. m i A Abasinia so acha induida neatas novas 17 dahos.4 cu verde.
U U Oe & ovllha vlleslea.-A super- annexacoes. 17 ditos4e rN i
fcm do n0o00 planets a soie ontinamente pro- Urn periodic de Londres. Life (vida) corn- 7cOlpartento do log.
fumd. transformal o.. Os marinheiros teem ob- puta o valor doe annuncios do 7Times s6 per um 7 36..idmperti a de l0= .
que n'algunapI lmA-r iRedespqWo a dia, tomando Pa xempl-1.4,26 de jn*da cor- 6 d eveme d flr h a id ia.
S continenteespp ,mf. qu%-moAuM^pa- rente anne, Os ra.&wna darmmweiv e disa do. te(,1wrr0 mate di a aimp-
S Msta-se d'elles.. 2,180 lib=. estenfas,.soa uManuemna foram adek.a no Mafdu.
JSpressLo du uawnh a nWA.phwAweno 13,000 libras esmil as .o uiuw az 3&J0. S,, d- a (1h --a mtidau no Mat 9 mo
smmum, e a ilhiquelo eml umrredaoto,_ do-beti ubanom m dlJornaei coi o d sP d_&Mta01 prsa eatmo no dia 9 do
;;-amente d da profufB daiat.--u.tem politicos .,dr _d traboa. de qMobeb*achark e,, Mimde s' old&tfa. pr Pra caldeira
Ion Maio vuookI~5nQ Aw de ftdo. pro-0
ad mai de -ua vs inrd odteanve- que o luo de ouav ao d ULM"t&wan. a? uo A0,
I,400,OOOi 0ztbl os tli julsonSltsi a m o dek wthAfA --4vMwneto dos pre.
S continuas ind'L j ddgbbe dkrra quota, poil.se am prI p n !mun .Z m 9, "ro
a- t^ina vido de bbswdzi ou m .si I-n os como o ro MO=,Sa^ saws 4Mw..emhwarn 9, ,shirmC6,
a-g das entire otVie vcie.r yolol oia/ rM f Fl .
taram agora a suscitar-se a proposito d Tw&to s3- expedio dos v .nho itanos og m dos -, N n i3
94~xno dos vidnos iTalilam&nos 108meiri0 acos e 6, ue-s1
ni guinte ha poueo succedido. trangeiros e corn just causa p'rque sAo bons ou Nacionaes 36, mulheres 10. etrangeiii 16,
Um dos vigias do pharol do Cabo R.y Kjanes geoos falsificados slo do que os franceze es.cravos 17 -Total 407.
D) (Islandia) que no dia 26 de julho ultimo ezplora. AtM ao 1' de setembro, foi feito no eorrcnte an Total 367. edo bon 37 doet 0
) va o mar, avistou um object que A simples vista no uma ex )ortaqto de 1,916,402 ectrolitros, ce.xe- Movimento da enfermaria
00 Ihe pareceau um navio de alto bordo, mas que mais dendo de 222,131 ectolictros a venda dos meres ve aa
T---i ....-. =-:aou. iltla, Tfiiak ferrepoonteos do anne pasado. Teve baixa:
mi as or d. um cone de couaideraveis proporqoes, 0 preoo obtido pela venda ao estrangeiro doe idoro de Souza Lima.
e, segundo a opinion do vigia, estava situada a vinhos em pipas foi de francs 58,392,060. Tiveram alta :
es umas 14 milhas a nordeste da ilha vuleaaioa de 0 anno passado receberamnse 7,278, 930 fran- Felisbino, eseravo, sentenciado.
o- Tydei cu Mteekea.. cos do menos. Marcolino, escravo, sentenciado.
DUrant e 5 diam anteriores tiuha-se notado al- Liga conservadora. Os homes miis eminentes Ceminlerio pltublico Obituario d, dia
o, gnma oscila0& no solo, af6ra isso por6m, nenhum do p:arti-lo conservador inglez, deeidiram enviar 7 de novembro :
pe ouato signal, vulcanico precedeu, acompainhou ou delogados a Paris, Berlim, Roma e Vienna pars Manoel, Pernambuco, 3 bhoras, S. JosA; espas-
P. seguiu aAppori0e da ilh% ,a qual nenhum navio entenderem-se corn os chefes dos conservadorps mO.
e7 se atoveau a. cegar ate agora corn receio do. pe- de Franca, Germania, Italia e Austria, em vista Rosa Marita do Espirit. SinLto, Pernamnbueo. .:9
igos que p6Je correr. da form iclo de uma liga conservadora internas- anos, viuva, B'a-Vista; tul)crculos pulmonares.
to vigia continuou a observer a ilha nos dins cional. Jose MoreiraI Rabllo, Portugal, 53 anuos. sol-
is que so seguiram A apparigAo, see notar, comtudo, Ficaram poetas de part tolas as discusses ir- teiro, Boa. Vista; ciceplialite.
t1 mudaav. alguma. N ao so tem, porem, confiangsa d, ritantes, e tods a s controversial aquellas que di- t Joaquim Rdrig' Diiart,. -i0 annos, casado.
J-I queo-e conserve por muito tempo, poisque algumis zem respeito A political colonial, e ni', se tratarAio [oa-Vista; cougestio, rcIr.,l.
- que em outras epocas surgiram do fundo do mar senao as questies de ordem internal c principios eliciana Candida Clemeuntc Id Larache, Per-
teem desappareeido. ;nti-radicAes. nambuco, 71 annos, sol'cira, io;L Vista, brou-
r Precinajoente no mesmo ponto onde estd aetb A ,phIdog.uaphia.--D-baixo deste titulo se apre. chite.
1o de apparicor, surgiu nos fins do seeulo passa io sent. um nnova scioncia cm segcuimento a nooo- Bernardin.i Tirez;a Ribliro de Aim'ila. P.'r.
uma outra denominada ilha Nova, e ,nstit.uida na graphiai quo enin.% a conhecer o earacter dos ho- nambuco, ; ;Ii ,,1s, s It.ira, Pt.eo : frl,
sua maior parte por cinzas vulcanicas e pedra po mens p.-' eab.ellos da barba. pulmonares.
)0 ines, que desappareecu no abysmo das ag:s t.4o s cabieliks mito reunions e firin,,s indicam um A Alolpho' F'rrer ittilr. L','' ,. .Li.
- silenciosa e mystcriosan-m.nte co'no tiha "p.tre ,rat-ter vigor.-) enr-.i-i.-, un espirito positive ; solteiro, B.oa Nistst; t'iier'1ii., piln.moitr.-.
Scido. os03 cabellos grossos slo signal dle obstinacao, os 'Mnoeil Fraincise.i D t. ['--rnlfL *, l' 1 1-)i
o Por caIusa da app:iri3.o da illh:t, iue tom ver finos de deli.a-li ,rl inclinac.1o ao erethismo nos. casado, S. Jos,. : c .st'to cr.-riral
- dadeira importancia para os hom.nms da s3.:incia. A-s harbis ,'rres1as pert-ncm a bomeus superfi- Maria Mareellas Glim r..'- 'irr.i .. i-''rnamnin.
varias revistas tern publicado curiosos artigos, em cies, mas de ttl-nat.) brilhante e de iodolc ale- c0, 3 alnosO. t.il:. 8 tlt, .\r,,ni.,i: c'A. ,4 Jit.s
ts que s. dispute a theoria da sua formi-ao. e ein gre. .As lisas e r iris denotani anabilidade., mas tinal.
5- que se encontra uma d.fronte da oitra, as theories fries3 de cor;qio. L'oni.Is, P.i-rrn!,ir: .. ,;.*-. ,. ,. ,-
do fogo central e das correntes subt,-rrines. () character Id.o 1l, hI-mim so revels t.iinbem con- mo.
S LiampadaiM clectrlcaw.-Acaba d.,' ser forin. o min. fit.. ell" otra- )os big.).';, as suiss, U L ,n r'-I c *rI .i.C
, tfeita pelos ofliiaes Ila escola regimental ItL Ver- ,'1 r e b irba int'ira
samlles, durante os trabalhos d-1 guerra recent,- Pr.,cisa t.:,.I ivia atton1lr-s ;as profisses que '--- ---- --------- ,
monte oper ilos p-lti ongenheria, umri inlV q.o ,1' im *Xnn ..luln ,o: qialid-i.le de barba : ms a aE I
r- military d, bi.stante inter-ssc. ,_, ea no I a-Iha in ,i,'os it,-lrssauts. I. INI-A
) O empreg.)o I. l-mpadas electrc-is con fi.n d irIn,, r *n d.) l s'o orinriamne
allulniar-se as galerias d is minas, P o se use ii,lep,>-iid-t.s- ilventorets de noviaJhs. -
p I s s ,I Jilos, d-atina-Iis aos servi-7 sulterra- E it se;.liciLt aipres .nta comtudo,, umr l.tcuni. | Utedieo.
i- n., ,. l '' ', n.],:, p.) Ie vir nimi;amn'nte a d-.cifrar o ca- l0'41ulltorio Endivo-ceirhmirco do Or
.\t6 ao presenrite, a electricida le 3Irf-i tii ,i- tct .r ,,l) se- s entitle. Pe1dro o- .tlliyde Lob o eMofton a
- in rte e:n imateria rnilitar para dleterm;,a .- C ,inno ,r. t'ficil prevr, o comnmercio, a indui- ru da Gloria n. 39.
Spl-,)sio das cargas ,d olynamite e polvora. I ti.i e a nAv-\.a(:.io sofferam muito em Marsellia 0 louter ,,,,z, da c,,.ijilts to'.> n,
o A experiecia tout ti.la polos ofliciaes do en,.- i111 a prce,,c;t d.,l cholire.a dias utei., das 7 Ais 10 hira. da ma.niii.
I ulieria tmv.! perfeito r-sultade, as lampa.las mnpre ; Qi si een mil pessoas deixaram a cidad,. Este consulto'rio offerr.. -a n,
ri gadhAs pe olos 3 .lid,) resistirirm .s abios s eausa- 1 c0Insltim,) ,1 LCerV'i a diminuiu l.i,.> hetroli- dote pode ott' .... .--mr',-,i la-
j dos por ,*x,.loso- rs '; A.) kilograininas le po.lvor.i. tod u a d. .Io 2i-,i,') kilogrram-ns. de de powder c dnt .r ilo c xa-
1 pnrineaa Trouihetzkoi.-Oi jornit-'' I ai,,i a-i.;i.) durante os m3uz-s de jullio ininallu,, ) sen ,'iir !."'-ii,.i;,., i),>r >,,itnr
. estrangeiroi noticiam a inm ,rre a prini, .a: L'-2 ag.st i se '-umnirain M,',i,04J kilogrammos d& De ieio dia as 3 liorais l: tn.ro s -.i 0
r'1rouletzkoi, que foi uma dis milheres nis on- t,1irios I,. .- i .. ,257.')Yo g.,iblinhas ; no m1esm7o D.; Dr. Moseozo ,T'.I no torr-,i' a, ,-a-
eantaloras do sen tempo e nura da's q,,e r -m e m .i p,_r,, 1,, ,,i.-c. .I amnii 'to s, eotsurnirni n sen.i
,1 ;tri naiarr celebrilade. r ..-i(._,),ii.,) kil6s ,.. caruies de gt l e 2: ,iiiii gal- ca do Coi ,or.itio, 0,u .1.2 fi.a ,.,i-in t Ins-
A prin,':eza Lis-', que era russ.a, foi p itra Paris linhias. per-ao de sai't-!e do port-. Para ,uali lier
4 aiida Iiniito noiva, seu,-o, a-,o!hi ; emr p'-i'iea' r (I cnsurn,,) d'Jcool, entret-into 6 frtemente d'estes dons pent.,- -,i-i.r, .r ,tirigios
Setiina polo imperador N ipilelo II[ e p,. imp.- augmnntaio ; beh,.iu-se nos primiros sete mezas l os
ratriz Eugeni.. Jo u, 'o 2 0t.1 110itro, s ,de ale-, j i e 20,0(), hetroli- a ados 'a.r a. n:ts i.li.adas !, ras.
Briihou em telas as tests e tomou part n'uma tros ,Ie vinho dei rn tis o]) que o anno passado. E Dr, Leowivrdo 1-- A/li't, rqcb, '.,(',.-/-
Sfamoea quitdrilha emi que danqara-n as mro f'n- veuder~r-se 57;3,(.00 litros d'aguas inineraes .m- cante, medico e laureado da Faculdadr- dp
mosas inalhecres de Paris. zusas. Paris, p6de ser prourado em sou on.ut.
A princesza, serm ser bella era seduetor. Leil6e%--Effectuar-se-hao : rio a ru do [mperad,-r n. 44. das !1 ;
Por occasrai) da ann-xaqo da Polioni a cob .\innh.'i : ua do Imperadnr n. 44, das I
teu energicamente a politiea da Rvssia, tornando,- o ayjeaitleo Pitlo, ia cid Lde do Cabo, As 11 ho- .3 horas. Resilencia lr-ivs-o:, Alto, da
a se pouco depois a arniga intimtna de Thiers. r1ts, ie predios sits na rua Daque do Caxias. Misericordia-
No seu salio da rua Coureelle reuniu por vezes T.-rca-feiri : |dogado
os mais ancaruitAdos iniinigos politico,, dirigindir elo ageide Pito, As 10 1,,2 h,,-as, na rua d: Dr, Milet. 10 promiotor public da ca-
por6m cim tal tacto e habilidade aquelles itim s Air-r. n. 154', ,de mov-i3, lou : Vs, vi.lros. etc. -ia pt r d (a-
debates que nuncasa qu-stat.-ie se irritiarn ali en- ..111ira, as 1 ht1/ horas na ra e 1 pital teon seu esriptori'o d, a 'vo-. .i r:
e tre homens de ideas taoqdive,-sas. i o IFraneiso n. ';i4, de nnoveis. j do Crespo n. lS, onde po)lo ~-r f'roc-,urado
Ali se encontr.aram Girar-lin, o dujite d,, Gra Poo agPft Pe.st,,i,, as 11 horas, n1t rua d0 Vi.- oara os misteres de sua prti.',.
e aurn, Thiers, o principo de Gortchaeoff.mais tar- gario n. 12, de predios. Dr. Se-bra, udou sou e.'criptori, te
- d henceiler do impesrador rasso, Barthebemny Sa- -Qnarpa-feira: d para a r u do lm pe on d.
iat.-Rd'iire, o general Felory, o duque de Aumale Peoo aqente Carrno e Silva, As 11 horan, na advocaisia para ra do Imperador D.
Sn~intos-oitros. run do Vigario Tenorio a. 12, de predios. Das 10 bores da mauhb a. 3 horse da
Quandorebentou a gerra- ftao-prueulma t Pcf a ! prumema Lwe que pertencia A Cruz-Vermelha, rao da Victoria n. 51, da Pharmacia Galeno. Oeculliusa
appweceu noe mercados) seguida doe seus loonieso Peo ageate Pestana, as 11 horns, e meio, dia Dr. B&arreto Sampaio, consultas de 1 a
emlisbre deogala pedindo- pars os que fossen feri. na Cwnpaahia Pernambucana (trapiche) e rua do -. hors da. tar de, na rut a do Ba.ro da
doe na eampaha. Vigario n. 12, de viutho e outros generous de estiva a
Ate entao nunca se tinha visto urea prminceza Msesam fmuebres-Serao celebradas : Victoria n. 45, 2." andar, residencia, ran
pedindo esnola, pars os feridos, nes talhos, nas ---Amanha: de Riachuelo n. 17, canto da run dos Pires.
vendas de hertalisas, nas lojins e per fia na bola. A's 7 horns, no Carmi, per alma de Antonio Dourgard d C.
i lsto passou se em S. Petersbourg. Francisco Cordiro ; As 7 horas, na matriz da Recife: rua do Marquez do Olinda n.
be. em sun caia que se reeoneiliaram Thiers e Boa-Vista, por ahna de Eugenio Gabriel Belles 16; Santo Antonio, rua Primeiro de Mar-
Gambetta. _Terca-feirn: at no ,raPmeodeM -
Q-undo Gambetta morreu a princeza saic de A's 7 horns, na igreja de S. Jose de Riba-mar, n0 3 ; B-5a-Vista, rua da Imperatriz n.
- Paris, e uttimamente habitava em Lausane, levan- por alma do D. Francelina da Conceico Oliveira 54. Grande fabnca de cigarros a vapor.
do umar vida tranquilla, quo a medicine here .e Lopes. Especialidades Cigarros, charutos de tin-
1 ceimenda pal-a alhvio doinea affeeao co- Quint- feia: d u s pe cionaen: cimbos, tabaco. e
robral. A's 8 horns, na igreja da Madre de Deus, per ^aa e nwona caahimbos, tabaeo e -
N. Ibtt-fl a-Perante o tribunal martial de alma de Adoloho Ferreira Baltar. jectos palrs fuanantea. Livros de medici-


l'N7H*l' I






















:\ i 1 05 ^ disti lil
Dr. Fancisco do eo Barros de Lacerda.
Dr. HWHOOi.- Ba da~ftJe o date almate
Daim uWJhaJowquin o4suidati o.
Dr. Gapar de Drummond
Dr. JoseA- t lid o AlooforadoJunior.
!, 10 disbrita
Dr. Francisco de Assis 'Roa eSilva.
11 dastitieto
Dr. Bento Ciciliano dos Santo Bamos.
12 districeo
Dr. Antonio Geoalvest maira.
13 difs*rieo
Dr. Miguel Jos6 de Almeida Pernambuco.
,Be*i.Si aoimbrfdaSoS.




Joe4 rfasiloa Ba oSilva SantAs,, cirugio
dentif .ea a aimaceutioo pela & a udade
do eMedicia-do Rio .de laneiro, icolloa
dentos pelos systems ssmais aperfeigoados,
obja (chumba) a ouro, A platina e a& a.sso
aix ,al faz reconstricgoes do dent e -U
ouro, trata das molostias da bocca e corri-
ge as wrogiiladiddes "dontarias. Abha-se
das 10 as 4 horas no sou gabinete a rua
da>Ihperaftiz n!l.

,Peui~a-se
Ao Sr. Cupimwde Tantalo porque motive
(estando para -,sr socio do commendador
V.) nao me paga a insignificante quantia
quoe me deve! E' bonito liquidar este ne-
gocio por dous minotives ; 1' porque j.A faz
mais do um anno; 2 porque deoe lombrar-
se que vai ser o future socio de urma loja
da rua 1.0 do Margo.
B. Ferreira.
Recife, 8 de novembro do 1884.

ONETO

A MEMORIA DE MINHA. PREZADA MAI AME-
ILIA V. DE Q. FONSECA

Eil-a! Immovel, inerte, e ]1 sem vida
A su'alma voou a tternidade,
E nos paramios azues da immensidade.
Descansa, de virtude enriqueeida.
Minha mai! Pobre martyr, anjo do lar,
Do infortunio libaste amarga taga,
Sorriste aos improperios da desgraga
E soubeste seus rigores suppoatar.
Da famdlia no proprio santuario
Supportaste cruenta ingratidlo,
De que teu coraIo-Io& sacrario.
Mas ten filhp que hoje nao esquece,
Leviandades ferinas que soffreste,
Este pobre soneto te off.-rece.
Olinda, 6 de novembro de 1884.
Jos6 CCardoso de Qaeiroz Fonseca.
A Companhla Lasaroni m assa-
aleilo-marlani
XXVI
Audaces fortune juvat.
Os mnus inimigos que slo tantos coino os indi
quci -no passado artigo, as oligarchias, o je-
suitismo, o protestantismo que aqui se propaga, os
patoteiros, os abolicionistas a custs alheia, os
monstruosos escravocratas, os perdidos lazaroni, e,
o maior de todos, o commencio estrangeiro de re-
talho, todos vergados sob o peso d'esta palavra
indomita, d'esta penna clava por que 6 embebida
no sentimento pure da jrstica inteira; todos estes,
e mais ainda os ultimos, aterrorisados tremem A
simples idea de me vcr oecupar um posto de re-
presentante d'esta pobrc naiao que tanto a corn-
modo cads um saltea por sou modo.
Na.o podendo orguer-se de viheira alcada, a luz
flammejante dos raios da impreias, me acornmet-
temra furto, corn fingido sorriso de compaixao e
desprezo, e o odio profundo aas intranhas d'alma.
,, Ora, Affonco,- assim faUam elles ao elei-
tor ingenue que quer dar-me o voto; Se o


COMIERCIO
Praipa do ReeIte, S -e noevei't
bro deI84
As tree horas da tarde r
notaoes officiae
Ugoda'o de Goyanna 18 sort, 75850 por 15 kilos,
hontem.
Dito de dito median, 65850 por 15 kilos, hontem.
Dito de dito 2a sort, 54850 por 15 kilos, hontem
Algod-o do Rio Grande do Norte, 7"700 por 15
kilos posto a bordo alli, a frete do '9/16
d.. sem capa.
Assucar de Goyanua, 15725 per 15 kilos posto a
bordo.
Assucar bruto do Rii Grande do Norte, 15700
por 15 kilos posto a bordo neste porto
hontem.
Milho de Camossim, 30 e 32 rs. o kilo, hontem.
Couros salgados seccos, de Penedo, 620 rs. o kilo.
Desconto de lettras, 8 00 ao anbo.
F. J. de Oliveira Rodrigues,
Presidente.
A. M. de Amorim Junior,
.Seerctario.

REVISTA COMMERCIAL

Da scmana de 3 aS de novem-
bro de 18S4.
Cambio sobre Paris, 90 d/v 482 r6is o franco.
Cambio sobre o Rio Grande do Sul, 90 d/v
1 3/4 por cento de desconto.
Cambio gobre Londres, 90 d/v 19 3/4 e 19 7/8
15000.
Cambio sobre Hamburgo, pagavel em Londres,
90 d/v 19 3/4 por 15000.
Desconto d lettras a 8 per cento %o anno.
Generes nacienaes
Aguardente.== Vendas de 605000 por urma
pipa.
Algodao.-.-iBnaram 2,487 maoos, vendas do
do sertiao de 85100 por 15 kilos.
eto-d'MaeAo.- Ultimas vandas de-85200 a
6X060 por 156 kios, conform &a-wrte. I
Dito doitio rmnde do& Norte, vcdas -de TA700
por 1> -0os, pwito a hairdo u'aqUe p.* ete
9/16 sem capa.
A m e Aw 49,346 sacsvads aom
0 %iOaikw superior, do 3.uaotenaa, a SOW0
os 15 kilos. 0 dito de 3. serta, gi de2700
a20Wo:=''
1 9Wj i 0
a. m *Nd


poir ipM um d eNiOb abax;s sinceros e
p....ar .. ...dtlW. ..... A ..o,... ? w quo
tante d'tta as Q ua ar4t Wwainbm qu qoeu nao
6ent~-Da ihy~iaW .Bftsa -tods. jentos .6pcor
que sabom qua todo oe 9,! Lio -dallgs&4ada 6
poumpf mmpa-arn-e wAst maiw ;queome
accusing do vamafiada.
Sou veal por que defeaih.om t"d aquUele
vtivo' ad. & sato--" ta .
*Siaa,r defiadi~-e.,mas-elr eara esos-avocratats
n'esae tempo? A" epasado o error pelo
maeu trsabal se waraaa pela Lei de 28 de
Sotamlw.,-ak owwltos -ae-ontra elles? -Mio pa-
gsram O abolieioniutaa a inaprensa ? Perguntai-
hes qanto me pagaram.
Quando nfraqueoeeram estes seuns reeaurms, eeas-
sando eu de :enrver -po algum tempo, a. 'me
convidou o Sr. Vascoeelo do -Joraa-eaorever
per sun Onta, perguetmmdo-me qaato'qunri:wpor
meu trabalho?
Na.o IM l-spotdi sqfe s6 -qua-i a inpienu T
Perguntai-lhe. o Ip.oqgi corn o mesmo ardor
batendo o montrydwa& rbixv o e os escravo-
eratas?
Algum ua dufoudi ou esicra'cratai?
1 no'aaa|9H Aas'te~ ign ? Z-lao-(e if|
sonieta sa 6ta-fihl.? to a a ao por
fosempuhI, tan esPsdssli
que a *i aw porqoae eaMlei sodtaasabtias,
Sponato de dierem.qe fui injusto, que aun-
ca aumiaa.a abolioo gratis ?
SSe aoujuaste.e Wr iatoqueroquanto antes, pa-
,ivel a liberdade ronibada ao honem esiraviaado,
ado serei injusto quersado roubar ao sanhor a
quem-a. sociedade gatrantio o valor onpqgado no.
escravo?
Nao garanto a eooiedade sate valor, como o que
se einprega em urm easaeem um terreno?
Nao proclamei eu -sempre qu e fquanto -ado
houvesse resisteeiai dos ,senhiwes 4 libertaco,
eiles deviam ser indemnisados ? Nio revoltei-me
logo contra as fazeadeirosdcsde qua elke fiaarw a
pnrtmeiramanifetaUo d9Jesistncia, proclamaaid
a Lei dt 28 de Setembro pura e simples ?
Nao contindo sempre proelamando que a indem-
nisagao deve der. otfereeida, e -qua ura vez nao
acceita, se levantando a resisteacia, seja gratis?
Nao 6 estas offoerta ura arma poderosa, Por que
desarma a resials tencia na consciencia publicae,
assim corn mais facilidade nao 6 ella vencida ?
Nao vedes que nas cidades, esta per exemplo,
que tern 9.000 escravos, os senhores, quasi todos
abolicionistas, nao dispensam a indemnisauao ?
SAccusam-me tambem que assim, tenho urma ma-
romba entire dous extremes. Nao. A moromba
equilibra, fazendo-se bemquisto entire os dous
oppostos. Eu nao tenho maromba, tenho em todas
as quests espads de doas gumes, cortaado para.
um e outro lado, fazendo inimigos nos extremes,
sustentando a verdade quando esta no mnio.
Quero pois a liberdade para o escravo no mais
curto prazo, por amor da justica, por que a justice
deve ser feita e quanto antes ; quero a indemni-
sacao por amor da justica.
Nao quero a libertacao toda em um dia, por
que sena mais horrorosa anarchic, e a maior des-
gra9a, assim para os' homes libertados, come panr
os outros.
Mas finger meus inimigos nao crer em tanta
dedicaglo, tanto ardor s6 pela juatiga. Sou ven-
dido portanto, assim quando defend a indemnisa-
cao, como quando combat a candidatura de Mas-
saniello Marianni.
E os que defended corn tanto ardor a abolipao
gratuita, os que querem roubar os valores quo a
sociedade garantio aos senhores, slo vendidss?
Sao os mesmos valores. Se me pagam para ga-
rantir, melbor vos pagam para roubal-os.
E ha uama grande, immensa differenga entire n6s:
eu que ha quarenota annos defend ou propago
todas as grandcs e generosas causes, ias, affron-
tando odios e sarcasmos, sacrifieando interessea
e v6s que 6 a primeira vcz que se v8 assim tao
dedicados, por6m sem saerificio de genero algum,
sein risco de alguama perda.
SE em todos os passes d'esta larga vida sempre
corn dedicacao e ardor, affrontando os odios, quem
me tern pago?
Fagamos .uma rApida resenha.
Affonso d'Albuquerque Mdlo.


#ig Pw Poo PmOn bfiCuo
*-o ainlversarlo
Domingo, 9 do corrente, solemnisa esta booie-
dade a festa do 28." anniversario de sua installa-
.Ao, tendo principio corn urema missa em a"eio de
gra a A sua padroeira, a Santissima Trindade, as
10 horas da manhi, na igreja do Paraizo, e em
seguida a sesslao magna na s6de social, sobrado n.
26 do pate. da mesma igreja; a noite serA canta-
da ura ladainha em hours a mesma padroeira,
tocando em todos os actos a banda de music do
2.-- batalhao ; send no acto da sessao entregue
uma carts de liberdade, promovida a expenses de
alguns socios, pars maior regozijo da mesina festa.
A directorial eonvida a todos os Srs. soecios A
YFt-i do Rio Novo=- Retalho-de 25-0O0-0or
15 kilos. Dito de Goyaz== Retalho de 35=000
as 15 kilos. Dito em rolos== Retalho de 165000
a 175000 os 15 kilos. Dito em latas==- Retalho
de 155 a 20J os 15 kilos.
Farifia de mandioea. = Retalho de 35000 e
,40200 um sacco.
;Gomma de mandioea. etalho de 24400 e
25200 15 kilos.
Graxa do Rio Grande do Sul Cotamos de
74700 os 15 kilos.
Mel= Nominal a 455000 urma pipa.
Milho== Retalho de 58 a 60 r6is por um kilo.
Pelles de cabra== Nominal de 505 a 605 um
cento.
Sal do Assi.= = Ultima venda de 1,230) os 100
litros.
Sebo= Ultima venda a 80700 os 15 kilos.
Solas do sul== Nominal, de 35000 a 64000 por
um melo.
Vellas stearinas do Rio de Janeiro. == Retalho
a 380 reis am masso.
Xarque do Rio grande do Sul.=s Deposito cer-
aes de 67,000 arrobas, retalho de 45800 a 55600
os 15 kilos.
Generoes estrangeroes


Alpiste= Retaiho a 55200 55300 per 15 kilos.
Arroz da India== Retalho de 3500 a os 15
kilos.
Azeite doce.= Retalho de 35400 poi cada um
galo, e ,em barril.
Bacalhao= Deposito 14,000 barricas, retalho a
185000 e 195000 uma barriers.
Breu == Retalho de 12; a 145 por urma bar-
rica.
Batatas em caixas.=- Retalho de 7J000 urma
caixa.
Ditas em gigas== Rstalho a 35000 por cada
umna. .
Carvao de pedra=- Nominal de 16A. a 185000
urma tonelada.
Cemento.-==Retalho de -? a' 105 uma barrica.
Canella= Retalho a 1$600 utn kilo.
Cerveja Bass== Retalho de 105 a 115000 urma
duzia.
Dita preta== Retalho de 105 a 115000 urma
duzia.
Dita de diversas macas== Retalho de 65500 a
75600 ursa duzia.
Cebolla= Retalho a 19O00Wa&eaixa.
Cha= Retdlbe-de 8300 S'6#100 un kilo.
Cominhos.*== Retalho a 14 e 165 per 15 kilos.
Herva doce.-= Reslho de 64000 por 15 kilos.
Farello de Lisboa= Retalho de 55200 por um
satco.
. Dito do Rio da /Prsta.' itb ho de 55000
am p.cco.
Fariuaba -e trigo. tpwsto 60) ba&Meas,
Aamei-egw# *"-* a*bAw A, e

Peij1o malatio NiW d Ae 8XM)0 por u
We de.


Desde~malode 10'annes *que o tr.Duco r !-
nha intrndunldo nA wpratio a auto do-ia um
substancia (oleo do figado de bacalhlao balami
odorifero), que apeasa offered ao conimidoar
'uma parte das v&tWlga, do oea novo pr6dueto,
Thuile do joie de more odeiiwe au quin,

00gS rbupieI t ,bm, i as.
differentes pec iq I


veist o ourea iffi d ea.jB io a ra oio pharmeu
0 Aeutor -drparo&.q Bsen ato e asiodncen





n pela multiiidoem Wa s e per-
preparado ami q usee e mqeia

complex .g oaAMeasto- an era -
Uisto umwa &idnudU~eAdOlaoratorio pharmaeou-

itaco, e depoiul .le d ow tlleas uOer
en dieaento p dade swa e pela, per-
sistencia nas prcqueza o d



a gmnitgsiahmig, pi bl- er asalMlo. pe!-!
daz a sua composicio oemprcgada ., soem outro
cuidado prelimmar n.IaMoa andicaioa dos doses
proporcionadas a tolerseiaa canstitui9 e a ida-
sd e dos doentes.

-Colicl AbiIl
De Bwbacwa
No dia 27 do me: proximo passado, foi o colle-
gio Abilio de Barbaeena visftlado pelo president
desta provincial, e Exm. Sr. cons6lheiro Olegario
de Aquino e Castro, acoomnpa'hado do Sr. Dr. Gus-
tavo deAquino e CastrOrdigno juiz municipal de
S. Jos d'Elrney es do Sr. capitao de fragata Ca-
lhe'ros da Graa, distiucto omcial da armada bra-
sileira.
S. rExic. e sens illustres -mopanheiros, eogando
ao collegioa a boraa da -tarde, j Srtamente quando
funccionava a maioria das aua, pecoreram-u's
detidamente, comefando pelfadsosaenho figurado,
onde entree numerosos trabaiha notaram aigns
de bastante importancia.
Depois de haverem visitado todo o estabeleci-
mento, admirando a boa ordem-e aceio qae reianm
em seus divereos comoartimentos, assistiram por
espaco de urna hora a aula especial de instauocao
prirnaria dirigida polo St. Barno de Macahubas,
onde se mnstraranm sorprehendidos pela prompti-
deo, vivacidade e consciencia corn que meninos de
to poucos anneos respondiam as variadas questbes
elementares de chymica," physica%-geometria, ari-
thmetica, etc., que Ihes propunha seucaro menstrege
dedicado director.
Em seguida passaram os illustres visitantes a
aula geral de musica, onde apreciararm summa-
monte o aproveitameuto de tao novas creancas, as
quaes entoavamr bellissios canticos e variados
solfeijos iudiceidos ao aoaso no respectivro ompen-
dio pelo Exm. Sr. president dapomvineia.
E' sabido que nesto particular teorn o Sr. Baro
de Macahubas levado grande vantage ao en.ino
rotineiro, tomando a aprendisagrem da arte de Or-
pheu immensamente facile e dehitosa sos eduean-
dos da mais tenra idade.
Logo apos foram ouvidas orno visivel agrado
duas escolhidas pe as, que executou a banda mu-
sical compost de alumnos.
S. Exe. e seuos distinoetos companheiros retira-
ram-se As 4 horns da. tarde ; e, ao despedirem-ss
dirigiram ao Exm. Sr. Bare de Maeahubas ae
mais issongeiras congnratuaoes petes explendidos
resultados que sabe tirar do emprego de seu nrovo
e admiravel methodo de ensino, e corn a excelen-
te direco que sabe dar a seoas nportantes eats
belecimentos de edueaco.
(Da redaei4o da Gaseta de c;bBacena, de 9 de
outubro de 1884.)


Cajurnubba
Uma eura surprehendeate!
Este medicamento-esta unicamente aconselbado
polo seu autor para as me estias que sao indicadas
nos prospects e rotulos dos respectivos frascos:
rhenf ~Se ~'itlqiner :nutnm na, ea- todas as
molestias da pelle, hase euhko(rrfe(flores branoas),
nas differentes fdrmas dasyphilis e em geral nas
molestias occaeionadas peia mwrse)a do .auae.


Manteiga franceza em barris= Retalho a 1W962
24005 por ama lata de um kilo.
(Dita em latas, da marca Inout.=- Retalho de
24834 por um kilo.
Dita de outras marcas.- Retalho de 2J616 a
24943 por uma lata.
Passas== Retalho de 85 a 105500 uma caixa.
Papel de embruldho= Retalho de 750 a ;1650
uma resma.
Pimenta da India= Retalho de 15400 por um
kilo..-
Phosphoros. == Da mars Jonkopings, retalho
do 25300 a 25400 por uma groza.
Dita de outras marcas. Retalho de 25000 a
25100 por uma groza.
Queijos- Retalho de 45 a 45200 cada um.
Sardinhas= Retalho de 300 a 320 r6is a lata
de quarto, conforme a qualidade.
Toucinho de Lisboa. =Retalho de 125 a 135 os
15 kilos.
Dito americano.- Retalho a 145500 por 15
kilos.
Velas stearinas=- Retalho de 550 a 970 reis um
mapo.
Vinagres= Retalho de 1455000 e 165000 por
urma pipa.
Vinho tinto de Lisboa=- Retalho de 2255000 a
e '235; urma pips. Dito da Figueira= Retelho
da a 2355 e 2455 urma pipa. Dito do Cette, branco,
=Retalho de 2205 a 230.000 urma pips. Dito
do Porto, em caixas= Retalho de 95000 a 255
urma caixa de 12 garrafas, conforme a qualidade.
Xarque doRio-da Prata--= Deposito calecuado
em 33,600 arrobas, retalho de 5400 a 64400 per
15 kilos.

LtENDDIENTOS PUBLICOS
Muz (if -novembro d, 1884


uIde d==J 8 3 a 7
Idem de 8


tacBamznoaiA=Dl)e 3-a 7
Idem de 8


.omUaL*o daeo8Lah-4e 3 ,
Idem de 8


^uCI~ DwBUoB---P~ 3;at 7
*Idflt~e'8 -


iPaa


212:20SA713
71.457A586
283:663S299
9:28rx088
2:9124003
.12:197;N91
-20:720525$


24:5805825

U4630988



AUTA
aveieabnoMe-


kilo.


alwaeeftss, bromfiite, tomes
.hA oioAq4ue no-
appliea-tos
p~teu = S ppliea-


.':3SturqefaafthIuiuapu.oa 4overrooeufiar eMe pro.
O'Sir4q0MAMrm 'pWateatt.ado 6 dig.
no de oar studado o moditado.
v 0 propagador,
A4. P.da Ounha.


,:. 1 1 1 y


PAUCITA 0 AMIGO POR BXPATBIA
A .,. '
E i l'^^ ^l-Tll1 l^1 ^ '-**i


53 saccos a Jos6 da Silva Loyo & Filho.
Couro seccos ospichados 268 a Luiz
Gongalves da Sfva & Pinto.
Fumo 218 volumes a Jesuino Jos6 Bar-
rosor
Oleo 10 caixas a Domingos Torres &
Carneiro.
Xarque 934 fardos A ordem.

Vapor national Jaguaribe, entrado dos
portosdo sul na mesmornsa data e consignado
A Oompanhia Pernambbcana deo Navega-
ilo Costeira por Vopor, manifesto:
Algodlo 53 saccas a Alberto Vaz & C.
Assucar 100 saccos ao mesmo.
Barris vazios 150 a Soares de Amaral
Irmios.
Oouros seccos 700 a Luiz G-ongalves da
Silva & Pinto.
Dormentes 169 A ordem.
Fio de algodlo 40 saccos a Jolo Fran-
cisco Leite.
Massas 298 caixas a Amorim Irmaos
& C.
Panno do algodo 60 far los a Balta-r Ir-
maos & C., 20 a Severino & Irrnmo, 15 a
Agostinho Santos & C., 20 a Bernet & C.
Pelles 7 fardes a Alberto Vaz & C.


Bara, portugueza Caudina, entrada do
Rio do Janeiro -,aa mesa data e consig-
nasila a Jos6 da SirvalLyo' Filho, mani-
fstou:
Barri. 100/5A ordam. ZBarioas 450 vo-
lumes a Dias Pinheiro &C., 300 A ord ',
250 o Jns6 Joto Cato 0., 290 aaia
Vdllente & -.
Farello 998 aaeas i Gomos Gouveia.
Lcore4WOiaws.IoN.V Alves Ma-

.Viho 50 ba" lde2 .a baV.
wves M^t ^^i 0da. 1,-wm %urri


i inm. Sr. Antonio Pereira da Cunha.-Recife.
aia M'orte, 28 de outubro der 184. 0 cajurub&'
ba acaba de produzir em -ma filha minha de onze
annos do idade unma sua &predglosa;e doro fazer
publicar rsa ajpma que. tia-os i q 'offrem
da mesma a&11a, uethaa iiabd fhs;-Onacon-
item urn remeio Mfea.
Ha nov iras sqe minas fih sifria de as
ft.h a quo vulaiante se da omome~de pucado,
S. a e-sgotdo sosuklado todos. s rome-
imikidaoadosipeiamsdiomna.
STrataram della os Drs. Wiuirao AdriorMa-.
aquie o pharmaceutico dapBAri fmaocea;
to.mou todos a remedy eaOweizos, queram aeon
Welhados e ootrrior l e.i 'skIai nnawbava dos
suidados medicos e dos remedies dos curiosos.
SAshavame, jk sem osperangas de vel.a polo
iminsuil, .u.mado laekMdo Musem son-
vernsa corn o meu visinhe eamigoo Sr. Joes6 Arau-
de Carvalho, estaewBaahour*e o use do caju.
,ba, do qual tinha'ttrado excellente resultado na
oura deomaniteataieseyphilitiea.
a Posto que nao confiasse nesoenovo remedio,
deliberei emnpregal-o em vista daa curas por elle
produzidas, de quae-meo deu noticia o- men referido
amigo.
a 0 effeitO foi .mmrarilhoso: depoisdo segundo
dia minha filia j/ AiOtossia fobptog sivamen-
te melhorande,.de.modo que ao.mais lhe appare-
coram as convurtbAes queo costumava-ter, pido me-
-nos trees vezces pur umez.
a Apezar de reputal-a ecurada cornm um s6 frasco
do cajurub6ba, dei-lhe ainda mais dons, e hoje
p6de-se direr que eota transfigurada, de cachetica
e pallida que estava, esta forte, corada, gor-
da e contentiusima,. dizendo a todo mundo, que foi
o cajurub6ba quem a eurou.
o A mlnha:sats&ao 6 imensa, s6 desejo que
as que soffrerem da memasIa molestia tenkam noti-
cia dessa milagresa curs, afimr de que gosem dos
mesmos beneficios de que estl gosando minba fi-
fiha, e 'por isio peo a V.-S. quese digne dara
maior publicidade i present earta, do qe ilhe fi
carA agradeeido o de V. S., criado, attento vease-
rador e patrncio, Josd Lopes Ferreira de Mello
Caswabd.. *
(Negociante e proprietario muito conhecido).
Reconhego a firm supra. Recife, 3 de novem.
bro de 1884.-Em testemunho de verdade, o ta-
belliao public interino, Maximino da Silva Gus-
mno.


Aos eleitores liberaes

do 10 district
Convida-so aos eleitoros liberals (os des-
contentes) para urma reunilo, quo terA
Iugar As sete horas da noite do dia 10 do
corrente, na casa da rua Imperial n. 9,
afim de tratar-se da f6rma pela qual dove-
mos tomar parts na eleiglo do dia 1 de
dezembro.
Freguezia de S. Jos6, em 6 do novem-
bro do 1884.

Ao digno eleltorado do 3 dis
tricto
A inclusao do meu nome na lists dos
candidates, apresentados aos suffragios do
partido conservador polo seu illustre chefe,
penhora sobremodo o meu reconhecimento,
principalmente por ter sido confiada a
minha eleicao ao distinct eleitorado do 3o
diotricto, ends tenho amigos dedicados e
onto corn o auxilio de prestimosos corre-
ligionarios.
* :pesdo os meus primeiros passes na vida
p lica, em 1869, as comarcas do Olinda,
tguarassA e PAo d'Alho, toem-me honrado
constantomente corn as mais significativas
provas de conaideraglo e aproe9o.
As duas primeiras, quando faziam part
do antigo 2" district, e'egeram-me seu re-
presentante na Assembl6a Provincial, em
duas legislatures ; a ultima, onds exerci o
cargo do juiz municipal per mais de trees
annos, distinguio-me sempre corn a sua
confianca.
Nestas ccndi9oes, julgo-me desobrigado
do apresentar o meu programma politico,
que 6 o mesmo do partido a que pertenco.
~DESPA-HO-S DE IMPORTA(AO
Vapor national S. Salvador, entrado dos
portos do sul no dia 8 do corronte e con-
signado a Domingos Alves Matheus, ma-
nifestou :
Alg6dao 25 fardos a Rodriguos Lima
& C, 14 a Mendes Lima & C, 370A or-
dem, 18 a Ferreira Rocha & C. Assucar


Ao partido liberal
Apresentamos, tendon ouvido os nossos amigos,
a combinacAo de nomes para a eleigo geral do
10 de ezembro do corrente anno.


Lugar inglez Petunia, entrado do Te r
Nova, na mesma data, e consignado a-
Johnston Pater & C., manifztou:
Bacalhau 3,190 barricas e 488/2 ditas
aos sos consignatarios.

)ESPACHOS DE EXPORTAQAO
Em 8 le novembro de 1884
'Para o exterior
No vapor inglez Bessel, carregou:
Para Hamburgo, Borstelmann & C. 1,363 sac-
cas corn 96,860 kilos de algodao.
No vapor inglez Euclides, carregou :
Pars Liverpool, J F. Porto 20 barricas corn
abacaxis; S. Brothers & C. 1,400 saccos corn
105,000 kilos de assucar mascavado ; H. Forster
& C. 400 ditos corn 28,000 ditos de dito ; J. S.
Loyo & Filho 820 ditos corn 61,500 ditos de dito
Na barca ingleza Meteor, carregou :
Para New-York, F. Cascao & Filho 1,000 sac-
cos corn 75,000 kilos de assucar mascavado.
No lAgar inglez Rose of Deson, earregou :
Para New-York, Julio & Irmao 1,000 saceco
coin 75,000 kilos de assucar mascavado.
Na bares sportugueza Minea, carregou :
Para o Porto, &Maia & Reremde ,W48 comos sal-
gablos corn 4,176 kilos.
Para oAteruor
No patacho hespanhol V. del Carme?, car-
regou :
Para Uruguayana, Amorim Irmr.os & C. 800
barricas corn 78,146 1/2 kilos de assucar brauco e
100 ditas corn 12,758 ditos de dito mascavado.
No lugar national PdeZotense 20, carregou :
Para Pelotas, Maia & Resends 575 barricas
eom 51,534 kilos de assuear branco e 100 ditas
corn 11,745 ditos de dito masoavado
No vapor francez Ville do Ceard, carregou:
Pra Santos, A. F. de Oliveira.& C. 15 barrins
corn 1,440 litros de alcohol ; Baltar Irma'os & C.
10; ditos corn 860 ditos de dito ; P. Carneiro & C,
610 saccas eom 36,600 kilos de assucar branco e
840 ditos corn 20,400 ditos de dito mascavado ; F.
A. de Azevedo 300 ditos corn 18,000 ditos de dito
braneo e 400 ditos corn 24,000 ditos' de dito mas -
cavado; J, J. Moreira 150 volumes coma 9,"70
kilos de assucar braneo e 100 barrioas corn 3,750
ditus de dito mascavado.
No vapor-naional Mandos, carregou :
'Par o Pma, TF. de Moraes 44 eaeoa reom 1.880
litros de aguardente ; V. da SUilveira 74 volumes
com4915 kilos de amsuear baco ; M. F. Mar-
que-t& Filho 150 barricas comn 10,781 ditos de
ito ; B Oveira & C.200 -ditaas corn 12,61 ditos
d odito Brl.& C. 176 ditas corn 12,899 dito
d to ; B Mltar IrM&oSA.C. 3-pipai oen 14dO
lit"ot de M
A&" ~amicai~ D..ew te Owie aanOU:
PW.a J o J. A. G; Pire&.Juoior1 7 barnicas
eouS5iilos de.a&sAar Migco C1 dita coMu 92
dibo&A& dbo=ina&gd,'

I(O"W DOw^iHB PORTO


,ma exp<*
. ide cnraa,


hirmento d'elle, importando urnsma media de
centralisaoo, foi na ordem political urn
desastre, e debaixo de qualqueroutro pon-
Buenos-Ayees 29 dis, ugar alemao Emi
Hesscnmnller, de 319 toneladae, capitao D. Ger-
dam, equipage-m 12, em lastro a I. Luadgrm
&C.
Buenos-Ayres--36 dias, barcs norueguense Fruemn
de 372 toneladas, capitao 0. Krestopes, equips-
gem 10, em lastro a ordem.
Santos--21 dias, barea nornm -guense Grethe, de
386 toneladas, Zapitao S. B. Nilsavn, equipagem
11, em lastro a H. Lundgren C.
Rio de Janeiro-28 dias,. barea portugueza Claw-
di, a, de 391 toneladas, capital Jorge Correia.
equipagem11, cirga var'os generos, a Loyo &
Filho.
Rio de Janeiro--12 dias, lugar americano F. A.
Sancher, de 468 toneladas, capitao W. N. Fo
ches, equipagem 7, em lastro a ordem.
Penedo e escalas-3 1/2 dias, vapor national S.
Salvador, de 371 toneladas, commandants Boa-
ventura Rodrigues Senna, equipagem 28,. carga
varies generous, a Domingos Alves afatheus.
Rio (Grande do Sul-15 dias, pataheo national
Pelotense, de 193 toneladas, eapitao Antonmio A.
de Azevedo, equipagem 7, carga xarqr-. Mti i-
Rezende & C.
Buenos-Ayres-25 dias, bares americana Bonny.
Doon, de 546 toneladas, capitio J. S. Co,,, e.ui.
page 9, cm lastre a ordem.
Baliae ascalas-10 dias, vapor national Jaguari-
be de 429 toneladas, coummandante Francisco
Alves da Costa, equipagem 30, arga varies ge-
neros; a Companhia Pemrnambueaa.
Montevideo-21 dias, bares amerioaa S rpreef.
de 473 toneladas, capitao C. B. Averill, equipa-
gem 10, em lastro; a Pholmain & C.
Buenos-Ayres-26 dias, barsca americana X.Vanni
T. Bell, de 412 toneladas, capitilo W. Ftwth4.
equipagem 10, em lastro ; & ordem.
Buenos.Ayres-23 dias, bares americaaa Y. H.
Ckadurc, de 454 toneladas, capitao J. Furater,
equipagcm 10, em lasetro; Johnston Pater & C.
San Nicolas (Republics Argentia)---31 dias, bar -
ca noruega Caleb, de 00 toaeldaa, capitao N.
Jobson, equipagem 12, em lastro; a. oa-iomu
Lundgri & C.
Sahido no irnme dia
New-Vork-Lfgaraamericano ARuita &ertisd, ea-
pitae M. Bride, carga assucar.
Estadose-Unidos-Liugar ingles Adwautime capi-
taio Joseph Clark, carga assucar.
iew-York--Brigue ingle Tawsmy, eapito Mar-
ohineson, carga assucar.
:Obervaes
uSaapendeu do Lamalo para Moseyvidio om
eaulas, a canhoneira de guerra i-Is Wramker,
wumandanto capital de fragata Kar.
*A bares portuguea Ci&tr&, aada s fen-
bada no Lamaraoe oato seguio p" a Lodesm60
per equivoco sahio no Diarie di ante-hstII.

.VAPOR. 8 *.DOS
!da bu *
Ewio~to dam*"11 12


VAOft"o 1 d~gii "


u 4 "UiI o damnto ser
vil, fugio twwrmsl aIL o, tarn
bem u dar co#pOeto silencio, se nAc
1cousidara sfe hdidupuaavol td m proummeia-
mesto franco d. todos os candidates sobrc
o modo torque deve resolver-se tao corn
pli o rue : d a evinha prdtioo -do
agricultor devia isentar-me de suspeitas.
Entretasto, aioegaro ao independent
eleitorado do 3o district, quo jamais acsi-
tarsi, .obre esta, questlo, providencias que
attentem contra o ireito 'de proprisdade
plenarmente garantido psla GonstituivEo do
imperio.
Emnanoipador convenoido, idesjo -o des-
envolvimento des moleis de libertag5o esta-
bolecidos tao sobiamente pela humanitarian
loi de 28 de Setembro, e nato cencorro-
rei comrn o men voto pa-a -que seo adopted
medidas subversivas da -ordem public,
takes como as que encerra o projoeoto do go-
verno.
SPortanto, se for eleito, hei de oppor-me,
corn o maximo esforgo, a que so anniquille
o direito de propriedade, sacrifieandoae
assim -unm dos matesaltitares prineipios da
estabilidade social.
Confiando, pois, na sinceridado e dedi-
caglo dos meus amigos o corroligionarios,
espero quo aoolheroo corn benevolencia a
minha candidatura, as segurando-Ihes desde
jA protundo reconhecimento.
Recife, 28 de outubro de 1884.
Antonio Francisco Correia de Araujo.


7- district
Ulm. -Sr.
Achando-se designado o dia 1 do dozem-
bro vindouro pars a eleicgo de doputados a
Assembl6a Geral Legislativa, venho soli-
citar de V. S. o suffragio de seu vote para
represontante do 7e district desta provin-
cia, do qual 6 V. S. digno eleitor.
No desempenho do mandate quo honro-
samente me fui conferido iquella Camara
polo oleitorado deste district, procurei nos
limits do meinus eaforgos attender e garan-
tir o interesse geral do paiz e mui especial-
monte o da lavoura, oppondo-mo a que
fossem adoptadas modidas quo considered
attentatorias da propriedade agricola, e
ameagadoras da ordem o regularidado do
trabalho.
Apresentando esses services nao como
um encarecimento a minha candidatura,
mas em garantia do meu procedimento
future, so conseguir a reeleigo quo so-
licito, deixo bern patent a V. S. o pen-
samento quo mantonho de, no cxercicio do
mandate de representante da nago, nao
concorrer corn o meu voto para a confec-
glo do lois quo venham perturbar a orga-
nisaglo do trabalho, tirando-lho os ac-
tuaes elements de sua manutenglo.
Assim, farei franca o decidida opposiao
a passage de qualquer project de lei
que tenha por fim a libertagao da proprie-
dade escrava sem a just indemnisagao do
seu valor, e nem concorrerei pars a adope-
9o de leis que tendam a comprimir a
lavoura jA tao onerada.
Nao negarei o meu auxilio A medidas
necessarias a acoquisigao do novos, e desen-
volvimento dos actuaos eleonentos do tra-
balho, concorrcndo assim para a prospe-
ridade da lavoura.
Expondo a V. S. o procedirnento que
terei so ainda esta vez merecer um assento
na Camara dos Deputados, penso ter ma-
nifestado a disposiao de, tanto quanto me
for possivel, attender sos reoes interesses
da agriculture de minha proviucia, e es-
pecialmento os que se preuderen ao dis-
tricto, cuja represontacao aspire.
Apresentando desde jA a V. S. mius
agradecimentos polo auxilio que se dignar
prestar a minha candidatura, assigno-me
corn toda a considerate o estima do V.
S. amigo obrigado
Ignacio Joaquim de Souza L&7o.
Recife 28 de outubro de 1884.


1-;;


- is t mAdx i "ws a&o ema ds am!a 640"
- de eleWoeto seril e atteadea eim en s s-
nienoias do prtido.
E: qepuamos qW i netw i a ado 44MI
OR nossoD Sor eligkomariofs e amiga, qmwm
0 unidos trabsihraa. corn eouewfo paks ois Was-,
pho, por amcr so partido, a" priauijs IA
e sao futtwodafov1ncia.
Io dishi, Dr. Josquim Audo It 41s
Arauo.
2o dito. Dr. Jos6 Mariamo Camio da oCo.ok&
30 dito. Dr. Arminio Ooriolano Tavares daw -
toe.
40 dito. Dr. Joquim Tavares de Moed o Mou t
50 dito. Dr. Antonio Epmimd doMelo.
> 60 dito. Dr. Pedro da CuIha Beltio.
70 dito. Dr. Segismundo Antonio Om Ies.
6 dito. Dr. Antonio Aives de Bouts Ow0ho.
9o dito. Dr. Jo&6 Etaquio eImrjr Jeabin.
10o 'dito. Dr. Ulyuses Machado Pereir VisI.
11o dito. Dr. JoAo Augusto do Rego Barr.
120 dito. Dr. Caetano Xavier Pereira de Brito.
i1So 'dito. Dr. Antonio Manoel de Siqueira Caval
cante.
Recife, 7 de outubro de 1884.
Antonio Epam &oda de Moo.
Luiz Felippe de Sosa Leo.

Ae- dig &,o leftore. do 8- 4dk-
trlet.
Sem que falto As convenieneaiam partida-
rins, especialmentoe em umna quadra eMo,
pela indole do systems eleitoral adpiado,
o' -corp e eleitora ou antes cada oleitor dove
assumir uma imnportancia saliente diats
dos centers de delibera*3o politioa,--enfra
uecidos entire n6s, alem do tudo, potr fala
e homogeneidade de principios, e do msa-
oeridade da vistas patrioticas, venbo an-
nunciar ao distinct corpo elitoral do 3.
district d'esta provincia que aspi na.i-
cAo proxima do 1.- de dezesomro a hoara
de represental o na camera quatkipnad.
Nao sou um home novo nem deco-
nhecido na political: portanto, limito-mine a
declarar que o meu passado serviri de nor-
ma ao meu futuro.
A conaciencia do que tenho sidoat6 hoje,
e a coafianga inabalavel na independencia
e nio patriotism do corpo eleitoral do 3.-
districto, eis o fomento a minha apira9lo
present.
Tendo-se feito constantemante da politi-
ca, na esphera elevada do nosso mundo of-
ial, ur- campo de exploraqoe em promi
o do individuos que nao da cau publics,
toespirito national acha se abatido e a au-
tonomia das provincias, em sus generali-
dade, aniquilada.
Pernambuco, esse centro d'onde aemnpre
eminanaram todas as concepoes grande e
todos os commettimentos generosos, tern
servido de presa a ambioes acanhadas de
hoenens de proporgoes liliputianas, e arras-
tado o seu desprestigio atW o ponto avil-
tante de constituir-se o prolongamento das
provincias inenos importanttes do imperio,
conforme as influencias predorminantes naii
organisa95es ministeriaes, e os presidents
que se ihe tem dado.
Politicos que afagam e apoism todos os
ministerios em troca do miseraveis vanta-
gens pessoaes ternm vendido por ease vii pre -
go o direito de primogenitura de hours e
dignidade d'esta provincia.
Prejudicada cm seus mais vitaesinteres-
ses, ultrajada em seus f6ros e escamrnecida
em seus brios, ella temn necessidade inde-
clinavel de levantar-se gigante, altiva, for-
midavel diante da turba multa que na
present quadra eleitoral pretend corvc-
jar em suas entranhas, e de enxotal a das
urnas, se nao como fez o Christo sos que
mcrcadejavao no temple, ao menos corn a
attitude serena e austera do juiz que nae
transige corn o seu dover.
E' a occasiao de se separar os homens
sinceros, desintorcssados o dedicados a cau-
sa public dos qjuc vivein de expedientes
interesseiros, atropellando e pisando todos
os sentiments e principios elevados, e
mentindo e atraigoando a consciencia public
ca revoltada que os condemna.
Si a situac~ao political e ma, nao o e ;ne
nos a financeira.
Si o impcsto do cousumo era urn dirci
to das provincias on foi uma conquista em
favor das franquezas provinciaes, o retra-


















Sa a -lite..o uo.ns os u sr.w. e u
S de prove seguranga pu-
4, oweervio ordmnariodasrepartiVoen.
sl e1 oeo funccionanrio provincial,
si, por via do rcgra, mal retribuidos,
3so na contingenceia on de abando,
is^s- lugarea ou de morrer A fome.
mfim, Uima poerturb&oe um desequi-
brio em todasas relagles da vida econo-
mica-social enfermamn os espiritos e estlo
reclamando do zelo politico medidas promp-
Stas e bern combiaadas. que a cautellem o
Sfuturo medonho que se nos antolha.
Corn relaglo A questao quepresentemen-
Ste traz agitado o espirito public, a do ele-
i mento servil, devo dizer que amando a
liberdade no sentido mais amplo da pala-
1 : ivra, e tend n'esta conformidade passado
"| carts de liberdade em 1860, a titulo gra-
Stuito, aos escravos que entlo me couberam
Sem partilha dos bens de meus finados pages,
: ser-me-A um dia de extremo contentamento
aquello em que se annunciar a todos os
ventos da publicidade a extincgo da es-
S cravidlo entire n6s. Isto, porem, nao quer
S dizer que pretira interesses que, si nao slo
J sagrados, nao deixio todavia de ser res-
peitaveis dianie da sociedade em que vive-
S mos, e dos embaragos que assoberblo a
fortune public e pi rticular.
; A lei de 28 de setembro de 1871, confir-
S mando a aspira9go national proexistente
g +da extinocgo da escravidAo foio marco mi-
^rio de uma epocha do regeneraco mo-
no Paiz; e, porquo na evoluglo das
nousas humans as ideias generosas, por
L" uma lei providencial, tendem a engrande
cer-se e a substituir-se As velhas ideas,
.:." claro que, depois de um period do 13
S annos, que tanto decorreu da data d'aquel-
| a lei at hoje, a sociedado nao p6dle ficar
estacionaria em material de ttant magoi-
||, tude.
S Augmentar portanto, e augmentar con-
S sideravelmente o fund de emancipaqio
pbr meio de novas taxas que recaiam so-
bre today a populaq.%o, visto quo toda ella.
S directs ou indirectamente, aufere as vanta-
gens resultantes do trabalho escravo; tor-
S nar effective, por meio do disposiges reo-
Spressivas, a garantia da propriedade es-
crava, jA tao depreciada, nao esquecendo
a o estado de dcfinhamento do nossa agricul-
S tura, unica fonte de rends que temos, fa-
zer que a indemnisaglo do proprietario
seja uma verdade e nio, em uns casos, o
resultado de uma chicane. e em outros, o
de um favor, improprios da magestade dos
tribunases que a decretAo ; providenmiar em
S ordem a que a emigraAo se faga em larga
escala para o Paiz, e njio sja objecto de
reprovada especula9to mercantil; aprovei-
tar os bragos livres matando o parasitismo
bureaucratic e civil, afim de quo cada ci-
. dadAo seja uma alavanca do engrandeei-
mento national, e nao uma fonte perenne
de perturbagIo da ordem public e de es
coo indevido dos recursos publicos e par-
ticulares; -Sao medidas que, a meu ver,
nao podem ser procrastinadas em uma si-
* tuaao, onde, por umn lado, a humrnanidade
protest em defesa de seus direitos concul
cados e por outro, a sociedade estrebuxa
A a mingoa dos meios os minais elementares
S de vitalidade.
Feita a synthese do meu modo de vor a
actualidade, aguardo confiadamente o vere-
dictum do corpo eleitor 1.
++ Recife, 22 do outubro de 1884.
,Silmvno Cavalcante de Albuquerque.


: rFactos e nao palavras.
A.s que se desejam tratar sem compromettera
saude corn preparados mineralogicos.
Nesta typographia c na rue Direita n. 4:3, 10 andar
vende-se tmnturas homeopathicas para ino.fensiva cu-
ira das iseguintes molestias: asthmatico, ainda mesmo
bronch tico; erysipela, enxaquec.as; intermittentes
(seru o emprego do faltal qnmnino); tossed convulse
falta de meostruaqao; cameras de sangue; estericos
ou metrite; does de dents ou nevralgia, metrorra-
gia; vermifmgo-, denticao e connvulsoes das criangas;
+.+ tudo manipulado de hervas do paiz.
, Assim coma tratam-se escrofulosos em qualquer
'+ grao e gommatosos.


Illm. Sr.-Apresentando-me candidate pelo 1
district desta capital, nas proximas elei5es para
deputados geraes, dirijo-me a V. S. pars solicita
o scu apoio em favor da minha candidatura.
Nio precise fazer profissao de f% political; V. S..
como liberal e otendo lutado nas mesmas fileiras
em que eu ha mais de vinte annos milito, deve
conhecer o pessoal do partido liberal e os services
de seus corrcligi-narios, para fazer-lhes devida
j: justi6a.
Care.o, porem, cm face da mclindrosissima si-
S tuaAo que atravessa o paiz, dizer corn toda a
i franqueza, a cada um dos Srs. eleitores, o meu
S modo de ver acerca das quest5es mais momento-
sas a que, por certo, serA chamada a resolver a fu-
* tura Camara dos Deputados.
S Em primeiro lugar figure a magna questao do
s element servil, cujo problema entendo dove ser
resolvido de maneira a nao trazer o aniquilamen-
S to das forgas vivas do paiz, a braos corn membara-
cos de tal ordem, que aos espiritos menos perspi-
S cazes nao escapam, por eerto, as consequencias
S desastrosas de que estamos ameacados.
S Ptrtilhando a opiniao dos que desejam a ex-
tincqao do cancro qne corroe as entranhas deste
paiz, opinion da maioria da nagao, tenho concorri-
do e continuarei a concorrer, envidando esforMos
S para a sua aboligio e consegcintemente pars a
-- regeneralo destb, joven imperio, sem apartar-me,
P entretanto, de um dos priicipios reguladores das
Ssociedades bem organisadas; orespeito ao direito
S de propriedade de todo cidadlo. sob qualquer for-
ma que esse direito se manifesto.
Apoiarei neste terreno todo governor que seria-
mente empenhado na solunao deste important
problems, apresenoar medidas que na pratica dgm
os resultados desejados, sem abalo pars o pais.
Propugnarei pelos interesses da lavoura e do
commercio, principles alavaneas e sustentaculos
do edificio social; concorrendo com a minha pala-
Svra e cornm o men voto para tudo que possa trazer-
Ite o mais pequeno influxo de prospertdade.
Nao serei indifforente so trite estado a que
acham.-se reduzidas eatre n6s as artes, que forca
S confessar, na= teem sido ttendidas em- ss
justas aspira95es, sendo ewse abandono a eausa
Sufficient do abatimento em que permanece entire
a8 s uma clause que nos paizes cultos concorre
podorosamente para o engrandecirnento nacional.
o ti0 dareto mea apoio a nenhum goveoro dels-
pidador dos cofren pubhloos, certo, como estoe, de
que a restaura ao s fianas do paiz esta de.
S pendete da maisi several economic ds :die
hKiia.. -* -


40


I Nova-



Eserlptolomu RU i, e aibirgo
Neueberg a. 33
Eseriptorlo Milal, em MADRID,
carlen a. 3
e em todas as priAelpaes
capitaes da uropa e da Amie-
rliea Septentrio*al e Meridlhial

PLAN PU HINTE IUTUO
Durante o semestre decorrido de 1 de janeiro ate
30 de junho proximo passado, pagou esta compa-
nhia por 388 siustros (mortes) a importancia to-
tal de 1,827,217 dollars ouro dos Estados-Unidos,
ou cm moeda brasileira cerca de 4,600:0001, sen-
do:
Em janeiro por 60 sinistros 268,925
Sfevereiro por 50 $ 209,615
a marco por 75 1 252,186
Sabril por 84 A 396,261
maio por 61 1 409,595
a junhopor 58 290,635


Sinlstros na ii


mportancia


Tocargo A Inglaterra 6 de
A Escossia 5
A & Irlanda 2
a o Canada 8
S As sIndias Oecid. 10 ,
AFranca 2
A a Allemanha 2 ,
A Hespanha 6
A Suissa 1
ao Chile 3 a
a ao Mexico 6
U os Estados-Unid. 337
Total 388
Durante o mesmo period pagou
em 1883:
Em janeiro por 56 sinistros
Stevereiro a 55 .
, marno 75 .
Sabril 54 a
, mhio 65
a junho 61 ,


Total por 369 a


s 19,125
5 10,000
4 22,500
3 3,000
A 87,000
A 12,000
^ 5,680
s 30,000
I 7,000
5 17,000
$ 28,000
A 1,558,912
A 1,827,217
a companhia
5 199,90.
5 22',112
5 255,654
A 232,205
A 365,358
A 227,37J


A 1,500,599


0 rateio da mortalidade sobre os seguros vigon-
tes era em 1883 de 1 10/100.
O total pago pela companhia nos ultimos 25
annos, por sinistros, dividends, annuidades e
liquidac5es de aphlices, era em 31 de dezembro
proximo passado 6 83 877,699 51/ ou lm/m........
200.000:0005000.
0 total dos haveres da companhia em 1 de ja-
neiro de 1884 era 5 53.030.582.00 ; o total de suas
responsabilidades conform a taxa dc 4 1/2 0/0
(padrao do Estado de Nova-York) 4 40.020825.00:
d.-ixando o cnorme surplus, fundo de reserva, a di
vidir-se entire os mutuarios (possuidores de apoli-
ces de 12.109.757.00 ou cerca de 30.000.0005000.
0 ratio dos haveres da compamhia por cada
A 100 de sua responsabilidade 6 de 3 129.
(Extrahido dos RPelatorios Officiacs).
As listas dctalhadas e relatorios officials podcm
ser vistas no escriptorio do Srs. Henry F.orster &
C., na rua do Commnercio n. 8, correspundentes d.
companhia, onde tambem pode ser encontrado o
Sr. Theodoro SImon, o ageCnte geral nests Impe-
rio : todos os dias, das 10 horas da manna at6 As
3 horas da tarde, durante a sua estada nesta ci-
dade.
Recife 24 de outubro de 1884.


O01ogo Maria Branda0
Rua do Hospicio n. 5
Recebe meninas internal, meias-pensionistas e
externas, por preqo muito rmudico, a educaqao serA
complete. Ensina-se diversas sciencias e linguas.
piano, desenho, trabalhos dc agulha : pars infor
maqoes os interessados podem dirigir-se aos Drs.
Joao Barbalho, Pinto Junior e Pereira do Carmo.


S( ^MEDICOEPARTEIRO

Dr. Joaquim Loureiro
S )(nsultorio rua Duque ae Camsa n 39,
defronte do DIARI) DE PERNAM-.
BUCO, ondeda eons ultas das 12 as 3 ho
xas da tarde. Reside temporariamente na
Monteiro,




Curso de preparatorios
Francez, geographila e arith-
Inon e umetica
Inforrmaces com o Dr. Tobias Barretto,


0 Dr. Adri&o
MEDICO
Continua a dar consultas das 11 As 2 horas da
tarde, em seu antigo consultorio, & rua Larga do
Rosaxio n. 36, I." andar. Chamados por escript
a uqalquer hora, na pharmacia Bartholomeu &


DR5 PHRHIR B LYRA
MEDICO
Fixeu a sua residencia na cidade de Caruarfi,
onde pode ser encontrado pars os misteres de sua
profi ssao.


BR1.ALEBJIDO GMAB
MEDICO OPRADOOB
ESPECIALISTA EM PARTS E MOLESTIAS DA8
MULIERES
Tern o seu consulorio em casa de sus
residencia A, rua da lrmperatriz n. 30, 1.'
andar.
CONSULTAS de 8 As 10 da manha e
de 12 As 2 da tarde. Chamados por es-
enipto A qualquer hora.


oxxlxx

f ODr.
list^, ex-c
ker, dac
Jtoriin. 4L


ieO Oeu-
do Wee-
d& Vie-
is 4 ho..


. vegetalo uma cumrt, Ada la moIenia evitando
a repeticdo d'ella. :. .
Em cada vidro leva unWa direegao enpinando a
nAueirod8 ijiar, ea drvrsbs attestados de mediec's
e. pharmaceutinos qua tornariam enfadonho men-
cionar.
Preco do cada vidr. 2,000




CtirardIcalmento6as&rdo tionteoseja qual
for a sua origem Desappace a dor immediate.
muente. Em cada vidro acompana unma direccio
eomoue deve applicar.
Preo de cads vidro 2000
Barlholomeu & C.

Pastilhas dotes antheluinlicas
de Hearing
Para complete expellicgo dos vermes intestine
em criangas e adults.
EFFEITO FACIAL, PROMPT E CERTO
UNICO AGENT
Thee. Just ,
t1 -CORPO SANTO 19
Deposit nas. principals drogarias e pharma-
cia.


EDITAES
0 tenente Joaquim Augusto Xavier da Maia,
juiz depaz mais votado da freguezia de
Nossa Senhora da ConceiSo dos Mlontes
dt cidade de Palmares.
Faco saber aos senhores eleitores desta tregue-
zia, na fdrma do art. 124 do regulamento que bai-
xou corn o decreto n. 8,213 de 13 de agosto de 1881,
que tendo de procader-se no dia 1 de dezembro
proximo viadouro a eleilao para deputados A As-
semnbla Gral, devem os mesmos sacinhorcs eleito-
res ne indicado dia, As 9 horas da manlii, compa-
reccr no consistoris da igrejt m;itriz destat cidade
0os lew perteneerem do 10 ao 80 quarteirecs e os
quo perteucerem do 9 ao 26' (iuarteiroes ni es-
ta,.io do prolongamento da cstradat de ferio dest,
pruoviiia e ah d.,remn os seus votos, de coi.furwi-
d(lade corn os arts. 141, 142 e 147 do citado regula-
mnento. -
E para que chegue ao conhecimento do todos
mandei passar e predente e outros de igual theor
que serao affixados nos lugares mais publicos desta
freguezia c publicados pela imprensa.
Cidade de Palmnares, 1 de novembro de 1884.
Eu, Manoel Fernandes Caluite, cscrivao, que o
escrevi.
Joaquimn Atgusto Xavier da Mal


0 Dr. Francisco Pothier Rodrigues Lima
juiz municipal c do commnorcio do terruo
de Palmares, ein exericiio nesto do Agua
Preta coinarca d(o mesmo none, por Sua
Magestade Imperial a queii Deus guar-
do, etc. etc.
Faqo saber aos que o present edital virern que
por part de Ismael de Oliveira Guinam-aes, me
foi apresenfda a peticAo do thcor seguinte :
Him. Sr. Dr. juiz municipal c do commereit do
tcrmno de Agua Preta.-Isinael do Oliveira Gufi-
mnirAes, -estabelecido na cidade do Recife, send
credor de Joo Monteiro da Costa, estab'lecido
itestc termo, da quantia do umrn conto qumhelitos
nove mil e tantos rlis, como se v6 pelos document
tos juntos, requer a V. S. se sirva desigiiar diaf
hora pars corn citac-o do supplicado e pena dt!I
revelia justificar o estado de insolvibilidade d'ePt-,
c ser declarada aberta sua fallencia, como lhe o
permitted o art. 807 do Codigo do Commerci viso
nao a ter o supplicado nos terms do art. 805 f
inesmo codigo, proseguindo-se no mais seguindc
os terms regulars do ditos. Pcde a V. S. detfo-
rinmento.-E R. M. Recife, 22 de outubro de
1884.-0 advogado Duarte Estevi[6 do Oliveira.
Estava uma estampilha do valor de 200 rcis, inu
tilisada na forms da lei, em cuia petiqAo lancci o
despacho do theor seguinte :
Autoado como pede, hoje a 1 hora da tarde, nt
s-ila das audiencias. Agua Preta, 23 de outubro
de 1884 -Francisco Pothier.
E tendo o supplicant justifleado o e-tado de
,nsolvencia'do supplicado, foram-me os autos con-
chmlsos e nelles proferi a sent 'na do theor se.
guinte:
Vistos estes autos, ecte,, documneuntos de flq. e
testemunhas de fls. a fls., hei por declarnida a fil-
lencia de Joao Monteiro da Costa, negociante nm i-
trieulado, a datar do dia 18 de setembro ultimo,
nomeio curador fiscal em falta d? credor que tenha
as devidas habilitagocs, ao Dr. Eutropio Gong l-
yes de Albuquerque Silva, que sert intim.ado para
prestar juramento e proceder na forma da lei.
E visto que se podem inventariar os bens em.
,m dia, proccda-se amanhi a esta diligeneia
corn um depositario provisirio, quo nomearei dis-
pensan Jo a impiIo de sellos na form do dis-,
posto no art. 809 do Coligo Commercial.
Fa'al-so public sa falHencia pir ediaes nos lI-
gares do costume, e convoque s.! os c'redorms a se
reunirem no dlia 13 de nov.mrnbro as 10 1 oras da
manh3, na sala d-is audincims, afim de procele
rem a norn. a;.o d deoositarios que hAo do pro-
visoriamente tomar couta da massa fallida una fr-
ma do art. -812 do citado Codigo C )nmm rci il.
PRdrmres, 29 do outubro de 188.-FPraneis-o Pj-
thier Rodrigaes Limna.
E portanto, fait. public a failleucia do nego -
ciante Jolo Moutiro- da Costa A datar do dia 18
de setembro de 1884, e convoco os credores do
mesmo a se reuniremn no dia 13 de novembro As 10
horas da manhi, na sala das audienciai d st -
juizo no pagoda Camara Municipal desta villa de
Agua Preta, para nomearem depositarios que to-
mem conta dos bens do fa!lido, advertindo que ne-
nhum credor serk representado por procurador so
este nao tiver poderes especiaes para o actor, e
que a procaracAo nao p6de ser dada a pessoa que
seja, devedora ao fallido na f6rma da lei.
i. para constar maudci passar o present e affi-
xar um exemplar na port da casa das audiencias
deste juizo, #utro na ports exterior da casa do
fallidp, e publicado no Diario de Pernambuco, do
que se juntar icertidlo aos autos.
Dadae passada nesta villa de Agua Preta, aN
31 do mez de outubro de 1884- I
SEu, Manoel de Carvalho Paes de Andrade Gon-
vim, escrivio privativo do commercio, o subscrevi e
assigned.
Francisco Pothier Rodrigues Lima.


DECLARtAVES

A Camara Municipal da cidade do Recife
convid aeos donos-dos estabeleeimentos emmen-
ciaes das freguesias do Recife e Joe, parA vi-
Vremoi soao eOmp .te4 e aferi- o peo6, medide
eb Wlatngai dostoamoa, nopFozimo mez de no-
- -mbro, sob pens da le ;
Paco do Camera Munie4pal do Recife, 30 dc
1', 1111111'1'JogS Candiio de Morses, .;
11 -11 \ 11 1 *'^ *r in t :'s 11 .


*i 'W.' Ipo riom, no
eksobre rio Gur-,
Id iei4 Aterr.rua,Hm ells
8 calgu, useida do Rio-For-
eat 1:595s000
Ide a iee6lga da mesa cidade, em 286A000
Secretaria da repartiio das obras publioas de
'Peraambuco, er 22 de outubro de 18J.
0 oltal secretasi'o,
___ J. J. de Siqueiira Varejio.


A Nquitatva Roeledade de SMe-
guros sebre vida dos Esta-
S-dos-UnIldos
SEDE PRINCIPAL 120 BROADWAY-NOVA-
YORK
As pessoas desejando informanes ou querendo
ftzer uma proposta para segurar a vida, podem
dirgrr-se ans Sr8. Henry Porster & C., os corres-
po'dentes, onu ao Sr. William Munu Webster, run
do Commercio n. 3, o encarregado dos negocios da
conpauhia, nesta praca.
Recife, 7 de novembro de 1884.
I Theod Simon,
Agent. geral neste imperio.
Thesourarla de Fazenda de
Pernambueo
Pagamento de costuras do Arsenal de Guerri'
De ordem do Ilm. Sr. inspector, fago public
que no dia 10 do corrente mez, as 10 horas da
manhi, se fari pagsmento no Arsenal de Guerra
is costureiras do mesme Arsenal, relativamente
Ssegunda quinzena do mez proximo passado.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 8
de novembro de 1884.-0 secretario da junta,
F. A. de Oliveira e Silva.


P Ji


uranos do


Assemblda geral
Nao se tend reunido numero sufficient de ac-
cionistas para, na fdrma do art. 65 da lei das so.
,cidades anonymas, so e onstituir a assemblia ge-
ral, convocada paTa 31 de Luez passado, foi mar-
cado o dia 11 do corrente parm a sun realisacao
,orn o numero de accionistas que comparecer, se-
gundo determine a segurida part do mesmo ar-
tigo. A reuniuo serA ao meio dia e no escriptorio
da companhia. Recife, 5 de novembro de 84.
J. A. de Almeida Cunha,
Secretario da assembles geral.
A Camara Municipal do Recite, faz public a
quern interessar possa, que resolve em sessato de
29 do corrente mez levar em praca os alugueis das
casas da praga da Independencia ns. 10, 12, 30 e
32, bem como os das casas do mercado da Boa-
Vista ns. 1, 2e 11, 3 e 10 de 4 a 9, que se acham
occupadas corn acougues.
Seri tambemrn levado em praVa o impostor de 120
rs. por carga de farinha e mais legumes, e bern
assim 40 rs. por p6 de coqueiro.
Esta praca deverA ter lugar na proxima quar-
ta feira 12 do corrente, ao meio dia, na port do
pico da mnunic;palidade, devendo entretanto os
pretendentes habilitarem-se na f6rma da lei.
Pa&o da Camara Municipal do Recife, 4 de no-
vembro de 1884.
Jose Candklo de Moraes,
president.
Pedro (. de Ratis c Silvca.,
Secretario.

Thiosurari do FQxonda
Arremat*o das obras do Forte do Picao
De ordem do Iim. Sr. inspector da Thesouraria
de Fazenda se faz public que no dia 20 do cor
rente met se proceder.A a arrem' taco das obras
de que precisa o Forte do PicAo, que temn de ser-
vir de post fiscal da Alfandega, oroadas na quan-
tin de 17:5445948, cujo credit fMra concedido
pela ordemrn do Tiesouro n. 153 de 7 de outubro
proximo passado. Nesta Thesourari:L acharilo os
pretendentes a dita arreinataoo o orgamento e
plant de. taes obras.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 4 de
iuovemubro de 1884.- 0 secretario da junta,
Francisco A. de Oliveira e Silva.

HoDspital Po Blwo Benoficocia
De ordem do HIm. Sr. provedor levo ao conhe-
cimento dos Srs. socios que se achamn em atraso
de mensalidades que flea prorogado ate 30 do cor-
rente, o praso para satisfazerem suns mensalida
des ao respective cobrador ou ao Sr. esmiler, A
rua do Amorim n. 62.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em Pernambuco, 6 de novembro de 1884.
Alvaro B. Dias Ferreira.
lo secretario.
IRMWANDA DE
DAS
Almas, ereca namatriz de S.

Jose do leile
Nio se tend ainda reuaido numero legal, slo
pela terceira vez convidados todos os nossos ir-
inaos A se reunirem em o nosso consisto'io terqa-
feira 11 do corrente, as 5 horas da tarde, para o
fim jA annunciado.
Consistorio, 7 de novembro de 1884.
0 escrivao,
Manoel Venmanieio A. da Fonseca.
9001998 lUMsiAEl8 o801 m"


bro
ASSEMBLE GERAL
Da ordem da presideucia, communico a todos
os socios desta socieiale, que se acha designado
o dia 11 do corrente, .s 6 horas da tarde, para
e.n asseribl&a geral continuar--se a discussao c
approvaeao dos novos cstatutos, e bern assim toda
e qualquer medida que necessaria for a bern dos
interesses desta corporaeao, polo que convido a
todos A comparecerem no alludido dia e hora na
nossa sede.
Seeretaria da sociedade musical 28 de Setem-
bro, aos 8 de novembro de 1884.
0 10 secret rio,
Joaquim L. Vieira

Confraria do Senhor Bom Jesus
da Viasacra, da igreja da
Santa Cruz.
MESA GERA.L
De ordem do irano provedor, convido a todos
os nossos irmaos pars comparecerem em nosso


consistorio pela terceira vez, dommingo 9 do cor-
rente, pelas 6 horas da tarde, afirm de reunirmo-nos
em numero legal eomo terminal o art. 40 do corn-
promisso quo nos rege proceder-se a eleiao para
os cargos de thesoureiro e 2o procurador, do pro-
sente anno compromissal vlSto terem pedido es-
cusa os irmaio que os exorcism.
Consistorio da Confraria do Senhor Born Jesus
da Viasacra da igreja da Santa Cruz, 6 de no-
vembro de 1884.
Oescrivio
It. D. da ,Siva.


NSo convidadoe pela torceirsa wsocios desta so-
oiadadeo a so reniroim o bua eral, uas


**p"*" 40 fU P r 0$amo soem Peis pcaim",
senl& nemta secasilo distribuidaflexnoiaa ama pa-
bre, confoem dete a o copomiao. Para
asiUtir ao actor, convido a todos os irmWes deosta
irmandade.
Secrtari da irmandade das Almas, erects na
nmatriz de S. Fr. Pedro Gonalves do Recife, 5 de
novembro de 84.-GQ eserivo,
Affonso Rodrigues.
SOCIEDADE

n0011nto LIso-Brasioira
Consmelho final
De ordem do Sr. president, convido aos senho-
res membros deste conselho A comparecerem a
sessio do mesmo, que teri lugar no dia 10 do
eorrente, pelas 6 horas da tarde, afin .de tratar-
e do assumpto urgent.
Secretaria do conselho fiscal da sociedade be-
neficente Luso-Brasileira, 6 do novembro de 81.
0 1 secretario,
Bento de Souza Myra.
A Camara Municipal da cidade do Rc3ife
taz public a quern interessar p ssa, que na sea-
asao de 12 do corrouente serAi levado em hasta publi-
ca e entregue a quem mais der, o aluguel da casa
n. 1 do pateo das Cineo Pontas.
Pago da Camara Municipal do Rc-cife, 6 de
novembro de 1884.
Jose Candido de Moraes,
residentt.
Pedro G. de Ratis e Silva,
Secietario.

Associavao portugueza

de beneficencia
Asembi6a geral extraordinary
Devido A falta de numero legal para o estabe-
lecimento da assembled, convocada para quarta-
feira proxima passada, convid.-se novamente os
senhores socios A reunirem -se na sede social d -
mingo 9 do corrente, As 4 horas da tarde, afim de
discutircm os additivos apresentados pela dirce-
toria. Recife, 7 de novembro de 1834.
2' secretario da assemble,
M. Mendonca.
IR[ANDA DE
DO

Senior Bmo Jeois os Pss da

miatriz do oriio Santo
De ordtm do nosso irrnilo provedor, communico
aes carissiuros irmlos o devotos que domingo 9 do
corrente comecarA o setcnario do nosso Augusto
Padroeiro, esperando que a estc acto compareqain
os mesmos irmaos e devotos.
U setenario principiarA as 7 horas da noite e o
programma da fcsta serA opportunamcntc annun
ciado. Recife, 6 de novemrbro de 81.
0 thesoureiro,
Joio Bento Monteiro da Franca.
Monte de %oeeorro de Pernamn-
buco
Os possuidorcs das cautelas de penhores
dos numineros abaixo, sio convidados ares-
gatal-as ate o dia 20 Ie novembro proximo


vindouro.
8085 8274 8321 8329 8348 835
8587 8593 8597 8605 8610 861
8625 8627 8628 8634 8635 863
8657 8662 8666 8670 8671 867
8682 8691 8700 8710 7715 87]
8722 8723 8726 8727 8732 874
8751 8756 8761 8765 8766 877
8780 8783 8787 8791 8793 879
8809 8818 8822 8847 8849 88i
8886 8887 8897 8904 8906 891
8925 8941 8942 8943 8944 854
8966 8967 8974 8977 8978 898
8984 8985 8986 8987 8980 89!
8997 8999 9001 9007 9011 90
9019 9020 9022 9023 9024 90;
9036 9042 9043 9044 9045 90;
9062 9064 9069 9070 9072 907
9079 9080 9083 9085 9087 90!
9095 9096 9098 9103 9104 91(
9107 9119 9122 9123 9128 913
9145 9146 9147 9154 9160 91(
9166 9168 9172 9176 9178 918
9183 9184 9186 9188 9189 919
9193 9194 9195 9191 9200 92(
9205 9206 9209 9210 9211 92:
9215 9216 9218 9221 9227 923
9236 9239 9242 9243 9247 925
9262 9263 9264 q265 9267 92'
Sao 196 cautelas.
Recife, 30 de outubro de 1884.


58
13
38
73
[7
40
71
94
50
11
15
81
95
12
31
51
75


33
61
81
90
o0
13
32
57
70


8536
8619
8644
8675
8721
8741
8775
8801
8884
8916
8956
8983
8996
9018
9035
9058
9078
9094
9106
9135
9162
9182
9191
9202
9214
9235
9259
9273


0 gerente,
Francisco Joaquim Peeirra P tnto.



SEGUtOS
MARITIMOS CONTRA FOGO
CompanhIa Phenix Per-
nambucana
Rua do Commercio n. 38.



LONTRA FOGO
The hiverpool & London & Glob

INSUIRAN CE COMPANY
A CENTES
Sallallo1s rlltbrs & 0.
li--CORPO SANT011O.-


0OIPANHIIA-D I 8GR08
CONTRA FOGO
North British & Mercantile
CAPITAL
9:000,000 de libras sterlinas
AGENTS
Admson Howie & C.
RUA DO COMMER 2IO N. 3.


COMPANHIA


IMPERIAL L


SEGUROS CONTRA FOGO
EST: 1803 -
Edificios e mercadorias
Taxa baixas
Prompt pagamenfto de projuizos
CAPITAL
fRs. 16,000,00G5000
A.enite
BROWNS & C. P
N. 5-Rua do Commwrcio-N. 5


IMO New SOd
Bank UledI
Rua do Commerci, 32
Sacca por todos os vapors obre as ca-
zas do mesmo banco em Portugal, miB
em Lisboa, rua dos Capelliata n. 75. oN
Po, rtorua dos Inglezes.



Grande tireo


OOMPIANIIA HUROPHA
Equestre gymnstica e zolgieW
DE
PAUVL SIARIO
Largo do Arsenalm de Guerra
EMl UNIAO A COMPANHIA BR -
ZILEIRA DE

Joao Gomies Ribeiro

Deso ta (da conaiia
Dog ultlmos espectaculos
A's 4 e as 8112 horas
Tomam parte os artists Mme. Pauline,
Miles, Rose, Idaline e Armandine, Mari,
Serino, Lamco, Temperani e Virgilio.
Pre.os


Cadeiras ................ 1
lclios duos espeta .............. los.
I Itiios dues espelaevios


AO CIRCO !


5000
#50a


AO CIRCO !


A's 4 e as 8 e meia horas.


MARITI1OS

United States & BrasilNail S. S. C
0 vapor
Advance

Espera-e dcNew- Port-News
/at6 o din 24 d e novembro.
eeguindo depois da demora
necessaria pars

Bahia e Rio de Janeiro
Pelos vapores desta companhia duo-se pass&-
gens para Liverpool ao prceo do 200 dollars ; e
passageiro desembarcaado em New-York tern ga-
rantia a passagens p+ir'a Liverpool quando Ibe ap-
prouver per vapors de 1t ordem.
Para carg-a, passages, encommendas e valores
tracta-se corn os
AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUA DO CM)3it(CiO -- N.
L.'andar
COMPANMIA PERNAMIBUCANA
DE
Navega.Vio Costelra por Vapor
Fernando de Noronha
10. cp Segue no dia 10 do
'- corrente no ieio ^BJ^ '-i^ -.*>'~? o viip<-)r GlqKic^ coin
nm:tindante lafrf.
Recebe cat ga at,3c
dia 9.
Encommendas, passagens e dinheiros a frete att
as 10 horas da matll' do dia la sahida.
ESCRIPTORIO
Cues da Conmpanhi aPer,i'amb-iuca
n. 12.
COX[PAN "HIE[.DEM IIMEE.AGE-
RIE: IARITIMES
LINIIA MENSAL
0 paquete
Equateur
Co(ininwdante Lecoinfe
E' esperado dob
portos do sul no
din 20 do corrente
seguindo depoisda
demora do Costu-
me para BOR-
DEAU D atocandoem
Dakar e Lisboa


Lembra-se aos Srs. passageiros de todas a&
classes que ha lugares reservados pars esta agen-
cia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatimento de 15 por cento em f.-vor '4.,
families compostas de quatro pess as ao mtwioi
que pagarem qnatro passagcns int ,irms.
Por excep;Ao os criados das faminilias ique toms-
re. mbilhetes de proa gozamin tamlhem dtste a;ri
mento.
Os vales postaes s5 s, dao att olii a1, pago
do contado.
Para carga, passagens, eiconmmendas c dimheir
7 frete: tracta-se corn o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9

ROYAL MAIL STEAMI PACKET

COMPANY
Grande reduces Bos preeos das
passage as
0 PAQIJETE A VAPOR
Tamar
Commandante A. E. Bell
E'espemrado daEuropa no dia
10 do corrente, seguindo de-
pois da demora necessaria
Pars
BaHia, Rio de Janeiroe, Monte-
video e Buenos-Ayres
Q PAQUETE A VAPOR
Trent
Commnndante DIcelasao
1* eaporado
do mdosuodia 14
ADoemn A kse-

da demom necessarips paras Lisbo S m
etc. o
Temn optimas acoonmmodaeqU
Passaees pamT a Etr pea podam Sw 6
dEo nA ida "poeMW"Pwa 9m


I -1


-111= ---


I


bqrqo~w & wpwoI


C t--aMM M BW-













ance


U '

ft

8abda

Ohiegada
1
< t
*t
t
ft
*t


ILisboa
Tigo
Southampton


c.4
p


0~
C


17

24
27
29
ii
ii


(4) S6 tocarA soe procisar earvao.
Par passagens, fretes, etc., tracta-se corn os
CONSIGNATARIOS
AdaimsOn Howie & C.


3---Rlua do Commerelo --
Cnompanhia Braufleira de
gaollo a Vapor
PORTOS DO SUL


Nave-


S0 vapor
Espirito.Santo
Commandante Joao Maria Pessoa
E' esperado dos portos do nor-
l~l"r y teto dia 12 de novembro e
.-- I .seguirA depois da demora
mdo costume para os portoado
isuL
Reeebe tambem carg ra antos e Rio Gran
de, frete modico. .
Para carga, passage, encommezndaa e valores,
tracta-se na agencia
46 EUA DO COBIMERCIO 46
Coompanhia Bahiana de Navega-
T&o a Vapor
Maci6, Villa Nova, Penedo, Aracaju,
Estancia e Bahia
O vapor
S. Salvador
Conmmandante Senna
SS egue para os portos
acima no dia 12 de no-
vembro As 4 horas da
-tarde. Recebe -carga
at "o 1/2 dia &o dia
de sua sahida.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na
AGENCIA
7-Rua do Vigario 7
Domingos Alves latheus
Pacific Steam Navigation Compant
STRAITS OF MAGELLAN LINE
S0 vapor
Valparaizo
Espera-se dos portos
dosulat6 odia12 de
novembro, seguindo
para a Europadepois
a demora do costume.

Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se corn os
Consignatarios
Wilson Sons & C., Limited
N 14-- DO COMNiERCIO N. 14.
0 vapor
Aconcagua
Espera-se da Eu-
Sropa atA o dia 23
de novembro e se.
guirA para o Seul
deos da demora
do costume.
Para earga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete: tracta-se comeos
Consignatarios
Wilson Sons & C., Limited
N. 14 -RUA DO COMMERCIO- N. 14
COMPANI[IA-PERNARDUCANA


Navegalo costeira por vapor
PORTOS DO SUL
lacei6, Penedo, Aracajii e Bahia
0 vapor Jacuhype,
commandante R i n o,
sseguirA, no dia 10 do
corrente, As 5 horas da
~tarde.
Recebe carga at6 c
1/2dia.
" Encommendas, passagens e dinheiro a free atW
As 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana
Il n. 12
Para o Maranhao
A barca p ortugueza Allian-a recebe carga a
frete modico para o porto acima, c segue nestes
poucos dias : a tratar no escriptorio de Jos6 da
Silva Loyo & Flho.

LEILOES
Agente Pinto
Segunda-feira 10 deve ter lugar o leilao de
bons mvweis na casa da rua da Aurora n. 159,
para onde partirA As 10 horas e 10 minutes um
bond, que darA passage gratis aos concurrentes.
Terca-feira, 11, o de 3 casas e um terreno na
cidade do Cabo.
Quarta-feira, 12, o da pharmacia Galeno, A rua
do Barao da Victoria n. 51.
Quinta -feira, 13, o de moves, espelhos, quadros,
louca e vidros, no 20 andar do sobrado da rua da
Imperatriz n. 22.

Leilao
1)e bons moves, quadros corn finas gravu-
ras e mais objects do casa de familiar.
A saber
Um piano forte, uma mogno corn 1-soffa, 2 dune-
kerques, 4 cadeiras de bragos e 18 do guamniAo,
S 4 quadros corn finas gravuras, differentes objeetos
I de fantzia, 1 espetho dourado, 2 baneos para ps,
2 lampe6es, I tolet, 1 lavatorioadeiraa de ba-
lano, 1 I relogioai earna rsfanceza, I guard
vestido, 1 battidor, 1 marq ezao, 1 estojo com es-
cova s, 1 mezsa do eamna, mezas o em gavetas, can-
| ii OBs a gaz, 2 espelhos, 1 sofai, 2cadeiras do bra-
V|| 'o e 12 de guasniieo, tapetes, forro de salla e quar-
tos, lavatories, cam, eolx'ea.
Uma meza elastic corn 6 taboas, 2 apparadores
grades com tampo de .pedra marore, 18 cadei-
ras aust1ri aes,emopes, olhesrr euqgar u
Jun aeloneuvidra ^,^ nIreloilsot1 a a 'g-
tag.,1 gaard oemids do arame, mezasa e. eoina


49 as~
~~isac~


3,083,
e duAs
corn b


A's 10 horas da
No arnazemi da rua
Jetue n. 49 --
0 agent Pinto, competenteme
tara leilo por fonta e ris.do e i
das fazendas avariadas acina zim

Leitee


,or -avra&I.; A -F .
A, ns. 15o1~7


SDe o aaoea, co superior kapfl -
*- ia do, CorrQent
do' Bo-t se0 Pontot
SAAP^ftH1E 1 A--OMPANHIA PER-
ente autorisado, NAMBUCANA

O~To~rb on etgeOA
ids mITtuDi iifltt
POE INTERVEN^AO DO AGENTE


De moves, louqa, vidros, quadros, espelhos, fa-
zendas, obras de ouro e inuitos outros objeetos
que estarlo patented no armazem da rua do Born
Jesus n. 51.
Terta.feira, If do corrente
As 11 horas
Ao correr do martello
POR INTERVENQAODO AGENT
Gusmao

Leildo


das 3 casas de ns. 50, 56 e 58
Duque de Caxias na cidade do


da run
Cabo e


Os pretendentes poaerlo examiuar o inventario
existent no eaeriptorio do merme agent, A rua
do Born Jesus n. 43, e eomparecerem ao acto do
leilao na referida pharmacia.


A's It horist

"Affeite Postana
o 44 -


___Pestana

Leilao
De 1 mobilia de jacarandA corn 1 sofA, 2 conso-
los 4 cadeiras de braces e 12 de guarniqo, 1 espe-
Iho dourado, 1 piano forte, castieaes eom mangas,
jarros para flres, quadros, enfeites de mess, 3 ve-
nezianas, 2 escarradeiras, 1 cadeira pars piano e
pannos de crocehet.
Um sofA, 12 cadeiras dejunco, 2 di'as de balan.
go, 4 arandellas para gaz, 1 sotiA de jacaranda e 8
cadeiras de guarniqlo. -
Uma cama franeeza, garda-roupa, 1 guardaou,1gada-
vestido, 2 comm odas, 1.bastidor, 6 cadeiras, 1 Ila
vatorio, 1 oilet, 3 cabides e 1 almofda.
Um marquezio, I eommoda, 2 quadros, 2 cabi-
des, 1 marqueza, 2 cmaas para meninos, 1 cama
franceza, 1 colcha, 1 mesa elastica, I guarda-ku-
ga, 1 appaamilor, 2 apparadore toreadoa, I guar-
da-eomida, louca paras cha e jantar, c pos, calicea,
talheres, colheres, 1 quartinheira, 2 mesas, 18 ca-
deiras, 1 relogio, 3 mesinhas, 2 mebas de cosinha
e outros accessories de casa de familiar.
Quinta.-feira, 13 do corrente


Agente Pinto
No 9o andar do sobrado da
da Ilmperatriz n. 9t
0 reterido leilao comecarA
AS 10 1/2 HORAS


rua


urn terreno, bens pertencentes ao espo-
liho do subdito portuguez o padre Manoel
Jose dos Santos.
Terpa-feira 1 do orrenite
A's 11 horas
.Na cidade do Cabo
0 agent Pinto levarA a leilie por autoriwac'to e
em presents do Sr. encarregado do consulado de
Portugal, as 3 casas c terreno acima menciona-
das pcrtencentes ao espolio do subdito portuguez
o padre Manoel Jos6 dos Santus.

Leilio
DE
moves, louas e vidros
TER(A-FEIRA 11 DO CORRENTE
A's 10 1/2 horas
Na casa sita a rua de S. Francisco n. 64
0 agent Silveira autorisado por D. Julia Cesar
de Vaseoncellos, que retira-se para o ParA, levarA
a leilao os moveis existentes na referida casa.
Agente Pestana

Leilao
DE

A saber:
Uma casa terra de pedra e cal n. 57 na run dos
Guararapes
Uma dita n. 40 A run de S. Jorge.
Um sobraao de 2 audares n. 7 na run de D. Maria
Cesar.
Tres casas terreas ns. 70, 72 e 72 A, na Estrada
Nova de CaxangA.
Tera-sfeira \1 do corrente
A's I1 horas em ponto
No armazem da., rua do Vigario Teno-
rio n. 12
O agent Pestana, por mandado e assistencia
do Illm. Sr. Dr. juiz de direito da provedoria de
residuos e capellas, a requerimento da irmanda-
de de Nossa Senhora do Rosario da matriz de S.
Frei Pedro Gonalves, levara a leillo os predios
acima mencionados, send todos elles em solo pro-
prio. \
Para qualquer informaglo os Srs. pretendentes
dirijam-se ao referido ageute na rua do Vigario
n. 12

Lei.lao

De predios

Ouartao-fra 12 o corrilte
Ao melo din
Carmo e Silva
Per alvara do Exm. Sr. Dr. juiz provedor de ca-
pellas, a requerimento da mesa regedora da ir-
mandade de Nossa Senhora do Rosario erect na
matriz de S. Frei Pedro Goncalves do Recife farA
leilao corn assistencia do mesmo Exa. juiz dos pre-
dios segumntes :-
1 Casa terrea n. 84 na rua de Domingos Jcse
Martins corn grande armazem atW o fund em solo
proprio, 6 occupada pcr um grande estabeleci-
mento de padaria e refinaiAo.
1 Dita u. 62 na mesma run, comurn ma meia agua
no fund e portAo em solo proprio.
1 Dita na rua de Maria Cesar n. 4 corn bastan-
te fund, solo proprio, e ocnpada por nma refi-
nano.
N. 27 na agencia a travessa do Corpo
Santo n. 27

Leilao

Agente Pinto
Da armaro envidracada, balcao, mesas,
candieiros a gaz, burr. (prova de fogo),
vasilhames, medicamentos e mais per-
tences da drogaria
Galeno
A' rua do Barao da Victoria n. 51
LevarA A leilao por mandado e em present do
Exm. Sr. Dir. juiz de direito especial do commer-
oio, oem virtude de requerimento do Dr. curador
fiscal da mass fallida de Bettencourt & C., a
pharmacia Galeno, A rua do Bas-o da Victoria
n. 51.


nstd pVnida e
nesta provin ia puramente


Activo efctivo, 81 de dezembro.de 1883, mais
do 55 milhes de dollars.
ESCUIPTORBO FILIAL
m' l-Prea 0 Cn~oSanto-N. I 9
.1' 1 iiiii 11 ^i[ r M i i


Agrade eim ente
Aftonso Ferreirl BaItar, ainda sob a prassao da
dir, polo infiliz e premature p asamento do seu
deaditoso e sempre lembrado irmao, Adolpho F.
Baltar, faltaria a um ever sagrado, se nao mani-
featasse per meio do presented, os seus mais since-
roe e etemno agradecimentos, a t'odos aquelles pa-
rentes e amigos, que durante o curso da molestia
do seu presa issimo irmao, prodigalisaram inces-
santes cuidados e frequented visits; muito espe-
cialmente os Illms. Srs. Vicente da Silva Leal c
Henrique da C.nha Porto, que foram incansaveis e
por demaias dedicados, prcstando tantos services,
nao s6 durante o tempo da molestia, come nos ul-
timoe m-mentos, a esses direi somente :-a minha
eterna gratidao.
Recife, 8 de novembro de 1884.
Affonso Ferreira Baltar.


Adolplio Ferreira Baltar
D. Maria Rita da Cruz Neves e Affonso Ferrei-
ra Baltar, ainda sensibilisados pelo doloroso e
premature passamento do seu infeliz e scmpre
lembrado neto e irrAo, kdulpho Ferreira Baltar,
fallecido a 6 do correute, muito agradecem aos
parents e amigos que se dignaram comparecer
ao enterro ; e de novo convidam-os para assisti-
rem as missas, que por alma do mesmo finado,
serao celebradas na igreja da Madre de Deus,
quinta-feira 13 do corrente, As 8 horas ; e ante-
cipam ainda os mais sinceros sgradccimentos por
mais essa prova&if amizade.I
Eugenio iabriel Bellos
Joio Dowsley Junior e sun mulher, tend no-
tieia do fallecimento do seu amigo Eugenio Ga-
briel Bellos, mandam dizer uma missa pela sua
alma na matriz da Boa-Vista, As 7 1/2 horas da
manbai do dia 10 do corrente, trigesiamo dia do
sea passamento.

Cavallos (urtados
Roubaram do engenho Timtb6, sito na comarca
de Jaboatao. na noute de quarta-feira 5 do cor-
rete, trees cavallos corn os signaes seguintes
41m mellado claro, crina, cauda e canos pretos,
iaoiro, corn o fcrro JF na anca e no queixo di-
reito.
Outro cardao vermelho, crina, cauda e canos
pretos, castra o, andador baixo, corn o ferro JF
na anca e queixo direito.
Outro alasilo caboclo, grande e inteiro, corn o
tepwo JF na anca direita. Gratifica-se a quem
trouxer ditos cavallos ao mesmo engenho.

Aos apreciadores


Viniho pure sem confeiga'o, proprio
em barris de quinto e decimo, vendem
Costa & Irmao, rua do Amorin n. 61.


para mesa,
Ferreira da


Aviso
1 eodora Joaquina de Souza Braga, hoje Theo-
dorl. Braga de Souza, faz public, afim de que
comParega a reclamar, quem para isso corn direito
se jqlgar, que vai solicitar da Companhia de Be-
etibe asubtitui*o de duas ac--es numerous 1,738
t W, -,que Ihe pertencem, as quaes filcar-am des-
truidas pelo cupim.
Recite, 8 de novembro do 1884.
Theodora Braga de Souza.
A tt6B 0B -
A' rua Velha n. 6, cose-se vestidos per figu-
rinos, camisas, chambres, etc. ; assim como en-
gomma-se toda equalquer qualidade de roupa
corn asseio, promptidao e modicida te de precos.


PnUAS0 D 'CROJMR
de lOIN/T9 de FEARO e do QWIA l
T TRIrTAAlff08 1bomrxdtotendemomtra*
aefficeia lIncontestaveld'ePtaPulax,quoencemmra
Stodos a elemektes pramlar a a regene odoi d M e.
S Pa ms propriedades to a. 'pvrati 0
0 Xo z BTo iM 1 o0 i qvizirA
6 o mnadlonment enm akttvo oatra s
DOm esde oUitomago Chmorne Anemnia
Prtda de Appetite
Canwa-4-Empobrecimento do Sangue
Afieco6es-esorofulol, etc. -
Dtailto 3rali: 9., raa idos roul-Siit-0513l, PAiU
f flPambwoo: A"II M. da BILVL & 0.
Si^6

AVISOSDIVERSOS
Precisa se de 4 a 7:000A corn juros modicos,
sobre hypotheca em um magnifico predio em um
born arrabalde desta eidade, por sete mezes de
,o : quem quizer deizxe carta nesta typogra-
cpa eom as iniciaes P T.
. Ptecisa-se de doas amas, de leite e cosinha :
na travessa de S. Pedro n. 8.
Precis- se de urma criada pars o serving do-
mestico de casa de familia ; na rua Nova n. 39,
loja.
Precisa-se de um eriado e d& uma cosinhei-
r a : a tratar na rua da Impemratriz n. 1-,
Aluga-se uma sala e alcova no primeiro
andar da casa da rua estreita do Rosario n" 34:
a tratar na rua Duque de Caxias n. 63.
A viuva teatarmenteira da Chitistovio Guilherme
Breckenfeld, couvida a D. Adelaide de Mello Al-
buquerque, filha do D. Isabel de Mello Albuquer-
que Pitta. A habilitar-se para receber o0 seu lega-
do na importancia de 8005000, liquid de 1:0005,
e que se aeha em poder da mesma viuva, que re-
side em Olinda, rua de Mathias Ferreira n. 51.
Leopoldina Idalina Breckesfeld.
Precisa-se de uma ama quesaiba bemrn lavar,
engommar e cozer algumas costuras ; a rua das
das Florentinas n. 10.
Offerece se uma senhora boa costureira, de
bonds costumes par& esaa de familiar ou mesmo
do alguma modieta, tend dorinid ; quem qnizer
dirija carta techada para a Livraria Frau eza
corn as iniciaes B. e V.
ALUGA-SE a casa da rua de S. Francisco
n. 17, corn 3 quartos ; as chives no pateo do Pa
raizo n. 16, e trata-se na Boa-Vista, rua do Pria-
cipe a. 16.
*- Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 27
A rua Vidal de Negreiros ; o primeiro e segundo
do de n. 16 A rua de Hortas corn bonse commodos
e recenteanente pintada, a tratar na rua do Hos-
picionumero 32.
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Jo1o de Sia e Albuquerquc, a qual tern excellentes
commodos e grande sitio : a tratar na rus Pri-
meiro de Marco u. 13.
Aluga se o 2-0 andar do predio n. 51 A rua
do Imperador corn grandes e excellentes commo-
dos para familiar, tern agua e gaz; tracta-se no pa-
vimento terreo do predio n. 10 A rua do Commer
cio.
Precisa-se de uma ama de idade para cosi-
nhar e ensaboar : no Lbrgo da Santa (ruz n. 14.
Na rua da Concordia n. 69 se precisa de
vendedoras de bolos que deem fianca de sua con-
ducta.
A t Precisa-se de uma ama
WA = WlV & para casa de familiar: na
rua do Cabugi n. 2-C.
Aluga-so na ruB Imperial duas casas, urma
de padaria, corn forno e utensilios, e outra de moo
radia. as. 198 e 199, por prego muito commodo
a fallar corn Jose Peliciano de Nazareth. a rua
de Pedro Aflbnso (outr'ora rua da Praia), arma-
zem n. 20.
Jose de Souza Cordeiro Simoes, de volta de sun
viagem ao sul do imperio, participa aos pais da
seus alumnos que acha-se no exercicie de sue
profissao, esperantlo a mesma coufianga quo em
sua ausencia se dignaram dispensar.
Tcrtuliana Maria de Medeiros partieipa ao
commercio que comprou ao Sr. Olimpio Luiz Ra-
bello a sua taverna sita A travessa do sitio do
Feitosa, livre e desembaracada de qualquer onus;
todo aquelle que se julgar credor apresente-se no
prazo de trees dins, find os quaes nio aceitarA
reelamagao alguma. Recite, 8 de novembro de
1884.


Qumn desejar uma boa cosinheira, diiija-se -A
rua larga do Rosario n. 10, 1 andar.

Despedida
Forbado por incommode de sadde, a deixar
esta provincia, sigo no vapor de amanha. Peco
desculpa As Exmas. tamilias e mais pessoas corn
quem tive a honrs de entreter relacues, de nao in
comprimental os e agradeoer-lhes pessoslmente
as attencoes que sempre se dignaram me dispen-
sar, peles qusea lhes fico eternamcnte grate.
Pernambuco, 8 do noveombt de 84.
_^___ ^^ ^ ^Go '

o primeiro e segundo andsreoa do sobrado n. 40,
sitO A rua velha de Sasta Rita : na rua do Impo-
rador, phanma-im do Sr. Ribeine n. 44, se diur
comn quern so dave tratar. .*'; /1^i.


A PEPTONA
S Sobaf&arma.VVNHOdo PE ,OZNA
rprepaado pon Deeuneo de Panris, 6 ur
Lmedicameuto que muito contribue jra faed-
Uitar asfuncqe io estomago, e regalaiu a
dageatno, uconeiode o vcfames.S mrie'.
Sdo doente.
Semnumere de experesi fWefs pese
miais afamados B 'dicws do Pariseoontroe
, ezes demestrarama a eflfamia do lNIO',
Vb PEPTONA DBDFRSN-t&; Da lm.
po.sibilidade em que estamos deo r.produsr
W odas as asuas cartas, limitao-;aos a apre-
seatar simi a carta Airi1ida 9o SAr Defretc
= Ma m facultativo, cujo name e a ntwa uiU
econbhecidos l e mundo medio.
Di o D1' Juiiet ao So Oeftnme:
SSMis, a -ie MaVo deoI88.
I san-a o gosto de lU manifestar a w-
f tisfaio que live corn e %ua F= ptoua, MhM
bins resultados quA eom ella iaaAcei os
a am6 graves em q.e a tenho en pregadeo.
a Sempre quando rive de tat urm eels-
,mago cansadi doent e ou comn0a0 t fl
16es, a ass PreparacM e aUiri oa
diente, mwXhorand-lhe as funcgco digesti-
*&vs rnmu;tat mulheres idasa outral
anemica. menines echlioe daem a
saude ao da Peptona. Par ie.. 4que
cosidere coaIs um virdadelio 4 *ver re-
cormmendai-, s meusdoeaoies 'ugrmdel
nunmero de ceasm.
s Tenhopwatizasduuouow edloprittiadu.
*rnte as mamas de IM1 a INN prio&o e0
Im a- !AaA .3.. nwatw- A.L. &jZA2f&I


i#DE
DE


CARDOSO & IRMAO)

RUADO.BBRjI100 A104
DRPSITO NO& IJ APOLLO 5$. 2 121
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas relaoses directs


corn os melhores fabricantes,


e corn um dis-


tincto engenheiro de Inglaterra, offerecem
grandes vantagens para encommendas, como
provam com os apparelhos completes assen-
tes nos engenhos Massauassu' e Bosque, e
mineio apparelho no engenho Conceiao.

MACHINAS a vapor trabalhando s6 corn
o fogo do assentamento, podem ser examina-
das as que foram assentes nos engenhos Be-
lem, em Timboassu', Cucau, em Gamelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
f If
mara e Lages em Itambe, Yidraiao em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e


Parahyba.
Chamam a attencao dos


Srs. agricultores


para os novos vapores que temrn recebido do
dcreditado fabricante Robey, que se recom-
mendam pela facilidade de conducao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand6
de mencionar os engenhos em que os tern col-
locado, porja terem vendido 85 para diversos


lugares, e por issoja devem ser
cidos.


bem conhe-


Sao os unicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da colloca~ao e por sua
duraAio.
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas 'i agriculture, tern sempre grande depo-
sito, sendo tudo da melhor qualidade.
Vendem a prazo ou a dinheiro corn des-
conto.


FUNDICAO DO BOWMAN

RUA DO BRUM N. 52

PASSA)DO 0 CHAFARIZ
Offerece vantagens para as encommendas
de apparelhos aperfeicoados de fazer assu-
car, pelas suas replaces directs, e pelo born
exito dos apparelhos que tern montado nos
engenhos Uinussu', SAo Salvador, Maciape e
Mussu', onde, corn um dispendio tanto menor
que nem se compare corn alteins dos que por
ahi se tern fteito, tem-se obtid, resultados iguaes


'Isenao superiores, em vulto de produpco, qua-


lidade, e preeo de venda.
Chama a atteneao aos melhoramentos para
economia de combustivel que tern ntroduzido
nos engenlhos Pereirinha, Arara e Ori desta
provincia, e Boa Vista de Maranguape, aonde
corn o fogo do assentamento se produz o va-
por neeessario para a moagem.
Em moendas, rodas adagua, vapores e todo *
machinismo e ferragens precisos para enge-
nhos tern a venda grande sortimento da me-
Ihor qualidade.
TRILHOS PARkA CANNAS. Tern de systemaper,
tatil simple, ser os ineonvemientes que al-
gins apresentam om ioarros proprios, loeo
etc."a-p ra vis, podeudA bi


11


I


I


<
I (
I
1

1

I




I
1
1
<
1 J


<


i I






















iDE
d. fa dllva Vsik. Vike
.(laaltiva ftalo~~
Urn lindo sortimento em chasIi nas e s bqpeos pars se-
thoras 'm t eilas 'ms oe ni'A oet timf zX6ioelloe
Nesta casa tern sempre um miepleto sortimento am mrtios do
ohsapeB~iatahto $Ua fa X
ensaimente das "riaei '.zendias do Pais oqueha demaia
Garante-se s-amcri&de e pregos modicos.


POLYCLiNICA


'tms~ri0--Ba il0l uez de'linila
Wmc -PIR-A.L


0 Dr. Bettencourt, dispondo de uma long pratica das prinQipas
clinical da Europa (Pariz e Londres), bern como de um arsenal cirurgico
bastante complete, pratica qualquer operaxao. pelos processes mais mo- ..
~ttnos.
Trata da elephantiase dos arabes pela electricidade e pela electrolyse
#poyo tratamento). ,
_streitameito do recto dauretta rstm d,tpla fe lectrieidtde. (
Opera os polyps do utero pIlo process da us .invenio, sem d6r
neom hemorrh0fia. A
Tratamrfto ratio It goieornras chtodtte p01o" methbodo das In-
tillaq6es. Hydroceles serm injeclio.
IOpeftvs A tnas vetioo-vatgiaes polo pracbaw shMeddano e p&aIpsos
ominpletos do utero pela elytrorrhaphia medians.
4 Moldbtias d4 gargants e dos pulm6es:pelo spray a vapor, medicaio,
Syitl. l
Syphilis, molestias venereal e da pelle. Embalsamamentos.
iOn*mUittte ZO s h tair8e.


II .7


GRANDE OFFICINA ,DE ALFAIATE


AIIRJIA


DU


&


41..-Bua do Bario da Victoria...41
N'este acreditado estabelecimento se encontrarA sempre um sortimen


pleto de pannos finos, casemira de todas as cores, proprias para costumes e calascom-
cebemos directamente, .o C.,;Aj fazendas por todos os .vapores da Europa. .Brim
branco e de eo-rs,j e tdasde as aszedas.Aende*tes A urna casa nesae genero de negocio.
Aprompta-secstomos i p tara mto tm: 12 iioras.
Disp5e de urn pessoal habilitado e corn os mintares elements para servir
a seus migos, ea qualquer pesoe que quizer honrar seuetabelecimento coan suas
eneoimwnendas.
41--:Rua doBareo Ua Vietoria--1l








Os bssteir^sk wiK hrteiroile IW o i. W, Sempre uti faha
de vridotratos.-iw weRldoi*a&xp.i, apo
ic alguis artiges, c.jos prReps ubo receiaml cow^-
te ia, wo seja]m:
FUSTOES de c6res de variados e mimosos padres, a 240 rs. o covado
CASIMIBAS de algodlo a 400 e 500 rs. o covado, que pechincha!
LENQ6ES de bramante a 26200 urn, conv6m !
COBERTAS de gang torradae, a. 2#800 umanasobemm boas '!
BRIM pardo liso, 320 rs. o covado!
BORDADOS tapados, a 1, 141500 e 2000 akpoa!
COSTUMES de banho do nar, bemrn costurados, sondo para senhora 10C000,
para home' 8X000 tpara reranva prO0,"-'um!
CRETONETTES claros, 240 rs. o covaAdo, que pechincha!
1OAMISAS de linho s8perik es, a4 0 aa !
CORTES de casimira, a :5500 urn !
SAIAS bordadas, a 3h000 am.!
POUPELINAS e Ins, para ,quidar, a 240, 280 e 320 rs. o covado!
IMERINO' preto, fino, a b !Oocwad4,,wpowiem!
CORTES de ustio par fac6llete, especialidade n'esse genero, a 26 e 46000 o
c6rte !
MEIAS cruas, para home, a 46500 a duzia I
CASIMIRA pretaialcochoad", a 26200 oktv o!
CEROULAS do bramantes a 166"00 a duzia!
SETINETAI de oe s, a,500 rs. o eoiu'1!
CORTES de brim d'Angola para calqa,-a 16800 um '!
DITOSde _|'W a a 0 j wp!
ENTERTEtLA para camisas, a 800 rs. o- 'metro !
E muitos outros arigos aproveiltaveis.
',~ ~ ~ ~ ~ ~ ~~~~~L I :"- .'*'.,'* '.,..,* ,**' ,',."
f#*arwak INNllfii~ i i^ti*~* '111:*111* 1 -''


v


JAW S lABfc miO







VI



MOL5TIAS4d"ROU daU&A3s'NTA
XARDPeO PSTAde VAIJQELII
JLEiSL Ph", 355 us d CitEeaon tods9 Ph !"


Corn ad. ~Uu~i~ wore, W*amV4et thtm*88-M
~ g~ u4~veo~"uam& dtC dun applica-
ONson IMe lengrn erpraro algum.- Re. Wtado garoAndo
pop, main d400, ass..de eucoceso Aempre 4ci'eatC.
-CASA' ~1b~NDADA ss 1350
Woron.beob 0-= 4IsiIhiS .riTurbigo. PAM




OI ow sowas Phawftow-

4.4


: .... -. 4 i~d dl:s, e W h .. -" '.
,: ;.;-, .. ..* ... ;.i,,' ,. ,, ,,.,i ,, 'i ;.ii- ... :,** ,,,11 .: "/ ir'i, K rtliCp 'o daz e( ; **
: .'.. .* : .... ; ... r : .*:*. "*.- :- '.z ',- ;, i.. ....*. ; ... [ i,>t,; ailivio, e uon- f&^^. :. -
~ ~'; -'f~~ ',. ...; 'i. ; ) ..:' ,i,_; i);t: us do' ptiIi4.i balsanticos de pinhc ,-
.!- '-i." ,i. :,s;'i0ii',*..uciiN;ti.)s 1O Xarop. e na Massa de -oIva de ,plairciro a.
'l ^ -;Cada. frIioo eva a marca de fabric, tirI e .",
Illi ^ '~-slo e GRIMAULT &a C.-
PARIS,-3,RUA VIVIENNE E NAS PRlNCIBc PgUlAIAS



mrH~mLBERT9UEWJlNI
L^B *l^^t.8C*M ~*t~.* o a^'r Wr ...-- .I.. jAl._* .5. *A..JJ~i_. -i a.. IJ.


PMNumuwe rwu ers.IMcA swppuwRvv pwffa AMOfW aU wwwmeUw PO rN

*ode oft*& demowstrado asUtseWia wosntestavei deste V=anf, q*row osiOL
|jerdoee pmr oorgar as relbres eevitar o snu raTaeuetao, qwr CM6O lojt fUJ g Ba
^rlMUaretiaIdo SaWgmo, Wala f, t do truaqoZu3Psaem U
lwUaBESie, BftrazafdeS u'rvosas Debildade catiia pela odade ou per ]OCT .m
u 'ftt'ta 92q oontdm mais prinoiploi aotlm do qua on peparadea alm*ias, #iIs pg w' l
|pease-Mti wad.- Mbso do' -t jttr cohfra e pro sovista da recon hoda affloacla do medloaurto.
| *Wrf=MJ 378.nia.a-nit..Ho3r6, JDAPJS
i at m'i x Perzinatkuao: W3nA" CM. da& SIL h&-d O* '


.FmTR GIR TA
P IR R', JGI t nAMJJ


Apprvrwado pola Academia do Medkiiaa de Pat.
A*pprvado pela Junta Central de Hygiene pUblica do Brasi.
0 Professor H6rard encarregado do Relatorio i Academia demonstrou
a que 6 facilmente aeceito pelos doentes, bem tolerado pelo estomago,
reatatraas fora e eura a chloroanemnia; que o que distingue p.fii-
otwarmwee este novo satl de ferro, 6 que nao causa prisao do oeftre
a ombate, e elevando-se a d6se, obtem-se dejecp5es numers 'a.
0 FERRO .l Ai&Mia anemia, c6res pallfas, caimbras doe sto-
mago,5 p 2 to do sangue; fortifca. ow4temperam.toM aoos,
oexcita o appetite, regulariza as reg-asoe.wtnbte a- etrldade.
, d te Pais, e, rua Vis, vixme e nu. piopa. DIosi s e Phmacias


i or dp .o.piftsb pors



wi+ do$OAuW:N
caaus~m-
~onuos#4 m


i
Antonio Francisco Cerdeira
Anna Josepha Cerdeira convida a seus parents
e amigos para assistirem as missas que nor alma
S do u aempre ehorado esposeo, Antonio 'rancieo
Cerdeira, manda resar na igreja de N. S. do
*- Caimao, pelas 7 hers da manha do dia 10 do cor-
S reote, trigesimo dia do seu passamento, pelo qne
desde ji antecipa o seu eterno reconhecimento.
D. Franeellna da Coneelcao Oliveira
ILope.
No dia 11 do corrente peks 7 horas da manii,
tera lugar na igreja de S. Jose de Riba-mar, uri
missa per alma da finada D. PrFmancelina da Con-
eeicao Oliveira Lopes, 1.o anniversario do sea fal-
lecimento, pira o que convida-se aos parents e
pessoas de sua amisade, antecipando se desde ja
nossos agradecimento.e .


Precisa-se de uma boa cozinheira, no Chora
Menino n. 193(Pays-ndfi)._
Aluga-se
barato a loja do sobrado i rua do Bartholiomeu n
33, corn oitAo pars a rua da Concordia, corn urea
boa arma*ao para qualquer eatabelecimento, re-
commendando-se muito par a molhados pelo borim
local: a tratar na raa larga do RoMrio a. 34.
Aluga-se baralo
0 20 andar da rua do Bon Jesus (Recife).
A -asa terrea n. 1 C na Baixa Vwde (Csa
P"P).
krmazem da travessa do Campello n. 1. Reeife.
us armazens n. 13 do largo do Corpo &at*, L
gual tern communic ti-o cori o do n. 4 no eam da
ompanhia Pernamb.cana, coa guindaste.
A tratar no largo do Corpo Santa, 19, pimem
audar.




BE)





Este ramedio predoso tern gmado 4. maaH-
ro pubmica dumate cmeawta e sete auaa. omt-
egando-se a sua mawna e wtm* an 7.
Sa epopularidade*madaaucsaf t.St uMiem-
sal uoivo so prewate; e ato, par si mum!'.
aftteamelku'proev4a Yt Maw wd
hows
xNtohbrit~w 's a di ~ -qu 10 to" OtaP
tm ca"o algun de asiVrp n "*e "lM
erft" wip" .4 m.4" w-
ditaIns I ON&
,." ft -: CleiZOOMM & j~ify *"? ? ^^^^^^^ 1'!'^"!!.'.-


9


I g.


WIMP


PW


,MIN m*-


*ri-----^ii


OPP


[I


3* MNNO SEDEROSPEEIAD
^HBIFT^4S 'd 'VI dos1 13^^ All^ Ica d I 1-~ r-ir *r -
-O A' "UAL C C DE 354000.!000000 ?lacWsasMeo




Rio mdesdvktJanw
30Ai NOS'D OSPE t ..ADF



--Rwwd-i A r A- Unioo agente em Pernambumo
-*ii ADAU 0 MOWI= & C,
S i I.---3 Ba do ConerMoi-N.-3
| A veada em tode as motim e*droaim
VAS: Mt DO FEDIDO DATA'ADO FALLECIVENTO PAGOU DE PBEMI0S 08 HERDEIROS EDCEBKBM & IA
I .jPrecisa-se de una amajpara lavar e engoamnar:
_____._t _h-__ .___ na_ _____ __ ua travessa do Pires n. 5 (Geriquiti), preferitd-
se uma pessoa que nio asal i run.
eBpI s. ...... 28 de SeSredro de 1876 12 dejaueiwr de 1883 Rio de Janeiro. 541 1.07811/1
.... 1 de 1876. 17 de setembro de 1881 275 Restitui 312
-r 41.... ... d84tode 1878 .11 det abil1e8. Fr. 1.546 Fr. 60 2
Jos6 Joaquim de Freitas Guimariaj 814doio de 1882. .5 de fevereiro de 1883 Para. R. 544800 R. 12:000000 Aluga-se a casa terrea n. 31 a rua de Cal-
Dr. Candido Qui"Jaato IT7deo.agtode1882. 17 de dezemibro de 1883. .. 6744000 24:000^000 9adas, a chave acha-se na tavema junto par
Joa6-Joo Ribw ... 13 de ail de' 883. 17 de julho de 1888. 256X80 0 7:200A000 ver; uma dita na travessa do Apollo n. 3, por
C. A. A. Dohrann... .. 5 de murqo de 1883. 19 de agosto d 1883 Rio de Janeiro. 4804000 23:833,0000 10-4, propria pars sapateiro, alfaiate, quitmaa ou
Jos6 Rodrigues de Sousa 29deomao del 83. 81 de-agostode1883. Para. .6. 664800 11:8254000 fabric de cigarros : na rusa da Guia n. 62.
Gustavo Wedekid 31de outbro de 1883 25de Janeiro e 1884 .Rio doe Janeiro. 1754200 23:693,000
Jose6 Soares Pereira. 17 de maio de1883. "26 do fevereiro de 1884. Bahia 8600 ,0 13:920J000
Paul Emilio Will a11,.. 12 de mazyode 1883. 6 de abril de1884 .Santos ,. 129,000 11:6134000 Convle
Tito Antonio da 1to*a .... ...7 de junho de 1883. .Rde setembro de 1883 Fortaleza 2411000 6:1764380 A commisIobaixo asignada serve s d
A commissaoooabaixo assignada serve ae deue
meio para convidam a todos os proprietarios de
padarias desta cidade e arrabaldes a ase rennire
Desde 1845.. cerca de 72:000 contos a rua Estreita do Rosario n. 13, domingo 9 do
No anno de 1883 cerca de 5:600 contos corrente, is 11 boras da manhi, para tractar de
No mez de janeiro de 1884 cerca de 496 contos negocios que interessam a classe.
SNo mez de fevereirode 1884. cerca de 508 contos Reeife, 6 de novembro de 1884.
P agua eumpnu hiapornioraglidade dos segrad s No mez den: mar.o de 1884 ceroa de 373 contos 'Faio R.
'a"^ i 'a orm r i a 00 No mez de abril de 1884. cerca de 370 contos Domingos Pinto de Freites.
d No mezdemae de 1884 cerca de 472 contos Joaquim Fernandes do Monte.
No mez de junho de 1884 cerca de 426 contos Manoel Gonlaics Salgad,,.
No mez do juiho .. 375 contos Luis de Mello.
No mez de agosto. ...... 611 contos
Ama
riptori d"H I ePernambuneol Precisa-se deuma para comprar e consinhar
rploiW -1 M md apars 2 pessoas; :4 tractar na rua Direita n. 6,
Jn Fe 20 andar.
1 4,a1a ho orpo Santo N. 17 PAPEL PINTADO
f ,, '-':Sg S S y^ Para forrar sallas de visit e jantar, quartos:
A ltf. 'e r .rc m al covas, corredores, etc.
g A~l iMmediatei tl Cara ccm a Grandee variado sortimento por preoos, -
Sf munrnnu/u Oo R trema'nente modicos
--vciir"--ror rco "em compet dor
F'icvszzzasa do Anos ( Samnta-MAzsin, 0.5, PARMS. Acaba de chegar para a
ONORRHEAS jH / L1VRARIA INDUSTRIAL
...... L S Owsawdw Iwu A. n* aA I. --na do Bario da Victoria -
ee_.. .. ro e ,Ama
T T T PTVET? R P'1444;du
,941"s e *ero,,lLI, .e L.g L, L T r mista J Precisa-se de uma ama para o servio domti-
mOn nnem tisanas, sem cansar ne co de casa de familiar :na rua da Aurora nu
0o5 organos digeftivos, peae PARIS Snero 109.
pzie d ,23 de Dezembro
Na casa da viuva Hermino Ferreira da Silv a
; ': .9 "P^ facham-se A venda os bilhetes da 6a parte aa lote-
ria par a fund de emancipa*ao; e tambem s da
O'L Ii^R ^KF.i *D icado 4a parte que corre no dia 13 do corrente.
S'M 1 tCdO --Rua do Cabuga n. 1 B.
9U1 11OUTOR 1U ---Corre em 23 de Dczembro.
g | -f ae U b ds Lindas Fluminenses. ----os 50:00o .

d~Im auis ~'.as isVA&l 'msiP'L aoi N}I~ So Psu iM.asl e Ob.did0 m C e especialmnente ao comumercio, quo n'ests data
_'- : I jf -r-tI *do iran{pO deixa de ser seu caixeiro o st. Jose Francisco
r lD uarte. Recife, 7 de novemibro de 1884.
Olympio AdolhOd &Barro.

lijH'UNIrrrT4inAAU. yfT *p8B |>mId T:I YA&6" 4TrgPAwAl1; OOM J1o 4
,-,<:| .J li ,2l' ^ or:O~ll...I '.Penm r --


LtO ;" I


I





















tavel


to de reroglosdbs mais
acreditados fafirican-
tes, ese achaw habili-

tados a vender mais
barfto do que outro
qualquer, visto rece-
berm direetamente.
Todo 0os relogios

vendidos n'esta casa
sao garantidos.

0 do 0n L4

Amas
Na rua das Nyruphas n. 26, precisa-se de uma
ama de leite e de uma cosinheira.
Casa no lonteiro
Aluga-se muito em conta a casa do cinco ja-
nellas de frente, portao de ferro e varandas aos
lados, A rua do Lamarao n. 4, junt.. a da essquina:
a tratar na rua do Barao da Victoria, loja nu-
mero 16.
Instruceio Publica
Recentes ediqoes dos compcndios de
JOAQUIM ANTONIO DE CASTRO NUNESL8
S A saber:
Resume da doutrina chrimstA,
nova edieao revista e annotada por um
sacerdote, 1.vol. ertonado, rs. 500
ElementoN de aritlmuetica, nova
edico revista e melhorada por Jose Mar-
tiniano de Souza, 1 vol. cartonado 1I000
Compendio elementary da gram-
matica national, nova edicao cor-
recta e annotada por Jos6 Martiniano de
Souza, 1 vol. cartonado 1 000
N. B. -Fazem se descontos em compras para
revender. A' vendla em casa do editor M. J. G.
Braga, livraria Industrial, rua do Barao da Vic-
toria (Recife) n. 7.
Tambern se acham A venda na mesma livraria
as seguintes e valiopas obris :
4. Eartiniano de Souza, elements
de orthographia dai lingua portugueza,
1 vol. cartonado 14000
Pergentino S. A. aJvso, o livro
dos bons conseihos on guia ia felicidade,
1 vol. cartonado 13000

Modista
Rua da Praia n. 35, 2' audar
Eduvirges Maria Coelho, tendo feito grande
escolha dc costureiras, e tendo por maestra de
sma easa uma habil cortadeira, aeha-se prompta a
satisfazer qualquer toilet pra easameontos, bailey,
theatres, euxovaes pars baptisadov, pelos figuri-
nos mais recentes e precos commodos.
Ama
Precisa- se de iuaaa quaoue eosinhe omulto bern;
na rua da Aurora n. 109


Pai[ilrgtadirPediy Dami
Eatadir di otlir


Um amigo dos pobres,
facil applicagio, 40 annos


economic e. de
de succesIo e,-


pantoso.
Nenhuma familia deve estardesprovida
deste remedio.
E'ternamente cura: furunculos pana-
rieios e outros tumors torcedura dos ten-
d3es intumecencias das articulag3es -do-
res do dentes nevralgias- rheumatismo
- queimadutras- golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceraa doencas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitates.
Agentes em Pernambuco, J. C. tLev
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Bar*o daViletsdran. ,U
PRE4OS


*eascos grades
Pequenos
Duzia t. frascos
Pequeno


iOiRJ
1000
92006
96000


r. ~QR


_ w w** 00''"' "I -'llll I -, -,l~ Wl,!?..,l,l[ llU lll W 11,;- .1 "-,14 2






lkujr ^ bebi, dmor8iio di



Quiwt., 1#ooo,
o6le ptlp jA 4 6r,3@#1lei
e~rnA
Akt~oA dsmdos P i
Blwte i00eO 4 ,00
Mariomeio e arn.


Quartos nc o
dosquro T m n.^i 3,94 cornilli^^ a sorto de 10(k~
*al d e outrfa d ortWe d Oe 3 16 e P .a






cona 4:aosoidoea OO ires$OeOber
ha o inoeiro 3d d4 Wte ier nt 2










Ah -s ved asseus afortunados bloe aatdsdu
quahrtos arn. ti33dos n a so prte das 2lo.
omiteiro W i a sr de iOO,
dQuartos 39
antonde ourar de 3do#.1aePo8 oa*











vla erie a eiro de nac o e3eira,
c0viabaios pssuigdortes a vnirem rcebe
a c1nforinade dcs tmes edcso
quartos .1,3n osase5ort ad
b nlhe toes gar nti dos d a9as paorte da10o-
telia a deneficro da rnes de de Sa1geiro,
(6 .a), quo s e extrahirna te rao ia 11
quviartos n. 1,343 ores a virte de 200jei


do crteo co.tua se desco0


aPR EC OS
dolets quaratios n. 3,949 copasrte des 100
teria de outane scor de 32tri 1de Sal8erda
ltra(85.1), que seabode extrahirAn eg-ir, 1
do corrnfomiae d otm smdso
alguCOI.


Inteinr
Meio
Quart
Em quant
Inteiro
Meio
Quart


o 46000
26000
o 1#000
tidade malor de 1000
0 36500
16750
o #875
Manoel Martins Fiuza


As4:000000


Rua Mb Bttri* 4ii Wofrtl.ta. 40
e a a do eo.tume,
O abajto assignado scaba dt. vendor
em seus feliaesbilhets m quarto de n.
1L,343 com.,a,.sorto de 200)QOO e clAus ditqs
de n. 3,949 cornm a sort de 1004e diver-
sos premios de 32#000, 16#)00 e 8#000.
0 mesmo abaixo assignado zonvida aoQs
possuidore A virem receber na conformi-
lade do costume, sem doeconto algum.
Acham-se A vend& os felizes bilheteEs-
garantidos da- 5.a part& das loterias a
beneficio d a matriz de Salgeiros, (86.'),
que se extrahird na terdafoira, 11 do cor-
rente.
PECoS


Inteiro
Meio
qttrtoY
aim porgle
Inteiro

Quarto
Jobo Ja


46000

de j4o @o* para
36500
13750
6875
iqwwnda Costa -feite.


Aos 4:OOO$O80



16-Rua do Cabug 16,
0 abaixo assigeado vendeu nos sens
venturosos bilhetes gaminti" os premaiob e-
guintes: 2 meios corn a sorts de 8006
no n. 3867, 2 quartos com a sort de 100#
no n, 637, alua de o tra mais de 324,
166 e 86, da loteria n, 85.
Convid a us pOlMnidros a virem rco-
ber ems descouo* aIgm.-
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tcs garantidos da loteria n. 86 eai bemeficio,
da mnai* de Salgueir) quese extrahira na
quart feira 12 do corrente.
.ri to


d, de Jpias dis
, -;,, 1 : u 9 4 w4- 'f



Cbmpromettrem-se

a vender mais baiato
do que em outra qual
quer parte.





Ae COIIEiCJO0


Viagens ae centre
De OUnda tltabayanna por lgua
rassta, Cnoyanna e Itambde
Todos os sabb)do", as 4 horas da tarwe: passa-
gens tomam-se :' rua Primeiro de Marco n. 1,
loja.


ozassaca e Go rorrac~ra, e
snua caeaente bdptisa-
0, w e5 o;A. p.cpcpI-
Wlhs~-'S~ P*ftdr


Was( ab w ete., etc.,
^L-bt^, datwua pwtis e no&a a:60
*,N. ^d it, Bqw a n, a libra: enrom-
mendas d.ve.per..


SAla gaw-se, os do.. armareso dos pedos ns.
S 7, A&.ru m now do, 6nta Bit, con mterreno e
aodssts1 4a. e e; atffttaajo cacdGaucxpa-
fal-a-- na n,6 esoriptorio de Baato% &

Caano e.lonteiro.
Alugpase uma casa irua do Xisto, corn sotAo
parao ro, estw limps e tern bone commodos : a
tratar 1 eseriptmio de- Bastes & C., no eaes da
Companhia Pernambucana n. 6,


I iiafmrnrn oloitnmil


A IiunuiH uzultult
'annotada e seguida de um exemplario de actos de
mesas eleitoraes e juntas apuradoras
S PELO JUIZ RE DIREITO
Francisco Teixeir de Sa
Esta obra recentemente publlcada, acha-se A
Uenda livraria Economics, rua Primeiro de
Maro n. 2.

LINHA COATS
SLuetrosa v para machina, e a a Macia de 6
ios z tanto para machine come para cozer a mdo
Nao se usa mais linha em novello-
RJ.2. 74'1 ---^^n -


De Itabayar la A Olinda por Itam- ] rCea znna ca, Uarret Wcor U Itom
bS. oyanna e IguaramwA J. & P. COATS. -
Todas as terga --feiras, As 4 horas da tarae: T IIT l LV
,assagens A tratar corn Lourenco Pereira d'Amo- z .U iilI b A i
tim, em Itamb6. 0 SYSTEM APBPMCOADi.o B KERR STUART & C.
Viagens avulsas para qualquer part e em qual- Brown* & C. receberam deesenhos e
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e1 especiflcaRo6e destex trilbox,
a precos commodos. Essas' contratam-se A irua da como tambem de wages
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das e loeomotivas
bagagens que nao pedeLem ir nas diligencias. Os trilhos e dormentes s.ado todos de aco por tanto
-f j -- tern muita duraado--o assentamento 9 rnais facil do
Ia j1que corn dormentes de madeira.
St W T c ___ i- r.. .. _- -- ikT


Precisa -se de um criado : no hotel n. 33 do
Ikrgo da Penha.

Casa de campo
Na estrada do Luca, cinco minutes. distant da
estaoao dos bonds da Magdalena, aluga-se uma
elegant casa de campo corn excellentes commo-
dos para uma pequena familiar de tratamento.; tern
easa de banho, lavadouro, cocheira, jardim, al-
gumas arvores de fructo e baixa de capim : a
tratar corn Luiz Dnprat, rua do Commercio n 28,
e as haves estao em poder do Sr. Manoel Bran-
dao, taverna ao chegar ao sobrado grande.
PHARMACIA HOMEOPATHICA
DO
Dr. Sabino
Verdadeira homeopathb'a
Medicamentos vegetaes brasileiros
Preparacqes a. machines
Vendatf em grosao e a retalho -
Descontos vantajosos
Rua do Barao da Victoria n. 43
Machines electrical
Meias elqsticas
Ma.madeiras
Tiftra-leite
Chooolate hope~pathic.,.
SFundas -umbeUoas elmiaes -
Fundas.para eriaae. -
Tubos vasios para vaecina
Thrnoritro pars fbuea
Aunois ,pWOicQ,t., et
Vende-se na pha& acia homeopathi, do Dv.
Sabino,& rua 4o Bario da Victoria n. 43.

Luz brilhante sem fumc

Oleo aromatic
HYGIENICO E ECCNORICC

Pera mwlaue


Martins & Bastosf
Pernambuco .
Nnmero teleplhonltco a. S

Trastes


-. .J ---ua -i .A ommerciuo--i-.

VENDAS
--- Vende-se uma taverna bem localisada, sita
ao Caminho-Novo n. 113: a tratar na mesma.

?lIulas anli-dyspepticas
E
Regnladoras do venire
S- PREPARADAS POR
Bartholomeu & C.
PKarBme a ico. bownrarios de S. M.
EI-Bel de Portugal
Eetas pilulas, cuja formula nos foi confiada
Sdistincto clinieo desta cidade o Illm. SB. Dr.
eiro da Cunha, so applcadaa corn o melhor
exito contra a fraquea. de estomnago, prisio de
venture, engprgitamentos do figado e ba o, anemia,
tonteiras hemrorrhoidaes, ate., etc. Ellas nio
cFaaw0U o.Uw vexamexou dor ao estomago, pro-
duindo sua acco operative branda e suave-
B>Wte ...
Spr nm batem o espirito,
aes-p<.l o.do an'io Qdo almto, deaenVolvem o
ta do ior e m aos doentqs
prlmitiv *i u o B4o assim pars o
co.pleto restabelecimento da saide.
0 -do i 0as i-,i qumadoUas pilulas por
di, urma bora depois do jantar, ou ao deitar-se.
UNICO DEPOSIT
34t RuIa lrga do Iosarlo -34

Ve-deuse
Ainda estApara vender se o sitio junto a esta-
cAo de Parsaimeinim que pertence ao fiuado Mon-
senhor Munis Tavares; para informaoes, no
mesmQ Ce o Sr. Mathias Muniz Tavares, ou corn
seu legitimo proprietario, a rua do Bemfica 7.

Vende-se barato
Sementee de hbortalias, novas, e de todas as
qualidades;
Grio de boo.
Matte do ParanA.
Linguas seecas do Rie. Grande.
Doe superior de batata de Malaga em latinhao
de urns lbr.
Leite sMuio condensado.
Azeite de coco.
Capachos do Porto.
Canna. supteri rd genapq.
E urn conpleto Qsoitimento de obraa de vime ;
garantindo-se a boa qualidade.
Bou estreita do &sario n. 1
Valente Irmaos t Compaubia
Ao lnfllco

Vende-se uma taverna sita A praga do Conse-
Iheiro Jolo Alfredo n. 2-A, bemrn atreguezada,
corn poucos fundos, proprmia paa principiante, e o
motivo da venda se dir a ao comprado .: a tratar
na mesma.


A' ra do Imperador n. 1- compra-se, vends-t wt mT
tro.a-se nov. s uwados4. % I N Jo Sor T'1EU

Cosinbelra
Pecisa-se de umn. cosinhia que, eosinhQ eomrn
perfeii.s: a traiar no Maguinho, justo a eet$-
o, casa da esqmina, pa-see bem..
Aos *W005


R~ft. -. BDM4.4a Vft~euora B~ a
Neta caams vendeu-.m da tereims lo ii as
9t*.de,6i000 na. 5473; 2.000$ n. 1 c63; di
versas de.20t e 10I .
SEstlo expostos 6 venda os bilbetes, da quarta
loteria, que andar( a odauodis13do.-oorrente.


DE

ROqaspara- homes

Pr -Cos. baratissmo*

LOJ4A S74*7PIO
'alstakt de casemiras da q adrinhoi fs.
zendas que so lava 6500
Dit de pannumo preto fino, faenda muito
Ditos do casmift do quadm*nhese li i
DbBS1 f0oZ4S 8500
Ditors d easemira esorua, de.odlo, for-
rade OO0
Ditos 5cnauella szit .oTfdoS, sen lo f-
xenftueno ei~ot 10500
PItosM adi s doe. elas Be ea-.


R&,-na-,4 eratrw- 46
VENIDE-SE
Ma4sqo1io5 p09814 deusa~fpoiAo fnancez
enfestado coip 12 jardassa 8w001
DitormuitsIargocorn;20 varasa440AMe 55000
Dito, fazenda muito encorpad quo us
r crotone, corn 20 yamsa 5& 0
6a0 e o00
Dito suw on sme i#o faxen4 zMuito
Saenoorpads d71a 12000
Algodlo enfestadot emr4 palmos de lar-
guM* paJnazrJfe6osde ums pan-
no, ipaim aC
Dito trana4o corn a meoma lirgura,
prprrio pars len9o e toalhas de
moms, metresa 15200
Bramante de algodo cornm 10 palmos de
largunproprio pars fazer leoces de
urnm s6panno, metro 1128P
Dito frances, send de linho, metro a
1$800 e 2000
Dito inglz de quatro larguras, send
de linio, metro a 2500. e 25800
Lreguellas proprias para leng6es, toa-
lhas, ceroulas, sendo fazenda muite
encorpada, cada pega corn 20 varas
per 1080 e em vara a 500
Ditas cem. a mesa media a 800 rs., ou
vara a 400
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
tro a 15800
Assim como um complete sortimento de
peaes de algedaozinho amerieano e
inglez, que se vende por peca de 35 ate 65000
Isto na leja da esquina do bocco dos Ferreiros
Casemiras de cores


De :000oo ate 6:000 rs,

Hronia Pr mioda
Alheiro & Silva A rua da Imperatriz n. 40, tern
um immense sortimento de casemira de cores,
tanto claras com o escuras, que vendem a 25000,
24500, at6 65 o covado, e das mesmas mandam
fazer qualquer pcqa d'obra ou costumes, por pre-
cos muito rma oaveis, assim como tern tambem um
explendido sortirmento de casemiras e pannos pro-
toea at6 ao mais fino sedan que vem ao mercado, e
does mesmos .tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer peia de roupa A vontaie do fre-
guez e corn -toda a perfeicao e presteza : istc; na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
becco dos Ferreiros.
I16a
Lihios a 160 rOis
Os Barateiros da B6a-Vista vendem muito bo-
nitos linhos de uma s6 cOr e de listrinhas pars
vestidos, send a 160 r6is o covado e de cores ftas,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do bec.o
dos Ferreiros.
Brim pardo
Covado a 360 re.
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, vende-se
brim pardo lisa, proprio para paletots, calcas e
roupas de criangas a 360 rs. o covado, isto poi
ter um love toque de mofo, que larga logo que st
molhe, 6 grande pechincha : na loja dos baratei-
ros da Boa-Vista, esquina do becco dos Ferreiros
Fust6es a360440,500

e 640 rs.
Os barateiros da Boa-Vista A rua da Impera
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus
toes brancos, proprios para vestidos e roupas de
criancas, pelos preges acima indicados : isto na
esquina do bocco dos Ferreiros.
Setinetas A 500 e 640
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, & esquina
do becc dos Ferreiros, vende -so um elegant sor-
timento de setinetas, tanto lisas como lavradas,
sendo as cores mais bonitas que tern vindo aw
mercado a 500 e 640 rs. o covado; assim comno
um bouito sortimento de lasinhas lisas e lavradam,
proprias pars vestidos, de 5' V at 800 rse., 6 pe-
achineha : n loja dos barateiros da Boa-Vista.
na.
Espartillios
a 4 e #o000oo
Na loja da rua da Imperatriz n. %v venue-st
muitos boins espartilhos para senhoras a 55000,
sntos para meninas a 45000, assaim como um be
dito sortimento de fichds a 3500 ; isto na loja d-
qeiuina do becco dos Ferreiros.


69
Este 6 o numero de uma acreditada casa A rua
Duque de Caxias, cujo sistema tern sido, vender
aa muas fazendas por precos baratissimos, e os
seus proprietarios querendo provar a veracidade
do que flea dito, apresentam umsa lists dos precos
dos seguintes artigos, os quaeo so para admirar,
come sejam :
Nova remessa de popelinas de quadrinhos a 160
rs. o eovado !
Lindos padres em cretones elaros e esenros a
240 e 280 rs. o dito !
SBaito sozitAimet. de. ffM do eores a 240 rs.
e dito .6 bom verem.
Brins de cores para roupas de meninos a 240 rse.
o dito I
Idem pardo, lona superior, a 320 rs. o dito!
Idem corn quasi um metro de largura a 440 rs.
o dito !
Casemiras inglezas de eores, duas larguras, a
IA200 e I500 o dito !
Idem pretas diagonal a 2&400 o dito !
Pannos pars mess, bonitas cores, a 600 re.,
15400 e lSOo odito!
Emplendido sortimento de lies pars vestidos a
200 e 500 rs. o covado! 4 parsa cabor.
Setinetas trancezas a 360 rs. o covado !
Setim macao branco para as Ermas. noivas a
1S200 o dito !
Idem de todas as cores a 1514001
Merinos de duas larguras e de todas as cores a
15200, fazenda de 20(X) !
Ides preto. superior a 15200 e 1ijs5 b dito !
Brarantes para len90a a 5re. o metro, e
trancado.
Iem de quatro largurs a 1 0 0odito !
Cobertas de gangs pars cameie casal a 85!
Lenooes de bramante idem a-t i
Cobertores de Il, graai4s, a t
Seroulas do branaste beudaimah a4sitdmdia!
Miainlesss corn bMS cw aUOO adita!
Camisas trancezas fmus a5 a|| !
Lencos brancos abanhadus fc a dt!
Algodao largo superior.' O45L& diual
Cambraia victoria .-trsamasatoe a 35500 a
dita 1


Esprtilbos modernos a 404am!u
simaB a de ltbyiiaibbi proprias

G 6 osde oque0d_#,eflor, por

SCorbtinado, novo a 000
o 'hkb-ttdobf'a4 A1oumt
w- IM"'ltnovlw
6


Non prim" a ...
natural Se hpropahp aim r
a de peit o proo e0 t ias M
em case de ncud dve m M
dopoek
FARIIALACTK DO DL
FBWHCH8!
A sciencia e a pratica ade tn a |
nAa Lactea coo podWroo .AsMsk r
trictivo pars a infiancia diite as&
CAM do Braile dl Europa ress--
sr a do Dr. FREmICH a -W aH
genero.
i. Pay-" pok a evitvr "R~iwarfm|A
Um. poaag. estraahA e. d .omqWooMl|
a coacid mauita vem e 60m
mmeroN moletia.
Vendo-se a vordadairs faria JI44
do Dr. Frerich:
55- RUA DO IMPERADOR 56
t'ebeleimutdo 0 Pwwoa e m. d VP
t4P7&il*


e duas rodas sobrecelentes c outro de quatro -w
sentos ; ambos em optimo estado.
Ricos espelhos ovaes con ml-
durn durada
0 bazar da Boa-Vista recebeu peko ultimo va-
por da Europa urn lindo sortimnento de quadro
corn lindas vistas em madreperola, que vade
por pre"oe baratissimos, asuia CoB roo.es espe-
ihos corn moldura dourada, tern tambem coUmplet
sortimento de capella fmnebres e velas de eer,
miudezas e perfumarias : na rua da Impentri
n. 88, esquma da rua do Hoqpiio.


4







3 -
4 ':


[ -


kwam


CRAVOS E FLOBES

Na rua da UJite L

33, ha semipre para se

vender craves e lores

Chambres
A' 2$500, 980 e 4W
Na loja da rua da Impewatrl
*.40
Vende-se chambres de ch ta e cretones a 2f500,
39000 e 45000, para acabar, isWto *equiai do
becco dos Ferreiros.

Liquida&o


Para acabar
Popelines lisas, de listras c lavradas.
Las de quadros, escossezas e lavradas.
Alpacas lisas e de listras.
Grenadines de cores e pretas.
Cambraias bordadas e abertas.
Vestuarios para meninos.
Leques.
Chapeos para senhora.
Chitas lisas e de cores.
Fichus de soda e de 1l
Capas de malha de la.
Para continuar
Collarinhos e punhos para senhora c homcm, di.
versos feitios
Camisas sem collarinhos c sem punhos. corn pu-
nhos e corn collarinhos e punhos para bomem,
desde n. 35 -t 45.
Camisas para meninos desde n. 28 A 3): sem col-
larinhos, de n. 32 A 35.
Camisas, saias, penteadores, calcas, gollaa e pu-
nhos para senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, brancas, de cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolsas, velludi-
lhos, brins brancos e de cores, luvas, perfuma-
rias etc.. etc.
Papoula & C.
IS Rua do CabugAi-19
Em frente a matriz de Santo Antonio

Artigos para senhoras
Cortes do cachemira para vestido 285000
Ditos de percalina ls000
Bonitos leques 1. 0o
Perealinas superiores, covado, rs. 320
Meias abertas, par 500
Alpacaa mescladas de seda, covado 610
Cachemiras escossezas, covado 500
Fichus, capas, lacos, meias finss, seti de
cores, sodas, espartilhos americanos, etc.
Bua Duque de CaxIas U, a
Mendona, Primo & C.
Cimento portland.
Potassa.
Panno de algodao petropolitano.
Vmnho madeira superior.
Vende-se no largo do Corpo Santo n. 19, escrip-
torio de Orestes Travassos & C.

Piano WOWti*snt
Vende-se urn piano de mesa, muito bon, pro.
prio para aprendiz ; a tratar corn Adolpho Fer-
reira da Silva, 7A rua do Livramento n. 1.
Vende-se
Veude-se a taverna do Becco da Lingueta n. 6,
o motive da venda se dira ao comprador A' tin-
tar na mesa.

Allenc;o
Grnnde rednmee em prre de
mrveft
Cadeiras de junce do fabricante Thonet a 665
Ditas corn pequenos bracinhos 705
Mobilias corn encosto do palha 3505
Ditas de pAo--carga a 2605 e 3005
E mais pecas avulsas que se vende bhrato : -
rua estreita do Rosario n. 23.

Vende-se a armacao da loja o. 48-A da rua Ia
Barao da Victoria.
Acham-se expostos a venda na cocheira Ou
foi do Pinto, A rua de Santo Amaro, dous cabras-
lets americanos, urn de dous assentos corn arreoio


do, barateiros


I


II











*


.OjvLj4,V. 1IZUIUJLT-


^^*1 "'..'(Continunafq)
G-'G erardo exultava; j, nito desconfiava
it de sil, perdera aquella receiosa timidez que
r0 p ysavajunto da noiva.
as agora o ombaraco era do outro ge-o.
Snero: pouco instruido nascieneia dos amo-
re honestos, temia que ao corresponder
i s provocantes meiguices da noiva, o que
Sji he pareci indispensavel, so arriscas-
so a exceder os limits ; melindral-a e afu-
Sgental-a espavorida.
SPerdido n'estas perplexidades, andava
scismatico e mais acanhado do quo junca.
H Em um dos seus habituaesj aa
.cavallo, Marianna jA um ponco ta4
.pelo frio acolhimento feito As suas prova-
Scag5es, interrogou-o subitamente:
j -Ora diga-me, meu born Gerardo:
IV verdado ter sido muito... extravagan-
t, ?
Eu sei la, minha prima,... fui ra-
-| paz... como todos.
Rapaz inda o 6, gragas a Deus!...
|| Mas... calumniavam-n'o inuito, nao 6
assim? attribuiram-lho aventuras... de
ranis..
E-- provavel, minha prima.
Ou era talvez eu que me enganava
no valor d'essas assergqos... que Ihe des-
conhecia o sentido... porque, naturalmen-
te, nds, as mulheres de certa ordem, te-
mos sobre certos pontos apenas nogSes va-
gas e... um pouco chimericas.
Fallava-se tanto dos seus ousados ga-
lanteios, dos seus arrojos, que me merecia
S um terrivel conceito ; quasi quo me inspira
-i. va modo... mas agora vejo... que nao 6
nada para temer.
Minha prima, julgo me muito feliz
Sport vOr modificado esse sou conceito.
S Nao, nao julgue... nao 6 tanto as-
aim... De facto, no fundo, estimo muito
Sque nao correspondia A fama... por outro
lado... Dove saber quo as mulheres sao
curiosas, principalmento as mulheres da
.. nossa sociodado e!...
:':" Para ellas um home precedido da fa-
-, ma de conquistador, e de vencedor na are
na dos amores, 6 um onto rodeado de uina
especie do mysterio, quo se theme na con-
1 vivoncia, que se nao encara som terror...
1- de quern so imaginam cousas fabulosas!...
|| um monstro devorador... cujo encontro
exconjuramos... serm comtudo o nao dese-
11 jarmos... e esperamos dominar.
Aqui tern a ida que aproximadamente
fazemos do que 6 um conquistador.
Emfim, gragas a D us, a minha pri-
ma esta tranquillisada.
Oh! completamente I responded Ma-
S rianna corn frieza.
E partiu a galope.
Gerardo imitou-a e poz-se-lhe a par,
S mas ia immerse nas mais angustiosas cO-
gitagoes.
Is,, Corn quanto nao primas.e em perspica-
E*^ cia, as flechas disparadas pela prima ti-
^: nham-n'o attingido, e picavam-n'o.
,. ^- Cada vez mais so convenaia de que an-
dara erradamente, constrangendo-so -co-
. mo ha mezes Iho succedia -em converter
11 :- n'uma attitude casta e respeitosa os seus
IjJ' habitos de audaz galanteador.
t:i Entre rapazes da seita de Gerardo 6
costume attribuireon As mulheres, mesmo
.^ As mais honestas, uma occulta tendencra
para os homens atrevidos, e emprehende-
;::^1 dores
| dFundado ou nao, este axioma trouxe-

Ihe luz ao cerebro, e explicou-lhe todas as
cxpress~es de despeito que a prima nao
tinha podido reprimir.
Era evident que da sua reputacao de
l^: ousado conquistador havia a esperar, nao


. attentados grosseiros, certamente, mas de-
t monstragcoes ardentes, que suscitariam na
i noiva a commodo produzida polo perigo, e
j pela aventura.
Via que tinha sido positivamente um
nescio.
A'i fora de respeitos e consideraoes, tor-
nara-se umrn noivo soem sabor e despresti-
giado.


* FOLHETII



0 OFILHODE ANTONY


POR


ALEXIS BOIJVIER


IFGU7NDtA PART


PAI H 0


FILHO


(Continuacgo do n. 257)


CAPITULO I


Beas moobras de aea -multer
hoeurada


SSo, visto do bairro Saint-Honor6, o pa-
-lacico do eoronel bario d'Hervey, parecia
abandonado, outro tanto nio acontecia no
seu interior.
Deadea partida dos donos da easaa vi-
da timha-so tornado; pelo contrarie, mais
ruidosa, rues uticaintte na-dependencias
quo preeodiam o grande ptteb e nos quaes
habiteal Vo4 SenhoB d
:Js^tthit- oa.loaa


I- pr -uAM
^ ***i'...


maol -..!-A. + ;. + -,-i W '- ;; .. ^ .K '
at ~ ~~ u-oa U 4-u, upr
E wrlatteiJb r apoitt M
cie I..


atp so'o au -
Para aciarar- oopletaAmente asid4as, en-
tendeu dever aproveitar-se dos ,Aeuospo-
deres concedidos pela prima, fazendo grau-
do honra A suafrasqueira.
Do que rosltou sentir-sea mais oxpansi-
vo, nao reprirnir o sou estado natural; que
era urma alegria vulgar e ruidoss fa-
zia estremecer as vidrk s gai re-'
servados. -
A male comegava a in uew;a tran-
quillisava a por6m o aspect 'a sobrinba.
Effectivamente Marianna de La Pave,
n'urn certo pasmo, parecia comprazer4s
n'aquelle estudo rabeleano, qu6, 4o . deliciava os seus ouvidos pela prmn"ira
vez.
Findo o jantar, passaram para um ga-
binuotesinho muito elegant; *. 1ii re*beu
Gerardo, corn uns areb -de triuampho, da
mao da prima, muccossivamente: um qhia-
ruto, uima luz para accender, e um cope de


licor.
Para Ihe agradecer 'tdos estes amaveis
cuidados, inclinava-se tanto sobre ella, que
rogava os oeiis cabellos; fitava-a insisten-
temernte cornm o olhar carregado do melan-
celia, e corn uma voz incendida murmura-
va uns cumnprimnentos que a um tempo a
faziarn sorrir e carar.
A Sra. de Comnb aeu, vondo-os tao bern
dispostos, teve a discriglo, do ir passeiar
pura ojardim.
Gerardo, encontrando-se s6 corn a pri-
ma, deixara-se cair no sopha onde ella es-
tava, achegava-se-lho muito, e corn o rosto
afogueado e os olhos chammejantes fita-
va-a do novo, mas em silencio, abanando
a cabega come quem nao atina corn uma
expressao bastanto energica para traduziro
o quo senate.
Era necessario supprir a ausencia da
palavra, apossando-se das admiraveis mitos
da joven viuva e imprimindo-lhe ardentis-
simos beijos.
Primo! dizia ella, desprendendo-sq
de mansinho acho-o hoje muito alogre e
um pouco ousado...
Sera por effeito da minha arguiglo...
de o nao julgar demasiadamente galantea-
dor ?
Priminha, confesso-lhe que nunca tive
tanto desejo do o ser come n'este mo-
monte...
E nao m'o p6de levar a mal! Tem-m'o
autorisado am pouco, nao e verdade?...
lh3 dizia elle apertando-lhe as maos.
Sim, per brincadoira! o oestou certa
que o nao interpretou. de ontro mode; Ihe
responded Marianna, que estava reala te
compromettida.
0 qua minha querida prima! mi-
nha formosa Marianna pois 6 possivel quae
ao pouto a que n6s chegamovs, .ftW a
licito depor um beijo n'esse rosto rieba-
tador?
Marianna, depois do love hesitaglo, offo-
receu-lhe, timida e lentamente, a pallida
front.
Esta condescendencia fortaleceu a sua
ousadia; tentando progredir no vantajoso
caminho, buscava corn violeacia obter outro
beijo menos platonico.
Marianna esquivava-se entire zangada e
risonha, balbuciando phrases incohorentes.
Entao, meu querido, socegue! pe-
go-Ihe! seriamonto seriamente !... accom-
mode-se... accommode-se !...
N'esta conjunctura occorreu desgragada-
mnente A lembranga do Gerardo o tal axio-
ma, que pretend quo as mulheres amamn
a ousadia, ou talvez nada Ihe occorresse, e
obedecesso simplesmenta A excitaglo do
um desejo irritado polo vinho e pela lucta.
O facto 6 quo cingiu a prima corn brutal
violencia.
Marianna deu um pulo e um grito de
indignaglo, que d'esta vez nao era come
dia, porque estava seriamnento rovoltada;
nunza tinha side assim tratada, nem con-
cebia tal possibilidade.
Gerardo do novo Iho lanqara maol; uc-


do para suas ausencias um motive justifi-
cado.
0 doutor tinha vindo tres vezes ; na ter-
coira communicou A menina Luiza quo es-
perava estar corn o coroncl dentro de pou-
cos dias, e perguntou Ike se nao tinha na-
da quo mandar dizer a seuons amos.
Luiza responded negativamente, e n'esse
dia nao compareceu ao jantar.
A' noite os criados de Mmine. d'Hervey
recebiam os lacaios da visinhanga, e cada
um contava o que so passava em casa dos
respectivos amos. 0 inverno prolongava-
so : inuitos d'elles estavamr em liberdade
pela partida dos amos para o Meio Dia.
Luiza contou uma noite que Mine. de
Camp, a quemn tinha encontrado na vespe-
ra, sahira de Paris serm dizer para onde
ia; e chegou a accrtcentar que tinha si-
d.interrogada a reapeito do lugar para
on sa ama devia i, pois me. deo
Camp lb. diseera que tra prazer, se a sua
amiga nao se achasse em Nice, em ir fa-
zer-lho uma visit.
0 gtarda-portlo contour qup tinhaencon-
trado o Sr. Antony.
Era um factoainexplicavel, e a cohnclusAo
foi :
Decididamente o coronel tmern uma boa
cabega!
Antony nho se demorou em Paris mauito
tempo _*
Acompanhindo o doutor, oito dias do-
pos de ter sido posto. e liberdade, par-
tio para a Ita-a, twidoidolttes faaer u.ma
visit A viswudeesa do incy, A quaem dis-
se em um r0.oieato de *p(a1o:
o 10 83 iomem mal$ dopd. do
ua 4wdo.o*- *'
''''AMindssnoik^ ''.1''.?^


Ainda me record do dia erm qr.e quizestes
Saltar da sala a rua por cima do piano,


i Adeus, Antony, o coragern. Auisen-
tando-se nao sora alvo da maledicencia d'a-
quella vibora.
Aquella mulher 6 um pouco a causa
da minha resoluhto. Estando eu auseute,
ha de ser forgada a calar-se. Hei d -um
dia encontral-a.
Vinga-se boen deapreaado-a, porqe
ella ama-o e o mal qna ellal-he faz 6 uni-
camente per despeito e ciume.
Nao creis, Sra. vio Ze .a, aqJIa
nmulher 6 um monstro, queonauceu s6 fazer mal: da mesa manoira que a
lha dA mel, ella dA fel. Mas nato f1 41a,0
mais nisso, desejo qae o eaquecits.ato ma
faga perdoal-a. Minha querida vfio
sa, venho agradeeer-lhe todas as bond ls
que me iispensou: a viscondessa ....
me a irmn d*eUa, sa verdadeiraai
saa- confident. Ha do, t rnar a V
jurei que nunaea mis a vena ; dig-he
quo a sua ielbanga vivwA ete""repte
commigo.
Digo.lhe..., e nao desespere, o'taro
6 sempre cheio do mysterious. -;
Contava vir corn Olivier fazer-lw as
nossas doape.ab '-V
A viscondosa .lhou para & loe, sor4iado
malicioaaaent ,. diss : '*7
-. Se alah Uoe teho servmiole
confident, o senhor 6 o onfidente d*
vier. Por que me diz isso ? V '
Eata arn auado, disse, riO,44i,-
Stony -' '- :


;AiSra.,d Co o| I Owd4..
oui'doa, ceorrorn ift iM nii i *
A tia fiou e*tupefaia voun4o iKSai"a4.
d p6, ao meio dc d- ia, corn os cabeilks
cardos ej o rdsto eabrazeado; e o ifiho ai
um caMtt miiue, livkdo, confundido.
E' com minha i.que deseio fallar,
disse Mhriaiuiil. i'.-:. ^:
Os criados Zetirran. ,.
Miuha tia, s-ou iho acaba de co*
duzir paa oommnigo eoolo 6o poderit i
para comr a ultima e mais despresivel
mulheres... .. ..
Uin homem oapaa do praticar toas act
de indigaidade nunca seri men maride
nunca -.. .
SNero urea palavra, pego-lho, minha tia...
ip: *tonte dissudir-me, juro-lhe quo serial
inutil!..
Doixo-lhe todo o tempo necessario para
os prepartivos que tern a fazer... porqu
desde esta omeuto a vida em co
tornow-so-iApossivel...
Ef partlmra Alengonainstallar-mb
casa 1asp/minhas primas!
Aaacibar do dizer isto, compunha rapi-
damelte os cabellos; e saiu do gabineto
atravessando a sala com-o seu ar altivo e
dramatdo.
D'ahL a meia hora subia ara ura 6enia
cho, puxada por uma bella parelha, ador-
uada corn colleira do guizos. e partia patia
Alengon.
Tinha-se recusado a today e qualquer
comImunicalo corn a ti. .
A Sra. deo Combaleouiix" de sujeitar
o filho a urnm -Tilntcios8querito, compre-
hendeu que aqoelle inrcente e colossal li-
bertino cahira "no lag6 armado pela superior
astucia dd Marianna, que conduzira as
situaa5es at6 ao pouto de elle Ihe faltar ao
respeito, no int'itode so aproveitar d'esse
pretext tpar o lnmper urn casamento que
tiub cesmadode lhe convir.,
SFacilmente coibinpu .qincdencia d'es-
Failae e~biphAAm et ene d
te comprimente -oc aoil ;cega4s do
Mauricio de, rr4iii para pem somre
notAra u4 4egid tendencia, dp arte
do Mariapaa.^' "T,, .-^^'
Se 4lma coMs poDb6e augmwtar a
terrivel "ecep9vqr qui-amie de Go ardo
acabara de experin e- v" idia de
queo esta catastrophe, nava todas
as suas esperaungas, pO iser proficua A
condessa, sua visinha eOketada rival.
Teve o cuidado de AcstupulosamentW
guardar de si para si eatas suspeitas, to.e-
mendo que uma palavra imprudente ba.
tasse para induzir aquelle pobre rapasi
humilhado e exasperado, a provocar o te-
mivel adverotrio.
Minada por este concentrado desespero,
fez A press as sumas malas e abandonou o
castello na note sepkte.
(C'onttinta).



-| 1 '


MOLESTIA SINGULAR
De dia para dia tu vais ficando magra, i*.
Qu'eu tmeo muito em breve perder-te d'umrnc,
T.to triste t~o doente que mral ocelto sof-res ?
Responde, qual a causa de tahta pallidez ?
JAi consultei os medicos nenhumdos Eaculapios
Ainda descobrio o mal que te devora,
Promessas tenho feito a tudo quanto 6 Santo
E nada de milagre eu jo ate agora.
Remedio tens tornado, que'todos admiram
As contain roustruosa quevao pelas boticau,
Xaropep, lambedores, tisanas, vomitorios,
E cada vez peior parece que tu fleas.
Molestia singular! Ner bern desponta o dia
Urn frio glacial te invade o corpo rodo,
E fazes rail caret, horriveis, gritas tanto
Quo us vezes tenho medo de ao ver.te fiear doudo.
is passa-te o frio boccejas, das dous gritos,
es :-teaho fome 6 de me de comer !-
res toda a casa Oso pulps, come louca,
ico atrapalhado buscando-te center.


I A NISII
.. **' _, y ^-+ ,.,; ... : .*y -*- "'.**i ':

Eu sou mendigo que- 6 pedeamor,
Tu 6s a imagemrn do amoer quo anhelo.
--. .
-Pobre ludibrio dos tufbes da sorte,,
Batel qae voga sobre um mar de magoas,
Perdido o Ieme% a m erc das aguas,
Sem rinao fixo, a *iS *'tilla e norte;
A cada instant de*e}"n-do a motto
Come o deoscango para 'santa dOr.
Tendo na front d'um< espectr a cOr,P
Suando sangue do soffrer no horto,
Eu sou um i"uta que s6 busca um porto,
Eu sou mdnn O0 quo s6 busca amor.

Eu sou urn 4cho que procura urn canto,
Tu 6s um canto vet w unir-to a mim,
Pi.ciso auromna, Wtu no 69s jasmim ?...
DA-me teu cheiro que eu te dou meu pranto,
Veim ser do bardo o mavioso encanto,
Tu 6s o typo, ideal do belle,
Do vate acode ao amorso apello,
Vislo formosa, men gentil archanjo.
Vem pressurosa pois que 6s meu anjo,
Tu 6s a image do amor que anhelo.


MELIBEU.


casa?


Mme. dHervey ainda estA em sua


-Mme. d'Hervey chegou aqui, ha de
haver uns dez dias, doente, oh 1 mas muito
doente, veiu com sua rimg e corn sua filha.
Mas estava tio doente que per ordem do
medico, partiram para Italia.
Alh! ja partiram! disse a dama cornm
um satisfagco; mas logo em seguida: Ah !
come sinto esse contratempo... n'osse ca-
so nato me demorarei muito... Partiram
ha muito tempo?
Noe, minuha senhora, hontem pela
manhb. 0 Sr. coronel foi acompanhal-as
e s6 deve voltar esta noito... Mas 6
ais provavel que s6 vote amanha.
Conhece-o bemrn?
Pois se era aqui quoe o Sr. coroner
ceiava. Mas desde que suna familiar chogou
a Strasburgo,'ia-lhe o jantar A casa. -
A lUe cotuma vir aqui I disse a
senhora, 9cmr um wovimento do sorpreza
muito visivel para nto ser fingido. Ama-
nha estarei corn eil.; e come suo irRni no
estA aqi, partire irnmediatimente.
D- D Ptiur ,o Sr. coronel, so ovir
DOvM6u to partir A tarde.
,, -i+ lohe hei de dizer ?

A &ra abri urma carteirinha e tirou
um ca detd vista, que eutregou cria-
da, que o -retute no bolso do avental;
depois, oquatato a viaAteo se instalava


~a A A a6rNV6r"et d


penru-


7ero uqw Q 80 (J
b,'e vidatqno poeia toea ueoer.
do, ar o t0or, av ees desoumdosa
urn pouqw'to, ehes f-ra da conta
g hal dshad eica tanto A gnte
:, vefs ve go -quo a oua fen-te tonta.
ras pelajosma,-te deitam, te remexes,
Vt las tanto os dodos, solia, -bre a boca
Qu mesmo sem ser med'ou, seni crer nt mrnicina
rcobo a transicclo-que o mal tornou-setoRca.
-semno veo entao Horriveis pesadellos
Io deixam que tu tenhas socego, piz,descanqu,
. vais dizendo em sonhos : -Ingrato anda, men
(anjo
Que ave tao bonita que bern creado ganso!
Aeoiro-teentao e dou-te logo aos goles
*an (esmo ter assucar um pouce de cafe,
|8tris,oltas oro"to de mim envergonhada
", dqui ha poueo ja prompta, j A de p6.
sei tua molestia agora nio me engano,
A causa descobri do teu definhamentp
E os medicos s6 diziam :-Coitada que nervoso!
86 ha de ficar boa depois do casalrento!
-Pis eu prometto p6r-te agora, mirto breve
.forada, begrn ,dinha, matar-ia s8de ardente,
Son nada de casar Acabo o til ihervoso
jjsando todo o dia de um expediente :
Logo qu'eu perceba qu'estA p r'a vir a manha
Assilp como a tat sede quo s6 engana os tolos
Tu Mas de beber agua, mais aga& e muita agua
E ar-te-hei entao uns bem puxados bolos.
-Asin ficaras b6a, talv~z mesmo bonita
P4is juro que mais nuaca vira o tal nervoso ;
-Olvei-te da desgra9a, agora mais tranquillo
Espero qu'inda tenhas future esplendoroso.
PAULO PEREIRA.
Recife, 8 do novembro de 1881.

Senhora
E'aslinda come a rosa vivente e perfumada,
Que A noite entire as neblinas rescende a trescalar;
Colhendo em cada petala o beoijo d'uma estrella,
No seio recebendo affagos do luar.
E's linda come a ave que emrn meio da floresta
Desperta A natureza saudando ao arrebol;
E vai depois na v.iga banhar-se do perfumes,
Bober no doee orvalho emanates do scl.
Win'dta come o astro que surge na procella,
taaz o nevoeiro, suffoea a cerraciao-,
E-mostra ao fragil barco a terra dezej-.da,
Lancando nos espaes um fulgido clarlo.
E's linda come a tarde que desce do infinite
atrellas derramando nos paramos dos c6o6 ;
Traendo no regage os sonhos, as chimeras,
E a front ifluminada n'unm 6sculo de Deus.
tu, que me'sepultara nas tr6vas do passado,
Chora4 a de-rradeira das minhas illusoes,
4$" qa a teus affagos a vida me sorria,
a idntro do peito sonoras vibraV5es.
E, sempre que e vfjo, parew que urmea.aurora,
Qm venm do teu olhaxeW;qa p miah tifalma erA,
A frotte meillnuminadeimerie-wa oesperanua,
E deutro de meu poito aeeenle aeva AS.
R if I de, A. CAXLO,8.
Recite, 1 do novombro-#f 84. -


Sahis dos bra9os do Mestre
Para abragar vossos pais...
Ditosa a quadra do infancia
Tao cheia de amor e paz...
Polo amor, pela sciencia
0 home here so faz...
Here das santas batalhas
Da verdade e do saber,
Que ornam a front de louros
Que nAo hao d'emmwuchecer,
Que ao theaouros "hmIdm
Que nunca se hao de perder!...
.Aqui no seio da escola
E' que so impluma o condor
Da intelligencia altaneira
Que aos secdulos sabo transport,
A immergir-se no espago
Cheio de luzes e amor 1...
Eia, pois meus amigunhos!
Por um pouco... ropousai;
Depois, a novas conquistas
Da intelligencia voltai...
Sois a esperanga da patria,
0 seu porvir-melhorai!...
Gymnasio Pernambucano, 31 de outu-
bro do 1884.

Os proverbios da lingua por-
tugmeza, eom um appendice
dos de origem braslleira
N REDUZIDOS A VERSO
POR
P. S. DE A. GALVAO
(ContinuaqAo)
E De amor a esquivanga,
tira a esperan9a.


- Ora essa 1 0 que Ihe disse ?


Disse que a senaora tinha partido,
quo o coronel voltava brevemente.
Volta esta noite.
Ella quer fallar-lhe... conhecem-se
de Paris.
Quem 6 ?
A criada pegou no cartio eapresentou-o
ao hussard.
Vernet pegou n'elle, e disse muito soce-
gado restituindo-lhe :
Sim, sirm, jA vi... A menina sabe
ler alguma cousa.., o quo- 6 que esta ahi
escripto ?
Vernet nao sabia let, sabia assignar o
nome, e a letra que melhor sabia fazer era
o t final, porque so assemelhava a ura
Cruz, per onde ette havia comegado.
A criada approximou-se do candieiro e
leu :
Baroneza de Camp.
Do Campo I qual Campo? isso 6 on-
de ella mora.
F o nome d'ella : baroneza de Camp.
Ah I muito bemr! nao conhego.
Nao se esqueca do dizer ao coronel
que esta senhora nato so demora em Stras-
burgo; quer partir amanhi A tarde, e
quer fallar esta manhit corn o Sr. core-
nel.
-Bern, bern, 6 a mamit de algum offi-
cial que quer recommendar o fiiho.
N'e sa mesma noite, depois dojantar, o
haard Vernet dirigio-se A casa do soeu che-
fe para saber seoagejA tinha voltado. Lo-
go quo chegou A peara n o precisou pergun-
'tr ,adk o, ofteoi entreva eu cams o
~-&atidiots, v"diot Itw qne appa-
recft HAs duas hor"s que se anna i tue
.. te 1,11" : ') ... .* 1

M + s, .ra,.noro"l:eststva noNu
.lein. .. : 1 ". a :
SA eabchwr o baniulho? E's como os

tiisBS^ERt qua nik't-6o I


nao tiraumer Mitu.
Um amor a nassertf
o outro fa esqueer.
Nlo ha esperana asm tmer
nem sem receio amor.
Nao ha sabbado em quo sol
nao mostre seau splendor,
nem ha moga ser amor.
Ninguem deixa sem dor,
o que possue comn amor.

A ninguemn dA honra amor,
a muitos por6m, traz dor.


POeR OCOASI0 DO EIQRAMENTO
DO ANNO LOTIVO
proferida per
J. R. Scares de, Avedo
Meus charos meninos !---E a v6s todos
alumnus d'estd institute, que medirijo.
Houve, um home douto n'uma cidade
central da Italia, quo presidindo a um ce-
leobre institute, ha hoje tries seculos, na oc-
casiao em que os t4abalh"s iam encerrar-
so por algum tempo, desceu\a cadeira'em
quo eotava, dirigio-so a um vaso de ali-
bastro que so via aP um dos .angulos da
sala, arrancou d'eIte urn odesto cinamo-
me, e foi depol-o reverent a\" p6s da Musa
da Historia, quese erguia magnifica A sua
direita, come uoi emblema das~eonclus5oes
erfditas quo enese anne o institute publi-
arae quo t a"g deo renome Ihe deram
na Europa. Essye'oiomem illustre era Tor-
ricellih ;-essa cidade da Italiaera Floren-
9a; esse insti ut celebre era I academia
do Crusca. E, urna Ponfigslo muda mas
engenhosa do aentimento intimoe de cada
um de seus mi3 bros :---era um preito so-
lemne rendido a intelligocia inspirada.
Mas como toda a intelligencia e toda a
inspiragAo vem de -Deus, q'uo e a fonte de
toda a luz: ein lugar de umna flor rescen-
dente, deposta aos p6s de uma estatua, quo
teria entire nos o odor d'umna festa do pa-
ganismo, venho eu trazer hoje a esta pe-
quena colmeia nma plant bern humilde, e
verdade, mas nascida no meio de grande
incitagoes para o estudo, ha alguns annos,
e germinada felizmente n'um horto chris-
tAo :---6 una das minhas pobres inspira-
goes de quando eu era poeta: arranquei-a
de entire outras irmas corn quern vivia es-
quecida, para que nos viesse servir d'acqilo
de gragar no mornento em que v6s, amaveis
meninos, vos retirees a repousar por algumn
tempo, e ides no seio do vossas famnilias ou
na liberdade da solidao pedir a Deus novas
for9as para continuar os vossos trabalhos.
E' um curto apologo em que o erro foge
espavorido diante, da verdade actual :---6 o
symbol do seculo XIX. Ouvi pois:
S Meninos, depois do estudo
E' justi9a descangar. .
Depois das slides da escola
E' direito repousar,
Tambemn no seio das vagas
Costuma o sol reclinar.
Tendes agora no peito
Ridentes raios de luz,
Da verdade c da sciencia
Quo o sabio a gloria conduz...
Podeis agora embalar-vos
Nos vossos sonhos azues !...


A choices dados
entra o amor dos asnos
e sai aos bocados.


0 amor dos asnos
aos choices vai
o aos bocados sai.


0 amor no velho alguma eulpa traz,
porem dA fructos no do rapaz.
Per amor quo nao conv6m,
nasco muito mal e pouco bem.
O verdadeiro amor, por e orto
nada quer encoberto.
Todo o inimigo
inspira temor,
mormente o amor.
Quern tern amor
atraz da portella
ou cega, ou a quebra
de olhar para ella.
* As sopas e os amwres
os primneiros sao os melhores.
* Guerra, caya e amores
peor urn so prazer cem does.
Nunca a pobreza
Em am-or fez boa empreza.
Obras sao amores
que nao palavras does,
ou perfumes do flores.


Quern casa per anwres,
maos dias, noites peiores.

Quemn em caga e guerra,
e more se better,
nito sahira quando quizer.

Mlos frias nao ardentes
amnorcs quentes.


Quem anmores tern,
Nao dorme bern.


Nunca houve pristo linda,
nem feio amor ainda.
* Amore de freira,
cede vem e pouco duram,
quakes flores de amendoeira.
Pao e agua corn amor
mais valem que vinho,
ou gallinha corn dot.

Um dia a outro
vem succeder,
assim come um amor
faz a outro esquecer.

Pregoos de enfeirar e amores,
os primeiros sompre sao melhores.


Quemr nato anda
desanda.


Quemn nto atda
por frio e per sol,
saftde nlo temrn,
nem faz a seu prol.


Bests que muito anda
inda quo pouco manja
nunca falta quemn a tanja.
I I(CIiswa)
as malas. Vou a cocheira enoom red
uma carruagem. Partimos d'aqui a dra
horas.
Vernet ficou como que atordoado. D'a-
hi a duas horas. Balbuciou :
Coronel, pars onde vamoa ?
--O que 6 que estAs a prwguntar ?
disse o coronel, franzindo as obrac-
lhas.
0 hussard apressou-se em dixer:
E'que estA ahi uma peo .a quo quq
absolutamnente fallar-lhe, e eu Ihe direi pa-
ra onde vamos.
So alguem em Strasburgo souber da
minha partida antes da noite de amanhi,
se alguem sober para onde vamae, coam
s6 ha uma peusoa aqui quo 9 p6de dixer, e
essa pesssoa 6s tu... serAs fuxlado.
O hussard estremeoeu dos p6s a ca-
bega.
-Mer Deus jia o nlo deixo, corodl.
Queres saber para onde vamow ?
Para o fogo... dentro de quiauu di
estaremos em campanha... E agl aidmd
uma palavra.
Estou mudo, meu coronl
Partiremos dentro do duae hban% 4
precise (6 essa a ordem) que vamo os
conta do meu post, semo quo ngin ai-
ba aqui que partimo. Arraajo4e pwa I*.
vares a bsgagem, em que to v .
0 husard, muito -atrop ,l.n
so em obodeoer, emquanto o B fai a-
commendar uma ecarruagem, pm odiatr
esperar As portal de M an
ordem da autoridade.
Duas horas depos, o coaoel mova
sun carruageu, fezA por entra -O
panha.
Uma ordero reimbda a pi
ordenava to comW l dMHwe -
r a e aroolh. a" 'do
H U B ft llH p a r sll a -n ;J h Iss a mwM H M i& a w A


O amor e a f6
nas obras se ve.




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8ZQ1TQR3_Y40XGJ INGEST_TIME 2014-05-22T23:11:47Z PACKAGE AA00011611_16082
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES