Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16058


This item is only available as the following downloads:


Full Text













* -,4.,-"

* 0 '0 .
* U


P~D4


JI


-.1. .... .... .... :lob
.,' ... ... .' ... ? ,- ." ... .


a 0 .T *!


D8 hARIA & 1MHOS


TELE6RAMMAS



POLITICOS
S LISBOA, 9 de seteinbro.
S 0 paquete francez ORENOQIE, que
leva'S. MM. o Imperador e a Impl-
ratriz do Brasil, levantou ferro, hole,
a 1 hora da tarde.
No moment em quo eUe se poz eO
; .... i I wtmno naanmqwr *lN !Ni
M tlaria foram dadas pelas fortalezas e
navios de guerra.
COMMERCIAES
LONDRES, 8 de setembro.
Fundos brasileiros de 5 o%', empres-
tlmo-de 1875, a 92 1/2.
Mercado de assucar regular, e os
pregos bern sustentados.
LIVERPOOL, 8 de setembro.
Venderam-se hole cerca de 8,000
balas corn algoddo de diversas proce-
.-ncias; sendo o de Pernambuco a
61/8 d. por libra.
NOVA YORK, 8 de setembro.
Cambio sobre Londres 4-83 1,2.
Preco do ouro 103 1,'.


CORREG.AO NECESSARIA
'A No telegramma commercial de Li-
verpool, ihontemn publ)liiado, onde se Ie
1.871,000, deve ler-se 187,000 fardos.

Agencia de Pernambuco, 10 de se-
4 ,tembro de '1877.
PELO DIRECTOR., J. BROCHIER.


INSTRUCCAO POPULAR"

Elementos de Chimica
META LLOIDiES
Oxygenco
Do 10 le agosto de 1774, dia do descobri-
menLo deste gaz pop' Priestley, data o nasci-
menLo da chimnica mnioderna ; porque para nin-
guem 6 duvidoso que antes dessa Apoca nada
tinha sido creado ique so asseinelliasse a urnia
sciencia desta natureza.
Sob o impulse do poderoso genio de Lavoi-
sier as importanitissimas funcCes do oxyge-
neo nas combinai(oes chimicas naturaes Lor-
naram-se logo, emin grande parte, conhecidas,
e, cowo banm disse urm autor coaLtemporaneo,
o0 seu estudo ulLerior felz clesappareoew.%mo,
S por encanto, as trevas que envothiam arbei-
mica..,
Tereinos occasiuo de ver como Priestley
chegou ao.descobrimento do oxygeneo, a qua
a principio se deu o nome ile ar diphlogistico,
ar puro, mi- vital [o nonie d- oxygeneo. da no-
menclatura modern, quer dlizer-i.que g-ra os
acidos]. Para narrar aqui esse descobrirnen-
to sor-nos-hia necessario dar explicaioes an-
tecipadas. Limitemo-nos a dizer que o corpo,
de que Lratamos, entra na proptg(ao de 20
centesimos na constituigAo do ar atmospheri-
co, ao qual communica suas principles pro-
priedades; alum disto, inia multidfto de subs-
tancias naturaes nrio sio nmais do que comnibi-
nacSes do oxygeneo corn umin on muitos dos
Corp)os elomentares quo eirameranios.
D'entre essas combinaqies oxygenadas, de
que se poderia extrahir o oxygeneo para es-
tudar suas proprieladcs, alguinas somente s'o
usadas nos laboratories : s'Io as nienos custo-
sasas empregadas, e, corn i.arlicularidade, um
mineral, principalmeiute cor.aposto de peroxydo
,li manganez. Submettendo essa substancia a
urma temperature elevada, en urm apparelho
p conveniunte e proprio para recolher gazes, o
oxygenro desprende-se em abundancia, porque
temn se calculadlo p13 o bioxydo de nianganez,
aessas c.jndioes. aiaildona 12 por cento da
seu peso. Os c!lamieos servem-se aiila, para
o mesmo tim, de umn sal artificial, que conhe-
ceremos mais tarde solb o nome ,Ie chliorato
de potassa, on entlo de urna mistura desse
sal con o bioxylI de m:inganez.
Pondo de parte os processes de ipreparacao
do oxynegeo, di:.;jnii)s pia,s S.U suas pro-
priedades.


Desprovido de cur, do cheiro e de sabor, em
tudo isso ello nao differ do ar; apenas sua
densidade 1m11 pouco minais elevada. Tendo
.ija sido submeLttido a grandes pressOes, nao
se conrseguio ainda liquefazel-o; 6, conse-
guintemente. um gaz permanent. A agua o
dissolve, na temperature ordinaria, na pro-
porCAo de 45 centimetros cubicos par litro.
S0 principal caracter distinctive do oxygeneo 6
,ccender uma vela ou uma mecha, que,
Wilo dando mais cha:nma, conserva ainda umn
ponto incandescent, e conmmunicar, em qual-
quer circumstancia, um maior brilho a com-
S bustlo dos corpos, que silo queimados em seu
seio.
Um fio de ferro, contornado em espiral que
se mergulha em um vaso cneio de oxygenoo,
depois de ter Ltido o cuidado de ligar-lhe um pe-
dago de isca em braza, quieima mul rapida-
mente, e o resultado da combustlo 6 oxydo
de ferro.
0 oxygeneo, entretanto, so combine, na
tempematura ordinaria, coin um grande nume-
ra de cerpos; e tern se reconhocido nestes
ultimos terhpos qua elle pode unir-se A todos,
cm. n a condiCao de se achar., no estado nas-
S cente ou no de ozona. Digamos ja. umna Vez
par tOdas, o que se entende em chimica par
estado nascente.
O i s chimicos dizem que umin corpo se acha
S. nesse estado no moment precise em quo ella
* abandon uma combinagao, de qdle fazia par-
te, gualquer que seja a causa que o tenha
feito desprender-se. E' enlAo que esse corpo
so acha nas copdig3es mais favoraveis para
-' .' eptrar em umra nova combinaano.
',.sas condift es,'segundo estudos recentes,
"i*.:. ;. entretanto, encontrar-se em outras
C -' tmjtancias ;e, sem entrar aqui nos .deta-
i. ( :^M quo so referem a estas ultimas, diremos
,.quo cegou-se a estabelecer que esse- preton-
S dido agente particular, ao qual se dera o name
do ozona, nAo I6Mais do que o oxygeneo cha
macadoactivo, ilo 6, gozando~das propriedades
.:.,-,- o Cawrshrm no eottdo nasoente.
U.K'-' 4Z-if de M M. Schooenbein, Ma
0' H ve, Ed. Bectequer o e oFr6m
qto- o oxygeaeo, que fobi rub
i tdiroeta da elctIcdat


combinagOes. A unica difference quoe existed mnistarioda. ll
entre esse modo e o que n6s viflos se pro- ro n. 135, de O l ea, m .na yc-
duzir quando fal1amos do contact do Qxyge- procedelr Holi c it.. '.9lig seri. -.O'
neo cornm um corpo submettido a nma alta tern- cessarios na Lrceira riso a frt. A d9
peratura, 6 quo noab 6 acompanhado de luz, Brutn, calculados eg M. orga-
em razlo unicamente, sem duvida, da menor mentor que veio annexo, cio n. '. -
vivacidade de sua oacAo. Exprime-se essa 15 fe fevereiro proximo fl i muotio u-
differenga empregando-se dous terms syno- se A thesouraria de dlAzenda. "
nymos no fundo, mas tendo, entretanto, sig- Ao meWso.-NYs torm aviso do imi-
nifilcaCoes particulares ; referimo-nos As duas nisterio da gterra, te 2. o-* do thesou-
palavras queimar e oxydar. Pelas mesmas ra- :o, n. 136, de 17, tud6 dq-ate9- .1' Vae.
zlos tambem a palavra respirar, sob o "ponto I mandar faer s ceon caito"
de vista chimico, i5o tern outira ,significag&o. portas d4As penitewnciarlA d A- do UApu-
f(Con"a")}. cio, m0diante .4quaat ,d* 2S conamante
S. -.. do oreatnento ahexo kiauofk'oI oa. 7,d IT..


1u111


TI1fAL


Governo da provincia
EXPEDIENT DO DIA 28 DE JULHO DE 1877
Actos:
0 presiddnte da proincia, atte&tudo ao
que expoz em officio de 30 de junho, sob n.
184, o engenheiro ajudante da reparticao das
obras publicas, resolve determinar quae o en-
genheiro atntiHar Gustavo Mermond, cujo con-
trato terminou naquella data, continue a ser-
vir na mesma conformidade atL6 ulterior deli-
beraCao, percebendo as vencimentos a que
liver direito pela verba-eventuaes -a contar
do 10 do corrente mez, visto ter estado em ef-
fectivo exercicio atW esta data. Nste sentido
manda que se fagam as devidas communica-
coes.-Fizeramni-se as communicac3es.
0 president da provincia, attLendendo ao
qua reqliereu Josd Glermente dos Santos, re-
solve exoneral-o de sargento da guard local
de Panellas.- Fizeram-se as communicac3es.
0 president da provincia, autorisado
pela lei provincial n. 1,1301), de 30. de abril de
1874, resolve nomear sargento da guard lo-
cal de Panellas a Eufrazio Jose Ferreira.-Fi-
zeramn-se as communicates.
0 president da provincia, attendendo ao
que requereu Antouio Bho,-resolve conceder-
Ihe licenca para embarcar na primeira oppor-
tunidade,-com destino ao presidio de Fernan-
do, a serem nalli entregues a Raymitado. Jose
de Sant'Anna, os generous, mencioqdoAp na re-
laCAo junta, assignada pelo secretarNio,'N pre-
sideicia, as quaes nao poderAo ser doembar-
cados no referido presidio, sam que par part
do respective commandante se proceda ao
exame do estylo, afirm de se verificar se existed
aguardente ou outra qualquer bebida espiri-
tuosa.
0 president da provincia, attendendo ao
que expoz o major do 5o batalhAo de infanta-
ria, Carlos Magno da Silva, resolve conceder-
Ihe dous niezes de licenea, coin vencimagls,
para tratar de sua sa;'de onde Ihe convier.-
Commuiiicou-se ao commandante das armas.
Officios .
Ao commandant das armas.-Declaran-
do o miiiisterio da guerra, no aviso de 16 do
corrente, que devem vigorar nesta provincia,
durante o corrente semestre, os mesmos va-
lores fixados parao anterior, par aviso de 21
de dezembro ultimo, de 450 rs. para a etapa
e de 950 rs. para a forragem ; assim o com-
munico a V. Exc., para seu co'qhecimento.-
AD C I- -ft- at~ae 4b pwikwde Frw-'
-~~i A hn>^-y^
nando.-Transmitto a V. S., para seu conhe-
cimento e execueAo, c6piado aviso de 9 d,) cor-
rente, no qual o ministerio da guerra, dando-se
por inteirado dos moti ,os expostos no officio da-
tado de 31 de janeiro, n. 12, pelos quaes deixou
de ser pago pelo conselho economic desse pre-
sidio o vestuario aque tinba direito o sentencia-
do 1 sargento do 7o batalliio de infantaria,A-
,ostinho Pinto Correia de Lacerda, duranteo as
dous seniestres de -1875 e primeiro de 1876,
deterinina que a importancia dessa divida
seja recolhida A thesouiaria de fazenda e indi-
ca o mnodo porque devera seraili escripturada.
Outlrosim, recommend a V. S., que emn curm-
primeinto A segunda part do citado aviso, in-'
formne sabre a applica(;o que realmente se
tern dado A importancia da divide paga aos
senteuciados alim de se verificar se foi feita
toda a despeza da alimenLaAo e vestuario dos
pre:os alli existentes, desde que foi past em
execue') o regulamento de 11 de fevereiro
de 1875.
Ao inspector da thesouraria de fazen-
da Tendo nesta data recommendado ao
comnmandante do pcesidio do Fernando o cuni-
priniento do que no aviso do ministerio da
guerra, de 9 do corrente, se determine em re-
laQio ao vestuario qua polo conselho econo-
nico do mnesimo presidio deixou de ser pago
ao sentenciado qx-i0 sacigento do 70 baLalhao
de infantaria, Agostinho Pinto Correia de La-
cerda, vencido nos dous seinestres do 1875 e
primneiro de 1876 ; assim o communico a V.
S., para seu conhecimento e afinrde que por
suna parole d6 opportunamente execucao ao quo
dispoe o citado aviso, quanta ao modo de seo
escripturada nessa reparticao aquclla divida.
Ao mes:iio.-L-m conformidade corn a sua
informacao n. 446, de 26 do current, mande
V. S. supprir ao commandan.e do presidio de
Fernanuo, a qudntia do 23 3815000, constante
do podido junto, para fazer face a despeza a
cargo do almoxarife do mesmo presidio, cor-
respondente ao mez de agosto proximo vin-
douro.


r
I
i.


Ao mesmo.-Remetto a V. S., para seu
conliecimento e fins conveniences, c6pia do
aviso de -18 do corrente, em que o ministerio
da fazenda declare flcar approvado o acto des-
La presidencia de -1l de junho, mandando des-
pachar, livres de direitos, diversos objects
vindos de Paris, corn destiny ao expediente da
secretaria do governor.
Ao mesino.-TransmiLtto a V. S., para
seu conhecimento e fins conveniences, c6pia
do aviso de 17 do corrente, em que o minlistLe-
rio da fazenda declara flcar approvado o acto
desta presidencia de 11 de junho, nmandando
despachar, lives de direitos, quatro caixas
vindas da Europa com papel, destinado ao ex-
pediente dos correios da provincia.
Ao mesmo. Transmitto a V. S., para
seu conhecimento e fins convenientos, o aviso
junto par c6pia, em que o ministerio da fazen-
da declare ficar approvadoa o acto desta presi-
dencia. concedendo tires mezes de licenga, coin
ordenado, ao 3 escripturario da alfandega,
Thomaz Velloso Tavares, -para tratar-se, onde
Ihe convier, da molestia denominada beriberi.
Ao mesmo.-Para os fibs convenietes,
communico a V. S. que o promoter public de
Cabrob6, bacharel Umbelino de Souza Mari-
nho, deixou por motivq de molestia o exerci-
cio de seu cargo em 8 do correpte, lasas-
mindo-o no dia 10.-Rekondeui-se o qfflio do
dito promote
Ao mesmo.- Para os fins convenientLes,
communico a V. S. qua, nesta data, abonei as-
faltas do exercicio do promoter public de Ca-
brob6, bacbarel Uimbelino de Souza Marinhg0
nos &s 8 e 9 do corente.
.- Ao do thesouro provincial.- Tendo mq
vista a proposal felt na petlio caotatau da-
copiaJuna, aittLorio Vwc. a conLrateor c04
Joad I do Oliyeira, o jornciment& de ael-
L paW doe os pobrt da cam A*-


-.A ...b 4".. eo.sten. o da not Wa,
..........teulo rftiflt


Ao director interino do arsenal de guerra.
Para a guard local de ItamaracA. made
Vmc. fornecer ao commissarlo Joaquim BrA)-
co d'Assumpcao Pires, ou a quein par eile se-
mostrar autorisado, 18 pares de sapatos fabri-
cados no paiz, se aos mesmos Liver dirgito, .
accoi-do cam a respective tabella.-CGorfiHpij.-
cou-se ao commissario.
Ao mesmo.-- Autotiso o conselho de
compras do arsenal de guersa a promover a
icqjisico dos generos e artigos constantes
do incluso pedido cam destiny ao presidio de
'Fernando.- Communicou-se dA thesourariade
agenda. "
Ao regedor interinodo gymnsaln "Zbk-
rindo nesta data o riquerimento d a
Pinto Moreira, declare a Vmc., eim- dpbej
nform.,,-o do hontem, que ditt
m, ... qua .. p~ it 0
iesse institute, na qualidade d.l o oxter
o10 gratuito, o manor Joao Chi Pinto Moe
reira, filho do peticionario. -
Ao major Luiz Antonio Fertaz.=? Deshg
nando Vmc., para nos. Lermos do art. 23, do
regulamento de 22de junho de 1874, inspecoio-
nar a guard local de Goyanna, Escada, Igna-
rassui, Olinda, Itambe, Rio Formpso, Cabo, Ipo-
uca, Palmares, Bonito Barreiros, SerinhAem,
amoelleira e Jaboatio, recommendo-lhe a
iaior solicitude e presteza nesse serving.
Aos delegados e commissaries de policia da-
luellas localidades, determine que facilitlm e
prestem os esclarecimentos qua por Vm e, fo-
rem exigidos para o born desempenho desta
neumbencia, e logo cue a houver terminado,
presented a esta presidencia o relatorio de
lue'trata o artigo do regulamento acima cita-
tado.
Para esse se'rvico tenho'arbitrado a gratifl-
caC.0 mensal de 200000 e pela estrada de fer-
ro do Recife a S. Francisco, encontrara o
Lransporte necessario.- Communicou-se ao
;ommandante das armas.
Ao commandant do c6rpo do policia.-
?6de Vmnc., conforme solicit em seu officio n.
689, de 25 do corrento, engajar o paisano Sil-
vestre Pereira de Almeida.
Aoccmmi.ssario de policia de Itambe.-
P6de Vmc., conforme solicita em seu officio
de 24 do corrente, eliminar a praga Angelo
Jos6 Brandio, impossibiliado de continuar a
servir por mrnotivo de molestia.
Portaria :
0 Sr. suporintendente da eptrada de fer-
*ro do Recife a S. Fran i mande dar trau*.
porte par conta" da pr impia, de ida e volta,
aLe Palmares o n taoes intarmediariq,_
iwwwfsv 4Mxs 16 .4iM vsw -~jiia s a guarda local
de alguns pontbs, ao thajor uiz Antonio Fer-
raz e a bagagem que ao 4nesmo acompanhar.
EXPEDIE.:NTE DO SECRETAIO
Ofaicios :
Ao Inspector do tlhesouro provincial.--De
ordem de S. Exc. o Sr. president, commu-
nico a V. S., que o commissario de policia de
Cimbres, Manoel Ramos Moreira do Couto, re-
mnovido por portaria de -12 do corrente, para
igual cargo em Iguarassu, deixou o exercicio
em 22 dceste mez.
Ao'juiz de direilo do Bonito.-O Exm. Sr.
praoente manda accusar o recebimento do
ofWio de V. S., do 20 do correntef transmittin-
tp a inf6rmaco de que trata o art. 180 do re-
gulamento n. -120, de 31 de janeiro deo 1842t
SecCa) l*.-Secretaria da policia de Por-
nambuco.-Recife, 4 de setembro de 1877.-
N. 689,-Illm. e Exm. Sr.-Passo As mos de
V. Exc. o officio e mais papeis em original,
que me form remellttidos pelo delegado de po-
licia do term de Goyanna, acerca do artigo
da Provincia-Info,'mafao mnentirosa, afim de
que V. Exe. tendo conhecimento de quarito a
Lal respeiLo informa o mesmo delegado, se
digna madii'ar publical-os se julgar convenien-
le. Deus guard a V. Exc.-Hllm. e Exm. Sr.
Dr. Manoel Clementino Carneiro da Cunha,
president da provincia.-O chefe de policia,
Hermagenes Socrates Tavares de Vasc6mWlos.
Delegacia de policia do termo de (oyanna,
27 de agosto de 1877.-N. 66.-him. Sr.-Ac-
cuso o recebimento do officio de V. S., datsdo
de 24 do corrente mez, mandando-me inforiar
sob:e o artigo da Provincia de 17 do mesmo
mez, qua tern por titulo-lnformaao 'menli-
rosa.
Eu ja linha tido conhecimento desta publi-
cacao, e, tinha ja me dirigido no subdatogado
de Tejucupapo, e esle tme responded com of
ficio e documents que pass As mnaos deo
S., estando as documentos reconhecidos eosl-
lados e delles verA V. S. que nos abaixo assig-
nados que yam publicado na Provincia estao
os names das pessoas que agora em suasj ;s-
pastas negam a verdade desle abaixo a~ljbg-
nado, e affirmam o contrario de que ajl se
diz, aicm dos attestados de outras pessoas
que tambem consta a accusacao feita. f
Quanta A parole que me toca em as neferidas
accusacoes, par vezes me tenho defIBdido da


calumniosa protenbo que se-me quer attribuir
em ravor do ex-subdelegado de Tejuciupapo e
ieu irmao Lui z Mathias, r6os denunciados em
crime de homicidio, e isto quer inforrnando a
V. S., quer respondendo" ao Exm. Sr. presi-
dante da provincia que me tern mandado
ouvir nestes e outros artigos daquelle mesmo
jornaal.
Resta-me roger a V. S. que tomando em on-
siderago- os documentos acima indicados, dO
aos abaixo ssignados da Provincia de 17 des-
Le mez, o valor que justamenLe merecer, dig-
nando-se levar os mesmos documents ao cd-
nhecimento de S. Exc. e mesmo ao conheci-
monto do public pela imprensa official, e un
caso contrario, pode V. S. devoh'er-me pan
ser puilicado. Deus guardo.OY. S.-Illm. Sr
Dr. llermogenes Socrates Tavares AeWasoon
cello* muito digno chefe do polici.-0O dale.
gado de policia, o capiLAo Pedfo Velho de S
Barveto."s
Subdelegacia de policia do 2o disLtricto dE
Tejucupapo, 27 de agosto de 1877.-fllm. Si.-
Accusando a recepoao- d6 oQieio de V. 3. A4
2t do corrente,- acotpanhdo uda Pfmovi&u
(papel), de 17 do masmo, pa#A"ia ocoupar-m
do seu conteA4 :,Li a Proviicia, e vo Ao !
maneira pela qiu se procure daVir r o
por esta povoagao se tern dad W co
oia aos criminom- LuWig Ma i
Menezes p seailtl"Y on 9,'.
~ao a refuter at,
% da nmWa
99 0 iR't"w
"da = se m .... ...


soo


MtMa.,
I.9,
*se eq
I^e


do


.da.-. i~nR B aa
postas des chrtas
por trees do que.
da Provinia : e
ra como IisH. r
f6e serene detol
para mandar pub
buco. Deus guard
Sr. capital Pedr
digno delegado de
delegado Antonio
Carrapitho, 24
Florencio Bezerra
do-me hater que
:nha cas'a s c
Arrade MNezes
Beoeri-de Menez
do mez de julho I
padas as casas d
-Pras suspeitas
PaAmar,peowa
Xs" do qim f14
ouvido de pe
fazer de sua.resp
De Vmc. atllento
Francisco da Gost
Francisco da Cosi
Rospondendo a
vi e tambeian no
ter V. So. weoitado
de quo bmta v
zer desLtamia r
Tejucupapo, 24 d
Bezerros de Vasa
N. 3.-.Carrapid
lim. Sr. Euzebi
Constando-me hi
acoutado em amin
Mathias Bezerra d


, extend que a autorida 3.o foi certo qu rictoe eu, na cqualidade dei Joo de Deus Napoleio da Costa e Izi-
aoer- que d suelb.dW al,* ste o distcto, wqui dro Elesbio da Silva, por disturbios.
or o c-eomo a da lei. as a uaes necessarias, no. s6 as
wmho por varias vezerlevado casas dos inidbdos, como tambem mais ou- A' ordem do de Santo%,Antonio, Ma-
,de V. S. E certo quo extae- tts quatro do lugar, e se 6 verdade qua eleas noel Cezar Saturnino e Raymundb Fran-
) uma case de negociO, .que ia mesa n6ite do woco se achavam refu- cisco dos Santos, por disturbios ; Maria
. wmiinoso Manoel Viriato, giados aE casa de "minha reuidencia, em Car- Thereza de Jesus e Maria Ceentina
jnse irma. rapicho. ereza de Jesus e Maa lemenna
0a;V. o 6 que se deu a res- 4.0 Finalmente, o que sabeinm com referencia da Cofnceicao, por embriaguez e offen-
*a ilhoPhoa pertenaceate ao 0ao incendio de ura casa de phblha, no ugar de- sas A moral piblica.
tonio'Plnbheiro, e os documVo- nominad Porto da Madeira, pereneteno a Joas6 A' ordem do do 1.o districto de S. Jo-
.fete' i apreciagEo deo. S. Antonio Knheiro. De Vines., attento obrigado o dtrtoe o
cheb dq poicia ; creio 'a e criado.-.-Angon" Franciswo da Cos'timw W s4, Antonio Francisco Ferreira, Daniel
LO B dos factos, most ]Ugl mfim. Sr.Antodb Francisco da Coetan;s.-. Felix de Souza e Bazilio Joaquim de
S.. =. .ddgS e d Oyisturbios

Ssob ns. 1, 2 e 3, escriptas 'corn dito criminoso3, nao sd porque poucas se, Luiz Lo *en-o tomes 0aSil6va, per
assignaram o tal attestado vezes vem a esta povoaglo, distant d qual isturbos.
espero qua V. S. se empenha- mora, como tambem os mesmas cadheildem do A' ordem do da Capunga, Francisco,
I.rDr. cheYede policia, afim de caracler severe de V. S. escravo do Bargo de Bemfica, a reque-
ridos tedos os documentos 2.0 Attesto qua os rdos Luir: Antonio Bezer- rimento de seu senior.
lical-os 1h Jario de Pernamn- ra de Menezes e seu irmAo Manoel Viriato nlo
e V. S. telizmente.-Illim.- moran hlbitualmente nesta povoaeao, conWtaOE A ordem do do Peres, Antonio Seve-
o Velho de SA Barreto, muito do-met pordm, que de paisagem, tocam di rirto da Silvp, por crime de roubo, A"
i policiade Goyanna.-O sub- vezes nas casas de suas families, sendo carto disposijao do Dr. juiz de direito do 6.0o
SFrancisco da Costa Lins. que Manoel Viriato tLern uma casa de negocio district criminal.
de agsto de 1877.-Illm. Sr. neste lugar, a qual 6 dirigida por um seu
Sde Vasconcellos.-Constan- irmaio. Na dia 8, a minha ordem, Tertuliano
m propale ter eu acoitado em 3.0 E' certo que V. S. cuidadosamente cer- Antonio de Menezes, por crime de
rimiposos Luiz Mathias Be- cou, ds 11 horas da noite, pouco mi.is ou me- more.
e set irmao Mauo it Viriato nos, do dia 25 de julho passado, as casas das A' ordem do Dr. delgado da capital,
ees, quando na noite de 25 families de ambos, a outras ais suspeitas, A ore o r. deleado a capi
pissado form por mim cer- mas que foi sem resultado al diligencia. Luiz,.escravo de Bento Martins da Cos-
as mes,-tos criminosos e mais Ignore,. por'm, o lugar onde dios criminosos ta_ OlLCosta Martins, por andar fugido.
mandando atW eonduzil-os se achavam na occasiAo do serco eoao mesmo A-ordem do subdelegado do I.o dis-
Vinemc. respond ao p6 desta, tempo admira-me haver quem allteste que ditos tricto A S.eJos6, Manoel Campos de
cadito por ter prpsenciado lomens achavam-se am casa deV. S., na ,re- ,e S o"osa, manoel ampos ad
ussoas fidedignas. Permitta iferida noite ; pois isto vai do encofitro ao ca- MOes, po oensas moral poblica,
osta o uso qua me coqvil. ieftcler distincto de V. S., em qluemr nao p6de e-Joo, escavo de Mauricio Temporal,
venerador e obrigado Antonw f' ber t Q infape accusacao. por distatbioS.
a Lins.- Him. Sri Ant 4.-* Finatn:ente, nao me consta que Jose An- A,'rdem do do 2.0 district de S. Jo-
la Lins. l .Utt.Pinheiro possua ou possuisse casa algu- A: o o 2
to'que me pergualnta, df de palha no lugar Porto da Maudeira, e sim se, Manoel Bonifacio dos Santos, Joao
ouvi de quem qher qu e f&sW I;ai palhoga velha, sem fundamento algum. a Goaes das Neves, Manoel Felippe dos
em sua casa as crinino6^ qp -ervia apwtas de resguardar do sol a Santos, Anna Roza de Jesus e Bernardo
noilte meocionada. P6de fa- -tm por alli patsava, e onde tambem o mesmo Mel pritu a
espostao usoquelheaparecer. UeR6.Antonio Pinheiro depositava uma r6de de J de Mello, parAisturHios.
e agosto de 1877.-Florencio despsoar curral. .sta pilhoQa queimou-se, e A ordem do da Boa-Vista, Jeronymo
wncellos. infelmente naquoIla occasion passavam os Antonio da Silva e Marcolino da Costa
io, 24'dt osto de 877.- dous crhaqinops, valemado isto dizer Jos6 Anto- do Nascinento, por ollensas a moral
vo PI e, wrgdoga.- Wo qu e sua casa L inha sido incendiada par public,
a~ver q qiet eu. elles, quando wesmo Jos6 Antonio nalo avia, e
iha casn t orinosos. Luiz nem conseieqciosamente p6de dizer quem quei- No dia 9, a ordem do subdelegado
de Menezes'e sea rmA6b Ma- mou dita-4Mboga. de Santo Antonio, Affonsg,. escravo de


noel Viriato Uezepa -Ae Menoi s, qaido 'na
noite do dia 25 do z "de j olo pEsado por
mini toranh cerqadas as casas do's mesinos
criminososte mas oum as suspeilas, mandan-
do Ste con* zil-os por mar, peco a Vmc. res-
ponda ao p9 desta se sabe do que -flq- dito.
par ter presenciado ou ouvido de pessbas f-
dedignas. Permitta fazer de sua rospostao
usao qua me convir. De Vmc., attentorlWa-'
rador e oblgado.-Antonio Fruncisco b Cos-
ta Lins.
Him. Sr.-Emu resposta a prsepnte carta de
V. S., tLenho a dizer-lhe o seguinte :
Nao vi nem ouvi dizer par pessoa digna de
credit hav,. S. acoautado, em sua casa as
criminosoMt Mathias ,Beerra de Menezes
^H~~~~jiitm~ ~a 4| batruV.S aCasaW
dos 9f9osos. K' V. S. muito inca-
paz de ., r par tal forms. Pode dar a
esta uninba resposta o uso que Ibe convier.
Povoagco de .Tejecupapo. 24 de agosto de
1877.-Euzebio Pinheiro de Mendonga.
N. 2.-Carrapicho, 24 de agosto de 1877.-
Il1m. Sr. Antonio Sabino de Souza Costa.-
Constando-me havar quern propale tar eu
acoutadf em minha casa os criminosos Luiz
Mathia&Bezerra de Menezes. e seu irmaoH Ma-
noel Viriato Bezerra de Menezes, quando na
noitedo dia 25 do mez de julho passado, por
mirn foranu "cercadas as casas dcs mesmos
criminosu e mais outras suspeitas, mnandan-
do"tL&Wduzil-os por mar, peco a Vmc. res-
ponida at p6 desta se sabe do que flea diLo
par teo senciado ou ouvido de pessoas fi-
dedigpas. Pehmitta lazer de sua resposta 'o
usa qle nae convier. De Vimc., atLLento vene-
rado e c)iado obrigado.-Antonio Francisco.
dCosta Lins.-
Ilm. Sr. AntonioFrantoisco da Costa Lius.-
Nao vi ner tao pouco ouvi de pessoa alguma
ter V.IS. recabido em sua casa as criminosos
do que trata.na nolte do.dia acima dito.-Po-
de fazer da Thinha resposta o usa qu e Ihe pa-
recer. Tejucupapo, ?4:de agosto de 1877.-
Antonio Sabino de Suuom Costa.
Carrapicho, 24 de agosto de 1877.-Illm. e
Revm. Sr. vigario Manoel Jose de Oliveira Re-
go.-Constando-me haver quem propale ter
eu acoutndo em minha casa as criminosos
LuizMatlhias Bezerra de Menezes e seu irmzio
ManM Yiriato Bezerra de Menezes, quando na
noite do dia 25 do mez de julho. passado por
mirm loram cercadas as casas dos mesmos cri-
minosos e mais outras suspeitas, mandando
.atl conduiizil-os par mar, peco a V. Revna. res-
panda ao p6 desta so sae .do que fica dito,
pr .ter presenciado ou ouvido de pessoas Ii-
dedigpas, Permitta fezer da sua resposta o
usoaque t eonvi6r. De V. S.. attento veno-
radorj_'vo e criado.-Antonio Francisco da
Costa-TAW.
film. Sr. Antonio Francisco da Costa Nm.-
Respundo t sua carta no son tido em que Dae
foi dfirgid3,dizendo-the conscienciosdaoent 'o
quanta sinto a respeito. Constou-me quo pbs-
soas nal inlencionadas procurando desvirtuar
os infeliSO* Luiz Mathias e Manoel Viriato,
dizendo ifdiscretamente tudo quanto posa
aggravar atigla mais a sort daqtklles culpa-
dos, invertendo as factos a seu bel wrazer,
sern se lembrarom qua corn tal indisericgo te-
riham de offender tambem a quern nao mere-
ce, assim corio V. S. na qualidade do autori-
dade desse lugar; masque tudo isso n'o pas
i na de ditos vagos e de pessoas sam ctriterio,
Sa que seL nao pode da|trgdito. V. S. 6 mau
Sparochiano e'kconheb o h@m de perto para po-
Sder asseverarque o Sr. Kntonio Francisco da
Costa Lins; pela sua oonducta ciAil e moral,
e no desemptloho de seus deVeres, nao s6 pu-
blicos como particulares, 6 Merecedor de ala
Sta estima quo defacto a ternm gozado das pes,
Ssoas. que sabem dcstinguir o verdadeiro do
Sfalso; portapno, etA V. .S. muito alto pata
Squo Ihpoeaam t6car os effeitos da malevo-
lolena 'wgam pois o que quizerem eo to-
as esses embustes nao poderlo minnchar a
a probidadb e honradez, e desapparecerto
diante 'do saneu nobre caracler 6 pois o qantc
* affirno : e pocte V. S. fazer da minha rup)lf
I ta o uso qua Ihe convier. Sou, <-V..S. mui-
to respeiCador obrigadissimo: nriUp.",-O viga-
rio, Manoel Jdd de O~veire 4fd. S. LOu-
- rengo de Tejucupapo, ,4 daitO de 1871.
i Gmpi"ho, 24 de agosto A1877. Ill


Causa rise ver-se que ds proprios morado-
res da povoacao de Tejucupapo nao sabem
as poitos dfi acousaao, da jneoma- Provineia
(papal), sItntes de Pontas & Pedras, Ta-
batmga ea i da Vacca, ertfdiltabiatdo tires
leguas, a br tie infame a .9cld.i
forainm illudids pot ar i e -on4o pti-
zam a palavra-verdade. PwvoaiAoqe Tejuc
papo, 25 de agosto de 1877 -Judo Monteiro
Souza, juiz de paz. o
Reporto-me ao qne flea attestado. Povoacao
de Tejucupapo,-25 de agosto de 1877. Anto-
nio Francisco de Afoura, professor public.
Reliro-meao que flea aLLttestado. Tejucti-
papu, 25de agosto de 1877. Jono Amastacio
Hypolito proprietario.
Reflr-me aeoqie fica dito. Tejucupapo, 25
de agosto de 1877.-Jodo Francisco de Vason-
cellos.
Refiro-me ao que flea dito. Tejucupapo, 25
de agosto de 1877.-Antonio Jose de Soueza
Costa, proprietario.
Refiro-me auque fleca attestado. Tejucupa-
po, 25 de agosto de 1877.-.Manoel Sandorio de
.4raujo, proprietario.
Refiro-me ao que fleca attestado. Tejucupa-
po, 25 de agosto de 1877.-Antonio Monteiro
de Oliveira, proprieltario.
Reflro-ine aoque foca attestado. Tejucupa-
po, 25 de agosto de 1877.-P,3dro Xavier de
Paiva, agricultor.
Refiro-me ao que. fica at&estad). Tejucupa-
po, 25 deoagosto dibd877.-'4Anwtnio Ferreira de
Carvalho,-agricultor. -
Refiro-me ao que fica attestado. Tejucupa-
po, 26 de agosto de W877.-Joaquim Josi de Sou-
za, proprietario.
Refiro-me ao qua fiq attestado. Biapiefi,
26 de agosto de 187T.- Antonio Rodrigues
Psssoa Villarim, proprietario.
Refiro-me ao que fca attestado. Bhapicu,;
26de agosto de"1877..-,-A rogo de meu pal,
Francisco Rodrigues Pessoa; Antonio Rodri-
gues Pessoa Villarim. .
Refiro-me ao quo flea Lttestado. Tejucupa-
po, 26 de agogto do 1877.-Manoel Ferreira de
Amorim, am tista. .
Reflro-me ao ique flca allttestado. -dUM
po, 26 de agosto de 1877--,Atonio mw
de Sou:a Costa.
Rteferimo-nos ao qua fclea attestaIdo,. e pedio
mos que a nosso rogo assigned Sr. Antonio
MonlteirodeSouza Costa. Toucupapo, 26 de
agostdde 1877.-A rogo de Dyonisio Xavier
Ferreira, Silverio Barbosa da F6Ieca, Joa-
quim Jos6 Bezerra e Manoel Jos6 Gadelha,
Antonio Monteiro de Souza CostaW
Refiro-me ao quo fica attestado. Tejucupa-
po, 26 de faosto de 1877.-A rogo de Jos6
Francisco do Espinito Santo, Olympia ,Aurelio
frtins da Costa.
[Todos as documents estavaiu selilate
reconhecidos]. t V'

DriPACHOS DA ePS*DENCIMA DO DIA 6 DE
SETEMBRO DE 1877
TennpLe Antoifo Jose de Andrade.-Sim.
Conimendador Antonio Gomts de Miranda
Leal.--fierido cornm officio ao Sr. engenheiro
chefe int(rino da repalrtioao das obras publicas.
Emygdio Jos6 de Oli0 W-- Requeirl the-
souraria de fazen. "e e
Capitao .f1. anciscode Brilo.-$it.mi
Gaspar inBinond.-Fica relevado.'*
Coroner J imnL.rvalcante de Albuque'que
Bello. -- sa-se.-
Joao .flo 'da Silva. Sirm correndo por
conta d4upplicante as despezas corn as pas-
sagens d^peeBsoas a ue allude.
Jovino Bbrth"ldo deOliveira- -Flca relevado.
Jolo 'taptista Gabral.- o cornm officio
" desta data-o thosourqpr= -.. "
Bacliarel. Virgilio de GusmIqCoealt.-De-
Srid towom oftcip desta data a thesoumralta e
Sfazenda. .
'Secretaria da presidenQia deoPer-
nambucb,,0 d setembr6 ie 11
; 0 ip.piro,
S Joao Goncalves doa los Junior,

S n. .i .


Joaquimn Gonqalves de Ba ros, por ter
%ido 'encontrado f6ra de horus sem hi-
Ihete de seu senhor; Agueda Maria do
Espirito-Santo, por oflensas A moral pu-
blica, e Bernardmo Pereira Dias, por
disturbios.
A' ordem do do 1.o district de S. Jo-
s6, Jose Alves de Barros, por embria-
guez; Joaquim Jose Antonio, poroffen-
sas d moral public; Manoel Izidro da
Circumcisao, Laurindo Ferreira da Cos-
ta, e Francisco Mlberto Teixeira, por
embriaguez e disturbios.
A' ordem do d&L-.o district de S. Jos6,
Manoel Elias da lRocha, preso em fla-
grante, por crime de ferimento, pratica-
do na pess6a de Bellarmino de tal; Pe-
dro Celestino Bezerra e Emilia Ma-
ria do Born Parto, por emnbriaguez e
otf'ensas A moral public.
Das 10 para 11 horas da noite do dia
5 do corrente, no lugar-Campina
Grande--em terras do engenho Qui-
sanga, do district de S. Lourenpo da
'Matta, Tertuliano Antonio de Nenezes
e Jose Antoniode Oliveira, companhei-
ros de viagen, de Paulino Rodrigues
Mendes da Silva, que seguiam desta ca-
pital para a freguezia-de Tracunihaein,
accommetteram e esfaquearamn a Pauli-
no, na occasido em que este dormia um
pouco, de modo anrdo poder defender-
se, e roubaram-lhe a quantia de dous
contos e cincoeita mwil ris, segundo
declarou a victim, que veio a fallecer
as 10 boras e umn quarto da rnanhd do
dia seguinte. Tertuliano foi preso a 1
hora da madrugada do dia 6, e em seu
poder foi apprehendida a quantia de
um conto oitocentos trinta e um mil e
e quinhentos rdis, logrando evadir-se
Jose Antonio e Oliveira. Contra os de-
jinquentes se'esta procedendo nbs ter-
moas da lei.
No..dia 6, em terras do engenho Re-
galias, d aFreguezia da Varzea, Serafimrn
Carneiro da Silva, ferio corn diversos
golpes Jfe foice a Pedro Jose Ferreira,
sendo preso em flagrante. Contra o
criminoso procedeu-se nos terms do
in querito policial.
Deus guard a V. Exc. Im. e
Exm. Sr. Dr. Manoel Clemeutino Car-
neiro da Cunha, dignissimo president
da provineia. 0 chefe de policia in-
terino, Herinogenes Socrates Tavares
dM Vasconcellos.


ERNA DIABRIACO
BEVISTA DIARIA


Recepdo (de Suas Magestades Impe-
jylaes.-PurS. Exc. o Sr. president da pro-
vincia foi nomeada uma commisslo composta
des Exms. Srs. Visconde do Livramento, Bafo
de Muribeca e Bario de Morenos, para se en-
carregar de preparar o palacio do. govierp, e
recpb r ali Seas Magestades- Imperiaes,- as
sun passage por esta provincial, de, volta da-
Eupa.
. GuArda naclonal.-Por portaria da .p1-
sfrtfdada, provincia, de 27 ile agosto, sWj-
3"gia de passagom : do atalho .
50( AA-a:31e s ad os do muniipiq de #a-
81 W., alferes ida companhR ios6
iQti MainWO F alcAo ; LJba aho n.31,
munidpio, para o de ja a-
da 5a coibol.ia Laurenio on 4.
Albuquerque ;- do batalhio a. 51I
io de ClruerC', para -da capital a;
.co anit Jos0 Coreir
F^piB~ao^gft~eiad-l^
3o-o~old die"it 9iHu^


- A



i-u's

andbet
Suv.


. a I' *S U 0


I.. .


I


; ,
'. .


a-..1


ifca-'Dfi.k


* ..*


. ,.




















.heca


a. da


de rodA
ide rodI


-UoU gr3IIUe
convencido,,po qn~
Sinftdolentte, po 8 e *d4I a

"- a aliudi Rauho N*a 20
^1'^ ,.p d eeS.
v; .' 'adfe passadf .eun; am0!O de...., comno
,' V sxc e digr!|deVO? .Sppa jwactkffie
".< q1 foi remetLlido pelo deteiado de pdftcia, al-
f4ilpMJoaquim Appridio Rosa daCosta, a queni
UMlIetti esse servivo, descarregani 'odo o
Strabalhc para as inulheres e fllhos e ficam-se
no osor. onde passam os dias a dormir !
DalriTnsLmtcias daquella auLoridade, que os
EtIkaldeiados, e do Rvm. fre'i Caetano da Hun-
S( jdirectorda obra emr cc'nsrucg5o, saem
o ooirsra gidos para o trdialho.
Esises petiraoes e a poliulaiko desvalida
Saa comarca vAo send aliwenLados pela corm-.
miasiio especial, que nessd servigo se mostra
zelosa e 6 economica na disi;ribuiAo dos ge-
neros que sko fornecidos pelo encarregado da
commissao central nesLa villh.
Em I roncilstio, sou de parecer que, consi-
deranduo as cirGuinsLancias d-i comarca, 6 in-
di.pensavcl a continuai.o d) succorro a po-
pula&Co reLiranLee i desvalida. em retribuifiio
do trabalho que prestar d obra em constraueo,
e a quo Leni desert construida. i eus guardea'
V. iExc.--llhiu. Sr. Dr. Manoel Cleinentino Car-
nebfo da Cufha, muito digno president da
provincia.-O juiz do direito, Jose Antonio Cor-
reia da ShIvu. ,


5.-

S -" 2
O NO.lIE.S DO?' .. ; k
.






SERRA DO ThIXELR'i 2 ',


8


14


Limoeiro,3 de setembro de 1877.-O de-
legado de policia, Joaquim Aplpridio Rosa da
Costa. ) .-*., I'
Jury do .Recife -No dia ,1 de ouLubro
dove ser installada a quinta sessao desse tr-
btfial, sob a presidencia de &. Dr. Adeline
Antonio de Lumia Freire, juiz de direito do 6.e
district criminal;
Tendo-se .procedido ao sorteio respective,
foam desitnados pel-i sort os seguintes jui-
zos de faJtp .
Fieyutte:zi tde S. P'i. Pao'o Goifalves
Arsenio Aureho Espiiiola.
Bernardo Forreira Loureiro.
Jos!6 Maria Furtado.
Carlos Halllday.
Manoel do Araujo Lima.
1''ega/:ia de Sanuio Antonio
Antonio da Gruz Rineiro.
Jovino liandeira.
Dr. Manel Joaquim Francisco de Meire.
Antonio Joss de Abreu Ribeiro.
Rodolpho Ferreira Nobre Pellinca.
Joaquim Pedro Barreto du Mollo Rego.
Joho Maria de Albmqnerque Oliveira Junior.
Joao Eliieu do Figueiredo Amies.
Banvenubu Buarque. U
Bruno Alves Barbosa da Silva.
Joao Sabino Olegario Pinho.
Dr. Manoelt de Figueiroa Faria.
Dr. Manoel Nicolao Rigueira Pinto de Souza.
Francisco .Qandido de Miranda.
Pedro Paulo dos San Los.
Antonio Augusto Ferreira Lima.
Pedro d'Alosntara dos Guimoraes Peixoto.
Dr. Affonso Arthur Gysneiro d'Albuquerque.
Antonio dos Santos FalcAo.
Freyuecia de S. JosA
Agripino de Abreu Fialho.
Bollarmino da Silveira Pinto.
Manoel Jos6 Mauniz das Neves.
Frieguezia da Boa- Viata
Josu da Costa Rabello.
Jos6 Jeronyino de Carvalho Paes do Audrade.
Jolo dos Santos Ferreim Barros.
Antonio Jos6 da Silva Guirnmaraes.
Dr. Innocencio Serarico d'As:;is Carvalho.
Valde ino Antonio dos Santos.
Antonio Jos de MNloraes Sarmnonto.
Antonio Annes Vi\ira de S'ouza.
Luiz da Veiga Pessoa.
F'egue:ia dos Afigados
* Antonio Menelio Cordeiro de GusmAp.
Ignacio de Souza Leaio.
Manoel Odon Correia de Araujo.
Dr. Manoel Raymundo de Araujo Pinheiro.
Dr. Alexandre Bernardino de Figueiredo Reis e
Silva.
Pauino Antonio de Souza Meira.
Hewrique Lins Ghaves.
Freguezia do 1'ogo
Manoeln l)oiingues Ribeiro ca Silva.
Fraicisco Jose Vianina.
Fregue:ia de S. Louren'o
Luiz Francisco de i3arros Rego.
Jose llibeiro Pereira de Mello.
F'ejuczia da Var:ea
Tibuircio l'iiito de Vasooncellos.
Nes-a sessao seriio julgados os r6os se-
guintes:
1 .orio lIi'reira do Monte.
2 J5,,- Ferreira do Monte.
3 P[aulij, escra'.ou.
4 A.zriell- Aftonriso Vianna.
5 Jv Baptista l'erreira Curado.
6 Caindiido 1Florncio ido Nascimento e Fran-
cisco Andr6 Avelino.
7 Felippe Santiago e Luiz die Franga.
8 .loo Coelho 'de Bi0lhOes.
9 Luiz. Martins de Souza.
10 Jos.' Anitonio da 6.lva.
11 ,Juse berna'do de ,Jliveira.
12 Manoel Jouio dia Cruz.
13 ManoIl .loaiuirm de Sant'Arna.
14 Maiioc'l Antonio de Linia. "
15 Antoniu Josi, i'ereira.
16 Francisco Larlhosa MoitLeiro e Euzebio Al-
vc dia CosLj.
17 Fizrci<,i-.o Mendes da lucha.
18 Mjrcolino niezmnrra Torreo.
19 Mamcolin, Bet/.,ri'> Tui'res e outroS.
20 Bcnedictu ir'rncisco do Sacramnento e ou-
tros.
Ordein terceira \de -S. Francisco.-
lnformarn-nos que, tendon o Rvnm..6r. Dr. go-
veriia.ir do hislado, negado a license para a
exposmCji' do Sacramenio n-i festividade das
Chagis ude S. Francisco, deliberou a mesa re-
gedura l;iiitar as solcmni'lades a exposiVao
da igreja, hospital e dependencies nas noites
de 1 e 17 do corrente.
lIslituto Archeologico e Geographi-
co-Quiinta-feira (13), deve maver sessao ordi-
naria, n ) lugar e a hora do .:ostume.
Corpo de policla-Honteon prestou jura-
mento e tomou posse do commando dessocor-
po, o Sr. tenente-coronel Joao Francisco da
Cunha.
Seus antigos companheiros d'armas olere-
ceram-Ilie nessa oucasiao 'in proteso do~p


d'agua. '' "
Bibliotheca proviml&l-- FrOeqMam
u ela repartiglo dgtante a semana flnda, 205
S pessoas quo consultaram 241 obras, seado de
Sdia 134 litores e 159 obras, e A note 68 leito
reo a 82 obras, sobre : reva4tas e jornaes 126,
litteratura 60, dileiLo 27, 1po0itCa 9, philoso-
pM 5, religion 5, histonia 5, enwfcopedlas 2,
-. economic poliUical, mathematioas t: nas se-
S W AieS lingui: poitupgw S, ftneM
S.-_ttbem a bibliotheca as seainots sa :
S. Dr.B. Aoto io Ieralano -46uma
,. : 4ol.gklw,;>das el e decb
Sdfi0 ,t ab it4 d&,i vato. hr., qoe


a recortado.
a-Publiqqu-se, na. coa,
arrente- doesa in
sal de
Ilino i ici&


614:.


UeDmf apa -- ;-a oqifc 4W i
Sda efte-iPril~de-s~rfQ e ra<| b o
Prolongamento da t a delrro
de Pejynamfnco De Palma"remott!m-
nos o Beguinte : v z i "
Resumo das observpgOes meteorologoas fei-
.aS no escriptorjo dWeg4Wnda .ecWTq._m Qni-
papA, duranrte o mez de agosto de I'. -


S1A DfCADASE



LO tw t LO g ALTURA MEDIA
-> 4i m -4 -
D ? m______------
O.6 z %'ARmAQAO MEDIIA

MI
-. -i i A L T U R A M A X IM A 0


gg~ I_______
t J DATA CORRESPONDENT 0
(mto
^^^J0!! ALTURA MINIMA .=
I -

. jl ,. DATA CORRFSPONDENTE

j J-4:4ow VARIAQXO EXTREMA i


TEMPERATUlA MEDIA


VT -3CT ; VARIAVXO MEDIA
gocbo____ ___ _____ yI
II


tOt Olw o[ TEMPERATURA-MAXIMA
~OO'aOQ'b' I__________ ,
'I
DATA CORRESPONDENT 0.
C) p 00 cd __________
z
oS"-" c TEMPERATURE MINIMA -.
ol'' I__________ 5-
I DATA CORRESPONDENT
oog~ I __ __ ._

VARIAA EXTREME
0c 13 0
gCKI
CD "'
N a.fta
* R C DECADAS E MEZ
C 0.


I TENSXO MEDIA
-X 1- 0 5 (EM MILLIMETROS) I


PLUVIOMETRO
'1 b.- B I QUANTIDADE DE CITUVA

I .... ......... 1


SDIAS DE GHUVA
~-a' I

DIAS DE SOL


I DIAS NUBLADOS
30 I 0
I DIAS DE TEMPESTADE
00-00 I____i___
SDIAS DE TROVOADA
0000 1
DIAS NEVUADOS
, W C^ I,,, __.,___ ________


C'4


N.

[NE.
NE.



SE.
eg Ia ______

0
I F -*
| '0


SO. 0
p ) w _______

-0.
0000 1________________


NO.

Dias de cbtvaa Millimetros correspondentes
1 2 S 5 Sr'. 7 8 10 11 13
13,2 0,2 13,0 6,0 2,4 4,8' 2,5 2,5 4,6 4,1 2,1
16 19 23 ,
12,0 1,8 3,5
Os caprichos da fortuna-Sob essc titu-
lo enviam-nos o seguinae acerca da extracoAo
das loterias na cOrLe :
( Dizom que a fortune &18ga, ou tern os
olhoapendados; tLambem ao- qUlJ.am ser
vis 'nao ha& frechbek _e m .is certa.
Pois neo maanifesta a insiStlncia Jeimosia
corn que aiortuna procura a un ,_( ge de
outros !! E o que rnais 6, busca muita vezes
os que'a desestimaml ou no sabem aprqveital-a
emquanto foge dos qua-a procuram por todos
OB caminhos codoidos?
SPara provadqvea fortuna, divindade que
presidejsM lotrias, precede As vezes methodi-
caments9e iso desconhece as regras daari-
thmetica (4as Cousas positivas, A mais positi-
v), bastAnos comparar os resultados das alo-
Lenas On. 671 e 674, extrahidas, pouco ha, no
Rio de Jairo.
i t Eis os')umWfli gde obtiveram os seis pre-
miop priaeipaes' iB'fsagclo da loterian
674 : .


AM 4w '
a Lfteriai.. "4:
iii.. Ille t <0-)


5975... q.va /f6q (8)
3188*. 3W" f6rdA3
367-.. twue fora 7
1627.. nove f6ra (7)
Sacnnix 30
SLGteria n. 671:
3005.. nove f6ra (8)
1673.. nove fora (8)
5397.. nove f6'a (6)
3795.. nove fira (6)
820.. novel f6ra (1)
2755.. nove fdt (1)
Somma 30


a. **. <


-1


,' ,' a" Ir
" ~ "

I.-
wi.


A Ainda mais:
a Tiremos a pbova dos ultunos a4arismos
da extrema direita de amnbps as loterias :
i Loteria n. 671 :
300-5 .
167-3 o
539-7 2
379-5 .
82-0O -
2755
LoLteria ni. 074 : -
485--
543-4- o
597-5 |
378-8
4 6-7 -
162-7
S Veja-se ainda as novel f6rai desti mesma
loteria pela 4 faces em forma de quadro

[LI] ulaos
,. oo :
B COT r-sgo

Somnia [0]
S Deixandode occupar-nos de outras coin-
fii1encias, menos notaveis, nao concluiremos
SeM aotanoos urma ultiraa, que aindla se en-
coatra nesta loteria. 6 que, assim como se
acham ligados, dous a dous, todos osaumeros
na ordem dos premios, da mesma forma or es-
tLao na importancia da somma df cada par
como se veti ver : I


4851
4436
5975
* 3788
167
1627


soimma
somma

s3~l


(18)
(18)
(26)
(26)
(16)
(16)


0 cae niao e esediaer : oenon 'I .
SAs listas foe publraidisins jornaes, e
os pren uos (ah quem m'osdera.!) 4A devem
ter sido pagos 6 quem de dreita
| Se no6, b~me troato ao menot e verb.
*Vej'a agora h fortune, pois quo fac o elogio
de -seus calculos se mefavoarece coan um pre-
mieainhw. a
G8tnwhuns -'Eserevem-nos dessa villa,
en 31 deagosto :
(I A secca ainda continfia corn horrivel as-
peOto a lagellakpos ; e, apezar de jA4-haver al-
guma colheita, o e$a nimo 6 geral, no haven-
do a mais tenue e.peranoa de powder segurar
a lavoura quo ha, pois definha pmgressiva-
moate. I I.
a riipos e grupos d"ein u*teis alto
sertlo chegam diariaaente a l'lS ,uaill
em complete estado de nuez, e aq f temWpr-
manecido, sendo promptamente fm3soados de
generous alimenticios pela oommisslo desta lo-
calidade, que, gragas ao seu zelp a aetivida-
de, tern sabido manter-se corn generosidade
na esphera que Ihe conferio a digna commis-
sao central.
g E' merecedor de encomios o digno Dr.
juiz de direito desta comaroa Joaquim (Grdei-
ro Go6lho Cintra, pelos relevantes servigos
prestados A populagao indigente, corm mim-
bro da comniissao, empregando todos os es-
foros ao seu alcance afim de min6mrr-lfib os
soffrimentos. -1
SA' frente dos trabalhos da matriz tsn e*
tes proseguido em consideravel augment, em-
pregando nao pequeno numero de howeas e
inullieres que eneontram alli a Promissade
se lls males.
ConvCnl, pois, que a commiss o centr
lance sius vistas benevolas sobre esta omair.
ca, continuando a enviar soocorros para estes
rmiseros deslierdados da.sort-, e algumn dinhei-
ro arim de ser empregado nos trabalhos da
matriz, que, graC.as ao zelo do Sr, Dr. Gintra,
em breve estarA concluida, *
a Dignern-se, Srs. redactores, de dar publi-
cidade a estas -linhas A bern da humanidade
faminta. )
Rodolpho q Zulmira Sob essa deno-
minaQg&o acabam de ser publicadas as dias pri-
meairas folhas de um romance, escripto pelo
Sr. Hermino Amaral.
Ministerilo da Justiga-Ao presidentkdo
Rio Grande do Sul, foi dirigido polo ministerio
da justiCa, o seguinte offlcio, que, por center
doutrina da maior importancia transcrevemos
na hltegra :
a 3.' secbo.--Rio do Janeiro.--inisterio
dos negocios da justice, 11 de agosto de 1877.
--lim. e Exm. Sr.-Em officib de 24Ado minez
findo submetteu V. Exc. it consideraoO do
governor imperial as censultas que aeo-chefe de
policia dirigio o delegado do term' do- CaCa-
pava:"
a a. Se na qualidade de inspector da cadeia
daquelle ternia o principal responsavel 1)pela
seguranca dos press, p6de couservar em
ferros os pronunciados por crimes graves.
1 2.8 Se o juiz municipal, a euja disposieio
elles se acharom, tern competLencia para orde-
nar ao carcereiro que Ihes tire os ferros, pos-
tos por ordem do delegado.
a Declaro, em resposta ao referido officio,
que o mesmo governor imperial conforma-se
coarn a decislo proferida polo ched- de policia
e corn a qutal V. Exc. concorda ; polo que,
conv6mn quo eAquellaslutoridades faQa cuns-
tarm -*,
a Quanta A primeira duvida, que 6 prohibi-
do emnpregarpara seguranCa de press, meios,
al6m dos estlbelcaidos por lei, e regultinean,
tos approvados. pato governor, vfsto como, no
tiso em qaestLAo estahft os r6os simples-
mente proaunciados, o alluidIo mei de se-
guranoa seria duplamente illO e .-- violento,
por. isso que os swjeiaria a uaa poa, que sd
deve ser Axecutada depois &e codmotdols
no grao inaximo do art. 193. do QoW4tcrisa-
nal, coaf&'ee dispOe o art. 44 do meOmo .-co-
digo. ,.
a Qdnto a segauna duvida, que ko sdes.
& oQ outdilatI a.arceiraltro da oaduia ta
guarda sn4^ dos pitsos, masiij
dexond. -uS._ as -let., m ualam
Sezlist ,t 0.itil~lt~ t ira
*n" ruqd 4 ,aai
I.


r4 -!


gpccddeu 1;ue Io e p6d
a'como @ pergim0 he aj
Pos edargui *
0i cIo I'rfdamnado 1 I.
,* Acaba de ser posto Avenda em Londres,
uma. classes .espial (f sur riq_ j, que
o, dD6.1dis efrf.
T.'illh b fh'hcf, dnde leva a jgomma que
.ai4 'abc ipto, vao iiarea -.as 1aia-
vras : Inteptou-se abrir-me. Estas palavras
invsivois, qtiaa4d oj AbrecrMipo es4A secco,
2ppsreem dis#Mnuiemane 'lta deqpressa so
rnoihe corn o fib de deluir a gomma e bril-o
see sumspeita. Ese letreirito, uma vez appa-
recido, j4 nIe Se'extittue.
,',-Perguntava urma 1 alante menina :
t Mama, que 6 Q hominem ?
a E' umrn setr que teni nruitas applic&aoes,
respondeu a maml, por.nm de todas ellas a
welhor 6 a do marido. -
S0 que 6 um marido?
SUrma especie de cofre aberto para pagar
03os trfjos, alg joias e todos esses objectos do
que carecem as mulheies.
( Ai mama et quero um marido.
a Filha, por desgraga vai-se perdendo a es-
pecie. D


I


11. A cupula do palacio de Teheran,,oa Per-
sia, .
12. Uma torre de porcellana, neJVpao.
13. Um minarete arabe, de Tunez.
14. Umrn mukarabi, do Egypto.
15. Urma fachada do palacio do losphoro,
em Goastantinopla, na Turquia.
16: A casa de Pericles, na Grocia.
17. Uma casa do Porto, dm Portugal.
18. Unia casa de Gustavo Vasa, na Sue-


cia...

21.


Uma casa de campo, na DJinamarca.
Umn pombal e uma casa, da Suissa.
Urea casa antiga de Amsterdam, nat4oW-


Janda.
S' .Uia casa i, Mallnes, na Belgica.
23. A I.r;,d4 Zvaina, em Fla'idres.
A esta culiosa series da eopecimens <4& ar-
rl a eatarolp oriental e americana, ac-
on metai atgti& typos escolhidos de cons-.
trcci o. _sDoWtSi dos diftepates paizo.
100l.lti','t 14 d4OoC.1onte, so. ex-
t:L 0 A '4I M km.b io das obras
Os b f6-stla-e vamen na thesoiua-
niA ,do Sr. Porto,



"]T ..40 ., P "*
-.:' "* '4. .:


.Na.otaliia
do 275 h-io
Foram vid
ds 8, 7 IM,,7
1/2,, 9, I


*xisew


*~- ~s


,* 0 alphabelo usado pelos naturaes das
ilhas do Sandwich tern 12 lettras ; o irlandez,
17 ; a birman, 19; cyriaco, hebtnaicto, chaldai-
co, samaritano, 21 ; o grego, 24; o Irancez, o
inglez, o hollandez, 25 ; o hespanhol e o slavo,
57 o ac"be, 28 ; o copta c o persa, 3"2; o ar-
menio, 38 ; o russo,4 1 ; o moscovita, 45 ; o
sanscrito o japonez, 50 ; o ethiopio e o tartau-
ro, 202.
Nao 6 muito lisongeiro o estado de ins-
trucVto public na provincia de Minas-Ge-
raes.
A populahlo livre ern idade de orequentar as
secolas 6 do 238,468, 1/7 de 1,668#276, que 6 a
popnlavao ivre da provincia, segundo o rela-
torio do Airector geral da estatistica do impe-
rio ; deta s6 eslto matriculados nas escolas
publicas 27,104, o quo importa dizer quie
21,564criala5s nao penetram o limiar da es-
coia. E dado que o ensino particular Lenha
tantos alumnos como o public, ainda assiinm o
numero dos analphabetos eleva-se ao algaris-
mo do 184,260, mais do triple da populaCiao
matriculada nas aulas publicas e particu-
lares !
,*, Morr'eu ha pouco em Londres uma senho-
ra de orig m franceza, Mine. de G..., que as-
sistio em Paris A revoluco de 1818, c deu por
essa oaeasiao provas de muita coragem e es-
pirito finissimo.
Poucos dias depois do 24 de fevereiro sahio
de carruagem, e, o que 6 mais, de carruagem
ern cujas portinholas estav'ito pintados os seus
brazOes.
A poucos passes a carruagem esbarra nas
ruins de ,rna barricada. 0 populacho amon-
toa-se. Chovom sobre ella os epithetos mais
affrontosos. Nisto um operario abaixa-se, to-
ma um panhadode alguma cousa, petor ainda
do que a lama, e bezunta-Ihe as portinholas
da carruagem, -dizendo ao mesmo tempo:
SVes o que fago as tuas armas ?
Bern m vejo, respohdeu Mine, tie C... Subs-
tituistes as minhas arms pelas vossas.
*,* Ficaste approvado, meu filho ?
a NAo, mama. Um dos professors achou
pouco correct o que escrtvi.
a Deixa -estar que eu o ensiiarei... Para o
anno has de fazer exame com a penna de teu
tio. E' da melhor orthographia, ..pois todos os
critics dizem que estA bem aparada.!
,*4 Perguntavam a um jogador, quo conhe-
cia todas as-casas de jogo como os sebs de-
do#*.
a Jogava-se este anno baccarat em Wies-
%aden ? !^
SJogava-se. Ea Ihe digo;ouvi dizer que
havia uma sala para o baccarat, mas como
para ir alit erA precise atravessar tres salas
(e roulette, nunca Ia cheguei a entrar! )
A* Moralidade dos concursos do conservato-
rio em Paris, segundo o Ghivari:
A mai de urma das concurrentes faz-se en-
contrada corn umjornalista, e dirigi-lhe a pa-
lavra.
SComao achou o senhor a minha filha ?
SUmn pouco fraca.
*. Poier-me-laia fazer a fineza de dizer no
se'u journal que ella tern talent ?
a Oppoe-se a isso a minha coasciencia de
critico.
a Nesse caso, accrescenta a mama corn ts
kagrimas nos olhos, diga ao menos quo 6 bo-
nita, para que possa arranjar umrn marido. ,
*,' A esposa de Calino pede explicagces ao
marido acerca da telegraphia electric.
a Com o 6 possivel, diz ella,'que porr m4iode
um poqueno apparelho estabelecido em Paris
se possa fallar para Lyao e atl para mais
ionge:?
t Nada mais simples, responded Galino. To-
dos os dias presenciamos phenomenon do
mesmo goners serm Ihe prestarmos atLlen-
cao.
a Nao comprehend.
a Ora essa! Quando se pisa a cauda d umn
clo con que e quoe elle ladra. a
,*, Para dar idea aes leitores do quo admira-
rain o.yisitantes da exposiQao Universal de
Pans, 6na1878, ao penetrarem na0aleria cen-
tral das secc.6es estrangeiras, ois aqui a enu-
mqragao dos facliadas dos estylos caracteristi-
cos de cada nacilo, quo se projectam cons-
LruH :
1.o A fachada lateral do- palacio de West-
minster, na Inglaterra.
2.0 .A fachada do palacio dos Sete, em Laho-
re, na Iadia ingleza.
3.o Uita,abana cobeoa de pennas, dos in-
digenas do Brasil.
4. Unm casa camnpostro, dos Esttados-Uni-
dos,
5.' Uria pousada moscovita-na Russia.
.6.o A fachada de S. Marcos de Veneza, na
Italis.
7.o Urea qidiinta hungara e tuna administra-
Qo40 tyroIoeza, aa Austria.
8.o Uma fachada mourisca, de Hespanha.
9.o A quinta da rua de Bouz-Belou, em Ti6n-
Tsin, na C~hina.
10. Uma4'achada filigranada em Sia6. 4


Medicos
Dr. Lobo Moscozo, rua do
de Albuquerque n.
Advogados


Dr. Guenneb', rua


Visconde


do Irnperadopn .n.


48.,
Dr. Antdnio Drtmnond, r ua do im-
perador n. 20.
Fazeildas e modas
Antonio Correia de Va-sconcellus, rua
Primeiro de Marpo n. 13.
Chapellaria e modas
Costa Maia & C., rua Primeiro de
Margo n. 6.
Fabrica de cigarros a vapor
Bourgard &C G., Recife 15, rtua do
Marq uez de Olinda, Santo Antonio 3,
rua Primeito de Marco,. Bua-Vista b4,
rua da imperatriz.
PharnMaela e drogaria
Ferreira Maid ft C., rua Duque de
Caxias n. 57. "---
Encadeftagao, pauia0ao e papelaria
Miranda Junior, rua Duque de Ca-
xias n. 37.
lRapd irancez e luva de pelllca
Rape francez, luvas fresca? de pelli-
das e fumo caporal no Bazar da Victoria,
.-rua dowJa&Bqda Victoria 1i. 2.


ES A PEDIDO


, 1^ usywllgU mwayo MM~ilut
Ibdaea-synthepeft ]a
to le'jw-e nap hj4a co ado a .
discu.so. "
Ao defender-se da censura de nao
ter pot.it nm orgdo da imgfensa, o$
Sr. Zacark declarara ter tataimpren-
a qvanta4be -bastava, nio 1 uvidan..
do aflWmd'r qu'e as publicagoes feitas
no Jornal do Commn.ercio d(lebaixo da
rubrica Communicados' eram inspira-
das pelo goveriio e paigas pelo the-.
souro.
RecentmentiLe o Sr. Aflonio Celso,
para incstrar a di/ierenaa dos tempos,
observoit nque o ex-presideitc do 3 d@
agosto) 11u so rerei'nra por aquellas pa-
lavras seiiito os ComItnunicudos, cuja
publica.Aou devia ter eustado de dous a
trees conLos dl rris ; p)ublicages eslas
coin que o (governo se explicava em
estylo sobrio, senu e shinples, e nada
comparaveis anos artios de polernica
que lioje se delparain nos jor'naes.
Para Iluiei conlihecesse a listoria po-
litic.i diaquille peiiodo, a iiiverjsimi4w
Illilbi. d(e seinihanto afliriinae:o era "
> -I i <-> i.>


S^jC
^**w


9ts,8, 8,1/, "s .. Q -s-irpde ( '
erque; ps 4, p
Dr. Malaquais; As '8,; 8; 8.
pelo Dr. Chaon 4v 81 8, 1
8; 1 1[2, 0,..,pelo,. .o Cv


STavare de loua, 1nfecAo urinosa.
ta Josepha da Cooc41eo, bronchits.
T'ncia, febre amaalla.H
awoenee Leggo, oo =jlnto ro cw'al.
Joaquim, epilepsia.
Margarida Maria, tuberculosis pulmonares.
Huaig uaAugutaaJtpco rrhea.
Gatharina Mrria da Conceifto, velhice.
Aloxandrina Maria da ConceicAo, Luberculos
pulmonares.
rhereza Waria de Jesus, enterite aguda.
Anna Mark da Conceigao, Luberculos pulmo-
nares.
Antonia Francisca dos S.tinLou Alvoes, per-
tone,
Joaduim MatLlieus de Souiza, anemia.
A. Anderson, drysenteria.
Euphrasio, velhice.
Anna Maria da Conceig'to, tulbercul)s pulmo-
n acres.
Alexandrina Maria do Carmo, tuberculos pal-
monares. -'
Hospital Portuguezwile Benefleeucia
-0 moviinento das enfermarias desLo eslabe-
lecimento, na somana de 2 a 8 do.) corrente,
foi o seguinte:
Existiam 29, entraram 5, sahiram 3, ficamn
em tratainento 31.
Prosegue enim exercicio.o S1. inordomNo M0a-
noel Joaquim Pereira.
LeihIes-l-o,)je reilisa-se o segaiiILc :
Polo agcntd Pestha, del'roinito ia plri lda
alfandead, de 50 caixas coin cebola;;.
Amanha deve realisar-se u sezuintlo
Pelo aeate Silteira, da anrinaC5Ro e !eneros
existentes no estabelecimento do largo do Ci)r-
po-Santo n. 6.
Qainta-feira deveni reali.ar-s. os segiui-
tes:
Pelo uagenfe Pinto, d rua do Bunm .lsus n. 43,
do sitio i. 10 da Cruz das Alumas, f-eguezia do
Poeo da lanella.
Pelo agente Burlamuqui, dt rua do Born Jesus
n. 53, de urn terreno junio a esti;,io do Man-
giiinlo.
Pelo agent Pestana, d rua da As.sunpcao n.
6, da arniaeito, generous e utensilios da taverna.
Passageiros Sahidos pari o norte nu
vapor n:acional Pernambuco :
Major Josu Ccrqueira de Agniar Lima, sua
senhora e 1 cieado, Bellarmino (Guedes, Ma-
noel Jos Joao Francisco da Silva, Bernardo Tanellas, Ju-
lio lHe'lhred e sua senliora, c I escrava.
Cemiterio publico-Obituario do dia 7
de setembro de1877:
Vicente, pardo, Pernrmbuco, 5 inezes, S. Jo-
s6; enterite.
Isabel Maria, preta, Pernambnco, 51 annos,
soltei'ra, S.'1os6; enterite clironicm.
Eurraaia, preto, Parahyba, 75 amios, soltei-
ro, Boa-Vista, hospital Pedro I[; velhice.
Anderson, bronco, Suissa, 21 annos, soltei-
ro, Boa-Vista, hospital Pedro If; dysenteria.
0 receminnascido Manoel, pardo, mandado pe
lo subdelegado da Graga.
Jos6 Francisco da Silva Ferrcirj, bronco,
Pernambuco, 36 annos, viuvo, Gri':a ; tuber-
culos pulmonares.
Jose, escravo, preto, Pernamnibuco, 38 annos,
soltei"O Sarnto Antonio; diarrhea.
Manoel Thome, escravo, preto, Pernambuco,
55 annos, solLteiro, Boa'-Vista; pneumonia.
Hermenegildo Jose de Alcantara, branch,
Pernambuco, 71 annos, casado, Boa-Vista; fe-
bre perniciosa.
Modesto, preto, Pernambuco, 3 annos, Boa-
Vista; gangrena.
Anna Joaquina do Sacramento, branca, Per-
nambuco, 90 annos, viuva, Boa-Vista; affeceo
cardiac.
Joao, pardon, Pernambuco, 5 annos, Recife;
gangrena na bocea.
Antonio, pardo, Pernambuco, 2 annos, Gra-
ca ; apoplexia.
Francelina Baptista de Oiiveira, Iiranca, Per-
nambuco, 30 annos, solteira, Santo Antonio ;
tuberculos pulmonares.
Matheus, escravo, preto, Africa, C;9 annos,
solteiro, Santo Antonio; bronclhto chronic.
Joanna, escrava, preta, Pernambuco, 30 an-
nos, solteira, Recife; congestlo cerebral.
Joanna de Souza Almeida, preta, Pernambu-
co, 28 annos, Olinda ; tuberculos pulmonares.
Silvano Francisco Antonio, preto, Pernambu-
co, 70 annos, solteiro, Boa-Vista, asylo; bron-
chib pulmonite.
Anna Maria da Conceicor, pardai, Pernambu-
co, 80 annos, Boa-Vista, hospital Pedro .I/; tu-
berculos puhnonares.


I-
,













q..
t













i
*I


q


dos, claro A que usou de urn desses'-.
meios muito triviaes de velar parte da
verdade, mostrando-a s6meutle por urna
face.
Appellarnos neste ponto para... pam
o proprio S'r. Zacarias. Incapaz de fai l-
tar A verdade, nent o Sr. Zacarias, ner r:
qualquer deseus homnrados ex-collegas
se abalanparA a affirmniar que so as ar- .
tigos corn o titulo Communicados fo-
ram pagos pelo thesouro.
Diz, poremn, a Reformina que se os mi-
nistros do 3 de agosto quizessem occ4td.., .
tar a verdade, nao diriam (quOe os i"..
Coimmunicados e s6 ielles corriam pot
conta do governo. .;. -
Mas isto importa resulver a (quiestao'
pela qurstao.
0 que se pse em iduvida-e corn a t
prova &Wmragavel quo exhibimos eni'
-iMb' ultimo artigo-, ( isso niesinI ;';
d que em em dous annos de governor e "
em quadra de activa luta na iribn-ria e .
na imprensa, o gabinete 3 de agosto ,r ,
s6mente houvesse necessidade de p A%..
gar a publicaqao de 23 pequenos Ci y& b
municados. "
Tarnbein o gabinc-te 25 de junho ha.' .4
feito publicar tres on quatro Cooam- 4'
nicados e a Peformat nao supportUia'
que lhredis-:sssemnos lue s6oessastout-b .^


a .....ca-aes tmrn corrido por comnta dl2.
A' o iM verno.
Lendo nas wllaluleu.a is A de Pernam- Eutretanto nada mais d
eJ. ,dna.Iau if% Jeh*,oti ot ario do imitando a lin uagem do& r.
dbataro as Sila6lqaiz o= Rodri- dizer hoje alguri do acltuaesr
goes Wandes da Silva,.o qualdizem seem os tros :.-Quando se virei ai
iautadel-dvernnTeramb diAme,,edo e 0
abiM:O aesgmdo q ft ma itfeliz partiram ra folha do imperio e"-_ji:
Pda 8#S9O m"_ i &na tard& do dia 5 mtnicados, esti entenf(6 4
oatiu euw,- dWUoGj. eitra de 1cu- ro e paou o govYrflO. JA!
thaem ;o.0axo a ao e Aproi taroso0
pvo*W a ape A Mfw. Cto. 0 illustre -m
natouW MtrM tOgl ai trf t.. ie fotino decelarou, q; -
40 #ra ,


1J[ LVI It0.
Foi p.'ar o de-i.n-jiiLrtar
rendo e.critiin!losain rnto a
Joi,'i (l do Coi et'rcio, de
do 18i1ju a ItI d(e jullio do


A'
-4-
it
I-


qlue, percur-
collecqdo dp
3 do agosto
86G8,. vrifi-


C tliO5 0 s.';..' iialu e .... .
E'li uiLM1to 23 piublicajiu es f, i s e l-
contiramil dLi.xo di riublrica Cowhtn-
.ticados, jIeIl iiitOl' pl-arte do 4 0 a 50
linhas, abuidatiii estiradissimos entreli-
nhados ha soc 'io'dos .1 pedidlos.
Seni nouieari todos, rgistramos cer-
ca de 50 lUseudonynios, cada umrn dos
quacs, -oino dissemos, n;.o repr'eseniLta
urn 1i'li,_o, mnas unma legiho de artigos.
Por stna insistencia, extens*o, estylo.
e object inao podiam taes escriptos set
obra de amnalores que Ihes pagassem
a publicatio.
Recordeinos dc novo alLtuns exem-
plos:
Houve tal Agricola lup, sew que al-
guem Ihe sahiisse ao encontro p'ra o
contestar, escairra'it-lioou-se em 17 Ion-
gos entrelinliados demonstrando a ne-
cessidade da funda;,Ao do credit real a
a excellencia do piano architectado pelo
Sr. Dantas em seu relatorio.
Acredita-se que esse Sr. Agricola os
pagAsse de sua algibeira?
Outro escriptor, como em algumi dia-
io do tempo sc houvesse feiio referen-
cia a nao sai)emnos que episodio do rei-
nado de Jorge III, restaurou em 14 in-
termiiiaveis entrelinhados a verdade
historic, pondo em relevo nao j a
muitas incontestadas virtudes do Sr.
D. Pedro II, pordm o escrupulo cons-
titucional corn que o principe-modelo
(que assim era que o appellidavarn en-
t1o) exeA'citava a content geral sua'
alas attrihuiyoes.
Taes artigos coincidianm, corn as de-
claragdes feitas no parlamento pelo Sr.
Zacarias, quando proclamava ao Impe-
rador o mais patriota dos brasileiros, B
rei sabio e just que, nao repousand4
urn mornento, nio tend outra paixio
senAo a do bern public senao havia
direito como Cesar d admirdna.o univer-
sal pelas suias conquistas, o havia polo
melhor dos titulos d gratiddo nacio-
nal.
Os Arislonous, os Thucidides, os Po-
lybios, e os tantos e tantos de que reza
a chronic, ha ahi quemn creia que es-
crevessenm lodos de sua propria conta,
acudindo por si it despeza necessaria?
Mao na consciencia, c de certo que
nem umn dos hon'ados ex-ministro s
afoutarA a dizer que corn essa rnultiddo
de entrelinhbados nada despendeu o the-
souro icional.
Se 6 possivel que corressemn alguns
por conta dos amigos do govermno, a
minaior part pesou corn certeza sobre
os cofres publicos.
Quando, pois, o Sr. Zacarias confes-
sou a origem dos Communicados, sere
se referir d dos innumeros entrelinha-


*1
J I

4

1"-






1k







A

















'4:
4-




4- 4


.t


Alexandrine Maria do Carmo, parda, Per-
nambuco, 49 annos, solteira, Boa-Vista, hospi-
tal Pedro II; tuberculos'pulmonarcs.
Antonio, pardo, Pernamhuco, I anno, Reci-
fe; febre.
Maria Amelia, branch, Pernaibuco, 13 me-
zes, Graga ; enter colite.
Antonio Francisco Ramos, preLo, Pernaminbu-
co, 80 annos, solleiro, Boa-Vista;'diarrhia.


INDICACOES UTEIS
____________0 _______ ________


!.


li'
























*; v


Uj.-


I~r'r'' 'm' K"ukl -I,.

B^ .l &a,' que fk^ the-
1 iEtmftocuinprisse a I ji altera o
fI ;do be.r efioio sere que para isso
As loae .prpovado novo piano ?
:$ma tenbem de interesse geral que
as O i.tt.eo.es tivessem paralysado corn
^ bfluato de extraccges de cerca de
6o. sI a produzindo estas para o fisco
- .- tQ,. 85-! 8000; para o provincial
oe Paa os honoficiados.....


a0 pois. se pode corn razao inore.
flOihedonreiro no sentido de ter elle
iiaettido falta em o cumprimnento
.seusdeveres?
,of I OQ


S: Instituto Archeologico
... I Por esta secretariia se cominunica a
""'' V quem inter.essar, que o curso gratito
"^x ". 0 ue i nstituto ollfereoe a mocidade,
g acha-se aberto e vai coniegar do dia se-
i. nda-feira feira 10 do corrente em
7_'' diante.
Os estudantes que se quizerem ins-
rs. r para a frequencia das dilferentes
auTas desse curso, podern comparecer
nesta secretariat, das 10 horas da'ma-
SnhgAs duas dia larde.
As referidlas aulas Lifunecionarao nos
spguintes dias
;H GEOMETRIA nas segniilas e quintas-
'IH + -feiras de cada seinaha, das 8 As l horas
'da nimnha. Professor, Dr. Francisco
p 4oligorio Le;l.
. "'. AnITHMETICtA, Inis tra-foi-as e sex-
tas, das 2 as honous dl tarde. Profes-
Nsor, Dr. Cicero Olon -Peregrino da
Silva.


j .i'
'I'- ..l&; -

-.. -;







.


HIsTORIA DO BRAS;L, nas quartas-fei-
ras e sabbados, das 2 Iiorias As 3 dn
tarde. Professor Salvador -Heotrique
:,-pe Albuquerque.
GLonRAPI-nA.-A al)ertu-ra desta atila
sera poster'ioiIt.ento: annunciada.
Secrelaria do Instiluto Arclheologico
o Geographico Peor-naabbncano, I de se-
temrnbro de 1877.-O0 sici-etaRio perpe-
-tuo, SahlvadIr [I,.'uiu,( h, Al ibuquer-
quec .

Caixa Economica e Monte

(ie Soccorro
DA PROViNCIAE [-PI.RNAMBULCO
Com garantia do govarno ,lm-
paria!
Estabelecidos ;i run Ieo Coto mercio
N. 48


lecreto 1. 5,5i de -lb dic abril del 87i
A CAIXA ECONOMICA r ccebe de cada indi-
viduo, des-.. i ot iitiultiplos; desta qua ,Uia lat
105 por senana, a jiros a.le 5 por certo ao an-
no, contados (t1) liN; -Zcuintc- ao cr quo tiv'r
lugar o deposit.
Logo quite as qluaiitias depositadas e seus
juros prefiaerenm ia -omnia de 4:0005, so esta
ulLirna importanci:a coiitinuarA a veneer juros ;
conservando-se o ret.;ante, cm deposiLo, sern
premio, emquanto o depositante o nao re-
Sclamar.
O depositante (,',de reLtirar em qualquer lem-
po toda a quantia depositala e seus juros, ou
sdmente part, prevenindo A caixa corn ante-
.. cedenoia de oito dias pelo nienos, quando ex-
-". ceder do 005 a; imporLarcia que quizer re-
S tirar.
No fim de cada semnestre do anno civil serao
tpitalisados os juros vencilos.
o0 depositanto que perder a respectiva ca-
derneta, dever5' participal-o imniediatamente
A caixa, annuaciando a peida pela gazeta de
major circulagao. Pagari 2'.$ pela nova cader-
-- neta que se Ihe cuxpedir.
V,- E expressarmento probibido ao depositanto
fazer emendas ou qualquer alteraglo no texto
da caderomneta.
MONTE DE SOCCORRO faz emprestimos
.; dfpjatias de 5 at6 a que f6r convenciona-
Y d;. sobre pwhores de prata, ouro e diaman-
t" a jros de-1 pQr cento ao mez, sob as se-
S qWt coadioes :
S .Ai'agar a respective quantia cam o premio.
-I ^tr, rento ao mez que se veneer durantep
.: prazo iqe so convenecionar, que serd contado,
da o&i da operagao. -
F -.P' 2Ser vendido era leilao o penhor, se ven-
jl. o tempo nio f6r resgatado, ou pro:ogado
Se,prazo do emprestimo.
3' Prescrever o saldo do mesmo penhor, se.
aa no for procurado durante o prazo de cinco
6^ .4 annos, eontado da data do leillo.
4.* Se acontecer que o penhor se exti-avie
A+.. *este estabelecimento e no.o possa set resti-
^ ulido ao mutuario, serA o thesoureiro obriga-
*y do a pagal-o pelo prego da avaliaeAo e mais
.1k 1 5 .por cento de indemnisacto.
S 0 mutuario poderd resgatar o penhor antes
W darazo estipulado, pagando ,a quantia em-
"" estada e os juros vencidos.
Recife, '11 de junho de 1877.
0 gugrda livros,
Francisco Joaquim Pereirg Pinjo.

Educacao de meninas
Uma lamilla convenientemente ha-
bilitada, encarrega-se da educaeAo de
,.-meninas, ensinando as materials que se dlo
em nossds collegios. 0 miigisteriu 6 exercido
SIpela propria familiar, qle estA nas condiqoes
p rfeioar suas alumnas nos principios que
4 l. 9itueni a educaqgio convenient A uma se-
I m. A casa Lcm comnimodos para externas e
.gsfllialstas, que se recebem por mofico pre-
-. Para inforrnaeoes: o Sr. Gustavo do Silva
Sef s, rua rua do Bar to da Victrla a. 46 ;
-Sr. -oao Carlos Cavalcante do Atlbtquerque.
Sm'*a eidade da Escada; o Sr. profdssorJoaqnim
t$ e' do Albuquerque Barros, em Paio d'Alho,
'u a 08;r. Frederico Augusto Velloso
~kvtogmoprshia.


ADO


Enfdtes pairae harabs,. v M3para
Gwaawnnto, belle, theatro, vf ete. O
etc., etc. '
Vestuarios para criancas; prepara-se
tudo na ultima modaea Europa, corn
muita perfeiQAo. ?I..
Pregos muito razoateis.
18 Rua4do Bario da Victoria, I8

CollegioeN. S. 4Graca
N. I0-.p1m .EJUCHOA-N. 10
Di-Bctora
Mademoiselle Anna Caroll
0 grAo de instruceao neste estabele-
cimento consta de portuguez, francez,
inglez, calligraphia, arithmetica, geo-
graphia, historic, mythologia, music,
piano, canto, danas, bordados de todas
as qualidades, crochet, -flores e dese
nho.
Recebemn-se pensionistas, mrneio-pen-
sionistas e externas, sendo as primei-
ras a 40,, As segundas a 205 e as ulti-
mas por 55000 por mez, nao havendo
extras
A lingua fallada no collegio d a fran-
ceza.
MIlle. Maria Coppnet, modista fran-
'eza, participa a suas antigas freguezas
e ao respeitavel public que reabrio a
sua casa de modas e que se acha
prompt para quaiquer encommenda
concerinente a sua arte, como vestidos
para senhora, etc. : na rua do Mar-


quer dc Olinda n. 38,


terceiro and ar


N. 190.-Agua-florida de IMur-
ray e Lanman.-Ha vitle annos A
esta part ella toaiou o lugar dle todos
os extractos e essencias europdas nos
mercados tanto d'America do Sil conmo
nas AntiLas, supprimindo todas as dif-
ferentes qualidades 'dessas chamadas
cant de cologne. 0 sen (deleitavel aro-
ma tern urma approximapao mais estrei-
ta e alnatoga ai respiraQao delicaula das
vcrdadleiras tl6res, do que aquelle tde
nerliumn outro artigo em tnso para a
mesa (do toucador. Usada como unia
lavagem otn enxagoamento da bocca,
ella igualmente nentralisa e faz desap-
parecer o mito goslo e halito causa do
p)elofumo do chairuto, e meliorando a
condliito e estado dos denotes e gen-
givas.


~COl.UERCIO

Junita dos corretores
PRACA DO RECIFE, 10 DE SETEMBRO DE 1877
As tres horas da tarde
cotao.es officiaes
Cafe do Rio de Janeiro, 95000 por 15 kilos,
-. .:. :' em 6.
Courts seccos salgados, do sul, 385 rs. o kilo.
Ditos ditos ditos, 390 rs. o kilo, em 6.
Farinha de mandioca, de Macei6, 65800 o sacco
de 90 litros, pouco mais ou menos.
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 30 d 'v. corn 3/4
0/0 do desconto.
Dito sobre dito, 8 d,'v. ao par.
Cambivu sobre a Bahia, 3 d/ e Avista, corn 1/2
0/0 de premio, baocario.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 24 5/8 d. por
I1000.
Gambio ;sobre Paris, 90 d/v. 390 rs. o francoj
bancario.
Dito sobro dito, 90 d/v. 385 rs. o franco, letras
do Rio da Prata.
Desconto de letras, 10 0/0 aq, anno.
Bernardino de Vasconceilos,
President.
... J. Leal Reis,
Secretario.
|ALFANDEGA|
Rendimento do dia 1 a 6j 150:5146132
Idem do dia 10 4353286
197:8675418
2fpescarre.am hoje 11 de setembro do 1877
Vcpor inglez Minho, (esperado) various geros
e bagagens para alfandega.
Vapor inglez Gladiator, (esperao) vri&ge-
neros e bagagens para alfandega.
Barca ingleza Caronefla, cimento despachado
... para o 3o ponto.
Barca ingleza jlMcator, varies genoros para
alfandega.
Lugar inglez Caroline, feno para o trapiehe dt
alfandega, para despachar.
Brigue dinamarquez Brasilianeron, varies ge-
neros para alfandegt.
Barca potugueza Oceania, pipas viaSs despa-
chadas para o 50 p 10o.
Patacho americano F. J. *nderson broa 6
aduelas para o traip4 4 afandega,
para despachart*& .
AlteraCao na pauft.As preos, dos go-
heros sujelflow e40feitos de etporta-
qAo, na se= de 10 a 115 de setem-
bro de 1877.
Algedlo em' ama ou descarogado, 400 rs. o
kilo.
Fumo em rolo e em lata, boma, 680 rs. o kilo.
Alfandega de Peralpaabuo, 10 daerebro
de8177.-Os ee i .-ii. A -.
A., jio#rg^8..

A-:deIyislhtbho Rea...
r"i' '. ^ "*' :"


rAraajiS b^oflttle~tee'-cakg~na-
go a-ompibhia r q

Awn. ..
Onu Col, ,Tk
maz elnaar..ii.i ~lll


Tlestmf:.
Xarque


ILlw "" *
d;: e o a Amorim




po. l f., o, entrado 4e
to vma dataea con-
FrcS da Silv- Loo Filho,- ma-

195,977 kils -A1, ordemn.


Vapor national PFrnambuco, entrado
dos portos do Sifi;em 8 do corronte e
cousigoado a Bemardirfo Pbntual, na-
nifestou :


Cafd 40
thus.


Carga da Victoria
sacos a Domingos Alves Ma-


Carta do Rio de Janeiro
Cigarros 5 barricas a Gomes de Ma-
tos Irmaos. Carfe 50 sacco, a Joaquim
Ferreira do Carvalho & C., 200 a Amo-
rim Irmros &G., 275 a DomingosAl-
yes Matheus. 290 a H. Burle & C., 165.
A ordem.
Fumo 20 caixas e 20 pacotes a Al-
fredo Ferreira Baltar, 4 caixas e 10 la-
Las a Luiz Gonvalves da Silva &Pinto,
3 caixas a Josd Antonio Pereira, 3 en-
capados a Joaquimn Bernardo dos Reis,
5 caixas, 0 encapados, e 78 latas A or-
dem.
Iistrumentos para telegrapho 1 cai-
xa a J: Mac Manus.
Livros I caixa a De Lailihacar & C.
Panno'de algodao 20 pacotes e 15
caixas a Domingos Alves Matheus.
Sulphato de co'.re10 barrio a J. Mac
Manus.
Tecidos de algodao 18 fardos ao Ba-
rao do Bemlica.
C('arga da Bahia
Charutos I caixa a Antonio Pereira
da Cunha, 1 a ordem, 2 a Antonio da
Costa, 1 a Domingos Alves Matheus, 3
a Rodrigutes de Faria C.
Came secca de carneiro 6 fardos a
Amnorim Irmnios & C.
Fazendas 2 caixas a SirnpAsrn & C.,
2 a Ctramer Frey & C.
Pauno de algodao 10 fardos a Macha
do & Pereira.
Sanguesugas 3 caixas A ordem.-
Toucinho 30 l)arris aJorge Tasso.
Brigmio dinmnarqLtez Brasilimine'en,, entrado
de Haniburzo na inasma data e consignalo a
Augusto Bernet &; C., mnnifestou
Amostras 9 volumes a diversos. Alcatrio
20 barris e 20 axeios ditos aManoel .los( de
Aguiar & C.
Bril-,quedos4 caixas a T. Coimbra & C. Bar-
ras de fcrro 705 a ordmi.
Cadeiras 1 caixa a S. S. da Silva. Cabos
20 volumes a Otto Bohres & Successores. Cer-
veja 100 caixas aos consignatarios, 100 A or-
dem, 50 a Ferndndes & Irmao, 30 a H. Nu-
eschli & C. Cachimrnbos caixaa Alipio Vieira
& C. Ditos e ponlteiras 4 caixas a Ferraz &
Pereira. .
. Drogas 75 volaines a ordem, ii a Manoel da
Silva Faria & C., 6 a Ferreira Maia & C. -
- Espelhos "4 caixas a Vaz & Leal, -1 a OLtQ
Bob res & Successores. Espoletas 1 caixa .o
Moreira, Halliday & G., i1 a Alipio Vieira & C.
Espermacete 4 caixas A ordem.
Ferragens 2 caixas a ordem.
Garrafl'as vasins *1 caixa a Augusta Caers,
Garrafoes vasios 100 a ordem. Geabra.'-
caixos e Francisco Guedes de Araujo, 1,65
caixas o 1,000 frasqueiras aos consignatariot.
Jarros de vidro I caixa a Joo da Rocha e
Silva.
Machines de costura 9 caixas i ordem, 1a
Otto Bohres. Mercadorias diverse 12 caixas
aos mesmos, j a Joao da Rocha Siflva, 3 a
Teixeira Coimbra.
Objectos de v-idro 6 oaixas a Joaquim Arnto-
nio Pereira, 10 a Manoel da Silva Faria & C.
Ditos de louca 4 caixas a Demingos Alves Ma-
theus. Ditos de lt 4 caixas a Aitonio da Silva
Faria.
Papel 2 caixas A ordem. Dito, de embrulho
450 fardos a Paulino Jos& da Costa Amorim,
17 a Ferreira da Rocha & Pinto. Pedra de
Lousa 2 caixas a Alpie Vieira & C. Phospho-
ros 15 caixas a Paulio Jos6 da Costa Amori
10 a Fernandes da Costa & C., 4 a Manoel di
Silva Farta & C., 6 4 ordem. Prepch~bs de
pinho 50duzias A ordem.;
Rotin I oalxa a Jos6 Toixeira Leito'Bastos,
Telhas de vidro 20 caixas a Domingos Alves
Matheus.
Vidros 2 caixas a Otto Bohres & Successos
res. Velas 50 caixas a Francisco Guedos de
Jeujo. Vidns pare vidrap 56 caixas a-Bra-
gt & Pimentel.


Palhabote inglez Southern Home, entmdo
de Novd York em 9 do corrente e consignado
a H. Forster& C., manifesto:
Arreios 1 caixa aos gonsignataries.
Breu 100 a rricas a Santos & Araujo, S a
Domingos- daOilva Torres. Banha 25 bards a
Corga, PFigueirodo & C., 50 A ordem. .
Farinha de trigo 299 barricas a6s codixna-
tarios, 200 a Jos6 Duarte das N[es, 50 &'or-
ga, Pgueireop & G.
.*tozene 200 caixas a ordem, 300 a Dloln-
Mogerreira da Silva & C., 500 a Jos6 taqiim
Ats #C., 1,003 a Mendes Ligia & C., 1,000 a
Teef &:Primo, 500 a FPdroandes Oa Costa
&U." IV,6a Corga, Figueiredo & C.
RadI s acarro43 fi companhia Ferro Car-
ios 30 dos aos consignata-
"o" 30 f~ardos aos cansignata-


TORTAQAO NO DU&
|M DE1i877
I 6 exterior
at SwadeAt, careg;
bight A C. 18( ff^


A DR


4 ,


.,. *... ,
.,. .r .: .


tat ^8batricas

S ,ANDEG
rs":' ., 4:jl8M3(
64 t9


- VOLUMES ENTtIADOS
ff90 dia i a 5
u gar francez Rio Grande
SlkBare f.raneeza Fletirky
.Barca ingleza. Cotmly of Dichmong
,, ,-,.


2,037
72
38
6
2,153


SERVIiQ :MARITI1MO
Alfarbngau descar.gu.das nos truapices
Nq Jia "I a 6 da aifondega
Ne dia 10


NAVIOS
No dia I1 a 6
So dia 10


.TRACADOS


VOI.UMES SAIlIDOS
No dia I a 6
.io dia 10
* Primeira porta
Segunda porta
Terceira porta
Trapiche Co)nce;e',ao
Traiicho d',Vfane.deu-i


RECJBEDOE)OIE DE
NAS GEPRAES DF;
Rendirnento do dia -1 a G
Idemnt do dia 10


4,109
157
-238
201


4,765


RENDAS INTER
'PE RNAMBUCO
5:42)3509
2:198'2?98
7:927S8.


CONSULADO PROVINCIAL
Rena'pncno do dia 1 a 6 2 ;912..58
Idem do dia 10 12:339#895
33:252-153





Companhia de seguros

CONTRA 0 FOGO
,EST: 1803
Segura contra o risco do logo, casa
outros edificios, fazendas, generous e
mercadorias de toda a especie.
Capital'empregado .. 14,00000S000O
AGENCIA EM PERNAMBUCO
BROWN THOMSON & C.
31 Rua do Marquez de Olinda 31

:SEGU 110S

e elontrafogo
fC4atjMahia Phbnx -Per-.
nambucana
Rua do Commercio n. 34

Indemnisadora
A companhia'de seguros Indeminisa-
dora, estabelecida nesta praga, toma
segaros maritimos contra o fogo : A
rua do Vigario n. 4.

Companhia de seguros
terrestres e maritimos
Fidelidade
Estabelecta d an L4sbOa em
1835
Toma seguros presios modicos:
rERRESTRES de todia especie, contra os ris-
cos deo fogo QU suas oonsequencias
MARITIMHOS sobre meroadorias importadas
exportadas em v e navios a vela.
Nos seguros t6irestres faz a concessAo gre
nmita do prelo do stiUmo asno aos segura-
doque a durante seis annos consecutivos fizem
r seus seguros nesta compmnhia.
Pgent. Wnesta cidade MigmS Jos4 Ahm, A
rua do Born Jesus, outr'ora Gmua, n. 7, 1o
andar.

Seguro contra logo
Th*l Liverpool & London &
Globe
Insurrance Company
AGENTS

Saunders Brothers t C.
li-Corpo Santo-11t -
1Saff s s
'N nligeir saa
Augusto F. de &veira ( CL- sacam
por'todos os vapors sobre o Banco
5e Portugal e Banco Unio eni Lisb6a
e Porto, e sobre as. caixas, filiaes e
agendas dos mesmos bancos em tdas
as cidad4 e potsesses 'o reino d
Portuu.
'i -a .. .. .. .


ara= 7


sWfido o dia Y
fiMeS Patacho nacional AntaOM

Rio deoJaasiro-&;ljtt Al-


-h,. .r m V .....
1 .. ..ft i t 'gra n L
c^^^^l^ A l


~te~a~ *brrdo
COeiAM ac de-
po~*4x2Soreonsirihido pvoikiao aos
tnI'R~s~qa ~osma ettrtas
=Paatcmaenttre o roernmptrild
ja,wi toria da companhia 1r'tAti't4
4*terro do Recife a S. Francisco, tod'
Scargas expedidas para as obtas
prwougameatp, -de peso superior a 500
logrammas, seflmo transpertadas. nos
trensi da referida estrada corn o abati-
ihento do 50olo nas tarifas.
III
" 0 empreiteiro das obras do prolonga-
mentak serA preferido cm igualdade de
condioes corn os demais concurrentes,
conforme.estabelece o contrato celebra-
do pelo governor.
1V
A. abertura das, propostas tera lugar
n.jia-1 2 de setenml)ro, as 2 horas da
tarde, "na preehyia dos iteressados ou
de seus procuradores, dcvidanente au-
torisados.
V
No escriptorio central em Palmrares,
ministrar-se-I,5o os esclarescinientos
precisos.
Palmares, 27 do agosto de 1877.
0 secretario,
J. Bezerra de Mello.
Faculdada de Direito
De ordern do Exm. Sr. consellieiro
director interino, fio public (\l die
conformrida'le corn o :viso imperial de
18 do outubro do 1Uf, srto suspen-
sos os triabAlios Ictaivos ilesta faculdade,
no da .10 do correile, em consequen-
cia do f'Ellecimnento do respective leiuoe
cathedruaLico, o Iuli. Sr. Dr. Vicente
Pereira do Rlieo. Secretaria da Facul-
dade tie Direito do Recife, 6 de sefem-
bro de 1877.-0 secretario, Josi lfoo-
rio Bezerna de Alenezcs.
Consulado provincial.-O a d-
ministrailor d'esta repaP.igfio faz publi-
co, para conlheciznento de todos os con-
tribuintle, qLue ainda nAo satislizer,,in
seus delitos, proveniontes dos impos-
tos (I la ar;rmento no evenrcicio de 1876
-'1877, )iqe no dlia '30 do corrente ter-
mina nrsta reparltico a rcspe .:tiva co-
bra)ixa; depois do que sera ella elfec-
tuadca judicial metoe, corn o accrescimo
da multa doe 9[o.[,-CouisuiAdo provin-
cial. 1., de setembro de 1877.-0 ad-
miuis trad, r, Edu(ardo Augusto de Oli-
'ci'(i.


importancia de seus debilos ao mnesnio
thesouro, cerlos de qne findo o referido
prazo, se procederd d cobranca executi-
vanenle.
Becife, 30 de agosto de 1877.-M1iguel
Jos de Ahineida Pernainbuco.
Relacao dos devedores da collectoria
provincial doe Serinhaem, no exercicio
de 1875 a 1876.
Decima
BeccodoMuluqgu n. 2. Bernar-
do Francisco dos Santos 28424
Rua de Cima n. 16. Felippa
-Maria da ConceiQao 25424
Dita n. 24. -Feliciano Gomes
do 0' 28424
Rbado Rosario n. 15. Herdei-
ros de Hermes Jacome de
Araujo 7P274
Dita n. 31. Joao Ferreira da
Fonseca 75274
Pateo da Conceigco n. 2. Josd
Domrningos da Roeha 20424
Porto dos Frades n. 2. Jo~o
da Silva Cunha 65062
Rua do Rosario n45. Manoel
de Araujo Barbosa 45849
Dita n. 33. Mamoel Vicente
Vieira 75274
Rua de Cima n. 6. Maria Fran-
cisca daPurificagao 38637
Beira do Rio, a. 3. Miguel Tho-
m6 da Cruz 2S424
Pedreira n. 2 A. anood Fei
' tor 2S424
Rua de Cima n. 1. Herdeoiru
de Tertuliano Joed da Silva
Pegado 61062
Santo Amar n. 31. Herdeiro.i, _
ib AstokoI Lucio Ae Matns 4
Dita n. 8. Hwlteiros do tei-
nardo de TAt '224
:tan. 10. Os mesmos 244A
Dita n. 1. Herdeiros de-Hoio-
rato Miguel Archanjo W
Dita n. t8. Joaqdft Tavares IW44
DUitaa.,9. Josd Ignacio dos
Santos 3#637
Dita n. k6. MrsdIaM Jos5
AmarQ da Gol 2$42

Caejano Fpwwise ldA.,
m& ^ ^ : ^ S .A
Dita a. 3&AMl -..os
Dita nsc,.-aG d'
Caviwataa 4|p
Doot UawkW 4n



I


tI ..


MW A ~vulo Pere oI1d&?M:s.
Boa" de Mate. Gonqal do
tiggo Accioli
iht de Serizhaem. Joaquiu.'
Gotrma de Araujo [cartorid]-
Dt. Joaqulm Amancio V. e '
Barms .-em]tin]
Quitinduba. Jose Olegario
Pan Braneo. Jooe Baptista da
Conceivo J.unior
Dita. Josd Joaquim de Mello
Bomrn Jardim. Manoel Mantel-
ro da Careira
Tindco. Manoel Duiarce
Ubaquinha. Manoel Anlonio
Guimartes
Camaragibe. Pedro Onufre
Pau Branco. Theodioro Jose
Alves de Sant'Anna
26000 poP c.Sc'fvo
Villa do Seriuihaei. MIatia Ale-
xandrina Jacome
Dita. Severino Martiiinsle Arai-


jo
Serin


J2 [o sobre ilt-O a )i'r/a.
liaem. Ilatrimonio 'to con-


3523
40041

3$2I34
850Q83
'7
1605


4;^


vento de S. Francisco 26594
Pau Dranco. Idem iot Satit-i
Rita 21208
Seci ,1o o c!,,L,.--io-o do- thesouro
provincial, 30 de a,.gus, ie S7'7.
0 C4." Cc:-'.tLIttirari o,
a3o11101 do N:.ci .tI So,'c.t I.tslos.
ii 1;'. \iJ t rl t.'irt,., i 1) I.- f.I. i -'iri ire, official
(li i d..i l v'Ji i''c ( -i1 1 : jU ;iz d', d reito,
i-rove-lor (le ci..i.,'lla e 'r-e iit s i!esLat'-d la-
n'i. ,I,7, KI,,,ife t;^ l',.'r'iriiiiinico, |,:,r S. ]M .'11tei"
pe) 'ial, -1i.r.
F-aI',I sa e ,Ijr ; 1>3 1 r';.' i',, -1,t' i l tIIl v iremn
d I2l.i .- II.ii.-ti L,tivJ Ii, f.i i t 1 ti tido a esle
juii |i. ;!o lits,? Il d. I ,t..- /I1 / I n [la Ewa V\ '.ta. 21
a;nima,..--, s,-l.P I' I' c I::.,. i -_ *!'1 7 de raga
stina o ,e.i .: < .x '.*,',];. .-" i|:iq L 's roram
liscal e 'Jl.eil Sc.. tl.- ; r :.it ;,s dilos
anitnmaec, c ;r;.. ,. i i, u,., ii n t'zo de
tr (s i11s, po p i',' l s." i .r,'iW ij. li3 Sei 'Oo
entregj,-.
Recite, 10 lie ,-c.(-nbr.-, d., I.:7. Lu, D:-inin-
g,)s N i Ies l','rr:-. ,, i.: i..' ,_. .' t.. i.

Thesou-arria m 3 fazenda.-
De ordeemt io lIl,. Sr. inspltotr da the-
sou rar: i I.t?' :;ize'r:, i, .-" l:,z s.';o!ei aos
foleil'os (l:i l -'i i to ;;.2;tu:S tIcnild0l-
niia ;ti ra.,td (i c'-s I- .\ i!': .'o' [nix de
Souza, .ianoel 1;-1,:-u I',,li ,:,.-'.e:, -loso
A!tunlines (;iiii aj'5,s, i:''a;ici.-c r I -ri t'ira
Ballart-, D. .I'tIiiii t i idiic.la Vieira
da Silvai, .la1'jii- .\. iAitio Ro'lrigues,
Maanoel i.-[,i:,do!a doI 1 i.tlo.-.t eVis-
conde (do Livi.iniitct,, luoe llt,.I. lica tianr-
cado, e!) i via tidt,1 Ia ordl i la presi-
denciai o ,r,;uo ,le noventt Ilias, a con-
tar dest dta, lpara r fazerern constLruir o
11-, -, 11,,,. ,1- ., I ,,-,1.n -,i. c, ri,-, om fir,,, t


-_Lkfl i U l, tU l 11 .' I. IJULL VL IIU LII I LIIL-
0 procuradtor dos feitos da fanet- dos terrieno.-; de ,ie l .'oio onc-ssiona-
Wa provincial de Perntimburo, fendo re- rios ; prevenindo-os dol que at falta de
cebido do lhesouro provincial as rela- execugio de tal obha, tlentro do prazo
91es abaixo transcrip/as dos deuedores alludido, sujc.ital-os-!ia is penasda let.
das collec/orias de S. Bento e Set-ri- becretaria (datl iesouraria, 10 de setemrn-
nhacm, de decimas e nais impostos bro de 1877.--U secretario, J.. M1endes
relations aos cxercicios de 1875 a Pcreia.
1876, declara aos mesmos deuedores __________ ______
que lies /ica c arcade o pra-zo d6 30 dias,
na conformidadc do disposlo no art. 53 0l)AL OES
dca lei n. 891, a contar da publicacno rn n7 i
do nresente edital. -na-rna rcnlh) e ,pam A I .T.,T..i,.r... ..% r ... ..n.n ....... .,FW


ALMii11NIS.1 ; lAtAU UDO' L.Uflfl',IU'3 UD. I-LEl-
N.MBU'CO, I1 DE SETEMLIiOL DE 1877
Malas a expedir-se hoioje
Pelo vapor national Penedo, esta adminis-
tracAo expede mialas para Jarnagui, Macei6,
Penedo e Sergipe.
lecebem-se jornacs, inmpressus de qualquer
natureza e .eartas a re-ristt'i, at I hora da
Larde, cartas ordinarias aL. 2 lioras, e aL6 2 1/2
corn porte duplo.
0 administrator,
Af'onso do Rego Barros.

Hospital Portuguez de

Benef'icencia
No proximo domingo, '16 do corrente, serd
solemnisado o 2?" anniversario da inauguraQlao
desle pio estabelecimento.
As 8 horas da manha sera celebrada no seu
oratorio uma missa cantada corn acompanha-
mento de music vocal e instrumental, em
louv.,r de S. Ju5o de Deus, patrono deste hos-
pital.
Depois do jantar aos enfermos, que tero lu-
gar a hora do costume, a casa serd franqueada
a todas as pessoas que se dignarem visita-la.
As 7 horas da nolte sera resada no oratorio
uma ladainba ao santo patroao em fervorosa
prece de gragas porsua intervengao sobre to-
dos os que ternm concorrido gara os fins bene-
fleos desta casa de caridade.
Hospital Portuguez de Benefloencia em Per-
nambuco, 10 de setembro de 1877.
Alipio Augusto Ferreira,
Secretajio.
Juizo dos leitos da fa-
zenda. --- 0 escrivio
Bego Barros.
No dia 14 do corrente mez de setem-
bro, as 11 horas da manbi, depois da
aiencia, se vendera em praga publi-
catse juizo, os bens seguintes :
SUrma olaria de fazer tijolos e tells,
cop 30 metros de comprimento e21
ditds de largura, corn o competmlBe
forno de cozinhar materials; avaliada
por '1:500OJ00, sita no beezo das Barei-
ras,Freguezia da Boa-Vista e perten-
cente a antonio Martins Saldanha.
Outra djp, sita A margern da carnm-
boa dos Remedies, junto A ponte, re-
gueaia dos Afogados, medindo-45 M- = -
tros'e 70 centimetros de compri to
e14 metro e 18 deptimetros di
f.a,.oMR sma comp4tente fornO
luw rnateriaes, tendo em cada fau W #
e 00 centiretros, avalia
Pe pertencente a Antoaio
lio ordeiro de Gusmio. .
'U". idd rande, corn divweriasie
so;rM;fregrezviailtaY;
,,ute na casa deo
,a ara familiar e mte
estnriba'i, a
SWJ1 I aeniuente a


I. V: ;


I4

E'


'ft


%P



















btJ< jp


BUTer nOtOti


K ^'^lB.*4o6 Waermtt9 qte j'.- ... -jil:.ogadt sera feito era paemtaos deo
R0ceutom o curo da obra.
W- ^^< Dneripq& das obria.
calr 0 dous predios do ns. 45 e 47
d&0 de ~m pavimwnto terreo e oas a,
do cadf um droes viute e um palmos de.
}!i urae seteuta de comprimento, corn duas
S ^ as de frente e ddas no fund, tend ellas
: ra, boMbrwiras e vergas de pedras do
4-' 0 01gpcom rt de amarello, dobraiias da
S ,] mtorn fenblho e uma fechadura.
i L":''"' it i parties de ambas$.s frentes da
Mra do tres Lijolos de alveharia grossa e
ldous tijolos os oitLes, ladrioando o0 pavi-
StQ erreao corn asphilto assntado n In a-
' dr tho de UIjolo, examinando os acLuaes alicer-
S e rforcando-os caso seja precise.
Serein travejados corn madeira de b6a qua-
lidade, corn grossura de seis Vollegadas, li-
nheias e de-quinas vivas, collocadas ellas corn
o 0Vo de doos palmos de intervallo de uma a
outra.
Serem soalhados corn taboas de louro esca-
ladas e perfeitas.
Terem as sotlas a altura de conformidade
corn as posturas da camera municipal, con-
tendo dtias janellas em cada frente corn gra-
des de costado de amarmllo, portas e caixilhos
de soalho da mesma mad ira.
Conterem as cobertas de cada urma seteL tra-
Ves tambei de bo6a qualidade, corn stel pl-
logadas de grossura, linheiras e quinas vivas,
dous frechaes do cinco pollegadas, encai-
bradas corn caibros de qualidade, corn in-
tervallo del um palrno, o enripamento de ri-
Spas escolhidas, corn intervallo de duas polle-
* gadas, telhas novas c os cmanos cimentados.
Terao as frentcs cornijas e parapeitos, canos
vidrados de tres pollegades, embutidos na pa-
rode para esgoto das aguas pluviaes, send
guarnecidas cornm cal branca e oitoes rebocados
e caiados.
De scream a; escadas feitas do cada uria corn
andabalas de trave de b6a qualidadc, corn seis
pollegadas em urn lance ou dous como enten-
der a commissao de predios, degrdos de ama-
rello, levando as .ndal)alas um forro pelo lado
exterior, corrimn'u e balaustres de varies de
ferro, que circular a bocca da mesma can-
celia.
Ser toda a ferrag-n de superior qualidade
e o contratante obrigado a lfazer A sua custa,
a caiaclo e pintlara, bemrn como a botar'todos
os videos, fazor conduzir para fdra todo o en-
tulho e tirair a competLenute licenga a sua
custa.
Secretaria d'a Santa Casa de Misericordia do
Recife. -10 de sotembro de 1877.


Santa Casa de Misericor-


dia do Recife
A junta administrative da Santa Casa
Ade Misericordia do Recife, pelas 3 horas
da tardedo dia 13do corrente mez, nasala
de sutias sess6es, contrata o fornecimento
de assucar refinado de la, 2 e 3a sortes,
para consume dos seguintes estabele-
cimentos : hospital Pedro II, casa dos
expostos, asylo de mendicidade. hospi-
tal dos lazaros, collegio das orphas e
hospicio de alienados ; no trimnestre de
outubro a dezembro vindouro, pelo pre-
.o mais vantajoso, devendo os propo-
nentes apresentarern as amostras em
frascos devidamente acondicionadas e
as propostas em cartas fechadas e sel-
ladas.
A junta administrafiva da Santa Casa
de Misericordia do Recife, -pelas 3-ho-
ras da tarde do dia 13 do correnLe mez,
na sala de suas sess6es, conritrata o for-
necimento de carnet verde, para o con-
sumo dos seguintes estabelecimentos:
hospital Pedro II, dos lazaros, casa dos
expostos, asylo de mendicidade, colle-
gio das orphis e hospicio de alienados ;
no trimestre de outubro a dezembro
vindouro, pelo preco mais vantajoso,
devendo os proponents apresentarem
suas propostas -em cartas fechadas e de-
vidarnente selladas.
A junta adminiptrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recife, pelas 3 ho-
ras da tarde do dia 13 do corrente mnez,
na sala de suas sessoes, contrata o for-
necimento de pao e bolacha, para con-
sumo do collegio das orphas e hospicio
de alienados, em Olinda, no trimestre de
outubro a dezembro vindouro, pelo pre-
vo mais vantajoso, devendo as propos-
tas serem apresentadas em cartasfeeha-
das e devidamente selladas. .
A junta administrative da Santa Casa
de Misericordia do Recife, pelas 3 horas
datardedo dia13 docorrente mez, nasala
de suas sessoes,- contrata o -forneci-
mento de pio e bolacha, para consume
dos seguintes estabelecimentos: casa
dos expostos, hospital dos lazaros e aylo
de mendicidade; no trimestre de outu-
bro a dezembro, pelo prego mais vantajo-
so, devendo as propostas serem apre-
sentadas em cartas fechadas e devida-
mente selladas.
Secretaria da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife, 6 de setembro de
t877.
0 escrivao,
A Pedro Rodrigues 4eSouza.
Conselho de compra* de
Mnarnlha
i onselho contrata. ho dia 12 do corrente
m0,2 sob as condigOes do estyj e A. vita. de
propostas recebidas ate as ith boras da na-
nha, o fornecimento no trimestre proximo via-
dotro de outubro a dezembro, para oasOgbs
4. e armada e estabelecimentos do marinha, dos.
segpintes objects:
.Arrozdo-MaranhAo, assucar branch refina-
S do, aguardonle de 20gr os, assuar brapme
e fo, aletria, araruta, bolacha;, ba b, kb-
.-f bois_ viv, e past d para o iBmos,
.caf moido, oarmrveo -c, ae
^^^^ Kiqsd v :M KXu, a lu
: o : : IR.Omiva .urn l


Tiinbo-Assfi
Escada
Limoeiro
Frexeiras
Aripibu ,l
Ribeirdo
Gamelleira
Cuyambuca
Agua Preta
Una.


Cabo, 8 de


110"
1Saw
.2(6.<
]IneO


LU


I ,. q 414f,
setembro de 1 877.
Wells Hood,


Superintendent.
Santa Casa da Misericordia do
Recipe
A lilma. junta administtativa da Santa Casa
da Misericordia do Recife -inanda fazer public
que na sala das suas sessbes, nL dia 13 de
setembro pelas 3 horas da tarde,teem de ser
arrematadas, aquem mais vantagehs offerecer,
pelo tempo de umrn a tros annos, as rendas dos
predios em seguida detztradosi
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE .
Rua de S. Bento em Olinda.
Casa terrea n. 16 300$000
Rua do Padre Floriano,
Casa terrea n. 47 2045000
Idemrn n. 43 (fechada) 151#500
Idem n. 45 (fechada) 1t51500
Becco da Carvalha


Idem n. 5


Rua da Virapao


Idam n. 7
Idem n. 19
Rua larrga do Rosario
3.o andar do sobrado n. 24 A
Loja e 10 andqr do sobrado n. 24 A
Loja do sobrado n. 24
Rua da Imperatriz
Casa Lerrea n. 68
Rua da Moeda
Sobrado de 2 andares e soLao n. 37[fe-
chada]
Becco do Abreu
2.o andare do sobrado n. 2 (faciado)
3o andar idemin idem
4.o idem idem
Loja idem idem
Rua dos Pescadores
Idemi n. 11


Idem n. 92


Rua de S. Jorge
Rua do Pharol


Idem n. 80
Rua do Encantamento
Loja do sobrado n. 3 tfecbada)
Rua de Santa Rita
Casa terrea n. 34
Rua das Calgadqs
Idem n. 32
Idem n. 34


Id.em n. 70
.Idem n. 4
Idem n. 2
Idem n. 7


Cinco Pontas
Rua de Santa The'eza


RBaa do Caj&
Raa da Alegria


Rua da Moeda
oLrado de um andar n. 41
Rua da Lapa
Sobrado de urnm ander n. 8


208S000
2075000
240#0 0
2675000
963117
:0366450
362S500

375$000
93000
903000
905000
1205000
2445000
301#000
18.3000
1806000
230:04

2313000
288000
208009
190oo000
400o000oo
3478007
378#000


Ria do Visconde de Albuquerque
Casa terrea n. 91 2085000
PATRIMONIO DE ORPHAOS
Rua do Marquez de Olinda
2.o andar do sobrado n. 53 (fechado) 500)00
Largo do Paraizo
Loja da frente do sobrado n. 29 241000
1.o andar idem (fechado) 2436750
2.o idemni idem 3053000


Rua da Guia.
Casa terrea n. 29 (fochada)
Rua da Lapa
Casa terrea n. 2
Rua da Madre de Dews
Casa terrea n. 20
Idenfildem n. 16
Idem n. 2 (fechada)
Be'co.das Boias
Sobrado de 2 andtres n. 16
Idem idem a. .14
Idem n. 18 (fechada)
Ru. R da Senzalla Velha.
Casa terra n. 18 [fechada]
8obrodo-.e 2 andares u. 132
Sobrado de 2 dares e loja n. 136-
Rua da Moeda
Casa terra n. 45
dem n. 47
dRua do Ponte Velha.
Casa terra n. 44 [fechada]


Rua do Born Jesus
1.o andar do sobrado n. 29 (fechada)
Rua do Amorim.
*Casa terrea n. 49
Idem n. 45 [fechada]
Idem n. 24
Idem n..26


151$500
20i5000
7225000
8275OOO
233,400


6.4W




3250 00
217lW00
217#W0
321(04
225(000

6=0


Becco d6 Vigcnio
1.o audar do sobrado n. 27 268000
Rua do S. forge
casa terrean. 104 242000'
Idem 94 '
Idem n. 100 [fechada]
Os nretendenteo. deverrio apresentar no acto
da arrematacio as, suas fiancgas, on comparece-
rem acompanhados dos respectivos fladores,
devendo pagar aldm da renda o premio da
quantfi em que for seguro predio queton-.
Liver estabelecimento commercial, assim coom
o serving da limpeza e preQo dos apparelhos e
annuidades. '
Becretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recipe, 30de)maib de 1877.
-.,: Pdro Qifws de Siw.

.... .




e0 Marixae
lo^BBAw W^'
CO Nfiaetirhtl
figa dBft


OWN% PammttfaffMs If
a her.&r : taie,-_s. M .:.o ,T."




1* -D-.
0 N a v e a a vapor
[)0PORT"S0OSUL
S0 poute a vapor
SBahia


IX


De Buenos-Ayres nos dias 1 e 15 de cnda mez.
De Monteyvideo nos dias 2 e 16 de c;ala mez.
Do Rio de Janeiro nos dias 9 e 24 de cada mez.
Da Bahia nos dias 1l e 27 de cada mez. .
De Pernambuco nos dias. 14 ew de cada met.
PREQO DAS PASSAGENS
I.' classes. 2.' dita. 3.' dita.
ParaLisboa. 24 15 9-
- 8outhamp- .,,
to.'. <9035 20 y*1
t Rio do Ia-
neire. 050 30$
a Montevi-.


do. Bida. e volta te um albimat
wf~-.O^~o ** :.o .,Ei
46-seviaho gratis tac pa tg 'iros Ct
ALI.

millap 6,~~~~i^ ^ o pros a ff
bella.. Tr .
AL r s.
.00 08 -


n.
ar0a$o, geqfpy( Qa-.a uitesilhos


Q01-FOT RA *3 DO RENTE

0 ajeo e Poia IAr op e ris-
co de quem ~pog .a fcros e
fcla utenuiOds e 1 .mWverna sita A
rua a a Assumpcso I.f m
Em u&h ou mais lotes, A vontade dos Srs.
compradores. __________

AGENT BBURLAMAQUI


S LEIIAO
Quinta-feira 13 do corrente
A'S 11 HORAS
0 agent acima venderi em leilao urn bom
tr.po para ediflcar, medindo de-frente 100
palmos, corn bastante fund, junto A estatAu
do Mangufnho.
No escriptorio do referido agen-
.e, A rua do Bom Jesus n.,53,
1.40 andar.

LEILAO
DA
casa e sitio n. 10, em terras proprias,
no lugar da Cruz de Almas, em Par-
namerirn, freguezia do Pogo da Pa-
nella
I SENDO:
Urma casa do vivenda de tijolo e cal, corn
diversos arvoredos do eructo e outras beml'ei-
torias, o qual sitio estd situado na esquina da
travessa do Arraial e tern a frente para o
nascent sobre a dita estrada da Cruz de Al-
mas 202 metros e 40 centimetros (898 palmos),
dividindo ao norte corn o sitio do Sr. Fran-
cisco Guedes de Araujo, por cujo lado tern
165 metros (732 palmos), do nascente ao poen-
te, extremando ao sul e no poente corn a tra-
vessa do Arraial, o oual descreve uma linha
oblique do sul ao poente, corn 233 metros e
86 centimetios (1,038 palmos de extensao, e
terminal em angulo corn a linha divisoria do
sitio do Sr. F. Guedes de Araujo.
Tern a casA 2 portas e 3 janellas de frente,
2 salas, 2 salhtas, 5 quartos, cozinha f6ra, 10
metros e 65 centimetros (47 palmss, de fren-
tre,.e 16 metros e 40 centimetros de fund,
(72 palmqj) chaos proprios
QUINTA-FEIRA 13 DO CORRENTE
ais 11 horas em ponto
Na rua do Bom Jesus n. 43
0 agent Pinto, autorisado por mandado do
AIxm.. Sr. desemrbargador juiz de orphaos, em
virtude de requerimento do inventariante dos
bens deixados pela finada D. Francisca da Cu-
nha Bandei-a de Mello. faz leilio- do sitio e
casa acima mencionada, isto As 11 horas do
dia acima dito, em seu escriptorio, rua Bornm
Jesus n. 43.


AT~j


4-u. .:
,:.,, Lf


i7"[;>' T M
f, t- 2"^ x


wIe&~


-.


ra rua o Eneantamen-
to.
-- Precisa-se de umn caixeiro corn pratica de
taverna, que de conhecimento de sua conduc-
ta: na rua nova ae 8anta Rita n. 1.
- Aluga-se a casa terrea n. 609 A rua do
PiMr, corn commodos "para gande familiar, e
tern apparelho de limpeza : trata-se na rua do
Apollo n. 20.
AGORA SIM

NAO PODERA' HAVER MATS CABELLOS BRAN-
COS, COM A TINTURA CHiINEZA
Preparada por A. R. Ramalho.
21-RUA DO MARQUEZ DE OLIN-
DA-21
Esta tintura faz tornar os cabellos
rapidamente pretos sem offender a cu-
tis, e muito facil de se applicar. Cada
frasco acompanhard as instrucq6es ne-
cessarias.
,0 autor da tintura chineza ndo preci-
sa de encheras columns d'este journal
como muitos outros autores fazem, en-
grandecendo seus preparados a ponto de
tornal-os urma maravilha, sem se lembra-


rem que, maneira que seu autor os m.Sa .L-
eleva, o public os p6de rebaixar, por ] Sfr


que as mais das vezes e enganado.
Portanto, o autor da tintura chineza,
certo do bom resultado, jd pelas mui-
tas experiencias que se tern feito, ja'
pelas bWas provas que sempre tern tido,
recoromenda esta tintura.
Pede tdo s6mente que experimentemrn
ella, para depois fazerem seu juizo.
TJnico deposit, cm casa de seu au-
or acimna dito.
Precisa-se de uma ama para cozinhar
na rua Direita n. 29. segundo andar.


Commandante o primeiro-tenente G.
Waddington.
E' esperado dos por-
tos do norte at q dia
12 do corrente odepoifl
da demora do costume
uy~aMM ~ a s.gifiima os .df^M1
inclusive o de Santos.
SPORTOS DO NORTE
0 PAQUETE A .VAPOR
Espirito Santo'
Com'nandanteAureliano Isaac
..f_ _.Espera-se dos por-
/ tos do sul atWo dia
..- a 16 do correnLe e de-
pois da demora do cos-
tume, seguird para os
ports do norte.
Para carga, encommniendas, valores e passa-
gens, trata-se na agencia, escripLorio de com-
missoes de
Bernardino Pontual
12 -Rua do Born Jesus- 1 i
OMPANHIA PERNAMBV5ANA
DE '
Navegagcoo costeira por vapor
Porlos do norte .
Parahyba, Natal, MacAo, Mossor6,
Aracaty, Ceari, Acapac i e
Aminarra(do, no Piauhy.
.-l ,,j ^0 vapor Jaguaribe,
F'^ r- commandant Julio, se-
guirA para os portos
acima no dia 15 de se-
Ltembro, as 5 horas da
tarde.
Recebe carga atW o dia 14 ; encommendas,
passagense dinheiroa.frete, ate as 3 horas
da Larde do dia da sahida. Escriptorio na
Ruada Companhia Pernambu-
cana n. 12.
CHIARGEURS REUXIS
1OMPANHIA FRANCEZA DE NAVEGAgAO A
VAPOR
Li"nhh m eal entire o
Wavse, Lishoa, Pernambuco, Bahi, Rio de
Janei'o e Santos
STEAMER
VilledeBahia
Commandante Bugault.
E esperadb da Eu-
ropa aW6 -,da22do
"correate, .og do:
depois dadde~ i.
dispensavel pa os
portos do sul de sua escala acmaqTefe-
ridos,
Roga-se aos Srs. imporladoAj ,j
los vapores desta linha, queiram 4
dentro de 6 diab, a contar do da rga
alvarengas, qualquer reclamaCAo oernente
a volumes quo por ventura tenha..-.seguido
para os porlos do sul, afiri de se pdfier dar a
tempo as providensias necessarias.
Expirado o referido prazo, a companhia naio
se responsabilisa por extravios.
Para carga, encommendas, passageiros, tra-
ta-se corn os
CONSIGNATARIOS
Augusto. F. de Oliveira & C.
42-Rua do Commerio-42
Entrada pela rua do Torres

Royal Mail Steam Packet

Company
O PAQUETE A VAPOR

Mondego
Commandante A. Gillies
f Llj .. Espera-se dos por-
tos do ul:no a 4A4o
dadenidiai0 trt
seguira para os portos
de t. Viceate, Lisboa
Sthau~ton.
Tubi dous vapores p6r mez, desta compa8
nbuia, tanto para o sul, comopara, Eurypa.
As chegadas e sahidas sao as seguintes :
Da E-iropa -
bo Southampton nos d.is 9e 21 de u.a mez.
De Lisboa nos dias 13 e 28 de cada mrn. -'
De Pernambuco nos dias 10 e 25 de cada mez.
Do sui :


dio O setrada' 4a Totre: a tratar -no hotel do

-pEgomma-se cemrn U e pomptidlo :
ha ruade S. Fra*sc1 "jp :
~JjB Precisa-se de uma para cc-
smh*- rnarue do Imperadoi
Y. '. i- ? .'. -..

..: p :. iiba iam parna msa
udoo soleio: a tralar na rus


?AlvaR
juel Auch
Rego, b
Mari Pereira do i
Thomaz
Joaquim Pore!
R go (ausentos)
ipl -46I Rego, Anna sClo w -
deRega MaKia da Concei o.)
ego, Beldraphonte Candido de-Castrw'.
Maria Jorge Pereica do Rego, Amalia?
cante do Rego, CGndida Carolina Cav ea"tp
do Rego e Anna MArques do Rego, co pusgt
dos pela mais acerba dot, intlmamente agr-.
decem Aquellas pessoas que so dignarfS -"
acompanhar A sua ultima nmorada os rest- ..- 4
mortaes de seu prezado e estremecido Mo, .
pai e sogro, Dr. Vicente Pereira dd Rego, &,,
saudosa recordacao, e rogam As mesmas pest- ';
soas o caridoso obsequio de assistfrem i .'
misses, que pelo eLterno repouso de .ua a
se hao de celebrar quarta-feira 13 do wmrsw,
setimo dia ap6s seu fallecimento, na .atriz d. d
Boa-Vista, As 8 horas do dia. J .
Braz Marcolino de Andratde
Mello.
Tarquinio Braulio de Souza Amarantho ..- ,
Iho e Jose AugusLo de Souza Amarantho, eo*R-
vidam aos seus parerntes, amigos e colleges,
p&ra assistirem As inissas que mandam c01e- -
brar por alma de seu prezado tio, Braz Marco-
lino de Asdrade Mello, no dia 11 do corrente,
ais 8 horas da manha, na igreja matriz da Boa .
Vista.


S' .. b. 0 1 *oft -
Anna Joaquina do Espirito Santo
Amaro Joaquim do Espirito Santo, Rita Ma-
riada Conceieao e Olindina Fr'iincisca do Es-
piriLto Santo, mandam rezar roissaw por-alma
de sua mui prezada miii, irmisn e sogra, Anna
Joaquina do Espirito Santo, no) dia 12 do cor-
rente, na igreja do Carmo, das 5 lioras As 7
da manha, 10 anniversario do seu passamento,
convidamin seus amigos c parenles para assisti-
remn a esse acto de candade, pelo que se con-
fessam reconhecidos.


I Al uttul


Precisa-se de um porLuguez para o engenho
Minas Novas, que fica a moeia lez.a da estaglo
de Ribeirio, prefere--eo dos ultimos aqui che-
gados, send de bons costukii.s e disposto pae
o trabalho precinde-se de long pratica : a
tratar no mesmno engenho, ou a rua do Mar-
quez de Olinda n. 56, corn Leal & Icmao.

Aluga-se -
a casa terrea n. 1 a rua dos Guararapes, aca-
bada do edificar, e por isso limpa e asseiada
de pintura e caiarao, tern boa cacimba e appa-
relho de lin peza em quarto separado no quin-
tal, como estA perto da praia do Brumn, p6de
servir para quern precisar de tomar banhos db
mar : a tr tar na rua do Apollo n. 20.


Justo reparo
Porque razao ainda nao deu-se execuco A
lei n. 1,290. que eleva o beneficio de cada lote-
ria, de 600S a 1:320S, apesar de publicada no
Diario desde 22 deojulho? pede-se ao Exm.
Sr. president da provincia digne-se tomar as
necessarias providencias, afnir de ser cumpri-
da a lei quanto antes, evitando que continue
illegalmente a perder a quantia de 720$ cada
um dos estabelecimentos beneticiados, e pro-
hibindo as extracgOes pelo antigo piano.
1Sii ~--0-


MAGNESIA %
DE
IN.EFORD..


MAGNESIA
DR
DTNEFORD '
RBMBDIO SOBERANO CONTRA
a Auia, as Dores de cabega, Indigest6es,
Eructaq6es, c a Bilis.
Recommendado pelos medicos contra
a GOTTA, o RHUMATISMO GOTTOSO,
as ARIAS j
e todas as outras doenras da bexiga.,
A MAGNESIA de DINNEFORD & indis- i-
pensavel a todos, por ser uui remedio suave
6o menhum perigo para as criaucas, mesmao ,
is da mats tenra ittade, para as senhora'
dencaWe o docntlas durantc o cstado de '







KeDito e. chm do NheplaB de S. L W.






ACCAO PODEROSA E 1NFALLUVEL |
eaito cue ma ms's evdiu l^
MOLESTIAS mbmE PELLE ADE N TIOU







#1.1. doi sang..,. Impigetus, esmronlaseienft$fr 9^ .
0s acci.-nte ,ue depends. a a. ~ v
giars lpicas) lives on m-. .
K REBE5 A 0UALSWKR elARO ThATANERHU -
Acautelar so das falsifBcacoes e exir o Ene&
impresso eom tiuta anul), do Govemo fra do ne
Phil, e. na FtiMOuiinug vista Okr,8L^ -j1- 1 .
Pharmacia BOUTIGN Y, OE8LA URIERS, Ueu~ttf'p ^
Deposit em todas as PftdoacIasN casas de Drog
ACC1 O DERaO Z UqALL 'V..L
exw m pnao w s dw


tti -t(sypldlitcas) loeas on inv Gt... :
9 RMWES~i A QUAL~tKgR OtffM TRAT E -=,"
Acautelar se alas falsificacSes_ e exigir o aeft
(impresso eom tiuta azul), do Qvoverno ftvh.t.
Pharmacia BOUTIGlNY), DE8LAURIERS, A ..
Iepositoem Was s Plarmacisce musdoDrop%: ..


- 'tC ~
a,
1~.- *,l~ -,


*~1**e


(t -lr ; .;'y
"'^"^ 4


II!


.._
o ,' ** '
"s;t
.-
.% i
*>> ^


Agente Pestana

LEILAO
De 71 frascos corn doces em calda, de diver-
sas qualidades, 1 mobilia de amarello comple-
ta, dita de jacaranda, corn tarn O de pedra,
cama franceza de amarello, marquezao de di-
to, par casal, ditos part solteiro, marquezas,
cadeiras de bqlanco, mesas elasticas de 3 ta-
.boas, guardgs-loueas aparadores corn pedra,
.tdettos deocarendA, CQm4ampo ,de pedra.
Fcawss epmaodas de amarelio, cabides, quar-
Piltjras, sofas santuarios, bancas corn ga-
vettr, :is pdra escriptofio. -espelhos lan-
terias oim castimss de electro-plate, jarros
pats flores, I carridho paia menino, relogios
de parede, drVersms obras de ouro e prata,
.I balaga s grandes decimaes, 1 rico relogio
tparelew corn movimentb e rnuitos outros
objotos quoe estart9 A vista no acto do leilao
SEXTA-FEIRA 14 DO CORRENTE
As 11 horas em ponto
No armazm de agencia de leil6es d rua
4o V'.rio Thanorio n. 12
POR'INTERVEN(AO DO AGENT
PESTANA

Csde penhores

ULTIMO LEILAO
( li quida~to
Travessa da ruma Duque de Caxias n.
S, 2, 1o andar
Julio Isaac, nAQ tendo efectuwdo o leillo do
dia 3, de nov9afntnt ia para o dia 18 do cor-
rFP ,titrei[. do agente Martins, As
.4.oa tor.,o i..dos os penhores cons-
It-stes das cautetas seguintes:
-
4Ns229, 4713; 4937, 4816, 4752, 5084, 5014,
4632, 5208, 5(Y22,,17, 5163, 5145, 5002, 621
3887, 2997, OI5, 5106, 4505, 025. 4 4
534, 5338, 5845, .5351,'5357, 53o, 52, 564
5367, 538M% SS5 5306. 4Q4, Wit I, 445,
5459 5477 h 548: 54M. 5505, 5508, W ., 5514,
5538, 5531, 414, 3022, 3306, 3426, 5348, 4924,
4914, 4927,4727, cautelaB, 2400;2401,2408,
24#., 2430,2435, 2450,'24, W7, 2M82,2499,
2W21 2503, 2505p 2514, 2518, 2W24 2531, 2539.
254MO, '2560, .51, 2577, 2587, 23 2598, 60,
261% 2613, 2618, 2619, 2027, 2a33, 2641, 2648
265W,2667, 68 2671, 2675' 2682, 2687.
2699, 270t. *I9, 2718, 2729, 27.6, 2747, B
2770, 2784, 2792. 2795, 2797, 2802, 2812,
2W.. $835, 2836, 2843, 2845, 2840, 2848, W ,
2858,2869.
Nocoraer do leilao se vendel, tU 2
gr n0frts dwfebrrt prova d
raaiw*r. -warna keeS UE-


Precisa-se alugar uma preta que sirva
para vender na rua : a tratar na ma do Capi-
tLAo Antonio de Lima n. 18, em Santo Amaro.
NA RUA da Soledade n. 10 ha para
alugar urn mulato, mopo, de bella figu-
ra, que alem de ser urn excellent cria-
do para osepvigo de qualquer casade
trataminento, e tambem unm perfeito co-
peiro, do que teve long pratica na ca-
pital do imperio.
NA rua da Palma n. 8 cozinha-se corn lim-
peza para casas particulares.
0 abaixo assignado, encarregado da de-
voAo do Senhor Santo Christo dos Milagres da
igreja do Espirito Santo, pede a todos os de-
votos da mesma imagem que queiram concor-
rer corn suas esmolas para a- festa, qua terA
lugar no dia 16 do corrente, se dignem man-
da-las entregar na mesma igreja, ao mesmo
anaixo assignado, A noite, por occasiio do se-
tenario, que teve principio Jiontem (9) do cor-
rente. Recife, 10 de setembro de 1877,
Francisco Manoel da Rosa.
Roga-se ao Sr. tenente bonorario do
exercito Josd Maria Marques Cesar, o favor de
vir a rua Imperial n. 51, a negocio de seu par-
ticular interesse.
Logo passancdo a primeira bomba da es-
trada do CaxangA, aluga-se duas casas de pe-
dra e cal, urma corn 2 salas e 2 quartos, e co-
zinba f6ra ; outra corn 3 quartos e cozinha
separada: a tratar no mesmo Jugar.
Verdeu se urma cagcoleta de ouro corn pe-
dra preta, contendo as inicises A. M. (entrela-
cadas), na tarde qu noite de 9 do oorrente, no
trajecto compreondido da estago das ineo
Pontas inclusive, -aa r-ti Primeiro de MarQo,
ou n'um dos bond Fla Mugdalena e seu trajec-
to ate a praga do Conselheiro Jolo Alfredo ; a
dila cacoleta 6 facilmente reconhecida por ser
different de outras que existem do mesmo
model : quern a achar e quizer restituir, fara
o favor de dirigir-se ai rua Duque de Caxias
n. 50, que sara graGificado.
-Aluga-se o segundo andar corn sotAo do
sobrado sito A rua de Marcilio Dias n. 79, anti-
ga rua Direita, tendo bastantes commodos
para familiar : a tratar na rua Duque de Caxias
numero 53.
AMAS Precisa-so ae duas armas, uma
para engommar e outra para cozinhar : a tra-
tar na Passagem da Magdalena, ilha do Retire
numero 2.
Aluga-se no povoado da Torre o sitio do
Dr. Witruvio : a tratar corn o rwdmo.
Aluga-se a casa da rua do General Seara
n. 48 : a tralar na mesma rua n. 3-1, taverna.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n.
27 do pateo do TerQo,. a casa terrea n. 71) aa
rua'de S. JoIo,,e outra compequeno sitio no
Espinhairo, onde mrrou o Mangericao, o so-
bradd de um andar corn sotao n. 27, A rua de
Lomas Valentinas; todas limpas e pintadas de
novo, por precgo commodre-: a tratar no se-
gundo andar da casa a. 41 a rua do Ranrel.
Aluga-se por aS$ mensaes g cada terrea a
rua do Fogo n. 50, corn 3 quartos, 2 salas, co-
zinha, quintal,/e m bom estado : na thesou-

L .~ iitvaod Para servip o do-
||imf^^^?^ ODo C44Mo Santo B.

l~i"-^ft^ek~fa boa "3aae si~o so princi-


j-A


X


r.; o













hidoj


F tte propriet[&bAste estalitei~ l^ ^p
tiao:aos sephores de e60 "W
ao pa-.go e erm jue a:I"
ar os-objectos abaixo mencionaaI como se-
) am :

Machinas de Derosne para fazer espiritos,
ditas de Collars, os melhores systems, alam-
biies de feitios diversos, simples e corn es-
oenta garapas, incluindo os de NOVO SYS-
TEMA, ultimamente adoptado na provincia, ca-
rapucas, serpentinas,tachos, passadeiras, repar-
tideiras, escumadeiras, cobre picado para moer
mandioca e todas as obras necessarias para o
i fabric do assucar. Bombas aspirantes e de
repuxo, de ferro, de cobre e de bronze. Si-
nos de 16 libras ate 110 arrobas, fAbricados
pelo system francez, torneiras de bronze e
parafusos de dito, de todos os tamanhos,
i. Ebfim fabrica-se toda 4, qualquer obra de
I cobre ou de bronze, corn tela perfeiao e gos
to, para o que teem- feito ac ihusiio dos melho-
res operarios, podendo desta forma servirem
bem aos seus freguezes e a todos quantos Ihes
hoDnrarem corn a sua confianCa.
Na Caldeiraria Central
66-Rua do Barao do Triumpho outr'ora do Brum-66


I FIJ ICAiO DO BOWIAI

RUA DO BRUM N. 52

EPASSANDO 0 CHAFARIZ
Nesta fundicao, a mais antiga desta provincia,
vende-se todo o machinismo preciso para a sua
agriculture e para o fabric do assucar e prepara-
cao do algodao. Tern deposit de tudo, em ta-
manhos diversos, convenientes aos compradores.
Tambemi vende sempre If6rnimas de ferro e
diversos utensilios para engenhos, e motors para
descaro'ar algodao.

Vende a prazo, ou a dinheiro corn desconto.
Incumbe-se de todo o concerto, qu&r de pe-
cas trazidas a ella, quer de machines em seus lu-
gares. 'Faz contrato annual para todos os concer-
tos de engenho.
Cautella
Nao ethprega inculcadores pelo campo.
Roga a todos, que mandam encommendas a


, ella, exijam a vista da conta impressa respective.
Tendo sido enganadas diversas pessoas em
procura desta fundivio, observa-se que a
FUNDICAO DO BOWMAN
esti entire o chafariz e a fortaleza, que os edificios
estio de-ambos os lados da rua, perto da cochei-
ra dos bonds e, pintados de verde nos andares
inferiores. .


6


I


0


9


I-
** i


-j


IV f-
" .., .
" 1


edero
iad6- qA< 61ixa n. -51,l.6 Anda
L" ChauURI
I Espe.ialidade" de posticos park senoras, e penteados por prepos razoaveis.
Nesta .aaa w encontrai todos os objectos concernentes aos penteados da se-
:aborn. come sejam-; cachos, topetes, trangas, magdalenas e tudo o que ha de
mais m(;i eni..westalepero. Tambem as concerta coques usados, tornando-se
do ulti;uo gOto;" .
Penteados de coques 18000
Ditos de cachos .500
Ditos de tranca 500
Ditos de topetes .500
Ditos de senhoras, dentro da cidade 34000
Limpa-se a dabega por meio de uina machi ia electric. Prego 10 rs.
Alugam-se todos os objow.tos de cabello que coneernem aos lenteados da
sehhoras.


SOLUC AO CO'IR-BE
AO CHORHYDm-PHOSPHATO DE CAL
O znais poderpso 4os reconfoftantes. Rcmedio soberano empregdo desde chaco
annos plOS Medic Francezes e adoptado por todesos ofedicos da Europa na traqueza qeral,
na Anmia, nu Chlorosis, na Tisica, nas Cachexwas, nas Bscrofulosas, no Rachilismo,
na Doetus dos Ossos, no Crescimento dilficil das "rianras, no Fastio, nas Dyspep-
sias e nas Doexfas oervosas. ,I
NOTA.-O remedlo to] incripto em 1877 no aupplemento do Codice franoez.
GOIRRE, Pharmaceutico, 19, rua do Cherche-Midi, em Paris.
iJs6 a dDm DE MmOURA e e anas prcipaes pharma"L


Ml


w


--=


W LP Extracto complete das 8 quinas B i
Reconstituinte, tonico e febrifuge.
A Quina-Laroohe 6 urn elxir a-avel con;- 0 RR UGI
tendo a lotalkade doe numerosog pminipo-.; das M O r FERR U IN O U
tre species de quica (amarelli, vermelha u ME O
parda). 0 ferro soluvel e a qiina reunidos constitnein o
Superioridade bem constatada no hispitaes, tratamento reparador mais poderoso da medi-
durante trinta anno3 de successes, uontra a falia de cina.
fracas ou d'energia, as affccqoes do estor.mago, A quina estimula c d& vida aos organs enfra-
cona/escengas muito demoradas, e contra a queeidos, o ferro df ao sangue a forga o a c~r que
febres antigns e rebeldes." constitue a saude.
"Recommcndado contra a debilidade causada
S pe/a Mdade. ou petas fadig.-is, contra a pobrfza do
EHilr sem- sa- P Mngue, chlorow, fraqueza depois do part. .
preaoassigna- --* -rf PARIS, no 22, rua Drouot, e em todas as
tura. 4::4 ,- pharmacies.
lD)9outm em pmwmbuco. am emas de FEPJR r I MAA e Caa; A. CAORS. 2A. rua do Bomr JiMs.
Deposito cesama do Sr. A. Caors, rua do Bom Jesus n.
t. OPPRESSAO NEVRULGIAS
a &P CATAMOBlBUELnO mm*" Pete CGABROS ESP1C Y iJ
e 9S Aspira-sc a fuuacga que pcnetra no peLo acalma o ymptoima nervoso, facilita
3. lo a expectoraa6 c ffvorisa as funoc.os dos 0rgabs respiratoriu.
W^^ Venda em slaeado em ca de J K OPEC, iis rua "I-LU .rel em Paris
"W~s^ Deposilo em Peminbuco; ELLA\S MOURA c Ga.


-M


a


Privilegiado pelo governo imer
PROPRIETARIO, Dr. G. S. Capanema
EXTINCiAO DA FORMIGA
0 resultado obtido por este mravilhoso invento, Lein levado seu proprietario
a montar duas grandes fabrics no Rio de Janeiro e uma outra na Bahia, onde o
-FORMICIDA CAPANEMA 6 ji bern coniecido, para extinguir os formigueiros
que horriveik estragos causam a lavoura, a toda a vegetaco, conseguindo-.5e
em fim corn pequena despema e facil process.
PREVEN(AO AOS CONSUMIDORES DO IMPORTANT INVENTO
O Formicida Capanema previne-se que ndo sera verdadeiro, e 6, por-
tanto, sem effeito na applicap-o, o que for vendido em quantidades menores ou
em vasilhame 4ifferente do que sahe das fabrics do privilegiado, e que a nin-.
guem convird o uso ou venda de una, falsificagao denomiiiada Carborina, oa-
sob qualquer outro tittulo; pois que, aldrn de ndo produzir resultado algum, 6
prhbida sua venda por sentenga contra seu autor em process intentado pelo
Exm. Sr. cpnselheiro Dr. G. S. Capanema, publicada no Jornal do Commercio
do Rio de Janeiro de 3 de julho del1877.
Proceder-se-ha tambern de conformidade corn as leis d'este imperio contra
quem vender Fdrmicida Capanema ern vazilhame different
AGENTE--Alfredo Ferreira Baltar-rua do
Commercio n. 44, 1 andar


~HYOIE=NICA
INFALL.IVL
PRF.SERVAT"IVA
A, unica que cura
sea so lhe utar cous?
alg,,ma. Veade e so principma iwcUw f- mundo. (igir a" swtrvcao do uso,;. 30 annos ile
i.encia. Pare, man do Jles RE. Phiumceatico, NO. rim de Ridbelieu. successor de Brou,
_. --- : _.. *'-* *'._., _.__._.. .. __._.


w


MATA SAUJVAS


:-?/."*


Ijw t:Vw .a_ ...e do "Ito w
que .p] -pesam emajm qualquer eaii~mesmo aem gla
"s_ pe.. te a. familiar .pa visitarem o seu estee
que: se .aca sert" da, hos d manhi i 8 da note. -"
Joias db eTB De b.ilhantes ieadereg
elegntes g aixas tparelhadas de.pmta;, e para todes os pre" tendo P
idere esta cidade ; assim como, anneis, brincos, cruzes, cagoletas, broches. r0 j
e uma inWinidadd de brilhantes soltos, para cravar a vontade do compJador.
uols de phantasia. De ouro, com-pedras finas. tem um ya-
riadissimo sortimento de brincos, capoletas, voltas, braceletes, cadeias para ho-
mens e senhoras, atd lapis, can'etas, apitos, etc., etc.
vas, bandeijas, fapues e paliteiros, etc., etc.
elt51Uio0S Teem um complete sortimento de relogios de prata e
ow 0, para homes, senhoras e meninos, todos -dos melhores fabricantes.
S para bapt'saoS. E' para este acto que chamamos
a attencao"alas Exmas. madrinhas e padrinhos, porque temos um complete sor-
imento-de pequeninas joias, e em caixas proprias para dadiva no acto do bap-
ismo.
Alem destes poucos artigos que mencionamos, temos outros que nAo
podendo mencionar por ser enfadonho, sorprenderdo d todos que visitarem nos-
so estabelecimento.
Joseph lMause 8 C.
Essencia concentrada de salsaparrilha e caroba
PREPARADA. POR
BART OLOMEU & -C.
PHARMACEUTICOS DA CAS REAL DE S. M. F. EL-REi DE PORTUGAL
PREMIADOI Elf DIVERSAS EXPOSIgOES.
Para cura de todas as molestias que tem sua orig,.ri na impureza do
langue, como sejam as molestias syphiliticas, boubaticas e' escrofulas, rheuma-
lismo, empingens, dartros, tumors, ulceras, erupq.6es, etc., etc.
IDEPOSITO GERAL tEM SUA PHARMACIA E DROGAR1A
34-Rua Larga do Rosario-34
?ERNAMBUCO.


- ill.


WRdOMPENSA NAGIONAJL DE 16,600 FR.
CruCub metda d'O TTO i a. lamth
MEDALKA NA ESPOSIgAO DE PARTS 1875
j Irlatrit 61o000so t Aoeanda do cilih


FPRUi '
10,600
A fr.


XAROPE a PASTA BERTH, CIA
Iedieamnto inscripto .o $ol el h e por" an recnhecidf efeci tl a ff'ppe,
catwrro pulmoOar, oroch lines i do peeme. -- r- Parlq,
I*eas do ** SER des Owraw"I" d -** &

IV3ORTLM1
I KXPTADOBB
de
TROGAS,
Prnlucts CUleoks
E TOi DA
kl VPIMLtDIBB
MITfULGEKAS.
dlretamnteA
da Europa
Wea a SProduct(m
de we negoclo,
K eARANTRUM
0 quoideft


23, Rua


Pinoesis, Oleo@

Ditu PAU t UM
INSTRUMINT0G
Medficametate6
Fund ,Vllnm
a Vazflham
Ammon

doMarquez de Olinda, 2
1='IRTA&&BUJO0 "


wy ufttE
wotMtaalu
*tCKOM,


*c,;-


a" t:


I


AVWO; Estando an nom =rem
registradas no Bradl, tode o oont.a-
factor sera punido'de-multa O oedea |
em conformidade A lei.
A8 Verdadeiams
PILULA$



A. e.o,-!C :
v s tmcA N Iro0A
2APPROVIDIS PELA ACtUMA DE MIEDIO
~DR PARIS
P aor sua Px-r1a e n 1rablldae
CU 1 ^ ~a anemia pahidOfiW
I FO;WIGAM as cons~tulQ2.1e *rana 4
S ^o aar rona as ... '
" AJUDA a '- JOT.. -" '


axisi nom: ;* -a***


; .Marca registrada no tribunal do commercio
| Este ingredient possue as seguintes qualidades
L o.o E' solido, por isso facil a transportar e manejar.
2.o Nio faz explosao e nao se inflamma corn facilidade, por isso nao apresen-
ta perigo algum.
I S.o Emqnanto nao sujeito a acao do foro, nao produz gazes.
C.o Na combustao desenvolve gazes venenosos, os quaes por serem mais ple-
sados do que o ar atmospheric descem depois de resfriados, esteu-
deado-*e por todo o interim r do formigueiro.
5.0 Pelo processo da applicagdo deste ingredient 6 facil de achar e fechar
todas as communicates com a superlicie do s6lo, circumstancia mui-
to impo.tinte ppra obter-se um resultado complete.
6.e As commumcagces interiores nao p6dem desLruir-se por nao haver explo-
sao, e nenhuma das communicacoes exteriores p6de escapar a atten-
cao, como aconteceria, se o exame dependesse de urna simples ins-
peegao ocular, por isso ficam todas as sauvas existentes no formi-
gueiro sujeitas ao effeito dos gazes e a uma morte segura.
7.o E'bastante uma unica applicagdo do -ingrediente para completamente ex- ;.
tingut" um formigueiro.
"It.0 Sm espavo Techado I. kilo de ingredient aesenvolve quantidade suflicioftmk g
de ga$5para exticguir 4 atd 8 formigueiros, conforme a extensao 5S-s'
; 9 0 preco do ingrediente,^xtrotdamente baixo.
SOsinventorpe e fabricantes '-- .
."-EDU4RDO vA SYDOW, engenheira l --'
DJ fDNIEL HENNINGER,-.chimico. ;:
4 Yendft j nnco deposito erd Pemambuco : H. Ledebour, -
:io(bf 14:17,i mprimeiro aOO ...
y O^da- V w kilq: Rs.3e 000 oo
B' C~a masso cot~di i do ingrediente sera acompa'nhado -e^ML
I i Ct a di do is pec^ dp it

B" UMA BSBPBCB DS
PO D;'EJLOR oE--ARROZ
Especialmete preparado cown BISMUTHO
e por onmepinte d uema aec.o saudavel sobre
a peue.
69 AD]EREHT e totalmemte INVFIM,
dando i pelle =ma fre-ca'a c aaviudale natue
ra$$.
P-re.o d4a Caixinha corn borla, fr.
Paris, Ch. PAY, 9, rue de o& Paix.
De"losito em Perautwftco, ;
ELIA13 DE MOURA e aCG,
IL 6. oas I'riuiipjs PharmnaaciaB. -


I .


"A


i


I


.; .


f-' .
. .** ,.'
;. i.'..; -'.? *?&*',Y
...* .. 6 ,' "
:'-tuS'-,'* ." *w ."_
' 'g't- T .i .TI^
..,:.r l^r#


hieoteeo m um abatimento.de 25 p,.
.64^,... --.---- '^1~


^*; '..';
SH.W
'%
;:-^^^
'-r' l^a


. -


WN


mmIIV


FORUKI


ELIXIR


FRANCISCO M. DA SILYA & C!


OLB Jo00 D an6ooUx
OE FIDBE NBE BACALHAV
ZbX)D-TXInMMO CQ1C ff.d OB L,^PAHJA Af .
0 8ppsrcimeoto d'este oleo 6 devido eo utudo as num&wm
,e.xp 'caB feitu pelo D, DUCOUX daroue teowas nnos, 4is do
reuir &'un so proauctn o *oles,de Cado' de obaclMso9, o
werro a Q ti0,e o "do 0 larauko *rl agw
o 8asmonto progremivo du coum o d'ete product denot- a of
grand-: Tog&
0 Oleo DUC6UX 6 am poderMe BedlflMtn conu a ai A ,

rEm n do Ompng fna o o&nAoo po. no Ter
mdr-s iom -nr Am ia Mseel Momw niandA
0904 O S IMf PAM
lo xw~ome goo3R-~mt,0.


vE-NE
















++B, .Ca. i :VIt C'...O.am. ,l;C. '++'"'+. f-" '* ,.-"' ,mUli:t. .* .11J + l.d *l~ ..;m o -' *' a :f a+ f'p I["my nu a+ n'r B '-^ + : ... **
+w- C8.09 M,+o+ -;z t,


~.o Pala ocullosoe uenmex (#rbpd qe d


Sperfeia(. .. sr qo. esa tst.ii
Pencine;, rndernos, de videos puth- .eo Iot Sr ea )
B ':-^ "^ FT? l~e: ^^r# N-lm :atq^ .jcj e'e llto. St.. gnadi0 VieiraHm l f t
os, de crystaL -lEJOUTEIIA--cbe- ft a i
ngounova poraio de objects de gpato, x-fr 0 S rI g o idade de aza-. 0 fan[
Stereos dimnutos. I t ana6W dooJ o s
0 Compra-se ouro, prata e pedras i' no Refe, que o houvb porcomprae-m 25 fle negoeo que S. S. se copro- lore cl r
1 ., nas. e ,a a maio de IN, a Jan wo.Theotonio da SBYva& Metlm. p cilekr, pel erceira chama- ., -
Recebe-se encornendas r4ativas a Loureiro, morader a Bahia Verde, cujo es- d deste jomal, Pm fin de dezembro S red
^B -este geworo de negocto. cravo ternos segaintes signaes caatrSU-A SV 'aw,ipmfnna *^ "*w
crao ernOsSeOIJOS igees 't 'I de 7 edepis parajaneiroqeps
:.este genero de negocto"cos: c6r acabralhad4o estatura 5es p6s. de1 e1d epotpeoueas a m
._______________________ .....- _____ gada e 3 pontos, eabeHo preto e carapini", sou a feverro e abril de -1872, e nada ep
R rostocomprido, olho pretos, corn olhar amor- cuiiprio; e por este motivo, pois, ede sto b h
i 0 tI Ill tecid'o, nariz aflado, boccagrande, odos OB pow chamad0 para o ditofim, pois de-" pe
denteos, barbapeuca, e corp grosc, emu a Ve S. S. lembrar-se que este 6 de
das mlos, por traz do pulso, tern um carogo ngcoeie
| E u El .i especie de urn lomblnho. pronuncia compas- de mais de oito annos, e quando o se
Ssada, conservando-se, quando fall, em atUtitu-nhor seu filho se achava nnsta cidade nho de 1877.
DE de humilde e vista baixa, tern de idade 30 6h d J
SVICTOR GRANDIN ss^ er 200 000 .S ^ ^sa
VC Oo e Antonia. esoravos do Manoel Salvador, de "0
V RA DO M R U Z DE IND N. 28 lugar Fazenda Grande ou Pajefi de Flores, Alerta 'CASA DO OUR
A' UA DO MARQUEZ DE OLINDA N. 6 d'onde o referidoescravo 6 natural, e onde ex tO pm outuro de 1874 o escravo
ercicia o officio deferreiro. Sahio desta cidade Jo prelo, crioult, de idade 12 annos, Aos 4OOO 0OOO
vestido corn calQa e camisa branch, paietot de oltmra
alpaca preta, chap6o do Chile, levou urn ba- alLura regular, conforme sua idade, Bilhetes t
Shuzinho de couro, corn bastante roupa braffea; secco, pernas regulares, cabe'a corn- g r t
Sassim como consta que no acto do embarqua prida, pesco~o comprido, ps chatos ; ua do Barro da Victor:
4 aqui, um preto foi A bordo e entregou-lhe a este escravinho foi comprado no Paqo e casas do costume
quantia de 600U000 a mandado de uma amasia
de nome Rorana. provavel quo tenha mu- de Camragib ao Sr. Joo Vieira do 0 abaixo assignado acaba d mu-
-= 1 \ v B y W B ydado de nome e de vestuaiio, e que ande Lima, e s6 esteve em poder do abaixo nos seus muito felizes bilhetc
*I '1 flM n^calgado, para assim intitular-se livre e illudir assignado 15 dias, findos os quaes des- t de 4:OOOK000 em urn tie
___n/'-^.. m S s H I-a vigilancia das autoridaden. Ha de corn cer- appareceu e consta estar em terras ds 1570, a sort do 900$000 er
teza seguir caminho da Bahia para esta cida-
de, em algum dos vapores da companhia bahi- engenhos Paraizo, RiachAio, Santo An- de n. 005, asorte de 100((
^1 ^ ^ S^ ^f B 'anna, desembarcando em Macei6, ou pelo in- tonio Grande, Sacramento, Ccronha ou me1o den. 3510, a sorte de
Sterior das duas provincias ; roga-se, portanto, Quebra. conform cartas que o abaixj em urn quarto de n. 3306,
As autoridades policies e aos Srs. capitaes de asndo ter : quer o apresontar na outras ruitss sorts de *W
Scampo, ou A qualquer cutra pess6a que delle as t que
tiver conhecimento, o apprehenderen, parti- .rua de Hortas n. 86, sobrado, tei a 200 da loteria qu s a
~ ~ cipandor ou antregapdo-o ao seu respective gratificagao acima. extahir.
senior n'P) ecif. ita do Commurcio n. 5, Maximino da Silva Gusm;io. 0 mesmo abaixo assignalo
que serao rpompensadoq m, .t r grtifica0ao -- Fugio em julho do anno passado, aos possuidores a ,virem re
ao escravo Jacob, preto africo, ilad conformidad do costun se
major de 50 annos, alto, secco, pernas algum.
0 0 j lJfFumo hollandez | compridas, cabea corn uma cor6a no Achim-se 5vendaos muil
e cachimbos de barro vende meio, pescogo comprid., ps seccos, p hilhetes garantidos da l, par
11B. Ledebour, rua do Comnmer- bastante vagaroso o falla mal; oo es ,e T beneiio da nova
H LedebK "^^ Vcio ri. 17 o andar cravo -logo que fugio foi ter em Una, asa Forte (21), que se exr
i o rna propriedade do S'. Joaquim Ielicio ta-feira, 14 do corrente do m
de SA Barreto, e este mandando solici- Pre~os
\" r' j- *ff ,T. p 3 T^'tat para alugar e ndo me convindo, lnteiros 4?00
Victor Grandin scientific ao public qUe fez acquisigo de urn born sor Iintura Japoneza mandou-o embora, e atd hoje ndo eios 2O00(
aunmento de relogios de algilieira, de ouro, prata, folheados de ouro ; paten- A unica approvada epremiada pelas appdareceu mais ; este escravo foi de Quartos 1(
tes inglez, suisso e americano, dos mclhores fabricantes da Europa e dos Es- academics de Paris e Lond.es, por no seu irmao o Sr. Antonio Victor do s$ De 109000 para ci
tados-Unitlos, para holoens e senhoras; assim cDmo grande sortimento de ser prejudicial a saiide, encontra-se na Barreto : o abaixo assignado gratifica Inteiros
correntes paia os iesrios. principles casas de cabelleireiros e em corn a quantia de 50 a quem o trou- Mos 15
GGrande sortimento de relogios de parede e de cima de mesa, de todas od asboticas i paes d Perna- xer a rua de Hortas n. 86. Quartos $7
GVaid smesaut doa. ds ooia denipe 1 todaam x
as qualidades e dilierentcs mrodelos e dos Inelhores fabricantes, buco, Caors, Bartholomeu & C. Mau- Maximino da Sia Gusmao. Joo Joaqumda Ccst
Quanto a lunetas e oculos aclha-se nesse genero sortido do que haa de C daCad.ia ns\t .a41fei,.-1 wiean
jmelhor em vidrus dc crystal, que sao os mais apropriados para a conservaa-o dar. /
da vista. 44 7 A' o a
Tern exclleonto. s officials pama excuta, o concerto de todas as qualid Medico e eirur io 0 Dr. Joaqi
des de rlogios. 0 &O,. Cyrilino Castro mud o | !10 Foio
Na miesima cai.J se coinpra praLta e ouro velhos, pedras precicsas i ** m consultorino Caro and 0a + de Aqi o
moedas de ouro ou prata de qualquer qualidade. m eg n. ubouc4e &e. d o I dons o primeirdo Car, e- s i
Q2 H. Leebu, r i do, Corn do d dod sen procurado plina o e~er"- m^d.'' da l-Fal c ul (t
dij" ci*o de sua proflssalo, da? O)horas W ... ..
(ntcie 17, 1 andar ^ B da manhRAs 3 da tarde. Af6ra es- I def de Paris, te+
', -g ta'horas na Passagem da Magda -m
'A X X X X X M X : Alu~a-se o '20 andar do:br- sii n.~ 3 0, ssdo d
++++,,,' d+ o n. m,AruadaAurr: atw*+ .+ P opa con~tinua
"+.. + tar em casa deGo~sta.Maia~i. '. a,
a a l aa rua Primeiro de Marco n. a 0 pre 1 0 ex rciiO de
e Chapelaria Imperial. maer o~, cor 2euxes aa p rofissio d
D1~ DADA ra 4e H aan 4, constando do ar-e '
t iFrancisco Guroel do Amaral i PARA COIHR mae :o^i, on 2qaro esla rfi+.+e f
'. rge u. I.. k.f. pronriaspara rtoradia de quem n'elle sultans eni sua e<
Precisa-se de uma ama form ox Pn e-1
A' rua 1o de Marco n. 20 A, esquina. r ,prferino-.e dsta ultima n se ditaWbiecer corn tavomna, parso quoe
Este antigo e aroditado estalEelecimoeato acha-se constantemente provide de um dico, pars comprar e cozinhar ao eutensilios eoougare C r ua JIUos
important sortmento de fazendas de gosto, as quaes repebs directamen esdas me- i ruaTuque de r i n 4 ^rera-melhor possivel, a tratar na thesouraria A
l Ihores casas de Paris e por esta razao poder'o servendidas por precos muito modicos, d ruar(uque die Coapias;. Ad,(erteiro an- se loterias. .. WS S
Tern actualmente urn esplendido sortimento de vestidos feitos e em cortes iguaes 1 dam (nesta ypogra ... Aderte-se _- .-....... -- ........


-- aos que se asam presentemente em Paris. em poucos dias a laruilia teradesabir
STern iguaalmente um variadissiino sortimento de chapeos para senhoras o que se o f6ra da cidade. .ud O*
d i asuesust a mpsetenee ars npocsas do taParis.n eerrera nUa Capngpria Venur (1 a
p6de desejarde melhor em tal artigo, sendopreparadosporumadasprincipaesmo- uma casa terra ha Capunga, rut da dias saii a
distas de Paris. ify ..'" uma. V Bt R ao 9 purng, ert da entur a
SAlem destes artigos tern constantemente grande sortltmeuto de sedas, popelinas, Aauga-so um exoelkute sttio em Be tWCo, p ara ver, na taverna ao per da 7
Sgranadinesi superiores atoalhados brancos e de c6res, gurdauapos, toalhas para me-beribe, no Porto da Madeira, junto ao ., n .------ i h
9 sa e rosto, tim esplendido sortimento de mejasbrancas e pe cores para homens, se- *i-rio,contendo mui boa casade vivenda. da maLi .n
nhoras, meninos e meninas, enxovaes para casamentos e baptisado,- grande varieda" corn todos os cmmodoov precfsos, :
de de baptistas, cretones, gostos inteiramente novos, lindisinas gravatas'para senho- jardim corn gradeamento de f9r.ca- M '-
ras, complete. orUimento de luvas de pellica, esteira dal Ta para forro de salas, ca- cimba e algumas arvres de fricto, .4
pachos de c6co, tapetes, aifasd malas para viagens ea Muitos outros artigos que i ]em como um gradde teram ,i esrd vel7a da Pas-M
fazem parte do nosso aorUmento. aixas de capim a tratar no largo dWP A crAwa. t, a a l
S Ha empregados espedlaes para levarem as fazendas A casa das Exmas. families, a S .orpo Santo n. 4iS, Io aak. sagem com I4do oterreno ate a camboa, Mlb da I
^ quem pedimos que de prferejicia mandem buscar qualquer artigo que precisarem I-S' r-s tvWendodous jrfdsviveiros paracriar A 4At:@A@
Para as suas toilletes ao nosso estabelecimento, pois semjpre encontrarao iuidas c0 w -
de gosto 6 novidades. d iC TO e fii- if< ro8 e outros arvo- WBILHiETB (WANTIE
*'A todos aquelles que nos honrarem corn as suas compras, encoatrarlo sinceridade N o d u d f iia, porao de mangues, e A' Prieiro de Ma
Snsos nossos tratoes modicidade nos preos. Nacocheira doPinto, rua de Santo terreo muito pwoprio para plantar r rua dim t rdapo)
,, Rua lode Maro n. 20 A, esquina. Ar KuWar eMpe tum canw america- capimf'a t*tatr naru doViscdede rcasa do cotue
2a^ ^ ^ ^ ^ tw^t i> W ]. para 4 pessoas e uma carrb0a pari Goyannan: 157,fabricade rap. abax assigna lt..d
fl no& ]i0lQ. felizes bilhetes urn meiu'n. 3S, co
Na mesma cocheira ha um cabriolet Parr e St ,feSran- e outras sortes de 405000 e .
estado para veuder-se. g ra convida aos poseuidoies a
_-_- y *4e 4 rodas, pama duas pessoas. em born .A ^ loei qu *se aboI, c exLtra]
ssU I OD~TOR" MeIR "zra-*?-..^-^ -1
IJAaI~J I f ecisa-d esiiide do 'stulne,
Que" m' B AIJIgB I saiba lavar e qife saia a a, para cor Acase 4 venda os felizeo s
ducqdo de qualquer cousa: radtds aO.pa dIorila,1
tI A SA A I AL V Quem tiver moleques epretas desocoupa- dco do cousa rua d2 a a
MLCA SOBERANA E INFALLIVEL s, p6de obter todos odias um born aluguet, Marquez de OliH n. 26, loja. ea da Casa Fort [4. qu
Sq1erendo fnprega-los em veilder hols pela n PRECOS
Na cura da knicorrhea, flores brancas e corn- ra con "v do amo 8:*0r,%. Bilete inteiro80
Op tmperer I S mb elo de vhonndi s DA-se a premio a juro modico, em hypothe- Meio bile
nIerlChro iCOS gem.a tratar na me"a. confeitaria. caemprdio: atratar na rua d Hortas nu- Quarto O
mento Ael ,meU ] Em porehioe odiatOOO paro
A bleneorrhagia ouipurgag.o, 6 uma inflammagio do canal da uretra, occal m '. mewi p d1000 ar
aio~ada a maior pacte das vezes pela communicagAo impura. Nao 6 uma affec- rn 2*f e 'oCe
gao geral, que d6 lugar, como a syphilis a accidents secundarioa. E' uma if- fr
fe z nba f~xra, Sobwq4
afecao puramente local. Effectivamente, os medicamentos que ha muito teem ta 0rua do o, 4p'w 'd--rb b.
sido applicados interiormente contra este mal, takes como a copahil, cubebas, sCQ, f (bSe S. pasep-t6 A aFi.r.w iftiaWd. ._ ;u
etc., ndo produzern qeito senao communicando As ourinas algumas das suas L PCcrVO
.posi.s, que0 pe a sua pass gem at.ravez do canal, se tornam uma verda- t atsr 0.2 ".d- i ,-I i .x ....- .s, t .o
dei-a imjeccao. e .e stag^e!..d0,_ -C engenbo at.o.aaf do term4M
-.eir,-aa de lla dousv "e del .
Para que sera necessario carregar o estomago corn essas prepara(?es.uU- t aj' "lpiA g a as VN o eguavo bard b rcaloe,.K
S seabundas e repugnantes ? Para que 6 precise fatigar os intesthios corn a sua. a- essa!w d ",
acq.-o irritants? A resposta 6 simples : No se tinha ainda descoberto umn a hh P. do'rn ur-
i=tura que, ifltroduzida directamente no canal, produzisse os mesmos effeitos .btto! e t
.- sem temer rios resultados. As injet6es tdo falladas at& aqui, conseguem fa- Jr, fl-mem eS, a -
8 rzer parar a purgagdo, pordm Nela irritagao consecutive que lroduzem no canal e resp t e.
go ura ameaa permanent 'aperto, affec~Ao muito mais errivel q mie o mal o -, ,, 3 .
se pretende curar. Eis aqui porque a maior parte dos medicos, rec.pm, -7,,.,a
-o, de as empregar, noxteAec d i pe
ento, este fazdado tema nio existed. A injecgiv,1 .d.A apre-,
60 public, que cot;..t1o annos de bonds remultado., vo iste.p, -
-r~-. r gmkaa emtoda aextenu. d
he*r s '-. d. -sodo quo ella destr6e decompondo os + M
4 e ow. glandulao'd'ondo prov~rn a sviapri-m
So siApet


i da M dre Sin.,.:+

C ias iI alumniM0
AAutt albuco & C. receberamn em 7
au K a Nwew-YT completo sortimento de el l '
U *llapQeW s e caaetas corn peanas ... 'o l
Ve- '46 e por-mpreo muito barato, no lazar
.9 .........u dQ Bau!o da Victoria n.
LLmgoas do Rio G&An
I--'l muito boas e novas .
ende-s& W p grosso e a retalio :. na rT# k
Va- Peaia n. 56, armazem da porta larga. "

3sde!
^1e Vinho de Bordeaux *,
res-, a 45000 por duzia de meias '
Sres.l i garrafas corn capas de palha.
I Caixas sortidas de vinhos fi-
]U".. nos a 205.
\ H. Ledebour, rua do Corn-
'- rmercio n. 17, 1.o andar.

0 ChapUos para senhoras
Elegantes e primorosamente enfeilados oat-
p6os, acabamr de chegar pelo ultimo vapor, os
dos quaes estAo se vendendo por preCo muito
commodo : na Fragata Amazonas, rua Duqoe
la n. 40 de Caxias n 47.
,e Almeida & Camp os. ;i rua do Crespo n.
.e vender 20, receberam os mais modernos inerin6s de
Sa c6res para vestido, c6res o que ha de mais
S a or- moderno, para 1J u cov'do, pura tA finginde
1io de n. quadros, c6res modernas e escuras, para0t
tim meio rs. o covado : na loja das trees portas, de Af-
0,.erm umrn meida & Campos.________
o10o00 Camisas inglezas
aldmn do
000 e de 8, v 230 e 36$ a duzia, na frag-ita omazonas
cabou de Drsauque de Caxias n. 47.
convida C=
ceb)er na
desconto
o. fehlizes RUA DO QUEIMADO
-e da DEFRONTE DA PBACINHA
ahireja dasex- Chita escarlate propria pai a vestidos
ahir, sex- c plonezus, a 320 reis o covado.
ez. Dita final corn desenhos chinezes a
) 320 reis o covado.
) Baptista fina, a 210 q 3-20 reis o co-
o vado.
i.ma Maripozas de lists, a 400 reis o co-
o) vado.
0 Chales 4e cazemira proprios para a
5 estacao, a 4$ um.
a Leite. Granadinede seda, padres nmuito chi-
ques, a 600 ris o covado.
j"? "Organdiz bordado. padlr6es inteira-
u mente novos, a 500 rei, o covado.
ujim Chita de list, fazenda prodria para
roupa de cscravos, a 200 reis o covado;
eca, e pechincha.
Bretanha de linho corn 25 varas, a
Idua- I t10 a peca valem 20$.
u ndo Camisas inglezas hordadas, a 36t a
11111 \duzia.
Eu- Ditas de creton finas, a 28$ a duzia.
Cambraia victoria fina,a S5500 a peca.
110 Toalhas aeochoadas a 45 a duzia.
J. Colchas adamascadas, a 3$ urn.
sua Madapolao enfestado francez, a 5$ a
peca.
o011' Dito muito lino, a 55 e 55500 a peoa.
f Chapeos de manilha branca fins, a
asa, 3$ urn, e muitos outros artigos por me-
>ieio n nos, do que em qualquer parte.
S6 43-RUA DO QUEIMADO-43
l O!18 Vende.se euma escrava que sabebem
Slavar roupa e cozinhar o diario a tra-


U .1 etarna rus.do Bardo da Victoria n. 31,
Is, primeiro andar, entrada pela rua dam
LI R Flomres.
ras 3 _.
Y Vende-se
S lencos de labyrinth. do Ceara, a 550 e 6 cada
um.: na rua do Apollo u. 20.
aa Novidade
Casaquinhos fichus pretos de seda, pma eb
nhoras, dos mais elegantes models, vestidos
)OS de oretone e de lk con as competentes. guar-
roo (ou- nig5es jA promptas, chapeos de palhi da Italia
S para senhoras, e muitos outros artigQ9gs.
n- 2 l beuo Angust Porto, A rua Duque deCax=a1hl
53, e vende barata.
0o OS sons I.-.---
)m .900o000, Breu purificado
,000_, da claro, barrioas do 400 libras : Bo armazm~a
hir 10.'], Iorpe Tasso, 4 rua do Amorim n. 37. i T"
m receler
,q doseonto NNW
s garan- C de Lisboa
ahefiolea. is
SextrahirA a Vende-Oe cal de Lisboa, chegada no
ultimo vapor, em muito boas baryj,l
cas: no largo do Corpo Sat.to m.13*i
pnirnoiro andar.

im. Lagedo de Lisboa
Vende -se oam grands e pe quena quan~daB
na saboaria dp Reoife. I
*a PimtroLivro do te Leumra,
--- Dr. Abilio C. Borges, 400 rs. i
Segundo dito, ricamrente .enen
dos. nado, 16700.
igiran do Papel pautado para bastardo e a1
rinem, ttrdinho.
a"U, 0' NftNmas para eoriptas. -
r m ;?Obectos para eseriptorio.
. : I it pw pmrecos razoaveio: s9
radb^l .6ma t aao e p taco de'
oSr. Pa feg^ r& Dup" e d-e Carias^S
Aia .m y wntn, livrim usa


s7IA n :. ::* ..
t..:' iff


-V


a*



. *


1.

















acabar.


para. tas.
para dias.


lindos gostos).
que vende ba-


i odeMargon.I
iio, Santos:& Co
tBROTHERS & C. teem para
i seu escriptorio na praca do Corpo
emnmassa, branca, de'alVaiade de zm-
ft whio, verde e preta.
de linha,-a m latas do 8 1i2 galOes.
Vh 1do Porto, superior.
'-1^|! -W 11 *^.Sherry,
S -Opian. Em caixas de unima duzia.
-COreMa brgnca e preta, da miito enuhecide
area ,em caixas.
Vende-se
o engeiibo ConceicAo, em SerinhZiem, nesta
provincia, muito born d'agua, podendo safre-
uar annualmente 2,500 paes : quern o preten-
46rd, dirija-se a praca do Corpo Santo n 15,
Spmeiero andar, onde acbharai corn quem tratar
a.jepeito. _____________
|- Leques
Totos de madreperola, braucos, do c6res,
o detartaruga lisos e lavrados; vendcm Ama-
ra!, Nabuco C., i rua do Bardo da Victoria
:?* nirtero- 2. ____
Sbo Vende-se
uma boa trama do cabellos, por nAo ter vindo
ipai a cbr do cabello da senhora que a en-
S*outMinndou: a tratar na rua Primeiro de
Ii Kargo n. 20, loja das tres portas. ___
NOVO-RAPE
1 Amaral, Nabuco & C. receberarn pelo
S mUirmo paquete da Europa, rapd fran-
*ez muito novo, e vendem no Bazar
W Weoria, rua do Barao d(a Victoria n. 2.
Hiomens e senhoras
Pelo ultimo paquete francez recebe-
ram Amaral, Nabuco & C. um comple-
to e novissimo sortimento de gravatts
-e sda de c6res muito lindas e gostos
I- '- ladernos, para homrnens e senhoras.
f Bazar Victoria, rua do Barao da Vie-
1 toria n. 2.
Chapcozinhos
Na rua do Queimado n. 43
Unico barateiro
Grande porglo de chapdozinhos de
p*aha para meninos de 4 a 12 annos ae
Uwde, sendo gostos muito bonitinhos,
a25e2$500 ca-taum: so ha no 43
darua do Queimado.
I- Tomem nota:
i 14-Rua do Imperador-14
S, 0 ARMAZEM DO NUNES
S(Nutrigao instantanea)
S Grande variedade
de geueros alimenticios
de superior quahlidade.
Modlicidade espantosa!
FcUilidade gastrica!
Atgem proveitosa!
1 Veijam:
0 Nunes tern resolvido vender barato, bara-
tishno ; garantir a superioridade de suas
mercadorias; sustentar urma pfodigiosa varie-
dade de generot raros e saborosos, e final-
mente mostrar a facilidade de quatquerpessoa
passar bemrn corn pouco dinheiro.
Custa pouco
Venham tirar a prova e depois digam se ha
quam tenha sortimento mais variado e supe-
rior ; que venda mais barato e d6 melhores
provas de sinceridade e franqueza do que o

I Vestuarios para bapti-
iI" ^sados
Chegou para a nova loja do P-avao uro
bonito sortiniento de vestuarios e toi-
j .., ltesproprios pars haptisados, vindo ca-
:: S da urn em seu cartro, que se vendem
"1,1; "t1 de 85 ate 245 ; isto ai rua Duque de Ca-
xias n. 55, loja de Pereira da Silva
Popelines a 360 e AOO rs


Chegou para a loja do Pavao urn ele-
ante sortimentW de bonitas popelinas
e0 uadrinhos, proprias para vestidos,
Stentdo de todas as cores, que se vendem
r a 360 e 400 rs. o covado ; assim cormo
um bonito sortimento de mariposas,
da-mais finas e lindas que tern vindo
ao mercado, a 400 rs. o covado ; isto a
rua Duque de Caxias n. 55, loja de Pe-
reira da Silva & C.
Babadinhqs
Na loja do Pavao :vende-se urn bo-
i^i i nito sortimento de babadinhos e tiras
Mi" bordadas, de todas as larguras, tendo
tapadas e transparentes, que se yen-
dew iA rua Duque de Caxias n. 55, lo-
j' dae Pereira da Silva &C. '
Cretones para vestidos a 320 e
S 360 rs.
Chegou para a loja do Pavao um
ai esortimento dlos mais n01co'r-
os e b~nitos cretones do todas as
tanto de listras comno de quadros,
del a 3"20e 3 a60 ocovado
bha:a-rua d*,Duqju.a ,do 04
4 ota de. PerewI ~ aPa
55 'd


tataqarca para -bNrdar-s,1-a- e
trouxa para boar-se:. A ,oV* pi
rahna d'qem i.4 i
e bamitos
Agua dei -0"a44a 1 1 de'Qba a
rs. a pe-a, papel amisade a 400 ra. a
caixaycid-Ao pait vestido a 20 rs. a
pega, envelopes a 500 rs. a caixa
na Nova Esperanga, a rua Duque 4e
Caxias n. 63.
Artigos de lumo e phantasia
Estampas allegorcas para ornar sa-
las c gabinetes, bonitos leques com plu-
mas e sem ellas alta novidade, lindos
livros delembranga com capade omarin,
proprios para senhoras, delicados ra
mos de fihas flbres pa a cabega, novos
c6ques de moldes simple e elegaates,
agulhas para crochet, sendo de ma-
dreperola ; tudo isto encontra-se na
Nova Esperanga, d rua Duque do Ca-
xias n. 63.
Para os qtuQ oa devotos
Urn pequeno seitt.jento de fins es-
tampas de saatos,: recebeu a.Novi Es-
peranga, a rua Duque de Caxias n. uo.
Para as floristas
Papel para petalas, ditp para folhas
de rosas, calix e peitilhos e mais pie-
paros para tal fim ; tern a Nova Espe-
ranca, d rua Duque de Caxias n. 63.
Aos pals de iamilia
Quereis distrair vosso filhinho, ou
presenteal-o ? dirigi-vos a Nova Espe-
ranca, t rua Duque d4 Oaxias n. 63,
comprai um lindo brinquedo, pois qute
ella recebeu um complete sortimento,
e estd vendenJo por preco muito razoa-
vel.


Bonecas
Um born sortimento de bonecas man-
sas e choronas, pretas e brancas: rie-
cebeu a Nova Esperana, a -rua Duque
de Caxias n. 63.
Cabellos braucos s6 tern quem'
.quer .
A Nova Esperanca,. rua Duque de
Caxias n. 63, tern a verdadeira tintu-
ra para tingir c&bellos, pretos, casta-
nhos, o instantanea e nao damnifica os
cabellos, e yende-a razoavelmente.
OS BARTEIROS UNI-
f OS
SAo CAR EIRO DA CUNHA & C.
0 Cineoenta e nove.
a rma Duqne de caxias
Lindissimo sortimento de fich(ts de
hl, a 28500, 4$ e 6$; a elles, ha tarnm.-
bern de malba.
SBonitas batistes c6res finas, a 260 e
28 0rs.
Grande sortimento de mar ip osas,
400e 440 rs.
Cretones inglezes, a 280 rs., aprovei-
tern.
Ditos suissos e allemds, a 320 e 360 rs.
Chitas finas, a 240 e 260 rs.
Born sortimento de popelines de gos-
to, a 400, 500 e 800 rs.! JI vendemos,
a 1s e 1200.
Cambraias arrendadas a 48500 apega;
e fazenda de 9$, esta se acabando.
Novos padres em ls deo todas as
qualidade., pam 200, 400 e 640 rs.
Alpacas de seda.
Gravatas finas para senhora, a.16200
e 15500.
Madapoloes francezes finissimos, a 5$
e 5$500 a peca ;.-24.jardas, 6 pechin-
cha.
Alodoes emcorpados, a 35 e 35200.
Brim branco m n. 6 fino, a 18500 a
vara !
Angolas novoswa 440 is. o covado.-
Quoe linhdas colchas de ganga de cores
o que ha de melhor, a 38 e 31500.
Lenoss finos abainhados, a 18800 a
duzia.
Pechincha sem igual em esguioes de
algodio,.a 85 a peca 30 metres 6.'b,
rato.
Cazemiras em peca e em cortes para
custumes desde 25 a 55.
Alpacas-, princetas, merinos; ia pre-
ta e artigos diversos para luto.
Babadinhos bordados nao ; ha prefo.
Bramante de algodao, 4 largiuras,a
18400 rs. a vara.
Dito francez 'superior, a 25500 a vara.
Atoalhado trancado, largo, a 11500 a
'vara. I
Cortinados bo-rdados o que ha de mr
lhor, a 5500 o'dmr ; aproveitem.
SRoupas feitas de todas as qualidades
e difiTerentes prego', e outros akigos
que vendenis' por precos sem compe-
tencia. .
No 59 da rua Duque de Caxias, loja
de Carneiro da Cunha & C. "
.Folr de cres
a 8 irs. o covado
-. ia do Queimado. n.. 43 /
-, de haa'l^~ratehos: .-1 /
Folar deo e sela, com iistras e la-
vores, pad s novas, uso actualmente
ej' Paris,- ^p0141 n.daO pre1 odo ; 0
rs,' Q c~vI~; venhauilouiet


ute pteparido ie6 sem contest i
J Eaooiaihoido em o. iihpe lo"
eu consume oem e 186, chegou q
togamente 0 seusalular e61tto
apphcar m lodas as .moiestiag :qe |
e principalmente nas rMolestias al:p *
eancros, bobas, rheumatismo-artcuar o
trash molestias da pell, etc. etc.
Vend-se ruma duziapor
S Cadafrasco perp
Deposito em Permii bw.o


bo4e- os 9see niifi antes':
eel!! rAd Rip de Janeiro, la"de o
Aquelle que mais provei-
e e oderA
SOriger na impuridahe do sangue
S0mo sejamn: goniorrh&s, boboes,
musutlar, datthros, eftpingens e ou.
* r a do a.000 n
46000
i rua do Cabuga u. 14.


Tambem existe aenda neste dep0sitos seguintes
preparados do mesmo autor
Xarope balsa ico peitoral de lores e bagos de aroeira e
mnucilagem de utZttM.bem, prmoatrataronto radical das molestias das viaga
respiratei'tts, takes como: arrb' 0 puhmonar agudo ou chronico, laryngites bron-
ehites 'hemtoptizeoes oues roS e sanguecoqueluche, affecc3es asthmaficas co-
megantes, e na convalesconpa das pneumonias.
Linimento anti-rhetimaftlco, para tratamentq do rhlumatismo arti-
cular oa muscular, chronico ou agudo, gottoso ou syphilitico, d6r syatica, e
eomo resolhente das bobas, exostoses e tumors.
Pomada Anti-herpetica Cu anti-darthrOsa, para tratamento
prompto de darthros, enipingens, noduosidades, eseoriacoes syphiditioas, cas-
pas e de todas as molestias da pelle, devidas ao contact ou a impureza do
Sangue. ',
Pilulas anti-periodicas, para cura prompta das febres intermitten-
tes, ou sezOes, donstipacoes, febres remittentes, paludosas e perniciosas; sao
laxativas.
Odontina, especifico vegetal para a cura instantanea das ddres de den-
tes, por mais rebeldes que sejam, quer provpnhai de cariaeio do dente, quer
sejam popriamenfe nervosas.
Dao-se prospects.





Rua do Bmm lA. 100 a104.
DEPOSIT RUA DO APOLLO NS. 2 E 2 B
*O DE

CARDOZO & lltAO


Pedem aos Srs.
uma visit a seu a
grande sartinetoI
teem em deposito, 13


gjReultores degta provinida
eleimento para verem o
machis frradens que, o
I~~mlktbor qualidade, o


ue t* ve ia u adinhero, corn des-
conto, e a pr os resumidos.
MACHINAS a ,S de fora de 4., 6, 8 e 10
cavallos, as melhoreI quI e qi teem do.
MOENDAS e jneias iipendas, obra superior, im-

possivel de desacunhar, por virem corn argoletew.
FORMAS para assucar, pintadas e Ivamsadas.
RODAS D'IGUA fortes ebemacabadas.
RODAS DENTADAS -de todos os tamanhos e qua-
lidades.
TACHAS BATIBAS e funtdidas.

A'DOSde todas as ualidades.
ONOS para mi oca.
FORNOS paratorrar fatinha, e
TODAS AS FERA"NS pNedsas agricultura
desta prwineia.
ENCOMMENDAS-I Madamvirda Eropaqual-
quer maclhinismo, responsabilisado-se pela su3
boa ualidade.
CuIONCERBTS-C-" Q aMm qPalquer mahinisO,
e fazem contrato mWual ra tldos os- cn!e
do engenhos; para seofim teem -haira ber
montada, corn grande 6e hwm pes9al, e dirigida
por dous engenhos -
?RANCISfO ( JiA M JI TA:CA1 f0Z0
(ha pouco Ghep o 1a ItigIl~r,

ERGE BWU|I(o^
tGEOR1 E .B'aquI h). qe au lia)


DooO ,-A, V 0AL'


Almeida & Campos
A' run do Crespo n. 20, loja das tres
portas, vendem barato, c comno as-
sim ?
Vejam:
Etoile de Paris, duas cores, paraves-
tido, ultimno gosto ; temos figurinos
para moAtrar o gosto, a 500 rs. o co-
vado.
Lindos gorgordos de hI, todas as co-
res, para vestido, a 15000 o covado.
Pura li, cores lindas, escuras e cla-
ras, fingindo quadros, a 800 rdis.
LiAdas popelines lisas, seda pura,
uma sO cor, a 1$ o covado.
Ditas de linho e seda, qpadros de
tistras, para 500 e 640 r. o covado.
Mariposas de cores, grande sortimen-
to, para 320, 360 e 400 rs. o covado.
Ditas brancas, de listras lisas e as-
sentinadas, e achamalotadas,. a 500 rs.
o convado.
Batistes miudinhas, muita porc.o,
par 240,280 e 320
SFelardiTne de chuviscos, para yes-
tido, que gostos! a 500 rs. o covado.
Cambraia preta lisa, de listras e de
Sores, para luto, a 560 rs. o metro.
Rices cortes de" linho, modernos,
duas qualidades, lisos e arrendados, a
908 urn.
Ditos de eambraia branch e de cores,
todos enfeitalogs, para 48, 5#, 78 e
8# urn.
Cretones escocezes, para roupa de
escravos, a 200 rs, o covado ; e pe-
chincha.
.azinhas escocezas, para 160 e 200
rs. o covado.
Chales de quadros, moderrios, a 25
um ; 6 barato.
Ditos de casemira de quadros moder-
nos, a 5 urn.
Saias bordadas, para senhoras, lindos
gostos, a 31 uma.
SBramantes de algodo0 ;4 larguras, a
15400 a varn.
Dito de linbo puro, do Porto, a 28 a
vara.
Dito muito largo, superior a 25500 a
vapfl


S Sem competitor


0 Barateiro
RUA PRIMEIRO DE MAR(O N. 1
Qve lindo sortimnento de baptistas, a
260 e 280.
Granadine preta, lindos desenhos, a
600 e 640 rs.
Mariposas de cores, a 360 e 400 rs.
e.tamos acabando.
Entremneios, nao ha prepo.
Cretones inglezes, a 280 rs.
Mariposas abertas, a 460 rs.
Chitas de 240 a 360 rs.
Popelinas de gosto, a 400, 500 e 600
rs. o covado.
Bramante de algodao, a 18500, dito
de linho, a 25500, dito francez corn 10
palmos, a 30 a vara.
Bretanha de linho.
Chales'de casemira de cores.
Merin6s pretos.
Bombazina e canto.
Alpacas e outras muitas fazendas
proprias para luto.
Cortinados bordados.
Cambraia para cortinados.
Colchas para cama, de 3$ a 85.
Pannos para mesa redonda, a 41.
Redes as melhores, tanto brancas
como de cores.
Toalhas felpu'as de 6$, 8$ e 128 a
duzia.
Ditas de ditas para banho.
Guardanapos para todos os pregoa.
Atoalhados adamascado para mesa a
11500 a vara.
Complete sortimento de lenpos bra-
cos a db cores.
Me.as V.-ancas e de cores, tanto parn
sc r,. n, c )mo para home.
< .,rr bro'a transparent a 35500.
t ta -victoria, final, a 35500.
aradissimo sortimento em camisas
brancas, do algodao, linho, cretone e
'meia.
0utros muitos artigos que dispomes
por barato prego.
0 Barateiro
Rua Primeiro de Marco n. 1
Agostinho, Santos & C.


Lenc6es de bramante, gandes, a 2 1 f1l 1
ofn.- I B l E i
Cobertas de gang, forradas, a 380,
35500 e 4. 45
Colchas de fustdo, muito grandes, a Lindissimas baptistas para vestidos,
38 ume. a 24W rs. o covado.
Cantao preto, para luto, a 800 rs. o Variadissimrno sortimento de maript
covado. zas, a 400 rs. o dito.
La preta, muito fina, a,400irs. oqco- Grande sortimento de popelinas para
vado., vestidos, a 400, 500 e 600 rs. o covaio
Ptnbos e coilayinhos para senhoras, Maripozas brancas, o que tern vindo
a2 umn par, de mais gbsto.
Mantas e gravatas paa hotnens e se- "Biquissimo sortimento de cretones
nhoras, grande sortimretoo. com desenhos inteiranente novos.
Casemira de cores, 4tmas larguras, Popelinas de seda pura, a 1#O00. *
bonitoeipadres, a 2W o ovado. .1- 1200 o covado.
fidpoo franeze oe glez, pra -4, f Popelinas de seda branch para "as.
l, 45W 5$ p..mento, a 1 000 e 1"200 @ dito.
Algodo brimco; para 2S800, 35000,1 Madapolio francez de duas larguras,
83500 e 45 apea. 1a 5#000 e58500.
Toalhas, lerios, meias .ara ho 3 ens, Cambraia transparent para vestidos,
Isenhoras meiunos c memnas, camisas a 35500 e 4,000 a peca.
ifrancezas, diversos precos, ceroulas ca-i Fustao branco para vestidos e ves-
misgs de meias, chambres, roupas fei- tarios pars meemninos.
tas, grande sortimaento de caseniras Bramante cornm 4 larguras, a 16500 a
chales, granda sortimnentO, todas as qft- vata ; d muito barato!
lidad .t.a canbraioa brancas ede co- 'Camisas' bordadas* para senhora, a
rs ssa lisa d idrogam- 31000 e 4#00; &9ue opeineha
pano -tetdaosdroasim.
relpanno d. Ge. de a, d cores lindas pan
:immenieBdaded Q^s e e -t hstidos, .baratiasimo.
vendemos *baratl a r gdLeques de' widreperola fines, dem,.,
adiabos r l;eta das as.Aho qi s asrtleano e pr -
flwatias, a qtteIm pAios 4 p p Chitas : grande s timntuono e para 1x


t elor11aft, g os sern competencia.
'.~~~ dQ 97 .4,^^ p~^ *'~l^
Ae6da rfa'~ s eAuidos.
S141. i preto,, braf 0 e f ie lmio coin salpicos e liso. r
,Et wasa, antPS, piteta el0 lisa para vestidos, a# .
-etc.,
SAlpacas de cOres para v.stidos, Y.nifico sortimento.
\ aipsta wmiudinhos, hqs, lin4os padres e cores fixas a 240 rs.
Mariposas brancas e d' o4 res, cretones e chitas, born sortimentorpara todtbs.
$aias brancas a 25000. d pecbincha, aproveitem.
Penteadores de easas lisa bordados a 48500, 6 barao.
Punhos e collarinhos para senhoras, enfeitados de renda, e novidade.
VJos de fil6 para chapeos corn salpicos dourados e prateados.
Gravatas para senhoras e para homenis, esplendido sortimento.
Meias de cores e bI)rancas para senhoras, homes e mreninos.
Lenoas de linho em caixinhas de phantazia, duzia 4W000.
Camisas de nreia differences qualidadev e pregos.
Cambraia adamascada para cortinados, e cortinados bordados.
Tapdtesde todos os tamanhos.
Seeflias,hItanhas, esguiao de linho e bramante de 4 larguras.
Casemiras pretas e ae c6Oes em pe, as ecortes.
Panno preto e azul especlalidade paia 75 e 88000.
Colchab brancas e de cOresa, e cobertores de la.
Chales a rainha Victoria
Ricos whales, mantas superioridade em tecido e cores, nunca vistos a 126.
Espartilhos A Princeza Regente, so lindos.
Granadina preta de sedade listras e quadrinhos.
Chapeos de sol, s6da tranrada e castes de phantazia.
Collarinhos para homes, superior qualidadoe a 75(X).
Leques pretos bordados, lisos e de cores sortimento complete.
Chales pretos, bordados, lisos e de cores, sortimento complete.
Camisas brancas e de c6res o melhor sortimento poM-ivel.
Cobertores escuros de la;a a 1800, e pechincha.
Ditos brancos a 18000 urn.
Lenqos de esguiao, finos, a 25000 a duzia, 6 pechincita sem igual.
Alta novidade
Fichuis de Id e seda, recebidos hontem, e o 0-" de mais gosto se pode do.
sejar, e vendemos por comrnmodo preco
NA LOJA D'AMERICA A' RUA DO 10.


L I


I


,


I




















i~ou a~s aa in4o
a o1cup.n.. daq a
do -ystey a dehtiads falbos da
refiexa A que esta s*tjeito o syt a
nmucular, aaignalkaQ a assooiavk;-da
nevralgla cont a pitalysia do brago d(
lado affectado.
Assim 6, pois temos observado que
%iinmpressao do estilete Ai p6lpa do%
-iauspides superiores produz, ais ve-
L, does que immediatamente reflec-
.. sino braQo correspon4ente Aquelles
^M s, acontecendo que em algeas in-
tnos a ddr estende-se als dedos.
U heonomeno, portanto, 6 mais que
J ente para attestar a relagao que
oIentre os dentes e os bragos.
Venhamrn as citgCies. 0
Salter observou uin (loente que nao
podia levantar o braoo, nern servir-se
da mao para pegar o object mais in-
significante, tal era a dor que o tolhia;
e semelhante vexame cessou corn a ex-
trac&io q"u se fez de unrdente do sizo
cariado e irregularmente implantado no
maxillar. Umrn outro caso se Ihe depa-
rou, de dor constant no brago e face,
proveniente da care de um dente se-
gundo dollar, do lado affectado, cuja
cura se operou pela extracao de tal
dente.
E' case muito comnimum o de difficul-
dade de abri-ir a bocca oa de cerramen-
to dos maxillares, occasionado por des-
ordens do dente do sizo ; e e ponto
este de que nos temrnos occupado bas-
tante offerecendo mesmo A publicidade
observagdes nossas de casos especiaes
de erupCao do dente (1do sizo.
Hancok apresenta um caso de otalgia
(dor de ouvido) intense e trismo, cura-
do pela extracCao de urn dente primei-
ro mollar inferior; e o Dr. Salter offe-
rece umnia observaCao na qual o trismo,
datando de quatro mezes, desappareceu
vinte e quatro horas depois da extrac-
cAo de umrn segundo mollar, que oppu-
nha-se a erupao do dente do size.
0 dente extrahido apresentava nas
raizes signals de compressAo, corn rela-
cao ao dente do size cm via de erup-
Vao.
De todos oi exemnplps de alfecg,3es
musculares, diz Hancok, em urn artigo
publicado na Lanceta de 22 de feverei-
ro de 1839, que, observando uma se-
nhora, que, havia seis mnezes, padecia
um 1turticolo exp,.ntaneo, submettida
a uini tratainento contra. irritate e' Ai
diversos remnedios interns, aconse-
lhou-a, na falta de outra indicagao,
a extracgdo de uma pcquona raiz de den-
te do lado do turticoles; feita.a extrac-
gao, ficou completamente boa ao irn
de algiUns dias ; notando que aquella
raiz jamais doera ou iniconmnodara a
paciente.
0 Sr. Anstie declara, em sua excel-
lente obra recentemente publicada, quo
6 rare ver-se essays alffecces spasinodi-
cas particulares associadas directampnen-
te corn as nevralgias do Irigerni,), mas
que as tem observado especialmente
cm pessoas de familini altamente ne-
vralgicas.
Ora, ;i isso temos *le accrescentar
que, a,,a(1 d0 taes circumstancias, a
cachoxiii chiorotica, certo estado pa-
thologico do figxao e dle outros orgaos
,)ccasionana o apparea'itnento dl ne-
'railgias dessa especie.
Elmi outro arLigo daremos algumas
'ilietrvaices d, nossa clinica, que mui-
tr- allnnamn Pa~rnRllhtAnpiniaf.


Em uI LI outro doenLe de strabismo
(obr. cit.) datando do tres annos, c de
urna ptosis de quinze dias de dores.
cratii takes incommininodo; symiuptomaticos
da care de urn inollar superior ; e tu-
do isso acabou coin a extracco da-
quelle dente : era adulto o doente.
0 Sr. Fox assignala um caso de ne-
vralgia muito grave, pois a doente s6
podia alimentar-se de liquidos, tama-
nha era ad6r que sentia em todos -os
denotes se os punha cm contact corn
corpog duros. A' esse estado associa-
\an-se os de saliva5o abundante e
queda (la palpebra: a blepharotoses


FOLHETIM

OS FILHOS DO MONFI
POR
FERNANDEZ Y GONZALEZ
VOLUME I


PRIMEIRA PART
OS A1MORES DE YAYE
CAPITULO VI


EM QUE SE APRESENTAM NOVOS'E
SANTES PERSONAGENS
(ContinuagAo do n. 207)


INTERES-


Tratavamn o alcaide no seu proprio
terreno e corn as suas proprias armas.
N'aquelle mrQnmo dia o marquez es-
creveu a umn seu amigo da c6r-te, ho-
mern poderoso e muito privado dos
privados do imperador ; a carta ia
acornmpanhada d'uma cedula da boa lei
representando mil ducaclos.
D'alli a doze dias, sem .saber como.
nerm per onde, o alcaide recebeu uma
r atovisao do officio de ouvid.or de real
Audiencia do Mexico.
Nos primeiros moments de jubilo o
Slicenceado C6spedes dirigio-se de pro-
;- ,AW.na mao. A casa de seu future so-
;, ---.Masete corn grande asso[bro do
: aida'.dse-ihe gravement-|.. -
"._ "Aconais aceitar,. sffhor Joao
es ?
toaniono abitan ,CLaMOU
itar ^wclaisoi
o M.- 0 s Ora, riw-
OEM& ''SS^^^HKmtVt-A- m**** sui af
^EM~tjgH^^^^^^^B^B^P~^'^B-out ^! _'-b..^^ V ~ ftV^ w


0 .as motlitias curiosas : Twnas p4
SEm segui,4 efe mesmo illuswt*
autor offerecs-nos algurnas observa&0
Sde Hilton, eopiadas da Lancetade 186t
as quaes vern A proposito inserirmo-las
aqut:
SDiz Hilton:
Tenho observado, por muitas Vezes,
Sque, sob a influencia de les6es organi.
cas do quintopar, alingua apreenta-se
intornecida e saburrosa s6 por urnm la.
do; em alguns desses casos o-ganglic
Sde Gasser era sdde de tuberculos ; emn
ou.tros o deposit uni-lateral da lingua
parecia defender. da pressao dos mo-
Sihares superiores cariados ; casos estes
em que a saburra desappareceu ap6s a
extraccae de takes denotes.
Hilton pondera, pordm, que a exis-
tencia dosses phenomenon se explioc
facilmente mais pela care dos denotes
inferiores ;i 8ss porque a lingua 6 in-
nervada pelo ramo maxillar inferior,
terceira ldivisla do quinto par. Entre-
tantb, a sdde variavel da d6r nevralgica
indica a inimidade que existe entire
todas as parties do nervo, attenta a fa-
cilidade corn que a irritag.o se trans-
mitte de urn i outro ponto de seu trar
jecto.
Nas excellentes lio-es de Hilton en-
contra-se um exemplo de desordens nu-
tritivas, por causa de care dentaria/,no
qual embranqueciam os cabellos de
urna das fontes da doente, em seguida
d nevralgia dentaria que a affectava.
Diz o Dr. Anddison : De longa data
observamos- perturbagoes reflexas de
nutrigdo, bern como ulceracao do con-
ducto auditivo e corrimento de um li-
quido fetido purulento; e esse estado
desappareceu completamente corn a
extracgdo de umn dente molar inferior,
cariado.
Tomas, d 'pag. 538, tratando deste
assumpto, terminal assim : -os ruidps
subjectivos e as d6res nevralgicas po-
dem manifestar-se no ouvido por in-
fluenciade lesoes dentarias.
0 Dr. Harwey observou umrn caso de
octalgia intense e corrimento fetido do
ouvido externo, symptominatico da care
do dente do sizo inferior.
0 que ahi flea exposto 6 o quanto po-
demo- colher sobre o que se tern ob-
servado relativamente is alTecqOes do
system muscular e desordens de nu-
trig5o.
No artigo seguinte nos occuparemos
das observances resultantes da nossa
clini-a, as quakes. no s6 provam aexis-
tencia frequent de takes affec6es nota-
das pelos autores citados, oomo a de
causes predisponentes symptomaticas
do estado morbido de certos orgdos,
takes corno o ligado.


VARIEDADES
Revista economica estrangeira
(Conclusdo.) .
E' uma divisao de trabalho perfeita-
mente organisada. A came e exposta a
um ar muito frio, o qual e enviado de
reservatorios que podem center mais de
cem toneladas de gelo. A corrente de
ar arrefccida d enviada por ventilador
enorme movido por urea machina de
vapor. Assim a industria humana con-
segue que as chammas auxiliem o ra-
pido arrefecimento das carnes: levadas
em saccos para os navios, ahi sao tra-
zidas em condicoes analogas ais que fi-
carn descriptas. Desembarcadas em
Liverpool, vao para Londres em wa-


gons especiaes, e d'ahi passam para
armazens; por toda a parte sdo sempre
acompanhadas do gelo atd que o cobr
sumidor as aquece para que ellas pro-
prias a seu turno Ihe conservem e ele-
vem a temperature.


Provinha a perturbagao do born fi-
dalgo de nunca ter Lido duas cars e
do Ihe repugnar a intriga.
0 que... retirais-me a vossa pala-
vra !... isto d, quando posso ajuntar
serm offense de Deus neat da justiga
grandes riquezas ? exclamou o alcaide
fazendo-se pallido.
-- Nao sdo as riquezas que me mo-
vein... redarguio o capitao tornando a
balbuc.iar, porque a menlira repugna-
va-lhe tanto como a intriga, eu porem
fiara-me em que nao sahirieis de Hes-
panha. Como sois home de lets,
sabeis muito bemrn quo :'.-o poderieis
obrigar vossa mulher a embarcar. -
Quereis entlo' dizer 9...
Que ou renunciais esse officio de
ouvid)r, ou minha filha.
0 alcaide meditou por Olguns ins-
tantes.
Nao posso reahuciar a fortune
que Deus me envi.*. Se fosse s6...
mas tenbo unia filhaW
Tendes uma filha ?
Sim, senhor, tenho uma filha da
minha defunta esposa.
Sois viuvo !..,
Sou. -
Eis outra cicninstancia que me
dispensa da minha palavra... nao me
tinheis dito nada da vossa viuvez nein
daosma flha. b *
Pois todo bairro o sabe...
hi estaenid o o sabia.

M vo : xLao p avrii a uia
i~vo^Af -ar ftum 05~do
4ip U .


SCAMA& o0S DEPUTAP
s ssXo'& 24 DE AGOSTO .
Na camera dos deputados, posl
distcusao a acta de 22 do corren-,-
S0 Sr. Barao de o1cei6 diz
usa da palavra parajeAr uma I
. observaold a acta. iNota que
Somissa a respeito ie um incident ue
se deu na sessao de 22, em relag6 Ai
list de (bamiadaeimpugriada- por um
membtb da opposfgao quo d'eclinou o
Sseu nornme alli inscripto, dizendo que
elle orador so achava ausente.
Q zera naquella mesma sessao ex-
Rii os factos, o que nAo p6de fazer
rlie nao ser concedida a palavra,
ern visa das disposi05es do regimnento.
SJulgando ser esta a occasiao oppor-
. tuna, vai dar A amara as necessarias
explicacoes.
E' um dos deputados mais assiduos
da casa. Alguma vez que tern faltado,
tern sido per motive de foroa maior,
independent de sua vontade.
Ante-hontem f6ra um dos primeiros
a chegar a casa, onde apenas encohtrou
tres ou quatro Srs. deputados. Demo-
rou-se ahi mais de um quarto de hora,
tendo entao necessidade de sahir por
alguns minutes. Suppoz poder voltar
antes das 11 horas, mas s6 chegou A
camera depois alas Il /2, quando se
achava a acta em discussao, e se de-
clinava o .eu none, dizendo-se que
a sessao se abrira sem ntimero legal.
Poderia dispensar-se de fazer a" recla-
macao, porque Mlla nao importa uma
accusaao a acto sea, pois n-3 tern cul-
pa de que o sea nome seja langado por
alguem na lista. Mas a accusagdo 6 in
fundada, porque esteve na casa.
Admira-se, porem, que a opposigao
se apresente tao exacta na fisalisaglo
dos deputados presents, quando sao os.
deputados liberaes os primeiros a nao
cumprirem esse ever, nao concorren-
do para fazer casa e nffo entrando na
camara senao depois della constituida.
Julga que a obrigagao de former casa d
de todos, tanto da maioria como da mi-
noria.
Depois de outras considerag6es, diz
que a opposigao lauga mao de todos os
ardis para ferir a miaioria, nio se lem-
brando .que assim se desprestigia'.njM
s6 a maioria, mas a camera dos .
deputados, a representagao national,
pretendendo baixal-a a um nivel que Ihe
6 improprio.
0 Sr. Carvalho Rezende (20 e-
cretario) pede a pa[avra para dar uma
pequena etplicagao ao Sr. deputado que
acaba de sentar-se. "
Nao consignou na acta o incidental
que acaba de referir-se pela pouca im-
portancia que the ligou, pois ficaira bern
patent que a ieclamagiao tivera unica-
mente por tim crear uma pequena diffi-
culdade, tanto mais que, quando a re-
clamacao fosse procedente, a sessao
abrira-se corn 68 mnembros por conse-
quencia havia na casa numero mais
que sufficiente para proseguirem os tra-
balhos.
Emquanto a mesa, cuja responsabili-
dade resalvou o proprio deputado rn-,
clamante o seu unico intuito 6 fazer 4
que os trabalhos marchem regularmen-
te e assim nao p6de consentir que se de
como present quein realmente o naoe
esta.
Conclue assegurando que o Sr. dopu-
tado pelas Alag6as 6 incontestavelmente
um dos mais assiduos as sessses, e por- ,
tanto nenhum interesse poderia haver I
I- I


vossa filha corn qem matis vyes con-
vier.
Separaram-se portauto d'uma ma-
neira urn tantoQ desabrida.
Passados oito dias, era D. Clara de
Aponte marqueza de la Guardia.
0 senhor Joao de C6spedes compre-
hendeu entao porque o tinham feito
ouvidor sem o solicitar.
Oito dias depois de ter sido D. Clara
elevada a marqueza, o president da
chancellaria de Graha.& chamou o so-
nhor Joao de Cdspedell
Senhor, diWjh -sito dar-vos
ruma mi noticia. ,,, "
Jqao de Cspedes 4 a'ndiapenas
fazendo-se muito9lllid _o-
Por ordem d'Pe S. ,f^Cisaiea es-
tou incumbiIode vos retirar 'a provi-
sao de ouvidor da Real A" diencia do
Mexico, que nio p6de ter effeito... por
quo vo-la deram por engand:
Joio de Cespedes comprehondeu en-
tao que f6ra burlado.
r Provinha isto, nao de que o marquez
de la Guardia inifluisse n'aqaua sa-
gunda peripecia, mas-de ter milI
ducados chegado apenas.- paranias se-
cretarias de estado so fazer aqella in,
fame farca,-"surprendendo o animo"do
idkperador ; nao.cbegaam pordm para
comprar um offtio tal% omo o de ou-
vidor das Indias, qe eimentAo consi-
derado-uma itina de ouro.
Jofio de Cspodes adoecou do rmift
e de do, porqiM e s..d-ra o caractew4e

'^AStSct t.* jtuuo tame, ^
Mar ^^^!^ oft^fl


I !~~l M...a, BSI't0 da"fad
t~l!!"ddm


una, PintoLLima, GBon t io,
do de S.a Domilwnte cdAz o,
o gAnalva, Franklin Doria, Do-
Oimingue va, Henriques, BarAo de
ratggy Corrra de evraujo, Barai o de
oa.is, Menezes Prado, Lao VOU6o,
bwoind Moura, Barao da VBla da
G, unha LeitAo, Borges Monteiro,
dos Santos, Duarte de Atzevedo,
de Anadia, Francisco Veiga, Bit-
urt Cotrim e Severino Ribeiro.
Ao!s a camera approvou, na f6rma
so u ento, o parecer n. 4 B deste
W-ca commission de constituicao e
eres, julgando, vAlida a eleiao pri-
mana da parochial de S. Pedro Apostolo,
da pro-incia de Santa Catharina.
Approvou tambem, sem debate, as
eaguintes emendas do senado, ns. 107 B
0017 deste anno; a primeira sobre o
jecto que manda ter vigor em todo o
tbnipo os exames preparatorios, e a se-
ganda sobre o que manda matricular
no 1.6 anno da faculdade de medicine
da c6rte'o estudante Oscar Sergio Ro-
drigues de Oliveira.
( Depots das palavras-nas provincias
-accreseentim-se as seguintes-que
foremrn desigaadas por decre*i. v -
-. Depois dasm.alavras-Rodrigues de
OliveiriaL2ejam eliminadas as que se
seguem atW o fim do artio. I
.Approvou igualmente sem debate, em
discussao, o project n. 146 deste
anno, que concede a Carlos Guido Ve-
dova, ajudante do bibliothecario da fa-
culdade de medicine da c6rte, um anno
de licenga corn o respective ordenado,
para tatar de sua safide.
A requerimento -verbal do Sr. Jo.d
Angelo 6ntrou aquelle project imme-
diatarmente em 2.a discussao.
0 Sr. Barao de Anadia pedio a
palavra para offerecer uma emenda ao
project que se dispute. Tem-se sem-
pre abstido de mandar emendas a pro-
jectos que teem por fim interesse indi-
vidual-; mas a que vai apresentar, e que
esta assignada por todos os deputados
de sua provincia, refere-se a um digno
magistrado, o desembargador Matheus
Casado de Araujo Lima Arnaud, cujo
estado gravissimo do saCde reclama
presteza na concessao do favor que se
trata, como provam attestados que pos-
sue do dous dos mais distinctos medi-
cos da Bahia.
Espera, portanto, que a camera se
mostrara benigna corn esse digno ma-
gisrado, como tern sido corn outros em
ide'tticas circumstancias.
Foilida e apoiada a seguinte emenda:
a Conceda-se um anno de licenga
corn os respectivos vencimentos ao des-
emba r Matheus Casado de Araujo
Lima Anaud, para tratar de suna saude
onde ihe convier.--Baroo de Anadia.-
E C o --JosJAngelo. -Bernardo
de a.-Dr. Teixeira da Rocha.
Ninguem mais pedindo a palavra, en
oejra-se a discussao, e, suje~tos A vota-
e~oo project e a emenda, sao appro-
v emettidos A, respectiva com-
m~t. ko Angelo pela ordem pede,
e a catnartk concede, dispense de inters-
ticio para quoe est project seja dado
.ara a ordeonTrdo dia da segunda-feira
27.
Por ultimo a camera occupou-se com
a continuacao da 3.a disc assao do pro-
jecto n. 16 A, quo autorisa o governo a
prorogar o prazo estatuido no contrato-


para a navegacao do rio Amazonas e
seus aflluentes, corn as emendas apoia-
das nas sessses antecedentes.
0 Sr.*Dantas, recordando as per-
guntas que formulara ao Sr. ministry
da agriculture ao comegar a discussao
do additive, diz que nao f6ra a isso le-
vado por urn pensamiento hostile A grande
e fecunda idda da navegacao do rio
Mari, collocado entire dous grandes
oceanos, estendendo-se entire o uropa
e a Asia, e destinado em um ftituro
mais ou menos remote a realisar neste
continente as grandes maravilhas que
Colombo em suas visOes sonhara para a

tio que a sua burla tivesse tAo negro
lesenlace, encontrou ao cabo d'aquella
burla uma pobre orphan, sem outro
imparo mais do que o da caridade pu-
blica, e reconheceu como um ever o
protege-la.
NAo foi comtudo maito magnitica a
sua protecAo.
Dirigio-se ao parecho, e entregou-
he eoconfiss.o, por um lado, seis-
centos e cincoenta ducados que de-
dam tervir para occorrer a manuten-
0ao; bstuario e educac.o de D. Elvira
'uzmAconvento, durante treze annos,
stw 4, atefazer os dezeseis, na razao
1 dieoent a escudos'por anno, e por
ouho iado. mil ducados, que deviam
oervir-lhe de dote, quer escolhesse o
laustro ou o matrimonio.
PA orphasiuha foi levadac pelo paro-
ho ao convento de Santa Isabel la
leal.
D. Elvira, pois, f6ra educada n'um
o hvento..
Mas ndo 6 um convento o lugar on-
le melhor se p6de educar urma joven.
Trataram as boas madres D. Elvira
orm muito mimo, e D. Elvira estra-
gou-se.
Ensjinaram-lhe a ler e a escrever, e
am bocado de latim, corn o fim de a
azerem frAira. -
Co e da, enslfarn mlhe a can-
ar .enW e a fazer docese

| B.e fhz a sberba-


iante wsleu matd neus itades idas


faimr ds'ando des4inhei d
b coamm quar so ca a do -

o tresso. Nando a pris,nem
cidadiao, nefr comao re~rsentantd
S iz, 9 sea voto o seu concurso, s9qa-
Spro eque so as veneer qua. lhe exigido
r a tsra sati doe necessidades jutas
qtre se destined a esse grande tiny, ,-
0ue n imde, 6.do e pdar o seu vota o-
* faeilar o desmando do s 4inheirdos
blicos, para que se escas.eim as awi :
do thesouro, dando p.eho ia ante& a
uns que a outros melhdtuisstos,.quan-
do essas- quantias, applicto p me-
t Ihor, converter-se-hiam em- beneficios
reaes para o paiz, aopasso quae, dadas
semr limits, nao se pbdent'traduzir se-
neo pelo esbanjarento dos dinheiros
pubhcos.
Diz que esta discussao tern sido en-
carreirada de mode iuite differrnte do
que devia sel-o. Tnata-se de prevenir
Scorn tempo a renova p o de um centrato
que dura ha matis de vinte annosa e que
tern custado milhares decontos deredis.
Esse contrato f6ra ajustado entire o go-
verno e umra companhia brasileira- mas
sera feito agcora, se tiver de irenovar-se,
entire: governor do Brasil e uria com-
panhia ingleza..
Colelocsda lama q aest o nste terreno,




nurlenearqrestar or osdr~
irrecusavelt qu a c opipnhia iagleza se
nto psdia exinri n a6 papel de supplican-
te, e assim a sua peoo6 para a renova-
Aom do corntrato deveriasefacompanha-





a "aeai do rnzoas
daE tde todos os documents e esclareci-
mentos neces af'os 'a habilitarem o go-
verno para'contratar esse servio,.- ,
Aconteceu, porem, inteiramente 0
eontrario.
Nua ose dispute uma petidod, mas um
project offerecido por membros res-
t peitaveis da camera, mas que se deixam
naturalmente arrastar por considera0oes
que actuam sober elles como represen-
tantes daquellas provincias, entendendo
sem um estudo serio da material, que,
retirada a subvenaRo, picarA aniquilada
a navegacao do Amazonas.
Entende que o project nro d base
sufficient para .o presentedebate.n
Perguntaro ao Sr. ministry da agri-
cultura o que u feito de uma petitoo de
que ha apenaes conhecimento por noti-
cia vaga? Onde pira? Porque nao
veio a camera ?
Por um aparte do Sr. deputado pelo
Part, sabe que houve uama petido da
companhia que foi remettida ao conse-
Iho de estado, nroeconstando nada mais
a esse respeito. EnLretanto, informard
a camera semr garantir-lhe a exactidAo
di noticia, que essa peticao, remettida
a uma secgo do conselho de estado,
teve parecer contrario, quardt a reno-
var-se a saibvendao, constando-lhe que
esse parecer foi do Sr. Teixeira Junior.
Em apart o Sr.p ministry da agricul-
tura assegura que atd hoje o governor
O orador prosegue dizendo que rude
isto deve convencer da neeessidade da
se exiai que venha o camera essa pe-
ti85o que se diz acompanhada de bonds
documents, tanto mais que a commis-
siao de commercio, industrial e artes,
incumbida de esludar o assumpto, deu
um parecer que e um verdladeiro di-
thyrambo.
Analysando-o a trac;os largos, diz que
rile naoe pdde obrigar a camera a um
vote que importa continuacao per dez
ou vinte annos, per um dia que fosse,
da enorme subvencao que se eleva a
816:000 pelos cofres geraes, e que
corn a subvencao provincial attingir5 ao
elevado alaffaismo de 1,220:0000$.


LU alguhs trechfios do parecer para
confirmar as suas asserg3es. Tudo alli
estA provado, tudo '& evidence para a
commissao, mas nqo para a camera.
Esperava que o Sr. ministry da agri-
cultura esclarecesse o assumpto, mas
vio corn pezar na ultima sessao tratal-o
tanto pela superficie, que s6 a confian-
ga illimitada que tern na integridade do
seu character, Ihe fez dar a explicagdo
desse procedimento.
Parece-lhe que o Sr. ministry, fal-
lando nao em seu n ome, mas no do
governor, por isso que o additive foi


vento, tornou-se para D. Elvira uma
necessidade.
Os desejos comprimidos sAo os mais
fortes, os mais tenazes.
D. Elvira era alta, esbelta, de cabel-
los que pareciam fios de seda e ouro,
front candida e pura, olhos celestiaes
como 6 mesmo ceo, e riso senhoril,
embora um tanto altivo e amargo.
Haviam-lhe deixado espelho, e D.
Elvira depois de ver a formosura, com-
parara-a corn o aspect das boas ma-
dres, e achata-as pallidas, verdenegras,
c, om.os-elhos encovados, boccas lividas,
feiat quantao podemn.. r mulhdres
que definharam roubada Ai._azreza
e ao amor. Aquellas malhere, algu-
ma das quaes fora urma flor, tinham-se
transformado em ortigas, IX Elvira ma-
goava-se imnmenso corn o seu contrato,
e acabou por detesta-las. Obt'igada
pordm a mostrar-se para com. ellas
doce e carinhosa, contrahira outro de-
feito terrivel : fizera se hypocrita, falsa,
reservada. -
Causava-lhe horror profeni uns vo-
tes que deviam ligala por laa vida
aquellas mulberes, encrusta-la, pOde-
se assim dizer, ,n'aguelle ctustroIde
que nao devia sahir nem depois de
niMota, uma m14 ptounciados os votos,
e ap ar- l to- rilstrava-ae disposti'
setpfreii ', :
Porffta a 16 Ma verdade estva di-
pofta D. 11 ara a Wq= I
aer foucna .

-.k -. .......a .


Proseguindo ainda em consideracoes
sobre este ponto, diz que a resposta do
Sr. ministry, long de diminuir os seus
escrupulos, lh'os augmentou, tanto que
se constitute radicalmente em opposi-
gao ao substitutivo, que arma o gover-
no de uma autorisacao de que p6de
usar corn o maior arbitrio.
P6de o Sr. ministry appellar para os
seus credits pessoaes, para a sua in-
teireza individual assegrurando que nao
fara cencessdo d'e um ,c.itil sendo de-
pots de convencido de que sem isso a
navegagdo se nao fara. Mas podera.o
Sr. ministry garantir at la a sua con-
servaco no powder ? E p6de a confian-
0a, que se restringir A sua pessoa ser
ampliada a outrem que tenha de dar
contas dessa autorisacao ?
Espera que a camera, que nao esta
sob a pressdo de grandes trabalhos,
consinta que esta material se discuta
largameite e que sobre ella fallen os
que ja se acham inscriptos, e tambem
se pronuncie o illustre chefe da maioria,
cuja opiniao positivamente interpella.
E' precise que a questdo saia da ca-
mnara, amplamente discutida, para que
f6ra della nao haja lugar a murmurios
e censuras, que certamente se darao,
se o debate se encerrar antes de tem-
po, quando a questio por sua natureza
nuo p6de deixar de ser dernorada e es-
clarecida.
Diz depois que para que o paiz e a
camnara coniheam a historic do nego-
cio de que se trata, expo-la-ha breve-
mente corn as leis c decretos que Ihe
sAo referentes.
Foi em 1850 que pela lei que proro-
gou o exerolcio financeiro, se autorisou
o govern a incorporar o servigo da na-
vegacao do Amazonas, em conseq-uen-
cia de cuja autorisaoo foi a companhia
incorporada em 1852, corn o capital
de 1,200:000$.
Em 1854, por decreto de 2 de outu-
bro, foram diminuidas algumas obriga-
g5es da companhia, fazendo-se-lhe novos
favors e augmentando-se-lhe a sub-
vengdo.
Refere-se em seguida a4 lei de 1857,
em virtude da qual se deu o contrato
de 10 de outubro de 1857, ode 20 de
fevereiro de 1858 e o de 9 -de mato de
1860, elevando-se por este ulrimo a
subvengdo a 720:0008 annual.
Passa depois a mostrar de que meios
se servio a companhia para que o sou
dividend nao attingisse o maximo de
12 por cento. Foi ainda o decreto de
setembro de 1861. que Ihe perrpittio
augmentar o capital, nio por nreio d0
emprestimno, nem por emissdo de novas
acroes, mas juntando-lhe as sobras da
subvenao que a companhia accumu-
lara durante aquelle tempo.


(Continuar-se-ha)

A~quella buria causara a more do


pai.
Talvez as suas consequencias, que
eramn a mesma buria, devessem tam-
bemn causar a desgraga da fillia e urn
numinero inlinito de crimes.
Um crime semeado no minundo, frue-.
tifica geralmente na razao de ceta pori.
urn. ,
Certo dia, apresentou-se no locuto.-
rio u -na parent da abbadessa.
Affeigoadissima como todas as freit
ras a fazer ostentagio de todas as flo-
res do convento, a abbadessa levou D.
Etvra ao locutorio.
"Mas a tit parent nao ia sd, aeom-
paluhava-a um joveq..cavalleiro, que a.-
ia informar das condivaes sob as quaeIj.,,.
poderia residir por algum tempo, du-4t^ -
rante a ausencia dos irmnos, urma or-
pha, irma sua.
O joven era D. Diogo de Cordova 0
de Valor, que n'aquella dpoga contava :* .
vinte e seis annos.
D. Diogo de Cordova e de Valor eam i,
urnm mourisco convertidg homem e ,
gr n.e qualidade e riqueza. Sub ="
peolftivo tronco da sua a *-
loica, chegava-se aos califas.mi
4e Cordova, aos de Damasco, e
meate 4a-amilia do Proph., a
descendia pela -mai d' extraordinio, oonhwei
sutmanos sob o norame
sasta. .
UBIor doi ^umo M. BB MB.



Wo Ip aB -lMll^^^^


4. s


i7





4-


/,"


V.:


i




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOXNXO0QU_LV1BLB INGEST_TIME 2014-05-22T22:17:09Z PACKAGE AA00011611_16058
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES