Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16014


This item is only available as the following downloads:


Full Text





































3S57;SS DI .;M) Min 1Y1

(Especial para o Diario)

CAIRO, 29 de janeiro.

Tres mrl partidarlon do Mahdi de-
rendem Nettomellf.
0 exereito Inglez do SoldAo aeha-
e- entrlnchleirado perto do Nilo.

W SH[NGTON, 29 janeiro.

O .euado rogcitau o tractado en-
Irc o governor do* Entadon-Unidom e
o de Nicaragua acerca da abertura
de am canal marltimmo.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
30 de janeiro dd 1885.



IISTRUCGIO POPULAR


PHOTOGRAPHIA
(Extrahida)


4.~R T2III
Applieac6em da photographic
CAPITULO I
HELiOGBIVURA,. PIC)TOGLYPTIA. PIIOTOSCULTURA. -
ESM.AT.TES PIIOTIOGIAPHICOS
(Continuatgo)
Poitevin rosolw.tu de oitro minodo o problema,
transform rudo a Ihelioqravtra cm photo-lithogra-
phia do seguiite minodo :
Sobr e unia pedra lithoigraphic's de boa qualidade
e de grito fino, e munito igtmil, applicava unma cama-
da de albumina e do bi-chroinato de potassio; e,
depois de assim preparadi,juxta-punha-lhe urma
proea nweativa da photographi:, emn vidro, c dei-
xava inecidir sobre ella a luz, que s6 ia actual atra-
vez das parties transparentes do vidro, dando a
eStas parts scusibilisadas a-j.i coahecida-pro-
priedade de recebor as tintas de impressAe; sepa-
rava pois o clicUh e passava o rolo lithographico
sobre a pedra, que assim ficava prompt pars po-
der dar grande numinero de provas.
Mas Poitevi n reconiheceu tambem que a 1 'z ti-
nhia a nartietlaridade def tira-r oan seu indntn


I
I
t
n
f
t


I


s


r
i


3 Amanuenses, servindo urn de escrivo do al-
moxarifado.
2 Capellaes, sendo um delles professor de pri-
neiras Iettr: s do sexo masculine.
1 Primeiro medico.
1 Segundo medico.
1 Pharmacentico.
1 Alinoxarife.
1 Fiel do almoxarife.
1 Protessora de primeiras lettraa.
1 Carcereiro da s prisvens.
1 Ajudanto do carecreiro.
15 Guardas.
Art. 3. Osa vencimentos dos empregado serao
os marcados na tablla annexa ano present Regu-
lamento.
Art. 4.a Os servios de nmestre de officinas, auxi-
liar doe cscripta, enfermeiro, barbeiro e cabel-
leireiro, dispenseiro, serventes e outran n serao des-
simpenhados por senteonciados, queo estejam nas
condies doe b em servir, designadoes pelo director,
modiante um journal rasoavel, conforme a tabclla
que ase stabelecer e fMr approvada pelo Governa.
Para os lugaresa de mestres dat offieinas serao
contractarlas pessoas lives quando nso haja no
presidio preso que posda desempeuhiar enas func-
goes.
Art. 5.o So deo nomea e:a
1.0 Do Governo Imperial, por decreto: o direc-
tor, o ajudante do director e 0 sccretario ;
2.0 Por portaria do ministro da justiga: os ama-
nuenses, os capeiaes. os medicos, o pharmaceu-
tico, o almoarife c o fgel do almoxarife;
3.0 Do president da provincial de Pernambuco:
a professor de primeiras lettras, o carcereiro e o
ajudantoe do carcereiro;
4.0 Do director do presidio: os guards por en-
gajamento de 2 annos pelo menos.
CAPITULO III
DA COMNI5SIO INSPECTORA
Art. 6.0 Para assegurar a march regular doe
presidio, tanto na parte adminintrativa como na
economic, havera uma commissao inspectora,.
composta de trees ou mais membros, nomeados em
julho de cada anno pelo Governo Imperial, e della
farl part pel meno s um empregado de fazenda.
Art. 7. A' commissilo inspector incumbe:
1. 0 exame de toda a escripturago, conta-
bilidade e archive do estabclecimento.
2. 00 minucioso inventario do material de
guerra pertencente As fortalezas, da material prima
das officinas, seus artefactos, madeira e o mitcrial
de construcca'o, aiimaes, prodictos de lavoura,
seu estado, gencros, machinas e utensilios exis-
tentes no estabelecimento.
3. 0 estado do conservagio dos edificios.
S4. Tomar contas ao almoxarife e verificar o
estado do cofre do estabelecimento.
5. Conliecer da segnranca e regimen dos pre-
sos, instrucAo, exercieio do culto, puniSes, abono
de jornacs, alimentaoAo, vestuario, servigo hygic-
nico e sanitario, distribuicio das officinas forneci-
mentos, melhoramentos que convenha adoptar-se,
cte.
6., Conheeer da field execuc.o tHo present re-
gulamcnto, instrueco e ordens do governor.
Ar.. 8. 0 veiiucimcnto do pessoal da-sommissio
inspector serA marcado nas leis annuas de orga-
meuto.
CAPITULO IV
DEVEHES 10OS EMPREGADOS


c
i




t
f











f
r
F
u



u
d
e
r

d
(


I
i


c


0
i











r
c
d
1[
ji
u
e











d
s
b
!c


-uando sobre ell incidia, a propriedade de inchar Art. 9.o Competem aio director do presidio, alem
la agua, e quo fazia isto corn graduate, coufor- das obrigaqoes quo decorrem das disposicoes de
me a different da intensidade; conseguido pois utreos artigerw dete'regla ute e da" qrue s A
tue o inducto assim se transformasse em uma subs- inherentes ao seu cargo, as seguintes :
tancia corn desigual superficic, bastasva fazer o 1.0 A administraao geratl do presidio, c a di-
aolde palo galvanoplastica, e ter se-hia urma chapa recta responsabilidad,. pela segurano delle. S
le cobroprepria par a tiragom de gravumras. Foi 2.0 Executar e mandar executar, corn a maior
Sque fez Poitevin. pontualidade, as disposiqoes do present regula-
oquo fe oiteVin.
OS progressos nao pararam aqui. E, em 1854, mentor, e proper ao governor, por inteomedio do pre-
Baldus apresetou este outre process : sidente de Pernambuco as alteraones e modifiea-
Sobre utna lamina de cobre cobrta coin bituma Voe que julgar necessariaa ao mesmo regulamento.
de Judea, colloea-se urna prova photographic po- 3.0 Organisar e submetter A aprovacso do Mi-
iitiva e cm papel transparente, e deixa-se sobre mistenio da Justi;a, por intermedio do president
ella actiar a luz durante um quarto de hora ; ape- de Pernambuco, quo poderA mandar logo executar
zair do nao :Ippireccr indicio algunm de imagem, provisoriamente sem augmento de despeza, as ins-
lava-se a chaps corn um dissolvente, e a innagem truccoes que form convenientes, a regularidado
apparece it gativa c representada pelos tramos re- do scrvivo das repartic5.s do presidio, officials e
sinosos do bitnumnce; e dinrante dous dias abando tnrmas do press.
ia-sd a chaoe a luz diffasa. M-rgulh-iundo cnt.b- 4.o Cumprir as ordenis da presideneia da pro-
esta lainia n'um banho galvanoplastieo de sul- viIca sbre qualquer assumpto eas requisicuM,
phato de cobro, e ligando-a ao plo dc urma pilga, que, per seu intermedio,lhe forem feitas pelo chetef
obtem-so diversamente unmti hapa de cobre em dc policia e autoridades judiciarias, relativamente
relevo, so so ligar ao p)61 ncgs.tivo, ou uria chaps a seutcneiados, ou outros quaesquer presos remet-
dl cobr-c -r,(vaCa s sn lig;Ir ao p5lo positive ; ou, tides para o presidio.
pZr outr.is pa!avras, obtremin mana gravura a *.o Mandar proceder em livro especial, escnrip-1
a-ua f.-t: para a tiragcn p)r intalhninouua gra- turando corn limpeza, clareza, sem rasuras e cei
vara dc eobre cm relevo, couu a de madeira, para ordemin chronologica de dia, mez e anno, a inatricula
a tiragmin a tints do impreasi. geral de todos os presos que form eatrando, corn
(Contin'sa). a designagbo de seus nomes, idades naturalidade,
estado, condicAo civil, profisslo, signals caracte-
i II ^Iristicos, crime sentencas juizes ou tribunaes que
I mi-T-- O os condemnaram, autoridades que os remetteram,
I i Ut data de sua chegada ao presidio e ufialmente as
*IRT OfV* I mdatas do fallecimento, cumprimento da sentenga,
ou perdbo em virtude doqual form soltos. Na
Actos do poder executivo casa das observaii6es se farA apontamento das
SN. 1oJNIDE8 a 8 0 nformacoes que constarem quanto A vida anterior
DECRETO N. 9,356--E 10 DE JANEIRO DE 1885 e procedimento don mesmos press, notando-se es-
Dd novel regulamento para o presidio de Fernando pecialmente si soffreram castigo ou si mereceram
de Nrorui/a recompensa ou elogio.
ijUsaado da attribaiylo quo Me confer o art. 102 Os documentos que authenticaram todoe eases
12 da Constitttigo, c na coiformidade do art. 30 assentamentos ficaram archivados no cstabeleci-
Suaieo a. 2 da Lei n. 2,792 de 20 de outubro de mnt.oo
1877 e Decreto n. 6.7261 de 3 de novembro do I 6.0 Fazer registraroem livro especial, por or-
mesno auuo, Hei per bern decretar que no presi- dem de antiguidade, as guias de todos os press
die de Fernando de Norouha se observe o Regula- existentes e dos que torem chegando, e solicitar da
mento que corn este baixa, assignado per Francisco presidencia da provincial os esclerecimentos exigi-
Maria Sodr6 Pereira, do menu censelho, ministry e dos no paragrapho antecedents, e nao constautes
secretario de Estado de Negocios da Justica, que das guias que acompanharem os memos press.
assim o teoha entendido e tara executar. Palacio 7.o Fazer registrar em livro proprio o tombo
do Rio de Janeiro em 10 de janeiro de 1885. 64- de todas as casas perteneentes a particulares, corn
da Independencia e do Imperio. indicaao dus nones dos actuaes proprietarios, e
Coon a rubrica de Sua Magestade o Imperador. das transmissoses que se form realisando.
Francisco Maria Sodre Pereira. 8.0o Manaar esahir immediatamc'ite do presidio
S- em virtude das ordens em vigor ou das que rece-
Regulanameno do presidio de Fer- ber, todes os senteuciados que houverem cumprido
mando de Noronba, a que me refere a sua pena ou tivercm a do agraciados.
decreto n. 9,356 de 10 de Janeiro Nenhum preso, depois de cumprida sua pena, sob
de 188S. qualquer pretczto continuarA a residir no estabele
CAPITULO I cimento.
O 9.0 Promover o desenvolvimento da industrial,
DO PRESIDIO DE FERNANNO DE ORONHA quer agricola, quer artistic e da extracao do
Art. 1. Pars o presidio de Fernando de Nero- guano ou phosphate existent no archipelago, ere-
nhas6 serbo remettidos, afirm de nelle cumprirem ar offleinas, mandar destiruir os vegetacs nocivos,
se.iwtexna, precedeado autorSnagao do Governo Im- aubstituiudo os pwr plants uteis e sobretudo pelas
pia-l (Avisos u'. 479 e 564 de 16 de outabro, de de pr ductos ahmentieios, requisitar a acqaisigio
9 de uovemb-o de 1880, e 13 de Janeiro de 1881); de animaes que conveoha intrduzir na ilha, e irm*
1.,-I Os condemuados por fabricagAo de pedir o estrago dos que aetualmente existed, pro-
aoc od falsa. o m. over o pantio de arvores necessarias A salubri-
II Os eondemnados por fabriesoo, introduaco, dadee ue o donestieo, onservar as fontes existen-
falAfieaVio- de notas, cautelas, cedulas- e papeis teoe abrir outrasoem lugares apropriados para ser-
fiduciarios da. Naco ou do Banco, de quslquer ventla do presidio.
uaidade e denominaaio qu sejam (Lei n. 52 de. 10. Determinar o officio, ou industrial e qps-
d 4outbro doe 1833, arts. 8 e 90). cie de lavoura, pesea ote a que se deva applipar
O2-1Ois apylitares condemnados a s 0is ou opreso, couforme asma vocago eorganisaaio piy-
ma au. de triabjilhos publicos, ou do tortifies- sica, sendo ouvido, quando necessario, o juiz o do
*. a medico (art. 80).
II Oa militares ewndefUt dos a mais do dons 111. Tmp-sdir que de boreo dos navios, quer na-
$ wein n a do g.s. ciuuiaes quer estr oiros, aqi p rs rmtva.sA-ilt
MH 0 oundemnados a deredo. .m *Quem mereatdrias .a6legilaleoW (iapa-


15. Observar que os empregadoe trateiii oa
press corn humanidadet e evite os rigors e nao
permittidos pelo regulamento.
16. Ouvir, peb modo quo estabelecer, os pre-
so8 que Ihe queiram fallar, presthndo aos mestios
a attengAo devida e fazendo-lhes intoira jnatiga.
17. Reraetter corn a nocessaria antecipagao
ao president da provincial de Pernambuco uma re-
laoao norm nal dos press cujas penas estiverem a
concluir-se, e esperar as ordens a este respeito.
18. Communicar ao president da provincial
de Pernambuco os falleeimentos dos presos envian-
do o termo de identidade e obito.
19. Convocar, mas como corpo cmiultivo so-
mente, salvo o caso do art. 60 n. IV o ajudavte do
director, o secretario e o comniandante da guarui.
91o, quando por omissao do regulamento tenha d.
tomar alguma media imprevista de character grave
e urgente.
I 20. Permittir aos presos correspondencia pars
Fira do estabeleoinnto, sendo as eartas entre-
sues abera ao dfetor pars as remnetter devida-
mente franqueadaa.
21. Ler, antes de distribuida nos presos, a
correspondencia particular que ehegar a ila.
22. Applicar sos preoos an penas discipliaa-
res marcadas no present regulamnento.
23. Abonar aos empregados as faltas de eom-
parecimento ao serving que ftor-smn justifieadas ate
um mez seguidamente, para o fim de mandar pa-
gar o respective ordenado.
24. Mandar cumprir as licengas concedidas
>os empregados do presidio, as quaes serao regu-
adas pelo decreto n; 6857 de 9 de rmargo de 1878
25. Conceder ltcenja atW 30 dias corn venci-
nento nos termios do citado decreto, corn depen-
lencia de ulterior approvagao do governor, sos
empregados enfermos, que a juizo medico precisa-
rem sahir da ilha.
.26. Attender aos conselhos dos capelliea na
direccgo moral dos press.
27. Prestar qualquer eselarecimentos e in-
ormagSes exigidas pela commission inspector.
(Cap. III).
28. Apresentar annunalmente ao Govorno Im-
perial e por intermedio do president da provin-
ia, at6 o dia 15 de janeiro, relatorio circumstan-
ciado do estado do presidio corn a estatistica de
oeus edificios, populatas, produccgo, receita e des-
peza, procedimento dos press, e outras quaenquer
nfornmages que julgar convenient.
Art. 10. Ficam subordinados ao director todos
os empregados e habitantes da ilha, ainda mesmo
iquelles que ahi estiverem de passage.
Art. 11. 0 ajudante do director coadjuva o di-
rector sob as oidens deste, exereendo immediate
nspeacgo sobre o almoxarifado, officinas e em ge-
al sobre todos os trabalhos.
1.o Substitue o director nos cases de ausen-
cia ou impedimnnto, cumprindo as instrucooes que
ielle receber.
2.0 Examina todos os meinzes o estado dos ob-
ectos necessarios, tanto para o servigo discip'i-
nar e economic, como para o servigo das officinas
Slavoura.
3.0 Indica ao director os reparos e concertos
Ie que necessitarem ins edificios, os moves, nteu-
silios e ferramentas.
4.' Recebe no fim do di% as parties que ver-
)almente lhe derem os guards e os mestres, trans-
nittindo-as ao director quando sejam relatives a
actos que deminandem-provideneia.
Art. 12. 0 seeretario c enearregado da secreta-
ria u archive do presidio, ala 'do. "aamaua e2z
xidera tar para oa trabaTh6s de escripta umn on
mais rresos dcsignadon pelo director e que per
iuas habilitagues meregam Oceupar-se nesse ser-
vino, mas qne nao escreverao no livro da inmatrioula
dos sentenciados.
E' seu dever:
1.o Dirigir os trabalhas da seeretaria e ar-
chivo, fazendo e distribuindo o expedient entire os
amanuenses e auxiliares.
2.0 Ter a escripturaAIo em dia, corn aespecia-
idade a matricula dos sentenciados.
3.o 'ubstituir o ajudanto do director nos ca-
ios de impedimento prolongado.
4." Examinar a escripturacio do almoxarifa-
do, afiin de que ella se faga corn a necessaria re-
gularidade.
Art. 13. Os amanuaenses sao immediatamente
subordinados ao secretario e executam o que por
este Ihes for determiaado.
Paragmapho unico. Substitaem, na ordem de sua
antiguidadc, o sccrcttario nos canso de impedimen-
to, emquanto o director nuo fizer a designacao.
Art. 11. 0 ahnoxarif-, e o amanuense scrvindo
de csLrivao do ilmoxardado reger-se-hio pela le-
gislagio de fazenda, carregaudo este -aquelle tndp
quanto entrar nos armazons e dando-lhe em des-
poza os artigos que sahirem regular e legalmente
dos mesmos armazens, A vista de pedidos ou ginas
em forma e corn o-forneca-se- do director do
presidio.
Art. 15. E' dever do almoxarife :
1.o Arrecadar niao s6 on generous e toda a pro-
ducc.o da lavoura da ilha de Fernando de Noro
nha e adjacentes, mas tambem os artefactos das
otciinan.
2.0 Fazer diariamente distribuicao dos gene-
ros a umn determinado numero de press, e em
hora certa, de modo que no soffra preso priva-
cao, qitando terminado o praso pars que foi corn
bin.ida a ra~ao, e que nio excedera de oito dias.
3 0 Assignar corn o director do presidio os
termos do recebimeato de geueros remettidos do


continent (ait. 50).
4 Apresentar ao director, corn a necessaria
antecedencia, nas epochas de sahida de vapor,
uma relao dos artetactos, e dos generous de pro-
produccao da lavoura que devam ser transporta-
dos para a Thesouraria de Fazenda de Pernam-
buco.
5. Pagar mensalmente, em presenga do di
rector e ajudante do director, a feria dos jbrnaes
dos presos, e bern assim a folha dos guardas, e dos
empregados que obtiverem autorisacoo do go-
verno ou do presideute da provincial par& receber
seus veacimtnentos pelo presidio.
Art. 16. 0 field substituirA o almoxarife nos seus
impediment,)s e o coadjuvara activamente nas reo-
pectivas funel5es.
Art. 17. Os medicos sio enearregados do trata.
mento dos doentes, qu quer f6ra della.
0 10 medico 6 immediatamente responsavel pel
servico sanitario, tend por coadjuvante o se-
gundo.
Art. 18. Os medicos devem ter maior cuidaAo e
solicitude:
1.o Em comparect'er todos osdias de manhrt C
Starde, aldternadamente entire si, para a visit dos
enfermos, para o exatue dos coudemnado recem-
chegados e mnais serVios que lhew ope ,
2 Ei vacinar e revaeinar regulament0
press e mais habitanten do presidio '' 0, pre
3? Em faser paaar par a e rm a pre
BO recolhidos a& cellas deu -Ctigot qo, mao Do


ceift irio. \
Em re
-que beneccss
S 0, :Emn a]
do Lemabro,
rioem qi
1 eotado a
do r-vico rmed
1tOsmelho
o potto de vi
men aftrieo
III.JL b
do-I| as cau
TM rQhstOr
leta notaveim
ended uieas do 1
A t. 19. 0 lO
-asegundo
Af^ Oj
botifa.
L lAs de3<
Sa pro seo
mol onhor M
en feftirias, e
visajas pelo di
2.- Solicdtal
seut uados qu
boti*.
Att. 21. 0 c
gira o servivo r
o i4io dos tea
cult e o cemit
0.0 s cap
giom, diro m
mnasn ao ao me
.o Nos do
anute da missa,
senciaes do cat
$. Durant
sos, po lturmas
lhes explicar'to
4;0o No cas
preso em risce
coin o medico, o
rituaes.-
5. No case
da alma do fall
sistir es press
nar.
6.0 0 preso
te os aetos relip
do e punido a J
Art. 22. Aln
antecedente in<
I. Dar aos eoC'
do-os a cumpr
IL Coadjuva
press.
II. Fazer o
cicio do culto.
Art. 23. Def
aju4ante do d
regilanmento ei
que oa mefmos
compensaa c as
Art. 21. 4 ca
de prineiras 1
diss de manh,
-s ithfa, sera i i
methodo da an
art. 9o 6 13.
-Ag., 25^Li. A pi
lices-todos os
as existeutes
Art. 26. 0 e
inspeccao do di
vincia de Pern
sor e a profess
macoes minuci
bidas polos can
unico. As
tes na ilba ser;
las.
Art. 27. 0 c
te serA especia
e asseio das pr
tas.
Art. 28. Os
quado ao sen a
mediatis do aj
I o. Dever
preso0 a sea ca
traclo ao ajui
2 2. Nas re
uas con os out
so recmprocame
Art. 29. Aol
on trabalbos dr
os prosos a ,si
vico; ensinar-
conveniente ns
o. Declar
ulterior deliber
presos da la cl
20. Empre
ramentas, utei
jam estragado
3. Auxilim
rector em tud
materia puma,
jectos inanutaa
for conoeernen
Ciio de femranie
40. Propoe
dante do dim


press que sirn
officina quani
substituirbo os
as suas ordenm
Art. 30. H
abaixa declanr
meute escriptl
rem livres e
secretariat, qi
demnado.)s :
lo. Pars lan
indicailo min
Sobjectos distri
2o. Para a
menta eautenec
3o. Para lan
cada preso, ai
journal corresp
4o. Para o
lharem nas offi


Gov4


erificar si os rem0os fornecidos sao Oofficiosa .
ade e si esta do accordo corn o re- Ao president da provincial da Parahyba.- Major Manoel Joaquim Beo. Fore
SBog., a V. Exe. se digne providenciar no sentido V *
qtIsItar o numaero de eufermeiros d ser indemnisado o Thesouro desta, provincial da Maria do Livramento e Silva. -Infomnx
Spatsservi&S emnfermn-in'A.qantia de145A884, costante da inclusa coats e o Sr. inspector geral da Instruc9ea Pa-
p ,tar anft itt a m o dU 31 rovfiente de alimentacao, roupa, agna e luz for- blica.
So director do* t bel ento um necida na Casa de DetenVao desta capital nos me- oi n.. .
f se menOeioA6tM prineipalimente: sea de agosto e setembre do anno proximo find Pedro Chasiet.-De-se.
itario do Presidio e o reosnultados aos presot pobres pronunciados desta provincia, a Seeretara da Presdencia de Pernaubu-
ico. que allude a mencionada conta. co- 30 de janeiro da 1885.
ramentos que convenha adopter sob Igoaes :-Ao president de Sergipe, da quantia 0 porteiro,
ita da hygiene, salubridade e regi- de 67A564; rey
Is. Ao de Alag4as 42;160; J L. Viegas.
atias reinantes na ilha, assignalan- Ao do Ceara 100416. -
sat e meios de removel-as. -- Ao inspector da Tbesouraria de Fazenda. Reparteplo da Ponllela
ieo de sus obrigagSes sobre as meo -Havendo encaminhado .hoje ao Governo Impe- Sec91 2.a-N. 89. -- Secretaria da
s e prteipalmeate das que form penral o requerimento em que V. S. solicit con- Policia d Pernambuco, 30 d janeire do
?reidioe. cemssiao da gratificagao annual de 300A000 qnoue foi lca d ernambuco, 30 de aneiro d
agar do lo medico sera de aecesso concedida ao inspector da Thesouraria da Biahia, 1885.-Illm. e Exm. Sr. Participo a V.
assim lhtWo communico para os fins convenientes, e Exc. que foram hontem recolhidos os as-
harmaceutico seri enearregado da em resposta ao seu officio de 20 do corrente n. 41. gaintes individuos ACasa de Detenglo:
Ao menmo. Coai a devolubo don incluso X A' ordem do subdelegado do Recife, Paulin&
3argas das drogas e medicamentos papeis concrnentes as propostas aprcsentadas em Ferreoira de Souza, poer offensas A moral public,
r-o autorizadas polo receituario dos agosto do 1875 pars cxecuiao de umn edificio des- John Reinr, p or disturbies; Antonio Gonoalve
aspectivo livro pars os doentes das tinado A essa Thesouraria, flea respondido o offi- don Passs e Jos Pturbeias ;d Antzevedo, pGonr ealw
para os outros por meio de receitas cio de V. S. de 21 do corrente, sob n. 46. bios assos e osPereira de Azeved por e-
irector. Ao mesmo.-Mande V. S. ajustar contas e ordem dturo do 1b district d S. J Iidi.
ri do director a designacao dos passar guia de soccorrimento ao alferes do 14. Eles.o da Silva, Cpriano Baptists Pal
ue form precisos pars serventes da batalhlo de infantaria Urcecino Augusto Villas- Feao da C iva) Cypriano Baptista e Pao
B6as,oqual segue para a crte, coam destino a Francisco Correia, por disturbios.
A' ordem do de Afogados, Manoel Baptists do
apollao que nio for professor diri- provincia do Rio Grande do Sul onde vai matri- Souza, por disturbios.
re igioso. e tera sob sua vigilaneia cular-se na Escola Militar. A' order do do 2 district da Graa, Jo
nplos e dos objeetos destinados ao Ao mesmo.-De conformidade ccm o que de- A in ordem do do 2a de rcrito da Graet Jo.
Francisco de Andrade, per crime de ferimento&
erio. terminal o Exm. Sr. Ministro da Agricultura, Corn- :Hoje, As 8 horas da manhie o approximar-se
allies, alim dos outros actos reli- mercio e Obras Publicas no Aviso Circular de 13 etgs 8 horas ds manhN e no approximar-e
issa diariamente em horas certas, do corrente, sob n. 132, sirva sc V. S. de provi- da eta do Caminho Novo otrem da via-fere
smo tempo. denciar para que, corn a maxima brevidade, at6 o de Caxang foi atropellado o memor de nome Bel-
mningos e dias santificadas fario, fim de fevereiro proximo, o mats ti.rdar, c inde- larmino Lacas de Mendonga, o qual ficou conmam-
urnma predica sobre as verdades es- pondentemente de quaesquer outra intorma o, -bas as pernas fracturadas.
O tu0rmner foi remettido pars o hospital Pedro HT
holicismo e moral, que, prasos fixados, devam nser prestados sobre es e a rempeito do facto esttd o subdelegado do H
.e a semana santa reunirao os pro- serviVos subordinados A lei n. 2,040, de 28 de se- a espeitodo facto est o subdlegado do 1
formadas por odem do director e tembro de 1871, remetta A Seeretaria desta Presi- dltnico da Boa-Vsta procedendo nos termos da
on mysteries da Redempcio. dencia urma relagio demonstrativa do numero de De s t V.Ex -Im.eEx.
so de molestia grave, quo ponha o escravos alforriados no munmcipio desta provinciauar a V. xc. Im e m
o de vida predieporio, de accord por eonta do fundo de emancipaca'o corn declara9ao Sr. Dr. Augusto ae Souza Leao, muift
o entermo a receber socoMirTos espi- da despesa effectuada cm cada circunscripcao, seja digno president da provincia. -0 cheie
corn alforrias, eja corn arbitramentos, cartas, etc. do p)licia interino, Jos Maria de Araua.
0 de more celebrarbo em suffragio A dita relacao devera ser organisada corn dez J
ecido urma missa, a que poderao as- divisoes pelo mode mencionado nos relatorios da w e-- s
sem alterabao do regimen discipli- respective Secretaria de Estado: urma destinada ao T OViCial
numero de escravos, outra A despesa, sem descri- DESPACHIOS DO DIA 28 DE JANEIRO DBE
que nao comportar-se bernm duran- minar-se os escraves libertados por meioe de eada 1885
giosos serA immediatamente retira- uma quota, urma despesa paga da que estiver per Aurelio dos Santos Coimbra.-Haja vista o Sr.
juizo do director.. pagar Dr. procurador fiscal.
min dos deveres prescriptos no artigo Em observanao geral serA indicada a totalidade Jose Cactano de Carvalho.-Junto conhocinem-
cumbe aos capellbes: da quantia provenieute dos peculios corn que os to de decima do ultimo semestre.
ondemnados consola95es, exhortan- escravos houverem concorrido para a sua hberda- Contas das 207a A- 211a parties da loteria da San-
irem seas deveres. de nas diversas applicaV;Ses do alludido fundo. ta Casa, da 3a part da loteria da matriz da Var-
r o director na eduea.a'o moral dos Ao inspector do Thesouro Provincial, Man- zea, da 10a part da loteria da matriz de Barrei-
de Vine. pagar nos terms da sua intormagao de ros, da 14a part da matriz de S. Lourenco da
)bservartoda a reverencia no exer- 20 deste mez, sob n. 346, a importancia de 27S200 Matta e da 15a partne da loteria da igreja de,.
constant da inclusa conta e proveniente do Pedro Martyr de Olinda.-Examinem-se.
3ois da missa nos dias de guards, o gaz consumido coma illuminagilo do jardim do J. Pacheco de Queiroga.-Informe o Sr. Dr. ad-
lirector ler oes artigos do presented Campo das Princezas durante o mez de dezembro ministrador do Consulado.
instrucoes que se expedirem, para do-anne proximo passado.-Communicou-se a Re- Gaspar Jos6 de Mello.-Junte conhecimento de
Spcesos conhecam seus deveres, re- particao das Obras Publicas. decima do ultimo semestre.
i pcnas que lhts sao impostas. -Ao mesmo.-Recommendo a Vine. que de ac- Joaquimi Francisco de Laccrda.-Certifique--s-
ipe lbo que fo6r designado professor cordo coin o certificade junto c corn a sua infer- Jose Elias de Oliveira.-Pague-se.
ettras, alem de dar aula todos os macao de 9 do corrente sob n. 326, made pagar a Manoel Francisco do Rego.-Iaforme e Sr. cOm-
P de tarde aos menino existentes Theotouio Joao da Cunha, arrematante da obra de tador.
nmediato reaponsavel pela ordem e reeonatrucio da poute sobre o rio Jaboatao, na Henrique Bernardes de Oliveira. -Volte so Sr.
ia regida per preso' non terms do estrada da Escada a quantia de 3:645A700, impor- contadoer.
tancia da segunda e ultima prestano da dita obra, Dr. Antonio Epimacho Cavalcante de Alba-
wrofwmta de prinoi~as lettras darA procedendo-se na fdrma do estylo quanto a respon- q erque.--Informe o Sr. contador.
dias de manha- e de tarde as meni- sabilidade. Communicou-se a Reparticgo das 29 -
na ilha. Obras Publicas. Maria Firmina da Silva Alcoforado.-Informe o
nsino primario da ilha ficaru sob a Ao regedor do Gymnasio Pernambucan ).- Sr. contador.
rector da instrueao public da pro- Autoriso V. Rvnia. a jastificar as faltas de exer- Confraria da Soledade.-Ao Sr. thesouroiro pa-
ambaco, a quem o capellbo profes- cicio lo professor bacharel Fortunate Raphael dos ra os devides fins.
iora sio obrigados a prestar infer- Santos Bitteucourt, de que trata em sea officio a Maunoel Jose Aftoniso e Manoel Jose Dantas. -
osas de accord corn as ordens rece- que respond de hoje datado. Deferido, ficando irresponsavel pelo dcbito ante-
iaes competentes. Aojuiz municipal de Garauhuns.-Remetto rior o novo inquclino que estabeleeer-se nas cas.
criangas de ambos os sexos residcn- a Vine. para sua sciencia e direcAo c6pia do offi- n. 50 A rua Pedro Affonso e n. 6 ao Caes daCom-
o obrigadas a frequentar as esco- cio que dirijo hoje a junta classificadora d eescra- panhia Pernambuca, visto acharem-se fechadane
vos desse term, determinando que tcnha lugar desoccupadas.
arcereiro auxiliado por sen ajudan- nova applieaqio da 6a quota do fundo de emanci- Manoel Joaquim Goncalves. Infcrme o Sr. Dr.
Imente encaregado da seguranea pacAo. administrator do Comsulado.
misOes, e da guard das caves des- Ao Sr. Jose Joaquim Autunes, ljuiz de paz Francisco Ferroira Baltad. -Haja vista o Sr.
president da mesa eleitoral da parochial de Nossa Dr. procurador fiscal.
guards uzarao de unifonne ade- Seuhora da ConceiciLo de Beberibe. -Em resposta Bernardino Peroira Ramos. Deferido quanto ai
.ervivo c estarao sob as ordens imn- ao son officio de 15 do corrente, declare Ihe que, rectificaao requerida, send quo coin refereancia
judante do director. na tendo sido entregue na secretariat desta pro- 3os papeis relatives ao julgado do 21 do marco de
n ter a maior vigilancia sobro os nidencia as copies da acta da eleicao procedida 1883 a6 poderbo ser attendido nos temnos do art.
Lrgo, dando p~rto d., qualquer in no 1 dedezewnb'o fiado, cump.-e que, corn today 143 do regulamento de 2 dejulho de 1879.
daute do director. urgencia, Vanc. as rometta afim dc ser enviada a Leonidas Philadelpho da Silva.-Ao Sr. Dr.
ilaeoes do servi(.) devem p:rtrr-sc Camara dos Srs. Depatados. administrador do Consulado para attender.
nros de modo conveniente, ajudando- Portarias: Theodore Christinsen.-Ao Sr. couturir pars
rote, -n 0 Sr. agents da Companhia Brasileira faia mandar juntar a outra peticao do supplicante, e
mestres das officinas cabe dirigir transporter a corte, par cents do ministeri da informal teihdo atten(.io a nova allegaaeo.
i que forem encarregados ; vigiar girrra, no vapor J eu cargo durante as horhs do ner- norte, o alfores do 14', batalh:io do infintaria Ur- tos Coimbra. Deterido. tomando se p)r termo a.
Ihes o officio e mamcar-Ihes o lugar cicino Augusto Villas-Boas, o qual obtevw liccnca fianca offcrecida.
as officinas. daquelle ministerio pars estudar na Escola do Rio Azevedo R.:drigues & C.-Restitua-se.
ar ao ajudante do director, para Grande do Sul.--Communicou-se ao general. Francisco Ferreira Baltar. Deferido, ficanda
racmbo do director, os objector que os A mesma. 0 Sr. agent da Companhia Bra- irresponsavel pelo debito anterior o novo inquelixo
[asse desejarem obter a sua custa. sileira, em virtude de telegramma do Exm. Sr. mi- quo estabelecer-se uo pavimento terreo do predim
!gar o maior cuidado em que as fer- nistro da agricultura, de hontem, made dar pas- n. 19 A rua da Imperatriz, visto achar-se fecha-
ncilios, material prima, etc., nao se- sagem a re, ate a corte, na primeira opportum- do e desoccupado.
s pelos press. dade, per centa das gratuitas a que o governo tern Officio do Dr. chefe de policia e Dr. J.-se Ann-
ar o director e o ajudante do di- direito, a Francisco Jose Alves. tregesilo Rodxigues Lima. Informe e Sr. costa-
.o que se refeie ao recebimento da EXPEDIESTE DO SECRETARIO dor.
ao fabrico e conservacao dos ob- Officios : Joao Elias de Oliveira. Informe o Centes-
cturados. assim como em tudo que A Companhia Peruarnbucana. De ordem do ceosel


te A distribuieio, reparo, ou renova- Exm. Sr. president da provincial accuse o recebi- -Dr Antonio Epimacho Cavalcantc de Albuqu&r-
enta, iUtencilios, etc. mento do officio de 20 do corrente, no qual V. S. que.-Paguc se.
r ao director, per intermedio do aju- communica quo o vapor Jaguaribe, seguira pars Felix Cypriano Pereira. Informe o Sr. coa-
ector, a designavao de umn ou mais os ports do sul, atW a Bahia, no dia 27, is 5 ho- rador.
aniam de coatra moestra da respectiva ras acia tarde. Dr. Praxedes Gomes de Souza Pitaaga.-Ia-
do houver necessidade, os quaes -- forme o Sr. contador.
s mestres e os ajudarAo, executaudo DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 29 DE Gaspar Jose de Mello.-Informe o Sr. Dr. ad-
s. JANEIRO DE 1885. mimnistrador do Consulado.
[averA em cada officin.t os livrym An JeIrO DE ne s. S
ados, os quaesser,) conveniente- Anna Cezarde Alineida Peso. Sin, conasulado Proveincial
turados pelos mestres, quando fo- ana f6rma da lei.
souberem ler e escrever, ou pela Antonio Franciscon Junior.-Simn, corn DESPACOS DO DIA 29 DE JANE[RODE 188i
uando nao souberem ou forem con- as restrioC(e3 feitas, na relaglo annexa a Ferreira e Edmii Costa, Gaidin Antona Pereira Lg.
nVamnento djairto doe trabalhos, corn portaria desta data. forme a la secio.
uciosa da natureza e quantidadedosn Bacharel Agost;nho deo Carvalho Dias Francisco Ribeiro Pinto Gmmaracs. Ala se-
tbuidos a cad prose; Lima. Sire, na f6rma da lei. io para atteuder.
.y, a ^ ,^n o ^ -,^ M aa el nt ni il a1 o eia-- A 11 e^ ,
carga e descarga de today a ferra- Alferes Bernardino do Sons Ri4oiro. Mane Antonio df Silva Msreira.-A 1& see*
ilios das o trabalho distribuido a Intorme o Sr. commandant superior da Antonio Francisco Areias & C.=iJunte cone-

tim de servir de base ao calculo do guard national de Olinda e Iguarassu. cimento de quitanio do imposto de reparti"no re-
)ondente. BAilbina Firmina da Rosa Leal.-R,3mo- lativo ao 1 senmestre.
apontamento dos preIsos que traba- ^as 4aria Felippa do Carmo.-Certifique-se.
acinas.e do eo qetba va-e Gomos de Mattes Irminaos.-Informe a 2 see-
(icinas. Continue). Idalino Izidio d0 Costa Vieira. -Infr- o.
__ me o Sr. inspector geral da Instruegao --
ro -da provinla public. Camara Municipal
ero da provieD A 8a Jos6 Pereira da Silva. -Romettido ao DESPACHOS DO DIA 29 DE JANEIRO
rE DO DIA 22 DE JAEIRO iE 1885 Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda, DE 85
dned .. para attender ao supplicant nos terms
ideate di ovicia, attendendo da intorm o de 26do corrente n. 56. Pe Sr. Viegas, conmissario de paolicir:
o -e l ten no e Coelh ainormastosdo ai~rod 6dotret .5. Pl

o teudo em vista a informealo d Jasamelino Odorico do Ohliveira Cajueiro. Abaixo assignados estabeledidos corn ar-
le Faisonda de 21 do corrente n. 43, -Informu o Sr. inspector da Thesouraria mazens do estiva nia freguezia do Poifoe,
sob a responsablidade, nos terms de Fazenda. pediuto que sejamn feitas as devidas naotem
-284,d L o eereiro do 1862,um
dp o i ...e00 dAeo-A) Jos6 Luiz do Franca Torres.-Informeno a collect, de bebidas espirituosas, A
-4i S i.riodo-Lnpeiq, exercIcie o Sr. -inspector geral da Instrucgao Pa- cujo imposto faram eliminados por demo
S mblereoa ica. eho da Illua. Camera, visto a eam
k4AiW t Odjloafin Jolo Ig oi Martins Maya.-Remettido referi.lo despacho e nao poder cad& uad
dis doFor tr uIdnumacioo Mr
S4 pro aolSr. commandant do presidio de For- per si ter urn docu.ert t|o b
#op00t40 -e im nanwto de Noronha, para providoenciar no Deferida a petigo inicial' dosi
sentido da remessa da caderneta solii- compete a contadoria zf6ra a4M Av*
-ada e, bavuo, quer po ,qecad& 4W405 M
Joq Tiirnm da oseca. Interponha sigatarios documntoi
0, .o.uro p ..n ob ancia do disposto quieram por certidko-
to do Thesou- Antonio Fere-


$






















todo e oh de o 'Franac Rowana
Ibu:1Merada C tn jino~ do- .*
Spedos inuaicop i. M iita
4kea sa. .81 d

b -se em mq wioo


6mdo licenca AaWa qa r brite
miento de quitti m asrcbettoin dope-
ion. 37 6rua de Pedro.
pop 0 irposto
i Joaquim Moreira de Sampaio, pedindo
hUea para canalisar agua pars o predio
I. 53 a rua do Bartholomeu.- -Idem.
: Jolo da Silveira Borges Tavora, procu-
o r dos pros pobres, pedinado qe sO
Owcmasnde pagar o seuos veacimeoute a
o.tar do 1" de outubro a 3 de november
A,6 a que twmdireito porforva da lei,
-wisto no tor sido contomplado na folha do
epapregados. -Em vista do que a Caawra
..solveu om case identico cem o advoga-
-4o dos press pobres, nada ha que defe-

Maria Iguaia da Veiga Pessoan, repli-
anudo pede isenglo do imposto devido por
aquelle que foi castabelecido na casa n. 7 A
tavessa do Arsenal de Guerra, -ade pre-
bode agora a supplicant estabelecer-se
wm quitanda, visto nole ser successor, e


er o seu genero de negocio de natureza
versea. -- Deferido.
Sousa Meirelles & C., pedindo que se-
Jm foitos Os devides lanuamentos no sen-
Wo de terem comprado a Manoel Jacin-
to de Oliveira o seu estabelecimento de
mercearia sito A rua do Visconde de
Goyanna. Sirm, a eoatadoria para os de-
vdos fins.
Pelo Rod. padre Mello, c3mmissario de
fdiflcayes:
Antonio de Figueiredo Oliveira, pedindo
Seenca para tomar goteiras em sua casa
m. 139 A rua do Coronel Saassuna. Dan-
do previa science ao fiscal. concede-se.
Antonio Joaquim Caselo, pars limpar a
fente, internal as aguas, fazer parapeito
*retelhar o seu predio de dous andares
sito A rua de D. Maria Cezar n. 13, bern
mao substituir uma terga na de n. 23 A
made Santa Rita.-Pagos os impostos
iameede-se, dando previa sciencia ao fis-
UL
Junta administrative da Santa Casa de
Miserioordia do Recife, pedindo licenca
para fazer muro corn gradi de ferro e por-
ido em frente A casa n. 3 A rna do Barao
de S. Borja pertencente ao patrimonio do
CaUlegio dos Orphgos a cargo do supplican-
e. De conformidade corn o parecer do
Sr. engenheiro, cencede-se.
A mesa, pedindo licenga para correr
Stelhado substituindo mnadeira da casa
mrea n. 114 A rua de Vidal de Negreiros.
-Concede-te, dando pr6via sciencia ao
fecal.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
ite, 30 de janeiro de 188i.
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da Silva.



EXTERIOR
@rganlsacio defeituosa do conm-
merelo francez
Os francezes sao bons induatriaes e mediocres
iammerciantes. Ease juizo breve pareceu severe
avarias pessoas. Entretanto, 6 verdade incon-
'ietavel. Certamente, deve-se fazer excepcoes.
Nao recusamos absolutamente admittir que,
ix-tre os 1.400.000 commerciantes matriculados
ezistentes em Franca e o milhio de caixeiros que
tles empregam, encontrem-se homes muito com-
petentes, activos, engenhosos, quo saibam augariar
econservar uma clientele, manter e alargar urn
atercado.
Certamente, poder-se hia assignalar muitos
desses negociantes verdadeiramente babeis. Mas,
pestando homenagem a esses commerciantes
stelligentes, activos e assignaladamente im-
-egnwdos do espirito modern, nao deixa de ser
ierdade que o commercio 6 o ponto fraco da
'Frana ; isto C facto commum em todos os tem-
_06.
A organisacao commercial franceza 6, ao mes-
a tern o, exhuberante e insufficient, sobrecar-
regada de falsas despezas enormes e desprovidas,
eatretanto, dos apparelhos e instruments verda-
*eiramente efficazes. A inferioridade da organi-
ua3,o commercial da Franca, em relaaeo .I da In-
glaterra, da Allemanha, da Suissa, da Belgica, 6
a eausa principal da estagnacao dos negocios.
Do que result, realmente, que mercados externos
,%o muito mais reduzilos do que era de esperar
da excellencia dos prodactos. D'ahi result, alemrn
4isso, que, mesmo no interior, A massa da popular
Pio nao aproveita de modo algum a baixa do
prgeo das mereadorias ; vive-se dispeudiosamente
a meio de objects que custain pouco ao pro-
dxuetor.
Ao commercio fraucez falta concentracao, des-
-reza e agilidade. Admirei me ultimamente da
eandidez e da ignoraneia de certos oscriptores,
endo em um dos jornaes, justamente mais acre-
ditados do paiz, apieciacSes sobre urea publica-
^o recent do ministerio das finangas, relative ao
Bzposto das patentes. 0 redactor superficial
asia notar que a erise commercial, de que ha
sueixas, nao p i"t cxistir, porquanto as irrecu-
avoeis tabellao dLi administracao das financas
savavain que o numero dos negociantes matri-
oslados ea 1883 era superior ao algarismo de 1882.
&, e a pura verdade : o nmrero dos commer-
Mustes vai sempre em augmento; eomo, pois,
admittir que o commercio vai mal ?
Em 18'33 o ministerio das financas recenseou
1,643;893 matrieulas em vez de 1.636.401, em
1882; e um augmento de 7.762. 0 total do ies
fto das matricaias elevou-se a 76.614.000 fran-
ces, o anna passado, quando s6 attingio a.......
'4.453.000 no anne anterior. Os valores toeati-


vw dos predios occupados pelos matriculados su-
MiAm a 1.143.667.000 frances em 1883, contra
01Q7.746.090 cm 1882, isto 6 o aecrescimo eon-
sitteravel de 36 milhies de francs, conta re-
donda. Sabre isto, o jornalista petulante assig-
amlava o desenvolvimento da prospenrdade geral e
idignava- e contra es espiritos tacanlhos-e pes-
aimistas que nao acham que tudo vai mnuito bem.
0 que ha de particuli'mente caracterieco, 6 que,
uio jormalista em questao quizesse ir mais alem,
podaria verificar que cada anno, de modo quasi
egular, o numero dos matrieulados em Franca
wgmaenta em -propormAo mais forte do que a do
faco acerescimo annual da populacgo.
Os matrieulado,, 6 certo, nao sao usieamente
Amnereiantes; ha peosoas quae eercem pro-
Ol nb'ersW, qaaes compom a tabella D,
iia o-gttnufro era de567 7, o qu 6 urna re-
io m ^ Iaitl'lbanal segundo* 0l a Furanga
U e def mtico, d advog de arcii-

0 numero doe matbiew-
beaesiq~ua o ze t ass.


naeii s~did ao *ao i lei 'antada.-aa-
wr e 2^ a~l r~aioe iip@5to oi4 C
trealas-per-ded, f~i, iiiu n na-I,1
inpre1 wruaa me w sena of-
uito do mo logiasaiva4s wa adininmstrati-
vas.
0 numero das matriculas industnaes dimmnue
assim, sem duvida, porquanto a industria coneen-
tra-se cada vez mais, o que, sob o ponto de vista
da producelo, nao 6 um maI; talves tambem .por
a abandonar a concurrencia.
Atabell B qua represent o grande commercioe
eas fianaas, depois de ter conaideravelmeaBe
augmentado, conserva-se actualmente estaciona-
oin, on quasi.
Em 1859, s6 comprehendia 11,513 matriculados
14452, em 1869; modiicaoes legislativas priaci-
palmnente em 1866, contribuirainm para augmentar
esse naumero.
Em 1871, baixou a 13,018. Outras refonmas l,-
gslativas contribuem para elevar a 16,710, cm
1873, as matriculas do alto commercio; mas per-
manecen-se desde entbo, quasi exactamente no al-
garismo ; em 1883, effectivameate o numero das
matriculas da tabella B fei de 16,778, quasi exac-
taimete o de 1873.
Assim, houvo estagnaaio no unumero das pessoas
matriculadas para o exercciio de unia profissio, a
memfs estagnacao no numero dos altos comnimer-
ciantes ncstes ultimos 10 annos, diminuiao econti-
nua no numero das matricalas industries, tea
sao os primeiros tracos que manifest& o exame das
estatisticas da administrator.
Mas eis o ultimo, que 6 muito mais important:
o enorme augment, nao diremos do commercio em
retalho, mas do numero dos pequenos commer
ciantes.
Corn tudo, deveria haver antes desse lado dimi-
nuico, porquanto diversas leis, imprgadas de
espirito pbilantropico e democratic, t!n?, ha 0
annos, isentado da matricula certas eategarias de
artezaos ou de pequenos negociantes que Ihe eram


sujeitos.
Em referencia somente ao anno do 1871, ormgani
za-se a tabella seguinte para as matriculas da ta-
bella A, as quaes comprehendem o commerdo a
retalho e intermediario, e os artezaos que empre-
gam operarios.
Lembraremos que, nerm o alto commercio, nem
os industnaes, propriamente ditos, nbo se acham
comaprehendidos nestes algarismos:
Annos Nuimero de mtri-
cula da tabella A
1871 1,140,421
1872 1,144,211
1873 1,302,139
1874 1,306,150
1875 1,310,120
1876 1,326,584
1877 1,339,291
1878 1,347,276
1879 1,351,488
1880 1,353,987
1881 1,353,376
1882 1,366,007
1883 3,375,876
Examine-se esasa tabella: 6 instruetiva. Admi-
tamos que o accrescim) enorme e brusco do 1872
a 1874 seja, em grande part, o effeito de uma re
forma da legislagio.
Nbo 6 menos verdade que em todos eases anuos
o acerescimo do numero dos pequenos e medios
matriculados foi continue, cada anne apresentan-
do accrescimo sobre precedent, salvo o anne de
1881 onde houve uma diminuigao insignificant de
611 matriculados; mas em 1882 o aecrescimo e de
cerea de 13,000 e de cereal de 10,000 em 1883.
Dever-se-ha considerar como felicidade, come
novo forga este augmento continue o do numero dos
pequenos e medics commiercianteE ?
Pelo contrario, para n6s 6 urma grande fraqueza,
um dos vicious principals da organisago commer-
cial da Franga.
E' o que torna o commercio francez dispendioso
e rotineiro ; 6 essa superabundancia de engrena-
gem que perturba toda a economic national, e im-
pede que os consumidores se aproveitem como fa-
zerm os inglezes e allemles, da baixa dos pregos
que se effectua no productor.
Ha algum tempo, seguindo os recenccamenntos,
as Jifferentes categories da populagio allema e da
populagao franceza, fizemos sobresahir quanto em
Franga, para urma populagbo menor, as occupasoes
commercials empregam maior numero de indivi-
duos do que na Allemanha. Comquanto a popula-
gio da Allemanha exceda de 7,000,000 a popula-
glo da Franga, e que aquelle paiz tenha mais es-
tradas de ferro do que o segundo e que alem disso
sendo ahi as families mais numerosas, a part da
populaglo, comprehendidas as mulheres c as crian-
gas, que vive do cammercio e dos trausportes 6
pouco menor na Allemanha do que em Franga, a
saber 4,531,080 individuos contra 4,644,000. E'
uma dergraga; 6 um peso morto que opprime a
uacao; abe forgas perdidas.
Ultimamentc, a attencgo public foi attrahida,
por oceasigo da elevagao do preao do pio e do tri-
go. para este iminportante assumpto. Admira-se
que o prego do trigo baixando, o prego do pio se
conserve quasi estacionario, ou nao baixe propor-
cionilmente. JA demos a causa em dous artigos
que foram publicados ha algum tempo. Estsa causa
e quasi unicea : e o numero exhuberante das pada-
rias. Ha dias publicaram-se algarismos singular-
mente typicos a este respeito; em 1851 eontava-se
em Pariz 601 padeiros ; em 1874, 1,400; em 1878.
1,520; em 1880, 1.580; em 1884, 2,011. Que pro-
digioso accreseimo, principalmeate ha 4 ananos !
Em 1854 havia urma padaria para 1,800 habitan-
tes, em 1884 urma para 1,100! E' um flagello. A
freguezia de cada urma dessas padarias 6 muito
menor, e as despezas geraes sao muito mais eleva-
das Os padeiros queixam-se que os seus lueros
nao sao proporcionaes A baixa do prego do pao a o
que nio 6 completamente sem razio, porquanto o
seu numero cresce maito mais. 0 que dizemos das
padarias 6 verdade. em ura media diversa da es-
peciaria, dos aeougues, da mereearia, dos alfaia-
tes, dos sapateiros, dos camiseiros, de tudo emfim.
Sio demasiados os comrnmerciantes a varsjo e in-
termediaries ou mesmo por atacado ; forgas perdi-
das, despezas geraes enormes, rotina, augminento
de preoo.
A cancurrencia nem sempre tern por effeito em
todos os graus de desenvolvimento, diminuir o pre-
go dais mercadorias e melhorar-lhes a qualidade.
Ha certo grau em sua evolucgo na qual a concur-
rencia produz dous efteitos inversos : inferiorida-
de da qualidade e augment do prego. Nao 6 o
process da concurrencia que fazemos aqui: con-
testamos o qua 6 arrecusavel; pansado certo grau,
a concurrencia causa a carestia ; 6 necessario che-
gar a grau superior em que organisacgo mais per
feita, a de grandes armazens ou vastas e solidas
sociedades cooperativas, elimitaa todas as peque-
nas engrenagens super-abundantes e restabetece
a barateza. Mas, salvo o commerecio de objeetos
de moda, tinda nao transpuzemos eote grau em
Fmanca. Na-lIta dos grande arnazens contra on
pequenos, pode-as dizer que o interesse national
acha-se do lado dos pnimniros. Nao se deve ap-
pellar pars nenhuma restriccgo, mas, em quanto
se for field em Franca a esse -commercio sabdivi-
dido, a ese trafico a varejo, feito por um numero
infinite de intennediarios, a vida soer dispendio-


sa, e nossas condigtes de luta comn as nagies -vi-
zinhas se o condig5os de inferioridade.
Nocommereio iuterinacional soffremos males ana-
logos: falta de eoneentramgo, falta de harmotis,
fraqneza no e pirito de, asocedAo, idoaeaonto. de
eada coamerciante ou de xad casa, auseneia de
omadias e de confiana. JA Colber attribaia Afat-
ta do e#pimito de aocia*e a Wiafenridade do -0 -
moeroo fManMeS coM 0 Levmnte 5. EM eaeNh s
de Mai'selhs querum cads um ter sn bureodiia
eUe, em rave d uuirem-se des pars ainaI' um
grmade navio. a
IT-" "tue yoraaw em -2#ansa do*em sea'ie-ixoO, -
Ammdp e .m.A cm mgam aleumwn Aaz

rmoIxj
Wate 0p

* -oem 1'


da. f-milla


tados-Unidos, na Inglaterra, na Almaia, os
jeaorse regorgitam deannauneio a.
EA Pranua, eooutm o apoeap-reflo W. pW os,
products pharmaceuticos ou apptos de omoyas
qae se disem millionarias, e latam corm difflulda-


feiweaeosno-estwengsiruboj on.te.a foor a ussa-
.dia oneeseaa UA, oa cnte, a aeg=r ade ta.
'bmas vezes nao excessivaraente pusilauamino-o
quae mais frequente-outras vezes abrem mredi
toe illiuntados aem achafrtme -e bum firmados.
Em suram a, o namero do eeomaneriamtes 6 por
demais coasideravel; alo ha harmonic eatro elles,
neron espirito deo asociano, sem cocentragio.
Taes sao os prineipaewdeitos do eoummercio fran-
cez e uma das causas da rise que soffire.
PAUL. LMBOX-BBA=OiT.ID


I
9
I
i


mesmo anno communicon aquelle ministry ao go-
verno imperial uma carta do cura inglez Vanor-
den, o qual informou que o caso Jenner no- era
exceptional,. sendo que desde annos tabelliges do
Rio Grande do Sul procediam por igaal modoe ar-
rogandio-se competencia que Ihes fallecia e levan-
do a incerteza pelos sous actos illegaes ao estado
civil de families protestantes.
Esta correspondencia diplomatiea motivoun -o se-
guinte aviso que esclrece sufficientemente a ques-
tlao, quanto a material de facto e quanto a material
direito :
(, Ministerio dos Negocios do aImperio. -Rio de
Janeiro, 20 de margo de 1883 :
,( Ihm. e Exm. Sr.-Ao ministerio a meu cargo
enviou o dos Negoeios Estrangeiros uma nota que
em 6 de dezembro ultimo 4he dirigira o.ministro
da Allemanha, n'esta core, eommunicando o fa@-
to de hayer um tabelligo da eidade de Pelotas, no
Rio Grande do Sul, lavraudo una escripttzra de
c&Atracto matrmonial : qtE ions subditos 5fe-
mies protootanteaWalrefli s pediade ae
seja o dito ta6o41 O p id n OV aiiter-a 3x,
-imites domta a -..... **50 m: ,, ,,
E om outur taatal be tmu siW a -
mind ister, o reaoAldo -sor4- o jtne1 3.0-i
gunda _*04Mk-!4kaOW


wpm.ra inteira vs 4 r t
1anntaneas von :
1 **I4atica atestada -e
ntitn deabusedo -
eua e a am I a& vo"U'
eprna interve Afci tt'"ewa n~nj
uSS dades de q, *intido jb-f
du hnoetimimoo eroo a s mplicidade e boa
fA de families etrangoiras, na mior pate rusti-
*as e em geral 0igowateu da kegisla o do pais.
, Couitu| o qu a eeleoh .o tabeuio
Siuveira, nullos de pleno direito, nao cream vincu-
tojuridico entree o suppostos conjuges, uao fun-

9r ou liiAlinwhie me p ede 4o emasaen-,
to vaw#d Lsduss ea iouceasdo aterna.
0 deereto slativO m.,144 de1 desetem-
bro dol. no art. 1 n. 2, q oseffeitos
ivis dos e'sametos etbados na frm das lis
do Ipero. sorAo extensivos aos easamentos de
sectarios de religia differeate daodo Estado que
da data do aesmo doereto emndiante forem cele-
bradon no Iperio isegundo o costume ou as preo
script6o das religies respeetivas, comtanto que
a ceebraglo do aoto religioso seja pmevada pelo
competent registro.
Reglando a exeeuvo desta ei, o deereto n.
3,069 de 17 de fevereiro de: 1863 expressameate
de.arou taimbem ao art. 5Lo que os easamentoas 4e
naeonaes ou estrangeiros que pwrfebsnem reti-
gilo differeate da- do Fstado celebrados no Impe-
nro-depois da ana publieaio, depended, para que
lhes sejam extensivos os effeitos civis dos casa.
meontos catholicos, alWm do eubsequente registro,
da celebraco do aeto religioso segundo o costume
ou prescripeoes das religibes respectivas, per pas-
tor ou ministry que tenha exereitado as funegaes
do seu ministerio oom as condig6es exigidas pars
que o acto produza effeitos civis.
cc A' vista deo to claras e terminantes disposi-
95es, o tabellilo Leonidio Antero da Silveira Fi-
Iho, lavrando o eontracto assignado por Frederico
Jenaer e Christians Petersen, incorreu em delicto
sujeito A aceao official da justiga. Rogo, pois, a
V. Exe. se digne dar as providencias necessarias


w1: w "-y gq rno.. :.:


s8fHa-u stuiias eotHiuuaanaa, qoa, em pa4es-
tr.a 6.i-.0eies, 01vowmeis mtra o Chile o dipo-
mast, quz mece sea a discricao o purneiro pro
dor4
dicado, dp doauta.
Tndo isto 6 uit o ue ao tomamos
na ropnabt tA gflj l~ ~ff>Ks
td das fout io


. SI ,
exm or Ig|MlBj ^

N..aIIe. IN uejaz

ae Sura ...


tues inteW MaM As o O a lwaatb
tal entidade 6 muaito menos prejudicial aos inte-
reses que podemos ter n'aquella parte d'America,
do ". a retirada da nossa lega*ao por quobra ou
wvsirecimento de relagaes.
Verificado que conselheiro Lopes Netto, corn
Ou sea motive, tern originado as desaveaWas de
qiirum dO joma s, nada mais logioo do que fa-
ermo deapparecer toie desagratdavel estado de
couassi.1
NAO precisa que S. Exe., seja destituido das
funcoes que exerce, bats adeecer e retirar-so ai-
roaamente, emquanto 6 tempo.
0 tribunal arbitral fuuccionara mesmo sem elle,
atW que nova direceao seja dada asos negoeios.
Se nao 6 just, que, para sermos agradavel a
uma naCAo amiga, forcemos a integridade do juiz
que onviamos, de modo que elle sempre Ihe possa
dar razio, menosjusto ainda 6 alienarmos as sym-
pathias de um alliado prestimoso, e corn o qual
noes achamos em perfcita~cordialidade, porque cer-
to diplomats, que nso sed bern nos Estados Uni-
do*, quer divertir-se em Santiago A custs do paiz
amigo que desperta-ihe a veia anecdotica e hu-
mortnstica.
0 ImLerador do Brasil, que nesta pendencia
representado pelo conselheiro Lop's Netto, deve
ser o primeiro a desejar que noo o compronmettam
perante as nao6es.
0 Brasil quer as relacses corn o Chile e levarA
muito a mal que imprudeoncias de terceiro deter-
minem affrouxa-nento nos lagos de amisade e per-
feita paz.
0 governo imperial que converse corn o Sr. Lo-
pes Netto...

C"nomno os governam
(Da Proviwsia de S. Paulo)


Casamentos aeathoilees

(Jornal do Commercio, da crte, de 24 de janeiro)
0 docreto legislative n. 1,144 de 11 de setembro
de 1861 dispoe no art. 1, n. 3C Os effeitoi civis
dos casamentos celebrados nas form dAt a s do
Imperie aerlo extensivosaee casamentos do pe
seas de religion difierento da do Ratado que, des-
de a data da presented leci, fotem eeiebrados no
Brasil seguado o costams ou prescripgoes das re-
ligioes resmpectivas,, coremn tanto qae a oeebraSo do
acto religion seja provada pelo competente regis -
tro, e na formal que determinada for em regala-
weato. a Es4eneial e, pois, o aeto religioso para
a validade de oasamentos acatholicos e o deereto
u. 3,069 de 17 de fevereiro de 1863, expedido pa-
ra execuao da sobreditA lei, estatuio no art. 5.o
S Os casamentes dos nacienaes ou estrangiro
que professarem religiao different da do tado,
oelebrados no Imperio depois da pablieaclo da lei
de 11 de aeteinbro de 1861, dependem, para que
Ihes sejam extensivos os effeitos eivis dos easa-
mentos catholicos : 10-da eeebra&o do acto civil
segundo o costume ou preseripges das religioes
respectivas ; 2 -da celebraco desse atto relegio-
so por pastor ou ministro que, na conformidade
d'este regulamento, tenha exereitado fwueaos de
seu miuisterio religioso corn as condigoes necessa-
rias para que tat acto produza effeitos civis ; 3-
do registro, tambem na coiformidade deste regu-
lamento. a
0 estatuto legal nio pede ser mais claro para
impedir que casamentos ou unioes decoradas corn
este nome se effectuem per meio de contracts la-
vrados em escripturas publicas, sem que aos mesa-
mos casamentos preceda aeto religioso, segundo o
rito da religilo dos nubmtes e administrade por
pastor ou ministry competeute.
Apezar dam terminantes disposi7oes legaes, ca-
samentos foram eelebrados na provineia do Rio
Grande do Sul entire nubeates acatholicos sem
mais formalidade do que contract lavrado em no-
tas. Evidentemente nullos nio podia o governor
reconhecer a estes casamentos effeitos civis e, ten-
do-o assim declarado, provoeou esta declaraco
apreciaces da imprensa allema desfavoraveis ao
regimen matrimonial consagrado pelas leis do
Brasil.
Versa sobre este objeeto -o seguinte aviso, ex-
pedido a 19 do corrente petlo Ministerio da Justiga
ao dos Negocios Estrangeiros :
Illm. e Exma. Sr. A Sociedade Central dp
Immigracao representou a este Ministerio, come
verkV. Exe. da copia junta, pedirido providen-
cias tendentes a combater a mia inpressio causa-
da na Allemanha e outros prizes pretestantes pe-
la noticia de hayer o governor imperial, por lei re-
cente, declarado nullos os camamentoa acatholicos
e illegitimos seus fructos.
Parece que tal noticia se originou principal-
mente do aviso de 15 de setembro ultimo, que, de
accord corn a legislagio do pais, reconheceu co-
mo condicao impreseindivel pars a celebrato do
casamento entire acatholicos a asaistencia do pas-
tor da religiao dos contrahentes, e declarou res-
ponsaveis es officiaes publicos que, prescindindo
dessa condigao, aceitassem em suas notas escrip-
tnras que nao importam pactos esponsalicios ou
ante-nupciaes na torma permittida Ipelas nossas
leis.
(, Este procedimento do governoro deve tam-
bemrn considerar-se garantia contra abuses que no
future possam inquinar de nullidade os contracts
matrimoniaes celebrados entire acatholicos sem a
observancia das formalidades legaes
a Para destruir, no interesse geral, prevenoes
que boatos inexactos ou falsas apreciacoes possam
suseitar contra a immigralAo dos colonos para o
Imperio, rogo a V. Exc. se sirva recommendar As
legag.es competentes que, por meio de publicaoes
pela imprensa, procurem explicar os actos do go-
verno, fundados no decreto legislative n. 1,144 de
11 dc setembro de 1861.
Neste intuito, pass As maos de V. Exc. os es-
clarecimentos que vao assignalados no Diario Of.
fieial n. 267 e 3, do 25 de setembro ultimo e 3 do
corrente, e assim come copia do citado decreto.
Reitero a V. Exc. os protests de minha alta
estima e mui distinetta consideracao. Francisco
Maria Sodrd Pereira. ,
Pois que se tracta de dissipar prevenues, q ue
de feito poderiam influir no espirito de poputacsoes
acatholicas desejosas de emigrar. serA convenien-
te recordar circumstancias nao destituidas de in-
teresse para a exacta apreciacao do actb ou dos
actos do governo imperial.
Nao interveio por espontaneo impulse o goverao
do Brasil no regimen ereado per aquelles contrac-
toe, declarando-os nullos e fazendo sujeitar a pro-
cesso criminal os officiaes publicos que se prcsta-
ram a redazil-os a escripturas publicas. Foi o Sr.
R. Le Maistre, enviado extraordinario e ministry
plenipotenciano da Allemanha, quern corn todo o
fundamento chamou a attengao do governo, em
nota de 6 de dezembro de 1882, para o casamento
civil dos subditos allemaes Jenner e Chr. Pttei?-
sen, celebrado em Pelotas pelo tabelllao Leotidio
Antero da Silveira Fitho. A 26 de dezembro do


T do dia pars o paiz
(D P, rt de deaParece-nos que 6 o caso de dizer. se, parodiando
(Do, Pais, da c6rte, de 21 -de janei) o eminente pensador inglez: procurai governar-nos'
0 foverno intperial precisa verificar cown minta dessa form, que encontrareis tanta difficuldade co-
a-s. estAAwesd no Chile- illustre di. mo em calgar luvas de 4 dodos apenas em mies
PlI-Atr ,aeo qua l sHi rve a bitro ctm que cont6m 5,.
Su|ome In-i odo I,, ie alo .... Albirto Sales.
0 que k', t fA*"ata &-Pse 1. e1 ..6 .,.'


A -Ptmr otagia~s

40 'Oli* iaUt itIkfO-


Aw


it


hfradh do cargo
itamrao do tet,, o do
Em virtude de portarias da mesma data eopr*-
lte- Aoreire Alcatata-
istreto do Itams-
006to 4'kA- 20. supplente do
gado P. dtaIto rejo.
oisco l tuzascta Antonio Ateliano
tuote MKsA'. e 2. anpi te- s do subdelea-
moV* distbbtdo kfuo -4a9ioria do GoALt.
-Diosiuo Bta"s. dalnssc 20. supplente do
Wbdtefindo go.- ditUictstdo verido termo de

Ferlmento grave-Ante-hontem, ce-ca de
6 horas da tarde, no lugar Espinheiro, em casa de
resideccia do subdito portuguez Joaquim de Aze-
vedo Neves, artists, foi elle ferido pelo pedreiro
Jos96 de tl, que aIli trabalhava no officio, daudo
eamn A i nonaa troaes de palavras aperas havida
entire os dons.
0 ferimento, feito corn ambas as pontas de um
compasso meio aberto, foi na region mamaria es-
querda, e tfoie considerado grave pelo Sr. Dr. J. J.
de Souza, que, A chamado do offendido, tfoi vel-o,
e acautelhono A reco.her-se ao Ho pa Portu-
gues, paras onde eftectivamente foi elk.
0 criminoso foi preso, segundo nos informam,
por um paisano, pois a policia nao compareceu ao
local do crime.
Fetfividade-Celebrar-se-ha amanhL a fes-
ta de Nossa Senhora dos Afflictos na igreja deste
nome, havendo hoje a ultima novena, find a qual
sera queimado um fogo de artificio.
Em outro lngar publicamos o programma cir-
cumstanciado da festa.
Pernambuco ao Ceara-Com este titulo
acaba de ser impresso nesta cidade, pela Commis-
sao Central Emancipadora do Recife, um livro
contend o historic das festas celebradas em Per-
nambuco per occasion da redempgio da provincia
do CearA, no dia 25 de Mareo do anno proximo
findo. Tern 334 paginas e acha-se nitidamente
impress.
A referida commission central corn o auxilio,
por adiantamento, de um de seus membros, resol-
veu a publicaglo do interessante livro para aug-
mentar os seuc recursos pecuniarios.
Brevemente sergo expostos A venda diverges
exemplares pelo baratissimo prego de 24000 cads
umn.
Agradecemos o mimo que nos fizeram de um
delles.
Jornaliata Veio recentemente do Rio
Grande do Norte o Sr. Dr. Luiz Carlos Lins Wan-
derley, redactor do Correio do Natal e medico ely-
nice na cidade deste nome.
Comprimentasos e illustre college.
Fero-via de Carwawm-Hontem foi inau-
gurada ate Gravata, na ferro-via do Recife at6
Caruaru. a linha telephonica, que jA ia at6 a ci-
dade da Victoria.
A proposito desse acto, o Sr. engenheiro Felicio
dos Santos nos dirigio urma felicitagio de Gravata
congratulando-se comnosco pelo melhoramento.
Retribuindo os seus comprimentos, associamo-
nos ao legitimo jubilo dos directors da obra,
Banco bypothecario do Par&-A lei
n. 1,885, decretada em 1884 pela Assembla Pro-
vincial do Para, autorisou o president da provin-
cia a garantir o jure de seis por cento ao anno, as
letras hypothecarias, passadas pelo banco ou com-
panhia que se estabelicer nesta provincia, sobre o
piano tracado na lei n. 1,257 de 24 de setembro de
1S64, e regulamtnto que baixou corn o decreto de
3 de junho de 1865.
A circumseripeo para os emprestimos hypothe-
carios, limitar-se-ha a capital da previncia do
ParA.
A taxa de juros para os emprestimos hypothe-
carios nao poderA exceder de nove por cento ao
anne.
Os prasos dos emprestimos hypothecarios serao
convencionaes, nao podendo, por6m, exceder a 15
annos.
O banco ou companhia terai um fiscal de nomea-
cao do president da provincia, e pago pelos co-
fres do banco ou companhia, ao qual incumbe :
Rubricar todas as letras hypothecarias que se
emittirem.
Examinar todas as avaliacoes quo se fizerem
para se conceder emprestimos, e, nao se confor-
mando corn elias, exigir novas.
Velar pela stricta observancia das leis que re-
gem as associacoes denta natureza e pelos estatu-
tos do banco ou eomp'uhia, sendo responsavel pe-
rante o governo pelas faltas em que incorrer.
Desaatre-Hontem As 8 horas da manhb e
quando se ia aproximando da estacao do Caminho
Nova o trem da via ferrea do Recife a CaxangA,
foi atropellado um rapaz de 15 annos, pardo e de
nome Bellarmnmno Lucas de Mendonca, que ficou
corn as pernas fracturadas.
Conduzido para o hospital Pedro I[, toi-lhe am-
putada unea das pernas.
A autoridade respective tomou conhecimento do
facto.
Jaizo de paz da freguemla de San-
to Antonio-Acha-se !no exercicio do cargo
do juiz de paz desta freguezia o Sr. capital Albi-
des Fulgencaa Barata de Almeida, que dara suas
audiencias nos dias tercas e sextas-feiras de todas


pars que seja -elle devidainente responsabilisado, c Experimentai caliar em maos de cinco dedos
prvieedond-se do mesmo mode em relato a quaes- luvas que tenham apenas quatro. Encontrareis a
qaer outros tabellikes que hajam feit o eseripturas monma difseuldade. que, corn certesa, encontra-
snalogas. rieis, se quizcsseis fazer penetrar em um cerebro
Remetto por copia a V. RExc. as notas dirigi comparativamente simples urna idea relativamente
das ao ministerio dos negocios estrangeiros pela complex. ,
legaeio allema e todos os -main papeias coneernen- Este admiravel pensamento do grande philoso-
ten ao assumpto. pho 6 de fecundissimans applicaV5es praticas. Em
a Dens guard a V. Exe.-Pedro Leio Veloso. tudo deve -se respeitar ngorosamente a lei da ad-
-A' S. Exe. o Sr. ministry e secretario de Esta- aptagio, e mais do que em qualquer outra esphera
do dos negoeios de justica. v da aetividade humana ella se torna principalmen-
Em virtue do aviso supra-transcripto mandou- -te neeessaria no governor das sociedades.
se procedei criminalmente contra o tabelliUo Leo Presentemente impera ainda no desenvolvimen-
nidio, bern come contra outro da cidade do Rio- to e na direcgo da actividade politiesa dos povoes
Grande, accusado do igual delieto, tazendo-se ap- mais adiantados a influencia dissolvente dos le-
plicavel o meansmo proceder a quaesqner outros ta- gistas metaphysicos. que em sna grande maioria
belliges que commettessem abuse identico. ""nao passam de simples litteratos, homenL destitui-
Imports ainda saber que o Sr. von Mutzenbe- dos de conhecimentos positives e sem o minimo
cher, enearregado dos negoetos da lega*o allema, prepare pars a just apreciagAo dos phenomenon
communicou ao governor imperial, em notes de 8 socises.
de fevereiro do anno proximo pissado, um artigo Espiritos frivolous e superficiaes, products im-
em que o Pregador Christdo, periodic do Rio mediates de urma educa.,o defeituosissima e vie-
Grande do Sul, expmndo os funestos effeitos dos timas quasi todos dos mais estravagantes precon-
casamnentos iltegaes lamentou a inacgo da jus- ceitos, nao possuem aquella elasticidade precisa
tia ante factos de ta l natureza. para a verdadeira intuicao dos acontecimentos e
Ta I6 o summario desta questio, na qual, se al- nem tio peuco aquella foroa de penetragbo, eomr-
gums cousa deve de ser estranhada sos poderes pativel corn a extrema complexdade dos differen-
publicos, dade o o noasso regimen legal Acerca de tee phenomenon que se produzem no seio do corpo
casamentos acatholicos, 6 tai o somente que per tan- politico.
to tempo fosse desconhecida ou tolerada a crimi- A elasse dirigente em nosso paiz, principalmen-
nosa pratica dos tabelliles do Rio Grande do Sul te a clase dos chamados representantes da nacao,
que, aliAs, bemrn podem agora allegar o use come dos enearregados da faceo da lei e da promoao
circumstaneia dirimente ou pelo menos muito at- do bern pubico1 dos que constituem o parlamento
tenuante do delicto em que parece terem ineorrido national e centralisam em suas maos toda a acti-
de boa fM, pois que o commetteram sem outro os- vidade legislative e governmental, essa classes,
tensivo motive al6m da ignorancia da lei. dizemos, eomp5oe-se em sun totalidade de cerebros
Nenhuma censura, pois, cabe ao governor do quo estAo pars as grades questbes do -dia, na
Brasil pelas perturbag5es resultantes dos casa- mesma relagbo em que se acham as luvas de qua-
mentos illegaes. Por deploraveis que sejam estas tre dedos para as maos de cinco.
perturbag9es, derivam da inobservancia da lei que Aquelle pnto de vista de conjuncto que abran-
ao governor compete executar. ge em suan generalidade a s6rie inteira dos pheno-
Mostra a questao, por6m, outro aspecto mais iu- menos somiaes, em suas differences rela]ies de con
teressante. Os actos do governor eatio explicados tinuidade, simultaneidade e dapendencia, falta in-
de modo satisfactorio como adaptados ao regimen teiramente aos nossos chamados legisladores e es-
legal, mas tanto dao basts para dissipa' as pre- tadistas; e 6 por isso justamente que os grandes
vengoes a que allude o aviso de 19 do corrente. A problems so accumulam de dia a din e que as
estrangeiros acatholicos nao import tauto que o nossas difficuldades moraes, political e economics
governor tenha procedido de modo legal, quanto se aggravam cada vez mais
saber que o nosso estatuto matrimonial, tornando Tudo se ajusta, se planeja e se resolve no es-
dependente de aeto religioso o casamento, diffi- treite circulo das amnbigoes pcssoaes e tendo por
culta e p6de impossibilitartunioes conjugaes pela unico estimulo o interesae pequenino das indivi-
falta de Pastor ou Ministro do rito caltual dos nu- dualidades, que mais influencia e maior press
bentes. Vemons corn effeito nas cscripturas cele- exercem no moment. D'ahi essa political mesqui-
bradas pelos tabelliles do Rio Grande do Sul a nha e irrational dos expedientes de occasiao, que
declaragao de nao haver aacerdote algum da reli- mais visa aum funim de meras retaliagces partida-
gibo dos nubentes para os casar. Na falta de sa- rias do que a satisfagio direct das necessidades
cerdote, como poderia ser cumprido o preceito le- publicas.
gal que exige o actor religioso celebrado por Pas- Verdadeiro bando de litteratos metaphyaicos,
tor ou ministry competent ? Tao pouco valerA o quando nao se confandem corn a turba immensa
matrimonio de acatholicos que possa ser adiado das mediocridades pertenciosas, que audaciosa-
at que se obtenha o concurso de Pastor ? Po- mente e corn a mais petulante insolencia assaltam
dem acaso ser calculadas todas as perturbaW'es quotidianamente o powder, os nossos politicos estao
resultantee de semelhante adiamento iudefinido ? ainda muito longer da exacts comprechensao das
Vble menos a familiar protestante do que a fatmi- mais urgentes necessidades do paiz.
lia catholica ? Supportariam catholicos que se tor- Ainda agora encontramos urma confirma9gao
nasse dependent de formalidade custosa, As mais plena de tudo isso na conduct original do ac-
das vezes inexequivel, a uniao de seus filhos ? A tual ministerio. Empenhando-se sinceramente
resposta 6 obvia. A' ameaga imminente sobre as pela refor"aa do estado servil, como a mais for-
tamilias aeatholicas s6 o casamiuto civil p6de ser te das aspiraoees naciones na actualidade, esque,
dado como remedio, faeultativo se o quizerem. Os ce-se, entretanto, o gabinete da extrema complexi-
nossos ageates- diplomaticos veriam tacilitada a dade da reforms que project, dos pontos de con-
missio que aecaba do ser-lhes commettida, se pu- tract que a aproximan do problems da immigra
dessem assegurar que a nossa anachronica legis- e9o, por exemplo, e do facturo agrieola e commer-
laglo matrimonial nao tardari a ser moldada pelo cial do paiz, e coaserva-se nesse ponto de vista
padrA da de todos os ovos cults. estreito, s6 proprio dos espiritos superficiaes, inca-
Lembraremos ainda qua aquillo que nioe p6de o pazes de urma just ponetragao das diversas ne-
govemo, p6de a assembl6a geral. Os casamentos .cessidades que exprimenta a nagao,
illegaes contain-se no Rio Grande do Sal por de- Quern tents deatruir deve estar preparado para
zeanas. Form eolebrados em boa fe, prescindin- substituir. E um governor que reconhece que a
do-se de acto reltgioso por faltas de sacerdote, c vida economic do paiz esti inteiranente ligada
seria cruel tornar-lhes applicavel, sem nenhuma sos destines da agriculture national, deve euidar
attenuanio, o regimen de 1861. 0 subsequente seriameate de garantir easa mesma agriculture,
matrimonio nao basta a sanar todos os funestos ef- nao somente preparando o paiz por urma legislagao
ieitos dos contratos declarados-nullos, porque nao sabia e bern combinada para a reeepcao de immi-
poderia legitimar a prole orphg de um dos pais on grants, mas tambem pronlovenlo por todos os
de ambos. Apontaremos exemplo. Urma senhora meios ao seu alcance o maior desenvolvimento
viuva, mbi de tires filhos havidos na constancis de possivel dos nossos diversos generous de cultural.
matrinonio celebrado par eseriptura publics, de. 0 estabelecimento de tratados commercials de
sejon passar a segundasnupejas n- Rio Grande do reprocidade entire o Brazil e os outros paizes que
Srl, e toi-lhe declarado que, sendo nullo o seu pri- figuram como os nossos principles consumidores
meiro casamento, s6 como solteira plderia casar- devia ser neste case, uma questao important de
se, reputados illegitimos seus tires filhos menores. que, cornm immonso proveito pira a nossa lavoura,
NOn cases em que ha heranga a viuva e os filhos padia se occupar a actual al rtinistragto, se par-
de easamerto nullo verbe passar a terceiros o eo- ventura estivesse ella entregu, nas maos de ho-
polio do cabeoa do illegitimo casal. mens ,rompetentes e aptos par leval-a a born
Consideremos que takes casamentos, nullos de t contrario, porom, de rude i.o, o gabinete que
pleno direito, se contam numerosos, e reconhecer ocntrania, om do do i aineo que
se-ha anecessidado de provideacia legislative pranenternate dingo aos negocios do paiz nba so-
que-)s leboitime Suggerimos este alvitre ao go- monten ciae rsarnero dao mend oi da alni-
vorno impeiial como prov~dencia aeonselhada por gar maisreomaib a m so melos cagia d
altas consideiag5es, que nao 6 neessanio indicar, gar main e mais an nossas melases commerciaes a
das morauidade social. 0 pader legislative ale re- do cream pars on nossos mnais impartanten prodnotos
cusanis de crta guma prop0 quo nsto in agricolas urna posigo mais favoravel nos mercados
cusaria de certo algdaa opos ma que naite ia. consumidores, e que de certo modc os auxilie na
tutolh fss ujitda Sracomeamios' tiatremnd 1tadacoureci em qa desdej&t se
notes ahmdecaetepeadabusivos e illega-es, man nba dobosos. A ma- teod usd ocmecae u edjn
tificagbo de taes eontraton par actor do poder On- Man, anda ala 6tudo. Gover: canara, minister
dpetoutosemiaa elor stmsfamoa que padeniamos e legisladores, gabinete e parln. cent, tudo tern os
dara euretansqueixaae dfamilias qu-aa dougndma ohs fixes sobre um unico pont, do grande proble-
pars outno, n achaa rbaixadas da digdadema social a ecnomico que trabalha surdamente de
do unimes preaumidamn~te legaes A dura realida- din a din, do moment a moment, as entranhas do
dodofariliasillegitiias. noseo organismo politico. Nao serA isto um mal


as semanas na sala publics das mesmas A rua do
Imperador, pelas 2 horas da tarde.
A Lanterna Magica- Publicon-se o n.
108, 40 anno, deste periodic livre e humoristico.
Reunloes soclaes Amanhub ha as se-
guintes :
Da Imperial Seciedade dos Artistas Mechanicos
e Liberaes, em ass6mblea geral, ais 10 horas do
dia, para eleigco da nova directoria.
Da irmandade de Nossa Seuhora do Guadalupe,
em Olinda, as 8 horas da manha, pars eleiclo da
nova mesa regedbra.
Da irmandade de Nossa Senhora do Tergo, As 10
horas do dia para eleic'o.
Do Capitulo Allianea, As 10 horas do dia, para
eleicao dos novos funccionarios.
Dinheiro-0O vap)r Jaguaribe Ihvou para:
Macei6 71:600.000
Penedo GO60009
Aracajd. 7:63)5000
0 vapor Pirapama trouxe dos portos do nor-
te para diversos 33:912U380.
Indemnlsadora-Em assembl6a geral dos
accionistas desta companhia de seguros, foram
approvadas as alteraqoes propostas nos respecti-
vos estatutos.
Naufragio-Sabe-se por telegramma parti-
cular que a bares Minerva, que sahio do porto do
Recife para Portugal A 6 de dezembro proximo
find, naufragou perto de Lisboa, perdendo-se
completamente o casco e o carregamento, salvan-
do-se apenas a tripolagio.
Navio c carga tudo estava seguro de risco ma-
it imo.
Bonm-jardlm-Em 28 do mez que hoje ter-
mina escreveram nos desta cidade o seguinte :
( Em sessao extraordinsria da camera deste
municipio de 23 do corrente, foi eleito president
o capitio Joaquim Gongalves da Costa Lima Fi-
lho e vice-presidente o tenente-eoronel Antonio Ma-
noel de Farias Leite.
c A eleiqao correu regularmente, e nella toma-
ram parte oito vereadores. A' noite do mesmo
dia, diversos amigos do president da camera,
tendo A frente urma banda de music, o coinpri-
mentaram, havendo muitos vivas e foguetes.
a Comprimentado tambem o Dr. Jos6 Gomes
Coimbra, digno juiz de direito da comarca, ease,
de sua varanda levantou vivas A camera munici-
pal.
a Felizmente terminou a grande questio da ca-
mara deste municipio, que ha dous annos tern es-
tado serm camera, a qual muito tern a fazer, se qui-
zer cumprir o seu ever. ,
Lagoa de Gatos-Desta localidade eacre-
veram-nos o seguinte em 28 do mez que hoje fin-
di* :
a Horrorisam, Srs. redactores, os effeitos da
variola n'este district ; ja contamos algumas vie-
timas e ha muitas possoas accommettidas.
0 sol que dardeja n'estas plagas 6 insuppor-
tavel, e6 a causa efficiente do desen olvimento
d'um mal tao contagioso como a variola.
a Na deficiencia de recursos medicos pedimos A
S. ixo. o Sr. preiidente de Pernatbaebo' serVi-
cos ao seau aliatee, nuo obstante as8 Jilr si m
que n'este sentido, tomou o juizde p do distie-
-tp, levando o entailo d-esta 'pev s^ ii.., c-
rbeciuento do S. Ec. -i iedidf
do auita -tulidade non podem setvr Do0

























4 Data. e a-Ifm. a xm. Sr. Dr.
iiesta!, de amn to ni digno presidentte
doe E-yViia .wiu &m Sauriauo SOM,

josesI- 0 pe Zut4iC r a Q M
08 a S enUS id
65t fhlhbigto a. 34WJ La aladte~sms< :
agnl". amsot egt Sbwkw'# Petog, as
g Osrao PIA" def a due asM. ae.bpr kpwai. as
counla 4 und esplaboaa e ritiumod"patM
opateo Por ioda ca.tao razies, -m q a
Teaf ves iuodtwi aa mEuropp a s 41 aN
quarto de ei e que a ella dediqai moogra-
plain.., ia ce volumes, dnsrsi rav-me;
ma. e que a coca 6 uma bebida e unm dicionario
popular dedicado on hiqid. vd&a tmna. da ade-
o eo cssiaab terja sea gmawd loeuu me mao
llawae da eeo.
A nsa, bow que &oje.anwsaad ia4 volue
monte aso men pobre nome dos blographa malig-
nosa e.doe.beniguos, tem [ito o aen ceuiho por
si s4 e smop meceoaidqa4 de mira, se o earito
daemawws. grdadainmamte bsqm,. paols quanto
As mas e as indiffereutes uao ha apoatelado ar-
dente,. us trompa de eoquuwn w ees tambor de
chdtaea, que sejam hastantl pat Easel-a vi-
vw aiS" de Ur Ml di de um maa ma de ow awo
a E a coca eontionuar a sa ihr d o per 0ii
se poi, tambem a corner, quuAWbP oub"m fiwl-
a vir inalterada da Bolivia e eoanerval-a tl maI
caiWou nos fraseop do& no q4.oguima0,
loje quasi todos os droguistas vonidem coa,
maes pei raioer part 6 amarella, fetid& ea doe ne-
nhUa4'valor. Pedi-a A pharmacia Brera doMilie,
e se& achardes verde, perfumada, e quo i usa na
agua vos der uma bebidt amarella, esverdeada e
de saber agradavel, entae podereis dizer que sa-
beis quo eousa t 6 a preciosa folha boliviana. At
que nsido tiverdes tomada boa coca, nao tereis di-
reito de fallar della c muito menos de desacredi-
tal-a.
SNa Igiene d'Epicure (Salute de 72) jA apren-
destes o mode de preparar a infusao quente de
coca,, e nao me cabe agora mais nada dizer-vos.
Bepttirei s6mente que todos aquelles que t6m a
dige*Ao leuta e que corn o caf6 ou cornm cha sof-
from de insomnia. ou do excessive excitacgo dos
nervous, far-o bern depois do jantar bebendo uma
boa unfusao quente assxucarada de folhas de coca ;
filcaro muito contents e abencoar.o a Bolivia,
patria da coca, e talvez tambemn o doutor que a le-
vou A Italia em 1858, antes que o pobre Niemann
finesse a sua analyse no laboratorio de Wohler e
nelhla descobrisse o alcaloids, a que den o nome de
-,ocazan, e a essencia aromatica, a que chamou
hlygrina.
SA infasio quente de coca 6 tambem optimo
remodio para combater os vomitos da gravidez e
curar as colicas-flatulentas e as nevralgias do es-
tomago. Nas colicas so p6de dar igualmente cm
clysteis coin ou sem ajuntar o landano. ,,
becalego de Epicure Corn esto de-
calogo cada un poderA ser feliz comtanto que o
queira:
1. Trabalhar sempre.
II. Amnar sempre.
III. Amar a mulher mais do que: a si proprio.
IV. Neo matter jAmais io balance active da vi-
da o reconhecimento de outrem.
V. Em vez de odiar, educar ; em vez do des-
presar, sorrir.
VI. Da urtiga tirar o fio, do absinthe imedi-
cina.
VII. N"o curvar-se senlo para soccorrer os ca-
hi.dos.
VIII. Ter sempre o talent superior da ambi-
gao.
IX. Perguntar de noite a si proprio : Qce fiz
eu de born ?
X. Ter sempre na propria livraria um livro
noevo, na cantina uma garrafa cheia, no jardim
uma fl6r virgem.
Operae6es ctrurgleaw-Foram pratica-
das no hospital Pedro U so dbA0 do coeMa as
seguiites:
Polo Dr. Malaquias ;
Amputaco da perna direita pelo method cir-
cular no lugar de eleigio, reclampada per esmagar
monte do pe em trem de ferro.
Pelo Dr. Berardo :
Tarsorraphia corn transplantageo do bordo cir-
cular e exciseo ovallar da pelle palpebral.
LeArbes-Effectaar-8e-bhao:
-- Hoje:
Pelo agente Guemdo, -s 10 1/2 hot-s, A rua do
Bar.o do Triumpho n. 81, de moves, loucas, vi-
dros, etc.
Teroa-feina:
Pelo agent Pestana, ao meio dia, A rua do Vi-
gario Tenorio n. 12, de predios.
Pelo arnitte Brito, As 11 horns, ma rua do Ran
gel n. 41, de um sobrado.
Pdo agente Pinto, As 11 horas, A rut do Barn
Jesus- n. 43, deunia casa terrea.
Pelo agent Aifredo Gnimardes, As 11 horas, na
rua do Born Jesus n. 45, de predios.
Quarta-feia :
Pelo agente Martins, A. 1 lhoras, na, travossa do
Pocinho n. 24, da taaeraa ahi sitt.
Pelo agente Pindo, atS- 11 horas, A rus do Bom
Jesus n. 49, de um sitio, casa e moevis.
liMnan ftumaebres-Scrnieclebradas :


Terwa-feira :
A's 6 112 horas, na instriz do Santo Antonio,
per alma do desembargador Joaquim Nunes Ma
chado.
Quarta-feira :
A's 7 1/2 horas na matriz da B6a-Vista, per
alma de Arthur G- mes dc S5 Lciti-o A s 7 horas
na matriz d&a B)-Vista, per alm-i do capitol Ma-
noel Jos6 de SantAnna Arauio.
ioteria da provincla -Quinta-teira, 5 de
fevereiro, se extrahira a lqteria n. 104, em ben -
ficioda matrix de Santo Antmo, polo novo plano
approvado, no consistorio daigreja de Nossa Se-
nhora daConceigiio dos Militares, onde se achanto
expostas as urnas e as eapheras arrumadas em
ordlem nunmerica A apreciaao do public.
afOeria do Cear-Esta loteria sera ex-
trahida no dia 14 de fevereiro proximo vindou
no.
0 rests dod bilhetes na Casa da Fortuna, rua
l'da Mar cn. 23.
I5ervia Elxtraordinaria do ,pl-
ranga-Esta loteria, cujo ansior premio 6 de
100:0000000, sera extrahida no dia 5 de mary
prli"no viadoure.
Bilehctes & venda na Casa da Fortuna rua 1
.Je Mano n. 23.
Loterina da Bahlna-Esta loteria, cujo pre-
mio grande 6 100:000M000, costa que corre un-
pretewivelmcnte ns dia 10 de fevereiro proximo
vindonro.
Bilhost A venda na Cas a Feliz a praga da In
deapandencia ns. 37 e 39.
raumide ogerJa de NilUaeroy-Esta lo
teed* cm- premio grande 6 de 400:0005000, seri
extamhiduao di a 11 deabirl proximo vindouro.
Bilkhetoes A Veada nu Cas da Fortura, A rua I1
ie Mareo u. 23.
Leaik de aOtOoefl If A loteria 171
s6ie A, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui
to =elhocado, corre hoje 31 de jan 4mr.
Ulheta A vendsa na Casa Feliz A priqa da In-
depondeotia ns. 37 e 39.
i 'a---A de n. 171 A, do lio derJancou
da3-0:000M000 serA extrahida hoje 31 de jamei
ro.
Os bilKS a m-ae it venda na Cas a da For
tumna 64 aw -eaAtp n. 23.
.,-- --l- I n -A& e Emsa ganmC
toes, w S^ wi e de 500:0o0o00

Q. i 0 h is asii pft vndU na Can FPdiz,
T -4


*t adew, 1""M '. --.- : ".*A

dia 81 do eorrmtb CO 1m s

&eri~
NeidhaB, Neikas eS2 Bmameq, AU l e W W0
Be@tsc a u"aqsoisIlbathe I iati T1
doeJea Furrira, AntiO JwpaiGa
Fraga, Joseph Esuat, AsnmK Do~wSww.
o LulE. Perreira, 3 dos Me BO
cioo Cordeiro Rego Po e e sua senkwm, Jo
Lopes, Manael iMa. PFeheco, Dr. aioel do Naa-
cimento Machad. brtella Junior ana enm
William Giobai.
-= gahida pars o aul no vapor francez Visk
4 Bo de Janmeiro: -
Manoel Jo& Marinho, JtO Liz de Sousa Fi-
lho, Jos6 Figneira de.Fa i". r. Jos6 Maria Bran.-
dao Castello Branoo e i 1crido.
Sahidos para o parts do isud no vapor na-
cional Jaguaribe:
Dr. Jo% Cyriwo aps dStt
Barbopdeo Mo@mn e sea e it>, Dr. bw
Ventura Lebe msaow, $ap1ra e 8 setup,
Rachel Maria 9" a, afk N. r M3 i m'tt
'ar. e 1 criad, Dr. Mariaws sa .,
airmino da Silva Fraga, Luiz Piaheiro dt Silva,
Joaquim Baptista.
Casa de Detencaio-Movimento dos pro-
sos no dia 29 de janeiro :
Exiatiam presosj39l1, eutraram 13, sahiram 7,
existem 397.
A saber:
Nacionaes 361, mulheres 6, estrangehis 16,
eacravoa 14. -Total 397.
Arragoados 360, send : bona 342, doeutes 18
-Total 390
Movimento da eufermaria:
Teveram alta :
Antonio Rodriguea Figueiredo.
Amancio Francisco da Lqz.
Ludovico N. dft Cuanba Machado.
Pedro Celesatinho da Cwmiha.
Ceminte.ai prabluo.-Obituario do dia 28
do corrente :
Anna Joaquina de Hollanda, Pernaminbuco, 60
annos, solteira, Boa-Vista; corpos fibromos do
utero.
Julie, Pernambuco, 1 anne, S. Jos6; convul-
soes.
Rufina Rosalina Freire, Rio Grande do Noite,
56 annos, easada, Olinda; meningo encephali-
te.
Francisca, Pernambuco, 4 mezes, Santo Anto-
nio; enterite.
Antonio Jose de Sant'Anna, Rio Grande do
Norte, 25 annos, solteiro, Boa-Vista; variolas.
Benedicto Jos6 Felippe, Peroambuco, 70 innos,
solteiro, Boa-Vista; tuberculos pulmonares.
Alexandrna Marques da Silva, Pernambuco,
30 annos, soltefira, Boa-Vista; anemia palus-
tre
Antonia Maria de Jesus, Pernambuco, 100 an-
nos, solteira, Santo Antonio; velhiee.
JosA Joaquim, Pernambuco, 45 annos, solteiro,
Boa-Vista; congestlo pulmonar.
5 pela caridade.
29-
Levina Maria da Conceicao, Pernambuco, 22
annos, casada, Boa-Vista; i variolas.
Carlota Joaquina Sim5es do Amaral, Pernam-
buco, 84 annos, solteira, Boa-Vista; septicemia.
Joaquim, Pernambuco, 6 annos, S. Jos ; t fe-
bre perniciesa.
Isabel Maria da ConceiVao, Pernambuco, 22 an-
nos, casada, Graca ; syphilis.
1 pela caridade.
III W. -0 1 R _'I _I. I- I


PUBLIC OES T FEDID

Programma
DA FESTA DE NOSSA SENHORA DOS AFFLIC-
TOS, ERECTA NA IGREJA DO MESMO NOME,
NO DIA 1 DE FEVEREIRO.
Hoje, ao meio dia, subireo ao ar diversas giran-
dolas de foguetes, e A noite, depois de terminadas
as novenas, setrA queimado um fogo de artificio.
No domingo, 1 de fevereiro, As 5 horas da ma-
nha, ao troar d'uma salva de 21 tiros, seguida de
algumas girairdolas de togueteos, serA annunciae
aos habitantes que 6 chegado o grand e dia em que
se festeja a excelsa Senhora dos Afflictos.
A's 10 horas entrarA a fiesta, send o panegy-
rico feito polo intelligent pregador Rv m. padre
Mello, e director da orchestra o incansavel profes-
sor Lydio de Oliveira.
A' tarde, e na nmtcrvallos do divertimento que
um amador offerece ao public, a bandsa marcial
do Arsenal de Guerra tocarA harmoniosas pe0as
demusica de seou repertorio.
A' noite, finds a ladainha, queimar-se-ha um
lindo fogo artificial, compost de differences peagi4
muito modernas, preparado a ca& richo polo amr-
tista Francelino de Mello.
A commission de senhoras quo se encarregaram
de promover esta featividade, agradece o valioso
concurso dos devotes que a auxiliaram no desem-
penho desasa expontanea mimsAo.


Institution Franaise de

Demoiselles
Rua do Barlo de S. DorJa a. 50
(antiga do Sebo)
0 anno ledivo deste collegio

come ara em 7 de janeiro de
1885. Recebe-se alumnas in.
ternas, se inB.ernas edexternas.

A director,
I. Ai r.


Ao f6,ro
Resp-.ndendo an annuncio deste Diario, publi-
cado hantem por meun comaipare o major Josh
i Franklin de Alenear Lima. lO escrivlo d3 com-
mercio desta capital, tenho a dizs.r-Ihe que desde
So dia 15 do eorrente, nao proeurei pessoa alguma
pars filler corn relagio a ngoeios de wu carto-
L rio ;-fui, 6 verdatde, procurado pelos Srs. Mauoel
- de Oliveira e Thomas Duarte-e a eates dedlariel
une dende aqaella data niao you ao seu. cartorio
- devido a mmmu gmc afazsere na la delislai
da capital, ode tenho tmraltho at* nos dmnnunb
) a ue tesho eonsarvado as vieose-at& a noits-
- m mrvigos hnimptat
Reofe, 30 de jaairm de 188I
mJ6 Cinmes duw snton FPAo.


n -frlms-t ^maw b *t$ejia
Oeuot Dr. ,' nBrag ins
.,
lo' ha, pmcfl~a_~r u se
N- NIe aquon
.rexthir qalar -wrt.

a widendia, qm a aico p= a no
8q disctric fUW W81lfairs e
quoe (tdiko s rm.H.i'Mo, qom


*1

I
I










I


miamo 4. rg"udiQar-w, *-e a foi le-
radaq e mab t kna dis- j
Snit8e nsei, -
Basta per hoje.
Recife, 30 de janoiro de 1885.
Gajwar Drumnmaad.

I natureza 6 e imn lhor ehileo 1

t MeuM apparatos parm. nUUiP .0 4el0,4 ado mo-
prendentemente completes; pore6m suas funeea
'cami-se interrompidas por cem motiv-M..
Na sociedad civitiMada pasU vees- se tem
$us liberdadeas modasa veem stervar a r ula-
ridade do suas operacoes.
As cabos das senhoras, por exepplo, seco-
brem alua vezes cornm estofos quenta. outras
vee es a a protoeao alguma. Frequento-
cnete a& entholas o lubricar corn composiqbe que
damnificam ou destridem a vitalidade do eabello.
Um tonico vegetal puro e suave queaanimilarA
cor os flaidon animals que do.r eq vigpr a. i-
bras, 6 o quanto se tomrna necessario e se precise.
0) Tonico Oriental parade cabello preenchc complo-
tamente estas necessidades ;eApreowrwar, fortale- .
cera e darA brilho e espessura asos cabellos, quan-
do todas as mais prepares nmio produzem o ef-
Feito desejado.
Agentes em Pornamnbuco, Henry Forer W& C.,
rua do Coinmereio n. 8, pritmeiro andcTr.

Programmada exposi

aAo partial
Tera lugar na Associagtao Commercial
Beneficent. as 11 horns da manhA do dia
1o do fevereiro, a abertara da Exposiglo
parcial corn a assistencia do Exm. Sr.
president da provincia precedida de unra
sesso solemuno da d rectoria, sends em se-
guida cedido a palavra a qualquer orador
que per si ou come representanto do qual-
quer sociedade, tenha se inscripto, em or.
dem regular, recitando tambemo uma inte-
ressante menina.
No primeiro andar ao lade esquerdo
acham-se expostos os products agricolas
e industries da provincia, que tern de se-
g* -pan Q, a -aposoo 4. Antuerpia, n t
Belgica.
No sallo de honra (lade diroito) ha
duas divisios, unia corn mobilias autiqua-
rias do cerca do dous seculos, que ago de
g ande e real merecimento, pois sao muito
apreciadas na Europa pelos amadores des-
tas raridades, assim come uma bonita col-
lecglo do insects, rmolluscos, conchass .c
outras preciosidades do mar.
Na seganda estao colleccionadas ricas
mobilias modernas- de madeiras do Brasil,
trabalhadas per artists nacionaes, para
seem comparadas corn as que vein do es-
trangeiro, nao s6 para serem apreciadas
pelo seu valor e progress, come porquo
devemn ser preferidas pela variedade e so-
lidez das madeiras deste paiz.
Em cadsa object estara o nomeo do ex-
positor, assim come sera deatribuidu uaza
list geral de todos os objects em exposi-
gAo, designando os destinados A exposiglo
na Belgica, por via do Rio de:Jiniro.
A diretoria cda Asaociaq, a), secoumsis-
sao encarregada desta fena, do trabalho
esperamn a maior coacurrencia do public,
pois ndo tern poupado esforges, para mos-
trar o desenvolvimento desta provincial
pedindo today a benevolelacia per faltas in-
voluntarias devidas ao pequeno espago do
tempo que houve, part melhor correspon-
der corn o seu encargo.
0 edificie estara abertt a concurrencia
public ate As 9 1[2 horas da noite, e con-
tinuara per dous ou mais dins segundo an-
nuneio previo.
Roecife, 27 do janeiro do 1885.
A direajio e commissio.

Ailms do Recire
Sob osta epigraphe e coin a asaignatura
de muitos irmros antigos, apparccoun os
Diaries do 25 e 27 do corrente, un aviso
que pelos termos em que esta concebido s6
reovtSa da part dos urmilon antigos despeito
ou mA vontado A actual administracgo da


irmandade, que tambem conta em seu nu-
imere irmos antigos e modemnososs quaes
todos estio dispostoe a tomar eonheciiwin-
to, e providenciar do modo mais energico
as irregularidades erecontradas como jiA s.-
tern foito conhecer pele imprensa e con-
tinuar-se-ha a fazeor.
A actual mu nu regedora nAo pretcnvia
vender em leilAo os predios legatarios por
sun unica delibcraagpo, no ; esta eredutan-
do o que determinou A mesagerald 17 dc
margo do anno finds, na qual so teorm
evidence que oe predis legatarioms nt-ro
duziam main vantagas e raioier atow
do que as spolies dia divida: paublici e
tkeasa maewf wammuuR &4f "NIA^ wsf
4tro .rf~Oi ^aj IitpM
.t~jjJ_. ~-jsi-._ >^-. ^suj~ic^j jbJBc^* a-^ 77-7~aa^


SI!o .. -m"


l~tel|MjBg P elP muBwap-
mewtW qusido era cons-
i s- apeflas reoebeu a:500M00011
S fbi vgocio de irwil, nmadplioealiba

^^^IjillS^^ too so&*e que
ira4 pol e p m}ixdo Ode lda na mesa paia-
&4* remstoa uam dos predios uam irmai
ajp awS W hs fg lasaia, e a ser

nifekw tsafe pw y oqukB qd e arreioa-
ts Oe uft vA Lb. tat napO.
Pars proe a pmcilpit quo tiveram
ditos irmnos antigos ou o dcsejo do diffi
eunitar os negocios a cargo da ;actual mesa
regpdora, basta perguntar-se porque os ir
mn&s awtigos consentiram na permuta do
obadp & Ar da Maaeilio Din, e casa da
VIraoo per outran, do sobrado da rua
Pr1jneiro de Margo, e da casa da rua de
Domingos Jos6 Martins em apolices da di-
vida public ?....
Asaimn outras muitas verdades se podiam
demonstrar a esato respeito, e diga-se de
pissgeom que a unica desvantagem que
aara um dos irmos antigo. na conver-
slo dos predios em apolhees conmo declarou
pa reunilo da mesa geral, era quo o Go-
verso nais tarde chamando a si todos os
bens de corporacgo de mao morta tambem
tributarA as polices d'aquellas corpora9es
tornando-as, especiaes, mais quo mesmo as-
sira votaram peila realisaglo do project da
converao doe predios legatarios !!1
E agora enteudendo oesses irnmos antigos
(que talvez nuo passem de tries ou quatro),
Scontrario, nlo aso coherentes no seu
moddee pensar.
Julgando de nai e aemre fundamnento
a capeiosa preveng9lo feita polos irmilos an-
tigos desde jA podemn ser oxaminados, por
quoem interessar, as certidoes passadas dos
testamontos Q d o*9os ,,numio oelareimen-
tos quo ficam no cartorio do capellas do
escrivlo Siqueira, habilitando os leiloeiros
a effectuarem a venda dos predios corn
todas as garantias da lei.
Pira alli pode.m dirigir-se os eoniprado-
roes, c tambem os irn.o antigos a outgo fi-
carao sabendo que se o rndiment duvi-
doso das propriedadts sempre deram para.
cumprir es obrigag3a para os instituidores
dos legados muita iais dara o rendimento
liquid e invariavel produzido pelas ape-
lice,.
Consistoria da Irmandade das Alma. do
Recife, 28 de janeiro de 188M.
Joco Famued de Castro Meses,
Escrivlo.

COLLGIOO

DOUS E W DZEhUOU
(Cua do MOSplc:o a. 5).
Ressltado d4 aresa ffidiam. prentado.
pelos alumnoe deste. collegio uraute o
'nno de 1884,
Auredo Mameliano de Castro Quintaes, approva-
do plenamnente.
Jose Francisco Bandoira de Mello, approvado.
Joaquim Goncalves Caselo, approvado plena-
monte.
Francisco de Paula Goncalvea Ca(ao, approvado.
Manoel Guilherme de Athayde, idem.
Jo0o Xavier arneiro de Albuquerque, idem.
Castor Athelano de Sousa Lacerda, idem.
Jos6 Populo de Mendonva Vasconcellos, approva-
do plenamente.
Pauline Augusto Velloss Freire, approvado.
L curgo Pimentel de Albuquerque, idem.
Francisco de Barros Cavalcante, approvado pie-
namente.
Edgardo Cirne Lima, idem.
Joaquim de Souza Lea.o, idem.
Marcos Spiridioni Sloccovith, idem.
Silvestre Dantas de A. Lina, idem.


Reprovadoa 3.
Franeez
Alfiedo da Canhb Pesiram Brandio, approvado.
Francisco de Barren mCavalcante, idem.
EspiridiAo Buarque de Lima, approvado plena-
mente.
Fabio Rino Filho, idem.
Reprcvados 2.


Inglea
jWe Codho dia Silva. sapprovade.
Jrancieo de Pinub Lciva Junior, approvado ple-
- namente.
Gaspar Menezes de Drummond, idem.
Ayres Gama Filho, approvado.
Jose6 Nogueira de Souza Filho, approvado plena-
monte.
Joio Olympio Theodore da Silva, idem.
Octaviano de Siqueira Cavalcante, idem.
Francisco de Paula Gongalves CaseAo, appro-
vado.
Thomaz Lins Caldas Junior, approvado plena.-
monte.
Horacio H. Carneiro Leo, approvado.
Irineu ErasanwP. Jutuea, appraydo plenamente.
Jose Marianne Carneiro Leoo, idem.
Reprovados 5.
Joaquim Guedes C. Gondim FUlho, approvado ple-
namente.
Octaviano de Siqunira Cavalcante, approvado.
Braz Carneire Los, idem.
Francisco Gomes Parente Filho, approvado pie-
namente.
Thoma z Lisa Oasdas Filho. idnm.
Fspiridiao Baqoe de Lima, ides;
blManoel Epbisio de Queiroz Monteiro, approvado
corn distineg"o.
Fabio Rino Filho, approval, pleaameate.
Firmino Antonaio de Souzsa Vanna, ideal.
Lycargo Nasbal Pamplona, idem.
Jos Aariaquo Carnciro Leoa, iiem.
Epaminonda Leif Cheonmt, approvado.
Rhetoric
Aifredo Mameliane de Castro Quintacs, appro
%ado.
Francisce. de Paula Leiva Junior, idea.
G.-rvasio Pires Fioravante Ferreira, approvado
[lenameotc.
Juao de Carvalho Soares Brandao, approvado.
Thtophilo Torquato de Araujo Saldanha, idea.
Josaquim Josh torreia de Araujo, idea-
Antonio Gitirana, idem.
Fleraelio Gitirana, idem.
Jo6 Gitirana, approvado plpameunte.
Luiz Aogusto'C-oeiro de Albuquerque, appre-
vado.
t fredo A. Gama, approvado plenamente.
w etano Correia de Quciroz Monteiro, approvado.
lmnott GIa o dO Athnyde, idenr.
UnS*9W^Ht.


JWfo da (-o0t" ibeiiam ado.
SAlrd DrwaimWS.
ZMd Gei Qoo m eLo idea.
acote Poierpo Mfteidra de Aaevodo, idem.
Luis Correl. do Quoiro BuMr.Fi&lh. approvado
aplenaesote.
Macoel Ephisio de Queiroa Monteiro, idem.
Irineu Erasumo P. Jutuca, idem.
Josh Mariasm Oarneiro Leo, approvado.
Yietoriano Rig a* P. di S fi ideam
Aifredo A. te.
Joaquim Andrh L Ear,
D. aisb".A Sf.si Ca caS q IvP da,
Job& du Cota Ribeim, t Bm.
Jodo Cario Cs "t de bM. Vaamooolloe, idem.
Fiaimk Antonio de Soua Via.m., idja.
JoA Marianno Carneiro Ieo, approvado plena
monte.
Vietoriano Rigaeira P. de Souza, idem.
Aifredo A. Gains, idem.
Bernardo Smpaio, idem.
Reprovadus 3.


A ritinmerlca
)iogo Salomonio A. Maranhio, approvadc
'ogo Pacheco de Queirega, idem.
tuiz Joe6 Bmalamaqui Monteiro, idem.
oro Carvalho 86cares BrandSi, idem.
Ianoel da Costa Ribeiro, idem.
Lntonio Espinola Ferreira de Oliveira, idem.
rirgilio Cicero Carneiro Leao, idem.
os BRieardo de Souza Bandeira, idem.
Espiridilo Buarque de Lima, approvado plena- I
mente.
Wanoel Ephisio de Queire. Moateiro, idem.
eoaquim Andr6 Bentres, appuvado.
Reprovado 1.
). Maua Amelia Cavalcante, approvada plena-
monte.
Francisco de Paula Cysneiro Cavalcante, appro- I
vado.
)ogo Salomonio A. Maranauho, idem.
rodo Pacheeo de Qaeiroga, idem.
odo da. Costa Ribeiro, approvada plenamente.
Iknoel de Burros Bezerra Cavalcante, approvado.
Godofredo Moscoso d a Veiga Pessoas, idem. t
Uicero Martins Pesseoa, idem.
manoeo Ephisio de Queiroz Monteiro, idem.
Irineu Erasmo P. Jutuea, idem.
4ycurgo Narbal Pamplona, idem.
Ios6 Mlarianno Carneiro Lea, approvado plena-
mente.
Victoriano Rioueira P. deo Souza, idem.
Kanoel Goneamves Lima, approvado.
Joaquim Andr6 Bentzen, approvado plenamente.
lenmnrdo Sampaio, approvado comn distinegog.
Algebra
). Maria Amelia Cavalcante, approvada com dif-
tinc*ao.
roeo da Costa Ribeiro, approvado.
alanoel da Cssta Ribeiro, idenm.
iernardo Sampaio. approvaao plenamente.
[rineu Erasmo P. Jutuca, approvado.
Resume
Approvados corn distincqdo 3
Approvados plenamente 54
Approvados 70
Total 127
Reprovados 25.
Deixo da emencionar nesta lists, por ignorar o
grAo de approvaglo, o nome do Sr. Caetano Cor-
reia de Queiroz Monteiro que fez exame e foi bern
suecedido em lati, ingles, tegraphia e arith-
netic ; ben como do Sr. Laurentino -Antonio
Moreira de Azevedo quo in exame de francez,
inglez, latim, arithmetic e rhetoric, man cujo
resultado do me foi eommunuicado.
Juntando o resultado dos exames do Sr. Caeta-
no Correia de Queiroz Monteiro aso resultadd ju
eonhbecido tomes :
Approvados 131
Destes 16 terminarami o curso de preparatorios
e matricularam-se em diversas faculdades do im-
perio.
Recife, collegio Dous de Dezembro, 9 de janei-
ro de 1885.
... -- ,, -. dir-ector, -
J6sd Bandeira de Mello.


OGULISTA
O Dr. Darretto Sm& palo, medico
oculista ex chefe de clinical do Dr. Ce We-
cker, do volta de sua viagem ao CearA,
continla a dar consultas A rua do Barbo da
Victoria n. 45, segundo andar, de 1 As 4
bornas da tarde, except nos domingos e
dias santificados. Chamados cm seu con
saldtorio ou em casa de sua residencia.
run de Riachuelo n. 17, canto da rua dos
Pires.

Dr. Cerqueira Leite

Medico e operator
De volta de sus viagem A Europa onde frequen-
tou os hospitals de Paris, tend feito unm curso es-
pecial de pirtos e molestias de senhoras, dia eon-
sultas no seu antigo consultorio A rua Duque de
Caxias n. 48, do meio dia a. 2 horns.
Especialidade : molestias de crianuas e de se-
nhoraw.
Recebe chamadoas per eseriptoou no seu eonsul-
torio, ou em aua residencia A rua do Bar~o de S.
Barja n. 30.


(7 F Dz, I'RIIPMIKTOIIIOS 7

( Frameex, geegraphia, ^
|arlthmedea e rhetierfra
\ 50 -B J)A DA8OLEDADE -650
I Infwatinm 8s cern o Dr. Toblas Barretto

0 acadeomioe-Suia. de. Malta. Iflota^pro-


poe-se a loccionar, segundo o- programma
official, frances e inglez em collOIQs e ca-
sas particulares, ou em suan residencia, A
rua do Coronol Suassuaa n. 173, por wo-
dico prego.



S Dr. Leonardo de Albuquerque Ca-
valeanti, mudou seu consultorio para a i
S rua do Marquez de Oflinda (antiga as
Cadeia) n. 52, 1 andar e fixou sua
S residencia na run da Imperatriz n. 7,
S2' andar.




u cirurgiAo dentists Joee& Bailisco par-
tecipa aos seus clients e amigos, que so-
gIue no dia 5 pars o sid, em busca de iwe-
Ioras A sua saude, e espera que na sua
volta continuem a dispenser-lhe a confian
a, corn que sempre o distinguiram.


~mptssdM_ e pda psmfl a ssipMbz ^- .
(b-estumin natrioulds no-em~d at')|yl^ *
rice pagaria adiaabntnassj~l:ii IH
par s, as da a.sprauzsa~aB...... .
Cads- chimes dovo tor noBe eieoo a 'il
dade de Olinda, urn pdetor
nea quo e responeeapabloIpagameatM 4
meuaihddsaa, M o qua podara awMr
d o no eabeloeimento, come deI a
de 1882.
ora infouunuaesleeaareeisatou AmCd bs
interessadoe entender-se direetamente eo o 0 SV
do eliaelboeimento.
Seminario d Olinda, 19 de janeiro de 185L
Couego Antonio Arooverdede A. Caoausa.-



S Dr. fello Gomes

Medlee' operatfd.r

Ru a do Bar o da Victoria, anta
rua Nova n. 37, 1 aud /
Onde pode set procurado A qual- |
Squer hera do dia e da noite. Conut.
J das 10 ao meio dia. Recebe l ehaafos
Sper escripto e para fMr a capital. ID e
Sdies-me eom espedalidade ao estudo de i
Sfebrea, molestias do peito e-affecoea sy-
philiticas de ambos os sexosa. II

$ { APPARELHO TELEPHONICO N. 156



0 Dr. AdriM
MEDICO
Continiua a dar consults das 11 as 2 horse da
arde, em sen antigo consultorio, A rua Larga pd
ERosario n. 36, 1.- andar. Chamados por esrcz
i uqalquer hera, na pharmacia Bartholomenu &C.

QoDI^Bo

Institutlo Arademiro,

153 lRu Yiscli 6000aiaiun

Efste collegio, est 0eleido emn utAb
mais vastos edificiosa d'esta cidade, acha-m
convenientemente preparado para eceber
alumnos internos, semi-internos e exterta
A situagao do edificio em um dos lugpf
mais hygienicos, a disposig-o dos salosedo
estudo e dormitorio de acordo com a ab
discipline, a excellent chacara, para o-
creios, o corpo docent e a long pratiesa di
director nas materials do ensino devm erae
penhores assaz sufflcientes ade optimo deges-
volvimento physics, intellectual e moral da
infancia.
Peusecs c HIlbuenlos
Os pagamontos so f-itos adiantadamode
por trimestres nos- 5 primeiros dias dos ma-
zes da janeiro, abril, julo o outubrt.
director nao fornece object algum ao alhum-
no, salva a conveugc comseu pae ou ttt.
Os alumnos internos pagararn por
trimestro 150M01
Os semi-internos da eschola in-
fantil 70W
Os semi-internon do cursor oe-
cundario 100,505O
Lavagem c engommado de
roupa 20,03


Externos do curso primario 200
Externos per qualquer classes
do cursor secundario 15=
Por qualquor classes de artess. 15409
Piano 300SM
Resultado dos exames officials prestados p-
los alumnos do collegio durante o annw-
1884.
POBTUGUEZ
Manoel Cavalcante do Rego Barros, cc
provado plenamente.
Joaquim Nunes Ferroira Coimbra, idai.
Jose Luiz Gonugalvesrerveira, ides,
Arconcio Camboim de M. Vasconcell
approvado.
Elisio Alberto Silveira, idem.
Andro Diaas Pinhoiro, idem
Alfredo Olyntho Barbalho, idem.
Antonio J de Rego M. Netto, idem.
Carlo de Paula Lopes, idem.
Justino E. das Novesi, demr-

RRANCEZ
Zeferino Pontual, approvado plenameate
Manoel C. do Roe BrNrose, approval.
Carlos Adour,. idem.
Manoel S. Nunes Machado, ider-
Jos6 Martins Fiuza, idem.
Reprovado 1
INGLEZ
Jose Gaspar da Silva Loyo, approved.
corn distinegso.
Aifredo Felippe da Costa, idem.
Joaquim Nunes Frreira oimbra; a-
provado plenamente-.
Joso Custodio de B Cospa, idem.
Aifredo da Siva Loyo. idem.
Manoel C. do eg B. approvado.
Andte Dias Pinheiro, idem.
Joaqaim S. de Arruda IFaJlAo, idem.
Jo6 Luiz G. Forreira, idem.
Reprovados 4.
LATIM
Horacio de Alaeida Guimaraes, appwm
vado plenamente.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idea-
Joo( Custodio de B. Costa, approvado.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ide.
Joaquim N. Ferreira Coimbra, idem.
Joaquim Siqueira de ArrudaFaleAo, idea-
Pompeo da Silva LoureirM, idem.
Leonidas A. de Mattos Torres, appre-
vado.
ARITHMFTICA
Jos6 Hugo Gongalves, approval dploena-
mente.
Sebastido Lins Wandewley, idem.
Joaquim S. de Arruda Fllco, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, ap-


* at

%


-f
--B
/
-N


pjruYCIHUo
Seminario episwpl do 0linda e jo rOCutodioide B. C.sta,idem
dAsd6 Dias Pinheiro, item.
Collegic Mcesaio Pompeo d a Silva Loureiro, idom.
A eomnegar do dim .-de. fevereiro proximo, es- Reprodo 1.
tr- abarta a matrieulado cuso supasio doS.e GEOMITU[A
*iiAQo de OliMd a.de Aprseparatorios doo D. Delmira B. dca Coat, sppnai e
IbgioDioeesano ; awsM a-ei s6 comqarl Ba,.
SAsitinpdinas dbe queos. icioso doppa E fi Autrant, approvado.
SAenlmas de qae eanteo curse dea Gonga ., ^ '1WS
d.live a au.aupawrina, ao: Jose Hugo Gogslv -da,
J.i ua, g..&1" JMS. do A




S ... .. .S.TI_


SS 4 A4 k
.. L .,




*


8. dft Coal., flpprftvmia pie.-

li 1R mira)Ini approvado piano-
+N. Fereira Co~iubra, idea.
Cavaloante do Rego Barros, ap-

&liott die de Barros Costa, appro-
Ill^ : *': '* UHTOBICA
IIflf de rad Faleo, appro-
ll ho ite'itaaiiaete&-
auooi Alfrodo M. do Paesos, idom.
l^1:' yspromd S. 2
i i;:D.,l Dlm PBIILO8OPHIA.
P. Dolwira Secundina da Costa, appro-
: wada plenamente.
Jobo S. de A. Falcb, idem.
Job C. de Barros.Costa, approvado.
Roracio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros,

Jos6 FerreiraMuniz, idem.
Reprovado 1.
RESUMO
Approvados corn distincgio 3
idem plenamente 23
Approvados 45
Total 71
Reprovados 10.
Para conhecimento do publico o director
do collegio declara que os curses do anno
ieetiro comegar.ao a 15 de janeiro de 1885
Recife, 24 de dezembro de 1884.
0 director,
Jose Ferreira da Cruz Vieira

dfit(a Iffmmama toeci j

Rua do ospiclo n. IS
As aulas date collegio abrir-ne-hao no dia 15
dejaneiro, continuando a te" aulan diarias para
todos on preparatorios e urn corpo docente de mams
reconhecedo merito
Admittem-se alumnaes nternas, meio ponsionis-
tas e externas.
A director.
Maria C6elho da Silva.

P1OGAIIMA
DA

Tni ciniel ttlt BoGa1orinoso0 t
S. Sebasti o
DA CIDADE DE SANTO AGOSTINIHO DO CABO
A 2 DE FEVEREIOO
On aetos iniciaes da festa come~arao na quinta-
feira, 29 do vigente, as 8 horns da note, quando
serat basteado o estandarte d'aquelle victorioso
martyr, havedo logo em soguida urn grande cor
tejo. fornladocre de scodo numerc de s",horas ca-
vrlheiros que, precedido da acreditada banda mar-
ial do corpo de policia e de um carro triumphal,
^ICOrrera as pricipaes ruas da cidadeo
Na sexta-feira, 30, principiarA o trid|no cuja or
thestra fui confiada a batuta do consciencios'
maestro Candido Filbo.
No domingo, e ao sorn da mesma banda mmrcial,
h note, havera um pompaso leilYo de variadas
prendas, entree as quaes- algumam. especialissinas,
grcribsamente cflertadas pelos fleis.
Na segunda-feira, 2, as 11 horns da manha,
teat lager a festa corn missa solemnne a grande or-
chestra,; procisio n tarde e Te.Denm a. noite,
tendon sidoconvidado um dos mais illustrcs orado-
res sagrados pain encarregar- se do panegyrico d<
tio preelaro sante.
Bandeiras, galhau detes, folhagcns e illuminaao
agior"o, ornameirtarao brilhauterncute o exteritir
dotemnplo. :
Todes aquelles acts serao anaunciados e depois
soeeedidosde multiple girandolas de foguetes,
nendo que ho utireo "dia se' farao subir diversos
lindon aerostaitos, primorosaunente construidos,
mtudo fim a festa nm variegado fogo d's artifiejo,
composto de novas peas adaptadas a actualidade.
A comiuissao pede enearecidamente son 8rs.
labitaates das runs adjacentes, que se dignera
de ansciar e illuminar as trentea de suas casas,
daudo assim mais interessrnte aspect a festa.
Os romeiros da capital o das esta5es intermc-
dias toer urm trem de rcgresso que partira logo
q uoe terninar o fogo.
Cidade do Cabo, 26 de janeiro de 1885.
A commissao.


Collegio


5I Iarqeez doHIral--4
^ dtteriado ollegSata Cn faa sciente
ae)4: p quoe este entabelecimento
s ato desd i 12 do corrente.

ll ;+ d Dr mour :a :rt cps : s
ll^^i ^ l~~i Pnima

B ,0de janeiri

as da tade

i por 15 Ikilos.
90. por 15 kilos.
da bolaa
a puiblica de 6 0/0, dc/


'++I;+++i


II


s. A erlas dms6. olieI. aehani-Be airtas
dead. o dis 'I^ 11^^^ do11^ e"arra1ito.

so a eocaeciusiro" dod di
1.1Eato curse coauntar4 noqszi d 5
aluneos entre internos, ext'nos- e meio-
pensionistas.
Reeif, 16 de janeiro de 1885.
0 director,
Manoel C. $ilva Braga


Collegio de N. S. das

Graicas
Est. entabelecimenoto de istrucao 'primaria e
secundaria para o sexo fernenino tern a sun sede
em uria contortavel chacara na Ponte d'Uchoa n.
10.
As materias ensinadas no collegio sao as se-
guintes : Religiao, portugues, franeez, inglez, alle.
mao, historic, geographia, piano, desenho e pintu
ra, bordados e flores.
As linguas falladas no eollegio sie as franceza,
ingleza e allejna, para as qoaes tern mestran que
residem no coilegio
A dtrectora encarrega-se segutdo a vontade dos
pses, dc preparer as alumnas para fazer oxames no
Academia, como fez este anne corn brilhaunt re-
sultado a collegial Maria Eugenia de Mattos, ab-
tendo distincao cm franeez, inglez e portuguez.
Directora,
Anna Carroll.

Collegio Amor Divino
Rua da Imperatraz n. 39
Abrira asa aulas no dma 12 do, correute. Ad-
mitte alumnos internnjs, semi.inter'n-s e externus.
A dire eti'sH,
0. A. de Mend nca.


COLLEGIO


NOSSA S. DA PENHA
Rua do Cabuiga us. 9 e 9
segu ndos andar es
Os trabalhos deste

collegio come ar o a

12 de janeiro.
As disciplinas ensi-

nadas sao: primeiras

Ietras, /Portuguez,
francez, inglez, alle-

mao, geographia, his-

toria, music, piano,

dlesenho, costuras,

bordados, etc.

Admittem-se alum-

nas internal, meio-


pensionistas

nas.


e exter-


Aula particular para meninas
VIdal de-Netlrelroq 12
Carolina Leopoldina Coelhode Araujo, partiempa
aos pars de fsmilia q.ie de fev,,reiro em diante
estara aberta Bsu aula particular para meniaa?, 1
run Vidal de Negreiros |pateo do Tcreo) a. 12,
1- andar, onde a mesma leecionara primneiras let.
tras, trancez. piano e diversos trabalhos de agalha.

Dr. Bettencourt
Ciruuriz: estreitamentos da urethra e do recto
eurados pela clectrolyse sem dor; fiatudas; tumo-
rea do utero. fydroceles se mnjectlo (eura ra-
dical). Eanalsamnamentos peoo process ,do Su-
equet. Uloeras. Medicia: molestias do peito
e da gargants. Syphdis, molestias venereo e da
pelle ; affecees do coranle. Rus do Marquez de
O"litna 84, dam 12 as 3horas da tarde. Chamao-
doe por oscnpto. '_*

Navio entracl no dia 30
New-York--21 das, vapor ingle_ JfaranMease, de
960 toueladas, emainadaudats F. 13. Tregarthon,
equi ow 30, carga varios generos; a Johns
*ton Pater & C *.;- .
8ahidos no me i dia
Santos por eecala -Vapor austriaco Menfi, com-
mandante Angelo Maliia, carp vario generous.
Santog per oscala -Vapor fran-es Vi/e de Rio
de J#aero, e ante Towel, carga varies
Liab6a==Pataclmo dmJr~ibuMwio, enpxtIo


ite em urn preo4W de

ondicoes hygienica. do
a etc..


costumes.


Fundada npaprineipios darhi'giao catholics, eotrehnde o ensino do cathcemno, regras de civilidade e pratica dos born


INSTh1IC~AO


Comprehend. as primeiraa lettros, portuguez, franeez, inglez, istim, geographic, historia, philosophia, rhetoric, arithroe,
tiea, geometria e agebra., -' .
H1 tambem en.ino do musica, piano e danga, mediante paga especial.
0 corp. docezte coap sjoeprofeseorea oonvenientsmente hablitados e de ea
Ha no collegio urn sociedadslitteraria compost. do. lumnos mais dodicados. is lettras, a equal pemsue uia pequena bi-
bliotleca e celebra suas sesoes o'dinarias nas soxtas-feiras, constituindo assin uns ospesie de aula pratics de doclamacao.


C@NbIV4~KS


Admitte-se somente alumnos interns e externos.
Os internos paganbo per trianetre adiantado 160W,00 ; os externos, 20,5000 pow" ead aula. Os pnimeiros pagarto tam-
bern 20 ,000 per trimestre pars a roupa lavada e engommada, ficando esta a. cargo do coltegio, e 50,000 de joia no actor de sun
entrada. Uns e outros sao respousaveis pelos damnos o prejol'on que causarem nos objeotos do collegio.
N~o se fara desconto- do f&rias, nem da faltas-dadas peloo alumnos; e, soment. no easo do expul.o, sera restituido o
quo faltar parn o vencimeato do trimestro page.
Para lftreruKa es, 08 ^rs.: Comaeddador Jos6 Antonio Pinto e Henrique Xavier do Arauno Saraiva e Mello,
Recipe; Dr. Bellarmino Cesar 0nonud, Jaboatbo; Dr. Francisco Gomnes Leopoldo do A.aujo, Nazareth; Bernardo Pinto de
Abreu, Goyanna; Jose Clementino Bezerra de Moilo, Lirmoeiro ; Dr. Antonio Alves Percira de Lyra, Caruarn ; Dr. Joaio Ca-
valcantu de Albuquerque, Parahyba.
Resultado dos exames officials prestados pelos alumnus dest e

collegio durante o anno de 1884
-M~t^I^ ;. Clenaetria
.Joibo Aifredo de Oliveira, appruvadm eop distincio. Manoel Gon~alves da Silsa Pinto, approvado plenamente.
Fnaoiso GmeIs de Aranjo, apprevado plenameuete. Geraldo daa Merose de Souza Landium, approvado.
'Fausto Anelio Fernandes Pinwnta, idea.-
Joau Emuliauo da Costa o Albuquerque, idem. le~frapila
Joaquim Iyppohito Fernandes Pimenta, idem.
.Jos Antonio Pinto Junior, idea. J. 2e Alfredo do Oliveira,. approvado plhnameate.
Jof Bonifacio Pessoa de Mello, ide.. F. anciso Xavier Carneiro de Albuquerque, idem.
Mauneol lIarboan de Preibts Coxileho, idean. Alberto Furtado de Mendona, approvado.
Manoel Correia Pessoa de Meho,. idea. Manoel Goncalves di Silva Pinto, idem.
M'anoel Peixoto de Alecar, idea. Janueio Salustiano da Nobrega, idem.
liguel Arehalno Ferimandes PHaenta,den. Francisco Gomes de Araujo Sok-inho, idem.
Luiz Jos6 da Silva, ide.. Antonio Guedes Gondimn iduio.
Jo;

s. reprovauu.
Eliloria
M'mnoel Goncalvcs da Silva Pbnto, approradoi plenamente.
Pedro Secundino de Souza Lanidim, approvado.
Phllosoplhla
Manoel Goncalves da Silva Pinto, apprvado eom dise! ncA.
Mhtelorfra
* Jose Agapita Maciel, _agova-o.


Francisco Piato de Akrea, .pprovad&i pienanent".
,Jos Agapito Maciel, idem.
Jo,.o Pinto de Abueu, approvado.
13 faltilram a pvcva oral .

J,,iu Alfredo de Otiveiran approvado pteoaDm~iBe..-
Francisco Pinto de Abreu, idim. '- "
?dautic Poixoto de Alencar, idemqu ,
.J,?.o Pinto de Abreu, approvado.-, --,
.J.ms6 Bonifacio Pensaoa do M^eltbk i^*4.-^:':^!g.
Ji)iequiiir Hippolyto Fernaudes Pimeutae i~ideu. ua


J.';To Arfred. de O'ivoir*, approvado plentaieaue.a
Alvr'to Furtado do Meuadona, mapprovado.
Francisco Xavier Cannei-o de. Albuquenouv Flh<, klein.
Jo:equim Hippolyto FPrenndes Pimenta, idkein.
I rcpiovaidos.
Arnilg,,etlka
.0 ympio Bonald da Cauha Pedross, appaet ado.
Anrtonio Joaquim de Albuqaerque Melto idmi *,


INSTITUTE
DE





Tiitpu r i npi nai ++ p nnn+_i 0p pdrp'ttva

''
Este collegio tuz-dadoemn 1873, contiin.i a nuewionar n rua deS. Francisco, palacete u. 7-2;. a
admitted aluinnos interuos meia-pen jaistas e extoeno.'. -
As n'it s-ias proffessandnas csi : Prtmelraa lellra Porwugueu, Latlum. France.,
Inflez. Rgetlhea'Ia. AIfst o IAoa eeamelria. 61eograpbla, Hu!toria. PblaS -
sopitia, MhsncMa, 1$amla e Deutenho,
Os profesnores -do hahulftados e moralisadosa tendo on alunmmos obtilo sempro bons resulton B
tanto no. exams prestados no Iubtituto como-no Collegio das Artes.
A alimentaao 4 do eabundante, reservaynd we apenas certoafructos e outras comidas 'oni-as,
O regimen nterno na. 6 vexatonlo: ha but-as destinadas pana estudo, recreio e repouso e em
caso nenohum soffrerno os alumnos pnvacAo da alineutacae nero deixarao de repousar as borns eigidas
peha ho lho e di ido de oonformidade ieeora idadee deoenvolvimento physics e moral do
cada uw. : i *
0 predio 4 cotnmodr, neido e out genal clair e fresco, corn espagsun salas para aitlua, refei-
tono, dormitories e reereio, mobialaBa coavenieatemeato.
"O collegio fornoeea paper titm+*, lapis, erayons, ardouiasn livros para nosoantas
ase'a am ,iB^it' tem!^ 1-^: ^ ......... **1:- 1 + ,. '
S Osn ilumnes iiterto tarabe 4wadireid A roupa Invada c engommada, sem remuiecamao algu-
Tm s al eaiBti N A^ : ,: b-. -++ ,-js' "
''' i+tti ^ ^ +' : i *: ^ -*-.1 ;


hie~aI 4h1~


~ QMOinmtVS. -. -
rn-paris -
Lp-paUR9-~Ub


deIaEhacnoaruada.
tons
~pa.
~few~abaeia

~I..
A~tea.


Distincto .
Plenamentes.
Approvadoa
Reprovadus
Faltaram :i prova oral
Total .


2
- 21
19
5
13
60


Per este resume vsoq Aq, dos 60 exadues, 42 foram bern succe.
didos.


Collegio do Santissin o

Corawao de Jesus
Es:c collegio pars instruccao do sexo fe
ininio o que funcciona no predio n.. 15
da travessa do Veras, abrira suas amdas
no dis 12 de janeiro proximo.
Tendo feito acquisicfo de bonds puofes-
sores para as matenias que constitute o
ensino ,o ruesino coll.'gbi3, uchin se nunme-
Iiores c(n, iftis de preen'"Iir o spitfan.
Sao pruf-cs-res os s'ttiuiiteis ,-ls1=
Priieiris ictrts -D. 2M.,ri'i: Luia SatiiS -
ipaio.
Portugtiez Dr. Jo'io Fci' e.iano, (^a thnt't
Albuquerque.
Arithmetliica ft'ancez ne ^eoew.phia-i
idemn.
Desenbo Jcronyuao Jos- Telies Ju-
nior.
Piano e- mnusica a directors.
Almu dessas disciplinas, o.eeoegio ensina
trabalhos d'ngnlha, bordados, etc.
Recife, 31 de dezembro de 1884.
A directora-
Vscentina Cesau de Mello.


-- Vinko fierrglnoso Aroud
-CARNE, FEURO E QUINA 1 Dez annos
de exito constant e as affirmanecs das
main aitas sumidades da- seiencia medical
pronam quo a associaco da CARNE, do
FCRRG-:e da QUJNAl, eon itu ::mo
energic reparador ate hoje eonnlee^iopars
urwar: a etloronse a anemia, a ruenstrus-
|o dolorosa, s poblu'ea o a altera^lSo do
sajgue, o rachtiamo, as affec$os onciofu-
|||||Isa; 8oM ,ca. etc. 0 vinho.- erru-
giuii corneff'eito, o uncquo
|si~i*: tudQ tietoifica 'e kertifla o-
l -itan eptsc1 considcn-

P:ti do, a cor e a


Eserlptorlo Nial eum UADRE,
Careem w.23
e e- toda,.. prtelIpae*i 1s
capIta.es dae
rica cpm trle ale cerldimsR

men
Durante o semestre deomaide de 1 d janeiro at*
i80 de junhe proximo pansado, pagan esta conapa-
|hindor 38 8 aimntros (mortes) a importancia to-
1tal de 1,827,217 dollars auo dos Estadon-Unidos,
iou em moeda brasieira cerca de 4,600d)000, se
do : ,
ia fevereiro por5 '- 209,615
; marco por 75 252,186
r a fbril por 84 a 3 s 96261
o maio por 61 409,59
* junhopor 58 n 5 290,685.
Minlulron na Iniportanelta
"toear'2e a Inglaterra ftde A 19,125
a AEecossia 6. 5 10,000'
A, Irhanda 2.. 22,500'
o ao Canada 8* A 30,000
o As Indias Occid. 10-. 5 87,000
S A Franca 2' 5 12,000
a Allemanha 2' 5 5,680
o a Ieepanha 6'i a 30,000-
& A Suinsa -1;' 7,000'
o ao Chiie 35. 5 17,000"
S aso Mexico 6%.. 5 28,000-
o sos Estados-Unid. 331-. 5 1,558,912
Total 388 5 1,827,217
RuEiniante o mesmo period pafget a companhia


3m 18811:
Em janeiro por 56 sinistros
-. tevereiro a 55
mm- marco 75 *
I- abril 54 ,
S-. maiio 65 '
a-.junho 64
Total por 369 o,


199,900'
5 22),112
S 255,654
.. 5 232,205
5 365,858
227,370-
1,500,599'


O rateio da mnrtalidade sobre oa-seguros vigenu
tea era em 1883 de 1 10/100.
0 total pago pela companhia nuse ultimos 25
anos, por sinistros, dividends1 annuidades e
*quidaSes de api.lices, era era. 31 de dezembro
pooximo passado S 83.877,699 5'l7'/on b n/rn........
20O.000:000,J000.
0 total dos haveres da componltaa- em 1 de ja-
neiro de 1884 era 53,030.582.00.o total de seas
responsabilidades conforme a taia de 4 1/2 0/9,
*adrao do Estado de Nova-York" ^,40.02'825.OG
dcixando o enormnc surplus, fando.de rcservea.a dib
vidir-se e itre os toutuarios (possuidares do apeli,-
ees de 12.109.757.00 ou cerea d'o 30.000.000)000.
0 ratem dos hiaveres da compstailuf por cada
C& 100 d, sua resplmnsabilidado dede 12i.h
(Extruhido dos Itelatorios Oflieiacs).
; As pessoas desejando iuforim;5s ou querendo-
ri^tzor unma proposta para segurar a vid't, pedern-
^pondeiitoF, ou ao Sr, William Mwmn Webster, rua*
|do Comnmnereio n. 3, o encarregado dos negoeios da.
jcompanhia, nests pra~a.
:, Recife, 7 dc Novemubre de 1884.-T7deod. 9imn,
Agente gera' neste impcrio.
MOINHOS EXCELSIORipara moer qualquce
materia prima, caf6 torrado,.mnilbo etc..
ARTI(OS DE FERRO 1U!DIDO :ENDU"
RECIDO, como rodas para carros do caminho de.
ferro de toda especei, cyliudros,. peas do machi-
nismo, trilhos e cruzamentos, samples. e dopatontse
I RGULXDORES COSINUSJ para machinas a
vapor.
MACHINES PARA QUEBRAR" PRDBA&
CRIVA(OES DE PATh-NT.E e mattos ontroa
artigos de ferro batido, fuadido e endureoido.


Bnekau-Miadebiw

TO3Ecxio. txjSTr
17--- CORPO. SANTO--17
Umice agse

EDtTTES

IFaeuaid3e- d a, ......
Dfe wrd,'ini do E:sln. Sr. ciiselhCir" djrectga- i1-
i ,rino, f;i(;o public., que ii<> dia 3.1ie fi:v, irEi.pao.~
xinIi^ "'.iin;ou1o CO t ris.d,' seitneia.3, as ) hIoras d:i namnh;1, por t(tif:
In111s (de 12 e',:.iiniDidos, dovomido to, logan an.
inzsiuoa dii;t :uInIits as5 PIV,/VJl5i osc'nipi 0 o0'111
[Do aecurdo c, 1 n ; IsttrPci;l', a *iie. ,m.reire tm
I decrct: n. 4,.1-(t tie 39 d ontiuibro du' l'G.g)arr..t.
hav erA uinrei elain'da dos winniiondog. feitsi
pela ordem d-t nueitrii~ao des jespeetiva& lifias, e
os quo doixarem passar su& vez,. n-Lo acudhndt a
chamada, poder.lo se justilioaa peroante o RBu Sr.
director motive attendivel do nio comparecitetn-
to, ser admittido a exame, depois do e otala a
list dos ioscriptos par o. ezaines diai tttia. A
list dos 12 examinandos sera publicadn ,iaria-
monte, assim como a hsta da turlro sa lestar
dos 12 seguintes, da qual devento set, haimados
tantos examinandos quaatos ftrem neeessarios
para eompletar o numcro de 12.
Outrosim, mands o xm. Sr. direct traisere.
vex para o eonhecimento de told os onitregados
oa arts. 92, 10. e 11. dli portarat do Miniaterio
do Imperio de dde fivert iro do 880, quo sio .o
seguntes :
Art. 9.o E' expressaweute prohihdo a qusiquer
peosna ainda quO sejam direotores des colekgios otu,
profemsores, approximarem so ias meas do exa-
mes; assim como peoetrareo, ab. qualquer pre-
texto, nas salas de tmabalho da Secretaria, duxanto
o servis o dos meeruo exautos. < "
Art. 1.0 Nehum ompregado da referida 8e-
cretauia podera pentrar na sara do exames, sere
qle a sua preseuna tenha sido reelamada pelos
proadoeates das mezas ou peio director.
BBm Benehur easo, por6m, poderat conervar.o
junto as mesas on assmstw non julgniientes.
Art 1l1. Nenhume xaminaudo podera ser ap-
provado coin distinceao'bem qiae baja obtido a no*
ta oppt'us na prova escripta.
Secretarla d cnidda de Dirrito do Reeife,
T dojawer de 1885.
Odsorietaris,.


Costumes.


/, 2""











I!


k*peial Mieid
DOS
Artistas Meehanicos e
Liberaes
ELEICAO
Nlo se terido.realisadj dtomingo 2 5 do corrente,
a sesamio para eleicio d dircctoria par;s o :onno
orrento p-r falta do numcro, de e dem do Sr. di-
rector eao novamente oonvl'dadns os senhortBs so
cios effectivos que ctivercin nas cendi<;es exigi-
da, no art. 51 d&s estatutos, a comparecerem do-
ingo 1" de feverciro, Ats 10 horas da inanhil,
afim de ter lugar a ri-ferida scssao, a qual so furA-
eom o numoro de socios que comparecer.
Secretaria da iinperial sociodade dos Artistas
Mechanicos e Liboracs em Pernamuco, 27 de
janeiro de 1885.
Francisco da Costa Ramos,
10 secretario.
SIdrmandade


DE
N. S. do Terfo
De ordein do irmAo juiz, convido a todos os ir-
miLos desta irmandade pra comparecerem as 10
hoiras da manhli de domingo 1 do mez proximo
vindouro, no consistorio desta igreja, afim de cm
assemblka geral elegermos juiza e tres mesa-
rios que deixaram de aceitar os cargo para que
forani e:eitos.
Sccretaria da irmandadc de N. S. do Tero, 29
de jaieiro de 85.:=0 sccretario,
lBenito de Souza Myra.
2.o dlstricto de B6a-VIsta, 99
de janeiro de ISS5
Intimi aus Srs. prop)rietarios de casas ou terre-
uos sites Is ruas do C(:ipitiio Lima c Fnundiio,
abaixo d.'cliiaradios, pari io praso de 30 dias a
contar de olij,) inautdlrein constratir ou recons-
truir os passeiks da friite, oitAo, ou inuros do
suas casas ou tericiljS cm. ditas ruias, sob as penas
da li.
Propr,,'i'/ur's
Antcnio Go!IIs ',reira.
Eduardu' hurle.
Franga do Rego Medleiros.
Jos6 1t. da N. Saldaiiha.
Manoel Joaquim da Costa Ra-.:io.
Eduardo Cureino d'Assuinpeo.
Galdinuo Gomes.
Jose Autouio Pereira.
Dominingois Antonio lBeriz.
Souza Lima.
Jos- Jaiquini Alves.
Dr. Joao da Silva Ramos.
Amorimn & rirmio.
Manoel loeis.
Guilhermie Ptureel.
Dr. JosA B. GutlvAo Alcoforadu.
0 fiscal,
Jos. Ailtusto do Rcgo.

Subl.-. Cap.. Allianma
De orden sup lrior convilo aos qpe o Comnp)emI
n' sc runirenm doming,o 1" dte fcvereirn, As 10 li o-
ras do din, para se tratar da cleitilo dos novos (
fulnecioirios. t
Sc-rcetaria d, Subl.'. C:ap.-., 29 deC j;;neiro de
IS85.
Dauton 30.-.
Secret.'. adjhli.


Sanlo Aimaro das Salinas
A mesa regedora d a todlo o.s dvotos e devot..s do milagroso santo,
(Iue a sui igreja estara, aberta at6 domingo todos
os dlins at 9 horns da noite para as pessoas que
desejarclm fizer suas ora6cs e promuiessas, e do-
]DingoU sera.t aft(stT de NT. S. das Angustias, ni
mesinu igre(ji, tendo as 10 horns da manhiha misa
efintadla solemn e a note lidaiilh.
Consistoriu ia irmandalde di Santo Amar.) das
Salinas, 27 de janeiro de 85.
0 escrivno-Silva.

Connudia Qgnta Thppo7Q
De abasteciiiieiitlo d'agna e iz l A
cidade de Olinda

Pelo regulamento da c ,mpinhia estai estipulado:
I. Que quacsqnuer reelaimnaes accrea do servi-
:o public on particular, quer do fomrceimento
d'agua, qun r relative a illwminaao, para serem
attendidas devem ser feitas POR ESCRIPTO, datadas
Sassignaias, dirigidas ao escriptirio da companhia
(officinas de gaz nos Milagres) diariamente.
II. Que silo respoitsaveis por semelhantes recla-
mnaes os seus siqnatarios, no ceaso cmi que as des-
pezas nao sejam da comnpetencia da companhmla
(canalisacao no solo das ruas poar onde passem os
encamentos).
III. Que a compaunhia reserva para si o d reito
de fechar a comnin.cafao do gaz ou agua a qual-
quer casa ou estabelecitnobt., cujo DOSO nao pa
,ar corn promptidao suas contas de consumno, as
Publicando estes artigos para pleno conheei-
nento do(In public, aproveitc a oportunidade pars
declor Z que qualqucr conta de cousumrno ou con-
*erto d'agua ou gaz s6 deve ser pago mediante re
crb o estando por mnm rubricado.
Escriptorio da compaiinhia, I do janeiro de 1985.
A. P. Simhes,
Gerente.


IRMANDADE
DE
S. Jose do d'Agonia, erecta no
conivento do Carmo
De or lem do nosso irmmo provedor', convido
polo presented a todos os nososos irrmaos a compa-
recerem no consistorio de nossa irmandade segun-
,a-feira 2 de fevereiro, As 11 horas da manha e 6
da tarde, afim de pararomentados, assitiiemu a fes-
ta de N. S. da Luz, que terA lugar nesse dia as
horas referidas e no mesmo convento.
Secretaria da it-rmandade do S. Jos6 d'Agonia,
30 de ianeiro de 85.=O0 secretario,
M. Capitao.
Monte Pio Popular Per-

nainbucano
S..icutifica aos seuhores s8Oos q-ise a 1" scssab
qj conselho admiuiatrativo desa socie-ladce terA
ougar na quarta-feira 4 de mez vindouro, e para
assistil-a, convido a todos os mcnbros do mesmo
conselio parn eomparecerenm o s.iprmdito dia, As
t; 1/2 horas da tarde ; e bcm assim a todos os
candidates approvados para virem prestar o res-
pectivo jnramento.
Seereta-ia do Monte Pio Popular Pernambuca-
It, 30 de janeiro de 85.
Gouveia Cordeiro,
1" seretsrio.
Nstrada de ferro do Re-

.-Aife itarWarii
De owdm do llhm. Sr. director enpnheiro she
f 9. iaOwtsa que so a* h beta so tratego
40A^E o tuImmsuics d ciWvAoS do Gri


.- 4t -'..:


ESTRADA DE FERRO.
DO

RECIFE AO S. FRANCISCO

AVISO


Festa do Cabo

SEGUNDA-FEIRA, 2 DE FEVEREIRO PROXIMO
A16m dos trens ordinaries de passageiros haverA os seguintes trens centre as
csta1ecs de Cinco Pontas e Cabo. 4


IDA (m
Cinco-Pontas (partida)
Afogados.. .
Boa-Viagem.
Prazeres .
Ilha .
Cabo (chegada) .

IDA (ta
Cinco-Pontas (partida)
Cabo (cliegada) .


Treni especial


anhhl) HVULitA (L
H.M.
11.30 Cabo (partida) .
11.40 Ilia .
11.50 Prazeres. ...
S. 12.- Boa-Viagemru..
12.20 Afogados. ..
12.30 Cinco-Pontas (chegada).


rde)


Trem de excursion
11.2!!.
S 2.- Cabo partiedd
S 2.45 Cinco-Pontas


noite)


VOLTA (noite)
a) .
s (chegada) .


H.M.
" 11.-
11.15
11.35
11.45
12.-
12.10


H.M.
11.-
12.10


Preeos das passagens inclusivee a taxa do governor)


Do
D c
Do
Do


Cinco-Pontas ao Cabo
Afogados ao Cabo. .
noa-Viaszerm :in Can .


De Prazeres no Cabc
Da Illia ao Cabo ....

Urn so tri-cm
)s passag-eiros vindos
tidos para o trenim de


. -


TRENS ORDINARIOS E ESPECIAES


IDA


0 t

'. +ts'i ;s

26500116900 1300
2?,200 1700o i,-10oo
1800 16400 7'800
16o00 1,300oi 1700
66001 "500i '4300


IDA E VOLTA


a -
a a


,$700 25800,
36300 2COO 1
26700 210001
2-"400 1 "800
#900 #700


7
a



15^900
li 700
16400
1"1300
^5500


TREM DE
EXCURSAO


IDA E VOLTA




----- --..---------.
2#50011 ,590 )l] 4300
'-^> 'a a


2I50 1 ^90 J 1 p300


is 11 horas da noite, do Cabo para as Cinco-Pontas, conduzira
pelos trons ordinarios, especial e de excursao. Os bilhetcs mcinit-
excursao nlo servem para os outros trcns.


Cabo, 29 dejaneiro de 1885.


IVellIs Hood,
Superintendent.


THEATRE


SA ITO ANTOI0

St0iolaf Rocreil Pastoril
HOJE! HOJE!
SABBADO
GRANDE FESTA PASTORIL!
POMPOSO ESPECTACULO
Alta novidade
Depois que a orchestra tocar uma linda ouver-
tura subirA a seen pela 14.a vez o applaudido dra-
ma de C. das Neves
Gabriel e Lusbel
) Anjo Bomn e o Anjo Man
Esta peqatcm sido aDpladida pelo public desta
capital.
Att u !.o. Atten(;fl!0.
Rcprcsc.tar-se-ba pela segunda vez

0 Peccador Arrependido
additive do notav, l artist Lisb6a.
E' HOJE!! E' HOJE!I
Alerta rapaziada!!!
D)omingo o mesmo espectaculo, em beneficio do
ERODES
que pede a protecaglo do public em geral.
PrincipiarA as 8 1/2 horas da noite.


MARITIMnOS

COMPANIlIE DE II ESNACE-
RIES MARITIIES
LINHA MENSAL
0 paquete
Senegal
Coimmaundante Moreau
Espera-se da Eu-
Sropa atdo dia 4 de
fovereino, seguin-
do depois dag de-
mona do costu-
me para Buenos-
Ayres, tocando na
Bahia, Rio de Janeiro e Mlonte-
tevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta agen-
cia, quo podem tomar em qualquer tempo.
Para carga, passages, encommendas e dinheiro
a free: tracta-se corn o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9

Faz.se pdbio que, porordem
superior, os v desta con
:-6.,-= .


Pacific Steam Navigation Companr
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR
Magellan
-% Espera-se dos portos
do sul atA- aodia 2 de fe-
vreiro, seguindo parn
"t -*- a Europa depais da
demora do costume.

P ira carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comos
Consignatarios
IVllson ons t& C., Limited
N. 14- DOCOMMERCIO N. 14
0 VAPOR
Araucania

aportosda Europa
atWodia 15 de fe-
vereiro e seguiri
pans.os do sul e
do Pacifico depois
dia demora d,) costume.
Par& carga, passagens, ewerommendaPs e dinheiro
ofrete: tracta-se comos
Consignatarios
VWilson Sons i& C., limited
N. 14 -RITA DO COMMERCIO-N. 14
Companhia Brasileira de Nave-
gaio a Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor
Espirito-Santo
ComnmnandanteJ oao Maria Pessoa
E' esperado dos portos do sul
at ao di 6 de fevereiro e
Sseguiri depois da demora in-
Sdispensavel, para os portos
do norteW at MaaAos.
Para carga, passagons, encommundas c valores
cracta-se na agencia
46 RTJA DO COMMERCIO -46


PORTOS DO SUL
O vapor
Bahia
Commandante I- tenente Aurdetiano Izaac
E' esperado dos portos do nor-
S, t e at6 o dia 2 de fcvereiro c
SseguirA depois da demora
do costume para os portosdo

Reeebe tambem ecarga pra Saato o Rio Gra.
de, frete modico.
Para carga, passageus enooammsndt s valores
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO 64
Cempanhia Bahla--de Navega
oae a Vapor
Maoei6, Villa Nova, Penedo, Aracaju,
Estancia e Bahia
S0 vapor
Caravellas
Comaaro ~tad~ade


tRo% wnaambaeo, Baili, Miode J',anio


Santos
Steaumr
Sully
^^ pa ate o dia 16 de fb-
^^.vieri aegnmdo do.
ins da i sia-vel
nmora pa n a Na -


t i in 1m* .iU~-
ue* 8an4A. -"
Roga-se am Srm. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro doe 6
dia a coutar do da dearga d alvarnga, quai.
quer reclamaqo concernente a volumes, que por.
yeatura tenham aeguido pamraos pertos do sul, afim
dse poderemdar a tempo as provideneias necessa
- Expirado o referido praso a companhia ao a.,
responsabilisa por extravios.
SBAecebe carga, encommedas e passageiros, par,
os quaes tern excellentes accommodanoes.
AGENTES
augusto F. de Oliveira

4AO.
42-RUA DO COMMERVIO -42
(Entrada pela rua do Torres)


COMPANNIA. PEINAMBUCANA
DE
Savega1o Costelra per Vapor
S+ PORTS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macdo, Mossor6, Ara-
ca-ty e Ceard
Segueno din5 de feve-
reiro o vapor Pirapa-
ma commandant Car-
valho As 5 homr da
twarde.
.... Recebe carga at o


oaia .
Encommendas, passagens e dmheiro a frete atW
as 3 hornas da4ade do dia da sahida.
ESCRPTORIO
Cacs da Companhia Pernamnbu-
_cana n. I
United Slates & Brasil HailS.
0 vapor
Advance

L Espera-se de New-Port-News
^ at6 o dia 6 de fevereiro,
seguindo depois da demora
necessaria para
Bahia e Rio de eanelro
Pelos vapores desta companhia dao-se passa-
gens para Liverpool ao prego de 200 dollars ; o
passageiro desembarca-ado em New-York tern ga-
rantia a passagens para Liverpool quando lhe ap-
prouver por vapores de la ordem.
Para carga, passagens, eueommendas e valores
tracta-se corn os


AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUADOCOAit ieC10 -
1.-andar


N. 8


0 vapor
Merrimac
-" E' esperado dos pertos do
At / msa / _ul no dia 12 de fevereireo, c
"depois da demora necessaria
lul~seguira para o
Para Iffaranhao, S. Thomaz e
New-York
Para carga, passagens, e encommendas, tracta-
se corn os


N.8


AGENTS
Henry Forster & C.
RUA DO COMMERCIO -
1.- andar


N. 8


LEILOES

Agente Pinto
-Terca-feira 3 de fevereiro deve ter lugar o 1c'
HO da caso terrea da rua de Marcilio Dins n. 55,
Odificada em chaos proprios.

Leilao
De grande quantidade de moves, louca, vidros
o porcellana, constindo de 1 mobilia -de jacaran-
d corn tampos de pedra, tapetes, esteiras e alca-
tkas para forro de sala, espelhos de moldura don
rada, lanternas, jarros finos de porcellana, ditos
de alabastro, camas para solteiro, ditas para casal,
quarda-roupas, commodas, estantes para liyros,
cabides, quartinheiras, aparadores tomneados, di-
tos de armario, 2 mesas elasticas, santuario, machi-
nas de costura, apparelhos de porcellana para jan-
tar, ditos para almo9o, cops, calicos, garrafas
para vinho, galheteiros, facas, colheres e muitos
outros objeetos pertencentes .a casa de fanmilia.
Sabbado 51 do corrente
A's 10 e/2 horas
0 agent Gusmao autorisado por uma familiar
ue mudou-se para f6ra da provincia, fora leilao
e todos os objectos existentes no 2o andar do im-
portante predto da rua do Barao do Triumpho
n. 84.

Leilao
DE

Terp-fair 3 doi foror
Em sua agenda A rua do Born
Fegus n. 45
A' 11 HORAS
0 agente Alfredo fxuimaraes, por alvara e as-
sistencia do Exmi. Sr. Dr.juiz da provedoria e ca-
pellas c a roquerimeato da mesa iegedora da ir-
mandade das Almas erect na igreja do Corpo
Santo, vendera emI lcilao deste dia as seguintes
easas
A saber :
1 casa n. 76 sita a rua de Marcilio Dias.
1 dita n. 59 sita A rua do Barao de S. Jorge.
Ambas edificadas em terrenos proprios.
Os Srs. pretendentes poderao desde jA examiner
is referidas assus.


SAgente Pestana
... .'leihao

De uma parte do. eI ho Juaseara no Va-
loir doe 1:00016t
TeK4.eWf *4e Severefre
-- W0 MlDIA


IS'ii!^ ^8^^"1ii 1frwi
w oo. S ., t -'. r
::s, '4d:* ,-Ow. O ,- A doUnit


AgterIe rUo
0 agents aemaa madado e oem a presn do
Lin. -Sr. Dr juiz do direito da provedori, e a
requerimento da Iilma. mesa rege.dora da irman-
dade da Alma. erecta na igreja do Corpo Santo,
vrnderi ew leilao o referido sobrado, comn a front
modern e exeollentes aceommodagoes, em terreno
proprio.
Terta-feira, 3 de revereiro
A's I I heras
ftRua do Rangel n. 41


Agent Pestana

Segundo leilao de predios
Um sobrado de 2 andares sito a rua do Marqucz
do Olinda n. 43.
Um dito de 2 andares sito a rua de Domingos
Jose Martins n. 38.
Um dito de 1 andar sito A rua do Torres n. 4.
Uma casa terrea sita A rua de S. Jorge n. 75.
Uma dita dita sita a rua de D. Maria Cesar n.
31.
Uma dita dita sita a mesa rua n. 33 todas na
freguezia do Recife.

Tor -fa, 3 do Fvor mo
AO MEIO DIA
No armazem da rua do Vigario Tenorio


n. 12
O agent Pestana autorisado por alvarA e assis-
tencia do Illm. Sr. Dr.juiz de direito de capellas
e residues a requerimento da meza regedora da
Irmandade das Almas da matriz do Corpo Santa
levarA a leilao os predios acima mencionados per-
tencentes a irmandade.
0 mesmo agent pede aos diguos irmaos da dita
innrmandade o seu comparecimento.
Para qualquer explica9ao os Srs. pretendentcs
dirijam-se ao dito agent na rua do Vigario n. 12.

Leilao
Da casa terrea da rua de Marcilio Dias n. 55,
(outr'ora rua Direita) edificada em'chos proprios.
Quara-reira, 4 de fevereiro
A's 11 horas
Na rua do Bom Jesus n. 43
O agent Pinto levara ai leilao ,per mandado e
corn a present do IUm. Sr. Dr. juiz de direito da
provedoria de capellas e residues, a casa terrea a
rua de Marcilio Dias n. 55, edificada em chaos
proprios, isto em virtude do requerimento da mesa
regedora da irmandade das Almas, erect na
igreja do Corpo Santo.

Leilao


Da arnuaao, generous e perten-
ces da taverna sita a travessa
do Poelnho n. 24.
Garante-se a casa ao comprador do estabelecimento
Em seguida se venderA um moinho grande para
cafe e algumas latas de leite condensado.
QUARTA-FEIRA 4 DE FEVEREIRO


nesta typographia corn
a inicial W, declaran-
do os commodos daca-
sa, rua e por quanto
vende.


Ao commiereio
Os abaixo assigdados declaran que o estabele.
cimnento de molhados sito a rua da Penha n. 33,
que gymava sob a firma de Bernardino Ferroira
Praa & C.. flea d'ora em diante gyrando sob a
firma de Praca & Neves, de conformidade corn o
seu contrato archivado na meretissima junta com-
mercial.
Recife, 31 de janeiro de 1885.
Bernardino Ferreira Traga.
Jos8 dns Neves Pedrosa.
Attendei-ine!
A pobro velha e doente, moradora na
travessa do Bernardo n. 51, supplica dos
caridosos coracees uma esmola pelo amor
de Deus, que ella e sua filha rogarao ao
Creador a sua paternal protec9o para 08
que se condoerem de sua miseria.
= Precisa-se de um home casado, cuja mu-
Iher saiba lavar e engommar tuito bem, para
tomar conta de um sitio na Passagem da Mag-
dalena : a tratar corn Joseph Krause & C,, A rua
Primeiro de Maigo n. 6.
= Precisa-se de uma criada parao service do-
mestico em casa de familiar : a tratar na rua do
Bareo da Victoria n. 39, loja.
Traspassa-se por tres mezes urna easa na
praia dos Milagres, em Olinda, perto dos banhos
salgados : a tratar na rua do Gervasio Pires n.
23, no Reife.
Precisa-se de um caixeiro brasileiro, corn
pratica de molhados : na rta da Uniilo n. 54.


A's 11 horas da mnanhai I- Jos6 Paulo Botelho, tencionando retirar-se
0 agent Martins completamente autorisado yen- temporariamente par- a Europa, julga nada ever
derA em leilao a taverna acima em um ou mais nesta lraca ou f6ra della ; todavia quem se con-
iotesai vontade dos compradores. siderar seu credor cu da firma Jose Paulo Bote-
-ho & C.. queira apresentar-se corn os respectivos
documents, dentro do prazo de tires dias, a con-
Leilao
Lela tar da data de hoje. Scientifica mais que decade
D casa s1 r 1. 31 de dezembro passado cedeu seu estabelecimen,
Da casa e sitio grand n. o no lugar de- to site o a rua de Pedro Afbfonso n. 68 ao Sr. Anto-
nominado Cumbe cm Beberibe, corn nic Jos6 Lopes Brags, fisando este senior encar-
cento c tantos pailmos do. frente e fundo regado da liquidaqao do active Jos6 Paulo Bote-
ate o rio. lho & C. Recite, 15 de janeiro de 1885.
u t fni di 1 fhu nir -Aluga se a loja cow dous quartos A rua es-
o -o in go fO treita do Rosario n. 38, e a casa n. 30 da rua do
U 11 8 itJUIU hU mAmorim ; A tratar na rua do Pilar n. 56.
A'S 11 ioras Alug-se a casa n. 1 A rua Lembranca do
A ente Pinto Gomes, er Santo Amarol grantdei frcgoa o pintada
t Pint Ide novotcm agua : a tratar na run da !mpera-
No armazem da rua do Born Jesus n. 49 triz n. 32, 1- andar.
-- = A quern interessar declaramos que nesta
eil data despedirnos ao nosso empregado Joaquim
An+onio de Araujo. Recife, 12 de janeiro de 85.
Ll 0 ~Floriano Passo & C.

De moreisI 1UU3U-u----U-U
Constando de
Uma mobilia de junco, cadeiras avulsas, qua-
dros, pianos, estantes, carteiras e muitos outros ,*
movels.
Quarta-feira 4 de fevereiro
A's 11 horas
Aq qrniazew da rcy 6 do Born Jesus n. 4.9
Agent Pinto |

Um cavallb pequeno iproprio para sella ou can- uO CAD A RL
alha.g sada.o Czeai Agna Ozea
Sab:!ro superior n1A"Lk do toilet i


AVISOS DIVERSOS
Precisa-se de ama que lave e engomme de-
fronte do Gaz.
Precisa-se de uuia co.inheira, par& casa de
amilia, paga-se bem : a tr-satar na rua do Barao
da Vict ria n. 39, loja.
Aluga.se na rua Imperial duas casas, uma
de padaria, corn fomrno e uiteusitios, e outra de moo
radia. ns. 198 e 199, por preco muito commode -
a fallar corn Josd Feleiciano de Nazareth. a rua
de Pedro Affons. (outror:t ,-aa da Praia), armnna-
zem n. 20.
= Cose-se vestidos coin erfeiyao e precos conm-
modos : a tratar na ru:i -t, Livrimento n. 33, 2-
andar.
Ainga seo 1- e '- andares A rua do Imne-
rador n. 39. e a loja no patr'o do Tereo n. 20 : a
tratar corn Luiz de Moracs Gomes Ferreira.
Os admihistradore;- da mnassa fallida de Maia,
Ramos &Santop, eonvidrm-ase aos credores da re-
terida massa para vo p a1 o de 8 dias improroga-
veis, exhibirem suas ccuilSt c- titulos de credits,
afin de serem verificiaio.' e proccder se a respec-
tiva classificaAio, rui Mai-qurz de Olinda n. I
36, escriptorio de
S'i:b.r & Koechlin.
Pernambuco, 26 de joneiro de 1885.


PAiII


I d OtZ iTO de FERROe #dell QXI ]& I
TPXWTA.ANNOB dlbomExitotemdeno W at .
asefcacla incotestayeldestas Piuluas, qu~eo ezmmi
lodw se, ieemwos p-ecimeparaa ewra P-5 do301w~ie4 i
o Palm a s propriedad.. toximcae dpwsrathw e
S 6o m dicamento- nas aetivo contra am
aim ot U'stomago tWoro iemO a W
y Perda de dlppetlt "
* Caw 'o-Emxprjbr'esimento do Sangue
P Affecgode escrofUloas, ee. ta
DOlgilta !sal: 9, r.aa dt GrBell-Sait-6riX PA i U
I n Paambuco: FrAK N dIa 8ILVA & SO.

.0*flXtWMXX rxXOt KNMNIX
MOLESTIAS dos BRONCHIOS e da iGARGANTA
(Defluxos, Catarros, Coqueluche, Laryngite)
XAROPE e PASTA de VAUQUELN
PARIS, PhIi, 31, rua de Cd16ry, eem todas Ph" erogneriam,
M Was ------------


RUA PRIMEIRO DE MARCO N 20.

Grande variedade de diversos tecidos de algo.


dAo, la e seda apropriados para vesluarios de

/ASCS e por preps ha.


t vw do Vigario I I
.u d V ralissimoss sm como velbutinas e arligos pi

S'.pard mesio fim, na ligan e bk conbdc w4

_-.R'.:UA FRIMEIRO E MARO X .2


-. ., ,,i n, .,.r~ ,. .


roprios


4- ...
^ *" ,_: : .- .,.
a..'. '"


J


A-


Quetmrefer,.ze


vender uma a
rea grande ou sobrado
de um andar em algu-
ma rua boa do bairro
de Santo Antonio ou
um pequeno sitio na
Boa-Vista, pode an-
nunciar para ser pro-
curado, ou deixe carta


^*^


I ft\


N'WP ty M A.I z-


I ;


r4 I --l. I


I I


L-~ ~ ~~-W0 ,:.."*,'a W.i


.^
^






























ga se ==n boa cas, muito limpa, con 3
quartos, 2 salas, cosinha, quintal corn sasda
p a M doe Guararapea, aruna de S. Jorge
66: a tratar na rua lova n.3.
Aluga-se
o terceiro andar e soto da run do Born Jesus n.
63 junto ao Corpo Santo, corn commodoa para fa
inia : trata-so na run do Apollo n. 30, armna
zem.

Ao commiercido
Um guard livros habilitaao, receutemente che-
gado a esta cidade, dcarrega-se de escriptas com-
merciaes, balances e qualquer outro trabalho re-
ativo A sua profissio; informa-se na rua da Im-
peratriz n. 73.

Ao froro
SConstando.mo que o Sr. Joao Gomes dos Santos
Filho centinia a entender se corn os senhores ad-
vogados, solicitadores e mais interessados nos
processes que correm pelo meu cartorio, previno a
todos que corn o mneu exercicio cessou toda a sua
interven9Lo ; e para evitar qualquer ma adver-
sacAo, fago sciente a todos que estou em exercicio
desde novembro do proximo passado.
Jose Franklin de Alencar Lima,
1 escrivio do commercio.

Vaccas
Veade-se duns vaccas muito boas, corn bezer-
roe novos : trata-se na run do Marquez de Olin -
da n. 80.
Regisiros de N. S. do Livramento
Convida-se os possuidores dos registros que ti-
verem os ns. 2662, 3109 e 2188, correspondents
aos da loteria n. 108, A virem receber os premios
que Ihes sahio por sorte na extracego da dita lote-
rn em 29 do corrente; quem nao tiver pago ate
a vespera da extraceao nao terA direito a premio
alguzn.
Val rZe, 30 de janeiro de 1885.
-- Alhga-se o 1 andar do aobrado A rua de
Marcilio Dias n. 4, corn bastantes commnodoes para
famnilia. e quintal, e o 1- andar da runa de Domin-
gos Jose Martins n. 128: a tratar na raa do Mar-
quez de Olinda n. 3.


A VENTUROSA

Aos4:OOO$O0
B T IM
BIilM G1AMBOS
16-Rua do Cabugi-16
0 abaixo assignado vendeu nos seus
venturosos bilhetes garantidos os premioj se-
guintes: 1 inteiro em quatro quartoB corn
a sorte de 4:0006 no n. 2662 1 inteiro
em 4 quartos corn a sorte de 1004 no n.
3707 alem de outras mais de 32#, 166 e
86, da loteria n. 103.
Convida aos possuidores a virem receber
sen desconto algum.
Acham-,e a venda os venturosos bilhe
tes garantidos daloteria n. 104 em beneficio
da matriz. de Santo-Antio que se extrahira
na qainta feira 5 de fevereiro.
PtE OS


Inteiro
Meio


4A000
2000


quarto uatdade 1000
ed quantdade superior
a 100:000
Inteiro 3#500
Meio 16750
Quarto 875
Joaquim Pires da Silva.


No dia 8 do future meo de fevereiro, pelas 7
1/2 ora6 da manha, na mat-iz de Santo Antonio,
tern de ser elebrada urma miss corn memento,
pelas almas do desembargador Nunes Mehado e
OUS companheiros, fallecidos ua revolulo de
1848; convida-se, pois, a todos os amigos da-
quelle fiaado e a todos Oas liberaes, para assistirema
a dito aeto.

t4* 0na AramJo
A familiar de Manoel Josg de Sant'Anna Araujo
mnda celebrar missas pelo repouso eterno do
mesmo fnado, na matriz da Boa-Vista, no dia 4
do favereiro, as 7 horas ca manha, trigesimo din
de seu passamento.

as o Reelle
A mesa regedora desta innrmandade, cumprindo
a ibzV towada em 1884, leva A leilao par-
te dias casas do seu patrimonio, para assim redu-
zl-a a um 3stado mesquinho. que nao cbegara,
por certo, para effeetuar os legados e esmolas dos
seus irmlos indigentes. Esta dcliberacao foi
abandonadda pe a mesa anterior, por entender que
6 eal inexequivel, deixando per este motivo de
consultar o Exm. Sr Bispo D. Jose, conimo devia.
Em vista de ura publicago fet-ita naste Diario,
Mas Santas Casas de Misericordia do Reof e de
Loanda teem o dieito de exigir desta irnandade
as titulos respeti1os, e pelos quakes se proea que
08 lestarios nao antorisar, tn esta venda, send,
porytts compptamsite nR este adto.
^1 Msito intereisados.


ii.: I'\ l :,' ,t; '

, I'IA-A N


OSO DEPIRATIVO


<,4- 0 *


. *- ,.-.
- o ,

33 s'"



















0'
, -'
t2 t C
~s '


IPPROVADO PELA ILLUSTRADA JUNTA DE
HYGIENE PUILIGA A COITE

AUTORISADO POR DECRETO IMPERIAL DI
20 DE JUNHO DER1883


CODIposiglO


Tirmino l.anbibo be Fiqueirebo

EMPIELOADO COM A MAIOM RWFICAOCA
NO 1IEUMATISMO DE QUALQUBR NATtBUA,
EM TODA8 AS MOLESTIAS DA PELLB,
NAS IEUCORllIIfAS OU FLORES BRANCA$,
NOS SOPFRIMENTOB OCCASIONAIOS
PIUA IMPUREZA DO SAKNGUE, E FINALMENTh
NAS DITYERBENTES F6BMAS DA sYPLIUS

DOSE--Nos primeiroa seis dias urns colher
das de cha pela manhi e outra a noite, pum-
mente on diluida em agua e em segulda mu-
dar-se-ha para colheres dma de s6pa parm os
adults e metade para as criangas.
REGIM N Os doentes devem abister-e
apenas do alimento acido e gorduromo; devoem
usar dos banhos frios ou mornos, segundo o
estado da molebtia.

DEPOSITO CENTRAL
FABRIC APOLLO
Rus do Hospicio 79
PERNAMBUCO


!00
of .
OrdA









04-1






Poo
CA


CAJURUBEBA
PFEPARADO VIN8O DPmURATIVO

T W A PELA JNTA DE HYGIENE PUBLIC lRT
AUIImf ?OR oI DECmTOItfEUL Dl 2 DI JU2OM DI rIN
COMPOSICAO DE FIRMING C. DE FIGUEIREDO
Empregado corn a maior efficacia no rheumatiamo
de qualquer nature, em today as mnolestias da pell., nas leuchorr6an on
flares brancas, nos soffrimentos occasionados pela
impuxeza do sangue, e finalmente nas differences f6rmnas da syphlUs.
Propagador-A. P. da Ounha

As importantes curas, que este poderoso medicamento tern produ-
zido, attestadas por pess6as de elevada posigio social, fazeom cpi
que de toda parte seja elle procurado, comeo melhor e mais o&1r-
gico depurativo do sangue.
Depurar o sangue, como condigo de uma circulagAo benefica e efft-
caz, eis em que consiste principalmente o meio mais seguro de
conservar a saude e de curar as molestias que a impureza do sangue
occasion.
0 COjArub6ba pela sua acgo tonica e energicamente depwurativa,
6 o medicamento que actualmente p6de conseguir esse resultado
aem prejudicar, nem alterar as funccOes do estomago e dos intesti-
nes, porque nao cont6em substancias nocivas, apezar do vigor depu-
rativo dos products que coastituem a base principal desse medica-
m ento .. .... -- ..-. .
D'entre as muitas curas que tern feito, citamos as seguintes, com-
provadas pelo testemunho dos distimctos e conhecidos cavalheiros
que firmam os attestados.
Al6m dessas, alias irrecusaveis provas, offerecemos mais, como
garantia de nossas asseveraqoes, o testemunho dos illustres medi-
cos, Drs. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Praxedes de Souza Pi-
tanga, e JoSo da Silva Ramos, que em sua clinic tmrn conseguido
os mais brilhantes resultados corn o emprego do Cc'jrubdba.
t^ I+xf.


Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Dontor
pela Faculdade de Medicina da Bahia, Ci-
rurgifo-M6r do .Coqemado Superior da
Guarda Nacional do munieipio do Recife,
1" Cirurgilo Honorarip do Corpo de Saide
do IExercito, Official e Commendador da
Imperial Ordem da Rosa, Inspector do msa-
de public e do port dePernambuco, Corn-
-mendador da Imperial Ozdem de N. L Je-
sus Christo, Memnibro do Institute Medico
Pernambucano, Medico do grande Hospital
Pedro II, Socio daPropagadoM da Instruc-
Ao Publica de muitas outras sociedades
scientimcas e humanitarian, etc.
Attesto qe tenho experimeptado em mo-
lestias hroaic da peoa e rUumatismos o
Cajurub&a do Sr. Antonio Pereira do Cuna,
tirade born reultado.
0 referido affirmo in fid mei gradw.
Recif2, ^4e d.0 de 1*W
pr. 1f A 44A4a*o
Praisoes Gomu d4 SoUS o Ptaga, Doutor
em M eina pela sFaeuldade da Bahia,
Co -a-d4do, da Real Ordem de Chrisato,
Cavalheiro da Cor8a de Ferro da Italia, 1-
Cirurgi o reformado do Corpo de Safide do
Eercto, condecorado corn as medalhas de
pasador do ouro da Campana do Paraguay
e de pmrat do Uruguay, Deputado lAssem-
blas Provincial, medico o Real Hospital
Boenefieo.ePortuguoz, membro de diversms
sociedades litterarias, etc., etc.
Atteato que appliquei o elixir C(ajrubba
em casoa de rheumatismos agudos, e obtive
excellentes resultados, sendo que por isso o
tenho preferido aso xarope de Ricord iodure-
tado.
0 referido 6 verdade, que affirmo em fU de
meu grio.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
SDr. Praxedee homes de oum Pitanga.
Recife, 17 de Maioe de 1884.-IUm. Sr. Fir-
mino Candido d4 Figueiredo.-Cbe-.me a sa-
tisfaqlo de commuicmr-lhe o benefico resul-
tado obtido pelo Sen preparado OC4Aruba no.
tratamento da enfermidade de que estava sof-
frendo meu filho, menor de 4 anuos e meio
de idade,
Sobrevindo neste, ap6s don annos de sof-
frimentos, resultantes da deslocaI o da espi-
nha dorsal, um formidavel tumor na perna
direita, do qual originou-se urma fistula corn
grande e incessant derramamento de pas, a
suan safide, a juizo de alguns facultativos,
tornou-se seriamente compromettida, send
que mais me constrangia dizerem estes, antes
e depois da appariceAo do mesmo tumor, que
meunflho jiais poderia andar. Eis quando
um parent, pela proficus experiencia que
tinha do C( Arub&, aconselhuiou-me o em-
prego de to impom: te oremedio.
Eectivamente o i e corn tio feliz resul-
tad qia em meio do primeiro fresco acha-
va4ae a crianga corn tamanba robustez a ponto
de andar a casa tods, nuo sentindo mais as
d)res no espiia, que tato a torturavam; a
rfstul oessou de tato Suppurar eapena mna-
rejava u nma agua esbranquigada, devendo-se
SsuppOr proveniente, segundo o citado juiao,
do Uav oese cpripdo .
SEnmtA, tal o vigor de que goa hoje meu
filho queen, parece-me, corn o use do terceiro
Sfraso o 0 WrO4q couseguirel a oursm rdi-
cal dIL ttla, 140sw embors vo caidianento do.
"0 V; Sendo para notar que o C0 ba teve
r -de dest irsoaeraamenor op e .'

Oue Vw. po fao s o useaolo q Ae*
aouoursr desta mmnUa declaracio eserita.


Joao da Silva Ramos, Medico pela Universi-
dade de Coimbra, Cavalheiro da Imperial
Ordem da Rosa, Commendador dasOrdens
potgauaAs do N. 8. Jeus Christo e N. B.
da Coneelco de Villa Vieosa, Fidalgo Ca-
valheiro da Casa Real Portugueza, Moqo
Fidalgo corn exercicio no Pa"e Imperial do
Brasi, Socio Con-pondente da Sociedade
das Sciencas medicas de LisbOa e da de
Medicina do PaOis, etc,, etc.
Attesto que tendo empregado em meus do-
4ntes, dur.Wo trinta anms que oexero a eli-
nic, todos depwtive conhecidos, qub
nacionaes, quir estraeigm, do nenbum tivei
teo prompt e ffies a uhlado no rheuma-
tismo, us syphilis e Us molestia da pelle
como do CVwub do ir L-Antoplo Pereira
da Cunha, so qual devo o re*tsblecimento
de various doente-, de cuja cura eu tinha desa-
Aimado cop o mprego das autroms depa-
rantas.
0 qe ies dIO 6 verdode, que qonfirmnrei,
so precise ftr s0M. ojnuramiento do moeu grmAo.
Recifte, i sa luno do0 1884.
Dr. Jodo da Silva amos.
Attesto, torque vi e observe, que a preta
EsAcolastoea alo andavo a quasi 8 annos, tendo
as peons completament'e chagadas, e cornm o
empregW do C*4rubbaM desappareceram as
ohaga comegou a andar. Recife, 6 do
cide 1883. ~ (e~Ir8io Vampeo Pir-
'eWira (Desembargador da RelaAe de Per-
nambuco). -
Recife, 3 de Abril de 1888. -Ilhm. St. Fir-
mino Candido de Figueiredo. Jose Caetano
de Medeiros, Tenente-Coronel da Guarda Na-
cional e Cavalheiro da Ordem de Christo. -
Declaro que o seu preparado Cajmrubeba 6 um
prodigio I Men filho Cleofas sofria de dartros
a ponto de se ir tomrando umna molestia seria;
depois de se ter tratado homeopathicamente
e corn mais outros remedies, semr que melho-
rasse, usou do seu Ca0 rub.ba, e antes de
acabar um frasco desappareceram como por
milagre.-Um outro meu fllho soffriA de urma
ferida na perna, e depois de tomar a Salsa e
(Coroba per alguns mezes, sem que a molestia
obedecesse, cornm o uso do sen milagroso Caj4-
rv&a ficon perfeitamente curado.-Uma mi.
nha nets, sofftendo do flores brancas, recor-
reu ao seu preparado, e em poueos dias fcou
b6a. A' vista disto nao devo occultar tio pro-
digiOso medicamento, nao sO pars animal-o
em seu trabalho, come pars ensinar sos sof-
fredores a taboa da salvablo. JbT Caetano
do Medeiro.
Parahyba, 3 de Mareo de 1884. Snr. Ro-
gaciano Olympio de Olive'ira.--Sendo eu nes-
ta provincia o agent encairregado da venda
do medicamento CajAruliuba, e tendo Vmec.
feito uso do mesmo, rogo-lhe se digne de in-
formar-me corn franqueza o estado em que se
achava, e o resultado que tirou corn o mesmo
medicamento, podendo eu fazer uso de sun
resposta.- Sou corn estima deVmnc., Maoel
Pereira da Cunia.
Sr. Manoel Pereira da Cunha.-Tendo com-
prado em sua fabric Apolo o preparadovi.
noso, denomina.do CGfjiba, para meu pai,
que se achava soffrendo do um&erysipel uo
p6 direito a mai* de dot4 a.no, pp -
do-lhe corn periods de mezes, e azendo
use do Cajfl'ub;ba, comn pt dio ptio gran-
de melhora e hojo vw"e l p
Outros incommodes qu e talm sora,
como uma inflamaniaqAo no stomagip e Uma
empigem, desapparecei-Atom us do Ci-
jDrubbba. -Desta xis efazer
( use e dao ifa ai;D1.' A
tento e CAdoR; Aign'e-koOr
(tPespac1hante fin Mfsude$ -.


F j A


FUNBItAO


I F11110
DE


CARDOSO & IRMAO

RUA DO BB M L IOO. 100 A 104
DEBOSITO B19 1 J APOLLOS. I 2 -2 B
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas relao6es directs
comn osmelhores fabricantes, e comn um dis-
tincto engenheiro de Inglaterra, offerecem
grandes vantag'ens para encoummendas, como


provam com os apparelhos completos asse
tes nos engenhos Massauassu' e Bosque,
meio apparelho no engenho Conceiio.
MACHINAS a vapor trabalhando s6 co


m


o fogo do assentamento, podem ser examina-
das as que foram assentes nos engenhos Be-
lem, em Timboassu', Cucau, em Gamnelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidraeao em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e


Parahyba.
Chamam a atten ao dos


Srs. agricultores


para os novos vapores que temrn recebido do
acreditado fabricante Robey que se recom-
mendam pela facilidade de conducaio, assen-
tamento e economic de comnibustivel, deixand6
de mencionar os-engenhos em que os tern col-
locado, porja terem vendido 85 para diversos
lugares, e por issoja devem ser bernm conhe-
cidos.
SSao os nnicos recebedores de trilhos porta-

teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela ftcilidade da colloea~ao e por sua
durai"a. .


Quanto moendas, rodas d
......~ ~~ ~ 4s ........ i ...,..... ..............


,ma, taxas ba-
oae s pre,


;T 0-&1.de dpo -


"Acham-sedc
6 Arlww dos&


as -fAL5BoUwx


Eli


Esofi asc 0d as as oestias
provMinlendve%&ae para
DARVIGOR AO CORPO i
PURIFIGAR'0 SANGUE.
L p >wo 04 o4J.(.AYma aig3 5t
DEPOSIT GERAL
18--Ban Primelro de Maro-18
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMXQN MOWVIE & C.
N. -3 == Rua do Commercio = N. 3
A venda em todas as boticas e a-d ogarias


IiGSINGER!
IAU.fl8 IS BE CTORA
VENIASDOLTIR ANNO MW91
QOuem nio tern ovido fallar das famosas machinas de costura de
Shager?

E m prestaw6es semamaes





Quando o pagamento por este system se
effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
de 5W)(.
S/ Abatimento de 10#000 a dinheiro A vista.
.....r.... -rRoga-se aos pretendentes deo virem ao es-
S criptorloda companhia para informaqes cir-
--- cumstanciadas.
-Immensa e real vantagem 6 obter-se o
melhor artigo nas melhores condi95es.
De hoje em diante nogunem eonprara senao a verdadeira
maeldnade SINGER

PORQUE ?
1.0 Por ser incontestavelmento a melhor, mais forte, meats ben aea-
bada, mals simple, mals duradoeura, a unica que tern obtido mais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imitadores.
2. Por existir um deposit succursal da propria companhia, onde se grran-
te estas machlnas por nm tempo illlmltado e onde sempre se encontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.o Finalmente, porque aquellas pessoas que ato o present, por falta de meios,
nulo podiam satisfazer o seu desejo comprando uma d'estas excellentes machines,
podom agora corn toda a facilidade compral-as mediante a. modica prestagAo de


1$000 POR SEMANA!!
Recommendamos corn insistencia-NIeSo e IlHudam corn as maehlnas
que trazem o nosso nome e que nao passam de RUINS IMl-
TAVOES.
Vendemos tambem linha superior, retroz em earreteis, agulhas, 'ileo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e por preoos
sem competencia.
0 unleo deposlto das verdadelras machines de Singer 6 na
Rua do Cabug4 n. 1 A, Pernambuco
Direcio geral da America do sul....101 rua do Onvidor 101.
Rio de Janeiro. Casa matriz..54 IUnion Square, New-York.


A casa da ru t do Visconie de Pelotas n. 41.
o 20 anaar 'da ru ,do Buim %Jsus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
A c-isa terra na rua da Palma u. 11.
A. casa A rua do Visconde de Goyaung a. 79
A loja n. 10 da travessa do Carmo.
0 armazem n. 13 do largo do Corpo Santo, o
qual tern communica-Ro coin o n. 4 A no caes d&
'.ompanhia Pernambueang, corn guindaste.
A tr tar no largo do Corpo Santn. 19, primeirt
andar1


Precisa-se de urena perfeita cosinheira para
casa de pequena fanilia, quc compro e nio duram
f6ra : a tratar no eacseriptorio deste Diario

Aluga-se
uma grand a casa, sits A rua da Aurora n. 167,
pintada e aiada de nuvo. corngrAeud otiaO p O-
pria para grande famiha, corn eaaixaAp pa,
ig;a comn agna, quintal todo marado ; a trata$a&
rua.o Visconde do Goyawa a. t10. euttncaua
t, Maaguiuho. ________,:


ADOPHO P PR TO BDEORFOR
preparado em harmnonia corn a formula do
do professor E. N. Horsford, do Cam-
bridge,
para lndigestlo, proatracao mental
e physical. snores noclurno, etc.
E' esta urma preparaa-o do phosphatO
de cal, magnesia, potassa e ferro corn aci-
do phosphorico, do tal forma combinados,
que mui facilmento se assimila ao system.
Nao diverge i as opinioes na elevada
autoridade medical, relativamente ao me-
rito dos phosphates; entretanto at6 hoje
nenhuma preparagao se offereceu ao pu-
blico que corn os mais felizes resultados to-
nha satisfeito a necessidade geral, come
esta.
E' agradavel o paladar, e sua acAo se
harmonisa perfeitamente corn os estimu-
lantes que seja necessario tomar-sc.
Os medicos mais celebres dos Estados
Unidos tern ultimamente empregado o
Aeldo Phosphate corn melhor exito
para combater OS maios effeltos pro-
duzidos pelo effelto do fumo.
Faz m1t delieloso tonico sim-
plesmeute comn assucae agna.
AGENT EM PERNAMBUCO
Adamson Howie & C.
3-R-ua do Comnmerieo 3
Arthur Gomes de S&I LeitAo
No dia 3 de fevereiro proximo future serA cele-
brada na matriz da B-a-Vista, pelas 7 1/2 hoieas
da manha, tuna missa por alma de Arthur Gomes
de SA Leitio, fallecido a 28 do corrente mez ;
para assistir a ease acto de caridade, sao convi-
dados os parents e amigos do finado.

Criados
Precisa-se de uma para cosinhar e outra para
andar corn meninos ,e um rapasito para recados
a tractar na rua Duque de Caxias n. 59 loja.

Arrenda.se
0 engenho Santa Cruz, conhecido por Cabeea
de Porco, sito na freguczia de Una comarca do
Rio Formoso, moente e corrente, corn duas boas
casas de vivenda, magnifica capella, griande sen-
zaila, muitas mattas, grande e bem cercado para
200 cabecas corn capacidade para safrejar 3000
pies annuaes, muito born d'agua corn moenda de
40 X24 polegadas inglezas e %ssentamento de fa-
zet assucai pelo sytcina do Sr. E niliauo de Brito
que faz 240 paes por semana, r tspta)zis easas de
engenhou e cald.iri, casa de pngri- para 800 paes,
boa casa de retalime, ca.a de Ibg.o, distilaao,
casa de farinhlia e st'rraria uiovildais p*r agua, gran-
de estribaria, e foruo p.ro 150 frmans, qusi tudo
de pedra e cal, em perftito estado de conservaAo.
0 engenho tern magnificos sitios para lavradores
c pode embarear o siasucar por Gamelleira, estra-
da de ferro ou por Una pnrto de mar. Vende-se a
sasra criada.
A tratar, corn Leal & Iri,.los rua do Marquez de
Olinda 11. 5.
Muita atte 111ao
Na rua da Uniao n. 47 faz-se plisses e recorta-
se babaaos redondos, pontudos c miniudos.

Permnulase ou venlde.se
una part de terras corn mats, tendo madeiras
de todas as qualidades e grossurmi, no engenho
Utirga, em .. Lourenco da Mata ; vende-se ou
troca-se por uma casa nos arrabaldes desta cida-
de : os pretendentrs dirijam-se A rua do Impera-
dor n. 77.
Ama
Offerece-se urea area para cuidar de meniaos ou
cosinhar, j'ara pequena familiar ; de born corn-
portamento e se garante a sua fidc-idade : a tra-
tar na rua de Pedro Affbnso n. 6 ,ntiga da Praia)
armazem de xarquc.
Casa de neg'oeio
Aluga se a casa n. 56 ml rna dia Uniao, muitt.
apropriada A qualquer estahelecimiento e tern corn-
modos para fiunilia, corn agu. e gaz : a tratam
na rua Duque de Caxias n. 3', on em Parnamci-
rim, sitio do Dr. Goes.
Alugapse barato


1-



















Participam ao res-

peitavel punbico, que

contminuam ter unm sor-
timento de joias das


mais modernas


dos


mais apurados gostos.
Compromettem-se

a vender mais barato

do que em outra qual
quer part.

Ru oaMa iIs4

Aviso
J& chegsu pars o unieo agente nests provineia
o screditado kerozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha i venda no unico deposit A
rua do Bomn Jesus n. 38, janto so correio.


Ao eommereio


Os abaixo assignados polo presented declaram
que, aingavelmente, dissolveram a sociedade que
sob a firma de Antonio Jose Moreira & C., tinham
no estabelecimento de tazendas A rua Duque de
Caxias n. 60 A, retirando-se o socio Francisco
SJoaquim Antunes pago e satisfeito do seou capital
e lucros sociaes, fieando o socio Antonio JosN Mo-
reira de posse do estabelecimento e do active e
obrigado pelo passive do mesmo.
Recife, 21 de janeiro de 1885.
Antonio "Josd Moreira.
Francisco Joaquim Antune.

Escada
Convidamos e rogamos ao Sr. Henrique Gomes
de Barros e Silva, abastado proprietario da comar-
ea da Escada, a vir ao nosso escriptorio na rua
de S. Bonm-Jesus... dar as razSes porque tern se
mostrado tio obstinado em responder as nossas
cartas, e remisso em pagar urn debito jA de an-
nos! Fiqae certo V. S. que emquanto serrar os
sons ouvidos insistiremos nested nosso convite.

Ao commerdo
Os abaixo assignados veem declarar pelo pre-
sento que dissolveram nests data a sociedade que
tinham no estabelecimento de molhados, A rua de
Domingos Jos6 Martins n. 1l 4, sob a firma de
Pedroso & Henrique, retirando-se o socio Henri-
que Cavalcante Leal de Barros pago e satisfeito
de seu capital e lucros, tiefinde o active e passive
a cargo do socio Jose Pedroso de Csrvalho.
Recife, 28 de janeiro de 1885.
Jos8 Pedroso de Carvalho.
Henrique Cavalcante Leal de Barros.

Engommadeira
Uma senhora completamnente habilitada, encar-
rega-se de lavado e engommado,- garante-se a
perfeigio : na ru a do Rosario da Boa.Vista nn-
mero 27.




AO CONIERCIO

Viagens ao centro
De Ollndaailtabayannafpor Igua
rassus, Goyanna e Itanmb
Todos os sabbados, -s 4 horas da tarde : passa-
gens tomam-se a irea Prameiro de Maro n. 1,
loja.
De Itabayanana a linUa por Itan-
UC.-41io5a*t% a e UtstttraS^li
Todas as teras.feiras, As 4 h<.as da tarde:I
aassagens tratar& ea Lanremo Pliaira d'Axno-
rim, em Itamb6.
Viagens avulsais para qualquer part e em qual-
quer dia., partindo do pouto que se convencionar e
a preoos otinodes. Essas coutratam-se a irua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nao podetem ir nas diligencias.


D pin No vetai uPuW *Davis
latadar d& or
Um amigo dos pobres, economic e de
fail applicarpo, 40 annos de success es-
pantoso.
Nenhuma familiar deve estardesprovida
-deste remedio.
Extemamente curs: furunculos pana-
ricios e outros tumores torcedura dos ten-
does intumecencias das articaiagoes -do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
-queimaduras-golpes, etc., etc., etc.
Internamente curs: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulcers doeean de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelr-se contra as imitag3es.
AgonIes em Pernambuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
lfa do Bai o da Victoria0.-9


PRKEOS
Frascos grades
Pequenns
Duzia de frasnos grandes
Pequoe_


16500

12,W096
9,5000


Aw-~ w-


Iu~ dmr~~s23
O.baix=._ sWsi&' tftdo vendido no.
me afortUnados bfiees arantides 4
qumrts n. 3,775 com a sorts de 20000,
4quartos n. 2,188 comasorte deo2000M,
4 quartos n. 4,968 corn a sortede 1O0tSO,
4 quartosnn 1,044 com a sooteode 1004000,
al6m de outras sorts do 32#, 16# e 8,, d&
loteria (103.), quo so acabou do extrahir
convida aosn possuidores a virem rooe r
na conformidade do costume e sem descnto
algum.
Acharm-se venda os seus afortunadon
bilhetes garantidos da 14a part das lots-
risa em bonefico da m tris de Santo An-
teo, (104.') que se extrahiri na quint&-
ferna, s d oefoverearo. -

Inteiro 4000
Meio 2#000
Quartos 1 o O0
Em qumti&dae mator de :o00
Inteiro 3#500
Meio 1#5750
Quarto #875
Manoel Martins Fiuwa


CASA D4 flOuno
Aes 4:00000"00


BILRRHR DMIATI0O
Rua do Darlo da Victoria n. 40
Se easas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
em seus felizes bilhetes quatro quartos de
n. 3,109 corn a sort ded 2:000#000 e
uatro quartos de n. 3,628 corn a sort de
200000 e diversos premios de 32,5#000,
16,5#000 e 85000.
0 mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi-
dale do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 14.a part das loterias a be-
neficio da matriz de Santo Antlo ,(104.2),
que se extrahirirA na quinta-feira, 5 do
fevereiro.
PRECOS


Inteiro
Meio
Quarto
em porVio
Inteiro
Meio
Quarto.


4#000
2,5(000
1#000
de 100@ 000 para
eima


Jobo Joaquim da


3,500
15750
S875
Costa Ledite.


C AX FELIZ

AOS 4:000000
E
2 :006000
BIi IR'. CiADANTIDOSi
Pra~a da Independen-
cia ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu entire osseus
telizes bilhetes garantidos da 103a loteria,
a sort de 1006000 em 4 quartos n. 2290,
uirn de outras muitas de 32#, 16# e 8#.
Convida oas possutid3res a virem receber
aem desconto algum.
0 abaixo assignado tern 'exposto
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
14a parte em beneficio da matriz de Santo
AMtio, 104, que se extrahirA quinta-feira
5 de fevereiro.
Preeos


Billte Inteiro
Meio
Quarto
tom Vert"r de


4,5000 -
2#000
1o000
00#000, para


elma
Bilhete inteiro 3#500
Meio 14750
Quarto 875
Antonio Augusto dos Santos Porte.


Luz brilhaite sern fumc

Oleo aromatico
UYGIENICO E ECCNBI Ce

Pa ia m


Martins & Bastos

Pemrnambuco
Nuwmero telephoude- n. a33

Ao commnercio
Esteves ikeoades, estabelecidos corn refinaglSio
de assucar por aros w e a retalho no Camibaho
Novo n. 26, resolveram co llocar o telpmone em
seu estabelecimento para mais commwddado non
pedidos de seas fivegue. -Beibe n ttnb m en-
icmamw pa& a ^ p6"48 gmra9t6do
pontulide, moddads e e am n a r.d.
"an amus
em ~~~~~~~-, na tftaow B^ritao : t*


U
If


J.&P.WCOATS -
ltteltto
Aluga-se um grande itio bemr conservado, om
muitas arvores fructiferas e mais de 200 ples de
coqueiros, baixa de capim, dous grades viveiros,
cacimba corn agua boa, casa de moradia, proximo
da linha dos bonds, aliga-se por prego modico, e
siito ebnvenIdite para qquieta tiver carroas ou
vaccas de loeite. 86 os dons viveiros rendem
mais do que o aluguelpara quern cuidar defes : a
tratar na rua da Madre de Deus n. 7, de 11 horas
at 2 horas da tarde.


-VEDAS -
Vende-se e aluga-se inmebilias na rua do Du-
que de Caxias n. 31.
Vende-se a excetlente fabric de cigarors
sita usna Soledade n. 48 A (junto A estaeo: a tra-
tar na mesma.
Vende-so urma amrmago ma rut Imperial n.
261, e garante-se a cLave da casa : a tratar nUs
mesma raa n. 236.
Carrom a para ctuero
Vende-se urna b6a carreca pars cameiro, a ver
e tratar na rua do Born Jesus n. 61, agencia de
leilSes.
Brracha para limas
Vende-se na funilaria de Francisco Teixeira
Barbosa, A rua larga ao Rosario n. 20.

MIltso pode o progresso
Gdinde loja do frMendas de ciato-
dto de endonsa a C., rua Dqtinte
de ae waftewib 4.
Neste tabeleeiimonto estA abolideo systems
de vender earo. Os seus prprieiarios teem adop
tado o systems de venaer pjlo custo, ganhado
tdo somente o d&eceto. E' o "ysteksa wasspur.
feigoado equeq a aseto comppadr sr samrwo"
Ia, .nmidJ eu.664. s,.'Ma r A qua e p


i mhteag


MIAGUEL WOLFF & C.
Offerecem ao respei-

tavel public umn gran-
de e variado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do, que outro
qualquer, visto rece-

berm directamente.
Todos os relogios

vendidos n'esta casa
sao garantidos.
V1 gil o fivaiis .4


Loteria da Parahyba
No estabelecimento n. 2 C A rns do CabugA,
acham-se expostos a vend& os bilhetes d nism
nova loteria da Parahyba, organisada'segundo um
bom piano, que conthm os segui 9 tespramos :
1 do 4:00000o0
1 de 1:000*000
1 de 200o000
2 de 100*00
4 de 509000
15 de 200000
40 de 10*000
50 de 5000
500 de 24500
Este ultimo 6 o preco de cada um bilhete alli,
sendo elle em Pernambuco 20750 pars os vende-
dores e na cans 3*000.
Os premios ao aqui e alli pages integralmente,
sea desconto algnm, A vista da lists da extrac-
so.
Sao estas vantagens que nioo podem deixar de
r apreciados pelos que gostam do jogo das lo-
terias.

R. DE DRUSINA & C.

RPn ldBoiB- s Dns is18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de eommissoes

Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogos de produces da AUema-
nha, Franga, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.---Informa9es sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes.
bombas, etc. pars incendios e outras ma,
chinas e uteniiles.

Botica do Recife
Sobre direcaeo do pharnmaeeutico
ALPHEU SOARED RAPOSO
Promptifica-se as receits corn a maiot prest-
za e cuidado a qualquer hora do dia e da noiteo:
la rua do Born Jesus (auriga da Cruz) n. 20,
Pernimbueo. --

DO
Pharnacetico Alphen Soares
Curs Tapida e sem dor: unico depehito, af
botica do Recife, a rus do Bom Jesus (antiga da
Crnz) n. 26, Recife. "

Trastes
A' rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-s*
tugs-se e tines-se 'n~rws e iiridoe.
LfSmA C^OATS
Sfluetrosa i para maaidna, e a Maiad Se 6
fios tanto para malidna como para cwer a vho.
-Nao se usa main linha em novello-
Pede linha em carretd corn o some


A' I l 'A!!I


Nova remessa de fustoes de cores a 240 rs. o
covado! !
Lindos padrSes cm futSes broncos a 400 rs. o
dito.
Cortinados bordado (ns ovos desenhos) a 7*000
o par!! .
86 ns conhecida e acreditada loja de Carneiro
da Cunha & C., A rua Duque de Caxias n. 59.


Na Travessa do Calabougo n. 2, vende-se
urma machine media do autor Singer.

Circular inmportante
Werdadelras pechinehas
59 -= Bua Daque de Caxias = 59
Gorgurmuas superiores para vestidos a 500 rs. o
cov&do!
*ipacas de soda furta-cores a 400 rs. o dito I A
ellas.
Merin6s de duas larguras, todas as cores, a
15200 o dito i
Idem prAto superior a 15200 e 15500!
Casemira diagonal para palitot a 25200 o co-
vado! seo de duas larguras.
Idei de cores, inglezas, a 1200 e 1I500!
Flanellaingleza, azul, -a 11400 o dito !
Camisas brancas francezas, superiores, a 28*
a duzia!
Ceroulas de bramarte a 16, a dita!
Leneos-de linho em caixinhas a 35 a dita!
Damascos e pann- p)roprios paras mesa a600 e
15500 o covado!
Bramante de uinma largura, tranqado. a 600 rs. o
metro! fazenda de 15
Lenc6es de dito, grande, a 2A um !
Cobertas de gangs, forradas, a 21500 uma !
Colcbas de fustio, brancas e de cores a 25500 !
Ditas riquissimas de crochet a 105 !
Chales de casemira modernos a 25500 e 35.
Pichue superiores a 25500, 3 e 45.
9etim macao verdadeiro a 10400 o covado I
Dito preto superior a 1*200 !
C a vitona a 38500 a pega de 10 jardas!
5, w'o boa-vista a 65 a dita de 24 jardas! I
I r^-iirabpunfrst a 26 o c6rte !
... iS,'",-.M-. M e oovado I
lo. S Ids-
aI 1,$A0 a metoI


Vende-go -] fis i& deo, onaoN6, dig
04s.o, 4 wrtf do Pt~ePlorisni,? n dg


IUvrs pam eseeOls
CAfTRO M7EB, compendio elementary da
Hammatlas aa to ediio cornts
e amntda per Jose Iartinitno de Soma, 1
v*lime. 11
IDEM, elenentos deo arithmetics, nova edico
revista e nUhorads por Jos Martiniano do
Own.
IDWM renso da doutrina chri t4, nova edioa,
risita e anotadapor un sacerdote,
JO MATINIAO, elementos de orthogra-
phia, twrcein edigao revista 6 melhorads.
PJRGENTINO GAI*AO, oi vro do4 bons con,
BIBPO DO PARA, historia biblical, ou narrati.
a do velo aep novo testamento.
A venda nI ivraria Industrial n. 7, s doE Ba
ro da, Vitesois ; e na slivftaria Economics, ni
Primeiro doN Marno, junto ao arose def Santo A&
tonio.

v eade-se
0 engenio Amparo da Ilba de Itamarsaca oo
propor eso par atisfaer treso e mais mil paes do
assunoa, terreno de massap8 preto eraso de omuit
boa prodeo, muitos sitis de couqueiros e terre-
S sproprios pas pse plantar aos mil Coqueiroe
que se queirs, tern salinas, viveiros, fornos de cal
e bsa pedreiras, mattas e porto de embaexque jun.
to !t engenho a tratar no mesmo engenho.

Apolices provinciaes
De Jurefs de .010
Vende- se duas apolices provineises de I:000$
cads urma : na rusn estreita do Rosario n. 8.

1Ha seminpre novidades
Rua Duque de Caias nu. 80
Casemira chariol corn 2 larguras ninguem tern a
29 o covado.
Lindas chitas modernas a 200,240, 260 e 280.
Brins pardos lisBos a 240, 320, 360, 400 e 500 rs. o
covado.
Bramante pars lengol corn 4 larguras a 800 rs. o
metro.
CaMemirapekim a 400 rs. o covado, que pechincha.
Setinetas lisas e lavradis a 360 rs. o covado,
aproveitem.
Popelinas corn listas de seda a 360 rs. o covado,
6 bemrbom.
Madapollo americano corn 24 jardas a 5S.
Dito Boa-Vista corn 24 jardas a 6A.
Cortinados bordados a 6,.
Ditos ditos recortados a 7.
Merin6s pretos a 800, 900, 1j, 1;200 e 11500 o
covado.
Camisas brancas franeezau a 2; e 10800 umna.
Ditas de cretones francezas a 24, aproveitem.
Espartiihas corn couraca finissimnos a 4,500.
Meias brancas para home a 2W800 a duzis.
Isto s6 se vendo. E' barato!
Len9os brancos corn friso preto a 800 rs.
Ditos corn barra de cores a 1X800 a duzia.
Ditos de linho pars senhoras a 1600 a duzia.
Ditos imitaggo de soda a 1800 a dita.
Ditos de linhe fines de 84 per 8A500 a duzia.
Lindas bandeiras nacionaes e portuguezas a 40800
a duzia.
Lndos setins macao a 10800 o covado.
Velludilho bordados a 1 o covado.
I Rieas ventarolas chinezas a 600 re.
Ditas ditas bordadas a 15.
Flanelas de todas as cores.
Tarlatanas, gangas corn paisagens tio baratas.
Causa
Admiraggo
N.80.
Dos barateiros
Aproveitem.

Para vendor
A dmheiro ou fianka idotiea, vendc-se urna dan
melbores casa de Aisgados, bern situada, corn
grandes coimodos para urns familia que se trate,
circulada de terrao, grande jardim, bom sitio e
todo arbbrisado do arvores fructiferas, quartos
para cnadoB, gaitefbeiro, banheire e outros -cem-
modos : a frete e teda gradeada e corn port de
fe tern nes funds sahida para a esteao da
forte-via de S. Franeisco, bonls viveiros e coquei-
ral: quern pretender entenda-se corn o Sr. iJoio
Dnarte.

IWORRACIIA
PAUA

Vendem Souza & C., i rua Estreita do Rosario
n, 22. E' especial e commodo o preso.


Pre Cos baratissimof
Raa da Imperatrlz a. 40
LOJA DOSBARAIEIR08
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 6100(
Dites de panno preto fino, fazenda muito
boa 7*0W
Ditos de casemira de quadrinhos e listri-
nhas, forrados 8;00k
-Ditoes de casemira escura, de cordao, for-
Srados n 8*00(
Ditos de flanella azul, forrados, send fa-
zen la que nia desbota 10O00C
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 1000.
Ditos de panno preto fine, forrados 10*000
Ditos d. casemira preta de cordio 10* e 124000
Calgas de casemirs corn differentespa-
droes, de 5 500,W5W O, 8 e i X
Ditms de casemu preta seda. a 8 e 1000G
Ditas de casemira dc eord Ditas de casemira preta 6W00
Seronlas de creguegla, obra mutito bemrn
feita a 1*200 e 100o
Dits dc Himburgo de olinhe l800e 2*000
Colletinhos para dentrb, send de cre-
guella e muito bem feitos a 800 e 1*00(
Qamisas, grande sortitento de camias
braneas, tanto franncezas como mglezae,
tant. de linho como de algod, soendo
de 2*, 24500, 3, atS 66000C
Ditas de cretone de cor de 2%, 2*500 e 3000
Meias, grande sortimento de meias cruas
pana homes, de 320 rs. o par, at 50('
Collarinhous, grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 5; a duzia ate 8*00'
Toalhas, grande sertimento de toalhas,
tanto para rosto come para bainho, que
se vendem par preo s muito razoaveis.
Tudo isto A eom grande reduce de pregos :
loja da esquina do beccJ dos Perreiros.
Novas setinetas lirada a 500
Chegou pars a aloja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz um grande sortimento das
a ilindas setinetas lavradas, tend de todas as
c ores mais novas que tern vindo ao mercado, inclu-
sivamente pretas, send a fazebda mais bonita que
tern vindo para a festa, e vende-se a 500 rs. o co-
vado, isto na loja da esquina do becco dos Ferrei.


Cuzemira= Inglezas a -2$S e

Na loja dos Barateiros da Boa Vista, vende-se
um elegant sortimento de cazemiras de duas lar-
guras, sendo inglezas e corn Ifohitas cores que se
vendem a 2*500 e 24800 o covado, send muite
proprias para cotiunes, e das mesmas tambem se
mandam fazer costumes muito bemrn feito de calca
palitot e collete por 304 e 35;, 6 grand& ecincha
na loja da rua da Imperatriz n. 40 a eauina dc
becco -los Ferreiros.
Fustoes a 400, 506 e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, A rua da Impera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus-
t5oes brancos, proprios pars vestidos e roupas di
creangas pelos pregos acima indicados; isto na es-
quina do becco dos Ferreiroa.
lasinhas para vestidos
Alheiro & Silva, A rua da Imperatiz n. 40 aca-
barn de receber um grande noitimento das mai.
bonitas lansinhas pars vestidoa, send alpacam
de corddo ccm lindas cores a 500 ra. o covado,
gurgurSes lavrados tend de todas as cores a 60
rs. e ditos muito finos coarn brilho de seda a 800 r.
todas estas lainlas si o inteiramiente modtemas, e
vende-se na loja da rua da Imnperatrii n. 40 a es-
quinsa do becco dos Ferreimns


-VENDE S'- +





D ito mutoluyo @e=m Ovaraatd e 5mui
DI*tufamendamuito enoerpadaqquepa-
res uemsu,s eo 20 vaas a ;u,
610.0. 6605M
Dio &auew amm% ie fawnda rmuito
finaee swwtpadote1t atOO
Algodio enfestade com 9 palmos do lar-
gara para tssrlnmo6eu de urn .6 pan-
no, xfetro a C
Dito terncade marn a moen largura,
preprio paras lenoes e toalhau de
mess, metre a 1090
Bramante de algodeo cofn 10 palm.o de
largurproprio para fazer l eoes des
Um adpanno, tro W&St,
Drto franee, seado de linho, metre a
1*800e 2*000
Dite singles de quatro larguras, seado
de linh, metro a 2500 e a2800
oreguells propria pars len1oes, toa-
ahs, ceroulas, sendo faenda muiteo
encorpada, cads pe corn 20 varas
.por 0 0; e sem nvara a 600
Ditas cornm a mesa media a SOOrs., ou
vars a 400
Atoalado adamaseado pars toalhas de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
tro a 1800
Assim eomo urn complete sortimento de
pegas de algedlozinho americane e
|ngl, que so vende por pea de 8o atW 6*000
ist ua loja da eoquina do beeoo doe Ferreiroo
Casemiras de cores
Doe 9:0W at6 6:000 rs,
H rUn a or dida b
Alheiro & Silva Ai rua da Impertriz n. 40, tern
um immense sortimento de casemira de cores,
tanto cdarns come eseuras, que vendem a 2*000,
2*500, at& 6; o covado, e das mesmas mandam
fazer quaquuer poas d'obra ou costumes, por pre-
9os muito rasoaveis, assim como tern tambemip um
explendido sortimento de caeomiras e pamnos pro-
tos ate ao mai s fino sedan que vem ao mercado, e
des mesmos tambem se encarregam de mandnr
faoer qualquer pegsa de roupa A vontade do fre-
gues e corn tods a perfeigio e presteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
becco dos Ferreiros.

Ln 100r6is
Os Barateiros da Boa-Vista vendem muite o bc-
nitos linhos de uma so c6r e de listrinhas pars
vestidos, send a 160 ris o covado e de cores fixas,
isto aa run da Imperatriz n. 40, esquina do beeeo
dos Ferreiros.
Espartilhos
a 46 e 6000o
Na loja da runa da Imperatriz n. % venue-se
muitos bons espartilhos pa a senheras a 5*000,
rntos pars memns a 4s000, assim como um be-
dito sortimento de fichds a 38000; isto na loja ds
qeiuina do becco dos Ferreiros.
Para festa
vende se

Roupas para homes
POr


DO
Dr. Sabino
Vendas em grosso e a retalho, descontos
tajosos ; rua do Baro da Victoria n. 43,
Pernambuco.


van-


Eglogas de Virgilio
traduzidas por J. Baptists R. Costs : A venda
nas livrarias Franceza, Economies e Universal.
Pre9o=1*000

Bilhar

BICBM inO MAR1m1
Rua do Imperador SB8
Os proprietaries deste bemrn montado e conbhe-.
cido estabelecimento, tendo recebido directamente
da Europa urn grande sortimento de tacos que ha
de mclhor nested genero, terns de bolas de marfii,
de primeira qualidade, jogos de domin6 e outrom
artigos concemrnentes a este fim, e como tenham
tambem feito urma reforms em seus novas bi-
Ihares, forrando-os e collocando marcadores nas
tabelias de todos elles; por isso convidam aos
-seus freguezes e amigos, A visitarem como de cos-
tume este estabelecimento onde encontrarao tam-
bern urn complete sortimento de bebidas finas come
sejam : vinhos, cervejas, licores, champagne e re-
frescos gelados de dizersas fructas do paiz, e o
magnifico caf6 moka a qualquer hora do dia cn.
da noite.
Outrosim, vendem bolas, panos e tacos usade
por modico preco.

Para w
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Anitunes & C., A rua Duque de Ca-
xias n. 68.
Como sao lindas.!.
Bonitas e elegantes bonecas, 6 o Pedro Antu-
nes & C. quern tern, torna-se indiapensavel entre-
ter o espirito das interessantes criangas, polo quo
os proprietarios da Nova Esperanca nao ponpam
exforcos; rua Duque de Caxias n. 63.
10,000 bolas de borraclia
Especialidade pars fazer present As criancaa,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos seus
freguezes ; Nova Esperanca n. 63, A rua Duque
de Caxias.
Cabellos Ibracos A6 tem quern
quer
A verdadeira e especial preparagio, vende o
Pedro Antunes & C., pela quantidade que vende
prova a sua especial qualidade ; na rua Duque do
Caxias n. 63.
SAo bonitas
as luvas de seda abertas, canno alto, que acaba
de receber o Pedro Antunes & C, A rua Duque
de Caxias n. 63.
Parsa os banhos saigados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de sapatos especiaes ; rus
Duque de Caxias n. 63.
Sapat5es napolitanos, especiacs, para o tra-
balho do eampo, tern o Pedro Antunes & C., e
estk liquidando pars fechar factura ; rua Duque
de Caxias n. 63. E' a Nova Esperanca.


E'barato
Vende-se urn terreno em Beberibe, corn 2&
palmos de frente e mais de 1,000 de fund, o qua)
fica junto ao do Sr. Francisco Antonio Larbusa :
quem quizer dirija-ee ao escriptorio deste Diariol
qne se dirA quem vende.


Vende-se por pre:os modicos urma diligeneia,
um carro de eng. nho, quatro boise cinco cavaMoN
corn tree colleccoes de arreios: paras ver em li-
da, casa de Francisco Negro, e a tractar A ruM
Duque de Caxias n._86, nesta cidade.

AttenPao
Mathues, Austin & C., A rua do Commeroio n.
18, teem para vender :
Pinko doresina
Chegado agora e de superior qualidade, dai


".e dn-Ti d s.. ... .....
.I I ^sssM^ '" "++ "+''.4;

/AM doeTO &d ee 0 b, e,'

Lpcaits lis W e de cores.
aFihues de sods e do it.
Cambraiam bor&&wa a ibetms
VeftuarWo para maninot.
Leques.
Chapeos pana mmbhor
Cmuts limsa e de cores.
Fichus de seda e do 19
Capas de malha de IL
Para comntlamw
Collarinho. e punhos pars eeohora e homer dl.
verses feitiow.
Clnueuss me eolarinhos e sem punbe, ear -
nho e corn colarinhos e punhos parsa mmin,
desde n. 35 a 45.
Canimas pars meninos decade n. 28 a 35 o &l
larinhos, de n.2 A 35.
penbd", 0algal, gollate #U.
nhos pars sensors.
Gravatas, grande variedade.
Meias. cruas, brancas, de cores e pretas.
OCapachos, tapetes, mals, esteiras, bolsas, veHti.
fhos, brins brancos e de cores, luva, perftk.
rias etc.. etc.
Papoula d& C.
A 8 Rua do CabuA-iO
Em frente a matriz de Santo Antonio
FarlnkaLactca
Nol primeiros mezes a alimenta*S Bm
natural e apropriada pars alimentar a si
ga de peito 6 o proprio leite matter o a
em caeo de necessidade dove ser bZ70=
do pela
FARINHA LACTEA DO DR.
FBERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a fil.
nha Lactea como poderoso elemento nu.
trictivo pars a infaacia e ditinctos medi-
cos do Brasil e da Europa reconh e..
ser A do Dr. FRERCHS a melhor Un'eS
genero.
Deve-se pois evitar confiar o ihinh
urma poessoas estranha e de comportam-kt
nao conhecido muitas vezes o germen
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farinha Lactw
do Dr. Frerichs:
55 -RUA DO IMPERADOR 55
Etabeledmento de mu u e piano d i
tot Prjau e


V
I
t


I


Pharmacia homeopathica


0---


&

















AVETTB


PRIME PART
0 VIBA-TRIPAS
( Continuanto)
Xili


|

1


SEmquanto fallava, o ageito abrio a ja-
- lla que oalhava para o Sarthe, ma dir(ec-
( 0 rdo lugar onde havia existido a Salina.
;a Olhem disse el, o desastrado dei-
ia-nos o caminho livre.
Os quatro companhleiros foram reunir se
a elle, para comprehenderem a exclamanso
de Meuzelin.
Como corn a criada, explicou Men-
mein, o menu narcotico deixou de produsir
effeito sobre os barqueiros da Julieta. Tal-
vez mesmo fossem despertados pela explo-
sio da Salina. Levaram o barco para a
outra margem, e o Bello Francisco, renan-
ciando a procurar nas ruinas, julgou pru-
dante embarcar corn sous sacripantas.
Effectivamente, a Julieta, deixando-se
levar pela corrente do Sarthe, afastava-se
lentanmente. Na pupa, via-se, A claridade
dos primeiros raios da aurora, a alta esta-
tura do Bello Francisco, que fazia deseer
os seus homes, para que umia nudanga
tio brusca nao causasse suspeitas.
At6 breve, grande animal! disse por
centre os denotes o agonto dirigindo-se ao
Bello Francisco.
JA nio havia, pois, necessidade de aban-
donar a Corga Branca, As prossas. Ape-
sar da sun corpulencia, Meuzelin andava
bern, inas nao podia luctar coin as pernas
do Vira-Tripas.
Pancracio, pars substitutir o eavallo do
Porco Montez, estropeado pela bala de
Bernabe, foi a Mans comprar outro, que
metteramn na carruagem quo tinha sorvido
para trazer Gervasia at6 a estalagem.
A tarde puzerarn-so a caminho, Vasseur
e os seas soldados a cavallo, M!,uzelin na
carruagem. Quanto ao Vira-Tripas, ti-
nha annunciado quo queria fazer a viagem
paite a p6, parte A garupa de Vasseur, e
parte na carruagem ao lado do agent.
Pars onde vamos? pergunton o te-
nente A sahida.
N.io 6 o Bello Francisco, o seu alvo?
interrogou Meuzelin. Entao, iremos atW ao
fim, porque ao lugar onde o lovevo havemos
de ouvir fallar do seu home.
Qual 6 o fim da tua viagem ?
Vou a Ingrande, onrie recebi ordum
de reunir-me ao general Labor, que, logo
que chegarem as tropas, deve emnpriheon-
der uma expediciIo na provincial dovastada
pelas quadrilhas.
A camuinho, pois disse Vasseur.
Durante este coamego de viagem Berna-
be caininliou a p6 ao lado do tenente.
Saint Florent. pars onde me disses-
te quae Gervasia 6 conduzida por seu tio,
fica e ,yage do grande? perguntou Vas-
seur.
Mesiuo d-Afo'ute, do outro lado do
Loire, affirmou o Vira-Ti-ipas. Quando lA
chegarmos Gervasia estarA, jA ha alguns
dias, installada em casa de sei tio, porque
o Porco Montez, queo jA tcm sobre n6s urna
dianteira de dezoito horas, vai de viagem corn
outro pass do quo aquelle de quo estaminos
ameagados polo velho ecavallo da carrua-
hem de Meuzelin. Effectivamente aqu-:lle
cavallo fazia quatorze leguas em quinze
dias. Dez vezes Vasseur quiz caminhar
adiante e deixar Meuzelin. Este, por6m,
detinha-o sempre dizendo:
Acredite-me tonente, nio ganha na-
da corn isso. Prometto-lhe o Bello Fran-
cisco, mas quando f6r tempo.
Dizendo isto, o agent parecia star tao
senhor de si, que Vasseur acalmava a san
impaciencia.
Per mais do vagar que se ande, acaba-
se sempre. por chegar.
Foi assim que na manha do decimo sex-
to din, depois de ter gassado a noite em
Angers, porque Meuzelin se tinha sempre
opposto a viajar durante a noite, chegaram
a aldea de Monciel, seis leguas adiante de


FOLHETIE



AMOR MATERNO
POR

JULIO MARY


PRIEIRA PART

N TETZZA ITEM' CTYTRA


(Continuago do n. 24) S
VII


Escripta essa carta sahi da sala e
" ?dmigm-me ao vestibule e foi quando eu atra-
voss'a.va a pega cujas janellas dAo para o
'!ateo-e que vi de repente o Sr. de Lesgnilly
Sstmendido no chao. Chamei logo, depois sen-
ti quo ia perdendoossentidos, no momen-
Sto em quoe os criados chegavam ; nao sei
nad do que se passou depois.
E i o ouvio nenhum barulho ?
Nen:... hum !
N lIfo vio ninguem, quando ehtrou no
biute em quoe o Sr. de Lesguilly mor-

l ingue 1 I
*.MA Koutg6rand olhava pars a mo-

dn o men olhar, e er-
on comn dignago:
-'A* lha, o q" epiisa?

t8. quo tindo sido quasi
a pep hor#_ 64mnuitq


abhm eiawvdo n# ea sta d a e t 'is- 1-
vado paras a a. :: ,
* :s&USS iP| 0 h 0 WBuver Ra tiaha
reea. : .1
As auntoridades tinham mandado deitr
i victim em cimna de u'sa um ew na aUiA
dla estalagew, at6 A chegada da |jutica,
que devia vir de Angers e de grande.
Emquanto esperavam, os aldtees, curi
osos e ssustados, perguntavar o un aos
outros quemt poderia mer aquella mulber.
Se fossemos ver? propoz Meuzelin
oos seus companbeiros.
N'aquella epocha os magistrados, toca-
dos pelo ponico geral, nio tinham muita
press cm ir fazer inqueritos nas aldea.
Por isso, para Ihes mostrar o cadaver
da mulbher sem' cabega, os habitantes de
Monciel tinham mandado prevenir as auc-
toridades de rogrande e de Angers, mas
nao esperavam que elias viessem.
A sorpreza foi grande quando viram
Meuzelin, o tenente, o Vira-Tripas e Fi-
chet que se apresentavam tendo deixado
Lambert na entrada da aldea, guardando
os cavallos e a carruagem.
Tomam-nos por~gante da justiga, mur-
murpou Meuzelin a Vasseur.
Entio vamos desempenhar os papeis


d'elles? perganton o teneonte.
Porque nao? Coinom sabe as viagensi
instruern sempre, disso o policial, rin-
do-so.
Em MIeuzelin o seaou officio absorvia do
tal inaneira o hominom que oelleo nao pcdia
deixar passar aquella occasiao do exercer
o sou faro a sua sagacidade.
Assimrn que entrou na sala da estalagem,
onde a multidao cercava a mesa sobro a
qual estava estendido o corpo, o agetite
ordenou coin voz imperiosa :
Sahiain todos para fora, salvo as pes-
soas da casa.
Emnquanto os aldeoes sahiam, o estala-
jadeiro approximou-se d'cllec a perguntar-
Ihe:
Nao quer quo Fourchu, fique, meu
magistrado?
Quern 6 Fourchu ?
-E' o postilhlito quo conduziu a diligen-
cia no trajecto d'Angers a'Monciel.
EntAo que Foruchu fique.
A multidao sahiu, e os quatro compa-
nheiros ficaram corn o estalajadeiro, o sou
criado e o postilhaio Fourchu, um rapaz
espadaudo, do cara decidida, qua trazia o
braco esquerdo no peito, por te roceebido
urea bala no ataque A diligencia.
-- Seam desfazer- em que esta present;
uma miullier sen cabega 6 a mesmia cousa
que umna caldeirada se peixe, disse Fichot
a Bernabe, depois de examiner o cadaver
decapitado
Seam dizer urna palavra, calmo, concern
trado Meuzelin, lentamente, deu uma volta
ao redlor do corpo.
Por urn inoamento o sou olhar fixou-se
sobre o pescogo decopado, cujas carnes
trituradas demonstravam quo a docapita-
V1o fura praticada coin muitos golpes e
por mrno inexperiente.
NeOrM agugueiro, nemo esquartejjador.
nem n hoinmom que poer officio ret dihta carnet,
cortou esta cabega, mnurmaiurou dlle.
Depois examninou a mwio do cidaver,
mio clara, macia, as unhas cuidacias mro
do unia ociosa ou dc unia inulhcr qut' n.bo
estiva habittwada ao trab:dho manual.
Apc'zar do sangie qeuo manchava as rou-
pa-, cr.A ficil reconlicer que, apezar de,
minuito simples c umD pouco fora da moda,
eram de fazenda de preo.-
As meias eram de soda, e os sapatos fi-
nos e de couro macio indicavam, por nio
estar disformados, que a assassinada nfo
devia andar muito a p6.
Dispam o corpo, ordenou Meuzelin ao
estalajadiro e ao sen criado.
Tiradas as roupas, o cadaver appareceu
bell de formas. Exceptuanio. os horriveis
ferimentos resultantes dos quatro tiros de
espingarda que mataram aquella mulh-r.
o corpo nao mostrava nenhuma cicatriz,
nem signal que pudesse sorvir para mais
tarde contastar a identidade do victim.
Devia ter vinte a 25 annos, disse


Meu pai meu pail
Elle olhou, mas o seu olhar nao tinha
expressao:
.- Quo queres de mim?
Esse home, e ella indicou corn o
dedo o juiz de instrueglo, teve um mAo
pensamento... Comprehendi pelo seu olhar
que elle desconfia de mim, das minhas pa-
lavras... o senhor, meu pai, p6deo defen-
der-me...
Minha senhora, disse o j uiz corn gra-
vidade, enganou-se. Tenho f6 nas suas
declaragoes, comquanto me seja permnittido
achar singular a sun presenga no castello c
a narragAo que acaba de fazer; mas creio
que se o que acaba de dizer 6 verdade, por
outre lado, nio me disse tudo.
-- No sei mais nada.
Jura?
Jure !
S Agora, a senora e seu psi tenham a
bondade de responder As minhas pergun-
tas.
Eatou prompt, disse ella corajosa-
mente.
Falle, Sr. juiz, disse o dono das for-
jas em voz fraca, estamos A sua disposi-
91o, jA que o acaso quiz que figurassemnos
n' esta triste negocio.
Dosculpe, so sou obrigado a entrar
na sua vida intima,. Sr. R6veron, e creia
quo o fago constrangido, porque ha muito
conheVo a sua reputaglo de lionradez, e
sei -que 6 adorado em todo o paiz pela sua
bondade. Isto siguifica que, posto seja-
umos estranhos um ao outro, todavia sou
seu amigo. As nrinhas perguntas, pois,
nio podenm sor inspiradas por outro senti-
mento quo nio -vivo interesse peta doloroaok
posiealI6m que so acha.
Aindi ha pouico, a senhora disse quo ti-
ha vindo rclamar do Sr. 4e Leasgfy f i
51 8 'cart- is. .. --1 ;1
SEnt .estava roto o .eneas..m o...
:A. niim wnm* 1111 .1 "'^.'. .^A


* eriK-6e' iiN fltWC wie i-s :,~
brindo-o aCO TronUap quo Ihe tinham ti-

re ct,,' 'e ,, : ,.
r -.do Id ..: ft.
-+ Er+~ +pehmo~a# n muenWp
do ataqu e ntr Augerpa a eta aldemi.
-A, jrova6 -a~i.~i
*meix, disse Foiku, strand o su
bra9o ferido... Voitt contar-lh como 0 xio
aconteceu. Elles aai ua k triata;, tiain
atravessado a estrada corn daa cordaas gro-
sas estendlidas de um lado a outro. UmI
dos mieas cvailt zi 64i0,t elleas fize-
ram fogo sobre a paltruitha. Foi uma das
balas que Ihe era destinaa que me atra-
vassou o braco...-- A quda do cavallo
fez parar a carruagem. Qutatro patifes
apontaram as suas pistols sobr o meu
peito em quanto o quinto procurava nos
meus bolsos para tirar-me a lista dos pas-
sageiros. -
Sobre a qual estavam inscriptos os
nones dos teus passageiros.
Sim, corn a indicagi'. do ponto de
partida. Precisavamr d'ella serm duvida,
para saber so vinha na minha carruagem,


aquella que elles queriam matar. Ah!
tambem nao levou muito tempo! Cinco o0i
seis foram direitos ao carrot; arrastaram
para f6ra urma das passageiras, e serm dar
tempo a quo ella pudesso dizer. uma p Ila
vra pan pan! c estava acabado. ,epois
desamarraram as cordas, lovantaram* 0
meu cavallo, e orlenarain-mn que me pu-
zesse a andar s3m indagar do cousa alga-
mna.
Nio te restituirain a list?
Neo, e confosso quo n~to pensci em
raclamal-a.
Sabes onde a victim tomou a car-
ruagem?
Em Angeres.
Tens certeza?
Quando' eu cstava em Angers a cs-
pera, para caomear o meu servigo, vi che-
gar a carruagemr coninzida por Chatriot.
Euquanto os mogos do estribaria attrela-
vas os cavallos, tui tomar um copinho
corn Chatriot. Quando voltei para subir
para salla, vi. entae duas mulhores na car-
ruagom.
NAo podes affirinmar qual das duasera
primeira?
Nao, porque estava escuro dentro da
carruagem.
E os incendiaries quo atacaram a di-
ligencia, reconhliecerias algum ?
Fourchu riu-so corn esta porgunta.
Oh! oh! disso ell.
(Covdina.)

VAIRIEDADES
Comarea do Cabo
RESPOSTA AO QULTESTfONtARIO DO AVIS9 DO
MINISTERrO DA JUSTIVA DE 20 DE SE-
TEMIBRO DE 1883.
Juizo de dircito da comarca do Cabo
omin 30 de agosto de 1884. Illio. e Exm.
Sr. Satisfazendo agora a exigencia do avi-
so do Ministerio da Jiastia do 20 de se-
tembro da anno passado, de que- nio me
pul c d,sempenhar corn a brevidade recoim-
minenta'J. nwi circular de V. Exe. do 25 de
novembro ilo inesmo anno, venho dar des-
onvlvi.unento do questionario desse avid6,
exponio o quo 6 peculiar a esta comarca
segundo as informnages a men alcance.
1.* A posilAo topogaphica da sede da
comarca, a sna importancia pelo seu com-
mercio, industrial, agrioultura e riqueza.
A cilade de Santo Agostinho do Cabo
s6de desta comarca, fica ao sul da cidade
do Recife A 15 metros de altura sobre o
nivel do mar; estende so pela enoosta da
collina que a contornea, at6 o ponto cul-
ininante desta: 6 pouno important pelo
commercio, industrial, agriculture e rique-
za, sua populaqto e pobre, cm gande par-
to compost de operarios e empregados da
ferro-via do Recife a S. Francisco que tern
ahi a sun s6Ie.


E dirigindo-se a Terral e a Corvigny :
Meus senhores... disse elle.
E fez-lhes urn signal, quo diees compre-
henderanm.
Retiraram-se discretamente.
Agora pdde fallar.
Era desnecessario isolar-nos, disse
RWv6ron, acabrunhado, nada tenho que di-
zer-lhe. A' justi9a pouco import saber
o que se passa na minha familiar.
Isso nao Ihe p6de fazer conhecer as cau-
sas d'esse assassinate. Permitta, pois, que
mne retire, e leave minha filha.
O Sr. de Montg6rand pareceu sorpre-
hendido.
Nlo espereva essa resistencia.
Vejo corn pezar que o senhor nao
oomprehende a posi~go em que se aeha
sun filha.
0 que quer dizer ? perguntou brus-
camente o dono das forjas. .
Quero dizer que, se a proeodimeunto
da senhora nio for claramente oxplicado,
ver-me hei obrigadb -atk obter inform
9oes mais amplas a consideral-a como in-
dicmada.
Ella? 0 senior desconfia d'efla ?
Nio, sonhor, gno desconfio. Quero
soinente mostrar quakes podem ser as con-
stquencias do sen silevcio.
Men pai, disse Mathilde, men pai, di-
ga, esta vendo qoe.6 procjiso I
Houve uma luta yiolcnta na alma de
R6v6ron. !
Repetio em yoa sumida :
Nnaaf t aeho 4i'-lle. -
E Aathilde: '
S me. pim rocsa, eu direi. 0 s
nhor nIp v ^. Lue *a6 len'io w n
m iTde qo ut, enfgntrvil
uie 44 p iptoo 140 -W tV-4


:i+ ;1 .l:*l.'^ ? & ^ ** .. +^ lll:, l

de communicaglu, eo a. su-ippfxiw"
provincias limitrophes.
Oa meios de viaao na ,inar +i
c pvt: do, territonlaervida p+e- ostf
de ferro e pela r od m, que valts-
mente, at- as itnm io do engenho
Pemdqraia, ein geral oa de transpo.
to par anhnaes, ar caainhos difficeis, As
vezose de tractos impossiveis duranto a es-
.0410 invernosa: a pr t incia limitrophq
quo so acha a menor distanucia della 6 a das
Alagoas, talvez a uns 200 kilometros.
S4. Freguezi-.s do que se coppU A coO
marca; povoaes, cots a deaignao da
freguezia a que portence, ,e a distancia da
Oede qu6r desta, qu6r da s6le d 0o-
:maresa.
A comarca. .omprehendo duas fregue-
zias, a deo Santo Antonio do Cabo c a de
S. Miguel de Ipojuca. A primeira tmrn as
seguintes povoaoes: Ponto dos Carvalhos,
Ai distancia pouco tmais ou menos do 10
kilometros da s6le da comarca quo 6 a


mesma da freguezia; Nazareth, A 15 ki-
lometros de una a outra s6 Ie ; Paiva e
Gaibfi, pouco mais ou inenos a igual dis-
tancia. A seguada toum a povoaI) io 1S.
Miguel do Ipojuca, quo 6 a sun s6.1e, na
diitancia do 13 kilonmetros da s I o da co-
marea o 6 do littoral; Gitahy a 1 kilomne-
tro da s6io da froguezia e a 1.2 da comar-
ea, Cape, Porte do Gallinhas e Pent-i do
5e"aamby, no littoral, todas, corn pequeaa
differenga, distanto, de 5 a 6 kuloinetros
da sede da freguezia e 15 da da coinarca.
5.o Dascripgao topographical da s6do da
cada freguezia, assim como do cada uma
d:as povoaoes, corn a designagio do que
hover de mais notavel.
A s6ie da freguezia do Santo Antonio
do Cabo 6 a da comarca, a da do S. Mi-
gael do Ipojuca 6 a povoa'io doste none.
Esta povoacao, que disata de 5 a 6 kilome-
tros da villa dd N. S. do 0' slo do ter-
mo de Ipojuca, estA plantada na b:ise e
eitcosta de uma collins: const:t deo 106 f6-
gos pouco mais ou menos; tern uma ca-
pella sob a invocasoo de N. S. do Livra-
,nento que serve de matriz, outra oem ruii-
nas, e um mosteiro da ordae de S. Fran-
cisco, no alto da collina, monumento da
antiguidado, quo entretauto em boa parte
estA conservado. Quanto as povoaoeis das
duas freguezias, na do Santo Antonio do
Cabo existem: a da Ponte dos Carvalhos
que demora em uma planicie entro os nrios
Jaboatao e Piraparna, nada offerecendo de
notavel, pequena e de mA edifieaglo ; Pai-
va, no littoral ao sul do cabo de Santo
Agostinho, do construeAto de palha e um
pequeno numero de casas cobertas do te
Iha, e uma ermida comn a invoca9So de S.
Jos6; GaibA; tarnbon no littoral ao norte
do cabo, em melhores condi5es do habita-
bilidade, e Nazareth no eabe9o do cabo,
situagAo a mais pittoresca, povoai9o on-
tr'ora florescent imas hoje em decadencki.
Ha ahi urna igreja qne foi a de uau autigc
aosteiro da ordem carmelitana do qua]
restam apenas vestigios. 0 clhina 6 ,itiitc
precoinmisado pola salubridade, a ponto de
ifirmuarem os mais antigos moradores da
povoaao -nunca -teramr penetrado, alli as
grande epidomias. Encontram so ahi fon-
tes de aguas ferreas. A frcguezia do Ipo-
jauca conta estas povoa5s : a do S.,Mi-
gual, sun s6de (jA desuripta) S. Jos6 dc
Gaipi6, pequeno povoado, Cape, Porto de
Gallinhas e Ponta do Sernamby, que nada
tern de notaveis.
6." Clima, salubridade, molestias ende-
micas, e quaes as suas causes.
0 clima da comarca 6 salutar, n'p ha
molestias ondemicas.
S7." Natureza do terreno,luberdade e fer-
tilidade.
0 terreno 6 argilobo, de maoap6, pro.
prio para o cultivo da canna e de grandec
fertilidade.
8.0 Indole do poeo, raga predominant,
costumes, etc.
0 povo 6e de boa indole o a raga branch


Posto que o men casamentu corn o
Sr. de Lesguilly fosse cousa resolvida e
devesse realisar-se dentro em poucos dias,
todavia, como Ihe disse ha pouco, as visi-
tas entire n6s tinham cessado, o que p6de
parecer singular e exi ,e uma explicaego
immediata. 0 Sr. do Lesguilly tinha uma
amasia da qual teve um filho, e quo, ven-
do se abandonada por ell, impellidt polo
rancor e tambem pelo ciume, fazer as suas
confidencias a meu pai, que deu-lhe credi-
to e quiz romper corn o marquez ; impor-
tava, por6mn, antes de tudo, que o Sr.
de Lesguilly me entregasse as minhas car-
tag. Como, a despeito dos meius pedidos
reiterados elle tardasse em rn m'as devolvor,
teomei a resoluglo de vir em pessoa recla-
,aW-as no castello. Foi por isso que o se-
%thor encontrou-me aqui hoje. Agora, o
Aenhor sabe tudo.
Essas revelag5es sio muito graves:
a senhora affirma que o Sr. de Lesguilly
tinha uma amasia, da qual tove um filho ?
-- Pergunte a meu pai. Foi elle quern
rcceben as confidencias da menina.
Qaeira responder, Sr. R6v6ron!
'0 que Mathilde disso e a verdade.
E na conversa que teve corn essa
menina na'o a ouvio pronunciar palavrias
de ving;tua ?... ameagas contra o mar-
quez
Vi-a afflicta, desesperada o ao mes-
-to tempo altiva: nio ouvi ameagas, por-
qie essa nenin- i ainala nio acredit-ava na
sus desgraca complete e continuava a eas-
.per.r quo Sr. do guilly que Ihe ti-
a rpattid ea saoat havia de resti-
13 b h e e b r al ^ oi l h o ... .
Espixvt aainibet uoi qoa rovara
pw~h ft.ntdo 4o usaniento d6-
tl'^i ll'l^ -~w


.rtOiual ao^ e~icIUva ta4amutri e a 1#o
adosaur; e a prineipat 00.uva

ar Por euzas.
H nhos ou' f ca do asoutr1 de
miioes o nomors proporgUs; na frue-
'do Cabo 77, a do Ipojuca 66; 66 o
eliatae fabricas dh rapaduras.
I.' Geiero ir i -trabalhbo prodqminante
4a conarca, e qiAl o sew deisnvolvimnento
e importanei-*.
0 principal genero do trabalho na co-
mirca e a lavoura e o fabric de assucar:
podc-se cal ular o desenvolvimento e a im
portabcia d'elle polo numero do engenhos
que jA mencionei.
12. Cemiterios, sua posicto, quando cons-
truidos, dimensoes, capella, e quando inau-
gurados.
Existem : um nas immedia90as da ci la-
do do Cabo ao ponte, no alto do urma col-
hia, murado, corn 102 mi. de frente e 48
do fundo, construido em 1856 e logo inau-
gurado, outro na povoaqlo de Nazareth
corn cerca de 30 m. de frent. e 40 do fan-
do construido em 1871; dous na freguezia
de Ipojuca : o da povoacto d[c Ipajuca corn
pouco mais ou menos 40 m. do frente e 50
do fundo, construido cm 1869, c o d.i vil-
la de Nossa Senhorm do 0' corn cerca de
80 m. de frente e 50 de fundo construido
e inaugurado em 1879. Nenhum tern capella.
13.- Agna potavel, abundancia e quali-
dade, fontes, agudes, etc.
Nxo ha lugar na comarca on'le falte agua
potavel de boa on soffrivel qualidade, de
fontes ou riachos: h.i diversos audles for-
mados corn a represa das aguas dos rios
Pirapamrna, Ipojuca c seus affluentes.
14.- Igreja matriz, capellas filiaes, suns
invocacois, data da fundago, por quoern,
o qual o sea estado actual.
Ha duas igrejas matrizes, a de Santo An-
tonio do C:ubo e a capella do Livramento
da povoano d(to Ipojuca. A primeira tern
as seguintes capellas filiaes : No)ssa Senho-
ra do Livramento, Nossa Senhora do Ro-
sariio, Santo Amaro, na cidade do Cabo;
cm Nazareth a do Nossa Senhora de Naza-
reth, igreja quo foi a do antigo mosteiro;
na povoagao da Paiva as de S. Jo6 o S.
G.)n9alo (esta cm ruinss; na povoa9,io da
Pcntedos Carvalhos. a de Nossa Senhora
do Bom- Conselho e nas proximidades da
mcsmna povoaq.o a de Santa Anna. A ma-
triz de Ipoiuca tern as spguintes capellas
filiaes : Nossa Senhora do 0' o S. Miguel
do Ipojuca. Nio costa a respeito de ne-
nhuma, nein de docuinento archivado neoa
do tradigIo, a data das respectivas funta
mo3s ner quem forarn seus instituidores:
scu estado actual, exceptuando se as de
S. Gongalo e S. Miguel do Ipoju=ci, mais
ou menos satisfactorio.
15." Edificios publi-os, importancia, fua-
.daao, etc.
Os edificios publicos mais importantes
da comnir.-a sbo as casas das carnaras mu
uicipacs e os ceuit3rios ; n p'-.o iuunicipa
do Cabo e6 proprio provincial, nial construe
I do e acanhado: ha pouco tempo, tendo ele
a coberta orm complete ruina e quasi a desa
Sbar, para concortal-a foi precise recorrer-s(
Saogeneroso auxilio das nossoas mais gra-
dao do municipio : tendo aido a obra din-
gila pelo tngenhciro da provincia Joaquiir
. U-leno Coeliho, quo se prcstcu a esso sor-
.5vi voluntariazuente, o deseinpenhou corn
assignalado zolo. 0 predio cm quo func-
ciona a camara de Ipojuca 6 uma casa tor-
rea de pequenas dimensoes propriedade da
mesma camera.
16.- Confrarias e irmandades, quandc
constituidas e inauguradas, e a data da ap-
provacao quer das inesmas, quer dos seua
eompromissos.
d 6 existe na comarca usa irmandade, a
de Nossa Senhora do 0' da freguezia d
Ipojuca, cujo compromisso foi approvadc
pela lei provincial n. 411 de 25 de abril
de 1857 ; outras que existiam dissolveram-


so em consequencia de confliotos corn o0
, parochos.
17. Associates do qualquer natureza,
seus fins e datas da installagao; incluindo-


ler nesse coraglo despedagado e comgre-
hender a luta snprema alli travada, teria
visto isto : de am ladn o desejo de salvar
a filha do urna suspeita odiosa... dando
aojuiz o nome de Albina Miranda, porque
nao duvidava de que fosse ella a assassina
do marquez ; do outro, o remorse de ac-
cusar a componeza, que ele absolvia, a
despeito de tudo, na rigida j ustiga de sun
piedade inflexivel.
Dizia elle de si para si :1
0 assassinate do Lesguilly, coinci-
dindo corn o pass imprudente de moinha
filha, deshonra-me. E' verdade. Mas na
minha almna e consciencia, creio que Albi-
na estava no seu direito matando o seu
amante.
E como o Sr. de Montg6rand Ihe repe-
tisse:
Diga-ine o nome dessa moa !
Elle minentio pela primeira vez em sun
vida, e, pobre home, mentio, respon-
dendo:
Ign6ro!
SE' impossivel disse o juiz.
Ignoro repetio Rdv6ron, corn cal-


Ina.
EntAio, que prova temrn do que na'o foi
victim de algama intrigante ?
A confiss.o do proprio marquez, a
quem contei tudo e que nlo negou
E o Sr. de Lesguilly tambem nao
Ihe disse o nome da sua amasia? 0 se-
nhor nio p6de sustentar o que affirma. Ou
o senhor foi enganado ..
Nao tui enganado.
Ou o senior procura enganar a jus-
{iea.
-- 0 que eu disse e a verdade ; nada
tehiio quea accreseentar. -
I 0 se.t ilseacio, que 6 muito condem-
av l, e.F, -.-iteB .po do de mser umas
A, 1p 00mcie-ci t'- m eAccnsa.]


mana Manoel Pereim4&5lVA. pa 4
d.a* do ue na bibhioteea, ao a owaa
sociao pretend iNangiihr -2 diso d1
setembro proximo.-
18. Serras, metitanhas,e omontes, seu
nom e oriaemI, direeo, po0i$0o, o luga-
res a que pertencem.
0 territorio da comarca A accidentadode
morros em diversas direcges nao tendo.
elles demomiuaglo conhecida. Nto hI ser-
rms ou montanhas notaveis. (1)
19." Rios e riachos, sua nascenga, direc-
9io, curso, navegabilidade e lugares e que
pertencem.
Os rios que banham a comarca sio o-
Pirapauia, que, segundo o roteiro da costa
do norte do Brazil por Vital de Oliveira,
nasco no lugar denominado Quarosma da
freguezia de Santo Antonio, o Suape, o-
Tatuoca, o Ipojuca, o Merepe on Giqui e
o Jaboatilo 0 Pirapama tern perto de 20:
leguas de curso, banha toda a treguuzia
do Cabo do occidente para o oriented; em
sea curso recebo as aguas dos riachos Pa-
g7io, Matapiruma, Quandus, Araudut, Ara-
riba, Cujabassu e Tapugy pelo norte e do-
Utinga pelo sul. 0 Suape corn l curso
de pouco mais de legua ramific4-so em tres-
bragos, seguindo um para o oeate, o riacho
Massangana, outro para o noroeste, o Al-
godoaes, e o te'ceiro pa.i o sudoeste, o-
Camb6a, quo e6 insignifioante; sio os dous-
primeiros quoe t.n algum curso e forga,
nio sib porem conhecidas as suas vcrten-
tes. 0 Tatuoca 6 um p.quonorio-que desa-
gun na barra do Suape muito perto deste.-
ao sul: corn umra legua de extensAo bifur-
ca-se, seguindo um bra5o pira o oesto, o-.
riacho Braga, e o outro para o norodate, o
Taveira, os quacs corn mais do legua t6m.
suas nascent s. 0 Ipojuca desagua tam-
bemr na barra do Suape: nasco na serra
do Acahy ou ArarubA e vem ao occano.
3om umn curso de 70) leguas, recebendo-
aguas de muitos riachos, entire outros, nes-
ta comarca, o Tabatinga e o Merces, na
altura de tires quaitos de legua dasua foz.
Sobre este rio estil a ponte do Salgado, e
ao sudoeste desta na idistancia do 1. k. a
villa deo Nossa Senhora do 0'. As embar-
Scac5es de pequena eabotagem chegam ate:
o porto do Salgado. 0 rio Merepe ou Gi-
qai 6 o ultimo quo desagua no Suape, de
pequeno volume e cheio de coroas; passa
ecrea do umn quarto do legua proximo A vil-
Sla do Nossa Senhora do 0' e communica-
se depois corn o Maracahype: pouca on-
nenhuma correnteza torn. Finalmente o Ja-
boatao, que nasce n) lugar denomninado
Genipapo e tern um curso do 10 leguas,.-
banha a coinmarca pelo norte c a quarto deo
legua do sua foz faz junegio coin o Pira-
pains.
20.o Lagoas, sun posiiio, dimenglo e-
o lugar em que se chain.
S Naio existem.
21.o Mineraes de qiialquer natureza,
Sabmuncancia, lugaros em que se acham, e a
Sfreguozia a que pertcncem.
SNaio ha na comarca mineira alguinmi co-
nliecida; apenas suspeita se possa existir
em Nazareth algumrna de ferro ; mas tanto
alli como no engenho Itias existemin ricas
pedroiras, e dellas t6mt sahido as pedras
do quasi todo o calcamento da cidado do-
" Recife.
22. Aguas mineraes, suan natureza e
" onde so acham, corn a indicacao da fre-
- guezia.
JA mencionei as fontes de aguas as ferre -
de Nazareth, outras nio existem.
3 23." Curiosidades naturares, descripgibo
- e indicaeo do lugar, distancia.

(CGininZa.)


l (1) Esqueci-me da Serra Sollada que
- demora a 9 milhas para o sul do Cabo de


s Santo Agostinho e que tem esse nome pela
sua configurago sernelhante a uma sella;
Ssendo um dos signaes por onde o cabo 6
- reconhecido.

Sparece certo que o assassin) quiz apode-
Srar-se doe uma sommaa important que o
Smarquez tinha recebido durante o dia.
Isso 6 impossivel, disse R6veron corn
vivacidade. A mnoga 6 incapaz d'isso.
S Entao, o senhor a conhece melhor do
que quer parecer! Porque nao '6 una uni-
Sca entrevista, uma s6 conversa corn ella,
Sque o induziria a defendel-a corn tanto ca-
lor !


O donor das forjas comprehendeu quan-
to era just a observagAo e nao replicou.
Pela ultima vez, Sr. R6v6ron, disse
o juiz, eu o intimno para dizer o nome des-
sa moga.
E Rev6ron corn o mesmo sangue frio:
Pela ultima vez, respondo que nao
posse.
Ainda uma palavra: se Ihe der a
certeza de quo essa mo0a assassinou o
narquez, e se ohe provar, ao mesmo tem-
po, que o crime teve por movel o roubo, o
que farA ?
Nao sei, senhor, neste moment estou
muito perturbado, mesio minha filha, olhe
para ella, estA quasi desfallecida. Suppli-
ce-lhe que pernitta que me retire corn ella.
Ojuiz hesitou, depois, seccamente :
Bain, po6dle retirar-so... Mas a se-
nhora ha de, ate nova ordem, fiear A dis-
policlo da justice!
O juiz de instrucqfo passou a nite no
castello, interrogando os criados e reunindo
todos os elementos do inquerito.
O crime apresentava-se-lhe cercado do
mysteries quasi impenetraveis,; elle no
conseguio reunir um s6 indicio quo o pudes-
se por na pista do assasssino.
Os cri:dos, principalmnente Adriano, in-
terrogados a respeito das relaqos-do pa-
trio e do que podiam ter sabido, powr aea-
so, das suns aventuras galantes, nlo deranm
nenh..um infomagl-o.,
o, o marquez emampre guardeow I: :u i -:,, .
qanwto aos seUs arnoroa, a fae *aia' eN#ot
ios sews negociosl npo oafi o


L,-.





I' .'




s,g


|.
^-i1 -




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETIELU074_QEZILB INGEST_TIME 2014-05-22T22:27:28Z PACKAGE AA00011611_16014
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES