Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:16003


This item is only available as the following downloads:


Full Text










M p ria .-. :.
- ak o idea. X
numlrovqwdo Me'=*'dia


W!F A~x


Pr u 'm= 'iman.
Cada ianero eTuh&%


Ass a a m.'
S P a *->'^ ; .-

de cBM~aw.. .*


. N is .' ., .' .
* B "- S .. ..BB O G ::

.. .


"' 1:'

d-^


TELEGRAEIAS PART OFFICIAL
Governor da Provlncla
Sf A*EXPEDIcNTE DO D"A 9 DE JANEIrO DE 1883
8ISTI3 P~ il~nia fO IIABIO Actos:
0 president da provincia, attendendo ac
que requereu o promoter public da comarca de
RIO DE JANEIRO, 22 de janeiro, As 2 Bezetros, bacharel Manoel Mayrinck Monteiro de
hors e 3 minutes da tarde. (Recebido Andrade resolve prorofar por 3 mezes provisoria-
horas e 3 miutos d tard. (Recebido ente e sem vencimnentos a licenga cm cujo goso
Ls 3 horas e 10 minutes, polo cabo snbma- esta o peticionario para tratar de sua sauda.
0 president da provincia, de eonformidade
rino.) corn o disposto no art. 1 7 da lei n. 2,033 de 20
de setenibro de 1871, resolve nomear o cidadao
Sa a de Francisco de Barros Wanderley para exercer o
eol exonerado o actual cnefe de cargo de adjunto do promoter public da comarca
poilcia da provincial de Minas Ge- de Palmares.-Communicou-se aojuiz de direito.
raes, e nomeado para aubstituil-o o 0 president da provincial, de eonformidade
corn o disposto no art. 10 o, da lei n. 2,033 de
Dr. Francisco Xavier Rodrigues Cam- 20 de setembro de 1871,-resolve nome&r o cidadao
pello. JoZo Leonidas da Cruz para exercer o cargo de
-- oro de adjtunto do promoter public da comarca de Sal-
Foram ramovidons os mJies de gueiro.-ommunicou-se a* juiz de direito.
direito: 0 president da provincial, resolve nomear
Manoel Torquato de Araujo Saldanha para exor-
Bacharel Miguel Gonecalves Lima cer o cargo de amanuonse da Secretaria da Ins-
da eomarca de SalIgueiro, cm Per- true.ao Publica, que se acha vago polo fallecimento
a do Al ao de Modesto Leopoldo Xavier Bustorff.
nambunco. para a do Alto Amazonas, 0 president da provincia, attendendo ao que
na provincia deste nome ; requereu Antonio da Costa e Silva Maduro, ama-
SPedr Francelino nuense da reparticao das Obras Publicas pro-
Baearel Pedro Francelino u- vinciaes e tend. cm vista o attestado medico que
marie* Peixoto Filho, da comarca exhihio, resolve prorogar por mais 6 mezes a
de Anadia, nas Alag6as. para a de Iiceno em cujo goso se acha para tratar de sua
saiide corn metade do ordenado na f6rma do art. 40
Salugmeiro, em Pernaumbuco. da lei n. 1,810 de 27 de junho do asno passado.
Foi nomeado juis de direito da Officios:
Ao general comminandante das armas.-Atten-
omarca de Anadia, nas Alagoa., o dendo ao que requereu o soldado da companhia
btacnarel Livino Lopes Barros da do operarios militares do Arsenal de Guerra, Jolo
Silva. Alves Feitosa, recommend a V. Exc. a expedigio
de suas ordens afim de que dita prala seja ins-
Foram reconduzidos no cargo peccionada de sadde pela junta medical military.
ee de orp Aos: Ao memo.-Deferindo o incluso reqderi-
de ji municipal d oon.ento do soldado do 20 batalhao de infantaria
Do teramo de namanguape. na Pa- Francisco Bonifacio Alves Ferreira, autoriso V.
ai .o Exe., de accordo corn a sua informao de 22 de
raltyba., o i~acharei Pedro Velhto do dezembro findo sob n. 670, a mandar dar-lhe baixa
Rego Mello; do servico do exercito, aceitando para por elle ser-
Sermona mes- vir, unia vez que esteja nas condiies da lei, o
Do term de iaga Nova. n ru substitute quo for apresentado.
ma provincia. o bacharel Augusto Ao mesmno.-Deferindo o incluso requeri-
Zmygdio da Fonseca Galvao. mento do soldado do 20 batalh-o de infantaria
Manoel Damasio da Silva, autoriso V. Exe., de
accord corn a sua informamAo de 7 do corrente sob
n. 18, a mandar dar.lhe baixa do servio do exer.
cito aceitando para por elle servir uma vez que
tenha os requesitos exigidos por lei, o substitute
prnmA Manoel Bento da Silveira.
vJ yUT 4 E 1'I S L)7") Ao provedor da Santa Casa de Misericordia
do Recife.-Rcspondo ao officio n. 116 de 5 de no-
vembro ultimo declarando a V. Exe. que approve
(Especial parn o Diario) a deliberaeao pela qual a junta administrative
dessa Santa Casa restabeleceu o vencimento an-
nual de 1:560$000 quo era abonado ao continue
PARIS, 21 de janeiro. Manoel Cavalcante de Albuquerque Mello.
A' Thezouraria de Fazenda. Tendo-me
communicado o Exm. Sr. migistro da Fazenda em
A Inglaterra prohibio que on va- telegramma de hontem datado que o lo escrip-
non de guerra, tanto da esquadra turario Mondim Pestana conttnuie addido A Alfan-
franceza como dan chineza possam degas desta provincia, atW segunda ordemin, assim o
fago constar a V. S. par os nfins convenientes.
ser equipados ou eiffectneat repara- A' mesma.-Tendo eu em 15 de dezembro
cues noS portoes uIngleze dos mares findo expedido ao Dr. juiz de direito da comarca
-de Iguarassi o officio junto por c6pia e recommen-
da China. dado na mesma data e em 24 do dito mez a essa
Thesouraria que effectuasse o pagamento em saldo
CAIR0 2 2L de janeiro. de conta de todas as despesas feitas corn o trata-
AIRO, monte de desvalidos accoinmettidos de variola em
ItamaracA e Itapissuma, recommend a V. S. que
Perto de Abuklea, deu-se nm corn- si estiverem nos termos legaes os dous reci-
bate entire exerto ingle. do So-bos enviados palo referido juiz corn o officio tam-
bern junto por cpia de 7 do corrente mez, made
ii. e os partidarios do NMabdi. passar a respective quitacao.-Commuuicou-se ao
On ingiezes tiveram 14t inomens juiz de direito.
-,A' mesma.lCommunico a V. S. que de con-
mortos e 94 feridosn e os maldistas formidade corn o disposto no art 1 7 da lei
1I200 omens mortoas. n. 2,033 de 20 de setembro de 1871, nomeei hoje os
cidadlos Francisco de Barros Wanderley e Joeoj
Leonidas da Cruz para exercerem os cargos de
Agencia Havas, filial em Pernambuco, adjuntos dos promotores publicos das comarcas de
22 do j da 188Q-Palmares e Salgueiro.
2-J de ]aneiro dd 1885. -- Ao mesmo.Autoriso V. S. a pagar, de accor-
do corn a sua informaoao n. 8 do 7 do corrente, ao
___- -- -----ex-cornota de cavallaria Antonio Caetaiio dos San-
|lT S RlC~ 0 POPULAD tos, a quantia de 153J667 imported do pret junto
I ST U c4A0 POPULAR em duplicate.
-__- Ao mesmo.-Mande V. S. pagar, nos termos
de sua iufornnao n 7 de 7 do cnrrente, a inclusa
Sconta documrntada, na importancia do 25080 pro-
-P~T O/ R A p H A veniente de transportes etfectuados nos carros da
PHOf oR (Etra d ,)centa do Ministurio da Agricultura, Commcrcio e
(ElXraftd.a) Obras Publicas du'anto o miz de noveinbro do
annoo proximo findo.
Ao comnandante do corpo de policia.-Au-
", tEl Atoriso Vrnc. a fjrnoer municao ao destacamento
Operac6es e prceas~a photogra- do cidado do Cabo, conforme solioitoti o subdelo-
o1 district em o p.leio annpxo por copia
pisico. ao dcsse commando n. 14 de 5 do corrente mez,


C A P I T U L 0 .V quc assi:r lica respondido.
VA ;iS raocEscos Ao mesino.-Pode Vme. xcluir do corpo
sob seu commando o soldado Jose Agripino da Cu-
(Continmiuado) nha, depois que in.dlemnisar a Fazcnda Provincial
do que Ihe csta' devendo, conform propoz cm offi-
PeI mel -Qoanlo pelo med, que mais tarde cio n. 19, doe 7 do correntemez.
Itto nia- a chapa dapois d u. Ao inspector geral da Instrucao Publica. -
sbtitio a ec'otadp-- :hapaodo quo ha pou- isde Autoriso Vnc. ajustifiear as faltas de exercicio
p ,senni mustb alda e ott
Sco dissrnos, cobortia com "ma capo adido mc d- dadas pr mnotivos de molestia de 1 a 25 de de-
lcodo ssemos, igual volume dcon agua, smando o mel zembro do anno passado pelo amanuense dessa rc-
tendido como o collodon; dcis 6 secnea do mesmo partio, Modesto Leopoldo Xavier Bustorff, fil -
tendidoa come o collodion ; depois 6 seeca do msmo lcido no dia 26 do referido mez. Assim rdspondo
modo na obscuridade c mettida na caixa do trans- cdo da 2 e. Assim rspondo
porte, podendo servir durante 6 horas sern perdcr ao sea ofi:-io n. 4 do 7 d a corrente.
a sensibildade. Ao director da Colonia Isabel.-Concedo a
ia sensibihidade. .j -.*
Se quizessenmos quo a chapa conservasse a sen .approva9ao solicitada pwr V. Rvdma. relativa-
sibilidadc durante muito mais tempo, maesmo dias monte arescisio dos cont:-atos do qae trata em
ate, era necessario laval a logo depois de sahir do sn officio a quo respoudo de 3 do corronte mez.
era necessario laval a ogo depois do sahir do Ao juiz do direito president da junta revi-
banh) do prata, para tirar o exeesso de prat., 0 sora do alistamento military da comarca do Cimbres.
cobrilna depots coin o mel.
"cobri-a depot s corln o pc. d i-Competmindo aos.juizes do direito presidents das
oGenu estas chpas precisa-se qe uonoscxpo3asIo jumtas revisoras do alistamoento military lavrar os
de 5 nnutos ; ,n:.s corn as que nao s:o l:v'adas ttrm)s de abertura encerramento nos livros des-
-brastam apenas 2 minut,:s.
Estam pensc 2 inominuttem. 1tinados A escripturaq.1o da.i mesmas juntas, con-
SEntas chapas preparaas corn o mel teem, de- fore se acha detorminada em diversos avinos do
Spois da impress.o Imuminosa, de scr cllo!cadas emd o Ministc-io da Guerr&,eclaro a Vmc., cm so-
i 'm binho neutron doenitrat' dopurata3pr0)dbintelaGeheera m''ms-
f eiando a fte collodionada patrima (3 pur 100), iLIh o a consult felt cm officio de 18 de dezenm-
fr ficando a face collodejidn para ci;ua couserva-
-alli duranto algans ininntos. 0 liquido revcla- bro findo, quo pode abrir novos termos do abertu-
~. l do uprgado ominadopor 3 gaisdo r ra e eneerramianto no livro a que allude e bern
rohir emprega do, irmo pocor c 'graimas doe py- assini numnerar as respoctivaM folhas, visto ter dei-
S roglhicoc 15 de c.ilo acelico cm Ilitrodde agia; xao, segundo delara, de ,.er obscrvada a dispo.
,." r d o, um. nitrate tie prata e iO,. contida cm takes avisos.
xel'dilui.do, c 1s.je p..o Lvp)-smlphitO de so- AO juz d., direito de Caruarui.- Sirra-sc
Sdn. Vinmc. de devolver corn urgencia dowidamento in-
Pole tann/'r.--Quando pelo "annino (,uo c0 frmadoumn requerimento de vereadores da Ca-
S"cbhor de t.)dos os processs, por causi do muito aaMunicipal de Carari qne Il&e fei remettida
^ tempo quoe se podem comservar is chrpas antes deo ra cho t Presidec de 3 de tembr
!, servir(nm, sem perdicrem a sensibillade), 6 o pro- prda p ensard.
c05so0 et inosto en pratic:t do scguinte modo: r. rente da Compaia eambtw
0 8r. gem-te ala Comapinuila 'ernammbiwain
A_ chapa do virfro t coberta corn u:n collodion mn,,dJ dar pasagem, A pr5t d. ida p-ra o presi-
'!i4 alW ont mtdo pequdn3s quantidados do ideto dio d 3Fernaudo de Norvuha nw p-riieira oppartz-
Weastmi, al m do iodeto o brometo d ammonio.
^ M ^ ^% ilo".(o od~e bom~odT~o~o*nidade, por couta.das gii;ta a que 0 goywaw
-JaOsibilisaCio 6 por mi-o d. u m bauh de iitr;L- tidndiet n, o a da adi n e q-
prata acidulado pelo acido acetieo. er Oir.iri e r
n dencitpqds, e si d lava e 0 Sr. gortaPer
Ia IIohF do-tannino mai agua alcoolt. faq t anpwr pa r P4d
'tOnk 10 o/, de alcohol, 100 partes; tan.: Noronh p .o
outfros q VKII
-i.rtes), send, oest so o iredentt oros 0 t'
'br-e a chapa; ip. 0e-so no mmdo dac
Saque-e liCnIr-ente. Censdr-
'0 6 sde56 e .-wpuW de

MON" ..,L
'i" ,." op ,
4.

~ 0 TIM.


EXPEDINTB DO SCBETABIO
Por esta secretariat participa-se ao Sr. Fran-
cisoo de Barros Wanderley que por portaria de
hoje datada foi S8. S. nomeado para exercer o cargo
de adjunto de promoter public da comarca de
Palmaros, -
Idem ao Sr, Jolo Lsonida da Cruz, adjuato
de promoter public da comarca de Salgeiro.
Ao director do Arsenal de Guerra. -0 Exm
Sr. president da provincia manda declarar a V.
S. para sou conhecimento e firm convenientes que
no regimento do saldo da companhia de operarioi
militares desse Arsenal Jooe Alves Feitosa sobre
qual versa sua informacao de hontem datada, sob
n. 1369, preferio o seguinte despacho.
Apresente-se o supplecante a junta medical mi-
litar.
Ao general.-0 Exm. Sr. president da pro-
vmncia, manda communicar a V. Exc. em resposta
do sen officio n. 679 de 29 do dezembro ultimo que
nesta dada autorisou a Thesouraria de Fazendi a
pagar ao ex-corneta de cavwllaria Antonio Cae-
tano dos Santos a quantia do 153A667, imported do
pret que veio annexed ao citado officio.
Ao commandant do presidio de Fernando. -
S. Exe. o Sr. president da provincia nesta data
permittmu irem para esme presidio Anna Maria de
Albuquerque e Maria Victoria da Assumpgao, mu-.
Iheres dos sentenciados Sebaatio Antonio Peixoto
Gadelho e Manoel Antonio 'da Assumpco.
0 mesmo.-S. Exe. o Sr. president da pro-
vincia, nesta data permittiu ir A ease presidio An-
gela Maria da Conceiqto.
Ao superentendente da estrada de forterro do
Recife ao S.- Franeisco.-S. Exe. o Sr. presiden-
te da provincia, manda communicar .a V. S. em
resposta ao seu officio de 22 de dezembro findo que
nesta data autorisou a Thesouraria de Fazenda a
pagar a quantia de 2&080, proveniente dos trans-
portes effectuados,porconta do Ministerio da Agri-
cultura Commercio e Obras Publieas nos carros
dessa estrada de ferro durante o mez de novembro
ultimo.
Aos Srs. membroi da commissno sanitaria da
Palmares.-0 Exm. Sr. president da provincia
manda communicar a V. S. qua no officio a que
respond de 7 do mez findo proferio hoje o seguinte
despacho :
Remettido ao Sr. Dr. inspector da Thesouraria
de Fazenda paramandarpassarquktago de accord
corn o seu officio n. 859 de 22 de dezembro findo.
Ao Thesouro Provincial.- 0 Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda communicar a V. S.
para seu conhecimento que hoje preferio o despa-
cho -eguinte na petieao de Jos6 Fernandes Saila
sobre o qual intormou essa inspectoria em officio
n. 318, de hontem datado.
Remettido ao Sr. thesoureiro das loterias para
eflectuar o pagamento, cm vista da sua informa-
9ao de 7 do corrente e ao parecer do Thesouro Pro.
vincial contido em officio de hontem datado sob n.
318.


*ca& ho, para exereer o eargo de collector, pro.
wial do nnicipio de Tqau 'tinga.=-Commu-
-se ao Thesouro Provincial.
A' Thesouariaj de Fazenda.-Para cumpri-
ato do aviMo da circular do Ministerio da Agri -
ram Cemmnercio e Obras Publiceas, de 25de
d embro ultimo e em additamento ao men offi-
cii de 29 do dito mez, airva-so YV. S. de remetter
Ssecretaria desta Presidencia as informsa9es re-
lativas aow escravos que attingirem a idade de 60
a s, nos municipios de Villa Bella, Triumpho,
0 ricary, Exi, Granite e Taquaretinga.
i- A mesma. Para cumprimento do aivso cir-
oudar do Ministerio da Agricultura, Commercio e
Obras Pirblicas, de 23 de dezembro ultimo, sirva-
se V.R. de remetter sem perda de tempo, a se.
cretaria desta Presidencia, os quadros parciaes
estatisticos das popula95es erava e de othos li-
vros de mulheres escravas, ate 30 de junho do
anno passado de conformidade corn o aviso, tam-
ben circular, de 29 de margo.
-Amesma.-Mande V. S. ajustar contas e
masar guia de socenrrimento do capitAo do 2o
atalh d icfantaria Jos6 Francisco Ribeiro,
que segue para o Presidio de Fernando de No-
ronha onde vai substItuir no commando do desta-
marto alli existence o capitao Capitulino Cesar
Loureiro.
A mesma.-Mande V. S. ajustar contas e
passar guia de soccorrimento ao alferes do 3o
regimcuto de cavallaria addido A companhia da
mesma armna desta provincial, Bonifacio da Silva
Telles, o qual, achando-sesoffrendo deberiberi, se-
guWdo declare o brigadeiro commandant das ar-
mas em officio de hoatem datado, sob n. 18, segue
parn a corte na forma do avisj circular do Mi-
nisterio da Guerra, de 19 de novembro do 1878.
A mesma. -Recommendo a V. S. que, ein
vista do aviso, junto por copia, de 18 de novem-
bro ultimo, do Ministerio dos Negocios da Fa-
zeddai chame concurrentes ao arrendamento de
urn armazem altandegado par& deposit de gene-
ros minflammaveis, por ser esse o meio unico de
verificar se tail arrendamento poder-se-ha realisar
mais economicamente.
At6 nova ordemn por6m continuarao a servir os
ai mazens de que trata o dtado avisoe.
Chamo a attenelo de V. S. para os documents
juntos, que ser-me-hgo opportunamente devol-
vida, os quakes vieram annexos ao supracitado
aviso.
A mesma.-Declaro a V. S. que o adj'into
Tiburcio de Oliveira e Souza, assumio o exercicio
do cargo de proemotor public da comarca de Be-
zerros em 12 de setembro ultimo e nao em 23,
conform consta do officio desta Presidencia de
30 deste mez.
A mesma.-Attendendo ao que V. S. pen-
dora em officio de 7 do corrente, n. 10, autorizo-o
a comprar mensalmente, per meio de concurren-
cia publics, oa artigos constantes da relagio an-
nexa por copia ao citado officio, destinados ao


1,







i
In




d


EXPEDIENTE DO DIA 10 DE JANEIRO DE 1885 Pres!dio de Fernaudo de Noronha, a exemplo de
Actos : que se pratica actualmente corn os medicamentos
0 president da provincia, sob proposta do e drogas precisas para a pharmacia daquelle esta-
engenheirodi rector interino da repartigio encar- belecimento.
regado da conservagio dos portos em officio de A mesma.-Mande V. S. pagar, nos terms
hoje sob n. 3, resolve exonerar provisoriamente da aua informacio de 2 do eorrente, n. 3, a im-
Manoel Torquato de Araujo Saldanha do lugar de portancia de 3A740 rs. constant da inclusa conta
coadjuvante da 4a clause do service technico da e proveniente de passagens concedidas nos trens
dita reparticao e nomear Eduardo de Cervalho da estrada de ferro do Recite ao Limoeiro du-
para exercer o ditoe lugar.-Communicou-ao a rante o mez de outubro ultimo, por conta do Mi-
Thesouraria de Fazenda e ao engenheiro encarre- nmiteri. da Agricultura, Commercio e Obras Pu-
gado da cnservagAo dos porto. ..
0 president da provincial attendendo ao que A mnesma.--Trransmitto a V. S. para os de-
requereu Joao Baptista Cabral, arrematante da videos fins, o aviso junto per copia, expedido a 26
obra da barrage do canal de Tibery em Barrel- de dezembro ultimo, polo Ministerio diA Marinha
ros e tendo em vista a informacao prestada pela sobre o pagamento das despezas corn o forneci-
repartiVAo das Obras Publicas em officio de 26 de mento Je generous aos pharoleiros das Roccas e
dezembro ultimo, sob n. 272, resolve prorogar per de ra9Oes aos cirurgiSes e eatermeiros da com-
tres mezes, contados da data em que terminou a panhia de aptendizes marinheiros desta pro-
ultima prorogaggo o praso concedido para canclu- vincia.
sao da dita obra.-Esta sera apresentada na es- A mesma.-Nos terms da sua intorma*o
tacg campetente pars os fins convenientes. de 9 do corrente, n. 13, made V. S. pagar a
0 president da provincia attendendo ao que Jos6 Luin Maceda Cavalcante, a importancia de
requereu Manocl Rodrigues Chrysostomo, guard 153160 irs. constant da imclusa conta e prove-
fiscal da Camara Municipal do Recife, resolve con. niente da despeza corn o service do saneamento
eeder-lhe sessenta dias de licenca corn os venci- desta cidade no mez de dezembro ultimo.
mentos que Ihe competirenm, para tratar de sua Ao Thesouro Provincial.-Tendo-se omitti-
saidde. do no or.amento da obra do empedramento da es-
0 president da provincia attendendo ao que trada da Luz a despeza de dons cordces dc pedras
requereu Olindina Petronilla de Barros, alumna- pars seguranca do dito empedramento, come ex-
mestra titulada pela Escola Normal, e tendo em poz o engenheiro chefe da Reparticao das Obras
vista a informacao n. 384 de 16 de dozembio fin- Publicas em officio de 5 do corrente, autoriso-o
doe do inspector geral da Instruc9ao Publica, re- hoje a mandar pagar ao respective arrematante o
solve, usando da autorisag.o conterida pela lei n. custo desse trabalho, srm augmento do despoza,
1,496 de 10 de julliho de 1880, nomear a peticiona- visto quo a exten9Ao de tal empedramento fo i re
ria professor public effective da cadeira de en- duzida de 810 a 747 metro, segundo declare
sino mixto de Bizarra. aqueile engenheiro. 0 que communico a Vmc.
0 president da provincial attendendo ao que para os fins convenientes.-Communicou-so ao en-
requereu Silvestre Antonio de Souza, professor de genheiro chefe da Reparticio das Obras Publicas.
eoshino primarto em S. Bento, e tendo em vista as A' Reparti95o da, Obras Publicaa. Com-
intormacoes ns. 277 e 305 de 6 e 24 de dezembro munico a Vmc. que por despacho e do accord
findo do inspector geral interino da Instrucc.io Pu- corn a sua informaco de 7 do corrente, sob n. 4,
blica o do inspector do Thesouro Provincial, resol- concedi tres m sezs de proraganao A companhi.
ve, de accord co-n a disposicao do art. 12 1o da Brasilian Stret Railway para dar comeoo a obra
lei n. 1,7C6 de 21 de junho do 1883, conceder ao da ponte sobre o rio Capibaribe, entire as ruas do
eoticionario a gratifice9ao de merito que lhe corn- Sol e Auirora.
pete, por contar mais de 15 annos de effeti o exer Igual -,.o engenheiro fiscal c ao Thesouro.
sicio no magisterio public. Ao commandante do corpo de policia.-Pode
0 poesidente da provineia attendedd) ao que Vmc. excluir do corpo sob seu commando o solda-
rccereu A -tonio Jos6 Dias, subdito portuguez, do Lutz Antonio Baptista, depois que indemnisar
residente n.sta provincia, resolve, de aceordo corn a fazenda provincial do que lhe estA a devcr. As-
corn o disposto no decreto n. 1,950 de 12 de julho sin feia respoadido t officio n. 22 de 8 do corren-
de 1871, e usando da attribuicao conferida pelo te mez.
art. 14 da lei n. 3,140 de 30 de outubro de 1882' .- Ao j aiz de direito da comarca de Cimbres.-
naturalisar o referido subdito portuguez Antonio Inteirado do que exp3 Vinmc. em officio de 30 de
Jos6 Dias, afirn do que pos-a gozar de todos os di- dezembro ultimo, acerca do extravio dos livros
reitos, honras e prerogativas que pela constitui9lo concernentes aos trabalhos do alistamento military
compete aos cidadaos brasileiros naturalisados. n'essa comarca, remnetto-lhe outros, corn excepqao
0 president da provincia de accord corn ma do que 6 destinado ao lanqamento das actas de
proposta do Dr. chefe de policia em officio n. 8 e revisao, unico que encontrou, segundo o seu cita-
5 do corrente, resolve exonerar do cargo de 1o do officio, e recommendo-lho qne providence aim
supplente do subdelegado do 1 distrieto do termo do serem archivados na Camara Municipal respec-
de Muribeca o cidadao Jo.z6 Nogueira de Faria, e tiva, de conformidade coin as disposig5es em vi-
nomear para snbstituil-o o cidadAo Jos6 ,Maria da gor.
Cruz.-.:ommunieou-se ao Dr. chefe de policia. A' Companhia Brasileira de Vapores.-O Sr.
-- 0 president da provincia de aceordo corn a agent da Companhia Brasileira dc Paquetes a
proposta do Dr. ch(fc de policia em officio n. 8 de Vapores, faca transportar A c6rte, por conta do
5 do corrente, resolve exonerar do cargo de 3o Mimsterio da Guerra, no primeiro vapor esperado
supplente do subdelegado do 2o district Lortor dos portos do norte, o alferes do 30 regimento de
do termo de Muribec:i o cidadio Joss Hermenegil. cavallaria, addido a comp:anbia da mesa arma
do d:is Candeias, c nomear piarai substituil-o o ci- desta provincia, Bonifacio da Silva Tellcs, o quai
dadao Franklin Antonio da Silv., e para os luga- por se achar soffrendo de beriberi, segundo decla-
Sres va'gos de 1 e 2' supplentes da niesmina subde- ra o brigadeiro commandant das armas em offi-
legacia os cidadios JoS Immioeencio de Jesus e .io do hontem datado, sob n. 18, segue para Ili,
Ji4,o da Costa Ainaincio, na ordem da collccailo. de conformilade corn o aviso circular daquelle
-Commnunicou-se io Dr. chete de polici.i. Minist-nrio, de 19 de novembro deo 1878.-Coinmu-
I 0 president da provincia resolve, sob pro-' nicou-so ao general.
postal do Dr. chefo de policia em officio de 5 do A' Companhia Pcrnaimbucana. 0 Sr. ge-
corrente, n. 8, bis, nomoa-- para os cargon de sitb- rente d;i Comnanhia Pernaimnbucana faq'i traiis-
delegado ue 10 suppleuite do 2o district- (Belem) da portar ao presidio de Fernando de Noronha, por
parochia da Graq-a, Cactauo Quintino Galhardo e conta do Ministcrio da Justicl, no vapor Giquid,
o actual 30 supplente Jose Ferre'irada Silva Limna. as praias dos batalh62s 20 e 14o de infantaria,
-Communicou-se ao Dr. chete de policia. I constaut-n da relaqao nominal assignada pelo so.
S 0 president da pnl'ovincia attendendo ao que I cretario da prcsidencia, os quans segu,'m para alli
Srequereu o jaiz do dircito dit comarca deo Ouarica- I em diligencia escoltando press dojustima. Com-
iy, bacharel Liberato Villar BarretoCcntinho, re- municou-so ao general.
solve conoed-r lho tae3 mezen de licenca corn or- A' mesma. 0 Sr. gerente da Comp,.nhia
Sdenado, para tratar do sua samtde onde lIhe convier, Pernainbueana fotfa transportar ao presidio de
Sdeveudo entrar no gozo da referida liccnca no Fernando de Noronha, por conti do Ministsrmo d,.,
prazo de dias. G-ucrra, nn vapor Giquid, o official e praqas dos
.'- prosaidente d&+o.ineia ,solve, do con fe- batalhoes 20 e 14 do intantaria, constautes da in.
7Vi4%b ewt o decret#.% de 1" de fev rfairb clusa relaqao nominal assignada pelo secretario
i sob sua ja^Bbidade ,m croci- da prenideneis, os qra- pars alni destacam.
e aercieib'dc Officio.: :
de- -dna -- Ao tim. agents dia Caixa Filial do New Len-
dsjt'ad aAa don Brasilia n Bank Limited nesta cidade. S.
I efflow-ms Exc. o S-resideite da provincia mandla ac_ a_
TKb l ..ree (te^ asu icin imhontem oepi o equal V.
.. O o baacmo dna operates deaeas
,mes ,ons fid .


tern datado, copia d3 quo em de dezembro ulti- .quU a Jaboto, visto provar no ter sueedi-
mo foi dirigido ao mesmo Exm. Sr. pela Camara do no memo estabeleciento provar n. ter ecedi-
Mtumieipal do Recite acerca do calgamento da Domingos Jo. Ferreira.-Approvadas.
runs e saburbios desta eidade, por onde transitam Manoel Cavalcante Coelho.-Deferido, ficando
ow earros dona ompanhia. irresponsavel polo debito anterior o novo inquili-
no que estabelecer-se na casa n. 48 rndaser.
DESPACHOS DA PBESIDENCIA DO DIA 21 DE nambucanas, vista aehar-se fechada e desocct-
JANEIRO DE 1885. adoa.
Ctetano Cyriaco da Costa Moreira e Antonio Magalhies da Silva eManoel Ignacio
Joaqui Jos Sveira-Ifome o Sr daPaixo.-Ao Sr. Dr. administrator do Consu-
Joa~quim Jos6 Silveira. -lforme o Sr. ge- lado pam attender.
neral commandant das armas. Dr. Aquiline Gomes Porto.-Deferido, fazendo.
Companhia Great Western IBrasil Rai- se as devidas notas de tranaferencia das apo-
Iway. -Informe o Sr. inspector da The- lie ves. i
souraria de azenda. Martins & Irm.o--Indeferido, vista das in-
souraria do Fazenda.. forma.es.
Tenente Francisco Evaristo de Souza. Commendador Antonio Jos6 de Magalhaes Baa-
-Remrnettido ao Sr. inspector da Thesou- tos.-Satisfaga a exigencia do Sr. Dr. contador.
raria de Fazenda para os fins convenien- Jos Elias de Oliveira.-Intorme o Conteneioso.
ria d F nJoao da Cunha Pereira.-Satisfaa a xigencia.
tes. Manoel Clementino Carneiro de Mello.-Satia-
Fielden Brothars. -Sim, mediante re- faga o Camtencioso a requisito do Sr. Dr. con-
cibo. tador.
Fielden Brothers.---Remettido ao Sr. Manoel Jose da Costa Cabral.-Volte ao Sr. Dr.
administrador do Consulado pam satisfazer-se a
inspector do Thesouro Provincial para reqs uii gada Contadoia.
mandar fazer o pagamento pedido, de ac- Manoel Ignacio de Oliveira Martins.-Deferi-
cordo corn a sua informaito de 14 do do, send ehliminada da contribuigo da decima a
corrente sobre n. 334. data do exercicie de 1881 a 1882 a casa n. 3 A A
run da Attraeqoo, visto achar-se nas condig5es da
Fielden Brothers.--Remettido ao Sr. lei t,5t vi.to aeh se na condi9es da
inspector do Thesouro Provincial para Maria Archanja de Araujo Alcofoiado.-Infor-
mandar satisfazer o pagamento reclamado, me o Sr. contador.
nos terms da sua informacao de 14 deste Manoel Jos6 de Castro Villela.--Certifique-se.
110 ,Ponto do Gymnasio.-Ao Sr. thesoureiro para
mez sob n. 333. os devidos fins.
Fielder Brothers.-Remettido ao Sr. Antonio Jos6 Rodrigues de Souza. Entre-
inspector do Thesouro Provincial afim de gue-se.
attender ao pedido, nos terms da sua in- Fielden Brothers, Jolo Fernandes Marques e
Formao d 14 do current sob 331. Manoel Jos6 Bello.-Junte-se copia das informa-
formaglo de 14 do corrento sob n. 331. O~es.
Joao Fernandes Marques. Ramettido ao Joaquim Jose da Matta Ribeiro.-Informe o Sr.
Sr. inspector do Tiesouro Provincial para contador.
nandar effectuar o pagamento da despeza Leopoldina Celina Temporal, Francisco Alves
Sq w t, w or r Monteiro Junior.-Ao Sr. Dr. administrator do
de quo se trata, nos termos da sua infor- Consulado para attender.
mago de 15 do corrente sob 335. Theodomiro dos Santos Selva.-Junte conheci-
Jos6 Marcelino da Costa. -Indeferido mento de decima do ultimo semestre.
am vista das informaaoes e do final do art. Manoel Jose Affonso e Domingos Martins Go-
..14 d r mes.-Informe o Sr. contador.
148 do regulamento. Maria Angelina Azevedo Tinoco.-Entregue-se
Leoncio Quintino de Castro Leao Fi- pela porta.


lho.-Dirija-se a Thesouraria de Fazenda
para relacionar a divida, na f6rma da cir-
cular n. 36 de 30 de janeiro de 1870.
Manoel Joaquim Ribeiro A C. -Ao pro-
prietario do predio, e nao ao supplicante
cable requerer a remoglo do apparelho.
Manoel Jos Bello.-Remettido ao S:.
inspector do Thesouro Provincial para pro-
videnciar no sentido de ter lugar o paga-
mento, de accord comn a sua informacao
de 13 do corrente sob n. 329.
Manoel Ferreira da Cruz. -Sinm.
Nicacio Ferreira de Vasconcellos. -Ao
Sr. Dr, juiz de direito de executes crimi-
naes da comarca do Recife, para provi-
denciar em terms.
Dr. Raymundo Carneiro de Souza Ban-
deira. -No p6de ter lugar a coneessao
pedida, sem que seia realisada a transfe-
rencia do tOrreno do que so trata, para os
respectivos herdeiros.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 22 de janeiro de 1885.
0 porteiro,
J L. Viegas.

Repartblio da Polela
Secao 2.'-N. 62. .- Secretaria da
Policia de Pernambuco, 22 de janeiro de
1885.--im. e Exm. Sr.-- Participo a V.
Exc. que ibram hontom recolhidos A Casa
de Detenqao os seguintes individuos :
A' minha ordem, Antonio Francisco de
Lima, alienado, atW que tenha o conve-
niente destine; Joaquim Francisco do Nas-
cimento e Valdevino da Silva, vindos do
termo de Ipojuca come criminosos
A' ordem do subdelegado do to district
de S. Jose, Antonio do Nascimento Rocha,
por disturbios.
A' ordem do do 2' district de S. Jose,
Lucas Evangelista de Souza, por distur-
bios.
A' ordem do subdelegado de S. Louren-
go da Matta, Bernab6, escravo do tenente-
coronel Lourengo de SA e Albuquerque,
por crime de ferimentos.
Communicou-me o delegado do termo do
Cabo, que no dia 4 do corrento e em tor
ras do engenho Taquary de Baixo, Jose
Firmino Pereira Lopes assassin( u ao in-
dividuo de nomo Antonio Gomes.
Contra o delinquent, que foi preso, pro-
cedeu-so nos term os do inquerito policial.
Communicou-me igualmente *o subdele-
gado do tarmo daEsoada,.qua no din 6 do
corrente capturara os criminosos Joaquim
Francisco do Nascimento, Valdivino da Sil-
va e Jono Norberto Tavares, conhecido
por Barradas, os dous primeiros por acha-
remn-se pronunciados em crime de more no
termo de Ipojuca e o ultimo por se achar
tambem pronunciado em crime de morte
no referido termo da Escada.
Pelo subdclegado do 20 district da Boa-
Vista foi remuettido ao juizo competent o
inquerito policial a qua procedeu em Cecilio
Antonio da Silva, por crime de resistencia.
Deus guard a V. Exc. Illm e Exm-
Sr. Dr. Sancho (te Barros Piment(l, muito
digno president da provincial. -O chete
do p)licia, Manod Ventura de Burros Leite
Sampaio.

Thes6nro Provincial
DESPACHOS DO DIA 22 DE JANEIRO DE
1885
Theotonio Joio da Cunha.-Informe o Sr. con-
tador.
Olegario Saraiva de Carvalho Neiva.-Ao Sr.
Dr. admiuintrador do Consulado para attender.
Maria Augusta da Silveira.-Registre-se e fa-
9am-se os devudos assentamentos.
Herdeiros de Joao Francisco Martins.-Rcsti-
tua-se. --
Bastts, Oliveira & C.-Da-se provimento para
que sejam admittidos os recorrentos ao pagameonto
do impost, de que se trata, de aceordo co, oa dis-
posicao do art. 58 do regulamento de 11 de julho
,de 1879. ed
Leopoldino Cresceneic d'Almeidm. Deferido,
jeundo- i.espoanavel o .appieaftO pelo debato
aatenior do estabelecimento n. 115 & estrada de


22 -
Manoel Jose Dantas e Thomaz Anto-
nio Guimnarles. Informe o Sr. coutador.
Manoel Fernaudes Velloso. Informe o
Sr. Dr. administrator do Consulado.
Irmandade do S. Sacramento de Santo
Antonio.-- Entregue se pela porta.
Bernardino Pereira Ramos. Volte ao
Sr. contador para os devidos fins.
Pret da guard civica. Pague-se.
Felix Cypriano da Silva Pereira. In-
forme o Sr. Dr. administrator do Consu-
lado.
Officio do Dr. cheie de policia. Infor-
me o Sr. contador.
Manoel Joaquim Gongalves. -Junto co-
hnbecimento de decima do ultimo semestre.
Officio do Dr. juiz de direito da Prove-
doria. Ao Sr. thesoureiro para os devi-
dos fins.
Francisco Lucio de Castro. Ao Sr.
contador para fazerem-se as devidas notas
era folha de -conformidade corn o despacho
do Exm. Sr. president da provincia.
Souza Bastes, Amorim & C. Junto o
despacho recorrido.

Camara Municipal
ADDITAMENTO AOS DESPACHOS DO DIA 19 E
DEAPACHOS DO DIA 20 DO CORRENTE
Pdo Sr. vereador padre Mello, commissaries
de edificaqes:
Antonio Gongalves do Azevedo, pedindo
licen9a para mandar retelhar suas casas de
ns. 3, 5, 7, 9, 11 o 13 sitas a rua Pri-
ceza Isabel.-Sendo antes do dar comego
a obra apresentada a sua petiglo ao fiscal
respective, concede-se.
0 mesmo, para mandar retelhar e tomar
alguns rebodos em trees quartos no fundo
de sun casa sita a runa do Hospicio n. 59
a qual dA sahida para a rua do Riachuello.
-Em vista da informaIto do fiscal, con-
cede-se depois de pages os impostos mu-
nicipaes.
Anna Joaquina de Mello Oliveira, para
mandar fazer um pequeno reboco no oitao
de sun casa sita a estrada nova de Caxan-
gA, freguezia da Varzea. --Dando previa
sciencia ao fiscal, concede-se.
Amorim Irmiaos & C., para mandar to-
mar goteiras, fazer pequenos reparos inter-
nos e pequenos rebocos externos, em sun
casa n. 35 a run do Luiz do Rego, fregue-
zia da Boa-Vista ; bern come substituir uma
grade da port e reparos interns e exter-
nos na casa n. 39 a mesma rua.-Pagos
os direitos municipals e do econformidade
corn as pusturas, concede-se.
Bernardo Gomes de Souza, para mandar
substituir madeira da coberta de sun casa
terrea, sita a travessa do Principe. -Pagos
os direitos municipaes, concede-se.
Eulalia Virissima da Silva, para mandar
edificar urma casa do taipa no lugar deno-
midado Sant'Anna, de dentro, freguezia do
Pogo da Panclla. -Satisfaca a exigencia do
Sr. engenheiro.
Francisco Porto de Magalhaes, para man-
dar retelhar as suias casas de ns. 49 o 51
a run dos Pircs. Dando previa sciencia ao
fiscal, concede-so.
Dr. Francisco Machade Pedrosa, para
mandar correr o telhado de seu prodio n.
36 a ruo da Madre de Deus.-Dando an-
tes de principiar a obbra sciencia ao fiscal,
concede-se.
Francisco Lino de Souza Couto, para
mandar substituir madeira da cobcrta de
sua casa n. 5 a rua do Coronel Francisco
Jacintho, bemn como rebocar um pedano de
muro.-Pagos os impostos muninicipaes,
concede-se.
Vigario Francisco Raymundo da Cunha
Pedrosa, para mardar collocar um pbrtlo
no inure contiguo a capella de S. Miguel,
freguezia do Atogados, da qual 6 admihi-
trador.--Idem.
Genuine Jose da Rosa, pars mandar re-
telhar, limpar a frente e fazer os concertos
que precisar a sua casa terrea n. 3 IU :-


f 4 "'. o:..':- : .
..,_ '- .- '*: ^ ., "* .. ... -*


'Si..


.1,, -,XI..


#.oo








a ; f


.? ..........
,;".i ...^Z .. t, pars ma
. "4pl eag r cosinha na parte pos
| : i 7senm i a. 0 rua Direita, fi
de Afogados.-Pagos os impost

J.6ii Gerale do.n|,pa

or iona puchadalli l e m easi
no hgar denominl 1m iras, f
da Graa.-Pages-on d..9nms
de conformidad- cenm-o panoerL- d- S
engenheiro, concedeae.
Commendador Jo.&- Candikda-akM'ra
para mandar rebocar part do muro de s
sitio a rua de S. Gongalo n. 29.-Conc
de se.
Joao Jos6 de Miranda, para mandar
mar goteiras em seus predioa n. 29 a r
Sdos pescadores e 32 na de Fr. Henrique.
Dando previa sciencia ao fiscal, coneede-
Joaquim Ferreira da Cruz, paa man<
edifiar urea casa de taip a na estrada nc
de aOaxang., freguezia de Afogados, b
comaemlir urama ontra sits a mesma
trada. -De conformidade corn o parecer
engenheiro e pagos os impostos municipal
concede-se.
Joaquina Ferreira Campos Torres, pa
mandar retelhar a sua casa n. 87 ao ca
do Apollo.-Dando previa sciencia ao
eal 'oncede-se.
Joaquim Domingues Pogas, pars mau
ret r-e. fazAr alguns repairs em susa c
n. 129- ao Aterrinho, do GiquiiiA.-Dig
suppihaate quase sale os reparos.
Joak Soaroade Seixas, para mandar
telhar e fazer alguns reparos externos
emsuscasan. 23 A rua da Moeda.-I
quanto A 18 part, conce 'e-se, dando p
via scincia ao fiscal e emquanto a 2*
lane quaes sao os reparos que pretend
zer-para a contadoria fazer o calculo.
Jos6 Femnandes Lima, para mandar c
certar a coberta de sua casa n. 25 A:
de Sete do Setembro, retelhando esta
de n. 23 A mesma rua e fazendo peque
rebocos nas frentes das mesmas. -Pa
os direitos municipals, concede-so.
Bacharel Manoel Ferreira da Silva,
ra mandar concertar o telhado, de sua
sa n. 173 -a rua d'Aurora, abrindo d
janellas sobre o mesmo para arejar e (
rear a sala do sotAo. De conformida
conm o parecer do Sr. engenheiro, con
de-se.
Maria Bertolina Martins Duarte, pec
do ]icenga para mandar edificar uma ca
de taipa no lugar Torre, freguezia d'A
gados. -Pagos os direitos e de confer
dade corn o parecer do engenheiro con
de-se.
Manoel Jeronymo Vieitra, para mand
fazer. um concerto geral em sua casa
taipa sits A rua do Costa Leite, fregue
do Pogo da Panella. Satisfaga a exig
cia do Sr. engenheiro.
Manoel Joaquim da Costa Ramos, p
acabar de murar o seu terreno site A:
do CapitAo Lima n. 46, fazendo 18 pakL
de mare. Pageos os direitos municip
e deo conformidade corn o parcer do
angenhairo, concede-se.
Pedro Jorge da Silva Ramos, para m
dar au-atituir rotulas da port-a e janella
oasa n. 31 a rua do Santa Thereza, b
como fazer calada e correr o telhado a]
de ouctro-reparos interns que precisa
referida.sasa. -Pages os direitos, cone
se, aozemeotando a icenga de principal
obra so fiscal respective.
Peko r. vereador tenente Vcegas, comr
sarw d-epslica:
Jo. Ildefonso Barbosa de Freitas,
dindo, licenca para canalisar agua pai
predio n. 159 a runa Marquez do Her'
para o que tern de proceder escavacs
Sim, page o imposto.
Mello & Sa,, pedindo-licena para a
uma.padaia na csan. 4 Arua do Cap
Lima fguezia da Boa-Vista Defer
poagpro imposto no valor locative de 24
de conformidade corn a informacao do


eal.
Ponciano Pereira Leite, para canal
gaz e agua.para casa n. 248 Ai rua do
ronel Suassuna, procedendo escavagao
mua.-Sim, pago o imposto.
Victor Neesen, communicando para
devidoa fins, que acha-se funaccionand
machina a vapor era sou estabelecime
sito ao Caes do Ramos n. 4. e Largc
Arsenal de Gaera n- 3.-Sirm, satisfazeo
o dispositive do 82o o artigo unico c
20 do ornament vigentc.


,qu~Ao -o deputadd
re- iutorpeIAtte fawldu s d LOB litiea do Sr. Gladpti Egypto, politics a
W ,9(aMk remit. _l_. .g~aat- nulla
fiefal r & 1HniW nHmlfri^ e~eusura
f* rIn veh tMteueemgos, ani r s quaesi
I Oab i ei a a-m b do uma vnuea msituasg
di 6eltimna, q ft-4 vexne absftaio per ab
guandtseuMpropmi aw 0 conflict ea
Sre asduns nmrsmuio t ar-lb urma enomm
fori-. JA podia laetkcma a- oppie&o e sub)i
e' galit, porque naus pendencia era o gowno liberal


mi


0
p

Li


u que represeutava o papel mais sympathico a&s
e- sentiments da maioria do paiz. E por isso o Sr
to- Gladstone, long de sentir-se desalentado corn a
rut resolugb da camera alta, onde prevalece a opi-
Sniao intrausigentemente conservadora de lord
se. Salisbury, mostrou ao contrario animo forte e
lar decidido de quem antevia triumph certo n'uma
Ova pendencia em que a naao estava pelo lado do
emu primeiro ministro da rainha Victoria.
ea- 0 partlament feehou-se logo ap6s o incidente,
Spromettendo o Sr. Gladstone que se reabriria em
Ma outubro, oceasilo em que de novo apresentaria A
camera dos communs o reform-bill. E era neeea.-
uaa
l sario agitar a opinilo do paiz, provocando uma
fiS- grande manifestagio national, come o6 costume
fazer-se nas ocecasiaos politicamente solemnes e
dar gr..vea da Ingluterra. Os meetings surgiram logo
Msa por today a part, os diseursos multiplicaram-se.
a 0 Todos os ministros e deputados foram em pere-
grinagio polo paiz a mostrar a sua eloquencia e a
re- sua irritaAo contra a camera dos lords.
em. Nesa capanha fez o mais notavel papel o Sr.
i Gladstone, cuja admiravel organisagao Ihe per-
nurt-
de- mitteconservara-os 75 annos a mesma energia de
If phrase e o mesmo ardor politico dos annos ju-
venis.
A reuniAo de H/dc-Park em Londres foi impo-
-a nente e grandiosa. A ella concorreram mais de
o a tresentas mil pessoas vindas de todos os pontos do
m Reino-Unido.
gos Dames a descripgio dessa famosa manifesta-
,ao, eomnD a encontramos nos jornaes da Opoca-
pa- Fazemol-o, porquc cremos corn isso fornecer aos
ca- leitores urma noelo exacta do estado do espirito
nas public na Gra-Bretanha:
a- 0 meeting monstro do Hyde-Park de Londres
ade effectuou-se no din 22 de julho. Apezar do ceo
mostrar um aspect sombrio e cahirem de quando
em quando alguns aguaceiros, nao impedio ease
in- facto que o protest contra a camera dos lords
as pela recusa do project da rerorma eleitoral, fosse
kfo- menos energica, e solemne.
rmi- Desde o meio-dia, os differences grupos que de-
ee- viam derigir-se processionalmente pars o lugar do
meeting, comegaram a formar-se ao long do caes
dar do Tamisa.
de A's 3 horasr a procissao pdz-se em march pas-
ezia sando per diante do palacio do pariamento.
1en- 0 cortejo compunha-se de oito corporag5es de
officio que levavam os uteneilios propriAs e estan-
ara dartes; de delegados de numeraoso club politicos,
rua precedidos de musicas, e deputaqZes provinciaes,
10s comprehendendo um grande numero de trabalha-
aes does agricolas dos condados do Kent, Sussex e
Sr. Cambridge. Estes untimos levavam ramos de vide
ornados de fitas.
an- 0 cortejo, que estava perfeitamente organisado,
da caminhava per entree millhares de easpectadores
emr contidoe una ordem pela actividade dos polcemen'
lemi Logo de manhi, forgas enormes de policia foam
%r a p9stadas em today a exteaio doe eeas do Tanmisa,
d(e- e do Tafalgr-square. As ruas de Pall-Mall, de
tr a S. James e de Piocadily, per onde a proeissAo
devia pamar tambem estavam guarnecidas de
t1s- agents de policia.
Outa far-gam ocupavani o Hyde-Park.
Pe" A circulagio das carruagena foi suspense em
ra o0 todas as rmas per ends tinha de desfilar o cortejo.
Val, Este era de taLmdo eaxtenso e numeroso que nao
D- gastou menos de quatro horas-em fazer o seu tra-
brir jecte.
br /Caleulou-se em numero de 109,000 a. pesnoas
ide o o foamaam. No Hyde-ParkA hivia talvss
\'/mais de tres vezes esse numero. E' imnpOsive1
- fazer ur calcubo exacts do povo qu& afulansa
ruas por onde o cortejo passava.
Todas a janellaa, vamudaa calgadas e ate os
Ce- tolhadon estavam cheios de curiosoes. A popula-
na ero obreira ascorrera de todon os angulos da
grande cidade. A march foi sere duvida a part
as mais interessante da demonstragbo que tomou o
- doseu mais perfeito caractr no Pall-Mall em frente
no do Carlton-Cluh.

) do A multidio composta principalmente de obreiros
ado tinha se ajuntado all muito tempo antes do des-
ap. filar do cortejo, fazendo manifestagoes contra o
[dito Club. Grande numero de lords e de mem-


., j I Lros da. camera aos commons, entire ouiros, .tan-
Secretaria da Camara Municipal do Re-.i camera scorns, entre outros
.ife, 21 do janeiro de 1885. dolph Churchill, enchiam as varandas e janellas
plfe, rtde ano, desse Club, assistindo impassiveie As expanses
Leopoldino C Fer eira a Silva. injuriosas de que toram alvo durante quatro horas
Leopoldno C. Ferretra aa ,Silva. "^ .. r^^^ ^ ^
contadas de minute a minuto. A multid;bo inter-
_._ = '" __ ____ _- pellava-os, invectivava-os, dava-lhes assovios e
-i a5-wA viu 1A'.hlrt y r7% 1 -A n vaias, ensurdecendo-os corn grunhidos, latidos,


UIAIIlU B t rfIIfAnULU

Retrospect politico do anno de

(Continuagao)
A camera alta da Inglaterra nao represents o
paiz, mas apenas urma cast. 0 modo da sua for-
maWao e as suas prerogativas, em face da demo-
mocracia que se desenvolve, s6 se explicam por
um accord historic entire o povo e as classes
aristocraticas, cm prejuizo da autoridade monar-
chiaes. Mas, como diz um escriptor inglez, quan-
. to ha duas camaras n'um paiz, das quaes ume a se
consider representative da populaqao c a outra
S simplesmente de ura ciasse, ou sem mandate de
S especie alguma, 6 absolutamente incrivel que esta,
dada a preponderancia do sentirmento democra-
t tico, tfnha o podcr do resistir de qualqucr modo
ainda mesmo As aberracoes daquella. Unia as-
"* sembl6a como a dos lords pode ser tolerada
polo habito e pelas tradicoes ; nao, por6m, como
S element de equilibrio. Debaixo desse ponto de
vista nao tern valor de nenhuma especie.
S A osmaras dos pares nao pensou nibso, nem
s eonsultou os seus proprios interesses, quando
r epellioo bill de reform eleitoral do Sr. Gla-
datone. No calculou a somma de irritaglo que
a sua- attitude ia provocar na grande maioria da
P'"- p Al national. A paixao partidaria nao
N -_.. L | perceber que a sua mesma existencia fi-
H i m rise corn um desafio tAo extemporanuoo
Saira tu m is ardentes &spirae do pzis. Nao
aproveiton as ligBesa repetidas pW tern recebido
n oueteeele, teupre que se ha eolloado a con-
triml sotza ate da opiuilo.
K '796 e do. blrda & aroyao do L9, longs
4* L 4IiSNgiW. jpam- a gabinete, foN aste.
mV bmao" m& Eaz es important
*^^Illl^ ^cfiHai interns, faa ate curto pento


miados e gritos estrondosos de todas as species
de animals. 0 mais apupado foi lord Chuchill
que teve a grand valentia de supporter per tedo
o tempo e corn cara alegre today a especie de in-
sultos e diterios pesadissimos.
Os gritos augmentavam a medida que ia des-
filando o prestito, cujas musicas ao passar pelo
Carlton-Club tocavam a march funebre classic
na Inglatera, tal qual come se se tratasse do fu-
neral da camara dos lords.
No meio de grande quantidade de bandeiras e
pendbes notavam-se centre outras estas inscripqoes
h stis ao pariato: Queyn ha de governor nos? Os
pares ou o povo ? 0 povo quer a lei e nao privi-
legioc 0 marquez de Salisbury recusoui nos o voto
e nao queremol-o. Deixaremos a6s que nos roubem
o direito de votar P Vex populy, vex Dei etc.
N'uma bandeira da corporagAo do bairro da
Torre de Londres iam escriptas estas palavras:
Liberty, Faternit et Egalitd. Mluitas musicas to-
cavam a Marselheza.
Urn barrete vermelho levantad3 na ponta de
urma langa, A qual ia ligada uma acha de lenha,
causou profunda sancelo.
0 barrete, segundo a interpretagio dada pels
manifestantes, significava liberdade; a acha queria
exprimir que era necessrio queimar a camera dos
lords.
A presenqa dos radicaes de Chelsea, Kenh,
Suksex, Lambeth-Bow etc. dava A manifeptago
um caracter 'proaanciadissimo. Era avultado o
numero dos trabalhadores agricolaa, cada am dos
qaaes levava um enorme vara-pao guarnecido de
itas azues.
0 OC.ton-Club 6 visinho do Reform-Club, ondes
oas Uibesm estavam reumdos. Quando es mani-
fertaates pasaram diante do ultimao form viva-
amenteeazado s-as peoess que eo tavamn nas
Jhna bemzdvam gitavam on len19.
Notrama- muitoes emblems aUusesa favo-








S .. .. .,. :.. "
,',3.. -. ~ ,,C


-. T
A ari~iS 3Sjdeir ow minuascabrepreastando lord um
bastante grande repreaentando o Sr. Gl ton, o

toral NOWIw nU1 loNOW
1iDianto NAM -g1^Ba^ ha~qaodft
cipe < i m ad Mdate ds H
a 11 rnemoMnuw Uncter cC we*
qqi siIeeml
I jtrincig- piaiiiriif 1aibflii
muMa M dMaivndi4 -mmdda di l
eurWnlimL E' Er'"i OKtdMIJ i
6 situada a easa de lord Salisbury estacionavam
duzentos policemen que ne tiveram nenhum mo-
tim a serenar.
Heuse, cm aumma, corn exceptAo do que se pas-

maunifestaso popular, tanta calm quanta era li-
cito exigir de um numero tao avaltado de pessoas
reunidas.
Apenas cntrou no Hyde-Park, o cortejo dividio-
se em sete grupos, cada um dos quaes,, presidido
por um dosmembres do parlamento e dinrgio pars
o lugar que Ihe estava designado. Em cads umn
dessee meetings diverse discursos foram pronun-
eiados. Entre os oradores notavam-se alguna pa.
dres e diversos membros -influentea do partido ra-
dical.
Todos os oradores se pronundciaram contra a re-
jei*o na camara alta do project de reforms elei-
toral, approvando ao mesmo tempo a resolu$o em
que estava o governor de convocar o parlamento
paw o outomno.
Pronunciaram-se igualmente contra o powder de
embaragar e resistir A vontade popular, exercido
pelos lords, que por ease modo nao contribuem
para o bern star dopovo, para a paz e felieidade
do paiz. Eases pareeeres foram adoptados unani-
memento por cada um dos meetings.
Notava-se em um destes urnms mesa negra corn a
forms do urma pedra tamular, amarrada a cepos
de videira e corn esta inscrip*o: A' memorial
da camera dos lords.
A multidio dispersou-se pouco A pouco. U-aa
ordem perfeita remou por today a parts, nai obs-
tante o paqueno numero de I policemen que se
achavam no parque.
Os manifestantes pertenciam exclusivamente as
classes obreiras, mas havia eatre elles um certo
numero de pessoas, que per mera curiosidade as-
sistiram a tao estrondosa manifestagao.
(Continua).


INTERIOR


Viagem de 88. Altezas
(Jornal do Comnmeroo, da c6rte)
Porto-Aegre, 7 dejaneiro. -No dia 3, S. A
o Sr. Conde d'Eu acompanhado do sea estado-
maior, visitou o laboratorio pyrotechnico, estate
lecido no arrabalde chamado Menino Deun.
a Tendo fallado desse arrabalde nao posse dei-
xar de dizer alguma cousa a respeito dessa bonita
cidade. Ha nas ruas muita animaVas oasaws dc
negocio sao bem sortidas e os estabelecimentot
pubticos de bonita apparencia. 0 Baneo- da Pro-
vineia, feito todo de pedra de cor avermelhada,
de bellissimo aspect, e estA situado n'uma daiE
ruas mais commercials. Sao tambem elegante-
as casas das thesourarias feral e provincial, a do
seminario e a da eseola milltar no campo do Bornm.
fim.
Meree tambem menao a casas do" quartel gene
ral e a da escola normal.
a A cidade team urma comp&nhia de' bonds, da
qual 6 gerente o capitalismt desta praga, o Sr. Au.
gusto Eiras, tao conhecido no Rio. O6 bonds sai
conmnodos e espagosos. A extensaoe das linha s
de 2644 metros.
a Ha aqui fabriem de ea;14lo earveja, sabao e
velas, oleos, gelo, videos, obras do vime, vinagre
fogos de artilio, charatos, pianos, chapoNs, mo
veis, gaiolas e atd de bisnagas; e officinaus de ou-
rives, ferreiros, funiteiros, matceaeiros, carpintei
ros, armeiros, sirgueiroa, mrmnoristas, tintureiros
colchoeiros, tanoeiros, relojoeiros, alfaiates, taman
queiros, selleiros, lithographias, photographias t
typographias, que publiam des jornases, does quaee
cino-seo diarios.
a Ha tambem importantes fundioes, serrarias
trapiches e estaleiros. Os hotels eases infelizmen
te nao sa o bons.
Desenavolveu-se aqui rapidanmente o commer
cio e a industria attribuindo-se isso sem duvids
& colonisago e as vias de communicacAeo, tant-
ferreas como de navegacA. A populagao emn
geral amiga do trabalho e muito dedieada i sua
provincia. Os leitores do Jornal tern visto se-
gundo as noticias d'aqui enviadas como se ten
feito gradual e calmamente a emaneipago na pro.
vincia. E' este pacifico movimento sem duvida
devido A forga de vontade e A popularidade do
coronel Joaquim Pedro Salgado, ultimamente
eleito deputado geral por esta provincia.
a Suas Altezas visitaram no mesmo dia a cama-
ra municipal. 0 Sr. Conde d'Eu corn sen estado
maior visitou o arsenal de guerra, que 6 um dos
melhores do imperio. Durante a visit, que da-
rou quatro horas, Sua Alteza percorreu todas as
dependencias, mostrando o maior interesse.
a No dia 4, S',as Altezas, corn today a sua comi-
tiva, visitaram a estrada de ferro de Porto Ale.
gre a Nova Hamburgo, mais conhecida pelo nome
de E. F. de S. Leopoldo, cujo capital, send
3,538:0354748, tern s6menteogarantia provincial de
jmuos de 70/. ao anne, concedida para 1.800:000;
'( A despeza dessa estrada tern side sempre su-
perior A sua receita, send portanto pessimas as
suas condigoes financeiras, o que 6 :evido princi-
palmente a ter de lutar ate S. Leopoldo, na extend
sao de 34 kilometroe, corn a concurrencia do rio
dos Sines, que offerece at- ease ponto franca na
vegaqao. 0 custom kilometrico foil de 82:579,984
exagerado para uma linha de tao facil construe-
co, onde nio ha obra de arts difficil.
I 0 rio dos Sines nasce 0os morros das Pedras
Brancas no municipio da Conceigiao do Arroio
banha a cidade de S- Leopoldo, onde ha duas ex
tremras ponites sobre elle, e desagua no rio Gualy.
ba. A navegagao 6 franca em todas as estauid e
6 teita em vapores e lanchbes.
( A construcio da via-ferrea de S. Leopulde
foi autonrsada pela previncia em 10 de janeiro de
1867. tendo os estudos approvaao om i11 de maiej
de 1871 ; a l-i geral u. 1.919 do 3 dc junho dci-
se anio autorisou a go'erno a conceder fivores a
companhia a funccionar no imperio e approvwnr lo-
lhe os estatutos. A construcgao teve comeco a 26
de novembro de 1871, send tratego inauguradc
a 14 de abril de 1874. 0 decreto n. 6,998 de 17
de agosto de 1878 autorisou A companhia Porto-
Alegre New Hamburg Railway Limitel a funccio
nar no imperil corn as alteragoes feitas nos estate
tos anteriormeute approvadas.
,, A linha part de Porto Alegre segue poloc
valle do rio dos Sines, passa eam S. Lopoldo, corta
o rio em urna bern fcita c bonita pontc e chega a
Nova Hamburgo, estagao perto da qual (urn quar.
to de legua) fica o povoado chamado Hamburg-
Berg florescente colonia.
,, A bitola da estrada 6 de 1" ; declive maximc
*2 radio minimo das curvas 250m ; trilhos type
vignolle, ferro, dormentes e madeiras do paiz.
Suas Altezas porcorreram em um break ou
carretilha espeeie de omnibus todo de madeira, c
povoado de Hamburg-Berg collinsa de Hambur-.
go, onde o pastor da colonial Julius Meder fez nix
discurso saudando Suas Altezaqe den trees vivas.
no que foi acompanhado palos colmano. 0 Sr-
Cond'Eu responded em alleoraL agradecendo. DaS.
sa loealidade Suas Altezas dirigiram-se para 8.
Leopoldo, antiga eolonia allema fuadsda em 1824
hoje rico e poaiuoso municipio, composto de anti-
gas eolonana allemsaen onde piulomhma os urni e
costomao da rags germanica. Noi'mmihe aowaeda.
dss.a prerogstivas de villa em S eU eoleada a
eldot pan lei de 12 de abst de 189t


A A eioadedo-. Leopelda vassu 'A" m .fl-
rese.*s e opuloatas di provi as; -uaewlm aiA
muit Mficas, e o mumnpio oz ta grnde'poMu

%S




,. *- : -"-. .; : -. ." "


greja ome emMquohoj c6re aDo .Plaio de Queldz a l maio daiod a n.f i
fm m -sus-oead. ". p I 4 xf(l*xpepidb uireal aviso permittindo a crea de n
a o s as horns da mand o. lS. pit na direcdro qual cieomearam, a w a
sa 1raw o oada o*Ror, l am tuitamente varioa e cidadaosentre oe quaes m i
mnadoa 8 talhes de artilharia, e inanobrua no dre Francisco Ferreira Leitao. Have ceremonia




c xeam d e ifatarips reinI sg iier~ ohsia,.edpi~sn1
rea ndo om'0m =tos polovo alao sa o de juramento ea posse dee cargo. Em fins de 1803 d
An tnWdoarhaadnm assumpto s c nverou a constraeslo, -e a disn ue da aber-
_. de Pelotaa t"fuaato Baig&d*i -o Francisco Joo Roeia, que coma govemrador in- m
Bfe a Cao Cesats pr prosid, p-wd mdtoerino da provintis eonoeera o loal qc 6 o mse- e
cv sJl. imes o egJoa*a vapor, re em que hoje aaenta ,edifieio "da Sata Casa.
ds do- Mo pessoas.e Drpansd eer e iPeo fea q epois de muit lftao,. 4t29 doemaio do 1822 o
vmb eames la e suas dependtam Fionesar mperador D. Pedro I iirnsw a iramaa da
sa visittcma commandad.F 0ra1 d. d Ar knta Casa e oanaadea4t as pquoativas dea qar
Castro dim vivas a Suasjlt rlN mdwdo. sam tedas af irai danriseriodia. O M
vidas conaltcias. A's 5 kd dem p de da amp is onde de S. Lmpldicqae fole primiro eafem-
e exersieMtoe rinfantarnia a. 1 iagnWes con t ro-. 6r do hoapital-poeadiou dnfar et 182o 5 rs
icorrendo4mmoemmo pore. deaenvolveu tanta atidt adei emde a@ e aa 1 de -
S Antes de tratarederoutroasnsumpto onvm re- janeiro de 1826 realisou-See o acrto solemn da aber- e
ferir aqui Aue esta proving progride de inedo in- tura do hospital, sndo nee lle recolhidos os doentesn
vejavri. Hanpav pb r vapor entree as cido reeoedasetsmente pobres.i
du do- Porto-Alegre, Rio ande e Pelotas, que Em 1827 foi eleito provedor Jouaio Marcos Viei-
embors estejam proximav, sustentam seus merca- ra de Araujo Pereira, que fundou a botica m que A
doe e o com .cio i F- daA do. fi e ip .hqdsii vieto que a SatU Caa
navegaga fluva eondMuzem productoa dca ampa-I no dispunha dos neeaaarioa meioapara o seu lcus-
nOa para o littorats alimentando as relaE es corn- teio. Deu-se com ,oeste provedor un fact notavel.
umrn rra Mandando o premdeante da provinctia, Salvador Ju-
r eiativameate a telegraphos 6 a qur e mais st aeiel, algunsm proes militarcs par& serem tra- o
oexteBuredoeldeoraphicapoliue. A linehadenor tados na Santa Ca*i o Sr. Artujo Pereira recusou
mineAt geral.46 dupin entra na provineia trans- reeebel-os e indo 4 palacio expliear os fundamen- e
pondo. oi0 no Mampituba e pasando por Torreasi to da sua recusa, o presidents ameaou-o de o I
Conceio doaArroios Porto-Alegre CamDaae S. manda r preo pars o Rio de Janeiro, ao quae res-
soare co, Pelotas, Arroio-Grande g va at6 a cida- pondeu o provedor que prefoeria ujeitar-se a essa
de de Jaguiarao onde se entrona a orn a linha violencia do que tolerar a infrase o das leis do
Oriental deTArtigase Monatevido. Em Pelotas ha estabelecimento quejurara observer.
um ramal idupo par a cidade do Ria- Grande e n De 1828 em diante serviram various provedores
desAta para a barrado S. Joas6 do Norte. Ha tarm- ate 842 em que fo4 i eleito o eonselheire Saturnin
bern outro ramal denominado linha interior, qae de Souza e Oliveira, que deu regulamento para a
vai at D. Pedrito, passando peor Cantuasi, Pira- ereaeo da casa dosa expostos a 12 de jalho d'esse
tiny, Cacimbinhas e rBa6a De PrP.t-Aiegre s anno, ae ndo a casa da roda removida para o novo
linhaa sAio dupla s at6 Urguag yau onde slentro hospital emi 1 de janeiro de 1844. Na provedoria
cam orn as liahs telegraphieas argentinas e pas- do entrao Marqouez de Caxias, sempre na campanha
sam polo Triumpah, TMargem, S. Amaro, Rio Par- A frent e do exereito, o coronel Bibiano Jos Car-
do, Caehoeira, Cacpava, S. Galriel, Br~io e neiro da Fontoura exereeu o cargo por devocAo t
Alegrete. Na Cachoeira ha um ramal que vai ter Em fins de 1845 SS. MM. Imperiaes visitaram o
eat6 rouzoAlta peasan2do por Santa Maria- Na .estabeleeimento, fazendo o Imperadodor doalo de
Svilla do aRosario ha um ramal para Sant'Anaa do 10:000S e a Imperatriz de 2:00;.A
Li(3amento ; e Alegteoutro duploe ,alt o (2Pas- oi, aindatna provedoria Caxias que se fundou -
so do Marianno Pinto; t-anspondo o rio Ibieuhy extra-muros o cemiterio, cuja administracao ainda
nete paaa, o fio da esquerda vai at Itpi e o est a cargo da Santa Casa. De 1846 em diante
Sda ditaaeS. Borja., DoTriumpho part u serviram o arora r i reco do eGravatahy, conselheiro Ma-et
ramal para a villa de Taquary. A extensao des- noel Joae de Freitas Travassob, Barao de Cacapa-
tas linhas, contada de posted a posted 6 de 2,194ki- va, Lopo Gonealves Bastes e outros, ate o actual,
lometros ou pronmaamente 332 leguas. Existem coronel Jooquim Pedro Salgado, ajudado pelo es-
trea cabos electricos submarine ea sub-fluviaest, crivao Dr. Severino Presteos, thesoureiro Antonio
snd um centre o postal do norte e a sul da barra Soares Amaya de Gusmao, procurador do faro
(1,300 metros), outm no rio S. Gonealo (220 me- Jofo Baptista de Sampaio, dito dos predios Vicen-
tros) e outro no rio Guahyba entire a ponte das te Trindade de Barcellos e various mordomos do
pedras, ea ilha da Pintanda (1t.100 metrosa). Ha hospital, ceapella e expostos.
S31 estates telegraphieas, send de primeira or- N E director do service sanitario oeDr. Israel
dem as de Prto-Anegrya Rio-Grands, Pelotasa, Ja- Rodrigues de Barcellos Filho, ajudado pelos Drs.
rgari3, Cachoeira do- Sul, S. Gabriel, Alegrete, Silva Guerra e Castro Menezes.
Uruguayams Bag6 e Livramento; de 2-, as de p as.as Altezas percorreram as dep[ndencias e
SSantaH Maria, Cruz Alta, Barra, Triumpho. Mar eufermarias do hospital, ilado at a cosmanha, mos-
gem, Roayrio, Itaqui, S. Borja e D. Pedrito de trando-se satisfeitos do estado e asseio em qua en-
3a, Torres, Conceifio do Arroio, Camaquam, S. contraram o estabelecimento.
SLoures o, Arroio Grande, S. Jose6 do Norte, Can- Na sala das sesstes o Dr. Severino Prestes
gussfi, Piratiny, Cacimbinhas, Taquary e Caca- leu a aeta que toi lavrada da visit de Suas Alt.-
pava. As a iihas telegraphicas transpoem pr zas,.dignando-se assignal-a Suas A I tezas.
meio de minstros os seguintes a rios, : Gratvatahy, Suas Altezas corn m seus fihos, acompanhados
Sinos, Cahy, raquary, Jacuhy, Santa Maria e Ibi- do seu preceptor o Dr. Ramiz Galvio, Baroneza de
ceuhy. Opessoal eompe-se de 1 engenheiro o Suruhy e a conselheiro Jos Caetano, visitaram o
Dr. Fialho, chefe do distncto, 7 inspectors, 8 fei- seminario episcopal de Nossa Senhora da Madre
stores e 36 trabalhadores, servinde de guarda.fios, de Deus, fundado nesta capital pelo Sr. bispo dio-
7 telegraphistas de la clause, 7 de 2-, 11 de 3", cesano D. Sebastilo Dias Larangeira, que lanvu
20 adjuntoe, 36 estafetas e 7 serventes, total 139. a sua pedra fundamental. Comecu a construcao
( A provincia, estando no extreme sul do Im e-e outubro de 1865. A plant do edifices 6 do en-
perio ; estende-se desde 29016' ate 38355'33" lat. genheiro francez Jules Villani. Posteriormente a
. S. observados ass-buraw do rio Mampituba e ar- obra foi executada pelo constructor allemlo Joao
- role Chuy no Oceano Atiuantico, e deade 6 50'29" Grunewaldt. 0 edificio 6forma um quadrado de 40
Sati 1445'34" long. 0 meridian do Rio de Ja- metros de lado e tern vastas proporcoes para ae
neiro a contact da barra do mesmo Mampituba ate commodar grande numero de alumnos. Nao estA
. a margem esquerda do rio Uruguay. A popular de todo concluido: entretanto o estabeleeimcntojA
gio, aorga por 700,060 habitantes. funeeiona ha 4 annos, sendo frequentado por 300
a 0 calor tern side excessive no mez que corre e cantos estudantes, interns e externos. Ha, al6m
s e disean me que assim serA ati o fim de mar9o. do espagosox sales pars aulas e dormitorios, urma
w Durante o inverno o vento trio do Andes, capella de regular extensao e uma bibliotheca. As
que tern aqui o nome de Minuano, faz as vczes aulas foram inauguradas a 15 de fevereiro de 1879.
s gelar em alguns pontos ordinariamente a noite. 0 governor geral e provincial teem concorrido para
a Na psart alta da provincia faz-so sentin a estao as obras do edificio corn avultadas quantias, bern
o inverness em today sun forga; os campos, Lhgos e como clero, os fieis da diocese e o rendimento da
. lagdaa ficam cobertos per camadas de gloae s6 motra. E' um bonito edificio, de estylo inglen, ten-
depoiwda ameg do aol 6 quae comega a dissougAeao, do nos alicerces a pedra gres avermelhada, d'esta
Ehtretanto neeta unesma regiao o verdo 6 intense provincia. Suas Altezas pereorreram o edifieio,
tambem. acompanhados do Sr. bispo dio~esano e do provi-
. E' mnito varia a temperatura; durante o dis :sot do baspado.
. sol abranador, mais quente que o do Rio de Janei A's 4 horas da tarde suas altezas visitaram o
ro, atoruenta aquelles que precisam andar na r-u; Club dos Atiradores Allernas, onde assistiram a
i nolto temperatura agrumdsval a frosea1e Em qual- exercicios gymuastleos e tiros ao alvo. Ainda vi-
quer entagbo ha reoponua mudnndaea de frio para o sitaram a bella eollecbeo mineralogica do Sr. Joao
e calr c viee.'v01. Ca-los Dreher, suas aitezas examinaram corn today
b A prevmoia pode 'nor dividida em trei zonass a attengAo as preclosas pedras quo se vdm ali, al-
diffientes. oomprehendidsa dentro dos seguintes gumas das quaes o St. Dreher offereeeu ao0 prin-
Sparat-lies: do C ye ode Itapuan ; desteooque cipes. E' uma pequena man eucolhida colleccao
corresponde a face sul da serra Getal ; deste e o de bonitas pedras de serts acima desta provincia,
b que limnta a provincis pe ooseu extreme nore, em merecendo particular mencao as agathas, onyx e
. resume, a primeira d declims temperado, a segun- amethystas lindissimas.
e da queute, e a terceira fria. A,s 9 horas da noite a praga do palacio re-
a r Ha no rueo de'msio uma agradtavel tempera- gorgitava de povo. Tanto dentro do jardim como
turanque se couhoa, pes. deneuse de vermi- tdr deble enas russ adjacentes o povo se aeoto-
eo- do annie. Em junho e julhu, sente-se mmtras t vellava procutando approximar-se do palacio. Suas
- veass o frio na sus masor intensidade. Os mezes alteiaa estavam na janella central do palacio e
maim quutoe sa oasde djaneiro e fevereiro, sentin- nan laterses viam-se o sea estado-maior e pessOas


. do-se ordinariamente deeds dexembro excessive de sua comitiva. Foguetes e bombs atroando o0
Scaloer come estA actualmente fazendo, apesar de area annunciaram a chegada dos manifestantes.
o estar esta cidade elevada 300 ps acima do nivel Fogos de benala, bandeu-as, estandartes, fllam-
a do ma, segundo ouvi dizer. mulas, lampeoes de cores, apresentavam bellissi-
S No dia 5, as 8 horna da noite, como, jA sabem mo aspect e muito coneorreram para que fosse
Sos leitores do Jaorna, a eolonia allema fez urma explendida a festa que esta populagao fez a suas
brilhante manifestagio a Suas Altezas, que chega- altezas. Depois de algumas palavras dc saudagio
ram A janella central do palacio, donde o Sr. Con- proferidaa per urma peasoaes do povo o Sr. Condo
Sde d'Eu pronunciou em allemso umn discurso agra- d'Eu, da janella em que estava, fallou agradecen-
o decendo. do em nome da princess imperial e no sen aquella
e Hontem Suas Altezas sahiram a passeio corn tAo significativa prova de sympathia. Saudou esta
seus filhos a p6 pela cidade e visitaram o mereado, provincia esperangosa e sympathies por tantos ti-
Sum dos melhores que tenho visit muito melhor tulos, a guard avangada do Brasil no seu lado
D que o do Rio. Custou cerca de 240:0005 e &uma mais vulneravel e aos seas filhos, sempre promp-
Sdas provas do bom goato das construnces desta too a acudir sos reclames da patria, quando se
important cidade. Percorreram o jardim da pra- trata dedeftendel-a ou desafrontar-lhe a hours, a
a 9a Condo e:d'Eu, que fica em frente ao mereado e supporter os mais afadigadores e arjiactdos tra-
passearam por diveroas ruas a p6, send urma del- balhos. Saudou ainda a provincial qu ,a nar des-
Slas'a dos Andradas (a rua do Ouvidor d'aqui). tas virtndes militares n1o fiea atraz. de nenhuma
SEsta rua urma das mais frequentadas ; 6 larga, das suas irmas na bondade do clima, na fertilida-
e corn passeios de tires metres de largura, e muito dade do solo e espirito trabalhador da suan energi-
) extensa ; a sua numeragAo passa muito do n. 400. ca populagco, no amor ao progress do paiz e em-
e Haltamnbem outras muitas ruas espagosas, largas fim no desenvolvimcnto de todas as industries que
Se importantes. tazem a riqueza de urma naAo, a qual para me-
n Ao meio dia Suas Altezas visitaram a Santa drar como deve carece da paz.
SCasa de Misericordia, A port da qual foram rece- a Sua alteza levantou um viva a province. do
bidas palo proveder coronel Joaquim Pedro Salga- Rio Grande do Sul, correspondido corn enthusias-
Sdoe mais membros da administragao D'ahi fo- me pelo povo que o ouvio corn toda a attencio.
D ram A capela do hospital onde fizeramn oragao, pas- Sendo erguido dentre a pepulasAo um saudoso
sando para a bonita sala das sessbes, onde se vem adeus a Suas Magestades Imperiaes, causou essa
retratos de varies socios benemenrtos, bemfeito- lembranga o mais vivo enthusiasm, prolongando-
Sres e alguns que toram provedores. Entre ellcs se por algum tempo as acclamaqbes. Sua alteza
figure o de Joaquim Francisco do Livramento, ainda respondeu em italiano a urna caudacgiao que
Snaseido ua cidade do Desterro a 22 de marto de Ihe toi dirigida por um representante da cilonia
1761 e fallecido em Marselha em 1829. italians.
S Quando govcrnador geral da capitania de o Hoje, As 9 horas da manha, o Sr. Coude d'Eu,
Porto-Alegre o brigadeiro Sebastiao Xavier da acompanhado de soeu estado-maior, partio para a
SVeiga Cabral da Camara, costumava Jose Ante- freguezia das Pdras Brancas, situada a tries le-
nio da Silha, conhecido polo appellido de Nabos a guas desta cirade.
dosze, tirar esmolas para os press da cada as ...s.
Squzes distribuia um caldo todos os domingos. "-.........--
I Fallecendo algum tempo depois a preta Angela ll-filTA DIADIA
Reiuna, que morava n'uma casa contigua a de Jos6 Ri ISI1A UiA iA
SAntonio da Silva, na rua hoje denominada do Ge-___________________________
Sneral Bento Martins, fundou um asylo para rcmo-
ihimento e curative du enfermos pela maior part Districlos polieiaes.-Pela Presidencia
Smaritimos corn quem mantinha relagoes desde S. da provincia foi i xpedido o seguiute acto :
SJose do Norte onde antes reaidira. ., 2.a Secfao.-Palacio da Presidencia de Per
Depois, Antonio Jos6 da Silva Flores e Luiz nambuo. em 21 de janeiro de 1885.-0 president
SAntonio da Silva, corn o auxilio de esmolas, con- da provincia de accord corn a proposta do Dr.
seguiram edificar sobre pilares de tyjolo urna en- chefe de policia em officio n. 43 de 16 do correu-
fermaria em maiorea proporqoes no largo que de- to, resolve dividir o trmom de Born Jardim em dous
pois se chamou da Forga. Alli, durante muitos districts de delegacia comprehendendo o 1 todo
Sannos, foram tratados os pobres que necessitavam o t district de paz, e o 20 todo o 20 distrcto de
Sde soccorro, sendo cirurgilo gratuito um filho do paz, e que as subdelegacias da villa de Born Jar-
dire Josi6 Antonio da Silva que exercia iguaes fune- dim e Serra Verde fiquem pertencendo A delegacia
Scs no corpo de tropas em guamniglAo nesta cidade. do t district, c as dc Surubim e Queimada A 2
A enfermaria referida comecou a funccionar nos districto.-Sandcho de Barros Pimenteld.
pr-imneiros dias do anno de 1795, send d'abi por Autorldades pollclaes. Per actos da
Sdiante sustentada polo incansavel esforgo dos Presidencia da provincia de 21 do eorrente, toram
dons bemfeitorcs sacima nomeados e pelas esmolas nomeados:
I corn que coneorria o povo. Para os cargo de delegado, 1, 2 e 3 supplen-
3 Chegando a esta cidade em 1788 Joaquim tes do 1 district do termo de Bomrn Jardim os ca-
- Francisco do Livramento, fhndador do hospital de pities Manoel Correia Crasto, Joao Guilherme de
Scaridade do Desterro (Santa Catharina) e mais Mor Coutinho, e cidadlos Jos6 Alves Camello de
Starde dos Seminaries de lt. e Sant'Anna (provin- Araujo OPereira e Graciano de Mello Azeredo, na
- cia de o Paulo), Jaouee a (io de Janeiro) e ordem em que se acham collocados.
Sdos orphios de S. J;ua (Bahis). amneciou soe r on de delegado, 1, 2 e 3o supplentes do
atquellr devotos e b O tiawhonrosa. 29 diskiat do term dBom Jardim o m Car-
Staremfs a q blua4iaa B tbom le Laitisa do Albuquerque, eapit& Marianno Fir-
- pla C za. D o AfW io B -Abtequeatte Joe6 L.ui deo An-
* fervor diqe ael aJOzd U: pito Joa Antonio Pereira de
qj*a rdea- to que oaaebam collocados
--X Por poiM
.rm i a.a i_ a .. P"1 Oi da ,t*oA 21 dej=@hrw d*-

4 L UsevTkaotProvhnialn oollecitr -doe munkcipmo. do
GftAt e~Ead o cidadbo Antonie Dims Phrinte.


3atad .qtm sis deon =a mso~i~
om louvor ces dos pnr-aId i
o oleos vegetaes, sits & rua uror .
anto Amaro, acaba de expel onsumo difts
iovos productos dessa importtte fa : So
: a Apa florida de GaMacan Mrege-
de Qamacaa,
Comw agua pertumosas de toilet, a Ag a. forida
e C s em nada code 4 Mtts u ome de
LgusU~da vem n m EuIt~b i E' da
lesms itoao perfiada aom e nuito volatile
de ge emelhamte. E' u a prodcto que faz
onras- &s. Mada. & Bstom, neo 86 por si
nesinms polo seu acondicionamento, que 6 o
nelhw pouuvel.
0 Oo vgetal de Camacan, destimado a ama-
ia, fIdtifir e dar brilho sos calbllos, 6 exclu-
nivrMnte vegetal. E' umn oleo finN, de cor ama-
ealtmi*, de hero agradabiiamo e que se con-
erva por lungo period de tempo scmr perder
nenhuma de suas qualidades tonicas e outras.
Garantida, comno 6, sua pureza e innocidade, 6
Plie preferivel a quanto oleo nos vem do estran-
geiro para identico fim ; e no mesino caso esta a
tguafllorida de Camacan, tanto mais quo da si.
nilar dos Estados-UnaidosjA ha muitas falsifiea-
;oes, como no geral sao falsificadas todas as per-
umarnias importadas da Europa.
E', pois, de esperar que, A exemplo do que aeon-
;eceu corn o Tonico de Camacan, que tanta sahida
Stao proveitoso tem sido a muita gentle, os dous
lovos products da fabric dos Srs. Martins &
Bastos encontrem o acolhimnento que merecem,
tauto mais quanto, de par coin sprein de industrial
sacional, levanm muitas vantagens aos seus simi-
ares estrangeiros.
Aos Srs. Martins & Bastos agradecemos as
amostras que nos remetteram dos seus products,
Spelas quaes podemos avaliar corn justeza do seu
nerecimnento, e tambem Ihes agradecemos o pre-
sente que nos fizeramn do seu kalendario de pare-
le e dos seus mimosos cart5es-annuncios.
O kalendario Martins & Bastos 6 um bonito es-
pecimen no-geuwro, e compete bemrn corn os demais
o10 mercado. E' destinado aos freguezes da fa-
irica, mas se o encontra A venda nas livrarias.
Os cartres annuncios, uns em form de leques,
outros da form comnum sa' curiosos c interes-
sautes; e uns e outros dao idea do born gosto dos
proprietarios da fabric, da mesma f6rma que os
iovos products, que deixamos assignalades, at-
testamn o seu amor ao progress industrial dopaiz.
tsatribauleio do premlos.-No domin-
go as 6 e meia horas da tarda deverao reunir-se
no palacete da Imperial Sociedade dos Artistas
Mechanicos e Liberaes, todas as pessoas que con-
correram coin seus products a ultima exposigao
illi realisada no dia 18 do corrente, afim de rece-
berem os premios que Ihes foram conferidos.
0 acto, na forms do costume serA solemne.
Revista de Pharmacia.- Distribuio-se
hontem o n. 7 deste periodic, destinado aos inte-
resses da classes dos pharmaceuticos e orgao do
Congress Pharmaceutico de Pernambuco.
Festiividade rellgiosa Hoje, As 7 ho-
ras da noite, sera hasteada a bandeira da fiesta
de Nossa Senhora do Born Successo dos Nave-
gantes, que se venera na igreja do Pilar.
Amanha, A noite, serA cantada urma iadainha,
tocando depois urma band% de music.
No domingo tera lugar a fiesta, que constarA
de : missa resada As 5 horas da madrugada ; mis-
sa solemn As 11 horas do dia, corn sermao polo
Rvd. frei Augusto da Immaculada Conceiaeo AI-
vos ; e Te-Deum a ncite, corn predica polo mesmo
sacerdote.
Ap6s o Te-Deun serA arreiada a bandeira, e se-
guir-se-ha a queima de um born fogo de artificio.
A Inglaterra no Egypto-Telegramrnmas
de Londres ordenam a todos os homes disponi-
veis de artilharia no district do sul que estejam
promptos a partir immediatamente para Gibral-
tar.
Attribue-se esta order As complicacoes actuaes
no Egypto e cre-se que se quer former urma gran-
de reserve para as esta es do Mideterranco.
Colonial franceza -- Amanha, As 8 horas
da noite, devem reunir-se no Hotel da Europa os
subditos francezes residents em Pernambuco.
Indemnisadora Amanha, ao meio dia,
devem reunir-se em assembl6a gerFi os accionis-
tas da companhia de seguros Indemnisadora, no
respeetivo escriptorio, afirn de discutirem e appro-
varem os novos estatutos, reformados de accord
corn a lei n. 3,150 de 4 de novembro de 1882..,
Impostef provinctaes- Termina ama-
nbh o praso marcado pars pagamento, no Conau-
lado Provincial, dos seguintes impostos, reforen-
tes ao 10 semestre do exercicio de 1884 1885 :
taxas de reparticao, 20 0/0 sobre estabelecimentos
naoecomprehendidos no penmetro d'aquella taxa,
1:000000 par casa de garantia de bilhotee, ....
1:000000 par casa de vendor bilhetes de outran
provincias, 2i509 par tonelada de alvarenga, e
20000 par escravo empregado nos services de
magarefe e estivador.
iferro-via de Olinda Esta linha ferrea
suburban, corn ramal para Beberibe, transportou
desde 1S75 ate 1884, os seguintes passageiros :
1884 1,098:980
1883 1,056:780
1882 839:604
1881 1,008:237
1880 957:675


1879 905:661
1878 891:495
1877 767:511
1876 882:354
1875 923:016
No decennio 9,331:313

Media 933:131
A receita, despeza e saldo bemrn como a relagao
entire a despeza e a receita no referido period de-
cenal, eonstam do seguinte quadro:
% I
gof 00 0000 00 X0000 00QOO00



-- -a -a00 -

OD o tf., o e J to eeo !O o,- 3
o-, o s o to-s I 0

I L
I I
00 3=wp.tOO=OO&OSOwO
a a O co po e co o dtso i
oo wo rrt se t ru ad
OS W 00 CO 00 WO M- > 0' CD M-
-4 l-th. OR CO -3 M 0CO WN
(0 ~ ~ & tSlO 04 Or ttO O*









1. se re~taro-ui Ar a >tf. sFilh.^
.o d oto Ca iCoco Atie o peiro.
ok o F. A. de-cmM CON
0 i10 ;,L 630 0 00 tb ;B 61 S
t. -<1 00 -<1 C.0 K)S w 0 CO 01 wS
00 W f.0 = = W M W -4 = I-A







Dietor de% QS% na-ManoelPedrosa.
t7 n
os I I~cc ~ it-f1-








Sooi eo0hido o d ramati O & aido e
med I d oio ete Luiz Amor ___ha
I I






pari ma -e 0 co -i o secen iop. -] s] a w -

21 do Pooe -1 -N c o c or u Mrent ane o
I a
-1 I H.--~-,::.i--





soc, ledade Dramt atica Filoa de
Tetalma-o eorpo scenico desta sociedade pro-
cedenr a ereo doe si directoria trimensal, no dia
21 do corrionte dandm o seginte rosultado e:





mdabdortsoca i crj aaqente uize-Amr i ale razoroa
PresideDte--Urbino Lima.



1.0 secretaprio-Luiz Agra Filo.
o dito Octaviano oAlves o nte annoiro.
i cThesoureiro-Joao F. A.r de Carva esrho.
Director de scena-Manoel Pedrosa.



Contra -regra-Sigismundo Teiaeira.
Foi escolhid o drama Orgnlpo abazido e a co-


media do socno Vicente Luiz Amor, Culnario -
pars sen proximo ospectaculo.
Natrim do Poco- No eorrente snno nao
scra celebrada us rnitriz do Poco da Panella, a
fetst do Nossa Senhora da Saude, que alli so ve-
nera, porqne nao bonve permissao pars fazel-s.
Apenas, no dia 2 de feveroiro se conservarA
aberta a igreja para quern quizer ir alli fazer ora-
95es.
Ulberdade-A Esma. Sra. D. Ale..-. !**:
doe Baei Costa, em attenqlo aos services qui1
preston o seu escravo Modesto, de 26 annos de
idade, concedeu-Ihe carta de liberdade sem onus
nem condigao alguina.
Registramos o acto corn prazer.
AsuammSlaato- No dia 4 do corrente e em
terras do engenho Tapagy de baixo, do Cabo, Joe6
Firmint Pereira Lopes assasuinou 0 6Ur individno
de nome Antonio Gomes.
Contra o delinquent, que foi preso, prooedeu a


-41,
.* .7 .
-- '* :''' -.U : ''- ^ -''. '*

* ^-. .. ..,.^*^ a ..-,, .^"


NV






















e ferlmenM '- A'as 3 horas da
-iadtugada de hontem un gmpo da.cinaco ou seis
iadividuos destelhaiam part da cozinha da casa
to Sr. Jos6 Luiz Gouzaga da Bilvefira, morador A
rua do Quiabo, no povoado de Afogados.
Penetrando na referida casa, atacaram a Silvei-
ra em quem fizerm dous ferimentos corn faea e,
como em soccorro delle viesse a espos.i, foi tarnm
bem ferida corn quatro facadas.
Aciudindo os visinhos aos gritos dos assaltantes,
evadiram-se os aggr-ssores, que -eram ladroes e
nada, felizmente pudleram roubar.
A policia tomrnou couhecunento do facto quatro
horan depois.
Os feridos cstIo seondo tratados polo Sr. Dr.
Cosme de S! Pereira.
Femtej o earnav.wlescios-Esta. organi-
sada umwa coinmissio pira promnover festejos car-
navalescos da pra"a doCondo d'Eu. Compue-se
dos Srs. Jos6 de Souza Braz, Zeferino Lourenco
Martins, Luiz Jos6 Autunes, Jos6 Luiz Macedo
Cavalcante e Jos6 XL.iiN MNarques Ferruira, os
quakes pretendem sahir no proxiamo domingo A co-
Iheita.
Trsibalbos de encadermador Vimos
hontem na Encad'rnaqo C aimmerciai do Sr. M.
J. de Miranda, A ru-i Duqe de Caxias n. 39, dous
trabalhos de encaderuacao dignos de ser aprccia-
dos pelas pessoas de apurado gosto.
Slo dous liver, s : inn gmrainds album parr* chro-
wos, dourado por follia, ienc-tdernaqAo do couro
da Russia, send a caps e lombada rieainente dou-
radas; e au Inadico Hypotheciari), dJo Sr. Dr. Mar-
tins Pereira, que vai ser envi:do a S. M. o Imp,-
radr, send d3 ccadeirna(.To inteira do cotiro
chazrin verde, de capa c lombada tarabem doura-
das, dourado por flia c corn as armas brisilki
ras na part da frente.
A officina do Sr. Miranda estaL sob a direegao
de umrn habilissimno airtsta allemnio, o Sr. L-uis C.
de Cholowiecki que, para executar obras de tauto
gosto, lutou aqui d, minais a mais corn a talta de
instrumentos apropriados.
Sao os melhores trabalhos de encadernagao que
tenmos visto neota ci'lade.
Bamsn ConseIi-o-Desta villa escrevemin-nos
o seguinte ern 15 do corrneute :
,(No intuit d vei- figurar esta -Icalidade no seu
important org;Io do publicidade, vamos hoje min-
cetar uma series de iniisivas, Mas quaes lm iromos
relatando todos os facts que nos parecerem dig-
nos da attencao public, convictos de que V. S.
e os dignos leitores relevarilo os erros ei qu in-
correr-mnos no cumprimentot da nossa missao, at-
tenta A exiguidade de nossas habilitacoes littera-
rias.
SSeguireims a orilemn chronologica dos factos.
No diin 6 do pissado, asuminio o Dr. Francis-
co de Castro Rabello o cargo do juiz de direito da
eomarca, para o qudLi fi nomeado por decreto de
4 de outubro.
No din 11 do mesmo mez, o delegado e corn-
mandante do destacamento de Aguas-B-llas, cer-
caram a casa de Antonio Fabiano, Rem Pedra Pin-
tada, no intuit de capturar o crimiuoso Casaca ; o
comno ao ooencoiontrn ssemi, pratiearam toda a ordem
de insolencias, espancando as mulheres que se
achavam na occasiao, assim como a dous filbhs de
Fabiano, minataram cachorros, conduziram papagaios
e outros objects, escapando felizmente da sanha
dos soldados Antonio Fabiano, por se achar para-
lytico.
a Correu paeifica e aimiina-lamente a noite de
Natal, que, cormo se sabe, 6 orig-cm de grande ag-
glomneraao de povo nos povoados do interior.
a Isto prova a indole ordcira dos nossos eampo-
nezes.
v Ainda no din 30 do mesmo mcz, em Catimn-
bio, deste trrmo, Antonio, Pedro e Francisco, fi-
Ihos de Jos6 Dutra, suirraram de taeao a Manoel
Sebastiio, rapaz inoffensive, deixando-o bastante
coatundido c ensanguentndo.
,c Un agent de polieia participou o oceorrido
ao inspector do quarteirao, por6m, este nao se mo-
ven, limnitando-se a mandar que o dito agent
perseguisso os criminosos, os quaes apos a perpe-
trateo do crime pozeramn-se ao fresco
v 0 sublelegado do district do Prata, a que
pertence aquelle quarteirdo, talvez ignore este
facto, que corn eerteza na-o lh foi comulunicado
por aquelle inspector.
Falleceu no die 9 do corrente Pedro Viira,
em consequencia dos ferimentos que recebeu na
luta que teve corn Rota-o de tal, no dia 3 do pas-
sado, nas iminediaqocs do Olho d'Agua da Matta,
facto noticiado em sna folha de 20 d'aqnelle mez.
Nada mnais por hoje.
Comumniiso Redemptora Sao convi-
dados os menibros desta commisedo a se reunirem,
hoja, sexta-feira 23, As 7 horms da noite, na rua
do imperador n. 31, 10 andar.
Commisisao Central Emancipado-
ra-Sesso ordinaria hoje, sexta-feira 23, no lu-
gar e ais horas do costume.
A iaterveaico da hygiene na gera-
cao--Bosuqsmau e a amamentacio-A
intervencio da hygiene na genraco, e mais debil-
meate c-mmnpr-heanlidui ns nossos dias do que h i
vinto a cinco seanlos na ilhit do Samos.
0 p)eta greg- Theognis, que viveo scissentos
annos antes da era vulgar, fez esta reflexdo.
Q:.tatdo se quer adquirir cavallos e otes se esco-
lhem racas boas e robastas ; mas quando se trata
de esaolher urna malher on nm marido nao se olha


tanto para o principal como para wn poueco de es -
pirito, e rmaito dinheiro. 'areeem palavras ecrip-
tas para o eeculo XIX !
Nenhumna itltig-islo A respeito das doencas he
reditarias, e nein dos antecodentes de famil'a A
syphilis e o herpetismo, que dep)is de ten infe-
tado as classes alevadas e os cantros industries,
se tern igualmente infiltrado nas p)pulanSes agri-
colas, ameacando de virem a ser doenaas geraes,
pelas medonhas proporo5es que teem tornado, na)
sao meAmo cogitadas nas conclusbes dos matrimao -
nios do din. Rousseau, corn palavras muito sen-
timentaes, pronunciou um verdeiro paradoxo, quan-
do disse n a criana n-o pode temner um novo rmal
do sangue de quein fi formado. n
Estamos perfeitamcnte de ac'rdo corn o pathe-
tico Tonini quie diz
non v'ma si molle
origler come della madre il petto.
Coanformamo-nos tambem corn Levy quando diz
que a anmanaentago 6 urma funcgo que nao s6 sa-
tisfaz o recemnascido, mas tainmbem eatra nas con-
dic5es physiologicas da mi. Mas grande Deus!
nao se vive de poezia no mundo ; a madi afim ide
prestar se a amnamentagdo dove ter os caracteres
de urma boa am:L de leite, ou por outra o rheemnas-
cido, ou cresee vivendo uma vida languida, on de
perec-m nor iuanieilo. Se pots 6 nma joven affec-
tada )in Jdiathcs.- quo! imenusadamente gerou u.n
filho, nao 6 just e nem humanitario, como pen-
sava Rousseau, que depois de geraido continue a
envenar Ihe a vida corn um leite gasto e alterado, e
se a m.i ,,st.X affect-.d.i do leucorrhfi, flores brainca.
':u oittra- .ffacq-s ctarrhab3s cesrufulosas, nao
-.jit-sto e acm huinanitario qui so a.dnimistre i
crianimr;, c.n) t.-tinbmin diz ruoniiii, uquelle loire
quii- dcve se'r aibs)olut-inente privad) das pirtos
mnAis cS-,',n'!,.Ie3, das opartes caseusas e butirosas.
Nio 6 just, e nei e absoluramente humanitario
que umai m\ mingr i, hysterica, e nervosa submi-
iditre, eoin o proprio ilidamno um alimento pobre e
imp ari a p tso que o leite de ain;a boa n in,
podei renfaiir coin nov o sangne o debil recemnas-
cido.
Political e dlplomaela-0 Daily New,,
em urn aptigo de pessoi, que se assignou Umrn por
detras da s:ena atfirmrt que a attitude do principle
de Bismainrk do-s s-is .iit s a;attellites Franea e
Austria -as qwuieal egyuicia, 6 motiva-la pela anti-
pa.thia do gran chaneiller tedesco p.ira o gabinete
Gladstoue c pelma persuas i de que, trustando-Ihe
tpohitiea egypeia, eite ser- intoiramnente derro-
tado.
Cidg. a
.S.tai, politiea que o 0aScrptor qutifica iutriga
estrangeira, dove sae desanwarsada.
Taftres o prinmqiP e .A 4mrk l Was da a m
dar de mi-nobtra q.uaundo ,a r coeab. ae

S-.-4


jnalmeate V$ zva nfl aanm~tfmente mpEentq~i,
tamibem a a sw9S'2Sstw fa*
ntuha direita. *.': -.
Umja a ra -tod joomHr -Stanaly -escre-
veu uwa aOv eata, digia d"ou&& ve" ao seucor
respondents de M nWaaitr q puablkzada polo Ti-
mes, em que declara que as reekmaOeM da Fran-
ca cobrc o Congo slo inftadadaa.
Stanley pode que a Inglatorra reconheqa a As-
sociaao africana corno eatado independent, que
d.oaarque as suas froateiras e decrete a neutrali-
dade do sea territorio, do modo que fique garauti-
dia de qualquer ataque.-
Staaley aecresccnta que se a confereacis aca-
bar sem que estas questoes entire a Franga e a
AssoeiacAo sejam reguladas, esta ultima ficara
perdida.
0 Times, commentando a cai-ta, disse que de
facto todas as pretensSes da Franca so baseam so-
bre o facto de que o Sr. Brazza percorreu o paiz e
o declarou logo de possessio franceza.
0 joranal inglez convida as potencias a assegu-
rarem a Associaio 4internacional a posse de todos
os territories sobre os quaes as naq5es nio podes-
sem provar os seus direitos seno corn bastantcs
esclarecimentos.
Contra as anexac6es *gerxnanleas
-Communicar de Melbourne A Agencia Havas,
em data de 23 de dezembro findo, que o primeiro
ministry de Victoria, colonia australiana, convi
dou os governor das outras cc-lonias australianas
a associarem-se n'umn protest commum contra as
annexan6es 'edes3as no Pacifico.
Misee2 lia -Os chimicos do laboratjrio mu-
nicipal de Pariz nao se contentam s6 corn o estu-
do microscopico dos differences generous submetti-
dos ao sou exame, cnjos resultados lies ervemin
para formnular um relatorio A vista do qual o tribu-
nal con JemuarA o commerciante pouco eserupuloso.
Tudo 'sto se temrn aperfeioado.
Almia-si tortoinonte umnA pequena porbro de
substancia que tern de ser analysada e, por meio
de um microscopic, sufficientemente ampliada.
A prava desta photographia 6 subminettila "to tri-
bunal e os .juiz -s p ):lem ssi'n verificar por si pro-
prios e ver coin os seus proprios olli )s a natureza
da fraude comnmettida.
A photographia surprehlmnle, por assim dizer, a
falsificacao, que niao p6de de f6rma alguma ser
contestada, nem tao pouco arguir o chimico de se
ter enganado.
0 povo inglez tern una grade predilecea'o
pelos coinbates a s8co.
E' uma das manias d'aquelle povo, tao protec-
tor dos animals e das sociedades correlativas. Nao
6 raro ver uina lady assistir corn prazer-at corn
euthusiasinmo a umn combat d'estes, Jcm que
dois homens As vezes se matam estupida e brutal-
inmonte ; aias em cornpensacao a mesmna lady 6 ca-
paz de ter tiurn chilique ao ver uma pessoa... cor-
tar a cauda a urn gato.
Ultimaniente houve em Stratford sobre o Avon
(ligar onde nasceu Shakespeare) um dos takes com-
batos. i'nma especie de circo feito expressamente.
A fest;i annuuciada pomposamente chamou enor-
me concurrencia. Um premio de 50 libras er% des-
tinado a.) vncedor.
0 combat realisou-se corn todas as regras da
arte e dwrou perto de 20 minutes.
No fim d'esse tempo os dois adversaries, p6de
diz'-r-se, estavam semr cars. Um d'elles cahio qu%-
si morto, e o outro, quo estava ein ponuco melhor
estado, foi proclanado vencedor, no meio do en-
thusiasmo geral.
Em alguns pIizes do norte la Euro.pa tem
havido tanto trio, que os rios gelarain quasi re-
pentinamente, e maitas corninumnica;5os se inter-
romperam por causa da espessa cuanada de gelo
que cobre as estri das. En 3-rlimn, Baden, Bohe-
inia, Saxonia e Hungria tern cahidoneve em gran-
de qutantidade.
Na capital da Allemanha a administracao do
Jardim Ziologico installon uma espeeie de casi-
nhas eeonomnicas para os guards e trabalhadores
que uuo podimn afisttr-se d'alli por ciusa da ne
ve. As agnuas dos lagos o tanques de p -ixes doura-
dos e. de estimarao gelaramrn d,- tal mnuidj, qae foi
neeessario praticar grades buracos na superficie
solidificoda, parr facilitar o ar nos p-ixes, que, a
nao ser assim, mnorreriam asphyxiados.
Na Hungria, os lobos, aeassados pela fome e frio,
j' desceram ate Pesth, aterrand) corn an&aa prri-
gosa preseaca os moradores.
Nao 6 bern isto o que suceede entree nos.
Antes polo contrario...
Pola ultima estatistica da policia de Paris
vd-se que ha it'aquella cidade 50,(,00 radios, isto
e-homens e mulheres sern offcio neao modo de
vida, e que se levantam de manha sere saber co-
mo haio de arranjar o almoqo.
Mas nem todos sao gatunos; n. suan major par -
to sao radios honestos, que vivean de expedien-
t.-s mais ou menos dignos, mas fdra dos artigos do
codigo penal.
Eleva se a 20,000 o numero de muiheres que
estibo directamente sob a aceao da pohcia do sa-
nidade e ordem, havendo outras tantas desgraba-
das quo a policia coanl-ee e vigia, apezar de nio
est ,rem registradas.
Quanta podridao na cidade mas chic do mundo !
Le.l6e --Effc tnuar-se- bo :


Hoje :
Pelo agent Brito, As 11 horas, n a rua do Ran
gel n. 41, de umn predio.
Polo agent armo e Silva, As 11 horas, na
travessa no Corpo Santo n. 27, de moves.
Polo agente Silveira, As 10 1/2 horas, no lar-
go do Paraizo n. 14, 1 andnr, de moves.
Polo a.qgente Gasmdo, As 11 horns, a rna do Born
Jesus n. 51, de moves.
Polo agent Pinto, As 11 horas, A run do Barn
Jesus n. 59, de fazeudas inglezas.
Pol agent A. Guimardes, as 11 horas, no ar-
mazem do Sr. Annes, de cervejas e garrafoes.
Amanha :
Pdlo agente Pestana, ao meio dia, A. run do Vi-
gario Teaorio n. 12, de urn engenho corin casa.
t'elo agent Martins, as 11 horas, no armazem
dJo Annes, de dons cofres novos.
Misses fsnebreg-Serao celebradas :
-- Hoje:
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, por alma
de madame Maric Anna Potelleret; :is 7 horas, na
igreja do Rosario de Santo Antonio, por alma de
D. Joanna Cesar de Audrade; as 7 horas na igre-
ja do Espirito Santo, por alma de Francisco Mar-
tins Ferreira.
Amaubh:
A's 7 1/2 horas, n:. capIla de Jodo de Birros,
por alma de Jos6 Carlos Ferreira; As 7 horas, na
igreja do Espinrito Santo, por alma d. D. Clara
Brekenfeld Vicira da Silva.
Operates eirurltcasm-Foram pratica
tdas n3 hospital Pedro TI no di:i 22 d o eorreuto as
setgiutes :
Polo Dr. Malaquias .
AmputncAo do penis pdlo process de Guyon,
r clamada por cancro phagedemic) da glande.
Extirpaq.o de um lip~ma d-i regiao auric'm!ar
posterior.
Pe\6, D[ ['! it i! :
Orlat -mia r-cdanwa-h pot ph.in3-'. c;:nplic-aia
de el,:ph inAti tsea do prepucio.
Pelo Dr. Berardo :
Extracqao de catarita seuil dura p-lo process
de Grafe, m-lifie'ado por Yrckcr.


Loleraia da prownila --ainti f ieira, 2"
do current', se extrahir, ialferi.L n. 103, em ben --
ficio da igrea da 1iedade -e Sainto Amnaro dias
Salinas, peLo novo plan j approvado, no consistoric
da igrcja de No& Senh ?_.olioniaode dos Mili-
tamrs, odo se acarioo -ox -0 as uraas eas ea-
pheras sawsmmasas m eroiA anumernic% A aseaia-
qAo do pualico. ..'-
IjteiA do Cea'-Esta loteria er* ex-
trahida no dia 14 de fevreitro .proximno .adou
ro. -


. O. W i Os bilhete. uicIian'0o^ vemIa zaiCasa, (f~t-
tinfti ra~tf^ lo'gJ ^__*

06rioBAdo io do Jamnero, e4 piano fai- mii-
to melhorado, corre no dia 28 de jAoiro.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A prana da In-
depeindoaia ns. 37 e 39.
4Mrg1alde 41ieria da C erte de......
ae01e600-Com.novo piano muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham--se A veada A Casa da For-
tuna, A rma do Crespo n. 23, os bilhetes dosta Iot.
nia. "
r3amdle IEteria da.wite -Esta grand?
.oteria, ciuo preraio gramde 6 de o 00:OOW@W,
serA extrahida trevameote.
Os bilhetes achain.s .A venda na .Uasa Peliz, i
ppraa. da Independenei- ps.3 87 e 89.
Mereado auuleipa -de*G. Jew, 0
mnovimento deste ostabaleimento no. dlia 21 d'e
janjeiro) foi o seguinto:
Entrarain par serc:n v VaJidos : 33 boi, pesan-
do 4,371 kilns.
No e-3no idin ti-ntraram pars o mesmoes-
rLbeleciaKen to:
Peixe, 259 kilos.
Farinha, milho c feijAo, T75 cargas.
Fruetas divers ts, 23 ditas.
Suinos, 4.
Cameiros, 4.
Pre"o dos dias:
(Carne verde a 640, 480, e 400 r6is o kilo.
Suino a 600 r6is a kilo.
Canieiro a idem.
barinha do 500, 400, at6 280 r6is a cuia.
'Iilho de 480, a. 320 r6is a enCia.
Feijalo de 800, e 500 rs. idnem.
Foram occupados:
45 talhos de cane verde.
15 ditos de.-suio.
12 ditos de fressuras.
36 eompartimentos de farinha e cowidas.
70 idem de legumes.
Deve ter side arraeaadaa waste di )i ;inpor.
taneia 'de 1731780
Matadouro publieo Forum abatidas
no matadouro public da Cabanga, ptara con-
sumo do dia 23 do corrente 45 rezes.



PUBLICAIOES A PEDIDO

Camera muaicipal do Caboe
Tendo a municipalidade do Cabo, de enviar a
Assembi6a Geral Legislativa a reprcsentaqao
abaixo publicada, convida aos dignos represen-
tantos da provincial o estudo da mesma e fazendo
urn appello a numcrosa clause agricola, diz-Ihe :
curai dos municipios ; se continuardes a abando-
nal-os como teade feito att hoje maior serA o
abysmino que eavareis a nossa patria.
Os inunicipios formam coinarcas, essays as pro-
vinclas, d'ahi o imnperio; tendes tudj abandonado,
uno vos queixeis pois do governor, elle 6 vossa
obra.
0 traballio que vos aprosentamos salvo dous ou
tres artigos 6 da naqao franceza ; cuja historic re-
monta a inais, de mil annos ; procuramos o minais
possivel aproprial o ano osso paiz introduzindo-
Ihe as necessarias modifica95es no nos oecupa-
mos dos tribunals correccionaes, nao psdemos
tel-os ; nAo fallairos de leis sobre locaclo de ser-
vi.os, ellas terao tanto valor corn a lei da cons-
cripao.
Para a nova organisagao policial pedimos A la-
voura meios pecuniarios ; se dcrmos dez ganha-
remo cem ; niao nos faltarao bragos para o tra-
baiho e nossas lavouras serao garantidas d'onde
resultario imineusas vantagens para a naglo, mas
para isso serAt necessario eurar dos manicipios,
velar suas finangas, senao o fizerdes suas rendas
desapparecerao corno 6 de costume entire n6so e en
tao a policia municipal ficara reduzida ao triste
estado da plicia civel.
Lembrai-vos que se ainda resistimrnos a esse es-
tado de rapina e vagabundagemn de nossa popula-
cao 6 porque temos os escravos cujo trabalho nos
6 dado quasi gratis, inas, quando naio os tivernmo i


smabmn~t~idto aQ.ft~if~i- 40 ,SA P' 'Wo mourn
modar.se Uma a-- -dado leal, s promoter
publico, umr jnia j%1pa, um juis do direito, um
escrivco, officiaes do justiga, polo meoos duaa'tes:
temunhas de vista e qareta e oito jlrados, ao to-
do ei4henta. tent9s e jaisso ajmtarmos a mao-
rosi"d doa proeeowms, l stenhoo dos municipios,
o m4o .esta4doOaoa niahQo, a failta absoluta de po-
licia'no3 exmpos, as repetidas sesses (quatro por
annO), a poWoa iastrue fo nos campos, v O-so que
o tribunal dolury flea ibduido saos colonos par-
ceiros (lav'adores) e que so ahi appareoem polo
receio da alitas e aoa iroletarios dos povoasidos-
inimigos.1 g to' r doa xropriarios ruraes, d'on-
de resulta on a nenhuma applicago da lei, ou a
absolviggo dos ladr5es polos mesmos propricta-
rios.
Em nosso paiz -onde o furto da lavoura alto tern
eorreetivo algum; si langar-se a populagio em-a-
va de.pcrmeiocom a populagio ladra e vagaban-
dS, far se-ha dos maesmes escravos outros tantos
ladroes e vagabundos; ficar desorganisado o tra-
balho e portauto a produego.
V6-se, pois, que a aboliao immedriata 6 umrn md,
diremos mais, serd a ruina complete d'agricultura;
mas, si hole 6 umrn mal, amanh seri mal maior, si
de hoje nao trabalhardes para qne amanhi seja
ella um bem.
Augustos e Dignissimos Senhores Representan-
tes da Na!o4.; ha quatorze annos foi decretada a
lei de 28 de setembro e em quaturze annos nada
tends feito para garantia do trabalho e da lavou-
ra, tender polo coatrario cada vcz mais affrouxa-
do os laeas que devem ligar o homem livre ao tra-
balho serm duvida alguma na persnasio de que a
escraidao s6 so e extinguiria quando fallecesse o
ultimo eseravo, engano manifesto, diremos mesnmo
iacnria, os escravos de hoje nao sao aquelles bo-
ces africanos que preferiam a escravidao em lon-
gicluas terras, a sgrem devorados por seus conter-
raneos; nao, os escravos de hoje naseoram em umrn
paiz livre, vivem corn uma populaqao livre, e noite
e din s96a-lhes aos ouvidos essa palavra sublime -
liberdade.
A liberdade venae a escravideo.
V-se, pois, ao que se acha exposto que precisa-
mos jA e ja de reformina em nossa IhgislaQao dando
a lavoura; l1 os tribunaes de policia; 0o os proces-
sos summaries; 30 leis eoereivas da vagabuuda-
gem ; 40 a pelicia particular; unions meios de ga-,
rantir a lavoura, d'onie result, nao si6mnnte a
garantia do trabalho manual impedindo d'essa sor-
te a 'lesorganisagio do terceiro instrumcuto da
produenao, como a elevagao da sublime instituicoo
do paiz.
Angustos e Dignissimos Senhores Representan-
tes da Nagao: perdoai-nos a express-o: nossa
agriculture 6 escrava; una agriculture livre nao
resistirA ao populacho ladrio e vagabundo.
A Camaira Municipal do Cabo vos apresenta o
seguinte project de l-gislanao rural e organisa-
gao policial e espera o tomeis na devida conside-
racao.
Project de legislaoao rural :
Art. 1.0 Serlto punidos de multa d'eadu 5. at6
105000 aq-aelles que tirarem fructose pertencentes
a outrem; products uteis d:i terra on que nio
send proprietaries de um terreno ou seus prepos-
tos penetrarem n'esse terreno estando elle prepa-
rado ou corn lavoura.
Art. 2. Si os fruetos on products uteis da ter-
ra toremo tirados ou conduzidos em feixes, cestos,
saccos ou objects equivalentes, quer por um ou
mais individuos, quer em costas de animaes, quer
em vehicalos, a penn serni no 10 caso de 10.5 por
individuo; no 20 de 153 por animal de carga; no
3o de 205 por vehiculo. '
Art. 3.o Sero-o punidos do milta desde 5S at6
20$ -os que nao send proprietaries, usufruactua-
rios oun locatarios de um terreno ou seus prepostos,
tirarem lenha ou madeira sob as seguinates bases :
5$ por teixe ou earga de home: .% por carga
*de cavallo: 15S por carga de vehiculo: 205 por
arvore abatida; as arvores despantadas, descasca-
das, mutiladas sao tambem consideradas abatidas.
Alt. 4- Todo aquelle que for encontrado nas
mattas ou-eapoeiras f ra das estradas ou caminhos


e esse moment se approxima, nosae agricirturi ordinarios, coin machados, toicees, serras ou ins-
hao resistira. trumentos equivalentes seri condemiado a 105 de
No trabalho que apresentamos, no fallam-s em multa ea A onfiscaciAo do ditos instrumen tos.
incendios dos nossos eampos, nmo 6 material para Art. 5". Todo aquelle quo tirar frue tos sylves-
tribunaes de policia ; a Franca pune com penas., trees, folhas., varas, ou products uteis das In itt;tas
s veras, os incendios dais florestas, lavouras, ca- on capotiras serai condemnado como so segue : 55
poeiras ; chamamos a attencao dos rep eseutantes por homemrn ou carga de home; 105 por carga de
da provincia para esse assumpto. animal ; 155 por carga de vehiculo.
0 vereador, Vicente Cysneros Cavalcante. Art. 6". Todo aquelle quo abrir ou offender urma
c eerca, viva ou morta, pare se fazer uma passage
Azjuato3 e dignissimos Srs. Representante da on para ouatro qualquer fim, sera conde.nnado a
Nacao. -A camran municipal do Cabo, em vista 104 do multn.
Nasa. samra numcpaldo Cb,em vsta Art. G.- 0 tarto do ayes ,le criaoIo serA punaido
do estado preeario da lavoura de seu municipi Armots-0uetoae gdoinzia o ave apuiva-
e da de t da proauincia, vem perante a Augusta come se sege : 5 porr gmobiaeia on ave aava-
Representagio Nacional, exp6r as causas dos ma- ave do luxo: te o f mrtorf6r ae oite a p enn sem
les ique affligem a mesma lavoura e espera do pa- d utla. o
triotismo dos representantea da Nano que seas Art. 7.- Ser-lo punidos desde 54 ate 105 os que
reclamos sejam tornados na devida eonsideracao pescaremn ou camarem nas propriedades d'outrem
0 illustre agronom, viscinde de Gasparin diz : s licen dosproprietarios : e a pesca on ea9a
que a agriculture, 6 uma sciencia que temrn pr f o a noite a pen seri dupla.
fim produnir vegetaes da man;ira a mais c mplexa Art. 8.- 0 furto de animaes miuos sera uni.l,,
e economy ica possivel. ,,^ ^ g; ^^ ^ ^
O e ioarnmicapossnvel. canoe c segue: 5A per coelho ou animal equiva
Os instrumentos necessarios a essapoduc -leate; 103 per eabram, ovehum e suino; 15, po r
s.o tires : terra, capital e- trabalho. ammal de luxo : strtf)r n)ite a paa s-
Da harmonia entire esses trees instruments, de- iral dupla.
ponde a produceo economical P eomplexa : des- Art. 9 Todo aqell que fAbricar carvao sem
truido ou desorganrsado qutiquer d'elLes, estA consentimento do proprietario das madeiras seri
destruida ou desorganisada a prodaeao. condemnado a 10d deomulta ; p mrderia o c irvo c
Augustos e dignissimoa Srs. Representantes da inatramentos de fabric.
Nauao : duas graves questbes agitam o solo da rTo doa fabricar ou vender
patria, uma social e ecoromica, outra puramento armas prohibidaqeiper exemplo :faas depn-
economnical mase et amabas achain-se comprometti- ermias prohibidas coma por exemplar : facas doelpan-
de onomis, maus en tamobasa pracoamo-o capitromtti-a, punhaes etc., seri coademnado a 104 de malta.
dos dous iastrumentos. Art. 11. Todo-individuo que for enuc mntrado comn
io trabalho id d d C p y armas prohibidas seri condemnado a 204 de mul-
A municipalidade do Cabo pede toda vossa at- ta.
tcnglo sobre o instrumento-trabalho. Art. 12. Opas, maridos tutores so responsa-
0 trabalho divide-so em inanimado e animado, veis pelos contravensea aqui referidas, dosfilhos,
este divide-s e em irrational e rational, este ulti- mu elres e tatellados.
mo divide-se ainda 'em intellectual e manual. Art. 13. A falta do paganmento da malta darn
0 trabalho manual 6 baseado e garantido pelouga a pris, entretanto nenhum contraventor
brano escravo. Se remontassemos aos tempos pas. poderiestar preo par mais de 30 dias, soce ellejus-
sados, veriamos nossos campos habitados por se- no poder pagar a multa.
chores e escravos, os povoados insignificantes e Art. 14. Cada din de prisio sera dia da 24- ho-
poucos, sendo completamente nullo o trabalho li- ras e na razio de a 1 por din.
vre. N'aquelles tempos, a terra produzia con Art. 15. A reincidencia seri contada no espago
abundancia tudo quanto se lhe podia, a lavoura de 12 mezes e aggravari a pena de umn tergo.
era respeita-la, bastando para prategel-a a let que Eis augustos e dignissimos senhores Represen-
diz : tirar o alheio contra a vontade do dono 4 tantes da Nago alguns artigos que submettemos
furto. vossa consideraoao.
Send n'atqueila 6poca os campos habitados por E' impreaseinJivel a orgausa.o de uma policia
senhorer e escravos. oas povoados distantes e p Eu imal c picia civil aompista na suan quasi to
m ural : a pobicia civil coinpisaanes usit
ce- populosos, ado se fdrtava a laivora e seuns ani- ali lade de individuosc da peior especie, nmlih'm:ni
i1.el 01) .nthi -in-:n radroi us fnrto.ii3. irania di a lavoura ; so anumero limitado mai
Passaram sc os tempos, o elements escravo di- g paa d urn soner iimt o
inainnia, a livi -L Ugpm onton. ins povoag5es se a chega pars ga-trn ceer as pr,sSs e so e sse a inimero
minnio, o livri augmentsu, p is gpovoae es se ap for augmentado cain o him do g.iratmir noss.is la-
proximaram, suas populayues augmentaroa e a vouras ae anmte, tmr-se-ha d'ebsa sarte auginIn
mesam lei cir todo o seu cortejo de incommodos, tado nufrun', do l.droes o desordeiros em ,oasos
diffi-uliadels e iaexequibilidade continue a dizer : c:tin 0s e sc a isso tjlirtiLrmjos tristee verdatle di
tir.ir o aicio contri a voutade do dono 6 frto, d t os Represtnt'ttes dac Naio) n)33 pieii es-
t.l .i mrt ,ltue grande puirte d i pipulaqmo livre p- mola, a pr vinuia nh tedin dinheiro para pigar
tie -,bId LutITmente furtar e inpuui:naute furta, tlhi o sold.,.
pod-iindo-se dizer sem medo do err:,r que noss:as V-se, pois, do que aeabamms de expr qu.i, s6
mata. rios, campos, animaes Co suas proprieda- nos resta urn recurso; o d polieia particular ft-a
des : ulna populaVio que-tem aitindanteme!tt on- m ultativa a.)s pr,,prictarios rnraes -c IAs ep)eto34sA
do ftrtar c imnputi fuirta unio trabalha. .i ,imnesmo.
f Diz a stcencia-que ttdo indiriduo pi-a v'\'rm Tribunal de policia .
tef n nocessidade de receber diat iamente umut eerta Art. 1-. 0 tribunal de policia ser.A eonosto de
Squaintid-'de de alirnatis a que ella cham:t Tac.:i, .t ints m.inbros a um escrivdo.
Sde vida (entretienu) e caleula essay r.aglo em 1.40 I
o /o do p!eso do initbviduo ; grande parte do nosdm 10
popalai -o dl mlbe-os sexes aio precisa trab.t- 1- juiz municipal 1' c-)inmis3ario residents na
lhar p-rata-o ffio ; a lavottra e as-mas animniaes s6de do tribunal.
dauo he AM&t~ Uieas t para i&ss, mas, es es.i 2 supplentes 2 oabdelegado em exercicio
. p)iula .- & rnasaasae-.-racr&o ,-l hvid.t n: la -ourir do mesmno district 3-" sup-
c sous .-fidlmet, tcdri-k emen*mi.l-le d tr,-alhar plentes.
as obt.'l-a ; rna.para traba har t- 8- uwnario Art. 2- 0 escrivao du tribunal receberA a quin-
d.efvotvLrer esafWr i'"d wa gue.ms -4 o-* ta parte dus multos.
ttfia. teq-mloaLor -f6_s o euarqmJ Art. 3'. 0 magistrado que par molestia ou mo-
L-^il" ~ da aha o e- tivo ja.-tifieado ald puder coaparecer a audiencia
i sf rd p'm' "i- di, tribunal, de eanteeed-ncia scemcia do

OR e Ar&t 4.- tbaiS fuweiomarA dunas vez por
edkahm. w -e-sahtem-feiasa das 10, AUtPa-
*a- 12f sa pAa*
e"- 40" M m- a-sade qmlqvot-,=


VV t W^ O ques sja do p4o1


Art. L3. BID, mla
eomprecr BOd^Jq|B~ peate o tribunal,
Bod"0 .a ecoo tal con
dewtasads m R timoi 09 .
Artu 4o. 0 e mintapntor qe pore eitacgo do oom-
missario, nao comparooer a adsucia do tribsn.l
quer por si quer por nam procurador; serA coasi-
erado ter delinquido e como tal coadcemnado ao
mnaximre daptna. '
Art. 50, Oa escrivaes dos tribunes do polieia
enviarro semanalmente sos comnissarios de poli-
cia e per via das cameras municipses, as listas dos
contrafntores que forem orademnados por con
tumnaeja.
Art. 60. No'caiso do tribunal reconhecer que o
easo nao 6 de sun al 9ada, 2 viari o delinquent a
autoridade superior quo, deeldira como for de lei.
Dos vagabundos
Art. 10. 0 vagabundo od individuo sem occupa-
*o seri condeumnado :a 60 dias de prisno; na rein
cidencia a penn seri dupla.
Art. 20. 0 vagabundo on individuo sern occupa-
cIo serA coagido a trabalhar nas obras, e services
da municipalidade, percebendo o sala:io nunca su-
perior a 500 r6is diaries que serao applieados em
alimento e roupa, restituindo Ihe a Camara o ex-
cedente completada a pena.
Art. 3o. Compete as cameras municipaes, a se-
guranaq dos vagabundos e ao tribunal de policia
a classifieaVio de vagabundagem.
Da1pelicia rural
Art. 1. A policia rural seri composta de coin-
missarios pages pelas cameras municipaes e por
ellas nomeados e de guardas particulares corn a de-
nominaCao de-guardas campestres particulares.
Art. 20. Cadan municipio sera dividido em 8 ou
10 commissariados, a arbitrio das cameras muni-
cipaes, percebendo cada commissario.205 mensaes.
Art. 30. Os commnmissarios das propriedades dis-
tantes 4 kilumptros do tribuiial, sc-rao obrigados a
residir nas s6des dos tribunu:s; receberlo 40U
mensaes.
Art. 40. Comp-te aos coinmissarios de policia :
10. Receber dos gu:rdas camnpestres tolos os
individuos que forerm encontrados em conrraven
91o ou vagabundagem; ouvir as testemunhas pr6
ou contra si as houver, lavrar de tudo um termo e
envial-os ao tribunal de policia.
S. o. Receber dos guards campestres uo inmcz
de agosto de cada anno, mappas detalhados dos
inimaes existentes nas propriedades ein qne sao
guards e sujeitos a contribuigao; reinettel-os a
Camara Municipal ate o dia 5 de setembro, sob
pena de 19A de multa nao justificando ter sido a
falta commettida por qualquer um dos guards
de sua circumscripqao.
30. A comparecer quatro vezes por anno em
sessilo da Camara, afim de expor o estado policial
da lavoura de sua eircumscripaeo sob pena de 101
de multa c demissio da reincidencia competindo
ao secrotario da Camara o notifical-o.
40. Fazer prounder aos contraventores contu-
mazes e envial-vs A autoridade policial acompa-
uhados las peas comprovatorias dcs processes.
5o. Requisitar da policih civil for"a, no caso
de resistencia dos contraventores.
Art. 50. No caso do contraventor nao odor al -
cinnar a audiencia do tribunal de polieia, a re-
mesas sera feita a autoridade policial mais~proxiina
que o pori em seguranna e o fari chegar ao tribu-
nal corn os competentes documentos.
Art. 6o. E' expressamente prohibido ao com-
missario por em liberdade qualquer contraventor
sob penn de 20$ de multa e demissao.
Art. 7o.'Os processes summaries fieamrn isento
de custas c sellos.
Para occorrer as despezas corn o commissario de
policia ficam pertencendo as cameras municipaes,
as multas das contravenes de policia ; as mul-
tas sobre o forte de armas prohibidas; cre-
ar se-ha mais os impostos seguintes ; 500 reis pjr
cao que caiar animaes damninhos, 11000 por cao
de luxo, gnaida etc., 14000 por cavallo de sells,
500r6is por animal de carga : 200 r6is por boi de
trabalho, 59000 por licen"a de eaga.
Dos guards campestres
Ar. 10 Os guards campestris dos particulars
eso encarregados do procurar (cada um naproprie
dade onde 6 guarda) as contravencoes de policia
que causaruin damno As propriedadas rurames: pars
constar per esaripto ou verbalmernente dos commis-
sarioa do policia der suna cnrcunscripq'o a natureza,
as eircumstancias o tempo, o lug'ir da sontravcn-
cao, assim corno as provas ou indicios que tiverein
obtido,
Art, 20 Seguirmo as cousas furtadas ate os lu-
gares onde form dipositadas e as faro em sepues
tro.
Art. 30 Prendordo e eouduzirdo perante os comn-
missarios de policia todos os individuos apanhados
em flagraute dehlcto dc contravenado.
Art. 4' Denunciari.o aos commissario os crimes
e pedirdo a forqa public no caso de resistecemn
dos contraventores.
Art. 5o Todo guarda sera obrigalo a unar urna
ehapa cm o distico do muaicipio o ter por aman
um facto.
Art. 6o Dclaracao do guards em material do pa-
liaia-quer por escripto quer verbal fara f6 perante
o tribunal ate provar em contrario, essa prova so
poderi ser dada por dune testemunhas de vista jn-
ramentadas e a arbitrio do tribunal.


Art. 7o Todo guards campestre que for en-
contrado em contraveneo ou que traficar corn con
traventores, seri summariamente eondemnad) em
trinta dias de pri.Ao e demittido.
Art 8o Tolo guard seri obrigado a apresentar
ao commissario de sua cireumscripglo no fim de
agosto de cada anno, um mappa detalhado dos ani-
mass existentes na propriedade em que 6 guard
e sujeitos a eontribuigo : a emissAo em qualquer
um dos casos sujeitarA o guarda a 205 do multi,
na reincidencia sera riscado do namoro dos gaar-
das.
Art. 90 Nenhum individuo serm aceito guards
serm que presented 10, certidlo de baptism, filia-
c-o etc., 20, certidao do subdelogado do district
onde reside qu pr)ve ser elle de o oa vi :a.e costu-
mos, residir no mnunieipio por mais de ann.) e nl
pezar sobre clle culpabilididade alguma.
Art. 10. A appresentaqao do gurda sera feita
ao juiz municipal c)in recurso pars o juiz de di-
reito
Art. 11. Todo guards campestes que prender
emn fligrante, n.umn ladri'o de animal cavallsr ou vac-
cumr polo qual tenha seu donor page o devido im-
p3sto, receberi da caman municipal ende se der
a prisAo, a gratificagao de 30A.
Art. ultimno. A policia raral 6 exciasivamrnente
di c.!npeteneia dab c:namrab municipies.

quipapa
Agsradeeimaeato
0 abaixo assign lo, grato em extremo
ao lhin. Sr. Dr *Joio Maria Seve, nmedico
parteiro, pela promnptidao vdesvelo qu&e io-
pregon parm silvar no diai 25 do aiez pus
s:mdo, a vida ile sun exposa, c que conie-
gui, .--.u plh) presented ,lir este public -o
tostimlnualho de subinloaprepoein que tein ao
roforido (distiu-to clinic, p-'dia.io-lhe des-
C;ulps por offender a sun proverbial inodes-
tia, trazcndo esto tfacto ao conheciuento ilo
puble'ico.
0 nosso reconhecimento sora c-terno pra
coun a illustradlo Sr. Dr. Joao M:aria Sovo.
Quipapa, 20 deo janeiro de 1885.
Sebastbao Tavares de OliHveira BranltM,.


CO ssim em Bezerros
Os moradores debate 20. district da cidade de
Bozerros, vesm can toda reverencia e respeito so-
liitar do Rvm. adigno frei Venancio, prefeito do
aowmnto ide Nowe S mhora da Penha do Recife, a
asu-interfenfeia-peara quo seja bevada A effeito
nma ida qpe asdasumiaito tempo lies trabalba a
Bena4jioi-aoa. ds outr'ora pelos mreligieose
ca~etuhos. w ~ mciie
eaidia,. da-.aquiloatruido um emite-.



uRsA o i c~upMhu qua vier.

-a la 9Wa s corpos- doe, catho-


o, nwradares S^Jfimm ..
Recife, 24 de juneiro de 1885.
Celestiua Monteiro da Silva Marthta -f."va de
Jose Martinis Monteiro, moradora a m4v Awaum- -
pcao n. 56, pedo um soccorro -do aa'a t .)e "-
sos Srs negociamites, empregados pnblitm-. pa
eoadjuvacao de urema casa para morar eounseisT
Ihos, sua m-i e urma irma, me acho deep la da
cia peio Sr. Joaquun Beltrdo FIho, que 6v fia-
dor e principal pagador ha quatro annos qae cote
Sr. me fL&z esta caridade c n-o podendo mais fa-
zoer esta esm-Ia por ter grande familiar deixa de ser
fiador c nao concorre mais corn os aluguei da casa
Tendo -idocitada quatro vezes para sahir da casa.
por todo e-te mez do contrario irei para o meio
da run corn as minhas crazes u os cuacos, espero
encarecidamente ser attendido pelos Srs. a quem
eu faco este pedido e que tenham comraixao dc.ta
pobre desvalida corn seis filhos infelizes sem ter
um recurso para sua morada.
Celestina Maria da Silva Martha.






Compaalkia de Trllh4I Urban..
do Recife a Olinda e Bebe-
ribe.
(BILHETES FALSOS)
Tendo sido apprehendidos bilheteosa. falsos
dc la e 2a classes em circulaoo nesta comn-
panhia, e havendo noticia de que f6ra de
suas estagoes e dos seus trens tom sido
realisados trocos o veudas desses bilhetes,
de uso exclusivo do seu serving; aviso aos
Srs. passageiros em particular, e ao publi-
co em geral, quo a eircula9o de nossos bi-
lhetes dove ser luinitada ho nosso trafiego ;
que a companhia nAto estA obrigada a acei-
tar bilhetes na-o einittidos nas suas esta-
ges ou trens, coahecidos por signaes ca-
racteristicos; e que os bilhetes falsos que
agora appareceram, se distinguem pplas
seguiutes differenas :
0 fund colorido dos bilhetes verdadei-
ros nao 6 uniform, notarn-se ahi pequenos
pontos brancos desordenadamente espalha-
dos; ao pass que osse fund 6 plenainan-
te igual nos bilhetes falsos ; sondo differen-
t3 o pi pel de impressao do uns e outros.
No bilhete false de 1a classes notat-fe
as seguintes differengas mais caracteristi-
cos cm relagao aos verdadeiros: a letrai m
da palavra media 6 mais aberta, curta, e
espontada, send as linhas de ormato
das pernas da letra rmais espanadas. No
monogrammrna quo occupa a parts central
do bilhete, a letra o 6 menos incorpada,
send que o tra9o honrisontal do t e mais
grosso, mais regular e limpo, acabando dif-
ferontemente ea pontas rambudas. Os
pontos no geral sao menos regulars a
iguaes, send as letras que os preaedema
mais delgadas.
Nos bilhetes falsos de 2a elasse, dos
quaes duas sao as estampas falsas, notan-
do-so em relaqio aos verdadeiros as se-
guintes differengas main visiveis A gra-
vura 6 today muito mais roal fe'ta. 0 :Ie-
treiro CT U R 0 B 6 mais baixo c mais
delgado, faltando em alguns a saliencia
que temn os verdadeiros, como enfeite na
letra C desse letreiro. A letra m da pa-
lavra media e a letra p da palavra passa-
gem sao mais delgadas e menos brancas.
Os pontos sao tambem todos differepos,
mrenos pronunciados e mnais irregulares.
Sondo que o monogrammo quo em'aiaa o
bilhete 6 era todas as suns parts mais
acanhado e delgado.
Fazendo semelliante aviso, e meu fima
prevenir daploraveis enganoas, pois de as-
cordo coma a lei, sera preso em flagrmnte
todo o individuo que, nos tr-ns ou estates
da companhia, pretender passar takes bi-
lhetes.
Em urn quadro fixado no vestibule dag
estaoes da rua da Aurora, existed afixa-
dos pars o exame do public, tacos do, bi-
lhetes frlsos e dos verdadeiros.
Escriptorio da Companhia, 22 de janeiro
de 1885.
0 gerente,
A. Pereira Simr8es.


Programima da festa

do milagroso Santo

Aminaro das Salinas
Sabbado 24 do corrente, a( meio dia,
subirA ao ar grande quantidade de gyran-
dolas de fogo. A's 6 112 horas da tarde sa-
birdo outras tantas. A's 7 -horas da noite
entraraii o ultimo dia de novenas que tern
side bastante concorridas e apreciada a or-
chestra de boas vozes, e pianist que bemrn
temrn desempenhado e aprociado tambeinm a
boa ordem que tern havido nos a-tos e no
toenple.
Domingo, 25, ao romper da aurora, umna
sdlva real e gran-le quantidade de gy,'an-
dolas de fogo annuunci-a m- aos devotes e
idevotas do inilagroso Santo Amauro, qua e
o din dc su;i fusta. A's 11 Ihoia. da mILt-
hii, entrarA a festa i solenii o.:--iip:i-nl, a
tribuuit sagr-ida o virtuoso e bi, conho.i-
do pregador, o Lihn. c R.vImi. SiN. conego
Antcmio EuI.tjiiL .i Alves d: Siviva. A !'.;3-
sa sera a d) in- ci.mstro portuguaez Smutos Pin-
to, polos priineiros c ntor,'o; o cmntar-se-ha
n.mi entraJaa dlo st-rinmAo a Ave Moari. ,lo
muaeostro Carlo.s Gouaot -,b ai r-gencia do
ihabil prot'sssor Lydio Olivir.a. A's 4
horas da tarde teri4 priucipio os divcrti-
mentos no'grande largo da igreja, as civa-
lhadas, seudo corridas pelos primeiros ca-
vallciros conliecidos nesse divertimu-3nto.
A's 6 horasi da tarde tord principio o diver- -
timenoto gy-nnastieo pelos curiosos da so-
ciedada gyumnastica Novo Recreio d'Arte
- sob a direcgao do Sr. Alfredo Fe .p
da Silva Lorega, dosempenhando-se 0 '
guintes trabalhos: barra fixa, traaspolim,
trapesio, saltos mortaes, inftrmedianJo-e -
por a:u espirituoso palhago.
A's 7 hIoras da noite eatrari a hlaaiaha
corn toda a solemaidode. Findo o actor
smri tirade do uastir6o o estandtrte do .
mailagroao santo, por luouaSa, e 0ndueido
.e stregue a Exraa. juiza a festa .
ra, depoie de q absdo o rnwo ao,,_ ,


r. -.








h-
--I::;'=.' =': I-Mr.


,n -,
-."-




0.'-
. ->


LA


I I





















sSItd japeiro do 1885.
0 oserivlO,
31. D. da Bwila.


Ikespsla para as yayas
4. ... g rad"es
a pequenas tambern. A temperature da superficie
S da cab .mtern muito que ve r com a abundaneia e
S noeura da eabelladura qne a cobre. Se a trans-
.. p ? do crane se chega urma vez interromper
aada pars as materials despedidas do systems
s e erra parcialmente, e as consequencias inevita-
veiY recahem sobre o cabello. Torna-se secco, arl-
do, perde suea c6r e cahe. Paras impedir tio grande
mal, dO-se torn a cuticula e as raizes das fibras
corn o Tonieo Oriental.
Tern a virtude de produir urma circulacao livre
nos vasos secretorios superficiaes, e habilita aos
bulbos a secretary substancias sans pars a form.a-
$o das fibras do cabello. 0 Tonico Oriental consis-
te inteiramente de ingredients vegetaes, e imp-r-
te um rico brilho, vigor especial ao cabello, pois
alo ha nem exists outra preparasio que lhe possa
fazer frente-6 serm ignal.

Programma da festa de Nossa

Senhorado Born Successo dos

Navegantes, que se venera na

igreja do Pilar.
No dia 23 do corrente, sexta-feira, pelas
7 horas da noite, serA levantada a ban-
deira da Excelsa Padroeira da igreja para
o mastro carregada por meninas e acom-
panhada pela musical martial do Corpo de
Policia, e na vespera, sabbado 24, ao
meio dia havera urma salva e em seguida
tocarA a music algumas peas do costu-
me; a noite haverA ladainha e no fim to-
card a mesma music.
No domingo, 25, As 5 horas da manh,l
haverA urma miss resada, tocando no fim
a mcsma music, finalisando corn urna sal-
va; As 11 horas, entrara a missa solemn
sendo orador no Evangelho e no Te-Dewum,
o pregador da Capella Imperial Fr. Au-
gusto da Immaculada Conceigo Alves.
A tarde tocara a music e nos interval
los subirao dos ares alguns bales; a note
entrara o Te-Deun, no fim serA arriada a
bandeira da Excelsa Padroeira, do mnastro
para a igreja, finalisanda o acto corn umi
fogo de artificio, e pede se per obsequio a
todos os moradores para que illuminem a
frente de suas casas, afirn de abrilhantar
mais a festividade.


Ao public
Achando-me desempregado, sem mcios
de subsistencia, e onerado de familiar, pelo
que vejo-me obrigado a incommnnodar paren-
tes, amigos e conhecidos, em grande esca-
la, quasi que diariamente, para n?,o descer
a praticar actos illicitos quo a moral e os
bonds costumes altamente roprovam; b por
nao dever continuar per rmais tempo a in-
commodal os, quandlo disponho de algum cna-
bedallitterario, que me p6do auxiliar d( al-
gums forms; venho hojc do alto da impren-
sa pedir e rogar ao distinct corpo commer-
cial d'esta provincia, ao illustrado furo do
Recife, e a digna classes dos fuaccionarios
publicos, a protecao que sabem dispensar
aos que os procaramn; afin de poder publi-
car n'esta cidade, em alguma de suas typo-
graphias, uma comcdia de minlia lavra, sob
o titulo de- ( Um Engano Conjugal.
Dirigir-me-ihei pessoalmcnte, ou por car-
ta, a diversos negociantes dcsta praya,
empregados do fOro, e funecintie-ios pu-
blicos, pedindo lhes sua digna coadjuva;io.
no sentido de contribuirem com a pequeuna
importancia do unm roil reis, pra uria as-
signatura ; afim de corn algumas fazer face
As despezas da impressflo, quo sera sim-
ples.
Assim tenha obtido number do assagna-
turas sufficientes, que cubra o quantitative
da ediao, suspenderei o alvitre aqui to-
rnado, e proseguirci na distriLuigao do
exemplares par diversas classes e pessoas,
*a vista d'elles.
^' Aquelles a quern tiver a hears do deri-
gir-me pedindo-lhes assignaturas adianta-
; damente, para o fim acima dito, terao di-
roito, cads urn, A um exemplar, e se qui-


zerem a dons (sem indemnisagao do se-
gundo) ; e em prova de -muita gratido
considerag.o, publicarei no fim da mesma
comedia, a exemplo de outros, os respei-
taveis nomes dos bemfeitores de sua pu-
blicato, em listsa alphabetical.
Recorro A este meio de publieagAo per
nio poder dispor de outro.
Em quanto disposer de exemplares de


COIIERCIO
p*" a do Recife, 20 de Janeiro
do IMS8
S : As tree horas da tarde
SCotaaie officiaes
Apolices provinciaes deo 7 0/0 e valor de 1:000J,
.ao prego de 1:0121 cadsa urnma.
4Jgodlo do sertdo, la sort, 854A0 por 15 kilos.
Dito de dito median, 71400 por 15 kilos.
Dito de dito 2a sort, 6A400 por 15 kilos.
Algodb do Rio Orande do Norte, Ia sort, 8;200
S lpor 15 kilos.
Idem idem do sertio, la sort, 8400 por 15 kilos.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 3/8 d. per 11,
particular.
Na hwra da bolsa
%,** Vienderam-so
31 8 apolioaf provinciaesl.
A. Leonardo Rodrigues,
President.
IL J.daMobtta

B M DIMMlNTOS PUBLICOS.-
Sdo: ima0ir do .18%5
Bt.^l ^ft*^ !^Is 2 &A% 1-%: ?


~M i~ i~r&(I* bai .1
to 9 Mens *sance pp4. -As dijtiaotas CUAWSe
Cque qnM dued .... d hes en
miaha gratidao.
A' primeira em 1880, dediqaei uresa e-
media de minha produce ob o titulo do
- Urnas Patuscada, cm prova do conside-
ramo e estima.
A'segunda, perteneo ainda como siam-
ples escrevente que tenho sido de carto-
rios e advogados.
A' terceira, pertenci (e d'ella tenho a
mais saudosa reeordaao), como 3. es-
cripturario, no meio 'dos meus distinctos
cx-companheiros do Thesouro Provincial,
d'onde sahi, pedindo exonerayio, por urna
entao loueura, em 1875.
Tudo tenho a espererar dos hiomens do
bemrn, dos distinctos cavalheiros que com-
p.em as trees dignas classes a que me di-
rijo.
Recife, 22 de janeiro de 1885.
Antonio [Ignacio de Torres Bandeira.

Irniandade de Nossa Senhora
da Saude
DO
Poo-da Panella
A mesa regedora da irmandade de Nossa Se-
nhora da Saude, erecta em sua igreja no Poeo da
Panella, nAio tendo obtido a lieena. que requereu
a S. Exe. o Sr. D. Jose, para eelebrar a fe-ta de
sun padroeira no proximno dia 2 de fevereiro, fa;
sciente aos devotos da mesa Excelsa. Senlhora e
aos parochianos do Pogo da Panella, que a Inesa
gerai da irmandade, convocada para t ,mar conihe-
cimento da decisao de S. Exc. Rvdma, resolve
que se obedecesse fielmnente as ordens de S. Exe.,
emanadas de legitimo superior, abrindo-se tao so-
mente o templo para os que quizerein fazer suas
ora(6es, coe ino o permittio S. Eve. Rvdmia.
Declara mais a mesa rcgedora que, ainda emin
obediencia as do virtuoso prdado, fi rcsolvido
pela inesma mesa geral que se proclamiasse o si-
lencio da igreja, at6 quando S. Exc. -Rvdma. en-
tender convenieute pernittir a cciebrai.o dos c-
tos de nossa santa religiiio.
Secretaria da irmnandade de Noasa Senhora da.t
Saude do Pou.o da Panella, 21 de janeiro de 1885.
0 seeretario,
J. Borges.

Aula particular de priSmelr'as
lettras
Antonio Cesario Moreira Diats Junior tern aber-
to, ruan das Nymrphas n. 2, ruara ula de primei-
ras lettras que cou aoirai a funceionar no dia 8 do
mnez de janciro vltdouro.

Seninario episcopal de Olinda e
Collegio Diocesano
A coinegar do dia 1 dc ft vereiro proxiinn, es-
tarni abort. a inatricula do cuiso superior do Se-
miinario de Olinda e a dlo de preparatorios doCul
legio Diocesano; as aulas, porom s6 comearoly a
funecionar no dia 3.
As disciplinas de que consta o curse de precpa-
ratorios. inclusive a aula primnaria, sio :
Portuguez, latin, tfraucez, inglez, gerraphiii,
historic, arithmnetica, geooietria, philbsopihia, rhl-
torisa c intusica.
Recebem-se pensionistas e oxtcrnos. No scra'o
admittidqs A priineira inatricula alurnnos peusio-
nistas maiores de 14 annos, excepto se vicrem de
termninadamente para a carreir-a ecelesiastica.
A pension destes, 6 de3504000 pelo anno lectiwvo
(10 mezes), pagos ta(iantaimente ein duis prestai-
goes de 175,000 cada urea.
Dons irmaos paigrraro a annuiadulc na r;azo d,
30,000 per minez, cada uin;, senido tries, uin dells
pagara inetade da pensioio mensal de 35(000-; soen
do quatro, em sera gratil.
A joaa c do 50),000 per urea 6 vez, a qual di
dircito ao quo prescreve o prospecto do 1882, ex-
coptuando-so papel, pennas e in is.
Os externos natriculados no curse dc preparatro-
rios pagario adiantadamente a pensaio de 5000
par mez, os da aula prinaria, 35090.
Cada a!uanno deve ter no R,'cife ou n'osta ci-
dade dc Olinda, uan correspondent ou pessoa ido-
nea que sc respOnsabilise polospagaanentos do suas
mensahd:des, sern d que na', podera ser conserva-
do no estabelocimento, come dctermina oprospocto
de 1882.
Para infoaranScs e csclarecinaentos deverao os
interessados cntendor-so directainenat corn o reitor
do ostablIcianento.
Seminuario do Olinda, 19 de jaiiiro de 1885.
Couego Antonio A rcoverde de A. Cacalcao.e.


Colleglo


Sarso Mrimalo a o raatorilo
ISO Rutas da Imperatrlz 15
As aulas deste collegio achamn-se abertas
desdoe o dia 7 do corrente.
D'ora cm diante o curse primario acha-
se a cargo exclusive do director.
Este curse constara no maxino de O50
alumnnos entire interns, externos me incio-
pensionistas.
Recife, 16 de janeiro de 1885.
0 director,
Manoel C. Silva Braga

DESPACHOS DE EXPORTA(CAO
Em 21 1e janeiro de 1865
Para o exterior
Na baresa ingleza Victor, earregou :
Parsa Liverpool, J. H. Boxwell 500 saccas corn
34,076 kilos de algodlo.
Na bares normeguense Flake, carregou:
Parsa Liverpool, J. H. Boxwell 400 saccas corn
27,393 kilos de algodio.
Na bates noraeguense Boreas, carregou:
Para New-York, Julio & Irmlo 500 saccos corn
837,500 kilos de assuear nuAscavado
j Na bares ingleza S. Antonio, carregou:
;Para New-York, F. Casclo & Filho 500 saccos
oeem 37,500 kilos de assucar masoavado.
Na barsca americana Mary G. Reed, carre-
gou :
Para New-York, F. Casieo & Filho 1,000 sac-
coo corn 75,0'0 kilos die asstear mascavado.
= Na bares americana Benjamin, earregou:
Part New-York, Pohiman & C. 1,800 saccos
cor= 185,000 kilos de assucar mascavado.
a Na eseun dinabnarqueza Foussingal, car-
regon, <
Para Lisboa, EngenhoC sOAl 2,000 sacco conm
160,000 kilos de assucar masucavMo.
-Na bares. porlug aez Minho, carregou:
ParLisbo J.8. Lo & Fitlho .6500 saees corn
37,500 kilos de sear brano o e 1,000 ditos eom
7W.OW0 ditos de dito tWscavado.


I S


seaf pry wsj petffsm PmwpsuuHPu wma wi~yv
boa hygien. da nova esaa todaff as condi9oe5 ex4
giveis do urn estabelecimeinto* de educaco su-
perior.
Ceutiua a aceitar alumoa interncE, meio-
pensionistas e externos, amswiL ,eiQ o0atin
coe o curo do f-rWa ab"an to tods as ma,-
teras para os exames ofcias de fevereiro, d
accord corn o programmsa do Em.. Sr. minisfro
do imperio.



Dr. b GNeS & '

edlee o operader
SRua do Barlo da Victoria, antiga
rua Nova n. 37, 1 andar
S Onde pode ser procumrado qual-
quer hora do dia e da noite. C- oe )
das 10 ao meio disa. Reeebe owmado*
per eseripto e parsa f6ra da capital. Deo
dica-se corn especialidsde ao estudo de
Sfebres, molestias de peito e afftocoe, sj-
philiticas de ambos os sexos.
SAPPARELHO TELEPUDtIGO is. 1563.




Eseola partlklar
Rua Vidaltdie Nevegr" RU 99
Maria do Carmo Rodrigues de Almeida, faz
sciente aos pais do suas alumas e ao respeitavel
pablico, que sua aula acha.se aberta, no dia 7 de
janeiro proximo vindottro o ensino consta de pri-
ineiras lettras, traballos de aguiha de differentcs
qualidades, flores, musieai e piano: recebo algumas
nluimnas internal. -

AuIla partieular para meninas
Vidali de Negreiir wn. 1
Carolina Leopoldina Coelho de Araujo, particapa
:ss pais de familiar qie de fcvereiro ea diante
cstari-A abertia su.a asila particular para meninas, Ai
rai Vidal de Negreir- tpateo do Tcrso) n. 12,
1 anadar, onide a inesma loccionara primeiras let-
tris, trancez, pia-mo e diversos trabahos de agalha.

Dr. Bettencourt-
Sirmrgia: estreitamcntos da urethra e do recto
criralos pela lectrolyse sem dor ; fistulas;- tuno,-
res do utero. LIydroceles eem injecqao (cura ra-
dicarl). Embalsam.aimem-tos pelo process dc Su
equct. Ulceras. Afedicina :: nolestias do p-ito
e .!'a garganta. Syphilis, molestias venereas e da
p lie; affecuies do corwaQ'io. Rua do Marquez dei
Olinida n. 34, das 12 is 3'horas da tarde. Chama-
dos por escripto.


Inlernato Per amhucano
Estito abertas as aulas deete cellegio, sito A rua
do Hosoicio n. 55.

Dr. Cerqueira Leite

Redieo e operador
De volta de sua viaagemin A Europa onde frequen-
tou as hospitals de Paris, tendo feito um cursor es-
pecial de parts c moleistias de senhoras, (la. cmn
sultas to, seu anritigo c(mnsultorio A rua Duque (1e
Caxias n,. 48, do reio d(HiL As 2 hoeas.
Espeeialidade: molestias de erianqas e de se-
nhora s. "
Recebe eluamados por escripto on no sen consul
to io, ou em sBa residencia A rut do Barao de S.
Bi-ja n. 30O

OCULISTA
0 Dr. Barre'to Sampaio, medico
oculista ex-chefe do clinics do Dr. de We-
(ker, de votta do sua vaagom ao CcarA,
continue a dar consultas runa do ]rrao da
Victoria n. 45, segu-ndo andar, de 1 as 4
horas da tarde, excepto nos domingos e
dias santificados. Chaimados em scu con
saltorio ou em casa de sua residencia
rua do Riachuelo n. 17, canto da rua dos
Pires.


Inslituto Philomatico


33 RUA DO VISCO-DE
QUERQUE 33


DE ALBU-


O[troa ilninltrui 0riiia


DIRECTOR
I I1 E C T 0 R



Internato e externito
As aulas deste estabelrcimeuto de ins-
truc9iio e educaglo estario abertas do dia
7 do corrente em diante.
Para o Rio Grande do Sul, B. Oliveira & (. 341
barricas corn 34,181 kilos de assucar branco.
No vapor nacional M. de Caxias, carregou :
Para Bahia, P. Pinto & C. 10 barrio corn 1,600
litros de mel.

MOVIMENTO DO PORT
Navlos sahlids no dia 22
Bahia por escalas Vapor national ,Varquezde
Caxias, commandante Felippe Rodrigues da
Nova, carga various generous.
New-York lugar americanm y-arion Hill, capi-
tio F. W. Annstiong, carga assucar.
Liverpool-Barca noruegnense AAppia, capitio J.
Ovregaard, carga algodIo.
Maceid Vapor inglez Author, commandants J.
Chandler, carga various generous.
Guam-Barea norneguense Brilliants, capitao A.
Paulserg, em lastro.
Observages
Suspenderam do Laraarao port Maceid o lug
americano Matheu Baird, eapiitAo A. P. Porj,
em lastro.
Guarapes, bare sueca Margareta, eapito A.
Hablagren, em.lastro.
Niohouve entrada.
VAPOEE8 ES PARAJ)8


reaune tudo queotonifiea atifos or-
gaos, e reguis e augmen considera-
velmente as foras ou restitue ovigor eo
:Piureza do sangue empobredido, a cOr e a
tnergia do vital

CARNEe QUINA! Sao os dous unicos
elements que entram na composigio d'esate
poderoso reparad4or das forgas vitaes, d'es-
te fortificanto por excellencia. Excessiva-
meats agradavel no palladar, e o inimigo
figadal da ANEMIA e das Debilidades as
ConvalesceAuaa das enfermidades, das diar-
rheas e affecoes do estemago e dos intes-
tines.
Quando se emprega para recobrar o
petite, promover a digestso, reparar as
torgas, enriqueoer o robustecer o organis-
me e prevenir a anemia e as epidemias
originadas pelos calories, naIe ha bebida su-
perior ao vinho de quina Arand.
Encontra-se a venda nas pricipaes phar-
macias de Pernambuco.

COLLEGIO

D)OU S DE DEZEMBRO


(Rua do Iosple'o n.
Resultado dos e: ore officiaes
pelos ahlum s deste collegia
rnno do 1884.


53).
prestados
duraute o


R
1



k



























I:


Jitaa, idef ,:,
Irne-ro L4mf mni


ado.
4 *it.


Joib da Cost 2ibeiro, appovado plenareute.
iManoei4 dores Bros Beers. eawalcaute, a~ppro vadoa.
dire&d o M ou. da Ve ro, idem.
0tom3a~t~iUPoiesidew
Clewr Marti" Feamea, idg!e""**
Vaioel Ephisiode Queiros Monteiro, idem.
Irineu Erasmo P. Jutuea, idema
y o Narbal wPplona, idem.
Jo6 Marianmo Carneiro LeoI, approvado plena-
mente.
Victoriano Rigueira P. de Souza, idem.
Manol Gonalves Lima, approvado. '
Joaqainm Andr6 Bentzen, approvado plenamente.
Bernardo Sampaio, approvado corn distincci.
Da Alebra
SD. Maria Amelia Cavalcante, approvada corn dif-
!tineca.
SJoil da Costa Ribeiro, approvado.
Manoel da Cesta Ribeiro, idem.
Bernardo Sampaio. approvado plenamente.
bineu Erasmo P. Jutnuesa, approvado.
IRemumo
Approvados ecrm distincao 3
Approvados plenamente 54
Approvados 70
STotal 127
Reprovados 25.
Dtixo de mencionar nestsa listsa, por ignorar o
grAo& de approvacAo, o nome do Sr. Caetano Cor-
reia de Queiroz Monteiro que fez exame e foi bern
succedido em latim, inglez, geographia e arith-
metiea ; bemrn comeo do Sr. Laurentiao Antonio
Moreira de Azevedo que fez exanme de francez,
inglez, latim, arithmetic e rhetoric, mas cujo
resultodo nao me foi commuaicado.
Juntando o resultado dos exames do Sr. Caeta-
no Correia de Queiroz Monteiro ao resultado jA
conhecido temes :
Approvados 131
Destea 16 terminaram o cursor de preparatorios
e matrietrtaamni-se em diversas faculdades do iian-
perio.
Recife, collegio Dous de Dezembro, 9 de janei-
ro de 1885t
0 director,
Josd Bandeira de Mello.


F AHOA DEMIAOLHINAS
DIE
ca T TJT LR.

FINllFER & ROSSIINN

SOCIEDADE POR ACCOES


Unie represenlanIIte em
PERNAMBUCO

TfleBO. YTYST
2- LARGO- DO CORPO SANTO-2
Machine superior, systemas Singer e
Whrclcr & Wiloon.
AIPFAiUFEIV0A DAS
PREMIADAS EXI TODAS AS EXPOSI(OES


Port, gue
Attredo Mameliano de Castro Quintaes, approva-
do plenamente.
Jose Francisco Bandemra de Mello, approvado.
Jjaquirm Goncalve& Casceo, approvado plena-
mente.
Franeisco de Paula Gongalves Casealo, approvado.
Manoel Guilherme de Athayde, idenm.
Joio Xavier ( arneiro de Albuquerque, idem.
.Castor Atilaniao de Soaua Lacerda, idem.
Jose Populo de Mendonga Vasconcellos, approva-
do plenamneunte.
Paulino Augusto- Veloso Freire, approvado.
L3 curgo Pimentel de Albuquerque, idem.
Francisco de Basrro- Cavalcante, approvado ple-
namente.
Edgardo Cirne Lima, idein.
Joaquimn de Souza Leao, idem.
Marcos Spiridioni Stocoavitbh, idem.
Silvestre Dantas de A. Lin, idem.
Reprovados 3,.
Wbtaueem
Alfredo da Canha, Pereira- Brandio, approvado.
Francisco de Barros Cavalcante, idem.
Espiridieo Bauarque de Lima, approvado plena-
mente.
Fabio Rino, Fitho, idem.
Reprcvados 2.
Itma ex
jos6 Coelho da Silva, approvado.
Jranciseo de Puula Leiva Junior, approvado ple-
namente.
Gaspar Menezes de Drummond, idem.
Ayres Gam.a Filho, approvado.
Jos6 Nogueira de Souza Pilho, approvado plena-
mente.
Joao Olympiao Theodoro da Silva, idem.
Octaviano de Siqueir-a Cavaleante, idem.
Francisco de Paula Gozcalves Cascio, appro-
vado.
Thomaz Lins Cal-dis Junior, approvado plena-
mente.
Horacio H. Caraeiro, Leao, approvado.
Irineu Erasmo P. Jutuca, approvado plenamente.
Jose' Marianno Carneiro Leao, idem.
Reprovados -.3
Latin,
Joaquim Guedes C. "oudim Filho, approvado ple-
namente.
Octaviano de Siqaueira Cavalcante, approvado.
Braz Caraeire Lea, idem.
Francisco Gomes Parente Filho, approvado ple-
namente.
Thomaz Lins Caldas Fillho. idnm.
Espiridiaio Buarque de Lima, idem.
Manoel Epliisio de Queiroz M ntetro, approvado
corn distinccaio.
Fabio Rino Filho, approved plenamente.
Firmino Antonio de Souza Vianna, idem.
Lycurgo Nasbal PNamplona, idem.
Jos6 f Marianno Carneiro Leo, idem.
Epaminondas Leite Chermont, approvado.
Rhetoriet
Alfredo Mameliane de Castro Quintacs, appro-
vado.
Franciseo de Paula Leiva Junior, idem.
Gervasio Pires Fioravante Ferreira, approvado
plenanmente.
Jois de Carvalho Soares Brandao, approvado.
Theophilo Torquato de Araujo Saldanba, idem.
Joaquim Jose6 Correia de Araujo, idem.
Antonio Gitirana, idem.
Heraelio Gitirana, idem.
Jose Gitirana, approvado plenamente.
Luiz Augusto Cirneiro de Albuquerque, appro-
v.',lo.
Alif'ri'do A. Gainma, approvado prlen;nmi(nte.
C6i-tano Correia d,$ Quairz Motciro, approva'do.
Mi:mocIl Guilberie do Athayde, idem.
,his Candido Dias's, iderrl.
Uayimundo Cunia, idenm.
M3aioel Ephisio do Queiroz Molnteiro, iem.
Reprovados 4.
Geograpiain
Jo6. Nogtieira de couza Fillm, approvado plenaiv
amonte.
Fran'isco de Pa:ula Leiva Junior, approvado.
Luiz Jos6 Burlamachli Monteiro, idem.
Alfredo Dnmunmond, idem.
Antonio Miguel Noguemra de Souza, idem.
Arthur Cavalcante de Aibuquerque, idem.
Jolo Luiz dos Santos, ide-m.
Godofrede Muscoso da Veiga Pcssoa, idem.
Aristheu Pinhuiro de Mendonca, idem.
Julio Pires Ferreira Sobrinho, approvado plena-
monte.
Thomaz Lins Caldas Filho, idem.
Firrmnao Antonio de Souza Vianna, approvado.
Espiridiiio Buarque de Lima, approvado pilena-
mente.
Fablo Rino.Filho, approvado eom distinccao.
Horacio H. Carneiro Le.o, approvado.
Irinen Erastno P. Jutuca, approvado plenamente.
Victorianm Rigueira P. de Souza, idem.
Joaquim AndrO Bontren, idem.
Reprovados 7.
Wisteria
Joao da Costa Ribeiro, approvado.
Alfre Drummmro, idem.-
Manoel Goncslves Lrma, idem.
Manoel Policarpo Moreira de Asevodo, idem.
Lu.z Correia de Queiroz Barros Filho, approrado
plenamente.
Mancel Ephisio do Queiroz Monteiro, idem.


.za.


Ira.i
141a.


Wra.


-em ala mateia #h|a no5ins 5 e*
e e ea ,o a penaIir edewl
ils i6 tarde, ao equips. a teiAw !ten
dO s0m, Oten 8 ineosmnos direitoo a to a o esta-
dxauinectaiao o ereeio: isto pei or Wet q oan-
tio d4e240:."0
0& externos a6 te direito l s p iio *O eplica-
ros dao materias cnsatnad als no ue qiaequer
que enas sejam, pagando apenas nosaeto dama-
triute a taxa igual a queo pagain os alnmo no
Collegiordas artes.
OObi adanos internos devertuo Abvos.eta o en-
xovaltpmescripto no regimento interior e ter cor-
respondente na capital, para corn promptitao satis-
fazer- a pensiee outra qualquer despezas de quoe
tiver ela necessidade.
A's-pensecs serao patgas na secretary do insti-
tuto, por trimestres adiintados.
0 secretary.
0 apCedo o Tertulino o (QSo entla.
2.0 seecio.-Secretaria da Presidencia de
Pernambuco, em 20 do janeiro de 1886.-be or-
tde de r.. Emc. o Sr. president da provieiaf, e90
public que por portaria de hoje foiromeado o
cidadio Baldoino Amando Freire para e0rvir pro-
visoriamente offiio dtode 2o tabellio e annexo do
term de lraim,,e.
0 secretario,
JoEpso. Anudto de Albuquerque Marntaho.
0 capitido Joao Cuarolino do Nassvmento,
jniz de paz do 30 anno em exerciei> nes-
ta frewziao A de S. Jose do Reofe, em
virtu &de da i, etc.
Fa- saber que no dia 23 do correnfe,i4 ra do
do Viviro do Amuniz n. 8, pelas 10 horasedt ma-
nhi.i4, serio anrrematadosem praga public, 7Tanimaes
suinos os quaes-friam apprehendidos pelo &eal do
2 disiricto desta frcguezia, podendo os seas donos
compareecraun,.ql e pagando a multa Ihe seer o en-
tregues.
E para conedir mandci fazer o present pars
ser dtliiado nos; lugares do costume e pabfoeado
pela impress.
Dado c passado nesta treguezia de S. Jost do
Recife, aos 20 de jiameiro de 1885.
Eu Jose Goncalres de ue ,juizd pas, es-
vrevi.
Jt toq Carolinoe do Nascimento e

Faeuhkade de direito
De ordein do Exmi Sr. conselheir' director dleda-
roqiuo no dia 27-do corrente ciamearA a matricnla
par. as aulas prcparatorias, poadcra effectuar-se
A6to dia 9 d e-fevereiro (por ser o antecedente
domio) inudependente o despacho do mesmo
ExIrn. Sr. consea heiroa director.
Dest. ultima, data ein diate at6 o le deabril o
Frunno quo quizer- matieular-se devera jistificar
per gate a directoria os motives que o retardaram
naquelle acto.
Nenlium lumnopoe tlrA matricniar-se nasaulasa
de rhetoric o philosophia sem que exhiba r4ocu-
mento que prove td r aprendid) latirm e francez,
nem nade geographia.o e historia sem que mostre
saber o trancez..
N'as aulas de Iingnta-a matricula seri permit-
tida att o fim. de jilhh e todas as aulas- serlo
abertas no dia3 &de fevereiro proximo vindouro,
de conformidade com o aart. 16 do regulamento das
ulasa prep!ratoriasl sendo o respective borario o
seguinte :
Latim, doe 1 as. 3 hora, na 2a sala.
Franccz. das 2 aa- 3 naa 3 o sala.
Inglez, das-3as 4s, na Pa sal a
Geographia e historia).de 1 as 2, na D sal's.
Rhetoric e poeica, dais 2 A. 3, na I. salt.
Arithmetica e geoinetAa, de 1 s 2, naS sla.
Philosophia, (e aI.s-2w t 4a sela.
Secretaria dv dFhcnhide dc Direito d da ecife,
19 de janeiro de 1885;-0 secretariot
Josea, Hnorio B. das Mnlineaes.


IDECLARACOES
Irmaamtalein dawUialm a d r&eguezia
de &JAoM& do Recift-
De ordem do nosso iunao juaz convido a todos
s nosso inanaos a comnparcere.m na igroja MAitriz
do rs. Jitre pels& r horasi da tarde do dia 24n do
corrente afirn do encorpoaaada smacomapaVharem a
o. St.ramento en trasla daodo da igiejo do Nossa
Senhora do Tea'o paras. a sut respeotiva maatrid
par.ao aque tivemnos coprite da irmandade de SS.
1Sacramnento da rneaaa matriz.
Recife,. 21 do janemara 1'885
0' cesedvio.
Misjooa Iflmncaio A. cits Fonseca,.
Irusanidftde do 55. Skcramento da
inaftrt. tie S. d^ die mecife
A mesa rdgadora, covnida aos noases carissimos
irza~os para comparemttew n~a igrejik de Nossa Se-
vrorn do pilero sabbado 24 do corrathe pelas 4 1/2
oras dab tarde do referio dia, afim>.eencorporados
assistirorn a bencao iri Iinfmaculada Virgern da
(;oacei~ilo e a tra5Iadn9~Io do Santissimo Viatico
nara sua. ratri'i, vie. ter- S. Exc. Rvdana. dado
ordem. ao Rvd. vi~arie para. Ifvantar a interdict.)
10o mesmodia, scientuifcando maw s os fleis quo li;<-
ver& urn pequeno Te-Deiamao xeedher, eo~aiitaiiua-
do tambem a have zuistuas do i~au(oi.draaai.; ios dioi:~


santifieados2
Consistori n& i,-,r i'ti de Nossa Sulnhora do T,-r-
do 22 do-jaueir,-o -t". 1,S5
0 escrivLo iterino.
lic fle dori> fi bello.

ietIlseher Huelfsverein
General r Vrsanmalmig am 21 Januar 188.').
Abends 8 uhr imn Locale ties Clubs Coneordia
Fa gesordazung.
ReehmIumngsablage und Bericht
Neuvcahl des Ausshcbusses.
W. Reimers Schriftfuehrer.

LIistitiito KrIeol~oio a aflaora-

lco Porunhncan
Esta associai6o celebra o 23 anniversario de
sua ihstallaiao e o da restaurant o de Pernambu-
co do powder dos hollaudezes, no dia 27 do co'rente
a 1 horas da tarde, no edificio da Escola Modelo.
Slo pois convidados para semnelhante effeito em
assemble geral todos os Srs. socios honorarios,
effectivos e correspendentes, a-'soiiacoes itterarias
artisticas e de beneficencia, existentes n'eita cida-
de, authoridades nacionaes e estrangeiras, e (hefes
de repartigoes publicas.
Parsa conhecimento das pessoas quo tiverem de
ornar a scssao corn a sua palavra, se deelara que
antecipadamente deverlo dirigir-se ao 1 secreta-
rio, para esto providenciar na forms d) art. 28 dos
estatutos, -ultima, part.
A palavra serA. dada:
1. Aos membros do Institute.
2. Aos oradores das eommissoes present's.
3-. Pelaordem, da inseripgao, aos eavalheiros
que tiverem defallar.
Seeretaria do Intituto, 22 de janeiro de 1885.
P". seeretario
Joao Bptista Rtgdira Costa.

Banco do Brasil
Paga-se o 620 divldendo na rato de 9t000 por
acaAo; ns nua do Conumerioo n. 6, 1- audar-

Freguezia da Boo-
-Viat


tdoy
kcuom


T, lKoa
mdrido da frea


.


Arados, grades e outros instru-
menIos agnricolas
305 medalbas diplomas e m
*0 annos
Theo. Just

I--....Corpo Santo.-..17
PERNAMBUCO
Unidco agente do afamado fabricate
Sy3J. SAdG3 .
I'lagititz...Leipzig
lReferencias:
0 illm. Sr. Dr. Ignacio ue Barros Barreto, ge-
rente (I;t soiedade Auxiliadora da Agricultura.
0 Ilha. Sr. Dr. Ignacio -le Ilarros Barroto Fi-
Iho, noeuiigeiho do Meio, Vawzea.


EDBiTAES
0 Dr. Thamaz Garcez Paranhios Montene-
gro, coimmnendador da Imperial Ordem da
Rosa, jiz de direito especial do commer-
cio destac cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco, por S'aO Ma.
gestade o Impert.dor, a quem Dens
; (jtitsrd< <:c.
F' ot:, -b,'; r km- c '1iJo'r s ,o io t'ocui:tr. n;itrien-
Is ) o .to ,-. A:lti io P'i.It,. rp. -,a.s,,ttit: ii tililat
laaiui .- n:;:i v4 s :, Sixa ,. P l,, -rIt.'lcl; (iUlo
iucst cid6a1110, izla ',rlaiAte dI nt .;r;; i L epehlo
present., c lIr.l at (:ilall.iijS p..r I (* -. ..*;n .c persaniC rc liaz: n-,aa s3 a d4,s & .u1;iC.-JiSI, as. 12
horas d., dia 6 uti ft.trcairo i ro t!Proa !) la;!a, inll
de ob-,'var-se! c d.tr-sw int'iro ca i;npnio'nto ac-s
arts. 899 e 9)) do ,(.d credores de aqu na. sri.a:) .".diitt.ls pjr proeu
curador se que ete exhliba procarq2.o especial
a qual nao poderA ser conferida ai devedor do im-
petrante e que sera havido o credor quo nao com-
pareeer como adherents as resoluZos que tomar
a maioria dos quo compareceremn, comtanto que
paras ser valida a moratcria e necessario quo seja
coneedida por unm numezo d. credores que re-
presentem dous terqos de totalidade dos credits
dos credores sujeitos saos effeitos da moratoria.
E parsa que chegue so oonhecimento de todos
mandei passar tres deste theor que serito pu-
blicados pela imprensa e affixados nos lugares
publicos do costume, de que se juntarA- certidio
aos autos.
Dado e passado nestsa cidade do Recife de
Pernambuco, aos 21 dias do mez de janeiro de
1885.
Jos6 Franklin de Alencar Lima, subscrevo.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro.

Gymnasio Pernambucano
EM 20 DE JANEIRO DE 1885
Pela Se3retaria do Gymnasio Pernambucano se
declare aoe Srs. pais de familiar, e A quem mais
interesar possa, que a abertura solemn do curso
eieotfiwo e Utteraro tera lugar no dia 3 de feve-
reiro proximo vindouro, e desdej& se acha aberta
a iseripoo da matricula pars aquelles que pre-
edrem estadar as seguintes disciplines:
[i: national. i I




, .( -


,^fI~iE FRANCIAI8E

RMunion de tons

les franvais samedi 24
courant ia 8 heures du
soir a I'hotel de i'Eiro-


",:


SV,
'f.


Santo Antqnio, Manoel Severino da H. Martins.
Recife, Manoel Maria do Nascincnto.
Boa-Vista, Jose Maria da ConceicAo.
Livino Christiano Praxedes,
Secretario.
Imperial soeiedade
DOE
Artistas Mechanicos e
Liberaes
Distribulicio de premlos
Convido, de ordem do Sr. director, a todas as
pessoas que cancorreram cornm seus products a
.exposicao ultima, inaugurada no dia 18 do cornen-
to, na's dc desta socimdade, a comoarceerem do-
iningo 25 do corrente, As 6 1/2 horas da tarde, no
referido lugar, afim de receberem o premio que
Ihes foi conferido.
Secretaria da imperial sociedade dos Artistas
Mechanicos e Liberaes de Permiarmbjco, 22 do ja
neiro de 85.=0 1- secretario,
Francisco da Costa Ramos.

Sob.'. Loj.'. Allianca

Sess,'. Esp.'. de Ell.'.
De ord.- sup.- convoen a todos os nossos
CCh.-. --e RReap.-. ir.. a comparecerem a
seess. -. esp. -. de ell. para o anno social de
1885 a 1886 (Er. V.- .) qne tera luger domingo
25 do uadante, pelas 11 horas da manb, em sua,'
sade aovail. do Imper.. n. 14, terceire an-
dar.
Secret.-. 23 dejautiro de 1885 (Er.-. V.-.)
MoaUke 18.-.
Seer.-.


sik de Guerra
~.4swwurss rembs potap st$a. t
41, 25-ldo eermn, lpm+*


I la metro 17W
2k~22
Galbo dorado de um f io. idem 0,96
Gravatas del" de latro 129
Hollanda de forro, metros 160
Lengoo do chits 710
Meias de algodiba, pares 1,014
Man'as de 1. ciaentas 11
Panno azul para calgas de pragas, metros 429
Dito dito fino para fardas do sargento,
idem 15,84
Dito mescia nalvadio para capotes, idem 486
Sargelin frances, idem 10,50
Sapatns de couro, pares 8
Taanuseos, idein 68
I'revimc se que aIo serao tomadas em conaide-
raqao as p -opostas que nao forem foitas na frma
do art. 6 1 do regulameato de 19 de outubro de 1872
e'n duiplicata, o nm refercncia a un s6 Hrtigo, men-
cionando o noumic do proponute.t, indicaaio da casa
commercial, o prceo de cad.' artigo, os numerous e
marcas das amostras e deelaraiAo expressa de so
sujeitar a inulta de 5 oo caso recusw assignar o
contract, bern como as de quo tratam os arts. 87
e 88 do citado regulamento.
Secretnria do Arsenal de Guerra de Pcrnambu-
co, emi 19 do jmeiro de 1885.
Francisco Joaquim de Sousa,
Secretario.

Sociedade Recreativa Juventude
Soiree blmestral em 8 de
fevereiro
Scientific aos Srs. seeios, que esta soiree, prin-
cipiarA ats 7 horas da note.
Ingressos em mao do Sr. thesoureiro
RItecife, 20 de janeiro de 1885.
Manoel Bandeira Filho.
Seeretario.

ompflia Mla Teroza


pe.

Nclogag t ecroativa +ovomnod


.9.


Francisco IMnrtIns Ferreira
A presidencia desta s-ciedade, sentida pela
morte do seu prestimoso consocio effeetivo Fran-
cisco Martins Ferreiri. manda rcsar uina missa
por sua alma na igreja do Espirito Santo sexta-
feira 23 do eorrente, As 7 horas da minanbiA, setimo
dia de set passamento, paa cujo actor convida
todos os socios, parents e amigos do finado.
Recife, 21 de janeiro de 1885.
Minoel Bandeira Filho,
1. secreta'rin.
Tihesourarla de Fazenda die
Pernambuco
De ordein do llhin. Sr. inspector face public
que fie, prorogidula p:ura o dia 29 do corrents a
concurretnlci ao :irrlndamento) de uimn armazem
para deposit) d e g'.n.,ros iflLanmavwis, afimn de
que possium os couciirr,iites apresantar ac ompe
tented planta, (ldevendl) ser o dito armazemin iiteira-
monte isolado d'oitra e qidiaquor edificaqao.
Thfsouraria de Fazenda de Pcrnambuco, 20 de
janeiro do 1885.
0 secretario,
Lamz Emygdiu P. da Camara.
Imperial sociedade
DOS
Artistas Mechanieos e
Liberaes
ELEICAO
Para a elvi.o dos inemnbros da directoria do
corrents anno, fconvido, de ordem do Sr. 1
adjn'o ,'m cxereicio, a todes os seniors so-
cios effectivos que estivcrem nas condic,,es pres-
criptas nij) art. 51 dos estatutus, a so reunirem na
cede social dominhig 25 do eorrente. ais 10 horas
ia mnauih;, psra o fim a:imna indicado.
Segundo disp'c o art. 50 dos estatutos devia
ter lhig'ir esta sessio no dia 20 do eorreute, a qual,
;:oo se effeetnou cim consequencia Ca ssesao mIag-
ina do anniversario tcr sido 110 dia 18.
Scrctaria da i:np)cri:d sociedade dos Artistas
I'echanicos c Liberties eim Pernamuco, 20 de
janeiro de 1885.
Francisco da Costa Rainos,
10 secrctario.
IR)IAtNDADE
DE
Nossa Senihora da Luz
Do ordein d irmin.lo jaiz e de accordo corn o
compromisso que roege esta irmaidade, cnivido a
t dos os irinao, ex-juizes, ex-secretarios e ex-the-
*2-urciros pra se reun.rom emin nosso consistorio
u.) doningo 26 do correnite, :Is 11 hor-,4s da inainh.,
.1fim de escolhermos os irmA s emn que dcve reca-
hir a votaclo na proxima, eleic.l) que se ha de
proceder para os novos fainccionarios.
Secretaria da irmn-ndade de N. S. da Lnz, erac-
ta no convcnto do Carmo, 22 de Jianeiro de 85.
0 seeretario,
Ferreira Franqa.

Indeimnisadora
N.,o se tendo reumnido numero sufficient de ac-
cionistas desta Companhia qne pudesse constituir
a assemble geral convocada 19 do correute, de
Lovo convida se aos Srs. accionistas para o) dia 24
deste mez ao mncio dia no escripturi. da mesma
companphia.
0 fin da reuniAn e approva(io (los Estatutos re-
formados de conformidado corn a lei n. 3150 de 4
de novembro de 1882.
Recife, 20 de janeiro de 1885.
Os directors
Joaquim Alvs da Fonseca
Jose da Silva Lryo Junior
Antonio da Cunha Ferreira Bl;tar.
Irmandade
DE
N. S. do Born Parto. erecta na igreja
de N.V H. de Rtlia-mar
De ordem da mesa rege-dor', desta irmandade
lovo ao conheciment) de nossos iranaos que tendo
a assembled geral rosolvido mandar edificar as
catacumbas no cemiterio public, foramn noanea
dlas as comnmissoes para agenoiarem as esportulas
dos que quizerem ter o dir.ito a elas, passando o
devido documento,.quc ser.' massignado pela mcs-
Ia commissilo, compost dos irmnaos abaixo.
Freguezia de S. Jost, Livino Christiano Pra-
xedes.


Vi)linista Francelino Domingos
Pessoa


de Mourn


corn o concurso de alguns bons artists que gra-
ciosamente prestam-se a coadjuval-o.


Tiro ao alvo
Grand desafio centre amadores e peritos
atiradores nacionaes e estrangeiros
Domingo 25 do corrente
No largo do Carme, em Olinda,
ao lado do tivoly do
Braguinha
A tostao o tiro
0 premio sera cornm honras conferido ao ven-
.. cedor


lt&RITIIOS

CilARGEURS REUNIS
Companhla Franeeza de Navega
eao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis-
Doa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
Steamer
Ville de Rio deJaneiro
E'eomado da Euro-
paat o dia 26 do ja-
neiro, seguindo do-
i aindispensavel
Mo pars aMa-
Seme 081000116mt
boga-se a mo&L importadores do carga peki.
vetard do 6
dia,a estmtar I dd al5 eaga, qel-
"atawa t e t ,," '.."-r
ri ju L .o d '-m h l;. '* 4 p .^ L m A &a s V'


*W <^L J~rn-*o4N6W-Pfft-Nem
^^Ql^^1"27 do jaieWo
A~n~w^'^^^49^do doomser

Dahla e aie do Janeiro
Pelos vapores dests companhia dio-se pass-
gens para Liverpool ao preco de 200 dollars ; o
passagemro dweombarmaado em New-York tern ga-
rantin a passages p-an Liverpool quando Ihe ap,-
prouver por vapores dela ordem.an i


Para carga, paseagens, encoanmendu e
tracta-se comrn Oas


N. 8


AGENTS
Henry Forster & C.
- RUA ib UOcumjfIrtO --
1. -andar


valores


N. 8


Pacific Steam Navigation Comipan
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR
Magellan
S- -. Espera-se dos ports
do suat odia 2 de fe-
vrreiro, seguindo pars
a Europa depois da
demora do costume.

Fira carga, passagens, encommendas e dinheire
a frete; tracta-se comos
Consignatarios
WVilson Sons d4 C., Limited
N. 14- DO COMMERCIO N. 14


0 VAPOR
Araucania
Espera-se dos
rtos da auropa
antdo dia 15 de fe-
vereiro e seguirA
para os do sul e
do Pacifico depois
da demora do costume.


Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
o frete: tracta-se comnos
Consignatarios
Wilson Sons d& C., Limited
N. 14 -RUA DO COMMERCIO-N. 14

stro-H arla Lloyd's gSamlt

lyiatiB C.
0 VAPOR
ifemfi
BE' esperado de Trieste,
atW o di a do corrente e de-
Spois da demora necessaria
seguiri para a

Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens e encommendas tracta-se
corn os
AGENTS
Henry Forster & C.
RPUA DO COMMERCIO N.
1.- andar


Companhla Brasileira
ga4oe a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor


de Nave-


De abasteciiunto d'agna e luz a
cidade de 01inda

Polo regulamento da c ,mrpminhia estA estipulado:
I. Que quaesquer reclamaeC5es acerca do servi -
o90 public on particular, quer do forneciinento
d'agua, quo r relative A illumninacao, para serem
attendidas devcin scr fcitas Pou EscrIPTO, datadas
e assm'ia'las, dirigidas ao cscripturio da companhia
(ofticinas de gaz nos Milagres) diariamente.
II. Que slo re.ponsaveis por semelhantes recla-
mnacoe3 os seus sigqutarlws, no case em que as des-
pezas nao sejain da competencia da companhia
(camnalisagAto no solo das ruas por onde paseem os
enca mentos).
III. Que a compamlhia reserve para si o d reito
dc fechar a conmminicagdo do gaz ou agua a qual-
qucr casa ou estabelecimento, cujo DONO nao pa
gar corn promptid.1o suas contas de consumo, as
quacs deverao ser pagas em Olinda.
Publicando estes artigos para pleno conheci-
rmcinto edo public, aproveito a oportunidade para
declor : que qualquer conta de cousumo ou con-
car-to d'agua ou gaz s6 dove scr page mediante re
cibo c estando por mina rubricado.
SEscriptorio da companhia, 1 do janeiro de /1985.
A. P. Sihces,
Gcrente.

Escola Normal
De ordem do Dr. director faz-se public a queiam
interessar possa, que as matriculas deste curso
estaleo abertas desde o dia 15 do corrente ate 3
de fevereiro proximo.
Os prctendentes a matricula do 1 anno deve-
r.o instruir os seas requeriments coina cs docu
mentos seguintcs :
1 Ccertidio de idade miaior de 18 annos para
homes, e 16 par a enhor's.
2o Certidao do nao bayer soffrido coudemnagilo
por algum dos crimes que motivam a pcrda da
cadeira aos professors publicos.
3' Attestado de approvaliio em exam nas es-
cola:s publicas de instruceto primaria.
4 Attestado do minoralidade passado pelo res-
pectivo parocho, on, pelas autoridades policiaes e
littcrarias da frcguezia em que residir o peticio-
nario. Aquelles que nao poderem exhibir attes-
tadcs do, examc primario em alguma escola pu-
blica, deverao inserever-se parsa os exames de
admissu'o, que deveralo comeoar no dia 26 do coar-
rente, de conformidade corn as arts. 75 e 76 do
regimento intern de 17 de tctembro de 18o 0
Para as matriculas do 2- ou 3- anno basta ins-
truir o requerimento corn a certidAo da approva-
941o no exame do anno anterior.
Secretaria da Escola Normal do Recife, 7 de
janeiro de 1885.-0 secretario,
A. A. Gama.

THEATRE

S+ANTA 1SADEL


Em principio do mez vindouro, fevereiro, terA
lugar o
Concerto vocal e instrumental


dal ot


27


Me1 I t!wVm" madoo-
J lg ft M d mk4Mr
queJK4 9wwm a& 134

AgentetriMto
0 agent acima a mandado e presenoa do Exm.
Sr. Dr. juiz do dieito e da provedorma do capellas,
e a reqnerimento do inventariante das bens do
Jos6 Ferreira da Silva, vendera a casa terrea aci-
ma, comn 1 ports, e janella, 2 salas, 2 quartos, co-
ziniha fora, quintal murado, cacihnba meieira, Dme-
dindo I metro e 35 de largura c 13 metros e 40
de fundo, terreno de marina.
Sesta-fehira 23 do corrente
A's it horas em poeto
Rua do Rangel n. 41

Leilao
De moves lougas, espelhos e quadros

StM-fir, 23 o CiOM te
A's to0e / horas
A' rua larga do Rosario n. 14, 10 andar
De urma nobilia de junco, consoles com pedra, 3
espelhos, 12 cadeiras de guarniao, 2 ditas de bra-
cos, 2 de balance, 2 estufadas, 2 para quarto, 2
consoles, 1 sofai, 1 mesa elastic, 2 aparadores, 1
cama franceza, 1 marquezao, 1 guarda-louga, 1
rico lustre para gas carbonico, 8 porta-flores, 6
stageres, 1 porta-licor, 1 piramide para bules, 2
venezianas, diversas joias, lougas e mais moves.
0 agent Silveira devidamente autorisado leva-
rm A leilao os referidos moves.
Sexta-felra, *2 do eorrente
A's 10 e 112 horas
Leilao

JLDe 13 volumes com fazendas inglezas
Constando
De madapolaev, cobertores, chitas roxas, e de
cores, brings, cambraias victor e outras fazen-


das.
Sexta-feira 23 do corrente
A's 11 horas
POR INTERVENQAO DO AGENT
PINTO
No armazem da rua do Born Jesus n. 49

Leilao
De 1 grande espelho corn columns, eamar fran-
cezas, marquezas, guard lou"a, meza elastic, 2
mezas para escriptoriu, 2 secretaries, carteiras,
malas para viagem, bero, quartinheira, bancos
compridos para escilas, venezianas, cadeiras, con-
solos, cabides, lavatories, colheres para sops, ditas
para chi, louWas, videos, relogios de parede, livros
de direito, diversas obras de ouro e muitos outros
objects que serlo vendidos sem reserve de prego.
Sexta-feira, 25 do corrente
As 11 horae
No armazem da run do Born Jesus n. 51
POR INTERVEN9AO DO AGENT
Gusmiao

Agente Pestana

Leilao
Uma casa terrea sita a run de Lomas Valenti-
nas n. 90 e una part do engenho Jussara no va-
lor de 2:000. -
Sabbado 24 do eorente
AO MEIO DIA
No armazemn da rua do Vigario Tenorlo
n. 12
0 agent Pestana per autorisagao e assistcncia
do 1im. Sr. Dr. juiz de direito do civel, levari a
leilao o predio acima mencionado e a part do en-
genho Jussara pertencente ao acervo de D. Maria
Paulina da Silva Baptista.

Leilao
Dbe cofres Inglezes a prova de
fogo (novos)
Sabbado, 24 do corrente
A's It horas
Na porta do armazem do Sr. Annes,
no largo d'Alfandega
Pelo agent Martins

Agente Pestana

Leilao
De uma cexcellente casa terrea de pedra e cal
e urn grande sitio no lugar denominado Cumbe em
Beberibe tendo a casa 2 portas e 2 janellas de
frente e 2 portas e 2janellas nos oitues e 1 terraVo;
tendo a casa os seguintes commodos: 2 sallas, 5
quartos, cosinha f6ra9 grande sitio arborisado sen-
dor todas as arvores novas tendo o sitio, a frente e
um dos lados tode murado e outro lado murado atW
o meio, e o rest cercado; passando no fundo o rio
Beberibe, cujo sitio e casa pertence ao Sr. Va-
lenga.
Terca-feira, 27 do corrente
AO MEIO DIA
No armazem da rua do Vigario Tenorio
n. 12
0 agent Pestana competentemento autorisado
fara leilao da casa e sitio acima mencionados.
N. B. Para qualquer informaelo os Srs. pretend
dentes podem desde ji dirigir-se ao referido Agen-
to no nmencionado armazem.

Leilao
Ba refinaaeo da rma do Rangel
n. 43
Quarla-feira 28 de janeiro
A's 11 horas
0 agents Alfredo Guimariles antorisado peia
viuva e inventariante do finado Jose Fernandes
dos Santos Bastes, vcndera no dia acima mencio-
nado a refinaaLo e eous utencilios, contendo mais
de mil arrobas dc assucar em caroco e refinado,
cujo balance so acha cm mino do referido agente,
onde poderA ser examinado polos pretendentes.
Em continuacao venderi o memo agent dmffe-
rentes moves no 1 e 20 andares do memo pre-
dio.


Garante-se as chaves do estabelecimento.

AVIlS DIVEISOS

A Esta-ao


Compn donusm mmros d'esse journal
Ide nw uiiado Bo Rio ie Janeiro; slo
de S do oteo e 15 doe novembro do
A..a.. A tmr 'm WOO




+':" c~ d- m:^,a'- -" -'a-l -**"
'^ ^ .**' ** S :: ". .- "'" ..... "
i .++,i. "'*.rz .'-::+ ...1? x ^-: .-... + ..


y. x,,. ...a, a^a a i do
o amMiao pp_ fb ateie, em 21 d cor-
Mats, lmnd. por .wir.
Recfe, 22 dejamebe de 1886.M
ortins & C.


Piano forte
Vende-Ai urn piano torte; A tratar na rua do
Barlo da V ictoria n. 5.
Aluga. so a loja coin dons quartos A rua en-
treita do Rosario n. 38, e a casa n. 30 da rua do
Amnorim6; tratar na rna do Pilar n. 56.
Na Travessa do Calabouqo n. 2, vende-se
ama machina media do autor Singer.
Passo & C., declarain qu o Sr. Josa6 Ferrei-
ra da Luz deixou do ser sen cinpregado desde o
dia 31 de dezembro, c que n'Io se responsabilisain
por dividas feitas pelo inesmo senior.
Precisa-se de uin caixeiro que tenlia pratica
de molhados; A tratar na run Imperial n. 128.

Ama
Aluga-se uma boa cosinheira ; a tratar na run
do Cabug& n. 16, cegundo andar.
Ama
Precisa-se de uma boa cosinheira que d6 fianka
de sua condacta; A tratar na rua d'Apollo n. 36
armazem.

Ama
Precisa-se de uma, que cosinhe e engomme corn
perfeico para casa de famihia de duas pessoas;
A tratar na rua do Barao da Victoria n. 7, segun-
do andar.

Engommadeira
Precisae se de uma engommadeira A rua Duque
do Caxias n. 86.

t 1


a


Clara Breckenfeld Vieira
da Slkva
Terceiro annivcrsario
Christova'o Breckenfeld Vieira da Silv., o Jos6
Maria Breckenfeld Vieira da Silva convidam seus
pareittes e amigos para assistirem a missa que
serA celebrada na igreja do Espirito Santo, no
dia 24 do corrente, as 7 horas da mania, por alma
de sua saudosa mai Clara Breckenfold Vieira da
Silva. Agradecein ao quo so dignarem de com-
parece'.,

Silio e casas
Aluga-se urn sitio corn casa, tendo bastantes
commodos para familiar, na rua das Crioulas nu-
mero 59.
Urma casa na run da Ventura n. 4, corn 2 salas,
3 quartos, cosinha e cacimba.
Outra propria para taverna, corn armacao, na
mesa rua n. 31.
Outra par& familiar, n. 35, na mesma rua ; todas
na Capunga : a tratar na pra da Independencia
numerous 2 a 8,
Fabrica de cigarros a

vapor arua da Impe-

ratriz
Os proprietaries deste estabelecimento fazem
sciente ao respeitavel corpo commercial, que em
31 de dezembro proximo passado dissolveram ami-
gavelmente a sociedade que tinham na dita fabri-
ca, sob a firm de Bourgard & C., retirando-se os
socios Jos6 Leopoldo Bourgard e Jos6 Antonio
dos Santos, pagos e satisfeitos de seu capital, fi-
eando o active e passive a cargo do socio Pedro
de Alcantara Borja e Castro, que continue comao
o unico proprietario do mencionado estabelecimen-
to, sob a firma de Pedro de Alcantara Boria e
Castro. Recife, 31 de dezembro de 1884.
Jose Leopoldo Bourgard.
Jos6 Antonio dos Santos.
Pedro de Alcantara Rorja e Castro

Lboia dOEMida coitro commr-

(Mnil
cial i ra do Maruez do

01ai. aN,1
Os proprietaries deste estabelecimento fazem
sciente ao respeitavel corpo commercial, que em
31 du dezembro do anno proximo passado dissol-
veram amigavelmente a sociedade que tinham em
dita loja sob a firma de Bourgard & C., retiran.
do-se o socio Jos6 Leopoldo Bourgard pago e sa-
tisfeito de seu capital, ficando a cargo do socio
Jos6 Antonio dos Santos o active e passive de dito
estabelecimento. que continuara sob a razio de
Jos6 Antonio dos Santos, successor de Bourgard
& C., e unico proprietario do mesmo estabeleci-
monte. Recife, 31 de dezembro de 1884.
Jos6 Leopoldo Bourgard.
Jos6 Antonio dos Santos.

Aviso
Amancio Jos6 de Fontes Braga polo present
vem declarar sos senhores proprietarios a quem
passou diversas cartas de flanua, que da present
data em diante niLo mais responsavel pelos res-
pectivos atrasados dos mesmos afianados, e s6
pelos atrasos atW esta data. Recife, 22 de janeiro
de 1885.
Aluga-se o sobrado da run de Antonio Car-
neiro (antiga run Velha) n. 75, corn commodos
para anmilia, corn agua e gaz encanados e appa-
relho da drainage i a tratar na rua do Bargo de
S. Borja n. 28.
= 0 abaixo assignado previne a quem interes-
ear possa, de que o Sr. Leoncio Jose de Pilar nao
e mais meu empregado assim como nao se respon-
sabilisa per trabalho algum que nao seja feito e
tratado em suas officmas raua da Imperatriz nu-
mero 65.
Carlos C. Tresso.
Aluga-se o 1- anda.r o sotea da casa n. 3 a
rua Thom6 de Souza (Recite). que por se anhiar
perto da associacao commercial, presta se para
um born escriptorio ; tambem serve pars familia,
pomr ter commodes soffriveis, acha-se coneertado,
eaiado e pintado ; trata-se do aluguel A rua do
Imperador n. 31, armazem do gaz
Atlenvao
Aluga-se um grande sitio bem conservado, corn
muitas arvores fructiferas e mais de 200 p~s de
coquciros, baixa de capim, dons grandes miveiros,
cacimba corn agua boa, casa de moradia, proximo
da ainha dos bonds, aluga-se por prevo modico, e
muito conveniento para quem tivcr carrovas ou
vaccas do lite. $6 os dous vaveiros rendem


mnais doque o aluguelpara quem cuidar delles : a
tratar aa rua da Madre de Deus n. 7, de 11 horas
atW 2 horas da tarde.


Aluga-se
o terceiro andar e soto da rua do Born Jesus n.
63, juato ao Corpo Santo, corn commodes para fa
milia : tr-ata-so na rua do Apollo n. 30, arma-

Caixeiro
SPre .a-se de mn awnin pae^tvera : na rua
do Vi'mide do Alb rqe.


Pxsek- a ]avar e
: na ma do Viscon-


de IbAb Amimm-ir|i|fiy,1--
---- '"j^'--' '"-;;-"
Auda so precasa de uu eou i -mr.:
do andar do pre.d A. 3 & roadq I waJ.
Alga-se0 ar-
mazem corn soA
rua da Madre de Dens
n.



iAS X i tlIz
AOS 4:0009000


2:000O00O
BILIXETES GARANTIDOS
Pra a da Independen-

cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado vendeu entire os seus
telizes bilhetes garantidos da 102a loteria,
a sorte de 2006000 em 4 quartos n. 4795,
a sorte do 1006000 em 4 quartos n. 680,
alm de outras muitas de 326, 166 e 86.
Convida os possuidores a virem receber
sem desconto algum.
O abaixo assignado temrn exposto A
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
14a part em beneficio da igreja da Pieda-
de de Sants Amrnaro das Salinas 103, quo
se extrahirA quinta-feira 29 do corrente.
Preos
Bilhete inteiro 4#000


Meio
Quarto
Em poreno


2#000
16000
de 100,$000 para
elma


Bilhete inteiro 34500
Meio 1#750
Quarto 6875
Antonrio Augusta dos Santos Porto.


CAIS7ADA F OiTUNA

AS 4:000 $000


Rna Primeiro de Iarfo n. 23
0 abaixo assignado tendo vendido nos
senus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 1,764 com a sort de 2:-0006000,
4 quartos n. 4,921 corn a sort de 1006000,
al6m de outras sorts de 326, 166 6 86, da
loteria (102.11), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade 4d co0tlme sem dceconto
algurs,.
Achamn-se A venda os seus-afortunados
bilhetes garantidos da 14a parte das late-
rias em beneficio da igreja de Nossa Se-
nhora da Piedade do Santo Amaro das Sa-


linas, (103.8) que so
feira, 29 do corrente.
PRE


extrahirA na quinta-


Cos


Inteiro 46000
Meio 26000
Quarto 15000
Em quantidade malor de 100t
Inteiro 3#500
Meio 1#750.
Quarto ,875
Manoel Martins Fiuza-

CASA 0 .00UR 40


Aos 4:000000


Rua do Barao da Victoria n. 40
e casas do costume
O abaixo assignado acaba do vender
em seus felizes bilhetes quatro -. quartos de
n. 717 corn a sort do 100#000'e diver-
sos premios de 32#000, 16#000 e 8#000.
0 mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi-
da.ile do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 14.a part das loterias a be-
neficio da igreja de Nossa Senhora da Pie-
dade de Santo Amarp das Salinas, (103.1),
que se extrahirirA na quinta-feira, 29 do
corrente.
PRECOS
Inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 1#000
Hm poreAo de 100o000 para
clma
Inteiro 3#500
Meio 1750


Quarts


#875


JoAo Joaquim da Costa Leite.

,A VENTURONA


Aos 4:000$000

BILHTE8 9MABID68
16-Rua do Cabuga-16
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tes garantidos daloteria n. 102 em beneficio
da igreja da Pidade do Santo Amaro das
Salinas que so extrahirA na quinta feira
29 do corrente.
PRECOS


Inteiro
Meio


Quarto
mendo quantldade s
a 100:000


4#000
26000
1#000
,uperior


Inteiro 35500
Meio 1#750
Quarto 8756
Joaquinm Pires da Silva.
Alugam-se o l andar da casam n. 18, o 20 da
de n. 66 r a Direita; o 1, 2o e 36 da de n. 8 1
rua da Penha; o 2 da de n. 25 a ru6a eLta
Rita ; o Io da de .4 a n1m o &szaio'a
tratm na rua, do H ie Sa ....
OAM iro deo a- pi- w oe :
Daque do Caxia n. a'. 8
'* ,, v '. ^ .-.

.- -, '.-,. -'- -
. .:,,* -.- .= -- :


Manaos
Commandant 1- tenente Guilherme Wad-
dington
E E' esperado dos portos do nor-
.-,/ te atdodian24 de janeiro e
/] l | [ seguira. depois da demora
do costume para os portosdo
~sul.
Recebe tambem carga parsa Santon e Rio Gran
de, free modico.
Para carga, passages, enomedaa valores
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO 46
PORTOS DO NORTE
0 vapor
Pernambuco
Commandant o capitao de fragata Pedro
H. Duarte
E' esperado dos portos do sul
nt6 o dia27 d e janeiro e
seguirA depois da demora in-
dispensavel, para os portos
a l- do norte atd Manaos.

Para carga, passagens, encommendas e valores
cracta-se na agencia
46 RTJA DO COMMERCIO 46
COMPANHIA PERNANBUCANA
DE
Navegaqao eosteira por vapor
PORT08 DO SUL
Maeei6, Penedo,Aracaja e Bahia
O vapor Jaguaribe,
commandants Costa,
seguirA no dia 27 do
corrente, is 5 horas da
tarde.
Recebe carga at c
dia 26.
Encommendas, passagens e dinheiro a frete ate
ai 3 horns da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Compankia Pernambucana
n. 12

S LEILOES
-Sexta feira 23 o de 13 volumes cornm madapo-
l5es, chitas, brings, cobertores e camibraia victoria
e outras fazendas no armazem da rua do Born Je-
sus n. 40.
Leilao
De 50 caixas corn cerveja branca.
50 barricas corn dita preta, e eurea de 200 gar-
raroes yaiior.
Xexta-fetra 3 do eorrente
A's It horas
NO ARMAZEM DO SR. ANNES NO
LARGO DA ALFANDEGA
POR IT "AO DO AGENT

_. 7-. .


I

*


*


.1


. .." .. .
"'" ".-'+"" ,'+'., 7 ,INL 'Z ," -













'iei~MZ.


JAMES
Unteo legalmente auctorisado
pelo govemo do Portugal, e approva-
do pelo conselho de saude do mesmo
paiz, depois de evidenciada a sua effi-
cacia em repetidas observaQes nos
hospitals officiaes.
Cada frasco esta acompanhado de
um impresso corn as observan6es dos
nrineinaae medicos de Lishoa. reoo.


iu F WWWOLF u&c. I
Participam ao res- MIUL WLFF & (.
peitavel publico, que Offerecemao respei-
continuam ter um sor- travel public umngran-
timento de joias das de e variado sortimen-
mnais modernas e dos tode relogiosdos mais
mais apurados gostos. acreditados fabrican-
Compromettem-se tes, e se acham habili-
a vender mais barato tados a vender mais
do que em outra qual- barato do que outro
quer parte. qualquer, visto rece-

Ria 10 iblOgh t,. 4 berm directamente.


milt1 N I


Todos os relogios
- 1- I ] -. -1-.. .....


Em presta(oes





18i000


Por


semana


P6de adquirir-se as verdadeiras machinas de

SINGER

Quem nio deixara de comprar agora uia destas araiadas machi.
nas?


iheci~~-speloscon--es BB ollUBrilJri lenoilOS n[io es Lac Venhani a suceursal da companhia Singel na
Ama A EDirg1 go jg oisa, y sao garantidos.T 8 R EA DO a ABUGI A N .
Precisa-se de uma engommadeira: na rua da i t Du 1X lAh d o u i
Aurora n. 109. 0 SH osalIrQf 4a ma go uuu go aba IA ~ O -B
Ama Imeraiflor n 11 are a m1011 rua Atten&a0 N. B.Vendemos tanibem in Iha superior, retroz em carreteis,
Precisa-se de umaama para cuidar em erian- agulhas, oleo, linha de crochet, peCas avulsas para as machines,
gas : na rua do Apollo n. 2, 1" andar. Fica o meu college Dr. Vicente Ferrer de
Sd g, W O, i d Barros Wanderlsy eiAraujo autorisado a tractar tudo de superior qualidade e por preos se ompetena.
vniusra t or nunln unr nT" de todos os meus negocios e corn elle se entendam
J e para o unico agent nesta provir B rl- os que masta cidade sao meus credores, afim de
chegupara o uniagentenesta provincia lu serem pagos da importancia de que Ihes eu dever.
e acreditado kerozene imexplosivo de Coral & Recife, 17 de janeiro de 1885.
AllK^^^ nip Ihn tnn rin Recfe 17 de^ jaer de 1885.
Cardoso, que se aeha A vendanounico deposit A Ow Reci f1 7 i- eBare o de Santo 1 ndr8.-
rua do Bom Jesus n. 38, junto ao correio. max______RaoIN_[ofIf!_ih_ _deSantosAndre'
A [1k ~~~ ,, OPPRESSAD GiR L IS .
LmHA loos gio,0 0 UIIIlU tambm n ox-spe o do mundo
--.. .. ] 4= '.u 2' A.; ; soira-sr'.a fuuasra que pnet,'.. no poLite Od' abria" syrn~t,)-na n'--V.rvLo fadllt~s~4'*,


a Lustrosa para machine, e a c Macia de 6
fio.s tanto para machine como para cozser a mdo.
-No se usa mais linha em novello-
Pede linha em. carretel corn o name
-J.&P.COATS -

I Aviso
P au do Marquez de Olinda n. 51 precisa-se
le um pequeno que tenha alguma pratica de miu-
dezas e que de garantias de sua conduct.


Attencao
Aluga-se por preco commodo o segundo andar
do predio da rua do Brumn n. 84, corn accommo-
da"e j ara grande familiar, pintado e caiado de
iaovo a tratar na rua larga do Rosario n. 34.

| Ama
Presa-se de uma cosinheira : na rua da Au-
rora n. 109.

WrERandoS a cosfroiros
Precisa-se na Encadernac.o Commercial, rua
Duque de Caxias n. 39.
Caixeiro


Precisa-se de um caixeiro de 14 A 16 annos de
idade, con pratica de molhados, que de fiador de
sua conduct : na rua de Pedro Ivo n. 10.
Ama
Precisa se de urma cosinheira : no largo do
Corpo Santo n. 17, 3 andar.

Mlluito pode o progress
Grande loja de fazenda de Custo-
dio de Hendonca & C., rua Duque
de Caxiag n. 61.
Neste estabelecimento est- abolido o system
de vender caro. Os seus proprieiarios teem adop
tado o system de vender pelo eusto, ganhando
tao somente o desconto. E' o system mais aper-
feicoado e que garante ao comprador ser scmpre
bemrn servido. Todos, portanto, que quizerem corn-
prar, estejam convidados a honrar este estabele-
cimento, onde enontrarao, a par da sinceridade
e agradu, um complete sortimento de todas as
fazendas, como sejam:
Setinetas lavradas e lisas, o que ha de melhor
em gosto a 500 rs.
Setineta preta adamass6, fazenda lavrada, de
born gosto e muito larga a 800 rs.
Merin preto fino a 14400, e superior a 1A800.
Merino setim preto fino a 14800.
Setins de cores finos a 1.400.
Setim preto superior a 2A500.
Fustao branco fino a 500 rs.
Saias bordadas a 4, 5 e 6W000.
Complete sortimento de fichus.
E muitos outros artigos que e infadonho nmen-
cionar, e mesmo nto e agradavel fatigar a pa-
ciencia das Exmas, leitoras.
61--Rua Duque de Caxias--l61


Attenpo
Na rua Direita n. 74, vende-se ovos muito
frescos, em porcao c a retalho, e mais barato que
em outra qualqcier parte.

Criado
Precisa-se de um criado : na nma da aurora
numero 109.
Aluga-se a 8$ umas meias aguas novas, na
travessa das Barreiras (becco do Aquino): a tra-
tar na rua do Cotovello a. 25.


Jose Paulo Botelho, tencionando retirar-se
temporariamente para a Europa, julga nada ever
nesta praca ou f6ra della ; todavia \uem se con-
siderar seu credor cu da firmna Jas Paulo Bote-
lho & C.. queira apresentar-se corn mos rtspectivos
documents, dentro do prazo de tres dias, a con-
tar da data de hoje. Scientifica mais quo- desde
31 de dezembro passado eedeu sen estatleeinen-
to sito A mua de Pedro Affonso n. 68 a> Sr. Auto
nio Jose Lopes Braga, fi-ando este senhor enaear.
regado da liquidacAo do active Jose Pauio Botu-
Iho & C. Recite, 15 de janeiro de 1885.
= A -quemr interessar declarainos ouo nests
data despedimos ao nosso cmprcgado Joaquim
An^c-nio de Araujo. Recife, 12 de janeiro de 85.
Floriano Passe & C.
-- Auga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
JiO de Sa e Albuquerque, a qual tein excellentes
co.m:-o.idas e grande sitio : a tratar na runa Pri
mr(I- dp Marco u. 13.
Alivga-se a easa n. 1 aI rua Lembranca do
Gaoins, 'em Santo Amaro, grade, frescaoe pintada
de novo, tern agua : a tratar na rita da Impera
triz n. 32, 1 andar.
=-Precisa-se de imnpressorea para typogra
phia : a tratar na raa de Maris e Barros n. 14.
R -- Quemr quizers alugar a easa n. 4 A rna
do CoAdeoda Boa-Vista, p6de- procurar
so elAvee no estabelecimento u. 30, 1
r riu do im dperado
-T P rc .:awa, cq eira, para emsa de


llnotn nuT Un Q lindn Ein Espeo do mundo 6o titulo de um bello quadro
P O at11 ll 0 190l blIO ~que talvez tenha de ser brevem.nte exposto A
nnnsn vitmina de uma das livrarias desta cidade. Este
r~ alUrf lSnr 7n i ~S n-immportante quadro 6 composiVIo engenhosa de
go aPIp OUU 1a(11Ui Rx Q1 so um modesto pincel allemao, e representa um louco
des rn- 0H suit0 rumidns interrogando no espelho a sua propria sombra,
ol por propsllitO rsuflgffiosediante do qual fica, ou julga-se preso esperando
I y 1corn anciedade a resposta da pergunta que fez.

Chlas. A CraveuSI .
on-Pona.HeDE DRUS!NA C.


UUI1ULU.


Precisa-se de uma perfeita cosinheira para
casa de pequena familiar, quc compare e nio durma
f6ra : a tratar no escriptorio deste Diario.
S 0 Dr. Democrito (avalcante mudou
seu escriptorio de advocacia para a rua ,
Primeiro de Marco (Crespo) n. 18, pri-
meiro andar.
Encarrega-se de defesas perante ojury -
Snas comarcas do interior, e bemrn assim
de qualqper questAo forense. /
P6de ser procurado das 10 da maiha j |
As 3 da tarde, nos dias uteis. ( )


Canarios d'Allemanha
DE
C. BRAUDM1ILLER
Vende-se
Rua do Imperador n. 12
Casa de Lopes & C.


Precisa-se de umna ama para cosinhar e mais
services de casa de famiiia, e de um memnno para
caimpras e recados : a tractar na rna do Marquez
do Olinda n. 51, 2 andar.
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos coin refinacao
de assucar por grosso e a retalho no Caminho
Nova n. 26, resolveram collocar o telephone em
seu estabelecimento para mais commodidade nos
pedidos de seus freguezes. Recebem tambem en-
commendas para f6ra desta praca, garantindo
pontualidade, nmodicidade em precos e sinceridade
em suas transaceoes. Os proprietarios esperam
mmerecer a proteegao de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77
Ama
Para cesinhar para uma famuilia : na rua do
Marqnez do Herval n. 107, cutrada polo oitao.

Victoria de Bernardi
Mlodista a rua Primeiro de .Mar-
To n -1 2 andar
EstA- preparando um complete sortimento de
toilets para as bailes earnavalescos do club Carlos
Games, tudo pelos ultimos figurinos de Paris. En
carrega-se de qualquer trabalho no mesmo genero
para quem de sen prestimo se quizer utilisar. Ga
rante modicidade nos pros e apurado gosto na
confecAo de seus trabalhos.

Perdeu-se
A pessoa que tendo no domingo 18 do corrente
achado una pulseira no trajecto da rua Nova a
do Imperador e Lycenu de Artes e Officios, ou rua
de Santo Amaio ao dito Lyceu, querendo entregal-
a ao seu done, p(derA dirigir se a rua do BarAo
ba Victoria, n. 69 (luja) oildc generosaneiite serA
gratificado.


Ran o Bol-Jasus n 18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de commissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produgc93es da Allema-
nha, Franga, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.---Informages sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes,
bombas, etc. para incendics e outras ma-
chinas e utensilios.

Cosinheira
Precisa-se de uma cosinheira perita: A rua Du-
que de Caxies n. 86.

MOLESTIAS dos BRONCHIOS e da GARGANTA
(Defiuxos, Catarros, Coqueluche, Larynjite) "
XAROPE e PASTA de VAUQUELIN
PARIS, Ph%, 31, rua de Cilry, e em todas Ph" e Drogueriam
S--h -XP08IQXO DE PARIS I87S
9~Cura~M
Wkd ASIVIA
pelo PG0 do
D Cl1S
a m todas asP'mIam-

PELLETIERINA
DE
Laureado pelo Instituto de Franga
Fornecedor da Marinia franceza e dos Hospitaes de Pariz
0 remedio mais certo e o mais facil 6tomar
PARA COMBATER 0
VERME SOLJiTARIA
Cadi dose i acompanhada de uma inastrc.io detalhada.
PARIZ, PHc' TANRET, 64, RUA 8ASSE-DU-REMPARl
SBMitoari nm Bahia : AIUM"S I& Cm'.



CONTRA TODAS AS
TiLETI daS I S URIIRIS
FSPECIALMESTB
Catarro clhronico da bexiga,
Irritacdo do Canal da uretra,
Molestias da prostata,
Incontinencia da Urina,
Are la no urina, etc.
SWAN N, Pharmaceutico-Chimic9,
PARIS, 12, RUA C\STIGLIONE, 12, PARIS


Cozinlheira

Na praca da Inde-
pendencia n. 38 a 40
se dira quem precisa
de uiiia niulher forra


ou escrava para co- u.8T,1 PNurgaieV
zinheira de casa de 3 LE ROY
familiar. Io 5
lamia. ^ b resaedi isa8f ontig'o o
t tastes S ^' ota tcon $ &s goiessias
,> ,. I eoaeipcas ras,,tassas
A' ruia do Imnperador n. i6 conimra-.-e. vOPd.-.. p I^ m erasO dts hIs l0eS.
luga-aRe e troca-se novel s e wisnds. __
t~'h1. ~ I ROY
<.Ab'lose:-
M*I~~~fflll!:'B; 4 !*s *-ir Sst .316S Parns
uma grande asa, Itsa a-sua oa Auro. n 17, n.167
pintada e caiada do novo. corn grande a tao, pro
pria para grandsfarInily, coil ennaliso1to lpara
gaz, gaCOmgaa5 uinpArlodo do.; a trntar n- 4M AM A
ra do V:isce ,de,0yannait 00PntronanxL%- In ,,W 1M -
ul iungninie.^; S ___ *.ylM11! ^


y/':.: a l cworaao e feavorisa as tunccoes os oro- Os res;;i-:.,,ric l
-- *' Vnsit a em laca.do cm aad .EOEo e.m I_, c :, ru. .,'-s.. naerV, a 0a \wi,
L^Si A'ejti2uios em VleAN(' .bu9f A'i:'e(. dai tiipl U11'A s 1


VINHO GILBERT SEQUIN
FMIWU FOR7IFICANTE appmvado plo Academia da MOsdkde 4 W*
Sooeat amos do Experoienioa
ete bom siAo tinu denouttrado a elfcacia incontestavel deste VI5'.O, quer oome# ats-
pewrdieo pan cortar as iebres .* evltar o seu reapparecimento, quer como forttficasat. nao
OG-a)scenoas, Debill&ade do Sgngue, aUa de MoenstrwRqao, Xnappetenola, Ztee-.
s ditflceis, anferaidsdles nervosas, Sebilidade causada Aela ead-. ou p'r exceuaov .
SEafts Vilsh, que cqntdm lials prinoipios actiros do qua os preparado si milarm, rand-w p r pituo em
pou.o ma1i elevado.--Ao 3e de ajbjeatar contra o prw em ; qta da reconhecda efficacla do mwdicamuto.
Pbarmacia G. SPSO3-TC2I, 378, rzia Saint-Honor6, PARIS
gT>

SFEBRRO GIRARD
I Approvado pela Academia do Medicina de Paris. .
Approvado pela Junta Central de Hygiene public do BraM. 1
10 Professor M96rard encarregado do Relatorio A Academia demonstrou
Sque 6 facUmente wceito pelos doentes, Oem tolerado pelo estoma'o,
restaura as forpas e cura a chloroanemia; que o que distingue pei-f I
cularmeae esie novo sal de ferro, 4 que nho causa prisao do veture
Sa ombate, e elevando-se a d6se, obt&m-se dejeceo numer 'stas. I
S0 FERRO GIRARD cura ane:-nia, c6res pallias, taim)ras do -to- *
mago,empobrecimento do sanuue; forlifica os tempt rame.itos *raee, y
\1 e'.ita c appetite --gularlza as regras e combat a esterilidale. /'
Dep.isito em Paris, 8, rua Vivienne e nas pnrcipae Drogaias e Phamnacia: /



PILULAS DIlESTIVAS DE PANCREATINA
de DEFRESNE t
Phewmasegi do 14 Cla., 1Fonnedor do# H. pw d. Pdris ^
A PanoreaMna empregada nos hospitaes do Paris 6 o moab poderz:o IM
digestive, que so conhega, visto como tern a propnedade do dgerir e
tormar assimilavels nao ,mente a came o corps gorduymO, mas
tambem o pao, a amido k as feculas.
Qutiojer qua seja a causa da intolerancia dos alimentos, alteraCo, oul
ausencia deo succo astrico, inflammacW, ou ulceraCoes do estomago, ou VNO
do intestino, 3 a 4 ilulas de Panoreadna de Defreane depois da co-,-
mida, sempre alcanoam os melhores resultados e sAo por ilao procriptas 1,
pelos medicos contra as seguintes affecQes:
Falta de appetite. Anemia. Gastraiglas. I
Mas digestbes. Diarrhea. Ulcera9goes cancerocas. .'
Vomits. j Dysenteria. Enfer..dades do figado.
Flatulencia estomacal.I Gasurites. Emmagrecimento.
S mnolencladepoisdo comer, evomitosoqeoacompanbam a gravince'o-.:'
]iPT NCREATINA DEFRISNE em frasqinlas ,om a dose de3 a 6co2h12&,
In rAdzinhas depois da comida. .
z ca DZFRESNE, author da Peptoca, PARIS, om toda a Prha- aCava .
T7'L77


j AS

Elnrw dades Secretas
BL.ENOMRRHAGOAS
G ONORRHrAS
FL, ORESK ORANCAP
I COR'IMENTOS
jentes e= antAgos slo curados fm
tpoucor -is em seoreto, se= regi-
men noem tisanas, serm cansar waer
gpaoekstar u. orgaoce digestivos, pela:

e o inJec~o de
,1

DI DOUTOIR


4*!SS ~


'*Ayer.
ytAers &dr vkn)



I InEPNWOSIM IcUAL
i P*A 0 CABELLO,
| VTORNANDO-O0
MAC10, FLEXIVEL E LUSTROSO. I
Pfcporado neb Pr. J C P N&CIA '.owtLMadsfI2-"
DEPOSITO GERAL
13- Runa Prihmeiro de Marco-13
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
.4DAIMSQN DOWVIJE & C.
N. 3 = Rua do Coinmmercio == N. 3
A venda em todas as boticas e a ogariae
Idalina Alexnrudrlna de Carvalho
Franra
Luiz Francise. Rodrigues de Franqa Mello,
seus filhos e norai crdi:ilmente agradecem as pes-
soas que se digniram acompanhar 't6 o Cemite
rio Publico us restos mortacs de sua mui presad-
esposa, miae e sogra c tendo de mandarem celea
brar na Conceieao dos Militares, As 7 1/2 horas
da manhit do dia 23 do corrente, setimo diade
seu passamento, algumas inissas pelo set ctcrno
repouzo, convidam a seus parents e amnigos para
assistirem a este acto de religiao ; pel,) quelhes
antecipam o seu eterno reconhecimento.


JoN Carilo Ferreira
A viuva, ge'o e filhos do finado Jose Carlo6
Ferreira, tendon de mandar celebrar uma missa
por alma domesmio. na capella do Joio de Barros,
elas 7 1/2 horas da minhia do dia 24 do correute,
S snniversario do son pranteado passamento ;
pede e espera o conmpareeim-nto de 3ens 1)arentes
e amigos.


Precisa se de unia para cosinhar na rua do Co-
ronel Suassuna n. 149:

Arrendamse
0 engenho Santa Cruz, conhecido por Cabee.a
de Porco, site na fregunezia de Una comirca do
Rio Formoso, moentc e corrente, coin duas boas
casas de vivenda, magnifica capella, grande sen-
zala, muitas mattas, grande e bern cercado para
200 caboqas coin capacidade para safrejar 3000
paes annuaes, muito born d'agua corn m ienda de
40 X24 polegadas inglezas e assentamento de fa-
zet assucar pelo system do Sr. Emiliano de Brito
que faz 240 paes por semana, espaoz-is casas de
engenho e caldeira, casa do purgar para 800 paes,
boa casa de retame, casa de bagano, distilaao,
casa de farina e serraria mnovidas por agua, gran-
de estribaria, e forno par,. 150 forminas, qusi tudo
de pedra e cal, em peifeito estado de conservacao.
0 engenho tern magnificos sitios pira lavradores
c pode embarear o assucar por Gamelleira, estra-
da de ferro ou por Una porto de mar. Vende-se a
safra criada.
A tratar, corn Leal & Irmaos rua do Marquez de
inda n. 56.
Criados
Precisa-so do uina parni casinhar c outra para
andar corn meninos, e um rapasito para recados;
a tractar na rua Duque de Caxias n. 59, loja.
Engenho
Trasp;ssa-se o arrendamento do engenho GOIA-
BEIRA, dlstante de'Jaboataio media legua, movido
por agua, moente e corrente, inuito bern acabado,
corn excellent casa de vivenla, sendo todas as
obras de pedra e cal" Vende se a satra que acha-
se nas melhores condiqoes, boiada, carrus, alam-
bique, etc. 0 motive se dlirA ao pretendente,
tractar na rua Nova de Santa Rita n. 49 ou
mesino engenho.

& f ti


AGIDOIPH08RPHATO DEHORSFORD
preparado em harmonica corn a formula do
do professor E. N. Horsford, de Cam-
bridge,
para indigestio. prostraciio mental
e jphysica, sores noctaurmaot, etc.
E' esta uma preparavao do phosphatO
de cal, magnesia, potassa e ferro -'om aci-
do phosphorico, de tal forma combinaflos,
que muii faicilmento se assimila ao system.
NMo divergem as opinioes na clevada
autoridade medical, relativamente ao me-
rito dos phosphates; entretanto at0 hoje
nenhuma preparanfo so offereceu ao pu-
blico quo corn os mais felizes resultados te-
nha satisfeito a necessidade geral, como
esta.
E' agradavel o paladar, e sua acqao se
harmonisa perfeitamincnte corn os estiminu-
lantes que seja necessario tomar-sv.
Os medicos mais celebros dos F's'ados
Unidos tem ultiimnmente empregado o
Aeldo Phosphato corn melhor exito
para combater os um os effeltos pro-
duzidos pelo effeito do fmno.
Faz um deliclioso toaii'3 sini-
plesmente corn assnucaie tgrai.
AGENT EM PERNAMI ;0
Adaimson Howie & (.
3 sita do Comnarlrcho 3
Attencao
Jose' Thcotonio Magalhaes regressando da Eu-
ropa onde foi tractor do sua s-iude, estmb, iceu-se
agora na rua do Barilo da Victoria n. 14, 1 andar
tern boas fazendas f-ancezas c inglezav obolas
brins, promette servir bcm e por preo. i,;dicos.

Boa engomiiad ira
Preeisa-se para casa do uma familiar u.cs Af-
flitos.
A trata-r na rua Nova n. 13.
| Aluga-se
So t1 e 2 aiidares da rua do Livramncnto n. 26,
CO- l"O agim: a t.atar na loja
Rua do Drimi
Aluga-se o 20 e 2o andares do sobrado :tsa rua
do Brum n. 62, com agua ; a tratar mo a-ima.
(padria).


.0 -


\a.


a iatla^N nfus do Batio


Rua da ,Aurorat rmero


I

I
i


i


I





IFesta Naval
Pede-se encarecidamente a todoos s senhore
capitlies dos navios nacionaes e estrangeiros o oh-
sequio de, domingo 23 do corrente, embndeirem
see navios, afim de abrilhantar a fiesta da Ex-
ceIa Psdoeira dos Navesgatar; ficando a di-
S recol dos devotos summamente agradeeidoa

Balanceador
J. do Santos Vieira, corn pratica do balangos,
contratos .e distratos social, offerece Os seus ser-
vi-os aos senhores commerciantes. Chamados L
rsa do angel n. 3, ou em' sua residencia, A rua
S da Penha n. 7, primaiO andar.
Por festa on par anno, corn pagamento adi-
S antado on fiana idonea equivalente, slugs-Se o
pequeno sitio da travessa da rua da Mangueira,
que foi do falleeido Joio Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alem de muitas arvores fructiferas, tan-
ques e cacimba corn excellent agus potavel, e se
aeha murado, tern casa de habitao em born es-
tado, com 2 salas, 8 quartos, 1 despensa, cosinha
e urn quarto f6ra paras eriado on feitor, acreecen-
do ser esse sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e as duas estates da Casa Forte e Caldeireiro
da linLs-ferrea do Reeife ao Caxangi : quem o
pretender p6de entender-se corn a fiamilia do Sr.
Manoel Miranda ou corn Sr. major Jose Camel-
lo do Rego Baros na mesma traveasa da rua da
Mangueira, que Ihe mandarle mostrar e poderao
dat as informagos necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, irua Velha n. 59.
Precisa-se de ama e costureira na rua da
Imperattiz n. 43.


59 :
Puial a 500 ra.
Alepaca de seda taoor16 a4X) ao dito
Meriad do doaa largamu, oAD&& as owes), a
16M1!t.Oul eJa t
*Osasma e p* a ra pars ett a2200o e
vado Iaao de d larguram t
Men den d itcor ig aSgl 9u5! !
lanefs ingla ae., a 1 00 oit0 1
Caniuss brancas franc"asa sPMorios, a 28
a duzas!
CeroMlas de bramaite a 16 aa dita I
Loio de linhor em eaixmnha f a dita!
Damascos e pannos proprios pars mesa a600 e
1 500 o covado !
Bramante de uma largura, trado. a 600 o
metro! faxenda deo 1
Loahos do ditao, grandes, a 2I um
Cobort.. de gangS, forradas, a 29600 ura!
Coichas do fuetOM branoea e de ocorea a 2s%500!
DitEs riquissima do crochet a 105 1
Chales de casemirn modemuoo a 25500 e 34.
Fichus superioreM a 26008, a 4o.
Setim macao verdladeiro a 1400 o covado !
Dito preto superior a 1Ae200 -
Cambraia victoria a 38500 a do 10 jarda.!
Madapolo boa-vista a 6 Pt ita i doe 2 jarda s
Brine de cores supeioef a 2Ao ert !
Ditopardonloa, a M2 ra. cavado
Dito branco n. 6 a 10500 a vAra!
Atoalbado bordado, de linho, a IS o metro!
E outros artigos a preon resumidos.
59m=Bua Duque de Caxiae=59


Enogenho a
Vende-se engenho Maurity, antigo GTW, ua
comara deo Parlmares, prompto nde m tudo par
safrejar 4,00 ples : os pretendentes podem ir
vel-o e admiral a fertilidsde do sen terreno. Aoa
mesmos se diW a rauio perque se vende, e trata-
se com L. G- da SilvaPinto, no Recife, ou no
memo engenho corn J. Mathews Ferreira.

Borracha para limas
Vende se us funilaria de Francisco Teixeira
| Barbosa, A rLa larga do Rosario n. 20.


fro. ed do es oo do- Carr a pm cm ro
_____________ _Vende-se uma b__a earroca paras caraeiro, a ver
e tratar na rua do Born Jesus n. 61, agencia de

S- Tendo-se desencamnhado a cauteHa nume-
m ~~- -----pm----mu- o ro 11,340 do Monte de Soccorro desta cidade,
Compra-se urna casa em um dos bairros p datada de 21 de outubro de 1884, pelo emprestinmo
manto Antonio ou S. Josk : a tratar no largo do de 212 0, roga-se A peasoa que a tiver, o favor
Sercado n. 38, hotel. de leval-a A rua do Marque. do Herval n. 63.


Ditos corn barum de cires a 1180M0 a duas.
DitoB do linhopw horas asOda duuia.
Ditos iMta edaW&low a 40iLt.
Ditos de Ih finc de 81 po pr .50 a dusia.
Lindas bandeiraamnams, e pwftgugni a.49800
a dusia.
Lindos setins meao a 1l00 o covado.
Velludilho bordados a 1 o I eovado.
Ricas ventarolas chimaa a 600 re.
Dias ditas bordads a I&.
Flanelas de todsa as c6re.
Tarlatans, gangs col paisageus tdo baratas.
Admirsri.a
N. 80.
Dos buratfiros
Aproveitem.

Siiil
Vende-se um bmrn sitio na Ponte dos Carvalhos,
corn 800 pe. de coqueiroe e outras fructeiras, seis
viveiros con peixe, muito grande e proprio parS
plantages oU rekw gado p ter btante ea-
pim salgadeo. tcmrn boea de pedra eel, agu,
etc., etc., euja venda ae de seja effectar con bre-
vidade para pagamento de umna bypotheos vencids
do mesmo sitio : a tratar na rua Imperial nume-
ro 136.

Para vender
A dmheira ou fiancs idonea, vendo-se uma das
meihores .casa de Afogados, hem situada, corn
grandes commodos para uma familiar que se trate,
circulada de terraqo grande jardim, bom sitio e
todo arborisado de arvores fructiferas, quartos
pars criados, gaUinheiro, banheirw e outros em-
modo: a frente 6 today gradeada e orn porto de
ferro, tern nos fundos sahida para a esao da
ferro-via de S. Francisco, bone viveiros e e oquei-
ral: quern pretender entenda-se corn o Sr. Joao
Duazte.

Sabii e ehechco
BxeeUelent cantadmre"
Ne caes 22 de Novembro n. 42-A, vende-se os
dous passaros acima mencionados, propios para
um present. Na mesma casa tambem se vende
pasasro do diverasI qualidadqs.


Mathues, Austin & C., A r a do Commercio n.
18, teem paa lender :
PliAho de resina


Chegadto agesa oe de superior
socruinte. diinaso.of;


quslidado, dau


11/2X9
1 1j1'X 12
I"x 12
8'X 12
8X9
4X9
4 lotes 1a2X9
Em lotes a-vmtsde doe compradores.


Papel pintade
pa forrar sals deo visit e jantar, quartos, al.
cevas, eorredcres, etc. Grande a vanado sorti-

aeaba de ehegir p-am a
IAwrarlia IbI atrial
A. rua do Barao da Victona n. 7.

Vende-se
0 engenho Amparo da Ilha de Itamaraca corn
proporio pan tr m ee mai mil pLas de
asums, terreno de manap preto cru de mnito
boa produoeo, muitos siti se ocoqueiro e terre-
nos proprios para se plantar aos mil eoqoeiros
que se queira, tern sanas, viveiros, fomroa de eal
e bas pedreimmanuttlas e portodenbarquejun-
to ao engeaho a tratar no nemro ngenhno.

BOIIACIRA
PARA

Vendem. 'ua e C., Am Estreita do Rosario
n, 22. E' espeoil e ormmodo 0 prep0.


YiAu do ndsa d*la

IftlaCollesinmbi* epunhos para senhowa e oer, dl-
woke aI~ ququwEOw" smim. m aarin e sem punbo, coa m.-
J es .com ollarinu oae inhos a purenhopaws e luausmd
poomibope po e tadm"6 dens MA 45.
[ -. p10ZE% Cpura"- par menimos deade n. 28 A 35; serm col-
la:rihos46L, dena. 82 a 35.
Csmimsm sans, penteadorr, calas, goass e pu-
Iu w Tlln pa so.
Os verdadeio ans etmetrie countma-se na Gravatss, grande variedade.
Iis do Pedreo Atanes & C., arns Duque de Ca- Meias cruuss brancas, de cores e pretas.
sass n. 63. Capahos, tapetes, males, esteira., bolma%, velludi-
W D de a bria branch e de cores luas, perfuma-
Como 8 O r I Hmss6et.et. .h
Bonit.. e aoegaes boneea, 60Pedro Antu- Papoulia & C.
nes & C quem ten, tom- mdiapemoavel etmI-
ter po dae .teeuantes cri-Iana, plo qu1 18- d 4C--
os propr1i 1n~~oftva E"ernua aO ponpam Em rntes a matri deo Santo Antonio
exbergora Durn e de Caxuas n. 68.
I,-W"hasl de bmraeha FarbaL t
speialidad p sfaermonte i mango, Nos primeiromomes. a. en m i
o Pedi* A~taoe,& C. diatribuc gratis sos nsnahural o apropriada pars afilmnftar i
fun"eo Nova Esperuana n. 63, rua Duque epropadapara a et
9a dopeit. o e .propno leite matemeo 7W.
c e lUbraMeo *6 tea qe I em cso de necessidade deve ser btit
i q.er 'dopels
A verdadeira e espeal prepare vende o A LACTEA DO
Pedro Antane &., C.,posquant eqpe vende .AN iAcT AD
provama s special quidade ; na rus Duque deo c
Caxis -..6 I A sciencia e a pratica adoptaram a fa d
SkA honitan a Lates como poderm elemefto ns
iteicvo para a infancka- e didtn me&
as luvas do seod abrts, canno alto, que abm cos do Brasil e da Europa recoaheseram
de reeber oPedro Antunes & C., raau Duque o ao Dr. FEIHa melhor n'es
de Ckxis, n. 68."e
Parn os banho salgados recebe o Pedro geOnero.
Antunes sortimento de sapatos espeeiaes ; nrua Deve-se poise evitar onfiar o f6hinhM
Duque deoCazis n. 68. ;nma pessox estranha o do eomportmente
Satpl es napolitanos, epeeiases Pa o t nio conhecido muitas yees o germen
batho doesmps, temp oPedro Antunes & C., e
est liquaidando 6para fEaar fact ; rua s uque nmleros a molestias.
de Ca a. 68. E' a Nova Esperaa. Vende-se a verdadeira farina Lacts
do Dr. Frerichs:
I? K fc -~rfc4-^\55 -RUJA Wo IMEAOR 55
I* J I i l il 11 ft Estbelecimeno &dow muias piano &e F16
E' barato ________
JU V /l-UIAJtorPrdale
Vende-se umr temeno em Bebemibo, coin 217 Ph0rn7iaRi h#RIe"aihiCA
palos de ffrnte s main de 1,000 deo fundo, o qua)1
flea junto ao do S. Francmise Antonio Barbosa: i DO
quem quizer diwija-se goes eriptorio deote Dia, Sialin
que so diA quern vende. I N eta* uAlWt)
I Him aftA Vendas em grosmo e a retalho, descontoe van-


AIwI''1
Vende-se por preos medicos, urma diligencia,
um carro de engtnho, quatro bois e cinco cavallos
corn tres collecoea de arreios: para ver em Olin-
da, easia deo Francisco Negro, e a tractar a rua
Duque de Caxias n. 86, n esta cidade.


tajonos; rua do Barlo da Victoria n. 43
I Pernambuco.

Cimento portland e potassanova
Venderm Orestes Travassoa & C., em seu escdp-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.


LIST ERAL

DOS DA PR=DBR LEIPROVI L NN B..-0 primDo prescreverD


DOS PREMIOS DA "la PARTE DAS LOTERLAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 1071, A BENEFICIO DA MATRIZ DO TRIUMPHO, EXTRAHIDA EM 22 DE J
.__________. ... ^ "^ ,.+ .:^ -+t. : o ** ; **_ _


iO2
1802.

ANMO DE 1885.


REMS. NS. PI

4# 321
23
24
31
45
47
50
52
59
60
-_ 6T
_- 73".
STO
74

8&.
-- 89
196
99
-404
9
13
28
31


39
40
53
56
58
61
68
69
70
71
73
74
75
82
86
92
96
581
22
25
40
41
K.-42
48


. PREMS.


628
29
30
33
38
46
49
61
64
66
70
78


88,
90
94'
96
708"
9
17' 1
22
27
38
47
51
53
56
57
61
73
76
77
80
81
802
4
6
8
30
37
38
46
48
53
57

67
7-^ 1..


4.1


46








44


NS. PREMS.
W40 4#
42 -
44 -
46 -
50 -
51 -
58 -
59 140
64 4
65 -
81
97,
1006
T
15,
22
27
389
42,
64
67 &
68. 4
72
75 -
77
80
- 83 -
- 84 14
V 86 4
M, 4
S90 _
91 -
- 96 -
- 98
-1104 -
- 8 -
18
-33
- 35
.42
-45
-46
-49-
- 73
. 75
-80
92,
-,97


NS. P]

1284
97
99
1304
15
18
26
29
31
38
S47
51
52'

62
69
74
79
S83
1 85
1 86
F 91
- 98
- 1408
S 9
- 10
- 17'
5?26
# 31
- 32
- 39
-43
- 53
58
- 59
- 61
- 64
- 70
" 71
- 77
- 81
- 83
- 89
-92
94.
- 4 91
95l
97i


REM8.


w
4ft

41f


NS. PREMS. INS. PREMS. NS.


1557 4#
78 -
93 -
1602
7
11
13
20 -
21 -
24 -
31 -

41
58 -
52
56
59
64 -
66 -
67 -
68 -
78 -
83 -
87 -
92 -
99 1M
1700 4#
2 -
S13 80
14 44
. 26' -
. 38 -
.40 -
44
- 45 -
. 48 -
63 -
- 64 :Mooe
. 70 16#
S73 4#
- 74 -
. 78' -
- 82
86 -
S93 -


, 98. + .+ -'i^r. '+


1861
66
67
70
71
72
92
94
1906
8
1&
24-
27
'32
44
49
54
56
71
75
81
84
92
98
2003
6
9
16
26
28
31
33
35
40
53
60
62
74
78
79
86
87
97
2105

2

40-


4i2



4#

4to








4f.t





























f /.*'.,'


2243
15
16
20
21
22
29
37
39
40
49
59
56


74

8(
81
84
81
8
230


1
1
2
2
3
4
5

6
7
51



T
8
.8
8'
40^


IEMS. NS PI

45 2461
-.65
-- 67
) 86
-- 89
? 90
I_.A : 92
; 44 93
S 97
D -2504
S -- 9.
I. tl
6 14

9 25
4 29
5 -- 32
0 34
'1 8 "37
4- 4 38
7 43
9, 44
5 55
8 74
9 86
1 90
2 -- 91
6 98
19 012627
8 4 29
6 32
3 34
i6 I6 40
)9 46 51
4 55
3 66
S -- 68
32 0
37 82
)2 88
6 91
S- 95
97
6 ~-2714,
; 17-
-i 129


HEMS. INS.


166
41%


P!


2762
63
77
82
83
84
85
88
92
96
2803
5
7
17
20
21
22
27
29
33
47
52
57
64
65
66
71
84
85
87
88
80
92
98
2910
11
- 13
S 18
S24
S27
28
. 42
49

52'


4EMS.

44


8ft
5.4

4i



























A44
4i,


wqa


PDr


3054
55
60
61
66
73
77
79
80
82
86
90
92
*98
3105
24
51
55
* 59
S70
71
72
77
- 81
- 91
94
96 *
- 98
-3200
- 12
- 13
- 16
p34'
S35
, 36
37
- 40
. 43
45
- 46
- 50
- M:,
-54,

S59
604
62

70
S74;.
.'16.


EMS. INS. PREMS.


too#,
4#-



8ft
44f

4#t

8ft
4#%








w
4ft
81
mp

4


3319
21
23
33
34
37
41
43
45
50
51

54
65
68
70
85
87
88
90
97
3402
6
7
8
11
38
42
45
48
54
56
57
59
68
75
77
81
84
85
87
99
3501
8
9
10
18
23
30
32
.35
-36-


NS. PI

3562
63
71
72
73
84
85
-86
95
3600
14
16
26
39-
42
44
48&
57-
60
62
81
84
85
92
95
98
3705
8
12
17
18
27
33
S36
38
40
41
48
52
55
58
68
69
'72
83
S85
86
88
S93
. 95
.98
- 3805
6S -


REMS.


46

84#
41%


NS. PREMS. INS. PREMS


3823
24
30
40
43
46
49
51
55
58
59
66'
74
75
77
80
84..
89
90
91
94
3901
4
5
+ 16; +.
17
18
29
34
43
45
46
51
52
55
68-:
77
79
84
87
96
14001
2
6
12
14
21
-32
S41

46-

49


4J





31%
4ft














4f


44O


4i4
4d


4086
92
4100
4
5
13
15
18
23
24
26
35
38

48
53
59
73
79
81
83
84
86
89
90
4202
5
14
25
28
43
45
54
64
76
85.
89
92
96
97
4311
16
30
38
48
53
64
69
73
75
S77
S92
94
9;-i8.


41

















M511
44


44


NS. PR

3
12
13
20
28
34
39
47
.54
55.
6t
77
78

SB;
84
94
97
98t
104C
7
8
10
16
22
36
48'
47
55
56
60
62
68
80
8&
S 86
89

96

99


12-
15^-


I1.'"'1
( .'
?"1'^'

i^
-*i;';!"*;1 '
,11^
'"*'' *


,EMS.

46













4i









44



I
41%

.... .


3i4
44



mm

4I


- s.
4721
25
27
31
35
36
38
41
44
45
48
53.
58
67
87
90
95
97
98
4808
11
;13
21
23
26
4C
52
55
56
61
i 62
70
-77
81
8]

9!
S95
o 9!
5490



2:
2E
. 3

4
. 4
5
5
-5
- .


PREM8.
4#








I 8-





SE.
40

I -


4j







7 -





2 -
i














)
5 1



9 40%
I















3 4#
6














5 --
1 35



1 81

1 -^
9 85
0 4#


2 --
9 ~4j
2 i ,
4:.:11-^ 1
6r:* .*. -lfA


NS. PE
4431
44
47
51
54
67
76
77
88
89
4500
6
18
22
21
31
36
40
43
44
49
54
56
62
71
74
75
80
82
.97
S98.
99
4602
3
- 22
25
34
- 41
- 45
- 47
- 52
- 59
- 74
- 76
- 78
- 79
- 82
- 84
- 86
- 87
- 90
- 91
- 93.
-47006
- 14
- 86
-7
-9


. ;.\4-


.1


I



!

*










ma


4.

1
















io


-;
-I
m
-'*



















amnmiEscmaeu co 14 4 ,AM A AMBIXS&
AMSMflQBCIA DO CRO"RlA iYM PEMUNIDUCO
NO ANO O M55 1856
SInfandum, Regina, jdb renovare dolurem.
(Continuaso do n. 12.)
-- Qoal 6o tempo preci" para a
evoluo dg ebholera no home ou
em sua bagagem?--Opinuio da
confercneia de Constastinopla-
Comparagto da evoluglo do chole-
ra e do phesphoro-A quo distan-
cia se pode considerar livre do
miasma eholerico-Deduce-ea por
analogia-As quarentenas slo am-
da impostas por estas distaucias e
deduog.es.

Provado, pois, que 6 o homemn e a asuna bagagem quoen
transmitte o cholera, como evoluciona esta molestia em
um e outro caso ? pois quo urn, o homnem, 6 urma entida-
de viva, tern em si ura forga organic, ou vital, capaz
de latar contra a causa do mall; a ontra, a bagagem, e
uma material morta, neutra e indifferent a ae&o de qual-
quer cousa que sobre ella actue.
A observa*lo, aqui feita, mostra que se o portador
do cholera era uma entidado viva, em poucas horas, em
poucos dias o mal so desenvolvia, como so vio emn Her-
menegildo, no bolceiro quo o acompanhou A Jaboato, na
av6 d'aquelle, a qual morava na mesma casa de Her-
menegildo, os quaes em poucas horas, eu em poucos
dias succubiram do cholera; tambem w6 isto o quo toern
visto outros observadores; por isso assignarnm dies de 6 a
8 dias para a manifestagao do cholera, qnando qualquer
individuo so achar infeccionado dos seus efluvios.
A conferencia international de Constantinopla, tra-
tando d'esta questao, maroon o prazo de 8 dias, sem
addmittir, corn tudo, quo este prazo fosse absolute; outros,
por6in em pequeno numero, assignam-lhe ainda prazo
maior de quatro semanas ; n6s acceitamos o pra-
za de 8 dias, que o6 conforwne as nossas observa5es.
A transmission do cholera pela bsagogem do homemni
nao tern tempo determinado para mostrar sua actividade
latente; esta pode demrnorar se por muito tempo at6 en-
contrar occasiio opportune para sua inanifestagAo no ho-
mem sao; nos lugares circumscriptos, nio arejados (ba-
hus, gavetas, catacumbas, etc.), este prazo pode durar
annos, pois foi o quo so observou em Nazareth, onde as
escavagoes deram lugar a uima segunda opidemia circums-
cripta, annos depois da prinmeira invasito.
Esta questao deve ainda ser praticamente estudada.
So tivesse agora de escolher umn f.icto para cxpres-
sar o men mode do ver as differences mnauifestag9es, ou
evolugAo do cholera, ja em actividade (incuba9iao), e ja
em estado latente, a espera de occasia.o opportuna para
mnanifestar toda sua energia on desenvolviaiento, csco-
lheria o phosphoro para represental-a.
Corn efleito, o cholorico assemelha-se ao phosphoro em
igniqao, porque abraza ou infecciona aquelles quo o to-
carem, e aquelle quo nio quizer ser queimado, ou in-
feccionado dove delles so afugentar, on cvitar o s.u con-
tacto: o cholera latente, isto 6. occulto na bagageni do
hoimem, assemiha-se ao phosphoro que so conserve em
caixas a espera do um pequeno coutacto, do umn attrito ou
friegAo paras desenvolver seu incendio, ou sua forga infec-
cionatea.
Da inama maneirg*qas as vezes uma s6 fricXAo n'o
basta par. provoear o;incendio do pliosphoro, un con-
tacto o' 4asts aw .tabw pra que o cholera manifesto
sua con .a6id ladeo: 'em ambos os casos e precio a repe-
tigio d'estes attrictos, pa:ra quo ambos manifesfemn scus
effeitos fincstos.
Ainda mais; do raesmo modo quo em alguns pali-
tos de phosphoro, qualquor quo seja o numero dos at-
tritos, iinpossivel seja obter d'elle a mnenor faisca on o
incendio, assim tambam no cholera algumns vezes, qual-
quer que sej-a o numero do contacto, a iofecqiio so nrio
fara: ou seja isto devido a pouca actividade da mate-
ria incendiaria, on a pouca meceptibilidade do palito que a
contdnm.
Em ambos e seimre o contacto, c s6 o contact a
causa do incendio e da more; no atrito ou friccie do
phosphoro, o caler desenvolvido 6 o despertador do incon-
dio phosphorico; na vida, o calor proprio do organismo 6
despertador do incendio cholerico: scm esta contact
nenhum incendio, nenhum cholera, apenas so veem do
urna e outra part phosphorecencias quo nao queinam, que
nao inatam, em cujo case so podem cotlooar o cliolera
nostras ou per outra as iudigestoes choloriformes do quo
o illustre inspector vio dons cases, e ca outros taitos.


Para mim, pois, na ausencia de mais robustas pro-


vas, e de um numero maior de tactos


FOLBETIE


AMOR MATERNO


P'OR


JULIO MARY


PRIXEIRA PART

NEUM UTJA INM aTJTRA


(Continuag-o do n. 17 )


Entretanto, devo tel-o affligido ; tal-
yez esse casamento fosso do seun agrado.
Veaho assim transtornar tantos projects!
u-ta filha arma ao Sr. de Lesguilly e o sea
oravio ficarA despeda9ado quando ella co-
S nhecer, porque o senior p6de tudo dizer-
lm oheMsnm n nomear, a cobardia do ho-
mem a qw>- ia entregar a sua vida, em
Scuja honrl eaIdado ia conflar. Sim, com-
prehendo o.uanto o rompimento d'este
casamento -p&e ter"de doloroso para ella.
S Diga Ihe ,e ni1S- tenho ciume, quo nio
'k l 1e qucro ial f. qe, por rmais sejarada
quo estejas4'ela pelo nascinento e pela
educaaio, ci '-eendo bem a sua triste-
S za de mulhi' astimo-a e hei de orar per
ella._
0 done '" 4.'e e 64-da meditava.
Previauii tourm ande desgosto
-~-parsa itfilhall
a- ata va Gaspa. Esse casaanento-
a taato e spodesado por tellas e rote de
a faiaadeeor.? Cotno dar-lhe


em contranro, o


em coutarteo( (loft minuettidos desta qppi^d ia em 1 n
a ,o -,.o.cholera ao phphioro slo energies des-
truidores .de tmo quantto d'elles se a pproxia.a. sen as
deiiltosautolas. "
Urns ontra, queisteo .eU tiga audc 4 a4oatte- rto on--
tagio, a qual. 6 preciso IdiAe aliun deeanyvimento.
visto que-6 elk importantfiaaa para a etabeleneonto
das medidas prevontivas.
A quo distanoist d'este phosphoro maldito (o chole-
ra) pode o home itdgar-se lvro do svea ali inC io-
nanto?
Eu nio tenho obsqrvaoes -roprias para rftolvet
satisfatoriamento ota questao; to'dtvia, su eitasid0-a Is
leis quo regein outras infecoes, pode-so d'ahi tirar indue-
95es ben rasoaveis:
--Por xeompit: o acido sulfedrice, gaz eminente-
mente let4 -queo exalam os cans do ftsgoto, se '& abor-
vido no sou ponto do origem,- ou de saMi, rmats i oooti-
neutemente os que o respiram, ontrtante is qe -se. a4*w
a alguma distancia d'este ponto do suan origem nada ou
pouco soffrem.
Nos corpos organicos em putrefaigao da-se o mesmo,
isto 6, perdem elles sua acgio malefica logo adianmte do
seu ponto de decomposigAo.
Em Goyanna fallecera do cholera o texeate-coronel
JoseCorreia do Oliveira Andrade, cujo cadaver t8ra se-
pultado no cemiterio dos cholericos, em uma catacumba
feita expressamente n'aquella occasizo para o receber. Dias
depois falleceu do memo rmal Jeronymo da Veiga Cabral,
e a exomplo da primneira catacumba, a familiar obteve li-
cenga para construir outra sobre a primeira, que exhalava
ainda muito mAo cheiro; pedreiros e serventes em numnie-
ro de seis que n'olla trabalharam falloceram todos nas vinte
e quatro horas depois d'oste trabalho, menos urn quoefoUe-
ceu no terceiro dia; ontretanto que outras pessoas incum-
bidas do servigo do cemiterio no enterramento do cholericos
nio tiveram igual sorte.
Esto facto mostra nio so a energia corn quo actual
os corpos mephiticos no seu ponto do origem, e come qua a
pouca distancia d'este ponto tornam-so ellos quasi, so nio
totalmente, inoffensivos.
Na provineia da Bahia, os soldados do corpo de im-
pnriaes marinheiros, aos quaes se dora ordem do fazer os
enterramentos em uina das suas cidados, devastada pelo
choilera, forum todos viotimas da epide.nia.
Na cidade de Santa Antto, por igual motive, so ha-
via ordenado que a forci de linha 6 do policia quo alli os-
tavam estacionadas fizessom igual service; quasi todos fo-
ramin victims.
Se v6, portanto, por estes exemplos, que a mortan-
dade 6 quasi geral para aquelles que, sera a devida cau-
teia se approxirnain muito des corps am putrefaccao, e
uenhuma para uquelles que so afastam d'eles.
Applicando o resultado d'cstas observagoes aos pun
tos cpidemicos que exalam gazs ou productos .eataoio-
sos, 6 natural qua existajn n'elles as mesmas lis; e ppr
isso podernos dizar corn toda probalidade de certeza que,
os p3atos epidemrnicos perdemu tambam suan energia a me-
dida quo d'elles nos afastamos. Ora, a distancia entire
unaa eatacumba e o pedreiroa *ae ..br. ek 4u1alh*, fa-
zeado outra, 6 quasi nonhuma, o miasma quo d'ella se ex-
hala dove per isso obrar onergicamento: e foi o quo suc-
cdetu no cemiterio de Goyauna: mas jA a alguns passes,
mril por cxeonplo ae16 n d'este ponto, seus efeitos foram qua-
si nullos.
Podo-se, pois, corn maximna prudeacia almuittirt-A: e
a uina distancia do dcz inil passes ja baja grande 'proba-
bilidade da inoffmnsibilidade dos gaaes mephiticos, ou mias-
nmas contagidsas pois quo a esta'distancia ellbs j4 nao teui
encrgia alguma.
Procurando estudar osta question na sciencia, apenas
eif.utre- o sAgiiate (1).
a 0 exercito quo acampa nos lugaros em quo
acainp'Ju outr3 acco:n-nettido de cholera c d'esti m'l in-
vadido; insse aoa-npf a un ou dous kilometros mais
longer, 6 geralmuente ploapado ; e muis adiante : A activi-
dade do cholera paroco ir di.ninuinclo pouco inais ou me-
nos, segundo o quadrado das distancias, a partir do-seu
lugir de dcsanv.Avimcnto, isto 6, quo a urn p6 do dis-
tancia elli c dcz mil vezos tuais aetivo do quo a corn
p65. --,
Portanto, si a cm p6s sua actividade 6 quasi nulla,
podemos contar quo a mil pds toda a probadilidado sera
de que estaremios livros ,Il influeneia miasmatica, o espe-
cifica do cholera.
Em abon3 d'esta hypothese v6en provar to los os faa
tos, ou todas aqT-tallis observa~ous, quo mstram tern.n

(1) Griesinger-Tratado das esolehtias intecciosas-pag. 572.


Corn certeza, minha filha ha de derramar Urea hora depois Mathilde estava em
lagrimas por muito tempo; mas o quo sao presenia sorrindo, feliz, bella corn o seu
as lagrimas d'ella comparadas corn as vestido de manhi, feito d e uma onda de
suas? Esse rompimento nao podo macular rendas
a sua honra. E so, a principio, ha algu- Quer me fallar, meu pai?
ma incerteza quanto aos motivos queo a oim, Mathilde ; senta-te, minha fi-
produziram, a incerteza cessarA logo que lha.
o seu casamento corn elle for public. La- Elle estava tao grave, a sua perturba-
mento a sua sorte, minha pobre menina, e lo era t-o visivel, quo ella o notoue con-
agradego lhe ter vindo. Siga-me, eu mes- cebeu urea vaga inquieta93o.
mo quero acompanhal a. Por onde entrou Tremula, perguntou :
ha poncoe ? Do que so trata ?
Passed pela avenida. De ti... do teu casamento... da tua
Das forias nao a viram ? felicidade.
Neo. Foi a vez d'ella ficar p.rturbada.
E o criado quo a introduzio conhe- No estavatudo pravisto parsa essa ece-
ce-a ? romonia ? Havia ainda algum pass a dar?
Creio que nao. Seu pai estava pensativo! Em quo pensa-
-Muito bem, agora vltar.a polo jar- va? Deus! Saberia elle quo a filha, que
dim, siga pelo campo, e se a encontrarem, 'julgava tao cast e tilao altiva, tinha esque-
a sua presenga a essa hora matinal nao se- cido, em um dia do loucura, nos bragces
rA para estranhar. Como deseja que o do seu noivo, a castidade, a dignidade de
soeu segredo seja inviolavelmento guarda- mulhlier e o respeito a si mesma ?
do, essas precaUn& es sito aecessarias; por- Saberia elh que ella tinha faltado A hon-
tanto, nao se admire. ra ? Teria cie adivinhado jue no dia em
0 senhor 6 muito bmrn eeu Lh0 fica- qae Ihe puzessem na front a grinalda
rei eternamente grata, 'nupcial, essa front se curvarira sob a ver-
RWveron fAl-a atravessar a casa e acorn- gonha secret do urma leminbranga imnpura
panhou-a atW o fundo do jardim. e coraria da sua hypocrisia.
Ninguem .os vio sahir. Ella sentia-se desfallocer e estava pres-
Ella seguio-a corn o olhar~ate desapp tes a cahir de joelhos aos p6s de Rve6ron;
recer. Ella choravit e caminhava de ca- prestos a tudo dizer e a pedir perdao, mar-
bega baixa. -E R6v6ron vio-a levar o len- inuro :
go aos olhos trees vezes, disfarpadament' Meu pai I... Meu paiI..
para nao ser notada. Ouve-me, Mathilde, e tern coragem.
Depois entrou pensativo. Ella ergueu a cabega, doe olhos brilhan
Chamou um criado: tee... 0 quo havia? -ara que, precisava
Quanlo minha filha descer, avise- ella do coragem ? Era enteo alguma des-
me e pea-lhe qne venha'ao mou gabi- graia ? E seu pai ig.ilavaasus falta?
nete. 0 donodas fwjastourueta ye voz bai-
Quiz recornmear o seu trabalho, mas nio a : a o
pade. Perd(a- o doegasto que von
Graves preoceupasous assaltavam-liho o causar. lavoco aDoIupret ha de
esptrito. :.quo e desjari-bp-teIi6
A: a deo si parasi qimeteveo rai4 a- qu.qu- o saibaa-tuo.
do, -(ohedecendoa sos jso.Presenmtimrntuos, -Mou psi, esU i~eassus o'4
quiza eibtrahir Mathiml4o -,-efmio amor qmue vai imtlo diw~rmn?
iE h b# '4, i ei


:o- Om&waIw4e j a
3 iiJ#PS 01 ii
d .Oata e &ji a
~4~|a~ii d ar ei taMeante live

So tulo quanto ^teah expost0 pmi rawi& a geh6sea
do choler.a, aRna contagiosidade, seeus tlios do propagem o
achz-so justificalo co- faitt, aq'iti a;siui m einPoraab-,
co- obse irvAdo,-a qu.ianteia o wsistisoes do ri-
meiros casos -e-*o doeab.oltita anecsiiad3 ; e wttaoi-


LITTEUYSU


POR
EtGUBIOe CEAVTTEI


PRIMEIRA PARTE
0 VIRA-TRIPAS
( Con tinuacio)


Foi assim que ponco a pouco a Sra. de
Meralec so miniciou no passado do Gervasia.
Mas existia no passado da moga um ponto
no aual a condessa arostava de fallar: era


*tra~l .tv palo ar, no0 palaiseagtar ''MBl,
pri'o huI mas.3escrotW," "cortt disau-i4,
S-t'amp,),e par.t'bagtgamo, eau ternmpo i*d ".
Q1 i soril) agir u a mtlith-s pravontivxs qacar-
|pr no'eStoC c.90oa to).Vir ? Tris, mu, p racea, sa ilvo inelhor
Sjuizp: -1. -4aiplir stint invasit -2.' -rostringir s-a di-
Sfu. -3.o -atten.tir sous effaitos.
E' do qui trataromaa n: artig) soguinte.


Na note em quo o general e os seus sita, mas nAo url parasita- orlinario que
officials sentaram-se A mesa onde a Sra. salmoga em casa de um e janta em casa de
de Meralec os recebeu por assim dizer nai outro. NaoI tinha ostudado as horse dif-
intimidade, pois que aponas tree convida- fereates em que os sons numerosos am-
dos civis, em cujo numero estava o comillo pbitriies se sentavam A mesa. Por este
Pipart, partilhavamr d'oatojantar. process Pipart chegava ao fim do dia
0 Porco-Montez obtivora da condessa tondo comido quatro almogos, dous janta-
permissi.o para ajudar os criados, afin do ros o duas ceias. Restava lIho a note; mas
poder admirar A sua vontade o valente a suan fortune encarregava-so do offerecer-
soldado que ia finalmento livrar o paiz Iho collocag.es por todos os pregos.
do terrivel Corta Cabecas o da sua qua- Pars corner de graga, Pipart era capaz
drilha. do todas as eondescendoncias, do todas as
A viuva era bastanto bonita para nao baixozas e da mais monstruosa mentira.
ser indisereta. No meio do juntar abusou Quando affirmou quo tinha conhecido a
o disse: condessa do Meralee, ainda pequena, ti-
Diga-me, general, perguntou ella corn nha sido sincere ? talvez quo aim, m'is
o seu sorriso mats amavel, quando entra talvez tivesse tambem farejado os bone
em campanha ? Ijuntares quo se haviam do dar em casa da


o capitulo do apaixonado qua a gentil louras Libor jA tinha bebido dez cops de um encanttdora scnhora.
amrnava sem saber o nome. vinho generoso, quo queimava-lhe o cere- Ella preoisava do uma testemunha, elle
Vejamos, pequerrucha, e impossivel bro. 0 olhar da condossa quoimava o co- tinha por assim dizer offerecidos a sua as-
quo nao saibas o seu pritneiro nomo, insis- raglo. Sob a influencia desto duplo calor, signature em troca dos bonds piteus futu-
tid a condessa. esqueceu so do ser prudent. ros.
Nunca ousei perguntar-lhe. Entro amanht em campanha, so pu- Fosse como fosse. Pipart era um dos
E quo figura tern esto mysterioso der, disso oelle. raros paisanos admittido ao jantar quo a
moo ? A sua tropa ainda nio chegou ? condessa offerecia ao general Labor e a
E' alto, louro, os olhos brilham corn -- Deseulpo-me, condessa, todas as mi- seus officials.
toda a energia, bonitos bigodes... nhas tropas estio completas e pars come- Quando o general soltou o seu comn
Elegant, bern feito ? aecresccntou gar s6 esperam o menu signal. muil milhoes de diabos ), a proposito da-
a viuva. -E porqus nao o da ? quolle Meuzeliu desappareeido no momen-
A esta pergunta Garvasia respandeu Porque as ordens prcscrevon-mo quo to em quo elle o esperava para encetar a
coin urea pequena momice. espere um individuo quo vira. tor commi- sua campanha, urn pequeno silencio de
Ah! uma century grossa, pesadtio ? go eo cujas informagos me silo indispensa- pasmo seguio-se Aquella cxclamaino par
..;...;v ........ aa-.. vois.. Mandei nrnenrar .ste hnhmem no demaia military a AcssA ilencio fni imtAr-


COMUOUUUt a ouesl VrUUOt*
Nao, nio, disso vivamento Gervasia,
defondendo o seu apoixonado. Pelo con-
trario, 6 osbelto.
EntAo, queridinha, explica-me a t'ia
momice.
Acho-lhe urn pequeno defeito.
NMe b o do scr anij, creio? excla-
mon a viuva corn terror fingido.
Acho-o mn pouco impertigado, urn
pouco tezo nos seas vestuarios. HaI um
nao sei que, que faz julgar que a roupa
nbo 6 d'elie, disse Gervasia.
Como am military A paisaini, accres-
centou a vinuva.
Mas esta comparaito, nao podia ser
aquillatada pela moga, que na stta solidio
do Megi'i s6 via passar soldados unitormi-
sados.
Tanto asimr quo, conmo hesitasMe mr rea-
ponder, a Sra. de Meraloc perguntou-lhe :
Queres que te ensino a distinguil-os ?
Sim, minha scLtAW. .
Pois bem, natoI, ara d'est& tarde.
Jantat ,hoj o cot*ani9 tares... aidgc-
neral e Os seui.V o 4aiWiros... E' pro-
Vwvel qtie alaus d'nBse apresonteu ?t
p:isain:T. Teras occasiilo de por ti mnesao
vulgar se nao t01n o mosmo defeito quo no-
tas no teu apaixonado.
A Sra. Meralec dissera a verdadle.
-Esperava- mjqtueHa larde o general- Lt-
bor, que, segundo afflrmnava o vulgo, devia
em breve dirigir o commando das tropas,
quo iiam do u.n s6 golp3 dostruir as qua-
drilhas.
Do Nantes que, fica muito affastado,
o general veio corn tola- a sua gente esta-
cionar em Ingrande,ponto central da ope-
raioA. Desdo o segundo dia da -sua che-
gada quf a belleza. da cendessa o os ole-
gios A sua fiaustuosa e amavcl iospitalidade
chegaram-Ihb aos ouvidos.
0 general Labor gostava das mulheres
bonitas o da mesa. Raras occasions tinha do
powder contentar os dons prazeres.
Por isso apressou so em pedir permissito
para apresentar as suas homenagens A con-
dessa, que respondeu-lho corn um convito
para jantar.

nho p6des desposal.-o; o marquez 6 um co-
barde e um iniseravel.
Eu o amo e o senhor o insult ?
E' verdade, eu devia ter comegado
por dizer-te o que elle fez. Prepara-te pa-
ra um grande desgosto, minha querida fi-
lha : o Sr. de Lesguilly na vida desregra-
da que levava conmetteu taltas...
Quaes ?
Teve uma amasia.
Cousa serm consequencia... sei quo
nos mulheres, quando casamos, devomos
deixar cahir umn v6o sobre a mocidade dos
nossos maridos.
Julguei, como tu, que isso nao tinha
gravidade. Mas a menina de quem to fallo
amou-o, amrna-o ainda... Ella cedeu, por-
que elle prometteu-lho urea reparagao, e
emfirn ella 6 mni.
MaiI...
V6s agora quo esse casamento que
sonhaste 6 impossivel.
Men Deus meu Dens!
E, aterrada, Mathildo oeixou-se cahir
em urea poltrona.
A orgilhosa menina nao podia crer
que tinha sido tao indignamente enganada.
Por um momento julgou que o pai estava
de novo corn as suas preven~oes e que pre-
parava-lhe urna armnadilha para iiopedir o
casamnento.
Entio essa mo~a fallou-lhe ? diase-
Ihe Mathilde. Foi mesmo ella quern Ihe
contou tudo?
A physionomia de Reveron tornou-se se-
Vera.
Mathildo, oomnprehendeu que ia mal.
Muito bern I tornou ella, mas 0 se-
ohor est certo de auo ella nao o enga-


Snon ? '
Estou certo.., ella' nAo teria ousa-
do ... me 6 &61 il sab er vodai~e.
qil^,^^;id-i 0 se .110u ^
-poet I c-o diiS-i- I bhs.do co-
se aa. 4l l clol m o marquez; se


lugar ondo mo disseram quo encontraria... roipido por Pipart, quo entire duas garfa-
Desapparecera!... e desdo entito foi im- las perguntou
possivel encontral-o. (Contina.)
E o general Labor, esquecendo-so dei- ... .
xou escapar esta phrase ? .. .SCIRN IAS
Quo um milhAo do diabos carreguem ____ _
este maldicto Meuzlin Exponlefi da Industria naclonal de
Para todos os convivas aquollo noo do 188is -1s- Iss o Rio de Janeiro
Mlouzelin era complotamenta deseonhocido. PARECER DO EXM. SR. CONSELHEIRO DR.
Olharam ecm torno, interrogando-se corn o EPIPIL-NIO CANDIDO DE SOUZA PITANGA
olhar sobro o personagam citado. S.guiu- SOBRE INSTRUMENTOS, APPARELHOS DE
so um siloeacio durainte o qu-il ouviu-so o PHYSICA EXPERIMENTAL, OPTICA, MAG-
ruido das nmaxilas do Pipart, quo moia os NETISMO, GEODESIA, TOPOGRAPHIA R TE-
osso3 pars nto per.lcr a paciencia, pois quo LEPHONIA
a attenglo prestada par tolos As palavras 1.- seceao-=lO.o grpo, clause 3. 4.a e 5."
do general tinha, intorrompilo o ian- CConclusao)
tar. Deixando Avontado do expositor enviar
o ,ligno official municipall nio exagerara on nao o seu apparelho pars a Exposigao
quado fallen do seu appetite. Continental, termino esta rapid aprecia-
Comia por hera, por din, per semnana, jio indicando aojuiz a conveniencia de ser
per inez, o tempci que quizAessein, so hou- amuplificado o art. 5" do Regulamento Ge-
vesso algaomn q" tiv'esso a fantazia do pa- ril pars o caso da exposiq'io do apparelhos
gar-the os -stos do suna voracidade. Es- scientiticoe, coin os seguintos titulos-de-
tava ataceado daqaella molestia cnt-lo quasi senhos, photographias e momorias descrip-
desconjitidh da,'siencia, quo so chlamava tivas, -e apresento a lists dos premios quo
o-.iqadoqttenteA-- hojo um pouco menos julgo applicaveis aes objects estudados.
incxplicavel, mas aiada incuravel so cha- DIPLOMA DE HONRA
ma bolimaI-ou mnais commumento--jome A' repartigAo dos telegraphos pelosseus
canina. Qualqucr que seja a sua causa, a avisadores do incendio e seus apparelhios
bolnica d6 um mal terrivel, felizmnonte mui- telegraphicos.
to raro. E' uima fome a quo nada satisfaz. | Ao Sr. Jose6 Hermida Pazos pelos appa-
Quanto mas o docnto come, pode-se dizer, relhos astronomicos, agulhas azimuthaes,
quo mais fome tomrn, porque ella augmnenta agulhas do bitacula o theodolito transit.
n i razito da abundancia dos alimnentos que DIPLOMA DE PROGRESSO
so lie dil. Per isso quando a doensa se Ao Sr. Jose Fronti polo sou apparelho
prolong', o infeliz chega a devorar quanti electro-therapico.
dado de alimento t:d que serial sufficient DIPLOMA DE MERITO
para vinto pessoas. E a fome; continA in- IAo Sr. Jos6 Hermida Pazos pelo seu nivel
sasiavel e imiperiosa, obrigando o doente no corn circulo, agulhoes do tecto doe camnara,
ultimrno poriodo a nilo olhar mais a natureza e suns lunetas e pince-nez.
dos alimentos c a atirar-so a tudo quo pen- A roparticio dos telegeraphos pelos sous
sa servir de cevo. meehanismoa de relojoaria electric.
Pipart nao estava ainda nesse caso, mas Ao Jr. B. Gairaud polo sein apparelho
ja cotuia do umia inaneira formidavel. An- electro therapico.
tigo cortidor, adquirio uma pequena for- ME .O IlONROSA
tuna quo era insufiieonto pars satisfazer- Aos Srs. L6on Rodde & Comp. pelas
Ihe o estomago, se nio tivesse encontrado peas de telephones do system Ader
um meio do o contentar a maior parte das E. PITANGA.
vezes na mesa dos outros. Era um para- Recife, 27 de janeiro 1882.


Quo desgraga! disse o pai. E do-
pots, accrescentou elle, 6 precise pensar no
grande escandalo d'esse rompimento. Sup-
pondo que o outro casamento nao so faga,
hao de querer saber porque o teu desman-
chou-se. E, como estou resolvido a guar-
dar o segredo da amasia do Sr. do Les-
guilly, hao de procurar, mas hio de achar
o motive; e, como 6 precise que a socie-
(lade invented, contra n6as e quo so ha do
voltar e sobre nos 6 que cahirilo as sus-
peitas. Como eu tinha raz'o de desconfiar
d'esse homemi
Que suspeitas ? perguntou Mathilde
na sua innocent simplicidade.
Tu nao sabes. N'esses rompimentos,
quan.lo ha um home e urma mulher a
deshonrar, nao 6 nunca o home que a so-
ciedade escolhe, 6 a mulher. Portanto, se
o marquez recusar ceder As minhas obser-
vagoes, dar o seu nome Aquella que sedu-
zio e reconhecer o filho, serA dover tcu,
ininha filha, dar um pass supremo, es-
quecer o teu amor e for9ar esse home o
a cumprir seu ever para comsigo e para
comnosco.
Estou prompt a dar esse pass ;
nmas, met pai, 6 precise primneiramente sa-
ber toda a verdade. Se esse home 6 ver-
dadeiramente o cobarde que o seuhor pen-
sa, ella ha de, certamente, rir-se da minha
interven9Ao. Saiba, pois, tolda a verdade :
na confian9a ceg. que eu tinha n'olle, eu
comprometti-ime.
Dosgravada exclamou R6v6ron, eujo
rosto cobrio-so de urna pallidez mortal,
que queres dizer?
E tomando as duas mAos da filha:
Falls, dizo-no tudo!
Prd3e, .meu pai. Escrevi-lhe quan-
do est-vamnosmna Italia.
RWvr&on respirou largamente. Estava
eerto da fiiha. Contenton-so corn pergun-
tar-lhe:
SQualntas yvees eserewvete ?
Tr.l :, -:


mandava sellar o seu cavallo e partia para
o castello do Lesguilly.
Corn um golopo do vinte minutes R1v&-
ron I. chegou.
0 marquez estava so levantando.
Quando lhie annunciaram o dono das
forj as, elle estremoeceu e no pode deixar
do lembrar-so da camponeza.
Ah! disse elle de si para si, ella per-
deu a pacieneia; acaso ja ?...
E foi A sala onde o osperava o pai
do Mathilde, ao qual estendeu a mao, di-
zendo :
Tao cedo, corn este frio !
Reveron fingio nao ver a inaio do mo9o
e liiitou-so a camprimontal-o friamento.
E' porque tenho cousas graves a di-
zir-lhe...
Estou ouvindo. Mas tranquillise-me,
espero que naio so trata do Mathilde e que
a sua saude...
Trata-se d'ellajustamente.
EntAo digs depressa, estou inquie-
to...
Estive corn Albina Miranda esta ma-
nhi...
SAh! ah!
SElla contou-me tudo...
Tanto melhor, um pouco mais cedo
ou um pouco mais tarde...
Quo pretend fazer ?
A sua pergunta sorprende-me... o
senhor sabe tao born como eu, visto como
o meu casamento corn a sua encantadora
filha 6 cousa assentada e ajustada.
Esse casamento .impossivel... NIo
so ha de realizar...
Per que? serA por causa dessa his-
toria tola quo Albina Miranda contou-the ?
Sir.
Pois bem, permitta-me quo e Ihe diga
que o senior noe 6 desto tempo, Iamea ca
Sr. R6v6ron. Mas, d'onde voM o senhor?
Albina Miranda foi uminha armina nAo o
neA .... o que tambemn seriainutii)porqu
AlLina p6,1o prova-lo., M Is .meifUaso d-i
so u1, crimes^' 6 do oatraas6ras.
Sio.flto poder.peaPtitxlw I r


- -~--- -


c..^"




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENW382ZPN_W80V8F INGEST_TIME 2014-05-22T22:57:59Z PACKAGE AA00011611_16003
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES