Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15954


This item is only available as the following downloads:


Full Text































I;1
. ^. ( i


nio cabem custas em facdadoutrina dos
avisos n. 135 e 48%de matro e' 12 de setem-
bro de 1879, 3 de abnril e 27 de novembro do
anno findo. *i
Em21 a do Rio Grande doSul: cS. M.o
Imperador, conformando-se, por immediata
resolucio de 15 do corrente, corn o parecer da
secclo de justiga do conselho de estado em
consult de 24 de dezembro findo, houve por
bern mandar que a imcompatibilidape deter-
minada, polo art. 3 do decreto n. 2,675 de20
de outubro de 1875 e applicavel aos empre-
gados parsa os quakes se acharem fixadas
quaesquer retribuicoes pecuniarias, ainda
quando sejam renuiciadas. 0 que commu-
nico a V. Exci., co&n referencivn ao seu offi-
cio n. 4,032 de 12 de otubro ultimo.
Em 27 is presidencmi. i provincial:
c Polo decreto n. 8,012 de 9 do corrente,
que reformou a legislagio electoral corn o
grande intuito de garantir a verdade da elei-
cao, foram confiadas a magistratura brasilei-
ra importantes attribuigSes, takes como os j ul-
gamentos referentes ao alistamento dos elei-
tores e entrega dos titulos, a presidencia da
junta apuradora dos votos para deputados a
assemblea geral e membros das assemblies
legislativas provinciaes, a expedicao (los di-
plomas aps eleitos, as decisOes sobre a vali-
dade ou nullidade das eleigSes de vereadores
e juizes de paz. apuracio dos respectivos vo-
tes, e a imposiclo das penas e de multas ad-
ministrativas aos transgressores dasprescrip-
gSes relatives ao process eleitoral.
SSe da execucao flel e conscienciosa da lei
em tudo quanto so refere a missuo dos magis-
trados, depend principalmente o born resul-
tado que esperam todes quantos se interessam
pela realidade pratica do system constitucio-
nal representative. V. Exc. comprehendera
que em nenhuma circumstanciada nossa exis-
tencia political foi conferido aos juizes e tri-
bunaes urn encargo mais elevado e mais con-
soante a isencio, imparcialidade e justice
que devem distinguil-os,
S E por sua parte o governor imperial con-
tando que nenhum motive de qualquer ordem
os afastara da regiio serena em que a lei os
collocou, para servirem a manejos politicos,
em prejuizo das beneficas disposic~es da refor-
ma eleitoral, tern por muito recommendado a
V. Exc. que, alem de transmtttir por c6pia es-
te aviso a cada um dos juizes dessa provin-
cia, exerga a maior vigilancia para que nos
trabalhos que vfio comecar sejam rigorosa-
mente observados os preceitos legaes, sem o
menor influxo de quaesquer preoccupacoes
alheias a escrupulosa execucfio de takes pre-
ceitos.
( De todas as occurrencias contrarias ao
pensamento que acabo de manifestar, e das
que possam recommendar o 2elo das autorida-
des no dosempenho dos seus deveres. darA V.


T~m O rin a~a: -. 1^ h ci. erumnstanuiauuiaa e prompta uinormacao
Em 24 do janeiro concederam-se trees me- para os fins convenieontes. D
zes de licenca, sem vencimentos, ao juiz de oveit
orphbos da capital do Marauhbo, senador An-
tonio Marcelino Nunes G0ncalves, para tra- Ministerio dos estrangeiros
tar de seus interesses. Foram nomeados: lo official dessa secre-
Por decretos de 22 foi nomeado, a pedi- taria, Feliciano Josed da Costa ; e 2o dito An-
do, no post de major, o capitol do. antig tnio Vicente de AnArade.
batalhio n. 240 de infantEria da guards na- td
cional do municipio de Caxias, no Maranhao, Ministerio da guerra
Bernardo Antonio de Aguaar.
Em 25 passou-se ao bacharel Fernando Por portarias a do 24 de janeiro :
Affonso Ferreira diploma de habilitacio ao Foratm nomeados pars a repartico fiscal an-
cargo de juiz de direito. nexa a secretaA de estado dos negocios da
Em 26 concederam-se seis mezes de li- guerra:
cenga, corn ordenado, ao jiiz de -direito da Ajudante de porteiro, o continue da mesma
comarca do Alcantara, na provincia do Mars- reparti.5 Agostinhe Marinho de Seuza.
nhlo, bacharel Joho Hircano Alves Maciel, Continuo, HenrIque Correia dos Santos.
para tratar de sua saude onde Ihe convier. Por decretos de 29:
Por decretos de 22: Foram tra-sferidos de uns para outros cor-
Foi declarado serm effeito o decreto de 20 de pos da arma de infantaria os seguintes offi-
dezembro de 1879, na part em quenomeou o ciaes:
tenente-coronel Jose Carles Pereira de Castro Para o 40 batalhio, o tenente-coronel do 50,
para commandant do 10 1atalhbo deinfanta- Frederico Christiano Buys; para ao 6o bata-
ria da guard national da capital do Mara- lhio, o tenente coronel do 40, Luiz Jose Fer-
nhio, visto nao ter aceitado a nomeacio. reira; parsa o15o batalhao de infantaria, o ca-
Foi nomeado commandant desse batalhio, ptc do 18 Hyginso Jos1 dos Anjos, para a
Francisco Xavier de Carvalho. 9 companhia; para o 16o batalho o coronel
Em 28 concedeu-se l cenca ao bacharel do 6', Antonio Joaquim de Bacellar; para o
Jose da Costa Carvalho Gaimairaes, juiz mu- 18o batalhao o capitbo do 13o, Carlos Augusto
nicipal e de orphaos do termo de Tacaratui, Ferreira de Assumpgbo, pars a 2a comps-
em Pernambuco, por mais seis mezes corn or- nhia.
denado que lhe competir, #a form da lei. Concedeu-se ao cirurgilio do corpo de sauidc
oi nomeado, por dedreto de 29, secre- do exercito, Dr. Americo Francelino de Ma-
tarioUa policia deMinas-teraes, o Dr. Jose galhbes, a demisseo que pedio do service do
Maria da Camara Leal. mesmo exerecito.
Por decretos de 29 : Foram nomeados 20 cirurgiOes do corpo de
Foi concedida ao bachaiel Cesario Augus- sa-ide do exereito os Drs. Patricio da Rocha
to Gama a exoneraclo qne pedio de secreta- e Silva e Jose Faustino da Veiga Lima.
rio da policia de Minas-.Geraes. Foram reformados nos terms da 1 part
Foi declarado serm effeitc o decreto de 8 que do 10 do art. 90 da lei n. 648 de 18 de agos-
reconduzio o bacharel Alexandre Rodrigues to deo 1852 o 1]o tenente graduado Theodoro
Bprroso no lugar de juiz s ibstituto dojuiz de Alves Fernandes de Andrado, o alferes Hygi-
dlreito da 1' vara civel Sa comarca de Ni- no Martins de Almeida, este aggregado a ar-
tlieroj, no Rio de Janeiro, visto nao ter acei- ma de infantaria e aquelle i de artilharia,
tado a reconduccao. visto soffrerem molestias incuraveis, que 9s
Por decretos de 29 foram removidos, tornam incapazes parao servco do exercito;
pedido, osjuizes de direito : e o alferes aggregado a arma de infastaria Ma-
-Luiz de Albuquerque 'artins Pereira, da noel Cecilio de Lima, visto soffrer tambem
omarca da Par1ahyba, de segunda entran molestia incuravel, qne o torna incapaz para
eia, no Piauhy, pars a de Iguarassu, de igual o setvio do exercito.
entrancia, na de Pernam uco, ficando sem E, de conformidade corn o que dispoe o art.
effeito o decreto de 8 do (orrente, que o re- 3 do plane quoe baixou corn 0 decreto de 1t
move para a comarca do Aracaty, no Ceara. de dezembro de 1815 o 1 sargento do deposit
Jose Rufino de Mello, a comarca de Gui- de aprendizes artilheiros, Peregrino Martins,
matres, de segunda entrar cia, no Maranhio, visto se ter impossibilitado para o serving do
para a de Aracaty, do i'ual entrancia, no exercito em acgo do mesmnb servico.
ari.Ir Passaram a aggregados a arma quo perten-
Foi designada a comarcx do Baixo Mearim, cem, de conformidade corn a immediate e im-
de segunda entrancia, no Ilaranhbo, para nel- perlal resoluqio de 20 de julho de 1870, o ca-
Is ter exercicio o juiz de c ireito Jose Goncal- pitlo do 50 batalhbo de cavallaria ligeira Mes-
aes do Montr. sias Jose de Freitas e o alferes do 16 batalhao
ves do Mourn. d na t ra o o A t no do"a t sV s
Por decretos de 29, foram nomeados jui- de infantaria Joo Antonio dos Santos Ves-
zes municipaes e de orphaos: tal.
Do termo de Mococa, em S. Paulo, o bacha- M fzn
rel Jos6 Joaquim de Almeida Nobre. Ministerio da lazenda
Do de Santo Antonio da Patrulha, no Rio Por titulo 'de 28 de janeiro foi nomeado
Grand do Sul, o bacharel Felippe Alves de Prediliano Oroncio Guimarbes, praticante da
Oliveira. thesouraria de Sergipe.
Do de Cajazeiras na Parahyba, o bacharel Circular n. 3.-Ministerio dos negocios
Francisco Antonio Sarmento. da fazenda.-Rio de Janeiro em 10 de janeiro
Foi reconduzido o bacharel Joaquim Maria de 1881.-Jose Antonio Saraiva, president do
Campos do Amaral Gurgel no lugar dejuiz tribunal do thesouro national, em additamen-
municipal e de orphaos do termo de Angra to a circular n. 65 de 7 de dezembro proximo
dos Reis, no Rio de Janeiro. findo, declara aos Srs. inspectors das the-
Por decreto de 29 foi nomeado juiz subs- sourarias de fazenda que. antes do pagamen-
tituto de direito da 1' vara civel da comarca to dos vencimentos dos engenheiros emprega-
de Nitheroy. no Rio de Janeiro, o bacharel dos em sarvicos do Estado, a que se referee o
Josquim Maria Carneiro Villela. decreto n. 3,001 de 9 de outul)ro do anno pas-
Em 27 sado, devem as mesmas thesourarias jexigir a
Declarou-so serm effeitq o decreto de 9 de fiscalisago dos impostos, tanto dos titulosan-
outubro ultimno que removieu para o lugar de tigos como dos que d'ora em diante forem ex-
juiz municipal e de orphads do termo de Ita- podidos, remettendoros as respectivas reparti
guahy, na provincia do Rib de Janeiro, o ba- c6es de arrecadaqio, pars que declared si fo-
charel Alfredo Alves Matheus, visto nuo ter ram pagos os impostos devidos, ou os exijam
entrado em exercicio dentio do prazo legal, no caso contrario; flcando salvo aos interes-
Passou-se titulo habilitando o bacharel sados o direito de recurso para o thesoure ou
Joio Baptista Regueira Costa so cargo de juiz thaouranrias, de accord corn as disposicoes
de direito. em vigor,
Foram expedidos os seguintes avisos: Circular n. 4.-Ministerio dos negocios da
Em 21 de janeiro I presidencia de Minas- fazenda.- Rio de Janeiro em 12 de janeiro de
GeTaes:. 1881.-Jos6 Antonio Saraiva, prosidente do
a Declare a V. Exc., em resposta ao officio tribunal 'do thesouro national, remette aos
n. 353 de 28 de dezembro ultimo, que bern Srs. inspectoreos das thesourarias de fazenda,
proadeu o juiz de direito da comarca de Mar para a defida execucao, os inclusos exempla-
-dsBepanha, decidindo que. polo artigo 347 res do decreto n. 7,961 A de 29 de dezembro
do 'et~lameoto n. 120 de 31 de janeiro de ultimo, publicado no Diario ofcical de 13 do
1842i0juiz municipal 6obrigado a apresen- corrente, mandando executar a nova tabella
taf em pessoa os processes preparados para de porcentagens para o vencimento dos em-
serem submettidos ajulgamento dojury. progados dasalfandegas. -
Em 21 t memma : ,, Ema resposta ao offieio
deosa presidencia n. 355 de 29 de dezembro Ministerio da xparinha
atlt dicldl u, 4djoi~ pa co~irana do Bao Lambary Dg eonformidade .corn a que dispoe o art.
4tlijaHeascriviel3 ntiopodeou pbasar 1. '2. n. lsa lei n. 2996 de 18 de janho de
i Hqyill[iQuo os ofl ciaes de jutisa fit- 1873, foi promnovido ao posto de 2.' tonente da
i -a qa. c< e m momos storivres armada o 2.* tenente de commissbo Joaquim
^M|,H polse qaasi ihes Jobde Cardoso.


(Pdo cabo submarine)

LONDRES, 4 de fevemro.
0 gOovelno-acaba de fazer expellir
do territorlo da Inglaterra trinta e
seis membros da seita do. HOMB-RUL-
LERS.

Agencia Havas, em Pernambaco, 5 de
fevereiro de 4881.





(Pelo telegrapho terrestre)

RIO DE JANEIRO, 5 de fevereiro, is 4
horas e 15 minutes da tarde. (Recebido
is 6 horas e 50 minutes).
Consta que lot demittido o presi-
dente da junta de hygiene da c6rte.
-Acham-se publicadas as instruc-
g5es para o service dos carteiros do
correio da corte.
Espera-se proximo movimento no
pessoal dos presidents das previn-
clas.
F- alleceu o commendador Antonio
Jos6 da Costa Ferreira, movo fidalgo
da casa imperial, e abastado proprie-
tarlo.
0 cambio sobre Londres hole loi
realisado: t 21 3/4 d. por 100O, do
banco ; e de 21 7/8 a 22 .d., dos parti-
eulares.


PARTE OF ICIAL

Ministerio da justiga


tos cases de utilidade mais immediate e role-
vante para o service local, incumbe antes a
administraeao provincial construil-as, embo-
ra o governor desejo auxilial-a nesse melhora-
mento.
a Isto posto. e porque e pensamento do go-
verno proper ao powder legislative, como um
dos mais profieuos auxilios a lavoura, a de-
cretaqo do medidas que contribuam para me-
Ihor desenvolVer no imperio a ilidustria dos
transports, sirva-se V. Exc. de transmittir A
este ministerio os seguintes esclarecimentos:
( 1. Um estudo geral, o mais complete que
permittirem os recursos, e informaqIes de que
V. Exc. dispuzer, das principles estradas de
ferro que convem constrair ou prolongar nes-
sa provincia, e que precise de auxilios do
Estado. Estas estradas deverao communicar
o interior da provincia corn ariespectiva Japi-
tal on localidades accessiveis a livre navega-
cao, ou emfim, entroncarem-se em outras ji
construidas. 0 seu tragado nao prejudicarA a
zona de nenhuma das estradas de ferro exis-
tentes; e em relacao a cada urma das que fo-
rem projectadas, dever-so-ha deixar urma zona
nunca inferior a 20 kilometros.
( Ao estudo de que se trata, e qup infeliz-
monte nao podera ser modelado por um s6 ty-
po em todas provincias, vista a desigualdade
de recursos ou de informaSoes de que dispoem
fara V..Exc. acompanhar esclarecimentos re-
lativos W producd&o, riqueza do solo, popula-
gio e outros dados estatisticos que estiverem
ao sou alcance.
a 2.0 Indicaclo das estradas de rodagem
que, de preferencia, conviriam !para as esta-
6es intermediarias oun fines das vias-ferreas
ji construidas, em construccio ou projecta-
das ; e bern assim das que na falta de vias-fer
reasjsejam comiurgencia reclamadas pelas ne-
cessidades da layoutra.
R Corn essa indicaclo enviara V. Exc. escia'
recimentos relatives 6 extenqIo das estradas,
sou eusto provavel, e deste a quota corn que
poderi a provincia contribuir em cads anno.
a 3. Informacses sobre a preferencia quo
se deva dar ao'melhoramento da n'evegaglo
fluvial na provincia, corn indicaio da prova-
vel despeza que pars isto se tenha de fazer, he
o melhoramento 'a que alludq f6r de pequena
importancia: e, no caso contrario, indicagoes
dos rios que convem estudar, para o fial de se
resolver ulteriormente &cerca de sua navega-
billdade.


Esram agra'ews :
Cour a grniew IIa,/ordqlw Aviz, o viceq-
almirtote Barso de Iguateny.
C i a commends da Nosw, A.ntonio Jose
Co e5 la Boeha Carvalbo. T
1 3nomeade-ftte substltWo da "c o
de cias acoessorias da Faeuldade de Me-
dic a Bahia, o Dr. Alexandre Efaigelista
de oCerqueira.
directoria. -- Ministerio dos negocios
do ivziprio em 29 de janeiro de 1881.-Illm. v
Exm, -r. Remetto a V. Ex6., para os fins
conve.1ieutes, os exemplares que este acom-
panha. das instruccoes mandadas observer
polo t3reto n. 7,981 da present data, para
eJIo da lei n. 3,029 de 9 do corrente mes,
"- I relative a pnrmeiro alistamente dos
4i,. Deus guard a V. Ex.-Sord- Ho-
nemt Mello. Sr. prosidet da. pr..acia
do. *a ** -'*
DECREE) N. 7,981 DE .29 DYE :AlIrnlO BEZ s
Manda ibservar as instruct'& para o prmeiro
alistlietmto dos eleitores a que se tern de pro-
cedet emn virtue da lei n. 3,029 de 9 de ja-
neirO do corrente anno.
Tendo ouvido a secebo dos negocios do irm-
perio do conselho de estado, hei por bemrn
que, pars o primeiro alistamento dos eleito-
res a que se tern de proceder em virtude da
lei n. 8,029 de 9 de janeiro do corrente anno,
se obsorvem as instruccoes que corn este bai-
xam, alsignadas polo Bario Homem de Mello,
do men conselho, ministry e secretario de es-
tado dos negocios do imperio, que assim o
tenha entendido e faca executer. Palacio do
Rio do Janeiro, em 29 de janeiro de 1881, 60.0
da independencia e de imperio. Con aru-
brica de S. M. o Imperador, Bardo Homenwm de
Mello.'
INSTRUCCQ6S PARA, 0 PRIMEIRO ALISTAMENTO
DE ELEITORES A QUE SE TEM DE PROCEDER EM
VIRTUDE DA LEI N. 3,029 DE 9 DR JANEIRO DE
1881, E Skg QUAKES SF_.tEFERE 0 DECRETO DES-
TA DAO".
Das autoriduid w crregadas do alistamento dos
oitore.


De.conformiide 4iro ae dispSe'o.-2.
do art. da lei nl 19 de 18 de juhb de
1873, form promovidoa ao posto de C0 teonen-
te da armada os pilotos Firmo Agtonio Petra
Casslio, Augusto Constancio Roeckling e Ju-
lio Moreira dos Santos Oliveira e Si, viste te-
rem satisfeito as condiSoes exigidas .plo 2.
art. 2.* n. 2, do regulamento anexo :o d4ecre-
to n. 5461 de 12 de novembro de 1873:
Passaram da eorveta Vital de OliMOT pa-
ra o encouragado Lima Barros o 1.* tfnente
Alexandrino Faria de Alenear e para o trans-
porte Puris o i.0 tenente Antonio Gongalves
Rosas; para o monitor Javary o 1.0 tenente
Antonio da Serra Pinto e da mesma corveta
ara o respective quartel o destacamento do
atalblo naval. "
Foi nomeado pars servir no enonouraca-
do Brasil, o 1.0 tenente Alberto Jacyntli-
Correa de Mdttos.
Desembarcou da corveta Vital de Olivei-
ra o 2." cirurfgio Dr. Jos6 Amado Coutinho
Barata.

Ministerio da agriculture
Por portaria de 28 de janoiro foi declara-
da serm effeito a portaria pela qual foi nomea-
'do o tenente-coronel de engenheiros Francisco
Gomes de Souza, para o lugar do ajudante da
inspectoria geral das obras publicas da c6rte,
e removido para este logar o ajudante do 1.
classes do prolongamento estrada de ferro de
Pernambnco, engenheiro Jolo Eugenio Bar-
boza Coelho.
Foi nomeado engenheiro chefe do pro-
longamento da estrada de ferro da Bahia, o
engenheiro Glycerio Eudoxio de Almeida
Bemfim.
Por decreto de 31 foi concedido privi-
legio por 50 annos e Jose Alves Barbosa Ju-
nior, Antonio Borges da Silveira Lobo e Al-
fredo Cardoso Pereira para a construccio de
urma estrada de ferro entire a cidade de Ma-
manguape, provincia da Parahyba do Norte, e
a villa de Acary, na do Rio Grande do Norte.
Foram expedidos es seguintes avisos:
Em 19 de janeiro as presidencies de provin-
cia:
S Chegando ao meu conhecimento que al-
gnns cencessionarios de terreflos devolutos
ternm tornado a posse delles e transferido a con-
cessio. antes de haverem cumprido as abri-
gacses contrahidas, de medicaIo, pagamento
do preoo e requisicio do titulo, recommend
a V. Exc., afim de cessar esse abuso, que nos
actos de concossio ou contratos de compra e
venda de terras devolutas, marque um prazo
nio excedente a seis mezes, para dentro delle
sorem medidas e demarcadas as terras, page
o preco que for devido e tirado o titulo, sob
pena de commissio, e declare que antes de
preenchidas essas co'ndigoes, nio poderao os
concessionarios ou compradores tomar posse
e tranferir quaesquer direitos sobre as terras,
sob pona de se procedor contra elles a os con-
cessionarios, nos terms ds art. 2, da lei n.
601 de 18 de setembro de 1850; devendo V.
Exc., no caso de verificar que takes abuses se
tern dado nessa provincia. mandar intimar os
posseiros para cumprirem as condiqSes do
contrato, debaixo das penas declaradis. a
Em 26 ao engenheiro chefe do prolonga-
mento da via-ferrea de Pernambuco:
c Por portaria desta data foi concedida a
exoneracgo que pedio o chefa de seccao desse
prolongamento Henrique lEduardo Weaver,
por nao poder cumprir a e;ieoncia da lei nU
,001, de 9 de'outubro de 1880, o que cominu-
nico a Vmc. para 9s devidos effeites; e bem
assim recomtnendo-lhe que louve o zelo e in-
telilgencia corn que aquelle funccionario sem-
pre se distinguio no desempenho da commis-
sao de que 6 dispensado. v
E'n 29 as presidencias de provincia:
SUmrn dos meus illustrados antecessores,
comprehendendo a conveniencia de construir
as vias de communicaglo do Imperio, segun-
do um plano previamente adoptado que abran-
gesse a rode geral de estradas de ferro, de ro-
dagenm e as linhas de navegacio interior em
cads provincial, procurou organisar uma carta
itineraria, que teve comeco de execucio, e da
qual possue este ministerio alguns trabalhos
parciaes de utilidade. A situacto financeira
do Estado obrigou o governor a sobrestar na
continuance desse servigo, que por sua natu-
reza exigia longo tempo e crescido dispendio.
Este facto, porem, so inhibe o governor de
escolher desde ja aquellas das novas estradas,
que de preferencia devam ser construidas,
nao proscreve o emprego de outres moles, em-
bora menos completes, mas de igual resulta-
tado.
Releva ainda notar quo o desenvolvimen-
to ara observado no commercio e na industrial
nacionaes, e particularmente na lavoura, e
motive para que o governor procure, sem per-
da de tempo, dar maior impulse a viacao pu-
blica, o que podera alcan~ar concedendo ra-
zoaveis auxilios a iniciativa de emprezas par-
ticulares. Refiro-me especialmente as estra-
das de ferro. Estas sao, porventura, como V.
Exc. sabe, as unions que por emquanto podem
ser objecto de especulacao industrial.
u Quanto as estradas de rodagem, que sao o
verdadeiro complemento daquellas e em mui-


dos e clesigos de ordens sacras, |
- II. Ter renda liquids annual t!o infl>
2005 por bens de raiz, indastria, pa"..-Hm-w
ou emprego. -, .". '.
Art. 15. Sao.excluidici do diU e.
t a r : -. .7
I. Os filhos-famisia qus M :,hsma -


panhia do seus pais. salvo se servirem officios de 1:271330, visto constar da 18 clausula m-
publicos.
II. Os criados de servir, em cuja classes ne9o special do respective contrato que a substituj-
Sentrain, os guarda-livros s primeiros caixei- a0o das ma eiras do elastro da me aonas
ros das casas doe commercial, os criados da ca- setia fets ser eais indeo isalor no caso
Jeaimpria qu ni foom~do all brnco ~ do nlio excoder do 5olo do valor do contrato
isa imperial que nioforemade gals o branch, e na importancia de 20:4535415, o informart o
os admotoLtradores das fozendas ruraes e fa- engenheiro fiscal dessa obra quo foram em-
IIc- ohli iosos o quaosquer quo vivam pregados62 pranchoes, os quaes, postos no
111 comwidadiooe qlaustrat, viamdevidlo lugar, custaram 2:294#000. -- Comma-
em conmm....adoclaustral. nicou-se ao engenheiro encarregado das obras
IV. As pragas de pret do exercito, da ar- geraes.
mada cor dos copoliciaes se comprehena demosignaco Ao mesmo.-Nesta data deferi os reque-
os individucopo pocies aso comprehendem o sevco des rimentos de Joviniano Manta, Domingos Ros-
es individuos alistados pat-a a servwco do
policia, qualquer que seja a sua denonina- si, Cementino Accioli Lins, Antonio Maria de
poli asud mia Figueiredo, Ignacio Ferreira Coimbra, e D.
V.~serventes das reparties e estabele- Anna Alexandrina de Avellar Chaves, a que
.mos puvcoss 0 u 0se referem as informacSes de V. S.. de 31 de
.cinaogtos publicos.
A9.Do process do alistamento dos eleitores agosto e 21 de dezenmbro do anno proximo
rt. 16. Ndia marcado par co rn passado, 18 de janeiro corrente, sob ns.
Art. 16. No dia mareado pars comeqarem 625, 893 e 26, relevando-os das multas que
os trsbalbos do primeiro alistamento dos elei- 6,5 893 c 26, 'revando-os das multas quo
stores, os juices municipes e os juizes do di- lhes impozeram os collectores geraes dos mu-
totes os juices m uni ppaes e os Juizes de di- nicipios de Olinda, Born Conselho, Garanhuns,
eoito, oncarregados de seu prepare, expedirlio Cabo, e polo administrator da recebedoria,
editaes.conyidando os cidadlos que proton- pr infraeo do regulamento n. 4,835, do I1
dam set insctiptos no registro eleitoral, a re- de dezgulamroento n. 4835, do 181.
queral-o no kprazo improrogavel de trinta do dozembro de 18d1
.di.a,. -- Ao mesmo.-Nesta data nego provimen-
Art. 17. Os editaes menIonaro os dias, to aos recursos de Floriano Forreira Paes,
tara s a I Manoel Fernandes Campos e Manoel Felix de
hora e lugar para a aprcsentacao dos reque- Inojosa, pars relevac-o das multas que lhoo
riknentos e serao affixados em lugares pu- n. sa pars rebevaclo das multas quo ihes
blivos. e publicados pela imprensa, ondo a .impozeram os collectors geraes dos munici-
blihouver.e pblicados cla imprensa, onde a pios de Ouricury e Cabo, por infraeolo dow-
De protocollos das audiencias constar gulamento n. 4,83.5, de I de dezembr gbc
Dpa protocollos das audiencias constaro1871, a vista das informac6es prestadas por
dia da expediclo dos editaes. V. S. em officious do 6, 20 j 26 do outubro do
Art. 18.-Nenhum cidadio seri incluido no V S e offices d6 20 26 de outbro do
alistamento dos eleitores sem que o reoueira anno proximo passado, sob ns. 710, 746 e 770,
potr tere:n sido takes recursos interpostos f6ra
singularmente por si ou por procuracao, sen- do prazo leal.
do o requerimnento assignado pelo proprio in- Apro esmo.-Mand V. S ajustar ontas
dividuo, quando souberler e escreverrou p- assar guia do soccorrimento So tnente dotas
lo procurador; e quando nao souber ler e es- 140 batalhifo de infantaria Jeremias de Souza
crever, por um individuo a seu rogo. CarijO, que segbatalo due infantara Jeremia de Souzaergi-
Os juizes de direito o municipaes serao ex- pe, corn licenca do ministerial da guerra, afi
officio incluidos no alistamento da parochia do tratar alli de negocios do seu particular in-
do seu domicilio. tresses.
Art. 19. Cada cidadao no requerimento queo Ao mesmo.-Mande V. S. ajustar contas
apresentar declarara a parochia, o district passar guias deo soccorrimento ao capellio
de paz, o quarteirlo de seu domicilio, provan- tenente reformado do corpo do exercito, frei
do corn documents as condicOes indispensa- David da Natividado do Nossa Senhora, que
veis para quo possa ser inscripto no respecti- obteve licenca do ministerio doa guerora para
vo registro eleitoral. V guorra
Paragrapho unico. As cetides e ou transferir sus residencia desta provincia para
Paragrapho unico. As certid~es e outros a.d rhy .
documents exigidos pars o alistamento des a da Parahyba.
eleitores so isontos d o selo e deo quaesquer Ao director interino do arsenal de guer-
eleitores direitos de sello de quaesquor ra.-Uma vez que foram dados em consume,
outros direit 20, A posse n.a contestada dos direi- attento o mao estado em que se acham os
toArpolitic 20, A possa haveno contestada dos direi- artigos constantes Ido incluso termo de ca-
too politicos, nfio havendo preys era contra- 0aiae ad m.rcle-saes r
rio, 6 sufficient pars que o cidadao, se tiver pacidade, mandeo Vmc. recolhel-as a esso e ar-
os demais requisites para eleito, seja compre- sonal, conform preceitu a o aviso do minis-
hendido no alistamento. toi da guerra, de 11 demarco de 1858, pu-
Entendo-se provada a dita posse polo exer- blicado na ordem do dia da reparticao do
cicia anterior dos direitos politicos e de ajudante general n. 52.-Communicou-se ao
quaesquer cargos publicos police, general commandant das arms.
quArt. 21. A idade sera provada pr meio de Ao mesmo.-Autoriso Vmc. a mandar
Art. 21. A idade se- provada por q ma oto dconcertar urma chaleira de ferro, psrtencento
certidlo do baptismo ou por qualquer outro a enfermaria military e de que trata o incluso
document authentico que legalmente a subs- pedido, cttadqueexistecredito segundo
tituSera di. nada ta rva and d inform a thesouraria de fazendu em officio
dSei diepensada esta prtova quand a cida- dehliontem datado, sob n. 42, pars a despeza
clause achar que s comprefere ndido art. 4 n. 1 eoart.s a fazer-se com o alludido concerto.-Commu-
dclasses a quo s referee o art. 4n. o a art. 56 nioou-se ao inspector da thesouraria de fa-
dae-instt-uccOes. zenda e general commnandante doAs at-mae.
Art. 22. Os juizes municipaes e os juizes Ao adminietrador dos correios.-Drcla-
d direuito Sa obrigados a pasdar recibo dos re a Vmc. emresposta ao seu officio de hpn-
requacompanhamt podendo o recibo ser iqupresso tem, sob n. 34, que. tendo-se procedido em Ta-
acompanha n, podendo o lrecibo s- imprssocarati o auto de perguntas acerca do desap-
pArt. 23. Osderspgachospa-a presntaodoparecimento da mala que era atara alli con-
Art. 23. Os despachos pard apresentao o de duzida, em 24 de dezembro ultimo, p1lo pe,
dcur entos serio proferidos em prazodanue drestedanool Francisco da Silva, torn-s
doareq dinenta do dindispensavel a repeticlo dessa dieigei -
ga querime nests cidade, como Vinc. pede no dito of-
Estes despachos serao lanadtis nos pro- ficila.
prices requerimentaos publicados pr edital. Ao engenheiro ajudantdarepartilo
Art. 24. Para apresentagio dos documents D o onohe.roaudante da pars
das obras publicas.-Providencie Vmc. pan,
seir marcado no despacho do requerimento e eo aman seja illuminado o jar-
no edital a quo se referee a artigo antecedents ci ojdo ouCampo das Prinuezas.
o prazo de vinte dias. irn do am das n co.-
Art. 25. Findo este ultimo prazo, as jutzes -- Ao commandant do corpo d e policia.--
muci s tMande Vmc. ubstituir commandant pa-
municipes dentro de vinto dias enviaro aos as do destacamento estacionado na villa de
juizes de direito todos os requerimentosBoi.
Bonito.
acompanhados de duas relagses, organisadas Ao inspector geral da instruccio pubii-
par municipios, parochias,-districtos de paz ca.-Deferindo hoje o requerimento de Do.
e quarteiroes, corn mos nomes dos individuos mingosMarques da Silva, professor pubtid
que requTereram, collocados por ordem al- de ensmo primario em Capoeiras, declarosui
nhahbet icna fle qarfvtao ires doseus dmici-doesnprnaiem aoiasdcart
phabetica nos quarteirnes de seus domici- Vmc., em resposta ao seu officio n. 288, de 28
lies de dezembro fiado, que permitto ao petiol-
Art. 26. Dessas duas relapses, urna contera nario abrir um curso nocturne gratuito nMo
os nomes dos cidadaos que exhibirem os do- termos do art. 48 do regulamento de 7 de
cumentos legaes na devida f6rma, e outra os abril de 1879.
nomes dos quo nbo instruiram devidamente Ao resident da junta de classificaqe6
os seus requerimentos, par nao terem junta- do escravos do municipio de Bom-Jardim,-
do os documentos le~aes, ou por tel-os jun- Do posse do officio de 10 do corrente, em quo
tado defeituoses, declarando-se quaes as fal- Vmc. expSe a razbo porque nesse dia noes
tas e defeitos. reunion a junta desse municipio, conform re-
Em ambas as relapses farao os juizes mu- commendei em 21 de dezembro, declaro-it
nicipaes as observac~es que julgarem con-quo, 80 receber a present resposta, d6ve
venientes para esclarecimento dos juizes de 4m rounir-so corn as domais mimbros da -
direito, .-,.moorm.a runir-sf Torn or dnmain n ro nnai .


(Coneinda.)

Governo da provincia
EXPEDIENTE DO DIA 26 DE JANEIRO DE 1881


vos trabalhos, de accord corn o meu ,offici6
de5 de outubro, providenciando acres a .
nomeagrao de um escrivio ad hoc, nos termoe
do art. 29 do regulamento n. 5,135, de 13 do
novembro de 1872., caso nio estei'a nomeiado


Art. 1.. s09 trabalhos do primeiro alista-
mento dos eleitores comeqargo do dia que -Or
marcado polo ministry do imperie na cOrte e
poelos presidents nas provincias-
Art. 2. 0 alistamento dos eleitores uas co-
marcas, onde houver unm s6 juiz de direito,
sera preparado em cada termo pelo respecti-
ve juiz municipal, e definitivamente oaani-
sado pelojuiz de direito da comarca.
Art. 3. Quando houver mais de um term
sob a j nrisdiccio de um s6 juiz municipal for-
mado, a este compete o prepare do alistamen-
to nos terms de suakjurisdiccio.
No termo onde nbo residir o juiz municipal
formado, o respective supplente limitar-se-ha
a receber os requerimentos e documents que
lhe foriem apresentados por aqueloes que nbo
preferirem fazer a 6ritrega ao dito juiz muni-
cipal, e a envial-os a este dentro de trees dias,
passando recibo dos requerimentos e docu-
mentos que receber.
Art. 4.-Nas comarcas especiaes de mais de
um juiz de direito, a estes compete o prepare
e a organisagho do alistamento, cada um no
respective district criminal
Nas coarcas especiaes ide um s6 term a
re, peiv~ziuz de direto oGpete iglualme-
tro peparo eda'or'aisaco do alistaniaut.
Art. 5. Os juizes municipaes soerto substi-
tuidos em suas faltas ou impedimentos pelos
respectivos supplentes.
Art. 6. Nas comarcas que tiverem urn s6
juiz de direito sera este substituido :
1.0 Polo juiz municipal effective da sede do
comarca.
2.1 Pelos juizes municipaes effectivos dos
outros terms da mesma comarca, preferindo
nests substituigio os dos terms mais visi-
nhos aos dos mais remotos.
3. Pelo juiz de direito da comarca mais vi-
sinha, isto 6, aquella cuja sedde fdr mais pro-
xima da do juiz impedido.
Art. 7.o Nas comarcas de mais de um juiz
de direito se substituirio :
1. Uns polos outros, conform a regra ge-
ral de sua substituigio.
S2. Pelos juizes substitutes fermados, de
conformidade corn a mesma regra.
3.0 Polo juiz de direito da comarca mais vi-
sinha, no caso de falta oun impediment de to-
dos os juizes de direito e substitutes forms-
dos.
Paragrapho unico. Estas regras de substi-
tuigio serto observadas de modo que os jui-
zes de direito nunca sejam substituidos pelos
supplentes dos juizes municipaes, ou dos jui-
zes substitutes.
Art. 8.0 0 service do alistamento dos eleito-
res, que a lei incumbe is autoridadesjudicia-
rias, prefer a qualquer outro.
Art. 9.0 0 governo da c6rte, e os presiden-
tes nas provincias, em actos especiaes, decla-
rarto quaes os terms e cemarcas mais vlsi-
nhos, afirm de estabeleeer-se a ordem das
substituicOes, conforme prescrevem o art. 6.0
ns. 2. e 3.0 o art. 7.0 n. 3.o
Dos eleitores
Art. 10. Sbo eleitores todos os cidadlaos
brasileiros, que se acharem no gozo dos di-
reitos politicos, e provarem as condicoes exi-
gidas para o exercicio do direito de votar.
Art. 11. Sio cidadlos brasileiros:
I. Os que no Brasil tiverem nascido, quer
sejam ingenues ou libertos, ainda que o pai
seja estrangeiro, urma vez qu, este nao resida
por service da sua nacio.
II. Os filhos de pali brasileiro e os illegiti-
mos de mbi brasileira, nascidos em paiz es-
trangeiro, que vierem estabelecer domicilio
no imperial.
III. Os filhos de pai brasileiro, que estives-
se em paiz estrangeiro em service do imperio,
embora elles nio venham estab'elecer domici-
ho no Brasil.
IV. Todos os nascidos em Portugal e suas
possesses, que, sendo j residents no Brasil
na dpoca em que se proclamou a independen-
cia nas provincias onde habitavam, adheri-
ram a esta express ou tacitamente pela con-
tinuaclo da sua residencia.
V. Os estrangeiros naturalisados, qualquer
que sej a sua religisao.
Art. 12. Perda o direito }de cidadao brasi.
leiro :
.I. 0 quo se naturalisar em paiz estran-
geiro.
II. 0 que, sem licenca do imperador aceitar
emprego, pensbo oH condecoracso de qual-
q'ler governor estrangeiro.
III. 0 que for banldo par sentenca.
Art. 13.. Suspende-se o exercicio dos direi-
tos politicos :
I. Por incapacidade physical ou moral, le-
galmente verificada.
II. Por sentenca condemnatoria a priseo
ou degredo, emquanto durarem os seus ef-
feitos.
Art. 14. Sao requisites legaes para o exer-
cicio do direito de voto, alem do gozo dos di-
reitos politicos :
I. Ter o cidadao 25 annos ou mais de idade;
salvo os casados e officiaesos nliet qute fo-
rem aiones de 21 annos, os baQlkreis forma-


I-


Officious : ainda oescritio da subdelegacia. 0 qu lbhe
Ao general commandant das armas.- tenho por muito recommendado, sob as penas
Ao Dr. chefe de polieia interino eirva-se V. da let.
-Exc. de mandar apresentar hoje e amanhi 8 Ao 10 supplente do juiz municipal e 4
pracas de cavallaria, afim de auxiliarem a orphios do term de Granito.-Ao officio d4
manutenef.o da ordem public durante os fes- Vmc., de 2 do corrente, hoje rocebido, respon-
tojos que se pretend fazer pelo anniversaries do que nenhnm equivoco se deu na distribui-
da restauraclo de Pernambuco. gco da quota do fundo de emancipagio a esam
Ao Dr. chefe de policia; Remetto a V. termo e aos de Exu e|Ouricury; porquanto,
S., para os fins convenientes, copia das infor- sondo ella feita de accord corn a rela^Io da
maqSes que, sob n. 171, me prestou mn 22 do populacio escrava, remettida a esta presiden-
corrente o engenheiro fiscal da estrada de cia corn o aviso circular do ministerio da agri
ferro do Recife ao S. Francisco, acerca do ac- cultural, commercio e obras publicas, de 15
cidente que na tarde de 19 teve lugar na pon- do mi do anno passado, foi esse termo con-
te de Afogados, assim como dos interrogato- templado corn a quantia de 779$493, na razio
rios feitos ao chefe e telegraphista da estacRo de 237 escravos, o de Ouricury corn a do
da Ilha.-Communicou-se ao engenheiro is- 2:506#218 tambem na razao deo 762 escravos;
cal da estrada de ferro do Recife ao S. Fran- deixando de ser mencionado o termo do Exu,
cisco. por nuo ter sido incluido na dita relaqbo.
SAo inspector da thesourari d fazenda. Ao president e vereadores da camera
-Infosme V. S. sobre o incluso requerimen- municipal de Salgueiro.-Pelo officio de 10 do
to que ao governor imperial dinge o soldado corents ezd fico inteiradodhaverem Vies.
reformado Josd Francisco da Silva, pedindo corrente Inez, rico inteiradodehaverem Vines.
reformado Jose Francisco da Silva, pedindo prestado juramento e assumido o exercicio do
pagamento da quantia de 475180, provenien- seuscargos para servirem durante o quatrien-
te do inclus titulo d divide, anexo o dito i de 1881 a 1885.-Iguaes as cameras de In-
requerimento. gazeira, Granito e Ouricury, M resposta aos
Ao mesmo. -- Communico a V. S.. para officios de 7, o a do Triumpho em resposta ao
os devidos fins, que o inspector interino do de 10.
arsenal de marinha participou-me, em officio
de 24 do corrente, sob n. 217, haver, de con- EXPEDIENTE DO SECRkTARIO
formidade corn o disposto no 8o do art. 10 Officios :
do regulamento que baixou. cornm o decreto Aos directores da companhia do seguato
n. 5,6"2 do 2 do inaie do 1874, nomoado o ser-- Indemnisadora.-De ordem do Exm. Sr. prqi,
v ent e Francisco Manoel de 1874 S P nomeado o sr dented da provinoia. accuso o recebimento "o
vente Francisco Manoelugar de porteiro gado parae officio de Vv. Ss. de 19 do corrente, ao qual
me arsenal, durante o mlugar d porteiro do mesfc- acompanhou umrn exemplar impresso do rela-
mo arsenal, durante o impedimento do effec.c toibalanco e .parecer fiscal ftessa compa.
tivo, que entrou no gozo de licenca, condedi- to. i, balancao parecnnor fiscal dess 31 de p-
da por esta presidencia.-Respondeu-seo o offi. nhia corn elaio o ann findo, er 31 d
cio do inspectorinterino do arsenal do ma- zeibro proximo passado.
CIO do inspector interino do arsenal de ma- Aos agents da comparihia bahianna de
rinha. r aeaa ao.De ordeT do Exm. Sr.
Ao mesmo. Remrttendo a V. S. a in- navegagio a vapor.--o ordel do Exim. Sr.
clusa acts, ppr eopis, do conselho de forneci- president da provincial, accueo recebimen-
mento de viveres e forragens ao exerecito, to do ic qieo hontem, em quas, V.chegado da Ba-
acomanhda as ropbta paa aarrma-munica que o vapor Alag~as, ehegado da Ba-
acompanhada da propostas para a arrema- hia e escala, regressara no dia 28 db corrente,
tagio de pastagem f6ra da cidade 6 cavalhadas 4 hors d tad.
da companhia de cavallaiia, declaro-lhe, part -
os devidos fins. quo, deoaccordo ,com a sun --
informacgo n. 39, de 24 do corrente, approve DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DfL 5 DE
a proposta aeoita pelo referido conselhoa, em FEVEREIRO D2 1881
sessao d6 2 deste m, visto se a masas Alberto Fredho -Infom oSr. ngenbe
....a..rs...f a ip~ nal Communi- Fet-o rdholin.--lnformuno a r. engenboi-
psrsidsent-. docoelho a en.arregado do leva qLo do pharol da
c" 416 &a .p.-e.i.d.n.ts. do,,- ..el.Roccas. z
^ fbrnedl 4 I de Al. (0ar8tlina do Maga See t igues.-.Informb
51M BBI!?ra do.obr Al-
te~'-2t-'Ifspotpaa -
raoizva- "V. S. de~sp


t4


I
I-..


I


N











1.


.1


S. ,* ,
* :i*.Js


V-'



























Padre MiguidWieimn|fcrrcu k-.
,AoSr. Dr. administrador-o eonsulan para
attender,
Landelino de Luna Freire.-Informe o Sr.
administrator do consulado.
Jose Beleario Marinho Falcio.-Informe o
Sr. onilsor.
.Jaiz Hap"ta Nogiaira.-Infor=.j 3.Sr. Dr.
aduai radordo a wo.n dlao.
Dc..JoodAsrnrdo ,a&Lv o AJooforado.-In-
famme o Sr. -mtador. I
Comnpauhia Santas Thereya.-PSgue-.se.
Fancisoo de Paula Mafria.-H-ja j usta o Sr.
r. .procurador fiscal.
.Fielden JBrother.-Page-se.
Jrnardo Ferroira da Cnha.-As Sr. par-
tawo para etagar aso imt ressado.
D. Catharina Maria da Silva Motta -Infor-
m ,a ,secao do contenoioao sohre o final da
iwarmaqo da 4a seecoa.
GContais do collector de l'oresta.-Volte aso
Sr. contador para 4declara olppprtunamente
seSfai aecohido oeaaLxo ji equisitado.
Maoel F igaoirOa de Far ia & Filhoa. Pa-
gue-se .auboeaugo do $2 art. 1 da lei .do
ornjamanto na part relative ao mez corrente.
Contain da 128 part da Iptoria da matriz da
Victoria. Volt. ao Sr. coLtador para oppor-
tunawienta decJiarar-ae sabre a entrada do
sado, ct4o recolhirnento foi reqouisitado.
Wilbrto Barreto de Mello Rego.-informe
o Sr. contador.
.Contas da 38a part da loteria do hospital
Padro 11.-Ao Sr. contador para mandar Ia-
vrar tormo de approvaeao.
Contas da Al" parte da loteria do hospital
Pedro II.-.Ao Sr. coatador para mandar Ia-
vor termode approvagio,
D. Maria Rosalina Antupes do Passo. A'
seodo do contecioso paula cumprir o despa-
ch:o da junla.
Manoel Martins Fiuza. A' seccao do con-
tancioso para cumprar o despacho da junta.
Dr. Jose Joaquim de Souza.-A' seccao do
contancioso para cumprir o despacho da
junta.
Francisco Candido de edeiros.-A' seceao
doacowlencioso para cumprir o despacho'da
juata.
Luiz Ignacio de Oliveira Jardim. Certifi-
que-se.
Salvador Barbalho Uch6a Cavalcante.- In-
forme o Sr. contador.
Companhia Pemnam bucana.-Pague-se.
Narci o, Maia & C. Ao Sr porteiro para
eitagar ao interessado.
D. Candida Velloso do Azevedo. Ao Sr.
porteiro para entregar ao interessado.
Sebastiio Jose da Silva Braga.-Ao Sr. Dr.
adamiaistuador do consulad4o para attender.
D. Francisca Guilhormina da Silva.-Certi-
fiqjue-se.
Offieio do Exmn. Sr. presi4iente, dando cornm-
municacao da decisbo a peticao do collector
do Seriuhbem, sobre percepcbo deautcs, quan-
do no exercioio dc ajudante da procuaradoria
dos feitos.-Ao Sr. contador para seu conhe-
cimento.
,Joao Ignacio Ribeiro. Informe o Sr. Dr.
administrator do consulado em satisfacqo
deorequisitado polo Dr. contador.
H. Burle & C.-Haja vista o Sr. Dr. procu-
rador fiscal.
YFraocisco Jose da Silva Guirnaraes.-Haja
vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Fielder Brothers & C.-Pague-se.
Visceadu do Livramento.-Pague-se.
.Padre Domningos Leopoldino da Costa Es.
piaoEsa.-Entregue-se a qjantia de 600)000
product do beneficio da 2a part a. 61 da lo'
teria a favor da matriz de Pesqueira.
--5-
Marcolino de Souza Trarassos.- Volta ao
br. contador.
Officio do Dr. administrator do consuls-
do, remnettendo nota da *rrecadaco da di-
vida active no mez dejaneiro.-Ao Sr. con-
tador para as tins eonven~entes.
Cempauhia Pernambuw.ana. Volte ao Sr.
contador para opportunamie te declarar so-
bre a existencia de debito para pagamento.
Joaquim Januario Nunes da Silva.-Regis-
tre-so e fataan-se os devidos assentamentos.
D. Leobiaa de Barros Lins e Silva. Re-
mettido aso Sr. contador para mandar fazor
as compesentos notas dca portaria do li-
cewca.
Flavio Bezerra Cavwlcanti.- Informo o Sr.
Dr. aumninistrador do coasulado.
Pedro Paulo dos Santos. Informs o Sr.
coatador.
Francisco Tavares da Silva Cavaleanti.--
Iniorme o Sr. contador. :
Joaquim Elias de Mourn. Informe o Sr.
coatador. !
Joao da Silva Villanouaa- Certifique-se.
Francisco Paulo do Soiza Malagueta. -
lforme o Sr. contador. '
" Officio do collector do Bonite. Volt aso
Sr. contadur.
Joae Rodrgues Beirbo -jAAo Sr. Dr. admi-
nistrador do cdnsulado pa|a attender.
Manoel Joaquim de Avellar.-Pague-se
D. Maria Candida de Miranda. Ao Sr.


eantador pa;a maadar juutar copia das in-
formacoes.
D. Caadida Drurnnmmond.i-Ao Sr. contador
paria mandar pagar as devidas notas da por-
taria de licenca.
Otficio do Exm. Sr. president autorisando
a entreoa de 150$000 ao thesoureiro da re,
part;cAo dos obras publicas para despezas de
estuos graphi(co-.-Irformine o Sr. contador.
Oitcio do Dr. .ecretario da presidencia
coraummunicand.i tar o Exin. Sr. president au
torisaio a recissao do contrato do mestre
do miusica do Gymnasio, Francisco < e Pau-
la Noves Seixas, e a celebrueCo de novo corn
Trajano FeJJipe Ndry de Vosconcellos.-A.o
Sr. cojtador para set conhecimento e fins
convenientes.
Officiu do Dr. secretario commuanicando a
ordemn da substitui.io dos empregados da
secretaria da instrucc'ao public durante o
impediment o do respective secretario.-'Ao
Sr. contador para seu conhecimento e fins
convenienteso
Superintendents da Recifeo & S. Francisco
Railway Company. Ao;Sr. contador para
mandar juntar copia das informagoes.
Officio do Dr. inspector geral da instrue-
crio public communicando hayer abonado
as faltas de exercicio escolar da professor
S da colonia Isabel.- Ao Sr. thesoureiro para
oe fins coavenientes.
Officio do Dr. administrator do consulado.
-Ao Sr. contador para os devidos fins.
Officlo do chefe de seceo Manoel Jose de
Campos Barbosa. Ao Sr. contador para
seu conhecimento.
Wenceslao Ildefonso Japiassd e Aragto.
-Cumpra-se, registre-se e faqam-se os de-
vidos assentamentos.
D. Anna Francisca do Espirito Santo. -
*gistre-se e facam-se as devidos assents-
Mentor.
D. Maria Leopoldina da Silva. Ao Sr.
cOntador pars mandar fazer as competent es
notas da pertaria de licenqa.


"MHalado provincial
DESPACHOS DO DIA 5 DE FEVEREIRO DE
4881 I'
k rancisco de Paula Penoa.--A,' i seeAo para
attender ao supplicantse na f6rmaa reqeida.
Francisco de Paula PeaM.-A' I Secro
para al:ender ao suppliconte no f6rma "qns.
rids. '-
Fiaiacisco de Paula POna..-A' IM 1 M.
-para atteader 10 anq icNa fL fLa'.i-
jla.
G omws Aguto EOW4 ."
ofdo da o mrdo vpao
l ,Owio oiro & 0.a v~ffd w
gwomato do iimposta. 1


IMRJ.O PI.t .
RECLFF. 9 DE EVEUI3O
Noticias do Pacific, Rio da Pra-
ta e sul do iaWperio
Pelos vapores inglez Cordiller e bIasileiro
Mandahba recebemos jornaee e cartas corn
datas : do Pacifico 11, do Rio de Prata 27, do
Rio Grande do Sul 24, de Santa Cwtharmra e
Parana 25, de Miorss Gerae 27, do -S. Paulo
30, do Rio de Janeiro 31 de janeiro, da Bahia
3, de Sergipe 1.0. e das Alagoas 5 do or'eu-
te. Eis o que dellesoolheinos:
REPUBLICAS DO FACIFICO
Eis a part official do general Manoel
Baquedano, commandante em chefe do exer-
cite chileno, aceroa da tomada de Chormillos :
SA campamento de Chorrillos, 16 de janeiro.
S- r. prnsidente.- OB dias quoa se seguiram
ao desembarque deste exercito em uurayoo
empreguei-os nai distribuicao de viversee e
municOes pars emprehender a marosha, em re-
conhecimenntos que deviam permittir-me fi-
xar as posicaes inirmigas e f6rmar um piano
convenient.
a Terninadas estas operacses no dia 11,
resolve partir a 12 pars acampar em frente aso
exorcito inimigo e dar a batalha na madru-
gada de. 13.
SAs posicUes por elle occupadas estendiam-
se deede Bella-Vista ate Monterico.
( Todas as alturas estwvau, domiradas e
refotbrcaas por fossos e trincheiras.
a A primeira divisho foi designada pars
atacar a direita do inimtigo.
A seguada, para atacar o central em di-
ragoo a San Juvm, e a terceira par a appear
as anteriores e impedir a vinds de. refotbrcos
do lado de Monterico.
a A's 5 horas da manhn as forcas da pri-
meira divisbo rompiarn o fogo, seguaindo-se
mais tarde a segauda. 0 combat durou
hora e meia e foi renhidissimo. A divisbo
Linch domino as pirneiras alturas, apode-
rando-se dos reductos fortificados, pela volta
das 6 horas. Nesse moment caTregos a re-
serve commandada por Martinez, afirm de
apressar o desfecho.
a A's 7 horns o inimigo, j, forgado em sons
ultimos entrmincheiramantos, maafestou aua
derrota, continuando sem embargo o combat.
A's horas nossa victoria ema complete. Em
Chorrillos e nos cerros artilhados que se es-
tendem aso sul continuaram a resistir uns
oito mil hornens que alli se eooncentraram.
SCorn esta- fotbrasenapeanhaimos am segun-
do combat.
a Foi necessario desalojal-os deo cada uma
das russ o de cada ama das casas do povoado
e das alturas quo dorinavan. I
a Este renhido combat duroa Ate 6 4-a6
chores, moment em que torwAsa a batafta
comn urna victoria quo nos d. a posifie de
toda a linha inmmiga e das. pe"o es de
Chorrilos e Barrananas quaees m oonse-
quencia de sua resistenoisa fram inoendiadas
e deFtruidas.
a As baixas do inimigo nesta batalha exce-
daem de sete mil hemens, ficando em 6tosso
poder 1,500 prisioneiros, mats do 60 pegas da
artiiharia e metralhadoras e urma quantidade
de armament que nao posso detorminar
ainda.
c Na tarde de 13 e no dia 14 culdei dos fe-
ridoa e tratei de organisar malnhais foraa.
c Ao maesmo tempo adoptava as disposi-
coes convenientes para batter o inimrigo em
Miraflores, que era sua 2.a4inha do defeza ea
o lugar ond e se reorganisavam as forcas dis-
persadas na batalha do dia anterior.
v A's 2 horas da tarde recebi no mrn acaim-
pamento urma communicacio do corpo diplo-
maltico de Lima em quo so me pedia urma en-
trevista, quo conceit.
SIgnorando qua propostas iarn ser-nos fei-
tas, resolvi adiar o ataquae ate depois do as
conhecer.
e A's 7 horas da manha do 15 apresenta-
ram-se o decano do corpo d4plomatico e os
ministros da Franca e da Inglaterra a podir-
me proteceso para os neutraes residents em
Lima. Accrescentando que coma o governor
do Peru pedia algum prazo para fazor pro-
postis ociosas neste sentido, alimontavam
a esperanca de que se realisariam, poupando
maitr derramamanto de sauguc.
e Depots de madara deliboracao promette-
mos na0 romper o fogo nesse dia e esperar a
resposta ate meia-noite.
Como esta especie de arinmistici nao en-
volvia outro compromisso, centinuei a tomar
as ,ninhas medidas parao acomoate.
SA's 2 horas da tarde estavam designadas
as poasies que devwam ser occupadas pela
divisao, quando o inimigo emboscado 4 carta
distancia fez fogo sabre os grupos em que
nos achavamos ou, o chefe doeestado-maior, o
general ,ninistro e as ajudantes. Mementos
depois o fogo era geral em toda linha. Deu
isto occasiso a iniciar-ne urna nova e anima-


da batalha, na qual tomaram part principal-
mento a 3.a e a 1,*'divis~es e quo durou ate
as 6 horas em poanto. As posicoes do Mira-
dores que cahiran em nosso poder cram per-
feitamente dsco0kidas porque as numerosas
tropas diffieultaram o movimento dd nossas
forgas. Saem embargo o impeto de nossa in-
fantaria desalojou o inimigo que foi perse-
guido ato as suburbios de Lima.
t Corn esta 2.' victoria o exercito inimigo
ficou completamente desfeito. Nn batalha de
13 bateram-se 25,000 inimigos; na de hontem
15,000. Os restos organisados nao chegam a
3,000 homes.
Hontem a neite acampou o exercito nas
cercanias de Lima, e dispunha-me a comecar
hoje o seu bombardeamento, corn previa no-
tificacao feita ao corpo diplomatic, quando
este me avisou que alguns de seus mombros
viriam conferenciar commigo.
a Effectivamente apresentou-se-me hoje o
alcaide municipal do Lima, acompanhado dos
ministros e almirantes francezes, inglezes e
do commandant das forces navaes italianas
para pactuar a entrega de Lima. Exigi qua
fosse incoadicional e assim convieram.
a A entrada de umarpa ate de nossas tropas
re realisari amanha 17.
(( Em Callao ficam somente 1,000 homarness e
ha quasi certeza do que se renderlo dentro
das primneiras horas de amanhi.
SAinda me nao e possivel precisar o alga-
rismo de nossas perdas em ambas as bats-
lhas; entretanto astimo-as em 600 mortos e
2,00L0 feridos.
a Quando enviar a V. Exc., a part circum-
stanciada das batalhas de,13 a 15 procurarei
manifestar quanta se distinguio o exercito
qua combateu debaixo de minhas crdens
Por, emquanto limito-me a annunciar a V.
Exe. qua, tanto os chafes, como as offlciaes,
rivalisaram em zelo, procurando collocar-se a
altora da grande e honrosa misuao que nos
OW t.a o paiz. Devo ccrermentar que a
t. t tLbsdhad d, 13 coube a

%A9me-


p5 UrU im 8l io ,'


.81 d i si6t.. ^.*
_o Dopois do Lima, cahio Callio em poder
do exercito invasor. 0 commandant do
Sviso fsmexs.Hdsard, lbega-p B A.&CMes, dliz
a pe orprusnos detruram -as ffrttftw es
,d Colima I i m-p~a"M Ns -coset, UsY w -
metterIm tA D mentor .StAuaipa.
a Os 9Mf s-m'ftntamem-i'CWfe.m eu-
eontrar resistencia, por tarme debmuda&. o
ei.rm to p.oraumnioWit de 9,09-hmeas,. qae
alii astava. I
a EsmOl000 hoamens, no aoto de debwida-
rem, commetteram graandoes deamrdens ro-
peliipan, a asama-loa, a gamwrdaurbanam. e
cocapoeta do estrangeiros, .twe da t j.ar
muito. dellee.
c 0 coronel chileno Lino foi nomeado ,fe-
foaito de Callao.
0 gOeneral IBOaquidano achava'-es eam Chor-
rilhos eomn parts do eorcito ohileno : o reoto
estaa em CaUlao e Miraflores.
Con.vdm accresoentar qua ao Chilenoa, lo-
goVlpois da tomada de Lima, docararam
qua CaLao deveria ser-lhb m entrgae:soem 4om-
diqfgea4 bern assim os vasos do fi g
trmanpatmu surtos alli, e quao eigir[a -
mdiitatmenks iudemnisaclo por qualquat a-
vio qua os Peruanos mettessem a pique.
De telegrammas chilenos. que alcagam
atdiI., conata ne Chorrilhos, Barrampoo e
Miraflores flcaram completamente destruidos.
A rurvets Union f6ra post a nacb corn
part sda pOpa queimada.
A maio, parteaos canhSes dos fortes de
Calldo estavam em born estado.
NIo so confirmaw a anoticia recebida em
Santiago, doeue havriaapparecidoeem Tarapa-
cd urna torga boliviana compoata de 1,600 ho-
mens. commandada por Carrasco.
Afirma um dos despachos a que nos refe-
rimos,que em Chorrilhos fora exterminado
um batalhlo garibaldino compost de ita-
liamnos.
Apparecera em Lima o primeiro numero
de urn Ailio cehileno com o titule de Actua-
dad.
Sahiro de La Paz (Bolivia) o ministry Bap-
tists, nomeado para substituir o ministry
Quijarro, acreditado perante o governor ar-
gentino, o qual regressa a sua patria para
desemponhar o cargo de ministre da fazenda
no governor do general Campero.
RIO DA PRATA
El Plata, noticiando oui artigo editorial, a
derrota dos peruanos, accrescenta :
( A Republica Argentina nuo quiz ou nao
p6de interpdr-se entire o vencedor e os yen-
cidos para center a victoria dentro dos limi-
tea marcados pela lei dns naces e peles inte-
resses da America.
t Ainda quando todos as argentinos te-
nham a alta philosophia do general Mitre,
nao dei&Aa a catastrophe de Lima de marcar
Darat ejs' dma hora do abatimento national
o do e ndes preoccupacoes patrioticas. 0
nome de Sadowa estari em todos as labios, e
se pensarL naquelles dias de angustia para a
I'raia, -quaado a AlUemnha esmagava e hu-
Il^jjaW a Austria, abaudonda ds Europa,
akupanciando a hora em qua a Franca se ve-
Ti m4bmbiem abandonad disante do podaer ger-
t'Rspubliea Argoeabina, o general Roca
tete'laga confeorencia corm as seus ministros,
'segutg) se disse, para resolver a res'peito da
'attfttde que o gotwnc devita tomamr depois
3 ltimos sumcesses no Pacifico. sent qte
trhnspirasse nada do que alli so passara. Cn-
tretotinosaegurava-se que ia oer convocado
extraot"ra mnente o congress, para deli-
berar aobfe questOes internacionaes que se
derivam da guaerra ehileo-pera--b'livriana.
SI* se confirmon o boat fs convIfo ex-
tr rdinaria do conresswp trgentina "
A oPlnio geratl el Buenes-Ayres, iuilusi-
ve o Diario Official, d qute agora ha menos
probabilidapes do que dantes, de urns guerra
corn o Qhile.
Funda-se esta opiniio em que o Chile re-
solveu em territoriosdo Peru e da Bolivia o
poublema quo queria resolver na Patagonia,
e necessita da paz para cotasolidar sua in-
fluenci.
O governor atgentano estabhleceu, per urn
deereto, o premio do urn peso forte a cads
soldado quo do tires tiros seguidos acertar
dons no alva.
-- A junta do saside do Montevideo, depois
de discutir largamente as noticias do bole-
tim sanitario do Rio de Janetro, assentou de
manner a quarentona de seis dias.
o ministry do interior pedio sua demiss.o.
RIO GRANDE DO SUL
Na capital continuava o process de forms-
cao do culpa aso aecusados coma autores do
roubo do banco da provincia.
A classes typographiea de Pelotas pretendia
fundar entree si urna associacso de soccorros
mutuos.
levorla seguir brevemente para a Camps-
nha o Sr. marechal Messuita. commandants


das arms da provincia, acomp~nhado de seu
ajudante de campo capitfio Andrade Neves.
Em Jaguarho f6ra levantada a cumieira do
edifcior que so estU construindo pars a enfer-
maria railitar da guarnicao daquella cidade.
Falleceram, na capital, o coronel Antonio
Joaquim da Silva Mariante; e em S. Joao do
Montenegro, D. Maria Magdalena Schreiner,
corn 83 annos de id.ade, deixando 11 filhos, 64
netos e 24 bisnetos.
Na capital, realizara-se a inauguracio dos
trabalhos do nova edificio ende deve effec-
tuar-se a exposicao brasileira-allemri, no dia
10 do outubro do corrente anno.
A alfandega do Rio Grande renders da 1 a
16 do correite, 139:136$972 e a mesa de ren-
das 25:472#258.
SANTA CATHARLNA
A empress de bonds apresentara um
novo carro do system usado n'esta curte.
Na villa de Curltibanos, o Dr. juiz de direi-
to Antonio Pitanga convocara urma reunilo
de todos os chefes da familiar para adoptarem
medidas tendentes a estabilidade de urma es-
cola public pars cada sexo, e resolveram
abrir urma subscripcao para augmentar as
vencimentos dos professors, afim de encon-
trarem quem queira occupar takes cadeiras.
PARANA
A presidencia mandara abrir concurren-
cia para contratar urma ;rede de carries de fdrro
urbanos de bitolas estreita e traccao anima-
da, para passageiros e cargas na capital.
MINAS GIERAS
0 Dr. Leite Morses, president do Goya&.
segulo effectivamente para o seu destiny, na
manha de 13, deixando em Uberaba muitas
sympathies,
Na vespera da partida aceitou um jantar,
que Ihe offerecera o Dr. Thomaz Pimentel de
Ulh6a, Manoel Capa Branca, Florencio FaTi
nesi q.GAspar da Silva.
0 governor provincial designou a pri-
meira dominga de marco (dia 6) para o pri-
meiro alistamento dos eleitores deflaidos no
art. 2.'.
S. PAULO
Na madrugadn de 27 cahira sobre a ca-
pital uma chuva torrencial, qne durou
perto de eis boras, diarcando o pluviome-
tro cerca de 12 centimetros. As aguas
dos Riachos e corregos cresueram consi-
deravelmeote.
0 president da provincia sanccio-
nara o seeuiate project da assembl6a pro-
vincial:
a Art. .0 Todo o escravo que 40 dias
dtpois da pbHicaCo desta lei, no journal
qae publica os actos officials, entrar para
r60vii sera em vista de doctmentos
4n iDcalado dna collectoria provisa.
r municio, em umr ipiv
-i, c -u
K i


S:O0wl! 1 n a"d.,.bancario, 22 1/4 e
A. viola& das ditpsiobe 28 5/16 d., particular e sobre ,Franca a
d0 ae 2 sjeita A WUl de... At por franocbmcaria,-a 426 e 42.
aescrav o, k particular. I
atricula. t0 mQvimetBdlaMka M gligdhL. ,
o isentos o Ilpigne 4 : t Fbra da IBft volrahtla 0 *
triculas de es qupqt rr k do Banco bs a W; a SMI.-
cc itima vierem ayNenoW a -,de Cartis U'laDsW(e 2*e& feu I
oas )tes na probi. &Awontade do Nr ) a v1 4S l"
(2.0 atriculas dl*SC tet- bfts (a dinheir* USi050O la dtit-i
adore actualmed MI M gstaMe-t f Locomotora 'Ml I" ld4" a i. -
inoento ; la na prwtfha, 'provanflO a As vendas de caMf conbeclas ate as
estes quae os adquiriram em data anterior 5 horas da tarde eram de 10,321 saccas. D
i lei e Sabiram p ra Pernambuco a 26, a
3. As maltrieiuf dt escravos que barca americana Isaac Hall, e a 30, o
ft~rfipinftf Aw- sembom Weoni iouo tgar Fester.
destiaado a .se seaioo doamnesticoo, Do aJA.
eicedemddee tires. 0 Dr. chefe df .pdlldia expedio a se-
Mstes, por6m, ficaro suijeitos awpaga- guinte circular is autoridades policiaes da
mento da maldicula se forem aul'enados provincia.
porqualqutr forama ou alugados. ct Secretaria da policia da Bahia 27 de
S.AITL. 5.o A 4inportanciada matrionla, janeiro de 1881.-2.4 secao.-Circular n.
e malta quando hoever, seri dividada emr 7.-Tendo sido designado, por acdo da
doas parte iguaea, censtituindo urea ren- presidencia da provincia de t9) do cor-ren-
da provincial e mifc srwvra para former te, o dia 4.C de marvo proximo futuro,
pecoie -do esoravo nos termos da lei le para con-eqo nesta provincial dos trabalhos
28 de setembro de 1871. do 1. alisLtarnamento a que se tern de pro-
Art. 6. Fica o president da provincia, ceder em cumprimento do decreto n.
no regulameato que expedir para execu .3,( 29, deste mez, e abstendo-se o go-
.do desta lei, autonrisado a inepar multas verno de intervir por qualquer modo no
alt 500500. process da qualificaco e no pleito elei-
c Das multas impostas pclos agents toral, pensameato este que a presidencia
fiscaes havera recurso para o presi- da provincia e ea estamos no lirmepropo-
deMte sito de respeitar, recommend por minha
Consta a Provincia de S. Paulo, part a Vnm. que oni se negue sob pretex-
que a assemblea provincial vai ser adia- to algamrn a rajistrar os esciarecinento
da, a pedido de alguns de seus memr- qoe de Vm dependerem, fazendo igual re-
bros. oommendacdo aos subdelegados do seu
RIO DE JANEIRO termro, para qua os trabalhos do referido
0 Dr. J. A. Fernandes de Oliveira alistamento sejamn a expressao genuina da
solicitou a exoneraCo do cargo de verdade ; visto como sera elle a base car-
promoter publico da c4rte, para o qual deal da eleigdo, que devera correr emn ple-
f6ra nomeado por decreto de 5 de abril na liberdade.-Deus guard Vm (Assigna-
de 1873, e que sempre exerceu de urn do) o chefe de policia, Manoel Cnetano
modo digno de louver, de Oliveira Passos. v
0 governor imperial oomeou o pro- Chegiara do Rio de Janeiro a corveta
fissional Jamin para representar o Brasil brasileira Guanabara, sob o commando
no congress minternacional de Paris, onde do capitol de fragata Joaquim Leal Fer-
se tern de discutir as diversas applica5es reira, cornm a turma de guardas-marinha
da electricidade no corrente anno. Esta de 1880.
noweado 6 feita por haver o referido pro- 0 Diario da Bahia diz o seguinte
fessor tornado grande interesse por tudo acerca do servico postal urbane :
quanta entende cornm o progress scientifi- c Do dia 5 atM6 3 de janeiro transita-
co e prosperidade do Brasil. ram pelas caixas postaes na cidade 3,012
0 Sr. ministry da agriculture rece- objectos de correspondencia, send :
beu do Sr. Julio de Villeneuve, represen- Officios 13
lante do Brasil na exposicao international Cartas 915
e industrial da Republica Franceza, um Jornaes e impresses 73
project de convenno para regular a pro- Bilthetes postaes 2,011
priedade industrial, e ao qual devem
adherir as potencias que concorreram ao 3,012
mesmo congress. K Deixaram de ser entregues 161 bilhe-
No dia 25 realisou-se a visit do Sr. tes postaes, send:
mioistro da agriculture As nascentes da Destruidos par immoraes e
serra do Tingua. insultuosos 81
0 trem patio da estaco do Caji as 7 Por deficiencia de endereco 80
horas e 8 minntos, parou em Pilares e na __
Pavna para receber agua, e chegou ao 161
Brejo as 8 h. e 45'. c Estes 80 bilhetes ,postaes que deixa-
Foi alli servido o almoco, partindo de ram de set entregues por deficiencia de
novo o treem s. 9 borbs e 40 minutes, endereco, so classificaram do modo se-
chegaado ao Mangango as 10 1/2, onde o guinte:
Sr. ministroada agricultura e diversos con- Por nao serem encontrados
vidados, depois de pequena demora, moa- os destinatarios nos ende-
taram em animals quoa deviana leval-os reos indicados 37
ate a fazeada da Cacthoeeira, propriedade Por serem dirigidos para
dos herdeiros de Jose Antonio Sabino Da- pontos da cidade oede
masceno, e qtie flea situado a 1 1/2 ki- nao ha servivo urban
lometro do tramway. (Rio Vermelho, Brotas,
Vio S. Exc. a cachoeira Sabino na altu- Monls9trrat, etc. 29
ra de 85 metros acima do nivel do mar, Porfalta absolute do endo-
ponto em quo ella se subdivide em tires re o 3
ramos, dando urea despeza provavel de 10 Par mal dirigidos para fora
.,.;Iik~, IA Ijtrio Ej,.p0 a~- dn>n~inna Cidado 11


lllwum I tUU ltAubi .1o<. Ij O oJuLIjUUI G a z
kilometros do encanamento.
Foi visitada em seguida a cocheira da
Boa-Vista, qu e 6 de difficil acoesso e a 155
metros acima do nivel do mar apresenta
um volume de agua para uma despeza
provavel de 11 milhdes de litros.
Al6m destas existem na mesma fazenda
a cachoeira do Cabodo, corn um volume
'de agua pouco mais on menos como as
duas anteriores, e mais algumas menores
quo. por falta de caminhos e ser ja um
pouco tarde, nao foram visitadas.
0 Sr. ministry encarregou ao Dr. Borja
Castro de estudar todos os mananciaes da
fazenda da Cachoeira e mais alguns outros
da fazenda do Dr. Souza Lima, entire as
quaes existed urma cachoeira cujo volume
6 provavelmente igual a da fazenda da Ca-
choeira.
Todas ossas nascentes vao despejar-se
no Iguassi.
Regressaral o Sr. ministry e convida-
dos a fazenda da Cachoeira, as 2 1/2 da
Larde, onde foi servido urn delicado
lunch. A's 1/2 da tarde embarcou o
Sr. ministry e mais pessoas, chegando as
7 horas da noite a esta Lemos n Cruzeiro de 30 :
SConsta-nos que par decreto de hon-
Lemn foi nomeado 2 escripturario da con-
Ladoria de marinha o Sr. Jos6 Maria Fer-
reira. .
c Consta-nos que por decreto de hon-
tern foi nomeado V" escripturario da con-
tadoria de marinha o Sr. Antonio Pedro
da Silva. v
c Par decreto de hontem foram appro-
vadas pelo ministry da agriculture, as
instrucc5es propostas polo director geral
dos carreios pan o servipo dos carteiros
do mesmo correio. ,
A curveta Vital de Oliveira chega-
ra a cOrte, de volta-4a viage% a China,
no dia 2& do passado.
Na assembl6a geral do Congresso
Brasileirl tomaram posse dos cargos para
que foram eleitos as segnintes Srs. :
Presidents, Jose dos Santos Carvalhbo '.
vice-presidonte, Joaquim da Costa Reis;
I1 secretario, Affonso de Lamare; 2 dito,
Ursino Carneiro; tbesodreiro, Antonio Lo-
pes Pebegueiro; procurador, Joao Alves
dos Reis; bibliothecario, Victorino Ju-
nior.
ConAelheiro : Joaquim Candido Guima-1
raes Junior, president; Paulo Toledo,
secretario; Oliveira Lirio,- Virgilio Ca-
bral, Cotdeiro Dias, A. Barreiros, Aurelio
da Silva, Ramiro Dias, Antonio Sousa,
Thomnaz da Silva o Baptista Machado. *
Eis as noticias -comiterciaes da ul-
tima data:
c 0 mercado cgntinuou hoje pouco ac-
tivo,, mas parese mait firm.
a ONew L6Ondoa and Brazilian Bank alo
affizoa tbeba: o 0n 0sh s o Coamuer-
6a4 mdaram MOg1tmOi a :' .
LOndtes221/8d., aw90d/v. .


80
t Administragao sb recebeu duas recla-
magSes sobre demora de entrega. Uma
injusta, pois a falta foi do remettente;
sobre a outra protidenciou-se. D
No mnez de janeiro arrecadoun:
Alfandega: rendimento geral 733:1540927
Idem provincial 93:863027
Recebedoria provincial 6i:1051 60
Recebedoria geral 34:72003561
Corn destiny a Pernambuco, pelas
escalas do costume, kestava annunciado
para sahir a 5 do corrente, o vapor Pene-
do, da Companhia Bahiana.
No dia 28 de janeiro chegou, pro-
cedente de S. Vicente, corn 17 dias de
viagem, a corveta a vapor da marina
russa Vestriek, commandant Avelan; ;
de forca de 1,300 cavallos, monta 7 ca-
nhWes, e tern 189 praras de equipagem.
Ao fundear salvou a terra e ao chefe da
estateo, no que foi correspondida [pelo
forte de S. Marcello.
Segue para o Cabo da Boa-Esperanga.
SERGIPE E ALAGOAS
-Nada dizem os jornaes quo mire-
Qa menQao.

REVi A DIRIAII

Professora public Por portaria da
presidencia ifa provincia, de 5 do corrente,
toi reiaovida a professor public D., Ignez
Barbalho Uchoa Cavalcante, da cadeira do se-
xo feminine de Panellas para a do Brejo.
Secretaria da presidencla-Dessa re-
partic.Io nos foi remettido o seguinte para pa-
blicar:
a Delegacia de policia do term de Born
Conselho, 29 de janeiro d 188L1.-7Im. Exm.
Sr.-Tendo-me o Dr. jniz municipal deste
term, requiaiUdo do ordem do V. Exo.' a
prislo de Lourejio Carvalho de Araujo Ypi-
ranga. em offlib reservado do 27 do corrents,
pela mesma antoridade entregue pela manhi
do hontem, fui iiamediatameato a residencia
do mnesmo Ypiranga, nests villa, onde se sup-
punha estar, e, ahi o encontrando, intimei-
lhe a prislo, ao que nenhamina resistencia op-
poz, declarando-me que estava disposto a se-
guir todo e qualquer destiny qu e lhe dessem.
c Condazido por mima asiala das audiencias
a presenga da referida autoridade, o fiz reco-
iher a cadeia desta villa, nio havendo altera-
gio alguma da ordem publics, nem sd na
villa como em suas dependencias, a excepcho
do agparecirnento do celebrt; criminoso" Cabo
Preto, na Cruz de S. Miguel, d'aqui distant
7 leguas, o qubl se retirou pars a provincia
Svisinha, confoIme j, tive a honra do partici-
par a V, Exe, em meu officio de 26 deste mez.
E quando hontem a noite recebi o officio re-
servado, quo V. Exc. se sdrvio dirigir-me em
20 deste mesm'o mez, sobre a priago de Ypiran-
ga, jit pela mani hAvta eumprido o. qua ex-
pIndidoflca. Detis guard a V. Exc.-Illm.
e Exm.,Sr.-Dr. Franklin America de Menesoe
Doria. dignissimo president da proyinclia
-0 dele'ado, Jos Geraldo de ,Lima.
Soclew Aw&mfnixd11 omr mA Ar1ultu-.
ra-No dis 8 3do rretat a"e s.e a 4"lb_
ciedaeS, devid4utuane toruM p6k so"o
da supeurtedi, wia. umig am* o*t. Jieg
aaao doWl%,R ii.Miftl4SS^04YS
sanho de 18'^, qies eaoinwrffu ft a^


A:4.hIw UWW flUaw rifpea Bfc,
gai-se-ha. f!M !" mbi Wftha 4|^hlaao<*
ciedade Auxiliadora da Agrieallura, deoW- ..
ceder a acquisiao das se Lntes, plantSW4
machine pessog[ s8is que tri-
tM aos0 rQ1s 1 le. lirde n.
1,459, eAkAa utiM 08o 0s0 aob a ,.
41iverslfctmas e alietl 00 B .
* govMm kaprovkt ofnil por do nor-
fento i4 6
Lu"* eeeste ih~i .^^||eeniuaidi
Lop f-tfH^-a a lli!o.dl pll1| dndea
ala. mtirainianad a ho e de-
dWoMM1 q^an ar Bashwtti W OOacto
delfberacao ao conselho ad ij wU
project fundamentado dlP l .'405
funds disponiveis no semmre Ms-
tre as quatro verbas-expediente, i ..
de sementes e machinas-utLtilisan g ege-
'rego as MneaMs--nsftO 4e 1pve w -
mo em folha.
( Por excepoo, 'o a S b.Mt lespmaas
do 2a semestre de 1880-1881 .se apreo
nos 15 dias qua segdirem 6 assl~natui.o
presented accord. .a
SC.-Approvado que seja q-J-Bfl
camento, pudera o Sr. Joio ra
precedendo accordo coi a-es sipe-
rintendencia ou do conaselho, ad i lratvvo
delegado para este isa,.Vc ad4i .MME
limits das verbas approvadas e duas eondi-
cqes do contrato colebrado com aresideeDcia,
a todos os actors teadentes a consecugo dos
fins da supracitada lei e contralto.
S D.-No csoe de &iverpanciea oete Sr.
Joto Fernandes Lopes e o delegado da supe-
Tintendencia, decidira, o gerente. da socie-
dade.
( E.-Tolas ae dexpezas, feitLas de conftr-
midade corn as uisposicOes aeima, meio I -,i
gas pelo thesoureiro da sociedade mediante a
entrega do document justificativo, no equal
vira declarado a verbal pela qual corre a des-
peza u deverA ser assignado pelo Sr. Joao
Fernandes Lopes e levar o visto do delegado
da superintendencia.
( F. -Corn a mesmina formalidade fari o the-
soureiro da sociedade us adiantamantos neces-
sarios as-'despezas do ongajamento da opera-
rios e outros, cajo pagamento nio pode ser
demarado.
( G.-Fica entendido. que o present accor-
do nAo implica subrogac5o Ilguma na pessoa
do Sr. Joao Fernandes Lopes dos direitos e
obrcigm^&es quo resiaitam pars a sociedade, de
seu contrato corn o governor da proviricia, fi-
cando salvo a mesma sociedade o direito de
reserrar, DOS .orcamentos seminetru qual-
quer quantia para applical-a a. qualquer das
incumbencias resultants das clausulas 1, "2'
o 3a de seu contrato corn o governor da prOvin-
cia, que julgar convenient desemaponhar di-
rectamente e ficara ipso-facto desligada des
que so attribuidas de urm modo geral ao Sr.
Joao Fernandes Lopes em virtude das cla-
sulas precedentes. )
No Tnesmo din, verifleouase, sob a prosiden-
cia do Sr. Barko do Sorinhuem, a sesslo ex-
traordinaria do conselho administrative, con-
vocada sobre indicacao do Sr. major Joao Ma-
noel Pontual, para tratar-se dos prejuizos 6
incommodos, que acarretou na safra actual,
para todos os agrioultores da part da provin-
vincia aitravessada pela via-forrea do S. Fr-
cisco, e corn especialidado par& as das 3a e 4*
seccoes da mesmna estrada, a irqualificavel
demora h'vida no transport dos assucartes
das esta5es do interior para a de Cinco Pon-
tas.
0 Sr, major Joao Manoel Pontual, depois de
mostrar o estado em que so achavam e ainda
se acham corn pauca melhora as estacoes aci-
ma da Escada. atulhadas corn saccos de assu-
car, que invadiram as salas de bagagem e de
passageiros, e por fim amontoaram-se nas bi-
qneiras das estacoes expostas ao tempo e aos
arapios, o vexame dos passageiros e suas fa-
milias, privadas das indispensaveis sallis de
espera, o atrazo dos senhores de engenhos,
obrigado a parar corn a moagom em conse-
seqenceia de demoras no traaspoate detieus
assucwres, qne cbegaram a exceder'de 15 difs
Os prej uizos que dahi resultaram ifara a agtl.
culture, acabou por pedir providencias em
ordem do se nao renovarem factors tlo anor-
maes na safra de 1881-1882, e, altribuindo-of
a faita do accommodac6es na estacio de Ciii-
co Pontae e do carros o locomotives, lembrou.
o alvitre de representar-se corn urgencia aso
governor imperial para delle obter as acores-
cimos indispensaveis na. acima citada estarto
e o augment do material redante.
Discorreu sobre o assumpto o Sr. secrete
rio geral H. A. Milet, mostrando quo a causa
do real residia na iusufficiencia do material
flxo e rodante da via ferrea, quo, estabelecido
pars acommodacao e transported de 86, ou 40
mul toneladas do assucar no podia deixar de
serdeficiente em presence de urn augments
de 20 mil toneladas, reafisado noeuratO inteo-
vallo de duas safras ; estabeleceut que a ad-'
ministracao da estrada fizera tildo qote eta
possivel com os escassos meios de que. dis-
pusha para dar conta da dispropositada ta-
ref's quo lhe era imposta por eitcutmstftcias


atd certo panto imprevistas, e concluio pro-
pondo quo so pedisse ao governor imperial,
em termos geraes, o augmento do material
fixo o rodante da lia ferrea, visto n o ser a
estacio das Cinco Pontas a unica que precisa
de augment e existir a mesma falta de ac-
comtnodavoes na m6r part das do interior,
onde mesmo em tempos normaes o vasilhame
destinado no transport da aguardente e do
riel, assim como estes mesmos generous esta*
gam-se expostos ao sol do verao.
Seguio-se urma discussion, na qual tomaram
parte, aldm dos precedentes oradores, os Srs.
barges de Frexeiras e de Serinhitem, Drs.
Francisco do Rego Barros de Lacerda e Ma-
noel do Nascimento Machado Portella, e go-
rente Dr. Ignacio de Barros Barreto, sendo
aflnal approvada a proposta do mesmo ,&.
para que a seccao da superintendlencia fosi
entarregada, na forms dos estatutus, de redi-
gir e encaminhar corn toda a brevidade uma
Srepresentscao no sentido da proposta do Sr.
major Joao Manoel Pontual e das observacoes
feitas pelos Srs. barges de Serinhlaem e Fre-
xeiras, Dr. Portella e engenheiro Milet.
Decidio-se tambem, sobre indicaclIo do Sr.
Dr. Portella, que fosse remettida ao governor
imperial a amostra de feijio-cafe, vinds da
villa do Bonito; que fosse entregue ao Sr.
Joao Fernandes Lopes, para as convenientes
ensaios, o cimento de ciaza do oareco de al-
godao, do que ja se tratara n'uma da soes-
sees precedents; finalmente o Sr. geteote
chamou a attenciao da sociedade sobre neoti-
cia do imposto que se pretend estabelocer
nDs Estados-Unidos sabre o assucar, de mods
a prejudicar o consume deo nosso assuear nia
quells paiz.
Foi marcado o dia 8 do corruto pasn nu-
nilio ordftaria do conselho. -
Verlmento leve-Ante-hontem, -t40
i h'ra da tarde, Manoel Fran -
tendo travadmo dispute cain sus in
lina Maria do Bom-Parto, na cast
sidencia d rua do Capibaribe, paumtei' Vias
de facto ferindo-a levemente. A
0 delinquent foi preso em flagrante, mas,
tend prestado fianca, foi post em liber-
dade.
Prisao de crimlnoso-Refere a parts
policial que, no dia 28 de janeiro ultimo, foi
preso e recolhido a cadeia do Born Conselho
o individuo de nome Lourenloo de Carvalho
Araujo Ypiranga, o qual na sess&o do jury
do 11 do dezembro do anna paeaado rasgara o .
process palo qual ia ser julgado.
Outras-Como ladrOes de ca t L'Oram
presoe, a 21 e. 22 do janeiro '6el :
Laurentino da Silva a Joak duvdMW lU "
ambos os quaes Joram reeolhidsoa 6ff -'
villa do Bom'Cooselho.
Generous aUImentlcios--Palo vapor A* "
dahd poelo navio Ncth voeiq para r..z ,
oado : arroz, 100jsaucos; massuer, .
oognac, l.aixa ; oe jqe&.0 ditto all
cas; milho, '70 sacoos.. -
Par. a Europa-Coni
noso porto, o vapor aCrd'
paGmNUisros. .. ,: ....;
bauarbmse ,al


1 .'. t


-I
'1
A -


I Z .


1




















S ,-Soua. 0l0.
m".-.i : rues &~o

do nr. -U*Psre
'MIei 149:000500
D Companluak raillwra.- 0 vapor Par
levou do nosa praga pars o sul do impenro
S6' 4 saneo oems aasucar e 36 caixas corn drc

0 Tvapor ERpirito-Santo recebou honten
em M'-s raeo m o mesmo destiny : 4,89
sacoi.'205 BWeas corn assucar; 205 dita
Sgraixa; 0W caixas oleo; 10 ditas medicameno
tore ; ditas cha i; 14 ditas fazendas; 3 dita
Hvros; 2 ditas miudetas; 2 ditas mercado
rit; 1 fardo canella; 200 saccos c6cos ;
ti deo- ferro; 50 barnrioas farimha de trigo
1ikrris vazios; ao todo 4,958 volumes.
0,". Para o Rio de Janeiro apona
^ 'j~ outeUn nosso porto um escravo.
i:! ~~An ".',_-- Prolessomes Prlmaeioi
e" 7(X aA0*rector d'essa sociedide cole
brt^n sob aipresidencia do Sr. professor Fra
gwo, e'eqW assistencia dos Srs. Moraes Mel
lo, Mranfik, Wanderley, Caneca, Cyrillo, D
Theresa Rmilia. Duress D. Francelina Forja:
e Salles, dfas sessOes extraordinaeras no dis
31 do dezembro findo ; send a primeira es
pecialmonte para dar posse ao conselho elei
to paras o anno de 1881. conform determi
nam os estatutos. e a segunda para tratar do
nogocios qua reclamavam urgente resolugo
R Na primeira, depois de empossaaos em seua
cargos os novamente eleitos, o Sr. Fragosc
; ronunciou uma allocugbo, concernente ac
acto, find o quae e em observancia ao art. 9'
dos estatutos, passou a fazer a nomeaqco di
c oommissio de proteccao, a qual ticou organi
sada da seguinte maneira : Benjamimn Er
unesto Pereira da Silva, D. Sofia Guilhermina
de Mello, e Jose Duarte Calisto.
,: ~Na segunda tratou-se do seguinte :
Pelo Sr. professor Cyrillo Santiago foi pro
'. post para soeio effectivo o Sr professor pu-
S1 blico de Caxanga, Francisco de Abreu Mace-
.. do.-Approvado, mandou-se que se observas-
Sfsoe o disposto nos estatutos.
ty" Inforruando o fiscal da bibliotheca que ac
.. colleccOes dos jornaes d'esto anne estavam
.^. truncadas e estragadas, em consequencia da
1" constant. leitura, de mnodo que nao se pres-
tavam a ser encadernadas, o Sr. professor Du-
n- raes offareceu para tal fim e foi aceita, uma
colleeqio do Diario de Pernambuco.
Sendo pelo Sr. president consultado o con-
Sselho, se desde ja se devia tratar da roalisa-
co do bazar do prendas para o dia do anni-
-. versario, resolveu-se noinear uraa commissio
-* compost dos Srs. Morass Mello, Cyrillo e
Durtes para procurar osmeios do levar a ef-
feito a idda.
Polo Sr. professor Miranda foi proposto
que se requerosse ao Exm. Sr. president da
S provincial, de accord corn as instruccoes
do 27 de outubro ultimo, o pagamento do
premio a que u Gremio tern direito pela imn-
pressiio dos Elementos de Agricultura; e tam-
bemrn que se dirigisse circulares aos protfesao-
res ultimarnaente nomeados, convidando os a
fazerem parte do Gremio.-Approvado.
Finalmente, depois de serein autorisadas
diversas despezas sociaes, reclamadas polo
Sr. thesoureiro, o Sr. president, corn o mais
profundo pezar, cumninunicou aso conselho o
- fallecimento da presada consocia D. Joanna
":" Cesar de Santa Isabel, professors public da
-.: s cidade Ie Garanhuns; em aista do que re-
solveu o conseliho, em signal do dor, encerrar
a presents sessao, lancar na acta uin vote de
pozar. e mandando-se suffragar a alma da fi-
.nada corn urma missa no sexagesimo dia do
tao inftausto acontecimento, conservando-se
n'esse dia fechadas as portas da Bibliotheca
0 Sr. presidents designou os Srs. Miranda,
--- D. Francelina e Wanderley, para em corn-
missfio assistirem a misea quoe deverai ser c-
lobrada no dia 10 de fevereiro.
Depositos de discipline das provin-
cias-Em 17 d; Janeiro, o inisterio da guer-
ra expedio a seguinte circular :
.... t*'- oManda S. M. o Impioador, pur esa secreta-
,. ^ ria de est.a5b, doclai'-r ao inspector da the
souraria de fazezads da provincia de .. para
sOU conh'cimnaeuo e fins convenienteo, que, de
conformnidade ':ram as instrucaces de 15 Se fe-
vereiro de 1866, devem ser aotonados ao com-
inanoarite do dep provincia ven:imentins de official anregimenta-
do, cowu ex;'epcao unicamen.e do soldo pars
os reformados e h ,norarios, por competi, a
esteO o da a-rtiga tah.ila, e aquelles o da rcs
pectiva ,elorriaa, e bean assn qpe a- pr-',' :,illi
recoltidas sa te~il ,lireit1, aos vernoinentus riiar-
cados l.o :arn. 6 da lei n. 2,991 de 21 tle setemn-
bro 'lo anno passado. ,
Elemento servlL-O mixisteri:, 'a anri
cultura, em 28 de janeiro, expedio sf~uirnie
circular as orcsid-,n,'ia.s -ie pruviicias"
a Sirva-so V. Exc, do wandar o.ganis-rn
reineter- ze, ateA 15 le marco proximo futuro,
uma rei,i.) de todos os escravos alfozai:,tlos
nessa pro"!ncia po- corti do funlo ,0b eman
,[[ cipacao, dzveni, a anesma relaqio discrimni-


nar o numnero de eq'ravos por esLe rnw, lo al-
forriados em cada maunicipio e a despezai re-a-
lis-'da em cada urn pot ,miLta do niesmo fun-
do, ccn:prehliendida a que so houve tfeito corn
o arbitramento. Nau se taz nucessario que o
valor dus peculios seja declarado na minesma
relagAo, a qual dove c'mprehen-Jer engloba
damente os escrivos alformnados nac duas dis-
tibuigoc's d) referido fundo, onde aimbas as
quotas tiverem sido empregadas-e a despez-
Stotal. Esta ioformagco ser-me-ha prestada
inlet'endentemente de qualquer outra qpe
sobre o mesnim object. houver sijo exigida
polo minis.'.rio a moeu zarg,, convindo que V.
Ext. man..e a loptar coao modClo a relacao
pubicada n,)ulum.) relatorio desta repartaiedo
de fl. 23 4 26. a
Exarnes preparatories.-Eis o resulta-
do) dos que hontern so effectuaram no collegio
S, das arts:
Geographia.-Plenanaente 5, approvados 5,
reprovado 1=11.
Rhetorica.- Distincceo 5, plenamente 14,
retirou-so por doente f-=20.
Arithmetica. Reprovados 8, faltaram u
prova oral 2=10.
Ferro-via de Paulo Alfonso.-Lancada
na margin esquerda do S. Francisco, e con-
tornando a cachoeira de Paulo Affonso. liga
esta estramla o rio inferior, em Piranhas, ao
I o superior, emrn Jatoba, tendo do extensao
. 117i kilornetros. A bitola 6 de um minetro en-
tre os tnrilhos.


.I v
,,


No-relat.rio recentenimnte apresentado do
examno a quu pr-cedeu no rio S. Francisco,
desde a fo; atd a cachueira de Pirapora, na ex-
tensio de 2,122 kilonmetro-, o Sr. engenbheiro
Milnor Roberts escreveu as seguintes linhas
4cerca da mencionada ferro-via :
a Jatoba ainda nao 6 uma povoaci&o, 6 ape-
n&a um ponto convenient, escolhido A mar-
gem do rio para a baldeacio de mnercadorias
e passageiros.
4 As gradientes e as curvas de ferro-via seo
em geral moderadas, mas a partir de Pira-
nlias, e para galgar o pranalto ondulado, foi
adoptado um decline maximo de 30/0. O0
morros qua limitama o estreito vale sto ro-
dhosos, alcantilados e ingremes. e no grand
volume de excavaeRo effectuou-se ema pe-
dreira.
a 0 lancameanto goral da.linha parece ter
sidp feito udiciosapente.
a Miaha opiniio a respeito da ferro-via e
que oa pianos e o0 estylo das obras seo de ca-
rcter matis custoso do que a situaceo e as cir-
eiazstancias parecem exigir. A ferro-via de
Paulo Affonso promette vir a ertt ama estrada
de bitola de um metro de brim6i a ordem. a
PhBitnla d4 dde do D.iterl.- A en-
mair municipal da capital dis provincial do
Santa Catbirina em seselo deo21 de janeiro
eorrTnte, por unanimpidade de votos, dirigio
um agradOeeimento e iklihcitiqo ao Sr. Dr. Al-
fredo d'BUsm onblle Tauuay, polo sarvio
we presto_ ella cidadso, mandcudo, qtan-
M ovincia. Illvantya- a
p i. nhei-


Sol pdde isso acontecer, e ... ja assim acon-
tecau.
"Simn, a Terra ja foi inhumada n'um sepul-
chro de nove e Jlegelo, e todas asespecies vi-
ventes como que foram envolvidas n'urnma
silenciosa catalopsia-. 0 mundo, pois, ja era
velho. )Desde maitos seculos, desde muitos
milhar'es de seculos antes elle gravitava na
iuz e calor fecundos do astro-rei ; muitas ve-
zes sua populacao vivente tinha sido trans-
formada e reuovada ; as explendidas o impe-
netraveis fiorestas de fetos arborescentos ti-
nhamn cedilo o pass ii oasis deslumbrantes
de raios de luz, de. perfumes e de passarinhos
de falgeutes penas ; os-monstruosos e ferozes
Saurianosda epoca secundari'a tinham abor-
to espaco as species superiores da dpoca ter-
ciaria ; ja maanmuth pensativo guiava seus
rebanhos. o rhinoceronte de ventas divididas
cacava nos bosques, o gigantesco cervo cor-
ria como uma flecha atravds os valles e bar-
rancos, o ursb installava sua familiar nas ca-
verna.-, os'macacos trwpavain e pulavam nas
arvores frutiferas, o cavallo saltava nos
caipos, e os ninhos dos bosques, onde ser-
penteava o ribeiru, transbordavam de amor o
canq5es, quando a temperataira abaixau-ie
atW o pento de nio deixar em estado liquid
urma sd gotta d'agua, estendeu-se por sobre
o mundo um ceo sorabrio, a natureza parou
como o home que titubeia, e a vida se ex-
tinguio, deixando os passaros de cantar, as
plamtas do florescer, o ribeiro de correr e u
Sol de brilhar !
Essa dpoca glacial, da qual a geologia hoje
encontra tracks por today part, eatendeu-se
sobte toda a Terra. Os diversos paizes da
Europa, da Azia, da Africa e da America ain-
da conservam os seus estigmatas, os signaes
indeleveis, que o tempo nao p6de ainda apa.
gar, dessa catastrophe tremenda.
Quando ella so reproduzio, ji existiria o ho-
meian, c term sido eJle testemunha desse de-
sastre ? E so foi, pude elle encontrar um vol-
cao benefico. urna ilha equatorial, um refu-
gio esquecido pelo cataclysma universal para
proteger e salvar a sua raga nascente ? Im-
possivel rt-sponder a estas questOes, por-
que esse tempo so achaja tio distantede n6s
que sua tradiccao perdeu-se.
Entretanto. o period glacial est& escripto
corn todaaas suas lettras no wrande livro da
natureza ; e, se sua explicaabo est&ainda fluc-
tuante na duvida daa tbeorias, a hypothese
que melhor aexpliga e a que., ase'pelhando
o aoso Sotl'am outro vwriaveis do universe,
admitted que urea variaggo do seu calor foi
sufficient para deixar o nosso planet fican
sotterrado nos gloa quo o euvolveranm.
E, por qaue neo admjtbir iso, quando vemos
ewemplos analogo so ppoduzirema eam face de
n6s?
Um donmais nutaveia c e tags eemplos e Q.
uo uos offarece a eatrella ita da constella Io
do Naib, -situada no naeio de umn eingulal
nebuloss. Em 1887; essa 'estrellar' eni de 1*
grandoeesa, at 1854 excedeo. enk biriWho aq
mais bejias estrellas do cedo, s dirado a pal-
ma & Siriu, Sue eor 1848 qua* iguthou, so
pass o que exeiiiad & N, AA-rtwwf nipds al.
pIh do CLdawo e' 4 m. Bateuts, em
1856, ella cou t del deeno.- -u
inferior-f tofaf a d"Wh ug1?
WD pi~~ontre std..9Nn P
I L Z A


Pj lilt _S__1
8- iwrieipa J9 fioNFiktoDo.Io
* miteOio wAmmgeli.e. ,,4- pdJioe urbanos
dos quaeIW dsot l^ ei-,Btero,6 e!
0 lojas rmaonica. PeMuwe. bean aueoradou
Sros: a babia' do ,ml e, d4 norts, diante di
i.1 Praia de F6ra. qua o 0 navifo procuram quan
u do reina o vento su1.
Separada do eontinente pelo estreito, cuji
0 entmuda e defendida pelbs dous fortes do San
d tAnnua e S. Joo. acha-e eolloeada na latitu
: de do 27-56'6" S. e long. 5o23"35"0 Rio de Ja
- neiro, tomadas do adro da matriz. A escali
e de 1 por 6,000.
a Prograpasa- de pontos. P.ublicou-s(
-2 em folhetot o Progrmma de pontos orgaisadi
s pla congregagdo da Escola Normal para os ewm
a- mO de habihltago e proviwnto p w concurso dai
s cudeiras deinstrucdo primaria desta provincia
Di Agradeceinos o exemplar quo nos foi remet
1 tido.
; Juiz de paz de Beberlbe.-O Sr. Frede-
rico Chaves Junior, juiz de paz do 2 district
s to do curator da Se de Olinda, da audiencia
todas as quintas-feiras. palas 4 o 1/2 horas da
s tarde. na casa de aua reaidoncia, na estrada
- do Porto da Madeira, e despacha todos os diai
n- o escriptorio do largo Pedro II n. 75, ou on-
d ie for encontrado.
U n crime hocrivel Foi ultiinamente
z descoberto em Lyon urn horrivwl crime. Han-
i via minuitos dias quo o guard da pastagem da
- lie Barbs avistara uma trouxa a ton& d'agua.
- Pouca oa nenbuina attengho prestara a esse
- facto, porque entio haviam siuo detidas pela
a portagem varias cousas perdidas.
. Mas n'umn doe ultimos dias o guard fez
s minaisreparo na trouxa, quo as ondas erguiam.
o e vendo que era urn sacco cheio. puchou-o
o para si e abrio-o.... Continha os pedagos de
* urma mulher ainda moca ; as pernas estava
Spreza uma grande pedra, destinada a levar
- a trouxa para o fund da agua I
Depois das primeiras verificacoes legaes.
forain os pedacos do cadaver levados paira a
Morgue.
0 corpo estava embrulbado n'um panno
i velho de fardos. em feitio de sacco As per-
nas tinham sido partidas proximo do pelvis ;
depois furain desarticuladas. As mhos ti-
- ubam sido dobradas sobre os pulsos. Na cara
hivia vestigins de forimentos. Nao estava
ainda -,venrguado so esses ferimentos teriam
sido feitos antes da more ou se provide de
chuques rocebidos na agua.
A grand pedra estava presa ao cadaver
por uns arames galvanisados.
As investigacOds da justica nio tinham da-
do atinda nenbum resultado.
Morte em duello-Falleceu o condo Es-
torchazi,quo ficou ferido gravemente no duel-
lo corn o condo de Kohamezi, que se acha
tambem ferido e em perigo de vida.
Artilharia grossa-Ja foi experimentada
umna.das pecas do 100 toneladas que devem
f'azer a defeza de Gilbraltar e de Malta.
No primneiro tiro a carga foi da, 192,80 kilo-
graminas do polvora, dividides emin dous car-
tuxos. 0 peso do projectil empregado era de
916,3"7 kilograminmas.
A manobra effectuou-se con apparelhos
hydraulicos.
Mndanias observadas no estado das
estrellas.-Estrellas temporaries, su-
bitamente apparecidas :no ceo. Es-
trellas variaveis. Estrellas perfodi-
can.-Estrellas desappareeldas do ceo.
-Ao 16r este titulo, accode ao pensamento
inquerir se corresponded dile realidade, e, se,
sonudo as estrollas verdadeiras s6es analogous
ao que nos aluminia. d possivel que augmen-
tern ou dirninuain de bnilho. E, send o nos-
so Sol uana e.strella tambemr, ipso facto occor,
re-nos inquerir a scion :ia ncstes terms : P6-
do o nosso Sol augmentar em luz e calor, e
assiin deslumnbrar-nos, cegar-nos, queimar-
nos. consumer a vegetacio terrestre, fazer pe-
recer a animalidn.de n'um desert torrefican-
to. e prostar a humanidade exangue nas ar-
dentes areioma de um Sahara perpetuo ? P6de
elle, por outro lado. occultar-se sob um
veo, que suspenda seu radiamento e abafe
seus raios de ouro, extinguindo a pnamavera
e as flores, o verao e as colheitas. o outono e
a vinha, pars lancar sobre o globo os go-
los do um invernu eterno, cujos effeitos se-
rio paralisar o sangue nas w~ias, lancar os se-
res crea los nO paroxismos da ultima anemia,
sob arna utmospera brumosa e glacial, e sot-
terrar a humanidade u'uma camada de gelo
seinpro creocente em espessura ? ....
A. essas perguntas a sciencia, polos seus
processes, pelas suas deduccSes, polos factos
anteriores, responds dizendo : Sim, o nosso
budo e born Sol podd apagar-se e reacender-
so ;em poucas semianas pode deixar quo a
mnorts invada o mundo ; pode mostrar-se no
ceo cnuzento como um espectro livido A rci-
nar n'um cenitrio; e pode depois renascer
*i suas proprias cinzas o tornar a produzir a
vida muruncntaneaanonto desapparecida du-
rante mezes, annos u seculos. Sim. ao nosso


resume:
STycho-Brahd, achando.se no antigo con-
vento de Herritzwaldt, e, na forma do seu
costume, indo urma noito examinar a aboba-
da celeste, vio, perto do zenith, uma admira-
vel estrella na constellaQio do Cassiope.| es-
trella que tinha urea grandeza fora do corm
minum. Ella ja havia sido notada per diversast
pessoas do povo, na .Ulemanha, qua disper-
tarnm a attenclodos astronomos.
SA nova estrella, que no o tinha cauda,
nem era cercada de nebulosidades, assome-
lhava-se A todas as de 1. grandeza; mas o
soeu brilho exeedft o de Sirius, da Lyra e de
Jupiter, sendo s6 comparavel aso do Venns
quando o mais proximo possivel da Terra.
( Em pleno meio dia, quando o eoe estava
puro, era ella vista a brilh.r pelas pessoas
que tinham boa vista; e A note, mesmo
atravez das nuvens, e quando todas as mais
do ceo se tornavam invisiveis, ella se mostra-
va em algumas occasioes.
Tycho-Brahe medio sua distancia is ou-
tras de Cassiope, e convenceu-se de sua immo-
bilidade. Entretanto. a partir de dezembro
de 1572, seu brilho comeceu i declinar, sendoi
entro igual A Jupiter. lm janeiro de 1573,
ella tornou-se menos brilhants do que Jupiter.
Ern fevereiro e minarco, igualou as estrellas de
.L grandeza. Em'abril e omnaio, desceu sao
brilho dasde 2.' grandeza. A paseagem da
5.A para a 6.a grandeza teve lugar de dezem-
bro de 1573 a fevereiro deo 1574. No mez se-
guinte a estrella desappareceu. soem deixar
tracos perceptiveis a simple vista, depois de
havor brilhado durante dezesete mezes. )
Poucos acontecimentos historicos fizeram
tanto arruido como esse mysterioso signal do
ceo. Deu-so o facto da apparicaio em 11 de
novembro de 1572, poueo tempo depois do S.
Bartholomrneu; e o mdo star geral, a supers-
ticao popular, o medo dos cumetas, o receio
do fim do mundo, foram excellentes prepares
par& esse apparecimento. Por isso memo
nio tardoat que se annunciasse quo o nova
astro era o mesmo que coaduzio oa smagos &
Beldem, e que sua vinda presagiava a volta do
Homem-Deus a Terra e o jizo. t al.
Apos a oatrella deo 1572, a maicelebre foi
a que appareceu em outubro de 1604 no Ser-
pentario, e foi observada por KAppler e Gl-Ili-
leo. Come a precedents, soue brilio diminuio
insensivelmeate. vivendo e~lp 15 mazes, e des
appareceado som deixar vestigios.
Em 1670, outra estrella temporaria. app.4-
recida na cabega do Raposa. oftee oILa QSgu-
lar espectaculo do ap&gar-oe iteaccaW14
algumas vezes aotes do ae dpsvwpoc- ,
pletaaente. -
Conhece-se assim 24. &U a os dae t A .0i
mans.' pWra 8, sarsbsMtreA s ma se. bit
exaltagio do luz e depois tornaraW- i
Voin oQtho5tai. A&dow
90es deese ginou tiverso kwm <.
1876, e perm irm & namAalyse espes
bear quOemiWtr~t' oai wmobawtol
moj vimos, do uma ptdai M
doo S

*hoa i *oter im@d AABi 9


nefr1 e umo di uleta d l i
bal.ficio das manizroa, Lfsia da pvovincoi
^io dbJfej', qtr e do.paseado r


~~~~ .Ttro~d Ble ineom^ l^
- no lu a do quo 23 andfos paaudoe.
I; Q9 isioaobuuoearsobr. t Wa rfK111 Oam
2 relaglo is condiGSes de habiabiUdlitdead aa
L' s.atOm pr"etan-b aujeito, s irregultbirdadi
i de soemelhante sol? de qili ha lguma'tern
- habitadw analog'a non;, eomesou e a rue a
seu curseo na s supereie desm.a- trra ?m period
Sdo-gloihdFdeterminado pels extineeO graduate
* do naw soit .
E eons sol contiuaaarA i decrecuat t tot-i
- extinolo. ou se- reaniimari para projectar do
a novo em torna,' do sua augmenntante esphoera
os raioes do luz calor que, pareciarm' ter-se
i afastado dells para semre ? De,.e-se crer a
o esperar que estawaunuda hypothese se real,
a se, e isto toern sua justifcativa nos aconteci-
a mentos qae corn relaqo eIlle so tamrn obser-
vado de 200 annos pars oa.
Corn effeito, Halley o vie de 4 grandeza em
1677, Lacaille de2 eoM 1'751,. Burchell do41 em
. 1811, Brisbane de 2-a em 1822. Burchell de 1'
- em 1827, Johnson de 2a em 18M. e Hersehel
de 1 em I&7m B', pois, esb uetrella um sol
t que variaPapidaukento e a em grande propor-
L gOes, e deve-se por tanto eosperar que elle tor-
9ne a subir na esecalla das grandezas de luz to.
. dos os griaos que ji desceu.
Quonto a causa que pods determinar essa
variabilidade. nho se pods support que aeja
um movimento proprio do astro, o qual, affas-
tando-se de n6s corn grand rapidez, Jiminua
de brilho, e depois se approximando augmen-
ts ease bnrlho; por que, so per um lado nao
so percebe e.se'movimento (caso que exige
quo ells se effectue na direccto do nosso rato
visual, o que nao provavel. nem possivel em
face do eonsiderave numero de estrellas va-
riaveis hoje conhecidas). por outro lado seria
mystery admittir que, de 1856 1 1867. a estrel-
la se affastou pelo menos 17 vezes a distancia
emque de nos so acha urma estrella deo 1l
grandeza. isto e. 9 inilhoes de vezes o raio da
orbit terrestre, o que suppOe uma extiava-
gante velocidade, imnpossivel deo admittirvvito
que o raio do luz. que gastaria 15 annos para
vir ate n6s da prinmeira distancia, dospende-
ria 150 para vir da segunda.
Assim, a variacaio da luz nao pode provir
da varvi-ao I'a ,list.incia da estrella. Tam
berm noi pole provir do uin eclipse, porque
senra mister aiinittir qua um globe obscure.
tio volumoso como a propria strella, p.issas-
sejustaincnt; entire aella o n6os e gastasse al-
guns alnio s nessa passagum ; hypothese a
qute se, .,pj.Ou a propria naturema dos muvi-
wment),, cleste.-.
Finalincinte. uro se p)de adiuiLtir que essa
sorpren lente v arnaco de bi-lho e d,-vida a
uaina rtacao desso longinquo sol sobre si
mosno, send uma part de ua superficie in-
candescente e a outra coberta do manchasi
quasi obscura ; porque e pouco provavel que
um astro gate 23 annos no mninimno em effec-
tuar uma semi-rotacfo sobre simnesmno, e de-
mais o phenomenon nao offerece a regularida-
de que devia corresponder a essa hypothese.
Cun8equentemente, a explicacio mais natu-
rale razoavel do phenomenon e a que consist.
te em admnittir quo os periods de superabun,
dancia de brilho correspondem a urma subre-
excitacao na photosphera luminosa dresses
longinquos s6es.
Quando nos. occupamos corn o nosso Sol,
deixamos assignalado que sua Iuz e deVida a
nuvens de particular solidas ou liquidas, que
ir rlem na sua athmosphera comburente, da
inesma forms que nas chamnmas artificiaes ar-
dein o carbon, a cal e a magnesia.
"omo o Sr. Faye determinou em relagbo ias
estrellas variaveis, a phase solar, o period*
de brilho e actividade de qualquer astro co.
mneca quando a superficie da massa gaaosa
incandescenta se tern resfriado bastante para
que haja precipitacito de nuvens liquidas ou
solidas, susceptiveis de emnittirem viva luz.
E' assim, corn effeito, que se forma a pho.
tosphera de um novo sol. A'partir de um
certo moment, os phenomenon da photos-
phera podem tomar uni character oscilatorio.
0 equilibrio da massa gazosa 4 principio e
perturbado pelas chuvas da escorias quA
cahem e pelos vapores qua se elevam, da
mrnsia sort que o equilibrio da nossa ath-
mosphora perturbado pela circulamqo da
agua nos seus trees estados; e depois, quando
essa troca entire a supercficie o o interior co-
inepa| a ser difficultada pola invasbo|das esco-
rmis, produzem-se phenomenos eruptivos, ca-
taclysmas peoiodicos, cuja consequencia e
unea recrudescencia de brilho, rapida, embo-
ra passagei-a. A' cada rompimento da pho-
tosphera tornada espessa, corresponde um
fluxo subito de gazes incandescentes vindos
do interior. Finalmente, essas alternatives
vio se produzundo em mais raros intervallos
o por estromecarmentos, ate que cessam com-
pletamente.
De todas as estrellas que tem mudado de
brilho. a mais memoravel foi a que, em 1572,
adquerio subitamente uma tal luz quo eclip-
sou todas as demais do firmament, tornan-
do-se visivol ao meio dia. Essa estrella foi
observada por Tycho-Brahe ; e Humbold con-
servou sua historia minuciosa. que assim se


232
291
3Ui
540


9
9951

1187
1195
1U87


12) NI
1413
1469
1499
1743
2214
251')
2668-
2739
2977
3442
3537


3757
3805
3850
4122
4159
4350
4385
405
4520
4537
4667
4744


/12
4905
5337
5429
5540
5612
5647
5662
5831
6237
6330
6350


6405
6585
6694
6821
7i135
7378
7589
76895
7705
779t
790-2


Por telegramma recebido, sabe-so quo
seri extrahida a loteria do Rio de Janeiro, no
dia 8 do corrente, de n. 294., em beneflcio das
casas de caridade.
Leildes.-Amanha realisa-se o segainte :
Velo agents Martins, as 11 horas, na rua do
[mperador n. 16. de pianos, moves, etc.
Quarta-feira deve realisar-se o seguinte
Pelo agen.e Burlamaqui, as 11 horas, na rua
do Imperador n. 49, do diversos predios e ter-
renos, portencentes a imassa fallida de. Ma,
noel de Azevedo Andrade.
Missas funebres-Serao celebradas:
Amanhd: s 8 bhoras, n. igreja da Ma.
dre de Dens. pela alma de D. Maria J. das
Neves ; is horas, na igreja do Corpo Santo,
pela alma ds Antonio Clementino Coelho Ca-
tanho; is 8 horas, na matris da Bfa-Vista,
pela alma do commendador Antonio Carneiro
Machado Rios.
Quarta-feira: as 10 horas, na matriz do
Cabo, pela alma de, Vicente Francisco Mendes
das Chagas; is 8 horas, na matriz da B6a>Vis-
ta, pela alma de DA Alexandrina Annes Jaoo-
me Pires.
Passageiros.-Vindos do sul do imperio
no vapor Cordillera:
Tenente Leopoldo Bandeira de Gouvea, An-
tonio Joaquim Leite da Silva, Alexandrine do
Mello Sampaio.
Sahido para a Europa no mesmo va-
por:
Amaro Barreto.
Chqados doe portos do sul no vapor na-
cioanal Mandahii:
Pedro Wanderley Jaques, Gustavo do La-
go Moratrat, capitio Jolo Baptista de Vas.-
coneellos, Manoel Valerio Moraes Peitosa,
Balthazar Rocha Nazareth, e 1 praca.
Vapores.-Sto eaperados on seguintes
Pernambuco db-sul a 9
City of Rio de
Janeiro dosul a 10
Trent da Eueopa a 11
Commander da Europa a 12
Geari do norte a 13
Tagus do sul a 14
Bahia do sul a 17 -
&quateur. do= -l a-W
Grande loteria de S. Paulo. Sabe;se,
por telegramma recebido, que essa loteria
sera? extrahida impreterivelmente no din 26
do corrente.
Loteria da provlncla Quarta-feira, 9 do
corrente, se extrahira a loteria 98.; erm bene-
lcio da matrizde Nazareth. no consistorio da
igreja da Conceicio dos Militares, dnde se
achario expostas as urnas e espheras arru-
madas em ordem numerica, a apreciacae do
public.
Hospital Pedro 11I-Movimento do dia
4 do corrente :
Entraram 7, tiveram alta 9, falleceram 3.
Existiam no dia antecedent 605 enfermos.
Existem 600, send: nacionaes: soldados
15 ; do sexo masculine 298, do sexo femenino
192: estrangeiros 74, estrangeiras 12 ; escra-
vos 6 e scravAs 3.
Operac5es cirurgicas praticadas no dia 10
do corrente:
Pelo Dr. Chacon:
Sarcocelle do testiculo direito Castraclo
do lado direito.
No dia 5:
Palo Dr. Malaquias:
RBmagamento do p--Amputafto tarso-tar-
slft (Chopart).
Bste donte veto do engenho Gougaaria,
district d lguarassuii, h & 12 dias. A moenda
do engenlho esnagoa.
Casado otenao.-Movimeato dos pro-
os no diai .4 do corrente :
Existiam press 454, entraram 7, nhiram
11. existem 450, a, saber: nacionaes 396, mu-
Iheres 12, estrangeiros 14, escravos 28.-To.
tal 450.
Arracoados 385, send : Boas 359, doea
t1s 26.
Nie houve movimtento na enfermaria.


CIHilONICA JUDICIARIA

Junta commercial da oidade do
Recijle
ACTA DA SESSA.O DE 3 DE FEVEREIRO
DE 1881
PRE9IDENCIA DO ILLM. SR. DEPU [ADO
JOAQUIM OLINTO BASTOS
Secrelario. Dr. Julio Guimardes
A's 10 horas da manhl, em vista da com-
municacto do Illm. Sr. commendador presi-
dente, de aio poder comparecer a presented
sessio. assarib a presidencia d Sr. deputado
Olinto Bmsto., quo declarou aberta a sessao.
estando reunidos os Srs. deputados, corn men
dadores Lopes Machado, Pinto, e RolijL.
, Lida, foi approvada a acta da precedents
s9s8P5o.


Fez-se a leitura do seguinte:
Exrpediente
Officios:
De 28 de janeiro, da junta dos corretoros
d'esta praga, accusando a recepcio do que
Ihe f6ra dirigido em data de 10 do mesmo mez.
--ara o archivo.
De 25 do passado, da junta commercial de
S. SIlvadoa, em aspoata ae qcua the fOra diri-
gido em dbat. de 13 do mmsmo mez. Para o
archive.
Do 9 do.corrente, da juutLdos. orNetras
d'esta praa, envinAdo. o, bolstim das oLa-
qcts offioiaes de 24&a 29.--Saja archivado.
Da mesma, de 1 do corrente, dando scien,
cia do numero de transactgos effectuadaw-por
aM um doa. corretores no mez proxiao pas-
eio.--Pmra o acehivo.
SDititibuira.L-s., a rubrica. os segaittes -i.
vroa :
DOU copiador e Agostinho Santo,
.. diMrio.e 1 9 o r de Jolio M*r.w
J0.1.^ i *n *
M~~orawo fpeeia ta og seil| 11otr"
31^^-^^


Duar abs aao Jeo6Msd nir &
tisfeitin 8129AMIRMiL'. ''
quoS q~aeoT aracBytfto dai ftrmas B
;oCMri ipdwt*.p -O MSia Inmzo & C.,- Joyotn oC hof
Arachiv-q. na fo-rtiiadlei.. ? ?^ "* *?'1^ ?^
De lpmae:d.d Oltetfra Gtifnarfea e Mhnoel & e1 tro. T.
lDburado Peantes. para qae seo archive o cost. o0 a pa-lo
trate de oeiedade que cdlebraram sob a fit- "Slri te 'o l taha.Das, a baia Ndo x-
ma -.6uimarits & Fontes.-Seja arehivadoa. caixeiro Vdaseb Liii Mp to. Como
De Jbed Bbrboa idb ilranda Santiago e pede.
Joao Jbsd Bezerra Cavalcanta paam qJa. sett uka
~ 'a ~Da corretur WIfnoel' jbs. A
archivado o distrato da flrma Miranda & C,. DO coretor lanoer Jb, Af ow
-Archive-se. ezeusa do.exercicio do cargo l pW
De bomingos Alves Matheus, para que e junt dos corretureff., quo- oceupr I a-
rgistre a nomeaago de sea caixeiro Manoel monte come tliesoureiro d'eolh-. e itfflfor
Joaquim Ramos e Silva.-Como requer. d. seuspensao do corretor Fhrnciacr. Jjfde
Do mesmo, pars quoe se de baiza no regis- Oliveira Rodriguea. Bsatandb easttilablawo
ire da nomeanbo de seu ex-caixeiro Jo fio Vie- sOB artils. 14 l.', 15 f 1 5.o. 17 e? i -.
tor Alves Matheus.-Como iede. 'to interone, a f6rma dai substitnit-ew no-'l-
De Maia & Lins, da cidads da Escada, de pedimentos dts membros da juntw d(b'-itfr-
cuja flrma sao socios Leonardo Antunbs Linad t'r"s, nu o p6de esta ordem ser aiteradi; fanm
e Manoel Lopes de Azevedo Maia, satisfazen- qua fquanm revogadas aquellas dioposifltK,
do o despacho de 20 do mez passado.-Archi- pr issao nio ha que dbfbrir-.
oe-so. Sammario ex-offlicio contra o corretorIa'n-
Do He-q,,e Garci, pa...n quo..s.. ese Jbsd de Oliveira Rodrigues.--Diesignado
D .Alfredo .Henrique G arcia. para que se.... o Sr d' ud o co ne ndado r Loes M a ....
jam registradas trees nomeacOes de caixeiros, 0 dputado conmendador Lopes Maemtio
relatives a dbus do seaus' estabelecimeontos para otficiar como secretanio., profenio"w 0
commerciaes.-Sejam registradas as trees no- seguinte dospacho: a Responda o summa-
meacOes annexas. riado no term de 5 dilas improrogaveis,
Do mesmo, psara quo seo d baixa no regis- I como preceitua o decreto n. 86 de 26 de ju-
tro da nomeacio de su eax-caixeiro Antonio Ilh,,. 18d IL procedendo-se para. este Am de
dss Santos Jerge. -Comnopede. cnformidade corn o art. l' do decreto n.
Do mesmo, para igual'fim. quanto ao ex- 6,334 da 30,do novembro do 1876.
caixeiro Napoleho da Costa Moreira. Dd-se A t11 horns e 3a4 da moanhi o DIm Sr. de-
a baixa requerida. putado president interino encerrou a seasto,
De Josd Gomes Monteiro, para que se re- nada ficando por despachar.


PERR JLUCO __


TABELLA


do, rendimeuto da allandegade Pernambuco do mez de Janetto
do corrente anne linanceiro, comparado corn o de iguaes meoes
dos dous annos ultimos.


IMI'ORTA/AO

Direitos de consumo .
) augment do 5)0 01
ixp,-.l-nt? J-.- 5 ,'o dos generous lives le direitos de
consume .
Expediente ceI 1.2 o,,o dos generous estrangeiros jA
despachados para consume .
Armazenagem'. .

DESPACHO MARITIME

Imposto de phar6es
Idem de docas -

EXPORTACAO
de9 e/o*
Direitos ............. de 7 o/o
de/5 "/o
Expediente das capatazias .

INTERIOR
Renda da TypographiaNacional
Sproporcional por verbal
Sello do papel fixo .
adhesive .

Emolumentos .
Imposto de transmissAo de propriedade a saber
D de 5 0/o da venda de embarcaQao .
Sde 1 %/, da arrematagao de bens moveis

EXTRAORDINARIA
Receita eventual (multas) .

DEPOSITS
Depositos de diversas origens. .
Contribuigio para a casa de caridade


1880 a 1881


611.3241-74
2Md33.956209
9165407

13.080S470
909.307$260


5.5408000
1. '784 14 `



2.7165478
255.5225615
610391
3.036S589





2535340
2.430M0w







7903627
1.181.4425440

1. '-058591
2.675832
1.185.423A868


1879 a 1880


1878 a 1879


552.56366251 485.808M6
268.8(n$6091 242.466W6


1 .5925 80
1 $35643
10.1122881


2.563059

8.836548


834.648$9451 739.993$821


5.4908000
9398000



7.2968169
200.508334
420008
3 995$814




1695870
6103000
530780
205S500




402M889
1,054:839.-809

2.7'718035
2.460SB69
1,060:071713


3.2208000
5705200



10.215W-4
142.6270145

3 6155189





430S"0
803$440
588$75


528P06

*,902.10936

1.4220422
2.604"S5
906.133S1163


2a secfao da alfandega de Pernambuco, 3 de fevereiro de 1881.
0 escripturario,
Godofredo Henrique de Miranda.


'XDICACOES UTEIS 15; Santo Antonio, rua Primeiro dollar-
S_____ _____ _______ o n. 3; Boa-Vista, rua da Imperatr4i.
.eo.--Grande fabric de cigarros a qi.
Medicos Especialidades : Cigarros, charnutos dAt-a
Pedro de Athayde Lobo Moscoso, medi- vana e nacionaes, cachimbos, tabacoe.op-
co, faz sciente is pessoas que o honram jectos para fumrantes. Livros de mend-
corn sua clientella, que d'ora em diante na dosimetrica e unico deposit daai-
aba latea da de Nestle, para os meninos de
sera ,ncovtrado para consultas em sua peito.
casa A rea da Gloria n. 39, das 7 horas REMEDIOS HEROICOS
da manhk at ais 10; e no Torrelo da PELO
Praca do Commercio, de meio dia at3 3 Bacharel M.de Siqueira C.
1.'-Preservative da Erysipela, para
horas da tarde. ,curar a Erysipela, a impedir seu n o-
Os chamados devem ser dirigidos du-; apparecimento, cutirar Rheumatismo
rante estas horas por escripto nas dua do peito, e a Variola, ou Bexigas.
mencionadas casas. 2.'-Regulador da menstruaado, para


Dr.Raymundo Bandeira, medico ope- casos recentes e antigos de ata da meAs-
rador e parteiro. Consultas de meio dia truanao, para favorecer o trahahe do
is 2 horas, A rna do Born Jesus n. 18, part, a sahida das secundinas, fzecL 9
1.0 andar. Residencia-rua da Uniao n. parecer secreoio de leite, e os lechios-ssup-
23. primidos.
Dr. Arruda Beltrdo.-Residencia a Estes remedies encontram-se corn m
rmua larga do Rosario n. 36. Consultas do trucgSes e notaveis attestados,
meio dia As 2 horas. Pode ser procurado Depositos Unicos:
a qualquer hora do dia ou da noite. Casa do autor, rua Formosa a. 33. Li-
I Dr. Ferreira Velloso, medico e opera- raria Economica, rua do Crespo n. 2.
dor. Consultas das 11 As 2 da tarde. Luvas
Chamados a qualquer hora. Residencia de 1, 2, 3 e 5 botoes, receberam Papomlda
ao largo do Corpo Santo n. 17, 2.o andar. & C., largo da Malriz de Santo Antonio,
Adv6g?4o- 22 vendem a 30 o par
Manoel da Trindade Peretti, Caes 221 Kalendarlos para 1881
de Novembro n. 57, 1. andar. I A Livraria Parisiense a rua Primeiro
0 bacharel Manoel Nicoldo Regueira de Marco n. 7 A acaba de receber grande
Pinto de Souza. procuiador fiscal do porcao, muito bonitos, e vende a 100O.
bthesouro provincial, mudou o seu escrip- Agna Figaro
lorio para a rua do Imperador n. 42, pri- Para tingir instantaneamente os cabel-
raeiro andar. los, sem o menor receio para saude.9 6-
0 Dr. Tarquinio Braulio de Souza tica Franceza e drogaria. A. Caors, rua
Amaramtho tern sea escriotorieo de advo- da Cruz n. 22.


cacia a rua Daque de Caxias n. 70, I.o
andar, onde sera encontrado das 10 horas
da manha as 3 da tarde.
Pharmaeia homeopatlke
Augusto Caors, deposltario dos produc-
tos homeopaticos da casa de Catelaa I r-
mios. Variado sortimento -de arleira s
para globules e para tinturas. Glebilo-
puros e. dinamisados. Tiaturas mates e
dinamisadas. Chia e chocolate horns
thico, etc.: 22 rua do Bom Jesus aatip
rua da Cru, Peanamuco, deronMtdo
chafariz.
Thomaz pib, EN- deatta.
osultas a ireia. Presola-se a cba-
mft p$ es.Giotk aran MrWl iro de

i A 1 do-


S


4-

:L





.4





.5i',
S
<]-' :- .




t *




t> .


Beeearat
Grande liquldaeao de losuzr -
aas, vidros e crysaes O aro em
Baccarat I
0 proprietario d'este estabdeciimeto.,
siloado a rua do Bario da Victoria n. 13
coovida aas seus amiga&e frmezes L.r-
tiremae dos referidos arligo*k em coW-
qenaia. da reduioo de pseas qae estabe-
leceu para terminal mais.promptament& a


Grande sortimento de fame da todas as
qualidades, e das marcas mai-acrdM-
daa nests mercado. No ZB Mn,
Paiva A C. a rua da Nkdta do 1e68Li,
24e 26.


G3or0orft4
tsida laad

ph d


1 *r


;o f


"5',
/^


.It
e:| '
' i'" .' =-v. -^


,1v71
I
-x a
6.~ ~ ~ a


-im


- I


J 3rll 3


I .


........................
PRH IIUCO


Q-INS. ORMS. M&. p RRMS. MS. PMm..

6687. '20:O00'9144- 24W781t
IJ P2440 20@0~f INN 5"0
Lifo ',f| #1 ,t
45IG4i 10..0Oft '828 26W. 20M 2 0M
^ ie p a 35f I"
24W6 4C0OOf 5547 200W 3 4" WO
5573, 2M-1 75P IMT
"2813 2:f000o56969 20W 44083. IQW
17465. 20W,.4A71 M0O
S 24, 1:00f: 755 7 200 4746 t0OW
14036 1:O0 789A 2f 4080 1OOP
2067 I:00(*; 6139' 10OO
3"M lo0of 6Wj 101W
465 50(10 931' jSt# 7288s ,oW
583' 5001 940 l1oop 7607 t000
781 500* 996 WIOPW 771* 1O0

NUMEROUS DOS iRiMIOs DE t000


!* grSTVAQVS














.'-


,,Z .

d1J a


A


,~~ ~ ~ iwwo~plys~

E auignado'v so iU de Tujaneir
b sa douomnto,, corn oas quae
owr soco do o 0 ido ,ivoiy; por-
do chegado henem, do note, o Sr.
l do Tavares da uz (um. dos ereado.
r dito Tivoly), nio quiz i ronhecer o
.hmizx asignado eomo lum do *saoeiados;
pstaKnt, pede quo ni'gpxem f*a tran eaqo
algata corn o dit0 bri/qaedo, sob pens do
aiWdade; igualmente pedo-se e _autorida-
d e omnetentes. quo embarguem dito Tioly
ceoqueizram transporl-opara f6ra di pro-
viaeia.. Dentro de 30 dias esMar de volta do
Rio do Janeiro eom as Idevidas justiflecOss,
pars reivindicar aireitos, qud Ihe procuram
Mffusar.
Recite, 5 de fevereiro de 18K1.
Jodo Pereirq da Sil va Caldas.

Negocios do consdulao
Doixei que o Sr. Frmesto Vieira de Aran-
jo, acabasse a sua discusslo peola impren-
sa, para rectificar a declara~lo de que
sous caixeros abusavam de sua boa fd.
Em duas publicao6e" que ji fiz, conies-
tei e declare que no era exacto o quo
em sea relatorio disse a commissao quo
examinon o consulado, em relato a se
term declarado autoresl das fraudes os
caixeiros do Sr. Erniesto, bemrn como,
que potr isto tivesse e sido immediata-
meonte despedido; agora quero ser mais
precise a este respeito, dizendo o que se
passou.
Eu a. nao era caixeiro do Sr. Ernesto,
qaaado fui chamado pelo Sr. Castro Sil-
va, membro da commissao; e, estando
present o Sr. Ernesto elle me pergun-
tou quem era o auto das fraudes, e ev
respondi-nao sei.-E le replicou-entao
sou eu? Disse-lhe ai da-nlao o se-
ikor, mas eu tambem .nao sou.
E nisto ficamos.
0 Sr. Ernesto, cersa de dois mezes
antes desse chamado.ja me tinba despe-
dido, dizendo que esta'a trabalhando pou-
co, e nao podia por ist, ter um ajudante
e am caixeiro, pelo que me dispensava,
promettendo-meque se as cousas melho-
rassem me chamaria de novo. Nao e, par-
tanto, exact que me despedisse l.wme-
diatamente, ae que s6 passou peranie a
cemmissao, estando eui como ja estava,
despedido.
Assim, v6 -se qune n 6 verdade o que
disse a mesma cormmisSio' no seu relate
rio, nemo quanto a ser I eu despedido- im-
mediatameuite, nem em relacao ao qae eu
declarei. So queria defender seus ami-
gos, procurasse ontro meio, e nao o de
qua se servio, cbegand0 at6 a dizer que as
emendas dos despachos, eram feitas por
letras dos caixeiros do$ despachantes, sa-
beodo como sabem os 0eus membros que
os despachos eram escriptos pelos despa-
chantes, e no corpo del es nao podiam os
caixeiros fazer emenda alguma.
E tanto isto 6 verdade, que o Sr. Er-
aesto declara que os seus despachos eslW
limUpos de emendas. o qoe nao poderia di-
ur, se neUlles houvessem emendas de ou-
tIra letra, porque o vicio ficaria patente.
E, se fosse possivel qae os caixeiros fi-
zessem emendas nos despachos, o Sr. Er-
nesto, ao menos na cooferencia. da sahida
das mercadorias, nao as descobriria ?
Accresce a isto : eu nao era ajudante do
Sr. Ernesto, e sire sen caixeiro. Em vista
do regulamento da alfaodega, nao poden-
do fazer service de despachos, o meo tra-
baiho era externo, de levar contas e recu-
ber dinheiro dos negociantes.
0 A commissao nao podia ignorar queeu,
por nao ser ajndante estava inhibido de
Srabaihar, n'alfandega, e como diz que me
declared autor 'das fraudes I
0 Sr. Ernesto, como nao podia traba-
har u'alfandega, ia comigo ao consulado
calcular despachos e mandar-me assignar
as guias. Disto, podem dar testemunho
os empregados do consuilado, e os outros
despachantes que viam o Sr. Ernesto cal-
eulando despachos para eu assignar as


gullas.
As vezes me mandava tambem levar o
despacho ao calculo, e amda por este meio
ficava eu obrigado a assIgnar guias, o que
feito, realisava o Sr. Ernesto o pagamen-
to do imposto, por si on por intermedio do
soeu ajudante.
A. vista disto, como havia eu dizer que
era autor das fraudes ?
A commission seria tio inepta, que sa-
bendo de tudo islo, accreditasse, ainda
que no case de fraud, o culpado era eu ?
E demais, se A fraude era dos caixei-
ros, como o Sr. Ernesto a deixava passar,
sendo elle quem tirava as contas para os
negocianles, em vista dos recibos no verso
dos despachos, devendo, portanto, ver que
egundo verificou a commission, as quan-
Utias dadas como pagas, eram umas vezes
inferiores e outras superiores as quaes
precisamente deviam ter sido pagas I
0 Sr. Ernesto, se tern complicates, que
so eatenda corn outro e nao comigo : se
mandou assignar guias por mim, em vez
de assignar, calculando talvez tirar desse
facto desculpa para si, nada 'colhe.
Pois o Sr. Ernesto, que copiava um livro
proprio do consulado os despachos de re-
exportrclo, ndo podia assignar as guias,
se quizesse ?
Agora 6 que compreheodo as cousas...
Quanto ao mais direi: NMo sei bern o
quoe ha sobre os negocios do consulado; a
nio ser o que dise a commissaot a meu
repoito, o quo tern escripto o Sr. Ernesto
*.-que li da denuncia da promotoria, in-
da*ndo o meu nome entire os denuncia-
4a.
ao ii, pois, qual 6 o grao de respon-
,AW"qo q o cabs ao Sr. Ernesto, nem
y e COU k8^ttoz; no process
6 .qu dr tudo.
so ha a 6 men:
"o9r. Pois, e^ come
. P der -
JNo entretanp, 6 born
ilo sem intenC-US
a mu'peitas contr
a .poas os facta


U6ISBM OwBria^, US Si(P1O11' 5r0.i9
F;lt ReAovito' do 0dft di
fordes11 px0,*-s6 tope am tWww *r
tawdo atn iom do vtpioos wars-
vo8. 41 f g9eo dcroasas faer c-d dM.04
quo de fao poderi d ar bones seryldois
Iminha pta.
Vendo a witbluta fata quae os lfetes proe-
goe ginksM& ds pas crneodal e soudawll -p1i-
sao, dispuenidu nu9o poooS contoas de a6ls corn
a edfleOfa. d'ama, e b0 i4s 1 on O espa0co-
sos sWlas ra se*0As da Smara municipal.
e tudo oflftou a goyerno provincial. -
As igrejas de Vrtea e Taquaretinga, pe-
'do-e dizer qqe 6 quail tudo obra doe seu bol-
anloho. Na ediao-qaebra kilos,-sustentou
em armas. mats doe 300 penoas por muitos
dias, conseguindo %us Taquaretinga fosse roes-
peltada.
8ua mesa, male se assemelba A de urn asylo
Ie infai.eia desvalida, do quo a de am modesto
ecclesiastic; faz gosto ver como aquellas
criancinbah sgo tratadas ; parocem filhos ba-
feijados por carinhoso pai. Pertenee ao padre
Renovato is fileiras do partido conservador, e
o autor d'este pequend esbogo tern a hoor& de
pertencer ao liberal, porem nao pods deixar de
lamentar ura governo, que, sendo t&o prodigo
ema derramar honras. nao se tenha ao menos
lembrado d'uma conezia para o padre Renova;o,
que, como elle,-aparent rari mantes in gur-
gite vasto.
Um liberal

Eleiotgo dos devotos quo h&o de
festeJar a Santissima Virgem
do Rosario, no oapella do po-
voado da Torre, no anno de
1882.
Juiz perpetuo
O Illb. Sr. capitio Joeo Carneiro Rodrigues
Campello.
Juiz por eleiglo
0 Imw. Sr. Dr. JosB Ozorio de Cerqueira.
Juiza por eleicQao
A Exma. esposa do Exm. Sr. conselbeiro Joao
Alfredo Correia de Oliveira. *
Juizes por devoglo
Os fmIs. Srs.:
Desembarga4or Franceisco de Assis Oliveira Ma-
ciii.
Dr. Joaquim Correia do Oliveira.
Dr. Manoel ,lo Nascimento Machado Portella.
Desembargador Henrique Pereira de Lucena
Dr. Miguel Figueir6a de Faria.
Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leoo.
Ignacio Pereira da Silva.
Braz Carneiro Lego.
Juizas por devoa&o
A's Exms. Sras.:
A esposa do Lim. Sr. Francisco Antonio de Oli.
veira.
A asposa do Illm. Sr. Dr. Juvenal Rodrigues da
Silva.
A esposa do 111w. Sr. Manoel Martins de Amrno-
rima Santa Rita.
Aesposa do him. Sr. Eugenio Marques de
Amorim.
A esposa do 1im. Sr. capitio Joaquim da Cos-
ta Moreira.
Alesposa do 111w. Sr. JAoao Goncalves dos San-
tos Junior.
A esposa do 1rm. Sr. Dr. Cosine de SI Pe
reira.
A esposa do Illm. Sr. Dr. Aitonio Francisco
Correia de Araujo.
Juizes protectores
Os Illms. Srs.:
Coronet Manoel Joaqui m ao Rego 4lbuquer-
quo.
Dr. Tarquinio Brauliu de Souza Amaranto.
Dr. 'irgilio de Gusm&o Coelbo.
Dr. Pedro Correia de Oliveira.
Commendador Francisco Justiniano de Castro
Rabello.
Dr. Lydio Mahanio de Albuquerque.
Dr. Joao Thom6 da Silva.
Dr. Francisco de Paula Penna.
Juizas protectoras
A's Exbas. Sras.:
A fllha di fllm. Sr. Antonio de Oliveira.
A fllha do 11i1. Sr. coronal Joaquim Jose da
Silveira.
A esposa do I1m. Sr. Dr. Jose Bernardo Gal.
vao Alcoforado.
A esposa do l1lm. Sr. Dr. Joao Barbalho Uch6a
Cavalcante.
A esposa do Ilm. Sr. commendador Miguel Jose
Alves.
A filha do Iim. Sr. Manoel da Cunba Brandso.
A esposa..do film. Sr. Antonio Jos6 C. Guima-
rbes.
Escrivbes par eleicao
Os Illms. Srs.:
Tenente-coronel Francisdo Carneiro Machado
Rios.
Commendador Jose da Silva Loyo Junior.
Dr. Antonio Goncalves Ferreira.
Dr. Jose Bernardo Galvao -Alconforado Filho.
Commendador Jose Pedrp dam Neves.
Archias Lindolpho da Silva Mafra.
Commendador Jose tandido de Moraes.
Commendador Manoel da Trindado Piretti.


Escrivas por eleicao
A's Exmas. Sras.:
A esposa do him. Sr. Manuoel Ignacio de Avila.
A esposa do Illa. Sr. Adriano Augusta de Al-
Smeida Jordlo.
A esposa do 111m. Sr. Joaquim Pedro Barreto
de Mello Rego.
A esposa do 111m. Sr. Antonio Ferreira Balthar
Filbo.
A esposa do Illm Sr. Jos96 Augusta Rodri-
gues.
A esposa do 111im. Sr. Justino Jos6 de Souza
Campos.
A esposa do 111im. Sr. Alfredo Ernesto Vaz de
Oliveira.
A esposa do illm. Sr. Jesuine Malheiro Braga.
EscrivIes por devocao
Os Illms. Srs :
Dr. Joaquim de Albuquerque Barros Guima-
i es -
Antonio Menelio Cordeiro de Guamblo.
Padre Antonio de Mello Albuquerque.
Reverendiesimo Dr. Manoel Gongalves Soares
de Amoria,
Julio Cesar Correia de Albuquerque.
Dr. Dario Cavalcante de Albuquerque.
Antonio Marques de Amorim Fflho.
Maaoel Homem deo Carvalho.
Escrivis por devoco
A's l'Fmas. Sras.:
A esposs do Mini. Sr. Dr, Miguel Jos6 de A.
meida Pernambuco.
A esposa do Illm. Sr. Joao Goncalves Torres.
A esposa do 111im. Sr. eapitis Francisco Anto-
nio S8 Barrelto.
A esposa do Dim. Sr. Antonio Goncalves Tor-
res. I
A esposa do HIm. Sr. Vivianno de SA Caldas.
A filba do 1Im. Sr. Francisco do Livramento
Gomes.
Gomes. GOMMISSAO DA FESTA
Os Hllms. Srs.:
GeapitAo Francisco Borges Leal.
Capitao Manoel Joaquim Machado.
Antonio'Joaq*lm Pereira do Oliveira.
Major Delphisp Luiz Cavalcante Pessoa.
Luiz Maria do Oliveira.
CHermelindo 14ateu da Silva Caneca.
Capitio Franclsoo' Antoniodo e Si Barreto.
Leopoldino C. Ferreira da Silva.
Demetrip Rodrigues Campello.
Torre, 16 de janeiro de 1881.
S m Ovigpero,
Fracisco flaymundo da Cunha Pedrosa. ,-



,S^ Sv.w1 J


1 /*


^%fal~l^

.4 r o Ra i~. o d e
4A94eio, r.po9ta, 6 ouvidioseie
4idbP.quWWi o ntroava o livro das actas
da mesa1 regdora ero0 o. comproisso
poar se oss umicos livros do archive que
lisba em sen podet, do cajo archives s
.fO erag&Uda e 1W, G responsavel, e que
aje maas., quiado qukae entreogar
taesiwOS, io o pOXa fazer, ist o qua o
Sr. J. C, da Silva. Io Hie mereia a no-
eamaria confalQoa, dizendo quo vindo elle
em character elficiaL, 6 o conhecia como
nudlidado, visto quo a amatriz tinba em-
pregados estipendiado. no livre exercicio
d.3 suas funco6es.
Recife, 5 de fevereiro d 1881.
Jos6. da Costa Rego Lima..
Benjamin A. Jose da Fooseea.
Agostinho Jose dos Santos.
Iguacio F. dos Santos.


Despedida ,
NMo tend consegnido as melhoras que
eramindispensaves, para que eu podesse
encetar o novo anno lectivo em cumpri-
menlo dos meos deveres no ensino, forcoso
me 6 procurar am descanso mais prolon-
gado e meios mais proprios para restabe-
lecer a minha quebrantada s46de.
Nests triste emergencia devo comtudo
coufessar-me penhoradissimo pelas multi-
plas provas de spreoo e de sympathia, re-
cebidas das irmIs directors de collegios,
dos Exms. pals e das prezadas alumnas do
quern ja tive a honra de despe(hdir-me pes-
soalmente.
No tenho outro meio senlo o presence
para dar part da minha resoluao Aquel-
las Exmas. families que se acbam ainda
nos Engenbos ou Mfra da provincia.
A's muitas pessoas e families quae tenhbo
a honra de contar entire as minbas rela-
Co,s mas quae pelo estado de grande aba-
timento em que me acho-, deixo de vi-
sitar-, perd6em esta falta involuntaria.
A todos e a cada urn em particular
agradeoo as finezas, que me -dispeasaram.
e fa~o votos, pars quae a semente de amor
t Aste quae foi me a maior goso cultivar
nas bellas almas das 'Sras discipulas que
me foram confiadas-, brote viposa e pro-
duza o fructo desejado.
Tambem espero encontrar na minha
volta uno de todo arrefecidos os benevolos
sentiments, qua hoje me enchemn de sau
dades e-de esperanoas.
Recife, 6 de fevereiro de 1881.
Gustat vo Wertheimer.


Programma
Da festa de Nossa Senhora da
Boa Viagem
No dia 3 do corrente, is 6 horas da tarde se-
ra hasteapo o estand~rte. de Nossa Senhor, da
Boa Viagem.
Uma banda de imnusie a military tocar durante
o actor quo sera leito cow toda a polpa e bri
IhantiSmo.
No dia segulnte comecario as novenas sen-
do as versos cantados por uma interessante
joveh acompanhada cm e6ro por distinctas se-
nhoras.
A music da orchestra composta de hbbeis
professors, se;A regida pelo maestro France
lino Pessana.
No die 12 tero lugar aft vesporas solemnes,
tocando I tarde a musical do 2" batalblo de in
fantaria de linha, as melbores peas do seu
repertorio.
Na madrugada do dia 13, uma salva de 21
tiros annuociard afesta da Santissima Padroei-
ra dos Navegantes.
A's 11 horas entrard a missa solemne, sen
do 6s s6los cantados par insignes artists.
PregarA ao evangelho o Rvm. Sr. commen-
dador padre Manoel Moreira da Gama.
A noite haverl Te-Deum. pregando o elo-
quente orador sagrado padre Antonio de Meilo
e Albuquerque.
Urn agnifico foqo de artificio, feito com o
maior esmero e capricho, senri queimado logo
ap6z o Te-Deum.
Nas tardes da vespera e dia da tfesta, havera
pomposas cavalhadas corridas por distiqctos
cavaiheiros da freguezia da Escada, que resol
vermin concorter assim, para o explendor da
festa de Nossa Senbora da Boa Viagem.
Durante todo o dia e noite da fiesta, a musi-
ca do 2" batalhaie, tocari escolhidas peas, su-
bindo ae ar innumeras gyrandolas, salvas, ba-
loes, etc.
A igreja sera explendidamente orpada e de
vidamante enfeitados o exterior e o pateo.
A companbia da estrada de ferro do Recife
ao S. Francisco, porl a disposicgo do public
trens extraordinarios para Ida e volta.
Os encarregados da festa, nbo poupando os-
forgas pare que esta fique na altura do cult
.levido a Sastissims Virgem, esperam qua seja
enorme a conctrrencia dos fleis.

Ao commercio
Os abaixo assignados previnem ao cerpo do
ommercio. que dissolveram amigavelmente a
sociedade que tinbam no estabelecimentu de
miudezas I rue da Imperatriz n. 70, sob a fir-
ma Silva &. Teixeira, retirando-se o soci0 Tei-
xeira dando quitaego ao socio Silva, que floa
cow a respo~sabildade de todo o active e pas-
sive do meame eatabelecimento.
Recife, 4 de fevereie de 1881,
lgiamcio Burlaimqui Pereira Teixeira.
Antonio Viente da Silva.


Colegio- Brasileiro
Para o soxo feminino
N. 22-RUA DA IMPERATRIZ--N. 22
As aulas deste ostaeblecimento estlo func-
cionando desde o dia 17 de jauneim, e nested
oollegio continua-se a aceitar meninas inter-
nas, saemi-i4aternas, e externas. A director
afflanga o bom adiantamento de muas alumnas,
pars o qu e tern ecollnidos professors.

Zima

PARA 0 S FEMINIO
Rua do Livramento n. 38, 2.o
andar.
Professors e directors:
Amalia Rozo Lima.
Zima Roxo Lima.,
A matrtiqula do 8.sahoo lectivo para as ulaq
dese co1ilgio esti aberta ddesd 7 de janelr
de 1881 sn diante, tlo somente para alumni
externas.
w *, *. *-. -- i ...


^JII ~ iito~~ps^ 8r. Gustavo Warthe
plptura- pelo 8r. AurelIo de Fl-
luotuiciO roligiosa-pele Sr. vigario Vol-
At&jm6 as tillatsd no bollegio sao: o por-
.act 4 e angle ..
SoAl rcebe alumnas pensioqIa9s,
1ie-lm oplstas e externas. As atlas eta-
rio abeKas do dia 10 do janeiro awm dianLe.

Collegio deN. S. do

I Amparo
Rua da Uniflo numero 4
Este estabeleclmeoto de educaClo de meni-
nas estara aberto do dia 7 de janeiro em
diante.


Junta dos correctores
PRAQA DO RECIFE, 5 UKDE FEVEREIRO
DRE 1881
cotac6es ofllclaes
As.jres boras dA t'ird-.
Ac.oes da companhia do Beberibe, do valor de
505 & 871 cada uma.
Algod.o do Rio Grande do Norte, 7A900 por
15 kilos post a boreo a frete de 1/2
d. e 5 0/0, bontem.
Assucar deGoyanna, 2A350 por 15 kifos, purto
a boedo, n'oa diaS I e 4 dou co iente.
Assucar do Rio Grands do Nurte. 16250 por 15
kilos poslo a bordo a frete de a0/ e 5
0/y, honLem.
Camnb)io sobre ii Rio de Janeiro, 15 d/v. corn
1/2I 0/0 de desconto.
Dito sobre dito, 30 d/v. corn I 0/0 de des-
conto.
Dito sobre- dito, 90 d/v. corn 2 0/0 de des-
conto.
Caujhio ;obre Londres, 90 d/v. 22 d. por
1i00. do baneo, hontem.
Dito sobre dito, 90 .J/v. 2"2 1/8 d. e 22 d. por
18010, hoje.
tCambie sore Lisboa, 3 d/v. 143 0/0 de pre-
umio.
NA tHORA DA BOLSA
Venderam-se :
20 acOes da companhia do Reberibhe.
,4. J. di MOLta,
Presidents.
P. J. Pinto,
Pelo secretario.

ALFANDEGA


ftenditmia..ito do aia 1 a 4 14:1.h;; --,
laern do dia 5 34:0991891
175:69a1..a ,

Importagao
Brigue sueco Martha, entra ho do Loi-
dres em 5 do corrente e consignaalo a
Fonriseca Irmao & C., manifesto : -
Alcatrio 10 barris a Caetan C. da Co-i
ta Moreira. Arroz 10b saccos a .'detin
Carvao de pedra 50 toneladas Wilsou
Sons & C., 5o aordem. Cemnento 390 bar-
ricas ai ordemi, 130 a Parente Viii nria &
C., 100 a Vicente F. de Albuquerque, 100
a A. J. de Oliveira, 100 a Jos6 Juaquim
Alves &. C., 100 a Samuel P. Johnstun &
C. Cognac I caixa a E. W. Banhin. Cer-
veja 50 barricas a -ordema, 3U a Souza
Bastos, Amorim & C.
Fio 1 fardo a Otto Bohres Successor.
Ferragens ,15 volumes a Samuel P. Johns-
ton & C., 2 a ordernm.
Objectos pa'a estrada de ferro 180 vo-
lumes e peas a Via Ferrea do Recife a.S.
Francisco.
Phosphoros 60 caixas a Parente Vianna
& C. Polvora 280 barris de 1/4 aos rnes-
mos, 200 a Gomes de Mattes Irmaos,
1,040 e 341 caixas A ordem, 500 e 25
caixas a Saunders Brothers &dC.
Salitre 50 barricas a Parente Vianna
&C.
Tinta 20 barricas aos minesmos. Tintas
43 barricas a Antonio E. da Silva Cam6es,
10 a A. Caors, I a Caetano C. da Costa
Moreira. Trapos I fardo a Caetano C. da
Costa Moreira.
Vinho 3 caiias a E. W. Banhan.

Vapor national Mandahu, entrado dos
portos do sul na mesma data e consignado
a Cempanhia Pernambucana de Navega-
0ao Costeira por Vapor, manifesto :
Algodlo 269 saccas a Miguel Jos6 Alves,
100 a Pedro 0. de .Cerquoira, 61 a Do-
mingos da Silva Torres. Assucar 50 sac-
cos aos mesmros. -
Milho 70 sacccos a A. Henrique Garcia.

9BSPACHOS DE RPORTACAO NO DIA 4 DR
FEVEBXIRO DR1881
Portos do exterior
No vapor inglez W*rio., carregaram:
Para Liverpool, S. Brothers & C. 2,400 sac-
cos cos orn 10,000 kilos de assucar mascavado;
B. Oliveira& C. 308 couros salgados cota
3,696 kilos.
= Na barca ingleza W. Naizby, carregou:
Para Liverpool, J. H. Boxwell 600 saccas
corn 45,000 kilos de assuear mascavado.
Na barca sueca August, carregou:
Para o Canal, J. H. Boxwell 450. saccos
corn 33,130 kilos de assucar mascavado.
No patacho americano M. R. Cuso, car-
regou :
Para New-York, C. R. do Passo 1.060 sac-
cos cam 79,500 kilos de assucar mascavado.
No patacho inglez S. Joseph, cairegi
ram :
Para o Canal, Valente & Irmbo 400 saccos
corn 30,000 kilos de assucar mascavado.
Para New-York, J. S. Loyo & Filhio 850 sac-
cos corn'68,250 kilos de assucar mascavado;
Julio & Irmao 2,000 ditos comn 150,000 ditos de
dito.
Na barca portugueza Nova Vencedora,
carregou: '
Para o Porto. F. de Moraes 10 barricas corn
962 kilos de assucar blanco.
Na barca portugueza Nova Sympathia,
carregou:
Pare o Porto, M. de Almeida & Silva t pipa
,corn 480 litros de aguardente.
Portos do interior
No gltacho hespanhol Juanita, carrega-
ram :
Para Uruguayana, Baltar Irmbos & G. 91
baricas corn 10,,503 kilos de assucar branco e
S57'dites corn 17,843 ditos de dito mascavado.
--ia barea pbrtugueza Marianiaha, carre-
gtrta:
Parna* o Ao Grande do Sul, Beltrao Junior &
-Reeude 4/0.1pts 'corn 4,800 litros de aguar-
Itdeti ;; Balte-tno.& C. 00 saccos corn 4,500
kiloskdutl ousl5raoo e 6o datoe corn 4,50s
ditos de di camdo,
No paellQ une al 7. Cotreia, oarrgU
Par aoio Grante do Sul, Amorim Irmate
G10 iipas a.. 48,000 Joros de aauar-


,.-. ,No M pitaho- pong Fasto, carrege-
T::. ..... f C. s .p.p's

i P ew _'.w ," .:*' :. 'i ;. .. .. J[,


os didao bfancoA M. F.
Maqutm 21 gol. eom 17806 ditos de dito
Se_ "8 ac.a "a0 ^50 dites de dito mucaya-
do; 0. I a s 71,900 cocos (fructa); P. J.
loSatous 10,000 dios ides.
Pars Bahia, F. P. dos Reis 3 barricas corn
200 kilos.de graixa.
CONSULADO PROVINCIAL
Rendlmento do dia 1 a 33:666J277
[dem do dis 5 9:094"410

42:760J687


RECiFE DRAINAGE
ftendimento dia I a 4
ideg do dia 5


2:5885285
928#726
3:517#611


Bevilat commercial
Da senmana de 31 de janeiro a 5
de feveoeiro deo 1881.
OS CAMBIOS REGULARAM ESTA SEMANA:
Sobre o Rij de Janeiro, 90 1/v 2 por cento.
30 d/v I por cento, 15 d/v 1'-2 por cento ae
desconto.
Sobre o Rio Grarde du Sul. 9j) d/v 2 por
c-nto de descontl.
Snbre o Para, 90 d/v 2 per "en'o de des-
conto.
Sohre Londres, 90 d/v 22 7,1G. 22 1/2, 221,'8
e 22 .1/8 d,.-por 1i000, e do bar,'o, 22 a. por
1(0110.
Sohre Lsboa, 3 !,Iv 1S3 por cento de pre-
mio.
Verididram-se 10 acoes la Comnanhuia Phe-
nix Pnrl.un-buc'tua o u 200S a 340S por pro-
pusia.
Generos nacionaes
Aguardente.- Vend-t oe 6.G a 61S000 a
pips.
Algod5o. Etrata'aam ;i,090 sac,a.s. veutdas
'i) du sertao, 8,0A ,(Mias 15 kilus. DiLt ,u iuio
Gi'aiade do Norte, a 7.M)0 (is 15 kilos, piosto ;a
h'jhia. fretl" 'i-e I/2 e 5 0p- CeiaiLO. Dico d.
(G,,iyaaina, a 7$8i0 os -15 k'lo.
Assucar.- EtErardua i4,'.77 Siccos. reui.,'ij
os pre-Qos sezuinies:
O biraico, oe 3.' s, ,te, .qi 3a i a 3$9',00.
0 dio tie. 3.a so l e.'le ulr, tiod ie 1 1 it
$500. 0 lit,, i e 4.- S.Fte, a 3, $.li.. U -.')
iciaius, -* je ; O)0 a ;I .;0) ii eiesca-saiJo p. j-
.:;a'1o, lan), (IC *2i84ai) a1 2Jf90O! < ii lao, reau-
tar, oi 2,47(i) a -'OP75ir. i> fl-, raidiI c fitl. ;I
2$100. 0 Oit.i, ij:i x., ;Ai l 1) 1., k)s <- 15 t ki-
Mas. Cia ) Ia. i ;,,.0it-:;r a G .y;i a a
ai 25 '3) ,,s 15 kils. p,-to;a L ) -r.;n. tiio l ,.
lIi GUcia atl N'ailto. ., 2025'0 Os 15 kil., pu-rS
t b i ,I f'rei ,t- .30) a t1 r cav .'ii .
:;;1, a d Itio it -laucio.-- l.tdlilu Ia- 5,10(
a 7 so'a ,, "15 kilts.
C(,ottaa r-. r S S..!.au tdu.. UiLiiaaas v eita;s
.a *<4(0 i.', 0 kal4. se.a.,, tis se'e vuts a- i:a d ,'. 575 a ,S i S ,s ka i DUtDo.-, dius,
0SlJlat"Jos,-. -N'I hial.
Farinlia do manidioca. [ttallho de 2$5',,0
a 4$-w' U .uCCu.
I. .nim < mi. NoV-i. [l-i dleaa dO 2i$j a 2>
-) I15 kilos. iilt.., de Goyaz. [R1tlh'1, oe 26$
a 32,o00, us 15izuis. Dlto em rulus.-N'>uaual
d 14$00.) e 165(0J os 15 kilos. Dito e:a iuLas.
-Rr:t.illu fie ,16$ 20j *,s 15 kilos.
Graxa em bexigas.- Nomoitcal de o 600O a
65800 os 15 kilos.
Gomina de. mandioca. Retalho 3-20)0 a
3j500 as 15 kilos.
Mel.- Venda a 458(001) a pipa.
Milho.- Retalho de oW a 9 ; reis o k:lo.
Pelles do uabra.- Nominal de 45S a 75500U
) cento.
S,,ra eiiacional.- VenJas ,le 5S000 a G-200
o ieiielo.
Sal do Assf. Uln'tnai venaa a 1$200 os
10U litrus.
Veains stearinas do Rio ale .laneiro.- Retaib..
do 330 a 340 reis o nas.o de 6 velas.
Xarque do Rio Grande do Sul.- -Ddposito
75,000 airobas. Retalhu -;e 5SW1O a 7$000 as
15 kilos.
Generos estrangelros
Alpista de Lisboa.- Vendos a 45300 os 15
kilos.
Arroz da India. Retal!ho a 2S800 os 15
kilos.
Azeite doce de Lisboa. -Vendas a 3$000 o
gal.o.
BacalhAio.- Deposito 35000 barricas. Reta-
lho de 14(100 a 16100) a barrica.
Breu.- Nominal 'de 0S a 12$ a bariica.
Batatas emrn caixas. Retalho de 25000.
Ditas em gigas.- Retalho de 1(180 a 1(200.
Canella. Retalho de 1(301-a 15400 o kilo.
CarvAo de pedra.-- Nominal du 14S a 16( a
tonelada.
Cebolas em caixas. -- Ret.lho de 15$900 a
16S000 cada caixa.
Cement Portland.- Retalho de 7S a 105000
a barricas.
Cerveja branch, Bass.- Retalhi de 8S600 a
4600 a duzia de boatjas. Dita preta.- Retalho
de 8(600 a 9360) a dazia. Dita de uutras
marcas de 69000 a 85400 a duzia de garrafas.
Chl Hyson.- Retalho de 35000 a 5(000 par
kilo.
Cominhos. Retalho a 135000 as 15 kilos.
Farello do Rio da Prata.- Ultima vends a
35600 o sacco. Dato de Lisboa.- Ultima ven-
da a 45400 e 45300 o sacco.
Farinha -de trigo.- Deposito de 12,000 bar-
ricas, aus preoos seguintes :
A americana, de 225 a 235 a barrica. A de
Trieste e Hungria, de 30( a 33 a barrica.
Feijbo de diversas cores.- Nominal de 65
85 o sacco. Dito mulatinho.- Nominal a 135
a sacco.
Herva-dece.- Retalho a 13(000 as 15 kilos.
Kerosene.--,Retalho de 45300 a 4(400 cada
lata.
Louga ingleza ordininia.- Retalho de 360 a


r6is por aento de premio sobre a factura
Massas italianas.- Ultimas vendas de 65500
a 7(00u a caixa.
Manteiga franceza em barris. Venda a
15656 e 15700 o kilo. Dita em latas Izigny.-
Retalbode 25398 a 25507 o kilo. Dita em latas.
Italianas.- Retalbo a 95463 e 2507 o kilo.
Passas.- Retalho de 75960 a 88 a caixa.
Papal de embrulho.- Retalho de 61U reis a
15200 a resma.
Pimenta da India. -Retalho de 750 a "60 rdis
9 kilo.
Queijos.- Retalbo a 25900 e 3(000 urn.
Phsphoros. eotalho dos da marca Jon-
kopings, a 28500 a groza. Ditos da marc Ni-
thedals, retalko a 25000 a groza. Ditos da
marca Wenesborg a 25000 a groza.
Sardinhas de Nantes.- Retalho de 400 a 420
r6is a lata de quarto.
Toucinbo de Lisboa. Vendas de 105500
os 15 kilos. Dito americano.- Nao ha.
Velas stearinas hamburguezas.-Retalho de
340 a 360 rMis u masso de 6 velas.
Vinagre de Lisboa.- Retalbo de 1455000 a
1555000 a pipa.
Vinho into de Lisboa.- Retalho de 1955 a
M210 a pipa. Dito da Figueira.- Retalho de
2105 a 2355 a pipa. Dito branco deo Ctte.-
Retaeho a 2255 e 235S a pipa. Ditr-tiUnto do
Cette.- Nao ba. Dito do Porto, em caixas. -
Retalho de 9S a 105500 a caixa de duzia.
Xarque do Rio da Prata.- Deposito 14,000t
arrobas, retalho 'I4e 6100 a 75500 os 15 kilos.





Nuues entrados no dis 5
Portos do sal-5 dim,, vapof ingleo Cordillera,
4,1791 toneladas,. oommnadante Grach,
04 8EOakga varois generoe ; a Wil-
S on.Jpi AeS
A 7- dims, vapor hbiaileiro MaglAdA,
do' ton daa mSmaMante A. D. dos
Sutre, Ia m 0, cinga vario gone-jI
"wii~nai Psrnambaon J
*' < t f & & r d i- m 9 ,.v-n i i k& ,n o i


rao qae


Rio da Pmta-Brg! rf
M tonelados, capio 0. J. Ni '
auoar. ., .. ...


OBRAS PUBLICAS,- D6 QonlormAlA
corn a ordem do Him. Sr. engebeor etefe
director oa reparticao das qbrae a, fa8O
public que no dia 12 do mez il.lntf, 80
meio dia, perante esta reortigio,1 )l*k/apa
a construcCao da poontes sobre o 9 e tr X.a
estrada de Agua-P;eta, orgada era 3M:M8. 0.
orcamento e uondig0es dv contract, iacbam-si
nesta secretaria para serem examinados pelos
pietendentes.
Secretaria da reparLigao das obras puokics,
25 de janeiro de 1881. 7.
Joao Joaquim de Siq ira Var t.
0 coroner Decio de Aq neievi W of-
ficial da Imperial Ordem da Rosa par
S. M. o imperador, a quem Deus
guard, e juiz de paz em exercicie nes-
ta freguezia na Boa-Visia, em vir-
tude da lei, etc.
Fago saber aos que o present eJital virem,
ou delle noticia Liverem, que no dia 16 do cor-
rente. findos os d:as da lei e pragas do estylo,
e depois da respetiva au liencia se ha da ar-
iematar por vendi, a quem mais der, ea bas-
ta publiea deste juizo, as bens seguintes:
Dous .onsolos dic amrnarello jA usados, por
8 .O0. unm loucador do amureilo, pequepo,
por et&00, unia mesa pequena de amarello,
por 3SiOi'O, uitlo cadeiras bastunte usadas, de
divirsas qualilades, por 168000. urn par de
I-internis io vidlr,. p.,r 800(J, umn relogio de
parede.. trabalhiand,, p-ir ljOS0. unia narque.
za de ainaello, eni mao stadu, por 1tSCe,
um par iftjarrus pequenus, por 2SfM0 ; diLos
be.s forarn p-hiitiuraios a Antonio Carvalho
los Siants.par. part pagamrnente da execuQ1o
q,1,: ihe ii.uve D. Poficra de W-Mllo Gulmarles,
-. :iuso nao app:rc.i lancad:r qua cubra o
preeu da ava!,.ct,. a arremaiaao sera feita
p(.Isel.)ia ad1jihC.,y;\ ,.
F pa;i iue cli-gue ao conhecimnento de to-
os, 1un'1.'. pas;ar o presence euiital, que a era
i-,ibl:,'.i, ptia i. prti.!t4 e alfixado .os luga-
ies publicos du Cu5iimWl
ahJh u- passviuo (nstl fregnezia 'da Boa-Vista
dcstaii clcjilJ- Jo eftei de Pernambuzo, aos
Ires tlis do mez lie (,-vereiro de 1881.
E. Ataonmo Joaquim Peretra de Oliveira,
(-;s>rioau, u escrivi.
Decio de Aquino FonsecapS


iECLARA( OES
Obras pubieas. -e conformidade
cmtn ;, ,rei, iio Jil'ni. Sr. engnbeiro chefe e
director d'- repa4riAo adas otras publicas, faQo
pubits'o que n i Jia It do corrente, a o weio
dia, perante esta repartiao, vai A praga o em-
barreamento d- 727 metros correntes na es-
trirlda tie Itapissuma a Nazareth, orgados em
'.A-882S7 62.
O -.rcameuto e ccindicis do contrato acham-
se niesta secret ria para seem examinados po-
los Dretenlentes.
Secretaria da repprtiigo das obras publicas,
3 de fKverei o de 181.
No im,,edimento do official.
Antonio da Costa Silva Ma duro.
0 admainistradior avisa aos Srs. piopriptarios diss casas situadas ,
nas fregut zias e ruas constantes da relaao
abaixo. us quiaes sau c,.ntribuint3s do impos-
1i a-ldiciunal A iiecimta p!lit servigo da Recife
Dh'uynage Company, relative ao 10 semestre do
exercicto corrente, de 1880 A 1881, que o res-
pecti;'o paainamento. a bocca do cofre, deve eo-
me~ar no 1 de fevereiro proximo vindouro, e
terminar improrogavelmente no trigesimo dia
iil, como preceitua o art. 42 do regulamento
fle 4 le julho de 1879.
Consulilo provincial de Pernambuco, 29 de
jan-ir,; *e 188I.-PFrancisco .mynthas de Car-
ralho Moura.
Fregue:ia do Recife
Ruas : Marquez de Olinla. Bom Jr-sus. Al-
yes Cabral, Comrnercio. B.spo Sardinha, Tor-
res, Thm6 de Suuza, D. Maria de Souza, Vi-
gafio Tenorio, Barrelt do Menezes. Maeiz e
Barros, Burgos, Amorim. Moeda, Tuyuty, Com-
panhia Pernambucana, Madre Deus, >omin-
'zos Jose Martens, Mascates. Restaur~cao, D.
Maria Cesar, Visconde de Itaparica,!Pharol,
Real, S. Jorge, Vital de Oliveira, Guararapes,
Bario do Triumpho.
Largos: Da Alfaidega, Corpo Santo, As-
semblia.
Travessas: Vigario, Madre de Deus, Cam-
polio. Doming.'s Jose Martins, Corpo Santo,
Antigo Porto, Born Jesus, Areal, para fun-
dic8lo, Oy3iiente, Guirarapes, da Iaca de
Pedro i.
Praoas : Do Chaco, de Pedro L" "-.
Caes: Do Brum, do Apollo, da ..Co~mpanhia.
Beccos: Abreu, Largo, 1'indob 'Tapado.
Paschoal. .-.
Freguezia de Santo An
Russ: Imperador, Prireiro de Marco, Du-
que de Caxias, Cabuga, Bargo da Victoria,


Trincheiras. -Larangeiras, larga do Rosario,
estreita do Rsario, S. Francisco, Jobo do Re-
go, Ilha do Carvalho, Roda, Patos, Calabouco
Velho, Santo AmarUo. Mathbias de Albuquerque-
Paz, Paulino Camara, Fogo, Livramento, Pe,
nha, Visconde do Inhauma, Pedro Affonso,
nova da Praia, Marcilio Dias, Viracao, Lomas
Valenticas, Coronal Suassuna. Santa Thereza,
Vinte Quatro de Maio, Palma, Marquez do
Herval, Cadeia Nova.
Beccos: Datravessada rua Bella, Calabougo,
Matriz. 1 da Camboa,2* Idem, 3 idem, Faicso,
1 da Cadeia Nova, 2o idem idem, 3 idem idem.
Travessas. Queimado, Cruzes, Marquez do
Recife, rua Bella, Quarteis, Colabouoo, Expos-
Los, Matriz, Flares, Carmo. Bomba, Livramen-
to. Arsenal, In e 2' da Prais, Carcereiro, S.
Pedro, Viraolo, Lobato, do becco do Falclo,
Poucinho. Coneordia.
Largos: Paraiso, Garmo, Peqha. S. Pedro,
Pracinba.
Caee : 22 de Novembro.
Praca: Pedro 11.
Campo: Das princezas.
Freguezta de S. Jose
Ruas: Marcillo Dias, LomasValentinas, Co-
ronel Suassuna, S. Joao, Palma, Marquez do
Herval, Vinte quatro de Maio. Dias Gardoso,
Passo da Patria, Padre Nobrega, Victoria, Ca-
deia Nova, Vidal de Negreires, Frei Hennque,
Dique, Assfmpcqo, Demingos Theotonio. Pa-
dre Floriano, Christovbo Colombo, Jardim, For-
te, Antonio Henrique, Nogueira, Santa Cecliia,
Santa Rita, Nova de Santa Rita, Praia de San.
ta Rita, S. Jose, Pescadores, Ypiranga, Impe.
rial, Luiz de Mendonfa.
Travessas : Martyrios, Pocinho, Caldereiro,
Gaz, Forte, Sirigado. Copiaes. di rua Nova de '
Santa Rita, S. Jose da praia do Forte, Peixoto
Imea.
Beccos: Da rua da Palma, Caldereiro, As-
8ump~lo. 20 da rua Nava de Santa Rita, Ma.
triz do S. Jose.
Largos: Forte, Mercado,
Freguesia da Boafista
Ruas : Imperatriz, Goncelglo, Visconde de
Pelotas, Tambid, Visconde de Albugerquoe,
Aurora, Capibarilbe, Ponte Velba,- Condo da
Boa-Vista, Riachuelo, Uu)io.Sadt e
Setembro, Hospic'o, Camurlio, R r
vasto'Pires, Atalho, S. ego- Prineifie88A1
CruzS. Go aJo, Coilboo -" Pi


1 '

- ** .* -.1111.1


4.





.: ,


#




-'?




SI-
,,


.
'I I-"


,


~- .-.-..- -


a -
a -


ta


,















~aoszul -~


J
68


.paDno az4l 10
i-Pardoe2

,B 'E 97
|ais.tra j pdagoso6, meOrs N8.20
ade obertamSeipodaqos5, metros 5
.41 de Ia prbtiN metros 1.310,84
Spequenes de massa. grozas 100
4l madeira do dous funds
Sw pobdepy o 1
alm pandes de madeira I
fteqAa de dita 1
Crio corn tcaixa 1
DitOsM corn pipas 2
Cauohetes de pinbo 40
Clbha'grandes de madeira 3
Mesas de inferior 3
Quartolla para deposit d'agua 1
Quartiheiras de madeira 2
Tins de madeira 1
Dits.de bateria 2
fsnaeques de aadeira de differences
calibres 20
Bussola para agrimensura 1
Agulbio corn pinula e nivel de balha.
dor t
Nivois de engenheiro 2
P6 de nivel t
Lampeoes da antiga illuminaglo de rua 2
Panellas Ie folha pars olto praas a10
Foihas de Flandres, caixas 5
Ferro inglez quadrado de 1/4 de polle-
gada, kilos 1,208
Ago em barras. kilos 743,20
Ferres para lampeOes da anriga illumi-
nacao de rua 8
Schabraks de panno 25
Secretaria do arsenal de guerra de Pernam-
buco, em 4 de fevereiro de 1881.
0 secetario,
Trmolkao P. do Albuquerque Maranhdo.


Vencrave l irmairiadu
DE

N. S. do Terco


gt-








I'.









'v.1
-


COMPANHIA
DO


BEBERI E

A directoria da mesma companhbi
de conformidade corn a resolugio d
asa mblda geral dos Srs. pccionistai
redhida no dia 27 de janeiro findo, cot


vida aos mesmos accionistdBs iA reun
S rem-se no dia 7 do corrente mez5 pelh
12 boras do dia, no escriptorio. de sm
asde d rua do Imperacor n. 71, par
de accord corn o art. 52 ops estatuto
apreeiarem e resolvere n sobre a' refo
mi dos mesmds, quoe acha feita.
S Preeoitaando o citaio art. 5q
P o aft do quo- tmup w w
-a Di O-*e'i ** -pt,
gmmm F s s .-ps ,-
..:.-mil .. d,, dF, a bl-*',


* '-
* '- -*


-q


.- --- --W -,*
*- GratiiauoH Ocotatle.tCr~z Mq^Tn..
G rnt Potgez dle


CONSEILHO DMELIBRATIVO
Do ordem do Ilm. 8r. resiadsteconvido
-a todes os Sts. vegaes deste conselhp, 4 com-
parmecerem is 6 horase- da tarde do segunda.
fint 7 to oorrente; a sesslo 6 extraord$aaria,
onvocada per officio da dfrectoria, de aodordo
oom o 33 do art. 60 dos estatutos.
Gabinete Portuguez de Lpitura, 4 de feve-
reiro do 1881.


Francisco dr Olivira Mawa,
1 aseCetario.


)


E' esperadu
ecsul no dia 9
do" corrente,
beguindo do-
pois da neces-
sariac dremors.
par& o Havre
em direiturn.
Roembe oarp, encommendas e passagei-
ros, para as quaes tern excellertes accom-
modag5es.
Augusto F. de Oliveira dC.
42-RUA DO COMMERCIO-42
Entrada pela rua do Torres
Lisboa e Porto
A barcaQa portugueza Novo Silexcio, recebe
carga a freto para os ports acima, e deveri
seguir corn brevidade : A tratar corn os consig-
natariea Jose da Silva Loyo & Filbo.
Companhia Brasileiro do nave-
gagao a vapor


PORTOS DO NORTE
6 vapor
Pernambuco
Commandante ocapitlo de Ifragata Pe-
dro H. Duarte
S E esperado dos por-
tos do sul at6 o dia 9
do corrente, e depois
da demorado costume
seguirA para 0 por-
tos do norte.
PORTOS-DO SUL
0 VAPOR
Ceara
Commandant Alcoforado


E' esperado dos portos
do norte at odia 13 do
corrente, e depeis da
demora do costume se-
guira para os portos do
suL


De ordem do nossoe irmio juiz, sao convida
dos os nosss carissimos irmAos desta vene
ravel irmiandade para comparecerem no do
mingo, 6 do corrente, pelar 3 1/t horas di
tarde, para encorpor-dos, acompanharmnos a
procisso deo N. S. da Luz, que sahe da igieja
o S. Jose de Riba mar, para o que fomos con
vidados pela respective Irmandade.
Consistorio da irmandade de N. S. do Ter-
90, 4 de fevereiro de 1881.-0 secretario,
Mdrcolino Augusto da Silva Villar.

Recebedoria de Per -
nambuco
Divida activa
0 sdministrador dd recebedoria, dando cum-
primento a prtaria daithesouraria de fazenda.
n. 12 de 2S de janeiro ultimo, faz publ'co que
se vai proceder a cobranga amigavel dos irn-
postLos ainda n&o pages, relatives aos exerci-
cios de 1867 A 1868 em aiante, cujo pagamen-
to deve ser feito nests uepartiA.o aos respecti-
voyes cobradores, ate 30 de junho vindouro, de
conformidade con a circular n. 69 de 31
de dezomnbro proximo' findo, que proeogou o
Srazo estabgle-ido pela de n. 40 de 13 de ju-
ho do anne proximo passado, e corn as ins-
trucCos do ministerio da fazenda de 20 de
maio deo 1879.
Recebedoria de Pernambuco, 1 de fevereiro
de 1881.
Alexandre de Sousa Pereira do Carmo.
The New London & Brasilian
Bank Limited
RUA Do COMMERCIO N. 32
Secca por todos os vapores sobre as
caixas do mnesmo banco em Portugal,
sendo:
Em Lisb6a rua dos Capelistas n. 75.
No Porto. rua dos Inglezes.

Obras do Port)
Pela directoria das obras de ccnservac&o
dos pertos d'esta provincia, manda-s t fazer
science a quern interessar possa que, de con-
formidade cornm o aviso de 29 de dezembr,, pro-
ximo passado do minibterio da agriculture,
commercio e obras publicas, no dia 28 de fe-
vereiro proximo vindouro ao meio dia na mes
ma reparticAo, recebem-se propostas em cartas
echadas para comnprar, ou contratar corn quem
mais vantagem offerecer a construcCe o de tres
canvas de 50 tonelada' cada urma para o trans-
porte de vasas extrahidas pelas drags d'esta
repartigao.
RepartigAo das obras de conservasvu dos
portos de Pernamnbuco, em 24 de Janeimo de
1881.
0 1o escripturario,
Manoel Duarte Pereira.

Empresa LocomotOra
Esciptorio A rua do Visconde
de Itaparica n. 7
A empresa locomotora, desta cidade, fez du-
rante a safra passada, urma reducC)o no preno
de trarsporte de generous, em favor dos se-
nhores agricultores, esperando que, em vista
dessa attenCAo, fosse ella preferioa para a con-
duccAo de dites generous; porem nao se tendo
realisado sua espectativa e antes acartretando
Scorn, grandes prejuizos e obrigada a fazer enor-
mes despezas para sua boa conservaclo e ten-
do, em consequencia da grande porgAo de
carga, nesta safra que ha a coaduzir e despa-
char, gratis, de augmenter seu pesseal para
bern servir, tern deliberado fazer uma pequena
alteraego nos pregos, isto 6 revogar a tabella
actual e restabelecer a anterior, de t de fe-
vereiro em diante:
A saber:
Peor sacco de assucar da estaeAo das Cinco
Pontas ao Recife 200 reis.
Por sacca de algodio da estacao das Cinco
Pontas ao Recife 200 reis.
Per pipa corn agu'rdente da estacgo das
Cinco Pontas ao Recife 25000.
Per sacco corn assucar dos trapiches aos
:armazens 100 reis.
A empress locomotora continue a conduzir
e despachar gratuitamente es objects dos
sous freguezes, que forem rmernttidos sos se-
hoares agricultores; encarrega-se de deepe-
ehar qualquer quantia de dinheiro, tirar as
amostras dos assncares xna estagao e trapi-
ches; entregar asos senhores correspondents.
para o que tern um pessoal habilitado e pra-
lico, e pelo qual se responsabilisa. Pede e
espera. o auxilio dos senhores agrieultores,
correspondents e commerciantes, mesmo a
bern da agricultura e do commercio.
Recipe, 1 de fevereiro de 1881.
Jodo Antonio da Costa Moreira,
Gerente.


Quarta-feira 9 do corrente
f is It horas
la No armzem da rua do Imperador n. 49
Per mandado do HIm. Sr. Dr. juiz de direito
especial do commercio, 'o agent acima fari
l beillo dos predioq e dividas absiyo declarados
i. pertencentes a massa fallida de Manoel de Aze-
gg vedo Andrade, a requerimento de Fernandes
.a Oarvalho & C., administradores da mesma

s BoU emprego de capital
r- A saber:
I cats termea na cidade do P lar nas Ala-
I d2a m Campina Grende, na proviocia da
9I Parfyba. '
4 dtais na cidade do LUmiaro, na rua'do
W M os We, sendo ura deltas oom am-
as hs oa Pmeo do &ssuo cari. m -_a A -

a -


dqas"a s. So.ijuta4s .torlo e dod .ad,
mioisniorin dpi da f im ... .
A'-. 1 b v** *. 4




SNa'rua da UniMo U. 47 fazzem-se s-
Udos, aacos6 e outras pes para TOILLTz
de Sras., poles figurines mais modernos,


e por preoos commodos.


M.asc~aras
Ameba ie chegar grande sortimento para a
loja do vapor franbez, A roa Nova n. 16, a pre-
Cos baratlsaimos, em duzime.
Aluga-se am pequeno segundo andar,
tendo 2 quartos, 2 asalas e cozinha f6ra, pars
pequena fanolia, na rue Duque de Caxzlas n.
32: a tratar na mesa n. St. bilbar commer-
cial.
Fugio da case do abaixo assiguado, na
Be rra Grande, em Porto-Calvo, -am escravo
crioulo, de nome deunedicto, bow preto, corn
30 annos, mats ou monos, boa fltra, ievou
vestido paletot preto, chapeo preto alto, e ua4
urn corta pass ao lado : quem o pegar, p6de
leval-n ao Sr. Joaquim Rodrigues T- v-re' de
Mello ou ao Sr. Bernardino Pontual nests pra
@a, on ae spenshor em Barra Grandu. bu n.
engeniao S. Vicente, no mesmo lugar. que serr
bem recompensado.
Joao Baptista Accioli.


Os abaixo assignados venderam ao SM
Manoel Gomes dos Santos o sou estabe'eci-
mento 4e molhados, sito A rua do Livramento
n. 31. livre e desembaragado de today e qual-
quer respensabilidade. Recife, 5 de fevereiro
de 1881. A. Frederico & C.


VUlWd e duas casas'-bradadas. sorn
bbasintus Ccemodo r n t imt e
fracas, nw iva da Prtwio ii. 8 e 10, 9on
d1Oes' r-zoavrli: a & tr na ruia do Capitlo
Antoniodeo Lim a n. 30;. Santo Amaro.
Aluga-s una das loja ..da caa n, 32 da
rua Direata. pars qmiuIa"q extbelecirmeato
oommeroiaj on officna: tratar na beUtica da
rma larga do Rosarle n. 34.
Aluga-se o sobtadinho de urn andar i
rua do Corone Suassdna i. 66, e o 20 andar
do sobrado Ai rua da Penba a. 29; a tratar no
rua Duque de Caxias n. 97.
Aluga-se o sobrado e sotlo is rua de D.
Mari- Cepar n. 218. corn commodos para gran-
do famijis, tern a ua: A tratar na mesma rua
n. 30. .
Precisa-se de umcalxeiro de A It 14 annos
do idade coan pratica de padarla : A tratar na rua
da Concordia n. 57, padsa. _

Vidos do Douro
/ Garantidos
FIgueira e Bairrada, em quintos e ancoretas.
Tinto. fraco, superior a Bordeaux, caixas de
duzia. da quinta do Barrosa.
Verde, em caixa de duzia.
Porto, fino, em quintos, ancoretas e caixas
de duzia.
Porto, fino, para doentes.
Madeira, engarrafado.
Xerez, dito.
SMuscatel, dito.
Cal nova, Lisboa.
Cf6 mNoka.
Cunha Irmlos & C.
34 Madre de Deus 34


Ao commercio


A FABRICA APOLLO estlconstantemen- Para sciencla de todos a quern possa inte-
te precisando do officials cigarreiros. ressar se faz Dublico qua a sociedade. corn-
7-Precisa-seo de urma ama qua seja perflita mercial Maia Itfmralo & C., que entire si tinham
engommadeira: a tratar na rua da Soledade, Jos6 Duarte Simres e Manoel Jos6 Maim, no
casa qua flea antre as ruas da Conquista o estabelecimenito de chapellaria Arua Primeiro
Progress. do Maro n. 14, seoacba di.solvida desde o dia
Prgross--31 do dezembro ultimo. A cargo do ex-socio
-Fugio de novo do engenho Jardim, d 29 Manoel Jos Maiia flea Ltodo o active e passive
do mez fndo, o escravo fula, de 30 annos, por social. retirando-se da sociedade o ex-socio
nome Themoteo, que no mesmo dia da tugs Jose Duarte Simoes isento de responsabllida.
tinha side tirade da case de detengAo a requi- des inberentes i extincta firm Maina Irmatoe &
sicgo de seu senior. quo esteve detido Fela C., pago o satisfeito do sou capital e lucros.
subdelegacia da freguezia de S. Fr. Pedro Recife, 29 de janeiro de 1881.
G3ncalves, de 8 a 29 do mez find: roga se, Jose Duarte Simoes.
portanto, as autoridades ou a qualquer pes- Manoel Jose Maia
seoa, a capture do meseuo, e leval-u I rua de o -M--a- ano e MisA--dSat
Pedro Affonso n. 62, que s-rA recompensado. Aluga-se a grande cas A rua de Santa
------ --___ --- -_ -__ Rita nova a. 61, serve para urma ou dues fa.
Angelo Miguel de Souza, professor jubi- wilias, tern quintal, agua, banheiro, encana-
lade do ensino primario, continue a ensinar mentor para gaz, estA em pintura, p6do ver-
primneiras lettras em seu collegio na cidade de se: a tratar na rue do Marquez de Olinda n.
Goyanna, parea cujo fim tern casa cornm as de-o, ou Vigari9 n. 3.
vidas accommodagOes no becco do Fonceca da P--- ed raa r r
mesma cidade, e se esforCarD no adiantamen- AMA vi Precis-se do umna ama parsser-
to de aeus alumnos. As folbas devem vir polo aVict o domestico : na rua do Bar.
correio public de Goyanna. da Vitoia u. 4, andar.
aS it A A Precisa-se do urma para compr a
--0 Sr. a to De- AWA ecozinhar: A rua Direita n. 119, 1
andar.


metrio Amorim, tern
uma carta no escripto-
rio d'este Diario.
A commisslo administradora do patrimro-
nio de N. S. do Loreto convida pelo present
sos devedores do mesao patrimonio, pari, no
prazo de oito dins, virem satisfazer os seus
aebitos, perante o respective thesoureir Jose
da Silva Barros, na povoaClo da Venda Gran-
de ; e se assim o nAo fizerem, seus nomes
serlo declarados por este jornal, e alem disso
se procederi immediatamente a cobranga ju-
dicial. Venda Grande, 15 de janeizo de 1881.
Manoel Francisco Eduviges.
Antonio da Silva Roche.
Jose Silva Barros.
Antonio Jose Ferreira Azevedo.
Beilarmino V. Souza.
Jos6 Manoel da Rocha.


Precise se de urma ama para cozinhare
lavar: na rua do Visconde de Albuquerque
numero 29.
S Precisas-se de um caixeiro corn pratica de
taverns; aIratar em Olinda, Ladeira d iRi-
beira n. 32. _
Precise se de urns professors para OnI-
sinar a ler, escrever e costuras, em casa de
urn proprietario de um engenho distanteAez
legoas desta cidade: quern pretender.encarre-
gar-se desse mister, deixe carta fechads com
as iniciaes A B C, em casa do Sr. Correia & C.
A rua do Imperador n. W6. par& ser procurado
Precisa-se de um criado : na rua do Brum
n. 82, 20 anddr.
Precisa-se de uma preta escrava pdra en-
gommare fazer o service interns de uma casa
de familiar: 6 tratar na rua da Soledade, casa
que fica entire a rua da Conauikta f Prngresso.
Recommenda-se aos senhores capitLes
de campo a capture do escravo Luiz Fialho,
nulato mogo, que se acha fugido ha mais de
um mez, o qual foi escravo do fallecido Exwr
Visconde de Suassuna. e hoje pertence a Ma-
-noel Caldas Barreto, por Ibe tocar em partilha
do respective inventario, e a quern sera en-
tregue no engenho Sapucaia do Beberibe.
Aluga-se per muito modico preva case
de azulejo da rua Imperial n. 108. tendo 2 sa-
las, 5 quartos, cozinha external e quintal corn
ponrtAo, e grande cacimba independent: a
tratar na rua Larga do Rosario n. 3i. botica.
Continfia fugido ha dous rnmezes o escravo
Cypriano, de 20 annos de idade, baixo, rulo,
pescogo grosso, falta dde dentes na frente,
pernas um pouco tortas: quem o apprehen-
der, pdde ontregal-o A rua da Aurora n. 81,
onde serA recompeasado.
Firmeza, 31 de janeiro de1881. Fugio
deste engenho o meu escravo Albino no dig
27 do corrente, o qual tern os signaes segnin-
tes: altura boa, c6r preta, corn algumas war-
cas de bexigas, idade 21 a 26 annos, levou ca:
misa de algodao riscado, calia e paletot bran-
cos e chap6o do chile, todo este vestuanrio pdde
ser substituido per outro; elle 6 bastante ati-
lade e muito bonita' flgura. Rogo, portanto,
aos capitaes de campo e a qualquer autorida-
de a prislo do mesmo escravo, devendo ser
antregue neste engenho ou ai.s meus corres-
pondentes Tavares de Mello, Genro & C.. pra-
ga do Gorpc Santo n. 15. Quemn o apprehender
sera bern recompensado.
7ailo de Piraugy. -
Precisa-se de um cozinheiro on cozineira
que seja limpo e perite na sua arte; a rua da
Aurora n. 73.
Precisa-se de costureiras quo trabalhern
corn perfeiC.o: -ia rua da Imperatriz n. 43, 10
andar. Fazem-se tambern plissus compreste-
za a 40 ms. o wetro
Fabric de fiaQao e tecidos
da Magdalena
4eata fabrics precisa-se de teceloes.
Precise-se de urna arma para couinhar e0-a
casa de pouca famiia: na rua Imperial n.
257.
Preeisa-se de um copeiro ou criado para
o service domestics, quo seja moralisado e d6
fiador' sua n conduct; a entender-se na.rua
da Imperatriz n. 49, 10 andar. ou na rua de
S. Bento n. 11, em Olinda. '
Aluga-se peor 95 o segundo anfar e so-
tAo do sobrado n. 38 da rua estreita do Rosa-
[io, cornm vis'* para o pateo do Carmo e largo
da matriz de Santo Antpnio; para vet, as cba-
vys estao na loja. e ttaW-se em FMra de Por-
tas, rue do Pilar n, 56, taverrra. .I


-Aluga-.se por commodo prego, e pare
qualquer estabelecimento commercial onou o'-
cina, umea das lojas da casa n. 8 da run .de
Marcillo Dias ou rua Direita. a tratar na boti-
ca n. 34 da rua la;ga do Rosako.
Aluga-se o sobrado da ruad. Aurofa n.
161, oqol te, n deoi tales quute_5

rn4. s q, -. ,: .


Recommenda-so aos senhores capiiaes Ie
campo a capture d a escravo Luiz Fialho, mula-
to, moqo, que se acha fugido A mais de um
mez, o qual foi escravo do fallecido Exm. Vis-
conde de Suissuna, e boje pertence a Manoel
Caldas Barreto, por lbhe tocar em partilha do
respective inventario, e a quem sera entregue
no engenho Sapucaia de Beberibe.


A Precisa-se de umrns am
para case de bomem viuvo,
A.I A -que asiba lavar e engom-
mar: defronto do portion do gazometro.






D. Alexandrlna-Annes Jacome
Pires
0 bacharel Aotonitv Anets Jacome Pires,
seus filhos Jos6 Odilon Annes Jacome Pires,
backarel Arthur Annes Jacome Piros, Isabel
Leonilla Annes de Campos, Donatilla Adelaide
Annes, sues enteadas Maria Alexandrina dos
Santos Freitas e Ignez Alves da Silva, sous
genres Manoel Jos6 de Campos.a Barbosa a Fran-
cisco Bellarmino dos Santos Fteitas, e nora
Maria Amelia de Albuquerque Ances, agrade-
celm de todo o coracao As pessoas que se dig-
naram acompanhar at6 o cemiterio os restos
mortaes de sua presada esposa, mui e sogra,
Alexaadrina Annes Jacome Pires; rogando-
hlbes assim cornm as parents e amigos, quei-
ram fazer a 9bra de caridade de assistirem a
missa, que pela alma daquella finada, sera re-
sada pelas 8 boras do dia quarta-feira, 9 do
corrente nmez, na igreja matri? da Boa-Vista
desta cidade.








D. Balbin oa tagas Barreto.
soeus filhos e genro agradecem a todus os pa.
rents e amigos de seu finade esposo, pai e
segro, VfDente Francisco Mendes das Cbagas,
que se dignaram acompanhar ao ultimo jazigo
sou cadaver; e de novo ce convidam para as-
sistirem as missas do setimo dia, que teruo
lugar n% igreja matriz da cidade do Cabo, no
dia quarta-feira 10 do corrente, As 10 horas
do dia.
_Cloiiimendlad.or A C. Alachado ihos
Os emrregados do consulado provincial,
amigos do finaeo commendador Antonio Car-
,neiro Machado Rios, ex-admilnistrador do
mesmae consulado, tends de mandar delebrar
misses pelo seu eterno descanco na matriz da
Boa-Vista, As 8 horas do dia 7 do corrente,
trigesime do seu passamento, coavidam pare
esse act. religioso sos seus amigos, bern
come a familiar e amigos do iilustre flrado.


Ajitenio Clementino Coelho
Catanho
Segunda-feira, 7 do
.. ^> corrente, se resarlo
misses na matnriz do
Corpo Santo, As 7 hc-
ras da tahnl, em
surago d'alapa do An-
toniose Clen~lno Ooe-
ihb Catanho, fallecido
em 29 do passado, na capital da Parahyba; e
para este cto de caridade e religion convila-
se aos Mens aIG0oe collegas.
Mr M di antes
Manoal Zeferina cos Santos convida a toedos
os seous parents e amigos, pare assistirem as
Smisses, que manda celebrar, por alm de sua
tesposa, Maria Josephina dos Santos. na matriz
da Boa Vista, is 7 horms da manbi do dia 7 do
corrente, 30o do seu passamento. -
. -. .'. .,:.:
Antoni Barbosa da Silva I
Bruno Alvaro marbosa da Silva, ainda pos-
suido do mais profundo sentimento pelo falle-
cimentb de sua presida espesa Antonio Bar-
bosea da Silva, convida a todos os stus amigos
e parents' ai assistirem ume missa, que por
alma da mesama mabtda rosear ao dia 8 do oor-
rente, na matriz da -Boa Vista, As 8 boras da
mnanhi, trigesimp dia do sen fallecimento. e
doade jIA se cofeoss summas'mente asgradeoido
a todaspessoau quo comparoerem a eato ecto
Ido reTi .o e caridade' .


do tom -"0s

rrag|a s dispesamdas imiperecidameate
o melo abafxo aulpado.
ReciM, 3 de fevreiro 4e 1881.
.Jo FramncisCO de G6t aawvlcante.

-Viva o manaval
40 abaixo aignado na travessa de S. Pedro,
cbarma A attenlo do respejtavel psblioo. e a
rapazeada do bom gosto, a vilrem so seu esta-
boleoilmento, veresa mascaras dos mals bellow
typos tudo a gosto dos mniesmo senores que a
desejarem honrar a eu esiabelecimento, e-
vando a seu goeto o mais engramdo typo, se-
melbante a muitos da actualidade.
Recife, 1 de hvereiro de 1881.
Candida Hypolito Ribeiro.
Escravo
Precisa-seo aluagar urn de media idade: na rua
larga do Rosarlo n. 34.
Aluga-se a loja do sobrado n. 64 A rua
Direita, a do n. 3 A rum da Penba, a do n. 8 d
rua Jo Fogo, a do n. 27 a rua de Lomas Va-
lentinas; o 1l e 2e andar do sobrado o. 25 A
rua da Santa Rita, o 1 andar n. 16 A rua de
Hortas e a casa terrea n. 77 A rua de S. Jolo :
A tratar no 2 andar do sobrado n. 41 A ria On
Range!, ou cnm Aigist.. Otaviano dt$ S.uza.
A.-11 I" 'ciasa-se de umr a am para en-
LAELU guouiur 'e cizinhar para ura s6
pessea: na rua do Hospicio u. 34, taverna.
Amat Precisa-se de urma pare serviQo in
terno de casa de pouca familiar:
rua da Santa Cruz n. 74. esquina do Cotovello.
AMA M Precisa-se de urma ama para co.
zinhar e engommar: na rua do Irm-.
perador n. 25, 2o andar.


7


DESONFIA8 DAU FALSIFICACES
e ds ImtagSM.

0 UNIcoVil0ol


&0 Rztraet@
| deNlADO deo iACA.EAV|
C ujo zo
produz os mesmos rezuftados
|que o do
\OLEO do FIG0B(doBAGALDA

\ !;iaho Go Sztmcto
de figado do PE I


' LES PLUS Hi


tOMPiNMSES


hTA4ASt"K I-AUOE -
'eomismapml~vm* conervub o
eoustnnraMO S 24m damocidade,
e prmvo da ptew cholera mi orbm m6.
ARTIGOS RECOMMENDED -
PERFUMARIA de LACTEINA
WOMiAs pelu Cuidrlista mac.
GOTAS CONCGENTADA panS o lenco.
OLEOCOME para a belleza dos cabellos.
E8TE8 ARIMS0 ACHAM-SE NA FAIBICA
PARIS 13, roe d'Enghicn, 13 PARIS
Degioles em todas as Perlfamarias, Pharmacias
e Caballereiros da America.

1, A RHINE DES PLEURS--

, 4
,b


* i"


:1;jj:--.:-. I1


1 -oc


r'-~~~ g


'*~ "
Sn i ', -.v '*"~'"TP "
,A G U ItL.-a',

1 D ROSASr"' Pr/":,.ETAS I
'L To i, V E P,,'/,:, -

JL.T. H-VEh<^
1, BOTJLVARD DR S rTASBOL .. G.
i DopiTo nas prindples Perrnmarlas, hamaia
1 e Cabe~iareiros da AMERICA.


I~~-


Xarope de Casca cle r;-l Iai ml\i i L Z va.rl


ao IODURETO db POT.SfO


Approvado pela Junta


I


Todo o mundo conhecc a.- Ir-i
priedades do lodureto de putas-io.
Os mais distinctos medicos I,,
'Faculdade de medicine de Paris:,
e principalmente os Stirs Dre-
RICORD, BLACHE, TROUSSEAU.
NflLATON, PIORRY, ROUER obli-
verao os melhiores resultados iin,,
tratamento das afreccaes escro-
phulosas, lymphaticas, cancrosas,
tuberculosas, nos da care do-,
ossos, dos tumors brancos, da
papeira ou bocio, das molestias
chronicas da pelle, da agrura do
sangue, dos acoidentes secunda-
ries e terciarios Ia syphilis, etc.


r'> Hyv1"' 5 P i 51


..- .- .,g.ititc poderoso admini'-
m.., i:i ,-- ,,'iia) coin agua tern
1,'-r incii\Lciieilte ,-p irritar a mu-
c'a d, '-t,,lin;-ro <, duterminar
LCCCS ")i ,t.--l '.l_'ico-.
I':n vi:t-l ,'.1+-to c,. medicos aci-
Lila aII- '.l tls-, -cculher'o por
,.x ipiei,. ii'>-'lt lamo)so remedio,
o Xarope de casca de laranja
amargi de Laroze, o qual por
.:a ac(;;io t,,iica sohre o s orgos
do ourparelh:) digestivo, facilita a
iabsc; p:o dc ioldureto de pot:asio,
,re% mvc 'ialquer irritaciio e per-


milte ,qu' -e continue o trata-
mento sem temor de neuhum


accident atW complete restabele-


cimento.


Deve-se ter cauzela corn as numerosas falsicapies e imitapoes, o
emprego das quaes pode ser muito noscivo a saude.
Para ter-se a certeza da pureza e da dosagem exacta das substancias
empregadas nas preparap6es acima mencionadas, deve-se exigir sobre
cada fiasco a firma e a marca de fabric de J.-P. LarOze.








Nos mesmos deposits achao-se os seguintes products de J. P. Laroze


I Paris, J -P. LAROZE e Ci, Pharmaceuticos
2, RWE DES LIO.NS-SA I.YT-PA'L, S 2
^S^g^-r ^-f-.-.->y .^^ ^.^ff~fl~pHJI


I-
a, -
a -
'~a'
"Ia -


1:1 *


'4
~


Pars carga, passages, encommendas e va-
lores, trata-se cornm o agent
Bernardino Pontuai
44-RUA DO COMMERCIO- 44
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DH
Navegagdo Costeira por Vapor
PORTOS DO SUL
Barra-Grande, Porto de Pedras, Cama-
ragibe, Macei6, Penedo e Aracaji
Segue no dia 8-do
corrente, o vapor Conde
d'Eu, commandant
Silva, as 5 horas da
Agatarde.
Recebe carga at6 o dia 7. En.ommendas,
passagens e dinheiro a frete ate Is 3 horas
da tarde do referido dia.
Escriptorio
Rua da Compankla Pernambnacana
n. 12.

Aracaty
Segue nestes poucos dius o hate Graciosa.
recebe carga; a tratar na ru a da Madre de
Deus n. 8, ou no cues do Loyo, a bordo do
mesmo bite.

Para
0 vapor inglez Glensannox, esperado da Ba-
hia, segue para o port acima em direitura no
dia 11 do corrente. Podera receber alguma
carga a frete m,;dico: a tratar corn Johnston
Pater & C., rua do Commercio n 15.


Lisboa
Para o ref, ride port vai seguir brevemen-
te o patacho portuguez Gomes de Castro, ten-
do a maior parte da carga engajada, recebe o
rest que Ihe falta a frets modico: a tratar
corn Francisco Ribeiro Pinto Guimarues, A rua
de Brum n. 96.


LEILOtS



LEILAO
Do bonds moveis e I piano de
Blondel
Sendo 1 mobilia de jacarandA a Luiz XV corn
tampo de pedra, I piano de Blondel, 1 cadeira
pars dito, 2 cadeiras de balance, 2 pares de
lanternas, c.andieiro de gaz. jarros o escarra-
deiras. Umaw cama franceza de amarello, 1
guard vestidos, 1 media 6ommoda, 1 toillete,
1 lavatorio, 1 banquinha. 1 mesa elastic, 2
apparadores, 12 cadeiras de junco, 1 sofa e
outros mnitos moveis eom bom estado.
SEGUNDA-FEIRA, 7 DO CORRENTE
A's 11 horas em ponto
No 10 andar do sobrado n. 16 da rua
do Imperador
0 agent Martins, autorisado per urma farmi-
lia que so retirou para o CeartA, fara leilo dos
moveis acima.
AO CORRER DO MARTELLO

Agente Burlamaqui -


LE1LAO


S










C:

I






-~ I


a




-t


m


lhk


a mu Nis
Companhiba Franceza de Nave
gageo
Linha mnssal estre o
Hawe, Ltsboa, Pereambu, Bahia, Rio d
Janeiro Santos
VILLE DE RIO DE JANEIRC
Cemmandante Le Guen


1 -


i


I


&


o.,
v


)-





























muito pineimom mRW AS-continia .; benevolencia
de seqs boutS r9 9 p o putco faz-lhes verq U&l i como sempre,
a W^ vi boV SQ fltQ dc.,.AZpNDAS.-e muito prinoIahneyate em-
PALETQTS E CA S-artt g a qpa sm 6 tso Om dicadaaAm do aO
desmenti' o tit .2te-- i ec l o-
ooiw EALTOTS

KlL PALETOTS
-attendendo tamb m a que o estadu das cousa s acbimp felizmeate mals
bern collocadas, co tudo ainda mtis estou em seus eimoa, o e pmfWrr hia ao
estado monetario, e portanto a necessaria-ECONOMIA-continua a vender ba-
rato para vende: mnito. Segundo o antigo-RIFAO ANTIGO-val mais umn
passaro na mdo do; que dem .,anido
N. 6C--LOJA DA POIRTA LALGA--IN 4
Rua da Imperatriz
(Junto L fsbrica A Vopor Oe 4turgard & C.)
B ndeira verde e amarela
Aos do s mil A's cinco mil
Aos doois mil A's cinco mil
Aos dolis mil A. cq it
Paletots Calgas
Paletots eatas
Paletots Cala


Sco s E
C/32 U
(D;d ,
N^^ *" '^0 3 L


4 0
co
C#12 Cs,* ;p




02, j2





wl. (D 0 1, s







,.., o^ i



;l y _.i...i^ 'c ,,
se~0 *s ii .



=_ c .o L















~~~--< .',
*~. '^ a,, ,-r
_~~ ^|0 C54






Ca -W
,)
wr id ca t i








(2 0 0














o ra o
.-.. C5~a .






; m"I "r"
ib)








.i s uc s, ep.
D0 ilg'Co } oC -%
J2








^ ia.,y s-*10 -
~ ~ c o


ca.=
-P-4 =i i C: w








cz1(L ) *1 1: i
---.Move cc c

P1-Q S^-^^S E





SP C C0
J NO












ca PC 0 ,s
PC&
-P-0
5~mQ 0.0 0s.s0>| 0


16, 0. t t


*-'~c kos













X A~diccaophenlca a hoje 8 m d13 a qne corn mais sucOB3soue eniprega A
ZXAROPETmACIDO PHIIICoB~ O- CLAT9


v ......... ,T."S IJ'TTER 'O) C rta ,o rudie t s IS
uU us cosis, nI PEI eaGO n u Il,9
D'OW" 'galnente em Regad cOntra 9 a, I
PARIS 6. AVENUE VICTORIA, 6 PARIS
-p F ezM. da SILVA & Ce,
iFFL404i1" .O : k 1.'f.


a


I
I


-I


BARROS REGO


ADVOGADO
Mudou sua residencia e
escriptorio para a rua Estrei-
ta do Rosario n. 43,1 andar.


tetaltamento
Manoel de Moura Esteves esta retalhaddo
seu sltio corn a frente para os trios do Ar-
raial, corn tires casas de tJpa, duas cacimbas,
muito perto da estacol da hfacgabeira doecima,
lugar muito saudav.el e recreative, preQO mui-
to eommodo; trata-se na rua do Imaerador n.
50, lo e 34 audares e nos .dias tantifiados no
mesmo sitio.
Remessas. para Portugal
e ilhas
Maia1 Pacheco & C., a rua do Commercio n.
40. ficilitam remnessas do menores e malures
uantias para Lisboa, Porto e ilhas, e todas as
e mai villas, alfleias, cidades ou dependen-
clas do reino.

Aluiga-se
a casa n. 59, A rua dos Guararapes : a tratar
na rua do Commercio n: 34, 2o andar.

Advogados
Os bacbareis Antonio Justino de Souza e
Pedro Affonso de Mello mudaramn o seu es-
criptorio para a rua Duque de Caxias n. 61,
Gnde podem ser procurados tooos os dias uteis,
das 10 horas da manhSabs 3 da tarde.
Amra e criado


Precisa-se alugar uma ama para cozinhar e
enpgonart edo umr oriado para Q oservio do-
mestico : na runa da Hertas n. 15.
Tapipire
Fugigram do engenho Tapipire. da comar-
ca de Iguarassfi, na noite de 30 de dezembro
proximo passado, os segaintes escravos:
Gaspar, alto e secco do corpo. represents
45 at 50 annos pouco mais ou menos, preto,
oilios grandes, pouca barba; este escravo foi
comprado em 1878, ao Sr. capitAo Innocencio
Furtado de Mendonga, da Alag6a-Comprida
na Parahyba do.norte, e 6 de presumir que
tenha seguido para a li, por terirmios naquel-
le lugsr: o outro de nome Vicente, conheci-
do por Manoel Vicente, cabra, de 50 A 55 an-
nos de idade, barba branca, e as vees costu-
ma raspar, tendo os dous dedos grande dos
p6e rmauto abertos, parecendo quasi aleijado;
este escravo foi comprado ao Sr. Jos6 de
Mello Azevedo, em poder de quern tern um fil
Iho por nome Agripino, e que talvez fosse em
procura deso filho.
Portanto pedf-se-es autoridades policies
ou aos Srs. cspitas d4e- ampo a sua capture,
e a eLtregar no rCenito.genbo, ou no Re-
cife ao Sr. PraqOt mO esn de Araujo, rua
do Apollo n.,1, d ou em serIo generosarnen-
te recompensados.

E' e atuguel do 10 andar da rua do Padre
Floriano n. 69, e 35 do servigo de limpeza; a
tratar na Pracinha'n. 22.
Aluga-se barato
Rua do Visconde de Goyana n.'79.
Rua do Coronel Suassuna n. 50.
Travesse do Cimpello n. 1.
Porto da Madeira, rua da Aguasinha n. 7 (Be-
beribe) born sitio ; trata-se no largo do Corpo
Santo n. 19, 10 andar.-
Baratas


Aluga-se por 30'A o 30 andar n. 21 A rua do
BarmWda Victoria; por 25S a casa n. 16 A rua
Dias Cardoso; e por 128 n. 8 no becco da ruta-
da Palma; a tratar das 11 borns as 2 da tarde,
a rue Duque de Caxias a. 46, oandar, edabi
por diante a rue do Barao de S. Borja n. 51.


Grande sortimento de fumoem coTda, des-
fiado, e em folha de todas as qualidades, e das
.marcas maiS ac'ediCadas nested mercado: nos
armaze#s de Silva Paiva & C., A rua da Madre
Deus ns. 24 e 26.

Jacob
Fegio no dia 6 de dezemobro proximo pa98a.
do, da casa de minha mUi D. Cesaria Candida
Nobre. de, Gusm&o, o escravo Jacob, preto,
alto, magre, 4o servico- de campo, e, as vezes
bebe, wmilo coubecido eam aboatio,; a ri-
meira vez que fugio foi proso adiante de Ufna,
onde ahi vivia come livre: quem o approehet-
der, sendo em Una, ontregue a, men irmaie abi
estabetcido Aquilino Francisco da Silva Gus-
nio ; em JaboatAo & tinha mai, e nesta eids-
de ao abaixo issignado, que reeompensarg.
Maximino da Silva Gusmalo. -


Urn moleque
Quem tiver e qizer alugar urn moleque Oe
12 annos para o servigo domestic, dirija-se a
rua de Hortas n. 15.
(r
Precisa-se die urn criado psara o servigo de
case 161a: na rua Duque de Caxias n. 9j,
prefere-se escravo.
E' aproveitar
Faz se vantsgem por urma casa terrea, cow
agua e gaz, e quintal, que tenha pelo menos
cinco quartos Internos, pa freguezia da Boa
Vista: quem a tiver dirija-se A ruadoMar-
quez de Olinda n. 25, 1 andar.
aasa para alugar
Na rua de Vidal de Negreiros (pateo do Ter-
Co) n. 80, corn armacao pare estabelecimnento,
commercial: A tratar na mesma rue n. 18, 20
andar.


Sitio piraalutgar
Cam boa casa e armazem. no largo dos Re-
medics, defronto da igreja: A tratar corn o
compiendad4 r Barroca, em sna resldtncia e
na Magdalena. ______

Hotel Central
Aiuga-se corn us bUlhares e mobilia, ou cada
andar em separado: A Iratar no progress do
pamimeoto terreo.
Caves perdidas
Qieem perdeu 3 chaves em urma argola pode
dirigir-se a Camboa do Carmo n. 3, que, pa-
gando o annuncio e dando alguma cousa 0e
gratificaCAo, Ihe serAo entregues duas das cha-
ves; parecem decofre.
Pro lessora
Pars lecolonar primeiras lettras e music a
tres meninas, precisa-se de uma para enge-
nho. na comarca de Barreiros : a tratar no
escrlptorio de Leal & Irmlo, A rua do Marquez
de Olinda n. 56, V andar.

-AViso
44V1SO

Aos devedores de D. Luiza Francisca de
Souza, quae teve negocio de tazendas e rendas
nesta cidade, e fallecida ha pouco, fica marca-
do o prazo de vinte dias para irem saldar os
soeus debilos A ru, da Palsma n. 34, sob pena
de serem descriptos os seus nomes no respec-
tive inventario, iue tern di ser requerido pele
abaixm assignado, procurador do testamentei-
ro. Racife, 3 de fevereiro de 1881.
Joaquim Canuto de Sant'Anna.
aixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 16 a 20 annos
de idade, cora pratica de taverna : na rua do
General Sears n,. 31.

X ma
Prefere-se escrava, que seja boa cozinheira,
pars urma familiar na Torre; dirija-se A rua es
treita do Rosario n. 23.
4o commercio


0 abaixo assignado declara pelo present
que nestsa data Qomprou ao Sr. Sebastilo Lins
de Brito Vasconcellos o seu estabelecimento
de molhados sito a rua do Hospicio n. 34, livre
e desembaraCado do todo e qualquer onus:
se alguem julgar-se oom direito ao mesmo,
qieira reclamar no prazo d (tres dies, a con-
tar desta data. Recife, 3 de fevereiro de 4881.
Albino Ferreira dos Santos.
a Precisa-se de uma ama para
Lj-r-r casa do pouca familia; a tra-
A -.I tar na rua do BarAo da Victo-
ria n. ?3, loja da esquina da
Cumb6a do Carmo.
AMAS Precisa-se de duas, ura para
cozinhar e outra para lavar e en-
gommar: A tratar na rua da Imperatriz n.
26, armazem.
mA r Precin-se de waa ama para cozi
AmIAA nhar- em Afogados, rua Direita nu
mero 32.
SCriado
Precisa-se de unia cozinheifra e de umn ho-
memr velho para fazer compras e tratar de
plants: a tratar das 4 As 5 horas da tarde,
nafundigio de Gardoso & Irmao, i00A104,
rua do Brum.
Criado
Precisa-se de um para servigo de casa de
(amilm : A tratar cot- Manoel Guimarmes, no
escriptorio dos Srs. Mata, Pacheco & C.
omurgena
Prfcilsa- de urma ama para o servico do-
metiico e q=o nlo saia A rua: na rua do Ba.
ra da Victoria n. 44. 2o andar.
Cozinheira


Escravo tugido

100 de gratifiicacao
Ausentou-se do engenho Tabocas, na co-
marca de PAo d'Albo, no dia 25 do mez de
julbo, o escravo Moys6s, cornm o signaes se-
gtintes: c6r fula, oabega redonda, cabellos
carapinhos, dentadura perfeita, bern feito de
rosto do corpo, tern 29 annos de idade, po-
r6m represent pela physionomia 24, esta
principiando a barber e tern poucos cabellos
no queixo. tern os peitos cruzados de cabel-
los, bern feito de pes, altura regular, 6 cria
do referido engeoho, cargueiro e carreiro,
nunca fugio, 6 prevavel quo esteja trabalhan-
do ecm alguma estrada de ferro, ou em algum
engenho como carreiro, corn o titulo de forro ;
pede se a quern o apprehender, quo leve-o ao
Jito engenho, ou a rua Formosa n. 13.
A VA Na rua do Imper dor n. 28 arma-
zenm do Campos, precisa-se de uma
ama quf saiba bern cozinhar.

COIPRAS

Attenfso
Compra-se os Diarios de Pernambo mns. 122,
123, 147, 157, 158. 499, 25 a 254,.62, 272 .
27'6 do anso de 1872, ns 2, 4 6. 31, 46, 118,
119, 142, 168, 169, 173, 175, 21%, 211, 16, 223,
224, 240, 246, e 261Y do 1873. g. ,k_& 9 a 73,
123 a 145, 264, 2e5, 2. 26 373ld 1871,
ns. 258, 259 e 276 de 1875, n. 145 de W17, .
242 de 1877, e bemrn assim os ns. 2, 3, 6, 8, 9,
10. 51,. 52, 57, 62, 66. 75, 79, 95, 160 eo 166 do
Jornal e o Tempo do anno tide 1878, os ns. 147
e 217 deo 880; a tratar na rua Velba n. 112,
das 4 horas da tarde ea diante.
Diarios e j1pnaes
Compra-se A rualarga do Rosario n. 27.


Apolices geracis
cis aes
Compra-se na rca Duque


Sja.


Sprovinm-

de Caxias n. 88,


Apolices g: raes
Compra-se apolices geraes: na rua do Bow
Jesus n. 45, 10 andar,
VINBAS

Carrinho para crianca
Vende-se uma victoria nova para um carnei-
ro: a tratar A rua Marquez do Herval n. 113,
lo andar.



A' rua largado Rosario n. 20
Tea sempre grande sortimento variado de
vidros brancose de cores, assia .ono tud;
aue peitence o snaofvci.a


QUA IVAL
0 Bazar Victoria acaba do reweber da Euro-
pa, um grandiose sortimento do mascaras, na-
rizes, queixos V meias masearu', brancas e
pretas, feites de homnem, mulieres, meninos,
mogos, velbos, caricatos e do divrsos ani-
maes.
Calgas, camisas, carapulm e f om de meia
brancas e cor de rosa.
Franjas, trancas, bieos A jvil deura-
das e prateadas, e outros aiMfloo aOtiges para
fazer-se lindos vestuarios para as felias carna-
valescas.
Recebeu tambem urn explendido sortimento
de bisnagas d'agua de cheiro o de p6, e outros
muitos artigos de sorpreza proprios par a os
brinquedos de salao, nos dias de carnival e
vende-se por precos commodos, na rua Nova
numero 2.
Fazendas brancas
Os barateiros da Boa-Vista vendem
um grande sortimento de fazendas
brancas, per prego muito em conta:
Madapolo-Pegas de madapollo francez
muito fino, corn 12 jairdas a 3.200.
Dito francez, corn 24 jardas, ou 20 varas i
450, 8 5()00 e 6000.
Algodlo Infestado, co O 10'paimos de largu-
ra, proprio pars lenf6es, metro a 900 rs.
Dito entrangtao muitu eocorpado, cornm 8
palmos delargura, pa(a toalhas e lenDoes, me-
tro a 1$200.
Gregoela, fazenda branca muite encoipada,
para leno6es e ceroulas, send.i a pega corn 30
varas, por 141000, ou a vara a 55000.
Bramanto de algodlo corn 4 larguras. pro-
prio para hn o6es, a metro a 15280.
Dito delinho corn a mesmalargura, a 25200,
2500 e 26800.
Atoalhado-Superior atoalhado cornm8 palmos
de lergura, sendo corn o lavor em alto releved
metro a 1J600.
Dito de linho adawascado, corn a mesma
largura, metro a 240.
PrNnos da Coeta' Jistrailos e de quadres
proprios pMr eobrir meza de jantar, covado
-. GMardamas do Inho, fzonda puitobmt4
Odta =sUh4 -


Vende-se bar-ito um piano de mesa, em pet.
feito estado, prodrio para aprender: A ver e
tratar -' estrida do Pombal easa n. 18.
Borracha pra limas
de superior qualidade; vendem Rodrigues de
Faria & C., Arua de Mariz e Barrvs n. 11, es-
quina da rua do Amorim.
Superior borracha para
limas
Noescriptorio de Douingos Alves Matheus.
A rua do Vigario n. 7, tern para vender borra-
cba para limas, de superior qualidade, che-
gada no ultimno vapor.
Vacca-de leite
Vende-se urma. muito boa leiteira, eparida
de poncas semanas: para v6r e tratar in Mag-
dalena, sitio do commendador Barroca.
Padaria
Vende-se urea padaria em umn dos melbores
lugares de Santo Antonio, ou da-qe sociedade
a quem entire corn algum capital, o motive 6
por sou dono ter de retirar-se por incommodo
de'safide: a tratar na rua Direita n. 55.
Vende se
no escriptorio de Claudio Dubeux, caes 22 de
Novembro n. S8, polvora das melhores marcas
quo vem ao mercado, como Liod-FB, bars
de 25 libras a 20S000, corn 8 (40 de desconto a
dinheiro a vista ; as despezas de carretos e
minals por conta do comprador, send de dec
barris para cimas.


Liquida ao
Baptistes miudinbas-para vestidos a 200 rs.
o covado.
Ditas dt. cores lisas idem a 240 rs.
FustOes de cores e padres miudinhos a
300 rs.
MadapoiAo francez e inglez, prego baratis-
asimu.
Algodaosinho idem idem idem.
Bramante pra loogoes, toalha o croulas a
lS*20( o metro.
Cretoneo A Pompadour para vestidos a 320 e
400 rs. o covado.
Ditos francez.,s, de cores seguras e lindcs
desenhos idem idem.
Chitas escuras e cbiras, devarios preeos,
Fechus e sahidas ae bailes a 4S.
Cbales A Pompadour a 55500 e 6,.
Ditos de casemira a 13500, 24 e 4$500.
Na toja da
Fragata Amazonas
Rua do Duque de Caxias numerao 47.


LIOCIIDACIO

Rua Duque de Caxias
n.43

PECHI)CHAS
Linhos lisos a 160 r6is o covado.
Poupelines mescladas a 240 o covado.
Lazinhas miudas a 200 reis o eovado.
MadapolAo francez avariado a 4$ e SgO. a
pegs.
Fustlo bronco para ,estidcs a 590 r6is oco-
vado.
Musselini branca a 280 reis o covado.
Batistes lisas a 320 r6is o metro, granderva-
riedade de padres.
jBatistes miudinhas a M0 r6is o covado
Males de casimira muito grandes a 32 sda
um.
Ditos frocados a Pompadour a 64 mjda u..
u-43

Vinhos Bordeaux
Os melhores e mais afamados s.o hoje os
das seguintes marcas:
S. Estephe.
Chateau Mont- Rose.
Pontet canet.
Unicos agents
MAIA PACHECO & COMPANHIA
Formas galvanisadas
Tavares de Mello, genro & C. tem para vel-
der em seu escriptorio, a *praa do Cerpo San-
to n. 45, f6rmas galvanisadas chegadas no u#a-
timo vapor. A muita sahida que elsts tern tie
prova sufficientemente a su& boa qualidade-e
modico preco. A' *llas, pois, antes que se
acabem.


Padaria


Vende-se a padaria da rua Imperial n. 208,
a qual se acha bern montada e bern localisada,
e entrega-se ao comprador cornm toda a fregue-
zia, a qual se acha bemrn atreguezada tanto
para a terra cooK pars o mate, o motive da
venda 6 o done quorer retirar-se para o Rio
de Janeiro: A tratar na mesma.
Merinos e apalcas ,
a 400 e 09 r s "
Os Barateiros da Boa-Vista vendem i
MERINOS a 500 ris. Bonitos mOAS. da"e
urma ad c6r, faenad a do m 9i .
aMi, a50) r8is oco." .
ALPACAS'a 400 ais.--Botas la s .fbc '
96 q&r. tenco dens ss m fl ,
mt b.uto-".qmilo o. v~o rds m..;... ";.
saaid iashws
iiftt" .... ,' H".
WOiml~a1 !l ,; .


!=

r.'


F777 1.,


^

^








-
.->

?
I
I
W
^



^















ftCA


!mraalJargado


ROSARIO


[1'4


'V









a'. -


DOS.
CAgarros do palha, soda e linho, fabricadoe
corn os melhores fumos e semn composigao, das
marcas Carolina, Caston e Pollux, Vulcanicos,
Pegasos e Sd para Mirm.
Fumos em latas, picado e desflad., Daniel,
Goyaz, Rio.Novo, Pief, Pomba, Garanhuns e
o verdadeiro fumo caporal da Bahia. !tlt
4aporal francez em pacutes de 50 e 100
gtammas.
Papel parn cigarros, Bardou, Sans Non de
Cosmopolite. Abadie, e especialidade em palha
para cigarro.
PhosDhoros de cra e os verdadeiros Jonke-
pings.
Papel de cores, e immensidade de artigos
para famantes.
Pregos sem competencia na

LEA.LDADE.
Fabrica de cigarros
Ua do BarBo da Victoria n. as
Leal t C.


VS j


.1i
I -
S.


RuA'


'eli


.." ... ....;l'W^= --^Sff *" \ M.WpH^ y ;^ T' ..."". *"*.1.' Il ,; lll. Jl .J 11. II ..I I
Este important no sen 0iar0, sempre nm sem ipal, e vende
por preos qu nenmla I uIa asa pte vender.
A' vista da quaidie e do Jpreo das joit, 2da um poder-se-ha convencer da verdade. Ga-
raute-se ser udo de le. Compralse our, prata e pedrts frns por preos muito elevados.
SA lojaest aj 9 horAs. Ite.


Grande pechincha em
roupas
Na loja dos Barateiros da Boa-Vista,
vende-se.
Calgas de casemira, escuras e claras,
fazenda muito boa a 55 e 55300.
Ditas muito fins para 76 e 86000.
Paletots de casemira, de c6r, muito
bern feitos a 6;500, sendo forrados a
8#500.
Dito de dita, preta, de deagonal e
ggororao, forrados e mlito beem feitos
a 105000.
Ditos de dita. de c6res, sendo forra-
dos a 85500, e sem forrO a 6 500.
Ditos de ,lpaca preta, de 3 atd 735000-
Caa.isas modernas, corn peito de al-
goddo imitando linho, a 21 e 25500.
Ditas modernas, corn peito de linho,
de 4# atd 54000.
Ceroulas de greguela, fazenda muito
ancorpada e muito bern feitas a 16200
e 15600.
Brins pardos a 320 rs.
Na rua (a lmperatriz loja n. 40, es-
quina do Becco dos Ferreiros, vende-se
brins, pardo liso, para roupa de ho-
mens e meninos pelo barato prego de
da 320 rs, o covado. por ter um leave
toque de mofo, que larga logo que so
lave.

AGUA FIGARO
infallivel para restituir aos ca-
Sbellos grisalhos a cor natural
da juventude, garantindo-se
sem perigo : para por si pro-
pria tingir Inslantaneamenteos
catbellos e barba.
i l _1 UNICO DEPOSIT
V M o~ticak Franceza e Droga-
ria-A. Caors
RECIFE
Rnue do Bom Jesus n. 22, defrute do chafariz.


NOVIDADES
tE.M t. %
Pechinchas senigaualI!
0 59 da rua Duque de
CaxiasI
Riquissimos fichus de la a 35000! 6 barar
tissimo.
Magnificos bornfis de I. e seda a 4 !
Pannos de crochet parn cadeiras a 15!
Ditos grandes para sofd a 35 aproveitem.
Granadines de soda, finas, corn pequeno
jefeito a 320 rs. o covado fazenda que custa
p9000!
Fustoes bordados, brancos, a 500 rs. o ce-
vado.
Mariposas brancas arrendadas a 400 rs. o
covado.
Popelinas branoas de soda para as Eximas.
nloivas a 800 rs. o covado!
Alpacas de soda de cores, lisas, a 480 e 560
rs. o covado.
Gorgorbes de 15, lisos, a 300 rs. o covado !
AtoalhafO bronco bordado a 1I500 o metro I
Colchas de cores de fustAo, francezas, a
35800 :
Cortifiados ricamente bordados a 105 o par!
sao de 18S.
Espartilhos de couraca, superiores, aO6 I
E muitos outros artigos por pregos menos
30 0/0 quo em outra parto.
S>:'O 59

'A* rua Duque de Caxias n. 59, por baixo do
bilhar, loja de Carneiro da Cunha & C.




FABRIC DE ClGARROS
Rua do B&r&o da Victoria n. 39,
antiga rua Nova
Grande e variado sortimento em artigos pa-
ra (umantes.
Bolgas, cachimbos, ponteiras, porta-cigar-
ros, charuteiras, porta-phosphoros. lindas ur-
nas para fumo, e bengaias corn cachimbos.
Charutos de Havana, Bahia e Peruambuca-


FORMAS PARA AS- Merin6s de cores pra
SIICAR vestidos


ero e d fr. Variadissimo sortimento dOe merin6s de oo
Nlovo l (id fo U tr. res lindismimas, o qbe ha de mais modern
^ ^ys c d. fr. -par vestidos, a 800 rs. o covado.
ias a lCriCan aS p.rs a 8- s lisas e de diversas cores, para ves
tido^a 440 00 rs.
Sucar, ieilas de madeira: Fustoes brancos ade cores.
S Ditos de assento branco corn flores e listraE
AmostrT.s no escriplorio (it miudinlas a 320 rs. o covado.
Saun rs Brothers & C, dep o cr lisa para vestidos a 15000
Naundkrs Brathers .., 'c.,vado.
S Na loja Fragata Amazonas, rua
pracV do Corpo Santo n. Dquede Cxiasn.47.
S11, primeiro andar Coni]ra a tosse
I araope peitoral Jame
Rloupa m nedida Unicolegalmen, e autorlsado pelo conselho
Rou~pa Por UJC~ida de sufide public Portugal, ensalado e ap.
N'este estabelecimento tambem se manda provado nos he pitaes. Cada frasco esti
fazer quaesquer peCas de obras, comu sejam : acompanhado de o u impresso corn as obser-
croises, fraques, calgas e colletes, A vontade vag0es dos princlpaes medicos de Lisboa re-
dos freguezes, e Isto por preeos muito razeoa- conhecidas pelos consoles do Brasil.
veis; e pars este fin encontrarAo um magni- Contr a deihliIda
fico sortimento de punnos finos pretos, e ca- ai C ULIJJiliUUUV
simiras tanto pretas como de cores, sendo Farinha peitoral ferruginosa da
francezas e inglezas, assim como grande sor-, a ra ra o
timento demerinds p-etos e outras fazendas pharmacia Franco
para luto, e manda-se fazer qualquer encom-! Reconhecida cemo precioso allmento repa-
menda com a maior promptidAo, responsabi- rador e excellence tonico reconstituinte, esta
lUsando-se os proprietarios d'este estabeleci. farina, a unica legalmente autorisada eprivi.
mEnto pela boa execuao de sou trabalho, legiada em Portugal, ondo e de uso quasi geral
isto A rua da Imosratriz n. 40, esquina do bea- ha muitos annos, applica-se corn omais roco-
co dos Ferreiros, loja de nhecido proveito em pessoas debeis, nas que
Alheiro i a padecem do peito, em convalescentes de quaes-
AiMheiro & si~va querdoenCas, em criangas, anemicos, e em
..... geral nas que carecem de foroas no orga-
3 I Unico deposit em Pernambuco, a
rut do Marquez de Olinda n. 23, phar-
4 iiw macia de Francisco Mannel da Silva
Rua Duque de Caxias 1!&C.
Caubraia Victoria para 31 a pe~a. A Rosa dos Ulpes
Chita encarnada corn assento preto a 280 re.
covado. 32 rua do Bardio da Victoria 32.
Chitascuras a 2i0 reis o covado. A Rosa dos Alpes recebe um complete
Lencobrancos ab~inhados a ISM6O a duzia. I
Ditos corn barras a 2e400 tambem a duzia. e variado sortimento dos sguiftes ar-
Algodko da Bahia para saccos a 30 e 34Wc tgOS de ala snovidade, ccmo sejam :
reis o metro. Franjas de la, padres modernos e
Brim pretoe pars luto a 600 reis o metro. deOres especiae.
Cierlas do bra.t4te a 45M00 Ida 'ma. E Franjas do 11 e sedan, o que ha de
.trand e i a '' mais apurado gosto, e do res as mates
ran e p hincha pars propndas para fazendas, bhoje mais
;" fe ra moda.
prinCpliar 0 anno Franjam de soda pieta, o que ha de
DRg 4ielhor neste gotere.
*W A SM. Fmnjas de soda de varias c6res.
Na loja dosBarateiros da Boa-Vista, lico de Guiper,, braneo e preto.
d rua da Imperatriz n. 40 Biteo d seda, prete e braneo.
A SABER: Dito de 1, preto corn e sem vidrilho.
Aos oito mil covados de gorgeo- Fitas de gorgordo de todas as largu-


Mais pechinehas1!
S6mente o 59 da rua Duque do
Caxias
Casemiras para vestidos, fazeoda superior,
lindos padrOes, a 240 rs. o cOvado !
Bonitas I1s furta-c6res, fazenda irteiramen-
te nova, a 700 rs. o covado!
Cretones modernos, a 280 rs. o dito I
Nansuks finissimas, lindas c6res, a 220 o
dito!
Peas de madapolIo francez, fine, 24 jardas,
a 4S500!
Cortes de casemiras finds, a 26200e 45000.
A ellas I
Ditas em peca diagonal, para 21200 e 2800
o covado!
Flanela ingleza. propria para patitots, a
1200 o dito!
Brim pardo encorpado, para roupas de me-
nino.
Dito de cores, a 400 rs. o covado, apro-
veltem I
D'to branco exposiglo, superior, a 14500 a
vara !
Importance sortimento de fazendas para luto'
como baptiste e chitas pretas, 210 rs., l3 6
alpacas flnas, a 400 rs., bombasina e marine
-1e duas larguras. a 15400 e 1i600o covado.
Dispomos de perito alfaite para o desempe-
nho de qunalquer peca dtie roupa.
CARNEIRO DA CUNHA & C,
51 Rua Duque de Caxias
Por baixo da bilhar.
Fustoes a 400 rs. o co-
vado
Rua do Queimado n. 43
Venhaw a elles
Fastoes branco e de cores, proprios para
vestidos de senhora e meninos, pelo preco de
400 rs. o covado, valkm 760 rs.; vende-se para
liquidar factura.
Baptistcs lisas
corn grande variedades de cores, a 200 rs. o
covado.
Cretones lisos
corn variedades de cores, 6 pechincha, a 2W80
rs, o covado.
S6o43
Defronte da praga da Indenendencia

BAZAR VICTORIA
2-RUA DO BARAO DA VICTORIA N.--
Neste estabeleoiwonto encontrarA o respei-
tavel public o seguinte :
MALAS de mnadeira, de couro e de tapetes,
gran4ee emenores, pars viagem.
CHICOTES de baleia oem castio de marfin
e de osso.
LUVAS de camurga, de l e de flo da Es-
cossia.
ESTAMPAS de cidades, montamhas, etc.:
etc., e sacras.
QU&DROS dourados para oz mtsmos.
LINDAS BANDEJAS DE METAL e de cha-
Trao.
PINGINTES do vidro lapidado para cande-
labro.
GOMPLETO SORTIMENTO de jarros de co-
res, brancos, grandes e pequenos, proprios
para santuario e toilette.
CADEIRAS de vime para criancas, cadeiras
de balance e para mesa.
ELEGANTES ESPELUOS corn molduras dou-
radas para salAo, pequenos, corn 2 e3 vidros,
moldura de metal, para pentear-se, etc., etc., e
pneneos corn augmento para banca.
Vnde-se na mrua Nova n. 2.
Amaral, Nabuco & C.
vendemn por pregos cominodos os seguintes
artigos de moda e de phantasta :
LU.VAS DE PgfLLlCA brancas e de cores e
pretas. para tomens o senboras.
LINDoS RAMOS de flores para cabega e en.
feites de vestidos.
MEIAS FIO DA ESCO SIA, de linoas c6res
para senhorvs.
ENFIADORES BE ALGODAO, do linho e de
soda, paraespartilhos.
ATACADORES DE AtO para espartilhos.
BOTOES DE LOU(JA, osso, madeira madro-
perola, metal messa e seda, pretos, brancos,
e de cores, a Pompadour.
VESDIDINHOS e VESTAURlOS completes
para baptisados.
BERnO DE PALHA, e de madeira.
FIO DE LA E SEDA, a Pompadour, para
border e urn lindo sortimento de caixintas e
objects para presentes.
VENDE-SE NA RUA DO BARAO DA VIC.
TORIA-N. 2.


tas e de cores especises.
Fitas de sarja, velludo, escocezas e de
setim, grande variedade.
Luvas de pellica, do c6res, brancas e
pretas, para homes e senheras.
Capeozinhos, toucas e sapatinhos de
setim e merin6, bordados,o que ha de
-aais gosto pars baptisados.
Flores artificiaes, escolhido e variado
nortimento.
Plumas de todas as c6res para cha-
968s.
Collarinhos, punhoc e lengos para
iomens.
Gollinhas bordadas pars senhoras.
Collarinhes e punhos -, dos e lisos
jara senhoras-
Porta-canda de ve
Prepares para flOres
Miguardize para trabaiilo deo crochet.
Guarni8es de tree pentes, deo Cellu-
oAd, para coc6 e marrafa.
Brincos, pulseiras, cagoletas, cintos e
osetinhas doe trracha; tude de GCellu-
old.
Pulseiras pretas corn enfeites de Cel-
aloid
Ditas A imitakCo de tartaruga.
Ditas pretas, grande variedade.
Espartilhos, cintura regente, os mais
diegantes atd hoje conhecidos.
Espartilhos couraga e outras quali-
lades.
Perfumarias dos melhores fabricantes
uglezes e francezes.
Caixinhas corn perfumarias proprias
oa presents.
GGuarniges 4e pentes a imitagao de
.artaruga, para coc6 e marrafa, gostos
uodernos.
Capellas corn vdos pars neivas.
R.amns de flares de larangeiras para
,estidos de noiva.
Leques de osso e seda, brancos, para
noivas.
Ditos de cores e preto, corn plumas
9 sem elias,
Bolas de borracha para creangas.
Pentes de Celluloid pars regago de ca-
*ellos.
Bordados em cambraia Victoria e
ransparente, grande sortimento.
Botdes dourados e prateados pars
sostidos.
Coques A imitaclo de cabello.
Variedade de bonecas para meninom
52 ru" do Barlo da Victoria
Grande pechincha!
Olimda
AuIAi-so tkma can para pequena famia, na
rua, deS. Prancieco n. tendo excellent vista
e muito perto dos bhpunhos salgades ; a mntr
na rua do Barao da Victoria in. W'.
Pap-l de i-- p-e 1 i
t deatos o mfo __OirO a 'A
nal do Reeife, veatel'lsa r.
,=i,' "-' .... '


L


I


TINTURA _1INI.ZA
para tornar os oabeUlos ra.
pidamente preton soem of-
fender a Utis
PREPARADAgPOR
A. A. RAMALHO
Rua do Marguez de Olinda n. 21,
1.0 andar
SALAO DE CABELLEIREIRO
Esta preparacao, tendo sido feita de
sec6rdo corn o clima deote paiz, tor.
aa-so atd boje a melhor, porque ner
s6 faZ o effeito rapido, sem offender a
autis, como se o fizerem bern, s6 bas-
larA retocar de quinze em quinze dias,
A cada frasco acompanhbiro as ins-
Trucg&,es precisas ,
Preo de cada caixlnha corn
3 frasoos 36000
Vende-se em grosso e a retallio, cor
Sdevido desconto de 10 a 15o/..
N. B.-E' muito precise explicaoes
... ... .& .. I. .. .. ,..


S S portiaores, pa'.r& m.niuuin aUurua,
ce esta tintura se veide s6 na rua do
Cretones liNsos a 280 tquez de Oinda n. 21, I.o ardar, .
o rf -"0 aao send lia comprada, e falsa.
0 COVADO-I
Pech i.cJ (SALAO RE CABF.I.FIB EIBO.)
Cretpnes lisos de todas as c6res a 380 o ce- c .
vado : 6 pechinha S6.o 43 da rua do Quei- Lques
=ado. '
Xadapolo frafcez a 38500a pe. Do soda a peopadour.
'W-. mado 6tei sluas a20)isaovado." Petit Pais, e oet pIamai do lindas oto '
Vebm A .alchnna.. vande- noo BaMz Vitori n f. 3, r Mom rv _s
S Matipoed irgodada, padres liaos, a 240 o -a Vende-se oaUa aa iru Dqu OiuiaS
Am-, I. im .I* =lm .',...,..-=- ..a"
', Ba-45daru D"que "a' s a I qBSIM^mgR ,a>
'. -. g wo ,, *.m4 *. ,
-fXL


DO

CA BUGAd

ESQUIP

dara lrga do,


ROSA RIO


FINDiiCAD GERAL

~0 p


N. 44 -Rua do Brum N.-- 44
Junto a estaVio dos bonds
Teem para vender, por pregos medicos, ans seguintes ferragens:
Tachas fundidas e batidas.
CrivagOes de diversos tarnanhos.
Rodas de espora idemn idem.
Ditas angulares idemr idem.
Alambiques de ferro fundido.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fnndido, de lindos modelo.,.
Portas de fornalba
Bancos de ferro corn -erra circus sr.
Gradeamento para jardirn.
Vapores de foriga ie 3 A 6 cavallos.
Moendas de 10 A 40 pollegadas de paridui ,
Rodas d'agua, systewia Leandro.
Encarregam-se de qualquer concert,., aisen .-i cnachinsrn e execute
a quliquer trabaiho corn perfeicc, e pre.te7".


S ntonio Pedro de Souza Soares & C., vendem machines de costura de to.
S s systems e de todos os tamanhos, desde o prepo de 144000 a 1105000, #
em porgao-fazem desconto conforme a quantidade; teem sempre especialidade
nao so em machines de costura como de preguiar e de tiotar-fazer meias.
No mesmo estabelecimento ensina-se a coser, e concerta-se aialquer ma
china, para o que tern bern montada a oficina



ELIXIR SE DATIVOPEITORAL
ANTI-ASTHMATICO
EC -K AE& _W-A X 1"l AL ?E
DE
BARTHOLOMEU C.
Pharmaceruticos premiados em diversas exposiCse
N6o Olhando s6mente As especulades, destinamos parte de nossos estu
dos e observances a descoberta de composi.des corn medicamentos novos, o
corn os poucos, ou ainda nao experimeratados, pars procurarmk obter a cma
on ao mencs uma sensivel rmodifitcao, na march dos terriveis padecimento
pe affligem a humanidade.- que atd hoje teem zombado dos meios conhecide
a medicine.
As molestias dus pulm6es, e dos demais orgaos da respiraio, considera-
das das mais graves por suas funestas consequencias, e que infelizmente, sem
quo ase conhega a causa, tanto se vai desenvolvendo entire dn6s, nos tern mree.
cido principal attenolo, e temos a ellas dispensado as mais aturadas inquiries
Acabamos de formiular um preparado de mui agradavel gosto, e portante
de facil applicacio a todas as pess6as, qualquer que seja seu sexo e idade, quae
expomos ao public sob o nome-Elixir sedativo peitoral anti.asthmatico ;--que
send um composto principalmente de bases vegetaes, produz effeitos calmantes
immediatos, sem center a mener quantidade de opio e seus compostos, ou es
emiticos, de tio perigosa applicagdo.
0 Elixir sedativo peitoral anti-asthmatico tern as precisas propriedades
para debellar promptamente as affec6es da garganta, do peito, e mesmo do es-
tomago, e na asthma, e coqueluche, em que jI tern side bastante experimenta-
do, o Elixir tern apresentado os mais satisfactorios resultados.
Nao menos proveito temos obtido como verdadeiro espefico nas constipa-
Coes, catarrhos, defluxos catarrhosos, e todos os mais soffrimentos das vias res-
piratorias.
Nunca apresentamos preparados nossos os ao public sem experime-V
tal-os nos hospitals, e agora foram os mais satisfactorios possiveis os resultados
que obtivemos corn o novo Elixir, corno affirmam sous distinctos medicos.
Esperamos a continuacAo dos bons resultados do nosso novo preparado,
ficara o satisfeitos nossos esforgos, se elle vier preencher a lacuna que ainda
e resente de umrn verdadeiro especifico para molestias tao graves.



WNAC iRES ESTRELLAS
WSlL^ KL ,. ;~ F]HL^WESi
Este cognac, hoje sam competidor pelo seu nimio prego e superior quail
dade, e que obteve por isto os primeiros preamios na grade exposigdo universm
de Paris d hojo o mais procurado, nao s6 per sua SUPERIOR QUALIDADE E
PRE(O BAIXO como porque cada garrafa de litro comporta assim garrafa e
media dA liquid, e o torn por i o muito barato para os SHIP-CHANDLRES,
HOTELS, RESTAURANTS E VENDAS A VAREJO.
Unicos agehtes dos cogaaes Muller Frdres
MAIA PACHECO & C.
40-.aUA DOtOMMERCIO-40
Todas as garrafas trazem- U rotulos corn 'sta declaragdo
Catela 6BB as falsilacoeas
,O A eo 2swds~ek, oogn, U tUer Freg.. 6 ..uiim.. p... ....
qesWB~uN AIAP11 CHEO& .A4 Commertiio 11.40
An w.e was rruerm .eem marca Moe o o ta0 e6 bo d004e0 Va .,
Pa*- As t as, roias.prrfsofttod i
-41JLLER FRRS.
/AMTELU COIN[


4.,.

..Ia


4:,
I .Sa.?~7


,aB^ MeS ; .* '. ,,
"." A le ,
L; A ..,- 2,, .t.


, '


"*V P '- -vl-I'. .-
.a .. *-^ ^
.- '- .I~JO^ '(. *^l


rdo para vestidos a 320 ris
Vende-se oum grande sortimento dos mais
bonitos gorgortes corn delioadissimas cOres
pars vestidos, sendo fazenda de alta phanta-
sia e de muito boa qualidade, corn padres
miudinhos e muito modernos, pelo baratissi.
mo prego de 320 rdis o covado, isto devido a
ter-se foito urma grande compra d'esta bonita
fatenda. S6 na rua da Imperatriz n. 40, esqui-
na do becco dos Ferreiros.
ALTAS NOVIDADES EM CASIMIRAS
a 24 o covapo, ou a 3S500 o corte.
S6 os Barateiros di Boa-Vista p6dem ven-
der casimiras de duas larguras corn as cores
elaras e escuras, sendo fazenda fina e de mnui-
to bouns gostos, proprias para calQas, paletets
a colleges, assim como pars roupas de meni-
nos, pelo baratissimo preco de 28 o covado ou
38500 o corte de calca : esLe diminuto preco
por que se vende, 6 devido a ter-se feito gran-
de compra d'este artigo, quo se veade muito
mais barato do que em outra qualquer part ;
na rua da Imperatriz n. 40, esquina do bpeco
dos Ferreiros.
Novos linhos para vestidos, a 160 rHis
o covado
Na loja dos Barateiros da Boa.Vista veftde-
so uma grande quantidade de novos linbos
de urma so6 c6r pars vestidos, tendo de todas
as cores, claras e escuras tambem de listri-
nhas, que se liquidam a, 160 reis o covado,
assim como um elegant sortimento das mais
bonitas baptistes de cores, padrees arvos e
cores flxas ; isto na rua da inperatriz n. 40,
esquina do becco dos Ferreiros.
Cretones e chitas par& wsUdos, a 200,
r 240 e 280
Os-Barateiros da Boa-Vista vendem chitas
claras e escuras de cores send faeaonda mui-
to boa# covado a 200 reis.
Ditas escuras e claras corn as cores fixas,
a 240.
Gretenes muito finas para vesidos, coens
claras o esouras, corn paqueo toque do mofo,
a 280.
Cretone verdadeiro,mom delicados gostos a
Pompadour, send clars e sescures, a 3r0.
Percalles brancas, padres t'iudinhos o
cores fixas para vestidos e roupas de criangas,
a 300 reis.




Pechincha
A nova loja de selleiro de J. Joaquim de Aze-
vodo, quo se abrio A rum do Barfo da Victoria
n. 29, acaba de receber os mais modernos
sellins inglezes, que at6 hoje tern vindo ao
mercado, 0 os estA vendendo por muito com-
mode prego ; A elles, antes que se acabem.
Na mesa tambem so encontrar um eaom-
pleto sortimento de todos as objects da arte
de selleiro b colchoeiro, os quaes se vendem
por menos de que em qualquer part; s6men-
to para asaim satisfazer os seus freguezes, as-
sim como cochilas do liobo.
'E'vantajoso .
Vende-se a olaria corn easa de sebrado,' vi-
veiros e bastaute terreso para criao de oi-
mae, Bo lukar deromiNado Luoas. quem pro-
tender, dirija-se A rua Imperial n. 288, ou ns
Passageom, taverna do Bento, que so dart ID-
frmag5es.
Vende-sa
9104 tavwnimMa d frinte I stso O POW
tI Mrw pm1pjla twe prl to d t' 4M
I a pmeo eapnital; a i li-a
mstaverma. ,- -


II


4^'-


|-



I

1











S



o












!'


L -I


y

i-I


i


M.A-


I W-
Ir1w iv w
WOOL, i Aw O.-S 0 glop.,


1*
f'l







I,,
rN,
'...


j:.. .








.'" .
I. -.





I .
* *


1 J 1;IJ


UGALl


RAW'.--















I


''*i


os presidents; e nesta part esta um lugar de deputado d assembl6a geral, de I
pouco melhor do que a media adoptada membro 'aa assembl6a legislative provin- s
polo governor. cial, nao podera duraate todo o period i
Mas o grande inconvenient desta me- da legislature, exercer o emprego ou car- (
dida result da declaracao do nobre pre- go public que tiver, perceber vencimen-
sidente do conselho de que tudo isto 6 tos on outras vantagens que della prove- (
em pura perda, desde que a nacao, que nham, contar antiguidade para aposenta- p
sabe mais do que nos, que escolhe bemrn, o ou jubilacao ou obter remooao ou ac- n
nomear qualquer que esteja nestas con- cesso em sua carreira. 1
dioies. Cnegam esses a camera dos depu- A emenda da commisso diz (16): 1
tados ou ao senado e temos de executar, c No se comprehendem nesta disposi-
pode-se dizer, a decisio, a sentenca, o Oao as nomeacoes por access de antigui- a
veredictum national, nao obstante as leis, dade para emprego civil ou ponto military c
pois que todas essas excepo.es nenbum va- de terra ou mar. v
lor tmrn, porque a nacao sabe mais, sabe E' exactamento e contrario disso que o L
o que faz, tornando-se entao como o prin- senado resolve hontem; portanto me pa- r
cipe do antigo regimen, que nao estava rece que essa parte deve ser supprimida d
OjHEIIj E' precise, pois, tratar da liquida-, a I
OL H TI N ao da sua casa do Havre, corn a qual, a
ja tinha resolvido nlo occupar-se mais. c
0 seu socio, o Sr. de Funcal o desonerara d
AS MULIIERES DE BRONZE e ficara o unico dono. Isto ihe darA so- o
cego; fara corn que possa dispbr livre- d
POR mente de dinheiro, -e permittirA que eu re-
ceba os trezentos mil frances, que me to-
XAVIER DE MONTEPIN caram do negocio de Lourenoo Raymun- n
do. r
pA TNDA 3ART ? No moment em que Rosa pronuncion q
(]Tcr [,JA .n J,. o este nome, uma especie de tremor percor- es
0 EVADIDO DA DOURADA rea a pelle inerte do paralytico.
Ura expresso de indizivel terror jun-
(Continnacto do n. 28) tou-se no seou olhar. In
(Coninuao do n. Abaixou as palpebras, nao para respon-
XXXIX der, por6m para nao ver a image do
soea amigo assassinado por elle. q
Rosa percebeuaa impressio produzida.
Aqui esta um fallador inconvenient. Vamos, vamos, disse ella, nada de
E accrescentou dirigindo-se a Maroal: tolices. Vai agora ter medo? E a que ra
E entao, eu nao tinha razio ? proposito, faz favor de me dizer. 0 pas-
Sim, responderam os olhos. sado passado. 0 home de Ingouville nao ca
0 senhor imaginava que seu filho volta mais. Lembre-se do adagio: Quanr- re
mais novo fosse melhor do que o outro. do se more j para sempre, e occupe- 01
Agora nao lhe restam mais duvidas. T.o mo-nos de cousas serias. Amou-me muito
hbm 6UM como o outro ; nao 6 ver- outr'ora? ge
dade? Os olhos tinham-se aberto. Respondd- vf
Sim. ram affirmativAmente. da
MNo satisfeitos de esperarem corn E ainda me ama um pouco, hein, Ih
inpaciencia a suaheranua, ainda queriam Maral ? ta
depennal-o em vida. Sire. Sm
-Sim.Iz
aslme qurido r- Ora, sens filhos odeiam-me e o aban- pr
-- as, meuqueledoeMear^a, a sea ie Assim o senhor tern o direito e pe
.eslejalonge de entregar a siua ., 9 dover do s6 pnsar. em ns. Pre- B
Dos, e tenha diant de usi ma agradavel trauquillidade...
dao qvida de sau,, ecreio q". imiaho ,onstruido de papei de
tranquididade peoal pe t SSd Ha de
01A doeple., Ha do cu-a
ai, consihos e pbr os sens ? no ell
Ir' d ^ o p i i o ?T r o b, l L
,m.nov.., ,f, ,


.Jmwia


a.. ca- Si acaso o noble pPrideto do.cousolbo
d aceit lata- nao estabelesse sua maxia degque a
te a emen da a illustre co issa po Ao sabe bem 6 quo vaifaI,? muit
to medo esta S. Exc. brem aastel- hia aceitar i mas 'cornm essa maxima tudo
Se, como desde o pri'pid da dis- isto. 6 inutil; para quo tudo ista? 81-a
nos dise que queria V as duas naQo faz melhor esolha, o que rest 6
mi9ssmes batendo-se, acolhein-se i il- sanccionar.
l commissio de constituiCo para Eis o medo que tenho de disposigoes
,qi4s encaniue ella da defesa de spas como esta.
emendas, e S. Ete., aproveitando-se deste Rio temos entretanto quern DOS d ex-
chap6o de sol, fica bemrn garantdo o con- plicaoes.
stitue o parlamento em silenciamento \ Logo quo o nobre president do conse-
E S. Exc. disse entretanto que deseja- Iho trata de qaalquer artigo e faz o sou
-p, a discussio para quo se emendasse, se fiat, poe-se em descanoo discansa sem ser
fizesse e acontecesse, tendo imposto a seas no setimo dia; descan0a logo, mette-se
amigos que nao fallassem e reservando na concha e ficamos aqui as escuras. "S.
para si esse privilegio. De modo que o Exc., antes do debate, vai dizendo: eu
debate esta excluido ; nao podemos con- peso assim; 6 como quem d A corda ao
tar corn memibro algum do partido do relogio e elle vai cojrendo a vontade; por-
nobre ministry, nerm mesmo corn a illus- tanto nao ha debate, clamaremos no de-
tre commissao de constituiko, por que serto, mas em todo o caso cumpriremosE
ella naluralmenLe se apoiara nas razoes o nesso dever,t
do nobre president do conselho; nada de A illustre commission de constituicao na
falar a queslto 6 sb de votos, silencza- sua emenda acrescentou um-seis mezes
menlo e nao parlamento. depois-, e o nobre president do conse-
0 Sr. Saraiva presidente do conselho) : Iho aceita corn duas mlos essa clausula,
-Temrn-se fallado tanto V. Exe. quer que ainda 6 mats restrictive; de sort que
mais ? nao 6 s6menLe privar o que fOr deputado,
0 Sr. Mendes de Almeida :-Ora, nao senador e membro da assembl6a provin-
sou no fundo hostile a este art. 12, e o que cial de aceitar emprego ou commission re-
me demove de votar por elle, e ainda munerada, ainda no tempo em que func-
pela emenda da illustre commission, 6 o ciona, mas seis mezes depois; que 6 para
peccado original do project, porque tudo excluir qualquer vontade de remunerar, e
involve-se em uma reform para mim in- como os ministros duram pouco, nesses
constitutional. seis mezes pode hayer qualquer mudanpa,
0 Sr. Florencio de Abreu :-Na lei ac- o que esperava alguma considerable pelos
tual j, existe essa disposi&o do art. 10. bons services, que muitas vezes sdo os do
0 Sr. Mendes de Almeida:-Bern : mas silencio, fica serm essa esperaona.
a lei actual foi uma lei ordinaria, e essa Aqui acaba-se o grande principio de con-
reforma tira dessa lei ordinaria... stitucionalidade do honrado ministry, que
0 Sr. Florencio de Abreu:-Para outra consist na field e rigorosa execuago do
lei ordinaria. 13 do art. 179 que diz que a lei 6 igual
0 Sr. Mendes de Almeida :-... a dis- para todos. Aqui ja ella nio 6 igual para
posiolo; encontra, porem, os principios todos; alguns s.o castigados, mesmo sob
da constituicao no art. 90. A proposta o ponto de vista do principio do bonra-
do honrado ministry affasta-se disto, in- do ministry; so se permitted isto em caso
clue em uma proposta, que 6 anti-consti- de antiguidade ; ahi ja ha uma grande
tucional, isto que esti consagrado. A brecha e para chegar a esse ponto 6 que
propria emenda e as declaragoes da illus- se abrio essa excepc.o.
tre commiss&o de constituiio, tudo 6 No quero que, corn essas poucas obser-
confuse, e ha de dar lagar, na interpre- vaoes, que faco. Do sentido de pedir es-
taQdo on na execunco, ao mesmo resulta- caecifientos, o nobre minister pense que
clareciu~entos, o obre ministry pense quo
do da lei 1,87", neste ponto; e aquelles pretendo p6r obstaculos. Creio que as
que j ulgarem que nada se poderialterar fago em pura perda. Si se achasse corn
na execucao, vergo tudo, pelo contrario, obasto o nobr inistro da justi, o-
inteiramenteoestragado, cominterpretaCs tro gallo cantaria: com a loquella de que
por diversas formas, umas cortando em dispie S. Exc. e a bba vontade de escla-
meio artigos, outras circumvalando, mas recer o paiz, teriamos essa grande van-
tudo corn o fim de desruir aquillo que se [tagem.
fez na esperanca de cohibir abusos, reco- So estas as observaoes, Sr. presiden-
nhecendo-se enLao que e quando mais os to, qu eujulguei dever offerecer i consi-
abusos florecem. deraoao do senado corn relaQio a este ar-
Vein aqui na emenda da illustre corn- tigo.
missed doutrina nova. 0 Sr. Nunes Gongalves: Sr.
JA se disse que o ministerio, embora se- president, eu tenho duvida em votar por J
ja nomeado pelo powder moderador, umra ruma part da emenda offerecida pela hon-
commissao da camera; j. se disse a pro- rada commission, porque me parece que
posito dos presidents de provincia que si vai de encontro aquillo que ja resolve o
reputava empregados, funccionarios da senado, e cumpre que este artigo seja
administrator, que eram commissoes po- posto em harmonia corn aquillo que esta
liticas vencido; part da emenda a que me refiro
Ora, si isto 6 unia verdade, 'a proposta 6 a que assim se acha concebida (16):
soffre, porque tratava somente dos em- Nao se comprehendem nesta disposi-
pregados publicos. dos funccionarios, que cao as nomeacies por access de antigui-
exerciam empregos ; e entao havia de al- dade para emprego civil, ou posto military
guma sorte urea exclusao dos presidents de terra ou mar. z 1
de provincia, porque sao commissaries po- Na emenda que five a honra de offere-
liticos. cer, e que o senado em sua sabederia en- n
A illustre commissao para ovitar qual- tendon dever adoptar, acha-se disposto
quer equivoco sobre esta materia, veto j. justamente o contrario disto. A emenda (
declarando na sua emenda que os senado- por mim offerecida 6 assim concebida 1
res e deputados a assemblea geral e os (16):
membros das assembleas legislativas pro- ( 0 funccionario public de qualquer
vinciaes, nao poderao aceitar do governo classes, que perceber pelos cofres geraes,
geral ou provincial commissoes ou empre- provinciaes ou municipals vencimentos oun
gos remunerados. porcentagens, ou tiver direito a custas por
Portanto involve tudo e conseguinte actos de officios de justica, si aceitar o


%inda, ja nao estou comtudo no verdor dos
innos. NunCa o deixarei, e terei tanto
nuidado comsigo como corn as meninas
Los meus olhos; porem 6 precise garantir
Sfutureo. Acredite-me, liquid. Estt deci-
lido ?
Sim, dissefam as palpebras.
Entio, uma vez que esti decidido,
iLo percamos tempo. 0 tempo 6 dinhei-
,o I dizem os inglezes, gene pratica e
|ue comprehend bemrn a vida. Pode-se
sscrever ao St'. de Funcal ?
Sim.
E' precise escrever-lhe hoje mes-
no ? .
- Sirm.
- E' necessario que venha a Paris e
ue traga as contas ?
- Sim
- Entdo mros a obra, e eis-nfe arvo-
ada em seu secretario.
Rosa pegou n'uma folha de papel de
artas e tragou. as Jlinhas seguintes, que
eproduziremos, supprimindo- os erros de
,rthographia:
( Meu caro Sr. de Funcal. FaQa deli-
encia de vir a Paris o mais breve possi-
el e traga comsigo os livros commercials
a casa Deroyne & C. Por motives que
ie slo conhecidos, importa conhecer exac-
imenle a sua situaCao.
( Receba, men caro Sr. de Funcal, os
rotestos de minha cordial estima. No im-
edimento do Srb Mar al Dereyne.-Rosa
'onchamp. D
Releu em voz alta a carta que aabava
Sescrever. /
-- E' isLo o que desejava ? perguntoa u
la. I
Os olhos do paralytico rosponderam af-
rmaUvamente. ,; .

;._ .- H j ^


F.-oi lica,';.PO8ta em diuscosi
g~"ta am
a seguinte .eda:
a Na emt~* da aiuso supprimam
8s o pOW todau dri-4 ~o I comprehem-
deoi nesta d Ini 0o a ^ neaffts DOg
access de antiguidade para emprego civil
Ou posto military de terra ou de mar.-
Nowes Doncalves.
0 Sr. Cunha.e Figueiredo :-Sr.
president, pedi a palavra para solicitar
do dignos imbros da commissao alga-
mas explica0oes acerca da! emenda apre-
sentada polo nobre senador do Maranhao,
que. naq sei si estA de accord corn...
0 Sr. Fausto de Aguiar :--O autor da
emenda ja explicou.
o0 Sr. Cunha e Figueiredo :-Mas nao
de modo que esclarecesse a conformidade
de ambas as emendas que estio em dis-
cussao.
S0 Sr. Bibeiro da Luz :-Sr. pre-
sidente, na emenda do illustrado senador
pela provincia do Maranhao, que foi hon-
tern approvada, encontro. eu uma part
que nao estA de accord corn outr a da
emenda da commission do senado.
Examinando, a referida emenda,pbser-
vo eu no fim do primeiro period se-
guintes palavras (16) :
,x Nao podera durante todo o period da
legislature exercer o emprego ou cargo
public que liver, perceber vencimento ou
outras vanlagens que delles provenham,
contar antiguidade para aposentagao ou
jubilagao e obter remoroe ou access em
sua carreira ).
De modo que pela douLtrina constant
desta emenda, o official military, de mari-
nha ou do exercito, que tiver em seu pos-
to maior antiguidade que. os outros, uma
vez eleito deputado, e tomando assento,
si houver promocao, a qual na marina
cosluma-se fazor sempre no fim do anno,
e no exercito a propor0oo que se dao as
vagas, nao podera ser promovido...
0 Sr. Nunes Gonoalves d um aparte.
O Sr. Ribeiro da Luz :- ... quer se
trata do official do exercito, qunr do ma-
rinba.
Supponha-se que um official do exer-
cito, um tenente-coronel o mais antigo do
soeu posto, 6 eleito deputado e reconheci-
do, e immediatamente diA-se uma vaga no
posto superior. Tern elle de ser promo-
vido por antignidade, mas nao pode sel-o,
porque aceitou o lugar de deputado. Pela
emenda hontem approvada estai inhibido
de ter semelbanlo access.
O Sr. Nunes Goncalves:-Mas veja V.
Exc. as excepcoes.
0 Sr. Ribeiro da Luz : -Bern, ea che-
go a este ponto.
Tambem noto que si um desembarga-
dor for o mais antigo de sua classes, uma
vez eleito deputado e tomando assento, si
houver nma vaga no supremo tribunal de
justioa,- nio p6de ser promovido a mem-
bro desse tribunal, como 6 de lei.
Para esses casos nada aproveita o n.
6 das excepoes, estabelecidas na supra-
dita emenda do nobre senador; porque,
comquanto elte salve a antiguidade do of-
ficial de mar e terra, todavia nao lhe per-
mitte o access, quando deputado.
Quanto ao desembargador 6 fora de du-
vida que nao podera ser premovido A
nembro do supremo tribunal desde que
for deputado tambem.
A emenda do nobre senador polo Mara-
nh.o, A qual me tenho referjdo, contem,
at6 certo ponto, doutrina aceitavel, por-
oue 6 o meio termo entree aquillo que es-
tava consignado no proj ecto e a emenda
la nobre commissao; j ulga, porem, que
la 3" discussao corrigir certa antinomia,
mue se neta; entree a emenda da corn-


Outro tanto nio acontece nos empregos
civis; porque nao me consta que haja
promocao por antiguidade senao na magis-
tratura; mas esta antiguidade tern um
mixto de graca, porquanto, compondo-se
a lista de 15 juizes de direito mais anti-
gos para se escolher umrn desembargador,
nao 6 a antiguidade o que-. regular a esco-
lha ; apenas di base para a escolha, que
a arbitrio do governor se faz por mereci-
mento. Convim 'que e juiz de direito, que
estia na lista dos 45, que tenha sido eleito
deputado, nao possa ser promovido a des-
embargador durante o tempo da legislatu-
ra, pois que o acto nao proveria de anti-
guidade, mas de escolha do governor. E'
um mixto de graca, senoo uma perfeita
graca.
Portanto, si nao ha emprego civil a que
se possa chegar, pela regra fotal da anti-
guidade, nos teremossanadas as difficul-


Entao sO resta remettel-a.
Rosa poz a carta dentro de sobrescrip-
to, escreveu a direcolo e mandou o cria-
do leval-a ao correio.
Vamos, pensou ella corn uma ex-
presslo de triumpo ; desde esse momen-
to sou aqui a senhora, a unica senhora,
e hei de saber aprovpitar-me. Ren6 Mat-
tefel, o meu adorado amor, ficara con-
tente commigo.
XL
Na noite, desse mesmio dia, Leopoldo foi
ver soeu irmlo e contou-lhe por miudo a
scena de que a casa da rua do Roeher fo-
ra theatre.
Jorge Dereyne, ja o sabemos, conside-
rava como desastrosa a installaoao de
Rosa Bonchamnp junto do doente ; assim,
pois, exclamou :
Essa miseravel creatura domina ab-
solutamente meu pai. Fara delle tudo
que quizer. Felizmente minha irma e
men cunhado estar.o breve de volta em
Paris.
Leopoldo estava profundamente triste.
0 bell sonho que acariciava desde a
vespera, eslava de todo desfeito. Cahia em
plena realidade, isto e, na sua humilde
posio.o de estudante, tendo ulna modeota
mesada, que andava sempre adiantada.
0 que iria fazer? Como sustontar-se
corn a bolsa vasia em urn pa de leganto
intimidade corn Lqbnel Warton ? -Come
mandar flOres a Maryt Como logar car.
ros para ir ao castillo de Saint-Ouen ? Es- |
tas despenozas ome itas otra domsmo

eeM, Ada edade sm -


t, veo:-0 pen-
en da que 0 orena.
d-~ 1~aotn rohibir quo, du-
rat oandar popular, o fupccionarlo
Svntigidad mas per nenshma
f6rma p&judicar a antiguidade que tives-
Sse adquindo antes disso que he d46sse
cirello & um accepo. 0 qoe no se quer
6 quo, eleito deputado, elle nessa quail-
I dade venga antiguidade para fazer jus a
Saccesso. Maisi tiver exercido o seu em-
prego per tempo que The de direito a ac-
cesso por antiguidade, ease dicrito fica re-
salvado. Sob este aspect se devem con-
siderar os militares, como comprehendi-
dos em uma das excepgoes da emenda
adoptada hqntem, que resguardou o sol-
do e a antiguidade dos ofticiaes de mar e
terra.
Portanto nao poderia hayer contrasen-
so; m as, como 6 precise tornar mais cla-
ro o pensamento, e fixar-se a sua intelli-
gencia, nao tenho duvida em pedir a re-
tirada da emenda que hoje offeredci, afit
de que na 3" discussao tudo fique harmo-
nisado.
Consultado.o senado consentio na reti-
rada da emenda.
Vem a mesa. foi lida, apoiada e posta
em discussao a seguinte emenda :
9 Supprima-se do paragrapho do subs-
titutivo da commissao as palavras-em
tempo de guerra-S. R.-Ledo Velloso. -P
0 Sr. Cruz Machado :-Sr. pre-
sidente, a emenda substitutiva do art. 10
offerecida hontem- pelo meu nobre amigo,
senador pelo Maranhio, e que fui adopta-
da, parece, confrontada corn o art. 12,
suscitar duvidas quanto a este por com-
prehender-se nas excepcoes daquella a clas-
se military. quanto A antiguidade, como
observou o nobre senador por Minas-Ge-
raes.
Em verdade, o senado approvando o
substitutivo do art. 10, resolve que aos
mililares, que forem eleitos, se Ihes con-
tasse a antiguidade.
O Sr. Nunes GonCalves:--E o soldo.
0 Sr. Cruz Machado :-E o soldo, sen-
do bemrn claro que nao o accumula duran-
te a sessio.
Que ficou salva a antiguidade 6 o pon-
to da questao. A emenda da commissao
diz que ngo se comprehend na disposicao
prohibitive as nomeagoes por access de
antiguidade, (e nao de merecimento),
para emprego civil, ou posto military de
terra ou mar.
Porlanto, o official mais antigo, na hy-
potheose figurada pelo nobre senador por
Minas Geraes, tern direito a promocao por
antiguidade; mas nao assim quanto. aos
postos de generaes, em que rege o mere-
cimento. 0 capit.o mais antigo tendo di-
reito A promocao por antiguidade, visto
que nas promoQoes para major, parte se
faz por merecimento e part por anti-
guidade, pela disposicao do art. 12,
nao pOde deixar de ser major; a re-
salva de antiguidade express no substitu-
tivo do art. 10, fica assim deoaccordo
corn o art. 12 da commission. De sort
que a commissao quanto a militares nao
fez sen.o desenvolver o pensamento de
salvar se a sua antiguidade (apoiados),
sendo assim, 6 o desenvolvimento do sub-
stitutivo do art. 10, votado palo senado
que salvou a antiguidade dos militaries,
que, entretanto, nao podem ser durante a
legislature promovidos por merecimento.
Mao ha caso em qua um capitlo que tenha
antiguidade possa ser preterido ; nem seria
admissivel-que o capitao que fosse deputado
em tries ouquatrolegislaturas, ficasse sendo
o mais antigo e nao passasse a major. Aqui
o governor nao the faz fauor; "reconhece o
seu direito firmado pela lei. 0 official
nao recebe graia; o governor cumpre a
disposicao absolute e imprescindivel da lei.


ds pratico adoptavel, so nao form aceitas
pela opiniao national, si nao se encarna-
rem nos costumes, ou emquanto estes
n.o estiverem justamente creados, desen-
volvidos e radicados na conviccao e no in-
teresse geral do paiz; send quasi um
aphorismo na sciencia political: que leis
political n.o reformam costumes simples-
mente pelo seu fiat. E' uma obra lenta
da sabedoria e da experiencia adquirida no
irato dos negocias publicos.
Na material vertente, o principio do ora-
dor 6 pleno, quasi illimitado :-Liberda-
de da escolha ao eleitor, plena liberdade
de aspiraCio e a elegibilidade de qual-
quer cidadao brasileiro-com os requi-
sihos constitucionaes preestabelecidos em
lei, incompatibilidades restrictissimas por
amor do born desempenho das func-
Qoes e por utilidade public.
Nunca as incompatibilidades como um
system de prohibicao, ou de proscripQio
de vir ao grande conselho national, todas
as illustrag6es da patria, todos aquelles,


Fazer dividas ?
Pensou nisso ; por6m bem depressa Ihe
occorreu que a sua idade era urn obsta-
culo invencivel recusando-se os usurarios,
mesmo os mais arrojados, a fazer negocios
corn menores.
Resolvido a aceilar o convite do Leonel
para a noite immediate, decidio-se a pedir
a Jorge que lhe emprestasse cincoenta lui-
zes, o que seu irmio mais velho fez de
muito boa vonlade.
Entrando em casa, Leopoldo encontrou
uma carta vinda de tarde. Essa carta
contiaha apenas estas palavras :
a Se for amanh a rua de Londres nao
jogue. 3
O papel nao trazia marca alguma. A
letra estava disfariada.
Apesar disso- o ,moo nao teve um mo-
mento de duvida.
E' de Mary I exclamou elle exultan-
do de alegria. Ama-me, nao posso mais
duvidar, visto que se interessa por mim.
Corn certeza irei A partida de Leonel, po-
r6m, obedecerei a Mary, nao hei de jo-
gar.


6em-
4pr ,^a ha ae o por atg: ixe
t- ruz Macbad :-4 disposio
trata de promocrSo por antiguidade.
0 Sf. Meira de Vasconcellos : -No ma-
gisterlo ha.
0 Sr. Cruz Machado : -Si ha, entio a
Sdisposigo da commission a respeito dos
Sempregos civis, fino esta em contradicco
corn o que votamos no art. 10.o
0 Sr. Conde de Baependy :-EstA de
a6cordo.
0 Sr. Cruz Machado: -A promoCAo em
-emprego civil, pela regra fatal da antiguida-
de, nao 6 gra0a. Neste caso a emenda da
commission 6 completamente aceitavel e
nao pode offerecer duvida.
Foi para dizer estas poucas palavras,
talvez inuteis, (mao apoiados) que occupei
a attenolo do senado.
0 Sr. Fernandes da Cunha ob-
serva que no artigo em discuss a pro-
posta consigna que durante a legislature,
os senadores, os deputados geraes e os
provinciaes nao poderlo aceitar do gover-
no geral ou provincial empregos remune-
rados, except os de conselheiro de esta-
do, president de provincia, enviado ex-
traordinario em missao especial, bispo ou
commandant de forcas de terra e mar.
0 artigo consigna, portanto, ruma pro-
hibicao absoluta, uma incompatibilidade.
Veda que os legisladores, quer sejam se-
nadores, deputados geraes ou provinciaes,
aceitem empregos remunerados, no fi-
xando condicao de tempo, nem poudo
outras clausulas prohibitivas.
0 project substitutivo da camera fez
uma ligeira modificacao ao pensamento
principal do artigo, que consistio em ad-
ditar a empregos remunerados a id6a de
commissoes representatives ou political
geraes.
A commission de constituicao do sena-
do, aceitando a idea capital do project e
do substitutivo da camera, poz-lhe outras
limita6es, Ique constam do sehuinte-
a Nao se comprehendem nessa disposic;o
as nomeaQoes por access de antiguidade
para emprego civil ou posto military de
terra e mar ); e accrescentou a condicao
de tempo--i seis mezes depois do exerci-
cio das funcqies. )
Mas o artigo nao envolve simplesmente
essas idWas; contem mais a prohibicao da
aceitaoao de concessoes, onr gozo de pri-
vilegios, de contratos, de arremataQ.o de
rendas de estabelecimentos publicon, en-
bora a titulo de simples interouades, *0
exceptuou os privilegios de invenc.o.
0 artigo do project substitutivo da ca-
mara aceita nesta parte a idea da propos-
ta; e a commissao do senado proper um
substitutivo da 21 part do art. 12 e do
7* do art. 5 do project substitutivo,
reproduzindo as mesmas ideas, porbm sup-
prime os 1 e 2* da proposta, 80 e 9
do project substitutivo.
Feita esta exposio.o, ponder o orador
que o artigo de que se trata 6 important,
carecendo tambemn de desenvolvimento e
de esclarecimento.
Constitue a material grave de incompa-
tibilidade, que interessa a tres ordens : ao
eleitor, ao eleito e a sociedade.
Si se quizer consultar o interesse pu-
blico para melbor organisacao do parla-
mento, nao se prejudiquem os direitos do
eleitor e do eleito, quando se consultam
os graves interesses da sociedade.
E' precise, portanto, examiner o as-
sumpto debaixo desse triplice aspect, e
das relapoes complexas corn que elle se
offerece A observacao do politico e do es-
tadista.
Pronuncia-se o orador em seguida con-
tra essas prohibi.ioes absolutas, contra
essa redo de restriccoes e limitavoes ao
exercicio do direito, que nuo conseguem
senao produzir males, e nenhum resulta-


salvo no caso de guerra; tambem na utl
tima parte do paragrapho se diz: a queos
deputados e senadores o os membros das
assembl6as provinciaes nao possam obter a
concessao, acquisioao ou gozo de privile-
gios,'contratos, arrematacoes de rendas,
obras e fornecimentos publicos, embora a
titulo de simples interessados. A respei-
to das incompalibilidades eleitoraes, ha
uma explicacao que diz :-na palavra inter
ressados, nao se comprehendem os accio-
nistas; n.o sei si a disposicAo 6 identical
A outra ; ou si o senador e deputado, nao
pode ser accionista de companhia algumaf
Si esse 6 o sentido do artigo 6 born dar
explicacao. 0 pensamento da commission
6, que nao podia ser interessado on socio
destas emprezas, mas depois de realiza-
das, podia ser accionista.


(Continwu


raris nas pontas dos aedos e emra
se por uma valla contornando 'unM
dos do campo de repouso, e terms
naquella epoca em uns terrenos d F
tos,' quemais tarde foram comprados pelo
estado e reunidos ao cemilerio.
Na 6poca em que se passavam os acon-
tecimentos que narramos, toda a vertente
que faz face a Vincennes e que se desco-
bre do ponto mais elevado do PMre La-
chaise, quasi nao estava edificada.
Apenas se viamn algumas construcCoes
de taboas; telheiros, onde emnpreiteiros e
pedreiros faziam do monument funera-
rio uma especialidade ; jardins em que se
cultivavam fires que os vivos compravam
para offerecer aos mortos e finalmente al-
gumas tascas.
Vencendo as encostas collocadas per
ths dessas casas e desses jardins, chega-
va-se is muralhas do cemiterio, velho re-
cinto decadence, cuja perspective de um
engrandecimento fazia considerar a res-,
taurago como inutil.


0 sol do dia seguinte levantou-s e por
tras de nma cortina de nuvens, que nao riumerosas
permittiam aos seans raios chegar A terra. permittiam aos
Era uma dessas manhns sombrias e lu- aos bandidos d
rem-se do noite
gumesw quo p'oduzem o spleen aos filhos portse oneie se
da Abibon.
A's oite horas.uma Ichuva final e fria dos guards. A
common a cahir. glacialepenepir
Joo 'IReland deixou Saint-Oaes cornm
o doutoi Jocelynque se dirigia aRtoqoette ,
para a. prmeira visit pr B U0 o acorn-
houa.a9.ta e 1 fez pra1r em frte aoI,
Ste-aoBaie... _-
t i-~thepr o._.lado, da...ifeit .. ,....,
,e d a j
2y..


brechas cobertas de hera
s correderes de barreiras e
le today a especie introduzi-
no, recinto, sem passar pelos
Sexercia a inautil vigilancia
Schuva continuava a cahir,
anle.


~
a
' 'II.'. '


AF 5 '. -.--,: ., *.

.. ,/ : "7 + : ,7 ,
-' "-* .,. :' ... i-g...
fe:.;*?.* ',;..sa ",-:."a..*^il^^


*, / .
,' ." -... f. 5. .-
; .y .:% .| i o .o. '. '- ,. ,- ,.-. '<= s*."
,.i. .,:,. .


4-,. -~



t -









a..


/


,. ?. -


Wete o, dig o orad.
absolutaMten e aceitar as id
e 2.V da propoWsta do g6v o o 1no
nem dos 8. e 9.o dopieto
tutivo da camera. Nesta part aiaR4 tit,
corn a commission na sua eameada rosres-
siva deste paragrapho do artig6..
Addozindo incidentemefite diveuas pon-
deracoes sobre o silencio, qu o 80"VV 0so
obstina em conservir, quande se o Aute
uma lei, que pela sua gravidade iMeie o
mais consciencioso e demorado debate; o
orador faz ver que as disposioes doS cita-
dos paragraphos tem um character foffen-
sivo A dignidade do senate, podendo 0.mes-
mo ser qualificadas como injuriosas, por
isso que envolvem umna especie de transac-
Oo menos decorosa.
Como, por6m, o governor ja tenba cedi-
do admittindo a sna suppresslo, o ora-
dor, abstendo-se de dar maior desenvol-
vimento a sua impugnaoao, limitara o sen
protest, declarando que votarA contra
semelhantes disposiCoes, cuja conversao
em lei seria urn aviltamento para o sena-
do. (Muito bem 1)
0 Sr. Bario de Cotegipe :-Sr.
president, as emendas da commission ao
sao eutra cousa mais do que a reprodUc-
Cao da lei (apoiados) n. 2,675 de 20 de
outubro de 18753.
Esta lei dispoz sobre as incompatibilida-
des eleitoraes. Esse ponto ja foi votado
em amplitude maior do que talvez a ne-
cessaria.
Agora trata-se das incompatibilidades
parlamentares, que sao, como disse, corn
pequenas differencas, as do 5. do art.
3. da lei de 1875, que lerei:
a Salva a disposico do art. 34 da Cons-
tituigao do Imperio, durante a legislature,
e seis mezes depois, 6 incompativel corn 0
cargo de deputado a nomeacao deste para
empregos ou commiss6es retribuidas ge-
raes ou provinciaes, e bern assim a con-
cessio .de privilegios e a celebraoo de
contratos, arrematacoes, rendas, obras ou
fornecimentos publicos. Exceptuam-se :
I.0 os accessos por antiguidade; 2.o o cargo
de conselheiro de estado ; 3. as presiden-
cias de provincia, misses diplomaticas
especiaes e commissoes militares; 4. o
cargo de bispo.
c A prohibiolo relative a empregos (sal-
vo access por antiguidade), commissoes,
privilegios, contratos e arrematacoes de
rendas, obras ou fornecimentos- publicos,
6 applicavel aos membros das assemblies
legislativas provinciaes, corn relacao ao
governor da provincia. D
Eu nao creio que haja, ou possa haver
nessa disposic.o, alguma cousa de inju-
rioso. Quando se legisla para por o sena-
dor ou deputado a coberto de qualquer
suspeita, a ninguenm se faz injuria : 6 uma
disposicao, nao so ja existent em nossa
legislagao, como em outros paizes (apoia-
dos), que sao governados pelo mesmosys-
tema; portanto, nao duvido, votar polo
artigo.
Quizera fazer uma observaoao a respeito
da ultima part do paragrapho que a com-
missao apresenta, quando nao permitted
que o official de terra e mar, possa ser
empregado no intervallo das sessoes, em
commando, senso em tempo de guerra.
Na realidade, nao conheao que incon-
veniente possa hayer, em um military, que
occupa o lugar de senador ou deputado,
poder exercer o sou empreg. no intervallo
das sessoes; polo contrario, so enxergo
grande utilidado; 6 o que acontece em
Franca, onde a senador e deputado, que
aliAs 6 incompativel corn outros empregos,
no o 6 para o de commandant de forca
mesmo em tempo de paz. Nos, a nao ser
em tempo de guerra, no permittimos que
possa, send deputado, ou senador exer-
cer sunas funcQoes no intervallo das sessoes;
o senador military nunca mais a exercera,


missio sobre o artigo que discutimos e a
que hontem ja foi approvada. -
Parece-me que deve prevalecer esta
parte da emenda da commissao, porque
se conforma cornm a lei existente, a respei
to de promoQoes do exercito, da armada
e do access dos magistrados.
E' de absolute necossidade fazer a mo-
dificagdo de que tenho tratado, quanto a
promoao por antiguidade, porque esta
iao 6 urn favor, 6 apenas reconbecimento
)por parte do governor de um direito esta-
)elecido por lei.
Assim na 3a discussio convem pOr de
iccOrdo o queja passou corn esta emenda,
lando nova redacglo, de maneira a sal-
rar o principio, que me parece born, de
iao comprometter a antiguidade, quer a
espeito de militares, quer de magistra-
los e mesmo de outros funccionarios pu-


.-,u




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXKXMS560_TMI8I2 INGEST_TIME 2014-05-22T00:49:55Z PACKAGE AA00011611_15954
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES