Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15948


This item is only available as the following downloads:


Full Text























vN"


TELEGRAMIAS





RIO DE JANEIRO, 5 de setembro,
As 4 horas e 30 minutos da tarde. (Rece-
bido As 5 horas e 50 minutes, pela linha
terrestre.)

Foi mandado servir na legacao do
Brasil em Vienna d'Austria, o Dr.
ienrique Mamede Lins dAlmeida,
secretarlo da legaceo brasileira em
Montevideo.
Seguiram para o norte no pa-
quete national: Dr. Thomaz do Boma-
fin Espindola. Dr. Tlheophilo Fer-
mandes dos antos, Dr. Francisco
Ildefonso Dibeiro de Menezem, Dr.
Manoel da Trindade Peretti. Dr. Ig-
nacio Joaquim de Souza Leao. Dr.
Henrique Marques de Hoilanda Ca-
valcante. Dr. Manoel do Nasclmento
Machado Portella, conselheiro An-
tonio Joaquina Rodrigues Junior.
Dr. Jose da Silva Maia, Dr. Salus-
tiano Pereira de Moraes Rego, Dr.
Sinval Odorico de Moura, Dr. Au-
gusto Olympio Gomes de Castro, Dr.
Jos Vianna Vaz, Dr. Jose Ferreira
Cantafio, senador Jacintlo Paes de
Mendonca, Dr. Tarquinio B. de Sou-
sa Amarantino. Dr. Jose Pompeu de
4lbuquerque Cavalcante. Dr. Bento
Cecillano dos Santos Ramos. Dr.
Tarquinio Filho, Dr. Joaquim J. de
Oliveira Andrade, coronel J. N. de
Medeiros Mallet e Barao da Sole-
dade.






(Especial para o Diario)
d
CAIRO, 4 de setembro.

ON insurgidos do Soldao preparam
nm alaque contra Soalim. d

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
5 de setembro de 1884.



INSTRiUCCIO POPULAR


MACHINAS DE VAPOR
(Extrahida)
di
RESUNO HISTORIC d
(Continuagao)
Ha qaem julgue que a descoberta e iuveno da
valvula de seguranca foram o preludio dos traba-
ihos de Papin sobre o vapor; mas o que e certo e
que Papin applicava a valvula de seguranga uni-
camente para, per meio ella, conhecer o estado
de coerCo da care na suna marmita, nao ligando
major importancia a avaliar por d'ella o grao de
tensao do vapor que o apparelho continha, Se a
construc'o da marmita de Papin teve influencia
na descoberta da machina de vapor, foi unica-
mente famnilarizaudo o in rentor d'ella corn o uso
pratico do vapor d'agua.
Papin, depois de por algam tempo ter pertenci-
do A Real Sociedade de Locdres, passou A Italia.
Na falta de razao plausivLil que explique haver-
se Papin retirado de Inglaterra comee ai antes so
havia ausentado de Fraana), creem os histomado-
res que o genio um ponco vagabundo do sabio, 6
que motivara estas viagens.
Papin foi estabelecer-se em Veneza onde prose-
guio nos seus estudos de physics,; por6m, ainda i
d'esta vcz ndo fixou a sua residencia; da Italia


tornou a voltar para Inglaterra. Ficara elle send
membro honorario da Real Sociedade de Londres,
durante a sun estada em Italia; mas, no seu re-
gresso, apenas lho fui coacedido entrar n'aquella
associacAo como penwionista, encarregado de fazer
experiencias e copier a correspoadenbia da asso-


rente, resolve remover a peticionaria do povoadt
de Tamandar6 para a de Caric&-Communicou-s<
ao inspector geral da Instrucao Publica.
-0 president da provincia, resolve nomeaw
ama commissako compost do juiz de direito Gon-
Valo Paes do Azevedo Faro, president da Camarn
Municipal Francisco Vieira de Mello, vigario Jos
Rufino Goneas Paeheco e subdelegado Jeronym(
Odon Ferreira, Cabral, afirm do prestar soccorroi
aos indigentes aeeommettidos do variola na cidadt
de PAo d'Alho; devendo dita commissio ser pre-
sidida pelo referido juiz de direito.-Fizeram-ss
as devidas commissoes.
0 president da provincia, attendendo ao q
requereu Anna Emilia do Miranda Henriques, pro
fessora de ensino primario em Campos Frios, re-
solve conceder-ihe 3 mezes de licenga corn orde-
nado integral para tratar de sun saude, onde lh(
convier.
0 president da provincia, attendendo ao qu(
requereu Jose Theodoro Cordeiro de Barros, pro.
fessor de ensino primario, em Balmonte resolve(
conceder-lhe 3 mezes de licenca corn ordenadc
integral para tratar de sua saude onde lhe con-
vier.
0 presidents da provincia, attendendo ao quc
requereu o soldado do 14o batalha'o de infantaria
Jo.o Ferreira de Macedo e tend em vista a in-
formaggo da Thesouraria de Fazenda de 11 do eor-
rente n. 563, resolve de conformidade corn o dis-
posto no decreto n. 2,884 do 10 de fevereiro de 1862,
abrir sob sua responsabilidade um credit da im-
portancia de 1334333 a verba-Pragas de pret do
Ministerio da Guerra, exercicio de 1883-1884,
afim de occorrer ao pagamento da la prestaqAo do
premio de voluntario a que tern direito o mesmo
soldado.-Communicou-se ao inspector da Thesou-
raria de Fazenda e commandant das armas.
0 president da provinricia, resolve A vista da
autorisacao contida emntelegrammado Ministerio do
Imperio de 17 do corrente, abrir sob sua responsa-
bilidade um credit da importancia de 3:000000 a
verba-Presidencia da provincia do Ministerio do
Imperio, exercicio de 1884-1885, afim de occorrer
ao pagamento da ajuda de custo para despezas do
10 estabelecimento, arbitrada na conformidade do
art. 40 do decreto n. 4,800 do 4 do outubro de 1881
ao president nomeado para a provincia do Piauhy
bacharel Raymundo Theodorico de Castro e Silva.
-Communicou-se ao inspector da Thesouraria de
Fazenda.
Officios:
Ao president da provincia da Parahyba.-
Rogo a V. Exc. se digne informar-me, se o indivi-
duo de nome Manoel de Mello e Albuquerque, de
que tratam os inclusos papeis, perteneeu ao ex-
tincto corpo de guarnigdo dessa provincia.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.-Faco
apresentar a V. Exe. afirm de ser alistado .na com-
panhia de aprendizes marinheiros se estiver nas
condic5es do respective regulamento o menor Jose
Manoel da Silva offerecido por seu proprio pai
Raymundo Manoel Nonato, e remettido polo Dr.
juiz de direito da comarca de Olinda.
Ao director interino da Facnldade de Direi-
to do Recife.-Declaro a V. Exe. que expedi or-
dem ao engenheiro encarregado das Obras Geraes
afim de mandar proceder no edificio dessa Facal-
dade aos services de saneamento alludidos em seu
officio, a que respond, de 16 do corrente mez
Ao commandant das armas interino.-Pe-
elar4-tndo o Exm. Sr. ministro da guerra em aviao
de 29 de julho find, que A vista da informagAo,
junta, da reparticao do Quartel-mestre-General,
de 25 do mesmo mez, sob n. 370, nao p6de ser sa-
tisfeito o pedido de artigos destinados A secreta-
ria desse commando de arms, que acompanhou o
officio do seu antecessor, de 27 de junho do correon-
to anno, sob n. 332; assim communice a V. S.
para seu conheeimento e em resposta ao citado
officio.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.-
Corn a informagao junta por copia do engenheiro
encarregado das Obras Militares, de 13 do corren-
te, sob n. 55, remetto a V. S. para os devidos fins
as inclusas notas do gaz consumido durante o mez
de julho findo corn a illuminanio da Enfermaria
Military, dos quarteis da companhia de cavallaria e
dos batalhoes 20 e 14o de infantaria, na quantida-
de de 19,700 pes cubicos. Communiceu se ao
commandant das armas.
Ao mesmo.-Transmitto a V. S. para os fins
ronvenientes a inclusa ordem do Tribunal do The-
souro Nacional, n. 111 de 2 do corrente.
Ao mesmo.-Remetto a V. S. para os fins
convenientes copia do aviso do ministerio da agri-
eultura, commereio e obras publicas, de 31 de ju-
lho ultimo n. 7, relative a concessao de credit
pars occorrer a despeza corn o expedient do es-
criptorio do engenheiro fiscal do district de en-
genhos centraes.
Ao mesmo.-Providencie V. S. afirn do que
seja entregue, corn toda urgencia, por intermedio
Ia respeetiva colleetoria, a commissao nomeada
para prastar s~ceorros aos indigentes accoramet-
tidos de variola na cidade do Pao d'Alho a impor-
bancia de 2001000 para o tratamento e ativaenta-
ao dos mesmos indigentes.-Communicou-se a res-
pectiva commissao.
Ao Dr inspector da saude public. Re-
eommendo a V. S" qus remetta com urgencia a
commissao nomeada para preotar soceorros aon
indigentes aeeommettidos de variola na cidade de


Pao d'Alho alguns tubos de pus vaccinices e uma
embulaneia contend medicamentos apropriados ao
tratamento daquella molestia.
Ao administrator do theatre Santa Isabel.
-Autoriso V. S. como pede em seu officio de 14
do corrente, a despender a quantia precisa corn o
aceio e alguns reparos desse theatre como sejam:
Lavagem da caixa e dos camarins dos artists,
concerto da latrina e do corrimlo da escada e a
eollocagao das vistas em seu antigo estado.-Com-
municou-se ao inspector do Thesouro Provincial e
engenheiro das Obras Publieaw.
Ao commandant superior das comarcas de
Olinda e Iguarasis.-Convem que V. S. apresente
a proposta de que trata o aviso por c6pia, do mi-
nisterio dajustiga, de 31 de julho find, polo modo
indicado no memo.
Ao director do Arsenal de Guerra.-Uma
vez que nio e suseeptivel de concerto, attento o
e3tado de ruina em que se aeha o tirrador de
cafe a cargo do 2o batalh&o de infantaria, segun-
do consta de officio dessa directorial, de 14 do cor- i
rente, sob n. 1,210, autoriso Vine. a mandar ma-'
nufacturar um outro, conforme proper no citado
officio.-Communicou-se ao commandant, das ar-
mas.
-- Ao mesmo Deo conformidade con o que
solicita o coronel colhmandante das armas interino
em officio n. 414 de 14 do corrente, faca Vme. re-
colher a ease Arsenal atim de ser concertada. a
caldeira de ferro A cargo do2 butaioho de iamn-
taria de que trata o inclnuso pedido. Communi-
con-se ao comunandante das mas.
I- Ao mesmo.- D)e coiformidade cornm a pmo-
posts queofaz VMc em offieo de 14 d correqte,
sob n. 1,209, designo o adjunceto desse Arsenal
Felihano Lya. parno impediment ,4 ten'i te
Uambem adjtneto Antonio Josqi i Mkchado ,as-
sistir so 4eiimbarqte dos volumes :qae foranL re-


L Santiago dove, de acordo comn sua iniornaq4
e 12 do corrente, sob n. 100, eontinuar a o e,
dos respectivos vencimentos pola verbal do I
r do art. 2' da lei do orgamento vigente bem C.
So guard dos jardins pelo 25 do citado artigo
SComImnunicou-seu ao engenheiro das Oba fti
S cas.
S A mesmo.-De aecordo eom a informina
a de 13 do corrente, -os nu. 105, autoriso Vnme.
a a mandar pagar a Vicente Nogueira', oq
quantia de 739400 a que tern direitoa deco i
e midade corn o certificacdo quw devolve; provenienu
te da la prestano de seu contrato, como artrera
State da obra de reparos das 3 bombas em segum-
* mento A ponte de Motocolom6bd, proeedendo-se U4
form do estylo quanto a deduoo de responsabi-
- lidade.- Communicou-se ao engenheiro chefe dat
SObras Publicas.
Aojuiz municipal da Escada.- De posse
Sdo officio de 14 4- corrente, eom o qual Vinc. en-
* viou urma s6 relacao, que devolvodon escravos ahi
libertados por conta da 5a quota do fundo deeman-
Scipaoo em audieneia especial do dia 5, declare-
* lhe que deve ser organisada outra em duplicate,
de conformidade corn o art. 42 do regulamento de
13 de novembro de 1872, onde conste qual o ver-
Sdadeiro custo do escravo Felisbino polo fund de
* emaneipano, porquanto, lendo-se na casa das ob-
Sservafes que tern elle o peculio de 50., em poder
- de sua senhora, dove ser mencionada a dtta em
Sque o constituio, para deducoo do juro compe-
t ntent.
Na nova relaco darm Vine. aos escravos liber-
tados a ordem seguida na ciassificago, uma vez
que, nao tendo havido reclamacao nao ha razeo
para a inversao feita, nmuito principalmente por-
que o escravo men:ir Miguel dove succeder corn
sun irma Rosa a Sebastiana mri de ambos.
Outrosim informari Vimc. porque pendendo de
deeiaao do Tribunal da Relagao o arbitramento do
valor do escravo Manoel, que figure sob n. 9 da
relacio, acha-sd esse valor, nelle referida semr
aguardar-se tal decisao.
Ainda mais, constando do officio de sen anteces-
sor que pendia de decisao daquelle Tribunal e ar-
bitramento dos valores das escravas Pradencia e
Rosa, libertadas per conta da 4a quota pelo qne
nao toram elles declarados na relaco annexa ao
officio de 23 de novembro do anno passado, infor-
mar Vinmc. porque 6 de 4;640 o saldo dessa quo-
ta, quando esta Presidencia nao teve sciencia do
resultado final da appellscao.
Finalmente, devem constar os pecalios dos es-
cravos Florentine, Luiz e Manoel, contados os
jurors atW a data em que se libertaram, 31 de
maio de 1881.
-- Ao juiz municipal do term do ExA. Do
posse do officio de 22 de julho proximo find, no
qual Vmc. communica que, tend sido convidados
a accord para a audiencia do din 8, os cidadaos
Joao de Aranjo Albuquerque e Canuto Jos6 Pei-
xoto, senhores dos escravos classificados, Victori-
no e Sebastilo, fOra polo primeiro aceito o valor
de 1230, e que, nao aceitando o segundo e de 125A
e requerendo no-a audiencia para outro arbitra-
mento, fora dado ao eseravo Sebastiao o valor de
2185 : polo que send insufficient a quota distri-
bnida, 1664380 para a libertagao de ambos, fOra
actor continue declarado liberto o escravo Victpri-
no, de Joao de Albuquerque Araujo, aguardando
Vmine. instruceges d'esta prtsidencia q natp ao
mais. :
Em resposta declaro-lhe que nae foi regular 9
sea procedimento, em vista do art. 42 do regula-
mento n. 5,135 de 13 de novembro do 1872 ; por-
quanto, feito o arbitramento do valor do escravo
libertando de conformidade corn o art. 37 e se-
guintes do dito regulamento, cumpria-lhc desig-
nar audieneia especial em que fosse declaiado li-
berto o escravo Victorino, segundo as torcs da
quota, na f6rma .do art. 42, enviando-me, tambem
de conformidade corn esse artigo, uma relacao em
duplicate, conforme o model junto por c6pia, parm
ser ordenado o pagamento, esgotados os 30 dias
do art. 44.
Quanto ao escravo Sebastiao, send insufficient
o rest da quota para sua libertacao, A vista do
arbitramento, e tend sido elle classifieado depois
de Victorino, sem que houvesse reclamacao do in-
teressado sobre sua collocagio, declaro-lhe quo
cumpre aguardar a distribuicgao da 6.a quota, a
que se addicionara o rest da 5.a, para indemniza-
_ao de sen valor, so outros escravos que tiverem
prcferencia legal, nao fqrem classificados antes
d'elle.
Ao engenheiro fiscal da estrada de femro do
Recife ao S. Francisco. A' vista do aviso do Mi-
nisterio da Agricultura, Commercio e Obras Pu-
blicas, de 5 do corrente, sob n. 18, que a quantia
de 137:000*, destinada ao augment do material
rodante, d'essa estrada de ferro, autorisado polo
aviso de 5 de junho ultimo, deve ser levada
por parcellas A conta do costeio mespectiye, de
conformidade corn o aviso de 3 de marco do 1881.
Ao engenheiro fiscal do Limoeiro.-Segundo
,o aviso de 30 de julho ultimo, sob n. 16, ficou o
Ministerio da Agricultura Commereio e Obras Pu-
bieas, inteirado de haver esta presidencia nomeo-
do Manoel Bruno dos Santos (Gouveia para auxi-
liar /mc. na verificacao da receita do trafego des-
sa estrada de fcrro, durante o impediment do enf
genheiro Felix Emmanuel Bourgct percebendo
nuia terra parte dos vencimentos deste. Commnu-
nicou-se a Thesoumaria do Fazenda.


Ao juiz de direito president da junta recvi-
sora de Jaboatao.-Remetto a V. S., em resposta
ao seu officio de 22 de janeiro ultimo, e afim de
ter o destiny indieado no dito officio, um livro pa-
rma a escripturaAo das actas dajunta revisorades-


l'^aputbo Antonio Joaquim da Gami.-Sin, de-
o fioam sgregado ao 10 batalh1o.
lexadre LiberaliinorPereira de Melleo e Manoel
quiram de Brito. Ao Sr. Dr. chefe de policia,
Drovidenaiar eonvenienteonunte.
&nBeto do Preitas Guitnardej.- InformeoSr.
hero fiscal da companhia Recife Drainage.
ompanhia Pernambucana -Encaminhe-se, de-
n supplicante pagar no Corrcio o respective
Companhia Pernambucana. -Eneaminhe-se, de-
do a supolicante pagar no Correio o respnetivo
F rancisco Pacifico do Amaral.--Indeferido, em
tada insufficieneia da arrecadagio.
Capitio Frederico Chaves.-- Sim, passando re-
Tenente Francisco de Siqueira Cavalcante. -
Aguarde a decisalo do Governo Imperial.
STenente Francisc j Bellarmiuo dos Santos Frei-
i 45.-Sim.
.Fmrancisco Ignacio da Peaha..- Informe o Sr.
*r. juiz de direito da comarca de Timbafiba.
,iGuimarles Fonseea & C.-Sim, comn as restric-
S es do estylo.
XIsrael Benjamin de Oliveira.- Informe o Sr.
tgenheiro chefe da Repartido das Obras Publi-
:Josepha Edgidia Silveira e SA-Informe o Rvd.
k r. regedor interino do Gymnasio Pernambucano.
Jose Joaquim Alves & C.- Sirm, corn referen-
clae aos generous comprehendidos nas relac5es re-
mettidas do presidio.
Jose Bento Beltrmo Velloso. Ao Sr. Dr. chefe
do policia, pars providenciar convenientemente.
*'tCapitao Leopoldino Cwsar de Souza Moraes.-
Ao Sr. commandant superior da guard national
da comarca do Recife, pars attender.
Luiz Soares de Almneida. Remettido A junta
medical provincial, A quern o supplicante se apre-
sentari pare. sor inspeccionado.
CapitAo Leopoldo Jose Felippe Santiago.-In-
forme o Sr. commandant superior da guards na-
cional da comarca do Recife.
Norberto Evangelista da Cunha Lages.-Infor-
me a Camara Municipal do Recife.
S Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 5 de setembro de 1884.
0 porteiro,
J. L. Viggas.

Repartico da Polleia
Seclo 2a-N. 972.-Secretaria de Po-
licia de Pernambuco, 5 de setembro de
14.-Illm. e Exm. Sr.-Participo a V.
E quoe foram recolhidos A Casa de De-
t sap os seguintes individuos:
U ordrem do subdelegado da freguezia do Re-
cifb, Maria Delphina da Conceicao, per offenses a
moral public.
A' oirdrem do de Santo Antonio, Manoel Aman-
cio e FranceliAo Cavaleante de Albuquerque, per
disturbios.
AX ordem do do 20 district de S. Jos4, Angelo
Francisco das Chagas, per crime de tentative de
more.
Pfoelo subdelegado do lo district da Boa-Vista
foram remettidos aa juizo compotente os inqueri-
*foO 1~tIiaeisaqo* ^n poeedou costa Manoel Geumu.
da Silva, lHorteneo Francieco dos Santos e Sil-
vino Jos6 Cavalcante, o primeiro per crime de
tentative do morte e os dois ltimos per ferimen-
toe mortaes.
Deus guard a V. Exc.-Il1m. e Exm.
Sr. desembargador Jos6 Manoel do Frei-
tas, muito digno president da provincia.
0 chefe de policia, Raymundo Theodorico
de Castro e Silva.

Thesouro provincial
DESPACHOS DE 5 DE SETEMBRO DE 1884
Folhas de officials, e d'agua e luz da guard ci-
vica. -Pague-se.
Theotonio Joao da Cunha, Manoel Jorge do
Nascimento, Antonio dos Santos Bessoni, Manoel
Vicente da Cunha, Joaquim Lourenco de Barros,
Francisco do Livramento Gomes, Joao Climaco de
Miranda, Jos4 Mendes da Cunha, Conrado Ernes-
tino Xavier Ramos e Felippe Jacome da Costa.-
Pague-se.
Augusto Ferreira Velloso Gomes, Pereira Car-
neiro & C., Delphim Lopes da Cruz, Saunders
Brothers & C., Julia Amelia de Castro Carvalho,
Manoel Francisco de Azezedo Campos, Johnston
Pater & C., Joaquim Fernandes da Silva Manta,
Hermenegildo Mariano Ferreira da Silva, Henri-
que Bernaries do Oliveira, Antonio Jose6 Soares
sc C., Aurelio dos Santos Coimbra, Sebasti-o Ma -
noel do Rego Barros, G. Caport & C., Antonio
Benvenuto Cellini.-Pague-se.
Fielder Brothers.--Escripture-se.
Cyrillo Augusto da Silva Santiago e Americo
Carneiro da Cunha Albuquerque.-Informe o Sr.
coatador.
Anna Emilha de Miranda Henriques.-- Facam-
so as devides notas do portaria de licenca.
Guilhermina da Silva Cunha.--Venha corn o
visto do delegado Iitterario.
Contas da Sociedade dos Artistas Mochanicos e


Liberaes e Julio Teixeira a C.-Haja vista o Sr.
Dr. procurador fiscal.
Manoel Rodrigues da Silva Filho, Joao cancel
de Medeiros e Bartholomeu & C.-Pague-se.
Manoel Figueir6a de Faria & Fulos Haja vis-
ta o Sr. Dr. procurador fiscal.
Companhia Pernambucarna e irmandade do Se-
nhor Born Jesus das Portas.-Haja vista o Sr. Dr.
procurador fiscal.
Vigario Genuino Games Pereira, irmandade da
matriz da Boa-Vista, vigario Joao Marques de
Souza, Manoel Gongalves Costa, commandant do
corpo de policia, collector do Pao d'Alho, Dr. pro-
curador dos feitos e thesoureiro das Obras Publi-
cas.-Ao Sr. contador para os devidos fins. I
Antonio Francisco de Barros Leite e Sebastiao
d'Oliveira Rezende.-- Ao contencioso para cum-
prir o despacho da junta. ,
Dr. Jos6 Moreira Alves da Silva.-Ao Sr. por-
teiro para entregar.
Jesa JuAo de Amorim.- Ao Sr.- contador para
I cumprir o despacho ida junta.

Camara Xlunaleipal
A eommisseo sanitaria nomeada pela Camara
gnuicipat visitou no di 10 do comronta mez o
Theatrb Sauta Isabel e a;C4as de Dea1o.
O- movel prllcipali 4'estsa vistafoi :xaminar on
esKot~os 4'eeataa -Ido,6esta oeimenton,,visto qua
peatencetiaeUes no sstevi&gems!--de drgy-j
nAge de todos os ontrseedificloO d'esta cidade.
Uato no Theatro, com -A a Detenlo os ego
.t"o ter di'ectamente o rsiwper mo de ama
geris subtermale, para ende se derigeiq todo.
ca*gs quo pailtom dos xppainelhos.
'No Thantro este Ao maunidos de um sypbo,
qqe ltm owdaDeteot~o; de, aorte quo nos. aplia
'I kgo ga.abeifcalfrhti o -od anreadirnaito de


SA' vista d^issb imita i aeonsaelhr o are- caes 22 de Novembro e a terceira nod aes do,
jamento diario dos apositonsi 4 Iue estno asser- Apollo par areceberem o lixo da cidade, langal-o
Itados takes apparelhos, e a vikilania sobre o fane- fora da barrs, ou emjugar distant, indieado pela
eionamento regular das valvela&A torneiras. Camera, afim do ser iinemado.
Na Datewn porn ha urgentine ncessidadeodo 3.0 Existmndo nos cans do esgodo das russ da
providencias no sentido de reomediar o system deo cidade grande quantidade de lama podre, e qne
'eaotoe. ado verdadeiros focos de infec9s, pedA tambem
A galeria subterranean que vai ter ao cases de- a V. Ex. so dign d ordenar qeo pen a
fronte da fachada do edificio, assim como os canos das Obras Pulicas seja extrahida essa p
'que communicam corn os cubs do pavimento ter- desinfectados os canoe.
reo nunca tinham sido lavados desde a construgao 4.o Sendo muito limitada, come abe .:E ,
do edificio; atW que a collocagio de uma comporta vers dstinada no srvo da limpeza, doe J o
que se fecha durante o preia-mar e abre-se na ver issoe ela4er Tdaid eadev#4
Sbaia-mar, peom*t#io, de poaco tempo a esta part, qdo por for dsa circ dematancisdiacenteues debvera-
a iavagem d'ria Bo cane principal de esgoto. do per for~a das wcirmstancas~ aetuaes dobrar-afe
a lavagorn diwiardo cano, principal dosgoteo. e pessoal empregado, para maior desenvolvimento
Este melhoramento foi introduzido alli per ini- deste servio pede a Camara a V. Exc. o auxilio
ciativa do zeloso e inteligente director das Obras Plo mens de 10:000000, seoqual he 6 im-
Publicas, o Dr. Leal aquem a commission agra. p0osseel a adop10o de qualquer medidaP ara sa-n
deceao ba vontade e eavallerismoe q deu neamento desta cidade. Taes so em resuao as
provas em acompauhal-a e ministrar-lhe as devi- providecias qu espa obter, am ordom a an-
daspreydoenas que espera obter, em ordem a :uxi-
Mas nao astre a es te liar a Camara no desempenho de seas devere re-
Mas ago basta, este melhoramenti; e ie de lodelativameute ao assumpto, ficando o mais a Jarg*
sera inutil, se desde j& nao se tratar de substituir da Camara, que por 5si per intermedio da com-
o system de esgoto alli adoptado. misso nomeada, procurer providenciar do for-
Effectivamente, af6ra o grande inconvenient miseo ra ocumarA providenciar d for-
ma a remover as causas prodisponentes pars qua!-
de vir a agua parm lavagem dos cubes do mesmo quer epidmia qupossa apparecer nesta cidade e
tanque que forneee a agua para bbeber, o que em seus sburbios, fazendo publicear todas as suas
certas circumstancias pode dar lugar A infecgao resoles par conhocimento dos seus municipes,
da agua do tanque, per gazes mephitieos, cumpre esofnecparaconhecimentodosseus muncipes,
0 e se fgrnececessario pedir a V. Exe. a approva-
notar que quase nenhuma torneira funceiona se o do posturas no sentido da boa execuTIo das
quer regularmente e todos os canos, que seo de medidas qu julgar convenient o indispoensaveis
ferro, acham-se mais ou menos obturados per in- a 0serevio do asseio, limpeza e saneamento da ei-
cruatn'es. dade.
A commisoao aconselha pois a mudanna dos Deus guards a V. Exc.-Illm. o Exm. Sr. des-
canoe, o internamento d'elles nas paredes do edifi- embargadr Jo Manoel d Freitas, muito digno
cio, a sun communicato corn os caneos de esgoto president daprovnc. de Freta muto dgno
das aguas pluviaes, a sua lavagem per memo d'agua Josd Candido de Moraes, presidente.-A.ntonio
vinda de tanque different do que fornece a agua da Silva Neves. Manoel Francisco de Barros
parm beer; e emquanto nada d'isto se poder Rego.__oa Osorio de Cerqueira.-Josd Pedro dao
fazer, polo menos a desinfecoo diaria dos cubes Neves.-Deio de Aquino Fonseca.A usto Oca
per meion do sulfate de ferro. viano de Souza.-Dr. Joao Augusto do Rego Bar-
A mnudanVa de canos deve ser acompanhada daros.-ManoelAntonio egas.
mudanca de system de esgoto, adoptando-se aual- ro.-Manoel Antoo V as.
quer outro que impega o desprendimento do gazes. D A D A
0 internamento dos canes nas paredes impede o DESPACHOS DO DIA 4 DO CORRENTE
escape dos gazes pelas junturas, assim como faci- Pelo Sr. Dr. Jose Osorio commissario
lita a coaservacAo dos canos; e a suna communi- de edificaces :
ca~go corn o esgoto das aguas pluviaes traz a Bardo de Petrolina, declarando consistir em re-
vantagem da lavagem per moi d'ellas e o soe telhamento e concerto quo pretend mandar fazer
arejamento pelos orificios de abertura acima do mr sou predio n. 49 a-rua do Commercio euja li-
teA commiso aproveita a occasion para lembrar cn" solicitou.-Deferido de accord corn o pa-
outras medidas de immediate alcance hygienico recer.
Para os de"*od^os dete~ cntoJos dos Santos Moreira, pedindo licenopaPara
paa os desgr:a don dos dtent s es mandar fazer pequenos rebocos no exterior de seu
Taos a do: a olocao d pdras co esgto predio n. 60 a run de Dians Cardoso.-Sim, avisan-
para f6ra do edificio per baixo do todas as tornei- do ao fiscal.
ras que fornecem aguna potavel nas cells, afim de Dr. Jos4 Maria de Albuquerque Mello procura-
evitar a humidade do solo on soalho; o retelhamento dor do Dr. Jos4 Marianno Carneiro da Cunha.,
de diversos pontos da coberta, quo em tempo de no measmro sentido corn referencia ao soen predio n.
fortes chvas eso verdadeiros crivos de regador ; 83 a rua do Imperador.-Idem.
a cataodeotodo o dificio, internamente e, sendo Jose de Azevedo Antunes Guimardes, par&
poassivel externamente tambem; e finalmente, o mandar retelhar o sen predio n. 15 a rua do Cala-
fornecimento de tamancos aos prezos do pavimento bougo Idem.
terreo, assim como de estrados, travesseirbs e co- Joo. ntos Oliveira, para o mesmo fim co
todnaas celas.Jos4 doe Santos Oliveira, pamao memo firn. corn
bertores em todas as cellas. referencia a sua casa n. 46 a rua do Hospicio.-
Ao zelo do administrator actual deve-se o aceio Idem.
relative dos cubes de esgoto, pois elle manda Manoel Marques do Amorim, pedindo licensa -
fazer lavagem por agua conduzida em canecos para mandar levantar uma frentede accord corn
duans vezes por dia; do eontrarin o maior seetriosa as posturas em sabstituigio a um muro existence
infecao i do ar por gazesafedos e delterios. a rua do Farol, fuandos da casa n. 77 a rua de 8.
A, commaoes l abma a naeeassidade de soave n Jorje, de sua propriedade, bemrn como que Ihe seja
scadopoirepssereossabiltadaso r efuecionarhem dada a devida cordeago.-Sim, na forma do pa-
an chainiines do m'enova* do am que so aoharn no recoin.
pavilhdo central e extremidades dos raios do Olympia Afra de Mendonga, para mandar rover
edificio; assim comoi seos canoe de esgoto d'aguas o telhado de sua casa n. 1 a travessa do Norte em
pluviaes tern capacidade sufficienteoparsconduzir Santo Amaro.-Deferido dando aviso ao fiscal.
toda a agua que cahe per occasion de fortes chu- Pedro Gonalves Torres, para mandar coacer-
veiros, afim deoevitar as duas principaes causes tar a sua casa n.8 a ru da Ventura, freiezia
mombifican-am confinado e humidade. tar a sun casa n. .8 a run -da Ventura,fruei
morbificas-ar con o e hmidadeda Graga, transformar uma porta em janella, abrir
Alem do Dr. Leal, acompanhou-nos tambem man tan oitao, substituir travel da coberta,
nesta visits o medico da Detenifdo, Dr. Vieira da nina perta no oitdo, substituir tmaves da coberta,
nesta vistta o medico da DetenqAo, Dr. Vieira da abrir um portAo ao lado e rebocar aquillo que for
Cunha, a cuja dedicagao pelo service public de- preciso.-Deferido, deaccordo cor o parecer e
vem-se diversas medidas hygienicas, queja foram preciso.-Defido, deaordo corn o parecer
tomadas n'aquelle estabelecimento, assim como S eretaria da Camara Municipal do Re-
vanrias reclamaVoes ao poder competent, entire as OMe d aaa uiia -
quaes se acham algumas das lembradas pela corn- cife, 4 de setembro de o1884.
missao. 0 porteiro,
E no meio d'estas cumpre por em relevo a ur- Leopoldino C. Ferreira da Silva.
gente necessidade de remover sem demora os lou-
cos da Deten4o para o Hospieio de Alienados, __ ,
peis, alum de pertubarem a ordem e distrahirem
do service da casa a diversos empregados, que se REVISTA DIAIRIA
occupam simplosmente em contel-os nos mementos
de furia, sao urea causa do infeccao nao pequena
fazendo dejeccoes no s61o, f6ra dos cubes, atiran- Sete de setembro Amanhd, 63' anni-
do-as sobre as paredes, os tranzeuntes, etc. versario da proclamacAo da independencia do Bra-
Recife 3 de setembro de 1884. sil, haverA salvas as 6 horns da manuh e A 1 e 6
Dr. Carneiro da Cunha.-Manoel Francisco de horas da tarde, visto ser dia de galla e de festa
Barros Rego.-Dr. Joeo Augusto do Rego Bar. national.
ros.-Josi Francisco de Goes Cavalcante. Alem disso, na forma do costume, os navils e


CAMERA MUNICIPAL DO RECIFE EM 25 DE
AGOSTO DE 1884.
Him. e Exm. Sr. -Tomando em considerageo o
officio de V. Exc. de 14 do corrente, e compene-
trade dos deveres .a seu cargo, que lIhes sio im-
postos pela sua lei organic, deliberou a (Camara
Municipal do Recife, reunir se em sessao extraor-
dinaria, hoje, do tractar exclusivamente da hy-
giene public do seu municipio, e das medidas
que devem ser tomadas relativamente ao assump-
to.
Ninguem mais do que esta Camara reconhece o
quanto 4 indispensavel melhorar as condig5es do
servico da limpeza do municipio do Recife, service
esse que se acha a cargo desta Camara e que o
feito de um modo imperfeito.
Mas comprehend V. Exe. a impossibilidade
em que se acha esta Camara em organisar um
trabalho por sua natureza complex, e que exige
o emprego do meios para os quaes nao basta a
boa vontade dos vereadores, e sirm recursos d
certa ordem, e dos quaes nao dispSoe esta Camara.
Limitadas come sao as verbas destinadas aos
diversos services do municipio, dispoe a Camsra
apenas da quantia do 30:000,000 para asseio,
limpeza e arborisagio, quantia esta insufficient
para esse serVib, como tern side reconhecido por
todos os antecessores de V. Exe., e d'ahi a razao
de verem-se lugares publicos e frequentados, co-
bertos de lixo, o quo da lugar muitas vezes A cen-
suras daquelles que nao querem attender &As cir-
cumstancias especiacs em que esta Camara se
awha co!l )cads.
Cabendo eutretanto A Camara providenciar so-
o asseo e limpeza, promovenAo medidas sobre a
hygiene e saneamento do munieipio, a Camara
Municipal tomnara as providencias que julgar ne-
eessarias e indiapensaveis pars- levar a effeito
ailillo que V. Exe. recommenda, e que todos re-
elaman ey e.bem do municipio, assim deliberon em
season de boje de nomear u inma commisso cornm-
posta dos vereadorebsDr. Jos6 Franciasco de Goes
Cavalceante, Manoel Francisco de Barros Rego,
Joao Augusto do Rego Barros, Antonio de Siquei-
ra Carneiro da Cunha e eoronel Deeio de Aquino
Ponseea, a quem competiri proper e executar to-
das as medidas attinentes aosaneamento do mur
'neipio,* e prieipalmenteoia cidade, fieaado esta
eommrnisdo autorinsadas pela Camar oem reneiar
corn V. Exe. e a entender4e ce toas- autorida.-
des que possam preaftr auxtio a Camara na e$R-


estabelecimentos publicos e casas consulares iga-
rao as bandeiras respectivas, os estabelecimentos
publicos illuminarao a noite suas fachadas, e ....
eis tudo para commemorar o maior dia di Bra-
sil !
Festa da Penha--Amanha, os religi)sos
capuchinhos do convent de N. S. da Penha, ce-
lebram, corn as costumeiras pompa e brilhanti mo,
a festa de sun padroeira, constando de missa so-
lemrne As 10 horns do dia, corn sermaio polo Revd.-
Frei Celestino de Pedavoli, e Te-Deunm t noite,
precedido pelo Revd. Frei Caetano de Messina.
O magestoso temple vestirA suas mais opulenta.s
gallas e A noite, hoje e amanha, sera ricamrntate
illuminado internal e externamente.
No dia 8, depoisde amanha, darA fim festa
uma missa solemn As 8 horas do dia, commemo-
rativa do nascimento da Virgem MAi de Deus.
Ferro-via de S. Francisco-E' amanha
o din designado para a abertura solemne de duns
novas esta9Ses no prolongamento da ferro-via de
S. Francisco-as esta9'es de Barra e S. Beneslic-


If


:' '..





























F TPeato sa-a rhiReantoa.n-;
te-.hontem neste theatre 7a ein 4=rmatiea o
drama do conselheiro PinheiPo Cagas A Morgta-'
Bdia de Val Ftor. Foibeain e mutto applaudido
achando-se a casa repleta de espectadores.
Hoje gabira a scena o bellissimo drama de Vie-
toriaao Sardou 4 Fernanda, em 4 actos.
Club Carlos omes- Esta esperan~osa
sociedade, que jA tern proporcionado- notes agra-.
dabilissimas A lite dos habitantes desta cidade,
corn os scus magnificos concertos. realisa amanh'
mais um de ties passatempos. no Theatro de Spn-
: ta Isabel, assirn commemorando 5- anniverserio
de sun installa9ao;
0 concerto de amn-ihl e' vocal e instrumental,
; e, seguad o raspectivo programma, jA publie-ado,
:,'. proim 'te dilicias nos assistentes, e p:ira tauto se
teral ,fsoreado a dignait associaclo, cuja direca'o
technici, c1n tais cts,)3, jamais deix)u de corres-
pwncler a public ecspeetativa.
E' corn o fiscal do Recife-O Sr. Jos6
Antonio Goncalves escreveu-nos hontein o se-
guinte:
Como V. S. declara pela sun Revista de hoje
que esta- prompt para pela imprensa fazer cons-
S tar a Camara as irregularidades e informac5es
municipaes, pedimios que chame a attenglo do Sr.
S fiscal do Recife para o seguinte :
S, Os moralores da run do Amorim se acham
quasi sempre necessitando de tapar os narizes pela
grande quantidade de agua podre quo costumamin
as camelias dessa rua e de outra rua para detraz,
S lancar nas ruas, contra express postura muni-
cipal.
Fallecimento-Hontem As 51/2 horas da
tarde, fallocen o coroner Domningos AffonsosNery
Ferreira, victima de uma dilataglo da aorta, que
ha tempos o trazia prostrado no leito.
0 coronel Nery Ferr-.ira, era homemn major de
60 annos de idade, e um cidadao prestimoso e es-
'" r timavel
SExv_'rLct varies cargos publicos, e principalmen-
te o de thesoureiro da Thesouraria de Fazenda,
que oceup u duraute inuitos annos.
Era coronel reformado da guard national e
tinha livorsas coudecoraobes
Fez part lda Assemblei Provincial, como sup-
plente, na 2' legislature de 1838-39.
0 sen corpo estA depositado na capella do Cemi-
terio de Santo Amaro, onde, hoje, As 4 horns da
tarde, terdo Igar os ultirnos suffragios por sua
alma.
Musica da polictia-No recolher de hoje e
amanha, no Carnpo das Princezas, a banda do
corpo de policia executarA as seguintes peas :
Guilherme Tell, Ouvertura Rossini.
Aids Verdi.
Rai. d'ouro, polka Wettege.
Indiana, march Sellentck.
Voluntaries, polka-minarcha 0. Metra.
Theatre de Olinda-No theatre da cida-
de haveara amanha um variado espectaculo, dado
por alguns mocos amantes da caridade.
neuunies sociaes-Hoje ha a seguinte:
Da Scciedade Lata Littcraria, As 4 1/2 horas
da tarde, no 20 andar da rua do Rangel a. 28.
Amanha ha as seguintes:
Do Club Dramnatico Familiar, as 5 horas da
tarde, em assemble geral, na rua Duque de
Caxias n. 32.
DI Associacko dos Fanceionarios de Pernam-
buco, As 11 horas, na rua do Imperador, na res-
pectiva s6de, para eleicao do novo conselho.
Seganda-feira, 8, ha as seguintes:
Das sociedades Alianea e Conciliacao, em con-
gresso, as 11 horns, no SO audar do predio n. 14 da
rua do Imperador.
Gremnio Conservador Acadenmico-
A directorial definitive desta sociedade ficou as-
aim constituida:
Presidente-Claudino de Mello.
1,o vice-dito-Jolo Baptista Correia de Oliveira.
2.o vice-dito-Jos6 Antoniu de MagalhAes Bas-
to.
1.o orador Samuel Bemvindo Correia d'Olivei-
ra.
2.0 dito-Thomaz Soriano de Suuza.
1.o seeretario--Manoel Villas-Boas Patury.
2.0 dito-Joao de Siqueira Mendes.
1.o vice-presidente-1Malaquias de Queiroz Bar-
ros.
2.0 dito-Godofredo de Araujo.
Thesourei'o Raymundo de Siqueira B.endes.
Commissao redactora do joraal:
Redactor em chefe-Joao Jacome Martins Pe-
reira; redactores: Claudino de Mello, Alfredo
Alves Pequeno, Joao Leopoldino Ferreira, Fran-
cisco de Assis Lins Caldas e Barbosa Magalhaes.
A installa~ao solemne da sociedade tera lugar
no dia 13 do corrente.
Foi nomeada usa comnicis'o para realisar a
festa da installacao, compasta dos Srs. Joao Bap-
tista C. de Oliveira, Francisco de Assis Lins Cal-
das, Joao Jacome Martins Pereira e Raymunco
Mendes.
Deliberon-se que o prineiro numero do orgao
da sociedade, fosse publicado no dia de sun ins-
tallacao.
Garanhuns- Desta cidade escreveu-nos
em 31 do mez find o nosso eorrespondente:
Hoje que. o unico acontecimento que preoceu-
pa o universe 6 o appare .imento do chelera-mor-
bus, enehendo a todos, ar, o arraial mais recondi-
to da mais renota provincial do Imperio, de tris-
tes apprehensses, vimos r-clamar do governor da


provincial medidas hygienicas quae reclama a salu-
bridade pubhica desta cidade, entregue neste pon-
to. ao : badono, pois a nossa municipalidade pou-
ca, ou nenhuma importanacia pareee ter ligado, ao
caso que, entretanto, traz assombrada a Europa,
onde as medidas mais rig.)rosas vao send tomadas
contra o terrivel flagello que amneaga invadir o
mundo inteiro.
a S.o pessimas as condi;5es desta cidade; no
centro de algumas das suns runs faz-se despejo de
grande quantidade de lixo, e at mesmo de mate-
rias fecaes; nuas imnmediaoes acham-se espalha-
dos grande porAo de carogos de algodi.o e outras
immundicias, t6cos mais tarde de miasmas e im-
puridades que, incontestavelmente, virlo prejudi-
car sensivelmente a safide public, que acha-se
ameagada a cada pass nao s6 polo cholera, como
tambem peas variolas, que jA vao grssando nas
comarcas vizinhas.
Cumpre, emquanto 6 tempo, que o goyerno da
provincia tome serias medidas de preoervaao,
mandando que a Caimar MMunicipal faga retirar
quant o antes pars lugar distance da cidade todas
essas immundicias, e tome toda a cauteds corn as
S fontes publicas que acham-se em pessunio estado
de conservagao, tomando outras medid4as feilli-
mas, e que sio reconhecidas de muita autilidade por
quasi todos os medics hygienistas qAe teem es-
S tudado o terrivel flagello.
E' de esperar, entretanto, que a nossa munim
S cipalidade, eomrpenetrando-se d agaaiidade
do asnumpto de que nos occupamos, trate por si,
qfr uanto antes, de promoter as modidas santarias
que estiverem ao seu alcance. "
*1Aeompanl do sua Siima. fawniachegou
a aui ao dia 16 do mmr"eate o 8r, Dr. JaoaqwB Cor-(
-deiro Coelho Cintra, digu juiz de&irito deta
m ca que m es de molestia acbava-ae
-iseae, ha do$.
S .Volta s~ttet etW .4a~-d
$ iivesincommodo quoe 6 le .
0 18r. Dr. Theophilo de Va
-uIakto de abreviar a ehbsxkda A


da. que Ioc 4W viliniv adl
Sporea, Luiz Gind ew-e torque os t seu
ex-companheiros assin o eutendram.
( 0 estado do ferido 6 muito grave, e julga-se
qae nao sobreviverA aos ferimentos que recebeu.
Hoje, pelo Sr. capitao Jos& 4 eraldo de Lima,
nos foi apresentado uf ^al onmin adocawf -
Ira;pdlas wUasln^ ;(poT^~uto
ao do faselt o to do leito e.ete Diano.
Media ease -muto*4': oestiusetros deoomnprimento
eo 68 de circumferenea; sende colhide no sitio
Varzea, da propriedade do Sr. alferes Jeaquim
Correia Brasil Jaimor .JA 6!
A proposito: tivemos ainda occasilo de exa-
minar ultimamente a celebre mandioca qae existed
plantada no quintal do Sr. Jose Telles Furtado,
da qual ha dous annos, poueo inais, o a menos, de-
mos noticia nestas columnas.
,, Esse monstro vegetal toma cada anno p:opor-
95es mais admiraveis, chegando a medir actual-
monte um metro de circumferencia, e a maniva 66
centimetros !
x De todos os lados desta co-narma teem vindo
muitos agricultores apreciar a tal mandioca, que
ja conta pouco mais de 10 annos de idade.
,, Uma forga do 20 batalhao de linha que por
aqui passou corn destiny a Petrohlna, ao seguir
viagem no din 23 do mez pass do, foi por sun con-
ta e riseo tomando armas polo camninho ao povo
quae se dirigia para a feira, para, corn certeza,
mais adiante reduzil-as a dinheiro, como sempre
tern succedido.
( onsignando aqui o facto, pedimos providen-
cias a quern competir, para que factos desta or-
dem nao se vAo reproduzindo, o que 6 uma vergo-
nha para a classes military.
S Hontem o Sr. capital Manoel Thomaz de Vil
la Nova mandou rezar uma missa pelo descanT'!
eterno do major Joao Manoel Pontual, trigesimo
din do seu fallecimento,
Temos tido ultimemente algumas chuvas
Por hoje collocamos aqui o suspirado ponto
final. ,
Abolicionista Maranhense 9S de
Jualho-Amanha as 11 horas do dia, esta sopie-
dade fara distribuir algumas cartas de liberdade,
na casa onde funeciona a Nova Emancipadora,
a rua do Imperador.
Bibliotheca de Goyanna-0 movimen-
to desta bibliotheca no mez de agosto ultimo, foi o
.eguinte: -
Frequentaram-na 264 socios e 32 visitantes.
Sahiram para a leitura dos socios 262 volumes.
Houve as seguintes oflertas :
Polo Sr. Jos6 Gomes de Carvalho (do CearA) -
Mulheres e Criangas (notas sobre edueacao), por
Maria Amalia Vaz de Carvalha, 1 voL euc.
Pelo Sr. Jose Pinto Simoes (do Ceara)-A Cai-
xeira, por Ernesto Daudet, traduegao de F. F. da
Silva Viol-a, 1 vol. broc.
Polo socio capital Manoel Aurelio Tavares de
Gouveia 0 Filho de Monte-Christo, por Julio
Lermina, 2 vol. broc. ; 0 Filho, por E. Richer-
bourg, 1 vol. broc.
Pelo Sr. Joao Muniz Pereira Junior (do CearA)
-0 Cearense e a 'Constitui.io.
Pelo Sr. Vicente Carneiro de Moura Costa (do
Para) Diario do Grdo-Pard, A Provineia do
Para, 0 Liberal do FPard, A Liberdade, Diario
de Noticias e Correio do Norte.
Pelas respeetivas Redacoes:
Do Recife-Diario de Pernambuco, A 7ribuna,
Folha do Norte, America do Sul, 0 Rebate, Grcmio
dos Professores Primarios .e America Illustrada.
De Maceio Diario das Alagyas e Diario da!
Manha.
newo cieaetfica --Foi muito prevei-
tosa discussio haivida na Academia de Medicina
de Paris, susteutada em canequencia da carta do
ministry do commercio, que peodia a opinion tida
quelle corpo sobre as medidas proposta conmtra o
cholera, polo comity d'hygione d'aquella capital.
As proposigbes adoptadas foram as seguiates:
10 As quarentenas -errestre sio impraticaueis
em Frans9a.
2, As pralicasde ,desainfeooiotaes como se exer-
cem em muitas estakes de camninho de ierro, sao
inefficaveias e illasorias.
3o Deve estabelecer-se um service medico nas
grande eatacoes de eamianho de ferro afim de dar
os soccorros necessaries aos via*autes doente.
4o As medidas de peraervacaB quo ca a indivi-
duo adoptar para si ,masmo e para sua casa edo as
unions escasmes.
As municipalidades teem o dover de vigiar so-
bre a secuedao das pratiens de desinfeecao,
Na Camnara frssueeza-Mr. Paulo Bert
apresentou ultimamente um project de lei cujos
artigos sao os seguinte :
Todo medico fiea obrigado a dar parte as au-
toridades no prazo 0o mais breev possivel de qual-
quer caso de cholera que exists.
20 0 delegsdo preitoral se transportara imme-
uratamente, A iia do ,eholerico diapora e fara exe-
cutar as medidas quae jlgar uteis, determinara o
isolamenta do esanfomo e das'peasoas quaoe o rodeiao,
-a desifecceo -dos objeetos e o saneoaionto da ha-
bitagao on da casa. B.-, caso de mornte texuara as
precaucoes necessarias afim de que o cadaver nao
possa eoaverter-se em casa de propaga~ao da en-
feon idade.


A infracuao de qualquer dos artigos sera cas-
tigada con as apenas prevista no codigo penal.
Estas penas variam de 6 ,dins de prisao A 2 me-
ZeCS, de 2 A 6 mezez e de 2 A 5 annos.
A cidade de Touloo-Um correspondent
inglez para o Globo de Madrid refere -o a-peeto
que offerece Toulon, e diz:
,, A' minha chegada estava completamente do-
sorto o lugar da estaglo. No'hotel nao pude en.
contrary comida. Pelas ruas nao se via senAo al-
gumas pessoas do pevoque iam A suas occupacoes,
e a maior part moatrava signaes de embriagnez;
pMis a borracheirs 6 o rago carateristico da cida.
Sde, entire certas clasees,we&de que ha cholera e
estio muito coavencidgs de quo as bebidas alcooli-
cas'servem de perserVativo.
A, Nao encontrei nem um s6 agent de polieia.
As sete oitavas paftes das lojas e estabeleeimentos
estavam fechadas; Em as portas fixados cartazes
dizendo : Fechado por ausencta do deno, )on
a Fechado po- mortes de cholera; ou n Reti-
rou-se para s eampo. Para a cdbrauga, dirigir-se
a Mr. tabeltio. -a
a Em lugar dos varredores do costume, limpam
as ruas companhias de robustas eamponezas gon-
tractadas pars esse fim.
0 conaulado 4dos Estados-Upides ao qual me
dirigi, etawa foiado e ausente o consul.
,Fras ee 4L*&u.-O- odiexistente entre-
a pra.aea ao" au iia conudti ee ,dvolvend.o
se e preparando unma tremeda coiisk, &* U d*s|
VeLPme aQus" ea 06 Pes
A Z--& 2L 2' L- -


de que w commrate ancee e
a su ias mereadorias par determined o "A-
pa do estrangeiro.iara a iaortar-
sir livremente nos ports deoHespauha.
Sequencia diato, d trminou o ga binete deo d
qaaaudo visae.in er-a d aa o, rnem.
nessaa, ou exprestem por meio d eertifie&aAdi-
esoal, a origem do.aairoegatr ea to o a;'Mr
aseordo com as i"orm^8e- -aa seste-' o.|to
possam ser adquiridas, e Iahes eonstar un a
n'outro santido. -
Set oeste documento na6 so dara nos portos de
Hespanha inteiro credit As carts de saude limw
pas, e seerao submettidos Os easos suspeitos, pela
duvida da origem das mereadorias As-praticas-d8*
saneamento, determinadas pela direcwio geral d
beneficencia e sanidade, com, previa informacaodo6
alcaide respective, do governador da provincial' e
das juntas municipal e provincial de saude.
As forces navae da linglaterra -
Sir T. Brassey, que 6 a autoridade mais compe-
tente de Inglaterra em queatbes de marinha mili-
tar, pronunciou ultimamente em Portsmouth um
discurso muito interessante, no qual passou em
revista as torgas navaes das pnmcipaes potencias
da Europa.
Segundo elle, a tonelagem dos couragados 6 re-
presentado pelos seguintes algarismos :
Inglaterra 329:520, Franga 201:789, Allema-
nha 74:007, Austria 63,110, Russia 3:621, Italia
54:905.
Sir Brassey constatou que a marinha military da
Franc;a tinha n'estes uttimos annos tornado urn
grande desenvolvimento.
0 ministerio Gladstone, chegando ao poder, to-
mou a peitos nao se deixar distanciar em relaao
ao estrangeiro.
As despezas para as construccbes navaes, que
eram em 1879-80 de 3,106:000 libras, foram ele-
vadas em 1883-84 a 3,889:688 libras storlinas e
figuram no exeremlcio de 1884-85 pela cifra de
3,891:000 libras.
0 numero dos operarios empregados nos esta-
leiros de construeq5es elevou-se de 16:381 a.....
19:849.
A tonelagem da construcqlo duplicou. -Era em
1879-80 de 7:427-toueladas e sera em 1884 -85
de 12:614.
Sir Brassey avalia que a marinha mercante in-
gleza e odez vezes mais consideravel do que a
de Franca, sob o ponto de vista da tonelagem.
Grandes aperfeicamentos, segund6 elle diz, fo-
ram feitos nas construcq5es dos navies em Ingla-:
terra.
Teem-se conseguido notaveis progresses de ve-
locidade.
Patifaria de ua jutiz -- Os jornaes in-'
glezes referem um notavel exemplo de er'o j-adi-
cial.
Ha dous annos foi commettido um crime horri-
vel em Maamstars, na Irlanda.
Um grande numero de individuos penetraram de
noite em casa de um fazendeiro e asessinaram
toda a familiar.
As suspeitas da familiar recahiram lqgo sobre
os fenianos mais conbecidos, e poucas semanas
depois do crime estavam press sete.
Quando o process ehegou ao tribunal de Du-
blin, o juiz de instruceio dirigiose a prieao do
um dos accusados, Thomaz Casey, e disse-Ihe,
pouco mais oa menos :
Casey, quer vir depor como testmunbhaa?
Tera assim occasilo de salvar a sua cabega do
cadafalso.
Hesitando Casey na resposta, o juiz conti-
nuou :
Pois hem, dou-lhe v ite mintos pars 4iser
sim on ao. Se nlo responder ffirai 9aaeat
sera o 4.0 accusado que mandarei pafa o bane doe
reos e sera corn certeza enforcado.
A mesma proposta fei feita polo juiz a Anthony
Philbin, e tant o aquelle como este resolveram-se a
sor denunciadores, e quando compareeeram na
audiencia, fizeram doclaraqoes eumagadoras para
os sens infelizes companheiros, affirmando, sob ju-
ramento, que os accusados eram verdadeiramente
culpados.
Esteasprotestaram em vao a sua innocencia.
Afinal, Myles Jpyee foiAudemnsado 6 morte, e
os outros quatro fenianos a trabalhos forcados por
today a vida.
Ha urm anno jA que Joyce expiou o sen crime
no cadafalso ; os outros conservam-se press, mas
esses-mais felizes-vao brevemente recuperar a
liberdade.
Thomaz Casey, fetido pelos remorsos, -tendo
sido o mais encarnieado denunciador, scuba de
confessar ao areebispo de Tram que fai erle o
perjure qae, ensinado pelo juiz de instruccao, fez
condemnar os innocentes.
A confissae foi public, na igreja de Partry, e
na presenas de uma numerosa multidao de fieis,
declarando Casey que Myles Joyce morreu inno-
cente.
Esta noticia produzio -nma viva emoc$ na Ir-
landa. A justica mandou abrir nova inquerito
com respeito ao crime de Maametar'sn.
Leiloes--Effectuar-se-ha :
Hoje:
Pelo agonte Guesmo, as 11 horas, na rua do rm-
perador n. 43, de predios.
Polo agente Carms e Silva, as 11 horas, na
rua de S. Jorge n. 88, de moves.


Polo agente Brito, As 11 horas, no pateo doCar-
mo n. 9, de moves e quadros.
Terga-feira:
Peol agent Carmt e Silva, ao meio din, na tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, de predios.
Pelo agent Gwusmao, As 11 horas, na rua Du-
que de Caxias n. 111, da armaao, mereadorias e
mais objects da referida casa.
Pelo agent Alfredo GdWmares, as 11 horas,
run do Born Jesus n. 45, dekmoveis, louas e vi-
dros.
-Quarta-feira:
Pelo agente Burlamaqi, as 11 horas, na run do
Imperador n. 22, de predios.
iUMas ftIamebies-SerAo celebradas :
-Hqojc : A s 7 horas, us watiz da Boa-Vis-
ta, per alma do major Jauviniano Antonio Duarte
Cunha; As 7-1/2 horaA, na matriz de Jos, per
almade Manoel Antonio Pinheiro; As 8 horas, na
matrix da, Boa-Vista, por almsa de Jos6 Geraldo
Correia Lima; is 8 horaa na matriz de S. Jos4,
por alma de Manoel Antonio Pheiro ; As 7 ho-
ras, no convento de S. fracisco 'ed e i"nd pOr
alma do major Jovniano -Aatonio Nawte Cuiua.
-Terpal-eira: As 7 horse, a matuis d a Boa-
Vista, por alma de P. JoaquiaaCadida Ferri
I; iuto.- .. i..'' ** '^ i. ^ *


PF*IABIIU
ESTATUTRt
DA

Companhl a LoeooWgora Pernaaucana
Da natueia e da cemp*taia e Sua duraeCao
Art. 1.Fica organisada na cidade do Recife uma
companhia, que se denoininarA Companhia Locomotora
Pernambueana.
Art. 2.o 0 seu fim 6 o transport de mercadorias e
cargas por meio de carries de ferro e forga animal, par-
tindo 'da estaglo central para as iiversas esta98es de es-
tradas de ferro da cidade, ponte de Afogados e praga do
Conselheiro Jolo Alfredo.
Art. 3. A' companhia ficam pertencendoi conforme
a escriptura do cesso dce 22 de setembro de 1883, o pri-
vilegio e todos os direitos e obrigaqes, que ao Banco
Industrial e Mercantil do Rio de Janeiro, forain concedi-
dos pela lei provincial n. 1681 de 21 de junho de 1882, e
contracto celebrado coin o governor da provincia em 20 de
agosto do mesmo anno.
Art. 4. 0 capital da companhia 6 representado por
1,000 acgoes do valor cada numa de 100#000, podendo ser
elevado pela Assemblea Geral.
Art. 5.o As chamadas de capital serAo effectuadas na
razAo de 20 por cento a primneira, e as outras de 10 por
cento, a proporqo que o exigirem as necessidades da
companhia, devondo dar-se entire uma e outra chamada o
intervallo de 15 dias polo menos.
Art. 6.0 A durago da companhia sera de trinta an-
nos, contados de conformidade crm as leis provinciaes
n. 1681 de 20 de agosto de 1882 e n. 1749 de 22 de
maio de 1883.
Dos aociontstao


Art. 7.o E' accionista o possuidor de urma ou mais
acoes da companhia, emittidas ou transieridas, de con-
formidade com a lei.
Art. 8.0 Os -accionistas ,sao responsaveis pelo valor
das acgqes, quo Ihes forem distribuid-as; o que nio rea-
Jisar as prestagoes nos prasos dotermmnados aegundo o
-art. 5", perderA em favor da compasihia as prestates an-
teriormente realisadas; except se provar. ,exuberante-
mente perante a administragio algum caso -extraordiaario
de impedimento.
Ar. 9. Oaeoionista que possair men"e de cinco ac-
iges p6de comparecer As reuniose da assemble gerd e
tomar pateo nasliscussosf mas nio Doder votar, nrem
sar'motaso.
Art. 10. ada corpra'do o-u rma ooial posuido-
ra de Coes,, se farM 2epreseatar aas etutioes por um
os individnos, que d'e6la -agam part, ou par um, procu-
rador.
Art. 11. A o namero de 25 ,ae,9es tom o aecio-
mista um voto per -eada inco ac~ges; d'esse numero em
diante terA mais um veto por eada 215 ac9eos quo
,accrecerem, n o podondo por6m em nenhum caso ter mais
-de-dez votes ao todo.
Da aswembl6a Seral
Art. 12. A assemblta geral se entenderiA constitaida
quando estiverem presented, per. si ou seus procaradores,
accionistas que tepresentem pado menos um quarto do ca-
pital social.
Art. 13. No se xreuvindo no primeiro dia fixado o
numero estabelecido no artigo antecedente, tar-se-ha ee-
gunda convoca9o, e a assemblea ficari constituida corn
qualquer numero de accionistas que comparecer ; e suas
deliberate obrigarmo a today a companhia, salvo as excep-
iOes legaes.
Art. 14. A assemblea geral reunir-se-ha ordinaria-
mnete uma vez cada anno, at 30 de agosto; e extraor-
dinariamente todas as vezes que a administrator o julgar
neeeseario, e nos cases dos arts. 16 e 90, devendo em
todo case preceder eonvocam o per meio de annuncios nos
jornmaes mais lidos da provincia, corn antecedencia de 15
dias pelo mnenos.
Art. 15. A' assemble6a geral compete:
'' | 1.O Eleger, de tires em tres annos, a administra-
9o, po'r escrutinio secreto, e per meio de listas de tres
nomes, assim eoM0o um president e um secretaries para a
assembly. geral.
S2.0 Eleger annualmente uma cmmissAio fiscal com-
posta do aia umembros.
S3.* Approvsr as -comtas apreaeutadas pela admi"s-
tra91o, e o or amentoe d receita e despeza, tendo em vita
opareeer fiaal.
S4.' Delberwr obre qualquer assmpto submettido
ao seu eonhecimeuto pela administrator ou em virtude de
requmerinaeto os tArmos io art. 16, berm com o no case do
art, 29.
... .odificar em qualquer sentido as disposioes
dos eastatmtos.
S 6. Besver sobreo augmonto do capital, autori-
sam emprestiwos, contracts pars a .coqBtrucgio de ov4as
1iinl 5s, oeabrwre ,:,*i4d aqe Iar conyell.e
no 4a ,dteowttfo^ AA.-^*^


orgamentos e os balances apresentados pelo president, e
f submettel-os corn o parecer fiscal ao conhecimento da as-
semblea geral ordinaria.
2.0 Nomear o gerente e os empregados do escripto-
rio, marcar os seus vencimentos, e approval os do pessoal
techacoo e externo propostos polo gerente.
3." Effectuar os contracts que convierem aos in-
teresses da eompanhia.
| 4.0 Representar a companhia perante quaesquer
autoridades, e' constituir advogados e procuradores que a
represented em qualquer parte ou tribunal.
5.o Organisar um regulamento interned, e sujeital-o A
apreciagao e approva*ao da assemblea geral, trinta dias
depois de organisada definitivamente a companhia.
S6.0 Cumprir fielnente as resolugoes da assemblea
geral e as disposigoes dos estatutos.
Art. 23. Ao president compete
S1. Convocar as reuinoes ordinarias e extraordina-
rias da assembMa geral.
2. Convocar todas as sessoes da administragao e
presidil-as.
; 3.0 Tomar qualquer media necessaria, que por
sun urgendia nao possa aguardar decislo da administragao,
convocando-a por6m immediatamente, e sujeitando o as-
siampto A sun deliberag.o.
4.0 Apresentar perante a administraggo todos os
pianos e orgamentos de obras, os orqamentos de receita e
despeza, e o relatorio que deve ser lido na assemblies ge-
ral ordinaria.
5.0 Assignar corn o secretario as actas das sessoes
da administragao, os terms de transferencia, dos contrac-
tos ; e cornm o secretario e o thesoureiro as acoes da com-
panhia.
Art. 24. Ao secretario compete:
1.o Escrever as aetas das sessoes da administra-
co, e assignar as mesmas actas, bemrn como os contracts,
aeies e transferencias.
2.o Fiscalisai o servigo da escripturagAo da com-
panhia e communicar A administragao ou ao president as
irregularidades qae encontrar.
3. Substituir o president em sun ausencia ou im-
pedimnento.
Art 25. Na ausencia ou impediment do secretario,
fnnceionar4 o immediate em votos.
Art. 26. Ao thesoureiro compete:
SI.o Arrecadar e conservar sob sua responsabilida-
de os dinheiros da .companhia.
2. Fazer os pagamentos, tendo as contas ou reci-
bos -o visto do president.
3. Nomear um cobrador. de sun confianga e res-
ponsabilidade, page pela companhia, e exoneral-o quando
engender.
S4.- Apresentar a administraoo, doe'tres em trees me-
,aes, um balance da receita e despeza, e do estado do
cofre.
Art. 27. As contas do Thesoureiro serlo sempre
acompanhadas dos respeativos documents, ordans e re-
cibos.


ArtL 28. Ao gerente compete:
5 1.- Dirigir todos os trabalhos e negocios da compa-
nhia, e tomar qualquer media ou providencia, que pela
sun urgencia nao possa aguardar decislo da administra-
91o ou do president, communicando em seguida a sua
resoluglo, par ser approvada.
2." Nomear o pessoal technico o externo, e proper
a administrator os seus vencimentos.
S3." Suspender e denmttir os empregados de sun
nomealeo.
4.- Apresentar mensalmente A administra~ao um
relatorio dos nogocios sob sun gestlo, indicando as medi-
das, cuja adopglo Ihe parecer convenient ; e formula os
pIanos e orgamentos, que polo president tenham de ser
apresentados A administration e A assembl6a geral.
I 5." Dar prompt execuggo As deliberages da ad-
ministracano, representando porem sobre as que lIhe pare-
cerem inconvenientes A reguilaridade e boa ordem dos ser-
vigos a seu cargo. \
fla comumisso fiscal
Art. 29. A' commission fiscal compete:
.- Convocar extraordinariamente a assembled ge-
ral quando occorrerem motives graves e urgentes.
2..- Dar parecer, mencionando o mode com A ad-
ministrace genrioos negocios' da companhia, o estate des-
ta, e providencias a adoptar, denunciando as faltas que
defobrir ; e o mais quo especica fio decreto n. 8821 de
30 de dezeubro de 1882, cap. 4.-.
If pelde dte e e masecrearo a amea ea e-
ral
Art. 3." AO president da assemble geral, compete
dirigir os trabalhos da mesma, e assignar as respectivas
actas.


I.




-I


(




















: ecretario Dr. cKwo^/l:
As horas do costume pIe rl
bargadores em numero legal, f
depois de lida e approvacu a.:a
Distribuidos e passados os
seguinte.


ruanoa- deram-se os


JUL GAM ENTOS
Habeas ec(-pUs
Pacientes:
Juvenclio (Co:M do Nascimento. .Mandou-sE
ouvir ojaiz te dirIto do 4o- diatrcto.
Anna Badlbina de Barros.--Mandou-se -ouvir
juiz de direito do 50 distrieto.
Antonio Forreira Freire e Francisco Jos6 de
Barros.,Mlandou-se soltar, unanimemente.
Recursos eleitoraes
De S-eiuz:;t- correato o juizo, reeorrido Josi
Vicira da SiLvt. 1'!i:cor o Sr. desembargador
Buiarqm Lina.-Deu se previmnwto contra os vo-
tos dos Srs. d-:; ; u'gador riolator e coasclheiro
Freitas Heuriques
D'Areia It correaie o juizo, recorrido Joa-
quiin de Faria BiKrbosa. Rtelat;)r o Sr. deembar-
gador 3Buarlqu Li'ni. Dou-se provimeuto contra
os votes dos Srs. iicsot rgmbar.g:da,- relator c coase-
Iheiro Freitas iHcuriques.
D_ So- zra--'P c-rroat. o jCza), reeorrido JoVc
Antunes dc 01iveira. Ielaltor o Sr. conselheiru
Freitas Hn aris.- Dcu-s proviinento contra
os votos dos Sr.-s. c:i)ai-lheiro relator e deseinm-
bargador iLuaer-uc Lima.
De Soe.:;,,-lec-rente o juizo, recorri)do Jose
Sarmento. IL-lator o Sr. deseinbargador Tosca-
no Barrnco.-D-u-se p-ovinicnto) contra o voto do
Sr. desci-nbargd *r BLuarqIe Lima.
D'Areia-KiUecorrente o juizo, recerrido Joaquirn
Fer'-eira Passo3. Rlator o Sr. desumbargador
Toscano Barreto. -Deu-se provinw-to a o recurso
contra o voto do Sr. desembargadorBuarque Lima.
D'Arcia--Recorrmnte o jaizo, recorrido Jose
Duarte doe S iitos. RIlator o Sr. descnbargador
Oliveira Macl. -Dan-s c p.rovimento, unaiimu-
mente, deixando de votarr os S rs. conseiheiro Frci-
tas Henriques e desembargaedlr Buarque Lima.
D'Arcia-Recorroute o juizo, recorrido Silvino
Gomes Correia do Mleo. R -lator o Sr. deisen-
bargador Oliveira Maciel, Deu-se pro-imento,
contra o vetodo Sr. des.einbargador Buarquo Lim:t.
D'Areia-Recorrento o juizo, recurrido Jos6
Duarte dos Santos. Ri lator o Sr. desembargador
Pircs Ferreira. Dou-se provitnento contra os vo-
tos dos Srs. des, mbargadores Buarquc Lima e
consellihoiro Freitas Henriqnes.
D'Areia-Recorrentc o juizo, recorrido Pedro
Antonio dos Santos. Relator o Sr. desembarga
d-or Pirus Ferreira. Don-so provimento contra
os votes dos Srs. desemnbargador Buarque Lima e
conselheiro Freitas Henriques.
D'Areia-Recorrenteo o juizo, lecorrido Dionizio
Duarte de Moinraes. Relator o Sr. desembarga-
dor Pires Gongalves. Deu-se provirnento contra
os votes dos Srs. desembargadores Buarque Lima
e conselheiro Freitas Henriques.
D'Aroia--ecorrente o juizo, reeorrido Valen-
tim Martins de Abreu. Relator o Sr. desembar-
gador Pires G,)nilves.-Deu-se provimrnto con-
tra os votes dos Srs. desembargador Baarque Li-
ma e conselheiro Freitas Heniriques.
Recursos crimes
Do ilecife Recorrente o juizo, recorrido Sera-
fim MT-irquws de Oliveira. Relator o Sr. conse-
Iheiro Queiroz Barros. Adjuntos os Srs. desemn-
bargadores Pires Ferreira e Buarquo Lima.-
Negou-se provimrnento. unanimemente.
De Mcteei6 -Rieorronte o juizo, reeorrido Joi-
quirm Bringuel do Mello. Relator o Sr. desem-
bargador Buarpue Lhio. Adjuntos os Srs. des-
em-bargadores Oliveira Maciel e Toscano Barreto.
-Negou-se provimento, unanimemente.
Do Resite-Reecor-ente Agostinho Albino Be-
zerra, reeorrido o juizo do 2" district. Relator o
Sr. desernbargador Toscano Barreto. Adjuntos
os Srs. desernbargadores Buarque Lima e conse-
lheiro Queiroz Barros.-Deu-se provimento, una-
nimemcnte.
Do Cabo-Recorrente Ignacio G-omes Barbosa,
recorrido ojuizo. Relator o Sr. desembargador
Oliveir- Maciel. Adjuntos os Srs. conselheiro
Freitas Heuriques e desemnbargador Toscano Bar-
roteto.-Negou-se provimento ao recurso, unanime-
mente.
De Campiua Grande Recorrente o bacharel
JoAo Baptista Alves Pequeno, reeorrido -'o juizo.
Relator o Sr. desembargador Pires Ferreira.
Adjuntos os Srs. desembargadores Oliveira Ma-
ciel e Pires Gonalves. De-u-se provimento ao
recurso, unaninemente.
PASSAGENS
Do Sr. desembargador Oliveira Marciel ao Sr
desembargador Pires Ferreira :
Appellacao crime
Do Reeife-A-ppeliante Manoel Correia da Sil-
va, appellada a justica.
Appellaqao civel
Do Recife-Appellante'o promoter de capellas,
appeliado Claudino Jose de Mello.
Do Sr. desembargador Pires G-ongalves ao Sr.
conselheiro Fraitas Heuniques :
Appellaeao crime
Do Recife-Appeliante o juiz de direito, ap-
pellado Pedro Miliano da Silveira Lessa Filho.
Do Sr. desembargador Toscano Barreto ao Sr.
desembargador Oliveira Maciel.
Appellacao commercial
Do Recife -Appellantes Adamson Howie. & C,
appellada a ma.ssa fallida de Manoel Moreira &
Companhia.


DILIGENCIAS
Corn vista As parties :
Appellagoes civeis
Do Recite-Appellante a juuta administrative
da Santa Casa de Msericordia e Joao Jos6 de
Amorim, appellados Luiz Maria de Oliveira e
iutros.
Do Recife-Appellante Antoniq de Paiva Tei-
xeira, appellados Mareelina Maria da Rocha e
outros.
Do Recife-Appellantes o juizo e Jose6 Caetano
de Medeiros, appellado Firmina Ricardo de Mc.
raes de Mesquita Pimentel.
Appellacao commercial
De Palmares-Appellante Dativo Antunes Cor-
rein, appellados Jose Pereira de Carvalho & C.
DISTRIBUIlES
Recurso eleitoral
Ao Sr. desembargador Buarque Lima:
De Campina Grande-Recorrente o juizo, re-
orrido Bento da Costa Agra,
Recursos crimes
Ao Sr. conselbeiro Freitas Henriques :
De Macei6 Reeorrente o juizo, reeorrido Elias
Tude de arvalho.
Ao Sr. conselheiro Queiroz Barros:
Do Reeife-Recorrente o juizo do 2o district,
recorridos o Dr. Virgilio de Gusmbo Coelho e
Julio Cesar Cavalaante de Albuquerque.
+ Ao Sr. desembargador Buarque Limna:
Do Recife-Recorrente o juizo do commercio,
reeorrido Joaquim Ildefonso da Motta Silveira.
Appellacao civel
Do Recife -- Appellante Aceto Augusto ca
Silva, appellado Jos6 da Silva Reis.
Encerrou-se a sessio as 2 horas e 45 minutes
da tarde.


rio ruaa' o Impe
,1 horas As P
piei, 36, .':
cripto a qnui. r
0. Numie', L
'rentemente o i'i Ii-
Consolturwo


n1a rrua do lies-
iado, pwores-
liau da nei-
4. Falld cor-,
ana.


e 0 Dr. Joaqu'imCa econkhori
A rua db Duquede Oaxias n. 57, 10 andar,
Sde volta de sua viagena a Europa, onde fez
r estudos especiaes de m6olestias da bocca:
Sencarrega-se de qualquer trabalho de ci-
rurgia e prothcse dentarias, extrahe denies
om anestesia por meiode apparelhos apro-
Spriados: obtura (chumbo) corn ouro, platina,
L imento : corrige .as irregularidades denta-
Srias; colloca dentes pelos processes maia
aporfeigoados.
D Advogado
Dr, Milet. 1 promoter publicoda ca-
_ pital temn sen escriptorio de advocacia, a rua
do Crespo n. 18, onde pode ser procurado
p)ara os inisteres de sua profissAo.
Dr. .Seabra---Mudou seu escriptorio o3
advocacia para a rua do Imperador n. p-0
Das 10 ds 3 horas da tarde.
0 conselheiro Soares Brandao, abrio seu
?scriptorio na corte do Imperio, a rua da
Quitanda n. 37.
Occulista
Dr. Barreto Samnpaio, consultas de 1 As
4 horas da tarde, na rua do Barao da
Victoria n. 45, 2.0 andar, residencia, ra
de Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.
Dourgard l& C.
Recfre: runa do Marquez de Olinda n.
16; Santo Antonio, rua Primeiro de Mar-
9o n. 3; B3a-Vista, rua da Imperatriz n
54. Grande fabrica de cigarros a-vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos de Ha-
vana e nacionaes, cachimbos, tabacos e ob-
jectos para fumantes. Livros de medici
na dosimetrica e unieo deposit da fari-
nha laczea de Nestli, para os meninos de
peito e leite condensado.
Drogaria
Francisco Manoel da Silva & C., depo-
.i;tarios de todas as especialidades pharma-
3euticas, tintas, drogas, products chimico
e inedicamentos homreopaticos, runa do Mar
quez de Olinda n 23.
Artigos de modas
A loja de Antonio Correia de Vascon-
(,ellos, na rua 1.0 de Margo n. 13, acaba
de reheber urnm lindo sortimento de supe-
riores chapeos e chapellinas para senhora ;
assim coino urn grande sortimento de sedas
e setins de cores, Zaias e casacos brancos
bordados, capas pretas arrendadas e mui-
tos outros artigos de novidade.
II

PUBLICAIOESA IPEDID

Para o Tribunal da Relaeae ver
e corrigir o julz de direito
Jose Tavares (*)

(TAQUARETINiGA)

VI


Temos diante de n6s o process ex-officio, em
c6pia authentic, instaurado ex proprio Marte pelo
arbitrario juiz de direito Jose Tavares contra o
respective juiz municipal, o Dr. Alexandre de Cran-
tro, em o qual este so aecha pronunciado corn recur-
so voluntario para es3aa colleudissimo Tribunal, que
vai ter o desgosto de examiner o part juridico in-
forme deste magistrado, inventado imprudehte-
mente por um governor pouco escrupuloso ante os
antecedentes para dispor vitaliciamente da liberda-
de, honra e vida dos nossos coucidadaos.
Ante a desgraca que flagella a este ea.ao conhe-
cemos inconveniencias...
Infelizmeate, todos os governor commettem des-
ses errors ; e urn dos maiores da actual situacao foi
-a nomeaqlo do Sr. Jos6 Tavares da Cunha Mel-
lo para o cargo importantissimo de juiz de direito.
Infeliz, infelicissima da comarca que f6r juris-
diccionada per este juiz de direito...
A primeira pega, a base do process de respon-
sabilidade ena questao, offerece no seo primeirn)o,
period a prova do arbitrio e da inepeia do juiz de
direito Jose Tavares. Principia eate processor por
uma portaria deste juiz de direito iniciada nos se-
guintes termos::-Por occasido de tomar conheci-
mento de um process de habeas-corpus em virtude
da petiqdo de Firmino Barbosa de Sousa vzniniquni
e consta dos doeumentos que a estavam junctos, que
o juiz municipal desta comarca (S. S. quiz dizer-
termo) nao ter cumprido os arts. 38o e 6 do Dec.
de 18 de Marco de 1849, e nem tambem tudo main
quanta d prescripto em relagao a liquidagao de
malta
Raciocinemos ligeiramente sobre o verifiquei do
principio da portaria, de que nos estamos occu-
pando.
Se o juiz de direito Jos6 Tavares verificom a in-
tracego de que trata por occasiao de processor o
dito habeas-corpus, porque nuo decretou a respon-
sabilidade do Dr. Alexandre de Crasto por oeeasiao
de ser o mesmo procesaso submettido EGULAMNITE
ao senu examejurisdiecio-nal, nos terms do art. 49
40 do Dec. n. 4,824 de 22 de novembro de 1871,
e do art. 15 7o da lei n. 2,033 de 20 de setembro
de 1871?,
Porque assim nao proeedeu este juiz de direito
ignorante e raivosamente persegidor ? Seria per
ter de recorrer ex-officio do despacho definitive do
process de habeas-corpus para o Tribunal da Re-
laqlo, so quit nao quiz expont dar prova da sua
maldade, ou seria por ter S. S. dada o dito despa-
cho antes da cowtancia dos factors que iraram o
animoada sua inqualificavel e intoleravel justica.-
IgnerarA S. S. por acaso, que pelas disposices
legaes acima citadas o procedimento ex-offiio por
crime de responsabilidade s6 tern lugar, quando
este for reconbecido em fits ou papeis submettidos
BnOULAR.ifTE a, exame jurisdiecional da respecti-
vaautorid4de? -
Ignorara, ainda, o juiz dedireito Jos6 Tavares
a sigaificasgo clara dotemao.-reguarmente -. em-
pregada pela noviesima lei da refobrma judiciaria
acima citad ...... ? ,
-Submettido o ddto habeauwrm. w coex~,, prw-


''T rp"ernpoo-
&arbosa'de eSouza,,,i a autos ecornallA Jue'-
Tz os d0cumentos, q .eter .de .erprwenteu ao jUi
indiciado.
0 docuimenuto, e no os documentos, de que fall
0 iuiz, de direito JosA Tavares na sua portaria s ii
gcrewI, quete m de ser avgmentada pelas c6icas re-
goommenidadias Em ternpr-o-poa 8 .-S.sao- aoapectxvo-
escrivio,;4ui.:tt erti^- bre ruai


.'1, 7idlet~lelw^
UaO4Co uma orVuriasrP-r
por forga do um-id lkeizt f' j. ,-]
Come todos Babem portaia, segundo os leieo-
graphos 6 4. u-m document official dos ministfri
a uma repartiao oua t ur individno, e 6 assigna-
do pelo miaistiro em nome do chefe do Estado. a
Os juizes baixaimt portaria em nome-daif&nc&ee,
que exerceu. :
O juiz de direito JoS Tavares taz o eoUtrarlo
em snu nome proprio sdmente ordena aos subalter-
nos doyuizo emn que ell fuanciona.
A eertidao de que nosa occupamos foi pass8ad emt
virtude do segninte bilhete:
0 cscrivao perante quem co'oe a liquidagdo da
multa. a que estd siijeito FIVrnino Barbosa de Souza,
em virtude da sentoena condemnatoria do tribunal
do jury, certifique ao p9 desta o theor do ultinio des-
pacho, proferido pelo juiz municipal, Dr. A4exan-
dre Correia de Crasto, sobre esta liqaidagdo de mul-
ta. Cwonpra. Vertente, 31 de mnaioe de 1884 Ta-
vares da Cunha.
Alguns destes bilhetes, quo constam do dito pro-
cesso sao assim principiados : 0 escrivdo deste
juizo... ; dando lugar a que se pergunte a este
juiz de de direito ignorante e prepotente: deste
qual? !...
Voltemos, porem, A portaria-pronuncia.
Se, somentc por forca d& certidao, que acompa-
nhou a dita portaria, pasQada em virtude do bilkete
do juiz de direito Jose Tavares, achou este que jA
tinha importado a infraeao do art. 154 do Codigo
'enal, que petia nao importaria corn a augmentacdo
que tinha de se dar-com as copias tiradas e juntas
e augmentadas pelo escrivao ao documents, base da
responsabilidade do Dr. Alexandre de Crasto, do-
cumento extrahido do refenrido habeas-corpus jA
submettido regul'armente ao evame jurisdiccional,
quando julgado definitivamente per S. S., nio en-
contrando, entdo, nste juiz de direito motive para
responsabilidade ex-officio ?
Continuemos a ver ate onde foi a maldade'illi-
initada do juiz de direito Jose Tavares no mon-
,truoso process de responsabilidade ex-oficiv.
0 Dr. Alexandre de Crasto, respondendo A dita
portaria, disse que o movel de semelhante proce-
dimento era haver o respondents em uma injbrma-
gao que preston ao Erm. Sr. president da provin-
cia sobre a pretengdo de Guilherme Dque Biserra
aos cartorios reunidos, ter dito scbre este, entire ou-
tros factos. que havia deflorado uma menor de 17
annos. de nome Maria, sendo pot eate facto denun-
ciado pelo promoter public que retirou a dita de-
nuncia por instancia e ameagas ao mesmo, facto
pelo qual foi V. S. ouvido pelo president da pro-
vincia, pelo que ei V. S. suspeito para ser meujuiz,
e tomar conhecimento de qualtquer feito meu, o que
provarei opportunameute. Protesto pela audiencia
do Dr. promoter public.
Al6m desta denuncia ao Exm. Sr, desembarga-
dor president da provincial, o Dr. Alexandre de
Crasto denunciou do juiz de direito Jose Tavares ao
Tribunal da RelacIo pelos crimes previstos nos
arts. 161, 146 e 139 do Codigo Penal, inclusive a
compra que elle fez por interposta pessoa do ca-
vallo alasdo doz trees p&s calcados pertencente ao
expolio do finado Laurentino Gomes do Nascihnen-
to, em o qual haviam orphlos interessados, com-
pra immoral e illegal que constitute o crime previsto
ne art. 146 do Codigo Penal, crime, que este juiz
do diraito infeliz confeseou pela imprensa.
0 Sr. Jose Tavares ngo recuou em nao suspei-
tar-se, e nerm em nao aceitar a suspeigio a si op-
posta pelo Dr. Alexandre de Crasto, citando para
este fim Avisos, que nao existem, e lei que noo tern
applicacao ao caso.
No artigo seguinte exporemos mais esta brihan-
iura de quem- car tanta diqnidade einge a toga.
Recife, setembro do 1884.
Jose Climaco do Espirito Sato.


Abolicionista Maranhense

28 de Juiho

Tendo esta sociedade de distribuir algumas car-
tas de liberdade no dia 7 do corrente, anniversa-
rio da Indepencia do Imperio, sao convidados os
Srs. socios honorarios, as sociedades abolieionis-
tas, as redacebes dos jornaes, emfim o public em
geral, para comparecer no citado dia, As 11 he-
ras, a sede da Nova Emancipadors, a rua do Im-
perador, para eorn suas preseueas abrilhantarem
esta festa de liberdade.
Recife,. 6 de setembro de 1884.

Ao public
0 cidadao Maximino da. Silva Gusmao, tend
sido nomeado tabelliao publico iater-ino, tern a'
honra de offerecer ao public em geral e espocial-
mente ano corpo commercial d'esta cidade, os seus
servues relatives ao officio, A quslquer hora do
dia e da noite.
Escriptorio, rua do Imperador n. 2. -
Residencia, rua dos Martyrios n. t4S, segundo
andar.


Notiee


0 general public meeting of Her britannie ma-
jestys subjects is convened for Tuesday the 9 ins-
tant at the British Consulate at one O'celock in
the afternoon for the purpose of taking into con-
aideration the question of a British mission to sea-
men, ancr what steps may be necessary to set on
toot such an institutiou.
British Consulate.
Pernambueo, september 4 de 1884.
Win. Hughes,
Acting consul.


flnhiB o ahcihi sta


Pica tranferida para s egnda-feira 8 do eorrmente
a reuniao annunciada para domngo 7 as 4 horas
da tarde no largo da Jatri de S. Joso.s
Convida-se as soeiedades albolicioeniatas em g-
ral e o povo pernuambucano. d
Redaccao do Rtbate.


que esti
Outrosi
caleres
Ilas 4 as


UUIUUA' 0t i-ianorte e tieecanento aa roupa s 0 0os-
tnme4 de bganh0.
R "eeife, 4 de setembro de 1884.
S- "c. J. Medeiros.


A0 Pdbko-
; abaixo assignaaio declara ao public
quo desta data em diante flea dissolvida a
socie4ade que tinha corn o seu amigo Martins
Junior a respeito da explaracgo de umj ornal;
fazendo ver a certos indiviluos que se o fez
foi por simples vontade do socio de indus-
tria e no por que o quizesse. Deelara mais
que flea como administrator encarregado
do qualquer impressao avulse da typogra-
phia da Folha do Norte o Sr. Jos6 de Mel-
lo Carneiro.
Recife, 4 de setembro de 1884.
Francisco C. R. Campello.

Freguezia de Santo Antonio
0 vigario Salles tern mudado sua residencia
para o 20 andar do predio n. 11 da rua do CabugA
onde podcra ser procurado.


Cajurubeba
Remedio que eura!
ILLM. SR. ANTONIO PEREIRA.--DA CUNHA
Engenho S. Braz-Serinhlem, 20 de agosto
de 1884.
0 ever de gratiddo leva-me a communicar-lhe
o facto, quasi milagroso que, em pessoa de minha
famnilia se deu, corn o usao do-Cajurub6ba-
Soffrendo minha sogra, senhora de 73 annos, de
rheumatismo quasi clhronico, a ponto de mal poder
andar corn apoio, corn o uso de um tao efficaz me-
dicamento (dois frascos apenas) aeha-se completa-
mente restabelecida.
Tambem tenho applicado a varias pessoas mo-
radoras d'este engeuho. e o effeito nao se tern fei-
to esperar.
A vista pois, do que venho de Ihe declarar, es-
tou convencido que atW hoje nao appareceu medi-
eamento mais poderoso, nao so para rheumatismo,
como para ulceras invecteradas.
Faca V. S. desta o uso que lhe convir, certo de
que 6 essa a expresso da verdade.
Seu venerador e obrigado,
Manoel Bernardo das Virgens.
Reconheeo ser verdadeira a assignatura su-
pra.
Recife, 25 de agosto de 1884.
Em testemunho de verr.aae, o tabelliiiao public,
Josd Bonifacio dos Santos Mergulhdo.

Cirurgiao dentist
Jos6 Basilino da Silva Sanlos, cirurgilo dentis-
ta e pharmaceutico pela Faculdade de Medicina
do Rio de Janeiro, coiloca denotes pelos systems
mais aperfeigoados, obtaura (chumba) a ouro, A
platina e a osso artificial; faz reconstruccoea de
denotes a ouro, trata das molestias da bocca e
ert-rige as irregularidades dentarias. Acha-se
das 9 as 4 horas no sea gabinete A rua Visconde
de Albuquerque (antiga da Matriz da Boa-Vista)
nnmero 24.


0 Dr. Adriao
MEDICO
Continua a dar consultas das 11 As 2 horas da
tarde, em seu antigo consultorio, A rua Larga do
Rosario n. 36, 1. andar. Chamados por escript
a uqalquer hora, na pharmacia Bartholoiaeu &

*XXXXXXXX--XXXXXXXX
a Oceulista

N4 ODin. Barneto Sampaio,~ medico aen-
N lists, ex-ehefe do clinics do> Dr. do Wee- ^ ;
.N ker, da connultas A rua doBarao da Vie- N
toria n. 45, segundo andar, de I as 4 ho-.
N ras da tarde, excepto nos demingos e dias
Nsantificados. Chasm-dos em seu consultorio N
'N ou em cans de sua residencia a rua de r
N Riachuelo n. -7, canto da ina dos Pires, X
Sxxxxxxxx- xx-xxxx@


Praga do Rteelle, 5 de setem-
br de to984
As tries horas da tarde
(-otasoeuf fficiGOU
Cambio sobre o Rio Gmnde do 8Su, 90 d/v. omrn
1 112 010 de desce8to, hontem.
Z. J. de Oliveira Rodrigue.,
President.
C. M. de Amorim Junior,
Secretario.
RENDDMENTOS PUBLICOS
Mez de setembro do 1884


VLFA, UOA=PDe 1 a
Idem de 5


'tSCBBBDOBAx=De 1
Idem de 5


JONLiADO pOVnINA
Idemo d .5


4 92:366#265
23:100425
S115:4664690
a4 8:38.1A903
1:982020
10:363923
,--De 1 a 4 4.-402A950
9235060
1 -4,132:94O79
1 a 4 13:491598
6:1776521
19:I^(9


I OSi rin


MPrOl
fznpoi


a.--dea
uso-
emi
Mili


DU arutea.e pro-
;as espirituaone,


1^000


etc. etc., (leitux'al itte para pazes);
1 vol. corn 2l0 paginss 500
Mosaico Pernmimbueano, colleecgo de
exerptos historicos, poesias populares,
anecdota,, cunrisidades, lendas, antiqua-
lhas etc,, tudo relative a provineia de
PernambiUco, 1 vol. corn 260 paginas 1000
Jesus Christo a critical modernma pelo
Revd. padre Felix (da companhia de
Je us) vertido do francez pelo Dr. Pedro
Autran da Matta Albuquerque, 1 vol.
corn 1.50 paginas 15O000
Historia sagrada do velho e novo tes-
tamento, corn explicaqbes e doutrina dos
Santos Padres, para reform dos costu-
mes em todos os estados e pessoas com-
posta por N. de Rayaumont, 2 vols. corn
564 paginas 15000
A' venda na Livrnaia Universal, rua do Im-
perador n. 52.


Dr. Mello Gomes

Medico operator

Espedalista de febres, molestias
pulmonares e syphililicas
Ruta do Barao da Victoria (antiga rua No-
va) n. 14, 2" andar
Onde tern consultorio e residencia e pode ser
procurado t qualquer hora do dia e da noite.
Recebe chamados por escripto e para fora da
capital.
CONSULTAS das 10 ao meio dina. Apparelho tele-
phonico n. 156.



{} CLINIC HOM(EOPATHICA
DO

Dr. Trislao}
Consultas das 7 is 9 horas, e chama-
Sdos A raa da Uniao n. 15.
{ > Numero telepbonico 154 }



DR. ALFBEBO ~S

MEDICO OPERATOR
ESPEC1ALISTA EM PARTOS E MOLESTIAS DAB
MULnERES
Tern o seu consul orio em casa de sun
residencia A rua da'lmporatriz n. 30, 1.
andar.
CONSULTAS do 8 As 10 da manha e
de 12 As 2 da tarde. Chamados por es
cripto A qualquer hora.



MEDICO E PARTEIRO

Dr. Joaquim Loureiro
Consultorio e residencia rua Duque
ae Caxas n 39, defronte do DIARI)
DE PERNAMBUCO, onde da consul-
tan das 10 As 2 horas da tarde.



Dr. Bettencourt

Operates, fistulas, vias urinarias, mo-
lestias de senhoras e criangas. Estreita-
mentos da urethra tratados pela electro-
lyse sem dor. Affeeoes de pelle e sy-
philis. Molestias do peito e da gargata.
Embalsamamentos. Marquez d, Olinda
D. 34, das 12 As 3.


Urmaeaesmoel
Ainda supplica as almas caridosas um obule, a
pobro velha do becco do Bernardo un. 51.


Peles corn mcabell 12 f Ar &A aza & .
Vinagre 7 pits a Baltar Oliveira & C.
Vapor franee- Gironde entrado dos portos da
Europa no dia 4 do corereute, e consignado, 4 Au-
guste Labile.
Manifestou:
Amostras 30 volumes a diversos. Ameixas 5
caixas a Ramos & C., 15 a Roza & Queiroz, 16 a
Jolo Fernandes de Almeida, 7 a Domingos Fer.
reira da Silva & C. Azeite 15 caixas a Carvalho
&C.
Bandeira 1 ao cousignatario.
Chapees 1 caix a aJ. da S. Carvalho & C., 1 a
Palmira Maia & C. Chocolate 1 caixa a Roza &
Queiroz. Conservas 10 caixas a Ramos & C, 8 4
Rabello & Sobrinho. Calgado 5 caixas a H. Nues-
ck & C. Clichs 1 eaixa redacto do Tempo, 1
a do Diario de Pemambw 1 a do Jornal do Re-
cife. oumosg eaixsaa a.IL. uesch & C., 1 a Otto
Bohers Suoeewo.
Doces 6 caixas a Eax u & C.
Fructas 1 caixa ao conaignaario.
Garrafa 5 caixa o mesmo.
Luvas 1 caixa a H. de SA Leitao. Livros 1
caixa A F. S. Felippe.
Masas alimenticias 6 caixas a Roza & Queiroz.
Mereadorias diversas 3 caixas a Manoel V. Ne
ves, 1 a Francisco Lauria & C. 3 a G. Laporte
C. 3 a Otto Bohers Successor.
Papel2 caixas a Azevedo & C., dito de embrau-
Iho 60 fardos ao consignatario, 42 a ordem.
Queijo 1 caixa a Raimos & C.
Relogioa 1 caua a A. F. do Rego & C. Rolhas
1 tardo o conignatrio.
Salame 1 caixa a Ramos & C.
Teeidos 1 caix a Bemnet & C.
Vinhq 1 barrila ordenm, 15 caixas a Ramos &


euta, r. rnair u, rinirxs, cosme
eas, e em todas as molestias ternjit
mm grande resultado, operand0o Gyoe
l, umar cura rapid da molestia, evi
Aivio d'ella.
lcadu vidro leva uina direego ensinax
ra ede usar, e diversos attestados de me
rmaceutiBos que tornariam enfadonho


Prego do cads vidro


24O00:


ODIONTIHLGICO

Cara radiealmente as dores de dents, seja qua'
tor a suna origem Desapparece a dor immediata-
mente. Emin cada vidro acomnpanha urma direcqo
como se deve applicar.
Preoo de : ada vidro 2$000
Bartholoieu & C.


Arados, grades e ontros inslri-

mentos agricolas
305 medalbas e diploma se=
20 :-nos
Theo. Just

17....Corpo Sanito.... 17
PERNAMBUCO
Unico agente do afamado fabricante
3BTX3D. SAXG3^.

Plaguitz...Leipzig
Referencias:
0 Ilm. Sr. Dr. Ignacio de Barros Barreto, g -
rente da soeiedade Auxiliad ra da Agricultura.
0 i1m. Sr. Dr. Ignacio de Barros Barreto Fi-
Iho, no engenho do Meio, Varzea.
Aos que se esejamn tratar sem comprometter a
saude corn preparados mineralogicos.


EDITAES

A Camara Municipal da cidade de Olinda
e seu termo, em virtude da lei etc.
Faz constar a quem convier e interessar possa,
que nos dias 27 do corrente mez e 3 c 10 de se-
tembro proximo vindouro, cstarA em hasta publi-
ca para um anno, e para serem arrematados poi
quem mais offerecer, os impostos seguintes: alu-
gueis das casinhas da ribeira por 2264000; 40 rs.
por p6 de coqueiro de producqao, exceptuados 20
pes para o uso do proprietario por 6324000 ; 500
rs. sobre cabega de gado vaccum poi 3665500:
mascates e boceteiras por 271,000 ; 120 rs. por
qualquer carga ou volume exposto A venda no
mercado public por 86000 ; 200 rs. sobre cabe-
qa de gado suino, ovelhum e cabrum por 314000 ;
o aluguel do salao terreo do predio municipal em
construcqao, sito A rua da Ladeira do Varadouro
per 624000.
Os pretendentes deverio comparecer nos dias
acima indicados na forma da lei.
Paco da Camara Municipal da cidade de Olin-
da, 25 de agosto de 1884.
Bardo de Tacaruna,
President.
Josg Figueira Curado,
Secretario.
Thesouraria de Fazenda de
Pernambuco
Medicamentos e drogas para Fernando de
Noronha
De ordem do Ilm. Sr. inspector e para cumpri-
mento do officio do Exm. Sr. desembargador pre-
sidente da provincia, de hontem datado, se faz
public a quem interessar possa, que no dia 6 de
setembro proximo vindouro, a 1 hora da tarde, se
procederA perante a junta de Fazenda a arrema-
tagio do3 medicamentos e drogas necessaries a
pharmacia do presidio de Fernando de Noronha
no dito mez, de aceordo corn as disposioes que
regulam o process das arremata6es constantes
do deereto n. 2926 de 14 de maio de 1862 e ins-
trucoes da presidencia de 20 de janeiro Ie 1882;
devendo portanto as concurrentes A dita arrema-
taVao apresentai- suas propostas emr cartas sella-
das e techadas corn as pregos dos medicamentos,
cuja rela*ao se acha a disposing, dos mesmos
concurrentes para ser consultada na secretaria
desta ) epartiqao.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 29
agosto de 1884.-0 secretario da junta,
F. A. de Oliveira e Silva.


No patacho hespanhol Prim, carregou :
Para Santos, P. Carneiro & C. 1,500 saecos
corn 90,000 kilos de assucar mascavado.
No vapor national Ipjuca, earregon :
Para o Natal, E. C. Beltrao & Irmio 12 barri-
cas corn 662 kilos de assucar masca-ado.
Para Macao, E. C. Beltrao & Irmao 2 barricas
corn 142 kilos de assucar branch.


MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 5
Bordeaux por escalas-14 1/2 dias, vapor francez
Girond, de, 2,064 toneladas, commandante Ja-
ques, equipagem. -., carga varies generous ; a
Auguste Labille & C.
Terra-Nova-3 4 dias, brigueo ingtea Ta&Wf, de
187 tndladas, capitio S. Pult, equipagem 10,
carga baealhAo; a Johnston Pater & G.
Pelotas-21 dias, patacho national Pereira, de 217
toneladas, capital Francisco Pereira Coelho,
equipagem 10, carga xarque; a Amorim Irmoao
e- C.
Pelotas- 25 dias, patacho dinamarquez Marcur,
de 141 toneladas, eapitio Thuroe, equipagem 7,
carga xarque; a Maia Rezende & C.
Sahidos no mesmo dia
CearA e escalas- Vapor national Iptjuca, corn-
mandante Jeronymo Josd Telles.
S. Thomaz- Patacho sueeo Vigilante, capitio J.
P. Sunelbug, em latro.
Ilha do Sal Luigar diamairquez Axel, capital.
A. J. B ag, em lastro.
Buenos-Ayres por escalas-Vapor franee Girom-
de, commandant Jiques, carga various general.
Ob wevaa
Procedente de LiVerpool, e do Havre per esca-
Ia", fnadearamno) Lamnaro, oi vapores ingles
hrpolite eamncez Sully, os quams n&o commu-
sicaam cow a terma em virtude de ordem superior.


t



















































Edital n. 663
Faco saber Aus senhores professors publicos,
que ate o dia 30 de novembro proximo future deve
ser r!mettido a e.ta repartmao e entregue ao por-
teiro, que dara recibo, o officio que cada umn
delles cornn excepglo dos interinos, adjunctos, ju
bilados e contratados) p6de dirigir ao inspector
geral da instrucao public para o fim de elege-
rem, dentre os professors mencionados na rela-
ivao infra umrn que os represent no conselho litte-
rario, conforme o que prescrevem as instruc5es
de 17 dejulho de 1879.
0 endereco deverAi center a seguinte declara-
cao Eleicao de urn professor para membro do
conselho litterario afin de s6 ser aberto o offi-
cio cm tempo proprio.
Secretaria da Instrueco Publica de Pernambu-
co, 3 de setembro de 1884.
0 secretario
Pergentino Saraiva de Araujo Galvao.
Lista dos professors publicos das
seis freguezias da ,idade do
Recife
Freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves
Primeira cadeira, Galdino E. Pereira de Barros.
Segunda dita, Benjamin Ernesto Pereira da
Silva.
Fregueziat de Santo Antonio
Primeira cadeira, Augusto Jos6 Mauricio Wan-
derley.
Segunda dita, Jos6 Martiniano de Souza.
Terceira dita, Manoel Antonio de Albuquerque
Machado.
Quinta dita, Joao Landelino Dornellas Camara.
Casa de Detencao, Joao Fernandes Vianna.
Freguezia de S. Jose
Primeira cadeira, Liberate F. de Miranda Ma-
eiel.
Segunda dita, Benjamin Constant da Cuinha
Sales.
Quarta dita, Izidoro de Freitas Gamboa.
Quinta dita, Torqnato Laarentino F. de Mello.
Marcilio Dias, Antonio Maximo de Barros Leite.
Run Imperial, Tranquilino da Cruz Ribeiro.
Freguezia da Boa-Vista
Primeira eadeira, Simplicio da Cruz Ribeiro.
Segunda dita, Geminiano Joaquim de Miranda.
Terceira dita, Joao Jos6 Rodrigues.
Quarta dita, Felix Valois Correia.
Quinta dita, Francisco Carlos da Silva Fragosa.
Cam)o Verde, Heurique de Miranda Henri-
ques.
Santo Amaro das Salinas, la Manoel Roberto
Carvalho Guimaraes.
Idem 2a Ricardo Fonseca ide Medeiros.
Froguezia de N. S. da Graca
Capunga, Jose Joaquim Borges Uchoa.
Estaucia, Antonio Juvino da Fonseca
Cruz de Almas, Victorino Antonio de Alcan-
tara.
Becco do Espinhbriro, Francisco Silverio de Fa-
ria Junior.
Encruzilhada do Rosario, Adolpho Silvino Ban-
del.
Freguezia de Afogados
Primeira cadeira, Cyrillo Augusto da Silva
Santiago.
Terceira dita, Martinho da Silva Costa.
Magdalena, a1 Christova'o de Barros Gomes
Porto.
Remedios, Caetano Francisco Duraes.
Torre, Hermelino Elizeo da Silva Caneca.

Edital n. 13
S 13 praqa
De ordem do Illm. Sr. inspector, se faz public
cme as 11 horas do dia 9 de setembro corrente
s raoe vendidas em leilao, no trapiche Conceiion,
a., mercadopias abaixo declaradas:
Armazem n. 7
47 caixas e 185 caixinhas vasias.
Guarda-moria
1 bote em mAo estado, pertencente a barca ame-
ricana Ellest Relchet.
Terceira seccao da Alfandega de Pernam.bu.
co, 4 de setembro de 1884.
0 chefe,
Cicero Brasileiro de Mello.
0 Dr. Francisco Aloes da Silva, juiz sub-
stituto do juizo especial do commercio des-
ta cidade do Recife de Pernambuco, por
S. M. o Imperador, a quern Deus guar-
de, etc.
Faco saber aos que o presented edital virem, ou
d'elle noticia tiverem, que por este j uzo de direi-
to especial do commereio, pendem uns antos de
execucao per mandado executive, exequentes Dias
Pinheiro & C., e executado Jorge Pere-ra Ramos e
nendo-se teito penhora em dinheiro existente em
poder do depositario geral Manoel Antonio Gon-
,ahves na quantia de 202700, em dinheiro per-
teacente ao executado, sendo assim acctswda dita
penhora em audiencia do dia 28 de agosto de 1884
pelo Dr. Jose Fnancibco Ribeiro Machado, como se
ve do requerimento do theor seguinte :
Anno do nascimento de nosso Senhor Jesus
Christo de 1884 aos 28 de agosto, em audiencia
do Dr. juiz substitute do commereio pelo Dr. Jose
Francisco Ribeiro Machado, foi aceusada a pe-
nhora feita em dinheiro do executado e requerido


que ficassem assignados os cinco dias da lei e dez
aos credores ineertos para o que pedio editaes o
que foi deferido pelo juiz precedido o preg'o do
que fiz este.
Eu Ernesto Machado Freire Pereira da Silva,
escrivio escrevi.
E mais se nio continha em dito requerimento
aqui copiado.
Em virtue deste requerimento aqui copiado o
respective escrivio fez passar o prtsente edital
pelo qual e sea theorchamo, cito e hei por citados
os cred.Qres inertos do referido _executado, pan
Squejo* nc atejuizo, dantro do prso,
de 10._ _da ._ 6"l 0 do quanto for a bem d
seu direitB eM .-. .
E porn quo chegoe ao .onh tade'os'

do p r e'afia6.J'
1tt..... tdi ..*gta '^ul,. i. ':.mg! t''^ni

fc *'l^'"^ ^ ^ *'^


Pela secretaria da Camara Municipal do
Recife se faz sciente aos interessadoa que do lu
de outubro proximo vindouro sao contados os 60
dias da lei para todos os contribuintes virem ou
mandarem pagar os impostos dle seus estabeleci
mentos e os mais creados por lei, conform abai-
xo se ve :
3 0/0 sobre estabelecinmento de port aberta.
203000 sobrc casas de negocio quo vender be-
bidas espirituosas.
204000 para vender fogos artificiars.
20.000 para ter eapa de rancho.
20A00 para garapeiras.
44000 para ter quirandas.
30A000 por casa de sobrado que conservar va-
randas de madeiras.
500 rs. por metro de terrenos nao murados.
5, 00 para montar e ter guindastes.
10SO00 para ter sobre agua pontes ou trapiches.
640010 para ter estaleiros.
205000 para ter casas de jogos n;o prohibidos.
500S para ter casas de penhores.
204000 para ter olaria.
30,000 para ter estribarias de cavallos de trato
ou de aluguel, de vaccas ou bois.
F6ros de terrenos municipaes
5^000 por cada embarcaao que retalhar gene-
ros atracada ao cases e pontes.
150u0 para tcr theatrinho, tivoly ou qualquier
divertimento corn entrada paga.
10000 por carro ou carroca de traasporte ou
aluguel.
44000 por bote, lancha ou qualquer embarcaqao
empregada no trausporte- de passageircs e suas
bagagens.
300 rs.'por carimbo de vehicul's e embarcacoes
de transport de passageiros e bagagens.
104000 por cada viveiro de peixe c 10,4 per ca-
da curral dc apanhar peixc.
50o00 por forno de fazer cal.
30.,000 por baixa de capim.
205000 por machines a vapor para qualquer
mister.
40 rs. per p6 de coqueiro.
100 per mascate de fazendas, miudezas, etc.
64000 por amolador, engraxador, ganhador, bo-
leiro e outra industrial que se exerta nas ruas.
505000 para ter barracao de vender generous,
estabelecido Ai margem das estradas de feri o
20O0[0 por casa de s ibrado c 10 por casa ter-
rea, cujos quintaes deitew para outras runs e nao
estejam murados na altura do pavinmento terreo.
1u,4000 per casa que nAo tiver passeio cm runs
j;. calqadas.
85 0{) para ter told ou empanada fixa.
5$000 paras ter toldo ou empanada volante.
103 00t)x pra ter eisa de baniihos publicos.
5003 peor minascate de ouro, prata e pedras pro-
ciosas.
64000 por capataz, 45 pir talhador ou maga-
refe.
60o0O per cada vacca de leite que andar ven-
dendo pelas runs.
10.000 per vendedor de bithetes do loterias.
640(0 por cada espectaculu de qualurir natu-
reza ou divertimertc, public corn eiitrada paua.
A mesma sceretaria scintifica a todos os don's
dos diversos estrbelecrimentos de po'rta aberta,
l)ara q-ie venharn paigar os impostos atrasados que
se achim a dever do exercicio passado, bcmn coinme
os dem is impostos acima declarados, e tiragain ou
mandein o ultimro conheeinenr.to pago.
Secretaria dai Camara Municipal do Recife, I'
de s-'temnbro de 1884. 0 amanuenise, servindo
de secretario,
Leoncio Qrintino de Castro Le1o.


DECLARAdES
Pela la sec.Ao do Ccnsulado Provincial
scientifica-se aos contribuintes do impostoaddi-
cional a decima pelos servicos da Companhia Re-
cife Drainage, que segundo consta da portaria sob
11. 168, de 2 do correute, do 11m. Sr. Dr. inspector
do Thesouro, foi por este prorogado atd o dia 15
tambem do correnteu o praso para recolhimento do
inmesmo imposto, livre de multa, relative ao 2' se-
mestre do exercicio do 1883 a 1884.
la Seccao do Consulado Provincial de Pernam-
buco, em 5 de setembro de 1884.
H. Peregrino.
De ordem da llmna. Camara Municipal desta
cidad0, convido aos eidadaos, que a obsequiaram,
aceitando a incumbencia de-auxilial-a nos oeste-
jos projectados para o dia 28 do corrente, promo.
vendo quantias pars a realisacao da idea da li-
bertacao de alguns escravos nesse dia, a mir dar
cnta do que agenciarem at6 o dia 15 do corrente,
afim de que esteja tudo preparado para a celebra-
calo da festa no referido dia 28 do corrente.
Secretaria da Camara Municipal do Recife, 4
de setembro de 1884.- 0 amanuense servindo do
secretario, Leoncio Quintino de Castro Leao.

Celestial confrari da SS. Trin,

dade
De ordem da mesa regedora, convio a todos os
carissimos irmaos eleitos para a administrator ds
1884 A 85, a virem tomar posse des seus cargoa
no domingo 7 de setembro, peas 10 1/2 horas ds
manuM. Pede-se o comparecimento de todos oe


irmaos.
Consistorio da confraria, 5 de Zetembro de 84.
Jose Ramos de Ohveira Junior,
Secretario mterino.

Recife Drainage
A companhia faz public, para conhecimnento
dos interessados, que collocou no mez de agosto
proximo passado os apparelhos abaixo declarados:
Freguezia de Santo Antonio
Rua do Marquez do Herval n. 33, apparelho n.
5,607, Botdo.
Boa-Vista
Travessa de Gervasio Pires n. 29, apparelho n.
10,910, casa terrea.
Racife, 4 de setembro de 1884.
0 gerente,
J. Dowtjy Junior.

Clob Cet .Livre
Peco aos senhores socios .deA club que se po-
unham quJtes edmcn as u menalidades e a importan-
eia-dos bilhetes do bazar de prendas, at6 e dia 15
do cozrehte.
Thesourna d lub Cear Livro, 5 dd setem-
bro do 1 rb-<) 1teaoureirov
-, *.* ;^g.y A Iwm Dwarte.


0 official secretario,
Jodo Joauim de Siqueira Varejdo.

Santa Casa de Miseri-

cordia do Recife
A Illmrna. junta administrative da Santa Casa de
Miscricordia do Recife, na sala das suas sessoes,
pelas 3 horas da tarde do dia 9 do correute, rece-
be propostas para o fornecimento de assucar, sen-
do de 1", 2a e 3A sortes e turbinados, que fOr ne-
cessario para os estabelecimentos a seu cargo, a
saber: Hospital Pedro II, hospital dos lazaros,
hospit:il dos variolosos, em Joao de Barros, casa
dos expostos, asylo "de mendicidade, hospicio de
alienados, na Tamarincira, e collegio das orphas,
em Oliuda, no trimestre de outubro A dezembroe
do cor:cnte anno.. .
As lIropostas deverao ser em cartas feebadas,
devidamente sdtladas, indicando ( fiador e obri-
gando-se o arrematante a pagar a multa de 5 o/o
sobre o valor total do fornecimento, se no prazo
de 3 dias ntao vier assignar o competent t'rmo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia da
Recife, 2 de setembro de 1884.
0 escrivio,
l'edro Rodriques de Souza.


.iedo Porm ico
De ordem do Sr. president da Associaglo dos
Funcciunmarios Publicos Provineiaes, sio convidar
dos todos 6s associados para comp itrecerem no dia
7 do corrente, as 11 horas da manha, na s.de de
-suas sessaes, a run do Imperador, afim de proce-
der-se a elei*o do conselho que tern de dirigi-
no future anne a mesma associaoo.
Secretaria da Associaqao, 2 de setembro de 84
0 1, ,ecretario,
P. S. de Araujp Galvao.






Pro1ongamn to
DA
]Estrada de ferro do Recife ao S.
Francisco e estrada de ferro do
Recite a Carunara
De ordem do Illm. Sr. director cnzenheiro chefe
aco public que no dia 7.do coirrente serao abertas
ao trafego as estag5es de Barra e de S. Benedicto.
O horario dos trens e os pregos das passagens sao
os seguintes :


Santa Casa de Miserieordia do

Recire
A Ilhma. junta administra.tivN-a da, Santa Casa
de Misericordia do Recife, na sara das suaa ses-
soes, pelas 3 horas da tarde do dia 9 do corrente,
recebo propostas para o fornecimento do pao e
bolaeha que for precise para o collegio d:as or-
ihs em Olinda., no trimestre de outubrm a de- i --
zembro do corrente anno. -
As propostas dcveriao ser cnm cartas Lchadas, Una .......
devidamente selladas, indicando o fiador, e obri- Catende .
gando-se a pagar a multa de cineo peor cento so- Jaqueira .
bre o valor total do fornecimernto, se no praso de Marayal .
3 dias nao vier assignar o competent terno. Barra .
Secretaria da Santa Casa de Miserictrdia do S. Benedicto. .
Recife, 2 de setembro de 1884.
0 escriviLo,
f'edro Rodrigues de Souza.


Santa Casa de Miseri-

cordia do Recife
A Illma. junta administrative da Santa .Casa de
iliserieordia do Recife, na skda das suas sessSes,
pelAs 3 horns da tarde do dia 9 do co-rrente, rece-
be propostas p-ra o forueoimnento da came verde,
da melhor qualidade que houver no mereado, e
que f6r preeiso paraos estabelecimeatos a sem
cargo, a saber Hospital Pedro II, hospital dos
lazaros, hospital dos variotosos, em Joao de Bar-
ros, casa dos. expostos, asylo de mendieidade, hos-
picio de alienados, na Tamarineira, e collegio das
orphls, em Olinda, no trimestre de outubro A de-
zembro do corrente anne.
As propostas deverao ser em cartas fechadas,
devidamente selladas, indicando o fiador, e obri-
ganido-se o arrematante A multa de 5 o/., sobro o.
valor total do fornecimento, se no prazo de 3 dias
nlao vier assignar o competent termo.
Seeretaria da Santa Casa de Misericordia, do
Recife, 2 de setembro de 1884.
0 escrivAo,
S Pedro Rodrigus de SouSa.


Santa Casa de Misericordla do
Reife
A Illma. junta da Santa Casa de Misericordia
do Recife, na sala de suas sessSes, pelias 3 horas
da tarie do dia 9 do correute, recebe propostas
para o fornecimento dos generous abaixo dcelara-
dos, que torem precisos par a os estabeleeimentos
a seu cargo, a saber : hospital Pedro II, hospital
dos Lasaros, hospital dos Variolosos, asa dos
Expostos, Asylo de Mendicidade, Hospicio de
Alienados e ollegio das Orphas em Olinda, no
trimestre de outubro dezembro do c)rrente
anne :
Aletria, kilo.
Arroz, iaem.'
Aguardente, litro.
- Azeite de oliveira, idem.
Araruta, kilo.
Bacalhato, idem.
Banha de poreo, idem.
Batatas, idem.
ChA hysson, idem.
Cafe em grao, idem.
Carne secca, idem.
Cebieas, cento.
Farinha de mandioca da terra, litro.
Feijio, idem.
Fume do Rio, kilo.
Gaz, lata.
Milho, kilo.
Manteiga franceza, idem.
Potassa, idem.
Rape, idem.
Sablo, idem. N,
Sal, litro. -
Tapicca, kilo.
Toueinho, idem,
Velamdm cfnab%-w idAa.

Dito bmmep Me
Dito do Portb e em..
Farello, sa -o. ,


Estae6es


S. Benedicto.
Barra. .
Marayal .
Jaqueira .
Catende .
Una, .


A' tarde
TREMM 1


Chegada Partida



2h.
2 h. 40 m. 2 F 45 m.
3 15 3 20
3 40 3 45 ,
4 a 15 a 4 c 20 a
4 47 ,


De TRApuh
TBEIM M 2


Chegada Partida



8 h. 45m.
9 h.'12m.9 c 17 a
9 a 47 9 a 52
10h,12 ,10 C 17
10h.47 10 Ca 5 ,,
Ilh.32 c


PREQOS DAS PASSAGES


PASSAGE SIMPLE&
Esta0e __ _


-l.a classes 2. a casse



Dc S. Benedicto a Barra o600 $300
Nem A Marayal 14K) $700
Idemm n Jaqueira 2000 1 000
Idemn A Catcnde 2900 1.500
Idem A Una 45000 2.000
De Barra A Marayal 0800 5400
Idem a Jaqueira 1 1300 $700
Idem a Catende "2200 18100
Idem A Uua 3500 15800


PASSAGEM DE IDA VFOLTA

Estac 6es a

1.a classes 2.a classes



De S. Bonedicto A Barra <900 9500
Idem A Marayal .- 25100 1I100
Idem A Jaqueira. .. 35000 1l500
Idem A Catende 4100 25200
Idem A Una 6000 3
De Barras A Mryal 1M200
Idem a Jaquewa. -. 21000 IOO
Idem A Catde. 39300 1S700
Idem A Una 51300 20700


SOs o de' mrado-aa contam das respecti-
v8 t a qt m ser conulta as na est-
,ies .-. .. .
i sa do prolong ga'ow 4 ,tada d fer-
, .30^Craiild aeteai? des84 Ai' do

U?--";. J^**-POO wl^ t~~^- .-


I


*I


PrincipiarA as 8 e 1/4.
Havera trem ate Apipucos"
Bonds para todas as linhas.


Teatro dl a clodu lDriiaticm

Nova Thalia
No -Caes do Capibarlbe n. 40
Segunda.feira 8 do corrente
Espectaculo em solemnisa9uo ao 3o anniversa-
rio da socieldade,
Dep:.is que a orchestra regida puio maestro
Marcelino Cleto tiver execntado utna dlas pceras do
seu repertorio, sera cantado em scena aberta o
hymno da sociedade.
Seguir-sc-ha a representaeao do apparatoso
drama em '6 quadros, original francez, intitulado:
Trinta annos
oU
A vida de lumn jogador
Terminara o espectaculo con o engracado
duetto:


A {ll1ia doI feiti!o
Principiarf d(s 7 horas
Tocara durante o acto a musica do 2o
de infantaria.


batalhao


THEATRE



Santa Isabel


CbIUB ARLO8 GOIi8
&.o anniversario
Grande concerto 'vocal e instrumental
Ao subir o panno o corpo artistic do club, can-
tara o hymn(rda Independeneia, que saeral 'orres-
pondido pelas baudas de music e em seguida a
oanda do'Club executarA o hymno do mesmo.

Consta o concerto do seguinte


Programma
PRIMEIRA PARTE
Symphonia do- Guarany,. pela
banda do Club
Stabat Matter, plhmantasia a dois
pianos pela Exm.a Sr.a D.' Maria
C. Rodrigues e o Sr. Elias Pom-
pilio
Puritani, ,,Qme la voce su suave ))
Saria pela Exm.a Sr.a D. Leondilla
A. Almeida
Macbetin, phantasia para flauta,
pelo Sr. Candido kilho
Ballo in macmeheva, Ma d'all'
arido stella durilsa, aria pela
Exm.a Sr.a D. Maria A. G. Tei-
xeira
Phantasia, sobre o hymno na-
cional brasileiro, para piano pela
Exm.a Sr.; D. Germana Vicira
lymno, eseripto expressamente
para a iuauguraqto da exposiiao
de Philadelphia, a mandado de S.
M. 0 Imp'rmador, cantado por co-
ros de ramunlIhos us sexos, e executa-
do a gramnd orchestra e banda,
sob a dlirecao do Sr. Enclides
Fonseca


C. Gomes.


Lakee.

Bellini.
Rabboni.


Verdi.


C. Gomes. I


C. Gomes.


Iatesv'allo de tI mninutos
S xlJTNDA PARTE


Propheta. marcha a grande or-
chestra e bamda do Club Carlos
Gomes
Salwvator- Rosa. symphomna a
dois pianos pelas Exm.as Sr.as DD.
Hermina Maii, Maria C. Rodri-
gues, Florinda Maia, e Euclides
Fonseca
Romance pelo Sr. Joaquim Fran-
cisco Vieira
Jerunailm. phantasia a dois
pianos pela Exm.a Sr.-' D. Florin-
da Maia e o Sr. Elias Pompilio
Bigoletto. duetto do 1 acto pela
SExm.a Sr.a D. Maria A. G. Tei-
xeira e o Sr. J. Vieira
Normas. phantasia para flauta
pelo Sr. Candido Filho
Giievanna d'A.4re Ta sei bella co-
ro de ambos os sexcos corn acom-
panhamento a grande oyehestra
Principiara as
Trens parn Apipueos e Olinda.
Bohds partatodas as linbas.

Aviso


Mcyerbeer.



C. Gomes.



Gottschalk.

Verdi.
Briccialdi.


Verdi.
8 1/2.


Nao ha prefrencia de lugares seno psar os
eoicezrtatesaea ims 'fumiliaa, a. mAnmissoet da
impsma q.4e a goe es a quem estao reservados
watotes Ae i, oord da esquaerdn galisas e
todeb os eamarotes t oi pa.


*-:~ .= vi s' Q%6
J- -
l~-S r


SANT4 I S1BSLL

8ganufa-heirl, 8eo setimbro

Grande festival abolicionista!
Sesseo extraordinaria e solemne da
sociedade

AVE LIBERTAS
1I PART
Posse da nova directoria pelas Exmas. Srs. DD..
Odila Pompilio, Maria Albertina Pereira do Rego.
e Leonor Porto, seguindo-se a sessao litteraria
onde fallarAo os diversos oradbres inscriptos como
representantes das sociedades convidadas e adep-
tas a idea.
.2' PART
Concerto vocal e instrumental regido pelo dis-
tincto maestro

ELIAS POMPILIO


onde se olservara a ordem seguinte:
PIGQ11MMAX
1. Ritorna vicittore, aria da opera
-Aida, pela Sra. Rosina Gi-
noline G.
2. Phantasia sobre motivos-Nor-
ma-para violino e piano, pe-
los esperanuosos jovens Au-
gusto Hygino de Miranda Ju-
nior e Tito Hygino de Miran-
da D.
3. Phantasia para fituta sobre
mnotivos da-Linda de Chtii-
mounix-de Donizetti, pelo Sr.
Joiio Alves G.
4. Vittoria mio core! Romance
para baritone, pelo Sr. George
Nind Cai
5. Aria variada, opera c'arinetto,
pelo Sr. Antonio Martins A.
6. Pot-Pourri, da opera-Rigo-
letto-de Verdi, para flauta,
violino, violoncello e piano,
pelos Srs. Jobo Alves, Marcel-
line CI-eto, Santa, Rosa e Elias
Pompilio E.I'
7. Carnaval de Napoles, para flau-
Sta, pelo Sr. Candido Filho Folt
8. Grande duo, para clarinetto e
flauta, sobre motives de -
Fausto -- de Gounod, pelos
Srs. Joao Alves e- Antonio
Martins E. (
9. Phantasia, para violino, sobre
motives da opera--4ugueno-
tes-pelo Sr. Marcellino Cleto J.
10. Duetto do 20 acted da opera
-Traviata-para baritone e
soprano, pela Sra. Rosina Gi-
noline e Sr. George Nind Vet
11. Qnartuor, para flauta, violiao,
violoncello e piano, sobre mo-
tives da opera-Macbeth-pe-
los Srs. Joao Alves, Santa Ro-
sa, Marcellino Cleto e Elias
Pompihio P. ]


Verdi,




Alard.


Rabboni.

rissimi.
Klose.


Krakamp..
tz.



JavallmiL

Singelee..


rdi.


3onea


Os acompanhamentos serio feitos pelo Sr. Elias.
Pompilio.


IARITI1~OS


Para o Ceara

Segue o hiate national S. Loureu
Vo comnbrevidnde, por ter prompto
part de seu cairregtaaMento ; a,
trLtir no escriptorio de Bartholo-
iaeu oureno, A runa da Mtadre de Deas n. 8, ou
no caee do Loyo, a burdo, corn o mestre.

United Stales & Brasil Mail S. S. C.
0 VAPOR

Advance

k ~ Espera-se de New-Port-News
at6 o dia 12 de setembro, ?e-
guindo depois dademora ne-
cessariapara

Bahia e Rio de Janeiro
Pelos vapores desta companhia dao-se passa-
&ens para Liverpool ao prevo de 200 dollars ; o
passageiro desembarcaado em New-York tern ga-
rantia a passagens pe-a Liverpool quando Ihe ap-
prouver por vapores de la ordem.
Para carga, passagens, encommendas e valores,
tracta-se corn osA
AGENTS
nry Forter & C.
S3 UADOCOMhJurC(IO -. N. 8
1.Mla ndar
CrPALNEA MIUNAinUCAMA


-. DE,
DR
Ka~ifaft im~era ervapor


-. ..geno.dia




; ,,.:-
,,, -;,,. ,.. ,, 6 '


- 6
















Macei4, Paeedo, A Aaj, ,Estarncia t

0.Vapor JaPgwsu
commandante-Om
seguirA no dina10
comreute, 4sP5 boras
Recebe carga at
dia 9.
Encommendas, passagens e dinheiro a fret
As 3 horns da tarde do dis da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
Companhia 3rasileira de Nay
gaao a Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor
Manaos
Co,,wim,.i.ife Gcuilhernme Waddnigqton
: E' ecsperado dos portos
~<'"; s ulat6 o dia 11de setemb
J:. ... -.. e seguirA. depois da denm
m'":-;'ra indispensavel, para
.... portos do norte at' M
naos.
Para carxa pssigens, encommendas e valor(
uratca-seO na agecia
46 RUA DO COMIMERCIO 46
PORTOS DO SUL
0 vapor
CearfA
('omrwna,'l' o 1 fcnene Gu;lherme P]
(i<-co
1, ,--.perido dos portos do no
tc to di 12 de setembrc
,.\ / \ ,.il inir,' depois da demo
4 T/ (10 COo3tstnine para os portos<

Rccebe tainbemcne ra p.ra Santo a o i;ao -raz
e, t'te inedico."
Pamr carga, pass. aamn, uacomnwaud;. valorc
,ti'.cta-ye r.; ;t 2ii ;ica
46 RUDO A COMMERCIO 46
II 7"DAIML STE N it
co,"I"PilNY


G rande redeuiio nos pree
pa'sSage Aim
0 PAQUETE A VAPOR
YUbe


os dla


riba,


a












d<
br(
10.
ao









[a
dt
es









)r-
oe





a
>r


is

I-








. 1
do,
a






0
U


CG~mndaifnBrander
,"..?W E'cs] )erado daEuropa no dia
/. !. ) 1~0c 11 I do corricnte. semmindo
-"^^ V J l' j uis da deo ate hccussaria

Bialia. Rio 3e t aanfeiro, Mloate-
vle e Baenos-Ayr'es


U PAQUIETE A VAPOR
Gautlbianan


Cosmsmatml.-ute Ifortou
"' '- espeara,.o dn Europa no dia
-. ;.. -, .'i;i:. 1 do corrente, seguindo de-
-- ., ._.". ,-. pots di dcmora nccessaria para
aee io', Iahila, Rio de Janeiro
e sasntos
l)eDixmu da tocar em Bordceos cm consequencia


.s ((r Qiienitenumis nos p .rtos brasiceiros.
Itinerario
IDA


bahidn




a


Sahidas
if
Chegada


a6S
<,

,::)$


Southamuton
Rordea-_:
Vigo
Lisb~a
S. Vic-n ate
Pernauibuco
Macei6
Bahia
Ri-o de JanAiro
Santos
Montevideo
Buenos-Ayres
VOL
BuenosAyrcs
Montevideo
Santos
Rio de Janeiro
Bahia
Macei6
Pernambuco
S. Viccute
Lisboa
Vigo
Soutliampton


1 9
i
13
13
20 2i
21
22 26
26 23
28
5
7
TA
17
18
NP
24
27
ii^
o 29.

5o 15


tocara se precisar carvao.


Para passagens, fretes, etc., tracta-se corn os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
3-1Rua do ,Commerel--3
-~ 0 PAQUETE A VAPOR
Tamar


Commandante A.


E. Bell
E esperado
do sul no dia 29
d6o corrente, se-
guinde depois


da demora necessaria para Lisboa, Southampton,
etc.


LEILOES-

Leilo
Da casa terra sita a rua de S. Jorge n.
34, freguezia do Recife.
Da casa terrea sita a rua de Luiz do
Rego n. 37 em Santo Am-ro.
Sabbado, 6 do corrente
A's iAl horas
0 agent Gusmao farA leilao dos predios aeima
mencionados podendo desdeja serem examinados e
para mais informers o m amoa agen_ ala:l-

Leilao

De mivel e


MWUgww


k. 1 :


De nioveis .e -uadros
SA' sa-ber .- Ialla bl.inamoea, I saantia'0,
estate parm livmlos, I s&.,eiatiea,I eBBuioda
inteira, cai c'f eAp e ou tos-.bbjecw.
Aget --ritto
Sabbado, 6 do correnle


A's I horas
NO PATEO DO CARMO N. 9

Leilao
DE PREDIOS

Carmo e Silva
Por alvarA do Exm. Sr. Dr. juiz da provedoria
a requerimncnto do Sr. consul de Portugal, farA
eilao dos bens abaixo, do espdlio do finado Jos6
Goncalves da Cruz, e coin assistencia do mesmo
Exm. juiz.
Terfa-feira, 9 do corrente


Ao meio dia
1 sobrado de 2 andares, sito na rua Vellia de
Santa Rita n. 40, em solo proprio.
1 casa termrca, nim rua Estreita do Rosario n. 16,
esquiua.
1 casa terrea na rua da Ventura n. 20, Capun-
ia, corn grande accommnodatto e sitio, em solo
proprio.
Na agencia

27---TrMgssa lo9 Cor0 Saut0
Ondc so dara qualquerinformagioi

Le dao


Cf
C)

pi


2_


Da armiacro de ainarello, mereadorias, co-
fre. utensilios e dividas activas cxisten-
tes na loja de ferragens sita a rua Duque
de Caxias n. 111, pertencentes a massa
fallida de Main Ramos & Santos.
EM LOTES
Terfa-feira, 9 de setemnbro
A's 11 horas
0 aigentfoe GusrnAo tarA leillo por mandado do
ExInm. Sr. Dr. juiz do direito do commercio, A rc-
(quierimento do Dr. curado.- geral e depositarios,
da lrmaloaG, ferragcns, cofre edividas pertencen-
tts A 'ojia acima mencionada, o que serA vendido
emin lot's a vont.ide dos senhores compradores.

Leilao

De mioveis, lou.as, vi-
dros, espelhos, crys-
taes.
Tomr -finr 9 do cofrornto
Uma mobilia de juntco em perfeito estado de con-
servacio, 1 guard louea envidra9ado, 1 guarda
roupa, uma mesa elastic corn 5 taboas, 2 magni-
ficos espelhos ovaes quasinovos, 1 guard comida,
1 par de aparadores t rneiados, unia commoda, 1
rclogio de parede, 1 mobilia de jacaranda gosto
antigo, 1 cama de lona, 1 lavatorio, 12 cadeiras de
pao carg-a, cops, garrafas, lanternas, apparelho
para jintar, e inuitos objeetos.
0 agent Alfrcdo Guimarans competentemente
autorizado venderA em ieilao os objeetos acima
minencionados em sua ageneia a rua do Born Jesu
n. 45 srcm reserves de preqos.
Principlara as I_ horas

Agenle Burlamaqui

Leilao


De casas terreas em boas ruas

nLart-foira, 10 lo oto Mbro
A's II horas
NO ARMAZEM A RUA DO IMPERA-
DORN. 22
0 agent acima levari a leilAo 2 casas terreas,
1 no largo do Arsenal de Marinha principio da rua
da RestauraSo 11. 4 cm chio proprio, corn commu-
dos e sotio, outra dita na rua dos G-uararapes n.
21, todas na freguezia de S. Fret Pedro Gongal-
yves, os Srs. pretendentes desde ja' poderao exami-
imar as casas.

Agente Burlamaqui


Leilao
De bons niovels, Ioua e 1 es-
pelho grande
Quintla.feira, 1 de Setembro


No sobrado a rua do Imperador n. 51
0 agent acima autorisado por uma familiar
que vai de muda para a corte, venderA em leilao
ao correr do martello, uma important mobilia de
jacarandA, 1 rico toilette, outro dito pequeno, 1.
earna franceza de iacarandA nova, 1 commoda, 1
guard loiea, aparadores, mesa elastic, cadeiras
de junco, e outras de guarnicAo, dita de balance,
1 mesa para cscriptorio e gavetas, 1 marquezio e
outros muitos moveis e vidros, que estarao 'a vista
dos Srs. licitap es.


I I


AVIS@S~DWUiOF


Precisa-se de u ama saanque 5iibaI cost-
nhar e tratar do arranjo de uma, r sa : atratar
na rua do Amorim n. 1.


PRECISA-SE de um mnenino para viender
bolos e algumas cousas ; a tratar na rua de S.
Francisco n. 8. .
- Aluga-se a. easut do Dr. l0 lo ABranco,
sitano Beberi e fi e& 0 o 0 tojga,0g-
ate3a-se timpa, cOr boum!W6
conmodos : trats-se cm o apropieta .4a w
Cruze" n. 23.


- Procisa-se dousu
lima ctiannc ;- imorun:1


Na mo:e& cas vemndne-se e alugi-se
a do Carmo, em Oinada n. 2, muito _..


fresca e perto dos banhos do mar. Na mesma casa
tona-se uma orphiE de 12 annos, dando-se born
tratamento e edCcaqAo.
A inga-se ona grade easa cm Santo Ama-
o aaLeni^a idoGomesn. 4, muito fresea,
co7 gdaidevsota' 4m a graudea quitamp
cumPraoe. d a csd? a : a tratar na
aa da aImperctrim.4 t n5oeplado n dar,.
rAeiga-se a toa n. l17 A run.doMarcilio
'Dias : a tratar na rpxa da Cruz n. 566,-10 Aniar.
--- Precisa-se de um'; oejiheira:Ta tratar na
rua da Imperatriz n. 15, primeiro andar.
Aluga-se o sobrado n. 33 (,, rua de y-
sandA, esquina da travessA do Cajaeiro : a tratar
na rua do Baro de S.. Boja n. 35. As chaves se
acham no andar terreo do mesmo sobrado.
Aluga-se a loja n. 117 A rua de Marcilio
Dias: a tratar na rua da Cruz n. 56, primeiro
andar.
recisa-se de un empregado para serviTo
bracal : na rua do Aragio n. 37.
Na rua de S. F'ancisco n. 54, se offerece
uma mulher pars o serving intern de urna casa
de familiar ou mesmo de home solteiro.
Aluga-se a casa de viveuda do DP. Castello
Branco, sita na povoacaio do Beberibe, entire as
duas ultimas esta95es, coin muitos commodos,
murada, born jardim cultivado, pintanda e limpa,
g6so de fructo dos arvoredos e banho do rio, pro-
ximo, corn born banheiro : tiata-s- corn o pro-
prietarij A rua das Cruzes n. 23.
Precisa-se de uma amra n* rua Duque de Ca.
xias n. 2.
-Precisa se de criados, a rua da Imperatriz
n. 15.


Precisa-sc de ua arama para cosinhar, com-
prar e tratar da limpeza da casa; a tratar na
travessa do Carmo n. 10, .becco do Sarapatel.


CANA FELIZ
AOS 4:0004000
BfILHETES GARANTIDOM
Pra~a da Independen-
cia ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu entire os seus
telizes bilhetes garantidos a sort de 1004
em 2 meios n. 2553, alem de outras sor-
tes de 326 166 e 86.
Convida os possuidores a virem reccber
serm desconto algum.
O abaixo assignado tern exposto A
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
loteria 69a a beneficio da Santa Casa de
Misericordia do Recife, que se extrahirA
quarta-feira, 10 do corrente.
Pre4os


Bilhete inteiro
Meio


Quarto
Em porvio


de
el


Bilhete inteiro
Meio
Quarto
Anto: io Augusto dos


46000
266WO
16000
100,1000 para
na


36500
16750
6875
Santos Porto.


At S UOSA

los 4:000$000

BILHETES BAAlTMOS
16-Rua do Cabuga- 16
4Acham-se A venda os venturosos bilhe-
|tIgarantidos da loteria n. 69 em beneficio
da oanta Casa de Misericordia do Recife
quo se extrahirA quarta-feira 10 do corren-
te.
PRECOS
Intelro 4:000
Meio *:000
QUarto 1:000
ftendo quantidade superior
a 100:000
Inteiro 3:500
Mlelo 1:9150
Quarto I &15
Joaquim Pires da Silva.
Ao commercio


A viuva Lages declara ao respeitavel corpo
commercial que mudou o seun escriptorio para a
rua do Amorim n. 42, primeiro andar.


Costureira


Precisa-se de uma costureira : no Pinaud Pa-
risiense, A praga da Independencia ns. 2, 4 e 6.

Al tga -s-
o segundo andar do predio n. 82 da rua de Mar-
cilio Dias, corn commodos para familiar, e em per-
feito estado de asseio, corn agua potavel: a tratar
no caes de Apollo n. 75.

Aluga.se
uma grande easa corn todo o asseio, propria para
qualquer familiar passar a festa, na cidade de Olin-
da, rua do Bispo Coutinho n. 14 : a tratar na
rua da Roda i. 52 ou 45.

Grande reduccao de


prevs'
Cortes de vestido de cretone e percalina, mwo-
ermissimios.
Fichn= Sucinrona9 2- qR A S 1 S .' C V{nVl*


inbps e plastronw para

0 woado.
Aia &eqva4dIo.
)'~ ocovado.


noeJ um pqtsead livro do itot, cutdonts4o u
dinheiro e papers de imporsneia : moga-se ena
recidamenti a entrega de tudo, on saoeuiS
papers Bomente, a rua ltarga do Rosario 2
loja. : :'

A Viuva die Joao Baptistas. oavettura Rodr
g05 de' Almeida eonvida Ps seas craeoreo pa]
no P o -do eis digs,, s. s e q1 1 aftment E f*
2pu~sPparn4elibmwor aqft deV-e l sr bbrO oil
- Jezuina Herxiqueta Rodrigues de Almeidi
Vacea


Vende-se uma vacm a eom cria :
tar na estrada de Belem, taverna
Alegre


para ver e tra-
lior do Campo


Flores
Antonio Jose Maia & C. teem lindo sortimento
de flores finas, A preas razoaveis ; na rua do
Barao da Victoria ns. 34-36.
AttenVao
Antonio Jos6 de Lemos, successor liquidante de
Jose Faustino de Lemos e de Lemo3 & Irmlog no
estabelecimento de molhados, sito sob n. 341 da
rua da Imperatriz nesta cidade, pelo present ro-
ga aos devedores das ditas ex-firmas ma o referi-
do estabelecimnento, -venham liquidar em termo
breve, nao excedendo a um mez, suas contas para
nio forgal-o ao uso dos meios judiciacs par& dito
fim. Recife, 5 de setembso de 1884.


Ao comimercio
David Ferreira 'altar declara ao respeitavel
corpo commercial, que tern dissolvido por mutuo
accord a sociedade que tinha corn os Srs. Baltar
Oliveira & C. no armazem de assucar sobre a fir-
ma David Ferreira Baltar & C., ficando a cargo
dos mesmos Srs. Baltar Oliveira & C. o active e
passive da mesma firma. Recife, 5 de setembro
de 1881.
Ao conmmercio
Os abaixo assignados declaram ao corpo com-
mercial c corn especialidade aos seus freguaees,
que desta data em diante ficarao serm effeito as
procurac5es bastantes. que passaranm aos Srs.
Jca'o Rozendo da Silva, Esteva'o Jos6 Marinho e
Eugenio da Silveira Dutra. Recife, 10 de setem-
bro de 1884.
Jos6 Pereira Carvalho e C.
LINHA COATS"
Lustrosa para machine, e a Macia de 6
fios tanto para maehlna como para cozer a mao.
-Nao se usa mais linha em novello-
Pede linha em carretel corn o nome
J. &P. COATS. -






Coronel Dondngos Affonso
vS ,S'^Nery Ferreira
A viuva, filhos e genros do coronel Domiogos
Affonso Nery Ferreira rogam a seus parents e
pessoas de sua amisade o earidoso obsequio de
acompanharem A ultima morada os rests mortaes
do mesma coronel, que se acham depositados na ca-
pella do Cemiterio Publico, acto que teri lugar
pelas 4 horas da tarde de hoje, 6 de setembro.
Carros A rua do Imperador.


CASA AD FORTUNA

Aos 4:000$000

BILHZOTELOAM=N~D
iua Primeiro de Uarco n, 25
0 abaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bjlhetes dous quartos n.
2,693 com a sorte Ite 4:0006000 o inteiro
n. 2,769 corn a sorte de 8006000, dous
mneios n. 2,584 bm a sorte de 200#000, um
meio n. 3,204 corn a sort de 100#, dous
quartos n. 1,914 com a sortes de o100, alnm
de outras sortes de 326000, 16# e 8#, da
loteria (68.'), que se acabou de eptrahir,
convida aos possuidores A vh'irem r3ceber
na conformidade do costume sem desconto
algum.
Acham-se i venda os seuns aforlunados
bilhetes garantidos da 204.4 parte das lo-
terias a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife, (69"), que se extrahirm
na quarta-teira, 10 do corrente
PRECOS


Inteiro 4#000
Meio 26000
Quarto 16o000
oim quantidade malor de 1 00
Inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto 6875
Manoel Martins Fiusa.



'CUA DO O-UR O
Aos 4:.000$000


R a do ariao da Victoria a. 40O
Seas xdo eotuWane
0 abaixo aaoignado acaba de vender
am seus felizes billietes dos quartos de
n. 2,693 corn a sorte de 4:000W)0, /dous
ditos de n. 1,9e14 com a sorte de 1004000
e divensos Prweios de 326000, 16PW000 e
-.0Miemoab~xo Rassigxnado zrnvi(U a os
:p;8sidore8 a virem roceber &a c onoriri--
4#W ii costume *aei en to I


iN1E'.OFFJCINA DE ALFAJATE



IA LItSTOSA &


41...tua do Bario da Vicloria...4 i|,
N'este acreditado estabelecimento se encontrara sempre um sortimento,; ziD
pleto de pannos finos, casemira do todas as cores, proprias para costumes e calew"6
cebemos 4rectaminte .,o t._ fazendas por todos os vapores da Europa.
branco e de cores, e todas as fazeudas tendentes A urma casa nesse genero de negocido.
Aprompta-se costumes para luto em 12 horas.
Dispoe de um pessoal habilitado 4 corn os melhores elements para aervir
a seus amigos, e a qualquer pessoa que quizer honrar seu estabelecimento corn suas
encommendas.
41---Rua do Bar'o da Victoria-41


SeHERM. PETE4SEN & C. corn-
Smunicam aos seus fregpiezes e amigos P

| que na present data tern mudado o seu,
Sestabelecimento da rua Marquez de M
< Olinda n. 13 para a do Bispo Sardi' ,

Snha n. 1 (antiga do Encantamento)
-1 onde continuam corn o mesmo genero
^ de negocio (como representantes defa-

Sbricas da Allemanha.) .
Munidos de novos e explendidos
sortimentos de amostras, convidam aos
seus amigos e freguezes para Ihes hon- ,
rar corn suas ordens, e pedem que lhes N

^ dispense no future a mesmina confian- ^

Sa que tao obsequiosamente Ihes tern m
dispensado ate agora.

^ Recife, 1 de setembro de 1884.

Herm. Pertersen C. -







ATTENIAO

Grande liquidayao para


acabar


Chiitas de cores fixas. lindos padres, a 200, 240 e 280 rs. o covado.
Lis e alpacas de cores a 240, 300 e 400 rs. o covado.
Setinetas lisas, de listras e de cores flor3es a 320, 400 e 500 rs. o covado.
Fustlo branco proprio para vestido a 400 rs. o covado.
Dito encorrado a 600 rs. o covado
Camisas de linho para homem a 2'500 uma.
Toalhas felpudas a 500 rs. uma.
Camisas francezas, de chita, a 16200 unia.
Colxas de cores para cama a 16500 uma.
Lengos broncos, abaianhado, a 14500 e 26000 a duzia,
Brim pardo, liso, a 280 rs. o covado.
Setim bronco, superior, para vestidcs de casamento a 10000 o covado.
Setineta e crepe para cobeta a 800 rs. o covado.
Cretone francez para coberta a 500 rs. o covado.
Chitas de ramagens pars coberta a 240 as. o covado.
Brim de cores, linho superior, a 16800 a vara.
Fil6 de C ores, proprio para vestido a 400 rs. o covodo; assim como roupa
de boa casemira para home, por menos que em outra qualquer parte ; para o grande
annuncio chamamos a attenoo das Exmas. families. Na rua Duque de Cazias n. 88
loja das quatro portas. N. 88: a ella




DAN B LIIUIDA IAs


Liq(idamn.se corn diflerenpa bern sensivel dos pre~os do costumo


os segnintes artigos
Madapoloes avariados, a 36500 o 4#500, corn 20 varas.
Ouftes e cretones para coberta, a 16000, o metro I
Chitas corn ligeira avaria, a 240 rs., o covado ; conv6m !
Camisas de linho para homem,,a 42#000) a duzia!
Brim pardo, liso, a 320 rs., o covado!
Popelinas de quadro, a 300 rs., o covado!
Zephyro para vestido, a 280 rs., o covado!
Chales de Casimira, a 46000, um 1
Brim brancoe superior a' 16600, a vara!
Corte de colete, a 2000, ura! ,
Ditos de dito de fusto,pecialidade nesse genero, a 46000, um !
Lindimi osio cGrtes de casimira, a 3500 e 5000, urnm!
Mos c rutas hpanS oem, a 46500, duzia.
sC^tumes do ainhos de mar;a86000urn!
r chus pars orianoas, 1,500,um I
Toallias ilepdaa, 56000, a duzia!
OolchZes para cawsa, a 70000e 126000, um:
Merin6 proto, a 1#200, o covado!
Brim esallgodlo,- a a28 m., ocovado I
C A D isazVfa & WrgA 1


/I


!


Em continuaiao


?


I


t


I


I


1 l1 U


'. ,i- -

















CHAPELINAS E CLAPEOS
NA


Praia da lndepenencia as. 56 40
DE


J. da Sllva Carvalho d& C.e


Urn Undo sortimento em chapellinas e chapios para se-
ahoras em todas as cores, ultimos modellos do mez de
Nesta casa tern sempre urn complete sortimento emartigos de
chapellaria, tanto para homes, senhoras e criangas, s recebe
mensalmente das principals modistas de Paris o queha de miais
alta novidade em chap6os e chapellinas.
Garante-se sinceridade e pregos modlcos.


---..'--------------------------------.-...... -. ..-.


Aluga.se
a casa terrea sita A rua do Forte n. 26 por 204000
miensaes ; a tratar na rua Nova n. 14, thesouraria
das loterias.

Alugaise
a casa terra corn sotao, gaz e agua do Bebcribe,
sita na rua de Paysandu n. 22 : a tratr na. rua
de Vigario n. 31.
OLINDA
No dia 11 do corrente mez, depois da audiencia
d'esse dia, vai A praca no juizo do capellas, para
ser vendida, a casa terrea n. 7 A rua Xavier Santa
Ro-a, corn 2 salas, 2 quartos, sotAo, eosinha inter-
na e quintal em aberto, avaliada em 250,, perten-
cente dita casa ao patrimonio do SS. Sacramento
de S. Pedro Martyr; praca que foi requerida polo
respective administrator em consequencia do es-
tado de ruins em que ella se acha.
Olinda, 22 de agosto de 1884.
Attend o
Constando a abaixo assignada que a lancha de
sua propriedade denominada Joven Adolpho, ma-
triculada sob o n. 573, foi penhorada pela mai do
Sr. Manoel Carpinteiro de Souza, para pagamento
do que a ella deve o Sr. Augusto Jono da Silva
Ribeiro, na qualidade de socio capitalist da firma
Silva Ribeiro, Filho & C., pelo present vem pro-
testar contra semelhante penhora, para que nin-
guem lance sobre a dita lancha, quando tenha de
ir a praca, emquanto o nio faz judicialmente.
Recife, 4 de setembro de 1884.
Anna de Barros Ribeiro.

AMA
Precisa-se de urna ama para cosinhar e com-
prar : a tratar na rua da SanudAde n 16.
Cosinheira
Precisa-se deuma cosinheira : na rua da Au -
*ra n. 156.
Ama
Precisa-se de unra ama de leie : na run das
Ny*iphas n. 26-. .

Indice AIphabefico e Res

versivo

Da lei da Beforma Hypotheca.
ria e respective regulamenlto


MMt iiriftt
LUITE BE AVELIIZ
Coneentrado, perfeitamente incoagulavel
e conservado para exportagao
PELO B CHAREL
Joo hBptisla Gitirana Costa
Manipulado pelo cirurgilo dentist
Nimia Pompilio
Privilegiado pelo Governo Imperial e approva-
do pela Junta Central de Hygiene do Rio de Ja-
neiro.
Para a eura de cancros, feridas
chronicas e syphlUtleas
Unico deposit geral em Pernambuco
Rea do Barao da Victoria (out'ro-
ra Bua Nova) n. 4 t- andar

o rn1 Irtdo n, p 12,Ioia dllDro
Preco de cada frasco para cancros 6;000
Formula especial para ulceraq5es e gra-
nula5es no collo do utero e cancros
syphiliticos 5000
Para feridas 63000
Para calos 2O000
Cada frasco leva o retrato do bacharel Gitirana
Gosta e assignatura de proprio punho e rubica de
Numa Pompilo corn tinta encarnada.


Luz brilhaote sem fumo

Oleo aromatic
HYGIENiCO EI ECONOIICO

Para l\m


Martins & Bastos


pelo bacharel Pemrnambuco
LOIZ BE kaLB QR UII j-Nmero telepb .
TINSl IRM Fabrict a vawor, go a os
Antonio Jos6 Maia & C., proprietarios
Natural do Recife e jiz de dste esabelecimento, avisam aos seus nu-
t0 da c d l merosos fregnezes e a todos os Srs. com-
direeto da comarca de Alcanlara mercianteemgeral, desta e das outras pro-
SII vincias limitrophes assim como ao respeitav-
as Iaranhao. Ielpublico desta capital, que em vista do
Esti no pro, e sahirh bre. -gandedeposito e augment do fabric,
resolvem vender os. seus cho pe, pr prep o
: fIIlt. ~e condiges sem competencia. Deposit
da fabrioa A rua do Barao da Victoria no.
&i(uua n me e Aserii rio do 34 e 36


&bum-w* uw xju-*v rww y-* --
e no da folha do Norte.
volume de mais 80 pagi
'4rN, pagos UI O
.'


Criado
Precisa-se de um criado : no large da Pelaha
n. 33, hotel. .

Aos caixeiros em geral
I Oamiidam-se 0 todo0o0eft>i8 4' eldff ade
a % ur reniaoque tmr e u og 0l dl.afeia
O.- I^.'* i .. A. *aM 1?nio saUma rda


Cmse-se vestidos e toda ilqui u
figurios o perfdO1to we CORZU
tualidade=: ia rua do Pnncipe a Ci
fu*to a taverna n. 22 A.


Boquets de apurados e
novos gostos
m0 bel conhecido fabricante de bouquets, Joste
Samuel Botelho, se faz lembrado neste trabalho ;
alpm da reputaAo grangeada nelle, pelo gosto,
promptidao, asseio, etc., tern hoje para offerecer
ao public novos porta-bouquets de bem estudada
e reflectida comnbinalo de gosto: a tratar na rua
do Cabugkn. 1, loja de relojoeiro, e na rua da Ca.
deia no Bcife n. 43, loja de selleiro.

Creada
Precisa-se de una criada de b6a conduct para
andar corn duas criancinhas de quatro e cinco
annos de idade: a tratar na tua da Aurora
n. 27.
1600oo0
Aluga-se a casa terrea n. J A rua do Riachuel-
lo, na Boa-Vista, antiga do Destino, corn 2 salas,
2 quartos, cosinha f6ra, quintal ; a chave acha-se
junto n. G, e trata-se na rua da Guia n. 62, Re-
cife.
Cosi~llhlan
Precisa-se de uma ama para casa de familiar :
na rua do Rangel n, 13, segundo andar.
nlicavh do demnthemn ct
Vicente A. do Espirito Santo explica mathema-
tica na rua de Apollo n, 2, primeiro andar.


BARATO
Vendem-se barato os seguintes livros: Im-
prensa Indusltrial, revista de litteratura,
sciencias e artes, 2 volumes. A Mai de Fa-
milia, journal illustrado, 2 annos. A Volta do
lundo, journal de viagens e assumptos geogra-
phicos, illustrado, e a Illustracao Brasi-
leira, journal illustrado.
Nesta typographia se dirA.

Urgencia
Pede-se ao Sr. Joao Jos6 Mendes Bastos o favor
de vir ao Pombal, a negocio de interesse.
Recife, 3 de setembro de 1884.


'1~
ROWLANDS'
KALYDOR
,a oriental e vegetal pawr aforms*ar a c6r e a
Pde fat desapparecer a Sanla%, aear trifguetfl
* tostada, M ordeduras do Ieoolpi today EruP.
1o da Peo/e. Durante o tempo. da calor 6 um
exclfente refrigerante pam o Rosto, as Melos
O BrpO4s. E' completamente inoffensiva.-A agu
ROWLANDS' KALYDOR de 20 Hatton Garden, LONDREI
Imscatm em todas as Drogaria e Pfm

d_-i-toma_- C ---"oi- _em
PIOUle S do r Appetit .
de IODURETO de FERRO e de QUIII d
TRINTA ANNOSdI bom Exito tem demonstrado
a efficacia incontestaveld'estas PilulaBquoeucerramn
rodoe os elementos predws para a regewfrapo do avnue.
Pelas suns propriedades toncMas detpratvak.,
6 o 0, dimmentem action cowtr as
SDre dof Ustomago Ch-oron Anemia
Per,^ de Appetite |
Canhgo--hpobreclmento do Sangue
Aff6e6es escrofuloean, etc.
Dosits e ral: 9, rn de ortulll4lAt-termal, PAKIS
lb Prnambuoo: FRA- I. da SILVA & .
_" .. -- hw,t,,.
| EXPOSIT! h UNIV" 187a
ibdaiile dO,'r 'roixdCfMlHa
CEO" PLM HATES R COMPE$SE.

AGUA DIVI5IA

ITA ABUA DO tsAUOEE
hMocmidta areo tucadr, iome o .,-aabml
coutatenite as c6re da ocidiade.
e presraudo d p7ile e do co&ela m o .
ARTIBOS RECOMMENDADOS
PFEFUMARIA DE LACTEINIA
XmaeIuBM ins & hlbrinst* uttliMs.
MOtMi CONCENTRADAS paroa o mKL
PLEOCOME para a beiieza do& cabgUl.
EM ARiTIO0S ACIIAM-SE IA FAJISA
PA 1S 13. rm d'E*hio, 13 PmS
m~yil tudas a Pafti0rias. BuaNdstt
i Cabelleroiros Amora.

#COX IRA.
S Defluxos, irippe, Bronchites,
'"fv "-*aas P ielto, o XAROP7- e a" PASTA p1i-
Stwral du NAF1 de D .LANIGRENTER sto de nou
Oc:-Aa aerta e veriflcada por Mcmabros ds A"mdma
a ;33ioiua d# sanca. I
t Ojo, Morphim neno Codiel dA-se ser receo|
i u,*.aa. saffectadas de Tosse on Coqueluche.
S PABRIS 93, s Vloviana, 63 PARIS
9 WTODeAB AS PUHZAO!UAB


Proeda0se doe ume -am U e V
H1,.ar awr '. dW&arm aso respeitavel cwinhbremt usm boa a1u e mu Isabeld i.o
poriutao a esor u .w1vido a sociedade queti- eu tom aia : a ra -mor.
nhai-n de rnsarued eosnhcare edestm prpaUsoa ) Ie rudo Ield


fimpessoavi PereraBLtv wba Ij0
a 30MIux C. d A ,ug"a-e aasa sitr no Caldrero, junto ao
do agxiOr^____ sitio emrn ,lp o IDr. J s oBernar QovAo
"- eofor, ten o0 0 M seguintes co s 2
r Adio, epslas, 6 qunartos, cesim fora, quartos para ena
tQ8U$, eMtaldes mia com arvores fructifras e jardim,
atir a ecom boa agua e muito perto do no, pan
Na rua do Botn Jesus n. 13 20 andar, preciaa-. equal tern sahida : a tratar corn o Sr. Julio
se de umatama que cosinhe e engomme pare uma Fuesatemberg, A rua do Imperador n. 32, loja de
pessoa. I joias.




DRONCHiTE TOUTTOSSES, Ca1rros PIlmoMsR
CUEA. A.PIDA R IBRTA P&,LA n


.Gottas-Livonien es

OM CRfSS9TR dte FAIA, ALCATRAO de NORUEGA e BALSANO 9 TOW
Wete preparalo, Lfallivel para curar radicalmente todas as Molastlas das Visa
resplatoras, e reoommendado pelas Notabilidades medical como o unico efficas.
Go unioo medioamento que afem de nio fatigar o estomago, < fortifies, rmonstitue e deepertf'
nappetithe as gotta pela manhi e d tArde bastam para triumpbar doe oasos mais ueb Idn.
DEVE-SF SXIGIR 0 SELLO DE GARANTIA DO OOVEinO rUam
Dqosiv principle : TROUETTE-PERRET, 165, rm Saint-Asitse, PARIS
Em I ern-se. i(:":: Francisco M. da SILVA & C1a, e nas princiDaes.Pharmaclas.g


Ii.-.








I:


Pastilbas Peitoraes


DE SuccO D'ALFACE E LOURO CEREJA
(( ~AOT CHLORHYDRO-PHOSPHATO DE CAL,



de GRIMAULT & citantes Pharmaceutiodos Medicos da m Pari t




Admittido na nova pharznacop6a oficioal ft Iranga.
:Y.provado pela Junta central de Hygiene de Brazil.
o, a frma d'un conefeito deliciosoi toCad che prazer tanto peoflas creanIasU
a:omo peloss adulmentos, esdiI as criancas contm os dois principios mais calmantes e
Par*i::,a eCOIs R P-7,rui' ica. oC- heremipgam-se co o mels nas or exito contra .

Tosse, Moestilhas doPoito, Catarro-Epid ico, oen as da Gargantae s
DE SUCCO DVALFACE E LOURO CEREJA


de GRIMAULT & Ctos, Ruqiho. Bronaito s Coquluch.
PA ttidS, 8, Rna Vivenne, e nas principas Pharmacis.
Aprovado jpela Junta Central de Hygiene do Brazil.
Ziob a forma W'inn confeito delicioso, tornado com. prazer tanto pelas creaneas,
zsomo pelos adults, est:s pasfcillias cont6m os dois principios mais calmantes e
i:ol'-lli~osem winulevia i~nedica. Emnrogam-se com. o melhor exito contra :
Tosse, Molestias do Poito, jCatarro-Epidemico., {Doengas da Garganta,
Dri-o."", -It at&Tros, jRouquidao. |Bronchites Coqueluche.
PATUS, 8, Ruia Vivienne, e nas principals Pharmacias.


Hi UCURArapidaesepra cornoAITSEATICOWGADMR
SPharmaceutico-Chlmioo do "lase da E eie SupWor *o Paw.
Urns TUma ica fuatmiga9o buta, a masinsdas TewMpMra oImaOADOOMbo
S de Tosse a% violentos e ass OppressOe male dolorosss.-1 5 sdweI
d-e feliXe reulftduos. A sus eoonhecida efficasiea foil
emprego, que nAo fatiga o doente, justiflcam a preferencia quoe Oasn medio
A ,* e doentes dAo ao ANTIASMATIOO CAMBIER.- Aso swmc*a e op
kL T AR O A' preusOe A a uoite acabam-se, si se tiver o culdado, ao deitar-se, de queimar
A no quarto do dormir urnm pouco do ANTIASMATICO CAMBIER.
O INCONTRA-SE NA MESMA PHARMACIA
Os GRIOS ANYINEVRALGICOS FEBRIFUGOS AMBSVERp S -u in o
reawimento das Nevralgias, inxaquecas, D6res de Cabe;a, ctc. A sa efficacisa 6 ianocatutvaid i
bres dog paimes quentes e humidos : nebres amarelia, Palstrge, etc.
Deposito 6iral: Piarmaceia GAMBXER, em Compiegne (Franca).
3 pi na buaoo : o-A 'rCISOCO ME. da S LYr..L. a Ot .


ADIUNITAgIO:
RfAI A lm, 8,1Boulevard Montmartre, PARIZ
L PASTUAS DIGESTIVAS fabilcadasem
Vickhycom os aa etrahiosdas Fost .e.SIo
____________ __ __ ^ de gosto agradavel e a sun a ao certa con-
tra a Azia e as Digestes f dIffces.
SAES DE VICH PARA BANHOS. Um rolo para um banho, para as pessoas que nao podem lr aVieby.
Pra wevitar as imitajfs exiglr em todos as prouctos a
XfAj.G 3t. DA. COMIN 3 DE VXCIrW
Em Pernambuco. Mas Productos acima achio-se em casas de HARIIMUDT k LABILL, 9, ins do Uommermio;
ae SULZER & KOECHLIN. 35. rua da Cru.,



4M MsEDICAM ENTO de .m gosso agradavel, adoptado comn daf exitb ha mais deo
V oaes peolos melhoren Medicos de Paris, curas os DeflSxzos, G e, Tnsse, Dores de qor-
tp e Ctarrho putv'osar, itrdaia e. do peito, das Via: urnn la e da Ifsxiqn. PA i!_,.
w is .*ijav.fcAJ~s ".so ^*y.~mPaimbas.M4Umc 's '^ilg -MIg&TW,>IPW &M g1"'- -

.pIVERmw1,

m vPERFUNA IA Extras


,OOFI tOI'$I$nojA?~O

-S >>
.c.Y LOP!dSISJAPIIO ,nAiw... YUPif
,,.... M ,OROYPISAsJAPi I sue....C...mTOPSISJAPI
.... MTi0UPSI"-4JA S PI&...... JMCORTYMPS56ftJAiK



1t~wcnaco~k ef ^ se ^- ro-'fc-uah a .Ba^bsa w smei&WM^' a Ugbu~sqS!sr 4. AMM'^-en
SEM CHEIRO NEM GOSTO DOS OLEOS ORDINABIOS
______________________________ DE TuRRA-NOVA Pi.j
L] g 4.DEBACALHAUDEA
nilicaccIdaad certa contra a Molestias de Peolto, a Tiaca.,
Bronquitis, PrisSes de Ventre. Tosses chronicas. Aftleoes escrotOlsS.
ADVIIBjTgENCA. Exiga-se no rotulo o sello-Ai.l do Estado ftracer-I
[OGiG. Pharmaceutico. 2. rua Castiglione, PARYZ. e principals Pharmaeiss._-


PU 'GATIVO JULIEN
CONFEITO VEGETAL, LAXATIVO e REFRIGERANTE contra PRISON DE VENTURE
Approvado pela Junta central de Hygiene do Brazil.
Este purgativo exclusive:; -.' -' vegetal se apresenta sob a f6rma de um confeito agradavel, que purga corn sua.
vidade sem o menor income iodo. i' admiravel contra as affecp6es do estomago e do figado, a icterieia, bilis, pituita.
nauseas e gazes. 0 seu effeito 6 rapido e benefico na enxaqueca, quando a cabeva estd pesada, a bocca amarga,
lingua suja, falta o appetite e a comida repitgna, nas inchajes de venture causadas per inflammatlo intestinal, poise
nAo irrita os orgdos abdominaes. Emfim, nas molestias de pelle, usagre e convulses da infancia. 0 Purgativo
Julen resolve o difficil problema de purgar as creangas que nao acceitam purgative algum, pois o pedem como
se fosse uma pastilha de chocolate sahida da confeitaria.
Deposito em Paris, 8, Rua Vivienne, e nas plntlpaes Pharmacias Drogarias.


I1


MARCA DA FABRICA Nutrir Os e1
por este deliciom
?ompletamente digerida, assimilavel
affeo6es do estomaa, figado ei
extenuagao caiaada per tumores,
que 6 precise nutrir o doente, o tisico
procraria|bter com extrftctos 4eicar
paor' ecelIleacia dos velbos ei tasl 1orea


eptona Pepsica de Cliapoteaut
haW*itiff k do laClasse am Paris
a dePart. i Approva do pla Jittatentral d6 Hygiene do Era=1.
conwaleucentas Sem canoar-lhes O estonmago fbio problema reolvido
;-cada ca eont6m, corn effeito, d e, gramSinasdoe c-ns a va.c,
a das parts ineluveis indigeriveis.- OLwa coma rp','adoor em todas as
figastOe s r, s asr ap:ig ,a-,lapam- os ali ,iitos, anmia,
,.... .SA ......ter&, i;esn dabte0 eeon ttodas oauea sos *
*toe. as tor smio. d^ menta-ao reconstitnihte qu emn y w so
0 g n^ VINRO AOTRAUf6 o nutditivo


(Ayers Bair Vigor)
ONSALIHOSUA
VQJ-_MDAD E COR Naf
F 1 PRE M S ICUAL.
ARA 0CABELLO,
TORNANDO-0
MACIO.FLEXIVEL E LUSTROSO.
PRpaindo pelohr.J.CAYERaCIA.tosiL.dMaestUn
DEPOSIT GERAL
13--Rua Primeiro de M arco-- IS
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMSON HOWIE d& C,
N.---3 Rua do Commercio---N.---3
A venda em todos as boticas e drogarias


Ambrozio Machado da Cunlia Cavalcante con-
vida os parents e amigos do fallecido major Jo-
viniano Antonio Duarte Cunha, residence nesta
cidade, para assist'irem a uma missa que manda
resar por alma do inesmo fallecido, no dia 6 do
corrente mez, as 7 horas da inanha, na matriz da
Boa Vista ; polo que antecipadamente se confes-
sa agradecido.
Mlanoel Antonio Piniseiro
Felippa de Sa Albuquerque Piubeiro e seus fi-
lhos muito agradecem a todas as pessoas que
acompanharam ao cemiterio public o cadaver do
seu presadissimo marido e pai, Manoel Antonio
Pinheiro ; e de novo as convidam At assistirem as
missas do setimo dia, que por sua alma scrio ce-
lebradas na igreja matriz de S. Jos6, no dia sab-
bado 6 do corrente, pelas 7 1/2 horas ea manha ;
antecipando desde ija seus agradecimentos.


mIajor Juvinlano Antonio Duar-
te Cunha
Maria da Gloria Pimentel Cunha, seus filhos e
genro possuidos do mais doloroso sentiment pelo
fallecimnento de seu sempre chorado marido, pai e
sogro o major Joviniano Antonio Duarte Cunha,
vem respe tosamente convidar a todos os seus pa-
rentes e amigos ; assistirem As miss.is que
mandamn c",l )r rit,'* .. ,)la do engenho Gaipi6,
As 10 hor.i-(. <, ia ,iarriz da Escada, As 7 horas,
dia6 do cai;-- t., 7" di: diz seu fallecimento. An-
tecipam seu sinc!cros :ngradecimentos.
D. Anna Joaquina Teixeira de
Mloura
0 Dr. Francisco de Paula Salles e sua mulher
convidam seus amigos e parents para ouvirem as
misses que, por alma de sua sempre lembrada so-
gra e mai, D. Anna Joaquina Teixeira de Moura,
mandam resar na igreja da Conceicao dos Milita-
res, sabbado 6 do corrente, As 8 horas da manha,
setimo dia do seu passamento.


Joaqauina Candida Ferreira
Pinto
Miguel Ferreira Pinto, Antonio Ferreira da
Costa Pinto, Seraphim Ferreira Pinto, Alfredo
Ferreira Pinto, Joao Ferreira Pinto, Samuel Fer-
reira Pinto, Maria Candida de Pinto Braga, Emi-
lia Candida Ferreira Pinto, Guilherme Ferreira
Pinto, Joao Moreira da Silva Braga, Idalina de
Lima Pinto, Julia Adelaide Pinto, Eliza Virgiuia
dos Santos Pinto, esposo, filhos, genros e noras
de D. Joaquina Candida Ferreira Pinto, compe-
netrados da mais pungente dor pelo seu falleci-
mento, agradecem do intimo d'alma a todas as
pessoas que compareceram ao seu enterramento,
e convidam-nas novamente para assistiram as
missas que por sua alma mandarAo resar na igreja
matriz da Boa-Vista, As 7 horas da manhA, no dia
9 do corrente.
Jos6 Geraldo Correia Lima
Antonie Augusta Ferreira Lima, sua mulher e
filhos, tendo recebido a infausta noticia do falle-
cimento de seu presado cunhado, irmao e tio, Jose
Geraldo Correia Limna, no dia 24 do mez passado,
na cidade da Fortaleza, mandam reser wma mis-
sa por sua alma na matriz da Boa-Vista, no dia 6
do corrente, As 8 horas da manhi ; e para esse
acto de caridade e religiao convidam seus paren-
tes e amigos, confessando-se profundamente agra-
decidos.
Anna Augusta Ferreira Pimentel, seus filhos
e genro, tendo recebido a infausta noticia do fal-
lecimento do seu presado cunhado e compare
Joviniano Antonio Duarte Cunha, e nao poden-
do comparecer A missa que pelo mesmo a sua
chorada familiar manda celebrar na capella do
engenho Gaipi6, por isso mandam celebrar no
convent,) de S. Francisco de Olinda no dia 6, se-
timo dia do seu passamento, As 7 horas do dia, e
convidam todos os seus parents e amigos para
assistirem a este acto de caridade ; e desde jA se
confessam agradecidos.


n Muita attenfo
!Na rua da Uniao n. 47 faz-se plisses e recorta-
se babados seda de todas as larguras, ponts-
dos, redondos e miudos.
Para negoeio
Aluga-se a loja do sobrado n. 33 A rua do
Ma-quez do Herval, corn uma boa armacAo pro-
pria para qualquer estabelecimento de molhadoI
ou outro mister : a tratar na rua larga do Rosa-
rio n. 34, botica.
Jardim das plants
Bua do Nondego u. 80
Sapotiseiros e sapoteiros muito p'randes e oeo-
pados, dando fructo, a 4A e a 3, segundo o ts-
manho, e descondo ate 1,, corn seis palmos. Cont-
prande-se mais de dez faz-se abatimento. Ha
outran muitas plants tambem para preeos con-
modos.


Precisa-se de uma ama para cosinhar (livre)
na rua da Ventura n. 3, Capunga.


Precisa-se de urna ama pars cosinhar e ea-
gommar : na rua Imperial n. 161, send pa
pouca familiar.
AInga-se barato
Os armazens 13S do largo do Corpo Sant*
equal tern communiegco corn o do n. 4 no caes da
Companhia Perambneana, corn gumdaste.
A camsa terrea n. 1 C na Baixa Verde (Ca-
punga).
A tratar no largo do Corpo Saent. 19, priweif
andar


F'eitor


Pimisa-w de um- feitor pirs horts: x na ra
nIfi ^ M. ^ ^1 79..-:i~*i:;*-* ;,;^


( K


[ i I lrl .. !11i "


I:w~


I


































'"1 '< pai Lrqualquer
hall o n. I 4 q ,eberm dir

Pilulas anti dyspepticas! Todos
Eivenchdos
Beguladoras do ventr vendidos
Preparadas per sao gara


n'esta

ntidos.


casa


Vende-se na Torre um terreno co '50 pal-
mos de frente e 720 de fundo, sito entre a segun-
da e terceira travessa da rua do Rio : a tratar no
pateo do Tereo n. 63
%ifoni U. A l lRcl'


B A T H 0LO ME-U& C. d o GOW n, 4 1 ddu. muk..
54 11 L 0 1 I & C. liliBbi i| 4DomingosAlvesMatheustern paavenderem
Pharmaceuticos honorarios de S. M. seu escriptoro, a rua doVigari Thenoro n. ,
IRei h S M ITP I prireiro andar, superior potassa da Russia, em
Esa El-Rei de Portugal ba |arris de 25 kilos, e reeentemente chegada no
Estas pilulas, cuja formula nos foi coufiada pe-i vaor allemao Pema co
lo distinto uclinico desta cidade o Illm. Sr. Dr.Car- Precisa-se alugax urn grande sitio corn proper- vapor allemo Pernambuco.
neiro da Cunha, sao applicadas corn o melhor exi- es para plantaoe de capim, e perto da capital: I
to contra a fraqueza do estomago, prisao de yen- quem tiver dirija-se ao largo do mereado de S. abtl rs
tre, engorgitamentos do figado e baco, anemia, Jos n. 25. AA AAA A0 4 AAA
tonteiras, hemorrhoidas, etc., etc. Ellas nao cau-, i n / A' 2" h k 800eVV V 49,10VV0
sam e menor vexame ou dor ao estomago, produ- /NI IU'inoa d ru a !er w trN
zindo sua ac'o operative branda e suavemente. a "1a da rua da Imperatriz
Nio prostram as forgas, nem abatem e o espirito, A' rua do Marquez do Herval n. 61, sobrado, se IB. 440
antes pelo contrario dao alento, desenvolvem o 0 precisa de urma ama que cosmhe e engomme. Vende-se chambres de ch ta e cretones a 2$500,
appetite, dao maior vigor e restituem aos doen.- -- --.... -- 35000 e 45000, para acabar, isto A esquina do
tea suas primitivas forcas, concorrendo assim para r beco dos Ferreiros.
o complete restabelecimento da saide. Aluga-se por 20 bcodsF-eo -
MODODEUSAR-Umaaduaspilulaspordia, osegundoandardaruadaAurora..n. 151, corm2 ST s i \ nA
uma hora depois do jantar, ou ao deitar-se. salas, 3 quartos e despensa : a tratar na rua do s S ea
Unleo deposit Thome de Souza n. 6.
Vende-se ou aluga-se urna casa de taipa, co-
Vu4-.-Rua Larga do Rosario---.54 I -U"ul- --sn berta de telha, corn 65 palmos de terra, na rua
-Igu ra i de Santa Cruz dos Milatres em Olinda, mesmo
Iatraz de S. Bento, muito perto dos banhos, e tem
I|j pelin0 Sr. Dr. Francisco Xavier Paes Barreto, prO- um pequeno negoeio dentro bem afreguezado para
C e L motor public, e rogado a vir ou mandar A rua do a terra, faz-se negocio por seu done ter de reti-
Marquez de Olinda n. 50, dsr comprimento ao rar-se para fora a tratar de sua saude trata-se
Ver para crer que nuo ignore. na mesma
coni 7es:osSr. cmmrcan n"ntes idovem i r oxa-I IIf '


xji gaanuute vautagem etm quaauauaues, prcos e
condicoes: os Srs. commerciantes devem vir exa-
minar para crerem no que temos annunciado.

Deposit da fa[rica
Rua do Barao da victoria ns.
34 e 2
Cocheiro
Na rua do Bomrn Jesus n. 45, segundo andar, se
precisa de um cocheiro.
WHOiD ~n

Precisa-se de urma cosinheira que seja perita
na arte : na rua do Riachuello n. 57, portdo de
ferro.


Duas amias
Prccisa-se de uma aama que cosinhe per-
feitamnente p;*.ra casa de pequena familiar,
dormindo em casa, e uma outra que en-
gomi:. bmr: trata-se na rua Duque de
Cavi:u 39

N tencao


FcPe-se aos devedores do espolio de Manoel
Soared Mndes, que venham pagar seus debitos A
rua Primeiro deMargo (Crespo) n. 12, primeiro
andar.


Ohinda
Vende-se per preco commodo um sitio no lugar
da Floresta, em Olinda, todo cercado, corn boa
casa de vivenda de pedra e cal, comn 2 salas, 1
gabinete, 4 quartos espagosos e cosinha, tendo
diversos pes de coqueiros, laranjeiras, limeiras,
sapotiseiros, goiabeiras, mangueiras, etc., e baixa
de capim,, eomprehendendo mais urna pequena
casa, tambem de pedra e cal, edificada no fundo
do referido sitio, coma frente paza a estrada deo
rodagem donorte, corn 2 salas, 2 quartos e cosi-
nha : a tratar no mesmo sitio.


Barcaqa


Vende-se uma barcapa de 400
a na rua do Rangel a. 58.


saccos : a tra-


Popelines lisas, de Hlistrias e laVradas.
Las de quadros, eseosseas e lavradas.
Alpacas lisas e de listras.
Grenades de cores e pretas.
Cambraias bordadas e abertas.
Vestuarios para meninos.
Leques.
Chapos para senhora.
Chitas lisas e de eores.
Fichus de seda e de 1o.
Capas de malha de IA.
Para entairar
Collarinhos e punhos para senhora e home, di-
versos feitios..-
Camisas semr collarinhos e sem punhos, corn pu-
nhos e corn collarinhos e punhos para home,
desde n. 35 a 45.
Camisas para meninos desde n. 28 A 35; sem col-
Slarinhos, de n. 32 A 35.
Camisas, saias) penteadores, ealcas, gollas e pu-
nhos para senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, brancas, de cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolsas, vellu-
dilhos, brings broncos e de cores, luvas, perfu-
marias, etc., etc.
PajHula & C.
is Rua dofabuag 19
Em frente a, matrix de Santo Antonio

Barato
Vende-se umr casa de pedra e cal em Beberi.
be, no lugar denominado Canhengue, muito pro-
pria para passar a festa ou mesmo para negdcio,
porfazer esquina orn a estrada do Porto da Ma-
deira, corn excellent quintal e boa cacimba de
agaus doce : a tratar as mra da Madre de Deus
numero 1.

fisaI do RHio COr

avarn.
Superiores algodoes do Rio de Janeiro corn pe-
queno toque a 200 e 320 rs. o covado f na rua
Duque de Ca.ias a. 59.


Saias bordadas superibres a 30, Al e 54.
Espartilihos de coura". a 4jSsi@ eada urn!
Leques modemos a '4I, 6 barato !'
Madapoles, boa-vista verdadeixr, a 6A a pegs
de 24'jardas!
Algodoes largos a 38200 e 3500a dita!
ToalAas riquissimas de labyrietho para presen-
tes e baptisados, a pregos resumido.
Cortinados bordados a 7A o par, proprios par
cama e janellas.
Redes de cores, superiores, a 5*4!
Fichus, chales, crochets, sortireuto complete de
roupas de todas as qualidades.
As vendas em grosso damos deecontos
59-Rua Duque de Camias 59
Carneiro da Cunm A C.


C AVOS E FLORES

Nr fua da Uniao n.

i3, ha sempre para e

vender cravo elores


Farinha a K

Saccos grades ] lar

go do Mereado Pabi.o
B. 15.

Fazendas avariadas!t !
6l-:*-RUa Duque de Coxiin,
Madapoloes francezes e amerieanos toen mque-
no toque a 5;500 e 6600! 6 famda de 105000.
Algodoes superiores e largos a ,40'.a peg.&
Cretones muito eneorpados a,, 2MAis o ovadp.
Bramante trancado para toalhas e lengooa a 500
o metro!
Carneiro da C>& 4& C.
59-RUA DUQUE DE CA2 --5


Vende -se urma boa pharmacia bern 'loasada:
a tratar na drogaria dos Srs. 'ikncisc. Maneel
da Silva & C.


... :.L'B W W -^ -^ ***f.. ....,^ .' *...... lroiffOU
Ditos do pmma. pseto U6o, forradoa 10"1000
Ditoa d caseiira pretax de cor RA105 e 125000
01o9s de easemira cown diffi rntes pa.-
droes, de. 5500, 6500, 8A. e 10AW
Ditas de casemira preta sedl a 80 e 10,0M
Ditas decaseuira do cordlo 6500
Dits de .easemira preta 6,00O
Sekonlas de&eguea, obra mvitebom
feita a 192-00.e 1600
Iftas de Hamburgo de linhoa 14800 e 2,000
Qlletinhos paa dentro, -sendo de.cre-
guela e muito bem feitos a 800 e 11000
armisa, grande sortirento de camisas
braneas, tanto francezas como inglezas,
tanto de linho come de algodao, sendo
de 25, 25500, 35, at6 61000
Ditas de cretone de cor de 2o2, 21500 e 3,1000
Meias, grande sortimento de meias cruas
para homes, de 320 rs. o par, atW 500
Collarinhos, grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 54 a duzia atW 8;000
Toalhas, grande sertimento de toalhas,
tanto para rosto como para banho, que
se vendem per pregos muito razoaveis.
Tudo istoe eom grande reduoo de precos : n
loja da esquina do becco dos Ferreiros.

Farinha Lactea
Nos primeiros mezes a alimentano maim
natural e apropriada para alimentar a crian-
ga de peito 6 o proprio leite materno o qua!
em caso de necessidade deve ser ubstitui-
do pela
FARINHA LACTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a fan-
nha Lactea como poderoso element nu.
trictivo para a infancia e distinctos medi-
cos do Brasil e da Europa recoiiheeeram
ser A do Dr. FRERICHS a melhor n'este
genero.
Deve-se pois evitar confiar o filhinho
urma pessoa estranha e de comportamento,
n-lo conheoido muitas, vezes o germen
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farina Lactee
do Dr. Frerichs:
55 RUA DO IMPERADOR 55
Esibelecimento de musioas e piano de Vw'
torPreall e

Cambraias transparen-

tesa34
E' pechincha
Na loja da ruda Imperatris n. 40, A esquina
do becco doe Feroiros, vende-se peas de cam-
braia branca transparente, send azuladinb&a
para vestidos a 3St a peca ; slo muito bamtas.


LISTAT tUBAL 'A IeumIe I
DOS DAE DS L, CS PR LE P X IAW. 1563, ABEEIIO DAN. B. O mo-prescneveEA D V

DOS PREMIOS DA AW PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 1563, ABE1

NS. PERMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS.

3 46 234 46 500 46 763 4# 1007
6 35 8 71 1:
7 42 10 82 1
16 51 12 85 2'
32 54 16 86 4
36 56 19 91 4
41 57 28 -800 4
46 58 30 15 5
53 84 59 3 0 34 18 5
57 4 60 4# 38 21 6
58 66 39 32 7
75 69 46 34 8
79 83 54 35 r8
80 85 44 56 39 8
81 96 58 42 --
86 308 59 46 -
92 20 60 47 -
97 27 66 50 11c
106 29 75 51 -
11 30 79 56 -
13 42 83 65 -
14 49 87 68 84
17 56 97 69 4,
23 57 -606 72 -
29 60 7 75 -
30 63 10 76 -
31 68 11 78 -
A8 164 71 12 2 .
S9 4 77 14 86 -
40 78 17 91 16 i
43 79 28 i 903 4,
48 87 40 7 16 4
S 88 45 8g 8 4#
55 91 48 4, 10 1 7
60 92 52 15 40
ST 94 55 --
72 95 ,67 2- 2 .-
76 -401 70 29 -- I
7 4 1 32 -
79 1 8 0 .Q 34,
81 17. 39 1
S$3 ,- 28 6- 8 45 -
-29 :-~93 48
29 ~ 09 -52
<- .W-16:


PREMS., NS. PREMS. NS. PREMS.

I 1285 45 1490 45
L 86 -1503 -
S 4# 88 8 -
I 89 13 -
5 93 8 16 -
S 95 4# 20 -
) 96 26 -
1 -1300 35 -
7 2 39 -
5 9 40 -
I 12 42 -
1 13 47 -
3 14 48 -
6 1-8 59 -
0 20 4 65 --
.21 -


UI
70
72
75
78
79
85
87
90
91
96
97
1607
S28
29
S32
38
42
45
53
67
70
4 71


84
4S
so
.4.


NS. P

1753
,55
60
71
72
73
75
88
95
98
1807
10
12
22
24
41
47
56
58
66
71
79
80
'89
91
-1900
- 28
- 23
- 25
- 26
- 32
-33
- 85
-44
- 48
51
65
-58


'REMS. INS PREMS.


4, 2017
18
20
23
25
27
29
34
89
48
49
50
84 51
4 566
60
61
62
68
71
87
-- 89
91
,98
2102
6

1*0$ 20
*4# 26
-_ 39
43
48
49
53
65
66
-. ^,, 71
-79
867


84
4g


JNs. P'

2257
58
59
61
67
69
70
71
72
74
75
77
81
85
S86
91
93
99
2301
3
6
8
S13
15
S 18
19
" 24

. 35
36
- 37
41
- 45
. 48
. 49
54
-55m


I6Rti;S. 1:


84




4,S


LNs. E

2433
34
36
40
41
42
45
46
49
51
71
76
78
81
88
90
91
93
2505
S12
14
1 19
S20
32
- 33
* 39
-48
- 49
53
57
61
S 77
- 82
- 84
87
88
-2602


io'

4#

-4
9,.'


P


F-- -,
2666
68
72
75
77
81
83
88
93 4
94
96
98
2703
9
11
16
S22
S24
27
32
- 33
- 39
- 40
42
44
S45
48
- 69
S70
t 96
S 99
S2804

1 10
- 12
- 15
-;18-
-'3


REMS.

4#5






140

4#


















4I-
4,








800oo


NS.

2884
92
.97
2903
8
13
19
21
22
23
28
31
33
48
53
6C
6
6
U
U
7E
7[
81
8(
8E
9.
9!



~3OO0
9i
19(
> 9!
{300:

V

1'
V
2
2

-4S

.^.5


PREMS. NS. PREMS.

4# 3086 4#
93 -

95.
--, 07
i 3107 -j
i S -4
12 -
S20 8

29 -
- 32
33 -
S 38 -

48 -



8'428
8 4H 68 -
3 4 72 -


3 8204 1064
4- 5 --4
3 -8 465

S-12 -
8 M -
I. *48- -
I 18 -

8 M1 --

6 .8 --
7
7 -- i11 __


8 --
0



o .. -I'r ^-
, 7r 3
8 -


i2


NS.


P


3315
17
18
19
26
34
35
42
46
66
67
68
69
75
76
80
81
82
84
90
96
98
3404
10
11
17
21
28
31
38
49
58
60
61
81
87
96
3510
'13
18
26
-2tA


REIMS.

4,


.46

















84
4


NS. F

3569
73
-76
83
84
93
3609
16
19
21
28
32
33
35
39
40
48
49
50
55
60
62
S63
70
S82
84
- 86
97
1 3704
5
6
- 8
- 9
- 10
- 12
- 16
- 18
- 22
- 23
- 27
-28
- 33
- 35
- 3T


DE 1884.


EREMS.

46


NS. PREMS.

3785 45
91 -
97 -
3804 -
5 -
15 -
17 -
19 84
20 45
22 -
24 -
28 -
30 $8
31 4j
34 -
48 -
50 -
51 -
52 -
56 1t
58
61 -
69 -
70 -
76 -
83 -
97 -
3902 -
4
9
12 -
14
17 -
19 -
20 -
21 -
S29 -
31 -
37 -
38 -
46 -
58
-5$,':.
j ':^1 -


016
96
)8
9
.5
18
20
26
30
15
8
40
45
50
55
61
69
73
74
75
83
87
92
%4.
11.
20


26
34
S41
47
S60
S61
S68
- 69
- 70
75
- 79
S84
- 86
-1402
3
8
19
-20
- 21
-30
31



381


94


.E


'KlmR. INS.


I


7
1
3
7
5

4
i
]
[J






























Entlo, 4weanmou elle, vamos come-
car a cagada ?
A cacada?
Voo tem urn faro terrivel. E' sua
profisso. Todo o mundo o diz...Eu
tambem ajd deixo de ter faro pernas e
pressas... Pois bern, se Deus nos ajudar,
seria para desesperar da justiga na terra
se no consegaissemos matter o scelerado
em baixo do cutoello do carrasco!...
Vidocq perguntou machinalmente:
Quo scelerado?
Oh! o home desta noite! 0 ban-
dido que mata para roubar! 0 assassino
da minha bemfeitora I
0 policial encarou o infeliz corn compai-
xao"
Infelizmente! meu pobre Jacques,
disse elue, os Srs. magistrados entendem
que nao e mais precise procurar...
O ex-cabo teve um sobresalto.
0 miseravel estA descoberto?
Assim pensam, polo menos, e fui en-
carregado de pol-o em 'lugar seguro.
0 intendente esfregou as maos...
Muito bern, JA sei. Vamos prendel-o.
Prendel-o ? No. A cousa estA feita.
Jacques Lebrun deu unra risada som-
bria.
Bravo, men velho! Bern dizem que
voce nao tern igual. Voce vai mostrar-me
o home, sim?
Mostrar-lhe ?
Sim! para eu estrangulal-o!
O policial fez um gesto.
Pois bemrn, nao,. disse o ex-draglo.
Nao hei de estrangulal-o. Eu precise dei-
xar o Sr. Sanson fazer o seu officio ao
meio dia na praga de Gr6ve, A vista de
todo o mundol; quero, s6mente, escarrar-
Ihe na cara todo o meu horror... Vamos,
depressa, ond e estA elle?
Vidocq fez um esforgo e tornou:
Elle estA aqui.
Lebrum arregalou os olhos, como a gen-
to faz no paroxismo da sorpreza e do
susto:
Aqui ?
O policial fez um gesto affirmative.
Aqui ? repetia eUle attonito. Onde ?
Neste carro ?
Vidocq repetio o gesto. Jacques Lebrun
ficou boquiaderto. 0 esforco interior que
fazia para comprehender era visivel. Nas
suas feiges podia-se seguir o progress
da febre que subia-lhe ao cerebro e que ia
transformar em transport.
-- Amigo, disse elle ao cabo de um
instant, eu estarei enlouquecendo agora?
N6s somosdous aqui... e se voc pren-
de o assas...
As ultimas syllabas da palavra morre-
ram-lhe na lingua. Depois um grito me-
donho sahio-lhe dos labios tremulos :
Eu!... Eu !... Sou eu o accusado!
Depois deixou cahir a cabega entire as
maos; um solugo dilacerante sahio-lhe do
peito e lagrimas correram por entire os soeus
dedos emmagrecidos.
O chefe da brigada de seguranga con-
sultou o seu relogio :
SMeu caro amigo, disse elle corn emo-
gao, em outras circumstancias eu o deixaria
chorar quanto quizesse. Mas sao mais de
cianco horas, e precise que antes das seis
horas voce tenha feito os seus comprimen-
tos aos juizes que o inoriminam.
Oh! esses juizes! gemeu Lobrun,
Dens parece t6i-os cegado Como ? pois
quando eu durante tantos annos cumpri o
meu dover, tanto no regimento comeo a pai-
zana; quando adquiri tudo quanto o trabalho
e a probidade podem dar: quanto possuo ;
tudo quanto um home honrado p6de dose-

FOLBETIE



0 hRIERETA


oaesdz.. iroe o 04ejoas ind
ex4butro tempo pasei corn ursa codea e
Po ae urn copeo de vinho ordinaria, nesses
caatellos da Allemanha, nesses palaeios da
Hespanha, onde, vence4ores, batavwa-nos
espi*ar. o bravo para elher umalf tuaa
-Ora, isso64 <' *bnpidoagose!oeo
Os 0 sons juiaos -as oDcOininun E
demais, para sw .-iem 6 precis ter
Sprovas. provas. '..j -
E' precise testemunhas.
E de modo t~o lucidq quanto rapido, o
chefe da brigada de segurauna expoz ao
ex-draglo que reunilo de appareoncias, que
grupo de indicios, que encadeamento de
circumstancias tinham concorrido para aor-
mar a opinilo dos magistrados; e que par-
to elle, Vidocq, tinha tornado nesse resul-
tado, em consequencia dos exames a que
tinha procedido e das consequencias que
desses tinha tirado.
Que quer? ,disse olle terminando,
cads um tern a sua gloriola. A minha 6 de
descobrir o que escapa aos finorios. Mas,
diabos miq levem so quando procurava o
autor do crime desta neite, pensei reunir
contra o meu salvador de Poperingue tanta
cousa convincente.
0 policial accrescentou entire dentes:
Tanto mais quo eu desconfiava do


,fsaie av w A temornpe goeralidtdo4 pe oai~.
Bown. a. ^a de 6tiat esp ree*?onaeu JAt-
,Uraa ves na rma, Ai4 c6uz lnicida4e.
mfos nos Ma oge m. s a Aemas a widado
rnaNova-deS.Fr
&ti 4bta tmes a ~oseo
dos pedreires-hvi"-i# ohr-14
.eurle~ibla-fr ^ m tigo. .. No sorriso
Annette ? So'u Thq" No Sr.;,Ja- Vie fthino 6oJ~i .4 q vez
lio. P. l .Uvl^he^ote ii; er, Pen qne o
Depois? d.... cu -t asis duY6doquiasa
Depois? 4poiw& e" tA.c'l^bd M terranut -.doa nssoi ,bivAqu.es,
netta hadeo" .u.tal-O M4t.arwot -. Lembre-se do jury..
disfarce, um pasaporte e cua gi&ib? para Os monaeM antecedestes ho sontar-se
,a- Os w noeeus ps hh0 star-.e
a fronteir'a. Mo lSo do i|ImeaA-o em commigg no-banco.
casa da compauh6ra do Vii4 E i- ';- ILimbre-se do cadafalso !
pies como beber um copodo e vi qquando Qu-- e import, se a elle subwir como
a gene temOrsde-. .. .. atr
-E voc ? pprfguntoo 3 oM ato. ilmbire-se de sua filha!
Eu? 6 prova6Vi.- quo a6 pro- Iinha flha
feitura um sabLa) d e ialvear"m ano-e Im ultimo solu0o .morreu nagarganta de
gro, por ter dr'do o. crrq, o n'ato oJacques Lebrun; ima ultima lagrima hu-
idividuo confiado aos Meu. cuidados es, medeoeu-.lhe as palpebra, e durante umn
quivava-se sem advertir-Me'.. Talvez minuto Vidocq, que acempanhava os pen-
me demittam. Masisso nloimporta. HRo samentos que so reflectiam Xrfeil3es do
de procurar-me novamente quaudo precisa- desgrACado, pensou ter-ve6cido, tal era a
rem de mim. E depois, pque' paga as sutas luta centre o sentiment e a vontade, am-
dividas enriquece, diz o ril que os credo- bos indomaveis.
res espalhvan. Eu pago a minha divida Nesse moment o cocheiro bateu corn o
de Poperingue, isso nao pode':empobrecer- cabo do chicote na vidraga do carreo.
me, polo contrario... --Oh 1 salo seis horos e meia pelo re-
Dizendo isto, o policial olreceu ao soneu logio do Palacio da Justi[a. JA chega-
interlocutor a folha de papelue tminha ras- mos. So estA satisfeito nao esquega a
gado do cadcrno: gorgeta I
Aqui estA. o bilbete para Annetta. A front do intendente estava de novo
Tudo estA pr9mpto. Um aerto de mno, austera e calm. 0 policial abrio a bocca
e safe-se I peora fazor uma tontativa supreme. Le-
O ex-draglo tomou o papol, que raagou bemrn fel-o calar corn um gesto sem replicas
sem ler. Francisco Vidocq, pego-lhe que nao
0 que faz ? exclamou, fidocq. inaista. Agradego do fund 'alma as suas
Rasgo o bilhete, para que n~o o corn- boas inteng5es, mas nlo quero aproveitar-
prometta, porque na6 quero utilisar-me me dellas. t bLee ftdo-wae a minha He-
delle. lena, voe6 lembr*u-i me que a minha honra
-Oh! nao pertence s6 A e, e que dov o consa-
0 velho deitou a cabega para trAs e cru- grar tudo quanto me rest de forgas, 'de
zou os bras: energia o de vida para defendel a, para
Oh! disse elle imperiosamente, olhe aquella de quem 6 o primneiro patrimonio.
bern para mim! Eu tenho cars de trataun- Apeemo-nos, portanto, jA que chegamos e
to ? A verdade nao transpareco nos meus mande-me fechar na cela que me espera,
olhos con, as lagrimas? Que esoes senho- pois essa a ordem do sons superiors.


res ainda ha pouco se deixassem cabir em
erro polo que voc6 chama a evidencia, 6
explicavel, elles nao olharam para mirm,
nao me conhecem; e eu nao pude dizer
duas palavras sensatas. Mas, voce que
vie-me no fogo, que conhece os seelerados;
vpce que deve saber decifrar as feiges e
as conscienc'as, que voce me tome por
um ladrlo, por um assossino, por urn mons-
tro...
Oh! interromnpeu o policial corn ca-
lor, oeq no o tomo por nadadisso!I Voce
6 ionoceunte eu o eres eetotu Jto eo a ewto,
e na ha uma hera quo procureriperauadir
d~iso ao juiz preparador e ao procurndor
do rei. Mas foi tudo em vlo !
" Entlo, perguntou o intendente em voz
firms e grave, se me jalga innocent, por
que prooe-me a fuga I
Por que ?
Sim, por que? Pois se tudo me ac-
cusa, a fuga serial o confisslo do crime, e
eu nao commetti ease crime...
Vidocq encolheu os hombros:
Porque eu nao sou os magistrados;
porque eu nao sou o juiz; porque- nao sou
a opiniao public que esta manhloerguia a
voce um monumento corn as ped a da rua
dos Magons, corn as quakes queria esmagal-
o agora A tarde...
Lebrun reflectio um moment. ? Depois,
interrogando o policial corn um o6har vivo
e penetrate.
-h Ento presume que se forjulgado,
ha probabilidade de ser condemnado?
-A menos quo appareqa alguma reve-
lagto providencial, durante a proparan1o do
process ou dos debates, receio quo voce
tenha muita difficuldade em livrarse.
modelados pelo seu vestido de ehita, u-m
miseravel chalinho del.
Sahio tranquilla e beta como' sempre,
apezar do seu sordidolrajo.
Elle, corn a cabeoa baixa e estendida,
ouvio-a afaitstar-se, e sortio.
Foi A porta e escutou.
Nada; nerm ella, ner elle. Posse
trabalhar corn today a liberdade. Pois bemrn !
ao artist vou offer4cer um prato prepara-
do por miram. Nem sempre hei deter asor-


Quando o chefe da brigada de seguranga
sahio da Conciergerie, um carro particular
estava parade em frente A arcada que exis-
tia entire a torro Montgommery e a torre
do Relogio.
0 policial passou por elle sem reparar.
A sua physionomia indicava grande
preoecupagio. Tomou A esquerda, desceu
o caes e tomou a direclo da rua Dauphi-
ne. 0 seu objective era, a enoruzilhada da
Crua VVmelha.
Jacques Lebrun tinha-o encarregado da
dolorosa nisio de annunciar a Helena a
sua prislp e a "grave accusaglao que pesava
soBI^-;^ Vidocq tambenm ,ueria saber o
rosultado da busca quo de;ia se ter dado
na casa do intendente.
Quando passoun polo carro particular, o
chap6o do mulher, de que jAfallamos,
emergio de novo. Ao mesmo tempo uma
voz masculina perguntou do interior:
Entlo 6elle?
E' elle.
Sahio s6?
86 ;.1 i
Entoo outrao ficou na ratoeira ?
Sem duvida.
A vod masculina deu uma risada selva-
gem:
Decididamente, minha cara SAbina,
parece que ha um Deus parsa goeate da
nossa tempera!..,
Sim, responded a voz do mulher, e
os homes deram-lhe o nome de Santan.
FIM DA PRIMEIRA PAPTE
(,'ontiuna)

sbre a mesa, seriam precipitados no 'es-
pa9o. -
Isto feito, apagou cuidadosamente todos
os vestigios da sua presenga e do sen tra-
balho e voltou pars o seun lugar no qarto
de Threza. ,
Quande ella voltou e communicou, comrn
today a naturalidade, que nao tinha encon-
trad o tio Mario, que o 'porteiro a havia
toniado por uma douda, nao sabendo o quo
ella queria dizer, Paloque pareeeu contra-


Com poucos annos tive a morte n'alma,
- Profundo golpe que eu nno sei dizer...
Lagrimas fundas, derramei, de dores,
Vi tudo, tudo, pars mim morrer!

E quando ergui-me deste sonho long,
Onde minh'alma sem cangar lutara,
Correndo a vista no passado inteiro
86 vi martyrios que o soffrer deixara.
e...o..........o.......

Pelos caminhos que trilhei outr'ora
Fui pass A passe opercorrendo entao,
Em cada canto uma lembranga amarga
Magoava as chagas do meu corago !

Triste viver! da mocidade as flares
Urna per uma eil-as vlo tombando...
As minhas louras illusoes de moga,
Como as ayes d'al6m, fogem cantando.

Sanhar6-1882. -
VIs6es

Vis~es da noito que povoaes meus sonhos
Do triste leito no dormir profundo,
Deixai-me a front sonhadora livro,
Nao me promettas enganoso mundo !

Nao me promettas enganoso mundo
Dai-me repouso no esquecimento,
Nao quero flores quo vejeta'um diae...
Nao quero gozos de um s6 moment :

Nao quero gozos de um s6 moment,
Que s6 nos deixam perenal saudade,
Oh! dai-me antes ao cora9go enfermo
A doce. crenga da Eternidade!

A doce crenga da Etemnidade
E' oque ha na vida pars o coracao;
Amor quoe os anjos entrever me fazem
Que eu louca vivo supplicando em vao.
Sanhar6-1881.
A. AUGUSTA.

Rio Graade do Norte

LISTA DOS PRSSIDENTES E VICE-PRESI-
DENTES QUE TEM ADMINISTRADO A PRO-
SVINCIA (1)


Organisada


palo bachardel Marco
dos Reis Lima


Tulio


outro.
Jacques Lebrun levantou a cabega:
Voc6 desconfiava? disse elle.
Sim, de um brejeiro, que dizem es
tar nos antipodas...
Nos antipodas ?
Um secretario da defunta, seu afi-
lhado, se nao me engano, o mogo Sr. Ro-
lando...
a- Rolando!...
ProcurAmos ha pouco descrever os di-
versos sentimentos de espanto, indignaggo
e desespero que succederam-se, depoic
confundiram-se na physionomia do velho,
quando se fez a luz, fulminante, no seu
espirito, sobre a sua lamentavel situa9bo.
Emquanto Vidocq fallava, elle tinha ouvi-
do, a principle, comn urma curiosidade ins-
tinctiva, depois corn uma attengo pungen-
to, cheia de anciedade e de terror.
E, A media quo o defective tinha-Ihe
mostrado os indicios esmagadores que pe-
savam sobre a sua cabeoa, peleriamos tel-o
visto cahir ainda mais n'um abatimonto
que parecia nao ter vontade nem forsa.
as o que nbo tentaremos descrever 6 a
expressto de terror, de revolta, quo revolu-
cionou-lhe as feiges, quando o chefe da
brigada de seguranga pronunoiou o nome
de Rolando. E' o horror intense quo dila-
tou-lhe as pupilas: o abalo electric que
galvanisou-lhe o corpo. E', finalmente, o
rugido rouco, furioso corn que exclamou:
Rolando! Rolando o assassino da Sra.
Mazerolles!... Nao pense nisso, camara-
da!... Ha engano!... Nao 6 verdado !.%.
E' irmpossivel!...
Nao se zangue, disse o policial corn
una lucidez cheia de compaixbo; precisa-
mos de sangue-frio para concluir o que nos
rosta a fazer...
E, corn um gesto e; em torn do mAo hu-
mor:
Sei perfeitamente quo esse afilhado e
estranho ao acontecimento, visto como sa-
hio de Pariz e da Franga ha cerca do seis
mezes e que neste moment 6 um dos or-
namentos das nossas colonies. Isso nao im-
pede quae, apontando eu para elle acertasso
em voc6, e isso aborreee-me.
Nto the quero mal por isso, respon-
deu Lebrun cuja calma havia voltado. Nao
6 voc6 o culpado, 6 a fatalidade.
Depois. corn resignapgo:
Enta, voce leva-me para a cadeia,
at6 quo me julguem, e, sem duvida, me
cortem a cabega.
Oh! protestou Vidocq, ainda nao
do umas grandes gargaihadas quando as
palavras cruas, triviaes e grosseiras fiziam
corar a mo9a.
Emquanto fallava, Paloque estava corn o
ouvido A escuta., Nao' perdia um dos mo-
vimentos do visinho.
Quiz jautar com as janellas abertas, por-
que um sol eosplendido inundava ainda Pa-
ris n'aquelle dia, e do pateo e da escada
subiam os rumors da casa.


!! -. :, ,: 1", ^ -1; ^ I B ;" ^ ^* ? '.^.. .
5 Manoel t.;Lobo db 'e *
4e 23 doe.janeiro a 31.d

d do 4e1833d S 3o Pd
Fo-erroira d
1. '4oaiodo 1836 a 26 dofbl
8 -Manoel Ribeiro da Silva
26 de agosto de 1837 a 11 deo'-.
1838, dia em que' foi assassinado b .
monte e send o dia desse as'inato^
quartafeira da Semana Santa. ...
V -Joaquim Ays de oAlm ti tsa
de 11a 25 de abril de1838. ,:.
VI-Manoel Teixeira- ,Jrb sir de 25
de abril a 3 de jnlho de 1838.1, 'j
VII-Joao Valentineo Dantas .g6, de
3 de julho c 3 de novembro d
9-D. Manoel de Assis to a,
de 3 de novembro de 1838 a a. u.
do 1841.
VImI-Esteviao Jos6 Barbo'
de 6 de julho a 4 de dezembi i .
10-D. Manoel de Assis Msarenhas,
de 4de dezembro de 1841 a 15 de no
vembro de 1842.
IX EstevIo Jos6 Barbosa de Moara,
de-15 de novembro de 1842 a 7 do julho
1843.
X-Andr6 de Albuquerque Maranhblo,
de 7 do julho do 1843 a 8 de janeiro de
1844.
Il -Francisco de Queiroz Coutinho MA-
toso da Camara, de 8 de janeiro a 19 de
julho de 1844.
12 VenceslAo de Oliveira Bello, de 19
de julho de 1844 a 28 de abril de 1845.
S13 -Casemiro Jos6 do Moraes Sarmen-
to, de 28 de abril de 1845 a 9 de outubro
de 1847.
XI -Joao Carlos Wanderley, de 9 de
outubro a 5 de dezembro de 1847.
14-Francisco Augusta Pamplona, de
5 de dezembro de 1847 a 31 do'.- margo
de 1848.
XII-Joao Carlos Wanderley, de 31 do
margo a 29 de abril de 1848.
S 15-Antonio Joaquim de Siqueira, de
29 de abril a 25 de novembro de 1848.
XII-Joao Carlos Wanderley,, de 25
de novembro de 1848 a 24.de fevereiro
de 1849.
16 -Bemvenuto Augusta de Magalhles
Taques, de 24 de fevereiro a 2 de dezem-
bro de 1849.
17-Jos6 .Pereira de Araujo Neves, de
dezemliro de 1849, a 15 de Mnaro de 2
de 1850, em que falleceu (segundo se diz)
envenenado.
XIV--Joto Carlos Wanderley, de 15 de
margo a 6 do maio de 1850.
18 Jos6 Joaquim da Cunha, de 6 de
maio do 1850 a 10 de julho de 1852.
19 -Antonio Francisco Pereira de Car-
valho, do 10 de julho de 1852 a 24 de on-
tubro de 1853.
20-Antonio Bernardo de Passes, de 24
do outubro de 1853 ao 10 de abril de
1857. --
21 Bemrnardo Machado da Costa Doria,
do lo de abril de 1857 a 19 de maio de
1858.
XV-Octaviano Cabril Raposo da C(a-
mars, do 19 de maniol a 18 de junho de
1858.
22 Antonio Marcelino Nunes Goncal-
yes, de 18 de junho de 1858 a 4 de ontn-
bro de 1859.
23 Joao Jos6 de Oliveira Junqueira,
de 4 de outubro de 1859, a 18 do abril -,
de .1860.
24-Jos6 Bento da Cunha Figueirodo,
de 18 de abril de i860 a 16 de maio de
1861.
(Cntinfia) "
oe a.cousa nao esta terminada, t.nho cA as -
minhas id6as a respeito.
"Os freguezes da tasca da tia Dogue
cercaram o ferido e ajudaram Thereza a |
tel-o sobre as pernas. Elle tornava a cahir,


deixando pender a cabega sobre o hombro,
como se tivesse perdido todo sentiments de
si mesmo.


1-Thomaz de Araujo Ferreira, de 5
de maio de 1823 a 8 de setembro de
1824.
I-Lourengo Jose de Moraes Navarro,
de 8 de setembro do 1824 a 25 de janeiro
de 1825.
II -Manoel Teixeira Barbosa, de 26 de
(1) Os algarismos arabicos deosnavs
os presideites, e os romanos egrmsi-piic.
dentes
A infeliz continuava a trabalhar, pu-
chando a agulha corn uma regularidade
chronometeiea.
Paloque sentou-se na unica poltrona que
haviaem casae pegou em urn livro. Quei-
xava-se da garganta, dizendo que estava
incommodado e que tinhba uma sede ar-
dente.
Durante a- noute, renovou as suas quei-
xas, at que Thereza, sempre condeacen-
dente e lboaofforeu- para ir
algivas cousa ,deo bheber.
MeUtinha-se asB4imo diante dajAeUa.
lIvaataiAdou m nio daota, e por ahi,
na parede fronteira, via a som'bra do vi-
sinho, o novo inqailivo, que andava polo
seu quarto.
Perto da media noite, Bernardo que ha-
via recusado os offereeimentos de' The'rea,
reaolven-se a aceital-os."
-Vai A loja da tia ogue, disme-lhe




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO41TM0LD_O1OG7T INGEST_TIME 2014-05-21T22:58:56Z PACKAGE AA00011611_15948
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES