Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15946

Full Text




































RIO DE JANEIRO, 29 do agosto4 a?
1 horas e 45 minutes da tarde. (Recebido
As 3 horas, pela linha terrestre.)

As duas camaras, reunitdas hoje
em confresso para i-e occnparem da
emenda do Senadot referente ao
contraeto para flluminacao de gaz
da corte, emendla que a Camara rL-
geltattra, discutiram a malaia, e,
passando-se a votacgo, rli appro-
vada a I.a parte da dita emenda. e
rejeitada a 2.a parte por grande
maloria.
Hontem. na Camara dos Deputa-
dos. foi reconhecido deputado por
Minas Ceraes, o consellieiro Matta
Machado.
A memma Camara approvodt as
emendas do Senado ho orcamento
da dexpeza do Miniaterio da PFa.
zenda.
------ ^- ., **- ,A. ,,..1 *; -1^


mW : ZE>J:A 3AA

(Especial para o Diario)

SHANGHAI, 28 de agosto.

Em eonsequenela do efleito pro-
daxido pelo bombardeamento de
Fou-Tehu,' as tropas eliesas se
ternm dispersado em todas as direc-
c6e.

LIMA, 29 de agosto.

0 bombardeamento destruio os
fortes.

SHANGHAI, 29 do agosto.

Acabam de ser expulsos de Can-
tao o consul de Franca e os france-
zes alli residents.

Agencida Havas, filial em Pernambuco,
-29 de Agosto de 1884: --


INSTRuC1O POPULAR

MAGNETISMO
(Extrahida)


GLPITUL.Q IX
ELECTRO-IMANS E SUAS APPLICAQOES
(Conclusao)
Os motors electricos sao o resultado do aprovei-
tamento das attraciSes e repulsSes magneticas
como forea motriz de qualquer machina.
Differentes tentativas teem side feitas n'este
sentido; mas, apezar de s ter obtido born resulta-
do, nao podem contudo estes motors concorrer
corn os motors a vapor, porque a despeza d'aquel-
los 6 ainda muite maior do que a d'estes.
Tibo s6mente descreveretnos o motor magnetico-
electrico de Froment, que consta de um tambor
constituido por oito barras de ferro macio, girando.
entire os p6los de seis electron imans 2 pares de bo-
binas as quaes por meio de um commutador espe-
cial recebem a electricidade da pitha per mode que
ha sempre attraccaio entire dous electro-imans op-
postos e duas barras de ferro macio, resultando um
movimento do rotatao que 6 transmittido depois
pela correia-sem-fim que estA ligada ao tambor.
Para finalizar diremos o que se dove entender
per correntes induzidas, e quaes teem side as appli-
causes d'estas correntes quando resultantes da ac-
cao dos imans e das correntes das bobinas.
Chamam-se correntes de inducido ou correntes in-


duzidas as correntes instantaneas que se desenvol-
vem nes conductores metallicos pela ac ao de ou-
tras correntes ou de imans.
86 trataremos d'estas ultimas per serem as quae
-teem ligac.Ao corn esta part da physical.
So tomarmos uma bobina em que esteja enrolado
um fio de 200 a 300 metres de cumprimento, tendo
as suas extremidades em communiealo corn um
galvanometro, e so bruscamente se introduzir no
interior da bobina usma barra magnetisada, veyore-
mos o galvanometro indicar a passage no fio de
uma corrente instantanea. Esta corrente dura
muito pouco tempo, come o indiea a aguhaM do gl-
vanometro qu e volta instantanea e promptamente A
-sua posiqlo de eouilibrio, e assim se conserva em-
quanto o iman flea no interior da bobina; se, po-
r4m, de novo retirarmos a barra tambem bracs-
-monte, veremos logo desenvolver-se uma outra cor-
rente em sentido inverso da prineora.
A estas correntes 6 que se di o nome do corren-
te indusddas ou de inducao.
Xdtas correntes foramn applioadas pan a coius-
-tracno de umas machias. especiaes ehawadaa ma-
oiaaa de induopio, do que ha dou. typoi divemo
jqwe difderm um do outro, em *er ua m a be-


8utc B~o -repvweottaowH mraiB m etrii":.eww k,a^
.cbina), bastaudo tomar Um. dOw fCylindros em faita
to prdntrm^~deg.c ,arga electries1tSO
k -1 para sentit Mi e
que a wachina fit .
sta maehiuint d f iaoriCgiin*,
outra inveatada por t icnhen ieA ;1
de machi a Agiana, tachino qtt'Oka
par a lllnominaso dos phiroev elee be m
Fran h,. : -:


I N tR1 1 t0i .I P$

Alstoterlo do lImperli p
Por decreto de19 do correntefoiiagraciado- corn
o tituoe deBario do.Jacegayo,pSr. ehefe do es-
q|ua(|f8. Arthur Sil t d)Motc, pelos relevantes
servioM predados aiz '
-fWalsterio da Eustjpa
Por dretos de 19 do corrente:
Foram cfispensados, a pedido,'do c-Lrgo de cheT-
te do policia das provincias :
De Pernambuce, o juiz de direito Raymundo
Theodorico de Castro e Silva.
De Santa Catharina, o juiz de direito Estevk
Jos6 de Siqueira. .
Da Minao-Geraes o juiz de direito Eheophilo
Pereira ds ilva.
Forgo nomeados chefes d policia das provincias:
De Pernambuco, o juiz de direito Manoel Ven-
tura de Barros Loite $ampaio.
De Santa Catharina, o juiz de direito Firmino
Gomes da Silva.
S B.-. .. _


Juiz mU-cIa e 0 do do Joao
Juiz musmt~ Le
Baptistsa de Qarahim, na provincia de S. Pedro
do Rio Grande do -ul, o bacharel Hersilio Luperi-
no de Souza.
Foi removido, a pedido, o juiz municipal e de
orph~ks Antonio Serapiao de Carvalho, do term
da Conceigio para a de Itabira, ambos na provin-
cia de Minas-Geraes.
Foi dirigido, a 14 corrente mez, o segointe
aviso ao president da provincia do Maranhie.
a S. M. o Imperador, tendo oavido a sessio de
justice do eonselho de estado sobre o recurso i n-
terposto por Joaquim Thomaz da Costa Bastes da
owtenga qua o demittio do lugar deagente de lei-
16es deasa praMa, ha per bemi, na conform'dade de
mus imperial resolucao do 12 do correute sobre con-
sults de 24 de abril do anno passado, negar pro-
vimento pelo seguintes fundamentos :
1' Porqua o recorrente, quer no exereicio do
cargo, quer t6ra delle encarregava-se particular.-
monte de cobrancaa, pagamentos e outros misteres
de natureza commercial e inteiramente incampa4i-
veis corn o officio de agent de leiloes.
a 20 Porque se incumbira da venda de salvados
de urma embarcaco par um outro soeu college.
0 quoe communico a V. Exe. pars devidamen-
te o fazer constar.n
Nio foi agraciado Joa uim Levino L.al da
Barros, condemnado & pens de 4 annos e 8 meze-
de prison simples e msulta de 20/o do valor furtas
do, em virtude de decisaoe do iury da capital de
provincial dePernambueo por crime de furto.

Mlllsterlo da Fazenda
inspeetb ~ainas f'qs_ r*aoi-aeaendq
despacho livre de direitos em favor dos materiaee
necessaries As conipanhias e emprezas de engenhos
centraes, deve restringir-se somente aes direitos
de importagio, ficando revogadas as ordens que
temrn sido expedidas parsa a isengao dos de expedi-
ento as emprezas que nio gosarem deste favor par
disposino da tarifa das Alfandegas ou por lei es-
pecial.

Mlinisterlo da Guerra
Por decreto de 19 do corrente :
Foram transferidos para 2 classes do exercito fi-
cando aggregados As armas a quo perteneem o ca-
pitio do 10 corpo de,ccavalaria, Jos6 Antonio dos
Santos Cavalcante e o tenente do 14 batalhlo de
infantaria Francisco Evaristo de Souza, este nos
toermos do paragraph unico do art. 10 da let n.
3,169 de 14 dejulho de 1883,Iaquelle na conformi-
dade da immediate o imperial resolhiao do I do
abril de 1871 visto term side em inspeegio de
saude o primeiro julgado incapaz do servigo do
mesmo exercito e o segundo julgado inwapaz do
servico de suna arma.
Fci transferido para a 7a companhia do 2' regi-
mento de cavallaria o capital o 10 di mesma
arma Manoel Joaquim Godophim e bem assim
d'aquelle pare este regimeato o capitao Joilo Jos6
da Rocha para 7a companhia.
Foi reformado, nos terms da primeira part
do o10 do art. 90 da lei n. 648 de 18 de agosto
de 1852, o tenon aggregado A arma de in-
infantaria Joio Zeferino de Hollanda Cavalcan-
te, visto ter side julgado incapaz do service
do exercito em nova inspecglo do saude, a 4ue fo
sumettido.
Concederam-se as honras do pastb de aaferes
do exercito ao alferes da guards national da pro-
vincia de Matto-Grosso Jos6 Bernardo da Silva,
pelos servings que presto na Campanha do Para-
guay.
-- Foi reformado no post marechal de exereito
o marechal do exercito graduado Jos6 da Victoria
Soares de Andr6a.

Mimlsterio da Marlmha
Por decreto de 20 do oorrente, foi nomenoado o Sr.
ehefe de esquadra Bart de Jaceguay oommiandan-
te da esquadra de evolueies, compola dos eneo-
racadoes RiGeOuOZo, Sete d! Setombro, Soalimes e
Javary, pruzadoures A lmiraat. Barroso, Guamna-
bara, Tr-ano e Primeiro de Margo, porpedeiras
de I eclase ns 1, 2, 3.4 e 5, Alpha Beta Gamade
4* elasse.
Per aviso da mesm&a data foi man lade louvar
o Bare do Jaceguay pelo notaveis e mportastea
servicOs prostadol come inspector do Arsenal de
Maninha da Onto.
--Por doecrto. dedo o mense de oo-


iaa


-bieo,W do agoro e 1884.
'*':~~ ~~ o rwteirte^"'- l'l^(l'
J. L. 4 L Vigg -s.-

c1waode0I dM Arna
QUA$TEL DO COX .DAS ARMAS Dt
SPEINAkBuCO, 29 DE A6OSTO DR 1884,
(Jrd e m d o d ia 40-1 34 8 1 d e
-'oo e reen mS., Z c. o, .I d
"-preodeont6 da pmviocia. em officaio de
do o gteo, HIGU o 0 a&- .t& o020 61b1aPo
infataria Antoo Fran d Costa, pelo4
resse corn quae desempeahod a commisalo de syn-
i ctae no presidio de Fernando de Noronhs.
pana que foi nomeado por acto da mesmsa Presi-
dencia de 15 de mao ultimo .
(Asignado).--"ancso Camdto FPesoa de La-
cerda, eoronel eoiamandante das armaasinterlnuo.
:Conforme. --0 n tene Joaquim Jorye de Mod
Flho, ajudante de orde.s, encarregao;do detaler.

RepArtlie da POU$
Seeg9o 2a-N. 945.-Secretai do Po-
licia do Pernambuoo, 29 de agosto de
1884.-flm. e Exm. r.--Participo. a V..


A' ordem49do ubdelegkdo-do leeife, Pedro Ju40
da Silva, Mauool Joaquitdo Sacramento e Fran"
cisea Boss do Nascimeonto, por offenses A mora
publics..,.
k ordem do de Santo Antonio Marinho Fran-
cisco de Pam, iaordetturbio. "
A' orda do. t0districto de S. -Jose Paula,
escrava de., Ana Candidadaa Coha Freire,a
requerimeanto B eO
A' airdern do 2- cistrICto de o, Jod6, Manoet
Coiinbra, yorvaLo Jo01oCerniiro tao, por aL aL
fug'd-, Msanoel Pedro Antoo, Jo de Araujo'
Manoel de Souza Tavar -Junir r diatrWL
Deus guard a V. Exe.-iIm. e Ev
Sr. desemnbargado Joi6 M de F -
tas, muito digno president da provincia,-
0 chefe de policia, Raymundo 7wdorioe
de Cafro e Silva.

Consulado Provialal
DESPACHOS DO DIA 29 DR AGOSTO '
Jos6 Jolo de Amorim Junior, Valento
Irmio & C. Antonio Nunes do Valle, Gon-
salves & C. Andr6 Bussom, Manoel Car-
valho, Moraes & Marquez, Esnaty Ro-
drigue & C, Victor Neesem, Morei'ra L-
pes Irmao, Tiburcio de Oliveira & C. L ',
reira Rocha & C. Dominagos Alves^a)
theos, Joaquim Duarte Simoes & C., ,-
noel 4d Barros Cayva ateo 310HO& & -

da Siquoira & e Iftanoel Mattins iei-
ris. -Informe a 1.a sec9o.
Manoel Feleciano Ladislao dos Santo3.
Certifique-se.
ADDITAMENTO AO DESPACHO DO DIA 26 DE
AGOSTO DE 1884.
Augusto do Rego & C. c Silva Guinsa-
raes & C. -Informe a 1.8 secglo.
Jos6 Pereira Carvalho, & C. Baptista &d C.
e B. A. Soares Leite.--Informe ia 1.a
secglo.
Manoel Medeiros da Rocha.-Proeeda-
se a collect de accordo corn a informagao,
considerando-se o supplicante, como sue-
cessor do Manoel Antonio Gomes e solida-
riamonte responsavel pelo debito do exer-
cicio do 1883 a 1884 na forms da deci-
slo do Thesouraria.


Camara Municipal
DESPACHOS DA SESSXO -DE 20 DO
S RENTE


COR-


Jos6 Eleuterio de Azevodo, contractante
des obras e services do Matadoro da Ca-
banga.-Pague-se, deduzindo o Sr. procu-
rador a importancia do services da receita
do Matadouro.
Tenente-coronel Jos6 de Oliveira Gas-
tro, contractanto da reconstrucgio do pro-
dio n. 1 A runa dos Pires. -A camera at-
tendendo as ponderages do supplicant,
nomeou os peoitos constants do despaeho
do commissario, de 20 do corrente, *m
virtue de cujo parecer deverA ser feita a
obra e per centsa do contractaute.
-. -28 --.


rresW.w*4 d" Do. arlo de

0I DE JANEIR O- owru, 19 de agosto


xixroiMi o senatorial.-Victoria dos con-
B servadores.-Os resultados parciaes em va
| urios districtos.-Os esfor-os mallogrados do
. Sr. Andrade Pinto.-A influencia do Sr.
S Bezerra do Menezes na cdrte.-O articulista
Garrisson e a victoria d9s conserva-
S dores.-Os trabalkos do Senado.-Requeri-
S.mento do Sr. Ottoii. -Apiros da Sr. Dan-
tas.-'os8ibilidade de prorogaq&o das ca-
mara .w.-tObervao5s da c Folha Nova. a -
R esposta de um articulista ministerial.
0 facto mai inimportante destes uitiinos dias 6 a
estsondossa victoria que acabam de aleangar es
donservadores na eleigio senatorial que teve nlu-
Qr ante-hontem,. Ainda nio 6 conhecido o resul-
t4lo final, p*i' aida faltam varies collegi)s da
povincia, ctpjp. ota' o per emquanto na 6 sabida.
a seja elfa qual for, e dade mesmo qte nito
gardeecomo se espora, a proporglo dos collegios
,iad t, nao p6de de f6rmna alguma alterar o
P mpho da clap conservadora, cujo ultimo vo-
tw, eo Sr. Aadide Fdouira,, e.i toe 6,702 vo e-
s ao pass que o primeiro da chapas liberal, o
L Andrade Pinto, tom 4,607. Que, o triumph
d chapa conservadora era previsto, eo o disse na
tarteror; mas qua fosseo l assigaalado, e que
ptiaeipalmente nos trees districts do municipio
B atro fosse tio crescida a votaco que ella obte-
S6 o que nem mesmo o Sr. Pauline, o osperava,
A nbtante a confianes que semqre mnifesatou
a seans amigos no resultado do pleito.
,Af seus calculos elle eontasva comn uma su-
pqiriodas de d 1,590 votos, quo ihe darisnam mar.
e wpara nio arreeeiar-se do trabiho heretlo
Str. Andrade Pinto, o chefe mate. active e mais
prii;40"1nte na upolitiea; da provincial, aprosen-
tao ejQ Sr. Octaviano e reconhcdido polo go-
pIrate o qua figurava elle de represeu-.
e og.o doe interesies do partido.
W to, mesmo no 80 district, onde o Sr.
Aidr Pinuto, na. ultima eleivo de deputados,
pe r i votos, e por onde se apresenta can-
us.a p t tends procurado f< ralecer-se
amf Uovas enomoasoe de juios municipaes e de
Iae da guard naciofti; no 80 district, nao
opomguio aga rter vota* superior, nem mesmo
igal do menoies tado d03 candidates censer-
vadoreL
-C s identico se nao peior deu-se corn o Sr. Re-
es Peixoto, no6 distrtcto, per onde elle foi
decide dei4tado em 80 escrutinio da Camara
om o z Thoata Coelbo. 0 ultimo con-
Ao e634 vote, e elles 455.
eollgio da oidadd de Campos, quo e o mais
Sdo ditrito, o 3 votado d&t chapa con-
teve227 os, elle, 13.
0 bf."r. Bezere a de Menezesno
a *iewsu ado lugar na ordeaida'vota corn
6 ficando e primeiro o Sr. lino corn 819.
No tereceiro e quarto lugr far Srs. Poreira
da Silva e kndrade Figaeira.
Entretanto, 6 opinie geral que nesse district
a maioria 6 liberal, e tat que na ultima eleioao de
deputados os dous candidates que entraram om
20 escrutinio eram liberaes.
Nao l e 20 diatrictos a chapsa conservadora vean-
eeu completameate, noe obstante a influeneia atri-
buida ao Sr. Bezerra de Menezes em todo o mu-
nicipio neutro, A ponto de tar side president da
Camara Municipal por mais de dezesseis anaos.
.'* -0 que me-tbem admirads c a muita gentle e a
pouca votaco que tern tide o Sr. Souza Carvalho,
em redor de cujo noes formou-soe um certo arrui-
do, por causa do Club da Lavoura do Monte Ver-
de, que fez supper que elle tivessa grande votaclo
na provincia e pudesse prejudicar o Sr. Pereira
da Silva, que reputavam o candidate mais fraco,
o contra o qual eonvergiam os esforgas do3 can-
didatos adversos. D'asi veto a repommendacAo
particular feita pelo Sr. Pauline parsa que, cortas-
sem antes o seon nome e o do Sr. Andrade Figueira,
e nunca o do Sr. Percira da Slva, que por esteo
mode 6 o segundo v6Xdo da .sta.
0 Sr. Souza CarvaIho, como ja tive occasiuo do
dizer, nao trabalhoa, deixando corner a sun can-
didatura per cents dos quo a levantaram. Mas
tinha side ella til coutada na imprensa, tio re.
commendada come uma prove de reconhecimento
e gratidao da lavoura parn corn o jornalista im
pavido quo havia affrontado a torrente abolieio-
nista, promovendo unsa reacelo que se fez sentir
na admiaistraeao Lafayette, e per fim rompendo
corn o gabinete actual; que realmento era de os-
perar que o nose do Sr. Souza Carvalho fosse
suffragadt per mode sigaificetivo pelo eleitorado
dos muunicipios agricolas.
Aconteceu, porem, que, toad, os chefs cnser-
vador, nos ultimos, dies, a medida quo a cabala se
tornava mais aetiva, appellado pars a disciplina
partidaria e reconeendado quo emrrassem fileiras,
a vista dos ingeotes esforeos dos Srs. Andrade
Pinto e Bezerra de Meaezes, e eonhecendo os
liberaes quo, por seu lade, devram fazer ontro
tanlo, gterroanam eruamente o Sr. Sousa Carva-
lho. e um dos moios de qua se serviram foi propa.


tarem que e16 estava Cmbinado coin os ensoer-
vadores, e quet se aguardava o resultado da elei-
qb pars.tornar patalen a a sus sfliAnge com es.
EssmittrigN, amts-a A ultima here, nos colle-
gios, prodzioodnz eac.do %ffeito, ma. muito pouca
ou a&" proveiou ms -* sutvres, porque o re-


& (na Camara ds Deoputadeos nAob teoihavi-
4o0 se*o (alvez qatohoa ho ss, por.aus do
pro? qeto |e augmentas a deputagio &oPari), no
$,eaado teorn cntinuado rugutarmuente a discuss'o
das materials sugaitas ao sea conheeieuto.
Infelizmente o dia 15, sabbado, detiuado a dis-
cussao de requerimentos adiados, nuo foi aprovei-
tado para a discussio do orcamonto do Ministerio.
da Fazenda, que alias estava dado par a 2 par-
te da ordem do dia, caso houvesse tempo. Mias
today a sessio foi absorvida cam o debate sobre um
requerimento do Sr. Veriato de Medeiros, relative I
a despezas fitas corn exereieios militares na es-
cola do tiro,.e cornum outro do Sr. Correia sobre a
suspensao de uma camera municipal do Minas.
- Antes de entrar-se aa ordom d: dia, o Sr. Chris-
tiano Ott)ni requereu inversic, para tratar-se em
primeiro lugar do orcam-nto, o que nao foi aceito
pelo president da casa paer no ser permittido
polo regimento, mas ficou resolvido que as scssoes
durariam mais uma hera, fazendo-se todo o pos-
sivel parsa terminare.m-nse oa trabalhos at6. o
dia 29 ou 30 desto mez, recorrendo-sI measmo As
sessoes a noites, se for necessario, meio que foi
lembrado polo Sr. Cotegipo, o president, e muito
apoiado pelo Sr. Dantas, o qual n aio deixa de star
se vendo em apuros ante a probabilidade do che-
gar ao disa 3 de setembro serm quo o oramento
tenha side difflaitivamente approvado.
Conhece-se bem os3 receios do gabinete em um
artigo publicado no Jornal de hoje, em resposta a
Folha Nova, em que ja so admitted a hypothese de
prorogacao da session, sendo a dissoluhio dentro
do period della.
A Folka NTova, occupaudo-se corn as observances
do Sr. Ottoni, quando fez 6 requerimento de que
fallen, observou, a proposition da dissoluoo :
a E' agora que o Sr. conselheiro Diutas deve
star ben persuadido de quanto foi leviano o s u
procedimento, quando dissolveu pour rire a Ca-
marsa dos Deputados, declarando-lhe quo s6 soeria
effective esta dissoluao depois de votada a lei de
meios. Devisa prever, corn effeito, que nilao p dia
deixar de ser consumido pelo mcnos- o unico
mez que faltava parsa completer o tempo legal da
session, pars a camera temporary chegar a votar
o erpamento da receita, e o Senado os dos trees mi-
nisterlos que ainda estavam em discusslo nessa
casa do parlamnento, e mais o da receita geral do
impoerio.
A fingida dissolulo nalo teve, pois, ontro re-
sultadQ senile o de priporcionar deseanso sos de-
natadoa, sue agora s6 tern de dar a ultima de mio
as reaoltuoas votadas plo Senad,"o que na o im
pede que va correndo o subsidio diario.
Foi a pilheria de dissoluwo para rir que quel-
mou o articulista ministerial, o qual assegura que
o primeiro ministry sabe eumprir o sen ever e o
eWt caumprindo fielmente ; que naio ha inconve
niente em adiar por mais alguns dias a dissolugao
sendo certe quehavendo esforgo as leis de que ca-
rece o governor serlo obtidas n) devido tempo.
a Quando os primeiros ministros da Inglaterra,
accreacentsa elle, pedem saos communs que seapras.
serm a deeretar os bills financeiros, parsa quo a rai-
nha possa appellar pars a na.Ao jamais tentaramn
violentar a repreaenta* o national a prescindir do
exame acurado das medidas. Se o parlamento tern
demoradoa cexectuo d.aaua tarefa, dando-nosrea'-
ment< -ud n exemplque n.da6 para louvn.w ta.
..o sea devei, gem ao primeiro ministry do
governoparlamentarquadrava-auLtro modo depro-
ceder.
a Ngo ha, porem, nenhuma anomalia em que a
Camara dos Deputados seja dissolvida nos ultimos
dias da sessio,no ultimo disa, ou n) penodo de pro-
roegaole, senecessario for prorogal-a, como nlo es-
peramos. A disselulo estA annunciada, e tanto
bats a todosos seus grades effeitos politicos. a
Sa Nao ha anomalia *, diz o esecriptor do govcr-
no, em contradicgAo corn o que affirmon :) proprio
Sr. president do conselho, quando disse, que -se-
ria uma cousa anomala !
0 peioro e o quo mais deve inquietar ao governor
6 que depois do dia 3 de setembro nie 6 certoe que
heja numero do deputados na corte para fazer eass.
Qoer dos amigos, quer dos adversaries a deban-
dadaja vai come9ando.


RIO DE JANEIRO


CORTE, 23 do agos-


to de 1884.
Suxx.MARo. -- Proxima conclusdo dos trabalhos do
Senado.- Votacao do orgamwnto do Min's -
terio da Fazenda.-As obras do porto do Rio
Grande do Sul. Os cumprimentos do Sr.
Dantas ao Sr. Silveira Martins. Rheto-
rica do Sr. president do conseldho. 0 or-
gamento da receita.-O parecer da commis-
sao respective, send rdelator o Sr. Affonso
Celso.-A read calculada pgr diversas es-
Stimagoes.-As emendas e additives da com-
missdo do Senado.-Situafao urgente do Se-
nado. Declarugao em tempo.
Q:iando esta ahi chegar jiA estarAnit.minados
os trabalhos do senado, o qual corn I uvavel es-
forto, poderA at6 o dia 26 on 27, segundo as pre-
visoes e deeejos de sen president, or Sr. Baro de
Cotegipe, ter votado os dous orgamentos, do Mi-
nisterio da Fazenda e da receita, corn os respoc-
tivos additives, que ainda pendem daquella cor-
porago e tmrn do voltar & Camara dos Deputados.
Na session de 20 foi o primeiro dejoses orcamen-
tos votados em 2a discusslo; e sondo dispenado
o interOstio regimental t requerimento do Sr. Vi-
eira da Silva, entron em 3- disoussAo no dia im-
mediate, em qua foi definitivamento approvado,
ap6a pone long debate provoeado pelo Sr. Bil-
veiras Martins, comrn reference As obras quae sas es-
tAo exeentando na bars do Rio Grande do Sal;
debate, em que omaram part os Srs. Dantas e
Avis.; aqulle paras da r explieagoes sabre o sen-
tide o sduespal.vras, quando n.a discussebo do
,oruae mbt)do Ministorio da Agricultura, referio-
S ells obras ; este par justificar-so e das a r-
guiooes que Ihe dirigio o sen ooUegs e @omprovin-
cianoqueproeuromnrefutar o que lle havia dito
us mesa oceasio sobre os ervios ali executa.-
doa, sobi. adec do engenheiro Bialtho., ea e


tablidade ha w- enharia hydraulics, quo manda.
ria vlrj on d.i:tiropa, oados'Estadosjnidos,
antes de arriscar-se a commettimentos cogitado$,
para n o eahir em alguma armnadiAa. :
& a-a &tifng aehon q t estatpulavr


&^&Lru esolvido padir dipe6nsa
quelacoui%*t E aproveitandoo easejo, a
86 diseutio a material, replieando ainda a unn
gundo diseurso do Sr. Avila, pronunciado tambem
no oreamento do Ministerio da Agnricultura, com ,
de passagem, solto8 algumas d'aquellas rajadaf
patrioticas, corn que costuma encareeer as neces-
sidade de sua provincia, e os seus elemcntos de
grandez L.
0 Sr.' D.intas, explicando desenvolvidamente
qual o sentido em que exprimio.se e a opiniAo quae
forma do eagenheiro, o Sr. Bicalho, e tornando-se
salionte a a vivaeidadc que o Sr. Sitlveira Martins
mostron defendendo os mellioramentos de su. pro-
vincia a, declarou qua nao ha provincial que me-
rega mais attenplo dos poderes pib!icos do quea &
de S. Pedro do Rio Grande do Sal, al6m de ou-
trias razzes (notc-sa esse-alm de outras raz5o,
que nao foram explicadas) pelas suas condiSes
especiaes de provincii fronteira condicoes qne
nao podem deixar de despertar da parte dos pode-
res do Estado a devida atten.o.
S Pensando assim, conclaio o Sr. president do
conselho, en posso agora terminar dirigindo-me 4.
provincia do Rio Grande do Stul, em presenga dos
seus tres illustres representant.3 que neste mo-
mento corn prazer vejo presents, para assegu-
rar-lhes que hoje, -como hontem e como sempre,
nos eccuparemos de attender as sua justas recla-
maqies, dotando-a dos melhoramnentos de que ca-
reeo, e sahindo os mneios que para isso forern ne-
cessarios, nio s6 dos cofres da provincia, mas tam-
bem dos cofres do Estado, desta patria commum
de que todos somos part. a
F.'i ahi quo o Sr. Ribeiro da Liz deu aquelle
apart que foi soeeaundado por outros de varies se-
nadores, espec;almente o Sr. Affonso Celso, pedin-
do que se fizesse o mesma coin as outras provin-
cias.
0 Sr. Barros Barreto -Para Pernambuco nerm
urnma drag nos mandam para o port, apezar
das coustantes reelama"5es desdo muitos annos !
Nessa mesma sessio comegon a 2a discussion da
receita, corn o respective parecer da commissao
de (crgamento de que 6 relactor o Sr. Affonso CCl-
so, que felizmente so havia preparado d'antemlo,
tomando as suas notas e adiantando trabalho &
media que a material isa sendo tractada na Cama-
ra dos deputados. Asiim 6, que ease trabalho,
long e minacioso, e que em outras circumetancias
e sem aquelle prepare corn antecedencia, consu-
miria muitos dias, p6de ser apresentado em muito
curto prazo. E ainda desta vez prevalecera a
pratica seguida no nosso parlamento, e qu e im-
ports uma inversio na indole do system repre-
sentativo, de ser o Senado o ramo vitalicio, e nao
o temporario, quem em ultima analyse faz a lei
do orgamento.
A proposta do governor orgou a receita em
130,915:4005000.
A Camara elevou-a a 131,925:900E000. A com-
missao do Senado, oc antes o Sr. Affonso Celso, fa-
zendo urnm estudo geral sobre os quadros da rends
no exercieio ultimo e apreciando os dados mais re-
centes fornecidos pelo thesouro, calcula a receita
em 133,048:5)00jou0.
Em nenhuma dessas tres estima95es estio in-
cluidos os deposits, nerm a rendsa destinada ao
fundo de emaneipagao, ests estimada em 1300 con-
too, aqucllas em 1600.
Mostrando enm que se fundam os seus ealeulosi,
a oses dadoscolhidos t a ulttira hora, resalta
a grata eerteza de que a receita pablica, apesar da
escassa produw'no do nosso prinmeiro genero de ex-
portagAo no ultimo anno, continufia a augmentar, o
que nao 6 devido somente aos 10 0/o addicionaes
as taxas de importapgo, mas incontestavelmente
tambem ao desenvolvimento da riqueza national. ,
Nas disposi5es ger.es e nos additives fez a
commissio varias alteragoes e augmentos de im-
portancia.
Por exemplo: o project da Camara dispoz que
a correspondence official, inclusive a telegraphica
seja sujeita a porte.
.0 parecer nested ponto observa :
a A commissao julga vantajosa a media, nao s6
porque evitarA abuses, visto como os empregados
incumbidos da expedicio da correspondencia ofGi-
cil de cada repartiao, deverao justificar o empre-
go das estampilhas que comprarem, mas ainda
porque dessa forma conhecer se-ha exactamente
qual a renda do correio geral.
a Mas, alsem de que ja nao pode ser adoptada
paraso exercicio quo vai roger a presonte loi; por-
quo, votada a despeza das diversas rep irti9es,
nao ha como augmentar suficientemente a verbs
do respective a Expediente, a pars o que demais
faltam os indispensaveis dados, accresce quo a in-
novacao trara difficuldades praticas, quo convira
remover.
a Pars as reparticoes e functionaries do Estado
pagarem o porte da respestiva correspondencia
podo a Assembl6a Geral prover convenientemente;
ndo assim, por6m, quanto as reparticoes e funccio-
narios provineiaes e municipaes,-quo necessaria-


mente ficarao sujeitos A mesma reg-a.
a Nem se objecte, que a diffieuldade desappare-
cerL ordenando se simplesmente que arbitrado nas
estates do correio o porte de totas a correspon-
dencia official, se o escripture come reeeita, poi'
que nao se preveniria assim os abuses, que em tao
larga escala slo pratieados, em prejuizo da rends
pubhca. a
a Por estes motives apresenta a commissao urn
substitutivo.
0 substitutivo e este
Na proxima sessio legislative propora o go-
verno as medidas mais adequadas para sujeitar ao
porte do correio today correspondencia official, con-
templando decade logo, no pedido de meios para as
despoezas aos diversos ministerios, a quantia corm
que, parsa ease fim, julgue neoessanrio augmontar-
so a verba-Expediente--de cada repartito.
Additive da amara:
Os bilhetes que o thesouro tiver de enmittir,
pot antebipatco de reeeita e por eredito votados,
,eriede 1M000A eadas um e terao o formato das
actuaes notas de 500 do retrido theooro.
a Ser&Afaeltado s ao MWniterioda Faseada emit.
tir oase bilhetes a praso de 12 nmese0 o6B jur
Psgos no fim de cada seazestro, On coniervar o ac-
tual system do pagal-os adiaatdaumB to; e a.
repartigoes publicas recebel-ot.e0 pa9aM Ie"
TYado em eftta. ou deduzindo wjuro a quo
*iwmr a dmaft. a


io.


I

























n^^'Eo fanoA, Me&" ^-~lW^
eOstaurar.
. A ommisato a -aik ,, ai|
wera, Os terms do *aditdWvo. Cm edrda em
valor dos bilhetes seja 0iado em 1(0001, porqw-6 rebw ase a g
for major nao preencheriam be o fim quo ese tern pula*o pacifieaI
em vista-facilitar as transaeages do alto coner- uras guard urba
cio, e send menor viriam fazer coneurrencia ao turt0 o ministro d<
papel moodsa-do qual, alias, differem essencial- rencion corn os m
meont, augmentando sua deprecisWo. e E a
a Quanto ao format, que a camera tamben ni- jdicar0t
0ou, entntmde a eornaiasso que deve ser t '4d 'in A
eseolha do governor; pode set necessario sutbsti- dSe Q# niop
ttil-o, como acoatece no das nras do tiheioarL. La pai prodaaiai
S A media tern o inconveaientede oeipljoar o Oapovos de Are
serving nas-esta oes publicas, pois exige o ealeculo 'de(ala moaatft
dos descontos eorrespondetes'A data do ven- Ceeres.
cimento dos bilhetes, no acto do pagampento. Tinha chegdob
a E' acertado, portanto, autorisal-a t, o smoemnte sentante do Chile
pars quando seja precise supprir a talta ou des- mialto eordiamhnent
locaao de numerario, & juizo do governmo. 1Na Caumara dos2
4 Nesto sentido, offerece a nommissAo um subs- a ser diseutida ei
titativo.' religiosa, sem que
Eis o subs itutivo: quer incident qst
a Os bilhetes que o thesouro tiver de emittir, 1
por antecipagAo de'ttceita e por craditos votados, Datas de ambas
serio de l1:OOO4 cada um e terao o format das ac- No dia 15 do co
tuaes notes de 503J do referido thesourc. Ayres, corn grande
w SerA facultado ao Ministerio da Fazonda emit- Congresso Catholic
tir esses bilhetes a prazo de 12 mezes corn juros nhor Aneiros, um
pagos no fim de cada semestre, ou conservar o ac- Tambem realiso,
tual system de pagal-os adiantadamente; e as lacro de guerra. i
repartigiea publicas recebel-os em pagamento, le- trees, por balas do
vando em conta ou deduzindo aqaelies juros a que d'elles.
tiverem direito. a Na Republtica A
Al6m de varias outras emendas de poneas ia- central dl azareto
pertancia, a eommissio justificou longanmente o0 0 governor oriemi
seguintes additives que apresentou, dos quaes al- cez PrvenAce ftan
guns teriamrn larga discussao se nAo fora a nrgen- que alli owpletass
cia da situaAo em que se aeha o Senado : teminam em 29d
SArt. 1." Fica prohibida a concessio de despa.- ficariam aX bordo, a
chos livres dos direitos de consummo, f6ra dos ca- uenhuma novicsade
sos em que o permitted as disposices prelimina- sim como a earga,
res da tanrfa das alfandegas. e suspensas as que migaces.
tenham sido feitas a emprezas ou particula- ABIo


res.
E', por6m, o governor autorisado a conceder a
continuagco desse favor aos que o tiverem em
virtude de contratos synalagmaticos, depois de ac-
cordo sobre o prazo em que devera cessar, e a res-
tituir a importancia dos direitos quo houverem pa-
go durante a suspensao.
Art. 2.' 0 governor fara effective a fiscalisagao
do service das linhas telegraphicas nos terms
des respectivas concessoes, afim de obstar o des-
falque da rends do Estado, podendo remunerar o
pessoal necessario, por conta da verba respec-
tiva.
Art. 3.o Fica concedido ao Ministerio da Agri-
cultura, Commercio e Obras Publicas um credit
especial ate 50:0000$, pare o fim de contratar um
professional, que estudando as jazidas de phospha-
to de cal no archipelago de Fernando de Noronha,
verifique sua qualidade, quantidade e valor com-
mercial, e proponhoa omclhor meio de serem apro-
veitadas.
Esta despeza far-se-ha pelac sobras que se de-
rem em quaesquer verbas do mesmo ministetio.
Art. 4.o Fica o governor autorisado a applicar A
compra de apoliees da divide public internal fun-
dada o product da vendcla dos bens perteneentes
as ordens religiosas, que se realisar em cada exer-
cio, pagando aos seuas represeatantes legaes os ju-
ros semestralmente devidos.
Inscriptas, por conta dos respectivos convents,
coni a clausula de inalienaveis, estas apolices con-
siderar-se-hilo amortisadas corn a extinceAo das
mesmas ordens conforme direito.
Art. 5.,, Fica o governor autorisado a entender-
se corn as concessionarios de engenhos centraes e
estradas de ferro corn garantias do juros ainda neo
em effectividade, ceujas obras possam ser adiadas
para o fim de rescindir a mesma garantia, solici-
tando do poder legislative os creditos necessaries
A execucao dos ajustes que celebrar.
Art. 6.0 Centinda em vigor a disposieio do art.
22 da lei n. 2,792 de 20 de outubro do 1877, con-
siderando-se desde logo supprimidos nas reoparti-
- es de fazenda todos ps lugares de terceiros es.-
cripturarios e praticantes, a proporAo que form
vagando.
Art. 7.o Conjunctamente corn o deereto da abet-
tara de qualquer credit extraordinario ou sup-
plementar, farn o gouerno publicar a consult do
conselho de Estado pleno, on da respective secago
que o houver precedido, na form do art. 20 da lei
n. 3,140 de 30 de outubro de 1882, assim como a
prop'ista e informanes demonstrativas dos mes-
mos credidos.
Art. 8.0 Os sreditos abertos no exercicio da
present lei nao poderao exceder de 4,000:0005
para todos os ministerios.
Art. 9.o E' prohibido imputar a qualquer rubri-
ca do orgamento despeza que nellae no esteja com-
prehendida, segundo as tabellas explicativas da
proposta do governor e as alteraScs nellas feitas
pelo poder legislative.
Art. 10. A partir de 1886, os exericicos finan-
ceiros coincidirao corn o anno civil, principiando
em 1 do janeiro e terminando A 31 de dezembro,
tendo, poran, os semestres addicionaes e de liqui-
dagao jA estabelecidoi pela disposioAo em vigor.
Art. 11. A present lei reger, o tempo a decor-
rer de 1 do julho A 31 de dezembro de 1885, corn
os semestres addicionaes de Janeiro A dezembro
de 18-36. ,
0 que ahi flea 6, corn muito pouca, ou nenhuma
alteralaoo que ha de prevalecer, embora os dous
ultimos artigos envolvam material que devAra ser
da iniciariva da Camara dos Deputados. Mas es-
ta, enfraquecida, sem prestigio e ji morta civil-
mente, como poderA reagir contra essa invasso de
suas attribuieoes, que aliAs nao A a primeira vez
que serA commettida ?
Ha de votar talvez calada,sem erguer se quer
um protest, qua nem pelo menos seria registiado.
E' par isso tambem que ella nao se tern reunido,
e cspera somente que desgam os orcamentos do
Senado para dar o seu place As emendais ali
feitas.
Concluindo devo dizer (e me ia esqaecendp de
fazel-o) que os apartes dos Srs. Affonso Celso e
Barros Barretto, dados quando o Sr. Dantas con-
cluio as suas explicac5es ao Sr. Silveira Martins,
como acima refiro, nao toram tornados pelo tachy-
graolio, ou foram supprimidos, e por isso nao ap-
-paracem no Jornal que public os debates.


*'PieWeta diitader.
quipa, Cu" Trujilito e meono

aLa Paz']usebio S-bio, remr-
na Boivia, ode foi eado do

Deptw do 06ileuOinusrs
>om gwan&o gaiwta*a *-queako
todavia tivesse ocorrido qual-
Sperttbasse o. debate.
io *Ia Prats
as capitaes aM&17 de agosto:
)rrente reslisonise em Btenos-
solenmidade, a inauguraAo do
o, lendo o areebispo, monse-
extenso discurso.
c-se a test military, corn simu-
Dos espeetadores foram feridos
espingardas, fitilecendo dous
.rgentina foi creads unmajunta
18.
tal dceidio que o paquete fran-
leasse junto da ilha Garriti e
e a quarentena de 40 dinas, que
'corrente mez. Os passageiros
t eta date se nAo occorresse
e desembmreAriam na ilha, as.
depois de ser suebmettida a fu-

nrawde do -tIl


Datas de jornaes atA 17 e telegrsphicas ate 23
de agosto :
Concluio-se a operatao do resgate de 199 apo-
lices do emprestimo provincial de 1881, no valor
nominal do 991500, e, achando-se satisfeitos
quasi todos os eneargos do exereicio, e verifican-
do-so a existencia do saldo relatiyamente cnnsi-
deravel, foi autorisado, por actor da presidencia,
de 7 do mcz ultimo, o estatee de titulos da divide
fluctuante, atW a importaneia de 150:0001000.
Polo juiz municipal de Urugusayana foi jul-
gada improcedente a denuncia dada contra o Dr.
Francisco de Arruda Falcao Filho, como author da
more do engeuheiro Oscar Kustemp ; o Dr. juiz
de direito confirmou essa decisto.
Corria com o certo que no dia 28 do proximo
mez de setembro a cidade de Uruguayana ficarA
completamente livre de escravos.
Continuava o movimento abolicionista na
capital.
Refere o Correio de Pelotas :
a No 2.o district de BagA mora o Sr. JosA de
Mollo, socio e administrator das propridados quo
alli tern o Sr. Joaquim da Silva Tavares. .
a Ha trees ou quatro dias o Sr. Tristao Gusmao,
morador em D. Pedrito, veio cornm sua mulher e
quatro companheiros visitor ao Sr. Mello, de quern
6 amigo. Chegando jA A noite A ports da case
onde elle mora, e, querendo pregar-lho um susto,
para rir-se do amigo, grita : -- Salts cA pare
Sf6ra, Mello, valentAo, queremos ver como te vais
hayer comnosco. ,
a Mello, que 6 home de reconhocida coragem
e conts muitos desaffectos, querendo mustrar que
neo maria de caretas, sahio, effectivamente,
acompanhado de um filho e ontro companheiro e
descarregoua corn elles as armas sobre o grupo,
semr perguntar o que queriam. Assim recebidoas,
Tristao Gusmao e os seus deitaram a fugir, dei-
xando a esposa s6. Mello correu sobre o vulto
que ainda ficara e deu-lhe alguns talhos de es-
pada.
a Gritando a victim, que se achava gravida,
Mello recokheceu-a. Imagine-se da sorpresa, e
da affliceao que aceommetteram Mello e enus
amigos, quando souberam do que se havia pas-
sado. Immediatamente conduziram a pobre se-
nhora para casa, prestaram-lhe carinhosos cuida-
dos, e foram em busca de Tristao, que voltou me-
mentos depois. A senhora de Tritaeo soffreu -mui-
to com o susto e abortou. a
Noticia o Cruzeiro do 8ul, que um menino de
nome Manoel JosA de Almeida koi assassinado
corn uni tiro de pistol por um bandido chamado
Manoel Bahu.
0 menino residia usna fazenda do tenente-coro-
nel Belchior Silveira, lugar denominado Vigiede-
ro, departamento de Taquaremb6.
0 crime foi perpetrado no campo e o roubo o
seu unico morel, pois o assasino rouboue da vigti-
ma alguns vintens que trazia, indo em segada
para uma roda de jogo.
Consta que A deserter de linha, e que foi preso
polo commissarioJoao Escoban.
No Livramento, a 27 do passado, o Sr. Anto-
nio Manoel Pacheco Brochado mandou distribuir
[pela pobreza da cidade a carnet de 5 rezes gordas.
0 product dos couros vendides foi empregado na
compra do pa ), que foi distribuido corn carnet.
Diz o Imparcial de Santa Maria da Bocca
do Monte:
SEm umas excavagoes que estao fazendo em
terrenos proximos a esta typographia descobrio-se
um immenso tronco deoip petrificado, jA estando
descobcrto na exteus"o de 13.metros mais ou me-
nos, mostrando prolongar-se e diminuindo de gros-
sura, o que faz crer que se, possa talvez obter am
specinmeoperfeito no genero, digno de figurar em
um museo de primeira ordem. n
Na corte foram publicados estes telegram-

a Porto-Alegre, 20 de agosto. Eleva-se a 1,605
o numero >los libertados na capital. Hontem
emanciparam-se totalmente as ruas Voluntarios
da Patria, Zenha, Coonceio, Floresta e Campo do
Bomfim ; as villas de S. Sebastiao de Cahy e2Ta-
query adheriram at-movimento emancipador, que
continda espontaneo e poeifico sem intervencao of-
ficial.


Informaram A Prewic *de S r. 6 '

stiimaisli 16,0GO arroba8 de exedeati tsua
de 2a e 3a qualidades.
A ultima predageio teria sido maior, se a gesad
que cahio ultim mento Bqae iwiRipio nio
houvesse danmnifieado os canuaviae.
Tratava-aeoem Taabate dse geerpar-sa 0W-6
ciedade anonyma para construgao de umn enge-
nho central no Tremeib, oam capeidade pars
produzir 868,000kilosde snsear e 400 pipas de
gosteadente. *A-e preai-fitaceeionara eos o capi-'
tal nominal de 360A0 W)O.
Referee o D* ri*We So* de 19:
Sepultou-se hontem o Sr. Joao Guilhcrme
Caves, 3o eseripturario dasnossa Alfandega, qiei
domingo & tarde, suiceidou-se cravando no eora$o
a folha de urea velha tesoura. I
E Este desventurado m o, em conesqueucia .di
urna excitacAo nervous, foi,-cerea de does meaes
atacado de alienate mental e naquelle dia ili-.
dindo a vigilanecia da familia (poisjka umn vez hat ,
via tentado contra seus dias), poz termno A exisi
tencia.
S0 finado era dotadode excellentites qualidae$s.
e gozava da estima de todos os seus colleges. Em'
um dos bolsos do suicide encoantraram-se dous bi-
Ihetes, concebidos noe s eguintes termos:-a Ma-
to-me, tenham ao meos compaixao de meus fi-
14w. a
Sob a epigraphe -Facto grave -refere o Cor.
reio Paulistano :
a 0 Sr. Joao Chrysostomo Mendes Gonalves,
subdito portuguez, morador A rua Joao Theoderoi
nas proximidades da cancella da via-ferrea in-
gleoa, veio hontem aso esbriptorio desta folha nar-
rar-nos o seguinte facto, de extrema gravidade
pars a segurana individual e de propriedade dos
moradores da capital:
SA's 9 da note deaute-hontem, qnando ia 0
Sr. Joao Chrysostomo deitar-se, ouvio hater ,A
port de entrada da easa, situnda dentro do ter'
reno murado e eircunmdado de um jardim, tend
sido neccssario, por conseguinte, e segundo proi
vou mais tarde o exame do lugar,,que queui batia
houvesse arrombado o portao que d para e rua e
que havia sido cuidadosamente fechado.
A senhora do Sr. Joao Chrysostomo pergun-
tando de dentro de casa, e sem mostrar-se, quem
batia, indagaram de f6ra se era alli a chacara do
Sr. conego Andrade, ou se morava. oste na vizi-
nhanga. Nessa occasiao, apparecendo o dano da
casa A janella, foi provoeadQ polo individuo, quo
batia, a sahir ao jardim corn o fim, dizia elle, de
ser castigado pelo facto do possuir escravos.
a Mal acaba o intruso de proferir esta e ontras
ameacas contra o Sr. Jolo Chrysostomo, quando
accudiram pelo-portao mals outros 20 ou 30 indi-
viduos armados que (cercaram a case dirigindo
ameacas A vida daquelle e da sua senhora, fazen-
do enorme alarido, centre o qual predominavam
vivas ao iuriperador e aos abolicionistas, e gritoa
de ameaga contra os possuidores de escravos. n
at Entrincheirando-se dentro da casa, semr powder
oppor outra resistencia diante da desproporolo de
fwras, tiveram o Sr. Solo Chrysostomo e sea se-
nhora moments da mais cruel angusia. Corn
efleito, das demonstrates por palavras passaram
aquelles individuos a quebrar as vidraoas das ja-
nellas e tentar arrombal-as bern como a port da
casa. Urma vez forgada est,, nao restava ao Sri
Joao Chrysostomo outro recurso seno proeurar
occultar-se s1 sanha dos invasores que ameacavam
decapital-o porquo era escravagista e possuidor de
escravos.
a, Foi o q.e ainda em b6a hora conseguio lle
faz.tr, porqe penetraram entao os assaltante A na
ante-sala. Ahi foram detidos Valguns instamtes
pela desventurada seanhora que, cercada de trees fi-
Ihos menorcs, metteu-se entire aquelles e a portA
que dava para o interior da case, implorando-lhes
de joelhos que ponpassem a vida do marido ou
passassem sobre o cadaver da mulher.
a Produzio esta scena um moment de hesita-
cAo entire alguns dos assaltautes, resultando dahi
nao ter havido alguma desgraga irreparavel. Corn
effeito, emquanto assim vacillaram sobre o que de-
veriam fazer, vieram outros de f6ra dar alarmade
que approximayam-se diversas pessoas em auxilio
dos assaltados. Presentindo essa resistencia ba
teu todo o grupo em retirada.
Dous criados, que habitat as dependencias
do chalet, desde que viram a casa cercada, logra-
ram evadir-se par urea sahida lateral, e correram
em buses da poaicia. Foi aesim que eata, repre
sentada por diversas pracas de cavallaria e mais
tarde pelo subdelegado de Santa Ephigenia corn-1
pareceu ao lugar do delioto quando jA havia a easa
sido abandoftada, tanto pelas assaltantes, coma
pelos proprios moradores aterrados peas violent
ciasce ameacas de que haviam sido victims.
a 0 Sr. Joao Chrysostomo levou hontem ao Sr.
Dr. chefe de policia o eonhecimento de todos os
detalhes do crime, requerendo, ao mesmo tempo,
na forma da lei, que fosse lavrado auto de cerpa
de de~icto e instaurado o competent inquerito.
a 0 Sr. Chrysostomo indicou A policia como
promotores do assalto, dous indlviduos moradoros
na freguezia do Bras e envolvidos, nessa fregue-
zia, em outros delictas praticados a pretoxto de
agitacao abolicionista. a
Accrescenta a mesa folha:


A' ultima hora temos noticia dc outro fact
ignal em gravidade aso acima exposto e quo pare-
ce indicar um piano de sedioes e ataques a segu.
ranca e oprpiedades individuals tend por tlhea-
tro a freguozia do Braz.
a Corn effeita, na madrugada de 18 do correlate,
quando passava pelo Masco :da Meia Legna am-
carro que conduzia A esta*ao da estrada de ferro
ingleza urnsa escrava do Sr. Silverio Rodrigues
JordAo, morador na rua do Hippodrome, esaava
que tinha de seguir para o interior, foi o referido
carro detido porum group de 60d pessoas que apo-
deraram-sedaquella e occultaram-n'a ate hoje.
a Ainda mats: ao dia inseg toe, isto -A ante,-.
*houtm, cerea das 11 horaa d i tuavao, gru
^~~~~~~~~~~~~~~~s 4^J

occastio as mniha eompaihiaa ako cdntrouo47*ti7
49.sBttpertaawe9(d&^Awa~muathsa 8esot+
-tn -afi ua io perigo. Abrimos a ports e eu.
pergantei o que deaejayivs.
a' Re~po~deram-ae-eaa primaeio lisg~r, o Sr.
.1oao Porrelra, cl4do po~tagi~z,-,op-segundo,
o professor dA 4scola Miaeir% da ra do Gazomoi
tro :-Viertos ,intialo pars mudar- se de S. Paw,
lo no espao de 2' horas sob pena do se r mnrto I
E, se for queixar-se, ainda memo diante da oli-
'Cia serA aAo b Aptsko do as-.
trv.
a Aolado desses4dost individunos-achava-se InT
filhodo Dr. B ead ttaibsm Teeebi gual
intiuagao. 0 professor da. eseola Mineira decla-
roa-me que se oAo mataram-me, como pretendiam,
i".qella h mesina motet, era em attengso a minira
if~iA. I I
a TNada respoaLdi 0 grupo retiroe-se cdando
vivas ao Imperador,"A aboliao,-e morras aos es-
eravocratas.
Aeereseetou a'!Teswm aIha:
a Qaanto'ao assato teaMsa4t8r. JoIo Ohryeota
tomo, na rua Joao Theodoro;e, tos hojeespotwe-.
nores seguintes :
a Hontem, As 11 horas da maiiha, compareeeu
aquelle rseir assecretarita da poticia, e bern as8
-wim os aesxw*igdos Frraisico, Jaeiatho e Anh-gel-
na. Na poesenea doDr.chef de pohicia foi to-
mado pelo tvepti*".esat eAoedepoimenato destes
quanto aom suceeseas da mencionadas rua.
S0 Sr. JoAo Chirysostomo reetio o que sobrt
elles disse hontem o(korreio Paufidtano, accrescen-
tando, pornn, -mais ebtis circurnmstancias: deela-
rou "attribulir o ualt% & s& a casa, os dam nos ali
causados e ia netw i4 a aasea, s contra ell di .
rigidas s tree iadividqos: urn, de nameL Joo Fer-
reira, subdito portuguoz, morador rua Bella do
Oriente, no bairro do, Palty; a segundo de nome
Villa Maria, moradorA Arua do Gazometro e direc-
tor da Escola Mieir, s ita ,A mesma rua, e o ter-
ceiro fulano de tal Albuquerque.
SDeclaisrou :mais que, se aittribuma a principal
part nos delietos commettidos a esses individnosi
e que os reconhecera durante o etaque dado a sua
propriedade eserem ells notoriameante apontados
como chefes de desodens e tumultoas promovidoa
na freguezia do ]Baz a pretext do abolicionis-.
MO.
a Observou aindaso depoente quo nuo possue
escravos, sendo simplesmente filho de D. Leocadia
Mendes Gongalves, herdeira de monsenhor Andra-
de, ,e qne a esta eouberam, nessa; heranoa, alguns
escravoide cujosa services j amais utlalsou-seo,abhn-
do-se at6 em litigio o dominion que acaso sobre eles
podesse ter.
Fez ainda outra declaragao de grande alcance
quanto ao valer des proves circumstaneiaes do
delicto. Disse, eom effeito, que, no dia posterior
so asalto da chacara, encontrou-se na cidade corn
o Sr. Sam*paio, socio da conhecida firma commer-
cial Noreira & Poyares, e que aquelle negociante
referira a elle depoente que, cercadas 8 da noite
em que foi assaltado o chalet da rua Joio Theo-
doro, onde tambem mora a o Sr; Samapaio, na eha-
caxra que pertenceu ao Sr. Burnett, encontrara-se
ease negociante corn um nimeroso grupo de indi-
viduos que encaminhava-so na direcgo do chalet
asaitado, dando vivas .osabolicionista a profe-
rindo vehementes ameagas de morteia elle Sam-
paio, ao Dr. Coutinho, praprietario, mortador A
mesma rua, e ao Exm. 44r. senador Barlo do Souni
Noticia A ultima hora a refenrda folha:
a Neateomomento, 10 horas-da noite, informa-
nos pessoa de today confianga que as rutas de Pary
estAo sendo percorridas por grupos de individuos
armados. a
Mteae Jaweiro
Dates ate 24 de agoeto:
As principles noticias econstam das carts da
corne inseridas -as- rubrica Itertori:
Proseguiram os trabalhos parhamentares, no
tendo funccionado a Camara dos Deputados nos
dias 20, 21, 22 e 23.
No Senado a,20 o Sr. Junqueira fundamen-
tou am reqoerimento pedindo informaq5oe sabre o
estado do prociseso tnsteurado pela Asemblia
Provincial do CearA' contra o juiz de direito ,do
Aracaty, cuja discussao ficou adiada, depois de
orar o Sr. Dantas, president do conselho; o Sr.,
Viriato de Medeiros outro, pediudo copie deos pro-
cessos instaurados pelo juiz da direito do Aracaty,
contra divereos cmdadaos, cuja discmuasao icou adia.
da ; e o Sr. Correia outro pedindo informacoes so.
bre uma priseo feita em Botocatu, cuja discusseo
Iicou tambem adiada, depoia de orar o Sr. Dantes,
president do conselbo.
Na ordem do dia foram approvados o primeiro e
segundo artigos do orcameuto da fazenda, euja
discussaoficAra encerrada, e o creditoeBoncedido ao
Ministerio do tmperzo paraemroyidenc'hs satitarias.
Continuando a dseassao do or9amento da desnpeza
do minuateoro da fazenda, foi approvado depois de
orarom os Srs. Barros Barreto, Correia, Junqueira
e Ribeiro da Luz.
Na mesma casa, a 21, entrAndo em discesso
a redaecAo do oreaIento da agriotlttra, o Sr. Jo-
8d Boniiaeio fadamd ntou um. requenimento pana
que se consultase ao s enado sabre a mncosttu-
cionalidade do paragrapho relativo ailnnmiinaVRo
public, naaparte queo mada o-ge~rno aseitt. a
^ popstaoferecids us ultims e..soicencis, -pela
Rio do Janeir'o .qsl Cbompany LsJD, iczni


semr effeito quaiquer nova eoncurrencia que por-
ventura se tenha aberto.L Podto a v ts o reque-
rimento, foi rejeitado e-approvada a redaceao.
Foi em saegad:approvado approjeeto qrteonce-
de licenca ao juiz de direito Sohza Freitas.
SBe'uio*se a. iscsao do oreamsento da despeza
do Miionite d6':-RA a. 1 Orfiram o.-Sr. Coe-
^rA;inta do' ounastho) ne A s a t v randoraI a,


[jlWvv dww Usyedm tet iver, il e O o voraz
Jxmw!4mk^aleAae ,deo- Oure
moco de 19 sanos de vivia -em a aetriz
3'hereza de ji, B-algutn-mpo. a Pos.
w. inferialoiua MMo8, 7A quie do-
dieoasuma pauao .ia|Sfis (sreiniaos-t.
otn^sotswda du,-ad itaatswo4a~ lute burli-:
vel, a pento de muitas vezes desrespeitar -aaa-ve.
Iha mi, elle, que era obedientoe e subminso.

quanto tpr k.wL F_-,i .wa-s
tern a p*wr,o Oun rpaiw o upplieou, Tro
goun, qeo ao -o ahantnasse.
SBalddas as suas supplicas evendo approxi.
mar-su6 o A da paltida, apodero-se delle a co-
_ia do s-iaa,- o .Ia is. o aMUOdo am revolver des'
'bAke ucora '-orM a smas bala que, felimente,
aa pel oflOanmtano amaspe o queizo e TOes-
tando pelos tecidos doApecop.
K Consumado esse aeto de desespero o infeliz,
com a meakma funea, iz tnAterm vila, disparando
um tiro na farot4, que oa matou immediatamente.
a Algus.as linhftascontradas no boise do pale.
t6 do suicida provam o estade. halluaiaago em
aoe.-e achava eeaqlelo ifeliz. Aodtieia dessa
tragedia circulou eqs. amumoueato pe aeidade,w-
adosa marsis visa kupressuo.
Referee o Progressista de S. Joao da Barras de
17Td*errute:
a Foi recolhido A cadeia destaoidade, no dia'14
do oewreateElentirio, preto, que vkrm-i. enm oompa-t
nia deoaa senham Miaa de tal.
a Eleuterio fora, porsesIfimado senhor,libertado
ors a 0emndi" o de acompealr 0D. Mariana em-
quanto viva fosse; por6m, entendendo -Eleuterio
que a vida, deoa entaVaka ainv por dAemiwi pro.
tongada, procuroa abreal'a comrn auns p6s que, em
pouca mais- de -um hw e, pas-m termo A existen-
eia de D. Marianna, sopultando-se ella no dia 12
do correate.
a Este factorevestido de circumstances funestas
e que tern com responsaveis mais de umn enmiaoso,
segundo a eonfissao de Eleaterio, toi praticado na
Uegwezia deS. Francisco de Paala.
Sob o titulo Scenas de Sangue escrevee e
Jrnal do Commereio de 24:
Hoatem, poaco antes do moio dia, dons guar-
das-urbanoa F'ancisco Beerra doe Santos e Au-
gusto Ferreira Mondegovo primeiro pertencente ao
I9., distrieto da guarda-urbana e o outro aso 2.,o
eneontraram-se na taverns n. 44 da rua, do Coto
velo.
Baberam juntos e, pareciam calinos, quando
de repente Santos, tiraudo do -boIso nm revolver,
exclamou, virando-se parxa sen companheiro : Pois
ao jwrei que te havia de matar! e em actor contio
nuo chsparou um tiro sobre Mondego.
a Este ferido na cabeoa, rahio precipitadainen-
te da taverna e cambaleando penetrou no botequim
n. 21 da mnesma ruat; Santos correu ao sen cncon-
tro e dentro do mesmo botequim disparou sobre
sua victims, mais trestiros, matando-o instanta-
neamente.
a Em scgaida, voltaudo contra si o revolver, fe-
rio-se corn un tiro na fonto direita, eahindo perto
do cadaver do sen infeliz companhciro.
a Comparecerarm no lagar as autaridades do dii-
tricto e o Dr. lo delegado de policia, que derain
as necessarias providencias, enviando o cadaver
de Mondego parea o neeroterio
a 0 assassino foi recolhido ao hospital da Mise-
ricordia.
a Nos sens bolsos foi encontrada nma carts di-
rigidaao Sr. 10 delegado de policia, datada de 21
do corrente, nu qual declare que havia tornado a
resolnaIo de assassinar sen companheiro e dcpois
suicidar-se, e que o faria publicamente, para nio
dar trabalhos A autoridade.
a Santos tenmpouco mais de 40 annos de idade, e
Mondego 24 apenas.
a 0 Dr. Fazende, que prestou os primeiros soc-
corros ao criminoso declarou ser grave o seu feri-
mento. v
Eis as notieias commerciaes da ultima data:
Rio, 23 de agosto re 1884.-0 mercado de cam-
bio esteve hoje pouco act.vo e muitor firme: o Ban-
coCommercial continue a sacar a 19 11/16d., sobre
Londres e As taxas relatives sobre Franca e Por-
tugal.
A tabella affixada 6 a seguinte:
Londres-19 11/16d., a 90 d/v.
Paris- -485 A. por fr., a 90 d/v.
Portugal,-271 '/o A vista.
Os bancos ingLezes o a do Commercio ngo al~e-
raram as suas taxas, que sao as seguintes :
Londres-19 5/8" d., a 90 d/v.
Paris-486 re. por fr., a 90 d/v.
Hamburgo-598 rs. por m., a 90 d/v.
italia-495 rs. par lira a 3 d/v.
Portugal 273 e 272 "/o per dollar, A vista.
New-York-25580 por dollar, A vista.
0 movimento do dia foi pequeno sobre Londres
a 19 11/16 bancanio e a 19 13/16 e 19 7/8 d., pa-
pel particular.
No coarer do dia realisou-se urn operacao a
19 5/8 d., bancario.
Na Bolsa o movimonto foi regular. ;
As vendee de cafe conhecida atA as 5 horas da
tarde, sram de 32,927 saccas.
Dabha


Datas at& 27 de agosto.
Trabalhava ainda a Assembld Legislaltivu
Provincial.
No dia 22, no theatre do S. Joao, por oc-
casiao de um esplendido beneficio dado A Real
AssociacAo Portugueza de Benelicencia Dezeseis
de Setembrfol am concedidas eatan de liberda-
de a daas escravas.
-LA-seno Diarmo de Noticias de 25:
SDpois .d lo.go-padecimeato, cercado does
eariahoa da fai4i e 6dos cuidedos do seus estre-
,gaeldos smips, taeaeu hioatem, as 9 e meia ho-
IZA40, AO. -,p..^pnipaotde ebort.
SFornmado em direito em PemnaQbuoo, ,foidoB
jai t~pAqs pzra a s

-a ogp $ai de.isaie dep ownid
samed sure do direito da ceiyiis^ de B


t lMtt Maytves, do Maranw.o,
I the ap Mtade do prodieto liqad
-fereadobra por elle ahadas, pertencems
saJ% al 3a odo p;5 brasileiro ilva, Uaaf.-
gad c"baixos do parole do Saft'AAna, naquell-
4P 1,48,_4l9Mfto dofa. anno Pas"Mdo.
C ', lo Pernembueo, pam
4 uwtem a despabo
=aPflkado thes e s oj-e.
2Mo6-do art. .6 -da 'tftadas.
aludegaaeao a ae 44, comuo fOra exigida na at.
tr.dqeipravincia.
F. L. Muhand eA. Launcin, aquelle capital
e este dono e carregador do naviQ francez Marie
Louise, naufrsgado no rio Canhoo, provincial do
Para fim de qdoe seja annulada a sentenja do-
impeetor da repectiva Alndega, que julgon no
caso de apprebhendAo como contrabanoo as meres-
dorias salvadas do aasuagio, deveodo ser estas
consideradas como salvados, e proeeder-se a so-
melhante respeito eomo no caso coubcr.
-Fi indefeido o reeurso de Luiz Brito, co-
irador d'Alfaadoga do Maranhlo, iaterposto do
despacho da Thesouraria de Fazeuda da proven.
cia, prdferido no requerimento em que pedia a ex-
pedioo deordem a roferida Alfandega, para Ike
serem por ella entregues os certificados doe im-
postos langados, referentes a ezercicios jA. encer-
rado,,emquantonaofosem os reospectivos livros
recolii"doa asesma Thceouraria.
VoRdercawo extragefira-0 Sr. Dr.
Francisco Leopoldino de Gusmal Lobo, chefe da
direeteria central da seeretaria de est do dos nie-
gocios da agriculture commercio e obras piblicas,
foi agraciado por S. M. Fidelissima corn a cornm-
mends da Ordem de Villa Virosa.
OrvAamen itdeot rieultura-A emenda
appresentada polo Senado ao oreamento da despe-
za do Mieisterio da Agricultura, e regeitada pel
Camara dos Deputados, facto que den lugar A f,-
so das duas Cmaras, havidas hontem, 6 a se-
guinte :
6-.- 12. Illuminaglo public. Supprrma-se a
emenda da Camara e accrescente-se :
E' o governor autorisado para fazer, na despe-
za corn o nessoal da fiscalisatao e na do costeio dr a
combustores, as reduc-5oZs que foreman exigidas pla
conveniencia e regularidade do servio ; aceitan-
do a proposta oflereci'Ja na ultima concurrencia,
pelo Rio de Janeiro Gaz Company, limited, d& ac-
cordo corn o 20 do art. 7o da lei n. 3,141 de 30
de outubro de 1882 e edital de 23 de novembro de
1883. ficando sem effeito qualquer nova concurren-
cia, que porventura se tenha aberto.a
A primeira part desta emenda, conforme se
v do telegramma n'outra s'-sao publicada, foi
approvado e a segunda regeitada pelas duas Ca-
maras reunidas em congress.
A primeira parte, quo foi approvada, fermina ema
regiaridade do4servigo; o restante cons itae a s3-
gunda parte
Vapor Espirito Santo-Este paquete da
cormpanhia blrasileira sahio hoje ao meio dia do
part do CearA, -polo que chegara aqui no dia 1 de
setembro.
Fallecimnento-O Exm. Sr. cnselheiro
Qnuitino Josa de Miranda, digno president do
Tribunal da Relaao, recebeu hontem um tele-
gramma do Dr. chefe do policia, do CearA, noti-
ciando que no dia 27 do corrente, a bordo do pa-
quete national Espirito Santo e em viagem do
NMaranhao para os portos do sul, fallecera o con-
selheiro Joio Paulo Mo-ateiro de Andrade, o qu)l,
acommettido de beriberi, d'aqui sahira ha pouco
tempo em buses de melhoras..
0 fallecido exerceu diversos cargos na carreira
da magistratura; era membro do Tribunal da Re-
laeaV deste district e fora president do Tribunal
da Relaco do Maranhao.
Era natural desta provincia tinha cerca de 60
annos de idade.
Coano magistrado procedfu de modo a cullocar-se
entire os mais distiactos, na mais lata accepaiao
desta palavra.
0 seu cadaver foi dado A sepultura no cemiteno
da cidade da Fortaleza.
0 Tribunal da Relaco a quem pelo seu presi-
dente foi hontem communicada a tristo noticia,
suspended os trabalhos da sesamo, como demons-
trakAo de sentiment pelo passamento do illustre
finado, consignando-se na acta um voto de pro-
fundo pezar pelo mesmo motivo.
Todos os membros do referido Tribunal e em-
pregados resolveram tomar lute por 8 dins.
A' familia do fallecido apresentamos as nossas
condolencias.
Treatro Santa4sabel-Hoje neste thea-
tro da. a empreza dramatic da Sra. D. Emilia
Adelaide su 3a recita, levando a scene o drama
de Dumas filho--1 Princeza Jorge-e as comedies
-Sou o genre de men genra- e -Cavalleiros das
damns.
Nas anteriores racitas correram perfeitamente
bern as exhibicoes, quer quanto as manifestacoes
artisticas, quer quanto A mise en scenne.
A companhia e constituida por um grupo de in-
telligeutes artists, todos estudiosos e esforcados,
todos talentosos e de mcrito. Entretanto ha nes-
se grupo tres joias : a Sra. D. Emilia Adelaide,
qye tem ganho os mais, virentes louros quer em
Portugal, quer no Brasil, e que se destaca corn um
mageatoso perfil artistico ; o Sr. A. Ferr,.ira, um
gala de alto merecimento ; e o Sr. Gil, centre ca-
ricato, de nao somenos valor, e que tern o dom de
fazer rnw as plates corn verdadeiro prazer.
Nas alludidas recites today a companhia, ma-


principalmente os trees artists citados, foram unas
nimeOMUento applaudidos, e escusado e dizer que
elles mereceram eases applausos, como sem duvi-
da merecem que os vAo admirar todos os que
.amam o theatre, sobretudo quando occupado e so-
erguido pelo talent, pelo merit real.
VA, pois, hoje o nosso public ao Santa Isabel,
,a es4tamoa certos ,de qae se dar4 por feliz em ter
ara noite cheia de encantos, um verdadeiro e
grato prazer.
Slasituto ArAhealogleo e Geogra-
pbtleo.Permlsbucafaeo-Sob & presidencia
db Exm. Sr. conselheiro Quiutino de Miranda, fane-
cionon este LIstituto ante houtem :
Ao muio dia, presents os Srs. Drs. Cicero Pe-
regrino,.Baptist, Rqgueira, 1P secretario, Oliveira
Fonseca, Lopes Machado e tgnacio de JBarros eos
Srs. Augusto Cez:ir, Augusto Costa e major Co-
deliraV, 2 secretario, abr'o-se a se5a5o.
Lada sacta da antecedente, foi approvada.
0 Dr. IO secretario mencetionou o seguinte ex-
pedieBta.
Dousboletins dv Sociedade de Geographia de
Lisbea" offertados pela mesmi Sociedade.
UM nnapa. ge&alogico historic e chronologico
do reino de Portugal, offertado pelo Dr. J. J. Al-
ves de Albaq.erQ.
Diveraos jornaes desta o de outras provincias
pelas reepectivas redactes.
Fmdo o.expediete o Sr.:Dr. L"pe Machado
uob da&pal&vra, fez a leitura do seu trabalho
s.eB iea s sobre um carta de il-
Ato irPeno ?ewira, escripta de Paris ,em
8r9_ajor Codaeorr aeti pop efte WPpMVvado

. J*seo& na oactaam 'V*.o de r Pau
fmazineal dA





































N~ticias vaula. &^swwis: t^eiwac^airdo,
pelo ar eompriM 4O,4W9csdo o 4'm
aamite.-Defeza das, cost&& do Est doe-Uaidos.
Canhao Nordenfeldt, de tiro jAp .-Navwo a va-
por portatil.- a marinha in-
gleza. Canhoneurt' -ered'Aftlye-Republie.
do Uruguay.. orma epwa; polo guaraIna-
;tWa &ouza.Pzn e 0lo tenente Vidal de OliVeira.
Aviso aes=Yavegantes.
A Esta^M (L Sadaame-Tanbeanc poe-todi-
xe o dito paquete o n, 1,l, d hi, &vorfiz -does-
ti revieta de mnodas, sel po.
Dores- Realisar-se-ha avmnhi aa igreja Ae-
Gonqalo a festa do Senho"r Bom Jsem adauDowea,
havendo miss solemn ,As 11 horas.
Ao Evangelho pregara ow Rvm. padre Leonardo
OJolo Gre.
A' noite iverA Te-Deum e orari entaooRdmn.
Frei August\da Immaculada Ooaeeido Alves.
Duranto a festa e A noite executarA a banda de
music do 20 batalhao de linha, diversas peas de
sen escolhido repertorio.
Club Litterario Pinto Junior Em
sesaio de 25 deste mez, procedeu-se A Ieleiio da
nova directoria do Club Litterario Pinto Junior,
dando o seguinte re u!tado :
Presidcnte-D. Maria da C. Brandlo Cavalcan-
te (reeleita).
Vice-presidente-D. Julia Maria E. do Carmo,
(idem).
la secretaria-D. Odorica Argentiaa dos Saa-
toe (idem).
2a dita D. Nympha M. Tavares.
Thesoureira-D. Maria I. de Jesus (reeleita).
Oradora D. Maria das Merc6s G. Chaves.
Vice-oradora-D. Maria A. F. de Araujo.
Forodo lecife-As audiencias foram tran-
sferidas provisoriamente para o Tribunal do jury
at6 que se ultime os coueertos das respectivas sa-
las.
Ave Libertas Realisar-se-ha na segunda-
feira, 8 co nmez vindouro, As 11 horas da manhi,
no Theatre Santa Isabel, a installao'o da socieda-
de abolicionista de senhoras, intitulada Ave Li-
bertas.
Reuni6es soeiaes-Terao lugar amanhb
as seguintes :
Do Club Abolicionista, as 11 horas, na rua do
Visconde de Goyanna n. 44, 20 andar.
D.A Uaido Abolicionislta ommercial, as 11 ho-
ras, na rua do Bornum Jesus n. 19, 2 andar-
Do Club Mixto Minerva, ais horas e no lugAr do
costume.
A ioberania-Pablicou-se o n. 2 deste pe-
riodico, organ) do Club .onservador Acadomico.
Aunaen da Assembila Agradeceenos
ao Sr. Dr. J. J. Alves de Albuquerque mimo
que nos fez de uui exemplar dos Annaes da Assem-
b1le Provincial de Peruambuco na sessao de 1862,
imnpresso na Typographia Universal.
Em transito 0 paquete La Plata levou
hontom para a Europa 153 passageiros, sendo 11
torn dos em Pernambuco.
Dichlieiro 0 m0smo paquete troupe do sul
para :
Pernambuco 4:00000A
0 theatre da Nova Opera de Franc-
fort-0 -'r. J. J. Weis, illustrado jornalista de
Paris, iado passar algum tempo na Allemanha,
temn diri-ido ao Jotrnal des Debates interessantes
correspoudencias, em umadas quakes occupa-se nos
seguintes terms do theatre da Nova Opera de
Franefirt :
SNo ceutro (1 formnosa Franefort, diz elle, eri-
gc-se a nova Opera. Occupa uma superficie de 4000
metros quadrados, e a altura, do rez do chao ao
mais elevado curne do edificio, mede cerca de 34
metros. Cont6m 2,000 lugares. Foi edificado A
custa da municipalidade e urn grup& de cidadaos
notaveis qua abriram entire si uma subscripgao de
um mnilhio (czrca de 475:0004). Esses homes,
depois de terniaado o theatre, formarain ama so-
ciedadle, a nova seciedade per accoes do _theatre
de Franicfort, a qual tern a empreza da Opera e do
Sehauspitlhaus, dispondo de uma subvencio an-
nual fixtda na somma maxima do 100,090 fran-
cos (poueace mais ou minos 47:0001). A nova s,)-
ciedade e rigorosamente artistica. Nao lhe 6 lici-
to, em nenhuma hypothese, receber mais de 5 o/o
comn) juros do capital empenhado na empreza
a Os lueros, que porventura exeederem esses
5 o/, devemn ser consagrados indefinidamente ao
meihoramento das duan comnpanhias da Opera e
S&hauspielhaas. Ura combinacao deste genero,
cajo equivalent nalo me consta que exista em
Franca, honra de modo muito especial a alta bur-
-guezia de Franefort.
c A Opera prineipicu a ser edificada em fins de
187 ; foi inauguradt em outubro do 188J. Send
o mais recent edificie deste genero, o architect
Lucer, dn Berlin, jA falleeido, pbde aproveitar-se
e aproveitou-so, tapte dos modelos fornecidoc pelos
seus antecessores, eomo dos erros e omissSes delies.
Naturalmente a obra do Lucce e dos seus
continuadores, Giesemberg e Beck, nao tern as pro-
porc5es da obra de Gamier (o architecto da Ope-
ra de Pariz). Ha, porem, certas condicoes de es-
pectaculo que foam previstas corn mais ac'-rto e
se ucham realisadas mais vantajosamente em Franc-
fort do que em Pariz. A Opera de F, ancfort avan-
taja-se A de Pariz, porque Lucoe construio aquel-
le theatre depois de Gamier...


Oa deposito dos scenarios e accessories acha-
se em dommunicaglo nao interrompida corn o thna-
tro, per m6io de um largo e alto eorredor subter-
raneo. E' a disposi9go ideal. 0 theatre e o depo-
sito de scenarios estAo ao mesmo tempo reunidos
e isolados. Ahi estA uma das vantsgens do mara-
vilhoso subterraneo da Opera, de Francfort.
Mas, finalmente, quaes sio as mamavilhas con-
ti ias nesse subterraneo ? 0 que ternmella t o pro-
dioso ? Apenas au ina mahina de iapor e umeen-
geaheiro mecaneico com n ma tropa de subardina
dos. 0 engenheiroe a m hina, dante a repr-
s3ntacao, fazemr mover,' distribuem e a A
vontade, em todas us.partes do edifixo,'ee
soalho at.6 a eola,01a so pi;eus ocas ea-
rotes, nos quartos e gabinetesder, ie no I0 s oe-
redo es, man alo dc ssoi(foye, rio) osapo
lto annc;Xes-a agat q. Q#, 0 O frio, ooxy-


vy~er wo K va. .>Jzvu vky f m w, uim uUUvMU p
convaleseentes; "it temperature sempre
igl, no VJ0rao eqQa 9 in Wnol W> i aot, t&w
calor e fs frio no veraer Podecrse-hia alli seguir
urn tatainento de Opera, COMO seguem trataman-
tos d'aguas mineraes e de ar.,Ib o exaero ; ms-
tes mezes de estio, a gente da terra, A noite, re
fagia-se npscamarotes da Oper afir de orta -se
ao peso acabrunhador da raa .
Mlseelaae#.- Acaba do s ssuieidar em
L Strasbourg ojovn tFtaerj Jlhrodo disfticto his.
toriador saxonio Hermann EttnAr.
Estudava aquelle mogo o direito na referida
cidade, mas nao fazia parte de nnwmuima da as-
sociaoeB de estudantes ahLcxieteatea.
Ora, aconteceu que various membros do grenjo
academic P'aatia, tenio ido dar umnpassewio a
ama aldeia do dueado do Badeu, tiveram alterca-
caes corn umas familiar, com as quas s e compor-
taram grosseiramente. A imprensa de Stras-
bourg contour o faeto, censurando-o asperamenrte,
e aproveitando o ensejo para incriminar os costu-
mes e habitoe dos Srs. estudantes em geral.
o0 joven Ettner responded aos jornaes, reco-
nhecendo quo se tinham o direito de reprovar o
quo acontechra, nao podiam tornar todo o corpo
academic responsavel pelas extravaganeias de
alguns dos seus membros. Foi par isso provoca-
do a duello pelos membros da PaIdtia. Ettner
nao recusou bater-se ; mas exigio que a arma es-
colbida fosse a pistola; ao que nao annuairam os
adversaries.
Foram enteo coavocados os presidents das as-
socia 'es de estudantes, que exc:uiram Ettner da
frequentagAo dos sens colleges. 0 corpo dos len-
tes e professors quiz intervir, e opp r-se ao
effeito da sentensa ; mas o joven Ettn r, obede-
cpndo for9a dos preconceitos, considerou si
como deshonrado par% sempre, e deu um tiro na
cabepa.
Corn franqueza, um home que se suicide por
causa de semelhante pulhice, nao tinha o juizo
todo.
A exportagaoedo trigo da Republiea Argen-
tina, que, no 1.o semestre de 1883, mal era de
36,485 toneladas, foi, no period correspondent
de 1884, de 92,039 toneladas.
Em identicas proporgoes augmentou a exporta-
9o0 do linho e do mitho.
Durante o mez passado, foram cortadas
19,V58 rezes para a alimentago da cidade do
Buenos-Ayres, varianZlo o preco da carnet entire
140 e 200 rs. o kilo.
Se os boiadeiros argentinos tivessem o apoio
do president da munieipalidade le Buenos-Ay-
res, e que este soubesse organisar as preferencias,
6 provavel que os portenos nao tivessem comid)
tanta carnet ; mas-emn compens'wtto-tel-a-hiam
pago per precos maito mais elevados.
Loteria da edrte : = Eis a list
4os maiores premios da 2.' parte da 77.1
loteria (15G B,) concedida em beneficio do
Fando d Emanceipaqi9o, extrahida em 20
do corrente:


Numerous


7258.
7328.
4511.
3776.
162.
1133.
1138.
2301.
2985.
5882.
7257.
7259.


Approximagio


Premions
25:000oo000o
10:000#000
5:000#000
2:000#000
1:000(000
1:00000(Y)
1:000#000
1:000#000
1:000#000
1:000W000
1:0004000
1:000#000


Numerous dos premios de 5004k000
275 I3603 16089 7931==--
326 4092 6942 7327='Approx.
1897 4400 7282 7329-=
Numeres dos premiQs de *CPU
195 1151 3235 60701 6682
668 1464 3728 6522I 6697
926 1579 4494 660911 6865
1143 1973 5527. 666911 7646
4540 Approximaco 150#000


4542 ,


- 15040)0


Numerous dos premiaos d6 1OOOi4i f


L trfteraa uae 0gt jWNWp -A roterra xa
0erie B, doRio d3aneirceorr no dia.i doIe-
bro..
SjBilhetes A venda,, na Caaa Fik A praq gda In-
depeadencia J 1. 87, *% I*
;r aas or -para os portos. do
norte no vapor acloiialV
Julio Fat~steraberg, Valdceyiao A. Moaetnegro,
Henrique Altstapter, Alfe 6 P. Clarhkso, Ma-
riana P. Braga e fihoo, Antonio' X. de Paiva,
Francisco tda &ixag, Alfredo P. Clarkeson, Pa-
dre Antonio de fva, Wilidm LH. Cooper, Joa-
quim A. Guimarles. Tacian( G. da Silveowa, Sit-
vino E. C.' da Ca I I 6* 1 c idojl oMan6-eA.raR3o
Saldanha, Basilio de QA. Aijo, Jois Aotray,
os6 B. Taveira, eapitliMtoael N. de Seise, $ba
mulher, 3 filhos e 1 criada, Manoel de M. Galio,
Ildeffonso H; deHolaUda, -G ind4 V. d- O
tro, Francisco M. I. A.-#. oIuzado, 1 cabo decs--
quadra, 1 deserter e 1 eseavama entregR-
Chegados do sal no vapor ingles La Plato:
H. Heury, Sebastiao dos Santos Canpos. P.
King, Phireio Cavalcante, Colino de Prado, Ge-
raldo e Geraldo B. do Alcantara.
Sahidos para a Europa no vapor inglezs La
Plata:
H. Cox, Miguel Machado, Ramos do Oliveira, M.
Murphy, Miss. Sermivads4 Mr. Edmund P, Cose,
Miss. Cose, Mr. Wilson, J. M. Alvares e Cauiilo
P. da Silveira, R. Claro e Antonio Cordeiro.
mercado municipal de S. dos4 e -- 0
movimento doste estabelecimento no dia 28 de
agosto foi oseguinte:
Entraram para serem vendidos : 40 boispcsan-
do 4,679 kilos.
No mesmo din entraram para o mesmo es-
tabelecimento:
Peixe, 200 kilos.
Farinha, milho o feijlo, 72 cargas.
Fructas diversas, 32 ditas.
Suinos, 2.
Carneiros, 2.
Preoas dos dias:
Crame verde de 480 400 atW 360 reis o kio.
Suino a 640 r6is o kilo.
Carneiro a 1I idem.
Farinha de 500, 403 at6 280 r6is a cuia. -
Hilho de 480, a 860 r6is a cuia.
Feijao de 14200, e 640 rs. idem.
Foram occupados:
61 talhos de carnme verde.
12 ditos de suino.
12 ditos de fressuras.
64 compartimentos de legumes.
38 idem de farinha e comidas.
Deve ter sido arrecadda nests dia a impor-
la icia de 210A200.
Matadouro-Foram abatidas no Matadouro
da Cabanga, para consume do dina 39 do eorreuto
74 rezes.
Cama de Deteneao.-Movimento doe pre-
sos no dia 28 de agosto :
SExistiam press 346, entraram 9, sahliam 9,
existem 346, a saber: nacionaes 301, mulheres
8, estrangeiros 15, escravos 22 -Total 346.
Arracoados 303, send : bons 292, doentes.:11.
-Total 303.
Movimento da enfermaria:
Teve baixa:
Candido, escravo de Alexandrine.
Teve alta :
Joao, escravo de Agostinho Porto.


SHRONI A-JUDlICIARI


Tribunal da RelaVIo
SESSAO ORDINARIA EM 29 DE AGOSTO
DE 1884 -
PRESDENCIA DO EXX. SM. CONWSELHMRO
QUIUW0 9DE MIEIWDA
Sweretario Dr. VK-giUio Coelko.
As horas do costume presented os Srs. deseX.
bargadores em numero legal, foi aborta a sees4
depois de lida e approvada a acta ida anteeedent*.
Distribuidos e paseados os feitos deram-se Oa
seguintes
JULGAMENTOS
Habeas corpus
Pacientes: ...
Felicia, Thome e Mayianna.-- 7oncedeu-se a d-
dem de soltura, cozitma os votos os Srs. conseha- rh
ros Freitas Henriques, Q iroz Bfarns e deseidr
bargador Oliveira Macele 'deelarando o Sr. des
eibargador Pires :Ferreira uioe om rena: a
Thorn6 concodii~a eolltnz-a lcorn^l eestric:o.


,jj^ 3 ^j .. ||:'" : ::X ,." t1:. .... '^,-Y. / !::
Antonio I dbJ'M its.,
Do t*Mdo Roc6M- ehate ojuiZo appel-
ladof Pwaeiaccr J00
De 04maragibe- Appeflante Pedro' MMrieio
de Paula Cavalcante, appelbada a justi9S.
Do Pombal -Appelanfe e juio, appellado Jos6
Pelippe Danta
Do Ing--Appellante o juizo appelladO Joo
Martins do Overa.
AppeUao commercial
Do Reeife -Appellante o curador fiscal da mas-
xafUlida de Moura & C. e o consul portuguea, ap-
pe0ladosos memos.
Corm vista as parties
; Appefh iea9 civeis
De Jaboatdo- Ap!BkatnuaoelCarneiro Leal,
appellado Manoel Xavier CarNueiro da Otrh0t
D o Becife--Appellantes e appellados Peina &
. e_% CamaraMunicipal da capital.
DITSLBWUI95ES
Reeurso crime
Ao Sr. deseibargador Pires Ferreira:
De Campina Graude Reecorrente o bacharel
Joto Baptista Alves Pequeno, recorrido o juizo.
Aggravo de petiAo
AoSr. desemlbargador Oliveira Maciel:
Do juizo do commercio-Aggravante D. Cae-
tana Carolinada Costa Ramos, aggravado Jos6
dos Santos Coelho.
Encerrou-se a sessao a 1 hora da tarde.



D1tICADOES UTEIS

Medicos
Louisultorio nedleo-o.mrrie-o do Dr
Pedro de Attabyde I obe OMoseoux a
ra d a IGloria n. 3*.
0 doutor Moscozo dA consultas todos os
dias uteis, das 7 As 10 horas da manhI
Este consultorio offerece a commodida-
de de poder cada doente ser ouvido e exa-
minado, serm ser presenciado por ountro
De meio dia As 3 horas da tarde serA o
Dr. Moscozo encontrado no torrelo A pra-
ea do Commercio, onde funeciona a ms-
peco de sande do porto. Para qualquer
d'estes dous pojtos poderao ser dirigidos
os chamados por carta nas indicadas horas.
Dr. Baptista de Moraes, rua do Barko
da Victoria n. 37 1.-, andar; consultas das
10 hotas ao meio dia chaamados por es-
cripto a qualquer hora.
0 Dr. I. A. Vellozo, restabelecido dos
ieus incomamodos, continu'a no exercicio
da sua profisslo; podendo ser enuontrado
na sua antiga residencia A raa do Barao
da Victoria n. 45, 1. andar. Consultas
das 7 As 9 da manha e das-3 As 5 da
tarde.
Dr, Leonardo de Albuquerque Cava.'
cante, medico e laureado da Faculdade de
Paris, occupa-se corn esecialiV'ade das
rholestias da caixa thoraxica (cravlo, pul.
mres, bronchios, pleur6s, etc.) C0onsUlto-
rio rua do rmperador 44 I' andar, dar
11 horas As 3 e residencia aruaa do Hos-
picio, 36, onde recebe chamados por es-
cripto a qualquer hora do dia ou da'noi-
te. Numero telephonico 214. Falla cor-
rentemente o francez e italiano.
Comsosurlo inedico eirufrco
4eaturwi
0 Dr. Joqim Camara, onu rio
A ra do Duquede Ua sn. 57, loandar,
devolta de su.a viagem a Europa, ondefez
estudo sospeciaes de inolestias da bocca:
eucarrega-se de qukqraer trabalho de ci-
rrgia e prothese doirias,. extra flae dentes
om anesotesia por meiodi, apparelhosapro-
priados: obtura (chumbo) coin waro, plstiua,
olmento: corrige 58 imregnuiMdaes dent-
1i^a colo, duntes pelos- "ooeso mata
apberfeigoadol. Advogad
DIh, "MiotP preiotor pulioeada ac-
:ital t comge eseriNtade advocacia mua


; ~Comnpsofaore-se, owmiaudate do Pa-
quote no chegar ao termino d&sa viagem--pe9a
urn abaixoeaagnados dos sens upanagenoa em at-
testaod4iuukua&Wdee-eowmpdo eom quo form
tratadoe-d4un4e&a viegem; -4to ewprebeae-se
apsar do aboreciammt corn que, em regra, ties
assigaturas ko prestadas, e da forpa probante
quo ellas produzem.
Imaginese, por6m, a figure esquerda, trieso e
suspeita que ofreee de si um juis- dedireite, ma-
giatra'do itaio> que pleite a natumultuoep cons-
tanpeia da sun judicatura terroris*ta, dos seus jU-
ridiccionado's um abaixo assignado para serem an-
nunciadas pela primeira vez, e attestadas aes que
nao tWo ai-da afelicidd de o acounhecer a sua
illustrad4, iWtigridade, exemplarimu de, conduota
coma cidaddo e pai de family,, e a DIGNIDADE corn
que ci&ge a toga!..
Vamos agora tornar patente o valor intrinseco,
pessoal do tal abaixo assignado.
Cento e ewsenta e tre 6 o numero dos nomes
dos que sio apresentados como assignando a co-
Iwmna de awnnucio dojuiz de direito Jos6 Tava
res, em a qual ests lanca aee qnatro ou quautos
vents tern a pablicidade as suas takes qualidades
pessoaea s; da quaes ainda feliz mortal algum teve
a lembranca de faser, se quer, constar.
Principiemps a encarar o tal abaixo assignado
pelo resultado da prova dos nove : cento e ses-
senta e trees noves fora -urn -, que 6 pela logical
dos factos o primeiro do rol, isto 6, ocollector pro-
vincial Manoel Joaquim de Souza Neco, a inter-
posta peseoa da compra que ojuiz de direito Jos6
Tavares fez do cavallo alasdo dos trees p&s calga-
dos, pertencente ao espolio, em que eram interes-
sados os orphAos de Laurentino Gomes do Nasci-
mento.
Dos cento e sessenta e trees dos takes signatarios,
cujos novesfora -cabamos de tirar arithmetic,
moral e logioamente -apenas trinta e urA s1o elei-
tores, inclusive : -a interposta pessoa, collector
provincial, o escrivAo deste, o escrivao e contador
do juiz de direito Jos6 Ttvares, o escrivio dojuiz
de paz e do subdelegado d'alli, dous supplente do
respective juizo municipal, o professor public, do
quern S. S. 6 delegado litterario e exclusive : -o
respective vigario, o Dr. promoter public, o se-
gundo supplente do mesmo juizo municipal Leonel
oas6. de Jesus Maria, cidadao que vive de elemen-
toes proprios, e todos os senhores de engenaios da
comarca.
Restam, pois, dos signatarios da column de
annuncio do juiz de direito Jose6 Tavares --cento
e trinta e dous nomes de individuos que nilo sao
eleitores, inclusive : -urn padre desconhecido, um
Manoel Gomes de Oliveira, que jA tinha anterior-
mente assignado um PROTESTO no Jornal do Re-
cife de 12 do corrente, em o qual disse quo o juiz
de direito Jos6 Taveres 6 perverse, odiento, male-
vole, despeitavel, e roe de ter feito accusaVee eci-
dentemente falsas, e um Severe Barbosa de Souza,
que foi rebaixado e demittido do Corpo de Polieia
per star soffrendo um process porcrime de furto
de cavallo...
O que rest do abaixo assignado do juiz de di-
reito Jos6 Tavares ?
Nada'; nerm mesmo o reconhecimeuto de firma
dos seus pretendidos signatarios, de quo resa o fi-
nal da puaolicagio de quo acabamos de nos occupar
cuja revista e exame particular nos foi negada pelo
digno proprietario do Jornal do Redfe ; o que
prova, apenas, que o juiz nab o confiou muito na
lisura deste papel reconhecido pelo escrivio ille-
galmente nomeado per S. S, cuja apreciagao de-
via por sua integridade, illustragao, ;egularissimo
e etC., e DIGNiDAD corn quo cinge a toga ter sido
facultada a todos sem reserve.
Recife, agosto de 1884.
Jose ClUmaco do Fspirito Santo.

-Nossa 8Menhra do 0' de Goyan-
-na, e agosto de I88I
Os abaixo asignados, babitantes desta povo2-
cao, faltariam nai dever imposto pela consciencia,
se ao retirar-se d'aqui para assumir a commando
do destacamento da cidade de Goyanna o sargen-
to Jes6Severino Pereira de Souza, nao viessem
manifestar.lhe o soen pezar por ease facto tio ines-
perado quio surprendente paraelles, attenta ao
modo por que se soube conduairo mesmo sargento
Severing, A desciplina que soube master nos seus
commandos e aso policiamento exact ejusto que
fez durante o tempo em que aqui esteve. -
* Tudo isto reunido fasia crer ass mesmos abaixo
assignados que deveria dle continual A testa do
seu deetaeam-nto; mas ni--serviram estee bons
Iprodiads para se aproveitado para um entro,
restando apeaasaes mesmos abaixo assignados a
lembrauna de sua passagem por este povoado,
Idonde, gr sau a sun ctividade, expurgou as fezes
Iqlati o e di a eertas ooefiade *. "
*'l~e&agni fi pe~te, Stl.fiuar'enSvoniaO- o conti-


PELO

1Agi Laotr FoFr % P`ii
Por circumstancias de forga maier deiza de haI -.
ver o espectaculo annunmiado para hoje. -
... O1 secretario,
A. Joaquim Pires.

Cirurgilso dentist
Jos6 Basilino .Silva Sanos, cirurgiio dentis-
ta e pharmaceutico pela Faeualdade de Medicina.
do Rio de Janeiro, colloca dentes pelos syatemaS
mais aperfeigoados, obtura (chumba) a ouro, L
platina e a osso artificial ; faz reconstrucegs de
denotes a ouro, trata das molestias da bocca e
corrige as irregularidades dentarias. Acha-s
das 9 As 4 horas no seu gabinete A rua Visconde
de Albuquerque (antiga da Matriz da Boa-Vista)
nnmero 24.

016b Abolicionis I
De ordem do Sr. Dr. president, con- /
video a todos os memrbros das sociedades
abolicionistas desta cidade, a compare-
cerem A sessao cxtraordinaria deste Culb,
que terA lugar domingo 31 do corrente, is
I1I horas do dia, na sdde da Sociedada
Nova Emancipadora, para tratar-se da
attitude quo devem tomar os abolicionis-
tas na eleiqao geral, s6 tendo a palavra a-
queUlles que se inscreverem ate a vespera
desse dia na secretaria do club, rua da
Matriz n. 44, segundo andar.
Secretaria do Club Abolicionistat, Reci-
fe, 26 de agosto de 1884,
Antonio Faria,
1 secretario.

Os editaes dos Srs. Drs. Fer-
reira Alves e Maduro
0 abaixo assignado, ropresentante do
Sr. Antonio Gongalves de Azevedo, tenm a
dizer que, este Sr. reside em Lisboa, do
present, A rua da Conceiglo da Gloria n. 16
comno o mesmo Sr. ftmz certo por annuncioa
publicados 'nos jornaes Diarios desta cidade.
Tendo jA protestado em juizo per tAo insolito
procedimento, promette informar o respei- t
tavel public eo motive que teve para nao ''
pagar as contas dos referidos Srs. Drsm a,
quando ja pagou aos domanis medicos qau
trataram da Sra. do Sr. Antonio Gongal- 'Y
yes, inclusive ao Sr. Dr. Malaquias.
Recife, 28, de agosto de 1884.
Antonio Augusto Pereira da Silva.

0 Dr. AdriD
MEDICO
SContinua a dar consultas das 11 As 2 horas da
rarde, em seu antigo consultorio, A rua Larga do
Rosario n. 36, 1. andar. Chamados por script
a uqalquer hora, na pharmacia Bartholomeu &


Phiarnacia drogaria
S, -Rua goBafliola Victorta-


SJ.0.Levy &C. con .

vidam seus amigosi
e fregueses A visitar

seu estabelecimento,


































4 orur. irsi80u -I
Consultas das 7 As 9 horas, e chaana-
| 'dos A raa daUniLo n. 15.
Nu, mero telepuonico 154 {


*xxxxxxX xxxxx_
Oeunlista
)4
4 ODr. Barreto Sampaio, medico ocu- P
Slista, -ex-chefe de clinical do Dr. de Wee-
p4 ker, di consultas A rua do Barai da Vic-
Storia n. 45, segundo andar, de 1 as 4 ho-
ras da tardme, except nos demingos e dias f
$ santificados. Chamados emc sen consultorio X
4ou emn casa do sua residencia A rua de 4
4 Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires,
@X~xxxxxxX--XXXXXXXr< ^
S Liquidaio aproveilavel
I Synopsis ou dedualo chronologica dos
factos inmais notaveis da historia do Brasil,
r pelo general Jos6 Ignacio de Abreu o
Lima, 1 vol. corn 408 paginas 1AOO0
Da soberania do povo e dos prineipios
Sdo governor republican modern, liiSes
prenunciadas na Faculdade de Direito da
Pariz, per M. Ortolan, traducaLo de A. P.
de Figueiredo, 1 vol. corn 160. paginas 500
Reform electoral, colleeilo de diver-
sos artigos .obre a eleigio directa per di-
versos lentesa da Academia do Recife, 1
vol. cornm 360 paginas 2,008
Doze proposicoes sobre a legitimidade
religiosa, da verdadeira tolerancia dos
eultos per Ephraim, 1 vol. coin 200 pages. 1006
Estudo elementary do dircito de uso-
Sfmucto adaptado a legisla.i9o patria ein
vigor pelo Dr. Jeaquhnim C. da Cunha Mi-
randa, 1 vol. corn 174 paginas 113000
Segredo da geraeao oa aftrte de pro-
crear rapanigas e rapazes espirituosos,
Setc. etc., (leitura s6anentc para 'apazes),
1 vol. corn 203 paginas 500
Mosaico Pernambucano, colleccqilo de
exerptos historicos, poeias populares,
anecdotes, curl isidades, lendas, aitiqua-
lhas etc, tudo relative a provincial, do
Pernambuco. 1 vol. corn 260 paginas 1oo09o
Jesus Chliristo e a critiea ni moderns pelo
Revd. padre Felix (da coinpabi'i i de
Jesus) vcrtido do franeez pelo Dr. Pedro
Autrai (da Matta Albuquerque, 1 vol.
corn 150 paginos 3l000
Historic s;igriada do v3lho e novo tes-
tamento, corn ex.licaeces e doutrina dos
Santus P.Ires, para reformna dos costu-
mes em todos os estados e pessoas com-
posta per N. dc Rayaumont, 2 vols. corn
564 pagini3 1s 1000
A' venuda na Livraria Univer3i:, rua do ln-
perador n. 52.

DBR ALEREO I1mA
lIEDICO (OPERADORI
ESPEC1ALISTA EM PAI1'OS E MOLESTIAS DIS
MIUL'IERE S
Tern o seu consul ;erio emn casa de suw
residenci a a rua da Imporatriz n. 30, 1.'
andar.
CONSULTAS de 8 As 10 da manha e
de 12 As 2 da tarde. Charnados per es
cripto A qualquer hera.


|j MEDICO E PARTEIRO i

Dr. Joaquinim Loureiro ,
Consultorio e residencia rui Duque
a e Caxias n 39, defronte do DIARI ) D
DE PERNAMBUCO, onde dal consul- (
tas das 10 as 2 horas da tarde. )


Dr. -Cerqueira Leite

Medico e operador
Do volta do sua viagem A Europa onde
frequentou os hospitaes de Pariz, tendo
feito urn cursor especial de parts e moles-

i CONIERCIG:
iira~a do Reclfe, 29 de agosto
de A8I


RemedlIo ifalUvel eItra mor-
deduras de ebrase outres
Inseetos venenosos
AUTORISADO PELO GOVERNOR IMPERIAL
COM A APPROVAQAO DA EXMA. JUNTA CEN-
TRAL DE HYGIENE PUBLIC,
E PREPARADO sEGUMDO A FORMULA
ESPECIAL DO SEU INVENTOR
Emigdio Antonio lachado
Nao se contara um s6 caso perdido toda
vez que se observe a direc9Io para o
uso do medicamento, quo e facilcmo, on-
formo o libreto que acompanha o vidro"
A sua applicable 6 internal e externamen-
te, acha-se ao ahance de todos o nao offe-
rece perigo al'gunm.
Unico depoito n'esta cidade
Rua do Bispo Sardinha, 20, 1.0 andar.


Arados, grades e outros instru-
Imentos agrieolas
305 miedalhas e diplomas em
So0 annos
Theo. Just

,17 Corpo Santo--I7
PERNAMBUCO
Unico aclente do afamado fabricate


Il'aguilz...Leipzig
Refereucias:
0 Ilm. Sr. Dr. Ignacio de Birros B3arreto, ge-
r-Otifca (Ins' eaf'IodA '.la Atiix Ii~l't -rta d't, -^iutc t -'"
0 Illm Sr. I)r. Iziacio de Barros Barreto Fi-
Ilho, no engenho do Meio, Varzea.


1VEDITAES
A Camara Municipal da cidade de Olinda
e sen ternrmo, emr virtude da lei etc.
Faz constar a quem convier e interessar possa,
que nos dias 27 do corrente mez e 3 e 10 de se-
tembro proximino vindouro, estarA em hasta publi-
ca para urn anne, e para serem arrematados pol
quem mais offerecer, os impostos seguintes: aln-
gueis das casinhas da ribeira por 226,000; 40 rs.
pur pe de c-quieiro de prodnceilo, exceptuados 20
pes para o use do proprietario pur 6324000 ; 500
rs. sobre cabeca de gado vaccumrn poi 3664500 ;
mascates e boceteiras per 2711000 ; 120 rs. per
qualquer carga ou volume exposto a venda no
mercado public per 86.000 ; 200 rs. sobre cabe-
9a de gado suino, ovellium e cabrumn poer 31000 ;
o aluguel do salAo terreo do predio municipal emi
construeVAo, site A rua da Ladeira do Varadouro
por 62.4000.
Os pretendcntes devcra'o comparecer nos dinas
aeima iadicados na form da lei.
Pago da Camara Municipal da cidade do Olin-
da, 25 de agosto de 1884.
Barao de Tacaruna,
President.
Josd Figueira Curado,
Sccretario.

Edital n. 3
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector faco publi-
co, que no dia 2 de outubro proximo vindouro irA


0 Smefridi
A Ajmfon. deo&,euerguMuao.
A -Camara Municipal d.acidade do Reoif
taz publico-pamra, coneciatento de a os A ,
de posturas abaixo. Arts. 13 ZT, 54K Al$ MKi7L
201 da lei 1,129 arts. to e 4-d)fato1,18:
Ant. 13. Todos os moradres .da cidade sao
obrigados a conservar limpos e sem lama e im-
mundiemns os quintaes das cams de suas residen-
cias; os infractores pag 0o a multa de 2SO00.
Esta limpeza. sera feits a expemmas da munic.i-
palidade nos quintaes dasas habitadaspor
pessoas unieamente pobres. : ....4"
Art. 15. Ninguem ifi6derA lauqiiads jaaflas e
varandas agun nas ruas; oa infractores pagardo
a multa de 10:000.
Art. 54. D'ora em diante as6mente 6 permtttido
ter cavallaricas de aluguel em, casas espa0osa,
ladrilhadas, e cujas frentes tenham mais do 20
palmos, corn canos de esgoto para urinas e li
dos, largo lageado e tio profu ndo qu seja banub0,
pela agas do mar ou rio em todasas mars eh
ou sumidoro corn 2 palmos de agas naturalme lej
nao podendo admaittir-se naU eavllaricas senib
numer6 de cavallos, proporcionado ao espago,.e:
havendo o alojamento para cads um cavallo ter-i
metro e 10 eentimetris de largura. .
Os sumidores serlo feehados em abobadase' no
reeeberao as aguas das chuvas. '
Art. 55. Os alojamentos serao limpos a vas-'
sonra, ao menos duas vezes por dia-e diariamente
serao tiradas as varreduras depositadas. -
Art. 56. Para factura dos canos ou sumidouisoa
e mais arranjos necessaries nas eavallaricas exis-"
tentes, que estivessem collocados em predios corn
as condicoes do art. 10 marcado o praso improro-
gavel de 2 mezes.
Art. 57. 0 alojamento para 1 at6 4 cavaltos de
use particular poderA ser contiguo A habitacIo,
observadas ;no que for applicavel as disposi5e e
dos artiros antecoentes!
Art. 201. Os portos de embarque sa conscrvar1o0
limpos e scm embara~o que encommode a concur-
rencia dis pessoas que so destinarem acs embar-
ques, sob pens de pagar o administrator ou eapa-
taz do port a multa de 2.3000.
Art. 3o Ninguem podcrA deitai nas ruas cisco e
objects sern serventia, neo cousa algumna, que
prejndique o accio e liinmpcza das mesmas.
Art. 4o Os p)roprietarios ou mnoradores, nas por-
tas ou frente de eujas casas for encontrado qital-
qnaer objeeto d'essa qualidade serao multados emi
Lt0000 e no dobro ua reincidencia.
P;!Co da Camnara Municipal do Recife, 23 de
agosto do t184.
Jose Candido de Moraes,
President. -
Leoneio Quintino de Castro Leao,
Amanuense scrvindo de seeretario.

Great Western of Bra.
zil Railway
A estaio de Macacos ser aborta AO trafego no
dia 1, do sctembro proximo fatrino.
0 superintendent
Ailsa Jans6n.
0 Dr. Thomaz Garcez Paranhos Montenc-
gro, commendador da imperial ordem, da
Rosa, juiz de direito especial do cormnmer-
cio desta cidade do Recife e seu termno,
capital da provincia de Pernambuco, por
S. M. o Imperador a quem Deus guiar-
de, etc.
Faco saber sos que o present edital virem ou
delle noticia tiverem que a requerimeato do ne-
gociante Manoel Jos6 Perira. de Castro se-acha
aberta a sun fallencia pola senten a do theory so-
guinte:
Em vista da petiAio de fis. 2 e balances de flsC
2 c 5, declare aberta a falleneia do uegociante
Manoel Jos6e Pereira d Castro, ..a data de 23 do
eorrente niez. Nomeio procurador fiscal o Dr.
Telesphlro Fragoso. *
Faoa-se public a faUlendi e convoqcn--Se'os
eredores para eolegrem & 6o dpoitaro;, no dis 2 de
setembro .As 11 horns. .-
Prooeda-se a arreeadaico 4a maa .... 1ief& i!
de agosto do 1884. -o Tkomcis Gar-ez "P'a'frW
Montenegro. "
B mais se nato continha cm diut seotcnca aqui
eopiada, em virtude da qual o eScrivllo fez passer
0praseute edt -:|l) Seds


La -.P1ta, de 2,069 tonellans, eomuandanta, A.
E. Green, equipageam 99, eargo, varic generos;
a AdxamsonHowie.& C. : :
Mountevid6o-29 dia, sumaca heasanbqla Virgem
ded Casrmen, di14- 41tonclaidas', eipWao L.Vmc
Mirarnbell. equipagem 80, caia *xarquee; a boyo


As sociedados AUianga e Concliaaor at-
ueiiendo A ncesaidade de tratar do. inte-
riges dda institilo no norte 4o Brasil,
'tibhtrami a deliber d convocar para
urm toagroeoa tois 8 socios Iactivos a
;a'uNlos dequese, ac inem a'sta- rovincia,
atim do dliberarem o quoe neeessario f^r
a bernmdos nossos i:a tiesse.- '.
EspEram, pois, que eompenetrados d'essa
neeessidade todos os soeios so achoemreu-.
,pidos ao. dia 8 do setenmbro proimo is 11
horas do dia, no predo n. 14, 3.* andar A
rua do Imperador.
Recife 28 de agosto do 1884.


Os


secretaries,
MBotke.
B. Victorio


I' 'l^SO, d
isenlisacao da freguezia da
'*'-:: tGra~a
,.De ordem da Illma. Camara Municipal, scien-
tifico aes habitantes desta freguezia que em ob-
Arvancia ao disposto no art. 13 das pos.,turas de
i6 dejunho de 1873, tenho de visitaros quintaes
deeuas predios, afirm do conhecer so os mesmos
estlo em perfeito estado de limpesa. Confio nos
bonds sentiments dos mesmos habitantes que seja
satisfactorio o resulfado dessa dihlgencia.
Capanga, 29 de agosto de 1884.
O fiicatl,
Victorino A. do Rego Paria.


SAVISO

Fisealisa o de Santo Antonio
De ordemin da lilma. Camara e observancia do
art. 130 da lei n. 1,129, previno a.os minoradores
delta freguezia que tendo de visitar os quintaes
de todas as casas e ver o sen estado de limpeza,
espero da benevolencia dos mesmos todo aclhi-
mento afimr de ocumprir o meu ever, em beneficio
geral e da salubridade public.
0 fiscal,
Thomazs Clarencio de Paiula Rocha.
/ .... b H Sata Thell z a
Agua e illauminajo gas da eidade
: de :Olindfl
DIVIDENDO
0 Sr. director-thesourei'o, pagaraz aos senho-
res acciounistas, a comnoar do dia 1 de setembro,
ena run do Imperador n. 73 (2- aftdar), o 110
dividend a razlo de 60-I/0 ao ;ann ;das 7 horas
da manli- ats 2 da tarde ated o dia 6; e dahi por
diante em qualquor dia util, das 7 As 10 horas da
manhIa. Recife, 27 de agosto de 1881.
S0 gerente,
S A. Percira Siminos.

Aviso
Fiscallfacso da freguezia de Santo
ist". eBo, 26 de agstao do SA
Os- proprietarios dec earros, carrotas Ou outro
qualqucr yehiculo de conduecilo, s6 poderao en-
tregar a cbnducoa dos me.amos is pssoas matri-
culadas, come determine oart. 153 da l ci n. 1,129,
abaixo transcript, sob pena de pagarem a multa
de 10Au00, como intractores do art. 170 da lei
-cttada.
Art. 153. Nenhumn coeheiro seri admittido ao
governo de earre:, seges, -orniibus 0u outro qual-
quer vehiculo de condue*ao public on particular
Senm estara matriculado n repartielo da poelieia
0 fiscal,
Thomaz Clima-o de Paula Rocha.

:t Uiiialo Ai Eicionsta

Commercial
]e ordern do Sr. president, ehnvido a odes os
Srs. socios a reuniretarse-'nt domitigo 31 do cor-
r1Atoe 4As Jiot oras da ams.a arqa do itnoJesns
n. 10 $" ^dar, pai i dscatir-seeoi appovar os-es
tatuttos4,eleiVAo efectiva 'e tantibewtratar-so doin-
Steresse. soci.
Reeifir, 26 de agosto de 1881.
0-1,0
; ;"1- ,- 1,;11 1 1 X^ j 'Ar au o*-. ..-


Norib BOAtsh & ercautie
CAPITAL
*:00N,000 de libras sterIaas

Adi on Howie & C.
RA DO COMME RCION.13


SEGiUBOS
MARITIMOS CONTRAFOGO
compauhlia Pheufix Per-
xamnbucana
Rua do Commercio n. 34.
COMPANEIA AMP]IITRITE
de

SGouros Mri so o tarrast
N. 9--Praga po Corpo Santo--N. 9



CONTRA FOGO
The Liverpool & London& Glob

INSURANCE COMPANY
AGENTS

anlol r Brnt!ot a & a.
l--CORPO SANTO.--11
THEATRE



Sanlta n stibel



Coinpaiiija piortugiuezai
Emilia Adelaide
DIRECTOR GETRENTE





Sibbado 50
Tomam part no espectaculo a distinct actriz
Emilia Adelaide e o notavel galan A. Fer-
reir. a.
Unica rcprpsentacio da comedian drclma cm 3 ac-
tos, original de A. DUMAS FILHO, traduecao de
E. BISTER.
A


PRINCEZA HE
Primeira represent io da cuincdia en 1 acto:
I( TI n DII 1411 11 0 (UIIN
Pritn.era representauodia. eomedia em I acto :

Caller" ddasdmas
PrincipiarA as 8 c 1/4.
Bonds para todas as linhas e trem at6 Apipucos.

A. AVISO
Ao mpreza previa*o H respeitavel iUblico que
n ,ep.t iecaaiguad o son repeartorio.


nhaia, Rio de aneiro e Monte-
tevidto
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservadoa para esta agen-
cia, que podem tomar em qualquer tempo.
Para earga, passagens, encommendas e dinheiro
a free: tracta-se corn o
AGENT
Augiusto Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9
CIIA'(JRiRSRIEUNIS
Compania Franceza de Navega-
4ao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis-
Doa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
Steamer
Sully

pa atWo dia4 dese-
tembro, seguindo de-
pois da indispensavel
demora p'ra a fa-
higla, Rio tie da-
neiro e Santos.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer reclamagio concernente a volumes, que por-
ventura tenham seguido para os ports do sul, afim
des,e poderemdar a tempo as providencias neeessa
rias.
Expirado o referido pra.o a compauhia nlo s )
responsabilisa per extravioq.
Recebe carga, encommenudas e passageiros, para
os quaes tern excellentes accommoda$Ses.
AGENTS
Augiusto F. de Oliveira
& C.

42 RUA DO COMMERCIO 42
Uomspaanhia Brasifelra de Nave-
gaiao a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor
Espirito-Santo
Cownandante Joto Maria Pessoa
E' esperadodos portosdo nor-
te ate o dia 1 de setembro e
\ seguirA depois da demora.
-. do costume para', os portos do

Recebe tambem carga para Santo o BRio rana
de, frtee modico.
Para carga, passagenas, encomcnde a e valores,
tracta-se na agencia
46 RUDO A COMMERCIO 46

1OYAL MAIL STEAl PACKET
COMPANY'
Ilinerario
IDA


3ahida
hegada



a
*
a



a.
l -
S8hidas
a.

Ii~egeda
a
q"
[ a
f
a


Southamptoan
Bordeaux
Vigo
Lishia
S. Viceuts
Peruambuco
Maceio
Bahita
Rio de Jandiro
San tros
Montevid6o
Bucnos-Ayres
VOLTA


BuenosAyrcs
Montevideo
Santos
Rio de Janeiro
Bahia
Maeid
Pernamnbuco
S. Vicente
Lisboa
Vigo
Southampton


0
~


Ce
0~
U


1 9
4
7 13
20 21
21
22 26
26 23
28
5
7
17
16
24
27
29
11
15


-ama Lushs, P.e Mo 6esocaos corn2,300
litros de aguardente..-
Para o interior


. NOW-Fol -


l


A .





































Leilao
De movcis, aigumias joias e 63
casaveques
0 agent Britto levard a leilao o seguinte :
1 mobilia de amarello, 1 dita de junco, 1 mesa
elastic, camas, cadeiras de pao earga, junco e
amarello, commodas, 1 estante para musica e muim
tos outros objects, tudo
Ao orer go mUto110
Terpa-feira, 2 de selembro
A's 11I horas
Pateo do Carmo n. 9

Leilao
De urn piano forte, moveis, qua.
dros e espelhos
A SABER:
Um piano de jaearandli, 1 mobilia corn consolos
corn pedra, 2 cadeiras de braVos e 12 de guarni-
*ao, 4jarros para ilores, 1 tapete grande de sofA,
4 ditos de porta e 2 escarradeiras.
Uma secretary corn arinarios e gavetas nos la-
dos, 2 estantes abertas, 1 espelho e 6 cadeiras.
Uma mesa elastic, 1 guard-lou(;ai envidraqa-
do, 1 oleaao paira mesa, 2 consolos, 12 cadoiras, 1
*lparador, 1 sofA, 1 mesa de cosiiiha e de cngom-
inado, 0 trem dejardirn.
No saiulo
Urma cama fi-ra-coza. 1 coninloda, 2 m-rquezues,
2 camas paira mnninos, 1 incma de cabeccira, 1
bidet, 1 lavato;,io, 6 cadeiras c inuitos outros mo
veis c inais ol)j -,t.)s de c;tsa de fainilia.
Terpa-feirai 2 de setemibro
Na casa da rua do Padire Nobrona, out'ro-
ra do Alecrim, n. 26
0 Dr. Francisco S. Brag: Torres tendo de re-
tirar-se para o centro da prlxi'ncia, faz lcilao, por
intervenclto do agente Piut.,, dos moveis e mais
objobtos da casa di sua residencieT, i rua do Padre
Nobrega, out'rura do Alecrimn n11. 26.
A's 10 horas partir',u n0 b'n-.l da linha do Afo-
gados pela rut do Marq'ez do Hlerval com os con-
currentes.
() leilao priucipiara As 10 1/2 horas.
Agent Pinto
Terea-feira 2 do setmibro, cffcetuar-sc-ha o
de moveis, na casa eim qu residio o Sr. Dr. Bra-
ga Torres, p>r:' ondc partira- urn bond da lina
dlo Afogados, pola ru ta do Marquez do Herval. que
dari passages gratis aos concorrontes ao leilao

Leilao
De 3 velas de Ilona, grades 4oas
Se nov0as


QUrllI- ful 3
Agente


Pinto -


A's ii horas
NA cases canBa
Em frente do trapiche Fiuza
Por occasiio do leilio de 400
formas para assuear

Leilao
DE
400 f6rmas do ferro galvanisado, para as-
sucar, posarndo cada umrna 3 c meia arro-
bas.
Emt lotes a vontade dos compradores
Ulnlal-flira, 3 u u otumbre
A's 11 horas
POR INTERVEN(AO DO AGENT
Pinto


ria


Da lei da Reforma Hypotheea.
e respective regulainento


pelo bacharel

LEI BE iLBllllRQ ARR
IgSSPERiEM
Natural do Recife e juiz de
dire'to da comarca de Alcantara
no Maranho.
Esta no pr1lo, e sahirabre-
vemente.
Assigna-se no escriplorio do
Diario e no da Folha do Norte.
Um volume de mnais 300 pagi-
ias por 6$000, pagos na entrega
da obra.
AInga-se uma grande casa cm Santo Amina-
ro, rua Lcmbrana do Gomes n. 4, muito fresca,
corn grande sot.ao, corn dous grande quintaep
inutados crum boa penna d'agua : a tratar na
rua da Imperatriz n. 32, segundo andar
Aluga- e os andares sup^,riores do predio n.
51, sito a rua do Imperador : a tratar no pavimen-
o trreo do predio n. 10, A prava do Commercio
= Precisa-so de uina cosiinheira : a tratar na
rua da Imperatriz n. 15, primeiro andar.
Precisa-se de unm criado que seja mennino,
para casa de pouca familiar : a tratar na rua do
Imperador n. 44, phaimacia.
Franeisc, ) Candeiroofferece-s pan Ieio-
nir poruguez, francez e arithmctica em qualqupr
collegio e casas particulars : quem qmizer ntili-
sar-se tie setus servibos p6de dirigir-so a rua da
Cruz n. 42, quarto andar.
- Preeisa-se de criados, A rua da ImnPeratriz
n. 15.
i'rtcia-se de urn ihoimcain de m ii idade para
trabalhador do sitio : nesta typographia se dirA
qniin prpcis,.
Aluga-sco u predio da rua da Mueda n. 43,
constailo do armazenm e bm sotao ; have a rua
do Amoriin n. 37.
Aluga-se o sobrado n. 33 0, A rua de Pay-
sandiL, esquina da travcssa do Cajueiro : a tratar
na rua lo Barao do S. Borja n. 35. As clhavcs se
acdam no andar terrco do mesino sobrado.
Aluga-se o priineiro e segundo aindares do
n. 39 ; o primneiro do n. 37, c segundo do n. 31,
& rua do Imperador : a tratar corn Luiz de Mo-
raes Gomes Ferreira.
= No Largo do Corpo-Santo n-. 4"
coni urgencia preci.sa-1 e tie uM brn
oUliaIl die barieiro.
Pr'cima-se de uin empregado para servi(;o
bracal : na rua do Ariagaio n. 37.
Aluga-se a loja n. 117 A rua do Mareilio
Dias: a tirAtar na rua da Cru: n. 56, primaeiro
andar.
Precia-se deuma aina para cosinhar : a
tratar na rua Nova, loja n. 16.
Precisa-se de uvra criado : a tratar na rua
Nova n. 16.
Pree sa-se dexin cosiaheiria e uma engonm-
madeira : na trav6ssa de S. Pedro n. 8. Na mes-
ina induca ama de leite.
Anluga-se uma caaa no Ch.acon, coin muitoue
commodos, caiada e pintada : na rua do Rangel
numero 37.
Precisa-se de umn criado par, cosmuhar, com-
prar e mais serviqos.
Mudou.se o teRpo


Meaio 14750'
Qiart. ^ 8750



B ILll -O R t10D
Aos 4:000^000

Rua do Bareo da Victoria a. 4o
e easas do costurze
0 abaixo assignado acaba de vender
4em seus felizes bilhetes urn quarto de
U. 1,387 corn ma soterde, 200#OO, e diversos
prei'os de 32o000, 160E P 88#00.
0 mesmo abaixo asignado convida aos
possuidores virem receber i a conformi-
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 203.& parte das loterias a
beneficio da Santa Casa de Misericordia do
Recife, (67.'), quo se extrahiri na sexta-
feira, 2 do setembro.
PRECOS
Inteito 45000


Meio
Quarto
Em porvao
Inteiro
Meio
Quarto
Joao J


2#000
1#000
de 1oo0ooo
elma
34500
1#750
#875


para


Toaquim da Costa Leite.


A ENTUIIR0A

Nos 4:0008$000

BILLRETB GfARNT1O3
16-Rua do Cabuga-16
0 abaixo assignado vendeu nos sen s
venturosos billctes garantidos os premioo
seguintes: 2 quartos corn a sort do 800#
no n. 380, 2 meios corn o n. 2277, al&m
de outras mais de 32#, 16# e 8#, da lo-
teria n. 65.
Convida aos possuidores a vircm rece-
ber sem desconto algum.
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 67 em beneficio
da Santa Oasa de Misericordia do Recife,
que so extrahira terqa-feira 2 de setein-
bro.
PREPOS
lntelro 4:000.
heio 2:000
Quarto 1:000
Send quantidade superior
a !Loo:o0o


inteiro
hielo
Quarto
Joaquim


cAmA


3:&8
1:150
Pires da Stiva.


FLI.z


BILlETES GARANTflDO"
Praca da Independen-
cla-ns. 37 e39 .7'


eterao 4^eastlab w &-
brar pa igeja da otdmsaitereir& de S. Frasciseo,
As 8lorag dasmanhl dolia 2 de setembro pro.
iirnVM Aneemm os seus sineeros agradeei-
jaento&.' "<1 4io Manoel Pontual
0 pdr AmtoO Bareetla convida a todos os
payment a e amigos do finado Joao Manoel Poutuali
para ouvircm Uma miss sna capella do engenho
Oabega de Negro, iAs 8 horas da manhi do dia 2
de eetombro, trigesimno do set passamento; e
desde JA agradece a todo6S que assistirem a este
aeto de religion. '

Tricofero



twals entvtui betwaticro one
l e Ba~rsy,

Ikida xlacam~lo r.'a8 CG@,c' a..
ecura r-adicalnon.'e
a TINIHA o a CASPA.
Positivamente impede a
jueda c a *mbranqiecimento
do CABZILO e cn todos 03 ca-
sos0 o torn invariavelmente
Xada lriWBant^, Formioso e
min uso ba-m'a dc oltentaannos
e ta firator'vcnda quo neuhun
Wt, ,repara4o parao cabello em

Agua Florida
deBaEy.
DUPLA.
Wreparada segundo a forniula
wiginal sada pelo inventor no
anno do 1829.
Tern duas vuzes mals Fragrancia
qoe .q,,yuaqur outra.
Duora duasgwezes Mais tempo.
E'bnuito r .a i, rice de perfume e
stais suave.
2muitow nais F.na o bEclicada.
Tern dobrada forca RefresoCativa o
Tonica no Battho.
F Crtasoco ao Debile ao Cancado.
'Curaa Dores do cabeca eos des-'
malos. 1 9.
V'.-uic-Esimo superior a todas as
'oumran Aguas Floridas Actual-
iento ea vencda.
Descoberta Impartantismima,
P "k -do Rd Fgad Bacalhao
coM
WODURETO DE FERRO,'
f airclay & Companlla1





C:ra radicalmnente e corn scgurTnaOs peorcs cases'
.e 1"hthisica. EscroTuIas, Rhenmautismo, as (locnfns
da Epinha D."a', ds Qar "osos n 6 dr -o- as a-
1ammrcnuu'ees do Fiado. do-3a~oe do Utero, etc., etc.,
't reituee no corpo enfraquecido-e fatigado o qe'pri-
mc:tivo vigor arrcdoudado dos contornos. E" certa-
'fn-te uina grande descoberta o Puro Oleo do
.?-iado dfl acalhao comn odnret de o.
i ,s'erro--sBar!ay e 5 4. W OW Ylork.
S aope d Vidal
de Reuter No. 1.


o fogodoassentamento, podem ser examina-
das ,as que foram assentes nos engenhos Be-
1em, em Timboassu', Cucau, em Gamnelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidraaio em Paio
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e


Parahyba.
Chamam a atten~ao dos


Srs. agricultores


para os novos vapores que tem recebido do
acreditado fabricante Robey, que se recom-
mendam pelafacilidade de conduc~ho, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand6


de-mencionar os engenhos em que 0o
locado, porja teremn vendido 85 para


lugares,
cidos.


e por issojh devem ser


s tern col-
diversos


belm conhe-


Saio os nnicos recebedores de ihilhos porta-
teis de Fowler que se tornain recomtmeAda-
veis pela facilidade da collegUca'o e por siia
dlura io.
du "aO,o

Quianto a moendas, rods (,'g, taxas ba-
tidas e fundidas, e.todas as mais fir.agens pre-
cisas a agriiiultura, te R iNmpre. de podeo-
sito, send tudo da melhoi qnalidh:e. "--


Vendem
conlto.


a prazo


ou a di1oc'o


O il1


des-


FUNDICAO. (1 BOSV7NIU

ZU-A DO RM N. 2

PASSANDO 0 CHAFARIZ
Offerece vantagens para as encommeiidas,
de apparelhos aperfeiVoados de fazer assu-
ear, peas suas replaces direetas, e pelo born
't d4s a arelhos qu tern motado nos
.exit ....pp q

engenhos Unussu', Sio Salvador, Maciapc e
3ussu', onde, comurnm dispendio tanto menor
qe un em secompara corn al'wuns dos que por

Ai se ter feo, temln-se obtid resultados iguaes
senao superiores, em vuit de produ o, qua-
lidae e pr do venda.














































































Alnga*se
uma casa pequena, tendo sala, 1
relho, na rua de S. Francisco n.
raa de Santa Thereza n. 38.


quarto e appa-
1 : a tratar na


Para negocio
Aluga-se a loja do sobrado n. 33 a rua do
Ma-quez do Herval, corn uma boa arnma9o pro-
pria para qualquer estabelecimento de molhados
ou outro mister : a tratar na rua larga do Rosa-
rio n. 34, botica.


laga-sfi
Metadede ura casa corn mobilia, em casa de fa-
milia por prevo'commodo, btratar na rua da Flo-
rentina w. 6, Bilhar


All olliio ao C"" ra ccn a
HOI-A8~P(KJJ^IA ROYfR j
BY 0,- R. RYGIBAS '. IL' (,, '0,, YER
^ Run salas: o .Anos {!s2^5j'PAW.g


OP RIO ____
@^^^'^^RE^ NEVBALISAS'*.
Tosie CURA r 1p
Tm tAM' l FalFelob cIGAR1OS mSHC l
4 Aspira.-se a oaca que penega no p.ito acalma o symptoma nervoso, facilita
a j.pectoraa e avorsa as ucoes dorgaos sldpi]orv.,
,an. em Rs.siw e_ uAA. .. IP11i__w, ran, roa St-Lza, em Par- i
epositaiAosNem FA da tUIL VA & Cis*


VINKOMGILBERT SEQUIN
'FEWFUQO FMRTIFICANTE approvado pe/a academia d e Medioina de Pane
SeauontI ow.io 4 Edpo, oncia
fe Ge Iaf f to demownstrado a efMeacia t lunoontetavel deste V W O,. qu r eoo&f *4m*&
noi para mortar as Pebtreo evitar o seu reapparccimento, qu6r como fortflekat. nas
iOyl-OzoeitQaa, 31eiUdade do Sangue, W ata de Mustruaqo, Xnappeteneia, lge-
i's tsee Aftsmwidades newvoas, ebiUdade causada pela edade ou per excessos.
Elite Vinho, qt con pouoo makfieado.-Mlo se deve oijactar contra o prepo em vista da reonheida eofoacia do medloanimto.
Ph.mac.ia S "378, Wu& S"raint-SHoor, it PARIS
S1 po~1tmrnis enPa b ^ o g A^da, SZ ^ 0%


Capitao Hermino Ferreira da
Silva
Maria Rosa Ferreira da Silva, seus filhos, gen-
ro, irmaio e cunhados convidam a todos os parents
e amigos para assistiiem as nmissas que por alma
de seu sempre lembrado esposo, pai, sogro, irmao
e cunhado, Hermino Ferreira da Silva, mandam
resar na matriz de Santo Antonio, sabbado 30 do
corrente, ias 8 horas da manh., trigesimo dia do
sea fallecimento, e d&sdc jA confessam-se eterna-
mente gratos.
WIN


Adriano Xavier de Brito
Maria da Gloria Viegas de Brito e D. Maria
Emilia Xavier de Brito, esposa e filha de Adriano
Xavier Pereira de Brito, convidam aos sens pa-
rentes e amigos para assistirem a missa, que pell
alma do mesmo, mandam celebrar na ordem ter-
ceira de S. Francisco do Recife, As 8 horas do dia,
e em Olinda, em S. Pedro, As 6 horas da manhi,
no dia 30 do corrente, anniversario do seu pas-
samento.


0s^

















































-ra i.. lPopelnes HORN, de istras e lavradau.

KAkimp k*CMW^iA de core es tas.
Ifma pesoa, compe ite hab~tada Aa Cnb da s
offere4e para engsinar, onMA pfovitamite/ 4 V parame'tnefin
criaBaqs de amabos Os saoms j ta cid~a4e e*m Lques.
8ea aztmalde5; pdenpdog pwImtBeopi3arem$P^parcphQra.
engeaihoB: a trs rx na ru da Ale 4i4.8.- )Uintaslis edeeores.
__Fichupa. de ueda e de I&
*_ ___ 'ctio 1A
:- 1 *. *-,, ~j Sj^ "1..11' '^^..-. P ra co IltWO r
; '* VlH~ftf ''- *' rso'chim ,l^*IN


Atteut~&o


Came do sertAo superior, linguias e came de
Precisa-se.de urna arma que cosinhe per- earneiro secca, especial: vende-se na Bella Au-


feitamente para casa de pequoena familiar,
dormindo ea casa, e uina outra que on-
gomme bemrn: trata-se na. rua Duque de
Cavias n 39

IguarassH
0 Sr. Dr. Francisco Xavier Paes Barreto, prO-
motor public, 6 rogado a vir on mandar a rua do
Marquez de Oliada n. 50, dar comprimento ao
que nao ignora.


Camisas para menaqw dop w .a 35; -f
Csni,, .ptead6rea, goas epti-
nbos para senho i '
Meraastqi bT;raad e varePflq 0: 'Pre ;;. (/ ':
iffiog "bifs branco o rieoB iias, -rfu-
marias, etc., etc.
Japoula &I C1


, rora, prava do Conde d'Eu n. 2. I u -- a i"o UIO C!iSO *-1
B 1erR Em frenteasmatide Sauto Atoaio


Vende-se um born terreno, sito na estrada do
Encanamento, perto de Panamneirini, muito ar- Vende-se imrnat epeas-pdiaeal em-lHebqsi-
borisado, eom granudes alicawes quo tern 9,000, be, no lugar denominado Canlihgue, mitoq pro-
tijols, tendo de frente 572 palmos, corn pouco pria para passar a festa ou nmesmo para neg'ciO,
mneas de fundo ; tambem se retalha havendo corn- por fazer esquina eom a eotrada do-Porto d. Ma-
praderes : os pretendentes tomato informacoes na deira, corn excelleate quintal e boa eaeiniba doe
taverna do Sr. Adriano, no mesmo lugar Encana- agua doce : a tratar na rU a da, Madre de Deus
mentor, ou na tverna da casa amarella. numero 1.


Vende se barnto tctlo ioaradas de easas ein.ii Ti
Olinda, LCU m1d' B o n. 23;o ;- '
tfal d ran E sI~ tstp'S .M M u.34-;.outra: d-,---
^ zi t a~ia^ Hi
nsL a doasa dorVow .lI, ie dda r; d!
propria para negocio por estar be" ibasl e, u dq -R
jA te arma*o ;. assiime 4si ee --deos generosI:e soUa ceusee ame "sw-su-
o se ilios e .texitm a -Madapoles faanees e ameneppe Mpaque.
prego pomodo ppr uu 4q lhe sea preeiaQ re no toqe a 5500 e 645100! 6 faze4ia d 104000.
ar-: a tratarnsacasda Am Algod5es periores e largo a 4M, a pea
rar-se .-a trata1rnAntoneosa(da'rua do AedCretoaes muitoaeumorpadq. a 240 zrs o .covado!
daro n. 1,eom o AntfiioCa Oraz Ledo. "B p
asBramante tranr"ot par& toqlhas e leu a NO
T~r~to m~etro I
AX ru& do Imseradrn. 16 comnra.s vende-noa ^WyilanirW"'Io w il tf I/


aiuga-ee triowa-q ov- e uaado

tibares
Vmnde-se ou aluga-se dous bilhares francezes
corn todas as suas pertenma : a tratar na Tua
Dauenede CaxIiawn. 8.


59-RUA DUQUE DE CAXIAS 59

La, bamgigdo
A 700 rs. o kilo, e 8j5 por 15 kilos, em sacco:
vende-se na rua de Pedro Affonso n. 68, arma-
zem.


p u ossoa,- estrmaha e de comportamento
nto co4ieoido nmuitas vezes o germen
nuporopa molestias.
Te:u4-se a verdAdeira frinha LActi
dpoDr. Frerichs:
55 RITADO IMPERADOR' 55
Estabeiedtento do musicas e6 piano de Vic-
tor Priall e

Camraiastransparen

tes a 3$
E' pechiincha
Na loja da rma da Imperatriz n. 40, a- esquina
do beeco dos Ferreiros, vende-se peqas de cam-
braia branca transparent, sendo azuladinhas,
para vestidos a 36 a peo : ; sio muito haratas.


*JB J- d *'lfa Hl^^^B .^^H' -N. B. 0 premio prescreverA

SDOS PREMIOSDA2# &T DAS'ORSN LS T G7LE. 16 HA u Dn anmo depois da eraco.
DOS PK 0S DA / PABTs DAS LOTELIAS CONCEDIDAS-S RR l'i PR0fVI"NIAL N. 1679, A EEFIC0 DA MATRIZ DE QJIPAPA, EXTRA EM 29 DE AGOS


TO DE 1884


PR1EMS.jNS. PREM-. NS. PREMS.|NS.


814
18
20
27
29
34
40
44
46
54
57
58
60
68

81
91
93
94
95
99'.
905
36
59
61
65
.69
72
74
75
j^6

"'0
ALI


I..
46


1077
99
1t107
9
17
22
31
48
52
68
83
84
85
89
90
95
97
99
1204
8
9
18
24
25
27

28
^M^
'44.
-4
Air:^


41%
8A
S*
46




>*


1334
35
37
38
39
41
46
47
51
54
56
58
63
66
69
71
73
83
.85
8-7
88
89
95
1401
2
3
;*: : 121a
4-u .
1$ l -' :l
15:


,.. ,.oi i N




^/;)' 1,-f


1521
22
32
36
37
39
42
44
45
53
61
65
80
86
94
95
96
1607
9
14
20
22
34

36

46-
-53
6'2
;,1.2
73@


PREMS, NS. ]

4# 1774
76
S, 77
41 79
-.80
81
83
84
88
-- 89
99
1807
8
"-9
-- 10

8, 24
40 36
:4i
~42
-43,
-45
49
-56





-94
I' 1t
i-( .' ^ 1


PREMS.tINS PREMS.


at,
41%:1


1998
2007
8

46
18
22
23
26
46
52
55
59
62
67
68
69
73
75
76
79
88
90
9~6
97
400

19


NS.P

2228
30
33
38
40
48
59
60
63
64
67
72
77
82
86
91
Q2
2301


.7
8
10
13
14
27

:28
29


41
i*".


REEMS.


1@@*
84
-S.,
46


NS. PREMS. NS. PREMS.

2416 4# 2637 4#
17 38 -
19 41 -
20 43, -
27 46 -
36 51 -
39 52 -
45 53 -
46 54 -


50
53
55
68
74
75
79
83
84
86
94
2504
5
21
922


33
[35
37
39


16


44


4^1


57


72
73
76
78
80
83
90
97
:98
2706
7
11
16
-29

39
-:45
*51


-w


NS.

2862
64
67
69
73
83
84
92
93
97
2903
17
19
21
25
26
30
40
52
55
59
63

73
78
79


PREMS. NS.I

46 3091
94
96
98
3102
4
6
10
14
100f 15
4. 16
-- 19
S28
35
-- 36
39
42
50
52
-, 54'
59
,60

|: 69
S -- -70
.' 72
-78
-93


PREMS.

4-%


1e.
'41




46


T -


NS. PREMS.

3305 46
7 -
10 iS.
16 46
26 -
31 8#
35 4#
38
44 -
46
47 16.
50
54 -
58 -
61 -
63 -
64 -
69 -
77 -
97 -
99 -
3404
5 -
6 -
12 -I
13 -
15 -
18 -
_22
26 -


Bias inias


PREMS.


NS.


I


NrS.


5
13
17
19
20
32
34
35,
36
37
47
53
54
58
61
71
80
86
88
89
101
2
14
15
16
18
20
30
33
34
.44

66
*7.


46 284
- 87
- 88
- 95
- 301
-- 6
- 14
- 28
- 42
- 45
- 46
- 56
- 57
- 61
- 67
- 80
_ 83
- 87
-. 93
96
S407
10
11
25
26
30
31
32
37
S 50
4J 52

B 56


remsS.:

41%






















8*
461





S.,
*. .. -


NS.


46


557
60
70
71
73
76
80
83
87
88
92
93
94
96
603
11
14
16
28
30
31
46
48
50
55
61

70
72
73
76

-St-


4


t
-ti


3519
27
33
39
41
44
47
49
51
55
62
67
69
71
73
79
83
90
95
98.
8605
11
14
20
2i
22
24
34
40:
-42


3743
47
49
51
55
59
69
70
75
76
78
81
82
86
88
89
94
95


S_ 15
19
24
34
43
45
47
49
50
'52
-- 60
62

66
71
78


^ -\


I


.. ^ l
m^'' ''1 "/S y S





























Acredita?
Vidocqeomprimentou corn raviide:
Penso, salvo sewpre o r.epoito qe
devo a opiniao dos meus superior, ponao
qne durante a converma da Sra Masarollos
Scorn o seu assassin e uandeo cssa coavef-
sa to.rnou um tom inquietador, bastava que
esssa senhora puxasso o cordlo, pendente
ahi A sua cabeceira, para eoin certeza im-
pedir tudo quanto ia acontecer. Penso
que um pouco maih tarde, pa sua fuga,
podia ter chegado vinte vezes a ease outro
cordao quo alli estA ao lado do fog.o...
Crcio que o manor puxao nesses cordoes
teria acordado nos seas quartos uma das
criadas ou dos criados. Teriarn dosaido.
O alarm estava dado. Todos estariam de
p6 n'um memento ; e o assassino, inter-
rompido na sua crimninosa tentative pela
intervencgo de um numero de pessoas suf-
ficiente para obstar quo -o concluisse, nlo
toria scnuo um recurso: fugir, so a agent
do andar debaixo, a cocheiro e a cozinhei-
ra nIo lhe cortassem U retirada, fechando
a porta da ruaa.
Eatrotanto, insistio o Sr. de Bergon-
de, ha de, por sua vez admittir, que a si-
tuagao critical podia ter feito peraer a ca-
besa A infoliz e pbrtanto fazel-a esquecer
os mEios de que dispunha.
Vidocq comprimentoun:
Digne-se o Sr- procurador do rei do
perdoar-rme ainda urna vez: mas lament
ser do opiniao diametralmente opposta.
Siu !
Neste negocio, estou convencidissimo
de que s6 o culpado perdeu a cabeea, a
transmontana...
-Oh!
Um home do officio s6 teria dado
am golpe, um bomrn, bern calculado e bemrn
escolhido, no lugar quo 6 a s6de da vida;
um desses golpes que te6m um effeito ful-
minante... Elle, polo contrario, c6go de
cholera, ebrio do sauguae, da emoglo inse-
paravel de uma estr6a, fez mais do quo
era precise, divertio-so estupidamente corn
as bagatellas da carnificinaa; chuvina" aqui
e chlurinou, ali, ao aoaso, pel praaer D0[la
honra, per nada!
Sr. Vidocq, esse grae- o
Fallo seriamente "ejo
a sua vio e acerescento que
crante ao o sangue frio du-
rauto &$,hUo e-"
bio ia luta em que succum-
supos serm duvida, nao passa do umna
Suma convic9lo.
S E onde foi buscar essa convicgo ?
S Nao s6 no mode reflectido, estrate-
gico, porque a infeliz refugiou-se atrAs dos
moveis quo podium abrigal-a por um mo-
mento, percorrendo, se posso expriinir-mi'
assim, toda a eseala da resistencia, antes
de cahir onde expirou; mas ainda na dis-
posigqAo dos ferimentos do que ella esta co.
berta, ferimentos todos recebidos pela fren-
te, dos quakes, sE nao me engano, no-
nhumn foi no rosto, n to 6 assim, Sr. dou-
tor?
Nenhumn, responded o medico.
Pois bem, sustento quo eutA perfei-
tmento sonrhora tde si urna mulher que,
em face de um perigo de more, nao deisa
o sentiments da conserva9ibo da vida ab-
sorver o da conservation da belleza; que
defended as feigos A custa do corpo e que
sacrifica o que Ihe resta do vida para de-
fender o que Ihe rest de belleza.
Tendo externado este aphorismo, o po-
licial f'l-o seguir logo deste corrective phi-
losophico:
Afinal de contas, os mortars estaio
sujeitos aoerro. Posso estar enganado.
Errare hJiunanum est, come diz o men so-
cretario Coco, quo enoarreguei do saber Ia-
tim per mim.
E depois, a moda de cyefnusum:

FOLIEiTI!


&{GRILHETA
POR

G. PRADEL



TERMRRK IARPII


ser Bernardo Paloque, official de serralhei-
ro. Ella nito conhecia Ocrwisol, o agent de
negocios.
Na sua existone.hdfeyg turas,daetram-
formwagea, do sustos, haa tiuha ama
parteo ee oo wa4r
em am ft.eto joti ,i- l .
Mupr s e fi
llm-se diante do--o BtW d i.tdo&
,~~~ ~~~ M ', e ^^^ W ^;;


-2 .

d^^ ^ ^jai-;: '/. ..- ,*_.^. -...
' fo u fr ^ i'- l~t-..^.^ l. ..... ... -.'+ .

.. .ipracise aii..oo' o maoeo. tra-
tanie arrotiafe .pasor jftipr^ dospejos,'
volume... -.

A segnda. criada M elina Evrard,
adiantoa-se: :T-
So me eiongsa. b ebucou ella.
: Diga, mian quernida4jdol qdan-
to quizer, no interessa da vewj"de
Nessa pratbeira.. "
v .prateleira? -
Aqui porto dajanella. .
B)m;n, estou veadeoicontinue.
S.-- Havia un chale da senhora..
-Um chale?
Um do cachemira," qae urn general,
quo fez a campanha do EgyptO, trouxe-
Ihe, de um mameluoo.
Enteo?
Flla nito usava esse chale, por causa
das c6res vivas..,
Depois?
Ella converteu-o em tapete e esse
tapete estava ali ainda lionterm A noite,
nio 6 assim, Armetta ?
A rapariga Chevassa apoiou: -
Estava alli, sem duvida, Eu collo-
quei o castigal em cima, quando fiz a cama
da senhora... .
Vidocq batou na test :
E desa'ppareceu esta manhil! JA sei!
Minhas dignas raparigas, es sa sgacidade
faz-thes honra e se tivessem somente um
pouco de barbs, eu --as alistava J nia bri-
gads.
Depois, dirigindo se aos magistrados :
A cousa agora estA clara. 0 assassin
no reunio no cachemira tudo quanto furtonu.
Atande as quatro pontas, fez urma trouxa
semelhaute As das lavadeiras eclipson-se
levando-a nas costas, at6 A Arua,-ende, pro-
vavelmente os cumplices esperavam corn
umn carro. : -
Ropetio, apontaniido para a ports da esca-
da pegucna:
Eclipsou-se per essa port, que ee
teve o cuidado de fechar, do made, talvez
que o cadaver que doixava no quarto o
perseguisse na escada escura.
Parou um instant, depois, terminando:
Em resume, esse que procuramos co-
uheco a casa. Conhece, nas pu3ntas dos do-
dos, os habitantes o os sens habito.- Tinha
a chavo dosa porta. Conhecia a corbina-
ciao do cofre. Nao 6 nenhum dos profiscfo-
n ies. 0 trabalho foi temerario, mas fora
das regras. -
O juiz preparador voltoi-so para o Sr.
do Bergondo:
Pois bemrn, college, o que Ihe prece ?
um auxiliary notavel, tornou o pro-
curador do rei; o me niao fosse esse corn-


formada? ...
-Pouco mais ou mneos. .
Eu tambam.
D.'pois, indicando o chefd da brigida
de seguranga, o juiz preparador accres-
centon: u
Ache que esse tratante e.decidida-
mente muito hiabil.
E' possivel, replicon o Sr. de Ber-
gonde, seccamente, mas nio o diga tao
alto. Esses instruments, dos quaes, por
desgraca, _, ulo podemos prescindir, slo
muito propensos a exagerar o proprio me-
rite e creio, Dens me perdoe, que este nosa
deu uima ligo...
Conversaram alguns rinutos enm voz
baixa. Depois, voltaram-se para Vidocq.
S-Rosta agora, toraou o procurador do
rei, explicar-nos o que pode fazr o assas-
sino depois da perpetragio do crime.
Oh I meus senhores, elle fez o quo
costumam fazer os outros curioso. em cir
cumstancias identicas. Primeiramente, a
vista do cadaver da victim dove ter feito
desapparecer a sua raiva. Depois veio a
prostraglo. Comprehende : os nervous t6n
necessidade de distender-se; os homes
fieam excitados : jA nlo 6 tarefa ordinaria
matar o proximo.
Depois ?
Passada a prostagio, o nosso home
tratou de executar a obra'que o trouxo
aqui, e comno tinha certeza de nao ser per-
turbado, f6l-o sem apressar-se, methodica-
monte... Comegou por ir ao lavatorio para
limpar a roupa e lavar as mlos do sangue
de que estavam cobartas.. Vejam: agua
que estA nests bacia estA vermelha come
A que corre pela sargeta de matadouro...
Vidocq interrompeu-se para procurar
corn o olhar alguma cousa. Depois, foi
direito ao foglo, abaixou-se e apanhou no
fund deste dons pannos enrolados, quo pa-
reciam ter sido mergulhados n'uma tintura
ide purpura:
Aqui estao as duas toalhas do quo elle
servio-se pars enxugar-so. Ea estava cer-
to de quo havia de as encontrar alli. Os
criminosos slo como os gates: escondem
sempre as suas.. in mcongruidades nas cin-
zas.
Atirou as toalhas para Coco L.court.
Para classificar entire as peas do
process!
A roupa da Sra. Mazerolles estava reu-
nida em cima de uina cadeira. Vidocq in-
dicou-a por um gesto.
Aposto quo um dos bolsos do vestido
da dofuntaa estA virado do dentro para
fora!
E' exacto, declarou o commissario
do policia, depois de um rapid exame.
EntAo! foi nesses bolso que o nosso
home procurou a chavo da caixa......
Nesse, e niAo no outro, comprehendem?
nao houve error, nem hesitagio, nein apal-
padelas. 0 tratante conhecia os uses e
costumes da dona da casa, come os gal6s
conhecem a fadiga, os vermes, as favas %
as pauladas...
Tendo manifestado essa lenbranga da
sua estada nas gales, o detective continuous:
Uma vez do posse da chava que ia
abrir-lhe o objocto da sun cobi9a, o assas-
E qu.indo fagio, euontrou-a n'aquella
mesma casa da cite, fiol e cheia de amor.
E eis come Thereza havia side, today a
vids, durante annos, enganada per aquelle
miseravel; como esperava, di i per dia,
hora por hora, a reparablo constantrmeute
adiada.
Elle continuava a gostar do Thereza.
Fm primeiro lugar ella era tite bonita, tao
adoravelmonte bella. Elle descanuavaj unto
d'ella das suas correrias de pirata da ter-
ra, da sun vida desregrada e desbragada.
N'aquelbe canto perdido, tranquillo e
meigo, elle descangava das suss orgias e
dos sons crimes. Pars ella continuava a


reten5uys e a

gnal ao poli-
nde estava o


.'Scnte-se ahi, Vidocq, e'dir"jap resu-
mo dam suas observa9ces. Esse resumo
serA aunexo ao processor eonrregueo 4ao Sr.
prefeito. S. o future der-lhe razio, nio
duvido quo elle de-lho .um testenmuiiho de
alta apreciaglo, da sua penetragao e zelo.
.Obedego.
E o policial, cujas feigoes refleetiam a
pirdido, duraute longas horas. 8. che
gassem ao forro haviam de parar, semrn des"
confianga, diante d'aquella tapagemi em
tado igual As outras, e eseondgndo o espa-
go de um metro, que lhe perteucia, a elie,
Bernado Pdloque. a
E quando 1a chegava, batia de vagar-
zinho : a placa de ferro abaixa:wa-se ento,
e die penetrava, curvando-se ligairamento,
em cmsa do Thereza.
Darante muito tempo, quandlo A aoute
voltava para a citi, julgando-se esquecido
e tranquillo, vinha paol boulevard. Mas
Thereza a maior part do tempo vellava
come uam clo fieL Da janella julgou ve6r
um hombm nau pide Benmrdo. No dia
immediate aquiI a c. tP eacontra
Martin Jalrsa, fintiao bedo, 4sfk
em unm banco do boev&ar&' diaue d por-.
tlodad... .
_4 deg s eseiPquepe do

5A -


A belleza ees. olhoes
EST'DO PRMLOSOPHeCO PHRENOILOGICO
A formosura,. di Theophilo Gauthier, 6
nm diamante queo deve so engatar em
ouro. -
Conforme Proudhon, ella existe na mu-
Iher toda.
Segando Lacordaire, a eumorphia tor-
na-se a creature do amor.
SNa phrase de Ovidio, constitute um bem
fragil perdido corn a idade avanuada.
SA aglaomorphia, na opinilo doe Tarcano-
to, pag. 1 liv. 3, cega os olhos, liga o pen-
samento, e prende os p6s.
SIta affirm nlo gosal-a quem a tern, aim
os espectadores della. ,
No pensar de Horacio, custa a guardw-
s., e emfim se quebra, come o vidro.
Eis doscaripta per Davis, contemporaneo
e teatemunha oocular da guerra troyanna a
enschemia da eneantadora Helena, espo4o
de MenelAo, rei de Esparts. Ella p3ssuia
o roato alvo. ,a testa modoradamente espa-
9osa, ophthalmos amerosos, sobrancelhas
arqueadas, naria afiladoe bocca pequena,
co0T alto, miaos e pualsoes bem torneados,
dedosceompridos, cabello espesso, membros
proporcionados, e de f6rmas arredondadas,
apparecendo entr e os supercilious um sig-
nal.
No entender de Cam5es, nada resisted a
venustoz, apresentando-se cemo um privi-
legid da naturuza e unam oass do recom-
minendasgo.
Demosthenes da lhe o epitecto de digni-
dade divina em corpo humane, porque suna
vida nunca enfada.
As mulheres a desejam, invejam, ado-
ram e Ihes causa orgulho e vangloria, ob-
serva Antonio deo Souza Macedo.
Fez-so notavel na antiguidade a de Lu-
ereeia, e Posthama vestal, ambas roma-
nas.
So se conserva perfeita at6 os 25 ou 30
unnos, d'ahi em diante declina e aniquil-
la-se aos 50.
Os olhos, affiahna Mine de Sartory, dis-
poem do urma linguagom mnuto mais intel-
ligivel de quo os labios.
Elles attrahem o affecto, declara Pro-
percio, oculi sunt in more d.uces.
O idioma do cora'go, assoverA Mine.
Cottin, nao necessita do palavras para ser
comprehondido, nos ommas elle esta es-
cripto.
Nos phaos, assegura Lavatcr, se tradclu-
zem nossas agitaoos interioros, nossos
mdvimentos secrets, as paixEam, as emo-
ioes diversas oecasionadas pelas manifes-
taeces oxteriores.
aOs glenes sao propriamente o reflex da
alma. /
Sua expresslo manifesta de algum mo-
de o dialect das sensaoes.
Os olhos azaee, contimia o mom), de-


No Meiod'aqaelle moenaturo havia uma
fl6r.
A verdade
Aquelia flr. nio pbdia viver per muito
tempo, sere tambom per seu turn crestar-
se. Aquelle ultimo simulacro de bom senti-
mento -devia acabar por desapparecer da
alma do miseravel. Nibo estava longer a
hera em quo cangado de enganar Thereza,
fatigado do sen amor, das suasxreivindiwa-
Oes, ia tentar abandonal-a corupletamonte.
E, entretanto, a desgragada creatdura
era incommoda. Nao pedia main do qua
um pobre e desgragado canto para viver.
Corajosa a altiva, nucam. )he tinha cusado
usda a qzand men o era rioa,"
do gAXnre WO Ox...

*s^^^^Arim-
NO"N


a c'.. ot..-.
" Bft- y ... ;-. 5'; 7: ** *-- ;-.= '* ; ..^ ... s ": *
---ii -l w ~ .a a ...B".II ... ^^

.... Di ie"
.... rtae is
- predga a ~ a jguikii p)lun chrubhii dosf. d;
- kea ee momenia faceis-. (fgsfeaa mantdha,
aie de iatrkir-e, miMialem DPeus
.Badm'ae modt ,1tei ._..l\ .. ia ~..'.,'* ,. .*s

i.. phibopaidio e Naproc as d"" a" santel'o.
fo ,. a N.sa ....Miaha iestrella, mean norte; :
:'O OUQ a h "'huifficam r ama dfdica- Nas ponteagadas cordas da existencia
tdA tod a prkva e voatado prestos A Q"d seria do mim -se a Providencia -
vaceor todos os obices. to t houvesse conjio ha, tardado o v P
Os ophtalmos lurides annunciam astucia, : E',, 4 --
0o pardos, genio, os verdes, coleras; Q ueseria de mim -sol da mih'aln ..
Neta-8o nas ephebas de om na acobrea- Q' seria do mimr- sa en ti aso lade,
dos a epidermine bsia, anthrAcina ou azei- m ti qua 6a minh A vida e meuamor,
tonada coma. naufrago qub exausto do lutar
Nos phaos se espalham os nossos ponsa- r os vagaLhosa do ocean esncapollUa
mentos. Sm bussula succumbe a estribusar,
Nas pernambacaas a eor dos olhos va- Assim eun -inexperto viajor
rias imnmensamoente; urnmas real am pelos Per e"e aridomundo soem destine
craleos'o u prAsinos, outras polos pretos Irii plregrui
ou castanhos, assim come o calor do da MoIr o- for no embrio -m orrer de der,
cutis, havAudo unma graduavio successive Come notas a ar morrer de'urn bymoL.,
tdesde a mais clara at6 a mais trigueira; d,
por6m em grlea.ae orum 0qa so, cbs do ti, dizs.-so- e anjos,
po em er g oral ellas sao m orenas, D a U, irge r M Eid o D an insonto e i vA3
de urma compleiglo delicada, tea relu- Da tVgemM? d nde auaont e iwui,
zonte, ariz delgado, lios carmi- Do tadoquer bondade, air desveUo
nos, olho. vivos a expressives, rosto corn- Pois itu-fonta pereno e de do0ura
prido, seio bemaoontornado desenvolvido, Tu 6s ohI Mii, das mais qiu sabear 1
estatura regular, maos fins, dedoe roligos trellas, e sei, no aere mudo,
e porte airoso. Ha esreas,, et sei no aere-mundo,
.. Ha tantas que neromi.,
Primam poe amabilidade e indole ,, Ha.t..antas qu o.nm s...;
A M i~fA fi~l a -* Aw i ~w~af


brand.
O goest o pela intrucqo eutre eflif jA vai
se expandindo em grande escala.
Comno pro va d' minha assercilo "eito o
.exemplo da Exma. Sra. D. Foelisbellha Au-
iavta de Oliveira fdiha do Sr. Romanldo
Alves de Oliveira, que ha alguns aucmi
d'aqui partio pars estudar medicine nos
Estados-Unidos.
Recife, 27 de ago to de 1884.
Antonio do Carmo Seraphim e Stkx

ElaidMrl


Minha mai
Minha mii
Minha mai


6 o passado quo me encauta,
6 o present pqe me anima,
6 e future qun me acoena.
Fra4kik Doria. .


A virgem cendida
Do labios roridos,
Do seios tumidos,
Bragos eburneos,
Eormas armineas,
- Rosa em boteo,
E' menos beUa,
Menoes risoha
Que corn quem
Men coraqo.

A magnolia
Qau3 aberto o calice
De arjofar humido,
Exhala essencias


sonha


De olor balsamic
Que ao ar so vlo,
E' menos bela,
Menos risonha
Que corn quern sonha
Men coraglo.


A'strella cerula
Que h noite lobrega
Dos o6os na abobada
Reflecte um atomo
Da nluz benefica
Do soen elarlo,
E' menos bella,
Mno s risonha
iuma boa gratificaeao, se me prouder. An-
da, vai, corre Ameagas, tu bern sabes
que ninguem me amea9a, Thereza ?
A rapariga, rubra de cholera, respondeu-
Ihe crm -um aecento indignado :
Prohibo-te que insultes men pai. 0hte
nao 6 um espilo. E' precise que haja.o-
mens de bemrn para prouder os malfes'. re.
Quanto a to entregar, ainda que nto te ti-
vesse amado, ainda que nao tivesse dope-
sitado em ti tcda a minha existencia nao
te denunciaria.
Entlo, o quo queres tu ? Escolhes o
memento eaur qfe me vejo perseguido, cear-
cado por todos os lados pars me fazeres
urns secena. Bonito memento, empregas

Q m, us i Amefse. que


M1ae UUIA U1mas UD Utu aw SW'J
Que seja tanto otu mais brilhante e blle
Que tu aqui, estrella.

Andaluza do e6o, qcae o c6o retraft
Na matutioa aurora,
Si pudesses saber, becres de pratey
Si pudesses saber coamo se adora-
A donzella pudica, a laz da vida,
'Do dia o sol, o Deuw da creag*o,
Saberias s te amo estremoecida,
i 6 teu mewcoratmo.

Olba ease lirio a tresealar perfumes ;
NMo achas.-o lido ser?
Pois va tu, lirio meu, si confrontasses
Es4t co' a viva flor que tens nas faces,
Vel-a-hias morser.

Quando As vezes sorris, anjo celeste,
Quando as vezas sorris,
A monte s6 me-diz
Qaep'ra terra de luz encher vieste.


*
*

A ti--alento do minhli'alma santo,
A, ti que tanto de mim tens curado,
A ti quo vives per me dares vida,
A ti na lida de mim sempre ao lado.

A ti fanal A cuja luz me aclaro,
A ti amparo a que me abrigo eu,
A ti oasis deste Sahara immense,
A ti pertengo minha mit, sou tea.


E q.uando a more vier roubar-me a vida
Quandd'esta luta so intrincar renhida,
Luta de horrores em que a material canua,
- Mli seja o men final balbuciado arquejo
E o men aespirito alevautando o adejo
Sim! canto esse nome que aprendi crian~a.

Afogados, agosto de 1884,

OLYMPIG BobALD.
Eile crusou os bra-os sobre o peito, e
dardejou sobro ella um olhar cheio de co-
lera.
-- E eu ngo tenho nada quo to dixer!
ouves? Ah! queries espionar-me agora !
Queres entregar-te ao officio de ten pai!
Pois bemrn veremos. Mas lembra te disto,
Thereza, ai '4'aquello quo me ameaga.
Nio te perco de vista. Agora deixa-mo dor-
mir, eaton can0ado.
Paloque estendeu-so sobre o leito e The-
reza voltou para o soen trabalho. Lagrimas
do desespero cahiam-lhe dos olhos e impe-
diam-n'a de ver a costura. Ella, por6m,
enxugava o rosto e continuava a sua peno.
sa tarefa, semr um instant de repouso.
Procnrava conciliar o-somne o forgado
murmurava:
Ama-me demais a Theresa, eat.fi-
cando encommodativa. Fa" man : zual
he- enpode andar a passoiar, Wso
.*.e inMira- -me d'e a.
VYmwrs- 'a revirava-Be no cobleo so*,'
-ooaegr ahar repous. E' que tambem
wara-osoao -: ,que ostupido tinha si-
r w a atar pown ai a UG -
^la & w w d RMOM, uaaw* do


post de trivialidado e do pi
importancia que elle se di...
Depois, fizendo umn si
cial pars sentar-se A mesa, o.
escrivitAo:


I