Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15823


This item is only available as the following downloads:


Full Text









ARM9~ oIrA msPAGA W9lavw~
ii ... .... i~ ci
... .. .126000
24,WOOC
..100


PA1RA DUUTR@ fi

Por seis mezes adiantados .. .
Por nove ditos idem ... .
Por um anno idem .. .
Cada numero avulso, de dias anteriores.


DA RPOVIICIA


2OWO
20WO
27 00
#100


rjopriebabt be Ahanoet figtidera be Jhria & JIUmo6


TELEGRAMIAS





PARAHYBA, 9 de janeiro, As 11 horas
da manha. (Recebido ao mcio dia, pela
linha terrestre.)

Foi eleito deputado geral em 2.0
escrutinio, pelo 3.0 districio, o Dr.
Jost Evaristo da Cruz Goveia (C).

RIO DE JANEIRO, 9 de janeiro, As
12 horas da tarde. (Recebido As 6 ho-
ras e 20 minutes, pela linha terrestre.)

Pelo 9.o district do Bio de danei-
ro roi eleito em 2.0 escrutinio o Dr.
Carlos Antonio de Franca Carva-
lho (L).


(Especial para o Diario)


VIENNA, 8 de janeiro.

Acha-se gravemente doente o Con-
de de Andrassy.

WASHINGTON, 8 de janeiro.

A commissAO do Senado e favora-
vel ao project do governo relativa-
mente ao rasgamento do isthmo de
Nicaragua.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
9 de janeiro da 1885.



INSTRUCCIO POPULAR



PHOTOGRXPHIA
(Extrahida)

PATE II
Operae6e! e processor photogra-
phicos
CAPITULO II
LICIIE or: PROVA NEGATIVA
A chapa de vidro que tern de se applicar deve ser
de excellente qialidade, scm bolhas, sem rniscos e
perfcitainente plana; deve star inuitissimo bern
limpa e livre de toda a humidade. Para tal con-
seguir limpa se a chapa, cm cina de urea prensa
em form de caixilho, corn urn pedao de flauella,
depois de a ter ecfregado coin uma substauoia ter-
rosa calcinada embebida em alcohol, limpando cm
seguiira corn toalhas e depois corn papel muito fino
para Ihe tirar a humidade, sem que as maos Ihe
toquern jAmais.
Limpa assim a chapa, 6 necessario esten(der o
collodion homogenea e uniformementp, i que cons-
titue uma das mais dclicada; peraowcs e qiue so
corn mnuita pratica so pi-e realizer cm boas con-
di;5cs. P~ra isto :
Pega-se na clhpr por urn angulo centre o polle-
gar e o indicidor, conservando-a horizontal; to-
Ina-se cow a outra inmao o frasco do collodion, e
deita-sc o liqui,!o viscoso a po'eco e pouco no meio
da chlpa, cm quantidade sufficient para que o li-
quido que se deitar ina chlapa a possa cobrir em
toda a superficice; por um movimento de rota;ao
minuito vagaroso, faz-se espalhair o collodion por
todos os pontos da chapa e deita-se o excosso para
dentro do frasco, fazendo-o eseorrer pelo angulo
opposto Aquelle que a mao estA segurando. Deve
hayer muito cuidado para o collodion n1ao passar
pelos pontos que jA estao cobertos ; se passasse.,
em vez de uma suptrficie plan obter-se-hia u:na
viscosidade irregular cujas proemininencias preiu-
dicariam ao desenvolvimento da imagemin ().
Deixa-sc entao seccar durante alguin tempo para
a matter no banho de prata,-banimo compost do
7 a 10 granimmas de nitrato de pita dissolvido em
agua destillada perfeitamente pura e exemnpta de
chlorctos.
A imrnersao iaz-se no quarto alaranjado e muito
rapidainntet, apoiaado a chapa por umrn dos lados
dentro da tina do banho sensibilisad'.r, corn o col-
lodaon para baixo, e corn o Lebordo opposto seguro
por u(r gaucho especial, usado pelos photographer,
largando-a quasi repentinamente para ser sensibi-
lisada ao musmo tempo em todos os pontos ; de-
pois de alguns swgundos, logo que o collodicWn se
apresenta translucido e opalino, tira-se do banho
e mette-se dentro do caixilho que se ha de intro-
duazir na machina no lugar do vidro fusco.
Este caixilho tern urna tampa de corrLdioa, que
permnitte s6 descobrir a chapa dep3is de post. no
f6eo da machine.
Abre-se eutao a tampa da objectiva e faz-se a
exposicao nas convenientes condicues ; logo que se
julga comnpleta a exposicao, tapa-se a objectwvo,
corre-se a'corredi~a do caixilho da chapa sensibi-
lisada, e volta-se ao laboratorio alaramjado p ira
recelar ou desenvolver a imagem,-o que se conso-
gue do seguinte modo :
Tira-se o vidro corn todo o cuidado. 'egnran.io-
lhe por urm dos cantos centre o pollegar e o index ;
e, por meio de um copo, deita-se de chofre, mas corn
pouca press, o liquldo revelador, que pode set
formado das seguintes substancias :


Agua destillada 100 parts em peso
Sulphate dc protoxido de
ferro ( -) 20 .
Acido acetico 8 0 .
AWl4 .. ."
tContinta).

(*) Sappondo que tenhamos obtido o collodion
do comwsrcio, s6mente diremos como o poderemos
semsibilisar. Juuta-se-lhe o seguinte :

Alciol a 40 grAos 1 litro
lodeto de potassio 22 grammar
Brometo de potassio 8
lodeto de ammonio 18
Broeito de ammtnio 10
Ieocto de cpdmio 20
&ometo de & admio 10
Ideto de zinco 12 )A
(t.V) "m evaas te usa-se muinto hoje o acido
pyrolMhieo.


1ARIO BE PERNAIBUCO

RECIFE, 10 DE JANEIRO DE 1885

Retrospecto commercial do
anno de 1884
; I


I


trativas.
Nesse trabalho gigantesco devem empenhar
tudo quanto valem as classes derigeatcs; mas
cm torn dJlas se deve congregar toda a nagao,
porque a melhoria das nossas condicSes political,
sociaes e economics interessa a tedos, e princi-
palmcnte ao commercio, centre de repercussao de
todos os cheques, ponto de convergencia de to-
dos os raios do circulo em quo giram os variados
problems que agitam o paiz. -


A questao servil, a mais intrincada e difficil de
quantas nos tern assuberbado ap6s a independent
cia, tern suas exigencias impenmosas. Para n6s,
come jA o fizemos sentir mais de uma vez,
questao vencida querer o paiz a extinqcao da es-
cravidAo e desejar assentar o trabalho national
na base da liberdade. Toda a difficuldade, toda
a sciencia estaI em conseguir ease duplo tim corn a
menor somma possivel de sacrificios.
Ninguem, pois. se illuda. A question servil
estA ganha perante a consciencia national. Os
prprrios partidos politicos jA formularam seus
lemmas A respeito. Um consubstanciou suas idWas
n'um project, que pende do parlamento ; o outro
declaron, pelos seus chefes mais autorisados, que
devia, queria e podia resolver o problema. Isto
mostra o geral accord no fim ; a divergencia 6
apenas dos mcios praticos para chegar esse
fim.


, E a not i libertadora


continue a subir na es-


calla dos tons, ejAi se faz ouvir do paiz inteiro,
fazendo convergir as suas ondas sonoras dos ex-
tremos para o centre. E, no entanto, pouco se
tern feito para preparar o advento da extinccao da
escravidAo, pois que nao se tern procurado attrahir
correntes dejimmagrantes, nem se tern fomentado
o trabalho livre national, e. apenas, como medidas
auxiliares, se tern decretado a construcma'o de
ferro-vias e de fabrics ou engenhos centraes.
Estas ultimas medidas, tomadas corn o melhor
intuit, nao teem produzido os fructos que era
licito esperar dellas, nao s6 porque as forro-vias
em geral foram mal escolhidas e delineadas, mas
tambem porque os engenhos centraes foram em
regra mal situados e concedidas as garantias de
jurors A emprezarios especuladores, quo tornaram
onncurosissimas essas emprezas.
Essas mesmas medidas auxiliaries, entretanto,
nio podem ser desenvolvidas actualmente, em
face das condic5es financeiras do paiz, c terao de
parar em sua march evolutiva, como alias ia foi
autorisado o governor a praticar assim contri-
buindo para fazer enfermar o asseutamento das
novas bases do trabalho national, pois que, se
por um lado 6 diminuto o numero de engenihos
ceatraes jA construidos ou em construcqo, per
outro lado nilo 6 vultuosa a nossa rode ferrea, em
relacao ao territorio patio.
Segundo o ultimo rclaforio do MIListerio da
Agriculture a viaio ferrea do Imperio 6 repre-
sentada per:
Em trafego 5.600k,846im
Em construceio 2.402k,786m


Total


Desse total pertencem ao estado :
Em trafego
Em construcio


Total


E gozam de garantia de jurors:
Em trafego
Em construcqao


,, Bern ponderados todos oe elements que con-
eorrem para a formaa'o do esta o mnercantil,-di-
ziamos n6s no anne passado,-tudo induz a crer
que, ainda por alguns annos, "perdurarno as cau-
sas occasionaes da apathia commercial, e per con-
sequencia os effeitos dessas causes permanecerao
eruciantes para a provincia. ,
0 anne que acaba de volver ao passado foi um
solemn attestado desse doloros6 conceit, pois
que, se, na sua primeira metade, em que se fa-
ziam seutir os effeitos da abundante saffra de as-
sucar em colheita, alguns indicios de vitalidade
apresentaram as transaV3es mercantis, alargando-
se algum tanto as permutas de importagao e ex-
portable, em contraposiaIbo a segunda metade foi
denunciadora de todas as angustiosas difficulda-
des corn que luta o commercio, umas provenien-
tes da actual e detficiente saffra, outras,-e sao
estas as principaes--, decorrentes da situag-lo po-
litica, social e economic do paiz, e mais parti-
cularmente da provincia.
Se, por um lado, cresce de propore-6s e impue-
Ce A meditacao dos homes de coraaIo o mal es-
tar que denunciamos existir na esphera politico,
i que, abalando o priucipie da -autoridade, pre-
udica a crdem public, malsina a liberdade, e
it6 ameaca as instituic~es patrias ; se, por outro
ado, sobem de ponto as apprehlensues que des-
pertam as exigencias da questAo servil, encrme
voragemn quo ameaca engulir a producclo na-
cional, se n1o forem acautellados os interesses do
trabalho, faizendo-se corn criterio e method scien-
tifico a suia transformacao ; n o 6 de somenos im-
portancia o que se passa na esphera das rela-
Ses economics, onde avultam os desequilibrios
los or-amentos geraes e provinciaes, sobresahem
as accumulahics de deficits, e notam-se as desor-
Iens nes services publicos, as prodigalidades ios
lispendios, os crescimrnentos constantes da divida
public e os frequente- e grandes emprastimos,
1ue se succedem corn atterradora catadura !
Se tal era em 1883 o quadro das nossas diffi-
culdades, cujos tons sombrios nenhumn hcmem pen-
sador pode deixar de lamcntar, forca 6 convir em
fue, no anne que agora vamos historian sob o
ponto de vista commercial, esses tons ainda mais
emnegreceram -em relaqAe A triplice face conside-
rada, porque se, na political, decahiram ainda
nais os bonds principios mantenedores da ordem e
la liberdade ; na questao social subio a nota aguda
lo geral desconcerto ; e nas finangas baquearam
em prestigio todas as leis reguladoras dos acon-
tecimentos e corn essa qu6da esmoreceram os sus-
tentaculos da ordem economic.
Nao, as condiq5es actuaes e as que se nos offe-
recem n'um future algum tanto dilatado, nada
teem de tranquilisadoras ; e o commercio, qw* I 0
centro de convergencia de todos os ieresses;
Scommercio, onde repercutem ( cheques dos
luestoes agitadas no meio ecial e que As vezes
chegam 4 attingir a Vid; dos povos ;' o commercio
rao podia pro.qpnrar em 181, e de facto nalo
prosperou. ,&,mo tao cedo nao poderA colher pro-
vento das permutas, que alias tern per base uma
rroducqao local que tend a decrescer.
Para que o commercio venha a prosperar, 6 in-
lispensavel que sejam melhoradas todas as rela-
Soes da vida national; e comprehende-se que,
iballadas todas ellaa pela form tantas vezes
ipontada, nao e, nao pode ser isso trabalho de
poucos annos, porque niao se restauram finannas
em pequenos prasos, nao se consolidam institui-
twes political corn a presteza corn que se fazem
os sistentamentos das barreiras que desmoronam,
nem se construe novos alicerces ao trabalho come
se fundam bases pars os elificias materials, em
poucos dias.
Essa reconstrucceo .namiomial pode e deve ser
fceta, coin aniimo dehberado de conseguil-a, corn
a eoragem e enorgia que sue dar o patriotism ;
mas lade ser elaborada lentamente, come lenta-
moute voltamn a saude e as forcas ao doente que
comeca a couvalescer ap6s cruel e dobilitante en-
formidade. 0 que e precise 6 comeoar pelo prin-
ciple, isto 6, combatendo o mal que mina a exis-
tencia national, procurando veneer as reluctancias
contra a ordem e em prejuizo da liberdade cons-
titucional, buscando firmar as iustituieSes, re-
solvcr polo molo mais convinhavel a questao
servil; e melhorar as financas do paiz per bern
entenrdidas eeonomias e boas praticas aiminis


8.003%,632m


1.502k7,860m
758k,139'n

2.260b,999m


1.546-,139"
1.46Ok,513m

3.006k,652mn


0 capital fixado para as ferro-vias garantidas
eleva-se a 166:865:304,802.
0 maximo capital garantido, mas ni'io fixado,
para algumas ferro-vias, eleva-se A somma de
73:655:5555553.
A importancia annual dos juros eleva-sc
Quanto As primeiras i 11: 436:'(31$286
Quanto As segunda 4 4:419:333$333
A' isso cumpre accrescentar que o governor ain-
da se acha autorisado ai garantir jurors ao capital
de 15.300:000.4000, a que corresponde umn juroe
annuo, a Q',,o de 948:00000)0.
SE-.tes algarismos diz o relatorio, deixam pa-

Q 1, que minuito 6 ainda o que resta fazer para
levar ao cabo quanto se acha emprehendido, jApor
admipistrac.ao direct do estado, jA corn sun res-
ponsabilidade per garantia de jurors ; 20, que as
responsabilidades fixadas e per fixaroe elevaram
a ponto de impor-nos a maior prudencia no aug-
menti 1-as.
De feito temos em construcio, per centa do
estado, 75S,130M, e corn sua garantia 1,460k,713,,
e pendem de approvalAo estudos relatives a va-
rias linhas; o que tudo eleva a mais de 3,000 ki-
lometros a rede em construcAo e estudada per
conta do estado ou corn sua responsabilidade, isto
6, mais de metade de toda a extensao kilometrica
em trafego. Em takes circumstancias nao se dirA
i que sobrestaudo por algum tempo, na concessao de
garantias, que rigorosamente nao possam ser con-
sideradas nomlnaes, nos eondemnamos A immobi-
lidade, neste interessante ramo de mincihoramentos,
dos quakes tanto ha a esperar a bern da prosperi-
dade economic. ,
Quanto a engenhos centraes, uLo passa de 50
o nummero das concessoes feitas, e talvez nao
chegue a 20 o numero dos que estio funccionando;
e ninguemn dira que csse numero irrisorio pode
contrinbuir fortemente para a melhoria da indus-
tria assucareira, alias tao carente de amparo e
protecqAo nas difficilimas circumstancias em-que
se acha, lutando corn as formidaves usiuas es-
trangeiras, cujos products, melhor fabricalos e
em condic5es mais economics, Ihe dio batalha
atW mcsmo nos nossos mercados e sobre tudo nos
que eram suppridos por n6s quasi excluisiva-
mente.
Se, em relagiio A ferro-vias e engenhos centraes,
pouco ganhanios em 1884, tambem em rcelac.o aos
demnais elements, que reputamos factors da nossu
piosperidade, nada obtivemos.

A idea do dcsenvolvimento baucario corn a re-
forma da lei hypothecaria, ficou sem aniamento;
o ensino professional nenhum passe dcu, do qual
se possa tirar espcrancas para a nossa industrial
fabril e manufactureira ,; a desobstrucqio de rios,
no pensamento de facilitar o transport por agua,
apenas teve um pequeno auxilio n,)s rios S. Fran-
cisco e Parnahyba ; e a descriminaa'o das rendas
publicas, per que esperam as provincias come o
major dos beneficios, ficou a dormir o somno do es-
quecimento, de envolta corn todas as mais questSes
abrangidas pelo conjuncto economic financeiro,
que se imp6e ao paiz como um minotauro.
E desse abandon de todas as cousas, resultou
que as correntes emigratorias da Europa que.
dadas aquellas melhorias, deviam derigir-se ex-
pontaneamente para n6s, continuaram A buscar
outras regimes, onde, de par coin vantagens que
aqui fallecem, va'o os immigrants encontrar me
Ihores garantias aos seus direitos e melhores con-
dicoes de meeo para crearem familia e lutar pela
vida.
; De tudo i0so se conclue que o anno de 1884 nao
) foi fertil enj beneficios para o paiz, foi mesmo in-
feliz em todas am. relates da vida national sobre
tudo comparado corn outros anteriores, que trouxe-
ram lucro ao balance social.


Em referencia A provincia de Pernambuco, que
mais particularmente nos interessa, esse anne foi
pouco productive em melhoramentos materials.
No prolongamento da ferro-via de S. Francisco,
foram abertos ao trafego uns 30 kilometros de li-
nha, entire as estables da Jaqueira e S. Benedicto.
Diz-se que no corrente anne a linha chegarA ao
termino, em Garanhuns, e que na terro-via de Ca-
ruard tambem sera inaugurada a 1' secAo.
A lentidito desesperadora comque erm side con-
duzidos eases trabalhos p6e-nos, porem, de sobre-
aviso a tal respeito, e leva-nos esperar os aeon-
technentos para entio crer nellhs.
Qianto A engenhos eentraes, apenas 4 dos 13
concedidos i Pernambuco se acham funccionando,
e isto mesmo ap6s as catastrophes sobrevindas ao
de Cuyambuca, send que os assucares n'elles fa-
bricados, embora de qualidades regulares, nio
tern tido ainda cotacao na nossa praea e sIo di-
rectamente exportados para o exterior.-
Seja come for, quando se consider que na Gua-
delupe existem20 fabrics centraes, que produzem
mais de 40:000 tonelladas de assucar, fica-se triste
ao ver que, em todo o Brasil, onde ha mais de 12
anmos se cogita de takes fabrics, ainda nao ha 20
em func5es ; facto que 6 denunciador do nosso
atrazo e da lentidlo corn que se trata dos melho.
ramentos que mais interessam a nossa industrial.
Entretanto, ha um ponto que cumpre nao deixar
innapercebido, e que, vindo assignalando-se desde
1831, constitute urma lisongeira esperanqa. Refe-
rimo-nos a introduceao na provincia de avultado
numero de volumes corn apparelhos e machines
para as pequenas fabrics ou engenhos dc assucar
que pouco A pouco vaosubstituindo os antigos pro-
cesse de fabricacilo pelos modernos, nIo so6 mais
economics em braces, come tambem mais produce
tivos pelo melhor aproveitamento da material sac-
carina e melhor qualidade do product fabricado.
Em 1882 o numero d'aquelles volumes nao pas-
sou de 8:000; em 1883 attingioe cerca de 15:000;
e em 1884 pouco inferior ficou a esse numoro, in-
cluindo-se ahi os destinados As fabrics centraes
situadas nos municipios do Cabo, Escada, Agua
Preta e Palmares, pertencentes A Central Siyar
factories Company.
Se a substitmaigo dos velhos pelos novos appare-
lhos podesse,seminterrupcio, ainda que paulatina-
mente, ir send realisada pelos proprietaries dos
engenhos, sem dependencias de companhias estran-
geiras, cujos beneficios sito notaveis a despeito dos
avultados despendios de incorporate das empre-
zas, certamente lucrariam immense os nossos plan-
tadozes de canna e fabricantes de assucar, per que
se p rn l*o plvderiam melbor aproveitar os
bras-os np plantio da selecta graminea, per outro
lado colheriamin todo o beneficio resultante do
aperfeicoamento do product e do seu augment,
quer per effeito da extensaio da plant, quer pelo
do maior aproveitamento da material saccarina.
Infelizmente, nao pode, nem poderA ser tao cedo
partilhado por muitos esse beneficio, porque A
maioria faltam recursos para a traustormacao in-
dustrial que poucos vao operando ; e nao se tern
cogitado seriamente de facilitar a obtenqao de
meios i lavoura, agora, mais do que nunca, A bra-
os corn as maiores difficuldades, pois que nern
mesmo corn as exorbitantes taxas de juros de ou-
tr'ora encontra ella capitaes para applicar d sua
industrial.
Depreciada per um lade a propriedade escrava
ao ponto de naio inspirar a menor confianca, e ipst
facto depreciada a propriedade territorial, a terra
de lavoura que sem aquelle element e na falta de
bracos livres poueco ou quasi nada pode produzir ;
e per outro lade baixando constantemeute os pre-
cos dos assucares, de forma 4 nilo se powder ter se-
guranca nas saffras fundadas e nos fruetos pen-
dentes; nao ha quem queira fazer emprestimos 4
lavoura, maxima sob o regimen actual das hypo-
thecas, e bancos nao existem, que possam facili
tar-lhe os indisponsaveis meios.
Tentou-se, 6 ceTto, aqui em Pemnambuco, crear
bancos de credited real e hypothecario; mas as duas
associacues que se poseram A testa do emprehen-
dimento, depois de term vencido senios obstacu-
los, que se opunham ao inicio da id6a, foram coagi-
das 4 abandonal-a, ou pelo menos a adial-a, em
face de outros corn que nio contava'n de certo, e
que Ihe foram oppostcs p )r quem ellas menos espe-


ravam que os criasse.
A AssociacAo Commercial Agricola, subscripto
o capital para o branch, encorporodo este e orga-
nisados os respectivos estatutos, sugeitou-os a
aprova;ao do governor, que, apos muitas delongas
e tergiversac5es, levantou duvidas e impoz condi-
c5es, que tornavam inexcquivel o pensamento tal
come fora iniciado
Refemindo-se is delongas, dizia aquella Associa-
iAo no seu relatorio de 11 de abril :
a 0 facto que denunciamos demonstra A sacie-
dade que os nossos estadistas ignoram radicalmen
te as nossas mais urgentes necessidades locaes, se,
conhecendo-as, nio procuram esqueeel- as de todo.
Que extraordin-rio sacrificio governativo havera
na simples approvalao dos estatutos de um esta
belicimnento bancario de credit real e mercantile,
organizado no designio de favorocer a agriculture
e o commercio de Pernambuco em quadra nimma-
mente calamitosapara esses dons unicos elements
do nosso poder material ?
Pois nemn mnesmo ease insignificant servivo


pareee querer fazer-nos o governor, que, se nao
conhece, tambem niio procura conhecer a nossa
triste vida provinciana, nem indagar das causes
que ha annos tiazem esta prai, em progressive
decadencia.
a E' que s6 se cuida do sul, unicamente do sul.
E' IA que brilha mais intense a luz que irradia do
centre do nosso system politico, 6 tambem 1A que
o calor das attenW'es goveruamentacs reanima a
todos e a tudo. 0 note i6 o par-iA miserrime, cuja
prerogativa unica consiste em servir o banquet
dos deuses.

a Voltando ao BancoCommercial Agricola e Hy-
pothecario de Pernambuco, cumpre esta directo-
ria urn ever em comnmunicar-vos que, de accord


corn a Associaoo Commercial, dirmgio ao Sr. pro-
sidente do conselho um telegramma, concebido
nos terms do annexo n. 11.
e S. Exe. porem, ainda nao se dignou respon-
der-nos, nem mesmo p"r intermedio de qualquer
empregado subalterno.
Tanto despreso por negocio de tao elevado al-
cance caracter;sa profundamente o procedimento
dos poderes geraca em tudo que diz reipeito a pro
vincia. ,
Disse urma verdade a illustre Associacao Com-
mercial Agricola : tudd quanto intoressa ao norte
e menospresado, e para cumulo desse menospreWo
foi aniquillada pelos poderes geraes a id6a banea-
ria em Pernambuco ; e o commercio e a lavoura lu-
tA-m cruelmente pela falta de estabelecimentos que
Ihes facilitem os respectivos trabalhos e operacoes
Sob este ponto de vista foi, poi ,~tambem infru-
ctifero o anno de 1881, e se luz para o de 1885
uma lisongeira esperanca, que foi denunciada pec
la ultima reuniao dos encorporadores do banco e
que acima nos referimos, os quakes, acceitando as
restriec5es do governor imperial, modificaram a
sua id6a primitive, e, separando as duas carteiras
do baneo projectado, limitaram este ao credit real,
nem por isso se nos affiguram como vencidos to-
dos os embaracos na especie, e ja agora aguarda-
remos os acontecimentos para entao crer e ap.
plaudir a realisacao da idea.
Tambem no ponto de vista da tributacao, em
vez de somente infructifero, foi o anno de 1884 at6
damnoso. Subsistindo as condicoes criadas em
1882 pela innopinada:e violent suspensao dos im-
postos de'consumo que a provincia auferia, continue
esta A luctar corn uuma situagao quase impossivel
de ser mantida, como acontece corn muitas outras ;
e os poderes geraes nada fazem, nada resolve
em beneficio das mesmas provincias, pois que nem
ao menos tern accelerado a descriminacao dos im-
postos, como meio de alargar a esphera de accao
dos poderes provinciaes em relacao A material tri-
butavcl.
A consequcncia tern sido que Pernamnbcco, per
exemplo, cujo orcamento de despeza difficilmente
poder, suportar novos c6rtes, ternm sido forqada A
onnerar alem do rasoavel a sua exportanlo, uma
vez que os impostos de repartiao, ultimamente
creados, nao deram para cobrir os deficits orqa-
mentarios.
Sao publicas c notorias as grades difficuldades,
os serious embaracos e tropecos de toda ordem corn
que lutam a lavoura e o commercio, nito send o
menor d'elles o depreciamento dos assucares nos
mercados que lhes fixam os valores. Pois bern, A
despeito disto, os poderes provinciaes que, jA no
orcamento para 1883-84, haviam elevado a 2 1/2
/, o impostor de exporta9ge do assucar sobrecarre -
gando o genero corn mais 1/2 0/o, no orcamento
para 1881--85 ainda mais elevaram essa taxa, pois
que firmaram-n'a em 3 "/o, e simultaneamente ele-
varam o imnposto sobre o algodao 4 2 /o, oneran-
do-o corn mais 1 "/o do que tinha sido no anterior
exercicio !
Sem embargo disto, entretanto, e embora outros
augmentos de impostos, quer na exportalao, quer
nos de reparti~lo, o orgamento vigente apresenta
esta balance :
Receita orgada 3.206:7965390
Despeza decretada. 3.375:1645554


Deficit .


168:318$164


, Dada, por6m, a pequenez da actual safra e sub
sistindo os embarapos corn que lutam o commercio
e a lavoura, nio se creia que seja aquelle o deficit
do orcamento quando liqmudado. A renda do Con-
sulado Provincial de julho A dezembro jA faz prog-
nosticar a elevacao desse deficit, e o atrazo em que
se acham os funcionarios publicos na percepTio
de seus vencimentos e o desembolso em que estio
varies credores da provincia dos seus credits, as-
seguram que elle attingirA A mais de 600:0003.
Maior do que esta somma foi o deficit do orca-
mento de 1883-84, para cubrir o qual foi autori-
sado e emittido um emprostimo de 600:000.000 em
apolices ao portador do juroe de 5 % ; mas a diffe-
renga ha de accumular-se ao deficit do actual exer-
cicio, e for-arai a provincia A novos emprestimos,
isto 6, atiral-a-hia no abysmno, cujo primeiro passe
ja ella franqneiou.
E a tudo isso, que 6 obra do poder central, as-
siste elle impassively, e nao cura si quer de dar
andamento A idea da descrimina9io dos i:npos-
teaos !

Difficil, cruel situa.co 6 esta sem duvida, prin-
cipalmente per que pode dar e ja tern dado azo a
reflexes acerbas, que faizem gear ideas pernicio-
sas, como as que transparecem na imprensa de todo
norte, e a Associacao Commercial Agricola deixou
assignaladas nestas linhas do seu citado relato-
rio :
a E' essential nao esquecer que se a oppressao
faz martyrs tambem induz A libertaao 0os oppri-
midos.
Fallemos franca e desassombradamen'le ver-
dade, pois que este dever nos 6 impostor pelas cir-
cumstancias. Encare-se per todos os seus aspec-
tos a situaaio da provincial, estudem-se as nossas
condicSes de existencia local, mas de animo isento
de preoccupagses mesquinhas, corn o grande desin-
teresse que s6 o verdadeiro patriotismo inspira, e
ver se-ha que o governor deste paiz, quaesquer que
sejam os mndividuos que o constituam, nao faz o
minimo case dos negocios peculiares desta provin-
cia, despreza-os iiteiramente. E todavia Pernam-
buco concorre poderosamente para saldar a som-
ma das despezas e at6 dos desperdicios realisados
per conta dos eofres geraes. >
E' inquestionavel quo nao pode ser mais preca-
ria a situnaio de Pernambuco; e, se 6 certo que
debaixo de violentas presses o espirito se desvai-
ra, 6 forca convir em que o remedio ja tarda, por
que o desvairamento, o desespero comega A pro-
duzir sens terriveis fructos.


Nao 6 s6 a Pernambuco, entretanto, que se an-
toliham as grandes difficuldades denunciadas, neo.
Em todas as provincias do norte, mais on menos,
se fazem sentir os dolorosos effeitos da crise que
atravessamos; e por igual crises pass o paint fh
twiro, repercutindo ella uas finangas do Bldo.
Estudando os documents referentes aos dous
decenios de 1862-63 A 1871-72 e de 1872-73 A
1881-82 o Diario OfficiW do imperio chegouA
estas conclusoes :
SNo 1 decenio a renda teve o augment medio


de 51,87 /% e no 2 decenio o augment medio de
1,24 %.
a No 1 decenio a despeza teve o augment me-
dio de 92,91 %0/, e no 2 decenio o augmento me-
dio de 14,46 o%.
Eis ahi; em dous decenios, ao passo que a rean-
da do estado cresceu em media 26,55 % ; a des-
peza augmentou em media 53,68 % o que quer
dizer que em media a despeza cresceu na razao
dupla do augment da renda.
E' certo que, dentro do period, estao compre.
hendidas a guerra do Paraguay e a secca que affli-
gio o norte ; mas o facto desnudado 6 que nesse
period todos os orgamentos encerram-se corn gran-
des deficits, send que os do dececenio de 1873-74
A 1883-84 foram em media annual de........
28.839:401G000, e foram elles cobertos, corn*
tambem o foram os do decenio anterior, per em-
prestimos, que s6 para o segundo decenio import -
taram em 269.007:533A000 !
E o facto 6 que corn os juros e amortisagao de
toda a nossa divida, inclusive a fluctuante e osju-
ros dos deposits, despende-se em cada exercicio
cerca de 42.217:242$000, isto 6, 32,3 O/o ou 1,/3
pouco mais ou menos de tola a renda. A depeza
corn a divida internal fundada represent 20,1 "/,
da renda geral, a corn a divida externa 10,2 0/o.
0 service, pois corn os jurors c amortisac5es destas
duas cathegorias da dividas corresponde a 30,3 0/
da renda total do imperio.
Tal 6 em substancia o estado das finanqas bra-
sileiras : oramrnentos que se encerram actualmente
corn deficits calculados na media de cerca de ....
15.000:000000; uma divida que absorve 1/3 da
renda do estado; e pairando por sobre este abys-
mno, corn as nogras azas abertas, o abutre do pro-
blema servil, cnja inadiavel solucao ameaqa de
morte a produccao national, o que importa dizer a
agravacao dessa afflictiva situagio.
Para debellar os deficits siao lembradas as eco-
nomias, a conversao da divida internal fundada e
novos impostos.
Economias, foram feitas em diminuta escala no
actual orcamento geral; a conversao da divida foi
n'elle autorisada, mas ainda nio se tratou e prova-
velmente nio nbo se tratarai disso ; e quanto a no-
vos impostos, onde achal os e como obtel-os nas
condigoes actuaes, sem fazer periclitar a produccio,
sem tornar quasi impossivel a vida national, nin-
guem pode indicar e menos justificar.
0 vigente orcamento do Estado da este com-
pute :
Receita total ... 133.049:400A000
Despeza ordinaria 138.796:730$932

Deficit. 5. 747:330A932
Despeza extraordinaria ou
credits da tabella B. 12.657.2965000
Deficit total 18.404:626A982
Nao se creia, por6m, que isto se restringira o
deficit, por que a receita foi calculada tendo-se e.n
vista o desenvolvimento das rendas, especialmente
a das alfandegas, e a verdade 6 que esta apresenta
decrescirrmento notavel, visto comno no I- semestre
do exericio, isto 6, de julho A dezembro de 1884,
todas ou quasi todas as rcpartiqoes adimaneiras ti-
veram baixa na sua arrecadaao, comparada esta
corn igual semestre do anterior exericico.
A despeza foi assim distribuida pelos ministe-
rios:
Imperio 9.168:2954197
Justia 6.6 823:0945408
Estrangeiros ... 815:4064666.
Marinha .. 11.112:898,275
Gucrra 14.925:6324881
Agriculture 32.503:441A831
Fazenda 63 447:961674
N'esta ultimna verba se acham comprehendidas
as seguintes sommas para juros e amortisacao :
Divida external 13.372:503A000
Emprestimos de 68 e 79. 6.061:825$000
Divida internal fundada. 20.276:592:000
Divida inscripta nao fundada 15:0005000
Diflerenca de cambio 5.142:911A772
Juros diversos, inclusive C C
do Banco do Brasil 324:179A627
Jurors des bilhetes do The-
souro .-.-.-- --. 800:000000
Cammiss5es e corretagens 60:000500
Juro do emprestimo do cofre
dos orphibos- .- 500:000Q000
Juros de depositos de Caixas
Economicas e Montes de
Soccorro- .-.- .- 908:9363610


Somma .


47.461:9485009


Esta somma dos encargos da nossa divida re
preseuta 341,23 /o da despeza ordinaria e 35,67 0/,
da receita calculada ; o que quer dizer que mais
de 1/3 da renda presumida do Estado sesA devo-
rada pela divida public no actual exercicio.
Nao 6 precise accrescentar mais nada para que
se comprehcnda toda a extensao das nossas diffi-
culdados, e para que se fique cenvencido da ur-
gente necessidade que tern o paiz de p6r um crave
na roda do seu progress material, pagando todos
n6s corn essa parada forqada as faltas e erros con-
mettidos polos governantes.
II
Passando t seguada parte deste despretencioso
trabalho, temos para notar que os facts econo-
mico-mercantis do anne find denunciam, espe-
cialmente no segundo semestre, uma grande apa-
thia em todas as relacses, pois que, se menor foi
o accervo das exportaqSes do que no anne ante-
rior, tambem mais pobres toram as importacoes ;
decresceram as rendas das estac5es publicas, es-
pecialmente no segundo semestre ; decahio o mc-
vimento de entradas e sahidas de numerario i; fo-
ram menos volumosas e per precos mais onerosos
as transacqoes banearias em saques e descontos,
e participou de todo esse abntimento o movimen-
to do port do Recife, apresentando menor torela-
gem nas entradas, e dando lugar a muitas sahi-
das em lastro.
As rendas das estaq6es publicas codificadas e
comparadas no quadro n. 1, adiante publicado,
p5em em evidencia as seguintes relac5es:
A Alfandega renden :
No o10 semestre de 1884 6,298:207255
S de 1883 4,406:257795

ou mais em 1884 1,891:9491480

No 20 semestre de 1884 41852:655WOO4
Sdo 1883 6,011:24"27V

ou menos em 1884 l,58:58


NMNERiAiCO INCORRITA


avulso, do rnesiso dia.


it-


* 4 0


I


Total






























a a de1883 373:837391


on menos em 1884 34:140564
p.S 4adqs as differengas, tern-soque.a Rce-
; ]bed ai& .rendeu menos do qne em 1883 a-somma
de 41:9121378.
0 Correio Geral rendeu :
"No. 1 semiestre de 1884 80:4621062
a de 1883 73:601082


ou manis em 1884


No 2o semestre de 1884
'+ a de 1883


6:850980

78:244203
84:243574


menous em 1884 5:999371
As dias differengas balanceadas d9opara re-
sultado 86i609, que a tanto montou a maior ren-
da do correio em 1884, comparada corn a de 1883.
0 Cowlado Provincial rendeu :
No 10 semestre de 1884 913:641424
Sde 1883 645:898232


ou mais em 1884

No 20 semestre de 1884
1) ) de 1883


-267:743192

725.9303914
1,016:707381


ou menoe cm 1884 290:776467
Balanceando-se as dnas difterencas observa-se
que o Consulado rendeu menos do que em 1883 a
quantia de 23:033275, provindo isto ndo so da
pequenez da actual safra, come de no figurar no
anne de 1884 a verbsa de sell de herancas que fez
avultar a anterior receita.
*
0 movimento monetario, sob a responsabilidade
daa companhias de navgacao per vapor que ser-
vem o porto do Recife, movimento detalhado no
noquadro n. 2, foi em substancia o seguiste :
Dinheiro entrado
No 10 semestre de 1884 3,452:112|100
a a de 1883 2,240:860176


ou mais em 1884

No 20 semestre de 1884
S de 1883


1,211:251924

2,984:79o080
4,622:8430938


-ou menos em 1884 1,638:048858
Balanceadas as differences entire as entradas
semestraes, tem-se que em 1884 a praga do Reci-
fe receeu menos do queo .em',1883 a quantia de
426;7a63934.


Dinhedro sahido
No o10 semestre de 1884
f f de 1883


ou meaos em 1884

No 20 semestre de 1884
A de1883


3,5081085-7.59
S,1.9.38326

617:752494

3,670:7.16504
2,815:494058


on mais em 1884 -865:2223451
Balahceadas as differences tern-se quo em 1884
praga- do Recife expedio mais em 1884 do que
em da wquantia de 237:469957.
AbtEomna -das duas differengas de eatradas t
i oahidaa loe numerario import em 664:266891,
que 'foi a quanto montou o menor volume de tran-
- *a*es a dinheiro de contado, page por interme-
die dams oempanhia- de vapores.
.segtkinte quadro da as entradas e sahidas' de


disheiro no


quinquennio ultimo, e as respeetivaI


meaias:

4 I 00 00 w *O 00 I





,pj | O C w 00 00 | 0
i- i-, t
W W *a O a 0
0 0 -4L_











.3m.
ob ^ W
o^ -a 0 rs f

^ 0 ^ ^ 0
-- ~ ~ C I ov CDD ~3 t i
to j >- p c.o -

-1 co ^ ^ -.1 t


tO ^ 00 -i




&~ ~ ~ 1 o -


As .peraeoes dedeeaconto de letters na pragi,
."gundo as. indicag5es officiaea da Bolsa, clio estes
dados:
'.No I*o metrede84... descontosde 8 A 12 o/0
-4 lo :de83.. a de 5 A 12o/
-.mme iss Afiam Alm ma '


m~4.-
... UI. i- "

...-, NO 2. semestre de 84.. dencontos
2 No 2o de83.. a
bu mais caro em mddia


11/20/
de 7 A 12o/M
de 5 1/2 A 12 o/o


w^ -.3/ .10 3
Pmum evidoncia a friUta do onfianga fno
poap o".-ec idos. eos to,, e iadicaj
o"a mAoet-. dp r.aa, / g de, alias,
capitme dispomuieis, tam-i
o MIN ",w deleos tonfo aassim que ap-
"mpr q cmtrata do empre-
I ,. i


L. b"&. mM,ac'A t-, iJ


1:000,000 do juro de 7 /o ao anno, embora Mcorn
menor premio do que no anno anterior, o qu. oq
explica por aquellas meamas difficuldades, quo t1'
affectado o credit da provincia.
'wgoait~a-1^!^*1
No 1 semeStre... 31... de 1:0100 a 1:025A
No 20 53... de 1:023).,A 1:040

Sbminumando... 84... die 1:0101 A 1-4010
Em 1883 titham
sido as vendas de 228..... de 1:024A a 1:045A
0 que poe em rd1v0 o eeu -dopreciaiento,.pois
que ao passe que em 1883 o premio toi de'2 2/5 A
4 1/2 0/oem 1884 uio passou de 1 A 4 0/0.
A provincia, urgida pela necessidade, e prece-
dendo deeretaao do po iter competent, emittio ti-
tulos ao portador,-do valbr de 100A000, na impor-
tancia do 600:000000, para liqaidar o exercicio
de 1883 1884.
Os credores- do Thesouro e os funccionarios pu-
blicos receberam esses titulos, que entraram para
a circulagao; maa, A despeito de terem sido elles
mandados admittir come moeda corrente nas re-
partiSes provinciaes, e nao obstaute a facilidade
que offerecem ao gyro, nao teem podido, senao
em raros cases de pagameutos, ser aceitos sem
desconto, que tern variado de 5 A 10 o/o
De acq5es do Bauco do Brasil apenas foram
negociad ,s em 1884 o diminuto numero de 36 aos
preqos de 2933 A 300U, send o valor nominal da
acTo 2004; o que evidencia urn premio de 46 1/2
A 50 /o, em todo case maior em m6dia do que em
1883, que foi apenas de 47 1/2 /%.
As acoes das companhias de seguro manti-
veram-se todas em excellentes condioes na praga,
send vendidas poueas e as de algumas corn nota-
vel agio.
As da Prhcnix form negociadas em numero de
105 aos preeos de 420, 4 4555, isto 6, corn o pre-
mio de 110 a 127 1/2 /o, quando em 1883 f6ra o
agio de ICO A0 110 0/.
As da lndemnisadora venderam-se em number
de 75, aos preqos de 4621 4'4655, isto 6, corn urn
agio de 131 A 132 1/2 O/o, quando em 1883 i6ra
esse agio apenas de 110 A 112 1/2 O/o.
As da Amphitrite, que s6 conta dous annos de
vida, venderam so em numero de 65 ao par e 4
2105, isto 4, corn um agio de 5 0, prego de suas
vendas em 1883.
De outras emprezas anonymas tambem as
vendaa de ac5ies foram pequenas e em condio5ee
favoraveis, .comparadas corn as do anno anterior.
Descriminando as vendas por emprezas, tem-se
que:
Da.de Santa Ihereza, de agua e luz para Olin-
da, venderim- se 50 acq5es A 405000, isto 6, coin
o abate.de 20 Io, send que em 1883 f6ra o seoi
depreeiamento de 2Q & 27 o.
IDa (1 FiRqao e TwcidoS da,.Mqgdal, vende
ram-se apenas 4 acqes ao/par.
Da do Beberibe, de abasteeimento dlagua ao Re-
cife, venderam-se 251 ac9ea- aos -preeos de )98A
1025, isto 6, corn um agio de 96 A 104 01o, quando
ease agio f6ra de 68 a 86 [o em 1883.
Da Pernambwana, de navegagio costeira por
vapor, venderam-se 50 ac&5es ,& 805000, isto 6,
corn urn depreciamento de 60 Io, ao pass que as
suas obriga95es especiaes venderam-flse ao par.
Da Ferro-via de Olinida e Bebeoibevenieram-se
50, aos precos de 2055 a 2105, isto corn urn agio
d0 2 1I2 a5 o,, quando em 1883 +ocam negociadau
65 ao par ou corn 2 1\2 O[o de agio.
Isto mostra que, excepsao feita da' (oiunim
Pernambueana, todas as demais emprezas anoay,
mas estao em boas condicSeas economics; maa
principalmeate prova que nao falta numerario na
praca, quando seotrata de empregal-o em titulos,
pltulieos ou de eoipanhias reputadas seguras, que
garantam reonda ceta, ainda que modiea, e que
tal nmnerarie s6 iao eorre para o oominereio o
para as industries porque a confianua anda arre-
dia delles.

*


As transacqSes cambiaes, codficadas no quadro
n. 3, adiante publicado, e que, cumpre, dizer e de
meraestimativa quanto A importancia total dos
saques para o exterior, tambem p5em em relevo
as difficuldades dotommercio, sempre A lutar corn
as incertezas do dia de amanhR e A braos corn as
mais desencontradas fluctuag5es do cambio.
Os extractos desse quadro pelo que respeita As
transaegSes para o exterior, mostram que se ef-
fectuaram saques:
Sobre Londres:
1 semestre de 84 1.990:000 de 19 518 A 22 7116 d
10 de 83 1.850:000 de 20 8314 A 21 718 d.

on mais em 81 140:000

2u semestre de 84 1.560:000 de 19 A 20 1[4 d,
2 1 de 83 2.52(:000 de205116421 718d

ou menos em 84 960:00O


Balauceando.se as differenwas acha-se que re-
metteu-se para Londres menos 820,000; saendo
que, em media o prego does saues foi mais earo
318 em 1884 do que em 1883, nroobstante em fe-
vereiro ultimo ter attingido o cambio A 22 71161
mais favoravel que em todo o curso de 1883, emn
que todavia nio deseeu a 19 d., -por 11000, como
aeonteceu em novembro proximo find.
Sobre Paris :
0lo semestre de 1884 fr. 2150.-000 de 429 A 48&,r.i
1883 fr. 1.880:000 de 440 A 461 rs.
ou.umiae..1884 270:000

20 semestre de 1884 fr. 1.850r000 do 47T A 0t K.
1883 tr. 1-8500f do 440,k4 0...
--- .--- -
differenga :- .0
.e, poiqePforam mt a
ga 270 ,,,,,racos In m 1883 a -"M
qqa em media op1.qM"doi de. .aia '
IAA -him- aPo qM* 4%.a 8 43Ae m a, W'.i ba

M Ue 1111Odwen**


!vuetnwuu'q55 iuo*~ I ~ -UV1019- 3 LUI 75


Ml


T oa l 0entradas compaad algoio toram;
.m ,.a.--. ...... m+. 1 i2f4fdo--..... 8,1
_ ._ ;;::.:-:::io ,.^ ; ^




Menos cm 1884...... 146:9.2695
0








remn i {/.d.>iaea. + '7 I Pmeree884 61,98 a
a-,12.a .884. 8,919 saccas
Aa entradas de asucar omparada por semies-" 2 a de 1883 98744
tres,'jnos annos ao 1884 e 1883, foram as .eguin.
tea: ou menos em 1884. 15,795 ,
I 0 S omestre do 1884..........996:371 saccos
1o r de 1883 ......... 92:31s s Sommadas as diaerengas Hcha-se que em 1884
o. d 8. .entraram menos 42,688. saecs do que em 1883,
On mais. em 1884.......... 303:976 anne em clue as entradas foram superiores as de
1882 em 38,263.
2 Semestre de 1884 .......... 818:511- acos A different para menos nas entradas de 1884.
2I L.4 Il83. .. 1,170:670 de 188 6132 sw a f






Sde 1883.........1,170:670 caleulada razo de 75 kilog. por sacca e ao pre-

Ou menos em 1884......... .357:159 o medio de 7p238 por 15 kilog., iporta em
1.688:638720.
Bolanceadas as differengas, aeha.se que em 1884 As entradas do quinquoenio oram estas :
entraram menos 53:183 saecos do que em 1883, 1884 144,270 saceas
anno em que as entradas apeasenas exee a eram em 1883 186,958 7
190:000 saccos as de 1882. 1882 148,695 ,
A differeua de entrad:s para menos em 1884 1881 123,547 )
computada 4 raze o de 60 kilog. por sacco, import 1880 84,970
em 13,190:980 kilog., que, calculados ao pre'o Esta estatistiea mostra que de 1880 ae 1883 a
medijo annual de 2 .355 per 15 kilog., elevam-se 4 produce cresceu, e so por causes excepeionaes,
importancia do 500:9834860. que tern seus fundamentos em phenomenon natu-
S a is e m 1a88s4t.rrn.per .nnos : 973no mqea nrds oa ueirsi e.4
188 eos ,2dc 6ce3r. ouoc 88,smqu 'h


de premio.
1883 390:000000 deo 139 6 155 7,
d proemio.

ou menos em 1881 20:0005000
2a semestre deo 1881 230:0005000 de 160 A 176 O/o
de promio.
1883 330:0035000 de 142 A 154 o/o
de premio.

ou menos em 1884 100:0005000
Sommadas as differences ternm-se que para Por-
tugal eoi remettido em 1884 menos 120:0005000
do quo em 1883 ;- send que os saques se effectua-
ram mais cares 8 1/2 o/o do que em 1883, ainda
aqui se observaudo o mesmo fact acima apontado
de maior subida e maior descida em 1884.
Se se attender A 1ue, feitos todos os caleulos
aos preeos medios dos cambios annuaes, verifica-se
term sido remettidos para a Europa menos ..
10:000:000000 do que em 1883, ser-se-ha forga-
do A inquerir o parque desse facto, para logo im-
putal-o ou 4 maior exportagio dos generous de
produclo da provincia, cujas contas de venda de-
ram acervo tal queo cubiiram a maior parte do
valor das importaq5es, ou ao decrescimento destas
em grande escala, motivando assim aquella dini-
nuigao de remessas de numerario em saques.
A primeira hypothese 6 posta de part logo que
se observa os quadros, adiante publicados, da cx-
portaa'o dos principals generous do produce ao da
provincial, pois que esses quadros demonstram 0
contrario da gratuita hypothese explicativa ; e,
pois, s6 rest a segunda hypothese, cuja evidencia
6 palpavel em face do computer comparado das inm-
portaeoes, e apds reflectido exame das indicates
quo vao mais abaixo, na rubrica propria.
E' realmente facto ineontroverso que as impor-
ta90es de toda ordem tern decrescido em succes,-
sivos annos, e isto 6 urn symptoma seriamente
alarmante da decadencia do nosso commereio, que,
ante a baixa consideravel que tern experimentado
o assucar, ante as incertezs actuacs e futuras do
.trabalho national em alentada rise, e no meio
do desperdicio das forgas vivas do paiz e das ques-
t5es economics que o agtamn, seate-se fraco e
combillido. at o mais fundo dos ae us alieereee, p
sere ao menos poder ter esperangas de meJhori4
em tempos nao muito proximos dos que a"uai-
monte atravessamos.
*

Do quodro n. 4, que contem o movimeitoI do
port do Recife, elem'entu que tambeun 4o"*valor
para ojulgamento do anno mrceantil, tHmamos, .-
tes dados:
lo semestrede 84 natra;am 59,7 emb. lot. 432:85
tpneladas.
S 83 entraram 512 emb. lot. 354; 770
tonelads.

Mais em 84 85 aemb. lot. 78:065
*oneladas.

20 semestre de 8Weatrwam 537 emb. lot. n387 808
tpneladas. '
a 83 entrara 618 emb. lot 428:733
.. poejlada&.

Menos em 84 81 'emb. lot. 40:925
toneladasi.
Isto coanfirma o conceito 4e que ao commereiO
foi mais tavoravel o 1 do que o 20 semestre de
1884, ede que o anne findo foi peior do que o an-
terior para o geral das transaaees mereantis.
No ultimo triennio foram estas as entradas no
port do Recife :
1884 1:134 navies, lotando 820:743 toneladas.
1883 1:130 navies, lotanao 863:503 a
1883 1:203 navies, lotando 780:551 a
TTl


1884--Cambio............
Assucar branco.....
o somenos....
a, mascvadp..
a bruto ......

41883-Cambio............
Assucar branco.....
T Seraenos...,
mascavado.
S bruto......
20 -Semetre
1884-Cambio............
Assucar brapco.....
a somenos....
S mascavado.
a bruteo......

183-Camio...........
Aatar, bjae.....
porenons....
S maseavado.
S bruto......


19 5/8 a 22 7/16 d.
34000 A 45100
25700 A 3U200
14550 A 24700
10250 4 25000


203/4
35600
3300
2A250
10525


a 21 7/8,d..
A 5000
a 3$600
A 3$000
A 25500


S19 r2
24QOO A 4
1A800 a
15240 A 2
15000 a 1

0 5/16 a '
35800 a
85000 a
21150 3
1750 1 2


Tomando as npdias-destea dados, term-sf
1.0 &imetre
1884--Cambio medio............. 21
Prego medio do assucar..... 2
1883--Cambio mpdio.............. 21
Preco medio do samcar ..... 3
2.o Semeeire
1884-Cambio medio............. l1
Prego medio do assucar..... 2

l83-Cambio medio.............. 21
Preco medio do assucar..... 3


0 commercio de exportacao, nos primeiros me- Sendo as medias geraes dos dous annos:


zes do anne, graas aoi restos da safra de......
1883-84, que foi uma das melhores qo tetem tido a
provincia, e que deixou bons resultados nao obs-
tante os baixos preos do assucar e do algodjo,
manteve uns restos dos alentoas de vida que apre-
sentou ngs fins de 1883. Mas, escasseiando os
products e continuando a baixar os preeos do as-
sucar, pouco & pouco foi elle se abatendo at6 cahir
n'um estado depLoravel, de que nio p6de tiral-o a
nova safra, no 6so porque esta foi logo annuncia-
da come pequena, mas tambem porque nao melho-
raram e antes peioraram os preeos do assuear de
um mode desesperador. ---
Effectivamente, nao ha exemplo de, em umn tio
long period de annos, terem descido tanto os
pregos dos assucares, e de mode a attingir a bai-
xa A todos os paizes productores do genero, semr
excep9lo de quail lades e tanto para os do canna
come pars os de beterraba. E se attender-se a
que 6 ease o nosso principal artigo de exportaco,
pois os demais pouco avultam, except o algodao,
facilmente se eomprehendera a infiueneia decisiva
que tove aqueUle facto no compute geral das tran-
sag5es mercantis.
Como se v polo quadro n. 5, todos os pregao do
assucar genservaram-se em baixa asobre os do a&-
no de 1883, dando para 1884 urnma media inferior
as dos demais annos do quinquienio de 1880-1884.
Os prego doaalgodoes em geral melboramt
algum cousa obre B de 1883, e, se ameija 4o
irmo nwq Attlngio a alt ,d- A maiwor media. no
qiqienio de 1880-4, tambem poc iWrir
le fio .,i-mau .de anow qu a safa. foi .= .
do.Ae addo1E883 sem onmtudo aa 'a z ..e*
4uinquienlo. --A-
..As rau4au ias. Ieat 1do0a01opedoiQhl .
ifa da c m a de asarn 'oua
m" op o .
-^.ttsinbsaa -,^ ^


1884--Cambio medio ............. 20;
Prego medio do assucar.... 2

1883-Cambio medio ............. 21]
Prego medio do assucar.... 3

0 confront dos pregos medios, e o estu
tabellas da exportacao do assucar e dos co
adiante publicadas, mostra que ainda ei
baixaram no geral os prepos dos assucaref
das as qualidades.
No ultimo quinquenio foram estcs os prej
dios do cambio e do assucar :


1884 ...............
1883...............
1882...............
1881...............
1880...............


Cambio
20 11/64 d.
21 11/64 d.
21 7/32 d.
21 15/16 d.
22 d.


VW-se por ahi que de 1880 i 1882 ao mai
9o do ca nbio corresponded melbor preco
assucar, mas nao assim de 1882 A 1884, pt
subindo o prego do cambio successivame
1883 e 1884, baixou o prego do assacar, oon
.da a espiptativa.
Este facto tern uma explicaglao racional.
& ser quo a produeAo tern augmentado con
velmente n'outrom prizes e o mercados co
ores se eham abarrotados do genero, com(
e mais, -sjeito as leis eonanicas da prc
ttofrta. -
- .-Enttant, cata sitaa* 6 dolorosa puam
a lavoura da oina, e lhe-impe a dpla
d tprodumsi m ,,-r g==era e p peoo mai
daioma & po. Sira P"Vitodo mdi

; 4o tuabilho naft a que repousat





1. .S:S4.6
"r 'ia'^i .>lj ..f.... "-' ':" ..... ""'""+ '-j.- 'A "''"""
74Br4' K
X .SaJ


01/44.
05100

2400
15640


raes, decresceu um pouco em 1884, sem que d'ahi
seja licito inferir que a industrial algodoeira esteja
ameagada.
Qs pregos extremes do cambio e algoddo compa-
rados por semestres foram :


1881--Cambio.
Algodao
1883--Cambio.
Algodao

1884 -Cambio.
Algodao
1883 Cambio.
Algodao


1.0 .sene~stre
1
5

-- 5
2.0 somestre

5
2


9 5/8 A 22 7/16 d.
500 a 8900
20 3/4 A 21 7/8 d.
200 a 8000.

9 A 20 1/4 d.
850 A 8700.
0516 A 21 7/8 d.


S 5200A 7500.


As medias semestraes seo :
1.0 semestre
1884--Cambio medio .
Preco medio do algodao
1883-Cambio medio .
Preco medio do algodao
2.0 emestre
1884 Cambio medio .
Preo medio do algodao
1883-,.,Q hio medio .
Prego me4io.,lo algoiao
A media geral do anno 6 esata
1884--Cambio medio .
Prego medio do algodao
1883-Cambio .medio. .
Prego medio do algodao


21 1/32 d.
7200.
21 5/16 d.
6%600.

19 5/8 d.
7275.
21 1/32 d.
6350.

20 11/64 d.
73238..
21 11/64 d.
6475.


0 confronto dos pregosamedios e taxas cambiaes
pbe em-relevo que melhoraram os pregos corn a
queda do cambio, send qne concorreu para essa
melhoria a menor safra local do genero e nao ter
side das maiores a safra doe Estados Unidos.
No ultimo quinquenio foram os preqos medios do
cambio e do algodo :


1884.


eanmbio
2011/64 d.


agoddo
7238


1qu.6d .D. .l





kc^ pttltt-a.Bliliff^^ezw-
Lao effectuada, pode-se aseverar sem ene -m
foram maiores as entradas desse genero em 1884
do que em 1883, sobre tudo no 10 iimestre, qAu
abrangeu parte da safra passada.
O'preos extremos j.or pipa regulamai :
Em 1884. .. 45 a 50000
Em 1883 ... 45 A 505000
Em 1882. 4.... .. 40 a 451000
Assim, nao obstante a maior abuniaacia do ge-
nero em 1884, os preqos mantiveram-se fires.
A exportagio comparada nos deus ultimos annos
foi esta :


1884-


-1 semestre.--Exterior.....
C -Interior. ....
2 -Exterior.....


(( --Interior .....

Total .....
Em 1883 .


35,280 litros
135,421

106,694 ,

277,395 ,
87,816


mais em 1884. 189,579 ,
A exportasao de 1884, calculada ao preo medio
de 473500 por pipa, import em 27:4551000 que,
comparada corn a de 1883 no valor de 8:6921500,
mostra um excedente de 18:762500 em 1884, dif-
ferenca proveniente di maior exportacao do ge-
nero.

Em couros foi a seguinte a exportacao para o
exterior :


espichiados verdes


secos


10 semestre.. 9,619 kil. 270,715 kil. 392,679 kil.
2 0 .. 12,296 70,789 ( 747,018 R

21,985 341,504 a 1,119,697 a
Totalem 1873 24,136 0 386,169 M 852,041 a
De onde result que houve diuiauigo : de
2,151 kilog. nos espichados e de 44,665 kilog. nos
verdes, e augment de 267,656 kilog. noe seccos.
Os preeos de venda regularam assim per kilog.
Dos espichados, do 650 a 780 on em; media 715,
contra 700 reis em 1883, o que mostra urn excess
de 15 reis em 1884, por kilog.
Dos verdes, de 320 A 390 reis ou em media 355
reis, contra 365 em 1883, o que mostra urn menor
valor de 10 reis em 1884, per kilog.
Dos seccos, de 585 a 640) reis ou em media
612,5 reis, contra 595 reis em 1883, o que mostra
um excess de 17,5 reis por kilog. em pr6 de 1884.
o yalor total desta exportae'o calgulako o de
cada espeeie pelo respective valor medie annual,
elevu-se A822:767607, que, comparado com o de
1883, na importancia de 664:8111580, apresenta
um excess de 157:956027.
*

Quanto aos demanis produetos locaes exportados
e outros reexportados, alem do que consta'dos qua-
@yos vs. 5,,6, 7, 8 e 9, que compreheadem os aci-
ma indicados, eis o seu resume, segundo os dados
colhidos na Alfandega, e,por ele se podera julgar
da importancia da mesma exportaeno, sobretudo
se for ella comparada corn iguaes dados fornecidos
ns nosso retrospect commercial de 1883, publi-
ao A4 1f0 de laneirn de 1884.


21 7/d. 1883. 2111/64 d. 63475
5"0 1882 ...... 21 7/32 d. 71669 4accaoa -Para o exterior 230 barricaa corn 4:340,
Scontra 101 barricas e 3 caixas corn 2:033 em
84800 1881. 2115/16.d. 61888 1883.
35000 1880.. 22 7438 Parao interior, 25 barricas orn 725, contra 84
1500 barricas e 49 caixas com 2:396 em 1888.
Esta tabella mostra umas tantas fluctuagbes dos BambA8--Para o exterior 4 fardos.
reoa saea oa u t orracha-Para o exterior 56,saccos, 3 caixas e
? pregos desaordes ao s6 Qoma do camnbio, mas 141 volumes com 11:489 kilog., contra 252 sac-
tambem corn aq quantidades do genero entrado' cos, 22 caixas e 4 volumes corn 14:481 kilog.
S1'32 d. pars aomercad no quinquenie. em 1883.
1/32 d. para o mercado no quinquenio. -Para o exterior 19 barricas e 16 saccos corn
'2563 Em todo easo, nio malsina ella a industrial al- 1:383 kilog., contra. 88 barricas e 24 saccs
5/16 d. godoeia, tanto mai que os pregos de 1884 foram com 3:446 kilog.em 188.
Cannas de assucar-Para o exterior 3 caixa.

30097 relativamente remuneradores. Candla--Para o interior, 5 volumes.cove 154 ki,
A exportac total do algoda foi : log, contra 5 saccos eom 910 kilog. em 1883.
1 d. 1emete.-Exteior 5.273,269 klog. Cre do sertlo Para o interior 1 volume.
S5/8 d. 1 n .-Exteor 5.273,269 kilog. Caroos d'algoddu-Para o exterior 18:732 sacces
S148 w -Interior 366,260 e 188:908 kilog., eontra 7:359 saccoo e 251:068
.1 2 semestre.-Exterior 3.649,630 kilog. em 1883.
1/32d. a R -Interior 141,796 a Para o interior, 31 saccos corn 501 kilog., con-
3" tra 116 saccos corn 8:625 kilog. em 1b83.
137 ------ Carogos de oiti-Para o exterior, 14 saccoa com
Total 9.430,955 840 kilog. --
Em 1883 13.356,525 a Carvao animal-Para o interior 129 barricas cornm
1/4d. _10:C62 kilog., contra 191 barricas corn 16:086
m s1/644d. em 1kilog. cm 1883.
55 menosaem1884 .. 3.925,570 Csco de tartruga-Para o exterior 2 caixas corn
24 kilog.
11/64 d. Calculada pelo prego medio do anne, a exports- Cgra de carna4tj-Paras 0o exterior, 149 saccos
%117 9o de 1884 importasem 4,560:654978, que, corn- com 123:065 ffog., contra 23 saceos corn 1:380
S paradcom a do 1883 no valor do 5.765:556625, kilog. em 1883.
do dasa a de 1883 no valor de 5765:556625 Parao interior 445 saccos corn 24:723 kilog.,
-mostra urma differcnga para menos de ........... contra 230 saccos corn 10:865 kilog. em 1883.
ambios, 1.214:8111647, devido a menor quantidade expor- Chapdos de carnarba-Para o interior 19 volu-
m 1884 tada e n~o obstante o maior prego de 763 reis per res.
ado t eo- 15 o nCkarutos-Para o exterior, 5 caixoes corn 6:800,
'de to- 15 kalog. contra 1 caixa em 1883.
Cigarroas-Para o exterior, 42 milheoio, contra 84
gos me. As entradas de aguardente, segundo a contagem milheiros em 1883.
*Pars o interior 980 milbheiroa, contra 9:542 e
do commercio foram estas, comparadas : mais 62 caixas e 22 barricas em 1883.
Assucar 1884. 6,857 pipas Cocos-Para o exterior, 70:100, contra 3:500.em
1883.
25355 1883. 5,120 Para o interior, 661:800, contra 6523:300 emn
35117 --- 1883.
31381 Mais em 1884 1,737 Courinhoa preparados-Para o exterior, 1:095 far-
35250 0 excess dasuentradas de 1884 calculado ao d 117:797 avulsos, contra 139 f 1 -
lume e-8:000 avulsos em 1883.
3%042 preco medio do 65500 por pipa, ddo um accres- Cumar,--Para o exterior) 1 sacco corn 30 kile.
or pre- cimo de 113;7731500. Doces-Para o exterior 55 caixas eaomrn 1:612 kig.,
p o As entradas rno aultimo triennie foramcontra 21 caixas corn 1:001 kilog, em 1883.
pas A etrad n lt trienni fora Pars o interior, 80 eaizas -e6h.awev,
ois que 1884 6.857 pipas 3:428 kilog., contra 26 caixas e I baLvi*com
te em 1883 5,120 950 kilog. em 1883.
nteem 18 5,1 Espanadore-P ara o mterior 279, 16m a0 e
itrato- 1882 5,820 u 1883
quemostra que a produce da guard Esteiras de camrnaAba-Para o interior 94 vOIlmes
qu mostra qu a produce da aguardnte e 2:700 avulsas, contra 101 volurc m oles-s. e
e vem tende s augmentar, devido a procura do genero P 100 avulsas em 1883.
widera- para exportacao. Farinha de mandiwca-Para o -exterior, 9Mtr
e 1 sacco, contra 39 barricas, e am A
msumi- Os preos extremes foram: 1; '-r "
Stodo 1884..... po pip 56000 75000 Parao interior, 2 baMiease W ka-thW .',
oura e 1883 653C p 000 90 contra 42:543 saccos em 1883. i-..
crae 1883..... 65000 90000 Ferros velhow-Para o exterior 113 tonmaelda, co..,
1882..... 65950 4 853000 tra 1:093 em 1883. '
a nosB- Estes pregos mostram a baixa do produeto, con- Fo demoaamhyba Para o exterior 4,&volBwBea
~~~~~120kidlog. -: :7.+
mniuada o quente i o amucwes, e se nao fazem desani- FOUW dowtguePa a exterior tetdaw *w=
i odi- mar a prodigy Ao, tmbe nao a animam. Fmo-Para o exterior 1 f- ix
Whig A A rt otar em aguardente e alcool foi xases e urse3:&%
efhaso- *arrw de owo-Para9
n' M .--* Et r24in .... 2 29litro .8:7 'e., tra 41.
em188,,
S -Interior 3.146,695 G m m
< -Exhrior.- .405.479 1 5
'" .. .. *'86W ,i.'1.
c -, 6 a -Cr 156878 A i

-


"- '.-. *- : K. -: A-.. ;
w '% '-s
cl/ I-,-.. .+ ,' ..... "J.


modmor


L Z-pZ' "-'-"-"1 'u
B B --^^& ltl9'' '- '?'i.^ '''


-. C '
I-.


As entratas toram por annos :|
Em 1884.................. 1,809:882 saccos
Em 1883.................. 1,863:065 ,
Em 1882.................. 1,672:995 ,
Em 1881.................. 2,225:979
Em 1880-.................. 1,960:737 ,
E mostra esta estatistica a tendencia que para
decrescer tern apresentado a safra de assucar, to-
mada em absolute.
Urna reflexao, por6m, faz moclificar esse concei-
to, e N em a ser que as provincial da Parahyba,
Rio Grande do Norte e Alagoas, que outr'ora man-
davam todos os seus assucares para o mercado do
Recife, que Ihes servia de emporio, cada vez mais
se procuram libertar dessa dependencia, exportan-
do cir'eetamente esse- genero.
Seja come for, por6m, o certo 6 qae traz isso de-
panperamento ao commercio de Pernambuco.
Os pregos extremes das diversas qualidades de
assucar, por 15 kilog., bemrn como as taxas extre-
mas do gambio foram as seguintes nos dqus ulti-
wos annos compavados per semestres:
1.o Semestre


-> i

















aqaqi3 36 travese 83
btravea '25 ta-
11M. wts,1^ &
teior, 3 volumes, contra
S em l883.
?9 cai 507 v duwie a
eaixa*e' 545 volumeaeo*


mais em 1884......
2- semestre de 1884. .
Dito dito de 1883....
menos em 1884. ....


1.694.6894718
4.403:132,491
5.274:5506826

871:418,$335


Balauceadas as differengas, acha-se que
em todo anno de 1884 a importagio pro-
dazio mais a quantia de 823:271.,383 do
que em 18S3 ; mas este accrescimo desap-
parcceri completamente e sera substituido
per urma differen9a contra o anno de 1884
logo que se attender A que, em todo o cur-
so deste ultimo anno, foram cobrados os
10 por onto addicionaes A pauta da alfan-
dega, augmiento que apenas figurou nos ul-
times mezes de 1883.
Assim a propria renda alfandegaria, pe-
la sua rubrica importan9ao, poe patente o
depauperamento do commercio importador;
e, demais, outros indicis6, qte te rn side
especificados no corner d'este trabalho, cor-
roboram sernelhante conceito, que aliAs estA
no animo de todos, que directs ou indi-
rectamente, tomam parte nas operagoes
mercantis.
Tomandos os principles generous de con-
sumo, tem-se o seguinte :
Arroz Entradas.. 1 sem. 10:735 saccos.
2- a 3:118 a

Somma 13:853 ,

Em 1883 8:501

mais em 1884.... 5:354
0 excess foi dado principalmente pelo
1' semestre, que sobrepujou A today impor-
tacao de 1883.
Os pregos mantiveram-se regulars ate
setembro e cresceram um pouco nos ualti-
mos mezes.
Azeite de oliveira--Neste gonero houve ex-
cesso de entradas em 15 latas, 152 bar-


Baeos--Entraram nos.annos compel


*~ 00

-


0 .
-.. '"-rl


....

: .1
~ IB-B,
fi !



I i i

-
: 0 I 0 o
09 Ii o I 's oi


l l i

I I
t I I
1-1 o1 t
ts j (c J


MS|K p ar.0exier saees.
S Para o ilteior 635 saccos, contra 8,6,30Me
1883.
Reo0 fe moaewt-Para o interior 11 caixas corn-62
litros, eontra 101 caixas em 188.
OeaW-Para o exterior 661:000 kilog., contra
-507:07 kilog. em 1883.
Pal4a de carnauba-Para o interior, 75 iardowe
2:750Eniolho., contra 10 fardos e 1:556 molhos
em 1883.
Passaros seccos-Para o exterior 11:700, contra
3:900 em 1883.
Plcantas vivas-Para o exterior 1 barrica, central.
6 caiioes em 1883.
Pedras de rebollo-Para o interior 20.
Pemnms d'lam-Para o exterior, 3 caixas corn 160
kilogq contra 13 eaixas e mnais'1601kilog. em
1883.
Para o interior 2 caixas corn 35 kilog.
PPohvlho-fara o exterior 55 saccos corn 2:982
kilog., contra 309 saccos e 39 volumes corn
3:764 kilog. em 1884.
Pars o interior, 2 eaccos corn 90 kitog.
Pontas -de boi-Para o exterior 21:000;, contra
11:571 em 1883.
Rap4=Para o interior, 157 -caixas corn 4:394 1/2
kilog., contra 161 caixas corn 4:759 kilog. em
ia33.
Reminas-Para o exterior, 20 barricas corn 1:227
kilos, contra 1 barrica em 1S83.
Para o interior, 24 barricas e 1 caixa corn
r900-kilog.
Saf-Para o exterior 19:100 litros.
Para o interior 2.288:296 litros, 350 alqueires
e 1:051 saccos, contra 1.408:626 litros e 1:450
alqueires em 1883.
Seho-Para o interior, 177 barris e 35 volumes
corn 27:651 kilog., contra 105 pipas, 1:178 bar-
ris,-85volums e -325 cascos comn2B8rtl4-kilog.-
em 1883.
Sementes-Para o exterior, 13 saccos e 1 caixa.
Para o interior, 94 saccos, 5 caixas e 4,579 ki-
log., contra 8 caixas em 1883.
Soda-Para o interior 10 volumes corn 600 kilog.,
contra 1 volume corn 30 kilog. em 1883.
Soba-Para o exterior 2:446 meios, contra 1:882
em 1883.
Para o interior, 5:387 ineios e 21 rolos, con-
tra 12:730 meios e 5 rolos em 1883.
Tamanwcos-Para o interior 100 duzias de pares,
contra 1:926 duzias em 1883.
TecW-Para o exterior, 4 saccos corn 92 kilog.
Tijolos-Para o interior 50:000 contra 46:050 em
1883.
Trapos -Para o exterior 315 fardos corn 63:554
kilog., contra 239 fardos corn 552:739 kilog. em
1883.
Unhas de boi-Para o exterior 55:000, contra
50:350 em 1883.
VasSouras de piassava-Para o interior 709 duzias,
contra 1:016 duzias em 1883.
Vinho de genipapo-Para o exterior, 1 .barril corn
85 litros.
Xaropes8 -Para o interior 10 caixas corn 60 kilog.
IV
0 minercado de imnportagto, que no 1-
smestre de 1884 foi melhor supprido do
que no 1- de 1883, e apresentou uma cer-
ta animacao, devida ao rest da grande
safra passada, que deu uns tons de vida
larga ao commercio em geral, no 2" semes-
tre decahio consideravelmente, quer con-
frontado corn o 1- semestre de 1884, quer
corn o 2- de 1883.
Os direitos de importacao cobrados pela
alfandega, segando so ve do quadro adian-
te publicado sob n.. 10 foram por semes-
tres comparados :
1- semestre de 1884.. 5.602:427#234
Dito dito de 1883.... 3.907:737516


1" semestre........
2. dito ...........

Total.............
Iw .i QIn,


30:356 saccos.
32:856 a

63:212
c.i *. o'7


Eim 166i. ......... 0.:061
mais em 1884..... 11:675
Aqui o excessso fui devido Amabores
entradas em ambos os sewestros do 1884.
0 mercado conservou-se regular, Lai-
xando os pregos um pouco de maio a agos-
to, e no rest do anno mantendo-se fir-
mes.
Farinha de trigo Entraram :


1834


1. semestre.........
2" semestre.........

Total........ .....

Em l883..........

Mais em 1884.....

Este quadro mostra


BARRICAS SACCOS

78.941 6.270
57.404 50

136.345 6.320

131.137 919

5.208 5.401

que tambem as en-


tradas deste genero foram mais abundan-
dantes no 1- semestre, do que resulton ser
a importaglo do anno superior a de 183.
Os pregos poucas variantes tiveram no
decurso do anno, e -mantiveram-se niuito


firmes.
Manteiga


-As entradas foram :


-- -
tj" M q
o .
: I I | I
B. nc






;.
00
00






Soto
BEfB
Kj I.
BKI 0


xando apeRu
Virthos Ho
differengas


uveram emi 1884
sobre 1883:
Maiw


M*eno


P ipes. 1:087

Quartos... 31
Qintoa... 1:117
Oitavos... 16
Deonoa. .
-Baris.... 1874
Caixas.... 3:488
Aesim,, as enti4mj form majors em
1884,. ma aind&^ Aq,. Wimou KlA< obPe
o 2 semestre, p'gique so a'd lora&m
iunrta48s 2:7, 7077:07 ?uifktoo,
^4. dU-,, ,Uf a^ e 7^ ;1a-
37M,46decirnoe, jI.brrs.ei-
xa is.e deuzia dogplf4
Os preoo) q.qa eB'm.fima8:ao-comeo
do-anto,: j dxame .owadb e abil
A johI,pava. do w :bireD4.R^ em

Xarqw-A1~m 24w.w 42@ fardok% ,-entra,


ram.:
1." semestre....
2. ID ..

Total....
Em 1883........


9.821M777 kilog.
4.717M061 a

14.538:838
15.175:368


a
Menos em 1884... 636:530
Repetio-se, em fim, aqui o mesmo allh-
dido facto de subropujarem as entradas do
1.0 as do 2.' semestre.
O mercado pouca animago oteve. Os
pregos foram baixando gradualmente ate
julho, e depois eugmentando successiva-
monte, quer para o national, quer pars o
do Rio da Prata, sem jamait.severmn emu.
neradores.
Os domais generous e artigo impor-
tados constam do seguinte instrutivo spa-
nhado, quo se prosta a todas as observa-
93es e deduces que os algarismos seem
offerecer sos espiritos attentos e estudiosos.

GQNEROS ALIMENTICIOS, BEBM-AS ALCOOLI-
CAS, FERMENTADOS E- CODIXENTOS
Entraram :
Abyssintho -1 barril, contra 7 caixas em
1883.
Alhos-2:977 canastras, contra 3:306 e 63
caixas, em 1883.
Ameixas 247 caixas, contra 224 em
1883.
Amendoas 7 caixas e 62 barricas, contra
1 caixa e 15 barricas em 1883.
Arroz piladao-13:852 saccos, eontra 8:501
em 1883.
Regularam as vendas por sacco : em
Janeiro, de 2,700 A 25750; em feverei-
re, de 2,5600 Ai 2700; em margo, de
25600 A 2,800; em abril e maie, de
2,300 A 2#5500; em junho, de 2#6004
2,800; em julho, de 25500 A 2#600;
em agosto, A 2,600; em setembro, de
2,600 A 2,950; em outubro, de 2,850
A 3,000; em novembro e dezembro A
3,000.-
Azeite de Oliveira-177 quints, 352 bar-
ris,. 145 latas e 2:569 caixas, Contra 25
quartos, 609 quints, 200 barris, 130
latas e 1:646 caixas em 1883.
As entradas foram mais abundantes no
1.0 semestre.
Os pregos das vendeaep orO galo o to-
ram: em janeiro, de 3#59004- 3350;
em fevereiro, de 3,400 A 3,450; em
margo, de 3,6400 A 3#600; em abril, de
3#300 4 3,600; em maio, do 3,000 A
3,5400; em junho, a 3490-; emjultho e
A agosto, de 34100 A 3Aj20; .em setem-
bro, de 3,100 A 3#400; ,em outubre, de
36300 A 3#400; em novembro e dozem-
bro a 3,400.
Azeitonas -116 caixas, contra 9 3 caixas e
73 harris em 1883.
Bacalhdo-200:617 barricas, 48:685 meias,
152 tinas e 244 caixas, :contra 169:680
barricas, 31:176 meias, 6*055 tinas e
115 caixas.
No 1.,semestre de 1884 foram. as en-
tradas mais abundantaskdo queaa 2..
Em 31 de dezembro find fiecaram em
deposit 5:000 barricas.
Os pregos de venda porbarrica, regu-
laram: einm janeiro, de 17,000 A 18,500;
em fevereiro, de 16,500 A 17,500; em
margo, de 164000 A 17#500; em abril,
de 14,000 A 17,000; em male, de
14,000 a 18M000; em junho, de 165500
a 18,000; em julho, de 16,000 a
17,000; em agosto, deo 16000 1
17,500; em setembro, de 17,500 A
48,500; em outubro, de 18,000 a
18,500; em novembro, de 18,5000 A
19,000; e em dezembro, de 48,5500 4
19 000
Bagres aeccos 15:500, contra 14:140 em
1883.
Bantha 10:139 barris e 21 caixas, contra
13:-33 barris, 500 tinas e 104 caixas
em 1883.
Foram mais numerosas as entradas do
1." semestre.
Batatas- 6:405 caixas, 18:4.53 gigos e P03
barris, contra 8:069 caixas, 11:435 gi-
gos e 97 barricas em 4S83.
Tambem deste genero foram as entra-
das mais numerosas no 1.. semestre.


Regularam as vedads:
Por caixa: em janeiro de 200a
3#200;, ea fevreiro, ode3004 4010);
em ra, o, e abril, db *4 g.- 0OO; em
waio, de4 A 70- emjunho, de 34 A
40; em julho, de ;'5 A 400 A 4S0emi
agoato, de- 5W 60 em atembro,
de~| -.-- ';p7" ,,;em abro-e50A
IWO 0 erlwmbm -thrdi 100 A70


SIte"ov
prego


m-se porkiloa a"
ir e- fe vereire,

0; junho 1035;
Hi agosto 1li0o;i
llli4 Y double
Sbro1 6W0; oe


Carnot -aierva 31 bars, 888.gaim-
jAOSe -c.i e0,xas, contra 79 barris,21
gwApAo, 416 fardos e 192 caixas em
.1S8a :,^ 1 .1- ':
C10a ,Aat-. 8 caixas e 2 sacos, contra 359

Cebofl -6$17 caixas e 12:961 resteaow
couga 0;62 caixcas, 30 sacos e 4:0

04a vendas per oixa: em ja-
ndiro, d1,|A 7; em fevemiro, 1 ;
ewvp d 1ri- |14^; et abril, do,
13 13#00; em maio e juoho de 123
A 25.; emjulho, doe 10 AG .4 1300; emi
agosto, do t A A100; em setembro, de 70'
A,90; em-outubro, de 500-a 9. 00;
em novemibro, de lo 4 18'000; e em
dezembro, A 80WO0.
Cerveja- 11:060 caixas e 2:996 barricas
e barris, contra 7:666 caixas, 2:996
barricas e barris e 180 garrafoes em 1883.
Regularam as vendas per duzia de gar-
rafas ebotijas, conform a marca: emja
neiro, de 6 Ai 10#500; de fevereiro A ju-
lhe, de 6# A 10,; em agosto, de 6# A
9,500; em setembro de 6 a 11#000;
em outubro e novembro de 66500 A
11,000; em dezembro, de 10,000 A
11,5500.
Cevada 286 barricas, e 62 saccos con-
tra 298 barricas, 188 saccos e 15 gar-
rafoes em 1833.
Cevadinha 150 garrafoes, contra 155
em 1883.
Chd 278 caixas, 558 grades e 112 vo-
lumes, contra 251 caixas, 201 grades e
456 volumes em 1883.
As vondas foram effectuadas por kilo,
segundo a qualidade : em janeirof-de 35
A 5#700 ; do fevereiro A. agosto, de 3# A
5,000; em setembro, de 3,5A 6,100; de
outubro A dezembro, do 3,300 A 6,100.
Champagne- 142 caixas e 30 cestos, con-
tra 260 caixs em 1883.-
Chocolate 40 caixas, contra 29 em 1883.
Chourikas 2 caixas, oontia 11 em 1883.
Cidra -1:088 caixas, contra 961 e 1 bar-
bil em 1883.
Cocos 169:600, contra 142:650 em 1883.
Cognac 1:094 caixas, contra 1:195 em
1883.
Cominhos- 216 saccos e 5& fardos, contra
259 saecos em 1883.
Regularam as vendas per 15 kilogr.:
de janeiro A maio A 12,000; em junho
de 11# A 422000 ; em julho A 124000 ;
em agosto, de 11, A 12,000; em se-
tembro, de 12, a 155200; em outubro,
de 15# A 16#000 ; em novembro de 14*
A 16,000 ; e em dezembro A15,000.
onservao 2:043 caixas, contra 1:834
em 1883.
Cravo da India 68 saceos, contra 56
saccos e 5 caixas em 1883.
Doces 60 caixas, centra 118 em 1883.
Ervilhas- 42 caixas e 125 garrafoes,
contra 42 caizas, 5 barricas e 68 gar-
rafoes em 1883.


Farinka lactea--2 caixas contra
1883.


17 em


Farinha de mandioca-- 17:364 saoeos e
10 caixas, contra 53:754 saccos, 20 bar-
ricas e 54:410 litros a granel nam 1883.
Regularam as vendas por sacco: em
janeiro e fevereiro, de 3400-W4 6000,
de margo A maio, de 34400 .A 4,500;
em junho e julho, de 3#200 A 4#200;
em agosto e setembro, de-35000 4#200;
em outubro de 3#000 4,4500; em no-
vembro, de 3,)0 W A 4,200; e em de-
zembro, do 3,500 A 4,200.
Farinha de trigo- 136:345 barrieas e
6:320 saccos, contra 131:137 baniras e
919 saccos em 1883.
Ficaram em deposit a 31 de dezem-
bro: 8:000 barricas.
Regularam as vendas per barrica :
Da de Trieste : em janeiro, de 24# A
28,000; em fevereiro, de 2o05 a 284000;
em mar9o, do 24, A 28,0X)0; em abril,
de 25 5 28,000; em maioe, de 25i A
30#000 ; em junho ea julho, de 24, 4
29#000; cm agosto, de 25, A 29,000;
em setembro, de 26#, A 29,000 ; &p on-
tubro a dezembro, de 26, 28#O0;
da americana: em janeiro e fevoeiro,
de 20#5 21,000; em marno, de l.00
A 210500; em abril, de -20,5 20,500;
em maio, de 20#A 21#5D00; de jugho A
outAbrodae 21,5 a 22,500; em *gvem-
bro, 21,500 A'. 22#000; e em dezeibro,
do 21# a 22,000.
Feijo 5426 saccos e 2 barricas, contra
3:026 saccos em 1883.
Fez-se o retalho per sacco do decores:
cmijaneiro, de 4, 80900; em fevereiro,
de 5b# 8UO*00; em mrgode 9A5 1Q#000Q;,
em abrile maio d&8 A 95000,; emu
junho, de 8# A 1030 J; em julho, de,
8, A 9# 11i0 ;em agosto,. de 60 a49. 0:
em seteowabroe outrbro, de 6 A'- 8-0;"
em novembro e ilezentbro, A A 00
Do mulatinko: pm japneiro, dol-5 A
16 K)000 .em fevereiro, de 16, 5 lA 0;
em, mar0, dea 16#i 2,)J000; em-Abril,
de 13, A 16450 e0 Om maio, j"o ek,
ji, 13W000; 8n agpsto de o #10
a li3,)i; en setesbro a 10,500< em.
oui v, i -d0o 8 am -1setV; m m I
ou~b~^^^^ am Vmm-i
bro e demsembro, a 8 0a .
Fio *1, oaias, contra 189 emM83.
SFoLk de o low 83 sacops a 12 os':
-O a t~t u lrdos em r
i -.'-6&aixas e 8barricas, trna l
601 caixas ec2W3 barnriqs eam188k
^ -h~as *2 epoeiras. *ntra1; -
+a 7T'.'440 t'aixasis "c#nr eram


Foal


eA4 A 0bi4)O0 m AM OiY 415#J
1e~88t.4e4mbT#rJ4 Ql ^ ewou
tubro, de 16#6 7eOom. l vniharo
4 6#000X; e aemeubro, a IAf_70W.
Laranginha- 270 caixas, contra 270 ez
1883.
LegWmNes 12saceos, 15 caixas 611t
volumes, contra 86 sacecos, 1 caixa e 61
volumes em 1883.
Laite con ado -110 caixas, contra 8]
em 1883.
Licores- 361 caixas, contra 475 -en
1888.
Limonada gazoza 38 barris.
Linguas 4 caixas e 18 barrio, contra
caixas ew 1883.
Mkiena 3:314 caixas, contra 2,794 en
1883.,
Manteiga-9:336 barrios, 15,639 meios
3:347 eaixas, contra 9,369 barris, 14:36(
meios e 2:863 caixas em 1883.
Fez-s o retalho por kilog.:
Da franceza em barnril: em janeiro, df
1#809 A 1#853; om.feveroiro, de 1#787
A 1i73; em mar9o, do 1874 a....
14962 em a1ril, 'A 1874; em maic
de 16744A14874; emjunho, A 16,744:
emjulho, do 1#656 A 15678; em agos-
to, de 1#6656 A -1#765; em setembro,
de 1#765 A 1#,874; em outubro, de...
145853 A 1#862; em novembro, de
15962 A 24036; em dezembro, A 24000.
De diversas mareas, em lata, conforme
a qualidade: em janeiro, de 2#507 A
2.725 ; em fevereiro, de 2#616 a 26681;
de marco a junho, de 24616 A 2#725 ;
emjulho de 2#398 A 2#681; em ages-
to, de 26398 A 2#659; em setembro e
oitubro, de 2#398 A 2#943; 8m novem-
bro, do 24507 A 2#943; em dezembro,
de 2#700 A 2#900.
Massas alimentares 3:037 caixas, contra
4:486 em 1883.
Regularam as vendas por caixas.: em
janeiro, de 7#000 A 740) ; em fe-
vereiro de 76000 A 94000; em marco,
do 8#000 a 9,6000; em abril, A 74500;
em maio, de 7#500 A 84000; em ju-
nho. de 76250 A 8#000; em julho, do
70250 d 7,500; em agosto, de 7#000
8#500; em setembro, de 8,5000 A 94500;
em outubro, de 9b500 A 10#000; em
em novembro, do 96500 A 105500; em
dezembro, A 10,500.
Massa de tomatoes -50 caixas, contra 91
em 1883.
Matte 10 surroes, 1 caixa e 1 volume.
Milho-25:789 saccos e 11 barricas con-
tra 26:583 saccos e 1 barrica em 1883.
Regulou a venda por kilog : em ja-
neiro, de 74. A 85 reis; em fevereiro, de
80 A 95; em marco, de 85 A 90; em
abril, de 70 A 95 ; em maio, de 60 A
85; em junho, do 70 A 80 ; em julho,
do 70 A 85; em agosto, de 60 A 75;
em setembro, de 60 A 77; em outubro,
de 58 A 60; em novembro, de 55 A 60;
e em dezembro, de 30 A 45 reis.
Mortaddellas -19 caixas, contra 2 em 1883.
Mustarda 3 caixas, contra 5 em 1883.
Nozes -4 barricas, 7 caixas e 20 saccos,
contra 7 barricas, e 10 saccos em 1883.
Ovas depeixe 2 caixas, contra 4 em 1883.
Passas 383 volumes, 128 caixas e 289
fardos, contra 840 volumes, 256 caixas
e 342 fardos em 1883.
Retalhou-se por caixa: em janeiro,
de 7,5000 A 9,5500; em fevereiro e mar-
90, de 7,5 a 8s5500; de abril ajulho, do
65 a 8,5; em agosto, de 7, A 8,5; em
setembro, de 8, A 9,; cm outubro,
de 8,5 A 11,; em novembro, de 7,5500
A 10,5500; em deaembro, de 10,000 A
10500.
Peiwe em conserva -316 barris o 34 caixas,.
contra 480 barris, 16 caixas e 14 gara-
jaos em 1883.
'imenta da India 634 saccos, contra
98 em 1-83.
Vendeu-se no retalho per kilo: em I
janeiro, de 1,200 A 1,5250; de fevereiro


A maio, de 1#150 A 1#200; em junho,
de 1,200 A 15250; em julho e
agosto, de 1#150 A 14200; em setem-
bro, de 1#150 .4 1#350; em outubro,
de 1,350 a 1#400; em novembro, a
1#400; em dezembro, A 1500.
Polvilho -2 caixas e 5 barricas.
Presuntos -168 caixas e 18 barris, contra
177 caixas e 6 harris em 1833.
ProviWaes|- 796 caixas, contra '741 em
1 83.
Quijos -8:242 eaixas, 44 tiuas e2 amar-
rados, centra 8'.401 aaixas, 10. tias, 4
fardos, 3 barricaa e 8, anarrados em
1883.
Venderam-se dos-flamengos, cada.um:
em janeiro, do 3#300 A 34600 ; em, fe-
vereiro e marco de .S200 A 34400; em
abril, de 3200 A. 4300; em maio, do
3#A 3#300; em junho, de :, it 3#200;
emjulho, A 36.,; em agoato, de 245OA0 A
3#5200; em setembro,. 3#409 A O 4000;
em outubro, lde 4 A 4' 200;.emno-i
vembro, de 3#W803,A 4,200-; em deaem-
bro de 36700 4 34$00.
/Rhum-0 caixas, cor*a 12 caixaa e 1.
barril ei luS3.
Syrd -215 garrafoes, .contra 102 garra-
fMes e 12 sacos em 1883.
Sal 2:410:280 litros, ,902alqueireo, l5.
caixas, 225 rmeios, 60 toneladase 2:5b51
aaceas., c;iteoat ra1J3;90 litros e.9445

Asvendas dop.acinaI reg44ari port
I0l littros: janeir6, do 1 A"
emi fvereiro eawarci, do 1 A t4200;

8a 4 .I 0Q;a conjjinb o 4 u18 d
A w, jguhs. doi^


^a~aOTese caix. contra 4 em 18"3


deo 1.2 A00t A
em i
71'ento M,'-'t A 4 8040 -6. 1btlieio, 42
Ssaccos em 1883. '
Vinay#e-2.32 ipa'l flaasi
0' MW 598~-anse8-aw~
)1 piis,13 :ptl'A'qrintee, "72 -dom^. ^
baraia16 ,46aixas l -
SVbnde,6 'por.pip v o-
lidade e procedencia: emjaneirv,
2i 1665 a omiefeveririo;-d^
de margo ajulho; de 4o120A 4 f
agosto,de IO a iW..t5; ^,.eain ro,
110 A 165Vem euntubroenoIvembi.t-e
#,148 a-65d e em deenmbro, de4S5^
'{ 165W000.
Vinho i -4862 pipas, 39 meias, 29 qumr-
Stos, 9,652 quintos,- 32 oitavow,- 4428
Sdecimos, 3:061 barris e 12:5611 caus ;
contra 3:275 pipas, 28 mweias, 60qaarW-
tos, 16 oitavos, 8:535' quintos, 3i188
decimos, 1:177 bamris e 9:07-2' caia.
Nas entradas comprehende-se omuito
vinho- fabricado- no Sal do 'lmperi
I Regularam as vendas per pips; aos
; seguintes pregos:
S Do do Lisboa: em janeiro, do 21t ,A
235#; em feveroiro, de 220# 42%;
em mar9o, de 220,5 235 ,; euab oril e
maio, de 210, 5 2256 ; era junim eju-
Iho, de 200, 215,15; em agosto26 o
A 225,; emr setembro, do 210# a A29, ;
em outubro e novembro, de 225# A 2S*;
e em dezembro, de 200# 210000.
Do da Figueira: em janeiro, de-220#
A 245,5; em fevereiro, de 2255 A 2456;
em mar0o. do 215# 4 245, em abril-e
maio, de 215 A 2354; em junho, julho
e agosto, de 210# A 230#; em setem-
bro, de 210 A 245,; em oututbro, de
230, 4 24,54; em novembro, de 2 5#
A 245,5: em dezembro, de 220# A235,
Do branco de Cette: em janeiro, de
220, A 230,5; om fevereiro, a 220,i;
em mar9o, do 205 A 220&,; em abril,
de 215A 220*; em maio, de 21f) A
A 225.4; em junho, de 210#,A 220;-em
julho e agosto, de 210# A 215#; em- se-
tembro, de 215, 4 230, ;" em outubro,
de 220# A 330,; em november, de,220,
A 235,5; em dezembro, de 2 (0 A 28&#.
Do Porto, em oaixas do duzia de-gar-
rafas: em janeiro, de 86500- A 20#; de
fevereiro A agosto, de 8 A 20#(; em se-
tembro, de 8. 4 25,; de setembj-o A de-
zeminbro, de 965 A 404000.
Xarque 14:538:838 kilog. e 24:420 far-
dos, contra 15.175:368 bilog. em 1883.
O mercado foi regularmente stapprido,
send proporcionaes as entradas ao con-
sumo.
Os pregos, qne eram altos no princi-
pioe do anno, foram baixando gradativa-
monte ate junho, crescendo pouoo de
agosto em diante.
Ficaram em deposit A 31 de dezem-.
bro find 874:500 kilogrammos.
Regularam as vendas per 15 kilog.
Do national: em janeiro, de 5W 00 a
7Ui00; em fevereiro, de 6,00 4.74300;
em margo, da 5,400 6A 5800 ; emabril,
de 5, A 6#500; em maio, de 4# a
54400; ]em junho, do 444,54800; em
jullio, do 3,800 4 4,000; -em agosto e
setembro, de 4,500 A 54800; em outu-
bro, de 4,600 4 5,800; m nevmwpro,
de 4,5500 A 5,5800, em dezembro, de
4,5500 a 6,5000.
Do do Rio da Prata: em jarnairo, de
5,800 A 7,800; em fevereiro, de'w6600
4 7,5300; em margo, do 55200 0475000;
em abril, do 5,200 A 6,400; em mtio,
do 4,500 4, 5800 ; emiunho, det4,5200
A 5,5800; em jnfho, de 4,500--i .#00;
em agost. e setembro. de 4,800 4.6fi ;
em outubro e tovembro, de 5,5A 6,400;
e em dezembro, de 4,5500 a4 6,000.
Wermouth 251 caixas e 1 barnil, contra
140 caixas e 1 barril em 1883.
Wiskey 370 caixas, contra 372 caixas
em 1883.


DIVERSOS ARTIGOS IMPORTADOS
Agua-raz -118 caixas, 90 volume, e 5
latas, contra 219 caixas e 40 volumes
em 1883.
Alcattlo 267 barris, contra 288 em 1883.
Alfafa-33fardos, contra 610 Bom, 1883.
Alfazema 96 saeoos e 12 fardos, contra
50 saccos em 1883.
Alpiste -1:204 saccos&e: 83: barri=a& con-
tra 831 sacoos e 141 barrimoas enil883.
Alvaiade-11 volumes e 116,.baurm .
Area de mvldar -50 barrio.
Azeite de palma 5 pipas, 26 barx-s e 2
caixas,. contra 66 barris e 5 caixas em
1883.
*AzJeito ddpitd -p44 barris, 2 caivaa e 1
late, contra.80 harris em 1868.
arris e barmce vasias -23:914,, mais
10:405 volumes deatmanchadoa.
Barrilha -1:495 tambeoes, eontra 1:195
em 1883.


.il


Este quadro mostra asdifferengasw eofre
os dous semestres die 1884, e provaqude&,no-
I- as entradas foram mais vultuosas. do
que no 2- ; pelo quo o compucto Tfoiuu-
perior ao do 1883.
Os pregos da venda baixaram umr poaco
em abril e maio, e no resto do anio con-
servaram-se relativamente altos.
Batatas-Entraram menos 1:664 caixas, e
mais 3:990 gigas e 706 barricas do que
em 1883, send ainda o compucto faqo-
ravel ao anno de 1884.
0O prego das caixas que era baixo em
janeiro, foi subindo gradualmente at mato,
decresceu um pouco ate julho, e tornou a
elevar-se atW o fimu do anno, mantendo-se
corn pequenas oscillaoges.
Os preoos das gigas, munteve-seo rega-
lar na primeira metade do anno. De julho
a setembro nao houve do genero em gigas
no mercado, e de outubro a dezembro, os
precos foram um tanto mais altos.
Caf4-As entradas foram :






























#,.4 *, 1:0604 barri e 37
237 e &MM4caook*


4M am US&,



i.I2 1JWrio e 30 c 9ixas, cO-
..... e 6 caixaM eim 1888.
CIo Cob .46 voluAes e 186 folhas, con-
o 0" 2371volhmes ee 1883.
WW ,7 411 saccos e 4 barricas, contra 5
1 m os eua- 1883.
c 1 2 C as depiaueva-1:830 pecas.
, Cm"info -138 caixss, 1:360 fardos e 28
L"rv lso, contra 148 caixas, 413 fardos
;4 bar.vulaos e 6 1883.
Courses 1ie -oic-20:503.
Dr~~metes 42:252, contra 71:565 em
S1883.
Droffas -1:063 caixas, 2:780 volumes, 80
latas e 130 rolos, contra 1:079 caixas,
S3:543 volumes, 463 latas e 587 rolos em
:w 1883.
rEwxfre 252 barricas, contra 260 em
1883.
Eetnho-131 volumes, 18 barricas, 34
ci .e aus e 23 toneladas, contra 190 volh
w.es e 22 barricas em 1883.
Euteiras--303 rolos, 16 volumes, 121 mo-
Ihos e 260 avulsos, contra 116 rolos, 34
volumes, 57 molhos e 175 avulsas em
1883.
Estopa --1:236 fardos, contra 831 em
1883.
FareUl e senaeas 38:126 saccos, contra


41:174 em 1883.
Regularam as vendas per sacco: em
janeiro, de 44000 A 44800; em feverei-
ro, de 34900 A 44400; em margo e
abril, de 34800 A 4$400; em maio, de
3#700 A 44400: em junho e julho, de
34600 iA 44000; em agosto, de 34800
A 44800; em retembro, de 4#500 A
54800 ; em outubro, 44700 A 54500 ;
em novembro, de 44700 A 5#200; em
dezembro, de 44400 A 54000.
Feno-165 fardos.
Ferro Em ago: 187 caixas, 23 barras,
94 volumes, 210 cunhetes, e 335 fei
Cxes, contra 234 caixas, 479 volumes,
582 barricas, 219 cunhetes e 231 feixes
em 1883.
Em ancoras : 68 contra 21 em 1883.
Em arcos: 5:775 fixes, contra 5:570
em 1883.
Em barras: 25:509 e 9:580 feixes,
&Mcontra 29:942 e 6:867 feixes em 1883.
Em canes : 157 volumes, 577 feixes
e 3:675 avulsos, contra 5 caixas, 410
volumes, 394 feixes e 3:659 avulsos em
1883.
Em columns: 34, contra 100 em
i883.
Em correntes: 30 barricas, contra 26
"F"em 1883
Em enxadas: 617 barricas, contra
500 em 1883.
Em ferragens diversas: 92 caixas, 13
Oarricas e 6:675 volumes contra 56 eai-
xas, 3 barricas e 7:832 volumes.
Fm fog&es, fogareiros e chapas para
foeges: 4:994 volumes e peas, contra
5:359 em 1883.
Em folha: 30 volumes e 934 avulsas,
contra 12 volumes e 1:560 avulsas em
-4883.
Em folha de Flaudres: 2:898 cunhe-
tes, contra 2:128 em 1883.
Galvanisado: 40 teixes, 10 barras.
20 caixas e 45 folhas, contra 97 feixes,
40 barras, 8 folhas e 4 caixas em 1882.
Guza: 52 toneladas, contra 35 em
1883.
Em formas para assucar: 28 volumes
e 367 grades.
Em fio para telephone: 370 volumes.
Em pAs: 1:028 teixes, contra 1:665
1883.
Em picaretos: 37 fardos, contra 15
em 1883.
/ Em pregos : 1:494 barricas e 671 cai-
xa, contra 1:643 barricas e 293 caixas
em 1883.
Em parafusos: 12 saccos.
Em pesos: 70.
g Em panellas: 227.
In Em pont: 1 complete.
SEm locormotivas: 1 complete.
P Em taxas: 1:351, contra 624 em
Cl:" + '1883.
: Em trilhos: 11:608, contra 29:677
S em 1883.
|| Em machines, instrumenitos,appare-e
1bot eL -iBtas 4A:133 volumes e peas,
m. tra 49:113 volumes e peas em 1883.
Y' io deagINOde 1"ke--627 saccos, 1:258
frdose .7 caixasem 1883.
PsO- 13:769 volumes, 130 fardos, 29
S00 latas, 12 paeotes e 6 roles,
^s 12.:634 volumes, 443 tardos e 7

0urum vendasopr 15. kilos,
la ulidsde- Em jaueiro e
g^|||#;00 A 264000; em mar-
260; em abil, do
', e jalbo, do 1054)0
~sagsdo100A


i^]TF ^ |e ^^ ,.'1.'.!:-.'
Lai-bawi*k-2077swaog-.
L44a- -1:668 caixas, contrwl1-742 em

Li,*a~a 5 Unarries.
Lonc -130 faws, conta 99 UiR t883.
L"" 3:274gigas,A ..M-.;.
*caixas, 205 barrieasi 197 p"aa avulwae
w, &-1:10 cao de ,barro, ntma 3:331
gigas, 230 volumes, 199
baricas e 315 peas avals em 1883.
As. vendas durante o aino effectua-
ram-se corn 350 O/o de premio sobre as
facturas.


Madeiras 1.535 pranchoes, 49 taboas,
1:669 traves, 1:117 enxameis, 4 roles,
1:323 caibros, 216:150 achaa de lenba,
595 remos, 4 feixes de canos e 1 grade,
e 32:914 peas diversas ; cdlxtra 10:306
pranchoes, 192 taboas, 1:592 traves,
1:511 enxameis, 1:134 rolos, 1:813 cai-
bros, 66:000 achas do lenha e 36:343
peas diversas em 1883.
Marmores e pedras 964 caixas 69 volu-
mes, 15 barricas, 402 taboas, 2:170 pe-
dras de amolar, 45 pedras de rebolo, 10
barricas de pedras de fogo, 81 pares de
pedras de mbinho, 1:034 varas de lage-
do e mais 313 lages avulsas; contra
152 caixas, 581 volumes, 23 barricas,
312 taboas, 2:874 pedras de amolar e
750 varas de lagedo em 1883.
Mercadorias diversas 11:577 volumes e
3:258 caixas; contra 10:932 volumes e
6:960 caixas em 1883. ,
Moveis-274 caixas e 321 volumes.
Oleos diversos 595 caixas, 777 barricas,
271 tambores e 56 latas; contra 926
barris, 1.59 caixas e 70 tambores.
Palha de carnauba 3:422 molhos.
Papelt 25:771 fardos e 911 caixas; con-
tra 17:344 fardos e 1:064 caixas em
1883.
Retalhou-se, o de em embrulbo, ca-
da resmna : em janeiro, de 600 A 1,200;
em fevereiro, de 640 A 14200; em mar-
co, de 600 A 175200 ; em abril, de 680 A
1.200 ; cm maio a agosto, de" 640 a
10500 ; em setermbro, de 640 A 1#670;
em outubro, de 720 A 14650; em no-
vembro, de 750 A 1650; em dezem-
de 740 a 10500.

PerJumarias 885 caixas, contra 583 em
1883.
Phosphoros-3:886 caixas e caixoes, con-
tra 2:949 em 1883.
Regularam as vendas por grosso, con
forme as marcas: em janeiro, de o1..60()
A 2`400; em revoreiro, de 14600 A
24300; em margo, de 14600 A 14250 ;
em abril, de 14600 A 1.4200; de malo a
agosto, de 16600 A 26100 ; em setem
bro, de 1)'600 A 26400; em outubro,
de 24000 a 2.>400; em novembro, de
24000 A 26500; e em dezembro, de
2.200 A 24400.
Pennas d'aves 13 caixas e 5 volumes.
Pianos, org7ios e harmoniuns 98 caixas.
Pitssava 2:615 molhos.
Plantas-4 volumes.
Polvora-84 caixas e 5:839 barris, contra
426 caixas e 6:253 em 1883.
Pontas de boi -10:000.
Potassa-123 barricas, contra 131 barri-
cas e 100 tambores em 1883.
Resinas 1 sacco e 39 barreas, contra 1
giga em 1883.
Saccos vuzios 282 volumes e 452 fardos.
Salitre 2:011 barricas, contra 1:140 em
1883.
Sebo 5:538 barrios, 34 caixas e 3:600 ki-
log. em rama, contra. 270 pipas, 8:478
barris, 150 c&ixas e 4389 kilog. em ra-
ma, em 1883.
Regularam as vendas por 15 kiog.
de janeiro A marco, A 86500; em abril,
i 8J800; em malo, de 8600I d A 84800:
de julho a setembro, A 84800; em ou-
tubro, de 84600 A 84800; em novem-
bro e dezembro, de 84500 A 84700.
Soda -- 70 barris e 40 tambores, contra
185 barris e 50 tambores em 1883.

Solla-19.722 meios, 59 volumes e 439
roles, contra 23:854 ineios, 21 volumes
e 166 roles em 1883.
Regularam as vendas, por mejo, da
national: em janeiro, de 54500 i 74500;
em fevereiro e mar9o, de 54 A 74; em
abril, de 44500 a 74; em maio, de
44500 a 66500; emjunbo,- de 44000 a
64500; em julho, de/a 44 7-4 ; em agos-
to, de 34 a 74 ; em setembro e outubro,


de 3# a 6#500; em novembro, de 3#
A 64; em dezembro, do 34 & 5000.
lamancos -19 faidos e 3 caixas.
Teoddow divers. 21:085 vodumes e 776
caixas, e mInais 5:305 fardos de tecidos
de algodao do paiz, contra 1.7:796 volu-
mes e 925 caixa em 1883.
7Tijoso-146:322 e mais 50 volumes, e
240 caixas par& fkoa.
2TiBae-2:049 batil, 45 oaixas e 682 vo-
lhmes, contra 6257 barris, 23 caixas,
711 volumes 235 tambores em 1883.
Typuspaa impreua -13 canixas contra
19S caixzsae8 volumes e 1883.

SVfwoura, de pma.wa-29a f ado.
Veias -3:426 caizas e 114 volumes con-
tra 5.754 caixas. e12 volumes em 1883.


isobro.
Otubmcro



Novelibro.
fD*sembro.


Total em 1884.
1888.
o 1882.
a 1881.
1880.


W^
ro
PIZ6
o o


e


0
*-

0
0

,-



0

t:









S












02
=


0

PM


*Po






.
-p)1

0: S
4)


0


I




* .a .
I *


0
h
a

C
a
S
U
0
U.
a
a
6
6
U.
S
a
0
U
U
4)
a


S
U.
4)
ml

S
U
6
U.
*0
'ml
2
6
a
S
U


.' "-i ia?:,

i10.417A
11.886:
I I. wt23
12.780A
11.273h


0
EI~
0


-+


3S 4 S ~-044- &CO0 0t
^I'SC~i~r-i tS ? ?o tao
o o-L .

I!


a oo ... j ..



0 3 .
14 "
" I %


..c


L

0 0
eq T-lM ^ (


* 1111O


7- 4


I .' *


!17:a.1756%
221:001A21
1 ,689:572+
1.662:605613
2.105:5075408
2. 781:6425g98l


II -
-.%'&* < **% 9.
Ti aast ''


II
II "
II n-
o1 ,.Lt44 o s


-V-
I4 3 g 3c.- 0 0
I zs .i .f~t 3?II --,
. I ^ (3-0I0fi3 c -tlo O?

'I .



.-:^ Ito oi~

... .. ..
y ~ ~~~~ ~ f^ l t2 35 S cOSi'Sft. t- a
3 ~ ~ ~ ~ ~ 1 oo-isinf t~- V.^? 11
-- It- I -
I ljl *} ,'I


14
z
- I
0
o


4


. "C. 'a 'a 0 ,



-tf? ~ T
S* 1 -> -a -.
cc CO 445


'a 'a

44


'a
CO


l 44


.* i i + !
i ik
a :.4 -q
q* *a *



to -Io *
-^ '' : :'"* jj,-. ^. -' "


I~I

-'I
44
1.4
~0

44



44
CO


f


- u4Id~.


,II
.5
0


~e~a4:f ~


-' a .iav. i I
V". .
_______D


^




QQ


I

S.
XT
g
QG
0'

^
*>"
e
**"s

S
&

I
"s
2



^
s
e
"e


o
&<
g

^

<
*S



9
C


fl6
6



'S
0
^
"s

^

^
a
^
*^
&<
S5
=5
&c
66

-S



a

g
a?


'fa' a, *'*'a'r1"+


T- T- 1-1 --- T-I -<-T-


ROUIi-)


jl
'a


.~ 'a


~.0 '0
-4


231 ?; 4-4GA "= i "=o sp:(,5-Q-
OC (C t %i, 060 : O ,t
V-4 jQ~i;Ti-it


I I


Ii
'a
C:


?* j4
0 0


*# N ^ 0 ^N ^
*~ ~ ~ : **** ** i a ~





I4-a 2
R- o E -cn c053
I 4.* 40
8Vv~iv3| c |
* ______L __id_


" m m-- 4 o in.


0--40 ccVlfW3t CO C~i~O'O.44ccf
0C:-'SO OCSQO'lff


~0HuI~I


0.0S


t.0:
-44
t- 4:


S1{)HO ::::0: : ^: :::: | I.:
s tvc4 I "


I l~a :^s~g .....s


-14:- ,c ,.. 4; r- .4 4

S I I .. ...
________________ |eq[;o
r01 '-- f l-\c 01 0404 __


ki. 00 L-* Vt = CiOt~t-,O Q
ittoc e i.- oo 0cttissC
. .- dL 4. .
V"i T"Ir-


tz
o c
SC-


0-
0-


Co


"* ,*L .' ,.. ( s


TX IV a .

03Sa 'i
90 mooa~i L o (P4 T-I t^- MN ^o 7 ^ *
Io *f *q ( Im l s i ?


t"o w C, A$04, 4 9t o
t CT~ooo scO i..go
0-1 400-


sv.IJJ


:1R
a.


0


ccw.~


* + o di+
.-Rill
f'aN 4 M


v- .


+:: .' *- ^ lc l; +o. '
- +-", '' : *' o. -








: / -1.;' ..+ + +*- ^ 1
-



U; : +

3 &::
a ,TI +

.. .. -",


Ii :



.....,L+4
.... 000 I) QO
i< '. 0 u do0 04 -
'.(yIo -1 O COT-
ft''^^t*^ j *l~ftH
vl-^s^^^ t^ ? I

^ *' 30 ^ 1; '?>1 I
^w ~ '" .^^'


, 11, ^1^


I


m iJ


. . .


I-


6
Ii
*e1
ml
a
v
h


SVdld I


. .. .. -. .
.


.05 C4 r--














S; N. 9.--qJADRO da exportatlo da borracha, cafe, carvao animal, cqlcos, does, farina de niandioca, 11

Ii __ _


C a r v A o
animal

PARA 0 INTr3RIOR


an
.as f
C..
e D
a= ., 5 ,.

30 1.608
24 2.385
5 300
5 500
4 530
2; 2.A62
i 20 809
2 250
9 1.105
4 622


129110.6162
191 116.086


,. 2.472 4 23 2.066 62 5.424
AU I 2. .6


C6com (fructa)


PARA 01 PARA 0
EXTERIOR INTERIOR


2

z

6.066
5.000
1.500
13.300
12.000
7.300
10.000
5.066
10.000


70.100
3.5001



66.600


z
43

24.500
72.000
36.300
37.600
78.000
40. 500
80.700
62.600
80 700
39.300
27.800
i1.800


TOTAL


0
S
b..

z
24.500
78.000
41.300
39.100
91.300
52.500
88.000
72.600
80.700
44.300
37.800
81 800


661.800 731.900
523 300 526.800



138.500 205.100


PARA 0 EXTERIOR

I II


7
3
4
18!
5I

3
15
15



55
21


I -


as
C..
I..
as


i
S.

27
22
720
72
390
391

22
190
S30


1.512
1.001



511


Docem


PARA 0 INTERiOR


co
as
2
as

I
1

45
2

1
7
13
5
3


8O
26
'10


s












6
6


1



5


0
.-2

45
50
300
1S0
20

12
425
1.366
910
120



3.428
950



2.478


M


2
5
6;3
7
4
7
14
20
4



135
47


TOTAL



8 s
too


72
72
.. 1.0'20
252
410
51
425
.. 1.388
6 1.100
150



6 4.940
1 1.951


2.9891


i I I I I I -.I -. -I M A M


iaderas, m -dicam',tos e rape .
nadeiras, medicameintos e rap ., ",

^_~~ ~~~~ .______ .''


|E.-If. 6-QUADRO do algodao entrado e exportado do Recife N. 8-,UADIO d
1,___ _.. ... ..________ __ _____-_-"--- .. ..

^^ ^]Exportado COUROS VERDES


Para o e&teriar Para o interior


KILOG.
-.. I

1.514:123
549:496
1.221:670
885:398
543:377
659:205
278:404
46:024
461:857
617:841
999:464
1.246:040


8.922:899
12.154:740


I

3.231:841


SACCO8


1:175
1:048
1:253
900
300
66
535
100
250
204
752
80


6:663
18:220


11:557


FARDOi


90

1


89


KILOG.


84:880
76:148
109:615
66:033
23:976
5:606
37:727
7:553
23:656
15:876
50:805
6:179


508:056
1.201:785


693:729


TOTAL


SACCOS FARDOS KILOG.


17:702 3:152 1.599:003
,8:6l9 1 625:644
( 10:578 2:377 1.231:285
7:783 1:550 951:431
5:544 587 587:355
4:718 2:274 664:811
2:761 633 316:131
581 53:577
4:-87 1:022 485:513
6:023 2:290 633:717
14:336 1.050:269
16:339 1.252:219


99:571
125:398


25:827


13:886
23:933


10:047


9.430:955
13.356:525



3.925:570


Preios das
vendas por t&
kilog.


5W0-7A500
66500 7,6300
6#500--7660)
56800-8#300
7W00 8800
8700)-86900
66600 8#700
6.:00-86700
66400-86 :00
66100- 86250
56850 8#550
66000-86200


6500o i 8,900
56200 i 84k000


A300 & 6900


.^.i..--. N. 5--QUADRO do assucar entrado no Recife e exportado, e do

. .: '/ -.------ ..-.----. -- I _____


ENTRADO


SW.T
I)Er
BACCOS


364.283
287.138
170.627
103.015
56.847
14.461
5.188
2.390
19.506
140.803
307.226
338.398


PARA i.1.XEI.Ii.K ,


EXPORTADO


n AI A i ii in i II II IDADAJ "I0 ru" tIu I IvI I I I L IIIII liX-A-


- m a m I I II t U mI Illm


RARRI(AS


3.941
454
6.298
6.464
.2.459
1.687
11
6
6.858
4.367


SAC-COS


262.201
118.574
110.375
74.662
54.033
24.147
9.508
1.280
12.920
123.895
184.850
255.989


VOLUMES I Kn.OORAMIMAB


702
674

329



350


19.933.313
9.153.858
9.240.817
6.321.283
4.317.656
1.993.672
712.175
96.577
990.350
9.297.573
14.515.415
19.670.186


96.442.875
90.120.337


BARRICAG


16.503
29.025
28.640
21.035
20.4011
11.683
10.064
12.261
16.566
7.867
19.440
22.123


215.6(8
200.044


SACC0S


51.038
48.828
44.833
25.655
15.458
11.499
9.410
12.503
7.373
7.180
12.766
30.194


276.732
224.463


VOLUMES


13.391
12 946
6.623
4.292
4.969
6.126
542

32
1.022
5 977
10.601


K ILOGRAMMAS


5.771.566
6.281.726
5.622.483
4.069.203
3.262.589
1.843.440
1.498.791
1.586.155
1.838.968
1.109.937,
2.800.402
4.764.749


B ARRTCAS


20.444
29.479
34.938
27.499
22.860
13.370
10.064
12.272
16.566
7.873
26.298
26.490


Em 1884 1.809.882 32.545 1.232.434 2.055
Em 8. 1.863.065 4.618 1.197.214 282
.r -


53.183


27.927


35.220


I


66.521
120.826


40.450.009
42.279.711


-- m ml ~


6.322


15.564


52.269


54.80k


1.829.710


248.153
204.662


43.491


Vi


a exportavao de couros e outros residues dg a.t ,

. .. ..C. C. ,USXPS. 05 08 .,: 1. .# .
J i


... .. .. .. .. ...... .. '- ". .* ".. .
_____ _. _.. -__ ; ., t .'f,.

s preyos das vendas no mereado. .

'i. .,1 1*


.1*~-~*.-. ~


-~.


* ~ ~


J- I m-- ---I----I
II I I I I I I L


/


ksmaam--


I


I I


I


1
i
I
I
i
i
I
i


i'APA RA OSrlUaA 1)U iaiM-OU


.1.



























































C3 j
40


r4,
a.

US
'0





0 0
iSd



i'4,
00 o
04044


s a
o|.o
-e 14.
d a0
C.
asp*

..'0 t'0


as ci

al l o

'is,


43

0
US
$4
US
.4


4-4 -


044
N



Ce

a
od
544)




es,
"403


dl





Iii
'0
.


w- CY3 Cq tolm 00 ft -.41d cq wob 4 c s ^ c
r-i4r-iwo=t-- t-oooo 0 -I
t W, : 00
tujIlE0i ;





2 C8

~~ I n w00Cm kno RVO r-4Co ki-
B C 014f .a4Yln co58 -4C *O -' 4

? o4 t^ Co ft-1 iOC oC C O
5- j y.941 4? M44 ,= 0 v-






10 ~
*Vo i~N 3:' taoort- Co s~~ o r.^-jcx i CoD
T-104 a.- CO t4 L-400O f C-o4






"4 144 to
Lo o 0

0- 4 4co 00ca ca












.414

t-o- o 8
I' _______________Iwo&


w t- O00 C o-4ft 4t C $,- 0 00






41 C4-d L 0 0 i -
w










In cc "4 m 0
6 0 __*_______





. ..1 .
03 LO IZ b- 00 -4 LO T























CZ C
___ ___ _________________ ___ ,,
c6>t- c 8oo utm o 1os I)to- ?*


.* cq o4 oq N o q -Moso~~io c

cq 0w4 C4 ^v y ^ ^iT
r .G4

infyi ti0o: o~~t-~o -

-4N 9: ? -1 0= 2" 'c :Ct l
I ,, ^ _______ _______ __E- 4_ _
^- ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ G N !"" ( ~iH wi -it -oC '


lP op1v


CDa i


112184A1CS!i


".4


, zE -S
'4uo !
'. 5


0





























Not


0t

~0
Fo


OCO"4o ^-Co:j" COCO^
N T-4 M -4 T-I4 v- 4 "4 p w-i-4 v-4"

OI i0 iV- t *CO


Co
co

"4 1-4o


Co'-.
coC,-"
"4-t1- '


J i J i : : :1:

l a : : : : : : : : 4: .

,; 1 . -;

i o 5^ : : :' : :- : : :
o* : : : : : : : T+


I


I

4


I
S


U


I>.".. -..,.< -..4 .-..0'. ..4^' e *,-, -4.4408 r.4

I I -'-.- I I
I 4 O -r -. "4,-,-'4..4 -.- ,. Co 4 1 -
L a p4. "4~ ,.'1i4'.& *
8 ~$4I4 .. I "4:,

S w 09 "41- 41-4 1- | s sii -C ( -

I
0 g &1-
0~0 8 f i4 -
s4 1-"C"i04-C sI *,


*CbiO^T~-4 rr "4,4" T- 1.43C1*,



~oa I "
__^i _____________


U)
'00
-.4---


0


00?
'0 -
0
.B $4
4


cq cz~ ~ ~q ~q
0808081-


"4


r-1 r4-
"4"4
-.,.0
:11tO


Co Co


4-i
r- "


1 -fY-4 r4 v4"4v-i r-4o. q
I I I I I I I I
t- w 9 t- 0 lrlOtin inS^
tCOCOCO'44 0CoOt-Co<0<0?0
v-4 v1rI"4" 4" r "" 4
,I. + + ;+ +


08
"4
08080808


"4


- CoOkOkOtO t 0
I -tOoioeo I I-V
.01-0i4 -d 0o
7-A r-1 r-1 q -
1-4 -4 3I 1- 4- I


U) 1

I I^ s ^''^*' I^^'f'**


I.


r-4 o0 L o oo o


.. .. I r,



.4 1 G Ot-
7-4''40


*- *









0




-
























I-


_B 3 S0" S0CO ^C ---

S ^Jl -eiJLA 1 l 1 '


-~ '-"4 'M0 0o

1 > I I


Co
Co


*44. *


I. q T a- ao T-8, CO T4 Cot4Co-

S T CT < flk 0 00 M-"0OS0
13~~~~ ~~~ 0fl =M6 NWT5 qM*15 -





~ jC4
-^ I^t^ -^^ -00 o
& K Tc'~-eoo~tt' ?


I


C 9C
-4 000o 00 U *
-. _, m1 _
O1- t* ET- 4pO ,1.


Gq~ciyi (lI.


Co '44 '44 10 10


S . .
. . ..


0 o 0S i .
.i ..g ;* ^ O f.. 1 .w M(*: :
U00%
1613"1-p.
4-As c 4, 4ss 6A Q AN


H X ^.tzi. aSis: 05' seguintes ic-. Acnrescentao-mesimo telegramma que a mesa
Ai& i utadosrid 20o esr i nor 90striB d otreOta pro- requisitou a presena do Dr. :ehefe de poicia que
: + ...vi cia,: S e mi tou a man d arumofficial deopoloa.
is' o resultado d a votao Bomnito V moec s.... enoteens d1-ar lq os + d
K O dost opWovifl4Sit +no D }r. Alcoorrdo Junior $.7 I pcmssoeparsai' pA. m412 St -- -
poupraee*er a.miuoria diDr. G0Y e Va"a"icellos / 88P"SoPara i#a.
^ -^ r-*m^ ^ ^^ J .. +log :. L.3


-As eotmiss5 aes-
osupostas:

*u0e.
^ !^. 1'


!es.
rau~O.


qie tmha gravadas do ma'o direita em tmta escura
as iniciaes J. M. K.
S Ojuiz de paz respective prucedeu ao compe-
tqnte eorpo de delicto, verificando ter sido a mor-
te proveniente de ferimentos feitos per arma de
fdgo, alum de uma fracture na perna.
A polioia, procure dsewbrir os malfeito-
rn. s
0 vapor Ovapock da companhia ParA e Ama,
askss, que foi procurar safar o Espirito Santo-
aM a passage do Araguay nada tinha feito. Sup.
pSe-se que so poderA desencalhar corn a enchente
do rio no proximo meiz de janeiro.
SEsteve gravemente enfermo em Paris, o Sr.
D. Antonio de Macedo Costa, bispo desta diocese.
A. ultimas noticias dizem que o illustrado prelado
brasileiro achava-se restabelecido.
a Durante a enfermidade foi seu medico assis-
tdnte o professor Richet, cirurgiao do a Hotel
Neu. a
0 Sr. D. Antonio pretondia ir a Roma.
SNo dia 16 do corrente foi assassinado em Itai-
taba o commerciante Jolo Ermita, e foramn feridos
1.vemente e indiniduoe po in"di da tribu
tu6i, sublevados contra osecommerciantes d'aquel-
l1 district.
S 0 subdelegado respective, logo que teve co-
nhecimaento do occorrido, dirigio-se corn seu escri-
vle e duas pragas ao lugar do crime, nao sendo
possivel encontrar os assassinos.
S A mosma autoridade inform que no dia18
houve ainda tiroteios dos quakes nao se sabe quaes
as consequencias. ),
I Falleceu hontem subitamente victim de uma
assistolia cardiaca o tenen+e-coronel Joss Cesario
Varelhu da Fran"a, commandant do 15o batalhao
de infantaria, aos 62 annos de idade.
S Era um distinct e brioso military que servio
sempre a patria come um exemplo de ever e abe-
negaQeo. ,
-As folhas do Piauhy nada referem que mere-
ca mensio.
4lymnasio Pernambucano 0 Exm.
Sir. delo Dr. Joaquim Francisco de Faria, no re-
latorio que acabou do apresentar, dando contas do
movimento disciplinary, litterario e economic des-
se important estabelecimento no anno findo de
1884, asuim se exprimio corn relacao ao corpo do-
eente e secretario :
a 0 corpo docente-eontinuou & manter-se usna al-
tor& de suna nobre e imnportante misaS. Os pro-
fssotes, em geral, cumprim os seus deveres, en-
sluaram hem as disciplinas que professam, mos-
tpando zelo pelo aproveitamento dos alumnos, e
sonib tbdos ellebS de exemplar asmiduidade -- as
ftncAes de secretario e thesoureiro, continuam a
cargo do bacharel Celso Tertuliano Fernandes
Qui"te.a, que- as- exeroe-eem -m uia.-intelligeneia
euinexcedivel actividade e zelo. Today a eseriptu-
r*9o, quer conoernente a secretaria, quer As ope-
rioes do cotre do institatp, estA em dia e feita
esn devida form ; e as conta hao side prestadas
rgularmente ao Thesouro Provincial, nos terms
dis poaig5es em vigor. ,
i Tratando das finangas, disse :
S Ten io dado no anno de 1882,i pimeiro de mi-
nja regedoria, um saldo de 1:4746962, e no de
laM o de 7:451A09Q, dei no ansno find de 1884,
terceiro deminha regedoria, o de 10:665A554.
a Tenho, pois, o prazer de declarar que, duran
to os trees annos de minha regedoria nao houve
4 ts I y-aaofmSiolIPrlshixbueaaba:
'euve nao pequeno exeesso dareceita sobre a des-
piza : houve saldos consideraveis.
paquete naacional BEUa chegot *ntehontern do
sll o illustrado lente da Escola 'Polytechnica da
crte Dr. Epiphanio Gomes deSousza Pitanga,
qae a paseo veio A esta provineda, sahindo do
So de Janeiro a 30 do passado, como em tempo
f&nos avisados pelo telegrapho.
.i-lustp viajane foUM spdw- em easa de
seun digno0 irmao, o Sr. Dr. Praxedes Gomes de
Sruza Pitanga, A rua da lmperatriz.
Com"- imentamo-lo affeetunesmote.
S.ocle*ade BD tfleente keo-Bral
letra Procedea-se A eleilo para os funccio-
narios no anno de 1885, dando o aegninte resul-
tado :
Direotoria
Dsrectoe-Frauciseo dos Santos Neves.
Vildawi~B~ter-AutOBato Piosefr -d6 Mhgallhies.
10 secretariat Bento de Souza aTyra.
20 dito-Jose Alfredo de Carvalho Junior.
Thesoureiro-Antorno Bento de Caupoe.
+Con lItires-Jos4-Antonio de-Maoedi Lopes e
major Jest Elias de {Oliveira..
Copiehcwfisetl
Presidoate--Coronet Candido Joss da Costa.
Yiee-presidente-Vlinoel Ganciilves Agra.
10 secretnrio-Jeote rancisoo de'Gastro Mene.
z~a.
;20 dito-Marcos Franciseo de Paula Reis.
Conselheiros Joe Antonio de Monte, Carlo.
Holiday, Candido Jose Rodrignes Lima, Pompeu
Oollona Casanova, Joaquim Teixeira Bastes, Joa-
qllim Anastacio da Cunha, Adolpho Carneiro a.
valcante, Olympio de Sousa Galvao, Jose Luea-
no Cabral, Jose Maia da Silva- feraiardes+ Josa
I Pernandes de Mello, Antonio da Silva Santos de
Mc.rae, Enedino Rodrigues Nogucira Lima e
i Antonio Carnos Barromeu dos Santos.


Assembl&a geral
Presidente-Commendador Jose Joaquim Lima
Bainao.
Vie-presidente--Dt. Francisco laidoro Rodri-
ges da Costa.
10 seeretario-Jos Caetano Lumache de Mello.
2 seeretario Ramiro Costa.
Orador Jose da S9foisa Pitar Filho.
Adjunto doorador-Betiaario Pernambuco. -
Comuioso-de examo d contas TI-maa Ti-.
wes, JtAo da Silva Santos e Francisco da Silva


,to--Houttem, As 2 horas da ma-
ib dieu. de um feke'l w.tiep


t ln Ldest provieoi aindo t
vao o-,^l1Src. Jog41 Leo~poldo111 Bour"-
desay iaaia.',-,'.:11: 1 ^ 1.,


0 seductor reparou, a sua fault pi lldo-
a casar corn Di5nysia ; a honra esta-t, ..a.
, portanto, mnutil -ligal-os, vistaque ,e,
cem. Dionysiaama outto hoea qui Io sabe do sen
pasado e que todavia a aceita +poi espoa. Que
eame corn elle."
E corn efteito casa e assim ceabi a a il.
LeiiM--Effeetuar-e-bhiao 4 ,' i:
Hoje: -
Plo gnte Burlamaqui,i As 11 halr a
ImperatriAz n. 48, ,de,: moves, aalpe +ol s
ete., etc '
" Peto aente Britto, As 102 4r-aor aaa l 4 ;
Cacirmba n. 11, de obras de .urae .i -
j eetos.1 ""
Poio agentePeetan, as 11ax u^ it-
nazer o mss Annes,. de quijos do iai.i e- bai..
ta ti m. ,1 1.* ,. ; /" ; 1' 1 1111'


fuuui~bwe.-


0 Sr.


- -at -_


0o


:'f;
"" 1 -




' ?"


i;"^-*
^ipea


I b


l u *i n^


B*gP~amwa- ; 2:


0 Sr. Augustd Voisin (de Paris) reta o fac-
to seguinte : -
a Uma rapariga corn todos os desarrgt4s men-
taes hystericos. condemnadajA por divers veoes
per roubo e abuso de confiana, ent'w para a
Salp6triere.
Esta mulher era debjchada, mal eriaft e pre-
guicosa. 0 Sr. Voisin empregou o somaiypnoti-
co para calmar e-sa surexoitacao menta*esenso-
rial, e corn esse fimn elle a adormpee toe 4 os dias
ou de dous em dous dias durante dox a d4e horas,
por meio do olhar, ou corn uma alampafdt de mag-
nesium projectando uma luz forte sobre os olhos
da mulher.
SDurante o somno suggeria-se ,A doeate ideas
de obidiencia, de submissgo e de eonviiencia, e
exhortava-se-a ao trabsiho. Ordenava s&4he tam-
bern que apprendease de c6r algomas1% nas de
um livro. Dentro de poucos mezes iIo uma
complete transformaco nesta mnlher.
( 0 autor cr6 quo se pode aproveitar&muito o
hypnotismo notratamento das pertuiba6qervoso-
mentaes, takes como as hallucinacles e aegitago,
at,6 furiosa, e para endireitar os .sentinmentos de
affect, de genio, das inclinan6es inferiowu, dando
sos hypnothisados uma direcao moral e id6as de-
terminadas. 0 hypnothismo p6de tornawase entao
um verdadeiro agent moralisador.
a 0 Sr. Regis (de Bordeaux) ere que<,6 muito
difficil adormecer os alienados, porque n se pode
conseguir que elles fixem a attenqo, e, quo por
conseguinte o process therapeutic do S. Voisin
nao Ihe parece pratico.
o0 Sr. Bernheim (de. Nancy) faz notr que a
suggestAo hypnotic nerm sempre da bo resultado
e que,para que o medico seja obedecido peloente
6 nccessario, As vezes, mudar a perbonatrdle d'es-
te. Elle cita o caso de ura moga que nAo queria
comer nada, e que s6 se conseguio ta^l-a mu-
dar de idea no dia em que se Ihe saggerWdurante
o somno hypnotico que ella na.o era maiella, mas
sim sua tia, e que por conseguinte nao havia ra-
zio para que ella imitasse essa pess6a e recu-
saga toda a sorte de alimento.
S0 Sr. Doutrebente (de Blois) cre que talvez
seja perigoso este modo de proceder, e que os
meios ordinarios de curas sao preferiveia.-
ExpedieAo Ingleza=Afim de restabe-
lecer Montsiva, chefe important do -paiz dos
Betchounanas, (paiz situado ao norte & colonia
do Cabo e a oeste de Transwal)1 nos *us do-
minios, donde havia fugido em consequencia de
uma evasao de flibusteiros do 'Transa"l, e de
vingar a morte de M. Bethell, ohefe do police.
ingleza da fronteira, o governor da GrI--retanha
decidio a intervenao rmada naquella~arte da
Africa.
Em consequencia disto foi encarre&do da
direnco da expedite na qqalidade de corn-
missario superior, o colonel Warren, levaiw& com-
sigo trinta a quarenta officials das dMerentes
armas.
Esta expedi ,o constara de mais It00 sol-
dados de intanteria ingleza, a-que se iUaorpora-
rTio : 1 regimento de oaVallaria e 1 bteria de
campana. actualmente no Natal, 1 regHiento de
cavallaria das Indias, 1 companhia de sapadores,
1 companhia de parque, 1 bacteria de camanhap, 1
bacteria de Fortaleza armadas cada uie corn 4
metralhadoras Gardner e de 2 boocas detfogo de
carregar pela culatra.
Os ereditos pedidos para esta edio,
eevfn-se a 12.875:000 frances ;para as des-
_pezas de tropa, 1.250:000 francos ra h da ma-
rinha.
Deontse-E' este o titulo da nov-sVmnedia
de Alexiandre Dumas que deve tersubid!A secena
no corrente mez na Comedia Fraonea. -
O iSeu enredo trata, como de costume, da expo-
sido de uma these social.
Dionysia, filha de um intendent e mili refer.-
made, viVe con senu pai. Um conquistadwioe off-
cio consegue seduzil-a, per mais que "ei esteja
apaixonada per outro home. r
o0 -pai, ae-sabel o, tents estrangitar oaBluptor,
mas a mre, empenha-seo antes em poearr a
repara o do mal; ao que se oppo a ,no do se-
ductor;, uma aristocrats, que n1o quer quaa filho
ease corn mulher pobre. Este, tainen, e' inimigo
do casamento .
Todavia, forcados ambos pelal tena*sde da
m-e da seduzida, teem que ceder e o clamento
vai realizar-se.
Quando, pordm, todos estao reunii para
a cerimonia do contract, apparece ua- amigo
da casa que diz aos pais de Dionysia, i:picando
o seductor: : 1lL::
--Como? Pois sua fiiha foi oengama per
este homes e ainda Ihe forans ei oae case
corn ella ? Se elle'consentio de mrvo e, que-
rem ligar por toda. a vida a sortwldea-eesgra.
cada menina A deo um home qtle a *BprezarA
sempre? + "
E virando-se para oseductor: =
-E o Sr. que nio ama estn m e|a, que
a aborrece, quer ainda obrigal-a p& viv. so seo
lado e a ser a mae do. seus fithos'? -So.iuzns in-

Qtando nm homemn injuLta qutref e! eOia
ello, seja qual for o-resultado tern que B per
aatisfeito, sere se ver obrigado a ii d bater-se de novo ate at mort, deoii.< .aver.
sarios. E stao no m esm o case. -- ; .. ... .


w


,- _-- ^ u --H--1 ^ t ^-- r**'"'


=,


- ... :1 + 1^ .


i' i- r ft i ,* i.A -, -i+i ii '-"* *-"...


. i
































tajoso.
Os bilhlietes aeham--se A venda A Casa da For-
tuna, A rua do Crespo n. 23, os bilhetes dosta lote-
ria.
Grande loteria da corte --Esta grande
loteria, cujo preraio grande e de 500:000000,
serA extrahida crevemente.
Os bilhetes acham-se A venda na Casa Feliz, A
praca.da Independencia s. 37 e 39.
L6oteria-A de n. 169 A, do Rio de Janeiro
de 30:000,000 sera extrahida hoje 10 de janci-
ro.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna, rua 1a
de Marco n. 23.
Loteria de 30:000000 A loteria 169
serie A, do Rio de Janeiro, cujo piano foi muni-
to meihorado, corre hoje 10 de janeiro.
Billihetes A venda na Casa Feliz A praca da In-
dependencia ns. 37 e 39.
2a grande-loteria da Yspiranga-Es-
ta loteria, cujo capital e de 2,000:0008000, dividi-
da em 4 sirttios, send 100:0004000 os premios
mniores de eada series, sera extrahida hoje 10 de
janueiro proximo vindouro.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna rua 1'
.ie Marco n. 23.
Loteria tie acei6 Esta loteria cujo
:nsior premio e 4:000>, corre impreterivelmente
hoje 10 de janeiro.
Bilhetes garantidos A venda, na Casa Feliz, A
praca da Independeacia ns3 37 e 59.
Mercado Municipal de S. dose 0
moviinmeuto deste estabeleaimento no dia 8 de
janeiro fox o seguinte:
Entraram para seremvendidos : 40 bois, pesan-
do 5,196 kilos.
No mesmino dia entraram para o mesmoes:
tabelecimento:
Peixe, 247 kilos.
Farinha, nmilho c feijao, 50 cargas.
Fructas diversas, 26 ditas.
Sluiaos, 4.
Carneiros, 3.
Preqos dos dias:
Carnet verde a 600, 480, 240 e 200 r6is o kilo.
Suino a 600 reis o kilo.
Carneiro a I A idem.
Farinha do 500, 400, atO 280 reis a cuia.
SMilho de 480, a 320 reis a cuia.
Feijao de 800, e 500 rs. idem.
Foraia occupados:
46 talhos de came verde.
12 ditos de suimo.
10 ditos de fressuras.
36 compartimentos de farinha e comidas.
70 idem de legume..
Deve ter sido arrecadada nestes 2 dias a impor-
tanciade 171A140.
Matadouro public Foramn abatidas
no matadouro public da Cabanga, para consume
do dia 9 de janciro, 71 rezes.
Ca,.a de Detencao-Movimento dos pre-
sos no dia 8 de janeiro :
Existiam press 382, entraram 4, sahiram 7,
existem 379.
A saber:
Nacionaes M8,,mmVWres 6, estrangeivos 14,
escravos 11. 2otal 379.
Arra~oados 359, send : bons 345, doentes 14.
-Total 359.


PUDBLIcA(OES A PEDItlO
Evmbarque
Segue amanha no vapor inglez Trent, corn des-
tino a erte, o nosso amigo o Sr. Alexandre Hyp-
polito Vercosa, onde vai residir, esperamos que o'
illustre viajante tenha uma feliz viagem.
Corn immenso prazer felicito ao amigo Antonio
daSilvaNeves por completar amanhal dejaneiro,
mais umafehz primavera na spa, preciosa existen-
cia.


Aceita um abra9o do amigo


Mianadi.

A belleza feminina consiste
em grande part na elegancia e graca de seus ca-
belles. 0 cabello ralo, aspero e secco, e inteira-
mente ineompativel corn a formosura e e o dover
de cada mulher que deseja attrahir, ou captivar a
adnirirailo do sexo opposto, de aformosear os seus
cabellos tanto quanto Ihe seja pessivel; se sua
front se aeha desguarnecida e despojada, a gloria
da mulher esvai-se come as folhas no outono, to-
dos os soeus outros attractivos perdem o sen on-
canto.
Evitai, pois, tao dolorosa quaio triste consequen-
cia mediate o use desta poderosa preparagao ve-
getal o Tonico Oriental, para o cabello. Tern side
post a prova na America do Sul e faz muito tom-
po que ella se tern tornado em Cuba, Mexico e na
America Central, um artigo favorite e indispensa-
vel do toucador. Sendo ospecialmente adaptado
para os climas calidos, censerva o cabello macio,
flexivel, lustroso, basteo e livre de caspa e orenova
quando por acaso apparecem symptoms de deca-
dencia.

Saiba Dens, o diabo e todo o mundo
Se os conserradores do Rio fizeram mal em se-
guir o exemplo dos liberaes, subtrahinio asnactas
do 3 district; 6 muito provavel que d'ora avan-
te se emendem para deixarem a gloria s6mente a
seus antagemstas.
Um liberal da 9poca.


COIIERCIO_._
Praca do Rftilfe, 9 de Janeiro

As tre 'oras da tarde
eatasCes offiidaes
Acroes da companhia de seguros Amphitrite, do
valor de 200 aeo par.
Camblo sobre o Rio Grande do Sut, 90 d/v. eom
1 314 010 de desconto.
Na hera da bolsa
Venderam-se
10 acq5es da companhia Amphitrite.
A. Leonardo Rodrigues,
President.
M. J. da Motta,
Sercrtario.


Juizes protectors
Capital Jos6 Francisco James Galvao.
Capit'o Joio Alves Barboza.
Capitao Euproprio R. do Espirito-Santo.
Capitilo J(;os Benigno do Amaral.
Tenente Jo! Antonio Cavalcante de Albuquer-
que.
apitao MAanoel Lourenco da Silva.
Juizas protectors
'. As Exmas. Sras.:
Esposa do Sr. coroner Manocl do Naseimento V. da
Cunha.
D. Maria Tavares Lima.
Esposa do capitdo Luiz Cypiao Vieira da Cu-
Snha.
Esposa do capitio Luiz Carlos Pereira de Araujo.
Esposa do Sr. professor Manoel Henrique M. Ac-
cioly.
Esposa do Sr. Joao Benigno da Silva.
Juizes per devocao
Os Illms. Srs. :
Tenente-coronel Francisco Cavalcante James Gal-
vao.
Dr. Bento Borges da Fonseca.
Frederico Marques Soares.
Arsenio Augusto Magalhbes.
Rodolpho de Albuquerque Lima.
Maximiano Duarte Junior.
Juizas por devocao
As Exmas. Sras.:
Esposa do Sr. capital Hermnenegildo Limna.
Esposa do Sr. Joao Vicira de Fraga.
Esposa do Sr. capitio Vicente Furrer de Mello.
D. Antonia dos Anjos Porciuncula.
Esposa do Sr. tenente Ismael G. F. de Mendonia.
Esposa do Sr. Emilio de Souza Costa.
Mordomos
Os Films. Srs.:
Commendador Jose Lopes Alheiro.
Dr. Manoel Gomes de Mattes.
Mathias Cavalcante Galvao.
Herculano Bandeira de Fraga.
Jose Pergentino Vieira de Fraga.
Joao Baptista Beserra de Mello.
Mordomas
As Exmas. Sras. :
Esposa do Sr. Joao Vieira Albuquerque Montene-
gro.
Esposa do Sr. tenente Joao Lins Antonio da
Silva.
Esposa do Sr. Gabriel Antunes d'Almeida.
Esposa do Sr. tenente Antonio Joaquim da F.
Galvao.
Esposa do Sr. Umbelino Borges Uch6a.
Esposa do Sr. Dr. Gomes Parente.
Procuradores
Os Illms. Srs. :
Ladislie Beserra do Amoral.
Decio Jordio de Vasconcellos.
Manoel Jose de Sant'Auna A. Filho.
Thesoureiro
Beato Borges da Fonseca Filho.
Iguarassu, 20 de janeiro de 1884.
0 d vigario,
Floriana de Qwueiroz Coutinho.


EDITAES


-- 0 Dr. Telesphoro Gomes de Araujo, presi-
dente da mesa eleitoral da 2.a sec fo da fregVziA
de S. Jose do Recife, faz saber que na eleigiQ gue
so procedeu hoje, em segundo eserutinio par am-u
deputado geral pelo 1- district, obtiveram votos
os Srs. Drs. :
Joaquim Aurelio Nabuco de Araujo 89
Manoel do Nascimento Machado Portella 1
E para constar mandou o S&. president affixar
este edital de conformidade corn a ultima part do
art. 148 da lei n. 3,029 de 9 de janeiro de 1881.
Eu, secretario, subcrevo e assigno, Joao Ger-
vasio da Cunha Perne.
Recife, 9 de janeiro de 1885.
Thelesphoro Gomes de Araujo,
President.
-- A' mesa eleitoral da 3A segcio da parochia
de Santo Antonio, faz public que na eleicao a
que se procedeu no edificio da Escela Normal
para deputado a Assembl6a Geral, polo 1" dis-
tricto da provincia, obtiveram votos os seguintes
candidates :
Dr. Joaquim Aurelio Nabuco de Araujo 98
Dr. Sancho de Barros Pimentel 1
havendo duas cedulas em branch e tendo concor-
rido para votar cento e um eleitores.
Terceira sccaeo na Escola Normal, 9 de janei-
ro de 1885.
Manoel osde Pereira de Mello,
President.
Francisco da Silva Miranda,
Secretario.
Francisco de Souza Rego Monteiro.
Thomas Ferreira Maciel Pinheiro.
Antonio Machado Dias.
0- 0 capitao Francisco de Araujo Cesar faz sa-
ber que na eleieao do 10 district para deputado
geral procedida no 3a secco da freguezia de S.
Jose compareceram 86 eleitores, e obtiveram votes
os Srs. Drs. Joaquim Aurelio Nabuco de Araujo e
Manoel do Nascimento Machado Portella, tendo o
1 85 votos e o 20 1 voto,
3a seccao de S. Jose de Riba Mar, 9 de janeiro
de 1885,-Eu Sebastiio Muniz Basilio Pirro, es-
arevi.
Francisco de Araujo Cesar.
Para Liv-er-i-,.j-H. Ro-xwe O 800 saccas corn
57,483 kilos de algodao.
Na barca ingleza Carpasian, carregou :
Para New-York, P. Carneiro & C. 250 saccos
corn 18,850 kilos de assucar mascavado ; J. S.
Loyo & Filho 750 saccos corn 56,250 ditos de dito.
= No patacho allemro Elegante, carregou :
Para o Rio da Prata, Amorim Irmlos & C. 850
barricas corn 84,( 57 kilos de assucar branco e 50
ditas corn 5,926 ditos de dito maseavado.
Para o interior
= Na escuna allemia Lagterland, carregou :
Para Pelotas, 0. Travasso & C. 350 volumes
corn 31,539 kilos de assucar branco e 50 barricas
com 5,316 ditos de dito mascavado.
Na escuna sueca .Loreley, carregou :
Para o Rio Grande do Sul, P. Carneiro & C.
200 saccos cornm 15,000 ditos de dito branch.
= No vapor national Marinho Visconde, car-


mesario.
Manoel Josd de U.haes Soares,
secretario. -
0 cidadio Antonio Machado Gomes da Sdilva, 2.
supplente de juiz de paz do 2. district dafre-
guezia dos Afogados, em virtude da lei, presi-
dense da mesa eleitoral dos Remedies.
Fapo saber aos que o present edital lerem e vi-
rem que na eleia( a que n'esta data e em 2. es-
crutinio, se procedeu para um deputado a assem-
blWa geral compareceram e votaram cento e trez
eleitores, dando o seguinte resultado : Dr. Joa-
ouim Aurelio Nabuco de Araujo cento e dous votes
e em branco, um vote.
Para constar lavrou-se o present edital que ea
Antonio Iguacio do Rego MAiros Junior, secreta-
rio, escrevi.==Capella dos 3 rmedios, 2. district
da parochia de Afogados, 9 de janeiro de 1885.
President
Antonio Machado Gomes da Silva
A mesa eleitoral da parochial de Santo Antonio,
legalmente constituida, tendo procedido a apura-
c.o dos votes para eleiiao de um deputad .)a as-
semblea geral, faz saber que foram votados os se-
guintes cidadaos, Dr. Joaquim Aurelio Nabuco de
Araujo 114 votes, Dr. Manoel do Nascimento Ma-
chado Portella 1, sendo 1 voto em branco e 1
inutilisado, per recahir em name de um cidadao
que nao entrou em segundo escrutinio.
Mesa eleitora l da parocLia de Santo Antonio, la
secao, Recife 9 de janeiro de 1885.
Jos6 Rufine Climaco da Silva, L. juiz de paz
prosidente da Ia secqAo.
0 cidado Joao Gomines de Oliveira, president
da mesa eleitoral da freguezia de S. Frei Pedro
Gonualves, faz constar a quem interessar possa que
na eleicao a que se procedeu hoje, em segundo es-
crutinio, obteve o Dr. Joaquim Aurelio Nabuco de
Araujo 96 votes, cendo dous em separado.
Eu, Joao Januario Pinto de Azevedo, secretario
da mesa eleitoral, o escrevi.--Arsenal de Marinha
aos 9 de janeiro de 1885.
Joao Gomes de Oliveira


O capitilo Joilo Carolino do Nascimento, 3. juiz de
paz e president da mesa eleitoral da la seccio
de S. Jose, em virtade da lei etc.
Faco saber que na eIeigIo procedida hoje, em
2. escrutio, nesta seccao, para deputado geral fo-
ram recebidas 79 cedulas, obtendo o Dr. Joaquim
Aurelio Nabuco de Araujo 78 votos e achando-se
urma cedula em bronco.
Mesa eleitoral de la seccao de S. Jose, 9 de ja-
neiro de 1885.=Eu Frederico Henrique da Silva
Tavora secretario da mesa o escrevi.
Presidente
JMo Carolio do Nascimento.
Secretaria 4a ,PdaI4.esAa eI
Pernamibuco, em. S de Janei-
ro te I885. *' seceao.
De ordvem, do Exm. Sr. president da provincia
e observancia do disposto no art. 1- 1- do de-
creto n 4668 de 5 de janeiro de 1871, fano publi-
cjqz'~Qaprvimiento ,a4oqftio.i de 2::,,t -
termo de Itambe concorreram os Srs. anos y-
,riaco deo .4blquerque Htiiq~es, BaldHino Ar
nando Freire, Thomaz de Aquino B3arbosa db
Souza e Gustavo Alberto de Brito.
0 secretario,
J. A. de Albuquerque Maranhao.
= Pela secretaria da Camara Municipal do
Recife, se faz publido a ouem interessar possa,
que os senhores vereadores commissaries de po-
licia e edificag5es, dario audiencia tedos os diasn
uteis no pago da mesma camera, do meio di a s 2
horas da tarde.
Secretaria da Camara Municipal do Recife, 8
de janeiro de 1885.
Pedro Gaudiano de Satis e Silva,
Secretario.


DECLARACOES

Club Carlos Gomines
AVISO
Em consequencia do fallecimento do nosso con-
socio o Sr. Adolpho Leopoldo Bourgard, este club
em signal de sentiment, s6 recomecarai os seuns
trabalhos em 12 do corrente.
Secretaria do Club Carlos Gomes, 9 de janeiro
de 1885.
David F. Porto Baltar,
Secretario,

lMassa do fallecido Benjamin

Jones
Os credores do fallecido Benjamin Jones, antigo
caixeir'o da companhia Brasilian Submarine Tele-
graph Company Limited a'o convidados a enviar
os seus itulos, o mais breve possivel, aos Srs.
Sole Taiher & Knight, 69 Aldermanbury, procu
radores em Londres, Inglaterra. 8 janeiro, 1885"
Irmandade de N. S. do Bomn
Parto em Olinda
Sao convidados todos os irmios, ph ra no domin-
go 11 do corrente, As 11 horas da manhi, reunidos
no respective consistorio, procederem a eleigio da
mesa regedora do anno compromissal de 1885 a
1886. Olinda, 9 de janeiro de 1885.-O esorivgo
interino, Antonio Romdo do Sacramento.

Sob.. Loj.'. Allian a
Estando terminadas as ferias d'esta M. -. A.-.
e Sob. -. Cap." ., convido a todos os nossos pres-
tim. -. e RResp. -. Hr. -. a comparecerem ,A pro-
xima sees.- ., que deverA ter lugar segunda-feira,
12 do andante, pelas 7 horns da tarde, em sua e-
,le ao val.'. do Imper. -. n. 14.
Secret. -. 9 de janeiro de 1885 (Er.-. V. -.)
Moltkc gr.- 18.
Secr.-.


Amanhi haverA o mesmo espectaculo.


,Grande Circo





Equesire, gImnastica e acrobatic
DE
PALSERIN O

Large ,dp Ar -a| de iGuerra
Hoje, sabbado, hoje

Desluibranite funcepo

Excelsior!
A major novidade da epocha


Pela primeira vez o lindo duetto.

Se eu te pedir?... P6de ser...
Parodia do sempre applaudido

Levate la Camisella

Cantado polas gentis DD. Adelaide e
Diana.
Delirio !!

Enthusiasm geral

IlMelindres de Sinha

Espirituosa poeoia comi'a.
Alluzio aos frepuentadores do

PAS TURIL

qCatado pela sympt*iia

^* A36 .iA 4E

A's 8 112 horas

Ui t i esocft o lo ar 1ifro em
0ma

Domingo I1 do corrente, no Pa.
vilhbio do Carmo

0 artist VIRGILIO, agredecido pela recep~lo
que lhe fez o public elindense tern organisado
um segundo
Espeetaculo serio -Jocoso
no qual apresentarA mais :alguns dos trabalhos
que teve ocasilo de apresentar ao public enropen
e das demais provincias do imperi o corn o grande
mnlhorsmento de so mostrar _r4 das illusSes opti-
aons do circle e de trabalhar completamonte
Ao ar Uivre e pleuamente... de graca
Esse nova divertimento que propocionara aos
banhistas de Olinda e a todos... que queiram ver
constari dos seguintes acts:
I Trapesio


terminanda a festa
mente visivel
Subida


Desalocaoes a character
Equilibrios chinezes
Barra fixa
Corda bamba
corn a espirituosa e material.

t no ballo


Onde se provarA que o antigo clown teve pala-
vra e que nenhuma culpa lhe cabe em que muitas
vezea o respeitavel public :,
Coma gate por lebre
em vez de ver primeiro para depois crer vio pro-
vand. parar experiment.
O espectaculo serA comecado As 5 1/2 horns da
tarde para terminal As 8 1/2, send que os inter-
valls serio prehenchidos por uma
Banda martial


LEILOES

Agente Pestana

Leilao
De cerca de 359 caixas corn batatas por-


AVISOS DIVERSOS

Ensino particular
Maria Olindina de Mello, alumna mestra da Es-
cola Normal de senhoras a cargo da Sociedade
Propagadora da Boa-Vista, tend regido interina-
monte a cadeira da professor public a Exma.
Sra. D. Lisbella Cavalcante de Albuquerque Mel-
lo, tern aberto um ncurso das materials seguiates :
InstrucWo primaria, linguas national e franceza,
assim como trabalhos de agulha.
Para informaees os Illms. Srs. Dr. Joao Jos6
Pinto Junior, Dr. Alexandre Pereira do Carmo,
Dr. Pergentino Saraiva Galvio e major Leopoldo
B. Galvao Uch6a.
Rua da Soledade n. 56


diuhla 'Facbhtuetl Selx~a
Francisco de Paula Nunes de Seixas e seos fi-
Ihos, pelo present convidam as pessea d-I)a
amizade, para assistirem a missa que mandam
resar pele 1 anniversario do faUeimento de su
sempre lembrada esposa e mli, Julia F. Seixas,
tera-t-eira 13 do corrente, na igreja de N. S. da
Soledade, pelas 7 1/2 horas da manhi, polo que
se confessam agvadecidos.


Cal GeL1isboa


muito nova e mais barata do que em outra qual-
quer parte : na rua Duque de Caxias n. 73. pri-
meire andar.

Cosidnheira
Precisa-se de uma cosinheira : na rua da San-
ta Cruz n. 74, esquina do Cotovello.

Criafod 0 i ommadiat
Precisa-se : na rua Nova n. 13.

Caixeiro


Precisa se de um caixeiro comrpratica : na re-
finacIo do Varadouro em Olinda.
SAo commercio
Esteves & Secades, estabelecidos corm refina*ao
t [de assucar por grosso e a retalho no Caminho
Heliodoro de Aquino Fonseca Novo n. 26, resolveram collocar o telephone em
Sr e br n estabelecimento para mai commodidade nos
d eviuva, filhos, irmAos, cunhrndos e sobrinhos pedidos de seus freguezes. Recebem tambem en-
de Heliodoro de Aquino Fonseca, intimnamenteeo enspaatrdstpaagrtid
agradecidos As pessoas que assistiram no cemite- commendas para fra desta praa, garantindo
rio public de Santo Amaro o enterroamento de seu pontualidade, modicidade em preos e sinceridade
prcsadissimo mairido, pai, irmio, cunbado e tio, em suas transacqtes. Os proprietarios esperam
merecer a protec~ao de seus-freguezes e amigos.
convidam os seus amnigos e parents, bemrn como aos Numero do teephone 77
do finado, para assistirem as missas queopelo re-| ueod leon 7______
pouso eterno do mesmo finado, devem ser celebra- na
das nas matrizes da Boa-Vista e do Poco da Pa- recisa-se
nella, is 7 1/2 horas da manha' do dia 10 do cor- 1 .,. i,* ,
ella, s 7 1/'2 bas da manh o dia 10 do i de pessoas para agenciarem industrial estranei-
route. ra, dando-se boas pareentagens : quem quizer
nllla eelisfa M~achado POrto deixe seu nome per escripto nesta typographia
Julia Belisla Machado Pit
1- anniversary de seu fallecimento corn as iniciaes Z. D.
Augusto Frederico dos Santos Porto, seus fi A TA
Ihos, genre, cunhados, irmno e sobrinhos rogamn P AL R T ID A


As pessoas de sua ammade o especial obsequio de
assistirem as missas qae polo eterno descanso de
sua failecida esposa, mai, sogra, irma, cunhoda e
tia, mandam resar terca-feira 13 do corrcnte, As
8 horas da manhi, na matnriz de Santo Antonio,
agradecendo antecipadamente a'todas as pessoas
que se dignarem comparecer.


Jose Ferreira da Siltva
4.athildes de S. joO aya eqjerreoira, Manoel
Tavares Ferreira e Joanna. Joaquina Josepha de
Souza Ferreira agradecem do intimo.d'alma a to-
das as pesboas que se dignaram acompanhar ao
cemiterio public os restos mortaes de seu presado
filho, irmao e cunhado, JosS Ferreira da Silva ; e
de novo convidam para assistirem as missas qne
polo eterno repouso dc sua alma mandam reaar
no convent de N. S. da Penha, segunda-feira 12
do corrente, As 6 horns da manha, setimo dia de
sen passamento, polo que desde jA se confessam
eternamente grates.
doaf nim de ou~ia 5iaptkista
Manoel de Souza Baptista e Ayres de Souza
Baptista, tendo recebido a noticia da morte de seu
presado irmao Joaquimr'de Souza Baptista (em
Portugal), convidam os seus parentes e amigos e
os do finado para assistirem as missas e memento
que mandam resar na igreja matriz da Boa-Vista,
segunda-fcira 12 do cerrente, polas 7 horns da
manha; e desde j A seo confessam grates.






Joaquim Machado da Cunha
Cavalcante
D. Rosa da Cunha Preitas Cavalcante, tend
recebido a infausta noticia do fallecimento de sen
presado filho Joaquim Machado da Cunha Caval-
canto, convida seus parents e pessoas de sua
amizade, para assistiremn as missas que por alma
do mesmo manda resar na segunda-feira 12 do
corrente, setimo dia do fallecimento, na igreja
matriz da Boa-Vista, As 8 horas da manhi, con-
fessando-se desda ja grata aos que fizerem esta
obra de caridade.


Joao Gomes de Mendonca
Antonio Gomes de Mendonca e Candida de Car-
valho Mendonga, tendo recebido a infausta noti-
cia do tallecimento de senu presado pai e sogro,
Joilao Gomes de Mendonga, em Portugal, mandam
resar missas polo sea eterno repouso na igreja da
Santa Cruz, no dia quarta-feira 14 do corrente,
pelas 7 horas da manha, setimo dia em que rece-
beram a noticia, per isso convida a seus amigos
para assistirem a este ano de religiio e caridadi,-
confessando-se desde jit seu profundo reconheci-
mento a todos aquelles que comparecer.
benhornha A. de Figueiredo Vascnceios e
sna filha. Carlota A. de -Figueiredo Belfort, su n
filha e netas mandam celebrar na igreja de N. S.
do Carmo uma missa por alma de sun presada
mai e av6, Francisea Maria de Figueiredo, As 7
horas do dia 12 do corrente, trigesimo do seu fal-
lecimento.


Mr. Theodule Brocheton, representante da casa
de construcao de materials para engenhos, Ma-
riolle Pinguet, de S. Quentin (Franca) e fabrican-
te de assucar, sendo chamado A Campos, provia-
cia do Rio de Janeiro, seguio para o sul no pa-
quete francez Niger.
As pessoas que precisarem de informaes A
rcspeito, devem dirigir-se ao Sr. Eugene Chaline,
24, rua do Commercio, 24. Recife.

Molestias do estomago e

dos intestinos

digestSes difficeis (azias, flatulencias) slo comple-
tamente curadas .com ot uso das

GOTTA S ANTI-DYSEPTIGA8
preparado puramente vegetal da flora brasileira
Vende-se na Botlea Franeezade
Rouquayrol Freres
SUCCESSORS DE A. CAORS
22-Rua da Cruz --22. (Recife).


GOYANNA
A Sociedade Lealdade e Beneficencia, em ses-
slo extraordinaria de 21 de dezembro proximo
passado, resolve: -
1.0-Suspender, por tempo indeterminado, as
funccoes do seu Gabinete do Leitura, atW sua pes-
sivel rehabilitate.
2.0-Limitar o prazo de 3 mezes para liquidao
de sua divida active, A contar d'aquella data:-.
cando : 1o, obrigado o social a pagar sneus atraa-
dos dentro do prazo estabelecido, ou a entrar men-
salmente corm a prestaqo de 10 o/o sobre o aeu
debito, sem prejuiso do 2. art. 9o cap. 80 dos
sens estatutos; 20, illuninado ipsofacto todo aquel-
le que infringir a present disposioo.
Goyanna, 1 de janeiro de 1885.-0 lo1 secreta-
rio, Deomedes Rab, o.
Urn rapaz brasileiro se offerece aos senhores
medicos para cobrar suas contas, pola' quantia de
150000 meneaes ; quem de sen prestimo se quizer
utilisar dirija-se A rua do Imperador n. 65, loja.
Maria da Conceic'o de Drummond participa
aos pais de familiar que abri'rA no dia 12 do qor-
rente mez, A rua da matriz da Boa-Vista n. 44,
1" andar, um curso das materials attinentes A
instruegco primaria para ambos os E exos, estaudo
os Exms. Srs. Drs. Joao Jos6 Pinto Junior e Ale-
xandre de Souza Pereira do Carmo habilitados a
dar as precisas informaa0es. Desde jA agradece
cordialmente Aquelles que a honrarem, confiando a
educagio de seus filhos


Cosinheiro
No 2. andar do predio n. 35 A rua da Impera-
tnz precisa-se de umn cosinheiro.
Precisa-se de um caixeiro corn pratica de
molhados, de 12 A 14 annos de idade : na rua da
Florentina n. 8.

Instiuto Pernambncano
Estao abertas as aulas deste Collegio.

Roubo


mmmmmmq


14 It- -- -7..






































-. 1?idpintalo
e guauie das'fbnieas francems e nacionfe,
- gmdm -aOfimento do qualidadee, e prevo -*a
ordK, acaba de i oeochega oa
W SOa do BrAno da 'Veloria -7


~kn~I~o


Jo9A Sa-e;S.uaz- declara aw mas freguems e


Urn amigo 8 pores, economic de
cil applica*l, -40 amjw de suoceeo ees-
1iautoao.* ,e~i do-etedswad
7Nenhums wSMA deve etaacd aftvwS1
deste remedio.
EaItemhmente cura: furuncams tmsa-
ricios e outrostumores -torcedura desl'ten-
d3es intmemwsias das articua*ee do-
res dedeatee -eievralgia*-- rheuaMAMo
- queimadutras-golpe, etc, et., ete:
Intermmeote, ura: cholera,- apestias
do figado, dsppsias, ualceras docas de
gargant., twsew, etc., etc., etc.
Acaut4r-,saercontra as imitates.
Agents em ,Pernambuco, J. C. '.Leye
DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Das- .da vlettHa.^&A
PREVOS.


D.e ON *mia Wtm-
h6, Qumu eqigum ssi*n
Todae ua temrus-eira, as 4 ho da tarUe.:
asuageon sA tratar com Louren'-Preira d'Amo-
tim, em Itib&.
Viagems. avkmas fira qualquer, pa. em qual-
quer di partiado do pto qua iwcomvmneiom e
a prego cmmniodos. Esso oo0tr0am-e & ro4 da
Compatlea Penambucona n. 4. Emoarregave das
bagagem que n o _odexem ir nas dWgiliamia. i
Ama


q .a -er, visito rece-
berm ireectamente.

Todos os relogios

vendidos n'esta casa

sao grantidos.
f-o-Gat .L4


Precia-semdo mn ama que saibaecosinhar, pars f Inf$l iUmJi) IuA Ul I te
acna da denea 'nfamilia a trater ma rua do Ba-1 I


- eapeemsim ret a o vm rciu, qu"o _-o-p u w -.', Fra ws- gr e--]'65-W if ---- .
Lix LuoaaAeMeLlo.inior nst&data o esta.e- .1-000 rao df. i
leeimeito de padahia, sito a Lrua do Lima, -m Pequenos 1 OO WBn" ------ m7- l n Qj -
Samto AmamTo.n.4, -eapera. cnticuar a mereeur Duzia de sfir arandes .v anQ 1 II A
a confioa.deseus rguezes. Recife, 30 d-de-Pe. pejueno 9__ 00 ( (ANTIGA DA CLUZ)
zembe,-i O li"era casa de commiss6es

*- P -a-^ a-caSna ua al h'Doce flde x j t i wem "a e41 N p^ d bie ,Qrande e variado -sortfmento de amos-
Fo.A. 34), P In ta 1*11ma & Aceiapelemela Na Pk e p d o 1. ; traZ e catalogs de produces da AUema-
Feg .L 0,:al1ltalar ruA rud Aceita-ee emeoaendas Inamperiafl34 I Frana, 'Inglatera, Austria, Hespanha,
e B 0a ijou- rua de Hortaa.,n:.l, taverns, onde eneami enIe a ttaa e EstadoUnis.
.btt% lH Victora -1.14. os prttendentem amostca. Aceita-se encoamnaen- W. B.-Informa.8 seobre machinismos
ar. u ssi p "rqa em 1 .--Inormc.
PVrn "" -- das psraeem ibW. se ura prem cisa agrieolas, ditas para eqgenhos centraes,
A-ma r 7'L bowias, etc. para incendics e outras ma-
Alug-se ,o 2" adar .-e ioto -A ,ms de a Pre -se de waaama par .a dm e _aHrf__ _h __a e ute__s.
Valentlms :n. :50 a r:ar nha, r a fPirineirc, rePaa- sea de d uaa---epar---eMnharueee
o ,respeswas ; a t par- arua do Baro de- ou eswaa para COw Trastes
IP' Al~~l--s~e ;s n. 49. eir d
Alga setrteeessa -a-ado ----d- ziheira cas do A' ra do Inperadorn. 16eompra-se,vendeA-
c5 *A-^Sr.A ZAinh iaVA de casa deft ,g,, hiafl troea-se nowsf e uosdom.
il gTandeeama a rua daLUniao n. 4A. atraz dz i r... ---.-I
a~em blPFsrovincia1l: a tgatar a arua do Marquea m1 a liao
de Olin d a. 56, lo andar. ranc.iseo Xavier Ferrera faz sciente ao eo.. AIuga.se
~ioeoirnmereio e a quern uteressar' possa, qoesa m9
L"g e eI.oonar de 1- do eorreite tem associado ao so U I E numa grade casa, sits a rut da Aurora n. 167,
sa de det do 1 anda do predio sit ea tbeelecimento de etapbes de sol A rua 1-de s .aW d u pintada e -caiada de novo, eom grande.sotAo, pro-
s de do 3 andar do prediosit a r Maro n. 4, o St. Jom da-Slva Castro, gyrando Precisa-se deoums am para comprar.e eouhar pria para-.rande familiar, corn canaliaaio para
.arimeiro t le Margo .n.. 18, muit prqpria paa es *.ea-ova firm de respoarsbilidade mutual, sob.,s para uma familiar de lwno peseas e que ase dur- gaz, eom gua, quintal, todo mnrado : a tratar
criptorio d'* qalauer naturea ; a *tratar sa loi -aocial e Franeisco 'avier Ferroira .&.-0. ,ma fora: tratr Unas ado Imperador n.r ts, se- as ru do Viaeonde de Goyanna n..l00, Entron-
do mesmo p. WkO. ,le,, 5 de jameiro de 185. 'gundo andar. earmento, MlsEgainho,


Venoade-se na ruta real ds Torre ama tavemne
eomI01 poos fundos : a tratar na menua.
lana

Vinho puro da uva, o fino da Figueirs, vende o
Maia na rua da Concordia n. 165, a 500 rs, a gpr-
ratsa!?
-Vende se por 2:8005000, quantia emi que
esti avaliada, um part do engenho S. Francis-
co, no term de Serin me, distaste duas legoas
da estaao de Gamelleira : a tratar corn Antonio I
Franco da Silveira Linsa Fi'ho, do engenho Santa!
Catharina, no temo de Porto Calvo.

Cimenlo portland e polassanova


Ehgenho
Vende ase o-uen ho Mirity, antigo Gallo, na
comarca de Palmares, prompt de urn tudo para
safrejar 4/ 00 pies : os pretendeutes podem ir
vel-o e admirar a fertilidade do seu terreno. gos
memos so dirik a razeo perque se vende, e trats-
se corn L. G- da Silva Pinto, no Recife, ou no
mesmo engenho corn J. Matheus Ferreira.


Vendem Orestes Travassos & C., em sen easerip- Cavaill
torio no largo do Corpo Santo n. 19. W l
T r Vende-se urn mindo cavallo eztremamente gordo
e muito born anudador, proprio pare silhAo : quem
1Tay \)pretender compral-o dirija-se Arua da Rod& n.
tavern do d 1 45. cocheira do Sr. Jose Duarte.
Vende se a taverna da ra do Rangel n. 29. -------- do-Sr.-----------e.
= Vende-se uma armacao de loja de miudwaW-
OB nqueI serve para cutro qualquer estebelecimento :
U 8100 a tratar na rua Duque de Caxias n. 93, loja.
Vendo-se por prego muito iazoavel urma easav
terrea corn alguns commodos A rua d- Lomas Va- .lrariad lndutral
lentinas n. 90. Tambeni se vende urma parte do Rua do Barlo da Victoria n. 7.
engenho 'Jussara da freguezia de Jaboatio, e a r
menos de uma legoa da estrada de fprro de Ca-
ruarui : quern pretender, dirija-se a rua da Au, -LiVros para "Wo las-
mom n. 85. ... .. CASTRO NUNES, compendio elementary dft
rI na- ara grarmpatica naciduial, segunda edigio corrects.
r elars sie ailutada por Jose Martiniano de Souza, 1
pI -volume.
Papel e envelopes de alta phantasia pars es-' IDEM, elements de arithmetic, nova ediglo
crever, de cores'ebraaco para quaesquer miste- revista e melhorada por Jose Martiniano de
res, de impresdSo de differences formantos, de seda SI uz.
pars flores e folhas. Tintas de impressAeo, de es-. IDEM, resume da doutrina chri ta,. nova edicao,
crever e copiar, des melhorcs fabricantes conhc- revista s anothda per sacerdote,
I cidos. Deposit da afamada TINTASARDINHA' JOSE MARTINIANO, elements de orthogva-
do Rio de Janeiro. A unica casa aosndes p d phia, terceira edis, [eviata se melhorada.
Sencontrar urn complete sortimento de papel e ob-. PERGENTINO GALVAO, o livro dos bons con.
jectos de escriptorio na s ol hos.
,._ -----___ -BISPO DO PARA, historic biblical, ou narrmati-
P v,as de velho e nuvo testamento.
C 0ofa para earneiro A venda ni livraria Industrial n. 7, rui da Ba-
SVende-se uma boa carrova pars camreiro, a ver riao da Victoria ; e na livraria Economica,. ua
e tratar na rua do Bomrn Jesus n. 61, agencia de Primeiro de Margo, juntao an areo de Santo An-
eiloes. tonio.


LIST


GER


L


N. B. 0 premio prescreverA
um anno depois da extractso.


S.;


DOS PREMIOS DA 7 PARTE DAS LOGIIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 402, A BENEFICIO DA MATRIZ DE CABROBO', EXTRAHIDA EM 9 DE NEIRA


D DE 1885.


bo0. PREMS.


4 -4#
.9 1
11 46
18-
19 =-
24 -
29 -
31 -
S-37 -
40 -
.:42

48 -

65
73 -
74 -
,- .. 80 -
82
65 -
91 -
92 -
S107 -
13 1006
27 46
S30 -
i 31
32 84
38 4-
S40 -
41 -
.- 42 -
r 47
49 -
:-- 62 -
71 -
73 -
74 3004
92 44
Ir :
J,8 -
.99 -


S12.


: --
4, "'


NS.


296 4# 523
301 24
9 30
13 31
18 34
24 166 36
25 4# 39
27 44
30 45
31 47
33 57
34 59
44 70
45 71
49 72
50 75
52 78
55 84
64 32. 93
71 4# 602
72 3
76 4
79 86 26
83 4# 30
88 33
91 35
93 42
400 8# 44
1 45 49
17 51
19 67
21 68
24 70
30 73
33 88
34 97
42 98
43 706
46 10
47 21
48 28
53 32
63 35
68 39
76 40
77 41
--- ., 48
82 '61
83 71
.91 74
..92 76

-801
-7, ..


PREMS INS. PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS.


46

86









9:ooc4
4


843
46
55
57
62
68
75
82
95
96
99
903
6
7
9
13
14
15
23
3'0
35
47
51
52
53
54


46




w


1 .
4.5


W


. ;''*.



_..- ;.*'*


-^',.^^
I,'!a -^i


1128 4.
30 -
31 -
33 -
36 -
37 -
38 -
41 -
42 -
50 -
54 -
58 -
60 -
62 -
72 -
75 --
79 -
84
85 -
94 -
97 -
98
1207 -
8 -
13 -
16 -
20 -
24 -
25
26 -
28 -
32 -
33 -
37
42 -
50 16
52 46
57 -
68 -
71 -
74 -
77 86
85 4#5
92 -
95 -
96 -
-I
;- ni l-;. '^

\16 1W
11" I "'


2 -
^ '*
4':


1371
,86
87 -
89
90
92
96
98
1403
5
8
9
10
11
17
18
23
25
26
30
33
43
44
49
55
60
61
73
79
84 4:o
87
88
'90
92
93
96
97
98
1501
14
15
26
30
44
56
59
60
61 .
66
67..

.. 6
78--
. 78'.
.:. .. '
i:. : "


-



46



4#

4.


86
4.5








8.,





o.w

Li
r.


NS,

1619
21
23
25
-26
33
37
40
41
46
59
64
66
70
72
73
83
91
93
1702
17
26
29
36
38
45
52
56
62
66
78
82
90
99
1803
9
10
16
18
21
22
24
32
36
38
48
52
53
50-
60
61
65.
-67
.


REMSS.





4.





45
W10
4.












1006
8.5
4.5







-l

86^
4,$
t<^


i'



'




,-..
* -*' "

', 'i.. ,

*& .


NS. PREMS. NS PREMS.
1925 -4# 2219 4#
32 23 -
36 24 -
55 30 -
56 31 : -
58 -
59 45. -
61 51 -
63 52 -
69 68 8
71 -.- 71 45
72 73 -
73 74 -
88 76 -
95 -- 84 -
98 87 -
99 89 -
2000 95 -
7 -2310
14 23- -
21 24 -
32 8 34 -
33 44 48 -
40 53_ 38
42 54 45
44 62 -
49 67 -
53 73 86
59 75 4#
60 81 -
66 90 -
68 91 -
70 -2412 -
73 14
80 17, -
91 24 -
94 16. 28 -
98 4,6 30. -
2102 -- 36 -
10 43 -
14 49 Its
-26 50 4A
32 51 -
38 55 -
39 59 -
43 64 -
51 65., -
.60 68 -
-6T, -.. 79 -

81. 86 8

l w. r
A PT: .... ..
-.^*..^^ ^
-" i


NS. PREMS.


2524
26
33
39
41
45
46
47
50
52
60
62
71
73
76
84
88
2601
13
30
34
37
43
55
56
63
93
98
2704
6
11
16
17
19
23
24
29
32
40
47
.-.52
53
54
59
74
77
84
85
2800,!
6
9
12
- 13


4.




4.5


4n.


410
', :



i.' ;.. "


NS I
%2865
S67
71
75
85
98
2905
6
9
10
13
23
S33
39
47
54
58
64
66
78
80
81
83
86
91
92
3000
9
26
27
35
39
43
44
50
51
59
60
67
69
72
77
79
88
3102
3
7
10
i8
'9

A'
L i
-_ -88,A
.*"t.,
,


.REMS.


so
4#

4#


4
D
4.5


'A r-


NS. PREMS.


3155
57
S 64
65
71
74
76
82
88
90
91
92
3202
9
11
12
15
17
18
21
24
26
32
38
54
57
59
61
62
69
85
89
3300
1
9
16
26
28
So 3
42
44
67
69
70
74
80
81
82
83
89
92
3408
9
^..
' = Of


46


4
84
4.5


NS. PREMS.
3458 4#
-60 -
64 -
_ 68 -
. 69 -
72
75 -
. 77 -
78 -
. 80 -
S86 -
89 -
91 -
94 -
97 -
3516 -
18 -
29 -
32 -
35 -
37 -
43 -
53 -
54 -
66 -
69 -
82 -
86 -
94 -
96 -
3601 -
3 -
13 -
26 -
27 -
35 -
36 -
46 -
56 -
57 -
61 -
62 -
71 -4
73 86
3705 44
6 -
12 164
29 4#
30 89
.36 ., 4#
38 -
9 -
43 -
.44-. -

.-4., .
s...4 ,. .. ..


.. tjf ?. "O;'-A ..


NS. PREMS


3758
81
83
84
87
94
96
3802
4
8
13
16
24
29
40
41
49
50
52
54
62
70
77
99
3900
22
31
39
40
43
46
47
56
64
66
69
86
87
90
91
95
98
002
9
13
15
19
28.
37
39
57
61
63
8.


4
4,


8.5
46f




40


SW


. NS. PRE
[ 4101
- 13
- 15
- 18
- 19
- 21
- 27
- 38
- 42
5 51
S64
- 68
- 69
- 81
- 89
0 4202
j 5
- 13
- 16
- 20
- 31
_ 32
S44
_ 48
53
59
S60
61
72
75
76
78
86
92
94
98
4304
5
14 U
16
18
24
30
31
35
36
37 34
'44>. ---
46
51
54-

62
-. 6
Ak"I-' .


m


4.




86
4#
14,




0
46
,
.


L NS. PREMS
1 4384 4,
- 87 -
- 93 -
- 99 -
-4400 -
7
- 12 -
- 26
- 27 -
- 33
- 36
- 46
- 47 -
- 52
- 56 -
- 61 -
- 63 -
- 64 -
- 66 -
- 79 -
- 81 8.
- 82 4#
- 85 -
- 86 -
- 87
- 94
4500
3 -
9
15 -
S21
27
33 6
39 4.
41
46 -
48 -
59 -
61 -
75 -
76 -
83 -
84
92
95 -
96
4601 -,
4
-16 8
22 44
27
28 -
4 .. ... .-- i
''f.-" ""' -<
-'Af^^i' ii
jjKt-^&-SA


. NS. PREM8.
S4675 45
79 6W.
85 4&
86 -
.92 -
96 -
4709 -
10 -
11 16
16 4#
22 .
31 !
34 44
35 -
44 -
46'-
53 8. 8
60 4#
61 -
65- -
67 -
70 -
75 -
76' -
79 -
84 -
4808 -
11\ ; --
16 -
18 -
19 -
29 -
60 -
36 -
44 -
46 -
47 -

55 8.
\80 44
82 -
84- -
'85' --
89
93 -
96 ,\ .
AQQ0 *1 JJtt-
S11 -
,'l I -,


%pow- ".

. i. +,_-:,+


- IT
- 1


j nu rMICIA3 v


i

i


EMS




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETXDY84NH_EEJBQG INGEST_TIME 2014-05-22T00:33:39Z PACKAGE AA00011611_15823
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES