Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15820


This item is only available as the following downloads:


Full Text











~~'Y*" 4

'~l. )t U!. ~



~ ':.J ~. -


6 4, 0 .


0 S.


- .*~;-I.i t
* *.~.P':'/ 0
* .~ a
* 0 0 0


* .;
Id 0
* I.


* 1~~~'' I~. -
* S *.


\{(I ":f-< j ^
.i. ,,.. Iq.
gti.,, /- f ...j1: **-ih '
4li. ** i. .'. ri
..* ., ... .. t. ;"


f^ f'i M -g ._*
|o a woim
. .; Por u ie. ..

, 0 '


* ~aI~i iii in


*. a
i ,


- ..
_ .


-* 'd**l^ s
6A.''


....ADE MANOEL
.... DAE -MMN4E


L '


1 -


lRtOA DE FAIA & FILHOS


TjEGRALMMAS



POLITICOS
i.:ONSTANTINOPIA; t1 de outubro.
Os turcos conseguliram estabelecer-
se fortemente eni face de Silistria. na
Bulgaria.


COMMERCIAES-
4.. og bro.
-obre Loadres a 25 Iraticos
e 10 totmos por t.
LONDRES, 2 de outubro.
0 deseonto particular estir a 1/4 0/0
muits abaixo que o db BanhI de Ingla-
terra.
Fundos brasileilros de 5 o,'o, empres-
timo de 1875, a 94.
Mercado do assucar calmo, e os Pre-
eos sustentados.
LIVERPOOL, 2 de outnbro.
.. Venderam-se hoLe cerca deO 1,0,00
balas cou4 algodao Ie dwversas prock-
denclas; 'sendo o de Pernambuco a
6 3;8 d. por libra.
*HAVRE,.2 de outubro.
Algodao brdinarlo de Sorocaba a 74
Ifrancos pelos 50 kflogrs.
ANTUERPIA, 2 de outubro.
Cambio sobre Londres a- 25 francos
e 16 centimos por f.
-AMBURGO, 2 de outubro.
Camblo sobre Loadres a 20 MARCKS
,t 30 PFENNIG por .
f NOVA YORK, 2 ,1, outubro.
Farinha de trigo- kxrtRA STATE SHIP-
'ING BRANDO de $5-70 a $5-90 CENTS por
barrica. :

Agencia de Pernambuco, 3 de ou-
tibro de 1877.
PELO DIRECTOR, J1. BROcFnIER.


PARTE OFFICIAL

Governo da provincia
EXPEDIENTE DO DIA f 14E SETEMBRO DE 18"7
Actos:
0 president da provincia resolve no-
wlear o alferes Joaquim da Costa Pereira, &o
sttj)plento do juiz municipal do termo de Be-
zerros, vago p.r ter passado a 2o quem o
,.'xercia, em razho do ter fallecido o capital
S'rancisco Bezerra de Vasconcellos Junior, que
f ,) occupava. Fize;am-o as communica-
' Y i '.es.
0 president da provircia a vista da re-
iresentaao do couinissario de policia de
ltamb6, resolve demiltir o sar'gcnto da guard
local sob o sou commando, Francisco Martins
de Barros e Silva.- Ffzerarn-se as commu-
| ,iicacues.
y- 0 president da provincia. attorisado
jcla lei provincial n. -!,130 de 30 de abril de
S1874. resolve nominear sargento da guard lo-
,:;l de Itanmb6 a lHenri.lue Cesario da Gunha.
-Fizeram-se as commnunicat5es.
0 presidenteda provincia,.attendendo ao
,ue, requereu Maria Carolina Affdinso Valenga,
irofessora public, e tendo em vista a infor-
ImaCAo n. 170, d- 28 d, agosto, do inspector
.ieral da instruc,5o pubhica. resolve removel-a
,ia cadeira da po.voao de o(apoeiras para a da
'illa de S Bento.- Fi'.eram-se as communi-
,';K:Ses." .
0 president da viv,;vincia,attendendo ao
.pie roquereu Celecina [aria de Siqueira Va-.
I^.ito, professor publi.:a du povoado de Api-
.,,tcos, e, tendo enm vist;, a inf6rmaiao n. 1.0620
:" ,o de agosto, do inspecLor geral da instruc-
,..i, public, e o parecer do Dr. Trajano Au-
..iisto de Hollanda Chacon, resolve, em vista
'*ti autorisac'ao concedida,. pela lei n. "1,7, de
de julho ultimo, coneder-lhe, a contarde 24
.-,h maio, 8 mnezes de iienya coin o.denado,
d,.,i't tratar de sua saudc onde Ibn convier.
0 president da provincia, tend em vis-
,.i as represoetacOes de .1 e 26 de julho, de
" '~Mmoel de Souza Siive, eerodio, vereador da
,-imara municipal do Panellas, e consideran-
S,,, segundo consta' das ditaas representanoes
I: ,la informacao prestada l)ela mesma camera,
,iite o president rdesta, c'pitlo Joaquim Cot-
'',.:'o Ribeiro Campos, tern-se havido illegal-
,t,,,rle noexercieio do sou mandate, deixando
(', convocar os vereadrores, que n'le so .acham
i,,n[ldidos, para convidar supplentes, corn o
1i,, de promover a dcecteLaa'o de postures,
.irp.j udiciaes aos int cesscs dos agricultores
j> ~i( manicipio. e con.sideirando ainda quo. o
e i p nafrido capitlo Cordeiro Campos fei licitan-
t tIf por interposta pessoa. -i arred1atac'ao dos
S-iu,,jpostosfmunicipaes, procurando por meios
r,,povados affastar outros concurrentes, a umr


,.. quaes mandou pedir a quantia de 100,S.
tizendo que sem ess%' remuneraclio nao det-
,aria de apresentar-se para licitar, resolve,
i--alado da attribuiqcio ;-onferida polo art. 5.e
: 1" da lei n. 38 do 3 dt outubro de 1834, sus-
pander.o referido Carpoas do exerciciode suas
I'."ifes e ordenar que seja responsabilisado,
rernettendo-se para issj aojuiz de direito de
Panellas copia da presence portaria a dos res-
-pictivos documentos.- Remetteu-se copia
jttst; portaria ao juiz Ic direito e Zamara de
,Ptetllas.
0- O president da p!,vincia resolve abrir,
sol) sua responsabilidade, na conformidade do
lecreto n. 2,884, de V-' .1, fcvermiro de1862; um
:redito de 100:0000S 0. p)r conta do de que
---- -i.( trata o decreto legislativo n. 2.726 de 27 deju-
-tho. para continuaq,)o 'las despezas corn a
S;;.. distribuiCea de soccorroi is victims dtsecca,
;" -t ryistoacar-se esgotad.) p crelito iltimamente
: --- 'bherto para o mesmo hti.
.- *','^ 0. president da I .rinoia, resolve, de
-f'^' i 6com a inforumi'u)o .do inspector do
'. ,' odo fo do corrente, n. 'Ii, appravar o
,,.-, ., plagfte que par% a extri-acoit das loterias isen-
2' ':."'.^''.- as de.imposto geral foi organisarlo ae remet-
dbolao respeclivo theionireiro em offlcio'de
s.'""' E '--. ".?'* .-wm^)i Fizerau-,e as commnrnica-
:c.. -,,. "' .* ..pf~rvfcic. -" "-


l&os membros da commission encarregada
'.-:'diBx soccorros paros aas indigentes do
tn r da provincla. Sirvam-se Vv. Ss. de
a,,O .r, ma primeira opportunidade, fpresi-
.MU*D 4o D iratnde do Notde, coniforme esta
"Bt Mne sii do Miorrmte, 0(I) seccoa
,:-20 4' feQijo, l lTrroza e 1
'M iWIdas nmmn.-dm iiufej dtf-i


o decreto n.2,726 de 27 de Junho, recomilfAf
do-lhe quo made entregar ao Visconde dt I.i
vramento a quahlia de 100:000000, relative
aom inesmo credit, afirn, de ser a'aplioada a
desp)cza5 corn a distribdicgb db soocirros As
victims da secca.- Communlcou-se' a'com-
missio de soccorros.
Ao mesmno.-iMande V. S. ajustar coatLas
e passar guia .de sceorimento ao terNI
Joao Teixeira de Sampaio, qu-e; sendo._
batalhAo de inantaria, foi riformado K
creto de 11 de julho.-Commuaicgu-3&o ctlb ,
mandantd ,'las aritmas. ,.., .
Ao niesino. Para us fins conyqvalentes,
communico a V. S. _oe o Juiz.,flH d'


r'. rgem'3 do corfent,i.
Ao mesmo. Para os fins convenientes,
communico a V. S. que aofi as Jfalta,.de
exercicio do juiz municipa-; de J azaretlf,. ba-
charel Jos6 de Cusiro G .!r.0" a contar: de
8 a 12 dejunho. ':....
..c(, J .} "' '..
Ao mesmo.-Nos Lermow da informg.ilo
dessa inspectoria1 de 3 4p-prjBr" n..563, re-
levo Joaquim Cavalcanto..di Albuquerque
Mello, dia nutW, de 10$000, que Ibe irpoz o
admiinistradoqr recebedoia'de wodaw, 'por
nio ter communicado no devido tempo, a ex-
portaCio da escrava Consanca.
Ao do thesouro provincial.-Tendo resol-
vido, de accord corn 4a. informagAo dessa ins-
peotoria, do '1o do corrente, n. 107, autorisa.
o Major Jos6 Domingues Codeceira a despoen-,
der corn as obras da capella da Casa Forte,
de que 6 adn1inistrador, a quantia de- 600,)00,
relative ao product da loteria n. 217, extrihi-
da em 24 de nargu, 0 # avor das mesmas
obras, nimediate a ob'ri0aio de prestar elle
contas opportunamente nesse thesouro, anim
de uoder receber o referido product; assimn o
declaro a Vmnc., para os devidos fins.
Ao mesmo.-Do accordo,,com a informa-
C.'o do engeuheiro cl)etfe interino da repairti-
Ciao das obras publics, e attestados da caita-
ma municipal de Barreiros, juntos, autoriso
Vmc. a pagar a 11 prestaeao d&s obras da
ponte, sobre o rio Una, ao arrewratante da
mesma obra, Joto Baptista Cabral.
Ao mesmno.-Devolvendo a Vmc. o certi-
ficade junto, declaro-lije que. nos terms da
sua informaacto dc hojeo, n. '117, mande pagar
a Dionizio de Souza Bandeira. arrmeatante dos
reparos da ponto do Brumzinho, a 2& e ultima
prestaefo, de 754677, a que teqo elle di-
reito.
Ao engeuheiro ajudante da repartico das
obras publicas.-Tendo nesta data approvado
o oroanwatQ parao emnbarrearnentp.o dos di-
versos areaesda estrada do norte, na imeor-
tancia de :25,7$490, remettidor por Vm em
officio de 4 do corrente, o autoriso a mandar
p6r em execuCao essa obra.-Communicou-se
ao thesiuro provincial.
Ao director interino do arsenal d, guer-
ra.-Deferindo o requorlmento de Cordclina
Maria da ConceicAo, autoriso Vinmc., nos terms
da qua informacao, n. 126, de 3 do corrente,
a permittir quo o aprendiz artifice, Jo5o Can-
dido Jose Peroira, filbo da supplicante, vA
tratar-se em eompanhia desta, por tempo (de
4 mezos, conforme o parecer medico ann exc
a sua citada infornaCao. .
Atr--ytmolor ptiblico interino dIe t rM'
Conselho.-Com a copia da informaCio do ins-
pector do thesouro provincial, do 1o do cor-
rente, n. -109. riea respondido o officio do 16
de ;aosto, emr que Vinec. consult a quem comn-
pete substituir o fiscal da collectoria dessat lo-
Calidado.
Portarias :
0 Sr. agente da companhia brasileiro do
niavegaQio a vapor, flaQa transporter A corte,
por conta do miniisterio da guerra, no vapor
Bahia, esperado do norte, o tenento Jodo Tei-
xeira de Sampaio que, sendo do 9 batalha'o
da infantaria, ftbi retformniado por decreto de 111
de julho.- Communicou-se ao commandant
das armas. .
0 Sr. gorente tida cominpanhia pernambu-
cana made dar passage A. r, ate o Ceard,
em lugar gratuito a que d governor tern- direi-
to, na primneira opportunidade, a Julio Marinho
do Rogo Barros.
A' vista do quo cQmnsta da informaio
prestada pela camera imuni'icipal de Panellas.
em 24 de agosto, recommend A mesma cama-
ra, em soluc5o ao officio deo 25 de julh6, que
mando p6r novamente cm praca a arremata-
Scao dos irhpostos que devereo ser arrecadados
emt todo o municipio, durante o exercicio d6
S1877-1878, tendo a camera em vista que ditos
impostos sao os que so acham mencionadoz, no
art. 47 e seus paragraplios, da lein. '1,291, 1. 9
de julhb ultimo. Lembro A canmarm que o e xer-
cicio financeiro municipal comova no '10 de ou-
tubrne termima em 30 de setembro do anne
seguinte. cooforme determine o art. 75 da lei
n. 1,221 de 21 de junho de 1875. Outrosim,
que a cobrtinca do impostor de afericiao de lsos
o medidas devera ser feita pela propria cama-
ra, segundo a forma prescripta no art.. 102,
da citada lei n. 1,221.
-- A' vista do quo consta da informaegio
prestada pela camara municipal de Panellms,
em 24 de agosto, declare que nio approve a
posture annitxa ao seu officio de 24 de juiho.
-- Nao send procedentes as ponderarAoos
feitas pela caumara mupicipal da Victoria, em
28 de-julho, declaro-Ihe do novo, em addita-
mento ao naeu officio de 14 dp dito mez. que
nio antorisc o pagamento do que a camera al-
lega ever a Jose Maria Marques de Carvalho,
par r.Ilo serem applicaveis ao caso as disposi-
goes dos arts. 93 e 9 da lei n. 1,221, de 21 de
junho de' 875.


Declare wA camiara municipal de Petroli na,
em soluCuo ao seu officio de 14 do julho, que
nZio p6le ser approvado o project 1e postu-
ras annexo ao de 10 de outubro de 1876, por-
quanto, al6m de nao star regalarmente redi-
gido, accresce quo trata de assumptog esira-
nhos a aferiqao de pesos e medidas pelo sys-
tema metrico decimal. Niao convindo, pormm,
o adiamento do servi.-o da aferigio, recom-
mendo A camera que submetta a consideracao
desta presidencia, urnm novo project das mes-
nimas posturais, podendo a eamara para isso to-
mar por base a lei provincial n. 1,176, de 22
de maio de 1875, a qual rogula a afericAo no
munifipio do Recife.
EXPEDIN'rNTE DO SECHETAR.nOo
Oflicios :


Ao conmiaudiJante-das armas.- S. Ex3. o
Sr. president, tendo por despachodelta data,
autorisado o fornecimento do podido do com-
mandante do 9.G batalhio de infintaria,' ue
reio annexo au seu officio u. 688, de honi.emn
datado ; assim o manda communicar a V.Etc.,
para o seu conliecialeuto.
Ao engenheiro ajudante da reparltjiglio
das obras ,publicas.-De ordeqm do S. Exe. o Sr.
president, accuse recebido o officio de'i do
corrente, sob n. 247, em quo V. S. commnini-
ca ter mandalo passar certifcado de paga-
mento de urna prestagCo no valor de 8:8885888,
ao arrematarte da obra do lycou do arts c of-.
fcltos. -Communicou-se ao. thesoura pro iQ-
Ao administraderdos correios. z-atiefa-
zondo ao quo solieita V. S., eam s )io de
honteo, sob n. 44, remetto-hIbo, ti'ari u'rvi-


Repartirgo da policia
N. 767.-2.a secgao. Secretaria da
policia de Pernambuco, 3 do outu-
bro do 1877.
Hilm. e Exm. Sr.-Participo A V. Exc. que
foram hontem recolhidos a casa de detenCao os
seguintes individuos:
A' minha ordem, Maria Amelia da
Silva, por offenses a moral public,
Vicente Ferreira da Costa, por crime de
more, t disposicaodo Dr. juizde di-
reito do 4.o district criminal; Manoel
Severino da Silva Gomes e Pedro Josd
de'Sant'Anna, por crime de furto; Ma-
noel Jacintho Ferreira, Francisco Fer-
nandes da Cruz, Francisco Leito No-
gueira, Luiz Franciico Freire, conhe-
cido por Moc6, Manoel Antonio Pao
d'Arco, Feliciano Jose dos Anjos, Jose
Antunes de Souza e Clementino Jose dos
Santos; conhecido poi Dario, vindos do
termo de Flores, os tres prineiros pro-
nunciados no mresmo termo como in-
cursos nas penas do art, 205 do codigo
criminal; o quarto pronunciado por
crime de more do termo do Bonito ; o
quinto tambem pronunciado pot' Cime
de morteo na villa da Princeza e os tres
ultimnos pronunciados pot crime de
morte no termo de Ingazeira desta pro-
vincia.
A'ordem do subdelegado de Santo
Antonio, Rufina corn uma liiha menor,
por suspeitas de ser escrava e andar fu-
gida.
A' ordemn do do l.o district de S.
Jos6, Sebastio Epiphanio da Rocha,
como vagabundo, Josdt escravo de
Jos6 Antonio Pereira e Josd Bagd, es-
cravo de D. Hernimna Paulina da Silva,
por di'stirbios.
A' ordem (to de Santo Arnaro das Sa-
linas, Joaquim, escravo de Bernardino
Soares deSouza, por crime de furto e
declarar que %stava fugido.
Pelas 10 horas do dia 29 de setembro
ultimio, na cidade do Goyanna, Theo-
dora Maria dd' Conceigao e suas duas
filhas Umbelina Maria da Cbnceibio e
Francisca Maria da Conceigo, travan-
dlo-se de razes coin Francisca Maria de
Jesus, cortaram-lhe os cabellos, a ore-
Iha esquerda e um pedago da lingot, e
a teriam assassinado, se cm seu soccor-
ro nao acudissem Antonio Jose dos
Santos c sua mulher Maria Rosa da
Conceicao. As delinjuentes logararm
evadir-se e sobre o facto prodedeu-se
na forma da lei.
Pelas 0 horas da manhii do dia 1.0 do
corrente, em terras do engenho Sapu-
cagy, do termo na Escada. Felix Gala-
gange, travndo luta coin Luiza Fran-
celina do Espirito Santo, ferio-a grave-
mente, Iracturande-lhe o braCo e-
querdo. Contra- o delinquente, que lo-
grou evadir-.se, procedeu-se nosfterm9s.
do inquerito policial
Deus guarde a V. Exc.- Illm. e
Exm. Sr.Dr. MROqOL antinC(lo-


DESPAt10S DD. APRESIDENCA DE .-OUT
,. P.-0ODEi877.
AbA tlnadog, residentes, f villUa
de BamC i4lho. -Informeo t.Itn
pectar gerg *da inst;iaCo publiwM.I.
Abaixb assignados, msidentetna Ivil
isA t acirab .-fnforme o Sr. inspec*
-,Antjuo Rego Bqrreto ibbo.
JAnt 'iio eo p~a
Sim.
Professor hAfino de ir;,
de Iuna. Audis;.


repartW:.o das obrai.pWicas, $1Ta in
former. "1
Antonino Jose de Mui da iFAPAo.-
Reinettido ao Sr. inspetbr da Ihesou-
Maria de fazenda parm oftsconvenien-
tes.
Professor Benedicto arques Vieira
e outros.-Prejudicedos. -A
Bal bino Cesar de Atmeida Jeite. -
Passe portaria, conqe4endo a licenga
Spedida, coin vencimenros na fripta da
lei.
Professora Ernestiaa Victoriana Be-
ranger.-Apresente-se aa Dr. A4ugusto
Trajano de Hollanda Chaapon, para ser
ins peccionada.
Francisco de Paula Rodrigues de Al-
ineida.-Informe o Sr. engenheiro di-
rector interior da repartiao das obras
publicas.
Professora Felisbina Constanga de A-
zeved--Sim.
-Prolessor Francisco Ferreira dos San-
tos.-Prejudicado.
Felippe Paes Barreto.--JAi prestou
juramento o 3o juiz de paz a que allude
o supplicante.
Coronel Francisco de Barros Nasci-
mento.-Fica elevado.
Iglnez de Barros Accioli Lins.-Fica
relevada.
Isabel Maria das Chagas Guimaariies.
-Fica relevada.
Justino Jos6 de Souza Campos.-
Remettido ao Sr. engeoheiro director
interino da reparticao das obras pu-
blicas.
Joaquini Correia de Oliveira Andra-
de.-Fica relevado.'-
SLeonardo Kuhun.-Fica relevado.
Padre Luiz Ignacio de Mbura.-En-
caminhe-se.
Professor Lourenro Laurentiano Ce-
sar de Menezes e outros.-Prejuticdm4s
Secretaria da presidencia de I 3'
-de *utvrmvt* 077. --
1 0 porteiro,
I Joiio Gonalves dos Santos junior.


lamented, nao tern ceremonial, oem se cur-
vamn A etiquetas.
As reunites sao celebradas ordinariamente
ao ar livre, nos domingos, ap5s o officio divi-
no, nas visinhanqas das igrejas ou nas corn-
pridas pracas que servem de ruas As aldeias,
e tode a populaV5o, homes, mulheres e" me-
niinb, assisted As deliberates, sendo qu, os
moCos ouvem em silencio, no entanto .que os
chefes de familiar discutem as questOes.
Nas sess5es nio ha mesa nem presidencia:
o starosta, que convoca a reunilo e 6 geral-
monte tide come o seu president, confunde-
se na turba-multa dos membros do miro, e,
quando nao presta conta de seus actos on ex-
pse seus projects, nao fez mais do que inter-
rogar A uns e A outros, inqueriodo 'deales se
approval esta ou aquella decisko. Todos fal-
lam, simultaneamente, ou cada um por sua
vez, ser pedir a palavra, e do ordinario gas-
ta-se pouca eloquencia e faz-se paucas phra-
ses.
Muitas vezes os.negocios slo preparados ou
vAo terminar nas tabernas ou botequins, e e
ahi que as cabee.as fortes disrutem, e que se
reunem as comnnissOes de estudo da assem-
bfsa. Ahi bobe-so muito, antef, e ainda mais
depois das deliberaCdes, sondo que as multas
impostae pelos starostas ou pelos juizes da vo-
lest sito de ordinario despendidas em takes ca-
sas.
Nio se creia, pore6m, que taos assembl6as se
compuem de honmens embriagados, porque o
home alcoolisado nio A admittido em seu
seio.
Nas discusses a linguagem usada nem sem-
pre 6 parlambntar, e muitas vezes e vehemin-
to e sempre cbeia de images; mas, gracas A
dogura do character, As f6rmas patriarohaes, as
loCugOes biblical da lingua* a d polidez se-
mi-oriental do camponez, as reunites dresses
seuados rusticos revelam uma dignidade sim-
pies e ingenua, de que raras vezes dao exemn-
plo os estados cultos do Occidente.
Em taes assemblies nao hht aote regular:
nAol ha urnas nem listas de voto, n tm escru-
UtnioS public. ou secretos. 0 imperador Ni-
colAo quiz jadtrodazir etre os camponezes da
cor6a as 11 e esoheras.4sadas no Occaen-
te; mas a vonWe do Czar baqueou dia fda
atoIdide. do'o'sIU, poSeondo-'e 'frmir

do


kIO DE PEIINAI CO
RRECIFE, 4.DE OUTUBRO
4iO i pario dos Gzares
9
xxv
na Ru3sia as assembleas 4e diAricto e as
bost despertar um t'erto iuteresse, a ver-
6 que, mais do quo ellas, as assemblias
deia, gjagas A propriedade collective e 4
vavao dos usos do mir, so mais im-
tes para os hzibitantes do campo e mais
Sdo esludo do geiro.

[nslberes privadas tempinorariamente doe seus
qlutkfs, por estarew elles ausentes, podem
owiarparte nos. respactivos trabalhos, como
aeoitowe nas ingratas regimes do norte.
Nas deliberagdes de takes corporagoes nao
sao os individuos qua intervdin por titulo pes-
soal: 6 a familiar, representada per seu ache-
fe, quem delibera ; e,'Wob este ponto de vista,
pode-se dizer que essas. assemnblas 1 SAo ca-
maras representatives, cujos membros so.de-
legados de direitO o u mandatarios daas fami-
lias.
Coaio de ordinario se faz pot tiaglo ou duor
a divisao das Lterras, tambem asMin se tomnarn
as deliberagOes dos egocios coromunaes, e e
a familiar que tem voto nos conselbos da so-
ciedade, pois que e ella a unidade social.:
0 voto assim dado, por unidade domestica,
por farnilla, 6 muito mais equitativo e muito
mais natural do que o voto individual por
adulto, por isso que represent toios os inte-
resses, todos os direitos, todas as pessoas, no
entanto qua o suffragio universal, nto abran-
gendo as nulhereg nero os manores, nao re-
presenta reahinente senao um sexo e urea ida-
de, e addiciona comno unidades da mesa or-
dem quantidad-es nurnericamente desiguaes.
Alw de mais representative e mais equitati-
vo, o systeina do miro mais co3servador ; e,
certo, 6 a elle qua a commune dove em grande
part a cunservaeio de suns franquezas e sua
auton3mia secular, e senm duvida a elle deverA
no future o povo. russo umra liberdade bern
entendida e progressista.
Corn excep=o dos criininosos de furto ou
de outros graves delictos, todos os chefes de
fainilia sao regularmente convocados para as
reunioas da assembl6a da respectiva aldeia,
sem que tenha podido abri r br6cha nesse cos-
tume as theories de urma co,'ta escola, qua
trab4lha por augimentar o numero das exclu-
sOes.
Se essa escola poder vinegar, a communa ga-
nhart algum* cousa ; mas a leilque prescrever
tal mn-dida achar-se-he ipso facto em contradic-
QAo corn0 os habitos e C.(tiunes do mir, e tender
A dissolvel.o, suppriirndo apropriedade ollec-
tiva phi proveito de uma espec;ie de aristocra-
cia de aldeia, qua em certo modo jAi existed,
pois que A constituida par unma. minoria de
camponezes abastados, que exereein predo-
miniw sobre a maioria dos ass-ciados, da qual
se dpstacata muitos wembros vicioso$s, dnos
quuS a ignorancia, a pr .uic o a embriaguez
sao Oeteitos habituaes.
Akristocracia de aldeia, porm nao e o uni-
-4|9i.euoiIate 4a que se ach expost. inir;
Mi se aha elle sujeito aos caprichos e
erros de uwa invejosa epreguicosa demago-
gia, que mais de uma vez, em diversos pontos,
tern procurado tirar partido do sounumero.
No intuito de evitar os males d'ahi resultan-
.tes, a lei, reconhleceu nas assemblies commq-
naes a singular faculdade, jAi de uso invetera-
do, de poderen oxcluir de suas deliberaCOes
aquelles que ellas julgam' menos dignos de
gosaremn desse direito ; mas, a propria lei
restringio um pouco. essa faculdade, porque
deterrninou que ninguem podia ser privado
desso direito por mais do tres annos consecu-
tivos. Entretanto, essa restricio p6de ser
illudida, porqne o poder da conimuna 6 tal
que ella p6de banir da sua coimmunhAo e do
seu territorio qualquer de sous membros, o
quo equivale a urea verdadeira deportacao pa-
ra a Siberia.
A' despeito de alguns abuses, o governo
nao quiz privar as communes dessa .ampla
prerogative, alias decorrento do principio da
propriedade indivisa e da soliJariedade do im-
poste, e apenas procurou limitar o exercicio
de taos direitos; polo quo, em um regulamen-
to de 22 de abril do corrente anno, fez depen-
der as sentencas de banimenio, pronunciadas
pelas communas, contra os seus membros vi-
ciosos, da confirmacao de um'a autoridade es-
pecial.
As assembleas comrnunaes, a despeito das
regras fixadas nos ukase..: do osar, se reunem
e deliberam seguindo os habitos e costumes
tradiccionaes, e, certo, muito tempo ainda de-
correra antes quo em taes reunites se passed
as cousas conforme os edictos e as lQis.
Actualmonte, essas runioes nada tern de for-
malistas, pos que ellas n'bo obedecem A regu-


Acada qual urea parte proporcional its suas. '"'--"- "-
caa quatisea pare proporciona as suas qe disto se possa *nferirqueest5 proju-
foras e aptidues, cdicada a questio das relac-oes da propriedade
D'ahi resultam ao misr mnuitas difficuldades ; individual e da propriedade collectiva,pois que
e o certo 6 que, sob. pretexto de equidade, coin- aestio 6 deimporancia capital para a
mette-se muitas iujustigas e arbitrariqdades, Russia.
tanto mais notaveis, quanto, soberana e omn- Certo, se ainda nio A licito dizer de que mo-
potente no que concorreAs epochas e ao modo do se aproximarao o antigo senhor 0 o antigo
das partilhas, -a assemblea decide em ulti-
ma instancia. servo, pode-se affirmar sem receap que, mats
Dest'arte podie-se dizer que a ommunacedo ou mais tarde, essa aproximnIaeo terd lu-
apoida n autoiade collective, compnhaogar, e que, no future, ambos scero compre-
apoiada na autoride collective, acompanha o hendidos na mesma volost e quiga na mesma
camponaez em toda smia vida, noK seus traba- communa
Ilios t economic rural, e apenas se det6m nas Entretanto, tendo-se em vista a historia so-
portKdo lar domestic, onde s6 ponaetra para eular do mur, pode-se afiniLrmar tarbem que
regular as partilha3 de famihlia precedendo o esse self-government local nao pode servir-de
concenso desta. base livres instituieSes political, por isso
Em parte nenhuma a communa tern tanta que, ao passo que o self-government modno
autonoinia e t~au graucie pocier peanute a auto- qo opsoqoosl-oenetmoen
autonomia e to grande poder peranto a auto- funda-se no respeito dos direitos individuals,
ridade central comona Russia ; e, certo, o seu as instituic.es ruraes da Russia fundam-se na
duplo character 6, ser independent do poler-- autoridade communal.
e trazer na sua dependenaia todos os respec- Tal foi corn effeito a causa porque as fran-
tivos membros, que nenhuns direitos e fran- quezas dessas pequenas republican ruraes
quezas desfructam, porque todos stocomo nunca c.nduziram A livre politica, e tal fui
que um monopolio do i*', cuja constitui so semelhantemente a causa porque o mirip6de
livre lembra a libcrtas das cidades antigas de sepre se accommodar corn a aut6cracia e
preferencia ao self-govenment m6derno. eoma corn a servido.
Corn effeito a liberdade dos campozes rus- eio
sos e urma libardade collective e indivisa co- Na antiga Moscovia, antes da servidao, os
ino sua propriedader, e certo essa liberdade camponezes tiveram seu mir',suas assemblies,
assim permanecerA &mquanto persistir a soli- seus starostas, e seus juizes e padres eleitos ;
dariedade do imposto e o communismro agrario. mas, a despeito diss., foram sempre op=:mi-
Aos olhos do poder, hoje, como outr'ora, a das pelos -agentes do principb e do fseo .pot
principal futncgao das communas ruraes 6 as- iiso que, entravando a liberdade individal,
segurer a cobranga das repdas do flsco ; e, ellas encedeiaram o desenvolvimento da per-
sob este'ponto de vista, 6 intuitivo que ella 6 sonalidade moral e esragaram o proprio sen-
a legataria, a-herdeira da servidao. timento do direito; de sort que pode-se
Gracas A solidariedade do imposto, o gover- dizerque a historic russa 6 a hisLoria do do-
no tern no mir o mais zeloso e implacavel per- envolvimento da autoridade, da mesma forma
ceptor do rendas ; e certamente o imposto se qne a historic do Occidente 6 a do desenvol-
ria sempreopago A teinmb, se as vezes nao fos vinentp da liber.lade. -
se superior As forcas do camponez. Tal o dereito capital da'
Para que a coimmuna 0ossa pagar-lhe os im- mas esse defeito refere-se a- -
postos, o estado dA-lhe lodos os mios de co- que ao present ou ao future,
bral-os,. outhorga-4ho a faculdade de repartir a emancipa.do, o individual .
os encargos segundo as faculdades do sens portas dia iba do mouqik-,
membios, e concede-lhetodos os elementos de de dissolver a antira'aamili.
forga e de rigor'6 disposie.Ao da autoridado ; e meca A ameagar a pra M.
d'ahi vein sem duvida a autoridade adminis- Entretlaito, convem p
trativa da communa e o poder quasi absolute Cos passados do mir, v,* -
que ella exerce sobre seis proprios membros. judicou a iniciativa S
A solidariedade do. impostor 6, pois, o princi- deu A classes d.-.|l.
pip do sea sujo6ifag comemuna, e tal 6 a prin- consisted t a
elpal riao do despotimnto intereseirho do m-r, ser
-dkpa o'os 6 tim motto obasamulo aa des .
5troMalw o a tIer :
S ft* 1 1l


S'. i.*-.
k < .
...^-^ '..


t I.-.,


A ?


...m = ;jR


I v


W,**,w 1: -


rid ; mas seguando o costume, as decisoes ti- ou erante sous credores, que slo os antics
ram sun autoridade do consenso commum ; senhores, ni5o podem facilmente d M WA
polo que faz-se mister a unanimidade par a sedan dupla cadeia que os prende
validade do acio. Como, entretanto, essa una- livres em sua individualidade, por qi -
nimidado nem sempre se obt6m, porque 0os muria, responsavel p)ela l taxa de todos Es
modos do pensar divergem, acontece que a memnbros, 6 obrigada a exercer
minoria ce:e sempro Amaioria, nio por sub- ura several e incessante fiscalissto et13o
serviencia ou temor, mas levada pelo respeitO pode pr-ivar-se do direito1e expelir uns e reter
que nutreo individuo para coma communal e outros em seu seio, salvo o caso de flcarem
pelo respeito que inspiaram os homens idosos quites corn ella aquelles que pretendam dei-
e experientes, cujos conselho-; s lo sempro xal-a.
aceitos. A communa exerce, pois, sobre os-seus
Semelhantes habits tornamn dispensavei as membros uma verdadeira tutek quer-p di-
volaSes ; e, de feito, as cousas de ordinary ca a liberdade individual ; ecerto, s
se passam assim: se se trata da nomeaolo do sera adquerida pelo mongik qiual ;e r id
OW-OU NOft. n o a& o -f
e aquelle que alcanga mais aiceitaCo, que en- to, embora ne ta hypothese corrra-e0. o
contra mnais echo, 6 logo repetido per todos, do ver o estado debilitar e compromise as
e o starosta, assim eleito, 6 proclamado. Se Oliberdades commuaes.
se trata de um negocio, sobre o qual 6 difficil O acto emancipador, no intuito de facHitar a
o accord, logo que e isto reconhocido, adia- liquidaCaodos negocios da servidao, creou ma-
seO 3adiscussao para outra reuniAo, e no inter- gistrados especiae, dnominados arbitros oi
vale discute-se ern particular, ."e, se a5.o se # eoiao rirso
valo discute-se em particu.ar4'te. 5e nio so juizes de paz 11poWedvikij, e deu-lhesi por mis-
chega a accord, o partidoque" so sent em s'-regular as divergoncias dos antigos serves
minoria retira-se e submette-se. Quando por corn seus sntigos senhores e ao mesmo tempo
accaso, o que e rarissimo, ha necessidade de fiscalizar a nova administrai.ao das communas
contar os votes,. os membros delibarantes di- de camponezes.
videm-se em duas filas, segundo suas opi- Semelirante ceracAo nao produzindo bons
nibes, e entao faz-so a contagem.; e, assim resultados, foi abolida om 1874, e em seu lugar
descriminadas as opiniSes, quando uma pare- foram croadas commissles, que, sob a presi-
ce ter por si o favor da assembly., o starosta denciade um nobre, sao compostas de algumas
dinrige-se aos assisltentes dizendo-lhes : Or- autoridados locals, e especialmente do 'chefe
thodoxps decidis assim ? ) Entao a assembl6a da policia r.spectiva, de au juiz de paz hono-
rosponde por grigntos de approvagio, e om al- rario, nomeado polo ministry da justiga, e dj
gqns lugares todos cobrem-se e fazem o sig- um outro membro permanent, nornomeado polo
nal da cruz, e a decision assim tomada e sel- governor sob tIroposta dos :cnstvos ou assem-
lada 6 aceita e respeitada por todos. blWas de district.
A praticadas deliberacOes em.commum ou A' este ultimo mnembro incumbe especial-
por unanimidade nAIo poderi subsistir por mnui- mente a divisAo dos lots das terras e as con-
to tempo diante da invasAio das ideas e usos do iengbes de compra provenientes da liquidailo
Occidente ; mas, em todo caso, 6 um traco da servidao ; e acommissao completaincfim-
muito original do mi- russo, e serve parai bern todos os demais negocios, taes ootw fls-
temperar utilmente o poder da communa so- calisar a regulariJade des eleicoes communaes
bre os seus membt&: e confirmar em suas funec~es os storchinas
Querendo mostrar respeito aos costumes e eleitos pelas volostes; levar aos tribunaes os
dar protecgio aos memnbros da commUna con- funccionarios ruraesculpados de'qualquer cri-
tra medidas precipitadas, a lei admittio a ne- me ou delicto e receber reclamaCes contra as
cessidade de 2/3 dos votos para certes deci- decisies vexatorias das assemblies commu-
sbes graves ; o 6 por isto que siao preci.sos uaes ; e, finalmente, sanccionar as sentences
2/3 dos votos dos que temn direito A terra pare de expulsao proferidas pelas communal contra
a sua partilha periodic e corn mais forte ra- os seus membros, e cassar os decretos dos
ziBo para a abrogaeao da propriedade collecti- tribunaes de volost nos casos cm que esta jus-
va e para a partilha definitivad dorndoinio.corn- tica aldeia ultrapasar os limits de sua com-
munal centre os individuos ou entire at fami- petencia.
lias. .Semielhantemente silo precisos 2/3 dos Como tribunaes de *ppellacio, a lei creou
votes da communal para a flxaCAo das taxas 1o- tambem commissbes provinciaes, : que, supe-
caes e para o emprego dos fundos do mir, e riores As de district, s0o presidilas pelos go-
bei assim para a exclusao dos campnezes vernadores de provincial e compoemn-se das
viciosos do seio da cQmmuna. e. principaes autoridodes dessa circurnscripe.o.
Nas assembl6as de volost, que siLo verdadei instituindo taes commissoes, a leilcomo que
ros conselhos eletivos. todas as decisespn teve em vista collocar as communes sob a
deo ser tomadas.l)or simples maioria. .inspeccAo das classes mais i struidas; mas a
Hoje, em certoscases, a lei permitted appel- verdadi 6 que,. af6ra essa rscalisaclo; os cam-
lar das decisues das assembleas de aldeia ; poezes reulam livremente tod.s oubgocios
mas, afora a sentence de banlnento, esta ap- vommunaes,en exclusio dos demnals habi-
pellaCao nio deve versqir-steb sobre a irre- tantes do campo. pois que niu fazem part
gularidade des decisSes, sobre a f6rma, e nao das communas -#m os ahtigos senhores, naan
sobre o fundo do negocio. Taes appellaoSes, hmuitos dos dclis pr-prietarios individual.
por6m, sau raras; porque, nio obstanteos, Semelhatile syst *r no s6 foi uma dnise-
.abusos e extesspos dit poder, o tnoagik aceltai quehel i fa.ntNcp*ncao, mas tambem derivou
todas as desbas, levado pelo respeito que da pr' pois q trnou-se
lhemee o iti Ult W%,Mb pos quo tornfou-se
lhe mdc o nrI ,o reala impossivel..reanir
D'est'arte, polos uses e costumes tradicio- em tirna mesJveircuTms'cripcao administrative
naes, as assembleas de aldeias sno soberanas, os serves libertados e seus antigos senhores,
e sua autoridade, quasi igual A do antigo se- semr que as recj.)rdagies do antigo dominion e
nhor, e talvez mais acatada do que era a da- os odios da serviddo prejudicassem a liberda-
quelle. de do utins e outros.
A communal goza da faculdade de dar licen- Assim, pois, entire o antigo senhor, proprie-
0s temporaries Aquelles de seus mniembros tario por titulo pessoal e herelitario, e o cam-
que querem viver long do seu gremuio; ponez, simples usufructuario temporario de
mas de ordinario, em troca dos rospectivos um dominion collective. a communhlio da terra
encargos commintmaes. sugeita-ds a uma taxa ainda hoje eleva urea barreira fortissimra, que
atialoga ao antigo obrok do tempo da ser- s6 podera ser destruida quand6 um grande nu-
vaidio. mero de cainqonezes tornar-se proprietario
AL6 bemn pouco tempo, a dependencia cm pessoal. AtM6 entrio, o antigo senior permane-
que ficavam esses membro.s era tel que elles cerA no m io(los seOs antigos serves como um
podiam ser chamados ao bel prazer da corn- home parte, extranho aos intoresses daquel-
muna, que se aproveitava disto para estor- los que o ccrcam, extranho d communa em
quir-lhes dinheiro; hoje, assimn nio mnais acon- qu reside, e coma que vivendo em isolamento
tece, porque urn recent regulamento p6z ter- moral e social.
mo a takes abnsos. Esse isolamento 6 reciproco ; e, segundo
Da. mesma forma que da tees licenas, a muitos mrnml)roS da nobreza, 6 elle a verdadei-
communa pdde tambem admittir em seu gre- ra casa dos defeifos da iivre administraciu
mio novos metaros ; e gompete-lhe tambem dos camponezes, que d'est'arte se v~em priva-
nomear tutors paraos menomes, interdizer ou dos da influencia e do concurso des classes il-
permittir no seu lerritorio a existencia de ta- lustradas.
bernas, e fundar eseolas e tornac obrigatoria E' d'ahi que vein a aspiracao que nutrem al-
sua frequencia, sob pena de multa. guns espiritos de uma nova vo!ost, onde se
Almn de taes objects, a assemblea corn- utem o mongik e o barina.
munal tern por miss.o principal razora parti- Esta aspiragio, que, a primeira vista, parece
lha das terras e destribuir oimposto; dupe liberal e democratic. l5er analysada ,io pas-
questoe tanto mai delicada, quanto nio estai sa de urea ospecie de vassalagem, que, em
sugeita 4 regras fixas e determinadas. substituicuo da servidao, desejam alguns veo
A partilha das terras nao se faz mechanica- reactada entire a grando propriedade eos cam-
mente, pois que, alrm de attender-se ao nu-
mero de habitantes, de families ou unidades Gomo esse, outros projects tern sido apre-
de trabalho, tem-so em consideraaio a idade e sentados pelos proprietarioe, no intuito de
o estado de saude e de fortune ; pelo que A de rehaverem a perdida soberania ; mas a im-
praxo compensar-se, tanto quanto possivel, as prensa russa tern repellido todos elles; pelo
vantagens natures de uns e outros, dando-se atu.a causa da daolost commum narece Derdida.


t *


'^ -^
- *-*':t '
^

























I :i. ". bte m I.: j4 .- .1 1 po
Noticia dop*oe' OJpma r e
ponioeiro 1s d0 I enrom tdapaa

d"i 30 s'25,m I sta clard que o adesconto nao deveat- aremus generos portoda'parte oarissimol
do Graa-i e da Parahyba2docorrente'L tender aqui a esta ou aquolla npca e lwrn, e a sdrtr-am.qui"
li" o qu deiles colhemos dee lev9 r em cont, lno en .ytu$p t E;&)r ehR'eri;aa f '
AMAZONAS9 kildso. s ( h T i rnhai, ,e i fa s
B> ik*rubin .. ala x ..,. ,,,.>... j a Otra hVmise~e. am V.7. An. QflO k'" *D Eauhv Ron r g a b M I da .- I


--~~~~S- Towm ,isto 8 .et.,nneamno _nman m r~o elz aSla -
do Wi.para preencher a vega deiWada pelo Petc., nunca menos de4 medro Pesoa VellozodaSilva.
Dr..l aBe," or xpedilo o' coMai lt di- o .-e. l-a ua.9iPo d&50 kilosI; parqb l itilf.sd
dw4seoJ ladlr itria Leos. pi o dtWW^ dt nt0 et|^A l 3 deoproaurador fiscal do iWIo- = Rptere AW wesMia omrnissi qu gru q.wb go eteoaph noit j"a F- Ne i. .
fo- dii a...b i afiLwen w~.pj r o*q"dA 1NTtf-dnj a
I ait"demii, ij4d Irenio Porfirioda % ba a 4o i c. 20 klei ei- de retimrn uli'tee,passai parai Kio de $S Adojo o crH
o qu asus4I aao pLrazLa brngvaeXo oirernequroo C*g1Ac0 9ttux X1gi~*
flrnoemalo para substituil-o.Ray- tada o prazo pora o eoncotro da. bmracha, Fiancisco e rmatas dag Alag6asVe r4adeot onsrauezi Afogaat
0|< RaelU. 4. o. qutraz Lambem 4vamne ao conlmrn esqueler-a,'w*. *W010ig Irouxa* -Antonio 4i(]Itha i. dlyfia a, lBa,1'
C-" Lou-se o beneficio dado uo Uieau'o nfl cabega e os filhiffho gritando nas costas, AntonioJ 4 ea'favor d U oja magnica Am#zonas. a n MARANHAO q que faz cortar coracAo, implorando pelas por- Alft dos -que j4.inhan sido uitultd, 9
Foi r'efaor ada a seretaria do governor, Para a organisagao d companhia, que deve ta. a eonmiloo que-oner e os meios do para os quja QVti.nia e.$peaf '
T-o d ecia o goru estabelecer ua eogenho central, achavam-se subsistenoia par sna darrcto.. be murlnidu Item o? g'egef ''
.9endo daulittiaos o .Io .lficia! lo.Io C~aalos da sas.s m sadtri.
s n a d n t k o o t o r c a 1 o l l o a i n s c r i p t a s j ii 3 0 3 9 a c o e s ." mi A n t o n i o o e s a d o o 'o nv oa6h e s d e l ah8 1. .
Siva Pinheiro e amnanuense AdriAto Xavier de scripas 3,039 ac s. Em ura a palavra, o slado do povo ti Antonio Js Gonoa'es doe 1
OlveiraCEARA' que nio so deooorrto muitos dias que nao Antonio Cardoso de Oliveira.
--Fallecu .apitao reforadwo do exrto ; A .rubrica Soccorros Puiblicos abrira a prosi- conecem a mnorrer. ".ristides Duarte Carnhiio da Gunha Qama.
Faleco o.gpiil reortadodoexqreito, eCrbi44unaQm.
Manoel da lGsa-Falcao e Brito, dencia da provincial mais um crodito de cem A conmmissao luta corn a maior difflcutild- usto QesW Pereira d Mendoca.
Foi cntratada corn Machado Silva & cntos dei, o qu elevava o total dos ere- de, porque alm de n3o, haver nos morca.. .ometrio Aqacio'do Arajo ats.
a Ulumiaao public da capital. ditos a 46:78000. do Cariryeneros pewpeo comprave c-Hypolite 6 Roberto.
4 illumcreso e lue n; caoUl-eopod mandraeMattA,
Assumro o cargp de ehe[, de policia a -- 0 president da proviocia offieiAra A to- cresce quo nao tern podi mandar d Malta, Francisoo Monteiro GoiCalves da Luz. -
Dr. Felippe H. da Cuha MUoreira. das as commisses do soccorros da provincial, 'Taaratf, Jacobina e Renango, onde hl abun- Jose Fifide Olivs-eq. ,- .
ederam no i e agosto:., lembrando-lbes aconveniencia ie empregar daPa e LAo barato, ao sd pla deora i- Jos Pdd de Castro.
-Alfanlean n gt os emigrants na abertura de roCados, ufim de presindivel, e contraria aoestado do povo, Jos6 Ribqirq do\a.al.
ADifia de.intpoeta .. ll. 06) que, logo que appareceiem as chuvas, fazer- corno co-n pequana qantia consumiria quasi Henietr ialreiros.
Interior L ... 2:38 se plantagoes de cereaes. Luido e tamnsporto pouco so trarfia. Jos6 Gltlida-tIow das $ Silva.
Interior,, 6.h1 a Silvoa. ond jt
Dxtraoid i, "250 FalUeceraffiyponorio Perfeito Bastos, em- Conprames lfrlnha etnCabvob6, onde jA Jose Beruar4ip.prtierera. de .jritoe.
ienda coa i o espec 4 pregado day li graphic terrestre; e An- estoom.esoaspe a 9 qart e repa- Jos Antonio Moreia Dias.
4Wjjd~~~egZ~omosoespecial0 9a qdarta -e repa- s6AnoibiiaDa.
ton a Marla a faia da 90, coin cemrannos de dw-amano-aqUiaa20$006 icarga, (ajieslao Joaquin JoFge de re llo.
.. idade. w.' a 24 e 25000)) ;.ora, alAnt do ser "%tt*alirmen- JoaoCesarlode fie o -'.
20; o,'s4o1: .1)--rae e ,ffiiote
Recebedoriaprovincial: total dos Wigrantes, que tern ido pa- taSo-, s6-por'tsi, iitieiranlte insufficlinte. Manoel Clementino.-Ribeitip. -
Para a provincial 38: Q4 127 ra 0 Par 4 e Araazoafeleva.se ad4,552. isucodeique -4 a oalte: thatheiatiee que thes Mathias ALves TI yoo. 4
Para a companhia do Amazoi4 8M25j299 ComeI,4r egtender-ao o Ao telegraphi- apresento, convince de que era precise bas- Marcelino Altoio Pereira.
Paa opaha phos terreStrre. tre a Fortalezaeo Araca- tate dinheiro par er acordo cm Theotono d AlUIqferffi'te e Silva.
clamor. p 61;to ,A "e -T
t47. 4) : .. *, clamor. '-;i,,* -. ) Faoultllde de d ilto--A Odn-regacao
PAA', -- Ilpellido pela secca chegdra ao Aquiraz,. Quatro mil indigentes1 temo Fnmdio) re- dos lontes, nodia -6 do corrente, i; 8 horas
2- Assunrira o excruicio d, i;gjnmnain4a( da fibleu-ia db Chor6i Jo4.qual Jos6e coi today cebendo cada umn meio': lltd de farinha (qn6 da md,6, najigrefa qtia 4a freguezia da
dun cioaase ma aeax:arVas, dio
da. arias d& prov)iucia o brigAir il Padro,o sa, familia. Joaquii Jose oonta 82a.annqs de duas chicaras e uma raturaPaa 2 dis, Boa-Vista, manda elebra' missas pela alma
Maria Xavier de Castro.. ade. e sa chara metade 8, a 65annos consomem por cada ve'r- Q5 quar 4i- do no~sa do Dr. Viient& Perddoro ego.
0 tribunal d la o.l,,uara osesguin- vive esso ditso par na ofais pditeita cordial antiga media e 40'argas de rapaduras. Thatr Sant Isabt-C o ahava-se
tes tiotas. ..hawwoh:ia, matri W.l ,an
S harj- a .a...rinial. Soado-essa ialo<1neiratiientei-nsufflcifn- annunciado, etviou, ante-hontoim,nessethea-
Capftal.-Donunciante Fii,_ropCarlosRhbs- 0 vapor Joguaribe, da.eoinpanhia pou'- to pra salva: a vida dequsi sodispaedel- tro, a compatiria de| Zaxzueas lihespanhelas,
sard, denunciadu o Dr. juiz, de.direito.da 11 nartlIcana, vottara.da Aanar'deaol sahind dol Ia, ?devo se dar ao menes '-vezes por semana, daqual 6 director o Sr Thomniaz, PaEini, comrn
vara Joo Florenno Meira d, Vascncl portda Fortaleza para o nossao, peas eseala logtereos de istiu p cada seana a opera em tres abtog Campandnw, iha qual to-
v a F IoLao l~ lo r l l 1 ein M e r a (e d ~o a e n e~ l l a s : ,o t e e o s d o d i s t t ,ib u iT ,p* r c ad a se m a n a a o e a j r t *) d q a t -
jul aram imoproedetnt" a denuncia contra o do costume,,a 29 de setembro. 50- quarts de farinha e 80Ocargas de repada- maram parte os-artistas'.bsepha Garlca (pri-
vo'L.d4n'Sr.'desembargador Udhha, e condom- vapor inglez Albroze levou para a Eu- ras. ma dona), Francisca Hespanha (tiple obracte.
naramn p denunciante nas custas, 'ropa: -178:saccas de algodao, 6)00 de assucar, K A paoca farina qiieainda nos vm A teira ristica), lienrique Gernor (priieiro itenor,',
Manaos.-Ajipellaates ilias Jos6 Nlnes da 1,687 do care, 10 de cera dearnaeiba, 86- M- esta so vende-do, a 9Oo& quart, e nadi's [Andr6 Ortiz (primeiro baritone comico), alim
Silva & C.. aipllados Amorir & rfa ; jal- borracha, 2 de caos, 2 de cera de de sernarra a 39(000,,rpadtIa,-24o e 250IO, res ouros artist secundaris c
Silvalt& C... Ia,7-2Ide I s, ,de eerade 4-a O ,ide t,'es outros artista.1 seeundariog,,:ie-
garain procedente a appellaqto para ser r:for- ahola,fe.k1' 7oa c nri'bos, 25 baritas e caminhandopara 30 e mai tn l r~is. arrt)z traordinaria oricurirencla, que enohi tin'dS
mada a sentcna appellada.' de cer ftx, ffa-naatba, ai-tC.ouros salgados, milho-e fijAo o a.'- i -' os camarotes, conmeo as ceadairas,:galetiase
A comnnissao da pIrai do c3nimrercio di- 40 ton'" .ife ossos e3' detatajiuba, 608 cati- Ora, nestas condite, ajAi -que sdrd platea.. ,
rigio urnoficiowa,.p.r-^sieeo daprovirl-il so- xas com .laranjas, 25 cam abacaxys e 6 corn deste povo? AxeuCao da opera orrqu bemrn, apezar do
licitandu-lho qu transfcrisse a eleiCao do Ana- pennasdeema.. -.,, Ogado estI-vasqueir, e'o qae ha 6 ma- acahiharnento dos a:tistas cin vista de urn pu-'
jas para depots da safra da borracha, visto Le mos no @tenue: gro e muito caro, a pobztr esta n(ra, e sem blico novo e tao avultado.
nao trazer isso inconvenientes ao servi o pu- ( Coutina a grand.e penuwia de farinha em geito para vestir-se, e quando vi'e o inverno A Sra.Garcia mostirou conhecitmento pert-
blico e sarde grande v4ntaggmn para o corn- nosso mercado. -' que 6 de semente partaiptintar-se? 'feito da scena, e Voz int'iLo regIlar.
rmercio. 0 vapor, maranfiense ema que se espera- a E' uma malida a marit nei"essafia a corer 0 SB. Geroer o Sr. Ortiz e aSra. Francisca
S. Exc. respontdeulque,. per emquanto, nada va lgurna, nao trouxe urna sacca, ao nienos, missaofazerotUa, reservade2') qaartns de mrii- H.spanha'patlentearam' egtnfdo, que bern pG-
podia resolver a respeita,. visto come nao o ton- do aperas sido compradas200 do uma par- iho, 20 deol-tue 20 de feija<, para distribui- de vir a tornal-os aprociados do.pubii.
ram annulla'las peo padercormpetente aseIei- ida que seguia para Mossor6, a 9800 3 cada no comeob das "ehuvas, .ts 6que a tivermos.' A escolliha da opera Oiaraetreia mrto foi dos
coes ultitnaint. e pi'ocedidas, nmas queo oppor- sacca. c Seglondd nos dizem' do -Pereiro & tal a 0i- mais felizes, pelo que deve aggardar-se a
tunamente tomn-irucm)asid raq'lo a reprefien- 0 p0vo que se embaia coin as promes- nuria que alli ha, que alguns especulador6s representagao de alguma outra, cujo c r.ssump-
tagio da pra(a. s as do Sr. major Capote, promessas a que elle retaiham urma rapaduraemi 80 pedagbs e ven- to mai.s interesse, cuja mrhusica agrade mats.
A cotnmiss.o a eiral da praca de Be- era toda solemnidado, achia-se hoje desitlu- dem-se a 20 reis cada um,-fazendo portanto (,endral Ozo ,l-O mionte-pio dos offl-
16m, incumbida pe4U Ceard de promover do- dido.. f1600B'uma rapaidara! ; ciaes honorarios do exercit, nomeiou a se-
natives em favor doindigentes vicltiuas da Dissera Q Sr. major que havia de fazer i A farina vende-sge ai aap0so, custando guinte commissiao-encairegada de dirigir os
secca naqutella provii.ia, enviou a quania e aqui ceeiros, e que a gananeia no metteria o urna libra 640 rs. ou 102$8 9lqteire feseos por occasip da chegada do Exru. Sr.
600$ qua, .foi eoe bi ,.i ,, "" nte. Esta dearpjo tao formal fez rstra- a O-- eftiLoto xicos da mueunam de' que marquezdo lTfrvat. '
A corn !s9 Ceaeki' I pala- 'W 0comnmerciQ,1doixando o Sr. major Copo- povo se alimenta ha mezes, vo se manifestan- Tenerte-coronel Ernesto Machado Freire
vras mui rrswigeiFa os'se-11sBlo a camupo, sMroompekidor. do pela anazaroa. Muitos jd teem succumnbido Pereira Ua Silva.
caixeiral p ara6nset qif t 1 ,- 0 Sr. m ajQr Capote.-faltoa o compromisso envnennados pela mucunan, pao MWc6 e'oi- Capito Florencio, Rodigius de Miranda
podeuai appeal o n q ",0rahio e .a consequenciadiss( 6 dstarmos tras raizes silvestres.- pn oc o- Franco.
-- Em virtadLu do real dr';4r$ i 9je aAEreguesAs garras dc meiaoduzia de os.,- (f De Tauha uma pessoa desta capital qte Capitao Antonio Jo-6 de Andrade.
ail Emns evipregados da %ewiatr, eluiadares sordidos, qu, atraiesando as alli se acha, asshn nos-descereve o etado da+- Tenente FeliiSsimo do Azevedao e Mello.
no crime com aettilo P9.idlI : generos atei em quarta. m nAo, vlo sem d6 nem quella localidade: -Dito Francisco.ndi Paula Mafra,
despacho de pronuncia ito coompaixuo do misero povo retalhal-os no mer- Acha-se tudo aqui no ange do desesper,, Dito Antonio )6aqoini Machado.
da In vara, de 16 de agosto, ri Iaesao cado por preeos exorbitantes. e no entanto faltam ainda tantos mezes A ven-L f Dito lHenrique 'Cecilio Barreto de Almeida. ,
juiz, novo despacho con refeoren aos pro- Consta-nos que e comrmercicio ultima- cer! A present cornmissao deverd reunir-se ds
nunciados, ficando : monte resolvera fazer pedidos de cereaes para a NAo sei como sahiremos deste abysmo. 5 horas da tarde em ponto do dia 5 do corren-
Pronunciados no art. 154 do cod. crime : 0o sul e norte. Se nos vapores que se espe. Para cumito de infelicidades do misery po- te, no escriptorio do Sr. tenente-coronel Er-
Thesoureiro Domingos de Oliveira Gomes. ramn dessas procedencias, nao vicr alguma fa- vo qup n'ao se p6,e tratar, esta sendo ac- nesto.
Escripturarios Francisco H. do Souza Tro- rinha a nossa situaao tern de aggravar-se ex- coaiattido de febres, regulanJo 12 casos per Ferimenlo grave-Cerca de 6 horas da
v2io, Joaquim A. da Costa Rocha e Joss Alves traordinariamente. dian; ieizmnente nao ha ainda victim a la- manha, aQ 10 do corrente, em terras do en-
de Menezes. h o mentar. genho Sapucagy, do termro da Escada, Felix
Despronunciados: Do di 22 a 9 de outubro c egaramao 2 A,4ui riao ha medeico, nemo botica' n-o ha Calacange, travando luta corn Luiza France-
Ex-thesoureiro Vicente B. de Miranda. district a cargo do Sr. Joaquim Nogueira, e bolacha, nem arroz para ura sop. lina do Espirito Santo, ferio gravemente, que-
Escripuraris e-praicanmtesFrancio J. deforarn convenientenente alojados nos respec- a Os poucos getaeros que apparcem ven- brando-lhe o braga esquerdo, pondo-se em
Souza Salles, Iosp M. 11. Fernandes, Antonio tivos abarracamentos do Pajefi, Alto Pimenta dem-se por preoosfabu)losos. A farinha a 500 seguida a.m fuga.
B. Silvoio,. Antonio F. da Cunha Oliveira, Jose aEstrada de Mecejana 146 families compostas is. o litro, feijio a 560 rs., rapadura uma 400 Malvadez-No dia 29 de setembro, pelas
dos Passes Alves d Ciiaha, Manoel da F. Bet- d 743 pessoias ; das seguintes procedencias : rs., arroz corn dasca o litro 320, caf6 libra 960, 10 horas da manhn, na cidade de Goyanna,
nal, Antonio J de Barros, ltayinuundo M. Duar- ( Rio Grande do Nbrte 16, Pereiro 15, La- assucar o kilo.1600, sal da terra 200-rs. o li- Theodora Maria da ConceicAo, e suas duas fi-
to, Jos Silvestre M. Mascarenhas e os vras -11, 1c6 9, Chor6 7, Pirangy 7, Jaguaiby tnro, das salinas 600. lhas Umbelina Mariada Conceio e Franis-
guel de Souza. -7, Baturit6 6, CurA 5, Jenipabti 5, Telha 4, Aca- Tambem custa aqui nina varade fumo set- ca Maria da Concei Nos inc o cx-thesoureiio ilar Merape 4, S. Francisco 4, Riacho do Sangue 4, frivel 45, o capia urma arroba 2$, uma caixa coam Francisca Maria de Jesus, cortarair-Ihe
ninoa, pr ole falloecido. e- Russas 4, Monte-m6r 3, Canind6 3, Taitinga de phosphoao 70 rs. os cabellos, a oreiha esquerda, e urn pelaco
Tendo seguido para o tribunal da relaao, 3, Taq.ara 3, Mecejana 2, Amronehes 2,- Santa Do Piauhy pama onde ter ide milhares de d lingua, etel-a-hia assas3ado,see oa
em grAo de recurso, foi distribuido ao Sr. Cos- Luzia 2, Iarahyba 2, .Jubaia 2, Pacoty 2, Ma- emigrantes jai comecam o regressar aos 40 e soccorro rnao aeudissem Antonio Jose dos San-
taFerreira, ranguape 2, Inhaum 1, Canon t1, Queixera- 50, ficando muito delles insepultqspelos ca- tos e sua muiher Rosa Maria da Coaceieao.
No dia 20, reunidos no salao da praca do mobim-1 Pimangy I, Aracaty 1, S. Goncalo i, mn -os. As detinquentes poderam evadir-se. -
commercio setenta negociantes e capitalistas, Figueiredo 1, Pajussara 1, Monguba 1, Soire Os hidigentes que esmolanr peas portas Crimtnosos-A casa de detencao foram
o presieenie da comrnissao da praca, D. Bar- t, Siqueira Asse4 1. ,, trazem a gente tLao atropellada, true muitas pcolhidos, A ordem do Dr. chefe d4 polkia :
STop e otal dasfamilies existentes nesse dis- vezes t.ahe deixad. de arnoar ou jantar pa- Manoel Jacinthe Ferreira, Francisco Fernaa-
reau abrio a sessao, expondo o fin pamra que ro 967, T otal d ,59 peos
onocaraa reuni97o. cn ra matar a fome desses desditosos, quo inva- des da Cruz, Francisco Leite Nogueira, Luiz
A idea da encorporacrio de umna companhia a Dauarate a semana o Sr. Nogneira sogcor- domn as casas e ve ,m cahir a nossbs p6s pe- Francisco Freire, conhecido por Moc6, Manoel
de seguros terrestes e maritimnos ftoi unani- reu a 22 familias quae form .reettnoidas para a dindo uM boaado'poeo amor dfe-Deos. Antonio Pao d'Arco, Feliciano Jose -dos. Anjos,
memento abragada, corn ',isi-vel signal de en- Lagna Secca, para seremralli albrracadas e em- a Quem tera eeraei 4e ver sem enternecer- Jose.Anittnes de Soaza, e Clementino Jos', dos
thusiasmo, pelos cavalhieiros presented. pregadas nas obras do paiol, sob a diieeQao se crianvas semi-mortas, donzellas semi.nfsas Santos, conrheeojopc Dario, vindos do iermo
O president exhibio eaito urn project de do Dr. Pierrelev6e, e a outras 12 del c6. Tra- a abracarem-se eomn as nmssS pernas pedindo de Flores: os 1'es primeiros, pronunctados
estatutos, que devia servir de base pars a dis- Mry, Baturit6 o Jubaia, que devem seguir ho- eoma que proloagar a vida par alguns dias! nesse termo. como incursos no art. 205 do co-
cusshio, e consultou se a inscripcao de aecio- e para o Maranhao aar. E" 'orrivel I E de- outubro em.diante 6 que iigo criminal ; 0 quarto, pronmciadd'po.rcri-
nistas teria lugar antes ou depois de nomear-, <( No 40 district, a cargo do Sm. Sampaio, a srtua~Ie vai se aggravar dev~ras I me de more, n. termo do Bonito ; o qiainto,
se uma comrnissao para corifeccionar Qs esta- eutraram durante a ultima quiizena 139 fa- me GRAND1 DO NORTh pronunciado per igual crime, na vita.da Prin-
tutos da futul'a compafnhia. miuias, compostas de,725 pessoas das seguin- Nada recebemos dessa provineia. eeza ; s os tres ultimos. pronunoiado5 por
O Dr. Pinheiro oDinou nela trimaira, hvno- s proedenas AAHYBA igual crime, no teormo de Ingazeira.


these, inscrevendo-se logo todos quantos se a Para-c-ur 191, le6 64, S. Francisco 52 Lermos na tpiT : EscrFtvos-Vindos dos portos do note do
acharamn presents, e at6 A tarde a inscripeao Rio Grande do Norte 42, Cauhipe 39, Impera- ( Esta perdidas todas as esperarnVas para imperio, coin detino amdo Rio de- Janeiro,
elevou-se a 101, pessoas repcesenLando 1,098 triz 35, Pente-coste 28, Quixeramobim 6,. Ca- os nossos sertoes sao urgentes pois medidas 'achai-se a border do vapor Espirit Scasto 132
acres, quo, na razao 'de um conta de reis nind 25, Maranguape 25, Pereiro 22, Lavras extraordinarias em socorro de uma poptlaeao escravos.
per cada uma, ddo o algarismc de 1,098:0005. 15, Pedra Branca 13, Batunit6 13, Telha 13, S fa'innta. l Dinheiro--0 vapor Espirito Santo trouxe
Foi approved a seguinte proposta : GonQalo 12, Parahyba I', Aracaty 11, Inha- PatIos, S. Luzia, o Caity todo o serto pare : W
a Que seja nomeada nrma commission corn- mum 12, Aracaty-assd 9, Russas 10, Acarape estao reduzidos ai miseria, estbo despovoan- J. K5a.sf & C. 5.00I00
posta dos Srs. Donatien Barreaau, Dr. Antonio 9, Montes6r 8, Cascavel 7, Pacoty. 5, Boa-Via- doRs: e: os socerros s o insufficeitos pa.: ehtlana Fr6res 4486600
Francisco Pinheiro, lienrique de La-Rocque, gem 6, Riacho do Sangue 5, Sobral 4, Crato as mais vitaes necessidades, prinaipalrnftM homes de Mattes & Irmao 2:5000#
Furtunato Alves de Souza e Theophilo die Oli- 3, Arronches 2, Assar6 2, Quixel6 pelo mode po-qte sao distrbuido. Jos6 da Silva Loyo &Filho :3925200
veira Condur i, para organisarem o project a 0 numero dos emigrantes entrados esta g.Os nossos sertSes estao reduzidos A mi- Francisco dos Santos Neves 1:0000$D
dos statutes, runireM a assmbla godos dsricto eleva-se a 8,0. seria,-escreove umrnosso amnigdbTeixeira,-- Festlvidade religiosa -- Os religlsos
accionistas para reuosapprovaremna ass obter a sane- Nestes ultimos dias os preos dos g8t eainda teremos mtfittos mezesde fome atL qte franciscanos festejam hoje sea padroei-m, S.
Ao do governo imperial para os mesmos, e ros alimenticios neste mercado tn6 sidoe voenha a estac a ivqo rnosa do anno vindouro. Francisco de Assis, corn missa. solremne as 8
praticarer todos as. actos subseaenrtes ate a seguintes" .0 pauco gado que podia escapar vai send de- haras do dia, e o trawsito A noite. -
praticarem todos os- p~oes sabsequentes at6 a seguintos:I
encorpomao da companhia. Pard, 20-de se- Arroz pilado-3,800 per 15 kilos, voraio pelos ladrdes, aqui mesmoe onde ha po- Comnemora~ o ianebre -Pederm,-nos
tembro de 1877.-Antonio J. C. Cunha. a Farinha-140 a 200 r6is o litro. licia, e pietr ainda serA onde ella at [ houver. a seguinte publicagdo:
A commissao referida elegeu para seu pre- Milhio-120 a 140 D o > E este o estado geral de. nosso0 .ertIes : ( Jos6 te Moraes Gones Ferreoma seims fi-
sidente D. Barreab e secretario, Theophilo de a Feijio-260 a 320 o nao deve o governed consentir que Morra I fo- ibos, Francisco.Jos6 da Costa agradecenm, aos
Oliveira Conduru. acalhao-ha pouco ; as ulfmas vendas me mais. urma so pessoa. )) seus parents e amigos que acompanharamn o
Lemos na Provincia do Pa'r&: foram a 260t000 por barrica. ( Ha pouos dias taUeceu no Megeiro o sep- enterro de sua cara esposa, mai qfiha D. Anna
SOwwimos que tern iavido grev de opera- Carne-verde com osso 320 a 440 o k. tuagenario e nosso amigo Alberto Nmnes -da Candida da Costa Ferreira e peddtt-lbe o -35se-
rios mas officinas-da companhia de navegaCao ,) selpsso 500 a 610 o k. Costa, que per muitos annos exerceu o officio quio do assistir A. missas que pelo eterno des-
a vapor do Amazonas. limitada. de sol 640 a 0 Q ok. de escrivo etabellito no termode Pattos, don- cango de sua alma mandam rezar na niaLtriz
(( Contam-nos o caso assim: uns doze ou Xarque- 858000 a 85j09 o k. de, ultimanmete, emigrara polo estadocalami- da Boa.-Vista e na da Villa do Cabo, no dia 5
quatorze rapazes que alli existem ha alguns d Nao-ha deposit de um s6 sacco de fari- Ltoso de d ossos sertes. ,. eorrentesI 8 hora,9 da manha.
annos nas officinas de mniachinas, achando-se nha e a procura 6 extraordinaria. .Y)deattqtitl--JustinoAlvesdeAzewedo,
habilitados pare Lereoi o salario de operarios, ( As noticias que nos chegam diariamente .. nteiro A 4 rvivo da reparLicao do fielhQh
por iso que actualinonte percebem apenas do interior vAo sombreande cada vez maiso l.Hollll ,eno do porto, ao subir, na manha de d2
2W r6 diario=, send prejudicados em tal ot quadro de ho-'rores que represent a provin.- a ,iOrente. a tam dos cavailos da- draga n. 1,
qui 4ireito que lihe as:ste coin a acquisiao cia. bndo trahalhava, vio vir sabre si.o travessAo,
de operarios de f6ra percelendo bons salaries, <0 povo esfarrapado, quasi nil, morto a fo- RBEVISTA DIAIA 'que era justamente o que ee proourava col-
quando, entratsnto, ei4s fazem igual service pie, prosegue na sua via dolorosa, como a locear convenientemente, e, buseandosalvar-se,
que estes,.dirigiram suas reclamaCues A pes- victim destinada ao .,crificio. Pautldore coofador-Por ac16 de 3 do deixou-se cahir sobre o convez. Na queda
soa competence. ( K Beni cedo as estradas ja atulbadas de es- corrente, a presidencia da provincia, de con- fracturou o craneo- de mcdo que, mome*ntos
K Nao foram attendidos, par isso dpixaram .queletos de animaes, seo cobririo de cadave- formidade coin o art. 10 30 do decreto n. depois era oadiw'er.
ha3dias de compaceceraos trabalhos, o que res.de milhares de infelizes que, hajucinados, 4,668, de 5"delJaneiro'de 1871, nomeou provi- Artista probo, laboriospoimaate de sua fa-
tern embtragado a march do service. se arrastam em busca de urma Canaan phan- soriamiente Jos6 Francisco de Souzai Ineram- milia nunmerosa, foi coi30IzIdo a sepultura por.
--- Tendo voltado da Europa, reassumira o tastica. nense para.servir os oitcos de partidor con- iuitos companheiros, em nome de quem diri-
elorcicio d4o8 o desewbargador Jos6e a Ha pouco o Mercanlil contestanho as no- Lador do term deBQm-Jardim. gio-lhe o ultimo adeus o Sr. Jo&o Bionisio dos,
e eaAsego s. oseira Ucias que temcs. Lrasiuitti.' e casos de AutkItdides .UM aes-&A rdbrida pre- m awLos.
tf~lHl, o Aff-oaso segui apara more pelafome,.Botiaas quo _temaos aempre sidenoia, pcpr aolos de 20 de etembr9 uUuii A,- Mtopladle azendala.,.Nesta estaaga
SM .i do d eneros DPara a barca- acoaipanhado do tllaimuhow4e pessoas res- exonerou dos cargos de 1,o 2o supplentes a-e e as seguites olhas :
;' .t c aa peiaveis das locaUldades, a p ou para o do deleaido do termo'de Barreiros os cidadlos ulto. publLso, mpregados da'estradade fer-
do .A E ao- to asm, nos prestimoso amigo o .; onel Anto- Manoel de. Barrop Wanlerley e ranoel Aco. ro, -arsenal :e guertth (empzeads,. offielaes
Idantosea lta ie Lim Alirves Pequeno. do Crat. li SanUtiaoR am6s; estea sp. eoaquelle refi9aos e redtol de tap .
J 'Poia bem, t corn o teatemanh deate im- por amr, nom do 2 s faplentb dQ .jb o P- a o AroCaty ilCu .A .qopak
itrca psqev.o' so- portant ciedadlo, invoMado.,peto oriaI olacial, mi, .y a odo Mill .o etmIo.; plcana -l!Od.nT9 e 'qPQ!"
q. o vm.s.... .p-, ,-lbs. .io* dt -;_pr-" iiahi para Os i.otis a iikaaltidtqads,, no
au a a 00li o Sr coIl kIe-,no -, & 4l^1do ee*60w A 410- .#1 A'
d s ,.' .. .de haver cairga suffl ib 1o&l .; n, I, '
I; W .0 V IiA.--I


-- I ~


4-. _K.9KXNr41 1L9JM AWFIUIEW, 7XIwMvlu xuuPOw
Rodrigues, Jose Rtfino 46 Souza Rangel e.2
flI.t,i'rAnciscq VavIsante de Albuquerque,
MeNlo, F. Pe4,ro' imrodaaGinha, Christian
Laurerttze, Bruno PAcheco Borges, Jose F. cYe
Mfoura Junior, sun sen hra e uni criad, Can-
dido deAfbqquorqj.'.lb., Juan Roger, Jos6 de
Lima, f-Incrsco de"Albuquerque Braga, Jose.
Luiz do Valle e Mello, Joa(f R. Pa$sos 'e Joa-
qn)m Josd de Hollanda.
.. "1 guem para os portos do sul no mesrao
Is- Ferreira da Costa, Jose Joaquim M.
Abieu,' ehito Joe I-Henriques, major CatAo A.
R6xo, Antonio Pedro Canova, Miguel Lopes
da Silv, totomner Feldt, G. Joseph, G. Jean,
Jolo B. G'adelet, Thomz Faber, cadet Aie-
rico Cesar da Silva, IWncbsco Barroso, ItigeI
Avelino Ferreira, Feirelon & Brito, Raymun-
do Newton, cidete Joaquim Ferreira Pinto,
Francisco EmigdiO da gotta, AnAonio Fialho,.
Evist^lM. Barrdh'enedlcto JosG Francisco,
SJos .ArtiOn.io d461 ubredo, 5 praeas do exer-
Scite e 140 escrav0 d a entrega .
- lChegado de Lisboa no brigue portugnez
PedW, 4e AWltAM&T6ttgula.
Lehi,I loje reflsalm-se Os seguiiates:
Pelo nt.StPfpp,. rua Duq f de Caxias
n. 180:detnto can t brrea no Itea tiarbalho,
de uma moibilta d amrnarello e de poreio de
livros. I
P.la afente tMarthis, A rua do IJrnperador n.
-IG.-do 25aift s da companhia de trilhos ur-
banos d Oliiida.
-4- Amanh, devtn realisar-se os seguinte'?:
. Pelo agente Btertamaqui, na rua do Born Je-
sus n. 53J, da casa terre.n. 10 dp largo da So-
ledade. .' ; ,
Pelo aqente Pesta,10'la do t0o'Teniib-
rio n. 12, de mo!l fieu acaran lK'i rello,
pitid marfim e muitts'outros tra es,'h1nclhinas
de-'costura, relogios, c6fres do ferro prova de
* go, etc., etc1,, -
" Pelo agent '9WWa, A rua do Cbrpo Santo
,n. 9, de &terend8 d H'a naa hnIperial e
1 na'rua deS. Miguel, emr Afogados.
. CGetlterlo.pubUleor- Obituario do dia 2
dIe butabro de 1877:
Franoisca Rodrigues de Almeida, parda P&I
nambuco, 28 annos, viuva, Santo Antonio ^ab-
Sorpofto purulentn.
Anna Joaquinra de Jestus, preta, Pernamhtf-
co, 26 annbs, golteira, Boa-Vista, hospitaiPed-,
dro 1 ;-e9pastno;
Juliarij, eerktva, preta,MAlagoos, 48 anino,
solteira, Gra4a ; gastro entette.
0 cadaver da preta Thereza Maria de JesUs,
mandado pelo subdelegado do Belem.


Junta commercial da
Recipe
ACTA DA SESSAO DE 27
BRO DE 1877


cidade do

DESETEMI-


PES1DENCIA DO ILLM. SR. COMMENDADOR
A. G. DE MTRAND4 LEAL
As 10 horas da-manha, estawdo reunidos
os Srs. deputados commendadqr Lopes Ma-
chado e Case'b, suppleae Alves Guerra e se-
cretario Dr. Julio Gulma i, faltan4O crm par-
ticipaCio, verbal o Sr. dputado P to, o Sr.
commendador president declarou abiaea a
sessao. ,
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-'
dente.
Procedeu-se a leitura do seguiilte':
Expediente"
Officio de 10 do corrente, da junta comnmer-
cial da Fortaleza, acompanhado da relaeao dos
commerciantes que alli se inatricularam du-
ranto o mez proximo passado, ineluidos os
quo registraram as patents de matricula ex-
.pedidas pelo extincto tribunal do commercio
desta provincia.-Accuse-se.
Dito de 3 do corrente, da mesma junta, com-
municando haver expedido titulo de agent de
leilbes a Eduardo Ellery.-Idem.
Dito do inspector commercial da Parahyba,
datado de 24 do corrente, apresentando -por
copia a e.scriptura public de deelaracio de fi-
car sendo Jos6 Gmes de Araujo Quintella,
testW.emunla de abonagfo da fianca do agent
de .eiles JosA, Francisao de Atbayde Mello,
eam substituigno do finado capitdo Joaquim Ca-
sado de Almeida Nobre, e dizendo que tendo
cessad6 assim o motive da suspensAo de dito
,gente, flzera-o entrar no exericio de seu
'cargo nessa mesma data. -- Ao fiscal para os
fins convenientes.
Dito desta data, do deputado desta junta
Joaquimn Ointo Bastos, communicando o seu
regrsso a esta cidade, e quo compareceria a
Il sessbo d6 mez proximo vindouro.-Sciente,
Dito, de 18 do corrente, do inspector com-
mercial da Parabyba, scientificando haver nes-
sadata.suspekdido o ageate de leifl5s Jose
Francisco de Atbayde Mello, em copsequencia
da recommendac-o quo se Ihe fizera em offi-
cio de 11 do dito mrez.-Accuse-se..
Dito da junta dos cor!retores, enviand, o bo-
letina dos precos co'rentes da semana de 17 a
22 do corrente.-Archive-se.
SDiaries officials de'ns. 208 a 2-13.-Idern.
Foram distribuidos os livros que seguem:
copiador de Francisco R. Pinto Guimaraes, di-
to dq Monteiro &.Corr6a, diario de Joe.6 Car-
pinteiro da Silva, dito de Domningos Alves Ma-
theas.
Despachos
Petigeo de Manoel Alved Cerrfe, adiada ia
precedent sessdo, solicitando carta de nege-
*elante matraiculado.-.Como requer.
SDe Jo-o Rodhigues de Moura & Irmao, para
que se d6 baixa no registro da nomeagto de
seus ex-caixeiros Franacelino Rodrigues de
Moura e Minervino Jos6 de Mello. -N D6-se a
baixa pedida..
De Lopes & Irmimos, para que se mandle re-
g istrar a nomeac.o de leu caixetro Deoclecia
os Alveos.- Satisfeito o parecer fiscal, regis-
tre-se.
De Velloso da Silveira & C., flrmada por Pe-
dro Amerieo, para flm identico, quanto a no-
meaglo que apresentam.-O signatario da pre-
sente petieo e da nomeaciio hnnexa, apresen-
te pro,-uraQo nos termor do art. 14 do regu-
lamento n. 738 di 25 de nbvembro de 1850, e
4o art.. 74 do coigo, commercial e faqa-se o
registry pedido. -
De Antonio- Jos6 Leite Bastes, para que so
made duclarar A margem do registry da rio-
meaoo do Jo.o Luiz de Mello, que esse seu
caixeiro vence de ordenado 725000 per anno.
-Comoe requor.
De Epiphanio da Rocha Warderley, no res-
mo sentidit qfastd'. ao ete caixeiro Hyppolito
Soares.de Bartos Cotrft,- que vence de. orde-
nadt annual 00W0ff,.-Na forma requerida.
DA Alfredo Celso de OHliira, para que se d0
baioa'ron Tegistro d ft omeacdo de seu caixei-
ro Francisco Magalhaes, e'- eW a nota no cQm-
petote registry que a te'cah1 iro Mahoel Xa-
vier Cavalcat, 'pere. b t00l-000 de ordenado
annnal<-Na forma pedida.
De Dirarte Antonio de Miranda, para que se
,d baixa no registry da nomeaoao de seu ex-
.eaixeio Jose Joaquim de do stro Ideiros. -.
Co nio pede.. at .. .
Do mesmo, para quo se declare no registry"
4a nomweacao de seu caixdro Jolo Ferreira dos1
San js. aupvelee o o1~ge4. &tobde 0)09 por
ati^a a~q^^ a i'' '
.. i W a!pma' M -


Wi


PUBLICACOES A PEDIDO

Esta agora ndo esta md
0 Bien Public, journal pafisiense, diz
o seguinte :
t Sua santidade Pio IX, que foi pro-
clamado papa em 1846, morreu em
1875. 0 que desempenha hoje em Rq-
ma/o papel de Pio IX papa e urn let-
go, cujas semelliangas cornm Pio IX eram
extraordinarias, e chamou a attengao do
cardeal AntonelHi, que VendQ o papa
Mastai Ferreti morto, tratou de colIlo-
ear o leigo no lugar delle, sem que
soubessem da troca senao os dous crea-
qos particulares e o padre Bechisc, ge-
ral dos jesuitas. Como se vQ, o actual
papa n.o e nerm cura nein papa, mas
,um testa de ferro do sacro collegio, que
6 querm reeebe os presents, que os
christAos offerecem a sua santidade. ,
Serdi verdade Serai mentira ?
(Da Provuinia, do Para.)

AO public
N6s abaixo assignados proprietarios
da Confeitaria d46 Campos, sita a rua
du Awperador n. 24, preveniraos aopu-
bliq- ,o o. especialidado aos uossmi -
awigos a ftuezes, que o Sr. M4qQ
GonQalves Gseiro, deixou de estar".ua,,
nossa confeitaia desde o dia Io do cgr. ',
rente e que por isso qualquer np e
tanto intern como externo, relatty.-
nosso estabelecimento, deve sr d'dnd "
do a n6s s6 e s6mente. Recife, 2 de "oi-.,
tubro de 1877.
Marques & C.a

A ahaixo assignada dTe n6vo declare
a quern possa interessar, qt p dede o
dia 9 de maio da corrente annQ eonw
4foi annunciado no Darioa de Porne
buco, duixou de ser seu prop0ul
Sr. Antoni9 da Cutha Soare's.
raes e que nesta data assumie tB
de seu procurador o Dr. An "
no da Silva Maia, ficando sem
gum todas as transap Qa que .i
procuador teritar fair B.com Os'
tarios de suas ca'sas.. ='1H
Rife, 3 de outubro de 187.
SClautdi Martinha do .,


"i:. evcol;. ^i^


*2


-Certifique-se. -
Do Francisco de Paula Limna, para-que se
faga nota-na nomeaco de sou caixciro Fran.
cisco de PauI,.Lhii. Junior, .se. diLQ .xagLu.
solteiro.-Como requer.
Foramrn deterida$ as. sqguintes petioa!est so-
licitando rg'i.'u$ tic nome4iej da Q4axlros-:
De Joio Rlodrignes de Moura & k.tAo, Jo-
seph Grosjean, Pedroza &-OTVeir-a, Antonio
Pereira ta. Gunltai ftlaniel "fb1-ODmes,
Francisco dos San'ts ureiri., Sebastifo Pe-
reira Pinto, Costa-Lmaps, .ir*jAin Ignacio Ri-
beiro & C., Jos6 Gona'lves Feireira Guimaraiies,
Mello & Castro, Euzebio da Cuthda Bltro, re-
presentado pnr seu procuridor Mizael da Cu-
nha Beltraiio, Alfredo Bandoux, Jo;6 da Con-
ceiQuo Oliveira e Figueiredo, ,odepuioo, Ma-
noel Baptista de Figueiredo & C., Lopes & C,.
Francisco da Silva B16a-Vista, Bollarmino Lou-
renCo da Silva, Felix Venancio do Cantalice,
Carlos Alves Barbosa, Firmino & gerrira,
Jos. Antonio dos Passes, Caudido Thiago da
Costa MeHlto, Visconde do Livramento, Albo
Vaz & C., Cruz & Irm'ao, Antonio Franciscod&
Cruz, Francisco Guedes de Araujo, Brtle& S,
Antonio de Souza Botelho.
De Francisco Labadie, para- recgi~ti4f-j-he
a noineacro de. sea caixeiro..-Faqa a norpee
(to de proprio punho-. '.
De Jose- RuIolfriie Mci6ira, por .et :i !-
tantes procuradoret Antonio Irml)s &-., ,
para igu l 1tm, e que se Ihe re.tUlso 'o-.
curanuo quo acomnpanha.--onlo'ede,. .
Ao iiheid dia;b imn. St c6me"li'dad6r pro-
sidente encerrou a sesao por"iab' ha'et mdais
que despachar. i ,



Medicos
SDr. Lobo Moscozo, rua!d..ViscMde
de Albuquerquf n. u. 3 ,
"Advoufiidqs ..,, ..
Dr. Guennos, rlia do Imperddor n.
48.
Dr. Antonio Dr,-uinond, rua do Imr;
perador n. 20. '" ",,I
Fazendas'e modas .
Antonio Correia de V(gco6*ellos, rua
Primeiro Ae Mar'o n. 13.,
Chapellarla e modas
Costa Maia & C., rua Prirnmefro de
Marco n. 6. '
Fabrica de cigarros a vapor
*ftrgard.& &j., Recife 15, rua do
Marquez de Olinda, Santo Antonio i,
rua Prirneiro de Margo, B6a-Vista 54,
rua da imperatriz. :'
Pharmacia e drogarta '
Ferreira Maia & C., rua Duque de
Caxias n. 57.
Eiicadern'a'iAo, pautao-0 ee.agpelaia
Mirand )Jthior,, rua DflqUeI qe Ca-
xias n. 37.: -
Liobes de francez
Lig6es theoricas e prat.cAs de fran-
cez, pelo method mais facil para se
aprender esta lingua em poucos mezes.
Curso todos os dias na rua da Aurora
n. 41, 2.0 andar. I
Gastronomia
Archiarmazem do Campos 28-rua do
Imperador-28
Leite condensado superior, presun-
tos para fiambres, lingua afiaribradas
Sem latas), fiambres em latas, cha fino,
oces, licores. acipipes e grande varie-
dade de vinhos finos e de pastes.
Vendas conm desconto, em grosso e a
-realho
William Inglis & C. rua do Impera-
dor n. 57, armazem, grande deposit
de fazendas francezas, inglezas, belgas
e allemres.
















A -w .


&eeie de oubttfbro do
'Rue. 4am* 439Cpne wodais( frawj
aqa parfi a Aas antbio s freuezas
e ao respeitavel public Sue robrio a
,sua tcasa de -modas e ce se acha
prompt rara quqaer enconAmenda
concernente a f sua :arte, coao vAtidos
para senhora, etc. : na rua de Mar-
quer de Olinda n. 38, terceiro andar"
Institute de Nossa Senhora
do Carmo
RUA DE S. FRANCISCO PALACETE N. 72,
Director Ijermino Rodrigues de Siqueira
Medico iDr. Cyrillino Castro
PPfpressores:
Primeiras letras e portuguez-o director.
Latim-o Dr. Alto de*Araojo.
Francez-o Sr. E. U. Mazeron.
nglez e rhetorica--o Sr. Francisco do Brasil
Pinto Bandeira Accioli do Vasconcellos.
Geographbia, historic e philosophia- o Sr. Ig-
nacio do Rego Barros Pessoa.
Arithmetica, geometria e algebra o Sr. Jose
Ferreira da Cruz Vieira.
Desenho de paysagens e figuras-o Sr. Alfredo
Ducasble.
Musica vocal e instrumental o Sr. Candido
Gomes da Slva.
Recebe ahrinnos internqas-semi-inos terne
externos

MODISTA FRANCEZA
Rua do Bario da Victo-
ria a. 8, 1o a4tr
EkAoits- para cmapos, ve os para
casameqto, aile, theatro, *Ws, etc.
etc., etc. '
Vestuarios para criaa.as; prepara-se
tudo na ultima moda 44 Europa, corn
muita perfeigdo.
Pregos muito razoaveis.
18 Rua do Barao da Victoria, 18

Collegio de N. S. datGraga
N. 10-PONTE D'UCHOA-N. 40
Direc1qra.
Mademoiselle Anna Caroll
0 grao de instruccao neste estabele-
citnnto consta de portuguez, francez,
inglez, calligraphia, arithmetica, geo-
graphia, historic, mythologia, music,
piano, canto, danas, bordados de todas
as qualidades, crochet, flores e dese
nho.
Recebem-se pvnsionistas, meio-pen-
sionistas e enternas, sendo as primei-
r a 0 s segdas a s s ndas20$ e as ulti-
mas por 5$000 potr mez, nao havendo
ex Lras
A lingua fallada no collegio 6 a fran-
ceza.

Caixa Economnica e Monte

de Soccorro
DA PROViNCIA DE PERNAMBUCO
orom garantia do governor Im-
perial
Estabelecidos a rua do Commercio
N. 48
Decreto n. 5,594 de 18 de abril de 4874
A GMXA EGONOMICA recebe de cada indi-
viduo, desde 1$ ou multiples desta quantia ate
50$ por seinana, a juros de 5 por canto ao an-
no, contados do dia seguinte ao em quo tiver
lugar o deposit.
Logo que as quantias depositadas e seus
juros prefizerern a somma do 4:0005, s6 esta
ultina importancia continuarai a veneer juros ;
conservando-se o restante, em deposito, sena
premio, emquanto o depositante o nuo re-
clamar.
0 deposfante pde retirar em qualquer tem-
po toda a quantia depositada e seus juros, ou;
s6mente parte, prevenindo ai caixa corn, ante-
cedencia de oito dias pelo menos, quando ex-1
ceder de 1005 a importancia que quizer re-j
~tirar.
No fim de cada semestre do anno civil serao
capitalisados os juros veneidos.


O depositante que perder a respective ca-
derneta, deverd participal-o immediatamente
caixa, annunciando a perda pela gazeta de
maior circulagio., Pagard 2j pela nova cader-
neta que se ihe expedir.
E' expressamente prohibido ao depositante
fazor emendas ou qualquer alteracao no text
da caderneta.
O MON'-M DE SOCGCORO faz emprestimos
de quantias de 5$ ate a quae f6r convenoiona-
da, sobre penhores de prata, ouvo e diapian-
tes, a juros de I por cento ao mez, sob as so.
guintes condig5es :
1.a Pagar a respective quantia corn o plemio
de 1 i por cento ao aez que se veneer duranteo
prazo que so convenecionar, que sera contado
da data da operagpo.
2. Ser vendido em leilRo o penhor, se ven-
cido o tempo Mo for resgatado, ou pro:ogadb
o prazo dMe jprestimo.
3a Prescrefr o saldo do mesm6 penhor, so.
nlo fOr procurado durante o praz# de cinc,
annos, contado da data do leilao. I
4.a Se aconopeer que o penhor se extravie
neste estabetIecimento e nao possa set resti-
uioh ao rnutuario, serao thesoarteiro obriga-
do a pagal-o polo prego da avaliaio e mais
25 p or cento de indemriisa~Io.
0 miituario poderd resgatar o penhor antes
do prazo estipulado, pagando a quantia em-
prestada e 'os juros vencidos.
Recife, 11 de junho de 1877.
0 guard livros,


FVaneisco Joaquimn Pereira Pinjo.

Educacio de meninas
U1na familla convenientemente ha-
bilitada, eucarrega-se da educamOa de
meninas, ensinando as materias poe se dao
em nossos collegio#. 0 magisterjio 6 oxercido
pela propria familiar, quo est-A nas condi5oes
do aperfeigoar suas alumnas nos prinopios que
constituemrn a educacao convenieabte A umra se-
nhora. A casa tern conimmodos para externas e
pensionistas, (quo se recebem por modico pro-
go. Para informagoes: o Se. Grustavo da SiUA
Antunes, na rua do Barao da Victoria n. 46 ;
o Sr. Joao Carlos Cavalcante de Albuquerque,
na cidade da Escada; o Sr. professor Joaquim
Elias de Albuquerque Barros, em PAno d'Alho,
em Goyanna o.Sr. Frederico Augfto Velloso
da Silveira e nesta typographia.

CtOllegio de Santa m e-

Jnovew;
Ill-)Fua da WCR -t


PRA*gk UICWIFL <3 DS BU1JBRO JE KIE71
As tl.esi*ras alarde
dota oes ofleiaes
Ac00o da estrada da ferro do Recife a,. Fram-
stm w deatS *r S I 4.
Algodab do tsrt ,7V0orte, 7#500 por 15' filos.
DiNo de o *to.ec"in M, ;=!0 W5Os.
Dito deai e 1 0Art4 pr 15'ktes.
Gouros seccos salgagdoe, 385 rs. o kilo.
t'aslo A.d~p ~oya h fl(W^-oa, ^% per g1l 'Wos,
hontem.
Camblo sebteyo Rio deJajniro. .30 d/v. cCm
3/4 O0 Ae ,6saomato
Dito sobre dito, 20 d/v. eom 1/2 0/0 de des-
*fol.
Desconto de letras, 1t O10 ao anno.
Bernardino 4 Vcsorncellos,
Presidente.
J. Loal Reis,
Secretario.
A~LEANJEGA
AAoFA]YI)
Rendimento do dia I a 2 489932M596
Idem do dia 3 29:70w S6
119-6366R2'
Descarre ambhoje 4 de eutubro de 1877
YVpor national S.. $alvador, (speado) gene-
roQs apipuaes para o trapite Goj-'
panhia.
Barca ingleza Aw#dale, carvto despacbado
Dara o jo onto.
Barca ingleza Glentilt, ferragens despachadas
para o 1to e 5 pontos.
Barca portugueza Luiza, pipas vasias despa-
chadas para o 4o ponto, e farinha Vor
baldeacao para o hiate Deus te Guie.
Brigue portuguez Damido., farello despachaio
para o 30 ponto.
Lugar inglez Petunia, (atracado) bacalhAo des-
pachado entransito pelo trapiohe Con-
ceiQao.
Importago
Vapor national Espirito Santo, entra-
do dos portos do norte e consignado a
Bernardino Pontual, manifesto
Carga do Para
Cacao 5 saccos a Pereira Carneirn,
Maia d C.
Fumo 5 amarrados a Antonio Perei-
ra da Cunha.
Salsaparrilha 20 rolos a Francisco
Manoef da Silva & C.
Carga do Maranhdo
Pomada 300 cunhetes a Francisco
Guedes de Araujo.
Salsa e caroba ilI caixas a Antonio
Pereira da Cunha.
Tapioca 20 paneiros ai& iz Gonoalves
da Silva & Pinto.


DESPACHOS DE EXPORTAQAO NO DIA 2 D)E
OUTUBRO DE 4877'
Portos do exterior
No patacho portuguez Robim, carregou:
paraLisboa, F. R. Pinto Guimarae.- 627 cou-
ros salgados corn 2,524 kilos,
No Ltacho americano ,S. Honw, oarrega.-
ram :' ara New-York, Henry Forster & C.
506 couros salgados corn 6,072 kilos.
Portos do interior
No vapor nacio.nal Ipojuca, ?arregaram; pa-
ra o Aracaty, M. Melther & Q. W00 saocos oom
22,400 kilos de farinlha do mandioca, 20 barri-
cas corn 800 ditos deassuoar brano roefinado.
Para Mossord, E. da Cunha Beltrao 300 sec-
cos corn 15,000 kilos de farinhla de nmandioca,
20 barricas corn 998 ditos de assucar branoo
refiuado.
Para Mac.Ao, A. de Oliveira 75 saecos ccm
300 kilos de farinha, 3 barricas corn 180 ditos
da assucar refiaado.
Pam o Geard, J. F. dos Santos Bastos 100
fsaeoi eom 4,000 kilos da farinha de mandioca.
Na barcaoa Esmeralda, carregaram: para
a villa de Touros, L. J. de Almeida 40 saccos
corn 3,200 kilos de farinha de mandioca.
Para Mossor6, 5. H. G. Vieira 22 saccos corn
1,760 kilos de farinha de mandioca; Steliano
P. de Lernos 34 ditos corn '1,041 ditos de ass.u-
car branco.
Para Macao, A. Oliveira & C. 2 s&ccos corn
120 kilos de cafe,
Na barcaga Espadarte, carregararn : paia
M.cahiba, J. A. G. Pires Junior 8 saccos corn
480 kilos de cafe, 6 barricas corn 455 ditos de
assucar refinado.
Para o Naial, 200 saceos coin 8,000 kilos de
Na ,afQla% 143w n Ani carregara n:
m^WowIf^o~ra hiua~a %A ^bairicas opSa
kilos de aesucar brawoo de crouio ; Satyro
cordeiro5 pipas o9m 2,400 litros de aguar-
dente.
Na barcaga Marthia, carregou: para Mam--
guape, I. Barbosa GItarvalho barricas 04)1i
349 kilos do assucar refinado.
Na barcaga Fira, oaFegou.: pa a Villa 4a
oenha, A. J. L:pe. Telxeira 1 saco cor 60
kilos O .af6.
Na bprcag S. Joao, carregpou: para murw-
ripe, M. Ai.tt r A Q cos" corn 60Q kilos
4e cafe.
Na bavoaa Riachuello, carregou: paa M>.-
sor6, M. 'L. dos Santos 63 kios d4e .oW,
CAPATAZIA DAM0FANDFGA
qenia o to do dia I a 2 2:470W
4dem4 do dia 3 1:158(X


VOLUMES
5o dia 4
Ho dia 2


ENTRADOS


VOLUMES SAHIDOS
-No dia 1 a 2
to dia 3
Primeira port
Segunda port
Terceira port
Trapiche Condebioo
TmajAche d'Alfandega


NAVIOS
No dia I a 2
No dia 3


1.386
144
300
594
247
2.671


A TRACADOS


3.ECEBEDORIA DE RENDAS INTER
NAS GERAES BE PERNAMBUCO
Readimento do dia 1 a 2 2:811I8i
Idem do dia 3 2:103O16
4:9141;47

CONSULADO PROVINCIAL
Rene" onto do dia I a 2 4.0056720
d4am do dia 2 6:21967f2
17:22E# 461



iinINize


K


kia de


N-OS


11.Coi mfnhia Pke~x Per- .

Rua do Commercio n. 34



Augusto E,de.Qivei, <&C. -saaw
per todos (is .vporea .bee o eaeo0
de Portugal e Banco UruAio p J aa
e Porto, e *bvB w ciiw lkill'e
agencies dos mesros ows.-in tdas
as cidades e poaess&s o Mino d4
Portugal.

Companhia de JWnros
terrestres em -itj


EZtab&#)9i Toma seguros A premises modioos :
rERRESTRES de toda a espeoie, ewntra os ris-
cos de fogo on sums consequencias
&I ARITIMOS sobre mercadorias importadas
exportadas em vapores e navios A a.
Nos seguros terrestres faz a coneensto gre
niita do premio do setiUmo ano aos segura-
dos que durante seis auonis oonseoutivos fize-
rem seus seguros nesta companhia.
Agente nesta cidadeMiguel Jose Alves, d
rua do Born Jesus, ouitr'ora da Cruz, n. 7, le
andar.

Seguro eontra fogo
The Liverpool & London &
Mlobe
Insurrnice Company
AGENTS
iSaunders Drothers t C.
11-Corpo anto-11


.4JItALi


wpuhia de segpwos
CONTRA 0 F4OGO
EST: 1803
Segura contra o riseo do ropq, vaim e
outros edificios, fazendas, generous e
mercaiorias de toda a expeie.
Capital 169,O000:000
AGENTS
BiOWN THOMSON & C9
31 w, do MarqCzi deOUtanda 31


NOVIIENTO DO P9RTO

Navios entrados n. dia 3
Portos do Norte-8 dias, sendo do ul-
tinoff porto '18 horas, vapor nacio-
nal Espirito-Santo, de 1,740 tonela-
das, commandant "tirlinente A.
Isaac, equipagem 62, carga differen-
tes generous; a Bernardino Pontual.
Macao-9 dias, hiate brasileiro Nova
Esperanfa, de 70 toneladas, capitdo
Francisco Felippe de Araijo, equi-
pagem 5, carga sal; a Bartholomeu
Lourengo.
Rio de Janeiro-15 dias, lugre inglez
Spar Klizg Foam, de 202 toneladas,
capitao W. Smith, equipagem 9, em
lastro; a ordem.
Obsermado
Nao houve sahidta.

EMTAyS


jUtLidx 4t, pa.oJI.-""U m'-cLiu uu ins-
pector geral da istruci a public e
nos terrnos do art. 7 o regilamento
de 27 de anoveibro.de i87a se declara
1agrase macado a ao de 40 dias
para a insrpgao 9 :rpoossq d4 habili-
taj o dos cafidatos qg e peenderemrn
coucrrer ao pro itaen* 4 4a ^ cadeira
4 1. amnno da Escola .Nema4, vaga por
Aomissao do bacharel J.le V)ornellas
Ribeiro Pessoa. Secretary da instruc-
Ao ublica de iPeri~a .wCO, I de ou.
ttbro de 1877.--0 secretario, Joaquim
Pereira da Silva Guir,*res.
* (ec l tw^ re a di prisidencia
de Pernambuco, em 3 de oultubro de
18'77.-Por esta secreazria sejpz publi-
co, de 0 efori j *s sposto no
art. 10 3o, d i.creto n. 4,668, de 5
de janeiro de 1871t, ue, por portaria
desta data, foi Jose Francisco de Sou-
za Interamnense nomeado para servir
provisoriamente os officios de partidor
e contador do termo de Born Jardim.-
0 secretario, Henrique Marques de
Hollanda Cavalcanti.
Edital n. 357.-De ordem do ins-
pector geral da instrucgdo public se
declara aos Srs. professors publicos
achar-se aberta a inscripgdo para as con-
ferencias pedagogicas a que se refere o
edital n. 344 de 11 de dezembro do
anno passado. Secretaria da instrucco
public de Pernambuco, 1o de outubro
de 1877.-0O secretario, Joaquim Perei-
ra da Silva Guimaraes.


DECLARE OES

Batalhao patieotico UnIdo Com-
mercial
Ordem do dAih. 1
De ordem do Illm. Sr. teente-coronel com-
mandannte $0 oo 001 ados todos os Srs.em-
lWegados no comjiarcio sem distincio de na-
cionall~ades ora sces poias, a viremalis-
tar-se. aeste batalhio, na Vtretaria do mesmo
i rua do Livramento n. 15, Ja. Recife, 1o de
outubro de 1877.-0 alfe sodecretario interi-
n, A. C. Ribeiro.
Ins~tuto ois piroessores
De ordem do 8,. pesi4enite, convido
S ooa 5060 soc6 profeore- e profes-
som para se reumr jem asbeinbla
nf nni n tn-f)tJt <


da t~iw na, em aeinjciatcnia col-
loc novo aatro. 1
%.r.ada rpas as obras

_^^^ ^g.SfM~mVarej do.
AlMffiST 0 DOS lOiSRhiQN JDE PlER-
NAMatl0 4 DEQUIT4lODE1877.
ai c.as a exipddit4e hoje
Polo vapor naciomal Esptrilb &wko, esta ad-
auiistialao expee nmIuasa.5awu -os pertos do

tde, oatas erdinarias at 3 hj s,:e atl 3 a/2
eomr porte duplo
0 adEauasteader,
Pel va.r a AfonWQEi.ol do Bego Barros.
Olina a


No dia t doerrestemern d ,lr vendido em
hasta piMioa, '1 hcW'a da teile,. d porta da
sala das a'tuti w 4#Juioidb orphlos desta
cidad, e a repxerimento do Dr. Jouge Dornel-
la~iRaBio Nesoa, una imin Artesa4epedra 0
cat corn umoitao detaipa, sita d run do Am-
pare sob-n.W, tendoIllas,1 qttarm'tos, cozi-
nha intuma, a mais umwaddba para jantar.
Tm lojawdo Jado e detrUao, ftendo sala, 1.
quarto e cozinha, media casa 24 1/2 pal-
xmos de frente aonde tern 0l6ta e janella, e 75
* fandos, corn 4 janellasno oitao e quintal em
aer, valiada por.4006. .Olfkida 3 de outu-
hr6 de 1877. ________________
Conselho de coMpwas de
mwindha
0 owseho antrata dia 6 do correnI e
mez, sob as coindioes do estylo e a visia de
propostas recebidas at6 as 11 horas da manhd,
o fornecimento no simestre a findlarem marco
do anno proximo vrindouro, doi seguintes ob-
jectos do farzlamento :
Para apraidizes artifices
Bonets,,do uniform, bones do service, blu-
sos de bim bronco, biusas tkd algodAvo azul4
blusas de pannoAzul, calcas de orim branch,
calgas de algod.o,azul, uamisas de aigodaozi-
nho, cobertas de l1, cobertores de algodaIo,
cint:s de couno branco envernisado, cal*as de
panno azul, eeolch5es de linho cheios de palha,
tronhas de algodaozinho, lenQos d6 seda preta
paragravatas, ,eoQees de algodiiozinho, sapa-
t5es, sacoos de guardar roupa, e travesseiros
de linho oheios de palha.
Para artifices avulsos
Binusas depanno azul, blNusas de algodao
azu.L tnlas de brim braaco, cal]as de panno
azul, camisas de algodtozinho e cintos de cou-
ro BenvemiSaie.
Para imperiaes marinheiros, aprend4izes
sftmwiiaagein
Bonets de panmo =l, lthisas de panno azul
ferrete, calsa. depauno azul ferrete, camjsas,
de brim branno, camifas de algodao azul tran-
cado mescia, calqas de flanaella ezul terrete,
camisas de flanela-Uanliferrete, calcas de' brim
brao", ea.gas de algodAo azal, camisas de
pasmo azul ferrete, cawisas e algodao.azul
jWcgs .Ie algodao azul tranOadio mosela, d3-,
ahcbsde liaho cbeiWs de palha, cobertores de
lj, capas de brim bronco para bones, capas
de oleado preto para bones, fardas de panno
azul ferrete, lenCosde d eda para grAvatas, sa-
patoes esacmoos de lona de marinhagem.
Sala das sess~es do c3B9elho de compras de
rmarinha, em Pernambuco, 2 de outubro de
1877.-0 saeretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
TH-SOURARIA'DE FAZENDA
Magda o hlm. Sr. inspector fazer public,
para onhecimeg;o dos interessados, que pela
ordenB do thesoiro n. 178, de' 13 de setembro
proxinto passado, foi concedido3 o credit de
25:1,4873 A verba-exercicios fiudos.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambhdco, 2 de outubro de 1877.
0 secretario,
J. Mendes Pereira.
De ordem do Illm. Sr. engenheir
chefe interino da reparti.to das obra
publicas, fapo public a quem interes-
sar possa, que, em virtuc[e da ordem
do Exmin. Sr.. piresidente da provincia.
vai d praca perante esta repartico, no
dia 20 do corrente, ao -meio dia, a ob)ra
de embarreamento dos diversos areiaes
da estradado norte, no lugar denomi-
nado Chd da Mangabeira, na impor-
tancia de 1:257$490. 0 orgamento e as
condig5es do contrato acham-se nesta
secretaria para serem exanminados pelos
pretendentes.
Secretaria das obras publicas, 1 de
outubro de 1877.-0 ofticiul, Joao Joa-
quine de Siqueira Varejdo.


Thesouraria de fazenda,
De ordem do Illm. St. inspector, e
em cumprimento da ordem do thesou-
ro n. 186, de 17 de setembro proximo
passado, fago constar pelo present an-
nuncio a perda das seguintes apolices,
pertencentes ao coronel Manoel Ignacio
Bricio ; un-a do valor nominal de 600$,:
den. 53, duasde400 cada ruma, de ns..
73 e 74, do juro annual .de 5o1lo, 5 de
400$ cada uma, de ns. 2,275 a 2,278
e 2,398, e 10 de 200S cada uma de ns.
927 a 935 e 5,380, do juro annual de
6 o[o. Secretaria da thetouraria de fa-
zenda de Pernambuco, I.3 qe outubro
de 1877.-0O secretario, J. Mendes Pe-
reira.
Consulado de Por!ugal em
Pernambuco
Por este consulado se faz pubUco,
para conhecimento de todos os subdi-
tos portuguezes, on naturalisados por-
tuguezes, residents nesta cidade, que,
em virtude do decreto de 6 de juanho
proximoypassado, temn de proceder-se
ao recensamento geral da populagio
existente 'no Reino, no dia 31 de de-
zembro do .corrente atno, e ewora-
plemento leste recenseamento, houve
sua magestade el-rei, pbr'bem ordenav
em portaria expedida a este consulado,
pela repartido de estatistica do nftinis-
terio de obras publicas, conmercio e
industrial, que se proceda tambemi ao
recenseamento da populai;io portugue-
za resident nb district deste cosula-
do ; e em virtude desta ordem, convi-
do a todos os portuguezes, ou natura-
lisaLos portuguezes, residentes no dis-
tricto deste consulado, no dia 3f de de-
zembro do correlate anne, a remiette-
rem a este consulado, por ewriptO, in-
formacoes que contenham o0 nomes,
idades, estados, profissses suas e de
cada pessoa portugu'eza de suas fami-
lias, coi a 4o raeao dZ s ca-
dos par-em -ca.-
da sugar leem residencia -1bituli ou
ne. e.sto momentaNaflente der pas-
getl; oun dirigisre.e pessoalirente
a eA0 casulado para 4rem estas in-
J a voc enmente.
Rwcifes,, 27 e seteembw de 1877.
-bl ^0 on*zsul


Sses dlestiW n......
Antonio Joaqie e Mmoaeire h:il%, Antonio
& pae ioe. -Aasko
Reiro, ,Deto Augusto da Silva, Climerio Al-
ves. de Farias Pedrosa, Ruthibrio Ersmo Mo-
leira deMendonga, Flices doeMllo, Eirmino
Modesto Soares, iuadeltbo Gamiljo 1essoa,
Gertmudes Madeira de Gastro, Jgnaio.de Amo-
rim, Joaquim Canilo ,Lihares, Jo~oJos6 ide
Almeida #iwa, J3o Tonorio de Albuqaerque,
Jos6 Mendes 'ieira (2), IosT Ribeiro, .Jbo.Ma-"
chado Brandao, Ju.eundino Guittermonte de
Albuquerque Mello. MarMel Dias dle Arruda
Falcho, Mfanoel Antonio antiago doa Santos-
Lessa, Mathias Bias (2), Manoel Albertino de
Garvalho, Manoel Januario de Limna, Maria
Emilia da Silveira, Pedro Paulo 'lo Amaral,
Pedro Jorge da Silva Rawaos, Raffaeli de Elie,
Virtuosa Maria da ConceiCo.
Cdsimiro Lucio dos Santos,
Encarregado do registro.

QabineiRtupuez de


Leitura
.ounselho deliberative
De ordemn do llhim. Sr. presidente e
de conformidade corn o que dispoe o
art. 52 e 60 lodos nossos estatutos,
convido a todos os membros do conse-
Iho deliberative a comparecarem na
sala dos nossos trabalhos, no 4dia 5 do
corrente, pelas 6 1 2 horas da tarde.
Sala das sessdes do conselho delibe-
rativo do Gabiaete Portuguez de Lei-
tura, 2 de outubro de 1877.
Francisco de Oliveira Maia,
'I secretario.


A companhia ferrea de Olinda, com-
prasulipas de oitysica comas dimensbes
seguintes :-comprimento 9 palmnos,-
largura 9 polleogadas, e grossura 4 polle-
gadas.-O gerente, L. J. de Miranda.
Santa Gasa da Misericordia do
Recife
A lllma. junta administrative da Santa Casa
da Misericordia do Recife manda fazer public
que na sala das suas sessbes, n. dia 4 de
outubro pelas 3 horas da tarde,teem de ser
arrematadas, a quem mais vantagens offerecer,
pelo tempo de um a tras annos, as rendas dos
predios em seguida declarados :
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE
Rua de S. Bento em Olinda.
Casa terra n. 16 3000000
Rua do Padre Floriano.
Casa terrea n. 47 204$000
Idem n. 43 (fechada) 1515500
Idem n. 45 (fechada) 1514500
Becco da CGarvalha


Idem n. 5


Rua da Viraito


'Idem n. 7
Idem n. 19
Rua largo do Rosario
3. andar do sobrado n. 24 A
Loja e 1o andar do sobrado n. 24 A
Loja do sobrado n. 24 1:
Rua da Imperatriz
Casa terrea n. 68
Rua da Moeda
Sobrado de 2 andares e sotao n. 37 [fe-
chada]
Becco do Abreu
2.o andare do sobrado n. 2 (fachado)
3o andar idem idem
4. idem idem .
Loja idem idem
Bua dos Pescadores
Triarr T 44 A ',


Idem n. 921
Idem n. 92


Rua de S. Jorge
Rua do Pharol


Idem n. 80
Rua do Encantamento
Loja do sobrado n. 3 (fechada)
Rua de Santa Rita
Casa terrea n..34
Rdta das Calcadas


Idem n. 32
Idem n. 34
Idemln. 70
Idem n. 4
Idem n. 2
Idem n. 7


Cinco Pontas
Rua de Santa The'eza
Rua do Cajii
Rua da Alegria


Rua da Moeda
oMlado de um andar n. 41
Rua da Lapa
Sobrado de um ander n. 8
Rua do Visconde de Albuquerqu


Casa terrea n. 91
PATRIMONIO DE ORPHAOS
Rua do Marquez deOlinda
2.o andar do sobrado n. 53 (fechado)
Largo do Paraito
Loja da frente to sobrado a. 29
L.o andar idem ffechado) ..
2.0 idem idem
Rua da,
Casa terrea n. 29 (fechada)
Run da Lapa
Gaua terrea a. 2
lRlua da Madre de Deus
Casa rrean. 20
'Idemmd n. 16
Idem "n. 2 (fechada)
Be:co dos Boias
Sobrado de 2 andares n. 16
Idam .idem.p. 14
Idem n. Sffedhada)
S uada Semsalla Velha.,
Casa terreai n. 18 [fechada]
Sobrsdo de 2 andares u. 132
Sobrado de 2 andares e loja n. 136
Rua da Moeda
Casa terrea n. 45
dem n. 47
Rua do Born Jesus
L.o apndar do sobrado n. 29 (fechada)
Rua do. Amorim.
Casa terra n. 49
Idem n. 45 [fechada]
Idem n. 24
Idem n. 26


208MA
2075?000
24050 0
267$000
963$117
:0366450
362$500

3755000
901)000
905000
904000
1205000
2445000
301#000
1835000
9osooo




1806000
230$000
138$000
231$000
2885000
208$009
190o000oo
400?000
347k007
3788000
e


208)5000

2"4000
" s oo



827o00
151#500
2015000
7225000
8275000
"433400
e2 oo
-623000.
6445000
3605000
1835000
702000
632000
217o000
2175000
225SO000
6008000
4355000
89oo000
1235000


Becco do Viga-'io
1.o andar do sobrado n. 27 2(68000
.0Rua de S. U4rge
casa terrean. 242$"
Idem 94 M"
Idem n. 400 [fechada] 2625992
Os nretendentes devcrao apresentar no act
da arrematagao as suas fiancas, ou compareco-
rem, acompanhados dos respectivos fiadores,
devendo pagar alem da renda o premio da
quantia em que f6r seguro o predio que con-
tiver eabelecimehnto commercial, assim coom
eservige da limpeza e prego dos apparelhos e
annuidades.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 30 de maio de 1877.
0 escrivao,
Pedro Rodriaues de Soua
STHEATRO

SANTIA ISABEL


COIIPANUA: HEPANIHOLA
DE


IAII'ZIILtS
RECITA LiTRE DE ASSIGNATURA
QOninta-leAira de onutubroS


pan


Compa' B"l

Nf avoav&^0*^.W^;
Pra '
D PkETE A VAEPM

Commandanfe primeiro.tenente lc4m
Gomes.


portoslo norte.


Espera-se dos '-
tos do 4ul!a,66*7%ka
8 do correame e ade-
pois da deemAuteo -
tume, seguirI M e


Para carga, eacomnimedas, valores e pama-
gens, trata-se na agemcia, escriptorio de com-
missoes de .
Bernardino PYntal_
12 -Rua do 'Born Jiess*A
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
NavegagAo costeira por vWor
Macei6, Penedo e Aracajfi"


0 vapor Corarupe,
co.mmandante Sanilos,
seguirapara oportoAci-
ma no dia 5 do corren-
tp A- S Tlhnra diatnr-


f0e .
Recebe carua atk 4; encommendas, pas-
sagens e dinheiro a frete at6 as 3 horas da
la de do dia da sahida : escriptorio no
Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
NavegaqAo costeira por vapr
Portos do norne
Parahyba, Nat.l, Macio, Mossor6 Ara-
caty e CearA
0 vapor Ipoijaea,
commandant Telles,
seguira para os portos
acima no dia 5 de ou-
tubro, As 5 tioras da
tarde.
Recebe carga at o dia 4 ; encommendas,
passagens e dinheiro a frete, at(, as 3 horas
da tarde do dia da sakida. Escriptorio na
Rua da Companhia Pernambu-
cana n. 12.
GOMPANHIIA PERNAMBUCANA
DE -
Navega9ao costeira por vapor
Portos do norte
Fernando de Noronha
o vapor QVW4,
commandant Costa,
seguirA para oporto
acima, no dia 9 do
ouubro, ao meiqdia.
Recebe carga at6(. o dia 8 ; encommendas,
passagens e dinheiro a frete, at6 as 3 horas da
tarde do dia da sahida : escriptorion-a I
Rua da CGompanhia Pernaunu-
cana n. 1..
Sraeaty
Segue nestes dias o hiate Flor do lardim;
para carga, trata-se na rua do Vigario n. 33,
lo andar, corn JoAo Jose da Cunha Lages, ou
corn o mesWte, no trapiche.Loyo. "
Companhia desMesa-
geries Maritiies
LINHA MENSAL
0 puquete
JPfA /yaW.IA


Commnandante Varangot
.^ ^ Espera-se da uro-
pa ate o dia 5 do cor-
rente, seguindo depois
da demora do costume
para Buenos-Ayres to-
cando na
IBalia, lio dc Janeiro c
Slontievidek.
0 paquete
Orenoque
Commandante De Somer
Espera-se dos por-
tos do sul no diea20
do corrente, seguindo
depois da demora do
costume para BOR-
fEAJX tocando em
Dakar, Lisb6a e Vigo.
Para passageiros, encommendas, etc., a tra-
tar corn o
AGENTE
Auguste Labille
9- Rua do Commiorcio- 9
Pacific Steam Naviga-
tion Company
ROYAL MAIL STEAMER
Jonh Elder
ma Espera-se da Euro-
u pa, no dia 7 do car-
e a I^ rente, e seguirt para
." M a Bahia, Rio de ienei-
S ~ro, Mbontevideo, Buenos
Ayres, Valparaizo, Ari-
ca, Islay, Callao e via Panama ate New-York
e S. Francisco, para onde receberd passagei-
ros, encommendas e dinheiro a frete.
Para passages e qualquer esclarecimento,
trata-se corn os
AGENTS
Wilson Brothers C.
14-RUA DO COMMERCIO-44
Aracaty
Segue corn toda a brevidade o hiate
Deus 4 Guie, recebe carga : a traitar
na rua da Madre de Dens n. 8, corn
Bartholomrneu Lourenpo ou no Caes do
Barrio._______
'Compaihia Pernambucana
Aracaty e Ceard
Uavendo carga sufficient, a companhia
expedira o vapor Pirapanma aos portQs acima,
no dia 7 do corrente, ds 7 horas da manhb.
Os senhores carregadores queiram mandar -
hoje [4) ao escriptriio da companhia declarar
os volumes quo#pretendem "embarcar, aflmn de
ser resolvida definitivamente a viagem, no dia
e hora aciua indicados.
EsceiptortWO-Rua da Companhia Pea-
nambucana n. f2 u
J;1 ,


ao Mol* 41I
No armazem tia ruadoI*
ni. 1


,: '


'. f


14


I


I
I,


I
i
I


I -


se-


-W ww^
&.. rj~*-TteAIAl


I





















0 agea ste copies ntemente autori-
a pr xiadq do Exu. Sr. desembarga-
ojub de pa e i"6ph usentes. levarti a el-'
1o a casalita no lugar do Barbalho, fregue-
iA da Varzea, con ur grande siti, e urma
mobia de amarello, pertencentes ao finado
mAtonio Dt rtoe de Oliveira Rego, e a reque-
imento do Raphael Fraacisco Pereira, inven-
minte dos beas do mesmo flnado.

NOVO LEILAO


DE
25 acv- pda companhia dos trilhos
,rbanos do Recife A Olinda
Hoje
A'S 11 HORAS
Nb armazem da rua do Impera-
dor n. 16
0 agent Martins fara leilao, pela 2a vez,
por mandqdo do Him. Srt Dr. iuiz substitute
do commercio, e -a requerimento do Ingis
Banck of Rio de Janeiro, das acres acimnt.

AGENT BURLAMAQUI
Leilao
SEXTA-FEIRA 5 DO CORRENTE
cs 11 horas
O agent acima, autorisado, venderA em
leilio a casa terrea sita no largo da igreja da
Soledade n. 10, confront ao chafariz, em solo
proprio, corn portao e2 janellas de frento,
cozinha externa, quintal murado e soffrivel
cacimba de boa agua.
No escriptorio do referido agen-
to, A rua do Bomn Jesus n. 53,
to andar.


Agente Pestana

LEILAO
D E '
Mobilias de jacaranda, corn tamrnpo de pedra,
ditas de amarello, dita de pitiA marfim, camas
francezas de amarello, marquezoes para ca-
sal, ditos para solteiro, guarda-louga, apara-
dores, lavatories, quartinheiras, cabides, so-
fas, marquezas, camas para menino, bercos,
cadeiras de guarnicao, ditas de balance, di-
tas de braCos, mesinhas corn gavetas, ma-
Sehimas doCosturas,jarros para flores, lanter-
nas, apparelho de electro-plate, relogios de
ouro, ditos de prata, cofre de lerro, prova de
logo, e muitos outros objects.
SEXTA-FEIRA 5 DO CORRENTE
as 11 horas em poento
AO CORRER DO MARTELLO
No armazem de agencia de leiloes d :rua.
do Vigario Thenorio n. 12
POR INTERVEN4IAO DO AGENT
-_ PESTANA __
LEILAU
Pelo agent Silveira
SEXTA-Fg iA 5 DO CORRENTE
As 10 1/2 horas em ponto
De 8 tehrenos, sendo 7 a rua Imperial
e 1 em S. Miguel, em Affogados
0 agent Silveira, autorisado por mandado
do Exm. Sr. desembargador juiz privativo de
orphaos e ausentes, levara pela 4' vez a leil'o
os terrenos acima declarados, pertencentes
aoespolio do finado EstevAo Jose da Motta'
servindo- de base a offerta de 3:600M000, em
seu escriptorio no largo do Corpo Santo n. 9.

AVISOS DIVERSOS

Jose 'Hemeterio de Castro

Amaral
declare nada dever A pessoa algumna, porem se
alguemn se julgar seu credor, p6de apresentar
seus docur entos em sua casa, A rua do Vis-
conde de Albuquerqne n. 88, antiga da Gloria,
para serem pagos, isto no prazo de cinco dias,
a contar de hoje.
Aluga-se o predio da
rua de Hortas n. 4, constando de ar-
mazem e sotAo, corn 2 quartos e salas
proprias para moradia de 'quem n'elle
se estabelecer corn taverna, parao que
tern armagio e utensilios e o lugar d o
melhor possivel. a tratar na thesouraria
das loterias.
Pretende-se alugar umnia casa corn accom-
modaces para familiar, que tenha sitio ou
quintal, proxima da cidade, em qualquer das
estradas por onde passam as linhas dos bonds,
Passagem ou Fernandes Vieira, tendo encana-
mento d'agua e gaz; indemnisando-se de
qualquer bemfeitoria : a tratar na saboaria do
Recife.
Precisa-se de um caixeiro de 16 annos e
corn pratica de taverna: a tratar no pteo da
Penha n. 8.
Consta que se pretend vender a casa
terrea n 46, sita a rua da Assumpcao, fregue-
zia de S. Jose, avisa-se a quoem comprar que 6
foreira e dove alguns f6ros, assim como o lau-
demio.
0 unieo deposit dos
remedies do Dr. Ayer e
em casa de Adamson
Howie & C., rua do
Marquez de Olinda n.
37, entrada para i es-
eriptorio rua do Bispo
Sardinha n. 37: outr'o-
ra rua do Encantamen-


to.
Um est.angeiro precisa alugar um sitio
que tenha baixa de capim, estribaria e com-
modos para criados, que seja proximo da ci-
dade, em qualquer das entram por oide
pasam as linhas ferreas e bo s: a tratar
nesa typographia.
... iares Leite lrmos, tendo de mudar
se gttabeecimento para a rua do Bario do
B Ii: 30, piem aos seus devedores o
eeM' iiv dovirem satisfazer os seus de-
Sbif -aw ia 5 $de outubro proximo, sendo
po e4 so p i im caso se recuzem ao

S..Aue s retMina pa
Ma de uma ama
vw. p


t a"'i


faculdads de direito
do Recife convida aos
discipulos, amigos e
cDllegas do finado Dr.
Vicente Pereira do Re-
go, para assistirem As missas que por
sua alma fara celebrar na igreja ma-
triz da B6a-Vista, As 8 horas da manhA
do dia 6 do corrente, trigesimo do sen
passamento, e em particular se diri-
ge o present convite ai Exm.a familia
do illustre finado.

Bolos de encommenda
Faz-se bolos de eneommenda para
casamento e partidas, na. Capunga, P2
rua das Pernambucanas n. 12.


Costureiras
No largo do mercado public n. 19 precisa-
se de algumnas costureiras, send duas para
trabalhar em machine, e outras para alinha-
var e acasear camisas para home.

AGORA SIM
N1O PODERA' HAVER MAIS CABELLOS BRAN-
COS, COM A TINTURA CHINEZA
Preparada por A. R. Ramalho.
21-RUA DO MARQUEZ DP, OLIN-
DA-21
Esta tintura faz tornar os cabellos
rapidamente pretos sem offender a cu-
tis, e minuito facial de se applicar, Cada
frasco acompanhara as instrucoes ne-
cessaries.
0 autor da tintura chineza nao preci-
sa de encher as columnnas d'este journal
como- muitos outros autores fazem, en-
grandecendo seus preparados a ponto de
tornal-os uma maravilha, semse lemnbra-
rem que, a ianeira- que sea auto os
eleva, o public os p6de rebaixar, poI
que' as mais das vezes d enganado. *
Portanto, o auto da tintura chineza,
cedo do bom resultado, ja pelas mui.
tas exprienciaa que se tem feito, jai
pelas b6as provS que sempre tern tido,
recommend esta tintura.
Pede tao sOfnente que experimenteM
ella, pmrpa epoi faze rem .seu juIo.
TJmco depositoo,-ernm-casa de gt! au-
ro i i


-A eon tru! e de taesIlithosf pOde
ser emnpraitr ou feiti por umiiis ,
t raio, endo oe se procederA a um
ajvsteu on c to pelo equal o senhor
de n eno saberi do o ,custo da
obra. X i L-eira a -empr4| r, ato no
construoo dos carrots %Ju carrovas,
podeiA ser tirada nas proprias manttas
do engeohio. -
Ofleree,se tambemn param fazor de-
mnarca5A e nivelamentos para leva-
das, etc., etc.
P6de ser procurado a rua do Crespo,
loja n. 6, das 10 da manha as 2 bo-
ras da tarde.
CASA DO OURO
Aos 4:000#00b
Bilhetes garantidos
tiua do Bardo da Vt.oria n. 40
e casas do costume
0 abaixo assignado acaba de-vender
nos seus muito felizes bilhetes a sor-
te de 1008000 em 1 meio de n."I ,
aldm de outras sortes de 4000w"Ib
de 205000 da loteria que se acabqu
de extrahir.
0 mesmo abaixo assignmdo convida
aos possuidores a virem receber na
conformidade do costume serm descon-
to algum.
Acham-se A venda os muito felizes
bilhetes garantidos da 14.a part das lo-
terias a beneficio da matriz de Jaboa-
tao (244), que se extrahirA na quarta-
feira, 11 do corrente mniez.
Pregos -


.- ,t


SPRE.,SA- de -uma arna que
entenda de engomtmado, eostuwa e
mais servings domnesti(os: na rua da
Concordia n. 12.
Precisa-se de um minenino para
caixeiro de taverna, corn alguma pra-
tica : na rua de Paulino Camara n.
44, outr'ora. Camb6a do Carmo.
A pessoa que tiver ruma escrava
moga e de boa conduct e quizer per-
mutar por5 access da companhia Per-
nam.bucana,!no valor de 1:0005, dirija-se
A rua da Ponte Yelha n. 101.
Roga-se ao MIm. Sr. Dr. Breves que 6 ou
foi empregado no gymnasio provincial o favor
de apparecer no estabeleciniento da rua c a
Ponte Velha n. 77 a negocio 'de seu particular
interesse.
Precisa-se de urma cozinheira, preferin-
do--e eserava: na rua do Queimado n. 31,
segundo andar.
|- Offerece-se uma mova porlugueza para
cozinhar ou para copeira, nao sahindo .A r.a
A fazer compras, para casa de familiar deceii-
te, garaute sua conduct : no Forte do Mattes
n. 11, quarto andar.
Os abaixo assignados declaram que Dc-
mingos Jose Ferreira Soares deixou de ser seu
caixeiro desde o dia 5 de agosto passado.
Jos6 Fernandes Lima & C,
Na rua Vidal deNegreiros n. 136, prec-
sa- se de vendedeiras para doces; paga-se bern.
Na rua do Caldeireiro n. 5'4, lava-se e or.-
gomma-se por barato preCo: calca branca la-
vada e engommada i60 rs. ; palelot lavado e
engommado 200 rs.; camisa idem '120 rs. ;
college i lemrn 100 rg,; paletot de brim pardo
160 rs. ; calca degdito idenm 1-0 rs.
Fugio a 27 de setembro do corrente anno,
da freguezia de JaboatAo, o escravo por nome
Pedro, deidade 45 annos, cumrn os signaes sE-
sruintes: alto, c,)rpolento, falla grossa, con-
serva barba e as vezes raspa toda, pes gran-
des e enchados, provenientes de duas feridas
em ambas as pernas, denotes perfeitos, nariz
chato e aquilino ; julg.-se ter ido para o Re-
cife e Capunga, aonde tern os parents : roga-
se as autoridades policies que o apprehen-
damn e levem-no a travessa do Peixe Fritc,
taverna do Srs. Azevedo Pires & C., n. 3.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
rua de Ilortas n. 48, corn sotao, 5 quartos,
quintal e cacimba : a tratar no primeiro an-
dar do mesrno sobrado.
Aluga-se em Olinda para festa urma casa
corn excel!entes commodos para familiar a pri-
meira da ladeira da Misericordia n. 17, teni'
um pequeno sitio corn portao pare o Born-Fini
e muito enxuta. Na rua da Imperatriz n. 8 2)
andar, se dira corn quem se trata.
Aluga-se uma escrava para o service do-
mestico : a tratar na rua da Soledade n. 27.
ALUGA-SE o terceiro andar e so.
tdo da casa da rua do Commercio n-
10, muito fresco, corn commodo para
familiar : a tratar no armazem.
ALUGA-SE a loja da rua do Vis..
conde de Albuquerque n. 44, do sobra..
do, e muito fresca, por preco commo-..
do: a tratar no Corredor do Bispo n.
73. Na mesma casa se dira quern com-
pra uma casinha na rua da Soledade
ou Conceigao, mesmo Gloria, atW a
quantia de um conto de reis, estando
livre e desembaragada.
Aluga-se no povoado da Torre o sitio do
Dr. Witruvib : a tratar corn o mesmo.
1 L- A Precisa-oe de uma ama
WE que saiba lavar e engom-
"' *M mar corn perfeivao : a tra-
tart na rua da Amizade n. 6, Capunga.
Aml Precisa-se de uma ama que co-
n~Jitzinhe bern e compare, pare casa de
pequena familiar : na praca do Conde d'Eu n.
30, scgundo andar.
A aa Para casa de familiar pre-
AwIA^ cisa-se de duas, urea para
tl k engommar e costura, e outra
para ensaboadoe algurn ser-
vico (lomestico: no Mannguinho, sitio
n. 2.
Dr.VicentePereira doR ego
d t A congregacao da


Casa da Fortuna
Aes 4:60000"o
BILHIETES GARANTIDOS ''
A' rua Primeiro de Marco (ou-
tr'ora rua do Crespo) n. 23 e
casas do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido nos seus
felizes bilhetes um quarto n. 387 corn 800000,
um inteiro n. 1422 corn 1005, e outras s9rtes
de 40S e 205 daloteria que se acabou de extra-
hir [243.a], convida aos possuidores aVirem re-
ceber na conformidade do costume, sem des-
aonto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 14.' part das loterias a beneficio da
matriz de Jaboatao [244.*], que se extrahirai
na quarta-feira, 11 do corrente mez.
PREgOS
Bilhete inteiro 45000
Meio bilhete 200i
Quarto 1000
Em porAo de 1005000 para clmna.
Bilhete inteiro 3S500
Meio bilhete 15750 ,-
Quarto $875
Manoel Martins FuZa.

I UU31i2KA. 3DFr A!"'.
ESTE OLEO fI 0 MAIS APPRECIADO PELOS
I edicos FrancezAen


SUPERIORIDADE RECONHECIDA


IDLkpuzwi ge-al cm& Pm's-.
DUCHAMP, Phb", 26, xua des Missions.
|Em Pernambuco :
FERREIRA MAIA e C ;-BARTHOLOMEO C-,
n9 s principals l'har.acias.



EM FIM t
menhumia repygnanc. p[elo aniargo
DO SOLFATO DIE QUIIN.4
'o 5as
PEROLAS DE SULFATO DE QUININA
Bo D' CLEBTAN.


RIedcndas, do tainmaho <'uma pilula, con-
teei dous ecitigramins (Jdous giaOs) d',ste
heroico medicamonto que, d'lhojo em dian:c,
os d(oenles podem tomfar sl ) rcp'ulignfanc:?
algumna.
Em Pari, cma do L. PREE, 19, rua Jaob.,
Nas casas dosaSrs. Barbozaa Bartholo- I
meo & C. e Fen'eira Maia-&c .r



UARU,LsASI I
IIPI YniCWAlmiI|ffI)(T
ZSROZ 7S5STAL AK?.:IJ

bARTHOLOOMEI i,
Os madio tdvotaTv*k -4o mpuwb lan
h**o-Xarop Imp" gom..-.,2
a toaiS< UiMohimsa"*tam k em e
mulIh do ca m tumsa a 4lmdia do4 A* pa.
JIarese emo 4ams btaartog 4. (feIsl.


r T-I -


E2B 2"

r A A


Pedem aos Srs. arcicultores desta provincial
umra visita a seu estabelecimento para verem o
gade sortimento de machines o ferragens que
teem em deposit), tudo da melhor qualidade, o
que tudo vendemn a prazo ou a dinheiro, comrdes-

conto, e a prewos muito resumidos.
MACHINAS a vapor, de forca de 4. 6, 8 e 10
cavallos, as melhlores que aqui teem vindo.
MOENDAS e meias moendas, obra superior, im-
possivel de desacutihar, por virem corn argoletes.
FORMAS para assucar, pintadas e galvanisadas.

RODAS D'AGUA fortes e hem acabadas.
RODAS DENTADAS de todos os tamanhos e qua-

lidades.
TACHAS BATIDAS e fundidas.

AIADOS de todas as qualidades.
MOINHOS para mandioca.
FORNOS para torrar farinha, e
TODAS AS FERRAGENS precisas a agriculture
desta provhincia.
8 ENCOMMENDAS--Mandam virida Europa qual-
quer machinismo, responsabilisando-se pela sua

boa qualidade.

CONCERTOS oncertam qualquer machinismo
e fazem contrato annual para lodos os concertos
do engenhos; para esse fim teem a fabric bern

montada, corn grande e born pessoal, e dirigida
por dous engenheiros
FRANCISCO CORREIA DE MESQUITA C.RIOZO,
(ha pouco chegado da Inglaterra.)

GEORGE BRAIU (omaispratico e antigo que aqui ha)

S Rua do Brum ns. 100 a 104.
Uaeposito rua do Apollo ns. 2 e 2 B.
~~ '" LEGRAND -
^.^R^^ FORMUMCDOfOR DEVARIAS 'CORTES Et'TFANGERltA S ^^
s PARIS, 207, rua Saint-Honorn, 207, PARISl


Produindo urea espuma flina e abundance corn todas a aguas.
melbor e mais suave do todos os saboes de toucador (diz o D' 0. REivemu; iadispesa.el prar
conservar i cutis a sua Flexibilidade e Brandura.
C-RIME- ORIZA | ORIZA-LACTEO
para branqueir, ,d,,,iadri e re/resear a cuts. I eonhra as sardas e as rugas.
AGUA TONICA QMiNiNA LIGRAND e POMMADA corn BALSAMO do CORTIM
r.racr f c q fa formulas deixadas pele DI CUOEL para aesiar cabeca,
regenetla otabeilos &'fIrte a sua queda, e tazedod que lornem a crescer em muimo poenc tempo.
5 m casa ('.os pniQipaes Gabellereiros e Perftmirias do Franm a e do Brad. -


FERRO BRAVAIS(F
Vosoadopted. em ted..os U supta
elda plds prirNiput l'ediems
ANEMIA,. CHLOROS, ESFALMAUENTO
FAsTIO, FLUXOS 9UANCO CON8UXPAO
0 Fem dicil c 'onc
verdadeirafoi feita IelSiBujL B tm,
Preprado em aparelbas especiaes,
sogudo a formula que o memos
Seoer .6, posa, nags 6r imi
tado. d8# is r"
S.cd -i. la so pp-.
4 oe qe a L moiga a00 e-
tlae mo a assigaalra e a
marc. do (abrica oem freato, B^S
sebre a capsApt, .o "W
I&no &*left (I- ^ im
*EPI,#IICPAL EN PA S i

ttrA33adkytt S3*335'* ^


1U Uld &ilhauJUi]ihpr ld Wail.
I*Mdof &poof deosueeu 9vbllr
DEIIUDADE., fRAUESA NAB CMANQAI
bI6lG|M LiAOSIOSAS
KmiQALI, ISTUNMR PhLIMTA(B III.
0 malbor gas so pma
.o mdhew .. ,
fuer det rdaetom cmeompara'l
*6 o o de iar as aprecafos, eitas
poleo priacipse medicos da Franua
jOW e mNo d'Europa, sobre o
AMM 4WRmf fefa U ra bw
SApsar de nianoemw poder
Seram- limit.. as dscobertas
Sda secisla, di m5am es
!SS. devido quo jums
so tris eacoetrar iui foro-,

giio. lOMWi.a.l..ed.mpe
a oqualpepoapae..sp-
o no teon mobuB doe !oos-
Tou4IIOO, 3


Depesito ow ieSs 7., 6AL D m^^f i.w.
.- Depotlto torw~~o e auu in BU>K" de


i*st A V.


ubr.n 1- *!?% ii'i^!!SS5im B
As psipiq. ImM a a
s.lous, dAs f, t E-4.
^^S4 OgMi IL, a&&
Dez smoe do aooeitalofll


gRtl) [1 j), t. 3 1


A' CESTA FLORIDA

0 .MdE30
Sapekfino de
IIXORA BREO0I|
prepwrado e fabricado

EDPIAUD
PERF"UMIS TA
37, Boulevard de Strasbourf, 37

Eteo Oleo possue .wns delicioso
aroma dV fl6res c ne compas o di in-
grcdirntes untu6sas os mais preciosas.
Elle da aos cabellos um brilhaI&nte inom-
paravel imprcgnando-as de uia perfume
eatreniamcntc fino c) "'licado.


'_tDALHA MNA EXPfsICA-PAPIS 1875


L Xarope e a Pasta do Dr Zed, acalmlo
promptampnlo as casos d'Irrilaroes do
peilo ou dos pulmoes, Bronchites, Coquelu-
ches, Defluxos, Catarrhos, etc.
eait en ataedo, en Paris, 22, raa Drouot.
Pemmbuio. ELIAS DE MOURA .G



ALCATRAO DE GUYOT
(Licor d'Alcatraa cofceuatrado e dosificado)
0 Senr Guyot, depois de muitas e louvavis
experiencias, consedguio separar de alcatra5 a
acredez c amargo insupportavcis, tornawdc -o:('
inlstno tempo rnui soluvel. Aproveitaifdo eti:
feliz descoberta, prepare um licor concentrad.
d'alcatra5, qute em muito pequeno volume, cou-
tern uma grande quaintitado de principi:- a:'i-
vos. 0 Alcatra8 de Gujot (Goudron de (y-, r
offerecc todas as vantagens diW agua alcatro;i:.
ordinaria, scm nenhum dos inconvenient':
d'ella.
Basta Jespejar uma colher pequefia, cli*-i:.
d'este liquido, para que a agua n'um moment"
torne-se aleatroada, sem gosto d&-sagridavel.
Dcsta maneira cada qual, pode, a rnedida q(i,
necessita, preparar a agua alcatroada, o que
offerece economic de tempo c facilidad( de trans- I
port e evita I manipulava desagradavel do
alcatraO.
. Alcatra6 do Guyot, substituo corn vantauemi
as thsagas, mais ou mneao': inertes ros casos ,r ic
resfriamentos, ibroncl1ite, toss, catarrho etc. t
0 Alcatrao de Guyot emprega-se corn grand,
exito, para combatter as seguintes iufermidades:
COMO BEBIDA. Huma colher pequiia dei
raf., para corda eopo W'agua e dias "
colheres granlds (de slpuo) para cada g-"r'-e. ,
BRONCHITES
CATARRHO DA BEXIGA
RESFRIAMENTO
COQUELUCHE OU TOSSE CONVULSA
TOSSE TENAZ
IRRITACA DO PEITO '
OOEN(AS DO GARGANTA
EM LOCqOES. --Licor puro diluidd em ptia
agua: ;-
AFFECgOES DA PEL.E
PICADURAS
MOLESTIA DA COURO CABELLUOO
EM iLNJECQOES. -- Quatro padres d'agua e tt wn
Je Licor ,granide e'ficaca-:
FLUXOS CRONICOS OU RECt.TES
CATARRHO DA BEXIGA
0 Alcatrao de Guyot (Goudron de Guyot) foi
experimentado corn verdadeiro exito, nos princi-
pacs hospitals da Franca, da Belgica e da Hcs-
panha. Os primeiros medicos da Europa, sao
unanimes em reconhecerem, que este licor, na
estaca5 calida, constitue urma bebida muito
hygienicas, principalmente, em tempo d'epi-
demia.
Para acautelar-se contra as falsiflcaQ6es e
imitaVSes, exigir uobre o rotulo brnco, o texto
impresso COB '7
tincta preta,
e a assignatura
Guyot,
impress corn
trts Cre& Mr
,Ib P wa L Ifrere, 19, m Ja.

Depositaries: Os Srs. Barboza, Bar-
Stholomee & O.eMaia & C.
L -_


OLEO doE FIGADO DE BACALH
Iodo-Ferreo comn Quina


iOPO-E
Au OU


E CASCA DE LARANJA


AMARGA


o appaoclmento d'este oleo, 6 devldo ao estudo e as
Snumerosas experieaWcias feitas polo D' DUCOUX durante
longos amx, afime de reunir num so product, o Oleo
do: igad daalhau, o Ferro, a Quina a o Xarope da
oasoa do laranja aag.*
a auga~lnto progresaivo do oonsumo d'este producto.

o0.A Zle6 v iw 4, um poderoso rediameatnto ootma a
Awma$ h_L~w do peitp, Bmuh"';DcA4;I&, Ot.?re
RecrNulos, t.,t-, OU


SRosario n. 43


solo
0
rAmTolum


Inteiros
Meios
Quartos
De 10000
Ilnteiros
Meios
Quartos


| 1


I


is


^ ...^l~o1. !00


--7-


f


^


k


I i'll


D-TIA, V


48000
28000
18000
25OOO
para cima
38500
18753
$875


Jodo Joaquim da Costa Leite













jf.j


*... .. T. .D..
*- DE,1^OPk
IlaWRB-it


.-.. ,." U : ? ., ,
(Do-.Kauhp).. :
Pharmweutleu tornado pla im lrilA !aftde Mo lqena do lRio.do Ja-
e4iro, soclo effectvo wo Instunto P mim 6tleo- a,. rteA.;,
done da 'Soeiedade. Pbarmacftlca do Grio-ParA, e laureado na Exposi
.gio NaclOnidal em 1 ,66. pelos seus prdactos eWht 0o phartPARteCUos
ca.yUeiro da Imperial Ordem da Rosa, etc.
9te preparado e sem contestago~o melhor de todos os seus similhantes:.
ja tao conhecido em todo o imperio; principalwbnt% no Rio de Janeito, onde o
seu consume em -1876, chepou a 24,000 frascos! !! Aquelle ue mais. provei-
4osamente (o seu salutar effeito principia logo corn as primeiras d6ses) se poderA
applicar em todas as molestias qu e teem sua origem na impuridade doa sangue
e principalmnente nas molestias syphiliticas, "como sejam: gonorrheas, boboes,
cancros, bobas, rheumatismo-arfticular ou muscular, darthros, empingens e ou-
tras molestias da pelle, etc. etc.
Vende-se unia duzia por 42000
Cada frasco por 44000
Deposito em Pernambuco a rua do Cabuga n. 14.

Tambem existed ai venda neste deposit os seguintes
Spreparados do mesmo autor
Xarope balsa.ico peitoral de flores e bagos de aroeira e
mucilagem de mutamba, pumo atrataranto radical das miolestias das vias
respiratorias, taes como: catarrlio pulmonar agudo ou chronic, laryngites, biron-
chites, heioptizes ou escarros de sanjrue, coqueluche, affecc6es asthmaticas co-
nmeantes, e niia convalesceiin.a das pnfMeumoias. .
Linimento anti-rlaeumatico, para tratamelito do rheumatismo arti-
cular ou muscular, chri-onico ou agudo, gottoso ou syphiiLico, dbr syatica, e
como resolvente das bobas, exostoses e tumores.
Pomada anti-herpetica ou anfi-darthrosa, para tratamenito
prompt, de dartliros, empitgens-, noduosidades, escoriagoes syphiliticas, cas-
pas e de todas as mole.tias da pelle, devidas ao contact ou A impureza do
sangue. .
Pilulas anti-periodicas, para cura prompta das febres litermitten-
tes, ou sezoes, constipabe.s, febres rcmittentes, paludosas e perniciosas; aQo
laxativas.
Odontina, especifico vegetal para a cura instantanea das d6res.de den-
tes, por mais rebeldes que sejam, quer prove'larn de caria(ao do dente, quer
sejam piopriamente nervosas.
Dao-se prosp.ecs. _____


Museu de Joias


i-i
t'.T





i



i"



'': l.





.


DE
VICTOR GRANDIN
A' RUA DO MARQUEZ DE OLINDA


N. 26-


g~~~ -m ------ -B l

Victori- Grandin scientiliea ao public qu e fez acquisiao de um born sor
umento de relogios de algibeira, de ouro, prata, foiheados de ouro; paten-
tei inglez, suisso c americano, dos imclhores fabricantes da Europa e dos Es-
tados-Unidos, para homes e senhoras; assimn coino grandpa sortimento de
correntes par-a os mesminos.
Gra^4de sortimeuto de rclogios de parade e de cimna de mesa, de todas
is qualidades e dillerentes models e dos minelhores fabricates.
Quauto a lunetas e oculos'acha-se nesse genero sortido do que ha de
nelhor em vidros de crystal, que sao os mais apropriados para a cqnservigao
S4a-vista.
. .- 'Tern excellentes official's para executor o concerto de'Itodas as squalid
S4es de relogios.
,- Na mesma casa se compra prata e ouro velhos, pe'lras precicsias e
A ttoetimouro oU prata de qualquer qualidade.
J", -- "-"---------- -


-- 7= T-..


RELOGIOS 11113k
Vidros para oculos
E
BEJOUTERIA
32-Rua. do Imperador 32
Acaba de chegar nova remessa de
relogios d'ouro do que ha de mai aper-
feioado neste geuero, tanto para ho-
mens como para senhoras, garantindo-
se o born regulamentoe "incompetencia
de precos.
Vidros para oculos e pencmiez (para
Sryope e vista cangada), de todos os
graus e cores apropriadas a conserva-
"ao da vista; collocam-se corn rapidez e
p)crfeigao.
O Pencinez, modernos, de vidros puli-
dos, de crystaL-.D-BEJOUTERIA-che-
gou nova porCao de objects de- gosto,
e preoos diminutos.
Compra-se ouro, prata e pedras f.i-
nas.
Recebe-se encommendas relative? a
este genera'de negocio.


COLLAR DE OURO
N. 3 A---RUA DO CABUGA'---N. 3 A.
Agostinho 4 Irmra"os
SOlffereceai. ao.respeitavel public desta cidade e f6ra della uma infinidade
de joias, sendo aderec:os com brilhantes,'rubins, esmeraidas e perolas, naios
"dtos doditos, brincos tie alta phanLasia e argolas do ultimo gosto, alflnetes para
rtratos e sam elis, cagoletas corn letras e sem ellas, cadeias para hoiens e so-
nhoras, de apuiado gosto, relogios para ditos e dilas. de" ouro e prata, anneis
colh bilthantes, rubins; esineraldas e perolas e corn lqtras, veltas corn lago e sem
lao, pulekeas para senboras erp.euinoas, objects de prata do Portp de Loda qua;
lidade, e min urea oinnidade joias que seria enfadonho mencionar s6 corn m
a vista pode-se djuizar Lanto ej6reos cont. em gosto, garante-se a qualidade
de-our de lei e a modiflcaio nos precos. Compra-oe ouro, prata e pedras pro-
closas. Concerta.se obras de ouro e prata, corn presteza.


.4
Essencia c ncetr.,ada e salsapar'rilha e
"4 PREPARAAPOR


SHARMACE ,.A CA8
P ara cu.t todas
go a, Qom *j05t olesk


caroba*


Di PIORTUGAL


tmI A ua ori..m Ia
l~ti...^&^r^


MENDES ,&d'L ,flb -APOR
. : .., -..: .: &ARA n i ,} .,! -,. ...
*' Attewnv^ ^
Popelinas de seda, fazenda de 2$ a 1200M para acabar.-
Ditas d'uma 6 c6r imitaao de gorgurao a 11600, ,,
Grosdenaples e gorgurao preto de sMda, preqos sem competencia
Setiw macao, todas as cores. .
Vdos e mantilhas de .il6 preto de seda, precos rezumidos.
Fil6 de soda preto, branco e de linho corn salpicos e liso.
Bombazinas, merinos, alpacas, cantao, princeta e l isaa para vimtic
etc.


-.4.


fr" .ff*'^--


Nesta.a inabant.desta provcia,
ymjde.sot4odo 0 6, so-o prociso para a sua
*ajricltura e paraol-abrico do assucar-e prepara-
cmA do -aloda'.. Tern deposit de tudo, em ta-
nanhos4iverso, convenietes aos. compradores.
Tanbem vene sempre frmas de ferro e
diyersos utensilios para engenhos, e motors para
descarocar algodao.
Vende a prazo, ou a dinheiro corn desconto.
I icumbe-se de todo o concerto, qupr de pe-
Cas.trazidas a ella, quer de machines emseusl u-
gares. Faz contrato annual para todos os copcer-
tos de Mgenlhb.
Cautella
Nao emprega inculcadores pelo campo.
Roga a todos, que mandam encommendas a
ella, exijam a vista da conta impressa respective.
STendo sido enganadas diversas pessoas em
procura desta fundiCao, observa-se que a
FUNDIVAO DO BOWMAN
estA entire o chatfariz e a fortaleza, que os edifcios
estao de-ambos os lados da rua, perto da cochei-
ra dos bonds e pintados de verde nos andares
inferiores.




DE
"Francisco Gurgel do Amaral
^ A'rua o. de Margo n: 20 A, esquina.
Este antigo e acreditado estabelecimento acha-se constantemente provide do um n
important sortimento do fazendas de gosto, as quaes recebe directainen e das me-
Ihores casas de Paris e por esta razlo poderaio servendidas por precos muito modicos.
Tern aftualmente um esplendido sortimento de vestidos feitos e em eortos iguaes
aos que se usam presentemente em Paris.
Tern igualmente um variadissimo sortimento de qhapeos para senhoras o que se
p6de desejar de melhor cm tal artigo, sendo preparados por uma das principles mo- ,
distas de Paris. *0
Alhft destes artigos tern corstantementc grande sortimento de sedas, popelinas,
granadines, superiores atollhados brancos e de c6res, guardanapos, toatlas.para me-
sa e rosto, umr esplendido sortimento de meias brancas e de cores para biomens, se-
nhoras, meninos e meninas, enxovaes para casamentos e baptisados, grande varieda-
de de baptistas, cretones, gostos inteiramente novos, lindissimas gravatas para senho- 9
ras, complete sortiwento de luvas de pellca, esteira da India para forro de salas, ca-
pachos de c6co, tapetes, alcatifas, mala^ pa^ viagens e muitos outros a'rligos quo f
fazem parte do fiosso sorttnmento. '
Ha empregados eOsjipas para levarem as fazendas a casa das Exmas. families, a
quem pedimos qu mSeplteieencia mandem-P.searqiqusqer arygf.-e i'a.tEitem!e
para as suas toilletes an nosso estabelecimento, pois sempre encoutrar'o fazoendas
^ de gosto e novid&des. *-
A todos aquelles que BOs honrarem corn as suas compras, encontrarao siiiceridLe ^
S hnos nos.os tratosg e modicidade nos precos.
Rua ode Marco n. 20 A, es uhma


Ricos cales, mantas superioridade em tecido e cOres, nunca vi
Espartilhos A Princeza Regente, sio lindos.
Granadina preta de seda de listras e quadrinhos.
Cliapdos de sol, suda tranicada e eastdes de plianlazia.
Collarinhos para homes, superior qualidade a 78500.
Leques pretos borados, lisos e de cores sortimento complete.
SChales pretos, bordados, lisos e de cores, sortimento complete.
Camisa'; brancas e de cores o melliorsortimnento possivel.
Coberltores cscuios ,1 hi a 1-500, 6 plchincli.
Ditos brancos a lSOJj0 urn.
Lencos de esguilo, fiuos, a 28000 a duzia, 6 imccliitlia sem igual
Alia novidade


istos a 121.


Ficlhus de 15 e seda, recebidos hontem, 6 o o,, dee mais gosto se pode df-
sejar, c vendemos por commnodo prepo
NA LOJA I'AMERICA A' RLA DO .... .. 10..


iprCaldeiraria C(entral
E

futndiuao de sinos ebrouze
'DE

Eduar.do Cardoso & C.
Rua do Barao do Triumpho, outr'ora do
Bruin n. 66.
Os proprietaries deste estabelecimento pre-
vinem aos senhores de engenho, agricultores
e ao public jem geral que continuum a-tabri-
car os objectos abaixo mencionados, como se-
jam
Machinasde Derosne parafazer espiritos,
ditas de Collars, os melhores systems, alam-
biques de feitios diversos, simples e corn es-
quenta garapas, ineluindo os de NOYVO SYS-
TEMA, ultimamente adoptado na provincia, ca-
rapuwas, serpentinas,tachos, passadeiras, repa-
tideiras, escumadeiras, cobre picado para moer
mandioca e todas as obras necessarias para lo
fabric do assucar. Bombas aspirantes e 4e
repuxo, de ferro, de cobre e de bronze. -
nos de 16 libras ate 110 -arrobas, fabrietid6s
pelo system francez, torneiras de bronze e
parafusos do dito, de todos os tamanhos,
Emfim fabrica-se toda e (ualkuer obra de


cobre ou de bronze, corn toda perfteiao e gos-
to, para o *que teem feito aequisi~ao dos melho-
res operarios, podendo dest loriuia servirem
bem aos seus freguezes-e a todos quantos Ihes
honrarem corn, a- .s. -eonfian, .
Na Caldeiraria Central
66---Rua do Bardo do.Triumpho outr'ora do Brum-66


ci
fr21


u
M


hiS


Ii


; "


Iw


10

L 2
ocij
Uli'


S.-


N.-4-Rua do CabugA-N. 4
Este important -estabelecimnento de ha jnuito cohihecido da respeita-
vel pubtico, tern na Europa um de seus socios bastarte habilitado para a
escolha das joias, que constitute o seu esplendido sortimrnto, tendo por esta
fOrmna novidades constantemente no artigo joias. Asseveramn seus proprietarios
que, a modificacao nos precos e agrado-e a sinceridade de que usam, fara com
que qualquer pessoa compare unia joia qualquer eainda mesmo sem precisho.
Pedem, pois, as Exmas. families para visitarem o seu estabelecimento,
que se acha-.aberto das 6 horas da mnanhd As 8 danoite.
Joias de brillhantes. De brilhantes teem ricos adereios mo
elegantes caixas apparelhadas de prata, .epara todos os preqos, tendo centre elles
aideregos de subido valor, por serem dos melhores fabricantes que tern vindo a
esta cidade ; assim como, anneis, brincos, cruzes, cagoletas, broches, rosetas
e uina infinidade de brilhantes soltos, para cravar a vontade do comptador.
Joias de plhanltasia. e ouroy, corn pedra fiinas, tern um va-
riadissimno sortimento de brincos, cagoletas, voltas, braceletes, cadeias para ho-
mens e senhoras, ate lapis, canetas, apitos, etc., etc.
J oias de pratae. De prata tern colheres, castigaes, esporas, sal
vas, bandeijas, faqueiros e paliteiros, etc., etc.
Relogios. Teem umrn complete sortimento de relogios de prata e
o uo,.para homes, senhoras e meninos, todos dos mnelhores fabricantes.
Joias para baptisados.. E' para este acto que chamaOS
a attengao das Exmnas. madrinhas e padrinhos, porque temos um complete sor-
imento de pequeninas joias, e cm caixas proprias para dadiva no acto do bap-
ismo. 4 .
Aldm destes poucos artigos que minencionamos, temos outros que nao
podendo mencionar por ser enfadonho, sorprenderao a todos quie visitarem nos-
6o estabelecimento.. ou
S Joseph Krause t C.l l

LJIJII LIITIIIBit


i
'I


m


lo, eic.


Alpacas de cores para vestidos, magnifico sortimnento.
Baptistas 'miudinhas, finas, ]Indos pafoes e c6res fixas a 240 rs.
SMariposas brancas e ile cores, oretones e chitasr bop sortimento para todco
os preC-os. ,
Saias brancas a 2O000., 6 pechincha, aproveitem. ,
Penteadores de casas lisa berdados a 45500, 6 barato.
Punhos e collarinbos para senhoras, enfeitados de renda, 6 novidade.
VWos do- fil6 parm chap6os corn salpicos dourados e prpteados.
Gravatas para senhoras e para homes, esplendido sortimento.
Meias de-c6res.e biancas para senhomas, lhomens e meninos.
-LenCos de linho em caixinhas de phantazia, duzia 45000.
Camisas de media dilrerentLes qualidades e precos..
Cambraia adamascada para cortinados, r cortinados bordados.
Tap6tes de todos os tamanhos.
Secilias, bretanhas, esguido dc linho c bramante de 4 larguras.
Casemiras pr'etas e de cores em peas e cortes.
Panno preto e azul especlalidade para 75 e 85000.
Colcha., brancas e de cores e iobertores de la.
Chales a rainha Victoria


'ADAM


















do~ 96v chreoiko-s
SaineorThao I iafanmaCao da calati kunetra, ocea-
ar.te.. I or ftputa".M. ,- fbe



mla a mor paOe a pela tommuntnadn % i fepgga. Nao E Una affc-
uerem eo dll P a eaao a ,uesyphils a actidentes seconmros. ud uma ans
puramente local. Effectivamente, os medicamenlos que ha multo teem
applicados rtate.iamente contra este mal, takes como a &copas4a" a ubebaa,
nap o produzem effeto senao communicando as ourinas agumaff das suas
Sge. Aes, que, pela sua passa gem aetravez do canal, se tornam uma verda-
injecgao.
Para que sera nleemsark, car gar o estomago corn essas preparagbes nau-
seabundas e rppugnantes? Par t-ie e preciso fatigarmos intestines corn a sua
a& irritante? A respeosta 6 simpoes : Nao s ae tinha ainda descoberto ua
a nim edaa eintroduzida dairectamente no canal, pr oduzisse os mesmos effeilo
S-tm atemer'miaos resultados.' As r r jecm es tao falladaste aqui, r onseguem fa-
u parar a purga ste, pordm pela irritacao consecutive queo produzem no canal,
Eseo uma a&meaa permsanente 'aneter. affect o muito mais terrivel que o mal
Aque sojretende curar. Eis aqui porque a maeior part dos medicos, recusam,
ncorn razao, i se ts empregar.
Presentemefte, este fundado temor nao existed. A injec9cao que nos apre-
senteamos ao public, que conta 10 annos de bons resultados, nao interrompi-
dos, nao e irritante. E' anti-blennorrhagica em today a extenisdo da palavra.
Queremos diter 6 a causa do mal, que ella destroe decompondo os elementoe
da purgagdo e tonificando a mucosa e as glandulas d'onde provdm a sua ori-
gem. A sua 'applicacao nao e dolorosa, e se uma ligeira impressao se segue a
sua introducao, essay impressao e da pouca dura, e segue-ihe uma sensaeao
Immediate e nao i desagradavel. 0 seu tratam rnto no precise de nenhu m ou-
tro auxiliar para fazer parar em rauito pouco tempo as purga-6es, ainda as
mais rebeldes.
Quasi sempre basta um s6 frasco-para a cura, o(is nao nos consta quo hou-
vesse purgacio que resistisse ao emprego de dous.
Afin do chegar a uma prompt cura, o doente deverd seguir o regimen
Indicado no impresso janto ao vidro.
Vende-se unicamente na
Pharmacia -e drogaria de Barliholomeo & C.
34-Rua larga do Rosario-34.


ihlltTi A


EIAGEHL


.Tecidos de algodio de todas as classes e qualida-
des, grossas, finas, brancas, tintas, riscadas, xadrez,
mesclas e redes.

FABRICA NO RIO DE JANEIRO

Deposit -em Pernaunbuco

Rua do Vigario Tenorio n. 31

ESCRIPTORIO -DO BARAD DE BEMICA
Pede-se aos scnhores agricultores que mandem
ver as amostras poise esta fazenda e cspecialmente
tecih para o trabalho (daagricullura
Desconto em relaqio a importanc'a da vendi


S PHIARMACIA HOMEOPATHICA



A 0CAuRS I



SBEPOSIAIOB10 BOS PI0TOSPS 11011WPAT!8 R
DA CASA
Globules pures .Varjido sortimento
doeCatelan ASTELAN IRMAON S decarteiras
S.Globules dynalmiados DE paii globules e para
e Tinturas P.LS tinturas,
STubas e traces vazios 22-RUA DO BUM JESUS-22 cba e chocolate
detodoso~tamaihos. PERNAMBUCO homeopathico
k^.jzsz,.^^.^^.^.^^..g.^ lad :W


FRANCISCO I. DA-SID

!IIPORTAIIRES
3 EXPORTADORES
de
TOGAS,
Frodmbts Chbialo
B TODA8
tiZPECIALT])NI
UTfRINGUIRAS.
ID"CRO GRAA

do sau Acgoclo,
X OARANTEM
s qua .iad_
SO mow ne.


23, Rua


*+
-A mm


S' MT' ,
Pinowi, Olm
0 Varol s.
Ditu PAi Inlkl U=
crurgicos,
IMcamento,
Vazladrom
Sv6a&m
1*"


do Marquez de Olinda,
PERINAMBUJOo


23


jAf MAIS CIIBEL[{JS DASIICB

- Ag.a de chinolia

it Pra Htigir instaWtau amente os cabellos
'- .'i PREPARAbA POR
t A BARTHOLp.MEU & C.
AMP U T PCOI& A CASA Ml. CE S. U.EF. EL-REI DE PORTUGAL, PREMIADOS EM A
.. DItE~l~*B EXeOS97o DOM 0 PRIMEIRO PREWOM) DE SUA ,SSE.
., Unirto. mpost., .uo base princdal sAo ptincti, s. vegstaes, qu e p6de
S. r i"osesor su por teimpo indeflido, SNEM 00 AENOR RECEIQ de altera-
f ^ ',da saud, taagua admiravel M aos-cal1llos,em pocos minus, una
rK e biuo_.'nu11 ali deAe o castao at6 o negro, e, ao cmtrario de todas As
f*t_u eeOis, tern t mu, nroma igradabilissimo, qtte facilita o seu use as
a a3a._maj -di ficeis, AFFIAN(AM-SE OS RESULTADOS E
t. I! jfOF ENSIVQ qudr a applicagdo seja limitada A barba, qudr
.co m-4napref/'ida os caEelloo, se mbeea,
0 qqLSeAJ niolevaassignatura em matau branch, deve ser
ieg rM *,, .--do.
-*:;: ~"E POSITO GERAL .
1-:: sr


for,
` :* .>
.,"#' 1


; ; ,,
- .';" -.


uin e.m 8.oo
indt Ia. 58.'


No (fta 4> 2 64d ~ir
Bahia, de do r
escravo Romualdo,! i _
porto para o Rio deolM, ,.h
de Luz Jose da ilva Pi
mmt net '!!, ,Ire'O^il,/me~ t ,x' jjt em-,
r yMi'oY
Lourw~o, nt^^^e^ SJi
I Bvo, l emt uit &nN ak-f
oos: cbr acalbralbhda, estatura 5 ps, 1 polle-
0< *3 14nt6S, cabdmW pftto aF(rt~t~
roseOfcn otndo, ol1ow pretos, com olharn to-
tecidpA .pariz f1ado boca grade, todos os
.enti barbama, e crpo em etal
das maos, .por traz do pulso, tern um earogo
a eupei de atff J1BaliBn pft.~n(a dcwnpap'
s8da, cOng^rando-se; quando falla, em attitu-
de, humlde e. vista baixaq, tWm do idado 30
3 anton1, po mais o0 mMnas, 6 IIho de JsB*
e Antonia. escravos de Manoel Salvador, de
lugar Waifada Trande ou Pae. de FlMres,
dbmnde o referidoescravo natural, e onde ex
ercicia o officio de ferreiro. Sahio desta cidade
vestido corn calia e camisa branca, paletot de
alpaca pretax, chap6o do Chile, levou um ba-
hUzmhdo eouro, oxn bastante roupa branea;
assim como costa que no acto do embarqua
aqui, um pto fi A bordto e entregou-lhe a
quantia de 90(16 a mamdao do uma amnasIa
de ncme Romana. i9 provavel que tenha mu-
dado. de oBiMe e de vestuaiio, e quo ande
caleado, para assim intitular-se livre e illudir
a vigilancia das autoridades. Ha de com cen-
teza seguir caminhe da Bahik pars esta cidar
de, em algum dos vapores da companhia bahi-
anna, desembarcando em Macei6, ou pelo in-
terior das duas provincias ; roga-se, portanto,
As autoridades policies e aos Srs.. capitles de
campo, ou a qualquer cutra pessoa quo delie
Liver conhecimento, o apprehenderem, parti-
cipando m entregando-o ao seu respetivo
senator no Recife, ita do Commircio n. M,
quP seMaOe rinpensados ;p s grtitflcaQo
acinma

Fumo hollandez
e cachimbos de barro vende
H. Ledebour, rua do Commer-
cio n. 17, lo andari

intura aponeza
A unica approvada e premiada pelas
academias de Paris e Londi es, per nao
ser prejudicial a saide, encontra-se nas
principles casas de cabelleireiros e em
todaj as boticas principles dr Pernam-
buco, Caors, Bartholomeu & C. Mau-
rer d& C. e rua da Cadeia n. 51, .to an
dar.
CozinheirWI ,
Ha para alugar uma esrava excellent oozi-
nheira na rue dos Pires a. 37.

,ARAMACAiIRU GUM POST
XAROPE PEITORAL
DE .. .
Cartos Bittencourt
Pharmaceutizo pela academia de medici-
na da Bahia
Grande e noVo descobrimento
S ESPECIFICO DA PIITYSICA E DOENQAS
PULMONARES
0 faramacar4.pompostooui xajope peito-
ral 6 umrn medicamento precioso e o me-
lhor peitoral ate hoje conhecido nos an-
naes damedicina. E' considerado especifi-
co nas m'blestias seguintes: defluxo. tos-
se si3ples ou rebelde, catarrho pulmo-
nar, a ffecSes da garganta e phtysica pul-
monar.. San innumeras as eurps efihc-
tuadas desde o seu descobrimento. '
empregado em alta escala pelos medicos
especialistas.
Salsaparrilha e caroba
DE
Carlos Bittencourt
Grande depurativo do sangue
Empregada nashydropesias, rhqum~ais-
mos, afTecoes gotosas, infartos glandu.
lares, escrofulas, syphilis, papeira, mo-
lestias chronicas da pelle,, cachexia mer-
curial, lupus, sycose, edzema, carne es-


crofulosa, dysuria, darthras, bomuba, bu-
boes e todas as molestipa que teem a
sua origem na impureza do sangue.
D6se : uma a quatro colbers de sOpa
por dia em agua e mais'.progressiva-i
mente.
DEPOSIT GERAL
Pharmacia popular.
Carlos Bittencourt
SRua Nova n. 51
Pernambuco


Na MagdalenaNI
Aluga-se uma casa terrea mu to limpa e cam
muitps commodos para familiar, sita A travessa
do Passandd n. 4 : a tratar na rue do Visconde
de Albuquerque n.20.
Michinas de costura
Concerta-se toda e qualquer machinea de
costura, seja qual for seu author, bota-se toda
e qualquer peea par mais difficil que seja, ga-
arntindo-se seu conctrto: na "rua do Barlo
da Victoria ou Nova n.35 primeiro andar.
Boa acquisiiao
Aluga-se a casa corn armagio e mais
pertengas da antiga e muito afregueza-
da taverna, na povoagao do Macaco,
freguezia do Pogo da Panella, por prego
commodo: a tratar no largo da Alfan-
dega n. 2.


Olinda


Aluga- e rna casa terrea, cmorn 2 sa-
las, i gabinele, 3 quaPtos, cozinba f6ra,
sita a rua do Sol, na praia de S. Fra.--
Cisco, em Olinda, distant 400 passes
Jo mar, offerecando assirn a granride
vantagemn da powder sahir-se della corn
trajos proprios para o banho salgado,
;alem de sua proximidade A estagdo do
''armo e ser confront a capellinha de
;S. Josd-: quem a pretender, dirija-se
ao sobrado n. 5 da rua de S. Pedro
Martyr, da mesma cidade, a tratar corn
o seu respective proprietArio.

1 "F Cognac
i Bisquit Duboucte &C.,** e
& .~* *
H. LedeJ)our, rua do Commer-
cie 17, 1o andar

PARA COZINHAR
Precisga-se de um arma formal ou es-
crava, preferindo-se desta ultima con--
digao, para comprar e ceinbar: na
r iaDuque de Caxias 4A, tercefrw an-
dar (nesrta typographia). Adverle-se qua
em poucos dias a familiar teraidesahir
para f6ra da :cidade.-


Jclaro, bai
'-"1 'm de'Jb
37.4


*

I


' I' Tia'


.ant-a da ate qe lurme.
A(,ftc4144 la nI t -quo se nao
feiumrado por aer estanhadq). "
.. Min ao Il.Sr. IW -ieira
d' Meillo, escrivAo da cidad% de Naza-
reth desta prorkncia, a ba3?r do ir a
rue Duque de Caxias n. 36,, a concluir
aquelle -negocie que S. S. Be eompro-
metlteu a -realisar, pela. terceira chama-
d desle joran, em frh ddedembro
de 1871, edepois parajaneiro, que pas-
sou a fevereiro e abril de 1872, e nada
curfiprio; e por este motivo, pois, de
*novo chamado para e dito fin, pois. de-
ve S. S. lembrar-se que este negocio-d
de mats do oito annqs, qiaodo o se
nhor seu filho se achava nesta cidade


20:00O$0
Dd-se a prenmio ajuros sol predios
em diversas quantias: i rua de Hortas
n. 86, se dira quem da.
Ama escrava
Precisa-se de uma ama para vender
bolos, prefere-se que seja escrava: a
tratar na Capunga, na rua das Pernam-
bucanas n. 12.

Hotel Raphael
Precisa-se de um'b3m criLdo,que de
fiador de sua conduct, para todo o ser-
vigo do mnesmno botel : a tratar a rua
'Larga do Rozario n. 29.

OfficiIade az
Travesaa das Cruzes n. 6
Nesta loja encarrega-se de. qualquer
obra ou concerto concernente a enca-
namentos de gaz, collocagAo de candiei-
ros, lustres, etc., corn todo esmero, e
por prego razoavel: na travessa das
Cruzes n. 6.

ALUGA-SE-
Urn silio na Capunga, rua das Criou-
las n. 59, 6 todo murado, tern muitas
fructeiras u-mn grande parreiral, bonito
jardim, tern baixa para capim, tartque
para banho, muito boa agua ; a casa
esta caiada e pintada de novc, : a tratar
an rua do Vigario n. 33, 1.o andar.
Ao commercio
.A abaixo assignjda faz public. que
nesta data comprou ao Sr. (arlos An-
tonio da Costa Carvalho, a sua taverna
sita.a rua do Marquez do Herval 1i.
170, livre e desembaragada de debito
algum, e pede a quern se julgar corn
algum direito n mesma, a apresentar-
se no prazo de 3 diae, na mesa taver-
na, findo os quaes, por nada.se respon-
sabilisa.
Recife, ." deoutubro dAt 1877.
Margarida Firmina da Trindade.
Ao commercio
0 abaixo assignado declare ao corpo com-
mercial desta praga, que nesta data vendeu
livre e desembaraCado de qualquer onus que
possa apparecer, aos Srs. Antonio Jos6 Ferrei-
ra e Luiz Pinto Saraiva, o se, estabelecimento
sito A rua de Maris e Barros a. 4, antiga rua
do Cordoniz; outro sim, que julga nada dever
Mesta praga ou f6ra della ; no entanto quem se
julgar seu credor queira, apresentar seus titu-
loN no prazo'de 3 dias a contar da data deste.
Recife. I de outubro de 1877.
Iufino Suzano Gaio de Miranda.

Advogados
Os Drs. A. Clodoaldo de Sou-
za e Jesd Eustaquio Ferreira
Jacobina mudaram seus escrip-
torios para a rua do Imperador
Sn, 57, primeiro andar do pre.
;'dio, em cujo pavimento terreo
'teem armazem de fazendas os
Srs. W. Inglis & C., entrada [
pelo caes 2 de Novembro.


Medieina e cirurgia
Dr. Cantalice .
Medico operatorr pela Faculda-
de de Medicina do Rio
S de Ja *o
Especialidades:
SSyphilis, molestias das vias
respn'atorias e dos centres ner-
VOSOS.
Chamados por escripto a qual-
quer hora.
Consultas das 9 is 11l horas..
P6de ser procurado A rua
Nova n. 58, segundo andar, ou
.na mesa rua.
51--Pharmacia Popular-51



0 DR. G'ILHERME NAEGE-
LI.medico e oculista, mu*%neea con-,
Ssultorio para o I. andar. do [Londonaeg
and Brasilian Bank.
Coasuli das 10 horas ao mnio dia
&9i a em Carr.inho-Novo. .


Piano, music e Jrancez
Ressente-se a falha na cidpde de Mfa-
mamnguape de uma senhora, para lec-
cionar piano, music e francez:; haven-
do naquella cidade bastantes meninas,
e desejo dos pais dar-lhes educaao,
conforme suas posses, deixam por
tanto de o fazer, uris por caisa de des-
pezas e outros por nfio quereremn ex-
portar suas ifiiaa ; faria boa aquisigco
& senhora quo se resolvesse ir para lI ;
qualquer pessoa que desejar algumas
efplicagdoes nete. entido, dirija-se a
rua da Cruz ii. 37,iRecife.


"- A-.--y 1Corpo Sai
Alum'a-se 1LS^.M
o fpande sobrado d o rT da aurora, em Santo
Ammao n, 150, Corn comftodos part umagrin- .
de familiar on collegio, pintado do novo, corn
gin. agua, e urn grande quintal, por preco
Oummodo : a tratar na rua da Aur.ra n. 67, I---' m
og na moa do Marciue do Otindla n. 84' OMF ""
-<- ^^-~ f-------s~l bpMO
' "-^KBW :'. > '.Nl~it .l.'

db H^mu'*na2 l quo etoulida, de fa- ....
iik'~es doeatua~ba: ana rtan^ yg^
niil 88. ,i ...f 7

-.~ ~- > ., =. : -:: .-


e Up. DRjt A~Xxi. A2
1^4hmlpSd^

la todo o s ns. mu-
1tuarios que ten cau-m
qtlas vencidas, ve-
fnham reigatal-as,
Eporque se esta liqui-
dando todos os va-a
lores em cofre; nao-
se recebendo, desde
hoje, mais empres-
timo sob penhores.
S Recite, 16 de ju-|

nho de 1877.

Bom negoclo
Quem tiver moleques e pretas desoccupa-
dos, p6de obter todos os dias urn born aluguel,
qCerendo emprega-lns em veuder bolos pelas
ruas, porque a confeitaria do Campos, a rua
do Imnperadrr n 4, fornece bolos de venda-
gem : a tratar na mesma confr iaria.
20k000
Aluga-se a casa terra n. 56, da rua
da Matriz da B6a-Vista ; para ver, a
have esti junto, e tratar t rua do Pi-
lar, ou S. Jorge n. 56.
Attencao
Precisa-se saber aonde existe Augusto Pin-
to de Barros, filho de Damiana do Carmo, na-
tural d4 cidade de Villa Real, em Portugal,
vindo pare esta provincia em 1865 : quer'endo
qualquer pessoa fazer o obsequio de dar noti-
cias, dirija-se a Paulo rJulio, a bordo do vapor
national Ceard, que deve chegar a este porto
no dia 15 de outubro, dos portos do norte.
lAco6es entire amigos
Fica transferda da 12 deste mez para a 2' ao
mesmo, a acgao que corre corn a sorte de
4:000#, umn relogio de ouro de lei, e cornm a
immediate um annel inglez, de ouro.
Moradia fresca
Aluga-se o 20 andar do sobrado n. 72 da rua
de S. Jorge, por prego commodo, pintado,
caiado de novo, e muito fresco : a tratar na
rua da Imperatriz, loja do vapor dos novidades.
Para banhos salgados
Aluga-se as casas n. 2 A rua do Areal, e n. I
A rua dos Guararapes, corn bastantes commo-
dos para familiar, sendo nima acabada de edifl-
car, sbo pro:rias para quem preeisar dos ba-
nhos salgados, por estaremni distantes Imeia
duzia de passes da praia do Brum : a tratar
na rua do Apollo n. 20.
Meli6s
Frescas botinas e sapatOes de Melies, rece-
beu a Nova Esperanga, a irua Duque de Caxias
n. 63 ; a elles, antes que se acabein.


Machinista do gaz
A antiga officina de encanamen-
tos para gaz e agua, na traves-
sa do Marquez do. Recife (an-
tigo becco do Ouvidor) n.o
12 A.
Compra-se apparelhos de gaz e agua
em bom e mao estado, como seja can-
dleiros, arandelas de bronze e ferro,
lustres de vidro, registros, torneiras,
chumbos, latdo, cobre, 'bronze ve-
Iho etc.
Nesta mesma casa encontrarao os
seus freguezes umrn sortimento de enca-
namentos de chumbo, e apparelhos pa-
ra gaz e agna ; encarregando-se o ma-
chinista de coltocar e fazer qualquer
obra de sua prolissdo, mais barato do
que outro qualquer, tendo sempre pes-
skas habilitadas pare tratar de qual-
quer orgamento, concertos e limpe.-
sas de lusttei e emoanamentos de gaze
agua, latrinas, lavatories, etc.
Cozinheira
Precisa-soe de urma cozinheira para casa de
familiar, prefere-se escrava : a tratar na rua4o
Marquiz de Olinda n. 35.


Aluga-se
Ainda c si para alugar um sitio sao-opmb
ga, rua das Crioulas n. 59: a tratar an ru do
Vigario n. 3 lo andar.
COSINH 0IBO
Para qasai4de famlia prpcisa-
se de un, que seja perito em sua
arte: no Ubfanguinlo, sttiou. 2.


Escravos lugidos
No die 20 de agosto de 1931, fugiram do
engenrho Camaragibe, do telamdo Seurinhaem,
dous eseravos de nome Jose, senido um alto,
corpo regular, pouca Warba, cabello carapinha-
do, tern um brago qqebrado, e per isso um
pouco torto, tern algtrmnag cicatrizes de relho
nas costas ; este escravo foi comrade em 16
de maio deste anno nesta cidade ag Sr. Pa-
tricio Jose Thvares, que o comprou na cidaife
da Parahyba. 0 ouCro de altura regular, cor-
po tambem regular, muita barba, falla final,
idait 3 annos ; foi comprado na meoma data
em qse o outro, ao qr. Manoel Travaasda Sa-
rinho, mOtdor eman Bornm Jardim, 'Parahyb.;
cste escvro 6 viuvo e deixou filhos na Parm
hiyba : rogax- As autoldades policies a son
capitaies de ama a apprehensso destes 6-
crovos, gratifi do-se a qhiLmnoos entregerr
nesta cidade aos Srs. Manoel Alves Ferreira &
C., A rua do Apotlb n. 4. primeirn andar, ou ao
respective senhor, no engenho Camaragibe,
em Sdrinhlem.
Aluga-se
duas casas na Capunga, unea na rua das
Crioulas n. 61, e outra nos Quatro Cantos n.
29 B : a tratar naT i-ua do Vigario n. 33, pri-
meiro andar.
Algso um excellonte sitio em Be- .
beribe,_no Porto da Madeira, junto ao -
riocontendo mui boa casa de vivenda..
cor rtodos os commodos precisos,
jardim corn gradeamento de forro, ca-
2 cimba e algamas arvores do fructo,
b.ern como um grade terreno corn
6V .,. hafun A nnnim I a tratnr nn 1nrcyn rv rs


ELUFuj -" d 1.lULar nu jaizo 0U ,s
inio n. 15, 10 andar. |



P RM i p U S ,O ra u
c Ifl~ecr^ S~i' *, .ic. jj *,'[- *


^rta.^tt^^ Ma.w~
a couiob f6tra; cuja casa4J
- a *5y rt fW j3k


&IamIj- Nabuco C. receberamr
timento te elegantes capellas funebrwqe
brancai e pretas, corn as seguintes inlMA
cripoes :-
A meir pai A tneu filho
A' minlia mi A' minha'filha
A meu esposo Saudades "
A' minha esposa Lembranpas
S Uma lagrima
Veqdemna rua do Baraoda Victoria n. 2.
Folar de cores
a 500rs. o covado
Rua do Queimado n. 43
Rival dos barateiros
Folar de ld e seda, coin listras e la-
vores. padres novos, uso actualmente
em Paris, pelo modico prego de 500
rs. o covado ; venham ver ou mandem
buscar as amostras, mediante'qualquer
penhor: s6 hano 43 da rua rdo Quei-
mado.

Vestidos bordados
a 101 12 e140
Loja d'Amnerica, d rua do Cabugd n. 10;
s6 quem vende por este preCo,


Luvas de pellica
RAPE' francez.
CHA' preto e verde.
MALAS-e holsas para viagem.
VESTUARIO para cianpa.
Vendem Amaral, Nabuco & C,, rua
do Bardo da Victoaia n. 2.
= Vendeuse uma mula boa de sella e de
carga : quem pretender, dirija-se A rua do
MarquezdeOlinda n. 53, 1o andar.

Potassa da Russia
A mais nova do mercado, e em barris pe-
quenos : vendem Domingos Cruz & C., na tra-
vessa da Madre de Deus n. 1.



No rcstaurantoe ilalia
no, a rua das Larangei-.,
ras n. 23. vende-se o ex-
ceilente viniho Marsalla
Dclka Faltoria de Gia-
come: a preco comilno-
do.

Atten ao
Vende-se uma important machine
para cortarbolacha, em perfeito estado,
corn todos os jogos de cortadeiras: a tra-
tar na rua Imperial n. 208 ou no pateo
da Santa Cruz n. 1.
Vende-se a taverna n. 18, sita a rua Direi-
ta dos Afogados, a qual esta collocada na me-
Ihor localidade da povoaCAo, e propria para
principiante, por ter poucos funds e ter corn-
modos para familiar.
Vende-se ou retaiha-se um terreno corn
200 palmos, A beira do rio, em Beberibe : a
tratar na rua do Livrarmento n. 7.
Vende-se duas escravas cozinheiras e
engommadeiras, de idade de 30 annos, sem
defeito algum e de boa conduct, e uma cabro-
cha de 18 annos do idade, corn bem principio
de engommado, porque ja engomma roupa de
senhora e friza, e case no pateo de S. Pedro
numero 26.


IDIII

043
daruwDuque de Caxias
(Antiga do Quelmado)
Linho pardo para vestidos, a 160 rs.
o cavado.
Organdis corn listras de hI, a 3$500 a
pe4a; e moderno,
Bretanha de linho puro corn 30 me-
tre, a 8 apeo a.
Vers da mesma, a360 ris; e pe-
chincha.
-Marisa -branca, bordada, a 400 rs.
0 cvando.
Batistes finals, a 2M e 320 rs. o co-
vado.
Mariposas a duquoza, a 400 rs. o co-
vado.
Chita indiana, a 320 m. o covado.
Brimrn pardo liso, fino, a 440 rs. o co-
vado.
SPeqas.de cambraia Victoria, fina, a
31 a pea.
Madapolao francez infestado, a 5S a
pea.
Brim pardo trancado, a 400 rs. o co
vado.
SChitas escuras, a 240, 280 e 320 rs.
o covado.
Chales de casemira grega, padres
eapeciaes, a 28 nm.
Caseniira preta, firna, a '15400 0 co-
iVa~o.
Camisa" ibordadas, finras, a35 uma.
Organdis bordado corn Ilores, a 500
rs. o covado.
Peca de algodjo a 38 e 3M500.:
SPeca de cambraia tLransparen'i-.'fOll,
a38500 e4. :;". *,
Folores de cores, do la e se.aa. pa-
droes ultimamnerite chegados, d 500rs.
o covado. ,
WChita .escarlate, propria para vesti-
d(us e polonezas, a 3%20 rs. o co'vedo.
Alpaca- pre.a, line, a 440 rs. o co.
vado. ...
Merin6 trauwado, corn .
largura, proprio para .roup".
e de senhoras, a 25500 o. .'
Setim Macio de todas .H a.:.
1 $500 o covado. A : "
BtekR Twacnoa s^
38. dwa x-A. d*.. /.


w1


4
'I


R


:71. .


M


i


!


r **













i'^


f lat negocio ,.|

N S BROTHERS & C.aeem para
Sm seu, escriptoro na praga do Corpo
b. :
OW eat mata, branoa, de alhaiadt 4e-zin-
lkechum*boverde e pretax.
Sde liahaa em latas de 8 J12 gales.
o do Porto, superior.
Sberrvy.
nac. tEm xas de uma duzia.
eja branlf, epreba, da muito onnhecidg
& em oixas.


Vende-se
OnBmbo Oo.nc.ico, em Serinh.em, nesta
fl'iacia, muito born d'agua, podendo safre-
- ar annualmnente 2,500 pies : quem o preten-
dirija-se A praca do Corpo Santo n 15,
primeiro andar, onde aohari orm quemn tratar
a mpnito.________
Vende-se
ami boa LraliQa do cabellos, por nio Ler yindo
iguat a c6r do cabello da senhora que a en-
comminendou : a tratar na rua Primpiro d
Marco n. 20, loja das tres portas.
Verniz para mobilias e

arima oes


p Querem envernizar suas mobilias
por 18000 ? E' o custom de urn frasco
de verniz,ique d para envernizar umna
mobilia. Conserve seu brilho por es-
papo de6 annos. Os f'ascos tern nos ro-
tolos a maneira como (I'deve ser efilLa a
sua applicaaco e por isso p6de ser ap-
plicado por qualquer pessoa.
VENDE-SE NA'IUA NO VA.N. 28.
e V osecapellasparanoivas
Chegaram lindas capellas e vt'os de blond
S de seda para noivas a 6, 8 e 10S, 6 baratissi-
Smo : na fragata amazonas, rua Dn.ue do Ca-
xhs n. 47.
24-RUA DO COMMERCIO--24 I
'. Neste estabelecimento vende-se o
S vardadeiro e superior vinho de Boi-
deaux, tanto em barris como em engar-
ratdo, e mais barato do q em qual-
quer parte, por ser recebido de conta
propria. No mesmo estabelecimento
compra-se garrafas vasias que tenham
servido para vinho de Bordeaux on
cognac.
Chapeos para senhoras
IElegantes e primorosamente enfeitados cha-
p6os, acabam de ohegat pelo ultimo vapor. os
quakes estao se vendendo por prego muito
oommodo : na Fragata Amazonas, rua-Duque
de Caxias n 47.
Bermos de vime e de

ferro
Vende o Bazar Victoria, rua do Ba.
ro da Victoria n. 2.
Libras esterlinas
Vende-se libras esterlinas na rua do
Brum n. 96.
Camisas inglezas
S a 99 90 e 36$ a duzia, na fragata amazonas
a ra Duque de Caxias n. 47.
Vinho 'de pasto
Vendem Correia & C. Successores,
, vinho superior legitimo do Douro, IRe-
f goa] em pipas, barris de 5.o e a retalho:
rua do Imperador n. 46.


Papet e envelopes para eserimpt-ox



bans lazpis e canetas, optima tiota para
escreer-se, dit sua par marcar rou -


aigua ps pratear as meters, aspas .a-
ra ospar~ilhos, forradas de camuresa,i
talagarca para bordlar-se a l~i, o sedah
frouxa para borda~r-se: a Nova Espe-
ranqa e quem lein.
Artigos baratons
A.gua fpelorida a p fita de linho ario
s apenas cali papel amisas de boa q400 rs. aae,
ons la, cordao para ves optido a 20 i para






AIigos de luxo e phantasia
Estampas allege icas para ornar sa-.
ag'ua plaia pratear os fmetaes, aspas .pa-





ras esp gabineteos, bonitorradas leques camuon rA-
talagarae elparas alra novidade, leudosa'





Iivros 4lelcmbran~a corn capa de rnarlin,
proprio a para senhoras, dea Nova Espe-
ranga, e quemn iem.





Armos de figoas fres parat casa, novs
ACOqguas de oldes simple e elegantesb a 60
rs>. a pec-a, papel amisade -a 4W0 rs. a




agullxa, cos ra crochet, stido a 20 rs. ma-
dreperoa, envelopes a encont500 rs. a caixa :
na Nova Esperianca, rua Duque de Ca-
Caxias n. 63.





Para os que sao devotos
Artigos de luxqeno soimento de phafinasia es-
Estampas allegoricas par : recebeu a ornar sa-
peras c gabinetes, bonDuque de axias cn. oo.plu-
as Parae sem ellas ala novidade, liudoss
fivros, delembrancgacom ca a de mafim,,




proprios el para petalnoras, dito para flras
do ros de nascalx e paraeitilos eais pre-novo
coques de moldes simples e elegantes,




parouls paraa] i crocme; tern a Nova Espe-
direpwrola ; tudlo isto encontira-se na




raNova Espeianca, A rua Duque de Caxias n. 6-3.
x ias n. 03.



Para os pas de fa iliao devotes
Quereis district mento dss filh inso, -
tampresentde santos : recebeu a Nova Espe-
pranca, a rua Duque de Caxias .n. 63.
oprai uras lindl bristanquedo, pois que



ella recebeu urn completo sortimento,
Papel para vendeno petalas, dir preo pamui rafoa-




vel.
do rosas,.-calix e peitilhos e.mais pte-
pawes par-a A.al fini ; temn a Nova E spe-
ranga, a rua Duque de Caxias' n. 6p.
Aos pais de familia
Queireis distrahr voss~o filhinho, OU
presenteal-o ? dirigi-vos a Nova Espe-
ranca, A Irua Duque de Caxias *n. 63,
comnprai uni lindo brinquedo, pois que
ella recebeu um, complete sortimento,
e estid vendenlo por prego muito raz'oa-
vel.


Bonecas
Urn born sortimnento de bonecas man-
sas e choronas, pretas e brancas : re-
cebeu a Nova Esperanca, A rua Duque
de Caxias n. 63.
Cabellos brancos s6 tern que'n
quer
A Nova Esperanca, a rua Duque de
Caxias n. 63, tern a verdadeira tintu-
ra para tingir cabellos, pretos, casta-
nhos, e iustantanea e ndo damnifica os
cabellos, e vende-a razoavelmente.


Ua de Lisboa
SVende-se cal de Lisboa, chegada no
ultimo vapor, em muito boas barri-
S cas : no largo do Corpo Sar-to n. 15,
9 primeiro andar.

OBazar ietoria
Vende:
Lindas gravataside seda e de linho e se-
da, para senhoras e homes.
Lengos de linho corn listras.
Meias de algodto e la para senhoras
e homes.
Na rua do Barjo da Victorian. 2.

Binoculos
de madreperola, marfim, tartaruga e
metal : -vendem Amaral, Nabuco & C.,
rua do Barao Victoria n. 2.


- *I


6 s. o ev0 a
broacas, o que. teln 44&


.1-I
~1k


0*swxemt capwtde.fli&M.
.eMNas w1,ioaa v iabs.

~ mwiQ a lto ardJac.


fltlto-seU0 o tempo-
JOAQUIM FERREIRA CAMIPOS & C
oa 1.o deo Mano n.n 21.
RECEBERAM AS SEGUIrTEM NOVEDAES.
CoGw de linho bordade, a '111W6
Linho bordado, oovado 500 i.-
Ditr liso cornam 4 pabIos,cwado 360 rs
Alpacas corn lis(ras de seda, dovado
O r&.- "
Chitas chinezas para colchas. eovado,
500 r'.
Meias de cores superiores para ho-
mei, duzia 120O00.
Cainisas brancas para menino, urna
321000.
Cambraia slisas de cores, meiLro 5)0rs
Algodgo corn 5 palmos de largura,
aca WO rs.
Toalhas felpedas, monstruoias, pamr
banho, a 55O0.
Lindas maripois, brancas e de co-
res, a 360 e 400 rs. o covado.
Fil6 preto corn salpicos, var, 500 rs.
Lengos de linho de cores, monstrous.
duzia a 10(000.
Toalhas acolchoadas para roslo, duzia


Riqisdsuno aertimento de c eitonm
c6m desenhos intetramente novos.
Popiellnas de seda pura, a ISMOO .
1*200 o covado.
Popelinas de sela ranca pana casa
miento, a 1 AD e tW 0 dito.
Madaplolo Trancez de duas larguras.
a 5. oe55500.
.ambraia ransparente para vestidos
a 3')0 e 4.00 apeoa.
FFusto branco para vestidos e ves.
tuarias'para nTeninos.
Bramanie corn 4 irgiuras, a 16500 r
sira; e muito barato
SCamisas bori-das para senhwra, ;
3;000 e 46000; que pechincha 1
GorgorAo de la, de cores lindas par.
restidos, baratissimo.
Leques de madreerola finos, dese-
mnlos riquissimos a 10000.
C hitas: grande s Ttimento'e para todt
prepo.
Temos um complete sortimento de
fa:zendas, das quaes a maior parte nt
annuDciamnos, para ndo enfadarmos-
os d gnos leitores, e de todas se dic
anmostras e mandam-se em casa daw
Esmas. families para mnelhor escolhe-
rein : na Fragata Amazonas
47- Rua Duque de Caxias y"
Si1l




)o a rua do Duque de
Caxias n. 43
Defronte da Pracinha
AO BARATO
Granadine de seda .preta, padres os
mais moderns, proprios para westidos
e polonezas,, a 00 rs. o covado.
Camisas para senhora, a 1$500 uma:
6 para acabar.
Baptistas, cores fixas, a 240 rs. o co-
vado.
Cretones finos., americanos, 360 e
440 rs. o covado; sdo lindos.
Mariposas de c6res corn listras usse-
tina:das, 44)0 rs. o covado.. -
Chitas escuras e claras, a 240 e 28U
rs. o covado.
Cambraia Victoria, final, a 35500 e
40 a pega.
Camisas inglezas, peito de linho, for.
rados, a 350 a duzia; .sio de 505, que
pechincha !
Brim pardo para costumes .de ho-
mens e meninos, a 400 e 48Q rs. *
covado.
Lenpos a ingleza, abainhados, a 21 a
duzia. .
Colchas de damasco de algodao, a
3# urma.
Brim preto para luto, a 500 rs. o co.-
vado.
Chales de casemirag padres escoce
zes, proprios para a estaQia, a 45531
urn; sio de 84, tproveitem.
Gortinados bordados para tedos o?
precos.
Algodao azul de listra, proprio parm
roupa de escravos a 200 rs. o covado.
Madapolao francez, fino, a55 a peca;.
d de 75.
$6 tern a 43 da ruia do Queimado
n. 43.


S ibkinhose'. tirai
lmla t ,A'd s Uas lrguras, teufab
1600ht e tmspo mitem, que se yen-
dem i IM e ue de C2iias n. 55, lo-
ja dte Perira 'T: I'a &C. .
Coeta ms para eItidvos a 3 e
Chegeu pira -a loja do Pavo .un
inaific sorwtimiento dos mais encor.
paos e bimitos cretones de todas as
e&res, tanto* de listras como de quadros.
qse s venderd a 3-2 e 360 o covado:
, pechincha : A, ra do Duque de Ca'
rIas n. 55, loja de Pereira da Silv&
A/' \

Vestiarios para bapti-
sados


,y

,,L" "


*- .


a 38000.-
Brilhantina preta e de-c6re., cova-
do 500 rs.
SEsguiao amarello, corn (duas hirguras,
vara |820C.
Lindissimas mantas de setim para
home, a 15000 e 15200.
Ca.emiras de cores, finissirnmas para
costumes, covado 38500.
Especial flanella azul para paletot,
covado. 36000.
Damasco de lA e seda, pelo dliminu-
to preco de 3000 o covado.
Capas de borracha, prova d'agua e no-
viddde a 240000
Cortes de casemira ide cores; lindos
desenhos, a 55000 e 106000.
Camisas de linho para home, o
que ha de superior, a 408000, 505000
e 608000 a duzia.
Ditas bordadas, urma 68000.
Ditas de bovitas cretores, a 305000 e
40000 a' duzia.
Cambraia preta final, vara 640 rs.
Mantilhas d brasileira, a 55500.
ROUPA FEITA .
E' tao bonita6 o sortimento deste ar.
tigo e por tao barato preco, que s6
corn a presenga do elegante. cavalbei-
ro, se poder monstrar a realidade.

Tomem nota:
14-Rua do Imperador-14'
0 ARMAZEM DO NUNES
(Notriglo instantanea)
Grande variedade
de germeres alimenticios
de superior quahlidade.
Modicidade espantosa!
Facilidade gastrica!
Vantage proveitosa! '
J Veijam:
0 Nutes tern resolvido vender barato, bara-'
tissimo ; garantir a superioridade 4'e suas
meroadorias; sustentar uma prodigiosa ftarie-
dade de generous raros e saborosos, -e final-
mente mostrar a facilidade de qualquer pessoa
passar bern corn pouco dinheiro.
Custa pouco
Venham tirar a prova e depois digam se Ira
quern tenha sortimento mais variado e supe-
rior ; que venda mais barato e de melhores
provas de sioceridade e franqueza do que o
1% 1


Chegou para a nova loja do Pavi
bonito soTtimento de vestuarios e
letes proprios para baptisados, vin
da. am ema seu cartao, que se ve
de 88 atd 24$ ; isto 4 rua Duque d
xias n. 55, loja de Pereira da
& C.
lopeliiesti 360 c 0OO
Chegou para a loja do Pavao ui
gante sorfimento de bonitas pop
de quadriinhos, proprias para ves
tend de todas as cores, que seven
a 360 e 400 rs. 6 covado ; assim
um bonito sortimrnento de maril
rias mais finas e lindas que tern
ao mercado, a 400 rs. o covado ;
rua Duque de Caxias n. 55, loja c
reira da Silva & C.
VENDE SE a taverna estab
da no quarto n. 1 da ribeira da
Vista, a qual 6 b6a acquisido pc
pender de peqneno capital, ser n
afreguezada e em lugar de muita
currencia: a tratar no largo da A
dega n. 2.



*2OT
Pechincha em camis
Camisas brancas, cornm collarin
2($ a duzia, uma 15800.
Ditas de ere't9ne, o que ha (de m
a 30$ a duzia, urna 25500.
Ditas francezas, brancas, as maria
gontes em punhos e coilarinhos, d
sos gostos, de 50$ a 608 a duzia.
Grande sortimento tambem de
nhos e coljarinhos.
O mesmo em mrneias. e ceroula
menor at6 o mnaior prego, bem rn
minantas e gravatas.
Antiga loja do Guilherme,
do Crespo n. 20

-VENDE-SE
Uns importantes lavatories ing]
de mogno corn tampos de pedra,
drados e triangulares para canto d
sa, cornm os apparelhos prateades,
modemrno, na travessa.do Marqu(
Recife n.o 12 A, casa do machines
gaz, Luiz Moreira & C.

Jos Fernandes Lima t
.umadoBar'o da Victoria
receberam muito b6a qualidade d
verde e vendem por preCos razoa
a 3#000 f libra ; assim como mar
inglezab6a a 18280 a libra.
Breu purificado
claro, barricas de 400 libras : no armnaz
Jorge Tasso, 4 rua do Amorim n.. 37..
eIFumo secco
em roos de meia aroha ; vonde-se na
Madre de Deus n. 11.


LIST


GERAL.


245.a


DOS PREMIOS DA


6;a


PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POi LEI PROVINCIAL N. 472, A BENEFICIO DA IGREJA DO LIVRAMENTO


DA VICTORIA,


EXTRAHIDA EM 3 DE OUTUBRO DE 1877


N&.1
13
14
19
23

44
go
61
63
4' 97
99
102
5
14
18
..f. 22
; 23
27
36
$7


40
57
62
"' .., ,
.. ';


'REMS.

46


*


INS. PREMS


N-


'I


240
47
51"
59
60
68
7
82
87
88
90
315
17
18
22
27
28
38
41
42
60
63
83
87
88
403
7.

4.

3SV


47 4
48
'I'
&.


8
'i


8
.t
80C


4
20

.4


k:OOW


" NS. PREM
S478
- 79
- .81
- 86
- 505
- 13
- 17
32
- 50
- M
- '52
- 58
- 66
- 84
90
6 614
6 19
- 27
- 33
- 42
- 40
- 51
V 53
36 62
- -.77
)6 705
i 6
- 15
27
16 35
A- 42
D# 55--
7 4
7 77T,
- L78
8aa iapii ^


[S.





84
48


NS. PREMS.


AM
',+-


823
28
46
48
69
80

82
87
89
97
904
6
17
20
22
28
42
44
51.
56
76
81
96
1009
14
21
24
30
32
39
40
42

'53
p -

uIt7


86
46
86
46


- ~1


~.1


te


NS.


1094
96
99
1105
18
28
so
36
42
S47




748
56


50

7
71

7C
781
8
8A,
120'


1-
2I

3(
3
3

5.C
4w


PREMS. NS. PREIV

4#1258
68
09
$ -- 77
- 88
S-- .995

-- 7
)26
7 27
-- 29 '
6 45
7 47
~ 48 .

1 63
7 69
1 .70
2 A
6 87
7 94
6 8 61401.
7 .45 8
3 20- '
8 22-' 22 i
1 24
7 25
8 32
8 -- 35
3 41
6 50
- 51
- -0 52
' 4s Y 6'


A t-,
t t .14..


IS.

46
861





046
a06
00




eo^


4#
,m..
.g.






'?_

..-
!---"


NS. PR
1483
84
89
91
1505
6
-233
25
S27
28
33
34
V,
49
53
58
.77
80
83
92
1605
10
25
44
50
53
57-
77
81
90
98
99
17D2
16


2
e


EMS NS. PEMS NS. PREMS. P
46 1766 4 1990 46
69 ---92
80 93 20#
-" 8 94 4#
88 -2000 -
.89 10 -

-1807 15 -
9 40 16 -
8 13 .48 24 -
46 27 40 32 -
29 .4 36 -
30 38 -
40 44 -
20 40 48 86
"4 63 69, 46
70 --.64 -
-,65, -
95 89 -
-1960 97 -
1 -2103 -
2 8 -
-.8 -23 -
-8 --80 -
19 86 1 -
31 4.5 41 -
37 ,,- 49 .-
'- 50 1-.;1i ,4 52 -
53"" .58' -
55 5"'" 8. -
60 60 -
67 -- 4 -,
8 68 70 -
.5 .9i,-- ge '
**<1 *8 l!-,



,
r. *ASMo, !d; ,it" *, .. '.;t *.
""!'" .... 9^ ," ", +'SO .^...
.. .... {n < ',;. .- .j~ w ..- :/ ;.. ...*
4W 3 "... .AWL." : n"
^0>. ^ d, ^*/; ^ f ^. itw. e


NS. PREM;
2218
19
31
34
37
52
58.,
63
77
81
83
97
98
2306
16
28
31
32
37
39
40
48
52
71
72
76
77
84
91
.92
95
96
12400
6 ?).O


." *, .

' .., '. : ,-1. i ,
'-


S. NS.


I


2440
41
42
48
53
58
.61
72
74
81
82
88
89
94-
2511
19
23
26
27
34
37
39.
40
66
71
.74
77
84
86
88
89
96


?REMS.i

*> 46


0 -


f


NS.F
2628
41
50
51
60
61
71.
73
74
76
84.
88
89
2706
7
8
13
24
,29
36
38
41
K44
53
56
70
74
78
85
86
90
99
,801


pn..
* ,^


'RESM.I
S'I1
46






U
400
-


NS.


p


)REMS."
40


2837
46
48
49
51
59
65
66
70
71
95
2902
3
9
14
25
26
30
31
46
65
68
72
84
96
97
3002
26
30
32
49
56
.5

68
4 -ji*


84


-.. /*


NS.


PREM


3105
. 7
8
11
13
14
19
S32 .
33


49
55
61
75
82
83
95
3205
43
17
23 IC
30
32 .
35
46
~5l
58
75
77.
.'80
90
91
3303
: 7
18a
1t,:
C '*,


[s. NS.
48 333:K
-3(


5(
.--
5i

86 5(
61
(-
71

46 8(
.,- 9Q


m
S-1
)o#
- 44'






84




I-.

.ji ; "'
.. ,
. ,.,?'


3



)
1-

4
5



7
i




7
1
)
)
3


PREMS. NS.
206 3559


4#
206
45


3402
3
25
26
27
'28
46
"'p-
47
75
90
92
94
79
9A
3513
14
18
25
- f'9
.48J

.- */ .


963
**65
90
95
3602
17
28
29
32
35
36
37
4d

5'
58
5i

69
73
7i
77
79
.85
86
.9


PRFMS. NS. PREMS.
S83801.

-.1 10 -
) 13
26 -
8 28 -
T 20. 30 --

4 41
43 --
44 -
-- 61 -
0 6 --
-I -74 -
:) 78 -
S-80 -
7 8. --,
2 91
S 3943 -
7 14 --
9 -. 25 --
7 -.

5 2 : "

8, .-~,'$ L?K


4
18
23
35
40 '
41
614..
.7ili
;m "r


.,21'
Ir
IAW
m
Tf
,{,ti


6 -4
.4L~"


rua da E m pequenas e grandes porgOes :
I na saboaria do Recife.


'qt


A


vendN*


Pechineas Om" iq ui-
Aooohlnr


Barfto iv


UdgAIJ .
Na loja das trees portas I
A rua do Crespo n. l
Lindas lginhas de.quadrinho, gosto
novos, a 320 rs. ocovado : 6 pechinclih
Grande porcAo de popelines de linhol
bons gostes, pira 2404) rs. o covado. '
Bonitas batistes, todas sorfldas, min-
dinhas, 240 rs. o covado. I
Etoayles de c6res, ultimos gostos, w
440 rs. .o covado : aproveitermi.
Lazinhas escocezas, nadlraes escuros,
para 160 rs. o covado. '
Ricos c6rtes de linho pardon, liso e
bordado, aberto, 9S urn.
Chitas escuras .e claras, para 200 e
2t0 rs. o covado.
Lindissimas mariposas, brancas e de
cores, lisas, de flores, achamalotadas V
arrendadas, para 320, 360, 4010, )500 e
C00 rs. o covado.
Bramante de algodaio, 4 farguran,
para M$400 e i00.
Dito de linho, corn 10 e 41 palmos,
para 2 e 20500 a vara.
Fazendas do ultimo gosto, novas
Jaines lisos, uma s6 cor, proprios
para vestidos, a 800 rs. o covado.
Gorgor6es de I5, as mais lindas c6rs,
para 900 rs. o covado.
As mais lindas popelines de seda pI-.
ra po 1 S800 o covad o.
Os nimais inodernus .ostos em It e -
curas, fingindo quadros, 800 rs. o co-
vado.
Elegante sortimento de gravatas e
mantas para senhoraW, e muitos artimgw
de phantasia, que vendemnos muito ha-
rato.
Loja das 3 portas, antiga dg
Guilherme
Alta novidade
Sedas escocezas, lindissimos padroes5
a 800 rs. e 1$; aproveitem que d gran-
de pechinchd, na FRAOATA AMAZO-
NAS, rua Duque de Caxias n. 47.
320 o eovado
Almeida & C. d rua do Crespo n. 20
Receberanm bontem novo sortimento
de lazinbas de quadros mniudos e con-
tinuam a vender a 320 rs. o covado. Ca-
semira encarnada muito. fina, e lindos
percales, cretones e batistes duas c6-
res para vestidos a 500 rs. o covado.

Taverna
Y Vende-se a taverna da estrella do viveiro do
Mnntiz, sita a rua Vidal de Negreiros n. 155, a
dinheiro ,ou a prazo, qom garantia a contento
a casa, tern grande quintal, e commodos paw
familiar, independent do estabelefimento, *
renda 6 modica; cuja casa serve corn especia
lidade para alguem que more no mato e queie
ra ter negocio e.morar na pra~a, em uma of
casa : trata-se na mesma casa corn o dono.lt
dita taverna.
Vende-se toneletes muito bons, de pipaa
pipa e media, proprios para garapeiras ou do-
posito de azeite, potr prego commodo : no a-
mazem da rua da Moeda b. 5.
Por 500$
vende-ze urn sitio em Reberibe, na trates
Stepple, corn 100 palmos deJrente e 400*
fundo, corn uma pequena casa de taipa e oor
rio para banhos : no Fo te do Mattos, trapicW
Sai Leitao.
Lagedo de Lisboa


!


]
4L


. -1. -1


miaw o&lkb Mamma


is


1.
f
!


r. .


P


KIN,
'"i;L^'Tr


j ,o
























,:1ll: sire l%0midb Jiwi se'r breve- ao z~der o *Iindre de
qu aluera ce -. No fatigarA a casa,
recordandb a sijuacao progressista:
qem quiaer formarjuizo seguro a res-
S eito leoia os discursos enteao preferidos
*"' veto Sr. Martinho Campos e seuscbm-
P anheiros de dissidencia.
*^i ~Aquella sititacao, pornm, assustotf-
-*se corn o desastre de Curupaity, re-
.witado de urna coMpleta. indisciplina
do exercito e de divergencia entire os
chefes militares no sul.
Reunio-se o gabinete e resolve con-
Vidar o Sr. Duque de Caxias' para com-
wiandaras forcas, como o unico capaz
de o fazer, ficando assentado que, atd
o gabinete se retiraria, se o nobre Dau.
que o exigisse, segundo disse o pro-
pno Sr. Zacarias, e repetio o Sr. Affon-
so Celso (que reclamna). Nao compre-
hende que o Sr. Zacarias tizesse essa
declaraeao, embora em particular, serm
assentimento dos seus colleges.
Procurarido o Sr. Zacarias ao nobre
Duque, para convidal-o a ir servir no
sul, responded este jue era soldado,
Vartiria quando tivesse ordem, s6 de-
sejando plena confianca. Isto dava-se
em oitubro de -1866; era, pois,'o Sr.
Duque depositario de uin segredo do
gabinete de 3 de agosto, cuja existen-
cia dependia da. vontade de um adver-
ario. Em 4 de fevereiro de 18G8 pedio
o Sr. "Duque a sua demissdo, allegando
o i seus incornmodos.
Em carta eonfidencial declarava que
o r tivo que actuava era ndo ter o ga-
binete inteira confianga nelle. Receki-
do esse officio em 19 de fevereiro, de-
liberou o gabinete pedir a sua demis-
M&o. No dia 20, trabaliando o conse-
tho dqe estado, o Tr. Zacarias pedio a
sua demissao e a de seus colleges.
Submettida a questAo ao conselho de
estado pelo Imperador, responded es-
te quo nao havia fundamerito. para o
pedido.
E' claro que o conselho de estado
opinasse petla demissio, o Imperador a
teria concedido ; entretanto allegou o
Sr. AlfTonso Celso 'que o gabinete nuo
viven pelacondescendencia de seus ad-
versaries.
Tendo, no (.a 11 de(julho, o Impera-
dor escolhido centre outros senadores, o
Sr. conselheiro Francisco de Salles
Torres Hornem pela pcovincia do Rio-
Grande do Norte, Iresolveu o gabinete
pedir a sua demissao, por nao consi-
derar acertada a escolha; concedida a
demissdo e pedindo o Iniperador quo o
Sr. Zacarias Ihe indicasse o seu succes-
sor, erecusatndo este fazel-o, disse o
o Imperador que chamasse o Sr. Vis-
conde de Itaborahy ; isto passou-se a
14: portanto durante quatro dias pedio
o gabinete a sua demrnissaio e o Impera-
dor recusou-a. .0 Sr. visconde de Ita-
berahy hesitou, mas consultando. os
amigos, decidio-se que seria falta de
natriotismo recusar o poder que Ihes
era offerecido.
A camera conhece a bella expos icao
'ias ideas do partido conservador, encer-
.vada no programme daquelle minist-
rio, que nao veio pedir ao pailamento
confianca, senao os rneios de levar a
born desfecho a guerra, cuja responsa-
bilidade nao Ihe cabia; foi-lhes negado
pao e agua, porque na opiniao do par-
4amento se havia corn mettido um estel-
lionato politico.
Tomando em consideracio uma pro-
posicao do nobre deputado pela Bahia
(o Sr. Leaio Velloso), diz que, se corn
eleicjo direct se entende que todo o
cidadad tern direito de tomnar-parte na


escolha dos representantes da nagao, a
idea neo 6 liberal, e demagogica; mas,
Se S. Exc. entende a idda come os pu-
blicistas a entendem, a idda d conser-
vadora; e para que nao fique duvida a
este respeito, 1e a opiniio de Guizot.8
P6de o nobre deputado ficar certo que
ha no partido conservador mruitos que
desejarrrtraduzir essa idea em lei.
0 voto incomplete nao produzio o re-
sutltado que se devia esperar. NMo se
p6de negar que o partido conservador
dispoe de elements de que nao dispde
o partido liberal; o governor nao inter-
veio na eleiao; mas, tendo apparecido


FOLHETIM


OS FILHOS DO MONFI
POR
FERIANDEZ Y GONZALEZ
VOLUME I


PRIMEIRA PART
OS AMORES DE YAYE
CAPITULO XII
Dil; COMO DEUS PBEMIOU A CONSTANCIA
DE YAYE
(ContinuaQ-ao do n. 226)


i etrosy8(ktie.el4eees.1
,Ya'" ter.fld~a:;ieaua satsfactoie( rI
u m artigo da Revitados Dous Mtndos,
Sque trata das eleiQOes d4 Hlepanha, e
Sdiz quo se se trocassei i'1 was -
Hespanha por Brasil e hesppanh6es por
Sbrasileiros, seria uma descripQAo fieb do
que se passa centre n6s.
SFaz o historic da lei de 19 de agosto
de 1846, cdja passage, no su enten-
der, foi devida prinoipalmente aos con-
pervadoresdo senado.
Entende o orador qoe a ultima refcor-
ma eleitoral cornplicou o process sem
vantage. equivalent; -no v0 vat a-
gem nessa reform. Na parte, poirdnm,
que manda fazer a eleicao de depula-
dos, senadores e membros das assem-
blWas provinciaes porprovincias, nao ha
no seu entender elogios que bastem.
Uma das convicgoes da boa march
dos overnos reprwentativos 6 a exis-
tencia dos partidos fortes; ora, entre
os defeitos da eleigao por circulos veri-
ficou-se o e quecimento dos patti-
dos, send os interesses nacionaes subs-
tituidos pelos locaes e pelos de campa-
nario.
Quanto As inco'mpatibilidades, -com-
quanto se tenha procurado acertar, as
diversas tentativas teem sido infelizes.
Esta material preoccupa principa1moente
a attengao do orador em relagao a ma-
gistratura, que desejava ver indepen-
dente e desinteressada. Entre n6s o
nmagistrado vive na dependencia do go-
verno ; nestas circurnstancias entregar-
Ihe o conhecimnento do assumptos elei-
toraes e exigir-se imparciahlidade e que-
rer o impossivel.. comquanto seja este
o podeor mais propnrio para conhecer
Sdesta material
L Parece-lie uma anomalia as cameras
municipaes conhecer das incompatibili-
I dades.
Tratando da questao dos 10,220:0(08
diz que, quando os liberaes chegar-am
ao poder em 1844, acharam fechada a
conta entire a caixa da amortisagao e o
Sthesouro, de 1845 a 1846 a caixa ante-
cipou ao thesouro uma quantia que nao
foi retirada da eirculacao atd a queda
do [partido. .
A lei de 12 de setembro de 1866 foi
referendada pelo Sr. Zacarias, quanrdo
S. Exc. cornieava a retirar as quantias.
Aqui se disse que aquelle gabinete, re-
conhecendo o mal foi quern promulgou
a lei prohibindo qualquer antecipago ;
nao e exacto, a lei de-6 de outubro de
1835 jA ndo permittias que sahisse do
thesouro quantia algurna sern ser 3on
troco.
.em\ o gabimnete de 16 de julho, nem
os que Ihe succederam podiam resgatar
os 10,000:0008 de moeda falsa em cir-
culagao, porque tinham de applicAri a
receita do estado a despezas dercta-
das ; se o Sr. Zacarias comn urn credit
de 50,000:0005 nao resgatou esse papel,
nao podia exigir que seus suacessores o
fizessem.
Passando. a .tratar da eleicao do Sr.
Faria Lemos pelo Amazonas, a que al-
ludio o nobre deputadopelo'tlio-Gn.n-
de do Suli o Sr. Silveira Martins, diz
que oas liberaes nao teem que ver corn
os candidates que o partido, conserva-
dor aceite de preferencia.
As palavras desso nobre deputado
so1)re a pensao do conselheiro Sergi0
de Macedo sao accitas corn gratidao
plels conservadores.
Fez ainda aquelle illustre deputado
algumas consideracses philosophies
quanto a duracao da monarchia no Era-
sil; o orador diz philosophical, porque
supple que Lodos os membros da casa
sio monarchistas e oatholicosr-omanes;


supp6or o contrario seria um ultrvje,
pois seria supper alguem capaz de
mentir a Deus e A consciencia, visto ter
prestado um jurarnento.
Vio pomh surpreza que o nobre depu-
tado quer militarisar o paiz.
Enrtendeque a missAo do.partido con-
servador nao esta complete, tern airda
ideas a reallsar; e se riao as realisou este
anno, foi porque o seu primeiro cuidc.do
devia ser a passage do. orgamehto.
Conclude agradecendo A4 camera a be-
nevolencia com que o ouvio.
A discussao ficou adiada pela hora.


aposentos superiors, quando vio o cdo,
as nuvens osol, as arvores, a Alharnm-
bra-, ao 14 as alturas da Serra-Ne-
vada, e & pds da sen'a a exter.sa
veiga corn as suas azuladas montanhas,
respirou corn 'desafogo come quem
se senate alliviado do peso eonorme.
De que mrdo queres que o emir
te recompense ? exclamou comrn alegria
voltando'para Harum.
Ahl senhor disse o monfi ; bas-
ta-me ser Iosso secretario de confiauCa
na paz; vesso escudeiro na guerra.
Desejo estar sempre a vosso lado, ae-
nhor-, porque tendes inimigos ; tod.os


antente a porta abrio-se. os rels os teem, e a minta unica an-
m foi que aqui te trouxe, b icao e servir-vos de escudo.
por onde entraste ? pergun- Apezar de me services ha ja al-
gum tempo, nao me lembro de que
;-me aqui uma ordem de tribu ds, disse Yaye corn a gravidade
pai; qaanto wo lagar per d'um rei.
vinde set hr e vereis. Da tribu Zeneta, responded q3m
vnesenhor --e vie
I, quem as circumetancias orgulho Harum.
it ter mais. intimnidade cornm o Vens pois d'uma rava bastante
r, do que terias eaqualqqer eselarecida, wali, para que posas estar
MAO pegou na Ma que ar.- continuanmonto a meu ladoe dorinii
Ma da mdsa c sakao seguido aes pes de eu leito, e levar 0 tei ca-
4Wvallo ap6s d-rpeu ao combate.- -. once-
r: '':,1r : 1' p':!!;, :1U' ::;11+ 2 = 'val d~ rO met'e + ds.sie+r+
A' abertura parou : pes do-tro *e te. pees. A: ,m -
-.Ah Senho')MR Sbh(Ir 1


pie geral, e havedoo ra. dita (iSa
um equivoco' de redcAo, offwe 1
consi e9Aip da casa oslguinte ,que-
rimehto, quei 6 approvado seon deaie:
g Requeiro que seja reepviada ao se-
nado, afihn de que seja *Iectificado tn'
equivoCo de redaco, a o;amendRda-
quella camera remettida corn oQfilio
e 10 do corrente, relaliva a propowQdO
declarando que sao isentos depbores
e arrests as pensdes usufruidasilos
pensionistas do monte-pie geiral be-
lecido nesta c6rto. Almeioda -
ra.
0 Sr. Bario de S. Do'niOs
[ pela ordem ] envia a mesa uma'itpre-
sentacao dos eleitores de Maloli. 0
Borba, da provincia do Amazo .;re-
clamando contra o actor do'ex-pesiden-
te daqta p'rovincia, Doiningos -lacy
Monteiroi que deu nova organisaoAo aos
collegios eleitoraes, e pede ao Sr. pre-
sident&-que "*lle d( o convenient des-
tino.
'0 Sr. Prestdente declare que a
representacao 6 remottida A commissao
de poderes.
Q Sr. Franco de SA [ pela ordem]
declara que e ainda debaixo da trite
imnpressao produzida pela noticia do fat-
lecimento, no Ceara, do illustrado sena-
doi- Thomaz Pompeu de Souza Brasil,
que vem a esta camrara pedir que con-
signe na acta da presence sessao uma
mengao de pezar pela perda deste be-
nemerito cidadaoa; e, so ja nio houves-
sern decorrido doqs dias depois da vin-
da de tao infausta noticia, teria, na f6r-
ma dos precedents, pedido que se le-
vantasse a sessao.
Sujeita A votagao a moao, foi appro-
vada unanitemente.
o Sr. Pires Ferreira [pela or-
demj pede ao Sr.. president, pela se-
gunda vez, que contemple na ordemn do
dia, mas em lugar que possa ser discu-
tido, um project .que existed na casa,
que concede Ai provincia do Piauhy a
restituigao de ur .porto de mar de que
tern estado de posse a do Ceara, que
pouco servindo para esta, e questao de
vida para a sua provincia.
0 Sr. President diz que o pedido
do nobre deputado seri opportunamen-
te tornado efn consideragao:
0 Sr. Dantas [ pela ordem ] pede
e a camnara concede urgencia por meria
hora, para tratar no. primeiro dia de
sessao de assumpto relative a Compa-
nhia de navegacao Cearense, estabeleci-
da na provincia do Espirito-Santo.
A camera em seguida approvou 6s
pareceres ns. 16 E, 3 A, 2 B 0 C
deste anno, da commissao de plderes*
julgando validas as eleigaes da.sparo-
chias de Santo Antonio da AlegAa, da
provineia de S. Paulo; de Nossa Senho-
ra da Piedade de Iguassu, da do Rio
de Janeiro; de Nossa Senhora do 0' da
vQla de Valenca, da do Piauhy; e de
Sanl'Anna de P.aranahyba, aa de Mato-
Grosso.
Depois approvou englobadamente, a
requerimento do Sr. Gusmao Lobo, e
em uma s6 discussao, sim debate, as
seguintes emeu4as do senado A pro-
positao da camera mandando orgamisar
osmitstitutos dos meninos cegos e dos
surdos-mudos.
Art. 1.o Supprima-se:
-Art. 2.0. Em vei de -- fiea creadQ
para cada um dos doas institutes e dos
liliaes -diga-se : Fica creado pare o
institute dos meuinos cegos e para o dos
surdos-mnudos.
0 n. 3 do to seja supprimido. )
0 n. 4 redija-se assim: --Como
product de cinco loterias extrahidas an-
nualmente.


v No n. 3 do 3o supprimam-se as
palavras -e dos filiaes nas provimcias.
(( No n. 4 supprimam-se as palavras
- de que farA part o director do res-
pective institute. )
K Arts. 3o e 4o supprimam-se.i
S Altere-se a %umeraoao dos'artrigos,
passando o 20 a 1, e o 5 a 2. is
conde de Jagtuary, president. --JosI
Pedro Dias de Carvalho, 1 secretario,
- Antonio Gandido da Crutz Machado,
20 secretario.


a perder de vista a formosa morena
dos olhos de luz ?
Ah! a prineeza mexicans: excla-
moadWaye perturbado co aquella re-
.cordacao.
-Decorreu um mez eOpto desdo
aqueWdia, senior.
-N'um nr ezr quantas amudanimcas
na vida ( um homem exclamou o
mo0o emir".
E ficou profundamente pensativo.
'- Perdalel-me, senhor, se Vos ad
virtue que 'permanecendo n'esteacorre-
dores nos podpm-ver das janeAl!s edo
jardim da casa de D. Diago de Cordo-
vee de alor.
Ahl aquella- a casa de I).Diogo
do Cordova f disse Yaye olihanido em
frente. Mas de repent poz-se pallido,
soltando a seguinte exclama&Ao
fund d'alma : .
- 'Ah D.- s.abel. -
L Effeetivamente, joven atratessara
lentamlen- acom--.o seu sever f: :o'jo
de luto, umr oraedor da cass i *bia
a doapparscera.


de mioo soldo a, Au lt e
na su ssao'ou tra ofedticia do dreit
de reform, que, sgundco esseal ,
era .zocedido aos ofliles em eertas
condies, qne s oradoie&ip(oe.
A lei d6e butubro de 827 auto-
risou o g6vefhtf a conc&der 4as vitvs, as
filhas- e aos filhos m enores do 18 annos
mina pens"o correspcndeite ao .meio
sold que teriam -os oficiaes se tives-
setn sido rtformados, nacQnformidade
do alvara de 16'de-agosto; exclnio-as,
pordm, deste beieficio, quanto ao me
ihoramento de sold'0, no-caso de contar
mais de 35 annos de servico.
Em 185.2 o lgislador divtllo o sold
em yigesimas quintas part&-e conce-
dia tantas vigeiias quintas parties
quantos erain 0 annos de saervfwgo.
Nao ha razdo para que esta disposigao
da lei de 1852 deixasse de ser extensi-
va, de acc6rdo corn a de 1827, quanto
ad meio sold, As viuvas, filhas e mais
de officials que tivessemn direito A refor-
mna. Julga que 6 isso o que se devia
ter feito; mas de .1852 a A1864 as viu-
vas, filhas e mais dos officials que ti-
nham direito a reform nO.o tinham di-
reito ao meio sold.
A lei de 186 nilo fez mais do que
dor a verdadeira intelligencia a lei de
1852. .
N-s ex'osivdes dos alvarais de 1790,
dar leis de 1827 a 1864, encontra-se a
hypothese de que strata, nao ha pois
razao para se reclamrar o favor dai lei
de 1861. 1
A peticionaria, e viuva de umn official
do exercito que reformou-se enm '1837,
isto 6, quinze annos antes da ilei de
1852. Este official, sej e.stivesse vivo
em 1852, naio teria direitf a melhora-
mehto de reforma, entretanto a sua
viuva reclama hoje aquilloqa que seu
marido nio teria direito; e diz-se que
6 uma media de equidade! Equida-
de significa-igualdade ; ma. urea lei
que favorece uns, excluindo do favor
outros wn. identicas circurastancias, se-
rA tudo menos lei- de equidade. En-
tendida assimn a equidade, sora ella o
peior inimigo da justica; derbta rela:
xagao de costumes.
Tern. sempre clamrnado e continuarA a
clamar contra essas leis de caracter in-
dividual.
Allega-se aquique ha poue6 tempo
a camara concede -igual favor a D.
Lauriana Adelaide de Moraes Romeiro,
attendetdo a que seu marido Tnorreu
faltando-lhe apenas 54 dias para com-
pletar os 20 annos da lei.
O art. s2.oa lei tornou extensive o
mesmo favor as viuvas de officials do
exercito nas- mesmas circumstancians
que D. Lauriana Romeiro, o que ,th
tirava o character individual.
Mas agora appareceu os inconvenien-
tes dos maos exemplos.
D. Lauriana allegava que a seu ma-
rido faltavam apenas 51 dias pare com-
pletar os 20 annos, e esta vem alle-
gan que ao seu marido fultava t anno,
10 me~es e tantos dias, e que se a
camera fez favor, a quern faltavam
apenas 54 dias; pode fazel-o a quem
faltam 12 vezes 54 dias.
Se este project passar virao reclamar
todas as viuvas cujos maridos tiverem
apenas urn dia do servico.
Em vista" destas consideracoes cre
que nao se podera sustendar (ue a re-
clamante tern somi~ra sequer de di-
reito a sua preteniao.
Quanto niais vive e aprende, rnais se
convene da inconveniencia das leis de


excepCrao individual.
Cornm-o thesouro no eslado em que
acha, pensa que a camera deve ser
parca na concessao de favors corn Qs
dinbeiro publicos.
0 Sr. Cardoso da Luz nao p6de
deixar de fazer algumas considerac6es
a respeito das conclusoes -do parecer,
visto nio so achar present nenhum
membro da comnmissao de marinha e
guerra, sob pena de deixar correr a re-
Velia interesses da classes a que tern a
honrd de pertencer.
Nao Ihe parecem inteiramente prbce-
dentes as considera.oes expendidas pelo
nobre deputado que o precedeu. NMo
estA de perfeito acc6rda qianto a con-
cessAo-de favor individual, mas acha
queo benefidlo que se pretend tazer
m^^^^"^f "


apsenfito proximo onde havi urma ja-
nella corn gelosia d'onde se avistava
o mesmo.quo do corredor, isto 6, as
casas e os jardins do capital estro-
peado e de D. Diogo de Valor. -
Costuma D. Isabel deixar-se ver ?
S6kpela aranhi, senhor, e no lu-
gar onde vos disse ja.
Fallaste alguma vez corn ella ?
--,ada me recommendaste a res.-
peito. deoD. Isabel senior.
_E' verdade. E dize-mne ue foi
feito-de Miguel.:Rpez ?' i7:+
-Julgam-n'o morto.
Sabe-se quem. ondenou a sua
morte '?
-- Julga-se seja cousa de D. Diogo
drale or.' "
Stfame t, mtirmwurou Yae. Mas
ISeram-me qu e torreu As mias
'ns monies. :.. .
verdade. Segundo re disse
Daltqh. r4tdrante este mnei foi duas
Qu trel- Aa n. tanha D. foogd
sula irn, que ovivia co e~s~


.que o corpq, $qgis.-Io teoi tfeto Was
asyjezes quS" disztutLmui questes de
meio sold. : o e.
As leis deo 27 e ,1852 nao Podem
existir simRjtaneamente; e se -nao fos.
s a sea veridad do fiasco sempre que se
trata de pessoas desvalidas, d partamerti-
to nraa teria tido necessidade de fazer
outra lei sobre o meio sold.
Compare o orador a lei de 1827 e o
,ue diz o thesouro sobre. a material,
mostrando una 'verdadeira contradic-
ao. As duvidas que o thtesouro sus-
cita 6 que fazem corn que o oparlamen-
to se esteja constantemente -occupando
com-estes assumptos; assimrn fosse o
thesouro rigoroso quandq se trata de
questdes pecuniarias em qib estAo en-
volvidos indijyiduos mais fa;'orecidos.
Vigorava a' lei de 1852, quando, em
razao de duvidas apresenitadas pelo the-
souro, o parlamento votou a lei de
1864, que, no entender do orador, emra
desnecessa4. Esta lei nio teve por
firn senior fiozer ver ao poder exeeutivo
o.defeito da interpretaeao que dava a
execugao que regular os meios depois
da reform da lei das reforms.
O.perisamento de todas estas leis e
dar o meio soldo-as famUilias 4os milita-
res fallecidos antes da data -tIei eque
fallecerem depois. Portanto, depois da
publicaqao da lei de 20 de jqlho de
1864, a lei nao podia ser pele thesouro
tao facilmehte interpretada em sentido
desfavoravel As families dos militares,
Nao comprehend 4s diversas intei-
pretao6es dadas pelo thesouro; cr6, po-
rem, que' a questao cifra-se em saber
se o thesouro, fazendo extensive a lei
ias famrnilias de militares fallecidos an-
tes, podera levar o effeito da retroac-
tividade ate o prirneiro official.
Se tivesse de assumir a responsabili-
dade legal ou. moral do seu actor, tra-
tando de families, em geral pobres, de
officials fallecidos ha 20, 30. ou 50 an-
nos, e cuj6 numero deve ser hoje limi-
tado, nao hesitaria em aceitar a retroac-
tividade da lei.
A' vista das consideraoes que ex-
pendeu, nao vota pelo project como
esta,'e 16 os terms em que a lei pode
ser concedida.
Foi lida e apoiada a seguinte emenda:
0 favor concedido pela lei n. 1,220 ide
20 dejulho de 18616extensivo As viuvas
e filhas dos officials do exercito refor-
mados ou fallecidos antes da lei .de 18
de agosto de 1852, que fixou o prin-
cipio da vigesima parte do .soldo, por
cada anno de service, como base para
reform.
c Camara dos deputados, 17 de se-
tembro de 1877.-- 'arlos da Luz. ,
0 Sr. Coelho Rodrigues esta de
accordo corn o nobre deputado que o
precedeu quanto A primeira parte da
censura que fez ao thesouro, e o acom-
panha na primeira parte das suas ob-
servag6es.
Explica a 6peracao do alvara deio790
e da lei de 1827, bern coma as de 1852
el864.
Nao duvidaria concordar corn o no-
bre deputado (o Sr. Carlos da Luz) se
se tratasse de urtia media geral.
Quando se tratou de D. Lauriana sus-
tentou a conveniencia de conservar-se
.0 art. 2.0, eliminando o 1.o em que fi-
gura.va um nome proprio, par enten-
der-que a -medida devia ser geral.
Eatende que a lei em discussao 6
"mais perigosa do que a q.dese refere a
D. Lauriana, porque aqui faltao quasi
dots annos e nao 54 'lias coma na pri-
meira pretenco ; vriola a constituicao
porqu6 tern effeito retroactive \e esta
manda que a lei seja igual" para- to-


dos.
Se continuarem a passar -projectos
destes, sera o corpo legislative e nao o
executive que concederA pens6es ; e ze-
loso como ea das attribuigoes do poder
legislative, deseja tambemrn ver os Srs.
ministros zelosos das suas.
Nao se deve perder de vista o esta-
do do thesouro; o que o assusta e o
futuro em- vista dos habitos esbanjado-
res da administramao .e do modo por
que 4 geridos os negocios publicos.
Diz que a lei da forma saval foi vota-
da sere exame serio ; o. ministerio da
justica nos ultimos dez annos tern dau-
plicado a despeza corn a t.a instancia
e nenhuma melhor tem havido na ad.
ministracao da juistica.;
..... S l IMAW


-Esta inlnsolavol corn a vossa
perda-e faz-nos revolver nmeio mundo
a mirM e aos virintLe -monfi que tenho
as minhas ordeia s r
Pois 6 'preclso nao divulgares que
apparmci, ema quanto eu nao te or-
denar.
Mujto bemrn, senior.
Amuem, entendcs ?
z Sinpsenhor.
Alem d'7iso 6 precise metteres-te
corn os criados de D. Diogo de Valor
afirn de eu poder fallar corn D. Isabel.
S-'Os rauros ssio faeeis de escahir,
sethor.., eu mesmo... .
--Arranja as cousas, como poderes,
mas no comMettas nenhum a imrapru-
"deonci. "
-Oh I quanto a imprudencias seria
a piimeira que eu ommottia. Parm
nao ser impridente nda posso dar-vos
jA n tiai posiivas- a rspeioda danama
more que me mandastfus seguir ?
o- o sabes' oaiftes't. : -
--Mi pe tl.dea 6s, ahi n'.essa outmh
casa cujo jadiin 6pegado com o do-
D. -Dilgo e cujas gelosias esfo tat) fo.
4 til tveste meiol' d4*nparavt


vor o qbUveretu, f0perdedtuitasIM
bobjgfts m colii~ntra-
objef,gOes Xepricipio, ncArdo s
te Is objecgies oriundas d0 estad4?t
thesouttro ; mas em todoo caso
reia is4o a que se votasse mais
lei individua, de muito graves
tados par o c"oofres publicos. S.
porem, o cofre, e salvem-se s pos
pros, porque o mundo vive ddp-
pios- .
SEncerrada a disctassao evosta a
tos a emenda foi rejeitada, sendo 0.p
jecto adoptado e enviado A commisS,
e redacgAo.
Por ultimo a camera proseguo na
discussao da proposta do poder exdcu-
tivb, que fixa a forca de terra para 0
anno financeiro de 1878 a 1879.
0 Sr. Escragnolle Taunay
aproveita-se da latitude-que permitted_
regimento para, deixando de lado as
questoes de especialidade de que-se
trata neste debate, occupar-se com
questoes de political geral e de esphe-
ra mais ampla. A razao do seu proce-
der estA na sua inscripcao, a que o-
obriga a sua qualidade de .pposicio-
nista, ao passo que a sua inclinagao
f6ra poder defender os actos do Sr.
mtinistro da guerra.
Ao home mais prestigioso do setu
partido cujo'nome e a egideoinica de
um ministerip gasto, nao p6de deixar
de prestar a mais profu'nda veneraao ;
o valor da individualidade do nobre
duque e de tal ordem que ainda nao
soffreu quebira, embqa envolvido em
uma ordem political d cousas verda-
deiramnehte detestavel. No meio da
descrenga que irspirare todos os ho-
mens politicos, corn rarissimas excep-
vdes, achando-se a nailo em estado
cataleptico, apparece o illustre duque
como um typo nobre, que sabe alliar
a lealdade, a pureza de intencoes ao
desejoj de bern m servir A patria.
Desenvolvendo o programma que se
impoaz, vai tratar de assumptos que no
seu entender interessam ao progress
e a grandeza do Brasil.
Se de assumptos grandes p6de-se ti-
rar termrno de comparagao para os pe-
quenos, para accentuar a sua posicao
lembraria as palavras de' Roberto Peel,
quando accusado de repudiar os prin-
cipios politicos dos seus amigos e de
atraikoar os seus co-religionanrios.
Por professor idWas adiantadas nao
se segne que queira sahir Jo partid6
a quo pertence; o quo deseja 6 des-
envolver as suas opinioes e conhecer a
jppressao que causa e procurer adep-
tos na opinido public e entire seus co-
religionarios; esse resultado s6 podera
ser conseguido paulatinamrnente, de con-
formidade corn os principio's radicaes
da escola partidaria a que pertence;
procurarA sernprec fazer medrar as suas
opini6es; se nao o conseguir sabera
existir, saberA, sobretudo, esperar.
P6de estar em error, mas tern con-
viceao profunda de tudo quanto avan-
ca na tribune. Acredita que cumpre
corn lealdade o seu ever de repress .
tante da nacao, cxterhando sem rebu-
co~o que julga util ao seu paiz, sobre
tudo hoje que estamos :em um period
rnelindroso, do qual a confissio de um
.eficit foi o grito "de alarma, a princi-
pia proveitoso ; mas logo ap6s rnani-
festaram-se desejos de derrubar as po-
quenas barreiras que se levantavam
contra os desperdicios. Passado o mo-
mento de surpreza, appareceu a pro-
paganda do optimismo, c se ha perigo
em today a exageracao, o optimismo
encerra consequencias de alcance in-
calculavel.


Pensa que o Brasil esta em condi-
coes excepcionaes e nao encontra em
paiz alum oexempio proveitoso. Se o
deficit &esapparecer hoje, amanha vira,
porque a renda tende a dimiuuir; a
receita decresce, em virtude do desap-
pa'recimento do trabalho servil e h sua
transformaao, sempre lenta e labo-
riosa, em trabalhoh livre.
Se nao houver cuidado, teremrnos dO
ante-vWr a carranca da bancarrota, a
exemplo de algumas provincias do nor-
te que estao em liquidaoao. A sitar-
Oao lhe parece grave e nao julga suf4-
cientes os expedientes da velba goard
conservadora de que ha pouco tempo
fallon um dos seus mais eloquenteS
representantes. (Continma.) J


do correder 6nde. se acha o apo
em qua yevos tiveram captive.
Pois .ba liberta quanto
essas infeliv, iUlberes, pe-n'asI
o amparo-l jrcta, restitue A jol
joia e... .
E porenao mohaveii s de
tudo isso ? se nao me enguno pa
me que vos ouvi dizer que essa
e uma princeza.
Yeye reflection un minomento.
Beni. teremos mnuito tempo
reflectirin'isso. Por agora procut
umnia casa segum ande ift
ser ser n6tado. Depois
teira feehada dentro di
portarei ,para nhinhia.no
sobretudo, Harrum,
Depois de" receber vij
instruceoes do Yaye,o
casa, murmurandoe a
tava 0ei :
tava a dpssaainente;-
0- emir1 eo rneq'SBte'in
absolute deade
nunciou n'Ih ,*
s6 elle. Jiut Y


I




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKJI8XNKT_SO7JU0 INGEST_TIME 2014-05-21T22:57:55Z PACKAGE AA00011611_15820
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES