Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15777


This item is only available as the following downloads:


Full Text













:Wox ud m itxero' 'avulao,

m .-


do xneiBE dia.


^ia~. -1:. .. v1 *.:.'
.dimo
aviuIso, de diea uteriores.


46.


irNa A Jria & Jil!}os


1+ 1 m;*'^v



t E'ipecia!l p.t+';t o Oiaho)


ROMA, 16 de fovcreira, A tar-c.

Val partir brevemenate para o Mar
Vermelho uima terceirlt expeiicAito
itAtatfla.

Agnania IHavas, filial em Pernambuco,
16 do fevereir)o ( 18)3'5.


INSTRUCCIO POPULAR


'HOTOGRA.PHIA
( Ectrrthldt)


A pi3oID gra'ii;i eman PI rlistal
CAPI'TULO) II
A.SEJ'.O POTOR.lmPUI.V OD D;I;tK,'.-) G-iiYL D)3
Trlu.r!ALui i)S (;ur; )DZSIU.->
(Comntiiuuan2o)
CompA:.-s.e o liquil-i s-umsibilisad.nr ii :


Gelatiaa de b,): qtimdidia-lo
Agau


40 gramnumlas
500 ',


D[)pis dti l bin uni)lleiido, )opera seei cm baili)-
m-iria a disslu.,b) di g-latin t ; por outro lad,)
pesam-se :


BiclhruIn tti.- nn,) .n unia
Agua


20 gruAin'ts
5-u ,


A Dtissolvo-se i n, m!.jlq io o c i,1" ; e," qmaunitu
as duas soluo an ust g, Iinpl s:n into t i'pid is, minis-
turam-se, filtr.ii.l--soI 1 atravez. le u:n b cc it.l
espgnuji oa do l ,i m ,1 ,i.-.l I.
A Anolhor -Ahitin, u6 ;i qni>u se c C 1t0li A tmn -
peratura do 20f a 25-' -, s a qto 1w3 entant.) seja
minui diffiiihlimnmtc ojluvct.
4 A mistura, cston lil. c 'ni pimeci, dove mns-
trar-se sob a f6rnma d c.iiii LI p3rfioittnoite h)o-
mogoune., qua. sa ig ai pit ,micii do unn csftuniiiho,
do 3 usados n:t pit.,ur.- t r-riaaria.
a A superfiie mntalliea lovcrA aprosentar-soe
alaunbr..-di pnr ig.iL il, se astri:ts ; o, colloe m,,lo-
se a f.lhit vertiC;il.n.iirc, in.Li- .lve csc.)rror a sO-
luh'iJ o:u ftilir (L.,rIaim:,l t'ilntoi hlod olgnis sutios,
fact esto pr-jv.,nictitt di iiip.-z i iie.)in)!eta.
a E:n i t')ti a ;titii:t hi- -h-.,n id.i p-,rminieme
no estalo liqui-), co nc n1o 6 soasivel, p doiAa as
opemrav5..tormr excuatad.is ;i luz braiica ; n.lo .sue-(
ced, o in.uia) d,'p is do fazer presi, o quo obriga
a effocuai.r tla ams in inipula'5cs resfamit s doatro
do gaibinte, alumiado coin vidros cor d- larauja.
E' prJeiuo qua a desieaio 1da c.tn:tidai s :n-
sivel se ,por-, c).na rapidez, p:ira ovit.tr a crystal-
lisaVilo do s3:l di chrironto c is diffcromi;-ts d1 cs-
pessurma; pirut qu, assisn sucecda, aquoce-se a
chapi do ziico por in.io do) gaz o a oin estuta, ten-
doo euidad.) do a in tuer b in horiz)nt-d.
a Qaan 'o a superfiCie golatinada do estanho es
tiver secca, s'para-so esta dI lamin:i subjacente,
collocando-o invertido sobre urna folha de cartio
grosso. quoe s iaqucc brauiduninte, atL cornpleta
vaporisa,lo da again. qu a est.tblecia a adhernncia
entro os dous mninaes.
a Pode, deslu cstte m) ll uito, proeeder-se A ope-
ragio immcd ata, isto 6, A .xposiubo da luz.
w Aiudai que a face sensivel se conserve sem al-
teraio durante dous ou tries dias, -o mais conve-
viente e xpel-a noe proprio erm que foi prepa-
rada.
a Realiza-se a cxposiibo- a luz per intermedio
de uma prona .usual p:ira positivos sobre papel.
Deita-se a lainina ioe ustanho sabre o nogatiVo, e
corre-se por ci'na c),n unm rolo forrado de flinella,
parxa alizar o metal e cstabelecer o contact centre
este e o cliche (e,,ntacto quo se garante, como e
costume, p)r mcio de almofidas do papel ou do fel-
tro, apenas um poueo minais ispeoseas do quo nos
1 easos habituaes).
aso E' preferivcl expor direct e perpoudicul--r-
mnente aos raios do sol,--po-lJdo oscillr a exp)-
sigao entire ciuco d)ze iniiiiutos. A' sombra e
necessario pelo mnos trees vez-.es m inais tempo.
a Se o clich 6 opaco, a exposiuao pode ser am-
pliada sem prejuizo ; succede o contrario se a opa-
cidade do lundo e fraca, ou inmperfeita a transpa
reneia da imnagem. N'este caiso difficil executar
bom trabalho, convindo impressimn;ir o cstanho a
Ins diffusa.
m 0 atuitanmunto da gplatinat sohirizada pode ser
demoraid,) at-a ,) d'iiia sogmimto; 6 todavia preferii-
'- vel execut'lj deuitro du br'tvo prazo.
S(Ccontiunza.)


PARTE OFFICIAL

ministerlo do Imperio
Pot earta imperial de 7 do correate mez foi no-
meado o Dr. IAurindo Pitta para o cargo de pre-
gidente da provincial do Espirito--Santo, sendo con-
cedida a exoneragao quc podio do mesmno cargo o
Dr. Custoiio Jose Ferreira martins .

Mllnisterlo da Gierra
Por decrets de 7 d) eorrente :
-. i nenoeado co-ni iadante das armas da pro
deo.Prnamn1buco o brigadeiro Jose Luiz da

m refarmadoj nos termos da prim'eira var-
13. doaArt. 90 3 lei I G 18 de 18 do agosto
o eapitao Trist.6o Floronei;) &fosSaatoS 0
te Franeisgo" Dwrte Vianna, atnboa ag.
P,4 airma dd inintaria, visto tero sido
-capnae ze3 do serviiq:;) d exercito.
iloda a aba
s dcorrenteele l q9pnfortida-.
a Uii tnl ,ii n. 2,2)96 de 1G dejunho
i fotw fovi4 a official dq 2a classes do
fazen da armada o de :- elasse Ernes-


Do tLI 5D


minid-s, dovendo er pago o porte na reparti-
"o dos Cor,'eios,
Dr. Miguel Themalo L ssa.--foTrhi'lo cn of-
ficio de hoie ;i Thesoiararia tie Fazenda.
Major Pedro Milifan daSilvoira Lessa.--afor-
mie a Camara Mui',ipd Il Aai Preta.
Secretaria da Prcsidencia do Pernambu-
lo, 17 de fuvcreiro do 1885.
0 porteiro,
J L. V. w s.

Repartifiio da Polieis
Sec^o 2a. N. 169.-Socrstaria de Po-
licia de Purnambaceo, 17 do fevoroiro de
1885. him. e Exm. Sr. --Participo a V.
Exc. que firun hiontom rcolhidos 4 Casa
1c 0 .tcn(iu, o s.'-git.s in lividtd :
A' ordeui do subdlecgfdo do 1 district de S.
JosS, Jo.io Mtrques de Oliv ciaes Wand'erley, ptr disturbios.
A' ordem do do 20 district) de S. Jos6, Olym-
plo Pedro dos Santos, tambemrn por disturbios.
A' ordem do da Varzea, Estevwo Aleixo Jos6 da
Silva, come alienado, atl quc :cnha o convenient
destino.
Conmnnieonou-ne o dolegado do termeo de Gara-.
nhuius, quu oi 5 horns da tarde do dia 6 do cor-
reonte, no ditrito de S. JoiAo do msmim term,
Maixirniauo Alves da Silva, travndo-s,' de razoes
corn Jo.io Jos6 da Silva, cohlicicto por Joo Ale
xandr., desfechou sobre este umn tiro ,(e pistol
quno o frir.a levemen.ite.
Contra M;iaximianio, quo foi proso emr flagrante,
procede-se nos termnos do iinlucerito policiald.
Com:nunicou-me ainda a mesm-i autoridade, que
All hora da madrugada do din 8 do correcnte, o in-
dividuo de noiie Manoel JGalino da Silvt, assas-
bin'u barbaramecnte coin sekis facades a Jos6 Fl-
rentino d-s Santos, conhecido por Duda.
Contra o delinquent, quc evadio-se, proeedc-sc
110nos tirmn.)d o inqmerito policial.
Deus Guardec a V. Exc.-Illin. e Exm.
Sr. Dr. Augusto de SoUZa L'.'Lo, mui di-
gno vice-presilenta desta provinia. 0
chef do policia interino, Jose Maria de
Araujo.

;amaira municipal
CORRIGENDA
Na actt de 41e (1 feveroiro de 1885 na column
2' quasi no fi-n, quando comera o period -0 Sr.
capitti, Torru:.s requeren verbalmente diga-se
coIno so sOgi,', p iis ha diversos enganos :
0 Sr. capirAu Torres requereu virbalmente qu-
fossu nomeado para substituir ao administrator do
Mernado o segtundo amanuense da Seerctaria He-
metcrio Macic l da Silva.
lPost;i cin diseussilto esta proposta, o Sr. padre
Mellu rrelahn)lu contra ella cin largos conmidera.
Socs, Lftzcndlo scntir a falta que fazia na secre-
taria a ausencia d'cste einpregado, pois come com-
inissario de e(dfica;5es tinha nelle grande au
xilio, e inuita confiuima.
0 Sr. t-nente Viegas disseo que como commit
sario de nolicia corria-lihe por lever de cons-
ciencia aL bern do scrviQo public oppor-se .A
rctirdAL 4'.d'Cte emnpregado da Seeretaw'if pr-
qtte, mestnivo ella sob su'- direcaio, e inspecao
devia scr attenlido pela Camara, .i quem affirma
deixar umrn grande vacuo por falta de outro que o
substitua.
Que, n.o tendo p:iesado a proposta, que apresen-
tou pars servir mO Mercado de S. Jose o Sr. Joao
do Rego, apresentava outro empregado, que o
apto em otuo o inovimnito municipal, o Sr. Cor-
deiro, amainuense da CGontadoria, onde na'o farA
tmnta falta, pjr estarcm ahi servindo os dous lan-
padores.
Posta em discassao esta proposta, que foi sus-
tcntada pelo Sr. padre Mello, e comnmendador Ne-
yes, jse eppozeram o Sr. capitao Torres, e outros
Srs. vereadcres.
Encerradila a discussto, e posta A votos a pro-
posta do Sr. capitilu Torres, foi approvada contra
os votos dos Srs. tenente Viegas, padre Mello e
commendad r Neves, ficaudo por conseguinte ven-
cido que fosse o Sr. amaauense Hemeterio subs-
tituir o administrator do Mercado, quo acabava
de ser licenciado.


DiARIO DEPERNAMBUCO


RECIFE, 18 DE FEVEREIRO DE 1885
Notieias da Europa
0 paquete inglez Araucamna, entrado hontem da
Europa, trouxeo datas de Lisboa ati 4 do corrente,
adiantando seis dias As trazidas polo Tamnar.
Alem das noticias de Portugal constantes da
carta do nosso correspondent de Lisbon, publi-
cada na rubrica Exterior, eis o mais quo trouxe o
referido paquete :
Hespainha
Escreve o nosso correspondent de Lisboa em 4
do correnite :
a 0 Impartial de Madrid- diz que o project de
modus vivemlndi commercial entire a Hespanha e a
Inglat<-rra foi substituido pclas seguintes bases,
sobre as quacs vil, proseguir as negomiaSoqs:
a 1.0 A Hespanha concederia o tratamento de
naio mais favorecida A inglaterra, se esta po-
tencia admittisse os vinhos hespanhoes at6 30
graos de alcoal;
a 2.0 A Hespanha abaixaria alguns direitos
sobre os tecidos de lh, se o governor inglez consen-
tisse em admittir os vinhos hespanhoes superiors
a 30 grAos ;
a 3. 0 tratado ncgociado sobre estas bases po-
deria tomar- se effcctiv), se os vinhos hespanhoes
superiores a 30 grAes fossem admittidos p or um e
meio schilling galho.
,, 0 gabinete do Madrid pedirat ilteriormente As
cortes autorisa&zlo para negoeiar corn o governed
inglez.
< As qiatro ruas principaes da puvoacao que
Rareelomt offe:ece constrminr para as victims do'
terremtnotos, terfo o nome das quatro provincial
catales.
0-distincto architeeto- Jareio, 'que so achl
cm Granada cos seus collegasbMolmserrat, o arcv,-
tec.-) da provincial c outros mais, d-irigr-o gratis


a construc-to da povwpovoaqao. .
S Em varies ponios d, pro-vineia de Granada-
teo continuado a sentir-Se pect 4uenuingoscillaqes,
q1e produzem o deimoronamentoo dos ed'ificios aba*4
WdO pelos h remores antecedeintes. O- -
SSegundmo eotieias de Italia, esta ?avio depois
doPortugal, A a qun mais tern cotribuido gapra as,
victimag da Andalazia, Avdamws deo omwipre-o
param grandes texas; o -rcebitpo de Napoli s,
carJeal ISanelice, pedeao epro quo wtnilji
comd semeoberra u alfa r sia.fftn'eto, dos'
desgragadetl^aqunela *j^ilcia.- 1n TETtW1iin, A
'c ^ pwu4K ii a-EiW D ma l da ru4 i cs ud ioa leeit &-I
~drAmnatic~a; .Mitao, umR a&coMPt e Vensa,'


app.roeerA ..... < o n
Os .eoi vlda a 't* R^* ; k)R
comn adeara.ao, do depu ftao
negando que o parlaaento arileaA
tar us creditos para elevar a 1a d M zid
t~g~ria de embaixada. *
S El Noticiero, journal -do cuntdeIt i4 /
dl clara prefieriria ver o e Sr. Castellar em uinnu
lcfra'amiwwnti !revoluiounario, a vel-o noS
g*-x- Am'bate91Q a rnuwnartd!*a; parque no pri
meiro ca#,poderia' destruii.-u-peta ferca; ;rib.
gundo, -Q rContruua a ee iita'prAbmearti
atftitud** 4r' ci th -. -
!W () ontfarnoa^ ^ ^e ^a .0
nisterio conserva br, afq i-
vai duran(!o se:n mrncsrno tr rqii.i
dal. Em ccimpeisacoj, a esquerlaH ,
,bstante as co.itinaadas dostrocas inm-
bros, vai ad.tuiriud4.tw yoeelonentO;we oin qeten.
ciona revig -104- "'uta
Pole0131fr.:-esi.agadas aa tenta
,lo- zorril'i iio vaeo
vesse org -,]a o sd. -
recciar, u
Be 'r ACOREC'ninot *ff 4 de goto do
.$ 3 *AeB-leIaJ.)z. JfclulQBt4-ifprsa ce-isolida-
oAaord n publioa no visinho reino, paree que
SexereitO hesp lnhli so vai deixando de figurvr
nos lecndarios pr-muaiiamnetutos ctuw que tanto che-
;g.u desmaoralisa.r-so, ereando Ahficuld.tdes gra-j
vissinas ao t.,asouro d'aquolla u_ .
Cala vez d,-vem e.tar ,mais trtaquillos os par-
tidtos mnoniarhico pLl q(imo (liz respeito a1 'saude,
tao agouracla do rei ). Affonso. A sua jornadas
pihdilntropica aos lugares devastad-s polos treinmo
res du terra c nas uoadikcs Cm quo a fez, deono-
tam umna organisa.Io de mqao no io ) roi, o que
para os hornenis quo naqnell paiz desadoram de
ivcnturas politics e de Commonioes violentas, de-
vcra ser nm tivo para jubilas sinecros.
JA partio para Lisnoa o Sr. Bugallai, novo
miaistrio IL H(-ar.mha n'esta corte.
c Os tcstenauuhos de gratidio dados pela im-
prznsa inadriicna a respeito da espontaneidade de
is)ccurros que tern i1o de Portoig.d s.O muito Ii
simgeiros parm n6. ,
Franica
As clci+ZSes para a renova'ao partial do seniado
rancez deranm pronuneiada vantagrnem Ais iutitui-
<6cs actuacs e especialinenite aro partido republica-
no moderado, ao preseute, no pder.
Havia a eleger 87 seunadoresem 42 departamen-
tas. Dos 87 lugares que deviam preencher-so, per-
tenciamn autes da votacto 45 ao partido republican
no e 42 s.os mmarchicos ; o resultado do eserati-
hio deu 37 cadeiras aos rcpublicauos e 20 sos mo-
narcleicos.
Ganharamn os primeiros. portanto, 22 aos se-
gindos.
Entre os antig s senadores monarchicos que fi-
earamin vencidos, contain-se os Srs. duque *Bro-
glie, Fourton, Brunet, Merode .e Hearique Four-
nier, todos hoamens imnportantcs nos pareidos a que
pertencem.
O partido bonapartista foi o que mais soffreu
para o que muito contribuiram a desuniio que o
mina e o descredito em que tmrn caido.
A diplomacia franceza aluangou taabem bri-
1bhantvictoQierlac*r
wa-se que aug aterra acceitou as cantra-
propostas trancezas, apoiadas pela Allemanha,
Austria Huingria c Russia.
O gabinete britanico communnicou a sua decision
ao cinbaixador de Fraua inum Memorandum fir-
maio pot lord Gramville. A Inglaterra admittao
eniprestimo unico de 9 mnillies de libras, a garan-
tin collectiva das potencia.i a substituig.o da re-
dulo do jur.) a divila por u ? imposto provisorio
s8bre os coupons durante umin pcriodo llmitado ; por
um acto diplomr.tico, da naveg;igao em Su'z.
A Gra-Bretanha acceita toda'i as conelusSes for-
muladas pela Franaa e pelos 3 imperios; fez uni-
camente reserves sobre a questio do inquerito in-
ternacional, que naturalmento pretend adiar.
Italia
A Itdalia, que nio havia a principio accompa-
nhada as outras poten ias na resposta Aspropos-
tas financeiras, pronunciou se agora a respeito da
questao.
0 gabinete de Roma adhere a emissio preposta
pela Franca de 9 milhles de libras esterlinas a 3j2
poer ceut, para occorrer as presented urgencias fi-
naneeiras do Egypto e as indemuisa$oes pelos in-
ceadios de Alexandria.
-Presta-se a assoeiar se A garantia callectiva,
salva a sancao do parlamento ; acceita a inciden-
cia dos impostos sobre os estrangeiros residents
no Egypto e julga preterivel um imposto tempo-
rio sobre os coupons da divlda, a urea reducto
no roapeetiuo jure.
Tambem se presta a tomar part n'um inquerito
interaacional, se as potencias ojtugarem neceosa-
rio.
Em conelus7lo, o governo italiano fornmula o ae
sejo de que haja em breve um accordo internacio-
nal sobre a livre navegai;o do canal de Suez, ac-
cordo de que a Italia tomou a iniciativa na con-
ferencia de Constantinopla.
Tambet costa que foi celebralo um conrenio
entire a Italia e a loglatcrra a respoito da q;mestao
o Egypto.
Segundo ele, a Italia sustantara a polhtica In
gleza n'aquelle paiz, e em eompensacao a Inglater-
ra consentirn em 'iue as tronas itallanas occupem


alg-un pontes das mvrgens do Mar-Vermelho, es-
pecialmente Massouk.
SConforme eonista, o gabinete de Londres obri-
gou-se a facilitar esta operaa'uo e pronmetteu inter
virperante a Turquia para evitar a opposiqao
desta potencia aos emprehendimentos da Italia.
Ultimamento o governor italiano foi interpqllado
no parlamento sobre a sua political de colonisacio.
O ministry dos negocios estrangeiros, o Sr. Man-
cine, sustentou a Italia tinha o direito e o dever
de tomar part na obra de ecivilisaio que as ou-
tras naces estto emprehendeudo na Africa, e que
precise de abr-ir mercados ao seu comininarcio, e dar
expansio A sut iifluencia arvorando o pavilhbo du
Saboya per entire os que as outras nav6es estao im
plantando nas~costas africanas.
SNesta obra n;!) scru o estado que toumar- a uini-
ciativci limitar-se-ha a seguar a3'indicaV5es que
Ihe form dadas pela aetividadci particular dos ci-
dadios e a. proteger o commercio national ondt:
1f6r Inieessario. "
4) ministra^tludio.d*accordo cornm- a Inglaterra,
Applauidindo-se de ter sabido onciliar os interes-
es eorn as obrigagites do governor. -
6em ter abandonatId.' o concerto curopei, sem toei
shbido da allianfa dos imperio, lisgagea-sc pot
rer creado pxra o paiz uma situaso particular-
monte forte e privilvgiLa, por um acor~do intimt
owm a Grai-Bretanhir.
Morreu o general italiano Luiz. M*zzacapc
que em tempo fot mitistr+0fa gueiraae ultmamen.
t c'anmandava o eorpo de exercito da-guarnicI,
floma. .. *
Depoisle S di-s es.ndutesar de ua%, chuvt
a ei conutinua. o Tibre trasbordoau iuvadmndo a


a, ,_ 1I


Mara procurar auxilos e abrigo nos individuos que
verami de abandonar as 6sus casas. As pontes
tavam cheias dd espcetidor's,- aasistiudo a el-
ada do rio, que arrastava troncos d'arvores e
*jeetos de todo o getero.
SA's 7 da noite de 12 o hydr6metro da Rippetta
arcava 12 metros e 30 centimetros. Ate A meia
ite, qoando a agua chegoim A altura de 13 mo-
os e 17 centimetres, a chim-i foi rapid; ns do
tAo em diante, tornou-se m is grit laial. A's 4
in quarto da tarde de 13 o hyIr6metro marca-
14 metro e 8 ) centimetros. As ultimnas noti-
0 pareciam indicar um-i tendoucia para a des-
; das aguas.
iurna correapondencia de Roma para o Stan-
a!d coihe se que o governor italiano teria d:ado
e m para quo uima pirate das tropas que euvi-u
a o Miar Vermelh), desambarcasse en MAssouh
tguissc em direeao a Kpartum, atrimn de auxi-
as tropes inglezis, e en caso de necessidade
par o Soldailo emn quanito os imglez's occupam
to Egypto. Ninguem em Roina diva credit.
Stmoticia de quo esss tropas fossemn unicamen
aviadas para vinegar a morte do viajante Blan-
iu fazer guarnigao cm Assab. zmbora se ad -
a a coaveniencia de so affirmar os3 direitos da
tie sobre essa coloni-A, direitos que nunca forani
fliencidos nam polo Egypto, iiina p2la Tuir-

^ segumida remnessa (de tropas dove effeciuar-se
todo0 mocz de foverceiro. 0) govern.) teria cs-
ido p.ira o commanlo dessas tropas ofliciaes
-tllian inglezes.

s montanhas gigantescas daquclle occidentado
V oresco paiz esto largando enormissim-is ava-
tea. Arvor-,s, chalets, individuos, aldeias in-
teem sido a:niquilladas sob .t carroira Vis-
t osa ilaquelles forinidaveis b 6e.os de neve
-in a dezenas as victims de tacs desibamunen-
Sob as neves toinm se cuneontrado grande nu-
d de calaveres.
0 consclho federal suisso rcc b em a -tas ano-
i as annuncintnlo-lhie urn 'itteat ilo pr in.itio da
d mite contra o palacio federal cm Berne.
1 Ingiatecra
'1antaraim os dyuamistas d( lIingl;aterra, segundo
no mte informado o telegrapho ultimamente, fa-
zer iltar o palacio do) Parlamento e a Torre de
Lo des no aia 24 de janeiro.
....mo3s juntar alguns pronmonorus aqiuellas sue--
cing ,noticias.
l|etas duas e mcia horas da tarile, duas formida.
veii explosoes punhain em s',b:esalto os h-ibitantes
dasrTias comprehendidas entre Westminster e
Trafilgar Square.
A4 explesoes tinham sido no palaeom de West-
mniiater. Uma nait patted do edificio, onde estao
situ0das as cam.tras do consellio; a outra mna gal-
lerina que dA passage da earmara dos cininuns
para a earaara dos lord.
Todas as vidranas do edificio ficarain despeda-
Sadt*s. A sala das sessoes da camara dos lords
icoit muito arruinada, asiim como as galleries e
a parte da camera dos communs do lado da presi-
denoia. A sala central, onde terminam aos corredo.
res, q-ue dilo access ,As duas casa io parlamento,
fieomi tambem muito damntflcada. Dous pAicias
quoetli se achavam dc service, toram gravemente
feril estando urn dellea em immiaente risaco de
l fmtibeoi'aramtltil't quatro eihpregAdos
e umn visitante, que passavamn por um dos corre-
dores.
Ao estamnpido da explosa'o accodio a forrca d
policia de Scotland-Yard, que mandou fuchar im-
mediatamente todas as portas do palacio e toinonm
outras providencias para evitar que a multidto,
que st agglomerava nas ruas, o invadissc.
No mesmo memento espalhava-se navo boato
atterrador. Acabava de dar-se outra explosno na
parte da torreo de Londres chama'la White Tower,
onde estava arrocadada grande quaintidade de es
pingardas. Os tires andares do edificio ficaram
reduzidos aum urnmontao de ruinas, declarando-se
ao mesmo tempo um incendio que, dentro em pou-
co foi dominado. As pairedes exteriores pouco sof-
freram. Das investigaoies a que se procedeu, re-
sultou ccnhecer-se que a explosao rebentAra no se
-gundo andar da White Tuwer.
Os autores do attentado escolheram a hora em
que 6 permittida a entrada de visitadores na Tor-
re do Londres, para levarem a effeito a sua nefan -
da obra. DezIseis pessoas ficaram feridas e al-
gumnas dellas, com bastante gravidade.
A policta de Londres poz-se logo em campo.
para ver se consogue descobrir os criminosos.
A populacao da cidade soffreu grande sobresalto
corn estes acotecimentos, que, por nao serem ca-
sos isolados, podem succeder-se a cada momento,
como iafelizmente se espera.
Todos os jornaes dd Londres publicaram arti -
gos condemanado severaunente aquells attenta-
os, reclamam as mais energicas disposiSes pli -
ciaes e anugmento immediate da forna enearregada
de winterr a ordem public-, e instama corn o gover-
no dos Estados-Unidos para que ermpregue tolos
os seus hsforcos no sentido de evitar que na Ame-
rica sejani urdidas novas conspiraoes desta natu-
reza.
Ogabinete de Washington telegraphou ao d+
S. James exprimnndo-lhe o sou pezar polos ulti-
moo aeontocimentos, promettendo auxilial-o na
perseguiio dos criminosos.
O deputado inglez Mr. Edmonds .presentou A
camara um project do tle, e.n que se qualifica de


crime a posse de quaesquer substancia6 explosives
ou ainda mcsm) d'aqucllan qge entram n a sun com-
posigio, unia vez que se prove que essas substan
cias cram destinadas a fins criminosos. ,
N'um meeting celebrado em Chicago, ha poucos
diam, os ocialistas applaudirar.a os ree+ntes attea-
tados de Londres e declaaarana imprescindivel o
uso da dynamit e para sc libertarem dos capita-
listas. EI2j poder de um dos mais influentes ma-
nifestant,, apprehen-leu a policia americana gran-
de.sortimento de machines internaes.
Dizem inforniaces partinulares que o governor
inglcz reebra urma deurncia, em qoe se ;ndicava
o plaqo .dos dynamistas e os sgnaes dos priucipaes
coiuspTradoreo.
Muitos edificios publicos estao condemuados a
destraiqo, segundo esse piano, e p-.)r isso se to-
inam precu5oes especiaes ema muitos p into de
Londrms. -
Os que pretundcm a destrui'Ao de today a ordem
4e c) msasleistentes e' proeurain imnpor-se plAo
terror, conitlnam,*pois, 4, servir-sV da dynamit".
como argumentc, sm a ttentar nas desgragas d
que pdemisenrcausa.
A san awdacia proanuinci5-se ce.da vcz mais e os
Sattentadoadirigidos eontra 4dqs dos mnis bells e
r venerandos Mnomentos da grade eapit-il, dlo desse
Sintento damnado o ttteimnunho mais tiiste.
Os criims a que nas rfernmorosao prova de que
Aqjelles faiattoa'snao eipazes de outr.)s attenta
Sdos aidla moreo. -
.ks duas dolona5es do palacio de Wcsathinster
foram tamaalRas, quo as pnsaoaa-qne iam passandu
fiearam, p-r moments, surJas c o abalo produzw0
: o efleito &t-mm tremor de tOrta e fo& seatido ati
Seim Dowing Street, a dpz miaatos de distacia de
Westminstcr. n ^1 do. d ,1 ... d
Qtuaadososprodat eie detoaa-o na To.r:r d4
.I l 0res onum Wdos visitante4 era csi'oeavel
t cipalroentu a a r sla e a z*1ti
ho foi ac- ic itidttnirptiel.
o Toloo inotrior $d we do^ up correspon-
I o su* P-f B ente inv^.....! umtbi o


A A'maior parto das possoas fenidans por esta E' comtudo pnrfeitamente evidence para o Sr
explosjto, que sto mnultas, foram-no aprmis leve- Davitt, come para tbda a gente em Inglaterra, que
mente por fraig'mntos d, vidros ; so dts ficaram estes attentados nio sao, no todo, obra da policia
m iis gra emente rnolestadas ; una, coin uma per- e que emanam d'um comite d'acio dirigido n0s
na fractarada e a ontra con umia orelha arrman- E3tados-Unidos por Patrick Ford e 0' Donavan
eada. Rossa.
E' grade a agitacio e:n Londr-s, ond,- s3 pen- Este (omite nio faz mystcrio dos seus propositos,
sa em organsar juatas de vigmlancia e em niungu- como so sabe, pois chegou a abrir smbscripiao pu-
rar urna campanhaContraos manejos do3 irl.nl,7 s. hlica, sob o nome de Skirmiskin fund, a caia das
Polos jornaes inglezes de 27 d. janeiro v6- csearamnuas corn o fim de subsidiary dynamitis-
so que a policia pareco star na pishta &s a. tores tas em Londres. Ainda se nao perpetrou um s6
das explos5ss. EstAo seunlo vigi.dos cuida(osa- attentado que 0' Danavan Rossa eos seus amigos
meate differences i-lividu:)s, que so supple imnpli- nao o festejassem corn bauquetes e illuminacoes
cads ni'aquell crime. ,m Nova-York e Chicago.
Consta qut tum, que foi proseso no proprio dir Miguel Davitt dc-sapprova absolutamente, con-
dos explosoeA, proximo do palacio do parlamonto. demna come stupid a campanba da dynamite.
deu A policia informtna5s mnuito importnntes a r's- E' digna de attenglo a sun opinia.) Acerca de Pa-
p-ito do facto, trick e 0' Don:ivan Rossa:
Esso individuo A umn irlandoz, cheg-ido ha me- a Nnio posso adinittir que hlomens d'esta tem-
z's da America, oadcl rcsiiJb cinuco a:ilsE. E' na pera procedam assign per motives pesseaes, ou san-
tirndl d( Cork. Comparcceut pera'ite o tribunl c guinarios. Eu mesmo vi Patrick Ford oppor-se
alli deelarou chamar-se Gilberto, ter 23 annos to emprego de meios violentos, durantc o period
ter vindo dra America sob o supposto nourimc de Can- da historic da Land League, que preceded a captu-
ningham. ra do chefe do movimento.
A policia contitmuu a ex'rccr u-na vigilanci O' Donavan R-ssa era conhecido no seu paiz
maito activa sobre todos os viajautes que chegaum natal, o eonlado d,. Co'k, como home generous
a l),)uvros, ou quo saemin d'aque!la eid:;de. e de excellent ccraqi'o, quando o lanmaram, por
ProceJeu sea a n vas investiga-ios nos lugares um simples delicto politico, no meio da turba dos
emin qut so deram as explosoS3s ; mas nao se desco- criminosos de direit,) commumn... E 1A, qual foi
b)rio notinlam vestifio do miaehinas infernas, polo o tratamento quo lhe deram? Sabemol-o pela
,quc so attribu eo dsastre a dynamite espmihadaL narrative que elle fez dos scus long-os aunos do
cm divers.s sitios, julgando se que a exploslv foi ciausura. Aeonteceu-lhe passar 21 dias de mios
produzidt nuo por mxio den uma machin-A it mfernal, amarradas atraz das costas, por ter dado uma bo-
nras por outro process qualquer, uainda desconhe- tutada no director da prisao ; em quanto durou
ido. este custigo vio s- obrigado, para comer, arrastar-
A aval;ar se p losestragos cansad->no i oiifieios se nos joelihos a lainrer a marnita come um eano!...
e calculados por per ritos cmn cerca de 15,000 libras Pode espcrar se quo uim home submcttido a takes
julga-se que a quantiHade de dynarnit-' enprgai- indignidaides saia do carcere com o coraao a
da ein !ada uina das explos..-s, toi de 6 a 8 arra- trasbordar de reconhecimento pela bondade da In-
teis. glaterra?...
Urn'ti correspondencia de La-ndres. dl .-onta dos Na opinion do Sr. Davitt estes rancoies nmo
se.uiiits promnenorcs d& explos;o da crypta de juitificam o system de luta ao transe adoptado
W, t .iinter.I:all : por alguns refugi'tdo3 irlandezes nos Estados-Uni-
F Fi utna semi.ora Davis quem sALtou a voz de dos. E.pa.a elle o tuico meio de acabar cornm es-
alarmn-. Tinha idc. corn urma irmai o sei cuimihado, ses attentados, seria dar satisfaa, aos legitimos
do none Green, eigenheiro civil, a visitor o p:t- aggravos da Irlanda. Mas, nao tern illusoes a
lacio do parlamento. Depois de ter percorrido as este respeito c comprehend que as explosoes de
salas das rcunioes das duas cameras, dcscia A cry- dynamite, longer de servirem a causa d'aquelle des-
pta, qluando observou que no penultimo degrao da graqado paiz, uao fazx-m mais do que prejudical a.
escida, que a ella conduz, estava um pacote de Couhece 'o orgullo britannico. Sabe que, desde o
uns 15 centimetros cubicos, envolvido ein panno primeiroao ultimo inglez, se dir : 0 que ?-eeder
preto, c da qual se evolava algum fumo comchoiro perAute as atneaas3 ds 0' Donavan Ressa? Pe-
dcsagradavel. Indicou a seu cunhado o pacote r.cia antes a Irlanda c a propria Inglaterra !...
susocito c elle advinhando immediatamente a ver- Os jornacs continuam a dizer que a policia anda
dade, gritou : a Foge, que 6 dynamite na pista do muitos imnplicados nos attentados, e
o 0 agent de policia Cole, que estav ;a do ser- quo ha bastantes individuos que so o rigorosamcnte .
vico no fundo da escada, ouvio a cxclaamao, vigiados.
agarrou o paeote e subio A press pira VWest- No dia 31 de janeiro os directors do Muaeu
minnst-r H-ill. Aponas tinha acabad) dc subir a Britannico do Londres receberam aviso de que
escadn, largou-o c logo se produzio a explosiLo. n'essc dia se projectara fazer ir pelos areas o dito
Est'5t fez no s6lo iuma oova de 36 centimetres M,,scu. Foramn tomadas rigorosas precaugoes.
quadrados do abertura e 50 centimnetros de pro- Contimua a dizer-se que vai ser grande o nu-
fundidide. Sobre ella cahiram feridos Vanto Cole, mero dnas prisoes. Ja se trabalha activamente nes
como o seu eollega Cox, que correra a aiteudir-lhe. reparos da camera dos communs e em Westmins~
o 0 Sr. Green ficou tambom gravemente fcri- ter-Hall, per modo que ficasse nm antigo estado a
do; tas as duas seuhoras, que foram doerrubadas 18 do fevereiro, din da abertura do parlamento.
pela explosao e cujos fates fiearam dcspedaiados, O0 director geral dos correios recebeu uma
nao soffreram o menor ferimento. carta prevenindo o que se tentava fazer saltar a
-- Eis ;lguns esclareeimnemtos Aterres ,os dous rep:artiiao que cllc dirige. 0 attentado seria pra-
edifcios onde homre as exploaZes de 21. de ja- tie'ado de noite por um home vestido de mulher.
neiro: Exerce-u se active vigilancia. Nada aconteceu.
Westminster e Hall, cuja construcaoo primitive A utria-H nn rIa
pertence ao reinado de Gu;lhermeo o Vernelho, Celebrou-se ultimamente uma convencao entire a
foi quasi todo recoDstraido no fim do secul, XIV, Prussia e a Russia para a extradiegao reciproca
no reinkado de Ricardo 11. E' a salad do autigo dos antores de crimes contra os soberanos e pes-
palacio de Westminster onde se reuniam os par soa ? reaes dos dous paizes, dos assassinos e dos
laments e se realisava a ceremonia da orc,-aeao fabnicantes e possuidores de substancias explosi-
dos soberanos atL Jorge IV. Esta sala dc mnag- vas.
nifica architecture, 6 das maiores que se conhe- Essa combinayao diplomatic coincidio corn a
cem e tern 73 metros de comprimento por 28 de apreseutaAo da proposta de providencias repres-
lirgura e 21 do altura. Serve de vestibalo ou de sivas contra os socalists no parlamento austriaco.
sala dos passos-perdidos ao parlamento actual. Essas providencias fazem parte de dous projec-
A crypta de Santo Estevao, onde succedeou a tos de lei, um destinado a combater as tendencies
explosilto, serve de capella e e opulentamente or- socialistas e outro a evitar o uso criminoso das
namentada. A leste da sala, denominada West- substancias explosives.
minster Hall, flea a cutrada da camera dos corn- 0 primeiro foi moldado sobre a lei que vigora na
muns. Allemanha contra os socialists. Segundo ella,
A Toire de Londres, o mais velho monument poderA ser prohibida a crea*o de quaesquer asso-
de Londres, estA situada na oxtremidade oriental ciaqoes suspeitas. As sociedades existentes, que
da City, meia milha para baixo da London Bridge. form reputadas socialistas serao dissolvidas, sem
Diz a tradigao que Julio Cesar mandara cons- que, sob qualquer denominacao, possam ser recons-
truir uma cidadella n'aquelle sitio; mas tudo o tituidas.
que hoje existe do edifucio1 6 obras dos norman- As sociedades de seccorros mutuos, a respeito
dos. das quaes houver suspeitas de tendencies socialis-
A Torre Branca, a mais antiga, foi construida tas antes da dissolun.io definitive, sergo submetti-
per ordem de Gailh.go Conquistador, beni das a uaa fiscalisacato udministrativa especial. 0
como um castello, se _i|H L do reSto do edificio, agent que d'esta for incumbido podera asaistir As
que servio outr'ora de o as soberanos do eunifos da associ-aso; podera cenvocal-as on
Inglaterra. dissolvel- as; examinar a contabilidade, archives e
A parte baixa servia de deposit de armas e cores; annnllar as deliberacoes que julgar peri.
*nnuaies. gosas, exonerar a direccao e sequestrar o cofre. A
-- Um dos-priucipaes periodicos da Irlanda, o autcridade admniistrativa poderA apprehender em
Freeman's Journal, ceusura em termos energicos beneficio da caixa dos pobres, os fundos da asso-
os autorco dns explosoes e faz sinceros vtos para claquo que supposer distinados A tentativas sub-
a descoborta dos crimnimosos. sersiv.ns. As reclamacoes dos interessados, nao te.
0 Temps publicava ha dins um telegramma rito effeito suspensive e a decisao em ultima ins-
de Lendres, d) sou correspondent particular, di- taucia petten~e nbo ao poder judicial, mas ao mi-
zenalo-lhe que n'aquolla cidade corre a versito de nistro do interior.
que se devem procurar naa repartii-oes policuacs E' rigorosa a peualilade comminada contra as
os verdadeiros autores da triplice explosao que en infricces d'aquelles preceitos. Quem fizer part
cheu de pavor If grande capital iuglezi. d'uma associaqao qualificada como socialista, em-
Esta afflrmativa A hoje nitidamente manifosta- born corn existencia legal e regular, flea sujeito a
*a pelo muito conhecido patriota irlanJdz Migiel penn de prisao de tries mezes a'um anno. A resis-
Davitt. teneia aos mand dos de dissolucto BerA punida


Diz cUle que ha um ponto que nao dove perder- corn umia pena, que varia de s-is mezes a tres an-
so de vista nesses numerosos attentados por dy- nos de trabalhos publicos; A mesma pena ficam
namite : 6que, n-t maior parte dos casos, visi- sujeitos os membros de soeiedades secrets, que
vel a mnc da p'-lcia. A cste respeito nao pd0e f'rem convencidos de socialismo.
subsistir duvida alguma. French, o detcctire em 0 prnjecto abrahge na repressito simples reu-
chlefe de Dablin-Castle, presentemente condemna- ni'es socialists, pub:icas ou particulares, ainda
do e detido, deelarou que James Mac Dermottc era quando sejam de natareza eleitoral.
urm dos agents do governor na Irlanda, e nL o ( Os escriptos em que se professem doutrinas so-
hoje segredo part ninguem cqe esse Mac Dnrmott cialistas, scrao apprehendidos, podendo os jomnaes
foi a base fundamental de todas as pretendidas em que se publicarem ser supprnmidos.
conspiracoas descobertas em Cork, em Liverpool e o0 segundo project, o que se refere As substan-
em Montreal. cias explosives, dispoc que o emprego d'estas sub-
Em razAto da sun supposta cumiphicidado nos stancias corn fim criminoso, A punido corn prisao
primeuiros dous desses complots, foram condemna- do dez a viate annos e corn, prisio perpetua quan-
dos a trabalhos publicos perpetuos. do heaver case fortuito de morte. Em caso de pre-
O'Donovan Rossa, que at6 ao anno pissado de- meditagio o homicidio serA castigado corn a penn
positou inteira confian;a nelle, abrio rccentemen- de more.
te os olhos e escreveu ao United Irelande uma car m 0 fabric, transported ou comercio, sem autori-
ta acompauhando extractos dos relatorios que saiu:o, das referidas substancias, sem a intengmo
Mlc-Derm'-tt Ihe enviava, no mesmo moment em de iazer d'ellas emprego criminoso, e reputado fac-
quo organisava os falsoes attentados de Cork e de to criminoso e punido corn a pena de umn a cinco
Liverpool. .innos de prisao. Analogas disposigoes sio appli-
S#be-se hoje com ccrtcza quNe Mac-Dermott ti.- cavpisr aos escripto s e jornaes quepr4garezu a
uhinengujado,,o itnfoim Gailagher e outros dlesven -propaganda p$1o facto use u "da dynamite. Sao
.urnds, coadiemaados depois pr aessos fatos a punidos cowu prisaoat6 cinco annoes apesoauque,
emprehender viagem a America e)m provis5es de tendo conhecimento dos fiactos criminosos previs-
dynamite, e qua-espe mesmino Dernitt fornecia ao tos na projectada lei, os mao denunciarem a po-
conanl inglez em NeW-York r As rcpartiq5es do licia.;, '
Seotland Yard, tod6 u os prfbmenorcs necessaries A coincidencia da aprisentaio d'estas propos-
para que esses pobre diabos fosscm filados apenas tas coin o0 app.uiecimeito da' convenilo entire a
d&sembareassem. Prussia e a Russia, namo deixa a maenor duvida de
jtmp.)rtm,I tambtm ter cM uintA que o g,)verno ue a reunito dos trees ninperadores em Skiernie-
dliapende somnmatn consaideraveis emta fundos seere- vice teve per fim principal o concerto de nmeloi
tos a oson crazadaud'ctra as dyamitistas, e que ten lentes a eombater os manejes os socialistas e .d
numerosoa agen!es- perderianm ess; f inte do Frecei- dos anarchisthis.
ti, se, de tempos a tempos nova ,xplosiao nto'vies- .. Alleaanha ; *
sereaVivar as inquicta5es ger:es. A conferenga d Berlim n
S uma circumstanci. muito par.otar que abals da confureacua pro e a
(str~balad cof ncaproatgpem- a
- -inym dess3s attet-tmdoo tenha b X je custado-ai s da .or- aJ, tiia iI
4.niIo c,past ,que aog ilofomuhR
viade um unico lom nu a, -Na mini opinion, a c s oij-mi-o
slauarecer dafiitivo,,tuaiaoig
dt oorreb6ndete do Te-mps' os jornaes?,-ngu a-. dered'iobtrrot pastu
nfe attribuindo esse mresuitado Aiidpericua d eoobsear p erIpritors di -
SA.; ...o4s.. .,-..A ..^ ,.. s psoekf~aut tetori


jI n pliira i p +ouu quiktuuv Lu ncuu tv -
l ao uito que reo*6r para o fitnro. -
e-, prqegue, quew auto d'e
tt ntitvee ytctt t vitado, e
nossiveo a i oftis ; Sa; S a a as


prot~torado.
~


~.


I


ftB.., +++. ll<+ll' '


t
$


I


t


























Pj| ~ hw 409 is^^ 11"1" d
que se W W I.
S Belim parece ter- ao. A
oudites porque o4 eva ea t
es-too, ounmeas* to oseera
protctorado, care t sor boem illucida
I e z+ia tem-se eneontrado em present
pcls, e estas opp6em-se em parte ac
diplomatiac&
0 indieado periodico observa qui
as tea dito que a renuncia por part(
^ 4refto0 queTeivindicaua a marm
;Mwgt afaatpria o obstaculo para o
tecosf ron-ia, acerescentando-se q
hmoto .sas" duas margeas do rio d
id*.do -de dues na"aes maaritimas,
*solidaria na margen esquerda c
*aguez, o garantiria melhor, porqu
hIeradoe &e. cirMculaio no grande
Sa2tdoB e sae panes intereasado
d'Aunma pew duradaura e de progress
social que tanto 6 par a desejar.
Eamquanto a folha allemna se express
tdl.', vemos outro periodic, mas b
qae o intereawe principal da quest
Mide actualmeute em Paris.
Este pretend que a Franca neg
Portugal, para deeidir este ultimo pi
pelo menos, a uma part das suas prt
observa que se no o tern sabido couss
bre o progresso dessas negoeiac
tod, via, cornm as seguintes linhas. die
gao :
S0 mais que se sabe, 6 que Pox
foi convidado a limitar as suns pref
bocadura do Congo, ao sul, e a d
corn Banana A Assoeiagio, tern ag
que Portugal possue n'aquellas par
conteata*a territories encravados
tuiao nlo permitted ao poder eeder.
a Ni se perdeu com tudo a esper
accord, send este provavel antes
daconferencia, cujos trabalhos du
mezes.
Servia
A SImpptchina cameraa da Serv
cadai et Nisck para 8 de abril. C
c6rte permaneceram n'esta cidade 4
sessbo.
Tarquia
A Porta, em presence dos boatos
tengAo que a Italia teria de occupar
reselveu reforCr as guarnig5es tumt
e dar major extenai o ais fortifica&
fendem o access, como se deprehen
te despacho telegraphico de Varna
News.


oai tote* oate narg'.a do.Kileo 8-00pa poo.ra-!-
binp# 405 d se A des
t" Para o in- A ,cidads 0iaouae.*uid e es rbehles Afora
-* i .i. deal ado .. .
p, ecr8eta Afflrma-se qua o Mahdi aole tem male do que 6
esto quest a 8:000 ho.eoe em frente de K hat wm.

iffiam inb tv pori
'i~fctayI s-^wn Syram-womtii-_a#Ido. *E-a
ia-iqa tiu tbibrioftab Xais f"rlM _
a.,doo V'W o oGMdi "aVifu s posAs
Laammorl t-, qu 4C m Mi wawa, nar
mxl4P Gambit, e que oain-
ha. llMoS- um dos s nmais fa
&oMeiv&^ nptdartM.
q qomaer w- o 'mtudo, abu* ~da Sswar0leava bemo entuu-
wmiraaa,a e oboirada em o t e Sowcwa o uiruigo.
,da. A conte- Os soldanezes prisioneiros dizem que a resisten-
ia de difficul- cia do Mahdi nao poderi ser longa, embora sejam
) exito da obra necessarios mais alguns combates. Ajuntam que
o Mahdi ja fez trausportar todos os seus valores.
e, de ha muito para lugar seguro.
e de Portugal Os reforgos que Gordon enviou para Goubat ele-
gem diroita do yvam-sea 509 homem'ofieSeaiub6, qpei iqa w
Dom sasltado me=sas ere*rram o Nilo Roe vaporeas eouraados,
lue o estabele- varre0do os rebeldes eoneentrade nas margena do
do poder reco- rio.
ao passo que Dis-se que unam dos eurqpeus'qae commanda-
> dominion por- va os rebeldes no ultimo combat era Olivier P-in,
ie facilitaria a antigo communists e companheiro de Rochefort
rio, e deixaria Noum6a.
as a esperanga Os ultimos despachos do general Gordon di-
so economic e aem que tupo voi bern Khartum e que a praga
pode sustentar-se quatro annos.
isa n'este sen- Chima
olga, declarar Julga-se qne proximamente deve ferir-se grande
do Congo, re batalba no Tonkin.
A estas horas, c corpo expedicionario deve estar
ocia alUi corn em movi'uento na direcClo de Lang-Son.
aiz a renuncia, A organisaiao dis transported ioi cuidadosa-
stenu5es; mas monte dirigida pelo general Bri6re de l'lsle, que
a alguma so- se esforgou por reunir quantos carros poude, e fez
s, concluindo, construir un grande numero d'elles em Hanoi.
gnas de atten- A column de operag6es que vai em march
deve ser bastante numeosa, nao s6 porque che-
rtugal quando garam ja' no Tonkim part dos reforcos ultimamen-
ten95es a em- te enviados, mas tambem porque n'aquella column
deixar o note estio encorporados grande numero de atiradotes
ora respondido tonkinezes, Iperfeitamente organisados em bata-
ragens, e serm hIes e instruidos por uns cem officials inieriores
, que a consti- idos de Franca no mez de outubro.
Na ilha Formosa urna pequena forga, que de
ranca d'um an- Kelung se internou n'um reconheciment,, teve
i da dissoluole que ver-se a bragos corn tropa chineza em numero
aram ha dous superior, e foi forgada a retirar, depois de haver
soffrido consideraveis perdae.
Brevemente se espera tambem que, corn a che-
-ia) foi convo- gada de novos reforeos, o almirante Courbet tenta
) rei e toda a urna operaio important para se apoderar da re-
durante toda a giao em que existed as minas de c-trvao de pe -
dra.


relatives a in-
Sa Tripolitana,
eas de Tripoli
es que lhe de
de d'um recen-
para o Daily


Egypto
Os correspondents que acompanham os exerci-
tos .nuas guerras modermnas, para informar os seus
leitores dos seus jornaes dos episodios das mar-
chas e das sanguinolentas peripecias dos campos
de batalha, correm muitas vezes tao grande peri-
go como os propnos combatentes.
Opublico estA muito longesde fazer justia ao
penoso exercicio do seu military. Mais de nma vez
o cadaver do intrepido jornalista tern ficado no
eampo entire os do que pelo dever military se ex-
i5em as balas do inimigo.
Um combat entire a column do general inglez
Stewart e as forgas do Mahdi, combat ferido a 19
de janeiro, cinco milhas ao sul de Matammek cus-
tou a vida do correspondent do Standard, Came-
ron, e do do Morning Post, Herbert. 0 do Daily
Telegraph, Burleigh, foi nelle ferido gravemente.
Tendo-se-em atten9bo que da column ingleza
apenas foram mortos 2 otfciaes e feridos 9, deve
eonfessar-se que o jornalismo contribuio corn gran-
de conitingente para a mortalidade d'aquelle dia
d b.-italha e que a protissao de reporter tambem
ten oS seus heroes.
Herbert era novo na profissao; parece aue en-
controu a 'morte lsgo na primeixa batalha a que
assistia Bunrleigtinha ja feito cornm lord Wolse-
ley a campanha de 1882 no Egypto e havia es
cripto uma narrative muito notavel do ataque de
Telle-el-Kebir. Cameron, comquanto aindo moqo
tinha ja long carreira de correspondent military,
e a Inglaterra perdeu n'elle o mais distiucto dos
seus homes n'aquella especialidade, que estavam
na actividade do servico, visto que Archibald
Forbes, que foi tao nctavel, ha jA annos que aban-
donou aquelle mister penoso e arriscado.
Cameron era um simples empregado do commer-
cio em Calcutta, quando as tropas inglezas parti-
ram parao Atghanistan. Por especial predleccao
estudava os assumptos militates. Conseguio qmue
um journal d'aquella cidade o encarregasse de
acompanhar o excrcito britannico na qualidade de
reporter As cartas por elle enviadas ao journal
deram Ibe nome, e logo o Standart resolve chal
maleo para o seu servigo. Desde aqnella 6poea nao
dA ixbu mass, como correspondent d'aquella folha,
de seguir todas as guerras da Asia e dia Africa.
As suas correspondencias de Madagascar e do
Tonkimn foram muito notaveis.
Expunha- se sempre corn grande bravura, o que
muitas vezes Ike poz a vida em granme risco, no-
meadamuentc e n Tornasi e no desastre de MaLcyis-
ba-Kill. N'este ultimo chegou a tomar o com-
mando effective da retirada e a salvar corn a sun
ind'omaval cnergia, um zranic numefo de ferl-
dos.
A estas qualidades roui; L Camcron grande ap-
tidlo litteraria- As suas d!-ierip5es tinham sem-
pre um vigor de colorido, que as fazia bastante
animadas e captivava a amtrAo dos leitores.
Aleam das noticias ultis'amente-transmitti-
dds pela agencia Havas, da o-.ap~9ao do El Me-
tammeh peia columns do general Stewart, osjqr-
naes inglezes public telegrammas dc Wolse-
ley, informando qa' a columnia do general Earle,
que emprenbeen subir pelo Nilo, tem avannado
sem. incoiveniente e mandou um destacamernto
oceiupar GakdaL.
As notice que encontramos has folhas es
tmangiiras, sobre os ultimos combates que os in-
glezes tiveram de sustentar durante a travessia
.do xercito- de Bajuda, codfirmam o exito complete
da brigada Stewart.
Nos combates posteriores A batalha de Abuklea
at6ea oceapaio de Goubat, onde o grosso da bri-
gada Se estabeleeeu deixando El 'Metammeh na
regaayda, tiveram os inglezes 22 mortos e 105
-ferkl"-' .
Os services do general Stewart ten sido bri-,
-. a m lhantes-
^ A -ranh a Victoria, como testemunho de apreco,
: o : ils p removoeu ao post de general de divisao,
Svai eleval-o ao pariato logo que regresse a In-
glatansa e no easo de resistir ao ferimento que re-
ceben.
0.. general Stewart 6 dos mais modamros do ex
:,i ercito inaglez. Tem 42 annos de idade e 21 de
e'*Cimv:igo. 0 general Walseley foi o primeiro que
-1 o diatonguiogniaa guerra da Zululandia, onde servio
c- a- +I seu eretario e chefe de estado-maior.. Dua
- ,+l a-nto a ultimasguerra no Egypt, Ste*arttssrvio
eM + $t0q: ue, wno jr~ninipia-do
S....... a'genral Graham move cintra
m a do comonol qeVioar sabem
e ut t a gneral Ridvers Builer
I]9 itenino di brigada
am+osl Reeven, os cildet ream
oanda a for~ae quo fleaarnm ema
fioa fqnid6 na r6xanJs
4 mgo escondidq, isa. Os,


+."~~- ...t.. in+


Corn a chegada dos reforms recenteniente en-
viados de Franca e da Argelia, devem estar na
China e no Toukiu cerca de 24,000 homens do
exercito do continent e do da Argelia, al6m de
6,000 atiradores asiaticos, das guarnigoes da es-
quadrilha do Tonquimn e das da. esquadra do al-
mirante Ceurbet.
SA somma das forcs militares que estio sob o
commando do general Bri6re de L'Isle de um lado
e do almirante Courbet do outro, deve subir a um
effective nao inferior a 40,000 homes.
Na segunda quinzena do proximo mez de mar-
go, 6poca em que devem ter chegado ao extreme
oriented os navios partidos ha pouco de Franca e
os que vao sahir com aquelle destine, estario alli
em service os seguintes vasos de guerra : 5 cou -
ragados, 18 cruzadores, 1 cruzador auxiliar, 2
ttansportes, 7 canhoneiras, 2 torpedeiros, alem de
varias lanchas portas-torpedos. Sao ao todo 34
navios corn 280 peas, 7,000 homes de guarnico
e 4,000 homes de desembarque (infantaria e ar-
tilharia de marinha) na ilha Formosa.
Ha muitos annos que se nao reuniam tao nume-
rosas e tio importantes forcas navaes sob o corn
mando dc um almirante.
0 general Brire de L'Isle informou o governor
de que estao oompletos todos os preparativos para
as novas operaSoes.
0 almirante Courbet, segundo constava em
Paris em 31 de janeiro, ia lutar immiediatamente
corn os navios ehinezes.
Annunciam de Saigon que as tres columinnas
de tropas francezas que percorrem o Cambodge.
dispersaram os insurgentes, e que Sivotha, o che-
fe da revolt, 'stA terido.

Estados Unidos
Dizein de New-Yorl: no dia 29 de janeiro ulti.
mo, que um telegramma de Montreal communicara
que o chefe de policia passara a :iso A administra-
gio do caminho de terro do Grand-Frank, de que
se preparava um attentado pari destruir a ponte
Victoria.
0 telegramma accrescenta quo a dynamite es-
tava sendo fabricada na fronteira dos Estados
Unidos, e quo os dynamitistas se propunhamin uma
grande campanha destruidora no CanadA.
Em Montreal tomaram-se encrgicas medldas do
precauiilo.
No parlanmento toi apresentado, pelo represen-
tante de New-York, um bill tendente a impedir a
fabricagio illegal da dynamnyte. Taminbem nas ca-
maras dos estados de Massachasscts e de Connec-
tceut form apresentados projects corn penas
graves contra os dynamitistas.





Correspondencla do larieo de
Peruambuco
PORTUGAL --LISJ30A, 4 do fevereiro de
1885
Deixo para o fim a synopse dos acontecimentos
politicos para Ihes poder annunciar o desenlace
da crime ministerial determinada pela sahida do
Sr. conselheiro Antonio Augusto de .Aguiar,-que
era ministro das obras publicas.
Na minha do 29 os infornmei la deaoansideraqao
que foi teita ao Sr. Agniar, pela falta da consti-
tuico da commissao de fazenda da camara dos
deputados e ausencia de grande part dos seus
membros, quando o ministry alli, foi para'se tra-
tar de dar parecer ao seu project do melhora-
jnment)os do port de Lisb)a. No dia 29 escreveu
ao Sr. president do conselliho para que pedisse a
el-rei a sua exoneracao. Algumas folhas political
de 29, mas s6 [as da opposigo, annunciaram o
facto, em que os perio-licos ministeriaes seoabsti-
veram cmdadosanmente de tallar, emquanto Ihes
foi possivel fazel-o. I
Na-camara dos deputados, os Srs. Jos6 Luciano
de astro e Emygdio Navarro (progrossistas) ins-
taram corn o Sr. Hintz Ribeiro, ministry da fx-
zenda; que era o unico que estava presonte, para
que dissesse se era verdade, como c nstava, ter-se
exonerado o ministro das obras publicas. 0 Sr.
Hintz Ribeiro responded que nada Ihe constava
officialmente e que se houvesse que annunciar .
representaco national umia rise on a solucao del-'
la, ao Sr. president do conselho de ministris
eompetia fazel o. Esta pertinaz reserve do re-
presentante do governo irritou os membros da op-
posicao e alguns d'elles deelararam que nao se
prestariam a continuar na discusseo da resposi
ao diseurso da cor6a, emquant o ogo' erno nao vieig
6e camera explioar a situaco do raiuisterio. E
nisto algunse sahiraxn, outr(s desistdram da pala-
vra quando Ihes chegon na ordem da inseripao,
o que deu em resulted caber m~ais depressa ao Sr.
Mendes Pedrosa, goenamental e ao Sr. conse-
Iheiro Dias Ferreira, opposicao.
Foi.snergico o seu disdurn e, eomo sempre, no-
tavel pela'sua fuenci e eorrccaO parlamentar,
mas unicamente se o ncuPou da te o financeira,
abstendo-se de entrar I: ap(sace3 de erdem
political r nuo estarpreseent:or. >oantese .
NIo di seguinte,: no estava present nenham
dos ministros e pot ease motivo, allegaudo o Ire-
.idente quam iur^ Ade aervi public
os mNhbiude cl cereB ^ruaa ea4. E:
asina Be jassouate b~b$ otS wiladruso


reucijw pubficas emque exp-,Uh~tllBas'
,qne sahern do peder, taw dao0gl*t~










a proposta do Sr. Antouio Augusta agl,
com e so explica tr consentido on promovid, os
bastidores da politiea, a des4onsidertt* -
geute dai comimiao de faenda ,a d i
putados que motivou a ahida d'aquelle omiui*0? j
On dar se-hia o case que Sr. Fontea hotvesse

po coMipertial da principal praep do p ?
Este iso os facto.s-e fo quii seAMo eau-n
mir amplos commentaries que seofizeram a rim-
prensa e nos cireulos politicos.
SCoincidencia notavel: 4 primneira noticia dw .ri-
se ministerial, pela sahida do Sr. Aguiar, ea fen-
dos portuguezes que tinham deacido a ,44 3/8 gal-
garam logo a 45. Complicou'se a rise, e a pra.-
9a de Londres eleva a ootacio. Os fundoa porto-
guezes ficaram no sabbado (31) a 45 318. Fer-
vem os telegrammas a participar que o Sr. Fantes
se v0 de mais em mais embaragado, queo Sr. Lo -
po Vaz (ministro da justice) quer acomrpanh naz
qneda o Sr. Aguiar, qu o Sr. HiatOe ibeimo
ministryo da fazenda) nao p6de aguentar-se a*
pr.9a de Londres que reaistio tenazmente as or-
dens de campras avultadas que d'aqui foranm, res-
ponde a todas estas complicag5as corn una nova
alta. O funds portuguezes ficaram no dia 2 do
corrente a 453/4.
Deade que a rise se declarou, os namos fun-
dos, que miam em baixa progressisva, subiram 13/8.
A impreasA da opposicIo explore estas oscillat-
9c5s da B)lsa.
Vamos, poren, ao que import.
Das Ifotlhas :progresaistas part advoga como
soluglo da rise, a organisa*o d'um miniterio
de concilialao, porque, nao se tend a maioria da
camera inda compromettido em nenhuma votacao
de coufianqa political para com o gabinete pode,
sem desire apoiar outro quo prosiga no empenho
de se liquidar a questAo das reforms political.
Outras folhas progressistas entondem que a crne
niao poerA cm hypothese nenhuma produzir um
gabinete serio de conciliaco: nerm de conciliaglo
dos elements regeneradores, nem de concitiaglo
corn outro ou outros partidos. No meio do grupo
ministerial, dizem estas, as dissenoesa ficeram
mais assanhadas do que nunca; e entire esse-gru-
po e a opposition progressista, nado ha pactoa ner
transigencias p88ossive8s.
Fallava assim o Correio da Noite de segunda-
teira e no se u ultima hora dava o boato de se ter
aggravado a rise, nub chegando os miniatros a
um accord e dando-s como certa a queda do ga-
binete.
Corria tambem que o Sr. conde de Casal Ribei-
ro seria chaminado polo soberano para organisarno-
vo ministerio. '-
Entretanto As Novidades uova folha promressisl
ta de qut e redactor o Sr. E. Navarre disitaniA
ultima hora que a idea d'um ministerio do cenci-
liagao ia gauhando terreno uos circulos politcos,
indigitando se de preferencia para essa miao o
nome do Sr. conde do Casal Ribeiro. "
Espero, porem, que antes de fechar esta oAa, 0
governor tenha aununciado as cameras a verdadei-
ra situa*o politiea em que se encontra. Tudo o
mais sao indigitag5es, boatos, de que Ihe suppri-
mo a maior part.
0 congress postal que devia abrir-se nos pri-
meiros dias deste m.z, ficarA adiado por alguns
dias, atW que haja novo ministry das obras pu-
blicas que presida a inaugaraclo dos sons tra-
balhos.
CoAItinuam 03s espectaculos, concertos e baza.
res em beneficio dos andaluzes. A matin6e do 1"
do corrente mez nas salas da redacVeo do Correio
da fMatahd esteve bnlhantissima. Aquella redac-
cao teve a habilidade de congregar nas suns salas
o que ha de mais diatineto em lettras e artts, ljoe-
tas, eantoree e acntaes dos mais festejadgs nesta
cidade alH coneorreram, recitaudo formznaas pee-
sias, oantando mimosos treehos e deelamando ma-
nologos interessantes. Um espectaculo delicado,
gracioso, elegant em toda a extenseo da pala-
vra.
A decoratao da entrada, escadaria e palco en
que abundavam os arbustos cars e as flores de
mais valia, a selecta escolha dos convites, a boa
vontade e talent corn que todos os artists e poe-
tas contribuiram parn tornar miais aprimorada a
festa, fal-a hao par muito tempo lembrada.
A' ultama hora a familiar real que era esperada,
mandou dizer aos promotores da matin'se quo nao
podia comparecer.
Segundo escreve um correspondente de Ber-
lim, ao metrno tempo que tern corrido as negocia-
caes entire a Franca e a Associaeo Internacional
Africana sobre 3s limites das respectivas posses-
soes na bacia do Zaire, tern havidotambem iguaes


negociagoes entire Portugal e aquella Asscciagao a
respeito da demarcacao dos territories a que res-
pectivamnente tem direito na mnesma region.
No dizer do correspoudente, Portugal nao se
oppoe de modo absolute a qu9 no Estadu do
Congo estenda a sun soberania sobre a margem
dircita do Zaire, desde a foz ated defronte de oek-
ki ; inas nao quer abandonar inteiramentea os ter-
ritorios a quo se julga corn direito, e quo so os
que eram referids no tratado eom a Inglaterra.
Insiste absolutamente em conservar no Atlantico
os dois reinos de Molemb e de Cabinda.
Nestas condig5es, o ter-itorio do Estado do Con-
go, dc enorme largura no interior do continent,
onde a carta annexa ao tratado de reconhecimiento
celcbiado corn a Allemanha lihe attribue ulna su-
pcrficie de mais de 2,500:000 kilometers quadri-
dos, viria a terminal corn ponta aguda na costa do
Oceano.
Se isto 6 verdade, (e o certo 6 que nos vemos
reduzidos a s6 ter noticias do estado da question
p-w infornag5es estrangairas) parece um errogra-
ve deixar que entire o nosso territorio do Zaire fi-
que uma nesga de territorio estrangeiro, em que,
do mais a mais, se include uma das margins do rio
e um ponto da costa do Oceano. Era uma origem
constant de conflict, que ficaria a ameagar os
nossos direitos, a obrigar-nos a onerosas precau-
9ges e a prejulicar o nosso commercio.
E sobre este assumpto discorrem alguns jornaes
esta semana, mas tudo no vago porque nem o go-
verno nem a sun imprensa se teem resolvido ain-
da a esclarecmr o paiz a tal respeito.
Para a questAo do Zaire, diz corn acerto um dos
articulistas, s6 ha duas soluioes rasoaveis : -ou a
posse definitiva do todo o territorio a queotemos
direito, at 5" -12' de latitude' de sul, ou a occupa-
gao at6 A margem esquerda do Zaire, inclusive,
como o entendia o marquez do SA da Bandeira.
Deixar que a Associa.ao Africana venha inter-
par-se com a sua nesga de territorio now nossos
dominios, 6 uma grande imprudencia, ou antea nm
erro injustificavel. "
P. S. -A crise.' Ainda no nestilo vencidas as
d'fficuldades. 0 ouselho de'tinistros, procumra ten-
tar outras comnbinages no.propesito deo-uma re
coomposicao, visto que tam m oa Sr. Lop Vaz de
Sampaio e Mello (minist r justiga) manifest a
deliberanao do sahir. A- pF-9
Pela mala do-Derwt* quC deve tocar aqui a
6 espero poder amplefiearecomptetar as.,inhas in-
formag5ps que, o teegrapho submarin+paor cer-
to, em todo o caso, antecipar pra os nossos lei-
toros. :- r +
E' A 28 de maro que e effetuare e Lboa a
tssembl6a geral da gompankia dos caminhos de
ferro pontugueaes de NoW -.e Leste.






e,.


so as ha .Mha314oo apt
eupaaa~spooIsquo cxi.
upaodas, as o qe tei por intrusos que
'0 Miniterio da- gultumr tern reebido va-
ries onttos pediddo. daalla naturexa, aw quees
iraattendeudo A medida quo Ih'o permiittir a vet-
IAdfttinada a sefvics de -colou aa* a- Dr
IQWOiS IQW9 6k* .
o ozorciclo" do-
mAdo otrrepondae a4 i0ovuAn~oseedades. As-
e~graan-nos de boa fonts quebilitadoo govero-
ao corn as mes neoeqaaios, podeei.o c no
proximo exoMreiciio om :a introduxco daaoamnqs
de 40 a 50,00 iiRmignates. Acodem de toda
part offerecimentos de immiigrantes com a eondi-
$o do transport gratuito.
A este respeito lembraremos que, entire os do-
cumeatos omieites apresentvdos ao congreasso ar-
gentino em sua ultima seasio, pode ser viato um
,Offlcio da legaglo argentina em Bruxellas, no qual
a mesma legacao, depois de ponderar que-a Bol-
Wica e em todo o continent europeu o pais de po-
pulabmo ais densa, faz ver ao governo que scrA
util providencia conoeder transported gratuito a
familiar belgas que se estabelegam nt pequena
coolonia desta-nacipalidade em Entre-Rios. Qaian
do agents dipioiaticos da vizinha republican, on-
de tUo adiaunado vai o servio da colonisago,
julgam necesaaria a coneassao de transport gra-
tuito a immigrants que para alii se encaminhem,
devemos n6s cnveneer-uos de que ainda nao che-
gimos a posi o de coafiar sa6mente da corrente de
immigrants que possam pagar a sua passage.
A immigraio pode trazer-nos homens de ha-
vers medianos, mas a maior part dos immigran-
tea 6 formada por artesios e agrieultores que na-
da ou pouco mais possuem do que os seus bragos.
Esperar s6meute immigrants que se achem no
caso de pagar a sua e a passage das pessoas de
sua familiar, import nao contar corn a immigragio
como fonte abundante do trabalho. Pode isto pa-
recer grande sacrifieio para o Estado, mas cumpre
qu3 naos resigaemos a' ello se realmeute queremos
imnsigrauo na eseala correapondente as necessi-
dades da tranaformas.!o do trabalho. Nem nos fi-
que desgosto pot adiantar o preyo de passagem a
immigrants qae, podeado pagal-o, se eximam de
ofazer. Aquelles que em takes condi9Ses solicita-
rcm semelhante favor, importario intaetas as suas
economies e o peculio de immigrants constitute
precioso element de feeundagao do seu traba.
lho.
Devemos leobrar-nos de que, se immigrants
ha que, pela natureza da sun profissao ou em vir
tude das clausulas corn que contratam seus servi-
cos, podemr ganhar a vida logo depois de desem-
barcar, o mesmo uao so da coin aquelles que, de-
sejando estabelecer-se em lotes coloaiaes como
proprietarios provisorios, corn a louvavel esperan-
ea de tornarem se definitive, tMrn de esperar du-
rante mezes a fruetificacao de sun primeira colhei-
ta. Outr'ora, no previdente regime do regula-
mento de 19 de janeiro de 1867, era disposto par
maneira que a cada adult recemin-chegado cou-
bessem no primeiro semestre 90 dias de trabalho
na construeao de estradas e de outras obras co-
loniaes. Era o meio de os abrigar da miseria
nesse period de espectacao, e, se o system pro
duzio alguns resulitados deploraveis, da execugo
devemos queixar-nos, uem ha mecanismo que o
abuso nbo possa deturpar. Hoje, por6m, que
aquella diaposico nio se acha em' vigor, augmen-
ta a necessidade de preservar quanta possivel o
peculio dos immigrants que dove servir-lhes de
amparo nos primeiros mizes d, estabelecimeanto.
E' preciso aceitar a immigranb como ella 6,
csmo a aceitam 'goitosamente todos as paizes, cu -
jo povoamento iacipiente exige introduccao do
elementos estranhos. Priuncipalmente agora, quan-
do a Europa tanto se preoccupa de political colo-
nial, mais se aggrava a necessidade de auxiliar
a immigragio. Se todas as provincias do Impo-
rio podessem encarar o problema coin a energia
que Ihe estao dedicanto S. Paulo e Rio Grande
do Sul, a tarefa do Eita-lo serna muito facilitada.
Itielizmente 6 nulla em todas as outras circums-
cripo5es do Imperio a aeao provincial, quanto A
introducaeo de immigrants, e o Estado 6 obriga-
do a fazer por si s6 o que deveria fazer cumula-
tivamente corn as provincias.
Confiamos que oa parlamento farn por sua parte
o que pode, nao eonstrangendo a administraclo
pela escassez dos meios dedicados aos servigos da
colonisac.o. A intensidade da question do traba -
Iho toea ao seu auge e e precise proporcionar a
esta exigencia remedio prompto que outro nao
pode ser seuao a introducciao de bravos em gran-
de escala. Se por um lado o populacao national
vai em augmento, posto que em proporcao inteira-
mente desconhecida, pcrque nao temos estatistica
que nol-a mostre, nao 6 menos certo que a viaco
ftrrea e o desenvolvimento da navegaco fluvial
tdm por sun vez augmentado o territorio utilisa-
vel; de sort que a densidade da popula~ao nao
tern melhorado senao em gr.o diminuto, salvo nas
zonas pars as quaes tern affluido a corrente de im-
migrantes, e boem pousas sao elias. Crcmos que
estas verdades de ninguem sao desconhecidas. As
vantagens da immigracao nao precisam mais ser
encarecidas. A nssa experience esta feita e dos
resultados da experiencia alheia temos prova pa-
tente nos esforcos corn que tantas nacoes se em-
penham em attrahir immigrants. Ellas enten-


dem que povoar n enriquecer, 6 augmentar a ar-
recadaeao dos impostos, 6 diminuir o peso relati-
vo das dividas publicas, 6 injectar sangue genero-
so nas arteries nacionacs, 6 emfim accelerar a
obra quo a natureza s6 lentamente executa. 0
Brasil nao pode ter intui9lo diverse da de todas
as outras nagocs que occupam no globo vasta su-
perficie.


Rt iiST DIAIIA -
Sill do imperio-0 paquete national Ma-
ndos, chagado hjntem do sul, apenas trouxe as
seguintes neticias e as que constam da rubrica
Parte official:
Rio Graade do Sal.-Datas ate 4 de feverciro :
Foi pronuaciado no art. 193, cowbinado corn o
34 do codigo criminal, o alferes Francisco Ferrei-
ra Shares, que, na noite de 12 do mez findo, ferio
gravemente corn dous tiros de revolver o empre-
gado da alfandega da cidode do Rio-Grande, Ma-
noel Jos6 Soeiro Junior.
Foi recolhido ao quartel de policia da capital o
Sr. Luiz Candido Teixeira, advogacdo provisiona-
do, em cujo earacter commetteu o crime de estel-
lionato na cidade de S. Leopoldo, e fopronuncia-.
do polo juiz de direito dessa comarca.
Em S. Joao do Mtonte Negro foi assassinado As
9 huras da noite de 27 do pasmado, 6 advogado e
secretario da camera municipal Carlus Octaviano
de Paula.
Em Porto-Alegre, no dia 23 do passado, nma
praga do 1So batalho de infantaria fez com um
punhalcinco ferimentos graves no capitio Auto
1io adino de Souza Alves, que 'am achava no
quarter servo de estado-maior.
A ferro readeu em dezemLbro ultimo
4t9:8265890. pedeu 37:QP2S860, apresentan-
do asnai o 12:730;080.
FalleeAte pebdo Taquary, ifepentina-
mente, o-Dr. AAk 4ezvedo Monteiro, que
seBdirigm ^P( Ia a(do ASCas l tae,
uidia. qpde so-
-LAa UP.0o wwsn do "A ka


SlNxu 0 q laai*I-st60
des" rmote sA6, B, dignos d ser co-a,
SNo dia 2i, Joana, depoi de ter arraaado a di
soa e-as, foib laar rwupa. Findo esse 9em ,o 0
paz-se 4 canter, pf""44pA-mmimsbro 4di pert.4.
mRando, quo lhe perwtoo: o quo toeaquo tanto n
catataa:
Teuho oatane id o4" 01ade4h- q
ella; e, coatiuasado Awr8 a
roopa quo acabavsaadelgpziou e 5 6n- j
ton-se na sapagl a o pe p.1w pntan- a
tear-so. '* --
a -Depois e onu W 'fixlhm, 48a S -W ebem
ponteoonpemgiuitao4iWr 4 jiOw <
havia sahido papa4mpraa u.
a Chamou em seguida o marido, a quem tudir
aquillo causava espanto, e que lhe perguntou ain-
da: mulher, oa que que estias adevmhando ? j
Joannma passou-lhe o peate pela cabega can- F
tando se-.;pre. Pedio depois que fossem chamar ej
IW.ip prtipAva mito fall.rlhe. 0
mando responded que nao podia fasel-o por nao b
ter o cavallo pertoe de casa. A infeliz ratorquio- a
Ihe enteo:
I Bern ; ji que nio podes ir, leva-me para a
cama. d
Eu na' posse comtigo ; estou doente, dis-
se-lhe o marido.
S- Leva-me eatlo para a cama das crianors.
S0 umarido a foi levando, e antes de chegar ao
leito, era Joanna cadaver. a
Rio ce Janeiro.-Datas atW 10 de fevereiro :
L.-se no Joral do Comercio de 10 : .
S Suas Altezas toncionam regressar de sun ex-
cursai as provincias do sui a bordo do paqueteo
national tio-Pardo, em meiados de fevereiro,
desembareando na cidade de Santos corn destino d
a- de S. Paulo. D'alli seguirao em trens espe-
ciaes das estradas de ferro do Norto e D. Pedro d
IH, para a estato do Desengano, peruaoitando na
fazenda de Santa Monica.
a, No dia seguinte Suas ltezas irao a. estaqao E
de Eutre-Rios, onde tomamiao a diligencia para t
Petropolis. a
Before o Voto Livre, de Cantagallo, no s3u d
numero de 8 : t
a UMA grande barreira, qua cahio entire as es- d
tagoes de Santa Rita e Boa-Sorte, impede ha qua-
tro dias a passage dos trens naquelle lugar. 0 d
servigo do trafe-o faz-se corn uma baldeaao na i
quell ponto, onde estio trabalhando effective e t
constantemente cem trabalhadores.
a Ib-je, domingo, costa que fot augmentalo or
pessoal do trabaiho de m)lo a fear rostabelecido
o transit. A barreira era enurme e occupava
unia extensao do 40 metros. ,,
Falleecu no dia 9, A. uoite, nesta cidate, o
Dr, Dxmingos Soares Pinto, cirurgiio de divisao
do corpo de saide da armada, e medico do hospi-
tal de marinha, quo ha cerca de dous mezes estava
eufermo, e a quem ha poucos dias fora amputada 1
nma perna. 0 Dr. Shares Pinto fez toda a cam-
panha do Paraguay, e era condecorado corn os
habitos do Cruzeiro, Aviz e Christo, officialato da
Rosa, e medalhas 1, 3 o 9 da campanha do Para-
guay.
Eis as noticias commerciaes da ultima data :
Rio, 9 de fevereiro di 1885. -0 mereado de cam-
bio esteve hoje froux, e em baixa. 0 London
BAnk e o English Bank realisaram algumas ope-
raq6es sobre Londres a 19 1/8 d., caixa matriz ;
mas depois das 11 horas recusaram sacar a este
prego. 0 Banco d: Commercio nao affixou tabel-
las, e o Commercial sacava sobre Portugal a 282
o/o A vista.
0 movimento do din foi pequeno sobre Londres
a 19 1/8 d., bancario, sobre caixa matriz, e a 19
1/1 e 19 3/16 d., papel particular.
A' ultima hora o London Bank adoptou a taxa
de 19 d., sobre banqueiros.
Na Bolsa o morimento toi regular.
As vendas de caf6i conhliecidas atW as 5 horns Ia
tarde cram de 10,270 saccos.
Bahia.-Datas ate 14 de fevereiro:
Nada referem as folhas que mereca mensiao.
Ala0Oae.-Datas atW 16 de fevareiro :
Tambem as folhas data provincial nada dao de
interesse.
Tribunal do Jury do Recife H)n-
tem neste tribunal foi submettido a julgamento o
rdo Jolo Machado Itevoredo, pronunciado no art.
205 do Cod. Cnrim.
Teve par defonsor o Sr. Dr. Vicente Ferrer de
Barros Wanderlcy Amaujo e foi absoluido.
Blerimento leave -Ante-hontem, as 8 ho-
ras da noite, quando viahpela peute dar Boa-Vis-
ta para Santo Antonio, -onde reside a rita de Hor-
tas n. 42, foi o criolo Severinu Venancio dos San-
tos ferido levemente na regiae dorsal esquerda,
send eeu offensor alguem que fazia pazia part
ou acompanlfra um grupo de mascaras, com quem
aquelle se encontrar t, e que o ferido ndao poude
saber quem era.
0 ferimento foi do estoque, confurme verificou o
Sr. Dr. Jose Joaquim de Souza, que foi chamado
hontem parm curarmo ferido.
Oliada-Hoje tern lugar na matriz de S. Pe-
dro Martyr da cidade de Olinda a bencao solemn
das cinzas; e durante todos os demingos da qua-
resma sermio pelas 6 horas da tarde, dando- se no
fim de cada sermao a bencao do Sacramento.


Serlo pregadores: no 1 domingo, o pregador
da capella imperial Frei Augusto da Immaculada
Conceigao Alves; no 20 o provisor do bispado,
conego arcediago Dr. Luiz Francisco de Araujo;
no 3o ovigario geral interino, conego Dr. Joaquim
Graciano de Araujo; no 4o o conego Joaquim Per-
reira dos Santos; no 5 o aconego Manoel Joao Go-
mes; no 6 o conego Eustaqnio; no de resurrei-
ao, o respective vigario, Dr. Manoel Cavalcante
de Assis Bezerra de Menezes.
Larapio-Hontem pouco depois de meio din,
na ruan Duque de Caxias foi preso em flagrante
delicto como incurso nas penas do art. 257 do Cod.
CGrim., Antonio Jose da Silva, por ter furtado uma
carteira em que se continha 10; ou n11 em di-
nheiro e diversos documents, pertencentes ao Sr.
Joao Percira Moutinho.
0 criminoso passou a outro a carteira e se acha-
va armado de faca de ponta.
0 Sr. subdelegado da freguezia tomunu canheci-
mento do facto e esta procedendo a inquerito.
Fallecimento-Accommettida de uma vio-
lenta angina, ha poucos dias, no Caxangi, sucum-
bio hontem nesta cidade, As 11 horas da manhila a
espoia do Sr. Antonio Nunes Ferreira Coimbra.
D. Maria Augusta Coimbra, filha unica do Sr. An-
tonio Jos6 Coimbra Guimaries.
Contava apenas 24 annos do idade a inteliz
senho:a, que deixou dons filhos ao seu inconsola-
vel es oso.
Dotada de um excellent character, carinhosa e-
meiga, o passamento premature da desventurada
senhora consternou a todos quantos a conheciam.
0 seu cadaver esta depositado na capella doCe-
miterio Publico d- Santo Amaro, e sera hoje, As 9
horas da manha dado A sepultura.
Aos Srs. Coimbras apresentamos as nossas con-
dolencias.
Boa presa-Ante-hontem, As 8 horns da noi
te, foi capturado na Magdalena, mascarado, e des-
Iarcado em preta baihana, o individuo de nome
Patricio Damaceno, cumplice no assassinato de
-Manoel Honorato edrim, pratieado em 16 de ja-
neiro proximo findo no largo do Viveiro.
Foi recolhido a Detengio.
Em transito 0 paquete Trent levou, no
domingo, para a Europa, 181 passageiros, sendo
24 tornados emr Pernambuco.
'Dinieiro- 0 paquete Trent trouxe do sul
parm.
English Bank 100:090401t0
0 mesmo paquete levou para:
Inglaterra 700
0 paquete Ceard levou para :
Alagors 150:3004000
Rthia 50:0004000
Waio de Jaseiro 3:000,000
0 I Mandos trouxe do sul para :
40 ia :"$lves To1s 2:700i000
Ainoel-. rtutt Muza 2:008000
0ilM e I i ateomn, ceres de 7 1/2
.wr4asu4 oite toda ruas tu Duque de
If iko &- ontirtam-sle douse*


a&Ijgfjs
Caracas


IM SATO-
note em
>-Be qua:
'itado i
a. cidade.


As46no,
;aNA um
ai~usbea
^*oneW


olU1i4q3 asaphinlija inmensidade de ser-
0 ,t*e e itos quo v viaMO cavernuas.
am foe iro ,4 1835 a silaRU-se Concepclon,
*hoiae Chilane oa000oe esam Popayan, Bo-
eot, Santa Maria e Carraceas um terremoto cujo
sido durou sete horas inteiras sem haver oscilla-
ao. 0 phenomenon sentio-se tambem em Haiti,
amaica e Nicaragua, e as cidades de Concepcion,
7alcamanp e Chilhan (Chili) desappareesam por
ffeito deese espantoso terremoto.
Por effeito de um terremoto. que houve na repu-
lica de S. Salvador, em 1856, contaram se 180
balos snccessivos, corn muitos curtos intervallos.
Em 29 de mar9o de 1861, Mendi-9a (Republica
krgentina), foi arruinada pora um terremoto, cuja
uracao chegou a um minute, perceenudo as duas
ercas parties da populaqA.
Em 13 de agosto do 1868 suecurbiram por
guaes eausas as cidades de Iquique, Arique c
Lrmquipa (Peru).
Puuncos dias depois fundiram- se duas cidades
erto de Quito no Equador, sendo as victims em
numero superior a 18,000.
No Mexico, depois de tires mezis de convulsoes'e
mores subterraneos, formou-se de repente em
ma pleanrao vulcao de Forcello, cuja altura e
le 500 metros.
- No dia 15 dejaneiro, cobrio-se de neve a ci-
ade de Paris. A temperature desceu a 2 grios
baixo de zero.
A's 10 horas da note eomeqou a neve a cahir.
Pouco depois estava interrompida a circulaqto dos
renas.
No din seguinte, algumas linhas de omnibus e
e tramways tiveram de parar, eos poucos que
rabaltharam foi corn grande difliculdade e corn o
iobro do gado.
Em quasi toda a Hespanha o temporal de never
.o mesmo dia foi de tiao grades proporgoes, que
sterceptou os comboiose os correios, e o frio de
al mode se tornou intense que em Soria o ther-
nometro chegou a marear 25 grAos abaixo de ze-
o ; em Teruel, 7 ; em Burgos, 9 e em Vallado-
id, 10.
Um liviro curiono Annuncia-se para
reyve aipubhluanlo do uma obra destinada a fazor
Grande bulha no mundo scientific.
E' eseripta por um sabio, que se occupa de
calculos astrologicos.
Segundo elle, o principle imperial morto na Zu.
andia devia fallccer no din 7 ou 8 de junho. Ef-
fectivamente foi na primeira d'estas datas que o
filho da imperatriz Eugenia morreu.
0 principle Jenrnmymrno Napoleao diz o novo
Nostradamus, o Sr. Grandselve-nasceu sob o 180
grAos da Virgem, cm um anno de Venus, no cyclo
d'este plauneta, no 24.0 dia lunario em natividade
nocturna.
Posta esta lenga-lenga, o prophet declare
que o principle Jeronymo, por iunfueneia de tudo
isto, deve ter um character irascivel, duro, azedo
e vingativo... que farA principalmente soffrer os
proprids pareutes. *
0 principe, segundo tambem as indicanSes lu-
narias, deve termninar por more violeota-fim
dpsgra~ado. A data para e desastre esta' tambem
marcada : 3 do setembro de 1907.
0 principle Victor, filho da alteza precedent,
terA tambemn um fim desastroso, provavelmente
queda de mn cavallo, on de nma carruagem.
0 principle de Faris-,6 uma razzia nos princi-
pes, born Dewus !-tambem teri morte desastrosa,
quinta feira 16 de abril de 1893.
Vejamos agora a sorte do Sr. Grevy.
0 president da republican naseeu a 15 de agos-
to de 1807, sob o 23. grao do Lego, anno do sol,
no cyclo de Venus, din de Saturne, hora noctur-
na, no 14.a din lunario.
Prognosticos excelleutcs.
Deve fallecer em 5 de fevereiro de 1900.
Leoo XIII deve perecer tainmbem de morte vio-
lenta, no din 4 de julhb de 1886.
A rainha Victoria-tambem ella !-morrerA
n'um incendio, ou das coasequencias d'elle, no
dia 10 de setembro de 1889.
Restam-Ihe qpstro annos, apenas !
0 principle de Gall-deve morrer em conse-
quencia de um movimento revolucionario, no dia
20 de janeiro de 1894.
0 imperador da Russia em 1900.
0 imperador da Allemanha estA sob o perigo da
ameaca de inimigos occultos, secundados por mu-
lheres muito para se temerern. A sua morte esta
marcada para 10 de julho de 1890, na idade de
93 annos. 3 mezes e 18 dias.
Limitamos a isto as propheians do home.
LeiI Hoje :
Pelo agents Pinto, As 11 horns, a rua Viscon-
de de Goyauna a. 159, de moves, lou9a, videos,
oct., etc.
Pelo agent Carnw o Silva, ao meio dia, A tra-
vessa do Corps Santo n. 27, de predios.
Pelo agente Martins, ao meio din, A rua do Im-
perador n. 16, de predios.
Podo agent ,Silveira, as 11 horns, ns largo
do Paraizo n. 24, de predios.
Pe'o agent Britto, As 11 horns, a run do Rmsn-
gel u. 41, de predio.
Pelo agente Alfredo Guimardes, As 11 horns, no
armazem do Annes, de batatas.
Amanhi:


Pdlo agent Pinto, as 11 horns, na run do Born
Jesus n. 49, de manteiga.
Pelo agent Martins, As 11 horas, na rua ds
Bomrn Jesus n. 32, dejoias do Monte de Soccorro.
Pelo agent Pestana, "s 1 horns, na run do
Marquez de Olinda n. 58, de moveis. .
Pelo preposto do agent Burlamaqui, As 11 ho-
ras, na rua do Imperador n. 22, de moveis.
Pelo agent Gusmrao, As 10 1/2 horas, na rua
do Marquez de Olinda n. 13, de objects de prata.
Pelo agent Carmao e Silva, ao meio dia, na tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, de predios.
Pelo agent Pestana, ao meio din. na run do
Vigario n. 12, de predios.
Pdlo agent Pinto, As 11 horns, A rua d) Bomrn
Jesus n. 49, de fazendas.
Sliias funebres-Serao celebradas :
Hoje:
A's 8 horas, Da igreja do S. Pedro, por alma
de Bernardino de Jesus Monteiro ; As 7 e meia,
na matriz da Boa-Vista, por alma de Rauul de
Lemos Bastes ; as 7 horas, na matriz da Boa-
Vista, por almo de Ve Victor Lavisio.
Amanhba:
A's 8 horas, na matriz de Santo Antonio, por
alma de D. Rosa Augusta da Silveira Maia.
Sexta-feira :
A's 8 c meia horns, na capella de Beberibe, por
alma de Juvencio Vaz de Carvalho ; As 7-horas,
na igreja da Penha, por ahnlma de D. Florinda Ma-
ria da Conceigio Santos.
Passageiro--Vindos dos portos do sul no
vapor national Manaos :
Dr. A. A. Guimarmes Azevedo, Dr. Joao C.
Gutierre, sua senhora, 3 filhos e 1 criado, Dr.
Theodule Broeheter e sui senhora, Dr. Jose Joa-
quirm Seabra, sun senhora e 4 filhos, Dr. Octavia-
no Aracajd, Fernando B. Fontanell, Jobo Diogo
Herthey, Emilio Belliou, Francisco Botelho, Joao
Tolentino de Almeida, Manoel Nune3 do Valle,
Joto N. S. Pereira, Bento Franclseo de Souaz4
2. sargento Saturnino Gomes do Nascimento,
Manoel Rodruties de Lima, Antonio Joaquim Bi.
Pinto, August Laam, Joab A. de Souza Pmamizo,
Maria Francisca da Conceibio, Anna Lemos e
Paulina, Antonio Santos, Felicidad e e Regina,
Roberto F. Nogueira, Josa Joaqumn& qd 8antau
Lima, Antonio-da Csta M. BNsti- lotephai-.
da Conceic6o 1 nefa, padre Masoel' Taei
de Souza Lima, D. Cadic 1s8a E. Clenate,`
Pedro. Vendoval e o s ,a senhora, Pancia de
Aievedo, BalbinO de Gdi's -e Arh Wiaq,-
IUs El Brando, Cantddianiane i dooSac
J.W. Butter, BEmiano.-Regoe,7 ,0 ad4lo -
Eustlquio6"aAlexandria.. *^ li;
. V ,indos da.Eurpa no it
.miiinrUdscn, LouisW.


*







II'




0

















l|d na Cas O da FA ma t runa 1
.r[ |sgierii die Nitlkerey-Esta io-
" i veyo premio grande 4 de 400:000A000, sera
no dia 11 de abirl proximo vindouro.
i veada na Cisa da Fortuna, ruaa 1
ftfMa ro n. 23.
5torl da i Paraluyh-Corre no dia 21
de fevereiro corrente, a l& parte das loterias da
da provincia da Parahyba, cujo piano publicamrnos
ha tempos.
Os bilhetes acham-se a venda A rua du CabugA
n. 2 C.
Loterla de Macei6 Esta loteria cujo
"Ukior premio 6 4:OO(A, corre ,npreterivelmente
no dia 21 de fevereiro.
Bilhetcs garantidos A venda, na Casa Feliz, A
praca da Independencia ns. 37 c 59.
Grande loteria da core -Esta grand&
loteria, eujo preraio grande 6 de 500:000W000,
sera extrahida trevemente.
Os bilhetes acham-se A venda na Casa Feliz, A
praca da Indepeadencia Ps. 37 e 39.
3a grande loteria da corte de.....
rOOtOOO#OOO-Com novo piano muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham--se A venda A Casa da For-
tuna, A rua do Crespo n. 23, os bilhetes dosta lote-
ria.
Loterla de 390O000000 -A loteria 172
sa6rie B, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
to melhorado, corre hoje, 18 de fevereiro.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praga da In-
dependencia ns. 37 e 39.
Loterta-A de n. 172 B, do Rio de Janeiro
do 30:000A000 serA extrahida impreterivelmente
hoje, 18 de feverciro.
Os bilhetes acham-se A venda na Casa da For-
tuna A rua do Crespo n. 23.
Uercado Municipal de S. Jos#S 0
movinaento deste estabeleeimento no dia 16 de
fev4weiro, foi o seguinte:
Entraram pra serem vondidos : 33 bois, pesan -
do 4,693 kilos.
No mesmo dia entraram para o mesmo es-
tabelecimento:
Peixe, 96 kilos.
Farinha, milho e feijao, 20 cargas.
Fructas divereas, 22 ditas.
Suinos, 5.
Carneiros, 5.
Preos dos dias:
Carne verde a 720, 480, e 320 reis o kilo.
gino a 600 r6ia o kilo.
Caneiro a 1 e 800 r6is idem.
Farinha do 500, 400, att 283 reis a cuia.
Milho de 480, a 320 reis a cuia.
Feijao de 800 a 500 rs. idem.
Foram occupados:
40 talhos de cane verde.
18 ditos de suino.
8 ditos de fressuras.
35 compartimentos de farmha e couidas.
65 idem de legumes.
Deve ter side arreeadada neste di-i a umpor-
tancia de 1585020.
Cawa de Deteneio-Movimento dos pro-
sos no dia 16 de fevereiro :
Exiatiam preso* 396, eutraram 6, sahiram 5,
existem 395.
A saber :
Nacionaes 353, mulheres 7, estranged is 16,
escravos 14 -Total 395.
Arracoados 3G5, send : bonas 3-44, doentes 21.
-Total 365
Movimento da enfermaria :
Tiveram baixa :
Francisco de Castro Bairao.
Manoel Jos !e Lima.
Manoel Francisco Tavares.
Pedro Manoel Vieira.
Antonio Joaquim da Silt'a.
Joao Francisco de Lima.
Teve alta:
Innocencio Ferreira de Lima.
Matadouro Publico-Foram abatidlas no
miatadouro public da Cabanga pamra cansamo do
dia 18 do corrente 34 rezes.
Cemiterlo publico.-Obituario do dia 11
de fevereiro :
Maria Augusta d'Ohveira, S. Paulo, 29 annos,
solteira; tubcrculos pulmonaros.
Jacintho, Pernambuco, 19 annos, solteiro ; va-
riolas.
Hermelindi, Pernambuco, 3 mezes ; atopsia.
Joaquim, Africa, 80 annos, solteiro; tuberculos
pulmonares[
Candida Maria da Conceicao. Pornambuco, 39
annos, solteira; lesao cardiac.
George Tengeson, America, 28 annos, solteiro;
beriberi.
Manoel Joaquim Correia de Araujo, Pernambu-
co, 32 annos, solteiro ; tebre rheumatica.
Isabel Virginia da Conceicao, Pernambuco, 10
annos ; myelite chronic.
Thomaz, Pernambuco, 4 annos ; verminose.
Isabel Mamede Vieira, 42 annos, solteira
part.
Francisco, Pernambuco, 6 annos ; bextgas.
6 pela caridade,


CHRONIC JODICIARIA

Kffata
Na acta de 12 de fevereiro dp. Junt'a Commer-
cial da ':idatde do Recife, publicada no Diario de
15, dea-se un equivoco que corrigimos poela se-


m iad rti wto do. fa a gci
imnmms, O U gi" 4liWW
grave o produotos espeei da Flora Bra-.
sileira. 22-. -ma da Croz, Recife.
Brginrt
Faria, Sobrinho & C., droguatas por
attacado. Rua Marquez de Olinda n. 41.
Francisco Mamod da Sva& d C., depo-
eitarios de todas as especialidades pharma-
scuticis, tintas, drogas, products ch-imico
e nmedicamentos homwnopaticos, rua do Mar
quez de Olinda n 23.


PUBLICACk ES t PRIDO


Fabrica de tecios do n
Visitamos hontem este estabelecimento n'um dia
ordinaxio de trabalho, exactamente quando se p6-
de apreciar um estabelecimento industrial, que,
desprevenido para visits, nao se atavia corn
adornos e enscenacao excepcionaes.
Vimos, pois, esta important fabric nas suas
funce9es diurnas e ordinarias, e nem por isso nos
pareceu ella menos digna de admiraqlo. Entre
as grandes fabrics estrangeiras, mais importan-
tes serm duvida pelas dimensoes dos edificios e
numero de seus operarios, poucas talvez reunam
tio grande numero de inventos e modificacoes re-
centes, corno a que hontem visitamos. E' a unica
compensagis daquelles que chegam mais tarde ;
encontram ji o caminho livre de tentamens infe-
lizes e de experiencias mal succedidas. Accres -
cente se a isto a necessidade que, nos paizes mais
atrazados, tem todas as industries de reunir n'um
so centro artistic as especialidades que, nos pai-
zes largamente industries, esto disseminadas ;
e nao seremos exagerados se dissermos que a fa-
brica do Rink seria imrportantissima, em qual-
quer paiz cm que estivesse estabelecida.
DIo roovimento a todos os machinismos desta
grandiosa fabric urma machine de vapor fix%, de
system compound e da forqa de 80 cavallos ; ou-
tra da forga de 30, e uma locomovel eom a forga
de oito cavallos.
Para tecer algodao, riscados, linho, etc., dispoe
este estabelecimento de 150 teares, de autores in-
glozes e allemaes.
Quarenta e dons teares, mais largos o de sys-
tema mais aperfeigoado, sao utilisados para o fa-
brico de pannes, casimiras e diagonaes. Tres ma-
chinas eugommadeiras; send duas para algodao
e uma para HI ; trees machines para urdidura de
algodao e ulra aperfeicoada para a de l ; quato
macehinas para carreteis ; quatro para espulas ;
uma para turcer fio; trees para lavagem das fa-
zendas; tuna de grandes diminensoes para seccar
todas a fazenda indepeLdenute das contingencies
do mAo tempo; uma tmituraria complete, corn cin-
co caldeiras aquecidas por vapor, part tingir la,
solta on p-Cgas de fazenda e dous t'anques de lava
gem ; trees grades tanques destinados expressa-
mente para tingir pannos corn anil ; uma machl-i
na de compressAo para dar lustro e bonita appa
rencia aos pannos; umn mecanismo complete para
lavar, earbonisar e extrahir os carrapichos de oA ;
seis cardas e tres selfactores para a cardagem e
fiaqao da lA ; dous jogos completes das mahinas
para fabricaqao do feltro; duas machlnas para
medir e dobrar as fazendas ; uma hydraulica para
as enfardar : vinte differentes machines dos pri-
meiros autores para prepare das fazondas de I ;
eis o inveutario das machines deste grande esta-
belecimeuto, que emprega quatrocentos operarios,
dos quacs sio sessenta mulheres e quarenta me-
nores.
Comno a tabrica de tecidos do Rink dispoe de
todos os machinismos necessaries para comegar o
fabric, desde a lavagem da l4, at6 A dobragamrn
do peca, recebe a Ua em bruto e neste punto jul-
gamin-se os Srs. Glette e Nothmann proprietaries
desta f, brica, destavorecidos pela nossa tarifa
aduaneira ; vis to que, calculando a tariff sobre o
peso brute da 1a e ficando esta reduzida, depois
de lavada, a 40 o/o do sou peso, o impostor torna-
se assim demasiadanente onoreso ; tanto mais
que o feltro vindo de paiz estrangeiro, paga rela-
tivamente pequeno direito. E' ponto este para
ser muito reeditado; por quanto, tao errado e le-
var o proteccionismo at6 1I sar o con-umnidor, come
deixar, injustamente taxada, urea industrial impor-
tante, oude se tem despendido mil e quinhentos
contos e onde se emprcegam perte de quatrocentos
opera ios naciouaes. Peta nossa part preferire -
mos dcix 'r importar livre a 1a coaulo mC.teria pri-
ma.
Depois de aseistirmes ao trab~dho de tjdas as
machines, visitamos o deposito das fazendas pro-
duzidas naquelle estab. lecimrnto. Alli virnos c~a-
simiras iguaes em belleza, as melhores que nos veto
de fora: paunos encorpados e fines, panno piloto,
cobertores, mesclas. riscados, etc. Nos pannos
destinados ao e.-'roito concentrou o Sr. Glotte a
sut especial attenao. 0 que vimos, comparado
corn o que usa a nossa classes military, pareceu-nos
de grande superioridadc no aspect e na consis-
tencia. Affianca ao Sr. Gkettc que o pdde tornecer


por preco igual ao panno cstraug.iro. Se asaim
6 nerm se torna precise aippellar para a proteceao,
em material em que 6 neceaesara apenas justiua.
Vimos ainda uina officina de serralheria; outra
de carpinteiro; annexes indispens:.veis a uma
grande fabric como e 6 a do Rink.
Ao sahir de tao grandiose estabelecimrnento, oa
m is renittentes na des.renga da nosa3a industria
ua-o teriam coragem de negar a exi3tencia de uma
industrial nacional, sonao forte e desienyolvida.
polo menos, ausada e c.uveucida.


guinte torma: --
No treeho referente A peticaio de JoF6 Joaquim FEBRIFUGA, TONICA, DIGESTIVA, APE-
Alves & C., para que se archive a'proroganao do RITIVA takes sao as qualidiades da Cognacki-
sea contact social, onde se diz-comn o capital de a, d A. AnemiA, agradavel lieor derido a ex-
11:781$370, deve ler se-COM 0 CAPITAL DE cellente associaAo (preconisada peios nossas mais
77:781j370. eminentes medicos) do fino Champagne corn a Kina.
O delicado saber e aroma de urn e a. preciosas
virtues da outra dao a este licor uma superiori-
TM C OE T 1\ ~ dade incoatestavel, causa do seu rapid e brilban-
l"la gl l UT I te success em todos os paizes queoutes.
ed l-os Para, a Cognackina 6 a melhor dos licores
toasultorio medicqWitearACoe do Or hygienicos.-Misturada cornm agua, torna-se uma
Pea"so de Attahyde.Lobo Moscoo a bebida refrigerant e anti-febril no msis alto
rnua la Gloria n. 39. grae.
0 door Moscozo dU consultas todos os -
dias uteis, das 7 As 10 horas da manhi. AAviso
Este consultorio offerece a commodida- A. pessoa que fez em leilo a penulma offdta
de de poder cada coente ser ouvido e exa- do 11:400 poelo predio da rua do Livramenoto n.t
minado, sem ser presenciado por outmn 21-tambcm retire a mesma offerta, pcdendo o
De meio dia as 3 horas da tarde sera o [im. Sr. leiloe-ro procurar outra base para o lei
Dr. Moscozo encontrado no torroo A p-ra- lo do dito predio, que reude 1:4)00 conform diz
o mesmo senior.
9a do Commercio, onde funccioua a i. ..
peclo do saude do port. Para qualquer Pergunta que nuo offemde
d'estes dous pontos poderto ser dirigidos Pergunta se a lima. Camara Municipal do R -
os chamados por carta nas indicadas horns. cife quai a razmio dos habitiintes dit capital piga--
Dr. Barrette Sampaio, do volta de sua reim sooeue os 6A por urea guii para iuhuwisad
viagem noCaari, dAi consultas do 1 is 4, em catacumba e os da fr'eguezia da Varzea pjiga-
ems do tard -ar do Bo-emi (s mesmmos( 6 e mais 5 a um pedreieo. on
horas da tarde na rua do Barao da Victo- qUa.iS scmpre a im empregado do metrmo cemiterio
ria n. 45, 2.0 andar; residencia, rua de para abri-r a fechar ? Serlo por exemplo os hmb3.
Riachuelo n. 17, oaato da rua dos Pires. tantCs da Varzea mais abastados dai fortune?
Dr-. Leonardo de Albuuerque Ca.mal- Cei qie s-io mais p uperrimos.
Pedimos a 111mm. Camera que lance suns %istmms
cante, medico da Faculdade de 2aax., p6de no sentido de mrelhorar Wstas cousas qne muito not
ser procurado em seu consultorio, rua do prejudica; somos os pri-meiros em recouhreer que
MarqOaez de Olindia (antiga da Cadeia' n. 08 rundimentoa d'aqu.:lle estibeilecimento nio dao
1.-A adar, das 11 is ;3 da tarde e emm para ter allium pedriro diarno para.es te hm, ao
.il dar, dams 11 s da tarde e ienos estr lIma Camara, maudasse faaer eate
*M. mIeid*ia -run da Imperatriz n. 7, 2." trabalho por conta d'aquella verba que- racebe
fl. C[amados por eaipto a qxalq Baer paraW inm, a cargo dofiacal da fm je, ou
polo aamw soraom- upptes a ouauquer ta uoi


pelo aodmi misrador ao meajq ; ou uaize u u
cobyraresta verbal sew fazer a trabalo-. C"basbc
come unea guia coamam. Esperamos ser atten-
didos. -


ASAfPfW~w A "o pH^^^^^ s-f^




Prevenvs necessaria
Allam 'aterson A C., proprietarios da Fundi*ao
Geral nesta eidade, polo present previnem A
quem posm intereasr, que a achin&a A vapor
existente no Mengenho Mente Alegre da comarca
da Victoria, ago esta paga, e que depoia do falle-
cimento de Affonao lHenrique do Paes Barreto, ago
obaetaite I eseriptma de hypotheca sobre o dito
vapor, os annuneinates finerma-lbe aneatos e preo-
puzerqm a eempetente ateo eontra o unio her-
deiro pai do falleeido, que comfeem. o debito e
desde logo abrion mAos do dito vapor para e paga-
mento dos annunciantos, polo quo, com-eu aeian
seus terms, e obtida & condemnacAo do pags-
mcanto, tirou se carta de sentence que JA foi inti-
mada ao referido herdeiro.
N.ftas condicues, os .anrnmcinade pmotestam.
fazer valer a sea direito, contra que n .fmI quaes-
quer negocios sobre o ref. rido vapor, comn o senior
do dito engenho, Ba-liNma de Paes Barretto, po-
deado pare este fin eteuader-se corn os annun-
ciantes no escriptorio da. fuadieao.

Colegio Nossa Senbhnra das Vic-
torias
Rua do Hospleio n. to
Este collegio continuarA, durante o anno lecti-
vo de 1885, abrindo suns aulas no di. 10 de ja
neiro.
Admitte allamnas internmas, seni-internas e ex-
ternas.


Mile. Cotinha

(Modista)
Participa As Exmas families que atW hoje Ihe
t'm dispensado suas confianCas em seu trabalho
qne mudou-so da rua larga do Rosario para a da
Imperatriz n. 45, lo andair, onde continda As or-
dens das mesmas, corn todo o cuidado e elegancia
possivel, garantindo promptidao e modicidade em
preqos.


ATTENDAWli!



para on. 11 da rua do

Cabuga.


Collegio

SANTA CRUZ

5 l-..Bua do Marquez do Herval--4
A directorial do collegio Santa Crnz faz sciente
ao respeitavel public que este estabelecimento
acha-se aberto desde o dia 12 do corrente.

Alula particular de primelras
lettras
Antonio Cesario Moreira Dias Junior tern aber.
to, A rua das Nymphas n. 2, uma aula de primei-
ras lettras que comooraA a funccionar no dma 8 do
mez de janeiro vlhdouro.


Aula Particular
Lecciona-se primeiras lettras, portuguez, fran-
cez e piano; A tractar na rua de Gervasio Pires
n. 43.


Natricia loraira
Cirurigi o dentist

Consultas e operaSes das 9 horas da manha As
4 da tarde.
lralis iaom pobrif
57 RUA DUQUE DE CAXIAS 57

GQLLE&ID

Institutlo Aca.eico


153 Rela uYi o tiGOIa#ao 153
(Xendego)
Este collegio, estabele ido em um dos
mais vastos edificios d'eata ;idade, acha-se
oonvenientemente preparado pipa receber
alumnos interns, semi-internoe e exteros.
A situaglo do edificio em um dos lug4res
mais hygienicos, a disposigto dos sales de
estudo e dormitorio de acordo corn a boa
discipline, a excellente chacara, para re-
creios, o corpo docent e a longa pratica do
director nas materials do ensino devem seri
penhores assaz sufficientes do optimo desen.
volvimnento physico, intellectual e moral da
infancia.
Peanses e U eaorarios
Os pagamentos slo f itos adiantadamente
por trimestres nos 5 primeiros dias dos me-
zes da janeiro, abril, julho e outubro. 0
director nio fornece object algum ao alum-
no, salva a conveuglo comBrn seupaeou tutor.


Os aluminnos irternos pagaram per
trimestre
Os semi-internes da eschola in-
fantil
Os semi-internos do cursor se-
cundario


150W000
75i000

100o000


Lavagem e engommado de
roupa. 206000
Externos do cureo primario 206000
Externos por qualquer classes
do curso secundario 15(OCO
Por qualquer classes de artess. 15'000
Piano 30#000
Resultado dos exames officials prestados po-
los ahlwnnos do collegio durante o anno cd
1884.


Joa66' G. 9a weiwid
Reprovadon 4.
LATIN
Horacio de Alrneida GQdmaraes, appro-
vado plenamento.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Joao Custodio de B. Costa, approvado.
Mauwl Cayalcante do&agBarroa, idem.
Joaquim N. Ferreira Coimbra, idem.
Joaquim Siqueira de Arruda Falceo, idem.
PompLo da Silva Louraiwo, idem.
Leonidas A. de Mattos Torres, appro-
vado.
ARITBWMTICA
Jos6 Hugo Gongalvcs, approvadploena-
mepte.
SebastiAo Lius Wanderley, idemn
Joaquim S. de Arruda Falcao, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, ap-
provado.
Joao Custodio do B. C.ata, idem.
Andr6 Dias Pinheiro, idem.
Pompeo da Silva Loureiro, idem.
Reprovado 1,
I GEOMETRIA
D. Delmira S. da Costa, approvado ple-
namente. "
Eutichio Autrant, approvado.
Jose Hugo Gongalves, idem.
Joao S. de Arruda Falceo, idem.
Eduardo I. Ferreira da Silva, idem.
Jos6 N. Ferreira (Coimbra, idem.
Jose Ferreira Muniz, idem.
Praxedes B. de Mendonga Vasconcellos,
diem.
Jolo Cuatodio de Barros Costa, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idem
GEOGRAPHIC
Pompeu da Silva Loureiro, approvado
plenamente.
Jobo S. de Arruda Falcao, idem.
Joao Custodio de B. Costa, approvado.
Eduardo J. da Firreira da Silva, idem.
Jos6 Martins Fiuza, idem.
Manoel Cavalcantedo Rego Barros, idem.
Reprovado 1.
HISTORIC
Joao Siqueira de A. Falcao, aporovado
corn distincao.
D. Delmira S. da Costa, approvada ple-
namente.
Jose Ferreira Muniz, approvado plena-
mente.
Jos6 N. Ferreira Coimbra, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
oprvado plenamente.
Joao Castodio de Barros Costa, appro-
vado.
RHETORIC
Joao Siqueira de Arruda Falcao, appro-
vado plenamente.
Manoel Alfredo M. do Passes, idem.
Reprovados 2.
PHILOSOPHIA.
D. Delmira Secundina da Costa, appro-
vada plenamente.
Joao S. de A. Falcao, idem.
JoIo C. de Barros Costa, approvado.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros,
idem.
Jose FerreiraMuniz, idem.
Reprovado 1.
RESUMO
Approvados corn distinccao 3
Idem plenamente 23
Approvados 45

Total 71


(
h


Reprovados 10.
Para conhecimento do public o director
lo collegio declara que os curses do anno
ectivo comegarlo a 15 de janeiro de 1885
Recife, 24 de dezembro de 1884.
0 director,
Jose Ferreira da Cruz Vieira


OCULISTA
0 Dr. Barrette Sampale, medico
oculista ex-chefe" de clinic do Dr. do We-
cker, do volta do sua viagem ao Cearai,
continta a dar consultas A rua do Bario da



Praca do Reeife, It de feverel-
ro de 1 t&
As tree boras da tardej
CotaoftO '.fficiaeu
Cambio sobre Para, 30 d/v. corn 1 C/0 de des-
conto.
Dito sobre dito, 60 d/v. corn 11/2 0/0 de desconto
Dito sobre dito, 90 div. corn 2 010 de desconto.
A. Leonardo Rodrigues,
President.
M. J. da Motta,
dcrctario.
RENDIMENTOS PUBLICOS
Mez de fevereiro de 1885


ALFAMDE.GA-De 3 a 16
Idem de 17


RECcEU.ionrA-De 3 a 16
Ider del7


CONSHLADO PROVINCIAL
Idem de 17


352:835s80
9:368)198
362:2035378
23:1056504
453A248
23:558A752


De 3 a 16 136:0251636
4:8649648
14.0:9l0.128t


rna de
Pires.


iuslo n. 17, c


\tw doe.


Dr. CON
Medic.o e operador
De "olta de sus viagem & Emuropa mmce frequen-
ton os bospitaes de Paris, tendo feito um enurso es-
pecial de partos e molestias de scnhoras, dA ejna-
lnetas no seu antigo consultorio A rua Duquo de
Caxias n. 48, do meio dia As 2 hborams.
Espeeialidade : molestias deo crancase ede se-
nhoras.
Recebe chamados per escripto ou no sen consul -
torio, ou em sua residencia A rua do Barlo de S.
Borja n. 30.
Telephone n.326.

Inslitutiou Francaise de

Demoiselles
Rua do Barfao de S. Borja n. 50
(antiga do Sebo)
0 anno lectivo desle collegio
comepra em 7 de janeiro de
1883. Recebe-se alumnas in.

ternas, semiinlernas e externas.
A director,
1. Adour.


Dr. Bettencourt
Ciritrgia: estreitamen(os da urethra e do recto
curados pela electrolyse serm dr ; fistulas; tumo-
res do utero. Hydroceles serm injecgao (cura ra-
dical). Embalsamamentos pelo process dc Su-
cquet. Ulceras. Medicine: molestias do peito
e da garganta. Syphilis, molestias venereas e da
pile; affecQ5es do coracao. Rua do Marquez de
Olinda n. 34, das 12 As 3 horns da tarde. Charmna-
dos por esempto.

Eseola particular
Maria da ConceiqAo de Drummond participa aos
pais de familiar que abrio no dia 12 do corrente
mez, A rua da Matriz da Boa-Vista n. 44, 1 an-
dar, um cursor das materials attinentes A minstruc-
qAe primaiia para ambos os sexos, estando os
Exms. Srs. Drs. Joae .Jos6 Pint o Junior e Alexan-
dre de Souza Pereira do Car m aqbilitados a dar
as precisas informagces.
DesdejA agradececordialinem id.lles que a
honrarem, confiando a educagao 1 s n hos.


CUODIO BE PRE ARATORLO8

8 Francez. geographia, (
arithoetlea e rhetorica
50 RUA DA SOLEDADE 50
Informa5es corn o Dr. Tobias Barretto


0 academic Julio de Mello Filho, pro-
p5e-se a leccionar, segundo o programma
official, francez e inglez em collegios e ca-
sas particulares, on em sua residencia, A
rua do Coronel Suassuna n. 173, por mo-
dico pre9o.



H ')
Dr. Leonardo de Albuquerque Ca-
valcanti, mudou seu consultorio para A
rua do Marquez de Olinda (antiga da
SCadeia) n. 52, 1 andar e fixou sun
residencia na rua da Imperatis n. 7,
2 andar.



Collao daii mmacuida Coc5iu o
Rua do Pires B. IS
As alas deste collegio abrir-se-hAo no dia 15
de janeiro, continuando a ter aulas diarias para
todos os preparatories e um corpo docent de mais
reconhecido merit
Admittem-se alumnus internas, meio pensionis-
tas e externas.
A director.
Maria Cdelho da Silva.

0 Dr. Adriao
MEDICO
Cat naa a dar consultas das 11 As 2 horas da
tarde, em sen antigo consultorio, A rua Larga d&


28 a J.- Victor Alves Matheus & C-, 7R a Sodr6
da Mota & Filho, 5 a Maia Rezende & C,, 110 a
Baltar Irmaos & C., 13 a Azevedo & C., 10 a
Ventura Pereira Penna, 100 a J. Pereira do Car-
valho & C.
- Feijao 100 saccos a Maia Rezende & C.
Impresaoses 1 caixa a Andr6 Santos, 1 a Medei-
ros & C.
Ladrilho 9 volumes a Anmonrim Irmaos & C. Lixa
2 caixas a J. Faustin. Linguas 2 barris a Sulzer
& Koeclin.
Peixe 40 barris a Paina Valente & C. Pat no
dealgodao 10 tardos a A. Vianna & C., 10 a
Andrade Lopes & C-., 25 a Machado & Pereira, 10
a Albino Amorim & C.
Sola 3 rolos a Jacintho Pacheco Pantcs.
Tinta I barrica a Medeiros & C.
Vinagre 1 pipa e 10 barrios a ordem.
Xarque 915 fardos a Muia Rezende & C., 165 a
Baltar Oliveira & C., 30 a J. J. Alves & C.
Carga- da Bahia
Chap6os 1 caixa a Rodrigues Lima & C. Cha-
rutas 1 caixa a Sulzer & Koeehlin.
Panno de algodao 45 fardos a J. V. A lrea Ma-
theus & C., 50 a Monhard Huber & C., 10 a Al-
bino Amorim & C., 20 a Ferreira & Irmao, 20 a
Andrade Lopes & C. 10 a Olinto Jardim & C., 10
a Luiz Antonio Siqueira.
Xarque 78 fartoi a Amorim Irmao & C.

DESPACHOS DE EXPORTA(A0


: etoerl~er .f

Rua do Baro da Victoria,
'i Ntn. 37, andar .

Onde pode sea procurado at
quer bhoa do di e da ni GoMMl
daa 10 ao meic din. Recebe clWMu.oa
por escriptoe para f6ra dacapitdl De-D
diea-se com especialidade ao eatudo da
Sfebres, molestihs de peito ae affec-5es sy-
philiticas de ambos os sexes.

APPARELHO TELEPHONICO N. 156

we ^- -- -.---- ^ ^


Collegio de N. S. das

Gracas
Este estabelecimento de instrucVAo primaria e
secundaria para o sexo femenino tern a sua s6de
em uma contfortavel chacara na Ponte d'Uchoa a.
10.
As materials ensinadas no collegioAoas ee-
guintes : Relig:io, portuguez, francez, ingle, aUe-
mao, historic, geographia, piano, desenho e pirt-
ra, bordados e fleres.
As linguas falladas no collegio eao as fraanse,
ingleza e allern, para as quaes tern mestra qune
residem no collegio
A director encarrega-se segundo a vontada dos
Spaces, dc prelparar as alumnae para faor erxzmeaoa
Academia, como fez este anno corn brilhante re-
sultado a collegial Maria Eugenia de Mattes, ob-
tendo distincqao em francez, inglez e portugues.
Directors,
Anna C'arroll.


Collegio do Santissimo

Cora o de Jesus
Este collegio para instruecco do sexo fe-
minino e que funeciona no predio n. 15
dia travessa do Veras, abrirt suas aulas
no din 12 de janeiro proximo.
Tendo feito acquisi'ao de bons profes-
sores para as materials que constituem o
ensino do mesmo collegio, acha-se nas me-
Ilhores condioes de preencher o seu fim.
Slo professors os seguintes Srs:
Primeiras letras-D. Maria Luiz:i Sam-
paio.
Portuguez Dr. Jobo Feliciano da atta
e Albuquerque.
Arithmethica francez e geographic -
idem.
Desenho Jeronymo Jose Telles Ju-
nior.
Piano e music a director.
Alem dessas disciplines, o collegio eninma
trabaihos d'agulha, bordados, etc.
Recife, 31 de dezembro de 1884.
A director,
Viceentina Cesaria de Mello.

.Aula particular para meninas
Vidal de Negreire w m. I*
Carolina Leopoldina Cuelho de Araujo, particpa
aos pais de familiar qae de feve-reiro em diante
estarA aberta sua aula particular para meninas, a
rua Vidal de Negreires ipateo do Tero) n. 12,
1 andar, onde a mesma leccionarA primeiras let-
tras, trance. piano e diversos trabalhos de agulma.


F BRIGADE IBki ASlll
DE
CO ST TJ 1A
FBIRTER & R6SSIANN

SOCIEDADE POR AC(OES


Unico representante em
PERNAMBUCO
TrUSO. D TYSAT
2- LARGO DO CORPO SANTO-2
Machina superior, systems Singer e
Whrcler & Wilson.
APEDFEIHOADAS
PREMIADAS EM TODAS AS EXPOSI(OES


te ; H. Oliveira 40 ditos com 3,840 ditos de dito-
30 barricas corn.3,04 kilos de assucar branco;
J. M. Dias 1 eaixao corn 150 ditos de rap6.
Para o Para, C. Marques 10 pipas corn 4,800
litros de aguardente e 2 ditas corn 960 ditos de
alcohol ; P. Alves & C. 30 barricas corn 1,641 kilos
de assucar refinadeo ; M. Cordeiro 150 ditas com-
10,050 ditos de dito branch.

MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no did 17
Liverpool por escalas-20 dias, vapor inglez Arat.
cania, de 1,806 toneladas, commandant Browns,
equipagem 70, carga varies generous ; a Wditsoa
Sons & C.
Rio Grande do Sul,-42 dias, patacho dinamawques
Maria Petraeux, de 112 toneladas, eapit4 H.
L. Beck, equipagem 6, em lastro; a ordem.
Rio de Janeiro per escalas-*7 dias, vapor nacie-
nal Mandos, de 1,999 toneladas, commandauf
Guilherme Waddington, equipagem 60, carga
varies generous ; ao Barlao de Petrolina.
Bahia 3 dias, canhoneira franceza de gerra (mGa-
bes, de 400 toneladas, commandant capitao te-
nente Amrncurc, equipagem 78, carga municues de
guerra.
Naviw' sihidos no mnesmo dia
Bueuos-Ayres por cscalas-Vapor inglez Airauca-
nia, commandaute Browiins, carga varies gene -
ros.
New-York-LUgar amrnericano E. H. Drummond,
capitao J. F. Hffigguis, carga assucar.
Rio Grande do Sul-Lugar americano FranxAe M.
Hower, capitao J. A. Bieli, c:rga assucar.
Obserraqao
8uspendeu do Lamarao para Maeao o pataclho
inglez Eureka, capit.o David Rosa, em lastr.


.0.*


I


I


I






















4e&51


Ss l oapenas ert eoa outras coriulas noe ias,
0 egn" to vextori#: h& ora. destinaisas proa estnuo, reereio 0 repouso,.e eCu
OW huof+frooso alumnos privag da aihmentae!o noun deixarao de'_epousar aq horas exigzdag'
he ygioee.
o trabalho,6 dlstribuiodo eeonformidade com a idadoe deiuvoIyeirnuto phySIeo e moral de
0 predio 6 ecommodo, aceiado e em geral claro e fresco, coa espaosas salads para aulas, refcii
tono, dormi.tMti e ,crei, mobiliada onvenente ente. : .
0 c0%o fmnoes.g Ais, penusis, papel, tinta, lapis, eraiyons, ardoias, livros pra consultas
aos alumno internoe, no Collegio.
S Os alunos interuos tamnbem t6m direio A roupa lavada e en'onomnads, sere .remuuicrai-) .a~gn-
ma alm da mensaidade.
Tambem nio dto joia na entrada.

Enxoval dos alumnos interns


Camisas.
Camisolas
Cala preta de easemira .
Calas de brim pardo
Jaqueta pretax de panno fino
(Cote preto, idem idem
Gravatas pretas
Chapeo preto redoado
LenAuos .
Pares de meias
Botinas par .
SapatZes idem.
Lenuoes.
Cobertas.


12
. .6

1
6

* 12
1
2

1
12
1
1
. 1
6


Cobertor de b 8ta encarnada
Colcha .
Cama do J1oWL.
Travesseiros .
Lavatorio de ferro e bacia
Toalhlts par.-, rosto
Ditas para binho
Cop de m tal. .
Eseov.. part dentes.
i, utit do alisar
D)ito fiao.
Es;pelho pequmno
Thesoura


E n attenaio as dflclsledades corn que luctam os senhores praes 5nsia
eduear seus flihos. nilo podendo muito. sMitntenttr io peSftado eaveargo de
aQo mW uehala o pr cada um, omo alumsnauo iterno. al6n ete outrss mnui-
tag deMpezas que occorrem. flea etabelecitiSa a Mesainte gtbellt :
Alumno interns 40000 por mez Alumnos cxtt mos d'sula ee-
S me.o-pensionista 2590(0 eundari (2 pre-
externo d'auia pri- p ixt.... P. ,,3
t P" I etciru.o d'auulat so-
maria. 54000 0 cunidaria (3 pre-
externo d'aula se- l parat.). 12X 000
su -a'u PIS:Coa 5Y000 r' ci
cundaria (1 re d(IatI: I .
parat.). d d seuho. 5,50:)
N. B.- Os pagamentos sao feitos por trers adiantailo-.
As aulas comeqam a fuacionar a 7 de janeiro e tcrin:siiiin a 15 de dczcrnbro.
0 director.
Hermino R odri-uesAC d Squeir,


Ao public
Achando-me dcsempregado, scm meios
de subsistencia, e oncrado de familiar, pelo
que vejo-me obrigado a incommodar paren
tes, amigos e conhccidos, em grande esca-
la, quasi quo diariamente, para nito descer
a praticar acetos illicitos que a mor'l e os
bons costumes altamente reprovam; e por
nlo dever continuar per rais tempo a in-
commodal os, quando disponho de algum ca-
bodal iitterario, que me p6de auxiliar de al-
guma fornma; venho hoqje do alto da imnprcn.
sa pedir e rogar ao distinct corpo commer-
cial d'esta provincial, ao illustrado f6ro do
Recife, e a digna classes dos funecionarios
-s-nn a ...i.....n.....k ^ : .......


a lb prULUW;aU eLUV OiUUUi tpiJIssUar
os procurain ; afiin de poder publi-
ta cidade, cm alguina de suas typo-
i. urna comedia deminhalavra, sob
de a Um Engano Conjugal. v
r-rne-hei pessoalmente, ou por car-
iversps negociantes desta praga,
tdos do oro, e funceiont rios pi-
)edindo Ihes sua digna coadjuvag'o.
do de contribuirem eom a pequena
icia de un mil rcis, para uma as-
a ; afir de coni algumas fazer face
zas da irnpressAo, quo serA sin -

tenha obtido numero do assigna-
ficientes, qae cubra o quatitItivo
bo, suspenderei o alvitre aqui to-
a proseguirei na distriLuig.fo do
res potr diversas classes o pessoas,
I'elles.
les a qtein tiver a honra de deri-
edin6do-lhes assignaturas adianta-
, para o fim acima dito, terao di-
da urn, IA umn exemplar, e se qui-
dous (sem indemnisasiao do se-
6 em 'piova de muita gratidi:o e
nji ea xeiwplo d 0tros pos reaspei-
wes dos bemnfeitores de sua pu-
em list alphabetica.
v A este meio de publicagao por
r dispor de outro.
lanto disposer de exemplares de
alho litterario, embora humilde, n
Salmas generosas e bomfazejas,
rs paa inipodir de ver minhas fi-
he,omos dc neinh'alma, soffrerem

e so conseguir eow poucos dias
ssignatur, pelo fim de feverei-
.cipio do marqo vindouros, estara
dia promptificada. d
eu que ser coroado de born exi-
ran appello as dis mctas classes
mSe derijo, e d'aqui shes envio
atidlo.
seira em 1880, .dediquei uma' co-
Sttiuha produe5lo, sob o titulo de
*atuscada, -em prova de conside-

ipd&, pertenpo ainda comeo ms
a ft tenlho sido de earto-
eood.a.e
ritp i (e d'ella teni o a
iosa reewrdaglo), oowo 3.*. es.
lllll 4os mnis districts
toProvincial,
pOK' t~racg5o, por umsa


.,,inic iiw-rit B, luui. .-' ^ .**1
Oleo do linhaa, litru.
Pailhas de eoqueiro, cento.
PIapclao, folha.
l'>rfu0sos de ferro, duzia.
D)itu deo metal, idemi.
PI'.s df toferro patente de ervado fechado, uuma.
D itf>s da tao, idem.
I's piroto, kilo.
Prauchutes de amarello, umn.
I)itos di pao carga, urn.
Ditos dc louro, um.
Ditos dc pinho da Suecia, metro.
D)ito d di o resinoso, idem.
Pr..-g,,s de cobre de batel grande e pequeano, kilo
DIt .It- zineo, idem.
! ,ids ie fcrro de-4 8 pollegadas, idem.
Ditos ectibracs, idem.
Dit.,s rip-les.
Dit.s do ferru do batel grande e pequeno, idem.
!)ito francez, iderm. '
d,- de chumb-, idem.
Piorres para Mtarraehar parafusos, ident.
l'ias&ava, idem.
Pnuiis Gkmulhier, caixa.
Ditas Perry, idem. /
I)itias Falcon n. 48, idem.
l)Ditas fits para depenho, idemin.
Presilhas do diversos tamanhos, idem.
P..ot I. de oleado, uea.
Purnimses, ciixa.
l'apel serm fim, peso.
l)ito, mata-borr-o, folha.
D)ito almao psiautado, resma. -
D)ito :rosado p;ntao pequeno, caixa.
Dito uditj grand&, resmna.
Dit, carter, cinto.
!)ito .j"si, idem.
Pin ciato de potasss'"Ila
PranUt-Ies de iticeicua tIrangai tendon -1 pes de
c.,1primento, 2 de largura e 3 polegadas de
grs iura, umn.
Qu. tola tftrr;-da. nina.
Qi. ry lpr;a cab,,, lln.
lI:CSt (id. f-rro, ueua.
(clf. k ; t..; i ,


I ,IL l 1.u %; Iu L Jm1
'-_________ I. xo, torra, kilo.
dos seguintcs oblij'etos v inatcrica inecess:,ios ia |ia Pdeira de cabo de osso, urma.
scretaria,, s:;l 1i fiinas e obras de alvcnarim at ie uvio dia, sob -, Secante fezes (to ouro, k:lo.
seguintos condi(ws : )Ditoi de zico, i ,cin.
Art.. 1.o Os turnm-cedores scrao obrigido. a ft- 0'.7l iglcza, unio,
zer ofornecimento dos mnateriaes qnue Ihles fitr pj 'hes,'ursi, tuna.
dido, a ttnpmo -H hr-ira, s.)b pnia (dc p:: gar'cm ,e z '*'.boa de amnarcl'o de I polegada do grossora
p, r ccnto di- tu!ita sbre 0 valor do tfruccitiei.eu it'in.
e de vinte se effectivainceut. nao o fizerein. Duta tl p;'to carga de 1 pobgada de grossurn,
S Art. -2. Os fbrniccedors ser2o oubri;ad,;s :i ah .i
*tregmr s nit-riacs pediuhoc, no airnaz-in I Dit-. dc aminarcllu de 1/2 pulhgsida do grossura.
psit) ao ces du liamos, ou ende lhcl Irt ,-.'t.r- ,hl( .
iniado, niedianti, recib, pria via do p,-dilo, a qnual dever.r ;"aoinp.,ilsh;sr '-%'l., de pinho r, zinoso, idem.
coit. que scr:i rirad:a irnsalincntt, e eCitreue ir'. ile dlouro, idemi.
n'est; reparti(..Io aut o dia 15 do m-.z 2 "c a, ) ta dc cedro. idem.
do forneiurenito. Tr.itv, doe quahidado, palmos.
it:,t utprmto
Art. 3.o 0 carvio para os navios ser-i resiie it:J o sicupira, metro.
a bordo nia qniutidadee doe dz ,wt vinte toil,,Il. iiat, ,ieemberiba prcta, il.'mn.
em inhiar-.t;Scs dossa arqpiea;ilu i CJmtp'tv')tecn-' "iopua cbCrict, idin.
te veiificadas. Ta1' Ju eobrcs, kil.
Rclarao dos obje.:t Acido muriatico, litro. D)ita de bomb, idem.
Aqu Iatido, kilu. I'. ,l ingicz, urn.
Dito dito -in vcrgihihin, idcmi. DIto de fig,, idtom.
Aco fuindidlo, idea, iOiLo do alvenaria bstidJ, inilheiro.
Dito dito cm1 verguinlia, :ic. l)it, de dita gross, idenm.
D)ito chato nredondo c oitavwido,, i. -inm. Tintt brainca d- ziitoo 'nm nassa, kilo.
Agna raz, litro. Dita verde cm mntssa, idcm.
Alcatrao, idem. i )it apr-ta en mnassa, iIdein.
Alinotoli;s de f,:lh:s de 1,'2 ; 5 litros. tmn:. l)Dita dita Stph'ns, bolao. ,
Araeno de cobrie, kilo. / Dt; dita national, garrafa.,
Dito de lata,, idiem. )it.,i carmim, fiasco.
Azul niltr-amar, idem. I 'ri-ve de sicuptra verdadeira, eirtro.
AirebLUs akctutroada, idemn. I~htad (le 'mberiba preti, idein.
Azeite doe", lirro. I Tuical, kilo.
Dito depeixi:, idem. T ,:,i de vidro pura nirel dagna, t6m.
Dito de earrasipAto, ide. l)i to de lat) para caldeJira, kiio.
Bamds ferrl ,, urn. i'riracha de 1 1/4 a 13/8, tun;.
IS-urih de g:ili', um. s-ciro de vidr, umna.
B.tiidcira national tde 3 pannos, una. V,. r-.Ic franccz, kl).
Dita dito dc 1 ps r:n, s,um:1. Vcrnelboo, iem.
B-.rrachb vulantiis..,ia <:i: lcnaol.] kito. Veiuniz copal, idem.
Bigorn::, id.:,,. ".,le chr.umo, idunm.
Bretu, ,idem. V, raiz de alcat ao, litr .
Brim, metro. Vrgoutca de pinhlo, uma.
brocha n. 8, unai. t!ir c.3o ingloz, kilo.
D)itat p.'u'Iti!, iO!. Z :iwo em foiha, idem.
Cuabo do Iielo, kilo. Observagao
Dito de mainilla, idem. Ai propostas serau f)citas alphabeticamctte con-
Cadtrnaas bnr.nzeadolo pc>!!vgad:,s. f..rc a r.leio aei.
r'tos ferndo s, idein. Repartiio dss Obras de Cmcnerv;-.)- dos Por
Ddeados de ferro, usn. I t,! do- Pernambuco, emm 3 de tevereiro de 1885.
Ditos de metal, umn. 0 1-' Canivete, idem t Augusto Cesar Cousseiro de Mattos
Collana Bahisakilo. Secretaria da p a'resde cia de Per-
Cadinhos, numerous. mnambuco, em !* 1 de ftvereiro de
Chtaleiras de ferro estanhadd, kilo. 1 885.--2 eCCio4.
Cauetas, dazia. De ordcm do Exin,. r. :vie:prt..n- tite ria pro -
Ca npas pequenas, urna. ,inciAi, e em obs-r'vtuscia., dio disposto na art. 5-
Caiiue emppanno e pea. do do ecreto n. 8266 de t8 < otilir., do 1881, no-
Dito em papel. idem. tifiec ao Sr. juiz de direit- bacharel Miguel Gou
Co-heres de trpido de meia pollega.a de grossura c-.lves Lima. que p ,r dereto de 17 de j:meiri
a 10/8, duzia. fiuda. foi S. S removidu dua oomarea de Salgiu-iro,
Ditas de rosca de oeia pollegadia. de grossura a nesta provincia, para a de Manios, nat de Anma
8/8, idem. zonas, seodo-lhe xadu o prazo do sete mezes
Chumbo em b.r:-ra, kilo. para citr:|r e-r-xercicio, eonformo participou o
Dit, em enol, idem. aouselhli o dire-,ctor geral da sderetarnia do estado
Caldeiras sortidas de derreter breu, idem. do. negocios da justica, eii officio de 29 de janei-
Carvao cardiff, idem. ro desteanno. "


Dito para ferreiro, idem.
Dito New-Caste, idem.
Cok, idem.
Cimento Portland inglcz de marca pyramedc
so liquid) idem.
Dito Romano (peso liquido, idem.
Cobre em barra, idem.
Dito em lenol, idem.
Dito pars torrno de ean6a, idem.
Dito velbo, idem.
Dito em varlo, idem.
Correia de sola ingleza aingela, metro.
Ditr de dita itigleza dobrada, idem.
Corrente de ferre, kilo.
C(uro er4 urn.
Cr6, kilo.
Cravo on rcbite, idem.
Cantoneira de ferro sortida, idem.
CalI pretax, alqueiro.
Dita branea, idem.
Curvas de sieupira de differenstes tamanhos (
forme-a formal aprsen't-, u -..
Cavernasm df siietnra virdaira com 12 iw-


Con.
;da


* Si


0 seeretario,
Juj Aug-uto de A. Maraihao.


DECL" i-R-.IS


Slo convidadod os senhores. aisr coi' a se
reunirem na s6de da eomnpahia I I ka d,i'tar-
de do dia 2 de mnaro priu* x pff a_ P approve*
das contas do anano find, e .igoo dQsaeeio,
narios para o biennio viadonro, na ,.af*idade
do art. 40 dos estatutos.
Recife, 14 de fevwreiro de 1885,
A -direc.o. .:.
Antonio Maroues de Amorim. '


ra,


Precisa se de omprar treze cavallos para o
Sstado completo deata camparibhia. C,6nvida.se as
asoaa oiqe queiram forneeer takes eavaloa, A
apresental-os at6 o dia 20 do corrente, is 12 ho.
.ra5 da miaha no reapectivo q cartel para serem
ennminados, preferindo-se animaes castiados de 6
,A 7 palms de altura.
SQuartel no Cumpo. das Princezas, 11 do fore.ve-
r.ir de 8.5-O alferce,
I K- Manoel Feliciano Ladislao dos Frntos.

tCamara municipal
Despesas feitas corn as felhaA da Ii.npesa das
I puas, praa", eaes, pontes e travessis das fre.
guezias de I. Fr. Pedro Gongalves o Becife,
S-Santo Antonio- S. Jos6 e Boa-Visti, e mays
'" feerviqo de aterre e carrogas, na semana de 9 a
S,,14 do eorrente mez.
Dcspendido corn as folhas da limpesa da
1freguezia de S. Fr. Pedro Gongalves
.do Recife 1241520
Icdm idem da freguezia de Santo An-
tonio 1266720
[di to idem da freguezia de S. Jos6 121'44(0
lxkm idem da freguezia daBoa-Vista 122U720
Idemn coarn o serve c de aterro e carroa3 179A080
Rs. b745480
..A. i.t. n & a vcmir- .lu.'.u.t. do Recifo em
'14 de favereiro dc 1885.
0 contador,
JosfA Maria de Soiza Arauio.
ADMINIST&AQAO DO S COniLub t, ri w.
NAMBUCO, 18 DE FEVEREILO eDE 1885
Malas a expedir-se hoje
Pelo paqucte Mando.8, para os p.rtos do nomite,
csa admiimstracao rebel impressos c objectos
para registrar ate 2 horus da tarde, e eartas or
diuarias at 6 3 horas, ou 3 1/2 com porte duplo.
0 admiiiistrador,
Affoznso do Reyo Barros.


Santa cm a dami iriC0r11 go


As casas abaixo menecunadas sa,) foreiras a
es'a santa casa :
N. 5 do becco de Jo-, Frsancisco, pertencento A
irinandade de N. S. do Rosario da 1B1, Vista.
N. 25 da rua da Penha, ns. 25 c 76 da rua Di-
reita ou Marcilio Dias.
14 da rua da Assumnlo, n. 56 da rua de
Lomas Valentinas.
N. 63 da rna de IHiortas ou Coronel Suassuna.
N. 112 da rua da Pite-velbha, p:.rtencente 4
irmandade Jas Alma; da igreja matriz dc S. Fr.
Pedro Goncalves do Corpa Santo.
0 procurador da santa ca;:i re.id,, 4 rnua do
BMm Jesus n. 7, 1- anilar. Recifc, 16 de feve-
rciro de 85.


INDEM .INISADOlIRA
Toma fegurot mnarItimol e coutrn
FOGO
S RUX DO COMERCIO N. 44



SEGUROS
UIARITIMOS CONTRA FOGO
Compailia iPhcii Per-
nambacana
Rua do Commercio n. 38.

';A NOVA-YOK
liew-Yerk Life Insurance
y:u, Cmpany
S Sepros de vida
39 annos de constant prosperidade
Uniea companhia nest& provincia puramente
Activo effective, 31 de dezembro de 1883, mais
,le 55 ,ailhoes de dotlULi.
ESCRIPTORIO 1ILIAL
it. f'-Prata do Corpo Stanto-N.. 19


I"3IPANHIA


IMPERIA L


SE4GURO CON-TRA FOGO
..... EST: 1803-
"_Ediftieos e mercadorias
S Taxas bai.xas
S- Prorapto pagamcnto de projdizos
'CAPITAL
S" fde. 16,000:000.40o
d Agaseness.
BROWNS & C.
N. 5 -[ J a do Com ncecio -- N. o
.


GO
iAQb

IPN


Artista-S


dws AT' r to"" 1p"i VIdot
2BS9- das 9t I0P.as di
nman1i a 4 hwa da tr de,

onde taiiem, se ece-

abert qulquer contarque

queipan pagar.

Os unicos ,copadoies

externos sao os Senlhores

Francisco Felix de Mello

e Ilermillo Francisco Ro-

drigues Freire, e quanW:.

for preeso o Sr. Antotio

Martins Carvalho.

Tod;'s os recibos dessa

ompreza deverao seit pas-

sados em tales caimba-

dos e assignado., pelo seu

.ereile, sem o (pi ta

terao v"i hr a1gu10t.

Charmles 4. Crovan
Gere ate.


ARiTffIIOS


Lisboa e Porto

PMUM o plot gez P ro
Recebe crga a frt tc : a tratar con A im.riin Ir
m.1os & C


CilARGEURS REUNIS
companhila Franceza de Navega
Vio a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis
ioa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janciro e
Santos
Steamer
Comte d'Eu
E' esperado da Euro
.- pa.atd o dia 24 d(1 fe-
vereiro, seguindo de-
_l[ l^^^ pois da indispensavel
_. emora pra a Ba-
S ---- bia, Rio de J&a-
aeiro e SantoM.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias, a conutar do da descarga das alvarengas, qual.
quer reclamacao concernente a volumes, que por.
ventura teui!insm seguido p;ra os portos do sul, afit.
desse podcrew dar a tempo as providencias n;eusss.
rias.
Expirado o refianid., prai.o a companhia nao a
responsabilisit por extravion. -
Recebe carga, encomnimcdas e passagciros, par.
os quaes tern ixccllcntes aceommodauqces.
AGEIVTE8
Augusto F. de Oliveira
&C.
42 RUA DO COMMERIO 42
(Entrada pela rua do Torres)
Steamer
Ville de Xacei6


Espera-se dos portos
do .ill ate o dia 22 do
,:orr,'nt#-,segiindo d,-
pois da indispensa-
Svel demucrapar* oI Ha-
vre.


Os vapors desta companhia entram no port
aucorando em frente ao caes da praea do Commer-
eio n send muito incommode o embarque dos pas-
sageiros no fuudeadouro das paquetes transatlan-
ticos, no Lamsaro e demais deveudo todos aportar
ao Hlavre, que 6 o port mais visinho dc Paris, 6
f6ra de duvida quo ha grande vantage para quemn
quizer ir Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, al&m de serem os prepos
Jas passagens mais modicos, as despezas do embar-
ique aqti eas do transport do Havre a Paris, seo
nmuito menoros do que as que demnaidam as viagens
lso paquetes das outras linhas.
Conduzem medico a bordo, sao de march rapida
e offerecem exeellentes commodos e optino passa-
dio:
As passagens poderao ser tomadas de antomnio.
R-uebe earga, encomnmendas e passageiros, para
o0 quaqv tern excellentes aecommoildao5es.

? iSteam Navgatlion Compan'
STRAIS OF MAGELIAN LINE
0 VAPOR
Aconcagua
Espera-ae dos
port's da Lropa
atl o dia18 deo
merjo e seguiri.
Para os dosui e
do Pacifico depoi
encomawendas o disaheiro


do sul.
Recebe tam-
bern carga para Sartos, Pelotis e Rio Grande do
Sul, free mnodicos.
Para carga, 1assstgenis, encommsendas e valores
traita se na agencia
46 -RUA DO COMIERCIO 46
Compaauhia Blailaaa de iavega-
i-o a -Vapor
Macei6, Villa Novo, Penodo, AracajA,
Estaneia e Bahia
0 vapor
S. Salvador
Cemmandante Pehdro Vigna
'L ,. -Segue para os portos
acima nodia 22 do eor.-
S mrente, ds 2 horas da
tarde. Recebe carga
-- --Z -= unicamente atW ao 1/2
dia de sabbado 21.
Para carga, passages, encommendas e dinheiro
,. free tracta-se na
AGENCIA
7-- Rla do Vigario 7
Domingos Alves Matheus

ROYAL RAIL STEAM PACKET
COMPANY
Grande reduetpao nos prepos das
passagens
0 PAQUETE A VAPOR

Derwent

:9' eaperado daEuropa no dia
//l 19tv 2'1J -I ecrreatt, a:.-gu ir
-k do dtpois da demoia netes-
saria para
.1eee ,o', Bahia, Rio de Janeiro
e Santos
Offerlecendo-se carga su
leo, vapor eltrard para 0
riadouro.
Para passagens, fretes, etc., tracta-se cornm os
CONSIGNATARIOS
AdamsonHflowie & C.
3-Rua do Commerelo--3



United States & Brasil Mail S. S. C.
S0 vapor
Advance

ia^ A E' esperado dos ports do
AM st. /O dia 26 de feverciroi e
.g~~A' depois da demora nccssaria
segairsi ptara 0
Para. laranhisio. S. Thomaz e
New- Yorki
Para cargs, passagens, e encommendas, tracta-
se corna os

0 vapor
Finance

Espera-se de New-Port.
News ar6 o dia 2 de marco,
i syeguinudo depois da demora

Bahia e Rio de Janeiro
Polos vapores desta conipanhia ddo-se passa-
gens para Liverpool ao proco de 200 dollars ; o
passageiro ,lcsembarca-ado cm New-York tern ga-
rantia a passagens para Liverpool quando Ihe ap-
prouver por vapores de ja ordem.
Parat carga, psssageos, encommendaa c valor.,
tracta-se corn os


AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUADOCOMMIEC0IO
1. anda-,


N. S


COIIPANIIA PEElNAIBUCANA


DE
Naveav aVo Cos eira por Va'1or
0 PORTOS DO NOTE
SParahyft., Natal, Afacdo, Mlossorm, Ara-
CaIy, Ceard, Acaraht e Camnocimn
WIN S1egue n.odina 20 de e-
--reijr o vapoJrpojd'.
ca, commandante TJl-
S lea'A, as 5 horas da tar-
~do.
Recebe carga atA e
dia 19.
Encommendas, passagens e dmheiro a frete at6
As 3 boras da tade do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Cacs da Comnpanhla Pernambu.
eana n. 12

COMPANIES DES -JESSAGE
RE E MARITIIEJN
INIIA MENSAL
O paqucte
Equateur
Caonamaudante Lecointre
SE' esperado dos
Lrt.po.tos do ,mtil


DEAVJ!, los
Lembra-se
classes qae h
cia, que pode
Fas-se aba
feziilias comj
que pagarom


S seguindo-depoisda
demora do costu-
6NMsue parasBOBR-


aos que
car n'est
graphics
o titulo j
Dirigi
ta, a d
emprega
blicos, p
no sentid
importar
signature
is dspe
pies.
Assim
turas sul
da edit,
mado, (
exemplar
Svista d
SAqu4
&r -me ip
damente,
reito, cad
zerem a
gundo);
considernt
c-eiMoedia,
tT05 snoi
I~ica9^,
Record
nrlo pode
I:Emnqui
meu trab
encontrar
terei meit
ithinals,*i


I


-1 -,-k


!


fp-. 0


L, idem,


",, / .+ _.. I..t


















LiIn4adle (Uijs
ito vemndderni
fiHodaquS'?,'
tvrreno pr.-
& 11:400itvo)


ostxa PA i "nmmo 1,0714o.11 I
QQuara-fei, 18 do.corrcnte I Do minovcss, 1 piaei d (-tuaI0. do fabr.
i 't s ... ho 'a cantc Bord, I.lm-l;, Vi :htos et. ,,"
A .bi-r:
#a Sdo HaIgel u'. to I Um imipiittne piano du caitJ do fiabtienut
____ _rd__________ ___________ ; Bi, 1 nubili:tj d;t juneo cun)plctaetin1te 'mi ova,
rieos quadros a i-tu, 2 e,ells;i,,s uvscornmot
Ilra ulorund,,2 pares d ti'lanitcrias, I calm lJkil o bb r, 4 p;ar:s dtie litlits j.rr -s, Itap-t v, cstrra-
|eijisa, 12 cIadS iris t.m d d8,-radaa proprlas -pira
De 4 -,k;Ix;zs co-in mantieiga em latas de i gablmete, I Iol ia br;im-a.
0 ,ie 112 libr i Umai impart.umiil c::mi frmicezi t tle j;!eanranJda, 2
1DO.C-FE2 -EN190 C x-(l.c3is gu,,rta-'vctij!)s d, en I;r, lIC 1 on)l-
A s 1 1 h o r a s ujfw ,! c ilit o 1 d it aa ,ti ig na oI am:im f ra n c ez-ti to
I I ) n'- .- I n muli:r, ,i- 1 mies:, clstica te.ain.u-.rd'!i, commn 4 t:u-
POR INTRHVEtNCA) DO A1) E Nfl ii T2 .po.tyr:, .Jos el *lit. ntmn..l.i 1 ginria-
,r I d n;, m i,):.. r. i t- 12 e e-l ) u o ,p.t ppamll ios-
I'iib |d-- ,iorc.-i:misn paro ahlmn.c ditos para janmtr, 2
autv do CO om Jecus n. 9 fU i.u-tt:, i,- vi Iro, cop v. cdiices- garrAfas, co-
____________l___________ __ es__ i t;t i)m,-r f- m tr'tos oiutros objcctos ce !!o
[ i j,,,, ) ,n j Ot, que uot ;uimut j-).ontcmt m n ati) do liii -,
JQouala-'eira, U-3 do corrente
De dou. vrc~jt A 11Ihoras
Dc douf rcrelies aput-rzia da Boa-Vista, sen- No 2-' c 3o an3:nlr uta r'a( do Marquez de
.mlj u cna e.ss trre- n. 5..,beo ,e Joo Fr- iin n 8.o. e:lr...i pDda rim de Do-
cs-o c ouon-a u 9.. na ri-u4 do Viscoude deo Albi- i -
-q^'rqaie, anmin rima i (1 ml ria. !iitrgos Jous u mlrins
Qwarta-feira 18do corr'ete 0 agihite. ',Ptua i campctclt-K-mi, autntorisado
A umo tui-nn. Icil. i',s iM1nos. imive-is o muim- ous ietCt0i
-ii0 l ir(H .. .... -. ..- ,,,1:.1 ,


No avir, cx c da E-ai do lmp4-
sadiob <* -is
0 ( g-,n) t Maintius f:ti; Iciio por lmAivar'i do EInmi.
,ir. 1):. juiz da i)pruti'-c ri'i ti campellais e em su:l
iptS In r:'it.. l; i rf ,rii;ds (S-tas, A r>quneri;re ilt) dia
umis:;: r..:Zi;-ru ra dm;t ir-tunade l it .ii Nossa Seihora
d, : l: ;. ,ii i.(i ;ti.)__; Vi-_._j



Sti(leI., l8do carrenle
--t E 5 kr- U s aa


;C-I-u It !m"r' i.ii-- l"-louu.-. is u pl Ir.i sm'-u iu.mi' i.
Ao colorer i iaitetlo


D o.' f;zins.;iis iingAim z ig li .n(.is i ;( lxu mmlis
sta fel:'a :} ldo orrcraeie |
AS 1i lIORAS
-A e te Pisfto
V':, i-u./, do /"osn ,/,Asus n. 40

lone de SocTorro de rnam -
1 0t '.*


n u b'h flU t.)ro d(ot Pm-aiw) u. '2\ h2 4
O ignot Sdnui,'a p) r !inmiwla.'o c em i)reein emt
,' Sr ^i jtiir Idedr.-.i, l ir>vvlori; ca ) jl,j.A'iS.iU di ;;
;. n- re-i :,, cm in virtulni t dr r erin nrmime-t; d..- : E- stau) ccim.nt,;) i -..'i ni, al l tit
ws:- In"ui. ro mI:- iri-ra'Imkde d 11- i^: ', tw ml i I -it Sit.-, lev nr; ui ; i oil;o .s se- i tin.- i r'. (1r .md B ,ii M' s n. 32, is 11 ioras da
{ ,T.I;, prediis : j in'mhu, uis i.('.s t nTo frem i regata.los
1n.ma cuma ter'-!.. A rua dnu 5 Triiclueira m n. 11, fo- u ;', ii ,',ra)i) ( -'t-tl s eo;;i:i!tes .aufitelas, "a dinhciro


1, 0,: di it. lit. i, ; rii L) i s V.a tiiith n. 53, fo- tc.
icira.
lrma dit ,lit;. Ai r a R'-sta;i;ri u n. 49. Ni;


8.274
Leikio
D it:.sa iug~ezas em buavricas
I oje,18 de fcvereiro
A:; II H-liH.AS 8.318
IR INTERVEN!A) DO AGENT I,

Mlfredo GliIlaraes
i .5;';3
...o (riazuni do Sr. Awimcs 8.5')7
S-- -- -_- -8-- 8 605
4' e uti m i I iO o oo.o10

De predios
Qtiilisa-fe2ra i ) do eot'reat.e .,1
AO 1,EIO DIA
('am'-n. o S \'a ;uit,.rIi-,.'i > 'r :>lvrai. do E inxm .
r'. Dr. jiz pii),v,d r de ,.y- ipi!a, ;a requ.riinento 1,
I a inesa rcg i.,)ra ,Ia irmu nrulindo de Nessa Senhora
doi Rcs.'i ,i, er'ct ia nma;t riz do Curpo Samnto, fa-:.' i. 6,3
licilao .o an sisl ci; L do cno Exmn. juiz, dos
prodio." -'ci ime. : 8.6 ^ ^:;
tjmu c.,o- t, r,',r i -;t:a ; r; i),:.ingi:!gus Josie Mar-f
tins 84, cornm 3 pot tas ,id frente, corun mgram-les .57
fundos atW ; r'a ( d( I). Maria C -sir, onde pod
ecr edificado oatro prcliho, tfndo o mwcnv esn')sa 'c- 6. 6-2
lepimento uniin; p;id;ia e refit,:lo. 8.673
Uma dita trr,- siiqAi 'i 1'u D. M.frim Cesar n. 47
ctmn 2 pw:as tie trfenite e grande Iulo, ,inule tilm 8.675
o estabulecimmnoto doe refin:',co.
Os preiios senm en'tregurs dcfintiv\;n'ntc it stR
ultim l. i!ilo, 8..)1
;a agenci a tirtivessi do Corpo 7)

Santo I. 27 8.710
3 e ultimo leilao 8.
DE
-=K-L 9 -% sir 4 8.717
QUARTA-FEIRA 09 DE FEVEREIRO
A's 11 horas em ponto 8.723
No armazemin da rua do Imupurador n. 22 8.7"2
Rodri-ig u-s, prep ,.-t %,i ,;geumte Burlhmaqui, por .
atvarl c as:istenciat i'i inm. Sr. Dr. juiz da pro-
vedorit e cipell s e a r, (u;i-rimento da mesa ri- 7
gedora (LI iri.n nid:tde das Al.ias, Prccta una matriz i t1
do Coi po Sant.-, levuirA a 3" e ultimo leilato o so- 8.77k
brado ,de 2 an i; ru-s e srnto 1n. 25 ;i rima da Penha,
serviu.lo da base a ultima offerta de 5:200000, e .
a casa t-o'rei a. 28 A tr'uvessa do Livramento, ser- S.751
8.771C
vindo ta;in!)ni de basea ; ulkimn~t offerta de 2:1014l. i71
Os ;,-eteduntcets desdc ja p,)dvr.lo examiner so 8.775
refiridos prediios.


Pestana


Leiao
DE

A saber:
Um sobrado dce 2 idlares situ A rum d Doenia-
gos Joae Mntrtiun n. 58
Um dito de 1 anidar situ rua do Torres n. 4.
U- a casa terrea sits aii run de D. Maria Cesar
a. 31.
Urma dita sits a mesma rua n. 53.
,Sexta-feira 20 do corrente
Ao meio dia
No armazenmi A ru:t do Vigirio n. 12
0 ( agcnt Prstaina auint-irs;suhl pr -ilvaril e assis-
tmeia d) Ilirnm. Sr. Dr. ji-z da provedorit., am reque-
rimento da mnsa regedo'-a auMris-da.- pe mes.t
geryal da 17 do ainre de 1884, levar:, a leili'e os
predios acmna mneucion .'ou, os qa ucs strao venldi-
dos livres e deseuibara indos de todo e qualquer
onuis. ,


i;t:i' .o. l'.ta:in mo un xp )Is;.';o tres dias an-
CAUTELAS
ner').
1 e-(rrvnliu, urma corrento para relogio c 3
;!lies(s dc our) !eli, um relogio d onro, nrea
s:i!va e uina i-s'rivanninlr prata de Ici.
3 alfi|u tes, um par do brines3, un dlito de
r u-mtas, 3 annei;-. 5 bouth.8 pram collcfe e 3
):r:- !' -ttr ur.m otil'ro (!' Iti.
I tiihi!ttc ]'par a r tr:nlo, I par de brincous,
c-un-i t!e i. i.
U:ua ,,utseira, 1 tri'vme'lin,, 3 volts e dito,
1i;1i1 par de brin-os, 4 :mini'is, umin par de
iL.o5 s num ,iblinma da Cunc.-iiao, ouro
do lei.
1 allineto de ouro ue id;, 1 rclggio eI ouro.
1 ri I-gio, ouro dIe lei.
U:nit u-tirrente para rml.,gio, ouro dc lei.
iUm!;i pt Ilseira, ouro dr i--i.
1 alillm.t!, utim crdotAi, umm min-dl:tlh:, 1 par
tie tim uldito de rosetas, 2 pamrs otie lotS- s,
nin' unoedinliha 3 trcs uaiiiieois Ilcda.l, ounro
d_ iei.
Umnai corrente pmri relogio, uina pnuseira, 2
inedahuuIs c Urn| veltu, do eiuIdao, ouro de
Ihi. unia pulscin;t, oturo balxo, umrt cruz cr;I-
. jads de diamaniitcs.
1 pnir de brincws c 1 dit.i d roctaus, o-;ro
,-I lei.
Umra pulseira coin 1 brilhbimte, imun volta
d1 oumro tli lei.
Uui: C-ruz de c(o imci brie i riitc, 1 ainnel
('-in dito, I dedal ue 2 ain-eis curo de Iti.
1 aimel Ile our o coin um brillih'nte e I re-
l:ogiia d ounro.
1 relogi ouro doi li.
.2 anneis (id ouro comi> biili'hantes, imnum vol
t tI de ordJ;o, 1 Ihuo. e 1 unnul, ouro do lei.
2 aulfin, tes, 1 ponteiro, 2 c mncio pares de
bvtues partm pnimho e 4 botSes pnlr.4 abertu-
ra, OurLo io Cli.
1 traucelim, ouro de Ici.
ITnma pliilciria. 1 tranielhin, lu.i- v-lt',tas de
dito, mina mncduliha tdeo ti coin umam;o c uma
!i(.,i|;llia, uuro de lei.
1 par de brineos d(e onro c-')m brilliantcs,
mt-i cruz co:n ditos, 1 par de briuco, mm 1
fio de pcrolas.
Urna corrente dupla para relogio, ouro de
lei.
Utna volta do traucelim, 2 pares de rose-
t:ns. 2 alfinct,'s, :3 b,)ucs c 1 cerau,:i) dc cor-
nemliii cinm ouro du lci.
Umia pulseira, ouro de Ici.
Uma corrente parm rclogi,, ouro de leIi.
Umnt corrente paran rilogio, 1 relogio de
ouru pnra senhora, ouro de lei, 1 paliteiro
prata (Le Ihi.
1 trincelim ouro de( I-i.
U ,izi pulseir.a com. bri'lantcs, uima cruz coin
coin ditos, I par de rosetas e 3 botSes c-rm
uitos.
LUuai corrcnte para rieilogi,, ouro dc Ie .
I1 relegix ouro de oli.
Urnit cormute p..ra relogio turo de -i.
S'uitas pulseiras, um alfin.-tn, cinco p u-cres du |
1.i inco, trcs ditos de ro-zetas. uma veronica,
uiim emblema da Ctnceic;i .r.a cru-., um
par de butres, umn dieda-! c icoanneis ou-


r,'l : 8.7&8 L ;-i i:in-I.;t-ra de ouro comn pedras fieas.
8.78i .') I':.:6;, !6in e una mnoeda pequena corn
i,'..:.,,. <*..: u e lei.
8.791 Lu'n ,-, d., r-zetas de ouro corn brinlantes,
Ii; .it i vt.in dito e ua.a corrente para re-
I ^ .,. .- ,- lei.
8.79: t-:i.r i';r l- rinclhartes. dous bulles, um as-
.--u.tarcir uren eiteira. uman tijella, un pra-
i- c timui, p-ara nmant.eigueira, um j irro e
v.ia, mima t.ncrivania, um paliLteiro, eOm2
c lh-.'.cs pitra sopa, doze ditas part chi,
caz' g :rmfo, d -ze tacas coin c-ab -s dc praua
e :1i- couni!ims para s6pa, arroz e assucar,
pratIt ;e i '.
8.794 uJ, rm-tn.ro d. ouro courn cirucifixo, ouirs di
lei c ui : r r;i igios d,' ,uroi de lei.
8.811 Umn um.r i'- b-rimcos ouiiuo d lei.
8.809 Uima p uise.ira de ouro corn brilhantes, um
alfi,.rti -.im ditos, um par (di brineos coin
ditos-, d u.i, pmlsciras craveja.las de diamaqi.
tea e fios de perolas, uiu alfinete c um p;r
de rozetas cravejadas de dimanmtes; um fio
de perola, itna corrente pnra relogio c um
r-logio ouro de leti.
8.818 Umra eru de ouro ceum pcquenos brilhan
tea, unsa volta do ourt, urn par de brincos,
uIus eorremitu, pars rek-gio ouro de lei; tre-
sze uolhlieres para ehA, tie prata.
8.822 Um alfiaett, um trancelunm, dous pares de
rozetas "- nma cruz ouro de lei.
8 .847 I)ous alfiuetes tendo um tres pequenos bri -
th.antus, ua:ut volta de oaro, dous pares de
roztias e unua cruz, curo de lei,
8.50) Umni pair de oriZtas le ourow-cavejado de I fi-
Ihamites, uu, anael eom ditos, ama salva e
S um paliteix p-ata do lei.
8.884 Dons alfiuetes, um par de brineos, uma me-
athal, sun tcrucifixe, ivi cordAo, num dedal e
mn imuel curo deole.
8,886,Urea voltfs de omure)p*s cuhoriA. .
.97I im bulmle e 0.um 1cisig,:pIata de lei. -..


9.209 1 par de brinecos do ouro cravejado de bri-
lhantes, um par de rosetas e urma crvz corn
ditos, qu.tro pulseiras, duas voltas de ou
ro, umna crrente e mnedalha. um trancelim,
dous pares de bri-'cos, cinco alfinetes, um
iieOIalhlo, uma cruz de ,uro ouro de lei.
9.211f Uani cor-ente e medalba pars relogio, e
1m r-eloio, 0i0o de lhi.
9.213 SUu.m mPuis-irna 9.214 1 annel de ouro cum un brilhantcc um al
fiinr,, c.,n ditos.
9.215 1 rned4ilha, um p.t- de rosetas, um harreto
uin:- cruz c trcs anneis, ouro de lei
9.2',G 1 IIfiaete, um par de brineos, um dito bo-
toes para punho, um trancelim, urma moo-
dinlha e dous botues, ouro de lei, sets moe-
dimuhas de uro.
9.218 1 correut p>rI rioguo e urn relogio, ouro
de li.
9. 235 Urna pulsein-', um alfincte, um par de brin-
eos crnavej:dos de brilhautes e diamantes.
9.236 1 par de rosetb.s de ouro comn brilhiante, um
aimnel corn Jito. um nannel comin esineralda e
brilh:itntes, uumnt p,'leira, umna volta de ou-
ro coin meddulha e qiatro anneis, ouro de
lei.
9.239 Duas cor,-eutes pars relogio, umn:i ,ne-dalhia,
1mm1 trainselin com inedalh;r, ouru do lei.
9.-242 Ura mcruiz, uro do l,-i.
9.243 1 utfineute de ouro corn brilhantes, urma
corrnutc para relogio c um cordae ouro de
Iei.
9.724 Urna pltira e 1 anne] com brilliantes, nin
par de Urineos, duas rosetas, urma medalha
e quatro ainnei, ouro du li. :
9.259 3 amuneis udeouro coin brilbantes.
9--. 67 1 anueTitie ouro corn brillhante.
9.273 2 pares de briocos, 1 dito de argollSes, 3
peas de brimneLms, I anauil o uinma roeeta dc
onlro.
Rcife, 31 dejnn-iro di 1884.
0 gerent,.
Fra-ucisco oaquim Fer'reira Piato.


AVISOSIV


Co


Peqn-eno siio na

vista, pertodas

Sde bonds, ou

anhia de Olinda,


pode annunciar para

ser procurado, ou dei-


9.011 Urn m cord-aeo Cwulapontviro, nn.tifb- d*0 lij
hntt,'.
9.012 )Dtaa s,'dvna, prata do ei.
9.0200 Umi o;r de r.ozeta d!; owr.) corn dous bri
lhani1, Iun Itenne coin d(litos e diati.intA's.
9.OW2 Cmi par dito r-zetas dte ouro ecti brilhant(
cm circulo.
0, 0.023 Um rUm uigio do ouro.
G 9.024 nricordilao de ouro combine tinh-s, ouro d
19.035 Um aritlo'gm e lh oiouro k,: l r
9.036 Usm r ti
| ourt) (|+3]i'ci ,.* 1 : ;-1, :- 11: -, 1:. : i 11 .. V
oli1ro tie lei.
9.042 1 traneilim' e dias peilwiras, ouro d lel
uma -runz coin o cruscificado eouma volt
die, conutns, ouro baiixo.
9.013 U:mna cruz de ouro coin brilha.mtes peqtenoi
um fio do pvrolas, 1 trincelim c I umn dedal
ouro d(e lMi, 1 palit iro, unmi concha par
s;Ia, 12 collwres p;rat sips e 12 ditas par
elm, prata de1 l*i.
9.014 1 paliteiro e umrn silva, prata de lei.
9.04-5 1 emlon ,I da CunmciAo, 1 um cord-a nuM
g rnu ;inliiiit, ouro die lei.
9.051 Umma ctreuWe o medatha iara r-logio, uma
dita para senhora, 1 trancelim, uiha lontat
1 dedal, ouro de oii e 1 relogio dL ouro.
i utma citnz coni ditos e unina pulscira, our(
de It i.
9. 7-Jo Uimu p'!scira, urna eeta c 2 alfinmctes,our(
de lem.
9.072 Umna corrt-utc ;,ara relogie, ouro do lei.
).075 Uimt \-&!t:t (t oimro, 3 amiucis, tend em unm
1 pequeno brjlhante.
").078 imn" p:dlzseira, ouro dc lei.
J.07') 1 :;il (-- f-c ouro mei brnillantcs, 1 pax
de b uimoes, ouro de lei, umna pulscira,
I alfiict u ) pair de rOSC'eas ouro baixo.-
9.085 1 mantel d(o oe"ir) coin brilhbntc pequeno,
d nus puliciris u. v no dtndal ,muro de lei.
,).087 1 tiliute tic oumo om01 I0rilhimtcs, 1 par du-
ros0tas cini dh:os o 1 ditou dic ouro cu:n di.-
tis, ii;:: i c:)rriM-1m .r i,1r;I,, r.-logio, 2 d ilacs
oiu'> 4!c lIci, 1 trn-me( liru i- i: i; rcidom.n ,uro
i)aixi,, 2 r-el-gis *a d, oumo, 1 paliteirni e 1
par do ca.-ie-;aes, pratai do lo, 6 colihercs
p su'; s: :t, 19 ditas para cbh, e 2 marncacas,
pitta i :ta,-,.
3.091 1 alfiiti.ii:c de 3x-o co)in diamante, 2 pares
dle brinm,, e 1 aInncl. ounro de lei.
9.091. In u ) dc nuro coir b-ilhlautc u'.a audii
nhia dt oiir c 1 dcda), ouro de lei, e 25 ceo
lrc(s lIe t.prata.
-).093 1 nutm-eil d ourmd corn briihante, 1 Ialfiutrte
corn dito, uma in moeda de ouro corn la)o,
1 par du argullScs, una medalha, 1 annel,
tuna pcea pars rosario, 5 peas para cin,
teiro, ouro de lei.
;.098 Unm vi(Ita de trancelim e 9 teteias, ouro.
dc IO i, 1 ielogio pars senhora, ouro
d( lei.
9.105 uma volta do trancelim o uma medalha,
o roude lei e 1 relogijde euro.
9.107 D)ius correntes par relogio, 1 medalhao
de onik, ouro de lei,
9.122 1 rclogio de ouro.
9.123 1 cord.o e ulna cruz pequena, de ouro.
9.133 Urma pulsemma, ouro de lei, urma dita, ouro
baixo.
9.1-7 1 relogio, our-o de lei.
9.153 3 pares dc rosctns, 3 botoes e 2 anneis,
ouro dc lei.
9.G- I Urnia corrente para relogio, ouro de lei e 1
mrcl-gio de ouro.
9.161 1 par do rosetims de ouro corn brilhantes
cm circulo e urn-' cruz corn dios.
9.1G62 I par do rosctas de ouro corn brilhantes em
cm circulo, 1 annel coin ditos, 1 par de
rosetis corn diamantes, 1 alfinete c 1 par
do brinoes, ouro de lAi.
9.- IG; 1 tranecliin m umna nedailha, ouro de lei.
9.17; 1 atiimite, 1 pir de brincos, uma cruz e 4
unneis, ouro de lei.
9.- 1i Uin.- palseira ouro de lei.
9.182 1 alfiunete de ouro, 1; par. de rosetas e 2
aunas cn)m brithautes,
9.183 1 c'rdauo e uma crm e 0uro loi ..e.
9.18-1 Duls pulseiiras, 1 tracellim, rnma'volta de
ouio, umi; mnedalaaui, 1 alfinete, 1 par de
brineis c 2 nafnieis, ouro de lei.
3.190 1 eorreutao para relogio, ouro de lei.
.I 91 1 tranceliin, uma medaiha, um annl ouro
de leti, cineo moedinhas de ouro em botoes.
9.193 1 trancelim, urea medalha e dous afifn our- du lei, uma relogio de oar.
9.191 rum annel de ouro como um brilhante e urea
pulseira corn ditos.
9. 195 corre-ntc pnara relogio (senlhora) e cinco te-
t,'ias ouro de let, um relogio po'ueno, ouro
de lii.
3.1.18 1 par de rosehis do ouro corn brilhantes o
umire satlva, prata do lei.
9.200 1 pa r dc ru-ctas do ouro e um annel corn
brilhautita.
201 1 anunel de ouro e tres botoes corn brithan-
tus, pmn- volta' de ours corn medalhao, duas
correntcs e dn;s memdalhas para relogio e
um par de brincus nuro de lei, seis moedi-
nhlas dr our-u en bet5cs.
9.205 2 botees grades para pumho, ouro de iei.
9.206 Umna cruz de ouro corn brilbantes, e um par
do risitns corn ditos, duas puls-iras, urna
volta de ouro dous traneelins, um par de
brineos e un alfimete ouro do lei.


D. Daria Augusta Coimabra
Antonio Nunes Ferreiro Coimbra, Antonio Jos6
Coimbra GuiMtarme. e D. Augusta Candida Go-
mes Coimbra, consternadissimnos pelo fallecirnento
de sua muito estimada esposa e filha, D. Maria
Augusta Coimbka, convidam sos seus parents e
amigos part assistirem hoje, '%? 9 horas da ma-
nha, a inhumaCAo do cadaver, que se acha depo-
sitado na capella do eemiterio public de Santo
Amaro, e sos ultimos suffragios qac, pelo eterno
deseanso d'ahna da finada, alii sera'o celebradas.
Nato fazem convitea espcciaes, ha carros is 9 ho
ras da manah, postaidos na rua do Imperaidor,
para conduzir as pessoas que se dignarem con-
correr a. te acto de religiAo e caridade.



FlOinda Maria da C. afttos
Joaqutir Jose dos Santos, Galdino Brasilino dos
Santos e sua mnulher, Justino Calistrato dos San-
tos e seum filhos, Antonio Joaquim dos Santos, sua
mulher filhos, Pauliao Avelino dos Santos, Ma
ria Joaqtina dos Santos, Eiisa Emilia dos Sanrtos,
Jose Fracisco das Chagas Ribeiro, sua mulher e
filhos, agradeeem a todas as pessoas que se dig.
naram atenmpaniar Os restos mortaes de sua que-
ridsa mai, av6 e sogra Florinda Maria da
C. SXanio, e.ds novo convidaw a todas as pes-
soas de sua amisade pars assistirem a miesa de
setimo dia, que tera lugar As 7 horas da manha do
dia 20 do eorrente, na igreja de Nossa Senhora da
Penhli, pelo que desde jA antecipam seus agrade.
cinientos. AI



Aviso
S6 hontem, por urn amigo me haver dito, fo
que tive seiencia de' um aranzel do Sr. Domingos
Cavalcante da Silvet'a Lins, no biaric de Per-
nambuco, prevenindo quoe ninguem fizesse negoeio
conr urna letrade 3O00)-aeeita pel6 Str. capito
Emilio, do eigeaho Primoroso, e eomo a respeeti-
va letra jA est* d6m o petrtedee a min feito, per-
gunt ao Sr. Dftings Cavaleanmte, que infelix-
meo.te meua sogro, corn quea direito vein o apu-
,blic6 fazer semelhante aviso ? Se algum direito o
Sr. Dominingos Cavaleante tern, prove o em juizo
competente. A- letra acima fallada foi a innm
eqdida, por diuheiros imp, estados ao mesmo Sr.
Drtaingos, que so6 cuida de esbanjar uma peque-
nus heranca trazida por more do psi de sua infe-
liz mu her, entretonto que atW o present nada
deu a s'va filha, que 6 minha mnulher. Devo a
emoueluir este, avisar ao respeitavel public, que
ningucinf-iaa uegocio cam o Sr. Dominingos Caval-
cante, a respeito da heranea deixada pel) capitao
Francisco Cavaidc ute de Albuquerque Lins, visto
como jP constitui advogado eprocurador, afiia de
propor a competence acaio de prodigralidade con-
tra elle, e do demencia de sas infeliz muther. Re.
eifel 17 dc feverciro de 85.
Hugulino Jose Marques.
AN TnF i LI

AOS:0000



RIlIKETEN GA1ANTIDOM

Prana dal Independen-


r avallo russo pete x e aado deoen-
Da quartosf quaudo hands tim urns caimbra
ea.prna, toe miais ura bexiga velba quae
nat baixa reoespinhaoo, sada basxo e meio
bado, 6 ardigo, eaetrad, e term 10 annos
ou menos. Gratififesa se genersamente a
os apprehender e os levar ao mesmo enge.
hti dilis der noticia A rua Duque de Caias
'1' anldar.

iw li]


m- -' l ," "Ii
S :L '^'i .F. .QNE-E.,'u O,,.^
I 3 i r. ". c ,:T :.^ K ,: teiht:,
0/00 I ', !',,:.:?M .,,. ,;',,t- c .B
Cc :i; 0l. ii *,;.- ;,.. *. "
T Bri 'l:r.r, 1i > j tr' a n !
l Peprfuuo i n S.'-bct ,
Deposito na '13 r 't;? 'oluj ,-. ; -
Phia radias ci
LEassa&S^ s '^, lot a Pr f 4.


0 abaio. assignado vendeu nos
venturosos bilhetes garantidos os 08Prem
guintes: I inteiN em quatfo quartoas co(
a sorte do 2006 no n. 300 1 inteir
em, 4 quartos corn a sort do 200. no IP
272. 1 inteiro em 4 quartos corn a Pw
de 1004 no n. 385 al6n de outras mais de
326, 165 e 8#, da loteria n. 103.
Convida aos possuidores a virem receber
scm deseonto algum.
Acham-se A venda os venturosos bile-
tea garantidos da loteria n. 106 em benefit
da matriz de Agua Preta que so extrahirA
na quinta feira 19 do corrento.
PRECOS
Inteiro 46000
Meio 26000
Quarto 1#000
fteudo quantidade superior
a 100:000
Inteiro 36500
Meio 16750
Quarto 875
Joaquim Piresda Silva.


ALMANAKA TYPOIRAPIIA INDUSTRIAL

Para 1885

Minucioso, compacto e nilidamente impresso

Contendo:
Coompvto ecclsistico Fst,-s irecveis; Tenap ::as; Nupcias soleineso; Dia&
(i jejun.at; EcIypses; Fcriados ; A tdvr .ui o s-osos; Dias de grande gala; Dias do
pequena gala; Taboa das mar6(; no port do Recite (organisada para o Almanak), Ka-
lendario, corn os dias do anno, .-Lvz, n- somaua e da lua, etc. ; Quadro dos domin-
gos e festas de guard em 188-
Roteiro do telegraph optic; 'iu.milas da Agencia Telegraphica Havas, The
Western & Brasilian Telegraph C. L., Brasilian Submarini C. L., Telegrapho Nacio-I
nal, Telegraphos electricos das estradas de ferro do Recife ao Limoeiro, e do Recifo
ao S. Francisco.
Tabellas o condicoes das companhias de vapors da Real Mala, Messageries
Maritimnes, Chargeure Reunis, Americana, Hamburgueza, Brasileira, Pernambucana,
Bahiana, e do Pacifico-
Horarios, tabellas de pregos e outras indicates da companhia Ferro Carril de
Pernambuco e estradas de ferro do Olinda, do CaxangA (eujo horario oxtenso e com-
plicado foi resumido de um modo engenhoso), do Limoeiro, do Recife ao S. Francisco-:
(incluindo various artigos dos respectivos regulamentos), e do prolougamento desta ul-
tima.
Caixas postaes, partida dos corrcios (por ordemn alphabethica e por um novo
systema, taxas de porto das cartas para o interior, comprehendendo a correspouden-
cia ordinaria, a correspondencia registrada, as cartas registradas corn valores declara-
dos e os saques postacs, e taxas de porte do cartas pars o exterior.
CompanhiaRecife Drainage, corn os arts. 9 a 11, 14, 16 a 19, 23 e 24 do
contrato dc 18 de dezembro do 1865. e os arts. 5, 8 a 17 e 26 do Reg. de 12 de ja-
neiro de 1872 ; service mortuario, corn as tabellas das taxas, e a descripglo dos car-
ros, ataude e armac'es de egas, segundo as diversas classes; Caixa Economiaes eMon-
te de Soccorro.
System metric decimal, corn tabellas de conversAo de pesos e medidas do
system antigo a litres, grammas e metros; tabella de cambio entire o Brasil e a In-
glaterra, Franga, Portugal, Hamburgo e Estados-Unidos.
Tabella dos emolumentos cobrados na secretaria da Junta Commercial; tabolla
das commissies devidas aos correctores; tabella das distancias entree afreguezia de San-
to Antonio e cada urma das outras da provincial (por ordemn alphabetica, e de confor-
nidadc corn os trabalhos feitos at6 agora pela Reparti'ao das Obras Publicas); altera-
Sces feitas pela Camara Mlunicipal do Recife nos nomes das ruas sendo por ordem
alphabetical os nomes actuaes).
Substituigao reciproca dos juizes de direito da capital e juizes substitutes.
Impostos provineiaes e municipacs, (volume supplemental).
0 Alrmanaque Comr o supplemnenlo. 1OOO
Vende-se nas livrarias Franceza, Parisiense e Industrial, e na Papelaria do Sr.


Cardoso Ayres.


N













U


JOSEPH KRAUSE ft C.

Acabam de aupentar o seu ja bemn conhecido
important estabelecimento a rua lo
de marfo n. 6 com mais
um salao no 1o andar luxuosamente pepar.


rado e provide de uma exposi-


{io de obras de prata do Porto e electron
dos mais afamados fabricantes do


o.plate


mundo inteiro.
Convida, pois, as Exmas. families, sens name
rosos amigos e freguezes a visitarem
o sen estabelecimenio, afimi de

apreiarem a grandeza e bom gosto comn que
o obstante a grande -
despeza, o adornaram, em honra


desta proxincia.

MiM-S ABBE TODAS I A'S 8 DA NOITM

N UUWTin riN


0







M


S


4- t
sl":


Agent


4k


8.997 1


'lnhoe
73i"


I


xe carta nesta typo-
graphia corn a initial

W, declarando os com-

modos dacasa, rua e


1


I


Iadoo yrs


por quanto vende.
Quem pre'isar de urna senhora part eusi-
nar primeiraa lettras, flres de couro c madeira,
dirija-ase ao'CGaninho Novo n. 128. Na mesina
easa sc dirA quern veu'- in un xaroap vindi do cen-
tro d. sertao pars mote-tia do peito e asthma.
Os uabiiio assiglnados declaramn quo disso'-
vera;n desde o 1 do corrcnte a sociedade que
tinham no hotel denominado Reitaurant Comnmer-
cial sob a firm de Campos & Garcia, firando
esse estibeleciment) desde aquella lata perten-
cendo unicamente ao Fo ios Mauoel Pardai Garcia,
qua fita send tambem o unico re.pmausave. p-lo
pagainento do passive social. Outrosim, p-dem
aos eIn e julgrem credoresoa d insma firm ,ha.
jaium tie i eeninr suas coutas a bein da regula-
ridude aa dissoluqto da sociedade. Recife, 14 de
fevereiro de 85,
Manoel Pardal Garcia.
Martiniano Jos6 de Campos.
MrUCH 0 9MM$a

0 bacharel V de Moracs Mello Junior lecciona
trancez e geographia em seu escriptorio A rua
estreita do Raiario n. ; 1 andar.


^Otkr










.Precia-e do s c.sktebras: na rua do Mar-
quesadoHerTal n.2,8, proximsa a efinaao
i A- luga-se a casa n. 1 A rus Lembranga do
T NGomes, em Santo Amaro, grande, fresca epintada
04 de novo, toern agua : a tratar narua da minpera.
,* '1 (0 trizn. 32, 1 andar.
S-- Aluga-se a casa terrea n. 29 A rua de S.
Jes6, caiada e pintada de novo ; a tratar eom o
4? t Pinheiro A run larga do Rosario n. 38, segundo
y( andar.
S- Precisa-se de uma ama que saiba cosmhar,
para pouca familiar ; na travessa da Lingueta nu-
mero 2.
4' -O Quemrn precisar de umn perfeito cosinheiro o
S 0' achari A rua do Imperador n. 79, 2.0 andar.
Aum1111110@------->
MOLESTIAS dos BRONCHIOS e da GARGANTA
/ W (Defluxos, Catarros, Coqueluche, Laryngits)
__ XAROPE e PASTA de VAUQUEUMj
PAIBS, Ph", 31, rua de Cldry, e em todas Ph-" e Drognerihw
nI1A It ARTI l l :
f IlHI d V-fJ"i li .......~ii


ULILVnit 11 'UltI 11111
Aos 4:000S000



hla Primeiro de Marp n. 25
0 abaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 1,728 corn a sorte de 100000,
4 quartos n. 187 corn a sorte de 1006000
alem de outras sortes de 32#, 16# e 8#, da
loteria (105.'), que se acabou de extrahir
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem dcsconto
algum.
Acham-se A venda os seus afortunados
bilhetes garantidos da 6a parte das lote-
rias em beneficio da matriz de Agua Preta
(106.a) que se extrahirA na quinta-feira
19 do corrente.
PRECOS
Inteiro 4000
Meio 26000
Quarto 1#000
Em quantldade malor de 100d
Inteiro 36500
Mcio 16750
Quarto #875
Manoel Martins Fiuza.


C1SA Do, OURO
Aos 4:000000

Rua do Bario da Victoria n. 4o
e easas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
em seus felizes bilhetes quatro quartos de
n. 4,025 corn a sorte de 2006000, quatro
quartos de n. 1,672 corn a sorte de 100#000
e diversos premios de 32#000, 16000 e
8#(00.
0 mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi-
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes
garantidos da 6.a parte das loterias a me-
neficio da matriz de Agua Preta, (106.'),
que se extrahirirai na quinta-feira, 19 do
corrente.
PREmOS


I CHOCOLATE con SANTONINA
In mpn MutUMr u LO0B-ii, W Z
| bo Venftreo 6U~i~~pt uemw do vLw
iu uhs akaeTAr aol e ermmu ia* iefda.bb
[ t+Exigir a ass!gnattura:
tLPar%Pk" COUMT-d'AAGE.. tPeattlac#. FIAI'cId.dSILVI

SPELLETIERINJ
8 DR
Laureado pelo Institute de Frana
Fornecedor da Marinna franceza e dos Hospiltes do Par
S 0 remedio mais certo e o mais facil do tomar
'.PARA COM3ATEL. 0
r VERME SOLITARII
0 Cada dose 6 acompabada da uma istruio detalhada.
PARIZ, p'" TANRET, 64, tUA BASSE-DU-REMPAln
S hpsltariou iu BIa'i. AEIAE Irliol & Cu .



CONTRA TODAS A
MOLESTIASdasVIAS UINARIAS
E8PECIALNqTE
Catw'ro ctronico da Sbexiga,
Irrltaao do Canal da uretra.
Molestlas da prostata,
Incontinencla do Urina,
Area na urina, etc.
SW ANN, Pharmaceutico-ChimiCo
PARIS, 12, RUA CASTIGLIONE, 1t, PARISH

I Yerdadeiro Purgative
I..LE ROY

Ji o remedlo mais antigo e o
mtls unidversalmento empir-
ado contra todas as molestias
Sepidemicas ou outras, causadas
S pela aitersago dos humores.
Se -wsop~ra exclsiavama. us Phurusda
I COTTON, Ghnzt d. LE, mOY
7Rua do Seine, 51, em Paris

OPPRESSAO r
(ETAWIIO-DEFLT U.
Arilra-se a furaaga que penet
a .-pcamioraaO e favoriaa as fu
Won" eem.tacajea em eam

'L. T PIVER, %Perfu
PARIS




sQ


| wla- U^ tod s FaPrfiists
-.. A^1 u^__ ,


Inteiro
Meio
Quarto
RBm porqao


4#000
2#000
15000
de 1oo9ooo
elma


Inteiro 3#50(
Meio 175C(
Quarto 687
JAoo Joaquim da Costa L
Vende-se
tima casa terreama tiavessa do Falcao n
do 3 quartos, 2 salas'e c sinha, grande
cornm cacimba, porto e arvoredos ; a
mesma corn a dona.
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar
engommar ; na Capunga, rua do Jacobin
Aito de caf. E' para casa de homrem soll

Advogado
i r*de Moraes lello Junj
f. N. 6-Rua estreita do Rosario--
: (Das 11 horas da manah
I* is 4 dai tarde.

i Aluga-se
o 2' e3- aadares dosobrado da rua
S. Caxias n. 28 : a tratar na mesma rua n
daria. _
f- Precisa-.-e de uma criada que cosi
gom :e : n4 rua do Imperador n. 18, loji

Ao conmimerio
Antonio Francisco Areias & C. scent
commercio qne compraram ao Sr. Franc
vier Ferreira o seu estabelecimento de cI
i'* sol, sito A rua do Cabugai n. 12, livre e
racado de qualquer onus; se porem al
Su e se opponha a esta transacao, queir
aer-se corn o mesmo Sr. Xavier nestes t
I Recife, 17 de fevereiro de 85.
FRANCFORTS/MEIN
SPARIS LONDRES
llSiuedei qmerj i ( 54.AldermauryEC


fdmhecido do mundo inteiro
emo o melhor Amais perfeito
de todos os sabaos de toilette.
E"ptaidade.
Estractos essencias triples
de hdros. Agua de Colonia.
V wm t detle tte. P6s d'ar-
roz. Pom* Azeites A to-
Sdas lasfpdepmTfxaariasfnas.


)
)
5
r.its.

-, ,k


i
r

k











91
!**


: f 1 '" f ^ ^ U k : f (+i; : ii :':< :!ii

FLOn*S BRANOCA
Iromtes o atitgos s1o curdos emo
puoot dims m msoreto, so* q ng
nem tisanas, serm cansar
At ostar s orgauces digestios, palm
PZZU~XTJ&S
e injecgdo do

O ?IVAD
DO DOUTOR FOBUNlIt
IPAMAY, 89, Place da io UadhIe


W A4





-
i /^^ 4 ,^'/^|
%' +(.- y +/^

'^^ ^t ^^ ^^ ++, ++:+ .;.... + .. +++:+
^* E XPOSIClo DE PARIS 18S7
NfORA DR CONCU0BO
Cur ASMA
peao :'6f do
v-e etoas sp zrtt.y


[CERTAEINFALLIVEL-


GI A'HS 411
jURA
Ti" 1 Gluaos UK
ra no peto acalma o symptoma uavo"o facllta ,
ncese dos organs 'espir.ario
de U. E IPI, t, Mrua Sat-NlAiMem q ePar s
,is4 +t A+i SMLLVA-


'x en qw dWMW ooMlz5L9C1X
e quintal I
tratar na

AW1PRAD'0W Cow io~
lavar e Po G PVAL", Per umi o
ia, depo- fr!po 3E3T. A"5W, Perfumi
teiro. VL A M.Z, 9. Mx-. .4 1, l a, d 9, :EAV0,



ior -BERTSEU iM4
!&IVSFW FOIm R7IIFICANTE appmvado pola Academis a t M*d fe tA*,^
,q 6 M
f #4 2 ft0 isW demcnustrado a eflela ta contestael deste VZIfr, qft- oe aii
Lr c.nW ortar as Pebr"es ei tar o seu reapparecimento, qu6r como fotiflesat a mas
gXseiescenBas, SeblUdlade do Sangue, Wraits e BOUSeM o Zaaotp.sM isof, Sigem.
7 Uft l, Unffrmtde.a nemrvoass, Xebgtft",eausada dela ead-. ou pt'r ecuaosM
EEMa Plftb qu, cortdm nahls pri'j.ipios activos do i qu. oa p, tpardoa similares, y v po.* ga ~ M
e. S um s9 eevatdo.--o as d- objesar contra o ptaoa em rlta da rmconheolda effloaca do madicowant.
Duque de y PirMaoS C(3-. S3<-r.T3W, .378, ,.a Satnt-Honor PAiRS
S30, pa- & --sJ.Aio am nPeramakaa:oo: CL. do. &I-XL.V.&,& ,CO
nhe e en-

9 FE BRO GIRARD
Mw Apprevado pela Academia do. Medicine de Parts.
ica awov ao pela Junta Central de Hygiana public do Brai.
Disco Xa- ..
huap(os do -
desenba- 0 PdeofeN or Hflrard encarregado do Relatorio i Academia demonst,-ou
Iguem ha q # facblnente -:eceito pceos doe.n-oes, bem tolerado pelo evt mao,
a enten- estft l asa forfas e cira a chlorovniemia; que 9 que disting'ue .P-fl,-
res dias. cMa4Uetlsc esie novo sal de ferro, e que ,iwo causa prison de v*enr?
{a defWe, e elevando-se a d6se, obWm-se ejec"ep n. IMer 'za. S.
0 FERRO GIRARD cura ane:-nia, c6res pallidas, (aimlbras do ato-
mago,empobrecimento do sanijue; fortifica os tempt rame itoa. ,'s 5-
We.-ita o appetite -gulariza as regras e conste a esf-aride.
^ Dcp o em Paris, 8, rua Vivieo a a nai proiaa rarian. e Ph-.i"-la!



PILULAS DIDESTIVAS PANCREATINAi
de DEFRESNE
PkrMAw wiei o do 1 CloMe, Foraewmor sa" Ha.spiiw do Por- e
SA Panoratina empregada nos hospitals de Partis, 6 o maii podemo
digestivo, que se conheca, visto como tern a propnedade do digerir e
tornar assimilaveis nao 'mente a carnet e o s corpos gordro m, ma'-
tambem o pgo, 3 amido te as feculas.
Qualpq.ar qu- seja a causa da intolerancla dos alimentos, alteraWo, ou|
aseoncia de succo qastrico, inflammal' ou n ceraces do estomago, ou!
Sdo inotestno, 3 a 1tlulvas de Pancrea'na 46 Deftreu- depois da .o-OE
(mida, sempre alcangam os melhores resultados e slo por mo p?.ecriptas
9 f^plos medicos contra as ,eguintes affecges:
\~d appe U3*S digest6ea.are.rh Ue0raoe cancerosas.,
VaOU .D ente-a. Eznermdades do figado.
flatulencla etomaoai4 Gaarlte. Eimgeomr
FA tlTIA EfKMESNE em,,q.ii* w,,m a dos dso S *8Aoe- |
m idlUa" depois da comido a1 1
1nce k DPRBST NE, author da srtwa,, IAT osim n asftar- aj


DE


SINGER! SINGER!
M iNAS DE, OOSTBA MACHINAS DE G08TlO A
VENDAS DO ULTIMO ANNO 603,292
Quem nRio tem ouvido fallar das famosas machines de coluras de
Singer ?


Em prestaT6es


semanaes


18000
Quando o pagamento por este system se
effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
deo 5000.
Abatimento de 106000 a dinheiro A vista.
.......1.Roga-soe aos pretendentes de virem ao es-
criptorio da companhia para informages cir-
cumstanciadas.
_____--_- Immensa e real vantagem 6 obter-se o
melhor artigo nas melhores condi5es.
De hoje em diante ninguem eomprara senlo a verdadeira
machine de SINGER

PORQUE ?
1.o Por ser incontestavelmente a meihor, mals forte, mals bemn aca-
bada, mals samples, mals duradoura, a unica que tern obtido mais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imitadores.
2.0 Por existir urn deposit succursal da propria companhia, onde se grran-
te estas maehinas por um tempo illimitado e onde sempre se enoontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.0 Finalmente, porque aquellas pessoas que ate o present, par falta de meios,
nao podiam satisfazer o seu desejo comprando uma d'estas excellentes machines,
podem agora com toda a facilidade compral-as mediante a modica presta:4o de


100O POR SEMANA!!
Recommendamos cornm insistencia-Nlo se llludam com as maehinas
que trazem o nosso nome e que nao passam de RUINS 1111-
TAVOES.
Vendemos tambem linha superior, retroz em earretels, agulhas, -)leo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidadee pur preoos
sew competencia.
0 unieo deposit das verdadelras maehlnas de Singer e na
Rua do Cabugi n. 1 A, Periiambuco
Direcfao geral da America do sul..101I rua do Ouvidor 101.

Rio de Janeiro. Casa matriz...34 Union Square, New-York


DI


DE R
DE


CARDOSO & IRMAO

RUA DO BRl M N. 100 A 104
DEPOSITED li J iLPOLLO IS. 2 1 2 B
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas relaoses directs


corn os melhores fabricantes,


e corn um dis-


tincto engenheiro de Inglaterra, offerecem
grandes vantagens para encommendas, como


0.
m



d
le
D
m


* -t


DEPOSIT GERAL
13- Run Primeiro de larco-13
Rio de Javeiro
Unico agent cm Pernanibuco
ADAISQN IIOVIE A C.
N. 3 = Rua do Commercio = X. 3
A venda em todas as boticas e -ogariaa


ADO PHSPU TODEH BR IOSFORID
preparado em harmonia con a f6rmnula do
do professor E. N. Horsford, de Cam-
bridge,
para indigetftio, proslntacio mental
e shysica, snores IocturnoI, etc.
E' esta urea preparaao do phosphat0
de cal, magnesia, potassa e ferro corn aci"
do phosphorico, de tal forma combinados,
que mui facilmento se assimila ao system.
Nao diverged as opinioces na elevada
autoridade medical, rc!ativamrcnte ao me-
rito dos phosphatos; cntretanto ate hoje
nenhuma preparac,'o so offerecou ao pu-
blico que corn os mais felizes resultados te-
nha satisfeito a necessidade geral, como
esta.
E' agradavAl o paladar, e sun aea-o se
harmonisa purfeitamente coin os estimu-
lantes que seja nocessario tomnar-se.
Os medicos mais celebres dos 17stados
Unidos tem ultimamente empregado o
Aeldo Phosphato corn melhor exito
para combater os nmaos effeitos pro-
duizidos pelo effeito do fumo.
Faz um delicioso tonico sim-
plesmeunte coun assuca e agua.
Para mais iuforrma!oes trata-se corn:
Adamson Howvie & C.
3- Rita do Conmerelo 3

Ranul de Lemos Bastos
Demetrio Bastos, sua mulher e filhos, suas n mti
e sogra, seus irnaos, cunhados e sobrinhos, feri-
dos da romais acecrba dor pelo premature falleci-
mento de seu presadissimo filho, irmao, neto, so-
brinho e primo, Raui de Lemos Bastos, agrade-
cem cordialmente a todas as pessoas que assist.
ram ao seu enterramento, e convidam aos seus
parents e amigos a ouvirem as missas de setimo
din, que por alma do mesmo fallecido serAc resa-
das quarta-feira 18 do corrcnte, pelas 8 horas da
manhA, na matriz da Boa-Vista; confessando-se
eternamente gratos aos que comparecerem.


Rosa Augusta dan Silveirai Maia
Albino Narciso Main, Eduardo Augusto Perci
ra da Silva, Abilio Augusta Pereira da Silva;
Antonia Alva Pereira da Silveira, Manoel Um-
belino Ferrcira da Silva e Joaquina Cardoso da
Silva, agradecem do fundo d'alma a todas as pes-
soas oue lhe disnensaram a fineza d- aeonmnanhar


a p a r -sl a m -e .... .. ...* ......... .......... .......ILAUA
rovam corm os a arelhos co letos assen- a sua ultima morada s restos mortaes de sun ex-
rovar Udl 11U ppd lU ll ttremosa esposa, filha, irma e sobrinha, Rosa Au-
h1 M B ugusta da Silveira Maia. e convidam aos seus pa-
s nos engenhos MasSaUasu e OeSBqUe, erentes e amigos o caridoso obsequio de assistirem
as missas do setimo dia, que por aima da falleci-
o; ap are1 da mandam elebrar na matriz de Santo Antonio,
i Apparelho no ege o onCeiloO. quinta-feira 19 do correute, pelas 8 horns da ma-
SAnbh, confessando se por mais este obsequio sum-
MACHINAS a vapor trabalhando so corn mamente gratos. eJ
B ernau-tinaad eu oier
fogo do assentamento, podem ser examina- Francisco da Silva Miranda, Guilhermina Mou-
teiro de Miranda, Ernesto da Silva Miranda, Al.
as as que foram assentes nos engenhos Be- berto da Silva Miranda, Maria Thereza de Mi-
is qranda, Beatriz Guilherrina de Miranda e Gui-
Ti oa u', C G 1 Ihermina Antonia de Miranda convidam seus pa-
m, e m m ucau e a eera, rented e amig s para assistirem a missa que por
F11, e -' C, e ,alma de sun fallecida sogra, mui e av6, Bernar-
iamante em, Goyanna, P o- Amarello, Ca- dina de Jesus Monteiro, madam resar As 8 ho-
yAIIA, laeii, ras da manha do dia 18 do correntc, setimo din
S L'es tamb Vidra o TP' de seu fallecimnento, na igreja de S. Pedro, e des-
ara La es em tam e idra o em aGdejA se confessam gratos 6quelles que assistirem
I A ,.-. --,-,0 4-1 -0 1 1 -&-r a esse acto de relicriao e caridade.


dAlho, e outros no Rio (Grande (do iNorte e


Parahyba.
Chamamn


a attenio


dos Srs. agricultores


para os novos vapores que tem recebido do
acreditado fabricante Robey, que se recom-
mendam pela facilidade de conducao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixando
de inencionar os engenhos em que os tem col-
locado, porja terem vendido 85 para diversos


I ugares,
cidos.


e por issoja


devem ser


bern conhe-


Sao os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da collocaiao e por sua
duraqao,
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a agriculture, tem sempre grande depo-
sito, sendo tudo da melhor qualidade.
Vendem a prazo ou a dinheiro corn des-
conto.


*s .. r ; 11 L + .... 1 1 J F


Juvenclo VWaz de Carvalho
Antonio Bernardo Vaz detCarvalho, seus filhos,
genros e nora agradeeem, summamente reconhe-
cidos as pessoas que aconipvaharam ao cemiterio
e sepultura seu extremoOo filho Juvencio Vaz de
Carvalho, e convidam ainda seus amigos A assis-
tirem a missa que scra celebrada no dia 2T do
corrente, setimo do seu passamento, 'is 7 1/2 ho-
rns da mauhla, na capella da povoacIo de Be-
beribc.


E in J 8. Jose m MurMow
Vende-se
Coivida-se aos preteudeutes colnpirec-erem '
pracai uo dia 20 do corrente, em JaboatiDo.
Perdeu-se
no dcmingo a noite, da ruai da Imperatriz A pontct
do Recipe, umz pgador de leque, die prata, corn as
iniciaes A. C. P. sobre a ch.pa que sfgura a ecr-
rente, pende sob) a incsmtua corrente um It que ja
usado ; rogagse A pessoa que o achou o favor de
cntregal o At run da Concordia u. 14.'. que scr'
genercsameute gratificado, alera de se ficear ngra*-
decido.
Ao conhnlercio
Os abaixo assingaados pelo preseate Oeclaram
que, amigavelmrntute dissolveram a sociedade que
sob a firma Lopes de sA & C. tiliham no estabele-
cimento de iinhados A rua do Born Jesus n. 63,
retiraudo-se o socio Monoel Lopes de SAi pago e
satisfeito de seu capital e lucros sociaes, ficando
o socio Jose da Ccsta Caseiro de posse do active e
respensavel pelo passivo do mesmo estabelecimren-
to, continuando em gyro do negocio, a mesma firmai
Recife, 17 de fevereiro de 1885.
Manoel Lopes de Sa
Jose da Costa Caseiro
__AIM
Precisa-se de ara de leite ; a tratar na rua
estreita do Rosario ns. 5 e 7, padaria.


P


I


pi
te
































quer part.
Ru do OhIL 4





AOCOIMERCIO

VYiagens ao0 centro
De OliUnda Atabayaaaa per Igua
rasst, Goyaana e Itambl
Todos os sabbados, As 4 horas da tarde : passa-
fens tomam-se 4 rua Primeiro de Marco n. 1,
loja.
De Itabayanna A& Olinda por Itam-
bs. Goyanna e Iguarassa
Todas as tercas-feiras, As 4 horas da tarae :
sassagens A tratar corn Lourengc Pereira d'Amo-
rim, em Itamb6.
Viagens avulsas para qualquer part e em qual-
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e
a pre"oe commodos. Essas contratam-se A rua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nao podeiem ir nas diligencias.
Aluga-se
o 2 e 3 andares do sobrado que foi do Pinheiro:
na rua do Brumin n. 62, Recife.
Convite
0 Illm. academic Jose Borges Dias de Brito 6
convidado A assistir uma conferencia amanhA, a
rua do Barao da Victoria 11. 48.

Ama
Precisa-sedo uma ama parm duas pessoas ; na
rua estreita de Rosario n. 32, bilhar.

Lava-se e engomma-se
Prepara-se roupa corn todo o cuidado, na cam-
pina da Casa Forte, ao lado esquerdo, casa corn
dous port5es, manda se buscar e levar ; entenda-
se na loja de mobilia n. 23, a rua estreita do Ro -
sario.
Aluga-se barato
A casa n. 19 a rua de S. Thereza.
0 armazem n. 48 a rua do M. d'Olinda (Recite)
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
A casa A rua do Visconde de Goyauna n. 79
0 armazem n. 13 do largo do Corpo Santo, o
qual tern communicagao corn o n. 4 A no cases da
Companhia Pernambucana, corn guindaste.
A tr tar no largo do Corpo Santn. 19, primer
audar-
Perdeu-se
a cautella do Monte Soccorro desta provincia n.
8911 ; quem a achar poderA leval-a ai rua de Fer-
nandes Vieira n. 47, que serA recompensado.

Balanceador
1. dos Santos Vieira, encarrega-se de proceder
A *balancos, organisar contratos e destratos so-
ciaei. Chamados na rua do Rangel n. 3, ou na
rua da Penha n. 7, 10 andar (residencia).


9 Attelncao
Aos senheres de engenho
-'Uma pessoa corn todas as habilita5es para ad-
ministrar engenho, se offerece para este fim, c
tambem offerece-se uma pessoa corn habilitac5oes
para-ensinar diversas material em quatquer en-
genho : quern pretender deixe carta a rua larga
do Rosario n. 42, 3 andar, corn as iniciaes L B,
para ser procurado.

Ahuga.se
uma grande cass sita A rua da Aurora n. 167,
pintada e caiada de novo, corn grande sotao, pro-
pria para grande lami ia ou para collcgio, corn
canalisaso para gaz, corn agua ; a tratar na rna
do Viscende de Goyanna n. 100, entroucamento -
Manguinho.
Precisa-se de urn menino para criado, que
saiba comprar : a tratar na rua do Barao da Vie
toria n. 54, nova agencia de moves.


eB.'1 andahr eom mirug A* Mt"^lkai iw-/lua 1!:!
28,2.- andar*

Preeisa-se de o uums qus mdbai inhar com -Per.
res- foio paca de solteir; A tatar
rua Duque de Caxias n. 69, loja.
que IAluga-se
Ipor- e de um du r d= C)
Sor1 parte do ur 1 andar na rua dma Crozes, propmio
I para home solteiro on esfiptorio ; informacoes
das. !no escriptorio desta fola.
I Por ktra
doS Aluga-se o e- 2- andres do sobrado A ra
f do Brum n. 84, corn bastuates coanmodos : a tra-
fi~f.tar na rua larey -'dr> Rosario n. 34.


Prs lampa tas











Martins & Bastos
Pernambuco
Namero telephonieco n. 33

Cajurubeba
Comnpra-se frascos vasios de cajurubeba a 100
rs. cada um ; nos deposits da fabric Apollo.

Criado
Precisa-se de um criado de 14 a 20 annos, para
casa de familiar ; na rua Formosa n. 37.


DO
Pharmaeeutico Aipheu Soares
Raposo
Cura rapida e sem dor : unico depesito, na
botica do Recife, A rua do Born Jesus (antiga da
Crnz) n. 26, Recife.
CirurgiAo dentist
Jose Basilisco da Silva Santos, cirurgiAo den-
tista e pharmaceutico pela Faculdade de Medici-
no do Rio de Janeiro, de volta de sua viagem
cdrte p6de ser procurado para qualquer trabalho
da arte dentaria das 10 As 4 horas no seu gabine-
te A, run da Imperatriz n. 1.

Urgencia
Qnem se achar habilitada a fazer corn muita
perfeicao vestidos de senhora, crianvas e mais
trabalhos de um complete toilette, em suas casas,
queira mandar a esta typographia sua morada e
os precos dos vestidos e mais trabalho, em carta
fechada, corn as iniciaes=W. H.

Vito Lavizio
A Sociedade de Beneficencia Italiana, manda
celebrar uma missa na matriz da Boa- Vista, pelas
7 1/2 horns da manha de 18 do corrente, por alma
do seu finado soeio Vito Lavizio; e para assistil-a
convida A todos os seus associados.

Bestauranle Aguia

Rua das Lbrangeiras n. 16
DE
I to ,df .ioo VR V onIClloS

Acaba de abrir-se este acreditado estabeleci-
mento, onde os amigos e freguezes encontram um
variadissimo sortimento de cervejas, cognac, lico-
res e vinhos do Porto, e bem assim todos os mais
artigos daquelle ramo de negocie.
Prepara-se comidas corn promptidao e a qual-
quer hora a gosto dos freguezes, por precos muito
rozoaveis.
Bua das Laraugeiras n. 29
Antonio Candido de Vasconcellos
Mu&ta atten&o
Na rua da Uniao n. 47 faz-se plisses e recorta-
de babados redondos, pontudos e miudes.
1' andar
Aluga-se o 1- andar da casa da rua de S. Jor-
go n. 72 ; a tratar na rua do Crespo n. 17, loja.

Baixa de eapiin
Arrenda-se urea baixa de capim na estrada de
Luiz do Rego, em Santo Amaro das Salinas, ten-
do casa de viveida ; convem muitb aos senores
carroceiros e a queen tenha vaccas de leite ; na
raa da Aurora n. 113, se dira corn quem tratar.


MUITO BOM!

Vee-so ma lchina e cortar flmflo. em bom estado, a atlr

narIa Lara lo R Bsa ,21 A, fabrica a vapor o cigarrms Li-

bortos.


F NDICAO


GERAL


ALAN PATERSON f- C
N. 4--Rua do Brum-N. 44
JITO 4A ESTAVAO DOS BONDS
Tem par. vender, por apregs medicos, as seguintes ferragens:
Tachafm fun dlids e baigas.
Orivaces de diversaos tamanhos.
Bqdas de disor, idnidem.

Ditos de dito 1Ifu~do, e1indop modoblos.--


AivGIJEL, WOLFF &C.,
Offerecem ao respei-
tavel public um grand -
de e variadosortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais

barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.


Todos


os relogios


vendidos n'esta casa
sao garantidos.

R11 o O 1Mugis4

Mulito p6de o progress
Grande loja de tazendan de Cuato
dio de Hendonea & C., rua Duque
de Caxta un. 01.
Neste estabelecimento esta abolido o system
de vender caro. Os seus proprietarios teem adop
tado o system de vender pelo custo, ganhando
tAo somente o desconto. E' o system mais aper-
feicoado e que garante ao comprador ser scmprc
bem servido. Todos, portanto, qne quizerem com-
prar, estejam convidados a honrar este estabele-
cimento, onde encontrarao, a par da sinceridade
e agrado, um complete sortimento de todas as
fazendas, como sejam :
Setinetas lavradas e lisas, o que ha de melhoi
em gosto a 500 rs.
Setineta preta adamass6, fazenda lavrada, de
bom gosto e muito larga a 800 rs.
Merin$S preto fino a 14400, e superior a 1800.
Merin6 setim preto fino a 14800.
Setins de cores finos a 1;400.
Setim preto superior a 2A500.
Fustao branco fino a 500 rs.
Saias bordadas a 4, 5 e 6;000.
Complete sortimento de fichus.
E muitos outros artigos que A infadonho men-
cionar, e mesmo nao A agradavel fatigar a pa-
ciencia das Exmas, leitoras.
61--Rua Duque de Caxias--l

Loteria da Parahyba
Ne estabelecimento n. 2 C A rua do CabugA,
acham-se expostos a venda os bilhetes de nma
nova loteria da Parahyba, organisada segundo um
born piano, que contem os seguintes premios:
1 de 4:000J000
1 de 1:0005000
1 de 200000
2 de 1005000
4 de 50;000
15 de 20A000
40 de 10;000
50 de 55000
500 de 2;500
Este ultimo A o preco de cada um bilhete ali,
sendo elle em Pernambuco 25750 para os vende-
dores e na casa 35000.
Os premios so aqui e aliH pages integralmente,
sem desconto algnm, A vista da lista da extrac-
co.
SAo estas vantagens que nao podem deizar d,
ser apreciados pelos que gostamn do jogo das lor
terias.


0 PaiKiller aotal de Pfrry Dafis
Matador da dor
Um amigo dos pobres, economic e de
fail applica9ao, 40 annos de success es-
pantoso.
Nenhuma familiar deve estardesprovida
deste remedio.
Externamente curs: furunculos pana-
ricios e outros tumores torcedura dos ten-
does intumecencias das articuliaes -do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
queimaduras-golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulcers doencas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitates.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
& C.
DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Bar'o da Victoria n. 95


Frascos grandes


P'tE9OS


Pequenos
Duzia de frascos grandes
Pequeno


16500
1#000
12#006
9#000


R. DE BRUSIMNA & C.

ua go Bom- sun8 In18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de emmisses

Grande e variado sortimento de amos-
tras e eatalogoa de produces da Allema-
nha, Fran a, Inglatera, Austria, Hespanhal
Italia e Estado-.Unidos.
IB.--Informag5es sobre machinismos
ditas para engenhos centraes-
tas, etc para iceadios e outra m,
chinas e u 0n5iioe. e **
--- o &- 08-!. -11-!- -- --- -'


ivj A mad niao, muito
Woabeleciaeato e temn com-
am aga -6 gaz : a tntar,
o a. A0- ou em Parnawai-


Iun, amsp


ieitael publtco,
eonfinuam ter um
timento de joias
mais modernas e
mfiR nl-vitAQlc Ovi t


Cautella perdida
Perdeu.se a cautella de n. 8321 do Monte de
Soccorro desta cidade, sacada em 18 de mo. io de
1883, do emnprestimo de 6365 ejuros, vencida A
18 de novembro do mesmo anno ; pede-se a quem
achou, entregal-a A rua da Paz n. 8, que sero re-
compensado.

Modista
Corta-se corn peffeiggo e faz-se vestidos por
figurinos por prepos mui razoaveis, assim como
encarrega'se de enchovaes para casamento e bap-
tisado : na rua do Imperador n. 35, segundo an-
dar, enisda A esquerda.
-Iko commercio
nail*, Rezende scientificam que o SR.
BELLARMINO CARNEIRO faz part da sua
ca:a commercial como socio solidario, assignando
a firma respective, da qual usarA para todos os
effeitos. ,
Medico
0 Dr. Joaquim Camara fixou suas residencia na
cidade 'de Palmares, onde p6de ser procurado
para owB isteres de sua profissao.


VEIDAS

Cravos etflores

Vende-se constan-
tenmente na rua da
Uiot n. 55:
Vende se e aluga-se mobilihs ; na rua Du-
que de Caxias n. 31.
Na Travessa do Calabougo n. 2, vende-se
uma machine media do autor Singer.

Ha sempre novidades
Rua Duque de Caxias n. SO
Casen$ra chariol corn 2 larguras ninguem tern a
%5 o eevado.
Lindas chitas modernas a 200, 240, 260 e 280.
Brinspardos lisos a 240, 320, 360, 400 e 500 rs. o
covado.
Bramante para lenuol corn 4,larguras a 800 rs. o
metrO.
Casemira pekimn a 400 rs. .o covado, que pechincha.
Setinetas lisas e lavradis a 360 rs. o covado,
aproveitem.
Popefinas corn listas de seda a 360 rs. o covado,
Sbern born.
Madapolao americano corn 24 jardas a 50.
Dito Boa-Vista corn 24 jardaa a 6A.
Cortinados bordados a 65.
Ditos ditos recortados a 7&.
Merin6s pretos a 800, 900, 15, 15200 e 14500 o
covado.
Caminsas brancas francezas a 20 e A1800 urma.
Ditas de cretones fri-ancezas a 25, aproveitem.
Espartiihas corn couraca finissimos a 4;500.
Meias brancas para home a 25800 a duzia.
Isto s6 se vendo. E' barato !
Lengos brancos corn friso preto a 800 rs.
Ditos corn barra de cnres a 15800 a duzia.
Ditos de linho para senhoras a 14600 a duzia.
Ditos imitaeao de soda a 15800 a dita.
Ditos de linhe finos de 84 por 3A500 a duzia.
Lindas bandeiras nacionaes e portuguezas a 45800
a duzia.
L;ndos setins macao a 14800 o covado.
Velludilho bordados a 1U o covado.
Ricas ventarolas chinezas a 600 rs.
Ditas ditas bordadas a 1$.
Flanelas de todas as c6res.
Tarlatanas, gangas corn paisagens tao baratas.
Causa
Admica~o
N. 80.
Dos barateiros
Aproveitem.


Para vender
A dmheiro ou fian"a idonea, vende-se uma das
melhores casa de Afogados, bem situada, corn
grandss commodos para uma familiar que se trate
,circulada de terraco, grande jardim, born sitio
todo arborisado de arvores fructiferas, quartot
para criados, gallinheiro, banheirs e outros com-
mndos : a frente A toda gradeada e corn portio de
ferro, tern nos funds sahida para a estaop d.a
ferro-via de S. Francisco, bons viveiros e coquei-
:ral I-uem pretender entenda-se corn o Sr. Joao
Duarte.

A' elies!!
Nova remessa de fustoes de cores a 240 rs. o
dvaao! !
Lmdos padres em fustoes brancos a 400 rs. o
dito.
Cortinades bordados (novos desenhos) a 75000
o par I!
86 no couheeida e acreditad a loja de Carneiro
da Cunha & C., A rua Duque de Caxias n. 59.
Vew -sea tavern da rua Imaperial n. 229,
livre e deoeudwavada de nalquer onus a tja.-
, -tar," gmsg". ^ cm *Itelliu: C. ^_


rmudo I


0flu.a
I 110o-


-a.


onvidkmos e rogam ao Sr. enrique n oe
deBpoBe Sila, abastao propietario dacomar-
cm da&Raqia, ir so n o aewriptorio na rua
de B. o tjew... daras ra porque tem sei
mostado~ao ^ttado e reponder a* -nomma
cartas, e remaissO em pqgar um ebito ji de an-
no.! Fiqae certo V.S. que emquanto eerrar os
seuas ouvidos insistiremos neste nosso convite.

LINJHA COATS
S Lustrosa a pra machine, e a Macia de 6
AN tanto para machina omo paras coser a mno.
-Nio seusa mais limnha em novello-
Pednhaa em carretd com o nome
J.&P.COATS -

Aluga-se
A sala de traz do 1o. andar de rua Primeiro de
Mareo, n. 18 muito propria para consultorio e es-
criptorio de qualquer natureza. A tratar pa bja
do mesmq predio.

Tabrica Tigre

oifarros Bohemios
Viuva.ongalves & Lorega, estabelecidos corn
fabric eloja de cigarros A rua do Bar-o da Vic-
toria n. 4,teetn a honra de partieipar aos seus
freguezej e amigos, que nests data expozeram i
venda uga nova marca de cigarros denominados
BohemioA


Collarinhos, grande sortimento de coUlla-
rinhos, tendo de 51 a duzia atW 85000
Toalhas, grande sortimento de toalhas,
tanto para rosto conmo pars banho, quq
se vendem.por preos muito razoaveis.
Tudo isto e eom grande reduc*o de pregos : n
loja da esquina do been dos Ferreiros.
Novas setinetas lavrada a 800
Chegou para a 1oja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz urn grande sortimento das
siklindas setinetas lavradas, tendo de todas as
cores mais novas que tern vindo ao mereado, inclu-
sivamente pretas, sendo a fazenda mais bonita que
tern vindo para a festa, e vende-se a 500 rs. o co-
vedc, isto na loja da esquina do becco dos Ferrme-
ros.


Cazemiras Inglezas a 2#500 e

Na loja dos Barateiros d4 Boa Vista, vendc-se
um elegant sortimento de cazemiras de duas lar-
guras, sendo inglezas e corn bonitas cores que se
vendem a 25500 e 2800 o covado, sendo muitc
proprias para cottunes, e das mesmas tambem se
mandam fazer costumes muito bern feito de calis
palitot e college por 305 e 35, A grand pecincha
a loja da rua da Imperatriz n. 40 a equina do
becco los Ferreiros.
Fust~es a 400, 506 e 640
Os Baratefros da Boa-Vista, A ruan da Impera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus.
t5es broncos, proprios para vestidos e roupas de
creangas pelos precos acima indicados ; isto na es-
quina do becco dos Ferreiros.
Lasinhas para vestidos
Alheiro & Silva, A rua da Imperatiz n. 40 aca-
barn de receber um grande soitinmento das mais
bonitas lansinhas para vestidos, sendo alpacas
de cordio ccm lindas cores a 500 rs. o covado
gurgurses lavrados tendo de todas as cores a 560
rs. e ditos muito finos corn brilho de soda a 800 rs
todas estas ladinhas ade inteiramente moaernas, e
vende- se na loja da rua da Imperatriz n. 40 a es-
quina do becco dos Ferreirna.

Vende-se


um grande engenho muito born d'agua, nas melho-
res condicaes, montado de tudo, comvanaes e cor,
regos,perto dp Reeife, e urna Icgoa da eitac de
S. Lourengo. Tern todas as obras e um $pran e so-
brado, eapelia nova, etc., etc. ; a ttatfr na rua
da Madre de Deus n. 5, 1- a1dam.

Reeebeu o Pedro Antunes, em9 000 e
imadeirm esod, bonaitos ed egl ;t etambem
lAgui e n B^^ '-intiiiAW 0-4" ^
Mp e 4e ICaxia^ n.. 6, Sol


JUl.IALtJ tlJE~l*si El '.PIJC "'V-""-'-' -- -- --'--e-o- ___________ -

Compromettem-se Luz brilhante sem fumc
a vender mais barato Oleo aromatico
do que em outra qual- YGIENCO E ECCNOMIC


IMP OW 10 Vw a 0 it S 0
to, fxadt muito euo p& q
rsee cretone, coin 20 vans a 5600,
6O e 60
Dito frmnee, amencano, fasenda muito 600
fina eaneorpada de 74 a1t I2 10M
Algodlo enfetad corn 9 panos de lar-
gmra pani tUXerWeoes de um pan-
no, metro a C
Dito tmranado corn a mesma largura,
PProo pars lenses e toalhas de
mesa, metro a 1$20
Bramante de algodlo com 10 palmos de
largura, proprio para fiazer lens6es de
um W panno, metro 108M
Dito francez, sendo de linho, metro a
*1800e 21000
Dito inglez de quatro larguras, sendo
de line, metro a 2;500 e 29800
.reguellas proprias para lenses, tom-
thas, eeroulas, sendo fazenda muite
enorpada, cads pega corn 20 varas
por 105800 e em yara a 500
Ditas corn a mesa imedida a 800 re., ou
yars a 400
Atoalhado adamasca.do pars toalhas de
mesa, tend 8 palmos de largura, me-
tro a 180C
Assim como um eompleto sortimento de
pevas de algediozinho americano e
mglez, que se vende por peca de 34 &t& 64000
aIste us loja da esquina do becco dos Ferreiro.
Casemiras de cores
De *:00W at9 ":000 rs,

E roupo ~r mO d
Alheiro & Silva A run da Imperatriz n .40, tern
umn immense sortimento de casemira de cores,
tanto claras como eseuras, que vendem a 24000,
2500, atW 6, o covado, e das mesmas mandam
fazer qualquemr pca d'obra ou costumes, por pre-
"os muite rai oaveis, assim como tern tambem um
explendido sortimento de ecasemiras e pannos pro-
tos at ao mais fino sedan que vemn ao mercado, e
des mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa A vontaie do fre-
guez e corn today a perfeiIo e presteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
beacco dos Ferreiros.
I s a 160 rlis
Os Barateiros da B a-Vista vendem muito bc-
nitos linhos de uma s6 cr e de listrinhas para
vestidos, sendo a 160 reis o covado e de cores fias,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do beceo
dos Ferreiros.
Espartilhos
a 44 e 5#000
Na loja da rua da Imperatriz n. venae-s*
muitos bonds espartilhos pau senhera a 55000,
sntos para meninas a 44000, assim como um bo
dito sortimento de fichbs a 39000 ; isto na loja dc
qeiuina do becco dos Ferreiros.
Para festa
Vendese

Roupas para hoinens
POR
P re vos baratissimot
Rua da Imperatriz n. 40
LOJA DOA BARA7EIR08
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 6400(
Dites de panno preto fino, fazenda muito
hboa 700(
Ditos de casemira de quadrinhos e listri-
nhas, forrados 8500
Ditos de casemira escura, de cordlo, for-
rados 8;00(
Ditos de flanella azul, forrados, send fa-
zen Ia que nao desbota 104000
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 10500(
Ditos dc panno preto fino, forrados 10400C
Ditos d casemira preta de cordio 105 e 120(00P
Callas de casemira corn differentespa-
drSes, de 55500, 65500, 85 e 10A00(
Ditas de casemira preta seaa a 85 e 10500-
Ditas de casemira dc cordao 6450?
Ditas de casemira preta 64000
Seronlas de creguella, obra muito bern
feita a 15200 e 14600
Ditas dc Hamburgo de linho a 1800 2500C
Colletiuhos para dcntro, sendo de cmre-
guella e muito bern feitos a 800 e 15000
ramisas. grande sortimento de eamisas
broanes, tanto francezas como inglezas,
tanto de linho como de algodo, sendo
de 25, 25500, 35, ate 65000
Ditas de cretone de cor de 25, 25500 e 3500C
Meias, grande scrtimento de meias cruas
nara heriens de 320 rs. o par, atA 500


= Vende se uma casa em boas condiV'es, na
ru a do Carmo n. 2, em Olinda, corn quintal, per-
to dos banhos do mar, muito fresca ; a tratar no.
Caminho-Novo n. 128.

Liquidacao definitliva
Lis escossesas modernissimas, covado, rs. 90
Alpacas de cores e lavradas, idem, 440 e 00
Camisas de meia, finas, para home, 10Oo
Meias de cores para senhoras, rs. 820
Idem idem para home, superiores 0w
Madipolao francez, peca 4So
Pede-se que venham examiner as fazendas an-
nunciadas, afim de se convencerem da modicida-
de dos prepos.
Rua Duque de Caxias n. 62
mendon~a, Primo et .

Para liinpar metaes
Tern o Pedro Antunes o verdadeiro p6 e espe
c ial para qualquer metal, e vende em pcquenos
pacotes ; na rua Duque de Caxias n. 63.

Circular important
Verdadeiras pechinchas
59 = Rua Daque de Caxias = 59
Gorgurinas superiores para vestidos a 500 rs. 0
covado!
Alpacas de soda furta-cores a 400 rs. o dito I
ellas.
Merin6s de duas larguras, todas as cores,
15200 o dito!
Idem pr6to superior a 15200 e 15500!
Casemira diagonal para palitot a 25200 o
vado! sao de duas larguras.
Idem de cores, inglezas, a 15200 e 1;500
Flanella ingleza, azul, a 18400 o dito !
Camisas brancas francezas, superiores, a 28;
a duzia!
Ceroulas de bramaute a 165 a dita!
Lengos de linho em caixinhas a 35 a dita!
Damascos e pannos proprios para mesa a 600 e
151500 o covado !
Bramante de uma largura, trangado, a 600 rs. o
metro! fazenda de 1I
Len96es de dito, grandes, a 2S um !
Cobertas de gang, forradas, a 2S500 uma!
Colchas de fustao, brancas e de cores a 25500 I
Ditas riquissimas de crochet a 105 !
Chales de casemira modernos a 24500 e 35.
Fichus superiors a 25500, 3 e 45.
Setim macao verdadeiro a I A400 o covado!
Dito preto superior a 15200 !
Cambraia victoria a 35500 a peca de 10 jardas I
MadapolAo boa-vista a 6A a dita de 24 jardas! I
Brins de cores superiores a 2A o c6rte !
Dito pardo, lona, a 320 rs. o covado!
Dito branco n. 6 a 14500 a vara !
Atoalhado bordado, de linho, a 15 o metro I
E outros artigos a precos resumidos.
59=Rua Duque de Caxias=59

A forpa da eletricidade -
Escovas especiaes para os cabellos, quern qui-
zer ver o born effeito 6 o caso de comprar uma ao
Pedro Antunes n. 63, A rua Dnque de Caxias.

pe l pintado
para forrai ,alas de visit e jantar, quartos, al.
covas, correderes, etc. Grande e varnado sorti-
mento por pregos extremamente modicos
SEM COMPETITOR
acaba de chegar para a
Livraria Industrial
A rua do Barao da Victoria n. 7.


Attentao
Mathues, Austin & C., A rua do Commercio n.
18, teem para vender :
Pinho de resina
Chegado agora e de superi-r qualidade, das
seguintes dimens5oes : -
1 1/2 X 9
11/2 X 12
2X12
3 X 12
3X9
4X9
41/2 X 9
Em lotes a vontade dos compradores
Ferhumaria aa
0 fino oleo, a aqua florida o especial tonpis,
t4mben sao dn itarios o Pedro Aiitue & C-,
pela saahida qne fe tido prova a sama boa qa-
lidade ; aaNltova ie tt^:1h 'az tlai que
de Caxias. -


,;Menes liaas,- de, linkaa elavradaw. "*
N rsede exadeo evradia.
Alpa. s isa,. de litb.
G d do se prm.
Cambraias bordadas e abertas.
Vestuariom Para rneinos.
Leques.
Chap0ems parsa senhora.
Chitas lisas e de cores.
Fichus de. soda e de lo
Capas de malha de IL
Para contrnar
Collarinhos e punhos par senhora e home, di
versos feitios.
Camisas serm collarinhos e ern punbos, corn pa
nhos e corn collarinhos e punhos pars homow
desde a. 35 a 45.
Camisas pars, meninos desde n. 28A 35; serm a.
larinhos, de n. 32 a 35.
Camisas, aias, penteadores, calas, gollas e pm-
nhos para senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, brancas, de cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolss, velludi-
Ihos, brings broncos e de cores, luvas, perfuma-
rias etc.. etc.
Papoula & C.
I S Rua do Cabug--19
Em frente a matriz de Santo Antonio
Farinla Lactea
Nos primeiros mezes a alimenta9So mab
natural e apropriada para alimentar a criaw
9a de peito 6 o proprio leite matemro o qus
em caso de necessidade deve ser substitau
do pela
FARINHA LACTEA DO DR.
FRERICHS i
A sciencia e A prattca adoptaram a fari
nha Lactea como poderoso element an,
trictivo para a infancia e distinctos modi-
cos do Brasil e da Europa reconheseram
ser A do Dr. FRERICHS a melhor n'wk
genero.
Deve-se pois evitar uonfiar o filhinho
uma pessoa estranh:e o de comportamenk
nao conhecido muitas vezes o germen
numerosa ,nolestias.
Vende-se a verdadeira farinha Lactes
do Dr. Frerichs:
55 RUADOIMPERADOR 55
Estabelecimento de muicas e piano do 7w
tor PrelsZ e
Pharmacia homeopalhica
DO
Dr. Sabino


Vendas em grosso e a retalho, descontos
tajcsos ; rua do Barao da Victoria n. 43,
Pernambuco.


van-




4


gal hardancnteQ: f frNeerarn para salas
das Lrans.
Bern viudo sea.: 0 tempo so escoa ra-
pido e das treaganwis ragas, qae neste
vast torritorio vieram, arrojadas por 'des-
tiaos diversos, estabelecer, o sen couflicto
vita, urna recuiou para o interior despo.
voado de algumas provincias, do mais cm
mais perdendo qualquer influencia sobre os
nossos costumenos e erengas ; outra vai con-
pletando a extinegAo do s'.us typos g.nui-
nos pela combinagAo corn outros cletmentos
e a terceira engrossa diariamente suas con-
tribui3es para o acres.rimo da populaglo.
Nestas condiges, atravessamaos urn mnomtn-
to historic que deve ser aproveitado, em
quanto nit o desappare,oe, para colligirmos
e guardarmos essas riquissimas tradicOZks
cujas origens e transforma5es podemn ser
facitnmente reoonhocidas e explicadas.
Estamos convencidos do que ninguemn
hoje porit em duvida o alto valor scientifi-
co desto gencro do pesquizas, porquanto
tudo isso a que se da o nonme de Folk-Lore,
poesia, contos, crendliees, supersties, olen-
das, parlendas infants, toda a sorte de tra
dicgoes popularese mfim, sio u1 vitiosis-
simo contigente para o estudo da psycholo
gia, que nuo 6 aqualla sciencia mystical
que tern por object a alna cm si c per
instrument a consciencia individual. Igual-
imp.nte a critical litteraria e a peda-
gogia naio p6dem nficar estranhas a cssa
ordem do investignaeos, a primeira conlhe-
cendo ( os elements primaries e eternos
das creariies artisticas oP a segunda ,( o
vehiculo 'nais seguro para lever a mania
da creana uin interesse mental quo lhe
poe gradativamente em ac.?Ao todas as suns
faculdades, comno cs&reve Theophilo Brn-
ga (N).
0 Folk-Lore brasiloiro t.-m sido estuda-
do -de modo limitado, e cino que per on-
saio (2). 0 novo trabalho do Dr. Sylvio
Romero, por6m, podo considerar-se defini-
tivo emin sua Darte sobre a poesia popular
si o completarinos corn o estido theorico
inserto nas paginas da Revista Brasileira,
e que em breve terA do vir reunir so aos
trees volumes jA pnblicados. Nao import
isso asseverar que ncao haja onde respigmr
um ou outro especimen desses ingncriuos
cantores, porem, sirm, que a messe encel-
leirada 6 sufficieutemente nbundante p'arrat
aprbsentar uma base resistoente c solida As
exploragoss da critical.
Quaoto a novellistica entende o illustr;
collecciunador qua o trabalho aprascntado
6 proyisorio por defi-iento.
Esf.mos long do affirmar que nesta
pria.ira collece-o fossem contempiadas to-
das aR historias i qje se n'rram de uin ex-
trernmo a, outro d) i pirio dcesde quando a
noito dese ate as horas do recolhimcnnto ;
eftr'etoto me preoce que os repositories
futures pouco eneontrar"1o coin quo se
mostrem mraisopulentados.
Dnas s2 o as razies em que tal crcnca
repousa: l, os contos colligidos polo I)r.
Sylvi': Rowmero sao repetidos em todas as
localidades que tinos visitado, o que pro-
va sua generalisa(io e nito nos recordauo;
de ter odvido auita cousa quo se deva cou,
siderar novidade absolute; 2% si a n::c-1v
(1) Contos Popudares do Brasil. Iutro-
dunoio, pag. XXIX.
(2) Celso de Magalhacs, Jos6 de Aien-
CaX.i Araripe Junior, Hort, Couto de Ma-
gallaes, Barbosa Rodrigues, Jos6 Verissi-
mo,-.Kozeritz, Smith, Joo Freitas, (lendas
*euperstiges do Norte do Brasil), Valle
Cabral, (Gazeta Litteraria) etc., s~o os
nu5 tein-se entregae mais detldamente a
tarefa cle adquirur e ar~hiray eoses i-nte-
reasantisaimnos proddctos da imaginacao e
ingenuidade populares. ...

FOLIETIE


AMOR MATERNO


POR


JULIO YI


SEGIUNDA PATE


I LTTA PELA 3IDA


fCOontinuaglo do n. 38)


Um criado recobee os em um vestibule
immense, ornado de tapessaria do Beau-
vais.
De cada lado da escada, de corrimao de
maxrmore branco, estava apoiada na sua
Ianca, umn guerreiro japonez carregado de
armas, o rosto coberto corn tmuna mas-
Cara.
0 nmogo den o sea nome: Paulo de Mi-
ramda ; e mandou pedir A marqueza que Ihe
concedesse um moment.
0 primeiro impulse de Mathilde, ao ler
ease nomie, que Ie era indifferente, foi
reonder que ne recebia.
Cm cis Paulo,'quelhetinha sidoap're-'
>!!;!l.^ -~*^ ';ftm -l^. _^ .-**'i"^MftO ; ^" _1.'


o subido iteraeitomnto desoqrem cOme quo
a historiacao -documonta4i, ebr. inn
tanto diffusa, o e. curvilinea, da formna@ao.- e
desenvolvimOnto da nacionalidado brasil6i-
ra. Para otnpi:ehondermos typo olnp-
gito do brasileiro, niop temes senio qui es-
tudar a poesiaf novellistic' populares co6--
frontadas comh a mythologia primitive, .os.
tumes a superstiUes predomininantes. Ahi
veLios conjunctos, n'uina intima adlh sli,
a r'epercuss'ao, uIo raro dolorasa, do ani-
quillamento gradual das duis rag is subju
gadas e a Irradiacio remota do po-
vo portuguez na dpoca do sua grand
actividade c expans-eo col-,nisadora so-
gundo u-aa phrase do Theophilo Braga.
Pertence ao criteria do investigator p3-
sar. os tributes dis divers:is r.ia-8s, detcrmni-
nar as assmila.iks e transfor:nna.o.s opera-
las, c iraiterisar finalmento a feiqio litte-
raria c tambem social dcsse novo produeto
itlinico.
E' esso elovalo intuito que dA ao traba
lho do Dr. Silvio Romcro umn certo eunho
do originlidade o supc-'rior importan!eiz.
NaIo dove t.imabem pass:ir sem r paro a
s:lutar itfluecneia (que certamente e:iorcerA
sobre os espiritos esta revivecencia de tra-
dic a onde o -rtista encontru-Ar una
urma fnto inesgotavel de inspiraiob, Is-
sir1 ('onel a oricntaofo que dceve ,d:tr Ai
suas faec!.ldsades erealorras. (3)


NYato-'onto culbo ser dada m'aevkplica-
YAo. O era to anntAider do liyro de quo
lamos noticia, referindo- As3 peas ins-
eriptis sob os n-s '45ai 49 di : pertcneemn
no cyclo edos visqueiros. Umpn ucq '.alcm a
proposito (io Lwasqe da 4Fefratt|^ p^|ierc
Gu G apris valeptes, d tiz ,1:, o 10 de
Vaqueiros ha o Filgpeiras e-ofros.
* No primeiro volume dos 6itos sob n.
49 on-ontra-so o Fzitgueras, eolhgMio por
Araripe Junior.
ERse romance popular refere-saecltiramnen
to a Jos6 Percira Filgueiras. apitlo-m6r do
Ca,'iri. -: -
No esbapo historic daprovincia do .cea-
rA, por P. Teberge, 1 se o seguinto :
Sonlo preso por manobras de Jose Alexan-
drc uu parteNt d. Filgueiras fdif elle corn
umn iribo do preso soltal-o; e come qui
zesse, este tirar o irmnAo do podcr da eseol-
ta, *<"iu varado per umna b:-iina. Filgueiris
furioso, lanra rmio da arma do morto, mata
umn soldado da escolta corn o tiro della e
corn o coucea fez o inesmo a outres dois ir-
mni'os dosse infeliz soldado. Dizem que na
exaltaWAo.dc sua victoria exclamava: nao
ha mais quemn queira morrer? Esta -prov.
de valeontia brutal arinda mais augmantou a
popullailde do capital nior cuja ae;o con-
tada coiu cx-igemraAo lhe conciliou itma es-
pecie de venernago da parte dos homiens" in-
cultos. (6)


II Prece quoe 6 este o episodic que a musa
Aor.a s-j,--nos lcito avoentirar; algumas popular coetbrou nos versos de que vimos
counserac(es miiito r:-pi las sore oes Can- falandu.
tos Popa-res. A x:icaria n. 6 da collec(;Ao sob o titulo
A obrina estA dividida cm dons volumes e de Conde Alb.,'rto 6 conhccida no CearA
quatro parties, trttzenflo ura lIngai mtro- pubolo nomne d xacara de D. Afaria. Em nota
dtin ,io e inotas ermlitas de T. Brig-i : a esta peea diz o Sr. Th. Braga. quo a ver-
Roman-ces e Xacar'as, Reinados e Cli-gan- ao tiao brmizileira (sergipana) 6e deturpadis
as, V'ersos Ger.n-ics, Orares, s1o os titulos sims.
(!as divis-es dos ('antos Populares. E' v-,rnaIle que muitbs dosses rom inees
Nbo toeos intonn -'i) fi demtor. r nos Cn M estio deturpadas nHs lies do Brazil. -Duas
cada uvpa dessas pares. 0 quoe haviia A raz~os concorrom pare esse resultado : -1.'
(,izer sobre o assuinpto jAi o disser.-min corn a tradnsiissto oral today basoada na-imemo-
I mrguez.i o proficienc-i> o enter, nas pegi- ria- mnitas vozrs infiel; a 2.11, e esta de
nas (da Revista Brasi!+'-r, c T, Bragi, em ,miis vultw, provem d1 quo os contos, os
suns iiltrodtu:f-r o e notaIs, objectos de venC iragle, as leudas etc ,td
Ponmo 6 o qu pr-t-.Inl-'.emos. Iumna rma:t nio eram coinprdhendidas pelas
Na primneirii p rtt -I:. o'ura (Rommzces c oi'tr.s nel l)lo iimtigo e entao era esque-
Xacaras) ao lado da pocsia h,-rdada vum cia.n o quo nio !h-?s imapressionava ou nao
-oder!eitos originals entrec as quaes sobre- ert-.'ndim.n, m6rm desig-uravam, ora transfer
sh-'m os romances de v-rq' iros, genero miavaim Ebsolutamnnte. 0 que acabamos du
preponflderant1 na provimciai do CcerA. e "affim-rn' A n' C 'nenhmuma novidelade. Tooda3
L;O los cycles mais importantes d(a posia os que esarovcram sobr estas materials ja
popuir brasilhira, tauto per seu treeiho canvlueoiT-'nte rmoep.t-ir.m a rnesna observ.-
e originalidadle como por scream comnlpoS- co ."
?.o d-) mnestioo. Entretanto da macara ema question nos fAi
Arearipo Junior entende que o eai-tctor comtimunicadai uma versAio quo complete a
da po sia e music drcs vaqueiros cenmn- de Sergipa so aproxima algumuc cousa da
's -sc um dosanimno nas.-ilo da flagellicio aorianirma, npczir do altericos visivois, que
iaexoravel des seccis quo periodicamento soffreu.
dpauparamn sua provi\'m Ia. Alcncar, p.mir E.-i:-"
otro lade opine quo ( o trnio m-tis sa- U. Maria
i 1ent 1 1,; i.'.- li.'. 3 ert-n'ja as 6 a apeo-
thejoso 'lo 0aai:ial. 0 I (CEAR R
As duns observa93s slo justas c pa-re- Q.uu tenldcs D. Maria
e-em a cx-r-.sio da virdade, in s nioL do (Que s to v.-jo chor.r'?
today a v-rdade, cremos. Nocessitmi:n de Eostou assini meu pic
so completarom mutuamnnte, nendc devi Someate de imaginar
damento intorpetradas. Quo das mogas de meu tempo
A natur,-.:z cearenso torn nutac--s que S6 cu falto para casar.
qualificariarnos de capri .-hoses si per vyen- Ja procurei no meu reino
tura nito as dctermin:mssem certes conti-^ -sI Um quc bcen ta serverin. ..
|imfeis:ncnte f-Itaes o t-lvcz irreimcdiav-is. S6 o condo do Ai-n'mnhi ..
Ufns -ezes ostnt um:t a p'ijmne sei-u par, -Essc tom 0 nmulhr c filhos.
ittwa uhjrd3ldc que pasma; outras vezes der- Esse mcs:cno, meu pae,
r.in -aC-lie em t'da a supe'fi'cio a desohi- iEra qucim cuI queria.
9.o prJfundat dc umn dos-rto, obstaul.o a Manda chamal-o a hlra do meio dia
vida em todas as suas manifestagoes Para ver si se compadeco
Na rude constricgao de um tal meio o Desta formosa da Hungria
home ora succumbed esmagado pelo desa Ainda hontem vim da corto
brimento da naturoza e geme sua impoten- Ja el-rei me manda chamar

-(3 Mello Moraes jFilh q motrando seou (5) Ao lado da poesia do vaqueiro nio
estro paia eaie pohtd, onsegulo para seus existira ninua poesia do jangadeiro. cuja vida
VWs6s iimna physionomia propria e accen- aventurosa dove dar origem a romances
tuada: ente nicional, phenomenon pouco re- originaes.
petido entire n6s. Porem ainda ha muito ((6) Esboo historico. Part II pages. 28 -
onde ceifar A large. _I- 29. Tortaleza 1875.
E Adriana, corn muita -simplicidade, A senhora me desculparA quando souber
posto que o sou coracao batesso corn vio- que nao tonho parents, nem um s6, minha
lencia : senhora, a quem possa dirigir-me, e que
Eu o amo! centre as pessoas que so intoressam por mirm,
Mathilde estremeceu e fez um signal ao e polo fim que tonho em vista, eu doevia
criado.I collocar em primeiro lugar minha amna de
Mande entrar o Sr. Miranda, leite, que servio-me de mui e que nunca


EstA acompanhada de uma mulher.
Sua ama de leite, disse Adriana, ella
que venha tambem.
Sahio o criado, e Mathilde, seccamente :
Queres me explicar o que isto signi-
fica ?
E' muito simnples, mai. Encontrei o
Sr. Paulo Miranda na sociedade. Ele ama-
me, eu o amo.
SRealmente, achas isft muito sim-
ples ? E esso senhor vem, sem duvida, pe-
dir a tua mlo ? E vetm acompanhado da
sua ama de lite ?... Hts de convir que
e uma idea singular, em semelhante com-
panhia.
Nao zombo d'elle, minha inbi; a so-
ahora me desgosta... Elle nunca conhe-
ceu nem pai nem mai... e a sua do leito
tern sidopara elleo... Ella 6 que o creou
e instrnio A forga de sacrificios...
Tu pareces estar muito ao facto do
que se refere a elle.
Elle disse-me tudo.
E o que faz esse aenhor ? Creio quo
me foi apresentado come advogado...
E o 6, corn effeito.
Muito rico, naio 6 assim ? Porque
nao se aspira at milao de ura menina come
tu, que teon alguns miihoes de dote, sem
ter urna fortune igal 4a sua...
--- Nuito pobre.
lathilde ficou pensativa fitando a filha,
enjos olhos franeos, um pouco huinidos,
nao se abaixavam, d6pois, ouvindo Paulo
e, a n,,di&se ;
Bern, etou itformiaa, deixa-mc...
.a revw* oet, evando'e qian-.
dio lestav pt dapert., do mHios poo-


considered de outro mode.
Corn effeito, estou admirada ; mas
fale, ou entao fall a senhora, pouco im-
porte.
Paulo, aimirado do silencio do Albina,
voltou-se.
Assustou-sc.
A pobre mulher, de olhos dilatados, fi-
tava Mathilde corn espanto.
Parecia-lhe conhecer esse rosto moreno,
de olhar faiscante, cuja lembranga tinha-
Ihe ficado no espirito desde a sua moci-
dade.

Como poderia ter esquecido Mathildo ?
Sim, conhecea-a.. conheceu-a logo...
a rival de outr'ora... Mathilde Rev6roni
a filha do done das foijas do Chalambot.
0 drama dos seus vinte annos reapply,
recia-lhe palpi tante,
E os seons labios ensanguentados pelos
dents, as suas mlos rasgadaspelas unhao,
mostravam que esforgo, foi-lhe preeiso fa
zor para nao trahir-se.
Paulo, assustado, correu para junto-
d'ella.
-- Meu Deus! que tens ?
Nada. Nileo fagas caso.
E em voz baixa:
Attribuo a minha perturbagio ao re--
ceio de to ver repellido.
A marqueza encolheu imperceptivelmeu-
to os homn bros e murmurou :
Esta scena 6 bem riditena... .
Felizietite, Paulo nSa'o vio. A expli.!
caAoe dada por Albina o tipha tranquiHli-
sado a
- Voltoa- MAtibde, a quem disse -com
triateza: -


0) Cande q ;'*ifomee
Ja foi tristo eii duienazia
As hgmrirnmierai1utanta
Que pleo peito covTiq.
Porquo choras, serhor condo?
S:Qii tons, 6 meu marido ?
:oata-.me as -tuis trist zas
Comn quemin conts aAl gria
Si to morr[ u ppo ou mn.
STambmn sentir queri.
--Nao mei mrrr.,u pao ou ine,
Antes assimn qu'ria.
Manda o rei -quo to mmate
P..ra casar coin sun filha (7)
Man la m'-ttor-mno a-is ;naint-tnh.,s
A' noite poua escurilaio,
Onde nem as hlirvas do campO
NOV;as de miiir dnrAto
Como hei do fszer ciuldssa
Si ele quer tu a cabe-i
Ncsta m'iddicta b*Icia.
Meu wiarido de minim'..ImIa.
Pelo born quo oai to qaeriti,
MXta aquella criada
Que so parece comirigo.
Comohe li :io fazcr quirida
Olha na rua quanta espia
Condessa prepar:ae a mesa -
Pare jantar per desp,-!lida.
A tresa smpirc estA post
Para vos-sa senhoria.
Scntar.im se ambos na mesa
N'im UIi) nemn outro cotrio t
AX lag-ri;ms eri'm tantas
Que plea ., !10 c- rlwt.
Con.lessa aprntae a e inai
Para dormir por despedida.
A ca.- somiipri-o cta pro;npta
Para V. S.uhoria
l)D3ita;ramn-su a nbosjiuut:s
N UUm u H 11Io-n utIrO or,1;lia
C1s lagrimas eratin tuitas
Quo pela camin corriI.
i)a-mo pplmel c tinta
Li dI ,iminiia es.rivaii:t,
Parae scrover a mcu pai
Esta niorta de agonia.
Dizen dto que Sr. Conde
(.tulpa nnlwiiina tri'e .....
A culpa 6 do rei,
E' d, tilha D. [,'ira.
Da-me mcu filho ....
P.,ra mai'ar por 'dtspedi la
Este leite dc ogonia....
Hojo ten sua maii
Quo t-nto Iho quil!ria ...
Amnaiuh terA imad'rastra
Do mais "6ta S, n.1r1' I!
Da-mo u.ni toal'a,
Quo quero me e.nfi'rcm'.
Par- que o pvo nilo diia
Que o rci 0;no ando ma:t-ir.
Ja ouo toca.r o sineo ....
Jesus! Quem morreria?
Morreci a filh:i i I) r.i
P.-io n:1il que ',..i:i.
Desoasar os bcm casados
Cousa quo D, us nito queria.

Do Juli-ina a collecqzl) apriscnta duas
fiZos, uina de PPernanibuco eoutra- do Cea-
ra. Nesta ultima provi'via ainda 6 conhlie-
cida uma outra qu nmos fi co.3:-'unicada
sob o titulo do Dorn Baurgo o Jalhma. To-
111s ti mnbem CnOimlcini-Lto d,1 u:na v:r'ian-
to da xacara D. Ca rlus de M.nteavcir.
Aqui vamos transcrevel-a pare serene no-
tadas as alteragoes e interpola~es que sao
em grande escala, segundo nos parece.

D. CLARO E FLORESMINA
.

Come hei de descer, senhor
Que tenho cinco vigias
Urn velho cio que nao dorme

(7) 0 povo geralmente diz fia.


carando-a cora olhar desvairado, aterrada
sem duvida, e receiosa do quo ia ouvir.
Senhor, disse a marqueza, nao Ihe
oecultarei que minha filha tinha me preve-
nido. 0 que nao me impede de estar ad-
mirada, eu o confesso. Nao posso dar-lhe
nama resposta satisfactoria. Acho Adria-
na muito joven para pensar em casar. El-
lajulga amal-o, mas quem sabe se nao se
engana quanto ao estado do seu coraclo ?
Ella faz muito mal em nao confiar em sua
61i. 0 seu pcdido, sem duvida, faz-me
muita honra.
Levantou-se, evidentemente, para des-
pedil-os.
E, cousa singular, Albina n'esse mo-
mento respirou largamnente, coio se o se'.
pobre cora'9o tivesse ficado alliviado de
urn peso onormo.
Era umra recusa, recusa polida, queMa-
-thilde formnulava, e Albina parecia quasi
alegro.
Ha pouco tinha conccntrado, por asstm
dizer, toda a sua vida no pledido do fi-
Iho.
Agora tinha press de sahir, de fugir
para lounge d'esse palacete, do achar-se s6
corn Paulo, no seu-pequeno aposento ig-
norado.
Seu filho corn a rneta de Jacques Rev6-
ron, a antiga noiva de Gaspar de Les-
guilly! Nao, nunca, nunca!
Vein, disse ella, tomando o brago do
moco, ve,... depois vo1tarfs... 6 pre-
ciso que a senhora reflicta... Vamos, mieu
filho.
E puxou-o corn forga.
Elle deixou-se arrastar, obedecendo a
Albina, sem reflectir; atravessando varies
salas ecim rapidez febril, come se tivessem
pressa de saihir dlo palacote e de achar -se
.m at Tivre.
SNo omotnto,: p?'or6mn em quo entravam
n~o yestibulo, enontraram Adriana.
ERAl ciosa, be go seo aPaulo.
t'no i nuo estA prdido, diseo
a^allecomfristeza ua jira...-me
S utna gie;. e.des pre-;


Quo tambem s ipy
Ease velho que rino dormo
FPAl -heieu dorn-ir,;
Els: leoa parida
Da carno a furtarc-i,
0 rio caudaloso
-Em E mi-hainio passar,
SOsSoai dos minanos, sonhora
Corn dlls muo haver. i
Estavam dcbaixo durnia roseira
No mineio do urn rosal,
Vinla vindo uinm cavalleiro,
Nlo ra dado passer
Vinile cA' ,mIeu Uavaliro
31nu cavalleiro real,
0 que visto a1i1
Ao roi nbo vds coitar;
Tu d;ri"i mIIu 'uvialo
D)i sort <(qlo CIL1 estA ;
Coto duzeaus ranil '. :a;inpilh.1s
Ao redor do p(;itorai;
Eu te darei mneu capote
Quae de ouro pesa u quintal;
Te darei ru:ias c.n Frai;w
Para util.,s morar;
Dar- te-lwi miulha nao
P ra noella navegarcs
Tc darei tanto dinhleiro
(-ue uio po.)ssas center
D. Flores.nina taminbcmi
Toe liha do ...... pig ar
Nao quere nada dis.o,
A tl-roi jA yvou cCotr.
Deus salvo vossat coIr-&,
Neron reli os posso chliamar.
D. Florcsmina, CxII.D. Cairlos vi brincar
Se m1 c nt issues occuilto,
Maui b-'n to h-ivia p igar;
Comno foi publicani 't',
iJA te imanlo tcuforar
Mliiaha alims s s;ilv:or
3 'ntAs olhos DiL) a virCill
Minim al-na so pcr I-Ic-ra
A dell se salvai-A.
Sete criadas que a plenteavain
Ncidjuaia pt3 pou a6io.:p.mhiir.
Pgott espaa 1110 i irii:l
Poz-se logo a icaiiiiui'ar.
Passano die salad emn saili
Para com s6u pai fHl:ir'.
0 povo quo a cionhecia
Ousava so fast i'r;
Os que na.o a conlheceia:n
Ouisavam pergontar.
Sou D. Florcsminina
Corn D. Claro vou cas ,r
Chamnou os cansiellici'os ;
Conseollios inme quaeir.in dau
Todos logo disseramn
Quo dnixasse easeir.
-- Que ganhaste mexeriquciro
Per ires minexericear ?
Ganhei a niorte, senhora,
A vida queirais me d:m...
Bem sabias mexeriqueiro
Que cstava n:t ,miaill ,uao
Para evemiplo de ,utro
N'o te quro dair per-lao.

Recife, feverciro d( 1885.


MiraudolU~ eu
i3nJtQ nnmprauto iagogado,
Queima-me a faceqeo o
Eerepassao de agonia,( d1-g9 0 -
MeuDeus!Senhor! Querog

Qaando o meu pobro Caradincfianta
i.cguado, triste, corn sentida voz,
a-, estremego, o coraglo estala,
E sinto n'almna um descsporo atroz.

E quando o meigo SabiA, forinmoso,.
Solta um gorgeio mavioso e t-rno,
Oh I Eu quizera me csconder do mundo,
Embora fosse me abysmar no inferno I
Porque definho do saudade immensa,.
Porquo me mn ta o minais cruel desgosto,
Porque distant de Nay4 ingrate
Record seinpre scu formoso rosto,
S. Antonio.
MAGALHIES POR ro.-

Expialae
IMeus Deus, meo pai, perdoa ao filh,, inmgrato,
Que maldissc da existeacia que Ihc d ste,
E que umdia curvado ao desespero
Esqueeeu.se dos bens que Ihe fizeste.
SQuo m'iminpo ta a abastanma que jAl tive,
SSe fihdi, nilo deixcu posar Sqi(utr,
I Se tendo-a inda hoje, a trocaria
Polo rso geCtil de uma mulher !
SQue m'imnporta a pobresa, se eu tenho
Dos filhos no amor santo thesouro !
Se nuuca me aviltei pediulo esmolas
| .ijulando servil os heinmeas d'ouro !
1! m'imnporta, senhor, que mil parents
MI dis)rt-ztmn j) nr pobre, e desgra ado !
Sc in3a sisterss o riso do sarcasco,
Se deste m ii11 t iearacter elva.ido
Qa-ie mn'impor'ta tambenm quo Libia ,tiirite.
'Tenlia trahido o maeu sincere arar !
S! semrnpre a vvjo lacrimosa e triste
Lutnahdo embakilt. comr imutntism ti r
Qi'jmnporta mesnio que a outro .. a iufame
Do amor pedisse mais brilh.-iute lz
Se clla ri so no alcouice impure,
Emi qiuaio ciu geinojun'.o aos pes da cruz !
Que in'imnporta, senior, que o pranto, As vezes;..
luiiunde a t'ace da espoia amnada !
Se4 e11 l 'a c ,'nrn .orioe., mba.,..,t,.;.t.,A


Me pordoa 'ainha vida desr-grada
Q'IC mi'iiporta, mm-n Deus, q'.ie o dci
Me curve a froute de soffrcr camtiaa I
Se caregetm mien deste p'ra soffrer,
As dorsca d'umina vida mtinarguiradt !
Na@ minumporta nmcm intesmino ter o p.ito
Qaeiaimado pelo fogo d'i de.diti a
ie c n tua crenoa cu encontro urvallh)
Que banha as dotres d c miniha alma afl
Eu bcndigo, seulhor, as minhas does,
Quo d(o tempo a roear, nunica teriniia.
$6 peco que mneus filhois n:i partillicm
Da mntld'idio atroz quo me fahrniia.
S. Antonio, 29 de janileiro dc 18855.
Josd J igaUlhties da Sila
Leonor
OFFERECIDO A GUSTAVO ADO
(Conclriio)


lieta I


Porto.


LPHO


Acabava ella de chgir c,)orn a colheita
CLUVIS BEVILAQUA. da hLorta, em um agafate de vime, e ao en-
_______________________ trar emin casa, reconheceu alguma cousa de
"- ...---.. ----!- .... m extranho pelo siloncio tumular, que a ro-
VARIEDADES deava ; depoz o casto sobre a tosca mesi-
nha du pinho, e, corn a unciedado no sem-
Naya blante o o presentimento n'anlma, foi verifi-
car a cause desse silencio, quo assimn a af-
OFFER!EC[DA A MEU PARENTrE E AMIGO 0 fligia; ento reconheceu a au-sencia de
SR. T.,ENTE CORONEL JOSE DE ALBU- seu eneatccido pai do leito da dar, Como
QUERQUE AVALC ANTE o havia d-ixado, poucos instantes an-
tes; e, depois do alguns minutes de auciec
Perguntas sempre porque sou tio triste, dade, foi encontral-o a sombra de uma anti-
Porque minh'alma ao pezar s'entrega, ga manguoira, quo elle mesmo havia plano
Porque soffrendo, nio sorrio ao menos tado A pouca distancia da sua cabana,
Porque o pranto minha face r6ga! exangue, morto centre osbragos daquelle que,
em vida, tinha side o seu verdadeiro ami-
Ah! Tu nao sabes quantas does soffro, go, o cura Santiago, quo, chegando pouco
Quantos tormentos meu viver encurtam antes delle espirar, recebera o seu ultimo
Quantas tristezas meu sorriso affagam pedido : (( merrer A sombra da arvore on-
Quantas saudadAs a men peito enlutam! de, nas bellas noitea de luar, -ncontrara,
pela primeira vez, em sous aecordes, o co-
Escuta.... A tarde, nessa hera triste, ragAo daquella que fora a sua mais doce
Em que o sol descamba no horisonte infindo, consolaq:Ao na vida.
Voltou-se para- Albina, que a devorava Dopois, um pouco pallido o titubeanudo,.
corn o olhar, tomando-lhe a meo : cumprimentou Paulo e a mai e retirou-se,
sem dizer palavra.
A senhora, que o amn. como a um 0 qae quer dizer isso ? murmurou o
filho, console-o Repita-lhe todos os dias moeo, voltando-se para a mAi.


que nada estara perctdido emquanto eu o
amar... e como estou disposta a amal-o
sompre, eu o sinto, elle dove fazer um pac-
to eterno corn a esperanga.
E retirou-se, enviando um sorris3 ao fi-
Iho e a mui.
-- Como 6 bella! murmurou Albinj...
e como poderei esquecel-a ?
Sahiram.
Albina respirou. Julgava ter acabado
corn os encontros.
Enganou-se.

No memento em que atravessavam o pa-
teo para chegar ao carro, que tinha ficado
na rua, surgio um home que parou dian-
toe-de Paulo.
Era Rev6on o doao das fomjas.
Paulo, quo tinha-lhe side aprosentado na
vespera, cumprimentou o e ia passar.
Mas, urma pidavra de Reveron fel-o pa-
rar.


A vista do velho tinha produzido em Al-
bina 6 mesmo effeito que a vista do Ma-
thilde.
Reconheceu Roveron, come tinha reco-
nhecido a filha.
Depois de vinte e cinco annos de esque-
cimento, ella achava-se do novo mergulha-
da no drama da sua mocidade.
Creio, disse Reveron ao mogo, que o
senhor foi-mo apresentado ontem polo Sr.
Jorge de Vaubertin ?
-Sitm, senior, disse Paulo, admirado.
Estou velho e a memorial estA fraca.
Queira relembrar-me o seu nome.
Paulo hestitou, depois, de repente:
X No tenho nome, senhor, chamo-me
Plo... o nome eoom que me apresento


Esta, como havia pouco, na sala, em
presenga de Mathilde, fazia vios esforpos
para conter-se, e a despeito da sua ener-
gia, sentia que ia desfallecer.
Meu Deus que tens depois que es-
tamos aqui?
Nada, asseguro-te que nao tenho aa-
da, disse ella, corn mais firmeza.
E elle, de sobrecenho cerrado, sombrio,
desconfiado :
Parece que a vista da mnarqueza e
do pai relembraram-te algumrna cousa mA.
Ella deu uma risada nervosa, mas nmlo
responded logo, contentando-se comrn enco-
lher os hombros.
Sahiram do patee, e foi s4 depois de
entrarem no carro que elle recobrou a sua
presenca de espirito.
Quo cousa mA? disse ella ? 0 que
pensas ?


Nao sei. Vi-te tremer.
A despeito de sua perturbacgo,
control uma resposta:


ella en-


Cada vez que em nmnha presence s
alluder ao teu nome, eu soffro por ti.
Paulo ficou um memento desconfiado.
Mas cssa explieanao podia ser verdadeira.
Nio pensou mais no incident.
S6 mais tarde 6 que devia voltar-lhe Ar
mente.
Encostou-se no carro e comegou a re-
flectir sobre o quo a marqjueza [he tinha
dito, send&, a sua d6r temperada pelas boas
palavras de Adriana.
Gragas a ella, ja elle tinha recobrado
eoragem
-Siri, disse elle, a despeito do tudo,
ella ha de serminha mulher.


hsse norme f
o do minha nina de oleit, Albina.


e al


(Continua)


I




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3FP1ZCWQ_SYMN2M INGEST_TIME 2014-05-21T23:24:09Z PACKAGE AA00011611_15777
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES