Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15728


This item is only available as the following downloads:


Full Text


























dirigir os trabalmhoa de umn eaminno de faor6 eon-
surava, na nossa, present, umU dos empreiteinrs
enearregado da eoastrueAo de urea ponte.
i Dixma quo na consruco ,havia certos defeitos
e quoe principailmente os trabalhos iam muite de-
moradamente. -
-Mag perdlo, reepondeu-lbehe mpr as
infoamaqoes que Ihe dewai podm nusi sar verd-
deiras, porque o senhor nio ain 1 viaitr os tra-
balhos.
a Realmente nao foi ha, 6 verdade, replieou o
engenheiroi mas tenho aqui urn a pelho,e me
mandam dc quando em quando, e que me dis todui
as semaias que volume de pedra so ternm arraneado
e quantas vigas de ferro teem side collocadas. -
SAo mesme tempo tireo da gaveta algumas
plhotographisa.
Todas as semanas, continuous entao, urn pho-
tographo me manda um clickh do trabaiho feito,
cichk que elle vai la tirar. 0 guindaste que, ha
15 dias, estava a 3 metros do segundo pilar, e que
tinha avancado 5 metro a semana precedeate,
tern andado muito devagar n'estes oito dia; 6e
pois necessario ser mais dligente. Tudo quanto
IA se faz vejo eu aqui; as' pot.Jraphie que me
mandam, at6 me dizem se os operarimsandam de-
pressa .u devagar; e, so qunalqer d'clles estivesse
a passcar na occasiao de se otuar a photgraphia,
eu poderia, mesmo d'aqui, mandar reproehendel o
por aquelle motive.
Ouvia esta singular conversa, e commigo pen-
sava que o future havia de explkrar este process
jA hU usado pela photographic. Talvez ainda
po sacbgar urn dia, em que a photographia possa
ser tirada do mnito long por meio de um fio elec-
trice! E, so houver algum leitor que digs ser tat
impossivel, lemhrar-lhe-hei certos systems de te-
legraphos, muito modernos, que nos dio a espe
ranea de poder esperar este novo milagre. a
A Medicine tambem jA encontrou na photogra-
phia um poderoso auxiliar. Nao s6 serve para re-
produzir as alteraoes. anatomicas interessantes e
os phenomenal morbidos de curta dura9Ao, come
tambem se emprega para desenhar as preparacoes
anatomicas (tanto normaes, como pathologicas)
dos diversos tecidos, especialmente as preparagoes
observaveis ao nicroscopio.
Mais ainda : -havia apparelhos que permittiam
examiner e ver o interior da larynge, do ouvido,
etc.; pois a photographia, applieada a elles. for-
neceu o meio de se conservar a imagem e poder
servile para estudos ulterio*es.
(Corntina..)


PARTEOFrICIAL


GOVERNOR DA PROVINCIA

Relatorio corn que o Exm. Sr. Dr. incho de
Barros Pimentel entr ii ao Dr. Au-

gusto deSouza,^U nQiAU

te, a administrao d'esta provmcia

no dia 26 de janeiro de 1885.

[(Continua~o)

NATURALISAOES

Concedi cartas do naturalisa~go aos subditos portuguezes Francisco Botelho
de Andrado, Urbano Jose de Souza, Manoel de Oliveira Fonseca, Antonio Jos6 Dias e
Manoel Ferreira da Cruz.
ADWmINISTRAAO DA JASTIJA

Na presidencia do Tribunal da Relacao continua o conselheiro Quintino Jose


de Miranda.
Para substituir o des-embargador Jolo Paulo Monteiro de Andrade, que fal-
lece a em 27 de agosto ultimo, foi nomeado, por deereto de 20 de setembro, o dozem-
bargador Domingos Antonio Alves Riboiro, que asaumio o respective exercicio em 17
de outubro.
Tendo sido aposentado o conselheiro Alexandre Pinto Loblo, foi removido da
Relagto de Goyaz pata a do Recife, por decreto de 7 de outubro ultimo, o desembar-
gador Miguel Ar,.hanjo Monteiro de Andrade.
Em 20 de setembro reassumio as funcgoes do cargo de juiz de direito dos
feitos da fazenda o desembargador Jos6 Manoel de Freitas, que, at6 esse dia estivera
da administraglo desta provincia.
Por decreto de 30 de setembro e 11 de outubro ultimo foram nomeados os
bachareis Francisco de Castro Rabello e Lib(.rate Villar Barreto Coutinho para os car
gos de juizes de direito das comarcas do Bom-Conselho e Ouricury; assumindo o exer-
cicio, o primeiro em 6 do dezembro, e o segundo em 12 de novembro.
Em 15 de dezembro assumio o exercicio das respectivas fdnc9es o juiz de
direito da comarca de Aguas-Bellas, bacharel Gaudino Eudoxio de Britto, removido da
de Ouricury por decreto de 17 do outubro.
Falleceu emnn 16 de dezembro, o juiz de direito da de Rio Formoso bachare
Paulo Martins 4e Almeida.
Emi 28 de dezembro expedi a portaria, abaixo transcript, determinado i
substituiqgo, durante 0 corrente anno, aos juizes de direito da comarca do Recife:
S2.a secglo.-Palacio da Presidente de Pernambuco em 28 de novembri
de 1884.-O presidentne da provincial, usando da attribuiglo, que lhe confere o art
4.o do decreto n. 4,824 de 22 de novembro de 1871, resolve determinar que, no ann
proximo future de 1885, os juizes de direito da coinmarca do Recife substituam-se; se
gundo a ordem abaixo declarada:
O JUIZO DE DIREITO DO CIVEL
1. Commercio.
2.o Orphlos.
3. Fazenda,
4.0 Provedoria.
$ OJUIZ DE DIBEITO DO COMMERCIO
1.o Fazenda.
2.o Provedoria.
3.o OrphRtos.
4.o Civel.
0 JUIZ DE DIJEITO DA FAZENDA
1. Orphaos.
2.o Civel.
3.o Provedoria.
4.0 Commercio.
0 JUIZ DE DIREITODE ORPH10S
L.o Provedoria. ..
; 2.o Commercio:
3.o Civel.
4.o Fazenda.
^ .....1 0 JUIZ DE DiRElTO DA PROVEDORIA .
1 .0 Civel. 1 :: .
2-o Flasenda.


a

1
a

o

o
3-


tuil-o, ;.pr eito W".dl74 if ilu.utro 0 qualves tde Aulbmquer.
Cquo w "a quo:i no5@' 0 4: ARecife o bachirel
Jos~ Jeiuhdi, w dl t oanno passado.
J8' ltam-: D 'a
d0t,*minando a
substituigo durante o corrmte a log &: e
S2.a Fba.W- N 28 do novembro de
i884. -0 president da pro~vineiad 4o 101o arts.,3 3.e 4.
do deereto n. 4,824 do 22. de no veu o debo 1di .1que o proximo
future ann dae 188, os juices subtitutoa co a cooperem corn o
respoectivos juices de direito o s o sbstituam p odo
S0 1.' substitute, bacharel Frahd Alves a sA i diao sup-
plente da vara especial do co; ser o..
0 2.0 substituto,batcharel Miguql Iigaoir0oa Fariada dotcivel;
o 0 3." substitute, bacharel Brisaz S;o6o HeUriques de Souza, da de
orphlos ; ...,| -,
O 0 4.0 substitut4o, bacarel Jse J 4 i Borges Diniz, da de provedoria;
o 0 5.0 substitute, bacharel Jerony po Perira do Carvalho, da de
fazenda. -
SNa substituicgo dos mermos jqizes i observarai a ordem em que estlo col-
locados.
Em 17 de outubro nomeci, para os re.de 1., 2.'e 3.0 sipplentes do
juiz municipal do termo do Barreiros Joao PaulO areira Temporal,- Andr6 Alves Ca*
valcante Camboim e Jos6 Francisco Bello Fliho.> "
Em 24 do referido moez. Ottoni Caetauio Pimntel Aiingelim para o lugar de 3.0
supplente do juiz municipal do term do Ex. "
Em 12 de novembro o capitio Pastor )[lanoel Rodrigues Coelho, tenente Flo-
riano Alves de Barros d Francisco Antonio (04ies pra Os cargos de 1.0, 2.0 e 3.0
supplentes do juiz de municipal do todeo do B a-Vista.
Em 27, Jos6 da Costa Leao pars o ie 3.0 supplente do juiz municipal do
termo do Flores.
Em 29 de dezembro o major Jose rbosa Pereira de Andrade e Norberto
Pereira da Silva Andrade para os lugares do 2k e 3." supplentes do term de Tim-
bafiba.
Em 13 do corrente, Jos6 Francisco Alves de Carvalho para o de 3.0 sup-
plente do termo de Leopoldina.
Nao tend sohlcitado os respectivos titulos o praza legal, -os cidadlos nomea-I
dos, em 17 de outubro findo, pars os lugares de spplentes dojuiz municipal do ter-
mo de Barreiros, resolvi substituil-os, em 16 doorrente, pelo Bare de Santo Andr6 e
cidad;os Andr6 Alves Cavalcante Camboim e J Francisco Bello Filbo.
Por portaria de 20 nomeei o cidadleo ,sePacheco Leite para o cargo de 3.0
supplente do juiz municipal do termo de Garai= uus
Na mesma data, Eelix Alves Macba o Antonio Rodrigues Lins do Albu-
querque pars os lugares de 2.' e 3." supplentes I juiz municipal do termo do Aguas-
Bellas, vagas,' por terenm os respectivos s ntuarios aceitado postos da Guarda
Nacional.
PROMOTORES PUBLIC ADJUNTOS
Em 22. de dezembro exonerei, a ped*4 o promoter da comarca de Cabrob6,
bacharel Jose Mauricio Borges Junior.
Em 8 do corrente nomeei o bacharo0l os6 da Costa Dourado para exercer o
cargo de promoter da de Buique. '
Por portarias de 29 de outubro, 11 Ip novembro ultimo e 9 do corrente mez
nomeei o bacharel Ascenso Maria de Castro.e Iat"enhas e cidadtos Firmino Pom-
po5o 4e Mello Falcao e Francaoo 4eW 1y parkas ugares de adjuntos
dos prm~e A~t^^ do .~;p -j ^ ^ ^^ -- --* ^^

OFFICIOS DE JUSTIQA,

Em 24 de novembro e 11 de dezembro aceitei a desistencia, que fizeram os
respectivos serventuarios Ignacio Maroolivo Bezcrra do Amaral e Florentine Caval-
cante de Albuquerque dos officios de partidor e distribuidor da comarca de Iguarassft
e de depositario geral do termo do Cabo.
Estito em concurso as 'offioios de. 1.0 e 2. tabelliles dos ter'nos de Petrolina,
Alag6a de Baixo, S. Jos6 do Egypto e Correntes ; 2.0 tabellilo do term do Cabo e
distribuidor e partidor da comarca de Iguarassui.
De conformidade corn o disposto no art. 1.0, 2.0 do decreto n. 4,668 de 5
de janeiro de 1871, nomeei em 20 do corrente mez, Baldoino Amando Freire, para
aervir provisoriamente o lugar de 2.0 tabellito e #nnexos do term de Itamb6.
ADMINISTRA(AO DA POLICIA

Occupa o cargo de chcfe de policia, desde o dih 20 de setemrbro ultimo, o
doutor Manoel Ventura de IBarros Leite Sampaio, que corn o maximo zelo e lealdade
tem-me coadjuvado na administraLgAo da provincia.
TRANQUILLIDADE E SEGURAN(A PUBLIC
Exceptuadas as occurrencias, que se deram no dia 1. de dozembro, na ma-
triz de S. Jose desta capital, em Aguas Bellas, S. Bento e Panellas, a que allude no
artigo sob a rubrica a Eleigies, a nenhum outro facto houve, que produzisse alterablo
da ordem public durante o anna proximo findo.
s SEGURANQA INDIVIDUAL E DE PROPRIEDADE
No anno passado foram commettidos n'esta provincia 326 crimes por 360
individuos conhecidos, tendo sido prosos 281.
e Os crimes que mais avultaram form os de homicidio, ferimentos, roubo


e furto.
FACTOS NOTAVEIS E ACCIDENTS

Ha a registaar os seguintes : 4 incendios, 3 suicidios, 1 tentativa de suicidio,
12 mortes casuaes, 5 por asphyxia por submersiao, 4 esmagamentos send 3 na via-
terrea de CaxangA e um na de Olinda.
CAPTURE DE CRIMINOSOS
Do quadro organisado pela Repartiglo da Policia verifica-se que foram cap-
turados 143 crimisosos, os quaes, nao teado sido press, em flagrant, foram, nIo
obstante pronunciados.
Motivaram pronuncia: tomada, ou fuga de press, 1; falsidade, 1; exeesso
ou abuso de autoridade, 1; resistencia, 3; homicidio, 53; tentativa de homicidio, 3
ferimentos ou offenses physical, 33; roubo 14; furto, 25; defloramento, 5; e estel-
lionato, 4.
CAPTURE DE DESERTORES
Foram capturados 20 desertores, sen4o 15 do exercito e 5 da armada.
MENORES ABANDONADOS E LOUCOS
A referida repartigao enviju pars o Asylo da Tamarinaira 93 alienados,
send 46 homes e 47 mUIheres; e pars o Arsenal de Marinha 29 creancas aban-
donadas.
ESTRANGEIROS


sahiram


Enutraram na proviucia, vindos de varias procedencias, 678 estra)aigeiros e
531.
rFRCA FPOLICIAL


,. 0 Se
Civica, sob as
Joaquim de C
Sul


dao prvinciafeito pelo Corpo de Policia e pela Guarda
a tenttetoronel Miguel Reinaux Duarte e cipitlo Manoel
td'um e 'outro foi ha- puco reduzido, tendo a Assem-
Sa deliberoaEo em vista do estado precario das finangas

I'46 UO quo **$Rfieompupejde 950 prlapsacha-se ne-


lugf0reafnd e na maior par.e, a que existed destacada deflciseatemente faz o sera de
vigilancia As cadeias.
E assim, toda a vez que 6 precise effectuar corn promptidlo alguma diligea-
cia mais important, ou prevenir qualquer perturbaglo da ordem public ve-se a admi-
nistran o obrigada a recorder A forga military, distrahindo-a embora por imperiosa noces-
sidade, do servigo da guarniclo, quo espocialmente Ihe incumbe. .
(Contirnia)
mlatt o d* a -rma i.Antonio de Paiva Ferreira.-Informe o
QUARTEL, POCOMMAIDO DAS AUMAS DE PER- Sr. Dr. administrator do Consulado.
NAMBUCO 7 DE FEVEREIRO DE 1885. Bernet & C. Intormo o Sr. contador.
Ordem do dia n. 1,507 a Eum-
Tendo a 6 do corrente se apresentado a este corn-
mando de armas vindb da corte, o Sr. alferes Jos04 DESPACHOS DOS DIAS 3, 4 E 5 DO CORRENTE
Soait esde MeUlo, que era conIiderado nao apresen-! Pea Camara:
tado : don disso sciencia a guarniao para os fins Jo#e do Mello Albuquerque Montenegro.-De-
convenientes. ferido.
(Assignado). -P Francisco Cameldlo Peswa de Plo Sr. tenente Viegas, veredor corn-
acera, coronel commandant das armas into.- misario depolicia:
Conforme. -O tenente Jbaquim Jorge de Meo Antonio Franeisem Areias & C., -pedindo que
ho, ajudante de orders, encarregado do deta- sejam fit9s os devidos laneanentos, no sentido de
, dt d oet term comprado a Francisco Xavier Foreirs, a
__ loja de chaplos de Sol, sits a rua dQ Cabugala.
12.-Come requerem.`" ".
e | Araujo Castro & C., idem, no sentido de terem
RepartlIpie da POUela transterido da casa n. 3 A travessa da Ma4rv de
Sec 2. N. 122.-Scretaria do P Deus par& a casa n. 5 A mcsma travessa o seu ea-
iSec 2 N. 122. -Socretaria d Po- tabelecimento de estiva.-Simn, de conformidade
licia de Pernamabuco, 7 de fevereiro deo a collect feita no corrente exorcicio em rela-
1884.==Illm. e Exm. Sr.==Participo a V. 91o -a casa n. 5. -
Exc. que foram hontem reoblhidos A Casa i Almeida Machado & C., pedindo restituiao do
do Detengo os seguintes individuos : imposto de bebidas espirituosas que indevidamen-
SA minba ordem, Joo Pereira Lima, vindo Ido to pagaram, visto serem estabeiecidos na casa n.
termo da Eseada como criminoso. 36 A rua da Madre d Deus, corn armazem de ge-
A' ordem do subdelegado do Recite, lariaJoa- ros da. estiva em grosso, e ter-se resolVido que os
quina da Concei*o e Maria Francisca da Concei- estabelecimentos dessa natureza estavam isentos
gio, por disturbioi. desse i-nposto.-Como requerem .
A' ordem do do 1O district de Afogados Ma Bernandino dos Santos Rosas, pedindo licenga
Sopar mandar transformar em deposit de seceos o
noel Baptista de Souza e Joao Antonio Gomes por s euestabelecimento de quitanda, sito a rua do Pa-
A' ordem do do 1 district da Boa Vista, Ve- dre Nobrega n. 2-Com o requer, em vista das in-
n#ncio Jos6 de Moraes, por embriaguez e distur- orma os Martins Gomes, par abrir inscrip
bios. Domingos Marisom eprabiinrio
A' ordem do da Magdalena, Manoel Jos da na frente de seu estabelecimento sito A rua do
A ordem do brida Magdalena, Manoel JOss. da Motocolomb6 n. 67.-Sim, pago o imposto.
Costa unooume ao, juis municipal do termo u. mares & Peraan, para abrir urn eseripto-
o. cnto- qe ofoErnai apulmuipaldos eroldsrio de commissoes de gencros nacionaes e estran-
de S. Bcnto, qneforamalli eaptourandos e ireeolhidos geiros, em urna sala do predie n. 87A rua do Mar-
lcadeia os inaividuos de homes Jbao Fiancisco e quez de Olinda. SimePago o impesto Wbre o va-
Deodato Marques de Souza, ambosipronunciados, qedeor locatived S10 p
send o primeiro em crime de morte na comarca r & Alida, Para abrir u estabeleci-
do Brejo e o segundo cm crime de roubo e moite! Marques & A mida, para abrir un estaldoci-
uia de Palmarca. mentor de taverna no predio n. 61 ao largo do Pa-
Deus Guarde a V. E .Ill. e Exm raizo.-Deferido, pela collect do exerecico cor-
Deus arde a V. Ex.Illm e xm. i rente.
Sr. Dr. Augusto de Souza LeRo, mui di- Manoel Soa-es & C., replicando ,pedem que seja
gno vice-presidente desta provincia. 0 Ihes concedida ahlmcena que em 30 de julho de
cheos do policia interino, Jose Maria de, 1884 requereram.parw conservar afornaldhaq.-e
aviam feito em sen cita'belecment 'ea dpesi
Araujo. de seccos, site & xua de Vidal de *Negreiros n. 9.,
-i visto serem improcedentes as informanes do fiscal
Thesouro Provinelal no sentido requerido e term os supplicantes seu
DESPACHOS DO DIu 4 DE FEVEREIRO DE 1885' favor a liiprovincial n. 1,129 de 26 do unho de
ffico do Dr.oh'efede isis Infer 1873.-Deferido em vista dainformaIo do Sr.
Officio do Dr. chefe dpoi .-l engenheiro, devendo os supplicantci citnprir a
mie o Sr. contador.- 4ip a"rte a .. ..
4e, r n r W *te iaa & C., pedindo me&ifiea9ao do
portaria d urg.'o-jea.5t ie
Au .. ..do. Santos (~oira. O- I doarqsez de Dieda, arbitrado em 3:0000,
Aurelio S osSantos Coka. -- o"- parn 1:0 000, porquanto s6 occupam os andares
tencioso para os devidos fins. terrebs do referidos predioscom! osa eus: arma-
Olympia Gomes Teixeira Bastos e Her- zens de terragens e miudezas e o lOandar do pre-
culauo Alves da Silva.-Ao Sr. Dr. ad- _di n. 57 comescriptorio.- Sim, de conformidade
ministrador do Consulado para attender. cor a informaVio do fiscal.
mistrador do Sonsulado para attender. everina Maria des Reis, pedindo para pagar o
Dr. Eduardo Augusto de Oliveira.- imposto do 65000, como sempre psgou, pela qui-
HIaja vista a Sr. Dr. procurador fiscal." tanda que term na sala da frente da casa n. 21 a
Joaquim Lourenco de Barros.--Entre- run do Visconde de Inhaima, e nao 104800, Como
se acha midevidamente collectada esta casa.- De-
gue-se o deposit. ferido em vista da informasao do fiscal.
Maria de Mendonga Paes Barreto. -Ao Zeferino Velloso de Moura e Silva, pedindo li-
Sr. Dr. administrator do Consulado para cenga para estabelecer-se corn deposit de seccos
attender. na casa n. 64 A Estrada Nova da Imberibeira, que
Erancisco Avila de Mendonga.-Ao Sr. se acha fechada, declarando que nao se responsa-
bErancisco Avila deiMedona.-Ao r. bisa polo que possa ever seu antecessor, visto
Dr. procurador dos feitos para attender, nao hayer successAo em negecio.- Em vista da in-
nio havendo inconvenient. formasio do respective fiscal, indefiro a petigao.


Maria Firmina da Silva Alcoforado. Pe- Palo Rvd. padre Mello, cmmissario do
Escripture-se. edificages:*
Francisco Jos6 Alves Gomes.-Satisfa- Antonio Jos6 de Souza, pedindo licenga para
ga a exigencia da contadoria. rebocar urma pequena parte do oitao de sua casa
Felix Cyprisno Toixeira e thesoureiro n..9 arua da Penha. Concede-se, dando previa
das Obras Publicas. Haj a vista o Sr. Dr. scienia ao fiscal.
J Antonio Martins dos Rios, para transformer em
procurador fiscal: janella uma port da frente de sua casa n. 18 B A
Luiz Abranches de Figueiredo. Entre- estrada do Pombal.-Nio tend o supplicant ob-
gun-se pela port. tido licenga para a obra que fez, lhe sendo imupos-
Ferreira & Irmp o, Anna Pereira do Si- ta a multa do artigo 91 da lei n. 1,129, de 26 de
riradd do Sno r Bon Jess j lhode 1873, conform communicou o respective
va, irmandade do Senhor Bom Jesus das fiscal, depois de paga a multa, volte pars ser de-
Portas, Lourengo Barbosa Coelho, padre ferido.
Manoel Antonio Alves de Jesus, padre Antonio Gonualves do Azevedo, para substituir
Jos6 Francisco da Silva Brges. Infomeo encanamento das aguas pluviaes Ie sua casa n.
Jos Francisco da ilva11 A run Princeza Isabel.-Pagos os impostos, con-
o Sr. contador cede-seo.
Theodoro Christiansen. Informe a sec- Antonio Joaquim Casco, para.retalhar e fazer
gso do conieoncioso. pequenos rebocos na sua me i'agua n. 29 A runs Dias
Orm3do S. Frac o Cardoso.-Concede-se, dando prvia scicencia ao
Ordem 3D de S. Francisco. Ha a vista fi l.
o Sr. Dr. procurador fiscal, Charles A. Craven, gerente da empreza de ilu-
minavao a gaz, para fazer pequenos rebocos na
o & eid a v d frente do predio n. 29 i rua do Imperador, abrin-
PavAo & C. -Ideferido, a vista das in- do um letreiro, para o que tern de faser andaimes.
formages. -Pagos os impostos munic.ipaes dos 52 e 63 do
Dina de Albuquerque Gongalves Lima artigo unico da lei de 28 de julho de 1884, conce-
o Dr. Eduardo Augusta do Olivira. D- de se dando previa sciencia ao fiscal.
e Dr. Eduardo Augsto de Oliveira. -De Jos Antonio Cousseiro, pars atomar goteiras no
ferido, pracedendo-so a transmissao das predio n. 32 ao Caes 22 do Novembro e concertar
apolices, quo pars isso serlo exhibidas. o cano intern das aguas pluviaes.-Paigos os ima-
Dr. Praxedes Gomes de Souza Pitanga. posts, concede-se.
Deferioo, tomando.se par termoa fianga Jose6 Duarte Pereira, para levantar um andar
ffeoid superior e ota na casa de sua prspriedade n. 52
offerecida. A rua da Roda.-Depois de assignar um term nas
Torres & Irmlo. Deferido, dando-se Camars de nao exigir indemnisa Wo quando tenha
baixa no debito exigido relative ao exerci- de recuar o predio, volte pars ser deforido.
cio de 1880-83, nos terms do julgado de Joao Baptists Pinheiro, pars transformer em
310 doe m 3 do 1 ports urma janella de seu predio n. 24 A travesaft
30 de maro de 1881. do Principe.-De conformidade corn o pareeerd
S Francisco' Joaquim Cascio. Deterido, engenheiro e pagos os impostos, concede-se.
para ser desobrigado do debito que possa Luiz Antonio de iqueira, para collocar d as
haver da casa n. 11 darua da Restaura- tergas e fazer alguns rebocos no seu predio sito no
havaterir d a daraaio da esaRa rnho, freguezia da Graa.-Pagos os im-
94O, anterior A arremata~go da mesma postos municipaes, concede-se.
casa faz o supplicante, ficando no entre- Mariaso Marques Ferreira, para levantar o ma-
tanto pelo mesmo debito responsavel o re de sua cam n. 69 A rua da Ponte Velha, A al-
prc t .. .tura que marcam as posturas, fingindo urma ports
precedent propnietamio. e unsa janella, bemrno com correr o telhado da re-
Jos6 Francisco de Almeida Doria. Pa- ferida cassa e tomar poquenos rebocos.-Pagos a
gue-se. impostor, eoneede-se de couformidade corn m pp-
Anna Lucia Pereira Pint6 Furtado de reoer do Sr. engenheiro.
Mendonga do Oliveira. -Iformo Sr. Miguel Antonio de Figveiredo, pars mandar
ndooneertar as suas casas ns. 134 e 136 uitas a es-
contador. trada nova de CaxangA, freguezia de Afegados--
Izidoro Marinho Cosar.-Registre-se e Na f6rma do parecer.
fagam-so os devidos assentamentos. Manoel Francisco da Silva, para rasgar uts
'ibelina Justina Souza d, odeSouza sportss na frente, rebocar, retelhar, fazer calado,
1Umbelima Justina S oaza de Souza e eostnr ra ecziha nos readoae mr!
F Frauisco Miguel da Costa.-Ao Consu- ona frente da dtinhLno fandoseits bmb
Ma frento da cass de taps, sits & EstradaSm~~
lade e seco do contencioso para atten- do Caxejz fi uezua-is deoAfopdos- f
der. do pa ilcber tod.it~E
rhe .... er ...e ttIto, dsa bzudi
Francisco Ferreira Baltar.- atregue-A. ,
port& 111086 5iando el && ite, e tamar got$
se as fdpooda


INSTRUCC10 POPULAR

PHOTOGRAPHIA
(Ext rahida)

MA ,.TE III
Atpplie"eMe lda photographia
CAPITULO II
PHOTO-MtCROGRAPXIIA E OUTRAS APPLICAq5ES PHOTO-
GRAPHICAS
(Continuaiao)
E, para finalizarmos este capitulo, descrevore-
mos a seguinte scena, a que diz ter assistido Gas-
tWo Tissandier:
SUm engenhciro nosso amigo, enearregadlo de


V.




















A-vuaMiai,


(ImginIDff


N-


Na peti Ia o de Antonio JoaquimCaMeio, pub!-
;.' ca-dao Jiaro s 2bn. 29, diga-ae-.ea de qu-.
S -os novos inquilinos nao fiquem respoasaveis
etc.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 6 de feveroiro de 1885.


.. 0 pOrteiro,

Leopoldino G. Ferreira da Silva.



IMRIO B E PERIMBUCO


Retrespecto politico do anmo de
1A884

(Co ntinua9ao)

W ecessidades graves, que neste trabalho nao
vem a proposito explicar, impozeram em 1867 ao
Conde de Beust a present e complicadissima or-
gagisaqo do imperio austro-hungaro.
* Depois dessa data, urn pequeno affluent do Da-
nubio separa dous paizes distinotos, dotados de
1instituigAes politics e a.dministrag-o proprias.


Idm.o, 4ee a^^ope ^il q<
61 i4ron Bsae di.,, e4 a ualo pmliitanu do

StaImento de steur p.4.


iIeri ftsa.la, e o. ttB&Oio lll-
moi M~ 1 B .o awter au irm
cbaii-jinB- d-tthica. O'arioento ,*

tUJ.-m MiMqSi a drl que seti-
anmn dad.
No espac de seis semanas dous agents de po-
lieia haviam sido assassinados nos arrebaldes de
Vienna. Ao mesmo tempo alguns funecionarios
recebiam cartas ameaeadoras. E era indubitavel
que andava-ahi a.W mo do revolacionarios coamo-
politas. Esses processes fazem parte integrante
do seu programma. Mas como se isso nao bas-
tasse, manifestou-se entire as classes operarias da
cidade uma agitagao sensivel, que durante algum
tempo se traduzio erm reunites, cartazes e expan"
sues ao ar livre.
As providencias tomadas polo governor tiveram
por fim prevenir o contagio, cortando o mal pela
raiz. Consistiram no estabelecimento de um re-
gimen especial relativamente eidado e seus sn-
burbios.
A policia ficou autorisada a prender as pessoas
que julgasse suspeitas, foi restringido o direito d3
reuniao, e supprimida a inviolabilidade da eorres-
pondencia. Tambem foi suspense a competencia
do jury para julgar certas eategorias du crimes e
delictos, passando esses julgamentos a pertencer a
um tribunal especial durante todo o anno.
Tudo isso prova que o governo austriaco se con-
venceir de que a anarchia punha em risco uma
parte de monarchia dos HabBburgos. 0 que nao


-o avum te o aseu parnlamento e u g oe u e mmus i est provada & a proficuidado definitive de seme-
responsavel. Os interesses geraes e communs As ihantes medidas.
duAns fracc5es do imperio estao confiados a I .. .....-f ...


^ests ue Ihl tire rio~Amo daf~^H
'4W tree aUaRM. iBto 0 Orw8 4#i
Wr usforeos no 5ontidorde obtar.do


-o doin. duKDoo mb8aftr 0iM.
pcao -H
910 Okkkaw el^ i~t, h ll~

prM a ai lu f ,.W .l--r_.^e

-a extr esq t, 490 idb
reform do regimen economic da Transleitania e
sua independencia da. Cileitania, e a iegunda a
separaao politico, finaneeira e adminitrativa da
Austria e da Hungria; sendo-Ihe do mesmo modo
possivel tazer frente As reivindtcaoes sociaesa que
sob as c6res do anti semitismo, serlo mui prova-
velmente discutidas e defendidas- no parlamento
por certo grupo de deputados, em numero de ecinco
na camara passada, e de dmoito na actual.
Para o Sr. Tisza, por6m, a -maieor diffiouldade es-
tA em adormecer e antagonismo das -aeiqald4-
des. Os senhores hungaros praxtata real, adhe-
slo -a sua politiea, renegaudo peogramma sepa-
ratista de Miletitch ; miWe)aa heeio 6 momen-
tunea e esta sujtita a inflaencia de dtversos aeon-
tecimentos politicos, o mais decisive dos quaes seo-
rA o rompimento das boas relpc.es que manteem
centre si Belgrado e Vienna. De outro lado os ru-
muanios da Transylvania-nio occultam a profulda
repugnancia que experimental par toda a idea de
assimilagio ; e os croatas, par sua vez, ja mani-
festaram,pelas-seenas violentas da dieta de Agram
e par certas desordens, o quanta ihes custa con-
tentarem-sc cam a submissio qu e lhes querem im-
par a trodo de concessves parciaes. Na propria
Croacia, as servios, reclamando da dieta a sua a-.
tonomia sob o ponto de vistai-ecclesiastico e esco-


umminiaterio especial, cuja acgao 6 inspeecionada qanto o co e aane se e ra pra mostram-se at partiuarstas no particula-
am~rn+v A- a 14S +.... .. ..y,.u. onarios. o Sr.Tiaza. a, mostram-so aW particuiaristos no priua


por delegacoes de um e outro parlamento, as quaes
se reunem alternadamente em Vienna e Budapes-
te, deliberando em separado. So essays delcga5es
teem o direito de interpellar o govemno acerca da
political external, s6 ellas votam o orgamento dos
negocios estrangeiros, as despezas cow o exercito,
cujp contingent fixam, bem como6 exclusivamen-
te a ellas que cumprem a direcoao das finangas
communes, quecomprehendem as alfandegas. Quan-
do as delega5es deliberam oppostamente entire si,
reanom-se e formam um parlamento que tern o
nome do a mudo, por isso que resolve o inciden-
te serm discussao, por maioria de votes.
Assim, pondo de parte a Bosnia e a Herzegovi-
na, cuja administraaao esta por emquanto depen-
dente do ministerio commum, temos que o imperio
dos Habsburgos comprehend dous estados. nos
quaes funccionam dous ministerios, tree parlamen-
tss, seis assembl6as, e algumas vezes uma setima,
que 6 a .denominada a muda. Mas, como se ex-
prime o Sr. E. Hein, a complexidade do organism
austriaco nao estA unicamente em que o Leitha o
decide em dons grupos differences, provides de
institui 'es distinctas e dominados por aspiravcoes
e ihteresses muitas vezes autagonicos. Coda
urma dessas fracoses do mesmo imperio 6 em si
mesa um aggregado de elements heterogeneos.
Ease valle do Danubio parece ter sido destinado
pela natureza para servir de museum ethnografico:
6 um verdadeiro capharnaun da humanidade. To
das as variedades da nossa especie, que passaram
pela Europa, deixaram as suas alluvioes nesse
confluente das grandes correntes invasoras; as ca-
madas ethnicas acham-se ahi justapostas em or-


do ontro lado do Leitha, procurava dominar os
reaceionarios magyares.
0 facto de haver a mesa dos magnatas-a ca-
mara alta do Hungria-rejeitado nos fins de 1883
o project de lei sobre os casamentos mixtos, dis-
pertou no president do mmisterio hungaro o
desejo bem fundado de promover a reform d'a-
quella assembhl6a. 0 ministry comprehendeu que
a opposigao dos magnatas a uma lei que tinha
sida adoptada pela camera elective, nuo era s6-
mefite, como se dissera, um episodic do antago-
nismo economic, base da perseguiqao movida cn-
tra os semitas. Essa opposigao exprimia princi-
palmente, 6 do mode mais claro, as accentuadas
tendencies de parte da aristoeracia nucional para
contrariar a politico liberal do gabinete, aliAs
apoiada pela maicria dos deputados e certa da
approvagdo do paiz. D'ahi o pensamento do Sr.
Tisza concnraente a remover o obstaculo opposto
ao seu governe--pela reform da assembl6a dos
nobres, assemblea que nao tern em nagao alguma
outra que se Ihe pare"a pela anormalidade e ex.
travagancia da organisaclo.
A mesa dos magnatas do feste nao 6 formada
por eleicAo, nerm por meio do censo, nem segundo
regras determinadas de capacidade, nerm final-
mente, segundo a lei da progenitura, commum As
aristocranias hereditarias. Ella compoe-se por
direito de todos os nobres do paiz, sem excepgao
de um s6, que lhe da o numero extraordinario de
mais de oitocentos membros!
Esta organisacao cxtranha, combinada corn a
falta dos magnatas At sess6es, expoe as medidas


dem ehronologica, mostrando n'um ponto ou n'ou- do governor, ratificadas pela primeira camnara, a
tro fendas ou sulcos differentes, vestigios dos ca- todos os inconvenientes das maioriax de occasion


thaclysmas historicos que dispersaram ou desloca- que se formam no senado.


ram os povoe. Aos germanos, que occuparam o


Nao foi a necessidade de reformar, em bemrn do


lugar deixado pelos celtas, succederam os slaves progress do [paiz, uma assembl6a tao singular-


de todarm as variedades, ultimos que entraram na
familiar europea. Mais long, nas boccas do gran-


mente imperfeita o unico eneargo pesado que em
1884 se impoz ao Sr. Koloman Tisza. Outros pro-


de rio, no lumiar do Occidente, fixou-se uma raga II;- ; .a k -xiram a actividade


que se tornou latina, testemunho vivo do poder .- ----... .. .
romano, isento dos assaltos dos barbaro. Entire e talent corn que ha nove annos dirige o over
I------ ----- dos------ -- ---- --- ----- __ --.- a-A----


esses especimens mesclados da raga aryana surgi-
ram os maayares, povo que ficou na Europa depois


no da cLungria. j recisa a serenard so nimua uLa
Oroacia, em cuja dieta se tecta dado scenas ao l-


da invasao mongolica; familiar cujo parentesco timo paouto tumultuosas, e onde nao falta-quem se
com a. europrA 6 proplematico, ramo pravavelmen- lembre de pedir a extinegaq do pacto realisado


te jA, desligado do tronco da primitive arvore hu-
mana, 6poca longiqua em que os nossos antepassa-
dos se agitavam nas planuras da Azi& central.
Um -mi-hiao e meio de judcleus e&palhados par today
a menarchia representam ahi o element semitico-
Por entre esta Babel circulanm os mysteriosos ci-
-i-o, m.. .. ...n-n ~h nfri


em 1868 e prorogado em 1873, mediante o qual as
proviacias da Croacia e Esclavonia, bern como as
dos confins militares, foram reunidas a cor6a de-
Santo Estevao pars former a monarchia traas-
leithana. Esse pacto confere As populagbes corn
prehendidas entire o Save, o Drave e o Danubio


tanta. ei-n-as, extensa autonomia. Deixa-os administrarem-se


SA gzographia -continua o mesmo escriptor-, por leis proprias. A dieta tern o poder de legis-


nao podc ser guia em semerliante dedalo, por isso lar com today a independeucia possivel sobre os ne-
que as mais improvistas comibinaQeos se nos depa- gocios interiares : justiga, istrucago publiea e
ram nesse taboleiro de xadrixz chamado Austria. cultog. Entretanto ha na Croacia um partido que
Os tchecos e os allema'es formn:im desigualmente a aspira a que esta deixe d ser onsiderada pars
populagclo da Bohemia c da Moravia ; os placeos adnesa da Huneria, pare ser elevada A dignidade


e us ruthinos quasi que se equilibram pelo numero
na Galicia ; ha romanos e magyares na Bukowina.
A popalhaiao dos antigos estados hereditarios da
easa d'Austria nao 6 muito mioms heterogenea,
Os allemiles misturam-se corn os italianos no Ty-
rol meridional ; os slovenos dominam em Carnio-
la, n'uma part da Styria e da Corinthia : essas
tres raps acotovellam-se em Istria. A Dalmacia
apresenta am pao rmais mesclado ainda, compost
de croatas, servios, italianos e allemies. A carta
eonaographica da Hungria nao c menos provide
de cores. Seis milhbes de magyares, dous milhoes
e meio de romanos, alem de numero consideravel
de slaves, eis os subditos da coroa de Santo. Este
vio. Alem disso, as allem.tes, que se infiltram par


de regnum socium, isto 6, qua o imperio dualista
dos Habsburgos passe a former um triahlismo.
Al6m d'essas, tern aiada o president do conse-
lho difficuldades importantes a veneer, bemrn como
suffocar a propaganda delecteria que se estende
por todo o reineo de Santo EstevAo, e a qual amea-
ga simultaneamente a unidade national, a ordem
da sociedade e a paz public.

0 proprio Sr. Tisza n'um discurso que recitou
em sutembro porocecasiAo de visitor a circums-
cripcgo eleitorai do Groswardein, ao memo tern-
po que proclamou a graddeza dos principios libe-


tod a narte,. faudaram na Transylvania e ao sulI raes, denunciou o antisemitismo, a anarctia e o


do terntorio hungaro numerosas colonilas, as quaes particularismo, como precisando de corrective


paor vaes criam serious embaragos ao governor de
Badapeste.
B, de certo facil conceber quao ardua 6 a mis-
lo&-'conservar a integridade de um estado cons-
ti- taido por elemeuatos tao diversos e contrapostos.
A' ase das tendencies originarias, peculiares a
oda um deses grupos, as differenoas de lingua e
S re gig Jhem oomo as rivalidades naeiaaes, aug-
S- m. a smt oosaideravelmente o encargo do governor
Ws, z i daL E coma porte das ragn que acima in-
S diamr astlo representadas no Reichsrath vie-
o.. ae nao 6 mais difficil calcular a somma de ha-
.-. : bdade noessaria a um estadista para obter em
I^-*la.b.i6s o-apLio indispeniavel A profioidade


[l to 0 qua baeomaWgado o opads Ta-
a paeidente do conelho. aMd. ca-
uiga ilo dos conaervadores aaHamb
A- Oflia os tchecos da Boemia, o di-
c cin da Ausetria ronsa


muisde qatro amBM Bdispe,
1-iauelrn pm. pinMs, mar
a4swnuaervado lel e dodicada.

BK~ifi~i' ima iiiini iirm J


energico, por isso qne deixal-os expandir se seria
aurorisar a snbversio da ordem social.
Felismente paua o chefe da political hungara, as
uroas eleitoraes consagraram as suas ideas e vis-
tas reproasivas. As eleigO.s dos deputados hun-
garos, se bemrn que provoearam a prineipio, no pe-
riodo da cabala, scenas lastimaveis de desordem
e actos de violencia, terminaram todavia na mais
perfeita paz e concordia.
Durante os dez dias do escrutinio nao appare-
ceu um s6 fact qua e provocasse censura. Os elei-
tore poderam com inteira segurana depositar
mas urnas os seus votos, isentos da pressao de
quiquer doi-pintidoue qu derts ve aulo tenataram
iDalmras& :a o s-es tamaau poitv.aatu.
DOaflta~empba earal-reai~-Kso eguate-
amonte para o goverw umna vietauM -tanto mai.
,alioSa, quanto a idamecia official ao se manL
atou se;wuhr ao ICa por nwihum des; mw s
A qau ordaiamenato s sirvem os dieatoaina.
,ii^a, qusndo stuplaltagn..I o aipou dadpi-

*0 gverno OB< wlrfriniq B U8 asks-


E', pois, difficilimo o papel que em takes e tao
graves queitoes tern a desempenhar o Sr. Tiaza,
de cujo talent e prudencia depend incontestael-
mente o equilibrio desses elements de disoordia.
(Continia).




INTERIOR


Toplcos do dia

(Do Paiz, da C6rte, de 30 de janeiro)
0 lado comico da centealisagao administrative
niao tern sido menos discutido do que a face carran-
cuda, que, em certas occasioes, apresenta essa en-
fermidide do officialismo entre n6s.
Mais do que as discusses, porkm, pleiteiam a
causa da descentralisacio os proprios actos que
diarimente pratica o governo, eomrn ostenta9lo e ori-
ginalidade sem nome.
Ler o expediente dos diversos nministerios, em
qualquer quadra do anno, e ter assumpto para rir,
coarn aquelle r so de que disse H. Heine, que me-
Ihor do que a lagrima exprime muitas vezes a tris-
teza.
Os defensores das formulas e dos precedents
aeham extemporaneos e descabidos esses consecuti-
vos reparos que faz a imprensa 6. frandulagem do
various avisos, aereditam que, longede perder, lunra
a causa public corn a divulgaco dos menoresin
cidentes da administra o.
E' um engano; e ninguem levaria a fIat- que a
nugas que absorvem os mais elevados funcionarios
do Eitado, fossem reservadas para o0 pretores de
sexta classes.
Bastava que o ministry gerisse sua paste, dei-
xaudo aos serventuarios menos graduados, e is
repartigSes subalternas, a fiscalisaodo c os tempe-
roe da... cozinha administrative.
Exemplefiquemos corn oultimo numero do Diario
Official.
SSdmente no expediente do Ministerio da Marinha
figuram trees avisos, que parecem conversa de co.
madres.
N'um desses avisos consent o ministry que os
serventes da intendencia usem de calgas de brim
pardo !
No outro ordena que a lavagem das roupas da
enfermaria de Sergipe seja feita administrativa-
mente (?) visto ccmo neo appareceram licitantes
para fazel-a por arrematago.
Finalmente, o terceiro aviso tern por fim dizer
A Contadoria quo o governor aeeita o freguez qua
mais em conta do que os outros -fornecer ovos e
galllnhas para o hospital.
Ora, isto nao se acredifa f6ra d'aqui !
Uma vez que o ministry tern qae intervir pesso-
almente nests negocios, que a organisaglo do ser-
vico 6 tal somente S. Exe. e quern deve, em pes-
soa, decidir tAo graves assumptos, a papelada con-
cernente aos ajustes e deelindamento da alta pen-
dencia devei ia ser archivada, e o public privado
de ll-a e.. lamental-a.-
Qui a folha official publique os decretos do po-
aer executive, as despachos decade um ministerid,
oas avisos doutrinarios, mappas, tabeHaa e relatot
rios, nada mais justo e mais da indole de seme-
lhante publicaAo ; mas que exponha, As vistas de
todos, futilidades tao improprias do governor de
qualquer armazem de boa nota, 6 o que nao se
p'de tolerar.
0 Jornal Official, entire outras folhas officials,
pode servir de modelo a ease respeito.
Em suas columnas nao figuram iidicularias da-
quelle jaez, ou porque corramn per alada inferior
a manaipulatio de certos negocios, ou porque o or-
gao do governor traucez nao jalgue merecedoras
da publicidade essas miudezas, mais proprias de
um guarda-portAo que de um mrnistro.
O secretario de Estado a examinar a propoata
de gallhinhas e decidindo que os ovos da quitan-
deira X alo mais frescos e mais baratos que os do
chim da esquina.
O ministry do imperador, mandando lavar a rou-
pa da enfermaria, porque nao achou lavadeira se-
gundo a sun tabella, e intervindo no brim pardo que
dave server para calas dos serveutes e varredo.
res do Arsenal !
Um avistopara cada ama dos species Avises
corn o cheiro de rol de roupa suja e corn o aspect
de samburA do compras !
Rcalmente as praxes da nossa administracao su-
perior sao de sublimidade tal, que o povo miudo
fica a scismar nas toias de aranha quo devem po-
voar as cabegas dirigentos!
Tanta cousa important para tomar toda atten-
cao e o tempo dos ministros, e tao grande numero
de repartices aanexas e fuaecionarios intermedios
sem responsabill~ade para destrinchar negocios
oomo estes, de tamanha ponderabao !
A Intendoncia quer quo os seus serventea an-
den. de caljas pardas ? Pois tenha poder para
tanto, e nao incommode por isso nem mesmo o con-
tinuo da Seeretaria da Mainha.
A Contadoria acha bons os oaos do sen freguez
e prefere-os aos quo vendem outros mereadores ?
Pois a Contadoria que resolva por bi essa ques-
tio de omeletes e fethe o negoeio por sun conta e


]MOO.
Ou .asmikar, perdema o tempo eom frioleiras,
o tempo 6 de sobra ra os ramistro entire n6s.
Em fcauB a fo -al lbode bempres-
-indir de umm tas m
Qugtg-aeo~s (i-f o io*Mrtsncia nuo so pra-
icadoa, sM que o public tha noticia, pela. 1di.

-4'd posRaeis...
Por "oOeguintsnem doul aato n .
p$-tkw vem puam m, b. p ro daumm
,emaae Maw- per. d. -b=

bavis u qae nwa
aw:BS._22af^ .........


WM M VM nnooA -' *...
do Hr. F 0-4 matcid~i maibf^te "
-~ e A oV
.- a titulo Rsu~a ~mus4~s^ Jeo
no l(bzll Pard, de o20 .
e a foandar" 'lMinsutros desta ei-
pital a margem direita da estrada de ferro de Bra-j
gana no t'rritorio do- colonia Benevides, umn nu-
teo de pao fer ado por chalet e edifieoas
de moderno goto.
0 local escolhido reupe today as condices de
'- --'- -* -


dantemeate gaida pr do rios perennes, cerea'm
da de m&t'iealos que fecham mui agradavelmente
a perspw*tta, e dotada de um clima salubre sem
os insecto o quo coastituem um tormen-
to paraa peaP viva na eidade.
A futura V ra raeoema sera um onto de re-
fugio para os habitantes da capital durante- a es-
tagao calmosa, um arrebalde quo virA satisfazer
urna neceasidade ha muito sentida.
S0 piano da Vila esta exposto em casa dos
Srs. Almeida & Fialho, o delineamento das rus oe
pragas attended as condig5es de ventilaglo e as
mais aconmelhadas peas hygiene;
Compe-se o nucleo do quatro runs, denomi-
nadan J. Aleasar, Ptraeni, Quinze de Agosto e
Triata de Maro, tendo no centre a pra&a Irace-
ma. As ruas tern 22 metros de largura, as terre-
nos destiaados a edificagao estlio divididos em ro-
cinhas corn 2,890 metos quadrados eada uma, al-
gumas das quaes jA estao plantadas arvores frue-
tiferas e todo o terreno esta preparado para ser
edificado e cultivado.
S Na prao, I racema ha-estagdo da estrada de
terro que atravessa a rua Trinta de 'Margo. '
-Acerca do vapor Pard lemos na mesma fo-
lha de 31 :
a Este vapor, entrado ante-hontem de Manaos,
segue hoje para aos portos do suL
a 0 Pard 6 commandado pelo iliustre official de
marina, commendador Carlos Gomoes, um dos of-
ficiaes mais distinctos, empregado na companhia
de navegagao brasileira.
SDevido a ineuria do pratico, esteve o Pard
encalhado tres- e meio mezes nas proximidades de
Manaos, estando sempre a bordo o seu comman-
dante, ausente da sua extremosa familiar e amigos.
Durante eate long tempo, perguntando n6s a
Carlos Gomes em que se occupava ; respondeu-nos
quo durante u dia ia as jornaes que recebia do
sul e alguns livros que tinha a bordo, esforcando-_
se o mais possivel em desencalhar o navio que
estava sabre pedras, esforgos estes que jA noticia-
mos'; A noite matava grande quantidade de mos-
quitos, esperando cornm paoe encia de Job a enchen-
te do rio afim de safar-se.
,, Corn a amabilidade que todos Ihe conhecem,
disse ainda que aproveitou muito carn o encalhe
do vapor, porque mais de uma vez teve necessida-
de,.a falta de oantra leitura, ler o Jomal do Comn-
mercio desde o frontespicio atW o ultimo annuncio
de criado !
a Encontrou tambem uma folhinha da Gazeta
de Noticias que bisou, e achou qu e era uma leitu-
ra agradabilissima.
( Finalisou a sun narra"eo dizendo que tudo
isso era muito born, mas podia a Deus que nao Ihe
acontecesse outra.
& Estes sao os nossos votos.
Maranhao-Datas at6 1 ae fevereiro :
No dia 27 de-janeirj houve eleigao de 5 mem-
bros para o gremio do partido censervador. 0
novo gremio compbe4se dos Srs. : Dr. A. 0. Go-
mes de Castro, Dr. ,. Abilio Ferreira Franco, Dr.
A. Martiniaao Lapemberg, Dr. M. Jose Ribeiro da
Cunha, major Joao da Malta Moraes Rego, Dr.
JoAo C. Moraes Rego Junior, arcediago Dr. Ma-
noel Tavares da Silva, Dr. Antonio Jansen de
Mattos Pereira, tenente-coronel Jos6 Carlos P. de
Castro, Manoel da Silva Rodrigues e Dr. A. de
Magalhaes Barros Vasconeellos.
Passanmo do Patz d- I 31 de janciro:
SNo dia 28 teve lugar na cidade de Vianna a
apuraao dos votos da eleiao em 2.0 escrutinio
do 3.' distrieto eleitoral, sendo este o resul-
tado :
a Dr. Augusto Olympio Gomes de Castro, 455
votos e 1 em separado.
Dr. Carlos Fernando Vianai Ribeiro, 313
votes e 1 em separado.
c Foi expedido o diploma de deputado ao Sr.
Dr. Augusta Olympia Games de Castro, a querm
dirigio a mesa o seguinte officio em que estao
assigiados o juiz do direito e toaos as juizes de
paz presents, send dois 3dstes adversaries poli-
ticos de-.S. Exc.
a Pago da Camara Municipal de Vianna, 28 de
janeiro de 1885--I1m. e Exm. Sr.-A junta apu
radora do 3. district eleitoral desta provincial
tern a honra de caviar a V. Exc. o seu incluso
diploma de deputado A Assemblba Geral.
I( A junta, congratulando-se corn V. IExc. 'pela
merecida distincgdo corna que foram galardoados
as seus mereeimentos, acredita interpretar as sea-
tiinentos do eleitoradj deste district, tradu-
zindo sinceramente os seus, apresentando a V.
Exc. seus prolfagas na bern nutrida esperanga de
quo nas difficeis e afflictivas circumstancias do
paiz, V. Exe. polo sou espirito lucido e superior
cgntinuarA a ser estrenuo defensor dos mais vi-
toes interesses nacionaes, e contribuirA efficaz-
monte para confeegoes de leis sabias e bern pen-
sadas, que assegurem e garantam os direitos de
seus comprovincianos.
,, A junta prevalece se da opportunidade para
*aprosentar a V. Exc. suns expresses de estima e
alta consideragao. Dens guarde a V'. Exc.-Illm.
e Exm. Sr. Dr. Augusto Olympia Gomes de Cas-
tre, digno deputado A Assemblea Geral Legisla-
tiva.-P.edro Cavalcante de Albuquerque Mai-a-
nhra-Q=Luiz doz Santos Pereira=Marcellino Jose
Trancoso=-Januario Raymundo Gomes.
Durante esse dia e a note houve em Vian-


na a mais enthusiastic manifestaglo de regasijo
public pela reeleigAo do distinct orador mara-
nhense. Numerosissima passeata percorrea as
ruas da cidade, comr march aux flambeaux. Ora-
ram os Srs. Drs. Aristides Coelho e Sebastiao
Braga, eujos discursos forum muito applaudidos.
Terminaram os festejos por um baile muito con-
corrido.
Estava mareado o dia 22 de fevereiro para
a abertura da exposigdo de assucar e algodao no
corrente anno.
A respective commissio mandou para Antuerpia
amostras desses dons products.
Piauhy.-Dataa atW 24 de janeiro :
Lemos na Epocha dassa data:
SDeu-se ha dias nesta eidade um fact) lamen-
tavel, em quo a fbrga public A principio, e mais
tarde as nossas autoridades policiaas, representa-
ram um triste papel.
Recolhia-se a sua casa Thomaz Rodrigues
Uaiolla, na companhia de Joao Piauhy, quando
em caminho foi detido por trees soldados de linha,
de nomes Joao, Belarmino e Pantale'o, que o pren-
deram sem haver dado razao para isso, e o esbor-
doaram de uma maneira cruel.
SPodemos garantir a verdade do facto porque o
offenidido veio ao nosso escriptorio e mostrou-nos
tivermas contusbes elferimentos nos bragosu pes-
cogo, rosto e cabega.
Corperam ao lugar do eonflicto -diversas pes-
was, entire as quaes o Sr. ajudante de ordens, te-
ente Leoncio' -Ribeiro quo, segundo dizem-nos,
AppaOvou o procedimento dos soldados e os esti-
iulou A continuarem no brinquedo.
S a Provavelmente par camna de sua intervengo
ito se fez corpo de delicto no offendido e nenba-
ma providencia quizeram tomar as antoridadea
policies. a
-Au.11 h do fDte do .ecite -
iEo resultado doi.exauMNde ho-mtea :
Geograpkia
Plenamente 3
Appwados 5
Reprovados 3
Eaerevm pontodivmlno 1
12


-cpf rtorinw
Dpi mmegte

S, A" SSSWH :'"


1


J'att .a asjrvs oral

Comnpar3*oram 11

PleamBpik6

Boprimdis ** -


tom lugar o sarAo bimestral desta Sociedade.
Tbeatro Santo Antonio- Em beneficio
do fundo de emancipa*ao da Sociedade 28 de Se-
tembro, ha hoje espectaculo no Theatro Santo An-
tonio, constando do drama Moqos e Velhos, da
scena comica Amanhk vou pedil-a e da comedia
Reseomnar sem dormnir.
Club Becreios no Campo Ha hoje
espectaculo de magica branch e exereicioa acroba-
ticos no Club Recreios no Compo, sito no Caldei-
reiro.
Festividades religiosas-Alem da fes-
ta de N. S. do Monte, em sua ermida de Olinda,
de que hontem demos noticia, terA lugar hoje tam-
bemrn a de Nossa Senhora da Conceiao, que Ise ve-
nera na igreja de Nossa Senhora dos Afflictos.
Constara a festa demissa solemn as 11 e 1/2
horas da manha, corn sermao polo Rexd. Antonio
Eustaquio Gomes da Silva, e As 7 horas da noite
ladainha, precedida de sermao pelo Revd. Auto-
nio de Mello e Albuquerque.
A' tarde tocarA no atrio da igreja urma banda
de music e serao largados diversos aerostatos ;
e A noite sera queimado um fogo de artificio.
Paquete Para- Procedente do norte deve
tocar hoje em Pernambuco o paquete national Pard,
que seguirA amanha para o sul.
Liberdade-O Sr. Dr. B. Paes Barreto,
eoncedeu carta de liberdade, sem onus algum, ao
seu escravo Nicomedes, no dia 2 de corrente, re-
mettendo o titulo a socicdade Ave Libertas. Re.
gistramos gostosos o acto de philantropia.
S. Jose de liba-Mar-Amanha celebra-
se nessa igreja a fiesta de Santa Apolonia, con-
sistindo em missa solemne as 10 horas do dia, cam
sermao pelo Revd. Juvencio Verissimo dos Au-
jos, e ladainha As 7 horas da noite.
A imagem de Santa Apolonia ficarA em expoas-
gao atW o dia 14 do corrente.
CrIminosos de morte-Foram captura-
dos no termo de S. Bento e recolhidos a respecti-
va cadeia : Joao Francisco, pronunciado no Brejo,
em crime de morte, e Deodato Marques de Souza,
pronunciado em crime de roubo e morte, na co.
marca de Palmares.
Depulado geral -Embarcou hontem par,
a o6rte no paquete norte americano Advance o
Sr. Dr. Antonio Epaminondas de Mello, deputado
eleito pelo 5o district desta provincia.
No caes da Lingoeta, onde tomou o bote, gran-
de numero de seas amigos e correligionarios o es-
tavam esperando e delle se despediram, uindo mui-
too em botes acompanhal-o ate a bordo do referido
paquete.
Soeledade Liberal Ulaiso Benef.
eente-Na secco competent publicamos o pro-
gap.m deida,Jed qua ho, as 4 horaa da tard*,
Waisara esl a ewdads par ocasito de moUocar-
se pr-mA ia pedra do edificio queo vai levantar
mna n da d ma o as quina da do Peixoto.
Hilvert amlo, olewame, durante a qual aeuwi-

Jfc-r "olDa ,oadaT.Sios : ,.
i Vubwlm, a rtxn R teba Z a dioama&I
_7t so obr 6 Dao= de Laoa que Umr ea.
L orqws exhal de aiBievm pmtrtach o


S ., .- .-
. ... ; "..


p5~1~ -~~f' -5 -- -


- Cr -


" -. -


anai xf dee ca. w e.W do-vilonS
nale eahireq4 o finamh d.0
assim ter sahda ou despejo para o rio. -- -
Ahi ficea a reclama*o, que mere sr attoar

4ltt~prorMIII hoN-tel-0 &r. John
ruM uve vei gm teaml o Brazil, jeu
eJ m -Yoxk am opsculo ean inez,
imsll ,na .o a doerip*lo e explieaao da
o Aimnas.
E uilrabalho ouriou e intemrsante.
f-Mracio-Iaformmn-nnos quesi agus
ores-e mmusaicmemaM da eonfraria #emtu
fii ra~~tedem dar um bendefiio-concerto em
-rdo maestro Colas, cujo eptado preearia
de saude o traz impossibilitado da trabalar.".
E' essa uma obra mcritoria, c de certo nio dei-
zari de encontrar acolhimeuto no public, que


Comparecem. lit:
Serao eh .-- I A"-
Mfxica :I
Joao Baptist Peixotift Amfierqu.
Joilo Regino.da AmftfiL
Jorge Gimen doe Kable>.
os Francisco difhfwes A
Jose de Freitas Moraes Pinheiro.
Jolo Miranda de Paula Pess6a.
Jms Saboia de Albuquerque.
JoIo'Paulino Marques Junior.
los6 Beserra de Oliveinr.
a&C4a iEw o Lim asMelal.
Jos6 Brulilano Cavalcante de Albuquerque.
Jos96 Pereira de Britto.
Supplentes
Joaquim Samuel Carneiro Lins.
Josa Gaspar da Silva Loyo.
Joaquim Nunes Ferreira Coimbra.
Jos6 Mriflus Fiusa.
Jose Fratiseo do Rego Rangel Sobrinho.
JosmA Felicio Buarque de Macedo.
Jos6 Luiz de Fran"a Chagas.
Jos6 Antonio de Almeida Pernambuco.
JoAo Francisco de Arruda.
Joao Cordeiro Alvim da Silva.
Jolo Augusto Ferreira Lima.
Joaquim Silverio Carneiro Beserra Cavalcante.
Serao ehamados amanhia A exame de Philo-
86phia :
Joao Thom6 Alves Guimaraes.
Joao Evangelista da Silva Frota.
Jolo Pacifico Ferreira dos Santos.
Julio Gongalves do Valle Pereira.
Jos6 Antonio Goncalves de Mello.
Jonas Bazacluvio Coelho Meira de Vascon-
cellos.
Joaquim Raphael daWSilva.
Luiz Gouveia de Queiroz Barros.
Lourengo de Moraes Freitas Barboza.
Leopoldo de Moraes Gongalves Ferreika.
D. Maria Coelho da Silva Sobrinho.
Manoel da Matta Mouteiro Lopes.
Supplentes
Manoel Ferreira Bartholo Junior.
Manoel de Burros Beserra Cavalcante.
Murcionillo da Cunlia Machado Pedrosa.
D. Maria Florentina Pess8a de Vasconcellos.
D. Maria Augusta Coelho Meira de Vascon-
eellos.
D. Maria Fragoso.
Manoel Arthur de Albuquerque Lima.
Manoel Nevardo Ferreira Gomes.
Pedro Estellita Carneiro Lins.
Pedro Secundino de Souza Landim.
Praxedes Brederoles de Mendonga Vasconcellos.
Pedro Paulo dos Santos.
Amanha serao chamados para exame de
Rhetsrica.
Joao de Aquino Ribeiro.
Joao Baptista Lopes de Castro.
Joao Baptista de Toled, Santos.
Joao Cecilio deMiranda.
JAo da Costa Ribeiro.
Joao Manoel de Araujo Costa.
Joao Maximiano da Costa e Silva.
Joao Olympio Theodoro da Silva.
Joao Paulo Carneiro Leao.
Joao Pessoa de Albuquerque.
Joao Pinto de Abreu.
Joao Xavier Carneiro de Albuquerque.
Lista supplementar
Joaquim Gomes Cesario Gondim.
Joaquim Guedes Correia Gondim -Filho.
Joaquim Martins da Oosta Ribeiro.
Joaquim Monteiro Guedes Gondim.
Joaquim Raphael da Silva.
Joaquim Samuel Carneiro Lins.
Joaquim Victor da Costa Jurema.
Jeronymo Emeliano de Miranda C. Junior.
Jes& Autgust) Pereira de Mendonga.
Jose Bonifacio do Amaral e Mello.
Jose jatidido Fonseea de Azaujo.
Jos6 Coelho da Silva.
Serao chamadosamashA a exams de Geogra-
phia:
Jos6 da Fonseca Nunes de Oliveira.
Jos6 Victorino DomingusB Aires Maia.
Jose Saboya de Albuquerque.
Joao Thorn6 dc Saboya e Sil 7a.
Jos6 da Silva Costa Neto.
Joao Martins de Ahdrade Junior.
Joaquim Monteiro Guedes Gondim.
Joao Olympio Theodoro da Silva.
Joao Paeifico Ferreira dos Santos.
Joao Thome Alves Guimaraes.
Joao Manoel Pontual.
Joao Augusto Ferreira Lima.
Lista supplemental
Joaquim Nuues Ferreira Coimbra.
Joaquim Mauoel Carneiro Lins.
Joao Alves Pereira Lyra Junior.
Joao Vasco Cabral Neto.
Laurentino Victoriano de Borba Cavalcante.
Leonidas Augusto de Mattos Torres.
Manoel Navardo Ferreira Gomes.
Manoel Arthur do SA Pereira.
Manoel 'Martins d'Amorim Junior.
Manoel Walfrodo de Medeiros.
Manoel da Costa Ribeirc.
Miguel de Souza.
Becreativa Juventude- E' hoje quo


-ii,

L- 4


conhece e aprecia o maestro.
0 maim welho policial--Morreu ante-
houtem a tarde, aos 90 annos de idace-e tatlo
mais de 40 no corpo de policia, o cabo Joo Josc
de Sant'Anna. Emhomraenagem aos a0 iios pres-
tados e espirito de classes, as officials. do corpo e
dempais praeas fizeramn Ihe o enterro hontem As 5
horaa da tarde.
0 cadaver foi sepultado no Cemiterio Pu-
blico.
Rio fBranco-Distribuio se hontem o n.
deste periodico conservador, religioso e litt*..
rario.
Criado ladrao-O Sr. Antonio Candido de
Vasconcellos vai abrir um hotel na casa n. 29 da
rua das Larangeiras.
Sabendo disto um rapaz de nome Francelino de
Albuquerque foi-se-lhe na quinta-feira offereeer
para criado.
Agradou ao Sr. Vasconcellos a figure do criado
e poz logo noelle toda a confianca, dando-lhe ate
de comer, pois allegava star morto de fome.
E' bern certo, por6m, que a gene ve cars e
nao coracao ; e assim, Francelino, logo que teve
a have do hotel emseu poder, tratou de provar
que o ditado ,6 bem verdadeiro ; e durante a noi-
te de sexta-feira para a de sabbado, abusando da
confianca nelle posta. abrira a port e furtou por-
caIo de generous alimenticios no valor de 60;, pottn-
co mais ou menos.
O Sr. Vasccncellos den ho.itemn pelo facto ao
abrir a casa, e agarrando o infiel criado, este
coafntessou o crime, nao querendo, porem, declarar
a policia onde depositou o furto.
EstA preso.
Reunires soeiaes -Ha hoje as seguin-
tes:
Da irmandade de Nossa Senhora da Luz, As 8
horas, em mesa geral, para eleigco da nova admi-
nistrag.o.
Da irmandade de Nossa Senhora do Tergo, As
10 horas do dia, em assembl6a geral, para eleicao.
Do Pantheon Dramatico, As 11 horas, na res-
pectiva sddc.
=- Amanha ha a seguinIe :
Da Loja Allianga, As 7 horas da noite, em ses-
sao de finangas.
Hospital Barraca-Engenheiro L. Ro-
mania Jacur, Giornale delle Soc L,'Igine pagina
593.
0 4u.r apresenta um typo barraca que pela
sua simplicidade e modicidade do custa (na'o ex-
cedente de 4,000 francs) merece toda attenudo
nos casos em quo occorre ter logo umn asylo ou
retire para os doentes de doengas infectivas ; elle
pode levantar-se em qualquer lugar em poucas
horas e satistaz aos principios quo a moderna hy-
giene hospitaleira e a civilisagAo declaram indis-
-pensaveis para que somelhantes moradas nao ve-
nham a ser lugares de tortura para os doentes,
ou f6ces encagadords para os saos.
Estudos sobre a natureza parasi-
taria :daS lepra-Professor Barduzzi, Fer-
rari e Campana. Giornale Italiano delUe malattis
venerece e della pelle. Numeros 3, 4 e 5.
Os autores que j A de ha algumn tempo estao fa-
zendo importantes observag5es clinico-anatonicaa
sobre esta terrivel doenga, se declaram extrenuos
sustentadores da sua natureza parasitaria.
Barduzzi na sua memorial da eteologia parasita-
ria da lepra depois de ter descripto brevemente
as alterag5es histologieas que apparceeu nesta
doenga, passa a concluir --que a lepra e molestia
contagiosa ;-que o contagion 6 indubitavelmente
representado por bacterios, os quaes corn toda a
probabilidade entram no organismo como esposos
e que depois de uma incubanao mais ou menos
longa, segundo as especiaes contingencies, se es-
palham nw pelle cspecialmento nos pontos mais
expostos A traumatismos, 3nos neorvos periphericos,
e no sangue, dando origem a alteraS6es pathologi-
cas especiaes ;-que emfim o eschizomiceto gerador
desta deenga, posto que nao ainda descripto em to-
das as suns phases, e um bacillo especial, dis-
tincto, ja conhecido corn o nome de bacillus le-
pras.
Ferrari (0 bacillo na pathologia da lepra) de-
pois de ter estudado e descripto o bacillo nas suns
varias phases acaba dizendo que : a lepra 6
doenca parasitaria, devida ao bacillo de Hansen,
que se transmitted pot heranga como a syphilis.
Campana descrevendo Uma form original de
lepra lingual diz que tendo tirade um pequeno re-
talho de um nodulo leproso e o observado depois
ao microsropia, nelle achou numcrosos bacillos da


:*


, ,
*:.;:. :'_ ,.8: .*


- ffi


lepra.
Pe'o que diz respeito A proplaxia nao de opi-
niao que se deve attender especialmente A con-
tagiosidade e d'ahi adopta a proposito de medidas
legislativas e in espeie os lazaretos.
Finalmente acerca da eura nao se eonhece atW
hoje um rremedio especifico; a n6s-vomica e o
oleo de chaulmosgra deteem por algum tempo os
progresses do mal e alliviam os soffrimenios e
nesta parte estAo tambem de accord os Drs.
Piffart e Belfield, que sobre a mesma molestia Le-
prosis in the united Satis escreveram alguns ar-
tigos no Iouru of Cuk-:l and Vener. Desares, ju-
llho 883.
Cousas de todas as partes-LU-se
n'am journal americano :
Um reporter perdido no meio de urma grande
populaglo antropophaga, entrou n'um banquet
dado pelo chefe da tribu.
0 reporter espedio a list do jantar ao sea jor-
nal. Eil-a:
Potage: S3pas de ossinhos de meninos de
peito.
Fltrees: Coxinha de mocinhas corn molho
bronco. Nariz de engenheiro comrn tomats.
Robis : Barriga de perna de mocinha, no
espeto. Pe de um rei inimigo corn batatas.
Desserts : Olhos de mulher trigueira no
creme. Labios de virgem corn assucar.
Vins et Liqueurs: Sangne human velhoe
novo.
Parabens A coragem extraordinary, A cons-
tancia indomita de Henrique Stanley, ao espirito
de empresa da Associagcao AfJricana.
Estava para surgir nas proximidades do grande
Hi. 'ongo Zaire dos Portuguezes) um estado livre
de tolas as ]nagoe quando Bismarck se intro-
mettau bruscamente entire a Belgica, America,
Inglaterra, Portugal e a Franca.
Elle lhes gritou :
E' muito cedo para crear tantos novoa esta-
dos independents; instituir nelle liberdade de
commercio e de navegaglo : eonvem primeiro pas-
ear por minha casa.
a E assim dizemos alterando um pouco um ter-
ceto de Dante (e pedimos delculpa) :
.... Si vide adunar la bella (?) scuola
SDiquel signar d'altissimo (na paco dolce) oanto
Ch Asopra gli altri com aquilla vola
0 que pretend o president da conferencia do
Congo 6 substituir a todas aquellas potencias na
direcgdo do Estado naacente.
Mas..... os excellentissimos diplomats A con-
ferencia se deixario illudir? Ah a diplomacia
so tern viciado desde cert) tempo em ceder ao
forte e ha bem pouco que esperar do contrario.
No mez de maio de 1885 se abrirA em Lon-
dres uma exposigio international de invenqoes e
musical.
A primeira secqiao dis respeito A tudo que se
refere a novas apparolhos, applicagoes e pro-
aessos inventados ou introduzidos depois de
1862.
A segunda se referee propriamente A musical,
isto 6 : exemplos deinstrumentos musicaes do data
nalo anterior a priaeipio do present secule, col-
lecoes historians de mstrumento de music&, ap-
p.icaoe musicae, typographia e icies mu-
slsaetem reasicWows arepito dfdta.
isem^Ha es- Dea-a reeeoteente uma
tarnival catastrophe n JanIo i tiualdore-a df-
2,000 peaoas. Seguado 'ai an am wdiver-'


9- a or *o~uWWq ]e w
asOstelegramma ma taftdea ld'q e -

n, '.
S aio graf .
-., .. .,*


Iote osLC ua ociajinut3 *r ny>uti*-K>, v "A 'L* ----,4" ris.


d


p I


_nn fa o-ri;+.m hif-stri o 1 inz uils aa rosrmeI


I


. I


-!- -






















^"'' i |^ff intaa- ea, x atina.a ta w.


rpo aa8ou mhlo em 6 de junho.
i .- pubieadas enos qustro volumes, sio

t--O, e-imento do cardeal Consolini redoio
-". -., :ro des cardeaes italianos; os esiran-
ue. a ,o dos quaes -7 frame-des, 6 heapa-
4autrbeo"s,3 ingleoes, 2 patortugueses, 2
ael 2 polaco, 2 hungaros, 4 americanos, 1
ianades e 1 croata.
Consolini exereia as funcoes de camerlengo,
uM does Igares mais imnportantes e mais dedejadcs
dft neraratf por ser uma especie de vie-papa;
o mnerienmgo exerce quasi de facto a autoridade
papal dutrante a vacancia da nanta-s, e por con-
seginte eat& na melhor situagIo para se assegu-
ni da malaria do conclave.
0 actual pap eraa camerlenrpg qu-indo falleceu
PNo IX.
Os bilhetes que obtiverarn os tres maiores
premios da grande loteria de Madrid, extrahida a
28 de-dezembro, foram vendidos em Sevilha eVal-.
ldolid a wma infinidade de gents pobre, seado
principalmente contempladoe os ereados do bote-
quim Perl, onride se deram commoventes scenas
de alegnia.
Quando constou em Sevilha o resultado do sor-
teio, reuniram-se n'aquelle botequim quasi todos
os fdizes, e com e natural, praticaram today a sor-
te de doudices.
Urea seuhora viuva, a queoin coube 8,030 duros,
estando doente de cama, levanton -se a arder em
febseipara se associar A alegria goral. Urn pobre
velhg, que sustenta sete netos, teve um desmaio
quando soebe que Ihe tinham sahide 14,000 du-
ros.
Rbwve-tal que veio para a port da ruan, nd em
pellote, e todos lhe acharam graga : desmulparam-
Ihe a phantasia per ter ficado rico do p6 para a
moo.
ILe&If --Effectuar-se-ho :
Terga-feira :
Pelo agent Gsmdo, As 11 horas, a rua de S.
Jorge n. 72, do moveis.
eteo agent Mdrtins, As 11 horas, A run da Im-
peratriz n. 36, de moves.
Pdo preposto do agent Burlamaqui, as 11 horas
na-run do Imperador n. 18, de predios.
Pelo agent Pinto, As 11 horas, A run do Ven-
tra n. 19, de movie.
Pelo agent Carno e Silva, As 11 horas, na tra-
vessa do Corpo-Santo n. 27, de predios.
-- Quarta feira :
Pdoe agent Pinto, As 11 horns, em frente da
Asseeianao Commercial, do patacho Magid.
Pelo agent Brito, As 11 horas, na riua do Ran-
gel n. 41, de predios.
Pele agent Gusmdo, As 11 horas, a rua do Born
Jesus n. 51, de fume, toucinho, etc.
Sexta-feira :
Pelo agent e Pinto, As 10 horas, A run do Bom
Jesus n. 49, de uma casa.
Missas faunebres-Serao celebradas:
Amanhb:
A's 7 horns, na igreja da Coneeiqgo de Olinda e
na matriz de Gamelleira, por alma do tenente
Marcolino Dias de Araujo.
Terca-feira:
A's 8 horas, na ordemn terceira de S Francisco,
per alma de Antonio A. G. Rosa.
Quarta-feira :
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, per alma
de D. Candida Maria Games de Carvalho ; As 7
horas, na matriz de Sante Antonio, p3r alma de
D. Maria Adelaide Braga da Silva Olivetra.
Loteriada provincia-Quinta-feira, 12
de-feverciro, se extrahira a loteria n. 105, em benc-
fieio da igreja de Nossa Senhora dos Impossiveis
de S. Joao dos Pombos de Santo AntAo, pelo novo
piano approvado, no consistorio da igreja de Nos-
sa Senhora da Conceigbo dos Militares, onde se
acharb o expostas as urnas e as espheras arruma-
das em ordem numerica A apreciaao do public.
Loteria do Cear --Esta loteria sero ex-
trahida no dia 14 de fevcreiro proximo vindouo.
ro.
0 rest dos bilhetes na Casa da Fortuna, run
1' de Marte n. 23.
Loteria Extraordlnaria do Vpi-
ranga-Esta loteria, cujo maaior premio 6 de
100:0005000, serA extrahida impreterivelmcnte no
dia 5 de marco proximo vindouro.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna L rua 1'
;le Marco n. 23.
Loteria da Babla-Esta loteria, cujo pre-
mio grande 6 100:0005000, consta que corre nm-
preterivelmente na dia 10 de fevereiro proximo
vindouro.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praca da In-
dependencia ns. 37 e 39.
Grande loteria de Nitumeroy-Esta to-
teria, cujo premio grand S de 400:0005000, serA
extrahida no din 11 de abirl proximo vindouro.
Bilhetes a "eada na Cassa da Fortuna, A rua 1


te Mar9o n. 23.
Grande loleria da corte-Esta grand
loteria, cujo preraio grande S de 500:0005000,
serA extrahida k revemente.
Os bilhetes acham-se A venda na Casa Feliz, A
praca da Independencia avs. 37 e 39.
3a grande loteria da corte de......
oo500:000ooo000O-Comn novo plane muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham-se A vend a A Casa da- For-
tuna, A run do Crespo n. 23, os bikhetes dosta lote.
ria.
Loterla de 30O00000-Sabe-se por
telegramma recebido pela Casa Feliz, que a lo-
teria 171 B, extrahida no dia 7 de fevereiro na e6r
te, foram premiados os seguintes numerous:
2.736 30:000000
2.959 10:0004000
1.768 4:000)000
6.865 2:0005(00
Loteria de 30:000OO -A loteria 172
serie A, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
to melhorado, corre no dia 11 de fevereiro.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praga da In-
dependencia ns. 37 e 39.
Loteria-A de n. 172 A, do Rio de Janeiro
de 30:0004000 ser oextrahida impreterivelmente
no dia 11 de fevereiro.
Os bilhetos ach.am-se A venda na Casa da For-
t4na ruau do Crespo n. 23.
Loterla da Parahyba-Corre no din 21
de fevereiro corrente, a 1a part das toterias di
da provincia da Parahyba, cujo plane publicamos
ha tempos.
Lsteria de Eaeel6 Esta loteria cuj(
anion premio 4 4:0005, corre impreterivelment<
so dia 21 de fevereiro.
Bilhetes garantidos a vencda, na Caa Feliz,
praca da Independencia ns. 37 e 59.
Neesado Nufelpai de S. Jone (
movimento deste estabelecimento no dia 6 di
fevereiro foe o seguinte:
Eatraram para sercm vendidos : 21; bois, pes-n
do 3,351 kilos.
No memo din entraram pari o mesa es
tabelecimnento:
Peixe, 5146 kilos.
Faninha, milho e feijio, 54 earg-a.
Fuaas divermou 28 ditaa.
SuieOs, 5.
Carneiros, 3.
Precos dos dias :
Carne verde a 720, 610, e 130 reis o kilo.
Sain a 600 rMii o kilo.
Caero e aIt idem.
FMa& da 500, 400, atb 280 ria a seuia.
Millsde 480, a 320 rMis a cuia.
Feijbo de 800, e 500 rs. idem.
Foram occnpados:
3 8 talhoue aone verde.
' 10 d ,ode fresuras.
35 do fauaa de legm ne
.0 cu m& kgam ,_
4-7
..D etwe aido tnM md ,te dia a impo



I,, j.; Ofut 7, P ,I


'W H iN -r '--B^^ l^'t:. ", '-; .^H* ^^ : ji.aL.



-4V
Hyppoito do CostaI OWatre, P iiiboce, 5



ames, solt*Viro,~ Boa-ist; Iryaite
JEd DtUU.M.-raa:p 6Viante, a8 ss.o
Ba. -i.st; b; sbilious .
Uma cfnw ,a-'&H .m a we'iemda
pelo BUbdetftpad~do'^dilriat da Bo-Visfa.
Maaol, S Jose; eapqmam
4 pel & a.mdado.

Mayppolito da costa 1n8eiro, Penambuco, 53
anos, eolteiroC Boa-Vista, laryanaite.
Una pBossaitwaBe;Ub Bai-Vista; he-
merrhagia ceftwi
EtiMane DCariexd Frana, 63 abuos, cannes,
Bno-Vita ; febre bliosana.
2 pela oaridade.
lMariao dosS, Pernambuc. 18 mzes, Recife; dentio5.
Pedro Cardeso da Silvs, Cearat, 24: annes; soltei-
ren, Boa Vista; beriberisa.
Janoel Carlos de Lima, Pernambuco, 40 annos,
viuvo, Boa-Vista; anemia.
EClaudin dos Santos, Pernambucos, 50 annos,
Boa-Vista ; hydropesiboa.
Jose Martins da Costa, Pernambuco, 30 annoa,
casado, Boa-Vista; banazrca.
Jose Fernandesi, Pernambuco, 25 annos, solti-
ro, Boa-Vista-; saepn"emia.
Roberto Teixeirsans, Pernambuco, 32 annos,
casado, Boa-Vista; tuberculos puiao.ares.
Josepha Maria de Morasa, Pernambuco, 32 an-!
nos, solteira, Boa-Vista; tuberulos palmonares.
Agricio, Pernambuco, 1 anne, Santo Antonio ;
marasmo.
0-eraldo da Costa Moreira, Portugal, 22 annos,
solteiro, Boa-Vista; edema do figado.
Antonio do Rego Pimentel, Portugal, 40 ann s,
Santo Antonio; febre amarella.
Candida Maria Gomes de Carvalbho, Pernaambu-
co, 58 annos, casadeo, Boa.Vista; helominthiase.
Umra criaCa quoe taloreu ao etaer, da regue-
zia da Boa-Vista.
7 pela earidade. d






DECRETO N. 9075 DE 7 DE DEZEM-
BRO DE 1883
Concede a cenpanhia de segWros da Prussia auto.
risacto para funecionar no Imperio, corn uma
agenda em Pernambuco.
Attendendo ao qae me requeren a companhia de
seguros da Prussia, devidamente representada, e
de conformidade corn a minha immediate resolu-
cao de 24 de novembro do corrente anne, tomada
sobre consu'ta da sectbo dos Negocios do Imperio
do Conselho de Estado, exarada em consult de 4
de setembro ultimo, Hei peor bern conceder-lhe au-
torisaqAo para funciouar no Imperio, corn uma
agencia em Pernambuco, mediante as clausulas
que corn este baixam, aspignadas per Affonso Au-
gusto Moreira Penna, do men ceaselho, ministry
e secretario de cstado dos Negocios da Agnricultu-
ra, Commercio e Obras Publieas, que assim o te-
nha ontendideo e fapa executar.
Palacio do Rio de Janeiro em 7 de dezembro
de 1883, 620 da independencia e do Imperio. Corn
a rubrica de S. M. o Imperador. Affonso Moreira
Penna.
Glasulsdas a que se refere odecreto n. 9075 desta
data
l.a
A companhia fica autorisada a estabelecer urma
agencia na praca de Pernambuco, tendo na mes-
ma, pessoa habilitada que rcsponda perante os
tnbunaes.
2.a
Os acts praticados pela referida agencia ficam
sujeitos A legislaeio do Imperio, send decididas
pelos tribunaes do Brasil as questoes que se sus-
citarem entire a companhia e os particulars resi-
dentesa no Imperio.
3.a
A mencionada agencia nao poderA funecionar
emquanto a companhia nao depositar no Thesoure
National ou em qualquer estabelecimento banca-
rio do Imperio a quantia de 20:0005000, part ga-
rantir as transavoes que fizer.
3xa
O deposito de que falls a clausula, anterior se-
rA feito pela companhia, corn a declaracbo do fim
a que 6 destinado e de que nao podera ser levan-
tado senao per orden do president da junta do
commercial da mesma provincial.
5.a
As alteracies feitas nos estatutos serge commu-
nicadas ao governo imperial, sob pena de malta
de 2005 a 2:00050'JO.
Palacio do Rio de Janeiro, 7 de dezembro de
1883.-Aftbnso Augnsto Moreira Penna.
Conformando-me como sea parecer de 27 de ju-
nho do corrente anne, hei per bern consentir nas


altera5es dos estatutos, approvados por minha
resoluqAo de 31 de outubro de 1815, fcitas em vir-
tude das delibera9des tomadas pela assembl6a ge-
ral dos accionistas da Companhia Nacional de
Seguros da Prussia, celebrada a 12 e 13 de ja-
neirnldo corrente anne m Stettin ; e approval a
reforma dos estatutos e suns disposiSes, corn a
seguinte modifieago :
Que Sca reservado ao governor o direito de,
em geral ou em cases particulars, nomear um eom-
missario para exercer sua fiscalisacgo supreme, e
peor intermedio do qual poderi validamente con-
vocar a assembl6a geral doe accionistas, os mem-
bros da directoria e de conselho administrative,
que terA a faculdade de, a todo tempo, examiner
e tomar conhecimento dos livros, escriptura9go,
contas, documents e valoras em caixa, ,
Sanssouci, 21 de julho de 1852. Frederico Gui-
lherme.-von der Heydt.-Simans.-von Wesatpha-
len.
Aos ministros do commercio, industrial eobras
Spublicas, da justiqa, etc. do interior.
Estatutos retormados da Compa-
nhia Nacienal de egauros da Prus-
sia estabelee4da ema Stettin
CiPITULO I
SDAX FUNDA9AC E FiNS DA COMPA.HIA
1.
Sob a denominaeao :
Prenssische National. Versicherungs-Gesel-
I Ischaft (Companhia Nacional de Segaros da Prus-
E sia) constitue-se urma companhia por accses, que
s tern per fim, mediate premios e sob certas con
dicdes exaradas nas respectivas apolices, fazer
Sseguros contra
e Riscos de fogo ;
Riscos maritimos ;
Riscos flaviaes:
A compabhia se assignarA em todos os negocios.
) corn a denominacvo acima e se serving de sell
e corn a mesma deuominaao.
2."
A sAde da companhia 6 em Stettin, e o son f'rc
sero o respective real district jadiciario. A corn-
- panhia tern direitos e obrigaq5es comwnerciae2.
3.o
O(s fuandos da companBia sergo formados por un
capapital do 3.000.000 de thalers mnooda eorrente
prussiant, que se-A realisado por meio da emisasi
de 7.500 acqZes do valor de 400 Teiehsthalers, ca-
da uma, dcas quaes so sergo, per emquanto emitti-
das 5.250, ficaado, corn relaioe A emisaei da,
restantes 2 250 .acmCes, reservado para a aseem-
bi-a geral deliberar si, c por que Fpreo, deverl
scr emittidas.
Observaglo.=-As 2.250 aces acima citadas fo
ram, por doliberay, de -eumbl6a geral de 29 de
abril de 1853, emittidas.
Sobre cada uma desas acuoes serao pages 25 o
a dinheiro ; e do rewto serao segando a frnnuli
appensa aoas preaeaf eatatutos --aadas lets
que uae pereeberuo juoi, aem soifr ro descent
pa esseies a orMe de ia
Sd wiosaita 4o6obuigado p6ia ha
r- lda dosa tetras, a. p e s eftdwi
n f.m qualquel
i- to ^ .t^ w~mw ~ 64
ilaii~iiiaiii.-Mifl. 4B~iwf .fort ii ^^t'-i'R SUl~mWS S


p*4a l MA -a quo




4, me deisa Mi pelt dims! X da soeiedade.

As aeies p^m: sw ^MMUis e lhw s ia9-
Sm~idwreeomeo-o d An v ow.e~ lhq,.admin"-
twa -iv. SImi *eae peaharCM em dowmozuie&fle
16ii uAs e Asireit. od eadar verniedr pa-
bNAMMA ,y A pn intw Tfndio do

S 4Mr.rmV_5 saia 0 san pM-
dueoth* Sow^ dB .10L* PAMtoaw




w eeropar. ezumngia
6.o
A venda das agoe.s6 e6"pode ter lags comno
consentimenato do coaseiho admiaptrativ. 0 di-
reito quae term conselho admldistrativo de dar eou
negar esse eonsentifow 6wutomk abneo-pode o
memo ser obrigadoe a d asrazoes de seu pro-
cedimento.
Si cnseatir-se na vend serie resfituidas s -ao
accionista que se xetira as letrasAqte.aeeitou, e re-
cebidas em substfti$ae d s mnsa as do novo
aoeiouista.
7.<
As asoues sene feitdas. fr tnadb co a
tamaulaappensa aos e aklasW twe:ni uameraago
Ssegaida e seue. passdasanpoaadier eacto e do-
termiaado e inseriptas em folhna.aepauias do li-
vroespecia paua inaeriplo des acpme. Neese
livro de acwoes serio averbadas, corn o consenti-
mento do conselho admiBistrativo, .as: tasfe-ren-
cias, caucionamentos eu peahoras (eonaoame oB 1
5 e 6o) xelativs a cadaegao. A'tdueas oome
as estsmpilhas pars as agoesie a4etras correrio
por costa do aceailista. j
CAPITULO II
DA3 RELAQ9HS INTBNfA3 DA COMPrAtgA COK 0s 8nus
nSMEKO, a DXS 8 3AS RELAO*S EuTImAuS
: 8.".
Corn o pagamento da entrada, segundo deter-
mina o 3o, e entregada letra.e o sean recebimento
peor parte do conselho admriniatrativo, torna-se a
possoa aecienista da companhia e fica tendo jus aos
jutes de quatro por cento sobre a entrada em di-
nheiro, feita comormandam os estatutos, today vez
que o exoeaso dos laooro.vuicadosi paroecasiao
do fecho do balango amauai, fomega para isso
meios, come tambem as dividenados a repartir,
adquirindo, al6m disso, direito ao benss d, corn a-
nhia na proporeo das acc9es que possuir.
9.0
Dos lucros liquidos que a companhia, annual-
mente, tiver, series pages, em primeiro luqar oe
juros das entradas em dinheiro. 0 que entao so-
brar sera distribuido come segue: metade em di-
videndos e a outra metade levada ao fund de re-
serva at6 que ste attinja a quantia de 300.000
reiehsthalers. Preencltid, essa quantia, serio
entao todes os luncros liquids do anno repartidos,
come dividendos, pelos aecioiatas. Case se tenha
de tocarno fund" de resetwS de 300.000 reihs-
thalers, para fazer face ao pagamento de perdas,
sera de novo elevado 'measma importancia pela
form acima determinada. Os jurors do fund de
reserve series considerados como accreacimo da
receita annual.
Nao se podera exigir dos accionistas novas en-
tradas, antes de ter side absorvido tode o efundo
de reserve e ter se perdido em pagamentos de re-
clamag5es a metade do valor das entradas em di-
nheiro.
10
0 pagamento dos juros dos dividends ar-se-ha
dentro da primeira quinzena do mez de maio de
cada anne, em Stettin, e tambem em outras gran-
des cidades, case o conselho administrative jiulge
isso convenient, per intermedio dos agents e ban-
queiros que de conformidade corn o 29 dos pre-
sentes estatutos, teem de ser publicamente nomea-
dos. Serao annexes As acgces coupons de divi-
dendos.
A direccgAo ou as casas, que em outras cidades
form nomeadas, ficam autorisadas, masa nlo obri-
gadas a considerar logitimamente habi'itados a
receberem os juros e dividendos os portadores des-
ses coupons de dividendos, os quaes ficarbo som
valor, revertende a sun importancia em favor da
receita da companhia, si alo form recebidos den-
tro de quatro annos a contar da data do seu yen -
cimoantbo.
11
Faz-se nas acgbes referencia toe estatutos, e
per isso, nenhum accionista poder se-A desculpar
allegando ignorancia do que elles dispoem.
A cada accionista ser-lhe-A, a seu pedido, en-
tregue gratuitamente urn eeanplar dos estatutos.
12
Logo que um accionista estoja tillido-e fallido
conasiderado todo aquelle de cuja-massa tiver si-
de aberta a fallencia, ou para a qual tonham side
nomeados curadores fiscaes, ou que esteja sendo
executado per ftIta de pagamento de letrat, e-te-
nha requerido moratoria-deixa de fazer parts da
comranhia e a mass alo tern -dircito a continuar


a fazer part della. 0 fallido, a mass fallida ou
seus curadores estao, pelo contrario, obrigados a
p-omover a venda das ac5es dentro do praso de
trees mezes. a contar da data em que se tiver de-
clarado a suspensbo de pagamentos, provando ter
precedido a essa venda o consentimento do conse-
Iho administrative, de accord corn o dispose no
6o destes ,estatutos. Si nao se pnflW yt w esse
mode, tern a direcco o diretto, deoeonfwmidade
corn o disposto no 5o, de mandar vender as ac-
ces do fallido, sendo o seu product recolhido a
deposit. Si for negala a eatregpAas acaoes, flea
A directoria salvo o direito dc declaral-a-nullas e
sem valor, assim come os respectivos coupons de
dividends. Serflo substituidas per novas aeqsea
das quaes far-se-ha omissio.
A annullatab das aceg5es serA per uma so vez
annunciada nos jornaes indicados no 29.
18
Fallecendo um acionista deixando herdeiros
menores on de major idade, que a juizo do conse-
iha administrative nao possam ser accionistas,
tern a directorial o direito de mandar vender as
aecces em hasta public a quern mais der, peor am
cor'ector j uarnamentado, case os herdeiros alo apre-
sentem un o)mprador qualificado, dentro do
prazo de seis mezes a contar do dia da morte do
testador. 0 product sera entregue aos herdeiros,
deducngo feita das quautias que a companhia te-
nha direito a reclamar do fallecido. Case os her-
deiros se neguem a entregar as acoees, proeder-
se-ha a sua annullagbo come estA disposto no
12, corn relagAo A insolvencia de urn accionista.
14
Quando por qualquer motive tenha a companhia
qualquer reclamaqao contra um aceionista, assis-
te-lhe nao s6 o direito de reter e pagar-se eorn os
jurors e dividends, come corn o proprio valor da
* acrub que lhe pertencer.
CAPITULO III
DA ADMnilsTBA(Xo F OB 0TO DOS NBoocrOs DA
COMPANRL&
> 15
Os negocios da Compianhia Nacional de Segu-
ros da Prussia sero dirigidos por dons directo-
res, debaixo da fiscalisagLo dc um eanselho admri -
i nistrativo compost de einco membros, am qauea
a dar-se-habo trees substitutes, coma especificadauMn-
Ste determine o z2.
A-DA DIRIEC910
16
a A direeogo represent em todos os ecasos-a cram.-
- panbia, today vez que ao seja dada ao couelhc
D administrative uma attribuigo especial.
A direeco flea autorirsada a faner a nomeagco
- de agents.


qm-elbavs t ybsaiffss do bvotd. o




i0al satumm- 4-adadWds funada ciEs
...... -
0 iii dy_-ew- npf-= d '- ~oo




bade, sbtob meeadortias, sogundo as regras eat-a
boLecidas polo Banco Real; sobro twigo, at4 A me-
Le ado valor; ou em desoa os de hots lte-as
oni an m do futile. d Prussias entreeos bern
rdputadoe.
.. B--DO oo Lo LIX TRVo
p) qpedoelhn udm atdm 'o Ste sutoridade immrne-
diatnon' turuupowiorizoedie, quodabigada a
prtah- isobrmUsruiorsgbediencia seres condi-
Oeanseliha tivo'resuas-ae-ht, paeo me-

506, ures y por-o ern. As eo eboas ertraerdina-
rim s s do cweadu da polopnseidante do eonsoeio
adwiniinttntive. A diroogi assists a eSSaLs rea-
nies, ins 96 tom vote Monuitive.
O prosidonto do conselho administrative e o sem
substitute do eleitoesr plo proprio eonsolio. Os
conaelheimos e eapplantes sic.eloitos pola as-
sembis goe!a, per. maleria absoluta do votes. No
case do havar empato na vota go, 6 preferido
aqnuele quo possur malor numres doe ae os, e, s



for igatl e umero darn a9saes quo pasasirem, do-
nidiw enteo a sort. 86 si elogiveis aeciinisbas
quo residarn em Stettin, e dovorgo, durnantoe otem-
po ue exoncerem o cargo, set possuidoros da 10
access, pole moeos.
Nonburn accionists- 6 obrigade a acoitar e cargo
d pmeinbro do sonselho administrative on de sup-
ssplette part que Liverside eleito. Aqueloes quO cs-
tiverem preseutes 5A neunibo cia assemnbl~a ager
so obnigadoa a deolarar immodistamdnte sti s.ci
tam o cargo pars quo tirooem sidaoelitos; os que
estiverem aeuostos aioorhi-ado. a fazel-o detnt
do trees iutn dpepis do paubicado qe rasutade da.
eleigi. Fieat saaetendide qo aleg aeita o cango





pant que foi Sleito quei neahema deehragtbo fizer.
O consue lho administrative po dliberar quando




roes do sels members, poel monos, ostejam presca-
tes. Os suppleantee podm sen cenvidados part
assistirom As sessSes do ceassiho administrative,
ins ale otarin, salvo si este substitauindo algum
membro do censeolo. 66 quando co-npaream ow -e
aes de tree nenbros do oenseiho administrative 6
eleicMwVao WFi a auetniou aa --- t o Bearg






















que podomn sew cham-4dos os supplonts para to-
marem part soe nas seuas delibra e. A preosiden-
cia do cnselho administrative compete sempra a



am doe seus membros effectivos. Lavrar-se-ba
ea qual sera assigada pem r olososs- mombrs era




presontos, born come poles dirocteres. Essas aches
eere guardadas no archive da Pempanbia, e fazem
pt-ova Iplena, quon a (avon, quor contra e ceaselho
administrative.
Muted,
















O coselho administrative elego a dons dtraeo se





membros part funecionarom to lacto a direocdo
come conselheiro da noerna, os quaes senbtituiriw
o. dictros, e case de mol estia e. ontre im-a
pedimojnt. Esses delegados -do cnselho admi-




nietrabivo tsram cooneeiprento do toes os me-
geisentes bemon veiflcam, pelo menos -ea yes
pero me, a oaixa o a earteia dose titlosa, e larraro




nrea acta oen quo so menocion~arA oemr oxactidlo
rqual o etado d eai da earte-ra. o conselho
administrativo.A rw es asa e-


























24
A0 conselho administrative cumpra to ous sea-
tiemento em vistaso medo poroque a da-rec fao s
comocoselheires da smppentex tos quefts-pelaas-uia

























dirige todes os negoios, oe 6 oespeialmente obri-
gado a volar sobre a impertancta doe soguros a
realisar-se, sflre do queno alsejanexcedide e mani-
me. arr tambene, per lo me nos urns es pen anne,
paor e, d a caix epa ate na. dostaiuos, e karefrido
sumall qaemqe p ssei ma niornumro d ceoes eactid





















ur exAmo eonu tordi naie n cais e eofts cia cmd-



psama, ltvrando igalrenteat urnas nts do sea es-
tide.

As ae es do promptificadas e passadas ple0
coneothe administrative o a dirseigeo.
264
Os cnembro do eonselho ad ministrativ e e ons -
leitos pe cia o neos. Tode e es cianlos eahine oi-
memo br mai an igo do oransehia, quoe pdeso a
rtea arleito. a que o eeio o a
Os supplentes ale eleitos per ve a o annos e do
reetlegiveis. oi d ia rea da
paSi, durante o tempo em queo aive d o seta em
0conselho administration vo e a deireccao. ua





















esecie, sir algus membro ds o consolho admi-
nietrativo, saeo subst tuidos pao supplonts aiso
membro d asando todos s supldstqe tivoprem en-


ntrade part eoneos dbo, em suboetituio dest matm-
vtd.quopdmsreandatdos os supplenteas tivrem to-
cia do para lo o-anseloem utivo compt dosmpema


bros effeetives sahidos, convocar-se-ha uma assem-
bl6a geral extraordinaria pars proceder A eleiao
dos novos supplentes.
27
Cada um dos membros do conselho administra-
tive perceberA a remuneracao de 1 /o nos lucros
liquidos demonstrados pelo balance annual, at6 ao
maximo de 300 reichsthalers.
Attingindo, por6m, o fund de reserve a quan-
tia de 300,000 reichathalers, fica fixado o maximo
em 500 reichsthalers.
Ao president do conselho administrative serA
abonado um extraordisario fixo de 200 reichstha-
lers per anne, alm di remuneracae acima indi-
cada.
28
0 cargo de membro do conselho administrative
cessa corn a morte,-insolvabilidade ou condemna-
cao per crime infunanto do investido.
Se algum nembro do conseliho renunciar vclun-
tariamentes o cargo, 6 obrigado a participar essa
sua resolaugo aos demais membros do eonselho,
corn antecedeeia de tres dia.
Se a assemblea geral, por dous terqos dos votes
presented, pronunniar-se pela sahida de quslquer
membro do .conselho idministrativo, serA elle obri-
gado a reauneiar ao cargo antes de expi'rar o praso
porque foi eleito.
C-DA ASSNMBLiA GBAL
29
0 anne civil ordinario 6 tambem o anne finan-
ceiro da companhia. A assemblta geral ordi-
naria reunir-se-ha annualmente no mez de abril.
SerA convocada pelo eonseho administrative e an-
nuueiada por duasvezses nos jorntes de Stettin, e
no Jornat Offcial da Prussia, fazendo-se o pri -
meiro annuncio, pelo menos, quatro semanas an-
tes do dia marcado para a reunibo da assembl6a
gonel.
Os accienitas reone cerlo esse modo de pu-
blicagIo como notifieagbo legal e peor escripto, sem
que -fique o eonaselho administrative obrigado a
nenhum ontro modo de d amuo.
Na renanio ordinariada assembl6a geral apre-
sentari o eonselho administrative um relatorio so-
bre o estado dos negcios, jac3mpanhado de um
balance impress, que deverA ser post A disposi-
gao do acionieta que o exigir 15 dinas antes da
reuaniao; e oecpar-ehA dos assumptos de que
juL-ue co ueninte -tratar.
Os aedionitaatemo o dikreito de tractar em as-
) sembl6a gemal de td e quaklquer asumpto, mas o
eonselho adminitmattivo-tee-M faeuldade de adiar
) pa a pronxima-runao d auemnbl&a geral toda
a prepoata que nag-e4M tomb aido ap" sentada,
pr escipto, polo g. n eitd-:aoautft dou mwea-
i. do pars a reumilokdd wea m gerol.
s N a ssembia geoal tdimina preOeder se-ha,
e aenl die, & elei[o do -d'tes mre .e que ficarao
D ieiumbihdo desimmnar, drante.o rame, e pelo
mode que melhor julgaeom os-lrm, depois db fe-
Sdadeio, ba-m.e.mwm autsdn & weameaom, caixa
0* OB 0 OfreB. VAMat wvvarev"MM AtaaMo 0 wle
pWOM er lfpw B 06biai some ardinavia do

-o f Mlipl5LvtaV
Memoo0 aeglosW. raeqra o oumblho adml-
gWtriativo tehalseis* *O i4 5 o meda


o oslsibo a iniaistratiu 6.d a come-
vu nse-uao o dispu e nef 9, .T iado
SA nvas exntrada aw

'roagbol oaonerida ssoadmba re-
th as =ba e no mode qu a oepraria, d-



Ao pedido dos aeeiiiaq tas pa eavecagbo ex-
ton votms



0 la o obrigido a auo.bir, o mais tardan,
oetr atrd sauenas, a montamn b a data toda
Sas, gnrdo odspeoeti no r queri9 M nto. d
er nova entrad s.



A eoanselo exadministi-ativo ovidar aam mabel-
li d nw a parelo momoa q actu ordinas s iesse de-
lamrbia ago-al Bss as fazo pova pl6n
A dodoeaver pasado nas .para convocaies sevx-m
trpars legitdmaia da abla geral, o conselho administrative. S-
bmfatrtv obrigado a inuir, o mais tardar,



dntro de qguardadas ntro semanas, a rchiv compantar da data da
A preaa do respeetiv requ eri compete oo.
82



ride do cnsehlho administtivo corativida, r m tabel-
Mio de notas para lavrar a acta das sessoes da





substitute.
aasembtea geral. Essas aecas fasem. prova plena


do Ile pse houv as teri pas a votes, concede ea palarvea
Para legitimaa o do coue selho advni enistrativo.r as ma-
rao gaardadas no archive da companhia.
133
A prewidencia da. amwarbe geril. compete ao,
presidenqe do eoniselho administrative, ou a sea
substitute.
Ellie7 es materials a votos, concede a palavra,
e detennin a ordem. em qne devern entrar as ma-
terias em diseussbo Vota-se por mreio de se-
dulas.
Quem possuir 1 a 10 acgoes tern 1 vote
c 11 a20 ,c 2 a
cc c 21 a 30 a a 3 a
31 a 40 c a 4
41a 50 e mais 5 ,
Nenhum accionista pods possuir mais de 60
accoes.
0 accionista s6 p6de se fazer representar per
ontre accionista. 0 procurador legitima o seun
mandate per meio de proeuragio bastante, per es-
eripto, que tern de apresentar ao conseiho admi-
nistrative.
Nenhum accionista p6de representar mais de-15
votes compreheudidos es seus.
A assemblies geral estA constituida quando es-
tejam representados 100 votes, pele menos.
34
As mulheres, os tutellados e as pessoas moraes,
as corporagoes e instituig5oes publicas, s6 podem
ser representados per seus tutores natos e repre-
sentantes legaes, ainda que estes nao seiam ac-
cionistas.
35
Quem nao comparecer s as nssemblas geraes tern
de submetter-se as suas resolug5es.
36
Os presents estatutos s6 podem ser alterados
per deliberagabo da assembl6a geral, que serA con-
vocada, declarando-se qua esse 6 o tim da sun
convocagio; e quando dous tergos dos votos pre-
sentes ou representados sejam a favor dessa al-
teragao, que em case algnm p6de ser executada
sem approvagio do governor.
CAPITULO IV
DAS RELAQOES DA COMPANHIA COM OS SBEGURADOS
37
Todas as questoas entire a co-apanhia e os scgu-
rados seraoe submettidas ao f6ro ordinario eonde f6r
domiciliada a direcqo, on resida a agent geral
quac tiver feito o contract do seguro, quando na
police d3 seguro naio se tenha estipulado eoutre
foro e a direcsgo ngo possa chegar a um accord
corn o segurado sobre a nomea1.o de arbitros.
Toda e qualquer sentenga tern de se fundar
nas condicoes da respective police de soguro.
38
0 premio tern de ser page per ocecasi-. de fa-
zer se o seguro, e emqant3 nao o fOr nao vigora-
rA o contract.
Si em cases isolados form os premois levados
a credit, serA em virtue de algum accord enatre
a direcngo e o segurado, corn relagabo ao qual flea
Aquella, salvo o direito de, em caso de alguma re-
clamagao de avaria, levar em centa o premio, de
video sem bonificagbo de juros. 0 segurado, po-
rm-i, nmo terA em case algum o direito dc exigir
que se lhe leave em conta de uma reclamacgAo de
avaria um premio que ever.
39
Si a companhia tiver de receber de um segura-
do que fear insolvent. o premio de ur risco torna-
do, flea tacutamente o mesmo de nenhum effiito, si
o premio abo for immediatamente page.
Os estatutos renormados que preceded, alteran
doe ampliando es estatutos de 31 deoutubro de
1845, approvados pelo eobeoano, foram faitos por
deliberagao da assemblea geral de 12 e 13 de ja-
neiro de 1852, entrain em vigor depois da appro-
vaego do soberano, polo que ficam revogados os
estatutos ate entao em vigor.
Traduzido litteralmente do original, em allemibo
que me foi apresentado e ao qual me report.
Recife, 27 de janeiro de 1883.-Antonio Carios
Perreira da Silva, interprete do commercio.
Appendice A.
Formula pnra a acyio
Companhia Nacional de Seguros da Prussia esta-
belecida em Stettin
approvada per mui alto decreto de 81 do outubro
de 1845


Acetic
A cq c o
No .... do valor de 4'O Reiehsthalera, moeda
corrente da Prussia.
Depois do Sr.. ter adquirido esta acts o e
ter-se tornado socio da companhia, por meio de
uma entrada em dinheiro de 100 Reiehsthalers
moeda corrente da Prussia, e entrega de uma le-
tra de 300 Reichsthalers moeda corrente da Prus-
sia, tern o mesmo, segundo as disposieges dos es-
tatutos, part pr.porcional na fortune da mes'-na
eompanhia e flea corn direito a receber os: hlcros
que tiverem de ser repartidos, mediante a entrega
dos respectivos coupons de jnros e de dividcndo.
Esta acg&o nao p6de ser transferida, neom cau-
cionada saem qae o conselho administrative nella
faca, por escripto, a declaracgAo de ter dado o seun
consentimento.
,Stettin......
O conselho administrative. A direcqao.
SAppendice B.
Formula para o coupon de dividends
N.
Coupon de jurors e dividends da Accao N...
da Companhia Nacional de Seguros da
Prussia estabelecida em Stettin
Contra a restituigao deste titulo receberi o seu
possuidor, no meiado do mez de mi-.. aquella
part nos lac.-os liquids da. Companhia Nacional
de Seguros da Prussia, que, de conformidade corn
o disposto nos estatutos, tiver de setr distribuida
per ura acgo, no anne de.....
Si a imnportaneia doste coupon 'ao'for levanta-
da dentro de quatro annos, reverterA a mesma em
tavor. da companhia, de conformidade corn o 10
dos estatutos reformados do anne de 1852.
0 conselho administrative. A Direeao da
Companhia Nacional d. Seguar)s da Prussia.
Appendice C.
Formula para a letra que tern de ser pas-waa.....
de..... 18....
Para Reichsthalers Moeda Conrrente Prussians.
A quatro semanas do vista da present letra.
que devrrA ser apresentada o mais tardar no din
1- de julho de 1895, pagar.... om Stettin a or-
dem da Direcaeo da Companhia NaciQonal de Se-
guros d, Prussia, estabelecida nesta cidado. a
qnantia de tresentos thalers ein moeds corrente
prussiana, padrio de 1761.
Tradazido litteralmente d a original, cm allem.io
que inme foi apresentado, c-ao qual me repoxto.
Recife, 27 dejaueiro de 1833. -Antonio Carlos
Ferreira da Silva, interpreted do eommercio.


de abril do 1883 e 21 d novu d

c a. 9,o5 archivados d e ontoridade oa
pectivos estatutos, confltantes qeddM b
toote original e edtes doe *wi fffidaw "fIi
do abril de 1883 e do 21 de novembro de 1884,
por Wiin nwunerados de I a 5 e devidamente m ..
bricados, wao archivadoe de eonforiaidade comn a
lei n. 3,150 de 4 de novembro de 1882, em cum-
primento do deapacho de hoje do 111m. Sr. com-
mendador president.
Estava umi estampilha de cinco. mil r6ia.
Secretaria da Junta Commercial do Rleclkfe, 6
de fevereiro de 1885.
0 secretario,
Julio Guimardes.


CHROiCA JUBICIARtA

Junta Commercial da eidade do
Recife
ACTA DA SESSAO DE 5 DE FEVEREIRO:
DE 1885
PRESIDENCIA DO ILLM. SR, COMMENDADOR ABTOX
GOMES DE MIRANDA LEAL
Secretario, Dr. Jalio Guimares
A's 10 horas da manh& declarou-se aberta a
sesslo, estando presents os Srs. deputados Olin-
to Bastos, commendador Lopes Machado, Rolil a
Beltrao Junior.
Lids, foi- approvada a act& da preedonte sessUo
Fez-se a leitura do seguinte
EXPEDIUNTS
Officios :
De 26 do mez proximo passado, doeDr.'Augato
de Souza Lego, comnamunicando ter assmnido a
Presidencia da provincia, na qualidade de 3' vice&
president. Accuse-se a recep* o e archive.se.
Do 20 do mez passado, de Augusto Silvostre Fa.
ria, communicando ter assumido a presideacit da
Junta Commercial de S. Salvador, no impedimen-
to do respective presidente.--Responda.se e ar-
chive-se.
De 31 do mez findo, da Junta dos Corretorea
desta praga, dando sciencia do numero de cotanoea
havidas durante o mez.-Archive-sc.
De 31 do mez findo, da mesma Junta, remettea-
do o boletinm das cotagies do 26 a 31 de janeiro.
-Pars o archive.
Diaries officials de ns. 20 a 33.-Arehivem-ue.
Distribuiram-se A rubrica os seguintos livroa:
Copiador de Paiva, Valente & C, diario e co-
piador de Antonio Lopes Pereira de Mello, ditos
de Paiva, Oliveira & C., copiador do Rodrigo Car-
valho & C., dito e diario de Jose Ferreira & C.,
diario de Angelo Raphael & Irmeo.
0 Sr. commendador president dei sciensia a
Junta que a requerimento de Fonseca Irmlos &
C., mandou dar baixa no registry da proearaVi
regiatrada sob o n. 6,577 a 29 de marVe de 1878.
-Inteirada.
DESPACHOS
Petioes :
De Jose Joaquiin Samarcos e Jobo Capistrano
de Oliveira, para que se archive o distrato da fir-
ma Samarcos & C., pelo qual fica o socio Samsr-
cos de posse do active e do- estabeleeimeoto sito A
rua Duque ae Caxias n. 51, ef obrigado pele passi-
vo da extincta sociedade. -Archive-se, depois de
satisfeito o parecer.
Da directoria da companhia de seguros Amphi-
trite, para que se archivem o balano e relaeio
anminal dos accionistas da mesma companhia.-
Sejam archivados, (nao tomaram part no despa-
cho os Srs. deputados Olinto Bastes e Lopes Ma-
chado).
Da D. Maria Rosa Pinto Gongalves, viuva de
Joao Gregorio Gongalves, pedindo que made re-
gistrar a marca que apresenta dos cigarros de seo
commercio, sob a denominagao-Paulo e Virginia,
que pertencera a seu finado marido.--Indtferida.
De Baailio Lopos Pereira, per seu procurador,
para que seja arehivado o contrato de sociedade
celebrado corn Joaquim Ignacio Ribeiro, em 31 de
dezembro de 1883, nao obstante ter fallecido o ex-
socio Ribeiro; tendo dita sociodade girado sob a
firm collectlva de Joaquim Ignacio Ribeiro & C.,
corn o capital de 25:1975715 pars o commercio de
dronas e medicamentos na pharmacia sita a praca
do 6oade d'Eu n. 22, desta cidade.-Adiado a re-
querimento do Sr. deputado Olinto Bastos. .
De Auguster Ceoar Stepplo, pedindo ser provide
no officio de agent. de leiloos dests prava.-Pres-
tada a fi-nca passe-se titulo.
De Ferneira Rodngues &. C., tend o cumprido o
despacho de 29 do me: proximo passado, pedem
que so archive o contrato de sociedade em nome
col.ectivo e em commandita que sob dita firma ce-
lebraram Jose Ferreira Dourado, Manoel Arsenie
Rodrigues e o commanditario tIenrique da Silva
Ferreira, corn o capital de 80:0005000 send o
fuado em commandita de 40:0005000 para o com-
mercio de compra e venda de generous de eotiva
neata praca.-Archive-se.
Do Jacintho Pacheco Pontes, per sen procara-
dor, parn que se registre a nomeacao de sen cai-
xeiro Manoel Augusto Muniz Barrette, se de baixa
na de Francisco do Rego Falceo e se restitua a


procura'go que apresenta.-Como requer.
De Rodrigo Carvalho da Cnnha e Candido Aa-
gusto de Albuquerque Sobral, para que se archive
o distrato da firm Rodrigo & Sobral, pelo qua!
fiea o ex-socio Sobral de posse do estabelecimento
e do aotivo, e obrigado polo passive da extiucta
s ciedade. -Seja archivado.
A's 11 1/2 horas encerrou-se a sessmo.

'iiilTii In
PtLICk0IES A PEDIIO

Fiquem conhecendo
(Continua Io)
Comoja disse tive par diversas vezes altercacio
corn o S.i. knronio Elisiario da Silva Camoes, para
que elle botasse umr negoeio em men nome come
me prometteu, final decidio-se, mais que negoeia,
uma pequena-loja de artigos para piatores de ea-
sas etc., corn o capital de I:090?O0 noe uem di-
nheiro que despendesse e sim om'mereoadniae que
maudou de sen amnazem'as quaes vieraurrouba.
das aeo s6 nos preoos come nos pesos ; e omti-
nuou o Sr. Cam5es a ser o unico forneeedor desta
pequena lojinha, para provar o quanto zelava cs
meus interesses basta dizer que, tudo quanto vi-
nha para esta loja era roubado, muitas vezes re-
cebia contas duas vezes, mandava dar per sua
eonta tintas ao pintor Dias (tio de sua mulher) o
qual ficou devendo a casa 82S003, pagava suas
contas corn generous da minha loja, come aconteceu
corn o Sr. Antonio Jost Dantas, que elle mandoa
o caiseiro cntreg-.ir a ese senior 3 barricas crm
cimento na importancia de 305000, assim como
levou da minha lioja 5 5000 pars pagar urna counts
que a easa devia ao Sr. Manoel Airves Barboaa, e
guardou para si -nao pagou', o caixeiro nabo tinhi
vos ativa porque ells dizia que a loja era delle,
que era para o caixeiro ni'o me contar (e assirm
era) o caixeiro nada me dizia; nao aconteceu e
mesmo can a da outra lojinha da rua do Rosario,
(quo esle abrio com o capital de 8005000 corn a
minha firma, e dizia a todos que era delle, e seado
corn mercadorias que foram da loja da rua da 1m-
peratri2 e per coata do sen armazem) o caixeiro
desta there a lembranuqa do Ihe faern ver de quo a
barricas noe vinha corn o peso que dizia center as
note, o que ells respondia corn cynismo,--6 dos
balanqne da carrova-tantas vezes fez disto, que
final despertou desconfianca ao proprio caixeiro,
que minou pesar urma barrica corn alvaiade a
Squal estava corn o lacere da fabric arrancada, e
verifiou haver falta de 30 libras !...
Confirmon porque tendo o Sr. C-ames recebido
t10"barris corn oleo de linhas, mandou botar na
loja, e recebeu ordem pars mandar 4 para a Pa-
uahyba,e disan easueirae-.que furame-assnris
qua ostavam vendidos, por6m que langpse os la-
S pars elles; un emeatotudo qae -ew o h-,
node iodastria sandava pawa-e. t **s4M 6.-.
Sgostu; as veasW O -moaN-que o f.lr a- -
* puswaLtrs -pa-te- qa'wa eas jtCUIWS (pe
01 ale no ter) comprava semprle- ow -i
-:ass'seaf dwfWinS; ea .'9
I aoawbuho-d6Ub-ua W S
NMaWUM & aiboos ^^t~~B ^

*h ... _jm da r w- -.:.-aBB-




















Wo S-o~AUMuqasdo .e1,; baPti-
j*M 48 piaera mepis, 1o deu seu noma comoI
ehegando a minha asa', diaseme, qu4
ado no batisterio, elle omo pai, e ona
meom:o mai, sendo que eu estava reaolvida
vr 'para verificar-me, proeurou Sealmar-me
diswndo, 6 graia minha, e eu acreditei, porque a6
aoubemquando fui tirar a certidlo; na certeza de
: qne, n.aquelle tempo me magasse se aoubesse da
v (erdadei, porem hoje 6 o unico favor qua Ihe devo,
S porque ha di hayer tempo que os proprios filhos
S tero vergonha de ter um pai como esto tratante,
hode oser seus proprios inimigos:
t i'O &r. CamoSs esteja certo de que ha am Deus, e
,. queo seia castigo par os miaos tarda, por6m nao
i: Ostra victim, tendo o fallecido Riymundo Jos6
i Tavares, feito umr transaeio de courts salgados
i corn o Sr. teneate Ernosto da loja do Corailio da
Ouro, teve prejaizo corn este negoeio de 1:0003000,
S e s achava embaraeado para pagar, (facto quae e
deu poucos dias depois que enviuvei, tanto assim
| qu nos poucos dias que estive em sua casa o fal-
S Icido Ra-ymundo que 1A ia, ouvi delle fallar deste
Spiejuizo)'; logo que o Sr. Cam5es recebeu de mirm
ol 18:O:500000 que j& fallei nas clironicas anteco
|', defites, emprestou a eate (do dinheiro que e a he
S dei) am conto de r6is; era esta quantia que o in-
felix Raymundo precisava para saldar este nego-
S eio eo quo estava embaracado, nao fazia o Sr. Ca
e mos mais que um dever de reconhecimento, visto
que o fallecido Raymundo por muitasvczes Ihe
emprestou avultadas quantias quando o Sr. Ca-
moes era caixeiro do Sr. Dantas, e tinhs o seu pe-
queno negoelo fora, o fallcido Raymundo era h) -
mem de boa fA, tanto assim quo o senhor procurou
urmsa vez em sen armazen para pedir-lhe 800(000
emprestado, pois estava em aporto, e como o falle-
cido nio tivesse vindo ao Recife naquelle dia, o Sr.
CaimSes mandou uum portador no Monteiro ,lugar
onde residia o fallecido) e este tto leal e franco
para co:n o senhor, nio s6 lhe emprestou o que o
senhor ihe pedia, como Ihe confiou as chaves de
de soen core, e corn ellas o segredo (a palavra viva)
afirm do senher tirar os 800J000 que precisava ;
amigos destes ha poucos, e merecia que tambant o
senhor Ihe servisse ein m a occasia ) opportuna, c
nio aproveitasse do ensejo para laqucar sen aamigJ
.c compare; este onto de reis que o senhor Ihe
emprestou foi a causa de sua ruiua e a morte do
infeliz Raymundo, nio podendo este pagar lhe.
este conto de rcis logo, o senhor fez-lhe passar
lettras e juros e mais jurors; o fallecido era ho-
mem de bons principios c finn educaqbao; quem o
conhecu quo diga.
Vendeu obrigado polo senhor tudo quanto pos-
suiay vendeu- a part do sitio do Monteiro p3r
4:OCO(OOO (dito pelo senhor a mirnm), vendeu a par
te do sitio de Agua Fria por 1:0003000, vendeu a
parte do sobrado da rua do Amorim pr 803J000,
deu-lhe todos os objects de valor que possuia,
S como annel de brilhante, salvas d3 prata e mais
objects de valor; o fallecido nto era home es
travagante ou esperdiq.ado, poderA o Sr. Cam5es
Sdizer-me em que gastou o fallecidu estas quan-
tias ?... no espaco de 1 anno !... diga-me se elle
deixon enterrado !... o que 6 verdade (a sua
c3nsciencia o diriA) 6 que logo que o scahor sabia
que o fallecido tinha dinheiro, tratava logo de pa-
dir-lhe quo por conta de suadivida, quer comno em-
prestimno etc. etc. e sempre dizendo ao fallecido
(sass palavras) deixe estar voe8 nto ficar.. assimn,
vou abrir uma casa para vender cimentos, mate -
rias, etc., etc., e voc6 teri metal nos lucros isto
emquanto sabia quo o fallecido tinha mais alganma
cousa para vender; a tal casa pr.metti'la nao ap-
parecia, porque nunca encontrava casa em lugar
apropriado, assimn foi ievando o pobre Raymundo
atW que alcaim,9ou obtcr delle os ultimos diuheiros
que tinha que foi 4033000, feito isto abandonou o
p... pobr Raynundo ; vendo este a triste circums-
tancia em que se achava, tomou a resoluqio de ir
a casa do Sr. Camnoes, e perguntou-lhie, entao Ca-
moes, voce abre a easa que prometteu-me ou nao
abre?... eu nao posso estar por mais tempo sem
ganhar 4w. vintein, (tove cm resposta) cu nao abro
ceasa para um bebado.
Recife, 7 de janeiro de 1885.
Isabel Aiugusta de Oliveira Motta.
(Continda).

Fabrica do Rink
(Diario do Brasil de 28 de janeiro
de 1885).
Os gerentes da fa fabrica national deno-
minada Companhia Fabrica de Tecidos do
Rink, realisaram anto-hontem umea festa in.
dustrial dos trabalhos que alii so execu-
tam e a exposi'bo dos products da mes-
ma fabric.
A' 1 hera da tardeja era numeroso, na
fabric, o concurso de pessoas gradas con-
vidadas, entire as quaes o Sr. president
do consclho, al.n dos representantes da
Gazeta de Noticlas, 1olla Nova, Paiz,


Semana e Diario do Brazil.
Est t fabric, que data de 1879, passou
a ser propriedade de urma eociedade ano-
nyma, desde o 10 de janeiro de 1884, sob

COMERICiO -


Praqa do tecife, 7 de fevereiro
de 1S5
As trees horas da tarde
Cotaoebfs jfficiaee
Algcdio do Rio Grande do Norte, 8;4550por 15
kilos post a bordo a frete de 1/2 d. e
5 0/0 por 1.A, hontem.
Couroa salgados seceos, do Aracaju, 625 rs. o kilo.
Cambio sobre ParA, 15 d/v; 3/8 (j/0 de desconto.
Dito aobre dito, 30 d/v. 1 0/0 de desconto.
ito smobre dito, 60 d/v. 1 3/8 0/0 de desconto
Dit. sobre dito, 90 djv. 2 0[0 de desconto.
Cambio sobre a Bahia, 8 d/v. ao pat, hontem.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 1/2 d. per 1,
hontem.
Dito saobre dito, 90 d/v. 19 3,8 e do banco 19 1/4
d. por 11000.
SA. Leonardo Rodrigues,
Presidente.
M. J. da Mlotta,
deret'ario.

BENDIMENTOS PUBLICOS
S Mes de fevereiro de 1885


i-DeS3 a 6
de7


-De 3a6


119:821929
21:5285400
141:3505329
8:6890091
: 2:798796
10:8785887


PovIMOCAL -De 8 a 6 42:2714739
l 7 17:28418%


"NAGAE-De6 3 "a 6 '! !^1: :0i5


g e pm r a gi 44a, |all,;'0 de bio,
escovas a Vaapor, anaa r apeatear, tsio-
raria chisicaj, eath parea rbm-nisasU
d* mesa l e umi graadeo motor do syte-
ma Compouud, alm 4de maii doas,i UI
corn a for9a nominal do 30 cavallos e outro
corn a de 8.
No pavimento superior, ha mais 48 toa-
res de systorma allemao.
Ap6s a chegada do Sr. president do
conselho, as pessoas presents visitaram
o estabelecimento, informando-so, durante
mais de urma hora, minuciosamnento do fa-
brico dos tecidos do l1, etc.
Depois da visit seguio-so u'n profundo
lunch, duranto o equal trocaram-so diversos
brides, distinguindo-se o do Sr. Glette, A
Naga'o Brasilcira; do Sr. MAx No:hminn,
A imprensa; do represeatante da nossa fo-
lha, o Sr. Paula Ney, ein noame da iminprean-
sa, agradecendo a san ta1o. "
Seguio-so o bride do Sr. conse!heiro
Dantas.
O Sr. president do coaselho cameegou
dizoado que nas palavras quo ia dirigir
pars manifostar seus votos pala prosp-ari-
dade do Riack, tinba per fim, ao inmesmno
te.npo, louvar a quemin diriga essa fabric,
comn iatelligoncia, actividade e interesse;
na) duvidando, pars alcanqar u.n nbo
fimu, empenhar takes cleuinmtos e maiis aia-
da -os proprios capitals, qai, sAo o pro
ducto da ccoaonia, (do trabalho e dj su'r.
Assiin, pois, o orador quo representL
na occasiao, o governor desto grar-lo Ima-
perio, senta-so realneite elevado, nest, m ,-
mento, um dos inais foliz's da su.i vila,
por powder, praticaado u'-.n act) 4ie jaiitif:-,
detnontrar quo no goverao 'do pLiz; prodo-
mina accentuamente o pc-ns:ruoato (1e au-
xiliar a induitria, per t0 los os meion ao
seta alcance.
O g.)verno attonle, h oara e prc:'i.' i Os
esforf,-os dos brasileiros ou ecstrangdiros,
principalnmentc destcs, que vc.n trabalhar
para o engraudeciuento do Brasi!.
Fallou ein brasileiros a estrangoiros ;
pormn julga-se cow 4j-ior dircita do u)n-
sidierar-se mais feliz, por apertar a i )
dos estratigoiros, que aqai fazean famnli t -
urna nova patriai. 0 brasilciro aqui nas-ee,
tale canheco e tulo posstue ; mis o estran
geiro, que torn de dcix-.-r a sui torra c es-
colhe o Br.asi, p:ra nolie. rosilir, d amLI
testemunho do inodo por quc nos aprn.iri
e da justice quo nos faz.
E nIo so engina, contind.t o o-adoLr,
porque, sem b.iirris:-.no nacinal, po-lc-sc
dizer, qu nhumui nail no u maj niauo, tio
nova coma o Brasil, offomreca tantis garan-
tias de paz, de ordem, do liberda-ile dc
estaibilidade.
D.sdo 1848 a-t l.).ji a ordc.ni at lI& n.i)
fui perturbada.
Qu-l dos cidad.os national ou esctrangoi-
ro resident no paiz, dcsde ent'ao :rt Ihojle,
j so julgou coatto para expwnder livr.-
moute suas opinions ?
So temrn havido abuses, pcrgunt:yr o or.idor,
qaal o paiz. que os ni) tcn ti to ? Estes
abuses, corutulo, nbo p1)l. altor.Ar a ver
dade dos factos.
Tomnos nais do quo cscripto cin as not
sas lois, alehn da liberdadc deo cultc, da li-
berdado do associaiio, os fctos da vida
pratica. Sondo assim, a priuciro iniuistro,
vendo esfor9os t'o gran leo, coio os quo a
fabrics do Rink aprosenta, n'l-a p6 ic dei-
xar do congratnlar-se polos maosmuos esf.r
for~or em favor do progresso industrial, ao
qual dii'igo um voto de aprco, pars que
elles continue nm, scre arrefecer.
0 Sr. Palmna consul geral da Hollanda,
occupando-se coin a presence do Sr. pro-
sidoute do conselho, admira-se da cormggem
o fr'anqueza do primciro minister aproson-
tar-so en urna festa do trabalho. Por es-
se motive, levanta urea saudacio ao cida
d.o Manoel Pinto do Souza Dantas.
O Sr. president do conselho, enn res-
Doesta a esso brinde, corre pressuroso a
agradecel-o, nao s6 porque houve umna re-


Farinba de tAigo 1,000 barricas aos consigna-
tarios, 125 a ILH. Nuesch & C.
Kerosene 1,200 caixas A ordem.
Machminas 1 calxa a H. Stolzenbach & C. Mer-
cadorias 2 volumes! ,i ordem, 12 a Bernardino
Duartc Campos & C,. 4 a H. Stolzonback & C., 25
a Antonio D. Cameiro Vianna. 1 a W. Robilliard.
Maizena 105 caixas a ordem, 50 a JoaquimDuar-
te Simres & C.
Pregos 25 barris A ordem. Pinturas 1 caixa a
J. A. Dias.
Relogios 5 volumes A ordem, 4 a H. Stolzen-
back & C.
Tinta 4 barricas a Manoel Jose Goncalves Bra-
ga. Toucinho 20 barrios a Fernandes da Costa &
15 a Domingos Cruz & C., 20 a Fernandes &
Irmo, 10 sos eonsignatarios, 65 A ordem. Teci-
dos dive ros 15 volumes a Luiz Antonio Siqueira,
40 a ordem.
Lugar inglez Limi Fox, entrado de Hamburgo
no dia 6 do corrente, e consignado a H. Paterson
& C., manifesto:
Cimento 1,050 barricas a V. F. de Albuq.enrque
Nascimento, 700 a Miranda & Souza, 990 a Gon-
calves Pinto & C., 1,350 a Antonio Rodrigues de
Souza & C., 100 a Affonso Oliveira & C., 100 a
lRel & Santos, 50 A ordemn, 35 a Santos Silva & C.
Garraifes vasios 786 4 ordem. Gerebra 400
caizas a Bernet & C., 20 A ordem.
Mercadoria diversas 1 volume A ,ordem, 1 sos
cousignatanios, 8 a V. F. de- Albuquerque Nasci
mentor, 3sa Miranda & Souza. Mobilias 7 volumes
A ordeAn.l
Phospboros 55 caixes A ordem, Papel 1" r-
dos aos consignatarios. Pianos 2 caixzas a H.
6inta 0 60 volumes a J. C Levy & C.
Vidros 678 volumes a Martins Veiga & C., 52 A
rdend 37 a Macoe Lope. S C.

Hiate national &Sote AmboSreatrado de Ms
ono dia 6 do cdnrnte, e cousignadosa Manoel
Joaquim Pesse, maniteatou:
Sal 15,260 ltro A ordem.


Toos ?les, como o o "rao
rego aesas manifesta*es da


Al6m dessa oircumstancia, orador
comparece, proteroa'dossoe do, dem
superior, porqe osae. ssfares podea ho-
rae depois sor, eeta preJaiul attkud s,
pois quo orador no temn afg& s .com
aiaguem, o s6 so occupa com a &Ua e la-
teresso publico" E ahli vetn tambe im-
prir um ever, porque 6 oprimeir rere
sntante do un gw qn .7eis. em seu
programma extinguir gidualmente o tra-
balho escravo e "ubstitui- pei trabalho
livro : o a transfoma* do trabslho tern
do dar-se tanto n'uma fabric como noies
camupos. -.
Convidado pelo Imperador pars organf-
sar ministerio, muitas vozes recusou esta
incuumboncia, e s6 aceito0u quando" entire
as suas e as opiniSaes do imperante have
perfeitita combinagao. No houve pacto,
come so tenm dito ; o que heave foi accor-
do, e esse foi o prego polo qual o oraaitt
foi vencido.
A transfo;macao do trabalho 6 a idea ca-
pit-.( do programma do governor; mas den-
tro dos limits da ordem, porqhue aliSer-
dide 6 sacrificada quando a ordem nao 6
roe.peitada.
Vommido ou venoedor, a idea ahi flea
triumiphiante.
Filh3 do luma fatuilia pobre, contando
nos seau ascenlentes so lavradores e cria-
doros, dovendo a sen honrado pai sdm6ente
o0 ml is de poder trabalar, o orador des
d(o a iHlade de 11 anoes trabalha pela vida,
Sso hIi jo so acha ,ollocado na posiao de
pritaciro miuistro, s6 a deve a si ao seu
tr.ab Iho
Nao poiia, portanto, home do traba-
Iho, jixmr do conp racer A fosta do tra-
b diho e Cprormtter, como membro do go-
vernm, auxilio e prote qto Aquelle3 que se
enp.nham ecmu to valoroso coummetimnatrto.
Cjim.lue, agradecando a quern o saudou
co.no representanto do governor, quo ali
tiinYn so azha, porqwre significa tatu-
bicn o trabalho.
L vantaram-se aiada diversos brides,
fitialisan.lo o banquet coin a saadag.o
l[tvantada a Sun Magestadoe o Imperador,
pl5 Sr. president do consclho.

0;ce puro me licliul de flaIlo dle
i;aealtlhio de LtAnman &t Keomp-
N. 3 2
0: dJutores de meoiin.,% reeonheceram, faz al-
grtt ;iujos, scin occultatr o sea asso.nbro, qae as
irj'!ustis pcl:nonares e hepaticas, coin nenhumna
oamr;a c.>ust se poliamn curar, mua siman.poderiam
eor completametite extirpAdas con a ooo leo .figadi-d
do b mheirbao. ApOnas se aunmmucou um tal succes-
so, qs.tudo pars logo o metcdo se vio inunado
de t-)d. a c,,sta d.. comp )msi;5e de azeitc dei baleia
dt- iohoc do minjs de vace., de toiciulih et n sew
timi.Mro do outras, as qutei se ajuntou o nornm d;)
tes:.cifico legitimo, por6mn siinm possuirem noulau-r
d-e su its reaes virtues. Por&n agora temnos ito oe,
puio medicinal de figado do bacalhbo, de L.um:nm.
,.. K:,mnp. un artig. eaja p)erfeita legitimidade .do
"ex -lmlicia, so aclha comprovala peit Faculdade
11,n li No0 hospttaes militares, navao e civis dos Es
tad.)s Uaidos dai America 6 elle tio- 1m1 eoumeod49
01m ni pratica particular dos pri-'acsiWne.4i-
c.:. Ncah'.na clasac dc toaoo, rcefrihit.,t`, Agee-
(;to 13.j broniehios, molestias dos pultmi5.e doA fi-
g.iJ;, ou affeucaos escikfaloas, pJdam resistir a
sima rt.ravilhosa aciao medicinal. Sicm rebaixar o
mn.-rcri:neuto de outras preoar.to5es legitimnas dia
inesmna natureza, p6le : e afiauear que aquelle c
saperlativamente excellente. Garante-se a sua boa
e. tservmi~aa em todos os cliinas.
Aeha-s' A vemd'i em todas as prineipaes l,:jms
dLo drogas.
Agontes cm PIernambaco, HeTry Frstetr & C.,
ru i do Comitflrcio u. 8.

Aos Srs. Professores
ELEMENTOS DE ARITHMETICA pelo pro-
fes.,or Joaqulm Antonio de Castro Na-.
xs.' revistos novamente por um professor
1 vol. nitidamente impresso encad. 1,O000
ELEMENTS DE GRAMMATICA NACIO-
NAL polo professor Joaqulut Antonio de
Catilo Nune) revistos novamente por urn
dis'lecto professor
1 vol. uitidamente impresso onca l. 1000

Para o interior


No patacho inglez. Bohemia, carregon :
Para Porto-Alegre, Moia & Rezendo 450 sac
cos corn 33,750 kilos de assucar braneo e 153) ditos
corn 11,250 dlitoa de dito mascavado ; 0. Travas-
so & C. 500 barrmicas corn 44,084 ditos de dito
braico e 150 ditas corn 15,808 ditos de ditoe mA
cavado.
SNo lugar hollaudez Koerier, earregon
Para Pelotas, Amorim Irmios & C. 80 pipas
corn 38,400 litros de aguardente. 0
No Ifigar national Amnelia, earregou :
Pars o Rio Grande do Sul, Amorim Irmalos &
C. 375 barrinas com 33,684 kilos de assucar bran-
co e 75 aitas corn 8,292 1/2 ditos de dito masca-
vad3.
No ldgar national Peoteame, carregou :
Para o Rio Grande do Sul, 0. Travassa & C.
225 barricas corn 16,875 kilos de assucar. braneo e
75 saecos corn 5,625 ditos de ditco mascavado ; F.
de Moraes 10 ba'ris comn 700 litres de aguardente.
No vapor inglez Maranhense, carregou :
Para o Para, V. da Silveira 470 barricas egmn
29,860 kilos de assucar branco; A. J. Furtado
Sobrinho 30J ditas corn 12,808 ditos de dito; F
A. de Azevedo 20 volume corn 13,800 ditos do
dito ; B Oliveira & C. 150 ditos corn 7,210 ditos
de dito ti 7 pipa corn 2,569 itros de alcool; Ba-.
tar Irmios & C. 2 vo umnines piassava.
= No vapor naciual Aspirto anto, carreg :
Para o Para, J.M.-Dia .60 harris co in670i
litros de aguardente; -Mai & Rezepde 25 p
corn 12,O. dito6-edito;jP. Pito &kC. 3 m.'.a
oeom 4,60 ditoa de dito F. I Marqes
Pilho 10 saccos corn 750 kilos do assuear masea-
vado a S00 tlumes comn 20,C79? ditos do dito
braneo ; V. da Siveira500 Wbarria r 81,00
ditos de dito; LJ.da-SvaGaima 4We830ditas
con 30,112 u ditos de ditoi 0, -Si 4 VI es Drito 400
volumes eom 22,679 dItefr 4b ditoB P A. dAe ASe-
vedo 400 baffica corn k27600 dit : de dito.
Pra Manjos 4 Gom. C. 8 Com 76S
ltroes dsuSrd .te e .10 b.i.e. corn 847 kilos


Rom
.ia smdmextm ga4*
ciso empres-.ae mswit e. .Ireft--p
quadas aa iutellgMeneiili bs
orneneadw.0 -n tea atC iqo'
eo'Mph ro oe ee e w atio;r detes
compendlos i Dk 6 dad = a oatoeevcr pawa
os reninos, e nem sempre a muit. erudiao quoe
44 autor quer moetrar em saus obraa attbug* -
fiBa que se devemn eaperar doassbad Castro
Nines, taes eomu este profnsaotr oas esrevewftow
tido at6 hje amna acolta a
6 a melhor promy do sea mereeimneto; reconQej
ceaeto asto morselment&, o distiucto pncroaeor quo
as reviatone quo o" Mrps uMr doP pruneiros luga
rea no p *esa d posrambuniauo quiz coneervar-
ies o queuelles ter de i or: a etarea
A' itna nwemrispaei Livrarias
S5-R d Xmaperador-- I

S Llampeza pUbliea
Conforme se ach, publicado em um obscure edi-
tal, a Camara MucipA.l pretimnde levar A hasta
public a limpeza da i d,' pr fes mzes, A ma-
zilo de 2:000 por mos., quanudo mia lei expresa
manda quo seja feito coutracto por tres ou quatro
annos, marcando urma verbal de 2:5001 por mez, e
piohibindo que a mesma Camrara faga aquelle ser-
vice.
Parece-nos que a Camaja n13 consultou o in-
teresse public, e na obedeceu & lei, porque nin-
guem de boa fA poderA por aquella quantia e por
taio pequeno espao de tempo adquirir os materials
necessarios pars o servio, como dove elle ser
feito. -
A nio ser o desejo de satisfazer A diversos pro
tendettes, em prejuizo da saude publics, nio se
comprehende o procqdimento da Camara, pois park
nao terms um service regular seri me!hor nao
onerar os contribuintes, pedindo dinheiro para
nao gastar sem proveito.


(Continua)


Um municipe.


Westlvldade rellgiosa
No dia 9 do corrente celebram os devotos da
virgem martyr Santa Apolonia na igreja de S-
Jose de Ribs-mar, a festa de sua padroeira, corn
minissa reseda as 4 horas da manhi, ais 10 horas
entraril a mnissa solemn e ladainha a noite corn
sorm1o polo Revd. padre Juvencio Verissimo dos
Anjos.
A imnagein ficaril exposta a veneraqi'o dos ficis
a4 o dia 14 do corrente.

A. sociedade Liberal

Uniao Beneficente
tenudo hoje de solemnisar o assentamento da
pedra fundamental pars um edificio que vai eons-
truir no local ji indicado apresonta o programma
seguinte :
As 4 horas da tarde do din de hoje serb annun-
.;iada a festa per urna gyrandola de fogos do ar e
algumas peas executadas por minusica mar.tial sob
o t-cto dc-um bern adornado barraclo, tendc cm
disIu interior erigido um altar.
Segue-se a benqIo da pedra e assignaturas do
termo de seu assentainanto em um livro especial
per aquellas pessoas que a isso se dignareni.
As formalidades religiosas sereo celebradas
p or um. sacerdote por delcgaIao de S. Exe. Revma.
o Sr. bispo D. Jos&.
Conduzida a pedra ao seu local computpnte pe-
1,, padrinhos e parananahlsa ja annunciados e
depois dasetiqueta-s do costutme voltar e prestito
o tomar'o todos seas lugarea, e depois de uma
brove alloeutio do president da sociedade o ci-
(Ladao Joago Gumcs Loureiro, annunciarAi aberta a
g-ssio solemue, convidando o 1* secretario a fazer
a resenha ou apologia do acta
Em seguida sera dada a pahlavra sos oradlores
iniseriptos.
No decutmrso da festa scrap entregue a carta de
liberdadea criotula Maria, escrava de D. Anna
Tir-oI'r'a dos Santos Barros, carta obtida a es-
pmin As dain ) preo pela e-serrhora.
A's 6 horas da tarde sera encerrada a scssio
por ortmra breve alloculto do president emn agra
dI.eiaaento.
0 10 seciectario,
Pedro do Rosario.

Despedida
0 abaixo assignado embarcando pars a provin-
cia do Maranhao, e nao podendo pessoalmente des
pedir-se de todos as sens amigos, especialmente
os de. Iguarasasi, o faz por meio do present, offe-
recendo os seas pequeninos prestimos no termo
do S. Vicente Ferrer daquella proviucia, onde vai
exereer os eargos de juiz municipal e de orphios.
Recife, 7 de levere;xro de 1885.
Jose Cornelio Leitio Rangel.

Exames de preparatorios
Pelos Srs. Alves & C. foi editado um excellent
compendio de geographia, escripto par& uso da
infancia polo Sr. Dr. Alfredo Moreira Pinto.
gem 58, carga varies generous, a Henry
Forster & C.
Rio Grande do Sal 40 dias, escuna hol-
landeza Adriatic, do 158 toneladas, ca-
pitiao J. G. Broon, equipagem 6, em
listro; a H. Lundgren & C.
'Terra Nova-40 dias, brigue inglez Killia
Sass, do 184 toncladas, capitAo H.
Llozd, equipagemn 8, carga bacalhAo; a
Johnston Pater & C.
Navios sahidos no minasmo dia
ManAos o escala-Vapor nacioaal Espirito
Santo, cowamandante Joio Maria Pes-
seoa, carga varies generous.
Rio de Janatiro e cseala -Vapor americano
Advance, commandante James R. Reers,
carga varies generos.
Santos Patmcho noruoguenso Zai.ita, ca-
pitao N. Brinstad, carga assucar.
New-York Bares americana Vallace, ca-
pitio J. M. Coulmaki, earga assucar.
Terra Nova- Brigue inglcz Ttdbot, capi-
tio S. Putt, em-lashto.
Rio da Prata--Brigue national Marinho
XII, capitao Jop6 Marques, carga assu-
car
Rio (*rande do Sul Lugar inglez Polly
& Emily, capitao John James, carga
sal e c~ros.
Rio Grand" do Sul Patacho hollandez
S&ella, capitao G. S. Klip, carga asti-
car.
Obseruacio


i Suspended dG Lamaro para Macei6, o
-Iigar a- .rieana E0 Clhark, eapitao
|eu. l 0, 11.


VAPfESESPRADOS


da Er
do


a l~
12


,ado
I a05


vrarla


Tua No-


whcnlar
ine sntruceo primaria para 6 exo
:- ~aseis t o .;..*
0 abaixo assignado, participa ao illustrado pn-
bliUeo desta capital, queabrio urma escola particu-
lar para meninos, A. ra do Principe u. 14, onde
pr" de t corn eamero dedicar-se ao enaino de seua
alumni. ,
0 grio da esaeola eonsta: ler, eerever e contar,
arithmetic, desenho linear, e no5Ues de francez.
Gamrante rapid adiantamento de seus alunnos,
polo seu systema de enemaino, em desafio a todas as
escolas deta provincial.
Eapera merecer a oonfianga e a proteceao do
pov pemrnambueano, ec emr particular ternm f robus-
ta em todos os paes e tutores de meninos que
queiram aproveitar o rapido adiantamento de seus
=ilhos ou tutelados.
Mensalidade :-25000 pagos adiantados, no actor
da matricula.
Horario:--Dau 9 horas da manbi ms 2 da tarde.
Recebe meninos internees e meio-pensionistas
por mensalidades rasoaveis.
RBum do Principe n. 14
Julio Soares de Azevedo.


COLLEGIO
DE

NOSSA S. DA PENHA
Riua do Cabugi us. I e 9
segundos andares
Os trabalhos deste

collegio comecarao a

12 de janeiro.

As disciplines ensi-

nadas s .o: primeiras

letras, portuguez,

francez, inglez, alle-
nmao, geographia, his-

toria, music, piano,

desenho, costuras,

bordados, etc.

Admittem-se alum-

nas internal, meio-


pensionistas

nas.


e exter-


Euterpe
SwI" Libanio, bata! Bum.
Taivez assim dispertem do somno
mento.
Agarraram-se com o ostras...


do esqueci-

Sa.


C. Heckmann


Usinas de cobre, latao, e bronze de Berlim.
G61litzer Ufer n. 9. JBerlim S. 0.
Espeelalidade;
Construe ao de imaehiias cap

parelhos
pars fabricas de assucar, destillaq5es e reffuaies,
corn todos os aperfeicoamcntos modernos.
INSTALLAgAO DE"

HiIellph os dbolcar col tlol8o
Estabelecimento filial na Havana sob a mesma
firm de C. Heckmann.
Calle de San Iginneio n. 17.
Unicos representontes

Haupt Gobruder
EM RIO DE JANEIRO
Para intornmaces dnirijam-se a
Pohlman & C.

Rn gouo P rtni Ini 10


Pastilhas does alhelmitnlicas
de Bering
Para complete expelligcto dos vermes intestinae
em crianas e adults.
EFFEITO FACIL, PRO31PTO E CERTO
UNICO AGENT
Theo. Just
1 -COffPO SANTO -- 19
Deposit nas princlpaes drogarias e pharma-
eia.

EDITAES

Thesouraria de Fa-

zenda
De ordem do Iflm. Sr. inspector acha-se aberta
a concurreneia ao forneeimeuto de farinha de
mandioca pasvo presidio de Fernando de Noro
nha, no coerrnte mez, devendo os concurrentes
apresentar as suas .ropo tas em cartas selladas e
fiehadas a e dia 9 as 11 horas da manha, afibn
de sernem conv6anientemente examinadas em sess,
da junta.
Thesouraria de Fasenda de Pernambuco, 5 de
fevereiro de 1885.
0 secretario,
Luiz' .Emgdio P. da Camqra.
SDe ordemn do Exm. Sr. Dr. juiz de direito
do 8- diatrieto criinal so fa pblico quoe oas titu-
la doe eltore do 2- delsriotos da parohia
do& Joa alisitados n sreti#16 feita em setembro
do anno proxano pasiado, slo entitegues dianra-
mente no eartaw do jahi do comwoerii, 6
ra do Im peradi1 .W 2.f tafok de fevereiro
Jos6 Franklinde-Alencmr Lima.
-A(Cman MS lipal dacidade do Re"fI
fax public quo anou, o de 11 d& corrento 9erA
awimas& por o servigo da limpeo da
4464' e a&wlmu lfs ds SuutoE


pa m queps m i .....mM to
do quolquer Datuve~my O OteCTttg^w
sau" propoetwa em carts fecha
Pais quo che alwgov. o deeimen* & qu=k
teressar poesa, swrmandou afizar o "k..
hue sera publicado pela impronassa noj 9a d.
Casa I t 1 1 1 :* ''*;'
Pago d, Camays Municipal do Becife, em 4
de tevereiro de 186.
SAntonio de Siqueira C. da Cunha,
Presidente.
P. G. de Ratis e Silva,
Secretario.

Edital n. 47
2' praga
De ordem do Illm. Sr. inspector, se faz public
que as 11 horas do dia. IDT- do corrente me, serjo
vendidas em leilU, no tsrapiehe Coneeiio, as
mereadopas abaixo deelaradas, apprehendidas no
presaidio de Fernando de Noronha :
5'garrafoes oontendo 120'litros de vinho corn-
mum.
4 botijas contend genebra, medindo 2,700 li-
tros de alcohol puro.
'Temceira seeo da Atfandega de Pernamba-
co, 6 de fevereiro de 1885.
0 chefe,
Cicero Brasileiro de Mello.
0 Dr. Thomnaz Garcez Paranlios Montene.
gro, commendador da aerial ordenm da.
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cio desta cidade do &ecife e sei term,
capital da provincia de Pernamr uc,opor-
S. M.L o Imperador a. quent Dew guar
de, etc. o
Fa.o saber aos que o presented edital irem on
dt-lle noticia tivcrem, que nos terms do art. lo do
(Idtcr-to 1,695 dl 15 de setembro d 1869, d .a-
tro do praso de 30 dias eoatados:da publiea.io do
present edital, rcceberA este juizo, propostas em
cartas fechadas para a arrcmataAo por venda do
escravo Firmino, crioulo, do servigo de campo, sol.
teiro, de 40 annos de idade, mais ou. nmenos, ava-
liado emC 500000, cujo escravo se acha em poder
do depositaro geral e 6 peitencente ao Dr. Lou-
reono Bezerra Carneiro da Cunha, e vai a pra"a
por execuQio que i1he move Manoel Xavi Car-
uei'ro de Albuquerque.
E p tra que chegue ao conhecimento de todos
midi iipassaer o present editalqqpo serA publicado
pela imprensa e offerecido nobs lugares do costume
Dado e passado nesta Cidade do Recife, aos vinte
e um de Novembro de 1884..
QEu Jose F;:aahlim de Almeda Lim:i, subscrevLi
Thomaz Gareez Pamdizo Montenegro.
Recife, 27 de Novembro de-1884.

Camara Munieipal


0 procarador da Camara cthama polo pre-
zente edital aos mndultadlos abaixo declarados
para vi-rem pagar noprnso de 30 dias, a
conta-r dca pezente data.
Lists dos mnedicos, cirurgioes, pharmaceuticos,
droguistas, assistentes, dentistas que deixaram de
eumprir a disposioao do art. &do titulo 20. dasA
pusturas sujeitos a multa de 1O" cada urn.
Medicos.
Dr. Adri-o Luiz Pereira da Cunha.
Dr. Alvaro Augusto Carnciio LeAo.
iPr. Alfredo de Aquino Gaspar.
Dr. Antonio de Arruda Belhfto.
Dr. Antonio Baptista de Mbraes.
Dr. Cactano Xavier Pereira de Brito.
Dr. Estevilo Cavalcaite de Albuquerque.
Dr.. Francisco Goines de. Andrade Lima.
Dr. Fran:m-iseo Homemi do Crvalho.
Dr. Joaquim Loureiro.
DI-. Joito Homiorio B -zerrt ddo Menezes.
Dr. JQo de Mcraes Vieinada Cunha.
Dr. Jose Antonio da SilVa Marques.
Dr. Jos6 Eduardo TrVixwiirn do Souza.
Dr. Jos6 Felix da Cunliha Menezes.
Dr. Jost Jdoaquim de Souza.
Dr.. Jos5 de Miranda Curio.
Dr. Jose Soriano do Soumi.
Dr. Luiz de Albuquerque Cavalcante.
Dr. Luiz Victor fomen de Carvalho.
Dr. Manoet Emnigdio do Rego Valeuo.
Dr. Manoel F.alcio d. Azcvedc.
Dr. Manoel de Si BJirreto Sanpaio.
Dr. Miguel Theinudo Lessa.
Dr. Pedro da Cniha S ito Maior.
Dr. Pedro de Atthaydec Lobo Moscozo.
Dr. Virgilio Tavares de Oliveira.
Dr. WiVli.u. A. Da-.v.
Dr. Tristio Heuriqle Costa.
Dr. Joio Balthazar da SInlveira.
Cirutgiues dentist
Ninna Pomnpili6.
Frederieo Maia.
Hearique Playm.
Dr. Way.


Pharmaceuticos
Antonio Maria Marques Ferreira.
Antonio Pinto da Silva.
Bellarmino da Costa Corfies.
Castro Menezes & C.
Firmrno Raposo & C.
Goncalo Braz dos Santos & C.
Gracilano Octavio da Cruz Marteu
J. C. Levy & C.
Luiz Igacin de Andrade.
Augusto Xavier de Souza Fouseo-.
Viuva do Dr. Sabino & Lwuiugg Piinho.
Antonio Martiniano Veras.
Droguistas
Faria Sobrinho & C.
Assistente;
Antonia da Costa Ribeiro.
ierna-dmiua M. Coclho de Oliweira.
Francisca de Assis Ribeiro.eampos.
Rita Maria dos Prazercs.
Rozalina B. de Cliveira Mapte.
Procuradoria da Camaum Municipal 4b& Recife
em6 dc foevereiro do 188.
0 proeuradr
Frawsieco de Paula e Silva.


DECLARACOES

Sociedade d Beneficemia lIalia.
na em Pernanom
Assemble geral extraerdo nala
De ordent do Sr. president eoanvido a todos os
socios A meuirem-se hoje na "d da nssa socie-
dade, As horas do costume.
7 de feyereiro de 1885.
0 viee-seeretario,
Pasquate Iasl e.i


Club recrelo no camipo

Caldeireiro
De ordem do Sr. president, convido todos es
socios para compameerem no dia 10 do corrente,
as 7 hours da noite, no pavilh& do circle, afim de
assistirem a posse da nova, directoria e deliherar
negocios urgentes do mesmo dlub.
0 secretario,
A. fignuema.

Thesourarta de Fa-

zenda
De ordem do 111m. Sr. inapeetor, dedo comnformi.
dade com o dapaphp da Junta do boatm, foim
mizcado o pra.do 15 dish, a coats, data dMte,
PaM "a osO d os meaham aoerlh o -qu
a d d o a bmleedio ot
.oius-%r%


'I














~oma D,"M l.o
.- a jW m wm e .e '.
F^'^- -S'que terA lugar egunds-faei 9 do'eor-
. as 7I horams da tarde, ma sde social ao
S- 'I.-. do Lmper. n. 14, 3' asdar.
cret. 7 de fevereiro de 85 (Er... V.-)
Moltke gr.-. 18.-.
Seer.-.


hdca fiR a8 o

PruhmIiuco


Tecidos ido


Slo convidados os Srs. accionistas A se reuni-
rem em assoembla geral ordinaria, as 12 horns do
dia 29 do corrente, no salao d'Associaflo Coin-
mercial Beneficente, para approwviLao dasa contas
do annoa find), e noineaeio dat commaissao fiscal.
Recife, 5 dc fevereiro de 1885.
Manoel Jodo (LAmorini,
Prcsidente.
Ant nfo lJoao d'Almorim,
Seeretario.

Arsenal deoMarinha
Concurso par anmanoense
Em cumprimeuto ao aviso do Ministerio da Ma-
rinha sob n. 26 de 9 do corrente, o Egmn. Sr. che-
fe do diviaio inspector Jos6 Manoel Picango da
Costa, mauda fazer public que no dia 2 de. mar-
eo vindouro, As 1.1 humras da manhil, teri lhJar
nesta repartiqiao o concurso para a vaga que
existed, do amanuense, doe conformidade corn o
art. 203 do regulainento quo baixou cornm o deere-
to n. 5622 de 2 de maio de 1874 ; ficando para
isto abertas a iuscpmo nesta secretaria atW o dis
28 do proximno mez de tevereiro.
Os pretendentes dcverlco instruir suns peticoes
con documents que prove born comportamento
e a idade de 18 anos complctos, pelo menos, po-
dendo juntar quacsquer outrus documentos que
mnostrCrn suns haLbilitaqoes.
As inatcrias exigidas sao : Icitura e analyse
grammnatical, escripta dc trochos em Portuguez,
north graphina, vwrstao das lirngdas ingleza e frau-
ceza, exercicio de coinposicAio em portuguez, re
dac(;:Io e estylo de act,.i ofilciaic
Secret;ri: da Inspc((;-ao do Arsen'al do Marinhu
tiC Pr-namb'uco, 31 d jalmd'i-o de 1885.
0 sc.rctetrio,
Antoio da. Silva Azcwvdo.


tozpmka 6o Triihs Urbans go

MR c a O1inPa Boorih

Festa do Monte
Serbo expedidos uo domingo 8 do currcnte. cH-
tre a rua da Aurora c o Varadouro tre:s cxtrior-
dinarios e expressos, coin cruzainento na Encru
zilhada, :'is 4, 5, 6, e 7 hnras da tarde. Senldo quo
per esta r:, zto dcix'arao os trens de 3 1/2, 41/2,
5 1/2, 6 1/2 c 7 1/2 d(oci eligar a est;ma*o do Carno.
A partir de 8 1/2, sa, vo caso extraordinario, fi-
cando restabelecido o percurso cominuin, e as 10 1/2
da note um trem ci traordinario pcrcorrer.i a li-
nha pira'ndo cm to.lu:s as estaeSes.
Escriptorio do gercnte, 5 de fevtereiro de 1885.
A. Prcira c Sinoes.

Sociedade Recreativa Juveintude
Soir6e bimestral cmin 8 do corrento
De novain-nte scientific., aos scuhores socios,
queeste soiree prinicipiarA; as 7 horns da noite.
Ingressos em in ilo do Sr. thesoureiro ; assim
corno pede-se today a simplicidade nos toilets.
Recife; 4 dc fevereiro de 1885.
Mfawcul Bandeira Filh/o,
1- secretario.

THEATRO0



SANTO ANTONIO

DOXINGO, S DO CORRENTE
Espectaeulo emrn beneficio do Fundo do
EmancipaAo da socicdade

28 de Setembro

Depois que a orchestra cxecutar uma linda ou-
vertura subira a scena a linda peca em 3 aictos, do
RANGEL DE LIMA

M6cos e Velhos
Em segnida seri representada polo actor LYRA
a nova e linda sccna comic
Amanhi' von pedilma
Terminari o espectaculo comrn a linda comedia
em um actor

RESIR SE 1DORMI
PrincipiarA as 8 horas da noite.
A bauda de music da sociedade tocara cseo.
lhidas pecau durante os intervallos.
A commissao da sociedade agradece a todas as
pessoas que se tein dignmido acceder ao seu con-
vite.

Club Recreios no Campo

Grndo ospctacdoo


NO CALDEIRE1IRO
Domingo S die eorreate as S horra
da noite
MAGICA BRANCA pelo amador Francisco de
Paula Bacellar, quo desejando auxiliar a socieda
do recreativa--Club Recreios no Camnpo-convida
o respeitavol public d'csta capital a ir no dia in-
dicado ao refendo Club, onde promettc apresentar
sortes sorprehcndentes e nunca vistas nests cida-
de, esperando que o illustrado public Ihe relieve
as faltis que por ventura commettm.
/' eguir-se-ha um menino de 2 asiros meeio na
: harm fixa, e urea danca no arame pelo aramista
..... fJes' da Silva.


Precos
Commarotos para 6 pessoab......
rioaes reservados ...........
......................


56000
l1500(
6500


P- a secretaria da Camara Municipal do
wse rtsofz publieo, de ordem do Him. Sr. verosa-
-ma "ssaro de edificacao, o art. 103 da lei n.
de 26 deo junbo de 1873, o qal w 6 do theory
08. Ninguem poderm depoaitar materials
| i qualidade que seja nas frentes das
C.ri eon-tr co ou concertos por mais do 24
serm removido, sob pen. de paga-
e nmulta e o debro na remcidomeia.
da Caam Maunicipal do Recife, 6
Pdro G. do sts eSalva,
r, :: 7Sieft ld8.
;....:, ., .. -new


Thesoo Provinal
Nesta repartiao pagm-.e no aia 9 as egain-
to folhas : -
Profeasores 4e la, 2 e 3A entrancia, e escolas
noeturnas; e no dia 10 as professors de a1, 2' e
3L entrancia.
Pagadoria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco, 7 de fevereiro de 85.
0 esacnvos da receita,
L. Epiphanio de Souza.


Imperial sociedade
DOS
Artistas Mechanicos e

Liberaes
De ordem da directorial convido nos novos elei
tos a eomparecerem no dia 10 do corrente, As 6
horas da tarde, na sede social, afim de screm em-
possados em sea? cargos.
Secretaria da imperial sociedade dos Artistas
Mechanicos e Liberaes em Pernamuco, 7 de
fevereiro de. 1885.
Francisco da Costa Ramos,
10 secretaries.
IRMANDADE
DE
N. S. do Ter o
Assembled geral
De or.em do nosso030 irmao juiz, s"o convidados
todos os nossos irmAos para domingo 8 do corren-
te, As 10 horas da manKa. reunidos em assemnbla
geral, clegerem a futura juiza, assim corno alguns
rncsarios.-O secretario,
Bento de Souza Myra.


Mercado public de S.
or

Jose
Em virtude das ontinuadas e repetidas accu-
3ia6es fritas ao 'nodo par quo e vendlda as car
nes verles c minais gencros expostos neste ebtabe-
lecimhnto, polo peso e medidas estabelecidas, con.
vein deelarar que e facultativo a toda e qualquer
pessoa, sem distinegito de elasse, de conferir nas
balmanas do repeso e nas medidas existentes. tu-
do quanta eomprarem, e assam verificarom a exac-
tidao, naob havendo o mentor constrangimento nes-
te serviqo da part dos empregados, porque alem
de cuminprir o que se acha estabelecido nasa postu-
ras municipaes art. 29 da lei n. 1129, de alguma
f5rma vai se tornado evidence a fiscalisamoo da-
quclles a queram cable fazer, e attcdento aos re-
;lamos de todos. Recife, 6 de fevereiro de 85.
0 administiador interino,
Maciel da Silva.


MARITINOS
COMPANEIA PEBNAMBUCANA
DE


NavegapAo costeira por
PORTOS DO SUL


vapor


Macei6, Penedo, Araeaji e Bahia
0 vapor Jacuhype,
.a^ commandanite Rino,
^^-^^C-, ^^ ~seguirA no dia 10 do
71 i^corrente, as 5 horas da
-.__ __tarde.
-- Recebe carga atkc

Encommendas, passagens e dinheiro a frete at6
dla 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Cowpanoia Peraambucana
n. 12
COMPANIlIA PERNAMBUCANA
DE
Navegavio Costeira por Vapor
Fernando de Noronha
_41- 4.1 Segue no dia10 de fe-
vereiro As 12 horas da
manbha o vapor Giqui4,
'- 1 commandante Mafria.
rRecebe ca ga at o
diam9.
Encommendas, passagens e dinheiros afrete ate
As 4 horas da tarde da vespera da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Per.-amtrana
n. 12.

eaeifie Steam Navigation Companr
STRAITS OF MAGELLAN LINE
O VAPOR
Araucania
Espera-se dos
portos da huropa
at odia 15de fe-
vdeVereiro e seguiri
!paras 080 sguire
do Pacifico depois
da demora do costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
o frete: tracta-se comos
Consignatarios
Wilson Sons tA C., limited
N. 14-RUA DO COMMERCIO-N. 14
Companhia Baliana de Navega-
Vio a Vapor
Mlacei6, Villa Nova, Penedo, Aracajui,
Estancia e Bahia
S0 vapor
Caravellas
Commandant Trindade


Para carga, passages,
a frete tracta-so na


Segue pars os portos
acima no dia 8 de fe-
vereiro As 2 horas da
r-tarde. Recebe carga
iunicamente at ao 1/2
dia de sabbado 7.
encommendas e dinheiro


AGENCIA
7-Rua do Vigario- 7
Domingos Alves Halheus
CO- PANHIE DES MESSAGE
RIES ARITrrIMES
LINIIA MENSAL
0 paquete
Eqnateur
C~'~Z' erao da
desulu
doom-min
do=*
: P i-ra


9 NOWgl-3Wk B^
MBvttK sw rmm



Grande red*6qo 3os pVe~SS dk
pa gens
0 PAQUETE A VAPOR
Tamar
Commandante Hicks


E'esperadodaEuopa no dia
11 do corrente, eguindo de-
-fipo' da demor necessaria

Bahia, Rio d Janelameiro, Monte-
video e Buenos-Ayres

0 PAQUETE A VAPOR
Trent


Conmmandante


Dicklinson
esperado
do sul'no dia 14 do
o crrente, segin-
*do depois da de-
mora necessar1a


para Lisboa. Southampton, etc.
Teorn ptimas aceommodacues.
Passa.qens paras a Europa podem ser torna-
das na ida dos vapors para o st.
Reduaeqo nos pre~os para o Rio
de -Janeiro
1- classes 901000. 3- dita 276000
Para pasagens, fretes, etc., tracts-so com os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howic & C.
3-Rua do Commereio--


CilARGERUBS BEUNIS
Companhia Franceza de Navega.
ao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis-
ooa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos .
Steanmier
Sully
E' esperado da Euro-
pa atW o dia 16 de fe-
vereiro, seguindo de-
pois da indispensavel
.... l demora para a ia-
.....- hia, RiMo e dJa-
nefro e SantoM.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de i
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer reclamaoo concernente a volumes, que por-
ventmura tenhamn seguido para os pertos do sul, afim
desse poderemdar a tempo as providencias necessa
rias.
Expirado o referido praso a companhia mao se
responsabilisa por extravioc.
Recebe carga, encommedas e passageiros, parn
os quakes tern excellentes accommodates.
AGENTS
Augusto F. de Oliveira


&C.


42-RUA DO COMMEROIO-42
(Entrada pela rua do Torres)

NPoo Por Wbe-
Segue dentin dw pomco dial Cbaica nacion]
Ida: para cargo, trita se corn Os conaignatarios
Jose da Silva Loyo & Filho.

United Slates & Brasil Mail S..
0 vapor
*errimac

lE' esperado dos portos do
sul no disA 12 do fevereire, e
depois da demora necessaria
seguiri parao
Para, Miaranuio, S. Thomaz e
New-York
Para carga, passagens, e encommendas, tracta-
se corn os
SaAGENTES

Henry Forster & C.
N. 8 RUADOCOMMERCIO N.
1.- andar

LEiIOE

Terca-feira 10 deve ter lugar o leilao de moves
na casa da rua da Ventura n. 19 na fapunga, pars
onde partira as 10 1/2 horas um trem extraordina-
rio que dara passage gratis aos concorrentes ao
leilao.
Quarta-feira 11 o do pataeho Maggie tal qual se
acha aneourado neste porto. -
Quinta-feira 12 o de moves, pianos, classes,
baneas e mais pertences do collegio S. Casemiro
a rua da Princeza Izabel n. 4.
Sexta-feira 13 o de 1 farde corn madapoloes
finos, 1 caixa com cretones, 1 fardo corn algodiosi-
nho de listas, e outras fasendas limpas o avaria-
das,

2. iefiiio
Da important armaao envidrsaela e urn grande
mostrador de amarello -para cima de balcao,
prestando-se a armagco para loja de calgado,
iniudezas ou cigarros. Garante-se a casa A ru
da Imperatriz n. 36.
Terpa-feira, It0 do eorrente
A's 11 horas
Pelo 'agente Martins

Is Leilao

DE PREDIOS

Terfa-feira, 10 do correnle
A's II horas
CARMO E SILVA
Autorisado por alvari do Exm. Sr. Dr. juiz
provedor de capellas a requrunmento da meza re-
gedor da irmndade dam Aluma ereeta s riz.
do Carpo Sant m cm aeistenoia do msmno Zm.
juix, vendor os predios serviado de bas, a ofter-
tu obtidl no ultimo lelao:
UrMsea u terrea sita arum de mio Dies
i. 49. antics nm Direit.
Urs "ditai a m de LomWs Valottia". n. 76,
-.* rm dmaA o .. .


lello defiitivo
lto de feversir.


S, A' 11 horas
o aa Mu da ru a do Inpcardor u. -22
Rodrlgues, preposto do agent Burlamaqqi pox
alvazie maniatencia do i1m. Sr. juis de Provedo-
ruasis-Oaplla. e a requerimento da meza .regado-
dm dsa dad&odas Almas, ercta sna'matrw de
C0.rpe-4iuto, levarA a 2 leilao definitive. 0 so-
brIadir shares e soto n. 25 rua da Penha,
e ud.ua tmns. .28 & travema do Livrameto
we dviWd base oa preces obtidos em 1I leilao.
Os&1. Oetendetea deade jA poderlo examinar
oa refp$d predios.
-A


Leiiao
Be tons models
.CONSTANDO:
Dw I excellent piano de cauda do bern conhe-
cido fabrieante Playel, umi mobilia corn 1 sofA, 2
console, 2 eadeiras de braco, 12 de guamniVo, 2
cadeiras de balanco, 6 lindos quadros dourados, 2
etteger,1 meza de sofa, 12 eadeirinhas douradats,
1 r iaihm redonda, 1 tapete de sofa.
Gabinete
Uita tabbilia de junco, 2 estantes, 1 meza corn
abas, 12 eadeira, 1 porta-chapeos, 1 reposteiro e
lanaa, eiteira eforro do salas, 1 commoda dojaca-
randioto aniigo.
: Sala dojautar
UnQM. elastics corn 6 taboas. 2 lindos appa-
radorebi" pratileiras e pes torneados, 2 mezas
prs de fwro, 2 ettegers, 1 guard comida, 12 ca-
deiras de junco branco, I cadeira alta para menino
ir a mesa.
S. No sobrado
Um guarda vestido corn espelho, 2 guards yes-
tidos de raiz de amnarello, 2 commodas inteiras,
2 lavatories corn podras, 2 camas de latlo, 2 mar-
quezas, 12 eadeiras e ouaros moves de casa de:
familia.
Tera-feira 10 do corrente
Afnfflatn Pito


JjngiUtu I=ILU
Na ca4 da rua da Ventura n.


Apunga)
As 10 1/2 horas partirA da estagto do Arco de
Santo Antonio urn trem ettraordinario que dafA
passaget 'guitis aos concorrcntes ao leilao, paran-
do o- trem/em froute da mesma casa.
S As 11 horas


Do sobrado


Leilao
de 2 andares e sotea, A
Livramento n. 21


rua do


Agente Britto
0 agents acimi a mandad6 e presents do Illm.
Exmin. Sr.jr. juiz de direito da provcdoria, e a
requerimento da Illma mesa regedora da irman-
dade das Almas erects na igreja do Corpo Santo,
vendera em leilWo o referido sobrado, em bom es-
tado de oaservasgo, cornm a frente a modern e
rende 1:404000(, terreno proprio.
Qnarta-feira It do corrente
A's 1I horas
Bua do Bangel n. 41


Leilao
De urmna mobilia completa e de gosto, 1 espelho
oval, 1 .andipiro de gaz. 2 jarros finos de porce-
aInns, 1 cat frauceza, 1 cabide, 1 guard louca,
I. mesa els(ea corn 4 taboas, 2 aparadores, 1
quartinhei, 1 apparelho do porcelana pars ch&i
dittdo' los pars meno, copog, garrafa, -bacIas
trem de cosgha e muitos outros objected de ds
familiar, achando-se tudo novo.
Ter.afeira, 10 do corrente
As 11 horas
0 agents Gusmlo, competentemente autorisa-
da farA leilao no 16 andar do sobrado n. 72 da rua
de S. Jorge, dos objectos sceima mencionados.


Leilao
Do 51 rolos corn fumo de boa qualidade, barnis
corn toueinho de Lisbos, 1 cefre provays de fogo, 1
selindro americano para I adaria e grande quanti-
dade de moves usados, existentes no armazem da
Rua do Born-Jesus n. 51.
3 Quartafeira, 11 do corrente
As II horas
POR INTERVENVAO DO AGENTE
:Gusm Ao


Leildo
Da casa terrea A rua de Marcilio Dias n. 55,
utr'ora rua Direita, edificada em cheos proprios.
SEXTA-FEIRA 13 DO CORRENTE
I A4 l-f4 her".
No armazeinm da ua do Born Jesus n. 49
0 agent Pi.o l-evaiA noVamente a eillo -por
mandate e em preseonp do Illm. Sr..Dr. juiz. de
direito da provedoria, eapellas e residues, a casa
terrea a rua de Moasilio Dias n. 55, edificada em
chlos propriosisto em virtude do requerimento do
da mesa regedora'da irmandade das Almas, erect
na igreja do Corpo Santo.

.. Leilao
De pianos, mpbilhi, cla nbancos e mats per-
tences do colqb denominado S. CASEMIRO,
coma serum-: -
CoTOO 890BM.,, '
Dots pGu"4 armario, 1 dito de meza, moxos
pars os mes.M, 1 mobilia de faia, branca corn 1
'sofA, 2 cadeiras do braqoo, 2 comlos eom pedras,
e 12 cadeiras de guarnicao, differentes quadros
corn desenhoso'arros pars flores, capiteis para
jarros, flores, t gIarda iestide e 1 tapete forro de
sala.
Carteiras, 41awses, pedras para desenhlics, ban-
coo empalhadbb, tears, mezas para escripta,
quartinhieiras, abides, camis, lavatories e outros
accessories de WH4gio.
Urea metza para jantar, 2 apparadores, guarda
louqas envidrbt dos, 1 apparador torneado, 10 ca-
deiras de amrello, 10 ditas de jacarandil 24 de
jnnco pretos muitos ontros moves existentes no
Sobrade dariaa da Princeza Isabel n. 4
COLLEGIO DE S.CASEMIRO
Quhita-Seira 13 de Fevsxelro
0 ageote Pints legalmente autorisado levari a
leibao o s move. maim objectos acima menciona-
dos pertencenOia.aocollego de S. Casemiro i rua
Princeza Isabel n.41
0 leilao p eii
'IV*;20 1/9 horas

aeiho


Dlef tach-
-t 18l~te6B.1


k do 270 toneladas construido
0lm. Noove Bsmmia, forrado
As LU,.emmaiaBds do:
ak^I JBUW ea, Cttimt*ow-1

sSsSilR- ^'*
BHIH9:; .obsI'*WMnkaMIft


delo de jia
Eate estabelecimmeto far ilO no dia 19 de
fverim orriete por iutft n do ageute Mar-
$tin, A ms do Bom Jesna 11 hor da
maunhl, dos objectos (qhe nao forem resgatados
At6 a vespers) das seguintes cautela, a dinmiro
de contado. Estarao i exposicao tires dins an-
tes.
CAUTELAS


I':"


8.794 Umn rosario de ouro.coarn crucifixo, ouro de
lei e dous ielogios de oturo de lei.
8.801 Um par de brincos ouro de let.
8.809 Uma pulseira de ouro corn brilhantes, um
alfinete corn ditos, um par de broncos corn
dites, duas pulseiras cravejadas de diaman.
tes e fios de perolas, um alfinete e um par
de rozetas cravejadas de diamantes; umn fio
de perola, urma corrente pars relogio e um
relogio aura de let
8.818 Urna cruz do aura cornm pequenos brilhan-
tea, urma volta de aura, um par de brincos,
uma corrente para relogio oauro de let; tre-
ze colheres pars chi, de prata.
8.822 Um alfinete, um trancelim, dons pares de
rozetas e umarns cruz aura de le.
8.847 Dous alfinetes, tend um tres pequenos bri-
lhantes, urma volta de aura, dous pares de
rozetas e urmea cruz, ouro de leit,
8. 850 Um par de rozetas de ouro cravejado de bri-
lhantes, um anael corn ditos, urma salva e
um paliteiro prata de lei.
8.884 Dons alfinetcs, um par de brincos, urma me-
dalhs, um crucifixo, um cordao, um dedal e
um annel ouro de leit.
8.886 Urma volta do ouro para senhora.
8.897 Urm bulle e um castioal, prata de let.
8.904 Urma pulseira, urma volta de ouro, duas me-
dalhas pequenas, um trancelim, um par de
brincos, uma crz e um annel, oauro de lei;
dons alfinetes, urma medalha e um annel,
ouro de lei.
8.906 Urma volta do ouro e uma cruz, ouro de
lei; uma pulsecira, umn alfinete e um par de
brineos, aura baixo.
8.911 Seis bates de aura corn brilhantes peque-
nos e um relogio de oura.
8 945 Um alfinete e urn par de rozetas corn pedmas
finas, aura de lei.
8.967 Urma volta de ouro cornm lao e uras meda-
lia, our de leit.
8.977 Um annel de ouro coarn brilhante.
8.978 Um correntao para relogio e urma pulseira,
aurao de leit.
8.986 Dous alfinetes e dous pares de brincos, ou-
ro de let.
8.987 Um par de rozetas de odro corn dous bri-
ilhantes pequenos e um par de botoes corn
ditos.
8.988 Uma corrente dupla para relogio, aura de
lei.
8.997 Um relogio de aura pars seniors.
8.999 Um relogio, ouro de lei.
9.011 Um cordio s umn pIouteiro, ouro de 16 qui-
S lutes.
9.012 Duas salvas, Frata de lei.
9.020 Um par de rozetaJ de oiro corn dous bri-
lhante, umn anuei coin ditos e diamantes.
9.022 Um par de rozetas de ouro corn brilhantes
em circulo.
9.023 Um relogio de ouro.
9.024 Um cordiLo d, wocro corn bentinhos, ouro de
lei.
9.035 Um relogio ,, o,'ro.
9.036 Uma correntb? c inedalba, onik, para relogio,
aura dc le.
9.042 1trancilim e du.is puleeiras, ouro de let,
uma cruz corn o cruscificado e uma volta
de contais, ouro baixo.
9.043 Ura cru. de aura corn brilhantes pequenos.
.um fi o de pewaos, 1 trancelim e 1 um deal,
aura de lei, I paliteiro, urma concha pars
sops, 12 colimerer para sops e 12 dits pars
chi, prata de i..
9.044 1 paliteiro e uina salva, prata de let.
9.045 1 emblem doa Concei.ao, 1 umn cerd&), urma
gargantilha, orro de lei.
9.051 Urma corrente :e medalha para relogio, urnsa
S dita para eenbora, 1 trancelim, urmsa oneta,
1 deal, ourc, de lei e 1 relogio de aouroa.
9.058 1 par do briwncs de ouro eom brilhante,
urma cruz cotrn ditos e uma pulseir, ouro
de lei.
9.070 Umns pulseira, uma seta e 2 alfinotes, ouro
do l W.
9.9072 Va corrente para relogio, ouro do lei.
9.075 Uma volta de oauro, 3 anneis, tenoad em um
Ipequeno brilhante.
.0 Umra U pulseira, ouro de lei.
Os=-t 1 ael de aoura corn biUhes, 1 par
d oin" aura ode lei, am ;b
-t e I par do roieWa euo baixo.
^J^^li1^'11'e au^fsit'm drm.,


q ;'i "" '--'
-t ,: -


AVISOS DIVERSOS


A queni inler ssar
0 abaixo assignado, testamenteiro e inventa-
riante nesta cidade, do finado Francisco Jose da
Silva Mayer, convida aos afilhados deste, a no
prazo de 15 dias apresentarem as respe.tivas cer-
tidoes de idade, A rua do Principe n. 52, afim de
se habilitarem a receber a quantia de 50; que em
testamento foi legado a cads urn. Recipe, 7 de
fevereiro de 85.
Jose dos Santos Coelho.

Ama
Precisa-se de uma ama para comprar, -cosinhar
e que engomme bem r; na rua da Ilha do Carva-
lho, antiga rua Bells, n. 26.

Lympha vaccinica
chegada pelo ultimo vapor, vende-se na botica
franceza de Rouquayrol fr6res successores de A.
Caors, A rua do Born Jesus n. 22 (antiga da
Cruz).

Precisa-se
Um commodo independent para alugar-se a
uma familiar de duas pessoas : quern tiver an-
nuncie pars ser procurado.
-= Cabelleiras, barbas e bigodes abolicionistas
de cabello natural: na rua larga do Rosario nu-
mero 22.
Precisa-se de uma cosinheira : na rua di
Imperatriz n. 15, 2- andar.

Caixeiro
Precira-se de um menino pars Beberibe ; a tra-
far corn Antonio Dnarte, a rua da Unibo n. 54.
Celestina Monteiro da Silva Martha, viuva
de Jos6 Martins Monteiro, moradora i rua d'As-
sumpeAo n. 56, pede um soccorro pelo amor de
Deus sos Srs. negociantes e empregados publicos,
para coadjuvano de uma casa pars morar corn
seug filhos menores, sua mai e uma irm. Acho-
me despejada da casa pelo fiador e principal pa-
gador. Ha 4 annos que este senhor me faz esta ca-
ridade; o nio podendo mats fazer esta esmola
por ter grande familiar, deuxa de ber fiadore nao
concorre mais corn os alugueis de dita case.
Tenho sido citada varialu vexes par sahir da
casa por todo este mez, sob pena.de r paro meio
da ruan corn minha famila e o eaeoe. E ro en-
carecidimente ser attendida plos le a
quem fa o este s pedido, e que tenham compali-
io desta pobre doavallida corn meis inufoli, sere
ter recurso para sua morada.
Cele.iaa Mmew o & M. N
-Aluga-se na rua Imperial daMw a
de paaria, eWMforao e u._ o9 duen
radia. ns. 198e 199, p. .' ,
a o JoWe PelLaao d n NaWi W
d Pedrom Afbnso (outr'ora-s 4 i,



a m.:m.1
Vp^"E '.- 7-"

'*-'t*": "::'"B
^^.^.-o'^ ^ -- .. ,^


. L -"


s.OL 3L:
readorwmatro(ee
to Mello 0 ~wpuv


,I


Numeros:
S8.085 1 correntid, urna corrente pars relogio e 3
anneis de aura lei um relogio do onro, uma
salva e unma escrivaninha prata de lei-
S8.274 3 alfiaetea, un par de brincou, um dito de
rooetas, 8 anneis, 5 botoes pars college e 3
para abertura ouro de lei.
8.329 1 alfinete para retrato, 1 par de brincos,
ouro de lei.
8.348 Umna pulseira, 1 trancelim, 3 voltas de dito,
um par de brincos, 4 anneis, um par de
botOes e um emblem da Conceicao, ouro
de let.
8.358 1 alfinete de ouro de lei, 1 relogio de ouro.
8.593 1 relogio, ouro de let.
8.597 Urma corrente pars relogio, ouro de lei.
8.605 Urma pulseira, aura de lei.
8.610 1 alfinete, um cordio, urma medalha, 1 par
de um dito de rosetas, 02 pares de botoes,
urma moedinha, 3 trees anneis e 1 dedal, ouro
de let.
8.613 Urma corrente pars relogio, uma pulseira, 2
medalhoes e uma volta de cordon, ouro de
let, urna pulseira, aura basizo, urma cruz cra-
vejada de diamantes.
8.628 1 par de brineos e 1 dito de rosetas, aura
de lei.
8.638 Unma pulseira corn 1 brilhante, urma volta
de ouro de lei.
8.644 Urma eraz de cuo de brilhantes, 1 annel
corn dito, 1 dedal e 2 anneis oura de leit.
8.657 1 annel de aura corn um brilhante e 1 re-
logio de oura.
8.662 1 relogio ouro de lei.
8.673 2 anneis de ouro corn brilhantes, urna vol-
ta de cordao, 1 laco. e 1 annel, ouro de lei.
8.675 2 alfinetes, 1 ponteiro, 2 e mcio pares de
botoes para punho e 4 bot5es pars abertu-
ra, ouro de lei.
8. S91 1 trancelim, ouro de lei.
8.700 Urma pulseira, 1 traucelim, duas voltas de
dito, urma moedinha de ouro corn lao e uma
medaiha, ouro de lei. a
8.710 1 par de brincos de aura corn brilhantes,
urma cruz corn ditos, 1 par de brincos e 1
S fio de perolas.
8.715 Uma corrente dupla para relogio, ouro de
lei.
8.717 Urma volta de trancelim, 2 pares de rose-
tas, 2 alfinetes, 3 bot5es e 1 cora'io de cor-
nellina em ouro de let.
8.723 Urna pulseira, ouro de let.
8.726 Urma corrente pars relogio, aura de leti.
8.727 Uma corrente para relogio, 1 relogio dde
aura para senhora, aura de lei, 1 paliteiro
prata de lei.
8.740 1 trancelim ouro de lei.
8.741 Urma pulseira oearn brilhantes, urma cruz conm
corn ditos, 1 par de rosetas e 3 botes corn
ditos.
8.751 Urma corrente para relogio, aura de lei.
8.7561 relogio aurao de lei.
8.771 Urma eorrente pura relogio ouro de lei.
8.775 Duas pulseiras, um alfinete, cinco.pares de
brincos, trees ditos de rozetas, uma veronica,
um emblem da Conceican, ura cruz, um r
par de bot5es, um dedal e cineo anneis ou- c
ro de let.
8.780 Urma pulseira de onuro corn pedras finas.
8.781 Um trancelim e urma moeda pequena corn
laco, aura de lei. c
8.791 Um par de rozetas de aura cornm bnrlantes,
um annel corn dito e urma corrente para re-
logio, ouro de lei.C
8.793 Um par de trinchantes, dous bulles, um as-
sucareiro, uma leiteira, urma tijella, um pra-
to e tampa para manteigueira, um jarro e -
bacia, urma escrivania, um paliteiro, onze
colheres para sopa, doze ditas para chA, E
onze garfos, doze seas corn abos de prata
e tres conehas pars sopa, arroz c assaucar,
prata de lei.


9.094 1a doed ouro am
de brines 1 Uanel, OW
9.095 1 annel de ou'roM earn MR ....
nha de ouro e 1 dbd&4 om du e l-.'S
lheregsde"prata. ... ^
9.096 1 annel doauro corn brlhate, 1
corn dito, uma moeda do ouro am ge&
1 par de argollUs, um medalha, 1 aneWS I
urmsa peca para rosario, 5 peeW par er,
Steiro, ouro de lei.
9.098 Urma volta de trancelim e 9 teteias, urmo.
de lIi, 1 relogio parm senhora, ours
de lei.
9.105 urma vblta do trancelim e ru medaldha,
aura de lei e 1 relogia de euro.
9.107 Duaae correntes parn relogio, 1 medalhio
de onik, ouro de lci,
9.122 1 relogio de aouro.
9.123 1 cordi.o e una cruz pequena, de ouro.
9.133 Urma pulsetra, ouro de lei, urma dita, ouro
baizo.
9.147 1 relogio, ouro de lei.
9.153 3 pares de rosetas, 3 boties e 2 anneis,
ouro de lei.
-.-*"
9.160 Una corrcnte para rclogio, ouro de lei e 1
relogio de ouro.
)9.161 1 par de rosetas de ouro corn brilhantes
em circulo e umn cruz corn ditos. .
).162 1 par de rosetas de aura corn brilhantes em
cm circulo, 1 annel cornm. ditos, 1 par de
rosetas corn diamantes, 1 alfinete e 1 pa
de brincos, aura de lei.
166 1 trancelim e urma medalha, aura de let. o
9.176 1 alfinete, 1 par de brincos, uma cruz e 4
anneis, ouro do lei.
181 Uma pulseira aura de let.
D.182 1 alfinete de ouro, 1 par de rosetas e
anneis cam brilhantes.
'. 183 1 cordao e uma cruz oaura de lei.
). 184 Duas pulseiras, 1 trancelim, urma volta de
ouro, urma medalaa, 1 alfinete, 1 par de
brincos e 2 anneis, ouro de let.
.190 1 eorrenUtio para relogio, aura de lei.
.191 1 tranceliriu, uma medalha, um annel ouro
de lei, cinco moedinhas de ouro em botoes.
.193 1 trancelim, urma medalha e dous alfinctes
ouro de let, urn relogio de ouro.
.1941 um annel de ouro corn um brilhante e urma
pulseira corn ditos.
.195 corrente para relogio (senhora) e cinco te-
teias ouro de leit, um relogio pequeno, ouro
de lei.
.198 1 par de rosetas de ouro corn brilhantes e
urma salva, prata de lei.
200 1 par de rosetas de ouro e um annel corn
brilhantes.
201 1 annel de ouro e trees bot5es corn brilhan-
tes, urma volta de ouro corn medalhao, duas
correntes e duas medalhas para relogio e
umn par de brincos ouro de lei, sets moedi-
nhas de ouro em botoes.
.205 2 bot5es grandes para punho, aura de Iei.
.206 Urma cruz de ouro corn brithantes, e um par
de rosetas corn ditos, duas pulseiras, uma
volta de auro, dous trancelins, um par de
brincos e um alfinete ouro de lei.
. 209 1 par de brincos do aura cravejado de bri-
lhantes, um par de rosetas e uma cruz corn
ditos, quatro pulseiras, duas voltas deaou.
ro, urma corrente e medalha, urn trancelim,
dous pares de brincos, cinco alfinetes, um
medalhao, uma cruz de ouro ouro de lei.
.211 Urma corrente e medalha para relogio, e
um relogio, ouro de lei.
.213 Urma pulseira ouro baixe.
.214 1 annel de ouro com um brilhante e um al .
finete corn ditos.
.215 1 miedalha, um par de rosetas, um barrcto
ura cruz e trees anneis, ouro de lei
.216 1 afirnete, um par de brincos, um dito bo-
t5es para punho, um trancelim, urma moe-
dinha e dous betoes, ouro de lei, seis moe-
dinhas de ouro.
.218 1 corrente para relogio e um relogio, ouro
de lei.
.235 Urma pulseira, um alfinete, um par de brin-
cos cravejados de brilhantes e diamantes.
.236 1 par de rosetas de ouro corn brilhante, um
annel corn dito, um annel corn esmeralda e
brilhantes, urna pulseira, urna volta de au-
ra corn medalha e quatro anneis, ouro do
let.
.239 Duas correntes'pars relogio, uma medalha,
um transelim corn medalha, aura de lei.
.242 Ura cruz, aura do lei.
.243 1 alfinete de ouro corn brilhantes, urna
corrente para relogio eum cordao aura de
lei.
.247 Urna pulfeira e 1 annel cam brilhantes, un
pam de brincos, duas rosetas, urna medalha
c quatro anneis, ouro de lei.
.259 3 anneis de aura corn brilhantes.
.267 1 annel de aura corn brilhante.
.273 2 pares de brincos, 1 dito de argollSes, 3
peas de brinces, 1 annel e una roseta de
aura.
Recife, 31 dejaneiro do 1884.
0 gerento.
Francisco Joaquim Ferreira Pinto.


a
n
b
T
p
b
d
i
(
d
n
f(
q


19 (Ca-


^"
<* *'
^
*^-


, **1


t


I k--Y
























f r -\q\
Precisa-se de urma criada para casa de fa-
milia, paga-se bern ; a tratar na rua Nova n. 39.
loja.
Quem precisar de uma senhora parm ensi-
nar primeiras lettras, flores de couro e madeira,
dirija-se ao Caminho-Novo n. 128. Na mesma
casa se dirA quem vende nm xarope vindo do cen-
tro do sertao para molestia do peito e asthma.
Precisa-se de um menino para criado, que
saiba comprar : a tratar na run do Barbo da Vie
toria n. 54, nova agencia de moveis.
Aluga-se a 8000 urmas mei'aguas novas,
na trkvessa das Barreiras (becco do Aquino) ; a
tri tar na rua do Cotovello n. 25.
Precisa-se de uma ama que saiba cosinhar,
para pouca familiar ; na travessa da Lingueta nu-
mero 2.
Precisa-se de uma ama para cosinhar ; na
rua Nova n. 61, 1- andar.
=- Precisa-se de uma nama para casa de home
solteiro, que cosinhe, engomme e lave.
P '


4p


I-mA


DE


CO9TURA


RUA PRIMEIRO DE MARCO N 20.

Grande variedade de diversos tedidos de algo.

Sd'o, la e seda apropriado0s para vestuarlos de

4tz MASC&ARAS e por preCos ba-


FUADIE10


iE FERRO
DE


CAARDOSO & IRMAO
RUADO BRi[M1 N.M100A104
DiEPOSITO EA B J APOLLO 18. 2 B
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas relaoses directs


comn os melhores fabricantes,


e corn um dis-


tincto engenheiro de Inglaterra, offerecem
grandes vantagens para encommendas, como
provamcorn os apparelhos completes assen-
tes nos engenhos Massauassu' e Bosque, e
meio apparelho no engenho Concei~ao.
MACHINAS a vapor trabalhando s6 corn
o fogo do assentamento, podem ser examina-
das as que foram assentes nos engenhos Be-
lem, em Timboassu', Cucau, em Gamelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidra-o em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e
Parahyba.
Chamam a attencao dos Srs. agricultores
para os novos vapores que temrn recebido do
dereditado fabricante Robey, que se recom-
mendam pela facilidade de conducqao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand6
de mencionar os engenhos em que os tern col-
locado, porja terem vendido 85 para diversos
lugares, e por issoja devem ser bem conhe-
cidos.


Sao os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da collocaao e por sua
dura'Nio.
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a agriculture, tmrn sempre grande depo-
sito, send tudo da melhor qualidade.
Tender a prazo ou a dinheiro corn des-
colato.


PAMACVIA E CMG1DE Ift.
ToSSE,ASTHMA,BRONCHrrE.
COQUELUCHE ouToss[ CONVULSIVA
Tisica ePulmonar.
Prcmra do eB.,Df.J C.AYRi&CBMIJa L MaE.VA
DEPOSIT GERAL
13-*lun Primeiro de Marco-18
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAISMQN O1VWIE C.
N. 3 =- Rua do Conmmereio = N. 3
A venda em todas as boticas e d-ogarias


SINGER! SINGER!I
CMIA8 DE CO8TIRA KACHINAS DE COSTURA
VENDAS DO ULTIMO ANNO 603,292
Quemn ndo tern ouvido fallar das famosas machines de coluras de
Singer ?
tEm prestao6es semanaes
DE


18-000
Quando o pagamento por este system se
effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
de 56000.
Abatimento de 106000 a dinheiro 4 vista.
=Roga-se aos pretendentes do virem ao es-
criptorio da companhia para informagoes cir-
ecumstanciadas.
___ Inmensa e real vantagem 6 obter-se o
mnelhor artigo nas melhores condigoes.
De hoje em diante ninguem comprark senlo a verdadeira
machina de SINGER

PORQUE?
1.0 Por ser incontestavelmente a melhor, mals forte, mais bern aca-
bada, mais samples, mals duradoura, a unica que tern obtido mais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais do 100 imitadores.
2.0 Por existir um deposit succursal da propria companhia, onde so gran-
te estas maehinas por um tempo illrmitado e onde sempre se encontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.0 Finalmente, porque aquellas pessoas que ate o present, por falta de meios,
nao podiam satisfazer o seu desejo comprando uma d'estas excellentes machines,
podem agora corn toda a facilidade compral-as minediante a modica prestagao do

1$000 POR SEMANA!
Recommendamos corn insistencia-d o se Illudam 0cor n as machinas
que trazem o nosso nome e que nao passam de RUL IN 1wr 1-
TAVOES.
Vendemos tambem linha superior, retroz em carreteis, agulhas, 'deo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e por pregos
sem competencia.
0 unleo deposit das verdadeiras machines de singer na
Rua do Cabug4 n. 1 A, Pernambuco
Direcq o geral da America do sul....101 rua do Ouvidor 101.
Rio de Janeiro. Casa matriz...34 Union Square, New-York


Tenente hlareolino Dias de Araujo
D. Joaquina Marcolina da Fonseca Araujo, suas
filhas, o vigario Antonio Graciano de Araujo Gua-
rita e conego Dr. Luiz Francisco de Araujo, viuva,
irmao e primo co-irmao do finado tenente Marcoli-
ne Dias de Araujo, agradecem do intimo d'alma aos
Illms. Rvdms. Srs. conegos e de mais sacerdotes,
bemrn corn a todos os illustre cavalheiros que se
dignaram de assistir ao funeral do finado e ao
acompanhamento dos restos rortaes a seu ultimo
jazigo; e convidam aos parents e amigos para as-
sistirem As missas que serao celebradas no 7. dia
do seu passamento, As 7 horns da manha de 9 do
corrente na igreja de Nossa Senhora da Conceiao
em Olinda e na matriz de Gamelleira; desde jA
antecipam seus agradecimentos por este acto de
caridade e religiAeo.


Candida Maria Ciomnes de Car-
valho
Bernardino Gomes de Carvalho, Delfino Cor-
reia Braga, Maria Leobina Braga Loyo e Manoel
da Silva Leal Loyo, esposo, filhos e genro de Can-
dida Maria Gomes de Carvalho, fallecida A 5 do
corrente, agradecem a todos que acompanharam c
corpo ao cemiterio de Santo Amaro, e convidam-os
assim como aos parcntes, amigos e conhecidos
para assistirem a missa do setimo dia, que seri
rezada na matriz do S. S. da Boa-Vista no dia
11 do corrente mez, As 8 horas da manha. A to-
dos ficarao agradecidos.
Ama
Precisa-se de urma ama para cosinhar em casa
de familiar ; no largo do mercado n. 25.

Ama
Precisa-se de uma ama para duas pessoas ; na
run estreita do Rosario n. 32, bilhar.
Criado
Precisa-se de um criado de 14 A 20 annos, part
casa de familiar ; na run Formosa n. 37.
Medico
0 Dr. Joaquim Camara fixou sus residencia n'.
cidade de Palmares, oude p6de ser procuradc
para os misteres de sua profissao.
Ama
Precisa-se do uma cosinheira para casa de fa-
milia : na rua Nova n. 45, 1 andar.
Aviso


JA chegeu para o unico agent nesta provincial
o acreditado kerozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha 6 venda no unico deposit
run do Born Jesus n. 38, junto ao correio.
FPrto
Furtaram do engenho Minas-Novas, aa noite
de 31 de janeiro proximo find, uma best russa,
grande, bastante gorda, e quasi em dias de pa-
rir, tend na anca do lado esquerdo a lattra A, e
direito V ; quern a apprehender leve-a ao dito
cngenho, que serA generosamente recompensado.
Caixeiro
Precisa-se de um menino de idade de 12 annos,
para caixeiro de taverna ; a tratar na rua do
Visconde de Goyanna n. 1, preferindo se na-eional
e que dM garante A sua conducts.


AM*
Precisa-se de una ama pmara casa de familiar,
na rna Formosa n. 37.
- Na run do Coronel Suassunia n. 147, lava-se
e engomma-se para hq;oem e senhora. .


ratissimos, assim como velbutlinas e artigos proprios

para o mesmo fim, na antiga e bem conhecida casa da

RUA PRIMEIRO DE MARC.O N. 20


-- Uma senhora estrangeira, fallando o por-
tuguez e corn muita pratica de governante, offe-
rece os seus servings, preferindo casa de enge-
nho. DA as melhores informa5es : 0 Sr. Cini,
no hotel do Universe, rua do Commercio n. 1, in-
dica onde p6dc ser procurada.


EHYPOPHOSPHITOS~

0 D' Churchill, autor da dlcscoberta das
propriedades curativas dos Hypophos-
phitos no- tratamento da tia'ca pulmonar,
tem a honra de participar aos seus colleges
medicos, que os unicos Hyp)phosphitos
reconlihecuns e recommendaklos por elle
sao os quo 7-repara o Sir. Swann, phar-
niaccutico, 12, rua Castiglione, Pariz.
Os Xaropes de Hypophosphitos de
Soda, Cal e Ferro vendem-se em frascos
quadrados tend o nome do rD' Churchill
no vidro, sua assignatura no envoltorio e
na tira de papel encarnado que cobre a rolha.
Cada frasc. verdadeiro leva alem d'isto a
marca de fabric da Pharmacia Swaau.


Etienne Dumax i
Madame viuva Dumax e mademoiselles Marie e --
Claire Dumax, summamente reconhecidas a todos
que acompanharam, ao Cemiterio Publico, os res- Vandem-se em todas as Pharm.cias.
tos mortaes de seu presado marido e saudoso pai. ----- .... .... .-. -
E. Dumax, chancellor dc consulado de Franca;
roga-os ainda, e aos demais amigos e conhecidos,
0 caridoso obsequio de assistirem as missas que no CONTR
din 10 do corrente, setimo de sea passamento, as Defluxn, Grippe, Bromohitow.
8 horns da manh,, sero celebradas na igreja ma- r0f.doVlta,&*XAROP*aPASTAM-
*WW do Aft do IDELANGRENWlR Ao &e ;was
triz da Boa-Vista, pelo eterno repouso de sua *ffi o ot por Mmnlpoa dit bLda m6
alma. de oMad iw da Yn
Antonio A. G. Rora | PsW Tos- d ou Coq Telu he.
Jose Marcelino da Rosa (ausente), seuns filhos e PAWS- E aMma cwis
genros, rogam aos seus parents e amigos o cari- DO .U.o
doso obsequio de assistirem as missas qup man-
dam calebrar no din 10 do corrente, As 8 horas,
na igreja da ordem terceira de S. Francisco, por --_-"
alma de seu presado tilho, irmao e cunhade, An- e .a/o S t seA
tonio A. G. Rosa, fallecido em 3 do corrente. Des- S l o$ LU CA
dejA se confessam summamente reconhecidos. AO CHLORHYDR
S0 olb podereo doa recoutituint
FfwQseM geral, Anemia, Chlorosis, Tit
de OSSos, Crescimento dictt daot rManfa
4 Paris, COIMMe, ?fh, 79, rns o Chi
Oti 0.^-.^----^-----


D. Maria Adelaide Braga da
Silva Oliveira
Francisco Jos6 Regallo Braga e sua esposa,
Bernardino Lopes de Oliveira e seus filhos, Fran-
cisco Joae6 Regallo Braga Junior (ausentes), Lino
L. Regallo Braga e sun eoposa, convidam a seus
amigos A. assistirem as missas que mnandam resar
no dia 11 do corrente, As 7 horas da manha, na
matriz de Santo Antonio, pelo eterno repouso
d'alma de sua sempre chorada filha, esposa, mai,
ismi e cunhada, D. Maria Adelaide Braga da Sil-
va Oliveira, fallecida em Lisboa no dia 23 do mez
proximo passado ; por cujo obsequio se confessam
ainceramente gratos.
AMA
Precisa-se de uma que cosinhe, compare e durma
em casa; no cases do Ramos n. 28.


Ama deleite
Precisa-se de uma 6. rua Augusta n. 187 1
andar.
Precisa-se de um caixeiro para padaria, de
14 a 16 annos de idade : a tratar na rua da San-
ta Cruz n. 3.
Ama
Precisa-se de uma ama para todo service de
casa de pouca familiar, A rua de Pedro Affonso
n. 11.

Cravos eflores
Vende-se constan-
temente na rua da
Uniao n. 53.








ROWLANDS
KALYDOR
fRo oriental e vegetal pars afornmsear a c6r e a
ft deapparecer as Sardas, a c4r trlgur*
tada, Mordeduras doe Insecto e todfa Erug
jW ft Durnte o temrnpo de calor e un
gwm. te refrigerat,4t pra 6 Rosto, as EWoia
t Brpm. E' completamemne inoffensiva -A aga
MLAWNDS KALTDOR de 20 Hatton Garden, LONDREI
111w" em tod& is Diogaria e PV rTwi

MOLESTIAS dos BRONCHIOS e da GARGANTA
(DOefuxos, Catarros, Coqueluche, Laryngite)
XAROPE e PASTA de VAUQUELIN
PARIS Pkaf1, rua de CWry, eem todas Phi earogia&
QI ,1 0 8 M-- -- !ML_ -


I


| E XPOSITION 1 iUNl 1878
| uillo dOr*'Croix do Ckw r
SWPLUS M HAJTFS RiOMPERI3

AQUA DIVIIA
E.COUDRAY
DTA AAUA D OkiAUE
ptaMisaS parma o t0ucador, como w
consteatle as cores da ocidade.
pimmT~Ado da pkle e do cbOxi mdiau.
ARTOS RECOMMENOAOOS
I'RFUMAIA DE LACTRINI
bsMMeia jistaL 6e1*rluie4 letns.
60TMJ CONCENTRADAS para o CW.
OLBOCOME par a beileza dos culM.
EVE$i TI60S ACHAM-SE NA FA)IIO
PAsiS 13. !m d'Emgbiei. 1 PUsN
i O Om e dIA PerftMins, PWumuA
o Cabeerdrs 4 AmrA.
i .3-pirnSSMiSM-


FPILUS do oDTCRONaI
de IODURETO de FERRO 0 de QUINIA I
ftTPJVTA AXOSftbom Exlto temndemoaat. -a&
a aefficamla incontestavaliiestu Pilulas~queewoeraunm
Poein usas propriedades tonicoa e d#p erartws,
0 o@oUUZTO i i n~ea@asotyC~^
0 o dndo asn1e6t h ostiiv costra 0
i M do 9 -stomago Vphloros. 4e mla
SPoerda do Vippetite
SCahapo-EmpobreeCmoflo tdo Sa ge
iffeefftl escroflhlowat, etc.
DoSiAto eral: 9. va ido GreDflflit4OleU1I PFilth
0 mbft o :amuto P n" X. da BILVL CP.
fogSBO^OO


DRONCHITES, TOSSES, Catarros Puimomm,
DEFLUXOS, Molestias do Peito, TISICA Asms
CURA -'.APIDA E GCGTA PILAB

Gottas Livoniennes

C tm CrG9OTrB de PAIA, ALCATIO e ORUIPUBGA e BAUAMfO SC 2rOW
Bgte prOpara&o, l2fallivei para curar radioalmonte todas as Molestio& daw VTh
Slhiltorlme, 6 reo.minendado pelas Notabilidades medical cao o unJco efflcaz.
6 unse mrndioamento quo em do nlo fat/igar estomago, e- fortifIe, mstitu e depert .
ao SpsIt ; duas lottas pela stanhi e d tarde bastam papa triumphar do# o ascs rebJ ;so.
DZE U> 8XIOzB o aBELLO E GARANTIA DO CVBO .nAw o 4m
Dpit@ principal: TROUETTE-PERRET, 165, ru Saint-Antine, PAlSA
fEra 1'ernnt~~buu Francis0o A. da SILVA & c", e nas princinaes Pharmaclas. 4
A, ik 0 ~ -A -AA -


V$ MjiDIGAMENTO de .m go0o agradavel, adoptado coro tA e ito ba mai de
i amw plos melhores IF d 4icoa de Paris, ea os De .f, Ve, Fosse, Dow es der par-
-u ChtefrvAo pult"eon, frtc e i dopeitUc, das ViM urti nsr f a da exign. Pt Ms,


LI33 hY1


Vinflho de Peptona Pepsica de Cbapoteaut
Pharmaceutico de oa Classe em Paris
Admlttldo nos Hospitaes de Paris. -. Approvado pela Junta central de Hygiene do Brazil.
MARCA DA FABRICA Nutrir os enfermos e convatescentes sem can~ar-lhes o estoinago foi o problema reolvido
por este delicioso alimento ; cada calice cont6m, corn effeito, dez grammas de came db vacca
completamente digerida, assimilavel e despojada das rartes insoluveis indigeriveis. Obra como repar-ador em t das as
tiBw9s do estomago, figado e intestinos, digest6oes labo'iouas, repugnancia pars os alimaentoe, anemia,
XtOua iao cauwada por tumores, affecgoes cancerosas, dysenteria, febres, diabetes e em todos os caso' em
que 6 preeiso nutrir o doente, o tisico, e sustentar-lhe as forces por meio de alimentaCao reconstitiinte que era, vIo se
procuraria obter orn extracts de care, care crua e caldos concentrados. 0 VINHO 4 ICAPOTEAUT 6 o ntl.itivo
Spor excellencia dos velhos e das creanmas, assim como tambem das amas de leite Cljo leite enriquece. ;
80"Bft a P400, St BPA ViypN! a nag. PINM9",


Ur .- .- -l I


AIDO PHROSPUATODEHORFORD
preparado em harmonia corn a formula do
do professor E. N. Horsford, do Cam-
bridge,
para indigestfio, prostracao mental
e pliysica, snores nocturnos, etc.
E' esta uma preparaAo de phosphat0
de cal, magnesia, potassa e ferro corn aci-
do phosphorico, de tal form comrbinados,
que mui facilmento se assimila ao system.
NAo diverged as opinioes na elevada
autoridade medical, relativamcnte ao me-
rito dos phosphatos; entretanto ate hoje
nenhuma preparag-io se offereceu ao pu-
blico quo corn os mais felizes resultados te-
nha satisfeito A necessidade geral, como
esta.
E' agradavel o paladar, e sua acqao se
harmonica perfeitamente corn os estimu-
lantes que seja necessario tomar-se.
Os medicos mais celebres dos Estados
Unidos tern ultimamente empregado o
Acido Phosphato corn melhor exito
para combater os maos effeltos pro-
duzidos pelo effeito do fumo.
Faz unm delieioso tonico sim-
plesmnente comn assuca e agua.
Para mais informaO5es trata-se corn:
Adanmson Howie & C.
3 Rina do Commerelo 3


k /


,- = + .'-' "- ,-


I


U,


0 COIRRE Jr te
O-PHOSPHATO DE CAL
e adoptado por todos os Medicos da ir ]W
t ea chexia, Bscroful.ts. RaclHtov, Dia[m
s, Vastio, Dyspepsias.
ercle-lidi. -- 5opaitou aas priadp.


mw


.-- A-rq w -
* .ch y
.' .


I


I



















Participam ao res-
peitavel public, que
continuam ter um sor-
rimento de joias das
mais modernas e dos
mais apurados gostos.

Compromettem-se
a vender mais barato

doque emoutra qual-


quer part.



Criada
Precisa-se de uma qne saiba cosinhar corn per-
foico para casa de rapaz solteiro; a tratar na
rua Duque de Caxias n. 59, loja.

Afogados
Becco do Quiabo, sahlmdo parsa a estrada do
Remedio, tern para negociqr-se uma boa taverna
para priucipiar a vida: la mesmo se dira corn
quem se 'falla.

4Ao cominmereio
Rodrigo Carvalho da Cunha e Candido Augus-
to de Albuquerque Sobral scientificam ao commer-
cio ou a quern interessar, que em 31 de dezembro
proximo passado dissolveram amigavelmente a so-.
ciedade que tinham no estabelecimento da rua
Duque de Caxias n. 67, sob a razao social de
Rodrigo & Sobral, retirando-se o socio Rodrigo
Carvalho da Cunha pago e satisfeito do seu capi-
tal e lucros, ficando o soeio Candido Augusto de
Albuquerque Sobral de posse de todo o active e
responsavel pelo passivo do mesmo estabeleci-
mento. Recife, 6 de fevereiro de 1885.
Rodrigo Carvalho da Cunha.
Candido Augusto de Albuquerque Sobra!.

Im41
Precisa-se de uma ama para cosiuhar e de ou.
tia para andar corn criangas : na rua do Apollo
n. 2, 1- andar.

Ns111
Perdeu-se urn bilhete inteiro da loteria eman-
cipadora de 10:000Z, que corre no dia 17 de cor-
rente. Pede-se ao Sr. thesoureiro que nao pague o
premio que tiver por sorte, semn ouvir ao abaixo
assignado, rua Duque de Caxias n. 23.
Jos6 de Figueiredo Carneiro.
Ama
Quern precisar de uma ama para engommar, se
dirija A rua do Geriquity n. 23.

KAl iis1in io rimaria o so-
coni siparsi X feiuin0

RAa Ja Princeza Isabel u. 5
Rita de Je us Bastos avisa ao respeitavel pu-
blieo que continue a ensinar primeiras lettras,
portuguez e francez, bemrn como todos os trabalhos
de agulha e bordados.
Urgencia
Qnem se achar habilitada a fazer corn muita
perfeigio vestidos de senhora, criangas e mais
trabalhos de urn complete toilette, em suas casas,
queira mandar a esta typographia sua morada e
os pregos dos vestidos e mais trabalho, em carta
fechada, corn as imniciaes==W. H.

Botica do Recife
Sobre direcceo do pharmaceutico
ALPHEU SOARES RAPOSO
Piomptifica-se as receitas eom a maior preste-
za e cuidado a qualquer hora do dia e da noite :
r.a rua do Born Jesus (antiga da Cruz) n. 26,
Permn mbuco.

hIogfao iffliololeorrhomgco
DO
Pharmaceutico Aiphen noares
Raposo
Cura rapida e sem dor : unico dcpesito, na
lotica do Recife, 4 rua do Born Jesus (antiga da
Crnz) n. 26, Recife.
LmHA (OATS

SLustrosa para machina, e a Macia de 6
fios tanto para machina cymo para cozer a mdo,
-Nao se usa mais linha em novello-
Pede .linha em carretel corn o nome
J.&P.COATS -
Muita atten o
Na rua da Uniao n. 47 faz-se plisses e recorta-
.e babado redondos, pontudos e miudos.


JOSEPH KRAU

Acabam de agmentar o seu j
important estabelecimen
Sude marfo n. 6 co
S um salao no 1o andar luxu

r rado e provide de -n
N a Iode obras depraa doPoi
*- dos mais afamados fa

.mundo inter
,'_ BA_


tar ,. ., -


Pama cc ] ma .rlws : as
Livramento n'19

Ama .
Precisa-se de uma ama que saiba cosinhar : na
rua do Sol n. 23, 1 andar.
0IoZMV oWSu Op uambsa ',UIA p
oluva opUml IV-8 -a :op.puajdca ouumaxiog


oJxiyv oltue ap eumbIa 'ZI4lo!A
up oxug op mt. ''V-'8 u i!' oa 'oeAn[is 'nbal
sijamasfWK[
*oJurfy oiusu ap muinbsa 'euojpiA
lp OBJuf[ hniIh 'y-gf f i opi! ol9IaiZjos


*ojuV ouvSa op u bop lu3b uO p MoiM
op Una 'V-8f -a t vp n!jod e nS~ n{ ap 0 -'0
Smu ;Io[)


Cosinheira
Precisa-se de umea cosinheira perita ; na rua
Duque de Caxias n. 86.
Menina
Precisa-se de uma menina de 10 4A 11l annos,
para companhia de mulher e marido, da-se born
tratamento: na rua da DetenQao n. 12, G 'em fren-
e A rua do Mangue.

R. DE BRUSIN\ & C.

RBn 0 BIm-Jsus iR. 18
S (ANTIGA DA CRUZ)
Casa de commissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da Allerna-
nha, Franga, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.---Informages sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes-
bombas, etc. para incendios e outras ma,
chinas e utensilios.

Loleria da Parahyba
No estabelecimento n. 2 C A rua do CabugA,
acham-se expostos a venda os bilhetes de unma
nova loteria da Parahybat organisada segundo urn
born piano, que cont6m os seguintes premios:
S1 de 4:0001000
1 de 1:000A000
1 de 2004000
2 de 100000-
4 de 504000
15 de 204000
40 de 10000
50 de 55000
500 de 2A500
Este ultimo 6 o preco de cada um bilhete alli,
sendo elle em Pernambuco 2A750 para os vende-
dores e na casa 3,000.
Os premios sao aqui e alli pagos integralmente,
semn desconto algnm, A vista da lista da extra.
cao.
Sao estas vantagens que nao podem deiiar de
ser apreciados pelos que gostam do jogo das lo-
terias.

AIhga-se barato
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
A casa A rua-do Visconde de Goyauna n. 79.
A. loja I0 Qda travessa do Carmo.
0 armaze xs n. 13 0o largo do C rpo Santo, o
qual tern communicacao ctm o n.. 4 A no caes da
Companhia Pernambucana, corn guindaste.
A tr tar no largo do Corpo Santa. 19, pr-meur
audar-


Attencao
Aos senheres de engenho
Uma pessoa corn todas as habilitag5es para ad-
ministrar engenho, se offerece para este fimn, c
tambem offerece-se uma pessoa corn habilitaoes
para ensinar diversas materials em qualquer en-
genho : quem pretender deixe carta A rua larga
do Rosario n. 42, 3- andar, corn as iniciaes LB,
para ser procurado.

Ama
Precisa-se de uma ama que cesinhe e engomme
bern, para casa de famnlia de diuas pesgoas ; a
tratar na rua do Barao da Victoria n, 23, loja.

Trastes
A1 rua do Lnperador n. 16 compra-se, vende-s
aluga-se e troca-se novae e nsd4os.

Permuta.se ou vende-se
iuma parte de terras corn mats, tendo madeiras
de todas as qualidades e grossuras, no engenho
Utinga, em S. Lourenco da Mata ; vende-se ou
troca-se por uria casa nos arrabaldes desta cida'
de : os pretendentes dirijam-se 4 rna do Impera-
dor n. 77.


SEa: C.

ja bem conhecido
lo a rua io
m mats
osamente pepar.
)a expos.
rto e eleclrorplate
bricantes do
0.
_* .. .. _. -


SiMVma, pots, as iXuas. lammas, seas -e-
rmss amigs e repezes a isilarm
-- elblecientA,. asl

. areci ra d


0






N
4


MlGUEL WOLFF & G.
Offerecem ao respei-
tavel public um gran-

de e variado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais

baratdo doque otro
qualquer, visto rece-
berm directamente.


Todos


os relogios


vendidos ,n'egta casa
sao g'arantidos.



Escada
A-N ICANIs. 4




Convid.mos e rogamos ao Sr. Henrique Gomes
de Bawos e Silva, abastado proprietario da comar-
ca da Escada, a vir ao nosso escriptorio na rua
de S. Born-Jesus... dar as razSes porque tern se
mostrado tao obstinado em responder as nossas
cartas, e remisso em pagar urn debito ja de an.
nos! PFiqae certo V. S. que emquanto serrar os
seus ouvidos insistiremos neste nosso convite.


Precisa- se de uo a ama para servivo domestic
e andar corn crirnga : a tratar na rua da Cruz
n. 28, 2- andar.

Casa de negocio
Aluga-se a casa n. 56 A rna da Uniao, muito
apropriada a qualquer estabelecimento e tern corn-
medos para familiar, corn agua e gaz : a tratar
na rua Duque de Caxias n. 30, ou em Parnamei-
rim, sitio do Dr. Goes.
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos corn refinacao
de assucar por grosso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveram collocar o telephone em
Fen estabelecimento para mais commodidade nos
pedidos de seus freguezes. Recebem tambem en-
commendas para fora desta praca, garantindo
pontualidade, modicidade em pregos e sinceridade
em suas transaccSes. Os proprietarios esperam
mercer a protecao de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77
Mudan a
Jesuino Alves Fernandes, participa ao corpo
commercial que mu-dou seu estabelecimento da rua
Marquez de Olinda xn. 48, paraa rua do Born Je-
sus n. 52,

i vi01eta
Os abaixo assignados avisam ao respeitavel pu-
blico e especialmente As Exmas. familiar que
abiiram o estabelecimnento cem o nome acima, no
qual encontranrao u complete sortimento de miu-
defas de phanta'siado qe lia de mais mo#eftu, e
estao resolvidos a tender pot pot precos" limita-
dissimos, para tornar sua cnsa bern conhccida.
Rua Duque de GCaxias n. 65
Barbosa .Lima & C.

Aluga-se
o armazem sito A run do Visconde de Itaparica n.'
35; a tratar na rua de Domingos Jos6 Martins
numero 50.


Vende-se urn sabiA da matta e outro de"
Minas muito cantadores, proprio para urnm'
present: .no Caes 22 [de Novembro n.
42 A.
E11820 so

Na rua do Marquez d'Olinda n. 50, precisa-.se
fallar corn o Sr. Henrique Velloso Freire, do en-.
genho S. Joao, em Palnmares.

Paedro garieiro tie A1mida....
estabelecido corn salvo de cabelleireiro 4 rua de
Santo Amaro, minudou s para ru larga de Ro
sario n. 22, junto ao Papoula.
A-mas

Na .rua da Uniao n. 31, se precisa de daa&
amas. sendo unia de leite e outra secca para an,.
dar corn criancas, sabendo lavar e engommar,
pars as mesmas.

Pataciofls e 1ites sterliins
Compra-se corn cambio : na run larga do Ba
sario n. 34.


VFJIDS


Na Travessa do Calabouqo n. 2, vende-se
uma machine media do autor Singer. -_
= Vende se uma casa em boas condilcs,
rua da Carmo n. 2, em Olinda, eom quintal, iPr'
to dos banhos do mar, muito fresca ; a tratar o
Caminho-Novo n. 128. .


BORltRACHA


PARA

Vendem Souza & C., A rua Estreita do Rosa"'-
n, 22. E' especial e eommodo o preco.

I,000 bisnagas
Na arana Imperat is Bmer. 14
Estas bisnasgas ado prepaada com perom l i-
rias de aromas agradaveis e de prineiran
dade, e so especmalmenteeucolhidoa eatre -u
las de-naturmea mais innooente, nao e
-vitta "al mea in- a :xMupS, so comtranca
existents no meado, ue s ao manadas. vw.i
anm PamitSR OB diAtos da alfandeg, ea
Ag~o eiat dbpsin a w tIeSa amol ma. m
pefiolousi&^ ^i^#y*?^m


.NEE.. ,. *


-. -.&MO
.E ,. -,* p-. ,-- K-_


-rUU0t-jS lesfom 4 wrg5M ae ro.
Caseoufrapekisa a 400rcovado quepeebneha
SetineksIis e iavrads1 a q6 rs. o covdo,
sifre item.
PopeuHss corn listax de seda a 360 re. o eova0o,
Maja a ripianwo eom 24 jardas a 58.
Ditb Boa-Vista eom 24 jarda a 6A.
Corttinados bordidou a 61.
Dit. ditos recortados a 76.
Megiao preto a 800, 900, 10, 1200 e 16500 o
eovado.
Camisas brancas francezas a 26 e 1I800 uma.
Ditag"4 cretones francezas a 26, aproveitem.
Espal ihbs corn couraca fiiamsimoe a 46500.
Meias 1 rancas para home a 24800 a duzia.
Isto s6 so vendo. E' barato I
Len.o brancos corn friso preto a 800 rs.
Doobomi barra de cnres a 1800 a duzia.
Ditos de linho para senhoras a 1600 a duzia.
Ditos imitao de sedaa 1;800 a dita
Ditos de lim nhe finos de 86 por 31500 a duzia.
Linda& bandeiras nacionaes e portuguezas a 4;800
a duzia.
LiUode.etins macAo a 16300 o covado.
Volludilho bordados a It o covado.
Ricas ventarolas chinezas a 600 rm.
Ditas itaa bordada a 1.
Flanelas de todag as cames.
Ta atanas, gangas oom paisagens tao baratas.
.L Admiraao '
S" -"N.80.
Do barafteirqs
-. 'Aproveites .

i wos para escolas
CA -TW 'NUNES, compendi elementary da
granmmatica national, segunda ediqwo correct
e anutada por Jos6 Martiniano de Souza, I
Vol "
IDEM'ieleinentos de arithinetica, nova edicao
revista e melborada por Jos6 Martiniano de
IDEM, resume da dontrina chritAl, nova edi*.oJ
revista e annotada por urn sacerdote.
JOSE MARTINIANO, elermentos de orthogra-
.phibterceira ediIao, tevista e melhorada.
PERGENTINO GALVAO, o livro dos bona con
selnos.
BISPQDO PARA, historic biblical, ou narrati-
e ho e nTvo testamento.
ehda nh livraria Industrial n. 7, rua da Ba-
rao da Victoria ; e na livraria Economica, m
Primeiro de Marco, junto ao arco de Santo Ah
tonie.& -

Circular important
Verdadelras pecliinchas
9 = Rua Daque de Caxias = 59
Gorgurinas superiores para vestidos a 500 re. o
eovad6-!
Alpacas de seda furta-cores a 400 rs. o dito A
ellas.
Merin6s de duas larguras, todas as cores, a
10200 o dito 1
Idem preto superior a 1I200 e 14500!
Caseamra diagonal para palitot a 25200 o co
vadoLtAo de duas larguras.
Idem de cores, inglezas, a 1S200 e 14500!
Flanella ingleza, azal, a 15400 o dito !
Canmisas brancas francezas, superiores, a 285
a d.zia!
Ceroulas de bramante a 16& a dita!
Lencos de linho em caixinhas a 32 a dita!
Damascos e pannos proprios para mesa a 600 e
1550Q o eovado!
Bramante de uma largura, trancado. a 600 rs. o
minetro6-1 fazenda de 1l
Lenqces de dito, grades, a 213 um !
Cobertas de ganga, forradas, a 25500 uma !
Colfeas de fustao, brancas e de cores a 25500!
Ditas riquissimas de crochet a 10A f
Chalus de casemira modemnos a 25500 e 35.
Pgus superioreB a 25500, 3- e 45.
.' jA miacao jwrdadeiro 'a 1640, o covado I
Dajpmsftomaugemioara12900! -
Calibraia vicbria a 35500 a peca de 10 jrdas!
M: hIapolao boa-vista-a 66 a dita de 24 jardas !
Brins de cores superiors a 25 o carte !
Dito pardo, lona, a 320 rn. o covado!
Dito branco n. 6 a 15500 a vara!
Atoalhado bordado, de linho, a 1 1 o metro !
E outros artigos a pregos resumidos.
59==Rua Duque de Caxias=59

IIito. p6de o progress.
Grjuade l.a de fazeudas de Cust
t. 4.e Iendoenca et C., -nUa Duque
de (aXIas ni. .1.
Neete estabelecimento estA abolido o system
de vender caro. Os seus proprietarios teem adop
tado o system deovender, peol cust-, ganhando


tao somente o desconto. E' o system mais aper-
feicoado e que garante ao comprador ser secmpre
bemrn service. Tqdds, portanto, que quizerem com-.
prar, estejamr convidados a honrar este estabele-
cimento, onae encontrarma, a. par da sinceridade
e agradt, urn eompleto sortimento de todas as
fazelais, comao ejam-:
Seiinetas lavradas e lisas, o que ha de mnelhom
em 5ti e a'500ris.
Setinmeta-preta adamas'6 faenda lavrada, 0e
borm gosto muito larga a 800 rs.
Aiiwin5 preto fine a 1J400, e superior a 15800.
Mefiin setim preto fino a 16800.
tis de coroea finbs a 1A400.-
8etin preto superior a 25500.
u.."ta branco fino a 500 is.
SSaias-bordadas a 4, 5 e 65000.
C, complete sortimento de fichus.
% Wiltap outros artigos qne 6 infadonho men-
cionar, e mesmo nao 6 agradavel fatigar a pa-
ciencia das .Eimas, leitoras.
6--Una Duque de Caxias--61
Jos e- Augusto da
ved .Costa
vendse eu acreditado hotel,- carros e cavallos, na
iGde, da-&Victoria, por barato preqo por ter de
e ~-p ~A tratar de saide.


e~ude"R3
j te do engenho Cursaly, perto da cidade
S fd'Alho, por barato preqo i cuja parts 6
.Ib valor do inventario (28:0001 o engenho) ; ven-
*,-se tambem a renda de seis annos, que deve o
fthleiro Idomineo Samico de Lyra Mello...
.- Uma part do engenho Novo, de SErinheni, dW
olrae de mais de 6-0005, vende-se por preco mai-
tp commodo.
! U terreno em Beberibe, na estrada do Passa-
*iimb e vai da estrada ao rib, e passa pelo oitao
&a-NaA de finaJ6 Cintra: a trata cornm Nicome-
kies Maria Freire, A rua Dias Cardoso, antiga
Galdeireiro n. 68, das 6 As 9 horas da manhia, e
jam 3 As 6 df tarde.

ineas novas


Ifteet4to de Antomoe
^ A"e0vedo


[Sa.'id~an.l3
o i a. 21 (

L1000.
m iiooo.
.. W ff.
,1 pok undu 11000


,f. i ere. tt^ :o
"-'^a^ -,."'f^ ~ low**'*'i.^"*/


e-Rui4|n~ratiiz-40
Amd zmuitolago corn 20 varaaa4i e 56000
to, -muito eneerpaa quo pa-
Mee eretone, eom 20 varas a 50M,
aim~ 0 6AW
Dito fiance%, americao, fazenda muito
fiae enoorpad e do 71 at 1000
Algodio nfestade corm 9 palmos do lar-
gum para tazer nu6es de um s pan-
no, metrq a (.
Dito tranA.do eom a mesma largura,
preprio para lenc6es e toalhau de
mesa, metre a 1l20
Bramaate de algodlo corn 10 palmon de
larger, proprio para fazor len6oa de
um s6 panno, metro 1192&
Ddto francez, send de linho, metro a
11800 e 26000
Dito inglezs de quatro larguras, sendo
de linBuo, metro a 2500 e 2800
(rogaellas proprias para lencoes, toa-
lt.as, eeroulas, send fazenda muito
encorepa ada peca corn 20 varas
por 10800 e em vara a 50C
Ditas corn a mesa media a 800 rm., ou
vam a 4%
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
tro a 1;80(X!
Assim como um eompleto sortimento de
pegas de algedaozinho americano e
inglez, que se vende por pea de 3S &t6 6000
Iste ua ola ds esquina do eco dos Ferreiros
Casemiras de cores
De .-0o0at6 G:ooo n*,

E~llelrifita-
Alheiro & Silva A rua da Imperatriz n. 40, tem
um immenao sortimento de casemira de cores,
tanto elaras como escuras, que vendem a 2;000,
2W500, atW 66 o eovado, e das mesmas mandam
fazer qualquer pega d'obra ou costumes, por pro-
9os muito ratoaveis, assim como ternm tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannos pro-
toe at6 ao mais fino sed, que vem ao mercado, e
dos mesmos tamnbem se encarregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa A vontale do fre-
guez e corn today a perfeigao e presteza : isto nas
loja dos barateiros da Boa-Vista, una esquina de
becco dos Ferreiros.

i0os a16Oris
Os Barateiros da Boa-Vista vendem muito bc-
nitos linhos de umna s6 cOr e de listrinhas para
vestidos, sendo a 160 r6is o covado e de c Ores fixas,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do beceo
doo Ferreiros.
Espartilhos
a 4# e 5o000
Na loja da rua da Imperatriz n. u venue-st
muitos bons espartilhos paia senheras a 55000,
sntos para meninas a 45000, assim como um boa
dito sortimento de fichus a 35000; isto na loja d?
qeiuina do becco dos Ferreiros.
Para festa
Vende se

Roupas para homens
POR
Pre Vos baratissimo,
Rua da Imperatriz -. 40
LOJA DOS BARA1EIRO08
Paletots de oasemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 6600t.
Dites de panno preto fino, fazenda muita
boa 7500t
Ditosode casemira de quadrinhos e listri-
nhas, forrados 8500t
Ditos do casemira escura, deo ordao, for-
m rados : 800(
.)itoa de flanella azul forrados, -sendo fa-
zen la que nSe desfota 106000(
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 10600(
Ditos dc panno preto fino, forrados 105000C
Ditos dr casemira preta de cordao 105 e 125000
Calcas de casemira corn differentespa-
droes, de 55500, 65500, 85 e 1000t
Ditas de casemira preta seaa a 86 e 10600-
Ditas de casemira dc cordao 65500
Ditas de casemira preta 6500(
Seornlas de ereguella, obra multo bern
felta a 1620Q0 e: 15600


Ditas de Hamburgo delinho a 1$800 e 21000
Cqolletinhos para- dentro,, sendo de ere-
' guella e muito bem feitos -u 800 e 100C
abnisas, granded sortimento de canonss
braneas, tanto francezs-s;eomo inglezas,
tnAtode liqho como de algodao, gendo
de'2, 21500, 3;, at6 W 610(0
Ditas de cretone de cor de 21, 25500 e 3100C
Meiaff,. grande sortimento de meia cruas
para homes, de 3M0 rS. o par, at6 500
Collarinhos, .grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 55 a duzia at6 8100(:
Toalhas, grande "sortimento de toalhas,
tanto para rosto cbmo' para banho, quo
se vendem por preoos multo raioaveis.
Tudo isto 6 eem grand e reduio de prepos : n
ioj.da da esquina do becc n dos Ferreiros.
Novas setinetas lavrada 500
Chegou para a loja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz um grande sortimento dau
a itlindas setinetas lavradas, tend de todas as
co res mais novas que tern vindo ao mereado, inelu-
sivamente pretas, sendo a fazenda inais bonita que
temn vind6 para a festa, e vende-se a 500 rs. o co-
vado, isto na loja da esquina do becco dos Ferrei-
ros.
Ca.zemira Inglezas a 2$800 e

2$800
Na loja dos Barateiros da Boa Vista, vende-se
um elegant sortimento de cazemiras de duas lar-
guras, sendo inglezas e corn bonitas cores que se
veidema a 21500e 25800 o covado, sendo muito
proprias para cor.tumes, e das mesmas tambem se
mandam fazer costumes muito bemrn feito de calia
palitot e college por 305 e 351, 6 grande uecincha
na loja da run da Imperatriz n. 40 a eouina do
becco dlos Ferreiros.
SFusloes a 4091,. e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, rua da Impera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus.
tSes brancos, proprios para vestidos e roupas de
creangas pelos pros anoma indicados ; isto na es-
quina do becoo dos Ferreinro.
Lasinhas para vestidos
Alheiro & Silva, A rua da Imperatiz n. 40 aca-
bam de receber um grande s6itimento das maim
bonitas lansinhas para veptidos. sendo alpaca.
de cordao ccm lindas coreds a 500 ore. o covado,
gurguroes lavrados tendo de tedas as cores a 560
rs. e ditos muito finos corn brilho do seda a 800 ra.
todas estas laoinhas-sae inteiramente modemnas, e
Vende-se na loja da rua da Imperatriz n. 40 a es-
quiwa do beceo dos Ferteirni.
Vende-se
0 engeoho Ampamo da Ifasr de ltasnaracA cornm
proporgo para satisfazer trez e mais mil p Aes de
amu3as,; terreno de manassap preto craa de mnito
boa' produto*e muites sitiubs de couqueiros e terre-
"a proprios'pa soe iafatar aos mil coqueiros
q.e queira, tem a=nas, viveiros, foramos de cail
boas pedreiras, mattae porto de embarque jun-
to.ao ngeaye a tratar so mesmo engenho.


Paria ac


Popelin liaa, d do. -,.-- .-
A lpacua l a c e de n a.H m .
Grenadines de oares o pretax.
Cambraias bordadau e abrtaa.
Vestuaios para menimos.
Leques.
Chap6os pars senhora.
Chtas lisas e de cores.
Fichus de soda e de 1a
Capas de malha de .IL
Para continuar
Collarinhos e punhos para senhora e homemn di-
versos feitios.
Camnisas eme collarinhos e sem punbos, corn pu-
nhos e corn collarinhos e punhos para homemr
decade n. 35 4 45.
Camisas para meninos desde n. 28 1 35; sem eol-
lariahos, de n. 32 A 35.
Camisas, saias, penteadores, calgas, gollas e pu-
nhoa pars senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, braucas, de cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolsas, veludi-
lhos, brings broncos e de cores, luvas, perfuma-
rias etc.. etc.
Papoula & C.
18 -Rua do Cabugo&-l
Em frente a matriz de Santo Antonio


FarinhaLactea
NOs primeiros mezes a alimentago min
natural e apropriada para alimentar a oamm
9a de peito 6 o proprio leite materno o -.
em caso de necessidade deve ser subetitui-
do pela
FARINHA LACTEA DO DR.
FRERICHS !
A sciencia e a pratica adoptaram a fari.
nha Lactea como poderoso element nu.,
trictivo para a infancia e districts medi-
cos do Brasil e da Europa reconheseram
ser A do Dr. FRERWHS a melhor n'est.
genero.
Deve-ae pois evitar zonfiar o filhinho
uma pessoa estranha c de comportamente
nao conhecido muitas vezes o germen
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farinha Lactaos
do Dr. Frerichs:
55- RUA DO IMPERADOR 55
Estabelecimento de musicas e piano de Vie.
tor Priall e

Para vender
A dminheiro ou fianca idonea, vendo-se uma das
melhores casa de Afogados, hem situada,'corn
grandes commodos para uma familiar que se trate,
circulada de terraco, grande jardim, born sitio (
todo arborisado de arvores fructiferas, quartot
para crIados, gallinheiro, banheire e outros com-
modos : a frente 6 today gradeada e corn portao de
ferro, tern nos funds sahida para a estaao da
ferrn'o-via de S. Francisco, bons viveiros e coquei-
ral: quem pretender entenda-se corn o Sr. Jogo
Duarte.
Pharmacia homeopathica
DO
Dr. Sabino
Vendas em grosso e a retalho, descontos van-
tajosos ; rua do Bar'o da Victoria n. 43,
Pernambuco.

Biihar

:,:::,:: HON MASIS1
Rua do Imperador n. S2
Os proprietarios deste bemrn montado e conhe-
cido estabelecimento, tendo recebido directamente
da Europa urn grande sortimento de tacos que ha
de milhor neste genero, ternos de bolas 'de marfim,
de primeira qualidade, jogos de domin6 e outros
artigcs concernentes a este fim, e como tenham
tambem feito uma reform em seus novos bi-
lhares, forrando-os e collocando marcadores nax
tabellas de todos elles; por isso convidam aos
seus freguezes e amigos, A visitarem como de cos-
tume este estabelecimento onde encontrarao tam-
bem urn cowpleto sortimento de bebidas finas cemo
sejam : vinhos, cervejas, licores, champagne e re-
frescos gelados de dizersas fructas do paiz, e o
magnifico cafe moka a quialquer hora do dia an
da noite.
Outrosim, vendem bolas, panos e tacos usado
por modico preqo.

Pa os ROirosos
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., a rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como salo indas!!!
Bonitas e elegantes bonecas, 6 o Pedro Antu-
nes & C. quem tern, torna-se indispensavel entre-
ter o espirito das interessantes criancas, polo que
os proprietarios da Nova Esperanca nao poupam
exforcos; rua Duque de Caxias n. 63.
10,000 bolas de borracha
Especialidade para fazer present As criancas,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos seuo
freguezes ; Nova Esperanca n. 63, rua Duque
de Caxias.
Cabellos brancom s6 tern quern
quer
A verdadeira e especial preparaco, vende f..
Pedro Antunes & C., pela quantidade que venu
prova a sua especial qualidade ; na rua Duque do
Caxias n. 63. .
s u Sao bonitas
as luvas de soda abertas, canno alto, que acaba
de reeber o Pedro Antunes & C, a rua Duque
de Caxias n. 63.
Para os banb.s salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de sapatos especiaes ; rua
Duaue de Cazias n. 63.


Sapatbes napolitanos, especiaes, pars o traM
balho do carmpo, tern o Pedro Antunes & C., a
est& liquidando para feebar factura ; rua Duque
de Caxias n. 63. E' a Nova Esperanqa.

Papel pintado
para forrar salas de visita e jantar, quartos, al-
covas, corredcres, etc. Grande e variado sorti-
mento por preqos extremamente modicos
SEM COMPETIDOR
acaba de chegar para a
Livrarla Industrial
A rua do Barao da Victoria n. 7.


Attenio
Mathues. Austin & C., r ia do Commercio .
18, teem par& vender :
Pinho do resina
Chegado agora e de superior qualidade, da
segnulnts dimeusoes :
11/2 X 9
1 1/2 X 12
2 X 12
3X12
9X9
4K$
I/21X9
Em Iotes a vonta4, i oag j

VMde-u =a .
tmtr n rut &..


*e' ^ -- t: '-'' '
-i', -- '
P.


I

.y-

.


It


AJ


--pa li as

,,I re-


.' .
^. .. a. .


k.-


I .


rjr mi;


-~ILL.
RFWRM


w r" ., -,. -1 -.


.......".. "



















=MININCENCIA DO CHtOLERA EM PERAMBUCO
NO ANNO DE i85 A'1856
.Ifatidum, Regina, jubes renovare doorem.
(Cmtinuayo do n. 26)


Cuidados pr6vios quo ase d'
vetn tomair n-as desinfec*o; seus
difierenteo agent, e o modo pra-
tieb e economico do sea uemprego -
quaea os que ase devem preferir; o
que se devo fazer na falita d'ellea ;
o major cuidado e zelo que deve
hayer n'este aerviMo, para que do
born resultado; a quantidade do
Sagente desinfeetante deve occupar,
e mesmo exeeder, o local infecio-
nado ; 6 o medico que deve dirigir
este serviVo.


0 medico indumbido do servigo da prophylaxia, logo
qie_ fiver de desinfectar uma casa, terA o cuidado, em pri-
A1 lugar, de indagar o quarto on sala em quo estiveram
os'docates, e ahi assestarA sua bacteria desinfectante; em
segunido lugar, farA a separaggLo dos objects de pouco
dos do maior valor ; em terceiro, dove separar os que fo-
ram servidos, dos que estiverem limpos. Os objects de
poueo valor, e ja servidos devem ser levados para f6ra de
casa, e logo incinerados; os que form de valor e tiverem
servido ao doente, devem ser desinfectados em banhos des-
infeetantes, fervendo ou fries ; os colchbes, travesseiros e
leitos podem ser limpos pelos desinfectantes gazosos. Os me-
veis, o assoalho, os corredores, poderAo ser tambem lava-
Sdos corn solutos desinfeetantes. As escarradeiras e os ou-
rin6es devem ser desinfectados cuidadosamente, devendo
ficar no fundo d'elles umn pouco de soluto dosinfectante
sempre que continuarem no mesmo servigo.
As latrines devem ser cuidadosamento limpas, e ne-
nhuma material excrementicia deverlo receber sem que
primeiramente tonha side esta dissolvida em uma porgibo
de qualquer soluto desinfectante.
Estando tudo bemrn disposto e comeceado o process da
desinfecito, os quartos, as salsa, serbo fechados um por
umn, e assim se conscrvariAo por espa~o do 24 horas, pelo
menos.
Taes silo as pfecauges indispensaveis quo so devem
tomar quando so tiver de proceder a desinfcc'io de um
domicilio suspoito, ou jai infeccionado.
Os meios desiufectantes mais usados sao os seguintes:
I.---Soluto de cobre.
Sulfato de cobre 50 grammas.
Agua de fonte 1 litro.
2.--Soluto de zinco.
Chlorureto de zinco 100 grammas.
Agua fontana 1 litro.
3.--Soluto de cal.
Chlorureto do cal 25 grammas.
Agua fontana 1 litro.
4.--Soluto do ferro.
Sulfate de ferro 20 grammas.
Agua fontana 1 litro.
5.--.-Gaz chloro.
Bioxido de manganez 96 grammas.
Aoido sulfurico do commercio (a 660) 192 grammas.
Sal commum 300 grammas.
Agua 192 gramminas.
Dissolvc-so o sal n'agua, depois so lhe ajunta o bio-
xido e per fim o acido; agita-se a mistura corn urmna va-
reta.


Estoe desinfoctante p6de ser preparado dentro de urina
bacia ou tijela, o logo quoe o gaz comegar a dissolver-se,
devoe-se fugir d'elle para so o n'io respirar.
6.'-Solute de acido plienico.
Acido phlienico (A 100l) 100 grammas.
Agua fontana 100 grammas.
D'esta solucio 6 que se faz o soluto para a desinfec-
A0o na propor;.Io seguinte:
Acido phenico 1 parte.
Agua 18 parts.
7.--Gaz sulfuroso.


Em .oas quaato ou ealadteve-se t6loear i .ttn0Tew-
rehos' soe a capa ftr do telba vA, tripliquo-se a'quantlai-:
de do enxofre para-cada quarto.' 1': ..
8.- -Agau ferf'ndo eimquantidado suffieinte a p ,
enopar o object a desinfeetar, addicionada do' DBoto| 4
core, ou de ical, ou de cinzas.
9.- --Incineraglo por qualquer meio, eto., .


SITTERAT o lado essencial -do lyrismo hugoano dade o que a plant 6 para o solo e para&
LTIURA _trahe-se no 'espirito que animou as-Odes clima; sem o concurso de certas cendig5w
Tfjrpt op n11t rl Baladas- esto espirito que ha de fazor mesologicas e impossivel a vegetate; sem
UiAgera apreelaao litterarla sen author perpetuar-se come ama poderosa certos antocedentes sociologicos impossivel
AS OPALAS DE FONTOURA XAVIER onriginalidade e obrigar, na opinilo do crifco serA a arte.
A dissoluglo do romantismo entire n6s, naturalists, as idades a inclinarem-se diante 0 livro quo o Sr. Fontoura Xavier aca-
trouxe como consequencia a bifurcagRo da do rei indiscutivel dos poetas lyrics. a de publicar neo 6 um product autono-
poesia em duas ramificages bern distinctas 0 poema do Sr. Guerra Junqueiro que me e espontaneo, filia-se a certas condi-
e caracterisadas: uma em quo predomina- taio grande aseendencia tern alcangado so- ges, tern antecedentes: estudemo-los.
va o gosto apurado e exclusive pela belleza bre o espirito brasileiro, reatando os 61os A' sombra do romantismo, ou antes -
da forms, outra, em quo deixando o terre- da escravidlo litteraria que nos jungia As (Ccomo mais um annelque so Ihe prendeu A
no safaro e.inane da ideialisaglo subjecti- formulas dogosto portuguez, no 6 um filho cauda, timido e modesto come receiando
A, a poesia procurou banhar-se na torren- exclusive da lyrics franceza. ferir-lho as susceptibilidades, niedrou a es-
b fecunda do espirito modern, emanci- As sementes que fertilisaram o corebro cola chamada dos impassiveis ouParna-
pado e livrc. do seu author -dotado do poderosas facul- siana.
Ao pasose que a primenra que era, peor dades esthetioas e de uma grande forans specie de dpartamnto classic no maio
assim dizero, urna estagnagio no curse do imaginativa- covegiam de ponts diffe- da effervesencia reformadora da epoca, fa-
desbramento litterario, ou antes. um ren rotes. p i
lngamento da velha oscola despida do Alguemr j o chamou, pela complexida- zia da poesia -uma verdadeira religion mcr
do de daspectos ae coj unto de elmetos he- ur c ulto fanatico e exagerado pela formsa.
s v6s arrojades e iragimosos adejos, Deixando o presented parn colherem ins-
41 .o vaquaizes e enmontrava fervorosos torogeneos que m si contum, empregando piraes no passado, alhios ao espirito.it-
il t no seio da mocidado intelligent a phrase do Herchel em relagoA s neb ulo- terario de'sou pJ'empoeo aprdidos na e i-
Paul, a segunda achava valvulaem as un mundo em via do fom a tempai.o beatific do rhithimo, se conse-
vaUia- toplagibosbatificasddrhithimoasodcone-
ns iritos ousados da esola do Re Producto de corrmentes oppostas e de varia- guiram os mais mediocros de seus sectarios
dissimas influencias, onde geme asparea
em no s inconsisaonted como em, b deixar pegas de um lavor imprehensivl,
As Academias foram, poe r este tempo, em atmos incositentes come em buses desapareceramn semr exercer a minima int -
d o que continual a ser: os principal do ur centre commumt, ur phrase intein a o nei aa im a ao pnsaento a e aVida


.N'eataepocaja ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ne anyiaaaier one Dzao a mtsoqes pr malv rsl ad do ptdensamn e na vidae
senlo unicos f6cos de elabrag los e movi- d transiid o e d lueta, refacto no esu to- das ideas.
monte littraino,, em nosso paiz. do inconstante e admiravel come a face Eram fetchistas da pastica s6 produzi-
Esta mdifiago, porimn, quo so opensr- revolts do. um logo o matiz de todas ass so"




Esta mSdificaglo, atc portmuo seza 0oespe ~ tra-~ir 9ieprsai -0 8^ "lns
va entre n6 ena a repcsita ad escolas e inspirageas. a go sons.
aoev no qo rpo erhasotardiade- sFolasonge a digraesslo. F tenpo d A' escola que centre n6s, soffreado a, mo.-
lma evoluglp o -que se havia comsumma- Feo ong s d grsso E tempoa edificagto relatiya ao ossogran deo cult.ra
do na litteoatur europ6a.. V oltarmos aso assumpto. oe -a diversidade d aptid5es aspira repro-
N'esta6pocaj, a lyrica brasileira conse Dizi ams q a muta t neao qu so oporava e a -nuanee da lyrics asIe ea, -
g quobrars.los de ,oura imitago' hu- em noes poesia era o rdflexo demoradoe 0o antmer esuneos e doo toua Xavisera.e
sfiesa e servil que a prendia aos velhos tibio- de ura phase que havia desappare- Vieramr d'ahi os geronens fecnd e s
odelos da antiga metropole. mid da itteratum aeurnop6a ft..isra a do tod .-paae e
ph- Asnsa "ouqe, ~ oo dwains*iragfo xo auctor das-Opalas.
Aseiva poderosa que alimentou a pha- A's ossas poduc pri- pree lisongeiar-se de nobre des -
hugoica de noss poesia foibebida em meiro a afirmnal-o, falsta inteiramente- o pnaca e sogaesmsio dot o e da-
8 s i ediatas. cunho da originalidade. dencia a .'olla resumir todas as suas as-
Qt_-e irmediatas.t-tOr... .
uus des da d romantica portugueza, 0espnito. brasiliro vive parasitania- piragies litter arias.
men xnha eivi.. Desta' fors-ina ,iinoi lirnitos do umm
esobria,'nilo puderam center osar- monte alimentando-se de estrha seiva
s6do yrism francez, a s ul 0. esol dasideias illumina-nos depois d estr ciculo qu conscience ou incon-
,a mais esplendida e culmi- ten execufado o sen gyro a teraii'ado o, entimente traiou-A expanslo e.#o ex"
o; o temrore exgaz da lit- osencurs'one outros hemiipherios. ioe do esns. faculdadee artisticas; e1o
teibooxnuede a limtar-a m it et; 06
lportugueza, mile pondeaimatar Da sua luz chegam-nes parcamente res- pinto maxietado mie niencitn-s6econvaz-
-mumeusa qae V. Hugo plantou teas descoradas e frias, de mode que po- entemente no meio da athesophera do
Io lynnmo romantic demos dizar que a noses littoratura, 6uma tempo saturada do tantaetidebas, i
"us:a s ao infinite, e a cnjas ~. transplautalo deo alheias e gastas forimu- guada do tants p o t
poets quo tendo, io las I tanta vida e esduqlp, o, .
4a ar~asse no souvidos a miuica Pars estudarmos qualquer do nossas pro- mnto i niqieto .
pbraso domle Z didces cultures teoms, pois, necessidtade ur munde e r
ezs6 poud. rep~tjnr e do-recorner A font. quo a alimnoatou, eA nlsaae
dedan-lios 'forma e ~
st5t, atravez'& ram &infI~te 64as qazes~bre ellit actuansam direct O-


:laU
a quo


0 patife pareceu hesitar.
0 agent continuou, articulando:
A nto ser q quoqueiras ser guilhotina-
do em menos de um mez.
So disser, torei a vida salva ? excla-
moun o ferrador rapidamente.
Hein! hein! disse Meuzelin. A tua
vida custa care. E' precise que contest tudo.
Temendo que a sua proposta nao fosse
acceita, o prisioneiro devia ter achado bemrn
comprido o minute durante o qual, sobre
brasas, parecia consultar-se.
Ha de dizer tudo bearn pormniudos.
Sim, tudo, tudo. Porque, desde que
come'ar, sera melhor para mim desfiar o
men rosario at6 ao fim; visto que, so eu
nao fizer corn quo agarrem a quadrilha e
o chefe, eu sereiti um home morto.
- .rE o teu chefe.6 o Bello Francisco?
perguntou Meuzehn.
.' pnisioneiro sorriu de despreao.
Sim, disse elle, aquelle bonifrate que
a dous dias vem traballiar para aqui corn
uns trinta homens? NIo se ha de demorar
inuito tempo.
0" Corta-Cabeyas ha de ensinar a nao se
metter no negocio dos outros.
Voltando entilo ao que lhe interessava
inais,'repetiu:
Sa-eu ihlar, tenho a vida salva?
A :$EstA. visto, 6 negocio coneiluido, dis-


eaw"a do4Woio ot.o-u, e1
COMe as =Ios, pox se a tiar a tera que to
tornLadrkfiavel.
-*Aqui eat&iI dime pouo^- depeiw.is os-
trando urna maga d-cabeos negros que
c dbava de career no fund do or-

Agarrando entao nos L cabelos, levantou
t cabeaa que collocou omcimna do banco
de podra.
Datando o asoassinato de poucas horas,
a deeomposi95o nao tivera tempo do exer-
cor a sua aeglo sobre o rosto, que pela ra.
pidez dia more tinha conservado a sua ul-
tima cxpressao, e ossa expresso era alti-
-Va e calma, nlo trahinpo em nada o ter-
ror qotidevia ter inspirado A victim no
moment supreme, o fim trahico quo a es-
perava. Per mais rapido quao fosse ease
nim, aquella mulher tinha, eatretanto, po-
dido ver chegar a more e a enecarou de
frento.
Uma mulher nova e bonita, disse
Vasseur eximinando o rosto.
E tamboein uma mulher valente, ac-
crescentou o agent, euja attenoao havia
sido attrahida pela physionomia altiva da
face.
Ancioso por detalhes, perguntou ao for-
rador :
Estavas present quando ella foi as-
sassinada ?
0 home parcel hliesitar, o que fez corn
que Meuzelin, corn um torn que deixava
transparecer a ameaga, Ihe avivasse a me-
moria.


. . .. .. .

Existem ainda muitos outros meios desiafetanfea)
takes come os vapores de bromo, os vapores do- acido ai-
troso, os solutos do sblinado corrosive de cido salyoili-.,
cq, eto, etc. ; mas estes outros meios, alm de sereiomj,
ciros e caros, salo difficeis de manejar.
D'entre os desinfectantes dames preferencia a trees,
come os mais utois, mais praticos, mais abundantoes e mais
baratos, szo elles:
1."--O souluto do cobre;
2.--0 solute de chlorureto de cal;
3.--0 gaz acido sulfuroso.
Foi corn estes dous ultimos quo fizemos a desinfee-
g9 d'esta cidado e do navio de guerra Capibaribe.
Oa solutos, ou solugoes desinfeetantes devem ser oein
pregadas puras. Basta embeber n'ellas uma esponja ou
um panno grosso, o esfregar corn elle os moves, paredes,
e assoalho, etc., duas ou trees vozes ; 24 horaidepois se osa
lava e so expie ao ar.
Se so usar d'agua fervendo, basta a Idicionar a9,9A-
umna quart part ao solute desinfeetante, e a fervum 46i'
durar uma hera : os pannos desinfectados dovem ser de-
pois lavados e enxutos ao ar livre.
No interior da p:-oviucia, facilmuente nio so encontra
estes meios; seus habitantes, por6m, nao devem fear des-
armados, e n'este sentido 6 born fazer sempro alguma con-
sa util, e por isso aconselho que coutinuem no inveterado
costume do queimar aleatrao -no pateo de suas casas, na
entrada das mesmas e nos quartos dos seus doentes pes-
tilentos. A' qualquer hora do"'dia 6 born ; por6m o mai-
util 6 a tarde o a noite.
No caso de nao haver alcatrbo, 6 born queimar follas
ainda Verdes de plants aromaticas.
As roupas sujas devem ser submettidas a barrella
corn cinzas frescas.
As fezes nao devoem ser atiradas ao campo, mas
sim collocadas todas em uma pequona escavailo, uni pou-
co distant da habitaclo, doa pogos e rios, e diariamnonte
cobertas corn ciuzas.
No fim da molestia serA dito fosso de dospeio coberto
corn folhas seccas, em seguida qucimadas, depois que tuda
sera coberto corn terra.
Muitos dresses agents desinfectantes podom tornar-
se perigosos quando nio foreign empregados corn today a cau-
tela e prudencia, pois quo alguns podem produzir tosses
fortes, e inesmo asphyxia, o outros podem causar destrui-
qes e incendios. As families devem, pois, estar an-
sentes.
A intensidado corn que actuam a causa infoccionante
ou contagiosa, e o local occupado pelo doente, exige que
o agent desinfectante lhe seja sempre superior em quau-
tidade o tempo.
A extensAo da casa infeccionada e o nao ter ella for-
ro exige tamben superabundancia dos agents desinfoc-
tantes.
Todas estas questies s6 podem ser resolvidas satis-
factoriamente por pessoas mui habilitadas, e por isso, pars
ter-se toda a cofianga n'estes meios 6 precise que seja a
desiafevho dirigida por um medico, possuido dos sous de-
veres, e corto do servigo qua vai proceder.
Taes sAo os incmeus conselhos a respeito da desinfec .ra
dos desinfectantes; e estou convencidoe do que aquello
que os seguirem a risca ficarto recompensadissimuos; o0
co ou pobre, o palacio ou a choupana, n'estos conselhl'
encontrarAo recursos apropriados As suas forgas e em soU
beneficio.
No seguinte artigo me occuparei do tratainento dos
cholericos.


E' sina!


E' sina! Eu morro se tentar deixar-te !
E' sina! Amar-te 6 pars mim viver!
Que import o mundo sejamais entende
Que um gesto render, qu e nos faz morrer ?!
Alva, ridonte, auri-rosa4a, bella,
-Anjo :ou estrella te eneo6ntrai, te vi;
Eras divina Aquella tarde, eu cn'a,
Eras, Maria, deslumbrante hurl!
Gastamadonal a tua froste eiguida
So6 loz, s6 vidia arremessava alin;
Eras no todo celical portonto,
Magico invento, sublimado bem!
Deces perfumes, encantados, santos,
Fluiam tantos de ten seio enteo,
Q'euo respirava pelo ar disperses
Pomas, -versos deoideal paixao!
D&s sublime I -teus olliaresi magos,
rvages, mrpldis veus,
Q vam. astros, alvoa das ris, ses,


Comoetets.
Que osa troncca seeoeo. uos
Uobrenm de flores t !e
Na vidat negra esaomhnia'
V6s derranais har6ioaia-
Dum ninho de philomellas !
Qual ave melindrosa e timida -e serena
Desperia a natur.iza em fragil harmonica,
No horto da tristeza -6 Candida aucena !
Tu fazes renascer os lyrics d'alegria.
Da dor contra o pungir dos tumidos eapiahos
- Nivea gotta de orvalho urnm calice do rosa -
Comno umn manto de luz protehe-te ciosa
A sombra paternal em dulcidos caiinhos.
E como em voejar suavissimo irriquieto
Perpassa pela flor as asas d'um inseeto -
Tu pairas sobre a face escura da exist si.
E deixas onde a vista angelica descanmas
0 mimo, o sentiment, a graog, as esperanaa,
As flores do sorriso e o rise da innocencia I
ANIZIO DE ABREU

|Humorlsmo
PREPARATIVOs


dora reverte-se de uiattonadade at t -,
te, cheia4d.:A s de urea ironia mordaz e
de, aooitos fundamente impregnados lde
humorismo.
SE i p'umoInOmo, o sarcarmoe o a ironia -
SAo um ingrdieate indiafonsavel em suas
welhores paginas,. constituem, para usar
do uma phrase bastante expressiva-a sua
SenuiM o original, a feigAo mais saliente de
suas produces.
SPosauo urma rara propriedade do terms;
e- quando so o 16 -deixa, trageos funds,
isolados, e como fragmentos do dardo, na
mem.oria, na expressAo de S. Cherer.
Today evolug-lo hitteraria, diz E. Zola, ten
em si a sua reacalo.
Do seio mesmo do parnasianismo fran-
-ez sahioe o impulse reformnador quo fel-o
desapparocer fundindo-se ou aliando-se A
corronto do cespirita-'scietiftico do seculo
que e onde se acha a material genial de que
os08 creadores de amanlh tirarao as suas obras
primas.),
Soja o auctordas- Opalas o primeiro a
romper os. liames de uma escola a que estA
ligado -antes pelo nome de que pela ten-
deneia -, concorrondopara a fasAo e o con-
gragamento do todas as nossas pequenas
divsrgeneias litterarias n'uma harmonia urn-
ca e superior, norteada pela dirocgito que a
sciencia lhe aponta; e que, A semnielhanca
do critic francez que dizia de Bufon -
ser urnm genio a quem faltou a ternura, nio
possamos dizer a seu. respoito : foi um ta-
lento a quem faltou a forga do vontade.
ANIZIO DE ABEU.

0 PAiO El PE
POR
EUGENIO CHAVETTE

PRIMEIRA PARTE
0 VIRA-TRIPAS
(Continuaaeo)
XIl
Descobriro a verdado e por issa a sua
pergunta n'ao produzio effeita; mas ac-res-
centou algumas palavrae, cujo effeito foi
fulmrinaute sobre o miseravel quando elle
disso-lhe:
0 que fizeste dos broncos, que tiraste
das orelhas da cabega que cortaste esta
noite ?
E, mostrando a bigorna, Meuzelin ac
crescentou:
Debaixo do cepo da tua bigorna,
nio 6 verdade ?
0 ferrador teve umn sobresalto convul-
sivo, e, depois de um surdo rugido do dcs
espero, cahio desmnaiado.
Quando ternou a si estava solidamente
axarrado e Fichet preparava-se para dei-
tar-lho agua polo pos2o0o, dizondo ao seu
camarada Lambert:
Na'o ha nada mollior para fazer re-
cuperar os sentiios que deitar agua sobre
a coluruna vertical.
Tornado a si, o iolhar do ferrador diri-
gio-se para a bigorna. Tinhamrn-na tirado
do lugar. Uni grosso tijolo que servia de
base ao copo estava descoberto, deixando
ver no moei de sua superficie una pequena
cavidade que servia de escondrijo.
Depois de olhar para o cope, o operario
procurou ver Mouzehin. Estava occulto por
traz de Vasseur e de Bernab6, que diante
d'elle ocecupava-so em examiner um objoecto
que Ihe mostrava o policial, dizendo :
Valem polo memos trees mil libras.
Voltaram-se quando Fichet veio dizor
que o prisioneiro recuperara os sentidos.
JA est borm do faniquito, disse elle,
Entio Meuzelin dirigiu-so ao ferrador,
trazendo na palma da mieo um par de brin-
cos que collocou diante dos olhos do pri-
sioneiro, perguntando:
Queres confessar agora onde escon-
deste a cabega, do onde tiniasto estas joias ?


Emfim, ache prudent e nao consinto
Quae saias este anne mascarada,
Se queries divertir-te en vou dizer-te
O que deves fazer, nmo custa nada:
Enverga o teu roupo, aquelle mesmo
Corn que audas vestida sempre ao anno,
Que ja perdeu a c6r e que arranjaste
Fiado n'uma loja todo o panno.
Do mascara nao precisas,-tens a tua
Soberba! a que possues 6 natural,
Enfeita-te a fartar e te prepare
P'as ruas percorrer no carnaval.
Garanto que terAs a primazia
Assim coin esse trajo d'espavento
Pois type come o ten inda atW hoje
NIo pMde me acudir ao pensamento.
Nio segues mean conselho ? paciencia r
Prepares escondido um bello fato ?
Mas eu prometto e jure no domingo
Fazer a descripgto do ten retrato.
0 povoe se prepare e alvorogado
Aguarda o dia quinze deste mez
E eu tambem espero, pois pretend
Dizer logo o que 6s per umna vez.
Adens, crea jaizo, farei modes
Dle es- rseoamo1 consinto ema aii Meg-


No'to esquegas de que a tua vida
custa caro, disse elle. S3 a queries com-
prar, jA te preveni quo nIo doves poupar a
lingua.
Estava muito arriscado o pesco9o do
ferrador, agora quo a cabega estava des
enterrada. Fez, portanto, coino so diz, jogo
franco.
Assist ao assassinito confessou elle,
e fui urn dos nomeados polo Corta-Cabeqas
para a fuzilar.
0 Corta-Ccabeqas dirigio o ataque?
Nao, mas havia-o preparado de Ion-
ga data e corn anteeedencia designou ao
seu ajudante os papeis que cada um tinha
do desempenhar.
Meuzelin voltou a defunta e perguntou :
Vendo-se perdida, a viajante nao
gritou, nato pedio compaixao, nao pronun-
ciou algumas palavras ?
Sim, fallout.
Pedio compaixXio ?
NMo. Pronunciou uina phrase curta
quo era incomprohensivel para n6s.
Qual?
No moment em que a tiramos para
f6ra da carruagenm ; ella disse : Nao va-
Iia a pena voltar ) I
Ah I disso o agent desnorteado, por-
quo havia esperado quo aquella phrase,
inintelligivel para os outros, se eselarecosse
para elle.
Ura idea Ihe occorrou subitamedte.
Mas, disse delle vivamente, no coupe
achava-se uma outra senhora, a con essa
Meralec, segundo me disseram Quo fez,
que disso ella, durante a scena do assassi-
nado ?
Fez o diaboro gritava coin uma pos-
sessa: Misericordia no sou compartimen-
to, d'ondo niao podia sahir, porque estavwa
guardada a vista. Depois, creio quo afi-
nal desmaiou.
E' bonita a tal Condessa? perguntou
Vasscur.
0 ferrador oncolhou os hombros.
Quanto a isso, nada sei, A note
estava escura quanto poasivel. Nio a pu-
de vOr.
Uma objec9lo accudio ao espirito do te-
nente.
Mas, disse eldie, so estava tao escuro
assim, como poderam reconhecer a mu-
Iher quo devia ser victim ?
o ferrador encolheu os hombros.
Perguntas-me de mais, cidadio. A
unica cousa que posso dizer, 6 que a col-
locaram no cano da minha espingarda e
que fiz fogo.
E fosto tu quem cortou a cabe9a?
Que quer I Os outros nao sabiam o
que fazer, e era precise executar a ordem
do Corta Cabega. Servi-me entAo da ma-
chadinha de Chanvelot, urn dos dous que
vieram ha pouco batter na minha porta.
Os outros assistiram ? continuous Vas-
sour.
Contentaramn-se em dizer: Ha de
dividir pelos trees! referindo-se aos brin-
cos.
(Contina.)



VARIEDADES


Eu nunca imaginei.que um s6 instant
To acudisse de lev6 ao pensamento
iUma idea tao triste como esta
Quo buscas realisar' nested momeuto.
Ha muito te conhego Acostumado
Fiquei a supporter jantas to!ices
Taxando-as d'asneffhol.s, de caprichos
Do falta dejuizo e creancices.
Por6un hojo diante dos prepatros;
Quo tons para sahir no carnaval,
Eu ache o corn razto qu'en!ouqueceste
E doves ir depressa p'ro hospitatal.
Paroces mesmo douda Todo o dia
Passeias pela casa, mascarada,
Fallando corn voz fanha o perguntando
Se estAis completamente disfargada.
Nenhum fate te serve -os mais excentricos
Tu aclias born de mais, cousajAi vista,
Nito sei o que tu queres, rojeitaste
Os que passe a dizer, vou dar a lista:
Trajaste de macaca e de serpent,
De morte, de jandaia e tartaruga,
De furia, de diabo o at6 chegaste
Nao sei como imitar a sanguesuga.
Mas nada to agradou Esses disfarces
P'ra ti foram trabalho inutilmente
Pois sob qualquer delles corn certeza
Havia conhecer-te toda a gente.
Nio p6de se ideiar typo numais feio,
Que cause mais furor, que cause espanto
Do que esse que tens! A mente humana
Nao pode inda c'hegar a fazer tanto.
Tu desde o nascimento que vieste
JA prampta oe mascarada de minancira
Que tens um carnaval que n io se acaba,
De rumo muda, pois, deixa do asneira.
Mas 4s muito teimosa I p'ra disfructes
Costumas nao perder umna s6 vasa
So nRo no carnaval muito quiet
Havias de ficar trancada em casa.
Eu sei quo nio me ouves te proparas
Corn todo enthusiasm e actividade
Afirn de no domingo percorreres,
Trajada nmo sei come, esta cidade.
Nao sei onda te possas urma mascara
Encontrar mesmo feita d'e:acommenda
Mais feia que teu rosto, ninguem p6de
Fazer obra tio rara assim horrenda.
Por mais queo-to disfarces nmo consegues
Embora corn cautela e todo goito
Tirar essa corcunda, -ache impossivel
Que possas esconder osse defeito.
Al6m do todos estes embaragos
Nio tens chIste nenhum, faltas-to graga,
Na rua vais servir, eu to garanto,
Perd6a-me a franqueza, de palhaca.
Eu sei que ultimamente, experioncia
De um trajo tu fizeste, de coruja,
Mas todos que te virem corn certeza
DirAeo: Ella a ahi vai! 6 ella! a cuja!
Teus olhos slo taeo bells a galantes
Iguaes aos d'esta ave aterradora
Que vive s'escondendo de vergonha,
Do ermo e do silencio habitadora.
Nato saias quando dia, s6 a noit,
Tu p6des passeiar mais a vontade,
Procura qual coruja sempre as trevas
E trata d'evitar a claridade.


I


jnei




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1ZY4J873_5JEKKC INGEST_TIME 2014-05-20T00:06:21Z PACKAGE AA00011611_15728
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES