Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15660


This item is only available as the following downloads:


Full Text










































Petlo m- tJdo o governor occupa-se
aetivsmetW em adoplar as medldau
maus emoreicas posslveis, aftim de
trlunmphar da iasurreivao, e suffocar
Squ*lquer tentatluma que possa appa
rnoer.
Agencia Havas, em Pernambuco, 27 de
janeiro de 1881.




(Pelo telegraph terrestre)
[RIO DE JANEIRO, 27 de janeiro, as 4
horas e 50 minutes da tarde. (Recebido
as 5 horas e 50 minutes). 0
0 camblo sobre Londres esta A
22 1,4 d. por 1000, bancario, Irouxo,
e a 22 3,8 d., particular.


IRTE OFFICIAL
Ministerio do imperio
Por decreto de 14 do corrente foi nomea-
.do voader da casa imperial o commendador
Francisco NicolIo CarneiroNogueira da Gama.
Em 13 do corrente foi expedida ais presi-
dencias de provincia a sogainte circular:
SRRoemetto a V. Exc., pera son conliceimrnen-
to e devida execucao, os inclusos exemplares
do decreto legislative n. 3,029 de 9 do corren-
to mez, quo reformou a aogisia o electoral.
Convindo dar quanto antes exeeucAo ao refe-
rido decreto, na part relative ao alistamento
dos eleitores, visto que os prazos alli desig-
nados perfazem 217 dias ou 7 inezes e 7 dias,
minimo tempo dentro do qual pods ficar findo
O mdicado trabalno, que d urn dos mais im-
portantes no regimen da nova lei, cumnpre
que, na forma dos arts. 60 a 9Ou do mesmo do-
creto, V. Exc. marque o dia que mais proxi-
mo pader sar para o dito alistamento, demo-
do qee o respective process, inclusive a dis-
tribuigio dos titulos dos eleitores, terrine
por todo o me do outubro deste anno. Op-
portunamente terfo enviadas a V. Exc. as
instruocgOes do que trata a primeira parte do
art. 36 do citado decreto, devendo nao obs-
tante marcar-se desde ja o dia para comera-
rem os alluadidos trabalhos do alistamento,
como acima so declara. ,)
Em IAcommunicou-se ai nunciatura apos-
tolica qua o reverendo Claudio Jose Goncai-
vayes Ponce de Lefo aceita o cargo de bispo'da
diocese de Goyaz, para o qual foi nomeado
por decreto de7 do corrente mez, afim de que
so digne dar as necossarias providencias para
o process do habilitacio do eleito e mais for-
malidades do estylo.


Ministerio dos estrangeiros
Pela secretariat de estado dos negocios
estrangeiros se faz public que o Sr. James H.
Murray foi reconhecido na qualidade de vice-
consul, consul geral adjunto dos Estados-
Unidos da America no Rio de Janeiro.
Ministerio da guerra
Por portaria de 17 do corrento concedeu-
me liceo;a ao capellIao-taonente reformado do
corpo ecclesiastieo do exercito, Fr. David da
NatiVfade de Nossa Senhora, par a tranferir
sua roaidencia da provincial de Pernamhuco
para a da Parahyba.
Ministerio da agriculture
Per portarias do 13 do corrente foram
esonerados: o engenheiro Keroubino die Stei-
ger. a seu pediao, do lugar do chefe da loco-
mogbo do prolongamento da estrada de fortro
da Bahia ; e o engenheiro Antonio Alves da
Silva e S, a bern do service public, do cargo
de chefe do trafego da mesma estrada de ferro.
Por portaria de 18 do corrente foi no-
meado, sob proposta do director engenheiro
chafe do prolongamento da estrada de ferro
da Bahia, o bacharel Josd Ayrosa Galvbo para
o lugar de 1 engenheiro do mesmo prolonga-
mitento.
Por partaria da mesma data foi exonera-
do, a seu pedido, o Dr. Daniel Oliveira Bar-
ros de Almeida do lugar de praticante do mu-
seu naciona!.
Ministerio dosa negocios da agriculture,
commercio e obras publicas.-Directoria cen-
tral.- 1 secgto.- N. 31.-Rio de Janeiro, n1
de janeiro de 1881.- Him. Ezrm. S-r.-Sua
Magestade o Imperador ha por bem determi-
nat que, por ser menos contforme a direito e
poder algamas vezes redundar em desprovei-
to dos interasses publicos a pratica, ate agora
observada, de so6ment e ser ouvido o recorren-
te nos recursos interpostos de decibOes deste
inministerio para o conselho deo estado, fleca al-
torada a mesma pratica para se dar vista em
takes processus a part recorrida, sendo que
nos casos ein que f6r o governor o recoirido,
sera est e representado polo chefe da directo-
ria pela qual houver corridor a quastao, e nos
seas impediaentos polo seau substitute legal
ou. por outro funecionariu do igual categonia
que para semelrnhante irnm f6r designado pelo
ministry. 0 que communico a V. Exc. para
seu conhecimento e execucio. Deus guard a
V. Exc.-Mantoel tuarque'dc Macedo.- A.' S.
Ezc. o Sr. conselheiro de estado Visconde de
Boarm Retiro.-Fez-se igual comnmunicacio aos
conselheiro de estado Jose Pedro Dias de Car-
valho e Paulino Jose Siares de Souza.
Foi despachado o seguinte requerimento:
Guimarikes, Ribeiro & C.. pedindo indemni-
eagio da quntia de 3355'200 por eliles despen-
dida com a 'abertura'de ura camboa no largo
da Detenglio. em Pernambuco, para facilidade
do transported dos trilhos do Campo das Prin-
cezas para o r frido largo. A' vista da in-
formaglo, indefiro.
lhtrniQ dia marinxha
Pow deoreto dq 15. do corrente, e de con--
Uf9 .ej 4 4 IjloaLt 4 da lei n. 646,
n k! -rirot-mad. o official

,,. jiu w ut to,,oog'iindo
a. S.Ipabro 4'M
I '. ~ e" ^ j--

4'r -; i ,
1 :' I .. -:


- '. O -- A
' -4.r,. '.~y 'r-


' .? "' rt.,i-


visto contar mais do 35 manes de servigo e sof-q ta la g" n
frer de ml st 35 lhn08 deawice s. quttO a O r1' iv. I tit. 48' 2" tratin ibioresolve, de conforumdade corn a infor-
fror do molostis chronic nre, doImae do inspector do referido arsenal do 12
-- Por deoretp da mesma data doonfor dos pruauradoreseo a Olaoe..na. o do correuto, sob n. 16i, conceder-lhe dous me-
midade corn o art 18 do regulammnto maMex acham preprioei IO .oI. 'o8n1- 16zo do icenca corn ordenado sna fra da lei
ao decreto a. 1,9681 de o 0 de setadibr d e i, stores puMbios, omo esplieca-Os aVJiOs pata tratar de sue satde.
concedea-s, a .gradaio do l tenants ao l de 19 de jaunbo de 1858:, 269 e deli U -- president da provincial, attendendo
pharmaceutico do corpo doe saie:da armada d a doAb nasad. e o act ...2 do s quo q expoz o tenente-coronel Jose Antonio
2' toeacte Jeos Antono Tupiunambu i. seoraflco de Assis Carvalho, resolve exoneral-o
Foi exoaorado, a pedido, do lugar do se- deccMtO n. 6,836 do, 9 de feleiro de do cargo deo 2 supplente do juiz municipal e
cretario e ajadaute de odoens datflotilha do 487$.8 E' certo que a doutuina cootraria 4e orphass do termo do Palmares, visto ha-
Alto-Uru&.u*y, o 10' tenente Atonio.Franeisco prevalecen em algumas decisoes do go- ver optado pelo de yereador do respective
Velho.Juior,. J r .....n -' dpmupan o n Oi pio -Communicou-seaoijuIzdedirei-
vrseUna epeeo o .1to$ do_. Pamro... xnoao
SForam nomeados par seot ir;: na divisalO vern s,,nnd s e o i to do Poatmares e ao exonerado.
SavaL, dpo 33 diafrito e o, to e Franacisoo S. 211 e 26 de juabo de 1858 8e 135 dl --0 president da provincial. attendendo
*.44Ver. TnoOO,.owt tea andeodo 30de abril de 186W; mae nao SeOdO 0 oin- ao qua requereu Antonio Fernrades da Sil-
Sa i'p 2 cirurgtA 3)'. Li.Jacftae6ti. tuito da citada ordenavlo referir-se aos veira Carvalho, praticante gratuito da secre-
Mandoa-sa#.Osmbnar. da teorveta Ni promotores pubkcos, considErados org. tars di presidencia, tendo em vista a in-
9 twerohy o 20 tenp'nto Francisco Xaviir Tinoco. urm i formaqio prnstada Palo respective soeretario,
-- Mandot-e desligar do batallAonval a e oafaes da jostila, e aim aos procurado- resolve ndmear o peticionario para exercer
,t toneate Rodrigo Naoida Caot-t. Iroe particttalares, quo tmn interesse 0spe- interinamente o cargo de 2 official da 2B sec-
Por aviso 4Qw tA fqi ntssa ial eas causes que defeadem, e, em re- o da mesma. secretariat percebendo venci-
da a dirsctoriastt rila ai man gra aufrim lncros, deve-se ter po mais mentos equivalientes ao ordenado do elpre-
dar abr-r eruer s't"Tasdoa art. 129 do .bsubstituido
Sregulamento anu ao deoreto 422 de abril, aceitavel a opiniao opposta, corn a qual Officios:
r para a designaqio de quatro efficiao dos clas- me conformo adoptando o parecer emiLLtti- Ao conselheiro presidents do supremo
sos dosl e 2- tenentes, que deovero ir para do pelo conselheiro president da relagao tribqnaludejustica.-Cumpre-inecommunicar
a Eurooa, afir dh ia estudrem 'dos-delles a da cOte V. Ex. qu o juiz dedireito, Dr. Joao Visi-
construegio naval, am o f&brico eprego ra do Araujo, declarou em officio, datado de
dos torpod5ds e ottro artilhtaria. Em 12 Ai das Alagbas.-- Com o officio 15 do corrente, nao oppor-se a reclamacLo de
Foram noneados'os 1-teneatas Victor Can- n. 193 de 15 de novembro ultimo trans- antiguidade formulada pelo juiz de direito,
dido Barreto, e Rodrigo Numo da Costa, Os mitto A V. Exe. copia do que the dirigira bacharel Manuel Esperidiio Eloy de Barros
qqaes seguirlo brovemeate para a Europa Pimentel.-Mutatis mutandis corn relacao aos
onde vo estudar o fabric e aeminprego dos tor- 0 J municipal do ero d Anadia, pa- juizes de direito das comarcas de Jaboatao o
pedos e construeco naval. ticipaido quo na mesma data enviAra ao Liinoeiro ; e communicou-staos mesmosjui-
-- juio municipal da capital as guias dos r6os zes de direito.
Ministerio cda fazenda Manoel Antonio dos Santos, Antonio Per Ao Dr. chefe de palicia interino. So-
Por titulo de 14 do corrente, foi no- petlo da Graca e Manoel Alexandre gundo costa de aviso do minmsterio da jus-
tiia, deo8 do corrente, p6de V. S. remetter ao
meadow Antonio de Almeida Romariz para da Silva, condemnados polo jury do pri- president da junta de hygiene public, con-
o lugar de praticante da thesouraria das meiro daquelles terms ao cumprimen- venientemente acondicionadas. as visceras do
AlagOas. to de sentence no presidio de Fernando de subdito portuguez Jose Lins Ferreira da Cos-
Circular n. I. Ministerio dos ne- Noronha, por crime do roubo. E S. M. ta, afim de que a mesma junta proceda ao
exame solicitado polo antecessor de V. S. em
gocios da fazenda.-Rio de Janeiro em 3 o Imperador, conformaqdo-se por sua office n. 1,921 de 25 de novembro ultimo.
de janeiro de 1881l.-Jose Antonio Sarai- immediate resolucao de 8 do corrente Ao inspector da thesouraria Lie fazenda.
va, president do tribunal do thesouro corn o parecer da secqjo dejustia do -Para os finls convenientes, transminitto a V.
national em solucio As duvidas que se conselho do estado, houve por bemrn man- S.o incluso decreto, nomeando o bacharel
Jo.*6 Brandiio da Rocha Para. o cargo ,dej'uiz
temsuscitado relativamente i cobranca dar declarar : Que esses reos dovem cUM- municipal do termo de Buc Jardm. d- Cm-
do imposto do fumo, declare aos Srs. ins prir as penas na conformidade do art. 44 municou-se ao nomeado.
pectores das thesourarias de fazenda, para do codigo criminal e arts. 409 e 411 do Ao mesmo.-Communicoa V. S. para os
us fins conveniences que o dito imposto regulamento n. 120 de 31 de janeiro de fins convouienres, que o promrotor public da
comarca da Victoria, bacharel Joafo Vicente-
deve ser considerado abolido pelo art. I 1842, conojA se explicou em avis do 19 Pereirao Dutra, entrou em t do corrente no
da lei n. 3,018 de 5 de novembro ultimo, do novembro lindo, que se refer ao do gozo de dous mezes de hicencaconcedida por
a contar da 2' prestacao do actual oxer- 1 de outubro antecedent. Que salva a estatpresidencia para tratar de sua saude.
cicio de 1880-1881, cuja cobranga teria disposicao da lei n. 5: de 3 de outubro Ao.mesmo. Declare aV. S. para seu
conhecimento e fins convenientes, que o ins-
de realisarse em marco e abril proximos de 1833, que determine para os moedeiros pector do arsenal de marina, participou-me
futures, por isso quo, quando foi publica- falsos a execucao da pena de gals no pre- em officio n. 191, de 15 do correnta, que em
da a citada lei, ja se havia ellectuado o sidio de Fernando, nao podem os juices virtude de ordem verbal desta presidencia.
recebimento da 4a prostacao nos mezes de designer aquolle estabelecimento para o teon mandado comprar no mercado os objects
setembro e outubro do anno passado. cumprimento das sentencas de outrosros does antigos tdm-se recusado a forncer pe-
Circular n. 2.-Ministerio dos nego- condemnados da mesa pena, tanto mais lo facto de haverem seus contratos findado,
cios da lazenda.-Rio de Janeiro em 4 de quanto o decreto n. 2,360"5 de 5 de maria continuando, entretanto a receber daquelles
janeiro de 4881-Jos6 Antonio Saraiva, de 1859 ndo menciona os gal6s paizanos, que a isso so prestam.
Ao mesmo. Romotto a V S. a incluss
president do tribunal do thesouro nacio- entire os condemnados que podem cumprir relaco mdooscravos declaado libertos polo
nal, declare aos Srs. inspectors das the- a pena nojmesmo presidio ). juizdo dorphaosrdo term doe Caruaru por con-
sourarias de fazenda, para os devidos ef- Em 12 A do ParA.-c Foi present a S. ta do fundo de emancipagao, afirm do que se
feitos, que, em observancia do art. 4 da M. o inperador a consult do provedor sirva de mandar pagar aos interessados os
lei do orQamento n. 3,018 de 5 de no- da corba da relasao dessa provincial, so- respectivos valotes.r-Comm d nico-s ojuiz
-deo otphbios do tot-mo do Caruardi.
vembro ultimo, dove comeCar do dia 5 de bre a incompatibilidade entre as funcoes Ao mesmo. tmetto aX. S. paraos
feveroiro proximo future em diante a co- de secreLtario desse tribunal e as de advo- fins convenientes. c6pia do aviso que ao mi
branga do imposto do 5 /o addicionaes gado na primeira instancia.-E o mesmo nisterio da agriculture, coirmercio cobras
sobre direitos de importacao de vinhos augusto $enhor, coformaudo-se por sua public" s dirigio o da fazonda em 27 de dezem-
bro dob anne Uindo, a do que o primpiro Gas-C
seccos. communs, do past e fermentados, immedia4& resolucao d6 8 do corrente ditos mainisterios, expdoi a etapresiden-ro dos
de que haviam side isentos por decreto n. corn o parecer da seco de justia do ciaem 10 do corrente, 'ob n. 1, dado solu-
7,555 de 26 de novembro de 1879. conselho de Estado, em consult de 3 do gio da duvida apresentada por V. S. em 20
-- mesmo mez, houve por beon mandar de- de maio do mesmo anno tcerca dos arts. 27do
Ministerio da justiga clarar que tanto na primeira come na s decreto n. 7,536 de 15 de novembre de 1879 e
-43 do regulamento n. 4,835 de 1 do. 4zembro b
Por decretos de 12 do corrente : gunda instancia existed tat incompatibilida- de 181ul.mento 4835 d 1 d dzembro
Foram reformados, a pedido : de, nio sb porquo ella result necessaria- Ao engenheiro encarregado das obrasi
No posto de coronel commandant do mente da natureza das funccoes accumu- geraes.- Hajt1 Vmc. entender-se corn o ins-
to batalbao de artillaria da guard nacio- ladas, pois e repugnant ao decoro do pector doarseenot do darh a. do apreseoatar-
meoteiamonto da despeza. a fazor-so corn a
nal da provincia do ParA, Joaquim Antonio tribunal a intervene interessada do seu esiadur de quoeaecessita a enfermaria de ma-P
de Araujo Donim. secretario; mais ainda porque este empre- rinha desta provincial. Communicou-se ao
No de major, o capit-o-secretario geral gado exerce func -es do escriv o nos ter- inspector do arsenal de marinha.
do antigo commando superior da guard mos do 12 do art. 24 e outras disposi- AQdirector interino do-arsenal de guer-
nacional do municipio do Pilar, na pro- goes do regulamento annexo ao decreto ta.--Cohsado do cornmmunicago da inten-
DomorioEmydion. ,61 do2 domai do187, efietasdencia da gust-ta do 11 do corronto, teroen si-!
vincia da Parahyba, Demetrio Emygdio n. 5,618 de 2 de made de 1874, e nostas dmbarcadosno vapor Espirito Santo, che-
Vasco de Toledo. circumstancias estA comprehendido na Ord. gado hoje do sul, dous caixoes contendo dl-
Foi nomeado major ajudante de ordens, liv. 1, tit. 48, 24 e aviso n. 335 de 30 versos artigos corn destine a provincia do Rio
servindo do secretario geral daj guard de setembro de 1874, que vedam o exer- do Grande do Norte, assim o declare a Vmc.i
pars seou conhocimonto a fins canvenientos,
national da Parahyba, o capitbo Augusto cicio de advocacia aot escrivbes. a devendo opportunamoato solicitor a8 ne r
Cesar Falcbo. Em 12 A do CearA.-- Em solucao a sarias ordeous, aflim de gue os ditos caixiest
Por decretos de 15: duvidas suscitadas polo juiz de direito in- sigam ao seu destineo.
Foram nomeados juizes municipals e terino da comarca do S. Joo do Principe, Ao mesmo.-Autoriso Vmc., opnforme
solicits em son officio a. 21, do hontam data-
de orphuos: oo officio constant da copia que acompa- do, a mapdar entrogar ao commandt.tn da -
Do termo da Escada, em Pernambuco, o ahou o dessa presidencia n. 1,810 de 30- coinpabiad cdalslais 3desta provipoAa pa
bacharel Jose Brandbo da Rocha, ficando 1e novembro ultimo, deciaro a V. Exc. aoves cunhetes de que trata o citada officio, <
sem effeito o decreto de 8 do corrente quoe : 1. A informacio sobre urn recur- vindos da carte corn destiny. aqueola eo'ppg-'
que o nomeou para o termo do Bom Jar- so de graian acto meramente administra- Ao s d t poni. I
dim, na mesma provincia. tivo, para o qual nao prevalece como mo- De acordo corn a infotrmasga do Vmc., do 7
Do Bom Jardim, em Pernambuco, o tivo de suspeioo o facto de haver o juiz dp corrente, sob n. 49L asat~ijso-o a mandar -


bacharel Joao Baptista de Mello Peixoto. fanccionado no process quando promotor pagar ao arrematante das obras de reparos do
passadigo sobre o riaeho Jacar6, sn uatita de
Do Exfi, na mesma provincia, o bacha- public ; ao contrarian esta circumstancia -5 or asmsmasbasirea-
rel Ascendino Cavalcanti Sinmes. presuppbe maior conhecimento do proces- lisadas provisoramente. descontando-se a
Ao juiz de direito Vicente Jansen de so para ura opini o mais complete. 2. prestacio de responsabilidade. Devolvo-lhe
Castro e Albuquerque, removido da co- 0 juiz que ona qualidade de promoter pu- petioso do mesmo arremantante a o repec-
marca da Imperatriz no Ceara, para a de blico accusou no jury a urn reo noo est tiroe c ttifiado.- Communico- eao ge-
nheiro ajudante das obras pablicas.
S. Joao, na Parahyba, marcou-se o prazo inhibido de presidir ao julgamento dos co- Ao meam6.-Do accord corn ainfo-ma- 1
de quatro mezes para entrar no exercicio reos, visto serem pessoaes os motivs de co de Vmic., datada de 5 do corrente, sob n,.
de suas fnncqes. suspoicao e nio se poderem estender a reos 487. autoriso. a mandar pagar so tenonte r
Francisco de Paula.Mafra a quantia de 215000
Mandou-sepassar titulo de habilita- ainda nojulgados, nem mesmo aecusa-pelonterramento da praca do corpo de poli-
0lo ao cargo de juiz de direito ao bacha- dos pelo. prometor. 3. Na fatta ou aim- cia kptonio Caetanode Andrade, tallecido no q
rel Umbelino de Souza Marinho. pedimento dos supplentes do juiz munici- *osital Pedro II. Remetto-lhe a coata ex-
E 14 do corrente dsvolveu-se a pal, 6 competence para*sustLentar ou revo- trahl a pelo mesmoMafra, para que seja de-
presidencia de Pernambuco o requenimen- gar a pronuncia o vereador mais votado vidaientaesilada, conform opina a contado-
--ria desse thesouro.-Communicou-se ao corn-
to, quo acompanhoua o officio da mesmata camiara municipal, ao qual se segmirao mandante do cozpo do policia.
presidencia n. 89 do 12 de agosto ultimo, os immediatos em votos, devendo o julga- Ao mesmo. Declare a Vine., qua r
no qual Manoel Jos6 Gonualves Braga & roento no jury ser presidido polo juiz de quantia de 2:000S000, quae. por officio de 17
C., proprietarios da typographia Central, direito da comarca vizinha, na conformi- de novmbro ultimo, mandei entregar ao the-
u soureiro da reparticgio das obras publicas, d t
na capital da provincia, solicitam p paga- dade do decreto n. 3,373 de 7 de Janeiro destinada a reparos e conservaiode edificios,
mentor da quantia de 9:815040, impor- de 1865, se ao tempo do julgamento ainda e naosomante a reparos da coberta do Gym-
tancia da publicacao da list dos votantes subsistir o impedimento dos juizes effecti- nasio Pernambucano.
do municipio da capital, visto qpe A res- vos da comarca. 4. Aos supplentes do A' Ao 10 promotor publiao desta capital.- C
A'vista dos docurnentos juntos par cdpia, do-q
pectiva municipalidade incumbe fazeressa juiz municipal 6 somente vedado advogar termino a Vmnc. quo proceda comno for do di-aI
despeza ; nao prevalecendo, para eximir- ou solicitar no civel, quando em effeLctivo reitoa respeito doespancamento de Jacob An- s
se desto pagamento, a unica razio, que exercicio, e ainda nesta hypotheses podem tonio Vieira. c
--Ao inspector geral da instrucc~o pubhi-N
acamara apresenta, de nio ter sido con- fazel-o em causa propria ou se houverem ca.-Con Aoo a aupector grisal da instruolic&oitada porubli- c
tratada por ella, e sie pela junta munici- aceito o patrocinio della antes de assumir Vmc.. em officio n. 17, de hontem datado, pasa c
pal aquella pablictQo. S6 justificariaso aquelle exercicio (avisos n. 87 de 26 de prorogar por 30 dias o prazo marcado A pro- i
procedimento da dita camera a aliegacgo fovereiro de 1867, n. 178 do 23 de maio fessora.Maria Augusta da Silveira, ,afira d
de exsorbitancia no preco da publicacbo de 1871, 23 de marco de 1876 e 4 de tomar posse da cadeira de ensino primario do c
ou a da careoncia de meios. Por esta oc- maio de 1868.) povoado dom B dngalas.o crpo d poliia. -
-- Ao commandant do corpo do pali~fis.-
casibo chbmou-se a attenvbo da mesma -- P6de Vcine.. conform solicita-em officig n. 48&
presidencia para a decislo contida no 2' Governo da provincia de hoje, fornscer ao commandant do desta- z
do aviso n. 499 de 19 de setembro de xMPDIENTE DO DIA 18 DI JANEIRO DI 1881 camaento d tarmo de Bezerros, a muiico C
Actoas : por ellb requisitada. "
1879. a t 0 president da provinces resolve, a vis- AB mesao.-P6de Vmc.. conform solj-
Foram expedidOS O seguies avi- ta do disposto no aviso dot ministrio da fa, cita em iofcio a. 40, d4ak t0m Gatado, li- 1
SOS: zenda de 28 de dezembro ultimo, marcart so miner 4e iorpo sob sstl% mmando as praFfS r
Em 8 do correote a presidencia do Pa- 2' escripturario nomesdo pars a thesouraria CanuatJoed Morao. e6ManaulJoaaim Franm,W
rA-Em. ropoata so officio on 88 tie & -doi fazenda do io Grandeo do Norte.. Manoe cICO wMprtiut, afm di udnora ontrwquep sjw- '
ra.-E, res ta ao officio n.A d 88d deoo 4 ..do Albuq H qws. 0 pra ies t no tormo de Bom-Oasueulho.\'
Maio tilLifflO, relatio A duvk PqKMU~a Pde trintediasdo Rio di Note,. A.Q MaesP0. -DN.ac60xdq 40a.^ B
polo juiz do into da couiaroaIAs Goirw- tinom-COa presidee da pro, ann.0 saf o io BW48U a .a -
pA, delto~ c V. free L ,iaaia da pm r oq oivn'd V-Rio, dl
.Pitm WrpITg pntrn dI __ C .0$4m de!-
do0z-u< 0ddIleidmntsldo. prhr fluIsea406.10"d Sa
tiiiiMi doaaaSamVns-I ea


- '.7-i.)
4-1JU~-~


_*'. At


_ *" ; #


# ,


- .4 -,
- art' t u


Menezes, Jos6 Lourenco da Silva, Domingoa para obsequiar corn urn grarde haie ao
Forreira Machadlo Jose Paulo Scares. commmadante e officials da Vita4 de Oliveira.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro o- GRANDE DO SUL
do Recife no S. Francisco.-O Exm. Sr. mi- 0 Jornal do Conmmnercio do Peiotas noticia o
nistro da agriculture, commercio e obras pu- seguinte :
blicas, de posse do officio desta presidency de Ante:hontemn (1) as 11 horas da noite. a
23 de novembro doanno pasado, a que acorn- policia particular, notando que, de uns ran-
panharain cdpias: do accord celebrado polo chose de palhas, no Estaleairo, sahia gman-
superintendente dessa estrada de ferro e o de fuimaca, diriglo-se immediatamente para
procurador da Baroneza daEscada para o cru- aquelle local, reconhecendo entio que o s mes-
zamento da mesma estrada polos trilhos do mos ranchos aram prezas das chtinras
tramway, autorisado no engenho Limoeiro, Nesses ranchos habitavarm o septuagenario
do parecer da respective directorial e da in- Salvador Felix Pinto e o preto Justino..:i
formaclo de Vine., declare em aviso de 7 do a A policia particular de.u immediatamente
corrente,sob n. 1, que nos terms do de 17 part ao Sr. subdelegado do 1 diistricto, Ro-
de marco do dito anno, sob n. 7, todas as des- zauro Zambrano, que para alli so dirigio .se-
pezas corn a construccdo do alludido trans- guido de algumas pracas.
way, inclusive as de media de prevenglo, Quando chegaram os soccorros nacessa-
correm por conta da menoonada baroneza ; e rios ja o s ranchos estavam redazidos a cinzas,
que, constando do accord obrigar-se essa es- e o corpo do infeliz velbo Sa!vador carbogisa-
trada a adiantar a quantia necessariat para do. Salvou-se a custo opreto Justino. m
takes medidas de prevencgo, a qual sert, in- s PAULO
demnisada na raz.o de 50$000 mensaes, o go- Diz o Correio Pauahstano
verno imperial nabo pdde approval que seme- u Informam-nos que hoantem a commisaio
lhante adiantamento seja feito por conta do das loterias do Ypiranga foi oxaminar a ma,-
custeio. 0 que communico a Vine. parasou china inventada polo Sr. Manoel Dias da
conhocimento e fazer constar A corapanhia Cruz para a extracao das loterias. Fez-so o
demsa estradasde ferror. sorteio dos 60 numerous e procedeu-se as mais
AO mesmo.-Constando de telegramma rigorosas experniencias, nao se danlo em todo
expedido ao Dr. chefe de pohcia pelo subde- o tempo uma so duplicate. A commission
legado de policia do tormo de Palmnares, que achou-a muito engenhosa e declarou que ti-
o chefe da estacgo de Una se recusara a dar nha mandado fazer uma machine, e que era
passage para esta cidade ao carcereiro de precise fazel-a trabalhar. para poder julgar
Garanhuns, que conduzia urn preso que vi- de uma e outra, sendo quoeaque mandaram
nha responder a uma ordem de habeas-corpus construir e movida a bracos. 0
no tribunal da ielacAo, informe Vmc corn Realisou-sc. na capital uma reundio de
urgencia, a respeito, tendo em vista o officio agricultores, comrnmerciantes e outros inlus.
desta presidencia de 18de agosto de 1876 tnres. 0 tin da zeuni o costa do seguiate
Aojuiz de direito da comarca do. Pal- couvite : "
mares.-Sirva-se Vmnc. de entregar a Miguel (, Os abanxo assignados, compenetrados da
Games Pereira de Lyra Junior o volume, que necessidade da concentracbo das forcas da la-
envio com o preoente officio, eontendo-umao voura, do commercio e de outras ildustnas
quia homowopathica de Prost Lacuson. para o fim de matter e assegurar o seu p pro-
EXPEDIENTE DO SECRETARIO gresso nesta provincia, resguardando-os do
Officim s: choque das transt'ormac6es sociaeos quo se pro-
Ao Dr. chefQ de policia interino. -De or- param corn a substituiqgo de trabalho, e an-
dem do Exm. Sr. president da provincial de- nuindo as reiteradas instancias de mnuitos
volvo a V. S., conformno solicitou o Dr. dele- dos principles representantes dessas impor-
gado encarregado do expedionte dessa repar- tantes classes da sociedade, residentesnest& '
tibao os papeis annexos ao officio n. 69, de capital, resolveramin promover urnma reunion
13do corrente. e concernentes ao espancamen qae deverai effictuar se no dia 16 do corren-
to de Jacob Antonio Vieira. te, ao meio dia, no salao do theatre S. Jose,
Ao juiz de direito da comnarca de Our- para deliberar sobre a fundaeo de urn a lub
cury.--De ordem do Exm. Sr. president da da Lavoura o do Commercio, ou sobre qbual-
provincia accuse o recebimento do officio de quer outa providencia que for julgada de
V. S.. do 21 do dezombro ultimo, communi- melhur conseiho para o fim indicado. -
eando haver encerrado na mosma data a 1 Os abaixo assignados convidam, portan-
sessbo do jury do term do Granito, e no dia to, a V. S. para comparecer aquella reunito,
18 a do Exu. contando co.,n a asua valiosa coadju'vacgao ptra
Ao agent da companhia do paqu 'tes.- a realisacso de uma idea que coustitue o pep-
De ordem do Exm. St. president da proving. sameontodominante, nas actuaes circumstan--
cia accuse o recebimento do officio em que V. eias do paiz, entire as classes da sociedade ac-ias
S. communica que o vapor Espirito S.anto, ma alludidas. S. Paulo, 12 de janeiro doa
2hegado hoje dos portos do sul, seguira para 181.-Visconde de Yt4. Fidelis A. Prxftve-.
os do norte amanhi, ais 6 hobas da tarde. Antonio Proost Rodovalho.-ManotI Lopes a.
.,,,,- Oliveira.- Francisco Antonio de Sousa Qseimzop '
Ftlho.-Antonio da Silva Prado. a "
DIARIl D PRIf s AIB nn Era consequencia desse convite foi organi--
UR BE PRjNiA BUu sado a 18 o Club da Lavoura e do Commercio.
Dian -u-BE T AMUU -U A sessfio foi presidida polo Sr. senador Souza
RECIFE, 28 DE JANEIRO Queiroz, servindo de seeretario o Sr. Rodo-
valho.
Noticias do Pacifico, Bio da Pra- Em Jacarehy instituira-se tambem no mes-
ta e suIl do imperio mo dia urma asociaqio, que tern por fim de-
Pelos vapnres brasileiro Ceard o allembo fender as intoressts da lavoura e do com-
Pelo vapresbrasleir Cerd eall m ai mrcia.
General Werder racebemos hontem cartas e Tinha foall. cido em Sntos D. Maria C.-
jornaes comn datas : do Pacifloo 3, do Rio da Tinh~a fallecido em Santos D. Maria Ctey- *,
Patas corn12, do ata: do Pacifio 3,doo Ro dSan tolliad e Albuquerque Mello, esposa do-juir.
P~ata 12, do Rio Grangle do, Su 12, de Santa de direito daquella comarca, Dr; Carlos -.
Catharina e Parand4 e S.\ toml 19, da Rio peidio de Mel Ma ttes." -
le Janetro 20, da Babia 24, e das Alag6as 26 Falloora tambem m S. Vicnt, a idad
do corrente. Eis o que delles colhemoos: doe 86 annsam, D. Antoana DmS.iest-a # td
REPUBLICAS DO PACIPICO Benevides.
A folha do PanamA La Estrella noticia a su- Noticiando o fallecimoato do Viseonde de
blevago do alguns individuos ua povoaglo Piadunhanga, psida-St. ministun do an-
Sde Tuloean, immediatameonte suffocada pelo peri, dizem as folh es d Paulot
povo, que tooMira aos subleovados as artmas a Poucosa dias antes a -moms da irmindae
que tinharn. Os revoltosos, capitaneadompor deSanta Casa de Misericordia daquella. cidt-
Juan Montilvo, lograram evadir-se. Rehwiava.dohavis ianifestado a innsgratidbo so ihs-
ps entretantO que voltassem, a destajvez aCoW t,ts; visconde por hayer elel feito ii mesma"
Haovo em Caibdo ur no combatsda tamI- Santa Casa doacio de 65 aegos dat ostradeale
ha torpedo chilene Fuesia corn quatro peut-a- forte S. Paulo oeRio de Janeiro, reprosumtandO
hA. nnis d(niA rnbchin ntannn nnm atr^ n a capital do1 0008000.


is quatro boras da mad
principiaram a retrocede
do dia sorprendeu a F
perseguico de-sums cont
bateriamde teora, que ito
nutrido logo sobre ella.
Jo sompre aos tiros inin
Ia quanlo urma bala d
terra penetrou-lhe na pm
rias avarias. 0 command
ena, recobhecendo que
tinuar cuito tempo a na(
a forga A machine e faiej
Lorenzo, onde a soccorrp
Da loitura das ltolhas
de-se que o exarito do
car Lima, consta de 30,0
) peruano, inclusive as I
re 50,000 e 60.000, Lem
As posigoes que os
oareciam vantajosas, e
a6de-se attribuir o facto
is onilenos emprehendic
i despeito de se achnrem
)s exercitos inimigos a s
nente de distancia.
A evolucAo do dictador
na e sahir corn suas trn
nvasor na posiCfo estri
oi oertLamente habil e pa
aos chHenos que avangav
rin sobre Chorrilos, no i
)obsicOes tomadas pelos
iue estes se fizessem f(u
Estando assim reconce
mentos ao sul de Lima,
Valle de la Palma, e aLte
lo terreno e A collocaglo
que o combat nAo se
nu dous.
Urma noticia de origem
Gasloiro Corral achava-s
te de urma roda political h
'Peri, oquefazia tlemer a
RIO DA
O governor argentino
Columbih para urn co
aue estabelecerd como r
is nacoes representadas
eus conflicts por arbi
Lue se de maior amplitu
;ongresso, no sentido
sanccionar todas as de
condaccentes a cimenta
mental.
Foram nomeados os ci
cional da capital, send
0 Dr. Carlos Tejedor a
Iealvogado em Buenos
Fallava-se em Montevi
ninistros do governor e
geiros e na entrada do
bes parao gabinete re
0 Dr. Demetrio Laatar
e, visitra a..corveta Vit
oe"bido Wm as maiora
andante Noronha f as
ha ofbfwacea um d1llc
Dimtsker Cjtrilgni
d9 I
Ml


U'9~ -q -
4



.0 --
I -


runada. us neruanosI


RIO DE JANEIRO


r, at que a claridade No dia 18, na presence de SS. MM. IL,-
'resia, empenhada na realisou-se, no externato do imperial coluegia
trarias, ao alcance das do Pedro II, a distribuicao de premioe .acol,
mediatamente fizoram lacio do grao de bacharel em lattra. Depois
A Prfsia, responden- da symphonia do estylo, o Exm. Sr. Dr. JOaq
aigos, ia i em retira- Joaqnim do Carmo, reitor do exteraato, faz a
e urma das peas de chamada de Sua A.lteza, o principle Sr. D- oe-
6s, causando-lhe s6- dro Augusto, que recebeu da Sua Magxmtade
idante da lancha chi- o Imperador o premio conferido polo sat brn
esta tie podenia con- comportamento e approvagOes distiaets im
do, mandou dar toda todas as materials do anno. .-
ncalhar na. ilha deo San Em seguida o seretario do axtornato fez
era. chamada.dee bacharelandos.
do Pacifico depreben- Externato :
Otile deastinado a ata- Antonio Fernandes Figueia, natural -d"ai
Oj homes, oseillando do Janeiro.
lorcas de reserve, on. Antonio Pedro de Alenoastro Araujo. neta-
armados. ral do Rio de Janoiro. -
peruanos occupavam Francisco Pires Machacto Portella, nattur
a esta consideramCo ral de Pernambuco.
de ainda nao term Internato :
Jo nenhbuma operagco, Alvaro Caminha Tavares da Silva. Junior,
i desde 2 do passado natural de Pernambuco.
seis leguas proxima- Carlos Domingos Palos, natural do Rifod t
Janeiro.
Pi6rola de deixar Li- Plinio Franklin do Amaral, natural do
opas ao encontro do Ceara.
ategica de Chorrillos Vicente Jose Gomes da Silva Junior, natu-
irece ter desorientado ral do Rio de Janeiro.
ram polo val!e de Lu- Os bacharelandos receberam. das mbaosdo
intento de occupar as Exm. Sr. conselheiro Jose Bento da Cunha -
peruanos, suppondo Figueiredo, depots de toerem prestado jnra-
mtes em Lima. mento, o respective grao.
,ntraJos todos as ele- Seguio-se o discurso por part da eqqpr-
em Chorrillos e no gacgo do imperial collegio.
ndendo-se & natureza Constava que o governor imperial vwi.
p das forages, parece mandar a Europa e St. capitbo de fra@t-0
deciairi em urn dia Custodio Jose de Mello, afim do estudar es
progresses da artilharia modern.
Schilena assegura que Tambem constava qus o Sr. ministry da
;e em Ariquipa A fren- agriculture, durante a viagom de SS. MM. II.
h.ijstil ao governor do a provincia de Minas, irA Ai de S. Paulo exami-
Igum levantamento. nar as estradas de ferro ahi em exploragio.
PRATA As audioncias imperiaes, durante a es-
aceitou o convite da tada em Petropolis de S M. o Imperador, se-
ngresso em Panam. rfio somente aos sabbados, no pago da Boa-
egra continental para Vista,Aim 6 horas da tarde.
reo0 re oeso A, alfandega da c~rte arreendou dt P ti
renolvorerntodos am 19 do corrente 2,251:135P23.
ilt-smnta, propanda _- Eis as noticias commerciaes da nuttims
ide ao programmas do data:
de o habilitar para [ Os bancos conservaram-so seem taxatrt
claragoes e accords 1 hora da tarde. quando o New-London Btik
ir a harmonia coenti- o Commercial adoptaram as seguintes ta-
hefes da guard na- xas :
tifos da guards a- Londres 22 1/4 d., a 90 d/v.
todos da situagto. Paris 426 rs. por franc% a 90 4/v.
bira urn eptori amburgo 529 rs. por marco, a 90 d/r.
i-Anas re d do Portugafie 24 0/o0 a vista.
ddo nJu eia etra Nfi constaram transacgOes.
dos agecioua era0- c movimento da Bolnsa fbi
Hot-isay F6ra da Bolsa venderam-me' lt t
constituido., A"6 % a liO}8000- ; 12&
-rriam minisotrodo. Chi- -1:y od 6 /0a 1ep o0as ; lpartidud ioe -
Wul dg Orisr. endo pfltpatad.d s m
attOas puflq corn- Banco Rural a-4 0 r
sa offiili.ade., que As vndas dea on a
ado luanc. ras db tarde esu rnm d&-
@ o moment em aqu Sahiram param
ra utn. caloroso brim- -gum haspunhol -
seahira eQbre o pars- -deo Supho; a 1 A
*4 eleetriea, que ofe- S
tffe ca uatisro bra- Y,
^Nettou prevafava-so ; '..^' ^ ^^ i^


I


'I /- .
*. ,at -..


fI


,--,

en-




',.'
p


vs



IA


,r












'..
.




























It
;



.' ,








t,


S I


. ;I




















Hfe"'"~~~~~ -^^^'^o1 fke41 a-'


GuiJ do Noticua, da Caehoei-
,tWau.guiopDam o Iguape i re.
bIelegado dalli ao doleogde des-
Rowa fora do 12 pragas do polieis,
I oquella anutoridade queasy oscra
= Tm s tte-ooronel Joaqsim Bulclo tents-
yam robellar-sae contra o ou senhor.
ALAGOAS
-- Na viUa de Muricy, pelas 11 horas do dia
,*23 do corrente mez, deu-se um attentado tic
aumombroaamente barbaro. que a penna, her-
rorianda, tam repugnancia de relatal-o I E

Um. individuo de 21 annos de idade, chba-
made Manoel Rodrigues de Carvalho, hospe-
dado em casa de Joaquim Josd da Costa Se-
bifto. estando par casar corn urnma moca
Gib nome ignoramos, e encontrando emba-
agos por failta de formalidades legaes, exigi-
Speloo parocho da freguezia, langa mio de
Wk-faca dp dono da casa, fere a Pedro Josd
dn Mott%, que morreu corn pouca demora e
quo, como o assassin, morava f6ra e vinha
mrvir de padrnbo do casamento. Em segui-
da fere ao dono da casa, sun mulher e umn
Ilha moca, que Ihe cahio logo morta aos p6s;
fere ainda a Thomaz Barbosa, e finalmente a
um individno chamade Germane Manoel da
GraS4. que passava na occasifo em que i sa-
ahanda fera praticava tanta barbaridade I
a Sete pessoas victims do punhal desse
monstro: suppondo-se, pela natureza dos fe-
rimentos, que nenhum dos feridos escaparita.
a Depois de tudo isto, o sicarie sahio pela
rua, calmo como ss nada houvera feito, pare-
esndo ir em procura de outra pessoa ; fareja-
va talvez o vigario. Foi entso que. appare-
eendo diversas pessoas, o prenderama e o re-
eolheram a cadeia.
a Consta-nos qua a populacito esta como
que att.rrada, poise o facto pas.ou-se tio ra-
pidamente quo nao se poude em tempo evitar
to terrivel devastau o.

Njicias da Europa
Polo vapor inglez Tagas recebsmos bontem
eartas e jornaes, de Lisboa. corn datas ate 14
do corrente. Eiso que dellas colhemos:
FRANCA
Variflcarain-se a 9 de jaaeiro em Franga as
leioi9s municipaes, Depois dos ultimos
asontecimentos, que tio profundamente corn-
moveram a opinito public na EuropA. as
elaigoes municipaes tmrn maior- int.ressc, dj
41e se se realisassem em qualquer outra
poca.
Osa seus resultados devem dizer-nos como e
qa no paiz foram recebidas as ultimas alte
ragSes political, ea os acts corn que o gabine-
to Ferry tern assignalado a sun passagoem, no
powder. e que tendencies podem esperar no fu-
turo o apoio du corpo eleitoral.
Ha quern supponha qua os elementos quc
diragemin a politic:L franceza nao contain ja corn
o favor da opimilo que se divorciaram della,
o seguem caminhos completamente distinctos
dos quoe esta prefer. Niao acreditamos. Po-
r6i, qualqaer qu: seja oju zo qua so h:ija an-
teeipadamente. os fitctos vo do:nonstrar-nos
0 sou acerto ou falsidade.
K' essa a vantagom que h-i nos povos livres,
onde so plantaraa de maneira firmus as insti-
tuig2es representatives: como e o paiz que
governa, quae dai ou retire o seu apolo, nao
sibsistem no sen se.o as difficuldados quu
We tormiatosas toruamn as exist-n-ia do ou-
tros governor.
As eleijOes do dia 9, sA) o preparativo para
asque no fnim do anno h&o de verificar-se em
lFrinma para renovar part do senado e da ea-
mara dos deputados.
As que se effactuaram agora, sio munici
pass. Por ellas se rcnovain na totalidade o s
=tuzicipios da republican corn esses municipios
bo do contribuir no nim de 1h8I para a elei-
glia parcmal de seuadores, tannbim sob este
potato d.' vista off-reco auteresse o seu resul-
tado.
As eloigoes de s~nadores do flu do anne
uubmtittqiram 75 senadores.
Ja estho sorteados. Dovom sahir- 32 mo-
aarchlcos, eos ropublicanos tern esperanga
S, io alfaucar2oa ls votos nessas eleisOos.
Esta esperaaca. fuudada em calculos racio-
xaea, poe de relevo oautra vantagem political.
As esquerdas, e o governo est-ao firiemeote
resslvidos a nao attentar contra a camara al-
ta, quaesquer que sejam as suns resoluc0os
sobre 09 mais'imnportantas projects de lei
QUe Ae estejam submettidos, ou hajim de se
Ie submetter.
Se o anuado hao approval as rofunrnas elabo-
radas pela camara dos deputados. os smus ini-
sindores esperam que uma renovaglo eleito-
inl iodifique a situago dos partidos naquel-
Is alto corpo, para tornar a aprnesental-as. ou
estejam segumos da, quoi, corn o suxilio da op.
illO. todas as difficulinadis pondentes se ar-b


Veaclo osemn necessidtd& dan moditcar as
Isis eonstitucionaes quo formam o codigo po-
litii repabliesno.
Goe relalto ao conflicto greco-turco di, o
2d1 ar e 'tuo neao exacto., como preten.
deo virios periodicos estrangeiros, que o Sr.
ds Moray, ministry de Franoa eam Athe.
na% excita secretamente a Grecia a nko ce-
dler d empreza.
Coeta pelo coatrario, que o governor fran-
m manifestou ao gabinete hallenico, que em
smnoe guerracom a Turquia, a Grecia fica-
sia abandonada as suas proprias forgas, e fa-
na aguerra isoladamente.
A Mpuepqblqe Franaise, declara que a Fran-
Sseguto a hlinha de conduct que Ibe traca-
Yam as sas relagOes ebtrangeiras, e que sou-
be remistir aos apptilos indiscretos feitos a
ma tradicional generosidade e manter todas
asI medidas de urma execuAo pratica.
ITALIA
A emenda do Sr. Z imarelli sobre o projec-
to de reform da lei eleitoral, modificava no-
tavelmaente o project do Sr. .-pretiz.
A maiornia da cominissbo rusolvea fixar o li-
mite miaimo de instrucgio para ter direito
eleitoral no diploma da quart classes elemen
tar.
0 Sr. Zamarelli e a minoria propop m a se
guoada classes, e o Sr. Crispi quer tornar ex-
teonsivo o diraito eleitoral a todos quo soubi-
rem 16r.
0 eenaso minimrno para ser eleitor 6 de 3$00
(fortd) por annoe.
..:- Dizem de Ruma que o cardeal Jacobini
aeaba do expedir sao nunciosa urnma circular
rilativa it attitude quo devem observar corn
es governor.
INGLATBRRA
A's cameras inglezas abriram no dia 6 do
eorreate mez, pronunciando a rainha o seguin-
to discurso:
Mylords e sonhorcs.-Convidei-vos mais
ee do do quae e costume a recomegar os vossos
a ,tmabeJkOsporquo negocios de urg,-encia par
ticlar reclamam o voseso exams. As minhas
rlagGos corn as potencies estrangeiras conti-
inuam ndo amigaveis.
d A qaueetao levantada a pr.jposito da fron-
S teira motre a Turquia e o Montenegro foi re-
'e. emvids, Eotre as potencias existem aoprssen-
t''t asmgoceiagoes que tmrn por fim dterminar a
14Ma da fronteira entre a Turquia e a Gre-
hLa A lgmas clausulas importantos do tra-
t do Berlim, queo ainda nao Liveram exe-
St mt~inuam sendo objecto da minha mais
a. Wvt vtamoento no Transwaal, recen-
Im S o 0do, tlmpoz-mo e dever de tomar.
L," 'S qlS mptE restabelecimento da
0 ft5Sssriamente fiz com
one AOT Nigua tempo Os pro-
40". aa n a e, Ii ro

,gig sqtbv a RBe-'


: B* 'B was oma toquest"a
d da,
a BMW 1.4 dam .uxw do t o or-
mento do roxmo auno -mrA Sm-reve ela-
borado 1 9ualmeat aprsuatlado.
Mylordes e senhosres,.ps ultimos tempos
contratou-se um melhorao=aito gradual, es-
bora pouco raipido. 6 verede, .so commercio
do paiz, e abrigo a esperaga de quo n'eate
anno as reeeitas ejam mais avultadas do que
a prineipio ulguei.
As prediooes que tinha ftoe. qusante
diminuicao dos males da Irlanda, realiasa-
Sram-se, merce duma colheita abundante;
mas tenho o desgosto de vos oannuneiar, que
a condiaito social do paiz se reveftiu de um
oaraoter alarmante. Os crime agrarios fo.
ram ihais numerosos do que nos annos prece
denotes.
a Os atteatados contra a vida humans nlo
t sao mmmettldos na porporgio dos outros de.
* lictos, mas posso assegurar que. na inteu9o
* de protege bens e pewsoas se fazem esforcos
Sseom precedentes, corn o concurso da policia
sob a direcglo do poder executive.
., Tonho tambem a assignalar outros inon-
venientes que tomaram grades proporc6es.
Pelo que respeita a esses lastimosoa aconte-
cimentos, ajustiga vau-se reduzida a impos-
tsibilidade de procurar as proves dos delictos,
e d'este mode se entendeu por different par-
tea do paiz um certo system de terrorism,
que paralysou pouco mais ou menos de msa-
neira igua! o exercicio dos direitbs particu-
lares e o cumprimento dos deveres civib.
S Ew presents d'um estado de coisas novo
sob diversos pontos de vista importantes, e
como me faltassem precedentes que me po.
dessem guiar n'csta conjunctura, julguei con-
veniente usar dos poderes ordinaries qua a
lei me contero, antes de solicitor outros es-
traordinarios.
a Mas a demonstraclo da sun insufflciencia,
que result amplamente da actual situac.ao
o pa z. obriga-me agora a levar ao vosso
conhecimeato qu e vos serao submettidas pro-
postas tendo por object conferir-me pode-
res addicionaes necessarios sogundo o seu
parecar, naO s6 para assegurar a ordem pu-
blics e o respeito a lei, mias tambem para que
Sos meus subditos gosem de proteccio para a
sun existencia, propriedadues o librdade de
acceio. Corn respeito as obrigacoes primer-
dines e imperiosas de que acabo de faIllar,
Scontinuarei como no passado a proseguir na
suppressio dos abuses e na obra do pro-
resso legislative, tanto na Irlanda com o na
ran-Bretanha. 0 Land Act de o1870 para a
Irlanda foi origem de grande beneficios e
contribuin bastante para aseguranca e bemrn-
,star relative dos que occupam o solo. S-in
querer dininuir a importance ou perturbaro
fundamento da propriedido, em certos pon-
tos do vista, pore:n, e mais particularmente
sob a influencia dos ultimnos maus annos. a
proteccio que o Act visava, nao foi suffizien-
to. ji no Ulster, ja nas outras proviucias.
Reco'umendo-vos. p 'is o progressive des.-
.nvolvlinent,) d'estes principios, do maneira
confor:ne ma necessidados dat Irlanda. na par-
te qua se relere Ai relaeOes do proprietario e
d rendeiro, tanolentes a fizer furtificar os
necessarius esf>arcos para dar, por meiv da
:acquisigio da turia, uma part maior a popu-
taicfto e um inturesst perwanente na proprie-
da'le do solo. Esta legislaci,) exigira., para o
tii a qua se prop6e. que todos os obst:cuilos
provenientes das restriccos relatives ao di-
railo de propriedadd sejain' atastaidas, conce-
dendo-sa o anesmo tempo a segurana- con-
veniente aos interesses compromettidos.
Ser-vos-ha tambem submnettido umn pro-
jecto de lei relatiro ao estabdecimento da
adininistraneo nos condados da Irlanda, fun-
dada no principio representative e tendente
pela suan redaccao, ano duplo flam de confir-
inar a fisc:lisaAo do povo sobre as despe-
zas. e a satisfazer ainla, urna das uocessida-
bes mais nrgentes.-a do desenvolvimento
dos habitos d'autonomia local. Submetter-
vus-hao projects pars a abolicao das penas
corp,)raes no exercito e na marinha.
Sereis chainados a examiner certas me-
:tidas tdndentes a ref.irma ulterior da lei so-
bre fallencias, assign coma projectos pars o
rergimet dos rios e precaucOes a tomar con-
tri- as inundaiOes para ft raivislo da organi-
sac.. dais escolas e hospicios subvenciona.
dos na Escossis; pars o renovamento da lei
que e.otabclece o segredo do vota ; emfian pa-
ra a repressao dos aetos desastrosos de cor-
rupceo, que infelizmeute assignalaram, n'um
peq~aeno numero de cidades, as ultimas elei-
c5es genies.
Tenho a conflanca de q.ie os vossos tra-
balhs, que Sri&o mamas arduos do queos an-
teriores, seroo guindus pola Diviua Provi-
dencia, do manetra a realisar a felicidado do
meu povo.
AUSTRIA HUMGRIA


Escravem de Vienna. que era objectG de to-
ls a-i conversa6ojs nos circulos diplomatic is
um incideute desagradavel de que foi bor6o'
um diplomats austriaco, o c)nde de Mantge-
las, que possuim today a confianca do seu e:n-
baixador, o conde de Beust entito rqpresen-
t:mnte dd Vienna em Lonlres e que frequea-
tnva coin assiduidade o palacio do priucip"
,le Gales, a casa de tord Biaconsiold e a de
Roithschild.
Parece que esatando ausente o embaixador e
a frente da embaixada o cona- de Mormtgelas.
apraveitou este o memento pars informar
lord B&-aconsfield de um project de alliangn
pendente entire a Inglaterra e a Austria, asseo
gurando que a a intelligencla entire a Austria e
a Allemanha nao offerecia seguranca alga-
mi.
Transpirando a quest. em B--rlimn, pedi-
rain-so oxplicaco.es a Vienna. 0 condo Ai-
drassy responded que o condo Montelas nao
tinha autorisa io para fallar em political por
sun coat e risco.
Subinlo Gladstone, ao poder, foi o secre-
tario da embaixadJa transforido para Con-tan
tinepla e elevado a dignidade de conselheiro
Nesta ultima cidade.conq uistou as sympathies
do seu chefe, o representante da Austria-Hun-
nria, e ganbou fama de diplomat habilis-
a-Iimo.
.-IMn.
Agora e accusado o joven diplomat de ter
abusado da sun puosigo, em interesse pes-
soal, copiando documents secrotos, e ven-
dendo-o-. ja os boers inglezes, jia can
Rothschild de Londres.
0 condo foi suspense das suns funegoms,
mas os seus amigos esperam que elle se justi-
fique plenamente.
A animanao political iniciada polos
wetings que os constitucionses, e oa conser-
vadores fizerm no mez passado, dilatou-se
considaravelmante por todo o paiz, ate ao
ponteo de que eat algiuma povoagOes quize-
ram tambem oe habitantes celebrar reun;Oes
publicas, nao para discutir assumptos politi-
cos, mas para manifestarem os saus quelxu-
mes o cerce da situaglo economic e social
do imperio.
O governor prohibit urma desase reuniojs,
e rnuitosjornaes de Vienna o censuram por
isso; outros dizem, por6in, qu areunilo nao
foi prohibida, nmas sim transferida, devendo
realisar-se no dia 10 dp corrente.
PAIZES BAIXOS
UrAa flha hollrandeza de Rotterdam da mais
autorisada, occapando-se da insurreiglo dos
boers no Transwaal, pergqnta o quoe pdde fa-
zer o povo neerfkndez pra asuxiliar essa va-
lente colonial, neerlandeza de coragliao de
rag&. pars se libertar do j ugo inglez.
a Quereriamos, dizs aquelle jornal, dar-lhe
o apoio do nosso braao e impedir que os re-
gimentos inglezes subjugassem o resto d'uma
Colonial neerlandeza na melho r accepgfo da
palavra.
SQuaereriamos fazer pelos boors do Trans-
waal algunma cousa mais do que assignor re-
presentagOos em seu favor. Man nao pode-
r0es. Oa notsos deveres internacionaes e
oibem as nossas rlaq0tes cornm a Inglaterra
,'a uca fnsamos qnalquer cousa que
B an W insurrol -oun que pose
sciooal-ums
ia :


S deididaen u que t OIL'-,nn
6sSte inoA meato it Isia cna 4ri ,, m tao d' Abrablo
p orvr ad evwmA- tentedo introdua i a'n r, iftta de Belgrade.
Mi G" ^ RECIAoz
Atentativa aleo 'foi bemrn succedida u oq. o Aquestdo greco-turca' continda no mesmo
era de esperar, porqe os0 francezes nio tem estado. A idea da arbitragem proposta pela
deo q queixar-se dosjudous Fran e acelta pelas demqas potencias, 0 re-
Scerto qua o ajudeuas parecem or amdin pellida pelal duas parties interessadas, se bemrn
fagello par oa paizes christaos, nao 0 menes qae aquellas parecem dispostas a insistir na
certe que oas alemtes trabalham incessante- sun realisagio.
mente pars augmentarem ease flapllo, e Na semasslo que se celebrou ultimamente ua
tornal-o insupportavel. camara grega, em que foi votido o empresti-
As noticias assombrosas que trazam quasi mo de 120 milhaes do dracmad, o president
todos oas dias os jornaes allemIes,. provam-n'o do anterior ministerio, Sr. Tricoupis, pediu
suffeieontemente. algumas gxplicagOs cersca da questhu hal-
Nma amsaemblda popular realisada ula'ma- leuica.
mette, foram os judeas accusados de havw- a A arbitragem, disse o Sr. Tricoupis. e a
rem despojado os henstLos dos seus bons, 0 destruicao da obra da conferencia de Berlimn.
quo, se a accuiagho fosse just, teria unica- A. Europa podO arrancar a folha do protocollo
mente sido culpa dos chnistios. quo fil mou e quo os hellenos receberam como
Um orador diss : uima dadiva preciosa; mas essa falha flcara
Os-judeus sacrificam palo seu dinheiro, a ensopada no sangue dos gregos. a
sua reputaglao. e a sun ahonra. 0 presidents do conselho, Sr. Coumeundou-
0 primeiro Rothschild disse : ros, respondea-lhe :
r Aquelle que inm roubar o meu dinheiro No temesa necessidadedee pedir aL camera
roubame a minha honra, porqmue o meu di-. nern a naglo que nos diete a rosposta a pro-
nheiro e a minha honra. post de arbitragem. 0 que flzemos, foi sob
A assemblea testemunhou corn mos saus gri- nossa responsabiliaade. Querendo tomar so-
toa ak vehemeneia corn que condemnava o bre nossos hombres essa responsabilidade,
pnrimeiro Rothschild. nio pensamos em pedir a vossa autorisagio,
Todavia certo que aquella phrase e mui- porque a vossa opiniAo jA nos 0 conhecida.
to nobre e just. No dia em que o com mmr- a A Europa comprehendeu que somos capa-
ciante neo satisfizer saos seus compromissos. zes de executar a sun resolunho, e emquanto
flea deshonrado. portanto.o sou dinheiro 0 estivermos a frente dos negocios publicos, de-
a sun honra, pois quo e devido aquelle que fenderemos corn valor os interesses do paiz e
ells satisfaz os seus compromissos. a honra da naglo. (Applausos). a
Umn banqueiro quae suispende os seus paga- Tanto o governor como a opposigeo, pelo
mentos lanca na misneria milhares de peas que se vd, estio concordes em nao aceitar a
soeas, dove portanto ser elogiaho., a louvado arbitragem.
por ter empregado a sun honra em cvitar Qianto a Turquis, as noticias tambem smo
tLma.tal catastrophe, unanimes em declarar que a arbitragem nerd
Temn-so procurado explic'ar essa agitacbo rejeitkda.


suubia conirta os israielistas na Allen-tinha.
pela parte que elles tonarain no mnovinnen-
to liberal.
Osisraelistas ajudaramcomn efTito esso mo-
vinmento, o que era muito natural, porque 0
s ideas novas que elleos devemn a s:, einan-
cipacao.
Pur conseguinte se elles sc teen sustantt-
do, nao e s6 por gratidfio, mas tainbs-n p )r
previdencia. A reacciao triumphant-., na')
tornaria de certo, a calloc--l-os na si'tiacio
em que elles estavain ante- da revolucgo
franceza, mais I-vant-mria uma hburreira ma imtrie
elles, e a sociedade christil.
Mas a agitacto pro-luzidi tern mais de
urna eausa politiea.
As antipathinst, senidio us odios da i.lade
media subsistemn ainda.
As Dopulaeos foraii e,lucaidas durnaitc du-
zentos seculos, do inedo a od:are:n os ju-
deus.
Niao facial quo a irnprcssbo deixatla por
trio long peiindo desappareca n'algumas de-
zenas de annos.
Atd nos espiritos mais dispidos dc pre-
-conceitos subiste urn velh,) frnunt6 (,Ie se
revela de tempos a tempos
Querm e que nao tean ,dito mais do urnm
veO:
c Eatsa agitacfio e absurd, rccr's-entanlo
mcntalmnenteo com unisorriso : E tudmvia...*
E'que tdos nes bebeinos com o leite o odiu
a nca hebraica. co:n u icita as n,)ssa. aanais
Precisainos chaniar :i11 )uos-o auxili., t .d i a
nossa razio. todai a aijti.a iutrflliciacia, parmm
sermons superiores ao-, ibreconceitu6 que aS-
saltam ainda o oonusso espinrto.
E" absurd, utias em tod, o caso e assim,
e sel-o-ha ainda durauto algumn tempo.
0 grande criao doujuduus, naio e a sua
religiao, e a sun raca.
Elle. pordin. nio senternm pela nossa raqa,
o mesmo seutiincnto de -natipathia instinc-
tiva, que a rapa hebraica nos inspira. E se
o sentvm. pelo inenos, teem o bomn sensu de
nfio o manifefstatremn.
Esse sectimento e mais bestial do qne hu-
mano. Fui a natureza que o introduzio no
coracalo do homca, c)imo pars imipedir a de
generacio das raqas ; e tern alguina analo-
gia corn o sentitnentu de antipathia que a
raca braucat inspire, aos pretos, a vice-
versa.
E' evidence que ease sentimento de anti-
lithia existe, porque de outro maobo nAo se
oderia explicar a repulsilo que prove kmn
toda a part, centre tolos as povos, ja rate
hebraica, apczar de trio intolligenta, tWi) aic-
tiva. e qiunudo a nao perseguem, tlao util ai
prosperidade de um piz
A differmnga dat religion, teve, suppoe-se.
minnos infltinia do que se inmagina no os-
tracismo, a que forain votados, os judeus
uas idade todia. Os judeus podium ter ad.lu-
zido circumrtancti. attenuantes. Criciflca-
ram Jesus Christo, 6 cortu, e commc-tteramin
coin i,4so ura grande falta. Mas elles foramn
contemporaneos do Jesus, virann no, fal
lram corn elle. Jesus converters apenas 12
pobres homes do poro. AId:n disso pertur
bava u ordim social, e f'A est. a razifo por-
que o condemuaramn a morte. -
A prova de queod judeus nao julgavam
commetter o deicidio de que slo accusadoe;
a prova de que o facto naquelhs epe:ha no
teve importancia alguma, esta no torn supe-
rior de que serviuo Poncio Pilatos. par os
disauadir daa barbaridade que moditavain
Osjudeus receberam depois um a several li.
cro de tolerancia, cujis vautagadns duvem
ter apreciado.
U:na outra provays o que a sun religiao nfto
era um obstaculo a suna communiechco corn
os christlos, 0 que ella nao diff3rc sonsivel-
meate da nossa, e iat se pdo dizer que 0
mais pura.
Vem pr, pwito langarmos mbo da mais
engenhosa critical que tern side feits das duas
crengas.
Um aldelo, judeu da Galicia, que i uma
especie dejudeu modern, acha-se em pre-
senas de sen senhor, o qual esta sentado a
mesa corn um presunto na frente.
Come deste prsaunte, diz o sonhor ao ju-
deu.
-- E'-me imposssivdl, responds o aldeao,
meu Deus proribe m'o.
Doeri set desculpado porque nae tove
como o vosso, pais parsa o a lucarem.
Psta replica demonstra bean, corn que obs-
tinanglo os judeus respeitam a sun erneca.
Tem-se feito tudo, o qua se podia fazier, pa-
ra perpetuar a raca judaica.
Ese nalo, vejam'os. Supponha se umna mul-
tidbeo de pretos ence.rados n'uma -cidade, e
considerados como leproses pelo resto da' Bo-
pulaeco.
Os desuendentes dassa multidbo serao to-
dos negros.
Sitppondo-se pelo contrario que elles se
misturam livrernente corn a populaglo, com-
prehender-se-ha que passado um certo tern-
pe havera sinda aiguns pretos na cidade, e'
muitos mulatos, e queoao cabo de muitas ge-
ragoes nuo sera possivel achkr vestigio neam
de pretos, nfm de mulatos, nem mosmo de


mastieos. A populagco branca tero. per as-
sim doizer, absorvido a gente nogra.
A k pothese que asabamos de apreven-
tar explica com o 6 queo a toleraneia podo farer
;) que aperseguiglojamais.obtera.
Os judoeus incommodam-vos? Querem des-
embaragar-vos delles, porque teaeis a sna
actividade, a sun intelligence, a sun superio-
ridade?
Pfat bemrn, misturai-vos camr elles pars ob-.
servardes corm o numero. o d'aqui a dous eu
tree seulo nio bavera judeus.
O conveneimento desta verdade pode adqni-
rir-se pelo exame do que se paean em Francga,
-que 6 o paiz ondo oa precoitceitos contra ow
judeus se nonos intensos. Neste paiz os
israelitas jiL o estiao is)lados da populaao.
Muitos abandonaram o cotnmercio e abrpca-
rami earreinm liberaes. Encontram-se so t-
daa a parte, an magisatura. nas' arte,. no
ezercito, ete, et. 0-saiz tern muito a ga-
nhar eom sote excesso de eidados uteis, e o
nueleo isrmeJita, disfaz-se visivelmento no
meio da populagco.
COenelumndo podemos dixer quo em judeus
Sao e pstegutidos, eonat tusea uamea-


TURQUI&
A Ports foi informada de que a Grecia in-
tro-luzio grande quuantidade de arms e mu-
n:O6es pela costa que se entende entire Corfu
c Santa Maura, e quo prepare nessa praia um
,lesembarque de voluntaries. Estbo assala-
nr;-los nesta empreza diversos navies estran-
g.:li'OS.
A Ports propOe-se chamar a attenclo das
lmotOncias para esta violac.o manifesto dos
trataitdos que garantem a neutrahldade perpe-
tLuI;ti das ilhas Jonens.
A Russia, impulsada pelos seas embaracos
:inanceiros, fez constar a Turquin qua seria
counveniente que esta potencia lhe pagas-e os
q:ie foram contrahidos em seguida a guerra.
A Turquia, no intuito de recusar. allude a
-::ahsula dG tratado de Berlim., quo da prnori-
imile a sun divide public, e faz defender a
liquidailo da indemnisacio russa do paga-
iiieito dosjuros atrazados'dos-litalos turcos.
AFRICA-AUSTRA L
Encontra-se entire as colonies inglezas da
A.:rica Austral, cuja extensao do norte a sul,
e 'te trezentas leguas; e que comprehendem
Lmd.i a costa sul da Africa, bom coma a costa
irmwantal ate a bahia de Loarenco Marques
,p-p.essssha portugueza), urma colouia de uma:t
,a:rinde extensao, sit-ada ao norte, e que clie-
,ju ultimamente a sun hora de celebridade :
So Transwaal.
A sua superncie occupa um terriLorio igual
.mLU da Francs para mais, e nao para menos.
A populaio nao e numnerosa. conti:t apenas
Ji.',000 habitantes, entire os quakes s e acham
,i.oaO brancos; ha pois um habitante por mi-
l;a quadrada, e e quanto basta dizer pars se
-anu r que o terreno tean pouco valur
Ndsta enorme espalo que poaleria center
t-.c;lrnente uma population de 20 a 25 milhoes
i., habitantes ; veemn-ste d ez en qumando, a-
gutua-m s Ciltiaimaa:ast., ot scjaarta ilmt::i.los vitsll ,
qil.' -).arcec :ri p rJ aidais ina iiuanm m.a-i a.fi-3 ,t,-s ma
roolitm.
Coimo ssa vai V os b,),-rs ailb;,ii a i1U1ta
'ra;inlut activ.dadku, elu iab'rar co;;s iti ;. iiil
caractdr via il e oramlluloso. u Uaa esai:'to ,sle
inuielienltia ncii qute ItinIntorrat ean V;'i( teoi
Leiitt.lo Cervair Uetbaixo ouo s:u j .:z.) I,. tfe-ru.
Mats, auts de tr;at-r rapit.la!icutat a iihstorma
Jos boers, dou-santiamuas b,:mi o part dan Afnci
qua elalto oc-rupamtii.
Am, pai6o qa'u a roplubl:ca de Oratg-c ii-ui-
mueito fuiJtlmda l-.a as boors. cal.ao a stIa T,'Iam.a-
waial, ac sil d a equal ella s- auato, e.,ta intei--
rarneuite sobro ai verteutu oesta: da cadoia quo
slepra. nat Africa certraIl a bacia do Atlti, lc-
co da b'ieia do 0-:-e-,;it indliuco, e Tramtswtal
macha so& a c:tvtalleiro sobr e ssr caluiu, 'a es
tenle-s.A sobre .as duas bacias.
Mas nao cheg.t a,) inar. I auinimsr.-tveis es-
pac ms o separain do At;a4ntieu : ao saidst.u o
tirritorio inglez la) Natal. asu nordeste. o'tur-
raturio dos zulus, intoerp6jmn so ,itra elle, e o
O,-'ano indico.
0 'T'ransweatal comnp., eso dat pllnuras cul-
locadas, por asitn dizer.e m frmna de escada.
aubinAo a maeJida qua so af.istaua do uair, e
ad-nlravelmacnto dispumtaa p:tra a agricul-
tura.
Os boers, eoao o sau eonna o iindica. bao
c'ianpnQzes de origin hlluintaezt- qiue. ein
1 ,34. emigarainram ci mitaa da colony do Ca-
bo pars esa'parem a douminatio Inglieza, e so
unraram na Casrriai quan,-lo os inlezoIs dci-
xa;ram de perseguil-ost.
E.m 18&53. proclamaram -t sua indep'-ndencia
no Transwaal, e seis uanus depois tizerain
urma constituicho.
Na republacit da Orange. a dec!aragao de in-
dependencia, e a counstituico datamn de l151.
nmas em 1ba44, sir H. Smtaith, governador di
Cibo, havia p-oclaminad) a soberania da In
gilaterra, sobrm a mnior part do territurio de
Orange.
A ioite dos boers do Transw-Ial Iparecia
pois destinada aos boeis do estado livre de
Orange.
Ema 18-T sob o governor da lord Beaconsfield,
o conde do Carnurvou. ninistro das colonias,
man'lou prochlirmtr pelo overuo do Cabo a
annexacineo d Transwaal a cora deo Inglater-
ira. A opposidbo liberal pnrotetou energica-
mentie.
Lord Hartington, actualmente membrodo
gabmnese ingltz, manifestou-se coma u'n uos
male eloqueptes defensores dos boers, e, nrais
tardt, en to laos em seus discursos eleitoratos,
fdz entrever a possibilidade de so thes restituir
a sun indepondencia.
Mats laromettur e cumprir sio duas coueas
que raramente se fazem.
Lord Hartington, bern coma os seus colie-
gas, tern olvidado hit inutu tempo mais de
um artigo do seu progranmoa eletatral. pois
quo ha apeuias :alguns mazes, o minamterio li-
borml nao aceitou a peticao dos boers em que
elles reclamavam a sun indepundencis.
Ha aindm mais, quandas no mez de agosto
ultimo, o Sr. Courtacy. appellou, na camera
dos commune, para oa meorbros do gubinete,
que se haviam pronunciado out-'ora contra a'
annexagbo dos boers, a sua corajosa tentativa-
nao obteve exito slgum.
0 governor einglcz suppoz'entlo tratar-se de
um pretext, obra de unma' minoria descrn-


tent;.
Reconheceu e facto, que, a annexagbo ha-
via sido umna falta, mas entendeu que a inde-
.pendencia do Transwaai provoearia uma guer-
ra civil, e ceunsiderava os boers-como gene de-
masiadamente pacifica pars se levantar e:n
Inassa.
E fucil comprehender qitaes devem n ser pa-
rn as tropas inglczas asdifficuldadeh de ma-
nobrar sobre umn territorio de uma tio gran-
ds extenalo como 6 o Transwaal; a failta de
estradas a dispersko dos centros, a ignorancia
da tepographia; tudo, n'uma palavra, deve!
tornar as operbgOes da guerrau extremamente a
diaBceis. E' mister aceresc'ntaur aindn que a
estaglo e ma para que-n uto estiver habirtus-
do so clima.
Neste moment esta-se em pleno estio no i
hemispheric austral e a -terra esta resequi-
da potr urn sol ardentissimo.
A16m disto, encontrar viveros apfficientes
no paiz pars sustentar os homes e a eaval-
los seria uat, grande e raove M.lmto.
Os bbom. Cino 0oei5,i Oi
an tis ogo p0n Ihl i
SO fto apaitIe


mom bot or p
pas ingexals. ,
Alem disto on secidentes d6 torreno t rnma
a guerram ruito difficil n'um pais m que a
aurpreza desempenha o papel principal na
tactica.
A Inglatarra nao 6 feliz corn as suas colo-
niWas, obre tudo ha agum tempo a esta par-
te ; todo.s os dias nos chega a noticia de otma'
nova intirreiglo.
A Inglaterra nao causa d6. porque essa si-
tuaglo e creada por ella e s6 por ella.
Lastima e que o sou governor nao se lembre,
especialmentd na question dos boors. das pro-
messas de liberdade, e de independencia fei-
tao coin tanto emphase, ha tfio pouco tempo.
PORTUOAL
Tendo sahido de Lisboa, a II do corren-
te, o vapor inglez Warrior, e por elle escrip-
to noae collaborator, reservamo-nos publi-
car, a chegada aqui desse vapor, dessa missi-
vn, abrindo, entretanto, espago, A seguinte
datada de 14 do corrente:
Os jornaes de hont am publicaramn a car-
ta que o Sr. Joaquim Nabuco dirigia ao Sr.
Fernandes Vaz, president da camara dos de-
putados e em que exprime o seu agradeci-
mento pelas distinccoes delicadas de que foi
alvo.
a Folga a imprensa pertugueza corn estas
homenagens e demonstragOes de aprego a o
s6 ao pensamento generoso e altamente hu-
manitario que oSr. Nabuco represent, mas
a sun qualidade de membro do parlamento
brasileiro.
a Eis a carta publicada pelos jernaes de
.isbea, dirigida por este ewalheiro ao presim-
lente da camera d#s deput$os:
a Lisb6a, 9 de jaheiro ddi881.-Exm. Sr.-
Tenho a honra de dirigir-ide a V. Exc. pars
manifestar-lhe os sentiments de que me acho
possuido pelo generoso procedimento da ca-
mara dos Srs. deputados pars commigo, na
sessio de hontem. Urea honra tao extraordi-
naria e excepcional como a que me. foi felt-i
por essa eminente asiemblea, sub propo-ta de
um dos seus mais eloquentes minbros, nao
se dirigo evidentemrent ao nmeu obscure no-
me, e nao posso, nem devo interpretal-a se
nalo comno um voto de sympathia de umra ca-
mara portugueza pelo Brasdl. e de urna cama-
ra liberal em todos os sous matizes pela
emancipacbo dos escravos. A bonevolencia
dos portuguezes part coinnosco, explica-set
bern pelo o-gulho qu,. este paiz devesentir
au ver quo p6.1e fain'l.r na Amnerica do Suil.
corn o seu sangie, o s-u geni0 e os s0us es-
forcus urnm;at nacj d deiz milHiO,-s de iiabitan-
tes. qu e um oterno) p-nhor para a sua ragra,
a su;u 'inga-a. ii sua litt,:ratira e as uaus tra-
iliccO'.s. a. 0 lBrasil e us Lusiads, tivo eu oc-
casa-o de dixzer no ccntinaario de Camoes, sao
;Is duas maiores ubras dal Portugal. Da re-
l;icAo estruita que exists entree este paiz e a
naca., a:nericana. jud e a sua creacio histo-
ri,"a. e a sua pr,,jc.'fo sobre o mais remote
ftituru, nfiLo podiain resultar senfio seatimen-
tos da ordemrn dos qtie aianamin ess-i illuste
ucamara patra corn o Braisil e os braisileiros.
(, Quanto a enmancipacio dos escravos, pos-
so dizer que ella nao sa causia do um p.vo
so. mas a causa de todos os povos. Coin as
coinmnunicacj:s minodernas, a escravidio nbo
i6du ser uui mnal local. A civilisacbo queo a
tolera n'ium panto qualquer da sui orbila, e
uina civilisacao que ainda nao se desprendeu
dIe t,)dj do diroato barbaro. 0 contact in-
cessante do mundo coin a escravidito inevi-
tavel desda qud ella exist n'u:n paiz de ex-
tensais rela6O:.-;. e essa trcas de servings di i a
eacr'avi iio nni srilvo c'-zlucto i aima ella m ii;'ia
.i vi; t-r ,:, ,i ardit.) iut 'crt-iuisa l. fm a -a do
.Il it ,vl.v,-.; ser litnc ila, coio to ji a pi,-a;-
':t 'ia.
a .-\a-cr,.-ce quo 11no Bra-il al't fn;)a;'t:'.. Conl-
-,idl riav.'l dc p,,'s-suiiors I ,-e 1.1riv,)s imu s:'a
:t!ac;nuas. qd1a pr.tegi.los pelas nosa- leis.
-tii'j:ilto- a|c [tc,'aCjt.s q .j i- ext il2t:raia a esm -
cr;tv; ila'ceCm :a:a es'ti'i',) asso :q;i'la.s pio-" r,,ratada,.a jta-
rt'--'a-s C :ar es sa m-t-, tUi(-l., oa qtl c,)iaia i-o
.uctt. inflita.i vV'zcZ a iaaO:Iau dos sa-us paizos.
Xai- mia ina.iaa- 4151'lair a leI do urnt poteociu
taj (,)uhiclilia ,:Aia sa< d mvoeiio ai cau-a ,al l-
ba-r-ia.l-a hiim'aaim- c;ni,m a I.rlatcar-a pm-Jihibt-
-*.-.a seatan iiaaciync-a. sotl paiirai sc*vcras. p()--sea-
re.;; osc'-:avos c.;n ,l'palq aiur latituisa quo sacj't.
o q:le s. vy ? No,) tia auito que tive quo lo-
vart ,l'aa ia:t a ci inrirat 'to quo fmcaj p),rte ;t
au,'tstao ia libi ",ra.ll ,il tressiitos nU ros,
ea-!ravia.s-oi-.s al ura'nta viato aunos. par' u:nat
,utl;(ci,-i i- conspiracu'.i, pelt inrais rica e fl,-
'f-c,.nt. ,l:.s couiparalbias inglezo.i nat Ur,,.sil. a
taip-tialmia d, minimracl'o dio S. Joaio d'i K..cI.
lihi e0ta:va a b'indear'a angltza cibrinlo a ca-
c-iiva'lho. e sinlat anami uluat o,|iosai escravama-
al a dc c :nten:ts dd humenrs livrss.
A .-\ us,:rtvidiau, t;':Lz,'i, ute pir:t o maindo,
.-6 cx,.ate hoje semn faillar nus p0jvos b:arb:trom.
n'.i:n paiz da Ameirica dl ) Sill ; infelr.mente


lIara no-. esse aimi a ,,Brasil.
a El' a'es-c nltinio rcducto quie ella eosta fe-
cihlm-I. cun u I tu lhi r-.ta d.i sua rapina dal
;mlitas scSuilo.- e count um rnill-ha' e umeo' .Ic
li):ua.i quai:-i t dilas livreis p i) lei. sertin
:ifricaims i nflortadoui depois do act, 1-, 93!
i'pie abolio tr:ficou d. escr:ivus. Par:,. s-s
prutog-r n'.--ae ,o):utiatte de inorto. ella aoslrio
o nuos,) territurio de granides latifundios.-, e de
aim tfiuidalisio superior as leis, a autoridade
e LjustIca public L.
u Kitritaab ap'.sar de tudo isso a escr'-
vilito tein os Seus dias conta-los : a nacsi,
nt.' a quer e arepello ; a monurchia nio Ihie
ac -ita, a allianga ; os propnios usofructuarios
dos priviligius quo ella confere. nou ousam
da-Indel-a ; as fmure-s liberals unidas a coin-
baite:n ; a opiniiou do mundo inteiro a blo-
queia; a lei ja deslecliou-lhe o praneiro gol-
p', a o que rest a fazer nao e superior as
nossas forcns.
a Por tudo isso nao estai lange o din em
quu. ainda no actual reinado, se pos-a dizer
ano inesino tempo : a Nao ba inais escravus
no Brasil, D e : g N-) ha inm -is escravidio no
antn lo.
a A lembranca da sesosio de hontem, em
que ti/ca honri de seotar-ine entire os 'lepu-
udos da nacrao port-ugueza, nao se apagara
nunca da minha me:noria, urma tal honra
durn pars today a vida.
0 que senti. Sr. president, foi s6mente
nau poler expressar ao parlamento po-tuarucz
o meu reconheciminento, p-la distinccho feita
au meu paiz e pelo service prestadi' a minha
causa.
*Pedindoa V. Exc.oobsequio de transmittir
,A essa augusta camera as expressOms 4a minha
inais viva e profunda gratidao, pego tambem
licenca pnra agradecer a V. Exc. as palavras
d- bjnevolencia ,que me irigio so ser eu ad-
mnttido na salad dase sessOes.
Troenho a hunra de offerecer a V. Exc..
Sr. president, os proteqtos da miniha mais
elevada censideragio..-Illin. e Exm. Sr. Dr.
Jose Jsaquirn Fernandes Vaz, muito digno
president da camera dos Srs. deputados.-
Ioaquim Nabaco. a
Tambem o Sr. Joaquim Nabueo, dirigio
a imprensa, per intermedio do Diario de No- s
ticias a seguinte- carta :
SSr. Redactor do Diario de Noticias.-Como
foi V. o primneirojornalista portuguez a quern m
tive a honra de ser apresentado, e dispondo r
a sun f.lha de urma larga circulacgo, tome a
liberdade de dirigir-me a V. pars rogar-lhe o
obsequio de aceitar para si e os seus colleges t
de reacglo, e de transmittir a imprenea per- C
tugueza tod%, os meus emais sinceros agrade-t
citnentos pela recepgo que me fez ojornpalis- t
inom desta cidade.
Nao spi o que podia fazer pars mostrar a r
inpressao que love de Portugal. Aqui o bra
sileiro s6Bsente que 6 estmaugeiro pila extre-
ma nmabilidade que eneontra a cads pass e
da parts de todos. Sempre fui amigo dos por-
tuguezes. .
C Mostrei-o em i72, n'um livro modesti.s-
sime que escrevi pa tfeatejan o contenario l
dos Lixiadau, e mostreio-o -em 1880 no cents- I
nario de Camoee.
S A ljobapem do que me rvi para en a
**fia iliniir i *' i |n 1 f


a Aesim oomo revoinmos. ibZ
dii orige, revoigamos a do r.
oathosisos e a de ondift o loS.
berto..
Essa tendencia uniform pra -a ij|(.
de urnm patria em quoe nalo haJ pri '.
nerm castas d a melhor garanti '
identificacLo que se ha de operate 'Ir.
sileiros eos portugnozeas, qu^v l
nosso paiz. N ianca tire outra ;
vez por isso nnuca tive dutros '.
senIo Qs que tenho semnpre maaillmJ :.'
rcla) asos portugaezes. '' '
a A honra que a impren" me--
sido acompanhads de m,'I-n
th'cas a emancipagio doe I 'A
carreira foi associada por dAdl e.'1
te6, cujo echo eu tenho no d eo Os
destinos dessa grande causes.
e Permltta-me, Sr. redetor, que A ease 4s-
peito eu exponha um poeco a a la s MA;.
Qlo. Houve urma lei em 28 de setemr fe
l871 que declarou livres os flihos de' emeula
nasciijos depois d'aquella data. entregando-os
todavia atLd ios 21 annos ao dominion dea se-
nhor-is das monies. Nao quero diz6r qne isso
era ecrinittir a escravido dos chamados inge-
nuo., durante a epoca da vida, em quoe sefor-
mamn os sentiments, o caracter, a attitJo e
a utilidaliedo honein, unicamente tirando-
lbhe- :a q'ilificac;?o de escravos. Essa lei, po-
rdu. nada fez absolufainmnte em favor da&
ger;,vO'- at'uaes. sinao conceder-lhes bene-
ficl, illusurius, e que temn sido ainda mais,
illu 'ilos p-'a jiirisprudleacia dus tribunes,
po0:,'l, itJiizinntd os muagistrados podem
btui.,rar ':scr.avus entre ndi e '-ao habitos de
mt" clai-' nit-iralmente conservadora r.is-
poei.,-'us ...opre a fazecl-o desde qae teo
uMn i ca!,:9. i';SS:L Iti, pJrei,. que un da sfez.
em 1, n>-i-i.'o tilos e-cravo- uxistentes. mesmo
do" a;.-cril- n, vc.- pr'a da sua puhlieacao, e
quc '.. a ,.j. w :iiu- z, podendo ficar escravos.
pOri S1 .s,'). L.-;I lei,, iZa eu, pir. cu aos
ho:: :.d- ,Jiiic,, \u .!u.- partidos, Caorn hon-
ro- .- L\ 'u-. a sUIlucAu defluitiva do pro-
bl .-.. .:Ir ,i' .0Um't.o coin a eseravidio
pai r ), :."i, 'i is> de h').Liens o do
Co01 .'Iu : i'.1 ,:;c ella '.m.a inseridos cas seus
pri,. 1 1.., r,, ', :.- vau do carcere .rnva-
,lo, v .- '..:.:C.'i)> ferro rnm braza ate a
tort ,. c.,, ,r'c.;-- e a i'Jn jiu L:ne', como
ju-' .' I, 1 !i tit, 'lei dint'iu fui sim ples-
Inc.:. : -I i : !r-tr'I a a') p:i;z., dez annos de-
p i)01- ... .---i l.t -- a ..j tino i:ai r.-solvid,
nad.. i I l t I I *c\hd.) prubln,;a intacrto,
Mi SI. .i. ..-,- F;- Vi a ;I I e'f.-,i;. e o p:ai., atado
por iim-.' -!a : a u n1i instituicAo. qus e 0-
.Js,- !It .I -s.) trinp, c a uiodua da civi-
~l ,"a ,' '.


annos sonde denuneiada corn sntem ei'o-'- .
im anno. .*'. -
0 Chegou ha tree dins de Liaol -it
Aopoldo, irmho mats nevp do te )I> I "
o a tio, portauto, do Sr. -
in s 'ad o et rht fa ~m i .i n in i -


--. 1 r n
I*. :' "^ .

.* ,, -.
,- ;-"
; *.. ; *


-' S VIA8I
u r via noineod


,econtesna bo. a
-o ,, : .".. .


Ix;mp lai


Sir,
: .
-\ ) -=.. .
., ,- .: ".'..'


l'Yeatanism~ Logo ir ,



a-a-


-a,




I


,:r:a v.I;',), Sr. rel'ictor. tem no Bra-
sil it mt -la-'ui m uiut, .ra-iau. e VeiU a tser a sam
inan -: -:t aU c 'ia a m .-a i allcgaliblaale. Oa5 escra-
voS -.. 11'1 .IC :t t,.m:a Is am-noria ab'ricaiLUOS li-
vre- I .-,.c n"n ir-, t -s I.l-tes. A escravarurs
xi:-.- W,: v.: % a o tr- li ,.. ,u:an lo a I iA ji a o
hiav; -!.,I, :,; -it a la q or-oJ- lam a contribanlo
intr y i.-. :..1 -:. a- i,:ir-.:..e tail t s dessas car-
reag r 1, a it: lai its it ,- m ellCic ,alit O0 pO -aUO JOs
na% ..-,1 ia- tr!.. a rp'-rs.-.1ids no nitar como os
u!ti :i par::t:m- la At liit.,eo.
( r A .I!) 'ir 1 c-e:crmavi kiau no Brasil ba-,ta
ex,. i' i ma I c.. t'bzar c u-sar o capt nive aro dos
afr:.- .,aw-. 4.m -ito livres pult actor de 1831,
qu.- i. 1: tilico >tl uscrvoQ. E' por esse
m .' I 'i i aes ts 'a-,i u'i nfio pb ,1e fallar alto.
A ii, itric.li t, C .in) v.-ta -',_Ita, c ue n docuiaen-
to t'f.,.ati.'!,lJ i faraz.idualnito ; apczar dlipso, po-
rea., il[;it e a ca>rt:t do alforria dos escravos, e
o aumt,- j de. corp d delicto los senhores.
( Luttim.Aa) pla enmade paineio, f-ico sobre-
ti,,) pair;a livrar o m ieu paiz da escraviaiaa e
sca- ,Itfoitos p'ruiciosos, para libertar o solo,
por asS-imI diz.,r. A sorte dos negros inspira-
ama- a 1amais v;v;at sympatlhia, mas o qne princi-
palmI-)nt(a Ins preoccu;)a e a sort do paiz es-
tLril:salo pala escraividfLao, despovoado por
ell;,.coin umna. poputt(ibao tde deo m:lh&es do
lives qui' depaa.acn do trabalbo foreado de
urn rnillhio da e-cravos, porqae a escravidfko
tornou o trabalho umna conseripgbo repugnan-
t- ewn viz de um voluntariado em quo todos
to'nissmin part.
E' por todos esses mnotivos due estou em-
patnh.-'.!o na iuta, e numnca me hein de esquecer
lIe que a aninina o qaie recebi da iinprensa
pjrrtaima.l;zat sirprehltn'tu inme coinbatendo. 0
Ilue fizcramn por ini, fiz-iram-no quando 0
d.sfichio da Iluta u ra ainala incerto,' nao para
a i.l'\a i:is paira o in(livihlno. 0 que essa una-
mini, svyipatha revela, alemn de uma extre-
inma b-Levolencia, 6 urma grande conflanDga no
ari.'icipio, por rnais obscuro que sjta o name
latis t.-taija corn ella associado. Nao e a victo-
as ,iii nobi!ita o solda-lo : e a causa.
I Na' precise dizer mais. Sr. redactor, pa-
ra de-4partar in todus aos espiritos, soLretu-
do entire aquellcs cujas palavras sao para milm
um titulo do uf'auia, a conviccio do quo a
recap.c-bt0que tivn em Li-abda nanca se apaig-
ra ilat ir'mni Ibmuibranca. mas sara umrn elemen-
to permnan:mste, pelo animo que della tirei o
Ipela confianca qamo me mnspirou, na luta emn
411e me acb.) faup-nhadla. A bandeira em tor-
:o da quial n6s co:nb-itrinos no Brasil foi vis-
ta da Lairopa. Assym.npaithias do mundo in-
teit ro ett, to-las do nusbo lado.
SPedlindo a V. o favor de ser o interpreted
-los ;m-us s5ntinmentos, t:tnto perante a im-
prensa, comor pc-ante a As-ociafdo dos jomna-
lista's e esc' ijtores pol luguezes, no seio da qual
encontrei o inais cordial agasalho. tunho a
hioura de assignar-me coin today a estima pela
sun pe.ssoa. Do V. etc -Joaquim Nabuco. Lis-
bo. i de janeiro de 1881. 2
a Ji fui apresentado o relatorio do nosso
estado finaicuiro e o orpamento para o anno
economic de 1880-1881 polo Sr. Barros Gomes
rain stro da fazenda.
a A imtnrensa da opposicio faz-Ihe com-
in-.ntarios, ainont6a castellos de cifras, quer
uostrar que sbo manos gerentesos actuaes mi-
'iistrus e ein tudo e por tudo demonstram
'jue esta ) dec-didos a co:naiater a teod o t'ranse
est:.I sitamaco.
a Ha pouca-s dinas o Visconde de S. Janua-
rio. mianistro da minarinhlia e ultramar apreseu.
tou ao parlamento para ser autorisado a le-
vantar um emprestimo de seis mil contos pa-
ra ser exclusivamente das colonies, devendo
e fazer face ao encargo do emprestimo, nao
excedento a 8 por cento, corn o product de
varies iinpo-tos laneadios sobre as proprias co.
Ionias ou d'entre os ja ali existentes.
a Isto deo rellioraineatos colon iaes que em
ultiman analyse faz.,-m part do paiz. costuma-
va sur um canpo aeItroa em que todos esta-
vam do acaordo, e em que a political nao cos-
tu.nava intrometter-se.
Pois desta vez. ternm a impronaaaailvearsa a
sitnagiao atirado aquela propesta d 6MpreMs-
time come S. Thiago aos Mourst, porqu itsup-
p qasue as colonies portugmauas, com quanto
mastissimas, nao poderbto fazer face Aquesles
encargon, e que, par eonsequenoia. sera a
aetropole no flu de contas que tenha de pa-
ral-os corn lingua de pain, par quanto inas
tontas do minmsterio da fazenda acora apre-
oentada.t, apparece u;na verba de 141 contos
Ie rnis para comphotar o pagamento da oa-
.roe encargos provenientes ce emprestimes
bestinados ao fomento das provincial nltma-
narinas.
* Tudo issa ser-a ssim, ainda que sa deve
uppor-que o aninistro da marinba deverni
oer disposto do todos os elementos e dadast.
afficiaes que o habithtassem a estudar a qimq.
Iao, 0 nao viria agora ano parlamento pedir a .-.
timn autorisaglo para contrahir um empros.-
-mo sem saber de ante-mbo d'onde 6 qua tae- -
-Io de sahir os rendimantos de qua ee "he.
Ie pagar os respectivos eneargos. ..,
c 0 ministro dos nLgocios oatrasgfwos
Lpresentou no parlamento as modifaicttarap6
ratado de Lonrmngo Marquet. 0
ital das modificace.a e a revisao 4enlifti&M-- .-'-


a,
.5,5.- -


-P

- S~t~ua


k ;16.A










i .
*%... I. -. '


'I,


. -'


Camara municipal do Recite. Essa 9.0 Do Sr. Augusto Ferreira a perpertua
corporacio, em sessao de segunda-feira (24 amisade do Chile e do Brasil.
do corrente), induferio a peticao em que as a 10.0 Do lo tenonte Alencar ao ministry
negociantes da freguezia do Pogo da Panella Lopes Netto.
reclamavam contra o proeedimento do medi- 11.o Do capitbo-tenente Guedes ao feliz re-
co do matadouro, em relacao aos generous greaseso da Vital.
mandados iuiutilisar por ease digno funccie- i12.o De S. Exc. o Sr. ministry a S. M. o
nario, na ultima corrida sanitaria que alli rea- Imperador do Brasil.
lisou,. mandou louvar ao Sr. Dr. Jos6 Felix a Fizeram-se outros muitos brindes refe-
da Cunha Menezes por aquelleseu acto, e or- rentes ao progress, A prosperidade, ao adian-
denou-lhe que continue a proceder a novas tamento litterariao e ao brilhante future da
corridas em todas as freguezias. naco chilena, send retribuidos por outros
Transterencia de lesta.-A de N. Sra. ao Imperio do Brasil e cordialidade existente
do Rosario, que se venera na igreja da Ma- centre estes dous povos americanos. a
dre de Dens. foi transferida de 30 do corrente Ca On. o
pars quando f6r annunciada. Cidade de Olinda. Principiam hoje as
Freguezia de Santo Antonio-0 carts- novenas de N. Sra. dlo Amparo, na sun igreja
rio do juizo de paz dessa freguezia acha-se nessa cidade. Os versos feitos polo Sr. An-
transferido para o primeiro andar do predio tonio Marques Correia, serio cantados paor al-
n. I da rua Primeiro de Marco. gumas Exmas. Sras. que a isso se prestam
Salimentcios-Poalo vapors graciosamente, sendo a music compost
Generos almentcios- Plos vapors irigida polo bern conhecido professor Sr.
Tagus e Ceard vieram para nossa praga : azeo- Trajano de Barcellos.
te de palms, 2 barris ; biscoutos, 17 caixas; No dia 6 de fevereiro tera lugar a festa.
cafed, 695 barris; cha, 26 caixas; cervja, 6 Ville do Bahia-Esse vapor, da compa-
barris ; lic6res,. 2 caixas ; presuntos, 7 ditas; hia Chargeurs unis, conduzio de nossa pra-
queijos, 325 ditas; vinho, 73 pipas e 198 a pare as da Bahias, Rio de Janeiro a sa pra-ntos:
bars. par'700 saccs da 30 barricas Rio d assucar, 133
Para o sul do Imperio-Com 1 embar- ,00 saccogus e 30 bardente.cas corn assucar, 133
cado em nosso porto, o vapor Tagus conduzio pips corn agnardente.
158 passageiros. Imprensa-Nesta cidade acaba de ser pu-
DIaheiro.-O vapor Ceard trouxe pars : blicado um pequeno livro, sob o tituloe-Evan-
English Bank of Rio de Janeiro 200:000(0 gelho dos Espiritos ou Religido Universal, fun-
London & Brasilian Bank 200:0005000 dada na verdadeira interpretafdo e explicapo
Franeiseo Ribeiro Pinto Guima- das doutrinas de Jesus Christo e seus apostolos,
rbes 1:0005000 obra coordenada pelos Srs. Julio Cesar Leal
Desembargador Jobo Sertorio 900000 e Jose Ricardo Coelho Junior.
Deputados geraes-A' bordo do paque- Acha-se a venda em todas as livrarlas.
te brasileiro Ceard, vieram do sul do impe- Novas publicag6es. Receemos hon-
rio, chegando aqui hontem, os Srs. deputa- tern as seguintes:
dos geraes conselheiro Joo Silveira de Souza, Revista IlLustrada, n. 235. com interessantes
Dr. Sigismrundo Antonio Goagalves e Dr. gravuras representando as ultimas manobras
Francisco de Carvalho Soares Brandbo. dos alumnos da Escola Militar do Rio de Ja-
Segue para o norte o Sr. Dr. J. Tavares Bel- neiro.
fort Duarte. EstaFdo, n. 1, de 15 do corrente, aprecia-
Engenheiro-A' bordo do mesmo paque- vel revista de modas, contend lindissimos
te chegou tambem, vindo da Bahia, o Dr. figurinos pars bailes, passeios, jantares, con-
Jolio da Cunha Beltriao de Araujo Pereira, certos, etc.
distinct engenheiro que occupava o cargo Aquellas pessoas que desejarem assignar
de 1' engenheiro da commission director dos esse journal no corrente anna, devem quanto
trabalhos do prolongamento da estrada de antes ir iascrever-se na livraria Industrial,
ferro da Bahia, cargo de que foi ultimamen- na rua do Barlio da Victoria n. 7.
to exonerado por nae ter querido executar Gazela Operaria, ns. 1 e 2, do 1l anna, o.de-
umsa ordem illegal do ministro da agri- dicada a defeza dos interesses da classes no
cultural. Rio de Janeiro.
Viagem imperiaL-Lemos na Gazeta de Atirador Franco, n. 3, periodic critic.
Noticies, da c6rte, de 20 do corrente : 0 Retratista, periodico critic, satyrieo.
S Diz-se que Sua Magestade o Imperador litterario, noticioso e commercial,.quse sae a
estA outra vez corn vontade de viajar. Come- luz na Bahias; ns. I s 3.
cari pelo Rio da Prata, assistindo em Bus- -- Agradecemos todas dass offertss.
nos-Ayres a abertura da exposiglo continen- VaPor VaDgle. -B Et vapor mhio hon-
tal. tern a tarde da provincial daeBahia, pelo que
v Depois ira ao Paraguay, a Matto-Grosso; deve hoje amanbepr em anosdo port.
talvez vA ver os Andes. Loteria de MadIrid.- Retagbo dos nume-
a Tendo percorrido as republican do Pacifi- ros mais premiados'na extraico veriflcada a
co e visitado o Mexico, talvez o tente a volta 10 do corrente :
do mundo, ira a Asia e voltara pela Europa. NS. PESETAS NS. PESETAS
a E'provavelmente par este motive que a 11202 250.000 42 5.000
Sra. princeza imperial, que aiuda ha pouco 1O .0 .0
pedira licen a para ficar mais dons annos na 1287 5.000
Europa, esta disposta a regressar a esta ca- 6881 125.0C0 17890 5.000
pital par todo o mez de junho do corrente 11698 5.000
anna. 63 000 82 .U
a A ser veridico o boato, ah"esta um bomrn 6735 50.000 8827 5.000
pretexto para reuniao do parlamento: licenga 27847 5.000
ao monarchs para sahir do paiz. a 19627 25.000 2877 5.000
AssembIea legislative de S. Paulo.- C167 5.000
A' essa corporaglo foi apresentado o seguinte 1120. 08 5(
project sobre matriculas de escravos, que .01 .000 4W 5.000
entrarem para a provincia, firmado por todos 11203 8.000 16491 5 000
as deputados presents: 16572 5000 4012 5.000
a Art. 1. Todo o escravo que, dez dias de- 14113 5.000 16138 5.000
pois da publicago desta lei,'no journal quoe 242 5.000 688 4500
publics os acts offlciaesi entrar pars esta pro- 20Qf 5.O0 6W 4.5W
vincia, seria, em vista de documents legaes, 9788 5.000 6882 4.500
matriculado na collectoria provincial de qual- LeilO6es-Hoje real saif-se as segiintes :
quer nmunicipio, em um livro, pars esse fim Pelo, agnte Pestana, As 11 horns, na run de
destinado, no prazo de 30 dias, da data da Marcilio Dias n. 99, di armagio, moinhos e
entrada na provincial. moves de ums taverns.,
a Art. 2. Pela matricula, de que trata o Pelo agente Pinto, is 11 horas, na rua, de
artigo anterior, pagara o senhor do escravo Marcilio Dias n. 14, da armiago, generous e
ou a peses a cujo cargo estiver a quantia de mais pertengas da mesma taverna.
2:0005000. Amanha devem realismr-me os seguintes
Art. 3. A violaDo das disposio-s dos Plo agente Pinto, as 11 horas, na guarda-
arts. 10 e 2' oujeita a multa de 1:0005, por mOria da ilfandega, de botes, reomos vetls,
usda srsvo, alem do pagamento pels mrtrk- phar6es e agalhas. ,
.da ,' -. Searng'a-feirSa deve reolisar-se o segutia-
L,, .kt 4.. *i so'lats db pagamento aam .- te : ,
-g;q por oes o t oii- Pri. age4e Martium s, 11 noraa, n "l


f.
!


INDICACOES LTEIS

Medicos
Pedro de Athayde Lobo Moscoso, medi-
co, faz sciente as pessoas que o honram
oom sua clientella, que d'ora em diante
sera incontrado para consultas em sua
casa a rua da Gloria n. 39, das 7 horas
da manhW ate as 10; e no Torrelo da
Praca do Commercio, de meio dia atW 3
horas da tarde.
Os cbamados devem ser dirigidos du-
rante estas horas por escripto nas duas
mencionadas casas.
Dr.Raymundo Bandeira, medico ope-
rador e parteiro. Consultas de meio dia
as 2- horas, a rua do Born Jesus n. 18,
1.o andar. Residencia-rua da Unio n.,
23.
Dr. Arruda Beltrao.-Residencia A
rua larga do Rosario n. 36. Consultas do
meio dia as 2 horas. Pbde ser procurado
a qualquer hora do dia ou da noite.
0 Dr. Miguel Themudo, rua larga
do Rosario n. 40, 1.0 andar. Consulta
das 11 horas da manha as 2 da tarde,
chamados a qualquer bora.
Dr. Ferreira Velloso, medico e opera-
dor. Consultas das 11 as 2 da tarde.
Chamados a qualquer hora. Residelcia
ao largo do Corpo Santo n. 17, 2.0 andar.
Adv6gff4os
Manoel da Trindade Peretti, Caes 22
de Novembro n. 57, 1.0 andar.
0 bacharel Manoel Nicoldo Re'gueira
Pinto de Souza, procu ador fiscal do
thesouro provincial, modoa o sen escrip-
torio para a rua do Imperador n. 4U, pri-
meiro andar.
Phamacla homeopathleoa
Augusto Caors, depositario dos produc-
tos hompopaticos da casa de Catelan Ir-
maos. Variado sorlimento de carteiras
para globules e para tinturas. Globulo-
puros e dinamisados. Tinturas mates e
dinamisadas. Chia e chocolate homeopas
thico, etc.: 22 rua do Born Jesus antiga
rua da Cruz, Pernambuco, defronte do
chafariz.
Dentista
Thomaz Espiuca, cirurgilo dentist.
Consultas aW meio dia. Presta-se a cha-
mados por escripto, rua Primeiro de
Marco n. 18, 1. andar.
Pharmacla
Francisco Manoel da Silva & C., de-
positario de todas as especialidades phar-
maceuticas, tintas, drogas, produtos cbi-
nicos e medicameotos homeopathicos, rua
do Marquez de Olinda n. b3.
Bourgard t C.
Recife : rua do'Marquez de Olinda n.
15; Santo Antonio, ra Primeiro do Mar-
Qo n. 3; Bda-Vista, rua da Imperatridg n.
..--Grande fabric de cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos do Ha-
vana e naciodabs, cacimbos, tabaco e obh
jet par fifnaates. Lrvrios de medici-
n .ospietrica, e oko deposit da fari
ahi tatea da deNestle, para os meninos da
~peito.'
i eucontrado das 10 bores da manbu l

_. "1.


t~s ~-L:~.
V *~*. --
'S.. **-*. ~.,
V -'I, ';i


- ', .* **
.'*."^


W,.


''^Ik~i-RO.wal.(It~g~oi doo~aoso-

A Ma ado, aebava-n va len go n-
." "asrrmn. 0 Sr. Raos andava
Mu hpo, retirando.se da oonviven.ia dos
.. .uIB uoo. riQuerem alguis attribuir ea
lau ve ol dibpgbIo a desgostos quo expea
rsttiou pI r p coasio deo se ter realisado a
ujncVbo das das importantes fabrics de ta-
bacos, a d Santa Apolonia de Xabregas, de
que ero diretor.. N'sta qamidade, todos af-
iris_ que foi sempre polo os seus operarios
o melhor doe paltrs ea que o sea character bon-
doso'Ibe rangeara muitas sympathies n'essa
classes.
i Cootinua a dizer se que sera dissolvida a
camera municipal de Lisboa, em resulhado da
syodioancia a que se procedeu e que accusa
varias irregularidades.
a Procedeu-se ha dias As eleigOes das com-
missoes de recou.seamento, eleitos d'entre os
40 maiores contribuinte. de cada conselho.
gstaa eoaioes nunaa tiveram significacao po-
litica. Mas desde que o centre regonerador.
furioso por ter a coroa concedido a segunda
fornad de pares ao ministerios proclamar a
guerra santa, uma especie do guerra de ex-
terninio A situaclo activaram-se as cousas de
part a parte, dando-se aquellas sleic5es um,
Importancia que ellas nunca tiveram. Perde-
ram-nas os progressistas em Lisboa e ganba-
ram-n'as no Porto. Cad# qual das parcialida-
des reclama para si a victoria? E para que ?
Tom as commissOes de recenseamento de pro-
ceder legalmente no exercicio do suas func-
ges, ou tencionam tazer batota corn os re-
censeamentos.
( No primeiro caso, ltanLo imporLa que essas
commissoes sejam na s'ja maioria progres-
sistas coma regeneradoras. A segunda by-
pothese, nem se deve suppo-, porque nao se-
ria decente.
a A linguagem das folbas political, salvo
raras excepCOes, continue a ser violent e as
vezes desbragada.
a Falleceu a Sra. D. Eugenia de Menezes,
formosa e joven fiba do Sr. D. Joao de Me-
nezes. Casara, havia pouco tempo cumo o Sr.
D. Jolo, filho do Cond& de Paraty. p.rdo reino
e grlo-mestr6 da magonaria portugueza.


REVISTA DIARIA
Companhia do Beberlbe Hontem, ao
mewio dia, na sdde desta companhia, a rua
do Imperador, reuniram-se 23 de seus accio-
nistas e 6 procuradores de outros, represen-
tando t9dos 3,924 accoes corn 203 votos, afim
de, em assemblda geral extraordinaria, toma-
rem algumas deliberaq0es referentes a inao-
vacio do contrato de abastecimento d'agua a
cidade do Recife.
Deliberou-se solicitar do governor imperial
autorisacbo para augmentar o capital social
corn mais 2,000.0008000, para serem emprega-
dos nas obras novas que tern a empreza ds
construir.
Autorisou-se a directorial A mandar proceder
decade ji aos estudos preliminares e organisa-
C&o do piano dessas obras, e bern assim ai for-
mular uma reforms dos estatutos da compa-
nhia.
Tudo isto denuncia que a companhia cogi-
ta sdria e resolutamente de melhorar o ser-
vigo a seu cargo, tomando por base a citada
innovaqbo de contrato.


dW;Asd isposigoes
NoM&ia ftimaUma. -No perMMO anco-
cMc, h io 4 Prat. vai seo aubtidtuido opon-
tKo pharol qu Ia eistes por um. outro que
smoelot -pS *vir i navesgo.
0 phareLprojeetado srA de bronze, circu-
lar, luI braes'o.fsia eoA um raio de doze
milhas r esma onstruoeao fol conflada aos
8ra. Wilkins & C., do Lohdrem.
Hospitees maritlmos.-O Sr. conselhei-
ro cirurgio-m6r da armada Dr. Carlos Pro-
denico iPreoentou ao Exm. Sr. ministry da
marina um extenso trabalho acteca de hos-
pitaes. comprovando a necessidade de estabe-
lcer-se entire n6s os hospitaes-barrtcas, ou
hospitaes provisorios. Estudando o movi-
mento progressive da sciencia a tal respeito
na Europa, o Sr. cirurgibo-m6r fez acompa-
nhar o sea trabalho de estampas, pedindo a
innuguratce de um hospital-barraca.
E' de presumir que S. Exc. o Sr. ministry
aceite esta idea, abragada hoje em toda a Eu-
ro pa, e iniciada pelos americanos, concorren-
do deste modo pars melhorar a estado do ma-
rinheiro quando doente.
Armada brasileira. A' bordo da cor-
veta Vital de Oliveira, que scabs de partir de
Monteviddo para o Rio do Janeiro, houve ha
dias uma esplendida fiesta em regosijo a vi-
sits que o Dr. Demetrio Lastarria, ministry
do Chile, dignou-se fazer ao commandant e A
officialidade daquelle navio.
A' este respeito 16-se na Patria :
a 0 Sr. commandant a oficialidade de bor-
do trataram de re bel-o coqi a distincgio do
que e credor o spresentsate da republic
mais adiantada d Paciflco.
SAo approximar-se a embarca o que 0
conduzia a corveta, a tripolaco fez as con-
tinencias que se usam em casos analogos.
u Depois dos cumprimentos entire os Srs.
ministry, seu secretario Manuel Blanco Villa-
mil e seu addido Pardo, para corn o Sr. com-
mandante Noronha, officialidade de bordo,
officialidade da Trajano, Sr. secretario da le-
gacio brasileira, Dr. Regis de Oliveira e sua
Exima. esposa, Sr. Augusta Ferreira, e Dr.
Hurtado Barros, chileno que acompanhava ao
Sr. Lastarria, os recem-chegados foram con-
vidados a uma lauta mesa preporada corn
gosto e elegancia para o acto, servindo-se um
borm lunch.
a Nessa occasibo foram proferidos os brin-
des seguintes:
1.o Do commandant a S. Exc. o Sr. mi-
nistro chileno.
S2.o Brinde do 1 otenente Alexandrino
Alencar.
SEil-o:
Sr. ministro.-O commandant e officiali-
dade da corveta Vital de Oliveira pedem a V.
Exc. que transmitta a naqco, de que V. Exc.
6 tio digno representante, nossos sinceros vo-
tos de gratidbo e as saudades deste grapo,
que neste moment o rodeia. Saudades-ed a
palavra que em nosso idioms exprime as sen-
timentos pezarosos d'alma, d'envolto cornm as
recordacOes carinhosas que mais podem asso-
berbar os nossos coraq6es. Assim, pois, por
intermedio de V. Exc. e nas azas -do pampei-
ro que nasce ao sul dessa abencoada terra,,
enviamos os nossos adeuses. .ia, pois, ca-
maradas um hurrah a nacao chilena e a socie-
dade do Chile. )
3. De S. Exc. o Sr. ministro chileno a
marinha do Brasil.
( 4. Do capitio-tenente Pereira Pinto as
matronas chilenas.
a 5. Do Sr. capitio de fragata Manhaes
Barreto a oficialidade da Vital de Oliveira.
6.o Do 2 tenente Souza Reis a prosperida-
de do Chile.
( 7.1 Do secretario'da legafio chilena a ma-
rinha brasileira.
S8. Do Dr. Regis de Oliveira a S. Exc.
o Sr Virtnrinn .starria


WB~~~~w;~ L^bT.a~w avraa iO~B
Is alma do:. H oui. Lar;
hora, n capellado w to Ipublico, peo
almsa do Vi u4O dedS&Usa. -
AsauWAt.: i 8 ba,pA- unigrejas'daPe-
nha e da Ordom Tersifado Carmo, no Reei-
fe, deo3. Pedro latyr, om iOllud, nas es-
Is doe eugen ho Arip.4ib e eWs Campmpto,
pela alma da D. Maria Salomd de Mourn Mat-
os ; ias 7 boras, us apoella do Joo da BaRroe,
pela alma de Mergelinp Gomes di Fonseca.
Smdad-ftira: s 7 horas e media, na igre
Ja dq Corpo Santo, pela alma de Pauline Au-
gusto da Bsilva Faire.
Tera-feira ./ 4 horas e meia da madru-
gad,,, ns igreja deo Sapta Rita, pila alma de
Augusto Baptists Rodriguev de Almeida.
Matadouro da Cabanga.-.Foram absti-
das, hoatem, para o consumo desta cidade,
46 rezes.
Vapores.-Sto esperados os segulntes:
Warrior da Europa hoje
finho do sul amanhi
Pard do norte q 30
Glensannozx de New-York a 30
Araucania -da Europa a 31
Espirito Santo do norte a 4 de fev.
Gironde da Europa a 4
Pernambuco do sul a '7
City of Rio de
Janeiroi do sul a 10
Trent da Europa a 11
Bahia do sul a 7
Loteria da provincia-Amanha, 29 do
corrente, se extrahira a loteria 96., em bene-
ficio da Santa Casa de Misericordia do Recife,
no consistorio da igreja da Conceicio dos Mi-
litares, onde se acharao expostas as urnas e
espheras arrumadas em ordem numeric, a
apreciasbe do public.
Passageiros.-Cbegados do sul no vapor
national Cear :
Conselheiro Joao Silveira de Souza e sua se-
nhora. alferes Joaquim Pinto d'Assumpcao,
Dr. Thornaz do Bomfim Espindola, Jose Luiz
Coelho e 2 criados, Damniazia Maria da C., Ge-
miniano dos Santos. Dr. Raymundo H. da Sil-
va, Dr. Segismundo Antonio Goncalves, sua
senhora, 3 filihos e D. Miquilina Castro, Euge-
ne Arillcr, Dr. Francisco Pinheiro d'Almei-
da. Francisca Ambrozina Cosmine, Dr. Shares
Brandbo, sua senhora,'7 filhos e madama Pau-
line Martine, Jesuino Florentine de Paula,
Antonio Pontes Fiuza Lima, Dr. C. Beltrio
de Araujo Pereira. Antonio Ferreira da Silva,
Manoel Antonio Vianna, capitol Jos6 Fran-
cisco Ribeiro. sun senhora e 6 filhos, Alfredo
Charra, Izidoria, Maria Fausta, Guidicci An-
gelo, Saloni Adolpho, Manoel Rocha, Dr. Fla-
vio Goncalves Lima e sun senhora, D. Ame-
lia Freitas Seabra, Dr. Jos6 Joaquim Seabra,
Dr. Bernardo Antonio de Mendonga, Beltrao
Jose de Magalhbies, Joao Josad de Araujo e D.
Marianna das Neves, Jcs6 Nunes Guimarfies,
Adolpho F. Lima Freire, 2 cadetes, 2 ex-pra
cas e 6 escravos.
Em transit:
Ertidorio Venceslao Carneiro, Florencio da
Silva. Manoel da Cunha Bezerra, Dr. Antonio
Firmo F. Saboia, Jacintho Pereira, Joao Vi-
cente Monlinery, Libania Reis de Carvalho e
2 filhos, D. Maria .arbosa Duarte e sua cria-
da, Dr. Berfort Duarte, major Francisco Joa-
Suim de Almeida Castro, sua senhora e 1 fi-
Iho, tenente Antonio Leite da Costa. sua se-
nhora e 1 filho, Antonio Gomes de Araujo,
Antonio Games Costa Junior, 1 ex-praca e sua
senhora, 1 cabo ex-praca, Dr. Adolpio Rios
de Moura, 1 ex-cadtte a sna senhora, 2 ex-
pracas, 1 ex-cadete, 2 ex-pragas, Josd Antonio
de Barros, tenente Francisco Xavier Tin6co e
sua senhora. Dr. Antonio Lima de Aguiar,
Dr. Jose da Cunha Teixeira e 1 escravo.
= Sahidos para o sul do imperio no vapor
francez Ville de Bahia:
Thomaz Barreto. Gustavo Games Mattos,
conselheiro Luiz Gonzaga de Brito Guerra,
1 menino e 1 criado, Fernando Ferreira Ra-
mos, Joio Avelino de Lemos Padilha, Luiz
Alves Monteiro, Julio Cesar Leal, Maria Fran-
cisca Paes de Souza e 1 menina, Diogo Jose
da Costa.


Institute Ingl z de Per-
nambuco
Estrada do Joao de Barros, chacara n. 21
0 abaixo assignado, tem a satisfagio de
commuonicar so respeitavel public e corn es-
pecialidt de aos .pais de familia, que no dia 10
do crroante abrir-se-hbo as aulas deste Instli-
tuto, admittindo deede jd alumnos interoos,
meio pensiopislas e exterfos.
0 program de esiudos constard de um
cusso primario eascclar que comprebendqrd:
Orthogrophid, Leitura, Calligraphia, Arith)ne-
wa, Grammatica, Geographia, Eseripturagdo,
Elocupdo, Demnho e Musics vocal, ensinados
em Inglez e Portuguez, e de um cnrso secun-
dario academic, queftomprehendeira bIla,
Portfugue, Frances, Alleio, Latim, Grego,
Phitlsophia hatural, Anatoma_. Phyiologia,
Hygiene, Eotamca, MimwalQgia, Zooigial, Chi-
mica, Geologia, Arithmeti mental, pra"Wtis
commercial, Algebra, Gedmebri, '.igw~IYFstra,
Astrommis Histuria garal, Mf of!KVV
"Piaw dsk 4ropa Sisdt- i*l?(W- S'
uPIdis .IMa, moEftk. W, O
M te .' .- .. I"
IWL .
To.j ~ l~


d~e-R,6agv1.dei, o'&s^
OS recestm e antigos de'b flta da mens-
trha~io, para favorecer o 'trbalhe do
pRato, a sabida das semandinas, fazer ap-
S*re"r secreN de leite, e os lechios sup-
prumdos.
,bstes remedies encontram-se cornm ins
trWues e notaveis attestados
Depoaltos Unloos:
Casa do autor, rua Formosa n. 33. Li-
raria Economics, rua do Crespo a. 2.
V Luvas
de 1, 2, 3 e 5 botoes receberam Papoula
& C., largo da Matriz de Santo Antonio,
e vendem a 3" o par.
Agua Figaro
Pars Lingir instantaoneamente os cabel-
los, sem o menor receio para saude. Bo-
tica Franceza e drogaria. A. Caors, rua
da Cruz o. 22.
Bccearat
Grande liquidag&o de loueas, porcella
nas, vidros e crystaes no armazem
Baccarat
0 proprietario d'este estabelecimento.,
situado a rua do Barlo da Victoria n. 13
convida aos seus amigos e fregoezes a sor-
tirem-se dos referidos artigos, em conse-
quencia da reducio de prepos que. estabe-
leceu pars terminal mais promptamente a
liquidago.
Fumo


Collegio de N.


S.do


PUBLICACOES A PEDIDO
0 Sr. Dr. Barros Sobrinho
Fui accommeLtido giavemente da pleura-fe-
bre intense, oppresslo do peito, respiraCao
difflcil. dor do lado direito, escarros de sangue,
d6res lancenanles na cabeea!
Neste esLado minha senora assomibrada,
mandou a cidade chamar urn medico, e foi en-
contrado o Dr. Barros Sobrinho..
Coa effeito veio pressuro.o, cxaminou-me
e receiLou.
Sus therapeutic fui tio acertada, que ape-
nas applicou-se o viscatorio, principiei a to-
mar os remedies, ful sentindo alivio.
Sempre affavel, animador, grave, o Sr. Dr.
Barros Sobrinho em minba cabeceira foi me-
dico em toda pxcepglo da palavra.
Estou restabelecido e enLregue aos bragos da
esposa e 11 fllhos que me cercavam no leito
da d6r, temendo que fosse eu arrebatado pela
inexoravel morte.
Encanamento, 21 de janeiro de 1881.
Romualdo A. de Oliveira.

Ao public
E aos lllms. Srs. Dra. julz e promoter
de capellas.
Urn caso miseravel, repugnante e sem pro-
cedentes acaba de ser post em execucbo, por
umn dos funccionarios da administrabAo da ir-
mandade de Sant'Auna na igreja da Madre de
Deus.
No dia 9 do corrente, foi sepultado em uma
das catacumbas daquella Lrmandade no cermi-
terio public, o cadaver de uma pessoa que
nao foi e nem e irmno da mesma irmandade.
Os documents abaixo transcripts, incum-
bern-se de provar a toda a evidencia que, o
autor desse escandalo. o autor dessa cortezia
corn o chap6o alheio, desse procedimento re-
voltante e miseravel, 6 o actual escrivio da
mesma irmandade Joao Francisco de Souza,
que nlio lhe subio o rubor As faces, e nem lhe
tremia a mao, quando corn todo cynismo e
abuse do cargo que exerce, rubricava uma
uia segregadamente arranjava uma paten-
te, doqumentos oesses, que haviam de awom-
panhar o cadaver de quern nunca foi irmao.
Para ease funocionario prevaricador, pedi-
mon aos Illms. Srs. Drs. juiz e prometor do
capellas, a applicaglo da dispoaico do 5.
do art. 46 do decreto n. 834 de 2 de outubro
de 1851. Leiam esses dignos magistrados,
leia o public, os documents abaixo trans-
criptos e pasmem de admiral I!!!...
,rim. Sr. administrator do cemiterio publi-
co desta cidade.-Josd Pinto da Cunha Teixei-
ra, procurador geral da irmandade de Nossa
Senhora Sant'Anna, na igreja da Madre de
Deus, precise a bern de sea direito, que V. S.
Ihe made certifcar : se Joanna dos Santos
Vital, fallecida, e sepultada em 9 do corrente
mez, nesse cemiterio, foi ou nbo depositada
em uma das catacumbas da dita irmandade;
no caso affirmative, o numero da mesma, e-
por quernm estA rubricada a guia que acompa-
nhou o cadaver.
Nestes terms pede deferimento. Recife,
25 de janeiro de 1881. Josid Pinto da Cunha
Teixeira.
Como requer. Cemiterio do Recife, 25 de
janeiro de 1881.-Joao do Rego.
Joao Baptists do Rego, administrator do ce-
mnjterio do Recife, etc.
Certifico que dos assentamentos de obitos,
conata que, em o dia 9.de janeiro do present
anno, foi inhumado em a catacumba n. 6, ao
sul, da irmandade de Sant'Anna da Madre de
'Deuns, o corpo de Joanna dos Santos Vital,
branca, natural'de Pernambuco, corn 1'7 an-
nos de idade, solteira, resident na freguezia
do Poco, e fallecida de tubercnlos pulmona-
res : istando a guia que acompanhou ao mes-
mo corpo, corn o visto do escrivSo da referi-
da irmandade, Joao Francisco de Souza.
Nada mais continha.
Cemiterio do Recife, 25 de janeiro de 1881.
-O administrator, Jodo Baphtisa do Rago.
Illn. Jos6 Vieira de Siqueira Ferraz, amigo
e senhor.-Rogo-lhe o favor de declarar ao p6
desta, na qualidade de thesoureiro que 6 da
irmandade de Nossn Senhora Sant'Anna, na
igreja da Madre de Dens, e depois de rever o
competente livro da entrada de irmis, se
Joanna dos Santos Vital, 6 ou nao irml, e se
pagou a respective joia de entrada, no caso
affirmative em que data, permittindo V. S.
faster de sua resposta o uso que me convier.
Recife. 26 de janeiro de 1881.--oad Pinto da
Cunha Teixeira.
him. Sr. Jose Pinto da Cunha Teixeira. -
Revendo o livro de terms deedo 10 de de-
zembro de 1854, a esta data, sao costa que
tenha sido admittida a irmandade de San.
t'Anna a Sra. D. Joanna dos Santos Vital,
menos ainda desde que sou thesoureiro.
P6de Vmc. desta minha resposta tazer o
uso que lhe convier. De Vmc. amigo criado
obrigado.-losad Vieira de Siqueira Ferraz.


quo o ali.
Psm. oe f p Nqip diko as-
siga*d. doo I=tsd.UsDodo An deeM do
PC s .u11 w bede
prevaa apidio ma'srte quE ptotisa.
Wn virla lambm rtodoes os criados quo
devem seorvfr no estabeleeiNento.
A casa do Instituto reune as eond'gOes hy-
gienioas nocessearias, eosLtA e, perfeito estado
de acoq, 6 bastanto arejada, sobre tudo na
parto deslloada para dormitories. e dispoe de
um vaseto sitio corn espaco suffciente pars
exercilcos o recrelo dos educandos, e cornm a
separagio convenient para os alumnos de
um o outro seao.
As aulas acham-se provides de mappas,
cartae o audo o queo 6 indispensavel pars o es-
tudopratalico das diversas materials.
Serao adoptadoe no Institoto. os methods
ma's recentes o qua melbores resultados te-
nham colhido, bemrn como os livros e compen-
dios admittidos na Europa e nos Estados
UInidos.
E' escusado dizer que o director e os pro-
fessores envidarlo todos os esforgosa bemrn da
'aude e adiantamento dos alumnoe, plantan-
do-lbes no espirito us principios de bonesti-
dade, moralidade, lealdade A Deus e A Consti-
tuieAo do Brasil, sem embargo das crencas
religiosas de cada um, astumpto este queo nAo
serA tratado nem professado ho Instiruto.
Os alumnos internos pagailo de joia 50C00
e por trimestre 150%000, os meio pensiunistas.
905(000 os externos, pelo estudo da um s6 ma-
teria, 25',, de duas 305, demais deduas 405,
sendo feito os pagamentos por trimestres
adiantados.
Eusino de Inglez
Em adiantamento A present noticia, decla-
ra o abaixo assignado, que, para commodida-
de das pessoas residerntes nesLa cidade, acha-
se a4erte pars ambos: os sexom, desde o dia
20 de dezembro do anna passado, uma aula
nocturna de lingua Ingleza, pelo method de
Pestalozzi, a qual jA cunta um grande nume-
ro de alumnos, sendo assaz satisfactcrio o re-
sultado at6 boje obtido.
O ensino As meninas 6 dado em sala sepa-
rada, e couflado A senhcras compeltentemente
habilitadas.
Admittem-se DIO s6 cs que nr4o tiverem no-
cao alguma da lingua lnileza, como os que
nella quizerem apeifeiCoar se.
A aula funcckina as 7 horas da noite, A rua
Nova n. 23, 2. an-ar, todos os dias uteis ex
cept. o sabbado, a 24S 00 pLr trimestie, pages
adiantados.
Para quaesquer outras informaCves dirijam-
Fe aos interessadrs do lnstituto, A estradade
JoAode Barros, hacara n. 24, ou A rua Nova n.
,3. 2j andar, ou finalmente, ao pateo de Pedro II
n. 79, 1o andar, A entender-se corn o Sr. Jo-
vino Bandeira.
0 director,
Dr W. T. Robinson A. M.

Collegio Zima
PARA 0 SEXO FEMIMINO
Rua do Livramento n. 38, 2.o
andar.
Professoras e directors :
Amalia Roxo Lima.
Zima Roxo Lima.
A matricula do 8.6anno lectivo para as aulas
deste collfgio esta aberta desde 7 de janeiro
de 1881 em diante, tao somente para alumnas
externas.

Collegio de Santa Genoveva
Rua do Visconde de Goyanna n. 153
Precisa-se de uma pessoa que saiba ler e
escrever pars ser porteiro.


COIERCIO


Junta dos correctores
PRAgA DO RECIFE. 27 DE JANEIRO
DE 1881
eotac6ea olffieiaes
As tres horas da tarde
20 acfOes da companhia de Seguros IndMu1..
sadora, do valor realiado deoOM
A 3505000 cada umsa [por meio lo
propostas].
Algodio do Rio Grande do Norte, 71800 pjo
15 kilos postal a bordo a frete de o9/16
e 5 0/0, hontem.
Algodbo de Aracaju, sem inspecigo, 7540por


Cambio
Cambio
Cambio
Cambio


15 kilos.
sobre o Rio de Janeiro, CO d/v. ce
1 1/2 0/0 de desconto.
5obre Londres, 90 d/v. 22 1/4 d. por
15000S, do banco.
sobre Panrs, A vista, 433 rs. o franc*,
do banco.
sore Lisboa e Porto, A vista, t130/0
de premio, do banco.
A. Leonardo Redrigues.
President.
M. J Affonso,
Secretario.


ALFANDEGA.
fendimento do dia 3 a 26
Idem do dia 27


1,065:397 579


Importagao
Vapor inglez Tagus, entrado dos portos da
Europa em 21 do corrente e consignado a
Adamson Howie & C., manifesto :
Amostras 54 volumes a diversos.
Biscoutos 12 caixas a Domingos F. da SUysa
& C., 5 a Rosa & Queiroz.
ChA 14 oaixas sos mesmos. 11 a Fernandm
& Irmbo, 1 L ordem. Candieiros 1 caixp a J.
J. Holder. Chapeos I caixa a Joao Christia i
& C., 1 aos consignatarios, 1 a Joaquim &d
Silva Carvalho & C.
Drogas P volumes a J. da Silva Ramos.
Impresses 1 caixa a F. S. Quintal, I a G. P.
dos Santos.
Joias 2 oaixas a Julio Fuerstemberg.
Machinismo 1 caixa a C. Craver. Meicado-
rias diversas 5 caixas a F. H. 'Carls, I a F. K.
Foernandes, 3 a Antonio D. C. Vianna, 2 a Go-
moe de Mattos & Irmao, 1 a Guimarlies ]i--
beiro & C.
Pianos 2 caixas a H. Vogeley. Pregos 13
barrficas a Oliveira Bastos & C. Presuntos" 6
caixas a Carv'lho & C., 1 a ordem.
Queijos 164 caixas a ordem, 50 a Cdrf B-
gueiredo & C.. 33 a Jos6 Jeaquim Al
20a Antonio E. da S, Camnoes, 16. aI l
Joaquim Carnefro & C., i. a Rosa &W
12 a Silva Paiva &.C., I a Alheiro, O
C., 5 AEsnaty, .
Rl oloti o cizsA& -Ado
TecidoadfI' r
& ,I a r


Approadbos plenamento j
&FpOv~ades ^Br
N!Oroyadoe tB
us oxasioe de sciencias foram p&t a
oatts provlnclas. _
Aposmentamos ttmbem ao
das peosses a quern inlrewar p_
curs de instrUco primauia, q< -
vidido om Curso prellmlnar,.
oomplementar, cujaa mierias |
pela sequinte form :
1 ANlO CUBSO PlELtlMtAR
Exercicios de IntulTho
Relibito-Primeiras orac5es do christblo, Iddas
fundamentaes da moral christa.
Leitura
Calligraphia
Arithmetica-As quatro operaCoes sobre intei,
ros, por meio de coutador mechanics. *.
Grammatica-Conhecimento das divessm eas-
especies de palavras pela vista dos object.
Desenho=Desenho linear.
Gymnasti ca-Exercicios preliminares.
2o ANNO CURSO ELEMENTARY
Religibo-Doutrina christi.
Moral-Puincipios de moral explicados pelo
professor.
Leitura-Leitura corrente de prosa e verso.
Calligraphia-Escripta corrente.
ArithimeLica-As quatro operagOes subre intei-
ros, decimaes e fracCOes, system legal do
pesos e medidas, problems de uso commus.
Grammatica-Eiymologia, orthographia prati-
tica par meio do ditado.
Geographia-Geographia do Brasil.
Sciencias naturaes-Principios de physical e
chimica
Hygienne-Curtas prelecvoes pelo professor.
Desenho-Desenho linear e decenbo A vista
dos objects de uso commum.
Gynastica-Exerricios: 1o carreira cadencia-
da em z"g zaig, em espiral e em cadeias
gymnastics, 2 saltos A p6 firme, 30 sakos
em largura e altura, 4 cordas de noz, bar-
ras de espberas, etc.
3 ANNO CURSO COMPLEMENTARY
Religilo- Historia Sagrada.
Civilidade-Precei'os.
Leitura-Leitura da Cor.stiluiiCo e dcs teo
veres do cidadAo, leitura e oeciLa.lo de prio
sa e verso.
Calligraphia
Arithmelica-ProporQOes, regra de tres e ap-
plicagaes
Grammatica--Analyse granmatical e logical,
e exercicis de orLbhcgraphia e reduccgo.
Geographia-Principios de geographia univer-
sal e especialmente do Brasil.
Historia-Hisioria do Brasil.
Scier.cias naturaes-Principios geraes de zoo-
logia, butanic?, physiologia vegetal e mine-
ralogia.
Agricultura-(Ensino theorico e pratico) no-
COes de Geologia, agriculture geral e cultural
especiaes mais usadas.
Hygiene
Deserho-Desenho de ornato, carta dc Brasil
e especialmente da provincia de Pernambuco
Gymnastina- Exeticcios,
Francez-Cursn pratico.
SOs professors do curso geral sao os Srs :
Capitulino Pereira de Barros e Silva.
Dinamerico Augusta do Rego Rangel.
Ma. P.J. Chacht.
Os directores facultam a visit do estabeioe-
cimento desde 9 boras da manha, atW 8 boras
da note, A lto.as as pessoas que se inteies-
sam pela causa da instrucClo.
Recife, 15 de janeiro de 1881.
Os directors.
Bacharel Jose Bandeira de Mello.
Jos6 Ferreira da Cruz Vieira.

Collegio de N. S. da Grapa
N. 10-Ponte d'Uch6a- N. 10
Miss Anna Carroll, desejando dar mais des-
envolvimento ao curso de estudos do seon col-
legio, resolve auxiliar se de alguns professor
res de conhecid., merito, afm de poder asso-
gurar as suas discipulas o melhor adianta-
mento e perfeiao nas mater ias que estuda-
rom.
As materials ensinadas no seu estabeleei-
meato sao as seguintes :
Portuguez, francez, geographia e historia-
lecclonadas pelo Revc. padre VeoUos.
Inglez-pela director. *
Primerias lettras e bar dados-pela Sra. D.
Augusta da Silva.
Piano e canto-pelo Sr. Gustavo Wepnhe
mer.
Desenho e pintura-pelo Sr. Aurelio de Fi-
gueiredo.
Instruccao religiosa-pele Sr. vigario Vol-
loso.
As linguas falladas no collegio sao: o poa-
tuguez, francez e inglez.
0 collegio recebe alumwae pensiomistas,
sime-pensionistas e externas. As aulas estaC
rio abertas do dia 10 de janeiro em diante.


Grande sortimento de fumo de
qualidades, e das marcas mais
das neste mercado. Nos armazens
Paiva & C. a rua da Madre de
24 e 26.


-d


/












"1



a'
*


Am: :/.
F,,.


N e.' t ,r
*^; -,-s?
** .** "',


todas as
acredita-
de Silva,
Deus ns,


Amparo
Rua da Uniao numero 4
Este estabelecimento de educaCblo de meni-
nas estara aberto do dia 7 de janeiro em
diantLe.

A' caridade public
As mulberes necessitadas, retidentes na tra-
vessa do Bernardo n. 51, na freguezia de S.
Jos6, ainda imploran a caridade public.

Collegio Dous do Do-

zembro
RUA DO HOSPICIO N. 53
Os direztores d'este colleglo apresentam ao
publi.o a resultado dos trabalhos dos quatro
mezes d- sua administraclo. Realmente, o
quadro do resultddo abaixo declarado nao 6 o
que os Directores ambicionam, nem 6 de en-
cher a medida dos desejos das pessoas que
nao canheoam as tries successivas alteragoes
de directoria, que este estabelecimento tern
scffrido no curto espaoo de anno e meio, alte-
raeOes estas, que por mais sabias que sejam as
administragOes, sempre imprimem mudanas
na ordemn e method, e portanto perturbam e
retardam a marcha regular do ensino; corn-
tudo deve ser satisfactorio para as possoas
que, tendo acompanhado o mrovimento d'este
collegio, o julgam corn justiga e desprevenidas
de toda paixio.
Resultado dos exames ao anno lectivo de
1880.
Portuguez
Joao Jeronymo Pontual Rangel, plenamonte.
Anastacio de Paula Cavalcaate, idem.
Manoel Polycarpo Moroira do Azevedo, idem.
Rodolpho Games daCunba Leal, Hiem.
Francisco Xavier Ramos Tozer, idem.
Eugenio Ramos Carneiro da Rocha, idem.
Zeferino Gongalves Agra, siwplesmente.
Manoel Hinghes, idem.
Jos6 Eugenio Moreira Alves, idem.
Samuel Ramos de Farias, idem.
Luiz Ramos Carneiro da Rocha, idem.
Joaquim Andi6 Bentzem, idem.
Francez
Manoel de Barros Bezerra Caval canto, samples
mente.
Jos6 Jaronymo Pontual Rangel, idem.
Augusto do Nascimento e Silva, idem.
Alvaro Augusto de Almeida, idem.
Francisco Antonio de Souza Beirez, idem.
Eugenio Ramos Carneiro da Rocha, idem.
Jos6 de Barros Pimentel, idem.
Inglex
Joao Carlos Camboim de Mendoriga Vasconcel-
los, simplesmeoto.
Jos6,Rodrigues Tavares do fe Mllo, idem.
Antonio de Souza Leoo, ideo.
Miguel Cursino Villa-Nova, Idem.
Felippe Garneiro Rodrigues Campello, plena.
mente.
Aprigio Antonio da Silva, simplesmente.
Jos6 Honrique Carneiro da Cunha, idem.
Luz de Galdas Lins, plenamente.
Rodelpho Gomes Leal, simplesmente.
Julio Saboia e Silva, idem.
Latim
Antonio de Souza Lolo, simplesmente.
Luiz de Galdas Lins, plenamente.
Pedro Jordao das Neves Vieira, simplesmente.
Alfredo Odillon, idem.
Francisco Alpheo Cavalcanti, idem.
Rhetoric
Luiz de Caldas Lins, plenamente.
Geographia
Luiz de Caldas Lins, plenamonte.
Btstoria
Pedro Jordie das Neven Vieira, simplesmoete.
Alfredo Odillon, Idem.
Horacio Hivghes, idem.
Arithmetica
Fadsto Gavalcat.e Gadelba, plenamenteo.
-Manoel Hivghle, i mpimsnSOte.
Antonido deBrros Brretd, plenamente.
Manoel Eforiano to Erito, mimplesmente.
Jeouiu o Pinto Lobll, plonamente.
"- "qe, wufria
Fausto Gvsaloa5 G'adelba, simplesmente.
Josea Jquim GsuHara'e, plenamente.
Jeaiao PinuW Lobao, ides.
v- Algebra
JSom oaquimtui mtaes, plenamente.
Mean fli?4^9 110o simpesmante.
Itfr~dpY ~ltgiflfua, 1dmi.
Martano de Iad ides.
I 'A


I






































S Carga da Bahia
Azeite de palma 2 barris a Fonseca [rmao
&C.
Chapios de sol 1 caixa a Antonio J. Leite
Bastes. Charutos 1 caixa a Guimaraes &
Valente.
Fumo em folha 2 fardos a B9urgard & C.
Fazendas'7 caixas a Cramer Frey & C., 3 no
Goncalves Irmios & C.
Panno de algodao 20 fardos a Gonialves Ir-
miao & C., 18 a Antonio de Oiveira Maia, 10
a Severino & Irmao. 6 a Ferreira & lrmto,
5 a Bernardino G. de Carvalho, 6 a Machado
& Pereira, 5 a Agostinho Santos & C.
Saccos vasios 14 volumes a Luiz Jose da
Silva Guimaries. Soda caustica 10 tambores
a Pereira Carneiro & C. Sola 3 volumes a
Francisco Jose de Castro Rabello.
DESPACHOS DE KXPORTAtAO NO DI U 26 DE
JANEIRO DE 1881
Portos do exterior
No vapor ing!ez Menling, eirregou:
Para Liverpool, Clement'no Semente 200 sac-
cas corn 16,050 kilos de algodio.
No vapor alk raro G. Werder, carrega-
ram:
Pira Bremen, Borstelmnann & C. 40S L .rdos
corn 76.763 kil .s de algodao.
Na escuna ingleza Magie, carregou:
Para o Canal, C. R. do Passo 371 5sccos
corn -27,750 kilos de assucar mascavado.
Na b-irca suneca Hildur, carregniam"
Paia o-Canal, F. Cascau & Filho 319 saccos
corn '3,y125 kilcs de assucar m,s"a,7a(,,.
No patacho portugu z B. de Freitas, car-
regarm :
Paia a Canal, Julio &Irm5ao 1,50 saccos corn
11I,3i0 kilos de assucar mascavado.
Na barca norueguenise Gaulthea, carre-
garamtn :
Paia New-Yo-k. J. S. Loyo & Filho .30 sac-
cos corn 17 250 kilos de as.ucar maascavad;.
Na barca poitugueza Nova Vencedora,
cat regou
Para o Port,). J. A. Russell 2 barrios corn 104
litrcs ,e aguardente.
Portos do interior
Na bar -a national S. Jose, cv.rregaram:
Para o Rio Grande do Sul, Belt,'o Jcnior &
Rezende 150 saccos corn 11,250 kilos de assu-
car branch e dtos coa 3.750 ditos die dito rwas-
cavado; L. A. Ferreira 107 ditos corn 30,525
ditos de dito bianc., P. Carneiro & C. 30C
bnrriras corn 22,6'98 ditos de tdito e 50 ditas
com 5.685 ditos dedito maspava.1o; A. .1. Fur-
tmdio-& C. 6'.0 voluiuses comn 43,671 ditos de
diLo b anco.
No patacho nacion-il Carneiro 21, carre-
garmin:
Pars Porto-Alegre, 0. Travasso & C. 20C
barricas corn 21,594 kilos de assucar masca-
vado e 00 ditas corn 10,816 ditos de .AitC
branch.
Na barea aacional Aurora, carregarwi:
Para o Rio Grande do-Sul, A. J. Fattado &
C. 175'volumes corn 14,277 kilos de aseucat
branco e 25 brricas corn 3 195 ditos de oMto
mascavado; Amorim Irmios&C. t,210 voli-
mes cornm 102.989 ditos de aOto branch e 4(
bar icas coni 4.539 1 '2 Jitos de dito mnaca-
vado.
No vapor francez Ville de Bahia, carre-
garamr:
Para Santos, r, C-rneiro & C 800 saccos
eom.48 00 kilos de assucar branco, 200 ditos
corn 112,000 ditos de dio inasca ado e 2-j pipas
00oM 9.006 litros do agaardeite; Amrnrii Ir-
maos & C,. 600W scc)s corn 36,000 kilos de as-
sucar tianci, 600 ditos coui 3 ,u<( 'ditqs de
dito masoavado e 40 pipas corn 19,'200 Itras de
aguarder, te.
Para o Rio de Jjineiro, A. Frni-lique 250 sac
cos corn 18,750 kilos de assacar mascavado e
50 r]ifos c., 3,75j ditos Ie di o b-anco; E. P
Cascao 100 ditos coi 7,5700 itos de dito nas
cavado e 20 ditos crnm 15 00) ditos de dit(
branco; L. J. S Gaiinaraes 500 ditos con
3750-vdiltos de dito ; J. S. da Cosa MIoreira 50
ditos corn 3,75 ditos de dilv.
No vrpor national Pard, carregou:
Pare Victoria, M. J. Ra.nos e Silva 25 saccoi
coc. 1 875 kilos de assucao brarco.




Maritimos e coutra fogs
Coxnpanhia Phenix Per-
nanr.bucaD a
Pu:. do C- .irnfercio n. 34



..,4 .si s -- ., ', -. |


Icoiupa l;ia seguros
CONTRA FOGO


EST:. 103

Segura eoutra o risco do foj
1 g o, casas e ontrosedificIosm
generos, e' mereadorias de,
toda aespecie.
CAPI I AL i -;;, -)0:000$000
Para mais iviforrnzt,&s em casade
, :.BROWNS-& C.
51 RUA ro IARQJEZ D'OLINDA 31

oeguro uotra 1oo
.The 4vorpoo.l,& p4opi &
Globe
InsurranceC (O pany
AGENTS

Saunders Brothers &-kC.
11- Corpo SanIoa-il


*^W;BE SH~ejS


- j
!,. .,


Flital n.!36
Em virtude da ordAm de ppesidencia da pro-
vineia, de 24 do corroote, manda declarar o
inspectuor-geral da iostrucoo public, que
tendon deser itovida por concurs a cadelrade
allemao do Gymnaslo Pernamoucano, acha-se
marcado o prazo ae 60 das para a inscripca
de b&ahiltaao dos candidates que pretende-
emrn- conorrer eo provimento.
Sewtavia-e instruioAo public do Pirnam-
.baco, 26 de inelro de 1881. 0 official, ser
vindo de,secretario,-Joao B. Fox
OBRAS PUBLICAS -De canformidaIe
corn a orden do Him. Sr. engenheiro c-efe e
director ,a repertiCio das obras publicas, fago
public que no dia 12 do mez vindouro, ao
ieio dia, peranie esta reparticlo, vai A praca
a construcQo) da ponte sobre o rio Preto, na
estrada de AguaP;.eta, oigala om 3:0808. 0
orament-) e ,onJiC5es di c,,ntrato achamrn-se
nesta secretaria para serm exam inados pelos
p etendentts.
Secretaria da repartiCao das obras pubhicas,
25 de janeiro do 1e 881.
J.,ao Joaquim de SiqueiraVarejio.
Edital n. .-De ordem do I Im. Sr. Dr.
I inspector faCo public que no dia 24 do feve-
reiro pr(nxino vindouro, ird a prava perante a
janta da fzenda pr-winc'.al a obra da ponte s'-
bre o rio Ca-me-vou, na imiportancia de ....
9:321S400 de a c,'rlou row as cliusulas esoe-
claes albaixo itrnscriptaL, corfcrme ordtnou
S. Exo. o Sr. pri-esiaeme ;a provincia, i ctfli-
ci' de 22 do coxrenLt". 0 oramrnento acha-be
uesta secret,.rtzia.disposiQou los pretendentes.
-ecretaria do thesouro provincial de Per:.am
buco, e'a 25 d- jine;ro de 1881.-0O secretario,
Alfonso de Albuquerqae Mello.
(LA\USULAS ESPECIAES
Art. 87. No pr-'zo de quinze dias a contar da
comnuni,'acI a repastitao oas ubras publicas
do resulted,' ia airretiata5o, a mesma rpar-
i ticA. f mecea grituituinte e.o arremrnatante
copies authenticas das tifferentos peCas dc
proiecto, tanto desenh.das cumo t, scriptas
Art. 88 Antes ae conmegcr as ukras de te;ra
Sou art, o ai remataune deverA apresentar pci
escripto, ao engenhiiro fiscal, qualquer recla-
m naCI ) -qua se Ine cfferecerom subre errors de
mve!amuento. metiau. ou calculo quo supuzer
Sque contain quaesquer das peas d,, pro-
jecto.
0 engenheiro fiscal, pode:A., porsus vez, no-
Stiflcar ao arrenatante todes os erros de nivela-
meato. meoicAo ou calculo, que ipor venture
Sencontrar no mesmo project, e fornecer-lhe
os elements corrigidos qoe servirao de base
) para a eKecuCto da obra -e para regular as
courts.
Se e arvematante comecar nma obra deterra
ouate seam que hbja recluaa&o dae algpma,
das parties a respeito dos elements e calcu
I ,-s do orgamento. as dimens6es dadas pclos
r perfiz epelo present, e que nao poderiam sei
) verificade$dsepas da execuvlo, serivirAo part
o regulai:-as.co&ILas para opagameato. Taes re
SclamaCoes (ve se dere.n), acompantiadas das
informatoas do engeuheiro fiscal, -sertAo apre
sentddas ao eng'nheiro director das obras pu
blicaspara os fins conaivenientes.
Art.- 89. Os trabkhos deve.:o -aer conclui
dos no prazo de 15 mezes, a contar-dodia en
Sque for entregue apo artematante as copies d(
Sptojecto.
SArt. 90. Os pagamentos serao feitos todo'
o s mezes aa proorgco.ddas ob4as exvaeutldas
S6 serao considleradas obras -executadas
Sos materiaes arrumados para mediao e a-
obras de terra 4u d'arte conciuidas no vale
- muwiu de um co oto do rois.
e Art. 9. 0 prazo de iesponsabiidade da;
.. obras saia de duus inezes, cntados do term
Sde recebimento pruvisorio. Durante este pra
o zo o arrematanto coriservaiA os trabalhls, re
n paranrdo osaterros estragados, tapandobura
0 cos nivejando a estrada, etc.; qualqtker que
aeja a:causa qua exija as reparacres- huva
transit, ,etc.
s Art. 92. Em tudo o que nao estiver especi
fil'ado no presentede orcimento, seguir-se-ha
que p'escreve o regulamento resta reparticar
,te 24 de fevereiro de 1874.
0 present o-ea.uent,, inportfom nove con
tcs tr-esentos e vinte e LOn mil e quatro pento
rtis, o'g:uisado e apreseotado palo conducto
abcixo assignndo. Cilade ,le Palm-.e., 13d
J ruovewbro .de -1880.-JosA Joaquprm do Mell
Ca-. Ct Cm as aiLeraioAs por mirn feitas n
prin ict, C orcatnento da ponte. Cab's em 1
dc 'ezaubrJ do1e881).--Joaquim Galeno Coelhc
Editi 1 ii. 51


Fela inspectoria oa alfanilegi se faz public
que As 11 bo.ras oapanuhA o din 3 do cor-
rente uez serZ, arrewatadas A porma desta
repartigao 1 caixas de marca AHI&C ns. 1 a
14, vindas nit vapor inglez J. J. B., descarre-
gaias em 9 ,:e abiil de 1880. con.tendo 759 ki-
lugrammas de falhinhas impresses. abando
n -das pmr Addnmson IIowie & C no valor otfi-
rial de 5:C60S. .
Alfztndega .,e Pernambuco, i7 de janeiro de
1881.-0 iOjpspector interinn,
Ceaar Orlandini.
Editat ii 52
Pela inspectoria da alfandega se faz public
que por f-lta de lieitantes nAeo Lendo sido arro.-
watades Cs mereadorias abaixo declaradas, se
transfer a arrematavao para as 11horas da
manhA do dia 31 do eprrente mez, A porta
desta reparticfo, a saber:
Duas prensas para copiar, parte do eonte4do
da caixa n. 431, marca JWM, vinda de Bor-
deaux po vapor -francez Senegal,-entrado em
6 do corrente mez, baridonaeias aos 4ireitos
por J,.Ao Walfredo de tfedeiros, .no valor of-
ficial de 201000.
Trinta kil,,grammtas de facturas impressas
em uma s6 cpr, parfe da caixa n. 570, marca
MP 9 R em baixo, vinda do Havr-e no vepor
francez YVille de, io de-Janeiro, entrado em 14
do corrente mez, abandonados sos direitos
per Potelleret & Fouquap, no valor official -do
200$00.
Alfandega de Pernambuqo, 27 de janeiro de
1881. 0 inespqctor interino,
Cesar Ollandini.
-- EdttTi ... t

Pela inspectoria da alfadega se, faz pub[ico,
qae achando-se as Ptercoadoias contidasnos
volumes abaixoeiawE84Qs, -no caso de serew
arra,11os @ar _poqstujo. nos terms d
arromotados .aia J'oiI~iLPo. DOS Lambs do
Cap. 6 tit., 311dp *mXenmto.de 1 9 de elem-
bro.4pi1OQS.91son s 409GUol.l OOiflA16
4ev**.. 0 Qp.lLprfzo ,et3 iOasrsob
'pena doe,130 .meW von04as .por sea
OIWN. IB, Me. l.&Wg petind*o_ allegar


I1, 182 10


Doe cofogai -(X q tp ar.t. 19 dos estatutos
srAon veqdicas W 'acqbes esta companhia ns.
7156 6 765. 06,piPteuAsmtte so.-conv*dados a
.apreasentira8 suas prOpOStas gd ,rtn feoha-
da, por Intermedio de corretoreral, aj6 o dja
3 de fevereiro proxiwi.. ,A 1! bora da tardle, no
ea04rj.oo rod ,eq qnpAqppi,.
Cpoawninbie Phqniix ,P.eraaiwuqepa, 22 de ja-
neiru de 1881..--')s a'rectores,
Luz Duprat.
4o&o Jos6 RodriguesMendes.
.Manoel GQmes de Maltos
'-COMMANDO DAS AiMAS
XTendo 3. Exr. o Sr. president da provincia
em officio de 21 do corrente exigidto desta re-
partiCAo infamaQ5es exaftai relativatpente ao
numero, sexo e idade dos filhos dos yilitares
invalidados no sorviQao4 pa'z,e dos orpAos dos
mirlares que existirema nesta provincia, que
quizerem aproveitar dos beneficios da socie-
dade Asilo dos Invalidos da Patria, que. se pro-
poe a recolber e tratar os servidores do paiz,
quo per sua velhice ou mnutilaiAo na gioara
nao poaerem mais prestar servings. e a prqte-
ger a educar,4o dos orph&os filhos dos milit.a-
res moftos em campana, ou mesmo quando
destacalos no servlto das armaq, dando-lhes,
alum do agasalbo, alimentagAo e vestuario, o
ensino primario e o de "im officio qualquer;
instiuiQao Esta, que se vai fundar na c6rte;
coniga u mesmo Exm. Sr. as p-ssoas 'acima
inliewdos, por si .u por srus tutors e cura-
dcres, e a maias quoto interess;ar possa, a pres-
tar nasecetaria mlitai deste commando, corn
a possivel brevidade, as inf--rmaoes neees-
oarias, afirn de que o mesmo Exm. Sr. presi-
dente possa orientir A direntoria da alludida
socieda'le,.c,.)m, pedio em officio de 3 tambem
do co)rrente.
Secre-tari- do commando das armas de Per-
nambuco, .4. de janeiro de 1881.
Francisco C.;mello Peisoa de Laccrda,
G')ronel graduado, secretario.

Conip0nhia de Santa

Thereza
de illumiunaiaio a gaz e abastecimento
d'agua, na cidade de Olinda
IDividendo
No escriptorio da via ferrea de (Olinda, esta-
eilo da Aurora, paga se diariam.nte o quarto
dividend daquellaeempresa, na r',zao de 1 00,
atl o fim do ,orrante iez, das 9 horas ao meto
dia, e dahi par diante nos sabbados As mes-
mas horas. Recife, 24 de janeiro de 1881.
L. J. do Miranda,
Gerente.

Obras do Porto
Peli directoria das ohras de conservaCvo
Sdos portos d'esta provincia, manda-se faver
sciente a quem interessar possa que, de con-
Sformid-de corn o aviso de 29 de dezembro pro-
Rimo passado do minibterio da agricultural,
s coammercio o obras publieas, no dia 28 do fe-
vereiro proximo vindouro a,) maio-dia na rmes
a -ma'e-partigfo, -recebew-se propostas em cartas
s iebadas pra coomprar,- ou conuratar coAr qumin
Smnais 'vantaleem offereeer a- ooastruecalo de tres
s ean6aside 50 -toaeladaa cada uea para otrans-
r porte tevases extrahidap polas dvragas;i'as
a, repoartio.
RepartiClo adas obras de conaerwaCAu dos
s photos -de Pernambuco, em-24;de jmneiro de
1881.
0 10 e.cripturario,
Manoel Duarte Pereira.

OCOMPANIHIA
o DO


s D *utul1^"
SNo escriptorio desta companhia corn-
s pra se os Diarios de Pe nafrmbueo fns,
o 2-2! e 2"25 do anno de 1879, e ns. 226
227 do anno de 1880; bern como Jor-
,naes do Recife ns. 252 do anno de 1879,
e e ns. 110, 146 e 147 do anno de 1880.
; Quern os tiver e quizer vender diri-
ja-se a rua do Imperador n. 71, das c
horas da manha as 4 horns da tarde.
o ADMINISTRATOR DOS GORREIOS DE PER-
NAMBUCO, -28-DE JANEIRO DE 1881
Peo-Malas a expedir-se hoje
s Pelo vapor nSci,)nal Ceard, esta admiinistra-
lr c5o expede mojas para os portos do nortA.
e aecehem-se jornaes, impresses de qualquet
o natureza, e cartas a registrar, para os reapec
tivos portos, at6 3 horas da tarde, carts or-
3 dinarias at6 4 horas, eate 4 1/2, pagandc


Aporte duplo.
0 administrator,
Affonso do Rego Barros.


Iroiandade
DE
'. $. -!a Coucei'tio da Congre-
gaceio
A mesa regedora desta irmandade. tendo de
fazer celebrar a festa de sua padroeira, pelas
I 11/2 horas da manhAde domingo, 30 do cor-
rente, coin missa solepnoe e sermao, eladai-
nba As 7 horas da otoi convida a tados as
seus ipnAos a comIPSarecerm em .ua igreja,
paraencorpqrados, assistiremn aos referihos
autos. Pecifo, 27 ie janeiro de 4881.
0 escriv.p,
Justno ;M. de S.. Ramos.

Gymunaio Pernambu-
fane


-Em 15 de janeiro de 1881
Pela secretariado Gymnaaio Pernapbucano
sedeclara-aos Srs. ppis.de iamilia,e .A quemn
mais interessar possa, que a abertura solemn
do.ourso scientifleo i littorario lera lugar io
dia 3 de fevereiro proximo vitdnouro. e deaded
jA se acha abert&a'a inscripoio da matricula
para oqnelles que pretenderem estudar as se-
guintes disciplines:
Lingua national.
Dila Jatine.
Dita frauceza.
1DiLa i imleza.
Dita lamUa.
Geographia ankiga e oeoderra.
Historia sagrada antiga, media e modern.
Geometrla.
,rithi.eOUca.
PbilrsopAla.
RelMorca e pq iWA.
Sciengias natur-ses.
.,]peqlM-o.


p0 '4qt$fo qevTe,_o -se.p-Utto w cramo .U.
pq8^ etqmw~PL wa4r 1wAl9,iS4l arATeS-rs
nac&HULQqdf 'e-

ll3%lili. s I


Barreiras
la No lugar denominado S. J(,Ao dos Pom
bos--na estrada de Gravata.
2a Junto a ponte de Caratna, na estrada da
Escada.
3a Junto a ponte sobre o rio Una, no port
do Gtavatd.
4a Na estrada de Bonito, em frente ao enge-
nhbo Catuama.
5a Junto a ponte de PAo S'ingue.
6' Junto a ponte Dias Barras, no rio Ama-
-rati.
7a No lugar denominado Pedra do Bacalhio,
no engenho Barbalho.
8& Conftonte ao engenho Guararapes, na es-
trada Je Muribeca
CondicOes
I3 As c sas de barreiras acima menciona-
das, ser.o faitLs de conforminade corn as or-
gamentos e plinos org-ni-ados pela reparti-
qao das brass publicas e pprovadas pela pre-
Ssiiencia d i provincia.
2 0 contratante dard comego a obra no
prazo de um mnez, e a coji-luiia no de seis
mezds, send este ultimo contado da data da
ass'gnatura do contrkto.
34 0 contra':tante recebera ornom a indemnisa-
.Lo dAs despu-zas feitas conw a construccao das
referidas casas de barreiras, o product do
renJimenti, do perl-'gia, durante o prazo de
tres annos, na) iLte:rou-pidos, a c)ntar do
dia em qne der.prlncipio a obra Findo esse
prazo o cotratante sfrd obrigado a ent-tregdl-as
em pet feito estalo do conservaQn,.
4a Correra por conti do cont.ratante todas r
quaesquer despezas comn a acqutisiQAo do ter-
reno, consttucQa, das c~sas, reparos e con
ser.-acao das mesmnias, esstal de cobradores,
etc.
a Terminado o praz para a construcgio das
lluili-ijas ca-ias de b -reiras, e ri,- estando
elli-s conoluid:s, pagaaoa o c-ulritante uma
multa equivalent ao renimento annual
do pedagio, que esta aibitrado em.......
12:500$COO; sendo rpscendido o contract, flea-
rA serm direito a indemnisana, alguma. No
case, portm, de ser pelo president da provin-
cia concedidaalgumna prorogacao para a con-
cluslo da obra, fii-rd suspensa a cob, ana do
pedagio ate a couclusi da uesma.
6a finalmente. 0 contractante prestard nma
flar;a de 3:000000 para field execuAo do con-
trato, e tude mais quo nao estiver especifica-
do nas presents coodig~es sera reguledo peic
qua dispoe o regulameuto da repartiCqo das
obras publicas.
Os oramoentos e ,-lanrtas acham-se n'esta
secretaria paraserem examniondos pelos pre-
Ltendentes.
-Seeuetaria da rapsriifao-das obras publicas
S4: do janeiro da oi&A.
0 official .
Jodo Joaquim de Siqueira Varejo.

SDeVQ9o4de8N. S. do. Rosario do
t4reja da Madre de Deus
AA -esa regedora desta devoVeo, nao po
dendo, por motives imprevistos, realisar a fes
ta de sua Padroeira, domingo 30 do corrente
como havia annunciado, previne as pessuas
que deram esmlolas, que fica a dita festa-de no
vo transferida para quando f6t annunciada.
Recife. 25D e jineiro de 1881.
0 escrivlo,
Frederico Costa.


TtEAThgO





Sociedade Lyrico

P ,storil
Grvinde novidade I
Music attrahente I
Success garanlido I
Grande augmeDto na orchestra.
Mudanpa ie vestuario.
Dous pompososespectaculos

SABBADO 29 E DOMINGO 30 DO CORRENTE
Depois que a orchestra tocar uma de suas
ouverturas, representar-se-ha pela oitava e
nona vez o important drama pastoril em 8
actos e "7 quadros, denominado :

GABIIEL E LUSBEL
Personagens
Gabriel Lusbel
Herodes Jacob
ReligiA.o F6
Esperanea Caridade
UMAL SEDUZIDA
Camponezes, pastures, pastoras, ciganos,
soldados, etc.
A's 8 1/2 horas.
As encommendas sao respeitadas ate as 11
horas do dia do espectaculo.

SSempre novidade


D'G -P E PA SIORIL
bCRANDE EPASTOIL
DO

Thealro da 'Enruzilhada

Aiiiarha,
as 9' 41 .noite
l 'e W,,e8ami,;seahPiesApo-
oqgiA&tas cleambos
os par.ticlo ver, pera orer
o que .uA perfeito

ja qmo "a amisade J6 pouoa e o
'tempo -as esta aoabando:
iao-porosem.


, OiMNHMft PlRNAMZUCANA
> .' .. o ii '

M "IO', -A-6pn B-
U& *CMiOa.-aIVt~i

^t'^^k *siojBniri IH-
^iteaifeA.FK V-pftfoa 8 *cw


E' esperado
dosiportes do
sul no din 29
do corrente,
seguindo de-
pois da neces-
saria demora.
para os portos
de
Lisbo'6, Soiit!iaikptaox e Antuer-


Para LisbO


pin d
Preigq das pftsagens
CLASSES
e Vg 2 2.0
5aeVigo. A'25-20 15


- Southampton, Ha-
vre e Antuorpia
3ahba
- Rio de Janeiro


35-30
508


3.0
9


20 13
25o 15$
508 30S


Ssbbado 29 dojqneiro
A'1 I 2 owr#
No oaea, jntp 4" guardatari*
da a andega
0 asente Pinto far lefld0 par aotorteegs o
do film. Sr. Dr. juiz de d4reito espeeiat do
commeicio, A requerimDento de H 9. Gut,
capillo do pathcho hollandez, Albertine, nau-
fragado 45 milhas ao sul de Macei6, na sua
nllima viagem daquelle porlo para Europa,
prece 'ida a respeativa licenca do Sr. inspec-
tor d'alfandega, e assislencia de empregado
da mesa repartiVao para o fim nomeado, e
por conta e risco de quem perten'er, dos ob-
jictos acima iencionados, salvados do mesaoe
navio, e existentes na guardamoria da alfe-n-
dega, no dia, hora e lugar acima mencionado.
LEIL O


,De 3 lanchas em perfeito estado
sendo: Santa Maria, Mimosa
e Helena.
SEGUNDA-FEIRA 31 DO CORRENTE.
as 11 horas em pcnto
No Caes 22 de Novembro
Pelo agent Martins


Paraa Europa : i 1
Os /aporos que p.rterm d'aqui no dia -14 de j .I *
ada mez tooario ei. S. Vicewe, Lisboa, S-u- -A-
thamotone Hivr-:, e os cue part-m daqui no De 1 born sobrado de 1 andar, sotda,
hamo 29 de cadwzca. o em Lisb6a SI- terrago envidrawido, corn muito bons
hParmoun e Aturcommodo, grade armazLmrn, quin-
Pora o Sul:coo]cd,;
0O v;.p,)res de t10 t ;car 5i (m Macei6, Bahia, tale cases de pedra- e ca!: peirtencente
Rio de Janeiro), M ntnvi:-6o e Buenos.Ayres, ao resnuo.
e os de 15 na Bahia; Rio de J,.n-,iro e Santos.
Os bilhetes de ida c volt- teem urn abati- TerQa-ieira I de fevereiro
oi:- do 2 .- p rct-.. coQrn o prazo de 12 me 12 hoias
-;es pa0 o;i oorfCos d:, E;rooa e '1 mezes 0 agent-. Gusa,, conipeterntemente -uto-
oara os do sul. risad; frd lr5,) i4)-i sobra sitL) a iua Nova
Nas pa.sage:;s de i,-a smen'.e para A.Eu- de Santa Rita n. 43, o qual ach,-se completa-
",;ua fiz-se o abataLelto de awia sexcL parte a rmerite l:vrr, de qu:lquer onus, eo o iesmno agen-
riclia de qoatro) pessoas aduitas, qetomar te f.rneceri t odo e.,s'-larecimCnto que for pre-
taxa amais tita ca i' A-iassp. ciso ; us mcrpraridoti's piar o Qu" acha-se do-
Para .: .--i-;ns, tfreces, eLc.,trata-se corn os cumentaido, cujoL>Ieili) s-ia effe.tva4o na rua
CONSIGNATARIOS da Madre Deus n. i11.
A d; ena son U ox'vie t* C. ( .. -
T.ua do Marquez de Olindan. 37 LEIL; A
Entrada para escriptorio pela rua
do % 3ispo Sardinha n De 2 carros d(o carregar gvneros na al-
L"bo ot Dfandega 2 excellentes bois para os
Lisboa e Porto inesmot, c-stando os carros completa-
A b.ircaca portugueza Novo Silencio, recebe ruente nedfeioos
carga a free para os po)rtos acima, e doverA p teio d
seguircorn brevida:le a tratar corn osconsig- Tera [eira i defevereiro
tnatarios Jose da Silva Lyo & Filho. A'S 11 horas em pcnto
COMPANHIA -DES MESS' AGE- Por intervencao do agente Gu-imao,emi seu
R IS AR oMA escriptorio a ru i-, da M.dre Deus n. 11.
RIES MARITIMES I
LINHAMENSAL 30 Leilao
O0paqueteI np 4 .ns. ,omds +,,co ,am .t..o.


Gironde
Commandante Morcau
Espera-se da
Europa no dia
S4 teo fevereiro,
o-qualdepois da
demora do cos-
.tume, soguird
para Bnenos-
Ayres, tocaude
nos portes da
-BhiIa, R. de Jameiro e RoMii-
tevideo
Para onde recebe carga, encommendas, pas-
sageiros e dinhairo a frete.
AGENT
Augaste Labille
9 RUA DO COMMERCIO,-9
Lisboa
Para o referido port vai seguir brevemente
o patacho portuguez Gomes de Castro, tendo a
maior parte da carga eng jada, recebe o.resto
que Ihe falta a frete medico; a tratar com
Francisco Ribeiro Pinto Guimarles, A rua do
Brum n. 96._____________
Com panhiaBrasileirsA de nave-
gagao a vapor
PORTOS DO SUL
'0 VAPOR

Parad


E',eaperadoldos~portos
do norte a16 odia, 30
do corrente, e depois
da demorado costume
SseguirA para os por-
tis do sul.


PORTOS DO SUL
0 vapor
ESPIBITO SANTO
Commandante o lo tenente Au-
reliano Isaac
E' esperado dos plortoa
Sdo norte atd odia A de
; ,^ ~fevereiro, e depois da
S deoora do costme se-,
i-; -i gmra para os portos do
...... su l.
Para carga, pa.sagens,encoinmendas P va-
lores, trata-se corn o agent
Bernardino Pontual
4--RUA DO COMMERGIO- 44

L LEILt[


Leiao


Agente PMnIto
---Sexta-feira'28, o de generous, armacso,
moves e cal; em lotes, na taverna da rua Di-
retta n. 14.
Sabbado 19, no cae,, junto a guardamo-
ria, dos salvados do pafachotbollandez Alber-
fine.
Ageute Pestana
Seil o

Da arma-co, generous, moinhos de pedras
para milho, de diversos modellof, moveis
usados e utensilios da taverna sitar rua
de Marcilio ,Dias n. 99, antiga rua Di
reita.

EXT-A-FRIVA, i'8 .0 l COItRENTE

.O agent Pestaea, fea44eiIAo.por aonta e
rriWo d qpWA e r, t lp W lW4 eroq,
msemo udn~da vw
usedos &utu igmUs di ,.teiamw*iaa ,6 p.,io-D
Nib. p.4a%,i. 4qUAMiW vyi&idIh. VO do
L ,AMo 4~ i4itap" W UI9 "arwM
d ,_ma ,qa a.

WALI


UO i HitupUl Loa et lcs.,e titbU, L IeUL a iC&sa
muito bonds commodes, como sejam : $"pto,
2 terrn.os, 2 salas, 6 quartos, cozinha f(ra
cacimba e mats b3mfeitorias, sita na Agua-
fiia em Beberibe, 6 rua dos Clerigos n. 1.
Terqa-feira I de fevereiro
As 11ihores
0 agent Gusmio, autorisado por despaho
do illm. Sr. Dr. juiz de dirgito da comarda-de
Olinda,' levarA a leiiAo a casa e sitio-aima,
wertencente ao espoli,) do conego 'CaIdtAdo
Ferreira da Cunha, sobre a .base.de '!2:!h860,
cujo leilao sera effectuado no Vseriptorio' do
agente, A rua da Madre de Dens n. 11.


AVISOS iIVYESQ0,S

Nesta typographia ha urma carta,
vinda do. Para, para ser entreg.ue em
mao propria ao Sr. AJberto H. Frdes.
Na rua da Uniao n. 47 Tazernse yes-
tidos, casacos e oatras peas para TOILLET
de Sras., pelos figurines mtais moderoos,
e par preqos commodes.
Fugio da casa do abaixo assignPAdo, na
Barra Grande, em Porto-Calv6, umn escravo
crioulo, de noie iier:edico, bemprpteto,.-com
30 annos, ma-s ou menos, boa fig. ra, .levou
vestido paletot prelo, chap6o preto alto, e usa
um corta pass ao lado : quem o .pegar, pIde
leval-o ao Sr. JQaquim Rodtrigues T. vr.rs de
Mel6,Q.ou ao Sr. Bernardino Pontual nesta pra
Qa, ou a seu senhor em Barra Grande. o.d no
engenho S. Vicente, no mesmo luga;. que serA
,tern recompensado.
Joao Bapris ta Accioli.
A asearas
Acaba de chpgar grande sortimento para a
Ilja do vapor francez, a rua Nva n. 16, a pre-
Cos baratissimos, em duzias.
Recommenda-se aos senhores capiflies
de campo a capture do escravo Lmiz Fialho,
mulato moeo, que se acha fugido ha mais de
imn niez. o qual foi-escravo do fallecido Exm
Visconde de Suassuna. e hoje pertence alMa-
noel Galdas Barreto, per Ihe tocar em partilha
do respective inventario, c a quem seivAen-
tregue no engenho Sapucaia do Reberibe.
Precisa se de meninos de t2 d 16
annos Cara trabalhar: na rua do Mar-
quez de Olind'. n- 8.
Precisa-se de meninos de 12 a 16 nhos,
para trabalhar na lithographia A rua do Mar-
quez de Olinda n. 8.
0 Sr" Manoel Francisco das Gbhgas Atem
uma carta no escriptcrio deste Diario.
A Asseciafo da Praticagem compra ape-
lices geraep e provineiaes..
= Na r a do-Rlach.U16,oi.9 ;Ot#0Itga-se de
urm ;Wepino ivre ou .eeravo ipara criatfo.
-. Irecisa-se de uma.-aixeiko 4&4M2a t4 an-
JoS, que tenha pratica deitaVerva ;e d6 ooi~e-
akiamnto4&asuacoiiducta: no pateo go 'iT'o
*.numeroL32.
Aluga-se-a 8 as- meias aguas 'inovas e
corn repartimentos, na travessa das Bm, pras
(becco do AquinaY: ar&tar -na ru- do tCoto-
vetilo n.'25. ______
~- Aluga-je urn pequemo sgundIo l'ar,
tendo 2 quartos, 2 salas e noziriba 'f6r,-,.ara
pequena familiar, na rua Duque de Caxil ni.
'32: a tratar na mesma n. 3t. bilbar coaier-
cial.
Aliga-se por munfto m Dico.prego cCsa.
fde-zulejo da roa Iaperial n. 16, tenfo4,2a'-
Ias,5 qsttLes, eoz4ATha-extera'e.q*ua qoin
porto, egraMde oaoiiMba admn ndeae: a
theater -na rT&Larva -6 -Reeatio. n.tNiad : -

Direita; ado n. 3'&ru, i~brti^l ^ ia a I
j ronij a ; ,d C.,' ,wI t, 'k
[l mntsna ; O o r t n AA. 1,1-9- .,
!a.eatI~e. *
J Oe'HO~ ca;a 4tiie43.";::'


--;
!"7j"y"


... '. A,. .. 77 .7
.-. J i^ ....a .. ..-


~


A VTQO













". .,



1 I'
'* ,' .


*. .


0(WE~fJ1^dIta p u~ta c AeR iO j pwhoao pela frequeafliaa( yppre
Vlsyts Wa|plensa4o o lmtnxAldi HIe dstaide .e as .lpl. families, acbtf,- intover
,aeir seu oe boledinmelto :umu complete trafwag;Q, jano .que4zlkttemo.Bmrjea aa
mjentos,4t.(aaa,,a :iAmit.A ;iudade de joiasque u lutimnamenteeimaaiidal Pails, ,,o .idttm
fn cueaoadARte4 minp mia lpalo him. gosto na es'olbai,'de objeolkSMBiphfantasia, qpmedB ne
mesmo r ffirWar,,sem e'fWo de.Qontestalo, ser .especialista aeste luiro.
*0 respeitavel pulico enoanbtar6. .wsre um cprplonettka.todo tO..odeA-.
ds as as qualidades e ALQs mais acreditadoa fbeicantes da Suissa ,oood.s e Aimnwiaa; .mdu.aae
corentes de ouro e.jilaina, grande quantidade de artigcs doe lote i,mil6m am e4tma kifinida-
de .de'objeotos .de.emwojue se acham patentes a vista de quem quenira .bmrar iMte, iipor-
taute rstahbleciorrnto;-visitando-o,
A's.aos. aeGhoras convida-se ai dar um paheio A LA VILLE I DP.A.S, afimn de
apreciareen o lin4oee- variado sorthiento dejoias deou ro, brilhantes e pedras preciosas,.e con.
vencerem-se 'da siceridade- ,de seua4emptgadoe .e .4etmodicidade de preoa.eom -. que sAo
expostos A venda os.seux artigos.
Nesta casacL.ompra-se onro, prata e pedras precicsas, assim como tern um perito
:'oik1 paracricertkos ie relogios, garantindo-se a boa execuoio de seu trpabalhc.
0 estabelecimento abrir-se ha str pre as 6 horas da manhn, e se c--tit.
ncite.
N. VS UA DO CABUGA'-N.x9


"" Ausentarami-se do engenho PaiA., de po- Precisa-se ae costureiras que trabalhem
ca, os escravos seguinLPs : corn perfeiqCAo : na rua da Imperatriz n. 43, 10
Paulino, qloto e secpo, cabellos vermelhos andar. Fazemrn se tambem plissus corn preste-
olhar um pouco in,:erto, cOr gm pcuuco aver za a 40 rs. o rretro.
aelheda, apresenta ter 36 annos. Anis Precisa-se de unia ane para en-
Jose. esltatura regular, grosso, proto, boni- ;s gomnmar e fazer todo service interne
.ta figure, apresenta ter *22 .annos ; levaram de msa ale porca, fdmilia: a tiatar na rua do
pamisas de chita e cilgas de quadrinhos. alem i Bardo da Victoria n. 57.
te outras roupas e cbapdo de palba. -- Aluga-se o segundo anwar da Lraves-a
Sahiram ra noite Jo dia 15 do corrente, e dos Expo Los n. .8:atLratar na rua de Marci-
dosconfia-se que firarn para o e".enho Aras- li Dias n. 32, loja.
fi, em Barr'-ir,'s, :'onde o Jose 6 natural: --
pede-se a appreh',nslo de anmb3s entrogal-os I 8ME 8 '
oO referido ensrenh) Para. ou no Reoife a' Sr. a B jx JS
Antonio Ib mino de Senna, trvessa de.',. Il'e- f
'dro.n. 4, priaieir.) andzr. Dir-se ha b ,a re-.
Compens.i a quei rs apprehender.
-,Vua-se-a'.asa dearua Bella n.4-i prI _a d Independencia
tratz.r no 2 a.,'oar n. -1 da rua Duque de aCd-,d
xlas- P
uxias. s._ _35, 37 e 39
Francisc.:j Iquacio Tinoco de O0 0
Aou I, 0" ,iAos 4:000000
A dirrtoria do M)nite Sio Portuguez em Per-
nambjico rnaa.a resar urma missa pela alma 0 abaixo assignado venueu entrp
de sen (:nlecad. cons.cio remido, Franris.o c. S3 S bilhetes Parantidos da loteria
Ignacio Tinocj deo.uza, no dia 28 do c)rren- 95a a sorte de 4:0005090 em meio bi-
te, as 7 horas da ma 0, na ig zeja da Ma,'re I le d e80
do Dens,Pcorvila a t, dos 's s.-a-1s, pa- lte n. 15ol 7 a sorte de 800OOO em
renters e amios do fi.aido, a ussisirem a esrse Ir'i quarto I. 1939. aldm de outras de
acto de rel,,i-,'i) e aridade. 32-, 16S e86004 .
Secretaria da direLetoria do Monte Pio Prtu- Convida os possuidores a virem re-
guez em Pernnnmrbuci, ) Mdejineiro deo1881. r
Doming)s daCinha GuimaraesR )chli. ceber semn desconto algun'.
10 secretario. 0 mesmno abaixo assignado tern ex
B.-.P-- ..^" posto d venda os seus felizes bilbetes
D. Maria Salom6 de Moura garantidos da loteria 96a, a beneficio da
Mattos Santa Casa de Misericordia, que tem
,No dia sabbalo, 29 do corrente, 6s 8 boras de extrair-e no dia sabbado, r 29 do -r-
da mahbA., celebrar-se-hlo wissas em suffara-
gio de D. Maria Salom6 de Moura Mattos, vis- rente.
to sw o eetkmo de oeu fallecimenLoa e seus fi- PRIPOS
Ihos, irmiAos, genres, netes e sobrinhos, pro- Bilhetes inteiros 4000
fundamente penhorados para ocrm todos a- Meios 2000
quelleos q*e acojpanbarafm ao epuiterio pu- Qao W
blico o cadaver da mesa finada, particular- Quartos 15000
mente poas,.)m os AvWes -ue se prestaramr Em pO ,i, WJ0$O0 para
ao deposit noite, na igreja da Ordem Ter- ma
ceira de Nossa Sephora do Carmo. qua deixam ima
de nomear por juWdr glpsnecessario. em alien- Bfilhbetes inteiros 3590
Vlo aps seutimentos que os leyaram A pratica M-iN S r-3W(7
OpMcp ide ft9ygao.9 pwrdpdo,.9 ratpi
quae se dignarlo ouvil-as em qralquaer das. "5ar08 785
igrejas seguintes : Recife-4Penba e. Ordem- Auulo-ie tA.-lpA d $di k*giO.
- -Tereeira de Nossa Senhora do GCmoe; Olin-
da-S. Pedro Martyr; e Eseada Capellas ,- .i ia Uta
dos engenhos Aripibi e Vicente Campelo 4; C 4oaes .da Fouseca
eeofessendo-se desde jA profundamente agra- S- convida a todos os
desidos peor mais esse actor de caridade. seuas .prntes e aos


Paulino Augusto da Silva Freire
D. Se&horinha Alexandrina de Albuquerque-
Freire, seas filhos e eenro agradecem ispes-
soas quw se dignaram acompanhar, e assisti-
ram ao.en'erro dos rghos mortaes do seu pre-
sado i i',.o, pai e sqgro. e de oeyo ewWjdom
aos parents e amigos seus e do finado, para
assistirem ns missastdo setimo dia que se hao
de celebrar na maLriz 'da cidade de Palmares,
as 9.oras do dia segpoda-feira, 31 do coiren-
te, pelo que fi''amn oternamen:e agradecidos.


Atten ao
Os abaixo assignados pailicipsm ao public
e especialmeHte ao corpo do commercio, qua
nesta -data dissolveram a sociedade que exis-
tia na lija de miu'.lez3s, sita A rua Di'que de
Caxias n. 77, que gyrawa s.b a razAo social de
Miranda & C., retirando-se o socio Miranda
Spazo de seu capitL e lucros, ficando o uocio
Bezerra corn todo o active e responsavel pelo
passive do citado estabJelecimento, qup fica
gyran.Io da meu'a data em diante sub a firm
de Joao Bezerra & C. Recife, 24 de janeiro
de 1881.
Jos Birbosa de Miranda Santiago.
Joao Jos6 Bezerra Cavalcanto.

Ensino
Urna pereoa hablitada propa-,se a leccionar
em cisas particulars as seguintes malteiias:
prtuuez, franeez, aithmetica, eQgra.bia e
histLoria: quem precisar, dirijar.se 6T'ua da
Imppratriz n. 22, segundo andar.
Precisa se de ujna senh6ra para,swtpr de
uma moa qua se acha doente ijosarrblwdes:
a tratar na rua do Batlo da Yictorjan. 4., 1-
anda;, das 9 as' h(ras do tarde.
-" 'recisa-se de uma anma-que sbla- eozi-
nhar e ctvjrir, paga um rapaz solteiro, no
arrabalde da Torre; .aJ,,ajIar na rua estreita do
Rouario n. 8, 1 andar,
Precisa-se de urna ama para cozinhar;
na rua, do H9piaiqn. 24.
15 09o

E' o alugiel do 18 andar da rua do Padre
Floriano n. 69, e 3$ do servico de limpeza; a
tratar na Pracinha n. 22.
AMA Preeisa se de uraa para cozuohar
A i em casa de rapazes soiteiros: A
matar na rwa Duque de Caxlas n. .50, ija.
Precisa-se de um cozinheiro ou cozinbeira
que seja limpo e perito na su a arte; a,'mu da
Aurora n. 73. .


Aluga-se o sobrado da ruada Aurqran'.
.161, o quail tern excellentes silas e quartos,
muaito fresco, tern agua e gaz, jardlim, -tc. ; a
tUatar irtA casa iimmediata H..163, dea manlbat6
aw9 bores, e das 3 dataerde em,diLnte.

Ae es entre amigos
,A&eles de seisqaemios, -que werria, com
A teria 96, flea ttansferida para coreroerm
f. 4S! a poja de oiobrado A rua de;atoe
b 0owNm,-. ..


lo '


amigos de seu finado
esposo Mergelino Go-
res da Fopceca, a
" ----- assistirem a missa
que wanda resar por alma deste, no dia 29 do
oovrente, na rapella da Conceicao, na pstrada
de Joeo de Barros, 4s 7 bores da manbh.
Paulloo Aungusto da Silva Freire
J9Ao Augueto 4. ailva Freire, sua muiher e
filhos, tendo de omandar suffragar a alma de
seu presado pai, sogro e a%6, fallecido noa co-
marca de Palmares, veo por isso pedir a seus
parents, amigos e*iais peasoas de suas re.
laCOes, o caridoso obsequio de assistirem a
urma missa que man]am celebrar segunda-fei-
ra, 31 do corrente, pelas 7 1/! boras dainanhA,
na igreja piatriz de S. Fr. FPedro GonCalves do
Recife, e de cujo obsequio se recordarbo
grates.



Viscoude dte Suassuna
Francisco Luiz Cavalcante ae lbuquerque
.manda resar' uma missa por alma de seu tio
Visconde dic Suassuna, As 8 horas da manhA
do dia S8 do corrente, 16 auniversarir do seu
pa-,awento, na capella do cemiterio public ;
e para ease acto de caridade, convida seus
amigo.* e parents.


Precisa-se de uma ama que lave e engom-
me: detrpoce 4o portAo do gazoinetro.
Aluaa-se uma des lojs "da" casa n. 32 da
rua Direita, para qualque' estabelecinento
commercial ou officina: a tratar ni botica da
rua larga do Rosarie n. 24.
Fugio do engearoo Cavalanti, da comarca de
Nazareth da maLta, nus noite ,de 24 para 15 do
corrente, ds7 para8 bqras da noite., o esavo
.Mi laJoJ.Buno,.CC dra. ,idad.,19 .4r,onous,
baixo, espadaueo, ciablos carapinhos, e cos-
tuma conserv$lg9 tllM e grande, olhos par-
dos. rosto maisauomprdoque redondo, dentes
perfeitos, p~es regulates, sendo um pouco lar-
go proximo aos delos. E' bqm ladino, sabe
ler e escrever e gosta de recitar poesias.
Quem o capturar aerd generosamente recom-
pensado couduzipdorO cppi toda seguranga a
este engenbon; iginrn-sea direcCie que tomou
porem ha suposio queseguio.para oRecife,
loode-nasceuenomorou, 4L6 a, iude.de 10. annos
pouco mais ou menos. tend' sido vendido ao.
filado-mewIIo* r -d6A wim 4-algado -eon
quern permutea, piopia Apro escravo de nome
Gaspar, por op ICeO ijpventario do com-
mendador Paulo de Amorim Salgado.
W^OcLaP8 sigBprar Pama8uA~va.4emeia
^4qgeqoksAibi S.B wsswwje! ja
s^ia :. a tratar MsttwAsOw Dm,.8"tij4et ,8.


Aviso ,
'";- ,. 0&* ..f,.. P...fd.. .Ep...
Rit...'Braz... -,r... Liv... Pop..4, em
mon ina]=a'... n .o4,..,-
'a r./._o Ci;ul,., Ql.e ebrou.ireer-
vademnte,.-ao *iS4do corrente, _ti
iesfto wmm ade Ami .*,i daBi o.
Foccionsndo etogIdfo M re ,abm is4
sort.., a tod... 08 aoneitA.,.ww,..,


'fdopobo od it
-UrD

II-~I
.0.. ~


1L


-' ~1. --
jal


~ V
.u L~1


geat& affeccao tonsiataejit m inflief op .Ufca"tcu'Ai^A.-~tiA
Sde ui fluxo pl anto a cogoio.mo. ota o t 0 > to
* pesmoa affectada dease incommodo, mas pode. tfmbem haultar deo qualqua iM
equitaco, excesso no coito, iaturbaoo e differentes outra moleuasf, takes cmo: got%
matismo,gsyphilis,lc.
0 principal ms odo ouzrativ 0.o aborivo |doptado por notabilidb&l6e medics.a como
Niemayelp, Calii oit(tros. .
Eate tratamento consists na applicafto da minha Injecepo Vegetal e no do buah
diariamenth. Ne omJertanr oma eaiuti-.a i=Laum fiea ;a isg e tor penm
Injecio em part is u.ld'agmparufaeE.tAm 9o .
Sando a goaorrh6a Eonica 6 mister U omar internaminte .a SuaapaAllt a suoam d
Dr. Carlos.
Na Leuchrna ou Pl %V& ana dBvavi{e W M .mita Ustnmmato.


,ie C.'scas e Laia,'aa c,nmargas

EornR URP (le-BitIOTASSIO

i rrovu, n '' ] t0 t H ,, o Brazil.


0t Brcmuret," c.. :-c'-so c : i ; :_'riO e cxcluz-ivamente re-
de Larcse, (%rr:. ., :':-u- i. I' i '1as mais celebres medi-
iaU .t I :'- nI.C- Lt-lt il,-ci- .- d. toias as f;aculdades para


mlla!d[ tiuma t.UI'Z'. ab)ouiuti,
COlit: *;;., iifldiile xo;ivcl pnari (quo
S, 'uhia efTeLt-P- sedatives e
anoc Tnos -'bre o systemna ner-
VIlrZ. I.
Di--il\ idiu no Xarope Laroze
do Ca-,az do laranijas amrargas,
este bromut e universalmente


cLi' bat.r corn certeza: as affecgoes
nervosas do coragdo, das vias di-
gestivas e respiratorias, as nevral-
gias, a epilepsia, o-hysterico, a


S. Guy, a insomnia das
durante a dentiko, -em
avra, todas as affecqbes


Deve-se desconflar das numeposas imitapdes falsifleapes cujo -so
so pode ser nocivo a sau de.
Para qae haja certeza, da pureza e da dose exacta das substanoias
empregadas nas preparapies de nossa casa, deve-s& exfgir sobre
cada vidro a assignatura e marea de rabrica de J.-P. Laroze.


go mesmo depcsito acha-sc d vwada os seguintes broductos e '. *&roze:
r ad rga n .
;XAROPEBULPJIZ"E '?aa a TONICO07ANJNdV4lO -
"a ~Oltra dq Gaatrites. Gastrawlias, Dyspeapsia, Dores e CaizMbras de etmago. '

.EP.UATIVOde~cmscde laraujas,
D XAROPE LEPUIRATIVO amarg'cam IOD.RBTi0--PE P.W.i0
a Conrtra a Alit ccq's ecrotnulosas, cpnceposas. Tumores broncos, Acide do sangue, -
^Accidentes syphilfticos secundaros e terciartos. i
?tt!hS ? ff de, caas-de dansjas-
^'ET, EE.BTqu.sia am^ a Pmel.. -IODB ME,
a "
IA iiCoJ a anemia, CIloro-Anwixiar CfresapaUias,lores ra ,.aso teMio. ,461400M.


Deppsito em tecas s bow DA*i4s do ",Bizi#.

S. .- .
'A. BT


* cA


SIi


ai sc -
Esta timLa recommenda-se, pela sua compo.,
siogo e flbidez .cmo a W'elher e a malis segau-
ra sde tdags as tintas'ate boje eonhecirtas. Njo
ataca as peunas de ago, da ate.tres Sexellen-
tes coplas, megmao muitesdiag depols de easce-
ver, a *preferivel a quajquer outra tinta, patti-
cularmente para livrwosde commercio, docu-
mentes,.vtc., de-qua se oareca longa cooserva-
Acha se A vend, na tintoraria n.;2', darua
de Mathias de Albuquerque e na tinturaria n.
55 da riua da lmperatriz: nas meamuas-tintu.
rarjas vende-se tambem tints para marcar
roupa.

'Lequos


Tomei posse da tutoia do menino Ma- De seda a poupadour.
-noel Moreira dos Santos. pardu escuro, corm Petit Pals, corn -..plumas de lindas emres,
15 annos de idade. para satisfazer ao pedido veide-se no Bazar Victoria n. 2; rua Nova.
do seu padrinho e protector, o;Revm. Sr. Fr.
Jouto Baptista do Espirito Santo, actual guar-______
dMau do cinvento de S. Francisco da cidade deo _wS- --- .
Olinoa. No entanto. continfa a recalcit-P.r, Augnsto Baptlbsa Rodrigues de
evadindo-se de mirlia companhia pela quarta- Almeida
vez. .alm de Itres fugidas, quando existia em J.oo Baptista Boaventura R ,drigues de Al
comlatnhiaddo padrinho. meida, sua'mulher e fllans agraaecem Ac pcs-
/ *usentou-se'desde o dia-16 de dzemtbro, soas que sedignaram acompanhar ao er.i"e-
e so decorridos 28 di.s que esta na capital do io public os restos mortaes de seu sempie
Reife, engolfado em todos os crimes, que oliahorado filho eirrma,, Augusto B'ptisti, '.Ro-
imaginar se p6de, cercado de outros cimpar- dpigues de Almeida; de novo coa.ividam a t' -
sas da r ,t-sma laia. 0 furto, a i rapula e o dos os seus amigos e os do finl,,o para assis-
jogo s a vic''s que adquirio ultimarriente, dot- tiremras missas do setimo din do seu falleci-
me em diversos lutares :fio tern ubi rert.), mento, que mandam celebrar na Igreja de
sempre em cognparnlia dos comparnheiros na- Santa Rita. terqa-feira I le fevereiro, ads 1/2
mesmas immaoralidades. h ras da manhA, pelo que ficam eLternamente
Querendo rnuda sblva'-o do lada(al dos cri gradecidos.
mes, f.oo este onnune,, pedindo encarecida-
mente ao Exna. Sr. Dr. chefe de policia e mais de n t .
autori ades poiiciaes ..essa capital o queiram AMA precisi.e d" auda at-a po duo.s
mnandar capturar. e cnviado o p.-ra a cidade pessoas: na rua do Ap l n. 3,
de Olinda. onde sou mn orador, em um sitio g n an-ar. ..... .. ..
perto d ,seriuinaurio, do lado dir.i:o, col-ti'io N ofi.-ina de caleads da rua do Jardim
ao jatdim botanico, que Ihe strA etern.,mente n. 19, prcc s'--se de algumas pessoas para 'ii-
grato. versos Liabalhis pertencentes a meEiaoffi
Consta.me ultimanm-nte ,uc a canalba o ti-I cira.
rara das tlios d. guarda civic, a I' vez no I----.....
bairro do tLecf,, e a no caes do Ramos,. on Precisa se ave um caixeiro dje I4 A16an-
.de se h ah;. Ni5.) havendo repress.A.n, ter..s nos de dade, corn pratica de taverrna: a tratar
mais a lamer.r u. ro de poli-ia entire n6s.! na rua dos Plres n. 1, esquina a antiga rua
Os sionaes sao: olhos apitombadis, cabello o .e.- ...... .... .
carapinhad i, narias de btxiga no rosto, uma Aluga-se a loja do sobrajo n. 50 da rua
cicatriz no queixo inferior, correspondent ao do Imperador. mainto prrpria para taverna nu
pescc'Cn, proveotente de escrofulas, 'ahio corn (ulro qualquer estabelhc,mento; a tiatar no
calga parda, paletut preto de merin6, tamancos 3 ondar.
nos pes, chapeo do Chiie j" velbo e roto, e Precisa-si deaia ama que saiba lavar e
ch"ipo de s.] na n.ao. cozinhar: a tralar na rua do Visconde do Al
Jose Marcolino da Fooceca Manguitho. buquerque n 29.


VINHO TONICO


.w oarxo 3~ .BT'I'ENo 0u!m
,MW ,o 'Pharmamotlm

.Este vjnbo, coipposto de lacto-phqsphatd de cal e 1erro, coca.quina e caeca. Ae-laranisa.ainuas,
e o melhoa tonico para reconstituiro ogganismo fraco e.dabilitado. Bile contemn lodos s elementos
constituintes da came, sangue e do sytemaa .osseo. As experiencias feits p.el seou auctlor nos Hos-
pitaes de Paris, tem-4fhe foraecido dados-positivos para o aperfeioamento dTesta medicago, obser-
vando attentamente os effeitos obidos. pela administragio de p4a urnM dos eomponentes do seu pro-
duqtq phbarMtiualico,aue (e lepe, a hp4nQidiade soffredora. O '!v tix"ps tr'n hos da sciencia a da"
tborapeutica, o aictor.'4p$iiOU, Ao seu novo preparado de forms a collocal-o acima dos outros
Conscio do seu success o D' BETTrNCOuRT. o recommend a todos *os individuos que soffrem das
doenpas.eapec4icadas emAeguida, garantindo a sua cura.
E' appliiadoas.creangs debilitadas e escrophulosas; as ocas pallidas .e anemicas; as pessoas
lymphaticas; as pessoas esgotadas, quer pot effeitoe da sypbil|, caeheia memorial; quer por excesses
venereos, moosr e velhos recuperarAio a saude primitiva, ovilor e a energia -das funlooes organicas.
Applica-se igualmente nas digestoes difficeis, convalescengas depois do partio e de qualquer molestia,
pobreza de sangue, doen"s da medulla espinhal, leucorrhea e flores brancas e em todosos encom-
modos lymphaticos. As misc que desejarem curar seus filhinhos devem fazer uso d'este vinho corn o
qual serio fortiflcados transmittindo a crengs os elements preoisos para o seu desenvolvimento na-
tural. Este medicamento 6 o melhor regenerador, o mais poderoso que se tern formulado hate hoje,
paraos osganismoo.debilitados, :mpotencias precoces e esterilidade da mulher devida ao seu estado
de inercia por falta d'um estimulante, que leave os orgaos A suas funccOes naturaes e primitive. A
sua acpo e benefica no tratamento da epilepsia e mnolestias nervosas.
. A peusoas quo soffrem do peito devem fazer uso d'este vinho jtntamente corn o Xazope de

Deposito geral em grosso e a retalho
P1HARLMACIA GALENO
ev
*CA DO BARA0 DA VICTORIA, N. 61


SALSAPAI{RILHA E CAROBA
DO

BB. CARLOS BETTENCOURT

Graid,1 (tirAivo do sangue, sem mercurio


1:10
ii
I,'.' '
A


r' .,..' -'.. um dixir gm extracto fluido roMposto de varias piantas
' '' ....' 'i ,, r','',ii.-.r lj. a tolho qaiianto quizerem fazer uso de
SI' [J ,',~',r' ,p '. ,:, Ir ia,.-ii no ei ;.'peicpro. A sua Iprmula foi examinada
*., ,r <;,), 'i iJr-.(-.: .!-v-. in. recmn.lo a u afpproy cAo.
'- *. "' : p, -,,a.ial t"a.1..'- rcflutliaos como acoitece corm a maior parte


L.. (A


n1.s Molestias


seguintes.


.*l:,i',a i. ll *.. ', .. t.. *-, ,.,.. p ',1, 'I ', i :', lc.t',u ,i dt iila e ris e feridas, cancros,
-'ur l. 11 ,,,,,. i., ... ,., .. e ,,-i,-,..s, [, ,|ipra. escrophalas, darthros ou impin-
(-: I. 1-i.1,--a I. .a i ,,. [ ir i i, aL.rt (f l.en;a ca rriun ;?z;d it'I u san_:ue inipuro.
S-u: i4j t Pn ," J, 11;, .*.i n nI,,4i, escrii,,lo (- .:, u-iio a l nuvas descubertas da pharmacia
.Esi. .peiitr' hp ,ia '" p'"-renniaa a i'u ",u trn. E um verdadeiro triumph
0tl t.a11 pirialca .<:,uIw'. 'nki. fcital.ei ada aiond ,ie so tern fito uso delle!
to -.ztu :,. o,'.somii, .lqt tern Lamiln (-stp [,rep:ra-lu, prova lterfeitawente o seu maravilhoso
podV,, ell avi.%I..
-....,m;::. ..I!,ria. :,.:; ,. Clara, a em todas as molestias acima mencionadas.
reiii'rlmP aaUaaIaa',i-- i... < I, 'tO Ir,.ari.i 't?.3.11 Iii( Zlliorris:la I a. ,lizel.o.
Iflipfi- 'uItr'j niaa0-l -meFji noQa etoraaaaot prl-
",'I,,I,,;.irltriiao.,tem61:ciuJ,-, ueoa ela- prompta e rapida por causa da veracida-
UO dl" -L,l' %ti' \rlpi|, l i-| er:|t',,.|icas.
., ft i... ,' id.p o ,i nierca~dores como ruunos ao annunciaremn remedies corn propre-
Jn'-l. t,u,o- ... .1;:.n. d!jro cibe uina b0a d)se aos remedies estrangmiros.
:J'-:IJ"ll,:, e c?,!'vla 'do Dr Carlos Bettencourt pbde ser usada por-todas as classes so-
a c a -aiioE p*repO, 0o que n"io acontece com as outras que custam duplo e mais,
senlo inluriures e-i pripriedades me'licamnentosas.


XAROPE DE JARAMAGARO C, O1PO&TO


DO

:BTTLLTI3T
*I


GRAIDE- BStMonm
/
lElp fico .(As molestias .pulmovares

'V:pmovAIopela -lnta CcOtralMle Hygiewo da Cor4e


theapeutiea.
Eth eu~ & eoUp COXBP08oto p~ree'oso e o mrihor p~noral conhecado t .hoe^n W^\e ,^
INqo precusamos importar-mams espes reipedies-esaemuaeira .... 'e ..s......u
gg m j ql qqiWoAI.#@ ~lr a Vtsta do nossC pt'parao, P
,eonYe oM -d e ,a coto ,08 qua ppor h me apci* aha
*w., q,-g ,x a ,s= o.. o ..

*' -l l 0 V en t t u ... ..
do4W'' .
do a ~o )1joeiuJasdo -, -


a'.


I


~ ~ -


-F1


F ?. .. *.
= '. _
--


t.' ".

x '
r. '
%


'AA


danga de
criangas
uma pal:
nervosas.


if.


J.31 *


%I I


O 0


I


3:33FL. ,CSA.JIR-T^o(SS


* i.
fy


- -1 *


8i..:


}























-'.; Sem cempetidor em preeos, sem su-
perior em delicadeza nos tratos e; sin-
ceridade nas transacgOes, elles expoem
a todos os quo honrarem o senu estabe-
leciaento corn sua visit o mais vana-
do e complete sortimento de joias de
ouro e prata, quer samples, quer orna-
das corn as mais elegantes e verdadei-
ras pedras preciosas, taes como: bri-
lhantes, diamantes, esmeraldas, sa-
phyras, topasios, onix, rosalina, etc.,
etc.
A sua norma de conduct :
Vender barato para v ender muito.
RUA DO CABUGA' N. 4
M1 /m 9X~ ) {.


GRANDE


LOTERIA


DA CORTE


V' 'A^


Jrig3. *


E LOT EIA DEK S



R 51,00:000:000

Vende-se bilhetes, meios e quartos, em gran-
des e pequenas porgoes

BOURGARD It C.


Tambem


se acham a venda os bilhetes da


grande loteria da corte.



tWINAC TRE) El nLAi)
~T


Este cognac, hoje sem competitor pelo seu nimio prego e superior quali-
dade, e que obteve por isto os primeiros premios na grande exposigdo universal
de Paris 6 hoje o mais procurado, ndo s6 por sua SUPERIOR QUALIDADE E
PREO BAIXO como porque cada garrafa de litro comporta assim garrafa e
media de liquid, e o torna por imso muito barato para os SHIP-CHANDLRES,
HOTELS, RESTAURANTS E VENDAS A VAREJO.
Unicos agents dos cognacs Muller Frdres
MAIA PACfHECO & C.
40-RUA DO COMMKRCIO-40
Todas as gairafas trazem os rotulos corn esta declaraglo
Cautella corn as falsifica bes
0 unico verdadeiro cognac Muller Freres 6 aqui importado pelos
agente,-MAIA PACHECO & C.-Rua do Commercio n. 40.
As caixas representam em marca de logo o desenho do palacio Trocader
em Paris. As capsulas, rolbas e garrafas slo todas authenticadas corn a firm
-MULLER FRERES.
CAUTELLA COM AS FALSIFICAQOES


FlIM

ALLAN !AT


&C-


Junto A estaCio dos bonds
Teem pare vender, por precos modicos, aos seguintes ferragens:
Tachas fundidas e batidas.
CrivaQ4es de diversos tamanhos.
Rodas de espora idem idem.
Ditas angulares idem idem.
Alambiques de ferro fundido.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fnndido, de lindos models.
Portas de fernalha.,
Bancos de ferro corn serra circuhlar.
Gradeamento para jardim.
Vapores de forga de 3 a 6 cavallos.
Moendas de 10 A 40 pollegadas de panadura,
Rodas d'agua, system Leandro.
Encarregamrn-se de qualquer concerto, assentam machinist e executa
a qualquer trabalho corn perfeiggo e preotewi.


DEBARTHOLOEU C
BARTHoLOMEU ftC.


Pharmaceuticos premniados em diversas exposigaso
Nao olhiando s6mente as especulagdes, destinamos part de nossos estu
dose observaCoes a descoberta de compoigoes cornm medicamentos novos, o
corn os poucos, ou ainda nio experim-i-ados, pare procurarmos Qbter a cura
ou ao mencs uma sensivel modificuaigo, na march dos terriveis padecimente
aue am ijm a humanidade: r que atd hoje teem zombado dos -meios conheeide
a mapzcuna. -
As molestias dus pulmoes, e dos demais orglos da respirago, considera-
das das mais graves por suas funestas consequencias, e que infelizmente, sem
qUo se conhega a causa, tanto se vai desenvolvendo entire n6s,. nos tern mree.
4: cdo principal attengao, e temos a ellas dispensado as mais aturadas inquirigOes
Acabamos de formular um preparado de mua agradavel gosto, e portanto
Sde faci applicgacio a todas as pess6as, qualquer que seja seu'sexo e idade, que
U RB A I public sob o nome-Elixir sedative peitoral anti asthmatico ;,-ltUe
0d0Um m aolyto t principalmente de bases vegetaes, prodiz effeites cnlU tee
.MU. MO Sa center a mener quantidade de opio e seus compostos, ou os
Bt eua.6^oi, .e tie perigco,, applicacao. ,
O. Elitir seda6ito pectoral ani-asththotico tern as precisas pfopriedades
P Oara beelar promptamaente as affeccoes da garganta, do peito, e memo do es-
S mago, ena asthma, e coquelahe, em. que ja tern sido bastante experimenta-
do, o Eliir tern apresentado os nmai satifactorios retultados.
N o g enos prveito teoro obna yerdadeiro espefico rnas constipa-
oj rrhos, defltuos catarrhosos, .* Cni m sof&divntos das vias res-
ceai nese, msI


W.Nufea apresentamos preparaAes :
hosoptaes, e agdra feranm os s
acorn ,o nevo vEwl- r, ctino a'0A
Sa contiegAo, do bof re
too nosos esfioro f6lg e l
In m, rded-ko --.e


sem experime-u
m :.wentao


(i'~5~


mot a idOi
roi queo qi u a e a s* on
do at e a, 'a- aamoIes produ
dos rime og aeioig
0 zaro.e de oailho de noses
pos10o.dowa d Wina't600 cat
Iher. des do sapa de tawanho ordinari
rpmsw do euioio destigmas o qneo
timD 8oe Set. clinics, para que poss
gular com.exzactdo as ddsea que nec
rem proeorover.


am*y e Dnsua *o-
s. M. d Caias n. 36 e
mi e a, -e iondoi I
S m ij dnreo do cervao I
.fPoid S vir, Qu 'mmanmi.
= eJ.das e ..it o quo motive as
saudades quo S. S. tenm causado, nio
l darialpgar aquese oesteja comppndo
bte-, uma e ehw pare ser cantada, A il h
UilUvas qual ogiQ ser public da.


a corn-
da so-
10io, 1/2
garan-
am re-
essita-


Applioagaes
0 xarope de sUigma de.mijbo pura a reten-
Clo da urina, catharro da'bexiga, faz desappa-
recer em poucos dims as inchaoes parciaes
ou geraes, os sedimentos da urina; 6 final-
mente o melhor remedio, sempre qual for ne-
oasario augmentar a secreelo da uriqa.
D6se
Duas a quatro colheres des de sopa por die
para os adullos, e das do chAi para as criancas,
puro ou dissolvido em agua fria.
Di6ta
Comidas pouco oloosas, abstencgio dos vi-
nhos alcoolicos, de pimentas, e todos os exci-
tantes.


Deposito
Pharmacia e drogaria,
rin n. 5. Parnamhn._


geral
A rua large Jo Rosa-


Retalhamento
Manoel de Moura Esteves esta retalbaddo
seou sitio corn a frente para os trilbos do Ar-
raial, corn tres casas de tina, duas cacimbas,
muito perto da estagio da Masgabeira de cima,
lugar muito saudavel e recreativ'o, prego mui-
to commodo; trata-se na rua do lmperador n.
50, toe 3* audares e nos aias qantifinados no
mesmo sitio.
Remessas. para Portugal
e iihas


Maia, Pacheco & t:., A rua do Commercio n.
40, f~cilitam remessas de menores e maiures
quantias para Lisboa, Porto e ilhas, e todas as
de mais villas, aldezas, cidades ou dependen-
cias do reino.
Cozinheira
Precisa so de urma ama para cczinhar, na
rua do Imperador n. 73, 3 andar.

Attenaio
Pedoe-se ao senhor engenheiro Pedro For-
naghi e ao Sr. Manoel Joaquim Correia de Al-
meida, e Francisco Raposo Falcbo, a bondade
de apparecerem A rue do Coronel Suassuna
uumero.15.,
Aluga-se
uma exellente casa sita A rua da Aurora n. 167,
corn bonds commodes pera grande (amilia, on-
canamente d'agua de Beberibe e gaz, quintal
tode murado, caiado e pintado de novo: a tra-
tar no Manguinho n. 1f 0.
Aluga-se
a casa n. 59, t rua dos Guararapes: a tratar
na rua do Cemmercio n. 34, 20 andar.
S. Francisco da Varzea
Dede oeutubro do 1879 estA fugido Eazebio,
cabra secco, altura um pouco mais do que re-
gular, 22 annoas pouco mais ou menos, isber-
be, carreiro optimo para qualquer trabalho,
fall um pouco corn a lingua centre Os denotes.
Eateve malis de seis mezes depols quo fugio,
entire os nennhos S. Bartholomen, Compostos
e outros vNsInhos. Consta que dabi foi para
Gamelleira.
Felix fugio ha 8 ou 19 dias, estatura regu-
lar, pouco maiw do 44 annos, preto, calvo no
alto da cabeMa, bem feito, pouca barba, optimo
para todo e qualquer trabalbo. Suspeita-se
quo andara no Recife. -
Cem mil riis de gratificacgo por qualquer
dos douns escravos que for levado ao en.
genho S. Francisco da Varzoea, de Francisco
do Repo Barros de Lacerda.

Diligencia para a Victo-
ria
PartirA de Afogados todas -as quintas-feiras
as 8 heoras da manhli uma, diligencla para
aqueila cidade, Prego do passage simple
8(000, ida e volta 145: a tratar na usm4e ?e-
dro Affonso n. 51, I sandar.
Chamado
Pede so aso Sr. Joao do Rego Lima Junior o
favor de vir A rua do Baraio da Victoria n. 8, a
negocio de seou particular interesae.
Criado
Na rua do Bom Jesus, a. 17, case de banhos,
preolsa-se de am m renio de boa conduct
oara criade.
Aluga-se barato
Rua do Visconde de Goyanna a. 79.
Rua do Coronel Suassuna n. 50.
Travesse do Cimpello n. 1.
Porto da Madeira, rue da Aguasinha n. 7 03e-
beribe) born sitio; trata-se no largo do Corpo
Santo n. 19, 1 andar.
Advogados
Os bachareis Antonio Jsnlho de Souza a
Pedro Affonso de o eo mu0aram o 0eu es-
criptorlo pra a raus'Duque de Caxias n. 61,
cnde podem ser prpoeurados toads os dies ateis,
das 10 boras damanhaI as 3 da tarde.


Ama e criao '
Precisa-se alpugar umi ama para coozinhar e,
engommar, die um criado para o aservigo do-
mesti: na rua de Hortas n. 15.
SALUGA-SE
pormodico aluguel a seoguintis easas: : 0,t
2 3 andares do sobrado A rua do Buman.
84; as casas tareis ns. 41 e t9 da rua do Bar.
tholomou otu tatssa d6Pocinho; rua do Lelo
Coroado n'. 1. Thas etas w*eas teem corn-
modoa para fsmiliaq eerolo em perfleito eatado
de conservaote: a,1arr barue larga do Rto-
sario n. 34, bdUea., .
Professdra de piao
Anna Ade Menezes p6de se pr lbrata para o
exerr-icio de cua'proflsso ; na rume Imperial
n.199.____ .


I DDentista
E. Epami o ]a !Rodrigua da
BSil, pbamuresutioo e dzntita
polt faouldaide do medlojbna do
io de Jaro 6 successor de 4J.
M. Leroux, enoarrega so do tra-
befbom dentarlos, per pros
conmnodos. Acha-se em seu ga-
binete das 6 e media As 4 horas
da tarde, A rua do Barao da
Victoria n. 23, 1.o andar. ,
Moveis


Compra-se, vende-se, aluiga-se o troca-se
moves novos e usados de todas as qualidades.
As compras effectuam-se de prompto a di-
nheiro A vista, qualquer qtuo seja sua impor-
tancia.
Em todas as transaCOes, slo tomadas em
consideraglo as necessidades dos. Srs. preten-
dentes, quo encontrargo maiores vantagens
do que em outra qualquer pate.
ARMAZEM I'E MQVEIS
(A' rue do Duque de Caxiss n. 37)
Uni moleque
Quem Liver e quizer alugar um moleque de
12 annos para o serving domestic, dirija-se A
ruade Hortas n. 15.

!de s*orMmento de hi cor eIs-
nde

fiado, e em folha de todas as qualidades, e das
marcas mais ac.editadas neste mercado: nos
armazens de Silva Paiva & G., A rua da Madre
Deus ns. 24 e 26.
Fustoes brancos a
400 rs.
Na loja dos barateiros da Boa-Vista vende-
se superiores fustbes brancos e cOr de perola,
proprio para vestidos e roupas de creangas.
pelo barato preo de 400 rs. o covado ; isto na
rua da Imperatriz n. 40, esquina do becco dos
Ferreiros.
Fazendasbrancas
Os barateiros da Boa-Vista vendem
um grande sortimento de fazendas
brancas, por preqo muito em conta:
Madapollo-Pegas de madapollo francez
muito fino, corn 12 jardas a 3&200.
Dito francez, corn 24 jardas, ou 20 varas
45500, 55000 e 6(000.
Algodiou infestado, corn 10 palmos de largu-
ra, proprio para leng6es, metro a 900 rs.
Dito entranQado muitu encorpado, corn 8
palmos de largura, para toalhas e lenog6es, me
tro a 1I200.
Gregoela, fazenda branca muito encorpada,
para leng6es e ceroulas, send.) a pega corn 30
varas, por 1458,00, ou a vara a 55000.
Bramante de algodlo corn 4 larguras, pro-
prio para lencges, o metro a 15280.
Ditodelinho corn a mesma largura, a ?S200,
285b00 2800.
Atoalbado-Superior atoalbado corn 8 palmos
do letgura, send corn o lavor em alto relevo,
metro a 10600.
Dit6 de linho adamascado, corn a mesma
largura, metro a 25400.
Pannos da Costa listrados e de quadros,
proprios para cobrir meza de jantar, covado a
280 e 15600.
Guardanapos do linho, fazenda muito boa,
duzia a 58000.
Isto na rua da lmperatriz n. 40, esqui-
na do becco dos Ferreiros.
Ao Sr. Sabino
Pede-se ao Sr. Sabino Romlo de Luna Frei-
re, quo nos diga, onde se acba n'esta cidade o
Sr. engenheiro Pedro Fornaghi, ou por este
journal, ou na rua do Marquez de Olinda n. 43.
Professor
Um moco babilitado, lendo alguma pratica
de ensino, se offereco para leccionar portu-.
guez e francez em casas particulares. Os se-
nhores pals deo familiar qeuo quizerem se utili-
sar do seu prestimo, dirijam-se A rua Augusta
n. 19S, que acharlo corn quem tratar.
Baratas
Aluga-se por 309 o 3o andar n. 21 1 rua do
Bario da Victoria; por 255 a casa n. 16 A rua
Dias Gardoso; e por J 1 n. 8 no becco da rua
da Palma; a tratar das 11 boras as 2 da tarde,
a rua Duque do Caxias n. 46, 1 andar, e dahi
por dante A rum do Barao de S. Borja n. 51.
Caixeiro
Precisa-se de um menino de 12 a 13 annos
de idade: na rum do Bemflca n. 31.

Jacob
Fugio no dia 6 de dezembro proximo passa-
do, di casa de irnba m'i D. Cesaria Candida
Nobre de Gusmbo, o escravo Jacob, preto,
alto, magro, do service de campo, e as vezes
bebe, muito conhecido em Jaboatlo; a pri-
meira vez que fugio foi peso adiante de Usa,
onde ahi vivia come livre: quem o apprehen-
der, sendo em Una, entregue a men irmto ahi
estabelecido, Aquilino Francisco da Silva Gus-
sno ; em Jaboatlo 'A minha m'i, e nesta cida-
de ao abaixo ssignado, que recompensarA.
Maximino da Silva Guamwo.


Engommadeira 4
Precisa-se do uma boa enagommadeira e quoe
ensaboe tambem, prefere-e escrava, para
casa do pequa familla; am travessa do Vi-
arleo n. 7, atratar qas 10 hors do die is 4
datarde ; e par eIt par Ble bere.
HfotW central
Aluga-ee corn os bilbhares e mobilia, ou cada
andar em separade: a tratar no progress do
pavimento terror.
Caixeiro
Precisa-se de um calxeire de 16 a 20annos,
rom praties de taverna: na rua do General
Spara n. 31.


OLIN DAo
Alga-se a eas sterrea da s a de S. Joae n.
5, em Olinda, curm bastantes commodes pars
tamila ; a tratar no oitlo do Amparo ecor o
S.. Ruflno Mendes, ou corn o proprietarloino
Reife, rua Vidal de oereiros n. OM.

Ama
Preciea-s d una que. live e .tO
suito bern, pare iA& tar n hmUde Sant -
6 8 B o a V is ta *. L "
t-- .^ ^s^ -
'.R B ^ '/,' ... : -


Criado
aaecla. forto on ocra
4.i: a arn r'a
iip t'.


A $-D COOD.
0 abaixo assignado, tendo vendi.
d9 nOe Sus oafortunados bilbetes, 1
quarto n. 1939 com a sorte de 800N, o
inteiro n. 3712 corn sorte de 2001, o
inteiro n. 1112 corn a sorte de lOO,,
eoutras sorts de 325, 165 e 86, da lo-
teri (95.a), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem re-
ceber, na contormidade do costume,
sem desconto algum.
Acham-se i venda os seus afortuna-
dos bilhetes garantidos da 80.a parte das
loterias a beneficio da Santa Casa de
MisericordIa do Recife (90.a), que se
extrahira uabbado 29 do corrente.

Bilhetes inteiros 45000
Meios 2S00G


Emp


Quartos


1i000


orqbo de 1005 para cima
Bilhetes 36500
Meios 15750
Quartos 5875
Manoel Mqrlins Fiuza.


CASADgOURO
I :0604005

Bilhetes garanlidos
Rua do Bardo da Victoria n. 40
e casas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
entire os seus felizes bilbetes um meio
de n. 2,035 corn ;a sorte de 100#(00,
um quarto de n. 1,000 corn a sorte de
1006000, aldm de outros premios de
326000, 165000 e 86000.
0 mesmo abaixo assignado convida
aos possuidores a virem receber na
conformidade do costume, sern deacon-
to algum.
Acham-se d venda os felizes bilhe-
tes garantidos da 3.' parte da loteria a
beneficio da Santa Casa de Misericor-
dia do Recite (96a), que se extrahiri
sabbado 29 do corrente.
PREgOS
Bilbete inteiro 46000
Meio 2#000
Quarto 16000
Em porgao de 1Oo#000 para
cima
Bilhete inteiro 36W500
Meio 16750
Quarto 875
Jodo Joaquim da Costa Leite.
Na pharmacia
a rua do Cabuga n. \H, precisa-se de um cai-
xeiro corn alguma pratica.


C\i L


0 Bazar Victoria acaba de receber da Euro-
pa, um grandiose sortimento do mascaras, na-
rizes, queixos e meias mascaras, brancas e
pretas, feulc5es de home, mulheres, meninos,
moCos, velhos, caricatos e de diversos ani-
maes.
Calgas, camisas, carapugas e luvas de meia
brancas e cor do rosa.
Franjas, trangas, bicos e lantijoulas deura-
das e prateadas, e outros muitos artigos para
fazer-se lindos vestuarios para as felias carna-
valescas.
Recebeu tambem um explendido sortimento
de bisnagas a'agua de cheiro o de p6, e outros
multos artigos de sorpreza proprios pars os
brinquedos de sallo, nos dias de carnival e
vende-se por pregos ccmmodos, na rua Nova
numero 2.
Tapipire
Fugigram do engenho Tapipird. da comar-
ca de Iguarass(, na noite de 30 de dozembro
proximo passage, aos seguintes escravos:
Gasper, alto e secco do cerpo, represents
45 A 50 annos pouco mais ou menos, preto,
olhos grades, pouca barba; este escravo foi
comprado em 1878, ao Sr. capital Innocencio
Furtado de Mendonga, da AlagOa-Comprida
na Parahyba do norte, e 6 de presumir que
tenha seguido pars alii, por ter irmios naquel-
le lugar: o outro de npome Viconte, cobheci-
do per Manoel Vicente, cabra, de 50 A 55 an-
nos de idade, barba branca, e as vezes costu-
ma rasper, tendo os dous dodos grande dos
pes muito abertos, parecendo quasi aleijado;
este escravo foi comprado ao Sr. Jost do
Mello Azevedo, em poder de quern tern um fi-
Iho per nome Agripino, e que talvez fosse em
procura desse filho.
Portanto pede-se as autoridades policies
ou aos Srs. capitaes de campo a sue capture,
e A O tregar no referido engenbo, ou no Re-
cife ao Sr. Francisco Gomes de Araujo, rua
do Apollo n. 11, de quern serbo generosamen-
te recompensados.
Ama de leite
Precisa-se de uma ama de leite : na rna de
Pedro Affonso n. 64.
Boa ama
Offerece-se uma ama para cozinhar: A rua
do Bom Jesus das Crioulas n. 35.


C, i s


Compra-se ur uas terrea par pequeo-
nA fauulit, na freguesla de Santo Antonio ; a
tratar na rua do 3ol a. 21.
Apoffees
Compram-se-apoliewprovinciaes e gerae
a .tratarna rua Primeiro do Marco n. 10 loja.


Vende-se a loje deo miudezas da rua da
Imperatriz n. 78, ou tambem se faz negocio s6
corn a armsago, qua serve para qua!quer no-
gocio : a tratar na rua da Imperatriz n. 74.
Tavares de Mello, gennr

ft Companhia
I~~ ~~W 6d.~u a s.a.iI
du.md.ejm, -.

Calaot deoLtboa.
Oleo d mooo; .o
Pone das Russia. "
baxadas do Porto.
fbumadeirb paaadelras.
tm' de
7ie^^ Law- s M M I^


*1
-11

--7


Novo systems


do for-


mas americanas para as-
Mucar, feitas de madeira:
amostras no escriptorio de
Saundcrs Brothers &C.,
praca do Corpo Santo n.
11, primeiro andar


13
Rua Duque de Caxias
Cambrala Victoria para 31 a pecga.
Chita encarnada corn assento preto a280 rs,
o covado.
Chitasauras a 200 reis o covado.
Lengebrancos abainhados a 15600 a duzia.
Ditos corn barras a 2M00 tambem a duzia.
Algodgo da Bahia para saccos a 320 e 346
reis o metro.
Brim preto para luto a 600 reis o metro.
Ceroulas de bramante a I5200 cada unma. K
pechincha.
Fust es a 400rs. o co-
fado
Rua do Queimado n. 43
Venha A elles
Fast5es branco e de cores, proprios para
vestidos do senhors e meninos, polo prego do
400 rs. o covado, valem 760 rs.; venda-so pare
liquidar factura.
Baptistes lisas
corn grande variedades de cores, a 200 re. o
covado.
Cretones lisos
corn variedades de cores, 6 pechincha, a 99
rs. o covado.
S60o43
Defronte da praga da Indeoendencla
Borracha para -limas
em porglo de 5 kilos para -imae ; na rua do
Amorim n. 37.

AGUA FIGARO
SInfallivel pata restituir aoas ca-
belles grisalhos a oor natural
dl da juventude, garaUntlndo-se
pisem perigo : para por ai pro-
r. pia tingir instantsneamente 0
icabellos e barba.
B UNICO DEPOSIT
otca Franceza e Droga.,
tia-A. Caors
RECIPE
Rau do Bomn Jesus n. 29, defrote do chafariZ.


Mais pecliinchasll
S6mentop 9 da rua Duque de
Caxia
Casemiras para vestidos, fazenda superior,
lindos padres, a 240 rs. o covado!I
Bonitas lis furta-c6res, fazenda ir teiramen.
te nova, a 700 rs. o covado I
Cretones modernos, a 280 rs. o dito I
Nansuks flnissimas, lindas cOres, a 220
dito I
Pegas de madapolAo francez, flno, 24 jiarda9
a 45500!
Cortes de casemirasm fins, a 22(oe 4JeWO
A ellas I
Ditas em pega diagonal, para 25200 e 10
o covado !
Flanela ingleza. propria para patitots, a
IS200o ditoI
Brim pardo encorpado, para roupas d6 Me
nine.
.Dite de oc6res, a 400 rm. o eovado, itQO-
veitem!
Dito branco exposiglao, superior, a 1tj50 a
vara I
Important sortiNmeto de fezbnda' p 1tt4
come bapUste e ebita. pntt-teti
aipams nus, a e 4WW. M ii n


id
'La'


i~*. ~?. *V.


'UT


A' RUA DO CABUGA' N. 4


I 'n-


* ,
.


-i .



4







i-

t












!: i

4.
.:{'
f^.



,'-


1
i,=-
'i.'-.
.'

'.,


N. 44 Rua do Brum N.


'p






I


~


Ii H
.1


'I. *~




11 1


11


l e


I


freguezes, por preop s
3 kDRUA DO *CH W D
JAi 6bstaniteconbIDhe hsdnBsiia'
Flor, doe ..:
AugiSto fIr*a a C. "
Vinho sl ior do
Douro ~
Em pipas, b&rris de 5 e 10: vendeoa Cor-
reia & C. Sucetssores, & rua do Imperadtq nu*
mero 46.
Attn"ao-
Na primeira iravessa d rua do Pombal, em
Santo Amaro. vende-se uma padaria cwm to-
dos os aeus utensilios novos, os melhrdepowj
siveis, exclusive cylindro; vende sem a IM-
ma uma machine a vapor corn forga dO. 1/2
cavallos, montada corn todas as suas plitn
Oas, propria para aoer milho e outros gdaero,
da mesa especie, tendo duas especiams pe-
dras, man ladas vir de Europa, corn 8 e 12 pol-
legadas do grossura e I metro de diametro,
fazem farinha muito fina; vende-se tambem a
casa da padaria, e outral mentor, de moradla,
arabas novas, tendo urn terreno cornm 95 pal-
moes de frente e 200 de fundo, sendo proprio,
vende-se tudo llvre e desembaracado: a tratar
na mesma.
Taverna ou deposit
Vende-se por prevo muito razoavel a arma-
cVo corn as perteneas, propria para taverna
ou deposit, sito A rua de Domniogos Jos6
Martins, outr'ora Senzala-velba, um dos me-
Ihores pontos no Recife; 6 grande pqchincba ;
a tratar na rua do Amorim n. 64.
Roupa ror media
N'este estabelecimento tambem se mandas
fazer quaesquer pcgas de obras. comu sejam :
croisfs, fraques, calas e colletes, A voatade
dos freguezes, e isto por preCos muito razoa-
veis ; e para este fim encontrarlo um magni-
flco sortimento de pannos finos pretos, e ca-
simiras tanto pretas como du cores, sendo
francezas e inglezas, assim ccmo grande sor-
timento demerin6s pretos e outras fazendas
para luto, e manda-se faze' qualquer encom-
menda corn a maior prompLidao, reaponsabi-
lisando-se cs proprietarios d'este estabeleci.
mento pela boa execn5co de seni trabalho,
isto 6 rus da Imosratriz n. 40, esquina do bee-
co des Ferreiros, loja de
Alheiro & Silva
Boa engommadeira
Precisa-se de uma, forra on escrava : a rue
Nova n. 9.
FORMAS PARA AS-
SUCAR
















1D0


ESQUINA

da rualarga do


ROSARIO


Iii


ero, tern,


'Este i


por


I ranute-se ser tUido


soy


i#m igual, e vende
.


S er-se-ha convener da verdade.
s Tor preros muito elevados.
4A -. .a


Ga-


DO "
CA




ESQda rualIAradi

da rua k~rga do,


ROSARIO


TINTURA CHLNfZA
para tornar os cabeflos ra
pidamente pretos senm of-
fender a cutis
PRKPARADAIPOR
A. R. RAMALHO
Rua do Mayrguez de Olinda n. 21,
1.0 ancda\
SALA.O DE CABELLEIREIB(O
Esta preparac'to. tmc-' sida feit) de
Iee6rdo corn c clima d..tc paiz, tor
ma-se atd hoic a marhcr, pcrque neui
e6 faz o efiefio rapicdc. sam Aflcnder v
euria, como se o jerem ber., s6 bas-
tar& retocar do qair?.e ei o,,i-'n dias,
. A cada irasco acompanh'.tra-. a. ins
trucw6es pre:-
Prego de cada c ilrha cow.
3 frascos 3000
Vende-se em crosso e a retalto, corr
o devido descoro dc 10 a 15 oo.
N. B.-E' mnuito preciio explicate.
los portadores, pare melhor acertarem,
roe esta ti(,tur- se veCidi s6 na rua dc
Mirquez Ae O(ud., ri. 21. 1 o andar, v
nao sendo la comprada, 4 falsa.
(SALAO 'W CABRF.I.IFIRFIRO.)

E' vantajoso
Venle-se a olari cow casa de sabrado. vi-
,eiros e bastante terreno para criacrio de anl-
maes, no lugar denominado Lucas. quem pre-
tender, diria-se A rua Imperial n. 238, ou na
Passagem. tavernia io Bento, que se darA in-
torma<;oes._________

Cretones lisos a 280
0 COVADC
Pcci incha/
Ctetones lisos dp todie as cOres n 39( o cn-
vaf : 6 pecbinciha S6 o 43 da rur do Q'uoi-
ad~o.
Kadapdl&o fr.ncez a 3$ )0,, a pc
Bjtintes ie c6:e finas a 2)M reis o covado.
sham ua pechinclba.
Mariposa arrendada padres lisos. a 240 o
Cgvado So o n. 43 da rua Djque do Caxias
n. 43. DR,) amostras corn penhor.


i^^^BU I" JM '^^

Rua Duque de Caxias FABRIC DE CIGAiOS
o Rua do Barbo da Victoria n. 39,
Gnantiga rua Kova
DPE IIHN ItlAS raGrande e variddo sortimento em artigos pa-
PEdI .INC IUAS raa lumantes..
Linhs lisos n 160 ris o covado. Bolas. cachimbus. ponteiras, porta-cigar-
Poupelines mescladas a 240 o covadc. ros, charuteiras, porta.pbhsptoros. lindas ur-
Lzinhas miudas a 2 0 r6is o covado. nas pars fumO, e bengalas rum cachimboa.
Madapolao franccz avariado a 4$ e SO a nCharutos de Havana, Bahia e Peruambuca-
peQe -a rrs
Fuslao bTanco para vestidos a 500 rtis o co- Cigarros de palha, seda e linho. f.bficados
vado. corn es melheres fuuos e sen composia;o. das
Mu-s.el;r -i br.nca a 2,11 ris o conadc. muarcas Carolina, C4ston e Pollux, Vulcanic..s,
BatisLei lisas a 3:0 rus o metru, gr.ande v.- Pepasos e S6 para Mim.
riedade di p:drie.. Fumos emn laias, picado e desflad., Daniel,
batiftes nmpudminh .n a00 r6a F o covdo Goyaz, R;o-N,,vo. Pacci, Pomba, Garanhuas e
Chalcs dOr- casimira mauito grades a 3 cada 0 verdadeiro fumo caporal da Bahia.
Caporal f.ancez em pacotes de 50 e 100
.Dit frcado? a Pompadour a 6 aa r. grammas.
a p Papel para cigarros. Bardou, Sans Nom de
U 43 cosmupoIIE, Abadie, e especialidado en palba
____________________para c-ipaire.
I||T,_.*- ,, __ I PhbosDhoros de cera e os verdedeiros Jonko-
Merinos de cores para pin.-.s docverdadirs
Papel de cores, e immensidade de artigos
vestidos I P8~e~.:pecri:a n
I'regos senr cc.mpetencia na
VariadisSilmno sotirento de mierin6(. de cn- LD
res lindhs-ionas. o qute ba oe mats L.ioeir.Lo, L A
para vestidos. a SOL rs. o covado. A
Alpae3s lisas e de diversms cores, pnra ves- LE
tildos, a 440e. 5:;n.. Fabrica de cijgarros
Fusti~es I? ranc,,s P de cores.
Dilos do ass--nto l.rin.',o con- florc.. c listras Rua do Barao da Victoria .I 39
miudinbas a 320 r:.. o ccv.'... Leal e C.
Ai a .;- .-A~,iI.. -% 4i vri- njL al a C.


aiJpajaue uo cur i.Ji ], aI i. p luao a ipuj- o u
N. lojr-. F. -Frp Amazinas. ru"
Duquc O e Caxir:. n 47.



A rua largado Rosario n. 20
T eM 6-.iipre gpande sortimento variado de
vidroz brancose de c0ies, assim ,;ono tud,
qua De;terce A suaofficin;..

Grande pechincha para


A Rosa dos ipes principlir o anno
032 ua do Barao da Victoria 32. DE
A Rosa dos Alpes recebe urn complete a JA %-" M
e riado sortimento dos srguints8ar- Na loja dcs Baaeosm dd Boa-Vistc,
gaO de alta novidade, comno sejadm : 4 rua da imperatriz n. 40
Tranijas de l, padres moderns e A SABEi:
do cOres especiaes". Aosito mil covados de gorgo-
Fraujas de I e seda, o que ha de rAo para vestidos a 320 r6is
ats ea e sedo qe a ma Vende-se un grande sortinu-rnto dos mais
gs apurado gosto, e do acres as mais bonitos gorgporres corn delica-lissimas cOres
apropriadas p'ra fazendas, hoje matIS paia vestidos, sando fazernoa, dA alta phanta-
m nod- sine. de m uiW o boa qualidade, cow padres
Franjas de seda pretax, o que ha de w:udinLos o muiLo modernus. pelo baratissi
me prec d 320 r("s o covado, ipto devido a
selbor ne.-te goner., tar-se fito uma grande compra d'esta bonita
Franjas de seda de varias cOres. facenda. S6 na rua d lmperatrizn.40, esqui-
Bico de Guipep". br.nc, c preto. na do bec"o dos Ferreiros.
Bico de seda, preto e 1,ranco. ALTA$ NOVIDADES EM3 CASIMIRAS
dae 1a preio o er id o a 28 covapo, ou a 35500 o c6rte.
Dito de la. preto con e sem vidralho. o9 s baratefros dti Boa-Vista poder ven-
Fitas de gorgorao de todas as largu- der casirniras.de duas larguras corn as cores
an e de cores especises. claras eescuras,sendo fazenda fia e de mui-
FPitals de sarja, volludo, escncezas e de to bons gosLos, proprias para caliis, paletots
etgande ariedade.e e colleges, assim como para roupas de meni-
left, grande variedade. nos, p.!o baretissimro preco de 2 o covado oa
Luvas de pellica, decOres, brancas e 3J500o o curte ae clCa : este drninuto preQo
preta?, para homes e senhboras. pr quoe se vende. s devido a ter-se fei-.o pran.
Chapeozinhos, toucas e sapatinhos de de compra d'este artig,. que se vende muito
aft e in oas e hodemais bato do qua em outra qtalquer parle;
etimeo mern6, bordados,o que ha de na rue a da Imperatiiz n. 40, esquina do becco
uds gosto para baptisados. dos Fer(eir-s.
Floresartificiaes, escolido e variado Novm's linhos para vctidos, a 160 r~is
sOatimento. o covado
Plumas de to.as as cOres para cha- Na 8ja dos I.-'raLeiroR da Boa-Vista veonde-
pd. Ise uma grande quantidade ade novos liohos
p -; de ume s6 c6r para vestidos. tendo de Lodas
-.Collarinhos, punn.. e lensos para as cOres. claras e escuras Lamtnem de hlistri-
komens. nhas, q, se liquidam a 160 rtis o cuvado,
"Gollinhas bcrdadas para senhorasE. assini corio umrn elegante sortimento das mais
Collarinbos e punhb-s dose lisos bon,.as laptif-s c e c.'.'e-, padres neovs s
I cores ft.ys ; it, r, rt a da JImperaLriz n. 40,
pu seriboras 1 esquina do be -"o dis Ferreiros.
Porta-cauda de ve Cretones c litus para vestidos. a 200,
Preparos para t.3re-. I r40 te1 80
Mignardize para traha,,.cr, d crochet.' Os Barapiros da Boa-Vista vendem chitss
GuarniV6es de trcs pen! ., de Cellu- cla.brus,. scuras de cores sando fazen:da mui-
oSd, para coc3 c '~f :, I t h li,.ia,covadr. z. 2.): rCi...
I Ditas c-lcu-as e claras corn as c6res fixas,
Brincos, puls-ira:. c ,iIta;0utus .e1a0
rosetinhas de tar.mcn. a; tudo do Cellu- Cretones muito finas para vestido,, cores
0ld. i clarar c c:c'irr, c-Jm pqueno toque de mofo,
Pulseiras pr%:-'_c -_,-J4es dt Cel- I a 210.
Pulseiras~prJ'C C i1 d C Cl- Creo.e vcrd:Aderc, corn dchlcados gostos a
luloid I Pompadoujr, senrdo claros eoecuros, a 320.
Ditas'. ii;. C' d-' tart.ru;:;. ".Percalles trb.rar pn~re_ .mjudinihos e
Ditas pretac, grande variedadc. cores fixas parn vestidous e roupas de criauwgas,
Espartilhos, cintura regeute, os mais a 300 r os. r6i .
etejantes a14 bi'jeconbccidc- -1 MeriiOs e apalcas
Espartilbos couiaa e o.tras quali- a 4oi e W0 reis
ades. Os Er.ira-.Ro da [.ad-Visa vendew
Perfumarias dos melhores fabricantes MERINOS a 5M) riis. Ponitos mearinu,_ de
lglezes francezes. urma s6 cOr. fazenda de muita phin-
aizhsfrnc per. tasia, a500 r6 s o covado.
,aixinhas corn perfumarias proprias ALPACAS a W00 reis.-B.aniLas alpacas do uroa


pau presented.
G tarmig8es de pentes a imitagle de
eartaruga, para coc6 e marrafa, gostos
modernos.
Capealas corn vdos pars noivas.
Rams de fl res de larangeiras para
oestidos de noiva.
Leqaes de osse e -cda, brancos, pars
oivas.
Ditos de crews e preto, corn plumes
* aem ellas,
Soias de borrocha para creanvas.
Pautes dt Celluloid para regho deo ca-
aem cambrsia Victorila
,ql^ t.' ^ =ottmeato. .
wisdos e priteados o p
fta~ COO... K


so :6r, ten o de todas as ore. e as
masis bonitas que teem vindo ao mer-
cado. d 40) r6 o covedo.
FURTEES a 640 r6is.-BonItos fustbes de urma
d6 c6-, teado do tolas as cores e
b'ancat, a 610 ris o covado.
AMBRMAS a 3W00,-Cambraias # Victoria,
fazenda muito fins, i 30 3'00 e 4e
al as mais fines que v;em so nier-
cado, por picv baraLto.
DILAS transpoarenr"s.-fazenda mito final, de
i 2 5 0 ate as melbores que veer o ao
mercado.
Isto n rua da In-peratriz n.40.

Vende-se
rma case d e t!jolo e cal; bem constroida, corn
eu intle, 8r s1pumams arvers
lInI o.I. Nd4 a. 90, podeade
lip c=aer bort. do
go no I.


Vinhos Bordeaux
Os melhores e mais afaniadcs sio hoje os
das seguintes marcas :
S. Est.ephe.
Chateau Mont r.use.
Poutet canet.
Unicos a-pntes
MAIA PACHECO & COMPANHIA

Coni ra a tosse
Xarope peitoral Jamne
Unico legalimeni- autorisado pelo conselho
de sBiide puL'li. .i ,- Portugal. ensaiado e ap-
provado nos b- pitaes, Cada frasco esta
acompanbado de a; impresso corn as obser,
vag5es dos principles medicos de Limboa re-
conbe<:idas plus consoles do Brasil.
Contra a debilidad
Farlnha peitoral ferruginosa da
pharmacia Franco
Reconhpeida como precioso alicmento repa-
radr e excellenrl.e tunico reconstituinte, esta
fatinba, a unics legalrmente autorisada eprwi.
Legiada em Portugal, onde 6 de uso quasi geral
ha muitos annos, applica-se corn o mais reco-
nbeciaou proveito em pessoas debeis, nas que
padecem do peito, eui convalescentes de quaes-
quer doencas. eus ciianCas, anemicos, e eam
geral nas que carocem de foras no orga-
nisrno.
UBico deposit em Pernambuco, i
run do Marquez de Olnda n. 23, phar-
macia de Francisco MAnop.l da Silva
d C.

BAZAR VICTORIA
I-RUA DO BARIO DA VICTORIA N.--
Neste e-tal.ielewento encontrarA o respei-
tavel public o spuinte :
MALAS de madeir.. de couro e de tapetes,
grar,;es e iei:'res, para vibgem.
CHICOTES de baleia corn casto demaifjw
e de ossy.
LUVAS de casmuica, de 1M e de fiboda Es-
COS.i,.
ESTAMPAS de cidades, monatuhas, etc.:
etc.. e sacras.
QU IDROS nourAdos para o- m.smos.
LINDAS BANDEJAS DE METAL e de cha-
rao.
I'INGENTES de vidro lapidado pars cande-
lat:ro.
COMPLETE SORTIMENTO de jarros de co-
res, branccs, Franaes e pequenos, proprios
pars santuarhi e toilette.
CADEIP.AS de vitae pars crianCas, cadeiras
de balan,, e para mesa.
ELEGANTES ESFELHOS corn moldursA dou-
radas para sl.-o. pequenos, corn w2 e 3 vidres,
moldura de metal, para pentear-se, etc., etc.,e
pequenos corn augmento para banca.
Vende-se as iua Nova n. 2.
Amaral, Nabiuceo & C.
vendem por p egos commodes os seguntes
artigns de mola e do phantasta :
LUVAS DE PELLICA branca, e de cores e
pretas. pars hoaiens o senhoras.
LINDuS RAMOS de flores para cabega e en-
fe'tel do vestido'.
MEIAS FIO DA ESCO SIA, de lindas ares
pars senhoo's.
ENFIADORES DE ALGODAO, de linho e de
seda, pare espartilhos.
ATACDORES DE AgO para espartilhos.
BOTOES DE LOUA, osso. madeira madre-
perola, metal mass e seda, pielos, brancos,
e de cores, a Pompadour.
VESDID1NH )S e VESTAURIOS c6mpletos
para bsptisado's.
BERQO DE PALHA. e de madeira.
F'IO 'tE LA E SEDA. a Pompadour, par.
border e urn lindo sortimento deo caixinnas e
objects para presented.
VENDE-SE NA RUA DO BARAO DA VIC-
TORIA-N. 2:

Sellins inlezes
Domingfi' JosePruir C, a roa do'Barlo
da Yictoria n. i, ,sqnina' da .rua das Triochei-
r;-S, Sem para vender man- gaanle rortiiBm'to
de selling e silh~es lrtgezeu -eaerteios bern
como colxoes e travesselros, tudo bonw be-
raeo. ____ -_
Piano
Vsya4teM bartn ,aB plawo de mesa, em per-
twa h. prodrio pra aprquder: i 'erg
"i r t'rt da do Poimbsa l, n.t. "
Bg~t-4a a d'. alfra w. a


Pechincha
A nova loja de selleoio de J. Joaqulm de Aze-
vedo que se abrio A rua do Barao da Victoria
D. 39, acaba de receber os mais modernos
selling inglazes, que ate boje terno vindo ao
wercado, a os estA vendendo por muito com-
mopdo prpCo ; A elles, antes quoe se acabem.
Na mesa tambem se eacontrarh um cornm-
pleto sortimento de todos os objects da arte
deo elleiro e colchoeir,, os qoaes se vendem
pur menos de que em qualquer parte; s6men-
te para assim satisfazer os seus freguezes, as-
&,im como rochins de linho.


N 'VIDADES

Pechinchas semnigual!!
0 59 da rua Duque de
Caxias
Riquissimos fichus de l1 a 38000! 6 bara-
tissimo. "
Magnificos bornris de l! e seda a 45 !
Pannos de crochet para cadeiras a I5!
Ditos grades para sofa a 35 aproveitem.
Grenadlnes de sedan, finas, corn pequeno
tefeito a 320 rs. o covado (azenda que custa
p$00o0!
Fustbes bordados, brancos, a 500 rs. o co-
vado.
Mariposas brancas arrendadas a 400 rs. o
covado.
Popelinas brancas de seda para as Exmas.
noivas a 800 rs. o covado!
Alpacas de seda de cores, lisas, a 480 e 560
rs. o covado.
GorgorOes de 1I, lisos, a 360 rs. o covado I
Atoalbado blanco bordado a 1:'iOO o metro I
Colchas de cores de fustli, fiancezas., a
28800 :
Cortinados ricamente berdados a 10$ o par !
sao de 185.
Espartilbhos de courage, superiores, a 6 !
E muitos outros artigos por precos menos
30 0/O que em outra part.
S' 0 59
A* rue Duque de OCxias a. 59, per baixo do
bilhar, to)ja de Carneiro da CunLa & C.


Baptistes miludinhas pare vestidos a 200 rs.
o co'vado.
Ditas dp cores lisas Idem a 240 rs.
Fustes mde cores e pkdroes miudinhos a
300 rs.
Madapollo franccz e inglez, preco baratis-
mimo.
Algodlosinho idem idem idem.
Bramante para leogoes, toalbas e ceroulas a
1200 o metro.
Cretones A Pompaduur para vestides a 320 e
400 rs. o covato
Ditos francezmos, de corts seguras e lindis
desenhos idpn idem.
Cbitas escuras e clrae, de varies pregos.
Fechus e sabidas de bailes a 45.
Chiles A Pompadour a 51500 e 65.
Dit.,s de casemira a 15500, 2 e 45500.
Na oja da-
Fragata Amawonas
Rua do Duque de Caxias numero 47.


Tres Estrellas
Cognac Muller F-reres
0 unico verdadeiro 6 o importado aqui polos
agents
MAIA, PALHECO & C.
Os rotulos, capsulas, rolbas e caixas slo
authenticadas corn a firma do# fabricantes
MULLER FRERES
As caixas represeutam em marca de fogo o
desenbo do pal.cio Trooadero.
Tres Estrellas
Cog-ac Muller Freres
E' a wares Ioje mals amrdditada a nenhuma
Outra podera competir em prevgo a qualidade

Grande pechincha em
roupas
Na loja dos Barateiros da Boa-Vista,
vende-se.
Calgas de casemira, escuras e claras,
fazenda muitu boa a 51 s 55 00.
Ditas nuito fines para 7$ e 84000.
Paletots de casemira, de c6r, muito
bern feios a 6 500, sendo forrados a
8500.
Dato de dita, preta. de deagonal e
gorgordo, forrados e muito bern feitos
a IOSQOO.
Ditms de dita. de c6res, sendo forra-
dos a 8S500 e sem forro a 6 500.
Dilott de lpaca preta, de 3 ate 76000-
Cam.isas modernas, comn peito de al-
god4o imitand9 linho, a 25 e 20500.
Ditas modernas, cornm peito de linho,
de 46 atd 5000.
Ceroulas de greguela, fazenda muito
ancorpada e. muito bern feitas a 1#20
eKCO
Brntus pardos a 320. rs.
Na rua na Imperatriz tloja n. 40, es-
quina do Becco dos Ferreiro., vende-se
briis, pardo li-o, para roopa de hoe
wens e neninos pelo barato prego de
da 3200. r, o eovado. por ter unm ieve.
toqqe de oofo, que largp logo que se
lave. 1,


A.


ntonio Pedro de Souza Snares & C., vendernm machines de costura de to-
dos os systems e de todos os tbmanhos, desde o prepo de 143000 a 110O0, *
em porgo fazemo desconto confow.e a quantidade; ;teem sempre especialidadt
ndo s6 em machines de costurci cndo de pir'g'uit e de tiotar-fazer meias.
No mesmo est;belecimentdt r ina-se oser, e concerta-se afialquer mi-
china, pars o qu e tern bern modr!, a ofa:.,ia "



BAZA DAS CqSm ml\lA


C=
C=m
cm

amw
cm
31m

C^m


GINAND[ [xPOSIcAO
DE
MACHINES DE COSTURA

DO FABRICANTE


SINGER


. Gaspar Augusto Soares Leite, unico agent das machinas-eY ttura do fa-
ricante Singer, por ter feito urn contract corn os fabricantes, avisa ao respeo-
avel public destU previncia, que scaba de receber. urn grande sortimento do
nachinas de todos os tamanhos e qualdades, qudr para o trabalho de milo'
-udr para o pedal. A pregos os mais razoaveis possiveis. Tambem existed no
ieU deposito gratide quantidade de macbinas de trabalhar a mao, de mutrm
rabricantes, o que vende tambem a preco razoavel.
S Existe no estabelecimento umn perito official para os concertos necessario
a qialquer machine de costnra.

ESSENCIA DEPITRATIVA AMERICANA
GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
Puramente vegetal, tendo por base a s cf4 '.
roba, preparada por
FERREMA MAIA a C.


SPhamaceuticos edroguistas da Casa Imperial, premiados nas exposig-l
provinciaes de Pernambuco de 1872 e 1875, nas do Rio de'Jlaneiro de I87 *
1876, na de Vienna d'Artria de 1873, na do Chile de 1874 e na de Philqdelphil
ie 1876.
f)s pharmaceuticos FERREIRA MAIA & C., qne sempre teem procurad
empregar na therapeutic as plants indigenas, o que attestam corn os seousnu
merosos preparados, acabam de formular urn, QUE t UM GRANIE E EN1R
GICO DEPURATIVO a que denominaram ESSENCIA DEPURATIVA AM
RICANA, tendo obtido corn elle todas as vantagens do mercurio e iodF 7
potass, sem todavia produzir os ptyalismos e outrW inconvenientes d ( ,
iccrescentando a isto o sabor agradavel.
No RHEUMATISMO, quer agudo quer chronic, o seu effeito sedative
rmpido.
Nas differences species de DARTHROS, elle tern por mais de urma yez
orovado a sua etficacia.
$am numero. eao os ESCROFULOSOS que corn a ESSENCIA DFPURA-.
rIV^AMEIu NA. teem recperao a sade. "86 .
Et~'mnma pahavra, todas as molestias que teem sua origem na impune.. ,
iangue, "oont n nestf rmedicamenfo um energic especifico, oqbe fice.
berate pvado corn varies attestados, ja d. facultativos dest pe
.JUGfd, oe l sua clinical, fi de particulares, que compete p
0 9h reup'peftdo a saude. 7.'. 4
--A ntr corn 03 resultados acirna-ditos, C il
0 I teiropar& certeza do que, dever ".iA
duzia ,
-s O rra d volta 'a l
i' ar f '. .*. H. ,^ .' ^ B


C=





C=
I--


'4 .t~h..i
~'*(* 2'I



4 I-....
L ,',L.2L 2-


-A'


I


.-
" Jf











.t:

'/



.t .


-*_.* -'4"













"ir
7.
-
:



.. 't..;




}_






t.



I'.








1r



r.
,. .


I,

:j


"7j
,1







', "-


4." ; :

ii; ,
',5,


I


I


-w


' :.:-.* -* UK;
^ '...:. ".' '. .' ,; "' ".

) S.
.,


J '"* *





I


g, ,


t


Jig '46F AR IL MA M -m-,L A


- a J- -,















omissoes por aft notadas nessa oc,
). refriam-seO's substilutos dosjui-'


do d. a,


zlp 1ie io nas comarcas especim s e u u-
-n do jozes municipa :nos noto Os cbhefes do policia.
ube s~ jnu Doessa disposicio resulta quoe oxefo
i'Ptderei eu que uma vez que se esta- policia da c6rte nBo'& inC
Ki a como regra, qt* fosseMin ncompa- mesma c6rte, e neom tLambome d'
~l lodos os functionaries publicos queo. Janide aero.. ue
SemjMAWAisv crispalf era pr sed in mtl.asi
aisiobmpreheMer entire os incompativeis rSDi ?dmp, a io ags case
oCttstitutos do juiz e direito nas co- reside, nd o o so, em agns cassem
A f 3 no amda nao sbtgrande parte do suas dioceses,
s, especi&es, jue, ainda nao substi- e saha~o~tu aJeij iA7S rA/uia^
ao juii tltetivo,,! jure proprio. Ora, sabeeu a ,& aoeii4, Ip7o-a1 erei
fteom funcnes criminals, como a do s fznicameWl ota e fln lpo4'p4160-1ai
in inr em todos us processes de crimes desde qufaziatae Fellas pd ir Y aMoio
te m- ospS ^^a^ d^qdirMd^h^o
communes, cooperar no prepare dos pro- seros quo a crt te de contiir
relatives aos crimes de que trata o ris sabouios quo a crto tern do Constituir
codge ^ a ~ um ou dous circulos, 6 precise declarar
a= 1j* 7 codige d% precesso e a coie.- d 6 chore df rp der ian as.. sqnie nas dpi D e n
.. mesma incowpatibilidade so dA a rs- sdet nas IIV14A5l'de i n" niloIl e
S mesma compaltibilidade se di a rss-na c6rte, e que os bispos sao incompati-
peito dos supplentesdosj uizesnmunicipaes, veis, em todo o territorio das suas dio-
que por sua vez exercem funcC0es crimi- ceses.
naos nos tenmos, independerti onto do css
naes nos atermos, inepndeWn M utesde oNada disto esti acautelado no project,
oreceberem a jon sd.o psenti suius -de maneira que os chefes de policia sao
effectivos ou de o s substitute eus im- incompativeis nas provincias do imperio,
pedi Meira do Vasconcell.- mas 0 da cidade do Rio de Jneiro nio 6
SSr. Meira dVasconcell -- o es- iompativelna crte.
tao os subsLtulos. t ttsisain pteis nps provin-na
0 Sr. Ribeiro d&ta'O.-Diao h iInais ns provin-
S. Ribeir d '..c -i o- h -,i isnf B u04 o b 6 nii atbrte ner has
senador pela protiaI d- PaCIIq m nietiionqIW.
os substitulos sao income tiveit poartenco
jecto. NNW;pM* p-pOI,.'ehpto, partence
.No digo o contrario ; mre a d- S. a quat. b o dMriana. o da
"I ..df Diamanlinsa,-o. dVpht b- .eo do Rio de
Exc. para as disposicoes ds_'. Ie II[I anir oo
do 3 do project e verifr lJUn elles io d G y
so se tornama incompativei0' q(Sl e1 ; r' 0Q rR v d.e .ad
cem a jurtsdicqo plena do iMipti6ect dRfrov cit on e aoebispado de
dentro do sdis mezes antSs dae e o. A
iucompatibilidade, pc~is, s4-0& irekk{- [hr.
incompatibilidade, pcCis, so rbn- ra chado -Grande part, o
de nesse caso, mas nao qtindo, a..a bdo oeose 1;o.
o cargo, o elercem no tdftnte a Lttrit 0 sAtRibeir oda Liz .-Ora 6 preciso
Ses quo Ibes s~o privativaS e quS no retO- S' ier aLz -Oa rcs
sultan la s bstitui eqo ple q re u bc pos3jam incompativeis, nio nas
0sut Sr Me sir ?do c nC. :- provincias, rds nas respectivas dioceses.
Outrs. 0 bispo'de S' Paulo exerce jurisdicqo
S Sr. Ribeiro da L A .A-zAdid.Io degiaegti.eiN#W regiao na provincia
0~ ~ ~~I Sr,'l d~iod az--i o : s.Pai~opolo facto -de alli residir, mas
do project 6 copia fierW1ei de 1875, do S'Ptilo polo facto do alli residir, mas
o o 6 A ntenitorio de Minas, onde alli
substilulos e suppleates'do juiz municipal exr Sdi o.
sao incompativeis, si dentro de seis mezes mho
ss 'i.I Crzmacadoiveis,~lpr
antes d' eleicao receberemn e exercerem a 0 Sr. Cru Macado :-S desspare-
jursd s plena dos juizes eflectivos, Ribeiro da Lz :-Y6u offrercr
masi h 0$s.o poelo fact de exercerem maistreiemendast aprimeira'- cofreri
attribfg" "que Ilhes sao proprias. mais tremendas qe a primcabo de nitar n6 a r- coi-
Consd 0o Sr. sen'ador o regulamgnn gindo .-eeito que acabo do notar nb ar-
n. 4,82i 2 a do novombro do 1871 -tigo que discutimos, e asegunda tern por
p.4di,8 22dea ovebro dael871,ex- tim estender a-incompatibilidade aos so-.
pedido ,ia" a execuoaoda novissima re- cretarios d epoicia da c6rte e ovincias
fmaji ria e ver dos art. 5 a 18 Si ha razao para quo o secraria doa
0e o.S) tittos5 do juiz de direito e governoo de prvincia sejaincp diVD,
Fupplneal j Liz nmuicipal exercem cer- qun todosesabem qae elleptnma
ta e determinada jursdicgdo, ainda f6ra quando todos sabom quo ell ama
da bdypothesoda substituic o dos j ra autoridade ou jurisdicco tern f6ra da so-
ffda hypotiese da subsituio dosjuizes crelaria ; tambem 6 precise considerar in-
eitectivos, compativeis os steretarios de policia.
Ja citei ha don s dias aqui um facto Penso qua a ncompatibilidade do se-
que se deu na minha provincial e de novo cretario do governor provy6m do receio de
You fallar sobre elle. 0 project como que ellepessa infsir sobre o president
diss, e copia field da lei de 20 de outu- da provincia, maxime, se ja tern certa e
brede 1875, entretanto deuse, no domi- determinada pormanencia, no exercicitdo
niodesta lei, urma grande duvida na as- emprego ; mas este facto se di ainda corn
seffibl6a provincial de Minas, por occasiao maior razao a respeito dos secretaries de
da'verificacao de poderes, e a duvida foi policia.
a-Sguinte : um substitute de juiz muni- ,Sao mprenados que trn certa duragao,
c!l que havia prestado juramento- e de Wrdinafiacoinervam-se por largos anq
ace.tado o cargo foi eleito deputado' pro- nos no emfiprbgo, e todos comprebendem
'^Ulial; nao exerceu jurisdicao' pena que umrsecretarjo de policia babil e in=
seis xezes antes d2 eleico para-meml'w elligente principalmer.te quando o hefe
da-m'sma assembl6a proflnciaL P 6 baharel novo'-mexperientde, queme.gM -
lxve quemn d sp s^o diploma, e a verna a polKia'da provincia. Alm disso se
asadblea provincial retveu quo este as.eldoes, cpma todos nos sabemos, uao
su64tuto nao era incom lt ivol... s6 es'ab expo ,as, como soffrem, mult. a
0 Sr. Nunes Goncalves ftlle. Hn .i, a dos chefes de policia,
0 8r Ribeiro da Luz :-A ios" 'eislV juo'nel W udam a intervir direeta-
cao, ora o denomina de suppl e ;ra w i t 1 r-i rrhedi9 de sons deleudos
subsfjtto. Que seja supplente, nD ji9 Oe snbdel t9 ois forcoso 6 incO pa-
elle julgado incompatvel ; mas corn cer- tibitisar o secretl"o que muitas vezes ha
to fundamento os adversaries desta opi- de ser a casa principal do tal intervenQ-o.
niao nfs6 detai por convencidos. Poernanto, si o secretario do governor ja
Ja vffe-o8 nobres senadores que',haee- e iMbotpabivel, o da policia o deve ser
ra di4nt ObSte esta disposiQao 'do pro- corn muito mais razao e fundamento e
jecto, Q lIp' convem evital-a. por isso o comprehendo na minha emenda.
Em tat.iaso, quando o senado enten- Tarnbemn n endo qup devem considerar.
da que iia incompatibilidade, e preci- reoinccitpa v is, alem dos inspectors da
so, touaa,' reompver a duvida declarando thesourara geral on provincial e chefes de


n ANo *,j.Compabiveis D. repartiCbes de arrecadagao o director geral
0. O ff. de Vasconcellos :--sque' o lrreis na c6Otte, e os addi'inislradores
e oi'CD^ 4idos sao ossibslittos rrFl oW provincial; E' edta a minba
ItSpoiaes. oeaeira'eitenda; talvf soe podesse enten-
..adr: i' ,da Luz:- Leia o nobre der, queja estio comprdebudidos entire os
senador.o _D 0_ oegundo do 3 e ahi incompatives o director gemal e os adhinis-
veia que p'subsffrto so 6 incompaivel tradoresde correios, porque elles slocbefes
qpando rocebe j urisdiccao plena dentro de reparticio dq .arrecadaiao. Qilalquer
de seis m-zes (1e) : repartiao, estaca ou agenocia de irrreios
A inpompatibilidade prevalece para os entire n es tambem numa repai'igo de
substitutes que exercom os empregos dfn- arrecadaalo; mas quero tornar bemrn claro.
tro dos sei'mezes, bemrn como para os que o meu peasoamento do que o director:geral
precedere-r na ordem da substituiCio e dos correios na c6rte, assim" como os ad-
deviam ou podium assumir o ezercicio. v ministradores nas proviucias sio incom-
Eis aqui a duvida; 6 que o substitute paliveis.
s6 6 incompativel quando recebe a juris- Todos sabem que hoje, pela lei que pas-
diccoi a so va d.a.:.)apdrs,. e pa lcnpcri
"-.- 3 ,. !1 rem perdl--1)--tinuarnente e ess -azar
rolju /ls constant: irritava-o.
., <*<' -q Rea QtfS.SiJQ me
se qde lbhbAd Me af hidaW f df Camen
AS MUL!IERES DE RROINB ll NZE'm diante Lomareibas-
AS- .tLIU.t O Ine Zif- o" eI, A., ticar porto de si
POR quando ele < ...


,RY.VIR DE MONTEPIN
I .' r '
F. UITZA ?AB .'
0 EVADJIDO DA DOUJRADA
itA tulco do n. 2
XXXIV


Oh I o amigo Jor~e nao se queixa,
exclamou Limbert Massol, elle sabe per-
feitamente que nao se p6de ter todas as
felicidades ao mesmo tempo..
Do conthario o prove'bio ficaria por
men'iroso ; accrescenlou Octavib Richard,
e os provorbios nao teer o direitb de' nieo
tir, sendo, como tod6s sabem, a sabedbria
das naQdes.
Os dous jogadores estavam iguaaes:


S As duas creanpas levantaram-se ouvin- ambos marcavam quatro poitos. Jorge
do as vezes alegres approximarem-se, e si- acabava de dar.
lenciosas como na sahida tomnaram o ca- Joao Renaud mostrou as cartas.
&inblo do castello. 0 rei, disse elle. Ainda desta vez
A enatrada dos salves separaram se. perdeu, meu caro senhor. .. E' curi6so I
L dolxrd poz-se i procura do irmao. Continuamos ?
m- beve o encontrou pa sala do jogo, Nao, obrigado, respaileu Jorge b le-
l& bAfarat, o monte e o ecarlt6 ti- vantando se ; basta por Qsta noiote ; deci-
S atlratridb grande numero de convi- didamente estou hoje muiro ruim.
dido. Jorge Ddreyne eqtava seutado a Perdes maito ? perguntoa Letopoldo
ifirma ref de ecarlt, em frente do.sbp- a seu irmao.
posto Domenico Seballa. -U~ oniM~
posto Domeco Seballa. Uma bagatella... vinte e cinco mil
"A1rmen, apoiada As costas da cadeira francs.
d ', observava O jogo e de e ez ,P--resado Sr. Dereyne, d bgo B Re-
encoMa o aros o or 0 mao g it' :tna-qn&do qizer tirar a i dr faa,
"-. .;lEao de rosas-clt. que tinha namj. qw rei sMpre'As s or-
,, ^ mtdo ageot d cambio .n taL."a 0, '\ .

.'' .: ,... r Seballa, w
*;irda -", ..-5 'M" i o u r


eone do"

I"SOS'-elib. O' Sr. Barao d-i oleipe -MIs' nao tim as prieoamonio Em do
aiooci al .. 2 atrador VceaBwno-sffci ftllo foi appevadJ aceilt o cargo, si p!wfeir ow ou eaprego, nosso regimenieno, e ice embaraaopro Dna
u ,, agq- o aetgo adalvaso aamrees da capoa doo demite-se do cargo tie seflutec? mnnirad vor q provo 110.
Oapde ^ t. defld* da jo.m0io deWcoMuiai o 0 Sr. Dantas (minsiro da j u ) Ea:-azlo, Sr. president m n ai e
era, os admiifitradores de correio alt do sepado, as quaes ficaram comprehen- Renuncia... h pm sj^rq. opjeo a .pu
ann pedisse a l,4 F W"06 ereetao, du e unllias l s or 91m"s*

o annopassa sta .sujeitol .iina didas.4 0 Sr. Barlo de Cotegipeo :-Demit i e-se, v mer deap orqneo pi'ecMora teu
a W"0li if B V"t ak -se e Qwraix6 Vrovadpa a, pBrtantoc E' isto o que queria tornar casa urm projecto que lfrel aa C4aiui-
ord e io --- as ag a m ~ o Aa vas. up r eida co aM nsa dogd e b me.-se n vel na dispose o do arLigo
tiha que pres l as senao ao director constituico e do Sr. Barros Barreto a con- mais nada. -Portanto, quando a emenda da.' re
e deiu di*WI cons teml daleitra A. 0 Sr. Saraiva. (oresidealt e do con- commis o do cnElStitainl a na SCe
O raeoMs iimdAsdo'a passar os Voted-see foi das rotada a mesfa r c on;- sro):-S.' president sempre' compre- fact e tejeit o artigo poe i ti-.
agentes Ilb (lorreio s.ao nomeadlos e demit- di?&p.;e^pto ,nj, rte relaliva aos me m- hendi asskhn-o artigo ,; nao se perle obrigar t *io al, eu vot ^ppei'me d da E
tidos pelos presidents t proVincia, sob brds do pem triba0d justi0a: irgia a ser deputad ou senator. A- L e rejeito o artigo do prOjecto -A,
opn oStod m iWr Rad no gVti aV i -B e e-oQ forany approvadas as chO 4rte principio muito curial, e n.o sei quardo a emenda da oraso. fi-Se
Por cdoseif 'O depo- emetrdds i suippreitasm da commissao de c.mn e nobre selador tern dificuldade ao princip do project pa modre fi-o,
..a:. r '0t^rvir, cotui.b relat^ias ks condi, s.-O-s ins- em :aceital-o, si p(od, como disse, .obri" alargaI-o ou restriogil-o4 0ue aquelil ue
flnaq iidLa st s eiAe ,p ptesda instecoo publica,-4ets e gar am cidadooa S-ser aquillo que ao ntaam contra o prpo"pu do projectvno-"
de- ro r ibote!rm~di do 'admifis doatoms.de fasuldades-os curadows go- quer. ser. S eba adoqe na A
tradog e dre 1nead oe'a ra* e di orphios,-.o desemlranadores de Voto. pois, pei a proposal do governor, ns do ba vraaos quer na otda nOe N-
r.es*i^ rac eseialti,--ossigapri~saes? porqte contim-.doutrirm quie, mef parec o porque falta nos a alterii^a,
fid ao'dirente eroviab s-o bt g pr oi ore e vigarias foraneos e-os pro- jausta e coDvenleote. o r poeetri doecoo
sideate de provincia nao pde exercer in- curadores dos feitos e seus ajudaontoes. 0 Sr. Junqueira :-Sr. preidente, oo precedo peir oo eo r-
eando pareme nda a owp~ittir or n-ofaz e-


fluencia alguma. Ficou empatada a votao da condico tenho umnrea duvida, quo exporei ao nobre s esta distii io em cass "to especiaes
E' um engano, hoje, exerce. sobre elle -Os chefes de eslaeIs navaes, a qual li- presidemie do conselho, .porque entendo como estes. e ei e
o presiMnte de provincia grand inlaencia cou adiada para ter nova discossao. qU nesg a materia dove haver muita cia- Si acaso, Sr. prepidenLe, cometar-se a
ieamBo-o a proper/ a noa do e dVi Votaram-se o.foram approvadas iodas reza. votaao pela proposal, aquelles quo im-
mitis, de agegi do torreid, oir4i, obri- as condi6oes constanles da lettra B. (ex- No artigo aonecedeote foram -voladas va- pugnai o project pela inconstitucionali-
gando-o a fazel-o sob pena de no ser con- cepto a relativa aos chefes de estates na- rias indoinpatibiildads que abrngem mui- dde, marchariarn sempre bern, e pod-
servado. vaes coja vota oIfItcou empatada). salvas los fueccionarios. riamn ambe8rn oactr as emendaa
0 que e verdhde, e que n0o devendo a as.emiendas da camera dos deputadus a Mas no art. O10 se diz ; mso o sbem pare contraasediorosa
polilica idntrometter-se na direco e ad- .inodas ellas, da commissao de constitui- ( 0 funccionario pubtco, de ordem ad- emssn o a tiuei so percmait por 'io, e
ministraao dos correios, no ha hoje a a coudiao-secretarios de governo-e ministrativa ou judiciria, que perceba sempre que me parecer a emenda contra-
provincias umr so agent que oao pertenca dos Srs. Ottoni e Ribeiro da Luz. vencimenlos ou porcentagem, pagos pelos a ao p rojecto em raz.o de sna inconsti-
ao partido liberal ; todos os que perten- Votaram-se efuram approvadasasenn- cofres geral, provinciaes ou municipaes, tcionaidade, eu nlo poss deiar de
ciam ao partido contrario form demilti- das da camera dos deputados, da comnnis- ou perceba custas por actos de oflicios de prestar-ihe minba adhesio. Polo contra-
dos, como si a political tivesse alguma con- s.o de constituiQo e do Sr. Ribeiro da juslia. send eleilo senator ou deputado rio posso rejeilar pr jecto e emenda si to-
sa corn a confiaoa que os ageones do cor- Luz. a assemblea geral, ou membro das assem os s baseam no mesmo priaciplo, ndo
reio devem mercer de seus chores, e corn Votou see (a i approvada a emenda da bleas legislativas provinciaes, e obrigado ndeo cntraditorios os meus dous votos,
a fidelidade corn quo so 6brigados a cum-. commissao de constituicao, acrescetanldo t opuo, perdendo o emprego no case de embora pareami contrarios os dous ter-
prir seus deveres. a condiho-Os inspectores do corpos do aceitar o cargo elective. r ue isto i, tenham somente entrap si
Citei aqai, o anno passado, o facto que ex"rcito. Nao tenho grande duvida, mas como urea certa opposiemo quo naio prejudice a
se den na ,cidade de ChriStina, da pr~vin- Foi rejeitada a emenda do Sr. Ottoni. penso que neste assumpto, toda a clireza sua filia udo.
cia de Miba- ;teraes, oemque um agente Votou-se e foi appruv.Tado o 3.o e s. e necessaria, pergunto : si algum dos unic- a minha rejeida o neste c' so resulta da
do correio foidemi~tide polo president da [, [[ e III do substitutivo da camera dos cionarios encionados no art. 9 ffir elei- idenidade do princip em que s prnde
provincil solp'roaposta do adtniiistrador deputados, salva a emenda do Sr. Ribeiro to, porque pode-se-lhe dar volos, ser-ihe- tno a proposta come a oemenda.
gesam. Era pdcaftefl ea pIi&' ioi Sr. da Luz, bern como-esta emenda. ha liciLo usar deste alvitre do art. 10 ? E por isso que no art. 9o a iiusire
conseiheiro Silveira Lobe Votou-se e foi approvado o paragrapho 0 Sr. Saraiva presided nte do consoiho) : commiss o aceitando o principoe do pro-
Escrevi-lhe fazendo ver a inconveniencia unico da proposta, salvas as emendas da Nao p6de ser eleito... jecto da rororma eleit or
daquelita demisso, e elle mandou reinte- camera dos deputados e da commisso de 0 Sr. .lunaueira :-E' assim que penso; ce td o do estava deo accordo co
,meuord pare~ino, etrava de asdouster




grar o agent. A primeira demissao, foi consliluicao, bern como essas emendas nio p6de ser eleiLo ; uu, si for, nio po- Glie, 0 procura consolidal-o corn suasemen-
feita sob proposal do administrador geral Entrou em discussao o art. O10 da doera ser reconbecido e ser annullada a das; sie nte em algumas parties seoa
dos correios, e a reiontgraao sob propos- mesma rposa : elio. No entreotanto a generahdade apartando, mas eu, quo pela rajo doi
ta do mesmo fuaccionaro : mras apenas o o Sr.' Saiaiv(a president do conse- em que esta concebida a disposi.o do art. constitucionalidade, voto contra 0 pro-
Sr. conselheiro Silveira Lobo largoue a ad- Iho): -Sr. president ja tiveoccasi.o de 10, poder dar lugar a alguma duvida, jco, d princip'a fim, vejo-me obrga-
mrinistraao e foi substituido polo conego decirare ao senado que o project nio mesmo porque na c 'oemenda da commission do a votar coantra, no s o project nas
Sant'Anna, teove ordem o administrador consigna as -nnas ideas. Modifique as do senado v in c!uidos entire os funccio- contra today a emrenda que teuba por tim
Sgeral para proper de novo ademissao do mainhas ideas tomando em consider. o as narios, os bispos, e creio que igualmente mantel-o.
agente de correio, reintegrado, e de fact opisioes de varies membros do corpo e- na oemenda da camera dos deputados, ao Eis a razo, Sr. president, por que euo
foi demittido mais nnra vez. gislalivo a quem ouvi'sobre o assaiupto. pass que esses fuiccionarios estao ex- faco dstas observaoes, por isso que vai.
eOra por este fact se v. que o adminis- Por min como j a declarei, teria esta- cluidos no art. 90 da proposta. seguir-se a discissao, de um artigo em
trader geral est, ia rnmediatamente subor- belecido incompatibilidades absolutas: o Por consequencia a resposta do nobre que haaara emeonda da illustre comlio -
dinado ao president da provin'ia, e que 0 funccionario public na.o deve ser membro president do conselho servira para escia- s do constituiao, te*udente a melhorar
nelle hje tim dos seus 'melihores agents do corpo legislative, recimento do fuluro ; o art. 0 da da temrn o project, e pela qual nso posso votar
eleitoraes. Entretanto nao foisto o que fiz. Estabe- corn o art. 9 ; os fuanccionarios de um neo tambem pela proposta do governor etim
0 nobre senador polo Parana nos cisob leceu-se no artigo antecedent o-que o fane- nao so os funccionarios do outro. virtude do defeito de inconstitucionalida-
aqui factors occorridos na provincia, do cionario iexercendo autoridade, nao possa 0 Sr. Saralva presidente do conse- o qoi nolleexist e
Rio Otandedo Sal, qut drmoostram que o ser eleito. Este principio acaba o senado Iho) :-Creio que nao pbde hayer duvida que el e oiste.
president daquella provincial queria su- de adoplar corn pequenas alteraoes ; ago- sobre os funccionarios do art. 9 ; no Eutre tanto, S. president, cumpre que
bordinar inm entf e avminq rador go- ra, para completal-o. estate o artigo em podem seor eleitos ou reconhecios senado- diga, no project ha mo didas quo ef
ral dos corfelsi A sim vontade/ e nao o discussion quo o empregado public eleito res ou deputados. aciainon muitasac o S i d 'd
podendo cop ir, od fez deni tir final. e reconhecido depuido ou senator tenha 0 Sr.' Junqueira :-Peon so assim. art. p.o nao estivesse fti rido o p T nci t
Neehsite ainda omandr' a mesa umen dte abandonar o cargo que exerce. 0 Sr. Daitas (ministro da justlia) :- a p tadoa re orma ele ioal otsan ar
quania emen d'oa a re trtoo biatpos. e; lo- m o tdos d qua nde d am e ldda count, tandoveb ao
go que a redigir a dnvrei-. Parece-me, Sr. president, que esta dis- 0 Sr. Saraiva presidente do conselho) : I unel
' As iifLc4 IeaI- a4!t a |(1I)< posiQoa6 de maior importancia, princi- Os votos que nelte recaiamr sao nullos. ta'V'Sefhre cor a iinba adhes.r e ao:
Vieram a mesa, foram li s o apoiadas palmenite a{ora quando a lei vai cenferir Aquetles :porum, que -a5o exerceremiau, inv qifuldo bouverem a rnetbirar a.
e postas er' diseussao as seguiates ao 'fun cionalismo attribuiQoes importan- toridade, mas que podem ser eleitos depu- proposal.
d Emendas tes.no process do qualilica 5o. tados ou senadores, send reconhecidos Estras observa.es parecenm-me indispe -
Depoisdapalavra-Bispos-acrescene se 0 que quer a nobre comrn ssao ape- por qualquer das camaras, si quizerer saveis para que o senado fique sabeado,.
-em suas dioceses. .-J. D, Ribeiro da nas o que existe na legislaco vigente. aceitar o mandate, e precise renuaciarem qw guio-me nestes assumptos por prnci-
Luz. Pareos isso insufficiente quando como aca- ao emprego ; e si tiverem o tempo de apo- piOS verdadeiros e a que nao poderia faltar
Emenda ao art. 9. letra B. bo d lembrar, augmenta-se, de modo con- sentarem, aposentam-se. Em Lodo caso nestas e em nenhumas circumstancias.
Substituam-se as' palavras---n-provin- siderae1, a parte que compete ao funccih- e precise que deixem as, portas da camara Slate que o regimento estabeleca que no
cias onde exercerem autoridade~ou jnriss nalismo no alistariento dos eleitores. ou do senado o emprego que exercem. caso de hayer emenda suppressiva modifi-
dic'ao-pelas seguintes--ns c~rte e pr- 0 Sr. Barao dce Cotegipe :- Croei quo satisfiz os desejos do nobre cativa ou restrictiva, eUa seja, de prefe-
vincias onde exercerem autoridade ou jj- Este artigo parece muito simples ao no- senador pela Bahia. rencia A.proposta votada em prinmeiro le-
hsdiccao. bre president do conselho, mas eu acho O Sr. Mendes de Almeida:-- gar ; porquanto m..itas veze- embaracarA.


Sala das sessoes, 2 de novembro de qu'e elle contem em'si questies muito im- Pouco, Sr. president, tenho a dizer sc- a votaao em cases como osja aponiad4.
1880. portantes e delicadas. (Apoiados). bre este artigo s. quo. se acha em :discus- Parece-me que, votada a proposta, este in-
Emehd6sada at. 9.c lettra B. Em primeiro lugar, por meio indirect sao, comquanto.a material seja muito im- coaveniente desappareceria : quero, pa-
(Substilutiuo da camera dos deputados) estabeleceu-se a incompatibilidade abso- portante. (Apoiados.) No me afasto do r6m, que fique isto bemrn saliente, deo m0do
Depois daspdavra secrtaria do go- luLa ; en! cgnndo) sugar dk-se opao de que jA externei, cqom relaVlo aos prete- a nao deixar a menor duvida.
vefido -acrescente-se-oe de policia da cor- cargo eout qbe fia pode hayer opeo. denotes ; mas conv6m que a respeito desse Como ja disse, Sr. president, eu vota-
Le e provincias, _Do cargo d- senador'e deputado nao artigo o senado saiba a maneira porque ria por muitas medidas'contidas n6 pro-
Depois dga p$.wt s--.spetp1es de the- po6de demittir-se quem para elle for eleito ; eu pretend proceder na votagio. E' esta- jecto, si nelle nao houvesse o vicio da in-
sourarias gera e p ovcias-acrescente- naio pode recusal-o e iportanto perder o a principal razio' por quepedi a palavra. constitucionalidade.
s9-dir g rod bt'a rre il0iahinis- emprego. A palavra opoo nao exi:imeo Temos aqui, Sr. president, mais ama Nao faco mais observaco alguma, sot.o
Irado'r dos correibi'das provincias-o mals piatfiente o qde o artigo quer. emanda da nobre commission de'constitui- o art, 10, atW para que o nobre preside1te
como estia no substitutivoe 0 senador e o deputado nao podem de- o que so filia ao principio adoptado no do conselho nao diga que estamos accuidof;
SSala dasg' se ss ; 22! de novembro de mittir-se do cargo, seguudo nossa juaris- project, isto 6e, a- reform por meio or- lando torpedos contra o project, ppls.
1880. -J. D.- beir pirudencia constitutional. J A tern bavido diaario. creio que temos discutido aqui com maia
Emindido4. 1 S. Yi. 9. casos em que-o senator ou deputado to- Ora, Sr. president; para que nao pa- moderacao e nao temos abusado. (Apdia-
tSubstitutivo dacamam do deputados) nba pedido sua -demissao e tanto uma rega contradictorio na minha maneira de dos.)
Depois ds daavras- os''Incciona- como outra camera a tern recusado, como votar, em casos como os do precedeate ar- 0 Sr. Correia :-0 principio at&
rios effectivj'a oieeA 'se seguinLes no Ibhe sendo permrittido... tigo, o 9.0 conv6m -que exponha o modo aqui reconhecido nas camaras legislativas
-subsdtuos'bf jide!'dire6o:das'comar- 0 Sr. Saraiva presidente do conselho): porqoe precedo. 6 que o' cidadlo eleito deputado nao p&de
cas spedaes e supplentes do juiz munici -Agora estabeleceu-se o principio. Sou adversario do project por sua co- renunciar ao mandate. "
pal-o m'ais conie esta no referido nu- 0 Sr. Bardo de Cotegipe :-Agora es- nheoida inconstitucionalidade ; a illustre Quanto aos senadores, alguns que re-'
mero. lbelece-se o principio, e o sewador p6de commission de constituigao o sustenta no quereram dispensa do cargo nao a obtrve-
S. R'-S-I1 dI6ll Sebks 2 2b & devege- 6emittir-se?... sea principio cardeal, posto que em alguns ram.
bro de 1880.-J.. ro da Luz. 0 Sr. Saraiva presidente do conselho) : artigos o reprove por aquella razao, no (,,Co ,tin.ua
-Tern a palavra o nosso amigo Leo- XXXV Sim., mestre. guem. E' urma questio de tempo, pore
be WarLon..., disse Lamrnbert Massol. Deu-ihe informacoes uteis? o trinmpho 6 certo. Resta a familiar Las-
0 pseudo nababo continuous: 0 tempo pass r*pidimente. Urna apeoas, por6m-de grande ira- seny. A nova condessa, send filha d
So nao ha inconveniehte, dem'uorem Quatlrb horis:da manhi soavain no re- portancia, e amanha p6r-me-hei na pista Marpal, e uma victim como as outras,
a des.forra por mais utn dih.-.. Convido-os l1gio do castello e as vellas dos lustres que ella me indicou. por6m reflecti....
h tod6s; Srs. jogadores, para passarem de Veaeza, suspensos no parque, apaga- Sabe se Jocelyn voltou para'o cas- A nossa vinganoa, para ser just, nuo
a 'doite de depois de amlati, n;. mi- yam-se urmas depois das outras. tell ? dove desvairar-se. Repugna-me ferir a
nha peqoena casa da rua de Londres. Os ultimos convidados desapparecia a Chegoa as duas horas da manha e m.i. Approvam?
Estaremos s6mente homent. Ceiaremos ingleza, isto, 6, sem se despedir do dono subto logo para o u laboratorio. Mestre, replipou Jolo Renaud, nao
efitre onze boras e media noite, depois car- da casa. '.-Precisains falar Oi6elle. ignora quio absolnta 6 a minha dediea-
tearemos abW pela manh,. Aceitam, nav e Ravia ja bastante tempo quo Rosa Peca que amanbh, ou antes qne boje, co, e se ella A desinteressada...
verdade ? Bonchamp partira, levandocomnisigo Octa;- no volte paja Paris, semr me ver. Certamente, sei.
A resposta geral foi affirmative. vio-Richard e Lambert Massol, sob o futil .- Assim o farei, mestre. Pois borne, se tern .0amim, n.o s6-
Leonel Warton continuous, dirigindo-se pretexto de qae morria do 'medo a essa Agora, meu amigo, deixo-o. You mentelo uam born servidor uras nm escra-
ao irmaQ de Jorge : bhora da noite eatre Saint-Oaen e Paris, descangar amupoco, e aconselho-o a que vo, um instramento,. sWe outra vontade
Conto comligo, men caro Leopol- mas na realidade para ouvir dizer tolices faoa o mesmo. al6m da sua, prompto para tudo, s6 para
do... am pouco frescas,- durante todo o logo Joao Renaud sorrio-se. obedecer-lhe, e se esta disso convencido,
Maria acabava de entrar na.sala do jo- caminho, pelos seus dons alegtres compa- Rgpouso ? replicou elle. Para mirm conceda-me ama recompensa.
go; fez ao mogo um signal corn a cabega, nheiros. nao existed fadiga... Qual?
quda caraibente significava : Antes de retirar-se tinha ella segreda- 0 doctor negro, prevenido do desejo de Abandone-me essa mulher a quem
Recuse. do ao ouvido deJoo, Renaud estas pala- Cora, esperou no soea quarto, em .vez de quer perdoar... Abandone-me Branca Her-
Leopoldo nao vio esse signal, vras : partir cedo para assistir Fa Roquetlte a vi- vieux, coudessa de Lasseny.
Cotiado, como tinha romettido a Se liver noticias de Clara, faca-me sita da manhla. A si I exclamou a moga.
imoa' viveri retirddo, atfa tado das se- science. Urnm pouco antes das novel horas, a mo- Sim, a mim! Deixei-lhe entrower
ducaes mandanas, hesitava antes de rbs Terei o prazer de ldval-as pessoal, ca e o evadido da Dourada, entraram no qae havia no passado urm segredo d o0do
ponders me*tI, minha querida senbora. E Rosa seu aposento. entre mim e essa mulber... A mim, cuot
Previno-o de que uma recsa da sua pario Intimamente cohvencida de que MNeas amigos, disse Cora aos dons ao"'Sr. iestre, '6-mne precise. 'ra t vsf l-
pars contraria-me maito, e oqde'eo bon- Domenico Seballa f6ra outr'ora aiu boiens; a Obra a que to o corajosamente ca, e essa vingana, juro-o, nao a mers
sidero coho' *= crime de lesa-amizade', te ou'pelo means o apaixonado de sua-'ir- s. associaram, cam'inhak media dos justa que a sna.
disse Leonel. Windows. ma. iu s defeost .No. fHlvrieS tdo e- Seja 1 rosponden Cora, ab ft '
ppois', d palavras, Leopoldo nfi po- Em breve o porlio do parque fechon- .pt8o. lft Pauris, ar. "ft. Branca Her9feuk, conessa '
dia hesiar mais. seoobre acarruagem dp nGmo coavi- % em noso po4er, aimarrnp a seniado contra 0:eNl
espnd6 is pori, contrafe6at : t'9. *tomo fidemhado tg QU fg contra os
Son incapaz do. cOeMlIer tUl crio- A solidao o don-s c iota. aexecnter. h^.
me. P0Ide c.imo.. I 'O- e I O m iam ]O -Jorge esta ,.4ca,.
-; AAA
Be M 6 A" ., .W
me. woolnT
.... -: *- ,~ ,,,.
J~. UOJSISbISIIVIOa lit ~ V9
f .-
it" C Ora


- I
- .
-:~4- ~


-F -


_ .,- '
,
, -, ,' .


r ,,-.-"-
.-.... .
." / P i "- "- -- ',
*, *. -.'B^." -. ': -* **..* ^^ ,+ .-. "


"*'- !
..s^ *


t
i 1.






' F4
I






,. o .^
.(, -f
f..



4 .








<


4






*4
1 '



..-.

-t'


I .
.5
-I


4

















.' -




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESCW2XGHQ_0YOPFN INGEST_TIME 2014-05-19T22:14:26Z PACKAGE AA00011611_15660
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES