Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15604


This item is only available as the following downloads:


Full Text












g n9B~um rel*k. *1 ,
.iii^^ vml^*nuet,4flthe~ do


* .
* .. S U
mesme. dia.


33 31PAGA
^ ~ ~ 1 60xow WE
12000
S.24#OOC
. .i20
iv! .*


~,.-',


~,


I"


PIr seis mesasf adiantads. 19
S Por'nove dito. idem.
Por uiR anno5 idem.
Cad. *en ro- avulso, de dine


* a, qo
MnteriorOs.


. *' a


'~ 0


. ... ,2TS00O
. f


prjpriebau be J anoA d Jtiuiriroa be $'iria & $lljt


TELEGRAIHAS





RIO DE JANEIRO, 26 de mar9o, as 3
horas e 20 minutes da tarde. (Recebido As
5 horas, pela linha terrestre.)

Forams nomneados lhefe de po-
iieia.
Da provineia do Rio Grande do
Norte, o bacharel Coriolano Augus-
to de Loy6la, sendo exonerado o ac-
tual ;
Da provincia de S. Paulo, o bacha-
rel Hypolyto de Camargo, sendo tam
bema exonerado o actual.
Foramn nomeados para a guard
national do Rio Grande do Norte:
Tenentes-coroneits commandantes
dos batalh6es da active:
l. do Natal, Domningos Oliveira.
*. idem. Baptista Vasconcellos ;
3.0 idem, Pinheiro Souza;
4.0, CearA-Mirim, Carrillio Vascon-
eellos ;
5.o idemn, Fonseca Silva Mobrinho;
6.0 o. uJosS de Mipibu. Ignacio Dan-
tam n
09, dito, Preselliano RegoI
S.o Cauguaretama. Manoel Joa-
aqum de Carvalho e Silvata
*I. idems Clementino Silva v
I.o. aceA o, Balthazar Silva.
I,1o Idems Juwenal Cabral.
Weaette-eorenelsM do batalhem
da reerva
1.0o 4 Natal, Boha afundies I
0.0 doe Caguaretanao, Eanoel JOR0
l'mgefro.
Mare eommanannte da 1.a 3e00"o
d4 reerva n do CearA-Mirinm. Xavier
,n-oW.

Major "Pmandante da I.a a eeao
da acttav d mesmo munieiplo. An-

HN-veren ontra. nomueam e
para a guarda national tanto do
CearA eomo edo Para.
Correram bontemn muito aninma-
dos os festejos comnemoratlivos da
completa llbertacrao do Ceart.



PART OFFICIAL

Aetos do podler exeeutivo
DECRETO N. 9039-DE 15 DE DEZEMBRO
DE 1883
Attendendo ao quo me requereu a Coinm-
panhia Great Northern Railway Brasil, Li-
mited, devidamentc represcntada, e de con-
formidade coin a minha immediata e impe-
rial resoluso de 39 de novembro ultimo.
tema'la sobre parecer da seC09O dos nego-
cios do Inperio do Coaselho do Estado,
exaradr ea consulta de 19 do setembro
proximo passado,'hei por bern conceocer-lhe
permissao para fuaacionar no Imperio, corn
as clausulas que corn este baixam, assig-
nadas por Affonso Augusto Moreira Penna,
do meu conselho, ministry e secretario de
estado dos negocios da agricultura, corn-
mereio e obras publicas, quo assim o te-
aha entendido e fa~a executar. Palacio do
Rio do Janiro, em 15 de dezembro d(
1883, 62' da independensia e do impe
rio.
Corn a rubrica de Sua Magestade o hn


perador
Affonso Augusto Moreira Penna.
Clausulas a que se referee o decreto n
9,089 desta data
I
A companhia nao poderA emprehende
e por em exccucio quaesquer outros actos
quo nao sejam os especiticados sob a le
tra a-do | 30 do instrument que, con
o nome de actos acominpanha os seus es
tatuto's, sem que o Governo Imperial seja
corn antecedencia consultado e haja press
tado seu consentimento como melhor lh
parecer.
II

As alter4ces que se houve r de fazer no
estatutps peIo logo communicadas ao gc
0ver l.o U, sob pena de multa de 300
a4:004. do ser cassada a autorisa~go or
Oncednida.
III
Em today a sua gerencia e movimens
dentro do imperio, a companhia fica suje
t as suasleis e regulamentos,o e ajuri
dic9Io de eias tribunaes judiciarios ou a<
miaistray neo podendo em tempo a
gum, r qualquer excep,9o ou isen
91o, fu Bm seus estatutos e incorpo
... .1 'ifd o "*, 't. *
:'".- IV
A gosarA das concessoes no
precise* em quo Ihes foram feita
sem qas e condigoes d'esta
I, se r l i b l por qualquer dispose
i.. So dsJ quo lhe parega contr
k a PA
.$ "-v


W;4~


questoes que s8 susc tarem, quer com
o governor, quer corn os particulars.
Palacio d-lo Rio de Janeiro, emi 15 de de-
zembro ole 1883.-Affonio Ategusto Mw'ei-
ra Penmn.

Ministerlo do Imperlo
Per despachos de 15 do corrente mez:
Foi noinmoado Alpheu Adolpho Monjar-
dim de Andrada e Almaida para o cargo
de vice-presidepte da provincia do Espirito
Santo.
Foram agraciados corn os seguintea
graos da ordena da Rosa:
GrIA-cruz honorario, Charilaus Tricou-
pis, president do conselho de ministros da
Grecia;
Commendadores, Othon Leonardos, con-
sul geral da Grecia n'esta corte, e Andreos
Cordellas ;
Officiaes, Theodoros Retsinas e Jean
Camburoglous.
Foi tambom agraciado conm o grAo do
commendador da referida ordein o bacha-
rel Jose Amador Bueno de Siqueira, em
attenaoe aos relevantes services prestados
ao estado e a instruc(to public.
Foi nonmeado, por portaria de 15 do
corrente mez, o bacharel Alvaro Joaquim
do Oliveira para exercer interinamente o
lugar de professor de sciencias physical da
Escola Normal da c6rte.
Em 11 do corrente foi expedido o se-
guinte aviso a presidencia de Pernam-
co:
HIm. e Exm. Sr.-Em officio de 25 de
janeiro ultimo consnulta V. Exc. :
1" Se valida a eleiyao do president
da Camara Municipal da villa da Alagoa
do Baixo, tend s6mente votado tres verea-
dores, nao obstante estarem presents os
outros quatro, a cujo nnmero pertencia o
president eleito para o 1" anno do qua-
triennio.
20 S e 6 admissivel eleger-so o presiden-
to e ficar adiada a eleigji do vice-prosi-
dente.
Em resposta declare a V. Exc.:
1 Que, ai vista da terminate disposi-
glo do art. 22 5', 2a part, da lei n.
3,029 de 9 dejaneiro de 1881, aos verea-
dores reunidos para eleger os respectivos
prosidonte e vico-presidente nio era per-
mittido proceder a uma s6 elei-io, nemr
waos quatro abster-se de votar.
2o Quo, na.o podendo ser valida a elei-
ao em que s6 votaram tres veroadores,
quo nao constituem a maioria, cumpre que
so proceda At"nova eleiio do president e
e em aeto successive oA do vico-presidente,
nos ternos da citada disposiglo.
No case de reproduzir-se o abuse da
abstene.ao dos quatro vereadoros, dove (s
sa presidencia susp-ndel-os e mandar res-
ponsabilisal-os, ordenando a charnada dos
immediatos precisos para prefazer a maio-
ria, afirni de realisar-se o dito acto e poder
funccionar a Camara.
A intervengo do immediatos na eleiga'c
de que so trata 6 providencia cabivel, des-
de que essa eleigao niio se effectua na pri-
meira sessilo do quatriennio, ou do posse
dos vereadores effectives, nao se applicmn-
do a este caso a doutrina do aviso de 17
de~fevereiro do 1S;,, dirigido ao president
to da provincia do Maranhlio
Dens guardea V. Exc.-Franc'se) An.
tunes Muciel.

iIinisterlo da dJustia
Per decretos de 15 do corrente:
Form exonerados, a pedido, do luga.:
de juiz municipal e de orphaos:
Do term de Uruguayana, na provmncie
de S. Pedro do Rio Grande do Sul, o ba
charel Joaquim Soter dos Santos Coelho
o Do de Maragogipe, na provincia da Ba
ehia, o bacharel Manoel Freire de Carvalho
Foi removido, a pedido, o juiz de direi
to francisco da Costa Ramos, da coanarce


- de L-trangeiras, de terceira entrancia, na
proviucia de Sergipe, para o da capital d
provincia das Alagoas, de igual entrancia
Foi designadaa comarca de Larangeiras
de terceiraentrancia, na provincia de Sex
gipe, para n'ella ter exercicio o juiz de di
reito avulso Vital Ferreira de Moraes Sai
r mente.
s Foram nomeados juizes municipaes e d
Sorphaos.
a Do term do ParA, na provincia de 3i
3- nas Geraes, o bacharel Manoel Joaquia
a Cavalcante de Albuquerque.
a- Do da Tapera, na provincia da Bahia
10 o bacharel Felinto Justiniano Ferreira Bas
tos.
Do de S. Bento, na de Pernambuco,
)s bacharel Joaquim Homem de Siqueira CC
0- valcante.
M Do do Patos, na da Parahyba, o bach,
a mel Adalberto Camarai Corr6a de SA.
Foi demittido Gustavo Prospero da Sih
Travassos, do cargo de official servindo d
to secretario da policia da provincia de Se
- gipe,
s- Fez-se mercer da serventia vitalicia do
d- officios de 1.0 tabellilo do public judici
1- e notas, o escrivIo da provedoria de cape
n- las e residues do term de Porto de P
0- dras, da provincia das Alagoas, Jolo Ca
cioe do Rego, nomeado pelo respective pr
sidente para servir provisoriamente, na fo
as ma dalei.
is, Foram nomeados:
as Para a guard national da capital
si- Pernambuco:
a- Tone ate-coronol do 1.0 batalhbo, Fra
cisco Faustino de Brito.
Commandante do 5.o batahilo de iva
re- taria, o tenente-c9.nel Corbeniana de
f8 quina Fonseca.
as Teaente-coronel commandant o 6.0 b


talhlo, Jos6 Duarte
ranhAo.


de Albuquerque M:t-


Foi reformnado no posto de coronel,
o teneute-coronmul commandauto do 5.ocor-
po de cavallaria. da capital do Pernam-
buco, Augasto Octavian3 de Souza.

ilnisterlo da Agrlcuitura
Por docreto do 15 do corrente foi no-
meado o Exm. Sr. Francisco L:bo Loite
Pereira para o lugar de engenheiro chefe
do prolongamento da ostrada de ferro D.
Pedro II, coin os vencimentos quo Ilhe
competirenm.

ilinisterlo da Fazenda
Per decretos de 10 do corrente fo-
ram nomneados:
Inspector da alfandega do Rio Grande
do Norte, o da de Uruguayana Germano
Antonio MIachado.
Dito da de Uruguayana, o da do Rio
Grande do Norto Archanjo Leato Abran-
ches.
Ajudante do corretor da caixa da amnor-
tisaqAo Ernesto de Azeredo Coutinho Du-
que-Estrada.
President do conselho fiscal da caixa
economic e monte de soccorro da cidade
de Porto-Alegre, no Rio Grando do Sul,
Miguel Teixeira de Carvalho.

Mlnisterlo da Marlnha
Por aviso de 14 do corrente, foi nomeado
o capit.o de fragata bar-ao de S. Marcos
para exercer interinamente o lugar de vi-
ce-director da Escola de Marinha.
Por decroto do 15 do corrente foi no-
meado Joaquim da Rocha Carvalho, ama-
nuenso da Fscola de Marinha, para exer-
cer o lugar do official archivist da mesma
escola.
Por aviso de igual data foi nomeado o
1.9 tenente Emilio de Miranda Ferraira
Campello para exercer o lugar de secrota-
rio do commando da 1.a divisdo do evolu-
9Oes.

llnisterlo da Guerra
Por portaria de 18 do corrente foi
nomeado adjunto A directoria do arsenal de
guerra dacorte o capitao do corpo do esta-
do-maior de artilharia Marciano Augusto
Botelho de Magalhiles.


EXTERIOR

Corresp ade cla do Diaro
de Pernambueo
PORTUGAL.- LISBOA, 14 de margo de
1884
Ainda nao acabou na camara dos deputados a
discussa'o da nova lei eleitoral comecada a 13 de
fevereiro. Ha dous dias foi votada a generalidade
do project, votando contra os dons deputados re-
publicanos e poucos mais que figuram como jinde-
pendentes de comproinissos partidarios. Os de-
putados progressistas votaram a generalidade do
project.
Na sessilo de 12 do corrente na mesma camera
discutio-s et votou-se na especialidade o project
de reform eleitoral ate ao fim da primeira secqilo,
sem prejuizo das emendas, incluindo o mappa. No
dia 13 houve trabalhos em commissao, por ser
quinta-feira.
Na camera dos pares, tendo comecado a lis-
cnssao das reforminas political, fallout quarta-feira,
12, o Sr. Conde do Born-fim, condemnando a minar-
cha do geverno e declarando que se separava do
partido regeneradsr. Respondeu-lhe o Sr. Thlio-
maz Ribeiro, relator. Fallou depois, durante toda
a scssio, o Sr. visconde de Chancelluiros, que ficou
ainda coin a palavra, reservada para a sessao dc
hoje, sexta-feira. 0 seu discurso foi de violent
opj)osicao ao governor.
Estao inscriptos os Srs. condo do Rio Maior e
Agostinho Ornellas.
A opiniao public nunca se enthusiasmou sena'o
medriocremente por estes dons assumptos que eta(o
na tela parlamentar nas duas casas do parlamen-
to. Agora muito minenos. A atten9lo geral est.
voltada para o tractado celebrado corn a Inglater
ra sobre o Zaire e que foi assignado ha poucoi
dias. JrI foi publicado no Diario do Governo, mas
poucos dias antes havia sahido no Times e ja aqu
se tinha publicado as traducaqes nio officials
d'esse notavel doeumento diplomatic, apresentadc
polo governor inglez na camera dos communes
acompanhado do Blue Book onde se encontra
correspondencia trocada entire os negociadores d(
tractado. 0 Livro Branco tambemja, na sessic
do dia 12 foi distribuido na nossa camera elective
A imnprensa progresssta impugna vigorosamentx
o tractado. Das folhas regeneradoras, o lorna
da Noite tern escripto energicos artigos contra a
estipulaq5es n'clle contidas. A imprcnza repu-
blicana ataca-o corn vehemencia singular. Pro-
moveram-se meetigs, que, segundo declaram o
Sjornaes republicans terato o caracter merament
Snacional, pedendo concorrer a esses ceomicios todo
os'cidadlos que quizerem protester contra ess
convenio mais que leonino.
S A partilha do Leao Ihe chama o Commercio d
Portugal, n'uma series de artigos que esti public
cando, corn um rigor de argumentacao tal qu
muita sensaco teem produzido no public, tant
mais que ease journal 6 nuito moderado e gosa d
Saccentuadas sympathian entire a classes commei
cial, que ainda ha poucas semanas Ihe deu um so
lemnissimo testemunho de apreoa ao seu proprie
tario e redactor em chefe, o Dr. Jolo Chrisostom
Milicio.
S 0 tractado parece que tam o condo de naoagro
e dar a ninguem. Uma grande parte da classes con
mercial em Inglaterra faz.lhe violent opposi,(
porque nuo se ostenta coam aquelle protectorado br
tananico que o tractado estabelece no Zaire e que
s que este deixc inteiramente de ser nosso.
S Al6m disso, pareee que se levantam difficulda
des por part das outras naCes. 0 corresponded
te do Temps, em Londres dis para aquelle journal
seguinte :
a 0 chamamento repentino do Sr. Waddingto
(o embaixador francez em Londres) polo Sr. Ferr
6._ mais um argument em favor dos adversariob c
convengao do Congo. Si se aereditar que o Mas
chester Courrier esereve, o governor firmnou o tra(
tado sem consultar a opinilo de nenhum dos re
Oe presentantes das grande cameras dc commerce
inglezas. 0 meu.no journal diz saber que o. St
Ferry estai decidido a oppor-sea os terms da coi
v Wneo. E' quasi certo que a camera dos con
muans regeitar& a respectiva ratifieaqlo.
L- Um telegramma de Londrem do dia 12'dlz:qj
.n'esoe dia o Daily Tlgraph publhmu um.desp
" cindo d me. c em ienna, diaen
conres alii o boato qi vin o gvewno franezs pad
s ara unit e aggregadb a nota ili Iuai anlo.-po


tugi-eza, que tern de regular certos actos no Zaire,
um representaute da Franqa.
A questlo vai-se complicando e serdi talvez para
nos a melhor soluqao, que o parlamento inglez re-
g(ite o tractado.
0 protedlo da opposicilo portugueza contra o
tractado energico. A Inglaterra, diz um dos
orgibos Lis autorisados do nosso join dismno, de-
fende as seus interesses; n6s coinproinettemnos a
sua preponderancia perante a Eairop i; ns a mes-
quinhatnb-nos aos olhos do mundo. Lord Gran-
ville foiiem diplominata habil e urn cidadao benemine-
rito; o 0r. Bocage (mniistro dos neocios estran-
geiroe de Portugd) foi num negociador inepto e umn
inao patriots.
Notent es meus amigos que falla assim a folliha
que acima Ihes citei por su'a modera'Io habitual.
0 'erno portugutez continua o inesmo journal
aceitou ara o sea paiz utima sitna(;1o degradante
e irrisbria. Nho comprehendeu o que importa a
soberania de umna iaeo e esqueoendo-se da tra-
diqgo historica e de factos innumeros cornm que po-
dia provar essa soberania, ainda con o testemu-
nho da propria Inglaterra, sacriicou-a A. triste
gloria do faitzer mais um tractado. Dir-se-hia que
oas ministros regeneradores, autores de tractados of-
fendidos da nossa dignidade e ruinosos para a nos-
sa industria e para o nosso commercio, precisavam
dcixar mais um document dos seus deploraveis
processes diplomaticos e das suas pueris jactan-
cias de iombrearem corn os hoanens de estado das
nag.es polerosas! Pagamos bern caro esta tres-
loucada yaidade.
E n'otro lugar:
Sonios soberanos do Congo, dil-o a Inglaterra
comno se desse uma grande novidade ao universe;
mas a nossa soberania 6 representada por uia
commissio mixta, de funccionarios portuguezes e
inglezes! Somos soberanos no Congo, mas somos
tutelados pela Gr'-Bretanha! Singular sobera-
mia; burlesco soberan !
Escuso de fazer mais citaVoes.
Ora de tudo isto aiinda pode resultar que se rc-
produza, pouco ou mais m nos, o que succedeu liha
perto de cinco annos corn o tractado de Lourenco
Marques. Os progressistas moveram a mais vi-
gorosal pposicao Aquelle tractado, pela imnpresa,
em coneio3, po r todos os modes. Cahindo o ga-
binete generador que o tinha negociado, deixou-
lhes aqea triste heranca e os progressistas vi-
ram-se gregospara que alguns artigos foseem mo-
dificadospara o tractado nio nos ser tiao desfavo-
ravel e humilhativo. E como as cameras progres-
sistas nio tiveram a coragem de se recusar a ra-
tificaso ,d'aquelle tractado para o governor cahir
n'uma qwestao patriotica, vem ento a cahir corn
as arrua=as, meetings e outros manejos ruidmsos,
promovidos pelos regeneradores, isto 6, por aquel-
los messs quetinhamestipulado as condigoes pes-
sima do referido tractado.
Pede, pois, dar-se a hypothese de que, em pro-
seng da- signifieativa opposwao que se estia insur-
gindo cmtra o tractado do Zaire, seja mais eon-
veniente (para lhes nio repetir a palavra arranjo
a que o Sr. Fontes em tempo deu t6ros parlamen-
tares) ao governor, cahirn. s seus naturaes sue-
eessore no poder, seriam os progressistas. E ahi
ficavam elles corn as difficuldades inherentes a
uma etipulaao diplomatic que altamente corn
batem. LEist a' sitnagao.
Quanto ao pensamento fundamental do tractado,
potr pfto da Gran-Bretanha, 6 aproveitar a nossa
tuqLj pr..je!epder os immensos territories
portu,,ez"e cqffa as'preten5 s 'a69s outlo's po-
voyes, e, ao mesmo tempo, monopolisar n'esses ter-
ritories a parte util do dominion colonial, limpo dos
seus encargos. Os inglezes nao querem colonies,
querem mercados. Pouco Ihes importa quem e so-
berano no paiz que se propoem a explorer commer-
cialmente, uma vez que tenham segura a explora-
clo.
Concluirei por fallar-lhes da esplendida festa
que houve na noite de 10 do corronte no theatre
de S. Carlos, em beneficio dos Albergues Noctr-
nos, piedosa institui9io fundada por El-rei o Sr.
D. Luiz I. No lornal do Commercio de 10 do cor-
rente encontraria os meus amigos a mais cir-
cunstanciada descripao d'aquelle sarAo litterario
e musical. A familiar real encerrada por muitos
dias nos seus pacos por causa do lucto rigoroso
que Ihies motivou a infausta minorte da screnissima
princeza D. Maria Anna, irm de El-rei, appare-
ceu no theatre pela primeira vez n'essa note.
Quatrocentas e tantas carroagens conduziram de-
baixo de um diluvio d'agua, tudo que ha do mais
notavel ei Lisloa por sua riqueza, fornosura e
posicao social. As plateias estavam como os ca-
11 rotes, povoadas de senhoras trajando comno
Spare soiree, estando as homes correctamente vys-
tides de casaca e gravata branca.
As poesias dos Srs. Thomaz Ribeiro (Co E,,ci-
ro) Femrno Caldeira (a Joic) e Eduardo Garrido (o
Albergado 'lbryfri,), recitadas a primeira pclo
actor Brazao, a segunda polo actor Joao Rosa e a
tercoira per Taborda, o popularissimo vaterano
"dos nossos palcos agradaram immensamente. Os
artists da opera, BorghiMamo, Pozzoni, Dosnadio
o e Ritter, cantamam trechos dos melhores maestri s,
Sbern come os cantores Devoyd, Ortisi, Rapp. As
* notabilidades musicals do Porto, vieram abrilhan-
s tar a festa. 0 programma, organisado por El-rei,
s eramuito attrahente.
i Abstenho-me de mais promenotes. Foi a note
s alegre diesta semania.


0
0
0
i,

I.
3
3

S









)s
e
IS









M-
e







'0
to
n-










10
ie


a-
0,









1-.
Me,

Ie
a-
c-
10



e-
mi-
S.



lo
>n

r.
0-

me


DIARIO DE PERIAMBUCO


RECIFE. 27 DE MARCO DE 1884


Notlelas do Norte do Imperio
Pelo paquete national Ceard, entrado do nortt
anta-hontem, recebemos as seguintes noticias :
Maranhieo
Datas atW 20 de maro :
As noticias nio tern interesse.
A assemble provincial continue em seus
trabalbos.
Assumira o exercicio do cargo de thesoureiro
da Alfandega o Sr. Raymundo Vieira Nina.
Forum eleitos para a directoria do Banco
Commercial : Jeronymo Jose Tavares Sobrinho,
Manoel Jos6 Francisco Jorge, Manoel Mathians das
Neves, Candido Cesar da Silva Rios, Manoel Joa-
quim da Rocha.
A directoria do Gabinete Portuguez de Lei-
tura ficou assim constituida ;
Presidente.-Antonio Pereira Vianna dos Reis.
Vice-presidente. -Antonio Rodrigues de Olivei-
ra Santos.
1" secretario.-JosA Pereira dos Santos.
20 secretario.-Jos6 Joaquim da Silva Gaspari-
nho.
Thesoureiro.-Francisco Jose Teixeira.
Supplentes. Jos6 Alves de Oliveira Neves,
Jolo Pereira Martins, Lino de Castro Gandra,
Lino Marques Valente, Luis de Souza Lobo.
Falleceram : o tenente-eoronl Raymundo
Francisco Machado, o capitleo uzi Goncalves
Pedreira, Jos6 Pereira Pinto e JWo 1Felix Parada.
Cear'&
Datas at 22 de marco :
Todas as classes da populseo se preparavam
corn enthusiasm pare asfestas do dia 25 em com-
meoraaio o da eompleoc exitieglo do element ser-
,Quarenta e tresmunicipios tinham delegado po-
deres em outro%tLptos senhores para represental-
ma un solemingsesso ded 25.
tre t ajfeaa, commemorativau soeummlma un
SIjantarg aeopbL" que evia te lgar I nal ea
ode HuMidadee. ara m oe. baa-


quote mais dti 2')) scnho-as se otffrecerani coner-
rer cada tni coi in u prato (d' soU imoza.
Esperava-sc ,queo aIs festas tiv's um iim n cxplcn-
dor immenso.
i) Iiipo .lior'sa6Awo imoinar:a in.)i ,.:-iilhor Hypo-
lito f ,inr, Bima,il p:r: .I r-;i> s hid \ i trio gir- d.
juiz de gcner-s ldas justifieaSe4, ciasamentos e
dispensas mnatriminoi;us di diocese.
-L repartiio da policia fionr mudada para o
palactte n. 46 da ri-ii Formosa.
Rio Grande dlo Norte
Datas ate 23 de Marmo :
As noticias sito destitnidas de interesse.
Paralyba
DIatas at6 24 d3 marco :
Tamnbein earccemin de importancia as noticiaz
desta proviucia.

NoticlIas do sul do Imperio
Os paquetes americano Finance e brasileiro Ba-
/4a' hontem entrados do sul foram portadores das
Sseguintes n6ticias, e mais das que constam da ru-
brica Parte Official
Rio Grande do Sul
Datas at6 11 de maro :
As noticias sio de inteiesse local.
Santa Cotliarina
Datas ate 15 de mnaro :
Tambem as noticias d'esta provincial nao tern
interesse geral.
Paranafi
Datas at 11 de marqo :
Reabrio-se no dia 10 o muscu de Corytiba, cujo
edificio estava desde algumin tempo em concertos,
assistindo ao acto o Dr. president da provincial.
Por actode 7 o president da provincia decla-t
rou estabelecido o ensino obrigatorio na-, cidade
de Morretes, corn a denominacao de 8a a respec-
tiva circumscripa'o, noineando chefoe da superin-
tendencia o Revd. Sr. conego Jose Jacintho de
Linhares.
A mesa de rendas de Antonina, durante o mez
de fevereiro, rendeu 6:111.792, scndo de impor-
taco 4304300, e exportao e 5:6816592.
S. Paulo
Datas atM6 19 de mar0o :
Suicidou-se disparando um tire de espingarda
na cabeqa Eugenio Vecehio que fazia parte da
orchestra da companhia lyrica.
A Gazeta do Powe, narrando otriste facto, assim
se exprime : '
S Eugenio Vecchio, que fazia parte da orches.
tra da companhia lyrica, de que era um dos mais
considerados professors, ainda hontem occupou o
seu poasto, fazendo-se mais una vez admirar pela
perfei*ao emerita porque tocava piston.
Ao terminar o espectaculo foi ceiar em um
cafe da rua de S. Bento, onde encontrou um dos
nesseos companheiros de redaciao.
a Travou-se ahi palestra entire as pessoas 'pre-
sentes, em quo Vecchio, tomando parte, expoz,
corn o discernimento e a habilidade que Ihe davam
o profundo conhecimento queo possuia da music,
o seu modeo de pensar sobre o valor da opera re-
presentada e merito dos artists que a cantaram.
Fallon, com elegies, da &miramide, partitura
de Rossini, em ensaios, referindo-se, por mais de
uma vez, a projects que em future proximo teria
de realisar.
S E ria, e mostrava-se despreoccupado de qual-
quer pensamento afflictivo ou sinistro.
A's 2 horas ergueu-se, e, depois de despedir-
se Alegremente dos amigos com quem eonverswra,
retironu-se.
Chegando a casa de sua residencia, recolheu-
se ao aposento, e, fechando-se por dentro em acto
continue ouvio-se a detona~ao de uma arma de
fogo.
Quando correram a saber o que aquillo era,
encontraram-n'o cahido e ja cadaver.
( Para explicar esta supreme loucura de um
desesperado da vida o infeliz deixou apenas algu-
mas linhas dirigidas a sun csposa, linhas que na-
da explicam.
Esereveu clle:
Christina.-Adeus. Trate de minha miii.-
Eugenio Vecchio.
o P. S. Pague 400 a Beneficente. a
Constava a Provincia de S. Paulo, por uma
carta de pessoa important, que em Santa Cruz do
Rio Pardo, term da comnarca de Lenc6es, foi o dc-
legado de policia desacatado e intimado para sa-
hir do terse per um grupo a fronte do qual esta-
vain pessoas da familia de um chofe politico do
lugar, conservadoz.
De Santa Barbara do Rio Pardo oscreve-
ram a referida folha em 3 do corrente :
No dia 25 do mor proximo passado, pelas 9
horas da manhii, mais ou menss, achando-se o
Revd. padre Docio Augusto Chefalo na fazcnda
do Sr. Jose Caetano Alves da Cunha, distaste
desta villa cerca de tires kilometros, cahio unia
faisca electric em um dos esteios da casa e often-
deu o vwgario, que ficou corn as roupas dilacera-
das e diversas queimaduras no corpo. Esta on-
fermo ate hoje.
a Mais trinta e uma pessoas que achavam-se na
casa soffreram grande choque produzido pela fais-
ca electric.
No espaco de um anne a esta parte, e a quar-
ta vez que se tern dado destes phenomenon na re-
ferida casa, nao tendo, porem, A excepcao desta


vez, offendido pessoa alguma. ,
A Assemblla Legislativa Provincial votou,
no dia 15, por dous tercos, o project nao sanccio-
nado dando A companhia Paulista privilegios para
navegaoao do rio Mogy-GuassA.
Realisou-se no dia 15, em uma das salas do
Banco de Credito Real de S. Paulo, a sessao de
posse dos membros eleitos para a directoria da-
quella associsao e dos da commission fiscal.


Rio de Janeiro
Datas ate 20 de marco I
Afbra o que consta da rubrica Parte Official,
nao ha noticias de importancia.
Amanha publicaremos a carta do nosse cor-
respondente :
Diz o Jornal do Commercio de 20 que, por
decretos ns. 9,139, 9,140, 9,141, 9,142, 9,143, 9,144,
9,145, 9,146, 9,147, 9,148, 9,149, 9,150, 9,151 e
9,152 de 16 de fevereiro do corrente anno, foi reor-
ganisada a guard national das comarcas de S.
ernardo das Russas, Ic6, Sobral, Aquiraz, Ba-
turit6, Granja, Pacatuba, Tamboril, Crate, S. Joio
do Principle, Quixeramobim, S. Benedicto, Ipd e
Viqosa, na provincia do Ceart.
L-se na mesma folha :
a Estando presents o president, aiuns verea-
dores e engmiheiros da Camara Municipal e gran-
de concurso de pove, realisou hontem, na Villa-
Isabel, o Sr. Jos6 deSA Hollanda Cavalcante, no-
va experiencia do apparelho denominado Preser-
vador Cavalcante, destinado a evitar desastre nos
bonds.
a 0 lugar escolhido foi o principio da linha
que vai para a Aldeia Campista, cujo terreno,
nio calnado, estava conveniententmnte preparado.
a 0 apparelho jA 6 conhecido e o Sr. Cavalcan-
te, un m sea filho e outro cidadlo sujeitaram-se a
varias experiencias comrn resultado satisfactorio;
tendo side por isto o inventor muito applaudido.
a Parece, entretanto, convenient aguardar que
novas experiencias, feitas em outro terreno, con-
firmem as feitas atw agora, para se julgar definiti-
vamente da efficacia do apparelho. 0
Eis as noticias commereiaes da ultima data:
Rio, 19 de marco de 1884.-0 mercado de cam-
bio esteve hoje pouco active e sem alteracao: os
bancos saccam a 21 1/2 d. sobre Londres, corn
poucos tomadors.
As tabellas affixadas polo Commercial e do Corn-
meroio forum ainda as segnintes :
Londres 21 1/2 d., a 90 d/v.
Paris 443 rs. pot frt a 90.d/v.


Portugal 217 o ',,, a 3 d,'v.
0 moviima'uto do dia foi j)equicno sobre Londres
a 21 1.2 .1., bancario, e a 21 >,8 c 21 11,10 d.,
particular ; sore Franoa a 413 ri. par franco,
maeari; ; c 441)0 r., papel particular.
Na Bulsa o mnov\ imiito fui regular.
As vendas de catr conhecidas ate as 5 horas da
tarde cram de 10,000 saccas.
Espirito Santo
Datas ate 1G de marco :
Poi abcrth no dia 8 a Assemrnbla Provincial, fi-
;amndo a m(sa assini constituida : president, Dr.
lurta dc. Araujo ; vice-dito, Muniz Freire ; se-
'rctarlos, Srs. Joaquimi Marcellino, Salvador Ma-
;icl, Silva Borges e Fernandes da Miranda.
IDiz a Proricia do Eypirito. Santo, de1 I1, que
mi su)spenso pela thesouraria de fazenda das suas
uncq5es o adiniistrador da mesa do rendas ge-
aecs da villa do Itapemirim.
Cominout no din 7 a inquiri'Vbo de testemunhas
n0 proce.-iso a que respondem o ex-administrador,
ex-conitadur e outros emprcgados do correio.
No di a 11 do passado cahllio umr manga d'agua
obre a tazenda do Sr. Paulino Fernandes, no mu-
uicipio de Linhares.
Sab a epigraphe Uma carta mn!,seriosa refere a,
itada follia :
SAnte-hoa-tem (2), a tarde, um passageiro do
arquete Pernambuco dirigio-se ao correio e depo-
itou na caixa gcral uma carta corn o seguinte so-
nrescripto : Sr. A. C. Ferreira Mndego & C. -
Ria do IHospicio n. 38, e mais no alto do envelop-
Pe a seguinte nota a lapis-Acompanha 200,000.
S0 Sr. administrator que assistio ao lannamen.-
o da carta na caixa, o que tambem foi presencia-
lo 1)pelos empregadous e pessoas estranhas A repar-
ieao, fez chamar o desconhecido portador, alias
nin moco de boa parecenoa, e inquirio-Ihe da pro-
'edencia d'aquella earta, sem determinacao de
ugar de residencia e coin a nota de center di-
iheiro.
( 0 portador respondeu-lhe que a aehAra n'uma,.
las ruas desta capital e que por isso levava A ad-
ninistraio dos correios para encaminhal-a.
a A carta nao esta sellada ; o nome do destina-
ario e mesmo a indicacao da rua entende-se corn
irma conhecida casa de lou~a do Rio de Janeiro. )
Foi nomeado 1I escripturario da thesouraria de
azenda o Sr. Alfredo Camille Ferreira Rabello.
Falleceu repentinamente na capital o tenento
Joaquim Jos6 do Nascimento.
Bahia
Datas at6 23 de maro :
Deviam eomrngar A 24 As sess3es preparatorias
da Assembl6a Provincial.
Sob o titulo Recusa de pasta l1-se no Diario
Ie Noticias do 18 :
,, 0 nosso particular amigo Sr. conselheiro Au-
tonio Carneiro da Rocha, responded ao Sr. conse-
heiro Lafayette, president do conselho de minis-
tros, que nao podia aceitar a pasta da guerra quo
S. Exe. se dignou offerecer-Ihe, em virtude das
camaras nio estarem funecionando e s per po iso
impossibilitado de consultar os seus amigos e col-
legas sobre si aceitariam ou nao de born grade a
sua nomeaaao.
,, Semelhante procedimento da parte do Sr. con-
selheiro Antonio Carneiro da Rocha A mais urn at-
testado da sinceridade political de S. Exc.
A mesma folha publicou mais o seguints :
0 Sr. conselheiro desembargador Chaves, no-
meado para substituir na presidencia desta pro-
viacia o Sr. couselheiro Pedro Luiz, estava hon-
tern as 2 1/2 horas da tarde, no palacete da Vic-
toria, em conferencia corn o mesmo Sr. conse-
lheiro.
Segundo consta o Sr. co.,selheiro Chaves nio
aceita a presidencia.
Diz ainda a mesma folha :
0 Sr. conselheiro Pedro Luiz, que deixon hon-
tern a sua residencia da Barra, voltaudo para a d"
Victoria, activa os preparatives do seu embarque
para a curte. ,
0 Diario da Bahia de 21 publicou o se-
guinte :
( A's 4 horns da tarde de hliontem foi o Toror&
theatre e de umna l horrivel scoea de sangue.
,, Josi Faustino da Motta, carapina, achava-se
recolhido no asylo de S. Jaoa do Deus, por sofifrer
do alicna;Io mental, e do qual teve alta hontem,
a rcquerimento de sun mulher Maria Julia da
Motta, ex-exposta da Santa Casa de Misericor-
din.
Ao chcgar a casa, em companhia da espesa e
tros filhinhos o infcliz doudo eucerrou-se na sala -
da frcnte e armado de un form-ro e uma alavanca,
aggredio a mulhier, em quema fez tantos ferimentos
que roubaram a vida A desventurada moea, ern
poucos mementos.
Aos gritos de soccorro, imp)llidos pela victi-
ma, acudiram visinhos, que arrombando a port
oncontraram-na estendida e ja sere vida.
K Perseguido pelas pessoas que acudiram, foi o
mnfcliz doudo proso e remettido para o quartel de
policia.
Entire os forimentos, avulta um na region oc-
cipital, provavelmeute o que apressou a morte de
Maria Julia.
Entre o tumulo de uma desventurada mbi e a
desgra:c de um infoliz pal, ficam em complete or-
phandade cinco criancinhas entree as quakes uma
de mczes ainda.
a Causou profunda commorn'o a todos quanto as-


sistiram o desgracado acontecimento, que apresen-
tava umn quadro co4tristador. Abra9dos ao ca-
daver materno, duas meninas choravam arrancan -
do dos olhlios que as coutemplavam lagrimas pro-
fundas.
As irmas de caridade, do asylo pie estabele-
cido ao Campo da Polvora onde a victim recebeu
os carinhos que a desgrana ou a maldade deixou
de proporcionar-lhe no seio da familiar, immediata-
mpnte recolheram as infelizes creangas, que para
alli entramn, nao pcla roda, mas impellidas pela
mao de um fatal acontecimento. ,
Alagoa%
Datas at6 25 de mraro :
As noticias desta provincia carecem de impor-
tancia.
Deviam comeqar A 12 de abril proximo as
scssues preparatorias da Assemblea Provincial,
cija abertura tera lugar Ai 15.

Noticlas da Europa
Pelo vapor inglez Tagus vieram-nos da Europa
as seguintes noticias, que, de Lisboa, alcancam
em datas at@ 14 do corrente, adiantsndo '7 dias as
trazidas polo francez Vilte de Victoria.
Portugal
A carta do nosmo correspondent na rubrica Ex-
terior da as noticias deste paiz.
Hepanha
Eis o que escreve obre a Hespanha o 0osso
correspondent de Lisboa:
a 0 gabinete que surgio da crise de janeiro, co-
meqa a manifestar grande actividade em aeguida.
ao seu period lethargico.
Os dous membros reaccionarios do gabinete
presidido pelo Sr. Canovas del Castillo, impose-
ram-se o dever de provar que teem a inieiativa.
bastante para que a opmniae public nao supph_.
que se acham submettidos de um modo inoondi-
cmonal, e cego & vontade do sea chefe. Uma cir-
cular do misistro da uerra favorecendo, e .ani-
mande a delacao no exereito, fol o pr:jneLro in&-
cioe de political que se propUd* deoenvolver Os ete-
mentos retroeados da situa&o.
a Em seguida a isto, apresentam-se os projec-
tos do Sr. Pidal, relatives & instruclopn*ari
como base de ulteriores reforms da instrucqU
secundaria, e dos estudos superiores.
a A torment reaccionaria caho soire a instrue-
$o publica em Hespaniha ameaando tristes co-
sequencias. 0 Sr. Pidal, antigo eorreligio i.
doIr. Noredall, a defer eut iaata do ,


W., um repr
' ::resolvitr


4,


cit


-I


I-


ft. va' -


', .:.',
....


^ ,<^At.


-a s






















on'. a, prope-s. B.Ainatr



|" "r bre rdaeto t|M A8 o bazdmiterjBt8ioif
;'' do elericalismo nBduRini '"
S0 sen piano 6a e egiWa Mlgundo affirma o
"''roeferido jornaL
NLo nhittir eom iasores as que no se
jamoabolicos, prohlbfr'Bm absoluto today equal-
Squer eseola cujo ofessoresa no respeitem o dog-
isa, e a moral eatalica; habilitar psa p ensino
os irmAlos da doutoina clerista, e todos quantos ob-
Stuham titulos, de capacidade dos respectivos pre-
i ,.lfos; em iguildade de circumstancias, confiar o
cusiao das mas isnei maiea eommuidades
,.dedicadas a essa misdsAo; fazer corn que. as juntas
losaes de instrucclo primaria pertenga o parocho,
e as provinciaes, as parochos da capital, o arcy-
preste, se houver cabido, e os dignatarios da ca.
thedral, se a houver.
S0 bispo approvara- a eleicao de inspectors,
que a junta fa&a.
SPor ultimo. nas escolas normaes estabelecer-
se-lao varias aulas de sciencias ecclesiasticas, re-
gidas por doutores que o bispo designer.
Aqui estA umn specimen da political do Sr. Pi-
di, que faz part como se sabe de um ministe-
rio que alum de conservador, usa do titulo de li-
beral.
SOs grandes retrocessos ,so geralmente pre-
curssores immediatos de grades convuls5es.
SEsta sendo muito commentado pela imprensa
hespanhola umn escandalo que se deu na igreja do
Sagrado Coragio de Maria.
0 padre jesuita More, pregava ali urn sermao
de quaresma, fazia allusbes violentas, e injuriosas,
A presen"a de certos catholicos hespanhoes em
fiestas dadas per hereticos.
SReferia-se as receptoes em casa de alguns
ministros estrangeiros. Qnando elle assim voci-
ferava, entrou na igreja a infants D. Eulalia, irmb
do rei, e o energumeno comegou immediatament-
a fazer-lhe allusoes directs.
0 caso produzio grande escandalo, e foi cau-
sa de se reunir o conselho de ministros, que in-
cumbio o ministry das obras publicas, o Sr. Pidal,
de se entender aquelle respeito corn o arcebispo
de Toledo.
SEste foi ao pao dar satisfacao ao rei, e inti-
mou ao padre More, para que cessasse corn as suas
predicas. 0 provincial dos jesuitas, por instan-
cias do arcebispo mandou sahir o referido padre
de Madrid para Sevilha.
0 gabinete hespanhol dirigido pelos Srs. Ca-
novas e Pidal, continue dando provas evidentes
dos seus propositos de intolerancia, que lhe tiram
os restos da popularidade que d'outros tempos Ihe
ficara.
Os desacertos sao de tal ordem, e os ataques
liberdade, tAo extraordinarios, que se chega a
sutippor em Madrid que o talent do primeiro mi-
nistro de Affonso XII decline, e que aquelle gran-
do qstadista jA den o que devia dar. Pena serA
se assim succeder, porque homes da estatura in-
tellectual de Canovas del Castillo sao raras.
Corn destemperos como os do gabinete Cano-
vas, Pidal leva-se o povo a desesperacio. 0 or-
gao do Sr. Sagasta cita a este proposito e como
allusao A enganadora responsabilidade ministerial,
as seguintes palavras de um eloquente diseurso
do Sr. Pidal.
SMinistros responsaveis de D. Isabel H, como
haveis respondido pelos vossos actos? Todos cs-
taes aqui na vossa patria, e muitos occupando po-
sico official e a rainha (irresponsavel) estA des-
thronada e desterrada no estrangeiro. ,
a E' facil eomprehender o pensamento da Iberia
ao transcrever as palavras de umn home que hoje
k ministry responsavel de Affonso XII.
A commission hespanhola encarregada de de-
sign r, na costa da Barbaria, um ponto favoravel
pra a construecao de um port commercial, en-
tregou o seun relatorio, iropondo a construccao
d'esse port em Sedi-Mahmed-Bel-Abdala.
SContinuam em born caminho as negocia5ces
pogdcntes a respeito da residencia dos estrangei-
ros em Marrocos.
O0governo pensa em fevar o cabo telegraphi-
c3 das Canarias A Costa de Marrocos.
Em maio parte a expedic9ao hespanhola para
E Costa de Guine.
0 governor dos Estados-Unidos acaba de pedir
ao Thesouro Cubano o pagamento de uma s.omma
de scis milhoes de piastras, a titulo de indemnisa-
cao aos subditos americanos cujos bens form se-
questrados durante a guerra civil, c que ainda
nao obtiveram a restituicao.
,0 governor hespanhol recebeu reclama(Zies ana-
logas pars os subditos allembes estabelecidos em
Cuba, inas o gabincte de Madrid parece que so
admitted o principio do urma reparacao pecuniamia
pars as actos praticados pelas tropas regulars, e
pelas autoridados constituidas.
Foi a regra que observou par occasion das in-
surreiohes carlista, e cantonal em Hespanha. Sa-
be-se alem d'isso, quc ha ja bastante tempo, a
commissao arbitral mixta, com sdde em Washing-
ton. estabeleceu aos cidadaos americanos estabe-


lecidos cm Cuba, ou cubanos naturalisados ameri-
canos, uma scrie de indomnisacSes, cujo total pas-
e a dI 1,"0,COO piastras..
( Thesouro cubano deve pagar 1)roximinamente
41)J,000 piastras para regular estas indemnisa6es
an mctropole corn effeito, deixa supporter aos co-
lonos os encargos que rcsultam de guerra civis.
A pratica annunciada do bispo de Madrid so-
-' bre a liberdade, foi um novo desengano c uma
prova da decadencia lastimosa, em que se acha a
oratorio sagrada. S. Exe., perdeu-se em urn mar
* de confusoes, baralhando Deus corn a liberdade,
a fu, e a esperanta, sem que se podesse compre-
prehender qualquer cousa.
,, Os carlistas trabalham para que nao se rea-
lise a reuniao das maiorias, nem se leve ao pago o
protest.


PERNAIBUCO


Assembly Provincial

1884-PARECER-N. 43
A commission de constituiqbo e poderes, A qual
foram pieentes, a rcquerimento do Dr. S;lvino
Cavalcante, no s6 o parecer da 1" commission de
verifica;o de poderes de membros desta Asseim-
blea, relativamente a eleiao em 2-' escrutinio do
cidad-o Joilo Antunes de Araujo Pinheiro, pelo 3)
district eleitoral desta proviucia, como todos os
documentos referentes A essa mosma eleico afirn
de emittir novo parecer sobre a legitimidade do
diploma do mesmo candidate, vein offerecer a esta
Assembl&a o resultado de seu exame sobre a ma-
teria.
Da acta da apuracao dos votos procedida pela
junta apuradora reunida em 12 de janeiro do cor-
rente anno na Camara Municipal de Olinda, das
differentes autheaticas dos collegios eleitoraes
constltutive do 3o district electoral e da propria
reclamac apresentsda pele cadidUato Dr. Jobo
Ferreira de Almeida Guunaros contra a expedi -
3ao.do diploma ao cidadao Joao Antunes de Araujo
Pinheiro se reconhece que no 6 asoimado o pro-
4cesso eleitoral do 2o escrattio de vicios ou irre-
gularidades, que annullem ft todo ou em parties,
tendo a junta apuradora verificeado que os votos
reeohidos nos differentes collegios eleitoraes deram
o seguinte .sultado: Dr. Silvino Cavalcaunte 279
votes: pidadao Joao Antunes de Araujo Pinheiro
176 votes: Dr. Joao Feireira de Almeida Gui-
made. 103 votos; e o Dr. Augusto de Souza
Lelo 46 votos, polo que foram proclamados mem-
a x d4 Aasemblea Provincial os dous cidadios
votados.
.A eA testa*o A validade da 01*1 do cidadlo
Joo Aitumes de Araujo Pinheiro em vista da re-
da Ja91o its, pelo candidate Dr. Joao Ferreira
deo Abida iurbew, e dos docume tos que
foram presents a esa comniio, funda-ae na
fals.e Ztdoioaqda iilegibiliAude do mesmo ci-
da"d Joi =OdeAraujo Pinheo.


-sin Ctrpavaastaosu gdo-aC0.^^ $..
freneIa daBs-iase slos
Vista n. 80; d

fregnz~i dU&Bc8-Vistan,.e wewo ii eudt~U
f2itos a tttdtfre s.cid ad opa ar

qUe, como inqtino occupa a easa a run do "
da Boa-Vista n. 0 e a propria Felizarda &Maria
da Coneeiefo.
Ae Finalmuente urns justifieao dada polo Dr.--
Silvino Cavaleante perante o Dr. juiz de direito
do civel desta cidade c omo fim de provar le que
Felimarda Mails adwOoneeisio 6 loeatoris e motr-
Sdora de casa n. 30 da run do Conde da Bda-Vista
ha tries annos pouco main on menos; 2l que na
referida ceasa nunca moro duranteo ease tempo o
cidladio Jo! Antunes de Araujo Pinheiro; 3o queo
no meneionadeo perioado o mesmo Antunes no mo-
roun a titualo de loatorio, em nenhuma outra casa
das immediages da de n. 30. Qualquer que seoa
o valor dresses documnentos pensa essa commisM
que a eontestao queo sobre elles assent, n ao temn
procedencia juridica o dno p6de annullar o diplo-
ma de membro desta Assoembla expeedido pela
junta apuradora ao cidadio JOAO Antunes de
Araujo Pinheiro, o que prova o docunmento resu-
midamente.
Dispe o -art. 10 da lei n. 3029 de 9 de djaneiro
de 1881, no art. 84 do dereto 8213 em 13 deo
agostoa do mesmo anno qu e elegivel para os car-
gos de senador, deputado A Assemnbl Goeral,
membro da Assembl6a Provincial, vereador ejuiz
de paz, todo o cidadoo que tiver as qualidades re-
quoeridas no capituloe10 titulo o10 deste regda-
mento para ser leitoir, n .o se achado pronun-
ciado em process criminal, e sativas tg A is-
posiq5es especiaes ennumeradas los docitad0
art. 84 do decreto de 13 de agosto de 11.
A lei de 9 de janeiro estabelecendo em o art. 20
queo era eleitor todo o cidqTdo brasileiro nas ter-
MOs dos art. 6, 91 e 92 tda Constituiba do I-ra
peroa, que tiver renda liquid annual nao inferior
a 200000 por bens de raiz, induistria, commereiao
on emprego, determinou no art. 3, -os meios, a
prova dessa renda liquid praovenient e do immo-
veis, industria e profits i e de emprego public.
Al6m dresses eleitores constituidos pela prova deo
renda liquid sob qual foi instituida no art. 3' cida
lei de 9 de janeiro estabeleceun a cathegoria de
eleitores considerados, coma tez'do renda legal, in-
dependente de prova, e o as enumearou nos differen-
tes numbers do art. 41.
Querendo ampliar o illustrado brasileiro, deter-
miaou finalmente a lei da reforma eleitoral no
art. 5-que o cidado que an a podesseo provar a
renda legal por alguns dos rmios dcterminados nos
uartigas anteoedentes serial admittido a fazel-o: 10
pelo vaor location do predio em queo houvesse resi-
dido desde um anna antes polo miones, com econo-
mia propria; 2e polo valor locativo annual de 2005
pelo menos, de terrenos de lavousa, on cria pr, on
de quaesquer ouantros estabeleeimentos agricolas,
ou ruracs que o cidadbo houvesse tornado par ar-
rendameneto dsde urm ann antes, send a prova
dada em process summario peroanto juiz de
direito da comarca nas terms, estabelecidos pela
mesma lei.
Creando pois essas differeotes eathegorias de
eleio es, a leti no fez distincio e ntre uns e
outros: tanto 6 eleitor e elegivel o capitalist,
proprietariao, tiunecionario public com o ainquilino
de um predio, on rendeoro de. um terreno de Io &-
voura, ou criaqbo. Ora exigindos a reform elei-
toral coma condi* o de elegebilidade que o cida-
dco tenha as qualidadeos reoqueridas paorna ser elei-
tor, desde que em apoca anterior a da eleiro oa
cidadoa Joo Antunes deo Araujo Pinheiro, ti ha
requerido ao juiz do a civeol para provar a rendas le-
gal pelo aluguel de urea casa, que dizia occupar,
e essa prova foi julgada pr sentena e prodauzio
todos os seus effeitos, pela nio interposigAo do re-
curse, adlquiriaoPPe as condieies para aer ebeitor, e
consuto intemente para ser elegivel.
A roretr elecitoral ontrogando p o podor judi-
eiaria indeppredente e autdoenico pela Constituie4o
do Imporiao, a fomma.o do alistamento eleitoaia
coafio n as pamidos politicos a fiscalisaeri ne-
diarito interposiqbo do rocursos d'esse alistarnente,
no qual impqe a master publicidade.
Tendao sida estabolecidu, li do 9 do janeiro do
1881, art. 5 3a, recurso voluntarily paraa rela-
qie do distrieto, aoqual pode coin nterposto par
qualqluer cidadibo, no easo do acimiesso ca senten-
qa do juia do direito, quo julga a prova do renda
per aluguel dea casa, desdi que nbo foi interposto
ese recurso da sontenqa do jpio de direieo do 4o
district criminal daessa cidade, que julgou a 28
do seteinmo do anne passado i prova produzida
polo cidacdbo Joieo Antunes do pAeluja Pinhsiro,
coma inqailino ca casa n. 30 A rua do Condo cia
Baa Vista, nem foi igualmente interposto dmecunso
do scntenqa a 9 do fevereiro deese anna quo in-
cluia no alistamento electoral, a espa Assemblea


nao cable o direito de investigar a naturesa da
prova produzida. Se tal competencia tivesse, ca-
ber-lhe-hia o direito de mandar excluir do alista-
mento eleitoral o cidad'o indevidamente incluido,
o que 6 absurd eim vista da legislaAoa eleitoral
vigentc, e da divislo dos pAderes publics estabe-
lecida pela Constituicao do Imperio.
Aos contestants da validade da eleic.to do ci-
dadao Joao Antunes de Araujo Pinheiro, cumpriia
interpor os recursos legaes, servindo-se dos docu-
mentos que foram presents a commission de sen-
tenqa que julgou a prova de renda produzida por
esse mesmo cidadlo, e da que o mandou incluir no
alistamento eleitoral. Seo nao fizeram em tempo
e nes terms da legislaqao eleitoral, dove recahir
sobre elles a consequencia da omissbo.
A' esta Assembl6a 6 que fallece competencia ou
jurisdicqbo para reformar ou ever sentenqas do
poder judiciario com relacno ao alistamento do ci-
dadao Joao Antunes de Araujo Pinheiro, como
eleitor, e conseguintemente como el.egivel. .
Polo exposto 6 a commissao de constitui"bo e
poderes de parecer:
Que seja reconbecido membro da Assembl6a Le-
gislativa d'esta provincia o cidadio Joao Antunes
de Araujo Pinheiro polo 30 district eleitoral.
Pao da Assemblda, 19 de maro de 1884.-Dr.
Pitanga.-Amaro de Albuquerque.
DOCUMENTS
N. 1
1Ilm. Sr. Dr. juiz de direito do 40 district cri-
minal.-0 bacharel Jobo Ferreira de Almeida Gui-
marles. A bemrn de sous direitos eleitoraes, precisa
que o escrivio Veiga, em face do que constar, coam
urgencia Ihe del por certidclo o nome da rua e o nu-
mero da casa cm que Joao Antunes de Araujo Pi-
nheiro, corn allcgaqces e documents falsos, pre-
tendeu alistar-se eleitor na revisAo ultimamente
procedida n'este municipio. N'estes termos- pede
a V. S. deferimento. E. R. M. Recife, 3 de mario
de 1884.--Joao GnimarSes.
Dg-se. Recife, 5 de margo de 1884.-Silva Rego.
Luiz da Veiga Pessoa, escrivao vitalicio do 10 offi-
cio da provedoria de capellas, reside. e do de
ausentes, por S. M. o Imperador o Sr. D. Pedro
IL e designado pars servir nos processos do
alistamento eleitoral do 4- district criminal em
virtude da lei.
Certifici em presence dos autos de alistamento
eleitoral de Joao Antunes de Araujo Pinheiro, ser
o nome e rua de que tracta a peticao retro, Condo
da Boa Vista casa n. 30. 0 referido ,6 virdade e
dou f6. Recife, 8 de marco de 1884.-0 eserivio,
Luiz da Veiga Pessoa.
(Estava sellada na form da lei.)
N. 2
Ulm. Sr. Dr. juaiz de direito do 4o district cri-
minaL-0 bacharel Joo Ferreira de Almhneida Gui-
mareos, I bemn de seus direitos eleitoraes, premisa
que o eserivie Veiga, corn urgencia, em fsee do
que contar, Ihe certifique[:
1o Emque data reqaereu Joo Antunes de Arau-
jo Pinauiro par soer admittido A provar, que, como
inquiino dacasa a. 30 rua do Conde da Boa-
Vista, tiaha a reads para sr eleitor;
2o Em que data foi julgada easa pova?
3w Em one data foi mandado inalir no aslta-
meat. ekitaml;
4' Em qae data se publicou pesedital ea de-
5 Finalmente em que data ta o pnra deo
Sdiiapsa istep~w i d o. Netes.
terms pede a V. &IL JLB.. IL Be-
,ie, 7 arr0o 1=9 diow
-' DO-se. Recifes.8 U'e jo > 4g- A88. -


uno~~ ~~d mmo An kaaaaqu

tooi
2'0 A W' 'Me$,,, e 'W oi
puinetro to ,de o. fet oebro do
amno proua~phaado4 a. segundo que foi jalgada




Nemino a;M Qreferido4Pew4a-
Ale edamn JR latwi le 188L a-e-s
gwavao h 4Ma 5*I 4i~wx-
,.emi& a a nolke emisgo de contitui^So e
td jrestw &s"l ,awa eltbewado ess Awem-
em asua sesfAo de lhontem.
iecretaria da Asswembla Legislativa Provincial
de Bernambuco, em 5 demarco de188 L -0 1 of-
Ciljd2aAecq4 Aryu B. eW-M'Uo Bep.
A commiado de veriiaco de poderes, tendo
Iwabinadwo v*'owMdae^a^gul~~t
nio no terceiro distioto i atkonto os donumentos
offereeidos polo candidate 6e muifesta a nAo proce-
dencia do proteato aprseAtado. Portanto pensa
a commnisslao que dove ser reconhecido deputado o
r. Dr. Joao Antunes de Araujo Pinheio.
Sala dam commissoee, 27 de fevereiro :de 1884.-
Ferrcira Jacobina.-Aristarcho Lopes.-Amaral e
Melo.
Confere. .J. Nusumbo. Conforme. -Alimeida
Cunha.
Emenda ao parecer do terceiro district. Em
substituioo As conclusoes do parecer, leia-se--.seja
annullado o diploma de deputado do academic
Joao Aritunes de Araujo Pinheiro, e proceda-se a
nova eleiclo do terceiro deputado do district.
S. R.-Slvino Cavalcante.
Confere. J. Musunbo. Conforme. -Almeida
Cunhia.
Requeiro que o parecer da eommissao de poderes
e papeis relatives A elei*o do academico Joao An-
tunes e quaesquer outros documents vao a com-
missao de constitui*lo e poderes para que recon-
siderando a material emitta novo parecer sobre a le-
gitimidade do diploma do mesmo academico.-Sil-
vino Cavalcante.
Confere. J. Musumbo. Conforme. -Almeida
Cunha.
N. 4
1lim. Sr. juiz dc paz da freguezia da Boa-Vista.
-0 bacharel Joiao Ferreira de Almeida Guima-
raes, a bemrn de seus direitos eleitoraes precise que
V. S. sob o juramento de seu cargo, Ihe atteste-
qual a pessoa que mora na easa n. 30 4 run do
Condo da Boa-Vista desta bidade e desde quando
a occupa. Nestes terms pede a V. S. deferimeu-
to. E. R. M. Recife, 3 de mar9o de 1884,-Joao
Guimaraes.
Attesto sob o juramento do meu cargo que na
casa terrea do Conde da Boa-Vista n. 30, mora ha
mais de dous annos a Sra. Felizarda Maria da Con-
ceieao, proprietaria, viuva de Alexandre de tal.
Boa-Vista, 6 de marco de 1884.-0 juiz de paz,
JoSo Francisco Antwus.
N. 5
Junta de apuragao geral de votos do 30 district
eleitoral, em 12 de janeiro de 1884.-Illm. Sr.-
Passamos as maos de V. S. a inelusa copia au-
thentica da acta de apuracao geral de votos na
eleicao em segundo escrutinio procedida neste dis-
tricto, a qual na form do regulamento em vigor,
Ilhe servira de diploma, como deputado eleito a As-
sembl6a Legislativa Provincial.
Deus guard a V. S.-Illm. Sr. Joao Antunes de
Araujo Pinheiro.-O juiz de direito, Hermogeues
Socrates Tavares de VasconceUos. Secretario,
Jos6 Carlos do Rego Valenfa.-Antonio Marques
Correia. -Antonio Pedro Linm de Moraes.-Antonio
de Barros Correia.
Acta da apuraco geral dos votos para deputa-
dos provinciaes por este terceiro district eleitoral
de Olinda.-Aos doze dias tdo mez de janeiro do
anno de 1884, pelas 9 horas da manha, casa da
Camara Municipal de Olinda, s6de deste tereeiro
district eleitoral d'esta provincia, presents o Dr.
Hermogenes Socrates Tavares de Vasconcellos,
juiz de direito d'esta comarca, president da jun-
ta de apuraceo geral de votos para deputades pro-
vinciaes por este district, Antonio Marques Cor-
reia, Antonio Pedro Lins de Moraes, Antonio de
Barros Correia, Antonio Rodrigues Campello de
Mello, presideatos das mesas: do Cdrato da o de
Olinda, de Nossa Senhora dos Prazeites de Maran-
guape, de Nossa Senhora da Gloria de Goita e San-
tos Cosine e Damiao de Iguarassu, dispensado este
ultimo, par se apresentar doente, e sendo substi-
tuido pelo segundo juiz de paz do Curato da Se,
Jos5 Carlos do Rego Valenca, foi installada a jun-
ta, por haver numero legal, nao obstante nao terem
comparecido, apezar de convidados por officios.e
editaes, os preiidentes das mesas eleitoraes de Nos-
sa Senhora da Conceicao de Beberibe, Nossa S nho-
ra da Conceicao de Itamaraca, Divino Espirito
Santo de Pao d'Alho e Nossa Senhora da Luz: as-
sim installada a junta opresidentc da mesmadesig-
nou para servir de secretario o cidadaoJosd Carlos
d6 Rego Valenci, para tor as authcnticas o cidadao
Antonio Marques Correia, e aos cidadaos Antonio
do Barros Correia e Antonio Pedro Lins de Mo-


racs para procederem a contagem dos votos, cada
um dos quakes toi escrevendo eni um a relacao o nu-
nmero do votos dos cleitos, a proporgao que eram
lidas as authenticas remettidas pelas mesas clei-
toraes do district, cujo numero era repetido em
alta voz pelos apuradores, o ecscrivao, einm seguida
vcrificou que os votos recolhidos de todas as au-
thenticas do district eleitoral deram o seguinte
resultado :
0 bacharel Silvino Cavalcante de Albuquerque,
279 votos; o cidadao Joao Antunes de Araujo Pi-
nheira, 175 votos; o bacharel Joilo Ferreira de
Almeida Guimaracs, 103 votos ; sendo um apura-
do em separado, sem que todavia acompanhasse a
respective authentic da eleicao da parochia de
Nossa Senhora da Luz a cedula apurada por
aquella mesa eleitoral, o bacharel Augusta de
Souza Leao 46 votos ; e porque, na forma do art.
180, combinado corn o 183, 3o do regulamento
eleitoral de 13 de agosto de 1881, obtiveram maio-
ria de votos os cidadaos : bacharel Silvino Caval-
cante de Albuquerque e Joao Antunes de Araujo
Pinheiro, a junta apuradora declarou-os deputados
provinciaes por este 3. district eleitoral, e man-
dou que se Ihes expedisse os respectivos diplomas.
Assim terminada a apuracao, o seeretario da
junta fez uma list dos cidadAos eleitos deputados
em 20 escrutinio, e a publicou em Altaa voz e em
edital e mandou affixar na port da Camara Muni-
cipal.
Cumpre declarar que foi apresentada a junta
uma reclamaqao do bacharel Jobo Ferreira de Al-
meida Guimarnies contra a eleicao do cidadiLo Joao
Antunes de Araujo Pinheiro, nao s6 por ser elle
filho familiar, sem renda legal e econemica propria
e separada da do meu pai, como por nao ser elei-
tor, a qual reclamacao foi iadefirida pela mesma
junta, por lhe faltar competencia para conhecer da
nullidade da eleicao do memo aidadao Antunes
Pinheiro, em face do art. 20 da lei de 9 de janeiro
de 1881 e 147, 177 e 186 do regulunento citado
de 13 de agosto de 1881, e por wisso ordenou que
fosse remmettida A, Assemblesa Legislitiva Pro-
vinial a reclamacao referida.
Cumpre ainda declarar que costa junta apura-
dora no se rTeunio no dia 15 de dezembro proximo
passado, porque nio compareeeu nenhum dos'
presidents de mesas elejtoraes, e por que nao
vieram tambem as anuteas da Gloria, Pao
d'Alho e Iguarasst e &ofs quae. presidentesb
de mesas eleitoraes impozo president da jun-
ta apuradora a multa de 00JO@O A caids urn,
corn excepclo somente do president da mesa elei-
toral da S6, por se aehr notoriamente doonte.


.Rl~ etnos r,.do'mc
tea'rdeva eonsigar .que todas as ad-
i vieram coaferidas e' m adas, e que,
e da atIegaco proewdenmAf do cidadlo
o Pedro Lin o de ]lorm, JbIuve o mesmo
president de o relevar das multaa, que Ihe fora'm
unimpostas, per nao ter comparecido as reunites da
jin* w. ias 15 e 29 do m r pMsa o.
" ^ hm odo termini'. Iao 1 hora
-,A&a dbt49rde, e lavradal.wreiMte acts, tasips,
am o.1midente e os deas a m ros da junta,
IMaaI.d- a s-r immedrataemo-traa Beipts B
I odde4wtas do tabellilo puic, capital Joa
"h-d? mro da Costa Montero.
E ea Je6 Carlos do -Iego 'p.nca, law-ei a
presents, em que me assi0no.
0 preaidente da junta, Jermogeueu Saerata Ta-
vares de & scowellos.-4ee r, J8ose -a,'k do
Rego Valena.-Antoudo Pedro Lias de Moraes.-
Antonio de Barros Correia.- Antonio Marques
Cerreia.
Conforme corn o original a que me report. Pa-
go da Camara Municipal de Olinda, 13 de janeiro
de 1881.-0 secretary, Jose Carlos do Rego Va-

0 president da junta, Hermogtnw Socrates Ta-
vares de Vasconcellos.- 0 secretario, Josed Carlos
do Rego ealenva. Antonio Marques Correia.-
Antonio Pedro Lins de Moraes.-Antonio de Bar-
ros Correia.
Conferida e e oncertada na form da lei e do es-
tylo. -o0 tabellilo public, Jodo Theodomiro da
Costa Moneiro.
N. 6
Junta de apumraeao geral de votos do 3o district
eleitoral, em 12 do janeiro de 1884.-Illm. e Exm.
Sr.-Temos a honra de passar As mnAos de V. Exc.
a c6pia authentic da acts da apuramao geral de
votos na eleicao em j2. escrutinio para deputados
provinciaesprocedida&i'este 3o district, assim como
urma reclamaego apresentada a esta junta pelo ba-
charel Joao Ferreira de Almeida Guimarbes, afim
de que -esta Assembl6a tome-a na consideragao
que julgar convenient.
Deus guard a V. Exc.-Illm. e Exm. Sr. 1o se-
cretario da Assemblea Legislativa Provincial.-0
juiz de direito Hermogenes Socrates Tavares de
Vascoacenoas.-0 secretario, Jose C. do Rego Valen-
9a.-Antonio Marques Correla. -Antonio Pedro
Lins de Moraes. -Antonio de Barros Correia.

C6pia Acta da apuracao geral dos votos para
deputados provinciaes por este 3o district eleito-
ral dce Olinda. Aos 12 dias do mez de janeiro do
anno de 1884, pelas 9 horas da manha, na casa da
Camara Municipal de Olinda, s6de d'este 30 dis-
tricto eleitoral d'esta provincia, perante o Dr.
Hermogenes Socrates Tavares de Vasconcellos,
juiz de direito d'esta comareca, president da junta
de apuraaqo geral de votos para deputados pro-
vinciaes por este district, Antonio Marques Cor-
rein, Antonio Pedro Lins de Moraes, Antonio de
Barros Correia, Antonio Rodrigues Campello de
Mello, presidents das mesas eleitoraes : do Cura-
to da S6 de Olinda, de Nossa Senhora dos Praze-
res de Maranguape, de Nossa Senhora da Gloria
de GoitA e Santos Cosinme e Damiao de Iguarass'i;
dispeasado este ultimo por se apresentar doente e
send substituido polo 2o juiz de paz do Curato
da S6 Jos6 Carlos do Rego Valenga, foi installada
a junta por haver numero legal, nao obstante nao
term comparecido, apezar de convidados por offi-
cios e editaes os presidents das mesas eleitoraes
de Nossa Senhora da Conecicao de Beberibe, Nos-
sa Senhora da Conceicao de ItamaracA, Divino
Espirito Santo de PAo d'Alho e Nossa Senhora da
Luz.
Assim installada a junta da mesma, designou
para servir de seeretario o cidadaio Jos6 Carlos do
Rego Valenca, pars ler as authenticas o cidadaio
Antonio Marques Correia, e aos cidadaos Antonio
de Barros Correia e Antonio Pedro Lins de Mo-
raes para procederem a contagem dos votos, cada
um dos quakes foi escrevendo em uma relacao o nu-
mero de votos dos eleitos A proporglo que eram
lidas as authenticas remettidas peas mesas elei-
toraes do district, cujo numero era repetido em
alta voz pelos apuradores logo que escreviam; em
seguida verificou-se que os votos recolhidos de to-
das as authenticas do district eleitoral deram o
seguinte resultado: bacharel Silvino Cavalcante
de Albuquerque 279 votes, cidadao Joao Antunes
de Araujo Pinheiro 175, bacharel Joao Ferreira
de Almeida Guimaraes 103; send apurado em
separado, ser que todavia aeompanhasse a respec-
tiva authentica da eleicao da parochia de Nossa
Senhora da Luz a sedula apurada em separado
par aquella mesa eleitoral, e o bacharel Augusto
de Souza Lebo 46 votos; e porque na formal do art.
180 combinado como 133, 3' do regulamnoto elei-
tomal de 13 de agosto de 1881, obtiveram maioria
de votes os cidadcos: bacharel Silvino Cavalcan-
te de Albuquerque e Joao Antunes de Araujo Pi-
nheiro, a junta apuradora dedarou-os deputados A
Assemblea Legislativa Provincial par este 3' dis-
:tricto eleitoral e mandou que se lhes expedisse os
respectivos diplomas.
Assim trmninada a apuraqbo, o seoretario da
junta fez uma lista dos cidadaos eleitos deputados
em 20 escrutinio e a publicou em alta voz e em
edital se mandou affixar na port da Camara Mu-
nicipal.
Cumpre declarar que foi apresontada A junta
uma reclarnnaqo do bacharel Joao Ferreira de Al-


meida Guimaraes contra a eleiqao do cidadco Jolo
Antunes de Araujo Pinheiro, nao s6 por ser elle
filho familiar, serm renda legal e economic propria e
separada de seu pai, como por nao ser eleitor, a
equal reclamacao foi indeferida pela mesina junta,
por lhe faltar competencia para conhecer da nulli-
dade da eleicao do mesmo cidadao Antunes Pinhei-
ro, em face do-art. 20 da lei de 9 de janeiro de
1881 e 147, 177 e 186 do regulamento citado de
13 de agosto de 1881, e por isso ordenou que fos-
se remettida a Assembla Logislativa Provincial
a reclamauqo referida.
Cumnpre ainda declarar quo esta junta apura-
dora nao se reunio no dia 15 de dezembro proxi-
mo passado porque nao compareceram nenhum dos
presidents de mesas eleitoraes e porque nao vie-
ram tambem as authenticas da Gloria, Pao d'Al.ho
e Iguarassfi, e aos quaes presidents de mesas elei-
toraes impoz o president da junta apuradora a
multa de 2009 a cada urn, cornm excepqao somente
do president da mesa eleitoral da Se por so achar
notoriamente duente.
Cumpre ainda declarar que nao se oreanio no
dia 29 do mez passado a mesma junta tambem
polo motive de falta de compareeimento da maio-
ria dos presidents das mesas eleitoraes do distric-
to, comparecendo somente o president da mesa
eleitoral da parochial da Luz Jos6 Geminiano de
Araujo Pinheiro e S. Salvador da S6 Antonio Mar-
ques Correia, o que deu lugar ao president da
mesma junta imp6r a multa de 200; a cada urn
dos presidentes das mesas eleitoraes que nao com-
pareceram, o que ainda hoje teve lugar, impondo
o mnesmo president novas multas de 2004 a eada
um dos presidents do mesas eleitoraes que nao
comnpareceram, corn excepeao s6tnente do da paro-
chia de Itamaraca Luiz Scipiio de Albuquerque
Maranhluo por se achar doente; e porque chegou
agora ao conliecimento do president que o cidadao
Antonio de Barros Correia no comrepm eu A jun-
ta por doente nas reunites de 15 e 29 do mez
paswado, houve per bem dispensal-o das multas
em qutw iuncorreu, bemrn como a o cidadao Antonio
Rodrigues Campello de Mello pela multa incorri-
da pela sun falt. de compareeimento As reunites
d'esta junta nos dias 15 e 29 do nmez passado.
Finualmente, releva cnsignar que todas as au-
thentieas vieram conferidas e concertadas e ue
em virtude da allegatlo procedente do cidado
Antonio Pedro Lins de Moraes houve o mesmo
president de o relevar das multas que lhe fo-
tam impostas per alo ter comparecido As rewuioes
da junta nos dias 15 e 29 do mez passado. E
d'este modo terminada a appraogo A uma e meia
bhoras da tarde e lavrada a present acts, assigna-
ram o president e os demais membros da junta,
passando a ser a mesma acta immediatamente
transcripta no livro de notas do tabellibo public
capitao Joao Theodorniro da Costa Monteiro.
E en, Jos6 Carlos do Rego Valenca, lavrei a
preete, em que measaigno.-Hermogees Socra-
tes Tavares de VaonceU, presideate da junta.
Jose Carlos do Rego Valenea, secretsrio.-Antonio
Pedro Lins de Moraes.-Antonio de B.,rros Correia.
-Antonio Mar"ues Cerre.
Conform cornm o original a que me report. Pa.
do da Camara Mnieipld d Odinda, 12 de janeiro
de 188.-0 se-retarto, oe Caim do Bego Va-
.h.--O president da junta, ogeea Socra-
tes Tavares de V sa selIw-O estrwvo, Josd Car-
los do Reajo Valenca.-A auit k'Mrqs Gmvsiu


enewrregaad d6 rem dta emarca do
21 We, etc.
SO fido qde per me ser "rcqerido verbalmente,
do respectivewoivro do -registro'eleitoral-do manici-
pi do Rcife, nao eonsta-a iucluslo 'lo name de
Joao Aniunes de Ar.aujo Pinheirq compo leiter.-
( referido 6 verdade e dou fn; e por me ser pedi-
do pars fins eleitoraes, passo o preaente. Recife.
28 de dezembro de 1888. Eu, Jolo Gomes dos
Santos Filho, -o acrevL
N. 7
O cidadae Gabino Jos6 Baptista, escrivao da sub-
delegacia do 10 distrieto da freguezia da Boa-
Vista, ein virtude da lei, etc., etc.
Certifico aser do theor seguinte o auto de per-
guntas feitas8 Felizarda Maria da Conceiao, A
requerimeato de baeharel Silvino Cavalcante de
Albuquerquee o .petio foi do theory som iuto :
Illm. Sr. subdelegado de lo district da fregue-
zaa da Boa-Vista.-+.O bacharel Silvino Cavatleaute
de Albuquerque precisa para defeza de direitos
impontntlsmos que V. S. caMn a maxima brevi-
dade se digne de proceder a auto de perguntas a
inquilina da casa n. 30 da rua do Condo da Boa-
Vista de nome Felizarda Maria da Conceicao, viu-
va de Alexandre Rodrigues de Almeida sobre os
seguintes pontos: 1o, desdequando mora na refe-
rida casa; 2, quem moron na dita casa antes
d'ella; 3', se durante o tempo de sua moradia alli,
sublocou a casa ou part d'ella a alguem, dando-
me por certidAlo o que constar do auto de pergun-
tas, portanto pede a V. S. deferimento e espera
receber mere. Estava urma estampilha de du-
zentos reis inutilisada da forma seguinte:--Recife,
1o de mar9o de 1884.-Silvino Cavalcante de Al-
buquerque.
Como pede.-Subdelegacia do lo district da
Boa-Vista, lo" de marco de 1884.-J. Ferrcira.
Auto de perguntas feitas a Felizarda Maria da
Conceicao:
Aos 3 dias do mez de fevereiro do anno do Nas-
cimentode Nosso Senhor Jesus Christo de 1884,
nesta cidade do Recife de Pernambuco, em casa
da residencia de Felizarda Maria da Conceiato, A
rua do Conde da Boa-Vista n. 30, compareceu o
cidadao Jeronymo Jose Ferreira, subdelegado do
10 district da freguezia da Boa-Vista, comigo es-
crivao de seu cargo abaixo assignado, present
Felizarda Maria da Conceiqbo, pelo mesmo subde-
legado foram feitas as perguntas seguintes :
Perguntada qual sen nome, idade, estado, filia-
c'o, naturalidade, e se sabia ler e escrcver? Res-
pondeu chamar-se Felizarda Maria da Conceicao,
de 45 annos pouco mais ou menos, viuva de Ale-
xandre Rodrigues de Almeida, natural de Africa,
ignora sua filiacao, nao sabe ler neron escrever.
Perguntada desde quando mora na referida ca-
sa? Responded quo ha 3 annos pouco mais ou me
nos.
Perguntada quem morou na dita casa ante-
d'ella respondents? Responded que foi seun visi-
nho Rodolpho Xavier de Souza Fonseca.
Perguntada se durante o tempo de sua moradia
nesta casa, ella respondente sublocou a casa ou
part d'ella a alguem? Responded que dcsde o
tempo que ella rcspondente reside nesta casa nao
a sublocou a pessoa alguma, nem mesmo part
d'ella.
Perguntada se tern recibo dos alugucis da casa
onde reside ? Responded que nao ternm recibo al-
gum, visto o seu proprietario mcrecer-lhe muita
confianca, por isso nunca exigio recibo d'elle.
E por nada mais ser perguntado, nem respon-
dido, deu-se por find este auto de perguntas em
quo assigna sua filha Luciana Rodrigues de Al-
meida, por nao saber escrever a respondente, do
que tudo dou f6.
Eu, Gabino Jose Baptista, escrivao, escrevi.-
Jeronymo Jos Ferreira.-Luciana Rodrigucs de
Almeida.
E nada mais se continha em dito auto de per-
ugntas que vai fielmente copiado sem cousa que
uid faa, send extrahido do proprio original,
do que dou f6. Boa-Vista, 3 de maro de 1884.
-0 escrivao, Gabino Josd Baptista.
N. 8
0 cidadio Gabino Jos6 Baptista, escriva'o da sub-
delegacia do lo district da freguezia da Boa-
Vista, em virtude da lei, etc., etc.
Certifico por me ser pedido, ser do theor seguin-
te oA autos de perguntas a qnue se procedeu a re-
qucrimento do bacharel Silvino Cavalcante de Al-
buquerque, euja petibo e a seguinte:
Illm. Sr subdelegado do 1 district da fregue-
zia da Boa-Vista.-0 bacharel Silvino Cavalcante
de Albuquerque, precisa para direitos importan-
tissimos, que V. S., proceda coin a maxima brovi-
dade possivel a autos de perguntas aos Srs. Ber-
nardo Esteves, Joaquim Gomes Salgueiro, Paulo
Jose Mendes da Silva, Julio A. Seeada, Jose Fran-
cisco Xavier e Jose Demetrio d'Almeida, sobre os
seguintes pontos: 1, quem 5 o inquilino da easa
n. 30 A rua do Conde da Boa-Vista e desdc quan-
do; 20, sc consta que o estudante Joao Autunos
de Araujo Pinheiro, tenha em algum tempo habi-
tado aquella casa; 3o finalmeote, qual a casa n'a-
quella rua em que algumas vezes pousou o referido
estadante, e a que titulo, se do hospode, so de lo-
catario, mandando V. S., que corn a brovidade ja
indicada seja dada ao supplicants copia on trans-
ladc do referido auto. Nestes termos pede a V. S.
deferimento.-E. R. Me. Estava uma estampilha


de 200 rs. inutilisada da f6rmia seguinte: Recife,
1 dd marco do 184. Silviao Cucalcaate de Al-
buquerque.
Despacho:
Como requer, faqam-se as intimaSes para o dia
3, As 11 horas do dia, emn casa deo ininha residencia.
Subdolegacia do lo district da freguezia d:i Boa-
Vista, 10 de marco de 1884.-J. Ferreira.
Certidao:
Certifico que notififjuei Bernardo Esteves. Joa-'
quim Gomes Salgueiro, Paulo Josa Mendes d:i Sil-
va, Julio A. Sacada, Jos6 Francisco Xavicr e Jose
Demetrio de Almeida, sobre o eontcudo c duspa-
cho da petiqao retro, do que ficaramin seieites, l(6u
f6. Recife, 2 do marco de 1884.-0 eserivao, Ga-
bino Jos' Baptista.
Auto de perguntas feitas a Joaquimin Gome(,s Sal-
gueiro:
Aos 3 dias do mez de marqo do anuo do Nasci-
mento do Nosso Senhor Jesus Christo de 1884,
n'csta cidade do Recife de Pernambuco, em casa
da residencia do cidadao Jeronymo Jose Ferreira,
subdelegado do 13 district da frcguezia da Bqa-
Vista, onde eu escrivao de seu cargo fui vindo,
presented Joaquim Gomes Salgueiro, polo inmesmo
subdelegado foram feitas as perguntas seguintes:
Perguntado qual seu none, idade, eostado, filia-
qao, naturalidadc, profissio, e se sabia ler oe esere-
ver? Responded chamar-se Joaquimn Gainmes Sal-
gueiro, de 25 annos, solteiro, fillio de Domingos
Gomes Salgueiro, natural do Portugal, negoeio,
sabc ler e escrever.
Perguntado quem e o inquilino da casa n. 30 a
ruaa do Condo da Boa-Vista e desde quando? Res-
pondeu que sabe ser Felisarda Maria da Concei-
cao, viuva de Alexandre Roilrigues die Almeidlo, a
qual mora h:l tres aiio)s pouco mais a s ol m.',.
Perguntado se confra queo o estudant> Joao An-
tunes de Araujo Pinheiro, tenha em alguin tempo
habitado aquelia casa? [lPspondcu fquc nAo Ihe
consta ter Joao Antaues do Ara'ijo P'iheiro, inm)-
rado na casa do que tract. pois niue:t o vi.) em
dita casa.
Perguntado se sabe qual a casa n'aquella rua
em que algumas vezeo pousou @ referido estudante,
e a aq e titulo, soe de hospede, se do locatario? Res-
pondeu que apenas o tern visto passar corn pessoa
da familiar do Sr. Paula Lopes, por6m ignore se
elle 6 morador ou hospede da casa do mesmo Pau-
la Lopes. E por nada mais ser perguntado nem
respondido, deu-se por findo esto auto de pergun-
tas em que assign. como subdelegado, do que tu-
do dou f6.
Eu, Gabino Jos96 Baptista, escrivao, escrevi.-
Jeronymo Josed Ferreira.-Joaquia Gomes Sal-
gueiro.
Auto de perguntas feitas a Paulo Jos6 Mendes
da Silva :
Em seguida, no mesmo lugar, dia, mez e anno
supra declarados, present Paulo Jos6 Mendes da
Silva, polo mesmo subdelegado, foram feitas as
perguntas seguintes:
Perguntado qual seu nome, idade, estado, filia-
91o, naturalidade, profissAo e se sabia ler e escre-
ver ? Responded ehamar-se Paulo Jos6 Mendes da
Silvar de 38 anuos, viuvo, filho- de Josa Mendes da
Silva, natural de Pernambuco, artists, sabe ler e
escrever.
erguntado se sabe quem 6 o inquilino da casa
n. 30 A rua do Conde cda Boa-Vista e desde quan-
do? Responded que sabe que ainquilina da casa,
*de que se tracts Felisarda Maria da CoaceiGo
viava de Alexandre Rodrigues de Almeida, isto
ha 8 annos pouco mais ou menos
Peagpntado seo conupta que o estudante Joio An-
4wWe d Aranjo Pinheiro, teonha em algam tempo
'atidao aquelia oasa? Rowpadeu quoeueo Ike
[asta que teonha iAdo morado, em ita cas a o es-
idaateAe e dso t eaetapo's l t rn visto aiva
Perguatado qual a cuas n'aqueUa rua em quo


ylg~asveseu p*o refetIao<((idato,
titulo, se do hoapede, be de locatari" ? '
que nAo sebe. E por nada mais ser perguad mea,
respondido, deu-se por findo este auto, em tue as--
signa com o subdelegado, do que tudo doufI.
Eu, Gabino Jose Baptista eserivlo, eperevi.-.
Jeromnymo Jose Ferreira. Paulo Jose Menda dc
Silva.
Auto de perguntas feitas a Jos6 Francisco Xa-
vier :
Em seguida, no mesmo lugar, dia, mez e anno
supra declarados, present Jos6 Francisco Xavier
polo mesmo subdelegado, foram feitas as pergun-
tas seguintes:
Perguntado qual semr nome, idade, estado, filia-
91o, naturalidade, profissao e se sabia ler e escre-
ver ? [ftspondeu chamar-se Jas6 Francisco Xa-
vier, de,40 annos, casado, filho de Francisco Luiz
Range, negoeio, natural de Pernambuco, sabe ler
e esorever.
Perguntado se sabe quem 6 o inquilino da casa
n. 30 A run do Condo da Boa-Vista e desde quan-
do? Responded que sabe ser Felisarda Maria da
Conceicao, viuva de Alexandre Rodrigues de Al-
meida, a qual mora ha mnuito tempo, isto 6, de 2 A
3 annos.
Perguntado se consta que .o estudante Joio An-
tunes de Araujo Pinheiro tenha em algum tempoa
habitado aquella easa? Responded negativamen-
to, pois nunca o vio em dita casa.
Perguntado qual a casa n'aquella rua em que
pousou o referido estudante, e a que titulo, se de
hospede, se de locatario? Responded que nao sabe.
E por nada mais ser perguntado nem respondido,
deu-se por findo este auto em que assigna com o
subdelegado, do que tudo dou fe.
Eu, Gabino Joss Baptista, eserivio, escrevi..
Jeronymo Jose Ferrreira.- losad Francisco Xavier.
Auto de perguntas feitas a Joao Demetrio de
Almeida :
Ainda em seguida, no mesmo lugar, dia, mez e
anno supra declarados, pelo mesmo subdelegado
foram feitas as perguntas seguintes a Joao Dome-
trio de Almeida, que se achava present:
Perguntado equal seu nome, idade, estado, filla-
cao, naturalidade, profissao e se sabia ler e escre-
ver ? Responded chamar-se Joao Demetrio d'Al-
meida, de 28 annos, casado, filho de Joao Deme-
trio de Almeida Cavalcante, talhador, sabe lere
escrever.
Perguntado se sabe quem ,6 o inquilino da casa
n. 30 A rua do Condo da Boa-Vista e desde qnan-
do ? Responded que sabe ser Felisarda Maria da
Conceiao, viuva dc Alexandre Rodrigues de Al-
meida, e que mora ha 3 annos ponco mais ou me-
nos.
Perguntado se consta que o estudante Joao An-
tunes de Araujo Piuheiro, tenha em algum tempo
habitado aquella casa? Responded quo nao Ihe
consta que o estudante de que se tract fosse mo-
rador em dita casa cm tempo algum.
Perguntado se sabe qual a casa n'aquclla rua
em que adgumas vezes pousou o referido estudante
e a que titulo, se de hospede, se de locatario? Res-
pondeu que nao sabe. E por nada mais ser per-
guntado nem respondido, deu-se por fiudo este au-
to emi que assigia coin o subdelegado, do queo tudo
dou f6.
Eu, Gabino Joss Baptista, escrivao, escrevi. -
Jeronymno Josd Ferreira.-Joo Demetrio de Al-
meida.
Auto de perguntas feitas a Bernardo Esteves:
Ainda cm seguida, no mesmo lugar, dia, mez e
anno supra declarados, present Bernardo Este-
yes, pelo mesmo subdelegado foram feitas as per-
guntas seguintes :
Perguntado qual seu ncme, idade, estado, filia-
yio, naturalidade, profissio, e se sabe ler e escre-
ver ? Respondeu chamnar-se Bernardo Esteves, de
32 annos, solteiro, filho de Antonio Esteves, natu-
ral de Portugal, sabe leor e escrever.
Perguntado queen e o inquilino da casa n. 30 A
rua do Conde da Boa-Vista, desde quando? Res-
pondeu que sabe ser Felisarda Maria da Concei-
cao, viuva de Alexandre Rodrigues de Almneida,
isto para mais de 2 annos.
Perguntado se costa que o estudante Joao An-
tunes de Araujo Pinheiro tern habitado algum tem-
po na dita casa? Responded que nao Ihe consta.
Perguntado se sabe qual a casa n'aquella run
em quo algumas vezes pousou o referido ostudan-
t e a que titulo, se de hospede ou de locafario ?
Respondeu quo nuo sabe. E par nada mais ser
perguntado nein respondido, deu-se par findo este
aunto em que assign corn o subdelegado, do que
tudo dou fe.
Eu, Gabino Jose Baptista, escrivao, escrevi.-
Jeronymo lose Ferreira.-Ber nardo Esteves.
Certidao :
Cortifico quendeixou-sc de inquerir a Julio Au-
gusto Sacadas par nao ter comparecido, dou fe.
Recife, 3 de marco de 1884. 0 escrivbo, Gabino
Josd Baptista.
E nada mais se continha em ditos autos, d'onde
extrahi a presente certidcio, quo vai fidlemente co-
piada sem cousa quo duvida faa, dou fc.
Boa-Vista, 3 de marco do 1884. 0 escrivao,
Gabino JoAsd Baptista.
(Estava sellado na forma da cli).
N. 9
Pernanibuco--Juizo do- civel-Justifieaqbo. -
Justificante Dr. Silvino Cavalcante de Albuquer-
que. Justificado Joao Antunes de Araujo Pi-
nheiro.-0) escrivwo intorino, A. Borges Leal.
Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus


Christo dc 1881, aos 10 do marco, nesta cidade do
Recif e em men cartorio autoei a petibo e procu-
rai;to que seogue, do que pars constar fiz este au-
toamento. Eu, Antonio Borges Leal, escrivao in-
terino, o escrevi.
Ilhn. Sr. Dr. jniz dO direito do civel.-Silvino
Cavalcante de AUllmiuerque, precisando para a
dofoza,, d lirit,- imp)rtanto, de justificar ;-I.',
quo Felisarda Maria da Cumcceico 6 locataria e
marladort (la casea ni. 3l), a rita do Condoe da Boa-
Visca d'eata ciitd', ha tries annos, poueo mais ou
mcnos ; 2. qio na refenrida casa nunca morou, du-
rante esseo tempo, o estudante Joao Antunes de
Aranjo Pinlichiro ; 3. finalmante quo no menciona-
do p)eriodo cssc estudantc nbo morou a titulo de
locatario, em ncnhuma ontra casa das iinmmedia-
93es da do n. 30, jia referida, vein requerer a V. S.
que se digno do admittil-o a dar a suan justifica-
ao, marcando dia e hora, e citados o dito estu-
daute e o Dr. promoter public para assistirem no
acto que daverA se completar coin ou sem a pre-
senta dos mesmos.
N'estes tcrmos p1)0lc a V. S. doforimento, send
entregue ao supplicante a j nstificauao em original,
depois de julgaitd-, p:r sentenca.-E. R. M. Reci-
fe, 8 de mario do 1881.-Silvilao Gaoalcante de Al-
buquzerque.
Despacho :-Como requer. 0 escrivao design
o dia e hora. Recife, 8 de marco de 1884.-Ri-
beiro.
Designo o dia 10 do corrente as 11 horas, na
salad das audiencias. Recife, 8 de marco de 1884.
-0 escrivio intet'n,. Borge. Leal.
A' Maciel PinheiRo. R>cife, 8 de marco de
S l.- distribmi.Id.r iatcriiio.-Hcenriquae da Sil-
17t1.
Certific) qiue, lije procurando citar o suppli-
catite Jo.ao Antunes ,le Araujo Pinheiro, nao pude
encoutral-o, e para co-star em tempo pass o pri-
s'mntei. Em f6 del verdale. Recife, 8 de marqo de
188L-.-0 official de justice, Albino de Jesus Ban-
deira.
Certifico que hoje c is 6 horas da manbh, citei o
supplicado estudante Joao Antunes de Araujo Pi-
nheiro, em sua proprii pessoa, para o fim cons-
tante da petieao, despachio e nota do cscrivao, do
que do tudo ficou ellc entendido, e pars constar
pass o presence. 0 referido 6 verdade. Recife,
10 de maro de 1884.-Albino de Jesus Badeira,.
official de justica.
Certifico que na mesma conformidada eitei ao
10 promoter public Dr. Timoleao, ficou etenadid..
Recife, 10 de marco de 1881.-0 official de justica,
Albino de Jesus Bandeira.
Silvino Cavalcante de Albuquerque, bacharel.
em direito e official da imperial ordem daRBosa
etc.-Pela present por mrim feita e assigada oua-
stitao meu bastante procurador n'esta aidads*, a.
Francisco Lydio de Luna Freire pars pr iauLas-
sistir nos terms da justificag'o que prOmovo pe-
rante o juiz do-civel contra o estudante Jogai Au-
tunes de Araujo Pinheiro, fasendo oo men pro-
curador requerer tudo quanto for a bom do men
direito, para o que lhe concedo toilai4 podee
necessaries. Recife, 10 de marco de Io L- --
vino Cavalcante de Albuquerque.
Certifico que no o tendo compareeido asl amada-
signada as testemunhas e o jpstificado4 Ap>4M v9.
mentor do justificante, ojuiz adiou mm i1,
do corrente, ao meio dia, na -
para tewr luga a present justg 1]B ,. <
Recife, 10"'Ue margo de 1884.---O,. 1[, ;
Antonio Bo ,es Zwl -..
Certifico intimei & M. ."
eo.para cor
aciente.
ew^^^^


I




I-


r.


f

~


*1


m
' '?
'*i























i'il|| Ome5 SO kea do sdc 26 tuneos
ul 06ei Matat do aPwtwvl viV e do commimerci
Mkar afrttadoooade, a.Ba-Vistsa,saoa oestu
.A BWda 4iw&. TestewuAa jurada aoi Santo
s .a q prsetteo- dizer a yetdad&.
SEndo, umqaehda, dime, que quanto ao p ianei
S-IMsbe qae Feliisda, Mod&a da Conceiclo 6 loea
tria-.e imoradora d' can, 30 da rua do ICod&
da Boa-Vistadieata cidade, ha mais de dois arnnos
Bq" us eadnile testomuaha murder all ha do
-*a" desta- part, quando so mudon pars a refe-
SrMs rua, ja acihou dFelsarda, morando eomo leca
tai na relerida casa. Quainto ao eegundo, disse
que, dturanteo tempo que cite testemunha 6 mqra-
dor em dita rtsua, nutca vio o estudante Joao An.
"s de raujo Pinheiro, morar nem fazer assis-
teneis em casa da referida Feliarda e nem sabe
"e dito estidante morasae na referida run dc
Conde da Boa-Vista,A sendo que elle testenmtAmha
42adece de pessoa o referido estudanter e o tern
ViSto paassar per dita rua por differences vezes.
Quanto ao 3S finalmente, disse que nao sabo noem
Ie conasta que dito estudante occupasse parties al-
ghma desta casa por moradia como locatario.
A reqtderimento do Dr. promote*, disse a teste-
munha que, mora ha dous annos em dita rua do
Conde da Boa-Vista e desde ossa Opoca conhece a
Felizarda Maria da Conceieio, por vcl-a na casa
t. 30 e no n porque tenha eonhecimento com a dita
Felizarda. -
Que sabe que Felizarda 6 viuva de Alexandre
de tal, mas que nao sabe qual sua profisseo.
Que mb q0e Felizarda 6 quem oecupa a refe-
rids cas mais que nao sabo se e della locataria
e se a o9eupa so.
Que nunca vie em dita casa e estudante Jolo
Antunes do Araujo Pinheiro, mas nao sabe se elle
foi alli morador.
Que nio sabe se o estudante Antunes morou al-
gum dia nessa rua, vendo-o passar algumas vezes
per ella sem nunca ter sabido qual o motive e nem
o seu destino.I
E per nada mais dizer houve o juiz este depoi-
mento per find no qual assign corn a testemu-
nha, o procurador e o justificante e o Dr. promoter
public.
Eu Antonio Borges Leal, escrivio interino o0 es-
crevi.
Ribeiro.
Joaqaim Gomes Salgueiro.
Erancisco Egydlo de Luna Freire.
Timoleo Peres de Albuquerque Maranhao-
2a testemunha
Jos6 Francisco Xavier, de idade 40 annos, ca-
sado, natural desta provincia, vive de negocio,
morador na rua das Nymphas, aos costumes nada
dis9e.
Testemunha jurada ao0 Santos Evangelhos que
prometteu dizer a verdade.
E sendo inquirida sobre os itens da petilao que
Ihe foi lida.
Disse que sabe que Felizarda Maria da Concei-
aeio 6 moradora na casa n. 30 da rua de Conde da
Boa-Vista ha dous para tres annos, mas ignore se
ella e a locataria da casa, visto nao ter relaioes de
amisade intima corn ella.
Ao segundo disse, que nao sabe neom ouvio dizer
a pessoa alguma que o estudante Joao Antunes de
SAraujo Pinaeiro fosse morador na referida casa.
Ao terceiro, disse finalmente, que nao sabe que
o referido estvdante fosse morador naquella casa
nem em outra qualquer das immediagoes della,
porque nilo conhece a pessoa desse estudante.
E por nada mais dizer houve o juiz este depoi-
mento por find no qual assign csm a testemu-
nha o procurador do justificante e o Dr. promoter
publieco.
Eu, Antonio Borges Leal, escrivao interino o es-
crevi.


Ribeiro.
Jose Francisco Xavier.
Francisco Egydio de Luna Freire.
Timoledo Peres de Albuquerque Maranh/eo.
34 testemunha
Bemrnardo Esteves, de idane 32 annos, solteiro,
natural de Portugal, negociante, morador na rua
da Soledade, aos costumes nada disse.
Testemunha jurada aos Santos Evangellmhos que
prometteu dizer a verdade.
E send inquerida sobre os itens da peti"ao que
Ihe foi lida.
Disse quanto ao primeiro que sabe que Falizar-
da Miria da Conceicao, 6 moradora na casa n. 30
da rua do Conde da Boa-Vista destacidadeha douns
para tires annos rmas que nao sabe se ella 6 locata-
ria de dito predio porque nao tern relates inti-
mas corn ella.
Ao segundo disse que nunca vio nem Ihe consta
que o estudante Joao Antunes de Araujo Pinhei-
ro, morasse em dita qasa, sendo que elle testemu-
nha conhece de vista dito estudantc.
Ao terceiro, finalmente, disse que nio sabe nem
Ihe consta que o referido estudante morasse a ti-
Stule de locatario na casa n. 30. onde 6 Felizarda
moradora, nem cm nenhuma noutra casa de visi-
nhanga desta.
A requerimen'o do Dr. promoter, disse a teste-
munha que o motive porque sabe que mora nessa
casa Folizarda, e o de vel-a na mesma casa; que
nao sabe qual a sua profisslo ou mcios de vida,
nem se mora so; que sabe que nioo mora em dita
casa o estudante Joao Antunes, por nunca tel-o
visto alli; que v6 sempre passar o estudante Joao
Antanes por aquella rua c ir a casa de Francisco
de Paula Lopes e a casa contigua onde mora a fa-
milia de Paula Lopes.
E por nada mais dizer houvoe ojuiz este depoi-
mento por findo no qual assign corn a testemui-
nho, o procurador do justificante e o Dr. promoter
public.
Eu, Antonio Borgcs Leal, escrivaio interino o
escrevi.
Ribeiro.
Bernardo Esteves.
Francisco Egydio de Luna Freire.
Timnoleo Peres de Albu.auerqee aranito.
4I testemuniha
Paulo Jose Mendes, de idade 30 annos, viuvo,
natural desta provincia, artist, marador no Ca-
miniho Novo, aos costumes nada disse.
Testemunha jurada aos Santos Evangelhos que
pro aetteu dizer a verdade.
E send inquirida :
Disse quanto ao primeiro, que sabe que Feli-
zarda Maria da Conceici;o 6 moradora e locataria
da casa n. 30 darua do Conde da Boa-Vista des-
ta cidade e sabe porque 6 ie morador a mesmina ria
e ternm relaes de amisade corn a referida Felizar-
da, sabendo tambem que ella e proprietaria.
Ao segundo disse qno noiao sabe, nito 1Ir1 consta,
nerm elle testemunha nunca vio, estudante algum
fazer assistencia na casa da reforida Felizarda.
nem tambem de visit.
Disse mais que nao conhece o estudante Joao
Antunes de Araujo Pinhciro.
Ao terceiro, finalmente, disse que nao sabe nem:n
Ihe costa que dito estudanje morass no predio n.
30, neon em nenhum outro da visinhanaa e isto por
nao o conhecer.
A requorimento do Dr. promoter public, dise
a testeaunha que nuo sabe se Felizarda 6 pro-
prietaria da casa que occupa, nem sabe quern m6 o
proprietario dessa casa e que o motive por que
sabe que ella occupa dita casa, 6 vel-a alli cons-
tanteimeute.
S E pot nada mais dizer houve ojuiz este depoi-
mento per find no qual assign corn a testemu-
1u oish, procurador do justificante e o Dr. promoter
- 1 -- pulaieo.
l : Eu, Antonio Borges Leal, escrivio interino o
'* screvi.
IgS''^: 1 *' *Ribeiro.
Egd de Luna Freire,
Pres de Albuquerque Maran/.
e achando-se a hora adiantadp, a re-
procurador do justifitante o juiz
a uio amanha As 9 horas a prsernte justi-fi
S' Aft 1Recife, 11 de marto do 1884--'O
4ii.itisAtnoBorge/-ea./ .
:dot$*Wkr f 0 eo D


>- o w~witw o 1w^ mfesmo -Pam 5u
as re wda^(e .Ec ft'de see WiAc
I, dito jXetslesso. Nwte teas plde V.4Ea
deferimeunto.-. .e. fecife, 12 djmau o e
1884-.. -piro arro I'J^Me*ow F4 & deLMi
s, freire.
Con*o reqnw.-Rec-f?, 1t* & wr O de 188d..
- Ribeiro. 1 1 -
SCo4de o.-Ao S do. marco d, 1884, -em me
,eartoriofiaoaesteeautes oiolaqoa aqJri.jiiz d
- direito do civel.
Eu Antnbido 'Borges Leal, ewreente ihtoetino
le e evin. '
, Julgo a present justificaglo por oa.ktenqa| pai
s os effeitos que Ike couberean, p"" a as otstaas e:
- cana pelo jastifcante, uem Be entregara
Sinstrumento para o use ahoe Ihe eo rier.-Jom
e quin do Costa Riboeiro.
* Publicaio-Aos 13 de mwre .de 1884, nlt
* cidade do Redfoe, enenmeu. cartvio foram iott
Scodes estes auto*, corn a sontena spra.
S Eu, Antonio Borgee Leas,escdvIo o eserevi.
e Certifieo qae intimei a snte retbo 2o solid
a citador Franiseo Egydieo d La Feifre e a
a Dr. 2' promoter pubHic, dot f&6 Reeffe 18 d
maro de o1884-Antosi Bbrgee Leecdoeserivid
i iteriuo.
Certifico que entroeguei a parte a preset jai
tifieaoAo, eonftrmo a &entntea itto -dou f6.
Recife, 18 deo msvo de 1884.-0O esrivio into
Drino, Atomio Borges Lead.
I N. 10
Illms. Srs. president e mais members da junt
aparadera do 8 distfieto.--Nio sendo o estudant
Jolo Antnes de Araujo, Pinheiro -pessot- habi
para reoeber votos e sendo do pleno drefto evi
deutemente nullos os que Ihe foram dados par dale
putado provincial na eleiglo que se precedeu n
din 29 de novembro proximo paspido, e d ocuj:
apuranlo se traeta hoje, c abaixo'assignado vei
offerecer a illustrada eondiderao da junta apird.
dora a present reclasmao e esperaque seja de
vidamente atteadidaiewa face dos valiesos e junri
dices fundamentos em que se apoia.
E' incontestavel, que os eandidatos legalmenta
votados na refetida eieIo que eonsegairam reun
nir maior numner delatos e -quo per fora"cda le
e do direito devem set proelamiados eleitos, slo c
Dr. Silvino Cavalca te de Albuquerque e o abai
xo assignado.
Para chegar-se'at ete'rsuttado, brata attender
se as claras e positivas disposioes dos arts. 2 e
10 da lei n. 3,029 de 9 de janeiro de 1881, desd
que o estudante Pinheiro n aoi era eleitor ao tempc
em que foi votado, comao iinda nio 6, document(
n. 1 e nemo ao menos -tern as qualidades legaes
exigidas pars o conhecimentow esse direito ; nak
so por nao ter e anem poder legitimamente'proeam
a renda legal; mas ainda porque 6 filho-familia
-nao tern economic propria ou separada da de seu
pai, a cujas expenses vive e esti estudando, coern
todos sabem e portanto expressamente exeluido do
direito de votar e ser votado polo art. 92 da cons-
tituivao.
Ninguem certamente de boa fe admittira que
um estudante que nada tern para manter-se, a nic
ser a mesada que Ihe d seu pai, possa pretender
seriamente considerar-se emancipado e ter econo-
mia separada nos precisos terms da lei, para ef-
feito de ser admittido a exercer as altas funcqces
de legislator !
Nao send, pois, o referido estudante Araujo Pi-
nheiro eleitor p nem tendo para isto as qualidades
exig das pela lei, accrescendo ainda a circumstan-
cia de ser filho familiar e de viver em compa-
nhia e as expenses de seu pai, 6 claro e evidence
que os votos que Ihe foram indevidampente dados
sao nenhuns c como takes devem ser consideradas
cedulas em bronco, que nao podem ser levadas em
linha de conta para nenhum effeito.
0 abaixo assignado protest perante o poder
competent apresentar os documents que Ihe fo.
rem exigidos a bem de seu direito.
Em face do exposto, estando evidentemente de-
monstrado, que o abaixo assignado 6 o segundo
candidate legalmente votado e portanto eleito, 6
de di'-eito e justice que lhe seja expedido o respec-
tive diploma, devendo consignar-s e na acta da
apuraao9 o eccorrids e que rubricada pela junta a
present reclamacao, seja appensada a copia da
mesma acta que f Or remettida a Assembles Legis-
lativa Provincial para opportunamente tomar co-
nhecimento da materia e julgar como em sua sa-
bedoria entender e for de direito.
Olinda, 12 de janeiro de 1884. Jodo Ferreira
de Almeida Guimardes.
Corn um document.


N. 11
Declaro que o Sr. Dr. Jolo Antunes de Araujo
Pinheiro, foi meu inquilino na casa n. 30 a rua do
Conde da Boa-Vista, de minha propriedade, corn
o aluguel de trezentos mil reis annuaes, como
consta dos recibos que ao mesmo senhor passed.
Recife, 4 de marco de 1884.- Carlos P. Lopes.
Reconheqo verdadeira a assignatura supra.
Recife, 4 de marco de 1884.
Emi testemunho de verdade J. B. S. M. tabelliao
publico.-Jos4 Bonifacio dos Santos Mergulhdo.


REVISTA DIARIA
A.ssemblla Provincial.- Funccionou
hontem sob a presidencia do Exm. Sr. Barao de
Itapissuma tendo coniparecido 31 Srs. deputa-
dos.
Foi lida e approvada sem debate a acta da ses-
sao antecedente.
0 Sr. 10 secretario proeedeu a lecitura do se-
guint- expediente :
Urn officio do secretario do governor communi-
cando que Jeronymo Gomes da Fonseca vai pro-
seguir na obra da canaliaqao da carmboa de Ta-
caruna, de que 6 arrematante, visto o Tribunal da
Relacao haver desprezado os embargos oppostos
por Antonio Ferreira de Oliveira ao Accordao que
julgara improcedente o embargo da mesma obra.
-A' commissao de orgameuto provincial.
Outro do mesmo, remettendo urn officio do com-
mandante do corpo de policia e informagao do
Thesouro Provincial concernente A falta de credi-
to para pagamento da gratificacao de commando
de destacamento.-A' commisaao de orcamento
provincial.
Outro do mesmo, remettendo informa6es relati-
vas ai falta de credit para occorrer ao pagamento
de 5164130 de passagens concedidas por conta da
provincia na estrada de ferro do Recife ao Limoei-
ro duranto os mezes de julho e agosto de 1884.-
A' eoinmnisslo de orcamento provincial.
Umn abaixo assignado dos moradores do terrno
da Gloria de Goita, pedindo que seja dito tcrmo
elevado a comarca.-A' commissao de estatistica
e divisao civil e ecelesiastica.
Uma petiqao de Jose Casimiro Alves Bezerra,
professor public de- Bebedouro, requerendo qne
seja favoravelmente despachada urma sua petiqoe
de 1881 em que pede ser indemnisado dos ordena-
nados a que tern direito pelo tempo em que esteve
avulso.-A' comnissao de ordenados.
Ontra-da irmandade de Nossa Senhora da As-
sumpao das Fronteiras, requerendo ser na lei do
orcamento do proximo cxercicio contemplada corn
a extracqao de duas loterias.-A' commissao de
oramennto municipal.
Outra de Marianne Marques Ferreira, ajudante
do pharmaceutico do hospital Pedro II, requeren-
do augmento de seus veneimentos. -A' cemmissao
de ordenados.
Foram approvados dons pareceres da commissao
de instrucego public, pedindo informaqies ao
director da Escola Normal, acerca dos requeri-
mentos de Maria Nicacia de Jesus Coelho e Luiza
Candida de Albuquerque.
Foram julgedos objecto& de delibera*o, iado a
imprimnir os seguintes pojectos :
I N. 30-Creando una cadeira para o sexmo ma-
culine em Carnahyba, comaca de Flores ; e area
mixta no povoado de Ingazeira.
N. 81. Cresado wa' freguezia sna eomUade
Cabrob6 com a denomina* o de Nossa s &nhowdo
Patrtemio de Belema.
0 &r. Democrito Cavalemsat orou 9 ordem.
enviando a mea urn reneim to dU w els


as- requerinwa de uw o rm ew s, "n urW_
e- sore violencissa da policia de Bboa
ie mettidas no dia 21 do corrente-; outro doS
ii Olympio Marques, de urgencia .por -10amiiAut
la par se ler, diseoutir e votar u% rftjuw qwto, q
c. enviava A mesa, sobre um ceco e. vrjo aa
de freram o Dr. Pau de Oliveira e outoao 41io
la outro, finaaenote do Sr. Weira de Vaancellos,
prow o de ohora pore 0miaut~s paox & %re
if dca~ao. -
FPatuosoae a-ordet do di4.
Bu Coatinuando a disoussiao 4o parecer n. 19 dei
Ie anno, foi eneerrada depois de oakanemn os.. S
ruftontd lfitho, Correi* do Aranjo, Amaro Fo
o see, Jose Maria, Olympio Marques, tres vez
;IeaLeduax jela ordem e tambem pelsa ordem
ra Sr. Luna Vneire Junior, foi approvado ficando.pr
c- judtcadas as emendas apresentadas, e nao aseni
o aceito um requerimento do Sr. Olympio Marque
- que retired uma enmendalque apresentara.
eAxa*ndo-se na ante sli o Sr. Dr, Ma miar
t Ftan is *Ae, q9 lftoass jp S*r. ipe1= iden
suprac d
approvatao do supracitadoparecer n. 19, foi ii
rtr pa d Ma
troduzido sasa ds esss, prestou juramen
i- etsau asbusto: eom asaormtl-idades do estylo.
Lo A votagao do teferido parecer foi nominal a r(
le querimento do Sr. Fiel Grangetro e por elle voto
to mam oa Srs-Anistacho Bpet, aev~o de Oliveir
tJos6 a,, P1o W d taOveira ,a ltiandoe de-Taba
pc. Itngs;' eaein* ie ljyrs, eCrilmeits^B;- ra}fmini
Coutinho, Armdi.La&-e, Amaral e Mello, Barn
a- de Nazareth,fSntosd Pifaheiro, Amaro Fonseca
Praxedes Pitiga,''Augusto Leao, 15 e contra (
Srs. 1lympi Marqts, Mefr-A -d Vascoacello
a Slovamue Cavaloawt6s, E0eno' o Oalcapte, G6
e Clatefafite, Dtsmntifd id Iho, Fiel -0angeiro
il Rosa elSilva, C batiao io Aatonie Correis4
- Alfredo.-ObirO, 11.
SVeia A A esa m q rjarimnewto do Sr. -Alfred
o Correia, sendo "approvado, pedindo trgeneia de 3
a minutes para ser lido e diseutido um parecerfd
a cenufissiA d6 tonmtiVuImo'e pocfees sobre a elei
- iodb 13 distrieto.
S Lido e post em diacussaio o referide parecer, f(
- approvado semr debate, sendo proolamaao deputad
o Sr. Joae Alves Bezerra Cavaleante, o qual aohan
e do-sea n ate-sala fi convidado a vir prestar ju
. ramentoo tomar asaento, o que se fez, preenehida
i as formalidades do estylo.
0 Em seguida proeedeu-se a vetaclo do project
n. 3 deste, a&tno (sbopde*ido a execuio do art
16 da lei n. 1,786) send approvado em 3a discus
sao, bet como a emeada do Sr. istevao de Olivei
m ra suppntnindo outra approvada na 2a discuss
a e regeitada a emenda substitutiva do Sr. Olympi,
o Marques, a requerimentode qum se procedeu a vo
o taao nominal sobrea emeada a4provada.
S Por dita emenda votaram: os Srs. Olympio
SMarques, Estevao de Oliveira, Paulo de Oliveira
SMeira de Vasconcellos, Silvino Cavalcante, Vis
conde de Tabatinga, Pereira de Lyra, Demoeritc
Cavalcante, G6es Cavalcente, Arrnda Falclo, Joao
Augnusto, Louren9o de SA, Drunmnond Filho, Fie
SGrangeiro, Rosa e Silva, Juvencio Mariz, Cons
tantino Lins, Amaro Fonseea, Antonio Correia
Praxedes Pitanga, Alfredo Correia, Maximian
Duarte e Jo'o Alves, 23 e contra os Srs. Aristar
cho Lopes, Jose Maria, Cunha Beltrao, Ermiri(
SCoutinho, Amaral e Mello, Santos Pinheiro, Luna
Freire Junior e Augusto Leao, 8.
A ordem do dia 6: discussaLo do parecer sobr<
a eleiao do 30 district, 1" dos projects ns. 25 (
26, 2a da emenda ao de n. 3, todos deste annoe (
continue io da antecedente.
Guard Nacional.-Pela Presidencia da
Provincia foram expedidas as seguintes portarias:
a 2.a secfro.-Palaei da Presidencio de Per-
nambuco, 22 de marro de 1884.-0 president d(s
provincia, parw execueao da lei n. 2%95 de 10 de
setembro de 1873, resolve nomear Laurentino Cor-
deiro Rego para o posto de tenente da 4a comnpa-
nhia do 59 batalhio de reserve da Guarda Nacio-
nal da comarca de Panellas.
(Assignado) --Jose Manoel de Freitas.
c 2.a secdo.-Palacio da Presiden.ia de Per-
nambuco, 22 de marco de 1884.- 0 president da
provincial, para execucao da lei n. 2395 de 10 de
setembro de 1873, resolve nomear J se Isidoro
Pereira das Chagas para o posto de alferes da
8a companhia do 26o batalhio do servi aetivo da
Guard Nacional da cemarca de Pane is.
(Assignado).--Jos6 Manoel de Fr itas.
A.#.Cidades pollieitce.-Poe astol da
Presideneia da Provincia de 22 e 24 ( corrente,
e precedendo proposals do Dr. chefe dc policia:
Foram exonerado: 1
Francisco de Paula "Souza Leao e Jo6 de Car-
valho Gusmao dos cargos de 10 e 3o upplentes
do subdelegado do 1o district do termn de Jaboa-
tao, o primeiro por ter sido nomeado p(ra o lugar
de 3 supplente do delegado, e o segund[ por ha-
ver d'alli mudado de residencia;
Manoel de Carvalho Seares Brandao e o major
JosO Rodrigues de Oliveira Lima, dos cargos de
delegado e 3o supplente do term de imboat'lo,
per haverem mudado de residencia. |
Foram nomeados:
Para o cargo de delegado do referid termo de
Jaboatao, o actual 10 supplente, capital Mieanor
Bandeira d Mello; e para os de 10, 20 3o sup=
plentes da mesa delegacia, capitbo mrancisco
Theophilo de Souza Leao, tenente Jose Joaquim
de Si Barrette Junior e Francisco de nula de
Souza Leao, na ordem em que se acham| colloca-


dos.
Para o lugar vago de subdelegado 10 dis-
tricto do mencionado termo de JaboatAo irissimo
Paes Barbosa; pira 1- supplente. o actua 2o, Fe-
lix Ribeiro do Amaral, para 2' supplent o te-
nente Francisco Joaquim de Mello Cahd, para o
de 3o supplente o cidadao Jos6 Antonio de Oli-
Yeira e Silva.
Para o cargo de subdelegado do lo dist cto do
term de PAo d'Alho, o alferes do Corpo e Po-
licia Jeronymo 0 Ion Ferreira Cabral.
Para o cargo de 1- supplente do subd legado
do district da Cruz da Matta, do term dt Agua
Preta, Manoel Vieira Fialho, em substituilo de
Antonio Vasconcellos Line que fallecen.
LibertacAo do Ceara-Estiveram na la-
tura do glorioso acontecimento commemorido, as
festas realisadas nesta cidade, no din 25 do cor-
rente, para celebrar o dia em qu a heroic pro-
vincia do Ceara- completou a sun total ema cipa-
ilio, vendo-se livre da nodoa da escravidao.
0 programma publicado fci fielmente exe tado
em todes os seus pontos; e a populanao do ecife
soube devidamente secundar os intuitos da com-
missao executive das festas, concorrendo em gran-
des massas quer a s festas diurnas, quer As noc-
turnas.
A's 5 horas da manha' do referido dia, apos a
salva aunnciadora da ridente aurora, reunirann-se
no Campo das Princozas a referida commissao,
diversas sociedades abolicionistas, o Club Carlos
Gomes, a Sociedade Musical 28 de Setembro e
muito povo, talvez em numero superior A 1,000
pessoas, e todos formando prestito, cornm duas ban-
das de music na frente, percorreram em passeoata
diversas ruas, e depois se dirigiram A estaiao do
telegrapho terrestre do estado, de onde a ceia-
missao executiva fez cxpedir tires telegram n as:
um A Libertadora Cearense, outro A S. M. o I e-
rador do Brasil e o terceiro a Confederaqdo A li-
cionista da c6rte. Estes telegrammas, bem c o
os que a commissao recebeu vao adiante pu li-
cados.
Depois a passeiata dissolveu-se ecm boa ord m,
e por entire calorosas acclamaeoes.
A's 10 e 1/2 ho'as da manha comegou a affi ir
pove para o theatre Santa Isabel, onde devia tr
lugar a sessio litteraria e musical.
0 theatre nao 'tinha ornatos. No palco estavn
dispostas, no fando e A direita, as archibanc d
para as bandas do Club Carlos Gomes e a Soci
dade 28 de Setembro; a esquerda seis piano4
na bota% A dirti & omesad eommissio director
das festas, tend ao lado a tribune pare os 7
dores. No oentro do paloo flas de cadeiras
os libertados do aptiveiro :no faustoo dia 2 dt
Vnarvo.
Ao meio dia estuva o theater rgorgitandodo
aepeetodoros. Os aBroes, eram oee
numerosas famnlias. psinsoiras Lisa da pP
t6a ,it4 estavm, a irnpressa, as deputacoes a
Aowam&%& Piviyjaarl das L74 Associagoei diver-
!m~as w covdaaBptia o saraot e na atas, outwa


%m quibui la -um emo, d


list, doiabu e fram iu nugi de'
d 1 ri4a4 ea ou obtid pirria o da ai euaaoai


dorras, e 18 obtidssi~om o ooneuz'so e au~itio,
A pos a Atrgat dat 8ar~ab, tol hrilhantem~eu
w end ohamueo Dr. Babera3 do ri Eue i
. Fonmeea, d pirtos, orhe s eatra e bgi ndas dpeo CI
PeiP J04S MriAno. '..



f- Carlos Gomea, seio saudado crm em maitas lmemI



es, Subio. entao A tribune o Sr. Dr. Pedro Affon
o Th~rreira, geuro do finado e-nunea esquecido Vi
e- cosde do i55 coed Bridasnco, e digratuitment longamer vte r
de pbrticua o ses onpt oda fes, coindo po emutrei
s, a oraiss, e 16 obti a cara dooe liberdado doe ur seai e
eoinrav k4. Fit applaudide.
IIAP6s fttr~ga- isdtrepea., fol brithantemeal



S Sucessivamoto fallaram os Srs. Jod o Cr. Eueil
t Lsboea, iquo reeornhestrna poe bad; Jos Camil
n' Carlos Gomei, send saudado coonamuitas palm


sa Linhares d'A tribuqefte; Do Sr. Affonso d'Albf



n- qumqae Meilo; Din. AlkbiadeS Caralcante d'A
to bFqerqureira, pito Antonio Gacindo de Gusmido V
Le- onde do Bom ranco, es disonorarios do Exeite (



e;Affoiso" 3~ly, quo reeitot" versos ; Anizioc
- ,breo aasumpto da feAbsrta conclando por eatrnseg;
s, a corGisso a car Mttos, sendo quliberdade, die um seursos e e
sos, forav todos i a is o meos applaudidos, be
io ome os traeehos musie fallarams qu os inters. Joaedioar oel
loa Linfhares d'AnteSr.Dr. Jos M Dr. Affonso d'Alb, em no



adi conuiso dihecora das feetas, agradeeeu
sa todos quantos so associnram Aquella nlauifesta.
s,- qu ce eluo erguo do vibis ao CeaA te Perna
sto baco, derque ; casperito Antonio Gva qe dentraco em brevGus dia
Lo, em panharia o heoi norarios d Exercitn.
- Affosii teriJoy, quo resito ltt raros;a e musiio
t- Abreu,, ew skme da LibbrtAdora Piaufayense ;



a, 3 o 1/2 heras da tardtto, sendo qumeio disursos e veral ju
- 803, foram todos mais o meou a festa udidos, jardibe
io eomo os trechos musicaes que os intermaediarar
to Phrfahente o'Sr.'Dr. Jose Mariano, em nom,



a do Campodas Prineetzaora qus estasva gdecado cou
Stodos quantos se associarams, e onde tocavam 4 bandifesta



do music.
Oi 0 pove o afluio p aa alli em massa e norme, senda
o quo das 5 ern esperaa que dentro em 'horas da noite fo
07, aeompanharib, A heroiri'dit dia.



e rai alli paru maits dto 10:000 pssoaria e music a



-classes e eendi9oes sociaes.
s 3A' noe alem1/2 hor d tarde iiumiu. ao M ega, fora all
to bilo.







acoendidos quatro focos do luz electrica, qu
o A's 5 hor realce immense a o jar dor; e queima
.a do Camso mUitos fogb dric bengas qe e mstava deoradteiros. co
- bandeiranou sempreallias, A e onde to da grade agglo
de music.
Di 0 poVo affluio pftra alli em massa enorme, send



-o queaAo d po, a mdlhor o rde horas da noite for ale
i-o griam, sendo dpar quanis do em vez erguidos vivde todas qu
o loram sepr cendioes sociarres. poudids.
-s -o alb sem da irmi'da Oo, exposto dgaz, foram alnh n
acedo do thequatre, e ro focos de uz elect, no pavilo q
o Campo da i ceza immenso ubo jardim; e assigna-
, turam-s, figurado nello de, alem dos ne mortes diros b.ne
meritos qu libertar gratupeito da grande agglos
Smeruitas se phovoas, a cmelhor ordem eto ma das fles
o gritas, a imprsendo de quando em vez ergidades civis, aqu
o foram semppre bem correspondidw>.
1- -0 album* LivrTode Oupo, exposto de maihal no


al commisSes datrs soiedades eonvidte das, o nsid
SCampo- deravel numero dez outras, ficpssoas, quberto de associa
t, turas, figurando n'ellet alem. dos nomes dos bene-
i- meritos que libertaram. gratuitamente escravos)
0 muitas senhoras, a commission direetora das fes-
o tas, a imprensa., diversas auctoridades civis, as
,I commigsses daa, sociedades eonvidadas, e consi-
i- deravel numero de outras pessoas, que se associa-
Sram a idea commemorada.
0 Duas bandas de music, scguidas de nurnme
- rosos grmpos, que davam vivas ao Ceara e outros
) referentes ais festas, percorreram algumas ruas,
a noite.
A rua da Lnperatriz, na Boa-Vista, vestio
e se de galas para celebrar o acontecimento do dia
e e a noite todos as casas dessa rua poseram lumi
a narias, bemrn como quasi todas as da run do Impe
rador, e muitas de diversas outras runs; send<
que destas ultimrnas, algumas pozeram colchas na,
sacadas e jauellae e adoruaram-se corn bandeiras
epavilhifa.
As festas, em conclusao, pode-se dizer, fo-
Sram geraes, e isto, quando nada, serve para mos-
_ trar que a idea emaancipadora tern feito jA un
Sum grande caminho entire n6s.
Livro de Ouro-O album assim chamad(
pela commissio director das festas de 25 d<
de marco acha-se exposto todos os dias uteis, das,
9 as 11 horas eda manhg, e das 4 As 6 horas da
tarde, na sede da Sociedade Nova Emancipadora
A run do Imperador n. 31, afirm de ser assignadc
Spor todas as pessoas que quizerem fazel-o.
Fernando de Nekroatha-Hontein, A tar-
de volton, desse presidio o vapor que a 12 para
alli sahira. A horn adiantada em que deu elle s
mala, 1e afluencia de material nao nos permitteur
dar hoje a nossa missiva d'alli; o que faremot
amanhL.
Matruz da Boa-Vista.-Amanha, As 6 ho.
rms da manha, comeoa nessa matriz o septenaric
de Noasa Senhora das Dores.
Saudaces. -Eis os telegrammas de sauda-
cao que forarm dirigidos pela commissao director
das fiestas de 25 de Marco :
A Libertadora earense
Pernambuco Sauda Ceara Livre.
Commissato festejos, associac;es, povo, reuni-
dos frente telegrapho rendem preito primeira pro
vincia livre Brasil. Are Libertas. ,
A' S. M. o Imperador
Commissio 25 de Marco comprimeuta Chefe
dca Nac~o pela libertacao do Ceara. ,
,, A' Confederacao Abolicioaista, corte.
,, Commissao 25 de Marco congratula-s3 corn
vosco pela libertacao Ceara. ,,


,, A' Libertacio lVossoroense
Commnissao festejos Ceari livre sauda MIossor6
livre. Honra Ceara c Mossor6. ,
A mesma commissao reeebeu no correr do
dia 25 os seguintes ielegrammas :
Fortaleza-Ceara', louco de enthusiasm, cele-
brando na praca public sessao colossal, agradece
povo pernaminbucano e offerece-so ajudll-o na obra
ingente de derrocar ultima seiizalha brasileira. ,
SDe G:)yannai -Club Goyaneus sessilao mnag-
na regosijo. Cinco liberdades gratis.
De Goyauia Parabeus emaneipacao Ceara -
Gouveia.
,, De Nazareth-A Redaccao d"1 Thermaometro
fclicita e cougratula-se coin o ('i'b Abolicionista
e Nova Emaneipaitora. Sauita o Ceara e abra'a
seus filhos redcmidos. ,,
a De Goyanna -Club Abolicionista Goyanuense
congratula-se coam abolicionistas d'ahi pela liber-
tayi'o Ceari. Sa ve. ,
De Iyuarass& -Do Gabincte de Leitura Igua-
rassuense-a commissao 25 de Marqo-Theatro
Isabel-Pamabens, congratulamo-nos com o Ceari
livre. ,
De Una-0 Club Litterario de Palmares con-
gratula-se corn o acto patriotic da provimia do
Ceara e faz ardentes votos pela redempao do ele-
mento eseravo emn todo o Inmperio !!
Imprensa-No dia 25 do corrente, e para
commemorar a libertaqao complete do Cearai, fo-
ram pubicadas duas folhas -unicos numerous :-o
Vinte Cinco de M1aro e o Ceard Livrc.
0 primeiro traz artigos firmados pelos Srs. :
Figueira Lima ; Filippe de Figuceir&a PFaria, da
redacao do Diario de Pernambuco; Dr. Jose
Austregesillo Rodrigues Lima ; Dr. Jose Moreira
Alves, da redacaio do Tempo ; Dr. Izidoro Martins
Junior, da redaccao da Folha do Norte; RIeinaldo
da Silva Porto ; D. A. F. Trigo de Loureiro; Li-
nhares de Albuquerque; F. Parente; M. C. Silva
Braga; Georgiano Gonqalvcs ; Alvaro Gurgel de
Alencar; Um Cearense; e F. B.; e poesias dos
Srs. :
R. Farias Brito; A. Olympio da Rocha; Clau-
dino dos Santos; Felix Candido ; Dr. Izidoro Mar-
tins Junior; e Cyridiio Durval.
Do segundo sio firmades os artigos pelos Srs,:
Dr. Clovis Bevilaqua; Dr. Arthur Orlando; Au-
reliano Barbosa; Jodo Bandeira; Dr. Antonio
Gomea de Mattes; Alfredo Pinto; Jayme de Mi-
randa ; Phaelanto da Camara; Manoel Coelho dos
Reis; Dr. Jodo Freitas; Georgiano Goncalves ;
Alfredo FalcAo; Dr. Izidoro Martins Junior
Braz de A. Mello; e as poesiae pelos Srs. Fer-
nando de Castro Paes Barreto ; Claudino dos
Santos, e Dr. Antonio do Souza Pinto.
Toda a imprensado Recife, quer a diaria, quer
aperiodieo, iftn edirepm*. eeleroa lofautiua9o
acomtecimeuto, qer dando amrigo editorial quer
dedieado ex 'svamente ao- mo&m asuptpto a
tolha do dia 25 dAe Maro.,
Teleegrmmuas -A redo do Cear' Lim
dirigioteelegrmma & sociedade Liber*dora
Ceare de, da Fortaleaa:
c A reda4aodo. Cix" JLtwvm u& %ua beueserik
U provi, de Alenear a aaciemnto. x
Em reapos* retbeu a memma redaodeo este
Irsecma livre agradece vossa honrows t-n-
3aa t -^ ..- il 7 '1' 11: 1 t !


li. 0 pedido doIntitnto 4 aoommisseo depef
iaes qP da Asemnbl6a, qqo dea parceer favorave
iteo oneluindo oiom o i eot a %, 10, que e asszc4
3r. eebido a
S Art: 1, De aooordo oom o institute Archec
TI logio G(eographioo, Pernamihuoano, fia o preo
50s daute-4a, provinaoias auotorisado %:iouqbkr a ti
a- dos rptbroa doesia Associaco de ir 'a Hollad
44 afim e .eamainar e oxtrhir odpias dos document
tos o fAiise existentesa nos archives e bibliotheca
te d'd Iuelle roeo, relatives a esta4a do lhollandow
no BraaiL
-b. Art. 2. Para desempenho dessa cormnmisso,
&i. president da provincia flea auctorisado a conc(
oo, der a subvengio de 7:000% pagos integralment
is- ao mesmo Instituto logo que tenha elle recla
o- mado. .
an ,, Art. .0 As cepias authenticas dos ditos do
2- cumentos sergo recolhidas ao archive do Institut
Archeologico Geographico Pernambucano, e po
ho elle igualmente publicadas.
lo a Art. 4.o Fica o president da provineia auto
u- risado a effiectuar qualquer operacAo de credit
l.1- para a execu9io da present lei.
to Revogadas as disposi95es em contrario. ,
) ; Esse project, que ja foi adoptado em la discus
le sio, 6 credor das sympathies publicas, e merec
c ser convertido em lei, por que vai prover a umn
r- verdadeira necessidade provincial, qual a de comn
m pletar o estudo da historic d'aquelles tempos
n. ainda hoje cheia de lacunas, que sem duvidadf
ie desapparecerilo em face das provas que se contem
a segundo dizem varias testemunhas, nos archives
io bibliothecas da Hollanda.
a- Certamente as melindrosas circumstancias ds
Is provriicia nbo deixam enxancas para larguezas
mas no easo em questao, sobre ser pequena a des
al peza autorisada, releva ponderar que devem se]
- grandes os resultados a colher, e tanto mais ere
dores de applause quanto interessam a historic
n da provincia o que importa dizer devem benefit
i ciar a sciencia e as lettras pernambucanas.
Is Merces.-Pelo gaverno de S. M. o Rei d(
Portugal, toram agraciados:
o Corn o titulo de Visconde de S. Laurindo, o pro-
- prietario brasileiro, de S. Paulo, o Dr. Laurindo
L Jose de Almeida.
Corn a commenda de Christo, o negociante de Per-
li nambuco Jeronymo da Costa Lima.
e Gremio Draunatico Familiar.-Ama-
- nhb esta sociedade dA posse aas seus novos fune-
cionarios, pelas 6 1/2 horas da tarde, no lugar do
- costume.
Libertac6eas. -0 Sr. Antonio (do Carmo
e Ferreira e sua consorte concederam liberdade serm
onus e gratuitamente, segundo aos informal, As
o suas escravas Benedicta, Maria e Mena.
o Tambem o Sr. Manoel Loureno o dos Santos,
- negociante da cidade da Escada acaba de concc-
- der carta ao seu escravo crioulo de nome Francis-
e, c, maior de 40 annos de idade e born carpina,
- isto pelo regosijo que teve em virtude do resta-
s belecimento de sua esposa e aproveitando o dia 25
- de Marco para solemnisar a libertacao do element
- servil no Ceari.
Registramos estes actos cornm prazer.
S Procti.%io dos Passoo -Hoje, A nouti-
s nha, tera lugar a procissao de trasladacao da
a imagemn do Senhor dos Passes, em charola, da
igreja do Corpo Santo para a do Carmino.
Amanha a tarde regressarA a mesma imagcm
Sem solemn procissao para a sua igreja, havendo
- ahi sermano.
Sautissima Trindade-Hojc. :s 5 1/2
0 horas da tarde, tcrA lugar a inauguracao da Ce-
s lestial Confraria da Santissima Trindade havendo
s a bencao dos habitos.
Obras Publica-I-Hoje, ao meio dia, na
- reparti9Ao das Obras Publicas Provinciaes, vae a
- pracqa a obra dos repares urgentes da ponte da
1 rua da Aurora orcados em 2:093A.
Ponte do Piraulayra- Do Limoeiro te-
D legrapharam-nos hontem nos seguintes thermos :
e Honrem nosso pedido. Pagar a Ia presta9ao
Saos empreiteiros da ponte doPirauhyra, sem fian-
ca idonea, importarA a nao conclusao da obra. ,
S PirA o assumpto deste telegramma pedimos a
Smais esetopulosa atten9ao do Exrn. Sr. desembar-
gador president da provincial, certos de que nao
" sera baldadeo nosso pedido, que visa o interesse
do commercio e lavoura da cidade de Limnoeiro.
Septenarlo-Amanhba, as cinco e meia horas
c da tarde, na igreja da Penha, teribo eomeoo os
a piedosos exercicios do Septenario de Nossa Senho-
ra das Dores corn a solcmnidade do costume e no
_ dia 4 de abril proximo celebrar-se-ha a sua festa
corn missa cantada A orchestra, as 8 horas da ma-
nha, e a tarde havera, sermao, ladainha e bencao
coan o veneravel.
S emana Santa- Na mesma igreja do
Nossa Senhora da Penha terao lugar alguns actos
d"a Semana Santa, coin aquella decencia e devocao
corn que costumnuan fazcr taos acts as religiosos
Capuchinhos.
Restituicao 0 Sr. Dr. juiz do commnrcio
dirigio-nos as seguintes linhas :
c S'r. redactor do Diario.- Nao me tondo side
apresentada reclaniacao algumna dos interessados
na massa fallida de Gustsvo (ie M'midonca entre-
guei a quantia do 223 -iJJ! a comnmmissao encarse-
gada dos festejos do din 25 do corrente que pas-
sou mc o seguuitc recibo :


Recebi do Ilin. Sr. Dr. T. G. P. Montenegro,
juiz de direito especial do commercio a quantia de
2231000, os quacs sera'to fielmnente applicados como
dita a sua carta dirigida a rcdaca(o do Diario de
Pernambaco em data do 19 do corrente, e publica-
da na Revista do inmcsmo no dia 20 debaixo do
titulo--A'Istitoi'do. Reccife, 26 de marco de 1864
-,0 tlchesoureiro da Comnmissao 25 de Marco, Jo-
vin) Cesar Paes Barreto. ,, Recife, 26 de iar,;o
de 1881.-T- ;. 'P. Montenegro.
Ferimento leave Ante-hentremn, cerca
de 8 horas da noite, n'uma casa de past da rua
de Marcilio Dias, perteacente a Pedro de tal, An-
tonio de Almeida Goncalves travou luta cornm o
inesmo Pedro, que sacudio-lhe una garrafa, que,
batendo-lhe na froute esquerda, fez -lho alii umr
ferimnento love.
0 deliuquente evadio-se.
Gatuno Umn dos confrades dasociedade do
olho vievo, antc-hontem, aL tarde, tirou coin cxtrc-
ma limpeza do bolso do Sr. Leandro Laurindo
Jos6 do Sampaio o respective relogio de prata,
acmnpalnhado da respective cadeia, que era deo
ouro.
0 servico foi bemrn feito, pois o roubado sa horns
depois se apercebeu do case.
Larapio- Ante-hontemn foi preso pelo Dr.
deolegado do 1 district da capital, ao mineio dia, o
individuo de none Julio Mauricio Ferraz, que
subtralhio de Antonio da Cunhla Vasconucellos, dons
pares de sapatos de castor.
Tendo coiuparccido o Sr. Cunlia Vasconccllos. ,
Ilhe fez entrega o Dr. delcgado dos ditos s'apatos.
0 larapio fui rccolhido A prisao competent.
Operacalo cimrurgic'a---Foramn praticadas
no hospital Pedro II no dia 25 do corrente as se-
guintes :
Pelo Dr. Malaquias :
Amputacao da coxa pelo mcthodo circular em
cone 3 inferior por esmiagamento da perna.
Pelo Dr. Estevao :
Ablacao da mama por cancro da mesma.
Faculdade de Direito. -Fizeram acto
hontem os seguintes alunmos:
4.0 anne
Antonio Eustorgio de Oliveira e Silva, simples-
mentc.
Genes Martins Fontes, idem.
Agostinho Jos6 de Oliveira Junior, idem,
Liberate Magno da Silva Castro, idem.
Joaquim Prado de Azambuja, idem.
1 reprovado.
Em transito 0 paquete Reliance levou
para o sul 15 passageiros, dos quaes 5 tornados
em Pernambuco ; e trouxe para aqui 5 passagei-
ros.
Dinafteiro 0 paquete Ceard trouxe do nor-
te para:
Julio & Irmao 100000OCO
Mendes Lima & C. 5:1605000
Parent Viannma & C. 3:716W400
Meuron & C. 3:406329
JoepW-Krause :000$000
Jose da ilvi Lyo & Filho t1:685290
LisGonaulvesda Silva & Pinto 1:3071590
Joea Antonio de Mello 1:000,000
Silva Guasitw i C. 1:0004000
Feniw.0 Mamel da ilva & C. 0
Bernardino Gomes de Carvalho 749sL5


QAe8 s "ft-A .h. C. MUjoM>


mtesr, (a
mandade


15)
IB Ca
i 3. )


waalr-
eat


18 de margo :



+ 48 5:.
6.921 ... .. .. 2:000000(.
1.865 1:0O00O
2.783 .. 1:0(O000
3.785 1:00000
4.014 1:000#000
6.494. 1:000#000
7.682 1:000,#000
7.446. Approximag.o 1:000,5000
7.448 1:000#000
Nunmermos do premlom de ,OOll4M
563 2143 4533 7362
1122 3522 6134 5182==Approx.
1310 4117 7039 5184==


INumeros do premaios de m 00j


268 j|
612
1226
1538


1861
2835
3910
4332


S4485 II 5743 II
S4553 5891
S4738 6626
S5707 6695


7237
7487
7930
7960


47 Approximate 1506000
49 1505000
Nnmeros dos premtos de 100000


19
99
171
483
937
962


1195
1196
1234
1948
2314
2500


2639'
2740
3054
3757
4041
4365


4796
5257
5258
5397
5770
6105


I 6420
II 6436
7023
7131
i 7149
I 7783


Numeros dos premios de 404000


29
147
166
251
188
322
342
440
516
569
629
685
840
867
1172
1178
1280
1367
1569
1590
1676
1689


1743 2665
1744 2820
1827 2999
1851 3071
1984 3130
2124 3216
2125 3250
2151 3373
2190 3411
2221 3414
2304 3457
2327 3481
2354 3494
2361 3511
2467 3622
2475 3681.
2494 3748
2504 3764
2541 3788
2579 3824
2596 3834
2612 3997


4004 5538
4028 5583
4095 5631
4097 5657
4288 5698
4416 5713
4484 5791
4552 5819
4601 5833
4789 6001
4843 6018
4860 6057
4940 6059
4994 6120
5110 6124
5119 6146
5180 6189
5338 6289
538J 6485
546 1t6498
5485 6537
5514 6703


6705
6746
6801
6816
6896
6905
6984
6991
7009
7125
7354
7470
7525
7646
7657
7915
7925
7939
7959
7990


L]oteria do Ypiranga- Eis os numero3
premiados na 3.-' Serie d'osta loteria, extrahida a
15 do corrente :
NU3MEROS PREMIOS
26.113 ...... 200:0(X).000
9.675 100:000,000
8.422 ...... 50:0004000
132.081 20:0004000
18.566 .. 10:0005000
36.050 .. 10:0005000
7.49 .. 5:000,Y00
21.892 5:000,000
26.667 5:0005000
35.405 .. 5:0006000
26.112 Approximaio 2:500,060
26.114 __ 2:5006000
NU1ERI'O ) DOS PREMIOS DE 1:0004000
493 6)*3) j 26116 I32687-41158
4156 82)8 26244 4 35049-43554
4541 8428 27150 I 37873
5905 I 22791 | 29S06 40369
NU.MEROS DOS PREMIOS'DE 500A00


195
51)2
149)9
36;79
44-88
49 0 )'
5695
5843


6654;
8862
9791
12424
13512
15682
19341
21003


NUMEROUS DOS


730
S79
1409
3141
3263
3861
4276
4544
4851
4149 !


5230
6241
6(;321
7562
7940
8151
8508
8-781
14078
14162


24691
24829
25622
27934
29745
20885
310)49
32448


32827
382 35
39257
39958
40362
4)0859
40967
43524


43691
44314
44343
44963
45901
47690
49173
X4)92(


PREMIOS DE 200UX000


14818
15466
17558
17719
2040)4
20()570
20714
21747
23061
23783


25099
29402
29470
33649
33752
34051
34603
34844
37961
37964


40354
40481
40799
42407
426310
4-165
45727
46693
46906
470)


NUMEROUS DOS PREMIOS DE 100-,00


1288
1743
1782
2259
2723
28574
3360
4-058
5651
6558
3821
7552
7(;(' )-
7810
7920
8088


8392
8403
8519
8640
8987
9280
10059
10445
10 605
10882
12106
13440
11313
15134
15690
17086


1G606
18471
18940
21643
21815
21871
21883
23408
239 13
24125
24355
24463
25553
26091
27101
27604


27660 38160
30556 38603
3106i;l 38633
31079 39955
31317 4 40022
31799 40653
32178 ,1287
32201 41449
32733 41848
32813 42943
340)99 44534
35983 44801-
36341 4780S
37235 48307
37518 48854
37808 |49697


Todos os numerous que terminaremn cm 1.
sao preminiadlos corn 40-3000, e todos terminados emn
75 corn 30000.
Todaos -os demais bilhetes nao premiados,
terao dircito a 5,000.
Leilues-Effectuar-se-hlo:
Hoje:
Pelo agent Pegtana, no armazem do Annes de
generos de estiva.
Quinta-feira:
Pelo agent Pinto, as 10 1/2 horns, em Ponts
de Uchoa, de moves, louj, vidros, etc.
Pelo agent Martins, 'As 11 horas, n ras do
Imperador n. 16, da casa terrea n. 2, da travessa
da Viragao.
Pelo agent Pestana, as 11 horas, no trapiche
Guerra, de farinha de mandioca.
Pelo agent Silveira As 11 horas, no largo d2
Paraizo n. 26, de diidas.
Pdo agente Gumao, is -11 horns, A t a -do
Bom Jesus n. 51, de objeetos de marmoro e ala-
bastro.
Amanha:
Pelo agente Pinto, so meio a, ms do Boet
Jesus n. 48, de chitas avaridas.
Pe N apte Pinto, As 11 horAs, A rua do Bo.
Jesus A. 43, de predos..
P'do agestee Ca s. m e s is 11 korse, B
essado Corp.SmantoU. 27, mnoveio
%arias e *ferag ei. -- 1
pd4a" ^ Ivreh Gvkril AN:U lAMY4


I -,-I- --- 1;


I ..


k.



























a -d d .vapor -.m A .-.-

Dr. Ah LdaI & L. Ara Mand Leite de
BMm 0 J. P INai do Fie d.
Obids o slN iO vapor aumericam
P. Bapita Filo L W. Prtekud, Dr.
T7*qumto Bapdntnt de Filolredo e mna neither,
e JA6 Fradaseo de As.
0-e &a da pmaudoi h- 1
do oereut, *i ztmb.Mda a l0teraIL 2ah em
amie do ixje do. M&rt ndi d onAf, no
em- Be da ig asja do Noma- 8 a da. Osi-
i. d4. Midaer, Mad e abaro e tam as
-u-na e e hera rmmdda m emu odeal meumoie-
a nd odo pubUm%.
L te- d l do J elr-A lotaria
jL3866A, doBis, do 20:0009500 Msexaktrahida
a27do emmts. Bilhete A yTelda na Casa do
F artna, a d Mi ars o a. 23.
Lfterai do I G-3-0 0S -Por telegram-
A do .. li(aB corn 1mpreterivehmente se-
gunda-pira 31 do coummte.
o0redtodoe bdhetes acha-se a vend& na Cana
Felix, L praa i& Independencia nas. 37 e 39.
LAertf do CearA Coenre impreterivel-
mente no dia 2t doe abril, o rest dos bilhetes na
Cas da Fortmnmo, rta 1 do MaNro a. 28.
ereads Nmm"elpl de S. 4a6-Para
eoste estabeleeimentoentraram no. dim 24 e 25 do
corrente 45 bois pesando 9,695 klos, pertencotes
a divermos.
Foran, vendidosa prego de 880 atW 800 rue o
kilo.
Nos mesmos dias entraram para.o memo es-
tabelecimento:
Peixd 568 kilos
Farinha, milho e feijio 72 cargas
Fructas 17 carga.
Cameiros 10
Suinos 7
Precos do dia:
Suaino a 640 r6is o kilo.
Carneiro a 15 idem.
Farinha 400 r6is at 280 a cuia.
Milho de o480 a 400 reis a cuia.
Feijio de 1500 a 15200 idem.
Form arrecadados:
135 compartimentos de legumes.
79 idem de faninha e comidas.
63 talhos de came verde.
32 ditos de suino.
22 ditos de fressuras.
Deve ter sido arrecadada neste dia a importan-
cia de 2855960.
Cana de Detencei.-Movimento dos pre-
sos no dis 26 do corrente:
Existiam press 279, entraram 1, sahiram 1,
existed 279, a saber: nacionaes 242, mulhereo
8, estrangeiros 10, escravos 19.-Total 279.
Arraoados 243, sendo : bona 229, doentes 14,
-Total 243.


CHRONIC JUDICIARIA

Tribunal da Relapo
SESSAO ORDINARIA EM 24 DE MAR(O
DE 1884
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
QLINTINO DE MIRANDA
Secretario Dr. Virgilio Coelho.
As horas do costume presgntes os Srs. desem-
bargadores em numero legal, foi aberts a sessao,
depois de lida e approvada a acta da antecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se os
seguintes
JULGAMENTOS -
Aggravos de petito
Do juizo do commercio-Aggravante Gratulia-
no dos Santos Vital, aggravado e juizo. Relator
o Sr. desembargador OZliveira. Maciel. Adjuntos
os Srs. consclheiroa Freitas Henriques e Queiroz
Barres.-Negou-se provimento ao aggravo, una-
nimemente.
Do juizo do commercio-Aggravante Casemiro
Fernandes, aggravado o juizo. Relator o Sr.
dssembargador Pires Ferreira. Adjuntos os Srs.
d sembargadores Oliveira Maciel e conselheiro
Monteiro de Andrade. Negou-se provimento,
ao aggravo, unanimemente.
Appellaces crimes
De Goyanna-Appellante o juizo, appellada a
jnstiga, r6o Francisco Xavier de Andrade. Rela-
tor o Sr. desembargador Oliveira MacieL Foi
confirmada a sentenca, unanimemente.
De Timbauba-Appellante Esther Maria das
Neves, appellada a justiga. Relator o Sr. desem-
S bargador Oliveira Maciel.-Deu-se provimento a
appellacio contra o voto do relator, para se annul-
lar todo o process.
De Atalaia Appellante o juizo, appellada a
justice, r6o Jonas, escravo. Relator o Sr. desem-
bargador Pires Ferreira. Niao se tomou conheci-
mento da appellaio contra os votos dos Srs. con-
selheiros Monteiro de Andrade e Queiroz Barros.
Do Pombal-Appellante o juizo, appellada Ma-
ria da Coucei*ao. Relator o Sr. desembargador
Pires Ferreira.-Mandou-se a re a novo jury con-
tra o vote do relator e do Sir. desembargador Oli-
veira Maciel.
Da Parahyba -Appellante o juizo, appellados
Manoel Rodrigues de Carvalho e Laurindo Jos6
Sales. Relator o Sr. desembargador Pires Fer-
reira.-Mandou-se o r6o a novo jury, unanime -
mente.
Do Cabo-Appellante o juizo, appellado Manoel
Augusto dos Santos Lima. Relator o Sr. desem-
bargador Pires Ferreira.-Mandou-se o r6o a no-
vo jury, unanimemente.
Appellacoes civeis
Do Recife-Appellantes Francisco Antonio Pon-
tual e Antonio Pinto de Barros, appellados os her-
deiros interessados da casa de Frecheiras-e a Fa-
zenda Provincial. Relator o Sr. desembargador
Oliveira MacieL Revisores os Srs. desembarga-
dores Pires Ferreira e. conselheiro Freitas Hen-
riques.-Foram despresados os embargo contra o
vote do Sr. conselheiro Freitas Henriques.
De JaboatIo-Appellante Joaquim Maximino
Pereira Vianna, appellados Ronmualdo e Josepha.
Relator o Sr. conselheiro Freitas Henriques. Revl-
sores os Srs. desembargadores Pfre' Ferreira e
canselheiro Monteiro de Andrade.-Negou-se pro-
vimento a appellacao contra o vote do relator pa-
ra annullar-se o arbitramento.
De Maeei6-Appellante Alagoas Railway Corn-
SaLy IAmited, appellado Dr. Joe6 Antonio de
Meiouna. Relator o Sr. conseiheiro Freitas Hen-
rique. Revisores o Srm. conseleiros Mouteiro
de Andrade e Queirozi Barros. Foram despreza-
dos os embarpos, unanimemente.
De Palmares-Appellante Dr. Laurino de Mo-
raes Pinheiro, appeuados Joaquim Jos Cavalcan-
te e outros. Relator o Sr. desembarpador Pires
Farreio Revisorms os Srs. conselheiros Freitas
H w ei eo Monteiro de Andrade. Foi conir-
'lfem nteeA, unanimemente.
^*^eiftiAppe~ateAlbino da, Silva Leal,
lilB gi~ Jittin Epminondas da Asmpa
lt. da. Relator o Sr. d ag r
.o 1e MoUteiro do Audrado. -Fo-
*o"-.. (fj _aa--pela mamao Carneiro
L i toManool Xavier Cartelr di" Cu-


b eii, e -uelheiros Fruits. Heriqum. e


leyorm dad. A-UETo-


Preetascit. a. B ue o anteire deoAndrade. --Fo-
ram diemosekM eaN.a"^b' I 'l meamte.
Do Reekse-^Eb~tt oq Ftamcine
Bibeirim, ebw 'Atlno da Mlva LeaL Bta-
tore sr. ooes tiv rO FiWRMa ROOM=&e. BRivio-
a- eemm a m. O nmeou iro Ara*j Jorge Moultiro
de Andrader-No e tomeon moheeimento dm em-
bargo@, wumbumuletnti
Do Rocif- ftiboasatm- Esnedto & Leopoldo,
embarad Guaewme Ferreira Barro& Belator
o 8r!. deweuk:cgadar Fup ereira BReimsas
as Sum. cm dt Pa-eilt Henriquus e Araujo
Jorge.-Ferm duprosados esoembargo eontm o
voto do relate.


PASUAAEM
Do Sr. eoan&eio Monteim a# Andrade so 8r.
conelheiro Quair Barron- :
Apelaa di~d
Do Recif-Ap tea N. Joanna Francisca
de Mello Cavaleate e seu fSH, appellados Leal
& Irmao.
Do Sr. desembarpdor Toscaw Barreto ao Sr.
desembargador Oliveira Macid:
Em 14 e 21 de marge.
Appellages civeis
Do Reeife -Appellante o jiizo, appellado An-
dr6 Francisco doe Suza, senhor de Marcelina.
Do Inga-Appellants o juaizo, appellado Jose
Antonio de Vasconcellos, senior do escravo Luiz.
Do Recife-Appellante ojuizo, appellado Ma-
noel Cavalcante do Bego Barw, senhor de An-
Appeila&es exrimes
De Bananeiras -Appellaate o juizo, appellado
Jese Rodrigues Moreira.
De Itabaiana Appellante o juizo, appellade
Damilo Cypriano Lopes.
Do Sr. desembargador Oliveira Maciel so Sr.
desembargador Pires Ferreira :
Appellao crime
DIa Parahyba-Appellante o juizo, appellado
Antonio Felix Correia.
Appellacio civdl
Do Recife-Appellante o juizo, appellado Ma-
noel Cavalcante do Rego Barros, senior da escra-
va Antonia.
0 Sr. desembargador Oliveira Maciel devolveu
ao Sr. desembargador Buarque Lima por Ihe ter
passado per equlvoco a
Appellaao crime
Do Recife-Appellante o juizo, appellado Del-
fino da Silva Tavares.
DILIGENCIAS
Mandou-se ouvir o Sr. conselheiro procurador
da corma e promoter dajustiga nos seguintes fei-
tos :
Appellaqoes crimes
Do Recife Appellante Salustiano Cosmine de
Brito, appellada a justice.
De Itabaiana- Appellante 0 juizo, appellado
Jolo Pereira da Silva.
Do Recife-Appellante Antonio Ponciano de
Barros, appellada a justice.
Do Recife -.Appellante o juizo, appellado Jose
Gaspar Leureiro.
De Gamelleira-Appellante Manoel de Sant'An-
na Moura, appellada a justice.
De Pequeira-Appellante Andr6 Alves deBar-
ros, appellada a justica.
Corn vista as parties e depois ao Sr. conselheiro
procurador da coroa :
Appellacao commercial
Do Recife-Appellante o consul de Portugal
o commendador JoseJoio de Amorim, appellada
Carlos de Paula Lope s.
Appellaco civel
De Macei6-Appellante.o juizo, appellados Ma-
noel Januario Bezerra e outros.
Corn vista As parties :
Appellacao civel
De Palmares Appellante Francisco Antonio
Pontual, appellado Joao Pereira de Araujo Car-
doso.
Da Atalaia-Appellante Jos6 Lopes Cavalcan-
te, appellada D. Maria das Montanhas Tenorio de
Albuquerque.
Encerrou-se a sessao as 2 bhoras da tarde.


PBLICOES A I PEDIDO

Ao Sr. Dr. Carlos Bettenceurt
0 abaixo assignado achando-se doente
de uma hypertrophia da prostate e cystite-
muco-purulenta, ha anne e meio, e jA to-
cando ao seu auge de gravidade, procu-
rnu alguns medicos, mas apenas Ihes dizia
suas circumstancias pecuniarias, abando-
navam-o.
No dia 11 de fevereiro achando-se no
leito da dor e quasi sem esperangas de vi-
ver, mandou chamar o Sr. Dr. Car-
los Bettencourt, que se encarregando do
seu tratamento, sere visar interesse algum,
porque ja sabia de pouco corn que poderia
gratifical-o, tratou-o corn todo trabalho fa-
zendo uiea operablo de electrolyse serm
dor, corn toda a delicadeza que exigia a
molestia.
Inteiramente grato ao Sr. doutor pelas
suas maneiras affaveis e polo espirito hu-
manitario que reina em .1 bondoso cora-
caa (desculpe o Sr. Dr. se corn estas pa-
lavras vae ferir a suna susceptibilidade)
faltaria a urn dever, senso viesse pela im-
prensa manifestar-lhe seu eterno agradeci-
mento.
Recife, 22 de mar9o de 1884.
Thorns da Silva Barrette.


Agradeelmento
Summamente penhorado pelas provas de
etiuna, consideraglo e amisade, que sem-
pre mo tributaram os habitantes de Cor-
rentes, durante o tempo, em que indigna-
mente exercj o lugar do parocho d'aquel-
I&. freguezia, e mais ainda pelo modo por
que elles se manifestaram na occasion de
minha retirada; venho por meio weste
agradecer a todos, e offerecer-lhes, os
meu. fracas prestimos onde a Providta-ia
me collocar.
Rcife, 27 de mar9o de 1884.
Padre Luiz Ignacio de Moura.

A' Camara .11 llelp-aI de oy-

A bem da humamddde, a.bem do ineau-
t6s e descuidosos que tranitam por baixo
de usaM grande sobrado, sit naW povoa-Eo
de N. do 0' de Goyana, e a bem dos
moeadores A el e contiguos, chamamos a
atusucao d' ssam -a Camnira pmpu

*0 J(016- 4e. to, 10M
S tostd8 euiaN. i
Savs~ jroo i^ ^^ltrfApW' tii


Jioire


tmubeak


4"e
ao-


Mbb~m. VIIwa. jC as~ Mauie Caor.,
eutudate de dhit, agradecem do intimo
Sd'a. .a todos- agudlos que eo dignaram
aaolmuahr ate a emiterino public os
reams morta. de "eu sempre lembrado
eopos. e pai, e auo tambem ae dignaram
aiitr a miss do 2 di0a.



Na poeia A wd,*& do Fr -Cmi.o Ciu-
Mont=& publicsda o Diario de 25, al6m
de outros dmsidoA typograpjic 4od facil
coreo lo, notam-ae m eguintes, que con-
vem apontar-sBe.
Onde me 18:
Te levantas depoi, indo mais forte I
deve ler-se: Te levatasdepoia inda mais
forte !
Onde 18-se : Da feia seecurid&o, dove
ler-se: Da feia escravidIo.
Onde l6-se: Para tod nagclo, dove ler-
me : -Para today naglo.
E, finalmente, onde l1-se: -Decreta afi-
nal etc., dove ler-se:-Decretou final
etc, etc.


Supplicas
Neste tempo de condolencias, filhas da
religion do Crucificado, supplies. 6 morado-
ra do becco do Bernardo n. 51, as pessoas
bemrn fazejas que d'ella se condoam.
Carmo
EstA dispensado a pedido, o procurador
do patrimonio do Convento do Carmo desta
cidade o Sr. Luiz Antonio Pereira, e no-
meado pars substituil-o o Sr. Custodio Do-
mingos Codeceira, procurador do patrimo-
nio do convento da Piedade pertencente
a mesma ordem.
Carmo do Recife 20 de margo de 1884.
0 president provincial, Fr. Alberto.

Facilita a denticlo e previne as
convuoles


Cardornus
Unico deposit na Pharmacia
Do Dr. SabinM
43-Rua do ar.o da Victoria--48
PERNAMBUCO.


Eahricg Tira
Gongalves &-C., proprietarios da fabri-
ca Tigre, julgam de seu ever prevenir os
numerosos consumidores de seus acredita-
dos cigarros, contra a especula*o sempre
crescente d'aquelles que procuram todos
os meios, possiveis e impossiveis pars o
abalo de sna casa(!) -
Actualmente correm por ahi uns cigar-
ros cujo papel tern o desenhode urn bicho,
mas um bicho cavilosamento preparado, e
quo facilmente se confunde corn o Tigre.
Assim e que muitissimos apreciadores
dos nossos cigarros hao sido illudidos por
meia duzia de taverneiros que ainda
preferem aquelles dos nossos, polo facto
de seem mais baratos, e conseguintemen-
to inferiores, nao se lhes importando o es-
tomago e a bolsa do freguez, nem o cre-
dito de nossa marca.
Cautela, Srs. consumidores 1 Estudai
bern os tra~os do 7igre para nao serdes
3nganados corn o tal bichod

COEMERCIO
Praea do Reclfe, 26 de marco
de 18841
As tres horas da tarde


Cotaces officials
Cambio sobre o Rio Grande do Sul, 60 d/v. corn
1 518 0,0 de desconto, no dia 24 do cor
rente.
1. J. de Oliveira Rodrigues,
President.
Antonie M. Amorim Junior,
Secretario.


RENDTMENTOS


PUBRLTCOS


Mez de marco de 1884S
ALFADEGA==De 1 a 24
Idem de 26


RCEBcnEDoRIA=De 1 a 24
Idem de 26


JONSULADO PROVrNCIAL-De 1 a 24
Idem de 26


ilcIum DRAniaoG-Dp 1 a 24
Idem de 26


890:8087650
47:095A286
937:904*036
72:5446160
4:b75A946
77:120A106

99:797$226
6:722*654
106:459A870
44:1116782
7755187
44:8865969


DESPACHOS DE IMPORTAQAO
Vapor bralleiro Bahia, entrado dos
portos do sul, no dia 26 do corrente e con-
signado a Bernardio Pontual, manifestoil:
Chapous 1 caixa a Adolpho Ferrao, 1 a
Samarcos & C., la Loumreiro Maia& C.,1
a Guerra Fernandes, 1 a Rodrigdes Li-
ma & C. Caf 108 saccosa Muoel T.
da Costa Ribelro, 264 A ordem, 25 a Ores-
tes, Travasmos & C., 14 a Baltar Irmlos
& C a
Fumo 20 volumes a Jolo V. Alves Ma-.
theus & C., 8 a Almeida Machado & C.)
,18 a Beltrno Juoir,. 40 a Sodr6 da Motta
&Filhos, 5 arBo ard& C., 2 a J. P;
Pontes, 30 a RodA&. de Faria & 0.
Mercadoria- d etwag 1 aume a .
artoue,.5 a A. A. Pe-94 r a4 $a, 8 -
4..f
Doiga Rodrisoe daSb .,3t

A4 t
A. &]^ ^.|^Z; &4 -,V L -'.Te


No Aeino fal1ar-seoa francez e inglee
Alem IiUw drvelado cuidado na
die' o Mral e religious dos alumnos.
Isecmo.s pendimstas meio-peauionis-
tas e ex orao.
As p.Om interehsdas poderbo visitar
a caaa d 9 boras da manh as 11 e das
4 da ta e s 8.


Ihstit lBezeioved'Abril
I urso mterao e externo
comp landendo ensino pim primio
0Oe GeUdario
8I0 A DMUoZo LITI3XAIA DE

Lm~oiB~amM~atisPortoi

BDL0o ECONOMNWA DE SUA Nll
D. Jose a A. orto Larreiro
que tambem ex.anvR ]dA
quoLA PRIMARY
Rua de. to de s. Borja n. 4


0 Dr Carneiro Lego,
tern seu consultrio madico na rua Duque de Ca-
xias (antiga d_ Queimaao) n. 57. Consultas dam
11 is 2 hor=s d tarde.
Residencia de Vidal de Nareiros n. 130
Chamados por dcripto a qualquer ora do dia.

Dr. Au usto Serafim
MEDIA 0 E OPERATOR
Consultorio rudo MKarquex de Olinda n. 38
(Consults das 11 is 2 horas)
Residencia da Imperatriz n. 17
(Chamaos a qualquer hora)
Presta-se a qualquer chamado pars f6ra da
.capital.


ERBSWURST

Linserwur(, Bohnenwurst
Conservas leguaainosas em p6, corn tou-
cinho e fiambre, excellent preparado para
qualquer viagem 'or mar ou por terra,
para abasteciment de navios, tropa, etc.,
dando em poucos nomentos urma refeiglo
suoculenta e nutri va.
Conserva-se em born estado por alguns
annos. i
A' trtAar corn
THEO. JUST
18---Praga do Corpo Santo---17
1. andar.

EDTES

Antonio Machado Pcrira Vianna Junior, capital
commandant iLteO no do 2o batalhao de infan-
taria, e president do conselho de revisao da
qualificagao da g rda national da parochia do
SS. Sacramento d Santo Antonio d'esta cidade,
em virtue da le etc., etc.
Fago saber aos dadaos residents na parochia
do SS. SacuaneBm .do Santo 4ntonio, que em
cumprimento a olenis do Governo Imperial, e na
forma dos decree ns. 722 e 1,130, reunir-se-ha
na ultima doing do corrente mez, pelas 9 horas
da manha, no corsisterio da igreja matriz da dita
parochia, o eon elho de revisao da qualificavgo
dos guards nacionaes.
E para que hegue ao conhecimento de todos,
fago o present ledital.
Recife, 22 de/marco de 1884.
Anfnio M. Pereira Vianna Junior.
D. Jose Pereira da Silva Barros por Merce
de Deus C da Santa S6 Apostolica, Bispo
de Olin4a, do Conselho de S. M.1o Im-
perador etc.,
Aos Revmins, Conegos e todos os sacerdotes secu-
lares desse nosso bispado, saide e paz no Senhor.
Como presenmntemente esteja vaga a cadeira da
dignidade de Thesoureiro-m6r da nossa santa
Virhii-3 pipas e 10-5--ordem.
Carga da Bahia
Chljutos 4 caixas a Rodrigucs de Faria
& C.,i2 a Bourgard & C., 1 a Joao Bap-
tista 4os Reis.
Chd)eos 1 caixa a ordem.
Fulo 6 volumes a ordem, 1 a Antonio
Josd flreira.
Masans alimenticias 200 caixas a Baltar
Irmntos 0C.
Pann4 de algodao 25 fardos a Olinto
Jardim K C. 60 a Machado & Pereira, 35
a AlbinolAmorim & C., 50 A ordem, 50
a Luiz Antonio de Siqueira, 23 a Severi-
do & Irnlao, 30 a Ferreira & Irm'ao, 28 a
Rodriguel Lima & C.


Vapor national C(eard, entrado dos portos do
norte na mema data e consignado a Bernardino
Pontual, ma ifostoq:
Chapeos dChile 2 fardos A Bernet & C. Ca-
marses 2 encpados a Guimaraes & Valente.
Pomada 20 lunhetes a Main & Rezende.
Salsa 11 rol s a Ferreira & Irmao.

Vapor inglez ragus, entrado dos portos da E.-
ropa, na mesmal ata, e consignado a Adamson
Howie & C. manffestou :
Arma 6 caixas a ordem. Amostras 41 volumes
a diversos.
Camisas 1 cai a Adolpho & Ferrio. Cha 1
caixa a R. Fent Chapos 1 caixa aos consig-
natarios, 2 a Ado ho & Ferrio.
Feijio 50 saceo a Ferraz Pereira & C., 50 a
Domingos Torres & Carneiro, 20 aJoao F. do
Almeida.
Joias 1 caixa a J. Krause & C, 1 a A. R ;go
&C'.
Livros 1 caixa J. W. Combres. Libras Ster-
linaa 1,000 a Am in Irmos 6. C.
Mercadorias di erss. 1 caixa a Amorim Irmaos
& C., 1 a Severn lr%, 1 a C. R. Thursbg, 1 a
W. Halliday & C, 2 oriem, 1 F. Gurgel do Ama-
ral, 2 a FA. Fenton, 3 8aJ. G. Bastos, 7 a
Samunders Brothe & C. 2 a Cempanhia do Be-
beribe, 1 Reed B en & C 1 a J. A. Thon.
Provise1 a a J. Hood. Papel 3 caixas a
Otto Bohr1 e r.
Quadr6 1 caixa a Antonio J. F. Mort iro. Quei-
ji 142"iuza6 4 e,10 a Jeaquim iDuarte Si-
maes C., 5 a 'A. de SSoz Agniar, 5 a Fer-
reira da Costa m-ai 1'J )a Saunders Brotherp
&C.. 7 aAleiro )Hveira & C., 16 a M. J. Carlos
'Crdoso, 20 J. Jeaqum Alves & C., 11 a Rosa
& QuirefO10 a Carvalho. & (., 10 a Souza Ba-
oB Amorwi A a. a Paiva Valente-
Rd"gi9ocs e A Rop & 0
Wes"W.dsnk*"do%.m 1.a-Agus-
4%I3


0 cidadlo Jolo Gomes de Oliveira, juiz de
paz em exercicio da freguezia de S. Frei
Pedro Gongalves do Recife, etc.
Faz saber pelo present que no dia 8
do proximo future mez de abril depois da
respective audiencia deste juizo se hio de
arrematar por venda a quem mais der em
praca public os objects seguintes:
Uma armaoo de madeira de louro pin-
tada, balcAo, pesos e balanga, avaliados em
6006000, 3 frascos grandes de vidro por
25000, 1 garraflo por 800, 1 deposit de
madeira por 5#000, e uma espada para
official por 5#000, os quakes objects per-
tencem a Eduardo Duarte Rodrigues, e
vao a praga por execuo-que Ihe move
Joaquim de Barros Lins Vasconcellos.
E para que conste passou-se este edital,
que serA afixado e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta fregueiza do Re-
cife aos 26 de marco de 1884. -Eu Ben-
jamin Am6s Jose de Fonseca, escrivao o
subscrevi
Joao Gomnes d'Oliveira.

Edital n. 630
De ordem do inspector geral, e em virtude de
officio da Presidencia de 21 do corrente, deelaro
que acha-se marcado o praso de 30 dias, contados
de hoje, para a inscripcao dos individuos que pre-
tenderem entrar em concurso para o provimento
das cadeiras vagas de geographia da Escola Nor-
mal, e geometria do Gymnasio Pernambucano.
A inscripcao e requcrida ao inspector geral den-
tro do referido praso em petiao instruida corn do-
cumentos provando :
1.0 Maioridade legal;
2." Moralidade;
3.0 Isenclo de culpa;
4.o Capacidade professional.
Esses documents sa'o :
I CertidAo de baptismo;
II Attestado do parocho ou de quacsquer outras
autoridades do lugar em que residir o candi-
date ;
III Folha corrida ;
DESPACHOS DE EXPORTACX4(-
Em 24 do marco de 1884
Para o exterior
No vaqor inglez Commander, carregou :
Para Liverpool, R. de Faria & C. 3 caixas corn
279 kilos de borracha.
No vapor inglez Cleuisla, carregou :
Para Liverpool, F. CascAo & Fiiho 100 sacecos
c)m 7,590 kilos do assucar mascavado ; A. Cunha
1,000 ditos corn 70,000 ditos de dito ; J. S. Loyo
& Filho 3,000 ditos corn 225,0(00) ditos do dito.
No vapor inglez Chancellor, carregou :
Para Liverpool, S. Brothers & C. 9,50(0 saccos
corn 702,500 kilos de assucar mascavado.
No vapor americano Finance, carregou :
Para New-York, H. Forster & C. 1,200 saccos
cori 90,000 kilos de assucar mascavado; H.
Nuesch & C. 33,200 courinhos de cabra.
Na harca portugueza 4, iramar, earregou :
Para o Porto, F. Carnciro & C. 300 saccas corn
22,270 kilos de algodao.
Para o interior
No patacho allemio Anna, carregou :
Para Uruguayana, Amorim Irmaos & C. 250
Iarricas corn 23,878 kilos de assucar branco.
-- Na barca national Marinha 50, carregou
Para Uruguayana, J. S. Loyo & Filho '00
barricas corn 32,245 kilos de assucar mascavado
c 53 ditas corn 3,850 ditos de dito branco.
No patacho portuguez Tentativa, carregou :
Para Pelotas, Amorim Irmaos & C. 25 barricas
eom 1,875 kilos de assucar mascavado e 275 ditas
corn 20,625 ditos de dito branch ; Azevedo &
Maia 1,500 cocos fructa.
No patacho norucguense Olef Rooll, car-
regou :
Prar Santos, M. Cunha 1,000 saccos corn 60,000
kilos de asiucar branco e 1,800 ditos corn 108,000
ditos de dito mascavado; F. de S. Martins 800
saccos corn 48,000 ditos de dito e 1,200 ditos corn
72,000 ditos de dito mascavado.
No vapor americano Rdiance, carregou :
Pars o Rio de Janeiro, J. S. Loyo & Filho 492
saccos corn 36,900 kilos de assucar branco e 7u8
ditos corn 53,100 ditos de dito nasscavado; Baltar
Irmnos & C. 200ditos corn 12,000 ditos de dito
brauco e 100 ditos corn 6,000 ditos de dito mas-
cavado ; H. Burle & C. 200 saccas corn 14,929
kilos de algodao ; P. Camneiro & C. 90 fardos corn
18,041 ditos de dito ; Maia & Rezcnde 3,501 sac-
cos corn farinha de mandioca.
No vapor national Ceard, carregou 6
Para o Rio de Janeiro, C. Marques 50 pious
corn 24,000 litirs do aguardente; B. C. Muniz
Vieira 5,000 cocos frueta ; Martins & Bastos 5J
latas corn oleo de ricino ; Baslar Irmaos & C. 50
lpas corn 24,000 litres de aguardente ; Maia &
RezendeSQ ditas corn I4,40') ditos de dito ; M.
Cowdeiro *0. 400 saccos eom 24,000 kilos de


scar m aeavado.
o vspor national S. Franciseo, earragon :
W ..ia, P. Pinto 6 C. 18 bar.-is corn 1,800
fL eL-j- f.'-


I-I


'iera~ e, &. eaiia.
en e n o faaerr, e, a rti ,n de. ad donow.
E Mfetoo amesi ameprpremoa &.M.oImperador
tme do m benemmeito e dignos conform os
Sagrado Ciamonu O. Trid. e outraa disposi-

Dado e *MUMndoBO Paacio Episcopal d:a Sole-
dade, mM 21 de mnuaro de 1884.
. Eu padre Valeriano d'Allelmia Correia, eserivio
da Cainara Ecelesiastrca, que o escrevi.
t JoJ, Bispo Diecesano.
0 Dr. Francisco Pothier Rodrigues Lima,
juiz municipal dos termos reunidos de
Palmares e Agua Preta, em virtude da
lei, etc.
Fao saber que o presnte edital de20 dias de
prego e 8 de pr virem, que por este juieo,
findoEl que sojamntos prege e praca, tern de ser
arremtado a quem mais der e msior lance offe-
recer no dia 27 de marco, depois da audiencia, os
bena que franm pe rados a JoLo Felix Nepomu-
cemo Junior e outros, em ezecuglo que Ibes mo-
vent Manoel Fereira Bartholo, suna mnaulher, comn-
mendador Jos6 da Silva Loyo e sua mulher, come
herdeiros e suceessores do finado Manoel Alves
Ferreira, cujos bea s lo os sguiates :
0 engenho Privilegio, situado neste termo, de
Agua Preta movido por animals, de des theson-
ras a duas tacanigs., aobre esteos, coberto de te-
lhas, corn todos os mse utensilos, macehinas e ta-
xas, easa de vivenda e scnala de taipa, pequena
casa de bsgaco, tambem eoberta de telhas, corn as
terms de que estk empossado, corn dous sitios de
lavradores, menos os sitios de que estio empossa-
doe Vicencia Maria da Conceifio e Francisco Fer-
nandes Bandeira, situados na propriedade Barras
da Lama, e nao pertencente ao engenho, o que
tudo fora avaliado per 16:0005 e ter& de ser ar-
rematado sobre o prego da adjudica9ki de 12:0005 ;
Urn sitio no lugar denominado Bosque d'este
termo, foreiro ao patrimonio de S. Jos6 desta fre-
guezia de Agua Preta, o qual, sendo avahliado per
2005000 tera de ser arrematado, pelo preco de
1605000, ji abatida a quints part da adjudica-
91o.
E assim serlo os ditos hens arrematados a quem
mais der e maior lance offerecer no dia e hora
acima indicado e no case que nao haja licitantes
serao os ditos bens, na formal da lei, adjudicados
aos exequentes ; e para que chegue ao conheci-
mento de todos, mando ao porteiro do juizo affixar
o present no lugar do costume e que passed a
respective certidao ; sendo tambem publicado
pela imprensa. Dada e passada n'esta villa de
Agua Preta, 28 de fevereiro de 1884.
Eu Pedro Severo da Costa Leite.
Francisco Pothier Rodriguies Lima.


Edital n. 629
De ordem do inspector geral da instruclao pu-
blica se faz constar A prifcssora public Ismenia
Genuina Dias, da caid.ira de ensino primario de
Sertiosinho, que pelapresidencia da provincia Ihe-
foi marcado o prazo improrogavel de 30 dias, a
cuotar de 18 do corrente mez,parai r tomar possel
e assumir o exercicio da de Goyaninha, para a qu
foi removida per portaria daquella data.
Secretaria da instrucaio public de Pernambu-
co, 21 de marco de 1854.-0 secretario,
Pergenitino S. de A. Galvio.
0 Dr. Francisco Alves da Silva, juiz substitute do
juiz de direito especial do commercio desta cida-
de do Recife, por Sua Magestade o Imperador,
a qeiem Deus guard etc.
Faqo saber aos que o present edital virem on
d'elle noticia tiverem, qne se ha de arrematar em
praca public deste juizo, depois da respective.
audiencia do dia 3 de abril do corrente anno, prc-
cedido dos pregoes do estylo, os bens seguintes r
Duas parties de terras sitas no lugar denomina-
do Luca, freguezia dos Afogados, corn 33 metros
de frente cada um e 176 metros, sendo o terreno
que tern a, xecutada D Maria, os funds triangu-
lares a dividir corn terras do Gusmao, avaliados
por 6004. Cujas parties de terras, vao a praa por
execucao que move Jose Nunes da Cunha contra
Francisco de Assis de C. Figueiredo, D. Maria
Dionisia de C. Figueiredo e Manoel Jose Fer-
reira..
E nao havendo lana lor que cubra o preqo da,
avaliaoao serA a arremataoao feita corn a abati-
meuto da quinta part na f6rma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o present edital que serA publica-
do pela imprensa e affixado nos lugares do cos-
tume.
Dado e passado nesta cidade do Recife, em 12
de marqo de 1884.
Subsdcevo. Recife, 12 de marco de 1884. Eu
Joao Gomes dos Santos Filho.
Francisco Alves da Silva.
Edital n. 626.
A professor public Anna Francisca Soares
Pacheco, removida por acto da presidencia da
provincial de 17 do corrente, da cadeira primaria
de Cimbres para a de Serinhaem, flea marcado o
prazo de 60 dias, a contar daquella data para
tomar posse e assumir o exericiio de sua nova
cadeira, sob as penas da lei ; o que se declara de
ordemn do inspector gcral da instrucao public.
Secretaria da nlusti iic aio Publica de Pernambu-
co, 19 de marco de 1884.
0 secrctrio,
Pergentino S. de Araujo Galvao.
Secretaria da Veneravel Ordem
3a do Seraphico P. S. Fran-
cisco no Recife, em 24 de
marVo de SS41.
De ordem da mesa regedora convido a
todos os nossos carismos irmaos em ge;-
ral, para que se dignem comparecer r6-
vestidos corn seus habitos, na sexta-feira
Para o Par.'i, V. da Sltvcira 250 barricas corn
19,310 kilos de assucar branco.
MOVIMENTO DO PORTO
Navio entrado no dia 25
Manaos e cscalas-13 dias, vapor national Ceard,
(le 1,99.) toneladas, cormmandante Guilherme J.
Pachco, equipagem 60, carga various generous; a
Bernardino do Sena Pontual.
Parahyha 10 horns, vapor inglez Sculptor, do
893 toneladas, conimandante James T. Scott,
cquipagem 37, carga lastro; a Johnston Pater
& C.
Santos-l1G dias, patacho sueco Solveig, de 296 to-
neladas, cquipagem 7, em Ihstro ; a Hermann
Lundgrcn & C.
Sahidos no mesnmo dia
Macci6-Ugar inglez Ulster, capitao W. F. Des-
ncy, em lastro.
West Indies-Brigue inglez Maria, capital John
Snow, em lastro.
Rio de Janeiro por escalas Vapor americano
.Reliance, commaudante Carpenter, carga varies
generos.


NAivios entradis no dia 26
Southampton e escalas 18 dias, vapor inglez Ta-
gus, de 1,926 toneladas, cemmandante J. D.
Spooner, equipagem 108, carga varies geaeros;
a Adamsou Howie & C.
Rio de Janeiro e escalas-G dias, vapor national
Balhia, de 1,999 toneladas, commandant Silve-
rio Antonio da Silva, equipagem 60, carga va-
nios geueros ; a Bern ,,dtino de Senna Pontual.
Santos 23 dias, barea itecca Exce's'?r, de 346 to-
neladas, capitilo C. V. Benginelle, equipagem
10, em lastro ; a Hermanm Lundgren & C.
Rio de Janeiro e escalas-6 1/2 dias, vapor ame-
ricano Finance, de 1,919 toneladas, commandan-
te Mondelle, equipagem 55, carga various gene-
ros ; a Henry Forstcr & C.
Fernando de Noroaha 4 dias, vapor national
ManaAi, de 222 toneladas, commandant Sou-
z.ti Lobe, equipagem 18, -ema lastro ; a compa-
nhia Pernambucana.
Sahidos no inesmo dia
Rio de Janeiro per escalas-Vapor national Cea-
rd, commaudante Gtllherme Jose Pacheco, car-
ga varies generous.
Buenos-Ayres per escalas-Vapor inglez Taguz,
commandant J. D. Spooner, carga varies ge-
neros.


VAPORES ESPERADOS


Ceard
Guadiana
Bessel


Ville de Macei
Pernambuco
Senegal


um&s & C. 400 aecas & P.ard
.dda,"W e&rtega: ,
;{.(i Cw .~: .'. i4,
I4~i. ~.uua1.20 vOIn.-


,.r:' '~ B .. l -4 !
,- .


da Europa
do sul
da Europa
- Abril -
do sul
do norte
da Europa
da Bahiu
do sul
da Enuropa
do.


%

hoje.
29


a 4..
a .


/



I


* 2


ii
~*I
1.



'1 ~.

I,-


austift -^do coadvOet 2ivti Ok l-p
p s Camarae M p ,
polimiaes das loealida.s em qu .
did. nos dous ultimos .lno; e os quee a iknd me
no exceieio de epregs Dbio iNi afa-
tas dos respetivos efes;
Da prova d capacidade por exame de i hbita-
%4o, os que houverem sido apprivadoe em ead&
uma das liseiplinas das cadeiras que se traeta de-
prover, quer em exame prestado em algum ma nti-
tio official da provincia on do pa, qner pe-
raate cozmnsse anteriormnente nomeadas pelo.
governor geral on provincial
Secretaria da Instruefio Pnblica, de Pernam-
buco, 22 de mareo de 1884.
0 seeretario,
Pergentino Saraiva de Arcao Galvo.
0 Dr. Jeronymo Materuo Pereira de Car-
valho, juiz substitute da fazenda de Per-
nambuco na jurisdigo parcial por Saa.
Magestade Imperial e. Constitucional etc.
Faz saber pelo present que o bacharel Jose-
Francisco Ribeiro Machado comno inventariante-
dos bens do finado Francisco Carneiro Monteiro-
requerera a venda dos escravos Dionizio e Jos,
este preto, corn 17 annos de idade, pela quantia de-
5001, e aquelle tambem preto corn idade de 19 an-
nos pela quantia de 600;, os quaes pertncem so-
espolio respective se acham em poder do herdei-
ro Dr. Augusto Carneiro Monteiro, e sendo a ven-
da pars pagamento de despezas judiciaes e im-
postos, por forca do decreto n. 1695 de 15 de se-
tembro de 1869, passou-se o present convidando.
a quern convier a compra dos referidos escravos a
apresentar propostas dentro do prazo de 30 dias
a contar da data deste.
E pars que conste passou-se edital que sera affi-
xado e publicado na form da lei.
Dado e passado nesta eldade do Recife de Per-
nambuco aos 15 dias do mecz de mare de 1884.
Eu, Joao Vicente de Torres Bandeira, escrivao o.
escrevi.
Jeronymo M. Pereira de Carvalho


fi 1-1 N-1 "


m






















4


Consulado de Portugal em Pernambuco, 24 de para que venham solicitar do mordomo de mez, Chegada 'Bordeaux .. 4 .osito sito no Pateo do Tergo n. 21
mar ;o de 1884. 0 chancellor interino, que e oilm. Sr. Dr. Alexandre de Souza Pereira Vigo 27 .bbado M -do ,eorrente
Agripino R. Nogueira Lima. do Carmo, acompetente ordem para a adminsao. 4, Lisb6a 29 13 AS 11 HORAS
[ A Secretauwa da Santa Casa de Misericordia do <- S. Vieente l 19 et eA
A&0ct"i' camml01 Reeife, 13 dc marqo de 1884.- 0 escrivao, Pernambuco 10 19 62 0- &arte Gusio' cinptetementc autosdo
Associa o m rI Pedro Rodrigues de Soeua. Maceio 11 |.. .. fiarAJil' o da arnaaeo egeneros do estabeleci-
PrRelaPiao damenoress que vuao ser admittidas nBahia 12 m27 stoaetma eneniolaBo.
de Pernambuco no college dasorphas. Rio de Janeiro 15 25 30so------
AssemxnALa geral Maria, filfa de Emilia Maria da Silva Ven- Santos 7 2 ID '. ll l
De ordem do Sr. president desta associaiIo, I tura. Montevideo 21 12 Ma -M v .+ .llvaT v
s'u convidados seus associados pars areunilo Avehlina, filha de Maria Candida do Nasci- M Buenos-Avres 23 4a n To^ e :ivA -' -
qie dcve ter lugar no dia 'G1 do corrente, na sele 2 mento. Sahida Buenos Ayres 5 15 J-Lx cid dU i e Jj. UL0s
da mesma, As 9 horas da mnanAa, afim de se pro- 3 Joanna, aMilhada de Mlaria Benedie cda .on- Montevideo 6 17 .6 .. de
-ceder a eleiao da nova directoria e da comraissao ceie*o. Santos & -- A Zqa 7 ft '
deexame de contas, e sertfeita a leitura do rela- 4 Saturaiaa,,ffiha de Fraucisca Pauk. doE -spi- s Rio de Janeiro 2 bado, 2 9 do 0 rrene
trio da actual direetoria, conforme preceitua o rita o Sanito. Cbtga& Bahia 27 12 AO melo :dia
.art. 29 dos estatatos. 5 Francis2a, d8a de ditadita.R Maceid 28 i n d innn !
Aiociaqao Commercial Agrscola de Pernanibu- C Carolina, filha de Maria Josephina da Si lva. Pernambuco 20 14 NA Vi 1 H H ll.O i
-co, aos 24 de maro de 84.-0 lo secretario, 7 Virginia, filha de Virgiria Candida de Menae- S. Vicente 20 1 1
Antonio N. Ferreira Coimbra. zes Lyra. a Lisboa 11 26 Dkas tert-eas em solo proprio a rua Imperial ns.
8 Ambrosina, dita de diita dita. Vigo .13 166 e 171,.com 2 salas, 3 quarts, cosinha, qain-
---- 9 Felieiana, filha d Joaquina Maria. Southampton 15 1 tal etc.,, erendendo 25(0(0.
C Iom n 1a lh" 1 10 Adelaide, fIilha de Theodora Pompilia de Me- S6 tocarA paratomar carvao. --- -
^U~l cl~llcdeiros. V-----A-----------enlte Ptfstanat
n11 Maria, afilhada de Felicidade Maria Esmenia- PiF ailil. Aieviein coll nAy
m fl il R mi nn 2Joanna, filha de Rosa Justi2ian. de Arauijmo. y g
12 Rosalina, filha doe Ign.-z Teixeira Cavaleantej STRAITS OF MAGELLAN LMI
SBllhetes de pasagens Pestana. 0 Tap~
Pars ultimar-se o resgate dos bilhetes de pas- 14: Maria, dita de dia dita. 0 V3Ol
eageiros d'esta companhiai, ainda em circulaAo,' 15 Flora. irma de Jos6'Odorico Facundo Lima. A 1uCao Se O .acos com .farlnha de
roga-se aos possuidorse dlos mrnesios se sirvamn de i; Francisca, filha do Anna Masina de Jesus. U maddlOca superior
trazecl-os aetroco por ,din.eiro no eseriptorio d'cs- 17 Capitulina, filha de FclismiuaMoura di S;lva. "Espera-se dos poitosa1 4u aipfeira 27 do orrenie
ta companbia a rua do BarAo do Triumpho, da. 18 Maria, filha de Lecailla Anna da Silv Tta 'ra-, do sal Wt o.dia 10,de jlltfI ll a27 d ORA |
10 horas da manha as 3 hioras da tarde. vares. abrl, segaindo do- AS 11 HORAS
Continuam, outrosim, a serem os mesmnos bilhe- 19 Anna, fillia de Aamaa Maria d& Conceiao. poi8.da demora do.cos- No .rapiche Guerra
tes recebidos nos carros cmi paganento de pahsa- 20 Virginia, filha di MAlaria Semiana de Maoura, ," OgtPtumeptra a Europa.far leiluo pen cota e risco
_rn_- 33arros. -_^H^^^ B i 0 S11 agetPefftR*2, farA leilao por -conta e risco
Margo, 13 de 1884 21 AMaria, filha de Rosa de Lima Rocha Duma- Pa carga, psaie e eemmoendas, tracts- de qnem 'etencer dc 300 saccos corn superior
G. A. Schmidt, mak. co farina de mandioca.
G.erente. 22 Amelia filha de Maria Antonia da Silva. Cons-ignatarios I En uM u n als lotes avontlade
---- 23 Maria, filla do Luiza Maria da Conccicao. w sm fN e & C- 1 U ited dos Srs. compraderes
*1 ii c[ Is l, filha de Marisnua.Piresde &,za. Y.n14,-RUA DO O M MERCdom-aN. 14,
NO O"t1srcr ahHcpe8255 Ma filha de FraneiA" a Xier Gungaires T14 RU DOC] E, -.14l i o
rreadla--s par um A ris--s annos os irmazcns 06 Josepta, ilhs do Esmeria Maria da Conceilo. Op vaPea
16e18 .4 ru isda Senz:dlla a flha, A rade E nerina Mria da Conceiao. 0e prri s
0 namuses ceda una; a trtr mL seeretaria d 27 Miradolin, f lha d A RosmMaia cia rM De p e s
ein1a Santa C(s._ "28 Amelia. filha de Luiza Maria do Sacraento. AsE Ccaetoo rn 1 d S
nf C ) :29 Eliza, filha de Maria Jou6 da Costa. d pra-f da En- Uas casa terrea da~rua de Santa rita 2.
g B 30 Elvira, filha de Amelia Pesso a da Cruz rop _Wedia U 13 Ura dita na iesma rua a. 4.
U,,UH ,,,., t ,d"---- deaibrtiTle 5LeguI- Umna dita na manma runa 6.
mf t9 do Iadustrias e pro-,. "par|, o o adde- Uma dita na mema ru a im. 29.
ssies Asylo deu menu luau poes da ddemors do Urnm dita na rua do Coronel Suassuna a. 197.
0 admin(rader dirree[doria faz public, que De conforamidade com o art. 65 do regulamea- Urn part de 1:50I000 no sobrado de I an-
se eda procedendo por e.,ta rep-irticr, a cobrangs to, seri franqueado este estabeleeimento Aos se- P..amra ,sa go encommendas e mneiw dar e sotao da rua de Santa Rita n. 17 (largo do
vre de mults, do impostor' inildustrias e profis- abres visitantes das 11 horas da manha As 5da a free.: trafta-se eoraos Mercado), tend sido o predio avaliado em 12:0008. .
es, rdaltivo ao ..9 sabse ido crrente exerci- tarie, no dia 25 do corrente, 14. annivcrsario da Conignatarios Seict-feira 28 do corrente.
69 de1883-4-84. inaagurau .. Asylo de mendicidade, 20 de mar- WILm S Sos a: C9., lUnlted A's 11 horas
Jecebedoria, 14 de Margo d(it 18e4. e 18841-0 director, N. 14 -RUA DO COMMERCIO N.-14 .
Ale.Awdre de Sousa Pr-efra do Carmo. Justimo Jos& de Souza Campos. Lterta de 3,Si5505--A loteria 144a ent nt
16otrinde 1fi669000Age'nte rinto
rlereatvat I.de Naro r .Alasee A.,0eor0m mp'eterivekloiite amanh, 24 do-B do Born e n.
: _. _.. v.ie*O brasrpublicas eorrente. 0 rest, dos bihetes acham-se ex- .. Je n. .
'i.et..r" "s *' x ra ordo Va. Ioittosm A vend s na c da Fortunae, ioua 1" de Por oceamiao do eilao de outros predios e fazen- z p
Se'jdo- eaord tnr i ea De.1)ordew doTIUn. Sr. engenheoro hefe, fag. _argo n. 23. das avar__as._e
drido ^ todos on s ecios dete sociedade q pablico quoe, em viitude deoordem do E=n.-&. e "- _._28._dan-a---ia-a---- ,
b : lia side domingo 1 0 do crc-lesembargador presid3te cda provincia, ata A{|r
fl..e, pars tattar-se di nega- raga no dia 27 do carrente, a imefo dia,' a obra
-, i', dtodos socio3. Recifed reparosa urg dapos nt 4%rug'da Aor, L lV
;4j na nimportancia de 2:093J+, j Da armacgao, balcio, cofre, selling, silhics, ar- a
iH.SJiwdo ^fn.^-^'' a.en ento e sa eoaduf a do coutil* -e d oflu.3 uT T maVaes deoiolla pars sellius, carneiras lixadas,
4 c hm.. .. a ete f ner m e, rm,,do t ,vrd 4a s]. r" "
Sreba nesta 9ere(ej& Ia serecm exarniadoa, ^1. -nW' ," ditas li"as, couroo de poji-co, meios de sola, mantas,
JT71VaW1 pelos pretenden t" '- in'ifew~Sl&eO o p~i'tn, o tram "ftis pare seltii as bwkdes de feoro, eabonadim, ra-
l^^ gHI^^J J~y^^^ -l~^I peloo pretenden&V.- *f '; Jina ia / liM Ma p~ft'y;t 0 ia-
9mstm.& rrgartivaQ dam.iobras pblicas, i t 2oWi a. la bichao*,pelevs a;loer* fundas, taixas,.fi-
-- Je 49 .43:!,o 009 10-r". 684~~ E~&~,44 *peanno para,.. o
Ioa40 .-- pevo9gei


III...... ', '^^ ^ ^ ^ ^ ... " ,: : 5V.43 ,51 ki.. a gma,,apete, quai,
,oesd. : 72, 24, diD, o d eieete e olett
-4 plte.
A saber:
--Vt-,3.Ur dopiano frtea uloamoiliaa dejacarasnndcor
--'# u M- o cofi4 e dois consolos, duas eardeiras de braos,
-tlpus.l a a.fu.a pubsha ~tmqum noo d 4Baoe do umno, dus cadeiras de balan~o, qua
26.d V 2 de awn; ^ PR idt W e. boo& 4ro' corf n es graverastuii tapete de sofld cinco
J ioff &I ds -el lv h 1o C. a 1,se.,10Aliditos de ports, .inco pannos de crochet, tries ca-
2%-,---, 28, -'--2yquo wtm are matudes an deiras par viagem, jarros par floruts, figiras,
TPo0 o 2% ate d rpoml p do Rell. fe, 24 de fA ba bramileira D. I a ma ra ama franeza, um ruarda vestido, urea corn-
Pago d n dsanme 4 MdpadR cofe2dAb |resbreBida D.Clar m rnS u l U Uanda, dose adeiras, dos marquezoes, um lava-
aeidM do L soale deedeegue eom brevidde. Red ebe um torio, umn toilett, umc abide, quatro camas de lo-

Oiiitode Puba adnlie d a parochia o deA P18K 6B|UftPXtf l~rwr quesatom de eargs enaja fret b ra o,; palierfutiascmoers ooc
m to r d e Jo Candidt dhMorassr 4 me&tod a frt rta na, um csta para rouba, um berqo, lanterna,
b, 19 doJ Cn oe.,tn.detr no eru riptorlo dBaltar um mess elastic, um guards loute, dois app arae
PjWe idoS 8.re ide AraweGaW. P. G.di aSilva, Irmos & C., ru d Cru z.14 domes, uma quartinheira, vinte c quaro cadeiras
de_________________ eetw n8. 0'a..t d deo gtio um lavator2o, umateboa pareen-
deT o d o tM sor e temente- '-l-a- d rire im I Ngmmmr, B dues bandjas, um apparelho de poreel-
-B 7 do 4P betalhio dadea- i mausc PB. me *s J e n s FM Usk 11 lIana, ra chi, urn dito paRm jntar, um ditoac
tkia mo"wa do coteldo selhoae evisldo cdado is- Vaeegnir broom hdbeu ses tu gea *-.elcetro plateC, coheres, talheres, salvas, galhetei-
MUq a guuards.aion ia parochia dorww, qu o ja ter s da era r gaado me- eh, paliteiro, fructeiras, campoteiras, cops, ealix
l Wa. -etBo da Boe-Viif da sta cidado, em mudes -As w do oeaoo rests ato:rAtar crn m0 jarras, um limpador de faea, trem de cosinah
Ep da Khget, ea ."S d !d o e eigatario ranciso ile Diro Pinto Guimra- ndres, bascis e maitos outros objector de cass
ohosrMa.. eidadlos residents a, parocehia s rie e A runs, do BAra r n.96. defazilia.
dib ro daBoa-s, quemumpri Ats irmandad o mlisari ausah, 27 do cor- AwfA da IPE-, W D i ANA Quraf feia ra 27 do corrente
fteritmasordo governo-oiperil,eaUSfdmrmma mente,- tsladeao dalimxaam deoenhr Born DE Na e11utede Uechacasacesis
dos defs a. 22 a 11 reak-s m B al- Jesas dos Pasmo, di mataris z ode rp-Sato pars ond de oeoqa agsa em sia-
dsdom nga do cmret Hu, hoeM da ocomnvento do Carno, d'estetara aquell xatdrie Nae PaiO otei p .Vapora em fremte do eonlleoade Noll-
o ousistorio dai ra matnati da ditae sol prei s dell i ioanh po)eu a PORTOS DO L sa Senheora da Grapa
...ont. aseMlo d revi-daqualificaUeo ds ha'r a&tard, o a do shlmento a Macei6, PenedoAjreji, Estancia e Candido de Carvalho Neves, tendon mudado de
*eKdO nfW-. targa t u edo oa & Auato da Immcau- io residencia, fu leillo pr intervetmAo do agent
arsa que cheesoeMhemtodo, lads Coeweeio Alves as reo ler o Rvm. Sr. Dr. Pinto dos moves e mais objects da casa em que
SWomete edital. Feezia daBoa-ViBtpa dre Pu-sa.iPaes aet w isa mes Joismada- 0. vaporS. NOresid naPontede hoa.
26 de margo de 84. .de.convida A todosos seas irpaos, autoridades ee- te Tels, A's 10 horas e media, partiri do Arco de Santo
Thomd de Carvaliko R Brandlo. clesiastica, ivis miliMares, orders iigiosas ii' p nora d Antonio o tr expresso qu dari paeorgr-
a D--_RA__Os_.e seminanstadirector, a d coigiaes, Cast&"ddeteea5 atB at, C assoncurrentes. -
S mpreo e var d qo ao seg cqia ruemdi din de Ree car, uo
d E ..... de ..... oela, raaha t 0 w osoe d "d" o"t u o io amompae ceres d. rd o C L Sa s
.EeLA.Fi. S.. elmo rodoosos oiso devtEncomsd.pan ge edint eiro aB te o at eao
lCu--~-amo a avoltard yel, aismes ruas. mL le 8 horas dore do dia, da L es .



fli^MHlJA ftC41mPriit4 n eir raetdos Mar ole anharmos Qa cirnes destreia- ^ Eno inesde asagm o dinheir a ; frt at6 I 1
enita large doa oseo docn enhorv Bodor J suso slO.O Da case terrea n. 2 da travessa da Vira11o na
aCasistorioa irmadde do Senhor BornJesusECRIO[fregueza de Sanio Antonio.
DO do Passos, 26 de na4e do 1884.-0 eserivao ad CaCK da CoMptalula1 Pernaubu-
tTDivino spirit Santo da ae Annto de Nat ,obi. .aina a' S1 0 Qina.fe ialra, 27 do corrente



D Ulri00 Espirit Santo asa ed;e omno 0 o orete elV ANMltr DIO MU SSAM- ALIrt*0 I I- hoblr d
De ordem da mesa regedora, convido a tod urosg &IftM EMARITUMlNS NO ARAZM DA RUA DO IMPE-
oes nosso carisimes irmAls a mse reunirem em nog- LN E A A A R IE
saigreja nodis, a 28 doearsreite, s 3 her dasa aMENSAL RADOR N. 16
tar do para encorpwede, acompanharmes a pro-Ui 0 paquete 0 agent Martins fari leillo da asa acima por
ceo do Senhoro does Passes, que mde da igrejaD or d wra" de andadodo,. Sr. Dr. j,, satitato a fazen-.
-do S. do Ca-mo, para a qua fomos convoadados. Doe osmr do noosoimso provedea, oenevido a enega, requermento de Manoel pJutiniano dos Reis,
Recife, 23 de margo de 84.-O erivo, todos asimos irmos a ompa recerem herdeiro de pitulina de Jests Soares, para pa-
Manedl ppe de Souas. em nosso consistoio sextafeira 28 do corrente, Commnd te D gamento doue deve afm provincial.
e-lpelas 3 horns da tartde, afin de, devidamente pa- .n r, en dfa-se da l rva
Im dadie h Alm, erectana ramentrasaodames eermos a, a1visede tras-M 6 -o dMia -LlSt Ia leil
ladago da sacrosantaeimagem oSenhor dos Pas-d abrile-
niatrade das as e0r ea nta r de-tdosnvento de N. cS. do tCimo pa"o dpo de 5le
salun doCoerpeatdomiugo 30 do corrente, peas do ira' T dosMt- D ie deo 1vos objeet.A do
De ordem do nesso irmao juiz, convido a todos meswas hosras im de acompanharmos a procis- Wwe pare]Benos- maroe e alabastreo
os irmilos desta irmandade a compareaerem no djo do Senharr ,a encontro que tern deo ahir da' Aryres, tocandona
consistorio respective, s 3 horas da c tiade do dia iea da Santa Cruz, pares, as qeaes tivemes cot-/ aha., I.i de aaelr4 e Meate- C0s ando do
28 do current, afi de eacompanharmos a procis- s w te d Agonievi
as do Senhor Bom Jesus dos Passes, are a qual Consitoio ca onfraia do J J s
fmose covidados. -.6 de m go de 84.=O secrtetario, Lembra-.se sos Sr. p eers de todas as ructirs
Sretria sea i dde desr a s-Antonio Alves Vilella. classes que ha lugares rose-va0dos a 4reta agen- d-uasprras
23Seo riao da 84.0irmaeescialdas Aias do Recif. ,ntoi re VIt l. cia,, que podem tomar em qvlquer teprieapo.ras
23 de amaro de 84.= d er em de .
A0ffonso Rodrigues. S.doMNteI C oid o i 2xno a z
Uostla frta di fsreoac-secoin Cavalos emgrapos
iu0i$uufu Paectargpssaeus -om mee dineir
Celestial courraria da ~ ~lOUCln ovuoaAGi3NTE Portiae
,, 0 0itg 9 C1A0tg,,oaw Lab& P-- 'a xfaets
SS. Trindade Por deliberaelo dia mesa regedora, conAidea ua1 -i P artilats
De ordem do aissio irmo juiz, onvido todos os nossos c arissimos irmos em geral, plareRUA D. COM. iC 0-9 rtuctas, etc
odos o rearissimos drmos ia celestial confaria que se dignem de comparecer, revestidos com sens A et




de Des cotrat os rrendments pr um abites, nere o ia mxt-fera. 28spedor scemnerne nie, "N ^BW Jrll
aoos. Tone parsm no dia 27 do o da eutaeoera, hbitos, no dia sexta-feira, 8 do errente os Liverpool Brash e l iv r Plate Qum ira, 27 do tente
e4 hoas da tardempare. em hess pelas 3 horas da tarde, na igreja de nossa rene-__ A'S ti| ] 8Opal
as 5 112 horas ca tarde, compares emer aoo ravel dest afim de 21io c d :.^ -, A' sI hera
eonsistorio, pars aseistirem cajnaugurao h as co irmao trderpo doa .2 e domsm, s 1eom- ciea do. 'AR DA R DB -
o=+~o,.r.+m .paorn arav ea m r oisiodo enor i esv osoPa- "Steam Nawgration C P0ailpl, n oARUMEADA RUA D+ O B .M-T
lestial confraria e bendaio dos habits. Recom- pa han a proeiseo do Senkor B Jesvs dos Pas- mai os ol
sndad es atodos os nossos e1aissios airmos que Soda igreja de N. S. do Monte do Carmo para2 a SUSN do 1 pr
tragam seas habits pars receberem as ben8 .aos. do Crp Santo, pars ijo t ai reeebemos o hon- P fag ci por a aoe o ag te
onisto a celestial onfri d SS. Trin- oso cornvite. aor Para farfoilio per inteiao do agent Gus-
Cdade i 24 d e r iano de 84. Secretaia i da veneravel ordem terceima do N.0vapor mao, dos ndos objects adna ewucionados, us
s2crde8t oeS. do Monte o Carmo do Recife, 24 de marqo l s s 1d quaes eoeixpostosno eiido;aormazempan,
seeretariointerin, Rscseai
Josr Ratmos de Oliveira Junior. de 84.---0 secretario, serem e9aufinados pelos .^s. omepradores visto
Manoel do Nascimento C. Bulamanque. D .1,947,too2adas serent e-bjentos de maito .abiilho e goto.s
l end entos e I.i, 9 ,- Wwiao d ,aso
A A~rreuame Tnoosrarua de ]F'enda deda2d ntse ?e Agnenn te' oil r irag




izmandedo esuS^^^^ antAndagrdaM dare dietinooiamb rhue^cj deo Deos cotrata us arrentdameintos, per umra tres Dc ondem fdo Illm. Sr. i s blco, d21
urnns, dos amidazens do lango da Alfandega us. 2 qua a arremcatasZo de divers objectos pdrten- io
o4, e eacs da escadiiuha n. 7'. Os senhores pro- centes as Arsenal dci+emar, e do quo 'trata o Bi0 &.njf+fl 0 San.kos 4)iala-eira, do &corrente
tendontes, manidos de seas fladores, doverao di-. edital desta Thesouraria de 21 do correato, flea 11ecebe earga a fretes medicos. t I .heva
rigir suas propostaa em cartas fechadas as irmnio transfer a parn o dia .28 do mesmo mex, Ais 12 Para main informac6estraeta-se corn 1s N araeaa de iteis d ago do Pa-1
escrivito cia inmandade, A rua do Marquez do horas cia manh'1. orvaedemeidolrooP-
Olinda n. 3, no prazo do 15 dissa, a aontar desta Thesouraria do Fazenda do Pernambueo, 26 de AGENTTE$ raiso .n..-26
data. Reeifo, 24 de marcqo de 84. marg'odoe84.---O secretario da junta. o aent aima,+ orsnadccorn assistenceia
L EUIIP. lO~ a-d | ranisc k de livirae Slvv. do Exin. .,r. Dr. juiz do -,ireito; ~e ausentes, A ro-
Perlam u~oSana Csa a ]serc~rla o PRACA DO AlCORPO sA 0 Nil queriumeto do ljwOeUrador dea hordeira do finado
Pnem ieniiuoSu~ aad ieiodad OA ALSEM LU ei'o'a edividas ectivas .do espolio, na importan-+
Prordei .'do 111. Sr..consal do Po:-tugal, e lO4~i(eO1Y+ ++++"+ +++ += +,, ..
pare quo chegn+e ao conhecimento dos inter oesTead. lln. ut amnitaiv oolioi4FIIAuteressados eiitendam-se cern o mesmo agen-
sados, no fas publico quo aconteceado-ser preso e Tendoar l~adi jnttirnaolei dadmnisorphula .re cujio ~'fd lSpeSia oioawzmd oesrf
(fuerolado algam subdito portu/.uetz -indigente, madramti o oeodsophenej l de CdmeeOnope lat oaxzedemvsrfei.
deverd este immediatamente cornunical-o "a este quadro se achavamn inscriptan, segundo a ordemn passagne"'-. .' "'
consulado, afint do flhe ser da,io advogado, o qtal dan nenpcctrvas datas, as rnenores eonstauies da Itinasapi0 + LeCdati(
acompanhard o processo desde a fonL'avAo da seguintte :claqiao, por .csta socrotaria so oouv~ida
\- ",hmsos parcates c protectors dan referidas nuenores. Sahaide .Southamu~nton 24 1 9Th)a at-ma'o, uitensilios .e generouss do de-


Na)8N^ikaias,561
EM LOTS
0 agent Alfredo Guimaraes levarai a leilio *a
loja de ellins -A run acima dits, per mandadd e
assistencia do'Ilmn. Sr. Dr. juiz da provedoria, os
bens perteneentes ao finado Domingos Joaquim
Ribeiro dos Santos.
CARMO E SILVA
Leilao da semana
Sexla-feira, 28 do correnle
A's 11 horas
Moveils, loucas, videos, enx6s, machados, chapas
para foglo, rettoz, phosphorous, espelhes, relogios,
quadros, telhas de zinco, joios, etc., etc.
I carro e 1 boi gordo e grand, 50 panciros de
gomma.
Travessa do Corpo Santo 21

Leilao
De fazendas e mindezas, limpas e
avariadas
8eMaM 28 o comeilte
AGENT PINTO
ds 11 horas em ponto
Rua de Bom desus n. 43
Por occasilo do leilao de predios e terrenos.
Leilao
De uma case terrea A rua do Coronel Suassuna
n. 7, em chio proprio, occupada corn refinacao.
Um'terreo A rua do Conde da Boa-Vista, jun-
to a cas n. 82, corn 41 palmos de frente e 300 de
fund, setdo ji edificado 2 quarros e 1 latrina.
Um ditoA rua do Progresso, fregueuia da Boa-
Vista, om 40 palmos de frente e 500 de fund,
tend. no centre 6 mei'agas .de pedra e cal, edifi-
cada a peouco tempo.
Sexta-feira 28 do corrente.
A's 11 horas em onto
Agentle Pinto
A rua do Bom Jesus n. 43
lltimo leilao delilivo I
De d"1 6tkllhares novon
Da armarao envidragada, balcAo e 2 opti-
mos fiteiros dc amarello, encanaimento
de gaz do estabelecimento.
CT I[i -. I1 .. _


ii. a a ria na imperatriz .- a mrei
Trca-rfelira 2 de abril AO commerce
IS 11 HOPAS EM PON' ) Luiz Ferreira Bandeira de Mello Filho declare
A anmace indicada presta-se a *,alquer gene- ao publieo e especialmente ao corpo do commercio
ro de negomi e garante-se as chaves ao compra- que comprou ao Sr. Julo Francisco Percira La-
dor.ssa-asilo sndeA lmenha o estabelecimento de malhados, sito no
iessa ocasio sender. algns moveif lou- c becco do Espinheiro, e se alguem se julgax credor
vidros e faeda, do referido senior ou do seu estabelecimento,
Jor intervenAo do queira apresentar sua conta em tries d&as da data
~ BiU0 deste. Recife, 26 de marao deo 84.
Blte -nf to AMA par a cosinbhar ; precisa-se na rua da
e Imperatriz n. 78, 10 andar.



GEAFILLIHU
NVk
PAIAVA DA INDV.7'NDENCIA---37 A 40



B^E
Joaquim da S. Carvalho &. C.

Est eri tfablocimo~to d fl uo asala O to 9c flabr gas wrIncpo
fIrics du Pai, o 4a go Nmlhor OMlos, oCmo solar:

hldlaJ11 protas e o g corpo so uqi a li ito a 1sNo-(hom1
B'Bt artige. ,.. ,

C.fs Dara seoioranfonnatg 11mtg IA N, om Walo.a 1RIB,
o la tMla, tat ja ra selor co Inra mffloflisO,.
M11 comioAen 0 oto ftmutO fiDsllas 0 forDs (0 tofib ostamiii ios,
8ei1o ,voofll oo Igtas gle t(as a[ si c OSS, m C0 00 M e
eNNWlts jra' Iam to go chapies o yesti gos.
Pom o ds foe togas as coreS 6 qaiiados

010ad0 1ra ra, atrIW Ns mais IM s m to mflo
Oslo Tudo.


IRI


GRANDE OFFICINA DE ALFAIATE


RUDA LUSTOSA &


41...Rua do Bario da Victoria...-41
N'este acreditado estabelecimento se encontrarA sempre um sortime&to re-
eto de pauuos fiuos, casemira do todas as cores, proprias para costumes e calgawcom-.
bemios directamiente as nossas fazendas por todos os vapores da Europa. Brim
fanco e de cores, e todas as fazendas tendentes A urna casa nesse genero de negocio. ,
Aprompta-se costumes para luto em 12 horas.
Disp-e de um pessoal habilitado e corn os melhores elements para servir -
neus amigos, e a qualquer pessov que quizer honi'ar seu estabelecimento corn s .:A
icommendas. ,
4--l do Baro da Victona.-41 m
'' =:.-* ; ..+ .'.+ -,A


. .... : .... ,.-..i
~~................ .... ..+... ... :.'."..... .o.- .&


IL '~ ~ 4 '4~~~4J ~-


S*' '4 ,
+ .- -.^
.:su'
:: "--7-.'+ :. + v F-7- .' "


^*o .terro. doA... a .
ot"' do.de n. ,"
25a rma de S&at&Rita, 9,
CIAI fln' n. 77 rVftde S. JoAofo andaterreo
do sobraduo n. 24 a r.a do Arag-2o, a casa om o-
t6a e grande commodes na segunda travessa a
,ua do Principc n. 1 D e o sitio n. 1 a rua da Hora
no Esp!uhe'iru; atractar na ruma do Hospicia n. 32.
Traspassa-se o arrendamento do engenho
C('olleglo, na fregnczia da Luz, distant uma ilegoa
da estuAlo de Tiuma, e tambem vende-se a saira
creada para maie de 2,000 pies. 0 motive que
forca o rendciro a faser tal negocio 6 estar pas-
pando muito mal de side. 0 engenho tern pro-
porques para safrcjar mais de 8,000 pies annual-
inente, o melior de assucar quanto 6 poasivel:
quein pretender tal ncgocio, dirija-se ao memo
engenlio, quc acihara coin quem tratar. I
Aluga-se a casa n. 7 C, na 3* travessa do
Principe, corn 2 salas, 2 quartos, cosinha f6ra,
quintal e cacimba ; a tratai- na rua do Atalho n.
, oitao da caixa d'agua.
Precisa-se de Ium criado ; a tractar na rua
da Imperatriz n. 15.
- AMA que compare, precisa-se ai rua do bebo
n. 20.o
- Ficam scm effeito as acucs distribuidas das
loterias De comnwinua accords e Lettras e belas ar-
tew, que forum transferidas A ultima extracvao
d'este mez.

Alnga-se
Umia casa terrea corn sot.o, grandes commodos,
dependencias e agua encanada, na rua do Pay-
sandA; a tratar na rua do Vigario n. 31.
B. de Aguiar.
Horticnltlr e e0 iicntar
Urn estrangeiro corn grande pratica em Paris e
outras cidades da Europa, offerece os seus servi-
ces aqui ou em qualquer lugar ; assim ceno pre-
para plants e desenhos pars jardins, chalets,
kiosques, etc.; falla francez, allemilo, italiano e
portugues, e tcm pratica para dirigir engenho ou
fazendas. P6de dar fiador A sua condueta. Car-
tas dirigidas A Simone Croff, A caixa do eorreio
n. 48, Recife.
Caixeiro
Prccisa-sc de um caixeiro de idade de 12 an-
nos, paa. taverna ; na rua Duque de Cavas nu-
mero 2.
Aca0o entire imi0os
Fica transferida para quando se annunciar.
Atteneao
Aos pals de familla
Urma mona ensinando primeiras lettras, offere-
ce os seus prestimos na ria do Visconde de Alba-
qaerque n. 44, 10 andar.


t


-. --. .4'-


-Ai
:" t ''- .. .
. A +.,.+ ,. .


ilI


I

















para amamentar
" tmm ereana. de pouco
empo, paa-se bern;

no escriptorio d'esLe
Diario se dira.

Diccionario marifimo

Brasileiro
weude-se unm : n'esta typogra-
phia se dira. _

AttflW
Joao Paes dl'Oliveira pede a todos os seus devc-
dores o favor de saldaremin suas contas at; o fim
do eon-cnte mcz, do contrario pubiieara seus
momes, e em seguida procedera a cobranga judi-
cial.
Casa c Sitio
Aluga-se por prevo modico urma excellent casa
com sitio, na estrada nova de Beberible, pcrto ida
esat.o da Eiruzilhada : a traitar nai rua (o Im-
perador u. 412, eartorio, ou u:i rua do Bargo de S.
iorijd a. 47.

Preeisa-se de uni scui,,ra I' "." I 1.
g'nu:rantc Je uwa c-asa de faiuilia, daudo fiador
de sua coudicta ; a tratar na rua da Cumz n. 1,
priieiro Ln dar.
Pgb.volAA
Joaqniin Fcrnanl,- d. iI.,uitc, ccIIi .ada.r;:i na
frrr-' : P -.if., ,- .. :... ., ... {.',u--. ,_
auii;os, Moine, a se'i inulato Antbnl,. que soI' ;iUscntii Ido
su u. ; '.L, ,] L -i' i 'L'ii:'.', s( i'i (.i.'
-6.U;*-, a L- ,S( T
'houvest c n I o ; a r. :*.:, a ,- ?rt,':;: ?'-
pois de suw. rc-ira h d rc.-.ri-, r ,lihIro I lc um fr>'-
guez a titul lc fie ,lran-'..a, d:. ,,UO 111 n [.lrest'.U c-i.n-
|, t t ii !) ,I U;,il ,l,.:.tiir tit! ;' ".,:,:'11.
Alnnga se ""
/Illi. t ?< 0 1 2'. 3' e 40 aniar 1,, Ioli:nI a rua d(i,
Bruin n. S1, tod.L- r..,nr.-i <1 p 1i, 1.';.,, dI:. n ,',.
eom bastantes ccmmnodos para faimilia ; a trafnr
em qualquer dos andares, rua n qrga do Rosnrin
numcro 34.
Barato
Vendc-se pranebhies de ainarello mais harato
do que em outra qualquer parte ; na rua Dircita
nunero 4.
Aliuga-sc iiai, riidc Cdi cm flSainto Ana-
to, rua Lembran(a do Gomes n. 1, muito frseca,
eom grande sotao, coin dous ggrandes quintacs
miurados c corn boa penna d'agua ; a tratar na
-.ua da Imperatriz n. 32, 20 andar.

Ima
Precisa-se de urma ama para tudo servi<;o dc
Csea c deuas pi.,ao a; u ;L. ,i o Imperador ia. 39,
2. stiidar, ncutrada p'lta travessa do Marquez do
Recife.


ATTENCAGO

N. 600,000 rs.
Pcde-sc ao Sr. capitE.n do / '!
Francisco Ant :nio d,1 S;'- Barrc.-t,, quo v.ii,, n
r,,t i,-, Martviios t p. 14'-, jois j;i fazcm 3 anno.-
N. 3:000 000 rs.
Pdcd-so ao Sr. Jo~o (^oiJV.3( &;i .-- <'*>' 3';utuvs3d
':;. r" dii ThI5-'i---------'ii' \ -ali]a r .'-.tituir o d: -
iiLeir^ : i quo i.- J- a .,; ;;;. '*I ^- u ic~fa u..i(
N. 300, 000 rs.
P(de-se ao Sr. Antonio 1}ezcirr do iMenezo s
I-yrai. ,pe vcnh' i .atit -Thi-or au;l], Coinptcrnmis.-(;
tqc-. tito lie S(I'-VrO, (juaniidO Sc-u fi';.o cstava nxo
1." "1i110 (1.: 3c-Ucrr, i'.
Pedc-se ao S. I)r. Francisco Xavier Paes


Barreto, qoe rsi a as canrtas qrc lihe tcie
dirTh ido. nia rua <.s Msrtyrios n.- .
N. 2:000,000 rs.
PI)C ,-e :., 6'7-r. J,:%, .apii.-t Fen -'ira ,quc


Ama



.-a -' :' n i- ; .' i ', r : rI t -

P~~f'i-.*; -. -



..r ,.," k, -3 f4t,'4AI" ,
Eo Z



0 lgl. 1I [iH JOi A
DE
0 .-*n -^ .10 i. V* *** l-n T .^T ^ .-





Offerecein ao
tavel public 1u ? gi c n-
de e variado sortimen-
DE




to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-


tados a vender


mais


barato do que outro
quuiquer, visto rece-
Sberm directamente.


:Todos os relogios
hp dos n'esta casa


a


* w:
NW'u.


Polvora propria pra rq sbrar pedrns; a tratar
no cases -22 de november aIhaBi dti blla amIa-
reall n. 36.
Precisa-se de um ama mpara eomprar e oo-
sinhar ; na rua Puqe de Caximas .,6L


los, etc.


P urea eafa .pd e,:k d-teli^, ira9 ut ra
de Umeaft dpoO, if. ,is .ar a rua
dam Cairalisa. 32.
Amja
Precisa-se de urma am&a paa cosinliar par a pe-
qvea faaiu, a qa e d fiador de 'sona conducta ; a
traftr nusa t de tbro Affso n. 6, artnazem de
Sxarque.


1~ ~, 6 ascas A Lwarajs e~~*~ caiusia wr
jaw IP. LAROZE, Armo.ifh
r 4.& m am Ri.. sonm3.W iain
*a*V&OM !PWAL- Jk M MI 6 EMOY 0 DO W.
0 PreftoIdret do rwr%, tocido, a amtiidade as&'
hum pisp.3adO, beamweuervado, prin- sarias ias wuU xoadiveuam.
ciaplmesto no estado libuido, 6 do P wr i Vwu'uglam
todas as preparaOes. f'-rru~izas. 4. doj.11.9ik"'IeonhldeWado;Wisn
q,,nadiuos molhoraresuados.Sob medicos da Fae A deo Pui, 0mI
a infldenedl 7incipios aimv M e 0 o epecifico me crtado pm .m
tote.e. oa cAsca de iaraanja e da Denogas &a l,,r, lM.ipo. s. -'
quasi ia .marga, o frro e aasimila&O *%, Gbio%-.nwIue tis* t SMi --
.aeaimeate e produs effeito prompfto oe corn mdixestqw ismoradan t ls.
e germi !eatam. jz 6augue, a foroa; -estaes sMrbbftls d W-
tU sM. A dureza; aos different I aehtlsmo, -a.t
w su depueflt whoi- i diwa a. sufgintw P uvMe A JS.t, ,.4Aftzj
XAROPE LAROZE .s,' %TONICO, ANTIf!ERVOSO
Cmt as atsles, GastralteU. Dmypal. Dow. Catubm fto *imwri-
I XAROPE DEPURTIVO'"Iaa ""s IOUETO DE r
-t -` "Arfa' InODURET10OfDe prAwo
'I Lowas s AMoOQ1SS esoroi"4osas. ornoeromeu Tmaores b-macf. Alin d4 as jS
SAol~entea &byphilottoos .deldarias e aertaco.
I AROPE SEODATIVO .rse BRONURETOUIE POTASSIO
*Wa Impiiawsuwfto. Ea n da 3 inunm day&rtme ou umafte. J
AM "r 4,4APg AL -- ww


S' *


&


*fi --7


aeontra aO 06
da Undio n. 47.


d9, a fl;agm c
K parM engommaw

defamilia; na, =ua


UEm salf-,de nMs
13 SIa doa Aw ar, I.' wdar
Oraumtes e variados o 7t:?n".o40g cp6os en-
feitaldos,' par sehoras e meniaxi
SOetkios a A asS m
C6Wpos a Jersey
SKcosa Poedora
l a Oilet
ea Foedora
Bite o Jobot
Dito a 881"k
D ia Offleeor
Espartilhos a soltuna
Otfomen e setim
Dita Setim e veludo.
lu im ,#ef egaWtftWa d CroaabIhft e co-
res.
Floremipar chap6ios e-vestidos.
ficos Hde todas as qAalidades.
Meias de cores patl senhoras e meninas.
Penes e granipos pars d9bello.
VeMi w .e agola para mninas.

Os Sn. abaixo' signasdos t Amrn cartas a serem
entregues em mio proprisa rua Duque de Caxias
a. 85, loqj de fazends.
Joao Carie Cavaleante.
Dr. Jefferaoi Mirabeau de Azevedo Soares.
BernardinO de Almeida.
Joaquim Francisco Ramos da Cruz.
Didio Cruz.
,eNlatmIe, da Cnuha Rabello (engenho Palha, em
Goyanmay.
Fructuoso tIaia.
Sebastilo de Barros Campello lavrador do eige-
nho Camassari).
Adolpho Cunha.
Arthur Braga.
Joao de Souza Ribeiro (engenho Ilha das Merccs).
Jobo Priseiliamo dos Santos.
Joaquim Pedro dos Santoe Bezerra.
Casa de eautpo
Aluga-se aemasn. 10 A da- ostrad da Cruz
d'Alnms, em Parnameirim corn pequeno sitio, tern
2 salas, 4 quartos e cacimba corn boa agua. Tra
ta-se na rf do Apollo u. 30, 10 andar.


Engeahos para arren-
odar ou vender
0 Boa Serte, uma legua Aquem da Victoria,
corn terras e mattas para safrejar 3 milU pies de
assucar annualmente.
0 Goyaeira, media legua alem da villa de Ja-
boatao, pars 2 all piles.
0 Canmduba, uman legua alem da mesma villa.
para 1,500 pes.
0 MJfmWiba, centre dita villa e a estagio de S.
Lourenao pars mail a 2 mil pies.
Todos naendo corn agua, tendo o lo alem d'esta
urn excelente vapor.
A' tractar corn o commendador Barroca, em sua
residencia da Magdalena, ou na rua do Impera-
dor n. 77, mercearia, ou corn suas conhadas na rua
da Imperalriz n. 49, 20 andar.


Preeisa-se de unra ama para cosinhar, a rua do
Livramento n. 26, loja.

Caixeiro
Precisem-se de urn, com.rn idade de 12 a 14 annos,
corn pratica de tavernsa e que de fiador de sua
conduct, a tractar a rua Augusta n. 258.
Ao public e ao commerio
Antonio Augusto de Lemos & C. participam ao
respeitavel public, e eom especialidade a seus
boas freguezes, que transferiram da rua da Im-
Speratria n. 65 para a rua de Joao do Rego (an-
tiga da Florentina) n. 15, sua fabric de cerveja,
que se de-nominava AURORA, e que agora se
denomina PHENlX. Aqui em sua nova fabric
Saguardam a protecc.o dopovo amigo d'esta cida-
de, e protestam servir sempre a capricho, as pes-
soas que os honrarem corn suas ordens, as quakes
prompta e fielmente executarao.
{ Aluga-se barato
S 0 1 e 2* andares A rua do Bom Jesus n. 47,
(Recife).
S0 2o andar do sobrado A travessa do Campello
n. 1 (Recife).
SA easa terrea da Baixa Verde a. 1 C.
A' tratar no largo do Corpo Santo n. 19.
i Aviso
Vendem-se as casas n. 143,145,147, etc.
Os terrenos situados na rua do Conde da Boa-
Vista : A tractar na rua do Madre de Dens n. 38.
Aos Srs. padeiros
Participam A. A. de Lemos & C., (u1e desde o
dia 27 do corrente emni diante, terio ;. vcnda todos
os dias em sua nova fabric de cerveja Phenix, a
rua da Florentina n. 15, born fermento, pars o fa-
brico de pao e por preqo sem competencim de al-
guem.
Precisa-se de um feitor ; a tractor A rua da
Madre de Dens n. 38.
Engommadeira
Precisa-se corn urgencia de urma, que engomme
bem ; na rua do Cabuga n. 7, 20 andar.


__l TONIPO

g EXCELLENCIA.








5 Cavlheire da Legilo do HNamv, Phunmaoeutio da 1f ofas.


3PAbLI=S


21, Faubourg Montmartre, 21,


3PAX.IS


Este VINHO serve para as pessoas que nlo podem supportar o oleo de fgado d6 baoalihao, e possue
todas as propriedades d'este oleo.
Ca&d colAe, de Vinho rprersenta sma colAer &e oeo de dfgado e d o kA e dev w' tapado nas
mesmas doses e nos mesmos casos. .
FrMprega-se epis contra a Deblidade, a Anenla, a Choro08,oRa 1tSi a SO o Sie etc.,
a e dMaifta .ea. a t*d .
Ao o regeerador indiscutivel jmunta este VUINO um gosto ..qtatq uo.smm pWlm ag W,
t it^MM1^' -' d e .......


'r -


CA~A Di RTU NA

Aos 4:o000$000


A' rua Prime;ro de War o, ou-
tr'ora rua do Crespo n. 23
e casas do costume
0 abaixo assignado tend vendido nos
seus afortunados bilhetes urn inteiro n.
718 corn a sort do 4:000,000, dons meios
n. 1265 corn a sort de 800,, dons quar-
tos n. 1223 corn a sorte de 2004 e outras
sorts de 324000, 16,000 o 8,000, da
luteria (23.'), que se acabou de extrahir,
convida sos possuidores A virem receber
na conformidade do costume sem desconto
algum.
Acham-se A venda os seus afortunados
bilhetes garantidos da 10.' part daw loterias
a beneficio da igreja dos Martyrios do


Recife (24.'), que se
feira, 28 do corrente.


Inteiro
Meio


Quart(
Em quant
Inteirc
Meio
Quart<


extrahira na sexta-


PeEOS


4,000
2#000
16000


)


Idade malor de I00O
>36500
1#750
) ,875
Manoel Martins Fiusa.


CASADOOFRBD
Aos 4:0004000

BILti1ii iARKNTmOS
Rua do Barao da Victoria n. 40
e casas do costume


~ui~R
-~
a


-w Ca !i


Ao commercio
0 abaixe assignado participa ao public e ao
eommercio que n'esta data comprou ao Sr. Segis-
mundo Lopes da Silva a sua taverna sita no lu-
gar do Barro, freguezia dos Afogados, livre e des-
embaraeada de debito alguin.
Barro, 24 de marvo de 1884.
Francisco Xavier de Lima.
Ama
Precisa-se de uma pars casa de home solteiro:
rua do Duque de Caxias n. 47, Fragatz Amazo-
nas.
Ao comnimercio
0 abaixo assignado participa que tern just e
contractado corn o Sr. Antonio Arco-verde de Mello
o sen estabelecimento de molhados sito no largo
da Casa Forte n. 15; se algaem achar-se corn di-
reito ao mesmo apresente-se no praso de 3 dias.
Recife, 27 de marco de 1884.
Baptista Peres.
Aos devedoresde Mendonpa Filho
& Sobrinho
0 abaixo assignado faz sciente aos devedores da
firm Mendonca Filho & Sobrinho, da qual faz
parte e que ainda nao foi liquidada, que nem a
firma Mendonca Primo & C., nem o ST. Jose Gon-
valves Moreira de Mendonqa, estao autorisados a
receber as dividas activas d'aquella, pelo que ter4.- -
de repetir ou pagar segunda vez, o quo o fizer a
algum d'aquelles seniihores. Recife, 26 de marpo
de 1881.
JsJos Joaquimn Pereira de Mendonga Filho.
Pexe de viveiro
Na s,.xit-fti ,de Passos
Em Afoanrs Juinnto a estacio das dili-


.4
i ,'
-14


0 abaixo assignado acaba de vender gencias, vende-se, do melhor- tratando
em seus felizes bilhetes um inteiro de n. corn Archias Mafra.
Icorn Archias Mafra.
n. 706 corn a sorte de 100.5000, e diversos N. B. Aceitam-se encommendas para
premios de 32.)0, 1(05000 eS000, aa simana santa.
0 mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi- Sallto reniedio
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes Paa r \Cra de Cancros e ulcers
garantidos da 11.- parte das loterias a be-
neficio da igreja dos NMartyrios do Re- caitcerosas
cife (24.'), que se extrahirA na sexta- Na ruim 1 de mnarc-o, anti-a do Crespo, loja n.


feira, 2 do corrente.
PREC0S


Inteiro
Meio
Quarto
Em porofio
Inteiro
Meio
Quarto


4 5OO
25000
2,5000
de 100&000
elma
36500
15750
6875


para


Joao Joaqidm da Costa Leite.
Gratifica-se
a quemn achou urn cachorrinho preto corn maihas
amarellas, sendo as malbas nos olhos, nas pernas,
nias malos e nos peitos, em urma das mros u na dita
branch ; quem o tiver farai o favor de o levar a
rua da Gloria n. 88.
20$
Aluga-se a casa terrea n. B da rua do Riachuel-
lo, antiga do Destine, na Boa-Vista, corn 2 salas,
2 quatos, cosinha e quintal, em born estado ; ,a
have se achsa junto ao n. C, e trata-se na ruv da
Guia n. 62, Recife.
Ama
Precisa-se de uma ama que bern cosinhe e en-
gomrme, pare casa de pbuca familia ; a tratar na
'ruai do Imperador n. 81, a.ma, m.


27, tim para vender garratas, conrendo o verua-
1leiro keite de avelI's, rernedio e.te applicado corn
prodieriosos re-ultadIos pelo Dr. Ignaeio Alcebia-
des Velloiso. A' ell,, antes que se acab2.

Silio a venda
Vende-se um excellent sitio coin 200 e tantos
paimos de frente e 61i) e dt.ns de fundo, confron-
te a ecta'o d easa a:iutrlla uno Arraial, corn
umra maguifica (.asinha c eomn muitas arvores de
frueto. () motivo da venda unicamente por se
ter retirado oproprietario para fora da provincia;
a tratar no largo do Pelourinho n. 5, 10 andtlar.


JOIA

MIGUEL WOLFF
Participam a
peitavel public
continuam ter uin
timento de joia
mais modernas
mais apurados g
Comprometb
a vender mais I
do que emou0ra
lqer% .-
i. ^ ., + =. *,fL


l Grande Exito ha mals doe 20 annimos


AWN1 I 1111,1


Este EDICAMIENTO, de sabor agradavel,
Ja t adoptado pelos melhores Medicos de Paris

SDEFLUXOS, GRIPPE, TOSSE, DOES DE GA SfANTA

CATARRO PULMONAR
IRRITAiOES do PEITO, das VIAS URIARIAS
Sda BEXICA
A PARIS Pharmacia BLAYN, I, rm do larchS-Saint-ionri tBIS
Deosaitos em Pernambuco : FRAN" M. da 8IIVA & Cr.

OrizToni.a
^^______ .A prjli3 ^ .iPn qlp L wS.
< I SKSM p*Di~ Phaai



I AGUA VEGETAL COM OS PERFUMES ABAXO f
: -- QUAL.IDADE SUPE-RIOR
,'. Par limpar aCABELLOS e conservar Saide G ABEsCA
"vJE 1sta laIo o extracto das substandas detersivas e fordficantes da
RA 9gema do ovo. Pelo sen uso, conserva-.e o aceio e a saide do omiro
-, F..4 cabelludo; impede-se o Cibello de cahir. Os seus perfumes slo mm e
". ; -p'wit deizam, depois de se ttr servido della, urn chairo agradaveL
I* PRUAMB3^E DIVEIRSOS
.N MEW hR'-WN HAY V ORIZA DES PAMPAS YLANO YLANO
'" "~~" 4OCKEY-CLUB JASMIN D'ESPAONE FOIN fRAWCNEN' OOup &
MOSS-ROSis TREVOL V'OLETTE DES 0,
.a VETIVEFT DES IDOEI ESS. BOUQUET OPOPONAX
,; -----IB[X-IO.T." r O O J BTAT "n- q
3EXmE*X-~AvZOT553O 3 EX,&2JO
L. LEGRAN D5 Permlnisia,. Fcrnmeseor Ovcras CortUs eistranp
PARIS 207, rua S8aint-Horror6, 07 -- PARIS
DBPOSITO NAS PRINCIPALS PARPUMARIAS E CHSAS DE CABELLERnROSB
SDESCONFIAR DAS FALIF 1

ll PIVER er PA
lop^ TLTmico 7-i.arexixteo


oaBS ^00 FACE|
S".. : ,_ T a 'E
LjMp j.,AASL -7IA EIffi J0. *X4FJ_


I -


V -ff wFUVA U VO T A -W.U F .. J. ,ro UUC&LV

b*IC-kapAos^^


S -, -i' "-f'ZtMMENDA Oi e t
.30-uisis sa" 3r=


k' "-5
f '4'-


s
w ~.


&c.
S& (G. ;i!

lores-
, que
a sor-
s das .',.
e dos .(

postose


r ; .
o :. :. :=: ':


i


NWIM-Ww",,w


^ -^


r


*~ ~~ ~ 4 2A*^ ^ A ^ l ^



16-Eua doOabugt-16
Acheam-se a vena, os venturosos bilhe-
tea garanuido da leiaia n. 24 em beneficid
da ireja do MNatyios do Recife, que
se extrahirA na sexta-feira, 28 do cor-
roente.
?IECOS
ltedre 4:000
Quarto 1:000
aemo atlIade superior
Intelro 3:500
Ime. 1:180
Qrte SlTO
ilird 890o
Joaquim Pires dat Silaa.


CASA FI. IZ
A0S 4:09900O00
BIIlfln $ GAMANTIDON
Pra~a da Independen-
cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado tern exposto A ven-
da os seus felizes bilhetes garantidos da
24a loteria a beneficio da igreja dos Mar-
tyrios do Recife, que se extrahirA sexta-
feira, 28 de corrente.
Preqos
Bilhete. iateioo 44000
Meio 25000
Quarto 1^000
Em poerao de 100o000 para
edma
Bilhete inteiro 36500
Meio 16750
Quarto 6875
Antonio Augusto dos Santos Porto.


i I


all


t;
^^
&]^


4T--.,
*^. ..*,A


,. '. .'v', ;, "" .5 "V 1 '
;0,',~~ ~~~I -*_. ,,' ::


DEPOSIT GERAL
13--Rua PrlciroedeMarq.-i$
Rio de Janeito
Unico agent em Pernambuco
ADALMSN HOW=A C,
N.---3 Rua do Commercio---N.--3
A venda em todos as boticas e drogariau.
--; Precisa-se de urn feitor para engenho ; a
tratar na rua do Coronel Sawssuna n. 202, antiga
Augusta.
A. "V^Y J Precisa-se do urnea cozinhei-
W& = S ,ra para casa de familiar; A
tactar mna rua da Imperatriz n. 17, segundo andar.
'- O(eece-se uma senhora viuva, qfie tern
urma neta de 14 annos, para auxiliar os trabalhos
de urma casa de familiar ; qucm quizer utilisar-se
do sen prestimo, queira annunciar para ser pro-
curado.
Continia a procurar-se uma senora de boa
conduct, qne dU fianqa della, para o governor de
nma casa distance uma legoa pequena de Santo
Amaro de Jaboatio ; bern assim uma ama livre
ou escrava, para cosinbar e comprar em casa de
muito pouca familiar em Oliuda, per muito pouco
tempo ; a tratar no escriptorio n. 1, A rua da
Cruz, 1 0 andar.
Precisi-se de uma preta para vender labo-
leiro na rua, preferindo-se eserava ; a tratar na
rua da Senzala-velha n. 114, lo andar.
Aluga-se o 2.0 andar do sobrado a rua
do Imporador n. 79), a tratnr na thesoura-
rio das lotekias rna do Barlo da Victoria
n. 14.
SLoteria da c6rte

N. 61--IIa o ImpoBrado r--N. 61
Os abaixo assignados acabam de vender nos sens
felizes bilbetes da lteria da certe 143-B o pre-
mio de 25:00)000() emni dz decimos do numero
7447, e um approximado do numero 4448, corn o
premio de 1:0000)000(, al(-rn de outros premios de
2004 e 0l(OOk), convidam aos possuidores A vi-
rem receber.
Acham-se i venda os novos afortunados bilhe-
tes da loteria 144 da series B, cuja extracqao dc-
vera scr segunda-feira, 31 do corrente.
PrePo de cada bilhete 12000
Decinmos 14200
Era porc"o superior a 100 000
Inteiros 114000
Decimos 14200
Nogaeira Lima & C.


em^j














SUrn. modista ohegd
eB. pauMioat,, t
t.prepa-;na daeaat.
a andar. "i I?~


lXift.caprf %Colo& asds xe
-sieteu'feite,-tem,.se btU redo" laCii.aeR

SB&O, stores, em vufto de prodE mo,an=a-
1Mmde, e pre de venda.
.-.. A .- -- & -.-" -


a aaa aos uiemoramemos para
economic de eombnuiavel que tern introdnzide
"s engSnhos Pereirinha, Arra e Or desta
proviia, e Boa Vista de Marangape, aonde
cm o fogo do assentamento se produz o va-
por necessario para a moagem.
Em moendas, rodas .dagua, vapores e todo o
machinismo e ferragens precisos para enge-
nlhos tern a venda grande sortimento d mae-
i&or qualidade.
TRILHOS PARA CA'NNAS. Tern de system por-
tatil simples, sem os inconvenientes que al-
gnus apresentam; corn carros proprios, loco-
motivas etc. a prefos razoaveis, podendo fa-
zer contrato para o assentamento.
Nesta funding, a mais antfga desta pro-
vincia, vende-se a prazo, ou a dinheiro corn
desconto.
FU90D401 DO BOWMAN


CARDOSO & IRMAO

RUADO BRB LN.100A104
BEPQSITO Bik DJ IAPOLLOiI 2 E 2 B
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas rela(o'es directs
corn os melihores fabricantes. e cornm um dis-


para os novos vapores que tern recebido do
acreditado fabricante Robey, que se recom-
mendam pela facilidade de conduceao,. assen-
tamento e economia de combustivel, deixando
de mencionar os.engenhos em.que os tenwui-
loeado, porja Lterem vendido 85,para divers
lugares, e por issoja devenm ser bem cti-
eidos. |
So os iumicos recebedores dp triltos wPta-
leis de Fowler qne se toru x eeoJJ2ead
yeis pela facilidade 4a collocaqlo e pa sr


CA 1 *


Bourgard & C.
a


Nardinlhas em COp)OS
Superiores
'endem
BOURGARD C.

Aladunras de couro
Para livros, papeis e embrulhos, cou-a util, a
800 e 14000 ; no Museu Elegante, A rua do Ba-
rao da Victoria n. 12.
Drogaria
Faria Sobrinho & C., drognistas por atacado,
A rua do Marquez de Olinda n. 41.


.. ..L. %v- ..-m- %.N.& -fm
DNa ma dap Uniao n.

35, ha sempre para se

.ruder craves e hres



mnito.harato ; na run db. Baur~o. da Vieria nn
..tJol g te "W e




* j-seazaaio ids umhilgo-d. por w aa idad si
M~~~lwan~ ~~~ 9"HOWii~~aia~nnM*

i~. liz .~
-' -'-4 r'.1
It ii 'a


y' r H !' 7


, ...; '. ..., ,


V ." .W ., r ,
". ."f.0z'

/tm u e avradas, endo m as
<* # I rWp o miais honito que tern
Sa500 ras. e 640
infs.uit corn barra rgas e
640:
tOOMPRB bonitos de M,^ layrndost pana
Testtiker, tuui do tWdas as coNs, co--
To~o 640
srium6B de sp so conr, tendo d todas as
CeaO. fasawla do goato, cavado 500
feino, tg as de oas, camce. 860
ro'Pr, pa a Pavm tiedo. e
roup as de criaps, e 440 rs., 500 QO 640
Cretoe corn barra, .meudo claras o escuras
covado a400e 506
Dits sem bam e miuito entcorpados, pro.
pris pa s vuT"go, camss o roupas de
oraana.B, cpvdo a .360, 400 e 500
Chit., grande uort'mento de chitas claras
0 eseuras, de cores fixas, de 200, 240 ate 400
aAtPoinam as maim lindas maripomas quo
toem vindo ao mereado, corn desenhoes miu-
dinhos, co 7ado 600
Baptiates corn delicados desenhos miudi.
nho e graudo.; asasim como lisas 200
Cambraias brancas tapadaa e transparentes
corn 8 jardas a pesa 35000
D mA m Pinito finaa, tanto tapadas como
transparentes, tend lOjardas cada peca
a4A,40500,5biea.ta 7S000
EBpartilhoa muito modernom para senhoras 55000
iton muito bern feitos parsa meuinas 41000
Chales, grande sortimento de chales, tbnto
d9 I como de gorgorlo e casemira, de
14, 25,31, atW 8000
De toda, estas fazendas se dio amostras corn
penhor, na loja dos barateiros da Boa-Vista, es
quina do becco doe Ferreiros.
Caseiniras de cores
Ie $:00 atE 6:000 rs,
SroUl a iPr ezda
Alheiro & Silva a rua da Imperatriz n. 40, tern
um immenso sortimento de casemira de cores,
tanto claras cornmo escuras, que vendem a 2%000,
20500, atW 61 o covado, e das mesmas mandam
fazer qualquer pecga d'obra ou costumes, por pre-
coa muito ratoaveis, assim cornmo tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannos pro-
tos ate ao mais fino sedl que vem ao mercado, e
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qpaiquer peca de roupa A vontale do fre-
guez e corn toda a perfefiao e piesteza : isto ea
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
becco dos Ferreiros.


j Madai Nf atio d*4ai
t0 10 enfeita eospe6, corta vestidoe de mtbo-
S ode eria t ..
_^ eoi~apor qulqwe fignxioo% por pregos
Moavi Z; na rma dag Ineheirsa n. 25.
SD.iAelia laria4t0ITa
ente em Lisboa, achandp-se vi 4ftea
~orn mug
emn, s pai Ma l ,a -aqim deuPat 0 e Silva,
qual velo par& .io Mwan de-1868.
T emo deixado-a em twa'ida.,p upas msai re-
eebeu noticiasB muas, apear deter aempVproeu-
o potr peasoas que o conhecerarn em iabn
l pois a bondade do quem mouber o lugar
oene e reide de obsequiowamente informar aos
SrL. Joseph Krause & C., negoeiastes desta
prava.
Caixeiro
Precisa-se de urn aixeiro corn bastante-pratica
para fazendas ; a tratar na rua ]uque de Cxias
numero 52. /

Para en
SPrecisa-so de una ara, forra ou captiva,
para engommar e outros misteree de cafs
de familia; no 3." andar do predio n. 42
da rua Duque de Caxias, por cima da ty-
dographia d'eate Diario.

Delmiira E, Sant'ALnna

Florista
Prepara corn esmero e asseio qualquer encom-
menda concernente a sua profissao, como sejam
bouquets para noivos, bordados a ouro e eanuti-
Iho, flores artificiaes, bolos para baptisados e ca-
samentos, variados trabalhos em cera, etc.
Ruw do Barao da Victoria n, 40, 1'
ulnMar
PERNAMBUCO


VEID

Para mime
No Museu Elegante 08 encontrarloaprediadores
do bom e bello um magaifico srtimento de objec-
tos de electroplate, proprios para mimosear, e
tambem colheres para chA e sopa, garfos, copos,
tacas, tudo do melhor fabricante americano Bed
Baston : na rua do Barge da Victoria n. 12.

MosH Oxcr
movidos aI bravo ou A foroa mechanics.
H. GRUSDN, BIUCKAU-MAGDEBURG
Fabricante.
Especialmente adoptados pars aoer ceraes,
victualhas, drogas, especiarias, preparados chi-
mnicos e quaesquer outros objects que se tern de
pulverisar.
Premiado 36 vemes. Innumeros at*estados.
Para informacos e pedidos, dirijam-se a Theo.
Just, Corpo Santo n. 17.
Agente geral de H. Gruson, Buckau-Magdeburg
Arados, grades e outres instru.
mentosparapreparar a terra
da acreditada fabric de
BUD. JACK PLAGWITZ-LEIPZIG
305 diplomas e medalhas durante 20 aunos de
existencia.
Catalogos,'amostras e pedidos, em casa do ugen-
te Theo. Just, Corpo Smnto n. 17.

Grosdenaple prelo
Encontra-sebomi sortimento e por precos muito
eommodos, na Fragata Amazonas, rua do Duque
de Caxias n. 47.

Vinhos puros garanlidos
Malvasia,
Muscatel,
Madnuro,
Porto, superior,
Figueira,
Bordeaux


Ufir

> nova re-
em paraa Livraria
Franeza, mrua 1. de
Mar,o. n. 9.

UNICO DEPOSIT
Preo 800 rdis.
FarinaLaectea
Nos primeiros mezes a alimentiao mais
natural e apropriada para alimncutar a crian-
9a de peito 6 o proprio leite matermo o qual
em caso de necessidado deve ser substitui-
do pela
FARINHALACTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adopt:rmnm a far-
nha lactea como poderoso elmcincito u
trictivo para a infancia e di.stiuftv medi-
cos do Brasil e da Europa rc';licf.cri,
ser A do Dr. FRERICHS a m,.Ul->r n'sT-
genero.
Deve-se pois evitar coni',,r .ri11\'c, i
umna pessoa estranha e de conportuamer-to
nfo conhecido muitas vezes o grrmcn de
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira ferilih, L ucte.
do Dr. Frerichs:
55 RUA DO IMPERADOR 55
1^,-- ^_-7- -. 7 T r .


aoSwweteczmento ae musicas e 2pn, cne V'.c- e .r'-Wo
torPrAalne '' rua da J Imperatrtz n. 40, loja do 3ar-
Ainda mais peihiM teiros da oa-Vista
A.nd ,asp- |.C"m-iU" I V.m.,nM.;m. flovo..p l d'jmz s- I.- a-
0 Muzeu Elegante fti ru;i a (Icy ;'io rI er -flO .... i",',n o tn(,;. e 11, fhiz.nt raimita
da Victoria n.'l -1 FV,-. propria Iara c:.ilas, pialitdts e colletes psS.
esta vendendo entremeio c babldo 0.Itl i 410 1!JP ':,to rlr.- lJ 1- f sno -ov alt, on :l-- e
e 500 rs. a peca corn tires varas, plF.c.o .. ,t corn- tr sn d litt a3 .
petencia. :*v-(I)f, f ,r <{ l 40-',()0. --r:ide p-,cI-Ia.:
-- -- ----______-. loja da Cnwillv i do 1 dc- Ferreircs.
**J" V *1^^ ^ .. .. ; -^..i

Adamson Howie & C. temrn para ven.r, : :; loJ a runao Tnl ut ratriz i- 40 va.-in&-
Vinho doPorto fino, em caixas e b;;riAs. D;tos boa. '*.pi-til!os ju.t sehlioras. a .t;
Whiskey Donville verdadeiro. f- ditos para incnis a 4 -t;4 n, .sims c-in o nrw tt-
Tintsa de impressAo, boa qualidade. ;F ito Oltinieento Ic!us ; .ToUO, itu la x,
Brins de Marshall verdad>iros, d- todt c.3 .aume ,iua do beeo dos Ferrelros.
ros. AAl 1-6-So DF retos


RSb--pas para homes
POR
Preves baatshlUlgm
N. 40-RUJA DA IMIPERATRIZ-N. 40
oiJ dt do- haralefiros
DA
IBOA-VlSTAx
VENDEM
Ca!qas denmolesqp'im, padrao claros ees-
curos mnito bem feitas e fazenda que
n'o desbota a 25500 e SAO
Ditas de cazemiras de listrinhas equa-
drinhos, fazenda muito boa c que se
lava, a 5509
Ditas de -a7rmrirn preta, ifazenda muito
Ioa, do 6.i5)0U t6 10A000
Paletots de cazernira muito boa, liza ede v -
listrinhas, a CASM
Dios da ,in'ma fazrv-rs fopradlos, a 8S50A
D)itos de en-zpmiran i-.-,r', It,-tante en-
,orpadas, a 750 0
Ditos da nesmca fazen(d: fulrrlns e mtiu-
tos hbmrn feitos a 1054 "
Ditos d(o eaz'tiira assctinada a 5550
f)it,,s Ido flnrll: izl,, sondprin fnznnda que
n-io deshota a O
Diti's le a:-i.iira prr.ta de cordao e
ilia ,:,nial, s-i.i l nnit,)t b-m fcitos a
1o-i(,0 e l23G
Ser',it;i. do fgri,,,'l'wi, r-ndo muito bemrn
a.'., a 1 -2)0 e 2 0P
(',,4 11.4il 1, 11 t: ni i.tbit'c,. d& mesma fazen-
da, a b00'e 1000
/--s.;!;!-:..iir um rl;;I!,:' SNortinm<:-nto, de s.,
Ibrane.i; par:n !,i1ipnD, t:, i, do, ( io r"t io a ?.
grin que se vendern por pre'o muito razoaveL
TJudo isto 6 corn grande reducqio em prev., M
leja da esquina do li-eccu dos Ferrciros.


3-RUA DO COMMERCIO-3

FIUMO TUiItIl
VER D A D E IT
J. C. Levy te. do re-


cebido uma pi
quantidade d?
turco novo em


ros


"AA %.
!%
: ^,L j.,k = |


convida aos


amigos apreeiadcby
d'este delicioso ri+ n
chegar em su a a
na RuaNova n. I
andar e servir-se.


MEMORANDu: '
I.
Do'alria Fr' !
P^RAiln E l T'' RA Nia 1 1^ -^

J aRlloI, Al

J. C. Levy &C -i
vidam a seus l.,4_o0


e fregueses


seu
ques


a 0 0 A..


estabelecimcrni.
;e achapree.e-


mente montadn eo dcvi
damente prepe -xil a
semelhanca d c:., -"


Ihores estabeleciX


tos desse


generic


ANTIGA CASA
Carneiro da Cunha
5s- Una Duque de Caxlas-59
No intuit de bem satisfazer os nossos fregue-
zes achamo-nos aetualmente corn grande deposit
e sortimento de fazendas, tante de phantasia, co-
mo para uso domestic, as quakes vendemos por
precos baratissimos.
Dispomos de pessoal para chamados em casa
das Exmas. families.
Lindas baptistas cem barra a 240 rs. o covado.
Fustoes bordados brancos a 440 rs. o dito.
Setinetas damasses, gostos novos, a 600 e 640
r6is... .
R.cos padress em novas popelinas de soda a
15200 o dito.
Superior merin6 preto, 2 larguras, a 15200
1'500.
lAW0.
Gros de naple de seda pura a 2-000 e 2A500 o
dito.
Setins pretos e de todas as cores a 1500 o dito
Popelina branca de seda a 800 rs. o dito.
'Casemiras diagonal a 24400 e 2J809 o dito.
Leques de pluma, modernos, a 55000, aprovei-
iem!
Espartilhos de eourzaa a 55000.
Paftios de crochets para cadeiras a 14200, e so-
fA 26000.
Guardanapos de linho, superiores, a 35500 a
dusia.
duenals de seda con lettras a 35500 -a dita.
Idem brancos de liaho em caixinhas a 25500.
Fich' de c6res e pretos a 35000 murn.
Cortirados bordados a 6f500 o par, e barato 1
Saias bordadas, lisdas, a 33500 e 64000.
Toalhas felpudas para banho a 124 a duzia
Jdemfde labyrintho as melhores qtue teem vindc
Magnificas redes da Bahia a preqo commodo.
Chales de casemira, corn 'lefeito, a 34000 urn.
Flanella preta ingieza para palitots a 34500 o
covado. I
Bramante francez, 4 larguras, para lencoes, a
15000 e 1o400 o metro.
Cobertas de ganga, forradas, a 25500.
Colcbas francezas de c-res a 353000.
Lcn'6cs dc bramante para cama de casal a
24000.
Madapollo Boa-Vista corn 24 yards a 65200 a
pe^a.
Aigodues largos 45000 e 44500 a dita.
Cortes de rneia cafemira ingleza fina a 4,500 e
7W000.
E outros muitos artigos quiie serAo lembrados
corn a presan.a dos dignos leitores.
Sempre que form as vendas em growso, damos
desconto.
Carneiro da Cunha [i.
59-RUA DUQUE DE CAXIAS 59

iAu Bon Marche
DE
Flores & Aguiar
Rua Duque de Caxias n. 8I
Artigos proprios pare qiaarpsma
Receberam pelo ultimo vapor o seguinte :
Capas e casacos para senhoras.
Mantilbas pretas.
Grosdenaple e gorgorues de seda.
Setin e merin6 da China.
Merin6s de todos os preqos.
Asim como temos muitos outros artigos, como
sejam : leques, cspartilhos, capas de cores, fichus,
enxovaes para casamentos e baptisados, tapetes
para janellas e sofas, cortinados para janella e
cama, eolchas adamascadas e de crochet.
AU BOB Rarch
Raa Dnque de Caxias numero 81

Chegaram
Novas se.entes de hortaIiUas e
Xeoresi
Vinho verde deWBastos.
Obras de vime, corno sejam :
Balaios para compras.
'w


..eaade P~Fas Jewes & C.
ua entreit. ds,.. t n.

"ewfe de sitio
Jo: Mmehado Sares vende o sea uitfo, perto
A^toaed&~Maugaheira 4Cimn, no Arraiai;
Aea~aaa^Aweeds, uuw .- pemistI a.SnXSM
foBs,4 1*t>doa1TabeaidA~fftacidade, poelsita
afi& uaj o. No Biti. a grande quantidade
' oe ti to, e~s Sio d moe-
hlde B e e w.t .b bbu. ei~o4
tM~a~a~nttaq do )Ca.~jsp i44.


p i


O~s Ban. ,ilc-i (la IBx;;-V'.Jta. A' rui;. da ImpmurjL^'im
ii. t t n Ltii Ai. L LL,;i itu dr Xif iIo. ..'
i,;.11t V iL,,.-i '.. e Nv il(li dcI 1C atO i 5 ;L2'
;cd' iOi~io l)tJa fLzcDlu, a7 iqiil colo (litc e0O -
ia tt ,;uit, trato na .loj'L da csqua do I j2:23o <5
icrrcirLs.
lin!ins lft rnado
I MIS


f-i' *:I.b ~ .' ,-1; T.' r p (
*i --.i ,.. /" > '*i C
dor: Ferrciros.

':. ]..: '. U ; ",It" r-.! 2.
Iiv I -
T I


Slistrimhai- pi-a>
'*' : ... %. .. ^ ra



Cmh2o., ;i :i'"'- ,t
Clti'ii() n ;t ; ~s


,.emdas brancas
a I,,a des barateiros
( ht Boa-Vista
i \ I- I l -SK.


)T.. l ,' I.* i ,i .l ,,l." ... -,f .?=
*' '. t -. l,[: ,- ;,
- I t 'i t ,r .: |-
-' ,, 'tl I.. '-a ; "='l, ~


Ill.
1'~. '~-----
-I,
~ .1* -
*
Ia Ii'
91 .- I,
ii -~- a
~-1- t-


-, ,-.-,


II Ii

Ii-
1* .1-,. 1.


U V I.-' -- .----11


I'I I '" [ .',': t.I' 'l I ;

c !.
N a. .- .. -. .. -" ,,"
>'*.*," 1 .' it | .', \ ;i rl' '1.
l't (.'** ,*..i \ ,ir i 'a a 7 ^ ),"nn c ,-1
\ i; -ira ,n
* aih *. ;.;.,',, ,- : .. r,. ,ll, ; ,!,:


ti-i' a- 1 f.ji4~


31 F
L ~ ~ ~
Ai
$.' ;.~ ~,., \i.l II C

I ~ 0 7 ;7 1 I *


i;( :~.)S~


os vapores productos
simples, chimicos e
preparados pharma-
ceuticos, dos melho-


res, mais conhecidos,
e acreditados fabri-
cantos d'Europa; pelo
que se aoha habilita-
deos a fazermuma reduc-
9iao sensivel nOs pre-
90sja conheooidos. Fa-
zem tambem sciente
5m80 doitarioi
&(( mdeam a-oado-
.. d* protor


-. 4.-- 1 tp


OW a..
-i
-k 4 -. -
7...-
-~ O.4~


-" ',
_;-,, ,. ,.- .
-v"- '" 1' f


;ii m iii l ;it.t-s (tuit re-i-i -. ii'l- -,, .'- .
L' OhJ l .P",'ll o-il' *' 1 ,1 (. T .f.j._ '
ili.) D juv ..' 'aia.-Noa Esperi-ne.
Corno so bonilas
As'meia- d seda (1i LI"'reS pait- it i,.r, .'.- iii.a
crianias de 6 a I1) anuos, e branca- Uzar'. Senhla- ,
(piiem vendc?
u. Pedro Antuim'es.-G63 run do Duque de Caxis.&
Em contilnuapao


0 Pedro Antunes \ C. tambenm acaba de roe.m,
b1i bonitu4. L:o. p, timnento, largo e cstrcito. 63-Rua Duque deCa-
xias.
E'p
E' precise andar a par
Dos cinto too- :,. : .bLu a Pcdro An-
tunes & C. 63-Rua do Duque de Caxiaa-Nam
Esperana.
0 tomi e pr lori0 o if
Os teruos e rosarios, quern vnde? 0 Pedrohw-
tunes & C., c es!' venden.1T- innit- por Prtam
de quaresma. 63-Rua do Duque deiCaxima
So novos '
Variedade em calcado para homes, ,aeam b "#
receber o Pedro Antunes & C. 63-rmadm
que de Caxias.-Nova Fsperanqa. ..
Luvas frescas de pellica, branca, p l4-
res. 0 Pedro Antunes & C. tern. 6 "-
Duque de Caxias.


Tainhas
novas, maresa SS, chegadas ultimamenpi'
L rua da Mldre de Deus n. 2

advad, Vad nte 1
A'd otlqeradorn. 16
.lua- e uwoss


,--
i
' f' .


AD


DE FE
DE


tincto engenheiro


de Inglaterra," offerecem


grandes vantagens para encommendas, como


provam corn os apparelhos completos
tes nos engenhos Massauassu' e Bos


meio apparelho no eng'enho Conceiao.
MACHINAS a vapor trabalhando so


assen-


sque,


e Vendem


corn


o fog do( assentamento, podem ser examina-
das as que foramin assentes nos engenhos Be-
1em, em Timboassu', Cucau, em Gamelleira,
DiamaL ie em Goyama, Pho Amarello, Ca-


mara e Lages em


Itambe, Vidraao


d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte


Parahyba.
Chamam a attentao dos


em Pao


Srs. aoricultores RAVOS E FLORtES


I-. -- :.
.f,,-.;-'


" 2'", .
-. a- 'T


I.
S


---Jft*%-


principles c a]
d'Europa.
Recebe por


-4 -; --% -,. !


-- --- -7 ---


I'1'1


I -


I i


I


,,: y,; "


. .,


. .'- -"" ,...


Ir


Flalle'll'ti (Izul


moeuterod"".
*,- > '-' Tr *' w


hil*
i-70*7- .












cat-a I miorrer .a


s^ ^ **;" ; *. :./-** PQ -'' rp*-.-.T"

A .tl JOS9 PEREIIA SIMOES
9 O'lobwuro pbantasma crea
do pelda pesia myti4plogica eva
porou-se parjraie a luz brilian
te de umz conhiecfn-uto scientific
co daAgfteis naturaes. a
E (ts iCaL-BTOA DA CRE.A.
(Continua -o)


I8 .... U 'RSTq1AO
" Ha entire n6s es ')irito de supersticiosi
" dade ainda b3n ,esenO'olvido. 0 nosso po
" vo ignorant e despidG' inteiramento da
S instrucAo e levalo por f,)r;a mesmo du
falta de cultural de sua iuteligeneia a bus
car nos factors mnais vulgar-es, nas coinci
dencias m-'is simple a fxae.o doum prin-
cipio, a crenc.a firine, inabldavel do dou-
trinas erroneas.
JA vio o loiter a ifl.miia quo oz p'de
rHs, imnpressionist-%. e illusorio exereszr' so
bre o poder emotional dos espiritos frah c0s
e incultos, ja vio que o nosso povo 6 de. .'
candente de trees ragas que cram, em ori-
gem, duas embuidas das concepc5os feti-
chi-stas as mais mitn'iaos e groceiras pos-
sivel, e a outra compost de u:na mLulti-
dIo de crcnvas brin absur:ls c b.inaes,
ja vio tudo isto e p1)ie, p)rtinto tirar a
conclasao fatal: o nosso povo fobrgsainean-
te supersticioso.
Entre no6s um bentinho tem arn a inflien-
cia direct sobre o destiny do seu possui-
dor. Serve para curar molestias contra
as quaes a medicine julga-se impotent;
serve ainda para encaminhar as almas ao
creador, livra dos mAos espiritos etc. Tern,
pois, duas influencias directs -obre o in-
dividuo, defende-lho a alma perante as
tentagles infernaes e aguarda o corpo das
enfermidades e contratempos que possam
sobrevir.
.A virtue atribuida aos amuletos e do
long data.
Queem 6 que no o coahece a hallucina9gIo
de Pascal, que trazia sempre consigo um
amuleto para livral-o de um precipicio que
a cada memento ameagava submergil-o?
Littr6, o grande sabio francez, faz um
estudo pathologico sobre o cerebro desse
philosophy e chega a ease resultado:
Pascal era um doente, um hallucinado.
0 poderio dos amuletos tern se trans-
mettido de geracao A geracao e abragando
tambem o nosso ,poyo fal-o crer que um
papel continent de algumna oragAo, trazi-
Sdo ao pesco9o, defended e salva o indivi-
Sdueo dos maiores perigos.
V' muito vulgar em *todo o norte a ins-
titti*o dos bentinhos, figas e rosarios.
As velhas beatas quo vivem mais de
Tresas do que do trabalhos uteis, que pas-
sam a mair part 'do dia cm uma igreja
jesuiticamente aos p's do algam padre, que
impo penitencias e jejuns, as velhas re-
pito niEo deixam nunca o sen rosario de
sadas contas onde se ve um saquinho se-
oso, envolocro do sea amuleto, que 6 o
seu consolo nas horas do retire espiri-
tual.
Tambem... tenho vistoua altasociedade a
S-mesma instiniAo miantida corn o ritual das
tradivaes. Conhe9o at6 unia pessoa que
traz no bolso do colete ha mais de 12 an-
nos! uma figa representando uina pequena
mao de madeira preta, que Ihe deram em
creanca como prcveutivo contra os malos
olhados e a quAl C conservada... por habi-
to.
0 ainmauleto, pois tern grande influencia
na religiosidade deo nossopovo!
Naio 6 raro eneontrar-se em todo o norte
tuna quantidade cnorme de supersti90s quo
sao enraizadas de tal f6rma na convicc>io
do povo que seria impossivel destruil-as.
A casa de creneas tao obstinad-_s, n1io
hla negal-o, 6 a falta do instructoie, de
luzes.
Tem-se como ecrto, quo assassinado uni
homern, o meio de descobrir o seu assassi-
no 6 deitar uma mneda na bocco do
motto.
0 cffeito quo pr-I-sZ esta opera~cio 6 o
segunte" o cublpad n Th podera c*Yfllr-se,


FOLHIETI


.. PECC OS YENIXES

POR

A, da folldr 0rt




TERCEIRA PARTE-..


(Continuaglo do n. 67)


i Iegri
lliguelgrrii


Ao amanhecer de um magnifico dia, e
quando apenas os radiantes raios do sol
acabavam de apparecer por detraz das
mais elevadas alturas, urma posada berlin-
da, tirada por quatro cavallos normandos,
ia levando em poz de si uma Heira nuvem
de poeira no caminho que conduz de Dax
a Bayona.
Aquella berlinda levava quatro viajantes
m amentos interiors, e um criado e uma
criada lamn sentados na almofada.
Quando a berlinda chegou A esplanade
1min&tomma a aldeia de Saint-Sprit, .que,
r a verdade, nale pass de ser um
de Bayona, uma cabega de pratea-
lleos chegou A portlhola do es-
o e onhecida vo s.d conego de
Smandou fazer alto a poatililo.
quanto sj ta tlho jue met.
s omn, mipa querida, mais curioso
ILMM I nU
ir


,go ,01 3m -- lf*zl-o e
feveeirod. e"9 t'i de iafelicidadeo
qahiro sobra os cowjujes o nfl3 trarA b6-m
Sresultados essa unilo dosventurada.
S Tolo aqaolle que tiver deo casar doei
Sentr.Lr da igreja eor o p5 dFraito.
A flares qa- traz a noiva n:t grinaldi
servomn parai chamar novos casamnent3s.
Assi-n as fliros partoncontes a noiva sac
sempre devididas pelos rapazos, que so c,-
sarlo tanto mais depressa quanto menoi
fir a por9glo quo otivor ; o mesmino dA-3e
corn os cravos do buqua3t do noivo para
coin as mogas.
A moe'l que n\) l.soj'ar procraitinar
Sseu nuatriminofio dove pri.curar bab r o ul-
' tn" b djo dos labios ruibros de 1:1.t noiva.
To Lais est.is suprestio;3s sao adnettidas
pelas ditr1 da sociedale pernambucana e do
Stod) o uorto.
Hi prl'n un u iio que nl posso deialr
de julgil-o p0)tu1o (1llic.;l -o do atiraramz
-s sal):t )s velhi )s c arroz no di,.;p)sa, )s. E
te iusoe in is con.nau n aintr.. os inglezes n)
Seut-imt) e.st-i aulimiata-la entree nos
S Ni.) sci, por:n, quil a rasio de tal pro-
e.lim,.nt). Vi e:a 181) uim des-,es casa--
n'LAt)s e !uiuca in-is m-e pu Ie espiecer do
t;ll tLCt).
A,'u'-i ha um-i infinil.i e do fact.)is qu?
caulsari s ',i) a q'.?ui os ob; rvt c )u a fr';a
i ;ii)-assil lillaile da criti'a.
Jna a" yore derr3a;l;i sobire a estrada,
6 nos sert3.O 'u'm signal do n'ib a')uro.
Trozo pessoas n3a minz de jantar n to 6
nada born.
Para que a muther gravida 3no moment
do dar a luz ni seffra muito e tenha umrn
part feliz, 6 proeeiw que urn homem eir-
eule o quarto erna que estA a doente por
tries vezes o bateado na porta prounuucie
estas palavsas : -nasceu a crianca ?
Feita esta opraglo pela t3rzeira voz, e
evident, o part serA felicissimo. E? Sam-
bemrn urma suprstigAo sertaneja.
Os sertos sao inui infestados per u-an
sort de mulheres e homnons que nito achaa'-
do outro meio de vidta inais decent dizerna
se curanleiros: por mia dd 6orates. EKi
Garanhuns deu-se nao ha muito annos,


umn facto importantissimo.
benzedeiras.


de cara, feitapor


Alta noite sentira um crveanga does
horriveis dentromdos ouvidos e nao se podia
descobrir a causa de tamanlw soffrimento
por mais esforn o que- fosse.in empregados.
Pela manha o pai da crean9a penalisado e
ao mesino tempo sentindo a ineffkacia dos
remedies applicados resolveu-se a chamar
o vaqueiro de suna faizenda qut. era reco-
nhecido coino homem provecto ns curas
por meio de rezai afirn de ver se elle po-
deria fazer desapparecer corm sua arte as
dores da creana, Chegado o tal cairan-
deiro, collocou a mao sobre a parte affec-
tada da doento e- imtaediatamente- cdversas
varigeiras qte estavam dentro doouvido
arrojaram-se ao chao deixando4 s. e salva
a menmna.
Esta historic ame. foi contada comn,' a, co-
res mais vivas polo pai d'esta eneina quze
autorisou-me a nawral-a tamben.aqiui n'es-
te estudo.
Depois de ter eu ouvido to&a. a.narra-
9.o que fizera o bom amigo nada. inais fiz
do quo admiral a sua innocenaia e rir-me
de sua credulidade.

Continuarei na ordemn que teaho seguido
mostrando mais. unas quantAs.sup5sti9oes
de corto modo ieteressautus.
Quando so extract um ibatet deve-sc
atiral-o sobre o telhado da casa p oaunai-
ando estas palavras para qu. o, a wvo dce-
to apparexa sc-m demora:
( MuIo, mourio,ouo,
P",ga o teu deuate opodrc..
Da c:A o meu saio.
E' peccado beber lite ao, seroul-lna sa-
ta c pricipahunente na sexta-ferhi-santa-
iExplicam isto dizendo cue- leite tirado
n'este dia trausforma-so ein saigue! Tam-
bein em tal dia faz mal ccnmercarne.
E' justamente na epaca da quaresma
que as saperstieos suo. mais abimdiantes.
ANio so deve dar canm o p6 em pessoa
alguma, c quemn ousar 1de tal form. proce-


tao. Helena, Cinha querida & d- o bra'o
ito bona conegc, e ena esperarei aqui pelos
dous.
Disse asfeira,--pensou o, conego- e
dirci cincoenta cada dia, porque, semia qu.e-
rer, esque9o-me do pobre cego.
M1Iti, porque nRo aconapaahaa o senior
conego ?-perguatou Gastio. -0 seahor
de Brionne so en'ata boas raz3es, e& quan-
do deseja ver uma cousa e6 signal de que
deve ser boa,,
Mou oaro, disse o saceerdote, dese-
jaria ver a paysagem que se descobre A
nossa vista; mas comprehendo que na-o
mereco a pena aparino-nos... ( Bein, -
pensou para si o excellent cura ; para
emendar urma falta, digo montira. Sou in-
corrigivel !)
Mas, apeemo-nos da carruagem, para
terms um moment de descan9o; e todos
poderemos gosar do magnifico espectaculo
que se offerece A nossa vista.
Meu filho, eu nio quero satisfazer
um goso, no qual tu nao p6des tomar par-
te; e, quando admire os encantos do c6Q
e da terra, padeoo por ti, men pobre cego.
Os meus olhos slo, pelo meaos, ti0
bons como os seas ; e creio nao mentor,
se disser tio formosos... Vejam-n'os.
E, ao pronunciar estas ultimas palavras,
Gastio volton-se para Helena, que, rubo-
risada, baixou a cabena-
0 cego continuous:
Esta menina vai mostrando-me o que
ve, durante a nossa viagem: pelos seus
olhos vi tSq claro como vocemeces; e eu
confio que agora terA a bondade que
teve at6 aqui.
SOs viajantes apearam-se da carruagem;
poCo a pouca, chegaram perto da cida-
aela que defended Bayoa; e pararam a
contemplar um d'emes magic quad&o,
Vque 6 a asturea sabe -tai.
Permitt-se-nos palavrs,
parazs e q emm
I.... seid'ffam I m 'k ;na do
"s f., lo w. -V. ,- .'- ,"1]Wl
Do fi li,.. ~ d6,,^k'.1


.oal 83t~jH- tmerrae~e~itri-
rA 6o0co, fr seeefto trbr.
nadnnte at6 msob .perdlo do offoadido.
A'oitar corn corcias do crinas fa mal.
Tambem exeroem seria inftluencia noani.
wo do povo os fog.)s fatuoa;que so obaor-
vamn A noite nos .Cqoniario, Dizem quoe
ests-fogos sao os espiritosalignos quo
aeeanla para gau.rar os3 corps dos que
lihes c-aihlirarna nis garras.
H:i unadias duraat- o anno, a quo cha-
mvn.n asl-ti7o.e que trazomn semprea m dosas-
tre par. os03 p.bresviventes. E' n'estes dias
quo soltam-so as almais. Elias, as prisio-
nuiras que passam urna vida tristonha e
ni ticambuzia sentom o maior dos prazeres
em vor.mn -s3 livrys u n )Imaanto. Um milhao
Jo iI6.vs invarem-lhes os craneos (.)c on-
tbo qiuautas pilherias n:to imaginlio fazer
aos liabitantes do nosso planet que as te-
d3.mn ., a ,x33ss?,) !..
Eis ahi a razlo dos aeontecimneatos cele-
bres que soedo nos dias agiagos.


H-i u:na eiionnedade de :avos e insecos
que sAt) conside'arlos co.u-) agoreiros, As
vezos sL) unm b):u iga:il outras vozes uIn
-nla agnr.).
0 ac3 v i, que 6 u-nt ave do c(r parda-
cot..e dot gr.0. .ts pvr ,'?orcos, 0 conuside-
rila agoreirai principaluicnuto ao Aa.izonas.
E' inihnifii 1,ds cobras.
TAubom sil,) perteuoeontr a esta class:
o (0at0, quand(, vein sentar-se n'os arvo-
rel.-)s viiinios i-i '-uias habitadas; a c--
r-tjit, qiaunlo si(lta : tirde o4 seus gTitos
deseonsolados ; o .rubi, corn sea, vo alta-
meiro e circulante, sentindo semnpre o chei-
ro detestavel do carnepodre; acdma%-de gcc-
ta, quando adla.solitarin,;; o jacamin, exha-
lando seuas entidos queixumes, n'um- la-
meotar tristorrnv-, atterrador; o &'ja-fl6'-,
sempr quo po-,etra ema casa ao romper
da atrora.
As borboletas pretas indicam me mal
que esM prestes manifistar-se no- lugar
em que' ella app.art-ce.
Os gM'anhotos, s lag.rtas, as formigas
de aza, iodos estes insectos sAto agoreros.
0 de melhor agowro, 6 a, esperancca, es
pecie de p4anhoto verde qo costuma er
visto A noi*;

Par& se ahar." um objocto perdido, ha
tumaa superstioWmuito eonhecida no north.
I'devo-se amawar um suabugo do milho, del
pendural-o e 6atel-o cori' umn cacete, invo'
cando semprer o, nome dh. milayrroa Sant
Thagreeia.
Si, porem ocbjecto ni,' appaece repen--
tiannmote, deits-se ento' a imna"m d'esta
sant a ao.sol p-spno, de urna hora, si
ainda assim no ,encoatrao'o',o, ecto faz-
soe con- a santa o*ersmo qpe sse lmvia prati-
cadoo enm o sabhgo de milho. -.lih ediata-
moe'W surgira o q*s) se perdeu.
Er 'sialar"es,-un=iedic41-V-=bem para
o meast fim so coestuma dar ura vintom a
SantoAntonio.
Ainda para aanr o qu-o -so ha perdido
usa-se dar trees g sitos -a Slo, I gnho
que -amante dtv baraulho.
0 mais intereasaate e au- memo tempo
o mais, gracioso diaelos- os iietow.que tenho
collecionado para este estudo &'Wma mani-
fest o,,seupersticiisa quie p.sencei n'uma
viagemn que fiz. Miasta a hitouia: --n'un
trem palstrava-se,. lbrineava-aseo,. eufim tudp
corrie ea -mar d-e-rosas,-. Umlirapaw.que
conversava corn iAeressawte e gentile cre-
anca, qkier distrianMmknte absiisi seua gaar-
da-cliawa. poremn ella, a. lla.cseania corn
um chice--ingenuo', prohibe-o-.,decadariente.
dizendo, estas -iwavras ctreo laga(das de
sorriscEt -- S, N71 abra o chayko quo faz
jma. .
Ti-vrc- tentac5es de -pediru-he ims.expica-
cao; contive-me, poremt aiumirando a sua
innocent e ingenui "ade..

Von. agora tratarde m ,r sorte de-wra-oes
e remuedios quo existed nnos costlanes po-
pulares (de nossos sertoes&..
Noe. Contos Phyndares. de. SyJvi:, -Rome-
ro (2) cacontrei estas orveos cquO pass a

(1) E' prec-iso. notar-quoe geralvmonte a
alma ropresenta para cs credulos, tnia fi-
guru humana.


Jlhela cahida,
?ortas 4o Rar;


A3aimaeohio Christo
"'aphor nosso, andou -
PNdo mundo, areas
E.pinhela lvpntp. '

Oragio contra espinha vi garganta


Doente : Que bebo ?
Curandeiro : -Agua de
Que 6 born para isto.


Christo


Ora~zo contra o -cobreiro


Pedro, quo teades ?
Scnhor, cobreiro.
Pedro, curai.
Seanhor, corn que ?
Agua das fontes,
Hcrva dos iontes.

Ora9loe contra o argueiro no o'lho-

Corre, core cavalleiro,
Vai na port de S. Pedro
Dizer a Santa Luzia
Que me r-ando o seu loncinho
Para tirar esse argueiro.

Oragho para o, banho

Nossa Senhora lavou
Seu filho pr'a cheirar ;
Eu me lav-0 pr'a sarar.

Oraxuo para antes de deitar

S. Pedro disse miss,
Jesus Christo' benzeuwo altar;
Asim benzo minha cama
Onde venho me deitr:

OraqIo do amasaar das sesoes

Dewu vos salve-, larangeira
Que to venho viAsitkr
Vonho te pedir urma foia.
Para mmnca main-voltar.-

Todas esWas oraqoe s3,io admittidas- uxw
costumes setanejos assira come grawle-
numero dw remedios empregadbes par a er-
Ats fins.
E! cren$ geral, qa ttodo' aquelle yqe,
womer um.. edago do, corao,- do jabuty
rito, sentira mais sedes. latw nas grades
-iagens A. je subida vantagem per Sue
a%'m sempre-so enconlfta-agta par a befier
ao'.meio daa mattas e-chapadas.
Quem temii ma ferida. no p& cura-se fi&
cilisente fomnando aunt eiculo de ciuura,
*-deitando o- p6 dente- n centro da.
eiciwferenciair;: em aegpi o curandeiro
umar oso'eioao emoe Esat crena. 6
mais commam. em Pernanbuco.
Sia PiralSba, me cetot unua filho diesta.
Irovincia, p-ara curar algue-ma do asma.
zisa-se do seguinte process: cortamiso
as unhas d.-pls do doenate e embrtiham-
-a=s em una panno; e.m. seguida mandam
e- uma peawso extkaia enterre o.-pe-
q.enoo embczdio, depois do4 que o doente-
uma-A restabelecido. Mas,, se o curado
dier a descohrir quemrfoi a, pessoa. que fez
enterro das unhas. esti tudo perdido,
-YoltarA a relestia incentineate (!)
Para deseobrir o ladiio aplicama o3 cre-
dulos dous processes.:-lo, deita-se urna
Tfaca do ponta sobr- .3 dedo p)oleg'r c vwi-
se dizendo- nomnes pessoas sobre qu-mrn
,recaemin suspeitas at6,- que pronunuciando
uiun certo nome a faa% desequillibre-se.
1' que provocou, a q.dLa 6 o do ladr-ao ;


(2) Sylvio- Romero Contos Populares (3) )Diario de 'Dwuimbeo de janeito. de
do Brasil, 2- vol. pag-. 127 a 124). 1 S4.


e protege ao wnsimUo tempo a iraca sai'ul
de seu fiiho, expondo-o, cuinoi u.wa delica-
da flor, a4s suaves raios do. sol, e As bri-
sas que uis iir nedia -es da fronteira hes-
panhola converteina todas ascsta(ces n'uma
constanute priinavc-ra. Qi.iundo foi buscar
o conego de Brion-e A saa mnodesta casa,
a viscondessa tencionava cuidar, nos seus
ultimos annos, d'aquelle quo tanto tiiha
feito por ella durante a sua juventude, e
proporcionar a seu filha corn tao agradavel
companlhia, ao mesmo tempo que ajguma
distraceao, os profandos eonhiecimentos do
conego.


trabir ileena da.i preoccupa9c@s insepara-
vois da sua idade- e posiAo.
Gaytiio e Heohna tinham streitaAuo du-
raute a viageia os- primeiros lacos d um
fraternal affectia.
Os cora5ea d%'aquelles dots moQs pare-
clani ter sido eriados para so amaar e com-
prelunder, e duraate a viagem, tiueram tem-
po sufficient para ler n'eUes as ambriaga-
doras pagmas d'esse magnifico livro, que
s6 almas candidas e generosas. comprehen-
ite-coni tod.as as saas. bellezas nos inve-
javeis dias. da mocidade.
O sentimaento de piedade que attrahia
helena e (astao creava na sua virginal


A senhora de Fontac s6 conlhecia Helo- iuncenia commoves que elh
na pelas cartas do senior de BRinoe; e, corn. prazur.
como aquelle tinha resolvido fazer todo o Creada em today a anefiica
bern possivel .A sua filha adoptiva, guarda- christianismo, como 6 em si e cc
ra o mais profuudo silencio a respeito de prehendia o senior de Bronne,
quern era aquella creana oe do segredo ciado c corrompido, coma na s n
que Marcellini Keller desejaria enterrar sa maior part os curas. e os i
comseigo na scpultura. dos da igreja, & orphi via irmao
Helena, para a viscondessa de Fontao, os homes, e a grande familiar
como para toda a gente, era uma orpbA de nha direito a& seu amir, ao soe
pals alsacianos, que em vida foram amigos aos seus cuidados.
do conego. 0 ceguina era mpara Helena
0 senior do Brionne tinha-ao refeito irmo, e deibaixo d'aquelle titu
pouco a poueco do violent abalo qua sof- ria, como uma mai virtuoa %et
frera, quando soube o verdadeiro nome do dilecogo o meonos belUo, o maa
senior de Nonanville. feliz do sous filhos.
A historic da sua mocidade, que tantos Gato, ao ouvir a orpM fa
esforgos fazia por eaqueoer, toi brusca- que o coraglo se lhe diltava
mente recordada pelo appareeimento do aquella Yio harmonica, que c
mercador de homes; assim 6 que durante extasiava todos os aes sentim
as primeiras h6tas da su. viagem todo o de repents oes seus olbs so abrim
esforgo da sun vontade se coneontrou em as nagfias pompas da naturom
fazer desapparecer da imaginalo o que s*iam no pobre cego mais no
elle chamava as suas recordaes, e era do que o asentimento que predu
tal o predominio .ue aquelle home do coraa1o o melodioso tomrn d aquel]
bem tinha sobre si memo, que at6 o coie- Sem tentmA defiir a suam
go e os seus comapanheiros ala haviam che- adorava-a, e amava Helena:
rado A metade do im'nho de Bordeus aaman oas anjos, se ms ter vistc
JA aquelle tinha rcuperado toda a- merni- nos nossos soubos da infakida
dcde do seon character boe, sapralvel e jo- hendia quo a sa dou. 6A
vial. adquirir o ws d_4ro
Ao chegar a Wora, ao boa velho tinha- abengoava a eswuridlo dtlm
o aJabdonadOja M wra soamimpel- so qieixm a 'es.
...,.i._; .. ,dedode .arIho- A 4-, **- .... o,,

,iR"W^l ^/flow ?W*l~ 4:p1t 7M,


' c5, "


N'
*r .- .. .^ .


u-c-i--:-.


ia affagava

pureza do
>mo o comn-
e nAo& vi-
nostram na
dtos prela-
s em. todos
humana ti-
u affect e

am infelia
to lihe que-
r com pro-
debil e in-

diar, saentia
Sao .uvir
-om.aovia e
Lentom. Se
Mis a luz,
sa naOe caa-
Dvidade do
io no se
La voz.
seusagisa,
,'comn as
mauBqqe


rentina, que seu aino poicra de snutinella,
apparecet n'umna j;nella agitando, o lengo-
Era o squal convencio-nado para annun-
ciar aqmiile quo se espeaiva.
As rosas da faces dasi marquema desap-
pareceruan. subitamenate e com- as duas
,naos sobre o cera'ato parecia qnerer coin.
primir!he as p:lpitaees.
enhlia, miiaha senhora, venhlia lc-
pressa, disse-lhc. S-r. Loagendre..
E ambos dera'u-sc pressa em entrar,
emquanto o muiarquez- dirigia-se- para a por.,
os a-uompauhavain se achavalii unidos por
um sontimento de affectuosa cominpaixto e
ama.vamn-se, som pensar que oexistisse outro
amor alem (oamncc 1do proxilmo.
0 coneg) (d:.Waa o. braco k. Helena, e a
senhora de Fbnt-c& levava sea fillho pela
Mao.
Os quath'o viajantes pararam no, ponto
mais culminante da cidadella, e, commovi-
dos pelas maravilhas que se offereciam A
sua vista, a baroneza e o. senhor de Brion
,ne deixaramn os dous mosos e focam, com-
imunicandoas suas observa95es.
Oh! Sua mai tinha razac,-disse a
media vo& Helena ii Gastdo : -fiecwos mal
cm vir admirar estas bellezas, quando o
senior soffre sumido emi contgeta escuri-
dao.
Julga-me entAo um egoista?.... E'
uma offense que nIo admitto.
Deus me livre de semelhaante pensa-
mento!... 0 quo acabo de dizer sinto-o
con. toda a minla alma. Oh Queria n'es-
to memento ser- eu a cega, corn tanto que
o senior podesse ver o qtte. os mais veenm.
Obrigado, menina, roepondeu Gastlo
em commovido torn.
Depois acerescentou corn ternura:
S6 a senhora pdde animar os moms
olhos e dar-thes a lua de que carecem.
Ohi falle. Ma a zomba di minhacre-
dulidade, e isso nmo 6 bonito.
Polo contrario, a ai toca fallar, a mim
escutar; diga-me todas as maravilhas que
d'aqui admiral; fa9a-me, corn o aeu espe-
cial tino, urma c6pia d'esse magnifico qua-
cuo, e aposto quo a c6pia iAcarA zuito su-
peior ao original '
N No 6 muito wnstlo o que diz.
-OhI ea s na meainaa obra
pmama di ... 0nde eftiaos ?
E. iiuE4tiMi de Bi yop na cidadella
que l ba.* .da -e.
y^- <8Bi% 46. .pwmosta a obra dirigida


n 4=per donsI

Bites.' Edhe .bs^^iio vet.
B.,ilC Vt Y Ii
, .. :" :' ^ -'*. ,:
.. m


Homem b3m,
Mulher mA,
Casa varrida,
Esteira rota.
Senhir Sao Braz
Disse a seu meoo,
Que subisse ou dessesse
A espinha do pescogo.

Ora9"3 contra o solugo


/.0Odora da qua
aiwr 4et~e rAo ladito.
.Terxiti este gvapitulo narrando urnma
nocia qne .l no Diario de Pernambki
coQ, (3) aeerea doe aua brwea existent em
Sonnevill-asar-P'ecamp:
SDiaa mulheres clamadas Caumont o
Milandain atiraram-se. a uma velha mise-
ravol chamada Clarisse,t de 61 annos de
idade, e q e tinha na povoagio a aleunha
dL' bI cia. E' porque ella 6 menos estupi-
da do que as suas compa-beiras Poaco
importa. 0 que 6 certo 6 quo ella levou
malita paneada. Fez todo o possivel para
so defender, mas as adversariaaerafi duas.
Per tim as minegeras melteram-lhe a cabega
n'u:n cesto e nIo parariam aqui se nao
viessom em soccorro da victim.
A cansa dosta scena de costumes rus-
ticos foia seguinte: a bruxa Clarisse tern
a ospeeialidade de fazer nascer biclios t s
c c n
C-tiiunout e Malandain exprebravam-lhe
o ella ha d)oze annos nio fazer senito dar
esses animalculos aus seus filhos, em vir-
tui 1" do um ini.)o olhadol 'u, lies laneara.
H.iviAl dz. annos! E1' t-r),Ilavia, as crean-
; L5s li., taato tempo i qiit. tL-un bichos n'esta
regi'io! Nio seria niv decretar para ali
o 0abl'l) obrigatorio, a) ;u.siuno temul)o que
a instru 9.'i,).
( Alh.';u doe que, umna dlas mulheres que
ospanearain a bruxa accusa-a de ter feito
naorrer s,, de seus tilhos, dando-lhes bornm-
bons a corner.
Nala mais do q;c isto! !
Reproduzo aqui textualmente esta noti-
cia, para inostrar quo nito 6 so no nos-
so paiz que existem estas ideas retroga-
das, e incomnpativeis corn o estado actual
do desenvolvimento human.
Sirva-nos isto ao monos de consolo.
(Continia)

JO-10 FERA
POR
EMILIO RICHEBOURG
3.' parte

XIX
(Contimua ,o)
Levantando-se da mesa, o marquez e
o doctor accenderam cada um seu cha-
ruto, e desceramu pam o jardim. Paulo
dava o bkago, a Lacy, o Dr. Legendre
caminhava a alguns passes de distancia
por traz do mnarquez, e da marqueza, que
conversavamn corn anima'o. Dizia eorm-
.sigo"
-Parecem dous pombinhos em plena
lua dee el!t. brn effito,, em dtmuas horas
elles remoemrain. dYczamus!
S0 inarqwiez contavA a Lucy come seu fi-
ilho vira-a dkas veze. atravez das vidra-
.gasdo quaat em qt estava encerrada,
no castello deo Blaincourt.
Elle n~o- me ha-(i& reconhecer, disse
ella.
Quenu sabe, mnuik eara Lucy ; nos-
filho foi felizmeu- dotado de unea me-
moria maravilhosa : pol-o-hemos a prova e
reromos.
0 marquez chanacu o doctor, que- acu-
dio logo.
Entro, entre am~bs, couvencionasam. na
manoira porque o mo, seria poeto em
jpresena dfe sua mii, seie ter aido preve-
'hmido.
Duas hoiras decorrramn bern depressa.
Todavia a marcjaeza tinha movimentos
de agitaeJo; que tratiiam-lie a impacien-

A cada nstante porgan'tava:
Quando chegara- o1e- ?
Emfimi ouvio-se o rodar de am carro
na calcad. QUaaiiiinediatamuente. Flo-


d~ies veladoal. iN 'MH^
jTM .a^ g^'Saf' -* ^
.~~~~~~~ 3f iaLiiu"Li~


~- i~
*1~4


-. .
* ., ,' i ",.,
,-: ^ ;-;a t& ..


sr-J -'o *11 P-
-Fera, ape'imdo s. i .. ,. ;: i.-
o senior carecia de mim, eto as sys
ordens.
Meu caro Joao, rpspon4ed O 36 w ;, "
quez, decidi-me a passar aqui toda a noi-
te e mandei buscal-o, para estarmos todos
reunidos em casa do Dr. Legendre, mena
amigo, quo voce iA vio duas ou trees vezes
em Parlz.
NicolAo, cont nuou elle, dirigindo-se
ao cocheiro, vece p6rle ir-se embora;
nds voltaremos a Pariz polo camianh de
ferro. "
Deu a miao ao nilho e entraram em
casa.
Jolo, disse o marquez, eu you pre-
venir ao Sr. Legeudre, da sua chegada.
E mostrando-lie urma porta:
Entre alii na sala, accrescentou elle.
0 marquez afastou-sc. 0 mancebo
abrio a port e penetrou na salad. Vendo
m11n mullier em pp, imnmovcl, de costa
para a jIanllhL, de urm pass para traz.
Ent'to a i:;ir:jlttza adiantou-se, c o sen
bell e pailidlo scmblante achou-se subi-
t:imente innundado de luz. Ella es-
tava to, la trenmila e mal podia suster-se
nas perias. Mas corn que ternura apai-
x n'iula, coin quo delicioso transport ella
contemplava aijuelle alto e bell mancebo,
sen filho, quoe fitava-a espantado, e, por
u'una especie de attracaiio, aspirava a sua
allia !
JoAo permaiecia iiurnovel, como petri-
ficaulo, 'sob o effeito de uma fascinaceio
estranlta. Era ainia o seu sonho ott
achava-se elle em presen(a da realidade ?
E, tend os olhos ardentemento fitos nos
d'aquella mulher, silenciosa, moga e bella
ainda, que parara defronte delle, senti-
um estremecionento emi todos os mem-
bros.
JoAio, pronunciou de inansinho a
marqueza.
0 somr desse voz macia, ferindo-lhe o
ouvido, dizia ao mogo que nao era mais
um sonho e chamava-o As sensagpes
da realidade. Entao corn o rosto ra-
diante :
Ah! 6 a senhora 6 a senhora! ex-
clamou elle, reconhe9o-a! Minha mai,
minha mai!
Meu filho!
Joa.o jA estroitava a marqueza nos bra-
9os.


.1


\










I

.'-



t''



?!




!
.,* ;. (


I


E estas palavras: minha mli! men fi-
Iho eram repetidas no meio de nma chu-
va de beijos.
0 marquez e o Dr. Legendre contem-
plavam este quadro, delicioso e- arreb-
tador, que a mais habil penna nfo pode-
ria deserever, que o mais talentoso pintor
nio saberia reprodwir!
]Emfim, passado nm instante, o marques
enbou na sala.
Jolo disse elk corn voz lenta e gra-
ve, eu esperei nhito tempo o memento
de fazer-te uaa important revelagio; ehe-
gos final este memento feliz, gragas ao
nosso excellente amuigo o Dr. Legendre,
Jo&O, ta achas de novO toda a tua familiar.
JoAW, eu sou teu pai!
Qtianto havia de teruam e reconheci-
mento no coraqAo db, mancebo manifestou-
Se n'unM grito partido d'almna.
Dos bragos de sua mni elle passou aos
4e- seu pai.
0 senhor e umeu pai, dizia elb f6ra.
ie si, louco de ventura, desde muito tem-
po inmu corag.o r'o ha'ia dito; ou, po-
rim,, ao ousava acaeditulo-o.
0 Sr. Legendre retirara-se discreta-
mente, fechando corn brandura a porta.
Nossos tres personagens sentaram-se no
sof., .Luey entire seu. marido e o filho.
Eu nAo te havia adio tudo, meu fi-
1ho, replicou o mni'xquez,. resta conheceres
od nome dp tea pai. Ate nova ordem,
deo echamar-ine ainda Sr- Lagarde; mas
para ti, hoje, tomo de- novo meu nome:
Jbag ta 6s, filho do marquez e da mar-
queza de Chamaraude.

0' marquez c sou. fdho voltaram para
Tawii. A' note wo ultimo trem. Tinha &ido,
decidido oque por algam tempo ainda. a.
imna.iueza ficaria em Chatou, e que sea
m-Irido e sea filho viriam vel-,- todbs os.

( CoWutnua-se-ba)
so easas, palacios e aldeias, cujas brancas
paredes repollemn os raios do sol. Por detraz
tostas paysagem. qun algansjulgariam habi-
tada pelos deuses da antiguidade, elevam-
se encrespados montes, cujos el3vados cu-.
rnes estao. coroados pela neve..
Esses dons rios, diss astao, sao. o0
Adour e o Nine :: o prim o inspisou a
muitissimos poetas bellissimas comipsi95es,
e as suas apreciadas margins forum o. be'..
9o da ballada. 0 Nine, neia por sar maiss
modesto 6 meaos poetic ; as suas lihpi-
das agias atravessam em Franga quasi to-
do o paiz vasco. Tonho ouvido elogiar
inuitas, vezes os sitios ,ql admira ; 'as
nine, to doce voz me t'ofz cubigara l.uz...
Por favor, continue a discriVAo dresses
riouies soborbos que separam. a Franga de
Hesoanha. Que vY para a dire&1 ?
Para a direita, coatinuon Heleka, um
tanto perturbada pela galantferia de que
acabava de ser alvo,-vejo ema primeira
lugar o siar tranquillo como um lago; e
depois, ou antes, na horisonte, vejo-c brtu-
moso e alvorotado. Este contrast 6 do
mellior effeito; e, como se a terra Ihe obe-
decease, veem-se ao long os montes tio
altos e encrespados coma aqui, A heira-
!mar' cujas aguas apeuas enruga a brima, e
, as margens tao floridas oemo belias.
Ai, amiga, exclamou o moco, que
imponente espectaculo! Tudo quauto me
descreve reflecte-se na minha alma, eonm
n'um espelho; e, por muito maravilhada
que esteja, eu estou quasi tanto oomo a se-
uhora. Corn os ouhos do desejo vejo eao
ceo aaiul que me descreveu ao nasc" da
aurora; os sombrios values, os siunisos
rioa, os gigantescos montes o o mar me oe
seus horisontes nublosos a engauscort :
tudo'vejo; a minha imaginaglo, udfpe
los ^9. olhos, vai mai* ran e, oomtudo, s6 .ve^ JM:"
.-Aahna 6of
dw leena; e, eo


.* : I ::-".*''
:''. ':" ? .;'
'* '
',A "iNW.!'..
I., R t .




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E94R9GNOY_KLDD5F INGEST_TIME 2014-05-19T22:34:19Z PACKAGE AA00011611_15604
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES