Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15584


This item is only available as the following downloads:


Full Text





































"U^P*1*

'^^^



'i^*^:,^..

y. 1 '


district) do Poro. q, vi ..l'iz ,'nente vidra i.t c
emproga processor anti,
As fabrics queixain qp-i ti is d i concorren-
cia estrangeira no Brasil c mente, e atd certo ponto no ra0;,. PFor isso pedcm
direitos ad cvalorem para as ,brai3 imip-)rtadas de
outros paizts,-a citarinm p;>a e-a.nplo dos 3erros de
classificaiao do vidro) ni att; ahiuamiira, o factor
da chapa de vidro p igar tanto comio o crystal mais
fino.
*B6mente a fabric do C.vo 6 que se content
.Ceom a entrada livre ds m in terias primas,-e diz-
se qu, ubteudo is-o, podora co:npotir corn o es-
tange'ro.
A fabric dai Murii, Gra-ole pede tambem ra-
dac-a. do dircitos e entr dL i livrc das nmaterias
primas, porq.Ic do !r nonham so torna conve-
niemte csc, icearg-) ptr a s fibricas, visto tratar-
se de materials quo nuo se fabricam no paiz.
Joao Jos6 Vcrisshno, Mntigo fabricante de vi-
dros, disse no seu dcpoimcnnto oral que uma das
causes do atrazo, e porque teem fallido muitas fa
bricas, 6 devida A m' i organisacao administrative
das mesmnas e a falta de operarios habilitadus.
0 mesmo depoente e o Sr. Severim de Faria, gra-
vador era vidro, disseram que as fabricas da Ma-
rinia Grande e a da rua das Gaivotas, protegem
a industria estrangeira, mniandando vnr obras ta-
bricadas fora.
0 Sr. Thomaz de Oliveira disse que a situacao
d'eta indtutria no paiz 6 decadent por causa da
concorreucia estrangeira e a das fabrics nacio-
na s entire si,-mas que apresenta muitas preba-
bili des de adiantamento.
Continua).


llinlsterlo da Justla
Foram nomeados: j uiz do direito da co-
marca de Miranda, na provincia de Matte


DESPACIIOS DA PRESIDENCIA DO DIA 31t
DE OUTUBRO
Dr. Antonio Joaquiin de Barros Sobri-
nho. -Sim, nos terms emn que ternm side
concedilo para outros.
Bacharel Argemniro Martiniano da Cu-
nhia GalviAto.-Informo o Sr. inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Anna Joaquina Lins ViUllela.-Dou pro-
vimnento ao recurso para imapor A recorren-
te a multa de 50, pela omnissao relative
aos escravos, o a de igual quantia pela
dos ingenuos, de contonrmidade corn o av:-
so do Ministerlio da Agricultura, Commer-
cio e Obras Publicas de 26 de janeiro de
1877.
Companhia Pernambucana. Deforido
em-officio desta data a Thesouraria do Fa-
z e nda.
Democito Oarlos de Miranda Peixoto.--
Informe o Sr, inspector do Thesouro Pro-
vincial.
Fieldon Brothers*, Informe o Sr. enge-
nheiro chefe da repartigio das Obras Pa-
blicas.
Tenente Francisco Evaristo do eSouza.
-Nesta data officio ao Ministerio da Guer-
ra no sentido em quo requer o supplicante.
Franc; seo de Paula Rodrigues de Almei-
da.-Passe portaria na form requerida.
G. W6ternuach. Informe o Sr. Dr.
inspector da saude public.
Genesio Libanio de Albuquerque Mon-
teiro.-Indeferido A vista do art. 9o das
instrucaos do 27 de janeiro do corrente


(Urosa, o bacharel Acindino V icentoe aMa-- anno.
galhAes-; da de Si. Jolto Baptista do Camn- 0 mesmo. D-se.
pos Novos, em Santa Catharina, obacha- Baeharel Gdtnalo Paes de Azev3ed 'a-
rel Edelberto Licinio da Costa Campello. ro. Como requer na frmna da Ia ,
-Foi nomeado chefe de policia da J. C. Andersen. Informe o Sr. Dr.
rovjinia de Matte-Grosso o bacharel Jo6 inspector dnsaude public. -
ardoodaOi nhaf. e
: ^ doeuamentri a aue. allude.


-Son'delAhe W -41
_____-____________ __ -0 president da prolineia, attendendo ao quoe
requereu o juiz de direito da comareade Salgdgreiro
bacharel Miguel Gongalves Lima, resolve conce-
2E 1C ? TBL B der-lhe 2 mezes de licenga, corn o respestivo orde-
tfnsVs^ *sma~d uS nado, para tratar de sua saude, devendo entrar no
gozo da referida licenga nopraso de 45 dias.
RIO DE JANEIRO, 3 do novembro, As Officios:
Sh R id -Ao inspector do Arsenal de Marinha.-Parti-
4 horas e 5 minutos da tarde. (Recebido cipando-me em officio de hojo sob n. 48, o Sr. D.
As 4 hoi-o 3 50 >mintos, pela lina terres- Juan Buson, vice-consul da Hespanha fear na
s 4 hos e minut pela linha terres- mesma dato-encarregado das questues do Consulado
tre.) o Sr. D. Francisco Affonso Monteiro, em couse-
quencia da ausencia temporaria que vaiifazer desta
provincial corn autorisacIo -do governor daquelle
F0oi nom 1a4d o e!iefe de policia da paiz, assim o declare a V. Exc. para seu conheci-
provieicia do Parir:ai oa baclarel Pe- mento e devidos fins.-Fizeram-se as devidas
ao~ F o n communieaoues.
dro Leato Velloso Filio. endo conl Ao Thesouraria de Fazenda.-Remectto a V.
.iderada uem effeiito a nomeacio do S. para os devidos fins, c6pia do aviso do Ministe-
bacharef Leosi~aia lsarcondes de rio da Justica, dc 12 de setembro ultimo e as con-
tas e documents juntos, concernentes a despezas
Toledo essa. corn passagens por conta do mesmo Ministemo em
-- Foi Bnomxeado director Cao Costeira, na importancia de 4:3024.
da de fei'ro die D. Pedro II, o enge- A mesma.-Transmitto a. V. S. para os fins
-.nlaeiro o Eulhanli. (!ii Caunara. convenientes o aviso junto per cdpia de 10 do cor-
rente, n. 4267, cm que o Exm. Sr. ministry do im-
_________ period, daclara ficarcm approvados os credits, na
importancia de 2:6144411 abertos sob responsa-
bilidade desta Presidencia em 6 c 18 de sctembro
^qfLT' A 7 J uA 88-AultImo a verbal Soccorros Publicos do exereicio do
L ,1 V A al -.4 1884-18853.
S A mesma. -Transmitto a V. S. para os fins
(? 'a n. o p,: o \iario)\ couveuientes o avisojunto pot cupia de 10 do cor-
-,. reute, n. 4266, em que o Exm. Sr. ministry do im-
poerio, declara approvado o credito de 20:0003
PAtIU is. I e -tulSro* aberto cim 25 de jullio ultimo sob responsabilida-
31 do o iro de desta Presidenci. para occorrer as despezas
corn o melhoramento do estado sanitario da ca-.
Asu trop~as <'2inezas .ue, eoaacenitram pital.
A Amesma.-Transmitto a V. S. duas ordens
em Pe'iCIi ,' i2I1gs"Imit. nma do Tribunal d,) Thesouro Naciondl n. 155 u
cutra do Ministerio dos Nogocios da Guorra da-
LONDRE.,-), o Lo d ioLo m 'ro. tada de 10 do corrmnte.
ljU-MIL-, l. o to noveinuro. c
A musma.- Coimmunico a V. S. que o ad-
juncto de promoter public do termo da G!oria de
Ai opinliaio gra.l a suo Cairo e quile GoitsI, bachare! Jos6 Soliano de Souza Filho, as-
-P ~ f sumic, em 14 do current o exerecicio do cargo (de
CUordoo-BzwhitcS foit pasoal p osu 11" D i \v
.promiotor publieo da comarci de Pao d'Alho, no
partidnaa's0 f9o ls.tdi. mpnepdirnenio do respective proprietario, que esta
licenciado.
i (0 ovembro.- Ao Dr. inspector da saude publica.-Tran-
L()n-mbo, ( vmietto a V. S. afi^n de ter destmo, si houver neces-
sidade de uma pequena ambulancia offcrecida per
0 TIMES coisrinua- a itotiicia de erta- Joiio Sabino de Luna Pinho contend medicamen-
tos e instruceies apropriadas ao tratamento de
rem emn podo r os Iiartaidarios de indigeotes accommettidos de variola em Oiinda.
Mahdai tanato 0o3do'43n-3achii comoa -- Ao mesmo.- Para cumprimento dodisposto
adede na- r n. na 2a part do aviso junto, por copia, expedido a
tiilanI do corrente polo Ministero do Imperio recom-
mendo a V. S. a descriminacao das despezas fei-
Ag-cnei- IHavas, iilial oem Pernambuco, tas comn o mnlhoraiunnteo uifitario da provineuia no
Sintuito do impedir a invasIo do cholera morbus.
3 de novominbro de 1334. Ao Sr. Joao Sabino de Luna Pinho.--Rece
bie agradeqo a ambulancia offerecida per V. S.
.. --_ corn o officio, a que respondo de 18 do eorrento

INST-rUC Ao inspector do Thllesouro Provincial.- Re-
JNSl LUU a POPULAR solvendo a consult sobre que versa a sua infor-
-na-ao de 11 do corrente n. 207, declare a Vmcn.
a:I 1 '*p 'l^"que de harmonica coin o disposto no art. G- 61 do re-
a Agulamento de 2 de julho de 1873 c no art. 10 de 7
7, ff, r ..d) do mesmo mcz, anno, devemin ser feitas pela proctn-
E X t I L radoria dos feitos da fazenda provincial c por in-
.ermedio desse Thesouro as propostas de pessoas
S IT pars os cargo de ajijut s da menAa procurado-
B.- T A _ra.- Commtmnicou-se ho proc -tfib da
GENERALIDADES fazenda provincial.
1-No-ucs IiiSTORICAS Ao commandant do Corpo de Policia.-Au-
toriso Vinmc. a excluir do s-rviqo conforme solici-
(Continacyio) taram, os soldados Manoel Gonqalves Mfaia, Jos6
Ha tambemn cm Lisbon, ou antes cm Alcantara, Gomnes'de Araujo Lima e Antonio Fernandes Lins,
a fabric do Sr. Mlotta Gomnes, que produz garra- indemnisando primincirameunte, o que cstivercm a
fas (sem ser prectas) c artigos de coparia. Esta dever da fazenda provincial. Assim fica respon-
fabricA s'gue ein geral process antigos, e ares- dido o officio n. 967 de 17 do corrente incz.
peito d'ella nada nos diz o liiuerito Industrial. Ao juiz do direito de Iguarassi.- R-6spondo
A fabric do CaboL C Mo 7-/o, cim Buarcos, fimn aos officios do 9 e 10 do corrente mez declarando
dada hia 14 annos, c smm Io ;i'rrendada A actual a VMine. que em 11 do mesmo mez o instrui das
companillia, tern atravessado urn period de difli- providencas dadas a respeito do tratamento e ali-
culdadc.s, segundi disse o represetantote da im- mentacao dos desvalidos eccommettidos de vario-
prensa no sou respective d-p)imento. Alen d la iem Itamnaraca e Itapissums.
vidra, .esta fabric: pmroduz t:mnbemn garrafas pro- EXPEDIENTE DO SECRETAIKIO
tas, e iio paiz a 1tmic0i quCe as produz. Tern esta Ocio :
companhia uicm inm.inma a vapor corn forca do 6 Ao inspector geral das terras puhlicas e co-
cav.'.mdlo, c oc0 a-pi-s' irnb'?'.n da fabricacao de pro- lonisacao.- Corn o officio circular de V. S., de 9
ducts c ,rm-ioi"-s. do corrente recebi dous exemplares da G-uia do
Al,',n d'cstcs e-ib clcmI,:m', o, pnssmmos no migrante pars o Brasilremnttmdo ao Exm. Sr. pre-
pais a fmi-r-i (?, C ''". : i, i'r:ii.?ez Miciion, no sidoute desta provinCili.


Gratulian0 dos Siantos Vital. :- Requeira
ao Consulado, a quem compete (Tesolver o
assumpto.
Bento Manoel Carlos de Mello. -Ao
contencioso para attender.
Saraiva & C--Informe o Sr. collector
do Gamelleira.
Padre Manoel Lobato Carneiro da Cu-
nha. -- Fagam-se as devidas notas da por-
taria do licena,.
Viconte Ferreira de Albuquerque Nas-
cimento. -Pague-so pela caixa de deposito-
Jos6 Francisco Epiphauio do Souza.
Cumpra-se e fa9am-se as devidas notas da
portaria d(e licena.
Pouto da Ihntramtieo. Ao Sr. Thesou-
reiro para os devidos fins.
Commendador Albino Jose da Silva,
Delpliimn Lopas da Cruz, Jose Carneiro dos
Santos, Jose Antonio da Mota Gai maraies
e Augusto Octaviano do Souza. -A,
contencioso para os dvidos fins.
Manoel Fernandes Velloso.-Ao Sr. Dr.
adininistrador do Ooasulalo para cuinprir
o despacho da junta.
Jronymo Jose Ferreira.-Entregue-se
pela porta.
Goines & Campos e Lopes & C. --Ve
nhain nos tennos do art. 33 das intruca es
de 27 de julhio do anno proximo passaob.
Manoel Theodore Simoes de Carvalho.
-Junte os dous conhecimentos do deposi-
to, quo lIhe foram dados para os fins ulte-
riores.
Jose Rodrigues do Almeida.--Occupa-
das as casas alludidas por families, naio ha
quo declarar a responsabiidada dos debi-
tos auteriores resultantes do ostabolecimen
tos nas mesmas havidos.
Demoorito Carlos do Almeida Peixoto.
-Informe o Srs contador.
Pret da guard civiea.--Pague-se.
Manoel do Nascimento Rodrigues Fran-
9a. Cumpra-se e faqam-se is devidas
notas da portaria deo licena.
Ponto da Assemibla.- Ao Sr. theaou-
reiro para os dovidos fins.
Fielden Brotheres.,-Escripture-se a di-


iwoe ]jimnm dos Santos g'erreira, Men-
doaa-&li'., Jos6 Soares Loyo, Jorge &
Miatto- ilva & C, Dr. Ignacio Alcibiades
Vellosa-- Horaeio Peris GalvAo, Joaquim
Ato e Vseocellos, Joaquim Jos6 da
Fonsj A|Etouio de Souza Duarte Fer-
i areira, *e q C, Pereira Carneiro & C,
A. PoHan, Qarneiro- da C. & C, Anto-
nio Aug'tsto Pereira da Silva. Informine a
1.' seng:,X^itevo Ferreira & C, Moreira
& Irmaa Arantes & C, Fcrrmira k C, Hen-
rique Behiandes de Oliveira, Antonio Con-
dmunt, Oliveira Azevedo & C, Joaquim
Alves da Silva Junior, Ventura Pereira
Pena & C, Augusto Frederico dos Santos
Porto, Maaool Paulo de Albuquerque, Ro-
drigo Carvalho & C, Manoel Moraes de
Oliveira,: 3anoel Jose Gomes, Joao Alves
Matheus &&C, Manoel Clementino Carnei-
ro da Cuniha, Pinheiro Silva &L C, o Ma-
noel Jioaquiin Pereira o outros. Informe a
I1,. seccao.
Jos6 Francisco Domingtes.-A Ia sec-
cao para os devidos fins.
Luiz Antonio de Siqueira e Manoel Joa-
quirn Pessoa. Inforinoe a 2.a seccio.
Luiz Antonio de Siqucira. Sin, de ac-
cordo cown a informaoao.
Martins & Irinao, Manoel Ferrcira Bra-
ga e Jos. Marques de Souza. --D)irijlo-se
a junta do ThIesouiro na forma das instruc-
cos do 27 do julhio de 1883.

Samara Municipal
DESPACIIOS DA SESSXO DE 29 DE OUTUBRO
SAndr6 Itampcke.-Prejudicado.
1Bellrminno Eloy Barbosa.-Idern.
Dionisio de Souza Bandcira.-Attendido.
Joilo Jos Foreniandes da Cunha.-Indefeaido.
Jose do Arimnath6a Costa Pontcs.-Passc-sc
mandaw.o.
DESI'ACIIOS DO DIA 31 DIE OTUB'Ru O
Pelo S8. Goes Cavalcante comtnissari
de policia :
Braga & SA. pediudo qn(13 soja modificado o
valor locativo de 1:200.q que derain ao pavimento
do predio a. 24 A rua do Livranmento onde tern cs-
tabeleeimento, por 600000.-Os supplicantes pro-
vemo quanto pagam de aluguel do todo predio c de
quacs us pavimnentoa.
Braga & C., pedindo licen(a para quo possain
ter urn divertimnonto de tivoly nojardimni do theatre
de Santo Antonio. Sin, pagando- o i0nposto com-
petente.
C.wrvaiio & Frcitas, pedindoi que o valor locati-
vo de 5J0.)OOO que derami ao predio n. 9 A rua do
Viscondo de Inhallna, seja mnodificado por 3003.
-Satisfaiam a cxigencia da contadoria.
Dias & C. ; pedindo que o valor loeativo do pro-
dio n. 11 ran d&i Penha, seja regulado pelo o do
exercicio passado.-Os supplicants prove qual
o valor locativo do pradio em que se oacha o esta-
belecimncnta.
Franiiscy Pinto d(0 Magallhaes, pedindo que seja
modifiea4o0 valor locativo de 3690000 que deramn
ao pr.ei,ujt `', rua do G-ervasio Pires, ornde t-i
estabeiczouAto por 2736000.-Attendido em vista
do conhecimento Je decima rcformando-se a col-
lecta na formna requerida.
. FerreihaB axtsa & C., idem de 1:2004000 por
7004000 corn referencia ao predio n. 92 A rua do-
Duque de Caxias, onde tern estabelecimento.-
Attondidos reformando-sc a collect nos termos re-
queridos.i.
Joto Walfrcdo de Medeiros, idem de 2:000,000f
por 1:000A000 corn referencia ao paviimento terreo
e 10 andar do predio n. 9 a run 1, do Marco, onde
6 estabelecido corn livraria e escriptorio.-Mdifi-
que-se a colleeta de accord corn a intormacao do
fiscal por 1:C00O000.
Jos6 Ferniond's dos Santos Bastos, idem de
780000 por 500;000 corn referencia ao predio n.
43 a rua do Visconde de Inlianma, ondle tern refi-
nacao.-Attendido nos termnos requeridos, altoran-
do-se por 500000 a collecta feita.
Lemos & Irmno, idem, do 500.000 per 300g000
coin referencia no predio n. 26 A run da lap IA-
triz ondo sio estabeleoidos. Indeferido, em vista
da inforsnacao.
Luiz Abranches de Figu,>irodo, pars m.raar
canalisar gaz par a easa n. 31 a run da Conoei-
cao.--Cano requer, pagando o inposto.
Mainoel Vicento dos S:tntos Taveira, pedinds que
o vdilr de 330)000 quo drain ao armazem de car-
ne de xarque sito A run dle Pedro Affouso n. 40,
seja m,)dilicalo por 284^000 -Satisfaea a exigcn-
cia d;i ejitadoria.
Nevos & Salgad> pedindo quo seja colleetado
e;n 300)000) o pavimneuto do predio n. 13 a run de
Dr. Foitosa, onde sao cstabeleqidos.-Satisfaiiam
a oxigdiieciL da contidoris, declarando o propric
tario de quantos pavimentos se comnpSe o predio.
Ponciano Peroira L1ite, p'tra canalisar agua
no predi,) n. 92 A run Impermal.-Junte liccnoa das


Obr. s Publicas.
Viva Mag ahli's, peOindo :1u"e s.in mnodificalo
por 500i00'I o valor de 8004000 que drain an
predio n. 46 A run aDuque do Ctxiaa.-A suppli-
cante proveo valor locativp do predio cm que se
achm o ebtabelecimento.
Vimina Castro t C., idem par 30000 o deo.
(30040A que deram ao estabelecimento do ferra-
s si At. A rila Duqut de axias n. ll5.-Atten-
didos, alteraundo-se a collect.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 3 do eVnmbro de 1884.
,, 0 porteiro,
tolno IFerreira da Silva.



IrnERIOK

Nos eitmas do gelo


i,: .* ARMAMENTO
A expb4je^o foi preparada em virtude da reso-
lugaIo do utin'-dto do coagresso, approvado oen 1
de maio de 1880. A commissao era compost de
tries officials da exercito, um cirurgiao c 19 p)raas,
escothiiLs entire as diff$rentcs classes do xcercito.
Rac5es para 27 mezes foram postas no Proteus
para a comimissio. 0 Prot.ee tevantoa terro de
S. Joao, Terra Nova, e deiejuilhal do 1881, coin
toda a commissao a bordo.
Desembarcou-se na ilima de Diswo ecim Uper-
navik para procurar trends, cites, pelles e comida
especial para os caes. Dous esquimaus juntarain-
se a commissao em Proven. Tocoa-se cm terra
na ilhla de Carey, e as provisSes escondidas per
Nares em 1875 na Alert, form achadas cim bon
estado. Na ilhlia de Littleton o lo tenento Greely
p)essoanlmente apanhou a mala ingleza do Arctico,
deixad-t per Sir Allen Loung, na Pandora, emn
18;'6.
Na bahia de Carl Ritter, no canal de ioenieody,
fez-se um paiol de mantimentos para ser utilisa,['o
na retirada. A intenco priinitiva erai estabt-e-
cer a esta.to polar nti bahia de V,.t(.:r Course,
pgrem as grades minassas do gelo encontradas
tornaram ahi extremnamente perigos') o ancoradou
ro. Passando para Discovery lI:.r')')r a esta;i!-o
f)i estabelecida no mesino luma... ci2.: o phla
cxpedicmtluinglz--z do 1875.
D)cu-se logo principio ;'a mL nta:t, 'i da cLis, c
as ra-ues e armnaientos vieram pri terra. X 2b
do ago separou-se a eommisslo (GTIC'-l da guir-
ni(iao do Proteuts. Aquello punhado' do h num.ns
rctuni-so na frigida praia e acomapauiiot COlil a
vista o Prole-s ate desapparci'r vaig-rs3Sinal-m)e
no lhorisonte da bahia do Lady Franiklin. d-ix m-
do-os a, mner& do cruel norte. Na noite dosse
mernsmo dim. a tcinperitara desceu abtio1) do pinto
d3 congelaei e os gelos do inverno do arctieo
de v6ras os rodcou.
F6RTE CONGER
A casa foi aeabada quasi uin:a somaima dpr)is da
saiii;i, do Protes. Den seol-c o n, (Ie ',c ,ir-e
Conqer cm honra do senadbr C ngmr. Din-ante o
primneiro mez o frio affoctou as p-a:'>t is IMnatis do
que cm noutre qualquer tempo eoi Fn'rt- Cwnger.
1ais tarde, em dezcmbro, a temp .:ratiira ba )ixo
dc 50 a G5 i abaixo de zero, ?Fahrinil c assiin se
conservou por manitos dias ; porm'i, coimtu'l,
naqitmila epochal o di'ertinimeunto fivorito do'0 co:i-
nheiros era ficarem do chinelos C die cabe-a e brL'.
cos descubertos dancando no alto dos ionmtoes d.i
gelo. Durante o dia os ihon)mens :ma iivamn vesti losi)
corn a roupa ordinaria e boas tlauell:s jui.t) a,)
corps.
Geralnente cinco dos homenis, duranto uiina
part do din, occupavamn-se sob) a dinrecl--,-) 1,
tcnento Grrcely, em trab:lhos scientific e os ou-
tros empregavam-sc per espio d ni lnhor;ti na )
traballihos d campo, lieando o r-;.-to do tenpo cou' -
sagrado ao recrio. Todos dorinaian cn tairi)nbic.
Os alojamentos cram bern aqueeilos ;coms-vIinan -
se-lhes uii:a teinmpjatur- do 5-)' "i-n d, zero.
Os jogos de xadrcz c cautas c a i-iitra eiramii o
divertiincntos da noite.
A vida que ahi so passava, dis ot 1o- tuenteL
Greely, estava muito long de ser solitaria, c imiui-
tos so ienibmrami coin ma saudado -i di. fl-ies (1o
forte Cong-'r.
DIAS m UI. n'" 5
A 15 do outabro o sol dixou-nis p'r 1-'J5 dr -,
e um crepuscnulo, variaunddo de mii. hion atci 2
horas. suecedeu-lhe.
Por dons minczos esteve tCo esc(.io que .l, o I))-
diami ver as hor.ins no ai-otin.do do rcil)gio. .A I
de abril o so'-l n.sceu( do novoe sc c-,, I-'rvo ) a
norizsnte por 135 dias, danide-nos a clarid-tce de
um sol ao meio dia. Durante tires mezes as es-
trellas foram visiveis constantemtnte e as constol-
-acoes do-Orion e da Grande Ui sa eran as inais
brithantes. Aestrella Polar ollhava-nos coin des-
pr-ezo quasi per cimna dai cabea.
Conservar se uma pessoa, sosiiiahi, do lade d1
f6ra do forte, ein uria dessas notes, era rmahliminte
de um efleito magic, Ao note faiminmejava a au-
rora boreal, e o brilho das estrellas era senme-
hinte ao das pedras preciosas, a) redor da re-;-
plandeseente lua. Por todos os lados era um 1 i-
lencio d( miorte, tao horrivel c opproesivo quo io
home vinhaa a idla do snicidio, tLo solitario se
encontrava. 0 astronmo da commissAo di-se qim
tinha visto a olho desarinado estrellas de mneior
granicza.- A lua sc conservou, pr uine-i tempo-
raIa dO ouzc a doze dias, a vista.
PIIEXOM.[ENOS IETEOi;OLO(C ICOS
A 30 de jilho de 1882 o thei-omactro registrou
a manor tcinperatura durmante a no0ss5i esta-la n-i
bahia do1 L-,ly Franklin.
Esta teomarratura foi de 52,:' :'':iix) do zero. A
meonor fui ean fev-.r,'iro do 18,.', ,,), m1 mlmixo de z'-o.
Neste mez o marcuril congelou, e cs-itu so conser.
vou solidto par 15 dias, tas intenso era o fmii).
O thnrmnometro invarimavonnent- sobe dnmnrmutei tns-
prstades on vento fresco. A major aittura do. blaro-
imetro toi de 31 pollogaidins c a maenor dc 2!l.
A mroier vwrimiano era durante o invmmno.
o electrometro, in;strmneanto (miprcgtdm, par)a
accuisar a elmcctrieidade atmo-phierica, foi tornadoo,
e coin grin c srpm-zri do 1 tenunto Gr0o-ly, n.m,
deu a menor indicacao.
O ninscer dla aurora boreal era mn.uito bello, mt-i-
no podia ser comparado ai- dia ilhIu d., Disco o a-i
do Upi rnavici:. Tanto quanto o 1" tom-mnte Grcely
pSde observar, n'iinmu rmaido so fazi-, scutir ai-'
apparecimcnto da aurora, c a 16rm-i general er' a do


grades listues em todos os sentid ,s.
0 horizonte, na dircc.Io do sud6st,, era o i-mis
illuminado Sir George Nares referio em 1876G
que a luz da aurora boreal nao produz sombra, e
o 1o tenente Greely sustenta que observou a sun
propria sombra muitus vezes. Nun,-a houive tro-
voadas e s6 sefizeram ouvir d ius broncos de troviao,
muito ao long, para o lado do norte.
OBSERVANCES DE MARK
Nas obscrvaquos de ,nar6interessantes faetos se
deram a conhecer, isto e :-Que emquanto a manre
na bahia de Lady Franklin vinhai do norte, as di
bthia de Melville e cabo Sab ne cntrav:,m pelo
sul. Coinoe estes phenomenon se passavamn, o 1V
tenento Greely nao se aventarou a explicar. Para
calcular a enchente e vasante empregou umn cy-
lindro de madeira, que protegia a escala, fixo ao
solo por meio de haste de ferro. A maioer mare
foi de oito p6s na bahia de Lady Franklin e de
doze no eabo de Sabine. 6S ae observaram dnas
resacaa durante todo o tempo.
A temperatura da agua na bahia de Lady
Franklin era de 290 acima do zero, onu de 3o abaixo
do ponto de eongelaclo. Lobes marinhos pezaudo
noventa libras mataram-so nas immedianSes de
Forte Conger, e encautraram-se rapozas e outros
animaes. Os peixes sio muito raros nesta lati-
tude. A maior sorpreza da commission foi pescar
um salmnAo pezando quatro Ibras, do lago Ale-
xandre, de agua doe e a 15 pes acima do nivel do
mar.
Da Bahia e do mar s6 dous pequenos peixes
foram pescados, e muits poacos se encontram ao
Snorte do cabo Sabine.
VEGTA,9O
A V 1. E A- T-13


Na cxploraiao de 1862 Lwckw-o)l attingio .
maior latitude at6 h)jIi'l-:in;amla : '8e 3) c 21Y note.
Este potato ficava cerca d,: ) mithas ernm ruminn
director da balhia dc Laly Franklin mas para al-
canjal-o tern sc de andar mais doin mil millhia, son-
do-se interroir.pido ai ctli p ]it--O 1),'a atguat on
golo f endido. Lockwood f-z somidagciis (mntre ,,
cabo Bryant c o cml) Brlitaimni mt-is c-mii 135 hra-
cas de linha no p1iiiio:',)o toi-vi o funmo. !ii alM
gults annos piassitls., MA khmta. 1) miilhasb. a ii
oeste, prumon em nt72 7 'ia,:asi. LAckx,,),14 ;thiu1u no
SoU pontoI mais 1lortm inm--Sm'mi Vc''(-tmiao Ian linia
dc Lndy Franklin. mW ncnhimummni i.U;It 'a c nt'
oU mar ipolar.
Em 1iSI3 inttrr,,in i ..in vi ,g,"ii pert ino cOl 2
Bryant, a 125 inilih, iCa i;li ,l. L-i iv Friik-
lini ])'p n c un .- ', i i i : e '.:r.ti. ,n>O t *:1 l >l 1 .' -i,i
UoM-tt i o&'tC-e diA ( 'iii( [':i. .n 1 ,r I r.m i ,L-- -
mIu- Variiva I 2e- 'P) j '.:-; ; it iiiat. r l
lailo dlo norte as i;m iut'mih: n '-, ,.tn n,,-,.:
a l)irj er de vi-tia. i-'. t ,' c ,' 1 I ., a ,: '-
So-'s que lhe tinh m !i t'i t L i 1 :i Ii i \ v, L. 1 -k-
wNod tiniha i ca Itzzi .A r !'Y:m.t :"i I i m '
dc 35, N ., bi nst.) ft :;' : d io i.'i tiv ..-r I i .i -
por o ieam 'nhi ,' i : f -i i ') '
ap)enLis :li[iir^' v,"-iii .; [ .-',, "~ ),5 [i ** r _~i '-3 i;. "* *^r
s l I -, t d i t ,i .:- : li.; I .
Os unicos aiiimln n.t.i.i l >- ;,,r -
"tVo, [.. t f 1.- i i al ; ,S [ -****'2" ', '. ( ,*^* '.t* -irF;i': a. ,, --.',.. ,. )
mi eCs 111C !-f iiu-"ltr i;u il -L in,) .I. [ 1 V l ',.
!in. A S i)' 2-Y' N .1 i,, i... m :, f .*
l i l ) m u t in r O.i m >' i ^; f > i'-- ;. '.)-.,) -. :m i '.ii-.
L')ckw' o.il _;r- ,.. n'. : h .t --,, iC A i ; r ,'n-
l mun 'lia., ll-i. c in tim i: 1 ; c in-l:i- iva m- in i i -
p:s daas novas r ';.1;,' !' i i. lp'>I)**r*^ ,;.Y p r!:,: !.-
)-us t c (d i m'' hlll,,s 1 -' ; t (':1 iin) i nT 1 t,' iInt ni- -t
Ii ". l) n immi m t L' ( 3 I, n .-<, mini m, i,;l *I L .
er.mi-) t m; :;a ;Oia1m i :i ... 1 :i :k *i i 1 '.
Enl'o) i-U.-!-lm+ rc.;lva t" ;l- .
A ]:-t.;iImIi;.\-i:0k
Elia O ver r 0 'e' .Ir,) l : '*'.iir i ,..n e'p tro:t'-
v:OS vie--i'-r--'; mi)o:n i i m I).! i ;- .;,,i^ ^ -; ..
ip s nbiai a- .-. : r!- i -. : li;.. .* ,,. v i -
n i bahiah d 1 (!4 FrA-. :. .,i i,.
iLtimi : r r ,d 1';' i i, .
t'. a 1 A) d i ,r. ,I i i'no a i- r i in- ,' :ic b
l)-' o g,:lo s:- ii' i. m :mm -i -''. 'l'imi, f ni o tprori-
to e :.'a1,u.ile :n -:I-:) ,, ,I: l n : i-1 ) i o I' I'. t
111t pO,', U!11:t i l 'n ;'i t i t \, 1j)W t-';; I I :'7 t i iL .'' r
o. ceUi s p--lrl,[ i '. I '.-) ;r. ':,. .
QTiI o i-il-!0-S ` Wl
Q.'l~n rj b~iu'i^ ,I!.' ,.i i,, p r.. > c,. ,.i j 1;]. 1- '*
AQi-mdo AowPan.i~
Ql o l s li :i ni 1 t i; i .- -i 1 r
t -A-' 1i- a i ii in i I
c>, o BLt i\-ge ,\v k: '} !- ; | i .ll .",.-'V ^
p')la c' *t':L ^l ;i : '. :i 2 V -: '"l!:, i "^ ; ii .2,, ;,' ". ; --
r'i; d e :'-' ;lc" .r '.-.,1: !.: i", ii,'.: I ';: l,' ; ci.: "
Vinlior : Ma.ii- i V: : ,)

0 isA1fri!-wiifo J1



licarmin mt ti 'sin 1 ':u n ., /,, P ,/ .'; 1 -
mnj vicnd iils t a 1!) ln ; ; *-
,tis t i25 ;'> !, rI- .- .;I -
f :l c~' o" .) l' );;! *' *: ;' [ ;i !> 'r ; i i ;> a. i .1. .
i-L I in r I
SLilvl1.ha a 1 '[;' ..rn ), t) LI'.- rj/ i. '.'i "
temn i: no'. i l p r trc. ,ti ... ;- ln1) ii' ,' ; -
1111o lit In




inissAo se via dms e trcs milhas ]pert,) m Qc,. ,
Sabine. part de novr ser atirida pmrs- o nirt,' 1.'.
los tiafe. d, smt IAte.
(inco plihocw.i I n ;." w_ .. ':. .: -
Mt,'in t ) )- ri- iit t' i il ) l' i)- 1 '1i' *
Tcebeorg. C3sa U n I w ui t i' t ) ; 'r i'"' m -.
wiTnpari- ut p;m r t s .i i S -m ) i.t,'. i 'i i C 'a L-rii.'
oi t ,A;t da ilh i ,v ..rr. (m,.1 t- ::!.) 'l i'i,
,me. o m Oim)arcitr. A 22 1[-' c miii )r,) ;iri -i) tr i, a1 i
In ;tis i ,,,'[>nha t,,m ,)i'-.'titii, (titl I1Vt'iv r.li; .*i i ) "-
tar 1 io b()Cm'i:;l-I Arctic').
() ;'"t / i." 11 ,'- s .d -';i v.' i
ioS p [ lt ti')- t.i i '- V s M n-.i t- lIm\ve I C 1i1-
t: u !ti m te, diu ix it n ',i ,,i- in ,i" l <1 ',- ni siI
in p u 'j ;1 ) inin A s i t: tivai. V. i i m ,n, it". -wr",
inlo U11 ;i: r." ) .- I) h'I I S i n i:.' n' t i n- : i n l,
o -ito i 1l iiho-. in- ;i pr-.ixiin-
morte.
u ? Ut I .M) m i;m.c ic..AVAn) ',:\. \ I \A
N itlmim!to ,, nbn-iT Iiiii ,n n:c' I-i >j l'i 1'-
m i;i. i n l s'-m ic i mu l- 'i tin ,' 1;(. ; ,ti 1 ... i ,- n
iuz m atiitina 11". *:r l'i-"h ,liii i }'* ; 'i '.i *'i"i r )
e ilO ,) l iji ie ) ,i. V;;il i. 0 -n -m ri ) i.i mr m. i -i.'-
re~C .'j3'')tl ti ll > i ,n',wb r7f \ iin *i ll i )11 1 ,. ,' 1 p .rr, > ,i.'
lo -m Iini 4rn ;'i -' *Ii <*-i 'I't Ii t") t,,.o4 .* p:-i I-
r- i im p)tr o niov,-0 1 -t:l ln ,r. .i t..:nk,.-t 1,l t";
;)i)nl-'i ) ;- su -nmm e, ;tc:'!in i. II 1 .
lircar mm ensta i dm lmm-- :in -:i'.,. i. pontml doi- m -
i m nin1a; o a i2n. .' sct n'>i;n ji i k .. ; *' [ i r
os q lu irtls; ti ini ''n : si in '* i r n -x;,lr r .-'
c l-.os m jie' m Iv ), l |mti -' s : o:ic',' t- ,r n- ,i 'p i-
uiin;i d. r;ts nmmi r, lu,.' l,; i t, ,l -m F Xl I --m '- I 1" t I'- -'
se- u.ube do n m'uf:,'_: ) 1 c .... -m )" i m) r
,[amtmct t.mi,.mi e e id il-sin ln s .liili n i, p;nm'ts ,i:n rd '-
raia,, e na 1rt, iie c-- i;t ;;!d. ;-etr->. ----- ----- nt in
,s e uos l.t-s'ini s:ilv;>r. t'-;^:is. g--l m. itt-m a ;- i.in
d.; Mel\viile.
Os mi ii S res e..m- )rtism si ui-'i tn ou :rs -- ter i'
espiinto il-s prin;.is por muem o in e cu-i t'ircncibs ,'m ,!


lci1ftur;l.
A 15 dle oututibr) pssuarIIin Ipr.. o cibo Sabine.
c a 18 f;illeceai oCross do escorb'iro. Em abril as
rai-ue. diaries fraima r,,hmzili:s a m qua'ro oncas ,'e
ca-ire e a sei.s le pio. QInmii.) Io ''stv.i t'>La ;i cs-
perainci prdida, trnlo m inrri l' mn apim -i m ilstrm
quasi todos os omSsiscump:tuheircs, ouvio-sc minuir
dia do tremenla tenmpstmule o apito da in chinaa
da Tlhe'in nav:io quo mos veio arr-anuc.r ds p.iro-
xismos da more.
0 NiACCESSIVF'L POL) xNrizE
0 1 teneomn Greely tqma.illo interrogado sobre
os provaveis ri'ulmtalos dis explo)rint5es do Areti
co, disse: q Nao p ,-nso que Pdlo Norte posea
-er alcauqado, a menus quo todlas as circiumata-
cias at6 hoje desfavoravcis p -s*mn deaapparece.
E si algum dina o conseguiremin serai pelo caninho 4
da Terra dLe Francis.e Jose. S -m tovado a assim
pensar pelos icebery.-.enounmtra, lti aa bahit de Mu-
sel e em Spitzbergen, assim c tin) os avistados pmr
Pavy e Lockwood em 82 e 33'.
Podem-se passar dois invernus na bahima de lL-
dy Franklin, mas as foraps physical se recent 0,
bastante. Si tivessumons to. .)s os recursos poder-
sa-hiater v'-ir-b de oito a dtz annos na bahit de
Lady-Franklin. ,
New-York, 31 de agosto de 184
,AD. P. PnmiZtio.


Aepartifao da Poelicla
Spoqo 2.1-N. 1,185. Secretaria da
policia de Pernambuco, 3 do novombro do
1884.--IUm. e Exm. Sr. Participo a V..
Exe., quo forain recolhidos a Casa de De-
tengao os seguintes individuos
No dia 31 de eutubro :
A' minha ordem, Isabel Maria do Esirito San-
to, alienada, atW que possa ter o convenient des-
tino ; Graciano Ferreira de Lima, Manoel Jos6
Vicente, Manoel Joaquim Pereira do Souza, co-
nhecido per Curinga, Jos6 Joaquim de Sant'Auna
F'ranco, Joaquim Job6 de Sant'Anna, conhecido
por Maxixe e Jose Poreira da Silva Botelho, vin-
dos da comarca de Goyanna come criminosos.
A' ordemrn do subdelegado do Recife, Guilhermi-
na de Araujo, per offenses a moral public.
A' ordem do do 10 distrieto de S. Jos6, Antonio
Pedroso de Limna, por disturbios.
A' ordem do do 2' distrieto da Boa-Vista, bin-
noel do Espirito Santo, per embriaguez.
A' ordem do da Magdalena, Joao Ramos, per
disturbios e offenses a meral public.
A' ordem do da Varzea, Antonio Felix da Silva,
por disturbios.
No dina 1 de novembro :
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Jor-
ge Avelino da Silva, Jose Gabriel de Souza, Ma-
uool Dias do Nascimento e Alberto Francisco, pur
disturbios.
A' ordem do do 10 distrieto de S. Jose, Joaquim
Jos6 de Sant'Anna, per disturbios ; Luiz, escravo
de Fuao Santa Rita, por ter side encontrado fdra
de horns sem bilhete de sen senflor.
A' ordem do do 2-' distrieto da Graca, Bernaf|
do Avelino Cedrim e Ildefonso Archanjo de le-
sus, o primeiro por se achar pronunciado no art.
116 do cod. Crim., e o ultimo no art. 120 combina-
do corn o 31 do mesmo codigo.
No din 2:
A' miniuha ordem, Jacintho, escravo de Trajano
Cicero de Mcndonca, vindo do tenno dc Ipojuca
como criminoso.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Sa
bino Raymundo das Chagas, Gabriel Francisco
de Souza e Jose dos Santos, per disturbios.
A' ordem do do to district de S. Jose, Guilher-
mino Jose de Souza, per disturbios.
A' ordem do do 2o district da Boa-Vista, Jos6
Gomes do Nascimento, per crime de turto.
Communicou-me o delegado do termo de Bezer-
ros que no din 22 do mez find Laurentino Jos6 da
Silva assaseinara corn um tire de espingarda a
Manoel Antonio Bandeira.
" Contra o delinquent, que foi preso em flagrante,
procedia-se nos terms do inquerito policial.
Deus guard a V. Exe.--Illm e Exm.
Sr. Dr. Sancho do Barros Pimentcl, muito
digno president da provincial. --O chefe de
policia, M1anoel Ventura de Barros Leite
Sampaio. ,

Thesouro Provincial
DESPACIIOS DO DIA 31 DE OUTUBRO
1-14 t1l1.n/ 1-0 _nnto V mni.- Jm T3_ nr


...
on


S'
it-s
.,..w-In


S


in-4


Ai-
'!/


I


ij


L-























Eg, v& Tmi-
mas abaixo de 4 bukdai
On Porque @Iillan grima aoasimyi-
&s. do pt 4or ErW a&tar&.F Pm w'O-
ewwra mmebs o b. isqt w, ritque, penew
intante depois, ete encalhava cerca de dous
teros em eima das pedras.
a Uaia yvez parada machine, procurou-se co-
nhecer da posioo do vapor.
a A sonda indiceou 3 p6s d'agua na pr6a, 13
al6m da caiza da roda, e a p6pa nio foi possiv
encontrar fundo. -
SNessa posico evoujente teutar u
desencahe por nmeiwi m |d
seria algum rombo nT XO dTo or.7 -
a 0 unico alvitrea r e spear pela en
chente do rio que tera 1. e argo.
S0 rio Puris, a un deixava d e va-


i 5s .f. -4
r --Falleeram : o 2.0 tenente da armada Joac
1- Sebastiao da Silva Lisbla, embryo da Assembl6a
'- Provincial; DD. H Maria de Men-
donea, Luiza Park, omelia dos San-

SPara
Datas at6 25 de outubro :
Corn as solemnidades do estyllo foram abertos os
Strabalhos da Assemblda Provincial A 15 de outu-
bro, send a respective mesa assim compost a:
President, conego Siqueira Mendes; 1.o secreta-
: io. David Freire; 2.0 secretario, AmanajAs.
Os liberaes tern se abstido de comparecer.
.... A proaidencia da provincial marceAra o din 2(
Sde novembro corrente para ter lugar nos edifiieos,
Santecipadamento designados, a cleicao de unm s',-
nador.
..- Em reuniio de 17 de outubro do Gremi, do
partido conservador, ficou asscntado quo os can-
didatos a senatoria c deputaceo geral nas proxi-
nmas eleicoes seriato os Srs.:
Senadores, coneg.) Monoel Josd t(e Siqueirar Men-
d s, Drs. Joao Lourenow Paes de Souza e Joaqmi]
Gomes do Amaral.
Deputados geraes :-1.o circuelo Dr. Jo--6 Fcr-
reira Catntao ; 2.0 Dr. Antonio Bezerra da Rocli:
Moracs ; 3.o Dr. Gulihermn Francisco Crunz : 4.
conegno MLnool Jose de Siqueira Mendes ; 5.0 Dr.
Jose Mamria LitAo da Cunha; c G. Dr' Samuel
Wallace Mac-Dowell.
L-rat-s no Diai-o do Grit' Pard de 17 :
SDiscordando da nor:aa de. proceder dos caval-
leiros dirigontes do partied) libera!, em face dat si-
tnaiao cre.tda p-la presidencia da provincia na
selugao da questiao da Assemiblda Provincial o
honrado Sr. Banio do Mara)6, desistio de sua can-
didatura ao Senado do Imperio, proclamada pelo
S eleitorado liberal em sua ultimnt reunion.
-'- No dia 4 do outubro foi assaltada a typo-
graphia do Marapaniense. Os sicarios aldm de
causarem algum dainno roubaram muito mate-
ria).
No di. 1 8 A tarde, tentou p br termo a exis-
tencia, disparauido um revolver sobre o peito, o
Sr. Manoel Pinto da Silva, estabelecido A calcada
das Mercz corn officina de funileiro.
Fallccera Antonio Soares Pinheiro, consul
de S. M. Catholica, e socio da firma Manoel Pi-
nheiro da Cunha.
Maranliio
Datas atd 27 de outubro.
As neticuas desta provi cia slo dd menor im-
tancia.
Lemos no Paiz de 21 :
( Ns armiazens do thesouro provincial foi pe-
sada a primeira remessa do assucar fabricado no
enigenho Castullo pclo Sr Dr. Joto Antonio Co-
queiro, depois que introduzio no seu estabeleci-
mento os processes mais aperfeiqoados para o fa-
brico do assucar da cana.
Esta primeira remess4 consta de 209 saccos,
vindu na barca Besmonte.
0 adminiatrador dos armazens do thesouro
fes embandcirar o edificio e mandou queimar al-
guns foguetes em rngouijo deste facto, simple e
sem importancia paam algans, porem de grande
= alcance oeonomico para os que, nao coutaminados
pela descrenca, veem na laveura o unico future
de riqueza desta provincial, cujo estado de deca -
dencia nao tomari maiores proporc5es em quanto
hover hominis traballiadores e constantes come o
Sr. Dr. Coqueiro. ,
< Em virtue de ordem do mnitsterio da agri-
cultura, dc 13 de scteoibro ultimo, determinou a
presidencia !, thesouraria de fazenda que fizesse
organisar unia erlahIo dos escravos matriZulados
nesta proc incia que tivcrem attingido a idade de
60 annos.
f A referid:t reparti .iao acaba de apresentar os
rctpoctivos trabalhos, corn rclaiao por ora aos
muaicipios desta capital e da villa do 'Paco do
Lumiar, dos quakes costa que no prirneiro dos li-
tos municipiosj1 attinmiram aquclia idade 337
escravos e no segundo 7,8. -
Lenmos na mesina follia de 24 :
No cenm ho Ip'iplla, de propriedade do Sr.
Leandro Antonio da Ereeira, no Baixo-Mearim,
deu-se no di a 11 do corrente u.ni lamentavel oc-
currencia.
,. Estando o engenho, que 6 a vapor, trabalhan-
do na fabricaao de assucar, arrebentou a tampa
de um alambiqui, espalhou o liquid soebre o ma-
ehinista de nome Simplicio, que, ficando intcira-
mente queimado, falleceu horas dbpois.
Umn trmbalhador, mcstre da fabric, tevc tam-
bem graves ferimcntos, devido As queimaduras
que rc-cbeu nessa occasion.
0 O Sn. Ericeira ficou tambem bastante quei-
minado nas costas, nio sando todavia o seu estado
para recciar. ,
Piauhy
Datas ate 21 de outubro.
A' 39J dc setembro cheg'ra a Thereziua, e, pros-
tan do juramento, assurnira a adninistrac.o dai
provwneim o Sr. Dr. iyrymuado Theodorico de Cas-
*lw tro e Silva.
-- A' 8 de outubro comecara a publicar-se em
Tbeorezina um nova periodici- 0 Abolicionista -
"':' destinado A propaganda da idea abolicionista.
li, -- No term be Barras foi devorado pelas cha-
,mas, no logar Milagres o estabclecimento agrico-
]a do alferes Manoel Ribeiro Franca, avali'ndo-se
o prejuizo em 12:0003.


Ceara
Datas at' 30 de outabro.
Chegara A Fortaleza a 20 o bispo diocesano,
que em visit pastoral fora ao centre da provin-
cia. Foi recabido corn demonstrat5a s de apreco.
Fora nomeado promoter public da capital o
I.. Dr. Virgilio Brigido.
i' A presidencia, por actoe de 23, mandAra vi-
gorar no exercicio financeiro municipal de 84-85
a rcsoluqao n. 2,065 (orcamento municipal), ate
i ulterior deliberacao da assemblea legislative pro-
K: "vincial.
; Bio Gra-de do Norte
-ir 1 S Datas ate 31 do outubro.
..... Eis o que escreve o nosso correspondent
em 31 decutubro:
( c sexm .Dr Tarquinio deSouza e padre Jomlo
S A 22 do corrente chegaram no vapor Ipoju-
Cll:1"* a. 03 Exms. Dr. Tarqainio de Souza e padre Jolo
!!' Manoel de Carvalho, que foram recebidos comn
7 :% grande manifestagSes de rigosijo per seus nume-
roses amigos.
a Uma bauda de music se achava postada no
S trapiche da qimpanhia Pernambucaua, subindo ao
ar grande numero de girandolas de foguetes.
SOs illustres rio-grandenses desembarcaram,
acompanhados per consideravel numero de ami-
gos. dirigindo-se a casa do capitAo Jos6 Gervasio,
onde Ihes foi offereeido um lauto almoeoe e a tarde
foi cfferecxdo polo Exm. padre Joao Manoel urn
Sjaatar ao Exm. Dr. Tarquinio de Son e ao'o quali
estiveram presented os memos amigos, reinando
sempre o mawor igosijo eia todos.1
cc Approxima-se uma 6poca de agitaqlo e mo-
visuento e oe eostitue a preocqpsc de todo.
c w-no$ protimo pleito eleitoral1 de

ccOg parfidod fe preparaw e me dispU pwa, a


niio desta provincia I
Noticiamos o facto que 6 verdadeiro e nos
abstemos por agora de qualquer juizo.
a A' 23 chegou no vapor 8. Francisco o Dr.
chefe de policia nomeado para esta provincia e
aesmo dia assunio o exercicio.
-Ieceu n'esta cidade A 26 do- corrente o 2e
oripturario do thesouro. provincial, Justiniano
Quintal.
m Cartas particulares dio tambem a lamentavel
oticia de ter falleeido o Revd. conego Bernardi-
e Jos6 de QuIeiraqjzgario da froguezia de Pao
dos Ferros, ondegoi a de geral estima per suas
reconhecidas virtudA3.
SJA sahiram deste part eom carrogamento de
assucar 5 navies e estio carregados para sahir
mais 3.
A carga ficam mais 4, sendo 2 neste port e
2 no de Gnarapes. Aldm destes ha mais 2 navios
carregados de carvio patra a ferro-via.
A safra do assuear nao e das peiores, mas in-
feliazminente o baixo preno qua estd tendo desanima
o comamereio e especiahlnente a agriculture.
A pequena demora deste paquate n'a 0 nos
permitted ir mais adiante.
PArahiyba
I)Datas ate 1' do novmbro.
Foi nomeado prornotor public da comrnarca do
Teixeir t o ex-promnotor da inmecsuia co:narca, Jos6
Vicente Rodrigues.
Nada inrmis quc nicre(;a menato.

Notieias do Paeifico, Rio da
Prata e sui do lmnperio
0 vapor francoz Ville de P'crnambuco, entra-lo
hontem A tardu do sal, trouxe as scgaiuteo noti-
cias:


SPEacifico
I Daltas telegraphicas atS 17 do outubro:
Trujillo foi tornado nio dia 10- por form-Ls do go-
Svcrno perutuano, commiandadas p1ol coronel Lou-
1 renco Iglezias, depois do seis horas do rcnhiJo
comibate. Excederam do trezentos os mortos ce fe-
ridas.
Das forces do governor morreramn uin coronel,
u in tenento-coronel c quatro olfficiaes subildter&oi
i c ficaram feridos dons tenentes-coronacis e qiator-
) ze cficiacs subalternos. Dos rcvoluciorianos in)r-
Srerain um capitio de fragata, umn capitiio c um te-
nente e ficaram feridos o commaudante da praca,
Mir6 Qanesada, e alguns (fficiaes. Ficaramin pri-
- sioneiros Herencice Cevallos, comraandanto geral
Sde artilharia e varies chefes e officials, e torna-
- ram-se apetreehos de gucrra.
Rio da Prata
Datas do Buenos-Ayres atb 19 de outubro:
0 diario portenho La Tribuna Nacional quo
Spassa por scr inspirado pelo general Roca, presi-
dente da republican, fez a seguinte doclaraiao:
E' absolutamente inexacto qiic o governor pense
em mandair um enviado extroordinario ao vatica-
no, por causa dos incidents suscitados recente-
mente pelo ex-delegbdo apostolico, Sr. Matter.
t Neste caso o president da republican se limi-
tarna, segundo 6 de use nas praticas diplom-iticas,
a dar ,"onta ao papa das causes que determinaram
a resolucio governmental quo todos conhecem,
acompanhando a rcspectiva nota c6pia de todos
os documnentos de character official que tenhainm rd-
lacmIo corn o assumpto, refercndados pelo minista)
e socrotario de estado dos negocios estrangei-
ros.
,, Esta exposiqao doeumentada ser remettida
directamente ao nosso enviado extraordinario e
ministry plenipotenciario resident em Roma, Dr.
D. Antonio del Viso, para que a faga chegar as
maos de Sua Santidade Lelo XIII.
0 E corn isto di per terrinaddo de todo, o podor
executive da nago, o desagradavel incident a
que foi imprudentemente prcvocado pelo arcebis-
po de Irinopolis-
Rio Grande do Sul
Datas ate 19 de ontubro:
No dia 9 o president da provincial dirigio o se-
gainte officio ao Sr. consul portuguez:
v Aocuso s recebimento dos offices do Sr. Luiz
Angusto db. Mourn Pinto de Azevedo Tavcira,
consul de Sua Magestade Fideiissima na cidade
do Rio Grande, datados de 22 de agosto c 7 de
setembro ultimo, corn referencia ao attentado
commettido contra a typographia do Guarany, na
Uruguayana em a noite de 21 dc agosto.
SEm rosposta tenhoi a declarar ao Sr. cnssal
que fi)nunm tomadas todLts as providencias para a
puniicmio los culpados, estando ji concluido o in
qunrito, do qual, coinmo sabe o Sr. consul, resultou
o indicianmeuto dI- um cadet e oum sargento, qa
est31o prcsos, procodendo-se a consi'lho de investi-
ga.Aio ptarn verifictr se cxiste crime military.
0 governor imperial tomnou medidas energicas
para manter a discipline nmilitar. estando substi-
tuido, coming ji communique ao Sr. consul, o com-
mandante do batalhilo, sendo certo que nao ficarmo
inpunes os que tomaram parte em tao grave at-
tentado. Esta presilencia recominendou a s au-
toridades civis c militares maxima energia na re-
pressiAo e puniao dos desordeiros, tend a satis-
tacao de assignalar que a ordem so restabelecen
immediatamente, verificando-se naio ter havido
proposito de offender o vice-consul, pois que a ag-
gresslo foi dirigida so nente A typographia.
SPor esta occasiiiao chamo a attenio do Sr.
consul para a ineonveniencia de ser mantida uma
imprensa politics por agente consular estrangeiro.
Tenho assim respondido aos offieios do Sr. cou-
sul, a quom apresento os protests de minha esti-
ma e considcra.ao. Jose Julio de Albuquerque
Burros, )
Noticias de Bag6 dizem que a locomotive da es-
trada de ferro transDuzera no dia 8 o Quebraxi-
nho e jA chegava a uma legua daquehla cidade.
Refere o Cruzeiro do Sal, da mesmna eidade:
Os trabalhadores da estradai de ferro forma-
ram grive e dirigiram-se A autoridade policial,
representando contra o empreiteiro o Sr. Costa, no
intuito de obrigal-o ao pagamento de salaries ven-
cidos. Este cmpreUiteiro (corre como certo) rece-
beu urea boa importancia e fugio, deixando os po-
bres e honrados trabalhadores sem meios de sub-
sistencia e entregues as mais precarias circums-
tanc'as. ,,
0 tribunal da relacao absolve no dia 14 o Dr.
Melchiades Correia Garcia, no processo de res-
ponsabilidade mandado instaurar ox-officio pelo
memo tribunal.
Suieidou-se na capital corn um tiro de revolver
o conceituado negoeiante Carlos Rist, que era
maior de 50 annos.
Noticiando o facto, disse a Federacao:
c Carlos list era um home que parecia viver
feliz no mundo, respeitado por todos pelo sen na-
racter e seu preceder sempre recto. A' custa de
trabalho honrado e insane, conseguio adquirni
grande fortuna, e ultimamente redes o viam tran-
quillo e satisfeito, nao se podendo angurar-ihe um
bim tbo triste.
Santa Catbaripaa
Datas ate 22 de outubro :
As noticias sio de interesse local.
/ MlIas Geraes


Datas da capital ate 22 de outabro:
Foram encerrados no din 20 os trabalhos da As-
semblea Legislativa Provincial.
Evadiram-se no din 1 da cadeia de Jacahy em
rmos Joao Igascio da Silva, Jo Silvano do Aze-
vedo, Joao Rosa Machado Eaun.iseoiomtiianod e
Francisco, conhoeido jkr Nulis* o Io absolvido
pelo jury, o 2, e o3,D rimioiid furto deani
mars e os uliuos d e boiidoi:jo. :
Frmam capturad no term de Po acPat -
umsa eselta sob o eommm do 20 Irsmto d
de Soua- Limoeiro, o rio Peism d4 1!
1K-a erisiu de

[ -LWnos? no Jc60 ct* Conpeod&e

r, R a iBantamist hIt d ma-


d NW&D es4 prem, pwa -wr--viW wm da
questflo de limits do Brasil corn a Repu-
blica Argentina.
Compareceramn i reuniao S. A. o Sr.
Conde d'Eu, os Srs. Pauline J. Shares de
Souza, Lifayette- Rldrigaes-Pereira, Jolo
Lins Vieira Cansans~o de Sinimabi, Affonso
Celoo de Assis Figaeiredo, Jose Caetano
de Andrade Pinto, .Luiz Antonio Vieira da
Silva, Martini Francisco Ribeiro de An-
drada, Jose6 Bento da Cunha Figueijedo e
Visconde do ParanaguA. Nao compareceu
o Sr. Jeronymo Jose Teixeira Junior que
estA coin hlicenca.
Enviaram os seus votes per escripto os
Srs. Viscoades de Born-Retire e de Mari-
tiba, qae por doontes nao puderam corn-
parecer.
Estevo present o ministerio. A sossic
foi levantala a-, 3112 horas da tarde.
0 Fhloniense de Nitheroy, not;ciou a
24:
e NA nite do ante-hantrnm, das 8 para
9 horas, em U:1 dos quartos da pra9qa d
Mercadlo, dceu-se urma scena horrivel.
SEn coapanhia ae seis fillies, send
o mais vIlho do 11 aaos e G mats m)io
do S 8Uoz's, residia alli a hospanholaAmna-
lio tortie-,, qauo ha 8 in-zes vivi, sep:-ra-
da d, s3u :iuarido Jose Gonoalves Meguia,
quo a eSpancara per oti,,vo) do cianeis.
SN.L, in inhii de qainta-feira, Meguia,
aili ap.ar'era, promettendo a sua inmulliher
viver bemr corn ella, permane'-;endo na cLsa1
d(tirante o dia o acariciando mito os filhi-
nhos. A' n-ite, achando-se os filhlos a dor-
min, o muIs ve-oe acordou poer cau a do
grandlo birulho, e ao mosmo tempo vio st-s
pai esfaquiar sua mlnii c bradar: -,Ag-)-
vou matar tu fillihos ) e camiahava e;n
direc?,Io A cania, onde elle e stus irmlios
anhavain-s doitados, quando do lade di1
fora forcavain a porta. Eat5i'o !l1e, vol-
tanudo, cravoutt cm si a faca e cahio sobre
o soahoe.
Aberta a porta pelo ercnino, as pes-
seas quo acudiram entraram no quarto ce
depararam um quadro horrivel: Amnalia,
esteadidla no chAo, ja' sein vida e proxinmo
della seu marido a expirar!
(( Affiriain os moradores da prava
qaeuo a infeliz Ainalia alli vivia ha niczes,
passandlo por algumas privagoes, mas senm-
pro corn haliostidade.
S Conmpareceram ao lugar o subdelegado
do 1V district e os inspectors Prata c
Callado. Os cadaveres foram para o lios-
pital do S. Jolo Baptista.
( Hontaem, procedeu-se o corpo de de
lioto em ambos os cadaveres. 0 de Ama-
lia apresentava os seguintes ferimentos:
Um do lade externo e superior da glan-
dula mamria esquerda, tendo o iatruamean-
to, que fracturou completamoent a quarta
costella, perfurado o pulmnAo naextensao de
seis nentimetios, mais ou meno; Ut1ro as-a
sestado na part median daregiaoNnterna
do bravo esquerdo, interessando a arteria
humeral ; outro sobre a parte inferior do
biceps, Amalia tinha 30 annos presuniveis.
o( 0 cadaver de Jose Goumalves Meguia
apresentava os ferimentos que se seguem:
Um feri'nento assestado no 2" ospago in
tercostal esquerdo, dous centimetres affas-
tado do sterno; outro no 3 espa9) inter-
coetal do mosmo lado, quatro ceatiruetros
affastados do stern, interessando ambos
estes ferimentos tao somente o pulmao.
Meguia representava ter 26 annos de
idado, ,


REVISTA DIARIA

Governo do binpado A Auror#pu-
blicou. os segnintes actos:
S. Exc. Revmna. considerando que para safka-
zer aos intuitos, que tivemos em vista, quando por
acto do 7 de janeiro do corrente anno, dividio
esta diocese em diversos arciprestados, conunha
collocar as sddes dessas circumscripc5es eecle's-
ticas nos lugares em que mais facial aecesso o.te-
revesze aos habitantes dos centros longinqnos a
autoridado ecelesiastica, deixon de fi lar a sd6ile do
arciprestado no Rio Grande do Norte, aguardan-
do o m.is complete conhecimento da cavenieneia
do servigo religioso. Em 9 do mez findo, pordm,
reconiecendo que a freguezia de Carnaubas si-
tuada come es'TA a setenta leguas da capital do
Rio Grande do Norte, consult bemn os interes-
ses do.3 habitantes das freguezias mais centraes;
h-eave por bem declarar que fica defiaitivwmeute
fixada na dita parochia, a s6de do arciprestado,
emquanto nao mandarmos o coatrario e ahi terA-
o respective arcypreste a sua rcsidencia.
Foi nomeado para este cargo o Rvd. Sr. Jolo
Alipio da Cunha. .
De 24 a 30 do meamo mez houve os seguintes
provimentos:
Proviso de vigario da freguezia de Piassabus-
su, remo-ido da de S. Braz, ambas na provincia
das Alag6as, por tempo de urn anno a favor do
padre Jos6 Joaquim da Rocha.
Idem, idem da freguezia de Taquara, na.pro-
vincia da Parahyba, em continuago porr maisrm
anno, a favor do padre Manoel Elodio Ferreir*
Idem, idem da freguezia de Mogeiro de CiAt
na provincia da Parahyba, em continuacao per
mais urn anno a favor do padre Joaas Vestuliaao
Corsino Macedo.
Idem, idem da freguezia de Picuhy, iia pro-
vincia do Rio Grande do Norte, em continuaao
per mais urn anne a favor do padre Jhel Esdras
Lins.
Idem de coadjutor da freguezia de jCanguare-
tama, na provincia do Rio Grande do; Norte, em
continue 9o per mais urn anno, a favor do padre
Bento de Maria Pereira Barros.
Idem de uso de ordens e de confessor, per tem-
po de um anne a favor do padre Mano1 Theoto-
nie Pereira da Costa, da freguezia de Qapipal,
nesta provincia.
Idem, idem, a favor do padre Vieiri Marques,
da freguezia d& Maeidi, na provinia dlas Alag6as.
Ide i ideId a favor do padre Josa6 Gomes
tie MeUlo, = =2z* do Pilar, na provineia do


ro- afw wiB .ije itio tora uitar urn a &mt culocii-
A Aastunato 0 Sr. delegado do itmo de
Bzerros acaba de communioar que, no dia 22 do
,mez proximo findo, Laurentino V. da Silva, as-
aiminou comn um tiro de espingarda a Manoel An-
atnioiondeira.
- Conta o delinquent, que foi preso em flagran-
ia es"tsa a respective auteridade a proeeder nos
tasaos do inquerito.
A tda Illultrada Deste belle journal
das Avhias acaba de wt aii ditribuido on. 1138
do WB doomez paasadw Ir uma w &de
Apwiod ie midwAM60o amn d am
existencia.
Bellezas da gnarnicoa-No sabbado
ultimo, per volta das 7 e 1/2 horas da noute. numa
casa da rua das Lomas Valentinas quasi frontei-
ra a estacAo da guard civic%, uma praca do 14."
batalhif), estando a fazer desordens, deu az a qte
o subdelegado do 1." district de S. Jos6 alli com-
parecesse e quiziosse prendel-a ao que ella se
oppo.z
0 subdelegado, crendo-a praga d. 2-. batalao,
mandou vir outras desse corpo para effoctuar a
prisao; ainda assim a referida praca nao se ren-
deu; e, estando umas e outras em dispute, succe-


fConsta-nos queoSimM seiuio para A capital,
onde foi podir provideacias ao 8r. Dr. chefe de po-
licia.
S Segue no dta 5 de novembro, acompanhado de
S. Exma. senhora, para capital o Sr. Francisco
Xavier Carneiro, collector provincial desta ciIady.
Vai em busea de melhoras para sua saude sensi-
velmente alterada.
a Fazemos votos pelo sem prompt restabeleci-
mento, e cque em breve volte A eata cidae, onde
deixa crescido numero de amigos.
E' aqui esperado no dia 30 do eorrente o Dr.
Bento Ramos, candidate do partido conservador
por este district. )
I ntpotme d trammmisAo ausa
mortis-Iam powwia ciraular d& 14 do outubro
fildo, o Miinmrior iK Fnweakl daowa am ia-
peetorcs das TniaariaokfeazeaFl pwa as de-
vidos effuitos, que c s6 gozam do favor da taxa
minima de 0,1 '/o do art. lo da tabella annexa ao
regulamento de 31 de margo de 1874 os herdeiros
em linha recta, que torem tambem herdeiros ne-
c'ssarios, attenta a ordemin da successor. Nestes
termos, nao sendo o neto herdeiro necessario em
quanto visse o filho e s6 adquerido essa quali-
dada dade o fallecimento deste, e ainda assim
em consequencia de direito de representaboe, in-
corre na 2g hypothese da retferida t tbella, e deste
mode estA sujcito A taxa de 5 O/o, per todos os le-
gados e doa5es causa mortis qne receber de sen
avo.


do destine da agonisante agriculture deste paiz, Da Redemptora dos Captivos e Protectora dos
que caminha a passes agigantados para a banca- Ingenuos, As 7 horas da 7noite, na rna da Unigo
rota, para o abysmo, mais se aceentua o trac6 sa n. 21.
liente da questao servil, da magna questao. Um drama em Alfort-Teve lugar no
,( Estamos, portanto, n'ama d-is quadras de gabinete da Escola de Veterinaria d'Alfort um
grande actividade political. Os candidates de am- drama, e eis aqui come o refere uma acreditada
bos os partidos comegAm a fazer ag suas publica- revista scientific de Paris:
Oes de profiasao de fA pelas colatrmnas dos jornaes ,c Sim, um drama dos mats commovedores does
e nas eonterencias publicas; as influencias visitam mais terriveis, que ainda niao aconteceu na esphora E
os circulos eleitoraes procurando aplainar diffieul da humanidade. ,
dades que surgem diariamente; coma a grande Na Escola de Veterinaria d'Alfort, se queria ]
iuta, e a chamada opiniao public ao long de to- saber se o virus rabico p6de transmittir-se da mai
do paiz, espera doudamente o resultado da eleicao, aos filhos, mas serm lesao, semr mordedura. Fez-
d'onde, sob aspeetos variados ha de sahir dinheiro, se, pois, corn que um cachorro hydrophiobo mor-
palacios, reforms political e a conservagao do Sr. desse a duas cachorras, cujo part estava jA mui 1
Dantaa. proximo, e fecharam-nas em duas jaulas de terro.
a Ainda existem cora95es de ferns em peito de Que succedeu ? Eis aqui o drama, emi dozo t
homena; e para provarmos eate axiomi basta a quadros, A contar desde o instant em que se de-
noticia do facto horroroso que passamos a regis clarou a raiva.
trar, sem entretanto, precisarmis addicionar-lhe Primeira hora-As caehorras intentam lanar-se u
commentario-algum. sobre todos os que se avisiuham a jaula.
Existia ha mezes na fizenda Covas, do termo Segunda hora.-Partem os dentes mordendo as w
de Pesquoira, um pobre escravo de nome Simlo, grades de ferro.
maior de 60 annos, votado a um martyrio perp3- Terceira hora.-Pello ericado, olhos congestio- e
tuo. Atado a um i grossa corrente e coberto de nadles, baba abundance.
pustulas horriveis ach-wva-se a pobrevictima con- Qaarta hora.-Calma complete.
demnada a morrer alli. *- Quinta hera. -Nova cruise. As cachorras mor- e
a Pelo isolamefito da sua fazenda.devia jAilgar o dem no vacuo, produziudo umrpavoroso r'ido corn
Sr. eapito Jos6 Cordeiro Dias dos Sanutos Zumba, a mandibula.
que os maVrios do pret? Simlo, jAmaic ohega- Sexta hora.-Ambas as cachorras parem; ama-
riatm so dominio public. Engano. mentam i soeus pequeninos e os lambem corn ca-
xc A Provieuciaeansadade tantosoifrer0e e- rinho.
ltudo 'obre o eudiniz -fillb, permittio que elle Setina hora.-Jalgami-nas curadas -
podesse fugir d -ind e depoir- do quatro i Oitava hora.---Novo aeessd, mais terrivel que
do Into. com Cl a fomese am wioria por in-t o o 'pre.nte.


fo a seus propries passes
S que tinha ligada a
-i: e de setembro, ido
ado de poliI, que, ea-


Aqoua-. uurttoa.-vsB u uuu a giLauu=,, o GuI
seguida ambas as maes, olvidando0sua dor, correm
tles, lhes do de mamar e os lambem.
Decia hora.-Calma n completai ambam as ca-
chorru lanibem aos filhos e oa am entamt.
:Undei hora.-Nov accema; mais trrivel
;aida-; aasin mordm as grd9 da jaul mo,-
emo .Or,. MY9lft-Oe c ftfrconta urm uiMiWW I


I


deu apparecerem diversas pragas do 14.., e entire Por conseguinte, se o neto herda do av3 pflo
todas travou se reahida luta, da qual resultou va- direito do repr'sent.ao, cst AI clar) qu,. n-Lo po-
rioa ferimentos e coutus6es. denco gozar de tal direito emnquanto vive aquelle
Nao entramos em minucias, e per summa capitol doe q-ioem descendc irnediatamente, c nao send),
refdrini3os o facto)por que de sciencia certa sabe- nesta hypothese, iherdi-ro ab inte-sato, itmtuito inc-
mos qu a onergia e espirito desciplinador do Sr. nos o pd-e ser necessario, e quando o av6 o coi-
general commrwinantc das armas n-,o escapam takes rtemipla cmn testamnonto 6 puro) leatario, c se p it
S c sos o imn)osto d, tra lstint 111is a ii' r) t t') dI i ) ', m' i Uii5--
EI tariamni touiical:o i-No sabbado, 1. cani'mte em virtudt do fivor da lei.
do corronte, cerca de 2 horas d:a tarde, u n grupo Portanto, os notos, bsn too e o.tmo- ('ltcs i,
'r-4- ta, -,-o( l et--,
de cinco individlios, viaclos da Boa-Vista, su entaire- di0seOdent-s durmantoe a vida do fiho, in n'rin na
teve a dar cacetadas nas pessoas quo foran eacon- 2: liypotlhs.I d,) retc-rido art. 1', tct-ui I tnsi SU-
trando no caninlmh qun s:?guialmn, offtiden-lo A di- jitos a tixa do 5 /o da trinxissfh cL t,' n(r!.'
versos. (e -totdas as doaoSes e legtilos quo rec--dj"r-..i..'
Na ru: dn M-,trcilio Dias, parte da fregtiezia dc I eu c v I. ,
San.to Amtonio, a poti'ia- dci-lhies ea-;-i, e conse- 'aj'raEg'Z .s .. Ma ...i --_ ''1 o 2 J 'J,
guio prentil.cr A tc-.z, d, -iime1 Silviino Mtytmn4 da Bar-a do 22 d 1 corrctl. "
I-is Ch g. i, ioriA- 1 raani'Iso de Souza e J,6 do;,. A. 18 it cm-i-nat', to'miI ,A.ltii o pi-, "i,,-t
Sanlto,s evaiu l!--. os o(Itrois. p)ofido', beln col') o(lutros nrio.; do-t 'oI'). i
A pri=4,1 so 6s to-ao-i ii-c;tiva i da5))i)a do ronhida hl:veudo vnto do fei,:)o pu-ir' s-:-ir<- n i ;;ic ,
- l.t ,t, el:n qu7? o6 c p-,,.tist:is pmr)eurarttn Ilevir a nra anmorsr uMi n-) sa:' d.) G (-miii' <) ,-. Atoao
s imi. ,''Ic' 0d Olivoir.i Ci.itrai, capit,') d0' CO-oil -1-')!/d 6 e.wi( Io
AjV 3^t..; co! tas co.:i ,llc o3 raitn a c os triba-mi t-s. bei', ce)!. yj;it ) inr arill!wiiros, eni',iu io p'Aa]:I ,irr,
.,tT~i_ Z].;m za j tuL^r,.ti~in a prutiejLir d,.> do -rn-:dutl, di3s 4 p 1 r,ir s. ;, r :?,L tudL'.
Rio Gr C.I. do X.,rt notici Iter ;lh f ic ci I), 1 Ia Et-u, o .i iia mair cmi a birmO pf,.h'd o
irreutli) lilt--ix
cqtpital,o ,ImlniAiArador do corriio Brr siiV cio Fran- I ,to, inrr ndo afbgid-, o i(fr-.5ix c'ip t^; Ai,.i ; I
(is,') ihciro d C-.minta. coitit ii) 72 anios d,. Cintra c niin ra)riz do noi Lte 1;.O,-m I Fr:mt1-:sco 0
Sidlade. i arct-l:ts, s-Ilvn Io-se t:e n iuiriimi-i-. O i-
0 fili'd era hoin,.,i' do muito prostgi-o, 1)olitiio davcrcs dI)s itfliz;s c-'iitj Ciitrt e Ibtr,:oll-s
n';.i.qtn:.i pr.)vii ia, o chrlef do ,partilo conc'rvi a- 10oradi cnieon .t"-[: no di:i s- i'" o do o oIri
dor. Em- croci dI-. gauri nici ial, emni'n;i- praia on 1-- s( -(--i o sionis.-i, c o ;i-:i i*r 1 p).(to ,iIa
dor "aI Or.li;n1t 1 os e c't\aalltro di Or. lsea de.i G- xi- di5:-lit slP l, :tnba ta i "- :i 7 lt'cIi it -.s,'- i '-
SChrist. c i ;ll carigos de elmei9ao popular c i- til;t., A t.irlb.-
dd no)wsosiit"O ma govfrn.. o 0 Sr. e pitlo Cin tra, q;t h-.;i c o moz
Nosos pesaMo sm famiiia. tili I st, casado, era: un; ralp iz graltamnit (isrima-
Ontiro-N'esta cidade, c victim de uomi febrne do. Era pilot) di, carta, qpe a bteve c:na Lisbl),
perai,-iosai, fAlle--:u ante hontcmn I). Etelvinx. do3 iratno dos Sr'. e'pItAo M c -1 Cmli-rt e J- J)-
Santos Piuto, j-t-ea virtuosa consort', do Sr. Cintra. ,
Francisco I gitaei) Pinto, benm conhicido ag.ate de Ei-iito-Ein 25 do iaez fin-I cscri\-cra-n-,mii'
leiloCs- dstAti vil' a 0seguinte :
Contan-alo apcnas 22 prnmaveras e sondo a ale- ( No dia 1II do vigontc, nom lugar Boa-Vista
gria do ae u lar, a joven mU.i de ftinilia deiKou alh d-sta viliat, Christovto de tal fario gravernente
urn vacuoi:nminons3o, umni afflicXo cratl. corn duas fac_-,las a Lacio Joaquimn, temio como
yrAss 'itini-nos A do)r do Sr. Pinto.t comsqueci-oai, qno ainbios estavam alcoolisados, e
Mvaiil?5ito do piro e 0 Io (1Ilec .-No ent-ndcram que ncsse estado era occasi)ao mmis
proximno nfindo iwz dc outubro fbi c,-te o miovi- propria do inedirein as i.jreas.
mineito do port do Recife : Tyve luagar no dia 18 do corrcnte, As 11 ho--
En.raram do exterior ras do dia, a chigada do Exm. Sr. Dr. Jos6 Ber-
17 vapors lotando 25,953 tOneladlas nardo Galvio Alcoforado Junior (ex-deput.cbdo ge-
27 naviis Id vela 8,741 ral pit)-r este districto.
EL'jztra.'(in do-s portos do imperi)o Foram ao seu oncontro diversos aminigos, cor-
21 vapors lotando 21,960 tonlaladas religionarmos e admiralores.
36 natvios de vtela l 10,618 -. A sua cntrada foi annuneiada do Itmmensas
Dando pri.'it ol das e,it'ada-i gyrandolas de fogos do ar ; e achava-sc postada
38 vtpores lotando 47913 toteladais ei frente da casa do vigario Joaquimn da Cunha
6 natvio.-s dc ve-La 19,359 Cavalcante, a banda de music marcial Athenicise,.
Sahiriit para o exterior que executou diversas peas do sea escolhido re-
13 vapores. I pertorio. Ern smguida dirigiram-se os mesmos
28 navioe dc vel.. para a residencia do professor Joao Braulio Cor.
Sahiram para os ports do imperio reia e Sila'-: ahi tambemn se achava uma outra
23 vapores. banda de music marc al,denominada Nova Unido.
22 navies de vela 0 Sr. Dr. Alcoforado hospedou-se em casa do ul-
Dando para tOta dae sahidas timo, e durante cinco dias, que aqui permaneceu,
86 vapores. foi comprimentad) pela !ite social desta loeali-
50 navies de vela. dade.
N. B. Nas entradas c sahidas para o interior I Deploramos o estado de perfeito abandon
comprehende-se 1 vapor deguerra. em quae se aha ainda a sociedade litteraria Athe-
S atitIstica mortuarla.-No Cemiterio nieu Bonitene. Deormne o somne dos morteos !
Publico de Santo Amaro feram aepultadoa em Tern vindo ultimamente a esta localidade
outubro: dous distinctos dos seus socios honoraries, os Srs.
De 1884 286 cadavcres Drs. Jose Leandro de Godoy e Vasconcellos e Jose
De 1883 246 Bernardo Galvao Alcoforado Junior, e n lo tive-
De 1882 327 Q rain o prazer de visitor a bibliotheca da respecti-
A mndia dianria dos enterramentos cm outubro v associaao, porque ella nao tem casa propria
finlo foi do 8, (1 cadavers. para as suns sessSes, e ultimamente aceha-se en-
Os dias de menor numro de cnterramientos cerrada em um dos quartos da casa do r'espectivo
tofamin: 11, em que houveram trez; 19, 2-), e 23 president ; outr'ora jA esteve em urma eutra casa,
emitue houveram quatro; e 29, e 31, em que hou- a qual tinha side sado de suas sessoes e foi tam-
verama ciaco. be-n trancada em um dos quartos da mesma.
Os bins do m nimo doe eto amoatos"fram: Estamos cnm pleno vertio ; os campos estao
30, em que houveram dezesseis; 21 em que hou- perdendo a belleza attractive de suas folhas e fio-
veram quioze; e 5 em que houveram quatorzc. res, os passarinhos que outr'ora cantavam ale-
Trasferencia de feita--Pedem-nos para grcmente, igora recolhem-se aos seus ninhos para
declarar que foi transfemida para odia 23 do cor- repousarem.
rented a festa de Nossa Senhora Mae dos Hominens, Os agricultores estio colhlendo a ,afra do
que 5e costume celebrar na igreja da Madre de feijio, a qual tern side em grande abundancia ; a
Dnus. do cafe serA um pouco soffrivel; a da canna de as-
MAI viinlha -Informinam-nos qne na rua do sucar nos consta que serA pessima. jiA em product
Socego, da parochial da Boa-Vista, reside umna ca- come em preco nessa praca.
ielia, cujos palavrosos perfumes sio tAo acres que cAte outra vez. ,
encommodam e offendem as families visinhas, pri- Ainda os larapios.- Durante a noite de
vando as de chegarem A janella. sabbado para domingo, os ladroes proecuraram pe-
Fiames que o active subdelegado do 1". district netrar na taberna do Sr. Antonio Soaros, site no
d'aquella parochia providenciarA corns o case re. lugar Bartholomeu, no Arraial.
quer. Forcejavam para botar abaizo as portas, quan-
Ave Liberta --A' esta sociedade foram of- do ac'rdou um filho do Sr. Soares, que dando alar-
ferecidcs os seguintos bilhetes da loteria da pro- ma do que havia, elles se retiraram. Mas como
vincia : logo em seguida o Sr. Soares disparasse um tiro,
Antonio Josa Rodrigues de Souza, 3098; No- elles resaonderam immidiatamente corn outro, que
gueira Lima & C., 1617; A. A. dos Santos Porto, telizmente a ninguem offended.
3915; Manoel Martis- Fiusa, 1385; Joaquim Pires Toda a vigilancia e pouca..
da Silva, 0956. 0 Sr. subdelegado respective compareceu e to-
Garanhus.-Escreve o nosso correspondbnte mou conhecimenta do occorrido.
em 27 de outubro proximo find : Nueleo Dramatico Emancipador
Nenhum success imprevisto modificou n'es- Ribeiro da Silvao--Este soeciednde reunio-
tes ultimos dias a paz em que se acha abysmada se no sabbado e approvou pqra levar A scena em
esta bella cidade de Santo Antonio de Garanhuns. seu primeiro festival o drama-Emilia ou 4 annos
A grande questao que actualmente tern attra- depois, e a comedia Deus os fez, Deus os ajuntou.
hide a attenaee do Brasil irteiro, e aqui tambem Reunloes sociaes. Havern hoje a se-
o assumpto unico de todas as conversas, de tolas gninte :
as discusses, e quanto mais se aproxima o dia 1, Do Club Ceard Livre, as 4 1 ,2 horns da tarda,
de dezombro, em que os dous partidos se teem de na rua da Imperatriz n. 12.
bater n'uma luta tremenda que vai talvez deeidir Amanhi:


Todos agattecos m -ite.- lu||
deporsa soffrem igual q o as .
* virus rabies tiha no pa io te oa 0
veneuamente se effeetuou abgnp* eatftft
do virus da saliva ?
Nio pode assegurar-se, p6im direnm4 qxa ce
exemplos de envenamento p saliva do caabom
hydrophobo amiso demasu ete froqueim.
Recorde-se, nao obstante,- o taVeroeire de
SamA 0Wuen contyahi a terr-vl affecio,po
san eachorro, a quemi quiz salrv, Ihe hnhea I
S e a eara. Sem duvida, est .esgra".ai ndo
tinha nenhumirescoriu0o nrom na ca4 nm n

mm~omA me .*m na ear, e emSA
Milos. 10 -
Em nosso coaceito, dos fact. apsntados se 4.-
vwam rwboroauwios oemios In eamvm atiliM
S- dw--:.a 9"pis1 f rr-. 1
pm do mMamU.&
Em primeiro lugar, sirva de exemplo a e s.
maes desnaturadas, afortanadamente escassas, a
maneira extrcmamente ieloquente corn que 03os ani-
maes ensinam a observer strict e rigoromaeute
as leis da maternidado,. violadas s,, enitri-.tece
dizel-o! pela especie hntnma.
Em segundo lugar fi-a demnonstr.vla a tr aiismis
sibilida(le do virus rabico) da mui ao fillio, s il no-
cessidade do que uma solu(;ito d t cout'ni(Iilc o
ponha em contract direeto co'n o sanogi.: e per
tultimo, as oex eias iue co.ni t:fitat fortliam vai
praticaa euir s,,bre inoeulbA'o ,, virus
rabico, adqil ioWa fr.a e gran Ios pr.)',ili-
dales de cxactilito a repl)eit) la in l uil ,iii I
coin ;i iioteula .lo d).in'uciont.-lo 0 r- : ,r 'il 1,
produzir no lh)nem.
Scmn duviila, estes imriti3s-imr eniai. -
hl> )_ d !tr 1!u vi'al r tf pro.'eito s f di, .' i
rt',ll-'.-vel cy'n, 03 ,],. |I,,; <.r*. ;) );t.) <[1,:- :" ;*
na a hyIr phi,')i ii l 'i t ) f. ,i : I -
hltm;na:it quoe mnrus,; a t u.i, ; t ; :r V ,,- *.
nl -it,,item po, : L. p ri -" it .. .;
master maiis proi xo- i:t;ii : ; t. 1
do Iat urz n ) i w' ;:: > i -
A amei zi a iiaea'i),r s-L"-s-' r ."*
T-'a d, l)or(. :
C!+ nt- i .: ,, F : :, *



ItL
itl+li,t : f 'i 5' i) ,*+ : o1-; t -.: ; .; + :.-
"]' r l|;-:.,1 ^l:+ ;-. :!,
l:( : +: c'' '- ;:'i..1]^ i;'+ ) : r .' .

P,4 c) !i;c. ;a in : G *;:.;. "i ,
V ir 'li~j M !',-'^ ., ,... ....: ,;. '. +,


51,
C .IO i ; .
S 1i,.',!t'.10

ILto>
S .+'1*<-^ --,tf .- ..;/ ; u :.- .. .' -
j ti j
M J'(f' !i .Wir //, "untca Y / ; :*1 : l ':1 t *


i1o "lT nr ) u. 1 1) :l *.;t .,'; .', ., rpi .'



Ai-\tnanh7
;'ii Iito.
't fiL.de ': (;.. ,, ,. : i ,;
Bm Jis n; 5IM d, a'i;:.;& I ; ro t 'l -
Qd(in t A f,ir.. :
'do ri/]f''n P h1 *' i. '- 1 I ] h l;
tli+.tsi^ l'iI~li)'])r* -* --S-. "',+) ,*.' "
ltq:
A 's im r l, 11: i i j i ': .
;lint dui i \)'. j-adi i i '.-.-t- vr- C:t piiat,-r .
-- Ainl~inh. :
A's S lhi-as. n;a ti itizi, d' S.ui., A;;. L' k >;
;'al dI I). .M ;.ia ltr, ;iiia d I :;! .- it:>'/, r : + I
hjla-s, iin caplla dI I -.S.uIt, AnSm r I ti..- "; .+ jij;
ilinat de Jo'iquijn Auigito (a C(i.a'..ii- ': I
horas na igr-jai di tciilih., p)r alaA d n i-. 1 : i
nat Perpetua de Jesus Nc\ves: is 1 2. *-,, 1 .1 ;
Terceira d& S. Fraiise,), por almina dc l. -) *niiwiz
E. de Oliveira Tavires : ;is 7 1 2. no ('iVi;t.,
S. Francisco, por ilina dc I). Maria l,'aI !.T,- i ',I.
Silva Baptistl.
Sexta-f-ira :
A's 8 horas, na capcl'a de Apipu-< --' e i. i ,atri4
da Boa Vista, por almn:t ( 1 D. Ethelvina ,o Sau-
tos Pinto.
Loteria da proviaeia,- C,;i v., a
do corrcnte, no consistorio da igreja d;i L i
dos Militares, cm beneficio damnatriz ,i ( i *-
ra, que se extrahirmi ua terCa-feira, i4 l ,rente.
3a grahde loterla da eorte de......
5 -"-Oi ..-_-O Corn novo piano muito van-
tajoso.
Acham-se a venda a Caja da Fortuna, a run
do Creip. n. 23, es bilhetes dosta loteria.
Grande loterla de Nltiteroy--Esta lo-
teria, cujo premio grande c de 400:000Q5'N)0, serA
brevementc cxtrahida.
Bilhetes a venda na Casa da Fortna;. ;i rua 1
de Marqc n. 23.
Loteria dle 3O:0040OO-A i ,ert l1;_
series B, do Rio de Janeiro, cuj, plait- i i mi:
to melhorado, corre no dia 5 d ix rni\':.;i ;
BilhetesA venda na Casa F1!i ; .-" hI-
dependencia ns. 37 c 3,>.
Loteria-A de n. 1(;2 B, dIi ll.,, .;.1m Jr,
dc 30:000,5000 sert extrahida i-, d;., ,I no
vembro.
Bilhetes a. venda na Casa da Fortuiti, r:. I
de Marco n. 23.
Loteria do Cearai-Co:'r,- :1 it *- .i a v-
vembro iinpreterivcihnonte cuj, p,'nii -:-l:mh i,
de 5:0003.


.-4k,


0 resto dos bilhetos ni Cisa -.1 FLrt.- ,
1I do Mar;o n. 23.
PaatlllaetiruNo-Cit-glraiin dt" p'-rt )- dit n'_,r-
te no vapor national C Camillo de Andrade. A,'3stinh Piti lir). T io-
maz de S. Estrella, S. P. ilos Sant)-- Cu Sepo S-
raphim Pinto da Roclia, Jorg, Nilsm. )Dr. Petro-
nillo de Santa Cruz Oliveira. Dr. Ilort<,,:, I Or. Ma-
noel Felix G., Iln-rique B. Junior. E. titinann.
Antonio D. de Souza, Francisco G. 3M. da Fonse-
ca, Joailo Augusto Athayde, Augusto R1-go, J61o
Alves Moreira, Justino P. de Vasconccllos, Luiz
Lauria, Antonio Dali i,. C. C. Carn:- i) da Cunha.
Jose J. da Costa, S. S. da Silva, Jos' A. L. dos
Santos, Marianne B. da Silva, R. Antonio. Nice
lem Jules e S. H.. vice consul.
Chegido de Ta mandare e Rio Furimoso no
vapor national Giquii:
Conego Antonio Eustaquio.
Hercatlo Municipal de 1. do'. 0
movimento deste estabelecimeuto DOS dias :; dtv
outubro, 1 c 2 de novembro foi oseguinte:
Entrararn para seremvendidos : 155 bois, pesam.
do 20,647 kilos.
Nos mesmos dias entraram para o n mem e
tabelecimcnte :
Peixe, 412 kilos.
Farinha, milhoe c feijAo, 160 cargas.
Fructas diversas, 7) ditas.
Suinos, 34.
Carneiros, 30.
Preios dos dias : '
Uarne verde a 480, 400 e 240) ris o kilo.
Suino a 600 reis o kilo;
Carneiro a 1 U idem. -
barinha d& 500, 400 ate 280 reis a&-06. -
1ilhode 480, 400 a 320 rvis a caia.
Feij0 de 800, e 500 rs. idein.
Poram occupados: -
175 talhos de carnet verde. L H '
59 ditos de suino.
39 ditos de fressuras.
200 compartimentos de legumes.
107 idem de farnnha e eomidas.
Deve ter side arrecadada nestes 3 diss a impor-
;ancia de 6035140.
*atadouro-Foram abatidas no Matadouro
Public da Cabanga para consume no din I do
curtente, 67 rezes.
Ca.,a de Deteneao.-Movimento dos pre-
os no dia 2 de novembro :
Existiam press 384, entraram 6, sahiramn 2
existem 388.
A saber:
Nacionaes 347, mulheres 9, estrangeii s 11
sceravos 18 -Total 3S8.
Arra~oados 343, seudo : boas 324, doentes 11i.
-Total 343.
- Movimento da enfermaria:
Teve baixa:
rJoA Evangelista de Saut'Anna.



IDlICA O! P WD_

mVU


i




























izustilos ide sun pr.issio. .
r. Sebra, mud sen -oescriptorio de
[*Pr a ,-aruaa doImperador n. 30.
Doas *0 lhors da manhl is 3 horas "da
tamde;
Oceali&ta
Dr. &zeto Sampaio, consultas de I is
4l oras da tarde, nanrua 4o A|a4o da
Syictoria n. 45, 2. andar, .ridencia, ,a
S de Riachulo n. 17, canto da a d. .re.

t r Recife: run do Marquez de Olixda n.
^ 16; Santo AntQnio, rua Primeiro de Mar-
90o n. 3 i Ba-Vista, run da Iraperatriz n.
S 54. Grande fabnca do cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, chamtos de Ha-
vauti e nacionaes, cachimbos, tabacos e ob-
j ectos para fumantes. Livros de medici-
Sna aosimetrica e umico deposit da fari-
nha lacea de Nestle, para os meninos de
poito e leite condensado.
arogarna
Francisco Manoel da Silva & C., depo-
eitarios de todas as especialidades phania-
scuticas, tintas, drogas, products chimico
e medicamentos homcuopaticos, rua 'do Mar-
quez de Olinda n 23.
Boteica franeexa
SRoauquayrol Freres successores de A.
2 Cars. Neste estabelecimento encontra-se
todos os medicamentos homeopathicos da
grande e offamada casa do Catelan. 0
granulos dosimetricos de Burggrawe. As
especialidades pharmaceuticas da Euroda
e da America, dos verdadeiros autores,
|drogas, products chimichos, tintas, oleos
pinceis, vernizes. Products especiaes da
i flora brasileira e toda qualidade de funds.
Recebe sempre vaccina fresca e boa. "Rua
da Cruz n. 22, Recife.
SFabrica de Cerveja Pbenix
Industria aperfei9oada de Antonio Au-
gusto de Lemos & C., a rua do Jodo do
1 Rego n. 15 (antiga rua da Florentina).
'N'este estabelecimento, montado a capri-
cho, ha sempre urn complete sortimento de
r| cerveja estrangeira, das mais conhecidas e
|| melh6res marcas (al6m da de seu fabrico)
|3 vinhos, licores e mais bebidas. Ha tam-
berTa para distracglo de seus freguezes e
bons amigos, jogos de bilhar, bola, domi-
S n6s, etc., etc., e reservados para famrnihas.
A Nova York
New York Life Insurance C.-Seguros
do Vida.-39 annos de constant prospe-
ridade. -Unica Companhia nesta provin-
8 cia puramente mutua. Active effective 31
de Dezembro de 1883 mais de 55 millioes
/^ de Dollars.-Escriptorio Filial-Praga do
Corpo Santo n. 17

,COENICADS
COE11UNICIDOS,


NUs e o tribune

A apreciaga'o que no outro dia fizemos do perfil
politico do tribune pernambucano deu lugar A que
elle, tomando a palavra, no Santa Isabel, ap6s o
Sr. Nabuco de Araujo, desenvolvesse, na sua in-
correetissima phrase, cheia de locuques equivocas,
uma catilinaria desbragada contra nos e atW con-
tra a Redaceao do Diario de Pernambuco, cujo
S unico crime foi acolher e dar curse oAquella apre-
6iaaio, alias vasada no molde de que se servio o
Sr. Charles de Mazade para fundir o busto de
Leon Gambetta.
N6s haviamos dito que, mais talvez do que o
S tribune francez, o Sr. Dr. Jose Marianne tinha
calor de temperament; e aquelle facto veio de
S prompto corroborar o nosso acerto, revelando ate
que ponto chega esse calor, cuja temperature s6
p6de ser media polos -pyrometros de que.-ae serve'
a indnstria para avaliar o gro de aquecimento
dos altos fdrnos das fabrics de ferro.
Entretanto, por que foi tanta furia revellada
S n'aquelle animo eleste. ? Em que offendemos n6s
ousado tribune, de f6rma A fazel-o perder a cal-
ma, que jamais deve abandonar o homrnemrn politi-
co?
Tomando o molde do tribuno-ass4,-molde tra-
1 ado per amestradas mios-, e reduzindo-lhe as
propor95es come era de rigor, applicamol-o ao
tri nuo-mirim; usamos de um process muito co-
msinho de- comparag'o, de confront, e estavamos
creates de que atW davamos subida honra ao Sr.
Dr. Jose Marianno, pois que tomAmos para ponto
de referencia Leon Gambetta, umn home que
elevou-ae As cumiadas sociaes da Franga, A des-
peito dos vicios e defeitos que lhe foram aponta-
d0s.
.-(4 & 4uado a critical, just e sensata de Charles de
Masade, cable eomo um radio sobre Leon Gambettla,
| eslte meM se tomon de raiva, nem se abateu de des-
Speito i, e long de desafiar ao Sr. Charles de Ma-
Sza4 'pasa um duello pu de subir a tnbuna de
qualquer theatre para insultal-o, acolheu acritica
como until e salutar conselho, e procurou sobreoele-
var-se, corrigindo os seus vicious e defeitas, de
fdrma a forgar uma melhor opiniuo a respeito dos
seus merits de orador e de politico.
Se nio era isto exactamente o que estavamos
lo ever de esperar do tribune pernambucano,
attento e grio mais elevado do seu calor de tempe-
ramento, tambem jaimais sappozemos que chegasse
4o ponto A que attingio a colera rabra do tib ,
soueMsw o nm calmo quoe se qt-q.e- a
a" ubilla sobre a, wv-Ao Q~o h. J
tribune, exctanmente como e4s, deve finezgs, queo
noemn'powser sit0da.d


O, daa. as aciva, e ..new se ..
iuo 00 lnCtpioa da leigicL, e menoes 41nd
lOro0es dOtars pr eito inpoatos pda concomen-x
dia o hoeem o p suaidlico.
Eutretanto, o fact dnu-s, e neaoram deUo e det-
munhas umitas pesos, quo per aww e
0SAl4adavam e no threasoa, ad qoa todaa aso a-
tranhsuaw-zn'o, por que tinham soienoia de que as
praxes anutigas do tribune conusiadtemn semproe us
deolamaglo e no insulto no se eusontefldores,
quando batido nos oeus eutrincheiraumotos de
oloquenoia retwnbante e eupericial, quando oucir--
ralado entree as suaas inworreegsw biarras e as suas
zoguo5ea eguivocea.
E o que diria o tribune 9e, usando das columnas
do Diario, tantas vezes graciosamente postas A-sua
disposiao pela Redaegao da folha; o que diria o
tribune se, mudadas as condig5es, o seu contender
se servisse da mesa f6rma de proceder, e atta-
casse aquella Redacelo ?
Sem duvida esbravejaria, clamaria ror vingan-
ga, atroaria ceus e terra corn os clangores da nova
eloquencia -.a democratica-, salvo, sempre o di-
reito de no dia seguinte pensau de modo divers.
E nerm foram outr'as as praticas da antiga Pro-
vincia, dirigida polo joven tribune. Quando al-
guem indevidamente responsabilisava ease journal
pelas publicag5es extraordinarias, communicados,
d pedidos, etc., etc., o Gambetta-mirim abespi-
nhava-se, e atirava-se fullo de raiva contra quemn
ouzava tocar na sua Dulcin6a. Hoje, a norma de
proceder e outra; mas o direito de voltar a traz
fica sempre A salvo, tanto mais que 6 esta a face
typica, do perfil politico que estudamos. -
Em ambos os cases as causes occasionaes do
facto sao, per um lado o excess de calor de term-
peramento, per outro lado um certo desamor As
indicates da razaro, da sa consciencia, que em
balde grita aos homes d'aque!le temperament
.A-.: i


(
(
d








(


1
d



ri
q
f



1.
!
0
A


- pari i
No entanto, repetimos, no perfil que A 1 do
corrente desenhamos, nito ha uma palavra de in-
sulto, nilo ha uma phrase menos delicada, nilo ha
um period que imported n'uma injuria !
Comprehende-sb que, vasada a critical no molde
em que Charles de Mazade tbaou o perfil de
Leon Gambetta n'uma revista de larguissima cir-
culalao, se essa critical tivesse sahido dos limites
rigorosos que a moral permitted, o tribuuo francez
nao deixal a-hia correr a terra sem pedir satisfa-
gao ao chronista da Revista dos Dous Mundos.
Se o cavalheiroso espirito francez, corn todas as
suas susceptibilidades, nao se sentio offendido, na
pessoa de Leon Gambeta, pelo que escreveu
Charles de Mazade, 6 evident, )6 indiscutivel que
foi porque nada havia na critical que nao fosse
permittido pela moral e pela political ; foi porque
nenhum insulto, nenhuma calumnia, nenLuma in-
juria foi atirada ao tribune francez, que s6 vio
na critical uma li*ao proveitosa, embora several.
Corn que razieo, corn quo direito, pois, se deu
por offendido o tribune pernambueano pela nossa
critical, completa,absolutamcxnto modolada pela do
Sr. Charles de Mazade ?
Se entendeu e se entende o Gambetta-mirim
lue a critical foi injusta; se entendeu e se entende
que Ihe nio quadram os moldes em que foi vasa-
da ; o caminho A seguir devia e deve ser outro.
Refute a critical, mostre a sua improcedencia,
denunciando os pontes em que ella peccou, ani-
quilando-a corn as armas da logica, reduzindo-a
a p6 corn os arguments da sA razio, apoiados
nos facts da sua vida public.
Foi defta, e deata tao somente que nos eccupa-
mnos ; e nem esta nos nossos habitos penetrar na
vida privada de ninguem, nem mesmo a tituno de
retaliacao. E bemn v6 o tribune pernambucano
que, restringido assim o campo, e delle ate posta
f6ra a sua personalidade moral, Ihe devem sobrar
motives para aceitar a pugna, nao em reunites
pouco selectas, onde nao ha liberdade do palavra,
onde unperam os applausos As locuoes equivocas e
is incorrecres bisarras, mas na imprensa seria, da
equal sio imparciaes juizes os bons caractdres, os
homes slos da sociedade brasileira.
Aeeite o repto nesas eondigoes : esreva sem
acrimonia, sem iusultos A ninguem, n'uma lingua.
gem de cavalheiro; e creia, come ou6s cremos,
que, ainda umna vez, a redaeoo do Diario, esque-
endo deploraveia exacerba1es do seu calor de
temperamento, porA ao seu disp6r, e muito gra-
cioeamente, as columnas da sua felha, onde tantas
yezes os tribunes atribulados tem encontrado


guarida e arraiaes para se defendeem.
Venha, pois, A lia, A imprensa, discutir a nossa
critical; mas tenha sempre ante os olhos esta ma-
xima do conselheiro Bastos: K Quem desembai-
nha a espada do odio dirige-a contra a propria


cabega.


MlAIO.


PUBLICAUOES A PEDIDO



No Diario de Pernambueo de 22 do corrente, li
uma resposta dada pelo eacrivio Ramos 6 urn ar-
tigo que publicou o Sr. Luiz de Me4eiros.
Na part relative a apostasia political, reconheci
perfeitamente uma allusao feita s mira.
Fiquei sorprehoeudidopelopocadimento que teve
o escrivio Rimos conigo, visto como, sobre o fac
to que uitnaete o tern preoccupado, nio tive a
menor part; isto j o deeiari pela impiaaae ow
faso de o aoAp i
Nao sonu pahatoria do mundo pan o endieitar,
e nvetbim interuaa me pPide advii, amando is
miaim umB qaeatlo qoe nao mae p Rteuoe.
iontdo me veio ao ceimree epAo a cto do es-
ppeamnctto, e -o motivo delle, e

49 -impm *am


req
1" 1q3e
!ft.A3p 9


Seerivigo Ramos ia da teira panA nna ssa,
so passar em freoeua caie de Paula Moendes, di
rigio um eopejq, aaoempauhado de gestos gracio
eo6 lam~l1r dteqitese cbva6 jaaoIla.
1 j- ;7. Ju.4 q j. eS8mpr veoido pvr sas
pelte qae etila O=rig4ado no deau spirito nu
nefte anteeadote, o facto, nao i
poade onter;la -ulol tIdod umsa balizs queen
control eunto d A,. sabio aso encoatro do es
crivSo-Ramos, e da frente,. e noe por detra, comr
diz et eaeecrivo deearregou-lhea q*mesma baliW a
cont'nuando coin ella a dai-lhe como se o:fsae
emum ef despraeivel, sem achar um oidadio dus
muitos quoe presenciavam. o facto, qnu o fAs~-soc-
orrer; d o frmasn quie, ,auppondo Paula Mendes
tel-o motto, deixou-o estendido sobre p solo, atA
que passando um italiano, que aqui reside ha pou-
oo tempo, compadeceu-se delle e o levantou, con-
duzindo-o ate 6aSan de Antonio Cavalcante de
Barreo.
Mementos depois, sabendo a soenhora desse es-
crivato, que son marido havia side espanibado, pc-
die ao professor Morass, sen visinho que fosse em
soccorro delle, em quanto ella so preparava para
ir tambem.
0 professor dirigio-se pars o lugar do aconte-
cimento e jA encontrou o escrivao Ramos em casa
do referido Antonio Cavalcante, de onde sahindo
corn elle em braces, encontrou corn o Dr. Martin
Junior que poucos mementos havia chegado do
Recife, pars tratar de um question civel quooqui
promove; e a sim foram conduzindo case ,esonvio
at6 que main adiante egouotraram sna mulher que
vinha acompanhada pelo filho do professor Moraes.
Eis .a grande oiltidio que acompanhou o eacrivAo
Romp 0s4egAwasa
E' verdade ter bavido grande inudigaago popu
lar; mas esta foi manifeatada contra o escaito.
Ramos.
0 povo bradava:--0 Mendes nio deve ser te-
so; o Mendes devia ter morto aquelle infame que
fez a infelicidade de uma familiar le.. E' public,
niao sou eu quem diz, que Francisco de Hollanda,
um dos poucos am gos desse escrivio, em cuja
casa so achava hospedado, apenas se deu o fact,
retirou-se immediatamente sensurando o procedi-
mento de seu amigo Ramos !
Eram 4 horas da tarde, qnando me disse o sub-
delegado que at6 Aquella hora ainda nao tinha en-
contrado um home que se quizesse prestar para
perito e nem tambem para escrivao! Procurou
toda a cidade e nio encontrou !
A impossibilidade de auto de corpo de delicto e
a indignacao popular, foi que deu lugar A que
esse escrivao nio quizesse proceder contra Paula
Mendes !
0 que acima flea dito, nito pode soffrer a maior
contestagiao!
Agora vou tratar dos precedents honrosos desse
escrivao, uma vez que mostra elle detrahir-me corn
o topico de seu artigo em que diz :-E que poeta !
E que character !-Falla esse. miseravel em carac-
ter !... Caracter !... Se 6 capaz apresente um
attestado de sua conduct civil e moral, dado pela
autoridades e pela populagio d&sta cidade I Ca-
racter Este qualificativo nunca chegou e nerm
chegarA pars o escrivak Ramos, cuja moralidade
foi gasta desde o verdor dos annos na pratica da
corruptela.
Hei de provar a miuha conduct, perante aquel-
les oue me aio conhecem, corn attestados das auto-
ridades e da populacao desta cidade, o que jamais
poderA fazer esse eserivao Tenho tanta conscien-
cia do que sou, que sequizer pedir um attestado de
minha conduct aos meus desaffectos, estou con-
ver cide de que me dar.o, e o mesmo nao succede-
rA corn esse escrivito, que sahindo cabisbacho da
easa de urma autoridade que formaimente negou-
Ihe um attestado, recorren ao seu vizinho protes-
sor Moraes e este, em attengio a pequenos favo-
res, per gratidao, deu-lhe um attestado corn gran-
de sacrificio, attestado este tilo manco, que mpara
nada servio Recorreu mals ao pertuguez Luiz de
Medcirno, resident ha pouco tempo nesta cidade
3 este, scm saber o que fazia, prestou-se a escre-
ver o que esse escrivio lhe Iditando I Isto estA
provado pela retractacao que fez o mesmo Medei
ros no Diario de Pernambuco, na'o sei de que
dlata.
Assevero que o maior amigo desse escrivio nio
lhe darA um attestado de conduct JA vO, pois,
esse escrivgo, que n.o p6de abrir sem abysmar-se,
uma discussalo pelos jornaes no terreno que ence-
tou.
Diz se nesta cidade que esse escrivao jA exer-
2eu a profissao de comedianrte, saltimbanco ou
eousa que o valha e que nose mode de vida, pelas
paragens onde estivera, commettera maitas falca-
truas, a ponto de sacrificar seu pobre irmao, que
por isto tivera a infelicidade de ser condemnado
s gales perpetuas .
Diz-se mais que esse escrivao j, foi escrivao
ia eollectoria da cidade do|Brejo, ornde portou-se
pessimamentc. Diz-se mais que foi commissaries
de policia da cidade da Escada, onde teve um pro-
cedimento tao irregular, que para escapar de unea
iurra que se Ihe preparava, foi precise que alguem
se empenhasse para obter a remoqao delle parm
esta cidade !


Aqui dis se eeun provo quo esse esmwivo, eomo
cemaisario o subdelegado do palieia, corn o into-
resse de seduzir as filha de urn individuo proces-
sado per crime de furto de cavallos, procurou re-
lacionar-se corn elle, e pessoalmente o foi aconse-
ihar pars fugir, o que conseguio fazendo corn que
Steal eniminoso quebrasse a fna e cornm que urn
pobre portugues, que era seu-fiador, perdesse a
propriedade que havia hypothecado paa tal fimn !
Diz-se ainda que o criminoso sabendo o fim
para que esse escrivio havia procurado prote-
gel-o, mandou-lhe um recado dizendo-lhe que se
tivesse a audacia de ir A sun casa, lhe metteria
uma bala nos miollos.
Diz-se ainda a eu prove, que ease escrivio, para
ver se arredava a responsabilidade dos actors que
havia praticado nesta cidade, do odio da popula-
$lo que j6 ia apparecendo contra elle, e seo. se tor-
nava credor da benevolencia de seus superiores,
teve o ardil de, comn suns proprias mios, sujar as
janellas de sua casa corn escrementos !
Diz-se ainda e eu prove, que ease escrivio foi
submettido A process por mais de uma vez per
crime de peita, extorglo As parties e excess de
cuastas, sondo que por benevolencia dos juices,
ainda se conservano lugar !
Diz-se ainda o enu prove que j tern side sus-
pense diversas vezes por inltn commettidas !
Diz-se ainda e eu provo, que esse eserivio re-
tendon receber do Dr. JosA Antonio de Pinho tor-
ges umnas custas na importaneia tres vezes mais
do que lhe competia e como viesse ao conhecimen-
to do juiz ease procedimento, elle fingio-se doudo
para salvar-se da responsabilidade que Ihe aguar-
dava, commettendo durante o estado da simulada
loucura tanta momice que tornou-se nests cidade o
alvo da mais pronnaaieads irrisAo !
Diz-ae da e eu provo que sse escrivio teve
a audaeia de offere er diheiro i uma pobre velha
para eeta entregarBihe a neta !
Fasse esedrivo temn m: fieto tW hdiondona sua
vida, qes eu tenho pej. de o prounocmar, o que i-a
rii se forbrado A isd*. E'oom relaglo i um. ob-
joeto quOw liredovis earnBite carn.
NIfiMralsl irl se 9ine,. a We a" a corn


wvuo 'W t terra, qu
4eto Di ar pama a


7i.; ~ refra1vei..
0 rd-we Ao w. no :perante o pu-
queo uas no.4v.o Iugar I
Dr 0a baltas; aguardemos a resposta douse
oira eto botaro a ultima pi de
temwb 4u %fawieoidab-nesoidade !
a"bit o, 26deoatuhro de 1884.
MUana Vicente da Cunh/a.
Mhm~m pm' mbucal'a in 0lTn

Ptiiacia teru ibueaaa


AJlMofioR. Veras


Pharmaoeutco
nu do Cafb u*. II i
S Em outubro findo, aviaram-se 716 re-
ceits dos illustres medicos seguintes:
5r. C. da Cunha, 105; Dr. B. Carnei
Sro, 85; Dr. M. Vaz, 59; Dr. Adriao,48;
Dr. Andrade Lima, 45; Dr. Angelo, 31;
SDr. Joaquim Loureiro, 28; Dr. Teixeira,
S25; Dr. S. Rosa, 24; Dr. Malaquias, 23;
Dr. Mello Gomes, 21; Dr. Joaquim Ca-
mara, 19; Dr. Ferreira, 15; Dr. A. Gas-
par, 14; Dr. Themudo, 13; Dr. E. Cou-
tinho, 12; Dr. Pitanga, 12; Dr. Cysneiro,
10; Dr. C. Leite, 10; Dr. A. Velloso, J0;
Dr. Bernardo, 9; Dr. C. Beltrilo, 8; Dr.
Bandeira, 7; Dr. Main, 7; Dr. Domingos
Junior, 6; Dr: Ferreira Alves, 6; Dr. SA
Pereira, 5; Dr. S. Barbosa, 5; Dr. Jose
Felix, 5; Dr. A. Boltrao. 3; Dr. Bayma,
3; DY. Pontual, 3; Dr. Ferreira Velloso,
3; IWn Souza, 3; Dr. F. Beltrao, 3; Dr.
Bakhazar, 3; Dr. E. Cavalcante, 3; Dr.
C. Leoo, 3; Dr. A. Serafim, 3; Dr. C.
Nascimento, 2; Dr. Costa Gomnes, 2; Dr.
V.stro Jesus, 2; Dr. Baptista de Moraes,
2; r. Bettencourt, 2; Dr. Jos6 Duarte,
(Bai a) 2; Dr. B. Sampaio, 2; Dr. Neren
Guerra, 1; Dr. Mascarenhas, 1; Dr.
Tristmo, 1; Dr. Numa Pompilio (destista),
1; Dr. Pereira do Rego, 1.
Total 716.


Cajurnbeba
Unma ecura sorprenhendente!

Este medicamento estA unieamente aconselhado
pelo seu autor as mAlestias que saio iadicadas nos
prospector e rotulos dos respectivos frascos.-
Rhematismos de qualquer natureza, em todas as
molestias da pelle, nas leuchorr&as (flores brancas)
nas differcntes fd6rmnas da syphilis e cm geral nas
molestias occasionadas pela impureza do sangue,
para as quaes 6 de uma acqto verdadeiramente
maravilhosa; por6m elle se tern mostrado igual-
mente de um effeito por demais salutar em outras,
como scjam as das vias respiratorias, catharras
punlmonares, agudos e chronicos, bronchite, tosses
noeturnas e asthma, pelo que e de esperar que no
vas experiencias authenticadas por outros factos
de curas, venham patentear mais essays applica-
q3es eflicazes de t"o prodigioso medicamento.
Aos senhores medicos cumpre precisar o devido
lugar que na therapeutic deve occupar esse pro-
cioso agent.
0 facto de que trata o seguinte attestado C dig-
no de ser estudado e meditado.
0 propagador,
A. P. da Canha.
im. Sr. Autonio Pereira da Cunha.-Recife.
Casa Forte, 28 de outubro de 1884. 0 cajurub6-
ba acaba de produzir em uma filha minha de onze
annos de idade, uma cura prodigiosa e devo fazer
publicar essa curm para que todos os que soffrem
da mesma molestia, que tinha minha filha, eacon-
trem um remedio efflcaz.
SHa nove annos que minha filha soffria de as
thmana que vulgamente se dA o nome de puxado,
e tina ja esgotado sem resultado, todos os reme-
dies indicados pela medicine.
a Trataram della os Drs. Teixeira, Adriao, Ma-
laquias, o pharmaceutico da pharmacia franceza;
tomou todos os remedies caseiros, que eram aeon
selhados e o torrivel puxado sempre zombava dos
cuidados medicos e dos remedies dos curiosos.
Aehava-me jA sem esperancas de vel-a, pelo
menos melhorada, quando lameatando isto em con-
versa corn o meu visinho e amigo o Sr. Jos6 Arau-
jo de Carvalho, este aconselhou-me o use do caju-
b6ba, do qual tinha tirade excellent resultado na
cura de maniiestacSes syphiliticas.
a Posto que nio confiasse nesse novo remedio,
deliberei e -aIregal o em vista -as curas per elle
produzidas, de que me deu notion o meu referido
amigo. J
a 0 effeito foi mara'ilhoso,/depois do segundo
dia minha filha jA nio tossia e oi progressivamen-
te melhorando, de modo que nao mais lhe appare-
ceram pas convulsbes que costmuava ter, pelo me-
nes tres vezes por mez. [
c Apesar de reputal-a cur da corn um s6 frasco
do eajurubeba, dei-lhe ainda mais dous, e hoje,
pdde-se diuer que estA transfigurada, de cachetica
o pallida que eatava, eata hoje forte, eorada, gor-
da e contentisima, dizendo a todo mundo, que foi
o cajurubeba queo a curou.
c A mlnha satisfacao 6 immensa, sa desejo, que
os que soffrerem da mesa molestia tenham noti-
cia dessa milarosa cura, afir de que gosem dos
mesmos beneficios de que esta gosando minha fi-
lha, e per iseo pe0o a V. S. que se digne dar a
major publicidade a present carta, do que lhe fi
carA agradecido o de V. S., criado, attento vene-
rador e patrcio, Josd Lopes Ferreira de Mstlo
Casumbd. ,
(Negociante e proprietario muito conhecido).


Reeonhego a firm supra. Recife, 3 de novem-
bro de 1884.- Em testemunho de verdade, o ta-
belliio public interino, Maximino da Silva Gus-
mao.



Quem 6 que anda de mansinho e soainho brigan-
do abi pelas ruas da cidade 1 para os lados das
Cinco Poutas?
Estari a saborear a vida?
Ha! maginorio! era precise carimbar-to na bo-
checha corn a lettra K, assim come os gregos as-
signalavam na test asce calmniadores I
At6breve.
Feado

6.' rol

him. Sr. .
Candidate e elicao geral, venho solicitar de V.
seau voto e soio m benefeiuco do minha ele.i-
TIMdo pQai bm d&finida a provina e mno
pals, de migsa adicsdo omoh&apn do s oprt-
do pars reproesoar eats diskstet *m'00 41.
~pmsfado de faeee progeaiMusi4 eiei ei o
Igs aents prommeido mouet& servil, que


-0 S#4 & k Oire de v bro e a sub eqan.
sogSitea y e pMi a co uAbo a solidarie-
dede I -r'kdi eom as reirtrcob eimoaa
tonomia essal, U poss e reservar-me
inteirali erd de ae*& quaestao da emanci.
pagAo do esoravo, e deara que nao acceito o
projecto Dawat em saa integridade.
Nao son dos que julgam urnm mal a apresentagio
do projeeto, ou antes o levantamento da polemical
no parlamento: folgo, antes, de ver a queatao en-
terreirada nos pianos legitimos, f6ra do torvelli-
nho anonymo e irresponsavel em que se tern deba-
tido anteriormente.I
Si for eleito, terei a honra de offorecer emendas,
que consagrem a seguranca e garantias, que de-
vetn acercar o regimen economic do paiz e os di-
reitos adquiridos dos paizanos.
Ja o disse o reteiro corn as proprias pala-
vras da representalo dirigida ao parlamento pelos
agricultores desta e das provincias limitrophes,
reunidas no Recife, no 2. congress agricola do
note.
Deseja.raws .er a suppresjdo do element servil
realizada tdo depressa, quanto for possivel sem of-
fender o direito de propriedade, nem desorganisar
o trabalho. ,
Tenho a honra de ser corn o mais subido apreco
e consideragio.
De V. S., comprovinciano, amigo e criado.
Pedro da Cunha Beltrao.


A. Companhia Lasarol M assa
nIelloe-Marlani
XXI !
Audaces fortune javat.


Prosegue o chuveiro de cartas c de noveo mais
raivosas porque naio tenho cedido As iutimat6e3
e ameacas, que me fazem cada dia ainda maia
graves.* De epilhetos, de infame a miseravel, e
tudo o que esta no meio e Ihes circunda.
Quem falla corn tanta calma come escrevo, serm
usar de um s6 epilhete iujurioso, persoaificando sem
inventar unm so facto analysando os publicos glor.'a
dos, pode excitar tanta raiva corn razao?
Quero eu mal aos lasaroni, se tudo quanto es
crevo 6 para Ihes abrir os olhos e d'aquelles que
sem interesse os acompanhamn por causa de seu
chefe, quo nenhumr bemrn nos tern feito em daus le-
gislaturas e s6 a si e aos seus? quoe ao contrario
tanto mal a n6s tern feito elle?
E nio tenho tanto conseguido? Tantos nio se
tern envergonhado de acompanhar a nefasta com-
panhia, a soeu chefe? Disto mesmo 6 qaa 6 toda
essa raiva.
Tern esta Iola a razao de ser paia os quc tim
seus interesses compromettidos corn o triumph do
patrAto; mas dessas cartas tambem se notam dedi-
cacao desinteressada.
E' para esta gene que fallo, que s to saccepti-
veih de convencimento; quanto aos interessa-
dos nao ha remedio senao soffrerem a minha pro-
paganda e a mirnm todo ataque de agressao.
Aos mnocentes e alguns muitas vezes embalados
per esperanqa de emprego, eu Ihes digo: ou eates
eseriptos tern prejudicado A candidatura do patrao,
ou nao o tern.m.
Neste case porque se incommodamn os lasaroni
inocentes, corn as minhas aprecia6s sobre facttos
nao negados? E se tern feito mind ao candidate,
porque sao verdadeiras, nao injustas.
Bern podera o artificio torcer as cousas e ciive-
nenal-as serm razao, e, assim, sem justice faz--r
mal. Mas isto seria se ea s6 dispuzesse do dorm da
palavra escripta. Se per vosse amo tanto dis-
pie da palavra e da tribune, de todos v6s para
nella o sustentar e applaudir, porque nao desfitz
taces artificios e injusticas? porque nio vemo pela
imprensa corn mainis calm ou coming melhor lhic
pareqa combater-me? Ainda ha peoceos dias na
tribune n'o se occupou e acusou tantas pessoas,
sern a meus escriptos responder uma so palavia?
Logo ou foi per temer de o nao podeir fazer corn
vantage, ou porque estes cscriptos nao lhe fazern
mial.
No primeiro case minhas apprecia93es sio jus-
tis e verdadeiras; no segundo porque tanta raiva
do lasaroni inocente, e toda essa decominpostura ?
Que mal fazem ellasa a mim? s6 faz a v6so e tenho
pens.
Se pois 6 verdade o que escrevo, porque ao cen-
vez de converter-vos, de fugir, come noutros ja tern
feito, abandonando esta companhia cujos chefes
pervertem para seus fins, voyes encheis de tal furor?
E' porque, dizemi me alguns, estes escriptos dao
ganho ao candidate conservador.
Born remedio tendes contra isto: Se sentis qne
o vosso Massaniello nio p6de mais veneer, cjmeo
elie masmojA nio tern muita coragem da negal o,
neste case vinde a mim, meus lasaroni; nao, come
takes, (m berraria e de cacetes; aim debandando a
companhia ; e vinde come povo calmo e reflectido.
Vinde assimrn que corn os votes que temrn-me con-
quistado o meu programma e a verdade que tato
franca eu escrevo, jA nao vencerA o candidate con-
servador.
Mas come, se eu nao tenho votaloe?
Comeo se ea sou um venal e um vendidoi?
Se 6 assim tends razao; mas se nao 6? vamnos
ver e apreciar estas questoes.
Affonso d'Albuquerque Mello.
(Continda).

Ao Sr. Joao Pinto da Costa Sou-
to-laior
Nenhuma importancia eu daria ao artiguete que
este Sr. assignon e fez publicar no Diario de 25
do passado, a nao ser o respeito ao public sensa-
to, a quern dovevo uma explicaalo acerca do espec-
taculo dado nesata cidade em beneficio da viuva
D. Maria Souto-Maior.
Tenido eu, de accord com o Sr. Joo Pinto e
outros, promovide amse espectaculo, obtive a ne-
essaria autorisagio da directoria da Sociedade
Melpomene Olindense, cuje corpo scenic obse-
quiosamente se prestou, corn o sen trabalho, a con -
correr, main uma vez, para um acto de beneficen-
cia. Ja se vO que o beneficio n'ao foi promovido
pela sociedade, come dizem maliciosamente o Sr.
Joiao Pinto e seus amigos.
Tendo o mesmo Sr. se encarregado de passar
bilhetes, recebeu-os de mirm, em numero de 53, di-
zendo ne, nas veaperas do espectadulo, que es
havia passado todos e A pessoas seguras.
Outrose cujos nomes nio vein ao case referir,
tomaram a sl igual ineumbeocia, send que nem
todos prestaram contas da totalidade dos bilhetes
que receberam.
No dia do espectaculo o Sr. Joao Pinto me disse
que, tend page corn o producto de dez bilhetes
nuna conta proveniente de objects que, para o
mesmo espectaculo, comprara ao Sm. Palmeira, fre-
tes de cadeiras, flcara reduaido a 43 o numero de
bilhetes sob san responsabilidade: A isso nenhu-
ma objeccao oppuz.
Effectuado o espectaculo, foram satisfeitas per
mim as despezas delle corn todo o product dos
bilhetes, que eu e alguns amigos haviamos pas-
sado.


0 product liquid, que devia reverter em fa-
vor da beneficiada, consistia nos bilhetes que o
Sr. Joao Pinto e outros haviamn recebido.
Eu aguardava a preatnao de contae destes bi-
lMetes; porkmSendo deeorrido mais de um mez,
sm queonSr. Pinto siquer me fallasse a respeito,
tive oeoaaus> de, par mais de uima vez, referir A
amigos a coatingecia, em que me achava corn e-
la ao a ess beneficio. Da carta abaixo trans-
cripta vero o pablieo o que se deun entire mim e o
r. Pinto, poroccsi o da interpeul o que Ihe
fix emx- m enoa e a conselho do fr. Pedro By-
o ual, pr. sou earacter qecoahecido, 6 in-
I.^a-4. teds. as eorageua: o
Sr. Jo a o A do ntmero dossee. Depois do se
tr feito esquacido do compromisso quecontrahi,
e.doe Wr ouiessado, em prowaea do Sr. Pedro
4pstd, &Ww-ae oniApdo poe 43 bihotla, do
B# Mpoe ,'wete i4 copto!, *em cma-
to Vor -cxecads o edai-


(
*
I


HMIWI i VMO
Per centre os soluqos angustiosos noss'alma tran-
sida de pungeute saudade, a justice de uama sin-
cera estima, ergue-se para proclamar corn profau-
da coavic"ao, os respeitaveis dotes que constit em
a major epop6a de uma illustre senhora que ji des-
prendeu-se desta ficticia mansio.
Sim, hoje a religion e a familiar commemoram o
setimo dia do infausto passamento da Exma. Srm.
D. Carolina Esteves Carpinteiro o prototype do
thesouro congal, sinthese do carinho maternal, o
conjuncto finalmente daa nobresas intimas.
A catastrophe que arrebatou tio extremecida
creature desta vida, aos quarenta e quatro annos,
nao repercute s6oamente em nosso espirito de admira-
dor sincere de suas qualidades, vai mais intima e
desapiedadamente, esmagar de encontro ao deas-
lento, o coraco de um esposo respeitavel e atten-
cioso, o Illm. Sr. Manoel Carpinteiro de Souza,
honrado negociante de nossa praca.
As lagriias ardentissimas deste, serlo secun-
dada, polo prantear de dez filhos na maaia amargu-
rada orphandade, send tambem augmentado o
sombrio de semelhante quadro de dor, corn o aca-
brunhamntuto de um illustre irmmlo da tallecida, o
qual procurarA o conforto para tao lancinante pun-
gir na resignadora religiao christi, de que e em
ftespanha, ministry.
Terminando cingind3 emin nossos braves os des-
venturados que justamentc pranteiamn aquella be-
nemerita espsa, digna mii e excellent irma.
Nossas condolencias sio puras e tAo verdadeiras,
come sinceras slo as lagrimas daquellas filhinhas
ineuoros da fallecida, quo ausentes hio experi-
inentar perpetuamente a saudade do bern que per-
deram para sempre.
Recife, 4 dc novembro dc LN8.


tos eleitores do 1O district
IIonrosameiite escolhido pelo partilo liberal
para pleitear comio seu candidate a cleiqio do II'
district e apoiado pelos diversos matizes da opi-
nao abolicionicta, tenho a honra de respeitosa-
nente convidar 0o3 cleitores deste diastricto par-
diversas reuni5us eiw quo cu tcirho qe expi"r as
minhas id6as e defender a minha candidatura
peraute o povo desta capital, de qucm os eleitores
sao immediatos represcntantes.
Acham-se por era combinadas as seguintea reu-
niSes, mas durante a campanha eleitoral eu terei
a honra de fallar iem todais as sec,.cs eleitoraes
do lo district c de fazcr mais duas conference
uma consagrad- aos iutcresses do trabalho e outra
aos do commercio:
Novembro 1. A' 1 hera da tarde, no Theatre
Santa Isabel. S-gurnda conferencia. These: A
precedencia que cabe a cmnancipaeo entire todas
as reformas nacionacs.
Novembro 1N. Mcsmo local c hora. These: A
minlia carreira pullica desde que fui eleito depu-
tado por Pernambuco em 1878.
Novembro 31. Mesmo local e li ,ra. Those: A
importanciao e o alcance da batalha do dia se-
guinte. A voz do Recife.
Novembro 2. Reuniote dos eleitores de Santo
Antonio convocados pelo directorio da freguezia.
Novembro 2, A' tarde. Apresentacaa sos elei-
tores da secglo de Afogados.
Novembro 5. Rcunilo popular dos eledtores de
S. Jos6 no largo da igreja de S. Jose de Riba-mar
as 5 horas da tarde.
Novembro 9. Reuniote popular dos eleitores de
Afogados A"t mesma heora, no largo da matriz de
Afoga'los.
Recife, 28 do outubro de 1881.
Joaquizm Aurelio NabV de Aratjc.

Ao digno eleltorado do 0So dl*-
tricto
Aspirando a honra de ser reeleito depu-
tado A. Assemblda Geral Legislativa por
este district, venho solicitar o voto e va-
lioso concurso de V. S., na eleiqlo que to-
rA lagar A 10 de dezembro proximo.
Posso assegurar a V. S. que no cum-
primento, quo procure dar ao mandate,
corn que jA fui destinguido, empenhei a
mais vera dedieagao, tendo sempre em
vista, na media de meus fracos recunro,
bemrn servir a causa public e velar pd.
mais importantes interesses do district %
que represented.
Apresentando-me novamento candidate,
nao posso promett;r muito mais ; entretan-
to, devo justificar o vote que convencida-
mente, proferi na Camara sobre a questlo
do element servil, elevada pela injustifi-
cavel temeridade do governor, a altura de
uma bandeira para a campanha eleitoraL
Sou partidario da memoravel lei de 28
de setembro de 1871 corn as juntas am -
pliaoes, que, nio destoando de oeusn princi-
pios p6de a mesma comportar, e lament quo
so tented precipitar a solucgo do problems
do elemento servil, coin verdadeiro prejuiso
social, expondo-se o paiz acs asares da nar-
chia e aos males da desorganisagco do traba-
Iho, sem curar-se, da creagio de leis protecto-
ras deste, e repressivas da vagabundage ,
bern assimn, de modidas do polieia corro-
cional e de muitas outras providencias ina-
diaveis.
Nao podia, pois, e nem posso apoiar .
project offerecido, e, muito menos, aac-
cionar a propaganda perigosa fomentada
polo governor corn flagrante e desleal vio-
laglo dos principios garantidos par aqud-
la lei.
Si per ventura mercer o apoio de V.
S. e seu efficaz concurso, saeguro-&e a
mais perfeita gratidbo.
Sou corn particular estima e distinct
consideragao .


Ienr#gw


De V. 8.9
Att. am cr.0,
Marfm deu Csmkm.J


Ins d -e I Mav a UNN

r o oleuAmnto osm oem um op
ao ei-oWeRfPt On


Eo~r.Jao~mtporqaeo,.,,d.?..

Ilam. Sr. J466 Marques Comeia. Em r
da; lhe o segi*nte:
Que V. S. pwr mai do uma vue eai n omm
particular, redio-me quo adtw privad de pr.
tar contas deo beneficio quOe V. 8. promve em fi- &
vor da viuva Souto-Maor por esiaroa psat &
bilhetes em mo do 8r. Jo&o Pinto da Cota &SON
Maior e outros, A vista do que aeomdhM aV. 8.
a fallar ao mCemo Sr. Pinto a tal 80ps84.0qo
V. S. fez na smenma noite e ma ,,ia premma;
ao que o Sr. Pinto responded quo tiulm roa
de V. S. quarenta e tautos bilhetos pur ambn e
que ainda lhe faltava reeeber a impwrtaod& de di-
versos bilhetes, e a meu coouelho rewloverm am-
bos ir juntos para proceder a azreeadagao da ia-
portancia dos bilhetsa, logo depois do espeetwaec
que se estava eusaiando, o qne me costa st.a
realisou. Quanto ao que sei corn referemacia ao
beneficio 6 que a viuva Souto-Maaor nada tsm re-
cebido do beneficio. Julgo assim ter respoadid
sua carta conform a verdade em dita quoesto.
P6de V. S. fazer use desta minha resposta som
Ihe convier. Olinda, 23 de outubro de 1881.-
Pedro Rygaard.


BjMca




























scrlpterl4 flia e '00ris,

Eserlptrl4o Rilsa, emi am~burgo1
Netteberg n. 22
Escriptorio filial, e'M lIADRID
SCar e -a .23
e em todas as prinelpaes
eapltaes'da Europa e da Amne-
rica "septentrionai e Meridional


PLANO 'UKIMHISETU
Durante o semestre decorrido de 1 de janeiro at6
30 de junho proximo passado, pagou esta, compa-
nhia por 388 sinistros (mortes) a inaportancia to-
tal de 1,827,217 dollars ouro dos Estados-Unidos,
on om moeda brasileira cerea de 4,600:000,, sen-
do:-
Em janeiro por 60 sinistros S 268,925
Sfevereiro por 50 a 4 209,615
Smarco por 75 A 252,186
Sabril por 84 396,261
maio por 61 X 409,595
junho por 58 % 290,635


Sinistros na ii
S Tocarao A Inglaterra
A a Escossia.
A a Irlanda
ao Canada
A aslundias Oceid.
A Franga
,A a Allemanha
A ; Hespanha
A a Suissa
Sao Chile
> ao Mexico
2 aos Estados-Uuid.


Total


^ ~ Durante o mesmo period
em 1883:
S Em janeiro por 56 siuistros
if o tevereiro a 55 a
. marco 75 ,
a:-. abril 54
Smaio 65 A
' junho 64
I7 Total por 369 )


I1









3'
31


portancia
6 de 9 19,125
5 ,, 10,000
2 5 22,500
8 3 ),000
10 5 87,000
2 12,000
2 5 5,680
6 $ 30,000
1 6 7,000
3 s3 17,000
6 28,000
37 5 1,558,912
88 1,827,217
pagou a companhia
S- 199,900
I 22 ,112
255,654
232,205
S 5 365,358
S- 5 227,370
S- ; 1,500,599


t* 0 srateio da mortalidade sobre os seguros vigen-
^,j tes era em 1883 de 1 10/100.
l y' ~ 0 total pago pela companhia nios ultimos 25
i= annos, por sinistrbs, dividends, annuidades e
1 Iliquida5cs de apolices, era em 31 de dezembro
t proximo passado 5 83 877,699 51/ ou a"/"'........
:) 200.000:0004000.
^ 1O0 total dos haveres da companhia em 1 de ja-
L nceiro de 1884 era 5 53,030.582.00 ; o total de suias
responsabilidades conforme a taxa de 4 1/2 0/0
... (padrao do Estado de Nova-York) A 40.020825.00;
.. deixando o enormenic surplus, fando de reserve, a di
-' vidir-se entire os mutuarios (possuidores de apoli-
'ces de 12.109.757.00 ou cerca de 30.000.000000.
S0 ratio dos haveres da companhia por cada
S ^ : 100 de sun responsabilidado e de 5 129.
L ~ (Extralhido dos Relatorios Officiaes).
As lists detalhadas e relatorios officiaes podein
~-. 'ser vistas no escriptoFio do Srs. Henry Forster &
,- ;C., na rua do Commereio n. 8, correspondents d,
companhia, onde tambem pode ser encontrado o
i' Sr. Theodoro Simon, o agent geral neste Impe-
SK rio ; todos os dias, das 10 horas da manhat ate as
'^ 3 horas da tarde, durante a sun estada nesta ci-
daec.fe 24 de outubro de 1884.
Reife 24 deonatubro do 18841.


Illm. Sr.-Aprescntando-mc candidate pelo 1
district desta capital, nas proximas eleioes p.ira
deputados geraes, dir.io-me a V. S. para solicita
o sen apoio eta favor da minha candidatura.
NIo preciso fazer profissao de f6 political; V. S.,
como liberal e tendo lutado nas mesmas fileiras
em que eu ha mais de vinte annos milito, devc
conhecer o pessoal do partido liberal e os services
de seus correligi-narios, para fazer-Ihes devida
justiqa.
Carec.o, por6m, em face da melindrosissima si~
taeaqo que atravessa o paiz, dizer corn today a
franqueza, a cada um dos Srs. elci stores, o meu
mode de ver acerca das quest5es mais momento-
sas a que, por certo, serA chamada a resolver a fu-
tura Camara dos Deputados.
Em primeiro lugar figure a magna qucstAo do
elemento servil, cujo problema entendo deve ser
resoivido de maneira a nao trazer o aniquilamen-
to das forgas vivas do paiz, a bragos corn embara-
.os de tal ordem, que aos espiritos menos perspi-
cazes nao escapam, por certo, as consequences
desastrosas de que estamos ameaOados.
Pbrtilhando a opiniAo dos que desejam a ex-
tinccao do canero qne corroe as entranhas deste
paiz, opiniao da maiora da nacao, tenho eoneorni-


COIMMERCIO


Prarpa do Recife, 3 de movem-
bro de 18(4
As tres hdras da tarde
Cota~qes official
Algodao de MaeAo la sorte, 8U000 por 15 kilos.
em 30 de outubro.
)ito de dito median, 7Z000 por 15 kilos, em 30
de outubro.
Dito de dito 2a sorte, 6A000 por 15 kilos, em 30
,de outubro.
Algodao do Mossor6 la sorte, 8A000 por 15 kilos,
em 31 de outubro.
Dito de dito median, 7A000 por 15 kilos, em 31
do outubro.
Dito de dito 2a sorte, 6;000 por 15 kilos, em 31
: de outubro.
Cambio sobre Paris, 90 d/v. 482 rs, o francs, par.
i ficular, em 31 de outubro.
A. M. de Amorim Junior,
? Pelo pi resident,
M. J. da Motta,
g, Pelo seeret'io.

I RENDMENTOS PUBLICOS
M Mez de novembro do 1884
|LrA=ZGA=De 3 34:292 296


RSICuBBBIOIA=]De 3
JorfuLADo paovmoNT.-De 3

SaCIF DaAmK-DI- 3


1:692A000

S 6:475670

679MAW


ALTERAQAO DAPAUTA
Par a semana de 3 4 8 de no vembro de 1884
Algodlo em rama, 466i rs. o kile. d
- Alfandega d Penambuco, 31 de outubro de
1884.
Os eonferentes,
S. de A. Brederode.
Sal4ador A., A.. #reits.

I)ESPACOSDtR D: C lK! AO
*Vapor uacioUg '(Jear e~tmd Pdori.
tos d Uorte no ia I -do


R*Woia v siardia lvO '
_1ta 4*;um*


1a o sei irteaNc s areaoW S at- stao.a.s(qie a q
achausze redisidas eatmeusos as acres, que forga
6 confesmar, SIai teem sido endidaseem sa I s
justas aspira5es, sendo cBse alandono a catusa
efficiente do abxtimeito em qu lpermasiece ent-re'
Dn6s uma classes que nos paizs cultos coneorro
poderosaomente parsa o engrandeeimento national.
9Nio darei o meu apoio a nenhum governor dela-
pidador dos cofres publicos, certo, eomo, eatou, de
que a restauragio das fiiaa'as do paiz :-eti doe.
pendento da mai's severa economic djs -dinhoirds
Spublicos.
SEspero tamboem no serlanicado ao rol daquelles
que s"o-acoimad~s de e quecer as necessidades
dda sua provineia, deixando -a jazer em eondem-
navel abandon.
So estas, Sr. eleitor, as ideas 'quo pretendo por
Aempratica, se merecer o vosso valioso apoio, qIre
muito me fortalecera nesse desideratum, tanrto mais
quanto, de nenhum modo vineulado ao carro do
poder, -posso dar-vos como penhor o meu passado
politico.
6 de outabro de 188-.-De V. S. correligionario
e criado obrigadissimo-Paulo Josd de Oliveira.

Ao partido liberal
Apresentamos, tend ouvido os nossos amigos,
a combinaeao de nomes para a eloi9io geral do
10o de lezembro do corrente anno.
Esta cambi :a9,Io nito entende corn a qest-o
de elemeato servil e attended somente As conve-
niencias 'do partido.
Espefamos que ella mooereer a adhesio de todos
os nossos correligiouarios e amigos, e quo estes
unidos trabalharao corn csforgo para o seu triumn-
pho, por amcr ao partido, aos principios libcracs
e ao futuro da pravincia.
10 district. Dr. Joaquim Aurnlio Nabuco dc


Araujo.
2o dito. D
3o dito. I
tos.
4o dito. I
5o dito. I
60 dito. I
7o dito. I
89 dito. I
96 dito. I
10o dito.
llo dito.
12o dito.
13, dito.
cante.
Recife,


)r.
)r.


Jose Marianno Carneiro da Cunha.
Arminio Coriolano Tavares dos San-


)r. Joaquim Tavares -de Mello Barre.to
)r. Antonio Epaminondas do Mello.
)r. Pcdro da Cunha Beltrao.
3r. Segismundo Antonio Gongalves.
)r. Antonio Atves de Souza Carvalbho.
)r. Jos6 Eustaquio Ferreira Jacobina.
Dr. Ulysses Machado Pereira Viannia.
Dr. Joao Augusto do R.ego Barros.
Dr. Ccetano Xavier Pereira do Brito.
Dr. Antonio Manoel do Siqucira Cava)


7


de outubro de 1884.
Antonio Epaminondas de Mello.
Luiz Felippe de Souza Leao.


ITintnra i ana e ra1tiagiraDR

008CI~11O8
Alin de ti.gir instantanemnc ente c ser de umn
uso muito simple c fail, a tintura indiana 6 imo-
fensivel e dt aos cabellos e barba ina bonita co6r
preta e natural: vende-se na botica franeeza de
Rouquayrol freres successores dc A. eaor-, rua da
Cruz n. 22, Reccife.


C01100i0 tt ria Dranfl0

Rua do Hospieio n ii. 5
Reecbe meninas internas, rneias-pensionistas e
externas, por preco muito modico, a educaciIo serA
comprlta. Ensina-se divcrsns sciencias e lingiais,
,iano, desenho, trabalhlios dci. aglha : para infor-
rnmaoes os itteressados podem dirigir-se ios Di's.
Joao Barbalho, Pinto Junior c Prceira do Carmo.

Aos dignos eleltores do 3.- dis-
tricto
Sem quo falto Ais conveniencias p)artida-
rias, especialmento em numa qua Ira emi que,
pela indolo do system ecleitoral adoptado,
o corpo eleitoral ou antes cada eleitor deve
assumir urna iimportancia saliente diante
dos centros de deliber.n.co politica,-enfra-
queeidos entire n6s, alem do tudo, por falta
de homogoencilade de principios, e de sin-
ceridade do vistas patrioticas, venho an-
nunciar ao distinct corpo eleitoral do 3."
district d'esta provincial que aspironaelei-
cro proxima do 1.- de dezembro a honra
do represental o na camera quatriennal.
NiIo sou urn home novo nern desco-
nhecido na political: portanto, limito-me a
declarar que o meu passado servirA de nor-
ma ao meu futuro.
A consciencia do quo tenho sido atM hoje;
e a coafianga inabalavel na indepenslencia
e no patriotism do 'corpo eleitoral do 3.-
Matheus. Pipas vasias 100 a Pereira Pinto
& C, 55 a Luiz Jose da Silva Guimnaracs,
18 a Antonio Maria da Silva.
Tapioca 25. paneiros a Domingos Alves
Matheus.

Vapor inglez Crysolite entrado de Liverpool e
Lisbea no dliaI 1 de novembro, o consignado a Jo
Imston Pater & C., manifesto :
ICarga de Liverpool
Arroz 100 saccos a ordem, 100 a Rosa & Quei-
roz, 30 a Jose de Macedo. Amostras 9 volumes a
diversos. Arcos do ferro 243 feixes a W. Halli-
day & C., 88 a Reis & Santos. Apparelho ele-
trico 1 caixa a order. Armas 1 caixa a Otto Be-
hres Successor, 5 a J. de Azevedo & C.. 9 a Pa-
rente Vianna & C. Ago 3 feixes aos mesmos, 42
a Reis & Santos, 15 a Antonio Rodrigues de Sou-
za & C.
Barras de ferro 10 a Antonio Rodrigues de Sou-
za & C., 213 e 1l37feixes a Parente Vianna & C.,
1,046 e 268 a Ferreira GuimarIes & C., 6 e 61 ia
ordem, 154 e 21 a Reis & Santos. Barrilha 30
tambores a ordem. Biscoutos 8 eaixas a A. A. de
Souza Aguiar, 8 a Jose de Macedo, 4 a ordem .
SCouros lcaixa a H. Nuesch & C. Cobre 11-
feixes a Cardoso & Irmao. Calgado 2 aixas a T.
de Carvalho & 0., 2 a F. Ramoa dip Ssilv, I a F.
Lauria & C., 5 a Albino Cruz & C., 2 a H. Nuesch
& C. Chapeo 2 eains a Affoaeo Oiveira C.,
1 a Augusto Fenandes & C., 2 a Cwvalho.& lr-
mle, 1 a Adolpho & Fernio. Cog 8ac 88 iiaA
ordem. Cidra 30 caixas a F- G. do Araujo 15 a
ordem. Cerja 10 aixas a H. Nu h&sc &C., 30
9 Carvalho & F, 35 a6ie= a ordem. Cor rete
46 fox"t8bmniEasa aW.Ushlidayw,! C I2.a C.a.


hoernus de pr-pvote~s iiiputian*~ arw
tado o seau deprf0stigio at6 o ponfto avil-
tanto do conastitauir-se o prolongamento das
provincias menos importantes do imperio,
conform as i'flaeucias predominantes nas
organisaoes miniseriaes, e os presidents
que so lhei tern dado.
SPoliticos que- afagaB e apoiam todos os
ministerioas qtin tribade dItiitravois vanta-
g~sns p ~ssoaes t^i wsl~t o jr ease viipro-
0 o d0irito de piLmogNitra- do houra e
dignidade d'sta prbovneia.
Prejudicada enmI seas mais vitacsinteres-
ses, ultrajada em sens f6rA e escarneeida
em seas brios, ella tern neessidade inde-
clinavel de levantar-se gigante, altiva, for-
midavel diante da turba multa. quo na
present quadra elcitoral pretende corve-
jar em suas entranhas, e do enxotala das
urnas, se nao como fez o Christo aos que
mcrcadejavAo no tempo, ao menos corn a
attitude serena e austera do juiz qun nbc,
transige corn o seu dever.
E'a occasion -de se separar os homens
sinceros, desintercssados o dedicados A cau-
sa public dos que vivem do expedientes
interesseiros, atropellando o pisando todos
os sentiments -e principias elevados, e
mentindo e atrai9oando a consciencia publi-
ca revoltada que os condemna.
Si a situaco political e mA, nno o 0 mCe-
aos a financeira.
Si o impcsto do cousumo era um direi
to das provincias ou foi urma conquista em
favor das franquezas provinciaes, o retra-
himonto d'elle, importando uma medicda deo
centralisactAo, fbi na ordem political um
desastre, e debaixo de qualqueroutro pon-
to do vista unria calamidade public. A
cessaAIo da venda, resultant d'esse retra-
himcnto, c a dissipagAo filha do u potisnmo
politico, desfalcando extraordinanaminute a
reeita oramcntairia, estancaramin todas as
fontes vivas de progrosso material e mornI
d'esta provincia, deixando-a a bragos corn
u3na divida que todos os dias cresce, e ni
impossibilidade de prover a segurauga pu-
blica e ao servi9o ordinariodas repartico:s.
0 soldado e o funccionario provincial,
j; de si, por via do regra, mal retribuidos,
a'hm se na contingencies ou do abando-
nnr os seus lugarcs.ou de oraorrer A fome.
Emfim, urma perturba iio e um doscqui-
librio em todas as relafies dia vida econe
mica-social enfermam os espiritos e ostAoA
reclamando dozelo politico tnedidas promp.
tis e born combinadas. que a cautellem o
future medoniho que se nos antolha.
Corn relao.o a quest.lo queprsentrcmen-u-
te traz a,'itado o espirito publicoa do ele-
inento servil, devo dizer quo amando a
liberdade no sentido mais amplo da p.la-
vra, e tendo n'csta conformida.le passado
e-arta de liberdade cm 1860, a titulo gra
ttlito, aos escravos qua entaio nae couberam
etn partilha dos bens de meus finados pacs,
ser-ine-A um dia de cextremo coit-tentamento
aquelle em que se annunciar a todos os
ventos da publicidado a exfinccao da es-
cravidao entree n6s. Isto, porem, nao quer
dizer que pretira interesses que, si nao siUo
sagrados, nao dbeixo todavia cte ser res-.
peitaveis diante da sociedade emn que vivn-.
mios, e dos embaracos que assob((rbao a
Sfortuna public e p rticular.
A lci de 28 de setcmbro do 1871. confir-
mando a aspira9ao national preexistento
da extincao da escravidao foi o marco mi-
liario de urna epocha de regenera.ao mo-
ral no Paiz; e, porquo na evolucAo das
cousas humanas as ideias gonerosas, por
urna lei providencial, tendem a engrande
cer-se e a substituir-se As velhas ideias, 6
c:laro que, depois de um period do 13
annds, quo tanto decorreu Aa data d'aquel-
a lei ate hoje, a sociedade nao p6de fiear
estacionaria em mnateria do tanta magni-
tude.
Fouhas de Fiandres 45 cunhetes a F--ancis-oTei
xeira Barbosa, 30 a Manoel B. de Olivirna Lima'
50 a W. Halhday & C. Flor s artificiaes 1 caixa
a Affmso Oliveira & C. Folle 1 a Sa;inocl P.


Johnston & C. Forinas para assucar 20 gigas ,i
Samuel P. Johnston t C., 50 a Julio & Irmaiio.
Louga 4 gigos a B. Joss Correia, 10 a So)uza
B istos, Amorim & C., 10 A orLdem, 2 1 Recifir
Drainage Company. Linha 2 caixas a M. J. Ri-
beire, 3 a H. Nueschl & C, 3 a Goae de Mattos
Irmaos, 45 a Oliveira Bastos & U., 49 a F. L:au-
ria & C,. 1 a Ennes Fonceca & C.
Manteiga 18 caixas -A ord,'m, 9 a I)Domingos
Ferreira aa Silva & C., 12 a Rosa & Quciroz.
Machinisnio 1 caixa ordem, 2 a IRecife Draina-
ge Company. Materials para estrada de ferro 17
volumes e peas a Conde d'Eu Railway Company,
8,134 a Estern Brasil Railway Company. Mer-
cadorias diversas 5 volumes a F. Lauria & C., 32
a H. Petersen & C., 2 a Sabino Lima Pinho & C.,
4 a A. D. Carneiro Vianna, 1 a Augusto Fernan-
des & C., 1 a Antonio Jos6 Main & C., 1 a Oil-.
veira Bastos & C., 1 a Sulzer A Koeklin, 4 a J.
A. dos Santos & C., 2 a Salazar -& C., 4 a H.
Nuesch & c., 2 a Nunes Foneeca & C., 2 a M. J.
Ribeiro & C., 1 aGuimardos Cardoso & C., 5 A or-
dem, 1 a Leito Bast6s'& C., 1 a Brag & SA, 5 a
Parente Vianna & 0., 1 a H. Burle & C. Maehi-
nas de costura 12 caixas a H. Stolzembach & C.,
10 a Francisco Lauria & C., 5 a H. Petersen

Objeetos- para chap4oa de sol <1 eaixa a Leite
hstos &4 .. Ditos para gaz 14 Nolumes A em-
prest do6ga.
Provides 19 caixas 4 Carvalbo &IC., 3 aos con-
ataris. Pape2 caixaa a A. D. Carneiro
Vianaa I a H. Peteraon &,a., 4 a Aien!Wvi'an-
na& C., 46 fard sa Francso MOl da Silva
&C0. & otdej ADomm eA Matfeus,
N4-Ps de ferro
6 fehB a VmvafI nato MReiro 1sstos.c
P'raiN a 10 caxas A P. J 66 dos' P 0aos GaIMa--
t~s. Pimftt4 3_'$W i a ordem. r=goa 3 bar-
iieua A$miioRo~go de So C., 6 a

t 1 m oA oa--.4d.'a-


1 -WS a diHte dr aque tero, a-
4r qute a i (ri. Ao- do propriotario
sojaur-UBerdte i E nqo, em pu 6 aso., o
0reestaido douam ohicauxa,.-e eem! outroa. o
d ium favor, imprporios da magestade dos
tribunaes que a deoretlo; providenciar emn
ordem a que a emigraglo so faca em larga
escala para o Paiz, o nao seja object de
reprovada especulaiao mercantil; aprovei-
tar- os bravos livres, matando o parasitismo
bureaucratic e civil, afim de queeada ci-
dadao' seja urma alavanca do engrandeei-
imentQ nacional, e n~o urma foute perenne
'de perturbaco da ordem public e dAe es-
coo indevido dos recursos publicos e par-
ticulares; SAo medidas que, a meu ver,
nro podem ser procrastinadas em urma si-
tua~xo, onde, por um lado, a humnanidade
protest em defesa de- seus direitos concul-
cados e por outro, a sociedade estrebuxa
A Lsingoa dos meios os mais elementares
de vitalidade. -
Feita a synthese do meu modo de ver a
actualidade, aguardo confiadamente o vere-
dictum do corpo eleitor.il.
Recifo, 22 do outubro de 1884.
Silvino Cavalcante de Albuquerque.


4rados, grades e outros instru-

mentos agricolas
305 medalhas e diplomasenn
20 annes
Theo. Just


7 C....orpo Sa1 .o-2.I7
PERNAMBUCO
Unico agent do afanmad) fabricante

aVYDx3. SMA C&HM
Plaguitz-Leipzig
Referencias:
0 Him. Sr. Dr. Ignacio de Birn-ros Barreto, go-
rente da soeiedada Auxiliadora da Agricultura.
0 Illm Sr. Dr. Ignacio de Barros Barroto Fi-
iiio, no engenho do Meio, Varzea.


EDITAES
0 Dr. Adelino Antonio de Luna Freire,
official da imperial ordem da Rosa, juiz
de direito privativo de orphatos da comar.
ca do Recife, por Sua Magestade Impe-
rial e Constitucional o Sr. D. Pedro II,
a quem Deus guarde, etc.
Fa.o saber aoa que o pr1sente edital virem, ou
d'elle noticia tiverem, que no dia 4 de novembro
do corrente anno, a requerim-.pto da Benedicta
I)ias Vivfra de Carvalho mit d-is menores Laura
Diias de Carvalho e Vivina Dias do Carvaiho, vai
a praca para ser arrematada por quetn mais der.
a ca-t terra n. 38 A rna da Amisade na freguezia.
de Nossa Senhora da Gra-a nesta cidade, p'-ten -
cente as referidas nmcuores. scrvindo de Lse a.
arrcmatacao, a offerta de 4004000.
E para que cheguc ao conhcciinento de todos
mandei passar o present edital que sera affixado
noi lugareo do costume c publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambueo, aos 27 de outubro
de 1884.
Eu, Jos6 Ignacio Pereira do Lago, escrivao in-
terino, fiz escrevcr e subscrevo.
Adelino Antonio de Luna Freire.
Joao de Oliveira Mello, alfcres daiguarda nacio-
nal, juiz de paz da freguezia de Santo Antonio,
em virtude da lei, etc.
Fago saber aos que o present edital virem que
me-foi dirigida por D. Fracaeisca Maria da Con-
ceiq.o Rego urma petia'o requerendo que a admit-
tisse a justifiear a ausencia par lugar incerto
dos herdeiros de Domingos Jose da Cunha Lages,
Joao Dom.ngos da Cunha Lages, Jose Adolpho da
Cunha Lages e Norberto Evangelista da Cunha
Lages, para se conciliarem sobre o pagamento de
uma hypotheca de 3:000;000 de principal, feita
pelo referido Lages ao finado Manoel Joaquimrn
Baptista marido do supplicante, e os jurors decor-
ridos de 29 de jusho de 1882 em diante; e que
tinho Santos& 0C.7-12 a Cramer Frey & C.,2 a
J. A. dos Santos & C., 35 a Andrade Lopes & C.
Tintas 1 barrica a A. D. Carneiro Vianna, 1 a
Deodato Torres & C.
Velas 40 eaix-ss a Domingos Ferreira da .JIva
& C. Vid-o 107 volumes A, ordei, I a R. d- Dra-
sina a C.
Zcrcao 10 barricas a C. C. da- Costa Moreira &
C., 21 a Rouquayrol Freres.
1 3arga do Lisbia
Alfazema 15 saccos a Paiva Valente & C. Azu-
leji 5 eaixas a Joaquim da .ilva Salgneiral. Azei-
te dc Oiveira 25 caixas a Domingos Alves Ma-
theus. Agua mineral 8 caixas a Orestes Travas-
sos & C.
Baga 3 barrieas a Dias Pinheiro & C. Bata-
tas 200/2 caixas a Auguste Labille.
Cebola- 25 caixas a Silva Guimarles & C. Ca-
pachos 3 fardos a D. Ferreira da Silva & C. Cal
20 barrieas a Liiz Jose cia Silva Guimaraes, 75
a Jos6 Peixoto da Fonseca, 50'a Guimaraes & Va-
lente.
Figos 15 caixas a Domingrs Ferreira da Silva
& C., 8 a J Fernandes de Almeida. Farello 300
saccoaa Paiva Valente & C. Fructas 1 caixa a
J. T. Baistos, 1 a A. ). Santos, 38 a ordem, 2 a
Joaquim do Silva Salgueiral, 33 ao Dr. Ferreira
da Silva, 10 a J. Fernandes de Almeida, 3 a
Luiz Jose da Silva Guimaraes.
Madeira 1 grade a Joaquim da Silva Salgucia
ral.
Livros 1 cdixa a A. dos Santos.
Passas 30 fardos a Domingos Ferreira da Silva
&.C.
Quadros 1 eaixa a J aquim da Silvo Salgueiral.
Vinagre 4 pipas e 10/5 a Orestes Travassos &
:Cogron ia,
'. Vo al06^piise 10/o5 aos mesmos, 9 e 5/5 a P.
R. Pinto (fliuntres, 13 e 15/5 a Silva GuimarJes
& C., 9e i& a Soussa Bamto, Amnorim & C, 8 e
445,/ aJos6t (. Ganehos,$ e 10/5 a Joae Rodri-
gune Moirira; 26 caixas a Augiuto F. de Olivei-
ra &C -
DESPACHO PE E-XPoRTA(AO
'U'.. 1 I ^ ^a ^*


30 dinasplo, qual cp -w zam moudou4(w h*&ros
DOMDonungosk a~da Cunha Las p~ imo (
^-l~~i^, primeira audiencia deste juizo, -depois daquele,
E par a que ehegae ao seu coenhecimento mandei
passar o present, qUe ser affixado nos lugares
do costume e publicado plos jbrnaes.
Freguezia de Santo Antonio, 1 de outubro de
1884.
Subscrevo e assign. -0 escrivilo, Coriolano de
Abrea.
Oluveiha Mello.
0 capitao Joa3o Francisco Antunes juiz de
paz na freguezia do Santissimo Sacra-
mento da parochia da Boa- Vista desta
cidade do Recife de Pernamnbuco. m vir--
tude da lei etc.
Papo saber aos que o prezente cdt;al virem e
delle noticia tiverem, que no dia 7 do mcz vindou-
ro finda a respective audiencia, irmo a praca duas
cabras "(bicho) que andavamL vagando pelas ruas
desta freguezia e firam apiehendidas pelo respc
tivo fiscal, podendo o donor ou donos os recIlamnarem
dentro do prazo de oito dias, que pagando a multa
em quo incorreram e mais despezas lie serao on-
tregues.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o prescate quo serA publicado pela
imprensa e affixado nos lugares publicos do cos-
tume.
Dado e passado nesta freguezia da Boa-Vista aos
30 do outubro de 1884.-Ea Antonio Joaquim Pe-
reira de Oliveira o escrevi.
Jogo Francisco Autces.
O cidadio Archias Lindolpho da Silva Mafra, juiz
de paz, president da mesa eleitoral do 1" dis-
tricto de paz da parochia do Afogados, -m vir-
tude da lei, etc.
Faz saber a todos os Srs. clcitores do mcsino
distrieto, que tendo sido designado o diaI 1'-, de de-
zembro proximo para a eleiqlo de deputados go.-
raes, conoca os mesmos Srs. eleitores para que sp
reunam n'aquelle di a as 9 horns da manh'i n) c)an-
sistorio da igreja mnatriz desta freguezia, afinn dc
darem os seus votos.
Outro sim, faz saber aos mesminos senhores que
nenhum eleitor sera admittido a votar aem apre-
sentar o sen titulo, e que o voto dever. ser eser-ip-
to em papel branco ou azulado e aceedula fech-idl,
de todos os lados.
Primeiro district do paz da freguczia de Afo
gados, lo de novemrnbro de 1884.
Eu, Joao Maunicio do Senna, cscrivao dc pa-,
eserevi.


Archias Lindqlpho da Silva Mbfra.
0 b-.charel Jos5 Osori) de Cerqueira, juiz d( I piz
presid.nto dat mesa clitoral do 2' district.) dv
paz da parochiia de Afog-ados, etc.
Faz saber a todos os 8:-'. el.'it'-jrs do) mesmn:)
district que t"ndo silo dsi igna-o o dia, 1, de Ie-
zembro proximin para a el;;i,'Io de deputadoa ge-
racs, convoea os inesinos >S;. el',itorts-, p.tra quu
se reunamnn'aqucllo dia, As( 9 horas da In .\.. n)
consistor o ti capIla dos R -mc lio, afin dt d:-c-
rein os seus votos.
Outro sire, faz sab:r 0a-is 55s1n1s seuhire's, quo
nenhum eleitor sern adinmttido a votar smn ap.re-
sentar o seu titulo, e qoic vot) d,-vcr. s, r cssrip-
to cm papel brauco on: aiiilado c a cedula tloch;t
da de todos os lados.
Magdaleta, l0 d'" nov_'nbro de 1884.
En, Joao MIuL'riiio de Scnanni, escri'ivloA d p;z,
escrivi.
JusO O-s'urio de Cerq,'ir-a.
0 cidadao Paulo Baptista do Jesus, 2 juiz de paz
em exereicio por fallecimento do prineiro e prl-
sidente d nif, sa eleitoral do 4:1c distrcto de paz
da parochlna d4 Afogados, en, virtude d; 1,-i, etc.
Faz saber a todos os Srs. elcitores do mesmo
district quo tend sido designado o dila 10 de do-
zewbro proxim para a cltA.o de deputados geraes
convoco os mesmos Srs. eleitores par-i que se reu-
nam naquelle dia As 9 horas da ma-lia no consis-
torio da capella da Boa-Viagm, afim de darem
os sens votos.
Outro sini, faz saber aos mesmnoa senhores que
neihum eleitor serA d indmittido a votar serm apro-
sentar o seon titulo e que o voto dever, ser escrip-
to ein pap.l braico ou azulado e a cedula fechaJa
de todos os ladoa.
Bja Viagem, 10 de novembro de 1884.
Eu, oil Mauricio de Senna, escrivdo interino
de paz, o escrevi.
Paulo Baptista de Jesuts.
o0 cidada-o Mminoel Antonio Farreira Go-
rmes, juiz de paz mais votado da fregue-
zia de Nossa Sanhora da Graa da Ca-
punga, e president da mesa eleitoral da
1.' sccgiio, cm virtue da lei, etc., etc.
Faco constar a quemi interessar possa, que ten-
do sido dissol 'ida a Cainara dos 8rs-. Deputados, me
foi coinmmnuiicado pelo Exmi. Si. prosidentc d.i pro-
vineia, cm circular de 15 dc setemibro find ter sido
marcado o dia l.o de dezeinbro proximo vindouro,
para ter lugar a eleicao dc deputados gcrrcs cm
todo o imnperio.
Em vista do que. e em virtude do disposto nos
arts. 98 e 124 do decreto n. 8,213 dc 13 de agosto
de 1881, na falta do juiz de paz votado bacharel
Francisco Augusto da Costa, por ter fallecido con-
voco os Srs. juizes de paz, capitao Francisco Bel
larmino dos Santos Freitas e Custodio Moreira, e
os suppleutes teriente Regino Ferreira de Carvalho
Clorindo Ferreira Catao, afim de que comparejam
no dia 30 do corrente As 9 horas da manhA na
tPara o Havre., H. Burle & (C. 1,200 courts sal-
gados corn 25,200 kilos; P. Carneiro & C. 560
ditos coin 6,083 ditos ; A. Labille 46 ditos corn
552 dits.
Par-a o twfle-rgr
N-.i pit'atclo nacion;dl Francolb.. c;-r'eggo :
Para o Rio Grandc d- Sul, Animoriim Irmios &
871 volumes coin 74.t;5' kilos dc assucar braxco
e 75 barricas coin 8,6AT7 ditos d,:. dito maseavado.
N- vt)apor na-aio:ial Cuotr(i. eirrc'.o :
Para c Rio de Janciro, M. 1F. de MIelio 4,' 0
, cocos fructa.
No vapor inacioinail S. Salvdador, carregou :
Para Bahiai, M. F. Marques & Filh. 100 saceos
e 50 barricas com 12,901 kilos de assuezr branco.
No hiate nacioual S. LourenCo, carregou :
Para Mossoro, F. de Moraes 6 cascos corn 540
litros de aguardente.
Na barca a Silveria, carregou :
Para o Natal, E. C. Beltrao & IrmAo 12 barri-
cas corn 625 kilos de assucar mascavado.
Para Macahyba, F. Monteiro 8 bo-ricas corn
480 kilos de assucar branch e 1 lata corn oleo de
mocoto.

MOVIMENTO DO PORTO
Navio entrado no dia 1
Rio Formoso por Tamandar -- 10 horas,
vapor national Giquid, de 223 tonela-
das, commandante Domingos Henrique
Mafra, equipagem 30, em lastro ; a
Companhia Pernambucana.
Sahldos no memo dia
New-Yok Barca americana Carib, capi-
t~o S. G. Russell, carga assucar.
Hamburgo Vapor inglez Thaies, com-
mandante W. H. Fairlen, carga various
geueros.
Porto e isboa--Lugar portuguez Mario,
capital Manoel dos Santos Garcia, car-
g raaros geurosL -
Bahia e es-alas-Vapor nacional s. Sa/-
ittador, cotwug~adaii Bo-etr Ho-


do 59t 4 de0 4o ee n4de of X


dedo que dsp, os d1 arts a98. e, #aob A
Boetitada no 14 do art. 232 "4t rfEnWhh de-
creto.
Otttro sim convido os rAd. eleitors%.,tsu 4 .a -i
eomparecam peas 9 horas da maIi do 4 j 1: ds
jezembro, os da La. scceao, na sacbristia da igroa
matriz e os da 2.- sec<.o na igreja de Nomsa Be-
nhora de Belem, lugares ja desiguadom para ter
lugar os actos eleitoriaes, afim da se proeeder a
eleihao de urn depiatadlo a Assembl6a Geral 1Ae-
gislativa, que tern d< &icr clcito pelo segundo di,-
tricto 'd'csta provincial. d'.-vendo 03 Srs. eleitores
votar em umrn so Home, q(e dcvera ser escripto em
papel brauco ou anilai., n io sn lo transparent,
neinmtcr mars, signal ou r. i era,;', a eedula
devcr Aser fciebad- plr tols g du'-. c rno di.
poe o art. 112 do pd'tot d 'c'). t. r ,, rotu
para Deputado'Gcr:di. N:\ `1) :. iiiattlt, .1 v.-
tar o cleitor (;1w nfl', : E.'i.k r ;2 .' ': r', sp'ctiNo
titulo, 1a cmf',rn i nlai di ,.:, : a.i;t. 11!
ia D.onciooad.j dc12cr:to.
E para q mAn eiei layrai- ) pr_.- tc dita.,-,: .ii. .
nos lugares cumpjtcutns c i -'.' i ,. i
prensa.
Eu Joaquim Clemente de Lemos Duarte, eicri-
vio de paz o escrevi, nesta Ireguezia de Noss:
Senora da Graia da Capunga, em 1.- de novem.
bro de 1,8.L
Afa,'(l! A/,,oG o Ferre',, G'+,,..
0 cidaiao Antonio Samnico de LvraS Mello, juiz d&
paz do 1" anno da freguezia '",: S. Jcs4 do Re-
cife, em virtude da lei, etc.
Polo preseutc convw',o a tLIJ,- 3 scnhores elei
tores das tres seo-c,'s cl'itor,, ,lda freguezia d4.
S. Jos", afim di no din 1' aI d. z "ilr do corren-
ti ainno, A.s 9 horas da inauliM. larinm 03 scus vo-
t ,)s na ecic "o para um doputalo : is.':%ebl a g,-
ral legislative. pcl' 1 district clcitordl, devend,
os eloitrcs da 1' Pse(eC. qu,' 3rsi-, o> qti comnpre-
l.-n' in o qu:rL:-i;>-s 035 ;i 12 ,b) 1 districto po
liciid c todos d-. quirtvirdcs do 2' dittiicto, reu
nir-se no consistorio daI igrcja inatriiz (1d-ta fro-
gu.tzia ; a 2* s -,q- d ,:*lit-r.e. que comprehet
1lc h', ao '2;" '.qu. ,' .. c :22 1 2 do 10 di.-trictC
1 *>,ci'a, riu n l,- .> (2t s no cons-'t, rio *in igT'-
it (ilos M aI c.i .ti;s ;-' ; t'. qi' (*, ii r.h d
os cilitorcss d.i 7 ;i 21( qmarteir'lo. 34 do 1
district plk, t. i e on.-&j i-tkri, ],t it"i 1 e SIn c .
JosA de Iiba-inmar.
E pa'ra ,>' clegicc ;io conl';-clmnc.to "- todos.
nem virt;.ie (;i p.ortarita l jil ; I I provil
tia de 2. b) i c n,rr.itt,. ma:inldci p; to -.r ,, present, .
j)ir't sir aliix ,l', ni ) li ar dj ('-to p t 'licad.
pela imnprensa.
Dado e i:)tS4-,a -) n-.'taf r'rvg-U zl. i,..S. do-r d
Recife, Ml di outubro d Sl. --l:,.J..T. (;P)ualv,-
,le SA, ccCrivi) dr pa., o e;cr,.\i.
Antonio (h ld r.(- ,1 o 11 .
Pur ,r rIi' i d I'.\ifm. Sr. i i:i- i iit :,,. ri'i h .
:i Cpit:tnia tdo porto m1and4i c .'.r .s bui-
abaixo mencioma'las, deblaix, o dir'-c;'" do pr.a-
rico min6r dcste porto. 2 tciieuto h ,iior:ri, hlt-r-
cu n'. L, Itlodrigues Pihhciro. (-.: s'-ll-titui:- 1dti'
o:tra..s quo tinham dosappareci,!.) 4 < iis t -t',
i r 0:io est tdo.
Urma nin ;,cdra ,o' Coco.
Umna nto Picg',o. iar-:I 'rrid'',
Urna ni: ponta Sul, do bilixo ihlcz. e r.-nti..
ponta Norte o miesmlo baixo.
-E finalin ite un a 1no b ia;o di ( li-,h a. u(,1 ,
distant millia mracia da terra.
As boi's menicionad-'s acliham-se pintia : t :
as cores que nfarcCan os03 ii;' jp;, d..-,' 1 t .
Arsenal de Marinha, 3r'j' 1, o, utii ,,, ti t -!
J. M. l i .

0 Dr. Addino Antonio ',) d, i /,, ,'.
offcial ,h4 imlfrial v,,' ', .....I /'
de direitfo pr,'iatf;:o ,}. ,,.n ,: ,,:,,, ,. ,
ncstft com, trr'i <1u ]!*',,: j',,"- ,>i ....
gesta w]' l, 0i.',, '',, tl,,, *.(
D P M ,'o II, a qi:,:., D ..... <],,,,r,/
Faqo sabc-r a"s qu o ji-~o t,-o r ,iital f i'.':. a .
d'clle notici;at tiv 'mi ,\w -; i I iv-i v *
do corr-,:te ain., i' ( i ; .,'i '. -o i'i:.
nfl respocti-a s:,a hi a ;t ;'r;>;;i.'S i.r- v,'i l:. p'i::i
serein' rrl ii a ttadas t or activas do accrvo d0 (a,,'nirnu i-l,.ir Mlanocl ala
"iiva Santos, a saber divi hits rpr-'a'iita'las P0;
letras Ignacio Alvitn aIa 'i!\-; ta.i-*l;) j,.r Carit';
ro & N')gicira. vcn-i-hI n cm .', lc iarliI'o d I' 1';,'.
interrouipida a proscrip .,'- _.hi 2 1881, $SIV*> Joa-iuin Joi, Alvim. veneida ei
30 m:,rio de 1578, 3)85;, t;. Mmtno(i dc Mour-m t
Silva, vetlidcla em 8 de outunaro de 1-8), 1 :8?.1 l;;, t,
o memo, vencida em 8 d niov'cmbro de 1I..
1:881U030, Andrt As-elito l'erc'ra dai Silva. v-.n-
cido em 30 de ablil de 1nN, 20t .a <(H. o mfsmo.
vencidal em 30 de jalnhlo lSSl. 2i-)0a.0tt. o mesuso.
veneida em 30 de tgssto dc l"1. 2X. o mos-
too, vencida em 30 de ontubro de 1881, 2 o mosmo, vencida cm .30 d, dezembro de 1881,
200,000, o mesmo vcncida t"n "'2 de f-vereiro do
1882, 200$000, o memo. vencida em -30 de abril
tie 18832, 200A'{0, o mesmno, vencida cm 30 ki
junho de 1S82. 200M)000, o mviismo, vencida em 34t


de agosto de 1882, 200000, o mesmno, vencida em
30 de o Gntubro de 1882. 2004W00), o mesmo. em 30
de dezembro de 1882, 200000., o mesmo, em 24
de fevereiro de 1883, 1163920, Antonio d Soaxza
Botelho, vencida em 15 de julho de 1882, 2O)WXIt
o mesmo, vencida em 1. de outubro de 18a, 200,
o mnesmo, em 15 de janeiro de 1883. X(sl($00. o
mnesmo, vencida em 15 -de abril de 18J. "-2) I.t4-.
o mesmo, vencida em 15 dejalho de I. -.2. W.)
ricano Skobeleff, 9') ton -laLias, cca
pitao P. F. Tu'-Ler, c1i0;a. :a ; ;I
lastio ; A ordeui.
Hamb'irgo 50 dI~i.:.; lnr',-u,1 allimn,'..) L-,,'
so 1 Jl,..r. de 27 tuiiclad.ias, eai?'o .1o
hanu Wo'Vaclk.. qu'ilag':i'. I < r'.a.ri, v;
rios gfncieros : a I).l.i'. I" .'vj s IA
thus.
Nt .,) ItouvO sai.l::-.
\f ciVi x ci, ef',,o.,i ,11, *i 0 .
Santos c escalas -s dins, vapor frianeme
il1e de Pcrnciali'o, do 1,911 toneL
Indas, commandant Thauuay, equipsa-
gem 45, carga various gencros; a Ai-
gusto 1^. de Oliveira & C.
Bahia--2 dias, vapor inglez Etclid, de
995 toneladas, equipagemni 2,', carga va
rios generous ; a Sauiindors Brothers.
&C.
Rio de Janeiro -24 dias. barca portuguoza
Cintra de 608 toneladas. capitao M. Laiz
Barra, equipagem 11, carga ferro velhoi
a J. Lidstone & C.
Salhidos 1' ; i,,wo l
Rio de Janeiro e escalas -Vapor national
Ceard, commanudaute (ailherme Josa.
Pacheco, carga vhrios geaeros.
New-York Brigue iuglez Maid Of rlan
wern, eapitao Richard Roberts, carga
assucar.
Ilha do Maij-Barca norueguense Venr,
capitlo C. Stridsberg, em lastro.
Observances
Suspendeu do Lamarlo para Galvestmon
(America) a barca nohieguoeue Pandora.
capital C. T. Gyuldsen, em lastro.
Para Barbedos, o higar inglez Cde-I-
nia, eapitlo T. S. Hoff, em lakto,

VAPORES0 EPERADOS "
Novwnkio



daE *
A-do-t~~d >r od'i.,
V~deur 11;dEof "v a nt ^ 1,.'1
IB~ *r *: x&iX-

























""- mesmo,'vencida era 30-de abril de 1883, 4:520;1
:, : o mesmo, vev"ida eia30 doe abril de 1883,3:150),
-,. ,. S-: .Antonio Hollania Civeoante, vencida, em 31 ade
Jt.-' aneiro de 1883, 4:850f000, o mesmn, vencida em
31-dejaneiro do 1883, 2:5321000, Jose Carneiro da
i Silva Beltiro, vencida rcm a-12 do fevereirode 1883
1: I3855710.Ignacio de Baroos Wanderlwy, venci-
da emn 22 de marco de 1883, 1:1390500, Antonio
S Francisco Fmurtado de Mendoaca, venetida em 12
de abril de 1883, 3:9418280.
|Dividas por conta de livro, Antonio Collares &
Irmao, 598,4180, Joaquiri irmino Alvares Quin
tal, 57s000, Antonio Joaquim Seve, 5374550, Jos6
de Freitas Barbosa, 1604000, Eduardo C. Muller
i 365A000. Antonio Alves Pedrosa, 4620100, Andr6
Avelino Pereir-a da [Silva, 404A000, Manoel Jos6
Carneiro 393060, herdeiros de Antonio Domingues
Pinto 6794374, Joaquim Martins de Almeida
k 1:6425000, D. Anna Zeferina Peixoto de Souza
S1:1605680, Antonio Buarque de Lima Junior
S1055720, Eduardo Gadant 229$313, Samuel Jo-
hnston & C. 458071, Gaspar Antonio Vieira Gui
maries 5:0005000, Rvdm padre Felix Hermetto
do Rego 10:3975557.
As quaes dividas vao a prawa a requerimento do
1commendador Joao Jos6 de Amorim, testamcnteiro
e inventariante dos bens dcixados por aquelle fal-
lecido.
E para co-star mandci passar o preiente edital
que serA publicado pela impreasa e affixado no
lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 4
de outubro de 1884.
Eu, Manoel do 'Nascimento dc Puntes, escrivio
o subscievi.
Adelino Antonwo de Luna ,reire.
S A Cainara Municipal da cidade do Recife
faz public a qnem interessar p ssa, que na ses-
sao de 5 de novembro proximo serio levados em
Shasta public os concertos a fazer-se na secao
,' de aferifto, orcados em 250A725, os quakes serao
entregues a quem por menos fizer. 0 orcamentj
acha-se na secretaria para sor examinado pelos
pretendentes.
Paso da Camara Municipal do Recife, 30 de
outubro de 1884.
Jos6 Candido de Moraes,
f Fresidente.
Pedro G. deo Ratis e Silva,
Secietario.
I Edital n. 27
S2a' praca
SDo ordemn do ilm. Sr. inspector sc faiz public,
_tIu3 as 11 horas do din 5 de navembro, serio
.." vendidas ema leililo, no trapichc Coneei.io as mcr
/ cadorias abaixo declaradas :
Armazem n. 1
Marca DSP e RB em baixo. Umra caixa n. 65.
vinda de Hamburgo no vapor allemnao Corriente,
entrado em 1 de malo do corrente anno, contend
40 kilogrammas, peso liquid, de estampas niAo es-
pecificadas, abaudonada dos direitos, p or J. Sa-
bino L. Pinho
Armazem n. 6
Uma caixa, sem numero, vinda de Bordeaux no
vapor francez Senegal. entraido cm 7 dejulho idem,
contend 17 kilograumnas de siretcs corn cahos
,le madeira e 750 grammas de brinquedos de fo-
iha de Flandres, para crianuas, abandonada dos
direitos por Joio Besse.
Armazem n. 7
Marca GB. Uma caixa n. 178, vinda do Ham-
burgo no vapor allemio Pernambuco, eutrado cm
28 de Julho idem, conteudo 10 kilogramimas, pe-
so liquid, de cartazes impresses em ditas cores,
abaudonada aos direitos por R. de Drusina & C.
T rceira secq-.o da Alfundega de Pcrnambueo,
31 de outubro de 1884.-0 chefe,
Cicero B. de Mello.

DECLARACOES

AssociaVao portugueza

debeneficendia
Assemblea geral extraordinary
Pard diseutirem os artigos additives aprenen-
tados pela directoria desta associacao, roga -se o
comparecimento dos senhorps socios na s&de so-
cial, quarta-feira 5 do corrente, As 7 horas da
noute. Recife, 1 de novembro de 84.
t20 secretario da assemblea,
SM. Mendonca.

Club Carlos Gomies
Sarao
Acha-se designado o dsa 8 para o sarao rofe-
rente a este mez.
Os senhores socios podcm procurar os seus car-
tres do dia 3 em diante, das 7 As 8 1/2 horas da
noute, na sede do club, em m~o do Sr. thesoureiro.
Quem nao exhibir cartao nao terA ingresso.
Secretaria do Club Carlos Gomes, 1 de novem-
bro de 1884.
2D Secretario,
David F. Porto Baltar.


Cow0panihia Brazildira de Navega-
ao a, Vapor
Faco sciente ao comrmercio desta praca e ao pu-
bhlico que as mereadorias, transpoatadas pelos va-
pores desta companhia serao d'ora em diante des-
carregadas no trapiche Baltar A rua do Vigaxio
n. 1.
Recife, 31 de outubro de 1884.
0 agent
Barao de Petrolina.
Club Carlos Gomes
Advertencia
De ordem do Sr. president, previno aos Srs.
socios, especialmente Aquelles components da
banda e orchestra, que se acha em pleno vigor a
tabella abaixo, ficando assim alterada a primi-
tiva.
Aulas
Canto As scgundas e quintas-feiras, das 6 ias.7
1/2 horas da. noite.
Rudimentos de music&, nos mesmos dias, dan
71/2 as 9 horas da noite.
Instruments de sopro e corda, inclusive piano,
nos mesinos dias, das 7 1/2 as 9 horas da noite.
Esasios : -
Banda s tereas e sextas-feiras, das 7 As 9 ho-
ras da noite. -
Orcheatra As quartos e sabbado, das 7 Ai
: horas da noite. -
ecretariaadoClubCarlog Gores, 27 de outubro
de 84.--0 20 sretario,
A Canar& Municipal da ci do Recife
convida sos donos os..estawia
:.o '+. ciaes d o.r eru s d o e...p..m-Io-.-
rem''" se e sio iitafmiiti^ w


,.* : -.r F


ere o


seu-pretitado do acordo corn o art. 57t dos mes-
mos estatutos. .
Seeretaia dQ Moute Pi Popular Pernainbuca-
no, 3 do&nbvembrodeo 1884. -0 1', eretario,
Manoel B. deoAlbuquerque.

Devoft&o de N. S. -das
-Mere~s
De orders da mesa reg.dora, convido a todos os
nossos irmlos para se reunirem no consistorio na
quinta-teira 6 do correste, pelas 6 horas da tarde,
afim de se proceder a elei~go de alguns mesarios
que pediram eseudo.
Consistorio da devo~go de N. S. das Mcrces,
erecta na igreja de S. Jos6 de Riba-mar, 3 de
novembro de 84.-0 secretario,
Joao Pedro dos Santos Cruz.
IRNANDADE
DAI
AlIas erecta una matrlz Ida fregue-
zia de S. Jos6 do Recife
NIe se tendo rcunido no dia 1- de novembro
corrente numero legal, slo pela segunda vcz con-
vidados todos os noosos irmauos A compareceremn
em o nosso consistorio quinta-feira 6 do corrente,-
pelas 5 horas da lards, afima de proceder-so a
clciao da nova mesa regcdora que tern de rcger
a irinaudade no exercicio de 188 1 f 85.
Consistorio, 3 de novebro de 1884-1:.
0 escrivAo,
Manoel Venancio A. da Fonscca.
Gabluete de Leitura Instructi-
vo e Reereativo Gamelleic-ense
No dia 9 de novembro proximo havera 8sesso
ordinaria em assemblea geral deste Gabinete e. no
dia 2 do mesmo mez, sossi'to tambem ordinaria do
Conselho na forma do art. 36 e 46 (Ia parte) dos
estatctos; sao pois convidados os Srs. socios A
comparecerem na sede desta sociedade as 5 horas
da tarde dos referiios dias; ndo comparecendo.
por6mrn,.numero legal de socios, ficarA designado o
dia 16 do mesmo para nova reuniao e entao func-
cionarA a assemblea corn o nulmero que compare-
cer.
Seeretaria do Gabinete do Leitura Instructivo
e rcecrcativo Gamelleirense.
0 1.0 secretary
Adolph- Astolpho Lins de Albuquerque.

Obras publicas
DC ordem do Illm. Sr. engenheiro director,
fago public que, em virtude da au*oriaacio do
Exm. Sr. prsidente da provincia de 18 do cor-
rente, vao de novo em pra(a no dia 8 de novcm-
bro proximo vndouro, ao meio dia, perante esta
reparticao, as seguintes obras, corn o augment
de 10 0/0 sobre o valor dos respectivose ora-
mentos.
Reparos da poute sobre o rio Pirapama
no engenho do mesmo nome, or~a-
di's em 1:800400)
Idem da ponte sobre o mesmo rio, no
engenho Trapiche e sobre o rio Gur-
jahu nc engenho Guerra, cm 1:200000
Idem das pontes do Aterro. rua Bella
e Agougue, na cidade do Rio-For-
moso, em 1:5956000
Idem da escola da mesma cidade, em 286$000
Secretaria da reparticao das obras publiacas de
Pernambuco, em 22 de outubro de 1684.
0 official secretari'o,
J. J. de Silueira Varejao.
Thesourarla de Fazenda de
PernamIIbuco '
De ordem do IlHim. Sr. inspector Antonio Cae-
tano da Silva Kelly, faco public que as audien'
cias desta Thesouraria terao lugar das 11 As 12
horas da manha nos dias uteis.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 27
de outubro de 1884. 0 secretario ea junta,
F. A. de Oliveira e Silva.
Monte de Soccorro de Pernam-
bueo
Os possuidores das cautelas de penhores
dos numerous abaixo, alo convidados a res-
gatal-as ate o dia 20 de novembro proximo


vindouro.
8085 8274 8321 8329 8348 8358
8587 8593 8597 8605 8610 8613
8625 8627 8628 8634 8635 8638
8657 8662 8666 8670 8671 8673
8682 8691 8700 8710 7715 8717
8722 87238726 8727 8732 8740
8751 8756 8761 8765 8766 8771
8780 8783 8787 8791 8793 87941
8809 8818 8822 8847 8849 885C
8886 8887 8897 8904 8906 8911
8925 8941 8942 8943 8944 854b
8966 8967 8974 8977 8978 8981
8984 8985 8986 8987 8980 8995
8997 8999 9001 9007 9011 9012
9019 9020 9022 9023 9024 9031
9036 9042 9043 9044 9045 9051
9062 9064 9069 9070 9072 9075
9079 9080 9083 9085 9087 9092
9095 9096 9098 9t03 9104-9105
9107 9119 9122 9123 9128 9133
9145 9146 9147 9154 9160 9161
9166 9168 9172 9176 9178 9181
9183 9184 9186 9188 9189 919C
9193 9194 9195 9101 9200 9201
9205 9206 9209 9210 9211 9213
9215 9216 9218 9221 9227 9232
9236 9239 9242 9243 9247 9257
9262 9263 9264 9265 9267 927C
S1o 196 cautelas.
Recife, 30 de outubro do 1884.
0 gerente,
Francisco Joaquim Peeirraa


3 8536
3 8619
S8644
3 8675
S8721
D 8741
1 8775
1 8801
D 8884
1 8916
S8956
1-8983
S8996
S9018
1 9035
1 9058
5 9078
? 9094
5 9106
S9135
9162
9182
) 9191
9202
S9214
S9235
9259
D 9273


Pinto. I


EKIIEZA DO GAZ

0 .Gerento ede. aos


for preciso o Sr. Antonio

brfi sCryavalho.,
$Totdos os recibos dessa

empreza d~verao Sep. pas&-

sados em tales arimba-

dose assignados pelo seu

gerente, sem o que nao
terao valor algur.

Charles A. C'rvan
Gerente. i


SEGUROS
MARITIMOS CONTRA FOGO
Compauila Phenix Per-
nambueana
Rua do Commercio n. 38.



CONTRA FOGO
The Liverpool & London & Glob

INSURRANCE COMPANY
AGENTS
Saugus Brotors & c,
11--CORPO SANTOll.-


COIPANRIA N D D BlROS
CONTRA FOGO
Northb British & Mercantile
CAPITAL
:000,000 de libras sterUnas
A GENTES
Admson Howie & C.
RUA DO COMMERCIO N. 3.


C OMPANHIA


IMPERIAL


NEGUROS CONTRA FOGO
EST: 1803 -
Edificios e mnereadorias
Taxas baixas
Prompto paganmeto de prejuizos
CAPITAL,.
Ra. ,16,000g000M00
Agents
BROWNS & C.
N. 5- Rua do Commereio N. 5

INDEMNISADORA
Toxna seguros maritimos e contra
FOGO
RUA DO COMMERCIO N. 44
COMPANHIA AMPHITRITE
de

SMos iraiios o I- tormr s
N. 9--Prapa po Corpo Santo--N. 9

The New London and Brasliam
Bank Limited
Rua do Commercbi n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal, sendo
em Lisboa, rua dos Capellistas n. 75. oN
Po, rtorua dos Inglezez.


EARITINOS


t~mfeGilherme Wad-
d s~rAdos portooado wal
o dia 6 d onavenbro! e
seguiri depois da deiora in-
K, dispn aave, ra os portos
do,,norte at^ MaWaao#.
Pars& eia, passagons, encomendas evalores,
cratta'-66as a aene
46 RUT DO CONERCIOO-46

eaciIe steam Navition. Cmpanlr
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 vapor
Valparaizo
-. Espera-se dos portos
N. do sultW o dia12 do
novembro, seguindo
para a Europa depois
a demora do costume.

Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comos
Consignatarios
Wilson Sons & C., Limilted
N 14- DO COMMERCIO N. 14.
0 vapor
Aconcagua
Espera-sa da Eu-
ropa at6 o dia 23
de novembro e se-
guirA para o sul
depois da demora
do costume.
Para carga, Ti -sagens, eneommendas e dinheiro
a frete: tracts corn os
Consignatarios
WiVlson ; onis !& C., Limited
N. 14 -RUA DO COMMERCIO-%N. 14

Para o Maranhao
A barea p ortugueza Allianqa recebe carga a
frete medico para o porto acima, e segue nestes
poucos dias : a tratar no escriptorio de Jos6 da
Silva Loyo & Flho.

Ceara e Camossim
Para estes dous portos segue no dia 5 do cor-
rente o hate Joao VaUle, recebe ci rga ; a tratar
na rua do Amorim,escriptorio da viuva Labes, ou
a bordo corn o mestre, no caes do Loyo.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE


Navegacao costeira per vapor
PORTOS DO SUL
Maceio, Penedo,Aracaju e Bahia
S vapor Jacuhype,
o/mmandante R i n o,
seguimra no dia 10do
corrente, As 5 horas da
-tarde.
112 i.Recebe carga at6 c


rutbeoii
bern di


P *IirIre a* IW W a.
lnito, atutonrisaado, farA leilgo do refe-
wimento, coutante de arma*io, cha-
os e muitas outras miudezas, e tam-
nas jomias e moves.


V 011 horasot
A's 1011 horas


Leilao
Dc 30 pelas de polar de diversas cores, fazen-
da nova para vestido, roupas feitas para home,
diversos moveis novos e uzados, caman de ferro
corn lastros de arame para casual e menino, cartel-
ras, secretariat, prcnsas de copiar cartas, meza
elastica, diversos quadros de Pontes Visgueiros,
louqas, vidros, joias e 10 ancoretas corn vinho
verde c muitos outros objects que serio vendidos
ao correr do martello
Suartl-f ira d o cormto

A's It horas
No armiazem da rua do Bomn
*-Jesus na. 51
POR INTERVENA.O DO AGENTE
Gusmao


Leilao
Do estabelecimento do molhados sito a rua
do Visconde do Pelotas (outr'ora Aragio)
n. 17.
0 agent Brito, competentemcnte autorisado,
tarAleilio da armaclo c gencros existcntes no
mesm., cm um oumntis lots a vontade dos Srs. li-
citantes.

UiMta-f4oiral, 60 g novom ro
A's O10 1/2 horas


Leddo
Leilao
das 3 casas do ns. 50, 50 e 58 da rua
Duque de Caxias na cidade do Cabo e
urn terreno, bens pertencentes ao espo-
lio do subclio portuguez o padre Manoel
Jose dos Santos.
Terp-a.feira 11 do corrente
A's 11 horas
Na cidade do Cabo


0 agent Pinto levarA a leillo por autorimacio e
em presenca do Sr. encarregado do consulado de
Portugal, as 3 casas e terreno acima menciona-
das pertencentes ao espolio do subdito portugucz
o padre Manoel Jose dos Santos.


Encommendas, passagens e dinheiro a frete ate
is 3 horas da tarde do dia da sahida. IVISOS DIVERSOS
14,3h,^ t ^ ggd. _AVISOS DIVERSOS
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana "- ..
n. A12

CiARiGEURS BEUNIS AMA
Companhlia Franceza de Navega- Precisa-so de urna perfeita cosinheira
Ln ao a Vapor para casa de pequena familiar, que compare
Linha quinzenal entire o Havre, Lis e n.lo durmna f6ra; a tratar n'esta typo-
1oa, Pernambuco, Bahia, RiQ de Janeiro e g-raphia.
6anzos _- ---
Steamer A ia
Ville do Ceara f -uv"zmuen a ap oz ae.a
", .\ E' esperado da Euro- gem da Madalena).


paateadia 5de4no-0
vembro, seguindo de-
pois da indispensavel
demora para a Da-
5bia, Rio de la-
neiro e e antos.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linhaqueiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer reclamaglo concernente a volumes, que por-
ventura tenham seguido para os portos deo sul, afim
des,e poderemdar a tempo as providencias necessa
rias.
Expirado o referido praso a companhia nso se
responsabilisa per extravios.
Recebe carga, encommendas e passageiros, para
oB quaes tern excellentes accommodacoes.
AGENTS
Augusto F. de Oliveira
&C.
42 RUA DO COMMERCIO 42

COMPANEIA PiERNAM1UCANA
DE


IUnited & Brasilmail S. S. C avegao costelra por Vapor
PORTOS DO NORTE


0 vapor
Advance

Espera-se deNew-Port.News
0So dia 24 de novembro,
reguindo depois da demora
necesearia pars "
aiwia e Rio de Janeiro
Pelos vapores desta companbia dlo-se passa-
gens para Liverpool ao pre~o de 200 dollars ; e
passageiro desembarca-ado em New-York -tern ga-
rontia a passagens pasa Liverpool quando Ihe ap-
erouver per vapores de i' ordei.
Para carga, passagens, encommendas e valores
tracta-se corn o
AGENT-ES
ryF~trI C.

N. 8 RUADO 2S SG10 -N. 8
1. andar


Parahyba, Natal, Macdo, Mossor-d Ara-
caty e Ceard
-Segue no dia 5 de no-
vembro o vapor Pira-
.pama, commandant
&ara'lo, As 5 horas
tantrde.
jRecebe carga ate0 o
dMa4.
Encommendas, passagens e dinheiro a frete atW
as 3 heras da tade do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companlhia PernaIbu-
eIana a, i
Compaahia iBakaa de Navega-
i.eo a Vapor
Ma-ei6, Villa Nova, Penedo, AracajH,
Estancia e Bahia
0 vapor
Sergipe
Crnrmanidante J. J. Coelho
-Il 0. E' e oaradoportos aci-
1 .-ma at3wo dia-5 denovembro,
degressar4 &:parse Omes-:
wnoi, depoisdademora docos-


mcoiniimendas e dinheiro


Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joao de SA e Albuquerque, a qual tern exeelHentes
commodos e grande sitio : a tratar na rua Pri-
meiro de Marco n. 13.
Francisco de Assis de Albuquerque Maranhio
declara que perdeu a caderneta n. 3057 da Caixa
Economic e Monte de Soccorro desta provincia,
e roga a quem a achar o obsequio de restituil a A
rua do Viseonde de Albuquerque n. 28.
Aluga -se o 20 andar do predio n. 51 A rua
do Imperador corn grandes e excellentes commo-
dos para familiar, tern agua e gaz; tracta-se no pa-
vimento terreo do predio n. 10 i rua do Commer-
cio.
Aluga-se uma grande casa cm Santo Ama-
ro, rua Lembranea do Gomes n. 4, muito fresca,
corn grande sotao, corn dous grande qumtaea
rmurados e corn boa penna d'agua : a tratar na
rua da Imperatriz n. 32, segunado andar
Na rua do Marquez de Olinda n. 6, precisa-
se de umna ama para cosinhar e comprar, c outra
para engommar e mais servio domestic.
Aluga- se na rua Imperial duas casas, urma
de padaria corn forno e utensilios e outra de mo-
radia us. 198 e 199, prego muito commodo ; a
fallar corn Jose Feliciano de Nazareth, A rua de
Pedro Affonso, outr'ora run da Praia, armazem
numero 20.


'. &^J~ y ru~ne-" ue
walls++meo*V ogl.C-,)
+ +1 ++ + O rc +t 1 + 1 ....

5104. neime- M, tabe-au
M mats calvnlx, bern ema :iiQ
cara radicaiawet
k aTI;,HAO a CASPA.
Positisuneat imm. a.
^^,^^ nso o torri-, iariava-;mt-,




Agua Florid

DTJPLIA.
f'l l S y.

a"ar a egundo aa fo: ,:
( ^ga cri'ginalu s~I a pelo invert-T T '
do1829.
STom dLtasy vezes mals Fragra-:,,1.
S que tjua::;ucr outra.
SDura d ias w'zcs mai s tempo.
SE'muit i Ira;s rica de perfu---: e
S mais suave.
'multo mais Fina o Dolicaco.
i Tsm dobrada forca Rofrescat,, e
S Tonica no D3nho.
SFortalece ao Dobile ao CancerT-.
Cura as Doros de cabeca cs ,'r -
nmalos.
iZ'muitissimo Cusrior a todas a*
outras Aguas Floridas Actu:-
mente a venda. -


Desooberta Importantissim'r.

Pure Oleo de Figada de Baeiao
COM
IODURETO DE FERRO,
DE
DR .--Lf
Barclay & Compauha.
--.... ..... -







rl- ''s l;:)e )-' Q.^ ia-,Ri 'nn~ i-ni C f i'" ,
P, E-i;i:!!!ia Dot-. 4o',' Qiiaftr'' e <1,,- <>-.*)-, ....
S .:.., 5 di CI': 1l .o I I o 1 '<- .. e .-
*-; ;*(-ii !t :.';o i {:or; ,: l O.l)' ehh^ll<'' e* faiti,;., /i1.~ ~ ~~ It..')1 (1(^i- c"**'*^ [d d on tornio,. T.""-.
.i. ir 111111 ri.'. ld-Wlobcrta o Pure Ole o e
Fi'ado do Baeaihao eo1 loduIrod 4e
S'erro--do Barclay & Ca., New Yorl..
Jarope de Vida
e Reuter No.1.


DEPURATIVO E PURGANTE.
ste novo e admuravel puriflcador&;.:
sangue actual sobre os intestinot
o figLado, os rins e a pellet
E'cura infallivel contract a DebitlIdade
Mervosa, as Doros do Cabeqa, a Dys-
pepsia as Sezoes,-e contra as doer-.
cas de origem Miasamatica ou ooce-.
slonaias por desordens do flgao
ou pobreza e Impureza do sangu.e
Depositos. Em New-Y orkrnimil-
des Srs. Barclay & C. cm Pamcnaco:
oo e em casa dos dos Srs. Fsac ,.b
Manoel da Silva & C,













Este remedio preciosotem gIdo da e- d a -
gao public durante cincoenta e sete annos, co -
evando-se a sua manufacture e venda em itS-.
Sua popularidade e venda nunca fora.o t1o exter--
sas como ao present; e isto, por si meT,!-
offerece a melhor prova da sua efficacia ma:.-
hosa.
Nao hesitamos a dizer que n;o temn d-:.. -
cm caso algumrn de extirpar os vermc-, quer
creanyas quer em adults, que se achario -z--
tos destes inimigos da vida human-a.
Nao deixamos de receber con-tanten- i
attestag6es de medicos em favor da sua cffi., -.
admiravel. A causa do success obtido per ...+
remedio, tern apparecido varias fa!sifica', -q
sort que dove o comprador ter no:ito u.
cxaminando o nome inteiro, que dzvia ser

VeYpniiffo de B.A.,FAR ESTOC.a


GRANDE OFEICINA DE ALFAJATE



tlA LIJSIOSA&

1 W,-I di 4*A ichdilos4i


4








~1


-<
^
&
I ^
.t
I
-::111 1 1 *c
->*- l>li 4
' llli t
11 ?

A*
11 f
*'1" 'JJ

"'^u^






II. ^
Ill' *
Wi''
^>ri' 1 '


A
ti
1 .1


I
I
*f


t


I


-1mr- m -0




















4A Paulina 0 "lSva UaiftA a
SVeeriano aptite e& e ova mirr D..
as do R OBawtisteonv damsoaneontes
asdo "aisnade pea asslatirem as Miisas
igreja mstr-i de Santo Antonio, mandam
rpeI almd de sua mae e sogra D. Maria
tIa Silva Baptista, as 8 horas da manha
&dq compte, prineiro anniversario do seu
ueny>; pelo que se confessam agradecidos


! V* l CarWAI Esteves Carpinteiro
I Manoel Carpinteiro e Seuza, seus filhos, genros,
SWos e irmao, presentss e ausentes) da finada D.
S coliua Esteves Carpinteio, agradecem do in-
t: imo d'alma a todas as pessoas que se dignaram
aoompanhar A ultima morada os restos mortaes
daqueila que tanto estremeceram i; e de novo ro-
am a seus parents e a todas as pessoas de sua
amizade, o caridoso obsequio de assistirem as
nmissas que porsua alma scro, celebradas ter9a-
feira 4 do corrente, As 8 horas la manha, na igre-
ja do Espitrito Santo, setimo dia de seu passa-
eflnto.


Neomixia r, d. Olinda Tavares
Francisca Maria de Moraes Tavares, Antonio
de Burgos Ponce de Leon e Maria Tavares Ponce
.de Leon mandam celebrar uma missa na ordem
terceira de S. Francisco, no dia 5 do corrente, as
7 1/2 horas da manha, por alma de sua presada
filha, cunhada e irma Necomizia E. de Olinda Ta-
vares; e para assistirem a este actoe convidam as
pessoas de saa amizade, polo que sc confessam
agradecidos.
mi 1, o, -I -m- --- --- .^H^^^^^^f


Etelvina dos Santos Porto
Francisco J. Pinto, seus filhos e canhadas
agradecem do intimo d'alma a todos os seus pa-
rentes e amigos que se dignaram acompanaar a
ultima morada os restos mortaes de sua extremo-
sa mulher, mai, madrasta e irma, Etelvina dos
Santos Pinto ; e de novo convidam a assistirem
as missas que serao celebradas as 8 horas do dia
sexia-feira 7 do corrente, na matriz da Boa-Vista
e capella de Apipucos.


Joaquina Perpetua de Jesus
Neves
Francisco Antonio dos Santos Neves, Antonio
S Valerio dos Santos Neves, Jose dos Santos Neves
S (ausentes), Guilhermina Salome dos Santos Ne-
yes, Maria Angela de Mericia Pitollo e Manoel
S Alves Pitollo agradecem cordialmente A todas as
pessoas que se dignaram acompanhar ao cemite-
; rio o cadaver de sna presada irma e cunhada, Joa-
1 quina Perpetua de Jesus Neves ; e de novo as
S convidam para assistirem a missa que por sua
alma mandam dizer no setimo dia do seu passa-
mento, quarta-feira 5 do corrente, is 7 horas da
S manha, na igreja da Penha, pelo que se confessam
gratos.
D. Maria Paulina Silva Baptista
S 0 bacharel JosA Francisco Goes Cavalcante e o
capitao Joaquim Tertuliano de Medeiros convidam
aos amigos e parents de sua finada sogra, D.
Maria Paulina Silva Baptista, para assistirem a
S una missa que mandam celebrar por sua alma
i quarta-feira 5 do corrente, na igreja do convento
S de S. Francisco, as 7 1/2 horas da manha, dia do
S anniverssrio de seu passamento, e a todos se con-
S fessam grates per este caridoso obsequio.


D, Etelvina don Santos Pluto
Clodoaldo de Barros Franco e sua mulher con-
vidam a seus parents e amigos A assistirem umna
missa que mandam celebrar por alma de sua cu-
nhada e irm Etelvina dos Santos Pinta, As 8
boras do dia 7 dp corrente, na capella do povoado
de Pregui^ __

A Baroneza de A4 eios, toaq lm Manoel da
Costa e sua familiar convidam aos parents e ami-
gos do finado Barao de Merces, para ouvirem na
capella da Conceigao dos Militares umna missa que
por alma do mesmo Barao serA resada as 8 horas
da manha de quarta-feira 5 do corrente) 10 anni-
versario de seu fallecimento.
-Precisa-se de umn home portuguez para
tratar de um sitio : a tratar na rua Direita dos
Afogados, defronte da estagao das diligencias.
Aluga se o 2 andar do sobrado n. 28 A rua
do Visconde de Albuquerque, pintado e caiado
ha pouce, e corn deposit d'agua e bauheiro : na
rua Velha n. 28.
Aluga-se a casa do Dr. Castello Branco,
sita na povoacao do Beberibe, a qual flea alli en-
tre as duas ultimas estaZOes, 6 bastante azejada,
acha-se limpa, tern muitos commrodos, bern jardim,
banhe proximo da casa, sitio murado e corn goso
e uso dos fructos do mesmo : trata-se corn o pro-
prietario A rua das Cruzes n. 23.
Vende-se uma taverna bemrn localisada, sita
ao Camiinho-Novo n. 113 : a tratar na mesa.
Perdeu-se o bilhete inteiro n. 3858 da lote-
ria do CearA, que tern de ser extrahida a 8 do cor-
rente, comprado ao Sr. Nogueira Lima. Fazqndo
esta declaracao, temos por fim prevenir a todos os
senhores que vendem bilhetes dessa loteria, bem
come a thesouraria das loterias daquella prvin-
cia, para nao pagarem a pessoa algna, exopto
p abaif assignado, o premio que per ventora
Oossa caber ao dito bilhete.
Gregorio Targino Accioly.

Balanceador
Olegario leiva offerece aos senhores commer-
ciantes sens services como balanceador : a tratar
no estabelecimento n. 77, mrua do Imperador.


Preoisa- s.e


Peolo Ab. 'mko, 4epuiar 'i- -e*ux.

Pela Pomada Anti-D Dareas di pell

11ns au Mal, tows No
Polo xarope de Ninous Lechaux.
L Arigas, vermes, etc.
Pelos poderosos Confeitos Vermnifugeos Lechaux. i
?rises do Yei*r, afeces do eslmago, etc.
Pelas Pilulas Refrigerantes Purgativas de Iro6, Lechaux.

Cagas teipsw fistuas, hmno as, etc.
Polo Balsamo de Santo Antonio.
ENXAtUECAS, DOES DE CAB!EA, ETC.
Pelos P6s Lochaux.
CHAGAS NAS PERNAS, VARICER,ETC.
Pelo Topico Piron-Sanchez de Lechaux.&

ANEmIN, DEILIDADE, NEVIOSIS, m.


Polo Phosphate de ferro soluvel de Lechaux.
Todos estes poderosos remedies sao approvados
de Paris.


pela Academia de Medieina


DEIPOSITO GEBAL

G. LAPORTE & C.
Venda a retalho em todas as boas pharmacies.


CAJURUBEBA

PREPARADO VIN O DEPURATIVO

mPROYADO PELA JmUNTA DE HYGIENE PUBLIC DA lRTE

ATOISADO US DIECUTO 0 W IAL DI a D1 JuIeP9 I
COMPOSICAO DE FIRMINO C. DE FIGUEIREDO
Empregado corn a mator efficacia no rheumatismo
de qualquer natureza, cm todas as molestias da pelle, nas leuchorr6as ou
flOres brancas, nos soffrimentos occasionados pela
impureza do sangue, e finalmente nas differences f6rmnas da syphilis.

Propagador-A. P. da Cunha

As importantes curas, que este poderoso medicamento tern produ-
zido, attestadas por pessoas de elevada posiao social, fazeM corn
que de toda part seja elle procurado, como o melhor e mais ener-
gico depurativo do sangue.
Depurar o sangue, como condiqo de uma circulaAo benefica e effi-
caz, eis em que consisted principalmente o meio mais seguro de
conservar a sauide e de curar as molestias que a impureza do sangue
occasion.
0 Cajurubeba pela sua acgio tonica e energicamente depurativa,
6 o medicamento que actualmente p6de conseguir esse resultado
sem prejudicar, nem alterar as funcq6es do estomago e dos intesti-
nos, porque nao contem substancias nocivas, apezar do vigor depu-
rativo dos products que constituem a base principal desse medica-
mento.
D'entre as muitas curas que tern feito, citamos as seguintes, com-
provadas pelo testemunho dos distinctos e conhecidos cavalheiros
que firmam os attestados.
APfq dPftaflc,ilic iei'noroio prom-ao, ufftuecemos mais, como
garantia de nossas asseverag6es, o testemunho dos illustres medi-
cos, Drs. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Praxedes de Souza Pi-
tanga, e JoAo da Silva Ramos, que em sua clinic tem conseguido
os mais brilhantes resultados corn o emprego do Cajurubeba.


Pedro de Attahyde Lobe Moscoso, Doutor
pela Faculdade de Medicina da Bahia, Ci-
rurgio Mor do Commando Superior da
Guard Nacional do municipio do Recife,
1 Cirurgiao Honorario do Corpo de Saide
do Exercito, Official e Commendador da
Imperial Ordem da Rosa, Inspector de sal-
de public e do porto de Pernambuco, Com-
mendador da Imperial Ordem de N. S. Je-
sus Christo, Membro do Institute Medico
Pernambucano, Medico do grande Hospital
Pedro II, Socio da Propagadora da Instruc-
Ao Publica e de muitas outras sociedades
scientificas e humanitarias, etc.
Attesto que tenho experimentado em mo-
lestias chronicas da pelle e rheumatismos o
dajAirubba do Sr. Antonio Pereira da Cunhla,
e tirado bom resultado.
0 referido affirmno inde mei gradw.
Recife, 2 deo Agosto de 1884.
Dr. Pdvo .Ao t ah4y o A MoMe.
pro 0e0% Qo6it 4f &w Pitdaga, Doutor
0Mn Meicina pool F oa Ba],
Commenda4or da Real Od4em e Christo,
Caaiehiro do Coroa de Ferro d Italia, 1I
Cirurgi-o reformado do Corpo de Safide do
Exercito, condecorado corn as medalhas de
passador de ouro da Campanha do Paraguay
e de prata do Uruguay, Deputado a Assem-
blea Provincial, medico do Real Hospital
Beneficente Portuguez, membro de diversas
sociedades litterarias, etc., etc.
Attesto que appliquei o elixir Cqjlrubdba
em casos de rheumatismos agudos, e obtive
excellentes resultados, sendo que por isso o
tenho preferido ao xarope de Ricord iodure-
tado.
0 referido 6 verdade, que affirmo em fM de
meu grtio.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
Dr. Praxede Gomes de Souza Pitanga.
Recife, 17 de Maio de 1884.--im. Sr. Fir-
mino Candido de Figueiredo.-Cabe-me a sa-
tisfarilo de communicar-lhe o benefico resul-
tado obtido pelo seu preparado Cajirubabano
tratamento da enfermidade de que estava sof-
frendo meu filho, menor de 4 annos e meio
de idade,
Sobrevindo neste, ap6s dous annos de sof-
frimentos, resultantes da deslocaqo da espi-
nha dorsal, um formidavel tumor naperna
direita, do qual originou-se uma fistula corn
grande e incessant derramamento de pfis, a
sua safide, a juizo de alguns facultativos,
tomrnon-se seriamente compromettida, sendo
que mais me constrangia dizerem estes, antes
e depois da apparlio do mesmo tumor, que
me filho jimaLs poderia andar. BEis quando
um paente, pela proflcua experidencia que
tina do ajurubba, aconselhou-mie o em-
prego de te important remedio.
Effectivamente o fiz e c6m tiofeliz resul-
tado, que em meio do prinmeiro fresco acha-
va-se a crianga corn tamnnwaha robustez a ponto
de andar a casa today, no sentindQn mai as
dores as espinha, que tanto a torjuravam; a
ftula ceso de tantoea ma-.

:' i~ iti-i~io.a~a^ ^1.* -l.'1"- .S '1 :"ll;


Joao da Silva Ramos, Medico pela Universi-
dade de Coimbra, Cavalheiro da Imperial
Ordem da Rosa, Commendador das Ordens
portuguezas de N. S. Jesus Christo e N. S.
da Conceicio de Villa Viqosa, Fidalgo Ca-
valheiro da Casa Real Portugueza, Moqo
Fidalgo corn exercicio no Pato Imperial do
Brasil, Socio Correspondente da Sociedade
das Sciencias medical de Lisb6a e da de
Medicine de Paris, etc,, etc.
Attesto que tendo empregado em meus do-
entes, durante trinta annos que exerqo a cli-
nica, todos os depurativos conhecidos, quer
nacionaes, quer estrangeiros, de nenhum tirei
tao prompto e efficaz resultado no rheuma-
tismo, na syphilis, e nas molestias da pelle
come do Cacj4rubdba do Sr. Antonio Pereira
da Cunha, ao qual devo o restabelecimento
de varies doentes, de cuja curs eu tinha desa-
nimado corn o emprego do e outros depu-
rantes.
0 que ea dtto 4 Tevrdade, que confinarei,
ppreciso for, corn o juirmento de men grio.
Recie, 2 de Juaho de 1884.
Dr. JoW da 4X"a BanAo.
Attesto, porque vi e observed, que a preta
nsolsasuo ao andava a quasi 8 annos, tendo
as pernas completamenpte chagadas, e corn o
emprego do Cqffrb-uba desappareceram an
chagas e comecou a andar. Recife, 6 de
Agosto de 1888. Gerauio CampeUlo Pire
FJ4e"6ra (Desembargador da Rolagio de Per-
nambuco), -
Recife, 22 de Abril de 1883.- Illm. Sr. Fir-
mine Candido de Figueiredo. Jose Caetano
de Medetros, Tenente-Coronel da Guarda Na-
cional e Cavalheiro da Ordem de Christo. -
Declare que o seu preparado Caj'4rubba e um
prodigio I Men filho Cleofas soffria de dartros
a ponto de se ir tomando uma molestia sdria;
depois do se ter tratado homeopathicamente
e corn mais outros remedies, sem que melho-
rasse, usou do seu Cajiubiba, e antes de
acabar um frasco desappareceram como por
milagre.-Um outro meu fllho soffria de uma
ferida na perna, e depois de tomar a Salsa e
Caroba por alguns mezes, serm que a molestia
obedecesse, corn Q use do sen milagroso Caju-
rubeba ficou perfeitamente curado:.-Uma mi-
nha neta, soffrendo de flores brancas, recor-
reu ao seu preparado, e em poucos dias ficou
boa. A' vista disto nao devo occultar tao pro-
digioso medicamento, nao s6 pars animal-o
em seu trabalho, come para ensinar aos sof-
fredores a taboa da salv"ao. Jo8sd aetano
de Medeiros.
Parahyba, 8 de Marco de 1884. Snr. Ro-
gaciano Olympio de Oliveira.-Sendo eu nes-
ta provincia o agent encarregado da venda
do medicamento Cqajirubtba, e tendo Vmc:.
feito useo do mesmo, rogo-lhe se digne de in-
formar-me com franqueza o estado em que se
aehava, e o resultado que tirou corn o memo
medicamento, podendo eu flar uso de sua
resposta.- Sou corn estima deVmc., Manoe
Pereia da Cunlha.
Sr. Manoel Pereira da Cunlh,-Tendo com-
prado em sua fabric Apolo o preparado vi-
noso, denominado V rue6, par men psi,
Qn. -se ahf.v& Whemardle do urna onrxinsioa isa


Dr. CARLOS]


A EPE1 I ;iT
DOTNou
BETTvHCOURT


febrifug e 3,DIC, -JPllAtlI:uACR.iUTt P ;:l. "

j~j Ton!co, febiifng e desohstmuente de lochs t :.1r,:i
En: pregado Ilas !>g4:intes 1olucstia.sI:: dr : ;
Eaiomnago, do Fig-do e do Baco, (Conval(jc.( ;. -,i, ':.;. ,.; : ._
O.e tes antigan Opila,.fs, Chlorose, Cores palliia;, F"ai,;a d :.' -
Mol.istia da Bexiwa e d6(s Ourinias. '
uni rceconstituint ce tnorgia..
D6se : Viii pequeno calice antes do iilmoro e oul ro amlt-sJ d.o r.tn,...
SAs ercan..:- toniar.-io mnetade da porqfio indicada. '



DEPOSITO.-Rua da Cadeia n. 27, pharmacia do Hermes de Souza Peroira & C.


IIHAPELARIAI


ViCTRI


CHAPELINAS E CIHAPEOS
NA


Praa da Independencia ns. 56 40

DE


J. da Silva Carvalho 4k C.e
Um lindo sortimento em chapellinas e chap6ospara se-
,nhoras em todas as cores, ultimos modellos
Nesta casa tern sempre urn complete sortimento em artigos de
chapellaria, tanto para homes, senoras e criangas, s recebe
mensalmente das principals modistas de Paris o qaeha de mais
alta novidade em chap6os e chapellinas.
Garante-se sinceridade e pregos medicos.


PRAR1IAAD LEVY
Antiga pharmacia de P. Maurer
M RUA BAB AO BA ICTOBIA
Elixir depurativo regenerador do
., 1: U. 1. W,

Propaial polo pharmatcffic
JOSE' FRANCISCO BETTENCOURT
COM
Salsa parrilha, velame, cainana e caroba
Os resultados admiraveis d'csse medicamento e a grande aceitagAo que tern me-
reoido faza-ma-no recommendado para as mais ltoiesyphlitieas e impurezis do sangue.



Capsules de Grimault & ia
Com 3IICAT 4OO
Approvadas pela Junta central de Hygiene publ om do Brazil.
'CoiIIacio da Essencia de Waico Cim o alsmo de Couabiba
Remedio infallivel para curar a Gonorrhea, sem embaraoar o
estomago, nemr provocar repugnancia, effefto que zempre proauzem
Stoias as capsules de copahiba liquid.
SDeposeto em Paris, Pharm. GRIMAULT & C0, 8, rue Vivienne,
o a Mprincipaes harmaciaa Drogarias do Portugal q do Bira I


SMOLE TIA$ DE PELLE
Approvado pela Junta central de Hygiene do Brazil.
SABON[TE BE ALCATRAO DE GRIMAULT & C consolida e vivifica as cares e 6 do
efficacia admiravel nas affeccOes da pelle, espinhas, empingens, lichen, herpes, eczema,
comichoes, prurigo, etc. Se recommend aos agricultores para os animaes atacados
de enfermidades da pelle.
SABONTE DE ACIDO PHENICO DE GRIMAULT & CW, tern todas as propriedades
desinfecta".tes do acido phenico, sendo excellent preservativo contra o cholera e febres
putridas, niodificando o ar viciado das habitagbes e combat ndo as transpirapde. nowa$.
Preserva das affecqdes contagiosas e 6 sem egual para picada de insects.
Deposito em PARIS, 8, rua Vivienne e nas princip. Pharmacies a Droariu.






FEIRRUGINOSO


dCcm do Lwad*e4QuaeW amurw
as PROTOqODIRETO do FERRO
wiwmmao par I- P. LAROZ5g mrmacwV'4a
&OW a a m mm00 fr 1 8
&WWYAO M L JNTA flU DOE---UM D0USAMa


LJ^bT ii. 7 toicdos%activida&laoeeugase
m t reBBW dosaem al OM jto no extado 1Mq tridwit d Porilmo o Tar-M" r****
liqUIn "ndOrl dJ..P.R"aaecDivd copo
SMsWrodusmelhOeresrestadds.o.b medicos da Faculdade de Pri,
a inUC A?? -riUCeiPi s aMego60 eo pecifico ms ac rtado pm
taC eWAe, de i&raja e da s9 sa lasgor, aClhrme. AM
quama amM.a, o feo asssmtilato a, CGhlrl.Anemwmi Fm- as i
WHiutueuit o a"us effeito prompt a oom dixoetoes 4mora 0 gerali esUtitfaA. x t"gue, a forea; leatias m s"orbutio- e. w
A esofem 4 L ss; sos diffarentes Rasbiattsm o
w E soW

* OE
SA


BEAT


A. '6o


Esrofulas e todas as MoleksUs
provenites dIllas:e para
DAR VIGOR AO CORPO
PURIICAR 0 I
fwy ode DKJCAYM&ISEWALM. ul
DEPOSIT GERAL
1i8--Rua PrImeliode arvo--I5
Rio do Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAESO HOWIE 4 C,
N.---3 Rua do Commercio---N.--3
A venda em todos as hoticas e drogarias.

AMA
Precisa-se de uma ama pars lavar e engommar:
na travessa do Pires n. 5 (Geriquiti), preferindo-
se urma pessoa que nAo saia A rua.
Precisa-se de uma ama para lavar e en-
gommar para duas pessoas : a tratar na rua d:
adre de Deus n. 7, primeiro andar.


/
/


A PEPTONA
Sobaf6rmaaVINHO do PMEP9'OA,
proparado per De~rne de Pari', am
medtcamento qae muito contribue ram- fad-
litar as funcfoes to estomageo, e reg'airima a
digestio, uico n eio de favcr. mtruib
do doente.
Semnumero de exper'nias feWtas p
mais afamados m 'dicos de Parise outros
pzes demonstrara-n a efkania doVINHO
DE PEPTONA DEFRSNBi; a ita-
possbilidade em que estamos de -produir
odas as sans cartas, limitamo-mos a apro-
sentar alui a cartsa lirigida *ao Shr Defrusz
por dm facultativo, cujo nome a ftma usO
bern conhecidos pelo mundo muedid. ,
Diz o D' Juiiet ao Sfcr efresae:
Snlis, a W Je lb.ode, 8. ,
K Tenao o gosto do Me amifestar a m-
tisfahio que tive corn f ua Paptoma, iS
b ons resultados que corn lla ak=ancel mo
c mos graves em q.e a tenho en prepdo.
a Seropre quando tive de trat u um -
mago cansadA, doente ou corn i. As diges-
toes, a saa prepara*c allivou oo
dente. melhorande-lhe as func65.s digesti-
va a mu;tas mulheres idrsas, otrM
anemicas c meninos rachiticos deveB a
saude ao m la Peptona. Por io. 1 qw
consider coa 1 um verdadeiro ever o re-
commendal,- os meus dcernes B'utw padne
number ) de casts.
Tenho pratiadu como medico pratco da-
rante os annos de 1831 a 1800, period em
5ue a nec-'sidade de digerir oc alimentos,
Suir.zediatamente consumidos era menos ibm--
. p6riosa do que hoje; entAo as constituij"i,
Scram mais vigorosas, sanguineas. er ca
S dotadas d'um robust appethim. fvereada.
ior uma grande abundanuia de sucees ga3'
trio qa prcvocava a prempta transforma-
* 9o ao .lir.entos ais refractarios. ,
Hoje,pordin, i que os estomagosdabli-,
tados carecem de en'-gla, 6 oonuv ,uli.
lapfar mlo de todas as su Cb e tM i-m
cilitam a digestio, como, por eumni, d4
sua Pacreatlna.
0 preceito de hygiene mab importamto,
Io.r'm mass desprezade d este : Gemr
muito ra- reparar muizto. E R sto s.
gredo da saude, e durante nmito tempo as
meus estud's tiveram este asimpto por
principal objeeto; aldm d'isso, a "mnha ii-
tuaiao de medico na Repan iao de Bene4i-
cencia d'esta cidade em que os ,ucrofuloms
e lymphatizos abundam fora de medids me.
permittem fazer muit felizes Vppii os
de seus excellkntes products. a
Acha-se o deposit de tio vako -oedi-
camento as Pharmacias e Drogarir d'essa v
cidade. E' puecio cufidar em recolhtce-ol-
e nao aceitar as imitaiVes, exignilo 40
aejaa'o-uAehVlnHO DEEMS. X


c34

I1
SO
mo4
Ii- 4


SIAROE LAROZE araa TONICO, ANTI-NERVOSO
k fw-i.G W .ti G**la Dysps ,it. Dro t eciubtau ilE mm ulp
x ROP DEPURATIVO ";'iODnURETODEPor uio
I am "w oMke m fseasi. camntrmnm Tumowr. b'm-n mniaM = fts J
h oeii saByphUitige. esMendearoes o t.re larle..
SIROPE SEDATIVOn'',' BROMURETO OE POTASSIO
s nia p Gu. imiMMa das G"imaa dam a noiw&**
Iw~ ma woo 1 -"As.-- "M 1 mw O1
Tf~t~ i~ilcif^~ifirfr~f ^1rli w>AAt~ it it ^tf A A^


XAROPE DE QUINA FIRRO
d O .ZgA.L7aLo'r^ Ci, Pharmaoticos em Paris, % Rn Vivieneoe.
AaitWts aM soa *opea efilc de iraniga. Appwvido pela Jnae cenJ tral doHygiene do BmOAL


Fazem


sangue, a QuIna Real, tonico superior do system.
combinados intimamente pelo Snir GumuIA em um

es r-usultados na anemia, choose, leuoothea,
do oatomago consecutivas t essas entermiades,
VachIm^




























barato do que o" tro
qualquer, t visto ree-
berm directed nte.
Todos os relogios
vendidos n'esta casa
sao garanti4os. -



Casa inboilhada
Aluga-so uma na Capunga, completamente
prompt, e propria para quemn qucira passar a
festa f6ra da cidade, garante-se a casa atW mareo
proximo future : a tratar corn o Sr. Manoel Car.
pinteiro Pores, A rua das Crioulas n. 1, na Ca-
punga.

Luz brilhante ser fumc

Oleo aromnatico
HYGIENICO E ECCNOM Ce

Para liyanias


Martins & Bastos
Pernambuco
Nnmero telephounico na. 3




AO COIE10O

Viagens ao ceetro
De OUnda ft tabayaaa poer Igua
rass, Wbaua Uatb
Todos os sabbaloos, as 4 horan da tarde: passa-
gens tomam-se A rua Primeiro de Mar9o n. 1,
loja.
De Itabayanna A Olinda por Itam-
b6, Goyanna e Ignaras
Todae as tergas--feiras, as 4 horas da tarae
sassagens a tratar corn Lourengo Pereira d'Amo-
tim, em Itamb6.
Viagens avulsas para qualquer part e em qual-
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e
a pregoe commodos. Essas contratam-se A rua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagtgens que no Dodetem ir nas diligencias.
Por 22000
Aluga-se o segundo andar e sotAo A rua de
Lomas Valentinas n. 50: a tratar na livraria
parisiense, :,A r9 Prieeiro de.Marco n, 7 A.
Trastes


VL~W*' Z~a


ae


r I -i


Inteiro
Meio
Qizarto
E~m ju~aRtldade
aInteiro
Meio
Quarto
Manoel


F^^-',-^- *;
400
16000
major de 10oo
36500
1#750
#875
Martins Fiuza


CAS(A H OURtO
Aos 4:0004000

BllllT~i"AYRANTDOS
Rua do Barlo da Victoria n. 40
e easas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
em seus felizes bilhetes um quarto de n.
354 corn a sort de 2006000, e outro dito
de n. 3983 corn a sorte de 1006 e diver-
sos preminos de 326000, 166000 e 86000.
O mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi-
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 5.' part das loterias a
beneficio da matriz d& Gamelleira (84.0),
que se extrahira na ter9a-feira, 4 de no-
vembro.
PrECOS


Inteiro
Meio
Quarto
porq5o
Inteiro
Meio
Quarto


4#000
2#000
1#000
de 100iOO para
cima
35500
1#750
#875


Lel-e.


A VENTURIOA

Aos 4:00$000

BILGETSAM S
16-Rua do 'kgAl
0 abaixo assignmado vendeu nos seunt
venturosos bilhetes gaantidos os premioa se-
guintes: 2 quartos corn a sort de 800#
no n. 58, 2 quartos corn a sorte de 100#
no n, 2929, alm de outras mais de 32#,
166 e 84, da loteria n. 83.
Convida aos possuidores a virem rece-
ber sem desconto algum.
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tcs garantidos da loteria n. 84 em beneficio
da matriz de Gamelleira que so extra-
hirA na terga feira 4 novembro.
PRECOS
Inteiro 46000
Meio 2#000
Quarto 1#000
Send quantidade superior
a 1100:00


Inteiro
Meio "
Quarto
Joaquim


3#500
1#750
875
Pires da Silva


ttt OjaP mja ; ; ^ *
ter m- ubarato
Ik q'ui'e e-nm, 0-4 M.qual-,
pier parte.,
pbU


0 PainIK 1ryogotal do Porry Davis
Matador da dor
Um amigo dos pobres, ecenomico e de
facil applicaoo, 40 annos de success es-
pantoso..
Nenhunma fanilia dove estardespr--vida
deste remedio. -
Externamnen.e cura: furunculos pana-
ricios e outros tumores -torcedura dos ten-
does intumecencias das articulagoes -do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
- queimaduras-golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, moleslias
do figado, dispepsias, ulceras doengas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitates.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
&C


DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Barlo da victoria n. 5
SPREEOS


Frascos grandes
Pequenos
Duzia de frascos grandes
Pequeno


15000
12W006
9000


Chinelo Turie..
0 Rha do Bariob V
0 ultimo vapor da & ura ab
conduzir para este bemrn conheco esta.
lecimento, tudo o quo de elegate se pode
dcesejar em calgado, nlos6 para senhoras,
como tambem parahomens e mneninos.
A's Exmas. families, as distinctas clas-
ses academic e commercial, e ao public
serm distineco de cathegoria, convidamos
a visitarem nossa casa, convictos estamos,
que ninguem se recusarA honrar-nos ,corn
suas encommendas, caprichos de moda, ou
modestas compras, ante o explendido sor-
timento, amabilidade e pregos rezumidos
que sustentamos.
Estas garantias s6 offerecem
Thomaz de Carvalho & C.

0 SYSTEM APERaFI,9OADO DE KERR STUART & C.
Browns & C. receberam desemboo e
espeeftcaeinel deltes S ,tri s,
colo'tamlbeam de woy 9s ;>'-
e locomolivas .
S08s trilhoo e dormentea seotodof de ago por tao
temn muita duraio-o aeowtameito .4 was facwit
qu corn dormentes de madera.
N. 5--Rua do Commercio-N. 5


Al 6am.e xpoi os 'o i venuds n eheim que
i do Plato, a rua de Santo Amaro, dons cabrio-
lets ameritcanoi, um de dou aato corn arreoios
a d B rod"a, aobmejontea outro de quatro a-



MD l@iee abf m ogit wtd. ;1.*,-::.-

:N 1 r a dos brakdast
da &UVista
& -Rua da Iuperatrfz o-0
VENDE-SE
Madapol= pea do madapolao francez
enfestado orn 12 jurdas a 8O000
Dito muite largo corn m20 vara a s 4000 e 56000
Dito, fazenda muito eneorpada- que pa-
rece cretone, coom 20 varas a 5A500,
6.O0 e 650%
Dito francez, americano, fazenda muito
final e encorpada de 71 at6 1200U
Algodio enfestado corn 9 palmnos de lar-
gura para tazer leng6es de um s6 pan-
no, metro a U
Dito trangado corn a mesma largura,
proprio para len6oes e toalhas de
mesa, metro a 15200
Bramante de algodao corn 10 palmnos de
Jargura, proprio para fazerlen96es de
um s6 panno, metro 12,'
Dito francez, sendo de linho, metro a
1.800 e
Dito inglez de quatro larguras, seudo
de linho, metro a 2,500 e 2W800
Creguellas proprias para lenq6es, toa-
raas, eeroulas, send fazenda muito
encorpada, cada peva corn 20 varas
por 10800 e em vara a 50(1
Ditas comn a mesa media a 800 rs., ou
vara a 4,
Atoalhado adamascado para toalhas de
n esa, tendo 8 palmos de largura, me-
tro a 1A80!
Assim como um eompleto sortimento de
peas de algedaozinho amerieano e
inglez, que se vende por peca de 35 atW 64000
Isto ua loja da esquina do becco dos Ferreiros
Casemiras de cores
De 0:000 at6 6:000 rs,
Erunii lOr mdida
Alheiro & Silva a rua da Imperatriz n. 40, tern
um immense sortimento deo casemira de cores,
tanto claras como escuras, que vendem a 2A000,
24500, atW 61 o covado, e das xWesmas mandam
fazer qualquer peca d'obra ou costumes, por pre-
gos muito razoaveis, assim como tern tambem um
encplendido sortimento de casemiras e pannos pro-
tos at ao mais fino sedA que vem ao mercado, e
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer pega de roupa vontale do fre-
guez e corn toda a perfeiao e pOesteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
becco doe Ferreiros.
Li o0s ga lO rls
Os Barateiros da B6a-Vista vendem muito bo-
nitos linhos do uma s6 c6r e de listrinhas para
vestidos, sondo a 160 reis o covado e de c6res fixas,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do beceo
dos Ferreiros.
Brim pardo
Covado aw 0 r.
N loi darua da, Imi rai 40, vyade-so
brin pW.,dQ IWUo, propo o~ra. altos, calcas e
pUas de nian4 a a 360 ra. o ceado, isto poi
M L toque dk) ]fo que Ir o qu% ua
h- G zu s Wos barfti-
ro.da Boa-Vista, equina do becco dos Ferreiros
Fustses a 360440, 500
e 640 rs.
Os barateiros da Boa-Vista A rua da Impera
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus
toes brancos, proprioa pars vestidos e roupas de
criangas, pelos preees acima indicados : isto na
esquina do becco dos Ferreiros.
Setinetas a 500 e 640
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, A. esquina
do becco dos Ferreiros, vende -se um elegant sor-
timento de setinetas, tanto lisas como lavradas,
sendo as cores mais bonitas que tern vindo aM
mercado a 500 e 640 rs. o covado; assim como
un bouito sortimento de lasinhas lisas e lavradas,
proprias para vestidos, de 5: 0 at6 800 rs., e pe-
chincha : na loja dos barateiros da Boa-Vista.
Espartilhos
a Mj e foOo0


or bitratis"io?
wRa do Imperatriz 40
LOJA DOS BARATEIROB,
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava O'k
Ditas de panno preto fino, fazenda muito
boa 7000(
Ditos de easorni de qadrinhos e listri-
nh fno p forro 10850
to s d mm fe ra es a, d cordlo, for-
Diro defl= 5 0, 6onado, 8 send &-10

Ditn as "de nsaem presta eda8 e 10000
Ditos de asemiras de cores claras e es-
our"s 10A00M
D'4oa de pa.na preto Gioo, forrados 10J000
Dito s da casemira preta de eordao 10 e 125000
Calras de casemira corn differences pa-
drfes, de 5a500, 60500, 8A e 105001
Ditas de casemira preta hedA a 8A e 10600l
Ditas do casemira dc cordao 6n500
Ditas de casemira preta 6500%
Seroulas de creguella, obra muito bem
feita a 1;200e 160C
Ditas dc Hamburgo de Unho a 14800 e 2W000
Colletinhos para dontro, sendo 4"cre-
guella e muito bern feitos a 800 e 100(
oamisas, grande sortimento de camisas
braneas, tanto francezas como inglezas,
tanto de linho como de algodAp, sendo
do 25, 24500, 35, at6 60.
Ditas de cretone de cor de 2A, 2A500 e 3(YXJ(
Meias, grande sortimento de meias cruas
para homes, de 320 rs. o par, at6 50
Collarinhos, ,grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 55 a duzia atW 8;00(
Toalhas, grade sortimento de toalbas,
tanto para rosto como para banho, que
se vcndem por preqos muito razoaveis.
'I'ldo isto 6 eom grande reduqlao de prcos .: r
Ioja da esquina do becco d0,s Fcrreiros.

Grande liquida~a"o
Para acabar
Folar de cores, fazenda linda para vestidos por
360 rois o covado.
Setinetas ombre', cores lindas c modercmas a 360
o covado.
Ditas corn flores a 400 rcis o covado.
Crepe e setineta para coberta a 800 reis o co-
vado.
Damasco de cores, d'algodio, proprio para col-
xas a 600 reis o covado.
Cretone franeeza para coberta a 500 r6is
Dita ingleza para coberta e chambre a 280 rdis
o covado.
Chitas modernas lindos e magnificos padres a
200 e 240 reis o covado.
Cretone a pompadour a 280 o covado.
L5 escocesa a 280 o covado.
Dita de cores a 320 e 400 r6is o covado.
Merin6 preto corn duas larguras a !$000, 1500
e 2S000.
Fustoes brancos para 400, 500 e 700 rezs o co-
vado.
Brim pardo liso, fino a 320 e 400 reis o covado.
Camisas de cretonss de cores a 1U200 uma.
Dita branca 15800 uma.
Dita branca peito de linho 3000, 3.500 c 45
uma.
Corte de casimira ingleza por 5000 urn.
Casimira ingleza por 34000 o covado.
Assim como outros artigos que corn a vista se
pode avaliar. Para o respective annuncio cha-
mamos a attenafo do respeitavel public e das
Exmas. families na
Rua Duque de Caxias nU. SS, loja daps
quatro partaf* n. S8


69

Este 6 o numero de uma acreditada casa rua
Puque do Caxias, cujo sistema tern sido, vender
as suae fazendas por precoes baratissimos, e os
seus proprietarios querendo provar a veracidade
do que fia dito, apresentam una list dos precs
Ctos 5uiut t arUguz, va quatc sao para acairr,
comro seojam :
Nova remeesa de popelinas de quadrninhos a 160
rs. o eovado !
Lindos padres em cretones claros e esenros a
240 e 280 rs. o dito !
d Bonito sortimento de fustes de cores a 240 rs.
e dito e bom verem.
Brins de scores para roupas de meninos a 240 rs.
o dito 1
Idem pardo, lona superior, a 320 rs. o dito!
ldem corn quasi um metro de largura a 440 rs.
o (dito
Casemir easinglezas de cores, duas larguras, a
15200 e 1A500 o dito !
Idem pretas diagonal a 23400 o dito!
Paunos para mesas, bonitas cores, a 600 rm.,
1s6400 e 1A800 o dito !
E 3plendido sortimento de lies para vestidos a
200 e 500 rs. o covado 6 para acabar.
Setinetas francezas a 360 rs. o covado !
Setim macAo branco para as Exmas. nivas a
1200 o dito !
Idem de todas as cores a 14400!
Merin6s de duas larguras e de todas as cores a
15200, fazenda de 2000 .
Idem'preto superior a 15200 e 15500 o dito!
Bramantes para lenoes a 500 rs. o metro, e


em casoo de i& &v
do ~ dono t day. op-
5FARUBiAiiEt&ADOiDL
A ciencia e a pratic. s aU-
nhaouza coum P inho d I
trictipr contantemen-
eoa doBramile da fie deao-
ser a do Dr. FmREIOC a mni'
genoro. .. '1
-M p ask*"& o.f l ma
AuX oonhecido ntd- Tuib. yms
asmerosa molestiau.
Vende-im a verdadeira fiuha "ilU
do Dr. Frerich:
55 RUA DO IMPERADOR 56
Estabdetedmento de muuicUa pns d. 9h
torPrJve

CRAVOS E FLORES

Na rua da IIii, a.

33, ha sempre pars se

tender craves e flores




Ff0I 1l BLuA
Souza Moutinho &
C., temi constantemen-
te a venda fio d'algo-
[daio da marea Lonui-


conhecido


n9'este


mercado, em novello
de 200 a 400 grammas
e em saccos de 25 ki-
los, da muito acredi-
tado fabric Bom-Fim,


de Catilina


& D'utra,


Rua do Marquez de
Olinda n. 22,

Altlencao
Grandes reducefes em precou de
movefi
Cadeiras de junco do fabricante Thonet a 64
Ditas corn pequenos bracinhos 704
Mobilias corn encosto de palha 850"
Ditas de pio-carga a 2605 e 3004
E mais peas avulsas que se vende barato: ma
rua estreita do Rosario n. 23.

Chanbres
A' 4500, 3*A' e e44W
Na loja da rua da IinpewIu
40
Vende-se chambres de chita e cretones a 2500M
35000 e 45000, para sacabar, isto iaesquina do
becco dos Ferreiros.

Balance


Vende-se uma balanca propria para pesar cou-
ros, corn todas as suas pertencas; tambem se
vende um portau de ferro, nnvo : na rua do Bruaa
numero 79.
Vende-se o sitio da estramla dos Afflictog a.
10 : a tratar na rua do Bartholomeu n. 40. on Da
rua do Imperador n. 81, taverna.

Liquidacao


Para acabar


JoSo Jeaquimda Costa


% I


i



























^* J -Q tiziha.iA aurazao -p*Wi'ft0*raa
^ te obsefrvar, desdeo acomneo, aa rela-
do de aaricioi len a jbven viva.
L Sra.- de" Oonibaleu era ura miulher
7xaa.ot e alta,. rosto'borbulhento,' -om na-
i z d'agaia e sobraatcelhas tio .xagerada-
,t :espossas e nogras, que ,pareoami
poatigfao. Eh o aque restava do ua for-
sura que, no dizor das turbas, os seos
temporaneos haviam admirado de mui-
as, coin o tempo, tinha-se tornado
severa.' Consagrara-so ao se u filho
.-- quo, estragalo corn mimos-, lhe
ava agora como just recompensa teda a
[sta de cuidados.
H Este filho, Gerardo Combaleu, estava
ora um ballet moceteo de vinte a sotoe
inos; nem bomrn, non matt e mragaifico
monipanheiro, principalmente em mA comn-
anhia. A mai para o afastar dos passeios,
a.Ios bastidores o dos botequins, desejava
Sardentemento casal-o. Em tempos tivera
7 ^a veleidado de o induzir a dosposar
K aua prima Marianna d'Epinoy, de queon
ei-a tutora. -Mas entaoe cram os haveres de
17 Marianna muito inferiors aos de Gerardo,
S.o quo sa the apresentou coma umobsta-
culo. Hoje, porem, estava tudo mudado.
SA herdleira do Sr. L:i Pave tornou-se umn
w agnifico partido para Gerardo ; eoste. dis-
S cretamnente sondado, mnostrou-se deslum-
brado corn os milh-es da formosa prima,
S que tie proporcionariam ensejo de satisfa-
zer A larga z to.las as tendenaeias para a
grand vida das caqadas o das corridas.
Depois da mnorte do Robarto, a id6a
d'este enlace assenhoreou-so completamen-
to da Sra. do Conbaleu; assim, facilmen-
to se imagina a solicita vigilancia quo ex-
ercia sobre o torreno que oxplorava.
Nao tondo 'da aguia os olhos, tinhai o
nariz; de ha muito entrevira na condessa
urna rival; notara quie nas conversas da
condessa coram mniarianna de La Pave havia
intencional insistencia om elogiar e exal-
ar os merecimentos do filho, em recordar
a extraordinarily amisado quo o ligara a
Roberto, o a insinuul-o mnuito, subtilmonte
n- praeo, c-mo presuimptivo herdeiro do
s~migo.
Pouco a amedrontava a coneorreoneia.
-Estava ao facto dos sentimonlos de animo-
sidadc qne a s)brinha nutria contra Fre-
nu nee, e quo ella so crnprazif e-n forti-
iar--; conmtuado, a aentrada om scoena
do conmmnandauto cmu possa era tur a cir-
ucumstrncta quo exigia toda a sua attendIto
Apenas so aperecbeu de que Mauricio
saluira do castello, correu a sala a procu-
rar M3arianna. Viu-a banlada oem lagri-
mas ; choraram juntas um moment ; de
pMis, para a distrdir, perguntou-lho quo tal
Sthe prarcera Mauricio de Frenmeuse.
Q- e hei cte ea mti H Mla o v ...
'.-uprolhenlo bon qua me prooccupammais
er.ios euidados do queo oa olhar para
die.


S.. E" parecido eo.n o retreat minha
S querida ?
E' provavel, disse Marianna.
Ha tera o lhar false, como todos os
lIypocritas.
SE' provaivel, repeti! a viuva, abs-
tracta.
Aspirou coui fora o sea frasco de seacs;
S levantou-so, levand) nas maos o cofre do
cbao, e 0disse:
S-Vou diligenciar dormir umn moment,
into a cabeca cm braza!
E atravessou a sala corn aquello andar
undulante e altivo que the era habitual.
SA tia Combaleu desta vez nao coouse-
guiu mais.

FOLHETIE


0 FILHO DE ANTONY


POR

ALEXIS BOIMI


PSiiihE]IRA PARTE

CONSEiQUNi BEBUMA FALTA


(Continuag'o do n. 252)
CAPITULO VII


A wvingaca 410 cuna muflher

Mine. de, Camp, o que nos dizia aCose-
nhora ? '^** .'-A
uhr?
Visivelmente contrariada, Mine. de Cap
disse eom um tom secco: -
Digo o que um magistrado, encarm-
gado do process Me Contou.. 0 Sr A-'
Stony o i io 4tAua Force?
Nlo- N seifbirnha seahora,aoldeMto-.
ny estA, iganoro se eat* earcerioAd aFor-

Pei M"-Ak Oiisiilo^efo lhaaeft
+5r Aua-


to pa, imtwade'idadisip9ilo'
e Outoridade), 'as ifiiias vatadeks do a-'
ride? ao enteava igto, a: ,t6eert pOit4^
nos eus deveres doil .. "

jr ais deiumavezti ba-en radooba
do Demortreuz- saeordote dintincto e nada
ambioioso.
Por gosto se havia deixado encanecer
'amn presbytonio de -aldeia, occupando-se
das antiguidades locaes, o da sun corres-
pondencia corn as sociedades religiosas;
cultivava as relapses de visinhanga, trata-
va das -latadas d horta, e pescava A linha
n'uma ribeira que corria o long da jar-
dim.
Fremeuse resolveu urea manha ir a casa
d'este clerigo philosophy, e terido-lho pre-
viarnento pedido que considerasse a sun
confidencia comne segredo de confssitio,
deu-lhe a conheeer o testamento verbal de
Roberto, poguntado-lhe so queria obsequial-
o, tronsmittindo a viuva os terms em quo
era concebido.
--- Ninguaem, acrescentava Mauricio,
ninguem estava, par todos os titulos, mais
bern qualificado para fazer acceitar a' sua
penitent um genero de reoomnmendaoes
que ia tlo direito A consciencia; e quq,
passando pela bicca do um homem velho,
ecclesiasticeo e confesso', perderiam o que
contiuhamin do demasiadamente delicado, e
quasi offensive, na bocea do qualquer ou-
tro. ))
Durante este long discurso, a physio
aomia franca, o risonha do abbade Da
m ortreux, foi-se a pouco e pouco ensom-
brando; moditou longamente sob os seus
cabelos brancos, ;mtes de responder.
Meu querido senhor, disso elle final,
6 uma mna commissi-o essa; pessima res-
me e quo era capaz de indispor a minha
penritent,..c commigo, so cu commettesso a
imprudoncia de aceitar...
Convenho que C da minha part. umr
poueco de egoismo... Estou velho... aire


cio o socego. .., desejo conservar-me ein
boas relates corn os meus visinhos de cam-
po... Sera tudo isto !... Comtudo affian-
go-lho que a minha condigilo de padre e
confessor me tornam exactamnente, d'entre
todos os homes, o mais mal escolhido para
desaempenhar a sun commissio. E sabe
porquo, mom caro senior? Pela propria
raziao qua evoca de eu sor o director espi-
ritual da Sra. de La Pave, e quo a primei-
ra cousa quo ella mo pediria, se the com-
munieasse a sun missaoe era do the expli-
car ate quo poato tornava responsavel a
sua conscioncia. Ora 6 exatatamente o
quo ou niao sei; e unao posse pronunciar-nme
sobre o assumpto.
Sob o pouto de vista religioso e para
mim problema impossivel de resolver at6
que ponto urna mulherr moga ainda, e
obrigada a obedecer As vontades testamen-
tarias d'urn marido que ao expirar the im-
pZe nito tornar acasar... Excele a mi-
nhia competencia... Desejo pois ignorar
que esse case exista na conscioncia da Sra.
do La Pave... Sa ella alguma vez m'o
confessar, nato poderei onto eximir-me a
attendel-a... mas nio serei cu que va ao
encontro de semolhante embargo, suppli-
co-lhe mesmo, men care senhor, coat ins
tncia de nem por sombros dar a saber
A Sra. 'do La Pave que estou do posse
d'este segredo. .. Dove comprehender fa-
cilmente, quo aquelle quo tiver partilha
nested segredo, n-lo poderb doixar do ser
para aquella senhora senao um inimigo ou
u.m cumpliee :


Nao sabia.
Mme d'Hervey 0 minha amiga, e eu
disse que Antony a havia ferido porque
ella resistia... respeito o honro o soeu ca-
racter.
0 Dr. Delaunay estava muito pallido, as
maos crispadas rasgavam-lhe as luvas, coin
lifficauldade so continha. A inimiga dos
seus amigos estava na sun presenga;
quando julgava tel-os salvo, via a calum-
nma oerguer-so mais terrivel ainda, allogan-
do factos precisos. Te-.re voatadoe de es
magara vibora; mas, dando a pereebor a
sua perturbaiao, ceompromettia os seuslami-
gos.
Era, a rir, a gracejar, tomando-a por
uma historic absurda, quo elleo deyia ouvir
a narragAo d'aquillo quo ji sabia.
Fez, pois, aumesforgo e, rindo-se, inter-
rompeu-a:
Respeita-a 'O estina-a comeo as amu-
lhereo-se-respeitam e se estiatn tumas As
outras. '
Quer entao dizer que soa maldosa ?
Sou ?tlvez seVera e iso. para mim e, urna
Kprova do amizade.
Evidenatoente: quero saber o quo
slo as minahas amigas para as poder defen-
der.'
B iitwa-fras -,
-n. M" iiAl 1 m"Vn AgI AM6f-&


t.-liBu~ra.Ao-- quo a ~ra. d L Ave
ltlA`W* o l dde Jta jai-d e

ao iia i ri
f :rang.is aDame.n
r Beoft pporq'ru e a vdo ontlo &P
.rar a -aiinifesLotoAQ ssea itetparar.14i
tmpnsihtiniur s, til, as zudo ao tinui, nrs-
'0 AtA oao os uiz 4t~n-Be de~
ll^.s^^l%^ a, esne^:

gratiteniat, spigifiard-Ie aprohibirilo di o


-- Sonhor Cura, iss b dauriei rapa-i
urna cousa em qao ell q iet o pnsa., e eaI
que no virA talvez nuno a apensar. QualI
era o empenho do- Sr. de La Pave ? Que
a sua viuva nao tornaso e a casar. Pois-
bem, se espontaneameote ella roalisar eos"e
empenho, 6 inutil, nmais do qu into mil, in-
eonveniente, significar-Ihe oareceio disso.
Senhor Cura, disse Mauricio, appa-
rentemente parece que tem razo... entre-
tanto 911 ison soldado oa casuistica as-
sombra-me um poaeo. Em todo oa caso
agradeoo-lhe ; vou reflectir.
Quando temos do cumprir um ponoso
dever, sentimos um grande alivio em pa o-
der ao menos ganhar tempo.
Este alivio sentio o commuandante de
Fremeausoe ao sahir da conferencia coirn o
abbade Desmortrneux.
Posto e quonao tomnasse ainda um parti-
do definitive, comntudo ja neo sentia a rim-
periosa obrigeago de transpir todas as bar-
reiras e apresentar-se do e sunbita o A joven
viuva sob o aspect do e um nuensagoiro ta-
citurnoa e aminea9ador.
Podia espeorar conhecel-a melhor, quo
a crescent e conavivencia, cada vez mais in-
tima, trouxosseo naturalmento o propicio
moment das difficeis expansoes.
.0 mais important era ganhar essa con-
fianga affectuosa, do quoe havia necesida-
Coe, e para a qual se sentia propenso.
E' verdadea quo, ate a primeira visita ao
Castello do Li Pave, o invading preven-
goos poiuco syimpaticas para corn acastetII;
mas seria de aiso eapoucado persistirem
systeinmaticos proconceitos contra uma mu-
lier boenita, quoe a primeira vez que a ve-
mlos, nos apparece corn 0s olhos afogados
em lagrimas.
Partio irmanediatamorento para o castello.
Marianna de La Pave estava s6. A tia
Compaleu tinha ido a Paris passar algurn
tempo coin o filho.
A joven viuva, aposar do ter logo desde
a primeira entrevista olhado para Fr6-
mouse inuito mais e melhor do que disse
A tia, estiinou mnuito tornal-o a ver. So
nilo gastava d'elle, tambem por certo Ihe
na- era indifferent. Na vida insipida que
levava, a presence d'aquolle rapaz catisa-
va-the nuna emoglao, quo nilo elassiticaro-
mos do agradavel, porque era muito mais
do quo isso.


d'ze dia's depiscbiegou 'de P^is-a
I nOmbaku, tendo primwiro pasado: emo
Aleaon into e qurtro horas em casa de
utpias mnig'as. Tevo cuidado de se
Sirpresento a primeira visit, quo de-
poa .de -o s regresso .Maurieio fez ao
ldOHo ; e oeve occaailo de o ver pela pti-
?0ia V eZi M-aio eontra sua vontade, no-
toEi qup a s u ttpens era d'uin todb se-
Ector, quanto Urn home bo podia ser, e
qu entro elle e a-sobrinha havia tns
areas do antigo conhecimento e franca in-
tlfigencia, q.ue estava bern longe-do espe-
rar. JA atorrada por esta dupla descober-
ta, soube ainda, para cumnulo, que a fami-
lia Fr6meusi, mAi e filho, estavam convi
dados, pela sobrinha, para jantar no din
immediate n_-castello.
Passou o resto do dia, e parte da noite,
meditando nos perigos da situa.Ae, e estu-
dando pianos de legitima defeza.
Conhecia que o character da sobrinha,
excessivamente orgulhoso e susceptivel, oc-
cultava, sob .una, apparent indifferenga,
accessos de paixilo. Foi sobre estas ba-
ses quo resolve atacal-a.
(ContinAa)


VARIEDADES


Os proverbios da lingua por-
tugn a, coim inm appendice
dos Wlorlgem brasileira


REDUZIDO A VERSO


P. S. DE A. GALVXO
(Continuaaeo)
* Ainda que n'io nos fallemcs,
bemn nos queremos.
Ainda que somosnegros
almna tomes
o per gentle nos havemos.


Negro somnos
porquit assim nascemos;
por6m somos gene.
e uma alma temos.
* Ainda quo sou tosca
bern vejo a mosca.
* Ainda que a mosca
vistas do seda,
mosca se queda.


Marianna teria estimado mais encontrar Ainda que manso.
n'este adverario, n'este rival, n'oste ini- i, seja o teuo co,
migo, uta soldado grosseiro e vulgar, o que JAmai aos beigos
iho proporcionaria u prazor de o tratar co- Ihe morderas em vao.
me tal. Mas infelizmente, nas several e
delicadas foi90es do joven official, na sua 0 din que comecou
front espacosa e luminosa, no seu olhar ainda nilo se acabou.
d'um azul sombrio, no garbo, na lingua. Tns muitas oites
guem, em tudo, era forgada a reconhocer T s mutas otes
todes os indicios do uma superior distine- aida agora
-ao ; e reconhecia-o corn despeito, que dormir f6ram.
Era urna tristeza see mal avaliada, e Arrenego do grilhoes
despresada por um homiem corn aquelle ainda que sejam d'ouro,
aspe3to attrahente e imponente, ao mesrmo pis trazem sempre desdouro.
tempo cotin min ar tio. serio e um sorriso
t1to meigo. Segue sempre a razao,
Comtudo, no decurso da conversac.o, ainda quo a uns agrade,
que vagaoeou sobre as recordacoes de Re e a outros nRo.
berto, sobro o facto da guerra, .e incidents
do captiveiro na Allemanha, Marianna per- Serve a nobre,
cebeu que o feroz inimigo Ihe fallava n'u aida que pobre,
torn do muiga o respoitosa confianga frater- tempo vera
nal. parecendo que a aproxi'naqao Ihe ti- que te pagarn.
gozaudo te inuito boa saude. Agora, mi- conter-se, emquanto o doutor se conserva-
nha eara Sra. do Camp, so vier depois de va calrno, e sorrindo:
amnanh'a -A reunitao da Sra. viscondessa de Sim, doutor, nio quero procurar adi-
Lancy, tero occasion de ver Antony, que vinhar a intengao que dA as suns, palavras.
me podio quo o acompanhasse. iSe uma voz fui A casa .do Sr. Antony 6
Nao imagine, mnou care doutor, o pra- I quo o julgava 'am hommr da nossa socie-
zer quo as suas palavras me dao, disse dade, o quo a mininha missAe de damn do
corn alegria a viscondessa de Lancy, aper- cari ado me obriga a ir A casa das pessoas
tando affectuasrmente as mitos de Olivier. do querno tenho direito.do esperar um born
Entao tude isto nio passava de calamnias acolhilnento."
e de mentiras? Mas, minha sonhora, nIo de mA in-
Tudo mentira e- cal-mnia. Depois tengeo As minhas pslavras. S6 queria di-
da scena lamentavel quo se passou em .sua zer quo julgava Antony digno da sua
casa, tive de acalmar Antony, quo queria sympathia; quo, jfazendo uria boa ac-
absolutamente perguntar a Mine. do Oamp vAo, tinha a certeza de receber um bom
ondo tinha ouvido o quo aqui disse. acolhiuonto. Nio queria dizer outra con-
Nada tenho a dizer a esse Sr... sa. -
Antony... nao conhego as pessoas da suna A aituaco era incommoda par todos.
especie.., e admire-me muito que corn 0 doutor affeetava estar calmo o ale-
tanta facilidade as recebam.. gre ; Mmne.de Camp, pelo contrario, res-
No tomarei a liberdado de. defender mungando em voz baixa, deixava ouvir


Aatony ;erle disse-ria e que a senahora iao
era reoalmento sua inimiga; que apenas
proeurava pretextos para tiradas espii-
iosaa.-L Antony disse mesino, que a -se-
a ....he h.avi: 4ado' l a aliua tenipo,
provess, a 'rpatbia e da1 sua- a. .--
zadeo.


da.


Mme. do
aize-da' 4


4uuelles que so achavam perto d'ella :
-Maleriado silo dignos amigos!
A viscondessa do Lancy disse satis-
feita : .
-"Emfim, tud o isto nio 6 'verdade: a
nossa querida A4ei.. 'i oseapo. u e ser
aasmassinada ? -
Mi nh, m inlez SQoI a baroneza de


eiramente antes de hon-
psa4 caea. Nc Xetzqiz
.Mugs fol couasa 4e loaciea


" O amor de'.Dens veneerti.
to'do .apereeerA.
--A .. .
A .la larga -galgo salta,
Alebre mats.

Alasao tostado
antes morto que cangado.
Quemn 6 valente
e sua forga esquece,
Sroca ou albarda merecec.
0 sensor a perder nito tarda
pois jA por si niao da.,
noem da pela albarda.
DA a vida e alma,
nao, por6m, a albarda,
pois o que Iheo pertence
corn todo carinho guard.
0 burro so ha do albardafr
como o donor o ordenar,
Carasco cm matar,
alcaide em prender,
ladraeo em furtar
ganham de comer.
Do alcaide fugio,
no meirinho cahio.


Alcaide em mandar,
moinho cm moer,
ganham de coiner.

0 nosso alcaide
nito da passada de balde.

Alcaide sem ahrua,
na praga os ladroes.
andam em multid(3es.


Pouco nto alcany,
quem sun culpa
a outro lanpa.

A perseveranpa,
tudo alcanca.


Quem segue alguma coisa
corn toda a perseveranua,
se nio a dalcanca today
part, por fim, alcania.

Queriamos ser bons
e todos o cdcanamos,
porque os meios proprios
para esse tim empreganmos.

Quem do vagar
ou tarde andar,
pouco ha deo cdcancar.

Sempre a mentira
alcanca-se asinha,
tern curtas pernas
pouco caminha.
Sempre alcanca,
quem uio eacana.

Quemn espera e tiverperseveranga.
o quo deseja finalmente a/caa.


Alchirmia 6 provada,
ter e naio gastar nada.
Rosto alegre corn perdao
vingar-se e de baldao.
Pobrete,
mas cdalegrete.
Faze da noite, noite
e do dia, dia
viverAs corn alegr'a.
Alegri secret tanto importa
como triste candeia quasi morta.
vey, eno dia seguinte chega sea marido.
Tern iazao, miaha senhora; parece que
algnum miseravel ihe escreveu dizendo que
viesse quanto antes vigiar sua mialher...
e, precisamente, mal chegou, quer o coro-
nel leval-a cominsigo. Tern razi-o, hlia coin-
cidencias extraordinarias.
Mine. de Camp estava comino estupefacta,
olhando para o medico; sentindo todos os
olhares dirigidos para ella, abaixou a ca-
bega.
Foi s6 a sua recommendaglo, minha
senhora, quo me fez notar essa coinciden-
cia. Mas, corn certeza, isso e extraordi-
nario, e inclino-mie a acreditar, como a se-
nhora, quoe uma creature miseravel, algu-
ma mulher que nao p~de obter do Antony
o quo ella queria d'elle, uma inmulher cin-
menta, finalmente, querendo vingar-se d'el-
le, inventou essa fabula odiosa.
Esta rapida conversaglo tinha dado um
aspect singular A reuniao; as pessoa pre-
sentes olhavam umas para as outras, in-
commtodadas, vexadas, nRo ousando apoiar
nem um nem outro.
Todavia urma corrente sympathica so ma-
nifestiva a favor do doutor, e isso aug-
mentava a raiva de Mine. de Camp, qup
levantou-se de repente, foi estender a mlo
a.Glivier, e coin o sorriso mais amiavel Iho

,Doutor, qeria tel-o per amigo; mas,
oil he causei, atgum desgosto, sinto in ito
I' .. li. lo.jjdgre ^ve quero unal a
0 itw ou ao b tro duosells amigos, Tenbo
a isior amisade por aqal&la oaA4..4a e
ta aatisfeitf Astoa por ser ompletamen-
teo fa-o tulado tiiltl mecontaran.Poe
__iraiJ^Ifti~fJ&^A TffA finn' uwa


,gai ..


Audar r!^to e menlos iio,
do qno viv-cr dlo ,h/; .
Corn a ccusa ,/h;,
vein a dosihonra fi.ei.
Chora s c (1')1 0 ,/lg ( ,Ii
qucr ir d'onlc vein.
* A tbmo ('lh,',,,
me tfpz provcr minlha uiaa.
* Da plle ulh:i.
grande corrcia.
Filaho ,dh,;'
braza no seOi).


Mette pela mianga o iho ,ha .
sahir-tc ha pcio seio.
* 0 r-to C menos f,'-,.
do queo dlo* ;o.
* Por fazenda ,LA ;i
ningucm perca ccin.

Quem A mesa dh, iat come,
janta c ceia corn tome.
Quem a more alhcin- e tima
a sun dcsestima.


Quem da caeno alh,,' ha de comer
S da sua ha de perder.
Qaeiu temrn filio na terra adh, '.
morto o ton noe.an eon-idera
o ainda vivo o espera.
( Cow *', ',).

versarmos i rospcito -da terrivel catastro-
phe, o muito filgo quoe o doutor nos tenha
tranquillisalo A respeito d'aquella boa Ade-
lia.
E' muito mnia por so retirar jAi.
Dosculpe-me ; adeus Sr. Delaunay,
esta zangado commiigo ?
Pelo contrario, minha senliora, a mi-
nha sympathia para com.wigo augmenta ca-
da vez mais.

Quando a viscondessa voltou para a sa-
Ia, depois do ter acompanhado Mine. de
Camp,.dirigio-se para o doutor, c olhaudo
em torno de si para certificar-so do que
ninguem a ouvia, perguntou-lho:
0 quc ha de verdade em tudo isto,
Olivier ?
Minha querida amiga, a metade. 0
coronel sorprehendeu Antony no quarto de
Adelia.
Que dosgragados.
Adelia foi ferida por Antony, tambem
6 verdade. Mas felizmente o coronel de
nada desconfia- Tudo ficou redusido a am
accident. 0 Sr. d'Hllervey partio esta tnoi-
to corn ellas.
Ah o Antony?
Foi prose.
E' verdade ?
E' estA na Conciergerie. Ma ulo ae
p6de fazer accusago alguma, o amaahnU
estarA em liberdade.
Traga-o cA imediatpont; p-
ciso que o vejam para desWtrair o qw
esta vibora causou.
Sahio d'aqui mais temivel A quo
era: felizmenteja estlo longe e ada ha a
temer. la oinp-e. Antaoy Vu.. qua

Estil a olhar para nde. Vano e
nu WOVA" MM^I* ':, aide


fi Sewia 0 aria, V

^ Trists..obre alegria
"dobrada' fadiga cria.
S Para u'rxaidor doloso
riais de in aleivoso.

Qu*t rabalha ben
alfa14 tene.

Comrn velias nio te alfaics,
e nem to cases
quo 6 grande o final que fazes.
Anirda o alfalate
sompre mal trajado,
come o sapateiro
sempre mat calado.
S0 que aifeloas slo,
nunca os amos saberio.
Nio ha o quo admirar
cada bufarinheiro,
seus (flfwiet.s louvar
Ida de Joto G(Aomes
que foi em sln ,
e ficando senm ella,
volttou CiC l(etcr/jq'.
Qucin tern ,tlti',!,4 c a-a ,.
sem ihe dar cuidado.
quando bein lihe pnreeo
vai ao mercado.
A jljoin/: eomprar,
C a O'IKf(J I l rlt'C %
Iomcm quo minadruga
de oalo tiom eura.
A arena e o "a l udrl
nio so lhaio do ,mp1'c;t:1\

S (IrdIa dc maril1o
o ea/{j.aiv qucbrado
aquellc substituido
e outro no paiol colloeado.
Estudnantc bargante,
ehclapco ,/ fi',iy/, !")'
c'o sentido nas pjo(2a-
niio pode estudar.
Qucm do sen maldiz c fiila
certs o (I/,,if n u; c^in..


!


f,




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8EL9DZBS_MZZ4OJ INGEST_TIME 2014-05-19T22:45:32Z PACKAGE AA00011611_15584
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES