Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15419


This item is only available as the following downloads:


Full Text











































Nooes historicau.-0 descobrimento dos vastis-
simos terrenos que compoem a provincial de Matte
Grosso foi emprehendido pelos arrojados Paulistas
quoe, A buseca de minas d'ouro e perseguiglo dos
indios formaram grandes bandetras penetrando
at6 saos confins do Paraguay e da Bolivia no se-
eulo XVII. Em 1746 tornou-se prelatura depen-
dente da capitania de S. Paulo, e em 1748 foi ele-
vada ao grao da ecapitania.
Em 1864 foi MattoGrosso invadida por um corpo
do exercitopamrauayO, que commetteu as mais van-
dalicas destruigoes nas povoagbes do sal.
Estatistica. Limites-Ao norte confiua corn as
provinecias do Para e Amazonas ; ao oeste corn a
republican da Bolivia ; ao sul corn a do Paraguay;
e a leste corn as provincias de S. Paulo, Parana,
Minas Geraes e Go3az.
Superficie epopulzCo.-Tern 1.379:651 kilome-
tros quadrados ; 1:770 kilometros de comprimento
e 1550 de largura.
A populacgo 6 de 60:000 habitantes.
DivtWiso (civil, administrativajudiciaria e ecle-
siastica) A provincia comprehend 6 municipios, 5
comarcas e16 parochias. A representaao national
6 de 1 senador, 2 deputados a Assemblea Geral,
e 22 A Provincial.
Forga publica.-Compbe-se o exercito de 2 ba-
talhbes de atilharia, 1 regimento de cavallaria e
1 corpo da mesma arma corn 300 pragas, e 5 ba-
talhoes de infantaria. A guard national conta
apenas urn commando superior corn 5:000 pragas.
0 corpo policial 6 de 62 praas.
Instracoo Publica-Ha em toda a provincia
apenas 34 escolaW publicas de instruego primaria,
trequentadas pore ceresa de 1:100 creangas. As
escolas particulares sao em numero de 17. Ha 6
curses e 1 Seminario.
Topographia-Cuyabd, cidada capital daprovin-
cia, esta situada n'um centro aurifero dos mais
abundantes. Matto-Grosso foi outr'ora a capital;
Corumbd, Villa Maria e Miranda, slo pontos de
defesa da provincial e centros muito proluctores.
Coimbra 6 fortaleza notavel pelas heroicas resis-
tencias que torn sustentado.
(Contiua.)



PARTE OFFICIAL

Governor da Provinela
EXPEDIENT 0DO DIA 10 PD DEZBMBRO DB 1885
Acto :
0 president da provincia, tendo em vista a
proposta a que se referee o officio da Thesouraria
ae Fazenda de 23 de Novembro findo n. 663, re-
S solve de conformidade corn o disposto no S 5 art.
39 da consolidaglo das leis das alfandegas nomear
Horacio Marques de Amorim pars servir effecti-
vamente o lugar de field do thesoureiro di Alfan-
dega desta previncia.-Remetteu-se copia a The-
S souraria de Fazenda.
Officios:
Ao inspector do Arsenal de Marinha.-De-
dclaro a V. Exe. em resposta ao final de soeu officio
n. 547, de 27 de Novembro find, que, corn rela-
se aos aposeutos do hospital de marinha, oceu-
pados por serventes que prestam servigo de vi-
gias, cumpre aguardar soluglo do Exm. Sr. mi-
nistro da marina, a cujo conbecimento levo n'es-
ta data o exposto no citado officio.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.-
Remetto a V. S. pars os devidos fins, a inclusa
copia do aviso do Ministerio da Guerra de 7 de
Novembro find determinando o modo porque se-
rio feitos os tornecimentos de medipamentos e
droas quoe form precisos so presidio de Fernan-
dode Noronha.
Ao mesmo. -Remetto a V. S. pars os devi-
dos fins, copia do aviso de 17 de Novembro ulti-
me, eam que pelo Ministerio da Fazenda se di so-
luco a cousuita do juizo de direito da provedoeria
de capellas e residuos desta capital sobre quern
S deve inutilisar o sell dos requerimentos em que
ne pedirem certidoes.
Ao meamo.-Communieo a V. S. pars os
fins convenientes, que em 13 de Novembro findo o
S juis de direito da comarca de Flores bacharel
Francisco Domingues Ribeiro Vianna, reassumio
o respective exereiio renuneiando part do praso
dalieenga eorn que entava pars tratar de sua

Ao mesmo.-Attendendo so quo solicita a
Qamars Municipal da villa de Gravati no officio
4e9 dentes mez nobe o qual aformou esms The-
mnouramis no de 28, nob n. 673, sirva-se V. 8. de
pvidnciar para quo mediante reeibo, pela Al-
o ntreg ao subdito portugaez Josn
rinpisno da Silv, como pede a mesms mamara o
tern, do peso. e medidan a ella destinado. a
Sirva-no V.8. de prevideneiar ostro em pars
quo seja, remottidos A .aUadada Camara e as de
qua trata o officio dents premideaela deo do
M* do do panned., as instrugies e modeled
-. on dito officio.-Communicou-
so a CBause Municipal do Gravati.
AqHut Drli.I ju dii dhlelto da provedomia do e&-
perMaiduoe da capital -flometto a V. 8.p"
L.s, opua dos viso-de 17 de No-
*1 -' e^* ul~nn m que pel Munisterio da Fazen.
,;-1 uo de 9d Agent. nttao sobro quem dovi
:1~ ~ ~ ~ neI 1 di~ralorosquenimuontssem quoes ep0


casa n. 5 da runa de D. Maria do Sousa, comprada
pars n'ella ser erigido um chaari.- Commqpi-
eu-se so inspector do Thesour o Provincial, e o
d-rector-gerente da Compaahia do Beberibe.
Ao engeuheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife so Limoeho.- IDeclare a sVine., p"llw
conheeimento e par quoe fag eoontar s aoupwn-
tendente d'essa estrada de fe qu 3
ministry d'Abricultura, Comtiw -o. Q i-
cas, em aviso de 19 de Novemb.&Al4iinrapprovou
a resolcaQo tomada por esta Presidencia em 15 de
Outubro anterior, sob a repre dt da me"ma
saperintendencia, relative so contract. de service
de um advogado e procurador, por coWa do custeio
para defender os interesses da respective compa-
nhia na questio do estabelecimento de urma olaria
particular em terreno d'ellai
Ao engenheiro chef do prolongamento.-
Declare a Vmc., em reterencia ao seu officio de 28
de Novembro proximo findo, sob n. 1,075, que ca-
be-lhe indicar A esta Presidencia doqe emprega-
dos para servirem provisoriamente os lugares de
thesonreire e field d'essa repartigiao.
Ao Sr. Antonio Jos6 Alves da Silva, 20 juiz
de paz do 10 district da parochia do Bonito.-
Transmitto a Vinemc., em resposta ao seu officio de 3
de Novembro findo, copia do que e& 16 do mesmo
mez dirigi A Camara Municipal do Bonito, deter.
minando que seja elimiuado da listsa de juices de
paz o eidadlo Jose Joaquim Bezer-a de Mello, in-
compatabilisado pela aceitaglo e exercicio do car-
go de advogado da mesma Camara.
Portaria:
A' Camara Municipal do Buique.-Nao ha-
vendo na lei do orgamenito em vigor credit pars
as despezas corn a canalisagbo da aguas do ria-
cha Cigano, declare A Camara Municipal de Bui.
que, que nao p6de ser attendida a representaio
constant de seu officio a que respondo, de 26 de
Outubro ultimo.
0 Sr. gerente da Companhia Parnambucana
made conceder passage a prta, at6 a Bahia, a
Francisco das Chagas, per cents das gratuitas, a
que o governor tern direito, no primeiro vapor que
seguir pera o sul.
EXPEDIENTS DO S1CUTARIO
Offlcios:
Ao commandant das armas.-S. Exc. e Sr.
conselheiro president da provineia manda decla-
rar a V. Exc. ter submettido so conhecimento do
ministry da guerra, o contefdo de sea officio n.
1,543, de 7 de Novembro findo, relative sos com-
partimentos terreos do edificio que serve de qnar-
tel a companhia de cavallaria.
Ao Dz. chefe de policia.-S. Exc. o Sr. con
selheiro president da provincia, transmitto a V.S.,
em solugie de seu officio de 28 de Novembro fin-
do, n. 1,522, copia da portaria de 21 de Fevereiro
de 1878, creando o district de Tigipi6.
Ao commandant do corpo de policia.- De
ordemrn de S. Exc. o Sr. conselheiro president da
provincia, communieo a V. S., que no sen officio
de 30 de Novembro ultimo, n. 1,519, relative so
pagamento de ajuda de oeusta para o official que
tern de destacar na cidade de Nazareth, foi hoje
proferido o despacho seguinte: a R mettido ao
Sr. inspector do Thesouro Provincial para mandar
fazer o abshone pedido, nos terms da lei. u
Ao juiz de direito das execu5esn criminaes
do Recife.- S. Exc. o Sr. conselheiro president
da provincial participa a V. S., que no sen officio
n. 558, de hontem datado, proferie-so o seguinte
despacho :- Ao Sr. director do presidio oe Fer-
naudo de Noronha, pars satifazer a requisigAo.
-- Ao gerente da Companhia Pernambuscana.-
0 Exm. Sr. conselheiro president da provincial
manda accuser o recebunmento do officio de 28 de
Novembro proximo find, em que V. S. commuuica
que essa companhia expediri o vapor Jaguaribe,
pars os ports do norte at o Ceari no dia 5 do
correate, as 5 horas da tarde.
---- *oosc^ --
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 11 DB
DEZEMBRO DE 1885
Francisca Joaquina de Oliveira Campos.
Como requer.
Ignacio Marcolino Bezerra do Anaral.
Informed o Sr. commandante superior da
guards national da comarca do Recife.
Jobo Fernandes Barros. Passe ports-
ria concedendo a licenga requeoida.
Jone de Mendonga Maurity.- Informs
o Sr. inspector geral da Instruccgo Publica.
Maria Cavalcante de Albuquerque Rocha.
Concede dous mezes de licenga corn or-
denado.
Rufino Jos F. de Figueiredo.- Sire,
mediante recibo.
Secretaria da presidencia, de Pernambu-
co, em 12 de Dezembro de 1885.
0 porteiro,
J. L. Vtega.


-- 11-
Julio Cesar Gongalves Lima, professor
publico.- Campra-se e regiatre-se.
Manoel Clemente da Costa Santos pro-
fessor public" Cumpraose e registre-se.
Secretaria da Instrucao Publica de Per-
nambuco, 12 de Dezembro de 1885.
0 porteiro,
J. Ag&sto de Mdlo.


consulade


Provincial


DESPACHOS DO DIA 11 DR DEZEMBRO
Jose Ramos Souto.--Em face do art.
108 do Reg. de 4 de julho de 1879, o
supplicant nao pode ser attendido.
Bernardino Duarte Campas, Francisco
Joaquim Ribeiro do Brito, Jeronymo Fran-
cisco Ferreira e H. Burle & 0.-Informe
a la secglo.
Dias Silva & C.--Deferido, de accord
corn as informaqes.
Joao Antonio de Souza.-A' 1s secglo
pars os devidos fins.
Antonio da Silva Junior.-Certifique-se
o que constar dos livros existentes nests
repartigio.
Pereira Carneiro & C. Sim, de accor-
do corn a informaglo.
Bernet & C.-Indeferido, de accord
corn a informaslo.
Joao Paes do Oliveira & C. e Mo-
nhard Huber & C. -Informe a 2" secgto.
12 -
Antonio Arthur Moreirs Mendonga.-
Como requer.

Tkesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 11 DE DEZEMBRO DB
1885
Fielden Brothers. Informe o Sr. admi-
nistrador do Consulado.
Director da Colonia Izabel e Jos6 Geral-
io de Lima. Haja vista o Sr. Dr. procu-
rador fiscal.
Pret e folhas do corpo de policia.-Ex-
aminem-se.
Manoel Benigno da Silva.-Registre-se
e fagam se os devidos assentamentos.
I Gaspar do Nascimento Regueira Costa e
Sebastio Antonio de Albuquerque.- Fa-
gam-se as notas de portaria de licenga.
Leobaldo Antonio de Moraes.-Satisfa-
ga a exigencia.
Theotonio Jolo da Cunha, Manoel Anto-
tonio Leite, Jos6 Pereira Bastes, officio do
Dr. chefe de policia, Francisco da .Silva
Miranda, contas da 6' parts da loteria da
Conceiglo de Olinda e das 229 e 230 par-
tee da loteria da Santa Casa, Antonio Epi-
phanio dos Santos, Paulina de Cassia Soa-
res.-Informe o Sr. contador.
12 -
Vigario Martinho Cardoso Martins, Ama-
ro Joaquim do Espirito-Santo. e commis-
sao administradora do patrimonio do reco-
Ihimento da Conceigco de Olinda.- Ao
Contecioso pars cumprir o despicho da
Junta.
Olyntho Jar Jim & C., Manoel Fernan-
des Velloso, Belmiro Francisco da Rocha,
Machado & Pereira e Antonio Mendes
Cordeiro de Gusmno.- Entregue-se pala
ports.
Mamede Justiniano dos Reis e Luiz An-
tonio de Paulo Amorim. Registro-se e
fagbo-se as devidas notas.
Jobo Baptists da Silva.-- Entregue-se
Theotonio Jolo da Cunha, Joao da Sil-
va Villa-Nova e Belchior Miguel do Santos
-- Informed o contador.
Ann% Carolina de Alenoar.- Preen-
chida a formalidade de quo trata as infor-
magOes, volts part despacho final. -
Fola de otfficiaes do corpo de poliiac--


Jag w Di repU*4. Pe recos. U_'
aeas* do anteno deapogho, jwnderando que ,
4t=ira$. te neui,
comply eraleitio publico a arma existento us
esa n. 13 o pate o do armo, onde pretende s-
tabelecer-se, em vista do que n o pode sa respon-
savel polo impostos devidos por outrem.-A firma
da venda na altera a obrigad&fdo supplieante,
pointo mantenho o anterior despacho. :
-jas6 Luisz de Mello, pedindo que aejam feitas asi
devidas averbale, Uoe sentido de ter acabado corn
aOetabelecimento de deposit de seccos site oA es-
trada de Belem, freguezia da Graga.-JA foi aver-p
bad&.
Joo6 Maria Navarro Porto, replicando, prova ti
em documento ser tutor dt seu irmao Joao, e pe-i
do qua se the pague a importancia de urn manda-g
do.-PaguQeoe ao tutor domaenor se apresentar au-
toiaglo do respective juiz, para receber a impor-
tancia das custaU.
Jos6 Rieardo -l Costa, pedindo quo seja-lhe
permittido pagar o imposto de exercicio corrente A
casa n. 14A rua de Dowingos Jos6 Martins, e que
serve de deposit a sua officina sita a rua do Born
Jesus n. 10, independent de satisfaser o imposto
do exericiio passado devido per outrem.-Como re-1
quer.
Luiz Eduardo dc Hollanda, pedindo licenca para
concertar o eneanamento d'aqua da casa n. 17 A
rua do Commercio.-Idem.
Dr. Malaquias Antonio Gongalves, pediado queo
se entregue urna sua petigio que acha-se archiva-'
da, afim de que posa pagar o imposto da licencab
requerida.-Idem.
Manoel Macbado Botelho, pedindo licenga parai
canalisar again para o predio n. 28 ao pateo dor
Carmo.-Idem.
Thomaz Jos6 das Neves, pedindo isenglo dos
impostos devidos por aquelles que occuparam o
seu predio n. 11 A rua do Bario do Triumpho, o
qual acha-se fechado ha mais de um anno e tern
urma armaglo que nio 6 do supplicante e sim do
ex-inquilino, aim de que possa alugal-o desemba-
ragadamente.--Como requer, pagando.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 10 de Dezembro do 1385.
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira d a Silva.


ORIOi DE PERIAIBUCO
RECIFE, 13 DE DEZEMBRO DE 1885
Notlelas da Europa
0 paquete inglez Elbe, que passou hontem para
o sul, toouxe datas da Europa que alcangam a 28
de Novembro, de LisbOa, cineo dias mais recentes
do que as trazidas polo franuc Gironde.
Al6m adas noticias de Portugal, constantes da
carta do nosno correspondent de Lisb6a, inserido
na rubrica Exterior, eis as demais :
Eespaukla
Eis o que sobre este paiz escreve o nosso allu-
dido correupondente, em 28 do passado :
Morreu o rei de Hespanha. Devia fazer hoje
28 annos.
Pelos telegrammas que a 26 recebemos da Agen-
cia Havas referindo-se ao aggravamento da enter-
midade de Affonso XII logo seo calculou que muito
melindroso deveria ser o estado de aaude do mo-
narch* hespanhol, para virem A publieo takes noti-
cias qua o governor daquells nagio tern querido
sempre encobrir, nio porque se illudisse, mas pars
evitar cmmoog5es financeiras ou de outra especie.
0 rei succumbio A urma tysica de larynge de
character galopante.
A situajlo da Hespanha torna-se muito grave.
Todan as inuirmamee diaem que os carlista.
estAo prompts e organisados para sahirom a cam-
po A primeira vos ; preparativos esses que terem
tide por base a hypothese derivada do m~o estado
de saude do rei Affonso.
As eomplicag5es, que se anteveeom, slo de diver-
sa origpm; porque neo provavel que os republi-
canos se deixem ficar tranquillos. Poder i depois
deste funebre lastimavel successo, infelizmente
realiuado (no dia 25 pelas 9 horas da manlbi, no
Pardo) o throneo da joven princeza das Arturias,
quo apeuas consta cinco annos de idade, resistir a
tie encontrados ventos e furionos vendavaes?
Sua mab a wainha Christina, a regente do meino,
cents 27 annos.
Era tambem unea creanga Isabel I e poude ven-
eer ; mas sao outron os tempos e a dynastic affon-
sina neo tern hoje as mesmas adhesoes, nern re-
presenta as menmas aspimagles do progress e li-
berdade que derain a Isabel II um exercito de
bravos e invenciveis !
Grave 6 pois a situagbo da Hespanha, e a gra-
vidade d'ella, reflects-ne sobre toda a peninsula.
LCOonv"m, main do que nunea, estarmos attentos
e preeavidon, .
0 ministries Canovas den a suna deminsbo. 0
Sr. Sagasta fonara o novo gabinete, corn o ma-
rechal Jovellan na guerra e o Sr. Camacho na fa-
senda, o Sr. Martte non estrangeiros e o Sr. D_
Venancio Gonzalez no reined, todon liberaes. 0
marechal Martinez Campos tomarA o commando


do exercito do sorte.
As notieim de Madrid, de 25 A tarde, davam
a capital .m complete tranquillidade.
A pinoezs Mereden, ascreentava o telegram-
ms, aeri proAmadvain mha b a regencia da rai-
nhW D. Christina.
,S a resolugo immediate do gabinete Canovas
egunfiea, o que parece verouimil, un acto de ab-
nogagao patriotica, visto que ese estadista devia
ter a concmmienmaus do attrictos innumeravei que a
* cotiuua o da sus estada no pader acarretaria a
Henpanba em tao exepcional nituaglo s sae actor
do abuegage partidaria 6 muito louvavel; mas 6
Spreiuo que n nfiquem as comias por ahi. ZE in-
Sdispenavel, no eao do entrar o Sr. aasta, quo
DS, Canova e osat amigos politieoao dem
sorga so miminteri. Sagamtiao e cooperem patrio-
tica, sinceramente cor elle na manuts a or-
dempubcca, oe ofamento de am oe que


o Hjeatiro due (n&a aadaades oomro raoinam I
|e devastaram part dta Mailuzia, percorrendo,
a forga do inverso, e mutas veae. a p6, oes-,
combros dua povoagses que mais tinham soffrido
com os terremotos e quaado ainda as derroc-das
se sueeediam e os abalos subterraneos continua-
yam.
Mais tarde, nao receiou expor-se as eontagio
epidemio e viatsltou os cholericos enm localidades
oude o flagoello mais victimava as populagies cons-
ternadas e espavoridas.
Tudo isso e muito mais teria feito D. Aff)nso
se o reputasse ne-essario, mas a popularidade, re
pito, era Ihe esquiva.
A diviosbo dos partidos monarchicos, as cons-
tantoes machine es do partido republican, e ul-
timamente a questio das Carolinas, depois da vii-
gem de D. Affonso a Allemanha, nao concorre-
ram, de oerto, pars a consolidagbo da nova mo-
narchia hespanhola.
A:doenga, que havia muito tempo minava o rei,
Squern sabe se precipitada pelas visits que em
1884 fez, sob a intemperie de uma rigorosa in-
verneira as provincial assolladas pelos terremo-
toe, desanimava muitos dos seus partidarios, que
previam corn a morte.de D. Affonso XII a possi-
bilidade de mudanga radical na politics de Hes-
panha.
Por tudo isso, 6 certo qoe nao tinham augmen-
tado, nos ultimos tempos, as sympathias dos hes-
panh6es per D. Affonso, sem memo tomarem em
linha de conta que se a Hespanha se nao achava
aneste moment envolvida n'uma guerra corn a Al-
Lemanha, s6 o deve a amisade pessoal do imp-ra-
dor Guilherme por D. Affonso. As desfeitas e os
insultos mesmo a bandeira allemi e a todos os
representantes d'aquelle poderoso imperio, no paiz
risinho, nao faltaram e daria pretexto de sobra
para se terem rompido as hostilihdades, se o impe-
rador nio tivesse agaimado (permitta-se-me o ter-
mo) a indianagao de Bismarck e do povo allemlo.
A histona dirA se D. Affonso XII merecia
main.
Nio foi o seu reinado fecundo exik reforms a que
deixassem assignalados os nomes dos grande es-
tadistas; o trabalho de consolidagio da monar-
chia apenas deixou tempo para a resolug"o da
questio da fazenda.
Quanto a principios politicos, a constituigao ac-
tual aindo estava longs de igualar a de Setembro,
que on liberals de Hespa'ha tinham como mo-
delo.
Era D. Affonso um home bastante illustrado e
intelligence e dotado de uma affabilidade rara na
convivencia chegava at6 a intimidade, e selhe ti-
vesse side possivel fallar corn toios os hespanhoes
poucos, observa um publicist noseso, resistiriam
sos eneantos da suan coaverdagao e A lhaneza do
seun trato.
Tencionava o rei partir a 30 do corrente
para San Lucas de Barrameda, onde permaneee-
ria um mez.
Logo que o seu mal se aggravon, em con-
sequencia de um resfriamento, comeoaram-se a fa-
zer preces na igreja do Pardo, ende se via a prin-
ceza real e a infant sua irmi rezando pelas me-
Ihoras do pai.
0 marechal Martinez Campos foi logo para o
Pardo.
Fez-so consults de medicos ao augusto enfermo
reunindo logo os ministros em conselho.
A Gaceta de 25 publicava trees despachos do
Pardo acerca da saude do rei: o primeiro dizia
que D. Affonso, so voltar a 24 de um passeio, fora
ameaeado de dyspn6a reproduzindo-se tio grave-
monte as 11 horas da noite a difficuldade de res-
pirar, que a sua vida esteve em grand e risco, e
que naquelle dia (25) continuava a situato a ser
gravissima.
O segundo despacho datade de 24 A meia noite
dizia ter melhorado, o rei, nao tendo nenhum o0-
tro accoesso de dyspn6a; o terceiro despacho de 1
heora da madrugads, dizia tambem nao ter sobre.
vindomai s nenhum access.
Quanto aos ultimos mementos de D. Affonso
XII dav9-nos o telegrapho os seguintes promeno-
res :
a Madrid 25.-As 2 horns da madrugada teve
um access de dyspu6a, mas.ficou depois socega-,
do at6 is 7 horas da manhi, hera em que se re-
petio o ataque; tornon por6m a adormecer, acor-
dando As 8 da manhi e entbo parecia star bas-
tante melhor; conversava tranquillamente, quan-
io ii 9 horas e 25 minutes expirou quasi ser
agonia, banhado em suor muito frio. Attribue-se
principalmente a more, conclue o despacho, a um
resfriamento apanhado na segunda-feira (23) A
tardo, o rei sahira muito quente dos seus aposen-
ton pars o parque. s
Outro telegramma de 25 dizia estar arvora-
da urna bandeira negra em todos os edifiozos pn-
blicos, em signal de lueto pela morte do rei e d~s-
pararam-se tiros de artilharia de espago a espa-
go.
A rainha D. Christina asnumira a regencia do
reino. 0 Sr. Sagasta (continuava o despaeho)
tomarA conta do ministerio nus nxta-feira (27).
Serm apoiado por todoes os monarchicon constitu-
cionaes,.
0 marechal Martinez Campos irA para o note
corn 30,000 homens afim de vigiar os carlistas.
Late vigiar w segundo telegrammae e infor-
magoes particulates, difarga a verdade, pois cons-
ta que rebentou ji a revelugao carlista nu Na-


varra.
Outro tegramma de 25 communiea-nos a
cireumstancia, muito important de constar em
Madrid qeneowerd aceita a demisuo aprematada
pelo Sr. Canoes, e queo continual o actual gabi-
nete at6 A abertura das certee, onde dove prestar
o jnuramento sua maestade a mainha regente.
Os chefes do partido liberal a que preside o Sr.
Sagasta, est o reusidos agora (dizia o telegram-
ma) e resolveram unmmmemente sustentar a le-
galidade em tod-asas eventualidades.
Um supplementoA Gacea publicado a 25do
corrente as 7 horas d tarde, depois de aununciar
a inmerte do rei, diz que o ministerio, den a sus de-
minne, e quo a rainha viuva, na qualidadede dre-
gante, segundo a eonstituigi, respoudeu ordenan-
do amo minstre qae conUm em as asau fmew
ai o ai#. Ww O Pe ooupar -.s doe


405os e apertr-.lhea mit diPrgindo-lheo pals-
vras, deo muito agrado pars Portugal para a
prenea portxegnea, quo qualificou de eorpor4o*
yjserosa, iuerada ee partiaii. (Os O iomnalistaa
portugueses receberam convicted director pars as
reeepgoes, que per essr oceasibo heave na c6zte.
Per occasion da visits dos reie de Portugal a
Madrid, tambem o rei D. Affonso prodigalisou
aps jornalistas portugfiezes as maiores ama-
bilidades convidando-os pars o bailey que Sua s a-
gestaede dnu em honra dos nussos on monarchs e
)ondo A disposig4o da commission da imprensa mas-
Irilena o palaeio ejardim do Pardo, pars alli lhes
ser offerecido, como foi, um almogo, e ordenando
ao intendente do seu palacio que fossem forneci-
los carrots e earruagens para transporter os jor-
ialistas desde Madrid Aquelle real sitio.
Character de D. Affonso XII: Eis o perfil
de D. Affonso, que a primorosa penna do Sr. Pi-
iheiro Chagas tragou em um artigo publicado polo
iosso illustrate escriptor por oecansio da visits do
soberano hespanhol a Lisboa:
S 0 joven rei de Hespauha teve a grande edu-
scago do exilio ; foi um simple eatudante, p6de
supper, durante dous ou trees annos, que lhe esta-
ram para sempre fechadas as portas de Hespanha.
Tratou fraternalmente corn republicans e monar-
chistas, partilhou as aspiraloes da mocidade vien-
nense, e prepareu-se, como outro qualquer, pars
esta luta pela vida, que 6 a grand condigio das
sociedades modernas. Teve o estimulo da concur-
rencia. Quando os emissaries hespanh6es percor-
riam a Europa corn a corda de Carlos V, come os
emissaries do pnncipe de Perrault, corn o sapato
de Cendrillon, Affonso XII teve de reconhecer que
he nso bastava ser filho de Isabel para a conse-
guir, que era necessario que se lIhe ajustase bemr
na front, como era indispensavel que o p6 do Cen-
drillon coubesse no sapatinho de bail. Eoses oito
annos de exilio valeram mais pars elle do que va-
lcriam oitenta annos de estudo no palacio do
Oriented.
SContemplando de longs os acontecimentos da
Hespanha, vendo desenrotar-se umas ap6s outras
as scenas d'aquella tragedia horrorosa, o attenta-
do cale do Arenal, a partida, A noite, do rei Ama-
den para a fronteira, dando o brago A isua pallida
esposa, atravessando a turba, ou indifferent ou
hostile, depois da rapid passage dos governor re-
publicanos, os pronunciamentos, as revolucoes, os
incendios, as scenas medonhas de Alcoy, a luta do
Cartagena, os dramas de Andaluzia e os golpes de
Hstado, a evacuagie das cameras, e so norte a re-
percussio reaccionar.a de todos eases exesse, a
guerra carlista, Bilbau, Estella, todo ease inferno
emfim, Affonso XII empallideceu, de certe, per
mais de uma vez, so pensar que terna de entrar no
quinto acto desse drama. Foi necessaria, effecti-
vamente, uma estranha forga de animo, pars que
esse estudantinho calgasse tranquiltamente as suss
luvas, pozesse na cabegsa o seu chapeo, montasse
a cavallo, e entrasse em Hespanha per entire as
rumas fumegantes, corn as boinas earlistas de um
lado e os barrates frigios do outro, e fosse, .emfim,
sentar-se no throne vacillante, que era corn today a
certeza em 1876 um dos sitios mais doentios da
Europa. Mas nao tardou a sei urma sorpreza pars
todos o mode habil com ease estudantinho desem-
penhavi o seu difficil papel, como affrontava sere-
namente os Moncusis e os Oteros, eomo sabia res-
tringir-se ao seu papel constitutional, garantir as
liberdades -da Hespanha, e fazer emfim o que ha
de mais difficil no seculo XIX a reconstituiglo
de urma tradigio monarchica, quebrada pela re-
volug5oes.
Apontamentos biographico : De umar da
mais lidas folhas de Lisboa, permitto-me extrahir
os spontamentos biographies do desditoso robe-
rauo, cuja curta vida tern tantos pontes de con-
tacto corn a do nosso chorado soberano D. Pedro
V, pelas calamidades corn que fui assignado o
tempo em que cingio os espinhos da cork :
a 0 finadoe mallogrado rei D. Affonso XII nas-
ceu em Madrid a 28 de novembro de 1857. Quan-
do contava 11 annos, em 1868, suan mi a rainha
Isabel foi obrigada a sahir de Hespanha, e acom-
panhou a corn sen pai, o rei Francisco de Asis, a
Paris.
a Dous annos depois, D. Isabel abdicou em seu
filho, e este seguio para Vienna de Austria, onde
aostudou per algum tempo na escola military. D'ahi
partio para Inglaterra, onde completon a curse.
No entretanto, alguns influeonte e partidarios
procuravam dar nova phase As cousns political,
na Hespanha; e mogo estudante e principle era
incitado a preparar-se pars voltar A patria e is-
bir so throne de seus maioren.
a Os successes de 1868, come so sube, trouxe-
ram A Hespanha um rei entrangeiro, 0 principle
Amadeu, de Saboya; porem, o seu neinado foi
ephemeroe; e em breve, o substituiram por urn go.
verno popular e de forms democratica. Este go-
verno, eomtudo, apuiado por umas, a combatido
per outras das agremisge e dos conluies, em quo
estava dividido o paiz visinho, teve em frente de
si urna ampla conspiragio military, que deo o mo-
vimento de Dezembro de 1874.
a Os chafes do movimento eram os Srs. Canovas
e duque de Sesto. Corn a victoria desta nova me-
volugao, veio o restabelecimento di monarchia,
quo trouxe ao throne D. Affonso XII.
D. Afloneo XII subio ao thlono a 30 de De-
zembro de 1874.
Proclamado r.i entrou em Madrid em 14 de


Janeiro de 1875.
No primeiro anno do se reinadonotaram-se
alguans tactos importantes : a votaglo da nva
constituigio da monarchis, pelo theor da d 1854;
aderrota eompleta dos carlistas e a fug proe-
tenieate D. Carlos; a licensa par a ex-rainha
D. Isabel, suna mi, powder voltars ao reino ; eama-
nitesta*go do novo rel querer eumr por umts ve-
reda, perfeitamente constituelonaL
Todavia, nos annos seguinteos, e principal--
mente no ultimo periodo, a infiaencia e as tWas
dos partidos mudaram as eireumtancian da ezis-
tencia politiea de D. Affonso XII e levaram novos
elementos de opposigio e resintencis aos groups
quoe eombatiam os ministerion e a ua administra-

Seuda o rei'D. AfnW X11 hoiew..ntelligen-
te e fieo, e de aiimo cocihador, a Soentrarieda-
des e s espinhos de governaslo psbi W, deviam
de influir muitoeu i na a natural frqueza na s a
enfermidade.
SEUBe deixa grande vaeeuo. A ms -ni-.a
beleeeu urmsa pravieuimus e 55

ainsoem a patriotic ligagoI doe partidoo-libtuse
MAUe fortes.
I b. Al.useXoX11I at eSa veS. ; a3
de Janeiro del1M8, emo 5. mia de -W sIe







































100 .- ..w 1V eontra as smb m a e lu
w as e cneta aacotrsinua as
^ r^'^ a'te st mss aa as ines taess i"
prtm sdo duquee Montper.ir



+~ ~~~fs pr.. a m etetsn
; G ntda a ptica htopatnuoad e taeoas N-i
e aio de nom nprocoedimeuto faturo doe
-- qua teem pwn p.z," dotin-os
Noe runeiri6-tews, obserap eomsenants on,
tiesn-iu.%folta liasan-en-es, 6 possivel qua a situa-
li 9' 1'co so "tto defiaa.s 1 1

gioeuio. ~ s
-Sesundo as nossau informsoes (prmgsene s-
pteraiaeparajA urns ublwagdio earlista tio Norte
elxeyago que jA Wcousts- haver estallado ia Na-
vanra), e #or isso o general Martinez Campos foi
encarregado de commatidar o exarcito d'essa rn-
Z ealisando se esse movimento 6 provavel, (polo
muin..s assim e dizem os era;grados quo eatio aqui
S emiT.isboa) que os repiublieanos, em vesa de c rea-
rem dfilculdades aso Sr. Sagasta, (no case de este
assumir definitivamente o poder) se unam eom elcUe
para debellar o carlismo, o que series na vedade
mnuito sensato ea leas. Sendo assim, o Pretendeete,
ease eterno ambieioso que. tanto sangue tern feito
derramar inutilmente, devrr aser venecido corn fa-
cilidade. E depois ?
Depois, a alo ser que os progressistas heaps-
bnhoes se faigam republicanos,hypothese nossa mui-
to possivel, ou que os republicans se fagam pro-
gresistas,-devera travar-se entire os nous partidos
umra neta, em que ter& vantagem o que n-o tiver
sobre si as responsabilidades do poder e o encar-
-go;d'uma realeza, que, emn lugar de proteger, ca
race de protec1oe, e em vez de dar for;a aos seus
partidarios, tirar-lh'a-ha com as intrigas e as die-
cordias de que em todos os tempos foi theatre a
corte de Madrid.
Para agora, ou para d'aqui a algnum tempo, pa
reee inevitavel a queda da mooarehia em Heapa-
nha ; e d'esta quAda resultarA a anarchia, so, ao
tempo, n hohtaver-um partido corn torgo e autori-
dade pars A evitar.
spera-se que o governor hespanhol proelame
eni demora urma amnistia para os crimes politi-
cos.
Assim restituira A patria algamas centenas de
emigrados, quoe andam espalhados pela Earopa.
Em Poriugal estio cent) e tantos, sahidos de
Hespanha deede a revolt de Badajoz. Em Fran-
S a males de duzentos.
A imprensa ministerial hespanh3lIa, diz que
o ministerio CAnovas se, estava oecupando do es-
tudo d'um projeeto bygienico, que tern por fim
prevenir a presenga de qaalquer f6co de cholera
na proxima primavera.
Era esperada em Madrid umsa embaixada
marroquina.
ULTIKOS TSLEGRAMMAS :- Madrid, 26, As 11
horas o 80 minutes da manhi. Todos os jornaes
monarchicos de Madrid, lamentam a morte de D.
Affonso. Os theatres ficam todos fechados estes
cinco-dias. Dfronte do Caf6 Oriental,- fez
hontem exploAo-umsaa bomb, que terio quatro
pessoas. A poliela prendeu 14 pessoas, per sus-
peita de serem os auetores do attentado.
A Austria e a Allemanha, enviaram embaixa-
dores, extraordinarios a Madrid, a proposito do
falllmeiaento d rei.
0 Sr. Canoras levarA esta tarde (26) ao Pardo
a dewnidodo o gabinete. Today a Heasp nha se
courses em soger.
0-marechal Serrano eata, agonisante.
Paris, '26 n.- 0 Piguoo, o Gauloia, o Sjleil, o
Monitwr, e o Constittwnel elogiam a D. Affonso,
lamentando a sua more premature, e esperam quo
tod3s OB rbees dos parties constitucionaes se hao
det unir am volta da joven rainha.
L-ndres, 26, m.-- Os jornaes londrinos con-
sideram a morte de D. Aftjase, uma calamidade
national para a Hespanha.
Observa um journal que tenho presents, a
proposito de tor dit. a Agencia Havas, que a prin
cezalO. Mereedes vai ser proelamada rainha de
Hespanh2 :
SNie nos parece, qef isso possa faer-se iA, ou,
polo menos, sam restriec5es. A ainha viuva, D.
Uhtistina,-esta gravida de cneo meazes e se o afi
Iho f rJ-vario, eseseser o rei, porque o sexo pre-
fepe a- idade. a
-Nos jornaes de Madrid, chegados hontem jA
vem promenores do estado agitado da popula-o e
das medidas preventioas totuadas pelo govern-.
Na Bolsa houve nm panic immense, baixarndo
conaideravelmenta todoe os valores. 0 4 p. c
baixon 7 peatos.
'1 1m~ .-.rra
Aindsmo Fran-a, B~a.-o pde obtar concilihao
/ entry as grtpoe republicanos paras e eonstituir
unn sma seua 4e gearnr. A mnaor part doo ra -
diosei ain-da soe n-bastram in-transigentos n-as suas
pretens6eo, que n-i podam s er aecitas pelos repu -
bicikan-as.adarados -
A-ut aorgle do Sr. Clemanceau, que a prin
cipi so mostrara disposto pars a conciliateo e
condeasuava a impseicnoia e o exolusivismo Los
in-tranaigentes, IA se diz farts de coneassoes e
apreg8a que o pstido radical n-o dove ceder,
torque jA teia eedido b em provejto do op
: portunismo, e para mair glori da politics do Sr
S Ferry,, que o gabjaUte Bria|so protonde coati-


S n-ar.
S A .ommisiiasmentar,. que ternm de d pare-
I cere. vs- .sm fasvorvet Avll'Aeraa ellepai. a E' apro-
Sposito d'eawsee 4ioS, quea vaiphr.as a questo
* poliimea&aa-wB4do qadUi eo-ta, 6 qe
deve olseeer a fatura marcha.da poities fra.-


W -bazua 0MUMV cm- w *yw0Mr"v----
moo combaterm enearuiraateO 0o partido H-I
beraes do governor e auxiharem Os conservadoces,
Italia
0 ministro da fazenda apresenton no dia 25 A
camera o orgamento, o qual prova ser boa a situ s-
Foi annunciado umna iaterpolBaA DA cereal da
political colonial e da attitudda Italia corn res-
peito aos successes doa Balhaus.
0 Sr. Depretis aeeeiton a interpella9eo, mas re-
servou-se o direito de marear o dia para a dis-
cassio.
0o miaistro da fazenda presenton depois um pro-
jecto de lei augmentando os direitos sobre os assu-
cares, cafes, alcools e tabacos.
Orieate
Depois do. dois eombateos dos diao 19 e 20 do
Novembro em front de Slitnitza em que os bulga-
ros bateram tio valentemente os servigos, como
j-A o haviam feits no outro que primeiramente ase
travkra n'aqnella localidade os dias exereitos be-
ligerantes teem estado em descango.
Os servios nada teem podido tentar,. porque as
grande perdas que soffreram e o estado de desmo-
ralisealo em que ficaram nao Ihe o teem permitti
do. Os bulgaros esperam refereos de tropas que
tinham ainda no Romelia, pars emprehender uma
acgo decisive que repilla o inimigo para alum da
fronteira, ficando assim libertado todo o seu ter-
ritorio.
As militias bulgaras corn o principle Alexandre
A frente, oppozeram & violent incaslo dos servios
unma resistencia heraica, mostraram muita bravu-
ra e discipline, e crA -so que, eorn esforgos que vio
receber. tacilmente leVaram diante de si os servi-
coa at6 para al6m da fronteira. E' um exemplo
nobilissimo de um povo a defender o seu territo-
rio, e a Bulgaria ganhark polo denodo da sua re-
sistencia um nome brilhante na Europa.
Emqau:into o grosso do seu exercito descanga,
alguns destacamentos e corpos de voluntarios tmrn
operado nos flancos das linhas. 0 capitio Panitza
reoccupou Bresnik, depois transport a fronteira
servia ao norte de Tzaribrod e entrou na povoa-
gao de Rjani, d'onde levon os archives da Alfan-
dega servia.
Varies golpes dados pelos bulgaros no caminhb,
de Tzaribrod, obrigaram a influir para Pirot corn-
boios de viveres munigoes destinados ao exercito
servio.
A submissao do prineipe Alexandre a Turquia e
a saa resolugao de evacuar a Romelia, at6 que as
potencias houvessem resolvido a respeito d'ella, pro-
duzio optima impressIao e facilitaram a missaeo da
conferencia.
Com so se abe, as p3tencias tinham afiual chega-
do a accord sobre o restabelecimnento do statu quo
ante; mas havia divergeneias graves a respeito do
mode pelo qual se faria executar aquella delibera-
gao. 0 principle Alexandre supprimio essa difficul-
dude corn a sua submissiao.
Simplificada assim a tarefa diplomatiea da con
ferencia, resolve esta redigir um protocollo, de-
terminando o restbbelecimento do satatu qwu ante, e
que simultaneamente aejam enviados a Romelia
um commissarino ottoman, encarregado de admi-
nistrar provisoriamente a provincial, e delegados
dos governor representados na conferencia,t para
procederemn a um inquerito sobre as aspiraq5es da
populagao e sobre os pontos em que deva ser mo-
difctdo o respective estatuto organic.
So os bulgaros, logo que conseguirem libertar o
seu territorio, aceitarem o armisticio c fizerem a
paz, ficarlo afastadas as complicagces creadas
pela question da Romelia.
0 caminho que as coisas tomaaram teve o merito
de evitar a intervengao armada das potencias, a
qnal podia dar orig.m a urnsma guerra tremenda.
Resta, porem, aiada um ponto negro, que 6 a
attitude da Grecia.
Esta contin-a prompts pars a gnerra; a sana
populagao estA vivameate excitada e receia-se
que a tolo o memento o governo se veja obri-
gada a iuvadir o torritorio turco.
A darmos porem credit ao quo diz um journal
parisiense a Turquia chegou ji a um aceordo corn
a Grecia e esta vai licenciar as suas tropas.
Um despicho de Cattaro, intorma ter o Mo-
nitor Official dito que o Montenegro n-o per-
manecera indifferent, se o prineipe Alexandre qui-
zer aniquillar a Servia.
Os servios form outra vez repellidos, e de-
pais de um renhido combat, diz um despacho of
ficial, retiraram-se para as bands de Tuarihrod
e Trane.
Communicam de Sofia a 24 term despacho do
princpep annunciado que oa bulgaros chegaram a
quo os servios evacuaram Trane.
Nao 6 exact que a Rermelia project um me-
vimento mihtar na Bulgaria.
Consta aso Tie, que o rei Milan eata resol-
vido a abiicar.e a retira-sae da Servia, e que,
u'efCe oa~o a Austria oceparia a Servia pars im-
pedir qoe ubisae ao thrown o principe Sarajorge-.
vitch.
Confirm o Matin de Paris ter a Turquia
chegado a um aceordo corn a Grecia, e que eata
vai hceuciar immediatamente as auas tropas.
Important 6 tambem o que de Belgrade n-o
communicam. Em cots 'quencia da recommend.-
gao coieetiva das potenesas, o rei Milan ordenou
a 25 de novembro soe commandantes servios qu.


suspendam as hostilidades e previnam disso eas
coamandautes bulgaros.
Na eonfarenciado dia 26, em Constantine ao
pla nada se deliberou de psitivo, porque o repre-
soatante inglz mantev< as mesmas reserves. Fi-
con o assumpto adiado par. 27.
-Retrogrademes uam poeo, para dar um s-
bO6o das dus ,baitlhas a q. -enos referimos nao
prineipioe d'esta seeo.
0 exercitoe ervio eontinuava soe poder avan-
ar, em resultado da resistencia heroic que :am
opposto as militias bulgarns.
Pareee atA que em atgans pantos das suas li-
nhau twove que famer um wovimento do reeeio.
Peo menes, o rei Miln v-se o bngsdo a retirar
ao seo quitel general de Tzaribrod para Pi-
lfer. -
Dep is da-agrde derrUta, que soffreram em
Slivaita, os services aM a tetaftM dousa nevos
atque. omatra queoe ponto .os dias 19 e 20, sea-
do nelles ambos repAdos.
oN dia 1 ldeomaS stara a la 4ireits bi-
gwaa. 4kU o red&miwwd, avftOamti de fsaage.


_ __iiiiI jgAU I I III
EXTERIOR +

correspondenela do Darlo de
Pernambuco


PORTUGAL LISBOA, 28
de 1885


de Novembro


A noticia da morte do rai de Hespanha, com-
quanto esperada em vista do sou melindroso esta
d- de saude, produzio natural impresseo, animando
uns (refire-me sos legitimistas e republicans) e
fazendo pensar outros, os liberaes monarchitas,
inuito seriamente no que nos eumpre fazer, no caso
de se manifestar novamente no paiz visinho a
guerra civil, seja qual for a bandeira que se arvore
ou o pavilhio que paregas prevalecer. A anarehia
6 sempre mA visinha. Em todo o caso, fago jus-
tigi a todos polo que tern cadsa um do sntimento
inseparavel de quaesquer interesses partidarios ou
intuitos politicos.
A morte daque'les oberano, de 28 annos incoa--
pletos, a que a deenga minava. ha tawo tempo, a
despeito de todos os seas actos de coragem e trome
ridade, tern sido geralmenta sentida. Atraz da
papularidade, arrastando corn todos os perigos,
nunca podo Lonquistal-a complete entire os subdi-
toe de uma nagieo irrequieta e no meio de facq5es
intrigantes e insoffridas.
As calamioades dos terramotos, a peste, as in-
nundagoes, as revoltas, a perda da sue primeira
idolatrada espoca, amarguraram lhe o breve rei-
nado. Erguis-se a suna hombridade exeepcional,
em tao verdes annos, come o rochedo que se le-
vauta no meio das ondas alterosas e soffre tran-
quillo os embates de todas as furias dos elemen-
tos revolts ; mas, talvez-por-ese mesmo movi-
mento intimo de constant reacgo, mais depress
veio a succumbir.
Quem aqui o vio, on o vio em Madrid, lhano
para c.m todos, esbelto e dispondo doe um desem
barago juvenile come nenhum cavalheiro da sus
eorte, cheio de vida e despreoccupado de emique-
tas banaes, deplora que em teo curta idade fosse
victims de um organism eivado de peasimas con-
dig5es para resister a tio extraordinaria actividade
de corps e de espirito.
El-rei o Sr. D. Luiz e S. a rainha escreve-
ram cartas de pezames A rainha. viuva D. Chris-
tina.
El-rei, cm testemunho de-sentimento pela mort*
de D. Affonso XII, resolveu toamr lnto per 30
dias, sendo 15 de luto pesado e 15 alliviado. S.
M. ordenou que a corts e as arcades de, sua real
casa tomem o mesmo luto a contar do dis 26.
0 Sr. D. Luiz I vai manudarcolebrar exequias
solemnes suffragando a alma de seu primo o fal-
lecido rei de Hespanha.
Das casas de espeetaculos em Lisboa, s6 se
fechou no dia 26, em qne a noticia chegou aqui, o
Colyseu (circe) onde fimacion as companhia Diaz,
cujos.empresario e director sao hespanhoes e sobre
os cartazes do espectaculo atravessava-se um con-
tra-aviso tarjado do preto e encimado per urma
cruz, .motivando pela morte do rei de Hespanha o
encerramento Io Co'yseu.
Em S. Carlos neo asnpossoas redes, nem os mi-
nistros compareceram.
Ha poucos dias appareceu no Diario de No-
ticias, folha que se qualifies de incolor, um em-
broglio politico, dando a entender que us political
portugueza se ia opera ura remodeliga impor-
tante, sendeo lemma dessa remodelaegio : -mais
administration publics do que political propriamen-
e dita.'-
Quo se tinham ja feito certas approximagoes do
pessoas notaveis, neste sentido, mas que na o po-
dia ser mais explicit e lh'o vedva tambem o seu
invariavel prpgramma de registrar as diversas
evolugoes da nossa political inrna, sem eomtuda
ultrapassar Qs limits que s impoMera. ete ar-
tigo que tern o seu tanuto ou quan-tode enalgmatieo,
foi transcripto em dois diversos jornaes pro-
gressistas e diversamente commetatdo e interpre-
tade.
Um attiibpia ao conaselbhio Dr. Antonie d4
Serpa Piamentel, que tern- susa t*n ul4tU ent
no Joraal do Coiwnmero, de qua 6 principal oe-
daector, aquelle preconisado lemma de m-is o-dmi-
nistraceo que politiea,--ass a*iPsJs. qu ,p- fa-
A* 7naaqa bali. d'ena1ai plbtiado polo
Dior'" c de ieiM'e o oaujprW al4pire a,
epoiametando- em brevm s -pa4Ivp,aentounden qua
*o Sr. coaoelbeiro Aj4toioA 4ps" At* M Agner 6
que no refei4o artig-se alodia.
No que, porem, ambas coanerdm, t quqa
oreagie deum grapo tnoer (siuinp .tode -ob eos
,que n-ao si nIe em p-oli4ca) espa'd.soe ,ona-
mte amaaagaina partidauio chaspu4.on- em uogssm-rm-
gAo, p on-de so dea~era^agaes e os d a4op doe
a bundam.I
Seja comae for, liuito-ime t .bem registrar p-
frieto d* appauiqlo do antige.
Cotot~a ea toaigan us efadidfltwaaa pfyra.
to elootiuvo, Os delpgadoas gersae do din-mi-to, bhai qwpo o# Aps cpcofpora aci.*4opca do psis qua lado ef.fer-aaa iep doea
para, es64o eaeolidq, -1...., .


engrovadisimosd4eo Sr. Chagas BOs Sr. Pontes e
sos senus eollegasa e compartidaios, e orministerio
ii vai vivendo corn elle o Sr. Chagas na mais in-
timhna sotlidariedade politics.
Cosi oa it mon&o.
Tern mchegaedo de Anvers a Lisboa nestes at-
timos dias grande quantidade do material de
guerma do quo- 9e6 eoamendara *i fAbria, Krupp
Pezam mais de 80,000 kilogrmmass as boccas
de -ago, reparoa e viaaraa qneuo se tern desembar
cdo no Arsenual-da Mtarinha.
0 material de guerra chegado ultimamente deo
Antuerpia ao nose porto, coastal de 60 peas de
(mpabsa de 9 c. e20 de sitio de 15 c. Alem
das peas vem os reparos eorrespondeates, viatu-
ras, projectis, etc., barn eoma)' o rreios payrs as
basis de campanha, conam)utados na razbo d-
am tire de tres parelhas por cada bocca de fogo.-
Todo a material vem acondicionado em eaixotes
ou gaiolas de madeira, formando porto de 3,500
volumes, os quses pezam proximamente oitozentas
tonelladas como disse.
Tambem no Dianaro de hontem veio a nomea-
Qao dopar do reino Sr. Augusto Cesar Barjona de
Freitas ministryo do reino) conselheiro de estado,
para o lugir vago pblo falleeimento do conselheiro
Anselmo Jos 6 Brasuncamp.
O Sr, Marq i sez de Thomar foi aposenta-lo, a re
querimento seu, no cargo de rvogal effeetivo do
sepremo tribunal administrative, sem prejuizo d,
lugar que lhe compete no conselho de est.-ido, e rAs-
pectivo veneimento.
Vein tambem a aposentacAo do Sr. conselheir,-
Jos6 Silvestre Ribeiro no lugar de vorgal effective
do supremo tribunal administrative, corn as ho:s-
ras de conselheiro de estado e ordenado per in-
teiro,
Foi nomeado governador geral da India o
Sr. conselhciro Ferreira do Amaral, que o espe -
rado no proximo paquote de Angola, onde era go
vcrnador.
0 conselheiro Thomrz da Rosa, governador
geral de Macau e Timer s6 sera exonerado em abril
proximo, porque s6 entiao hireri completado tree
annos de servigo no ultramar.
Falla-se em que serA substituido pelo Sr. Fer-
nando da Costa Cabral, filho do Sr. Mirluez de
Thomar.
Foi nomeado governador do novo district do
Congo e capital ten-nte da armada Sr. Guilherme
de Brito Capello, irmio do eelebre explerador (Her-
meuegildo) e o 10 tenente Visconde da Silva Car-
valho.
0 appello feito polo Sr. Palermo de Paria A
associates do Porto para ser auxiliada a subs-
crippao aberta pars a comprs dos livros dos illus-
tres exploradores Capelto e Ivens, relatando a as-
sombrosatravessia quewealiwaram, foi muito bemrn
acolhida, sudo-em actorcontinuadenoumeada uma
commissioem quareentrammembros des mais in-
fluruetes da Associagla Commercial, do Atheneu, da
Sociedade de Geographia, da Sociedade dos Jor
nalistas, etc., afim de promover o andamento
daquella subscripgio national.
Ternom se agora fallado mesmo das obras dos mo-
Ihoramentos do port de LiAsboa cujo concurso
deve terminal em dezembro -proximo.
Todavia o ehamado syndicate nsaeional prosegue
nos sens ebtudos e estA acabando os seaus traba-
hlbos preparatonos, afirn de achar-se prompto-no
praso fixodo.
SNio 6 verdade que o Sr. Horsent, o famoso em-
preiteiro, tenuha abandonado o seu project de
coneurso, come se espalhou.
Afirnaa o athegoridamnte uma folhi de Lis-
boa muito autorisada, que olave ter razOes pars o
saber.
Alem do syndicate national o Sr. Herseant, 'di-
versos empreiteiros hUo de vir disputar os pro
mios-que o governor portuguez offoreceeem reooM-
pn-sa aos melothiroes projeetos quo -se -apresen-
tarew.
Cresee a actividado nas obras do porto de
!eix5es (fosad Douro).
Urea experioenla do grande importancia 4e
effaotuou ali iesta semana. Foi inaugurado o fa.
moso apparelha elevatoria Titan.
Esse mastodonte mnovido a vapor levantou blo-
cos extraordln-aios e materiaeas enormes corn uma
facilidade e rapidez prodigiosa.
Aoclamagoes eanthusiasticas da multidi o sauda-
ram a iwaugiaralo daquell. monstro dynamsico.
0 gen-eral Billot est4 nomeado para eubeti-
tuir na embaixaca de Franca em Lisehoa o Sr. de
La Boulay- e que foi nomeado embaixador pars
Madrid em substitaiceo 4o Sr. Des Miohels, dins
antes da more do rei D. Affjaso.
-In-uOgn- se- em Lisboa uwa empreza A-a
clonal de ifbricagco de pliesphoros corn um capital
mnusta important, de ouja cifra nabo record nested
mrtmento.
0 que Ihes posse porem dizer 6 qua noa corpoa
gerentes figuram os primeiros nomos do nosso alto
commErcio e da fin-n-a.g
-Casou ha dons dies em Brags o Sr. Vis-
condeo dS. Januario eoem nmsa mteads do-Sr.
Visconde de Neguellos,
E' naitp (erposa as oiva.
Foin uni dos padrinhos Q Sr. Viscondeode Gauda
aistu que levou uma riquisoima prendaa noiua.
A questie do protecmoraeado de D, h aey etA
sanspensa perante o arbi~ragsm e a copappepnqia
doe represoentan-tes frnnce pbrtugupese que para
este fim hio side nomeadop. -


A dar credit, !orea, as folhas ministeriaes
portuguezas, pars. qu8 o noso governor eonalttio
em ads r -as --do (.de to4a .em reemmwa-
goesliaHs amigaveis da Franuga, apezan do #e tr
garantido a msis snaieta nacionalidado eam CotO-
.Aum -pas- todas, as -naaoes indi$nctaGente, se-
gumdo o affirmaram as tfolbs gmwernamantaw
pertqgQsa.os
Pen on-a $s, a $'|w r tiAha pvsputtdo que
nao exerceria nenhum- acto do pse .ou do prp-
tpctoradode qqalquaer ptgreza o _q ato asd_ -
vida0 ap tddsA'. I a e famm aomptetaweste le


Go uOS tirMaifw 'sa WturA disem. wata-
viiM daquaei composi$o do sobrinh3 de Jtle3
Janin tu uez, como em tempo se cIamava o
stek Z wnrk de um Doi4o a d'aquelles in-
cbmpa-aveis folhetinas da Revoluao de Setembro
quea tautovogs deat s aomne d'aquelle q-e, mais
14., fert.? M h** ttwa do etvla.^
tio brilhates 4dAW na- -rva iatellletiaes do
hospieio dos aliaade, em Rithafolles.
t- Aagelo Hassiini, o elebe tenor, j4 sahio do
lazareto e como9ous os esinio em S. Carls. Ee
treiar.s.ha corn ou i0,Hgue eaem quo foi a
a parte de Ra.l. Daria apas oito reeitas cetja
assigatra, extraoruainaria, j4 foi aborta pela em-
press de S. Car 0.
OAe de LdAher do Maaenet feve antes d'hon-
um exito ho e ge, s obresahindo a prima-dona
Borghi Mamne a quae Rio r do Janeiro tve Ireen
tomente oeasilo de. pplaudir o exceptional ta-
lento. 0 baryto.Dvri3s, irma od celebre o-
toras que aqui esteve em 1884 tnambem e naeguio
saer muito vietoriio.
E o que ness valp, 6 o theatro de S. C&rlos!
Causta qua el-rei se faia representar per urn
de sens filhos nu fuueraes do rei de oHespanha. ,
0 Moadego leva grand asoheia, em consequen.
cia da muita ehuva que tern cahilo. No Douaro a
a corrente vae gross.
H acemn i Ao chorea em Lisb6a, mas nests ulti.
mos dias as chuvas teem sido torreiciaes.
Consta me agora que as solemnidades offi-.
ciaos do L.o de Dezembro ficam adiadas por estar
de lucto a familiar real e a c8rte e quo tfamoem por
um aoto de delicadeza international se adiam to-
dos os festejos particulars patrioticos destinados
naqulle dia.
No prineipil de Janeiro vai sahir um novo jor-
nal politico e nitieioso do que ser& principal re-
dactor o Sr. Jos6 Julio Rodrigues, lente da Escola
Polyteohnica e so-io da Academia Real das Scien-
cias.
L.


tlviSTA DIARIM
Promoter publico-tor portarta rda -
sidencia da provincia de 7 do corrente foi nomera-
do o bacharel Eduardo Correia da Silva para exer-
cer o eargo de promoter public da comarca de
Limoeiro, ficando dispensado o actual.
Fazenda provincial--Por portarna da
presidencia de II do corrente e sob proposta do
inspector do Thesouro, foi nomeado o promoter pu
blico da eiom'rca de Limociro, Dr. Eduardo Cor-
reia da Silva, para exercer o cargo de ajudante
do procurador dos feitos da fazenda provincial no
municipio de igual nome; ficando assim exone-
rado do mesmo cargo o bacharel Antonio Thomaz
de Luna Freire.
Espeetnieul concerto -No proximo sab-
bado, 18 do corrente, terA lugar na theatre Santa
Isabel, um espectaculo-concerto e n beneficio do
destiacto artist cego hespanhul Nicolas Campos
insigne violonista, bandurrista e clarinetist.
Tomam part no concerto diverscs outros bons
artists da provincia, takes eemo os Srs. Bernardi,
Candidao Filho e Amaro Barretto.
A companhia do Sr. Moreira do Vasconcellos
tomara part tambem no aspectaculo, exhibindo
algumas peas do soe repertorio.
0 benefieiado, polo soeu taleirto e pelo seu esta-
do de cegueira, merece todo o auxilio do public
pernambueano, umna part do qual j& conhece o seu
merit real por tel-o ouvido no Theatro das No-
vidades da Nova-Hambnrgo, onde elie estreou.
B ,eravo. opera ale A. Catrloe 6o-
BWm'i-.Do Brisil, periodic que se public em
Paris, de 22 do m z findo, traduzimos a seguinte,
notice :
SCurlos Genmes esta prestes a aesbar a parti
tura de unam opera-0 sravo. 0 assumpto foi
extrahido da historic colonial do Brazil. Trata-
se de um indioescravisado e da confederaglo dos
Tamoyos. Do amago de takes acontecimentos dec
taoa-e umarns historia de amer.
a S. A. a prineeza imperial tomou a iniciativa
de promoter um concerto que se realisarA breve-
mente n ia-a -J(hir.4 oa0podneto sert of-
f.recido ao maestro brazileiro a fim die auxilial o
na publicacAo do -eu novo trabalbo a.
UNLarapbo.--ieatem, As 9 horas do dia, viii-
taram os larapies zovamente o 2o andar do pre-
di n. 45, da rua do Iaperador, e corn chaves tal-
ass penetraram na sal. da frente aonde reside o
Dr. Antonio Porto Filho, furtando d'ahi um col-
lete, corn relogio americano e cadeia de oure, no
valor de 240Q e um annel de rubim cercado de 12
brilhantfs.
Ainda asaim form um pouoo conscienciosos,
poise deiparam o respeptivo track e ravata corn
um airlines de brilhaate.
4ss*astio--..IHontrim, as 7 horse da no't.,
na runa dos Guararapes, da parochia de S. Frei
Pedro Goncalves do Recife, foi assassinado corn
+urna facada o subdito portuguez Manoel Jose'da
8ilva.,egadas, moeftdoruna dita rua ae eompueaio
de transportes em carrocas.
Foi seu asqassino, segundo affirmam o9 fllhos do
morto, urn tat Maaoel Juvenal Muniz, conhecido
-por Neco Vais, e que ha poucos dias foi absol-


video polo jury de um crime que prat cAra.
Ignora-e ,qual fosse o movel do crime.
0 ferido toi vistoUido peloa DrP. Jos6 Joaquim
do Souza e Costa Gmes, quenada poderam fazer,
em vista da na*twrea mental do feriponto, quo
foi do lade direito do abdolmena, junto As cos-
t eU4
4 pilicia p6z se em aetividade par& cepturar a
criminoso; Bma atA a hera ema quo escrevemos (9
horas da ojte) n-do aida eeaWgaio.
Ca~e4M(-4p te-l oie4tm, 4 51/2 hosss da
tarde no oaea Pde Nov Iwp, Matoel CorTe4a de
Arapljo e Jo* Porrea do 4r .jo fosnm feridos
nbs or4;%ew eom cuaetadUs, qu Ibhs da-ram di-
ver" o bsraeeiro, sob prtt de quo ellea
queriam comprar snem pagar alguns abacaxio.
Soff oeasor,# pie erajlw pruso, e gs offadidop
levados utpridAde policijt, aob ou tj44 de um
pgadr eot-ilPqr4e, .
a I ihoras da noite, no InStituto 19 de Abril-
rtt 4o ~ epwopn 1, as sa lpna4 da sul do
fran.ezs da ela Normal, A cargo da Sddi94q
Pro ra |oao-Vio # 4regaj$9 .aQo .r.D


tudae~eb hqU~n


1. Aceadmia de ici|~a de Pariiz. e do
1*) de Novembro de 18865.
2. Soaledade da cirurgis do Pariz.-So40iao de


Pedro Gon do d Fa6ri e Joao de Medeiros R-
pose, approvados plensmente.
2- grdro.-Antonio da Silveira Lima, Napolebo
Serodio do Amaral, Jose das Chagas Ribeiro e
Jose Pedro Ribeiro Pesesoa, approvados corn dis-
No dib 4 do corrento na esoola public. pri-
maria6 "so sez #iakiwds& ciffdd JabtdM%.sbted
pela p.*ausa public, D. wmra wMiara B-oe),
orarm exauminadas nas matearms do 1- a 2 griov as
alumnas habihlitadas as quaes obtiveram o seguinte
resultado :
I- grdo. -Guailhermina Casstmira de Lyra, appro.
vada plenamente, e Maria da Annunciagao Mon-
teiro, approvada.
2 grd'o.-Carlota Marinho Rodrigues Brags e
Maria Isabel da SCaha Lima, approvadas ,)m dis-
tinegao, e Josepha Leopoldina dos Santos Leal,
approvada plenamente.
Na eseola public. do sexo masculine da po-
voaAo de Cruangy; regida polo professor Anto-
nio de Menezes Cysneiro Bandeira de Mollo e sob
a presideacia da delegado litterario, tnenente- coro-
nel J osfA Francisco de Moraes Vasconcellos, fize-
ram exames do 1 graono dia 2 do corrente, os
altumnos seguintes : Anguqto Cabral de Vasconcel-
lo approvado, Cezino Carneiro de Mesquitt e
Mello, idem, Jos 6 Isidro da Cunha Henriques, ap-
provado plenamente, Lupicino Carneiro de Mes-
quits e Mello, idem.
Foram examinadores o professor da respeetiva
cadeira e o Dr. Joaquim de Moraes Andrade.
No dia 1 do corrente tiveram inlugar os exa-
mes da escola public do sexo masculine da En-
crusilhada do Rosarinho, freguezia de N. S. da
Graga, regida polo professor Adolpho Silvino Bau-
del, presidinio o acto, o Sr. Dr. Jos6 Din z Barre-
to, delegado litterario, e sendo examinadores o pro-
fessor da cadeira e o professor Francisco Silverio
de Farias. Os alumnos examinados obtiveram
este resultado :
1- grdo --Jos6 Augusto Lopes GuimarIes, ap-
provado plenamente.
2- grdo. -Arthur Attico de Souza Kagalhlies,
apprquado corn distincC-o, e Gaspar Fragoso de
Smuza e Albuquerque. approvado plnamente.
No dia 3, procedeu-se ams exams dos alum-
nos da escola mixt% do povoado de Paivs, regida
pela professor public D. Liberata Maria da Con-
ceigao Sette, sob a presidenecia do delegade litte-
rario Dr. Luiz Salazar da Veiga Pessoa, servindo
de examinador o professor Joaquim da Costa Gui-
maraes.
Foi este o resultado :
lo grdo.-Maria Joaquina do Nascimento, ap-
provada corn distincgao ; Jos6 Jorge Fernandes de
Moraes, Gabriel Jos6 dos Santos, Anna Elvira
Baptista de Lyra c Francisca Maria da Concaigio,
approvados plenamente.
2- grdo.-An'onio Luiz Paes Barrette, appro-
vado corn distincao.
No dia 5, tiveram lugar os exames dos alum
nos da escola public do mexo masculine do povos-
do de Nazareth do Cabo, regida pelo professor
Joaquim da Costa Guimaraes. sob a presidencia do
Sr. Dr. Antonio de Souza Lelo, servindo de exa-
minador o professor Eugenic Rodrigues Sete.
Voi este o rsultado:
o10 grdo-4inervino Ribeiro da Silva e Jolo
Henriques da Paiva, approvados corn distincao.
2- grdo.-Vicente Ferreira de Lima, approvado
c .)mn distincgio.
Na escola publics do sexo masculine da po-
voaagio de T-iquareting t, regida peloprofessor Luis
Carlos de Carvalho Paes Andrade, prestaram exa-
-mes no dia 4 e foramr approvados plenamente os
alumnos Joaquim Dias de Souza e Amado Pereira
dos Santos.
Compoz -se a commissio examinadora do -dele-
gado litterario vigario Renovato Poreira Tejo, ad.
vogado Joao Antonio da Costa C. Maranhaio e do
professor da cadeira.
No dia 2, prestaram exame os alnmnos habi.
litados polo professor da cadeira de aFo PFerrop,
Jos6 Octaviano da Rocha Mello, dando o seguinte
resultado ;
1o grdo.-Joao Jos6 Rodrigues da Ponsees. ap-
provado corm distineco, e Miguel Jos6 da Silva,
app, eiovade plenamente.
O actor, foi presidido polo Revd. vigario Manoel
Ferreira da Rocha, send examinadores o profes-
sor Sdbastiio Tavares de Oliveira Brandas e o da
ca'leira.
Tiveram lugar no dia 1, os exames des alum.
nos de ambos os sexos habilitados pela professor
publics de Angelicas D. Juventina Amelia Car-
veiro de Oliveira, e pelo professor Jo~o Anterpor-
tam L itinam de Mello, presidindo o actor o Revd.
Manoel JosA de Oliveira Roego, delegado litterario
e son-d examinadores os professors das duas ca-
deiras.
Foi este o resultado :
1- grdo. Approvados plenamrnte, Joanna Ma-
ria da Conceigbo, u Severina Maria Barbosa ;ap-
provadas Anun Barbosa Rangel e Josepha Rosa
do Amor Divino.
-- No dis 11,^reataram exam-o os alumnos da
escola publioa do sexo maspulino dos Remedies,
regida pelo professor Caetano Frpacisco Dunleo,
sob a presidencia do delegado litterario Dr, Jook
Osorio do Cerqueira, servindd de examinadores o
professor Hermelino Eliseu da Silva, Cameoa e o


d% cadeira ; dando o seguinte resultado:
.1 gyrdo-Leonel Augusto Ferreira, approvado
corn distinegio, Henrique Ditmantino d M04 lj
Albuquerque, Theobaldo FranciaPc DarAes e Ma-
noel Frfazelino dos Santos, approvao4s plno-.
mente.
2 grdo.-Theobaldo Francisco Daries e Leonael
Augusto PFerreira, approvados corn distingcao e
Joaquim Cyrjilo Gomes Jardim approvado plena-
monte.
Na 1 ca4eira publiea da Capunaga, remida
pela professora ). Maria Salome de Siqueira Va-
rejAo, preataram ao dia 3 exam is de e 2. grios,
as alg#ns habilitadas, dando este resultado :
1- grdo.-Ephigeni* Ferreira Pinto, Marn |la-
rolina Barbo Primaver e Julia CaroltnA Lopes
hCardimn, approvadas erom distineao
2 ,rd.--Mria jAelia de laeantara, Amelia
d s Aolt all e aeria ngelinae deAkvedop
o *pprwA4d coq.is"
Prridio op examesa o delg4o litterane Dr

drer oSr. Augasto Joe p a. o uricio Vantai e a
vinp AP4 qpsww#- a 10 4o 0 Parmtoeas-
ceevenamvA 89q so comxppouadente:
Sao ing .0a4ulOe a o fiepaqw termo s a a-
ften coin as m -ltima&. lya qu ten rVi-do ;ar
0o BQos59.lo -
a As aosaas cbarsn nao ten- ohegpdo pprn- f r
correr 03 riaeihM ooto'alguns ecllegas anuau.cl4
ms tam dada nDal* molM"ar a terra %ahb. em*



























sppu pon qut 1m- WUivnas
5 9* 0 tealpo e- que qual-
o 'J1 WS nor, digiaa- Pdo 1 Na o r) e ralhava come qsiqoer mo-
1 l m t mUAiatro de nsm cosinha; hoje eta tudo me-
..... ,<-A epowamesmo 6 inconveniente por que bem
p .mm p a am os weeroe dos dnowol 4mtigo,
m*4.Xfve qu o do Na scimoao so Anno Rou, e,
.-pen t -serfteireassesBgoaaematre tamiliapara
ilft, de ports votar em qaem s6soe lembra do
p' pIa*%'no di tda leleio?.
SVilla de S. G e. to-Es-revem-nos em 8
t, ,doemrente:
a a OS reeeios de uma rise igual, senia peior, A
de 1877, por quae passou easta e as provincias do
Snorte, jA iA vio; por quaanto as chuvas trn conti-
mudo nao somente n'esta, como nas cam rteas vi-
S siaubas; o os campos, antes resequidos, vio se co-
brindo de urnsma verdura encantadora.
K Nada ha tao bell como a rapids transforma-
plo par que pass o sert3o, do secco para o verde!
A penna mats bem apurada A impotent para des-
ctever essa metamorphose rapids, do s8eco para o
verde; da tristeza, do desanimo para a alegria,
S para a verdadeira expansion do sertaaejo, cujos
S olahos sempre voltados para o eo, adquirem brilho
e grandeza, meiguice e eucantos!
4 V 0 rio Una. em ouja margem esquerda estA.
assented ests Villa, j& desceu cam bastante agua
S posanvel, s ae ao eetao completamente cheias, nos
I oerscerai agua para esses trees mezes.
a, Fala-nos conjurer a cruise monetaria, a qual
cads ve3 augment; e se a mbo podervsa do go-
verao na se estender ata o sertio, pode-se dizer
yque a populiAso pobre do centre perecerA de tgme.
S tespo nao e6 proprio pars as plant ioes, as
qumas so fazem de F evereiro para Marco Ed'aqui
S par Junho ou Junlho do anno vindouro coam qui
s ae alimentarA 4 populaslo pobre, se falham os
meics pecuniarios sos sertanejos ?
a Continue & emigrato para as mattas.
a NIo ha dia no equal nio panse numero supe-
Srior a ciucoenta individuals, e causa verdadeira
dor o estado em que se apresentam nesta villa.
Todavia vio passanado satisfeitos porque nao sof-
froem sede par essas travejsias !
SAgora, que foi entregue ao public a estaggo
da estrad c for de Canhotinho, dever. ser al-
Sterado o iti ra io- da linuha da linha dos correios
S desta villa para Tacaratu, dispensando-se o toque
de Cateude, e dosimbarcaudo os pedestres em Ca-
S. nhotinho, quo dista desta villa oitents e quatro ki
lometros, part percorrer as quaes sao mais quo
snfficientes dous dias ; e deste mrdo ficaremos a
par dos acontecimentos do mundo inteiro dentro
e quarenta e oito horas. -
A alteracgo nenhum inconvenient e desp'izas
traz ao fiseco, e por isto pedimos ao digno admi-
niatrador dos correios da provincial a alteracgaio da
linhas, tanto mais quando Catende demora A mar-
gem-do prolongamento da estrada de fterra e para
alli se expede malas diariamente,
Eneerraram-se as alas do sexo masculine e
femenino desta villa, entrando as alumnos no goso
des ferias, desideratum cam muits antecedencia
Sesperadi pelas criaunas de ambos os sexos.
S Em tolas as localiiades, ains a as mais in-
significantei, o di a do oncerramentt dhs aulas de
ambos os sexos, do ensino primario ou secundario,
6 sempre urn diade folgares, urn dia do festa.
SAqti, poa6m passou desapermebido, e A nao
sef.esacola do sexo femenino, para a qual as
alumnus foram decentemente enfeitadas, ninguem
supporia que aute-hontem fosse urn dia de alegrias
-para as membros da sociedade future, para as
pise e mais de familiar que ha de substituir nos.
Snein se dig que a sects embrntcee as
criaeAS, quando6 certo que o apparecimento das
crisea preoeeupa somente as pais de'familia ; e por
S taoto deve-ae attribuir a falta dt exameas nas es-
colas publioas desta villa a incuria dos pais de fa-
S*ili e -los professors, senado paras notar que a
emoota do sex) femenino, ha mais de anno era re-
Sgid. interinamente, e somente no dia 22 do pas-
sado, Novembro, passou a selt-o effectivamente.
Nao sabemos se nas outras escolas da comar-
ca ter-se-ha dado o mesmu facto de nao have dis-
cipulos habilitadios para exames: so assim sue-
eoder, trite copia daremos de n6s. e seremos apoan-
tat cmo os cretins, coma as beocios da provin-
SCoautia a o jogo coma principal secessaria
occupag/o do. ahbitantes desta villa e povoagbo
do m nuicipio, apesar da prohibigbo contida nas
postures nuniapaes quo nos rogem.
Er m" vi mal oem curs, mut somente em quanto
-n*do. polris. quserem, eos fleet. da
SCa:a casoentirom.
: IoistiaaOs pelt suppressbo da linha do car-
reio de Oomawt pars esta villa. 0 ultimo pedes-
trq05fiMskoru contusindo apenas um masse do
Dicm* Offisal part a Cimara Municipal, e cm
nB oa a-de quatro diis.
0 .QaO digao administrator dos correios,
as- 0holetins e faectura, cbegara. ao
n de qae, o lueo da llnhi da cidade
& Carnar pars esta villa, mhuauma receita
./ .. Wioalwe ao Dr. chefs des pnlcia da provincia
tovidencias no sentido de acabar se corn o abaso


mt tt4jbfieavos do particulaes para condazirem
a,&puisdeneia official o particula das autc ri-
.* ,V xiwtjiaea.
t ia 3 e.4do earceate men aqui chega-
rwa l a dos astes e Viceate Josh da
"lia o prm =ro- irader &a Vaxea dos Ossos, e
4 Peguudo em Conceiio, ambos caaados e com fi-
b, .ini Mndo corrTmspomdnceia das autoridades
w 4 .-&" Cttlib quando alli existed a destaca-
.. meata.
4" .,Coatm o farto de cavallos, o qua nBa e pars
'v-MWiiw ,sw tIs t& sptrouiaaasao d4 feta do
f ,,4-rv*we udM que ora ams awrberba.
jm*-IMuberat Coae 4.9', piw eano pronun-
d o it fsr de cat ,*eo Bjeo da Madre de
l~jl~llt~rn lf(i~niir liitfiiPon em Hber-
mi .tt db eoufte, fmrtwram do
..- eum ehm lwO -de-.sella,
v l .h- mEcold. petw eonductores

-:, --h.40p pp --O em-
'*: -' 4'^'" ^ i~ ^ ffr^l~ e"m """^'""'
M.",.'. |.i-.ea&di ves mwjor, T6Ido
n.. "n a.1t sa iias e.

"' -, j- P -y .sn j c _ifAM. M !W'Tiilm i.t"gmni


d.j^ ^.^ g^;
licrpo 'get i" oaelhti~MIO"

Em ms, da
o~im


de m pae d'et oea ead ea
jarra, arrays 6ssa ostMs | VqiO gW.
a wd&basism em p6S tiblted kniira e soll
oe a eicto tae db u9 dodutiee.
0 papeidoestinado so fabric desteo acagies
frito em latas continaws. da largars e eomprimen-
to que se desea, r
0 interior do barrio a otros rvaos 6 de tedo.
metallico e coberto par anb e ladoe de papAs
de papel; d'est e mo do toeste a nimacia do metal
e a flexiblridade do papal
0 tecido metalico cobre-se de amboa os lades
corn folibas continaas de pape, oe ubmte-o o tode
a unma grande press, par quioe a folhas fiquea
convertidas em UMa uS.
N'esteo cetado, pqor differentesa proseos, torna-se
o papel impermieavel on incombutiveol, oonforme
so quizser. 0 fabric d'esto papel nao diftere do
que se emprega no do papel cemmum de imprimir
e se fas tambem em folhase coantinuas envoltas
em cylindros nasi machines. O -objectos de papel
s1o sueceptiveis de grande brilho, e podem pintar-
se ou envrnisar-se, e qem, quiaer, taitubo e OB
pode cobrir cnm um preoparado ,qu e s tuna im-
permeaveis e oincaembustiveis ; os candeeiros pal-
matorias, etc fazem se incombustiveis ; e as jaiTas
garrafas etc, fazemo-se impermeaveis.
Lenies-Effctuar-se-ho.
Terga-feira:
Pelo agent Martins, *As 11 horas, na runa de
Santo Amare n. 6, d mmoveis, lougas, vidros, etc.,
etc.
Pedo agent Pinto, As 11 horas, A rua de Bispo
Sardinha de moveis e mait perteoias do Hotel
Oriental.
Quarta-feirn t
Pe'o agent Pinto, As 11 horas, na rua do Apolle
n. 22, do moves, loupas, videos, earros, n.uaes
bovines. etc., etc.
Pdo agent nBurlanaqwi, As 11 horas, na rua do
Imperador n. 22, de predios.
Pdlo agente Brito, As 11 horas, us rua do Im-
perador n. 24, de um predio.
Pdlo agent Pinkoh orges, As 11 horas, na rua
do Imperador n. 22, de predios.
Polo agent Pestana, As 11 horas, no Forte do
Mattos, do utensilios de escriptorio.
MEissea faoebre-Serio celebradas:
Amanhi :
A's 7 horas, na matriz daI Escada, par alma de
D. Anna J. S. Cirne; As 7 1/2 horas, na matriz
da Baa-Vista, por alma do baeharel Christovio
dot S.ntos Cavalcante; As 8 horas, em S. Fran-
cisco, por alma de Henrique Jose Vieira da Silva ;
As 7 1/2 horns, na Ordem Tereeira do Carmo, por
alma de D. Anna Jacintha de Souza Cyrne.
Quarta-feira :
A's 7 horas, na matriz de Santo Antonio, por
alma do Dr. Antonio de Magalhies Lopita.
Pamsagelros.-Cegados da Europa no vapor
inglez Elbe:
Mr. J. D. Neolhan, JosA Parents Vianna, Leiz
Parents Vianna, Joao de Souza Ramos, Antonio
de Souza Chaves, Antonio do Rego Barges e Mr.
Foy.
Operacleel crurglcas -Foram pratica-
das no hospital Pedro II no dia 12 do corrente,
as seguintes :
Pelo Dr. Pontual
Amputacio par.desartieulacgo pelo method a
dous retalhos, do dedo grande do p6 direito, re
clamada por eamagamento do dedo em via-fer-
rea.
Duas phymosis pelo process de Ricord, recla-
madas por phymosis e cancros venereos.
Loteria da prvwincta Terga-feira,
15 de dezembro, se extralhir A. loteria n. 26, em
bmneficio da Santa Casa de Misericordia do Re-
c ife.
No consisturio da igreja de Nossa Seanhors. da
Conceigio dos Militares, se acharto expostas as
urnas.,e as espheras arrnumadas em ordem nume
riea, A apreoiagio do public..
3a grande loteria da eorte Tele-
gramma recebido pela Casa da Fortuna sabe-se
quo foam premiados as seguintes numerous desta
grande loteria, extrahida no dia 10 do car-rente:
164.328 50(h000000
86.551 100:0005000
150.342 50:0005000
177.956 20:0005000
34.649 20:0005000
95.955 20:0005000
148.702 20:0005000
19.816 10:0005000
59.658 10:0005000
70.930 10:0005000
151.493 10:0005000
7.084 lO:000000
41.105 1000005000
130.827 10:0005000
130 375 10:0005000
Lerla de Eacel6 de fl0t0hfOSO3


-Esta grande lotaria, cujo premio grande 6 de
200:000%000, pelo novo plano; seri extrahida im'-
preterivelmente no di 15 de deoembro.
Os bilhetes acham-se a venda na Cas Felts
praga da Indepeadencia na37 e 39.
Loteria do Cewri de Iflf:0 90l fl-
Eita loteria, cujo ruoior premsto a 1h0:000000, palo
nova plano,, serA extrahida no dia 9 de janeiro
proximo viadeuro.
Oa bilhetes acham-oe A veda n Casa .da For-
tuna Ana Primeio do Ma_.on. 23.
Loteria de OftOu --I -A 58 aerie da
loteria em beneficio dos ingemnues da Coloia Isa-
bel, corre impreterivelme -me dis 16 de nowemp-
bro.
Oa bilketes acham-ae venda a Rs, ods db For-
tuna A rua Larga do Rosario a. 36 e run do Ca.
bug& n. 1.
Loteria de Of 00O00. A loteria
194a seoieB,sariateraeida.Bo dis.. do dezem,
bro.
Bithetm A vends na Ca felis ds prapa sda Im
deneia r n. 37 e 39.
Tambem aenha-o d veMar n Ca da Fortu.
a runa Pnmeiro de Marug* n. 3.


Vamsas transerever a ordem d dil a aqa '-a
referimos no preeedente artgo e maa --A-
jat itoar quae h fla -&Emrasd rli p ulste z
vel Sr. eoronel Pesoa de Laenda, qu euto so
achava no cmminde das armas.
Todos sabem ow a quanta o Sr. earona Pesoa era
amigo do Sr. oapitio Thomas Alves, ao que im-
ports dizer que s6 urgido peas cireuamstancias e
muito a e ;nt a-g.sto, publiearla semelhant, or-
dem do dis, quae envolve nadat mnenos do que uma
grave ceosura A companhta de cavallaria :
a Ordem do dia n. 1514 do 18 de marnode'
1885.
a Constando que oa servipo de patrulthas da eoam-
panhia de cavallaria, que noeturnamente- auxilia
a policia desta cidade, nao 6 feito regularmente,
dando I ngar A rectamages ue tern sido trasidas
ao meun conhecimento ; no intuto de reguirr ease
servipo, recommend ao Sr. capitiao commandant
dessa companhia, que d sata ordens no sentido
de piocederem as prapas sob- se n commando corn
mais moderagdo, procurando quanto for poasirel
emitar questues quo long de eoneorrer paraa ma-
n utengo da ordem e tranquilidade public, muito
a perturbaram. a (1)
O que. dirM agora o iltustre articufists do Jor-
nal do Recife, que tao emfesado e jogando a
cabra-cega exhibio se no journal de 10 ?
Leia o public e S. S. eaorn attnglao a ordem
do dia qae aeabamos de transcrever, e sm- poaio
nem despeito digam-nos se ats pragas de cavalla-
ria tinham diseiplina !
Reflicta o nobre defensor do Sr. Thomas Avires,
nos terms capitesdesdeasa pegs official, aliAs as-
signada por um dos eielhores amigos do zeloao e
disciplinador capi'to, e ha de eonvencer -se de que
as enoomios de que quer S. S. cwmnlar esse capi-
tio, fizeram baizar o cambio de todoes as abaixo
aseignados e, par assignar, ainds mesmo corn 52
assignaturas publieadas e 115 que ficaram no
archive pars serene quando the parecer conveniente
no que estA em seu direito.
Estomagou-se oa Sr. capitao Thoma Aires, cam
a ordem do dia, o ainda mais corn a sus publica-
pbo nos jornaes Sabe por-m o public qual foi o
procedimento desse a zeloao e disciplinador a ca-
pitbo ? Deu ordem aos cadets e cabos que cam
mandavam as patrulhas que se limitassem ao pa-
pel de meros paseiantes, nbo se envolveado cam
cousa alguma, e quando mesmo se desse qualquer
eonflicto, elles se affastassem para bemrn long sem
tomar providencia alguma e de nada quizessem
sealer Como 6 isto edifiuante, a zeloso e disci-
plinador !
Nunca puzemos em duvida a distincago e fide-
dignidade, se assim nos 6 licito espressar, das pes-
soas dos Srs. hachareis, engenheiros, medicos, sa-
cerdotes, militares (quaes seroe estes !), e cem-
merciantes desta prapa que fazem part das takes
115 que ficavam no archive, o quo seA-i uma es-
tulticia de nossa part; e que Ihe. coatestamos 6
que ex autorita propria, emittam suas opinibes em
m ,teria de militanpa.
Isto sim, dissemos, repetimos e sustentamos.
Eis aqui um specimen do seilo a do Sr. capitol
Tbomaz Alves:
Perguntamos a S. S. si, certo reparo mandate
fazer em sen quartel e a pedido sen, jA havia sido
executado e por. quem ; responded que sim, mas
que igaorava par quern e: por que ordem E'a
prova wais cabal que o aSr. Thamas Aives, pode-
ria dir do abandon em qua deixara o seu auar-
tel
E ninguem ouze bantestar-nos, porque euto
iremos long.
No seguinte artigo, trataremos da ordem d, di
n. 1.446. e mais umsa vez confudiremos ao nosso
contender.
Agora um conselho, que o alustre meu conten-
der temn a liberdade de oa tomar, se quizer: acha-
moo prudent nao se atravessar em nossa frente,
porque ento -trataremos at6 de reclama es de di-
nheiro, feitas por pragas de cavallaria ou a ella
addidas, na occasiao de cmbarear.
Nbo queremos dizer cam isto, qua o Sr. capitol
Thomaz Avires, Lafosq capaz de loeaplotar-se corn
as dinheiros das prasaa, nao; neste paonto- spmos
os primeiros a-as. fa Ihe rjatwia. 0 nesso fiA 6
muito outro: 6 par em alto rdevo a falta de zelo e
exacao que por IA havia; abandoano em quo
estava a compankia de cavallaria e d'ahi a canse-
quente anarchia em que fLi parara tropa que em
tao mA hora lhe foa eonfiada pars commandas, o
que deixou patente a oua ineopacidode.
Nos queremos o rsA son verbs a mba vo -erba non
rde.
rUm irmao da opa.

5 districlo
Se 6 certo quo coma verdadeiros soldadus di um
partido, o qual poa mais de urna vea t-W demons-
trade o seu prestigio, orddm e forge nas luctia
eleitoraes, devemos aceitar, por amor a diweiplioa,
as candidates de chaps, tambem nao 6 nunos cor-
to qu auteoa-detudb e psaiipalmuonte, dtvemos
eompulasar, niuso e aptidia intellectual do eandi
data, 'nas ainda a origem, a pureza e a fideli~de
political; e como aseam pensamos, perguntaaos
ads: teri a Dr. Jobo-de 8& Cavaleante dt AMb.-


querqe, candidate de chape.por este diatuet- oO
requisites acima allegadoa ?
Cremos negativameante ; senao pars too efeite-
rade eonswvador, ooetamente par a a sa nmoria
nlo =mrawtalt ctadite emaampa p polite
isto nalo 6 poals mes prmdeaeotCm eos -tamb.
pelos carps de mportana.ao e "oafaupa pniiSea
quae cesaW -ditrie xrOanS. liberal qm ear
no dominion deFw purtddfr q4alm sbMdoloe
o smAumaio p.maLe.mJwdta Si C.avlomauo e

I air isirf~4ifretasta-eblulstoi ae~ doea~
hmw-get ,Aww.- ShvAm.ob s pee.


to tat qit r vai ftril
:a matioml& meswt pactoa- mi- ,As.SMM,
oesm~ib.dominoegm.PSI
Ago sdtimsseas-do-a
menos egn aeu aeito pel eleido,
esnthraiinaemtnmapeuama m -






potr 4->gr vea. qmmrnoi pinwe;
'rimab"*OWN, anus a g
r~siliedloi ar< at l emput ege-ft
Jwo sfw a reopmdBal ejgw.-

O m' _---,, -. 1 *


Hoe 4 aI, t. -l im
Heo A uma so exe6l,8*1 aoters
Oe doe nfermes,- quedo e teluo
perdido complitanente w rmaags do re
curarem, por havres, usd ne Yo te-po
e eoin todas an cateUae- r
does variadissimos depurativeo mamauom e
estrangeiros, -eujoos ameiu -f eobome a
columnas dos jomae e oq Bernm a menor
confianga recorreram, ao CurMbba, mais
por am desencargo de conecieaeia do que
corn a manor esperanga do mais ligeiro al
living, que dentro em pouco nio se animals
sem pelas melhoras que experinentaram e
quoe continuando, nao tivessem conseguido
urnsma curs complete.
Quando se comecga. a empregar o salicila-
to de soda contra 9 rheumatismo, urn me-
dieo diaia quo ane tia&a mais amed&wde tal
doenga ; e elle assim piatava snto convince
pelo-s bon s resultadbs obtidos;, mas eAte
medicamento limita suea acglo ao rheauma-
tismo agudo, e ,ainda- so estada sua acsoi
sabre o ceraglo ; pois o Cajurubba sem
offender o coragao, nio cedendo a palma
da victoria ao salicilato de soda no. rheu-
matisma agad, 6 de 'uma efdcacia hoje
incontestavel contra o rheumatismuf chro-
nieo, pois todos os doentes, qau delle tem
usado, dizem sem favor, quo soffrero, de
rhumnatisimo quoern 1a quizer eopregal-e.
EBile oombate o rheumatism agedo e
chronic. A syphilis nio resiste a- son
emprego. As erupg5es dartrosas, ainda ag
maig rebeldes, eedem corn o seu usao.

Uma hibil operaiao de ch -ru
fa-
0 embaixador americana o em Vienna,
Mr. Kasson, ternm communicado recente-
mente ao son governor ura descripgeo in-
teressante da notavel operagso chirurgica
praticada, ha pouco, pelo professor Billroth,
daquella cidade. Por certo, a circumatan-
cia parece maravilhosa : mas 6 verdade que
a citada operagio tinha por fim a remogfo
de quasi a terga parte do estomago huma-
no. Executou-se q operagio e restabele-
ceu-se o paciente, sondo esta a primrira
vez quea uma tentative de tal genero tives-
se tido bornm exit na historic do mundo.
Aquella faganha scientific manifestou-se
em certo caso de cancro do estomago, doen-
9a que geralmente vai acompanhada dos
seguintes symptoms:
0 enfermo crece quasi inteiramente de
appetite; sentem-se comao que aum peso
sobre o estomago, e As vezes urma sensa-
glo de c vazio v no mesmo orgio, a qual
cause a um miao estar indisivel; o umsa es-
pecie de material gelatinosa acumula-so
junto aos denies, acompanhada de am gos-
to desagravel, principalmente pela manhg.
A nutrigo, demorando-se no estogomo,
augments em vez do fazer desapparecer
uquelle mAo star; os olhos ficam rodea-
dos de urm cirdulo livido, e o seu branch
toma urma c Or amarellenta: e as mnps e os
pOs tornam-se viscosos, achando-se cober-
tas de umsuor frio. 0 doente sent se sem-
pra cangado, e o somno nale Ihe dA repou-
so. Algum tempo depois, torna-se nervoso
e 'irritavel e o sou espirito nao v- senio
tristes presagios. Quando se levant bruas-.
camcnto do um posivgo horizontal, senate
vertigens, ura especie de tontura na cabe-
pa e ura sensagio de syncope, e cahins
me nao se apoiasse em. alguma cousa. Ha
prisao de venture; e a pelle passa sene can-
sa do calhr so frio. 0 sangue, espesso e
pesado, circular sem regularidade. Em se-
guids, a rutripie pass corn difficuldade e
6 frequentemente rejeitada, ora deixando
na boce urn- goste agro e amargo, ore um
osto adocicado. A estes symptoms ad-
juntam-se quasi sempre as palpitasoea
quo fazem supper aos doentes que ellei
soffrnm do uno molestia do coraegom


Quando o fim se acres, o pacienta nao
p6de reter nutrigka alguma, porque a pea-
sqosm dos itiestinos on cerrasme cemplet
mente ou as menos quia cerradd.
Mas, ainda qua esta enfermidade 6 cOn-
tamente amwatadoa, as afsit dos daze
km 3mpupms deveam aimer aimo, ponque
de mil case ka- no.vesss enoesta n-
ve nDuse- qua ves enferaos no toern ca-
o alim psanio aiimplemmte Dyapepsia
eapq y- o, vw&dada- s aysbea I dow-A-
4moate a.-inuaii-viemte; 0 -romedit
mai segro e mais efficasz contra est aA
6.e -) a teIoa Curativ, de Seip M '
preparaglo vegetal qu-, vadom todesa or
*oomei e botkmmi do misn inc
teiro e as ,'seus propietarioa ,A. WWItej
tinited,. 12. rwhgdcu E-ad, Lbires
& 1C 0 XAmopt derkoe a cam& do
mal, expulsando-a radiesalmente da oibtm*

Ins": SO.3sA
sufro~o pfayaibca.*~Y u
g -ir OW MW Oid B ea

o V d, (14 YPAoOE Lfnaru, & A Pta-
.su/itoiodlrt~




,: em 4-
Bartlwlws. A C-, iB Urn do e Meoee&
0,e -9-iiiVi~~sad


Dr. Gaspar DrwuauoJ1Sha
Dr. Antonio Gon.alve.a Ferrea.
Dr. Jobo do Reg o Barron.
Dr. Jose Zeferino Ferreira Velloso.
3.o
Advogado Jobo Francisco do Amaral.
Dr. Joao de Sa Cavalcante de Albuquerque.
4.o
Padre Julio Maria do Rageo Barros.
Conego Manoel Gongalves Seares de Amorim.
5.0
Dr. Herculano Bandeira de o ello.
Dr. Augusta da Costa Games.
6.0
Dr. Jose Domingues da Silva.
Dr. Pedro Gaudiano deo BRais e Silva.
7.o
Dr. Jose Manoel de Barros Wanderley.
Dr. Ignacio de Barons Barwaeo Junior.
8.o-
Dr. Antonio Venancio Crsale.nte de Albuquer-
que.
Dr. Augusto Coelho de Monraes.
9.o
Dr. Francisco Antonio Regneira Costa.
Dr. Antonio Francisco Correia de Araujo.
10.o
Manoel Rodrigues Porto.
Dr. Francisco de Assia Rosa e Silva.
11o
Coronel Constantino Linea de Albuquerque.
Dr. Sophronio Eutiqainiaao da Paz Portella.
12.
Desembargador Manoel Clementino Carneiro da
Cunha.
Advogado Jolo, Alves Bezenrra Cavalcante.
13.0
Dr. Francisco Gomes Parente.
Dr. padre Manoel Cavalcaute de Assis Bezerra
*de Menezes.
Francisco de Assis Oliveira Maciel.
Jobo Antonio de Araujo F. Henriques.
Hermogenes S. Tavares de Vaseoncellos.
Antonio Joaquim de Moraes e Silva.
Antono Francisco Correia de Araujo
Francisco do Rego Barros de Lacerda.
Henrique M. de Hollanda Cavalcante.
Ignacio Joaquim de Souza Leos.
Gaspar de Drummond.
Josa Bernardo Galvao Alcoforado Juniu,
Francisco de Assis RoaB e Silva.
Antonio Gongalves Ferreira.
Miguel Jose de Almeida Pernambuco.
-Joao Juvencio Ferreira de Aguiar.
Jos6 da Silva Loyo Filho.
Olympic Marques da Silva.
Jose Osorio de Cerqueira.


Ao distlncto eorpo eleltoral do
8 ditaerict
lIlms. Srs.-Tendo expirado, cornm o en
cerramento da ultima sessao da actual le-
gislatura, o praso do mandate que me ou-
torgastes para representar-vos na assem-
bleas desta provincia, venho hoje agrade-
cer-vos a prova de. coafianga corn que me
distinguistes, o quao era fago na effusao da
mais intensive cordialidado; e, pedindo-
vos ao mesmo tempo a graga de vossos in-
dultos para as faltas que, porventura tenha
commettido no dese.npenho de encargo tio
honroso, solicitar as vossos suffragios na
proxima eleieo.
A v6s eo s6mente a v6s cable aquilatar o
meu procedimento no exercicio do powder
quo me delegates, e decidir se deveis con-
tinuar a exaltar-me corn a preferencia de
que, em oittras ocasi5oes, me haveis julga-
do merecedor.
As arrhas que tenho part empenhar-vos
e as credenciaes corn quo, ainda uma vez,
ante v6i me apresento, eenhores esses qua,
em troca de vossos suffragiose- pass offerc-
ce-vos, se nto garantem-me a vossa per-
severanga no aprego e consideraglo que
nunca es odedignastes de liberalisar me,
WmU sopitam tamiuem a esperanga de um
benevolo aeolhimoeato.
0 interesse corn quo na Assembla Pro-
vincial pronmvi sempre o engrandecimento
dessa ocalidade pelo desejo constant de
eorresponder A vosa confianga, thesouro o
mais precioso de tolos quanta ambiciono,
alenuts-me a grats oonvicgoi do, quo nao
dedaoi-do vews cmesitoa,
Noe sei se podia -en mais devotado A
causa do que me i1mubistes l "o q= ve as-
&eguro, por6m, 6 quae, tanto quansuto pude,
caeeatira &BI as oondigoe eapeoisea de
provincia, nao descurei oe. interesseu dessa
district, cujos melhoramentos sempre pre-
ouparanm- me o espitto e naie foram nun-
ca esquecidos durante a tamper quae tnho
tide asentma- Asrembla Provincial.
Souir o primeiro a confessar que mui-
tos della, aliAs neaai8 foam desat-
teniidos; ows creio quae nso sepoderA,
m bel f6, %attribWr seanh 6dta dhi in-
curia -de minha parties nnimxis. nao sendo
ignoradas as cauas quu me iua.biam, de
maliia-oot eq.. nbqpodeanwo pera mim
superadas.
SConhfecthedr, por6m, due neeesuidades
d'es dietaie s quaL. tlo recoaoecido me
confessee pea minha escolh em. dum elei-
$b emirawmu aiconeguym we' eleits
npr.ma legitm, poari today a
ra a _Aa a S envidarE s oa meios &
ace thesaoes, hfin de quo .a4 e es ss-1

Medite compromiuo teo solemn quo
venbo .dlicitujeb em a ses votes, cause
oi #peiwo vaie gseauvqt; e, m--]
tend. ceM a vs ccbmmed. gqoe&aeidat
4 Moaus qas ue -86! se W & boqar


Enearsme Bno die 7 c deem qs
trabalhoa relatives a" uino p'ee-


cadira de povtgo tu anti-
ca e Doutrina ChristZ, de ren entaa-
res, o Dr. Aidlpho Tacio da Costa Cioe,
o professor publieo Felix -id Vakl.a.owia
e o professor Vieente Augusto de Maga-
lhics, obtendo-se ao seguinto resuhtado:
Portuguez 10 anne
Maria Caudida Alves, approvada corn dis-
tincego.
Izabel Estollita de Barros, idem.
Laura A. de Oliveira Braga, approvada
plenamente.
20 anne
Estephania Albertina Alves, approvada
corn distineago.
Maria do Carmona Chaves, ilem.
Laura Amelia Ferreir de Andrade, idem.
Franoes 10 anna
Estephania Albertina Alves, approvada corn
distincgao.
Laura Amelia Ferreira- de Andrade, idem.
Maria do Carmo Chaves, idem.
Arithmetic e Doutrina
Estephania Albertina Alves, app-ovada
corn distincgao.
Laura AmeliaFerreira de Andrade, idem.
Maria do Carmo Chaves, idea.
Maria Candida Alves, idem.
Izabel Estellita de Barros, idem.
Laura Amelia de Oliveira Braga, approva-
da plenamente. d
Trahalhos de agulha
SAcham-se na sala diversos trabalhos fei-
tos pelas meninas, e outras alumnaes do
memo collegio corn sejam, flares decouro
panno, li, bordados de ourM froco, seda,
missanga, tipegaria, cestinha de pedra
ume, e muitos e lindot trabalhos.
Piano
Tocaram tambem diversas peas, que
muito agradou a todos que- assistiram ao
acto : Assim foram encerndos nest col-
leaio os tiabalhos, que devereo comegar no
dia 20 de jaaeiro de 1836.
Maria Codeho da Silva.
..4-


Parts, uiolestias de mulheres e
de crianps
Dr. Silva Brito, medico, clinic do Marauhbo
tendo praticado ultimamente nos prineipsaes hep
takes de Paris e de Vienna dAuutria, ends dedi
cou- se especialmente a partos, molestias de mu-
Iheres e de criangas, offer ce seun services ao .es-
peitavel pttblico desta e J de, otade fixon ua resi-
dencia.
Pode ser procurado d meioe dia As 3 horas da
iarde no seu onnsultorio A rua Larga do Rosario
n. 26, Io andar, e em oua tr. qualquer hora do dia
ou da noite A ruac da Imperatriz n. 73.


coS

a --
























































0 cidadlo Autonio Samico do Lyre Medo,
juis de pas do 1 anno da Ireguesia de
S, Joe6 do Recife, em virtude da lei,
etc., etc.
Polo presente eonvoco aos Srs. Aprigio Jose da
Silva, Jo Crolino do Nascimento e Joaquim
Cavaleante d Hollanda e Albuquerque, 20, 80
e 40 juites de pas deta fresmezia e aos Srs.
Ageostinho Beserra da Silva Cavalcante Filho,
Josaqlm Teizxera Basto, Joaquim Gomes de S8
leftlo e Prazedei da Silva Gui=4o 19,-2-, 8 e 4e
ummdiatos em votos aos msemos jises de paz,
prM que a rerounam no dia 27 do correnteas9
horaala manhi no consistorio da igreja matriz
dst~sfrpegeia, pare proceder-se as nomeag5oeas dos
pr'ddea e aaembmros dea mesa da 2a e Sa sec-
"* e4otoral da mesma freguezia, devendo ser
elite dextre o eleitores das respeetivas secq5es
o president e members das respectivas seecoes
eleitoraes na formal da lei, ficando sujeitoas mul-
tas respectivas aquelles que seo motive justifi-ado
e participado deixzar de comaparecer.
E para eostar mandei passer o present que
era 6u"do as lugar do costume e publicado pela
== oe passed nesta frcgueuia de S. Jos6 do
BedSe, sO 12 do Dezembro de 1885. Eu Josd
"onalves de S4, erivo escrevi.
kstesi Samioo de Lyra Melo.


Edital n.


5


0 administrador do consulado provincial fae
S public, pare inteire eonhecimento dos icteressa-
| dos, que no pras improrogavel do 30 dies uteis,
eonisda do 1do de dzembro proximo vindouro,
seri effetuada por ests reparti*io a eobranaa,
independent do multa, da decima urbana crres-
pondeate ao 1 Vemestre do exereiico de 1885-86,
e a do imposto deo gyro a que eatio sujeitos os
estabelcciment oomnerceiaes a retalho, relative
t- "- trimestre do referido exercicio, confor-
me dispb alei a, 1860 art. 2- 15 ultima part.
Cosulado provincial de Pernambuco, 26 de
aovembro de 1845.
Servindo de administrator,
LManoel Pereira da Cunha.
Edital n. S
0 administrador do Gonsulado Provincial faz
science par- conhecimento de quem interessar
possa, tq ata datt .-o present em diante, per
estsc"ieo nao se dari entrada aseatceas de
algodS vindas por mar ou per tera de outras
provincias, sem que a respective descarga tenha
sid assiaida de.de o seu conmego por algum em-
; regadesta repartio, de accord corn a le i n.
01s05 do5 de jmnho de 1866, e sob as penas esta-
* mbe m iumsmsa lei.
Co malsdo Provincial de Pernambuco, 5 de de-
s zembro de85.
Francisco A. de Carvalho Moura.


Arame de cobte maoldo a lgodo metro.
Dito dito a sedan, netro.
Dito de cobre, kilo.
Dito de latin, idem.
Dito galvanisaio, idem.
Dito de ferro, idem.
Ditoe do Ao, idem.
Agnqa-ra, litro.
Algaravia pare forja, urn.
Agode 4 oMi,kilo.
Areia para molder, barrinea.
Aviad de do zico, kilo.
Ago d eakilo.
Alavance, ams.
Amarello franees, kilo.
Alicate unm.
Alpsrelho telephonico, urn.
Alcool a 36 e 40 gSaos, litro.
Borrachas de Faber, urma.
Bonets para guards, urnm.
Barbante grosso fine, novelo.
Brochas sortidas, urns.
Borraeha em lencol, kilo.
Baldes de folha de Flandres, urn.
Bandeiras imperiaes ddodons pannos, uma.
Boceses pare sandieires, urnm.
Bombs americanas n m. 4 e 5, umn.
Breu, kilo.
Cadernetus para nivelamento, papel &4u, 50 fo-
lhas, umsa.
Ditas para explorac, pael de, 50 folhfas, dita.
Ditae pa. alnhamentos idem idems, dita.
Dieus pars sec@oe idem idem, dita.
Ditas parm locago idem idem, udita.
Ditas pars resume idem idem, dita.
Ditas em branco pautadas idem idemn, dita.
Dita de ponto idea ides, dita.
Cobre velho para fundigico, kilo.
Canetas de borrmchas, urma.
Ditas de madeira, uma.
Colchetes us. 2, 3,4 e 5, caixza.
Canivetes finos duas follhas, urn.
Cestus para papeis, ama.
Copes de vidro, urn.
Dito de estanho, um.
Colla da Bahia, kilo.
Correntes de ago 20,00m, usa.
Ditas de metal, uma.
Cal preta, alqueire.
Ditsa brane, alqueire.
Chaves iaglezas 8", 10" e 12", urns.
Ditas franeezas, uma.
Ditas de aeo para parafusos, urns.
Carvlo pars forja, kilo.
Dito Cardiff, kilo.
Chaminds para candieiros, uma.
Caadiersde vidlropara kerosene, urn.
Cobre em lenqol, kilo.
Catraces, nama.
Cadeados patent grande, urn.
Ciscadores, urn.
Cannos de barro, urn.
Ditos de ehumbo, kilo.
Ditos de ferro, kilo.
Cr6, kilo.
Cadinhos, urn.
Cadeiras austriscas, numa.
Cimento Portland superior, barrieas.
Carrinhos de mao pare aterros, unm.
Ditos ditos pare transporter volumes, urn.
Cavadoree, urn.
Corda de limho, pegs.
Chavis pars emender iho telegrapbico, urma.
Chumbo em lengol, kilo.
Dito em barras, kilo.
Duplos decimetros de marfimj, urn.m;
Dobradigas de ferro oom parfusos, par.
Ditas de latlo idem, idem.
Diamante prra eortar vidros, amurn.
Envelopes quadrados marcades, cento.
Ditoa ditoes menores sem marea, idem.
Oitos grande marcadoa, idem.
Ditos telegraphicos marcados, idem.
E.squadros de adeira sortidos, am.
Esecarradeiras de long brancea, umna.
Espanadores do palha, urn.


Jarras corn torneisra, nma.
Jerios, un -
Jarros de loun, idem-
Kakndarios, um.
Keroene, lata.:: .
Lapes de borracha, um.
Vitos de duas cores, idem.e
Ditoa de Faber ns. 2 e 3, idem.
Ditos graphitos d a Siberia s. 3 e 4, idem.
Lacro encauado, udo.
Livro copiadores M,25 0,23 M00 folias, um.
Ditos 0,86 0,24, idem.
Ditos em brano, papel abmao pauta4o corn 100
folis, adlem.
livros em branch papel almago pautado corn 150
folhes, um.
Dite idem idem idem eosrr6 idem capa de panno e
Ppael corn 100 folihas, um.
Dito idem idem idem idem idem idem idem corn
150 folhlas, ua.
Dito idea idem idem idem idem couro e panno
corn 200 folhas, urn.
Limpa pennas, um.
Livros protocolos papel almio pautado 100 to,
lhMes, am.
LatIo em lengol, kilo.
Lixa franceza sortida, folha.
Dita esmeril, folha.
Livros pare registrar mereadorias, urn.
Ditos idem idem bilhetes, urnm.
Dito idem mio d'obra, urn.
Lavatorio de ferro omn jarro e bcia, am.
Limas chatas bastardas ingleszas, urns.
Dita meia canna idem ide4, idem.
Dita idea idem mursas, idem.
Ditas chatas, idem.
Ditaes triangulares bastardas idem, idem.
Ditas idem mursane, idem.
Limatoes, idem.
Lanternas parm signaes, idem.
IA pare pavios, kilo.
Matta-bordto cylindro, am.
Machadinhas americanas, urma.
Machados idem, amurn.
Marretas, kilo.
Marroes, idem. "
Mesas para escriptorie 10,30X075, urn.
Niveis de bolh&d'ar corn eaixa, urn. --.
Dito idem idem s.m ecaixa, idem.
Oleo pa apa arelhos, frasco.
Dito de linhaia, litro.
Dito de ramona, idem.
Dito de banau, idem.
Ocre amarelle, kilo.
Dita de arruda, idem.
Papl almamsso pautado Fiume, reams.
Dito idemn superior para officios, sem mare, idenm.
Dito idem: ide, idem ides mareado, idem.
Dito rosado pare officios, ser marca, idem.
Dito par officios niarcado wm meias foihas, folha.
Dito formato Ministro marcadeo, caixa.
Dito quadriculado, rolo.
Dito dito em panno, idem.
Dito par desenho gem finm, idem.
Dito dito collado em panno, idem.
Dito toile a calquer, idems.
Dito almasso liso duplo, folha.
Dito mats-borrl, idem.
Dito seeeante de eopiador, idem.
Ditoe oleado de copiadur folhas grande, idems.
Dito pare embrulho, idem.
Picardtas, ums.
Pennas Malta extra-finnas ns. 12 e 14, caixa.
Pennas Perry, idem.
Ditas pare desenhs, ides.
Persovejos do metal branch, idem.
Pinseis pare deseuho, urn.


ta earmium, pio.
Dits 'ankimn, pAo.
Dita sepia, ep .
Dita terrade emne, pio.
Dita neutra, pao.
Dit aul, fresco.
Dita wmimvfur, .
Dita a tamponparseaparelhos telographicos, idem.
Dita pta.Bbos Blacki, meo litre.
Pita commanicativa Blewe Black, meio litro.
Oite verde cromme, kilo.
Dita aul da Prussida, kilo.
Dits dito marinho, kilo.
Dita pare impresso de lythographsia, kilo.
Torqueos, 1uma.
Tales pars telegsrammas transmittidos, 200 folhas
urw.
Ditos par ditos recebidos, 200 folhbas, am.
Ditos pare passes de 1., 2.' e 3a classes, 200 fo-
lhas, um.
Ditos pare assignaturas de bilhetes de 1%'I 2-a o
3.& classes, 100 follas, am.
Ditos pare fretes pagos, 200 folhas, um.
Ditos pars fretes a pagar, 200 folhas uam.
Ditos pare pedidos do bilbetes, 200 folhas, am.
Ditos pare despacheo de bagagem, 200 folhas,!um.
Talles pars dhpacbo deo animals, 200 fie., am.
Ditos pars remibos diversos, idem, idem.
Tiuteiros de vidro, idem.
Trenas de tie metallico de 20,'mO, 30,m30 e 50,m30
uma.
Tiralinhas fines, uam.
Taxas de cobre. masse.
Ditas de latio, idems.
Ditas de ferro, idem.
Trades de annel e roses, sorttidos, urnm
Toalhas felpudas grande, uma.
Tijolos franceses, amurn.
Tubos de borracha, metroe.
Telhas de sinco, amt.
Taboas de pinho sueo,. I", idem.
Ditas, ide ideas, 1/2", idem.
Ditas idem idem de forre, idem.
Ditas idem de resins, 1/2", idem.
Ditas idem ide m I", idems.
Ditas idem idemde forro, idem.
Tornos grande, un. -
Torce-fio, urn.
Verniz copal, litro.
Dito preto do Japlo, idem.
Dito branco, idem.
Dito Gold Size, idem.
Dite pare lithographiA, idem.
Vassouras de piassava, umsa.
Ditas americanas, idem.
Vidros para niveis d'agua, amurn.
Vases porosos pars telegraph, idem.
Vermelhio da China, kilo.
Valvulas parabombas, uma.
ZarcAo, kilo.
0 forneciments sern contratsdo per 6 mezes e
feito conform e a& respectivas requisigoes.
SOs objectos. serao de primeire qualidade e en-
tregues, convenientemente acondicionados, no al-
moxarifado, as estago de CiMco Pontas, on mas
offleinas da estrada de Caruard, segundo as exi-
gencias do serviago.
N'este escriptorio encontrar-se-hio as amostras
e bem assim os eesclareimentos necemassrios.
As propostas eerio aberta e lidas no lugar, dia
e hera acim indicados, na preaena dos Srs. pro-


20 Serlo entregtas polo fornecedor quando
pedidas iwm4 diatauif-te.
S3- Picanepttos a approval ou reprovaco
do medico d44ekormuuia..
40 0 twuorned'raa nmultado 10 p r cento
do valor 4as- m qeuloalfo ent regar, a
de,0:. quo a .~ o ete
d p2ot oento~o,'aries enjsi entrega nAo
effetnar a iforemn rpr4ovids, qs o na substi-
tuir por outros,, quo seja aceitos ; e bem n asim
a different que possa have entroeas preeos a-
justados e aquelles porque so fiveT-de obter no
mercado.
5o 0 forneeedor serk pago da importaicia do
forecimento que fier, peta conpetente repar-
tico, em vista do.e documents que obtiver.
Ob~arvA9oes
I* Nenhuma proposta sera rocebida sm que o
proponents n'elia declare por extenso, sem claro
algum, entreliaha ou rsura o prego e mais cir-
cumstanciaS que interessem ao fornecimento.
24 Nao sera acceita proposta em que o negoci-
ante nlo declare que se ejeita ao pagamento da
multa deo chico por ceeno ao valor provavel do
foruecimento, duraate o praso para que 6 este an-
nunciado. se nao compareeer nesta secretaria para
assiguar o contract quo for celebrado no prazo de
tree dias, eoutados d'aquelle em que for chamado
pela imprensa.
3a N Sio serlo admittidas as propostas dos ne-
negociantes on firmas soeiaes quae nio apresenta-
rem certidlo de matricula da junta commercial,
bIheto de pagamento d) imposto de industria do
ultim, semoatre, e certidao de contract social,
extrahido da junta commercial.
4a N-nhum t proposta sera reaebida depois do
dia e hera designados neste annuncio.
5, Os propinentes apresentarlo os documents
exigidos tree dias antes do marcado pars o reeebi-
mento das propostas, afim de ser feita a campe-
tente verificao.
6a Os fornecedores fieardo sujeitos a mais 30
dias de supprimento, alemrn do praz estipulade no
contract, sem que esta cirmmstancia Ihes de di-
reito a prorogagao do ajus'e, contorme a clausula
estabelecida pelo aviso do Ministerio da Mirinha
de 13 de Julho de 1817.
I Os objeetos fornecidos s6 serao pagos no mes
seguinte.
Secretaria, da inspec*,o do Arsenal de Marinha
de Pernambuco, 12 de Dezcmbro de 1885
0 secretario
Antoio da Silva Aseve to.

Estrada-de ferro do Re-

eife i Caruard
De ordem do lilm Sr. director, faCo public
qua na noite de 24 do corrente havera um trem
especial de passageiros at Jaboatlo, o qual par-
tirai da estaaol do Recife as 10 horas e regressark
de Jab3atao is 5 hours do manhlia de 25. Para
este treen nio se fara despacho de bagagens.
0 secretario,
Manofl Juvencio de Saboia.

Consulado do Portugal

eni Pernambuco
Per este consulado se faz publieo, que tendo
fallecido abintestado o subdito portuguez Ignacio
de S L[opos Fernandes, foi o dea espolio arreca-
dado em conformidade corn o que dispj3 o regu-
lamento imperial de 8 de novembro de 1851, ac-
tualmente em vigor.
Consulade deo Portugal em Pornambuc 10 de
dezembro de 85.
Vicente Nunes Tavares,
Enearregado do coasulado.


P. 3
Recife
Tigipi6
Jaboatao
P. 5
Recife .
Tigipi6 .
Jaboatao


7.50
8.08


7.3
7.52


Jaboato ....
Tigipi6. 5.46
Recife 6.08
P. 6
Jaboato ......
rigipi6. 8.36
Recipe 9.00


8.20
8.38


DIAS SANTIFICADOS
IM MAZBA


"1
Ea ~e 4 '



P. 1
Ti4.,. 1 1 7 1


Jaboato
P. 3

Recife .
Tig:pi6
Jaboatao
Morenos
Tapera .


7.35
7.45



8.20
8.39
9.8
9.42


7.37


8.00
8.28
8.42
9.11


P. 2
Jaboatao
Tigipi6 .
Recife .
P. 4
Tapers .
korenos
Jaboatio
Tigip96.
ReDae .


DE TARDB


Co




P. 5
Recife ...... 2.00
Tigipi6. 2.20 2.22
Jaboatao 2.38 ......
P. 7
Recife ...... 5.00
Tigipi6. 5.20 5.22
JabatAo 5.38 ......


Estageu


P. 6
Jaboatao
Tigipi6.
Recife
P. 8
Jaboatao
Tigipi6.
Recife .


d
'0e
I






8.43



.10.20
1048
11.7
11.30






.'8

3.i


3.38


d





8-05
8.23



9.50
10.23
10.51
11.10





1




3.00
8.18


...... 8.00
8.16 8.18
8.38 .....


SN. B. Nos dias de festa national regular as ta.
belles dos dias uteis.
Secretaria do prolongamento da estrada de fer-
ro do Recife ao S. Franaisco e estrada de ferro
do Recife a CaruarL.
Recife, 10 de Desembro de 1885.
0 seeretario,
































rAo deifferentes qualidades, idem.
:e' (ios de ferro sortidos, milheiro.
Ferro inglez de differences qualidades,
gramme.
Dito sueeo, idea.
Dito em lenool, idem.
Fechaduas de eaixa paras port, de different
menises, urma.
Ditas pars gavetas e ormarios, idem.
Dobradiyas de cruz de differentcs tamn
par.
Ditas de encosto paas armarios, idem.
Torno de bancada pars scrralhe ro, urn.
Ferrolhos de ferro e de latro, id m.
.arrumas de differences dimensSes, urema.
Fregos de differences qaalidades, milhei o.
Ditos francezes de differences dimensoes
gramma.
Ferro paras pua de differences dimensoes, du
Parafusos de ferro para madeira, de differ
tamanhos, dczia.
Ditos de latio, idem idem.
Limas inglezas, bastardas de 4 a 16 polle
chatas e mela canna, uma.
Ditas ditas muryas triangulares, meia ca
chatas, de 8 a 10 pollegadas, urma.
Grozas chatas e meia canna de 6 a 14 polle
idem.
Limatoes de 4 a 12 pollegadas, idem.
Fie de VelUa, kileogramma.
Dito de algodlo national, idem.
Lixa de esmeril, folha.
Dita de area, idem.
Arame de ferro de diversas grossuras,
gramma.
Graxa do Rio grande, bexiga.
Serras de volta, uma.
Serrotez de fixa, urn.
Ditos de mba, idem.
Formoes de differences dimensues, idem.
Badames, urn.
Goivas, uarns.
Ferro de plain corn c-pa, urn.
Ditos ditos pars desbastar, idem.
Carvo pars forja, kilogramnra.
Dito cock, idem.
Sabao, ideom.
Pinceis, urn.
Br6ehs de caiar, urma.
Enchames de qualidade, urn.
Pranch6es de amarello, idem.
Ditos de sicupira, idem.
DitoM de pnho Suecia, idem.
SDitos de dito de riga, idem.
Taboas de soalho, de amarello, duzia.
Ditas de dito de forro, idem.
-Ditas de dito de 3/4, idem.
Ditas de louro pars soalho, idem.
Ditas de dito de 3/4, idem.
Ditas de dito para forro, idem.
Ditas de pinho americano, pk.
Ditas de dito Suecia, de differences dime
duzia.
Palha de junco ns. 1, 2 e 3 kilogramma.
Costados de amarello, urn.
Ditos de pdo carga, idem.
1)itos de sicapira, idem.
-Costadinhos de amarello, idem.
Ditos de pao carga, idem.
Ditos de sicupira, idem.
Botoes de m tab branceo, grande, urn.
MDitos pequenos de dito, idem.
Ditos deo dito amarellos, grande, idem.
;Ditose de metal amarello, pe uenos, idem.
]Trany chats de l, metro.
'Cordlo de U branca e encarnada, idem.
Ditoe de algedo branco e encarnado, idem.
Bot5es de oseo branch e preto para calqas e
eas, gross.
Ditos grandes de osso preto para blusas, um
Ditos pequenos de dito dito para dita, idem.
S Colxetes pretos, par.
Cab. de linho branco de difterentes grossura
logramma.
Dito e d.dito alcatroado, idem.
Sw Areia de moldar para fundiao, idem.
0 torneoimento dos artigos acima, sern feil
pedidos parciaes, conforme as exigencias do i
qo, devendo aAl-o de prompt.
Previne-se que nbo serlo tornadas em 0co
i Taybo as propostas que na, form feitas na I
do art. 64 do rsgulamento acima, em dupl
co refereacis a um s6 artigo, mencionindo
flne do proponents, a indieyb. da easa -on
ala, o- pmoi de eada artigo, o numeroe msrn
amostria e finalmente doebaraglo exprsaa d
jeitar-se a mult de 5 0/0, no easo de recuse
signar o respective contrato, e as demais d
'tnalam os arts. 87 e 88 do regulemento em
o deveado ditas propostas e amostras serem
4ontadis nests seeretaria, as 11 horis da n
do dia 14 do cements.
Seoretaria do Arsenal do Guerra de Pel
.buco, 10 de Desesbro de 1885.
0 aecretario,
Froncisco Joatuim de Souw
-Aamemi municipal da cidade do I
eonvidi as domes dos estabolmesnts co
-cue de4s f-e de Afogadoa e Varzesa
-v viem a c compete aferirmos pesos, m
.- o balance. does me-mo, no proximo mez


I dbaa aobaup" "da le'.
P p da camera municipal do Recite, 804
R .Anti de Siq8 ame d
Dr. Antonio de Bique'ira Canieda


Ts0via iol noda
tes di- Pagamento de divides de exercicios findos
De ordem do Illm. Sr. inspector se iaz public
que em virtude da ordem do thesouro n. 214 de
Lanhos, 26 de novembro proximo find, se effectuari o pa-
gamento de dividas de exereicios aos credores in-
fra declarados :
Joaquim Alves da Silva Santos 505040
BeltrIo & Costa 1:3699640
Aniceto Jose Maria de Andrade 5375000
Dr. Carlos Bittencourt 295A941
kilo- Manoel Joaquim Alves da Costa 1885542
Genuine Jose da Rosa 1158112
zia. Jose Manoel Correia de Barros 69,5550
rentes Thom6 Gomes Vianna Lima L80000
Manoel Joaquim Alves da Costa 3:282,746
Francisco Pinto de Magalhles 725U742
gadas, Joaquim Alves da Silva Santos 7:7270180
Medeiros & C. 1895700
anna e Jos6 Joaquim Alves de Albuquerque 8;720
Secretaria da Thesouraria de Fazenda de Per-
gadas, nambueo, 10 de dezembro de 85.
0 escripturario,
J. H. Oliveira Anmaral.
Consistorio da irmandade daes Almas, erec-
ta na matriz de S. Jose do Recife
De order de nosso irmao juiz, convido a todos
kile- os nossos irmaos & comparecerem no dia 15 do cor-
rente mez, nc consistorio desta inatrinz; pelas 6 1/2
horas da tarde, afim de se proctder a eleie o do
20 procurador.-O escrivao,
Francisco Valeriaqo A. d, Fonseca.
Santa Casa da Elserleordla do
Recife
Tendo sido ordenado a admisslo, no college,
des orphas em Olinda, das menores constants da
relhaVo publicads em seguida, por esta secretaria
sao convidadas as suas mgis ou protectors pars
as irem recolher aquelle estabelecimento.
1 Ricarda, filha de Antonia Marcelina de Oli-
veira.
2 Joaqu'na, filha de Jcanna Maria da ConceicAo.
3 Maria, protegida te Joaquina Domiogues Fer-
ieira.
4 Adelina, filha de Basilia da Conceicao Teixeira.
5 Eliza, idem idem idem.
6 Maria, filha de Eugenia Maria de Oliveira
Lagos.
7 Leopoldina, idem idem idem.
8 Guilhermina, sobrinha de Francelins Brigida
Soares.
9 Maria, filha de Sophia Carolina de Moraes
Costa.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
nsoes, Recife, 12 de dezembro de 1885.
0 eserivo,
Pedro Rodrigues de Souza.

Camara municipal
Despesas feitas corn as folhas da limpesa das
ruas, pracas, caes, pontes e travessas das fre-
guezias de S. Fr. Pedro Gonalves do Recife,
Santo Antonio, S. JosA, Boa-Vista. e Graa, na
semana de 7 a 12 do corrente mez.
Despendide corn as folhas da limpesa da
freguezia de S. Fr. Pedro Gougalves
do Recife 1405080
cami- Idem idem da freguezia de Santo An-
tonio 165A680
1. Idem idem da freguezia de S. Jose 172$020
Idem idem da freguezia di Boa-Vista 2895760
s, ki- Idem idem da freguezia da Graca V1('000
Ba. 7779540
Conadon a da COwua iu&eipal do Recife, em
0 per 12 de dezembro de 1885.
servi- 0 contador,
iside- Jose Mania de Souza Araujo


Companhla Dablana de d a'ega-
phe a Vapor
Macei6, Villa Nova, Penedo, Aracaji,
Estancia e Bahia

0 vapor ar Z de CaIas
Commandants Nova
jE' esperado dos no re aci.
ma stA o dia15do dezsembro
e regressari pars os mes-
mos, depois dademora do cos-
~tome.
Para carga, passagens, encommendas edinheiro
a frete tracta-se na
7-Rua do Vigario-7
Donlumgos Lives laihens

Pacific Steam Navigation Company
STRAITS OF MAGELLAN LINE
Paquete Patagonia
Iki]..-* E' esperado da Europa
~^'7 iKJ a stl o dia 20 de dezembro e
IfuLJu ~depois da dmora necessaria
seguira parase do sul e do
~Pacifice.
Para carga, passagens e encommendas e dinhi-
ro a frete tracts-se corn os
AGENTS
Wilson Sons & C., Lmited
N. 14 RUA DO COMMERCIO N.-14
United States & Brasil Mail S. S. C

0 paquete Finance



feebro oaqual seguirA
depois da demora
neeessaria pars

Bahia e Rio de oanelreo
Pars cafga, passagens, encommendas e dinbeiro
free: tracts-so cmoes
Vapor Advance


E' esperado do sul no dia
17 du ccrrente, ecguiado de-
poas da demora necessaria
pars


Waramhko, Para, Barbados, St.
Thomaz New-York
Parns earga, passagens, encommendas e valores
tracta-se corn os
Agents
Henry Forster & C.
N. 8- RUA DO COMMERCIO -N. 8
1.- andar
Companhla Bratlleira de NWave-
mrdebf t eVAumSP


CIIIOI B1UuIIIJII017TO DONO T
Gazora. MWw ws
N. 74. -: Esciiptorio do engenheiro da 0amara 0 Vapor Cear6 i
municipal do Recite, 10 de desembro de 85.
Illm. Sr.-A cordeaoio para o muro que o Dr. Cowmandante o 1. tenente Guitherme Pa-
Telesphoro Fragoso est4 levantando em sen sitio checo
na Terre, foi dada por mim, de mode a guardar a E' esperado dos portos do 'sul
largura de oito metro, marcada na plants da ci- W|,*y atl o dia 16 de ,desembro e
dade, para a travessa do Arantes, limiteda ao seguira depois dademo in
norte per uma part do muro em quest, ficando dispensavel, para o portos
a ontra part na runa Real, cujo slinhamento foi do norte at6 Manios.
rigorosamente observado.
SDeus guard a V. S. 1im. Sr. Dr. Manoel Pasargapassagease ncomuneid e valores
Francisco de Burros Rego, D. vereador commis- tracta-s en ageei "a
sarioe de policia da caara municipal do Recife. N. 46 RUA DO COMMERCO 46
Jolo Jose Femnandesda Cunha,-C-L'--R-I-
SEngenio di ca.STaAl PRA TCKOT
M'l'YT'" A MrrN'" I _--_-_. '.__


COEIANY
0 paquete Tamar
tk esper

~eoemris


A baea postuguess Lopes Duarte engaj% carga
a fretepara seguir dentro de peueos dims; a tra-
tar corn Amorim Irmos & C.


Sue corn today a brevidade par ese porto o
pataho national OSCAR; a tratar na rua do
Marquez de Olinda n,6.


BEN


DOURAN


O capitao S. I. An-
drew da galera in-
gleza Ben Douran, ar-

ribada a este porto

por for a maior, pre-

cisando reparar ava-

rias conforme a visto-

ria feita, que pode ser


examinada em


dos


Srs.


vasa


Saunders Iso


Brothers & C., recebe
propostas para esse

fim, por carta fecha-

da no consulado in-

glez, no dia 14 do


corrente,as


12 horas,


quando serho abertas

na present a do consul

de S. Magestade Bri-

tannica.

Para Lisboa e Porto
Segue con brevidade pars cs portos sacima a
barca national Ida : para o rest da carga e Oas-
eageiros, "tratase s com os consignmitarios Joe da
Silva Loyo & Filho.


LEILOES


Teroa-teira, 15 do eorrente, deve ter lugar o
leillo! do Hotel Oriental -A rua do Bispo Sardinha
a. 5, outr'ora mrua do Eneantamento.
Qninta-feira, 17, o de bons moves e inmais objec-
tns de eas d cide familiar, a rua Duque de Caxias n.
11, em que moron o Sr. Miguel Meiras.
- Quailta-feirs 16 deve ter lugar o leilho de
bonds moves, percelana, cristees e vinhos existen-
tes no 1o andar do sobrado da rua do Apollo n. 22
per cima do armazem que foi do Sr. Antonio Jolo
Furtado.
Em continuacao e a 1 eora da tarde leilao de
de um linden cabriolet americano, carros envidra-
Vados, cavallos e vaccas.


Leilao
De bons moves, vidros, 1 espelho oval e
cofre ingles
Send urma mobilia de junco corn alinha no
encoto, consoles de pedra, uma cadeira de balan-
go, 1 espelho oval, jarros, lanternas, figures de
gems, quadrou finos, tapetes, etageres, 2 guards
vestidos de smarello, cadeiras, espreguieadeiras
de junco, mesa elastic de amarello, 1 bom guar-
da&louga, aparadores, marqueza, cadeiras de jun-
co, cadeiras de brasos de jaceanndi, ditas de guar-
niuo, calicee, garrafts paras vinho, compoteiras,
coheres de metql, faies e outros muito moves.
Um core i de doduasrpwtas.
Terl- lera 16deoDezexmbro
'A's 11 horas'eem ponto
No 20 andar do obrado 6 da gas- de Santo
Amaro, junto a estacgo da pras do Capim.
0 agent e Martins autonrisado por uma familiar
que se mudou para fisa da cidade farA i leilo
doe moveis e mais objects existentes no referido
sobrado.

firand' Avariadt


especil do co wivnd em lei1lo os pre-
dieos seguintes:
Um sobrado do 8 andams u. 2 sito rua de Ma-
riz e Barne, ese eeobradh tern uma part de....
8275120 peltenente s herdeir Jo s de Joa-
quirm Die Fernandes.
3 ceaes em caixao ru do Tuity ns. 10, 12 e
14.
Urns casa na cidade da Escads n. 71 A rua da
Cadeia, tend a mesma uma armma .o.
Urnsma dita A rua do Amparo em Olinda n. 65,
tendon a mesmas uma armaco e mais utensilios
para taverna:
Na cidade de Goyanna
Uma casa terrea n. 11 A rua do Padre Reinal-
do. tern itrmaybo mais objetos de vends.
Urna dita a rua do minperador n. 31.
Urna dita A rua do Rio n.
Em Mamanguape
Uma casa terrea A runa de S. Pedro n. 1.
Urns dita rua da Pont e n. 16.
Uma dita a rua da Pedra.
Urma dita A rua do Rosario n. 3, utensilios na
mesa casa.
Umas dita na mesma rua.
Uma dita na mesea rua n. 5, armacgo de ama-
rello.
Uma dita na mesma ruas n. 7.
Urma dita na mesmas rua n. 9.
Um engenho denominado Barra Leite Meirim.
Urma propriedade denominada Preguiga.
Os Srs. pretendentes desde jA poderno ir exa-
minar as referidas casas, e alguma explicaglo corn
o mesmo agent e no seu escriptorio site A rua do
Imperadeor a. 22.

Leilao

Mont0- Postaa


Quarta-feira 10 do corrente
A's IA horas em ponto
armazemdo Sr. Vianna, sito no
do Matto


Forte


Urn magnifico cofre inglezs prova de fogo, urma
excellent prensa pars copiar, e outros utencilios
para esei iptorio.


Leilao


Dos. Moves, loua, eristaes, uten.
cilios e mais pertences do Hotel
Oriental.
A' rua do Bispo Sardinha n. 5 (outr'ora
rua do Encantamento)
Terga-felra 1 5 de Dezembro
A's 11 horas em ponto
0 agent Pinto levara a leillo per mandado e
em presenga do Ilim. Sr. Dr. juiz de direito espe-
cial do commercio, em virtude do requerimento do
Dr. curador lucal da massa fallida de Moraes &
Rocha, as carteiras mesas, espelhos, qnadros, can-
dieiros, louMa, copes, bebidas, taiheres, apparado-
res, fog6es americanos, trens de cosinha, mobi-
lias de junco, espolho grande, camas, lavatories,
travesseiros e muitos outros moveis e pertences
do Hotel Oriental, existentes no pavimento terreo,
10 e 2o andares do sobrado da rus do Bispo Sar-
dinha n. 5, outr'ora raa do Encantamento.
Garantc-se a chbave da casa.

Leilao
Quarta-feira 16 do corrente
A's itI horas
No armazem a rua do Imperador ni. 22
0 preposto do agent Burlamaqui, por mands-
do e assistencia do H1m. Sr. Dr. juis de direito
privativo de orphbeos, levara a leilao um caixio de
cas corn mei agua no fund, site A campina da
Casn Forte em terrmeno foreiro, A requerimento da
inventariante Entalias Francisca de Paula Ma-
chade, beas de seu finado marido Manoel da Cos-
ta Pereira.

LEILAO

De moves, plane, espelhes, lou
ea e vidros
Conatando
De uma excellent mobilias de jacaranda massio
corn tampo de pedra, 1 piano forte, 2 espelhos, 41
jarros, uma eama iranoeesa, 1 guardaroMpa, umans
estate corn mesa, 12 cadeiras de junco, duas di-
tas de balance, urns mesa elastic com 6 taboas,
1 sparader grande de amiarello, duas meias com-
m6das, duas poltronas, 1 guarda-comidas de ar-
mario, 2 eabides de parede, uma sells ingleza, 1
par de patins corn mola, urns moldura dourada,
umr quartinheira, lougas pars almoeo e jantar,
compoteiras, garrafas, eopos, cahces, garfos, faces,
colheres, 1 lustre de vidro corn 3 bicos pare gaz
carbonico, 1 dito paras 4 lazes pars kerosene, 1 re-
logie de parede, garraf5es vasios e muitos outros
objectss de swo domestico, os quakes serlo vendi-
dos sem limited.
*martas-felra 1 de Dezembro
A'S 11 HORAS


Leilao
Da massa falilde de Rabello et
Sobrinho
QUINTA-FEIRA, 17 DE DEZEMBRO
A's 11 boras
0 preposto do agent Burlamaqui, autorisado
per mandado e assistencia do Dr. juiz de direito
especial do commercial, a requerimento do Dr. cu-
rador fiscal da mesma mass fallida, levarA a lei-
I1o o seguinte :
Urn cofre prova de logo, 1 dito pequeno, 5 ear-
teirao, 3 mochos, urma secretariat corn portas de
arame, 1 balcao e 4 grades, uma mesa redonda, 1
sofa, duas cadeiras de balanco, 14 ditas de guar-
niolo, uma dita para aecretaria, urma quartinhei.
ra, 3 mappas, 1 quadro e urma parte do palacete,
onde funcciona a associaslo commercial.
Vendera em continuaglo mil e tantas oitavas
de prata do Porto em obras e mais artigos.

Leilao
Da barca americana Hannah W. Du-
dley, 8eus pertenias e carga res-
tante
0 agent Figueiredo, devidamente autorisado
pelo Him. Sr. Dr. juiz do commercio, e A requeri-
mento dos consignatarios da barca americana
Hannah W. Dudley, naufragada nos baixos de
Lutena na noite do dis 12 de Novembro, fara lei-
11o na povoacio do Cabedello no dia 15 do corren-
te mez, as 12 horas da manhi, do casco da meema
barsca, seus pertent.a e 9o r;te da parga nlla
existence.


AVISOS DIVERSOS
Aluga-se o segundo andar no pateo de S
Pedro n. 4, tern agua e gas; a tratar na rut es-
treixa do Roario n. 9.
Precisa-se de uma ama 'pars todo o serving
de ama casa de muito peouca familiar : a tratar aa
rua da Conceiglo n. 9.
Aluga-me o 2 adanr do ooabdo n. 8 i ruas
da Imperatriz, excel'ente morads ; trata-se na
rua do Imperador n. 61, 1I andar.
Aluga-se a loja do sobrado n. 4. Om pateo
de S. Pedro, tern agua ; a tratnr na rua estreita
do Bosario n. 9.
Aluga-se o 2 andar do sobrado n. 4, no pa.
teo de b. Pedro, esta caiado e pintado, tern agua
e gaz ; a tratar na rua cstreita do Rosario nu-
meroo 9.
Precisa-se de urma criada pars acompanhar
urma senhora a Lisboa, prefere-se pertagueza :
quern estiver em ta.s condiqoes dirija-se a rua da
Unio n. 5L.
Na rua do Hospieio n. 33, precisa-se tratar
urn criado pars todo-serviqo.
Precisa-se de urn criado; a tratar na rua do
Imperador n. 61,20 andar.
Veade-se uma armaae pars e fiteiro, de
amarello, envidragada e envernizada ; a tratar
na rua da Detenca n. 35, taverns..
n Aluga-se uma excellent casa, limpa e
asseiada, corn hbons commode para fa-
milals, tend a ua e gas, quartos pars
criados, gallinheiro de ferro, grande
quintal arborisado, corn lugar ara jardil e mui-
tas outras cr mmodidades, sits a ra do Visconde
de Goyanna n. 167; a tratar no largo do Corpo
Santo n. 19, 1- andar.
Aluga-se a case corn sotea, today cesiada e
pintada de novo, sita a rua da Fundigao n. 8, em
Santo Amaro ; a tratar na rua do Marquez de
Olinda n. 8, lithographia.
-Aluga-so a loja da travessa do Livraimento
n. 10, a loja da travessa da Bombs n..4 e o 1
andar da rua do Padre Floriano n. 69 ; na rua du
Apollo n. 84, 1 andar
Na rua da Palms a. 56, cose-se corn todo o
esmero vestidos e outras obras de agulha, goran-
tindo se perteice, pontualidade e preou wnuito
commodos.
Precisa-se de uma boa cosinheira ; na rua
da Aurora n. 81, 10 andar.
Aluga se as casinhas da travessa dis Formosas
(antigo becco do Amaro) rua Imperial, eaiadas e
pintadas de novo ; a tratar na rua do Impeuador
n. 44, 1" andar, corn Antonio Be-'rta Cvavilan-
te de Albuquerque.


DE


ViK


1

\



































Akega-se
o primeiro andar e sotlo do sobrado i rua de San-
ta Rita a. 83, corn commodes para grande fami-
lia, bern como o andar terreo, proprio para qual-
quer estabelecimento ; a tratar na travessa da
adre de Deus n. 5.
Aluga-se
mra boa casa terr a na estrada de Luiz do Rego
a. 15, corn bastantes commodos e bern locahlisada:
a tratar na mesma estrada n. 40-F.
A.uga-se
o 2- e 3- andar do sobrado A rua do Brum n. 62;
a tratar na padaria.
Alu a-se
a easi darua da Palma n. 126; a tratar corn
Jouquim Dias de Almeida Costa, A rua de Pedro
Afonso n. 6 (antiga da Praia).
ALUGA-SE o pri-
0i0
eiro andar do predio
-. 51 a rua do Mar-


quez de Olinda, a tra-
ctar corn Jose de Aze-
vedo Braga & C., pa.
vimento terreo.

Attend0ao

A empresa trans-
porte de care verde
e de mudancas, com-


pra ferro velho, de
Sferraduras, pontas de
trilhos Ou trilhos ser-
vidos, chapas de june -
: de caldeiras e on -
S tras, nao sendo ferro
Sfimind o.


I Leonor Porto
RnadeImperador n. 4&[
; Primneiro andar {
Coatin" a exeeutar os mais difficeis (
| figuri recebidos de Londres, Paris, )
/ 1" a e bRio de Janeiro, \
SPrima emperfeigo de costura, em bre- f
Svidsde, modicidade em pregos e fino



eaixeiro
Precisa-se de um merino corn pratica on sem
pratiea de molados ; a tratar no pateo do Pa.
-rai a. 18.

Elekloes
Papel e enveloppes proprios para chapas elei-
torees, acaba de reeber de Paris a livraria Eco-
aasif so p6 do are, de Santo Antonio.
IBluets .e apurados e novos
gesles
0 bem onhecido fabrieantes de bouquets, Jos6
Samuel Boteiho, se faz lembrado neste trabalho;
6p da rep grangeada nelle, pelo gosto,
a=eio, p a, etc., ternm hoje para offerecer
o public noTee porl;-bouquets de bern estudada
e relntida combvii e gosto ; a tratar na rug
Sn. 29, loadeelleiro, e na rua da, Cadeia
dV ].ifie n. 43, loja, de-aelleiro.


..... ._. .. .


A


0aJiti4a~e
,~$ ~e1-


la-w -. -
-i"' ". '"


Precisa-se de urns amaa para, cosinhar ; a tra-
tar na rua do Paysandu n. 19, Passagem da Mag
dalena.


Para Jaboatio, cas de pequena familiar, preci-
sa-se de duas amas, numa qne saiba cosinhar e ou-
tra engommar ; a tractor na ru a do CabugA n. 2
A, loja de fazendas.,


Precisa-s. de ama ama pama cosinhar ; a tra-
tar na rua do Imperador n 46, escriptorio


Ama
Precisa-se de unma ama que cosinbe, para casa
de familiar; na rua da Praia n. 34
Ama
Precisa-se de unma ama idosa para cosinhar e
mais serving do casa de familiar ; na rua da Sana
Cruz n. 16.

Precisa- se de uma ama ; na rua da Senzala
Nova n. 4..
Ama
Precisa-se de urma ama que cosinhe e fapa todo
serviyo, para uma families de tres pessoap n'um dos
arrabaldes da.cidade ; trata-so na rua do Vigario
n. 5, 1 andar, das 9 As 3 da tarde.

i rea la-osihtr d8ediuasr
Precisa-se de duas


amas para cozinhar e
engommar em casa de
familiar. No escrip'o-


rio d6


M Diario


se


indicara,


-L 01 0"



0 IBEWIINMIS

mIGUEL WOLFF & C
Offerecemin ao respei-
tavel publicoum gran-
de e variado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabriean-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
birm direetamente.
Todos os relogios
vendidos n'esta casa


iao


garantidos.

Ina to I L4


Ua ej
Preeisa-ae de urn ceixeiro de 12 A 14 uunoe.
corn pratica de trem ; a fratar na rda Imperial
numero 59. -.
Cosinhiro
Precisa-se d um cosiqheiro ; a tratar na rua
de Paysand4 a. 19i Passegempntdagdalena.

Coetaiaa Maria da gai,t|. reuideocia na
rua de -itet Coslia n, 8, ode.pl t ar e bamuad
a qu er Borao,do dia ou noite, awa exere asou
proGfisao.

Pret"w so do uma.qu at$ pwit cosinheira s
"tMPPMa -4i qp4 <.lgaafqado- se ea-
OMTG 9us1r n loja.

Precisa ee de um m biio cam pratica de taver
naus ; a tratar ea rua de Hor.ao a. 17. -
"HnllN'


lYTfiOIIOS par TUCADO1 di PLL a para BA, W a
4atus i(abometes ( 4 l04itd er fumados, -
maialinos do JMtndo a.o exceUonte8 contra a Affecgoes ,
da pele e Picadas
ZX MtO QTYXTOU. .
Oppondo-se a accao dos Miasmas e Microbios do ar e m us aguas
sno necessartos contra as molestlas contaglosas e epidemicas. CT
LEIA-SE A BROCHURA EXPLICATIVA '
Exije-se a Marca de Fabrica A o WOMJA3 c.
TEDE-SE El TODAY i PuTE AS DIOGUEIAS, PnAIACIAS E PEFI U IAS
A. uJOU ERT Succesor, Pharmaceutico de le Classe C
8, Rua does Lombards em PABIZ.
Z E B ScuuiME'.BuAiKUMpdrsoE.EICOf l s BAR I


.hkI .-~ ~ -~- -


-r





-I


K iNANGAO Do JAPADO
govagu pas 7 ow6&dor
& .4; 5WwADA R 'AM


& G0, p1iaa&A4
8,, *& Vi fBoe., 'PARIS

'z. Auma% ex-ahida das fIdri s do d po a
,:.'oi-c.a, C'E;? tua suavidade suas plopri-
d3is3 i,c-;::-:.', rxcede o 3 cosmetic s ma
-tado a-2, adcytai por tda a
,rirn e.. .. -,It;... + a po

i'iia k balho, 4 di' um perfume delicimoso,
;,'.':-'r.b care' e faz deeapparecer as
-p ':-^ eomlch&33 e effloresceicias da peUlie.


0


GOTTAS REGENERADORAS
do Doutor 6A-UUL THOMPSON -
Tratamento efficaz contra todas as affecges provententes do enfra-
tHqueclmento dos orgaos e do system nervoso, ou das alteraOes do
uraqsaugue. Fraqvema dos ,Ust, Aterlidaide, Palpitao5e, Zufra-m
quoclmente geral, lougas Convuleseenuaa. Este tratanoento 6, de ha muito, rcoxnhecido
Smrecommendado como o malor regenemadQr do orgvansmeo.
0 FRASCO: 8 FRANCOS (- "a -s..] -
Tode fivmc wfe sio trouser a Marea de Ptfata repistrada e a ewiggatur^ !^ Un 'co Fabirioante
rdove ser rigorosamente recusadot de-" sto
1AXS, Pbanmeca 0Otr, run Aocheehouart, 38 m duto
Deposito em Pernanibuco : FRANco M. da SlILVA & C a.
^aszgsgsgsaasggsa~sgss~pig~y T~a~gssgszasa~sgss5252 M


SANDALO -MIDY
Pharmaseutleo do i0 C0sse em, Prled "
.4-pr Estas capidas acabam corn os fluxo em 48 horam. Upp6
m'ado a Copahiba, Cubebas e TInjec96e


Depeito easPavu, 8, rna Vivien
i~ mm- m--


ae, e a pr paes Phasiae


/16,60 RECOMPENSE CIONAL 16.,600


A Qvuina-Lrehe contem todosos o MRBSMOI FERRU 4I OSO
principios da quina, terIn um gostomuito o EILI r .i lrtU
agradavel, e e superior aos ouLtos vinhJos 6 a feliz combinagdo de um sal de ferro.
e xaropes dc qina conLra o dca- corn a quina. E' recommendado contra
menlo das foras e da ergia, as aff/ cis a poireza do sangue a chloro-atemia, ,a s
do e.lomago, as fer$s inve'eradas, etc. ionseqweyas do parlo, etc..
Paris, 2:, rue Dquot. e nas principaes Plarmacjas do Mundo.


EPILEPSIA


HYSTERIA


I m I


-r m mo '

ai .fbQ AOVAV

Gun ado aa
I Lsi ^yjm


*


CORVULSOES


'STIAS


xl ittgu~&q,
- K ~


- :-llnn i


4be*1S'U,


do t ..


Bacharel ChrlstovAo dos Mantom
Cavalcante
Jodo Mayrink dop Santos Cavalcante e Thereza
Maria da Annunciaglo Cavalcantc agradecem cor-
dialmente a todos que se dignaram acompanhar
ao cemiferio public os restos mortars de seu muni
presado pai, e convidam aox parents e amigos
para assistirem as misaa do setimo dia, seeunda-
feira 14 do corrente, na matriz da Boa-Vista, As
7 1/2 horas, polo que se confessam desde jA sum-
mamente penhorados.


Anua J. S. Cirne
Francisea Franca, seu filho, sua nora e seus
netos convidam aos oeus parents e amigos para
ouvirem a miss& que se celebra por alma de sua
sempre lembrada irma e tia, Anna Jacintha Sou-
7a Cirnz, As 7 boras do dia 14 do corrente, na
matriz da Escada, confessando-se eternamente
agradecidoa.
feuriqune Jos Vielra da Silva
Maria Clara Vieira, Gertrudes Maria Vieira de
Souza, Jose Henrique Vieira da Silva (ausente),
e o tenente Evaristo de Souza, esposa, filhos e
genro de Henrique Jose Vieira da Silva, agrade-
cem a todas as pessoas que se dignaram acorn-
panhar ao eemiterio public seu finado marido,
pai e sogro c ccnvidam aos seus parents e ami-
gos para assistirem as missas do setimo dia que
terao lugar na igreja de S. FranciseQ, no dia 14
do correate, as 8 horas da manha, manifestando-se
detde jA eternamente agradecidos.


Baeharel Antonio de MagaluiAes
Lopita
Antonia Pinto do Magalhies Lopita, Jose Pin-
to da Costa Souto Maior, Jolo Pinto da Costa
Souto Maior, Vieentina Claudina de Albuquerque
Maranhaio e Joaquim Pinto da Costa Souto Mamor
eonvidam aos parents e amigos de seu presado
marido e cunhado, hacharel Antonio de Magalhaes
Lopita, para assistirem a urma missa, que por al-
ma do mesmo, mandam celebrar na matriz de San-
to Antonio, pelas 7 horas da manhia do dia 16 do
corrente, trigesimo dia do seu passamento.
.-. ....... .. ,^- -- --


Anna Jaclntha de Monma irue
Jose pastor do AraujT Souza, suas irmles, tis,
cunhado, sobrinhos e primos, aiuda consternados
polo inesperado passamento de sua asses chorada
mli, irmr, av6, tie e prima, Anna J. de Souza ,
Cirne, vem agradecer A irmandades das Chagas.
e Born Parto, as soeiedadea dose Artist is M cha j
ricgs e Liberaes e Congresso D. Beneficente, eo
demais peosoas que se dignaram acompanhar e
expontanesamente conduzil-A a mro ate o cemiterio
public. e do novo as convidam A assistirem os
suffragios que par suna alma mandam oelebrar no
dia 14 do corrente, setimo de seu fellecimento, as
7 1/2 horas da manha, na veneravel ordem tercei-
ra do Carmo ; polo que se confessam summamen-
te gratoa.


CAMINHOS DE FElttO
PORTATEIS
DE
VerhIeren & io Jaer
DE BRUXELLAS
Constructores do melhor material para
caminhos de ferro industries. Fornecedo-
res dos Arsenaes e caminhos de ferro do
estado belga, do Governo colonial das In-
dias Neerlandesas, etc., etc., etc., etc.
Vlas ferreas portatels -desmon-
taveis fixas, trilhos de ferro e de ago, por
pregos iuferiores ae de qualquer outro sys-
tema, send mais duraveis e miis prati-
los.
Pequenas locomotivas wago-
notes especiaes prra fabrics, exploraoes
agricolas, aterros, minas e engenhos de
assucar.
Estabelecidas no centro de umn paiz quie
produz ferro e aoge nas mais economics
lcondigoes, as officinas de Verharren & de
Jager, al1m da sua situaglo em uma loca-
idade onde a mro de obra 6 barata, go-
sam da vantagem de ter uma organisago
seria e especial para a construcllo de ca-
minhos de ferro ao alcance de todos. Os
seus pregos desafiam a qualquer concur-
rencia.
Para informagaes circumstanciadas dirin-
jam-se a
Thee. Just
2 LARGO DO COBPO SANTO 2.
Remettem se catalogs illustrados a quemn
pedir.


CASA DE BANS0S
COM LDUCHA2
26 PATEO DO CARMO 26
Este grande eqtabelecimento situado no cen-
tro desia cidade, contem 18 quartos, 10 desti-
nados par liomens, 4 para senhoras, 2 para
] banhos de chuva e 2 para as duchas. Este es-
, tabbelecimento offerece todas as vantagens quae
i se podc:n. desejar, corn o grande melhoramen-
; to qa.e seu proprietario acaba de fazer, collo-
! cando u r. a caldeira a vapor para facilitar os
1 banhos niornos e medicinaes; os apparelhos
' propri-s pra o tratamento pelo system hy-
i drothecr;.epico, taes como so as'duchas vertical,
move' aicendcnte e a circular, system este
qi que uim rneio energico de tratamnento que
* dter- l'a am abalo particular do system
ncrv-,:a, :as miolestias chronicas, porem fir-
mai na os bmhos frios o sen throne, porque tem
Sconseguido rcstabelecer doentes absaidonados
e depc s de esgotados todos os meios therapen-
ticos, c cornm o meihoramento das duchaa ja I
muitos doentes (recommendados pelos Snrs.
Smedicos) tnm achado curs de seui males.
0 respcito e a b(;.a ordem sertio rigorosamen-
te observados, em relaio As pessoas do am-
bos cs sexos, para o que tern uma divisho &
mais regular nos quartos destinades aos ba.
Snhos. Offerece numa garantia ao reeeio mais
Smelindroso.
SPedkios aos Snrs. Drs. em medicine o ohabse-
Squio de honrarem nosso estabelecimento corn
Ssuns visits, para se ififoarn em de seu estado
Se poderem assim recormmendal-o a seus does-
j tes, animniando-nos desta atte a dar-flie um
desenvolvimento que o torn util em todos os
Scasos; a casa de banhos estarii abertas ios dias
uteis das 6 da manbii ts 10 da noit.e- nos san-
tificados das 6 da manhiA a 4 da-taade.
TabeUla dos Pregos


IIANOS lEMARl

SnperioresT costumes de exceI'entl ft
zenda e niuito bem preparados para ba.h


Papa snehons.
Pars homnns .


1000o
85OOO


Para crianas5. OOo
,- tUMimauotc MI gr ade gw.
Utim ftd d ~eAksmotidos eves par- vesti-
-1 e amt apidef. pma a Po-


4b
B ^ b^ F^ ^ B ... ::/ ..: 'i,,, ...
'" j "l ... '^Bi 'W B |lp B : -, '^ .

- .' >-. f*i*K:llilBBiBillllBB? ^ : ,'' ''::>'


I*LBA|^ -. '
4-.f .":,iI.' "i- -
IWAM +.,


Ly."
*"*^'_


ua


GRAGEASBRWPHNJECQ~
SdjI C 0bo N* 1 1 JifygfIetea 0e Prearvadora
Rlataaftia o Ferro, Bfimtfbo -- 'U siB ere causar '
I/Featrfre,,eb"is,"o TWF accident a/gum. |
As RAGMA PORTiN, forgo as pruneimas queoobtiveram a approvaeoda cadsis |
de mwdicina (1830) e que adoptaram-se nos Hospitaes. Curami aa molstias Acretad, i
imait. rabelde siem latjgar es estomagos mals delicados.
SA IJKOQAO POfTIN 6 sempre recommendada coma o complement da medicaao. I
OpwiabbMi~inp wSuuslHbin T~FRANZ4 2. do SL X VA & CP. e priaoi w Phawmac I. |


I'
t


&


m


A-iU


Arkayn ji~~j.accafj


m


+sL_+u.. ..+..-_-_-_'7.:.:_ ........ :LJ_..:+--Y -


.ji- l ---_ ---- .... UIMI-_ f- -Z--_. ---=------


^


*


A- 06- mm A Amok j


IL,


3 ---- -W-- --qw


2




























Nivo e Irado 'sortkwnto
SRE+GEBEU A LIVRABIA PARISIENi,
" 4 A -iiua'l-d* Ale aMr I A
-Por 161000
meses "ahgs-se a amsaerrea ornom sotilo n.37 a
rua de Hortas, a tratar na rua do Araglo n. 36.
0 S0r. k tiqw :Gibson
S Paulino, propr ietario do armazem do Campos
pede a este amigo o favor do honral-o corn sua
presents.


I Farelloa34
o swco ; no trapiche Vianna, no Forte do Matto.

Caixeir .
fPrecisa-se de um eaixeiro ; em Iebcribe, taver-
S na de Jacintho Loblo.
Cosinheira
Preeisa-se de numa coeinheira que seja perfeita,
para casa de pequena familiar, no Monteiro .; a tra-
S tar na rua do Cabug4 n. 14, 10 andar, de meio
dia As 3 da terde.

Oo Illtrio ktoM oD itcao
D0J
Dr. Tristao Henriques
Costa
Rua da Unlao n. 15
Consultas das 11 As 2 horas.
Chamados -a qualquer hora.
Telephone numero 154.
Fichus

A tfino .3 e IA^OO
Na nova loja A ma da Imperatris n. 32, vende-
se bonitos fichus de tedss as cores, sando dos
mais modernos qae tern vindo ; isto na loja do Pe-
reira da ilva.


+ iba mmda
Aluga-se a casa n. 112 A rua Tmperial, ternm
commodos bastaates. az, agua encanada, acha se
limpa e asseiada : a chave estA no n. 102

-%. idm

Sm dita cscnm modifi-
eayoes de costumes












EspeeificOS preparados pelopbar.
maceu.ico Eufeno Maranues
de "
CC

# 4

ficosrelpaados pella.
Uae o-Egei aqe

-de


Approvados psi.. justas de hygiene da-Vrte,
S republics do Peatse e aedmia de industria
Pariz.
Elixir de imbiribina
Restabelece os dyspepticos, facility as diges-
t~es e promove as ejecqoes difficies.
Vinho de anauazfenruginosoe quinado
'Paras OB cl-anammeos, dbedla a hypoemik
intertropical, rt oOttitue, s hydropieose berde-
ricos.
Xarope de rdefi e arueira e mutamba
Muito recommrndado na bronchite, na hemop-
tyse e nas tosses agudas ou chronicas.
Oleo de testudus fertgitioso e cascas de
laranjas amaras
S' o primeiro reparador da fraqneza do orga-
nitSo, 8 tyiEic.
Pilulas ante periodioas, preparadas oom a
1peeina, qi es,ajsboraedy
cw% vA'eahwper~ta ,# br4 intormittmntes.re.
-~ W'timples e tsaibem fer-
** ^lPropaftdoe.am viltho deocaji
A nagss ~wma u do figadlo obago
tlltio t u; ilfiao ;.
1"od*p#4 pa*4" Oi tOS


LI NRV L 9 Ul ~ .*(ia-iw~pas
N. teapbenico. "404
i go
Antigana Iu:

Ao pubIliLO
Via" Gotalves % & tregaj ipoprieta.
rios da FABRICA TIGiREIl t --.at-
tengo de sens froguees, tato ,da capitti
eemo os do interior da provincial parsaO
seas optimaos e afamadoe cigarros denosmi-
nados BOHEMIOS E PRIMORES.
Eases cigarros tornam-se recommends-
veis nulo 6 pelo delieado aronrA e sabor
como tambem pela initeaiiidado doe ta
bacos corn que ao Tmaipulados ; accres-
eendo que attts a cireumstanoia de se-
rem manufacturados corn fuaos de primei-
ra escolka, prmeedesaites 4e Gyas e.Minas
prodactos estes quoe conservamn sempre pre-
gos altos no siBomereaid, sio os cigar
ros BOHEMIOS E -iFP ORES, vendidos
por prego relatiamets medico.
E pars que s imit vires frauduientos
dos cigarros da bemrn conhecida FABRICA
TIGRE nao continue a illaquear a boa
f6 dos incautos, ja aproveitado se dos re-
tulos servidos, ji mandando Lazer imitaOes
grosseiras da marea da FABRICA TI-
IRE, os abaixo assignados previnem os
seus freguezes que reputem como falsos
todos os cigarros cujas mortalhas e rotulos
alo levarenma o emblima registrado da fa-
brica, emblema este que par inteiro co-
nhecimento de todos inserimos no cabega
rio deste) exceptuanda-se os PRINCEZAS
IMPERIAES cujas mortalhas nio slo
marcadas.
Alem da marca BOHEMIOS a FARI-
CA TIGRE tern as seguintes marcas de
cigarros ce primeira qualidade :


Bohemios
Princezas
prir""*^3s


Pedro aftonso
Dito ditos grossos
Flor Hespanza


9#000
86000
86000
666(000
8#000
6#000


rnilheiro
ii
3
p
p
p


Recife, 23 de setembro de 1885.
Viuva Gonalms & Lorega.
?mtara Bestki
'Dig
Longman & 1rtiaey
Tinta de todas as cores pma applHeaao iiane-
diata esem maismieturn ; quuaquerpessoa (cjia-
do e menino) pinta corn perfetq, 6 de grande
vantage pars o use domestno. ton esta tints
podem todos conwervftr ses hoauI'tSO em perfoi-
to estado de asse*ie e peuco dispendio, ell e
exposta A venda em peqnemas tAs iorn tampa,,
que p6de ser conservada corn asie em qualsuer
gard.-lou"a. Venue-e n. pnarmaia de Her-
meedde muzas Pereira & G. Smesores rus do
Marquez de Oliad n. 27.


Rocaf o cMtStemIoteulte dBirao




&a ifi mMo ito
umpcliitjrns o8oc11W


dtoia Wltiu oa,



iua Eunt. Hvfna UutlfcI>ga




Otwnpramw c pagan
t maisdo ae im oue -
traqualquerarte, buem
Como
MOEBAS


Corn t teeitra extcSo do mez regente em 15,

Criado
Na easa de Banlios sits no pateo do
Carmo n. 26, precisa-se do urn criado
maior de 20 atnos, de boa conduct, born


genio, a que presto fiauga
oompirtamento.


vPJBkS


do sou born


Vendewse
a feliz e muito bem afreguezada taverva, situada
em um dos melhores pontos de retalho, em F6ra
de Portas, rea do Occideate n. 2, corn frnte para
duas ruas, Occidente e Guararapes, iatitulada
- Amigo do Povo.-O motive da venda 6 o dono
estar prestos a embarear, cfferece ao eomprsdor a
vantage de, quando chegar de sua viagem c en-
contrar arrependimento, snjeitar-se a ficar corn a
casa nas mesmas condicoes corn que vende ; a
tratar na mesa.
Balanfas
Vende-se barato, para liquidar, quatro
bragos do balangas do fabricaute Rom*o
em born estado: na rua do Braum n. 96,
armazem.

Attend co
Vende-se a taverna da travessa do Arsenal de
herra n, 9;- a tratar na mesma, e o motive da
'ends se dir6 ao comprador.
Cabriolel e victoria
Vends-se um cabriolet e umns victoria em pe
feito estado : a tratar na rua Duque de Cais
numero 47.
Estoep para Iimpnr machinas
Vende-se no deposit da fabric de fiaglo e te-
,cidosnas aru do Bom Josus n. 54.

Vende*se
tda e envidrapada, propria pars qualquer negocio:
- tratar LaprSaa da Isdependeneis as. 24 e 26.

Cofre aprova de foeo i
Vende- se am cofre do afimado abricante MI
Tmers ; a tratar no Trapiche Vianna, Forte do
iMattos.


GaTrote
Vende-se un garrote gordo e manse, de raga
atravessada, inteiro, proprio pars criar on aba-
ter ; na eetuda de Luiz do Rego n. 7.


Veude-se um imdo cavaHlo, andador de baixoe a
meio ; a tratar na cocheira de Jos6 de Moraes A
rus da Rod..


Deus e o osso powder
Ao public oeforeeem..
Complete e Ildissime sortimetto de ehitas a 180,
200, 240 c 280 rs. o covdo.
UCarfis frumcezmn para komem, a 25, 125000 Si
Lindisimnas tintas de quadrinhos e outros de-
lseAos, 00're.
Finismimas cvmisas de eretene, modernas, 3.
Que lindas setinetas japonexas, a 360 rs.3 de cus-
to de 800 rs.
Casemiras inglezas e ehaviotes, 2A, 25500 e 3J o
covado.
Catsbraias trasparentes eom 8 1/2 vars, 31300
41 e 46500.
Casemirasade cores em ctes, 3S, SI500. 4,000
4550X e 5X.
Que lfidom lelmerfatsuia, 15, 15500 e 2 tn.
Brim braaeo acheadoe tra*&ai, sOM a vara
Linda odhaUA e :1aaflt81(00 uaa.
Casemira preta ,pekin, 400 rs. o covado, propria
para metnio.
Betn macho de todaus as eeres, 15306 e 1400 '
eovado.
Melas pars home e meninos, a 240 ru. o par,
Merin6 preto de 1a, a l, 15200,15'300 e 400 o
govado.
LiUdos brime de crs, a400 rs. o eovado, pura
uwiftar doe criam.
LeujwV de unb, %iakea 4. 500MO, a 5500o a
Sdu'a.
Owadeiras naiocna e.portnuei"f 0 4Mn. %uma


S lidee, e d cores. e vad
Sed see e de "1s1
dixubrai~a boerdadAse aeta


CPllaos e p nho par enora mm,
J'iFkwd~e~e seq% 6IS1
Caa e pnalad= I&
Collarbnfof M tnhspr& Iehoft 0 hUMeaI<
veiwos fetoe
Canisas mm colluaish esem ptwbox, eam j
nahs e iom ~oI~arinhos o pmmhos pa~ra horn.
deaden.354.5."
Camdiss par meinu Aesdele n. 28 ,5; ema ci
fArinhee, do ,. 324, 35.
Camuiuma, saiaa, pntem1*ose, oalgsas, u's;
aII* pa- e or- J
Qrsvataa,-grauide variedade.
Meias crmua, braneas, de cores e pta&.
Capaehoes, tpetes, malm, eteiras, boala, veil
ke$, brin eoacos e de cores, lims, perft&
ass etc.. etc.
Papoumla & C.
18 -Iu 0a do Cabu~g-
"rm frente a matriz de Santo Anton.j

Em vista dos grande progremose da IDEIA de
que se gloriam as nagqes civilisadas, o commercio
deve acompanhar esse rogresoo, visto que 6 elle
0 niais poderoso element do engrandecimento das
naves; em vista do que annuneiam
MARTINS CAPITAO & C.
1 Rua Estreitw do Rosario 1
Grande sortimento de generous alimentieiosro
escolba dos qaaes, os anaunctantes tmn sempr
maior cuidado, para bern ervir os seus num
sos treguezes. Lembramos, pois, o proverbio :
Querm nao experiment, nuo sabe
Venham ver pois:
Queijos, flamengo, suisso, etc.
Dito do sertio.
Fiambres inglezes.
Chocolate francez Menier.
Dito do MaranhiLe.
Fructos seccos, como :
Passas, amendoas, figos, etc.
Ditas nacionaes.
Doee 4e todas as qaalidades.
Bolaehinha ingleza.
Sementes novas de hortaliass
*Espeoialidade em
Vinhos fines do Porto.
Dites da Figneira.
Cognac de diverse autores.
Vinhos tonicos como;
dAbettho.
Vermouth, etc.
Licores de todas as qualidades.
Champagne.
lervqa, de diversas marens.
Armuta finma em paeots.
Ehi verde e preto.
Dito perola.
EBpOciMiSSIUIo Mate' do NPaaa, em pV6.
Akmds maini :
Pormicida Capauema.
Oleo de mocot6.
Azeite de peizxe. osintre
&s cOslimAemras'
Leques nacionaes (abanos) para cosiaha a 6A o
milheiro.
E todos os generous concernentes a este ramo de
negocio.
Encontram-se no armazem de molhados de
Martins Capitlo & C.
1 Rua Estreita do


Ao 32
Nova 1oja de fzendas

DE
Pereira da Siva
Nest aovo *stabeleeimemto eu trrdi o roe-
peitavel pubioo, rnm varado sortinento de iauen-
das de todas as qualidales que se vendem per preo.
cos baratissumos, apsim como um born sortimento
de roupau pars homnims e tainbemn se masndam &-
KM poue a as tpmdu 'er r um bowrn etres al.
faiate e complete sortimenato de pannos finomas, oa
soemiras e brings etc.
I fidiis aOOris
Vende se lindiss1nos 1i04 s de 1de todas as co-
ree, ate pars lato, plet baratisuimo poeo deo 4A
tads ans, pr ter rse a esortientea, no ja n. 32
i rua da Imperatriz, de Pereira da Silva.
hBIses e s goaes SO0 r~is.


Cretones faimosins a 320 e 860 o dito !
Futaos. brancos bordados a 400 'e 500 reis o
dit. I
Merinds de duas 4a**Ut a I5 e 10200 o
dito 'I
Di t -otiM, ideMSft doa 15M800, parliqui.
dar, a 100 o dito !
MOB pretos a 1; 25O0 e 15500 o dito!'
Dans r do eGresM isu pabbes de largtra,
parn oolbwsua 2't dito !
Popeia. listras, de esoda, a 280 e 320 r6is o
eitol
Pmannos parsa mesa, de usa e duas larguras, a
rei, 1;200 e I 5#00 dito.
Bramate strangado de sama largura, a 500 r6Wis
o metro!
Brim branco de linho n. 6, a 1;500 a yara !
aproveitem.
Brins pardos largos a 820, 360 e 400 ris o c o-
vado !
Idem de cores a 320 r6is o dito!
Casemiras de cores duas larguras, a 15200 e
19500 dito!
Dita pIeta, iiem, as 2 20 e 20500-o dite !
Flanella ingleZa, idem, a 25000 o dito, fazenda
de 35000!
Cortes de media casemira eom pequeno dofeito,
1$400 e2 00!
VENDAS E


*1Ieagos brancas superioras, Ae
3, em hndas caixasJ
Lenoes de bramaite, grudos, i'2to00!
0odorts. de ganoa e cretones earseama dons
sal, a 2500.80 e 4A.
Cobeortas de 11a 22000!
Rede. superlores a 5$000 e 65000.
Cambiia Vitoria, eorn 10 juida a 3M10,
85#OM e 4Xa pesa!
Dit transparnte final, a 35800 o 4000.
Msdapolao Boa-Vista superior, 24 jaru, a
0200 a pega! 0
Para an xiaa anofrvl
Colxas de fustlo ricas, a 10 e 12I000 !
Ditas de chrochets a 125 e 15,000!
Cortinados bordados a 75, 105 e 125 o par!
Grinaldas ricas e v6os, a 10 o e 155000.'
Gamisas bordadas a 35500 e 5;, eo de 8000!
Saias, idem, a 4- e 65000!
Pepelinas braces a 600 e 8001ris o covado.
Setinetas idem, lavmrada, a 600 e 700 r6is
dito!
Espartilhos finos a 46500, 5 e 8$000!
Guarnigoes de crochets, ricas, a 105, para soft
e cadeiras.
Bretanhas, bramantes, esgui6es fines, a 55'
pega; e muitos outros artigos, por preeos sea
oompeteneia.
M GROSSO


Deseontosida pra"a
CARNEIRO DA CUNHA & C.
59-RUA DO DUQUE DE CAXIAS-59


YULe9


S.


MARCA GARNEIRO


Impertado do Rio de Janeiro e gantido por Bernardino
o melhio E'mAis -arbatieo que vem a este mercado, vende-se na
de Ominda n. 15, cams de
Jos6 Antonio dos Santos


Martins CArmeiu
rua do Marque,


SnCessor de Bwrgard C.

Aviso aos Ireguezes
Neota remessa qu? scabs deo ehegar, vem em cinco latas dous deeimosa t
bilbetes da grande loteria da c8rte, fieando os Srs. consumidores d'este frumn, hsbiliv
dos a tirar os quinhentos contos, semrn despenderem um vintem.



JOSEPH KRAUSE -t C.

Acabam de augnmentar o sen ji be*m coheedd


N



M

(A
N




S


U


inporntea eslabelecimnento 6 ra o10
de maro n. 6 corn mais
ur salto no Io andar luxuosamente pepar-
rado provide doe un ciposi.


dos mis afamidos rablcuis do
rndo inteiro.
Convida, pois, as Exm *s. famnilias, sens e e.
rosos amigos e freguezes a visitarem
o sOea esbelecnento, aflimt de
apreciarem a gradeza e bom gosto corn que
nBo obstane a grande


n








4

M
U9


S,






















hera
^^" tio sacta4 t 9es, quop

pareoe 9s "ra de eafaeaidade
quetem sido atsase.6 deaspero do todos
os medlos.. 0 celebre experimentador ex-
presoq" peato terms:
O(}.fju', u $aa .em vista era preve-
nit o| que quasi constante-
mtm: ^bkid~eduras do ces ata-
cados deo M Lor isto, procarei tornar
refraetarios .g us coelhos As inocula9oes
da raiva peloiaocesso indicado. De vints
coelhos ad fioftsm retractarios, corn certe-
zfa, qahew Af~apea
Er.' pree* ^perar tres ou quatro me-
zes o resqltido das operag6es, e o proces-
so tinha .QV*'- iconv niente de tao
S grande demoaM'. -ea desocbri outro pro-
cesso mais rapido eeuro. .
HOVO PROCESS* ;
Por melo do tre.pano, inoculf debaixo
da dura -mater um peda9o de,, tecido da me-
dulla de urn coelho hydrophobo.
A inoculagio do mal dura quinze dias.
Da medulla deste coelho inoculado e mDr-
to, tomo outro pedano de tecido, que con-
venientemente preparado, inoculo em se
gundo coelho e assim suecessivamente at6
vinte.
A' media que se caminha no s6rie, oh-
serva-se uma di tinuigo progressive, na du
raglo daincubaglo, de modo que, conhe
cendo-se o numero da s6rie dle onde se ti-
rou o tecido inoculado, so pode determinar
antecipadamente, corn precisto a hora do
apparecimeeto da raiva no coelho em que
a experiencia 6 feiti.
As minhas experiencias tem-me propor-
cionado desde. novembro de 1882 ua mlon-
ga srie de coelhos atacados de raiva, da'
qual os ultimnos produziram inoculages,
cuja ineubaglo nao durou mais de sete
dias.
.0 virus rabico, que obtenho pelo pro
cesso descripto, 6 sempre puro, sempre
identico a si proprio.
Medulla espinhal dos coelhos inoculados
6Tirulenta em toda a sua extenslo. To
mo pedagos dealguns centimetros de compri-
meonto desta medulla; suspendo-os no ar
secco de um frasco, cujo fando esta cheoio
de potassa ; e deste modo provo que, corn
o andar do tempo, o virus desapparece, e
que esta desapparigio 6 mais rapida em
temperatures baixas.
Parsa toruar um cao refractario a toda
inoculagao de virus rabico, seja qual for a
a energia da dose de virus inoculado, pro-
cede deste modo:
Tenho A minha disposigio unma serie de
frascos corn ar secco, onde estlo sauspen-
sas medullas rabicas, de tempo gradua-
do, -de modo que as mais antigas silo as
menos virulentas e as mais recentes as-mais
energicas.
Todos os dias inoeulo sob a dura-mater
do animun em que experiment a quanti
de de medulla rabica quo .pode caber em
um injectador de Pravaz, comegaudo pela
medulla mais antiga, e terminando por urea
'., medulla de dous dias. Quando so inocu-
la I esta ultima, o cao esta perfeitamente re-
/ fraetario.
^ BES1LTADOS
; Em ciacoenta casos seguidos alcancei,
. otfar nenhum contratempo, a immunidade
i -- wa. absolute, e entlo eonvenci-me de que
o .roc0sso podia applicar-se corn exit ao
" homeem, memo no caso em que a inocula-
; aeo fosse devida a mordedura de um ani-
| mal bydropbobo.
m CAb 8 ies CU.A NO HKAME.
Em breve tive oceaniadod o demonatrar.


MATlAS SANDORF


POR

JULIO VfIZB L


SEQUWJA PATE


fContinuagbo do n. 283"

v
,v


-.0.01
oud4


Parallelamenta inocul&va a uma s6riepde
coelhos unma part das mesmas meduas
que serviam para Meister, e puae demon-
trar que as altimas medullas empregadas
eram cada vez mais virulentas. A ulttima
inocula91o, muito energies, tern por fimi.
nao s6 assegurar a immunidade, mas tam-
bemrn limitar, rediindo-a a sete dias, a-
daragto de inoculaco, si o mal tivssee
de triumphar. .
Hoje, 26 de Outubro, miisie corn diat
depois da ultiua inocul'go, .J.6s6 Maister
goza de perfeita saud.e,
OBSERVA90ES COMPLEMESTARES
A collocaglo dasi medullas nos frascos
corn ar secco nao attenuia, como so poderia
julgar, o virus, mas reduz a quantidade.
Tanabem se p6de, sabendo que certos or-
ganismos inferiores parecem produzir ma-
terias que prejudicam o seu desenvolvimen-
to, calcular e support que existed virus.
Dous elements : um vivo e outro inor-
ganico, e dos quaes o primeiro se extingue
lentamente pela acglo do segundo.
0 que 6 preniso, principalmente, recom-
meudar 6 que seja curto o iatervallo entire
o caso e a applicagKo do tratamento. Isto
6, sem duvida, uma condiglo do exito.
OUTRO CASO DE RAIVA EM TRATAMENTO
Tenho no meu laboratorio outro doente
em tratamento. E' uvI rapaz chamado
Jolo Raptista Judic, que, ao ver um ego
atacado de raiva que ia -acommetter urmas
criangas, teve a heroicidade de so precipi-
tar sobre o animal, e de Ihe fazer um re-
sstente agamo corn o seu chicote e de o
matar depois a pauladas.
0 rapaz foi mordido nas mros, mas os
soeus companheiros salvaram-se.
CLINICA QUE URGE ESTABELECER EM TODOS
OS PAIZES CIVILISADOS
Depois de to importantes revelages
scientificas, para responder As palavras de
admiraglo e de gratidlo da coneurrencia e
a algumas observaces feitas pelos acade-
mxicos, o ilustre Pasteur acrescentou:
Para instituir o tratamento da hydropho-
bia de um modo pratio, 6 necoessario um
estabelecimentojonde constantemente se in-
cube a raiva em coelbos, arim de haver
sempre medullas de todo o temp3. A du-
racgo da incubaglo talvez se possa redu.
zir a seis dias, e todos os dias e a qualquer
horse, haverA medullas de urma intensidade
virulenta, rigorosamente determinada, por
que dependera da duraglo da disseego 4
e assim se disporA pars o tratamento no
home, de toda a escala, desde a medulla
sem virulencia, ate A medulla de virulencia
maxima.
PROBLEMA COMPLEMENTARY A RESOLVED
Respondendo a uma observagio do pre-
sidente, Sr. Bouley, Pasteur prometteu in-
vestigar a regilo onde p6de ir ter o virus
no corpo de um co, que, pars so tornar
refractario A raiva, recabou urna grande


Por que hei de eu occultal-o?
menina Toronthal I


E' a


0 osforgo que o doctor teve de fazer pa-
ra fioar oalma, as ouvir ease nome dotes-
tido, foi o de um h6mem a cujos ps e ahe
um radio e que nao estremece. Um instan-
te, apenas alguna moments, ficou immovel
e mudo.
Depois, sem que a suan voz trahisse ne-
nhuma emrogo:
Bern, Pedro, bemrn I disse elle. Dei-
xe-me penar em tudo isto... deixe-me
ver...
Eu retiro.-me, responded o mogo,
apertando a mao que dountor" estendu-
Ihe, e permitta que Ihe agradeca, coma eu
sgradeoeria a meu pail
Pedro Bathory sahio da camera, em que
o doutor ficou s6, subio paft o conves, to-
mou o bote, que o asperava, desembarcou
no molbe e tomou a estrada de RRgusa.
A gstrangeira, qae o tinha esperado em-
quanto ell e esteve a bordo da 8avarew,I


niveru IMdam recom"eOuu sgil-o.
Pedro Bathoy sentia-se-consolado. Afi.
ml tiabsa abeorto o sa coraaglo I Tinha po-
a" io, g l d IeM did eonfisr em u.a amp,.., talvew ial
,de quo un ami gos Estava:- n dosme'
I&5bsi f quo a fBtsdWa* se "so Vas tio
pltIFa- f a I o duvids dini, quando
so-ass pole palacete do Stradone vio1
S4-1..ivv da-0 doma am ilefs
-Sdo Pe Wl levantarw-e uspouco 0 Onar
B .u. -.. .. t At M vioas" so-
-i PlO *AMM iwramiomddeto do psa.-

-~ -- ae.~.-dro Bte]A-
-: --.


Convem-lhe o cavallo, muen fidalgo ?
perguntou elle corn a Sua mais- aericiado-
ra voz. Pareee feito para a vOS B senho-
ria.* E' um animal admiravql porque re-
cusei jA 4t dentas piAtolas em leoa qua-
druplos d 'j, di
de Granada,'e tern a
encontrara outro iguas. Q h i vlogo que.
convinha a V. S. Eseolhi A primerira vis-
ta o primeiro animal das miahas cavalla-
rigas. Estou certo, men fidalgo, que est&
satisfeito.
Confome, responded o cavalleiro. 0
cavallo 6 bonito e boom, post qae tenha
alguns defeitos. Tem demasiado ardor
pars que seja forte nas carreiras de fund;
e o andamento dao 6 regular. Mas emfim,
poderA convir-me ase o prego nao for exor-
bitante.
Ouvindo estas palavras pronanciadas
corn voz rude. e vibrate, e as primeiras
que tinham sahido dal boeca do cavalleiro
e chegado aos ouvidos do companheiro de
Heitor, o home do fate preto estremeceu
bruscamente e deu um salto para traz.
Aquella voz. ., no posse enganar-
me.. murmurou elle.
0 quo tern, mestre? disse o soldado
de regiment do Balagny approximando-se.
E' preciso conhecer o nome desse
home 1 respondeuonovamente o descnhe.
cido. EstA alli talvez a chave do enigma
que a tanto tempo procure.
Heitor ia sem duvida responder, quando
um iucidente inesperado attrahiu subita-
mente a sua attenglo e a do sea interlocu-
toy.
O cavalleiro e o alquillador chegavam
ao lado opposto ao terreno de manobras,
quando urn home de estatbra gigantea e
de formas athletics chegou A primeira fila
dos curiosos.
Este home, que parecia embriagado,
cantava ou antes berrava urma velba can-
gao da Liga cuja music muito conhecida
domino um momonto o sussuro dos assis-
tentes e os ruidos que vinham da feira.
Hum I murmuron urn dos curiosos
affastando-se pars dar passage ao recem-
chegado, 6 Pedro o Atordoador, urn dos
principes da Oorte dos *ilagres.
Peu i5 0 se &
minho e a sua cano, camn beando a-cado6
pass, rugindo a cads estrophe.
0 cavalleiro tinha parade o soeu cavallo.
Quanto quqr polo cavallo ?-perguntou
elle ao alquilador.
JA Ih'o dise,'meu fidalgo, responded
o vendedor; Tecuzei dusentas pistollas.
Ainda as recusas ?
Mas.. ..
Falla I Tenho press.
VA IA.
Aqui as tens.
Q cavalleiro atirou a sua boles para as
mios do alquilador.
Este pegou na bolas, tomou-lhe o peso,

do, mas approximado ura da outra, more-
vam no mesmobairro do Straione._ De-
pois, Sara Toronthal e Pedro Bathory -ti-
uham-se avistadO, encontrado e amade-
Pedro, o filho do home qae uia delatlo
tinba enviado A more, Sara a 16 d doe-
later.
Eis o que dizia de si pars si o0Dr. An-
tekirtt, depots quo ajoven ongenhoiro a
deixou: -
E Pedro IA foi oheio de esper.ngae,
repetia elle; e fCd eu'quem lhe den esea es-
peranga, que elle dao tinhal 1 -
0 doutor. era um home pars empre-
hender urna lute sent trogee contra oess
fatalidade ? Sentia-se elle corn a pader de
dispor A sue vontade das couss humane n ?
Nao lhe faltaria essa forLa, ease energia ma-
ral procisa pars veneer o destiny T
Na 1 exclamro ele, hal do lnter.


Um tal amor 6 odioso, 6 criminoso. Seg
dro Bathory de"o do oaaeo cdIam a fibe
de Silas Torothl4 usuber an dim a ver-
dade, vao pod&rC'iqa% vigario pi8 8 S
Ihe. restaa m r-nie s ao I
Por io, .ey 0so." tId, fo pr.
Chio 1 .. Eua Me direi oqwa -qssua, &W4
reaA=aI. Hod de uab corn e9&
amorn, sea oimo f6rl
Coa Wito,.tEl umil toea aido eae I4
truesa. '
0 liter Ae 4 Aid: no sua con-
wena. e" a ra. Bathory, o Dr. Anu*
kirtt havla eont &do. I tresAehofese 4a
n a~to dakt viti-
=as'%ua~l^ Ntjueq
inhauado4 4urj*wf I
ts e qao a. in m O


pNU trivgaod .i mdm vq"*
On.a t.


video. -
I Deixem passar os agents do preosi -
tado I gritou de repentes uma voz sonoxr ,
Quo ninguom se mova I Que ninguem ten-
to fugir ,
;To4WS .. 1aram bruscamente.
'Ao 1 _A's, archotes viram-se o9 ar-
ichiro&~ ic4ado em linha e impentdo a
dompunica do Gampo e8i4n4- nm
o rest feoa j8os dour uucoi luga .apor
onda pdia sahir do terreno d eW e-
gP^ i?0 0 reai _194AWefe Ate

nas outras. -' "
0 logar-tenente de toga -ia e Jolo
sem Bago caminhavam,4 frente fora.
Os assistente s contiauavlai ellupefactos.
O archeiro$ do prebostado murniu-
ravam. Quem va opreouder?.
E caU.` um 4'elles oliava descoofiado
par& o sea visinho.
Derat novwe horas e meia.
Joo serm Brago avangou rapidamente,
Como o seu companheiro Rougegorge en-
travays na meama occasilo na casa depasto.
Corn um olhar rapido percorreu o terre-
no isolado, e procipitando-se pars o alqui-
lador que contava as pistollas despejaudoo
Pontheudo da bolsa na sua larga mao, ex-
clamou:
Nlo veio ha pouco umfjiomem accor-
dar-to para Ihe venderes um cavallo -.
Mas... disse o alqilador hesitando.
Responded I exclamou o logar tenente
de toga curf.
-.E' verdade, disse o alquilador.
Vendeste-lhe um? continuou o es-
piao.
Vendi.
Onde estA ease home?
-Esse homemr? repetiu o alquilador.
Sirm, disse o magistrado.
Dove estar no. terreno das experien-
cias. Acaba de pagat-me e partiu a galo-
pe n'essa direeglo.
0 vendedor do cavallos indicou a part
que estava immersa em profunds eascuri-
dlo e que formnava o extreme limited do
Campo enlameado.
Corn os. demonios I exclamou Jobo
sem-Bago, evadie-se.
-E' impossivelo disae lugr-tenente.
Deste lado no ha sahida alguma. A me-
tade dos me"a homens veUam A entrada
do mercado deo valios e ningneg m pode
entrar feira sem winha lienea. So ne o
-^ pPfcuramos uo
41Z. homes vio
dar busca-a todas as casas, 'abegeoaris e
cavallarigas. Eu fico nests lugar guardan-
do a passage. Areheiros peguem nos
arahotes o fagam o eas ever.
Alguns homeinous se destacarat da escoltas-
a apoderaran-se dos archotes que tipham
os mogos, depois guiados por Joo-sem-
Bago, comegaranm as suas visitas domici.
lirianas, tend o cuidado de examinsr ao
mesmb tempo o terreno das experiencias.
Outrosarchotes brilhando da esquerda
indicavam- que a 0omnmunicago entire o
muroadodoos amimaes e o campo da feira
estava igualmente vigiada.
Os cxriosos, as alquikadores, os criados,

E sis que agora ndo podia -mais : diel-o
ao filho de Estevio Bathory, wore magoar-
lhe o.coracao.
Pouco importa, disse elle, hei de ma-
goar ease coraglo. -
Tomada eoas resolugio, quo faria o Dr.
Antekirtt? Revelar A Sr., Bathory ou a
seu filho o passado do bauqueiro de Tries-
toe Mae tinha elle as provas materials da
Uaa traibo ? Nao, porque Mathisa Sawdoef,
Lotevao Btthoy e Ladielao Zstlmar, os
tioicos que tiveram essas prevas, estavam
mortos. Espalhar ns cidede o boat deosa
cgio abominavel, sea prevenir a familiar
Bathory? Sir, isso bastaria, tern duvida


para cavar nova abysmo centre Pedro 6 a
remain, dessa vez abysmo insaupemravel.
Man, divulgado esse. segredo, nlae soa pa-.
ra receiar que Sias Toronthal proourasse
sahir de Rogo ?
Ora, a doLtor -u que qme b- que
ro dsappareeoae. r pre qe trai.
dol.r .d,-c de omquhvia de

.cer a8 iat ooor-a doa

muhr do quo-r I-
Do 0aw re*e a Ouent*&4oIes I

tvia N`6aargeat. Ajm tites do do iuiie
precise anoar PFdro Batwry dmeBM ci-
lade: nude- a. ho'a, do eau soin6 ostav
iruparigo. Sim? sabewia-I.va1.o paratbo
lgnge qg% um W pedsiss deomobor-lbe a
Qa Q On -t o itBia d O ias% p r
^ u M

d^pon ciaf, eta pi
.ailm"a detas matildad
jia..bldao a direita

R i, urns comna
d''b de udo pars o campo, e
Soutr do 8. Germano que soe
abri i cidde, permittiam aos sami-
5s8 e -opra o Campo enlameado
pars vendidos e sahir depois da
vanda. "
Estas d ,ap sahidas acabavam de ser oc-
cupadas simultaneoamente pelos areheiros
do prebostado.
Era, pois materialmeate impossivel,
pomo disane igar-tenente de toga curtap
qae um hmorne que tivesse ficado no re-
pinto reservad-na experiencias, pudesse
etar evadir-M
Tudo q ito pod.a fazeasereris refu-
giar-se ou n'd=a cavallariga, ou n'uma
abegoaria, ou nas a d'nm alquilador.
O& archeiposda do busca so- interior
das barracas, devianm portanto achal-o.
Ests afiall cupriramn mar'ivilbosarnen-
te o sou ever.
Do cads oasa visitada corn cuidado, fa-
ziam sahir todes os habitantes fechano so-
lidamente portas qjanellas, trazendo as
chaves, e nlo permittindo a entrada nas
casas seno dpois determinado o que ti-
uhainm fazer.
Snumero dos rchotes havia docuplica-
do e a luz projectava-se de um extreme a
outro do parallelogrammo.
Como julgamos ter explicado, o Campo
enlameadoeatava dividido, em todo o senu
cumprimeuto, por urnsma palissada aberta no
centre e deixando communicar livremente
o torren do experienol ee o mercado dos
animinaes.
Os archeiros tinham ja visitado urma da-
zia de casas e cavallarigas e continuavam
activamente as suas pesquizas atW entao bal-
dadas.
Jolo-sem-Bago mostrava-se sobre todos
d'uma persistencia, d'um enoarnigamento,
d'uma minucia incriveis.
De repent% pela abertura de que aca-
barnemos de fallar, surge um cavalloiro, asa-
bind do do mercado dos animses e avangan-
do-a pso .pa o terrenon de experiencias.
Este cavalheir montava umr cavallo
bronco maitsbello, e as luaes que illumi-
navm o- .a mp eWlameado permittiam
ad-duar o a ea eptendido fato.
Og'arheiros jupto de que passou fize-
ram ao mem tEpo um movimento brus-
co, mU ea.omovime to foi logo reprimido
por um e itimento de profuudo respeito.
Sr. oo-de de Bernsac 1 murmurou
umrn d4eho. oqmpiaontando.
0 condo, porque ainda urma vez era
elle, corn o mesmo fa to, o mesmo rosto e
a mesma estatura, os mesmos gestos, os
mesmos modes que os do elegant fidalgo
que conhecemos, o condo continuou o seu
caminho na direeogo do lugar-tenente de
Stoga curt...
Viva Deus I exclamou oie quando
chegeu ao alnauoe do magistrado, fez bern
em mandar a der archotes, Sr. lugar-
gar-tenonte, mas visto que illmmina o am-
po enlameado, toia feito rail vezes me-
Ihor em mandar iIlminar aquella damna-
da rua, que vai at6 A ports de S. e a-
no. Desse modo nuo me haveria perdido e
Uaa patihara ha *ma hoea est uahte


Tendo unia maioha superior a todas ea81-
pedeiras do, mando velo e novo, fah" La
cilmente osm sem cincoenta kilometres poz
hora. -
Gragas a esis extreme voloeidade, ja em
mmtas oocasies til"a o doutor podido .a-
zer viag.naextrtordinarias. Duhi su dom
de ubiquidade que Iha raa atttb'ido, quan-
do eun um espago de tepo 0muit urto1 o
elle Is do fundo do Archelage am r ulimos
himites do *ar doe Syrtes. '
Havia por6mn, urma ifforenga notAvel
entire os Thorsycroft ae s ppar4.oh 40
doutor, era quo em vo d p o
aque.ido, empregave olle a d N
come motor, por mei9 de podi 'mo -
mulsdores da aiu inven2o,-e amo quaes
podia imaginary eem Uide sob .ma ten-
sao pot ar=im diner iminits. Eas ma-
chinas velomem, tishma.Q umw ElEcdri-
cov, com um simple.. nume-. e ordem.
Vtalea o Zlefricw2 qu I sido ca-
made das boccasdewavo.
Dadajl este ordent% o wwreprotf
memento de agir. ao -Mo memo'
ftemp Ponts-iia & P e ,d~ ^ i qto amoito brwem~nte'pe 4cl=:- 1
services ." .-.
E, 6imtHdizer^Q^^a "6A4Si
merAn ttor* asfit~o je
sos dedicag~o.

coMM queoeee~K li~~t.11
Poam&P^^ ^ ^^^^
Ve^ r'o i ^
=airMw ^^^^^


0 magistrado estava to estupefacto de
encontrar, all onde. esperava achar um
horrivel bandido, um mogo e elegant fi-
dalgo cujo nome pessoa e familiar eram
conhecidos do today a cOrte, e de quemn o
proximo casamento corn a filha unica do
preboste do Paris, ndo era segredo para
ninguem, que ficou mudo e de olhar fito.
Final, se todas estas poderosas razoes
nao existissem, a explicagio da presenca
no campo enlameado dada polo condo era
tao natural, tao plausivel, que era mate-
rialmento impossivel hesitar urn moment
em admittil a.
0 lugar-tenente de toga curta balbuciou
algumas formulas de desculpa.
Mas, disse o condo, que diabo faz
aqui, a que proposito e porque razso este
moviwento de tropes e este luxo de illumi-
nago?
Procedemos a uma prioao, Sr. conde.
Oh 1 oh E quern m6 que prendem,
se nao ha indiscrip* na pergunta ?
Um miseravel de que vamos final-
mente livrar a sociedade.
E esse miceravel 6 ?...
La Chesnaye.
SLa Chesnaye ? repetio o conde.
La Chesnaye I repetiram os assisten-
tes corn um espanto e commogoe que nin-
guem pensou em occultar.
Sim, disse o lugar-tenente de toga
curta, La Chesnaye que eatA ainda no
terreno das experiencias, estou certo e
quo; ha vinte minutes apenas, accordava
aquelle aquilador para oomprar um caval-
le, corn o auxilio do qual queria sem du-
vida fugir.
Entlo, tornou o Sr. de Bernac, foi
elle que acabou de passar junto de mim
ha pouco.
La Chesnaye passou junto do se-
nhor! exchlmou o magistrado.
No posse affirmar-lhe. Tudo quanto
posso dizer, 6 que ha pouco na ohtra ex-
tremidade do Campo enlameado, um ca-
valleiro passou junto do men cavallo tao
rapid e bruscamente que quasi foi des-
montado.
E para que lado se dirigia esse ca-
valleiro ?
Para o lade das casas do mercado
dos animals.
Obrigado pelas informagoes que me
da, Sr. conde, vou mandou dar buses a
ease lado do campo d a feLira.
Entlo, men digno lugare-tennte, dei-
xo-o ornom a sua misao. Ah I diga-me,
onde estA neate moment o Sr. preboste
de Paris ?
0 Sr. preboate deve star em casa
de Jonas.

(Contina)
'ti I 1 SSSSS


- op e6 boa demais paera isso 1... Nao I
a er9me o gemo do beorn, quo no desfecho
VWmM pqw o vicio e recompensar a vir-
tade- .
SC.romo no idramas?.... perguntou
Cab Matifou.
Obmo .to. dramas siml Estou te
vendo ness papAl, men Cabol No me-
meoto em que o traidor menos o espera,
ta appareces- con as tus gr-ndes mbos
aberte e baster fecal-as pars produzir o
desfecho I S o papael ao 6 e omprido,
yupathio a e quantces braves e quanto
dinheiro X reoeb si. ad t o amal
.i- ., semm dan, responded o her-
oeIw, melt, Ontretanto, 6 prouo no=a spa-
!rarmos! ,, __ .. .: /
-Oh 1p im die!s 1 u aaAiOmet-
to q.ntLQoIes de hBageer, dir.nte a
mnun auencia1 me Makwas aa
tum sem refeigUes p r dia e egorda, meu
abo I... E agora_ spurts-me nos teus
11gs en antes fin"u, tom no thestro,
u7 pode sufiiuJim1 ... eAh I pre-
o~ enehabitoostt Bere e atar e
be"-... um veZ e
i- tseequepaa 4W -e Poata Pmb dinha,
e eqoMAd.eam grande Ca-.

STaee foram 's pedid dmes done
a os, quaUdo tiea de epara-soe um
do auto. N& v.eade O es lomeafie=
esBK eOwiaago oppriiudo no enorme peito,
Bnd 9 a *a fcdo do Sa&wena.

"Vr de de vista Pedro

tramquo Pont&
Sadoneo, deoia
Pama que, oser


L




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2OW0W6XQ_1ZYGSC INGEST_TIME 2014-05-21T14:51:25Z PACKAGE AA00011611_15419
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES