Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15237


This item is only available as the following downloads:


Full Text










.3' *59~m


an.. idem.
anio idem.
ianho idem.


'- "'.N ".- ^,'?' "-


-, ..

.;. -.
t P-,RPi


. f
. :


PROPRIIDADE DE MANOEL


mD nu am mw niw I p

)A BE FARIA & FILHQS


SAMMAsecca da mosma provineia.-Communicou-se i
.L A ll referida presidencia.
... -- Ao Dr. Francisco de Paula Penna.-Coin
0 officio de hontem recebi a quantia de 500,
CIGULAR DO DIARIO offerocida por intermedio de V. S., pelo corn-
mendador Antonio Jose de Magalhaes BasLos,
F'IF JANEIRO, 6 de outubro. resident em Lisboa, para as victims da sec-
"...ca neota provincia. Tend'o remettido essa
,lque,^ .por decreto de 28 de quantia d coinmlssuo central de soccorros nes-
se ta capital, afim de ser convenientemente ap-
plicada, cumpro o grato dover de conmmunicar
For ain clvados ;a narquezes dos a V. S, para o frzer cwnstar ao.m6smno com-
zlesmos nomes, os viscondes do Rio mondador MahalhAes Bastos, quo agradeo)
S aquelle valioso donativo, o qual 6 uma prova
Brraico e do Born Retiro. significativa dos sentiments lonvaveis, de ge-
Forai ni agraciados nerosidade e plhilantropia de sou offertante.
Foram agraciados -- Ao inspector da eoesoufat"* .de fa .
Corn o tilulo de visconde, o almiran- -Para os fins cone, t, e'-- .nicO'kV.
Le Delamare, e de bardo, o conselheiro S. que, nesla data, abonei as faltas de exerci-
Scio do promrnoter public de Bornm'Conselho, ba.
Dr. Souat Fontes. charel Fiel Vieira Torres Grangeiro, a contal:
-F ebr et rde 2 a 8 de agosto.
Foi aomiido membro extraordinario Ao do thesouro provincial.-Se estiver re-
do Consell de Estado, o conselheiro gular a inclusa conta documontada, mande
Vmce. pagar a Fielden Brothers, 9:7735340, pro.-
Joaquim Antao Fernandes de Ledo. veniente do gaz consumnido no minez de agostoa,
Foi confirmada a nomrneago de Fran- cam a illumina.o public da cidade.
Ao mesmo. Estando regular a inclusa
cisco Carneiro Machado Rios, para CS- conta documentada, made Vmc. pagar a com.rn-
crivdo do jaizo do commercio, em Per- panlhia Pernambucana 360S000, relatives aos
transports dados em seus vapors a press de
niambuco. justice e escoltas que os acompanharam atW o
nr n o, s r d presidio de Fernando, nos mezes de julho e
Foi nomeado, sob proposta da res- agosto.
plctivapresidencia, o bacharel Antonio Ao mesmo.-RemettQoa Vmc., paraosde-
preid a o idos fins, as tabellas juntas aos vencimentos
Annes Jaeoine Pires, para servir o offi- e mais vantagens dos oificiaes o praeas do
cio de tabellido de notas do Recife, do corpo de policia e da guard civica. Remet-
S serventuari vitalici Francisco teramn-so c6pias aos commiandantes de policia
qual serventuao vitalicio Franiso e guard civic.
Baptista de Almeida, durante o resto Ao engenheiro ujudante da repartigao das
rio u ia obras publicas.-Mande Vine. examiner o edi-
de sua ida. ,ficio que serve de quartel do corpo depolicia,
-- e transinitta-me o o vamento dos reparos quie
form necessarios.
Akt lALH.1.-XVXLS Ao thesoureiro das loterias.-P6de V. S.,
conform solicita em seu officio de 6 do cor-
POLITICOS rente, fazer correr pelo piano anterior ao que
ha pouco foi approvado, a loterian. 241a, cu-
CONSTANTINOPLA, 4 de outubro. ja 6xtr4cgo se acha designada para o dia 14
Sdeste mez, visit o estarem ja vendidos em gran-
Deu-se unia grande batalhlia, nia Asia- do part os respectivos bilhetes, quando teve
Meuor, entire russos e turcos, sendo lugar a approvacAo do mesmo piano, que de-
os russos completamiente batidos. verA ser obsetvado da seguinte loterta por
Os russos conlessamn sua derrota; diante.
porptt procuram attenuar-llie os el- Ao juiz municipal de Bom Jardim.--%um-
eltos e importancla. pre que Vnic. me tranAmitta a informacao de
que trata em officio de 16 de agosto, declaran-
RIO DE JANEIRO, 6 de outubro. do-me, le conformidade corn o disposto no
art. 12 do deereto n. 816 ie 30 de agosto de
Acaba de lallecer o brigadeiro Pi- 1851, se ha outros concorrentes aos officios de
nheiro Guiniariies, uni dos bravos nia prtidor e contador, almin daquelles a que al-
guerra contra o Paraguay. Sdas exe- tindemntms officios de 20 de juqiho e 2 de julho.
qulas e enterro lorani muito coi9 -,-AO aelegad9 de Barreiros.- T1do nesta
ridos. .,, 4ata recoimmendado ao jiiz de paz em exerci-
OMM EpRC cioanh parochia de S. Miguel, que convoque
COM R lX-L:CIAES '. s.em demora a respective junta de alistamiento
LONDRES5, 3 d outubro. iara dar comeeo a seustrabalhos, determine
LOND~a, Vn de outubro. y que d6 as mais terminantes ordens pa-
Fundos brasileiros de 5 o%, empres- ra que os inspectors de quarteirao fornegam,
timo de 1875, a 9i cm ecrurgencia, nocaso de ainda nao ter feito,
Mercado ie assucar calo, e os pre- a ias isade que trata o unico do hrt. 14do
Meos sutod asse Reog. n. 5,881 do 27 de fevereiro de 1875.
: As deQwsesLa.-rConstando de officio do
LIVERPOOL, 5 de outublro. juiz de paz president da junta-de alistamento
d.u fl'th uCia do lorooa, quo a mo.amn junti
Mercado de algodio active, e os pre- ainda nao p61de encetar seus trabalhos a falta
t.os rinies; venderamn-se hoje cerca das listas que nao foram fornecidas pelos ins-
de 18,000 balas de diversas proceden- pectores de quarteirao, eqp consequencia dos
cia ; sendo o de Pernamnibuco a 6 1/2 obstaculos que teem estdel encontrado em con-
d. por libra, feccional-as, attento a secca que ha flagellado
Mercado de assucar calnio, e os aquella freguezia, recommend a Vme. que
precos sustentados. procure pelos meios a seu alcance veneer taes
embaraCos e empregne o maior empenho para
HAV.RE, 5 de outLLubro. que o preceito da lei soja satisfeito na mon-
Co s s s s cionada parochia, corn a brevidade que for
Courts seccos salgados de Pernam- posivel.
bWeo de 80 a 82 1 rancos, pelos 50 ki- lPasslvel.
bttode80 a 82 ranos pelos 50 ki Ao Sr. Antonio Yrancisco Paes de Mello
Iogrs. Barreto, juiz de paz em exercicio no district
MARSELT ft, 5 de outubro hiL da matriz de S. Miguel de Barriros.-Ein res-
posta ao sed officio do 28 do a'osto, tenho a
Assucar de PerHamlUCo a 27 Iran- dizer quo competindo a Vme., na qualidade de
cos pelos 50 kllogrs. juiz de paz em exercicio nessa freguezia, no
impediment dos que Ihe sio superiores na
NOVA YORK, 5 de outubro. ordom da votaio, a presidenola da respoectiva
junta de alistawento, conforme o disposto no
Camblo sobre Londres 4-81. ".o do art. 41 do Reg. n. 3,881 de 27 de feve-
Preco do ouro 102 3/4. reiroade 1875, cumpre que sem demora convo-
i dque a mesa junta a reunir-se, designando
Agencia de Pernaubuco, 7 de OU- para isso dia que dever5 ser o maisproximo pos-
il],bro de '1877. sivel, afim dc que de cimeco aos trabalhos do
alistamento, devendo Vmc. empregar todo o
PELO DIRECTOR, J. BROCIJER. empcnho para que elles sejam concluidos em
________________^_____i tempo de ser opreciados pela junta revisora que
.... ,, n m m Am in n .... tern do funccionaor ji dia -10 de novembro vin-
PARTE1 O rICIAL douro, na forma do art. 27 do citado regula-
IIIIIiuAI. |menlo. Ao dclogado de policia, recommend
____________________________Ique providencie para que os iuispectores do
quarteirao fornecam as listas de que trata o
Governo da provincia unico do art. 14, caso nuo tenham ainda cum-
LPEPIENTE DO 1)(A1 "1 DE SETEMBRO DE '1877 prido esse dever.
C." A.. "1.1".... T .- .3 C....I T,. ,,,


ACIOS : iu 1r. A111olnio vuliueuro uos oIljiLos tLsi-
0 president da provincia, de conformi- ros, I.o juiz de paz da freguozia de Floresta.-
dfade corn a proposLa do Dr. chefe de policia Accuso recebido o officio de 15 do agosto ulti-
interino, emn oflicio n. 705, de 11 do conriente, mo, em que Vimc. communica nao ter a junta
resolve nomear Pedro Gorr6a de Aim-rm, sub- de alistamento dessa parochia podido ainda
Aele-alo do district doe Itapissunima do term fuaccionar, a falta daslistas quo aos inspecto-
de Iguarassd, vago por nSao ter aceitado a na- res de quarteirito cumpre fornecer, na f6rma
tnea5ao JoSo Dowrado da Cunhlia Azevedo e do unico do art. 14 do Reg. n. 5,881 do 27 de
Manoel Cavalcante de Albuquerque Gadelha, fevereiro de 1875, falta que Vmc. attribue 6
subdelegado do district de Maricota, do mes- secca que flagella essa freguezia, e lia obstado
ino termo.-Remetteram-se os titulos ao Dr. a que aquelles agents policies satisfacam as
ehet'e de policia interino. suas obrifgaQ5es. Sciente do exposto, confio que
0 president da provincia, de conformi- Vinmc. procurara por todos os meios a seu al-
lade coml a proposta do Dr. chefe de policia cancer veneer os embaracos que se opponham
itiiterino, em officio n. 700, de 11 do corrente, a exccucao da leinessa localidade, e emprega-
t-eolve nomear Leandro Pereira de Castro, 1 ra o mnaior empenho para que os trabalhos do
supplentO do subdelegado do district de Afo- alistamento sejani alli realisados corn a possi-
gados de Ingazeira, do termo destLe none, va- vel brevidaJie, de im.odo a poderemin ser apre-
go por nao Let- prestad,.i juramento Rufino Jo- ciados pela jutnta'revisora na sua proxima reu-
sil Scares da Fonseca. assim como segundo e niao. -
terceiro suipplentes d Felippe Nery Soares e Portarias
,!eG llonorato B;lrbosa, na order em que se 0 Sr. agent da companhia brasilei'a de
Im.ciam. I-mfetLeram-se os tifulos ao Dr. che- navegaQco a vapor faga transportai a Bahia,
V de policia interino. por conta do ministorio da marinha, no vapor
)0 president da provincia, attendendo ao Bahia, o deserLor do corpo de imperiaes marin-
que requereu o juiz de direito de Panelias, ba- nheiros, Francisco Gomes daSilva, que vai ser
cimarel JoSo Diniz Ribeiro da Cunha, resolve apresentado ao chefucommnandante da divisSa
unccder-lhc trintLa dins de licenga corn orde- naval do 2."* distrieto. Communicou-se ao
nado, para tratar de sua sale onde lIhe con- coninmandante da canhoneira Araguaya.
vier. 0 Sr. apoente da companha brasileira de
OTfficios : nave.ai;io a vapor faca transportar A Balfia,
Ao president do Piauliy Dr. Fi-atncisco par conta do ministerio da guerra, o desertor
!ernnilrdino Rodrigues da Silva.-Accuso) rccj- do 14.o ,atalhio de infantaria, Pedro Antonio
iido o officio tie 13 (de agosto ullimnio.. sob hin. Alves.-Commu nicou-se no comman'lanto ds
1, cin que V. Exc. communic,. ter nessa data. armas.
|)resliado jurarnmcnte e assumido o exercici, doI FXPr--DFTE nD --f,'RERFTABI('
-cargo de president dessa provincia, para o
,itinal fura nomeado por carLa imperial de i dlo Officios
jullio.-Prevaleco-mic da apportunidade para Ao engenheird ajudante da reparti(JIto das
apresentar a V. Extc. os inmeus protests dd"- obras publicas.-Do ordem do Exrn. Sr. presi-
tima e consideiaiSao. dente, accuse recebido o ofrici sob n. I5,2, em
Ao procuradori- da cor6a, soberiania e fa- quo V.. S. participa se ter passado certificado
zenda na'conal.-Si -va-so V. S, de emnitlir senu de pagamento da2.a prcstacao dos reparos das
parecer solpre os inclusos estatutos do gremio pontes Pirtpaicit e Gic.-ra, na importanciade
dos professors ,rn;murios. 500, ao respective arreinaltante.- Comfni;.
Aos membros da commiss5o encarregada cou-se ao thesoura provincial.
de agenci~r soecomros par-a os indigentes fla- Ao inesmo.-De ordem( do Exm. Sr. pre-
gelados pela secca no interior da provincia. sidente, commiunico a V. S. que de accord corn
" A--raa os fins convenientes transmitt6 a Vv. a informaclo constantL de seu officio sob itn.
I l- aeUft de 500#000, offerecida pelo corn- 245, do L.o do corrente, mandou-se pagar s6-
itonlo Jose de Magalhkes Bastos, monte a itinportancia da I." prestaQ.1o, ao arre-
a as victims da secca nesta matanto da polnte sobro o rio Ct rim.
-- *~Ao agent da companhia brasilgira de na-
i.-irvam-se Vv. Ss., de re- gaclo a viper.-Doeordem do Exm. Sr. si-
taornuiad preside- dented, ac0usowrewebido oa -,-



L..4.-',-,I. ..
M ,."' L;i''.k-!


' DESPACIIOS DA PRESIDENCI 1 DOA. 5 i* i g'a, dignissimo president
A OU'TUBRO nMos 7'. x ei .--O chefe di policia interi-
Antonio Cardoso d46Jeiroz Fanceca. /genes Socrates Tavares de
-Passe portaria na f6rma requqrida. .'!
Professor Antonio Rufiia9 4e Andrade!I'
Luna.-Inforrne o Sr. inspector geral f l r A
da instrucqdo public. D* fIBUU
Angusto Francisco de ,Paula.-S6 p6- "---'- ---DU B
de ter lugar o que,.reqqer o sa t- -4r D OUTJBR-
te, correndo por sua cuinta asde9a9. da Basp
Francisco de PaulI Rodri ,, |r ao'"qa que fuirdeou na
meida.-NMop6de ter sugar ao.(7bora,'meiada noite p0 I*-
qer 0o supphante, "y-
vada a praja, paraeatan Co, a o0 ibIadS do taf, -dos quakes colhlie-
a que allude. ,.
Joio Jos6 de Aguiar. -Informe o Si'... DO IENT.. ii ,
'0W XtA DOo calgar... ,' Ja
inspector da thesouraria de fazenda. A i, grwi.W ooni41,ictorios, os
Bacharel Jose Moreira Alves da Sil%. comb&*at M,-* a fa.vojr de ans, ora
*7a Is4 ~_-;MargerWres. naturqes
-Informe o Sr. director interino d SosO pa rdl| b 1An es natur-es
(r o"o spa s, os onutos; as mar-
arsenal de guerra. chas, ihihadte exercids bellige-
Dr. Joao Honorio Bezerra de Mend- ranges, entmo de nomes, que aL6
zes.-Informe o Sro inspector da the- alli nenob| tancia geographic tinham,
soraria de fpnd e que fmente so tornam a chave da
souraria d fazendaa. posicABO. tiva dos exeroltos, e da equal
Joao Baptista Cabral.-Informe a,- muitas vps vem a defender a sorte da cam-
mara municipal do Recife. '4 panha; .,unappas pouco explicitos danido.
Luiz Soani da Silva.-Sim, core do uma id46mWito grosseim dos movimentos e
as despez or ono do s lia peraita.e.gLo isjunto.cria a necessidade
as despezaspor 'conia do supplicanie. de se ft bn. ma eiposioao retrospective das
Liberato enicio de onceca L a. opera(. situalio respectiv'e, dos exer-
-Sim. citos, si imentos, resultados que Ltive-
Luiz Jose Antonio.-Sim, correodo ramer amtidos, etc.
as depesp r cnt do splian A iane ada por Osmnan Pacli a
as despezas por conta do supplicante. 31- jitde imo em Plewna, suspeniideu
Manocl Antonio de Jesus.-Informne com o P otalntto a vigorosa offensive


o Sr. inspector da Lhesouraria deIa-
zenda.
I Padre Manoel de Sant'Anna e Luz.
-Informe o Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda.
Manoel Antonio Ferreira Braga.--
Informe o Sr. inspector do thesouro
provincial.
Raymundo da Cruz Martins.-Ao
Sr. brigadeiro comamandantedas armnas,
para informal.
Seeretaria da presidency de Pernambuco, 6
de outubro do 1877.
0 porteiro,
Jono Gonalves dos Santos Junior.

Commando das armas
Quartel general do commando das
armas de Pernambuco, 6de outubro
de-877.-O Amd4o dian. 1,047-0Obi-
gadeiro commanduntedas arms faz
public, para os fins convenientes, que
nesta data, nos terms da impeRoal
proviso de 11 de janeiro de 1853, con,-
t,'atou para servir por tres amnnos na
banda de music do 9o batalhdo de in-
fantaria, na qualidade d inusico de
2a classes, ao paisano Franciseop Jose de
Albuquerque, percebendo italim dos
vencimentos por lei estab)efecidos o
promio de 2006000. [Assignado] Ma-
noel da Cunha Wanderley Lins.-Con-
formne, o major Josd Bonifacio dos San-
tos Merguilhdo, ajudante de ordens en-I
carregado do detalhe.

Repartirao da policia
N. 774.-2.. secgao. Secretaria de
policia de Pernambuco, 6 de outu-
bro de 1877.
Illm. e Exm. Sr.-Participo d V. Exe. que
foramn hontem recolhidos a casa de detenORo os I
seguintes individuos I
A' ordein do Dr. juiz de direito da a
vara, Benedicto, escravo de Francisco
de Souza Monteiro, por estar litigando
a sua liberdade.
A' ordlem do subdelegado do o dis-
tricto (de S. Jose, Deodato Gomnes da
Silva e Joaquim Francisco dos Santos,
por offenses a moral public.
A' ordem do da Boa-Vista, Joaquim
Francisco Chaves, por infracd.o de pos-.
turas municipaes.
No dia 21 de setembro ultimo, no
Sitio Recruta, dto district de Cabellei-
ra, do termo do Bonito, Antonio Teixei-
ra, de 22 annos de idade, cor rnorena,
secco do corpo, cabellos caxeados e pre-
tos, rosto descarnado, olhos pretos, na-
riz, grosso, bocca pequeni e pouca bar-
bas, assassinou corn um tiro a Joao
Felippe Nery.
0 deliquente evadio-se e contra elle
drocedeu-seonos terms (do inquerito
policial.
Na madrugada do dia29, no ilistrii
to de Timnbaiba, os ladr6es ponetiaram
,na casa de Virginio Vollosao Freire, con-
duziramn urna caixa grande dp amarello,
el a 20 passes de distancing, arromba-
ram a mesma caixa o deUa tiraram
uma outra pequena de jaciarandA, na
qual se achava a quantia de seis conios
de reis em dinheiro, inclusive cem mil
reis e prata, e differentosjoiasde aura,
e brilhantes, no valor de mais de um
conto de reis.
0 respective delegado diligencia des-
"cobrir os delinqnentes, para contra cl-
les proceder nos thermos da lci.
No dia 3 do corrente, no district de
Iltapis~uma do term de Igtiarassni,
Pedro Valeriano Ferreira de M'ello, indo
banhar se no acude Perrl, succedeu
morrer corn o cavallo asphyxiado per
sul)mersao, vindo a apparecer o cada-
ver 2k haoras depoisz ja bastante estra-
gado.
| Sobre este facto o respective subde-


legado procedia nos terms da lei.
SAo mneio dia mais ou menos, de. 3
dest&r mez, foi encontrado no rio Capi-
baribe, junto ao porto do Lasserre, no
district da Graga. o cadaver dorsubdi-
, thespanhol MAanoel de tal, feitor do
sitid de Henrique Bernardes de Oliveira,
o qual tendo atravessado'o rio'em uma
canda, urn pouco enibriagado, cahira
Sn'agua e fgiel s.hixyado por sub-
mersao.,. ". -
,^ "edeu-se na of6r

iiMBMH,


tomada Russos na Bullaria e nos
Balkan0,L o ,eve todas as coinsequen-
eia J que so pod"u prefer, se o
exercit e UIyesse mNuradc mais habil
nas gmvsse sabido aproveitar-se
OS tendo proseguido nas suas
vanta P batido'a 31 de julho vol-
rou a occupar as primitivas
pos" ,Ide Plewna. Os turcos
consi*manter-A em Lovatz,
[ou Lo" a que conduz i Tirnova
p-,.
Ao ad;i i Gourko evacuou toda a
parte d do que se havia apoderado,
e dix arala Le ih!9ka (ou Sibka)
uma guapla que- p.entrincbe-
rou ~t vendo uqi alAque proximo.
Po | ladoleyaan-Paob4 nalo estava
S. para j" ipp.r o ininumigo
cor a BU ; ;'
AP a idos beligpran-
Les balatlha do Plewna.
0s rus flarani no vae de 1or-, amdajan-
do ao tempo -. It uk, Rasgrad, e
o cain erro de o' uoVa.
A siL o d erc1oI, isp0 era, Ltodavia,
bastaInt riA ra que o gran-.luque Nico-
ro naoer 0con var o sou quarter
general m Tirtnova, onde se tiunha estabe-
lecidoa 2 dejnlh9; ransferio muito para a
recLagu aa 18 kilsMIeLros de Sistova, no
bur rni Studen [ou Gornji-Studeni] na
a Plewna. S....... .
As Lres.jWinleiras senataS, d; affo.st se
opara-ij alguma,lquo nierea ser assignalada.
Uns e outros se fortificavam nas suas posi-.
COes, esperando. reforcos necessaries para- re-
,co.neqar a campanha. Os turcos acharam-se
prjfqeiro promplos. A 20 de agosto comega-
ram as hostilidades e vieram assaltar o cxer-
cito russo, a mnesmo tempo sore o ceitro e
sobre as du6al*s.
P'a* reaiO.f Orn vista os acontecimentos
mililets a qtu deu lu IuM esta offutnsiva, que,
comerada polo. centro por Suleyminan-PachA a
21 de agosto, foi secuntclada a l6stO e t oeste
pelos esforcos simultaneous dos cxercitos de
Choumla e de Plewna.
OperaVSes de MehemetA !i
A ala esquerda do exercito russo comp5e-
se do 12o e 13 corpos do exercito, commanda-
dos pelo gran-duque herJeirp; o seu objecti-
ve 6 Routchouk. 0 12o corpo, do commando
do tenente general Vannowski, 6 encarregado
de investor a praga; 6 estabelecilo no valle
do LomI inferior, tendo o quarrel general em
Koslova, na margem esqupr.la do rio, e os
postLos da vanguarda em Kedikioi na margem
direita perto do caminho de ferro de Routchouk
a Varna.
0. 13o corpo, do commando do tenente ge-
neral Hah i, estai na frente do primeiro, fa-
zendo face ld6ste e ao sul, e tendo por mis4a-o
cobrir o investimento projectado da praea
fazendo face ao exercito turco do Choumla.
Occupava o valle superior de Kara-Lorm e en-
viava os seus descobridores at6 a via ferrea,
e at6 Rasgrad, pequena cidade na margem di-
reita de Ak-Lom meia distancia, entire
Routchouk e Choumlna.
O exercito turco, opposto ao do czarewitck
comrnpe-se do tres grupos : -o ex9rcito prin-
cipal, quarrel general de Choumla que se es-
tende para oeste na estrada de Tirnova, por
Eski-Djouma, at6 a Osmfan-Bazar no comefo
do valle de Kara-Lor ; o exorcito de Eyoub-
Pachd, quarrel general de Rasgrad ; e o corpo
de Ahmet-PachA, formaado a guarniao de
Routchouk.
Todas estas tropas ostLo sob o commando
do serdar Ekven Mehemet-Ali-Pachai.
Este, logo que tomou o commando, envious i
vanguard a bella divisio de cavallaria de
Fuad-PachA' que Abdul Kerin tinha at6 entfio
conservado inactiva no campo entrincheirado
de Chounmla.
Fuad-Pachd, quo segundo pareco um offi-
cial de merecimento, nao teve diffizuldade em
desembaracar os arredores de Rasgrad, e o
valle de Ak-Lom dos cossacos que alli so mos-
travam em numero muito consideravol. Con-
segnio assim restabelocer as communioacoes
polo caminllo de ferro enltre Roustchouk e
Choumla. BEta pequena vantagem era apenas
o comeco de uria s~rie de operaq5es destina-
das a repellirinteiramente os russos sobre a
margem esquerda do Lorn; estas comeraram
logo que Suleymaq-Pacha tomou per sou lade
a offensive na garganta de Chipkni; e deeram
lugir atinuitos combates .quo o telegrapho
mencionou ewrsuas respectivas datas, mas
corn urea certa .confusao, e repetindo as ex-
pressos de cada urn dos belligerantes, que
tanto uns coino 0s ourtos se attril)uiam a vic-
toria.c
As uitimas n~icias recebidas permittom vet
claramente quo os turcos, apezar das affirma-
I(es contradictorias, alcancaram o resultadc


que se propunham.
0 Lomn 6 um confluente do Danubio, ande se
langa a montante de Routchouk. Dosce dos
. Balkans, em douse bragos chainaos. -o de
leste Ak-Lom ou Lom-Branco, o de oeste
Kara-Lorm ou Lorn-Negro; o Ak-Lornm costeia a
via ferrea de Choumlia d Rqutchouk, passe
Sperto de Rasgrad, c langa-se no Kira-Lom 6
vinle kilometros de Routchouk umrn pouco a(
norte do burgo de Kadikioi que deixa a di-
reita; o Kauw-Lomn, mais importile. corre de
sul a nor'e, pa9a porto de Ayaelac, Saltan
Skoi. Pa n',Katzellove.
SA 2 d'. e o exercito de M.hemeot-Alii
ittiftti anl-Ba d, B de i Eni-Dj6uma
^r~~itf~tU.s em &* ifn I m mf


I'














I
S

I
'p


I


o ataque das posicoes russas.
Suleiman-PachliA esperava conquistar a gar-
ganta d viva forga e como por sorpreza, e con-
tava corn um golpe de mao ; e por isso lancou
corn energia contra a posigdo inimiga todas
as columns, i media quo estas iam entran-
do em linha. 0 ataqde foi impetuoso ; mnas
a defeza nao Ihe cedeu nem em ceragem, nem
em habilidade.


Os russos haviam elevajo alli obras de cam-
panha solidas bastante, 0 a principal, denomi-
nada forte Nicoldo, nao tinha menos de 28 pe-
gas do posicao. Todos os esforcos do inimigo
se vieramrn quebrar contra os entrincheiramen-
tos inexpugnaveis.
A luta recornegou nb dia seguinte som re-
sultado para os assaltantes, Suleiman-Pachd
tentou tornear a posiQ.o d oeste, esperando
dar a inmSo as tropas de Osman-Pachd., que,
segundo o 1lano comnbinado, devia ter atacado,
como etffectivamente havia feito, os postos
avangados dos russos em Selvi.
Phantasiou-se muito sobre eslte movimento
de Suleiman-Pacha; disse-se que os turcos ti-
nham avantado a oeste aW ad estrada que vai
do Gabrova a Selvi, onde tinhamrn tornado po-
sicoes nas alturas, dominando a estrada, e in-
terceptando as coanmunicaCoes dos defenso-
res do forte Nicoldo corn as tropas ia reta-
guarda. -Unm jornaf inglez chegou a dar a nar-
rativa de um combat imaginario, em que o
tenente-general Radetzki, commiandante du 80
corpo do exercito, leria carregado emn pessoa a
frente do uiema simples companhia de eacado-
res os aventurosos atiradores de Suleiman.
A verdade 6 quoe os turcos nao acharamn sa-
hida para ganlhar o flanco das posicOes minimi-
gas, que so alli podiam chegartomando a minais
de cein kilometros a oeste por Karlova, o collo
de Trajano que desumbocca na Bulgaria, mnes-
mo em Lovatz. A amplitude deste movimento
tornava-' inutil sob o pAuto de vista tactico,
e nem mesmnoaf tentado.
Suleiman-PachaI obstinou-se durante 5 dias
consecutivos, de 21 a25 de agosto, em assaltat
de frente obras hemn defendidas, :ujas guar-
nigoes iecebiam reforCos todos os dias. Deve
ter tido perdas consideraveis, sobre-as quaeo
nao ha indicaCOes offtlciaes. Os russos con.
fessavamrn e.-.n 29 terem perdido 2,731 hoi'AI
send 98 officials, e eoatre elles o general Wa-.
,gonsirow, ferido, e o commandante do forte Ni-
solio, o general Dorojemuki, marto.
0 atlmue doe tarcos eolqp t a af ra
Mo" o- -



^..- -^ -.* i^i ", ',^,,.^ l^ .


migo; o regiment de Sophia n. 2, destin-
gu:o-se particularmente nesta jornada. Os
turcos voltaram d carga no dia 24, e conse-
guiram entlo repellir o inimigo para Sultan-
koi, pequena aldeia a 4 ou 5 kilometros a oes-
te de Ayaslar.
A 27, Ahmet-Paiohai, commandante de Rout-
chouk, atacou por sOUen turno os russos em Ka-
dikoi. Tevo pela frente uma divisao do 12o
corpo do exercitq, oon.mandada polo tenente-
general von Firsk..
Segundo os bolletins russos, o regimento
da Ukrania repellio os assaltantes, o que pa-
rece provavel, apezar das negatives dos tur-
Sa os russos occupavam ainda Ka-
( .,HB..:,fiiiiiffii--_ i- nd

nortle das posigaes rlp as, Mehemet-Ati AZ en-
eCU emliuha o exerefo de Eyoub-Pachd.que,
.indo de Rasgrad, veio atacar oem Sadina,
X8 de agosto, .m.A-dtvisAo. do D3O e, rpo;
SftOlna A nria aldeia a 24 kilometros A, 'oeste
de Rasgrad, no oentro do plat6 pouco elevado,
situado entire Ak-Lom o Kara-Lorm, domina
todo o paiz, e por isso os russos, que Ihe ligam
toda a imnportancia, defenderam-a brilhante-
monte ; os turcos forarn repellidos. A 29 o
exercito de Rasgrad fez a sua junceao corn as
tropas vindas de Osman-Bazar, que ltinham
combatido em Ayaslar.
Todas eslas forcas reunidas sob as or-
dens de Eyoub-Pach., atacaramin de novo as
posig6es russas no dia 30.
A linha russa estendia-se do norlte a sul,
tend d esquerda Sadina, o centre em Kara-
Hapan, e a direita em direccao ,A Papaskoi,
sobre o Kara-Lomrn Superior, um pouco ao norte
de Sultankoa.
A infantaria ottomana, convenientemente
commandada esta vez pr utim dos melhores
generals ao exercito, Nedjili-Pacha, repellio
successivamente os russos de Sadina e de Ka-
ra-llapun. 0 effeito principal Leve lugar no sitio
a que tambem se da o nome de Karahassan-
koi e Karahassanlar. Os russos tiveramn de
passer o rio e retirarl-se para os entrincheira-
montos da margem esquerda em Papaskoi.
Mlehemet-Ali, senhor do Loin Superior, con-
centrou as suas forgas sobre o Lorn Inferior,
onde o 120 corpo se conservou sempre erm.
KadikoL.
0 serdar Ekrem Mehemet-Ali fez atacar a
aldeia a I de setembro por Aihmet-Pacha e
pela guarnigdoAoutchouk : ao mosmo tem-
po o oxercit doe.'roub-P'acha, vindo do sul,
ameagavd. toLoar os russos entire dous fogos.
gstes evacuaram entao Kadikoi, passaim o
Ak-Lom e foram estabelecer-se em KLtzellovo
sobre o Kara-Loin, umrn pouco ao sul da con-
fluencia dos dous Loin, nas suas linhas de
Koslova.,.
Tal 6 a campanhia dos quinze dia.,lbeoa
combinada e bemrn conduzida polo serdar Me-'
hernet-Ali, quo lteve o resultado de repellir o
exercito russo para long da praga de RouL-,
chouk, que nao se acha actualmente inves-
tida. .
A offensive ottornana no obteve o mnesmo
exito ao sul, ondo operava Suleiman-l'acha,
que nao p6de apoderar-se de Chipka, nem a
oeste, onde Osman-PacihA se fez b.ter em
Lovatz e se acha hoje muito arneagado nos
entrincheiragiw4Los de Plewniia.
ua..... .'ea.de Sotlcincma-PacI&A
Qi '4erlto do a-5iemar,-Pabi- tomoUt20
u tu agu auai-ton5' -au Iu nrUsIPrminu qurru-
de Mehemet-Ali e o de Osman-Paclhdi, mas por
muito tempo se esteve ina duvida de qual se-
ria o verdadeiro objective de Suleiman-Pachl.
O telegrapho noticiava que, depois do ter ap-
parecido em Kesanlik na abertura meridional
da garganta de Chipka,- voltdra para leste e
hayia apparecido nas gargantas de Kasan-
e que tinha chegado a Bebrovo no Balkan de
Elena, e pareqia querer mnarchar sobre Tir-
nova de accord corn e exercito de Mehemet-
Ali, occupando Eski-Djouma e Osman-Bakar.
Esta minanobra, por6m, nao era mais que uma
demonstraC.ao, destinada a mascarar o novi-
mento principal quo se effectuava contra
Chipka.
No dia 19 de agosto entrou a vanguard ot-
tomana na aldeia do Chipka, qtw esti assonte
no vertento meridional do Balkan, centre Ke-
sanlik, e o cume da garganta.
Os turcos encontraram alLi alguns cossacos,
que retiraram scm combat. Estes cavalhei-
ros, que fornmavan a extreme ponta da van-
guarda do destacamento russo oncarregado
da defeza do collar, est'.vaam coma explorado-
res e nio como combatentes.
0 general Dorojenski, prevenido da approxi-
mayco do inimigo, fez logo todos os prepara-
tivos do defeza ; e ao .mesmo tempo chamou
a si as tropas que estivam a retaguarda e no
dia 21 tinha recebido ai refereo a brigada do
general Stoletow.
No dia 20 fez Suleiman trepar os sous sol-
dados polo declive escarpado que conduz da
aldeia de Chipka ao alto do collo. As difficul-
dades do caminho demoraram considcravel-
mente a marcha, e s6 no dia 21 pode comear


Os lurcos nao tern mais quo ne ma pequena
minarcha a fazer, para chegarem sobre Jantra
e cortarem a linha de retirada doscorpoi rus-
sos que defended a garganta de Chipka e Tir-
nova.
A situac5o 6 bastante grave, e a sua gravi-
dade naio escapa A ninguem. Apezar do ne-
nhum exito das operagoes de Osman-Pacha e
de Suleyntan-Pach., o circulo aperta-se cada.
dia em torno do exercito russo; a ponte que
elles construiram em Pirgos, porto de Routs-
chouk, torna-se-lhes inutil, s6 Ihes rest a de
Zimnitza quo 6 ameaCada por Mehemet-Ali.
8e este general bater ainda por aia vez o
exercito russo, e flear polo de Zitnnitza,
destruida esta ponte, os russos eos roumanios
ficarSo prisioneiros na Bulgaria.
E' absolutamento necessario que o gran-
duque Nicolao faqa retroceder Mehemet-Ali
para alem do Loin. Para isso ver-se-ha obri-
gado a voltar atraz coin forcas consideraveis;
este movimnento desembaraCard sem duvida
Osman-PachA, de modo que o menor resulta-
do que se pode obter da sortida de Mehemet-
Ali pela Bulgaria, serd restabelecer as cousas
no ponto em que estavam antes da tomada de
Lovatz polo exercito turco.
Actualmente os russos atacamn Plewna, se-
gundo todos os preceitos da arLte mthilitar to-
mai'amn o forteavanqado de Grivitza, mas a pra-
ca 6 fortificada de tal modo quo. para fazer ca-
hir a cidado nas maos do assaltante, 6 precise
atacar e Lomar tries linhas de entrincheiramen-
Los que se dominam sucetssivamente umas As
uutras. A prinieira linlia ainda nao ast i nas
maos dos russos. 0 forLe de Grivitza f6rma
a sua avam:ada, mas niso faz parole da prinmei-
ra linha.
AUSTRIA
SJd se niso po'Je duvidar que a Austria faYo-
a rece as emniprezas dos russus. Foi o conde de
, Andrassy queti conduzio a este resultado, ira-
balhando corn verdadeiro desinteresse no
Striumapho do panslavismo.
r EfTectuou-se nestes utiltimnios dias a conferen-
- cia entire o condo de Andrassy e o principede
SBisminark, diz-se que para assegurar as b
9 da triplico alliance da Allemanha,
- Russia. .
Se a Austria olba indiflerente parma
- seguida polo actual govemo, a EaH
- desoespomrada, e manifsu por



0.S"


.7 .~


ditQs
f' lnuTDn a


LV r


"I


0-


vtiso.


ir


I.i '
;,.1


!I~ 'sI' -~



I


*4


r. -


Corn o fim de levantar o moral e reanimar- a
confianga do soldado, ordenou que tomassem
a offensiva, o que fizeram no dia 27, atacando
as alturas. de Aliknritzebel sobre as quaee:cos
turcos se haviam entrincheirado em Of.p.
forte Nicoldo. Os russos neste ataque, coMi-
tendo A descoberto, Liveramrn perdas consideia-
veis e sem resullado algum. .
Desde entao os adversaries estao em p
senga no passed de Chipka, entrlncheirando-.
cada dia mais, e limitapdo-se a trocar tiroI de
artilhari que fazem mais bulha do quo aaL
Port e lado a offensive Lturca flcou am re-
sultado.
Operates de Osrnan-Pachd
A' oeste dos ataques ottomanos, o exercito
de Plewaa devia procurar facilitar o movimen-
to de Suleyman, inquietando o flaqco direito do
inimigo do lade doe Gabrora le Selvi. .
SOsman-Pachil no tuhha feit4 movimenato
algum sdrio, depois da sua victoria de (| e.
julho, juot a Plewna. Estendera-se um. ppu-
co para o sul, onde occupava a cidade de Io-
vatz, n6 das estradas conduzindo, para tse d
Tirnova, e para o sul para Edropol e Sophia-
A posico desse general era bemaventualpa
n'umrn paiz pouco maiis ou menos'd.erg o
senm vias de communioaqIo fadois, aOpp*lao
de apoio nern linha de retirada so;=.g Era
este incontestavelinente popto fraco d4 inha
ottomana; era para o refoW que os tarcos
tentaram levar alli o exercito de Saleymari-Pa-
ch.; os dous generals reunidos deviam de-
pois marchar juntos sobre Tiroova.
O piano abortoa, em vista da reMstfic'iaqte
encontrou Sulb
e que, co*sM o'sabio, n~o p6de vencer.
Oisman-Pachti tit. procurado secundar o
seu college : a 21 de agosto sahio das suas
linhas de Lovatz e fez epi direcoo Selvi
urna demonstrate, quie ao teve resultado.
Nesse dia os russos ospalharam o boato de-
que a sua cavallaria executava umrn gra4o
movimento polo norte de Plewna, para ir cor-.',
tar a linha de retirada dos turcos para Sophia.
Dias depois entrou em linha o exercito row-
manio ; atravessou o Danutbio eg) Korabia, a
35 kilometros A montante de Turme-MagureUi,
e marchou sobre Plewna. Este movimento.
preocupou seriamente o general ottomano que,
tend pela sua part o 4, 9o e lie corps
russos, acreditou que as suas communicaofes
estavam seriamente ameagadas, Osman-Pa-
chA, deixando Lovatz, regressou a Plewna. Nao
foi ali inquietado pelos roumanios, que tern
feito mais barulho do que trabalho until.
A luta continuava, entretanto, em Chipka.
Qsman-Pachi procurou libertare o exercito do
control, activando a offensive. A 31 de agosto,
Sfrente de 25 mail honmo, dewmwsalto As po-
sicoes do 6 corpo- do commando do general
Zotow em PeUlitchatl[P4lisat]; o combatt es- -:
tendeu-se apidalmenie at6 -As aldeias visiiihos
de Ovrag e de Sgaldvitza. Acoriteceu o que
costuma moit" vwes acontecer: os russos,
sorprendidqs ppr,e teAtaque inoppinado, .tive-
ram de evacuMr suas,.primeiras linhas de,
entrincheiramento. (
Osman-Paclii occUipou-as e apressou-te em
teliqtphar para Constantinopla.w&e tiuaha
atravessado'ae linlias russas ema Pelitchat,.al-
deia situada a 16 kiloretros a supste de Plow-
na, a estrada que vai de Tijnova, polo valle
,e Ruchilta. No fim do dia, porem, o general
gtg&Lepanrpiqi$ l^lM I^^
oomanos, e reeo-sprasu --
prias linhas de Plewna, onde toiavia se no
atreveiu a perseguil-os.
0 mAo exito da operaCao nao desanimou'
Oeman-Paclhia, que renovou o ataque a 2 de se-
tembro, mas desta vez mais para o sul, em
frente de Lovatz. Os turcos foram repellidos
sobre toda a linha, e os russos, tomando a of-
fensiva, apoderaram-se no dia seguinte de Lo-
vatz depois de encarnicado combalte em que,
segundo se affirma, houve perdas considera-
veis de umn e outro lado.
A occupaa.o de Lovatz polos russos torna
ainda mais precaria a situailo de Osman-Pa-
cha, ja de si bastante aventurosa. Nao pare-
ce, porem, que este cheque deva ter conse-
quencias immediatas e importantes.
No dia 4, os turcos, que se tinha reformado
m Uibrem, aldeia na estrada de Sophia, a 25
kilometres a oeste de Lovatz, atacaram oaini-
migo em liovatz, para the arrancarem a con-
quista di vespera. Esta tentative nSo deu
born resultado, mas prova que os turcos nao
, onsideram a sua posicao coma insustentavel
por este lado, e que fazem esforeos energicos
para conquistarem o terreno perdido.
Sit utafio dos belliyJerantes
Ao mesmo tempo que estes acontecimeutos
se passavam o oeste, o serdar Ekrem Mehemet-
Ali proseguia na offensive no valle de Lorn. 0
general ottomano niio se limitou a occupar a
margom direnta do Kara-Lorn, mas atravessou
este rio em dous sitios, e apoderou-se na map- ,
gem esquerda das aldeias de Ablava e de. ,
Opaka.
AOlava estai a 25 kilometros de Biela ; Opaka
a 30 kilometr-os.


Jf
": """.8
,-.. *- .^ l | *'. '


?61^


"pfit^a ",' *.
. i ,, f f
*EI "V i

-t '. *^ : ,".. .


IJf
) "' J


.... :. y s ^
** u*y 4. .,T.


N A. ..",.
--


. --A..


*L

![


"A







































INOLATERRBA
A situaQ1o political oontinAa sem nmudanQCa,
todas as attenQOes se dirigem para o Orlente,
espedialmeette para Ptewna. "
-Cre ef Loritdres qtie as maravilhosas for
tifficos de Plewna, que mostram nam*geni
de prih'ira ordem, sao obra do ganera lor-
Napier do Magdala, que enviou os pianos da
Indias.
Relativamente aos differences generaes qu
co-nmandamn em chefe as operacoese muito
querem ver por detraz dos nomes turcos, urn:
mascara que esconde aomes europeus multi
coavefeidos. Cbmn a maior 'tnsisteitcia afflan
wse-que Osman-Pachii e o general azaine,-
traidoe de Metz ; mias tudb ist6 nao pass di
divagaoSeg sem fundaimento serio.
Do resultadb dos combates- sobre Plewna
tudb epende : a Servia adia a execunao dos
sea plans de alliance -definitiva corn a' Rus
sia,;*iua deelaragAo de guerr & Trvqnia
O"rldcpe deBismark e o core de Andrassy
adlam-a sua acodo de medianeiros ; a Greeia
adia a *ua attitude lbelteosa ; a Inglaterra adi:
a susaittitude de ia. E' um adiamento ge
ral, umrwvucA6 gue de um dia para o outi<
pode fazer subtta'mente a sua explosao.
As relaQSes entire a Gran-Bretanha e
SutMime Pa na io Aso dai mais cordeaes
apteaf' Tu nwuiaI njo po-or contar corn
apojo deqatquer Qut-a pletAcia ; este res
friametno diplomatic pro' t das execucSeO
btigarias, dos retioencia' a Porta relative
medte a uma occapacao ingleza de G(allipoli
daentirada do Bospboft, e especialmente pela
uOtma eoHvenfto tratidaa centre o gabinete d(
SiAt-Jamtn e o govern -do Khediva para
abeI lo da eeravatura no Egypto.
A iblime-Porta pretend que o vice-reid(
Egpto nao tern direito'de assigned um trata
do direotamenle corn as potencias estrangei-
raa,, rque nbo 6 mais do que umrn vassallo. '
sa86o06O do SultIro seria, pois, indispensave
paft ltoraar valido o document; ora em Cons-
tantinopla 6-se muito hostile tanto no fundo
comno.na forma d convencao anglo-egypeia,
receia-se igualmente que o tratado nao seja
mais que urn pretexto posto por lord Derby,
em vista e urna ocoupagao, ohi Mesmo para a
f osse eventual do rico valt3 do Nilo.
Nao 6 s6 a Ir-glaterra ; todias as ortras pa-
teoCias tern a'stuaspequenas contas que ajus-
tar coet a Poifae esta somma de pequenas e
grande desint Igteaias, podem de urn dia
para o outro aggravar de tmn Mododesastroso a
situaQio ja dei tao terrivel. -. .''
E' o motive per que os ingleze4 gJrdam um
silencio systematico. '
Sir John Bright devia em ,Xanehister fazer
u rrmanifestoanti- tu rco, qaando Ilh eScreveramrn
do Reform Club que devia abele4-* de tocar
na questio do Oriente ; e o o illuHt6l'stadista
conformou-se corn as exigencies ds' political ex-
terna do pa&, e na'o proferio urma s6 palavra re-
lativamente a Turquia.
0 Sr. Gladstone, pelo contrario, tern a mono-
mania ante-ottomana, e nao ha raz~es de con-
veniencia political que o faqam desprender do
turcos e exaltando os gregos antigos e mo-
dernos.
Deve em breve pronunciar um discurso em
Nottingham, e esperam-seas tiradas do costu-
me. As diatribes do Sr. Gladstone d, nada
serve d Russia, por que a posic'o do Sr.
Gladstone jd nao 6 noni mesmo a sombra do
que era ha 5 on 6 annos.
E' esperado em Londres o marquez d'Har-
tington, leader da opposigio na camera dos
communs, que vai fazer reviver o partido whig,
procurando inauguirar uma political geral civi-
lisadora e moderada, ficando inabalavelmente
fire .is grandes questIes dos principios.
FRANCA
Regressou o marechal da sua viagernm s pro-
vincias do sudoeste, viagemrn que tevo um ca-
racter puiramente eleitoral. A recep.-o nas
diffetentes terras por ondo passou, foi urmas
vezes eitlhusiastica, *ie um enthusiasm pura-
monte official; outras vezes adheriram It elle
as popula Ses ; outras vezes por entire os les
tejos era o marechal acompanhado por gritos
de vivm a reprblica, em lugar das acclamac5es
de vio o ,carechal, que se tinham preparado.
A siUmacio political da Franca continua a
mesma, o president da republica franceza
acha-se injuriado quando na sua presence se
acclama a republicd. E' por que 1 republican
franceza, 6 unea republican simulada, per que
tern Iris monarchicas, pouco constltucionaes,
corn urn president em lugar de rei. 0 governor
Combate a riblica dos republicanos, assim
como os r can combatem a ro:iublica
S.......es terso lugar no dia 1i de
outlb -so o' manifesto do ma-

A t* 0 reino escreve nosso corres-
ponden Aoa
{ A neHicll s important d'entre aq'el-
las de que seO upa a imprensa hespanhola,


6 a que se referee existencia de negociaces
corn a casaR0schild para o adiantamento
das sommas h zssarias para pagamento do
coupon exteri o se ha do veneer a 31 de
dezembrnho proSidno.
( As noticiaS #eebidas de Paris, Londres e
Amsterdam esta6ode accord min que a cota-
Qio de fundo6i#espanh6es tern nelhorado,
apresentando t Udencias para alta naquelles
mercua los.
( Na ultima audiencia dadla pelo Sr. .ilvella
ao corpo diolomatico resident emn Madrid
tratou aquelle ministry corn os reprosentantes
de Franca e Inglaterra, da questho pautal.
SA Correcspondencita de Hfespanha declarou,
ha diae, que estava autorisada a assegurar ter-
minantormente que o Sr. Canovas, na confe-
rencia quie leve em Ageu, corn o duque Deca-
ses mininistro dos negocio; estrangoiros de
Franra), nao contrahio comprqmisso algum
que pissa alfectar, ainda que ligoitamenteos
interesses commercials do paiz, os quaes
tern sido semnpre defendidos pelo governor e
pelos seus.partidarios.
a A irnportante questao dos tralados de com-
mercio esta imais ou menos adiada, nao obs-
tante a c,)uferencia do Sr. Silvella'com os ( m-
baixadores de Inglat-rra e Franca. Parece
que urnia commissao mixta ter6t do formular
as bases, dovendo estas seem submettidas
depois as cameras ingbeza, franceza e hespp-
nhola. Neste caso, so depois de cumprida
aquella fobrmalidade 6 que poderd ser assigna-
do o convenio de que se tern tratado.
( No accord de que se trata devem nao s6
estabelecer-se as bases e as condiqoes do tra-
tado; mas tambem ever as pautas e fixaos
direitos.
S&Ha opiniOes que so pronunciam a favor
d *va accord, em qua se conceda recipro-
IrVatamento de aglo mais favore-


dous onf(os


WaI debati-
inca so e.t--


-0 ana rArica, 6rfarindo w caa nas qte saer-
- Vemde fuundo o eteto e Gibr q o
- tuiWa*avesparA., p d Ae-
STleve partir das proximnidades de Algeci-
ras, na costa de Hespanha, indoateraigar na
- costa africana entire Ceuta e!,a Lt.
s a Occupam-se dos estudos 4esta obra col-
Slossal egasln200 s ispalui e caula-se
que poderA ser feita corn a somma de 4 mi-
- IhOes de libras sterlinas [tWO8,000 contoies de
1 ris fortej.
S Estabelecetado este tunel e o de Douvre a
, Calais, padec-se-ha fazer per terra a viagemn
- de Inglaterra ao extreme da Africa.
,a Liga-se algum Interesse a urma conferen-
cia que ha pouce tiverainm o maraqtrez de la
Vega d'Armijo e Ullia, em que se tratarap
e diversos assumptos politicos corn relaQs0 aos
e partidos constiticinal e eenttalista.
a 0 circulo popular offensive publicou e-fez
espalhar um manifesto de que a autoridade
0 se occuapoiu, ede que a imprensa hespanhola
d tanm tratado largamente. Aquelle docuinento
S6 umaa manifestaCAo politica, que algtmuns di-
zem nao oter alcan.e,.nei -Tgnaftoa& ; mas
e que out* pI teI t oppret oo opi-
s nixo do partido, ou pelo monos, d'uma part
a deHe. Oassampto niao patee ter grandeirm-
SpartAda, no eatretanrt o governadbr ifiAit
Ma4t e ntendou devertditrgir-se dqWella- so-
Sceedee, fazendo-lhe vet que hno 'rde praty2
e caraeot algum politico, por qaanto as condi-
Coes da sua existencia sao puramente de re-
creio.
SO president do circiulo veio a public
Scorn uma carta que concluo corn os seguintes
paragraphos; -
Y (( Corn o intuito de desvanecer interpreta-
1 cSes erradas, queira dar publicidade no seu
a journal as seguintes linhas
-I r Este cirulo, e a sua junta director tern
0 tido e tern a mais perfeita ligaQAo corn a junta
geral director do partido a que tenho a altis-
a sima honra de pertencer, reconhiecendo-a co-
Smo seu chefe natural e genuine. w
0 K A imprensa dispute a declaraclo a par do
Manifesto, e uma part della expioe quo ao
s circulo falta a autorisagho convenicnte, nao
s6 para tratar as quest5es political, mas para
a publicar documents cornm esse character.
a Escreve urna folha de Madrid que se viAto
e rear novas repartiCues liscaes da imprensa,
a ciajo encargo exclusive seni ver e denunciar
todos os impresses quo circularem peltr cor-
Sreio.
S(( Falla-se em conferencias efttre -os Srs.
Castellar, Martos e outros, para so estabtlece-
Srem accords politicos entire os postibilisgts
Srepresontados polo primeira e os radi-
caes.
( A posiqao cds constitucionaes, especial-
a mente diaite do governor, nuao rece star
Sbemrn deftifda; os seus or, ijmprensa
I sustentai. que de part dad Ul po nao
s6 nao ha exigencias -mus ba bemr o
SpensaMento de t#ansco; mans oA'fersa-
Srios pretandem ques ie o exist6ri' aqco fos
definitivos,,tem, pelo menos, havidoL ctiffe-
rencias, ernboma se nato tenha nellas chepdfo
a combinaSea. '
41Ape ar de tudo isto, diz-se que continuam
ainda as negoqd4es parg a fusao entire os
constitucionaes e os ceifralistas.
% Tem-se fallado da possibilidade de urma
luta political para a Otesidencia do corngresso;
mas parece que os batos que a tal respeito
se espalham, sAd destituido-dile fundamento.
0 governor actual dispondo'do apoio incondi-
cional de uma grande maioria, nZio recelaria
essa lata, e neste case os esforgos de opposi-
Cio pouco poderiam produzir contra urma vo-
tageo compact. E' esta a linguagemn da im-
prensa ministerial; no entretanto, os Aldversa-
contar corn a sua maioria, p6de ella falhar
quando menos se espere.
s No ministerio do fomento tem-se feito im-
portantes trabalhos estatisticos para se com-
parar a situagio e.'onomica, segundo a geren-
cia dos differences grupos politicos que tern
estado ,r frente dos governor em Hespanha..
0 governor hespanhol autorisou afunda-
Cao de tres conventos de fades franciscanos
em Ahuago, Arenas de S. Pedro -e Puebla de
Montalvan uas provincias de Ciudad-Real, Avi-
la e ToeLdo.
ft Foi miuito commentado o convite quo a
mai do rei (a rainha D. Isabel) dirigio aos re-
presentantes das potencias estrangeiras, sig-
nificando-lhes a satisfacao que teria em os re-
ceber no Escurial, antes de.sahir daquella re-
sidencia. Segundo as follias ministeriaes a
rainha teve em vista unicarnente apresentar
sues filias ao corpo. diplomatic, resolvida a
ausentar-se logo dopois paraa aua residence
habitual em Sevilha.
As infants D. Pilar, D. Paz e D. Eulalia
icaram em Madrid, confiadas ao cuidado de
sen irmaio .o roi D. Affonso.


SEmilio CastelLar dirigio Ai viuva do Sr.
Thiers urna sentida carta do pezames.
( Falla-se em reunites dos carlistas em Mont-
ceny, na Catalunha. 0 governor esta decidido
a reprimir corn todo o rigor qualquer tentetiva
que tenha por fim alteral a ordem de que o
paiz careco para se restabelecer do estado em
que o deixaram os abalos e perturbaQces por
que passou nos ultimos annos.
POATUGAL
Deo Lisboa ecreve nosso zeloso collabo-
rador em 23 de setembro:
(, A brilhante recepAo feita ao Sr. Francis-
cisco Pereira de'Mello pelos seus amigos o
correligionarios, no seu regresso a Lisboa, a
21 do corroente, 6 o facto que mais tern cha-
mado a attencio public nests ultimos dias,
e que de eerto fornecera them por algumnas se-
manas aos jornaes de polemica. 0 certo 6 que
foram de Lisboa mais de 500 pessoas, en'tre
nares, deputados, funccionarios publicos jorna-
listas, capitalistas, banqueircs, negociantes,
ofliciaes militares e doe marinha, etc., etc.,
n'um comboyo expresso at6 ao Entroncamen-
to, vindo n'outro comnboyo urma grande cornm-
missao do Porto, outras de Brga, Guiinartes,
Villa do Conde e Coimbra, achando-se ao todo
um numero superior a 600 pessoas.
( A' Radajoz tinham ido esperal-o os Srs.
Pedro Itobuto Dias da Silva, Ferreira de MIes-
quit.a, Diniz, Ganhado, todos parents do Sr.
Fontes. Poucos minutes depois da chegada
ao Fitroncamento-(a meia noite do 20) veio no
comboyo da Fronteira (Badajoz) o Sr. Fontes
Pereira de Mello.
( Ao passer o comboyo por Elvas tinham
ido 6 estaQ.o cumpritnental-o o governador.da
Praga e officialidade dos corpos daquella guar-
nico ; em Santarem tambem alguns officials
superiores se achavamrn na estagAo para cum-
primentar o illustre estadista; na estaAo da
Barquinha o general Sa Carneiro e Mello Brey-
ner e outros officials que se acham no campo
de manobras (Tancos) forarnm esperal-o a esta-
Cao para o facilitar pelo 'seu regresso a Portu-
gal, depois de ter sido object das mais dis-
tinctas attengoes nas costas estrangeiras que
ultimamente visitou.
( No Entroncam'ento estava servida a ceia
pora todas as pessoas que tinham ido eumpri-
mentar o Sr'. Fontes.
( -0 expresso por6m 6 quo nao p6de voltar
dalli as 4 aa madrugada, *omo se havia del-!
berado, porquanto um descarrill, .,entv n'um
dos pontos da linha, no sitio d9 Valle da No-
gra proximnlo de'Matto Miranda, fez corn quo o
elpresso so atrazasse de tal modoique s6 che-
gou a Lisboa perto da note. Na gare do San-
ta Apolonia, mais de.3,000 pessoas esperavam
o insigne estadista e as'pessoas que tinhamni
ido recebel-o, e que o seguiram emmaise de 300
carruaens. '
SNo Entroncamento entire mitulitos apertos
dle mao e cordiaes felicitacdes, houve alguns
% 8 tuwohegoue u. -Capital
I** -W A. "'Pdro ui. 4 -Os:


* mat dfgltIIad Bldc*qlm i i
miradores do Sr. Fontes, occasion d Ihe sig-
nific ,s -e miBdoMU ctive 9
qpe B!i ql|
Umrndos melhores escriptos qua 1 4-
,tm. Uoag recem-chegado, refeoin4o-se ,7 sua, i
diz: t Ghega dl ewtrt iro-; 'IO, 1 ,
estudou ; e paiz aistlade sab bnef-
cios que esta via-eralhe.ha de traer foil
urma viagem oe dilletanti; nem a a M
para isso; foi sim umra viagem w t e
A par desta 41044a poU4io d4
partr eaut ra tOIVU
t! Erat a M tf yra !)ar #stivlx a&
na national vl a, tern a chiroica deo irir se
a essa outra peregrinaQAo melancoliM e tris-
, tissima, porioo inamerosa e mode Ue sa
abalangou J4b6a ae etnigwio rqla Azoia,
* debaixo de um sol ardntissimo ns".ivaes
Sde Santaremi, para irprestar centre Igir-ima
Sas derradeiras homenagensAev e ir a
ouitra gloria portugueza da -
vida neste seculo.
', Foi limitdo o 00 -a-
dos de Alexandre Herc as-
I 1tir-ao seu ftineaia. ,
r f Po i- f daci tva a 4tW t dte 4e
LisbOa, 6 que e8 rtf aG4, M <5
dores do insigitae hi itdor 't
foi para depositar corn Yeear teJ feBreana
cor6a symbotica sobrl'b fe0* tftlmilde do
grande philosophy Monastiu*M" ^ -P1'l
ti Eis umra dentre muitas na"'rrOft daquel-
la imnponente dospedida funebr "il me per-
inituio extrahir d6 uma des folha *aifIiLsb6a,
que alli se fizeramf representar: L
a A's 3 e meia da manhai deafnte-bontem o
comrnboio expresso offereoid6 petd tverno,
conduzio a Santarem'bsSrs. gerieat Canla.
representante de sua maggsftade 01-rW; Pedro
Arcos, representante de sua mag ae a rai-
nha; conde de S. Thiago, reptes ttit do Sr.
D. Fernando; conselheiro Mexia 8aINna, re-
presentando o govern; Antotao Ugisto de
Aguiar, vice-presiderte da acadeihiia, obs aca-
demicos Martins Ferrao,'Jose ffftal C)uto
Monteiro, Teixeira Arag&6, Jos6 -PUib Rodri-
gues, Motta Pegado, -'Ecnesto B Ie&m'os Srs.
condes de CasalrJibeirL eonsfeMWCarlos
Bento, Souza Tel:Ms' Ulpio Veiga, .14"0 Pires,
Arbues Moreira, Mendonqa Co G"st idriano
de Seixas, Breton y Vedra, G atjw" i Almeida, e alguns representtt"i Oivlisa-
f-o Popular e da fabric Ind K 9eikL,
I A imprensaCIa assim rredes : Cor-
respondenota de fortutaIFei|, 1e db`'aflho,
e Gaetano deCafvalho; -;Dae +'iasGar-
cia, Teixeira Simoes e Antonio f '.fitano
da Manha, Gervazio Lobato; Dario yNoti-
cias, Eduardo Coelho; Jor'nal da NWit 1Ferrei-
ro de Castro e Figueiredo- Pro' .Josts
Pinheiro; Reoot ere t& Mp(m&bro,0i a Be-
lernm: D iarioIti sm.V
o Quando o`o ieibioehgIMft 4 Af qwf
Ribeira As 14 I 5reia, aeh l-se i bKS
Sgovwrnador 'c4'4WEtMiti6oto re &r do
Diarto de Notids, .te haviam 4 at d ar-
ranjar mio deo, Pe3 da
imprensaa. N o /a ,pe* -
psjmchay'-d'ill^^^^ f
Esta escass e' `sdoe trIMtrte fez
corn que os vial nte6s t5rnem 7&i dir-se
em dous turnos, espern'do o segutfftdue re-
gressassem da Azoia Os Vebfteos, iat 6, que
elles tiveslem pervcorido 12 kilometiO entire
ida e volta.
SOs que miam prestar o.rnagem Aimemo-
ria do grande historiador, frigiram-*sa Val-
le de Lobos, afim da dAr pezames -M ava de
Alexandre Hercultano e deals' famillnjeAcum-
P nhavnrn a vilrra nhitraa m L '5
-ato.
q Passou-se depois a igreja da Azoia., que
umrn temple muito-pobre, situado n'uma eleva.
eio. 0 feretro assentova n'umna modestissima
e.a. J alli haviam chegado os Srs. duqte de
Palmella, marquez do Sabugosa, A i. Dan-
tas e os Srs. Ferreira Lobo e 'Data.,a racho,
do Diario lilustrado, bern come tSpresiden-
te da camera municipal de San taeoi; um ye-
reador e alguns habitantes d u ffia cihfe.-
Os Srs. Jose Bastos e Joao Maria Galha[-do,
cumpriram a dispesiyo testamentaria, acom-
panhando ate deseerem a tierra, os restos mor-
taes de Alexandre Herculano. No adro pres-
taram ao finado as honras funebres o regimen-
to de artilharia e um destacamento de caca-
clores'G. Toda a oflicialidade do artilharia 3,
tendo percorrido a p6 6 kilometros e sob um
sol ardentissumo, tomava parse na homena-
gem prestada a memoria do illustre van'lo.
Celebrou os officios funebres o Sr, prior
da freguezia-Povoa *de Gallegos, acolytado
por outros saoerdotes.
< A eca era ladeada pelos concorrentes corn
tochas. Findas as eremonias religiosas, f o
caixSio, sob o qual havia sieo collocada a cor6a
offerecida pela imprens'a, conduzido para o pe-
qudno adro onde esta o tumulo do general
Gorjao. Pegaram as borlas do caixao os Srs.
Mexia Salema, conde de Gasal Ribeiro Martens


Ferrao, Antonio Augustu de Aguiar, general
Caula e Eduardo Coelho.
Eis alguns trechos do improvise do Dr.
Elias Garcia 4 beira da sepultura de Alexandre
Iterculano:
;\ Em nome da imprensa depozemos aqui
esta coroa de saudades e perpetuas.
i< 'oscobrindo-nos diante d'este corpo ina-
nimado, rendemos a homenagem da ,ossa ve-
neraCao ao espirito que o d-asamparou.
( Alexandre Herculano resplandece hoje
corn o brilho dos cidadaos illustres e prestadios
para a histori.ai da nossa terra. A posterida-
de, qae comiea para elle, apreciari os pre-
ciosos fructos do seu lavor. N6s aqui juntos
'la sepultura, nao sei se muitos, se poucos,
ia sepulture qut nol-d vai esconder as nossas
vistas.-e roubar aos nossos abragos, rmal po-
dlemos center a d6r que nos causa a sua perda.
Mais tardo, quando a nossa voz poder soltar-
se, rpetiremnos este nomrne coin eterno agrade-
(cimento, pela licao que elle nos deixou ; e co-
ino aprendemos a devassar os segredos ainda
nao comprehendidos nos seus escriptos, por-
quo a palavra dos espiritos superiors s6 se
vai comprehendendo aa media que as gera-
cos sobem as cumiadas, em que elles pri-
ineiro pairaram.
Nao memoro os seusfeitos, nio aprecio os
seus trabalhos. a dobilidade-das mninhas forgas
nao o consent; faltam-nos as palavras para
(xprimir a nossa maguai.
( Alexandre Herculano-Lisb6a que foi teu
herCo envia-t) o ultimo adeus.
(( Recebe tambem ss rnossos adeuses-histo-
riador que desentrabbhhasle dos archives os
t rabalhos dos n 'ssos ma0iom; escriptor que
enriqueceste a nossa lin lia. comr as joias da
tua prosa, virile inaotmpadavel; jornialista qpe+
inilitaste eitre os c, ampees mais esforcados;
revolucionario do pensamento*; cidadao pres-
tante que nos deixaste'os mais. bells exem-
plos do isengio; ihomem de costumes simple
E: austeras virtudes, sobretudo porque a vir-
tude 6 o uinico pedestal em que podem erguer-
se os espiritos tocadQs pela scentelha do genie,
'estinados a illuminar atraves das idades, os
horisontes serenos e limpidos, em que fulgura
sempre a admiralao daas geracOes, que 6 a sati,-
(lade dos povos; saudade intimna, slncera,eter-
na consagrada por. elles aos que os levantam,
e Ihes inscrevem o nnme no livro de ouro da
historic, sem Ibe rasIar as entraihas, nerno
derramar-lhe o sangua.
08 r. Antmaik Augusto de Agniar, vice-
l)rosidente da academia Teald4asjicias orou
lambem, e por tal fourth o fez a'rrebatoa
de enitlaiasal. a quantoas o o
-- Pvnnoidio u t inaom "atvMS,


formaQoes a asaerd
0. Acerca da dade de
e do viver do e Isto-
'Oque se lia ba diuit4 correspon-
-CRmmnwio do Potto:
S A asa que elle proprio' mandAra
a no gostt4to aas m-
p0, umrjlihn um frmte,
as1 que davm wan u i jar-
in olival, 40 68a a -H-
propriedade.
de d Io principal rame u us L-
de d que abri sob* esse a-
al. S se urm coitor, selp-
inete fubalho ,e qut
.o Sr. eira, seu cunhado, home
o stmito, hoe alli ,l trevado e
&oJpftfntos e ilvisos. 'HavIia katn-
IJ M Iim a +jella.,ue elle rman-
dara construir lfara offerecer as devo-
Oes de4sua spsa.
( Em -aixo bfava a cosinha e outras
diviseg,: no extbtmo do editicio, uma
casa em que moravam dous caseiros
antigos, -que atfopriedade tinha, quan-
do elle a cboproau e corn os quakes vi-
:eu como de lavrador para lavradores
e que bebiam os areas por elle. Alli,
daquelle lado, era o lagwr emn que se
fabricava o azeite de que elkle fez uma
das suas glorias, e a que deu o seu
nome.
S 0 seu gabinete tinha a vestir uma
as paredes, uma estate branca, em
ue haveria cerca de 2,000 volumes
bfOlhidos e outros de estudo : alguns
oetas, rmo Byron e Milton, pensa-
conio Victor Hugo, historiadores
o Guizot e Michelet, publicistas e
juisconsultos, predominando os livros
S0direito social, boletins das acade-
mis, obras em francez, inglez e alle-
mag.
mtA um lado estava a mesa de tra-
balo, d'abas, tendo ao centro um tin-
teir de estanho, corn pennas d'ave.
Da Oarede pendia'um grande thermo-
metio c Barometro modern.
SHIlavia dous retratos ; um era o de
Shares de Passos, colorido. Era urma
predllecef,. Ontro era o de D. Pedro
V, a oleo, sobre o sofa na sala ; signi-
ficavam duas arqisades vivissimas do
hostoriador.
S Sobre a mesa estavam alguns li-
vros e papeis em desalinho : livros al-
lemdes, folhas soltas. do Panoramno,
onde elle borrigia alguns escriptos seus,
urn volume dos opusculos, livros em
allemro e inglez.
c Tambem tinba no gahinete o retra-
to de:`Ratialho d'%W do diccionario
comprado pela academia.
'Nste Acffidcod retiro elle trabalha-
va horas deternminadas, tendo ultimna-
mente ao seu servigo, como secretario,
Spara Ihe ler e escrever A noite, um
mogo prof-ssor de instrncWo poiaria
da Azoia, que entrava ao ariditecerf e
sahia habitualmente As 11 hoasL .
-4Htw.culano, que at|ftiaq -proprio
ser e rnos seus habitog'se esforcava em
rostaurar as genuinas tradioies nacio-
nles, no que ellas tinham ,e born,
amava os ocios da lareira e eram-lhe
convivas muitas vezes os seun caseiros
e quasi sempre o seu amigo e college
lavrador de |(anhes, o Sr. Pauline a
(uanha e Sjl*, que tambem assistia a
muitQs dos seus trabalhos.
( Este senhor .e os Srs. Santos, ad-
mitiistrador das propriedades, que alti
perto tern o Sr. duque de Palmella, te-
iente Galhardo, sobrinho do historia-
dor e Jose Basto, da Torre de Tombo,
seu companheiro e seu paleographo
n~s trabalhosas excursoes pelos carto-
rios e livrarias dos corventos para pro.
curar elements para a historic de


Portugal, foram os seus enfermeiros
dedicados na mortal enfermilade, au-
xiliados pelo creado do quarto, que
era d'uma dedicagao digna de louvor. ,
SA associago conTiercial do Porto
vai celebr r per meio de subscripgao
exequias solemnes ha igreja da Lapa,
por alinAti de Alexandre Herculano.
S Se o product exceder o custo das
exe.puias, sera ao excedente applicado
nabreacao de uma escola.
c A redaea.o do Commercio Portu-
guez [do Porto] e varias outras cor-
poragde3 tern ja roandado dizer missas
por alma do grande escriptor.
(( Um telegramma de 19, da Bahia,
transmittido pela agencia Havas infor-
mou a imprensa de Lisboa da grande
reunido que houvera no Rio de Janeiro
ao saber-se alli pelo telegrapho que
fallecera A. Herculano, e da qual re-
sultou uma proposta'do visc.onde de
S. Salvador de Mathosinhos para que
se celebrem naquella cidade exequias
por 'alma de Aleandre Herculano, e
que se abra umra subscripgao public
para elever em Lisboa umn inoanumento
Garrett e Castilhio e Herculano.
( Bern hajam os que tao nobremen-
te comprehenderam que prestando a
memorial essess tres grandes vultos
litterarios igual preito, symbolisam no
mesmo testemunho de saudosa vene-
ragao quanto esto convencidos de que
desw.js tres grades escriptores partia
a fecunda iniciativa litteraria no seculo
actual para a nossa litteratura commum
portugueza e brasileira.
C( 0 vereador Antonio Pereira Cerze-
dello, da camera municipal de Lisboa
propoz para se collocar o busto de
Alexandre Herculano na sala das ses-
saes da camera. A vereagao langou um
voto de sentimento na acta da sna ul-
tima sessao pela irreparavel perda que
Portugal soffreu corn o fallecimento do
grande escriptor.
( 0 mesmo fez a camera municipal
de Santarem.
(( Os artigos necrologicos da impren-
sa hespanhola :@ow referencia ao final.
do Alexandre He-alano sao mais urn
documento da illoftaQ e imparciali-
dade com 'queaiTmpO fsa d'aqu.elle paiz
trata flnos0s.. cousas.edos nossos
horn '. ,igentes.
(IPAeipi oo assentamento da pou-
te dn 4r-ro sobxq o rio LrhnaA Aquetto
iimonsaMole se"uio ja uns 25-fa
e jA ficoun proxima do pilar epntro.
Proseguem s t ..ba ."o=la;f
asentados dous dos. j


VtranviAs d1W
CE Csa Cs& cA vendb* a r
panhia do prf i18dbrd| deo Ltsb6alo-
comotivasder de1 typos, uria de 140 e
outra do -%00-[dli.t ro dos cylindros]
proprias mvi nas tranvias de
a" coz i ,trae-o
*.eA casa co% uctora 6'inrQBft
na fazer por iua cota It feiipmck
das machines.
c No dia 18 asfolhas de ,Lisbda pu^
aram urn m Wegr'mnrali-o S t.,iT
hra da Silva, dirigido 4& ilhadi S.
Iente, dizenwo que o exploradorStane
i( descobrira A origem dooio Zaire e
se achava em Loanda; noticia esta de
icrta importawiia geographic e que
rliaa tlar como achada a resoluao de
um dos maisZraves problems em que
os geograplros tern empenhado os seus
mais ardentes esfornos.
. Ora esta noticia causou espanto,
.porque, segando as ultimas informa-
95es, Stanley estava na regiao dos la-
gos, estudando'ais relagdes do Tangani-
ka corn osoutros lagos africanos. Stan-
ley 6 o correspondente -de, New York
Herald, corn cujq auxilio viajou nos
sertoes africanos.
Foi elle, que, quando estavam perdi-
das as esperanas de encontrar Livin-
gstone, por 6rdem do proprietario d'a-
quelle journal, foi de Paris ao centro
d'Africa levar soccorro ao atrevido ex-
plorador africano e trazer ao journal, de
que 6 correspondente, noticias d'umna
originalidade e d'urn interesse incalcu-
laveis. A despeza feita pelo journal ame-
ricano corn a primeira expedig.o de
Stanley foi superior a 20 contos de rdis.
0 resultado dessa viagern tho audacio-
sa como feliz, encontra-se descripto mi-
nuciosamente n'un livro publicado por
Stanley corn o titulo de How find Li-
vingstone [de.como achei Livingstone.]
(Acaba de se organisar em Lisboa
niuma nova companhia de seguros, de-
nomLnada Tagas, corn o capital de 200
contos de rHis. As acg5es, que sao a
10$000, foram de prompto tornados
por alguns negoiantes e por quasi
todos os proprietaries de fragatas do
Tejo.
S((Atd agora as comrnpanhias de segu-
ros ndo tomaram segurs sobre barcos
de qualquer denominagao dos que fazemn
no rio o service de carga e descarga e
outros transportes; e por isso que se
fundou esta companhia especialmente
destinada a preencher tao sensivel fal-
ta.
(( Por decreto de 15 do corrente foi
provisoriamente estabeleeiS junto do
curso superior de lettras 'urn curso de
lingua e litteratura saoskrita vedica e
classic, send et,"6,aurso distribuido
por tres annos. As.condigdes de ad-
rnissao, frequenka e exams dos alum-
nos serfb opportunarnente reguladas
pelo conselho do -urso superioqrda
lettras, coi prdviajapprova~ao do go-
verno. O'-tvw^hih o do professor que
reger ete&ixw~o i c1e 600$ annuaes. '0
governo . c6rtes, na proxinia sessao legislaliva,
as disposi(oes deste decreto..
( O curse 6o seguinte:.
l.o anno--Elernantop de gramma-
tica saoskrita e trechos clasaces exclu-
sivamente.
Alternarlanente trectlos classics e
exposicao das rela05es ethuicas e lin-
guisticas da India antiga e da Europa.
t 2.0 anno. Alternadamente: idea
geral da litteratura saoskrita das 6pocas
vedica e post-vedia ; explicatio do dra-
ma saoskrita e prakrito Schakuntald,
pela edioao de Pischel.
(s 3.o anno.--yrymnos vedibos exclu-
sivarnente.


c Alternadamente: hymnos vedicos,
e, como estudo do desenvolvimento so-
cial na India antiga, formato do Bud-
dhismo."
S((Foi nomrneado professor desta cadei-
ra o Sr. Guilherme de Vasconcellos
Abreu. E' um cavalheiro muito estu-
dioso, que te(lo j4 profundos conheci-
mentos destas materials, -foi para Paris,
onde se demorou dous annos para as
continuar e eompletar, o que fez corn
grande assiduidade.
Por sua erudiAo e talent esta
muito nas Circurnstancias de desempe-
nhar-se do cargo por umrn modo brilhan-
te. 0 Sr. Abreu foi encarregado tam-
bena de coordenar e escrever urna
grammatica de lingua saoskrita, e uma
chrestomattica para servir de texto ,s
licoes.
(( Hoje realisa-se na capella do En-
carnadouro, junto dos muros da matta
do Bussaco, uma festividade em accao
d'e gragas pelas victorias alcanigadas
pelo exercito portuguez contra os sol-
dados de iapoledo Bonaparte; durante
a guerra peninsular. Espera-se que o
Bussaco tenha extraordinaria concur-
rencia de visitantes, porque ao "senti-
mento religioso alliami-se naquella so-
lemu~dade recordaqyes patrioticas das
mais gloriosas para os portuguezes.
(( 0 Sr. Antonio Ennes, author dos
dramas os Lazaristas e os Engeitados,
tern outro protnpto que se intitula a
EinigraCdo.
No theatre Ld D. Maria II tem-se
representado nete3 ultimts dias o (Cu-
nhado, de H. BAaUo4' euja execu-ao
tern sido muito festada.
0 ( Fallecen hapo3ucosdias e.m Lisboa
o Sr. Joaquini Francisco Fernandes, de
58 annos de idade, poucas horas depois
de ter casado corn urna menina de 20
annos, sua sobrinha. Estava de per-
feita safide ; foram os noivos a igreja
receber-se, e quando se d(ispunham a
ir celebrar a boda para o campo, o Sr.
Fernandes expirou de more subita.
(( Foii daberto o teska!hento; entire
various legados, deixa ,i Santa Casa do
Part' '200$. Lega o restate da sua
meiacio, e depois de satisfeitos os- en-
cargos do tdstamento, is sobrinhas Ma-
ria e Candida, lilhas de sua fallecida ir-
md Maria, as quaes .terio o usofructo,
fir de ue, peor morte-deHas, passe a
eus fsilly. NoScaso d'alguma fallecer
SeU4 ahios, poderai dispdr de mnetade
do 6galdo ; corn a outra metade, no
i4ssi1 ter.19gar, se constituirA pa-
40srir um a a-r
;aaa I bom m tre


t,= ~aes da. r~
o utiaente 00Mrentte
na iav"WO d'uma ,mosu4 0 ]iI
-nosa, ptjos estragos prftai
erem poucas horas.
S0 Campe& (4dAvm)i
dias o seguirite
(( Esta a morrer, no Pinheiro d
posta, um negociante de court -
verando-se quea or causa da el
ra d'uma mosca branch,. do ge
que jA fez estragos em Ljira. le
insecto venenoso parece querer iaad4r
o paiz. ....... '
Tern apparecido mItiiameTi mnas
freguezias da Branca, SoMea ,iknheio
da Bemposta, sempre da di-h.&o do
nascente. Felizmente ainda .e ratra ; e
o inverno, que esta a visitar-nos, ha de
incumbir-se de a exterminar. Em todo
o caso um canivete e um vidrinho d
amoniaco ou cousa de' iguaes effeitos
no bolso do colete 6 convenient. D
(( A commissao executive da exposi-
gao horticola que deve verificar-so- no
palacio de crystal, do Porto, no dia 7
de outubro proximo, esta activando os
seus trabaihos para a expostIio. Al-
guns governadores civis troIm nandado
pedir.programmas, ecre 4b e .tencio-
nam promover nos seus districtos a
maior concurrencia de expositores. A
commission dirigio-nse tadribem' a todas
as cameras inua0paes d reittor.
I Morreu o leit da EstrelW, entida-
de que desde raol de 1869 alitmentava
em Lisboa a insaceia de todas as
aias de meninos,ios s1oldados que the
fazem a c6rte, e das propias criangas
que eranm levadas a passeiar aquelle
jardim public. 0 leao substitute ,o
legendario papdo para amiedront4tas
criangas rabinas ; c comtudo e
offensive e fazia d6 o pobre qu...+
de solitario, ja se v 6, muito beut. r-
rolhado na sua jaula, corn dupicada
gradaria de ferro. ,
<( Morreu d'uma febragatriea, lendo
sido cuidadosamenre tratado por um
veterinario dos melhbres.' Aprovpitou-
se-lhe a pellet, e vai iIfurar empathado
no museum.
a Falleceu ha dias, no seu palacio '
de S. Lourengo, a Sra. D. Mogie L-
ma, irma do marquez de PoI e ie .
ma, e dama que foi da Sra. itata D.
Isabel Maria.
,( Installou-se no Porto a associaao
humanitarian do infante D. Augusto.
S 0 Sr. Wagel Russel, director de
um, acreditado eollegio em Lisboa, to-
moefrminiciativa d'uma loterit otirifa,
Vuja extraegao se devera fazer erl878,
pelos numeros daloteria da Santa Casa
4ie Miserioordia. Dous tercos das en-
-tradas, que sao de 8:0005 em bilhetes
de 2$, sao empregados em premios
(tantos quantos costumam ser os pre-
,mios 'da lotefia da Santa Casa), e o tert-
go restante sera empregado na compra
de livros para distribuir aos meninos e
meninas que frequentam as aulas pu-
blicas e particulares do district de
Lisboa. A idea parece excellent; o
que me parece acanhado 6 o fundo da
rifa, pois dando grande incommodo a
passage ou collocacao dos bilhetes, o
remanescente do que se emprega nos
premnios nao acode corn largueza a
grande falta quo em geral as criancas
pobres sentem de comnpendios para os
seus primeiros estudos.
0 Sr. Serpa Pinto, da expedico
scientilica a Africa occidental .|portEu
gueza, escreveu do Cabo das Palmae
umacart-a em 24 de juiho ao Sr. Lu-
ciano Cordeiro, de que varies jornaes
de Lisb6a e Porto tern extrahido alguns


periods mais interessantes. Eil-os:
S Chegamos.a Cabo das Palmas e
eu fui logo a terra a v6r se poderia ar-
ranjar carregadorIes, pelo menos uns
50, mas foi sem resultado o meu esfor-
go. Os inglezes teem intrigado isto aqui
na Liberia a tat ponto, que nakpoes-
sivel obter colonos para S. Theme
nern para possesses portuguezas.- 'Se
eu tivesse podido aqui obter os earre-
gadores, era isso de uma grande van-
tageni. Soube queos 0posso obter. em
AcrA ou Cabo das Tres Pontas, e' tal-
vez tente ainda vir a esta costa, a v6r
se os obtenho, porquejAi sei que ps nao
arranjo em Angola.
( Se eu tivesse trazido aiiher, Uti-
nha mandado um home hoje me at
arranjar-m'os, mas foi-me impossiyel
por nao ter quantia sufficiente para
isso. OCcommandanteoTito, do vapor,
offereceu-me para demorar o vapor e
levar os carregadores, e fez commigo
tudo quanto pode para me ajudar, mas
nada pudemos fazer em terra. -
( Esta definitivamente oiganisaAt a
companhia paraa construceao e explo-
raCao da via-ferrea de Lisb6a a Tortres
Vedras. Sao installadores os Srs. Anto-
nio de Moura Borges, Augusto Saraiva
de Carvaiho, Bodo Presoler,, conde de
Magalhis, Francisco SimOes Carneiro,
Josd da G a Pedreira, Luiz Manoel
da Costal; oel Iglezias, Manoel Joa-
quimr Alves TWniz, visconde da Abriga-
da e outros cavalheiros. .
f, Mdrreu em Lisbda : telebre ve-
lhareia (vendedeira de fructa) da praga
da Figueira, conhecida pelo nome de
Maria Gorda. Era tal t sua obesidade,
que todos os dias a transport do
lugar para casa a pau e corda:' l a
n'um: cadeira por setr este~o svJi
de locomo0ao que preferia.
( Ainda nao tiveram resolugao defl-
nitiva as negociag5es entaboladas comr0
governor britaunico para levar a effeito a
linha ferrea te MornugAo na India Po !
tugueza. *1*
A--sociedade.protectora dos Anil,"
de Paris nasua sessAo publica.anvtlf
conceded tima medalha deo ve r
Sr: L" Sabino Eleuterfo de 8+ %


4--

























sa qut "t 4eiwaram fo.
.^ B^SI88inte$: ^-Belgica0 Brasil*
o anburgo, Esados-Uaidos,
kJran-Bretanha, Hespiha, Hol-
ixecia, Nofuega e-Terra-Nova.
xpoitadores doe mais de 100
aoa os Srs. Hoope Brothers
1deman & C. 208, SilI d Co-
tolW, Cockbarn Smithes & C. 150,
e ,JGraham ia C. 142, oMffly Craam-
-A forrters 127, Clode & Baker
f l 'F. CQi* o Filho & Silva 109, e
T oa $t Sandeman & Filho 101.

8vo*i0a Bipe e de Ala-
goas
Pelo vapor brasileito S,. Salvador, recebemos
"rnaes 4do AracajO atW 27 de setemnbro e de
|kceWA6 5 do coprente. Eis o que delles
SERGIPE
A camera municipal da capital procedeu
puraClo dos votos ara deputados provin-
ciaes, a quail Jeu o seguinte resultado :
1 Coronel Joao Dantas Martins dos Reis.
2 Padre Vicente Fermira Passes.
3 Dr. Joao Telles deo fnemzs.
4 Major Eriso Pretexatoa Fonceca.
5 Dr. Pedro Antcdiode fiIeiraRbeiro.
6 ManoelFui o de Otiveira.
7 Capaio HeIecio de Mattos Telleg.
8 Tenente-ooirnel Luiz Anlonio da Costa
Ne lo.
9 Brao Cardose
10'WCitao Joo steves Lima.
11 Hetm negildo Jos6 P. Quimarles.
12 Dr. Dionizio Rodrigues DoJtas.
13 CapitLAo Franci6o-Tcaii& de Faria.
14 Francisco Martinlho de Ffeitas Garcez.
15 Capitao Leonclo Barreto. *
16 Padre Jos6 Antonio de Vasconcellos.
17 Tenente-corond Pedro Alexandrnn de Sou-
za Telles.
SAntonio Pedro deSouza Marques.
Glilberme de Soata Campos.
r Tertuliano M. de/'Mesquita.
le Jaoio Francisco de Mello.
no do Prado Pimente!.
' oJlo Gomes de Mello Menezes.
suino Jos4 omes.
*ava-se, na capital, de volta do Rio de
Janeir 'a Dr. Leandro Ribeiro de Siqueira Ma.
ciel, deputadc A assemblea geral.
A4loja maconica Gotinguiba promoveu
urea subscripgao em favor das victims da
seeoeas provincias do norte, a qual produ-
ziol:i49$, quantia que foi remettida aoconse-
Iheiro Saldanha Marinho, para dar des-
tino.
A se4u pedido, foi mandado si'bmetter a
conselho de investigagAo o capit&o Theodomi-
ro de Melo Barieto, ccmmandanie da compa-'
nhia fixa.
ALAGOAS
A presidencia da provincia convocou a
assemblha provincial, que tern de funcciohar
no biennio de 4878-1879, pare o dia 15 de
abril do anno vindouro.
A subscripcao, para a fundacao do isylo
de orphais desvalidas, eleva-se a 11:601$110.


PENAIBIICO
REVISTA DIARIA
Jury do Recife- Foi aberta a sessko no
sabbado (6 do corrente) corn a assistencia de
* 37 Srs. jurados. Foram sub uettidos a-julga-
mento os r6os Felippe de Santiago, escravo do
Dr. Manoel do Aragao, e Luiz de Franca, escra-
vo do D. Anna Bandeira Roberto de Fraga, pre-
sos por terempraticado, pelas 7 horas da note
do dia 1 de juiho de 1876, na estrada de Joao
de Barros, jerimentos na pessoa de Manoel
Antonio de Barros ; pelo que foram pronuncia-
dos no art. 205 do codigo criminal.
O primeiro reo tove por advogado o Dr. Jos6
Lopes Pessoa da Costa e o segundo o Dr.
Olympio Marques da Silva. Em vista das de-
cisues do jury. foi julgada perempta a accusa-
q;a e o Dr. juiz de direito appellou desta do-
cisaio para o tribunal da relacao.
Hoinicidi--No dia 24 do mez ultimo, An-
tonio Teixeira ssassinou corn um tiro a Joan
Felippe Nery, no sitio Recruta, do disiricto de
Gabelleira, termo do Bonito. Evadio-se o de-
linquente.
Roubo-Na madrugada do. dia' 29, pehe-
traram ladroes na casa de Virginio Veltiso


Freire, no district de'Timbafiba, e de urma
caixa que levaram, contend uma outra me-
nor, as quakes arrombaram a 20 passes de dis-
tancia dalli, roubaram o que a caixa menor.
S continha, seis conto5 de r6is em dinheiro, e
mats de umrn conto em prata, joias de ouro e
brilhantes.
Afogado-ErnEm 3 do corrente e no district
da Itapissuma, termo de Igaarassci, Pedro Va-
leriano Ferreira de Mello, indo banhar-se no.
aQude Peri, afogou-se, apparecendo o seu ca-
daver 24 horas depots, bastante decomposto.
Cadaver-Foi encontrado, em 3 do corron-
te, no rio Gapibaribe, junto ao port do Las-
serre, freguezia da Graga, o cadaver do hes-
panhol Manoel de tal, que era feitor do sitio
do Sr. comminendador Henrique Bernardes de
Oliveira.
Mettendo-se elle em atravessar o rio em urma
can6a, naoa. obstante achar-se embriagarlo, foi
ter a agua e ahi ficou asphyxiado por submer-
sao.
Falleclmentos -No dia 5 dq corrente fal-
leu, victim de antigos padeuimentos, o tenen-
te honorario do exercito Miguel dos Anjos de
Alfteida Villarouco, natural dtsta provincia.
Era ainda moQo, o ornavam-lhe o peito di-
versas condecoragSes, ganhas fna campanha do
Paraguay, onde de distinguio.
0 enterranmento do seu cadaver teve lugar
no dia 6 pela manha, send o corpo acompa-
do por muitos de seus colleges, alem de outros
que lhe oramin amigos na vida.
No mesmo dia 5 falleceu tambem, em sua
residebcia, na Torre, sucumbindo A urna phty-
S sica pulmonar, a Sra. D. Blandina de Albuquer-
* que, esposa do nosso amigo o Dr. Lydio Maria-
no de Albuqu'rque.
Era ainda bern joven e ornavam-n'a quali-
dades miuitos apreciaveis.
0 enterrainento do cadaver teve lugar pela
manhi do 6, comparecendo ao acto muitos
amigosIlo iicansavel esposo, a qu- apre-
.4 sentainos nossas condolencias.
Poucos dins depois de ter d. o por-
to do Recife a barca portuguea gna, que
se dostinava a Liaoa, falleceu a U:u biirdo o
Sr. Bizilio Futado, feitor coiferente
S da nossa alfand ia procurar melhoras
S aos padecinento l llcos que soffria.
Para o sul do imperlo -Corn 3 embar-
cados em nosso port, levou o vapor francez
Paraud 285 passageiis.
InstitlUto dos Professores de Per-
nam b P-Realisou-se no dia 4 do corrente,
a reu assemblea geral f'essa sociedade,
so esidencia do professor Simplicio da
Cribeiro, e corn assistencia dos professor.
res Valois, Benjamin Constant, Baudel, Felix
Paes. Gemniniano, Manoel Roberto, Vieira de
S Barros, Izidoro, Hollanda e Fonseca e das pro-
i-fessoras D. Claudiana Nativa, D. Joaquina das
S Merces, D. Maria Christina, D. Amelia Quintal,
D. Luiza Baptista'e D. Amaliade Bartos.
0 imi. eio dia o Sr. presideate abrio a sessao,
-I$v riando ser o fim della tirtar-se da appro-
'A;|o1 dos estatutos que tem de roger o losti-


conta de dous
iria Candida da


cios. das


`It1ves, Irmalo & C
Luiz Antonio d Siquera 2 :oio0
Lvra, Bernarlo C. 4.5
Franclsco Gonpives Thre 1:03240D
Fernandes, Camneim & C. 800
Bellarmino Gonaulv-deAlbuquerque 700PD
Domingos Jose da Cuaba Lagos 6
Pinto Alves & 6078
Lins IFilho & C. 48
Parente Vianda & C. 466,#009?
Domingos Alves Mathous 370900
Bra(a, Gomes &C. 6J50)
Emola-Fizemos, no sabbado, entregar .i
familiar necesitadf da ria dos Pescadores n.
35, a quantia de 6S, que nos fo0 entregue parn
tal fim qor urm anwnymo da rua do Livra-
mento.
Theatre de Santa Isabel-Subio i Asee.
na, nesse theatre, na nOite de sabbado, pela
companhia hespanhola, a interessante Zar-
zoela-El Relampago-, que foi eXecutada
perfeitamente bemrn por Ltodos os artists, quo
nella tomnaram part.
As SrQis. Josepha Garcia e Francisca Hespa.
nha cantaram corn mestria- os melhores tre-.
chos de music, merecendo calorosos applau-
SOS.
0 Sr. Gerner patenteou ser umrn excellent
galan, mostrando-se born artist e cantor do
oDerito em diversas phases,da opera.
0 Sr. Galvan 6 um optimo caricato e artists
conhecedor dos segredos de fazor rir; temr
espirito, e sabe aproveitar-se delle. Foi bern
no papel de Jorge.
Os c6ros estavam bemrn ensaiados e emrn co m..
pleta harmonia.
A music da opera-El Relumpago-6 linda
eo assumpto chistoso.
Vale 4 pena ouvil-a.
Vapor ParA--sse vapor, da companhia
brasileira, sabio hontem A tarde do porto d.
Maceio6 para o nosso, onde deve hoje ama.a-
nheoer.
Pagaporla de fazenda. Nesta estaQao
pagam-se hoje as seguintes folhas:
Hospital military e pensionistas.
Granito-Escrevem-nos dessa villa em 17
de setembro :
c Um attentado inaUdito foi praticalo hoje,
as 7 horas da manha, na fazenda denominada
Caipdra, 3 leguas distant desta villa, pelo ex-
capitdo Antonio Pereira de Carvalho, author de
diversos crimes neste term, polos quaes se
acha pronunciado, e um grupo de malfeitores.
contra o terente-coronel Luiz Pereira de Alen-
car, urn dos homes mais mansos e de melhor
coraQao da localhdadie.
a Deu-se o facto 4a segttinte fdrma:
a Estando o teArfte-coronel Luiz Pereira,
em sua casa, por volta de 7 horas da manhi,
chegaramrn dous individuos desconhecidos, di-
zendo-lhe que andavam em busca de um caval-
lo furtado, e perguntaado-lhes o mesmo.Luiz
Pereira qual o sen ferro, umn delles pasoua
fazel-no chtio. e quando o tenentecoronel-o ob-
servava, cahiram sobre oelle de lacas em pu-
nho e o agarraram, dopois do que chegararnm o03
outros comitinheiros corn Antonio Pereira,
que Ihe inTionu entregasse tbdo o dinheiro
que tivesse.
Apezar da ameaga e do perigo'a que se via
exposto, o tenente-coronol Luiz Pereira resis-
tio em nao entregar o dinheiro, pele que al-
guns dos roubado~es foram As suas caixas e
tiraram-lhe 2:000S a tanto em dinheiro, obras
de ouro, colheres de prata, fazendas, redes,
etc., tudo no valor de 4:000#, pouco mais ou
menos e evadirarn-se.
Antonio Pereira 6 prime legitimo de Luiz
Pereira 0e ha muito sao intrigados, e fazern 8
annos que o primneiro &uisou umgrande pre-
juizo ao segundo, matarAnlhe' gados e caval-
los, quoitnando-lhe qasas,.Ocrados, etc.
SConlsta nos que bravo ease grupo de mae-
feitores viri atacar a villa.
a Se assi for, eas nos acndasporque o
nooso destacamento 6 muiito pequeno, e ndo
p6od tshir a um grande grupo de sicarios.
s Pedimos providencias energicas a S. Exc.
o Sr. president da provincia, e confiamos que
elle as dara.
s 0 delegado de policia vai em seguimento
dos criminosos, contra os quaes jA, foi expe-
dida precateria.
Vapor Jaguaribe-Esse vapor da compa-
nhia pernambucana, chegado sabbada dos por-
tos do norte do imperio, nada adiantou em nc-
ticias As que recebemos pelo vapor Espirite-
Santo.
Noticia aproveitavel-Os doentes que
tomaom aguas ferruginosas, talvez agradecam,
se lhes dissermos que poderiam introduzir tan-
to ou mais ferro na sua economia, bebendo
vinho, do que introduzem bebendo agma.
Ao que nos diz Henrique-de Parville, na sua
patestra scientiflna do Bulletim Franpais, os
vinhos da zona gironadina sao de unea notavel
riqueza ern" ferro. "onteemn. medianamente
uns 28 centigrammas de tartaro ferroso por


litro, o que perfaz unma somma de70 milligram-
mhs de ferro. Ora, bemrn poucas sao as aguas
mineraes que podem comparar-se corn estps
vinhos. "
Entre at numerosas e afamadas nascentes
de Spa, Gdronst6re, Price-de CondO6, Ponhon,
ae Groesbeok, etc., s6 urma dellas 6 mais mine-
ralisada-a primeira-pois que fornece ats
milligrammas de protoxydo de ferro; quanto
As outras, estAo muito Aquem do vinho. Por
exemplo, a nascent Pouhon nunca attinge
Smais de 42 milligrammas.
Em Franca, a comparacao 6 por tal forma fa-
voravel ao vinho que, se analysarmos meio li-
tro, encoQ4amos-lh6 muitq mais ferro que
n'um litro d'agua ferrea. Assim, o vinho de
Bord6os leva grande vantagem nesso ponto
as aguas de Morny, Chateau-Neuf, Forges,
Chateldon e Bussang.
Em 33 centimetres o vinho do Medoc, segun-
do a analyse de Perier, encerra tahta porgo
desse metal preoioso como quasi todas as aguas
ferreas da Europa. No vinho depara-se-nos
al6m disso'aavantagem do corservar durant3
longo tempo intacto o seu element minerali-
sador, o quo 6 muito contestavel corn respeito
As aguas, mesmo aquellas que teem maior
saturagao de acido carbonico.
Uma caravana-Os celebres nubianos,
que tanto reLtiveram a attenQao dos parisienses
abandonaram a 12 de setembro, o Jardim da
acclimagao para se dirigirem a Lolidres.
Abriram a march os elephants, Conduzi-
dos pelos contpetentes cornacas ; seguiam-se
as girafas, e inhavam 'logo depois os dro-
medaries, leva ,s a mdo opelos nubianos corn
os seus trajos pittorescos.
Succedia-se a criadageme a soberba collec-
iio dos abestruzes. "
E, emfim, fechando a o .gto, r va un!;
grandes carros, conte rWqetetos idols,
tendas e utensilios de -srv a troupe.
E' inutil additarravn.'i as ruas do trajecto
se apinhavam espectAores agsm oonta.
Os gravoches, corn especialidade, pullula-
vaim.
LeAo de pedra-EstA-se construindo na
barreira da Gileppe (Belgica) um lenio de pedra,
cojas dimensoes colossaes saio as seguintes: o
leio sera formado de 203 pedras enormes que
pesarlo; term m6dio, dous a tres mil'kilo..
gramRmas cada uma. Teri de altura 21u50 o
de momprimento 46 metros proxiiiadamente
Collooad6 sobre Am pedestal deo granite, do
8 metr)s de elevaglo, no alto da barreira
este lepo monumental dominarai todo o valle
de Gileppe. ; "
SAs patas do lello mediraim 4'40 d9 largo, e
os olhos 0m40 de diametro. Emfinidtraz de
cada garra p6de occultar-se'perfeitrmaonte um
home.
ExpedeVAo beigs a Africa-No dia 418
de setembro partiram de Londres em direcgao
A 4osta oriental da Africa a expedi) JW ?lga
Aestinada a exploraCies sciehtificas nesse pl4
A direcgonah etaedi o 6,cenlada a ra
tio do estado a maigr bea. U. Crespef -f
panhado do official do mesmo cospo 4;1C*'
biek, do naturallsta Mi Maes e cff lk 16 Ztt ^A&6.


flg^ Nha. s ans.i o:
o co -do LaAlarj ten, em: e *
ma&6wIw s ~#ees ,*94.egM_01"4
qtAe quiz, uagawr-lhe U mi pW *
.rwaAa, tra dn~oi, uBnteauugs Ufa, ye wtuai
4ul ao qua Aube-s usava.
Sin Brzelas todob o mundo conhec eetL
atifife velho, de longos cabellos brancos,
que ass um prcalabrez, u n ante ols-
WWea0hol a4 ef- t 'quanto o grande. pintaor
itraava, e qua se acha adomiravelente repro-
*isid0o. naestatua da praca Verde, es A -
Trlt.. g nupOM s Sacbedeu he poem
dias em Paris um tacto deoporavel.
Amenica Fe 84ie B. casea,.e, t riw da
a care nonia, segundo a tradi0o, ea, o # B.
vo e diversas p'3ssoas convidadas parsa o bas-
que do Bolohha; depois de alguaias hraldde
passion, e, quamdo todos se 'preparnvam pwa
fegressar a casa ouvtwio-se a re. m.easada gri-
tar:-Soccorro! estd me harder o wastido I
Dizia a verdade; nat dos coavidados ti nba
deitado aecidentalmentea parn o -lado, qufddo
acendeu um charutOp, um phosphoro mal apa,
gado; a mosselina, de quae se compunha o ve6-
tido, inflammou-se logo. Correram todos para
a inteliz; mnas, os convidados ficaram grave-
mente queimados na oios.
Quando se conseguio aIfar as chamas, a
Sra. B. tinha as pernas,)grivelmeute quei-
madas.
0 desespero do noivo ti 'raude, soendo oe-
cessario chamar um medico, por sereeas ue
aquelle'deploravel incident Ihe faa ppter a
razao.
Contra os reis-Tentativas deaissinato
que nos ultimos trinta annos se SreasAd
contra os soberanos de varies estados. em>-
peus:
Figura em primeiro lugar a tentative f1ita
contra o duque de Modena, Francisco V, 2 26
de novembro de 1848.
Em 22 de maio de 1850. urn artist chama-
do Seteloge, dispairou um tiro contra FredBrico
Guilherme IV, rei da Prussia. deixando-o forido
no brago direito.
Em 28 de junho do mesmo anno, o teiente
Robert Pate accomometeu a rainha Vibtoria
corn um bengala.
Em 24.de setambro de -1859 desoobrio-so
em Marselha uma machina infernal coontra a
vidade Napoleoo III.
Em 18 de fevereiro de 1853 Jolo Labenyi fa-
rio o inhperador Francisco Jose, danado-lhe urma
punhalada no pesoovo.
Em 16 de abril do mesmo anno annunciou
o conde de Cavour no pariamento italiano que
tinham tentado assassinar o rei Vietor Ma-
nuel. -
- Em 5 de julhlo de 1854, tentaram assassinar
o imporador NapoleAo quande so dirigia paras
a opera comica..
Em 20 de marco de 1854, um assassino des-
conhecido ferio corn urnm, punhel Fernawido
Carlos III, duque de Parma, o qual morreu no
dia seguinte em consequencia do mesno fe-
rimento.
Em 29 de abril de 4875, Joo Liverari dspa-
rou dous tiros de-pistolasobre Napolelgo IL.
Em 28 de maio de 1856, o padre Raymundo
Fuentes apontou, urma pistola contra a rainha
Isabel, de Hespanha ; mas foji desarmado per
um agent de policia antes de ter tiEd tempo
para disparar.
Em 8 de dezembro do mesmo anno, um sol-
dado, chamado Milano, accommetteu, em uma
revista military, Fernando J1, rei de Napoles,
corn a ponta da bayoneta.
E em 7 de agosto de 1857, foram condemna-
dos Bartolett, Tibaldi e Grille, por tremrn cons-
pirado contra a vida do imperador Napoleio III,
e o attentado de Orsini realisou-se em 24 de
janeiro do anno seguinte.
EDiw4 de julho de 1861, Oscar Becker dispa-
rou dbaus'tiros de pistol sobre o rei da Prus-
sia, Guilherme I., em Ba4an.
]m 18 de dezembro de oi86.Aristides Drus-
los atirou um tiro d rainha Am da. Gc
Em 24 de dezembro de 4863, t[eoo Trabuce,
Imperatore e Scagliono, form presos em Paris
por terra conspirado contra a vida do i"pe-
rador Napoleao.
Em 14 de abril de 1865, Wilkes Books assas-
sinou o president dos Estados-Unidos, Abra-
ham Lincoln.
Em 6 de abril de 1866, Kavakozoff disparou
um tiro contra o imperador Alexandre, em S.
Petersburgo.
Por occasiio de uma revista military passada
em Paris, a 6 de julho de 4867, praticou Bore.
zowshi nova tentative de assassinate contra o
mesmo soberano.
Aos hydrophobos-Lemos no Jornal do
Commercio, de Lisboa:
a Um nosso caritativo assignante da provin-
cia fez-nos o obsequio de enviar a indiaca~o de
um remedio e a modo de o tomsk, que, se-
gundo assevera, 6 de um resultado excellente


e infaltivel, nos cases drhydrophobia.
S Como pode ser que haja alguem que dese-
je usar delle, vamos dar publicidade.
SA receita 6 ajeguinte :
i Deitam-se' 3 gemmas d, ovos em uma vt,
silha de barro vidrado, devindo separate
bemrn as claras, e junta-se a: isto a segukute
porgpo de azeite de oliveira: meia casca de
ovo (urma das parties da 'cases, quebrando o
ovo bern pelo moeio) cheia de azeite para eada
gemma.
(( Feito isto, mexe-se corn uma espatula de
ago, ouqueo oa contenha ; colloca-se sobare logo
brando, de maneira que ferva vagarosamente,
mexendo-se sempre, e, logo que esteja em
consistendia de papa rala, ou delgada, d4-se a
tomar ao mordido, devendo este star em je-
jum, e nao comer sem passarem 6 horas.
SIsto dove repetir-se 3 dias consecutivos,
sendo a hora mais conveniente- pela manha
c6do.))
Loteria da provincia Quinta-feira, 1
do corrente, se extrahird a loteria 244.8, em
beneficio das obras da matriz de JaboatIo.
Os bilhetes acham-se A venda na thosoura-
ria das loterias e loja de calQados do Sr. Por-
to, a Ifraga da Independencia ns. 37 e 39.
As listas sahir5Io no mesmo dia da extrac-
Qgio; quanto, por6m, aos pagamentos dos pro-
mios-, s6 terA lugar do diq seguinte em diante.
Vapores-Slo esperados os seguintes:
John Elder da Euiopa hoje
Para do Sul hoje
Guadiana da Europa at6 11
Minho do Sul at6 44
Ceard do Norte at6 15
Bahia do Sul at6 17
Potosi do Sul at6 20
Or~noque do Sul at6 20
Proclamas de casamentos.-- Leram-se
no dia 7, na matriz de S. Jos6, os seguintes
proclamas:
Primeira denunciacpao
Galdino Jos6d da Trindade corn Leopoldina
Soares da 'Costa Monteiro.
Manoel Bacho da Luz corn Maria Jos6 do
Nascimentb. -
ManoeL Francisco de Maria corn Amelia Ma-
ria da ConceigIo.
Eduardo Vieira da Silva corn Maria Emilia
Hermogenes de Andrade.
Luciudo Luciano Victor da Silva corn a ex-
posta Maria Senhorinha'de Mello.
Luiz Augusto cornm Maria Eufrosina de San-
ta Anna.
Francisco d3 Paula Nunes Biandeira corn
Francisca Henriqueta das Neves.
Jos6 de Oliveira, afrqdaeo, corn Bernardira
Maria das Dores.. I k x.t.
Antonio MarceliW iro co Franeisca
-Maria dos Sanrto ,>
Segamada denunciapzo
SLuiz Jos6 Rodrigues Pinheiro co za
CarciLopes Moreira. (
J~aiit'YF cisco do Ajvuda corn Atfianja
Ubw -rqike dos Santos (Som ElebJna
Ed 44Cr~uz Castro cpi Mar aj


% dnki s Anna Mameren.
m~sdre Gorae G|tla, $tsvo; oop
ve, col Ctiplft ana Maria
~ GRi G iu lkira, $oom
-PawBarreto, viuvo, corn Can.
'dift Ggsakdoe (stro Campwo. *
SJos6,_teAiorim Salgado, corn Maria Idalina
CoutiuW, Lindola.
P a-- Chegados doe portos da
9Uro1 tao0VaVW tfrasnos Paran :-
* Seatbom(.i10.1 e 1 1 fi4 Maria L Christia-
nJ, Mr.V Yallet sea .mulher, Bertardino de
Sana Pontua&i, A. RibeiroEL &datw&e;4gus-
toi2 jlo Pinpito Can*; Narcisa So-
phia dSilva maia, Luiz Antonio
'afti Cerqleira. Lwz A. iigueiredot Alva-
ro Placdo de Souza Ramos, Anutnio Joaquim
de Azeedo, Miguel Ferreira da Silva, Jos6
Antoni* Vieira de Cerqueira Femraz, Henrique
da SflW Pereira, Joaquirnm PVereira deo Carvaiho,
D.d0t uWi2 Francisco Montairo, Manoel H.
die UrvW10oi BeHllarmino C. de Carvalho, Can-
dido AUasto Ribeiro e tItho,. Jos6 Manoel
ves 0 6 emigrantes.*
Ch-gados dos portos do norte no vapor
f atuanfe:
)r. Joa6 Joaquim do Sant'Anna, sua senho-
ra e2 flthos, Luiz Manoel Filgueiras, Euzebio
da Cana Beltrao e 2 oreades,. Ranaldo da
Silva orto, Fra soo Gurgel,, Dr. Ignacio
Dias rave, Janson Rigbi e
sua raif, Felippe Lenhard,
sua 5criados, Jose Cicero
Mariai da Costa Souto-Maior,
Jos6 018 l 6 Carneiro de Farias,
Jos06 Pauii mro, Torquato Dantas R. da
1mmaa, Mauosl*"uario Lopos- e 2 escravos,
Horoncloo Araud Limna, Antonio Rodrigues
Casino, Mvia do Espirito Santo, Pedro Mar-
tins. HenriqueBawroca, Antonio Souto, Jos6
Joaquim doe A. Brito, Joao V. de Paiva, Alb-
xandre Soares do' GCouto, Virgilio Fidelis
Branco, Joo B. Rodrigues, Francisco Laroux,
Raymundo Rodriguea Machado, Dr. JoaIo
Gualberto Gomes de S4, sua sonhora, uma
cunhada e 1 escravo, Manoel Pacheco Borges,
Joaquim Cardoso de Almeida, Jos6 da Silva
Oliveira, Antonio de Hollanda Dias Paredes,
Bernardino Gahino, Antonio Francisco de
Paula, Joao Ferreira da Silva e sua mai, Fran-
cisco Theophilo da Rocha Bezerra e I escra-
vo, e 19 escravos a entregar.
Protesto'de letras-0 escriviio interino
de protests, Albuquerque, est4 de semana
cartorio na rua Bella, l1ja do sobrado n. 37
Chegados dos portos do sul no vapor S.
Salvador :
Manoel Ferreira Fontes, Joseph, Goze, Ma-
theus, Joaquim Peroira Valente, Antonio Car-
los do Andrade e 2 escravos, Jos6 da Silva Bar-
,reto, Cornelio Gomes e 2 escavos, Jos6 Ra-
dich, sua enhora e I filho menor, Euzebio
Augusto de Souza.
Sahidos para o sul no vapor francez Pa-
ran :
Jos6 Francisco da Silva, Andr6 D1)eilles, Cons-
tantino Gomes de Mattos, Antonio Solo, An-
tonio Cltamdiao Gomes Barreto.
LeilHeS-Amanh& devoemrealiar-soosbe-
guintes:
Pelo agent Gusmno, d rua de Marcilio Dias
n. 50, da loja de miudezad.
Pelo agw Pestana, rua do Vigario n, 42,
dositio da Sra. Villaca, na povoa.Aio dai Torre.
Quarta-feimra deve realisar-se o seguinte:
Pelo a'#nle Pinto, na rua de Santo AOMr
n. 4, 'do piano, moveis, espelthos, relogio,
quadros, tppetes, louga, vidros, obras de pra-
ta, etc.
Santl Casa de Misericorila-O pes-
soal de onfermos e edudandos existentes nos
estabele~imentos pios a cargo do Santa Ca-
sa, no mez de setembro find, consta do se-
guinte qaadro: '
Hospital PedroI 439
Dit# dos Lazaros 41
Hospicio de Alienados 118
Asylo de Mendicidade 150
Collegio das Orph 173
Casa dos expostos:
Educandas 141
Em poder das amas 113
Total 1175
Cemiterlo publlco-Obituario do dia 5
dooutubrode 1877:
Jos6 Ifciso da Silva, pardo, Pernambu-
co, 20 aunDot, oljteiro, Boa-Vista, hospital Pe-
dro II; feblr perniciosa.
Manoel, branco, Hespanha, fallecido hontem
asphyxiado por submersbo; unandado polo
subdelegado da Graca.
Joanna, parda, Pernambuco, 15 mezes, Boa-


Vista ; entarite.
Vicente, escravo, preto, Ceara, 30 annos,
solteiro, Boa-Vista; bexigas hemorrhagi-
cas.

INDIC4ACOES UTEIS

Medicos
Dr. Lobo Moscozo, rua do Visconde
de lbuquerquen. 39.
Adv6gados
Dr. Guenne., rua do Imperador n.
48.
Dr. Antonio Drummond, rua do Im-
perador n. 20.
Fazendas e modas
Antonio Correia de Vasconcellos, rua
Primeiro de Marco n. 13.
Chapellaria e modas
Costa Maia & C., rua Primeiro de
Marco n. 6.
Fabrica de cigarros a vapor
Bourgard & C., Recife 15, rua do
Marquez de Olinda, Santo .Antonio 3,
rua Primrneiro de Marco, Boa-Vista 54,
rua da imperatriz.
Pharmacia e drogaria
Ferreira Maia & C., rua Duque de
Caxias n. 57.
Encadernawao, pautaqao papelaria
Miranda Junior, rua Duque de Ca-
xias n. 37.
Llgbes de irancez
-Licoes theoricas e praticas de fran-
cez, pelo method mais facil para se
aprender esta lingua em poucos mezes.
Curso todos os dias na rua da Aurora
n. 41, 2.0 andar.
Gastronomla
Archiarmazem do Gampos 28-rua do
Imperador-28
Leite condensado superior, presun-
tos para fiambres, linguas afiambradas
(em lalas), fiamnbr4es em latas, cha fino,
doces', licores. acipipes e grande varie-
dade de vinhos f nos e de pastos.
Vendas corn m descato, em grosso e a
William Inglis 4lQti ara do Impera-
dor n. 57, armaz grande deposit
de fazendas frante, minglzas, belgas
e allemaes.

PUBLICAIOES A PEDIDO


A alma e o cerebro
Opusculo critic, escripto por J. E. Tei-
xeira de'Souza, sobre o liuro que corn
tal tituliopublkou o Sr. Dr.JlMagathde
b ViscoonW raguaya,4 .
U s estu constituem este opus-
utop, Wpd e-omego yRefor-.


phia-do genro e-satars, desse pom
que noA julgou miaosear o a0Uer da
'uWmao 6 o erebr#. .~
E 4 facto dese n iD. Depois qeoa
born senso foz a synthiesedos eonhaeci-
mentos humans e thes fundoa 6 ays-
temw geral; depois que o grande pen-
sador definio a vrdiade como o resul-
tante da obsevaeAo e da experiencia ;
nao se podem nemn sedeves admittir de
snimo f6rro devaneios e sonhos fanta-
siosos no campo fecundo da sciencia.
*
S A verdadeira sciencia nao 6 o pro-
ducto da vista e do tacto; e o product
da razao humana" elevando-se ia razdo
divima.
Sdo palavras do Sr. Visconde.
No que Ihe fere citaremos em oppo-
siao a tal descobrimento a phrase pitto-
resca de A. Comte:
SA sciencia poz em retirada o pal da
natureza, levou Deus atd suasfronteiras,
agradecendo-lhe os services proviso-
rios. )
0 mestre deixa a gente exuberante-
mente convencido disto depois do co-
nhecimento da sua doutrina ; e faz corn
que se conclua que sio anachronicos o
livro e a assergo do Sr. Visconde.
*
Teixeira de Souza mostra-se desde a
primneira atd a ultima pagina do opus-
culo verdadeiro discipulo das idWas no-
vas.
Nao poderia ser melhormente esco-
Ibido o.critico; poeta e medico estaria
muitissimno no caso de comprehender as
inteny6es e a obra do Dr. Magalhfies.
E pois, em b6a hora veio a lembran-
ga e obsequiosidade do illustre Sr. Joa-
quim Serra, a cujo pedido escreveu tal
opusculo o ex-redactor da IMda.
*
A inguagem mascula, a forma tra-
b'alhadora, as valiosas citacoes techni-
cas que Ihe exornam as paginas, tor-
nam a juiidiciosa crifica por demais re-
coin mendavel.
Este opusculo se vende na livraria
EconomiQa. NMo devera d elle passar des-
apereebido A mocidade intelligence de
Pernambuco; mormente quando tao
desapercebida anda a nossa litteratura
de obrinhas corn aquella feigao.
Custa cada exemplar 500 rs.
Luiz.

Assumpto municipal
Na vida dos povos como das naQoos ha dias
solemnes e magmstosos.
;( pdin de finados nao menos que oiatros 6
um de penosas recordagOes, mas recordioKes
bea fundadas ; quern nao tern uan parent,
on amnigo que, nesse dia nao Ihe avive a me-
moria os beneficios que recebeu delles ?
Quemn podendo nao faz urna inscripQAo no
tumulo daquelle que nos 6 c&-o sua memorial?
E' certo de que a falta de urn estabeleci-
mento para supprir nesse dia o que 6 de cos-
tume nos prizes adiantados 6 sensivel.
A casa Paula Mafra, supprindo-se directa-
monte do coraoo do mnundo, d'esse emporio
do bell e agradavol, de Paris, finalmente de
urn caprichoso e escolhido sortimento de ca-
pellas mortuarias de vidrilho e panno, de pan-
no sirn, mas de panno, cousa capriohosa e es-
pecial nesse unercado.
No complement dos ornatos que so faz aos
tumulos, o mesmo estabelecimento est& pre-
venido de especiaes bugias de cera para re-
sistir o calor que as ataca ; assim pois convi-
da-se a lodos, e especialmente ao bello sexo
para comparecer a rua do Cabug4 n. 5 A, afim
de vex-a
Exposigao Municipal


COHIIRCIO

Junta dos corretores
PRAA DO RECIFE, 6 DE OUTUBRO DE 1877
AS tres horas da tarde


cotaq6es ofliciaes
Couros seccos salgados, 385 rs. o kilo, hontem
e hoje.
Gambio sobre o Rio de Janeiro, 15 d/v. corn
1/2 0/0 de desconto
Desconto de letras, 11 (WOao anno, homers.
Bernardino de Vasconceillos,
President.
J. Leal Reis,
Secretario.


ALFANDEGA
Rendimento do dia 1 a 5
Idem do dia 6


212:6046140
47:086#531
259:6906671


Descarre am hoje 8 de outubro de 1877
Vapor national Pard, (esperado) generous na-
cionaes e encommneidas para o trapi-
che Gompanhia.
Vapor national S. Salvador, (esperado) gene-
ros nacionaes e encommendas para o
trapiche Compauhia.
Barca ingleza Avondale, carvlio despachado
para o 4o ponto.
Barca ingleza Glentilt, ferragens despachadas
para o 1 e 5o pontos.
Brigue portuguez Damibo, cal despachada para
o 3 pdhto, e vinho para deposit no
Strapiche Gunha.
Brigue naci-nal Isabel, farinha e cafe para o
trapiche Companhia.
Barca portugueza Isabel, farinha para a terra.
Importarao
Vapor francez Parand, entrado dos
portos da Europa em 5 do corrente e
consignado a Auguste Labille, mani-
festou:
Amostras 3 volumes a diversos. Agua
mineral 1 caixa a Otto Bohres & Succes-
sores. Dita de Londres I caixa a Sou-
za Baros, 1 a Antonio Luiz dos Santos
Junior. Ameixas 20 caixas- a Domiugos
Ferreinr da Silva & C., 3 a Manoel da
Silva Fario & C., 1 a Otto Bohres d
Successores. Azeite I barril a Au-
gusto Frederico de Oliveira d& C. Azei-
tonas 10 caixas a Francisco Guedes.de
Araujo. Absintho 1 caixa ao mesmo.
Conservas 9 caixas a H. Nuesch &
C., 2 A ordem. Carnet salgada 1 caixa a
Ramos & Carvalho. Cognac 20 caixas
aH. Ledebom. Camisas 2 caixas a
Eugenio Gongalve Cascao. Capsulas
de estanho 2 caixas a H. Nuesch & C.
Calgados 9 cauias a Joao Christiani &
C., 2 a Frederieo C. Burlamaqui, 2 a
ordew,I 1 a Alipio Vieira & C. Ditos
e cou s 6 caixas a Parente Vfai-
na & C. Chumbo 15 caixas a A Mfredo
Martins deBarros. Chap&is 1 C a
Joao CGristimi 7Q, a AnWtobolow
Maia & .Itnao,4 a Crameri'Frei&
C. Caiirnsx ?3 Q1aiB ft nnfarr Melttler


' A ul rv ^ H H

reu t, eaix&a Aim
I Mrcadorias divera
Brnda, 6 a&ir f"ul
Chevs roch. 6 a0odmgn
4 a Var Junior & C.,
Vaseoncelfos, t a Gui
&C, a Parente Viaialr ..
Theodoro Ch'itdiatl. a I
Castro, 1 a Guimarie4kfwf* s
gusto Frederico de Ofiveira,.2'a
gos Alves Mathens, 1. a Jo.sI6
Motta Guimaraes, 1 a Fr. Francm
ria Ferrara, 1 a Oliveira Bast"s
madama Paulina Slqira at4t'lea B
a Monhard Mettler t 'C. Massa' a
menticias 120 ao Jorge Saporite, 45 a
Souza Bastos & C., 2 a Feruandes &
Irmao, 15 a Francsico Guede fdfe Arau-
jo. Manteiga 200 barris a Souza BastWs
& C., 12 a Brown Thomson & C.
Objeetos para chap6os de sol 5 caixas
a Erahcisco Xavier Faireira, 4 A ordem.
Ditos para fumantes 3 caixas aJoaquimn
Bernardo dos Reis.
Papel 5 caixas ao mesmo, 1 a Bour-
gard & C. Perfumaria 1 caixa a Pa-
rente Vianna & C.
Queijos 12- caixas a Fernandes & Ir-
maio, 42 d ordem, 41 a Antonio Fran-
cisco Corga, 2 tinas ao consignatario, 4
a Brown Thomson &C., 1 a Manoel da
Silva Faria & C.
Roupa 1 caixa ai ordem.
Sardinhas50 caixas a Manoel Duarte
Rodrigues, 20 a ordem. Salaries 4
caixas a Ramos & Carvalho, 1 ao con-
signataro.
Tecidos diversos 2 caixas a August
Bernet, 1 a H. Burle& G., 7 a Mo-
nhard Mettler & C.
Uvas 3 caixas a Antonio Josd de Aze-
vedo, 2 barricas e 15i2 a ordemrn, 4 e
212 a Santos & Araujo, 2 112 a Paulino
Josd da Costa Amorim.
Vidros I caixa a Joao Christiani & C.
Vinho 8 barris a H. Nuesch.& C., 1 a
Meuron & C., 1 a Monhard Mettler &
C., 1 a A. Josd de Moraes Sarmento,
24 a Augusto Frederico de Oliveira &
C., I ao Dr. Josd B. G. Alcoforado, 55
caixas a Saunderes Brothrs & C., 10
caixas a ordem, 85 a H. Nuesch G& C.,
50 a Raios & Carvalho, 150 a H. Le-
debour, 5 a Otto Bohres &" Successo-
res.

Vapor national Jaguaribe, entrado
dos portos do norte em 6 do corrente
e consignado a companhia de navega-
gao costeira por vapor, manifesto :
Algodao 14 saccos a Borstelman &
C., 9 a E. da Cunlia Beltrio, 2 a.Lins
Filho & C.
Carn 1 garajAo ,A ordem. Caf6 2 sac-
cas a Manoel de Azevedo Andrade. Ca-
deiras 2 volumes a Joao. Ramos. Cou-
rinhos 89 amarrados a Gomes de Mat-
tos d& lrmao, 68 a Josd Candido cre Mo-
raes, 68 a SA Leitao & Irmao, 28 a Pa-
rente Vianna & C., 24 a Bellarmino
Goncalves de Albuquerque. Couros sal-
gados seccos 1,580 a Euzebio da Cu-
nha Beltrao, 300 a Alexandcie S. Cou-
tinho, 250 a Borstelman & C., 282 a Sa
Leitao & Irmao, 41 A ordem, 40 a Ma-
noel Nunes da Fonseca, 24 a Lins Fi-
lho (& C
Peixe 2 barris a J. Soares Lopes.
Pennas 1 pacote a Sa Leitao ft Irmao.
Saceos vasios 3 volumes a Costa &
C., 5 a Euzebio da Cunha Beltrao, 1 a
Leopoldo Marques da Assumpco. Sola
1,350 meios a Gomes de Mattos Ir-
maos, '526 a Jose Candido de Moraes,
16 a Euzebio da Cunha Beltrao, 7 a
Lino Filho f" C.


Vapor national Sdo Salvador, entra-
do da Bahia na mesma data e consig-
nado a Domingos Alves Matheus, ma-
nifestou:
Azeite de peixe 10 barris ao consig-
natario. Algodao 5 saccas a Mendes
Lima & C., 54 a Francisco Gongalves
Torres, 8 a Miguel.Jose Alves.
Charutos I caixa a Joaquim Ber-
nardos dos Reis, I a Figueiredo & C.
Feijao 18 saccos A ordem. Fume
picado 3 pipas a Meuron & C. Fari-
nha de mandioca 158 saccos 't Silva
Guimaraes & C., 300 a Fr Gsco
calves Torres, 120 a Al 'errera.
Baltar, 1,000 A ordem
gos da Silva Torres, '
Lima & C., 200 a Amo 0os&
C., 800 a Jose M. Gon' ira.
110 a Pereira Carneiro e 18


birricas a Joao Jos6 R o s Men-
des. '
Lyrio florentino 1 pipa&-a Meurou
&C.
Milho 22 saccos a Mig osd Alves.

Brigue national Isal 'entrado do -
Rio de Janeiro na, mes Ilata e con-
signado a Josd da Sivi '9 & .Filho."
manifestou :
Barricas internadas 300 volumes a
Antonio Joao Furtado & C.
Caf6 51 saccos a Paulino Jos6 da
Costa Amorim, 50 a Antonio J. Guima-
raes, 71 a Domingos Cruz & C., 30 a
Magalhaes & Correia, 100 a Francisco
de Paula Amorim ; 120 a Joaquim Fer-
reira de Carvalho, 60 A ordem, 50 a
Josd Joaquim Alves & C., 50 a Jose
d'Almeida Salgado.
Farinha de mandioca 1,000 saccos a
Antonio da Silva Pontes Guimaraes
1,775 a Alberto Irmao.
Vinho branco 23 pipas e 35/5 a Pe-
reira Carneiro Maia & C. Velas stea-
rinas 50 caixas a Ferraz & Pereira, 50
aPaulino Josd da Costa Amorim.


DESPACHO$ DE EXPORTA AO NO DIA
OUTUBRO DE 4877
Portos do exterior
Nibarca ingleza Choice, carregaramr
Liverpool, Lidistine Robillan & C. 20,000
de ossos. "


Pana i


Portos do
or national Ptr
ara, T. G.' de M
ilos de farini


5 DE




















Wl, : 'IT
: ", ". :,., .... "! ,.,, el" .- ... ..^B'
I ., c~ar p': ra
IPC~atO~< mesaws win0
: JS. dia .8Wdila3-de
oa 996. dit0 d. faronba de
osta &C. 50ditos con50.


'* Ige',sm do Porte, Carr
*l IM ,^ Sl30 S5 barricas
Ii rkandiooa.
al Pa.d, carregs
|,A.Matheus 10 saccc
s r braneo.
IA'11lA DA ALFANI
I totadia I a 5at
do dia 6


VOLUMES ENTRADC
No dia 1 a 4
No dia 5


VOLUMES SAlIIDO)
No dia i1 a 5
,io dia 6
Primeira porta
Segunda porta
Terceira port
Trapiche Concei'ao
Trapiche d'Alfandega


SERVI1O MARITI-NM(
Alfarery as (descarP'egad('s nos :
da ai/ondega
No .Iia 1 a 5
Nc dia 6


NAV10S .T.'AC. DO
No dli a 5
No dia G


li'ND.\
PLIN A


-ECEBEDJORIA DE
NAS &LERAES DE
RendimeniLo do dia I a 5
Idem ilo dia 6


egou: para
mom 4,150
oun: para o
)s corn 750


...........7
i s fil .


d t.. a, gud brsuilor
,. a, da 3S tonelatas, n o t SoS ,
il ,t juk e .I",. carga various gene,
ros ; I J. a Sa ivLoyo & Filbo.
Rio d6 Janef14-14 ;dias, barca sueca HedWig,
d6 356 tondladas, chpltlo A. P. Jansen, equi-
pagem em lastro ; A ordem.
Bahiq 'om escala 13 dias, vapop national
S. Salaadeor, de98 tonealedas, commahdaate
Manoel Antonio de Souza BeItrao, eqnipa-
zem 2R. carza various --eneros a Dominnos


V i .. ..., .




1u cl'. w z pr nv tpubiicos
achar-se abeta aesp#ito ptakcon-
fereincias pedagogcas a que se refere o
edit&l n. 344 de. 1 d e dezembro do
anno passafdo. Secretaria da instruc9&o
public de Pernamluco, 1 de outubro
de 1877.-0 secretrio, Joaquim Perei-
ra da Silva Guimnardes.


do ;. e eir
do a todo
Hsados p<
tricto des
zernbro
rem a esl
formacoe:
fbriajae


4D -4 ;... .d.& .. ... '... .M ltlWM & Q ".a e, el I
Alvas Matheus. 0o DrJosA Jacintho Borges Diniz, juiz suhsti- uau, t
DEGA Navios sahidos no mesmo dia tuto do juizo especial do commeroio desta cada pess
.[14235700 Delaware Breakwater Barca ingleza Co.o- cidadde do Recife a sea termo, capital da Hias, cgm
1-306548'9 nella, capiLto Philip Hozleton, emn lastro de provincia.de Pernanbuco, por S. M. o It- d luhgar
area. perador, a quem Deus guardte, etc. nelle esta
6:7365189 New.YorI--Miae inglez Sowtlhern Home, capi- Fago saber nos que o presence edttal virem nehl es
---- tao J. W. Tewksbury. carga couros. ou delle noticia tiverem, que no dia 9 de ou sgem
) Aracaty, Hiate brasileiro Deus to Gulc, cai- tubro do corrente'anno, As I1 hours da ma- a ester co
963 tlo Manoel Francisco Jallcs, c'rga farina de nha, na sala das audiencias, deverA ter lugar a formag6es
mandioca e outros generous. reuniao dos credores da mass fallida de Eu- Recife
____ Aracaly Hiate national Jodo Valle, caaiL&to zebio Raphael Itbello & C., para v~riflcarem
963 Joao S. Atupesa, carga tarinha de man os c reditos, delibbrarem acercA da concordata
Sdioca. se houver project della, ou formare o con-
DBuenios-Ayres corn escala Vapor francez Fa- trato le-.uniAo e nomearem administtadore3 6 a
rau7i, commandant Varangut, carga paitLe dita massa, cerLos os credores de !que ilo Santa C
*1,705 tid ie trouxe da Europa. ser&o admittidos por prbcurador, gem que
STerra-Neva-r-Lugre inglez Pecunia, capit&o R. este exhiba procuraqao 'especial, a hual nDo A lllma.j
201 J. Prior, um lastro de area. poderA s.r conferidA a devedor os lallidos : da Misericc
46L) ,;,,,t,,,M ,.n~o podendo, out, o sim, "6 indijiddo-Tesal
SNauio entrao no di (a 7 no podndo, outro si ndiio-re- que na sa
3 SanLos-17 .ias, brigue auslriaco Gus.o d')r- presenter por dous dive s redorl.a que outubro.pe
IO, h soalaVidOo ocredo .o recerare mal
flcnto, de 33 toneladas, capitl.A N. Tonello,, se'A liavi o red o *ltar qu1 aurematado a
equipagem 11, em lanstro ; d' oirernm como adierente as 'r 1tlr a pelo-tempo
7b l'tr mnaionria de votos dos quoe-P1 corn predios em
5. I ..... o.se a.., tanto que para ser valida a onctidala 6 ne- ESTA.
WAt.n eio dia nio houve saidds. cessario que seja concedida por urn nurmero R.
~ "'. "~ [11 11 11 malirU deo credlores, quo presented pelo menosa C, Qasa terrea
i'maioria destes em numero de dous tercos, no
r['hs *ia I'Ar. valor de todos o crediLos sujeitos aos elffeito s Casa terrea
______ da convcurdt.a. Idemni n. 49
2 Edita-In. 356.-Dc forde( *doin' \ E para que clitegue ao conlihecime-do de to Idmnn. 45
d^ifcaln.56.--D rl".. oi Il dos, manadei passar o present editail, 'tue
-- 'ector -e1al1 di ilnstruc __ iols terlios do art. 75 do- regulaniento lugares do costume.
S ~de '27 do novemi)ro de 1874' se declaCa Cidade do Recife do Pernambuco, 4 do juirho Idna n. 7
i 'c'ar-v'Ie ni.r'do 0 prazo d o i de,1877. IdemnD .19
1 ) ( 0 S Eu, Secundino illiodorio da Ctmiaescivao
I.ir.i ;i imscishipa)'o e |Iro1(,-'SLU 1 liabili- interino, o sub-crevi. 3.o andar di
t, t.,;o dos candidates !ue !retenrderc'i. Jos6 Jaciaiiho Borgcs Diii:. 'Loja e loan


C!CO!I'T.C' ;0 pI)roViiriOiltD ,!I "2.' cadeira
do i.' anii" dia i.':i Noiwi':;, \vapa por
.S INT'f R do iissto II IaclL.ir.l .itg'. ih)'reIllis
MJJU(:O [ibheiro, Pessoa. Serrel'aria ,lii iii'-trlce-
7:i19>?80 f';' p-'ibc.;I dd ik'i'u ;nhiltluc,', i d1 e Ce -
SI:Um;$;S' tubro Ie 1877. -0 sccreLario, Juaquin
-P--- erirca da Siha Guina',a,.
S:7 ';9.-7 ,'38 .... -. -.. --.. -. -- --
SSeccao 2 a-Secretaria da presider'ia
de Pernambuco, emn 3 de outubro de


ESQI


q :astonsuhlado,
W 'W^6taai'ca do ainik-
r publicas, commer"o"' e
, que se proceda tambem ao
Oento da popailso portugue-
ie no dist'icto deste conpula-
Svirtude desta ord'em. convi-
s os portuguezA, ou natura-
ortuguezes, residentas.no dis-
te consulado, no dia 31t dede-
do corrente' anno, a remelte-
te consulado, por escripto, Mi-
s que contenham os nores,
stados, profissoes suas e de
oa .portugueza- de suas fami-
a declaragao dos qne, emnca-
teem residence habitual ou
io momentaneatente de pas-
ou dirigirem-se pessoalmente
osulado para darem estas in-
s vocalmente.
27 de setembro de 1877.
0 consul,
C. de A. Guimnaraes.
!asa da Miser-icordia do
Recife
junta ajninistrativa da Santa Casa
rdia dgtecife mania fazer public
a das.spas sessoes, n.. dia 11 de
las 3 hocas da Larde,teem de ser
s, a quem mais vanLagens offerecer,
de um a tros annoi, as rendas dos
seguida declarados :
BELEBGIMENTO DE (AARIDADE
ua de S. Bento em Olinda.
o n. 16 0.$000
Rua do Padre Flori-no.
n. 47 204$000
(fechada) 1518500
(fechada) .1516500
Becco da Carvalh z


Riaa da Vir'uf6o
L.


Rua larga do Rosario
o sobrado n. 24 A
idar do. sobrado n. 24 A


..-....- Lojado solbrado n. 24 -
r7 't Ila da lImperatr'z
bEitCLIACOrS Lisa trroea n. 68
-- Rua ua Moetda
Consulado d6 portugal em Solrado de2 and.iares e sotrto n.37[fe-
Pernammbuco c ada Becco do Abe
Por este conwulado se faz pubtico, 3.o andar do sobrado n. 2 (f,-haluo)
'4o iem ideni
para conhecimento de todos os subdi- 4'0 iom idem
Lj dmidem
tos portuguezes, on naturalisados por- Jaidem ider P n 's
tg rueze, roidte puo loua dos Pescadoruesm
tuguezes, residents nesta cidade, que, Idem n. 11


208m0
207(000
24050 0
2674000
963 117
:036r%450
3629500


975$000
90.000
120$000
244$0oo


Casa lanes o.4r^ i4?C'~tni. *:.**'.
'- ". :4 ,,'1
Idem I..: "
" Sll : i m G 's'Pe 's
;; '. -. ..,: Poflts .
Idtemn,70- ..... .
i ... Rua'd- &$ anta T1 eza


Idennim. 4
Idtem n. 2


SoLado do urn
Sobrado de um


Rua do Visconde de Albuquerque
Casa terrea n. 91 208500
PATRIMONIO DE ORPHAOS08
Largo do Paraizo
1.o andardo sobrado n. 29 (fechado) 2435750
2.o idem idemra 305$000
S Ruta da Lapa
Casa terrea n. 2 201$000
Rua, da Madre de Deus
Casa terra n. 20 7229000
Idem idem n. 16 8275000
Idem n. 2 (fechada) 233#400
Be:co das Boias
Spbrado de 2 andares n. 16 6239000
Idem idem n. 14 6445000
Idem n. 18 (fechada) 3605000
Rua da Senzalla Velha.
Casa Lerrea n. 18 [fechada] 1838000
Sobrsdo de 2 andares u. 132 7025000
Rua da Moeda
Casa terra n. 45 217000
dem n. 47 217$000
Rua do Born Jesus
1.o andar do sobrado n. 29 (fechada) 2255000
Rua do Amorim.
Casa terrea n. 49 6006000
Idem n. 45 [fechada] 4355000
Idem n. 21 .' 89$000
hlem n. 26 1235000
a Ruatl de S. Jorge
casa terrean. 104 242$000
Idem 94 2515000
Idem n. 100 [fechada] 2625992
Os nrctendentes dever-to apresentar no acto
da ar;rematais,'o as suds tianCas, ou comparece-
rem acomnpanhados dos respoctivos fiadores,
devendo pagar alem da renda o premio da
quantia em que for seguro o predio que con-
liver esthbelecimento commercial, assim coou
oserviso da limpeza e prego dos apparelhos e
annuidades.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do)
Recil'e, 30 de aniio de 1877.
0 escrivao,
Pel,-o Rodriucs dr .nr:c=.

ObrIas publicas
De ortden do llm. Sr. engenhciro
chefe da repartiao das obras publi-
cas. fago public que nos dias 8, 9 e 10
do corrente, licae interrompido o tran-
sito de vehiculos e'animaes pela ponte


.4f
-Rua do Gaj.
Iua da Moeda
tndar"n. 41
Rua da lapa
andur n. 8


208M
1905000
3471007
378SO000


LRAI)A~~E~ FERRO UQi RECIPE A CAXAN


rA'14dA.,eO, 1EmO. DQarEo tn IFE Ad CAXAN


Do dia g4 de Outuro de; !877 em diale a partidao s trens seAi regulada pela-labella Sefuite:


publicas, 'Mo pblN
sar possa, que, em
do Exm. Sr.,presidOnW'
vai a praa perante esta d
dia 2) do corrente, ao "
de em*rreamentoa db'iygi
da estfda do norte, no legar
nado Chi da Mangabeira, -
tancia de :2578490. 0 orga
condivbes do contrato acham-I u
secretaria para serem examinadofer
pretendentes. a
Secretaria das obras publicas,-jde
outubro de 1877.-0O official, J oooa-
quirn de $iqteira Vareido.
fPela recebedoria de rendas in-
ternas geraes se faz public que 6 nes-
te mez de outubro que tern de ser pa-
go, livre de multa,. o primeiro senrtes-.
tre do exercicio corrente de 1877--78,
relative ao imposto sobre jipustrias e
profiss6es, depois-dq qu dsAixha coin
a multa de 6 por cento.
Recebeddrki de Pernambuco, 4 de
outubro de 1877.
0 administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.


Santa casa da misericordia do
Recife
Por esta secretaria se faz constar Jque o 0im.
Sr. thesoureiro, no salao da casa dos expos-
Los, no dia 15 do cor'ente, pelas 9 horas da
manli?1, fard pagamento das mensalidaudes ven-
cidas de julho a setembro findo, As amas que
s3 apresentarem corn as criancas que lhce-
foran m confiadas.
Secretaria da santa casa da misericordia do
Recipe, 8 do outubro de 1877.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza
Sociedade Monte'-Pio Santo
Amaro
De ordem ulo vice-presidente, convi-
,lo a todos os socios da mesa para
cornparecerem nas sessoes que .terdo
lugar tod(os os dominos As Oaoras
d(a tarde (1do correiinte mez, ficanip cer-
los os s)cios que nto comparecerem
al6 a ultimna domninga deste mez qu
sei'ao coisidcrados como nao perten-
sendo aesta sociedade.
Reeife. 5 de outubro de 1877.--0
secretary o interino, Firmino Alve.s
B.rbosa.


iGA


.. i ... -.... ,, r ....,II
-. .. ...... ..... .... -- .. .. .*..-_-^- _. ~ s



-!ias uteis Domingos e dias santilicados
Dia ut i "" *' '


Recite .
Rua do S .
Rua Formosa
Officinas. .
Soledade. .
Caminho Novo.
Manguinho .
Entroncamento'
Igreja dos Aff. -.
Tamarineira .
Mangabeira. *j
Casa Amarella. |
Monteiro .1
EntroncamenLo.
S. Jus .
Torre. .
Ponle de Uli6a
Jaqueira. .
Parnarnmeirim -
Sant'Anna .
Casa Forte .
CaldeireWo .
IAlonLeiro. .
Porita dLA.ga
Apipucos. .
Dous Irmnius
Pedra Molle
CaxangAi.


ManhtA


1 4 5 7 8 12 14
i t i i,

.... 6.0 ..... 7.35 7.45! 9.- ) .
....6.11.... 7.39 7.49'9.51
6. 1 7.4 i .. 31 '
5 6.2 .. 1 7.46 .... 361,

5.36.23 1.... 7.48 .. 38
5.36i6.25, .... 7.50 ....'9.40O
S... .... 6.30 .. 7.58 .... i
I ... : .. '.. .330 .011 .... ''
I .... .... 6.33S .... 8.061 .... .
8 8.... 806
.... .. 6.42 .... 8.10 ..
....;....6 45! 8.13 ....I
.... 6. ... i8.18 ... i =
5.376.27I .... 7.51 .... 9.49 "
5.39;6.29l ... 7.53 .... 9. 441.2
5.41 (i.31 7.55 ... 9. =
5.43-6.331...i7.57'....9.48 E=
5.46'6.3(;'. 8.. 9.-5'i 1
5.48.6.38' 8. 8.02( ).53 ,3
!5.51 U.-41 8.05 .. ... '9.5,0 ]'
5.53 6.43; .... O8.07 .... 19.5' b
5.5t (j. 1 6 ...'8. 10 .... 0 1.
6.00,6.50 .. .'8 2 .. 10.5'
...7. 0.3 .. .. 8. 3, .... ....
.... .i .58 ..... 1 '.26. .... 8 .3.. 3 I
.... ,.1 .. 1. 3. 3 1 .... ... i
.... 17.12 .. 8 1.


Tarde


46 4 17 19
ILULI

2.20 .... 3.15
2.24 .... 3.19
2.2 .. 3.21
2.28 '....3.23
2.30 ....'3.25
2.32... 3.27
2.34 .... 3.29
.... 2.37 ....
.. 1. 2.40 .. .
I ... ;2- 451 .. .
S. 2 49 ...
I .... -. s'-.5 ...
I ... t2.57 .. .
2.36T.... ;3 31
2.38 ....3.33
2.40 ...3. !.5
-2.42 .... 3.37
&2.45; .... |3.40

...7. .3 064.00
2. .. 1 3. 45
.. .. 3 3.47
12.5013 00 3.54
.. 3.03 3 57
:..3 0614.00
.... 13.11 ...
S... 1 .3 .. ..
3. .3 20 ....


22 23 25 27 29 32 33 36 37 139
!7;ol-]:I -7
4 30 ....j 5.15 6.00 6.50 7.35 .... 8.25 .... i0.co
4.34 ... 5.19 6.016.54 7.39 ::.. 8.29.... 10.04
4.36 .... 5.21 6.W 16.56 7.41 .... 8.31 .... 10.06
4.38 .... 5.236.09 6.58 7.44 '... 8.34 ....10.08
4.40 .... 5.256.1117.00 7.46 ... 8.36 .... 10.10
4.42 .... 5.27 6.13 7.0217.48 ..:. 8.38 ... 10.12
4.44 ..5.296.15 7.04 7.50 ... 8.40 .... 10.!4
.... 4.47 .... .... 7.06 .... 7.55 .... 8.46 .....
.... 4.50 .. 7.Y ... 7.58 .. 8.491 .....
.... 4.55 ... .... 7.14i .... s.. .0 '8.54 ......
.... 4. 9 .... .... 7.18 ..... 8.07 .... 8.58 .... .
.... 5.02 .... .... 7 21 .. 8.10 .... 9.01 ....
.. 5.07 .... 7.26 8.15.... 9.06 .....
4.46 ....15 32 6.18 .... 7.54 .... .18.43 .... 10.16
4.48 ....'5.34 6.20 ......56. .... 8.45 ....110.18
4.50 .... i5.36 6.22 ....:7.58:.... 8.47 ....10.2
4.52 .... '5.38 6.24 .... 8.00 .. .8.49).... 10.22
4.55 .... 5.41 .6.27 :8.0., .... 8.5,2 ....' 10.25
4.57 .... 5.43 6.29 0:... 8...8.54 .... 10.27
5.00 .... .66.32 ... ...... 8...'54634.0... f0.30(
5.02 !.... !5.486.34 8.09 .... 18.59 ..- 10"32
5.05 .....!5.51 6.37 .... 8.12 .... 9.02..... 10.35
5.0915.1015 55 6.42!.... &. .07 .... 110.40
S. ... .5.58 6.45 .. .. ...9.10 .... 10.43
.... [5...15 ` .48 .. .... !9. ... 10.46
...... r6... .... 16.53. ...... .... .... ',19. 19 1 ..... 10.51
.... 5.226 07 6.55 .... .21 .... 10.53
... 5.9 6.14 7.02 .... ....!... 19.28 .... 1 .'00
I I I I. I' I


Estav6es


Recife .
Rua do Sol.
Rua Formosa
Oflicinas.
Soledade.
Canminho Novo.
Manguinho.
Entroncamento
Igieja dos Affi.
Tamarineira .
Mangabeira. .
Casa Amarella.
Afonteiro .
Entroncamento.
S. Jos5 ..
Torre. .
Ponte d'Uch6a.
Jaqueira..
Parnameirim
Sant'Anna .
Casa Forte.
Caldeireiro .
Monteiro. *
Porta d'Agua
Apipucos.
Dous IrmAos
Pedra Molle.
Caxanga.


Manha


1I 3 5 7 9 10


6.0016.457.308. 59.00 9 440
6.0416.49 7.3418.199.04 9 41
6. 066.51!7.36 8.21,9.06( 9.46
6.08 6.53'7.38 8.2339 081 9 48
6 .I0C.55 7.408.25'9.10' 9 o50
6.12'C.57:7 42-8.2719 12 9 52
6.14 .(.59 7.41'8.29'9 14. 9.54
I ... l .01' .. .. ,9 10O; .. .. .
S... .01 .... ..... 9 19 ....
.04 .... .....9 1,
7.09... ... 9.21.......
.... 17 .3 .. ) .9 28
I .7. 13. ..... 1i9 311 .....
I ... 7.21 .... '9.36' .....
6 1 ... 17.45 8.31 9.56
6.18 ....7.47 8 31 .... 58
6.201... 17.498.351K.... 10 00
6.22 .... :7.511 8.37:....110 02
T6.25N 7.54:8 40, ....!0 05
6.27 .... 7.568 .l 2.... 110.07
6.29! .... :7.58 8.4 ... 10.09
6.311 .... 80 .47' .... '10 11
6.34, .... 8.03 8.50o.... 10.141
6.387.:258.1018.55i9 36 10. 18
6.4117.28 8.13 8.58i9.39:1'.21i
6. 4-17.31 8.16 9.01(9.41,10 24
6.497.368.21 9.069 46-10 291
6.51 7.3818.23 9.0819 47!,10 31
6.58o7.458.309.1519 5V-10 34


S ". T; Tarde -. ..

SI I '
14 '15 17 19 22 23 25 27 29 31 33 35


1 10,1.20!2 052 5 50 00 ... 5 00 5.50 6.40 8.058.504 9.40
.,14 1.24 2 09,2 44 04'.... 5 045.btG.5448..98. .4.
I 16....2 11 2 56 4.06 .. 5.065.5,6 06 46:8..118.56i 9.4(;
I 18 ....;2 132.584 08 ....(5.085.58!6.48813 8.3 858 9.4
1 20 .... 2 153 004.10 .... 5 I(.006.508o.15 9.00 9.50
1 22... 42.17 3 04 .12... 5.12 6 026 5218.17 9.(02 952
1 .24 .....2.19 3.04 4.14'.... 5.14'6.04,6.51i8 19.9.04 9.51
.... .29 .- ... 3 05 .... 4 18 .. .06...606 .. '8.20 .......
.... 1 32 .... 3.09 .... 4.21 .... 16 09 .... 8 241 ....
S. :. :. :37 .... 3 14 .... 4.26 ... 6. 4 ... 8.29'"... 1.
.. ..1.41 .... 3 19 ... 4.30 .1 8! ..8 33 ....
.... ,1.44 .... 3 21 .... 4 13 .... 6._1 .. .. 8.37
.. ,.49!-.... 3.26 .... 4.38 .... 6 6.2 l... 8 42
1.29 ...'2 20 .... 4.16 ...5.1i ....'6.5 .... 9. 6 9 53
.29) .. ..'2. o2 ... 4 18,... ....'6.58 .... 9.08 9.58'
3 ....'2.24 .... 4.20 ... ',5 20 ....:7.00 .... 9.10:10
1 32 ....2 2 6'1 .... 14.22 ... '5 22 7.02.... 9. 1 0.02
1.35 .... 12.29 .... ... ... ...4.2' ... 9.15!10.5l
37 ....'!2 31 .... 4 27,.... 5.27 .... 17.071 .... 9.17 10.07
1 39 .....2 33 .... 4.29 ... 29 .... 7.10 ... .9.200.10.
1.41 .... 2 351 ..... 4 31 .. i'.31 .... 7.12 .... 0 9. 10.12
1 44 ....i2 38 .... 4 3S .. 5.341.. 7.15 ... !9.95|l0.15
S49 .... 12 42 ....4 38 5140 30 71 9 9 2
I 53 .... 45 .... 4.41 .. .4316.-33 7.22 ... 9.32110.23;
56 .... 2 48 ....14 44 ... 4.466.36 7.25 ... 9.35i'10.26
2.01 .... 2 53 ...: 4..9 ... 5..1 6. 1 7.30 .... 9 4010.31
203 ....2 55 ...14 51 5536 437. ... 9.4210.33
2 10 .... 3.02 .... 4 58.. 6 .006 507 39 9.50 1(0.40
_~~ i ^ __ ___


6,,""' -


VOLTA


Dias uteis'

Dist. Manh& Tarde
---I EstavOes ......2- 03 .1-3.
h'ilo, 2, : 6 .9 10 i 13 1 18 20 21 21 26 28 30 31 34 35 38 40
-----------+ -- _____ -___ ___
C xI, g '- .1 -,,
8axan- 7 ....... .00..... .. 35 .... i O00 ... ...... 5 353 6..20 .7 10 210 o
-2.170 Pedra ulle .. .... .... ..... ...... : .42 '.. .0 27
.550 ous r os 5.54. j.. ;<) o 40 409 ....... 5 44 6.2 7.9 I" 0 1
S .. .. .1. 5. .. 7. ....... ... 0 3
., u87" 1 7 8 : .i3 ... 5.56. 1 i .0 34 6
,;.3 7 ,. L(^ .> m\ d!:,rl :. ..: ;. 1. R. ?- !', !. : .. 4 7 I 6 ,0 1 .. 7 3 o o i "
l; u l i. .. ... -.314 .. .. .. ... 7 o .
~ ~ ~ ~ .. 1! ~ :,, "'. ... i9.
s... i c,.n ,e-r .. .. ..... ..... .... 6.071 ...... 7 .5 160 1.
'):> '"~l s M l == .r ,: o- i" I . -. .-- I i 4 0 J .. 1 7 5 i o 3 :.. .
..f...j. ."..i 'C0%0 3.r
.. ." ... '. .i .. ... 7 7 1.1 .
i 3..7: i;i .,,c., en to; '(.;.27 .... ..... ;.. ...4. ... 7.53
4. 01 ... .. .. 11 '. :: 7 1 ?. .u
:,.(:,'.- (-* Id,.. reiro .,6.'1:1 .. U.5':,' i.24 .. '. -." ;, i(). 1H .-'. ,;;. .U .... 4 &, .14 6. 6. 7. b l;^ ........." iG 4<" (
(:.7t,' T':-i^ bkite .)c;.li ..'.'7 d! s 2<; .... .t.2 ;i1 .2i 2 3.'il16 G. ..!. G .TA. i0.4I (G
7 (*7., *-"*t.Ann *;. 1::,. ... 7.f.: ',.2:s .).'2!-. i'l..^ ;^ "- *;;>.l3 ..a B ^ 6.5' 7., l "" 1;1 ... 0.48
1.- 30- 7.

t ;i ... ,, : ;: f i 1 .6... .4. .. ...

"" i .. .. .. .:i .. .... .... .. : 19 ,; ... .. .0 53 J
.4F, ,:--4.U 13

9;)*. i: i' c d Ucl ,', O, n; .. .. SA O .3 ,' ,... .. G;-i.22 ".; ;' 1"5"
.'1 -0 2 7 4 .,.....0-4,N
0' 4'. J ,7.1 ,.38 .. .8, :: I .'bo 56.:;; l 10.54

lu. il s'- -^i e u. ,-, (};'. 7.15,8.401 .. [,) ,:. ,..1.;':/ -: 5.) '... ^ SO ...^ w .'1 o l .5O 1
V.(, 11 ". ..- -. ,3" iJ.. & .4{... 10

C10.57251. iEntr Im ent o:e.H -.7 i.ll i,8.4221; 7 *'. ..i- iO. ;7').;'. 1:3.-lj .16'8 L7. 37 ... .. 10. 46 C:
7 cri,.u ,i1o 2. .29 j 7. ,1,4 0 .43 i .:1 .,|.. ,. 1 .. ..
S. ... 8.. 4 8 ... .4 t 0 10-1


!1 Sd8 dvO" "" '8f .* 6'.- ....i7.231.. 8.5319.48; '1.-; .... :3.37 .. M i 0.2-7.l 28.C ... 8 /.;) ... 023 1.P
I ml dfli c, .Uel '9"7 ,n 5 10.55,-[

6.." I 10 23 ... 17.38.47'8. 56 .45.28 .... ....4o ......26'7. 1 0. 5 101
O! :5 s' 25ua F rm a7 ", 0 ,- .....
G.7 ..!.78. R 1j (1.I 32 187. 4G7.51 .. 11 in 02 E
Ii 1t EiugiIo o29 L-s499 nh "~ 334! 217-M8 7.56 *b8.45 jO,'0 11.,04 A]
12,'.) G iiilb;, Nuro 6A(...1.17 A'3 1 8. -91d.1 '0 O ii36227;7.81. 1.1 10 921i*1NW C
11 580 Suledido... -.311..fl 7.211'8 59 9 4 V.43jg 3.37 6.82417 t2-8 O; 8/."tj 210 .08
12.4C OW flicinms 6. .37 '7.25'8.47 8'..% 9j,010 5...'j 40:' '*6.20 7.1 8.02-0 ..8.53 1 016.2a-f1Al
12.. RnaFormosa 6.39 .... 7.27 .... 8.h819.52 .-7 .... 3.42 0.87468 .04 .... 853 10 27 ..
55. 1oa*o45,, ... : 04 80 .... 10'27 11
1285 RuadoSol. 41 729849.0(9 5i. .3.45 ... 4. ,30 7.188.0 ..8.55 .. 1O If
3 i 5 .
13.5 FbRcifei .46.... 7.38'8.53 !9 .,95 0 ra7.55;30 i ).00 .2 ;0 l
a0 40 -0..


5 "' *Ni B.-Da 4:Wmdiiantiv e~e
.;g.. .- '- :.ho ef pu -l t', .." .. ."
.r''.' .' %" IL- i" a'


'. .o.i e, r


^ A *' '
.,-._. .,.i...r .., ."


Domingos e dias santificados


EstavCes


Caxaugi...
Pedra Mollo. .
Douts Irmilos .
Apipucos .
Porta d'Agua .
Munteiro.. .
iCasa Amarella. -
,inga bcira .
T'aniarineira .<
".,rej-a dos Afj.
Eitroncamentb,
t'.ldtireiro. .
Thtidei reilro -
'asa Forte .
ialt'Ann;i
'arnauieiiin ...
nquira.
'onLe d'UchOa .
\;n'e -
. Jose .
:ntrbncamento
laRguinho .
:aminho NovO,, -.
o.ledadc ;" ,
SFormosa
badOSol. ;
"%' ^ i '


Vfauha tTarde


2 8 11 12 1 16 8 20 21 24 26 28 32 3 36
i I ) ) ) 34 ,
I -j.. .. -
6. 157:)5 7.50 8.35 ).57 11.30 .00 1.... 2.20 3. .... .... .'. 1('7.40 8.A 0 .....'10.00
6 22 7.12 7.57 8.42 10.0411.37 1.0I 7 ..... 2.27 3.371 .... .... .27 6.1 7.47 8.27:...... 10.07
6.247 14,7.59 8.44 10.06 1.9 .00i .....9. 93.39 .... ... 5.2.J6. 917.49i8.291 ..... O.09
6.297 -1918.04 8.49 10.11 [1l.4 l2.1- .... 1 2.34 13.I44l ... .... .5.3416.247.54!8.31 .....10.14
6.32 7.22i8.07 8.52 10.14 11.471.1 ... 3 72. 47 '377 7 57. 837'.... 110.17
..... 7 8.. 5 ..... .. ... ... .5 4 .55 .... .5 .....
7.. -o '102 : ".25-.-... ...o0o. ... ... 8,1
-A7. 3'..t.' 12.28 2.08t ....Cr.. 89
.f. 17., .. .. O.. o .. .. ,I...25 2.oo .... .... 00!. .. .... 0 ..... 0 .4,) .....
.. 7.3. ... .03 .... .... 1. 2.3328 2.1'08 .. -I. 5.03 .. .I .... 8 0 ,.. 9.473'. ....
.. 08, !. ,33 t2. o 5 57 1 .I 8 l'... 8.1' 9.47' I
.... 7.4:2; .... 0! 12 .. .. ... !.12.3 7 .-1 ... .... i .. 5. 1 J. .... 7 i .52. .
4 -.. 7. 9.15 .. 2. i 2.2 .... .1 25.15 .5 i. .... 8..20...; 9.6 .....
8.. ..10 .. 10 ; i .:, : ..... .. .4 .5 .... .... .4 .*, .*. ... _,
0.4 t1 ^ ^ .ll.,. -" i .2 '.G :.-. 5." ;0 '3i ',*. G .... 1 .24 ;
6 5 .... ,.. 7 .. ,i0.25 1 1.5., ...... .. i. ;.; .. ... 5. ,7 .i 7 .. .. .- ... 0. 2 ,a,'
0.42 .. ... .19 '10.92 1 .: .. ... .. J. .. .. .. .10- .. .. .24
64 8 i l)0! ."5 1.57 0 196 .,9. 3 10'
G.5f... ,o .. .. 10 1r2.,..... ....... 3 7.u ..... 6 ... ; ..... 10.32
.52 ... I8.24j .... .10.i 12.01'.... ... 2.55 94.0 ... .:... 5. 6.45 .. S.7 .... -. .3
6.54 .. '8.26 :... *10.3i12.0G ......... 2. 4.( 7! ... .. 8 6.. .... 0 .0 .... '10.38
56 .. ... t "... ... .. (0 4.0 .... .... o 6.50 ..." 1 0o
o S.2 4 A1.1- 1 .-I"6.02o "6.52 -'0.2 ....0i 1. I lo
6.58 .. !8.30... 1Q.38 .1 ... '. .... ...2 .0 '. .... 10.42
7.01 7.45.8.31 9.16 10.40 12.1212.40 2.213.054.16 .... 5.1 6.06 6.55 8.21 ,9.061 9.57 10.14
7 07.47 8.331917J10.42 12.14 12. 3 2.2:3:3.07 1.18 .... 5.18 6.8 6.57 8.23 9.08: 9.59 10.46
7.04 7.49 i.35 9.191O.44 12.1612.44 2.2S3.09 4.20 .... 5.2o 6.t10 6.59 jS.25. 810.1001 10.18
7.06 7.5118.379'21 10.40 12. 1 2.462.273.11 4.22 ... 5.22 6.-12 7.01 8 27 9.1210.o3 t10.50
:X8 7.53 8.399.24 10.48 12.20 -12.48 ,29 3.13 4.24 .... 5.2416.'14 7.0318.29 9.14 10.05 10.52
.t0 7.55 8.41 9.26 10.50 12.22 12.50 2.3113.15 4.26 ..... 5.26 6.16 7.05 8.31 9.1 10.07 40.54.
9 7i57 8.43 9.28 10.5 12.24 12.52 33 3,17.4.28 .... 5.28 6.18 7.07 8.33 9.A810.00 "O
7.8J.18.47 9.132 10.56 12'28'12.56 2.37 3'21 4.32 .... 5.32 6'.22 7.11l 8. 37 a. 31.1S .OB
T-.: : = =HiT :- i" '" 'ii" .. .. .. .. .... '
JimI eaiero Monteiro, Apipacos e GaziVgi; .*opa-fo as
"sa,'t- .ca-rros'.. -


. ,.. ,
:S *,, : ? < q "


...;o. .7..


- .** *... I, ,^
.:- ,.' ,- "i. i"
...... "'i"t' '-' sE-t3


.i, ',


.4


, .


"i "




t*


EstaOes


Dist.


Kilon



700
I .000
1.310
1.97i)
2.425
2.84)
3.025
3.825
5.02(I
6.020
6.980
8.100
:3.025
3.410
3.900
'. 120
5..100(
0.700|
4. 475
6 850
7.585
8.300
9 030
9.680
11.000
11.380
"13.5O0


It
/; .-
* .' : -


I a'
I ~'% A~


- '- 7.,
~ '~'
'I.., 7'
~,i7.~


'I.




'sit'
'II


4' 1~


I I


I I


WO


w


..,..ir^


#














^-bsmo 4 rbqu-ue
Somia de 4marlinha de Per-
4.a opbro de 1877.,
Fc. 0 iospecAr,
Franwisco los6 Coblho Netio.
, __, -


A companhia ferrea de Olinda, com-
-prasutipas de oitysica corn as dimens6es
seguintes :-comprimento 9 palmos,-
largura 9 pollegadas, Q grossura 4 polle-
gadas.-O gerente, L. J. de Miranda-
THEATRO -

SSANTA ISABEL
COMPAw 1 E .I IESPANIKIL.A
DE


ZAiZEELAS


TFR(:A-FEIRA. 9 DE OUTUBRO
Terceira recita de assignia-


tura
Estr(a do 1o Baritono-Sr'. Villa-Real
Zarzuela em 3 actos. sob a direcciio
de scena do Sr. Thomaz Galvdo.
Briniicar con logoq
PERSONAGENS
Du'1uza dle Medlina-Sra. Gai\'.
Conde.-: de FioellOS--Sr. Espana.
Marquez de Cu;\avaa--Sr. Villa-l't,-al.
Duque ,Id fediia S'. 1onapia lati.
Feliz ri-ll--i'-Sr. (ter ier.
Antonio-Sr. Diez.
GuaII.I..i d, D ido( s--Sr. OrLi- filliho.
10 pa.,i.m--Sr. I 1i, l);ie.
2' pIM. L-0 -S. Juliann'a.
Dames, ic\aalleiro,, douis c"rot'O; do hciene s
l uI llire,2 .
Priiicipiara a.is lSo'as.
Os lillietos enlcontrain-se a venula no
Cscriptorio id,) Ilieat:l'o, e linilo o esliec-
taculo ItavriA IOmidls para M21adalena,
Afogado-; e Fernandes Vieira e treMn
para Olinda e BRiebciljc.

MAIRITIMOS__
2OMPANIIJA Pi:RNA.\.MBLI' \NA
DE
Navegacdo costeira por vapor
[o. (1s d nof;'le
Ceanrt e Aracatv
..d L-. ^0 vapur Pt*.If'iPc',1!
f' N, commandante Silva,
SOUi'.. y soguir p''a os porLtns
Sf'N achnma no dia 10 de oun-
tlaubro, as 6 horas da
-- -' *- l latiiia.
Recebe car,:i, oncomrmendas, assagenis o
dinliciro) a frets, at. as 3 hooras da tarde da
vespera (h1 saliida. Escriptolio. a
Rua da Companhia Pernambu-
cana n. 12
(O)s senhor, 1'o_'1cor1s q-l ti n 'ni.i li:"
h.oje [4) ao eOscripLorio da coinpanhia declarer
os volumes (uo protendlemn ombarcar, afi.n de
ssr resolvila dcrinitivamento a viagem, no dia
e hora acima indicados.
Escriptorilo-itua d(a Companhia Per-
__ na )ibucaia n!. 12
Companhia Brasileira
DE
Navegaao a vapor
(uTOs)(- DO NORTE
0 PAQUETE A VAPOR

Parnai
,ommanidante primeiro-teneite Carlos


~i~


portos do norte.


Gomes.
a! l.'lera-sp dos por-
tlos do sul at6 o dia
S 8 do correntie e do-
r pois da demora do cos-
. tume, seguir'a para os


0 vapor -%'ui a
qommandante C ita,
sbo erflfApara o porto
acimpa," eo dia 9- de
ouitb!h ao Omeiodia.
.ReO86e car'at -0 di8 n oammeuda,'
passageils e dinheiro a free, atW As 3 horp da
tarde do dia da ahida : escriptorio ,a
Rua da Companhia Pernambu-
caia n. 12. -

Royal Mail Steam Packet


Company
Grande reducio nos pre osdas pas-
sagens
0 PAQUETE A VAPOR
"9 NIt0
(ominmandante Compton
Tocando em Viio
.Espera-se dos por-
tos do sul no dia 14 do
corrente, o qual depois
da def, ora do costume,
seguirA para Antuer-
"pia, Southampton, to-
cando nos portos de S. Vicente, Vigo e Lis-
b6a.
Tern dous pores por mez, desta comp.-
nlhia, tanto para o sul, como para Europa.
As cliegalas e salhidas s.o as seg-inites
Da Eiropa
l'.j Southarrrton nos dias 9 e 2t de .:,>2 me/.
De Lisb6a nos dias 13 e 28 lie cada inei.
De Pernambuco nos dias 10 e 25 de cada meL.
Do sul
De Bienos-Ayres nos dias I e 15 de cada mez.
Dec Montevido nos dias2 e 16 de cada mnez.
Do flib de Janeiro inos dias 9 c 24 de cada .mez.
Da Dlahia i n.. lias 12 e 27 de cada miez.
D)c Pernamlutco n.s dies 1 'i e 29 de cada mnez.
PIR-E:0O DAS I1ASSAGENS
(:I.ASSI-S
1.' 2.' 3."
Para Lisl)5,i e rVio.i ..-20o25 15 9
- Sutilthiaimilon ... 30-35 20 13
- [--al-ia. 25$ 15I
- Rio do Janeiro. I LO t) 3o 31 ,
- Montevid'-o. 2:3 11 7 (6.:.
- Buenos .\Ayre- '21 12 8
Billietes de ida .2 volta Lccnl1 uim abatiiniito
dIo 27 .' ir c t:lo.
Da-se vili,,Iic r. i.t ao-s issa-eiros de to-
1,]Iq a S, .C zs .: C S,
-'az-se .randoIs a altitilen'os a 'avor do, Li'-
inilias e para reducq(5cs soblre os pregos da
tabohlla, trata-se corn os consignatarios.


0 PAQUEi'E "A VAPOR
Guadiana
Espet'a-se da Euro-
pa, no dia 10 do cor-
.'ente, o qual depois
da'demnora do costume,
-seguira para Buenos-
S ..__. -' Ayres, tocando nos
pclrtos da Bahia, Rio de Janeiro e Milte'vil',o.
Para passagens trata-s com os
CONSI G N.ATvA BIOS
Adamilsoll owie & C.
Rua do Marquez de Olinda n. 37
Entrada pc-la rua do lispo Sardi-
nhan. 37.
Companhia de navegagdo a va-
por Bahlana, limitada
Maceo6, Ponedo, Aracajui, Estancia e
iahia
0 vapor


S.


Salvador


Commandainte Beltrao
.#.g .u Segue para os
f- portos -acima no
-: 3,, dia 9 do correntl-
-- --. .-....-1... --7 s -i lio as da tai-
de.
Para passages, cargoa, encommendas e di.-
lheiro a frete : trata-se na
Agencia
7-Rua do Vigario--7
Doiniingos Alves Matheus
Xracaty
Segue nesLos dias o hiate Flo' do lardim;
para carga, trata-se na rua do Vigario n. 33,
'1o andar, corn Joio Jos6 da Cunha Lages, ou
c',in o n--eht p nn to niiiurph lonvn.


Pi )RTOS DO SUL I- V I _........' .. .." -...- ..-. -
0 paquete a vapor Airacatyv
Cearti Se-uc corn toda a brevidade o hiate
:lominandunteo Alcoforado Dews c (Guie, recebe carga.: a tratar
E' esperado dos por- na rua da Madre de Dcus n. 8, corn
..- -, -,.fi os do nortLe aL6 o dia 1attholomeu Lourefo ounoCaesdo
1' 1 5 de outubro o dripois o
.'--.. .. -: ".- ." dai demora do costume Bi o.
-..... '". scaguiri para os do sul, .Br- a portugueza Luiza
._-.- .. .......-- inclusive o dc Santos. Aracai I'l
Patr cz ';i, c-ncoirnrc-ndas, valores o passa- I Preeide salIh' nestes dias para- aquelle por-
:ens, t, ...;-.0 i:. ;ijeic.ia, escrip ,orio d, c0111- to a hat-ca '.,l''Il.,;g ZL Ltizu, i cobo caga e
, -i -. lI'::sa. ."r.',-., a 'tratn r C 1ont Parcn.te Vianna &
:r"".'.1 o Pontual (I C., A-ti rua do Mrqiicuez (Id Olinida n. 59, on co
\ --''a 1 Bo.n Jesus- |0Cto cajpiito a I)ordo.


~C.)M[P.ANHI A PIl'tNA :Mil.C\N A
1) E
NavegaIcao costeira por vapt
Pened(o em direitura
0 vapor .Ianda1
.. -, commandante Rino,
guir'a parao porto a
mina no dia 9 do cornr
t( e, i, s 8 horas da i
"-'-:'''""- "inh.
Recebe car-,a ate 8 ; encommendas, p
sa-'ens e dinheiro a frete aL6 as 3 horas
ta do do mesmo dia : escriptoriio no
Forte do Mattos n. 12.
Pacific Steam Navigq
lion Company
I OV .AL I1-AIL ,STEAMER
Jonh Elder
_Espera-se da EiI
-;. I|pa, ;'t<' o dia 8 do c
-i.'.'. r :'nt e, e s,.miti Ip
L'- 1-^ a Bahia. Rio id .li
r '-e o, M,?ntc'i,_d f ,ipi
Ayre. \";ldpl;l' /A ,
'.; ., a i '; n :'ri at," o\v'- 'f
'*. ; it. ,- 2, 1 ... r.'ceberia I:: ;;,
.. .,1 '* O' ,l ** !c*i !' i ii e t) a l f t::, '.
1i i ? i p Ii C sc'li'.'' .:u!lLi
I ( oitI, 'l

1 i--''A O r(-)l'G!:'.:4IO- '.


'1 -


4k~ L~t


: -v Ia~it~icies
L,-^ 74 MENISL
i pa'nill.ti?

Grenoque
Coinzandante De Somer
E spera-se dos I
^k^-^Iy ~tos do sul no di
-do corrente, segui
depois da demorE
costume para BI
BEAJX tocando ira
D kar, Lisb6a e Vig
P "' passageiros, encommedas, etc., a
;... ^'ta'^3 o ,-"
,,. .< .a...


-- i i I-lmni'li i_, .wi* 1 -11 L 0 E S
...... LEILOES ...
or
h,, l ,a'li


S- ,-.* il y m jm
do, I prdw,r
iS cadeilrts d-
tros objeoWts de q
1 faquieire comi
I paliteiro.
QUARTA-FEIR
No sobrado n. 4
ro, em -trente
0 agent Pinto f
de uma familiar qu
miovelis e mais obje
doe azulejo da rua d
Principia


LI


,. Urn sitio na rua
corn 378 palmnos d
queiros e outras a
Urn terrenio con:
frenLe, em que se a
de pedra e cal, na
feguezia do Afogad
mos de fundo.
Quinta-feirz
"A's
POR INTERVI
I
Na rua do
Os pretendentes
formiae.ao no esta!-e
.grelso, nos Afogad

IAVISOS






2 3~


SFa

colie : a



rua de Hortas n
inazemr e sotto.,
proprias par'a mo
se esLwbelecer co
tern armagdo e u
mrelhor possivel,
das loter.is.


ar

b tosd n.ta do Poh no stio da P i ~eU-
A i0 DO CORRENTrE.ichi6a i. '14. Para tratar
da Pusde Santo Aws- 1 r
S a oaheldoP o1mesmo sitio das 6 as
ard leilfo-por conta ordem '
ie muda de residencia, 'dos
to aexrsines no sobrad, o '8 horas da manha, e das
ecto existentes no sobrltdo
le Santo Arnaro n. 4.
1-A 1 10 14 horas. as5 horas da tarde.
TILAO -Osabaixo assignados decloi-am ao publi-
DE* co e especialmente ao corpo commercial, que
do Maxixe, em Afogados, edesd 0 dia 31 de agosto proximno pass do dis-
e frente, corn viveiros, o- Solveram amigavelmente a sociedade que nes-
lrvorose d orro La praca gyrava sob a firmna de Jose da Silva
rvores de fructo. Alves & C., retirando-se o soeio Manoel Bap-
Scerea de 100 palmos de Lista do Miranda pago e satisfe-to dos seu.
ichan edificadas 5 easinhas lucros 0 livre do Iualquer responsabilidade,
Srua dos Poor na mde m) pal- icando o socio Jose da Silva A.ves 'esponsa-
os, cor ceres do pal- ve pelo aetivo e passive da roferida casa, em
all do nt Wcijo nnome individual contlilnia. Rlecife, 4 de
a 11 do corrente oiutubro de -1877.
s 11 horas Manoel Baptista de Mir-anda. I
1NQAO DO ACENTE JoM da Silva Alves.,
PINTO. Joa'iui.m Ferreira de Brito-desejaJfallanr
Dom Jesus n.. 43 cornM Jos6 de Brito de Moura, na rua do Noguei'
poderdo ol teo qualquer in- ra n. 33.
.lecimento do Sr. Jos6 Pro- -A pessoa que tiver unia escrava
os. nioa e de boa conduct e quizer per-
S namutar por5 a Valoes da co ,panhia Per-se
DIVERSOSa Arua da Po lordte Velha n. 101, diija-s
iaa-- s a. -S Proci ie mrna cozinliaia, p,-eferin
I~B .1LL A do--e esra-va: na rua do Qucimnado n. 31,
i segiindo amdar.
L[-NA rua Vidal de Negreir-os nI. '136, preci-
sa se de vendedciras para doces; paga-se bern.
i lU l(1C ES<'1.1. Fugio a 27 de seltoebro do corrente anno,
as rdaaiie- a freg(iezia de Jaboalain, o.escravo por nome
ldas ILdar1in, Pedro, deidade 45 anuio, corn os sigiaes se-
sBi cintes : altO, c'.irpolento, falla grossa, con-
V.01(k"(, CX ) e. serva bar-ba e as vezes riaspa toda, pus gran-
iihoi M a"' 1, .1 S I I des e enchados, provenientes de duas feridas
iiO ,.dIrl&i. em ambas as pert-.as, denies pffeitos, nariz
II.- Gi c a hato e aquilino; julg-Pse ter ido para o le-
Bfl' B ., afl ~cife e Capunga, aonde tem os parents : roga-
CIT 4iii se ts autoridades policies queC o apprehen-
1pi)'.O CO llC0 l2 dam e levern-no d travessa dc Peixe Frito,
Laverna do Sris. Aze'edo Pires & .C., n. 3.
AlIuga-se o se.gutndo andar lo sobrado da
v ,"re" o.a r.u de Hortl-s n. k18, corn sotn, o5 quartos,
5e pL redluo da qintal e cacinmba : a tratar no plrinleiro an-
dar do mesmo sobrado.
S4, contn a- Aluga-se em Olinda para festa tumana casa
corn 2 quartos e salas corn excellentes commodos para familiar a pri-
)radia de quem n'elle meira da ladei'a da Misericordia n. 17, tem
)m tavernia, para o que umrn pequeno sitio corw portAo para o Born-Fim
itopnsilio p 1 r e muito enxuta. Na rua da Irmperatriz n'. 8 2o
iensilios.. e o lugar e o andar, se dir co quem s treat.


Preteide-se alugar urna casa corn acconm-
niodacoes para familiar, que tenha sitio ou
(luintal, proxima da cidade, em qualquer dos
estrailas por onde passain as linhas dos bonds,
Passagern ou Fe'nandes Vieira, tendo cncana-
menrito d'azua e gaz ; indemnisando-se de
(lual(jler bemf,.it.,,ria : a irl;tr na saboaria do
Recife.
-.IEDEU-SE no dia (;do corrente,
no theatro de 'Santa Isabel, turn alli-
note do peito coin unina pedra no'gentro
que ihe chanmatin topasio; pede-se a
quem o tiver achado e querenldo, res-
tituil-o, serd recompensado A rua Du-
que de Caxias n. 91.
Consta quie se pretend vender a casa
terra n 46, sita a r ia da AssumpcQo, fregue-
zia de S. Jos6, avisa-se'a quem comprar que 6
foreira e dove alguns tOros, assim como o lau-
demio.
Precisa-se de urna ama para asa
de pouca farnitia : a tratar na ru de
Pedro Alfonso n. 34.
-- Precisa-se do urn rap,.z brasilei-
r-o, que tenha de 14 a 18 annos, corn
pratica de molhados : na rua da Irn-
peratriz n. 46.
0 abaixo assignado, tendo arre-
matado pet-ante a camera municipal os
alugueis. das lojas ns. 7 e 9da Praga
da Independencia, emr cuja cstava o Sr.
Francisco Jose Gonyalves de Siqueira,
declara pelo present que para paga-
mento dos impostos que a- casa deve,
sujeitou-se a comprar a armacaio e u-
tensilios que era o que existia.
Recife, 3 de outubro de 1877.
Jos! Joaquim Sanarcos.
0 iunico deposit dos
remedies do Dr. Ayer e
em casa de Adamnson
I Howie & C., a rua do
Sarquez de Olindan.
37, entrada para o es-
eriptorio rua do Bispo
Ql*;hQ 11wl"f 1V Ill r


ALUGA-SE o terceir'o andar e so.'
tio da casa da rua do Commerci o in-
10, muito fresco, corn conmmnodo- para
familiar : a traiair no armazeom.
LUGA-SE a loja da rua do Vis-
condo de Albuquerque in. 4ii, do sobra-
do, 6 muito fresca, por pre'o comnmo-
do: a tratar no C(trredor dlo Bispo n.
73. Na mesmna casa se dirA quern corn-
pra uriia casihiia nIa rua da Soledade
ou Conceigio, mnesmno Gloria, at a
quantia de urn conto de reis, estando
livre e desembaracada.
Aluga-se a qgsa tcrrea da rna Im-
perial, n. 44 com grande comrnmodos
para farniliaktendo 2 sakl.s grandes,
sendo umia forradia, seis quartos, sendo
dous forrados, urna boa despensa, corn
prateleiras, cioinlha f6ra e unn terrago,
tanque para banho, cacimrnba corn
bonmba, grande quintalC e urn grande
telheiro no mesmo : quiemrn a pretender
dirija-se a rua do Queiinado n. 49, lo-
ja de fazendas.


AGORA SIM
NAO PODERA' HAYER MAIS CABELLOS BRAN-
COS, COM A TINTURA CJINEZA
Preparada por A. R. Etamalho.
21-IRUA DO MARQUEZ DE OL1N-
DA-21
Esta tintura faz tornar os cabellos
rapidamente pretos sem offender a cu-
tis, e muito facial de se applicar. Cada
frasco acompanharA as instrucCoes ne-
cessaries.
O autor da tintura chineza nao preci-
sa de encher as columns d'este journal
comno muitos outros autores fazem, en-
grandecendo seus preparados a ponto de
tornal-os urna maravilha, serm se lemnbra-
rem que, a maneira que seu auto os
eleva, o public os p6de robaixar, poi
que as mais das vezes .-enganado.
Porlafio, o autor da tintiura chineza,
certo do-bhm resultado, j5 pelas mui-
tas experiencias que se tErn feito, jA
pelas bWas provas que semlpre tern tido,
recommend esta. tintura.'
Pede tdo s6mente cue exnerimentemrn


SDA oiU iia 1. U U ella, para depois fazerem seujuizo.
en- loja do udzas da a d Marcilio ra rua do Encantamen- r mnico deposit, em casa de seu au-
Da- do ( ii I S da rua do Marcilo ro acim
ias p .. 50 ,u cI llli
as- TER(CA-MEIRA 9 DO CORRENTE D tBlandina Amalia Fragoso
dX A's 10 '112 h6ras jUrna familiar que se retira para de Albuquerque
S o agent (:Gusmm, competentemente auto- Lisboa em outubroprecisa de umaara ALydi Mariano des
S risado, iaric leillo de urn complete sortimento cia -d 'a Albuquerque e. suae
de miudezas e armaCao oxistentes na loja aci- par-a cuidar de meninos ;- paga-st-lhe a .'-.. '--- filha Anna Clotilie
ra referida, a qual serd veindida em lotes, u passage pelos seus servigos a bordo: "-";' Z FragosodeAlbuquer-
\ionltadk dos compranures, do correr do mar (irita-se coin Sr. Manoel Carpinteioo quo agradocem do in-
1. .-pr 11, (-.t-s r. Mfol apitir inio Palma a todos
__,.__h_. .__en_____ ___- Merites r Pcies, nla padaria do Mangui- sei prnte
os seistearPess
I 11ye.te .PeSiaiUL n. _-______-____ --_ "- angioos;o obsequio de
2 a ^-- n est.angeir'o precise alugar um sitio le'em assistido no .:emiterio piblico a inhu-
SEGUNDO (,on tenhlI ba;a de capim, estribaria e corn-- malCao do cadaver de sua sempro lembrada
""- I i.;"id':i; :ar. riados, que seja proxin:o da ci- esposa c mii D. Blandina Amalia- -'ragoso de
LELor- 01 ,la1e. erm qiulquer dos entra-las por onde Allutiquerq(ne. c os co:ividamn de novo a assis-
art Do, pasaimn as linlias ferries e bod-id a tratar tiroem as iliss;is, que pe!o p oeterimo rpouso de
r.ei- lii,, ,,: Sito l ,, d]. "". ,. n est'y! 'rhi suaalma, man!am res s 8 11i' s da 'anhlt
-i:hP -.l.s ,*ull.'V Iilii iJ it ) i- dodia *lI do cori nie. s1ti;i.o 1,) soet f'llcci-
\li- 2- ..ig...' ...i.. ." o' ti t. pt' ,1 IJ do I ment.k, na ioatriz .'.. S acran-en!: ,' -- S It tn
de j~l ~ca 23 o An.ntuioi-LIed'l i')'i
' 2, "1 ." .... I c';-' ,O p 'alsado, 0 (':CVI'aVO A A'ni. N ln lo -A t-m sta cidade, j,.,lilpz'a." lJ ... .o J.'i
'*i [ -,^ ,1 c- 'i i 4.li,. ^ ; I'*.I ''.''jo aiiiu [ '.i .'^ .*i 1 e^ ao c a l. 1'1 .- ) -!1 -^ g'" *'*I *"I*-)-
S i .:, ,, t- .' ,i .. ii i-| 1 l i < i 'i i .a. 1
'l i- '' '.'* l *' : '1 ,IL1 ', c r n '' >I ") ; ,, ,^ Al .'n [ O it'O Jlr .'-- "',? O oi ,-.'c .'.iir )'i(- ., o i q ".1 i -i" i,:,-.-.> i-
i A k r I. li '.,.. i. ... I 1 1 1 I i i .. d e. I .. i '
1, I lla
*it. ) o ; i '. i *' 'I id 1-1 '011 C ro!tl 0 !lli i nor -
ri. .' ''. I .; .,.i !. l.'i.,i,,, i r t el i O I iO -e ( '.' t .'-11 1- l, '. -0. -t. .' O,":I 'i ,' *; ''.. i s .' ,' ', .-'-,i
I io'1 O.7. .1 V:)
l I d c -i ( iC
* '. *. < : : *; .., [ -f I')...i l! !O: ,- :.i V, '. ."; i, ,r : d ,. ,'-,! li ., I > :. i I,': -

a .,. U ...n..... ',ii .,a ( -1 'It, e d. d,(ia ; 11 .. '. ** .-.tra., 9 d.'ol ,.n, ; L r i^ c 1 1.1 ,ii .. .. .h ,. .
.- na sbo.t.. ., d Rc ie ,,' ,' ,, j. 'r n'-a- .- !, t rC, -"Gr, S. 'o ie o i
.* *' : ** "" '/ i : l ot i ', ,~~l .-m ., ( *. s r n ^ ; ^ ^ t ,. so -c i i i i t



) "l '- ":' ; igr. 1] ieii't ] l') ja .,- .-...' .'
-' "*aiaenldechruo;-ce- o.i e'0 Fa ". & "md ar e e' .. to on_' de can-
i r ii .'\' ; ,i,vc ; '. ,.ii. '," ,'c ,ii c I-;| ,r I d o ; .... i'in del Or., i;., i.t .-.,-, o, u a ,^| ; ^ | r ite^ iii..o p r


0. DE p:pe is,. a na ru io Mria ei .1t B r. (] i s ,r ---.__ _,.,._ ._.oi ,iii_('_ ,
a .- m !:, ,. .I'.. a ... e ..i urn ...eua-rdo A t I -,


.hJ I.IcB 1 ,2 t .mar
u ao rere ido ii. e.pairao ii,,-s ,rclende nlc era.' l t ., V 1 as da
d minoe tl ',,,it d- Iosas ,n: ,I,, pe,-ei, easelir i~r 's: fluea ltTl i30. d a deo tl se mli cale i oe-t ,
OR- le-- -,-.i .-t,- --d--,u nar~ s..bniii, Anou R-I e c'[ .- ite uui __. nta J a "g j -, ri de.. Jo e" es cj
po- esV~la2;, stie csaiL a mniUs e,~i~a, ,ongedeprar" a rua mda.roncor- soaolleid ffatOm Por~lgl itseacodaesar te-
OR- na E pap aria 1- RecI.do anariigejz de Witariz de S. i.Josn ;eesan d e
e.inel, armdsb n l, .ze ie hcuos, aciiaspoter S (IU11)crIIy diSL Sen io ch -





Po Vil. 1.Q co-,n ha -, .m, ,, e cn.,,__. -f "d"a P o p r.. an de t f -
a20 c no m i :11.,[ (1_,.,1...so w.h. ... ... i! ...."o d .j.. 0


95 PU V~IU~F4i~ a w--


i~- int~i~


f .UOak, ....... -.".....'W C as'l--!E.
8531 c,, t, ii to 44 iaadif ,ci a* ca- s
I ROTA.-- rmio loi Insrpto em 1877 no 0upplemento do Codice e8MII .,
I -. ,E, Pfiarmweeutico, 79, nmai de Cherte-&Id, em, P ,-s.
ai6.ata iPeVrxembuco, em casade ELIAS D MOURA a e sao prinaeps shWaa


I!'


EXPOSI1AO UNIVERSAL DE 1855
MDOALHA DE I's CLASSES
ALF. IABAllR.1AUG( & UE


Qouilul


L...B.:FRRi

LABARR t


APP'nCVADO PELA A "IA DC Mr!:CiNA D- PAWiZ


0 (. t'alum Labaraaque,
6 um vinhi erlminentetciente to-
nico c febrifugo que dove scr
perferid. a 6lowits as outras pre-
,aro,:Ses de quina.
Os vilnhos de quina ordinaria-
min,':,' : !c ,'c:'lados na medicine
Tpir"rO,.li ecot', ca.'s. tie quh1a
ctij;i ,'i,jhu a eiii prin' ipios act -
tt;, c' L* '.',Il!;^ll .:.'!.c di.- o, -i'. ,'-.zjo de seu
modo dc prepara.;i, o, estis vi.-
!ios -olcmit i am 'a) es'i.,ios !e
pi inci 'i s p c;-'t -, :A ,, '"""I
poirmycs sci,.pre .' ;."I\it:.
G Qt:Lui.r n-.barrfquc,
ajipr-..'^:,-, l' p Li .Ac ,iatris i do mle-
dicina, .onsLitue [':.n cc'tlrario
um niedicaniento le Co:i,:j:,ji-
cao determinada, rica enmi prin-
cipios activos, c co~n o qual os


Iimetdicos e os doentes );de,'.
sr-npre contar-
0 QuGioum Labarraqne i


prescripto corn


grande exito is


pessoas fracas, d(Iebi!itada
por diversas causes d'e
menrlo, -ja por t nli!.igsi
lias; Pos adu!o's fa';.-ai.!
urnia r-pda cre'cc-. j,, i, s
nas qui temn dfficttldad3
former e de',2nvol, r. ; 'i-)
res de-..dos paro- ; ao-3
e 'IfrI;-I.',id s d e ;i ) .(::

'I '- -.
,.;^ ') ,l o ." ,. ;' i .." FC ': : ;

.-. -5

Ce'ii';-' + '..:aYil-...sO,, p0j
rapida u f;ao.


Dlo-ill'ios: -- Os srS. Barboza, ]3altlioiorneo c C.A.


V L;.


s, seja
asgota-
n 1i o2.-
,'3 p10
!ileili-
. ,se


I,. ou


l l ili .il
*. : ".- 1
"' ,'0

**:' luz I
la su3




I


5;:=JLI.Y .Zi CARNE-OUINA
~0A FOU U A
E XAROPE U C0
I' CARNE ejQUINA, tal e a compositco d esses poderosos reparado-es das forgas que excitlo
A" a admiral io e obtem a preferencia de todas as autoridades medics para a cura de : thyea,
S acnua, chlorosis, convaescenca, desalento, fastio, dyspepsia, enxaquecas; para triumphar
das Febes intermittentes, endeinicas, das cpildermias, do typho da Febre typhoide, em summa
de todas as dclcbilidades, e de todas as molestias dos orgdos digestivos... Eis as proves:
Este Vinho6 o tonico analeptico mais agradavel, mais repwador, mais prompto e mrwi
certo de toda a therapeutic e de todos os Vinhos dIQuina.-Doutor Deroy.
a Para restituir o appetite, repdrar as forgas dos febrosos, das crian as debeis, das mulhe'esi
dcelicadas, dos velhos em[raquecidos epara curar a thysica, o diabetes, a chlorosis e a anemia
profunda, nadase pode achar de mais 4erc co do que o Vinho Aroud corn Quina. Declaro-o
altamente: E'o fortificante 9 o antiperiodico por excellencia.-Doutor Bertuluis.. ,
Seria prestar serving d humanidade vulgarisando o Vinho e o Xarope Aroud corn quina
nas colonies, noS paizes quentes, onde lavrao as febres eespecialmente afebrepaludclea, parm
os maritimos e as pessoas que traficao n'cstas regions onde a chloro-anemia e permanente. Puro
ou corn agcua 6 uma bebida hygienica efortificante que dt a forqa e a vitalidade necessaria para
resistir-se a insalubridade dos climas, para impedir as dysenterias. as febres paludeas
e outros accidents de que sjo frequentemente victims os Europeus, etc. Doutor Yves.,


Piabarumia ARIOS. em Lyel y(Franva)


Administraglo: I'ARIZ, 22, boulevart Montmarire.
6RANDE-6RILLE.- AffecOes lymphaticas, doenvqm
das vias digestivua, obstracgOes do flgado e do bago,
obstruc5cs visceraes, concreqOes calculosas da bile.
HOPITAL. Affec06es das viae digestivas, incom-
modes do estomago, digestio diffictl, inappetencia,
g:istralgia, dyspepsia
CfLESTINS. Affeclfes dos rine, da bexiga, areas,
eoncireSks des ourinas, gota, diabetes, a4buminuria.
HAUTERIVE. Affecr6es dos rins, da bexiga, areas,
eoncreVues das ourinas, gota, diabetes, albuminuria.
EXIGA-SE
o NOME DxAFONTE NA CAPSULA
As Aguas das Fontes de Vich'y, atIrna nome-
adas, achao-se cm Pe nCtMibv'o, cm casa de
HARISMENDYeLABILLE,9,r.doCommereso.


Nada mais de tintas progressivas
PAAl 08 CABELLOS BiANCOB


DO DOUTOR
James SMITHSON
Para dar Immediata-
mente aos cabellos e a
I barba a sua-c6r iiatu ..a


H ) 'e ,omn esta tinctura nao ha ne-IJl
* cciesdadc delavar a cabeca nem
S antes nemr depois, a sua'apilca-
i O lc facil c 0 resultado he
oI hd tic i ifica a saude.
l't ifl '1ot0; LLoO mancha a polio
Si A caixa cumnipleta, "francos.
S,'f\ m rasa de L. LEIRAND, perfnmista j
-. cni m 'ar:;', c nos |)-n!ci;i
'". a- perl'umi U4 ti. Aim6rica.
",, .----.---... .2_ --._.__ ---... \
Desconi LI das iflilii d ',,. de
Alewmanka sob os o.ies L. Legros e C'
e outt.s.
Tel m il, r cii- e u
1 .1.'. j' ., pro -
I in li sa. -.L __''. --

..^'- --.':- (--*',..z
-,1._
I.. ...
4~ V4 .jOAAA




S. -

.* *' .. f" ,, a. ^ ,. ^ "


-_ -
.


D) 'L S- ". "


MASSA IiT ,R L ,,. XAROPE
,'1~~d -H iGIIN,



UMa Meiftna II 1. .pi:.:;s ue ra,'s cmatata- ^^
rant bUS gUp<-rlorltUIOai o'irertodoa OB malts^^
pelorlet Iif11' pelame efficacia, me
ram iA"Ii, tPol.. h;"m
pas bA Pzro Wemik
-MM _). lann i kn
frn'fmufct da wllfte~itei/ ,fk.et'JI^


e3@@^e^@@oeooeeo9
SAVISO. --- Estando as nossas marcas O
A r p--i.'rf.rp.,a no razil. todo o contra-
* factor sera punido de multa e cadeia
Sem coniormidade a lei.
*a As Verdadeiras

: PILULAS :0
DE

j SLANCA 0:
Auorisadas pela Junta d Hiygieu de doe l usiro
SAO AS UNICAS
APPROV4DAS PELA ACADEMIA -DE MEDICINE
DE PARIS
Por sua Pureza e Inalterabilidade.
SCUR AM as escrofulas, a Isufficienclado sangie,-
a anemia paludosa,
S FORTIFICAM as constitulc.es (acas
oa arruinadas,
S AJUDAM a formacao das jovens, etc., etc.
Exigir nossa fivma, 0
Saqui juncta, postsa O
part inferior de um
rotulo verde.
* Pharuacien, 1f,0 r. IBomparte, Purt.
Cars, Mante- a lva yC03 1 Ow
d ouray Cis,FerrelraMaiay C",Manoei da SUlva
Farla y oa.


cL9 '9U" liUS' 1 3 y' A3 -uO 'La -t


*SO 9 O 'p ST3.UI.B ."0




I _- *
-4 V' Vy ^ ^ri:; ,^"",
_*. o#- _.. ;:-% .:,f WLl..... ... ... .,', i'" :: ',:/
' '< .- ,:< -.: i '..^ -..',^



I1 .P'. "0 l


7- :

L. .
,~~~~~~~ ~ .- I,. +
,' C)^ +".=::*: ."' ^ -
I. '- .. ..." .: "_ ,
'~ ~~' '^^:L!^.!


F" ,.:fi;(!.,. ;,.' .i ,..r :: .. .*;'. ^ ^ iu v'" 7 ..;
*' ^i r:' .., 1', ,.l i ;.' "., .ad .^ !..l.i. r,
,I l. .e
E1 A1 .... '3 e Iollmh nne t ie IM, ;.L, *'
ei1,, i ...%). ,A I .c ura c avy h;Ldad# fi l ,," .
r.:.?<. "' '^ .
P'r-epa d, U ;'triM br-.-ls, 1 nR.. :*'J
Paris, Ch. FAY, 9, rue de la tat .
I.'. ,slj 'm I' '-."ii'DlU J ." U-1.iA
Eri .. D ..
Se- ti'i Prin.paa Phawim^ ag|S


- ,.c '-..a. ,-. i
,- d' X* ,'-i -


1~
Ac' ~.4


*.
'a -



*I
,|

i-I'i


Iit,


Q-k-1


", %'--"-'7 2r4,ai "


I


-Ow


I


i
I


I


No-


a ratcar" liit LIeHLLi'raria


S o i 12;..1 !


1 .0


!


,

















A'Ua in --1. o. std4a ursra,0cda-
i^eia emmim IMaimp Kao* 6 uma affec-
ilar, eomo a sRyphilils a accidentes secundari-.- A"' uma -
locg. Effectivameniteo, os modcameza|to que ha ,uito teem
atormmente contraeeste mal, taes ce a copahiba, cubebas,
mn effeoto senio communicando s ourimas algumasdasas suas
., pela sua passa gem atravdz do canal, se tomanim uwa verda-


nnecessario carregar o estomago corn essas preparaoees nau-
a|naantes ? Param que 6 -precise fatigar os intestines corn a sua
A.resposta e simples : -Nao se tinha ainda descoberto urea
a uta directamente no canal, proiduzisse os mesmos effeitos
Yrelhdes. As injecq6es tao fal.adas at aqui, conseguem fa-
S. iIWo' rim pela irritagao consecutive qu prod uzem no canal,
U ft permanent d'aperte, affecao muito mais terrivel que o mal
n e^ e ecurar. Eis aqui porque a maior parte dos medicos, recusam,
evqlREw, de as empregar.
Pi ntemente, este fundado tenor nAo existed. A injecao que n6s apre-
sentamos o public, que conta 10 annos de bons resultados, nao interrompi-
4es nao 6 i ritante. E' -a i-blennorrha wa em~toda a extenslo da palavra.
.ueremos dizer r a causa do mal, que ella destr6e decompondo os elements
da purgaco e tonificando a'mucosa e as glandulas d'onde provem a sua on.-
gem.:* A. ua applica4ao nao 6 dolorosa, e se uma ligeira impreasao se segue A
sua imtroducao, essa impressao 6 da pouca dura, e segue-lhe uma sensagao
Immediate e nao 6 desagradavel. 0 seu tratamento nao precisa deo nenhum ou-
tro auxiliar para fazer parar em muito pouco tempo as purgagoes, ainda as
aais rebeldes. *
Quasi sempre basta um s6 frasco-para a cura, nis nao nos consta que hon-
vesse purgac(o que resistisse ao emprego de dous.
Afirm e chegar a uma prompta cura, o doente devera seguir o regimen
Indicado no impresso junto ao vidro.
Vende-se umnicamente na
Pharmacia e drogaria de Bartholomeo & C.
34-Rua larga do Rosario-34.


STill


E6AUOI AL


Tecidos de algodaio de todas as classes e qualida-
des, grossas, finas, braneas, tintas, riscadas, xadrez,
mesclas e redes.

FABRIC NO RIO DE JANEIRO

Deposito em Pernannbuco

S Rua do Vigario Tenorio n. 31

CRIPTORIO DO BARAO DE BEEMFICA

?Pede-se aos senhores agricultores que mandem
ver as amostras pois esta fazenda e especialmente
tecids para o traialho da agricullura
Desconto em relacao a importanc-a da venda


SPItARMACIA HIOMEOPATHICA




A. CAORS

BDPOUTNIO DOS PRODUCTOS HOEOPATIC)S

f ^ 1DA CASA
G obulos puros Variado sortimento
*^ ~PAQTrIAl JIM iI~OS
,de Catelan LiAST[LAN IRMl s do carteiras
SGlobules dynamisados DE para globulos e para
e Tituras PA.1z tinturas,
STubos e Irscosmzios 22-RA DOBOMJESUS-22 chbt e chocolate
Sde todos os tamanhos. PERNAMBUCO homeopathico


FRANCISCO H. DA SILYA & C'!


TWTAS,
Pinoeis, OOle
Vwum.
Ditu iPAM ML UM
INBTRUUiiTO@
oimurgicos
MedIcamentos,
Homeopatbico
Fundaa,Vldrom
e Vaqzmuia
pa"
pkwinnmo


do Marquez de Olinda,
PIER3nlTAMBUOO


23


I LXORTADOI
de
T;ROGAS,
Poductos Chiluo
E TODAA
IS ISPI ULIDAIR,
TISIAGaw.
3EfEOEBflIL
direct ..nento
da Luroi a
tcdos cs Pi3 : ic-es
de seu uegoclo,
* GARANTEM
qualidsde

423, Ruam.
iml~b RM


NAO MAIS CIAEILIS GMANCOS!

Agua de chmolina

Para tingir instantaneamente os cabellos
PREPARADA POR
BARTHOLOMEU & C.
PHARMACEUTICOS DA CASA REAL CE S. M.'-F. EL-REI DE PORTUGAL, PREMIADOS EM A
bIVERSAS EXPOSIgUES DOM 0 PRIMEIRO PREMIO DE SUA CLSSE.
Unico composto, cuja base principal so prmincipi s vgetaes, que p6de
por isso ser usadopor tempo indefinido, SEM 0-MENOR BCEIO de altera-
ao da safide. Estaagua admiravel da aos cabellos, em poucosminutos, urna
o6r e brilho natural, desde o castanho at6 o negro, e, ao contrario de todas As
tinturas conhecidas, tern u aroma agradabilissimo, que facilitya o seu uso as
senihoras, ainda 4 mais difficeia. AFFIANgAM-SE OS RESULTADOSE
KF T INOFFENSIVOS, q a applicaao seja litmitada A barba, "u" r
;,, o, s .l da c.- .. .. a:. -;


assignatura


mataruja brnca, deve ser
^ ,. ; 1, *,:,<| '. '^ / ^.


!


A unica approvada e premiada pelas
academias de Paris eLondi es, por nao
ser prejudicial t satde, encontra-se nas
principles casas de cabelleireiros e em
todai as boticas principles d, Pernam-
buco, Caors, Bartholomeu d& C. Mau-
rer & C. e rua da Gadeia no 54, to an.
dar.

JARAMACARUI .OMPOSTO
XAROPE PEITORAL
DE
Cartos Bittencourt
Pharmaceutico pela academia de medici-
na da Bahia
Grande e novo descobrimento
ESPECIFICO DA PHTYSICA E DOEN(AS.
PULMONARES
0 Jaramnacarf cormpostooua xarope peito-
ral e um medicamento precioso e o me-
ihor peitoral al6 hoje conhecido nos an-
naes da medicine. E' considerado especifi- I
co nas molestias segintes: defluxo. tos-
se simples ou rebelde, catarrho pulmo-
nar, affeccoes da garganta e phtysica pul-
monar. Slo innumeras as cur's effqc-
tuadas desde o seu descobrimento. E'
empregado em alta escall pelos medicos
especialistas.
Salsaparrilha e caroba
DE
Carlos Bittencourt
Grande depurativo do sangue
Empregada nas hydropesias, rheumatis-
mos, affecgSes gotosas; infartos glandu-
lares, escrofulas, syphilis, papeira, mo-
lestias chronicas da pelle,, cachexia mer-
curial, lupus, sycose, eczema, care es-
crofulosa, dysuria, darthros, boubas, bu-
boes e todas as molestiis qu e teem a
sua origem na impureza do sangue.
D6se : urma a quatro colheres de s6pa
por dia em agua e mais progressiva-
mente.
DEPOSIT GERAL
Pharmacia popular
Carlos Bittencourt
Rua Nova n. 51
Pernambuco

Maehinas de costura
Concerta-se toda e qualquer machina de
costura, seja qual for seu autor, bota-se toda
e qualquer peca por mais difflcil que seja, ga-
arntindo-se seu concerto: Aa rua do Barbo
da Victoria ou Nova n.35 primeiro andar.
Boa acquisiCao
Aluga-se a casa corn armacto e mais
pertengas da antiga e muito-afregueza-
da taverna, na povoacio do Macaco,
freguezia do Pogo da Panella, por prego
commodo: a tratar no largo da Alfan-
dega n. 2.


Olinda
Aluga-se uma casa terrea, corn 2 sa-
las, I gabinete, 3 quartos, cozinba f6ra,
sita a' rua do Sol, na praia de S. Fra--
cisco, em Olinda, distant 400 passes
do mar, offerecendo assim a grande
vantage de poder sahir-se della corn
trajos proprios para o banho salgailo,"
alem de sua proximidade a estaqao do
Carmo e ser confront a capellinha de
S. Jose : quem a pretender, dirija-se
ao sobrado n. 5 da rua de S. Pedro
Martyr, da mesma cidade, a tratar corn
o seu respective proprietario.

Cognac
SBisquit Dubouchd & C. ** e
I H. Ledebour, rua do Commer.
Scie 17 lo andar

PARA COZINHAI
Precisa-se de uma ama forra ou es-
crava, preferindo-se desta ultima c6n-
dico, para comprar e cozinhar : na
rua Duque de Caxias n. 42, terceiro an-
dar (nesta typographia). Adverte-seque
em.poucos dias a familiar teradesabir
para f6ra da cidade.
Breu purificado
claro, barricas de 400 libras, no arma-
zerm de Jorge Tasso, a rua do Amorim
i ma A ta


Presisa-se
born lote:


Spedra quo Bki joa.
Agua moleem pedra dura,
Taut* dii W6 qeU, Juna
Ms esta de brona qoe asen o
aem~tdo, pwr ser estatida)L.
| O- e ao !lm. Sr. Ignacio Vieira
de Meflo, escrivio da cidade de Naza-
reth, desta provincia, o favor de vir a
rua Duque de Caxias n. 36, a concluir
aquelle negocio que S. S. se compro-
metteu a realisar, pela terceira chama-
da deste journal, em fins de dezembro
de 1871, e depois para janeiro, que pas-
sou a fevereiro e abril de 1872, e nada
cumprio; e por este motive, pois, e de
nov6 cheamado parm o dito :im, pois de-
ve S. Sp lembrar-se que este n4gocio 6
de mais de oito annos, e quando o se
nuhor seu filho se achava i'esta cidade


no .. cRob que o hpuve por copra em e do
miai le WS a Jwoaiymo TkataoW Idca Sitva
I.,o ,+ '"4 1~v
Loureoro, moredoroa ,Bs aVerde, c*0e-
cravo tern OB seguintes tigow gaer QaV*cteri-
cos: cO6rn acabodal s, eptstu 5 s, 1 lpoe-
gada e3S pontos, cabello preto e carapaho,
rostoeomoprido; olho pretos, coin olhar amor-
tecido, nariz lado, bocca grande, todos os
denies, barbapouca, e eorpo grosse', em urma
das maos, por traz do pulso, tern um caroQO
kespecie de umr lombinho, pronuncia compas-
sia, conservando-se, quando falla, em attitu-
de humilde e vista baixa, tern deoidade 306
32 annoa, pouco mais o.u meos, 6 flho de 0oso
e Antonla, escravos de Manoel Salvador, de
lugar Fazenda Grande on P|o|( de Flores,
d'onde o releridoescravo 6nattiual, e ondeex
ercicia o officio de ferreiro, Sahi desta cidade
vestido corn oal a e cauiis branwa, paletot de
alpaca preta, chapso do Chile, leuvo um ba-
huzinho de Couro, corn bastante roupa branca;
assim comeo costa que no acto do embarqua
aqui, um preto foi A bordo e entregou-lhe a
quantia de 600U000 a mandade de urma amasia
de nome Romana. provavel que tenha mu-
dado de- nome e de vestuaiio, e quo ando
calWado, para assim intitular-se livre e illudir
a vigilancia das autoridados. Ha de corn cer-
teza seguir caminihe da Bahia para esta cida-
de, em algum dos vapors da companhia bahi-
anna, desembarcando em Maceio, ou pelo in-
terior das duas provincial ; roga-se, portanto,
As autoridades polioiaes e aos Srs. capitles de
campo, ou a qualquer cutra pess6a que delle
tiver conhecimento, o apprehenderem, parti-
cipando ou entregando-o ao seu respecivo
sennor no lecife, rta do Oomrntio n. N,
quo serlo recompensedos wm a &tflcA)O
acima.

Fumo hollandez
e cachimbos de barro vende
[ H. Ledebour, rua do Commer-
cio n. 17, o andar.


Tlintura Japoneza


0 DR. GUILHERME NAEGE-
LI medico e oculista, mudcu seu con-
sultorio para o 10 andar do Loridonn
and Brasilian Bank.
Consultas das 10 horas ao meio dia.
Residencia em Garminho -Novo.


Piano, music e francez
Ressente-se a falha na cidp.de de Ma-
mamguape de uma senhora, para lec-
cionar piano, music e francez; haven-
do naquella cidade bastantes meninas,
e desejo dos pais dar-lhes educagao,
conforme suas posses, deixam por
tanto de o fazer, uns por causa de cfes-
pezas e outros por nio quererem ex-
portar suas filhas j- favia boa aquiaigAo
a senhora que se resolvesse ir para l ;
quialquer pessoa que desejar algumas
explicacoes neste sentido, dirija-se i
rua da Cruz n.. 37, flecife.


Medicine e cirurgiaj
S Dr. Cantalice
Medico operator pela Faculda-
de de Medicina do Rio
de Janeiro
S Especialidades
Syphilis, molestias das vias
respiratorias e dos centers ner-
vOsos.
Chamados por escripto a qual-
quer hbora.
'Consultas das 9 as 11 horas.
5 P6de ser procurado A rua
Nova u. 58, segundo andar, ou
n51 mesma rua.
\51-Pbarimacis Popular-51
-.I 8^ ?QSON?^h m 0


S Ao public
N6s abaixo assignados proprietarios
da Confeitaria do Campos, sita a rua
do Imperador n. 24, prevemnimos ao pu-
blico e corn especialidade aos nossos
amigos e freguezes, que o Sr. Manoel
Gongalves Caseiro, deixou de estar em
nossa confeitaria desde o dia 1o do cor-
rente e que por isso qualquer negccio,
tanto intern comowexterno, relative ao
nosso estabelecim to, deve ser dirigio-
do a n& s6 e s6mente. Recifo, 2 de ou-
tubro de 1877.
Marques & C.a


&TTE ICI)
Os abaixo assignados declaram ao
respeitavel public que o Si,. Manoel
Paulo dos Reis nesta data deixou de
ser caixeiro da casa, sita A rua do
Commercio ns. 4 e 6.
Recife, 5 de outubro de 1877.
Herman Lundgren & C.


Grande casa
Aluga-se a excellent casa da rua do
Padre Nobrega n. 30, corn jardim na
frente, gradeamento de ferro, agua en-
canada, corn deposit e banheiro e
boas accommodap6es para fantilia : a
tratar i rua do Duque deCaxias n. 52,
1.o andar. _
.Capellas mort rias
Rua do Bario da Victoria [outr'ora
rua Nova] n. 40,- o andar, tema bonitas
capellais de flores artificiaes, pOr pregos
co'nmodos, assim como'fazem de per-
petuas natauraes, send estas feitas a
eadommeda trees dias antes.-
- r;. .. ', ** 1 ;


o nW2,,0 a:|.I
nk ama jta laile


it rha<3


"IO*


.....20:000 000
Da-se a premio ajuros sob predios
em diversas quantias: A rua de Hortas
n. 86, se diri quem di.
Ama escrava
Precisa-se de urma ama para vender
bolos, prefero-se que seja escrava: a
tratar na Capunga, na rua das Pernam-
bucanas n. 12.

Officina de uaz
Travesaa das Cruzes n. 6
Nesta loja encarrega-se de qualquer
obra ouwconcerto concernente a enca-
namentos de gaz, collocacao de candiei-
ros, lustres, etc., corn todo esmero, e
per prego razoavel: na travessa das
Cruzes n. 6.

Advogados
Os Drs. A. Clodoaldo de Sou-
za e Josd Eustaquio Ferreira
Jacobina mudaram seus escrip-
torios paa a rua do Imperadort
n. 57, primeiro andar do pre-
dio, em cujo pavimenl.o terreo
teem armazem de fazendas os
Srs. W. Inglis & C., entrada
pelo cases 22 de Novembro.


Casa da Fortuna
Aos 4:00000
SBILHETES GARANTIDOS
A' rua Primeiro de Marco (ou-
tr'ora rua do Crespo) n. 23 e
casas do costume.
.0 abaixo assignado, tendo vendido nos seus
felizes bilbetes um quarto n. 387 corn 8005000,
um inteiro n. 1422 corn 1005, e outras sorts
de 405 e 205 daloteria que se acabou de extra-
hir [243.'], convida aos possuidores a virem re-
ceber na conformidade do costume, sem des-
wonto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 14.a parte das loterias a.beneflcio da
matriz de JaboatlAo [244.'], que so extrahirA
na quinta-feira, 11 do corrente mez.
tofi~os
Bilhete inteiro 450006
Meio bilhete 25000
Quarto 15000
a porI&o de o1005000 pra cima.
Bifhete inteiro 35500
Meio bilhete 1#750
Ouarto $875
Manoel Martins Fiuza.
Aviso
0 abaixo assignado, estAbelecido corn loja
de ferragens a rua da Imperatriz, declare ao
respeitavel public e ao orpto do commercio
em particular, que nao se responsabilisa por
debito altim contrahido por qualquer pessoa
sem sua pr6via autoriaacar erbal ou pop rmeio
de titulos firmados pelo seu proprio puiaho.
Recife, 8 de outubro ie 1877. -
Jos6 Victor da Silva Pimeatel.


Stodos o Srs. iMar
tuariosque.ten caun-
telas vieidas, ve-
uham resgatal-as,
porquese esta liqui-.
dando todos os va-:
lores em cofre; niob
se reecebendo, desde
!hoje, mais empres-
timo sob penhores.
4 Reeite, 16 de ju-,
|nhode1877.

Attencao
Precisa-se saber aonde existe Augusto Pin-
to de Barros, filho de Damiana do Carmo, na-
tural da cidade de Villa Real. em Portugal,
vindo para esta provincia em 1865 : que-endo
qualquer.pessoa fazer o obsequio de dar noti-
cias, dirija-se a Paulo PJulio, a bordo do vapor
national Ceard, que deve chegar a este porto
no dia 15 de outubro, dos portos do norte.
Para banhos salgados
Aluga-se as casas n. 2 A rua do Areal, e n. I
a rua dos Guararapes, corn bastantes commo-
dos para familiar, send urma acabada de edifi-
car, sio prolrias para quem precisar dos ba-
nhos salgados, por estarem distantes Imeia
duzia de passes da praia do Brum : a tratar
na rua do. Apollo n. 20.
Accoes entire amigos
Fica transfer-da da 16 deste mez para a 2' oo
mesmo, a acCio que corre cornm a sort de
4:0001, urn relogio de ouro de lei, e corn a
immediate um annel inglez, de ouro.
Melies
Frescas botinas e sapatoes de Melies, rece-
beu a Nova Esperanca, A rua Duque de Caxias
n. 63 ; a elles, antes que se acabem.


Arrac de G6a.
Cereja, differences qualidades.
An11a Precisa-se de urma ama que co
zinhe bemrn e compare, para casa de
pequena familiar : na praga do Conde d'Eu n.
30, segundo andar.
Ama Precisa-se de uma ama que saiba,
Mcose m errfeiao; na rua do
Merquez do Herval n. 12.


COIPRAS
COMPRA-SE uma esorava que
saba bemrn cozinhar: a tratar na rua


lar'ia


do Rosario n. 32.


TEDAS
Vende-se a casa corn pequeno sitio, sita
na Casa-Forte, pertencente a herdeiros de
finado padre Bastos, contendo duas saIs, tros
quartos e cozioha f6ra; cuja casa muito
fresca : a tratar ha rua dos Pires n 91.
Batatas
Vende-se muito novas a 3$000 a cai-
xa e 60 rs. a libra : na rua do Livra-
menton. 31.


Camponati
Vende-seuma casa reform
Squrtos. 2 salas, uteo 601,


* I
- I


4L&'


Machinista do gaz
A antiga officina de encanamen-
tos para gaz e aqua, na traves-
sa do Marquez do Recife (an-
tigo becco do Ouvidor) n.o
12 A.
Compra-se apparelhos de gaz e agna
em born e mdo estado, como seja can-
dieiros, arandelas de bronze e ferro,
lustres de vidro, registros, torneiras,
chumbos, latdo, cobre, bronze ve-
lho etc.
Nesta mesma casa encontrarao os
seus freguezes um sortimento de enca-
namentos de chumbo, e apparelhos pa-
ra gaz e agua; encarregando-se o ma-
chinista de collocar e fazer qualquer
obra de sua profffsAo, mais barato -do
que outro qualquer, tendo sempre pes-
seas habilitadas para tratar de qual-
quer orcamento, concertos e limpe-
sas de lustres e encanamentos de gaz e
agua, latriina, lavatories; etc.
Escravos fugidos
No dia 20 de agosto de 1877, fugiram do
engenho Camaragibe, do termo de Serinhaem,
dous escravos de nome Jos6, sendo um alto,
corpo regular, pouca barba, cabello carapinha-
do, tern um brago quebrado, e por isso um
pouco torto, tern algumas cicatrizes de relho
as costas ; este escravo foi comprado em 16
'e maio deste anno nesta cidade ao Sr. Pa-
tricio Jos6 Tavares, que o comprou na cidade
da Parahyba. 0 outro de altura regular, cor-
po tambem regular, muita barba, falla final,
idade 31 annos ; foi comprado na mesma data
em que o outro, ao -r. Manoel Travassos Sa-
rinho, morador em Born Jardim, Parahyba;
este escravo 6 viuvo e deixou filhos na Para-
hyba : roga-se as autoridades policies e aos
capitaes de campo a apprehenslo destes es-
cravos, gratificando-se a quern os entregar
nesta cidade aos Srs. Manoel Alves Ferreira &
C., A rua do Apollo n. 4, primeiro andar, ou ao
respective senhor, no engenho Camaragibe,
em Serinhaem.
KC.k2 -.1:Ak : I^m AW-AftZX
SAluga-se um excellent sitio em Be- I
b beribe, no Porto dad Madeira, junto at
tio,contendo mui boa casa de vivenda,
corn todos os commodos precisos,
Sjardim- com' gradeamento de ferro, ca-
] cimba e algumas arvores de fructo,
Sbemrn como um gradde terreno cornm
Sbaixas de capitm a tratar no largo do
SCorpo Santo n. 15, 10 andar.

Bolos de encommenda
Faz-se bolos de encommenda para
casamento e partidas, na Capunga, .pa
rua das Pernambucanas n. 12.


I


0 1abaize -so. d cfb c ie
nos. seus1afto felizes bilhetes 4 sot-
ewde 1 OO Onem I mdieodea." I
alti de outras gortes .de l4lli
de 205000 da loteria que se -o&U
de extrahir. -
0 mesmo abaixo assignado convida
aos possuidores a ,virenm receber na
conformidade do costume serm deacon-
to algum.
Acham-se a venda .os muito felizes
bilhetes garantidos da 14.a part das lo-
terias a beneficio da matriz de Jaboa-
tAo (244), que se extrahird na quinta.
feira, 11 do corrente mez.
Precos
Inteiros 45000
Meios 25000
Quartos 1$000
De 1005000 para cima
Inteiros 3550)
Meios 17538
Quartos $875
Jodo Joaquim da Costa Leite.
Trilhos portateis
para conduzir canna dos pfth-
tidos para os engenhos
0 agrimensor Josd Soares Pinto Cor-
rea offerece-se aos senhores proprieta-
rios dos engenhos, para estudar o ter-
reno e assentar trithos para conduzir as
cannas dos sous partidos para a casa
do fabric. Alem da modicidade do
prepo que p6de custar esta via de trans-
porte, ella offerece ao senhor de enge-
nho, presteza, menos carencia de bra-
gos, menos fadiga e mais method, po-
dendo os trilhos ou via permaneil
seem mudados e collocados todos
arnos para os lugares em que se acha-
remin as plantao6es.
A construcgdo de takes trilhos p6de
ser empreitada ou feita por adminis-
tragdo, sendo que se procedera a urm
ajuste ou contrato pelo qual o senhor
de engenho saberA logo o custo da
obra. A madeira a empregar, ate na
construcgao dos carros ou carrogas,
poderA ser tirada nas proprias mattas
do engenho.
Offerece-se tambem para fazer de-
marcagaes e nivelamentos para leva-
das, etc., etc.
P6de ser procurado 6 rua do Crespo,
loja n. 6, das 10 da manh. As 2 ho-
ras da tarde.
Bom negocio
Quern tiver moleques e pretas desoccupa-
dos, p6de obter todos os dias um born aluguel,
qfierendo emprega-los em vender bolos pelas
ruas, porque a confeitaria do Campos, A rua
do Imperader n. 24, fornece bolos .de venda-
gem: a tratar ra mesma confeitaria.
AAluga-se
Ainda cstd para alugar um sitio na Copun-
ga, rua das Crioulas n. 59: a tratar na rua do
Vigario n. 33, Io andar.
Cozinheira
Precisa-se de uma cozinheira perfeita e de-
sembaracada : trata-se na rua Nova n. 13. +'
No deposit de vinhos
a rua da Cruz n.-B8
encontra-se um grande sortimento de vinhos,
licores, etc., etc., garantidos de serem puros e
dos primeiros autores:
Vinhos de Bordeaux. tintos e brancos.
Dito de Bourgogne, into e branco.
Dito do Rheno, tintos e brancos.
Dito do Porto, qualidades superiores.
TDito dito de past.
Dito Sherry, differentes qualidades.
Dito de Malaga, velho.
Dito de Madeira, muito velho.
Dito da Hungria, differentes qualidades.
Dito da Grecia, muito velho.
Champagne, diversas marcas.
Vinho do Rheno, espumoso, branco e into.
Li ores fins, differentes qualidades.
Genebra hollandeza, verdadeira.
Whiskey irlandeza.




























Vende-se
o engenho C6nceiio, em Serinhalem, nesta
rrovincia, lniito born d'agua,, podendo safre-
jar annualmunte 2,500 pies : quem o preten-
der, dirija-se & praca do Corpo Santo n 15,
primeiro andar, onde acharai cornm quern tratar
a respeito.
Vende-se
uma boa tranca do cabellos, por nao ter vindo
igual a q6r do cabello da senhora que a en-
eommendou: a tratar na rua Primeiro de
MIarQo r,. 20, loja das tres portas.
Verniz para mobilias e
armav0es
Querem envernizar suas mobilias
or15000 ? E' o custo de urn fiasco
ae verniz, que da para envernizar urma
mobilia. Conserve seu brilho por es-
pao de 6 annos. Os frascos tem.nos ro-
tas a maneira como deve ser efita a
sua applicacoo e por isso p6de ser ap-
plicado por qualquer pessoa.
VENDE-SE NA RUA NO VA N. 30.
Veos e capellas para noivas
Chegaram lindas capellas e v6os de blond
deseda para noivas a 6, 8 e 105, 6 baratissi-
mo : na fragata amazonas, rua Dnque do Ca-
xias n. 47.
24-RUA DO COMMERCIO-24
Neste estabelecimento vende-se o
verlJadeiro c superior vinho do Boi-
deaux, tanto em barrios como em engar-
rafado, e mais barato do q .em qual-
quer parte, por ser recebido de conta
propria. No mesmo estabelecimento d
compra-se garrafas vasias que tenham (
servido para vinho de B3ordeanx ou
cognac.
Chapeos para senhoras r
Elegantes c primorosamente enfeilados cha-
p6os, acabamr de chegar pelo ultimo vapor, os
quaes estao se vendendo por preco muito
commodo : na Fragata Amazonas, rua Duque
de Caxias n 47.
Bercos de vime e de
ferro
Vende o Bazar Victoria, rua do Ba.
rio da Victoria n. 2.


Libras esterlinas
Vende-se libras esterlinas na rua do
Brumi n. 9.6.
Vinho de past
Vendem Correia & C. Successores,
vinho superior legitimo do Douro, [Re-
goal em pipas, barris de 5.o e a retalho:
rua do Imperador n. 46.

aPLEliINCliAS

Lindissimas baptistas para vestidos.
a 240 rs. o covado.
Variadissimo sortimento de maript
zas, a 400 rs. o dito.
Grande sortimento de popelinas pare.
vestidos, a 400, 500 e 600 rs. o covadc
Maripozas brancas, o que tern vinde
de mais gosto.
Riquissimo sortimento de cretene?
corn desenhos inteiramente novos.
Popelinas de seda pura, a 1#000
1*200 o covado.
Popelinas de seda branca para cassa.
mento, a 1 000 e 16200 o dito.
Madapolio francez de duas larguras.
a 56000 e 55500.
Cambraia transparent para vestidos.
a 3:500 e 4-000 apega.
Fustao branoo para vestidos e yes.
tuarios para meninos.
Bramiante corn 4 larguras, a 14500E
vara; 0 muito barato I
Camisas bordadas para senhora, t
35000 e 46000 ; que pechincha!
Gorgor-5o de 11, de cores lindas parL
?estidos, baratissimo.
Leques de madreperola finos, dese
nhos riquissimos a 10#000.
Chitas : grande s rtimento e para todc
preco.
Temos um complete sortimento de
fazendas, das quaes a maior parte nd(
annuDciamos, para ndo enfadarmos
os d gnos leitores, e de todas se dk.
amostras e mandam-se em casa das.
Exmas. families para melhor escolhe-
rem : na Fragata Amazonas
47- Rua Duque de Caxias 4
Tomem rota:
14-Rua do Imperador-14
0 ARMAZEM DO NUNES
(NutrigAo instantanea)
Grande variedade
de generous alimenticios
do superior qualidade.
Modicidade espantosa!
Facilidade gastrica!
Vantagem proveitosa!
Veijam:
0 Nunes tern resolvido vender barato, bara-
tissimo ; garantir a superioridade de suas
mercadorias; sustentar urna prodigiosa varie-
dade de generous raros e saborosos, e final-
mente mostrar a facilidade de qualquer pessoa
passar bern corn o dipheiro.
Cusa pouco
Venham tirar a prova e depois digam se ha
quem tenha sortimento mais variado e super .
tior; que venda raais barato e d6 melhorM
provas de siliiAtdeefrsnaueza do que'o .
1 *TP:'1r^5tn^MiM& l -;


p~soo Noa'.I mais os
arrm de- u m O plendido sortimento di
tartigos de sua reparti&o, mais os se
guintes
Artigos neoesarios.
Ppelp e envelopes pra escriptorio
pennas caligraphicas de boa -qualida4e
bonds lapis e canetas, optima tinta pan
escrever-se, dita para marcar roupa
agua para pratear os rnetaes, aspas pa.
ra espartilhos, forradas de camiuroa
talagarca para bordar-se a 1M, e sede
frouxa para bordar-se: a Nova Espe.
ranva 6 quem tern.
Artigos baratos
Agua florida a 15, fita de linho a 6(
rs. a peya, papel amisade a 400 rs. a
caixa, cordao para vestido a 20 rs. a
pea,- envelopes a 5(0 rs. a caixa :
na Nova Esperanta, a rua Duque de
Caxias n. 63.
Artigos de luxo e phantasia
Estampas allegoricas para ornar sa-
las e gabinetes, bonitos leques corn plu-
was e sem ellas. alta novidade, lindos
livros delembranga corn capa de mafimn,
proprios para senhoras, delicados ra-
mos de finas flores para cabeca, novos
coques de moldes samples e elegantes,
agulhas para crochet, sendo de ma-
dreperola ; tudo isto encontra-se na
Nova Esperanga, t rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Para os que sdo devotos
Urn pequeno sortimento de finas es-
tampas de santos : recebeu a Nov q-Es-
peranca, ai rua Duque de Caxias n. uo.
Para as floristas
Papel para petalas, dito para folhas
de rosas, calix e peitilhos e mais pre-
pares para tal fim ; tern a Nova Espe-
ranca, a rua Duque de Caxias n. 63.
Aos pais de familiar .
Qutereis distrair vosso filhinho, ou
presenteal-o ? dirigi-vos a Nova Espe-
ranca, d rua Duque de Caxias n. 63,
comprai urn lindo brinquedo, pois que
ella recebeu urn complete sortimento,
e estd vendenlo por preco nluito razoa-
vel.
Bon6cas
Urn born sortimento de bonecas man-
sas e choronas, pretas e brancas : re-
cebeu a Nova Esperanca, d rua Duque
de Caxias n. 63.
Gabellos brancos s6 tern quern
A quer
SA Nova Esperanca, d rua Duque de
Oaxias n. 63, tern a verdadeira tintu-
'a para tingir cabellos, pretos, casta-
nhos, e instantanea e ndo damrnifica os
Gabellos, e vende-a razoavelmente.

S Cal de Lisboa
SVende-se cal de Lisboa, chegada no
Sultimo vapor, em muito boas barri-
Scas : no largo do Corpo Sarto n. 15,
primeiro andrr.

0 Bazar Victoria


Vende:
Lindas gravatasde seda e de linho e se-
da, para senhoras e homes.
Lencos de linho corn listras.
Meias de algodao e 1I para senhoras
e homes.
Na rua do Barao da Victoria n. 2.


I


Mudou-se o tempo
JOAQUIM FERREIRA CAMPOS & C.
Rua 1.0 de Margo n.o 21:
RECEBERAM AS SEGUINTES NOVIDADES:
Lengos de linho cogi letra e barras
de cores a 90, a duzia. g
Toalhas -alcochoadas para rosto a 45
a duzia. E' pechincha.
Meias de cores superiores para ho-
mem, duzia 8$, 10 e 125000. Sao inm-
das.
Meias superiores para senhoras, du-
zia 108, e12V0. Admira ...
Brim branch alcochoado superior a
35 e 35500 a vara. E' baratissimo.
Coqies frisados do ultimo gosto a
55000.
Cortes de linho, bordado, a 125000.
Linho bordado; covado 500 rs.
Dito liso corn 4 palmos,covado 360 rs
Alpacas corn listras de seda, covado
500 rs.
Chitas chinezas para colchas, covado
500 rs.
Camisas brancas para menino, uma
25000.
Cambraia slisas de cores,metro 500Ors
Algoddo corn 5 palmos de largura,
vara 400 rs.
Toalhas felpudas, monstruosas, para
banho, a 25500.
Lindas mariposas, brancas e de co-
res, a 360 e 400 rs. o covado.
Fil6 preto corn salpicos, vara 500 rs.
Brilhantina preta e de c6res, cova-
do 500 rs.
Esguido amnarello, corn duas larguras,
vara 1$20.
Lindissimas mantas de setim para
home, a 15$000 e 1$200.
SCasemiras de cores, finissirnas para
costumes, covado 35500.
Especial flanella azul para paletot,
covado 3#000.
Damasco de ]a e seda, pelo dinrinu-
to prego de 3.000 o covado.
Capas de borracha, prova d'agua e no-
vidade a 245000.
Cortes de casemira de cores, lindo'
desenhos, a 55000 e 10#000.
Camisas de linho para home, o
que ha de superior, a 405000,. 505000
e 605000 a cluzia.
Ditas bordadas, uma 65000.
Ditas de bonitas cretores, a 305000 e
405000 a duzia.
Canmbraia pretafina, vara 640 rs.
Mantilhas ai brasileira, a 55500.
ROUPA FEITA '
SE' tAo bonito o sortimento deste ar-
tigo e per tao barato prego, que so
corn a presenca do elegant cavathei-
ro, se poderi mostrar a realidade.
Bolsas e idimspensaveis
Afrara!, Nabuoaj. acabm de recebr da
-Europ. pelo-ultimbipori, um liUntdoltoiaItto*


Chegou para a nota loja do Pavyo um
bonito sortimento de vestuaios e toi-
letes proprios para baptisados, vindo ea-
da um em seu cartio, que se vendem
de 88 ate 248; isto a rua Duque deGCa-
xias n. 55, loja de Pereira da Sivw
di C. .
IDopelines a 360 e 400 rs.
Chegou para a loja do Pavao um ele-
gante sortimento de bonitas popelihas
de quadrinhos, proprias para vestidos,
tendo de todas as cOres, que se vendem
a 360 e 40O rs. o covado ; assim comnO
um bonito sortimefto de mariposas,
das mais finas e lindas que tern vindo
ao mercado, a 400 rs. o covado ; isto a
rua Duque de Caxias n. 55, loja de Pe-
reira da Silva & C.


VENDE SE a taverna estabeleci-
da no quarto n. 1 da ribeira da BOa-
Vista, a qual 0 bOa acquisicao por de-
pender de peqneno capital, ser. muito
afreguezada e em lugar de muita con-
currencia: a tratar no largo da Alfan-
an. 2.


* Vinho de Bordeaux
a 45000 pop duzia de meias
garhafas corn capas de palha.
caixas sortidas de vinhos fi-
.^ :4s d0OO
H. Ledebour, rua do Corn-
amercio n. 47, L.o andar.


Cimento portland
Vendem Jos6 Joaquim Alves & G., d rua do
Barlo da Victoria n. 69.


20
Pechinchas em liqui-
dacao


Na loja das tres portas
a rua do Crespo n. 20
Lindas laizinhas de quadrinho, gostos
novos, a 320 rs. o covado : 0 pechin6a.
Grande porQAo de popelines de linho,
bons gostos, pira 240 rs; o covado.
Bonitas batistes, todas sortidas, min-
dinhas, 240 rs. o eovado.
Etoayles de cOres, ultimos gostos, a
440 rs. o covado: aproveitem.
Lazinhas escocezas, padrOes escuros,
para 160 rs. o covado.
Ricos cortes de linho pardo, liso e
bordado, aberto, 98 um.
Chitas escuras e claras, para 200 e
240 rs. o covado.
Lindissimas mariposas, brancas e de
cores, lisas, de flores, achamalotadas e
arrendadas, para 320, 360, 400, 500 e
600 rs. o covado.
Bramante de algodAo,- 4 larguras,
para 15400 e 15600.
Dito de linho, Corn 10 e 11 palmos,
para 25 e 25500 a vara.
Fazendas do ultimo gosto, novas
Jaines lisos, uma s6o cor, proprios
para vestilos, a 800 rs. o covado.
Gorgoroes de li, as mais lidas cores,
para 900 rs. o covado.
As mais lindas popelines de seda pu-
rapor 1$800 o covado.
Os mais moderns ostos em lMs es-
curas, fingindo quadrios, 800 rs. o co-
vado. --
Elegante sortimento de gravatas e
mantas para senhoras, e muitos artigos
de phantasia, que vendemos muito ba-
rato.
Loja das 3 portas, antiga do
Guilherme


20.
Pechincdia em camisas
Camisas brancas, corn collarinho, a
2($ a duzia, urma 15800.
Ditas (de cretone, 6 que ha de melhor,
a 305 a duzia. umra 25500.
Ditas francezas, brancas, as mais ele-
gantes em punhos e collarinhos, diver-
sos gostos, de 50S a 605 a duzia.
Grande sortimento tambemrn de pu-
nhos e collarinhos.
0 mesmo em meias e ceroulas, de
menor atd o maior. preco, bern como
mantas e gravatas.
Antiga loja do Guilherme, ru4
db Crespo n. 20
VENDE-SE


JUns importantes lavatprios inglezes,
de mrnogno corn tampos de pedzA, qua-
dr~dos e triangulares para canto de ca-
sa, corn os apparelhos prateaes, gosto
modern, na traves#4 do Marquez do
Recife n.0 12 A, casa.do mchmnista de
gaz, Luiz Moreira.&'C.
Lagedo de Lisboa
Em pequenas e grandes porcses : vende-se'
na saboaria do Recife.


SCamisasinglezas
a 28, 30 e 360a duzia, na fragata armazonas
ria a Duque de Caxias n. 47.

RLuE. deas d .:pellica :
RAPEfrancez. i- N
LlA' ,pretl -verde-.


Pedem aos Srs, agricultores desta provWcia
uma visita a seu estaelecimento para verem 0
grande sorfiment) de machines o ferragens que
teem em deposit, tudo.'da melhor qualidade, o
que tudo vendem a prazo ou a dinheiro, corn des-
conto, e a precos muito resumidos.
MACHINAS a vapor, de forca de 4, 6, 8 e 10
cavallos, as melhores que aqui teem vindo.
MOENDAS e meias moendas, obra superior, im-
possivel de desacunhar, por virem corn argoletes.
FORMAS para assucar, pintadas e galvanisadas.
RIODAS D'AGUA fortes e bem acabadas.
RODAS DENTADAS de todos os tamanhos e aua.


lidades.
TACHAS'BATIDAS e fundidas.
ARADOS de todas as qualidades.
MOINHOS para mandioca.
FORNOS para torrar farinha, e
TODAS AS FERRAGENS precisas a agriculture


aesta provmincia.
3 ENCOMMENDAS -Mandainvir Ja Eu]
quer machinismo, responsabilisando-se
ba qualidade.
CONCERTOS-Concertam qualquer m
e fazem contrato annual para lodos os
do enqenhos; para esse fim teem a fal


ropa qual-
pela sua


achinismo
concertos


brica bem


montada, torn grande e bom pessoal, e dirikida
por dous engenheiros
FRANCISGO CORBEIAL DE MESQUITA CARDOZO,


(ha pouco chegado da Inglaterra.)
GEORGE BRAIU (omnaispratico e antigo que aqui ha)
Rua do Brum ns. 100 a 104.
Deposito rua do Apollo ns. 2 e 2 B.


AlIIOFITEIM As PECHINCHAS
Na loja d'America A rua do CabugAn. 10
MENDES a& C., LIQUIDAM AS SEGUINTES FAZENDAS POR PRECO
BARATISSIMOS o


Attencao
Popelinas de sedd, fazenda de 28 a 15200 para acabar.
Ditas d'uma so cOr imitagAo de gorgurio a 15600.
Grosdenaples e. gorgurao preto de sida, pregos serm competencia.
Setim macao, todas as c6res.
Vdos e mantilhas de fi'l preto de seda, precos rezumidos.
Fil6 de-seda preto, branco e delinho corn salpicos e liso.
Bombazinas, merinos, alpacas, canto, princeta e 1I lisa para vastidos, etc..


Alpacas de c6res para vestidos, magnifico sortimento.
Baptistas miudinhas, finas, lindos pa4;Oes e e6res fixas a 240 rs.
Mariposas brancas e de cores, lcretonesjp chitas, born sortimento'para todo?
os precos.
Saias brancas a 20000, d pechincha, apmveitem.
Penteadores de casas lisa berdados a 4$500, d barato.
Punhoase collarinhos para senhoras, enfeitados de renda, 6 novidade.
Vdos de fil6 para chapeos corn salpicos dourados e prateados.
Gravatas para senhoras e para homes, esplendido sortimente.
Meias -de c6res e brancas.]1ara senhoras, homes e merinos.
Lenqos..de linho em caixinhas die phantazia, duzia 45000.
Camisas de media differences qualidades e pregos.
Cambraia adamascada para cortinados, e cortinados bordados.
Tapktes de todos os tamanhos.
Secilias, bretanhas, esguio de linho e bramante de 4 larguras.
Casemiras pretas e de cores em peas ecortes.
Panno preto e azul especialidade para 75 e 85000.
Colcha& brancas e de cores e cobertores de Ia.
lChales a rainha Victoria


Ricos chales, mahtas superioridade em tecido e cores, nunca vis
Espartilhos 4 Princeza Regente, sdo lindos.
Granadina preta de seda de listras e quadrinhos.
Chapeos de sol, soda tranCada e eastOes de phantazia.
Coltarinhos para homes, superior qualidade a 78500.
Leques pretos bordados, lisos e de cores sortimento complete.
Chales pretos, bordados; tisos e de cores, sortimento complete.
Camisas brancas e de c6res o melhor sortimento possivel.
Cobertores escuros de lI a a1800, 6 pechinclha,
Ditos brancos a 18000 urn. t
Lengos de esguido, finos, a 25000 a duzia, e pechincha serm igual.
Alta novidade


Fichuis de 1I e soda, recebidos hontem, 6 o qce de mais gosto se
sejar, e vendemos por commodo preo7
NA LOJA D'AMERICA A' RUADO U 10.


tos a 121









pode do,


Essencia coneentrada de salsaparrillia e caroba
PREPARADA POR
,, BARTHOLOMEU & C.
PHARMACEUTICOS DA CASA REAL DE S.M. F. EL-REI DE PORTUGAL
PREMIADOS EM DIVERSAS EJPOSIgOES.
Para cura de todas as molestia, que tern sua .origemi na impureza do
lang e, com o sejam as. iolestias syphiliticas, boubaticas e escrofulas, rheuma-
tismra, enpingens, dartros, tumores, ulceras, erupc oes, etc- etc. -
SIDEPOSITO GERAl EM SUA PHARMACIA E DROGARIA
34-.Ria Larga do Rosario-34
S ..... PERNAMBtJCO. -


Taverna
e-"e a tavernma da estrella do viveiro do
sita I rua Vi I, de Negrjiros n. 155, a
0i oil a prazo, com garantaa contentoli.


Alta noldade
Sdas escocezso U' ; dissimos
800 rs. *e IS; a teh q^
k vechincha;.:talMki


vado.
Mariposas Aduqueza, a
vado.


Chita indiana, a 320 rs. o covado.
Brim pardo liso, fino, a 440 rs. o0-
vado.
Peas dd cambraia Victoria, bina, a
3$ a peca.
Madapolao francez infestado, a 5S a
pec.a.
Brim pardo trangado, a 400 rs. *e*-
vado.
Chitas escuras, a 240, 280 320 rs:
o covado.
Chales de casemira grega, padres
especiaes, a 2$ urn.
Casemira preta, fina, a 1$400 o ca-


400 rs; *s.


vado.I
Camisa' bordadas, finas, a 35 uma.
Organdis bordado corn flores, a 500
rs. o covado.
Pepa de algodao a 3$ e 35500.
Peoa de camrnbraia transparent, final,
a 35500 e 48.
Folores de cores, de lI e seda, pa-
drOes ultimamente chegados, a 500 rs.
o covado.
Chita escarlate, propria para vesti-
(dos e polonezas, a 320 rs. o covado.
Alpaca lreta, lina, a 440 rs. o ce-
vado.
Merino trargado, corn 6 palmos de
largura, proprio para roupa de homes
e de senhoras, a 25500 o covado.
Setim Macao de todas as cores, a
4$500o covado.
Toalhas acolchoadas a 4U a duzia.
Meias para meninos e meninas, de
35 a 4$ a duzia.
Ditas de cores para homes, a 48 a
duzia, e outros muitos artigos per ba-
rato prego, vende-se em grosso e a re-


alho a
RUA


Armazem e loja de
Fernandes


Binoculos


de madreperola, m-arfim, tartaruI;.
metal : vendem Amaral, Nabuco d(C.,
.rua do Barbo Victoria n. 2.*
Capellas mortuarias
Amaral, Nabuco & C. receberam si-
timento de elegantes capellas funebres,
brancas e pretas, corn as seguintesis-
cripcOes
A meu pai A meu filho
A' minha mai A' minha filha
A meu esposo Saudades
A' minha esposa Lembranpas
Umra lagrima
Vendem na rua do Bardoda Victoria n. t


a 500 rs. o covado
Rua do Queimado n. 43
Rival dos barateiros
Folar de la e seda, corn listras e tar
vores, padres novos, uso actualmente
em Paris, pelo modico preco de 500
rs. o covado ; venham ver ou mandem
buscar as amostras, mediante qualquer
penhor: s6o hano &43 da rua do Quei-
made.


Vestidos bordados
a 10*, 125 e 144
"America, A rua do CabugA n. 10J;
so. vende poreste preCo,
Potassa da Russia
A mais nova do mercado, e em barris pe-
quefi6s : vendem Domingos Cruz & C,, na tra-
vessa da Madre de Deus n. 1.


AttenCao..


Vendc-se uma importance machine
para cortarbolacha, em perfeito estado,
corn todos os jogos de cortadeiras: a tra-
tar na rua Imperial n. 208 ou no pate*
da Santa Cruz n. 4.


Vende-se a barcaga Ior dos Car-
neiros, que carrega at. 200 saces
corn assucar, pintada e calafetada de
noro : quern a pretender, dirija-se a
rea do Marquez de Olinda n. 50.
SVende-se urn casal ;te escravos, pretos
robustos, para engenho, bern como umn panrd
cozinheiro e copeiro, urna parda perita e-
gommadeira e costureira, assim como outras
escravas que seriio presentes aos comprads-
res : na rua de Pedro AfTonso n. 59, terceit
andar.


Nazukes a 280 rs. o co-


Receberamn Almeida & Campos *es
mais lindos nazukes para vestido, ele-
gantes padres e as mais modernes
cores, para 280 reis; pechincha.
Rua do Crespo n. 20.
Almeida & Campos.
Correias para -machf
Fogoes americanos para lenha e cat-r.
vao. /1


Grades para a la, aura.
Machines para descarogar alrod. d r, 1
Machines a vapor de forga de 2 1. E .i
e 4cavallos. r l' ....
Vendem-se na rira do Marq etie,


320 o c
Almeida. &, C rua
Recebera'n hontevr


etc.


i l


I


I


vado


a


Folar de cores


to


I


I


I


I


I


I "


r



(


I -


I -


I -


I


I


I


I


I -


I -


)
|


I


DO QUEIMADO N

















0.4* u eL nao
& A~mj(!6,0 Autris~oc.
ua ssern l6 endo
s, ar d e: tn -4i j-t.,e. tWp oj -e I
erado emLVirtuilededopapl
provincianl, e- emtt-,i's
ida ha provincia, de setiem
ts em taes condigaes sujeitos
at.i do poder legislative pro.
r ra senianto da rovineia
e nenaui ditasAeBdo me-
he tanto admbicionava,
|e. -mudo deixar de acudir em
a iomblda provincial, mos-
l procedeu. na convice0o
44elnia os intoresses da pro-
tant mnais quanto nessa ernpre-
pessoas de alta cm)nsideragaio


4 -1-iifarA largiascons eraiioes nern elo-
iglsecoronel Mascarenhas. Aceitaojui-
-" zoYque,a respeito dessecidadijo emnittio
nobre deputado pela Bahia. Pela
sua part p6de asseverar que o tern em
| conta de ucn cidadlo muito digno, par-
tidista leal e arnianteo da sta provincia.
I Rssumindo as suas consideragdes,
,tiz que a assembled provincial do Es-
Spirito-Santo se n-ae deixou iintlauir per
motives muenos dignos, que naio prati-
Sconu violemcia corn o proposito de per-
s-guir, anles )roecleu corn persuosao
: de que ilefenrlia os intkresses da pro-
i vincia.
Nd No torque as asseinbleas proviu--
Sciaenas ivo errerm ; n. propria promfllcia
| ,tdo nobreAe"pItado ellas -ter-o errado,
Smus ,nemn par isso conlemnard a insti-
-i;| t.iico come munitos tfazin, aproveitando
t :todas as occasiGes p)ara votal-as A exe-
l:i tra ao do paiz. E' menos propenso a
;tcpeditar quo esses errors nao sejam fi-
lhos da ina vontade ; que as assembl6as
X pi-ovinciaes q atiPtando assim, nao se
i ,eix-ma gniar- por motives menos dignos
.C ou menos patrioticos.
1. -(:re finaltmetnte ]ueo nobre deputado
4Ia Bahia, exa:ninando ;a quest corn
a espirito de justiia, ha de chegar ao
iTermo resultado a que o orador che-
+oU; i 6to 6, hIa de reconhecer que a as-
| amkibl.a provincial do Espirito-Santo se
n;ao tostrou menos digna, nemo prati-
oerau persegaigoes-que nao assentamn em
I- caracteres nobres da orlemni dos mern-
Sr0 ros das asserinblda,- )rovinciaes, e as-
n lhesfira justi;a.
^^ p* e termmo as e.\pli:aOoes quo acaba
d-tiarI camera, certo de que a causa
* "p te11gn a juizes que a hao de
>:t -Tar orn animo desprevenido. e
:: iiicarnente.no intuito de fazerem jus-

S++tupou-se depois a camera corn a
|:'I mcussao da proposta do poder exe-
? c 38tivo, fixandoas forgas de terra para
Sanno financeiro de 1878 a 1879. "
0 Sri. Duque-Estrada-Teixeira
tsta cotivencido dle que a imprcssao que
nelle ceausararnm os dous discursos do no-
bre deputado p-lo Rio-Granide do Sul
( .'Si.SiveirTa martins) foi em todos os
-bons brasil| Qa mesma, isto 6, dolo-
rai. S.Ex6c Inpregando uma phrase,
c.jaIciveza chegava aoinsulto, e mani-
1 festando sentiments que tocavam a
crieldade, tratoau a maioria por f6rma
taf que deve tel-a, serI duvida, imn-
-le&sionado profundamente.
Coabece os deveres c os direitos das
opposicjtes ; mas conh-oce tanibem que
ha lirtles de justica e de attencAto que
o homern politico nao deve uitrapas-
,' ^u!\& 1
Pretextando respeitar o venerando
priesidente do conselho, naio duvidou,
e4retariit o nobre deputado pelo Rio
'ttande do Sul estabelecer o seguinte
4filernrma: ou 'estais no poder como
mero detector, ou estais no poder para
prestar se-rvios; dmonstro que nao
prestais services, que a vossa adminis-


FOLHETIM

OS FILHOS-DO MONFI
POR
FERNANDEZ Y GONZALEZ
VOLUME I
PIUMEIRA PART
OS AMOBES DB1 YAYE
CAPITULO XIII
D'-: C)MO A GCAID.AD5 :R. UMA VIRTUDE PER.I-
GOSISSIMA PARA 0 POBEROSO EMIR DOS
MONIES MULEY-YAY I-'-EBN-AL-HIHAMAR
(Continuaacio do n. 233)
Dominados pela situacaeo, p)elo fogo
febril qlue lhescommunicavam as mros
da enferma, por urn irresistivel irnpul-
so. caliiramin de joelhos aos pcs daca-
nVa, continuando d'urm p ido fatal corn
a- dextras entrelacadas.
Sim, sim, continued a mnoribun-
(Ia. Deus inspira-me, mais que irmaos,
zert.jp eus tilhos... sim, tarde ou ce-
Stoa despeito de todos os obstaculos
que .e atravessem diante de v6s, se-
reis esposos.
Esposos exelamnaramrn corn as-
acaibro os dousjovens.
E por uma fatalidade sempre em
augmento, as manos continuararn entre-
facadas e apertaram-se corn forca.
A moribunda collocou as maios dia-
patias sobre a cabe;a de Yaye e de
Estrelae abengoou-os.
a t ueu-se ian'aquelle meomento,
:aw brad, do d(Viee the estava succe-.
.dend4s. z aa mais uria complica"ao na
baal|ti. 'I*
Dlipois de se erguer, vio que na ca-
mars estavam dous monfies.
Eaviafra Deus aquelles hoaens para
ue s:ervisem de testemunhas AquellaI
Ssp8 de casamento feito pelas mios
i.uia mAi moribunda, mnos que pil.
riA-f: consagradas pela-Wnmaida4e
,e peplo soifrireito,. qaasi


gou amrparando-se nos brapos d evelhos
chefes' conservadores, que na ultimi
quadra da vida,' tornados de vertigemi
prestaram-se a umrn papel que seria util
aos quedelle se aproveitaram, mas qero


E dsappareceu corn elles pela, pof
ta principal.
Oh! que fizestes ? que fizestes,
minha mdi, exclamou Estrella.
-Obedec.' a uma' inspiracao de
Deis, redarguio a jnoribunda ; 'esse
j2ven serA teu esposo, Estrella seri
paide teus filhos... deves consagrar-te
a elle, filba...
Mas se elle me desprezasse...
-NIo acreditas que Deus baixe/a
.il uminar os olhos dos moribundosque
na vida foam martyres ? disse a en-
fermna.
Oh minha mai seVos enganas-
seis eu seria muito desgranada, por
que...
Porque ?
Porque o amo desde o dia emn que
o vi na estalagem ,das Alpujarras.
E Dens enviou-te o homemn a
quern amavas, a quern nao esperavas
ver, no mornento em quo yais fear s6
no mrundo...Deus .en n'ele um
protector... ama-o,iil 't, ama-0
corn toda a tua hiceamente
para elle, e-so,-sl cura-o afas
tar do erro ; que o6 amor o converts ao
christianismo, como o. meu amor con-
verteu -ten pai, tlue tambein era rei
d'am povo de infieis. Elle salvou o
teu corpo da escravidio, salva-lhe tu
a alma...
Oh, minha mai !
E ouve : se meu pai o duque de
Jarilla te reconhecer; se por am acaso,
que muitu bern so pods dar, meu pai
nao Liver filhos varies ; se forces a her
deira do sel nome e da sua grandeza,
niao renegues esse powder, minha Es;-
trella. LemrbrAi-te sempre de que a
elle -deveat ua tnmi utra morte tran.-
quilla, $ certeza do nao ficares abando-
nada, e bs auxilios Oa religlao. Agora,
corn a chave que te dei, abre um pe-
queno cofre qua. eneoatrarAs na goveta
daquella mesa.; N'esse cofre esta a
relaaeo das r ain, apventuras que n'es-
tea ultimos tmp esleii .efn quanto I


pamos a cas a esp, 8Wsomnoms
seryos, nido som4 s A1, O
Nia deviasilse-iarss'ido nbre- dep-
tado'*esse prtensoe dor, o Aacasa
arvorado- em seniorr onmnipotene quo
tuado avaesaMt4; e e w '- itdo ales
destLe rminad .fexpi pe ua
duracaQo, doa'a,@ dove *omnclui( Ape
devemos deseja ua mite ou a abdi-
cacao do chef do. Estadp. Nto q, do o ohefb do Eastao regressa a plata,
quando nos devemas por isso ragos0
jar, diz
0 Sr. SOlvetra Martins diz qe|
nao podetef rigosijo A custa do b.i4m
do paiz. '
0 wa'. -;uque Estrada T
di quie #Ibemn do paiz7 jamais exi
quft te Violassem -as leis do coraiAo e
deficadeza.
0 illustrado tribune rio-grandense,
depo0'le prolongado silencio, veio tra-
zerpvota expressao das suas ideas e
das Oaseu partido, tao brilhante, quAo
pungentietente; esses sentirnentos nao
sao rnais do que acrisolada raiva, en-
tranhada anthipathia e profunda into-
lerancia para corn seus adversarios, que
accusa sem fundamento.
Pretextand- ainda respeitar o vene-
rando president do onselho, nao duw
vidou quasi ehamal-o velho decrepito,
inservivel, incapaz de occupar tal posi-
gio, send cau-a da esterilidade desta
quadra.
0 Sr. Silveira Martius declare
que isso fot ldito por urn conservador,
-que ochanmou base de um ministerio
quasi imprestavel.
0 Sr. Duque Estrada Teixeira
diz q(ue o nobte deputado conciuio lo-
gicamente, e que, tendo descripto os
males em tamanha proporgao, era
forgoso appellar para o remedio extre-
mo : ameacou-nos, pois, con a revolu-
cao e para ella appellou, dizendo que
as desgragas da patria jA tomaram ta.
intensidadeque a reaceao vira necessa..
riarnente, emnbora o enfraquecimento
da nacao ainda naio tentmha permiitido a
sua realisago. Eis o resumno das idda,
e sentiments da opposi 5o liberal ;
chegou, pois, para ella o moment de
desfraldar a bandeira da abdic.;5o e'
da revolt para que appella.
Referindo-se a um apart que Ihe dera
o Sr. Silvich'a Martins, diz que o nobro
deputado confront o partido liberal.
corn o conservador, poudo emn paralleto
a sua vida e services corn os desta e
porisso diz ironicamnente: .g continuai
a felicitar a nacao.
Comparem-se, por6m, imparcialmen-
te os actos de um e outro partido, .a
ver se a bandeira do partido liberal p6-
de ser levantada corno e estandarte 0a
felicidade public, se o castello conser-
vador deve ser destruido como o sup-
plicio da nagdo.
0 nobre deputado pelo Rio-Grande
naio gosta de excava-6es, 6 verdade,
mas quando feitas pelos seus adversa-
rius politicos; no entanto ehegoa ate a
excavar aneedotas do tempo do prinei-
ro imperio, de soldados do cavallariA
que nao sabiam montar, e a repetir fac-
tos da primeira carnpanha de Rosas ; ,3
ainda hontem, tratando da ascenuio d-
partido conservador, disse-continu -
rachitico, corno rachitico tern sido.des-
de o momento em que viveu ; devem os
conservadores ter o direito de usar do
mesmno method, que 6 o m-lhor, por
que o passado esclarece o preseate, e
faz presumir o future.
Passando a confrontar a ascencio da
situacao conservadora corn a do parti(b
liberal, dio que esta creou-se por- meli-)\
de uma quantidade de comnbinaeoes,
cada cual menos Darlamentar: come-


em que Au tiaha.a tua idade. Ninm-
guem, vendo esse retrato, bconhecft-
do-te, p6de near que ds minha fil*.
Vai, tira esses papois, guardah4e
deixa-me preparar entretanto par& re-
cebor o acerdoto do senharki. -.
E strefa' dirigio-se a Miesa, ablio a
gaveta e procurou -dentr d'ella o co-
fresinho e os papeis.
Entretanto Yaye percorrera a casa
corn os dous rnonfies. *
Era espagosa e rica. Estava, perfei-
tamente mobitiada noe aposentos su-
periores, e comnpreeadia-se que quem
a habitava, estava costumado a viver
corn luxoe grandeza.
Yaye nio encontrou outras criaturas
alem das duas criadas de que fallaa o
soldado aprisionado, as quaes fecfou
n'um aposento mais retirado, e.um ta-
vallo pertencente de certo ao cndado-do
oapitiao.
Franqueou a port -principal ,aua,.
e soltou umrnassobio. '" -+
No mruesmo instant os seis rmoafies
.rue estavam estendidos pela rua de S.
Gregwi9q,o alto, agruparam-se ai port.
-- Vistes passar, perguntou-lhes
Yaye, o waill Haru'm.? "-
-Sim, poderoso senhor, responded
um dos monfies ; passou na direcao
de S.; Gregorio.
-- Muito bernm va um espera-lo ra
a avenida, e quando elle ehegar coraOA
viatico, dizei-lhe que bats a esta pterta.
Muito bemrn, poderoso senhor.
Aldrn d'isto, ide tbuscar Aims li-
teira e tende-a prestes. Daou 4,d-.
ces entrem ; larguern as capas, os eha-
pdos e as armas como se apenas fossem
eriados. Accendei as lanterAas do ves-
tibulo e das escadas, eesperei T"o
wali Harumt' vos ehame. Os t I
vao para aseuS ?ipo0 'os.
Yave tornou para dentro com os f ps
monies que o tinham aiompaiihaqje I
nor outr a communiueaeao Dara a % -


-quo, trazelu4aA prooiwssa cur(
4i;oa4*vam~ise a"'nAbres. de-
p~uta nd o eyd eir,# a~jos jtive-
Me. foi*a tom-aI

rente do Mte u arechal, .que
aipda ba sete auornoei corn da p
-dau inequieocas va& lde patrio's-I
e de vigceirtelIednal 6|pbysico; vAS
ha-seesse marehal inealipaz de i
njar as Mdeis do'.governo. porqueda
direcao contraria ao partido liberal
Sabio por ventura, .pergunta o:ra-
dor, a situacao conservadora augmenta-
da por transfugas ? :Adoptou essa Li-
bieza politica, que naio faz mais do queo
amortecer o sentimento nmAcional?
Quando o partido conservador subio
tinha na adminiIstracio homes provec-
ios, cuja sabedqwia o ultimo gabinete
liberal nao sessou de consultar nas reu-
nioes do conselho de estado.
0 Iartid. conservador estava reorga-
nisado, tinha orgAos em todas as .pro-
vincias; ao pass que o ministerio li-
beral, aggredido por todos os lados,
vivia A mere de uma pequena maioria,
que ameagava deapparecer.
Eis o rachitismo do partido conser-
vador; rachitismo que em nove annos
de administracao tern apresentado ser-
vipos relevantes em todos' os ramos da
public administracao.
Corn um quadro estatistico que or-
ganisou ha de patente ao paiz. de quern
6 a esterilidade, de quem os services e
de qnemn os deservigos. Nesse quadro
confronta as operag3es financeiras dop-
dous partidos, as taxas dos empregti-
mos externos e do cambio, e os precps
das apolices. _
Respondendo a um aparte do Sr. Sil-
veira Martins, diz que, quanto ao pp-
nipotenciario denmittido e reintegrad,
e questdo para liquidar corn o Sr. Qe-
taviano, chefe liberal que o conhere.
muito de perto.
Continia o orador em largas demons-
traqoes; fazendo o parallel Intre as si-
tuacoes conservadora e liberal, trata das
leis de 3 de deze'nbro, da guard na-
ciontl, da reform judiciaria e da do
recrutametito.
Passa a tratar dos melhoramentos
inateriaes, das estradas de ferro que ti-
veram grande impuiso, construindo-se
muitos kilometros.
Diz que a ascengao d4a situagdo liberal
foi acclamada pela cruise de 1o86, qae
foi conjurada rasgando-se o codigo do
commercio, quebrando a vara na mao
dos jmizes. Em 1875 houve urma cri-
se ; mas o gabinete cbnservador nO se
soccorreu desses meios, veio ao parla-
mento, votaram-se medidas tao salu-
tares, que sutfocou-se a cruise.
E' o orador o primeiro a reconhecer
que a instrucqao public nuo 0tao o idon
attendida como devera sel-o, mas- 4
dominion liberal nada encontra a esse
respeito, o mnesrno project do Sr. Li-
berato B3arroso ji estava condemnado
antes dd apparecer, nilo chegou a ter
execu4au. As legislacoes provinciaes
daoiprovas de que as administracoes
c gfladoras preoccupam-se corn este

Na situacio liberal os ministerios
pareciam liguras da lanterna ma-
gice, eram ministerios de quatra
dip, quatro mezes; s6 o Sr. Zacarias
filgou tries vezes a testa do estado;
ttIo o trabalho dos ministerios cotmistia
em segurar a maioria e resistir aos em-
bates da opposicio ; foi essa a causa da
aridez dessa admninistracao.
Referindo-se a eleicao directa, diz


deputado pelo Rio Grande do Sul so-
bre a adopgao de todos os rnelhoranmen-
tos e a reformna das nossas insfituig6es
militares, diz que os actos legislativos
do partido conservador dao testemunho
de que adopta- esse programmrna ; hoje,
por6m, as experiencias e os estudos
sao tdo mutiplicados, que 4iesmo as

Estrella estava debrucada sobre o
leito de sua mai e sem duvida cho-
trva.
Na casa de que Yaye tio completa-
mente s e apo(ferama, reinava profundo
ailencio.
0 mancebo retirou-se da frente da
port entreaberta e poz-se a passeiar
profundarmente pensativo, pela ca-
mara.
Eia deveras extraordinario o que
She succedia.
Comegavam a nao se entenderem o
seu corago e-a sua cabega ; as suas
ideas principiavam a embrulhar-se ;
lembrava-se de D. Isabel casada, liuva
e viregem, e isto (alvoragava-lhe os de-
sejos. Mas no. m nauo inmn amLo re-
eordava-se de D. Elvira como d'u-m so-
nho de voluptuosidade, como d'uama
remago phantastica, como d'uma mu-
lIer divina a qu.emn pertencia, em cujos
bra9os gozara ineffaveis delicias, semr
se lembrar.do seu passado, sem apre-
ciar maisque o present, 'quando ain-
da le, 4uravaa perturbaCo das suas
faiuldades pos effeito da doenga;. de-
pois, queimnando-lbe o coriico coma
ferr em braza, vinhat arecordagAo da
princeza mexieana, a quem vira pela
pitimeira vez d'uar maneica casual, a
lquem por modo tAo singular, por cir-
cumstlanecias tao imprevistas novatnente
encontrara neeessitada do smu armaro,
ao lado-da mai moribunda... final, o
poder.mysterioso, quer fosse filho da
sitoapao$ qaer filho de causa differen-
te, qua inham sobra H1e exercido
aquella duas ninheres ; e a predicaoe
da morittihnda, oOnlagamento das suas
maos, e iqiiella bengao soleinne, aquel-
la especie, de desposorios nas qua.ls
nenW m -dos jovens so ol)rigara por
palavra alaguma, mas quo estavam co-
mao que aceitei, cOnsumjnitdog pelo
nervoso e ioyvoluntariQ abpert o-s tas
mltabs n adco de reat eretA a befcao i
maternal : :'
ythysinba ptlisrvai para nadi saber I
A -11 fi7 j i n a->r, 4.


HMHW1,81J, Vabouo -e Ztaoa.
ie alegaaa nao assen- ,
!. constituiAo nm nQ
oje, porem,, e apresenta- -
0o salvador.
maras unanimes s6 tive-
es, q.ueforamnasmpre in-
e~ o o0M .o08 040igiona-
.no exemplo as provincias
l Afi a 6|ernambuco, Alagoas e Rio-
Grande do Sul, havendo n.ita nao s6 o
esbulho dos direitos do partilo liberal
historic, mas ainda urma. ferida nos
direitus Aa-provincia today.
Assumindo o poder o. partido conser-
vdor, tas as provincts obtiveramn
represe p a0: no dominion liberal duas
nao tiveram, sendo una a do Rio-Gran-
dedo SutL* .
Para resjonder As declama,;es, As ac-
cusac6es injustas corn que so pretend
lavrar a condemnagao da situagio do-
minantef tern mais do que discursos
esparsqs, tem o celebre protest de 29
de janeiro de4867, assignado por no-
mes eminentes, chefes do partido libe-
ral, que nao externaarnam s6mente quei-
xas, levantaram brados condemnato-
rios, dos acrtos dos seus correligiona-
rios, declarando que estes os infama-
yam e maniichavamn o partido.
Tratando da guc oParaguay.,
enumera services aM'pri tdos peloSri,-
Duque de Caxias; lastima que a situa-
gao liberal tivesse dado o commando
das forgas maritimas e terrestres do
.Brasil ao brigadeiro Mitre, um estran-
geiro, sendo esteril esse sacrificio
dos nossos brios militares, sacrifcio
que nao diz ter sido feito proposital-
meite, mas o facto foi infeliz. Tudo,
porem, modifiou-se corn a chegada do
chefe consorvador, que alli nao tinha
partido. Assim, pois, se os conserva-
dores nao sdo mais habeis, sao ao me-
nos mais felizes que os libe,:aes.
Entrando na material especial do de-
bate, de que se havia desviado pelas
discusses political a que foi charnado
pelos adversaries, diz que na confronta-
go das paginas legislativas dQ Brasil
durante a situaco liberal niao se en-.
contramn medidas que mostrem sdrio
conhecimento das instituiOes milita-
res; de 1869 para ca pordm apparecem
as reforms salutares.
A opposiao que fez ao gabine-
te 7 ddargo foi principalmente por
ter deixado a lei do recrutamento- ficar
tres annos na pasta da commissiao.-
Corn relagio ao element servil, diz
que mantern as suas opinions ; entende
que o gabinete 7 de margo procedeu
corn precipita o, nao tratou a material
corn a pausa e cautel que. req;eria;
se essa mornmentosa ,'estao foi votada
corn atropello, o partido liberal muito
contribuio para isso prestando os lihromn-
bros corn maxima facilidade para a
passage da lei. A idea era liberal,
mas os liberaes nunca formularamin um
lijecto a respeito.
W|)artido conservador entendeu que
era necessario.reformar a lei do recru-
tamento, purificar a fonte do exercito;
discutida a lei na camera, foi demorada
p^a dju0 part~weI lbefl; tlamaR-
do-se assim curwlitIe de tc'das as per-
segui95es quecifftlitteiram a tiagellar o
paiz por tries annos.
Quanto a instruciq military, diz que
o regulamento de 17 de janeiro de 1874
para escolas do exercito proporciona
todos os graos de instrucc.o gratoita-
mente e que nao ha nacao no mundo
que offereca iguaes vantagens aos as-
pirantes A carreira das armas.
SCm refereneia ao que disse o nobre


Quando o monarch brasileiro re-
gressa cheio deprovas de consideragdo
das summidaes.politicas e scientiti-
cas da Europa, nao .odemos deixar de
Confessar que 6 este um testemunho
de que nos devemos ensoberbecer.
00Brasii nao t~tia apparecido cornm
tanto brilho na exposigao de -Philadel-
phia, revelando grande progress se


pez (pqrque Yaye nao, suppunha outra
cousa) ; entregue a urna mulheb que
o amava, a D. ElvtI*rA chegara -'t'um
modo fatal ao adult te e por ultimo,
ao ver-se livre por ut acaso, cahira
ema poder d'outra muhier, corn a qual
podia dizer-se, ou pelo menos a exa-
gerada sensibilidade da sua conscien-
cia-lh'o fazia crer, estava moralmente
casado; seu pai chorava consternado a
sua perda ; Abd-el-Gewar, seu ayo,
estava igualmente aterrado com a igno-
rancia do seu destiny, e por ultimo
influia n'elle a sua alta posigao de
emir d'urn povo, embora reduzido,
energico, indornavel, valente, sobre o
qual estavam fixos os olhares descon-
tiados do rei de Illespanha e dos seus
lugares-tenentes em Granada.
Apezar d'isto, a virtude principal de
Yaye, a caridade, retinha-o alli, n'a-
quella camera, como protector de duas
mulheres tlo desgraCadas.
Era pois* urni chaos a sua imagina-
gao ; urna machitmia de pensamentos
contrarios, queolhe fatigavam o cerebro
e o incomrnodavainm ; pensamentos con-A
fusos de eujo labyrintho debalde que-
ria sahir ; problems dilfficeis, cnja re-
soluao debalde se esforcava por alcan-
gar; ,dituculdaIs, contra as quaes de-
balde gastava a sua actividade.
Abrio-se a porta da camera, e urn
aOiifi que perfeitarnente parecia urn
Iacaio, disse:
Poderoso senhor, sgaerim-me o
wali Harutm e dous sacerdotes chris-
gtios.
Que entrem. que entrem, disso
Yaye tirando o gorro, no moment em
que se ouvio a cam'panhia do viatico e
se inindou d9 luz 'aaan amara.
Abrio-se a pora-ta de ni par.
ti trou urn sacerdote tm as vestes
do seun sagradb) ministerio, trmendo
nas aiaos un cibb1o ao seu lado vi-
irra acotlito, tqcatlo ulna campai-
:fia; atraz dh sserdote vinha ouirm
tlienG.9Os3 Snl; s *Olheos, e ap6 'eAS


0s gO pe'smaisIprofdndips em mate-
ria de onia f sido dirigidos con-
tra as institui9es ilitares; e se fos-
sem aceitas tdas as exige.ncias da op-
posiao, liberal, a reduegao nas foras
sria tal que equivaleria a uma desor-
ganisaqao.
Nao acompanha ao nobre deputado
pelo Rio Grande do Sul. combatendo a
divisao do ensio military em divyersos
eursos; nos exposiores que tern lido
nio encontra urnsa s6 lei que determi-
ne o ensino de todas as materials a to-
dos os ofticiaes.
Na celebre academia de guerra de
Berlim da-se o opposto disso ;alli para
receber o ensino superior military s6 se
admittemrn ofticiaes que nas escolas mrni-
litareg revelaram capacidade para este
ensino.
Cre erronea a idda de que nao se
p6de ser born general sern conhecer
todas as soiencias que hoje constituemi
a arte da guerra; a historic da revolu-
gao franceza prova o contrario, pois
Murat, Ney, Soult. Marceau, e muitos
outros nao eram instruidos; aeredita
pordmrn que para ser born general 6.
preciso, se ihe elicito exprimir-se as-
sim, nascer general.
Embora parea umrn argument ad
hoymintiem, lembra ao nobre deputado
Peto Rio Grande que o Sr. Marquez do
Herval, proclamado grande general,
nao cursou aulas scientificas, nern se
p6de dizer senhor de todas as mnaterias
relatives A artiliarla e engenharia.
0 facto que so estranhou- de naio ter
tornado parte neste debate a commis-
sao de marinha e guerra 6 inteiramente
fortuito ; quemn tern preferencia para
fallar 6 o relator, que se acha doente ;
os outros membros nao se aehavamrn
inscriptos em lugar bastante adiantado,
para Ihes chegar a vez de fallar.
Diz que o real a que alludio o nobre
deputato, dos defeitos na alimentag5o
da nossa cavalhada* existed realtnente
e 6 devido a riqueza dos nossos pas-
tos onde soltamas os animaes, haven-
do corn isso grande economic, ao pass
que na Europa despendem-se granrides
sommas corn o trao-d(los cavallos em
estribarias; result, por6m, que os
nossos animals nao tdm o desenvol-
vimento e aperfeigoamento que era para
desejar.
Tendo de dizer algumas palavras
corn enderego ao nobre deputado por
Goyaz (o Sr. Escragnolle Taunay) de-
clara que prefereria, como seuirnigo,
que S. Exc. nio tivesse fallado, julga
que teria empregado melhor o seu La-
lento lembrando id6as vantajosasa clas-
se de que 6 ornamento, do que descre-
vendo erroneanmente o estado do paiz',
s6 porque ha alguns mezes a esta part
o gabinete nao l 1 agrada, embora diri-
gido pelo homem a quem tanto dizres-
peitar. Se tivesse tempo, o orador rnos-
traria que os males que o- nobre depu-
tado indicou nao seriamn sanado nemr
coin a grande naturalisacao, ner coin
a seculararisacao dos cemiterios, nem
corn o casamento civil, nem corn as 011-
tras medidas que indicou e que ainda
neceasitam de mreito exame, nao sendo
aceitas pelo proprio partido liberal.
Concluindo estas considera93es, jul-
ga ter defendido a situac-o conserva-
dora das injustas arguicoes que Ihe fo-
ram feitas, fallout corn a verdade dos
factos, e acredita que um partido que
se mostra tao superior no confronto
corn os seus adversaries, nao merece a
guerra que estA soffrendo e que con-
tinuara a soffrer.


[Continua.)


qual estava Yaye silencioso e iminpres-
sionaao.
O sacerdote que levava a extrema-
unegao ficara na ante-camara coin o
sacristdo e os que acompanhav.un o
viatico.
Durante algumin tempo nada se ouvio
no aposento onde e.tava a moribuada ;
de certo que ella se estava confessan-
do ; mas passado um quarto de hora,
ouvio-se dentro a campainha. Estrella
cahio de joelhos corn as maos cruzadas
sobre o peito ; os assistentes -ajoelha-
ramrn-se por seu turno, Yaye fez o rues-
mr lentamente, e apezar de musulma-
no, rogou a Deus pela salvaao da mn-
ribuida.
Os dous monfies que tinham ficado
A porta, ajoelharam tambemn, imnitando
sea senhor.
E quando todos estavarn ajoelhados,
quando todos oravam, cessou de re-
pente o toque da campaihtlia, abrio-se
a porta, e o acolito que entrara coni o
sacerdote, disse corn uma voz aflauta-
da de menino do c6ro, e corn a frieza
de .ujern estA costumado a situaydes
d'aquellas.
Senior licenceado DWsvalos, acu-
di, acudi depressa corn a extreina-
unceao; a enfeama morre.I
Minha mai exclamou Estrella, e deu
alguns passes para a alcova ; mas de-
teve-se, caminbaleou, e cahio desmaiada
entire os bravos de Yaye.

D'ahi a media hora nao ficava ninguem
em casa do capitio Sedeno, a excep-
jft d'urn cadaver de mulher.
Corn os seus mnonfies Yaye dora um
jolpe atrevido ; transportara Eitrella
esmaiada ainda, n'uma liteira, para a
linda casa que Harum lIhe arranjara, e
mandara retirar os monfies do subter-
raneoda casa dio.apiLa e da rua e
S. Gregorio. "0 cria de Alvaro, de
Sedeno e as duas criadas tinham sHi4
ctduzidus para casiad eYaye e e ncr-:


i


assbioi. covaco da 2lna (|ne liete m1-
mentdO s6 deia sentir alegria. A6 e
aulico, as -nomeaes -4ue' tern rece-
beu-as dO povo, a quem, procurou ser-
vir, e espera quejamais tora outras ;,
apoiando o goverlo como apoia, presta
urn servigo ao seu paiz, ao qualtudo
deve e pegtiqual tilo ha de' fazer.
Esta discssfiO fica adiada pela hora.

SESSAO E Mt 49 DE SETEMBRO
Depois do expedierite.
0 Sr. Presidente declarou que,
esperando-se nocorrer da proxima se-
manaachegada de S. M. o Imperador e
de S. M. a Imperatriz a esta capital, a-
eredita inapirar-se nos sentiments des-
ta augusta assemble6a e interpreter fiel-
menteseu pensamentonomeapudoi umade-
putaio, que aqsista aodesembarque dos
augustos personagenis, e apresente,comn
as congratulag3es desta augusta camna-
ra pelo feliz regresso A terra qtterida-
da patria, a seguranca de sen profundo
respeito e leal adhesdo a SS. MM. Im-
periaes e A dynastia do fundador do Irn-
perio.
[A estas palavras a camera d'signaes
de geral assentimento.]
A deputacio a que se referio o Sr.
president compoe-se e Srs. Bargo
da Villa da Barra, &rUjo Lima, An-
drade Figueira, Ferreifade Aguiar,
Pereira da Silva, Freitas Henriques,
Lima Duarte, Rodrigo Silva, Perdigao
Malheiro, Silva Maia, Franco de SA,
Coelho Rodrigues, Tarquinio de Souza,
Bardo dU Macei,, Menezes Prado, Pin-
to Lima, Borges Monteiro, Ledo Vel-
loso, Francisco Veiga, Flores, Bitan-
court Cotrim, Bittencourt, Gusmdo Lo-
bo e Coelho e Campos.
Depois

0 Sr. Bitancourt Cotrim diz
que tern de mandar a menoa ruma re-
presentagdo da camera municipal da
cidade do Desterro, capital da provin-
cia de Santa Catharina, pedindo que :o
poder cornpetente ponha termo a vio-
lencia com que a provincia do ParanA
continma a privar a de Santa Catharina
do direito de que esta de posse-ha mais
de umrnseculo, prejudicando assirn os
seus interesses ; e mais urn brade de
angustia, urna supplica pungent que
aquella provincia envia A representaco
national.
Nao 6 esta insistencia urma questao
de capricho oQu infundada preteng.o ; 6
a defeza de urn direito antiquissimo.
Desde a creagao da provincia do Para-
nA acha-se a de Santa Catharina priva-s
da de metade do seu territorio e de
grande parte das suas rendas.
Julga-se corn direito de fazer urn re-
paro sobre a indefferenga corn que o
governor tern olhado para esta questao;
e tendo-se dado, na ausencia do parla-
mento7-onn1ictos gravissitnos entire as
duas provincias, nao pode deixar de
per -'untar ao governo se ha alguma
conveniencia political ou administrative
que obst0. a solueao desta quesrao.

Na pasta do Sr. ministry da agricul-
tuna ha quest6es que pendem de deci-
sao urgent ; entretanto S. Exc. tem-
se visto embaracado, em consequencia
da incerteza a respeito do ponto princi-
pal do pleito ha tanto tempo agitado..
Nao pode deixar de pedir a opinion
do governo sobre este assumpto, afim
de saber se, na auiencia do parlarnen-
to, pretende ainda acabrunhar a pro-
vincia qqe represents corn aigum outro
decreto coma o de -185, que encerra
um alirontoso attentado.




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EA0HLTXIA_C205OX INGEST_TIME 2014-05-20T22:42:58Z PACKAGE AA00011611_15237
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES


xml version 1.0 encoding UTF-8 standalone no
fcla fda yes
!-- Diario de Pernambuco ( Newspaper ) --
METS:mets OBJID AA00011611_15237
xmlns:METS http:www.loc.govMETS
xmlns:xlink http:www.w3.org1999xlink
xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance
xmlns:daitss http:www.fcla.edudlsmddaitss
xmlns:mods http:www.loc.govmodsv3
xmlns:sobekcm http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcm
xmlns:lom http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcm_lom
xsi:schemaLocation
http:www.loc.govstandardsmetsmets.xsd
http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitss.xsd
http:www.loc.govmodsv3mods-3-4.xsd
http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcmsobekcm.xsd
METS:metsHdr CREATEDATE 2014-04-17T17:04:32Z ID LASTMODDATE 2012-07-07T11:07:24Z RECORDSTATUS COMPLETE
METS:agent ROLE CREATOR TYPE ORGANIZATION
METS:name UF,University of Florida
OTHERTYPE SOFTWARE OTHER
Go UFDC FDA Preparation Tool
INDIVIDUAL
UFAD\renner
METS:note Created individual volume records and augmented METS file (Mark 3/18/2013)
METS:dmdSec DMD1
METS:mdWrap MDTYPE MODS MIMETYPE textxml LABEL Metadata
METS:xmlData
mods:mods
mods:abstract displayLabel Abstract The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
mods:accessCondition Applicable rights reserved.
mods:genre authority marcgt newspaper
sobekcm newspaper
mods:identifier type ALEPH 002044160
NOTIS AKN2060
OCLC 45907853
mods:language
mods:languageTerm text Portuguese
code iso639-2b por
mods:location
mods:physicalLocation UF Latin American Collections
UFLAC
mods:note funding Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
dates or sequential designation Began with Number 1, November 7, 1825.
numbering peculiarities Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
mods:originInfo
mods:place
mods:placeTerm marccountry Brazil
mods:dateIssued Monday, October 08, 1877
marc point start 1825
mods:recordInfo
mods:recordIdentifier source AA00011611_15237
mods:recordCreationDate 951023
mods:recordOrigin Imported from (ALEPH)002044160
mods:recordContentSource University of Florida
mods:languageOfCataloging
English
eng
mods:subject
mods:hierarchicalGeographic
mods:country Brazil
mods:state Pernambuco
mods:city Recife
Brazil
Pernambuco
Recife
mods:titleInfo
mods:title Diario de Pernambuco
mods:typeOfResource text
DMD2
OTHERMDTYPE SOBEKCM SobekCM Custom
sobekcm:procParam
sobekcm:MainThumbnail 00011thm.jpg
sobekcm:bibDesc
sobekcm:BibID AA00011611
sobekcm:VID 15237
sobekcm:EncodingLevel u
sobekcm:Source
sobekcm:statement UF University of Florida
sobekcm:SortDate 666202
METS:amdSec
METS:digiprovMD DIGIPROV1
DAITSS Archiving Information
daitss:daitss
daitss:AGREEMENT_INFO ACCOUNT PROJECT UFDC
METS:techMD TECH1
File Technical Details
sobekcm:FileInfo
sobekcm:File fileid JPEG1 width 1000 height 1463
JP21 7305 10688
JPEG2 1461
JP22 7401 10810
JPEG3 1455
JP23 7386 10743
JPEG4 1465
JP24 7370 10794
JPEG5
JP25 7322 10698
JPEG6 1466
JP26 7354 10778
JPEG7 1469
JP27 7306 10730
JPEG8 1480
JP28 7338 10858
METS:fileSec
METS:fileGrp USE archive
METS:file GROUPID G1 TIF1 imagetiff SIZE 78100276
METS:FLocat LOCTYPE OTHERLOCTYPE SYSTEM xlink:href 00045.tif
TIF1.2
TIF1.3
G2 TIF2 80028504
00046.tif
TIF2.2
TIF2.3
G3 TIF3 79372104
00047.tif
TIF3.2
TIF3.3
G4 TIF4 79575188
00048.tif
TIF4.2
TIF4.3
G5 TIF5 78355032
00049.tif
TIF5.2
TIF5.3
G6 TIF6 79286896
00050.tif
TIF6.2
TIF6.3
G7 TIF7 78417392
00051.tif
TIF7.2
TIF7.3
G8 TIF8 79698800
00052.tif
TIF8.2
TIF8.3
reference
imagejpeg 769477
00045.jpg
777464
00046.jpg
773633
00047.jpg
634378
00048.jpg
692113
00049.jpg
748517
00050.jpg
740247
00051.jpg
788485
00052.jpg
imagejp2 9759588
00045.jp2
10000699
00046.jp2
9918584
00047.jp2
9944083
00048.jp2
9791435
00049.jp2
9907780
00050.jp2
9799273
00051.jp2
9959608
00052.jp2
THUMB1 imagejpeg-thumbnails 38877
00045thm.jpg
THUMB2 36806
00046thm.jpg
THUMB3 38372
00047thm.jpg
THUMB4 35323
00048thm.jpg
THUMB5 37853
00049thm.jpg
THUMB6 41100
00050thm.jpg
THUMB7 39196
00051thm.jpg
THUMB8 36422
00052thm.jpg
PRO1 textx-pro
00045.pro
PRO2
00046.pro
PRO3
00047.pro
PRO4
00048.pro
PRO5
00049.pro
PRO6
00050.pro
PRO7
00051.pro
PRO8
00052.pro
TXT1 textplain
00045.txt
TXT2
00046.txt
TXT3
00047.txt
TXT4
00048.txt
TXT5
00049.txt
TXT6
00050.txt
TXT7
00051.txt
TXT8
00052.txt
METS1 unknownx-mets
AA00011611_15237.mets
METS:structMap STRUCT1 physical
METS:div DMDID ADMID ORDER 0 main
PAGE1 Page 1
METS:fptr FILEID
PAGE2 2
PAGE3 3
PAGE4 4
PAGE5 5
PAGE6 6
PAGE7 7
PAGE8 8
STRUCT2 other
ODIV1 Main
FILES1