Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15233


This item is only available as the following downloads:


Full Text














































e mUloW uelnquescente, exnala seipre um chei-
ro de acido suiphydrico muito pronunciado.
E' o figado de enxofre dos pharmnaceuticos, que
65 empregado para a prepara(io dos banhos
)de Bfacwges arteficiaes.
(Contint).


PARTE OFFIrCIAL
Governo da provincial
EXPEDIENTE DO DIA 23 DE OUTUBRO DE 1877
Actos:
0 president da provinciaJattenderdo ao
que requereui o bacharel Lourengo Bezerra
Carneiro da Cunha, chefe da 5" seccao da se-
crettria da presidencia, resolve conceder-lhe,
a contLar do 3 do correnteomez, 60 dia. de li-
cenea, com ordenado, para tratar de sna saude
onde Ibe convier.
0 president da provincia, tendo em vis-
ta o que expoz o inspector do thesouro, em
officio de 18 deste mez, sub n. 204, resolve,
de conformidade corn o disposto no art. 40 da
lein. 1,261 de 28 de junho, abrir um credit
supplementaura verbado 2o art. 7o da mesa
lei, na importancia de t1:921S360(afirm de oc-
correr as despezas comrn o forneciinento de far-
damento A guar-la civic no corrente exercicio.
- Communicou-se ao inspectcrr do thesouro.
Officios:


I
.1

IC
f
C
S



.*1
I
r

I


Depois do crionato. o mais hinporlanto dos Ao commandant das armnas.- Devolve
sAes de polassa o, sem contradicted, o azota- a V. Exc. o sen officio n 725, de 25 do setem- V
to, KO, Az O., conhecido sob os nomnes do ni- bro, e mais papeis que o acompanharam, con- f
t'o, sat de cit'o, salitre, nitratto ie potassa, e cernentes A protencio do cabo do esquadra 1lo r
que n'o tern cOr, nemr cheirb, e tern utim sa- 2o batalhio de infantaria, Manoel da Silva Paes
bor a principio fresco, e depois prcante e amar- Barreto, :itin de que sejamin eluctdadas as du-
go. A manpira porque os nitraLtbs se formam vidas no parecer da contadoria da thesouraria t
natuiralniente ,6 um dos phenoinenos interes- de fazonda, relativamrnenteo mudana de nome S
santes da chimnica, e cujo conhecinento ( o do supplicanteoe a differenga que se nota en-
mnais important, sob o ponto devista agricola tre a assignatura do requerimento endereqado
sobretudo. o0 ministerio da guerra e a do que 6 dirigido
Nas Indias, .') Egypto,e.ri.Ceylio, na ties- a esta presidehcia.
panhia, no mneio dlia da Frana e na Italia en- Ao conseiho de compras de marinha.- f
contra-se o azotato de potassa, urnas vezes A Fica approvado o contrato celebrado pelo con- d
superflcie do -,6!!o,-,tttr'as no caleareo swun- sollio do compras do ar enal de, mariaha. cm
dario. Mas, para as niecessidades da indus- sessao dIe 6 do correntc, para o fomrnecimento
tria, cite 'e, cxirahiio da lixivia desses velhos do objects de fardamento aos navies da ar- C
entullios que se Jhamam materials salitrosos; mada e estabelecirnentos de marinhta, no se- d
esses materials conteem mnuito mais axotatos mestre de outubro corrente a margo de 1878. t
terrosos do que azotatode potassa. Estes so Devolvo ao nmesmnio conselho as propostas que.
. ratadoi pui)o :arbonato de potass.a, parasubs- vieram annekas aj seQi officio delOdeste mez,
riwir, por duj1a JecomposicTo, per esta baol que flea asiim respondido.- Commnmicou-se
:is base terrosai, que se achavain unidas au a thesouraria de fazenda. .n
;tcido azotico, emni virtulde da opera.,to tio in- -Ao inspector da thesouraria de fazenda.-
seressa-nte, c arnaida nilrificcafso, da qual nos Considerando que o estado, em que se acha o
iccuparenmo)s corn mais opportunidade, quan- interior da prcvincia, por causa da secca, deu
,to tratarmos ,)los sites terrosos, que se acham lugar a que o juiz municipal de Flores naio po-
em mnaior abiinilancia no s6lo e nos materiaes desse obter ,a resuectiva camera a attestacao t
tle conslrnc.t,.o dlo que os sites alcalinios. de sea exercicio, no (nez de seteibro ultimo, c
0 nitro serve, sohrettulo, corn o carvio e o conforme expoe na peLigl-o sobre que infor-
uaxofre, paoraa fabri isto s so enmpregt nitro p'iro, que i)assa por corrente, n. 6 17, antoriso V. a a oceitar o at-
iunra reIi'i,;o, a ',ual cotustitfte, potr si sS, urna testado passaido ao mesimo juiz, bacharel Pe- C
industria especial, dro Jorge de Souza, pelo juiz de direito da co-
0 ca1'1eter principal do nitro 6 fundir ar- marea ; sciente de que vou levar o occorrido d
1lendo. a3 coInhecimentdo d governor imperial.
0 ailo -.ilfi;.1,) forma dous sties corn a Ao mnesmno.-Transrnittoa V. S., para os
u)tas. o 0 .,ti:0 ) letlro de pot(.-t:a KO, SO3, e fins convonientes, o aviso de 2 de. setemnbro, (
*, bisaiii' d(,,, po)ass.t, KO,(SO3?, iO. 0 pri- em qtie o ministerio Ja fazenda declara ficar
!aeiro a,:ist' em grauidequantidacle nas sodas approvado o acto desta presidencia, mandando
tio sarra,); e un purgative ligeiro. Elle er-n despachar, livres de direitos, 70 saccos con-
ionliecdido do.s agos boticarios e empregado tendo ffij(io, que vierarn de Portugal, na bar-
efm mnedicina sob o nome de os, ,e De:obits. ca Ltnw.,, para os indigents victims dna
Oemaprego qu'e ie fad ld choi,.lio de potassa, Sccia.
KO, Ct0. em0 .e:i'o5s industries Jim acenotior "., s-ibt)Lnme!t',, e corn espeoia- inclusas contas, nande V. S. pagar a Fielden
tidade na S';bii;, (l das cipsula., patitos dc Brothers, coitforme solicita o director do ar-
!:1o e iliueiro. chamados oxy;encdos, d. a senal de guerra, em officio db 21 do corrente, (
cO1e sali in1a i;i),-'rtaleia particiuaitir. n. 160, 335.$7u0, provenientes do gaz consu-
Sca pr)p!'ie:iiJ3 principal, corn ireito, 6 ce- rmido corn a illuminagao dos quarteis das corn-
let, mich') frcil'urte, oxyegeneo) aos corps panhiasde aprendizes artifices e do operarios
"' ,.n que se p'ie ,n contact, o que faz delle militares, no trimestre de julho a setembro.-
inn aombureite muito energico. Qiaudtio Co'ntmunicou-se aodirector do arsenal.
aistiiraJo zo:n Umi corpo combutsltivel, o mnenor Ao mnesmo.- Trasinitto a V. S., para os
cihoque basta para inflatoinmar esle ultirnmo, fins convenientcs, a guia passafia aocommati-
l Cemais, come o iltro, eile funde corn viva- dante do vapor Giquid, pela entrega de ....
,ialade quaaclo la:n-ado sobre carves arden- 23:309$000, rernettida ultimamente por e.sa
e pla eSa casa, isto 6, porque o thesouraria ao almox-irifado do presidio de
oxygeneo. post e1n libtordade, activa a corn- Fernando.
ivustito do carviro. Ao mes:no.- Para os fins convonientes,
Na frb'ica.tito ilos palit')s de /l.o'o olle 6 uni- transmitto a V. S. a inclusa carta patent, roe-
I. ao e)wxo'rc o0 ao phospiloro, e mais fre- formandO no post do coronel ao tenente-co-
.tuentemente :; a nbts. N)os isqtteros oxyge- ronel Joaquimrn Jos6 da Silveira.- Cortnmuni-
ntadjs a dif!eirct,.i-At c que a inflammacieo 'emn cou-sc ao reformnado.
;1,c;ar c rtif--rlhando a mehia em urn peqiueno Ao do thesouro provincial.- Providencie
i.,'0cO c>jitciidOo amianto ernhebido do acido Vmc. para que, nos ternmos d, parecer fiscal
ui'nri.2, annexo ao seu officio de3 do corrente, n. 167,
c. ;.i..ho,,o ,Ode potcw, KO,CIO, conho e da intforna;ito junta, ininistrada pelo enge-
.i hio sub o .o'nc de agaacte ,Icefele, porque nheiro chefe intiterino da repartig0o das obras
C ])ri;icaJo ncs5aaldea, destroy as miaterias publicas, scja pi).go o aluguel da casa cotitra-
,cciA,:.s e tui[araita9 a; co eslt accatio explica-se tada para servir dtie caleia e quarter em Jaboa-
peio chi,'ar j!] J'Opt-Otde en razxao de sua ins- tao, a contair da entrega das chaves pela res-
t:1.' ili'A.i. pectiva proprietaria, D. Trhomazia Adelaide
I:is Mina dlas -ij.bina,-es salinas mais in- Martins de Aluneida, afirm de ter lugar os con-
tereasaacles d- potassa 6 a qiie se chama ain- certos a qcne se ohrigou a provincia.
da In.it frc'Ouentemn'titeo video solcveel; C. o siti- Ao engconheiro ajudanteda reparticqAo das
c.,i de I .t, Ee!a KO)3. Si O, de quie Mr. Kuhl- obras publicas. Autoriso Vmc., conforme
*i-nanti fe.< isna to feliz applica'ito no endure- pede em seu officio de 20 do corrente, sob n.
ciineto dcs p.idras e coaservac^o dos rno- 285, a mandiar substituir algumas peas quo
nuI' e:itos. so aechlam ar'ruinadas na ponte do engenho-
Va:no. agora passar em revista os compos- Guierra,- na importanciade lion000, aim dos
tOs 'u' resuitarn di accio da potassa sobro que fora-m i!cluidas no tespectivo orceamento
os hydrazidos. Esses compostos teen o as- de reparos. Entretanto, cumpre que infarome
p2;to or.linaric) dos sAes, be% como suas pro- a ra7,o porque n-o estao ainda concluidos
piiodades crytIaltinas; entretanto, a analyse esses reparos, autorisados em 19 de setembro
mostra que silu apenas combina(-5es binarias do anno passado. Communicou-se ao the-
S{otclloiicas do radicalida base Qp 'oxyge- souro provincial:
eob deikpe5-se ao hydrogeneo dol'ido para Ao engenheiro encarregado das obras
"fqo mvem a fazer part constituin- gera"s.-- Approvo o contrato, annexo ao seu
Sto e the connunica a propiieda- offlcio de hontemn, sob n.' 42, celebrado corn
'd risar. E' o que aeontece con s Vioento Ferre"a de Albuquerque Nascimento,
actdos~ fhydrico. bromhtydrico, iodhydrico1 para a pintura e reparos das pontes --Sets de
e eya ,& que dao corn as ba|| dos chio- Setembro e Pedro II,- poart :00$000.
rtire uret'os, ioduretos e&?anuretos, Ao juiz de direito do Rio Formozo.- Do-
achoru-eNses. d claro a Vcnc., em resposta aseu officio de 3 do
1'V 4ct^a^a -':o codreto de corrente, que pon's de decision do governo
p31!,all^^^Sn^ratf Io potds rmimpetial, a (puestao de se dover uu nao consi-
eo de pot assi K, poretn, do-arsubsistente o titulo de nomeacalo de
/ rat^| efra->iprtintancia, em razao de Manoel Cavalcantn Lins Walcacer, para sue-
n^llilE oicina o em phitographi. cessor de Joao Aff nso Rigueira, e, emnquanto
tesonta sb a, f6rma do nib for rosolvida, cuMpro que se observe o
grossos erya ~bicos, 6 delinquescento, e, disyosto no decreto n. 817 de 30 de agosto de
OOTOO os doa. eaetes, fanz baixar coase- 18$!, quanta A substituigfto do referido Joao
it lratura d'egur em quo Affonso. "
^'' *'*o-.ie--1- p -- Ao juiz inuiepal do Serinhaen.- Curn-
p^oppo~et n icpreo quoeVine. declae em. uo seo fuadou para .
Soa 6 c jjfwcret6. K Cy, oomeansiparetinaO *!anoel Cavalecante Lins
*tiit 111:,a1Ob ntin'if vet desse ,errno, no impeodruoto do $erven-
rni~i~~i~d. aluro $Witicior bi~ AK?)cso nifUia-. achinn-


EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios:
Ao 1o secretario da asemblda provinioltt
-De ordem de S. Exc. o Sr. president, Lraas ;
nitto a V. S., para os fins convenientri,45
exemplares da fall corn que 6 mesnmoE xI.
Sr. abrio a sesslo dessa assemblea em 2 de
narco, e bern assim igual numero de exernm-
plares das leis promulgadas no corrente anno.
- Aoinspector do thesouro provincial.-
)e ordem de S. Exc. o Sr. president, commu-
nunico a V. S., para osfins convenientes, que
por dspacho de huje negou-se provimonto ao
recurso que interpozeram Raphael Silva & C.
la decisio da junta desse thesouro, que con-
lrmnou a do consulado 4assarnio a isencio do
mposto de 20 por cento, concedida no exerci-
pio de 1876-770 a-Peixoto & C., quo se dizem
uccessores.
- Ao agent da comnpanhia bahiana do na-
vegacao a vapor.-De ordem de S. Exc. o Sr.
president, accuso o recebimento do officio de
lontem, no qual communica queo vapor Mar-
7uez de Caxias. chegado da Bahiae escalas,rse-
guirai para a Parahyba. Natal, Araoaty e Cea1
a no dia 25 docorrente, ds 4 'hortas da tarde.

DESPAC[IOS 1A PRESIDENCIA DO DIA 3 DE
NOVEMBRO DE 4877.

Abaixo assignados, residents na
ill' de $. Miguel de Barreiros.-ln-
orme o St. administrator dos cor-
'eios.
Alexandrina Candida dos Reis e ou-
ra.-Informe o Sr. inspector da the-
iouraria de fazenda.
Professor Claidino Gomes Barreto.
-Certifique-s0 o que constar.
Feliciana Maria da *Conceiao.-In-
orme o Sr. coinmandante do presidio
le Fernando de Noronha.
-Padre Genuino Walfrido de Souza
-urjao.--Nesta data autoriso a entrega
to beneficio a que allude o supplican-
e, mnediante a tianga exigida pela lei.
Joao Jog dAc Sant'Anna.--lforine o
;r. commin andanUl do presidio de Fer-
randode Noronha.
Josd Gongalves de Gouveia.-Passe
)ortaria na frrma do estyl ,.
Teaente Joao Francisco Paes Barre-
o.--Remrnettido ao Sr. codirnandante do
corpo de policia, para attendor ao sup-
plicante.
Joaquim Jose Guirnardes.-Iihforne
SSr. engenheiro chefe da commission
encarregada da inedlgio e demarcagAo
de terras publicas.
Josd Ignacio de Avila.-Sirn, pagos
)s f6ros vencidos e direitos nacionaes.
Manoel Gomes Viegas Junior.-Sim,
pagos os f6ros vencidos c direitos fis-
eaes.
Manoel Joaquim das Trevas Marinho.
-Nao tern lugar, em vista da infor-
maca'o.
Bacharel Samuel Tertuliano Henri-
ques.--Certitique-se o quie constar.
Thomaz Rodrigues Pereira Junior.-
Passe portaria, concedendo, corn orde-
na:lo, a licenga requerida.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 5
de novembro de.1877.
0 porteiro,
Jofio Goncalves dos Santos Junior.

Repartig&o da policia

N. 83,S-2.= secg.o. Secretaria da policia
de Pernambuco. 5 de novembro deo 877.-lilm
e Exmn. Sr. Partieipo a V. Exe. que foram
reco1hidos A casa de detencao os seguintes
iaoividuos
Kb dia 3 do corrente, a ordem do subdele-
gado da Boa-Vista, Joao Fernandes das Neves,
preso em flagrante, per crime de furto.
No dia 4, a ordem do subdelegado de Sant(
Antunio, Jose Zeferino do Espirito Santo, por
disturbios.
A' ordein do do 1 distriito do S. Jose, Aman-
cie .Jos6 dos Santos, Antonio Thomaz de Aqui
no, Manoel Jos6 Cypriano, Jose Francisco Cbe-
to, Manoel Antonio do Nascimeato e Joaquim
escravo de Anna Emilia Teixeira de Mollo, po
olfensas 5 moral publhca.
A' ordem do do 2, district de S. Jose, Joa


quirn Gomes da Silva, por disturbios.
A' ordem do do Pogo da Panelta, Maria d(
tal, come alienada, atS qtto possa ter o conve
niente destine.
Pelas 7 horas do dia 39 de outubr) ultitmo
no district da S, de Olindh, soffreu um tir(
desfechado de emnbopada o portugnez Jos
de Si, do qual ficou o mesmo S 4levemnent
ferido. Fez-se a victoria e diligencia-se des
cobrir o author do crime, para contra elle pro
ceder-se na f6rma da lei.
lo dia 2 do corrente amanheceram aberta
M ortas do armazem de farinha de trigo
pertencente a Henrique Forster & C., silo n
caes 22 de Novembco. Fez-so a competent
vistoria e" mais diligencias a respeito, da
quaes veriflcou-se quae foram ellas aberta
corn chaves falsas, o qt:o duas jarteiras at
existentes foram foroadas, e segau do dollar
o caixetro do -msmo'esLabeleimejnto os la
drOes roubara-n a quaatia do.seocentos
tantos mil r6is em cobre, sendo edncontrado n
rua do Imperador utd pequeno cofre de fo'rc
que alli existia,por nfio.podrerrn elles condu
zirem, em consequencia do ter umrn boleei
que passavana Oc6ailo ew queo elles eondu
zia o core zrtado pela poicia. Prosegue-s
em ulteriores diliffenias ntara daBnkhwrir o


e ,spezas, nomaeao de uas commission para inaio slo urma instituiQAo conform as neces-
flxar aes epezas no caseo de resistencia, sidades da dpoca e 6 tanto menos possivel
deP-asicT do aarechal, sua act-sago. prec.- dispetisal-as, quanto 6 certo que a resistencia
SBdida pela ecusa de dotaglo do orCamento e. do episcopado e do clero catholico da Allema-,
Q da .NQ l leis de meijs. nba, se obstina e se prolong.
'a p Esta rovelaco de um partido tornado de en- Os desejos que se roanifestamn em favor daj
it, ado hon- irar na luta declarada, veio logo confirmada revislo destas leis nao dovenm r interpreta-
r m atsa jornaes e car- poxr arUtgos viOlentos publicados na Republique- dos senio no sentido de facilitar o exercicio da
u o dos qiae .cd61hemos o Franfaise, journal dirigido pelo Sr.- Gambetta, part do clero que tern curas d'almas, 6 isto em
declarando asolidariedade entire o president favor das commrn unas; mas nunca oestado p6de
iFRANQ e o gabinrte, nos actos de arbitrariedade de pensar em revogar disposices qua ft6aLi
-s e effectivans elut-o a eoiqes no prepoteneia ; e dizendo quo o paiz- nio podia os seus proprios direitos contra as preterie"
ranoa conseL~du-se tranqviilla,,ape- aceitar ds modo algum a satisfaClo derrisoria de Roma.
tde aninaoo,a e dagrande influen quo lthe era proposta da dehissao do gabi- A mesma folha confirm quo o B. de Eu-
are dos eires avia; s asnete lembourg. ministry do interior, Insiste no seu
I.i MTi4 M s1 ,otalMw aa pate das esqueras, os mo- peo do de demissao, apezar dos rogos dos seus
gio universal anifesto-s de un derados assustaram-se corn esta declaraiio colleges. Suppoe-se que o imperador, tendo
Ss universal Manifesto-sed mde guerra, epediram ao Sr. Grevy que venha ouvido o Sr. de Bismnark, nlo aceitar# a do-
odo isivo contrana6 dno lmatoos apoiti- assumir a presidencia do partido. 0 Sr. Ore- mnissao daquelle estadista, concedendo4he ape-
tnca do o ^ evy partio logo para Paris, recommendando a nas license a para tratar de sua safdoe.
s blicanos contain con mais doo20 x9O major moderaco. -- 0 principle do Gortschakoff e de opinion
doe ia, na fhLtuLa camera, calculados ps As esquerdas nio cedem sobre os pontos de que se renovem as negociaofes sob is bases
stit sdepcis do se conhecerem as eei es1 urn novo gabinete esquerda, invalidaCAo da da nota Andrassy, (reformas constitucienaes
s iia-s cbs escmtiai*sde desempate que maioria das elek oes conservadoras e mudanj0a e methoramentos mnateriaea na Bulgaria) log*
e rificar-se n odi 28. do pessoaladrninistrativo ; ainda qub ceda que se tenha dado o ataque esperado das li-
EmA ris nos 20irculos,.19 foramn republi- sobre os pontos em que a luta se pronuncie nhas do Plewna.
canos s6.um, 0 alnirante Touchard, conser- quasi corn o caracter de guerra civIl. A conspi:a wo da Pemsylvania tinba urn
vador. Invalidadas as oeeiQbes dos 1i0 couservado- dupla foco de acjAo: o primeiro na provincia
ForaL eleitos por Paris os Sr. Grevy e res, mudadas as autoridades sob a presiden- de Seekler, onde se fizeram algumas prisWes
Gambett-.4e. cla de unm gabinete republicno, as elei oes irnportantes, principahlmente as do Sr. Lau-
SiddTsopuramento id4 5eleiges conbe- supplentares ria conpletainente rapu- zyky, inspector do caminho de ferrodo Sr.
cidas, das quas 316 candidates dos pos blicanas; o partido trtaria (de pedir a rev i. Szigers, director de urea fabric de vidros em
das esquerdas c 199 anti-republicanos, ou go- so. daconstituiCo imne4iatA, sem esperar o Riksgrad c de urn proprietatio rural. As esta-
vernamentaes, seido 99 bonrpartigtas, 44 le- fimrn do septennado. Cbes do caminho de ferro foram occupadas
giiimistas, 11 orleanistas e 45 monarchico- Tal 6 o estado da situac5o., pela gendarmeria, e o district coreado por
constitucionaes.. ha 14 eleigOes sujeitas a 2 -- Ha porem receios de complica'es exter- um cordao de tropas.
escrutinio, e as 4 pelas colonies ; o que per- nas, por causa da guerra do Oriente. nao s6 Quanto i segunda os jornaes austriacos dif-
faz o numcro de 533 deputados que canmpfe relativarnente A Italia, que nos seus pianos de ferem de opinic'I, julganm uus que as armas
a aruicanos cona. veer nos atro unidade italiana, deseja obter Nice, Saboya e apprehendidas se destinavanm a Roumanin, ae
O s rcpu)licanoscontain vener'nos atromrnesmo a Corsega ; mas em consequencia do outriS que eranm dostinadas a ser remettigas '
circulas das colMonias, e, computando em me- tratado de paz de 1856, que mantem os direi- as juntas revolucionarias da Russia. foraSer
tade o vencimento nos seghndos escrutinios, tos territoriaes da Turquia-; para garantia da apprehendidas 40 mil espingardas. O ponw
calculam os republicans 327 votos e os con- paz de Paris, celebrou-se um tratado em abril de reunido dos insurgontes era em H1eiormans-
setvadores 206. de 1856 entire a Inglaterra, a Francaea Austria, tad o.
Este resultado 6 apreciado pelos org'os das" em que as tres potencias garantem a integri- Apezar dos desmentidos de Buoabares.-:
*differetes opini5es, cada urnm cooforme as dade e independencia da Turquia,, conside- confirma-se plenamento a noticia da ihvas -
ideas que defended; o qu e6 positive 6 que o ram conounm casus belli qualquer ataque 6s dos hungaros na Roumania. A opinion pu-
goveroo marechal fico em grardminoa, disposicOes desse tratado, devendo entender- blica accusa o ministry Cazalniceano de
apezar da recornmendae o das candidaturas se entire si e corn a Sublime Porta paradispo- ter propagado a idea do flibusteirismo hun-
officiaeo, dos manejos das autoridades admi- rem a reuniilo das forgas de mar e terra para garo.
nistrativap e j diciaes e de todas as prepoten- tornarem essa garantia defoitiva. Espera-se que o conde de Andrassy proce-
Ctias e arbjariedads feitasparao.vencimen- Parece (ue o gabinete ioglezinsiste no cum- derd corn grande energia para apagar a ac-
to daucampa 'aeeitora. ea d primento dessecontrato e querenvolvera Fran- cusaCao feita d Austro-Ilungria de transgres-
Os republicabo#, por6m, apezar da grnde a em se oppor 4.lanC, da Ajlemanha e Ius- sto dos deveres deneutralidade.
maioritaeaqaistada, 'no ohiveram o reultaa- sia contra a Turqua. .. ,' A commissato da camera dos deputados
Ido pler* que.espqfv^mf. P, 1 Poroutro fado dia-se havyer 0Momissio da Hungria'occupa-se do exame das qaUOStes
0 Sr., 36anbet a mavo que ncsviri am do partido repubpo cornm a AloEsnha. financeiras, cuja soluQao 0 de alia importaDcia
unicamente os 36 canmra dissolvida, mas ,. t ITALIA para a renovaao 'do pacto dualista. A ques-
Iquoa soeram 40 ni nova rcafora nio obtev. 0 general Menabrea, emibaji or da Italia tao mais debatida 6 a da divida de 80 milh~es
senso 327 cadeiras. nempoadres, Aonselhlou o Sr. Crisp, quaadolie florins, que o estado devia ao Banco do
A im reasa estrangeirsi foi quasi unanlime ..
Aimfenea estrangeiru i ois quasi unanes -ppou por aquella cidade,, a que foae rnais: Vienna, na proporCao de 3 para 7, e quer ao.
em festeoar o triumpho das idWas liberaes, so- = rad6 nosseus discursos. O generalCal.k.mesmo tempo que este project de Ii'seja
br a poitica ab'ria e anti-constitucional ini encarredo polo gtWrnoitaliano adu odepresentado ao parlamento hungaro simnuilta-
de 18 de maia' egverno firacez as mais de.ejaveis satisfa-Y. nebmente corn os da instituigao do no'o baq-
O mundo flnincac feIttoo a manifestacao 1e0, pelas palavrais pronurtiadas petlo Sr. o do estado e rios tratados de commemcio.
imponente da Frabos, ooM urtj alto progressiL Crispi, em Berlim, elativas A political do mi- E' evidence que na Iiungria ha o desejo.deo
va nos funds inkiriores, quo' attingio a 1 .2oni~
vanos funtos i ors, que attingRoa .25 aisterio francez. evitar por todo o prevo, nas circumstancias
,por cen-o. a .o. r Sr. Crispi, president da camera dos de- presents, qualquer desintelligencia enre as
SSuppoz-seaotrmciplio queera possivel umk uppTados italiana havia-se dirigido a Beriim,, duas metades da monarchia.
concilaC-o. ; caawrvadorep e ripublicanos, ind simples tourist, e segundo parece,. a A camera dos depuitados de Posth rece-
concordayam e, g(jue o gabinete de Fourton- -si niesmo se attribuio urlma alia missaio poli- beu do presidents do conselhtio explicacoes
Broglieraincow v l corn a masitaa.o -" 1 de I tica b fez d lJiarde naquella cidg,4 acerca do incident" levantado polo deputado
de *14,s-ai o I j ranll s. o na Europa; o Sr. 'lHelfy, que se queixou de que arbitrriamente
SISreIWa1s sa' Crispi d.seja completar a unidade italiana, i o haviam recommendado d vigilancia da poli-
d l gabinrete rtirar-se antes custa do Trentino e Trieste do lado da'Aus- cia qomo suspeito de connivencia no project
de 7 de novembro, data fixada para a r'eunilo trio, e de Nici, Saboia e Corsega do lado da de insurreicao d mao armada na Roumnania.
do.parlimento. Mesmo centre os membros do Franca ; julgando occasilo opportuna a dodes- Apevar dos esforros da oppositaio, a camera
gabinete havia s6rmas desintelligencias, que enlaceda questo do Oriente, e das requesta- passou d ordem do dia sobre este incident,
naio consentiam que o governor continuasse das alliangas por part da Allemanha. Os seus que tinha feito muita bulha.
na gerencia dos negocios, sem ser reorgani- discursos imprudentes foram eotigmatisados Na sessao do dia 11 o Sr. teify pretended
sado, sabindo principalimente o ministry do pela imprensa governmental itliana, e o go- que em certas circumstancias a rovolugao era
interior, o Sr. de Fourtpn e o de instruecao verno teve de negar terminantemente os pla- legitima. 0 Sr. Tisza refutou esLa dontrina
public, o Sr. Brusset. nos expostos pelo Sr. Crispi e que tivesse al- corn applausos da camera, e relativamnonte a
As esquerdas entendiam, porea, que n'ilo guma mfissao. comrnparacuo declarou que somente oiLto indi-
poderia haver concihiaiao possivel, sem que o Correu o boato de ter havido no vativano videos estavamin press, e que se tinharn ap-
presideontoda republica d6ssoe plena liberdade um conclave secret, em que havia sido pro- prehendido duas mil armas de fogo. Quando
Sma a, para muar todo pessoal admi- climado comno successor de Pio IX o cardeal a instrucNao judiciaria for terminada o gover-
nistrativo e judiieirio, disposto pelo Sr. de Panebianco. Este boato 6 absurdo, mas deui- no export o negocio em um relatorio geral.
Fourtou, que em toda a parole conmmetteu actos he origem indirectamente o facto seguinte; Parece que a conspireco estava relacionada
ante-constitucion~aes, nao respeitando a liber- Depois da nomeacao do cardeal Pecci, como corn os manejos ultramnntanos na Polonia, os
dade eleitoral, mas que 6 reconhecidamente camerlengo, o papa convocou muitas vezes quaes nao deixam de causar certo cuidado ;.
ante-repubicano, isto e, contrario a forma do oseardeaes para determinarem as funccSes Russia, por isso que a Polonia se acha quasi
governo constituida. do novo camerlengo sede vacant. As renni~es desguarnecida de tropas. N3o oroa per mais
Parece que o mareehal do Mac-Mahon tinha foram secretas, o que talvez deu origem aquel- de 33 mil homens o effective dos forcas a va-
a peito a defeza do pessoal administrative e it boato. por que occupam as provincias polacas, das
judicial, nomeado pelo sou governor ; mas, no E' provavel, porem, que no future conclave quaes '13 rail nas pracas fortes
dia seguinte ao da eleicao, a folha official pu- dcardeal Panebianco reuna os suffragios dos RUSSIA
blica urna longa listh de prefeitos esub-prefei- intransigentes systehiaticos, mas a maioria A Russia dirigio um navo protest *is poten-
tos agraciados corn a Legiao de Hunra.7 dos cardeaes,-que tern outras opini~es, votard cias contra as repetidas viola(ues do direito
Alem disso, o marechal presidente queria provavelmente de preferencia por um dos tres das gentes praticadas pelos turcos.
formal um gabineLe mixto. eas esquerdas re- cardeaes : Monaco La Valleta, Billis e Mertel. Foi preso Akashoff, chefe dos panslavistas
cusaramn aceitar a satisfacabo exigindo a forma- Isto, porem. niao passa de conjectfras. em Moscow, por causa da violencia da suni
cao de um gabinete completamente novo e A sau4de do santo padre continua melindro- linguagem contra o governo e a dynastia dos
obedecendo as indicacoes constitucionaes ; sa. mis sern aspecto de gravidade. roumadbs.
isto 6, tirado da maioria. No dia 6 de outubro deu audiencia a algu- Muitos departamentos russo em vista
No Elyseu parecia-se resolvido a ace:tar es- mas familhas italianas e estrangeiras, na sala da impossibilidade de cobrar os impostos, vi-
ta conciliacao ; mas as esquerdas, que at6 alli do consistorio. ram-se farcados a suspender os pagamenLos
haviam mostrado a mnior inoderaraio, mudam As peregrinace s projectadas paia-o proxi- aos funccionarios publicos.
de tactica. m10 inverno sao adiadas para a primavtsra, o governo russo tenciona ernittir os titulos
As esquerdas senatoriaes, em urma reunion afimr de celebrar o facto de ter o pontificado para um novo emprestimo no estrangeiro, c
de todos os sens membros, adoptam ;a publi- de Pio IX excedido em annos o de S. Pedro em entretanto ordena o pagamento adiantado dos
cacao do seguinte manifesto : Roma e na Antiochia. contribuiicoes directas. levantando em ultima


I Z Charos concidadaos.-A' ultima hora vio INGLATERRA instancia os funds depositaidos no Banco Im-
. tentar um supreme esforco para pezar nos 0 chanoeller do thesouro sir Stoffon North- perial.
i vossos votosem proveito dos candidaturas offi- cote, pronunciou um discuirso em que disse As condicoes financeiras da Russia nao sro
Sciaes. --' que qualquer acontecimento que podesse ge- prosperas, eresentem-se da cnorme distrac-
SSe vos disserem que as instituikoes repu- neralisar a guerra actual seria possivel, mas gilo de capitals a que di lugar o entreteni-
blicanas nWo estl' em perigo, perguntareis a nio era de esperar. Lord Staffon 6 umrn dos mentp de guerra.
razilo porque o ministerio de Broglie-Fourtou mnembros mais influentes do gabinete ifnglez e Os prisioneirosg turcos em powder dos russos
nilo tern por agencies se nio adversaries da re- as suas palavras sao consideradas como urn, elevam-se a nove nil homens ; o que 6 mais
D public: porquedeixaeste ministerio impu- indicio de um accord entire as grande po- urn encargo para a intendencia militar de
* nes, e at6 mesmo animna os insolentqs ata- tencias da Europa, para p6r termo. A guerra Moscow, que jD luta corn bastantes difficulda-
ques dirigidos contra ella, e por que raziLo de exterminio da qual a Bulgaria 6 theatre. des administrativos.
Spersegue corn tanto rigor os homers que a de -. 0 principle de Bismark confiou ao condo -- F effectivaminente verdade que cinco com-
fendem, e responder-lhes-heis: de Munster umra nora para ser entregue a lord panhias de caminho de ferro russas, foram
i Nao ; nao vos acreditamo$. Dot'by, em que o chancellor da Allemanha se autorisadas a converter o sen capital em pa-
Seo vos disserem qne este ministerio nito qneixa vivamente da pressao exorcida pela pel-moeda.
r obedece a influencias clericaes, recordar-vos- Gril-Brotanha sobre o ptincipe Milaoda Ser- o0 czar declarou que os tnembros da fa-
heis dos indulgencias e ora5Oes postal pabli- via, para o impedir do soccorrer as tropas do milia imperial permnaneceriam corn o exercito,
t- camente ano servigo das candidaturas o;ATiciaes, czar. afimr do partilharem das suas fadigas ; e ac-
e responder-lhes-heis : Lord Derby pela sua parte queixa-se da at- crescentou quo se necessario fosse toda a
e Naio vos acreditamnos titudo do principle de Reuss em Constantinopla Russia pegaria em armas.
e Se vos disserem que as elei[Oes republic [representante da Allemanha], e informou o 0 esolv'eu-se em conseiho de guerra que o
canas lancariam o paiz nas desordens e aven- encarregado dos negocios da Prussia emrn Lon- exercito inverernasse na Bulgaria.
turas, mnostrar-lhes-heis.os nomes dos candi- dres, que o gabineteo de S. James nin permit- RINT
o dat( s officials, todlos inimigos do reginien re- tirA. a nenhunma potencia que lhe dicte as suas OiMENTE
i publicano, e que nao disfarcam nero m cs seus vontlades, e menos a Allemnaiha .do que a qual- As ultimas notictas recebidas do 1heatro da
e fins, nenias s.as esperanqas eietponder-lhes- quer outra. guerra participam mais urna victoria alcana-
- heis: Lord Derby dirigio uwa nota ao governor da pelas armas russas na Asia. Aperda dos
i- NJo vos acteditamos : grego acompanhando outra da Sublime.Porta, turcos eltba-sea 16,000 homes.
a So vos disserem, finalirenL, q:Ie c gover- na qual esta se queixa do procoditnento da Crti-se geralmente que este triumph pode-
s no garante a ordem e a paz, tespondsr-lhes- Grecia; o mninistro inglez aconselha esta po- i-A influir no sentido da paz ; pois os russos
), heis que mais profanda erdem reinava antes tencia a que abandone completamente todo o s6 parecem esperar algumas vantagens ante%
o le 16 de iaio. e que desde entlo nao cessou project de aventuras lm questoes exteriores, do inverno quo lhes-deem uan pretexto para
e dereinar, apezar de tantas pr vocanc.es, e e qne se applique ao desenvdlimento dos salvar a sua dignidade.
s respondereis corn o Sr. Thiers, qie os tnicos scus interesses materiaes no inter-or e ao me- -- Ghefket-pachi communiona a captura de
s factores de discordias sio os homes que eUle lIhoramento da sua situacaio financeira qaeU to um numero consideravcl do bois e caroeros,
Ii ctassificou de aoarehistas e perturbadores. lamentavel e d todos os respeitos. part dos quaes forinn enviados para Plewna
*a l Eleitores.-Votareis pelos 363, e protesta- A Gureta de Colonia diz que o conde do e o resto parm Radormityha.
- reis p rtoda-a part contra as candithturas Beast visitara o Sr. Disraeli, em Brighton,; e Plewna estA fraeamente abastecida, s p0-u
e oftiiaes que stio tima injuria para a vossa li- que corn elle se entretivera sobre as negocia- cos mezeq poderni prolongar a suadefeza
a brdade, para a dignidade do suffraglo univer- 00es do govornou inglez, acerca da neutralida- nio for rapidamente abastelda..
, saI par a oberatia naicnal. de da Serv e da Grea. Os soccorros enviados ultimamente a S
S mes(n) tepoo t dizia qu, em ALLEM HA plia pelos tUrcos elevam-se apenas a doze l
tempoaESer (oetda GeLLEa.
,-o cssadeojim ospersotiagens mais influences Dcsappareceuc eompletanente naPtussia, o homens.
. do partido radical, e haviam reni bastan- period de urea crises niiSerIi. o'ar. de Bis- 0 general Tolleben a6a d, 4isitar as%
; e s dpittos i esaores dasossquer- mark nlo assist i ertura do Laudstag, posibes dos russos, e espera-sq
s 4%,ea tras pessoas !tauntes do partido onde ser zepsetsrtado o'Sr.eo Campfisen, g$ralde actividade aos trabalkos a op es
i. q l 4Wrn Ci'cordaea diffrentes polos vie-presi4eqmtedo'ilt o e aiaistro dass do exereito.
1 n,:hn -ivSL A a ape ^^, A:fmv:'nte I f'bt i ixa ro a t o -Trata-se eae ,Pete r fo


sor subuati-
no dia 8 de ou-


I9A kIanachae Kl wacmava a af Aa lbm)t


Camabio obre Londres 1-3 1.
Prego do ouro 102 1,2.
Agencia de Pernambuco, 5 de no-
vemibro de 1877.
PELO DIRECTOR, J. BP.OCHIIIER.


INSTRIUCCAO POPULAR

Elementos de Chinica
METAES
, 4Potassio


[~.


























I.&s 'urpas rnsas tr"_ ~ & I[UbgiS
qu he foramrn d -
panha, e que A a eobbV-
ra sern nome, d os_0s
0 r-esultajo acerbEl -o e 0tado plde-
inico que lavra no exercito, .0 que tern mdesi
mado as fileiras russas,'sendo frequentes as
diarrheas e desynterias.
O soldado turoq mais sobrio, support corn
facifflea ft a'%ON I*da1 geterra; ealem dis-
so terp na Anatolia um celleiro farto e beor
provide; lua pw olmc a superioridade nu-
merica do inimigo, que Ihe refrea e restringe
O wf e-ft
Esta guerra, pela immoblidade dos cornba-
tentes, torna mais dispendiosa e ardua a is-
sko da administraoo por motive de forineci-
mttos, munuileamentos, transports, etc., do
Sgue em particular o papel que desempenha a
taetica e a estrategia.
-- 0utltimas nbticias dizem que os russos
iKttrit tars, e a bombardeaui, interrom-
pefi* thoommunicacoes telegraphicas corn
aquel a praca, e que Mouktan-paohA terda de
repr Ifptta Khizandeia entre Kars e Soliauli-
4s lttim'nS notiCias do theatre da guerra
1, t i;p~n i&in telegrainmia de Osman-PachAi,
df n0o Iit tendo no dia 19 atacado os russos
as"a turcas da direita de Plewna. ha-
viaw sidwo rEeIos depois de term soffrido
preti* eon sizdrgBis.
O)Iterdto d 'Seilayman PachA retirou no
dia ftoara as'ptoximidades de Rasgrad, onde
aetlalht ie o0cupa$6siCOes favoraveis e de
facil tprovisionamento.
S0 D:iily News public urn despacho de Erze-
roum,.de 21. dizendo que os russos cercam a
praa deKars, e que estavam encetadas as
negoeiar s para a rendiqo da praca; e que
os'tdhtse.plreparam para a campanha de in-
verno iftLuaria. .
'D e ait otostanrtlnqpla que o sultlio diri-
g9ei' l hta o'lbcito aos batalhoes de milicia
local p o AIw que pela primeira vez estd
consign-dtia hypothese de paz.
HESPANHA
Acerca desse reino, assim se express nosso
cotreSpondente de Lisboa:
t 1 1zta de 20, publicou os mappas de
tLod'as: dividas hespanholas, corn os jueso'a
P'.' laserio igaalmente o trabalho da comn-
wn parlamentar incumbida de estudar a
ora d augmentar a amortisagio annual da
iyvida, acompanhado dos quesitos que vAo ser
Subltiettidos a varias corporagses e individuos,
a..t A t daoreri as respostas ulteriores sore a
po0Wivel sluVao.
O 0 dlti'mo'nunero do Diario de Tenerife diz
que ftgitatn das Canarias os deportados poli -
ticos, entire os quaes o sobrinho do Sr. Zur-
rilla.
q Calcilam-se em 20 milhues os prejuizcs
que os uttimos temporaes causaram em Ma-
laga.
STein sido acolhido con enthushiasmo petla
irnipfensa liberal liespanh-la o triumph elei-
toral'qiueo partido republican francez alcan-
rou no dia 14.
C Parece que os homes da situagao e os
moderados e que nAo gositaram daqubf',e re-
sultadb, pois entendeni que o future da Hles-
panha estd ligado ao da Franga, e esperavam
que o' rosultado das eleig5es, alem dos Pyre-
neus'dis4e causa a certos acontecimentos em
Hespanha.
c,'boi0otabilissimo o discurso pronunciado
pelon o'b reitor da Universidade Livre, o Sr.
Mowte6H'Rios. 0 quadro dos professors des-
ta universidade 6 multo complete, pois se
compde de homes coino os Srs. Montero Rios,
Figuerola, Azearote Cuesta, Gnez de los Rios,
Labra, MoretL, Salmeron, Valera e outros ex-
cathedraticos da universidade central de Ma-
drid e de outras de Ilespanha.
(( 0 Sr. Romero Robledo- foi ha poucos dias
apresentar as suas homenagens de respeito a
el-rei D. Affonso e a sua nra. 0 corresponden-
te de Madrid, que da esta noticia para umrna fo-
lha d'aqui faz um ponto de admiraCAo.
0 govorno hespanhol prop5e-se roclamar
ao de Washington Aoerca do augmento de
moio dollar sabre os direitos cobrados por ca-
da tonelada de oercadorias importadas na A-
merica do Norte.
A pendencia e conilictos entire os pesca-
dores hespanhoes e portuguezes nas costas
do Algarve, tern dado lugar a muitos artigos
em diversos jornaes de lHespanha c de Portu-
gal, sondo em uns tratada a questlao corn mui-
ta cordura e sensatez, ao pass quo em ou-
tros, corno o Impaciul, de Madrid, estes con-
ilictos duratn-Ile assumpto para fazer reviver
a chamada questao iberica, por modo tao des-
comedido, que muitas folhas portuguezas e
outras das mais importantes d'ontre as hes-
panholas, corrigiram corn desassombre aquel-
las incontinezocias de linguagem tuo inoppor-
tunas como inconvenientes. As negociaeoes
diplomatieas, pare se ehiegar a um acc6rdo tern
sido activissimas no quo o nosso ministry, o
condo do Valbom se .tern tornado credor da


gratidao public pela hombridade e fino tacto
corn que se tern havido. No dia29annunciavam
as folhas mininsteriaes portuguezas, que esta
resolvida a questao. Como era da presumir,
os dous governor, depois de explicado o pro-
cedimureto de um lado e outro, reconheceram
que a fdlt do rd.gulamentos claros.e positives
ori.inararn contlictos quo se deram ultima-
monte e os que teem occorrido por mais de.
uma vez.
( Agora vai tratar-se das negociacues no-
cessarias para regular definitivamente o di-
reito naquosti.3 dos limits maritimnos e,'de
posca. Foi mandado retirar o vapor hespa-
nhol, guard costas. qle para alli fora .envja-
do, sendo prohibidos os pescadores he~pa-
nhoes de poseur nas nossas aguas, atW se che-
gar a accord neste ontoo, A corveta- Ba'-
tholorneau Das, (portugueza) que para alli f6ra
euviada Lanambewi, paroce quo recebora ordem
de retirar brevemente.
SEst'o nomeados crmmiss'ariks por parte"
dos dous governor para estudaren a questao
dos limits maritimos da referida costa, e pro-
porem o respectivo regulamento.
K Temn-se especulado muito A sombra da
political a pretexto da discussao travada centre
os governor hospanhol e portuguez acerca da
pescaria no Algarve. Nao ha invengSes que
certas folhas ndo tenham forjado para sobre-
saltar o public. Algumas at6 queriam que
se fosse dando publicidade As negociagOes di-
plornaticas ainda pendentes.
q A rainha' mni (D. Isabel) ira proximamen-
te a Sevilha, onde residirA mez e meio, vol-
tando a Madrid depois de dous mezes de 'au-
sencia. Ignora-se onde ira residir depois.
Antts de ir a Sevilha vai a Paris. 0 inten
dente tda casa de I). Isabelde Bourbon partio
no dia 18 para Sevilba.
( Regressaram de Madrid para Paris os do-
legados francezes incumbidos de resolver a
quesLao relative As cartas registradas e con-
tendo valores.
( 0 president do suprerno conselho de
guerra entre0ou ao ministerio o accordlo da-
quefle tribunal.
a A reuqj4o cetro do partido moderado
historic conCdou ukimanent em que a
opposiCao moderada prstarA o su apoio A
candidatura do Sr. osada Hersera, para a
presidencia do congress, se ela for abandei-
:ra .a upo;iOes .
4t a~ d A a egad. r lfto Sr. Sa~gasU6 we teIoses-:


SA exposigao feita pelo mialstro apresetI
curioss informagoes sobre odw ret ons-
centeo que desde de 1857 ate W hot bag
soainas deslinaias i4' deapae fM 0 es
seal do ministerio da fazienda. Estas infor
r mW.s dewonstram doe uma maira flCara
quaoosso as coubaius quo o ni.tw ereff5#
tuu corn a sua refoema, uImd Miniterd tlorb
tad a..
a Em 1857 a despeza do pessoai da direc-
cao do thesouro em IHepanha elevendo-se .
20 contos, poaco mais ou menoes, prova que
augimetos saccessivos flmeratn 'seggr qua.-
tia de mais de 81 contos at- 1876.; A refer.
ma reduz esta parmoella a 41 oontos. A e0ono-
mia realisada neste capitulo 6 de 40 contos
approximadamente.
A 0 pessoal da caixa central do thesourc
que custara em 1857a quantia de 41 contos
exigia em 1876 a somma de 24 contos. EstI
verba ficou4gora reduzida a 19 coifttos.
( Alem da economic realisada nas duas di.
rec(Ses o ministry levou a effeltooeutea de 5
contos no material das duas dependencias.
Para oompletar o seu trabalho, o ministry
da fazenda nao s6 declara no sea relatorio que
fez o qae deixo dito, mas que esta resoldo a
realisar reduccOes analogas em todos as de-
mais dependeoeias da rxepartiCAo que dirige.
( E' manifesto que tudo isto fore e vai feri
interesses creados e que levanta clamors
como 6 costumce.-
a 0 ministry do interior acaba de tomar uma
providencia important que 6 apoiada poi
grande parte da inirenea. Trata-se do esta.
beleowento de deposits sufficientemente
fornecidos para prestgWem aos agricultores os
cereaes de que cafdoerem para as suas se-
menteiras, mediante urma retfibtuifio minima
destinada a despeza de armazenagem.
a Nsta instituicao, qua nao 6 nova em Hes-
panha, promette ter grande desenvolvimentc
no interesse das classes agricolas.
( Alguns jornaes de Hespanha avisam os
incautos que emigram para procurar fabu-
losas fortunes, e dize.m que' miseravel a si-
tuaQ.o de grande patte dos hespanh6es que
reside actualmaente no Mexico, e nao 6 me-
Ihor a dosqtte temrn 'emigrado para as repu-
blicas do Prata, segundo as ultimas informa-
c0es. EVlastlnosa a exposicao que a este
respeito se 16,' na, imprensa do paiz visinho.
S A p.Mxima sessao do"parlamento hespa-
nhol pro :mtte ser multo interessante, nao tal-
vez eoam aotos pollticbs, mnas em assumnptos
economicus. O 04Ofistitucionaeds e os centra-
listas agnardam 'O'.regesso a Madrid dos seus
principles homen%.ia)ra que, de accord corn
o0, respectivos'cbet/s, posrnm entender-se
sobre a linha. de conduct qi4e tern a seguir
logo que s-1faul, as cOrtes. '"
a 'O governA t$btou erd relgl ni missao di-
ploviatica de S. Petersburgo a mesa resolu-
g'oq1ue tomoh!quiwnta de Lisbon, ist b 6, qu'
a4,,d q s indicadas misses deixassem de dat
embaiaadas logdtIue bouvessem sido substttu
dos s altos fanccionarios q'ue' exerciadtr."
respeotivos cargos'nttduas c6rtes. A detis-
bowesta vaga peta'exoneraQao pedida poir .
Aleapdlre'deCaoStro. '
SAssegtrrar-se que as ecdnomnias quo o go-
ve-rno hoeanhol propora no future oroamen-
to eleevarao a 100 milh5es de reales, desore-
vendo ao mesmo tempo um agmenoto de re,-
ceitas de 150 miltbSes.
g El-rei D. ATffonso visitarA de novo o depar,-
tamentu maritime do Firsol, quando alli'se
inaugurar o grande dique de la Campana.
a A commissio de reform do codigo penal
em Hespanha prosegue nos seus trabalhos.
Parece que trata aetualmente da liberdade qua
deve conceder-so aos que, em livros, se occu-
pam do questOes religiosas, e segundo as opi-
ni6es 'que se manifestam na imprensa; a com-
missao estl resolvida a deixar este assumpto
as lois qub regain a imprensa.
(, Falleceu em Segovia o conde do Almodo-
ver, senador hespanhol.
K QOjornal La Patria de Madrid tratando do
que convom A conservacao das boas relac5os
que felizmenat existem entire Portugal e Hes-
panha, escreve o seguinte 'unm dos sens ulti-
ros numerous :
Paz e amisade corn o visiaho reino de Por
tugal o quo devemos aconselhat'. e assiui o
declare rnos, por quanto, conhecedores da nossa
maior forca, nao queremos, comtudo, apoare-
'cer como inspirados n'um espirito de orgulho-
sa preponderancra para co a aquelfes que.sem-
pro huo de ser nossos alliados natures no
ca~o de perigos quo podein sobrivir no decor-
rer dos tempos, coma iguaos sibo os sus into-
resses, identicas as suas tronteiras, os seas
rios o os sojis mares.
< Sigamos, pois, urna political quo estreiLo
os lagos de amisace corn esse nobre povo, e
procuremos, quo, devido a ella, e mediante o
impulse, quo, coin a sua illusLraqao, Ihe deean
os jovens monarchas D. Affonso XII e D. Luiz


1, deixem de manifestar-se tendencies receio-
sas em Portugal corn relagao a Hespanha, para
que alli se possa desenvolver a idea de um vi-
ver sdlido, e de reciproca lealdade. )
c LU-se n'uma folha madrilena que se expe-
diramn ordens para se nao permittir que os
barcos portuguezes vio pescar nas aguas do
Vigo, por isso que se achavh suspense a reci-
procidade que existia entire Portugal e Hespa-
nha pelo que respeita ao exercicio daquella
industries.
as Um telegramma de Madrid de 20 diz sa-
ber-se de boa fonte que existed divergencias
acerea dae questao aduaneira queestao tratan-
do em Paris os delegados hespanh6es. CGom-
tudo espera-se que desappare-am as difficul-
dades.
a 0 Sr. Gastellar era esperado em Madrid
no dia 20 do corrente mez.
(( Gontinuam os trabalhos para a fusAo dos
dous grupos constitutional e centralista, mas
niao se manifestam hoje maiores esperancas
do que at6 agora para se alcanear um born re-
sultado.
Na prasa de Paris, no dia 21 pela manhn
o 3 por cento hespanhol foi cotado a 12 1j3.
(( 0 nosso ministry em Madrid,(condo de
Talom) ia send no din 17 victima de um gran-
de desastre. Os cavallos da carruagem em
que ia desbocaram-se na rua de Santo Ono-
fre., arremessan at grande distancia o cochei-
ro, que ficou muito ferido. Felizmento o con-
de sahio perfoitamente illeso da carruagem. D
POIRTUGAL
De Lisboa escreve o nosso cor-
respondente em ,23.de outubro :
SA questao que mais tern preoccu-
pado o public desde a sahida do Neva
6 o incidente diplomatic corn a Hlespa-
nha, a proposito dos conflicts recen-A
tes entire os pescadores bespate l e
portuguezes na cost do Atarve. Temn-
se iescnito resmas e resm as de apel,
para os jornaisd de ae.A oIrep b
assumpto.: Renasoe- r A- oteida ibe-
rica nos periodic' aata oeerto 6 qu
nas regides do idpoe 'rtanto: d ,. por
part do Sr. Slvola inlatro dos ne-


selhoun awf i'_t*W loritcia aWa
nif4istaAOdAeS aSeua w .pors,p -a
Sdescontianca sobre s Intuitos d
panha a respeito de Portugal n'20:
\ melhor system para nos attract a
e6la, nero para finmlir cornm ella os0os-
>sosinteresses. :
C Depois deste assumpto, o quieoe
recelaalvez o segundo lagar 6 o I
Sratoria pedida ao tribunal do cornumr-
ciu pela Caixa de credit industrial,
estabelecimento bancario de Lisboa qae
Sna reahdade tern prestado bans servi-
I Qos' ao pequeno commercio e aos in-
Sdustrtaes de poucas posses.
. C Isto causounsensaao, e se retra-
Shidos andavaun os capitaes, mais o fica-
rami depoi, porque estes abalos repe-
i tides nos estabelecinmentos de credit
r produzem panico e fazem cOa que os
Sparticulares procarem aferrolbainft
Inais oque e seu, retirando osseus de-
Spositos dos bancos.
t Realmente n.o ha falta de nume-
raro, e isto provou-se agora de urn mo-
do bem manifesto por occasido da I5a
emissdo do emprestimo para os caMi,
nhos te ferro Ado Minho e Douro; mal
So quo ha, 'coto evin observava o Jor-
nal do Contmercio ha dous dias, d os
tres ou quatro boncos, principiaiado
Lisbo a dando o exemplo do Uema extre-
ma parcimonia e retrahimento emA'seos
descontos, .no que sao imnitados pelos
bancos de seguoia e terceira ordlem
e contagiosamente por todos os argen-
tarios, 0 requltado de tudo isto sao
as diffiduldades quotidianas'c0m que
lutanm^s pequeqos co mmerciante pa-
ra os'pagamento de suas letras.e as
cewtinuadas suspensoes de pagamentos.
Agora'hestei ultiusthsdls auspsendqram
o pagamento duas ouriveiarias impor-
tantes em Lisboa, e um estabelecimento
de alfaigte na rua do Ouro. Um destes
estabelecimentos apresenta um passive
d' e.300 e tantos contose o outro de O
e tantos. Das provincial, e raro o dia
em que nao vem-'notitaAde fallencias,
pettidd de moroatorias, 'etc., etc.,
c O-Banco de Portugal foi autorisa-
A&o pelo governo a elevarvo juro do des-
contoa6 oIQ. "
a 0 Sr. ,SiLen Cohen, negqciante e,
proprietario, reside lte em Lis a, dri-
gio a camera municipal um rieqterimen-
to no qual the expoe que, tendojuntado
umn grupo do capitalist, e chefes de
casas bancarias, p6de levar A execu-
gAo a grande avenida, ou boulevard
que, partindo de passeio do Rocio,
atravesse a cidade atW extra-muros.
c 'Segundo diz o requerente, nao Ihe
talta'dinheiro,' nemo pessoal habilitado
para pboer apresentar 6m project dig-
no da atengio da camara..
c Nestas circumstancias o requeren-
te pedio A camara um prazo razoa-
vel, em condioes de reciproca garan-
tia, afim de procednr aos estudos indis-
pensaveis para apresentar urna propos-
ta tendente a realisar o tim que se pro-
fpoe. Tambem project organisar una
empreza oonstructora, corn vantagens
tanto para a empreza, como para o rnu-
nicipio.
(s Espera o Sr. Cohen, quo, sea sa-
crificio pecuniario pare os cores mu-
nicipaes, a camara aproveite e ensejo
de melhorar, as condi Ses da capital,
ja augmentando as industrial actuaes,
ja creando outras novas e Ihe defira a
sua pretenedo.
cc Esta, pois, na ordem do dia o fu-
ror de edificar, augmenter a cidade
corn bairros novos, baratear por tanto


os pregos dos aluguels das casas, me-
Ihorar as condig5es 0 salubridade des
residencies, remogar emfimn urma cida-
de velha que setern tornado cada vez
menos sadia-, como se prova infeliz-
monte pelos quadros da mortalilade
quc tern attingindo proporg5es assusta-
dorarnente progressivas nestes ultimos
tempos.
C Foi nomeado o goveritador civil da
Horta (Fayal, Agores) o visconde de
Castilho, tilho primnogenito do grande
poeta, e herdeiro do seu talent. E
caso para felicitar -os povos daquelie
district. Foi condecorado o antigo
governador civil o Sr. Santa Rita, que
estava A test da administrago supe-
rio, do district da Horta.
0 reverendoarcebispo de Braga es-
forge-se poirAMter de Roma a canonisa-
gAo do virtuoso e illustre vario frei
Bartholomeu dos M'artyres, uma das
maiores gloriat da igreja lusitana.
c 0 triumph eleitoral do artido
republican em Franca, foi aquiauda-
do por toda 4 imprensa liberal, tevic-
toriado em Coimbra polos estudantes da
Universidade om vivas A a republican,
foguetes e musical pelas ruas de cida-
q ostar Ai
de. A autoridade %uiz star i -sii
festaAo dosadmicos, 'mas a tempo
-mn que elles a nibhm jA feito. A or-
donin o fb .t.. *ra...


*1 de ur rearig~a d

Pol i ponto
sahida do ,adb ver* e a da a-
Oi que (u^a f^ a ^ -a|i
rar sern o auxi o dos p padres ne de

V P ulww. leifam adr intimado
pelo io.amiMi 4e pid; pam acaOmrn
pantr Cope, e, l sa fez o enterfo ca-
tholr: fOrva
s Em Coibr falleoee, Sr., Lean-
dro da Silva Rocha, que por rmtito4an-
naos foi redactor do yitbano'ppula-.
C Foi mtito fstejadu em.nGascaes o
a *versario de S. ,M. a Rainha, a 16
Ceorrente. Grkndeiumrnero de pes-
soas da pritMeira sociedade, foramin alli
Culnpri"enatar a augusta .&posa do so-
0 bail. stee loanirmadissitno.
c Abrio ji. o theatre de S.': Carlos,.
coin a Somirwmbula, em que se estreoa
a signora Varesi Bacabadaithi, sobrinha
d'uma prima dona deste utimo, appel-
lido, que aqui esteve ha muitos, annos,
f44ha do tenoner Varesi, que esteve em
Lisboa ha tempos.
c Na seguinte noite cantou-se Gene-
rentole para estrfa da primia dona Bian-
colini.
c 0 Sr. Felix de Brito Capello, in-
cumbido pela Acadenia das Sciencias,
decolher os elementosparaa historic des-
criptiva dos peixes que visitam as cos-
tas de Portugal, tern estuIddo ultima-
mente este ramo de zoologia no rio
,Sado, .onde tern adqhirido alguns ex-
ermplaros raros, e estA e&aminando os
livros e documents pertencentes an-
tiga casa do Corp6 Santo de Setubal.
c Um industrial digno, de toda a
contemplagdo, r por certo o Sr. Joa-
quirn Germano de Souza Neves, pro-
prietario de-uma officina typographica
na raa da Atalaya 11. 65, ina das rnais
antigas de Lisboa. Ha termpos corn-
prou a casa Borel, a faculdad e direito
de reimprimir o acreditado e popular
Diccionario de Moraes, cuja nova edigdo
ja vai na 24a caderneta. Achavam-se es-
gotadas as anteriores ediaies, e corriarn
por born prego no mercado os poucos
exeinplares queappareciain 0 diceio-
nario de frei Domiingos Vieira, refundi-
do, viera saciar uin tanto a sede de
uina lexicologia mais comrpleta aos que
ndo podiam obter o Moraes, que por
sua antiguidade e justiticada reputadao
era mais procurado.
Agora o Sr. Souza Neves, vein des-
truir a falta corn esta reinapressao, ac-
r'escentada corn muitas locugoes e ac-
cepgSes e phrases novas e cuidadosa-
neftie revista. A ultimna caderneta che-
ga a pagiaas 530, ao verbo desbaraar.
A pubhicagdb comegou na priimeira se-
mana de maio, e cada semana teni sa-
hido unra caderneta coin 24 paginas,
sendo distribuidas em Lisboa por 120
reis pags fi entrega, e remettidas para
a provmcia no tim de cada mez por 500
reis, franco de porter. Creio que o Sr.
Souza Neves, destina aos mercados do
Brasil grande parte desta prirnorosa
edicao de urn dos melhores reposit9-
rios da lingua .patria.
Vai ser admittido no Asylo de S. Joao
(para orphaos) o inetholo de ensino
primario do distincto poeta Joao de
Deus. Este asylo e digno de todo o fa-
vor public pela sua optima organisa-
cio, e restricta econothia corn que e
administra to. Parece que o presi ten-
te da direccao trabalha activainente em
obter do governor urn ecrificio proprio


para o asylo.
S Pedio a resignagao o Rvdm. bispo
de Vizeu, D. Antonio Alves Martins.
Parece que o sabio preladb e rico, e
que deseja descangar junta aos seus
amigos de Lisboa das fadigas e respon-
sabilidades do eminente cargo que tao
dignamnente occupa na igreja lusitana.
Parece que serA substituido pelo bis-
po d'Angola.
(( Fallando ainda do ultimo empres-
timo p;ra os carminbos de ferro do Mi-
nho e Douro [5.a ermissao] e inuito sen-
sato o que hontem se lia na Revista
Commercial de urma folha das mais li-
das da capital.
S Era facil de prever que a elevaca
do juro em Londres ai taxa excessive
de 5 io havia do influir na nossa praga
alterando iminedat.amente a cotagdo
dos cambios. Assi* succedeu; a con-
seq uencia foi principiar a exportagao do
ouro do Lisboa para Inglaterra logo no
dia seguinte aquelle em que se soube
aqui a eleva'jao do des onto. '
( Felizrente esse movimento de sahi-
dai teve urna suspension, mas p6de re-
cornegar logo que se dU qualquer fluc-
tuaco no mercado.
&Nao obstante todas as difficuldades
da situaaao e todos os embaragos do
momeato, o ernprestigio dos.... .
3,568:6005W000. representado por 39,540
obrigacoes de 90000 coda uma, para
a continuagdo das obrae dos caminhos
de ferro do Minho e Douro, foi coberto,
75 vezes.
c 0 banco de Lisb6a e Aco6res tinha
tornado firne metade 'do emprestimo,
abrindo-se a subscripao ptuflica s6
pela oit ametade. Logo no primeiro
dia t|ptia ema Lisbda,' Porto,
Braga uma quantia igual ao
quadruIpl dt ue ,pedi othesouro ; 'no
seglundodia a US9 p4i. attingio a


por


Iettras, en et a a,
que deviaw
Iortantes emr os tssa speede`
de1o.id retirando ao coin-
iwmj&lIrta esses recursos que
i_ hes seriamniede fraroveito na con-

A Lamenata-se ralrmerate que os cqa-
itaes guardaydinos p meia pre-
irim a* egociaobes con o thesouro,
a quaesquer outmas. Os rmades esta-
betocivews de reotto slo os primei-
ros a dar este exemplo!
S A operaoao era de certo lucrativa;
as obrigaQ6es fIornm enaittidas a 87#000,
venftciam juros desvde o 1.o de jalhto, e
dftcedeu-se o desconto de 5 9o Aquelles
quae antecipbssem o pagamento das pres-
tacoes, ficando assim cada obrigaao
pelt pO o de 8585.
cE' por4n razoavel rue os bancos
immnobitiseim' os seus capitaes em fun-
dos. deo qualquer especie quaido )
commeremio luta corn difflculdades co-
mo as que pesam actualmente sobre
elle e quando s4 difniculta systemrnatica-
mente o desconto ?
c E', pordm, necessario fazer justice
As direoqesD ire so 'etlas as unicas
culpadas do dovirtos arcane o ; aos
accionistm eetai aidee parte nessa res-
ponsabilidade. 0O que elles exigem,
prinmeiro que tudo, d quo lhes deem
grandes dividends. Satisfeita esta con-
dicao essencia,l, nao curam, por via de
regra, de saber so a administrator pro-
'cedeu conscienciosamente, se foram
acatados bons prncipios econornicos,
se as operates se' afastaram, ou ndao,
da indole do estabelecimento, se o re-
sultado, embora lucrative, satisfez exac-
tamonte aos intuitos e aos preceiLos
porque devem guiar-se sociedades d'a-
quella especie.
K Poucos sdo os accionistas quo sen-
tern escrupulos quando Ihes olfferecem
umn dividend de 10 ou 12 o/o. Quei.
xami-se porem muito se as direccoes,
langando-se em negocios arriscados
e comptomettedores para arranjaremin
esses lucros exagerados, cahem em
operate, ruinosas. -
S Um telegramma de Barcellos, do
dia 21, diz ter sido inaugurado n'aquelle
dia e aberto ao transit public o lanco
do caminho de ferro 'comprehendido
entire a estagAo le S. Bedto e aquella
villa. A chegada dos combaios houve
foguetP.s. A' estacao estava lindamernte
ornada deplores e arbustQs. Tocava uma
banda de musica. Foram alli muitissi-
mas pess6as do Porto e Braga, e tarn-
boem alguns oempregados superiores da
direceao do craminrhos de ferro. Na
estacao estavama os vereadores dia ca-
mara municipal, adminastrador do con-
selho e outras pessoas notaveis d'a-
quelles sitios.
c A obra d'arte mais notavel que ha
entire S. Bento e Barcellos, e a ponte
sobre o Cavado, que tern 130 mrnetros de
extensdo. Foi construida pela casa
Eiffel de Paris. A estac-o esta situada
no lugar das Torgas, distant 600 me-
tros da villa de Barcellos.
Partio no dia 20 para Macao o Afri-
ca, vapor transport do Estado, le-
vando umi contingente de tropa para
aqaella colonia e varies empregados,
entire os quaes, o Sr. Eduardo Pereira
Leite, director da alfandega de Dilly, e
suna familiar.
t A inauguracao da 5.* seccao do ca-
minho de ferro do norde dove realisar-
se a 4 de novembro, assistindo SS. MM.
A obra da ponte sobre o Douro d uma
maiavilha. Tent uA so area. Haverai


comboios a pregos reduzidos de ida e
volta de diversas estagoes do leste e
norte para o Porto. As fest'as serao
espleadidas, illuminacoes, fogos de
artificio, banquets, bailey, etc., etc.
Os fogos d'artificio ser.o langados de
cima da ponte, a qual se conservara
illurninada durante a noite, deVendo
ser de maravithoso effeito o panorama
que o Douro ha de aprosentar n'essa
occasiao,
t Tern sido muito elogiada pela im-
prensa uma proposta appresentada ul-
timnamente A camera municipal de Lis-
b6a polo vereador do pelouro do ins-
trucgio o Sr Dr. Jardim, para se crea-
rem na capital 18 escolas centraes para
iotrucdo primaria, cada umra corn 3
professors e 4 professors.
c 0 conselho de district approvou a
verbal db orgamento municipal que fez
object d'outra proposta do mrnesino ve-
reador, relttiva ao subsidio de 100$00)
a cada professor primario official desta
cidade de Lisb6a.
c A camara" municipal de Lisb6a
approvou unanime.iente a proposta
do vereador Dr. Pequito ,Acerca da
avenida do passeio do Rocio ate as por-
tas da cidade, *e resolve modificar
desde jA o passeio do Rocio no sentido
da avenida projectada. Vai portanto
desapparecer as alterosas grades que
Aefendiam aquelle recinto, e qupe eram
de muito mao gosto. Ha divergencia
de opinides entrg os municipes, e a
falta d'outros assumptos discutemn-se
na baixa estes melhoramentos cor
que mutites lisboetas se nao conformam
porque ealmente, tornando o passeio
publicei umarua 'a arborisada, deix ao
hairro central de Lisb6a de ter umn p$s-
seio propriamente dito.


I -~


-4..0 pagamento da indemnisacao COie-
dida aos contratantes sera feito corn o tei-
mento liquid do matadouro da Cabnga, 0
W iyJ~ve Ufr. rflWnlhido, %M1a6-sk iff a
64 elecimento bancario. 86 depois la ap-
provaae, da senb6!, cobtinari o 1aga-
mento e cntnual* at03l F O o min-
demnisagao, que se effectuarA em prazp que
nto exceda a 16 mezes, contados d -
signaturado Inu$ret. j ..
5.a Os contratantes podrio levanta&
flanoas prestadas nt a Came- icipa-0
thesouro para garantia dos con:rvt fi !ik
por6m obrigados a prestar inoas li
prazo de 60 dias, no caso da assemb -
vinciial nao approvaro aacordo ; e,, IS lAM"
se recusarem, se terao c ,lo0 reoindidos n
contratos, sere direito a 4itte4isa1O o a!a'-
ma, considerando-se comno p riedade da ea-
mara os trabalhos e melhora uatos do nx) mata-
douro da Cabanga, e pertencendo-lhe tambem
o"que estiver recolhido ao estabelecimeato
bancario.
4 60 Nao approvado o accord e prestadas
de novo as flangas dos contratos, no cas(I de
serernm levantadas, o negocio ficarai nos ternios
em que actualmente se acha, e a camera e
contratantes no gozo dos direitos que jolgam
pertencer-lhes.-Manoel Clementino Carneiro
da Cunha. P
Professor public -- Por acto de 39 do
proximoo findo mez de outubro, a prosidencia
da provincia, de cotformidade corn o art. 164
do regulamento de 27 de noveatniro de 1&74,
deferio a petiQao do plofossop publieode Api-
pucos Claudino Gomios .Barreeto, nomeando-o
para a cadeira do' ensino primario da villa do
Bom-Conselho.
Portas abertas-Em 2 do corrente ama-
nhecerama abertas as portas do armazemrn de
farinha de trigo do 8r. Henry Forster & C., ao
cAes 22 de Novembro.
Verificou-se que as portas foram abertas
corn chaves falsas; que duas carteiras alli
existentes forain forgadas; e que foi roubada a
quantia de setecentos e tantos mil reis em
ccbre.
A' rua do Imperador foi encontrado um pe-
queno cofre de fer'ro, que alli existia. E nada
mais se sabe desse crime, a respeito do qual a
policia ifive-iga.
Iiquerito policial Foi remoettido ao
competent juizo criminal o que so effe.tuou
pela subdelegacia da Boa-Vista contra Maria
Guilhermina Francisca Bezerra, que ferio gra-
vementea MIaria Francelina da ConceivAo.
Faculdade de Direito do Recife-Co-
mecaram hontem os exames oraeas dos alum-
nos dos diversos annos, sendo este o resul-
tado.:
J 3, ano
Jodo do Oliveira, plerameate.
Francisco Jose GonCalves Agra Noto, idem.
Gregorio Magno Borges da Fonceca, idom.
Antonio Popes Barreto de Vasconcellos, idem.
Afrodizio Vidiga4. idem.
Jos6 de Aguiar "3tto de Burros, idem.
4.o amnno.
Thomdaz Gancio deo Swza Landim, plenamente.
Francisco Luiz Ozorio,, plenamente.
Antonio Sergio Lopes Lima, idem.
Jos6 Cordeiro Alvim da Silva, idem.
Espiridiao Thenorio de Albuquerque, idem.
Jose Sotero Vieira de Mello, idem.
5.o anno
Friacisco Rodriguies Monsdio, plenamente.
Jos6-de A, morim Salgado,,idem.
Jo&o Bap)tista Toarinho, idem.
Fr"cis6ode Assis- Rosa eSilva, corn distine-
Cao.
Francisco Barbosa de Paula Pessoa, plenamen-
to.
Jos6 Marcelino Rosa e Silva, coin distincQao.
Francisco de Siqueira Cavalcante, plenamente.
Gretio dos Professores Primarios
-Em conselho provisorio desta associaQao,
no dia 2 do corrente, trataram. da copsulta
distribuida na sessao anterior os Si's. pvofes-
sores Luiz Cyillo da Silva Santiago e Kanoel
Pereira da Silva, ficando adiada a discussaio
para uma outra occasiao.
Occupou ainda todo o resto, do tempo da
sessao, o Sr. professor Luiz Cyrillo, corn uma
conferencia em quo de'envolvou dous points
tendentes A instructor primaria, sendo ouvi-
do com toda atten(;o.
Translerenicia-0 o1 cartorio do juizo do
orphibos, do qual 6 serventuario o Sr. Floriano
Correia de Britto, acha-so transferido da rua
das Trinchelras n. 19 pare a estreita do Ro-
sario n. 36, .1o andar. ., -
Bibliotheca provinscial-FrequenLeftni
esta i'eparti(&o, durante a setmana finda;,4Ti
pessoas que consultaram 183 obras, send de
dia '135 loitores e 122 obras, e a noite 36 !eito-
res e 61 obras, sobre revistas e joruaes 432,
litteratura 17, direito 21, philosophia 6, politi-
ca 4, historia 1, religiao l e medicine 1; :nas
linguas portugueza 168, frazceza 13 e hespa-
nhola 2.
Reeebeu as seguintes revistas"


Revue des Deux Mondes, Revue des cours po-
litique .t litteraires, Bulletin de la SociWt de
Georgraphie e os Annalcs Catholigues.
Comprou a bibliotheca as 2 scgumntes obras:
.Voyge dans l'Amerique, Meridioale, Partie
historique, par Alcide d'Orbigny. (Acompa-
nhado de umrn atlas), Paris, 1835. 5 vols. enic.
IHistoire gj6rale des Races Humaines owphi-
losophie ethntraphiquc, par Eusebe Fr. de
Sales, Paris, *1849, 1 vol. enc.
Comupanhia Pernamibucana.- 0 vapor
Cururipe, tendo sahido hontem do porto de
Macei6, dove hoje amanhecer no nosso.
Rotmance.-Sahio AJluz a sexta f6rma do
Romance Rodolpho e Zatmnira,'abrangendo as
paginas 41 a 48.
Eutradas de assucar e de aitodao.-
Ao nosso mercado vieram, par mar e por
terra, no mez de outubro :
Assucar
1876 81,931 saccos.
1877 36,622
Algodao
1876 10,929 saccas.
1877 3,086 ,
Companhia Bahlana.- 0 vapor S. Sal-
vador, desta companhia, transferio para hoje
A tarde, a sua sahida do nosso porto para os
de sua escala at6 o da Bahia.
Recebe carga at* meio dia, e eacommen-
das, passageiros e dinlheiro A free ate, 3 ho-
r'as da tard,.
InstiotWArcheologico e Geo
eo-Deve rbunir-se quinta-feira (8),'
sdo ordinarla, A hora e no lugar do
Para o sul do lmperio-CGom 1
dos em nosso porto, levou o vapor. fraiW '
negat 278 passageiros. :
Messages Maritmes-0 va-O-w
cez Senegal, chegado hontem da Eiropaa
de Lisb6a no dia 24 de ouLubro,.seisdpraia
tes do vapor inglez VdAW'aizO qeu iou
nosso porto no sabbado' tarde. Sna demon
foi devida a ter tocado em Daka1., perto does-
cala entire Lisb6a e Pernaniabaco.
TgtlNsleroencia-Por crd'
cia foi transferida a sahida
pata Fernando de Noronha
corrente ao rneio dia.
Dinhelro-O0 vapor franc
do nossaaprapat*
-0 vapor ~bkai'aqimW 4


I^ '"


'-4


Ill


%. \f












)-'






















l D~aiy' ^ Iretamlgm a co-
i& do L*t8o46s
iem
bt 44i auoa ei arabeido Nyon-
8W"4 4 qft iw sou destinot InsetA
Itemi em duQW c *r -i- de NiiSanda* a
dea 1#4870 Ba a M uko, a 8
do aoute d 1876 ao ne iantes de Embo-
wa, mrsI oUa Veia e W- rrissoa, que ge-
ner9andent petm dis i&o dos xplo
radores umg graiae e anti( de vivwes e
Misses lttiebre&I-Ser celebrqdas:
: s7 is. a hr4 do d|, na mpatriz de
S. Jose., p.1.lma de D. Quiro;na JoaquIea
de Castro ibeiro; s j8 hor uatriz da
B6a-Vista, lpla ail a 4e D. mne a Iabello da
Amanha: 4s 8 hras d-, peth alma
do Exm. conselhoiro nselo IanqtscN-
retti, na igreja do Pa izo.
Hospital Pedro Jl.-Olmovimento desse
estabelecimnento dodi 29 deoutubro ao dia 4
de novembro foi o seguinte i
Existiam 451, entraram 67,; sahirani 57, falle-
peram %, existem 453-


Dr.
4~M


pOeado
Dr. 4
:48.
'1 Dr. I\
petadol
Dr. 'w
Impera

Anto
Prime

Margo
F
Bouw
Marqw
rua Pri


1i7."a, tote a'em n bqoeflclo das obras da Adtwrtecia. rua da
aptriz da Victoria. Na totalidade dos dpenteslexistem 45, son-
s bilhetes meios 8 qpintos, acham-se A vn- d 2 lrem
ft na thesouraria das *oterias e loja de cara- 2 oens e 8 n'uhee.
2Jo Sr t Porto, eroa da Indendenciae- Foram visitadas as enfdrmarias nestes dias Caxias
d o S. Porto, praa da Independencia s 7, 7 12, 7 1/2, 7112, 7, 7 1/2, pelo Dr. Mos- Enead
n. 37e 39.
As lists sahirao no mesmo dia da extrac- cosoe; As9, 8 1/2, 8 1/2, 41, 8, 8 1/4, pelo Dr. Mira
R. Vianna ; Ats 8, 9, 9, 9, 8 1/2, 8, polo'* Dr.
Cg; quanto, porem, aos pagamentos dos pro- nero deA As8 8 8 9 D xias n.
"os, s6 terA lugar do dia seguinte em dinte. ysneiro de Albuquerque; As 8, 8, pelo Dr.
V4ores-- o esperados os seguintes: Pontual; As 8, 8, 7 1/4, 7, 9, 8, pelo Dr.
Espirito Sante do Sul aWA 8 Malaqdias ; As 9 1/2, 9, 9,,9, 7 4/2, pelo Dr. Lig 5
Bahia do Norto atd 9 Chacon ; As 7 1/2, 7 412, 7 1 /, 8 1/4, pelo cez, pe
Mondego da lluropaat, 10 Dr. Estevilo Cavalcante. aprend
Ace da .u -opa alt6 10 Fallecer tm. Curso t
Perambuca 4p orte alW 13
Gvadiana iSuL at 44 Marcelino JEmDSflis tal.it Nleos,tt tucu- t. 41,
Glen Sanno New York alW 17 los pulmonares.
+G 4 do gul atW 17 Geraldo Ctristovao dePaua, am3lecinmento Archia
Liguria *l Sul ate 17 cerebral.
vqttateur A m e ul alW 20 Sabino de Mello, cahliexia palustre. Leite
]Kstados~ Aidos.' Acerca desse paiz, en- Jos6 Benicio Bezerra, tuberculos pulmo- os pa
olntraaios, n jornaes- d,- Lisb6a, os seg uin- nares. r
.i teegrammtas : Antonia Maria da Conceiiao, tuberculos pul- )em la
S'vashin#An, 16 do outubrQt itarde.-A [eonares. doces,I
metnsagem dppresideiite Hayes recommend Francisco, congtstAo cerebral, dade de
a'cartara fedal para iotar os credits e or- Lino Gomes da Silva, phtysica palmonar.
cameaeto da $.erra pai um exercito o inaxi- Delphina Maria dos Santos, dysenteria* Cura
mtaum de 25,000 homeni, orsamentos da mart- Passageiros-Chegados-dosportos da Eu- i
nha etc. Recommenda vivarnente a partici- ropa no vapor franoez'Senegal: o
paX-oda Amoica na eiposiao de Paris. Re- Rosa Heber, Ferdinando Guerrieri, Augusto tantin.
serva as suf observaCoes acerca dos rendi- Bernet, Antonio Joe Furtado e sua mulhet, A. Cao
Hwtoats putJeos para, a sessao ordinaria. ) Rita Amelia .LeUtAo, *anoel Dias, Jolio Anto-
a Washington, 21 de outubro, a tarde.-Se- nio Gomes Pereira, Miguel Augusto Luz da
gund) as infotmacoes recebidas de todos os Silva Pereira, Antonio;Alves jebre, Manoel Ig- ]*
estados e teritorios da repatublica, a actual co- nacio Rodrigues Praca, Antonio Pereira Ra- das ing
Iheita do trio 6 nrais abundante do que as mos, Justino Lopes de Azevqdo, Jeaquim Jos6 ricanas
maiores colheitas antoriores. Houve gim sgra- Rames, Jos6 So aroe de Figueirodo, Manoel t
rre incendia iho faubburg Saint-Johns, em Francisco Duriles, Maooel de Souza, Manoel
Nova Brunswick. Fdraam devoradas .pelas Duarte Ferreira, Josd 4a Silva, Manoel Antonio PUB
ahiainas 3$3 ropriedaes, ficaado sem asylo Fulllo junior, Frarci 'o Jose Rodrigues Pra-
2,000 pess6as. As perdas sa5o avaliadas em cga, Joaquinm RQdrigue Tavares de Mello, Ma-. i?."
300,000 dollars. 9 noel da Rocha Pinto, dos6 Portella da Cowta
Expedhi^i^glricaua.. -- Sob a epigraphe Silva, Manoel de Oliviira Mia .e 29emlgran- Exm
do knry Stoaley, public o seguinte o Jornal tes italianos. xm
da Noite, de.-Lisboa : Sahidos para os ports do sul no mesmo Pernan
a 0 Dtiily, Telegraph, de 11 de outubro, pu- vapor : nado ei
btictcalgumas cartas, que Ihe sao dirigidas Francisco ForjazdeLacerda, 'Dr. Benedicto id U
da enibocaddo do Congo por Henrique Stan- Onofre de Albuqnerque HenriquAs, 1 irmAo, 2 gio u
l0. A mairimportante, escripta emn Kabin, irms e 2 ci iados corn urn filho,. 'Ianoel Fran- imperi
ft, antes dit-partida da expediqio para S. cisco da Trindade, Jose Ferreira*Nobre Pelin- officio
Paulo de Loaada, traza data de 11 de agosto ca, Jose'Maria Ledo, Miguel Rodrigues. me du
t 1877 e cWntin curiosos esctarecimentos Sahidos para o sail no, vapor brasileiro talicio
qVIe completam os que demos ha dias, extrahi- Conde d'Eu:
dos do mesmo journal. Mr. Stanley menciona Manoel Joaquim Duarte Concalves, sua se- face d
mui particularmente a desooberta de um nhora e 2 sobrinhos, Jos6AguiarBotto deBar- tend
ovomaffluente do Congo-Lualaba, ao norto do ros, Dr. Jos6 da Cunha Teixpira, Antonio Car- por deo
Equa#or. reiro da Silva, Francisco Porreia S. Costa, Jose G
'I i a c a m wL e:e
RLi~s a caa Claudino Rodrigues Duro, JgsA Nunes Leite, nodn(
x E' corn a inaior diegria que annuncio o Dr. Jos6 Sotero Vieiia de Mello, Francisca
magnifico suocesso da expedicaio anglo-amenri- Maria de Conoeicg&, Botillo C. de Araujo, Hy- 4lSpw
cana, A qual .teram a missio de atravessar o gino Real Araujo, Jos6 Muniz Souza Borges, amnbei
contineite africano, desde Zamzibar atW as Manoel Amorim Leao, Manoel Caetano Siquei- crivijo
embocaduras do Congo. As vossas instruc- ra Cavalcante e Dr. Jose Jaauario. a cuja
cSes tern sido seguidas corn a mpaior exa-"- Sahidos para os-portos do norte no mes-
tidao. Demos a volta dos lagos Victoria e m vapor < urma p
Tanganika e corsegiiimos cbmpletar as' des- ntoniv ap oir:db Oiasta r o inform
0 ~ ra oSpkGat uro iig. Jos6A Anonio do Figuo bs~aArgio iiio m
cobertas de Speke, Grant, Burton e Livings.de Mello. TranquillinodaSlva Antunes, Joao dita -pe
SPaec qe con ii, George Fellono. Frei Jos6 da Exalao mentos
4Podessernos escapar os captiveiros, As am es An ono. BazN. Pinbeiro e h ii
dlos caibaes, a i0pentaeo sete cataratas, aos 1 criado Manoel Feij6 de Carvalho, Jos6 Aze-
projectis das tribus mais barbaras. A Provi- ved Stos, Firmino Loocadio Lma e Jo r condai
dencia condazio-oos s ovoZ swlvoo, ata 6As FrancisPo Aramio. thoridn
margins do Atlantico e-stou ago eih K a- f o pa ra o s no vapor inglez Va- assign
binda, na costa do oeste, d'ondie vos envio paraizo" escriv
esta carta por intermedio de Mr. Thomaz Migul Carneiro e Herman cksenbein. ci d
Price, da casa Hatton, Co6kson, que se dirige Hospital Portigouez de Beneficencia um d(
a Lvpl-o invimento das enfermarias deste esta- que pi
a Nio obstante o grande nume do catara- belecimento na somana dp 28 d9 outtibro a 3 os ser
tas, o Congo t deciidamenle o grande cairo- do corrente, foi o seguinte :
as, o Congo vesdecididamenteorn amExistiam 21, entraram 6, sahiram 3, fallece- tos., e
nho que deve seguir o commercio para pene- f rm 2 e f e tm 3, fora di
trar no centro da Africa. ram 2 o ficam emxtza/tal eoto 22. fdaEc
S Para civilisar a Africa central do Este e a Entra em exeriio S. mordomo Jos6 da Exc. i
Africa central do Oeste sio necessarias duas Silva Loyo Sobrinho. ir- os munic
influencias muito diffoeentes. E' verdade Leilnes.--Hoje:dev raalisar- os se atd a
que, em regra, geral, os africanos, mais selva- Pguinte Pinto, Ara do Livra to n. desp
gons, habituam-se mais facilmnente, ao trato Ph!o daen ar nt, Ae nados Lraio nese l
con o conmerciante que corn o misionario;9 da arao, novels, tados nacionaes e cam
Bas na Africa central do Oriente, o misio- estrangeiros, a so uos, etef.... wIoa
,wio sera sem duvida, o agent mais efficaz. Pelo agnteJ'Wai pa cssIa companhia
Na Africa occidental o commerciante dove Pernabucams tapich Compa-d
precedr Aisna-IaAnhia, do 19 tdros dwjacarand. ; e no trapicho iada s
preceded 6 missionario. Barbosa, de 70 barns c0w toucipho, e 100 inter
.E~ta distincgao explica-se facilmente. garrafies corn cominhos. Viii
ost~o sujeites a imperadores e a reis. fncon- tes: 1877.
contra-se alii o grande imperio de Ugamba, Pelo agent Dt~nm a rAt de Thom6 de
corn uma papulaco do 5 milh5es; o do Ruan- Souza n. 3,+id4 ,ratao, gnfros e utrnsilios
da corn o mesmo nnmero de habitantes ; o do taverna.
de Urandi que conta 3 milhoes de almas ; os Pelo agent Martins, a rua da AssumpQao n.
reinos de Usagara de U'ssus, Unyoso, Kaza- 8, ar- o, gpperos eo 't^uW1os 4e ta-
geve, Uiongora e Ukerewe.- Todos estes es- verni.
tados |p gdvernados despoticarnente. Os Qm nta-feira (S) deycm realsar-so os so- I
missfdnliois, coin um pouco de astucia al- guite:... .
canvata facilmente a protec~ao e os favors Palo agfWte tst^4, ri do yii9 Te~io-
desses reis rio n. 12. de 50 acces da comparnhia Santa
c Na part Oeste .da Africa central, pelo Thereza, de moveis, espeihos, vidros, louca. A 6 ho
contrayio, desde a lago Tanganika atA a embo- relogios, e obras deo uro, prata e brilhan-
cadur do Congo, as tribus sao divididas em tes.
pequesos districts, cidades e aldelas, sem Pelo agente Martins, a rua do Imperador n., Dr.
un pft.Anicia, governadas p.r differentes cde- 16, de uina casa terrea corn sitio na povoacAG Esta
fes. Quanto mais se caminha paTa o Oeste, da Boa-Viagam.
na direccao da costa mais augmenta o numeoo Cemiterlo pubUeo.-Obituario do dia 3 487,1a


das aldeias. Todos estes pequenos chefes de novembro de 1877. "m4
tern amor ao commercelo., Maaoel Thom6 de Altnida. branch. Portu- de mol
a Quando estiver coatpletamente restabele- gal,'-23 annos, solteiro, Boa-Vista, hospital 20 a
cido da fadiga, e houver colteccionado os mineus Portuguez ; intero colite. ra do
apontamentos, chamarei A vossaattencao para Francisco, branco, 17 annos, Boa-Vista; e19n C
o vasto campo de operag5es que acabais de congestao cerebral. doen
abrir au commercio universal; farei tamnbem Lino Gomes da Silva, preto, Pernambuco. nas im
um esbogo dassas regies da Africa at6 hoje' 60 annos, casado, Boa-Vista, hospital Pedro Duc]
descob as e aonde serA facil enoontrar ri- I ; phtysica pulmonary. em gM
cas raias de cobre e ouro... Entretanto von -Elvira, branch, Pernambuco, 9 mezes, Afo- russo
enviando os segintes pormenores escriptos Ai ganos; dentirAo. sos, b
prBsa para os vossos leitores, que se into Manoel, escravo, preto, Africa, 65 annos, ZpSla
reparem pela geographia. solteiro. Afogados; anazarca. apphc
-:, omeQarei por lizer .que lr muitoteon- Miguel, escravo? preto Pernamibuco, 46 an- banoa
coonve.ci de .quo s6 ttveSeis noticias nos, solteir do.o d Ma
em, tavoio -1874). pqtadm belfqnaeMafi a Boi -V par a, Pernambu- Fb
Tavel.rioc em direcoo co, 5&suossliraBoj-Yi.a tio pipa Pe- Fribur
0i-aorte, a ,'o Equador, fa- droe ij ysofteria. 0 gn :t:
;rn par v enrm-o es ios para o este, Anqa Augusta da Silva, branfica, Parahyba, alcan
e mdod tat que julguei s enter que ia at- 21 aA*os solteri, 8 ti4O pAvnlO febre ata- Mand
tingir o ebel-Kumer, as montanhas da Lua, xica. .
o rsse awl.- 4'ia outro renam ioe depois Etelvina. parda, P namlc6, dias, S. J ose; oe
do haver chegado a 5 grande latitude norte, tetana t ,sctnidici -d pode
e pairaiGondokoso, atravessando asPe --y-.4 nge
terrasEdosfro s" Baris que tioe -Elysia, tp'ar p .ay", 4 mW0s, Santo An- mona
*9stBaris, ou ent~o I& r m oo urr moagi
caw noap t e W ^a We.3.,A^ oion espaisao.1 1*1:1* ;1*stimU
do d pa|r e R pXrao nevi
E* m a em, fpd""^air i o Dm co- aan t de p1eo Cow r- do e b
4309 cotfim6 i i 0Al- cial do e run M O a 1
is-vowww$.jdo out~re utam
i a + + tratan
S -. -- A. l1 O A


rua


do Im


0 SAntonio R Italisa-se
it theatre, o -spqctUAsO
do lo resp(Mo W pe
o J Duarte Coimbra, em
adat do Exm. Sr. general
S A campanhia pde
i 6 aitqe-, e~ngxacada opera


a do Brejo, 25 de oiutro de

0 tenente honorario,
Joaquim Cordeiro FkIcw.,

IMQT~tff ^UTIR
IISTITTOmfi+ L

Nova Fribrwgo
'ras de viagem do Rio de Janeiro pela via
*' ++I d~w4uHR9
Fortunato.rrela de Azevedo
+ D r ., i0 6 l 1'1
tistica j6. -jF a t1e 25 de junho de
^Ydjttmnbo do~ i- 1 :J *-
403 doentes curaram-se radicalmente 140
estias chronicas da dmutago de 6 mnezes a
nos. Centre e6tas figuram 10 cdsos de cu-
tLberculos pulmonares, em 40 doentes,
;ura.d bronbchites chronicas, qm 48
is. ".fYesultado mais notavel obtido 6
olestias broncho-pulmonares.
has geladas e temperadas, refrigerator
ande escala, movjdo a Vapor; banhos
s, bahbos turcos, banhos mndicamentor
anboshydro-eleotricos, banhos esosso-
agua quente e tria, alLeirnativamente
ada-comno appareho de Jorge Charles,
s minerals (pplicados comn o hydroferro
thieu de La DrOps).
aluberrimo cinka das montanhas d Noeva
rgo, a gr;ance variedade do tratamento, e
ide numero e c suras admiraveis jA nelle
edas, o tornam' hbre maneira tecom-
avel aos 0edicos e ans dopetes. -
at. imuotftante san AM ki il ml1Inla I


I<


W0, eowia
0o, 0
a os a
spanha
Lta, Ortii


ran,4da Prussia; Lo-
lis D. Josefa Garcia.
e lTM. Diaz, e os Srs.
,Alez, Antonio, Julia-


Leito 38 a.Lins-idts+SC. aSa

SSola 270 m aa ,8 AP Op MIo."
M914 ISAW a. Goaa ft doMau",t lAo,
6 .b d. bs rio. Saoos
vasios 5.vohrm eoso &mosmon-
k*,c. Srg i d 4os dog'"
portos da Europa na mesmna data e
caInoado a Auguste Labtille, mani-
festlo:
Amostras,7 ol laesr a diversos. A-
guardente 14 caixas a Fenmandes ,t Ir-
mao.
Chapdos 3 aias a JQIdo C iCtiai &
C., 2a Pwea#WViann& A V; i AVas &
Leal. Charutowl caiva a Amaril, Na-
buco d C. Cognac tcaixas ordem,
50 a Jorge Tasso. Cachimbos 'I caixa
a Rodrigues de .Faria & C. Couros 7
caixas a M.on ,ard Mettler & C. Cer-
yeja 6 caixas ao consignatario. Casta-
has 20 meias' caixas a Joaquito de
Souza Lima & C. Camisas 2 caixas a
Eugenio Gonalves Cascao, ditas e gra-
vatas 3 caixas a Ktein Freres. Calado 2
caixas a Loyo Sobrinho & C., 7 aJoa-o
Christiani & C., 4 a Parente Vianna
& C.
Envelopes -1 caixa a Loyo Sobrinho
&C.
Fructas 8 caixas e8 rmeias a'Fernian-
des & Irh'ao.
Joias I caixa -, A. Hyvernat & C.
Livros 1 caixa a De Lailhacar & C.,
t a Joaquimn Antonio Pereira &" C., I A
irma Lezart, ditos e jornaes I cajxa a
Waliredo & Seuza.
Mercadorias diversas 2 caixas a Otto
Rohres '& Successores, 1 a Ernesto
Vieira, 4 a Vaz & Led, 2 a ordem, 1 a
Amaral, Nabuco & C., 2 a Francisco
Damasio dos Santos, 1 a Bournard, I
a Guitnaries lrmao, I1 a Parente Vian-
na d C., I a Antonio Duarte Carneiro


mandiocaa.
mandioca.


tFz atl"i:irgou: par
100 a^GPB OPE fg


RkaEMaWDOUUA D1WRMWDI9iR.
NAS GERAES DETPERNAMB1U
Rendimeito do dia 2 a 3 2c.( 47



CONSULADO PROVINCIAL
Readimento do dia 2 a 3 16 523204
Idem do diary 5A83
20:979S233

Revitta e mm elale .
Da semana de 29 de outubro a
3 de noyembro de o877.
Apolices provinciaes de 1:000S e 7 por oento
por 9i56000 cada uma, juros a favor do com-
prador.
Ditas ditas de 500$000 e 7 por cento por 4725
juros a favor do comprador.
Ditas ditas de 100# e 7 por cento por ...
94,500 cada uma,juros a favor do comprador.
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 90 d/v 2 por
centio de desconto.
Dito sobre o dito, 30 d/v 1 por cento de
desconto.
Dito sobre o dito, 15 d/v 4/2 por cento d2
desconto.
Dito subre o dito, 40 dv ao par, bancario.
Dito sobre o dito, 8 e 5 d/v ao par-
Dito sobre o Rio Grande do Sul,- 80'i/v 4 por
cento de desconto. ,
Dito sobre a Bahia, d vista, 1/2 por cento
de prenmio. banco.
{Dito sobre Londres, 90- d/v 544' e 25-1, 4 d/s
e banco, 25 d/s por 1I00.
Dito sobre o dito, a vista, 24 3/4,,b .
Dito solbre Paris, 90 d/v 379 reis ranco,
particular.
Dito sobre Lisboa, 90 d/v 112 por cento de
premio, banco.
Dito sobre o Porto, 90 d/v 1t2 por sento de
premrnio, banco.
Desconto de letras de 8, 9 e 12 por cento
ao anno de desconto.
Generos nacionaes.


inhiilaafjuwvrf---ftwM>--


-cot ,-i..i. s dk *i er brano a; 1. M. 141 a uzia. -
s R 50 4 to 23 &di dodito. Kerosene.-Rto a 4Wedalt
No v ap(wmacioSnai Jpqf $.c arreg4aram. e- Louea ingleze.- Cotamos do 350 ieato
ra o Cear4, M. A. .Senna 20 barricas o 0 de preallo sa0re a a4ctur&A
kilos de Msmar roinado J,- 1 J. do Rosa 10 Mantoiga francozaem Ietra.-U Ultim, vnd -
M conr 1i10 datos de di t ; .aF.' tos- a 0rdi"s a libr.at
Basts o10 di ftsops3l a 4d-to; I. a d Dita i ngleza.-- NAo ha.
BasOs 10 di,: m +c+.o-63 ,i ws de lbt.a ; L., G.
3.- Silva & Pinto 200 sacoos+, mfariaede +. m- Dila eum l .- Ca A
dioA;. alibrad
b. -ara Mossor6, L A. C. Viauau I~O Mas!$j italiauan .otto


AI


T


o


)vIntla --Quarta-feira, (14
.trabirA pelo piano jA pu-
iio waior 6 do 9:000$000 a


Li


7f:39 .2.
uwsw, rua& do Ntperador n&

An(W(oftmm*n4, rea do Im-
r n. 20. I
J. Cansa de oAr=jo, rua do
dpr a. 67. I
nio Corirek d o ?aOallos, rua
Ta de Mawo w. |3.-
ChapeHari e iae da
e Mra+ky- ria Pnimeiro de
n. 6. ,
blriea de lewLr(s vapor
rgard.& a C, Rei I5, rua dO
Mz de OMin~a, SOntO Antofi 3,
imeiro d&aMarg% B6, -Vista 540
inperatrit,
Pb~maeia e diro~wac
tiM0aM rd i:haDuque de
n. 57.
lernavao, pautaqAo e papelarla
nda Junior, rua Duque de Ca.
37.
LICboes de francez
es theories e praticas defrtn-
lo method mais facq para- so
er esta lingua'era poucos mezes,
todos os dias-na rua da Aurora
2.0 andar. '
Gastronomia
rmazem do Campos 28-rua d&
!mperador-28I
Scondensado sliperior, presun-
a fiambres, linguas aflimbradas
tas), fiambres em latas,,cha fino,
licores.,acipipes e grade varier-
e vinhos finos e de pastes. .
Rheamatismo
3 certa e rapida pelo emprego
xir e Linimmento, do Dr. Cons-
Vende-se na bctica franceza de
rs, rua datCruz a. 22.
Corn o discoigtolde 13 ,'o
[nglis & C. .Depisito de fazen-
lzas, france8as, allema.es e anme-
, ia rua do Impeoador R. 5.


LICAG6US A PEDIN
3rejo d&Me1044e De" ,,
. Sr. presideute da provicia'de
nbuco.-Thndo o abaixo. g,-
mn data de 20 de setembro ri-
ma petigco de graca a S. A.
al, pedindo para sor provide noio
de escrivao de orphAios dester ter-
rante a vida do serventuario vi-
Mathi&s Soares de Almeida. orn
e sua provada incapacidade. E
sido nonmeado pstra este lugar
creto de 4 de julho deste anno
omes Soares d'Almeida, e ndo
do este continuar A vista do que
o aviso de.20 e decrete de 31
im de julho, por ser genro do es-
vitalicio Elias Francisco Bastos,
petigio de graca acornmpanhou
?ara V. Exc. mawldar preceder as
iaSes legaes e i ser encaminhada
pia-o de araga com dnze docu-
s: sendo Ie de oficio, exame de
,a^ folha corrida, atstado de
ta passados pelas principals au-
ades do lugar em favor do abaixo
ad ertlao Qde capamento, do
io~nomeado, e uma peti ;ao corn
espaeho do Dr. juiz municipal,
rova o parentesco existence entire
ventuarios Elias Francisco Bas-
Jos6 Gomes Soares de Mrneida ;
ita peticao por despacho de V.
nandada informar pelo Dr. juiz
-ipal a 25 do passado, e co mo
presente'data nao cansta outro
,ho do V. p. laiq^audo en-
ibara referida petii6 de graca,
Labaixo assignado pe r a V. EKc.
ktcia, afim de que nao soja prote.
oa petico em prejuiso de mem


t hIomens pav.icai&aw ss itFes .4"1
S(|IB s:t pela hs B rOf estaIM10~
Utp.: Sr. prsildlen.e -efthel de pDj1pi
r isto ipa.a desappws_ Mi 0 ,h
mas da paz. que sdo affrotados? '
inda bradamos: jiv 1 fl t
YiUla do Ex4, 9 1o otiab w6i7
Iomiel de CaCwvahu) A w.
Antonio Leonel d& Aktmv
0s6 iLeondi 4d -encw.
X 20t5.--.A
S 20S-guafloz dea Muri
ray 0 LajnaA.4Ja U vai eqo teWa4
oi. erp que por meio do bern elabora.
os e ngenehososanauftejios os JOraes
publicos, se alcana^va Q v l~ ar-s
e *troduzir-se urn arhga ieA wr, a a-
ceit ao pblica. As esoncias ot'cina-
nm e d'uma emanacioacerba, fabrica-
d# d'oleos baratos, sao hoje em dik
universalmente rejeitadas ei daspeito
dt todas as impressas certdoes Com-'
provativas ; em quanto que este admi.n
4, I e requissimo perfumne e cosmetic,
compost e extrahi 4 poxr urma respei-
tawel e responsavel fnrma de raras e
delicadas flores e plants naturaes, q
sobremaneira estimado na America dq
sul e Mexico, de preferencia a todas as
mais perfumarias e aguas cheirosas-
val grangeando e adquirindo para si de
dia em dia nova fama, novos triumphos,
por meio de todas as classes do munda
civilisado, sem outra recommendagA
maist-o que a sua incontestavel excel-
lenciWl Nenhuma senhora, a equal haja
espargido algumas gotas d('es delici.-
sa essencia floral sobre ao seu .lenqo,
ou haja usado a iresma n'uin estado do
,diluigo, como urn cosmetico; porcer-
to hesitara Um s6 instant .e ,perfei-
tamente coincidir corn as serhoras e
.senhoritas d'America Hesphnhola; as
quakes a tern usado para mais de 'vinte
annos, mediante uma complete exclu-
sao de todo-e qualquer ouirtro perfa.
me.


COIlECIO '


Junta dos'corretores
PRAQA DO RECIE, 5 DE NOVEKBR0 DE 1877
As tres horas da. tardd
cotajoes1 olUeipes
Gaf'do Rio de oaneirq, 85750 o 8S800 por 15
kilos, sabbado."
Farinha de !andioca da Bahia, 7#600 e 7#800
por 0 litros, sabbado.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 25 1/4 e 25
3/8 d. por 18000.
J. aeal Reis,
Pelo presidante.
P. J, Pinto,
Pelo .secretario.
ALFANDEGA
Rendimento do dia 2 a 3 80,9165719
SIdem do dia 5 36:867743
-1t7:784462
Des(arregamn hioje 6 de novembro de 1877
Vapor inglez Valuna, dormentes dospachados
para o 5o ponto.
Escuna ingleza Fieag (atracado), bacalhfio des-
pachado em transito pelo trapiche
ConceiClo.
bugar inglez Bell Reith, ferragens despachdas
.para o 5o onto.
Barca ingleza Harry Kislale, various generous
para alandega.
Lfgar ingfez Etna, varibs generous para alfan-
degs,
Lugar portuguez Julio, sal despachado para a
terra. -
Brigue allemnlo Liened, cimcnto despachado
para o 3 panto.
Patacho national S. Luiz, generous nacionaes
paraeo t rapiche. Angelo.
Lhgar inglez Witch of the Teign, arroz despa-
chado para o 10 ponto.
Patacho inglez Islander, ferragens para o tra-
piche da adfandega, para despachar.
Barca portugueza Mariafiinha, various geieros
para a fandega." .


DsO


Alteraeao napauta dos preqos dos ge-
.ieros sujeitos a direitos de exporta-
Vio, na semana de 5 a IQ de novem-
bro de 1877.
Assucar 'ascavado, 140 rs. o kilo.
Alfancega de Pernambuco, 5 de novemibrc
de 1877. Os conferentes,
Raymundo F. Barbosa.
JosO B. de Castro e Silva.
Approvo. Alfandega de Pernambhuqo, 5
de novembro de 1877.
0 inspector,
At de F. Carvalho Reis.

Imnportagao
Hiate nacioW Deus te G uie, entra-
do do Aracatye Macao em 3 do eorroete
e con signado a Bartholomeu Looen.
go, manifesto:
Cera de carnafiba 15 saccos A ordem.n
Esteira 4e palha de cr'na4ba 700 a
Gomes de Mattos Irindos, 159 Ai or-
dem.
Sal 400 alqueires A ordem.

Patacho national S. Luiz, entradc
do Rio de Janeiro em 5 do corrente e
consignado a Luiz Gongalves da Silva d
Pinto, manifesto :,
Arroz 200 saccos a ordem.
Barricas vasias 1,000 a Amorim Iri
milo& C.
Cafd 50 saccos a Yernandes da Costa
& C., 50 a Soares dot|raral & C.,ia
Francisco Ribeiro Piato Guimarea.
Farinha oder andiooa 2 brricas-aa
nlesmo, 1,682 aos consignairipis, 2M a
Fraga RocA C.
-: xmo 100 latas a FYanciseo i ibeir
Po* Guimnaraes, t0 ixas a Gog|
F'jgteiredo& C,.
Vinho -braco 10 pa, 25-qintnos
-50 decimos a Fernandes da Costa 4 C.
',Va)por nacjgM 4 +e,


Vianna, 3 a Frei Venancio Maria Fer- Algodao.- Entradas 590 saccas.
Asscar.- Entradas -11,804 saccos, inos-4
rara, i a Francisco M. de Almrneida, I AseIss .
a Joaquim de Araujo, 1 a Robert Ma- Do branco,ido 4$300 a 4800 os 15 f
joles, I a Manoel Ailves Barbosa, 3 a Do. somenos. de 34700 a 33800 os Atkilo.
irma Dandigne, 1 A irma Chauverock. Do mascavado, de 2$700 a 3000 os I Kilos.
1 A irma Lezart, 2 a Jose N. de Souza, Dito mascavado baixo, de 2$009 a 2$05 i.
I a Amorim trrmaos & C., -i a H. Nues- 1s135 kilos. 1
Do purgado, sustentado [mercado] esp.ra-
chi & C., 1 a Porfirio Machado. Mantei- se baixa.
ga 30 barris e 3012 a Souza Bastos Do bruto, desanimado [mercado] espera-;e
& C baixa.
do. sol 9 cai- Agitardente.- Venda a 70500 a pipa-
Objectos para chapeos de sol 9 cai- .af. do Rio de Janeiro.- Venda i 8 fi0 a
xas a Francisco Xavier Ferreira. arroba e 9500 5os 15 kilos.
Papel 2 caixas a Purcel, 6 a Rodri- Couros seccos salgados.- Venda a 385 rs.
gues de Faria & C., 6a J. Bernardo kilo.
m Ditos verdes salgados.- Cotamos a 120 rs.
dos Reis, I a Mattos Lemos & C. Per- a libra, nominal.
fuma-ia 1 caixa a ParenteVian-a & C., Ditos seccos espichados.-UIltima venda a
I a Klein Freres. Papel, livros, objec- 470 reis o kilo.
tos para phtogh a pra iae instrumentos Farinha de mandioca.- Vendas de 7J300 a
tos para. Wgtog~aplvia e, vastrrmentosg ^
i i W do & Sou- 8#O00 o sacco de 80 litros.
Feijao mulatinho.- Cotamos de 18S a 195 o
'w *- sacco, pequeno deposit.
rQueijos 43 Gaixa a Corga Figueiredo Fumno em latas.- Cotamos de 18$ a 20000Q
& C,, 4t2 A ordem, 12 a Fernandes & 5o 15 kilos. de 17 a 19000 os
Dito em roles.- Cotarnos de i76 a 1980,00 as
[rmA6', 2 tinas a Rasrno.& aiapv io, 2 15 kios.
tieao consignatario. Dito do Rio Novo e Goyaz.- C aT a Q ,
Roupa i caixa a ErgBftio..' an ves os1 5 kilos e ha falta. a.
Gomma.- Cotamos de 2'500 a 4$000 os 15
7Caso. me kilos e ha falta.
Sardinha 30 caixas4icnar4 Met- Gorduras do Rio Grande do Sul.-Cotamos
tier & C. Salames 4 caixas a Ramos & de 7$200 a 8$200 os 15 kilos.
Carvalho, I ao consignatario. Sedas -2 Mel.-- Cotamos de 35$ a 45$ a pipa.
caixas a August) Bernet & C. I a Men- Milho.- Cotamos do 120 a -05 reis o kilo.
Sal (1o Assfi.- Cotamos a 800 r~is os 100
des Lobo & C., 2 da ordem. litros.
Vinho 4 barris a Lehoiann Freres, Sola.-Cotamos Je 2#600 a 35500 o meio.
90 a Theodore Christiansen, 2 a H. Velasdo Rio de Janeiro.-Cotamos de 460 a
Lundareen & C 9,2 a Cramer Frey & C., 470 rtis o iao do libra.
ndlXgreen S arque do Rio Grande do Sul.-Deposito de
2 a Luiz Antonio Siqueira, 1 a Assum p- 67,000 arrobas, eretallia-se de 3$000 a 7#400
gao Oliveira, 10 a H. Nuesch d& C., 25 os -15 kilos.
caixas aos mesmo,. Generos estrangeiros.
.__ Alcatrio.- Cptamos a 265 o barril.
Patacho portuguez Rio Lima, entra- Alpiste.- Coiaps 55800 0os 15 kilos.
do da Figueira na mesmina data e con- roz da India.- Cotamos a 38$15200 15 kilos .5
Arroz da India. Cotainos ,&'3#200 os .15
signado a Pereira Carneiro Maia & C., kilos.
manifestou: Azeite doce em barris.-Cotamos de 4303
Vinho into 15 pipas e 515 a Souza a 3 0 0 galao.
s Dito em caixas.- No h.a.
Basto & C., 15 e 55 a Amonim IrMRao Bacalhao.- Deposito 14,000 barricas, reta-
& C., 15 e 515 a Francisco Antonio da lha-se o novo a 19$000 e o velho a 14500,0 a
Rosa, 59 e. 6515 a Silva GuimarAes ( barrica.
C., 2-1 e 20j5 a.Amorim Irmios 4 ., Banha do porco. Cotamos a 480 r~is a
C., 2 e 205 a Amrim Irmos libra e ha falta.
29 e 6015 A ordem, 26 e 30[5 a The- Batatas em caixas. Cotamos a 48000 a
maz de Aquino Fonseca & Successo. caixa.
res, 50 e 70i5 a Francisco Ribeiro Pin- Ditas em gigas.- Cotamos deo 1500 a giga.
Sto Guimrnaraes, 1 .caixa a GuiIherme Breu de resina.- Cotamos de 95 a 125 a
barrica,
SFrancisco Paredes. Vinho branco 1015 Carvao de pedra.- Cotamos de 165 a 204000
a Thormaz de Aquino Fonseca & Suc- .per tonelada, conforme a procedencia.
aeso9eesor% 1_05 aS- v fGuirmaraes & C., Cebolas.- Retalho a 12W000 a caixa,
2515 e 3Gso 0r a 4ra1C3o Ribeiro Pi cerveja Bass Ihlers & Bell.- Cotamos de 95
t 2 Guir53mares. Vinagrce 2. aPa n- a a0 duzia de botijas.
to Guiares. Viage 2. pipas, 22 1D0a de outros fabricantes.- Cotamos de 6#
15A a Thomaz de Aquino Fonseca & a 8900 a duzia.
5 Successors, 2,212 e 1515 a SiLva Guimar Gimento.- CGotamos de 85500 a 95 a barrica
ries & C., 2, 212 e 2015 a Fraacisco Ri- de 320 libras.
Cha verde.- Gotamos do 14600 a 2W400 a
beiro Pinto Guimaraes, 15 a Guilher- libra.
me Francisco Pare4es, 515 A ordem. Dito preto.- Cotamos de o1200 a 2W0 a
libra.
Lugar iglez Racer, entrado de Ter- Cominhos.- Cotamos de 7$000 a 10S000 os
Jat.0 15 lkilos.
ra g N'9f I mes mtSa da9a t c .Oi Hervadoce.- Ultima revista.
Sa Henry Forster. & C, manifetpu : Hervilhas.- Ultima revista.
Bax t| Mi o ,60 barficas (* consig- Farinha de trigo.- Das marcas Tnieste e
natarios. HiAigara, deposit ignora-se, e retalha-se do
25 a 31$000 a barrica.
SDESPACHOS DE EXPoRTAQ NO- DIA 3- DE Dita Americana.- Deposito ignora-se e re-
UTURO DE 14877N talha-se de 25# a 26$ a barrica.
OUToW do te877 rior Farinha de milho, ingleza. Cotaros a
"Portos d0 iQ39800 a caixa, Maizane.
Dita de dito americana.- Gotamos a 5(0J
Na barca ingleza Duchess of Lancaster, car. a caixa.
regaram- para Liverpool, Borstelgiana & G- Farello de Lisboa.- Venda a 55 o sacco.
93 saceas corn 8,0dI kilos de algodao. Dito do Rio da Prata.- Nao ha. S6 vieram
SNo patacho hespanhdl .Dos de Maio, carrega- 100 saccos, e venderam se a 65 o sacco de 66
ram para Barcellona, J. S. Loyo & Filho 226 kilos.
saccas corn 16,813 kilos de algodao. Feijao de Lisboa.- Cotamos a 485000 eada
Na barca ingleza Meteor, carregou : para o sacco.
fCanal, A. G. Ne to 556 saccos corn 41,700 kilos Phosphoros.- Da marca Jonkopings, eota-
. de assucar mascavado. mws de 29400 a 2600 a groza.
Na barca ingleza Arttmisa, carregaram : par Ditos. Da marca Nithedals, cotamos de
'ra o Canal, F,-Gascao & Filho 250eaccos com 25300 a 251400 a groza.
a 18,50 LiIos de aesuear' muaseavado. Gorduras do Rio da Prata- Ultima venda,
1 Na Ltare inbeza Lavinia, carregou : para o a 85| os 15 kilos.
Canal, F. djp$. Machaao'e .0 saccos corn 52.500 GCnebra de laranjinha.- Gotamos deO 5000
kilos deass mar mascavade. -' a dza d 8 a 45000
No ldgar portuguazs 4ngtitma, -cartegarua : DiIommum.--Cotamos de 3 a 4SO0
1ppra oPorte, T4A. ForaQ *C. SiWC^ e a, dune.n .*
577 oouros .algados COA O, 9Skilos. Dita vida eterna.- GCbtanios a 55u500 .a 4u-

No vaport paoiba Ij & o, cargaram : Dita emneias botijas,- Np ha.. .it
roaa a ai* F.; R.PI Gulmanie t- ices Dita em botijas inteiras.- -Coltaft e




















f ^Edif. Poto. ,Cotmow a 9|06 a oadia.;
.do Pie da Pr-. ftonno 4;
i^ M'rbas, 0 mWM~i-oe do (0 (0
:: ,,knw*, a boa.I



Navio entrado no dia 4
Rio de Janeiro-- 23 dias, patacho national L.
Luiz, de 173 toneladas, capilao Joaquim Jo-
se Mendes, equipagem 8, ecarga various gene-
ros ; a Luiz Gongalves da Silva.
Navios entrados no dia 5
Uordeaux e escala-18 dias, vapor francez Se-
megal, de 2,039 toneladas, commandante G.
Grou, equipagem 133, carga various generous;
a Augusto Lablie..-
Terra Nova-35 dias, lugar inglez Racer, de
254 toneladas, capitAo N. Melc. Dougall, eqai-I
pagem 11, carga 3,500 barricas corn baca-
lhAo ; a Henry Forster & C.
Navios sahidos no mesmo dia
GearA corn escala Vapor national Ipojuca,
comniandanteJeronymo Jos6 Telles, carga
differences generous.
Bahia corn escala pelos portos do sul-Vapor
national Condle d'Eu, coinmmandalte Pinto,
carga various generous.
iluenos-Ayres corn escala pelos porLos do sul
-Vapor francez Senegal. oomnandante G.
Grou, carga pairte da que trouxe da Europa.
IUo Grande do Sul Patacho portuguez Atrora,
capiao Manoel Andre Branco, carga aguar-
dente e outros generous.

EDITAES
Edital n. 360
Pelo present edital e de order do
inspector geral da instrucGao public,
se Paz constar ao professor Claudino Go-
mes Barreto, que poracto da president
cia da provincia, de 30 de outubro pro-
ximo passado, Ihe foi desinaala, nos
terms do art. 164, do regulamento de
27 de novembro de '1874, a cadeira pu-
blica de ensino primnario da villa de
Boin Conselho (Papacaga), de 2.a en-
trancia, devendo o mesmno professor to-
marposse e e.ntrar ein exercicio da re-
*erida cadeira no prazo de 60 dias, a
contlar daquella data.
Secretaria da insArucgio piblica de
-Pernamrnbiico, 5 de novembro de1877.
0 secretario,
Joaquimn Pereira da Silva Gaimardes.
Edital n 22.
Pela inspeotoria da alfandega se faz public
que nAo tendo sido despachados dentro do
prazo marcado pelo edital n. 3, do exercicio
corrente, os volumes abaixo deciarados,hao de
ser arrematados A orta desta repartiQao, Ii-
vres de direitos e sujeitos ao imposto da capa-
tazia, as 11 horas da manha do dia 8 do cor-
rente mez.
Marca R & C n. 51 == 1 caixa contondo duas
inolJuras douradas, de madeire ordinaria, de
inais de 10 centimetros quazrados, vinda de
Liverpool na barca ingleza Jane Marie, des-
carregada em 3 de setembro de 1876, igno-
ra-se a consignaao ; ambos no valor de 4#.
Idem R sem numero I pacote contend
amostras, vindo de Hlaminburgo no navio alle-
mi o Colmar, descarrega-lo em 9 idem, igno-
ra-se a consignacao ; sem valor.
Letreiro Domingos Alves Matheus, sem iu-
mero-4 pacote idemn idem idem, a Domingos
Alves Mathous ; sem valor.
Idem Barao de Bemfica 1 caixinha corn
amostras de cha, pesaodo 500 grammas, con-
signada ao Barao de 'lemfica, no valor do
2A416.
Marca D T B & F 1 caixinha vinda do Ha-
vre no vapor francez Vi!e de Sanfos, descar-
regadIa em 23 idem. consignada a Domingos
Icixcira Basto & Filho ; amostras sere valor.
Idem F R-P sem numero 1 fardo vindo de
New-York no patach:, americano F. S. Merry-
;ian, descarregado em '16 idem, ignora se a
ifonsigna 'ao; amostras sem valor.
Viem F C-- dito idem idom idem,
Letreiro Corga-1 dito idem idem idem.
Marca L F n. 873 1 barril completamente
vasio, vindo de Bordeaux no vapor francez Rio
<;rande, entrado em 8 de maio de '1875, e con-
signado a Lehmann Freres, no valor de ?5415.
Sem marca e sam numero--i barril desman-


,chado, vindo de Bordeaux no vapor francez
Jlendosa. em 5 de junho i em ; igrora-se a
,'rncignaCAo.
Marea V G n. 1,96- I dito, descarregou
quebrado, vindo de Bordeaux n) vapor francez
pquatear, descarregado em 13 de janeiro de
1876- e consignado a Victor Grandim ; ambos
no valor die 1000.
30 caixas vasias que ontiveram cebolas, no
valor de 85000.
Idem F C & C-9 caixas vasias que contive-
ran maQAs, no valor de 1$800.
Alfandega de Pernambaco, 5 de no-
-embro de 1877.- 0 inspector,
Fabio A. de Ctrvalho Reis.
01) D,'. Jose Jacintho Borges Diaiz,juiz substia-
to do especial do commercio desta cidade do
Recife, e sea terr'o, capital da proovicia de
Pernambwuco, por Sua Magestadc Imperial e
Coutitceional o Senhor D. Pedro II, aqernem
Deus guarde, etc.
Fa.o saber aos que o present edital
virem ou delle noticia tiverem, que no
ilia 0 de novembro du corrente anno,
na sala Jas audiencias, As onze horas
i1a manhAi, devera ter lugar a reuniio
dlos credores da massa fallida de Joa-
qiimn Jose Gongalves Beltrao & Filhos
)ara verificareni os credits, delibera-
rem acerca da concordata, se houyer
projecto della, ou formarem o contrato
lie uniio e nomearem admninistradores
;t dita massa, certos os credores de que
uAo serao admittidos por procurador
smn que este exhiba procuracao espe-
cial, a qual nao poder;i ser conferida a
levedlor dos fallidos, nao podenido. ou-
Iro sirn, um s6 individuo- representar
jpor douw diversos credores, e que sera
lmavido o credor que nao comparecer
c-mo adherente As resolutoes que to-
i i)ar a maioria de votos dos que cow-
parecerem, corn into que para ser va-
lida a concordata e neccssario que ocja
,onccdida por um numinero tal de cre-
,lores que rcpres'ente pelo menos a
maioria destes em numero de dous ter-
-os no valor de todos os et'editos su-
jeitos aos effeitos da concordata.
E para que chegue ao conhecimento
detodos, mandei passar o present
..:edital, que sera publicado pela im-
prensa e affixado nos lugaredo do cos-
tume.
c idade do Recife de Pernambuco, 28
dojunho de 1877.
Eu, Seeundino Heleodoro da Cunlia,
etONWatermo subscrevi.
i.. -osi atA tho Borges Diniz.
f,. ; i ,, ", .,,tf "^ .* ^ ^ ^
x" : +:" '
-,:"--4' ;


I :"(I ( 'Ii


15 kilos di p in ga hgpau, iemW latas pp-
'3 *.W -
3 bcims4.qri*,m flgsltiami Jkr danln> -
6 wian ,i Nfea 46ui ItlMsde ,,
do ecaboade
400I#as go .,praew star. ,
I b!rria d~ et raos de vidro.
,4l5 aoarrIeias drlioha fi. t4 a 30, pira ma-.
china'. ,
4 serras de vqltas, duas de 45 centimetros e
duas de 25-centimetros.
2 duzias de taboas de louro, para soalho.
t dita de dilas do cedro, idem.
I barril ae azeile doce.
200 hoatias.
5 kilos deo gomma lacca.
f4 litros do alcohol deo 36 a 40 graos.
10 calxas de penasu d'aQo de Perry.
24 p4os do jangada con 10 metros, para mais
de comprimento, e 25. centimetres de diametro
para mais na parte mais fina.
3 grades espanadores de pennas.
i caixa do vidros para vidraga.
Grades impressas para diets 400
Os pretendentes deverAo impreterivelmente
no dia 8 do correaLe. As 10 horas da manhia,
apresentar as suas propostas e amostras.
Continuam a vigorar os artigos do regula-
mento jA publicados.
Sala das sessoes do conselho de compras do
arsenal de guerra de Pernambuco, 3 de no-
vembro Je 1877.
0 official servindo de secretary o,
Candid Lobo.
ADMINISTRAgCO DOS CORREIOS DE PER-
NAMBUCO, I DE NOVEMBRO DE 1877
Relaco da correspondencia registrada
(serm valor) que existed nesta reparti-
Qao por nao terem sido encontrados
seus destinatarios.
Antonia Maria da Conceiciao, Antonio da Sil-
va; Amaro Carneiro Bezerra Cavalcanti ( ),
Agostinho Anonio da Silva, Antonio da Cunha
e Figueiredo, Augusto Carneiro Monteiro,
Adolpho Fernandes Monteiro, Albino Jose Fer-
reira da Conha. Calado Pedro Ferreira da SilVa,
Crispim Antonio de Oliveira, Eduardo Gorreia
do Rego Barros, Eustaquio Primo de Seixas [2],
Francisco Dionisio Guedes, Genuine JoAo Mar-
ques, Honorio de Barros FalcAo, Joaquim An-
tonio Ribeiro, Jos6 Ferreira' Pinto, James
SBryson, Joaquim Inojosa Varejibo, Joaquim da
Costa Ferreira, Joao Machado Freire, JoAo
SGregorio da Costa, Joaquini Ferreira de Arau-
jo, Joaquim Manoel dos Santos, Jose Bartholo-
meu. Josi Antonio Saraiva Sobrinho, Manoel
da Silva Pires Ferreira, .Mathias Portuguez,
Maria Henriqueta Rebello Bittencourt, Manoel
Francisco de Paula Mello, Manoel Carvalho de
Souza, Maria Alexandrina Cavalcanti de Albu-
querque, Manoel Ferreira de Souza, Silviano
Moreira dos- Santos Cavalcanti. "
Casimiro Lucio dos Santos,
Encarregado do registro.

Monte Pio Portuuez
ReuniAio as 6 horas da tarde
De ordem do Sr. president da assemblea
geral, convido aos senhoros associados a reu-
nirem-so quarta-feira 8 do corrente, na sala
das respectivas reunites, para negocio urgen-
te da aosociasio. Secretaria do Monte Pio
Portuguez em Pernambuco, 3 de novemnbro de
1877.-O 1o secretario, -
Antoniio de Albuquerque Mello.

Conselheiro Anselmo Franc sco
Peretti
A Illm..a junta ad-




-cmahd hamoniutmtv dea Santa
Casa, devendo man-
dar celebrar na~igre-
ja de N. S. do Parai-
zo pelas 8 horas daf
nanhii do dia 8 do corrente, trigesiro
do fallecimento do c.onseheiro Anselmo
Francisco Peretti, urna missa do requiem
corn memento, ot'o sua alma, cantada e
acompanhada a harmonium pelas edu-
candas da casa dos expostos, pedle a
todos os irm~os da mesma Santa Casa
eanos parents e amigos do illustre .fi-
nado o seu comparecirnento a esse pie-
doso acto.
Secretaria da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife, 5 de novembro de


i877.
1877.0 escrivaio,

Pedro Rodrigues de Souza.
ADMINISTRACAO DOS CORREIOS DE PER-
NAMBUCO, 6 DE NOVEMBRO DE 1877
Malas a expedir-se hoje
Pelo vapor nacionul S. Salvador, esta admi-
nistracqao expede malas para haraguA, Macei6,
Penedo e Sergipe.
Recebemn-se jornaes, impresses de qualquer
natureza e cartas a registrar, atW I hora da
tarde, cartas ordinaria. at6 2 horas, e atl 2 1/2
corn porte duplo
0 administrator,
Affonso do Rego BJrros.
Institute Archeologico e Gso-
graphioo Pemambucano
Havera sessao ordinaria no dia qui n-
ta.feira, 8 do corrente, Ais 11 horas da
manhri.-Ordem do dia.-Pareceres de
commissoes e-o mais que occorrer.-
Secrelaria do Instituto, 5 de novembro
de 1877.-0 secretari) perpetuo, Salva-
dor Heirique de Albuquerque.

Irmandade da Senhora

Mai dos Homens
Sio de novo convocados todos os ir-
maos para se reunirem hoje 6, as 6 ho-
ras da tarde, no consistorio da igreja
da Madre de Detls, alim de seproceder
a eleiito da nova mesa.
-0 procurador dos feiros da fazenda
provincial, tendo recebido do thesouro
provincial a relaeao abaixo trancripta
dos contribuintes do imposto de 18 por
cento do exercicio de 1875 a 1876, cu-
jos debitos se achami constituidos em di.
vida active, declare aos mesmos con-
tribuintas que lhes fica mdrcado o prazo
de .30 dias, a conlar d a public-'iro. do
present edital, ia conformidade do dis-
posto no art. 53 ld lei n. 891, para re-
colheirem a imnportuncia de seas debitos
ao mesmo thesouro, certos de que fin-
do o referido prazo, se procederd exe-
cutiuamente na cobranga.
Recife, 2 de novinbro de 1877.-
Miguel Josdde Aloeida Pernambuco.
Relaoou dos devedores do imposto deo 180/0
sobre estabelecimento, do cxercici3 de 1875
a 1876.
Rua estreita do-ltosario 9. 23.-Jos6
Martins Dia 54000
Largo do Paraizo n. 2.-Joaquim Jo-
Ss6 da Costa Valente 54j000
Dito n. 7.-Jos6 Francisco de Souza
Lima 215600
Rua de Pauli 1o Camara n. *A. -Jus-
Stino PereIra Ramos 33000
Dia do Liramento n.4 11. Jos6
hsr&nOdsb Ptas 54000
Bits do Vteoa4 de Lnhaima 53.

S .,.h1*.. =


4fi.
MOO"
deJ^M n.,8. *.


..* II


llqj ej"',S.-0

Ia ,0
oJMeo"
'Ua n. 33.--'C T'mlcante doe Al-
buqufa Gaddiha
Di a. 85.-r-Joaquim Duarte Pereira
Dita n. 4.--Jos6 Francisco de Souza
Lima
Iargo da Praceta n. 13.-Joaquimn da
Costa Mai&
Dito i. 45.- -O mpesmo
Rua de Marcilio Dias n. 86.- Joa-
quim Paulino Nic6as Muniz
Diu do Coronetl Suassuna n. 41-Jolo
de Deus
Dita a. 258.-Joato Baptista Alves da
Silva
Dita do Marquez do Hervai n. 180.-
Justino Pereira Ramos
Dita n. 141.-JoAbi Antonio da Silvat
Oliveira
Travessa do Pocinho n. 31. Jose
Joaquim Samates
Rua de Dias Cardoso n. 94. Joa
quim Antonio d'Oliveira
Dita de Vidal de Negreiros n. 66. -
Jobo Jos6 de Garvalho
Dila n. 153. -Josd GonCalves Ferrei-
ra Guimardes
DiLa d'AssumnpQgo n. 8. Joaquimni
Luiz da Silva
Dita de Santa Rita n. 50.-Jofito Lo-
pes Pereira Junior .
Dita n. 1.-Jos6 Antonio Barbosa
Dita Nova de Santa Rita n. 3. Jos6
Rodrigues de Souza
Dita n. 45.-Jose Ignacio Avila
i Dita de Santa Rita n. 2. -Jos 6 Alfrc-
do de Carvalho Jesus
Travessh do Peixoto n. 10.--Justino
Pereira Ramos
Largo do Mercado n. 3.--Jolo Bap-
tista Caravelos
Dito n. 11.-Joaquim Josd GonQalves
Guimaraes
Travessa de S. Jose n. 22.-Jose Joa-
quim Soares
Rua Imperial n. 110.-Joaquim Go-
mes Ferreira de SA Leitlio
Dita n. 240.-Joio Rodrigues Lopes
Dita 9. 95A.--Joao Ghrysostomo de
Albuquerque
Dita n. 206.-Joaquim Dornellas Ca-
mara
Dila n. 307. Jo'io Alves eastello
Branco
Baixa Verde n. 12.-Joaquim Ferrei-
ra de Matteos
Capunga n. 37.-Julio Cesar d'Amo-
rim .
Run das Pernambucanas n. 2.--0
mesmo
Dita n. -8.-0- mesmo
Ponte de UIet6a q. 20.-Joio Euge-
nio da Triadade
Bel6m n. 5 C.-Jacintho Ramos Ma-
chado
Joi-o d a Barros n. 6.--Joaquimn Pe-
reira de Souza ., '
Rua de S. Elias mn. -Joaquim da
Silva Azevedo
Dita do Barao de Itamhracai n. 16.-
SJose Joaquim de Sant'Anna
Dita de Campo Alegre, sem numei'o.
-Jos6 Antonio Goncalves
Dita da Imperatriz n. 3W. Jos6 J oa-
quimr AfTonso Guimar5es & C.
Dita n. 68.-Jose Robertb Vieira de
Mello
Dita n. 19.-Jacome, Irmiot & C.
Dita n. 31-. --Joao Luiz Vianna Ju-
nior
Praa do Conde d'Eu ni. 4.-Josa Al-
ves Lima
Dita n. 8.-O mesmo
Dita n. 22. Joaquim Ignacio Ribeiro
Dita do Visconde d'AIbuquerque n.
68.-Jose Pereira Raposo
Dita n. 82. -Juvenalde Mattos FreitC
Dita da Uniaio n. 52.-Joao Alves do
Moura
Dita do Conde da Boa-Vista n. 13.-
0 mesmo
Dita n. 84. Joao Alves de Mello
Dita n. b7. Joiao Alves de Moura
Dita n. 119. Jos#! Antonio Vieira
Barcellos
Rosario n. 69. Jose Joaquim Bar-
bosa Junior
Socego n. 49. Joaquimn Jose da Cos-
ta
Principe n. 28 A. Jose Correia de
Brito *
Itibeira ns. 12 e 13. Joss Francisco
de Souza Lima


Di ta sem numero. Jos6 Felippe Fer-.
reira dos Santos
Dita sem nuruemo. Joo Alves de
Moura
Dita sem inunero. Joaio Demetrio de
Almeida CGavalcante
Dita sem numero. Jos6 Antunio Mu-
xqiz
S. Gongalo n.. 27. Julio Jose da
Costa
GCoelhos n. 12. Jos6 Raymundo de
' Mello
Barao de S. Borja n. 25. Jos6 Ray-
mond Blanco
Lima n. 10. Jose Jacintho de Car-
valho
Velha da Passagem n. 5. Joao Ig-
nacio de Moraes -
Luiz do Rt.go n. 16 A. Jos6 Ignacio
Ubal
Dita n. 18. Jose Custodio dos San-
tos
Direita-n. 52 A. Jose Lucio Lins
Dita n. 80. Joio Franoisco Regis.L.
Motocolombo n. 24. Jos6 da Silva
Araujo ,
Ditai n. 6. 0 mesmo
S. Miguel n. 18. Joiao da Costa
Rego
Dita n. 34 A. Jose Ferreira Cam-
pos
PoQos n. 2. Joao Francisco do Paiva
Dita n. -6 B. Joao Maria Pires Jasto
Lago do Remedio 6. Jos6 Aurelio
de Olireira
Bernflca n. 4. Joaquim do SA Lppes
Fernandes. [OiffereneaJ
Vigario Tenorio n. 9tO. J. E. Pur-
cell'
Marquez de Olinda n. 53. Luiz
Chamter .-
Amorim n. 17. Lapa & C.
Moeda n. 41. Lapa &1Primos
Companhia Pernaipbucana n. 2.
Luiz Dometrio Coelho
Primeiro de Marco n. 7. Licate
BarAo da Victorma.n. 67 A. Luiz Li-
nhares
Santo Amrnaro n. 24. Libanio Bar-
reiros
Pedro Affonso a. 76. Loiureno Ri-
beiro da Cunha Oliveira
Dita n. 63. 0 mesmo
Nova da Praia n. 36. Leopoldino
Cesar de S. Moraes
Dita n. 46. 0 mesmo
Travessa dos Martyrios n. 8. Leo-
degario da Silva Barbosa
Vidal de Negreiros n. 99. Lourenqo
das Ghagas
Nova'de Santa Rita ns. 55 e 59. Lo-
coumtora pernambucana
S. Jos6 q. 2. Lapa & Ribeiro
Estrada de 1l6m n. 3 B. Luiz An-
tooio de-Oliveira
Inoeratriz- n. 70. Ladislao Xavier
de Mello
Camar.1o n. 17 A. 'Leonor Muniz de
tImeidn
Riachedllo n. 56. Luiz de Frpana
Shares
titsta n63. Lucaa 4sodi Nitwge-
Cabana in. 66. Lib o iirtdw. Ri.
:lMf '' M. y^ ;'^ 'l*. .-


1 '


JR.
X .2 o 0. 1..., A R

oooo w *p hi o.

jf B : w --
o .. .r


25 0 '-1 1O O -
43it0 A.- tg o____



- o B o .. r1 1_
27PW cob, I
541000 10 f ^ ___


,g-0ooI o o i .
43#200 0 90 : ARA IA

358400 to m g "D I ,
WWO t crgs


I 3. I P *
4000 ...
0 .8 b-6*~


,25000 0 bVI 'd
0 I. de :.'a
432S00 mc0* :
51000 g -
285000
545000 0 ARRAIALI
2*20 3J0 A, 0


43S00
91500000


_oo __'_- o _____-____"i_' "
7515000 .Q c *~ C .~
r B," ARnAIAL





















.I 1 = ^.,,
0592 g. g S-l -- -~






0 "









8(1) "" i 3
5ANT. IE 0
584000 gD
ZL ARRAIALS



25400 WO
0fln0 C> 0
51500 A Iox_





25900 | I I
2600 CD





32600 9. RE D ASSIGNA% RA L
$0 0 1



32$"1
34#560W 8_
32j840 S K) f*. ARRAIAL j



2160 .h _______0 _______ I
vo
2559i20




*1 I _o&_ o _____i

cc0o000W_00
2-1600 R | AI R 8






2I?600 M ARBAJAL i
2f6W i2- AL







905000
32S400 01'
21#603 0. -1 P o b----
21#6000 ____
21600 ARRAIAL









25592010 SA T IS BE Phant;
6$480 h e atc- OI
1ARRAIAL
.08100W R Ta
6090 a RlT D ASSINU COi g
1k3$92W ARRAIAL
i~fjiW ^ ;'CID C >*
2 ; tO A.^ : AnnAIAL '
548?0001 1 i P c
964000 '\


0 Inspirada zarzuela em" 4 actos, musi- UVm1 mar
14400 ca de Barbiere e Gastambide, sobre a
li4o direcCao de scena do Sr. Thomaz Gal-
van
43 200 INTITULAi.A HO M E
0 sargento Frederico I'ha1t
64o00 Ou episodios da vida deo Frede-
rico, o grande rei da Prussia
36000 Protogonista a Sr.a D. Josepha Gar-
0 cia, acomnpanhando-a as Sras. Hespanha COMEE
o e Diae,e os Srs. Gerner Bonaplata, Or- UMA-N
545000 tiz, Galvan, Diez, Antonio, Juliana e U II I
Rondeni N
M oWdo n Principiar iAs 8 horas. .
8000 Os bilhetes achani-se a4 venda no es- HOII
43#200o criptorio do theatre. H i
265000
ooo ,*." -- ; ^ ^
305240 HaverA tens para Apipucos, Olinda e CARNA
SBeberibe, lindo o espectaculo.
258920
18000 ooo THEATRO thera
13S000 0 theatroa
8640 SANTO ANTONIO eleganteinnt
2.00S. Exe. urnea
200100 Quarta-feira 7 de novembro Coninega


439$140
1085000
3485-60
365000
.3oo0000
291swo00
365000
270"
27$000

728)0

.900
f08|1000

72000
43. 00
0
^ 65000
30W240
36$00
.2756l00


Si56IE.


Alegre e festive espectaculo emr


gosijo a chegada do invicto
GENERAL OSOB10 I

Antonio Jose Duarte Coimbra apro-
veita a opportunidade para tambem de
sna parte render o preito da-homena-
gem que d devida ao libernial guerrei-
ro, cujo nome. laureado per mais de
*um feito glorioso, pertence a bistoria
e-d adrniraVAo de todos.

PROGRAMMA
Duas gyrandolas de fogueLes annun-
ciareo a .tgas do LEGENDARIO
GUERIREMo! penetrarA o thea-
tro prOX q litrada especialmente
prepramdi 1 do
HYBBTACIONAL
tocado peh briosa bapda de music
do 2. batalhb aO de iafanteria.
AbrirA o epectlacult o aclor-Bahia
recitando algumas pxavras apropria-
das.


No senui de meabiir varir o epec-,
taculo,- flea maim 0rg.ia d:o. o pro-
*l I *: ; :.. .
..* .. .. ..*- A,^* ..".- e


Os bilhetes
dem se," enco

Ao Ilmn. S
Antonio .Maril;
demais cdavall:
abrilhantar e.
baixo assignai
Antonio

T]

SANT
Sexta-f4
Benefic
Vicei


I


^

e

F
-

^


wI
w 88 ^







.I
*------IAL--







,~Trern de~
c: srgo

~carga
^ JgS fe ARRA1AL .


- RI I



:- -O L' ...
.---:---ARRA.IAL

- ;- ., .A ... ..
to I
0 00 IS j
w I





00 0000
f-D
ARRAIAL
t- 0 I .... .
U, ^> I __;
o- -' -

eji .'3C.; I
A tO ;


0' 00 0 0


00 C 1
- t9 "" I -





000 "I
*- -.T ARRAIAL I


0J (Xt4 ______________^
,* .. .. 0 |S




O '=, o

C- 5 I
" I. 0 i ARRAIAL



* "--I ,,
-4 ----" i .

: : s i .AR ,.AIAL i

8 i I __




o( OW wO Ii
0 ^M g ARRAIAL
,_ w I i"IA




_-- ----,-

0 0 I g
oa o I __


II Il- 9 18 I ,I


O0 CELEBRE
,M FLAUTA

aisia da opera




IA EM UMACTO:
rido victim das

modas
PELO
,M FLAUTA
asia da opera

ORMA

)IA E M UM ACTO:
)ITE DE REIS

A BAHIA
PELO
EM FLAUTA

VAL DE VENE-
zi
char-se-ha imojdesto, mas
e preparado, occupando
t-ibuna especial.
4 As 8.112 horas.

i para este espectaculd po-
moendados desde j6.

r. coipmiandantL coronel
i. Colho, bem comao aos
lieiros que se prestani'to a
ste minodesto festejo, o a-
do agnradece de coravilo.
Jose Duarte Coimbra.

IEATRO

'A ISABEL
iira 9do corrente
;io dp somnambalo
nte D'Amieo


I-
S

I
4'
*
&S
i*3


:.- ) : Vy. .w i .^ ^ -"'.


r .. .* rI .., "-


0





r.'
0C


i0 -

2


:

i>*I
-S
'S'


s





POW
ad'
P%









Owe
Sa'

3;




9
I;

-0
As ocliads pden erdese A r^i


As localidades podem ser desde ji procu-
radas na bilheteria do theatre.

CASSINO PERNAMBU-
,CANO
Sexta-feira 9 do corrente
Concerto de Augusto Gambaro au-
xiliado por suas discipulas as Exm:s.
Sras. Lydia Garrett e Am ,lia Carolia
das Chagas e corn o obsequiosocon-
curso dos distinctos professors Can-
dido Lyra e Antonio Martins.
PRIMEIRA PARTE
- I.- Air de ballet, phantasia para violi-
no, executada por A. Gambaro Be-
riot. .
2.0 Duo a quatro mnos sobre Ernani,
executado pelas Exmas. Sras. Amelia
Carolina das Chagas e Candido Lyra-
Billema.
3. Fantasia para flauta sobre Lucre-
cia Borgia, executada por Antonio Mar-
tins-Breciald.
4.o Le Romantique phantasia de con-
certo para violino, executada pot A.
Gambaro e accompanhada pela Exmra.
Sra.'-A. C. das Chagas -Gbys.
3.o Penskespootiques, pour oe piano,
executado pela Exma. Sra Ildia Ga'r-
rett -Gottsclialk.
SEGUNDA PARTE.-
6.o Nova phantasia de concerto, exe-
cutada por A. Gambaro e accompa-
nhada pela Exma. Sra. Amelia-Ghvs.
7.o Hyruno national brasileii% gran-
des variagdes de concerto, execltidias
pela Exma. Sra. Lydia Garrett Got-
tschalk.
8.0 Le Carnaval de Venise, grande
variagoe., executadas no violno pel.
'Exma. Sra. Amelia Carolina das C(I-
gas.
9. Variacues sobre Sapho, phantasi:t
para clarieto, executada por A. Mar-
tins.
10.o Air Montagnard, variit6es d'.
concerto para violino, executdas .pori.
A. Gambar -- Beriot c Gambaro.
PrincipiariA as 8 horas em pont ..-


COMPAMIA PERNAMUCANA,
DK11
Navegag&o cost*a por vapor
Portoa h- f -orte
Fernandto de' Mroha


0
COBmalf


- .


- .&-~ ;--


- -.., .. '
** ,; .o .


0

^
'* Mf--^ ..
r^^^^l
Sr'

H

^

tsl



g
0


0

0


w

H
o

hT

a


'4* 1


z





0


Orand noltoIdade .l
Importaate rprentago da notabilisslma
ssso Wienifleaia do madgnetismo hamanmo e
phyuia ewrumnWhal. dado pelo celebre mag-
netisador 'Pedro 'D'Amioo e pelo afamado
8omfna*blt'aWn f llm oViente.
0 esposftgo etir Sdvidido em duas par- Reebe -.*"_ W o0
tes, e cadatfamm $t d o grand i eravilba e passagImSe, IiJ
admiragRo, de today* as novidades que teem i mwi d0 di d4a.U
sdoe vistas 5esiaeLf 0 0 pW o Ila, de
q& fkimD-hsinji6k todas ms6 prinelpWs'-
T~pf~~~r -^<^*^^W^ i rj^w^^f~iE


Giquici .
2- 4-,
!,qp' ,
f! ,.. :'.,


v .... II I .. II Illll


," ; ,: .
o


^
' h
** 'i,


i























",V igo.
rndas, etc., atra-


9.-:


iste Labile
do Coinmrcio- 9


... -paitia Brastlelra.
DE
VavSega9a o a vapor
P RT OS DO NORTE
0 0PAQUETE A VAPOR
p irito Santo
l Cotmmandante Aureliano Isaac
"Espera-se dos por-
o *tos do sul at o dia
8 do corrente e de-
pois da demora do cos-
fturme. seguird para os
portos do nortp.
PORTOS DO SUL
0 paquete a vapor
Bahia
C.ommandante o prineiro-tenente G.
Waddington.
E' esperado dos pmr-
tLos do norte at6 o dia
"j"" F 9 do corronte o depois
da demora do costume
1 seguirA para os do sul,
inclusive o de Santos.
Para carga, eicommendas, valores e passa-
gens, trata-se na agencia, escripturio de com-
missOes de
Bernardino Pontual
12 -Rua do Bom Jesus--13

COMPANHIA PEPNAMBUCANA
D9
NavegalAo costehfa por vapor
Portos do norle
IParahyba, Natal, Maci., Mossor6 Ara-
caty e Cear5
0 vapor plpQuca
commandant Telles
seguira para os portos
*! acima no dia 5 de no-
s "' vembro, As 5 horas da
tarde.
Recebe carga at o 'dia 3 ; encomrnendas,
-assagens cedinheiro a frete, at6 as 3 horas
da tarde do dia da sahida.
Escriptorio ina rua da Companhia Per-
nambucana n. 12.


Royal Mail Steam Packet

Company
Grande reducoao nos pregos das pas-
sageus
0 PAQUETE A VAPOR
Guadiana
Commandant Brander
Tocando em Vigo
Espera-se dos por-
SLtos do sul no dia 14 do
I ~ corrente, o qual depois
^^T^^^^M ~ A Aarr..1- r f--- in onal~i..


r kao mrrequ s e mas avlimentI
Em umn ns rainc. iote, a"vontde -dos
Comprdoes

hors
POR INTERVJNAO DO AGENT
'INTO *
Na referida loja da ria Mdd Livramento a. 19.

AgentePestana
LEILAO
DE
70 barris corn toucinho novo e cerca de
100 garrafdes corn cominhos

A's 11 horas em onto
No trapiche Barbosa -
0 agent Pestana farA leilao, por conta e
risco de quern pertencer, de 70 barris cum
toucinho novo, e cerca do 100 garrafues corn
cominhos, enim um ou mais lotes, a vontade dos
Srs. compradores.
Grande e variado

LEILAO
DE
bo;is iiioveis, louQa, lions crystaes c ob-
jectos de electro-plale
CONSTANDO DE:
Sala de visit
Um piano forte do bemrn conhecido fabrican-
te Pleyel, 1 mobilia do jacaranda corn 1 sol'a,
l jardineira, 2 consoles corn marmore, 2 ca-
deiras de brac.s o 12 de guarniqao, 7 langas
para cortinados, 6 quadros coin finas gravu-
ras, 6 vasos ou jarros para flores, i ncsa de
costura, 2 capiteis. 2 descanjos de pes. 2 ta-
petes de sala, I m6clio para piano, I candiei-
ro a gaz corn 3 bicos e I esteira forro de salad.
Uma mobilia de salad de visits, de nogueira,
estoulfada e forrada de soda escalate (carmim),
I estate envidracada e 1 machine de costura
(perfeita).
Galbinete
Una mobilia de mogno para gabinete, corn
1 sofa, 1 mesa oval, 2 consoleo, 2 cadeiras de
bracos e 11 ditas de guarniCao, 4 quadros, I
divan empalbado, 2 estantes envidracadas, 1
mesi corn 2 gavetas, 1 relogio de parede, 1
candieiro a gaz corn 2 bicos e 1 esteira forru
do gabinete.
Dou cavallinhos de mola para meninos, 2
descanCos de ferro para chapeos, e 2 bancos
para jardimn.
Sala de jantar
Urna mesa elastica, 4 guarda-louCa envidra-
Qado, I aparador grande corn tampo de pedra
- aparadores torneados, 12 cadeiras de guar-
nico, 1 guarda-comida de arame, louCa para
chal e jantar, copes, calices, garrafas, compo-
teiras, galhlieteiros, garfos u facas, cabos de
mnarfim, I excellent relogio de paredo (opti-
mo re-ulador), 1 candieiro do 2 bicos, I es-
teira de cco forro da sala, 1 cadeira alta para
meniino, 1 mesa 3 cadeira lhaixas para ditos
I filtro, -1 pedra para liltrar, I pendente agaz,
6 quadros dourados corn passaros e differcn-
tes objects de electro-plate.
Sala de dormir
Duas camas francezas, 2 mesa "de cama
corn pedras, 2 excellentes commodas, 2 lava-
tories corn pedras c espelhos, 2 guarnicOes
para os mesnos, 2 cabides, 2 guardas-roupa,
em usa s6o pe(a, 2 quodros a oleo, I lampari-
na e relogio.


seguird para Antuer- li d Li
pia, tocando nos per- Umn guardai-vtestidos corn espclholi, I guarda-
t.,s de S. Vicente, Lisb6a, Vigo e Southiamn- roupa do iamarello, I toilette do tiogno corn
,ton. pedra e espeliho, 1 cama de fenrro grande comn
Tern dous vapores per mez, desta compa- colcltho de mola, I conrmmoda. I lavatorio, 1
nhbia, tanto para o sul, como para Europa. mesa coim duas gavetas, 2 cabides, I mesa
As chegadas e sahidas sao as seguintes de abtir.
Da E-iropa Uria mobilia det amarello corn I sofA', 2 con-
la E-uopa me. solos, 1 mesa redondi, 2 cadeiras de braeos,
IK- Soulhanu.t'on nos dias 9 e 21 de .a met. rd cadeiras de guarnii(ao. 4 caudiciruos para k,-
De Lisbea nos diaus 13 e 28 de cada miez. 6os-ne e 4 jarros.
De Pernambuco nos dias 10 e 25 de cada ms /. ros
Do sal Uncma Quartos
SdSs Uma c1ama franceza de jacarandi, 1 toilette,
Oile Baenos-Ayres nos dias 1 e 15 de cada mez. 1 guarda-roupa, 2 camas de ferro para meni-
De Montevideo nos dias 2 e16 de cada mez. no, cabides, mesas, cadeiras e muitos outros
Do Rio de Janeiro nos dias 9 e 24 de cada miez. accessories de casa de familiar existenites
Q% Bahia nos dias 12 e 27 'de cada mez. Na casa da rua do Conde da Boa Vista,
Ie Pernambuco nos dias -i e 29 do cada mez. n f
PRECO DAS PASSAGENS outrora Caminho Novo, em frente a
CLASSES estac5to do mesmo nome.
L.n 22.. 3-' QUAIITA-FEIR4 7 DO COR RENTE
n'a Lisbua eVigo.. 20ae25 15 0 Dr. Guilherme Naegeli tendo deliberado
Southampton ( 30-35 20 13 mudar sua residencia para o Rio de Janeiro,
Bahia ........50$ 23 "5? faz leilao, por intervene ao do gentlee into,
Rio de Janeiro. 1000 55 3(8 dos movcis e mais oljectos existentes em ca-
Montevideo. 23 11 7 6.8 sa de sua residencia no Caminho Novo, cha-
Buenos Ayres 24 12 8 cara em-frente A estaao domnesmo nome.
Billietes de ida e volta teem umn abatimento A's 10 1/2 horms partir!A da esbacao do arco
le 25 por cento. de Santo Antonio um trem que darA passage
Da-se vinhlo gratis aos passageiros de to- gds ao cnorrnts ao leilo.
*Jas s clasesgratis aos concomi'entes no leiluio.
't.Jas as classes. Principiarid as 11 horas.
Faiv.-,e arrd.- abatimentos a favor de fa- --------


ui' lias.,

0 PAQUETE A VAPOR
Mondego
Commandante Compton
.Espera-se da Euro-
pa at6 o dia 11 do cor-
rente, o qual depois
dademora do costume,
seguirA para Buenos-
Ayres, tocando nos
1.r-Ltos daBabia, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para passages, fretes, etc., trata-se corn os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie f C.
Rua do Marquez de 01inda 37
Entrada para o escriptorio pela rua
do Bispo Sardinha n. 37.


Paeifie Steam Naviga-
tion Company
ROYAL MAIL STEAMER

LIGUURIA
Espera-sc dos portos
do sul o depois da
Sd-moraprecisa segui-
ri para Lisb6a, Bor-
deauxoe Live"rpool pare
iw ondeo receberd passa-
_eiros, encommnen las e oinheiro a free
/ Faz-se grades abatimoptos a favor de farmi-
:;as e para reducc0es sobrc o prego da tabella,
trita-se corn os
AGENTS
Wilson Brothers & C.
'.. 14-IIUA DO COMMERCIO-4
T U
':LILOES'o
"? .' "
::" ... f .. a-* / /- --

Atpete Pestitan
-* LEILAO.'^!^


Agente Pestana
LEILAO


anrnaQo, generous e mais utensi'os exis-
tien te na taverna sita d rua de Tho-
me de Souza, 'antiga Lingueta n. 3.
QUARTA-FEIRA 7 DO CORRENTE
as 11 horas em ponto
0 agent Pestana farA leilo, por conta e
risco de quem pertencer, da arnma io e gene-
ros existentes na taverna sita A irua do Thonim6
de Souza n. 3, garantind6-se as chaves, livre e
desembaraada de qualquer onus, e propria
para qualquer principiante, iem umn ou mais
lotes, Ai voritade dos Srs. compradores
LEILAO
DA
arrna'Ao, generous e pertenCas da taver-
na da rua d'Assumpio n. 8, em
trente (do mercado, em umn ou mais
lotes, casa garantida, livre de impos-
tos e aluguel modico
Quarta-feira 7 do corrents
A's 11 heras da manihli
Pelo agent Martins


Agente Pestana

LEILAO
DE
Moneis, vhlros, jarr'os, espelhos, relo-
gios de parede e de ouro. e diversas
obras de ouro, prata e brilhalates.
QUINTA FEIRA 8 DO f t RRENTE
is 11 horas emi peato
No armazem de agencia de leildes, d
ruado Vigario Thenorio n. 12
ao 0orrer do martello
POR INTERVEN(KAO DO AGENT
PESTANA.
Agente Pestana
LEILAO


50 actoes

QUINTA-lW


Santa


CO.RRENTE


dos


corn muraae portao
, caoitmba e algiuns
; t -^ .. ...


QTONTA-FEIA
NoA'S 11
.N armaze. da
No armazem da


8 DO COJINTE
HORAS
rua do Imperador


Precisa-se do uma engomnmadeira : na
saboaria do Recife.
PREGSA-SE de uma ama. escrava, para
todo o service de casa de pouca familiar : na
rua do Livramento n. 7.
Terreno devoluto. no lugar Duarle Cod-
lho (Arrombados), no fundo do capel-
lat do mesmo lugar.
Concede-se licenCa gratuita por dous annos,
a quem quizer tel'renos de cem palmos, da
esutada para o naseente. corn obrigaVio de
plantar e lazer sua casa de taipa coberta de
paliha : a tratar corn o proprietarie 'os6 Antu-
nes Guitnrries, na Boa-Vista, rua Velha n.
71, no primeiro andar.____ __
Precisa-se de. usa ama de loite som fi-
liho : a tratar na rua do CabugAi n 8, loja da
Aguia Negra.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado a
rua do Rangel n. 44 : a tratar na rua Dircita
n. 3, torceiro' andar.


Aluga-se barato o segundo andar n. 38
da rua estreita do Rosario: a tratar na rua dc.-
Marquez do Olinda n 58.
Precisa-se de ursa escrava para tode oo
servtc' oe unma casa de pouca familiar : na rua
da Palmna n. 68.
Precisa-se alugar umsa preta para servicO
de rua, e uma pretlo para sitio no pateo de
?edro II n. 73, segundo andar.
Na rua do "Encantamento, hojo Bispo
Sardinha, precisa-se de umn criado, escravo,
para hotel.
Precisa-se deum honirm, forro ou es-
cravo; para seivieo de horti oe de ruare tudo
o que se mando fazor; na rua do Cotovello
n. 25.
Precisa-se do ua Aawa pard coziniar: na
rua de Luiz do Rogo I3, a Santp Amaro.
Lava-se e eci -Rwt. 5 grado d seas
donos, tanto roupa a,,i omo de senho
ra: a 'tra' rnam u k andar.
P- recisa-se ald-sr d'rns prela do nil
idade ou pessoa babilitada para vendetrem ta-
boleiro : na rua do Jardim n1. 114.
Precisa-seo i m erndo, nacibmalOu es-
trangeiro : no Ca14 liperatriz,
Traspassa-se uima hypotheca do SS
corltos e tanto : a tratar nopateo dta Petnb
anumero8 8 .
Pre. e use do spa rup. DirW: lts
n. 10.egu*o a endar.r,..
-: ^Alga-se, diversasi it~ ^ ^


n. 16 -
O agent Martins fara lel'0o, par autorisa'
alo de Him. Sr. Or. Claudino d'Araujo3 Guima-
rges, consul portuguez, do predio acima men-
cionado, pertenente aoespolio de Manoel de
Carvalho Moura.

LEILAO
SABBADO 10 DO GORRE MTE
A'S 1 HORAS
No armazem da rua Duque de
Caxias n. 18, antiga rua das
Crum&&i
0 agent Stepple, por mandado do Exm. Sr.
desembargador juiz de orpbAos e ausentes, a
requerimehto de Raphael francisco Pereira,
levarA a leilio as parties de 15:000S000 qu e DS
menores filhos dofinado M'noel Antonio Viei-
rd possuem no sobrado A rua do Marquez de
Olinda n. 22, avaliado por 36:000*000
Para qualquer esclareeimento o mnesmo
agent darA.

AVISOS DIVERSOS
FLORA B RAZILEIRA
Por 65 se pode obter urn exemplar
dessa excellent ob:-a, em grade folio,
corn gravuras tinas em fumo e colo-
ridas, representando as plants oriun-
das do Brasil, em 40 volumes, obra-
util e necessaria nio s6 para os Srs.
mediccs e pharrfaccuticos, como para
qualquer amador ou estabelecimehto
public.
Para informa des nas seguinte ca-
sas
Costa-Maia & C., rua Primeiro de
Margo iin 6.
Marques & C., rua do Imperador
n. 24, confeitaria do Campos.
Campos & C., rua do Imperador n.
28, archi-armazem.
Antonio Sampaio do Nascimento,
rua do Commercio.
Francisco Xavier Ferreira, rua Pri-
meiro deMargo n. 4.

Encyclopedia modern
Vende-se uma Encyclopedia modern,
diccionario de sciencias, artes, letras, in-
dustria, agriculture e commereio ; pu-
blicagiCo feita em Paris, pela casa Fir-
min Didot, sob a direcao (le LeotilI Re-
nier.
A cbra compOe se de 30 volumes,
encadernados, emr born. estado, cendo
27 de texto e 3 de atlas.
A tratar nesta typographia.
PRElISA-SE de ujn copeiro e de
urn cozinheiro habilitados, na praca
do Corpo Santo n. 15, t1. andar.
Precisa-se de uma ama par cozi-
nbare comprar: nh rua da Concordia
n. 43.
0 unico deposit dos
remedies do Dr. Ayer e.
em easa de Adamson
lHowie & C., a rua do
Marquez de Olinda n.
37, entrada para o es-
eriptorio rua do Bispo
Sardinha n. 37, outr'o-
ra rua do Encantamen-


iaO rua estreita d Rosario n. 38 ha uma
pessoa que se encarrega de armar tu i ulos e
catacumbas ao cemiterio public, pata o dia 2
de novembro, commemoraao dos fieis de-
funlos.
Precisa-se de uma ama para cn ompr'i e*
engom mar: na rua da Imperatriz n. 23, se-
gundo andar.


comparecimento dos seus parents e amigos.
AGORA SIMi

NAO PODERA' HAVER MATS CABELLOS BRAN-
COS, COM A TINTURA CHINEZA
Preparada por A. R. Ramalho.
21--RUA DO MARQUEZ DE OLIN-
DA-21
Esta tintura faz tornar os cabello,
rapidamente pretos sem olTffender a cu-.
tis, e muito facil de se applicar. Cads
frasco acompanhart as iisLrueg6es ne-
cessaries.
0 autor da tintura chineza niao preci-
sa de encher as columns d'este journal
como muitos outros autores fazem, en-
grandecendo seus preparados a ponto de
tornal-os us ma ravilha, sem se lembi-a-
rem que, aji aneira que seu author os
elev#, o public os p6de rebaixar, poi
que as mais das vezes 6 enganado.
Portanto, o autor da tintdra chineza.
certo do bomn resuftado, jAi pelas mui
tas experiencias que se tern feito, ja
pelas bWas proves que sempre ternmtido.
recommend esta tintura.
Pede tao s6mente que experimeoitern
ella, para depois fazerem seu juizo.
Ulnco deposit, cOm casa de seU au


no 's pati -Ititli: 'I tr-atar Ift1Ja do
Sog, deposit do adgria. ___________
Precisa-saepde ueaanaa pira cosi-
n :na rua da Pria n. 2.
MuAga-se o sohiri dte u andar essotio
ia de Lurmas Vailbf i t. 27; o segundo
m(ireol seao nd-ps& do Tero n..27; o
imelto andar a pavt 6nto .terreo a rua do
flgel n. 41 ; a casa terrea a rua de 8. Joio
n-7 flnalmente a casacon pequenositio
no gspinheiro, onde morou o [MangirICAo : a
iratar no segundo andar da casa n 41, rua do
[1ngel.
Aluga-se a caea terrea da rua Imperial n.
44. caiada e pintada, corn grades commodos
para grande familiar, tendo 2 salns grandes,
sendo uma forrada. 6 quartos, sendo un) for-
ramio, despensa corn prateleiras, ba; ozinha
corn terraio, cacimba, tanque parabanbh o tm
bomba, born quinta l urnm grande telheirbo pa-
ra despejo de certos objects : quem preten-
der, dirija se a rua io Queimado n. 49.
Alu. a-se uma boa casa na rua de Lomas
Valentinas n. 5, corn 2 salas, 3 quartos, e corn
portio para a rua da ViraCto : a tratar na tra-
vessa de S. Pedro n. 6, casa de marcin'eiro.
ALUGA-SE por preqo commodo
0 predio n. 8. i a rua de Mariz eBarrms,
outr'orp rua da Codorniz(onde fo; o es-
tabelecimnento do Calangro) muito pro-
prio para qualquer estabelecimento de
seccos ou molhados, para o que tern
b0a armag,-o e pertenvas : trata-se a
travessa da Madre de Deus n. 18.
SAluga-se o sobrado da rua de S. Bento
n. 9, em Olinda, corn 4 sdlas, 5 quartos e co-
zinha f6ra : a tratar na thliesouraria das lte-
rias, ou na mrnesina run, em Olinda, corn o'Sr.
Jose Nunes.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado
n. 50 da rua do Imperador : a tratar no ter-
oeiro andar.
Aluga-se uanin casa na illia do Bemfica,
j"nto a ponte da Magdalena, tem commodes
para familiar o banho do Capibaribe uia frente,
onda pass o rio ; aluguel de I50$ por arnno :
a trlata;r a rua estreita do Rosario in. 17, pri-
meiro andar, corn L. M. R. VaWenea Junior.
A~ % lEm Santo Amaro, A rua
da Aurora n. 123, precisa-
A i* L se de urna ama que saiba
cozinhar e engommar.
S/f A Precisa-se de uma ama
iy quo seja boa cozinlieira e
ncgomnme, para easa de
pequena familiar : na prraea do Conde l'Eu n.
30, segundo andar.
AMA Precisa-se de 'unia para co-
AA zinlihpr para casa de familiar : a
tratar A rua do Hospicio n. 46.
AMA Precisa-s de uma ama para asa
AMA.Y de pouca familiar : na rua de Pedro
Affonso n. 25 ou34.

Attencao
Existe Ik;I Parqlhylbm um a.imazem
para alugar, z IIlia Condo d'Eu n. 34,
ha pouco acabado a considerado o me-
lhor d'alli, p1)resta-se para qualliu.er.e--
labelecimenito, corn prcfciencia fazen-
das e fica entire os estc'i.helecimentos
dos Srs. Mello & C. c Soaza & Castro,
que nesLe genero tern hado saluidas
mporltantes: a tratar, no mesito coIn
o Marques da Fonceca.
Amelia Rabello da Silva Marques
.andidna iabello da Silva Marques e seus
tilaos ;gradccem summamente a todas as pes-
.soas q,:e caridosame'lto aconipanharam a su
ultima) morada o corpi dle sun prezada filha e
irrm, Amelia Ranello da Silva Marques ; e de
noeo ccnvidam as niesmnas pessoas e as suas
ainig;is para assistircrn as missa, que pelo
eternn repousn m corrente, as 8 horns dia manhh, na igreja ma-
triz da Boa-Vista ; pclo que riesde j' se con-
fessam eternaaiente aratos.
~Peretti manda celebrar
uma missa na igr'eja ma-
triz de i'Ao d'Alho, no dia
8 do corrente, trigesimo
do passed ento de seu
pal, Ais 8 horas cia ma-
nhil, e pedindo, espera o


;. I


DEPOSIT GERAL
Pharmacia popular
Carlos Bittencourt
Rua Nova n. 51
Pernambuco


Aviso
Q abaixo assignado, estabelecido corn
IJa dfe ferragens a rua da lmnperatriz,
pela segunda vez declare ao respeiavel
public eao corpo do commargio em
particular, -que 'nao se responsabilisa
por debito algum contrahido por qual-
quer pessoa sem sua prdvia autorisa-
Vao verbal ou por meio de titulos fir.
mados pelo seu proprio punlho.
Rocife. 5 de novembro de 1877.
Josd Victor da Silva Pimentel.
Tres cases para alugai--se na
Capunga
Um sitio na rua das Crioulas n. 59, todo mu-
rade, corn casa bastante grande para familiar,
pintado e coiado, casa para banho, corn mui-
tas fructeiras, grande parntiral, jardiu, baixa
para capim, corn bonita vista para o Capiba-
ribe. Uma casa i. mqsma rua n. 61, corn
bomn quintal e todo murado, cacimba corn bom-
ba, casa de banho e bastantes commodos para
familiar. Outra nos Quatro Cantos. n. 29 B,
tambem corn bons commodos pare familiar ;
todes se alugam por prego commode, agradan-
do o inquelino :. a tratar na -. uc d,, VIgario n.
33, 1 andar.


A- ( 5 TA-- Materiaes e madeiras
0 U-- 14- Largo da Ponte-velha --14
ATTENX AO Neste novo armazem Fe encontra o grande
No dia 6 de outubro do corrente an- e mais complete sortimento de meteriaes, e
no fugio da fazend-a Bregiriho. d, madeiras de*todas as qualldades e dimens6es;
(Jelueia o Baeleda Mareg e. carrots de ma&o bern construidos, etc., etc.
reguezia Brejo re Deus, para este novo e 4em montado estabeleci-
o escravo Sabino, pertencente a JosO menlo, pedimos a attengtio dos senbores pro-
Valentirm Cesar de Barros, mInorador prietarios que.pretendam ediflcar, corn mespe-
no mesItIn lugar, ico escrravo houve cialidade os da Boa-Vista e arrabaldes, pelo
or hera d sunnd miio uoa i plet sortimento e grande reducgo de
por 1ieran min os seguiates *igfaes" :o eporbhave' sempre carroeas As ordens dos
{CIr acolada, kbtlocorredio, a]. senhores compradores.
tra regular, chei oeorpo. 'oto re. Os abaixo os estaneem mereea
dado, s pretos ast osla- attengear ala tgodos os seho
doid ol)~p0 Pgrdesiso, b casraguos arpr- quo so -19cow sua lregue-
riz cto.e sSOzboiart)gur, per- zpis, ada, c p0jue todo
nas coump.idas e gross, Ipds tarn- sew" io :4b a'1 n *'e$O fls sin-
bn g "s srid;q@oxaoetp fazer todo possivel para
bem grossps,se n ba-nos.d0
fattau o unm ou 4ou dentes, na fen- r. -
to dou~o s-upermr, -0roitbarbaY
con cmeatr zes d&rfe- i4kA S naS ernas. v.. .
pronuatia compa -a ^ht e ^^I t ii e*~ ICw do
vac"inado, tern a Wade e ppuco t.isdE toiiaos e madeiras, el; grande poAtio.
291 a'ffksr. sAlA^Ii4N Ie aeitaa e ,A1 '


?No dia4 do m.b f iid ng o porto- da
Bahia, de bordo do vapor national B hia, o
escravo Romiualdo, Iueeguia viagenm deste
porto para o Rio de Janeiro, de propriedade
de Luiz Jose da Silva Guimarfes, negociante
no Recife, que o houve por compra enr25 de
maio de 1809, a Jeronymo Theotonio da Silva
Loureir6, morador na Baixa Verde, cujo es-
cravo tern os seguintes signees caracteristi-
cos: e6r acabralhada, est4ura 5 p6s. 1 polle-
gada e 3pontos, cabello preto e carapinho,
rosto comprido, 0olho pretos, corn olhar amor-
tecido, nariz afilado, bocca grande. odos os
denotes, barbapouca, e corpo grosc<, em uma
das maos, por traz do pulso, tern um caroeo
i especie de um lombinho, pronuncia compas-
sada, conservando-se, quando falla, em attitu-
de humilde e vista baixa, tern de idade 30 6
32 annos, pouco mais ou menos, 6 fllho de Joso
e Antonia. escravos de Manoel Salvador, de
lugar Fazenda Grande ou Pajeu de Flores,
d'onde o releridoescravo 6 natural, P onde ex
ericica o officio de ferreiro. Sahio desta cidade
vestido corn ,cala e camisa branch, paletot de
alpaca preta, chap6o do Chile, levou um ba-
huzinho de couro, corn bastante roupa branca;
assim como consta que no a'cto do embarqua
aqui, urn preto foi a bordo e entregou-lhe a
quantia de 600UOOO a mandado de uma amasia
de ncme Romana. E provavel quo tenha mu-
dado de nome e de vestuateo, e que ande
calcado, para asim imtitular-se livre e illudir
a-vigilancia das autoridaden. Ha de corn cer-
teza seguir caminhe da Bahia para esta cida-
de, em algam dos vapors da comjanhia bahi-
anna, desombargando em Macei6, ou pelo in-
terior das duas proviucias ; roga-se, portanto,
a.s ae~oridades policiaes e aos Srs. capitlies de
campo, ou a qualquer cutra pess6a que delle
Liver conhecimento, o apprehendereni, parti-
cipando ou entregando-o ao seu respective
senior E') Recife, ita do Conmmrcinn. 5,
que serio reenmpensado 'rnm i xri'tificatan
acitia.

Atteiwao
Escravo fugido do engenho Ara-
,agy da comarca do Cabo
Contin6a fugido o esciavo Manoel, corn os
signals scguintes : boa cstatura, gros.'. nade-
gas grandes, p6s tortos, o maior signal "6 teo
o umbigo estufido o grande, corfula, idade
50 a 55 annos, consta ter estado, e estar aqui
ganhando na rua.
Desde o priniicio de se!Lembro estd fugida a
escrava Francisca, de 50 annos, cabocla, es-
tatura regular, cabellos casieados ce pretos,
bons dente, mnuito ladina. Consta star aqui,
pois que foi encontrada no Cabo de vingem
para aqui.
Pede-se aos capitaes de campo e As auto-
ridadles policies, que os apprehendercm le
ve-mn os ao engenho acima .ou A casa dos Srs.
Thunmaz de Aquino Fonceca & C, suceessores,
rua do Vigario n. 91 andar, que serA gcnero-
samente gratificado.

JAMER GOMPOSTIO
XAROPE PECTORAL
DE
Cartos Bitteacourt
Plharimaceutiuo pela academia de medici-
na da Bahia
Grade e novo descobrimento
ESPECIFICO DA PHTYSICA E DOENCAS
PULMONAIAES
0 Jamamqcari compostoou xarope peito-
ral 6 urnm medidamento precioso e o me-
Ihor peitoral atW hoje conliecido nos an-
naesda medicine. E' considerado especifi-
co nas molestias seguintes: deluxo. ltos-
se simples ou rebelde, catarrho piulmo-
nar, affece6es da garganta e phlysica pul-
mpnar. Sao innumeras as .curps 'effoc-
tuadas desde o seu descobrimento. E'
enipregado em alta escala pelos medicos
especialistas.
Salsaparrilha e caroba
DE
Carlos Bittencourt -....-
Grand4 depurativo do sangue
Empregada nas hydropesias, rheumatis-
mos, affeccoes gotosas, infartos glandu-
lares, escrofulas. syphilis, papeira, mo-
lestias chronicas da pelle,, cachexia mer-
curial. lupus, sycose, eczema, carle es-
rofulosa, dysuria, dartliros, boubas, bu-
es e todas as molestius que teem a
s~ia origem na impureza do sangue.
D6se : uma aquatro coheres de scpa
por dia em agua c mais progressiva-
mente.


da deste journal, em fins d c dezembro
de 1871, e depois para Janeiro, que pas-
sou a fevereiro e abril de 1872, e nada
cumprio; e por este motive, pois, dde
novo chamado para o dito fim, pois de-
ve S. S. lembrar-se que este negocio 6
de mais de oito annos, e quando o se
nhor seu filho se achava nesta cidade
Aos (lonos de sitio
Na confeitaria do Campos compra-se fruc-
tas, a saber :
Uvas, figos, sapotas e laranjas de unigo a
selectas.
24-RIUA DO IMPEILRDOR-24.
Precisa-se


alugar n'uma das melhores ruas de Santo Ar-
tonio urma casa que sirva para levantar unea
galeria para photographia : a tratar no largo
da matriz de Santo Antonio n. 2, primeniro
andaIr.

Admira!
Aluga-se nuito barato a casa n. 33 da rua
do General Seara. antiga doJasmim : a tratiw
jun1o.
Feijao
FeijaIo nmulatinho, portuguez, novo e
muito claro, vendem Franco da Cuba
& C., 33 rua do An.orim.
Vendas corn desconto, em grosso e a
retalho
William Inglis & C., rua do Impera-
dor n. 57, armazem, grande deposit
de fazendas frapcezas, inglezas, bejga?
e allemres.

Ao commereio
Lopes & Lima, estabelecidos A rga d,
Visconde ee Inhauma n. 39, convidam
a todos os seus credores para se reu-
nirem em seu estabelecimehto no dia 8
do corrente as II horas do dia, para
deliberarem o mais conveniente acerca
dos seus interesses.
Recife, 6 de novemtro de 1877.

Attenva 0
Na. rua Imperial n. 55, vende-se mui-
to boa cantaria, e por muito mencos pro-
o do que em outra qualquer parto.


Aluga-se
m. tara ta


(







I,


4<


Chenma-'sexa mente o fkti e Ines.
njgwet e universalmeinte usado para
perfumar o leno, -o mesmo que ito tou-
cador das senhoras de distingcue, e no
banho. Coinsidera-se'-com o urn per-
fume sern rival no mundo,-np 'g"fwtAU
do doente purifica o ar e 6 de urna ra-
ra efficacia em todos os cases de des-
fallecimen tos, fadiga, excitaio nervosa.
iertigens, etc. Experinimenti o mais de-
coso de Lodos os perfumies.
Vendem
Bartholomeu e Comp. A. Caors, JosE
Elias de Moura e Comup, P. Paure)
e Corm.

Caixeiro)
Precisa-se de urnim caixeiro que sejahomem
corn bastaite pratica de molhados : a tratar na
rua do Rangel n. 4.


0 a






6 4
IS







B0111 predio para

ahugar-se
A luga s o.,predio do Dr. C .stello l: .a'nco,
sito A rua do; Pernamlbucarnas, ;:a Capun-.,a,
con: ja:dim, siti a irb,,isado c ":co id urau1u,
casea com banho; acha-se todo eparado e pin-
tado de novo, .3 suit aOrejado e tem grades
comniodos parne nfilia ; esse -edio fica pro-
ximo a ova pnte uue se vai fazer para a
T o om pre inod.) e trata-se no se-
agundo ana .. reua do Que.it.ado, .ca nu-
mpr,, 73.

Cognac
i Bisquit DuboucL6 & C.,*e *

s H. Ledelmto:n ria do Commer -
cid 17, lo andar

Mielids
Froscas bohias e sapatbes de Mehios, rece-
beu a Nova Esperanto. a rua Duque de Cariaa
n. 68I a elles, antes que se acabetr-

Ifintura J aponeza
A unica approvada e premiada pelas
academnias de Paris e LondA es, pr nao
scr prejudicial dsafide, encontra-se noa
priucip'cs casas de cabelleireiros e eo n-
toda as boticas Irincipaes d7 I'crnam-
buco, Coors. Bartholomen & C. Mau-
rei & C. e r a do C(aci..a t A. I an
dar. *7 1.a.dar


I E' pedra quo n~o jo~..-a
Agua mole em J)edls dua,,
Tansto dC atd que fura.
(Mas esta a de bronze, quo se nio
tern fumado por ser estanhad a).
Roga-se ao Imls. Sr. Ignacio Vieira
deo Mllo, ePcarivio da cidade do Naza-
retnc, desta provincia, o favor de vir e
rua Duquc do Caxias n. 30, a concluir
aquelle negocoz que S. S. se compro-
retteu a realisar, pela tore ira chrea-


I






























































CASA DO OURO
Aos 9:000#000
Bilhetes garantidos
tRua do Bardo da Victoria n. 40
e caas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
nos seus muito felizes bilhetes a sor-
te de 100$000 em 3 quartos de n. 306,
al6m de outras sorts de 405000 e
de 205000 da loteria que se acabou
I de extrahir.
j 0 mesmo abaixo assign do convida
aos possuidores a virem receber na
Sconformidade do costume sem descon-
to algum.
SAcham-se A venda os muito felizes
bilhetes garantidos da 10.a part das lo-
terias a beneficio da matriz da Victoria
-_7__(2q7yue se extrahirA na quinta-feira
,-14 do coreientene%_pelo -navo piano.
1 Pregos


Inteiro
Meio
Quinto
De 1005000
Inteiro
Meio
Quinto


105000
55000
25000
para cima
9500O
45500
18800


Jodo Joaquimn da Cnsta Leite.

Casas vasias
Aluga-se as casas ter:eas da rua do Bartho-
lomeu ns. 37, 39, 47, e os 20, 30 e 4 a'dares do
sobrado rua do Barao 'do Triumpho n. 84,
todos corn bons commodos e por modicos
alugueis: a tratar na rua larga do Rosario nu-
mero 34.
Aluga-se o predio da
rua de Hortas n. 4, constando de ar-
mazem e sotdo. corn 2 quartos e salas
proprias para moradia de quern n'elle
se estabelecer corn taverna, para o que
tern armacao e utensilios e o lugar e o
melhor possivel, a tratar na thesouraria
das loterias.
Casas pra alugar-se
Aluga-se o 2.o andar e a loja da rua
da Imperatriz n. 47; o Lo andar da rua
do Visconde de Pelotas n. 4; o 2.o an-
dar e a loja da rua do Barro da Victo-
ria n. 39: a trata corn o coronet Decio,
A rua do Hospicio n. 14 ou na capita-
nia do porto.

Arrenda-se
S uma bonita baixa de cdpim, na estrada de
Luiz do Rego, pouco adiante do hospital in-
glez, em Santo Amraro dlas Salinas : a tratar
corn Antonio do Rego Medoiros, d rua da Im-
peratriz n. 223, estabelecimento de molhados.

Cozinheiro e criado
Ainda se precisa de urn borm cozinheiro, e de
urn criado para sitio e mais algum servi'o : no
pes do Apollo a. 71.

Os Lobos de Paris
Para a agencia Novo Bazar do Recife acaba
d:i : eilegar o segundo volume deste romance,
que delelj4 se entrega aos senhores assig-
nant, : na rua do Marquez de Olinda u. 1.

I Advogados
SOs Drs. A. Clodoaldo de Soth ^
j^ za e Jose Eustaquio Fereira
Jacobina mudararn seus estip
S: torios ara a runaido h erado


A LA REINE D ES F 7U74S EITE DIRIS
ESTABELECIMENTO FtNDA W) EM 1774. E I I E e I mob.
*frwa aurua, brii~.lko. de aulw d l.
~~~~~-,--.e .--.", "
^ f Perfimaria especial cornm leid'Iri.
VERDDEIRO
SSABAO de SUCO de l AC
//^^70^ ^ ^^yY^^ fltmelhor dos saboes de toucador,
I ~
PERFUMABIA FASHIONABLE
AO
^OPOP-ANAX
Bs usia. aprjd -- e .*e. do
p d .......mfia..... de OPOPAIAX.
V&4 yi.T^tNs@y -4d l P .ia ji w..... OPO A .
Ctuttco fl,,iaalme... .. La in--
0* superfifto, ....... d {PM L
^*^^^;;^^^P544 ciyfeo ~n-.:..*. fm6owpsiax.
de asos.. d,..4 OPOWRAZ.X
BRofthimde e""w..... d O PPAlFAZ.
40, boulevard de Strasbourg, 10. U TTI QUANTI.
AGUA DENTIFMCA ODONTALGICA
Estabeleci/7 Deposifos nas principles Perfumarias, Pharmacias e Cabelleireiros do Brazi/.


EstLe MED ICAM E NT O de um gosto agradavel, adoplado corn gande exito ha mais de -
10 annos pelos melbores Medicos de Paris, cara m De .ftxo, Gripe, Tonsse, Does de goar-
ganto, C'u',,rrho pulmoear, IrritafOes do peito das Vim urinarfa e da Beziga.- Paiuns, ;
ILAYN, 7. rue du MIlarcb6-Saint-Honork
Bpg io e gm. I TtJ1 RA UAlI M 9-'. r i aut ddOC@ai.


f D I ftL A F!t BC PTEURf
POVADO NO BRAZIL PELA JUNTA. DE HY IfA
AUTORISADO EM FRANVA, BELGICA,. AUSTRIA E RUSSIA.
11%e xar6pe'depurativo, e etemi eN J repu.r u munstiavr d rM *d .0-..., he
recommendado p0e" medicos de todos os paizes. Superior a todos es outros
uaropes depurativ;3, cura radicalmente as affecqOes da pelle as retaus. esrofulam,
Uftesr, tmumuat. tinba, lepre, a-na degeneuada, eie.awt, lore.- bine"a', a fei can-
m .-. 0 ROk he especialmente recommendado contra as doenaas syphiliticas
.*recentes, invmeradas ou rebeldes ao mercurio e ao ioduo de potassa.
DESCONFIAR DAS FALSIFICA6OES, OU IMITA9OES.
p rln em Parb, so e te do D' GIRAIUDEAU DE S'-GFVAVMS, 12, m# Ms.
So wi M rm winpaem Pharmaciam.


Paris. 36, r. vivimne Par"
02 a=4
AillF CQ~gi
DAS BPfRmADADlS SBXUARS, AS AFRCC.03
CUTANRAS, H ALTBRA0S DO SANOUB.


u. (Xarop vegetal 8e0
ftep-L-- rtl6ltv** tl IRA w
ISERA-B -7 to-aoae 1101o18 ae wana, so-
pli) 0 tra, 6 a;ento D p m6atw m : 6 empregada
^as mietmas m^lstas. **T
B ~~pte Xaoe Crato dto
fero de CHA LE, cura-
inediatamente qualque
Pur aoReteaxagao,e De
MbiPtlo, e Iguamfinte o0
ulieres. 1ta uje &o benigna emprdega-
mom o Xarope de C draoto 4. Ferrr. .
UebafrrToIs.Pomadaquea.curaen tre, di
POVACA A UTWERMftJA
Contra : AgteesO M cUtaM= e i*mn8i.m
. PFIULA VEGETXFU PURATMVA
aw ftrse val adcfm pa de um ualaeo.
jAVISOADNSSSNEWCD8.


3 Br MAXLt, nPalzqugWAmIeua,,


S.& H.NARRIS
Mwaull Street, 5, Loudrs


GRAMA L9UIDA
Miutolwilhaa.,BtouBas aenpatq~ifgi)boure
WOUPOSIPo MORTIA a AUA PARA SAROOS
Artlgo, o melhor em raz&o dasmSUaM ro-
priodades contra a agua, seo brllho, nira
MIo e efieltos vant4josoa sobrno couro.
OLA Pb k 91 JAM *ABt 4 ARUN
2UTCTCUA #A* 08 ARNMO
.uf PAM Be*s
NO Pm Inster. lboar at owo.lM vi&
~ m Oep-to *".Jm~baid6tL 1:
~ ~ ~ 0 c:"B~JKjA^J i s'liB. '**


Sulipas
A comipanhia da estrada de ferro de Olinda
compra sulipas de oilticica corn as dimensies
seguintes :
Comprimento 9 palmos.
Largura 9 pollegadas.
Espessura 4 ditas.

VENDAS

Vende-se
o engenho Coneeigio, em Serinhaem, nesta
provincia, muito born d'agua, podendo safre-
jar annualmente 2,500 ples : quem o preten-
der, dirija-se A praga do Corpo Santo n 15.
primeiro andar, onde achrA corn quem tratar
a respfeito.
Vende-so na rua do Rangel n. 59, uma
optimal armaclo de amarello, today envidraga-
da, serve para qualquer negocio, traspassa-se
igualmente a casa, que tern commodos para
moradia; o local 6 o melhor.
0 melhor qne ha em
.Londres
ChA preto e verde : vendem W. Inglis & C.
rua do Imperador n. 57.
Motores a vapor, de forCa de 2 1/2 e de 4
cavallos, proprios para macbinas de algodo ;
machines para algodaio, grande e pequenas:
vende-se no armazem n. 14, 2 rua do Marquez
de Olinda.
Balangas, pesos e medidas: vende-se no
armazepi n. 14, A rua do Marquez de Olinda.
s~ Arma Xo
Vende-se uma armaglo toda de amarello,
envidracada e emw perftzito estado, servindo
para qualquer estabelecimento: a tratar na
rua do Marquez de Olinda n. 40.
Caf do Bonito
A' rua do Imperador n. 50 recebeu
o melhor que tern apparecido neste
mercado e vende-se por modico preoo,
em qualquer quantidade: venham a
elle antes que se acabe.-
Vende-se a taverna estabelecida no quar-
to n. I da ribeira cda Boa-Vista, a qual 6 boa
acquislolo, por defender de pequeno capital,
ser muito afreguezada e'em lugar de muita
concurrencia : a tratar no largo. da alfandega
numero 2.


I Vende-se uma eserava de 35 annos de
S idade, perfeita costureira, lavadeira, boa para
I tomar conta de urma casa e tratar de doentes,
I por ser muito cuidadosa e field: a tratar em
I jFernandes Vieira n. 58.
i, Vende-se


a taverna sita A travessa da Cadeia Nova n.
j8, livre e desembaracada, comn poucos fun-
dos e boa freguezia : a tratar na mesma ou
na rua do Rangel n. 1.
Taverna
Vende-se a da rua do Rangel n. 5, livre de
qualquer onus, bemrn afreguezada, boa arma-
Co e pouco aluguel : quemn pretender dirija.se
a mesma ou mesma rua n. t .'. .


Roda para engenho
d'agua
Vende-se uma roda para moor corn agua,
steiro, toda de ferro e perfeitamente acaha-
I, corn os coapptentes rodetes, e urma pe-
Liena -oeda, tudo em bom esitdo : quem
pretender, diriija-se ao engenho ',r, Ou A
ini~o ~do I~owmaznn, & rita dv-Buu-M.
. Venda-ae barato urao bt*nowo ',e .cieo
o : a tratar Ha rua do Ma rqu; do Olinda
i8, 1)ja.:
4n~fqQ.no 'fwe' APerift -a A ho.'


gos.
Cortes de casemira para calas, a
45500, 55 e 8$.
Aldm destes artigos que menciona-
mos, outros muitos que vendemos por
baratos pregos; nao temos em vista
grande lucro e simrn facilitar a prompta
venda: as pessoas que negociarem pa-
ra o matto encontrai do em nossa casa
born sortimento, seriedade e vantagem
ja na escolha, ja no desconto que da-
mos.
0 BARATEIRO
Rua Primeiro de Marp o n. 1
Agostinho, Santos & C.

Gravatinhas e mantas
PARA SENHORAS
Na nova loja do Pavao vende-se uni
grande sortimento das mais modernas
gravatinhas d mantas para senhoras, as-
sim como urn grande sortimento doi
mais modernos punhos corn golinhas
bordadas e camizinbas corn punhos, e
grande sortimento de leques que se
vendo tudo por pregos muito baratos,
isto a rua do Queimado n. 55.
CORTINADOS PARA CAMAS E JA-
NELLAS
a 75000, 8$000, 95000 e 108000 o par.
Na nova loja do Pavao a rua Duqut
de Caxias, vende-se urn grande sorti-
mento de bonitos cortinados bordados.
proprios para camae ianellas, que se
vendem de 7000 at1 40$000 o par, sen-
do cortinados dit muito gosto, assirn
como calchas de superior damasco de
la, a imitsio do 3seda, proprias par,
cama de noivos, que se vendem a 12500(
cada uma, na rua do Queimado n. 55
CRETONES PARA SAIAS
varaa 1 600
Na nova toja do Pavao rua Duque
de Caxias n. 55. vende-se cretone fran-
cez, proprino para saias, corn mif palmos
de largura, piue corn duas varas fazxse
urma saia corn 22.palmos de roda; rua
commenda-se. esta fazenda peo seu
corpo e dumgao : vende-se peWf barato
prego de $600 a var i4t ua d Quei-
m ado n. 55.


GENERIIL OZORI
Sahio a iuz o mruito liodo hymno de-
dicado pelo povo pernambucano, ao
dist'cto general Ozonrio, Marquez do
Herval: cotendo o retrato nit deste
illustre genpry!, e, composta a qwwica,
pelo ftrik Aqymnphico6 e, nteffigente
maestro, Spixasi cujpobmno .tern 'sido
tocalo pr tOdas as baidas. i music
militareq, e particuares,t por occasion
de sua chegada a ests eidade.
Acha-se A venda, para piano s6, e
piano e canto, no armazem de pianos e
musical do Azevedo, a rua Nova n. 9,
prego 2W00

C6rtoso e cetone moo o compe-
tente fpi^no, o qee mais moderno e
lindo~ 'jO4A &I IA


Camisas para homes
de 25000 atd 55000
Na nova loja do Pavao, ai rua Duque
de Caxias n. 55, vende-se urn grande
sortimento das mais finas e modernas
camisa- brancas para homes, de li-
nho e de algodao, por precos muito
baratos por hayer grande porgao, e
tambem ditas ie cretone de c6res,
fazend de muito gosto, assim comoum
grande sortimento de coroulas, tanto de
finho, comno de bramante de algodao,
por precos muito baratos, e grande sor-
timentn de collarinhos.e punhos de Ii-
nho, proprios para homes, e meias
cruas, francezas e inglezas, que se ven-
4em muito baratas, isto na rua do
Queimado n. 55.
LENC(OES DE BRAMANTE
a 25400
Na nova loja do Pavi 4 ran Duque
de Caxias, vendem-se lensoes de bra-
mante e de cretonne, sendo de urn s6
panno, fazenda muito encorpadaa2$400:
assim con.ocobertasde gangaadamas-
cada, tanto forradas, corn serm forro,
por preco muito barato, isto na rua do
Queimado n. 55.
VESTUARIOS PARA CRIAN(AS
de 28000 atd 5#000
Chegou para a nova loja do Pavao, a
rua Duque de Caxias, urnm elegant sor-
timento dos mais modernos vestuarios
para criangas, sendo de fustdo e de li-
nho ricamente enfeitados, que se ven-
dem de 25000 atd 55000, na rua do
Queimado n. 55.
BRINS DE ANGOLA
corte a 26500
Na 4oja doPavao, a rua Duque de Ca-
xias n. 55, vende-se cortes de brins de
Angola, verdadeires, corn muito bons
padres, para calas a 25500 ; assim
como calcas feitas dos mesmos a 35000,
e grande sortimento" de ditas, tanto de
brins como de meias casemiras, e de
casemiras, por pregos muito baratos;
assim como de paletots e coletes de
brins e casemiras, por precos muito em
cents, na rua do Queimado n. 55.
Cretones para lencoes
COM 11 PALMOS DE LARGTJU .
a 1i600 a vam -
Chegou para a nova Ija do Yao,
esta nova fazenda franceza, comr 11
palmos de largura, propria para len-
coes, sendo muito encorpada, e superior
ao bramante, que pela sua immensa lar-
gurs, apenas preisa de uma vara e
urma quarta para se fazer um lengol
de um s6 panno, e vende-se pelo bara-
to preco de 1 $600 A vara, e e grande
pechincha, na rua do Queimadoin. 55.
NOVAS POPELINES DE SEDA
a 720 rdis o covado
Chegaram para a novaloja do Pavao,
i rua Duque de Caxias, as mais bonitas
pipelines de linho corn listras e qua-
dros de soda, sendo dos padres mais
rnodernos qu tern vindo ao mnercado
e vendem-se pelo barato preon de 726
reis o covado, assim comr dit rse li-
iho corn listras e quad -
nteiramente novos, a i e i is o
:ovado; isto na rua, do f4irad.
55^ *1. 11' ",. ; .ad

=RETONES DI CORES.PARA YES-


(


TIDES
a 360reis
rhegQu para a nova loja do
ru DBuque e cauz 4ptw
mentf dos -mais modekoi) 9


ridis o
nitas
de cmia


4























:4

F
a


A*


I


I














I'


de dua para1 ,
de duas largurs,


Sa R #w & v a~pe9.
J b taeo paef vestides e vxem
B fi&aste va; 0a:,ito barato I -
aoiuas hberdads para senhora, b
360% e 4)0M0; que pechicha I
Gorgoro de la, de cores hndas parn.
vestidoe, banmtissimo.
Leques de madreperola fines, dese
aibos riquissimos a 10(000.
Chitas: grande s 3rtimento e para todc,
preco. -
Temos un, complete sortimento de
fazendas, das quaes a major parte nwt.
annuDeiamos, para ndo enfadarme.,
es d gnos leitores, e de todas se dc.
amostras e mandam-se em casa da
Exmas. families para melhor escolhe-
rem: na Fragata Amazonas
47- -ua Duque de Caxias -4'?
Vende-se no escriptorio de Tho-
maz de Aquino Fonceca & C., a rua
do Vigario n. 19 :
Cera em grume.
Cera em velas.
Cera de abelhas.
Cal de Lisboa.
Cimento Portland.
Potassa da Russia.
Fie de algoddo la 1ahia.
Algoddo branch e~de c6r, da Bahia.
Genebra ingleza, Old Tom.
Vinho do Porto em caixas de urma
duzia e em ancoretas e barris de
uinto.
-- Luvas de pellica
RAPE' francez.
( A' preto e verde. --
iALAS e bolsas para viagem.
YESTUARIO para crianga.
Vendem Amaral, Iabuco &. C., rua
do Bardo da Victoaria n. 2.

Cal de Lisboa
Vende-se cal de Lisboa, chegada no
ultimo vapor, em muito boss barri-
Scas : no largo do Corpo Sarto n. 15, '-
Sprimeiro andar.
AM NM- M MM M X61
A t0ot
E' para acabar
Cortes de vestidos de lI e seda, padres
modernos ; vendem Amaral, Nabuco & C., rua
do Barao da Victoria n. 2.
Campo0 acidaide
Vende-se urma casa reformada de novo, corn
6 quartos, 2 salas, sotao corn janellas, cozinha
f6ra, estribaria, cocheira, deposito d'agua,
banheiro, quarts, tanque de lavagem, jardim,
e grande quintal, en urma das melhores ruas
da Boa-Vista : para ir ver e tratar, 4 rua Nova
numero 13.
Lagedo de Lisboa
Em pequenase grandes porgses : vende-se
aa saboaria do Recife.
Binoculos
de madreperola, marfim, tartaruga e
metal : vendem Amaral, Nabuco & C.,
rua do Barao Victoria n. 2.
--VENDE-SE urn born estabeleci-
mento de molhados, corn poucos fun-
dos, sito no pauee de Sapta Cruz n. 12,
em boa localidade, tan to para o mate
como para terra: a tratar no mesmo pa-
teo n. 16.
Vende-se nma canoa nova, ben' cons-
truida z muito segura, toda de amarello, cavi-
lhada e pregada a zinco e cobre, para 4,500 e
1,600 tijolos : auem pretender, dirija-se ao
armazem da iua nova de Santa Rita n. 43, que
nuo s6 vera ella, como achara no mesmo corn
quem tratar.
Camisas inglezas


a 28, 30 e 36S a duzia, na fragata oamazona
a ria Duque de Caxias n. 47.
S-Alta novidade
Sedas escocezas, lindissimos padres
e 800 rs. e 18; aproveitem que e gran-
pechincha, na FRAGATA AMAZO-
NAS. rua Duaue de Caxias n. 47.
Atten ao
Vende-se urna important machine
para cortarbolacha, em perfeito estado.
corn todos os jogos de cortadeiras: a tra-
tar na rua Imperial n. 208 ou no pateo
da Santa Cruz n. 1.
Por 2:000$
Vende-se seis casas de pedra e cal, d me
derna, de porta e janella cada urma, em chliAo
proprio. caiadis e pintadas de novo, e rendem
7S000 cada uma, 524S por anno, situadas em
boa run, e pechincha: no 1o andar n. 52, 4 rua
Duqie de Caxias, se informarM quem vende.

LIAJAA Iii INOU IA
6-Rua do Cabugd-6
Para este estabelecimento acaba de chegar
urn variadissimo sortimento de fazendas para
grande toilette, assim come
Gramadine doc6res:
Rosa
Azotl
Perola


Uvi* Tt a mobwOad8 para rostoa4y
a udzia, i83tota
Iteias -de c=e~ Ptiines 1a10.io
tim, .da A ll Wivw S tlia.
Meias teriores paa senhoras, du-
zia 1%0$ 10. Ad a!.u .
Brim bmraco acoheIlo superior a
35 e 3500 a vara. E' baratisglimo.
Coques frisados do ultimo gosto a
Cortes de 'linho hordadoa 125000.
Linbo bordado, eovadn 5W rs.
Dito liso corn 4 palmoscovado 360 rs
Alpacas corn listras de seda, covado
500 rs.
Chitas chinezas para colchas, covado
500 rs.
Camisas brancas para menino, uma
2.000.
Cambraia slisas de coresmetro 500rs
Algodao corn 5 palmos de largura,
vara 400 rs.
Toalhas felpudas, monstruosas, para
banho, a 28500.
Lindas mariposas, brancas e de co-
res, a 360 e 400 rs. o covado.
Fil6 preto corn salpicos, vara 500 rs.
Brilhantina preta e de c6res, cova-
do 500 rs.
Esgui o amarello, corn duas larguras,
vara 182(0t.
Lindissimas mantas de setim para
home, a 18000 e 18200.
Casemiras de cores, finissimas para
costumes, covado 38500.
Especial flanella azul para paletot,
covado 36000.
Damasco de lI e seda, pelo diminu-
to prego de 3 000 o covado.
Capas de borracha, prova d'agua e no-
vidade a 248000.
Cortes de casemira de cores, lindos
desenhos, 'a 58000 e 106000.0
Camisas de linho para home, o
que ha de superior, a 405000, 505000
e 608000 a duzia.'
Ditas bordadas, uma 68000.
Ditas de bonitas cretores, a 305000 e
405000 a duzia.
Cambraia preta fina, vara 640 rs.
Mantilhas a brasileira, a 58500.
ROUPA FEITA
E' tAo bonito o sortimento deste ar-
tigo e por tao barato prego, que so
corn a presenca do elegant cavalhei-
ro, se podera mostrar a realidade.


! Vinho de Bordeaux
a 48000 per duzia de meiasa
garrafas corn capas de palha.
caixas sortidas de vinhos fi-
nos 2080W0.
H. Ledebour, rua do Com-
mercio n. 17, 1.o andar.


Grande pechincha
Caixas de envelopes a 300 rs.
Ditas de papel amizade a 480 rs.
Leques para senora a 25.
Po~as de franja de seda a 2$.
Grande sortimento do galoes para vestidos
a 40 rs. a peca, e muitas outras pechinchas:
na casa de Soares Leite Irmaos, a rua do Ba-
rao da Victoria n. 30.



20
Pechuichas em liqui-
dacao


Na loja das tres pcrtas
A rua do Crespo n. 20
Lindas lAizinhas de quadrinho, gostos
novos, a 320 rs. o covado : 6 pechincha.
Grande pordo de popelines de linho,
bons gostos, pira 240 rs. o covado.
Bonitas batistes, todas sortidas, miu-
dinhas, 240 rs. o covado.
Etoayles de c6res, ultimos gostos, a
440 rs. o covado: aproveitem.
LAzinhas escocezas, padres escuros,
para 160 rs. o covado.
Ricos c6rtes de linho pardo, liso e
bordado, aberto, 98 urn.
Chitas escuras e claras, para 200 e
240 rs. o covado.
Lindissimas mariposas, brancas e de
cores, lisas, de flores, achamalotadas e
arrendadas, para 320, 360, 400, 500 e
600 rs. o covado.
Bramante de algodaio, 4 larguras,
para 18400 e 15600.
Dito de linho, corn 10 e 11 palmos,
para 28 e 28500 a vara.
Fazondas do ultimo gosto, novas
Jaines lisos, uma s6 c6r, proprios
para vestidos, a 800 rs. o covado.
Gorgor6es de lI, as mais lindas cores,
para 900 rs. o covado.
As mais lindas popelines de seda pu-
rapor 8800 o covado.
Os mais moderns gostos em ls es-
curas, fingindo quadrios, 800 rs. o co-
vado.
Elegante sortimento de gravatas e
mantas para senhoras, e muitos artigos
de phantasia, que vendemos muito ba-
rate.
Loja das 3 portas, antiga do
Guilherme, .
iFumo holdez

,e cachimbos de barrovende
H Ledebour, rua do Conmer-
S cio a, 17, t andar .


ialta de
eNtd: e-

3- "''*; I^-w


e :


Qa 0o PO 65.U
me4o- 4a1ftk., ado e o : pe ?1
VO '-bra c-tek, o, ora e dievfoidu
por Jo" Doit" R. da Gosta, ~enc~er~
OS8GiME!-DOS DAi'ORU
Smeso auctor, encadernado por'
Ttff^ l PUAL 'A AM ofild ^e..1 lr
guide o dinheropslos qeixoso da toua
Mail, velo MW.m0 a tor, encadernado
OS DRAMAS DE CAIZENA, ,ft6he-
Eim r E e 3erthet, encadernado
VMVEW SC taimbem, ura obanda de
&a, cuasioeva, paa MnooVia, per O
M)LCILNA Dla
Vende-se barato arma machina de fa-
bricar gelo, propria para casa de fa-
milia, especialmente, para algum enge-
nho. E' do system TO)ELLI, e trabalha
simplesmente corn cilorurete de amo-
niaco. E'de simples manejo, pois qual-
quer crian~a pode tdcar a manivella,
serm esforgo.
Para' ver e tratar na rua do Bardo da
Victoria n. 2, no BAZAR VICTORIA
do Amaral, Nabuco & C.
oTomem lola:
14-Rua do Imperador-14
0 ARMAZEM DO NUNES
(Nutrigao instantanea)
Grande variedade
de generous alimenticios
de superior qualidade.
Modicidade espanto~a!
Facilidade gastrica!
Vantagej proveitosa
Veijam :
0 Nunes tern resolvido vender barato, bara
tissimo-; garantir a superioridade de suam
mereadorias; sustentar urma prodigiosa varie.
dade de generous raros e saborosos, e final-
mente mostrar a facilidade de qualquer#essol
passar bern corn pouco dinbeiro.
Custa pou&
Venham tirar a prova e depois digam se hb
quem tenha sortimento mais variado e super.
rior; que venda mais barato e d6 melhore
provas de sinceridade e franqueza do que o

Fazendas avariadas
0-Gigante-a rua da Imperatriz
n. 54 A, tern para vefader por prepos
baratissimos, as seguiurtes fazendas, al-
gumas das quaes tem urma pequena
avaria d'agua doce:
Chitas escuras e claras, muito finas,
covado 200 e 240 rdis.
Algod.osinho, pega, a 38000, 38500 e
45000.


Lengos brancos corn barra de c6r,
duzia, a 640 rdis.
Chapeos do Chile, emformados e corn
fitas, a 2#500, 38000 e 4000.
Toalhas .muito emcorpadas, finas, a
5$500 a duzia.
Ditas muito emcorpadas, finas e grn-
des, a 66500 a duzia.
Merin6 preto, de duas larguras, su-
perior, a 18600 o covado.
Camisas brancas, muito finas, a 3#000.
Ditas de c6r, muito finas, a 18600 e
28000.
Camisinhas para senhoras, brancas e
de c6r, a 1#000.
Mantinhas para senhoras, a'640 rdis.
Casemira mesclada, fina, covado, a
3000.
Punhos de linho, finos, para home,
duzia, a 68000.
E outros muitos artigos, que tudo se
vende por pregos baratissimos.
Venbarn ver para crer que 6 a pura
verdade que diz
O-GIGANTE-AORUA DA IMPERA-
TRIZ N. 54A.

Fazendas brancas
BARAT-AS
Na nova loja do Pavyo a rua Du
que de Caxias vendemrn-se. pe dt
madapolAo inglez, fazenda muito b6a, t
35500 e 45000.
Ditas de dito franeez, fazenda muitt
encorpada, a 48500, 58000 e 65000.
Ditas de dito enfestado corn 12 jar
das, a 38000 e 35500.
ALGODA.OZINHOS
Peas de algoddozinho de muito b6o
qualidade, a 25500 e 35000.
Ditas de dito, muito encorpado, t
35500 e 48000.
Ditas de dito, muito largo, marc I
a 45500 e 58000.
INFESTADOS
Algodao franeez, infestado para leob
c4es. de urnm s6 panno, sendo muit(
encorpado, vara, a 18000.
Dito trancado, corn a mesma largura
a 18280.
BRAMANTES
.Bramante de algodao, corn 9 palmot
de largura, para Ieng6es, vara a 15600
Dito de linho, fazenda, muito super.
rior, corn 4 larguras, vara, a 35000
Cretpne francez, corn 11 palmos &t
largura, para leng6es de um s6 paano.
vara a 18600.
ANADENES PARA*ESTIDOS
a 500 rs. o covado -
Na nova loja do Pav.o A rua DuIque
de Caxias, vendem..se as mais moder.
nas anadines escocezas, de linho, parr
vestidos de Sras., corn as mais linda
c6rei, a 500 'rs. o covado, assim, coia(
maripozas muito finals a 400 e 64) rs
o covado e batiste de muito bons gos
tos a 280 re. o covado; ;to na rua di
Queimado n. ...
PANN OSi -


:Ic


l^NV--.-1 .U^'^^^^ AULtJKdW^I

MatI" as dle Alb,
N 23 e25
Todo lmpcomaTmr effa N82 led5
STinge elimpa corn a trPfeigao A oda quat.ade de esfo 6 fazen-
Sem pes ou em obras, ehapeos de feltro ou "phba, tnra-o m6fb das fa-
apeewou rnibmoados
ias; todo o trabalho6 feito per meio de macbinismo mais aperfei(oado
hoje conhecido.
00 IA .A L l810AIMP[FIA]INII/Nt30-
|iTintura a preto todas as terras e sextas4-feiras



SFazendas de gosto e

( a'tigos de alta niovida-


! de, proprios para passeios,

Sbailes e theatros e assis-

i tir-se a os fetejos que se

Spreparam para a recep-

Sl ao do. dstincto gene-

^raI Osorio. Precos sein j

compeieiicia. -

Lojados Arcosde-Fran -

cisco Gurgel doJL








A LA CA l E EAt11 A
ral rIA 1." de Iro nl.

t ALKA CAOB MANANA y


0 mais energico elixir depurativo do sangue
Unico approvado e privilegiado pela Junta
de Hygiene do Rio de JaneirQ, e autorisado pelo governor imperial,
por decreto de 18 de dezembro de 1871
S. DE PROPRIA] INVENAO E PREPARAg.tO DE
ttUGEN*- MA E E fi IANDA


(Do Piauhy)
Pharmaceutie lormado pela Imperial Faculdade de Medicina do Rio de Ja-
neiro, socio effective do Institute Pharmaceutico da C6rte e correspon,
dente da Sociedade Pharmaceutica do GrAo-Para, e laureado na Exposi
qo National em 1866, pelos seus products chimieos e pharmaceutcos
cavalleiro da Imperial Ordem da Rosa, etc.
Este preparado 6 sem contestago "o melhor de todos os seus similhantes:
jA tao conhecido em todo o imperio, principalmente no Rio de Janeiro, onde o
seu consume em 1-876, chegou a 24,000 frascos !!! Aquelle que mais provei-
tosamente '(o seu salutar effeito principia logo corn as primeiras d6ses) se poderA
applic ar em todas as molestias que teem sua origem na impuridade do sangue
e principalmente nas molestias syphiliticas, come sejam: gonorrh6as, bob6es,
cancros, bobas, rheumatismo-ar.ticular ou muscular, darthros, empingens e ou-
tras mojptias da pelle, etc. etc.
Vendt-se uma duzim por 426000,
Cada frasco por 4#000
Deposito em Pernambueo a rua do Cabuga n. 14.

Tambem existe a enaa neste deposit os seguintes
preparados do mesmo author
Xairope balsamico peitoral de flores e bagos de aroeira e
mucilagem de mutamba, para tratamento radical das molestias das vias
respiratorias, takes como: catarrho pulmonary agudo ou chronic, laryngitis, bron-
ehites, hemoptizes 6u escartos de sangue, coqueluche, affec0oes aethmaticas co-
'meiantes, e na convalescent das pneumnionias.
Linimento anti-r.ieumatico, para tratamento do rheumatismo arti-
cular ou muscular, chronic ou agudo, gottoso ou syphilitico, dOr syatica, e
come resolvente das bobas, exostoses e tumores.
Pomada anti-herpetica ou anti-darthrosa, para tratamento
prompt de darthros, empingens, noduosidades, escoriae6es syphiliticas, cas-
pas e de todas as mole.tias da pelle, devidas ao contact ou a impureza do
sangue.
Pilulas anti-periodicas, para cura prompta das febres intermitten-
tes, ou sezoes, constipa(ces, febres remittentes, pal-udosas e perniciosas; sao
,taxativas.
: Odontina, especifico vegetal para a cura instantanea das d6res de den-
tes, por mais rebeldes que sejas. quer provenbam de caniaao do dente, quer
sejam popriamente nervosam,
ao-se prospects. .... ..

Fazendas de gosto por precos baratissimo
Lindas batistes e cretones, lisos, corn grande variedade de cores, a 320
,ris ocevado. *
Supeniores alpacas de cores, corn listras, pad roes modernos, a 400 rMi,
Ditas ditas, mnito finas, com grande profusao de pad roes, a 500 rdis.
Ditas ditas,'lisas,.com muita variedade de cores, a 600 o covado.
Superiores popelines de seda, lisas, de differences cores e bonito tecido,
a 800 irs.o covado,
oderuos'cortes de linho e seda, enfeitados -com muito-gosto, a 105000o
c6rte : assim vomo outras muitas fazendas de gosto por prepos sem compe-
t cia. '- -
Na loka das CGoluanas,, de Antonio Correia de Vasconcellos, rua Primeiro de
__ __ __-- Margo n. 13
Nana uesaa 280rs.o Co- P a 'si
"rnVnd-s dtp AIai f Capo Qma na Novo aT, at p,
-*ets I^i"o. nsuke(*^?w -'mr ^r iO et. 0 maO{^e~af^ ~-mn~a


(Aatioado ui
LinhoprE :para vestidos, i
cavado.
Organdi ,,comrn iitras de la, a


psqa; 6modemrno.
Bretanha de liqho
tros, a 85 a peca.
Varas da mesma,
chincha.
Mariposa branch,
0 covad(o.


pure corn 30 mw
a 320 rdis; f p&.
bordada, a 400 T&.


Batistes finas, a 240 e 320 rs. o c
vado.
Mariposas a duqueza, a 400 rs. o co-
vado.
Chita indiana, a 320 rs. o covado.
Brim pardo liso, fino, a 440 rs. oco-
vado.
Peas de cambraia Victoria, final, a
3$ a peqa.
Madapolio francez infestado, a 5:4
peea.
Brim pardo trancado, a 400 rs. eco-
vado.
Chitas escuras, a 240, 280 e 320 rn.
o covado.
Chales de casemira grega, padre*
especiaes, a 2$ um.
Casemira preta, fina, a 18400 o co-
vado.
Camisa,' bordadas, finas, a 35 urma,
Organdis bordado corn flores, a 50t
rs. o covado.
Peca de algodao a 35 e 35500..
Peca de cambraia transparent, fins.
a 35500 e 4$.
Folores de cores, de la e seda, pa.
dr6es ultimamente chegados, a 500 rs.
o covado.
Chita escarlate, propria para vesti
dos e polonezas, a 320 rs. o covado.
Alpaca preta, fina, a 44 rs. o co-
vado.
. Merin6 trangado, corn 6 palmos de
largura, proprio..para roupa de homena
e de senhoras, a 25500 o covado.
Setim Macdo de todas as cores, 4
1$500 o covado.
Toalhas acolchoadas a 45 a duzia.
Meias para meninos e meninas,de
38 a 4$ a duzia. .
Ditas de cores "pra homens, a4| Sa
duzia, e outros muitos artigos por ba-
rato preco, vende-se em grosso e a re-
talho A
RUA DO QUEIMADON.43
Armazer e loja de Guerra &
Fernandes
059 1
Rua do Queimado


Primeiro brado da barateza I
Admirenm Admirem !
Finas natisuks para vestidos, cores
fixas, a 260 rs. o covado !
Born sortimento de cretones suissos.
a360 e 400 rs. !
Mariposas e flores do prado, a 4WD
e 460 rs.
Chitas finissimas, claras e escuras, a
240 e 260 rs.
Popelines, o que ha de mais gosto,
a 320 e 400 rs.
Ditas de linho e seda, sortimeito
sem competencia a 400 e 500 rs. : a
ellas,
Ditas de seda pura, do '18500 vende.
mos a 800 e 900 rs. ; aproveitem.
Gorgoriao de seda, preto, o melhor
que tern vindo, a 48, estamos aca.
bando.
Grosdenaples a 28500 e 28800; 6
pechincha.
Setins de todas as cores, inclusive
Bismarks a 15500 ; 6 Macao.
Outros tecidos inteiramente
novos
Turquezas de uma s6o c6r, fazenda
de gosto, a 800. rs. o covado ; 6 bor
verernm.
Mariposas de linho puro, fazenda
ainda nao vista, a 640 rs. o dito.
Gorgorses de lh, cores lisas, a 900
rs o dito.
Seda de quadros, a 800 rs. o dito.
Alpacas lavradas, para todos os pre.
Cos.
Cortes de vestidos arrendados, a 61.
Temos tambem muito born atoalha-
do adamascado para mesa, a 14600 a
vara.
P1annos para dita, de todas as qua.
lidades.
Bramntie corn 10 palmos de largura,
a 48400 a vara, e todo de linho, a
25200 a dita.
Brins de linho, bronco, a l#5C0 a
dita.
Ditos finos de cores, a 25 a dita.
Dito pardo, liso a 460 rs.. o covado;
6 barato.
Ditos angolas, a 440 rs. o djto ; apro.
veitem.
Lindas colchas para cama, a i8 e 4S.
Toalhas felpudas a 56500 a duzia.
Lengos abainhados, em lindas c
a 1l800.
E' o 59, A rua Duque de CaxiaIoW
de Carneiro da Cunha & C.

Lizinhas a 200 rs.
Na loja do Pav.o, A rua Duque 4d
Caxias, venlem-se modernas e b6its
lIzinhas de cores, proprias para vesti-
dos e roupas de criangas, pelol barat
pre.o de 200 rdis o covado ; 6 pecehia-
cha: na'rua do Queimado n. 55.
CORTES .E POPELINAS
a '31000 rdis
Na nova loja do Pavao afi rua Duqw
de Caxias, vendem-se bonitos corte e
pipelines de quadrinhos, ten io.
c6rte 15 covados, peio barat e i
4de 3800 cada urm; e pochineIi
uo QeiTmado n. ." -


11



41





" "' !!,


^r.-
-I
' '1,

4, '."*

I"*









I.-*(*i


I


f
























cada tribu divi ee| ck8;*
0$ 08 1' d waiw pio d-. rte as. trikbs
II pertencem ao clan da rnai; emattenhum
calsop eem easar entire si por mais
araz3o que seja o grio do parentesco.;
Na India tambem so notam alguns
destes costuaie.. Na China, segundo
Davis, o casamen-o entro pessoas tendo
o mesmo name de familiar 6e illegal.
Os intidios Tsimrnsheean, da Colombia
britannica, dividem-se tambem, segun-
do Riehardson, em totens onti brazoes,
communs a todas as tribus. Os bra-
sles so a baleia, a tartaruga, a agnia
o lobo, a rd, etc. Hla pareutesco mais
proximo entire as pessoas tendo o mes-
,rsbo, que entire os memnbros da
tribu ; esLes podem casar entire
1*i40lles nao Ihes e isso permittido,
isto 6, uma balcia nao p6de desposar
outra baleia, etc.
A endogamrnia, on casameutos nas
prop'ias fktnilias, e pratieada por algu-
i us fra India, America, em Java,
Setc., no eiltanto 6 muito menos corn-
mum do que a exogamnia.
Sir Lubbock explica a polygamia prin-
cipalmeoite'pela precocidade das niiu-
Iheres nas regioes tropicaes, e sua ra-
pida decadencia physical. A necessida-
(te do aieitalnento tambem p6dod para
.a i conU'iluir.
O pareutesco entire os selvagens apro-
senta diffqrencas rnotaveis, correspon-
dUNdo aos ditfferentes graos do desen-
volvitnetto Jestes. M. Morgan publi-
cou. umra riemporia emrn que indica os
s stemas ,le parentesco de 189 ragas ou
tribus.
Aindaquo este seja o trdbalho mai4
complete que tenha apjparecido ate ho-
je, nada diz comtudo qluanto aos sibe-
uos, aos ameriomos e sos verdadeiros
rigros. Todavia, pelas informares
qe g, que preduminam em muitas ragas hu-
faanas a este respeito.
SNotando'que entr. various povos sel-
vagens as interpretndes de tio irmino
de pal, de tio irmio de mdi, etc., as-
sim cono dos lilhos destes, sao dis-
tlnctas, diz sir Lubbock que nio so-
ru-ios n6s talvez os que a este respeito
estainos n:. interpretacio mais verda-
deira.
Por out'- I.) o: "( a idWa de parentes-
co entro os.seivagens comno a do casa-
n-ento, repoa%, uio sol)re o ever,
Eias sob)re o powder; s6 corn a elevacao
i_,orat e gradual da especie humnana, 6
que o segundio foi sabordihiado ao pri-
meirewo.
No tempo da communidade das mu-
I'ieres o fi ho pertencia A tribu, depois
;mai, e s6 por ultimo, em algumas
socieda-les selvagens mais adiantadas,
ao pai ea mai.
( E' etdente, diz sit Lubl)ouk, que
corn o systernma da conmmunidade das
minulheges, ou mesmo corn a polygainia,
os lazos entree pai e tilho devern ser
muito ligeiros. Todavia, muitas cau-
sas dovein tender a reforcar os lagos
entre os pais e o filho, e sobrctudo,
entire a maii e um filho.
Urem destas causes 6 sern duvida a
t.utdanca frequent nas ligacoes con-
jugaes, comprehendendo-se que corn
lies costumes o layo que une o filho a
t-.ai seja ,nuito inais forte, do que o
que o liga ao pai; & aqsim n6s vemos,
us racas interiores da h-amanidade, o
lareutesco 6 pelas mulieres, e pode-
_,10e comprehender qne os herdeiros
de urn hornei nrio sejam os seus pro-
prios lilhos, rnas os filbios da sua itr-
fma. 9)


Segundo Flerodoto, a leranca pelas
:iulleres existia entire os Lvcianos.


FOLHETIM


OS FILIOS DO MONFI
poR
?EBNANDEZ Y GONZALEZ
VOLUME II
PRIMEIRA PARTE
IOS AMORES DE YAYE
IP* (ContinuagCo do n. 2;A)
SCAPITULO XXIV
S) 4`.:1, AYK .L.OIMETTEU A -U.\ '[NMKE[RA
iN'AMIIA POR CA.USA DO LLVANTAMENTO DO
A IB.llIe IN
Ernm quaato Yaye, reconliecendo que
:ae tornava impossivel a revolta, orde-
nova aos xeques c capitces que retiras-
serm a gene e deglizessern as barrica-
das das ruas baixas; que escondessern
.V .jrrnas e tudo voltasse ao antigo as-
p?cto de paz e- submnisszo : ouvio da
bitnda de S. Gregorio el Alto nova vo-
7zear'ia' coafusa. Em seguida brilhou
um clardo indeciso, depois utia chain-
ma, ap6s esta outra, e auinal declarou-
se umn incendio.
E como se aquillo fosse umn signal
Aiealartna, retumbou o formidavel es-
tampido do canhao da Alhambra, e o
S sino da torre de la Vela comecou a to-
car procipitadamente a rebate, solitando
aquelle grito de guerra, que retumbou
atdoaos distantes eumes das montanhas
| que rodeiam a veiga.
4A0asesrno tempo, em quanto uns
or p ressamnte pars- as avrni-,
WOW adeas ro pas d4a Alhambra,


quo
ex'


ceder mnulb as( rbpntVes isaignadas
a esta, -ade esevi,. .- .:
Sir' Lubbock conci ue. rjeitand5 today
a idda de degradaqPo eas ra as inferio-
res em material de parentesco, tendo
demonstrado que antes o-nota entire
ellas umn progress evidedL.-
Teoos agora a dizer sei to a'sump-
to deste capitulo o queo I aemos coin
respeito aos bankaneca eaos banihmbi.
Centre os povos destas ds ravts a
udnilo entire home e mulher effectua-
se.peaiUv re esc olhr das duas pkrtes
ittessadas, e consentimento previo e
indispensavel da famnilia da mulher
pretendida.
Niao ha mulher livre ou escrava, que
possa casar sern esse consentmento.
E dizemos escrava, porque o casamen-
to tanto ,6 permittido centre os indivi-
duos desta condicao entire si, comno en-
tre estes e os de condicao livre.
0 pedio de casamento dde uma mu-
Ilher dove ser sempre acompanhado de
um present mais ou menos importan-
te, segoodo a riqueza do pretendente,
offereci kor estes ao pai da neiva. A
esse present dao o nome de nontunha
O casaniento contrahido por aquelle
modo s6 p6de ser dissolvido dando-se
os casos previstos e admittidos polos
costumes. No caso. de separacao o
present 6 devolvido ao marido, sem o
qual a mulher na io p6de tornar a casar,
emnbora viva delle separada. A mu-
Iher nao leva dote algumn ao marido,
nero tern direito a quaesquer bens de.fte.
No, caso pordmn de separagdo, a metade
dos mantimentos cultivados pela mu-
lher sdo retirados por esta., Para isso
cada malher temn a sua casa separada, o
seau celleiro ou deposit de mantimen-
tos, e a sue cosinha. A cada division
destas, contend as duas ou trescasas,
charna-se epata; ao conjuncto de todas,
formando a habitacao geral, uwnbo.
Os filhlios pertencem de direito A
mriiT; no entanto tern se ja introduzido
o costume de os dividir entire o pai e a
mai, ficando esta coin os varies e aquel-
le corn as femeas. Se pordn a mulher
for escrava, os lilhos pertencem ao se-
nho, desta ; e se f6r livre, mas o pai
escravo, pertencem a mdi.
O home pode ter tantas mniulheres
quantas possa sustentar; mas so uma
a tembo, 6 a verdadadeira, ou princi-
pal ; as outras sao subordinadas a esta,
e teem o nome de banbanda.
A mrnulher, quer tembo ou munbanda,
nao 6 de f6rma a1guma a propriedade
do marido; long d isso, goza da major
liberdade pessoal, e nao se sujeita a
qualquer mao trato. Se o marido a
desacita em qualquer cousa, quer por
palavras, quer por obrhs, eltla retira-se
para casa de sua familiar, e, ou o con-
trato conjulgal se dissolve, ou o marido
[he dA as satisfagoes que ella exige,
acompanhadas sempre de um presen-
to, ordinariamente umin boi, em signal
de reconciliacdo, e pagamento da mnju
ria. Pela sua part, a niulher 6 ol)ri-
gaola a pespeitar do mesmo mode o
marido, sob pana da set expulsa, ou
pagar-lhe a injuria.
Esta f6rma de casamento, comquantc
muito imperfeita, distancia-se mnuito das
descripc6es a que se refers sir Lub-
bock, o que de formal alguma invalids
ou contradiz essas descriptoes, mas
quer dizer simplesmente que estes po-
vos se acham mais adiantados a este
respeito do que os outros a qpeem se
referee aquelles eseriptores.
A descendencia entire elles 6 tambeum
pelas mulheres, e a, ordem da sueces-
s0o 6 a seguinto: hio, sobrinho, irmio.
Tio 6 o irmao da mai, filhos da rM*ns
miii; sobrinhos os filhos d'esta ipma i


N'aquelle monmento tudo quanto o
rodeiava, a situagao em qiie se achava,
o perigo d'umn combat segundo todos
os indicios duvidoso, tudo desappare-
ceu da imaginagao de Yaye, na qual s%
ficou uma idea: a do D. Isabel de Cor-
dova e de Valor, abandonada 'e-am casa
do irmao a uma multidao feroz, irri-
tada e sanguinaria. Sem dizer uma so
palavra aos que o rodeiavam, nem fa-
zer-se seguir de ninguem, s6, anhelante,
aterrado, deitou a correr corno um lou.
co em direeqao .A casa de D. Diogo,
puxou da espada, abrio caminho, acu-
tilandlo como um leio irritado a mul-
,ti,1o compact que rodeava a casa, e
no primeiro momento de surpreza con-
seguir entrar.
MAlas, por valente que fosse, ia s6 ;
o sea trajo f6ra visto, e urna exclama-
gao de raiv;a sahira de todas as boccas.
Ao christao ao christio traidor,
quevein em soccorro dos traidores
bradaram algtiamas vozes.
E todos os que poderamr penetrar na
casa incendiada precipitaramn-se atraz
de Yaye corn as armas em punl.
.. ; .
No interior d'aquela-casa reinava es-
pantosa desordem.
No primneiro memento do perigo, D.
Elvira, sem cuidar da salvacao doe D.
Isabael, a quern odiava de more, cor'-
reu ao aposentp de D. Dibgo, abrio a
port secreta e refugiou-se no subter-
raneo. -
Quanto a D. Isabel e- aos criados,
aterrados, apanhadps de suabito, apen;as
tiveram, tempo do tgir pam o jandim
vrn busoa d'u nia sahidAi p0opostign.
Mras todos, no prinmeo 1 irornento de
p.qrbuo, tinham esquecid a achave;
o pesfip era sciido ;, pradiiava- ltw


t'l


i alma, mas em uma especie 4,obrevi-
. venca do corpo.
c Segundo o capitaio Buston C os ne-
- gros creem em urn phantasma, mas
; nao em uma alma; emrn urn present


supremo perigo ninguem cuida seniio
de si mesmo, subiramn pelas arvores,
alcancaram o espigao do muro, deixaP
ram-se cahir para a rua e fuiram.
D. Isabel e tres criadas ficaram no
jardim que principiava a illurninar-se
coin a luz averminelhada das charnmias;
que se levantavamrn dos palheiros da
casa aos quaes se conmmunicira o in-
cendio.
Alguns furiosos tinham deitado fogo
i casa da lenha.
Pelas janellas dos andares inferiores
que deitavam para ojardim cornearaia
d'alli a pouco a sahir turbilhaes de
fogo.
Ouviam-se os bnrdos furiosos dos
mouriscos que tiuhanm peetrado nos
aposentos, e que os revolviamn roubata.
do os objects de valor.i
D.- Isabel e as tres criadas faziarnm
maravilhosos esforcos e ensangaenta-
vam as maos. na fechadura dopostigo;
mas as suIs for'as reram demnasiado,
debeis para a forCaremin.
A' media que o tempo corria, aui
mentavamin o terror He D. Isabel e4
pranto e os gritos das pobres mulherei
que a acompanhavamr. 0 ir.eadio pro-
pagara-se a toda a casa do odifieio que
deitava para o jardim e fazia-o pareeer
immensa cortina de fogo.
Desnoronavamse os tabiqutieser
vWz d'alg unas grardes Nb8tu8, Be-
passar d'uIn lado para o outro acaai1
lha, eorien4'earrogada ou conio
So estava livrew .lna das ct: an as Q
portao po onide so- tna -para o jar"
dim. tas estas jthe) biain-a
te superior. Ao funod doPor:tao vi
So pjssar continudae4te hoa
.com a hotels access otl arre'aWdu


etc.,. Pw-.jto 6"Aoe bdos
dividuos 9que se sup dpscoCn
|Io e^INte, da cobra e tc'~t B
casan dtos0 onligaC.es conj ugaes,
ef s0o piohibid" ^aitor er it-
meiros cornoeontre estea. uai's.
: 0 escravo tai in de #icerto I
e contiderado co6mo parent. Na
de herdeiros legitimnos elle o he
ro d6os hens do sehhor.- Havendo
do que urn escravo prefer o mais a
go. E' talvez por este motivo quel
senhores dbo aos escravos o titulo kS
sobrinhos.
Esta ordem de successor comerna a
achar-se injusta, lamrnentaudo os pais ndo
poderern deixar o que potsuem aos fi-
lhos, -e vendo corn iniAos olhos os s-
brinhos. Muitos pais vlAo dando nwl
vida aos filhos o que podem.
Passemrnos agora corn sir Lubbock aos
capitulos V, VI. VII tratando de reli-
giao.
Comeca elie por declarar que 6 este
urn assumpto que offerece bastante i -
teresse, rnas ao mesmo tempo o n41
espinhoso de quantos analysa no
livro.
SProcurara corntudo nao offender 9
conseJencias dos seus leitores, e obs.
va que por mnais grosseiras, e mnes)
ferozes que sejarn entire os selvagensas
forrnas rudimentares corn que se apre,
senta a religiao, C o. home religiroa
deve experimentar uma profunda sa-
tisfagdo ao vdr desenvolverem-se d'ellas
gradualmente idWas mais correctas 0e
crencas mais elevadas. D
Pensara dar a este capitulo o tit4ulo
da c supersti5es )) em vez de (( reli-
giiao i, mas preferira este ultimo, em
part pela razao acima exposta; e tarnm-
bern porque Ihe repugna condemnar em
absolute crengas honestas, ainda quo
imperfeitas. -

A idda religiesa niscee desenvolve-se
nos individuos de urn mode aproxiuia-
dainente identico, segundo o seu esta-
do de civilisacao ; os Natchez e os Per-
sas, por exemplo, adoraiam o sol; as
superstigSes passam gradualmente ao
lugar de concepgdes mais elevadas%, o
entanto a religifao ecne os $!ragens 6
muito dillerente ainda do que 6 centre
n6s. Os seus deuses sao bons e rnmos ;
fazem de algurn mode part da natu-
reza ; o meio ,.d os supplidar e a danga
e nao as oram9es, se elles approvamn
mais fr"quenternmente o que n6s cha-
mamnos vicio do que o que estimamos
como virtude. Ha enritre aquella e
a nossa religiao a 'nesmna' "arffTerenCa
que ha (( entire a astrologia e a astrono-
rnia, ou entree a atchirnia e a chimica.)
Segundo o tkstemonho de niuitos via
'jantes -ha mnuitos povos na America,
Oceantia eAfrica. que nio teem reli-
S gitao. .... .
C 0 selvagem olhe naturalnmeAhte a
m mnorte como uria especie (1e son'h.
D'aqui provavelinente todo o cuidado
que elle toma pelo cadaver, e tambem
a importancia que elle liga aos so-
. nhos.
- ( Quando o corpo fica inanimado, o
) selvagern conclue d ahi naturalmnent e
- que o espirito o deixou.
C Durante o someno elle julga tam-
) hem que o espirito deixou o corpo, e
, divagou por onde Ihe pareceu. Assim
. elle cre C que ha um espirito que p6de
deixar o corpo.
C Quando sonham corn seus amigos
. on seus parents fallecidos; os selva.
s gens creem lirmernente que sao os es-
* piritos d'estes que os veern visitar, e
I creem assim, nao na immortalidade da


cases, cornquanto acreditem profunda
. monte na magia.
A crenca na mnagia, diz sir.Lubbock
e universal entire tofos os selvagens.
c Muitos feiticeiros creern realment
que elles posueni umn poder sobreaa
tural. D
. 0 padre Merolla, o padre Labat e
iat alguns missionarios modernos, se
Sgundo Williams, acreditam na magia
Ak


Encheu-se final o portao de gente,
e D. Isabel, apezar do seu terror, vio
que um home s6 recuava defenden-
do-se de grande multiddo.
Mas era um homemn muito destro e
valente, e atirando pjima cutilada a urn;
uma estocada a outro, nao deixava
que nenhum o apahihasse pelas costas;
via-so porem obrigado a recuar decidi-
damrnente. .-
Quando o que se defendia, e os que
tao encarnicadamente o atacavamrn, ja
quasi estavain dentro do jardimrn, D.
Isabel, que coatemrnplava fascinada
aquelle espectaeulo, soltou um grito de
terror. A part superior "do portaio,
invadida polo incendio, desabara sobre
os comrnbatentes, deixando-os sqpulta.
4os sob urn.m moutao de madeira in-
flammada e de entulho.
-Mas em frente d'aquella fornalliha sal-
tua um home, e ao ver quoe tinha
corova acommunicagao corn o interior
|a casa, priicipia f6ra de si aproca-
fwr algur-a eatrada que o fogo hou-
vesse respeitado.Q
I D. %elet 41ava. a vista u'iaquelle
homeo IAo sabendo se devia aterrar-se
cosig rando-o inimigo, se devia ale-
gar-se consideraNfdo-O urn 'salvadr.
Srecem-chegado ti era a forttna de
que ao desaar a praitesuitperidr do
Pot.io, s-6 aplhara os :: -: o p.rse'I
gqiam e ell, trvava: aastados cornI
Sespadal sm U e- a mai pelted IIa
pqrte (as raitat, 1 t sse. ...I
J.bIJnabal notou' .i estava vetido 4
caustelhana,. sgundo a m-to .d' a3s ,i


var., ou aos eaeaniitOSdeii i n1 $tMa )
s partptipam A-., 'ef
lIrel attribuida. A.a
.Dobzh3(i6fer atesta quoe q.n-o
S -m i4oK aL u bim' g[e ut orre das suas
erias, d'ana qUe ou de velhi e,
sieo mpatriotas .negamrn que SOP e,5
a a sua morte, e procuranp de<
SH e feiticeiro o matou, e porque
cRlto do fbgo 6 quasi universal.
!pitos selvagapa acreditaw que o fogo
que elles oepireteem nas.suas cabanas
se acha de algum modo ligado a vida.
Todas estas cren6as so mais ou me-
nos'communs aos povos gentilicos do
interior de Mossamedes, a quoan nos
temos referido; a corn respeito ao fogo,
quando alguern oscapa a algum grande
period, dizem eferindo*se ao chefe de
fam lia; utatfacana, faz un fizeste born
fogo ; o que por6m nao implica a idda
de umrn culto. Nas mesmas circumins-
tancias tambem dizem as vezes: Succo,
Succo, Deus, Deus, que quer dizer:
por Deus que tal nao aconteceu.
Segundo- Seeman, c. nas ilhas Viti
quando se quer matar alguern recorre-
se a um feiticeiro, a quem se leva at-
gum object que tenha pertenaido
aquelle a quem se quer matar; o feiti-
ceiro queima esse objecto corn certas
folhas, e assim sejulga ser esse um
meio efficaz para aquelle firn. Em-
prega-se o mesmo meio para descobrir
lad roes.

0 mesmno se faz tambem entire os
banhaneca e os bakumbi; e e devido a
esta crenpa que os roubos sao tfo pou-
co frequentes entreelles. A'qudle fei-
tiUo dao o nome de ontico, os .nagicos
ou feiticeiros que o fazemna, nio io per-
seguidos, porque o poder que .Ihe e at-
tribuido limita-se s6mente a pupir os
ladroes. Qs outros feiticeiros, a quern
se attribuem poderes malfazejo3, sac
punios de morte, ou vendidos come
escravos paraf6ra da terra. 0 dom
da agia e e ontaneo em alguns indi-
ividuos, ou transmittido por algum es-
pirito.
Lemb)ra-nos umrn facto acontecido na
nossa presenga, e que dai id6a da in-
fluencia ue oea inos costumes aquella
crenca.
Tinhamos pernoitado nacasa de unm
preto mrnungarnmie, e um individuo que
viajava comrnnosco tinha deixado amar
rado a uama arvore proxima da casa
onde anibos nos recolhemos, um ju
mento que Ihe pertencia. :De noi
to, um parent do dono da casa reco
Ihendo tarde, e tomando o jumento po,
outro animal, atravessou-o corn a sun
zagaia.
No dia seguinte appareceu morto o
jumento.
Indagou-se quern o matou, mas como
nguem o declarava, letnbrou-se 0
donor de dizer "ei liquidar query
quer quaeot fo
I Immediatamente apresentou-se un
preto,Adizendo ser elle quern tinha mor
to o jurnento, e achando-se prompto
"pagar a devida indemnisacao ; que fo
jib nio nos lembra de quantos bois.
A crenca daituella gone no terrive
poder do ontico 6 absolute.
- Em outras crencas naio s-o tio fir
mes: por exemplo, na que attribue ao
. sobas o powder de dar as c.huvas, i
sciencia dos adivinhos, etc.
Elles admitted a disctussfo emn toda
l as suas crelnas, e convencem-se da im
postura dos seus magicos em muito


- tuada na extremidade da terra, onde jantes, os cafres e outros selvagens nio
s devem ehegar corn a lua cheia. D'alli teem religido on idda da existencia de
t- por diante ate "A residencia do soba, a Deus.
urna distancia de 6 a 7 laguas, o boi Os banrikumbi e os banhaneca dizern
apenas faz um.a paragemn a rneio do ca- indistinctamentequando alguem morre:
minho, na casa de um dos conselheiros Foi o sol que o chamou; ou foi
e do soba, Moene-Jamba, e nao bebe mais Deus que o chamou .
t- agua. Ao chegar d residencia do soba, 0 sol tern o nome de Kumbi, e a uInz
Balla, tern lugar a ceremonia mais irna- que delle dimnana minulenha.
e portante. 0 Moene-Hambo, e depois o
- soba, chegarn a bocca do boi o pa de
ni uma casca de pao, bastante amarga, a [Continuar-se-ha].


Reconhecera n'aquelle home o uni-
co home a quem in amara; por quemn
fOra abandonada ; n'urna palavra, re-
conhecera Yaye.
Poo seu turno este ouvio o grito de
D. Isabel e voltou-se.
A' laz dq, incendio, que offuscava a
claridlade dA luar, vio uma mulher de
juplhos, e junto ao postigo, fazendo di-
ligencia por abri-lo, mais trees mulhe-
res ; Yaye correu anhelante para ellas,
chegou-se a D. Isabel, afastou-ihe as
maos corn que cobria o rosto, enca-
rou-o, e soltou umrn grito de alegria in-
sensata ; D. Isabel olbou tambem para
Yaye., fez-so pallida de more, soltou
um gemido, e nao podendo resistir a
tantas codrnmmoes, cahio por terra des-
maiada.
Antes de lie acudir ao desmaio,
Yaye pnsoti 4e a arranear d'aquelle
lugard(e perigo. Dirigio-se Ai porta que
as criadas tebaLde dihgeneiavam abrir,
afastou-as, tirou urna pistola do cinato,
apontou'a para a fechadura e desfe-
chou. A fechadura salltot em mil pe-
daeos, Yaye abrio o postigo, e as trees
criadas, fugiram no mesrno instant,
coiMo passaros quando seabre a porta'
da gaiola.
Emn seguida voltou para D. Isabel
que ainda estava d-esmnaiada, contem-
plou-a* poraim tM-ento em extasi,
toMo-a nos braos-, abio, pelo posti-
g e deitou a coeer pelas ruas iagre.
rues em direq i^ multtha proxinaa
do bispoD ). (oali.
A. riA i doD.oDioo' de Valor
dis.e, tforoui#ti -9 levanatmento dos.
inoeurisco5; rrmasoezsa.raigo entregoau
I.R tibeil aoneu, ode, Iabl1-'A^ff


Por outro lado dizia comsigo :
Se hoje por culpa d'um traidor
nio vencemos, vencerernos Amanhi.
E a sutia consiencia tranquillisava-se
corn esta esperanca.
Entretanto continuava a corrmr pelas
ruas acina seri sentir o peso de D.
Isabel, que era demasiado formosa para
pezar nuito.
As ruas por aquelle lado estavam so-
litarias, e o mancebo chegou depress
a um lagar onde a muraiha era aberta,
e sahio para o campo, ou para melhor
dizer, para o monte.
Comtudo, nro se deteve em quanto6
nao seachou muito long da muralha.
e n'um carninh ique seguia pelafalda
do cerro de Santa Helena e conduzia
ao seu cume.
A' pouca distancia havia umn redil
abandonado. e para elle se dirigio corn
a sua preciosa carga. Junto do redil,
brotava uma fonto rodeiada d'alamosn
sobre um terreno coberto de relvlt.
Parou alli, depondo D. Isabel suave-
mente sobre a'relva.
0 terror e a surpreza de ter enconr
trado Yaye n'aquella situagio haviam
de tal mode impressionado a" desvent'-',
rada joven, que o sea desmaiao con-
nuava.
Yaye olhava para ela oxtasiado. 0j
rosto de D. Isabel petoo dIpo *
da palftez e do luar attei 'ia ,u
vura sobrenatural. Tin as n iegraa
trauias en,'seductora desert. 09
olhos velados pela sombra de
festanas, a .botcaeonasbwis
gemi(lo* ajresentavam MA- IrkI


*,. '

V



A
a

V.?-


mei,


'* Wl o VW 4
t,66*-iW t0bkd toda asorte do MklictWO&s oseu*'89
cuin, A rddeira le,6 tr do nias siq-dos ta4to do soba ,cpmao 4-w AS
a a",rl i eiz el;e,, e Vj ;3g ais siples ^teFa :. Imm .t t ct* o ,
*e tothwaturatmente asua oriffm no soba toma a ipalvrt, ps-
cltatum+ltao geral dedoarAaoSividuos curso em que relatfeastel.ipe
l ,e oas families ;depis. o nome relaclacoinos povos i Otie.
certes animals. l'Um' tmilia, por ...+L
teo, aimacs. -ao r rs, a que prtende fazer no anooe ,J.4*l
eiemplo, tendo o noe derso, olha- es discursos do por Yves il
ivaeste animal pfrimejrKI cm 1 1nteresse-po l
s .Lo animal prinero po ese, tuna sagacidade e tino plito dt &i4w
4epqis ', cru i-espeiko, bpoL enifim, s",,
is ~oen respei isemfim sopoderiarnm lisoijear hiberfeas nviA
corn uia especie de superstio. estado de civilisaconMuito maisadian-.
costume de adoptar os nomes de ani- tado.
makes 6geral centre oteds osselvagens. Depois do discurso segue-se uma
c Na Australa, o totem, ou como danga em honra de uma mulher do
alli the chamam kobong, parece -estar soba que tern o none dVXiui, e outra
a ponto de ser deificado. Urn certo em honra da Tembo, e assim terming a
laqo mysterioso existe centre a farnilia e fesfa, seguindo-se-lhe outra ceremonia
o seu kobong; assim, segundo dizsir G. tambemn importante,.a do ufico, de que
Grey, um membr6 de uima familiar nao nos occuparemos no lugar competente.
matara umn animal da especie a qual Desde que comeqa a festa da Geroa
perteoce o seu kobong, seo o encontrar corn o apparecimento da lua nova 6
dormindo, e rnesmo niao o minatari emn prohibido canter em toda a tierra outra
caso algumin, se nao corn repugnancia, cousa que n io seja a especie de hymno
deixando-lhe sempre occasiao para se ou cantico pastoril e guerreiro, que se
powder escapar. usa naquella occasifAo, e depois deia 6
SIsto proved do que a familiz julga prohibido aquelle canto ate ao anno se-
que umin animal desta especie 6 o seu aguinte.
rmelhor amigo, e que mnatal-o seria uit Quando morro o soba 6 auelle o
grande crime, que e precise evitar. canto, hyrnmno, ou orado que o acorn-
c Da mesa forma, umrn indigena que panha.
tern urea plant por kobong no dove Durante a festa nio se podern fazer
arrancal-a em certas circurnstancias, e demonstrates publicas de sentiment
em certas dpocas do anno. por qualquer motive
Este respeito polo totem ou kobong Os instruments que s6 6 licito tocar
nao chegou todaviaainda a umrn culto, naquella festa sdo uns ferros a que cha-
mis na America toem-se tornado ji urna main mangongue, e tambem uma egpe-
verdadeira religion. cie de chocallio em que batemn corn ou-
0 animal mais geralmente- reveren- tro ferro. 0 tambor, gomma, sea ins-
ciado ouadorado 6 a serpent. 4a trumento favorite em to4as as.'outras
antiguidade, e recentemente ainda centre funcc6es, e banido desta.
muitos povos chegados a, um certo grio Acompanham a procissbo e fazem
de civilisagdo, a serpent era umr dos della parte muitas donzellas enfeitaas
seus douses. c Da Liberia ao Ben- na cabeca corn enornes massas de en-
zuella, ou atd mais long, a serpente 6 fiadas de graos e pevides, cahindo-lhes*
o deus principal (( E' a ella que se pelas costas e peos bomrbros. Os ho-
dirigem para fazer cessar a secca, as mens, e principalmente os que tocam
doengas, ou quaesqner outras calami- os taes instruments, pintarn os rostos
dades D. M Nao adoram porem senio corn um barro branco, peio, que thes
i as serpentes inoffensivas. D da o aspecto mais singular e grotesco.
Os banhaneca e os barrkumbi nao Tal 6 a festa da Geroa.
adoram, wmas tamnbem nao fazem mal a Nio haverd em tudo istoL uma vaga .
I estas serpentes, e cr6em antes que reminiseencia do boi Apis, .tambem
Sells sAo indicio de flicicfade. bronco e preto, adorado e festeja4p aaB -
A zoolatria estende-se a muitos ou- tigamente no Egypto? ..?,
tros animaes ; e tanto na America, como Ou sem ter relagdo corn aquelle fivtgu:
i na Oceania, na India, etc., adora-se o rara aqui o boi simplesmente c.
- lobo, o urso, o bisdo, a lebre, e atd symbol ou.attribqo de fartura, fe
3 peixes e ayes. dade, riquqza, por uma idda esponif
Vem aqui a proposito dar noticia de e semelhante i que deu lugar rf- ci
i uma ceremonia usada entire os banha- ciodaquelladivindadeegypcia I.
I neca, a que nao chamaremos propria- Esta hypothese parece-nos a mais Ve-
mente um culto, mis queevidentemrnen- rosimil. .
te para isso se encaminha. 0 estudo aprofundado das lingdas
Todos os annos ao terminal' as co- africanas p6de e deve langar um dia
- Iheitas por fim de julho ou principio urma grande luz sobre este e outros as-
- de agosto, que 6 quando tormina o anno sumptos.
r para elles, tern lugar a festa da Geroa, Cada munhaneca chefe de famrilia tern
i ceremonia celebrada em honrado soba, um boi da sua particular alleicao, d'en-
e symbolisada em um boi, a que dAo tre os ,nais que possue, e em cuja
o aquelle nome. Este boi deve ser bran- pelle io envolvido quando more. Pot
co e preto, binda, e acha-se erntregue. oestes factos se vQ que se o bot nao 6
o guard de unn dos mais considerados ainda adorado, estitalvez myito proxi-
o senhores da terra, batombe, que tern o mo de o ser.
i titulo de Aloene-Hambo, significando Boi genericameti, tern o nome de
aproximadamente C o pastor por ex- gombe, vacca gindi.
i cellencia D ou & o major pastor ). 0 Muitos povos, diz sir Lubbock, ado-
- boi Geroa 6 acompanhado por outro ram as pedras e as montanhas. Os
a que tern o nome de xicaca, e poer ura southals do Indostao central adorani
ii vitella co:n o norne de tembo-onjuo. unea alta collina chiamada Marang-,
Ao comecar a festa em cada anno Boroo i.
1 acham-se os tres bois f6ra da terra, a Os baangambue teem em umra gran-
uma certa distancia, nas mattas onde de veneracao urea montanha da sua
- ordinariamente pasta os gados ; ao terra denominada Tongo-Tongo. f
s apparecer a lua nova de julho, ou de c Nos paizes quentes olha-se o sot
a principio de agosto, comecam os tres como um ser malfazejo; e o contrario
bois a seem conduzidos procissional- nos paizes frios .
s monte ate casa do Moene-Harnbo, si. Segundo o testemunho de muitos via-


lip




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8 standalone no
fcla fda yes
!-- Diario de Pernambuco ( Newspaper ) --
METS:mets OBJID AA00011611_15233
xmlns:METS http:www.loc.govMETS
xmlns:xlink http:www.w3.org1999xlink
xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance
xmlns:daitss http:www.fcla.edudlsmddaitss
xmlns:mods http:www.loc.govmodsv3
xmlns:sobekcm http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcm
xmlns:lom http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcm_lom
xsi:schemaLocation
http:www.loc.govstandardsmetsmets.xsd
http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitss.xsd
http:www.loc.govmodsv3mods-3-4.xsd
http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcmsobekcm.xsd
METS:metsHdr CREATEDATE 2014-04-17T17:09:38Z ID LASTMODDATE 2012-07-07T11:07:24Z RECORDSTATUS COMPLETE
METS:agent ROLE CREATOR TYPE ORGANIZATION
METS:name UF,University of Florida
OTHERTYPE SOFTWARE OTHER
Go UFDC FDA Preparation Tool
INDIVIDUAL
UFAD\renner
METS:note Created individual volume records and augmented METS file (Mark 3/18/2013)
METS:dmdSec DMD1
METS:mdWrap MDTYPE MODS MIMETYPE textxml LABEL Metadata
METS:xmlData
mods:mods
mods:abstract displayLabel Abstract The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
mods:accessCondition Applicable rights reserved.
mods:genre authority marcgt newspaper
sobekcm newspaper
mods:identifier type ALEPH 002044160
NOTIS AKN2060
OCLC 45907853
mods:language
mods:languageTerm text Portuguese
code iso639-2b por
mods:location
mods:physicalLocation UF Latin American Collections
UFLAC
mods:note funding Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
dates or sequential designation Began with Number 1, November 7, 1825.
numbering peculiarities Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
mods:originInfo
mods:place
mods:placeTerm marccountry Brazil
mods:dateIssued Tuesday, November 06, 1877
marc point start 1825
mods:recordInfo
mods:recordIdentifier source AA00011611_15233
mods:recordCreationDate 951023
mods:recordOrigin Imported from (ALEPH)002044160
mods:recordContentSource University of Florida
mods:languageOfCataloging
English
eng
mods:subject
mods:hierarchicalGeographic
mods:country Brazil
mods:state Pernambuco
mods:city Recife
Brazil
Pernambuco
Recife
mods:titleInfo
mods:title Diario de Pernambuco
mods:typeOfResource text
DMD2
OTHERMDTYPE SOBEKCM SobekCM Custom
sobekcm:procParam
sobekcm:MainThumbnail 00011thm.jpg
sobekcm:bibDesc
sobekcm:BibID AA00011611
sobekcm:VID 15233
sobekcm:EncodingLevel u
sobekcm:Source
sobekcm:statement UF University of Florida
sobekcm:SortDate 666202
METS:amdSec
METS:digiprovMD DIGIPROV1
DAITSS Archiving Information
daitss:daitss
daitss:AGREEMENT_INFO ACCOUNT PROJECT UFDC
METS:techMD TECH1
File Technical Details
sobekcm:FileInfo
sobekcm:File fileid JPEG1 width 1000 height 1461
JP21 7498 10954
JPEG2 1479
JP22 7418 10970
JPEG3 1465
JP23 7434 10890
JPEG4 1488
JP24 7376 10979
JPEG5 1469
JP25 10922
JPEG6
JP26
JPEG7 1457
JP27 10924
JPEG8 1470
JP28 7438 10933
METS:fileSec
METS:fileGrp USE archive
METS:file GROUPID G1 TIF1 imagetiff SIZE 82155908
METS:FLocat LOCTYPE OTHERLOCTYPE SYSTEM xlink:href 00242.tif
TIF1.2
TIF1.3
G2 TIF2 81401080
00243.tif
TIF2.2
TIF2.3
G3 TIF3 80979208
00244.tif
TIF3.2
TIF3.3
G4 TIF4 81004292
00245.tif
TIF4.2
TIF4.3
G5 TIF5 81217484
00246.tif
TIF5.2
TIF5.3
G6 TIF6 81218300
00247.tif
TIF6.2
TIF6.3
G7 TIF7 81932252
00248.tif
TIF7.2
TIF7.3
G8 TIF8 81342272
00249.tif
TIF8.2
TIF8.3
reference
imagejpeg 722363
00242.jpg
775355
00243.jpg
752755
00244.jpg
708115
00245.jpg
723483
00246.jpg
731602
00247.jpg
706327
00248.jpg
760105
00249.jpg
imagejp2 10266731
00242.jp2
10172043
00243.jp2
10119624
00244.jp2
10122714
00245.jp2
10149378
00246.jp2
10149377
00247.jp2
10238626
00248.jp2
10165054
00249.jp2
THUMB1 imagejpeg-thumbnails 35853
00242thm.jpg
THUMB2 38703
00243thm.jpg
THUMB3 36946
00244thm.jpg
THUMB4 37458
00245thm.jpg
THUMB5 37536
00246thm.jpg
THUMB6 39431
00247thm.jpg
THUMB7 39101
00248thm.jpg
THUMB8 35637
00249thm.jpg
PRO1 textx-pro
00242.pro
PRO2
00243.pro
PRO3
00244.pro
PRO4
00245.pro
PRO5
00246.pro
PRO6
00247.pro
PRO7
00248.pro
PRO8
00249.pro
TXT1 textplain
00242.txt
TXT2
00243.txt
TXT3
00244.txt
TXT4
00245.txt
TXT5
00246.txt
TXT6
00247.txt
TXT7
00248.txt
TXT8
00249.txt
METS1 unknownx-mets
AA00011611_15233.mets
METS:structMap STRUCT1 physical
METS:div DMDID ADMID ORDER 0 main
PAGE1 Page 1
METS:fptr FILEID
PAGE2 2
PAGE3 3
PAGE4 4
PAGE5 5
PAGE6 6
PAGE7 7
PAGE8 8
STRUCT2 other
ODIV1 Main
FILES1


xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOFN1XXTW_3YN2WQ INGEST_TIME 2014-05-21T00:12:35Z PACKAGE AA00011611_15233
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES