Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15117


This item is only available as the following downloads:


Full Text



























V*.^w-


TELEGAIIIIAS


:EB71;0 :1 aSIu Evis


(Especial para o Diario)

LONDRES, 12 de agosto.


Aeaba do aer eleito o er. Belinl
para president da] Bepnblica de S.
Iomminagon.


PARIS, 12 de agosto.


A epidemia do cholera-morbuasi toel


asslgnalada como tend apparecido
em diversos lugares do sal da
Franca.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
13 de agosto de 1884.



INSTRUCGIO POPULAR


MAGNETISMO
(Extrahida)


CA PIT TL
BUSSOLAS
(Continuagdo)


VI


Nao quizemos deixar de explicar para que ser-
viam todos os appendices da bassola de declinacao;
e por issa dissemos corno se determinava o azi-
muth, apezar de nao quererm-s ir tao longer.
Suppondo pois que se conhece o azimuth, nao
temos mais do que fazer girar a linuha do f6 atW
completar o angulo dado pelo azimuth, e de ler o
aegulo formado pela agaulha magnetic corn a linha
de f6, para se obter a dedinagdo do lugar.
Al6m d'esta especie da bussola ha outras mais
complicadas, e precisas para a exacta determina-
9ao da declinagdo, mas de quo nao fallarem)s; e
ha tambem outras mais simples e singelas que se
empregam, umeas na topographic e outras nas via-
gens maritimas.
A bussola topographica ouaa bussola do agrimen-
sor consta de uma caixa rectangular que assent
por uma joalheira systema de ligaOa da caixa ao
support) sobre un trip,6. para se poder collocar
horizontalmente corn o auxilio de um nivd de bolha
de ar. Dantro da caixa, uraa agulha magnetic
movel sobre um fulcro, occupando o centro de um
circulo gra'uado, serve para indicar o norie-s8d
magnetic. Exterior e parallelamente a um dos
lados da caixa, ha um oculo, cujo cixo estA na di-
reccao da linha de 16 da&-bsota, e q equo pnara
se dirigir sobra um ponto determinado, polendo
para esse fim mrnover-3e em torn de um eixo hori-
zontal.I
Para empregar este instrument.), comega-se por
collocal-o horizontal, e corn a agulha mginetica na
direc9o da linha de fM (0o-189o); depois deslo-
ca-se ate que o plano vertical em quo se mnvwe o
oculo esteja na direca-o do ponto que se quer vi-
sar; fixa-se o instrument e 16-se o angulo for-
mado pela agatlha mignetica corn a linha de 16, que
6o mesmo que o formado pela agulha e pela di-
rec09o do oeulo par sor ests parallelo A linha de
f6 per construcq!-). Juntanlo a este angulo a de-
dinaabo do lugar, acha-se o angulo form id,) p31o
plano vertical d0 pnto visado corn o mneridiano
gaographico, e portanto pgte-se mirear aquelle
ponto sobre a carta topographica.
Umzi outca bus.solas de declinacgo a mais. elemeu-
tar e simple de tola3 ellas, costa de uami caixa
onde estA marcada a- rsa do.s ventos e a grAdua-
91o d.i circaamferencia, e de umti agdlha que se
move sobre umn taler). Aiimn corn) em todas as
outras betsolas.1 a extremidale da agdlha que olha
para o norte ou estai miraeda co.n alguin feitio
e3pacitl, ou t.i-m u.n cor azulads1.
Estu 6 o typ) mis simple de que se faz uose, e
podemos corn ella operar do seguinte modo:
Achar a declinaw) :-9rieat:t-se a basso'a col-
locando o diameter NS n planm- do rnpridiano ter-
rewtre, corn o lada N volta 1) p tira o nrte, e 16 se
o angulo que a agallia f-, c ):n a ditmrtro NS.
Achar o meridian, :--UtIo:!,-sc a b.ssola pe)r
mode que a a.7urha faa. co na o dia-netro NS o an-
gulo de decdinaio conh!i.eid,; e o diamsietro inIt-
eara o piano do merid'ij toro'strc, p)rque cetara
n'este piano.
A bussola maritins, a q sa S chant vulgarman-
to agta'ha de m3irez, foi a primAira applica.9 da
important desebhrta d) mnagntismq terrestre,
A agyah/i de m -retr ou bessola mirltimna com-
po5-se de uin i caixa cylin-Irica de cobre teundlo no
fundo e a) in io um fulcr.), sobr3 o qual a agaulha
magaetisadta, que, em vez de se mr-)ver sobre uai
circulo graduado c dividido con3 a rosa dcs vents
--stA pAlo cntrario ligada a case circ-lo e corn
elle se move portanto.
Este eirculo 6 geraimente um disco de mica, re-
vestido de papel, que, al6m de ter marcada a rosa
dos ventos. tern tambem a divisao em graos, e esta
ligado A agultha maqnetica do modo que eata coin-
cide com a linha NS d'aquella, e portanto corn o
zero da graduagao que camea- no ponto N.
(Continfa).


beira. em sUbstituiglo do eapitlo Vicente fer-
yreira e Carvalho Yeutura aefoi promovido o
posto de major ajudante de ordens do commando
superior das mesa comarcas.-Commukicou-se
ao respective commandagte superior.
Officios:
Ao president da provincia da Parahyba.--
Corn a inclusa c6pia do officio n. 1,310, de 19 do
corrente, do commandant do presidio de Ferna-
do de Noronha, transmitto a V. Exe. afim do que
se digne de providenciar convenientemente a res-
peito do requerimento do r6o Manoel Gomes da
Roeha Gavilo, cendemnado pelojury do termno de
Campinaa Grande neasa provincia em 3 de agoeto
de 1849 per crime de homicidio.
Ao president da provincia de Minas Ge-
raes.-Corn as inclusas e6pias dos officios n. 1.307
e 1,314 de 19 do corrente, transmitto a V. Exe.,
afirm de que se digne de providenciar conveniente-
mente a respeito, os requerimentos dos r6os Mi-
guel Felippe Santiago e Felippe, escravo de Ma-
noel Gonoalves Ferreira, este Condemnado polo
jury do termo do Espirito Santo Ao Pomba em 15
de marVo de 1871 e aquelle no da Serra em 9 de
abril de 1883, nessa provincia, por crime de home-
cidio.


Ao inspector da Thesourauia de Fazenda.-
Tendo esta Presidencia determinado em 17 deste
mez que pelo Arsenal de Marinha, fossem feitos
os reparos precisos no'felegrapho optico, conforme
solicitou em ,telegramma da vespera o engenheiro
chefe do district telegraphico, resident na pro-
vincia da Bahia, e impartando os dites reparos,
jP concluidos em 49;917 ,sendo 285800, prove-
niento de 32 kilos de eabo de linho, comprado no
mereado, e 21;117, de 11 kilos du ferro, fotornido
polo respective almoxarifado, mdo de obra da
administracao, segundo o document junto pot
c6pia, determine que o encarregado da estacao
telegraphica nests cidade indemnike ao dito al-
moxarifado a devida despoza. 0 que communico
a V. S. para os fins convenientes.-Officiou-se
neste sentido ao encarregado da estaco telegra-
phica e inspector do Arsenal de Marinha.
Ao commandant do presidio de FernariiJo.
-Conv6m que V. S. declare a que provincia per-
tonce a comnarca da lmperatriz aan qfti" foi con-
de6inado o reo Manoel Bezerra de Moura, visto
haver mai de uama no imperio cemnaquella deno-
minaqio.
Feito o que terA convenient destine a petigio
annexa ao officio n. 1,308, de 19 do cerrente.
-- Ao governador do bispado.-Com a copia in
clusa da informacao prestada em 24 do corrente
mez, respond ao officio que V. S. dirigio.me a 3
do mesmo mez a respeito da mudanga provisoria
do Revd. vigario Jos6 Vaz (Guiterres da s6le da
parochia de Nossa Senhora do 0' do Altinho, para
o povoado do Bebedouro.
&o inspector do Thesouro Provincial.-De
accord corn a informagao n. 53, que me foi pres-
tada per Vmcin. em 28 do corrente, defiro o reque-
rimento de Joso Martins Viegas, contractante da
locaylo do botequim do theatre Santa Isabel, no
sentido de ser prorogado per mais dous annos o
respective contracto.-Communicou-se ao adminis-
trader do theatre Santa Isabel.
Ao engenheiro das Obras Publicas.-Infor-
me Vine. sobre os pantanos alludilos nos oflicios
juntos do Dr. inspector da saude publics e Cama-
ra Municipal do Recife indicando os meios de ex-
tinguil-os.
Ao juiz municipal de S. Bento.-Represen-
tando-me o j t pal i 19 sup'.
plenty, desse tenrmo, qua a respective junta clas-
sificadora, dera aos escravos Agueda e Jose, pre-
feridos para a libertaggo per conta da 5' quota do
fundo de cemneipaggo na classificaVio approvada
por esta presideneia, em 31 de marmo, os valores
que lhe aprouveramn, sem ouvir o senhor dos mes-
mos escravos, e sendo isso contrario ao dispos'o
no artigo 37 do r.gulamento de 13 de nvembro
de 1872, al6aam de que cm outra classificacao de 19
de janeiro, nao approvada, a dita escrava figaron
corn o valor de 8005000, accordado ou nao entire o
senhor della e o rpspectivo collector, determine
hoje a este sob a respensabilidade crrmial, que
promova perante Vmnc. aleido arbitramento de
conformidade corn o cita'do artigo, se nao houver o
alludido sccordo.
0 que communico a Vine. para os fins conve-
nientee, aguardandotque-dar-m3-ha conhecimento
do resultad,).-Officioa-se neste sentido ao collec-
tor de S. Bento.
Ao Sr. Paschoal Marie Muzella, emprezario
do theatre de Santa Isabel-Devolvo a Vmc. a in-
formagao que presto em 19 do eorrente, hoje re-
cebida, visto estar coacebida em -termos inconve-
nientes e nao powder per isso ser .tomrnaio em consi-
deragao. .A
Declaro-lhe outrosimque dep prestar a fianga
de 2:00000, a que 6 'brigado, dentrni de 48 ho.
.ras, sob pena de ser rescendido o cSV04cto, e que
nada tern que ver essa empress coin oi espectado-
res que, do camarote da directorial" do-theatro as-
sistirem aoasespectaculos.-Communicoi-se a di-
rectoria do theatre Santa Isabel.
Ao concessionario de liuhas telephonicas fies-
ta cidade -Providencie Vmc. sobre a collocado
de apparerhos telephonicos e sous accessories nos
quarters do 2o e 14* batalhoes de infantaria, come
foi recommendado em 11 de junho ultimo, provi-
denciando igualmente para que eeja concertado o
que foi assentado no quarter do commando das ar-
mas.
Poetarias :
De accord corn o artigo 57 da lei n. 1,718,
concede a autorisaieo solicitada, pela Camara
Municipal do Recife pare supprir corn a quatiat
de 1:50L)5000 A verba-Eventuaes-do orramento
vigente polo modo indicado em sen officio, a que
respondo, n. 47, de 23 do corrente mez.
0 Sr. gerente da companhia pernambacana
made transportar ao Rio Grands do Norte, per
conta do ministerio da guerra, na primeira oppor-
tunidade, 4 caixoes corn 2,180 decimetres cubicos
e l fardo pesando 25 kilos, volumes estes que vae
conteudo artigos de fardamento dastinados a com-
panhia de infantaria daquella provincia.-Com-
municou-se ao director do Arsenal de Guerra.
Mutatis mutandis mandando transporter A
Parahyba 6 caixoes corn 3,098 decimetres conten-
do fardameato.-Communicou-se ao director do
4rsenal de Guerra.
Mutatis ,.utandis mandando transporter ao
Ceura, um caixbo corn 65 decimetros, contend
fardamento.-Communicou-se ao director do Ar-
- senal de Guerra.


sua viagemoa
ma data oex


ae smn


DESPACHOS DA- PBBM1DENCA
DE AGOMi0


Do Dsk 12


Antonio Jos6 Duarte Coinlw .-A eminsAo d
apolices de 5 o/0 foi autorimada pni liquida$#do
oxercicio do 1883-18 ; e ue adivida doeque
se trata abcha-se compreedi na lei de orga-
mnuto vipate, cumpre a moplimpte aguardat
opportuanidade para sou pagammto.
Coronel Clawlino Corria d"lelMl.-Como ore
quer, pagaudo o recibo.
Ernesto da Siva Miranda.-Intomi o Sr. ins-
pector geral da Instrueco Publics indicando
eadeira. "
Francisco Antonio do Oliveira.-Deferido comri
officio da hoje so Thesouro Provincial.
Jos6 Merquiades Bizerra da Silva Costa.-Coc
me requer.
Jose Xavier Carneiro de Barroes Campello.-CoW
mo requer.
Capitao Leopoldino de Cezar de Sousa Moraes.
Informed o Sr. pommandante superior da Guards
National da comarca do Recife.
Lydio Mariano de Albuqnerque.-Defexido corn
o officio de hoje aofThemouro PoovinciaL
Manoel FranclsoWlUos Santos.-SerA atteddidu-
brevemente.


Seeretaria da Presidencia de Pernambuco, 13
de agosto de 1884.
O porteiro,
J. L. Vegas.

Comando. .dla Aroas .
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS Alt"
MAS DE PERNAMBUCO, 13 DE AGOSTO DIE
1884.
Ordem do dia n. 1,478
Honrado corn a confianga do governor de Sua
Magestade o Imperador, que houve per bem per
carta imperial de 11 do corrente nomear me pre-
sidente da provincia de Matto-Grosso, annancio A
guarni9Ao que deixo o exercicio do cargo de com-
mandantec das arms, por ter de retirar-me hoie
desta provincial, passando-o As mlos do Illm. Sr.
coronel do corpo de estado-maior de 2a classes
Francisco Camello Possesoa de Laeerda, secretario
deste commando, a quem per direito de antiguida-
de compete substituir-me.
Faltaria A verdade se em um memento tio so-
lemne deixasse de patentear o quanto dovevo a tao
distinct@ official, em quern, por sunas lazes, zelo,
lealdade e consummada experiencia, folgo do re-
conheeer um dos mais habeias secretario military
Aos Srs. tenentes Joaquim Jcrge de Mello Fi-
lho, do referido corp3 de estado-maior, e Franeis-
co Miguel de Soura, do 2o batalhio de infantaria
este, men ajudante de orders de possoa, e aquelll
ajudante de ordens enearregado do detalho, tam
bemrn louvo e agradego pela intelligencia, zelo e
lealdade corn que b3m cumpriram seus deveres.
Os Srs. cirurgibo-m6r de brigada graduado e
delegado do cirurgiao-mn6r do exereito nests pro-
vincia Dr. Francisco Homem de Carvalho e capel-
lao capitao do corpo ecclesiastico padre Le nardo
Joao Grego, na qualidade do mais graduate de
seu corpo, tambem seo credores dos meus elegies,
polo bemrn que correu o serving a cargo de cada
uma dessas corporauoes.
810 ipa~lneito mrnoroodores da urlaha -ri~f
polo mitto bem que cumpriram os sous deveres te
minantiveram na devida altura a discipline nos res-
pectivose corpos os Srs. coronel Joaquim Caval-
cante de Albuquerque Belle e major Roberto Fer-
reira, commandant e fiscal do 14 batalbho de
infantaria, tenente-coronel Manoel de Azevedo do
Nqscimento e major Luiz Antonio Ferraz, com-
mandante e fiscal do 2' da mesma arma, e capital
Thomaz Alves, commandant da companhia de
cavallaria.
Ejn a ordem do dia n. 1,460, annunciando A
gtiatnio que entrava no exercicio do cargo que
era deixo, fazendo urn appello aos Srs. commahn-
dantes, officials e soldados a quern reornmmendei
fizessemn do brio e. da honra military os sens mais
prezados attributes e o movel sob cuja acao ee
dever'am sempre se impulsionar, disse :
a Conto'que o tfarAo, e mais tarde quando che-
gar -o -termino do period que hoje comeca, te-
reoa immense sattsfago de, mnventariando os seas
acontecimentos, nao encontrar um s6 qne deslustre
a briiosa guarnigo de Pernambuco.
E assim 6, felizrmeue, parn mim, que saudoso
me retire serm teU tidS o constrangimento de, nem
urma vez sequern usar dos meios rigorosos corn que
as leis me armaram para reprimir os crimes e as
contravengoes da discipline.
Assignado.- Flo-riano Peixoto, brigadei-
ro copnman4ante das armas.
Conforme.k 0 tqnonte, Joiquim Jorge
de Mello Filho, ajudante de ordens encar-
regado do detalhe,

QUARTEL DO COMMANDO DA8 ARMAS DE
PERNAMBUCO, 13 DE AGOSTO DE 1884
Ordem do dia n. 1,479
Chamado em virtue da lei para exercer it&ri-
namente o cargo de commandante das armas des-
ta previncia, per ter de seguir para c6rte opJIlm.
e Exm. Sr. brigadeiro Floriano Peixoto, qo vai
exercer o de president da provincia de Matto
Greosso, con cuja confianca o honrou o governor
de S. M. o Imperador; assim o declare a guarni-
91o para seu c.,nhecimento e devidos effeitos.
Da lealdade e zelo dos Srs. commandites de
corps c respective officialidade, a quemr muito
coasidero, espero a necessaria e indispensavel
coadjuvacao, no sentido de manter-so a discipline
e coaseguir-se a possivel regularidade do service,
nas circunmstancias aetuaes.
Para servir interinasuente o lugar de secretario
deste commando, nomeio corn assentirmnto 5do
Exzr. Sr. desembargador presidente da provincia,
o Sr. alferes do corpo estado-maior de 2, classes
Jos6 Elisiario dos Santos.
Continuam em vigor as orders emanadas do
distincto e illustre general a quern tedlgta henra
de substituir. -
-t (Assignado).--rancisco Camdio Pesea de La-
cerda, coronel commandante das armas itrtehi. [
Conforme.- 0 tenente Joaquim Joiytie MUG
Filko, ajudante de ordens, encarregadlo 6 detalbe.


8 ACOSTO Dnu1884,
*ueirode.-4unto-uo.
Am d Cost Barbo-4-
Ao Sr. thesoureiwo para
a Braga, Areaujo Catro
a.-Ao coatoscioso para


SAnna FerM*a rws.-Ao Sr. Dr. adftinia-
tradr do oemftIo para cumprir o despacho da
junta.- .
David da Silva Msia,'Aniceto Augusto di Silva
e outro e Bento de Freitas Guimaires.-Ao Sr.
,ptro ars etroge.ogar.
ZIrmandade deSanta Cecilia.-Ao Sr. contador
para os devidos ins. -
Marianno Jacinthe dos Santos.-Ao Sr. Dr. ad-
mlostrador do Consulado pira attender.
Miguel Antonio'de Figueiredo e Ordem Sa'de
8. Francisco..-aja vista o Sr. Dr. procurador
fiscaL
Officio do Dr. chefe de policia, officio do Dr. pro-
curador dos feitos.-Informe o Sr. contador.
9-
Joo Sacerdote Ferreira da Silva.-Eutregue-
se pela ports a petipAo.
Francisco de Paula Souza Lelo Junior.-Ro-
gistre-se e f&am-ae as devidas notas.
Jos6 Fetteira de Oliveira e outra.-Haja vista
o Sr. Dr. procurador fiscal.
Jos6 Francisco de Almeida Rosa.-Pague-se.
Manoel Vicente da Cunha e Jos6 Mathias da
Fonseca.-Volte ao Sr. -entador.
Fancimce Auguato Paes Barreto.-Cumpra-se
i porta-ia de licengo de que se farbo as devidas
notas.
Jo4o Gomes da Costa e collector de Garanhuns.
-Haja vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Jos6 Ferreira da Costa.-Junte conhecimento
de decima do ultimo semestre e prove o allegado.
Testamenteiras de Manoel Jos6 Lopes Guima-
ries.-Como pede, ficando e6pia per certidio.
Visconde da Silva Loyo e Joao Joaquim Alves
de Albuquerque.-Informe o Sr. contador.
Alfredo & Ferreir..- Informe o Sr. contador.
Lydio Mariano de Albuquerque.-Informe o Sr.
Dr. administrator do Consulado.
Francisca Joaquina Alves Rodrigues e Fielden
Brothers.-Informe o Sr. contador.
Amelia de Santa Rosa Cunha.-D6-se.
-10-
Pret do Corpo de Policia.-Ao Sr. contador pa-
ra mandar examiner.
Joao Jos6 da Silva, Izidoro Marinho Cesar,
Francisco Tavares da Silva Cavalcante e commis-
,do de estudos da molestia da canna.-Informe o
Sr. contador.
- Miguel Antonio de Figneiredo e Joaquim Tei-
xeira Bastos.-Informe o Sr. Dr. administrator do
Consulado.
Antoni3 Francisco Corga e Jos6 Ferreira Cam-
pos.-Certifique-se.
Padre Jo3 Vasco Cabral de]Algonez e Elpidio
de Carvalho Raposo.-Juantem-se copias das infer-
ma5oes.
Antonio Francisco Corga.-Satisfaga a disposi-
c,1 do art. 282 do regulamento de 2 de julho de
1879, juntando. conhecimento da decima do ultimo
sernestre. -*!
JoA Fperreirk ^ ,bsta.-Prove o allegado.
Josa'Marcelne da-Silva Bragsa, Basifo Gomes
Pereira Rodriegus e Jobo Joaquim de Siqueira
Varejlo.-Registre-se e fa6am-se os devidos as-
sentamentos.
SVigario Floriano de Queiroz Coutinho.-Jun-
tern-se c6pias das informag5es.
Leovegilda Maria de Souza Cordeiro.-Informe
o Sr. contador.
Ccmpanhia Pernambucana.-Ao Sr. contador
para sen conhecimento e ao Contencioso para la-
vrar termo de contract.
Joaquim Firmo de Oliveira.-Juntem-se copias
das informa9eos.

Consulado Provincial
DESPACHOS DO DIA 13 DE AGOSTO
Jos6 Ferreira da Costa, Joaquim Ber-
nardo dos Reis, Ferreira da Costa & Ir-
inle, Carvalho &C., Antonio Dias & C.,
Francisno Xavier Bezerra da Cunha, Ir-
mandade de Nossa Senhora da ConceigIo,
Alfredo de Leaios Araujo, Moreira &
Duarte, Etelvina Candida de Paula Arau-
jo, Miguel Antonio de Figueiredo, Jose
Barreto & C., Jose Joaquim da Costa &
C. e Antonio 'Gongalves de Azevedo. -In-
forme a aI sec a o.
Custodio Francisco Martins. -Junte co
nhecimento de decimal relative ao ultimo
semestre.

Camara Eualelpal '
ACTA DA SBSSRO ORDINARIA DA CAMA-
RA MUNqGIPAJL DA CIDADE DO RECIFE,
EM 30 DE JtJ*4O DE 1884.
PRESIDENCiA. .X0 SR. COMMENDADOR MORAES
AOs 30 dies do mez de julho do anne de 1884
achando-se presentes As onze horms da manhd,
no Paeo da Camara Municipal da cidade do
Recife, os Srs. president da mesma, commendador
Josa Candido de Moraee e vereadores, faltando
eom participaco o Sr. Nactividade Saldanha,
assumio o St. president a cadeira competente,
e declarou aberta a sessbo.


Lida a acts da anteeedente, e postal em dis-
cussio, foi approvada plenamento, e assignada,
seado tambem approvadas, e asiguadas algumas
redac91es de offieio &irigidos a presidencia.
Antes da leituado expedient, o Sr. Dr. Bar-
roe Rego, obtendo a palavra pela ordem, disse,
que a Camera havia proferido um despacho illegal
na peti0o de Francisco Jo6 da Cunha Sampaio,
eoncedendoliees para qae em son nome indi-
vidual se finesse na collect a note do transferen-
cia da padaria sita & rAu Marquez do Herval, que
gyrava em nome di firmaa social Raholie & C.,
ii

visto ter sidA mssolvida esta sociedad ha mais de
anno, ficando s6 o supplicante Sampaio a figurar,
come done do estabelecimento.


Falhem idsa 1 obre a mataria oe 8r.. padre
Mello, eapitbo J419 Torrese CCassy do Bego,4ej-
te no ase.tido de le pareme incomplete a propo#-
ta do Sr. Dr. Barros Rego.
Por fim Malnu tmrben o Sr. Dr. Jos4 Osorio,
que eoneluio mandando A mesa a seguinte pro-
posts:
S Proponho quoq se suspends, a deliberao to-
mada pela Cs ara, at6 que Francisco Jos96 da.-
nha Sampaio prove ter foito part da firm Ra-
bello & Irm1o, que se acha collectada na Camara
e nio da firm Rabello Irmio & C., que a Cams-
ra verificou nao aehar-se collectada. Jo4W Oso-
no .
Posta em diseussao a proposta, e eneerrada ella
a votes a requerimento do Sr. Dr. Barros Rego,
salva a proposta, foi plonamente approvada.
Posta s votos a proposta, ou emenda do Sr.
Dr. Jos06 Osoo, flt tambem approvada, votando
contra o Sr. Dr. Barros Rego.
0 Sr. Dr. .es Cavalcaute, obtendo a palavra
pela ordem, fallout sobreQ a fiesta, que foi re6sbvida
e se prepare para soleninisar. o decimo terceiro
anversario da lei de 28 de setembro de 1871, e
fez donsideraoes adhlrindo e levando o pensa-
mento, que presidio A deliberato desta Illma. Ca-
mara para fazer-se urma fiesta commemorativa des-
te glorioso dia e assim applaudindo os gonerosos
e patrioticos intuitos dos illustres legisladores,
pensava que se devia dar um testemnunho solem-
ne de apreco aos pernambueanos, que mais con-
tribuiram pars a adop*o da referida lei.
Per isso ia proper quo seja collocado no dia da
alludida festa em a sala das sessaes da (amrnara o
retrato do con'eslheiro Joao Aifredo, per ter sido
um dos mais extremes collaboradores d'aquella.
patriotic e bumanitaria lei e mandon i mesa a
seguinte proposta:
SProponho que no dia da festa commemorati-
va do gran le acontecimento politico e humanita-
rio, que de 28 de setembro de 1871, da qual foi um dos
mais easforgados collaboradores o distinct esta-
dista pernambucano o couselheiro Joao Alfredo t
Correia de Oliveira, esta Camara promwveudo a
acquisigo do retrato de S. Exc. o colloque na sa-
a de suas sessoes, onde devera permanecer em
testemunho de homenagem ap seu alto mereci-
mento.
Paco da Camara Municipal, 30 de julho de
1834.--Jo i Francisco de Gdes Cavalcanfe u.
0 Sr. commendador Nevcs emaparte ao Sr. Dr. a
GSes Cavalcante, disse que havia fteito tambem n
igual proposta reoerente ao Sr. conselheiro Joalo
Alfredo, quando se tratou dessa festa, cahindo a t
sua id6a; por isso hoje exultava de jubilo por ver u
que tfoi ella reproduzida e qui A aceito, e appro-
vada pela Camara, fidando d'est'arte realisado o (
seau desideratumj pois que, al6m de incontestavel
e elevado merecimento do Sr. conselheiro Joao ,
Altredo, tinha verdadeiro orgulho de reconbeeer s
n'este respeitavel e distintissimo cavalheira" per
nambucano, urn estadista profundo, urn dosm2s8 .
extreiios collaboradores da lei do element se9rn!; p
via finalmente n'elle una summidade brasi- a
leorn. 1
0 Sr. president declarou que, desejando resol-
ver qualquer difficuldade financeira per parte da t(
Camara pars realisar a idea contida na proposta V
do Sr. Dr. G6es Cavalcante, pOadia licenga para P
offerecer A Camara o retrato do Exm. Sr. conse-
theiro Job Altredo.
0 Sr. Dr. GWes Cavalcante continuaudo em sen
seu discurse e respndendo aum apart do Sr. 0
Dr. Joao Augusto, affirmou nao haver em sua pro- d
posts espirito partidario e que nem a Camara de- .
via fazer d'isto questao politics, do mesm' m)ido
que nao fez, quando se tratou do noma do Sr. con (
selheiro Theodoro Silva, que tambem 6 um con-
servador distincto,
Posta em discuasbo a proposta, o Sr. tenente d
Viegas. obtendo a palavra, disse que havia nesta
mono duas consideracoes a fazer-se: la que no r
dia em quo foi esta idea aprosentada pelo Sr.
commendador Neves, cahia, parqua a Camara d
considerou a fiesta do dia 28 de setembro corn
urma testa social e nio political, escolhnndo o cn-a
selheiro Theodore Silva peor symbolisar nos intui-
tos dos proponents o ter side elle quem referen- t
dou o decreto da lei do element servil.
Que reconhecia o merito e apreciava o sen dis-
tiucto patricio o Sr. Joao Alfredo; mas que nao
via razao para apparecer agora a proposta de que i
se tractava. (
Que a segunda considerato era a escacez do e
meios para se levar a. effeito a proposta; mas,
quando mesmo fosse debellada esta necessidade i
peouniaria polo offerecimento que acabava de ser
feito polo Sr. presideote, todavia votava contra,
per tomar a festa um character politico.
Fallaram ainda contra a proposta os Srs. Drs.
Joao Augusto e capitAo Torres. I
Encerrada a discussao e postal a votes a pro- ,
post corn o offerecimento do Sr. president, foi ,
tudo approvado, votando contra os Srs. tenente
Viegas, Drs. Joao Augusto e Carneiro da Cunha, ^
e capitao Silva Neves, tendo-se retirado da salad o
Sr. capital Torres. ^
O Sr. president poz em diseussao o project do
novo Matadouro da Cabanga, adiado na sesseo ^
passada.
0 Sr. Dr. Joao Augasto, obtendo a palavra, se g
oppoz energicamunte a proposta ou project do
nwo Matadouro da Cabanga, fallando extensa-
monte sobre a materia, que desenvolveu em or- r
dem a mostrar sua inconveniencia, considerando-a


j corn relagio ao mode do contralto que devia
ser precedido de coneurrencia; e jA corn rela-
cao As finances da Camara, allegaudo que corn
a adopgAo de tal project ou proposta perderia
a Camera consideravel somma de sua arrecada-
9o em proveito somente do proponents, e coa-
cluio dizendo qae per todas estas considerag5es,
votava contra a proposta.
0 Sr. capitao Torres, obtende a palavra, reque-M
reu verbalmente o adiamentb da diseussio da pro- .
po3ta atW que fosse publicada a futura lei do or-
gomento municipal, e come continuasse a discus-
alo, retirou-se dizendo que assim o fazia porque b
queria votar conhecendo a lei.
Em seuida o Sr. Dr. Jos6 Osorio, obtendo a
palavra, disse que so havia conservado silenciosoe
so'3re estate questdo atW agora ; mas que tinha ne-
cessidade hoje de declarar o seu voto. r
rA
Que nao entrava nat questio de saber se a Cai.
mara tern ou nao comp3tencia para fazer tal con- J
tracto ; e ainda mems no que dizia respeito ao
grande resultado que o contractante podia tirar c
do mesmo contract. e
Que a sun questio principal 6 outra, qual a de n
saber se a Camara pide, attento o sean estado de a
financas, fazer essa obra de custo tUo elevado.
Entendia quen aO pode, e tanto sao bastante c
para votar cbntr o ontrato que pretente.
e paa elor fndaratar o sea vot.), is de-
Ma wtra ern cifas tas do oramento deste a
Que a receita da Camara poderA orgar em .....
300:00"000 : qne deduindo-se deta-reeiia cer-
ca de 190:0000, a qtanto mont-, segundo Be
'diz, o papuentodes a no faturoeor-n

l ntsm. & i m juav(msw ta6 ttm ta rd tj


tuaes s eta _ipedo que s6 aver ea
despede annialmente 30:00, 00 qaat e3 ;*
que reunida aos demrai service acima enumeM H
das, prefaz a de 96:000,000, excluida & do hfig
tduro.
Que em taes condiges, e a realar-se cel
traeto, ficara a Camara corn a quantia de 10:-
pars bervios urgentes e inadiaveis, que des
dem 96:00A0ooo, o que importava dizer quoa,
podia a Camara mandar varrer ao menos as
principles da cidade.
Que nao se oppunha a algum melhoramento I
Matadouro mas, que estes devem'ro feitos(
accordo.como estado financeiro da Camara.
Que a questio de adiamento per oito dias sob e I
a votaco do contract nao tern importancia, pWj-
que em qualquer sessbo o seu voto sera sompico. -
mesmo, e julgava setr este tambem o voto da male"
ria da Camara, segundo observou pola discussao. r
Quae nao pretendendo discutir nem pronunciar" '
se mais sobre tal questao, declarava desde logo
que votava contra o contralto, deixando escripto .
o sen vote juntamente corn o muito digno Sr. pre-
aidente, cuja declaraco era a seguinto : -
Votamos contra :
1." Porque, achando-se a Camara Munieipal em '
mis condi'3es de finangas corn o debito de ceres a
de 360:0005, grande part do qual (cerca de..... ,
354:0005) vence juros, deveria ser o seu primeiro, .
cuidado libertar-se dessa divida .':s
2.0 Porque, sendo a obra de que se tract, dae- r
um custom elevado, nao pode ser feita presente-.'!-
monte pela Camara, sem desorganisaWao dos d4'
verses services a cargo da municipalidade, alguzW i9WU
ios quaes ficarlo paralisados; porquanto des- :'
viando-sM da reeeita geral a renda. do MAtadouroi"
que devera ser entregue ao contractante polo eile!
paO dequinze annos, come sepretende, ficai....
reduzida a receita municipal, e por conseguite t
prejudicados services urgenfes e que jA so feitos
irregularmente por falta de receita municipal
abundante.
3.o Porque o actual Matadouro da C ibanga, re*-
tos os melhoramentos, satisfiz as necessidades do l
municipio, que nao p6de exigir da Camara urma
obra custosa e dc luxo, quando as su is condicoes
inanceiras nao o pcrmittem.
4.o Porqne a iniciativa do novo Matadouro nao
partiu da Camara, que ainda ha p3ueco temp), in-
xovando o actual contract do Matadouro, raco- e
iheceu que n'este o serviVo era faite rgularmento
Scorn limpesa, porque, quando a Camara tivesse
iecessidade de tal obra u podesse realiaal-a, deve-
ria fazel-o, abrindo concurrencia, conform precei-
ua a lei do 1.o de outubro de 1828, e nao pola for-
na porque se prctende.-)osd Osorio, Moraes.
Os Srs. Dr. Barros Rego e Correia de Araujo,
>btendo a palavra sustentaramrn seus pareceres.
Semnelhantemente o Sr. paire Mello sustentou o
ieu, dade em separado, sendo n'esta sustentag.o
secundado polo Sr. tenente Viagas.
0 Sr. Cussy do Rego, obtendo a palavra fallou
ubre a material em sentido desfavoravel A todos os
pareceres, e concluio dizendo que queria que se
construisso o Matadeuro de conformidade corn a
ei organic da Camara. :
Encerrada a discussao, e quando o Sr. presiden-
e ia por a votes os dous pareceres, o Sr. tenente
Fiegas pedindo e obtendo a palavra disse que a
rimetra votaelo devia ter lugar sobre o adiamen-
o pedido polo sau coltega o Sr, capitIo Torrnes e
omno se entenda que retirando-se ease Sr. verea-
Ior, desistio assim do seu requevimento; por o W :
0 feia seu, e justificando-o, coneluio que era ells
Ie today a razio e procedencia, porqne os pirece-
es dos Srs. Dr. Bar-os Rego e Corraia de Araujo,
bem como a declaraglo de vote do Sr. Dr. Jls6
)asorio, em seuas calculos eram baseados no orca-
aento vigente, que tern de expirar breve, e asse-
gurava a Camara que o future orgamento, que toern
le principiar em o 1.' de outubro, traz dous dis-
positivos mui terminantes A respeito do Matadou-
o : 1.0 autorisando a Camara a fazer noveo Mata-
Louro ; e o 2.o ordenando 'que a rends liquid do
[atadouro seja s6, e sdinente applicada per estes
lias, a vista da qual a Camara melhor resolveria
acerca d'esta important-s questao.
Nests occasigo appareceu no recinto o Sr. capi-
lo Torres, e reclamou pela votacao do seu reque-
imento, que sendo o mesmo aceito polo Sr. tenente
Viegas, fai posto a votes contra seis, votando 4
aver os Srs. tenenre Viegas, commendador Neves,
'adre Mello, Dr. Jose Osorio, Cussy do Rego, Dr.
)arneiro da Cunha, capitbes Torres e Silva Neves, .
n coronel Octaviano de Souza; e contra os Srs.
iresidente, Drs. Goes Cavalcante, Corrreia de
xraxjo, B-irros Rego, cornel Decio e Dr. Jobo
&ugusto.
0 Sr. tenente Viegas. obtendo a palavra pela
irdem, fallout sobre a epidemia do cholora-morbus i
to sentido de sarem tomadas ljrovidenoias, que o
iceautellem a invasbo do tal epidemin, e coneluioe:
,andando a mesa a segniute proposta, que iA ap-
>rovada plenamente :
Proponho que se chame a attengiio das fiscaes :
lo municipio pars severa observancia dos arts. -
.o, 3.0 e 4.0 da lei n. 1,178, o especialmente ao da
r'guezua do Recife pare o artigo da citada lea,
isto ser aquella freguezia, aonde estA o ancora- r
aouro dos navies na carga e descarga. _..
Outro sam, so publiquem es citados arigos pare ns-
ciencia dos donos dias embarcac5es miudas. Si


R. Emn 30 de julho de d188.-Viegas.
Em seguida mandou tambem este outroe reque-
rimnento que justifieo.u, e foi semelhantemente ap-
erovado:
Requciro que a Seerctaria inform antes da ses- l
So fatura d'esta Camara quem era o fiscal da fre- -
nezia de Santo Antonio cm 17 de abril de 1882a
. R. Em 33) de julho de 1881-VKiegas.
0 Sr. Dr. Carneiro da Cunha, obtendo a palavra
lisse que come esta questdo se prendia A hygiene
a fazer algumrnas consideraq5s no sentido do se-
em ao menos minorados-os effeitos d'essa epide-
mia, e lo o seguinte trabalho, preservando regras
hygienicas A seeremn observadas, come media pre-
'entiva da invasao da alludida epidemnia.
Conselhos sobre a prophilaxia do cholera-mor- .
bus
)US : ^11'
A prophilaxia do cholera-mirbus abrange 3iag s
species de medidas: l.a as prescripVZes de hy- .
tiens, quer privada, quer public, que tern per fl &a
preservar individualmente, e as populaq5es em go- -
'al; 2." as medidas de policia sanitaria, cujo ohb- ^
ectivo 6 impedir a propagagco da epidemia.


I


























SDeve-se coan
Dlavel condieio As 'preU I
.igorosa dos qAi, S, jui.B O i
i stas devem ser x Rmiaente I sb*a e de*i*
Wdtas par uma soluco de sulfate de ferro na
porAo de mu p ara oito. .
BSe ha na casa caso de cholera, 6 preciaso l a
trinas sem demora as dijeeoes dos ,
i. infectar os objects eontaminados por elas,'le.
aiyi-thes as aups do rpo da eai w e.-
tel-as em seguida aos vapores do ldhbrcou de enA
fre, ou- queaimil-as quando teem pouco valor.
K Ate agora temos passado summinaranente emt
4wb ..ista as medidas, que cada qual deve tomar,
lsUando esta imminent, ou ja tern feito explosa
rma epidemia deigholera; e o melhor meio de fa-
i '-s oaheidas 6 pr6raover esta camera a sun
uphlicaSo corn as devidas ampliaces.
Vejamos agora o que compete aos poderes pa-
F;.: --1cos-ceamara e administrao'o da provincia fa-
l ier em tal eaiergencia.
.... E' impossivel prover, quauto ai quantidade e
p q 'ialidade dos alimentos da populango; mas con-
1 0m insistir particularmeune sobre os perigos da
a o mbriaglez. t o,
S. ..t umna media, tanto mais necessaria, quanto e
1irjuizo arraigado no nosso povo, que o alcool 6
vi3Btnhor preservative contra o cholera.
A administragao public dove nomear commis-
sues de medicos, e pessoas de boa vontade, que fa-
tam visits domiciliarias, ao menos uma vez por
emana; informem-se do estado de saude de cada
habita.ite, assignalem A autonridade as condigSes
de insalubridade, que mais directamente ameacem
a sadde pablica, c que estejam no caso de ser re-
movidas e fornecer os desiafectantes aos pobres.
Os alojamentos humidos," mal arejados, insuffi-
cientes, devem sei arejados, e caiados A custa dos
particulars, ou pelos cofres publicos.
Deve-se exercer especial vigilancia sobre as la-
trinas publicas e particulares, e prover ao samea-
mento por meio de desinfectantes
A tal respeito cable a presidencia da provincial
exigir da Companhia Drainage o stricto cumpri-
mento das clause as, que a obrigam a fornecer aos
apparelhos a agua sufficient para impedir a exha-
laglo das materials exerementicias ; porquanto, se
tivermos a desgraca de ver o aosso port invadi-
Sdo peL) cholera, serao os apparelhos da Drainage,
S. has condioes em que se acham os seus principaes
Spropagadores.
E' precise velar pela boa conservaqao dos po-
qos e cacimbas, mandando tapar sem demora os
que se acharem em communicagao corn as infiltra-
coes provenientes de esterquilinos, ou latrines.
A' Camara Municipal cumpre empregir todas
as forgas no sentido de melhorar a sua limpeza
public ; do rnesmo modo cuinpre A administraiao
da provincial o fornecimento de dous bateloes, des-
tinados A conducao do lixo, mormente o da Drai-
nage para umn panto da ilha do Pina, onde seja in-
einerado de 15 em 15 dias pelo meuos.
So chegar a explozir a epidemia, 6 de toda a
necessidade regular no hospital Pedro II os me-
Ihores mreios de isolamento dos cholericos, on, o
que Z prefer ivel, estabelccer o servico dos choleri
cos indigentes cm pavilhao isolado, coinpartimen-
S tos distiuctos para os casos graves, ligeiros e de
convalescen"a; e do mesmo modo, que nao deve
ser descuidado o servico das inhumarSes, a salu-
bridade dos cemiterios, e sobretudo prevenir o ac-
cumulo dos cadaveres.
As quarentenas s6 prestam real servico quanudo
ntell.oentemrnte installadas, e cntrcgues a urma-
direerao capaz de revolver A cada instant as dif-
ficeuldades nascidas de cada caso particular; do
contrario tern sempre como resultado medidas ri-,
diculas, vexatorias e -insufficientes; d o memo mo-
do que os Lazaretos podem constituir um perigo
para a sadde public, desde que sejam destinados
Sagglomeraeao de pesseas atacadas do cholera, |
o que corn certeza obrara como eausa de reforeo A!
epidemic.
&3"im, considerando que. pela nossa posicoa
geographic 6 esta cidnde d'entre todas as da Ame-
rea do Sul, o ponto mais exposto A invasio def
uma epidemic -trazida da Europa, e pelas condi-
Oies t )p,)graphicas e geodezicas o lugar inais -pro-
prio parn germinagio e armazenamento de virus
o miasmas de today a especie;
De outro lado, considerando que a fransmissi-
bilidade do cholera, send apenas provavel pelas
mercadorias, da-se, certamente, par intermedio do
homa m e dos objectos de sen use, provenientes de
lugares iafeetados, mormacte se estes effisitos con-
servaram-se durante a viagem ao abrigo do con-
tacto do ar livre ;
Considerando ainda que a aitmosphera so poa si
nao conduz o germon dio cholera alem de duns mi-
lhas, mas que entretanto a cotlocacao de um laza-
reta em terra do continentepade serperigosa para
os lugares visinhos pela iinpossibildade, em que
se aina a policia a mais vigilante de obstar a com-
unicacao de emprcgados, etc.
-';- Considerando mais que nao ha exemplo de ex-
i^'< plosao do cholera depois de 20 diis & datar do da
,- sahida do porto infectado ; acouselhamos que seja
instituido um lazareto na ilha de Santa Aleixo.
Que para elle desembarquem todos os individnos
n-allas e mercadorias, vindas dos pontes infecta-
dos.


Q e, so a carta do navio for limpa, e a sua via-
gem inaior do 20 dias, s6 haija no lazareto a .le -
mora sufficient para vcntil.ago das mercadorias,
e desinfectaeao das baga-ens e das cartas.
Que se a carta do navi-) for suja, ou simples-
mente duvidosa, s6 desembarquem para o lazareto
os 'individuos nao atacados do mal, devendo os
doentes scr logo conduzidos para o pavilhao isa-
lado, cuja creagao pedimos, ou ficarem A bordo,
-caso este ainda nao tenhe sido instituido.
Que naste caso (de carta suja, ou des'.nvolvi-
omento da epidemia A bordo), a quarentena seja de
20 dias.
Qui seiam immediatamente removidos para o
pavilhao isolido, os que forem sando in adidos do
K mal no lazareto.
r .* Que finalmnente dos navios de carta limpa, em-
bora de ports infectados os pas-:ageiros s5 se de-
morem no lazareto o tempo necessary para prefa-
zer o curso de 20 dias a datar do da sahida.
Recife, 2 de agosto' de 1884.-Dr. Carnciro da
Cutiha.
Lido este pareeer, o Sr. Dr. Goes Cavaloante
mandou A mesa a seguinte proposta, que foi ple-
namente approvada sem discassio :
S, Propoaho que so represent ao president da
- provincia nos terms do parecer do commissario
de saude public, solicitando as providencias ne-
cessarias, para que se obtenha uma hygiene publi-
ea mais ou menos regular.
( E que se ordene aos fiscaes do municipio, e
"medicos da Camara para que observe as pres-
S eripoes hygienicas indicadas pelo mesmo commis-
sario.-Goes Cavalcante. ,


ADDITAMENTO AOS DESPACH08 DO iU 9
Pdoe 8r. presidente commendador Moe-
rises, no imapedimento do coimmissario de po-
licia :
Jos Paulino dCIa Silveira Lac.rda, pedindo que
sejam feitos os dovidos laa4uamentos a sentido
de ter comprado a padaria que foi do falecido
Manoel Jorg de Sousa, sita n, largo a Ioleda-
de u. 4 Afeguezia diaiaB-Vista.--Sim, pagos os
devidos impostos.
Manoel Soara & C., pedindo licenaga para trans-
tormar em refinaco o depoasito de secoas site A
run de Vidal de Negieirosn. 93.-Em viata.daia-
formaoeo do fiscal nao p6de o supplicate ser at-
tendido.
Soares do Amaral Iruioas, pedindo que se de
baixa no lancamento do imp sto referante ao ar-
mazem n. 6 a rua do Ba-lo -do Triumpho, vista
achar-sefeohado desde oamez de junho do corrente
auno.-Deferido, fazendo a coatadorin as dovidas


notas.
Pelo Sr.


Goes


rctmecatea cisc., 6 main iftell dew .xer gntda
peos tiscaes e seas aunxliees--os guasrs.- Mns,
pergunta-se : sendo feito s rviecda wmo*o do
lixre '-ds cans duna insemu adda semuaapsa
Companhia Recife Draynag, e per atroe lado
eando nociva a-sooervaod'elle noambiet. on-
finado das habitag6es, 6 jta e razoave l equea
media tomada isoladamente?
Peosamos que nIe, enom o dispositim Usaspos-
turns visou a eventaalidade de una epidemia,
mas sirm as tempos nor-nae.
Import isto dizer que a publicacao das efemi-
das postures nada adiantou para a sanificaaio da
cidade, e que urge que a Camara Municipal saia


Cavalcante commisaro I da sua velha concha e obre coin energia so iatuito


de policia :
Jos6 Antonio dos Santos Cousseir'o, paltndo
que sejam feitas as devidas averbalyes no sentido
de ter acabado corn a sua offlcina do ourives sita
A rana do B irS) da Victoria n. 4.--(omo requer.
Jose Manoel de Sa, pedindo baixa no Ianca-
mento do imposto referente ao estabeleeimento de
taverna ou deposit que existio na casa n. 7 A es .
trada do Bartholomeu, freguezia do Poco da Pa-
nella. Ema vista das informagoes nada ha que
deferir, por quanto o estabelecimento alludido nao
se acha collectado no exercieio corrente. 0 sup-
plicante s6 contiuna -responsavel pelos impostos
dos annos anteriores.
Tito Cesar & C., pedindo Ique sejam feitos os
devidos langamentos no sentido de ter passado a
gyrar sob a firm supra o estabelecimento de cha-
rutos e cigarros sito a run estreita do Rosario n.
40, qae gyrava sob a firma de Teixcira & Cesar.
- Como requer, facam-s3 as aecessarias notas.
11 -
Pdo Sr. Dr. Josg Osorio, commissario
de edificages:
Antonio Jos6 de Souza, pedindo licenaa para
.tomnar algumas goteiras em. a ut casa n. 18 A rua
de Mareilio Dias.-Sim4 avisando ao fiscaL
Antonio de Oliveira Maiaj, par mandar rete-
lhar a an caa -a. U11 rua de Lomao Valeatinaes.
-Idem.
Padre Albino de Carvalho Lessa, para fr&zr
corijad, parapeito, substitair eaihros da eoberta
e levantar o inuro 4da casa n. 10 traveusa dos
Quarteis, da qual e uaufractuaie.. Deikafdo. a
fdrmia do parecer e pago oipoeto.
Fredorieo Chaves, dedlarando ser na ,coberta de
sua casa n. 9 a estrada do Rosarinho, o concerto
que pretend fazer e ouja Iieengsaolicita, samn que
para isso seja preciso bolir aa rented .e .dita .asa.
-Como pede, pago o imposto.
Bacharel Francisco da Cunha MaCnado Beltrao,
por .seu proeurador Themz da Cunha eltAe,
para mandar retelhar a sua cam Mi. 25 ra do,
Padre Eloriaa.-4detm.
Joaquim Machado da Silva, pedindo licengapa-
xa mandar feohar duas portas e duas janellas do
oitAo, transformar em port umna daa.janellas da
frente, tamar goteiras e pequeonoa ;boos em ,saua
casa n. 12 A rua da Conquista.-Deferido, na f6r-
ma do parecer e pago o imposto.
Jeronymo Jos6 Bustorff, para tomar goteiras
ea iua casa n. 10 a rua d4 Santa Crtz.-Sim,
avisando ao fiscaL
Manoel Jose do Naecimeato, par fazer urn pe-
queno concerto noe-eboco-do oitao do predio n. 30
i rua de S. Jorge.-Sim, dando svia o Lsaac0a.

DESPACHOS DE 12 DE AGOSTO D2 184
Peo Sr. Dr. Jose Osorio commissario
de edificages
Aprigio Jo9s da Silva, pedindo licenga para
correr o telhado substituindo caibros da casa n.
181 A rua Imperial.-Como apede, pago o :imposto.
Bernardo Jose de Araujo, replicando, deelara
que es pequenos concertos que pretend fazer em
suas casas ns. 196 e 198, consisted em corner o
telhade, afim de tomar goteiras e subsetituir-tehas.
-Como pede, limitando-se ao novo pedido e avi-
sando ao fiscal.
Fortunate Joaquim de Sonza, pedindo licenga
para fazer uma casa no lugar denominado Cacha-
ea, freguezia de S. Loureno. Si r, de acordo
comn o parecer e page o imposto.
Gabriel Pinto da Silva, para abrir um portio
na frente de seu tcrreno murado sito A Baixa Ver-
de, freguezia da Graga, bern como substituir per
telhas a coberta de zinco de um quarto site no al-
ludido terrcno.-Sim, na forma do pareecr'e paga
o imposto.
Jose Ferreira Campos, para construir um ter-
raoo sabre um quarto do fund de sea predio n.
96 4 rua Direita dos Afogados.-Deferdo, de ae-
cordo corn o parecer e pago o imposto.
Manoel Jos6 da Cunha Porto, par& tomar go
teiras em seou armazem n. 78 A rua do Bareo do
Triumph. Sim, avisando ao fiscal.-
Manoel Joaquim da Rocha para mandar corner
o telhado de sua casa n. 120 5A ran Imperial.-
Sirm, na forma do 32 do art. 48 do orgamento
vigente, avisando ao fiscal.
Manoel Martins Fiuza-Junior, para tomar go.
teiras no arma -em n. 74 I ra -do BarI o doTrium-
pho.-Sim, avisando ao fiscal.
Thomaz Times, para sabetitnir 'uma terra da
coberta de oua easa n. 106 a rua Velha. Sie,
pago a imposto.
Secretaria da Cainara Municipal do Re-
cife 12 de agosto de 1884.
0 perteiro,
Leopoldino C. Ferreira da SUms.


anivim niaii
abiJ .l~l


de salvaguadar tanto quanto for possivel os iate-
resses da saude public&.
SEntre outras medidas qqe a Cmans Muaicipal
de accord corn a administrablo da provincia p6due
e dove tenar, figuram em primeira lihan as duas
seguintes :
Ia pela Com2anhia Recife Draynage aon pr
outro meio qualquer, remover o cisco das habita-
5cos, diariarnate, para louge, bhem laugec d ci-
dade, fazeudo-o inuiaerar n'alga n canapo.
2a pela mnesma Compaahia fazer deiinfectar, ao
menos duas vezes por semana, os seus apparelhos
de latrina cm todas as bahitag6es do perimetro
servido.
Ninguem ignore que s o essas-oeisae das ea-
sas e as apparelhos da Draynage-duas poderosas
fontes de miasmas pela pntrefaecao das ,naterias
-organieas; -e pois todosdevem convirwsmqae sao,
precisas medidas excepcioaes em retaglo A cAeis,
por muito cars que sejam essas medidas.
Mediate aocordo entire a Presideacia, a Ca-
mara Municipal e a Companhia Recife Dxay)nage,
essas medidas podem ser execntadas eem-despeza-
monor do que talvez se presawuma, e a aua fiscali-
safAo hade Aer bem feita, porque todoss- bahlutan-
tes dos predios da -cidade alodietameate into-
ressados no assucnpto.
No e6 tudo, porrm : lia iugares na aidid onde
se tern accumulado montes de ciseo. Demar, emao
pomrexemplo uos pateos -lo Carmoe S. tedro,-
por onde alias pareae que jAmais passou o aetnal.
servigo de limpemI dI ais e pras-efaci a
xremogo do lixomaeaondWi raueridas-; devubutes
pewim, essa rermoo a*e pdo eser fetis.*opeori-.
ges. Nestes a Camara MuNipal deve mianda
m.ar -cainacas desaiR ej deatmuamso gsrmeas
mephiticor.
Ha ontros lugases, .pee" m te .m -freguomi
de S. Jos6 e Boa Vista,.quese acham tramforma-
dos em verdadeiros lagamasi pelainnvae dar
aftgum saigadas, queo, -ac-tdo depr-ess4, BO_ ter-
reno, ahi se conservam e se putrefa 4 hoa-
tros em que se tern formado. lagoas e lamaSespe-
lasaguas de chuva, as quaes. tambem, j d&terido
-ram, .conStitundo-foa. de iinscfo.
Esgotar uns -os que for possivel-, e aftterr
outros de takes lugaresa, de anode i A tgr-lhes o.
perniciosos effeitos, slo providencias o Ialcance di
qualquer mediocre inteltligencia.
Evitar as eseavaoes uas runs, pragan, estradasi
e caminhos, 6 ainda ma provideneia aconselhada
nas actuaes condi9os, peis Otodos sabem que do
sub-solo se desprendem games damnosos, que, so
em tempos normaes, podem ser 'tolerados, on anor-.:
maes tern uma -u pedwesa infitemcia na salabri-
dade.
Como estas, ha ugiutas outras medidas que de-
veto ser tomadas em beneficio pablico, e que cum-
pre sejam quanto antes decretadas e posts em
accao.
Mas sobretudo cumpre tomanr immediatanwate'i
sem a mentor perda de tempo, as duas medidas ca-
pitaes, referentes ao cisco das habitaoes e 4os,
apparelhos da Companulda .Drainage, porque a.
uas canusas que com essas provideneias se tern em
vista remover sao as de effAitos msBs -perniciosos.
SE, para vellar an boa execucao de todas as me-
didas sanitarias, porque se nao hade criar cornm-
miss8es parochiaes, subdivididas em commissees
por quarteiroes ?
Desde que se trata do beneficio-commum, do in-
teresse geral de todos, ningnem se recusara A fa-
zer part de takes commissoes, que deverino ter ur-a
certa liberdade de accao parn, do prompto, e sem
dependencias do papeloria, remediar & qualquer
easo occurrente, relative a sua missbo.
Sign-se, porem, estas indiiacoes, ou sejam-lhe.
preoeridas outras qne se aflizrem mais exequiveis,
tondo o mesmo objective o que import 6 sahir
do iotdifferoatismn, te lt ao a omqueire
porem-sahntar conceitodo t qae dii -quem .
as barbas do visinkb arderea*, plo ca was de me-
iko.
Muitas ceatenas de miihli masit no. sepa-


h ea.aaprinu P ~ etemA ju G elogia As
qualkdasAs que distiaguinw fondao.
*6u J~ft Mimt Jtem fa~~tJct(~>ia-
mett a dito heapanhol
JoaJawmeVieira, i do de trem 4deja-
acB4 4.fnT(afo~~tdd-ca
ssent 'taits. mimt n3etrw^ m gu o pertta-
ceatos Rungs, ~i*6a C.; estabe~lesib A ua 4o
1i~nem06 a. 124.
7Jsi per ia^a4 Dr. liz ,aaygdio BoB
dngues YViapan,,sssd eondteauada 6 -snooe e
moses-doe pmeo ae mata de 20 4A do valor rou-
bado.
Em sIguIda oijulga Jo&6 Alenairn dn Asil-
.va eAeeidopor e Bala, prounreiado o 0art.
205 do Codigo Criminal, cuja causa foi phtroeina-
da pe-o1r. Jos arin de Albuquerque -Mll :.
0 r6o foi fbedicvido.
-ewerttart 4 coanbmado
d&a arama P~lo Exmt. Sr. commandante das
apmns iutereo, 4i6'lwatemommaeado para-servir in-
terinameunte o lugar de secretario do commando
.das arm.s, ecrn .sseatimento~do Exm. Sr. desem-
bargador presideate da prtaeta, o Sr. atferes do
corpo de estado-maior-de 2a celasse Jose Teuterio
dos aitos.
Larae"s-Iifornaim-nuas que. na note de
ante-htetn para lihntera, wtes mdostriosos, me-
diante arrombamento, conseguiram penetrar no
interior da eaa de resideneia da professor& pu-
blica do Arraial, dc onude roubaram-diverass peWas
de louca e geuerao limenticios.
E' a quarta vezque essa professor recebe, con-
tra vontade, esses importunes hospedes; e... s6
Deus -sve :quadioariostes uiaita8 visto que
a p-icia local parooe que pouce vigia pela segu-
rano cda apropriedade.
Gynanaito Pemrambuacauo-Amanhl,
din da Assumnpco de Nossa Senhora, padreeira
do Gj mnasio Pernamhaoanol, tera& lugar a festa do
costume, coin missa rezada, pelas 10 horas da ma-
nha, franqueando-se ,A visit de todo o estabcle-
cimneuto ao public, atW 6 horas da tarde.
Fest$a de NosA^ -iemUara da Gloria
-Amanh! tera lugr a a igreja do Recolhunento
de Nossa Senhora da Gloria a esta de sun ex-
aelsa padvoeira.
As -10 haras come.arAo as tercias, em aevgida
entrar a festa, eeoopando a tribunal sagrada no
Eraugeho o a a dm. dr. .couego Antonio Eusta-
quio Alves da Silva.
A's 6 hoas.da taxde accupsa a tnibuna sagrada
SRvda. frei Augmto .da Immaeulada ConEeigr.
Alves. Dapoi cuearA ao TZe-Deum L4udavw
fiado o equal seri dada beungAo do Sautissimo Sa-
ecream to.
A orchestra sera dirgida pelo professor Santa
Rosa.
JqepOis do Te-Deum ser[a sqltados nagun. ba-

Msje a M ajitiaaAft vena.
so .0 doe s 410 As harms 4o aastnate ieu-
nao6 blie Oea ejicidde.o.
*An~pertaute iqto~~rl( p.1 tel-P.--
J.kfi& aut~beleaplo da k6^geuia do Rasiece, faian.4
t41 tan Mmettiwoa-no Dr. JoM a aimnda CQa-
-t li.aj nui do dixeitoae i diatricto mnriminasl
o 'uBmeto>ial .Prcedidocotm Antonio Al-
eoawueta VYrgilUannajdFSi,%^ on -
quia Jos. de San Anuas Z Zsum w so w }i
es do Masbu p#*Otas4o WBawwnteJ
4u> na.om A. V dJeoes do Matta, pe.taucte,
&ao" Amsae o Marques taambem doque ha
meem teveluqgr Inog da A"aemblda Previn-
,D. iAmplicades m -taes rQubo foram premoaos
dous priimeis, faltaudo:os ultimoo, no numcrodos
stA incuide Joaquim Jid de Saut'AVnA,
apiowjA muito coheoido peoapo iia e de *ita
Lanua .e fastcia notaveis.
DemonstraVao de pear Tedo-se
.ante nteiw euWaido a direstoia da uImperial o-
.eiedade-dos Aritakr Mechaioos *e iber ; de--
,,pW dAs oitwra 41o eoxpediote foi levantadu a
aegadoaem mean UtadoUde p sni polo flecineB-
to io iiscaade do wvrBmeute, mo emO emnfotarrda-
efeiA aioiedade.
Carta de do bensoe 0 Br. ouriqae-
erreaiza Pontes a suanaenhora D. Amaj"iaBole-
twoux PFates, no din 27 de orreute, em, regosujo
ealegria iaa bota de aeu O genho Sapuaa,
eoucederaiaierta de liberdade, sem onus algum,
ao seu escravo Laii, pando, official de carpiia, a
qual fii entregue pelo Rvdn. Mr. vigario da co-
unarca de Olinda, no anto da beanco do referido
-engenho. -
Louvamos esta aea:
Comarca de Xflm's.* Escrevem-
nos em 12 do corrente:
A variola esta grassando em grande escala
na povoacAo de Itapissuma d'esta comarca.
Ja existed mais de 30 doentes d'essa terrivel
molestia.
o 0 digno Dr. Francisco Justiniano Cesar Ja-
cobiua, actual juiz de direito da comarc:, alit tern
ido muitas vezes, afire de prestar soccorros A po-
pulaao' indigent, estendendo a sua mao caridosa
A mesa.
o .Pedimosmao Exm. Sr. president da provincia,
qmwse digne ajudar a tao distncto envalheiro, re-
dettendo para ali ambulancia e mais soccorroa.
*lciedede eoreatiwa uwveufde-


Realisa-sehoje, & noite. nos salves destasociedade
umra soirei daeemate, em -solemmnsago do 20' an-
jiversario de sua innstallaao.
Oonsta-nos quoe a aetual directoria nio tern pou-
pado esfuiros afim de que esta festa seja uma das
mais hellas que aih se tern realisado, e para ella
tern se distribuido muitos convites.
fteertala da pvaoa Pedro n -0 Sr.
aeademieo Alhoede Pinto fallou em nome da Eman-
cipadomra Pemambcana e nao da Nova Emancipa-
dora com o hontem oticiamos.
Julso de pa.da Ge oa-Vita-A au-
dieneia dojuizo de-pas daBoa-Vista realisar-se-ha
no sabbado por ser odia de amanal santificado.
eunla4e s *oeaes-Ha hoje as seguintes:
Do Gongresso Litterario Scientifico, as 4 horns
da tarde, no 10 andar do predio n. 58 da rua do
%tAb da Victoria.
Do Libertador Ferreira Branm, as 10 ho
ras do ia, n 3o 3 andar do predio a.T-da dnr,"u o
Baraio'da Victoria.
SDo Clieb onsetador Aoademico, ao meir cia,
ho 3o andar do predio n. 60 da rua do Barao da
Victoria.


'vi~oapii harl
i deste hua, pedindo provideneias ao Zxm.
presideate desta pro "avi corn o fmde smor-



as 'Verile am ieoBSSv

que jksobem a nswtdei ll.. W s o arece
que o governor deve man-ar alg soccoe, pots
hapOaojdeamss prs outinob -gUares, que oantama
verbdo' (
-mo iuitoeiis -ecmrs. do que ste.
SPar -emqutwtodevidoispro ptas vroviden-
eals uo ntems a lameutar sen ma vietiiaa.
0 v-erom, oesbomn fraco, len sempre uaxilia-
do as ariceiutorea, pois eonsta-nos qu quasitodos
't seros seiaeado. vmngarna.
a 0 prolongamento ia felao-via va camiahau-
do.- Os poucos points que faltam ser peunrados
ae qoipap puara esta loealidade estlo inruito beou
atacoa. Coasta-nos _que os trithos 4 soe aham
wssentacs at6 o pooado de S. Benedioto, e que o
Sr. Dr. C0la4a pretend inaugural agora em se-
temlbro as egtacoes de Bara de Jangada e S. Be-
nedieto.
Existem 10 kilometers do linha telegraphiena
assentados d'aqui para Garanhuns.
Komami ao Knmys-Bebida predleeta
de muitas populag$es das charnecas, quakes os at-
muchos, os Basohiros, os Chirghisos, etc. Se usa
tambem na Africa. Se prepare pela fermentaglo
do leite da egua e corn metos frequeacia pelo do
cameo femea.
Tendo se reconhecido que esta bebida 6 utilis-
sim na cura de muitas molestias, takes como a
tisica e aigumas lentas affecces do estomago e do
figado, se prepare hojetatnbem na Europa o Kou-
miss orm o lite de vacca.
Para-este fim-toma-se leite mcio escumado, c se
o destempera eom 1/4 d'agua ou melhor de soro
de leite, e se ajunta depois fermnto, e 2 on 3 por
cento de assucar commum, e abaudona-se tudo a
mesmo n'uma temperature de 18.o de 25.o agitan-
do-o se de vez em quando o liquid.
Quatro ou nseishoras depois que a fermentacao
esti declarada, se engarrafa o Kooumiss e se con -
serva em lugar fresco.
Dous dias depois esti prompto, mas nao soe pode
cohservar por muito tempo sere que se gaste.
Submettendo a distitlaclo o Koumniss obtem-se
uma aguardente, qune 6 arke on a arse dos povos
das chamnecas.
'No3 Estadoas nidos se prepare uma especie de
Koumiss do segainte modo:
Se fax uma mistu4wa de 100 parties de leite con-
densado, de 1,000 parties d'agua, I- de de aeido la-
tico, 0,5 parties de acido citrico, 15 padres do opti-
no cognac .ou do arak, e tudo se dissolve depois
aob pressed do acido cabono, engarrafando tudo,
Qu deixando depols ja garuran for #eis ou dce h-;
ras em lugar taperado.
A Aga-Os nossos antigos paes, quando a
aciencia faltava, substituiam-lhe a poesia; anas na
sua poegia viorosa estarao escondi dias tambem
muitos germeans da scienciAs fatura.
Roje paransa4 ,MaAo iAa mai um dos quatro
elermaentoas mas 6 e tern tauta parte na vida do
cosmo e uicrocosaos que nu .qbA .a dizer: Quan-
ta verdadeha naguelle ero aatigo dos quatro ele-
mentos.
Agora o saugue doaom ao jlaneta. e neU naas-
cerin os primeios germeam da vida.
MU naveganmosBd oxenwo primeiro praufnte
ate a ultima butaai4o 8a9000SlO W oe apw
qae 6 a ahmosphera, mas deatro de ni s oa w
tawidpe a eVo ol~ P 40aq lno S-
*eno gpe'e afnar. daawwsf 49 juztncao e det dosf
trivo, de saW.e e de v oenAa, .de vida e d
marte.
Nada -nos almeatazemn qu antes n ao estea
dissulvido na agua, usnda em rs osente, se move
ou pensa, se a agua u a tiver levado a s ceUulas
do cerebro, dos nerves ae doe musculos o paoquo-
/tidiano da vida e 4# forpa.
emgiatb -maovAelanmeuto claro, eelaemeto pro-
,teiforme tu es cnm nUl veses abenaoado.
Tuos 'bello cb a luaz, profudo como infinite
c omnipateute aome a natmn.
Tu 6s geutil effort e.mo oagenio, toeando os
,poos do ginfmiitamcaite pequa o e do iufiaitamenute
ganue. '
Tu hrincas coan os einsuihos eoseos das nossas
eriancinhas e nealentas sobre o ten dorio de gi-
gante aquteles cyotopes de far-m, que se chamam o
Dzziie oo Danaoio (1); tu depoes nma perola de
prata entire as petelus perfmnada. doe usa rosa a
qoobras os granites dos nossos montea, tornando-
as subtilissima amoia; ,tuis o mais forte dos qua-
tro irma.. os .mefa, pcrque dissolves o ar, apa-
gas ou avivas o fogo a teu capricho; porque nos
teas robastos e semptocos, amplexos coar a terra
a desfazes, a separas e tmansformas.
E's tu abencoada ague clara, agua forte, agua
glorioua; 6s tuque noa embriagas corn o regato
que do- comes musgosos aoe eahe sobre a cnbeca,
ou que nastuas ondas salgadas nos confortas e
nos convidas aquella santa Deusa que nasce das
eseumas;-.3 to abencoada, quando no. transportas
sobre o teu costado d'um a outro .oatinente, ou


quando fresca e saborosa nos descea no coraAo e
norpulmao.
E comtigo sejam abencoados todos aquelles
que, tambem adult s, como velhos. teem sabido
conservar a cara e pura satisfacao de beber-te
puara, pura de vinho e de xarope, pora de gazes
rumorosos e de tinturas amargosas.
E corn tigo sejam abencoados todos aquelles, que:
dao As cidades brazileiras uma agua purae saeu-
bre, augmentando a saude e forea dos brazileiros.i
Tratamemto dA valofta. Diz o -Paiz,
que o publicou, ter recebido do Sr. Dr. Almtir Ni--
naT o seguinte artigo sobre o tratamento da va-
riola :
SDa medicaao ethereo=opiacea na variola.
SNaturalmente 6 jA conhecida dos clinics da
capital a mediacao inaugurada e seguida corn ex-
cellentes reaultados ao hospital Sint-Antoine em
Paris, pelo Dr. du Casthl, no tratamento da va-
riola.
0 que nao nos consta, por6m, 6 que ella ja te-
nha sido onsaiada entire nas; e 6 por isso que nos
parece opportune sobre ella chamar a attenco
dos praticos, agora quo vio appareceedo de novo
casos frenquentes da terrivel enermidade, e que
o goverano mandou abrir o hospital para varie-
loses.
SApresentaremos aqui os pontos principals da
medicano, de accordo can o dados eolidos na
monographia ultimamente publioada pelo Dr.
Bucquet.
process consiste 'no emprego simultaneo do
opio e do ether.
S0 opio dove soer dado sob a forma de extract
thobaico na d6se de 15 centigrammas (mutheres)
a 20 centigrammas homesus, -em uma poao de
125 grammas; As colheres de 2 em 2 horas.
o 0 ether dove ser applicado em iujeceoeh by
podermicas: 2 sermingas de Pravaz por din, uma
pela manhl e outra a tarde.
S A d6se do opio tern 6ido elevada, em algun
individuals alcooliscos m delirio intense, at30
ce.tigrammaa, sem i otnveniente algum.
SQu&toao ether, e-m.ierto asbs graves, tern -
e idiainitrado ate4 atiuga. de Pravaa.
g is as onctiwes da mmp. &aludida:
La 0 effEito do otd auficmaru1-
M M2 annTmj n*t *ima.i


agem grande
sumero di #exes. a mcaus d a ovm-e.
v 5.a 0 tratamenutonop areactambre a evo-
la9c0 dopropio v=sr variolice, mas somente so-
bre a ovaut*o ulterior da erupAo, isto suppu-
raca o, e4 dBi ae deocamaglo.
4a As ub i 6e t r trazem & sVoeses al-
gus a 4ci"(1o40e qM podem todavia ser evi-
tados. 1" ^;. ;, !6 *1*,
a Neste uito 4edve escllher-se unaregiao em
nue o teeido ellilar snb-cutaneo e os museulos
tormcm uma camada espessa, longe de qualquer
orgao iuapoartanto face antero-externa da co-
xa esta nessas condieoes. As injecoes devem ser
feitas lenta e profundamente.
SDando esta hgeira noticia sobra 'a modica*ao
nova, e emborsea se ache sob aoe auspicios de
dons medicos eminentes de Paris aos Dr. du Cas-
tel e Dreyfus-Brissac, nao vimmoaa fs3B.# sun
apologia, pois ainda nao a empregamios em case
algum.
SQAnt, pawm4, aos ineeuveaientes d s in-
jces de .ether podoemo afirmar que tomada as
devidas preeauces oelles nao se darlo. JA temos
tido diversas occasioes de fazer impaemnaente toea
applicable nao so no Rio de Janeiro como aqui
mesmo na provincia, nao cm vailosaos, 6 verdade,
mas em diversas moleatias oin caractekt adynami-
co, lembrando-nos de occasilo de uma doente de
febre remittcnte typhoidda grave, que fai vista
tambemin pelos Srs. Drs. Main, Ribeiro da Cunha e
lerreira Nina, e na qu as i*jeO hypidermi-
cas de .ether nos foram -de grande auxilio parn ob-
ter nma cura comopleta.
Ao terminal esta noticia nos parecoe de utili-
dade citar uma pratica muito seguida pelo profes-
sor Torres Homem, do Rio do Janeiro. Este dis-
tineto clinic, todas as vezcs quo comeqa o perio-
do de suppuraqao, manda fazer aos seas doentes
locles corn cosimeuto de camomilla phenicado, e
adisstm a itmamonte a megmnte polio :
,( 4,2simeato de quina 200 gr.
a ttsa depemomilla 4 gr.
Acido phenico-0,50 a 1 gr.
Agua de Labarraque 2 gr.
Xarope de icaseas de laranja 30 gr.
1/2 calix de 2 em 2 horas.
Que estas nossas palavras possanm ser de al-
guma utilidade, e prestar algum servico, eis o nos-
so desejo.--Dr. Almir.
LeiI6es-Effectuar-se-hAo :
Hoje:
Pelo agent Burlamaqui, as 11 horas, no arma-
zer da Companhia Pernambucana, de orilhos de
ferr o e ago.
Pelo ageate Gusmao, as 11 horas, na rua da
Penha n. 6, de armacAio e mais pertencas de fa-
brica de cigarros ahi existente.
Pelo agent Martins, as 11 horas, na rua do
Imperadoi n. 31, de moves, louvas, vidros, etc.
Pdelo agent Brito, As 11 horns, na rua Direita
n. 37, de calgados, fazendas e miudczas.
Sabbado:
Pde agent Carwo e Silva, a s 11 horas, na tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, de moves, phospho-
rov ejoias.
im.m fteabwe-Serio celebradas :
--Hoje: jAis 7 horas, no cenvento de .
Bcnto de Olinda, por alma de D. Anna Joaqtuna
Jamen -de Castro e Atbuquetque Pinto; &a 7 1/2
horas na Ordom Sa de 8. Francisco, par alma de
D. Anna Joaquina Jansen de Castro e Albuquer-
que Pinto.
Sbbado a.is 8 horns, no Livramento, por al-
wa de D. Militana Maria da Coneceiolo; as 7 1/2,
na matrix da Boa-Vista, por alma de Pedro Pau-
lo dos Santo.
4~w.09 ouiirgm.gc~-iFamam jpcatica-
Aso .Mjuspital Pedro B no dia 12 do eooae as
.4puntes'-
t"o Dr. Estevio :
Abla&lo de um tumor filso canceroso da mama
esquersda.
Pelo Dr.teraphim :
Eueisao polo amygdalotoma de amygdala by-
pertrophiada.
Lerla da ppromecia Hoje, 14 dc
corrente, seAra extrahida a loteria 62.' a, em be-
neficio da igraea do Nossa Senhora da Boa- Via-
gem de Paeinado, no eoanaistorio da igreja de Nosen
Senhra da Coneeioao do. Militares, onde se acha-
rio onpastas as urmas e espheras arrumadas -e
ordem nnmerica A apreoiaao do public.
Loterla .e 26 5i9e Sabe-se por
telegrramma recebido pela Casa Feliz, que a lo-
teria 156 A, exraihida hontem na c~rte, foram pre-
miados os seguintes naumeros:
7.684 25:000/000
6.254 10:000000
3.010 5:000000

Orange loteria. e SO0O000000-
Esta extraordiaaria lotes s sera extrahida no din
3 de outubropro m. vindouro.
Os bdhetes acham-se venda na Cas& da
Fortuna, A rua 1" de Marco a. 23.
Loterla-A de n. 156 B, do Rio de Janeiro
do 25:000000 sera extrahida no dia 20 de agos-
to.


Bilhetes A venda na Casa da Fortuna, rua 1*
de Marco n. 23.

Loteria de 2StOO00000 -A loteria 156a
s96rie A, corre no dia 20 de agosto.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praoa da In-
dependencia ns. 37 e 39.
Mercado Municipal de S. o4 -4
movimento deste eatabeleci ento no dia 12 de
agosto foi o seguinte:
Entraram paa rserem vendidos : 48 bois, pesan -
do 6,356 kilos.
No mesmo dia entraram para o mesmo es-
tabelecimento:
Peixe, 1.003 kilos.
Farinha, milho e feijio, 135 cargas.
Fructas diversas, 30 ditae.
Suinos, 2.
Carneiros, 2.
Pregos dos dias:
Carne verde de 480, 400 at6 320 r6is o kio.
Suino a 640 r6is o kilo.
Carneiro a 16 idem.
Farinha do 500, 400 at6 280 reis a cuia.
Milho de 480, -a 860 reis a cuia.
Feijode 1a00, e -640 rs. idem.
Foramoccupados:
61 talhos de cane verde.
12 ditos de suino.
13 ditos fresauras.
65 compartimentos de legumes.
38 idem de fariinha e comidas.
]Deve ter sido arrecadada neste dia a impor-
tancia de 234A860.
Katado ro pablico-Foram abatidas na
matadouro da abanga 93 rezes pars consume do
din 13 do corrente.


...-7 -T, .. .



















ae 41 podor cada BeBI8-W 40tS ,a ^
r imdo, em ser prenei Pa r 8*
Demeio dia As 3 horaq4 W&S
Dr. Moscoso encontauti||
9a do Co0moreior Omtsi aa
pec^o de saide do, Pa#t w i a
d'estes dous peOn os "il ,
os chamados-por e )aJniei Im.
Dr. Baptisad e A IbmIegr"raJoBarao
da Victoria .n. 37 1., andar; emsaetasd
10 hora ao meio dia chaMadoas nor es-
cripto a qua1(paer hora.-
0 D.'. I. A. Vellozo, restabeleeido dos
oens incommodos, eontindfa no .excrcicio
da sua profiss-(o; podeudo ser encontrado
na sua antiga residenoia& Arua do Birao
da Victoria n. 45, 1.' andar. Consultas
das 7 is 9 da mmnlh e das 3 4s 5 da
tarde.
Dr, Lteornardo de AI jteerj%* Caval.
cawe, medico c laureada da PaeAiade do
Pkaia, rceupa-s3 COtis espc4alt das
molostias da caix' thoraxica (c)raQao, pal
mies, bronchios, pleuros, etc.) Consulto-
rio rua do ILnperador 44 1- andar, dae
14 horas As 3 e residencia na rua do H(,s-
picio, 36, onde reccbi chamniadoa por es-
cripto a qualquer hor.i'A do dia on da noi-
te. Naiznoro tclephonico 214. Falla cor-
rentomente o francez e italiano.
aCoiaiuri- mnedico cirargico
dleilario
0 Dr. Joatquin wmara, coin consnuItorio
A rua do I)uquo do Caxias n. 57, 1 andclar,
do volta de sun viageim a Europa, onde fez
estudlos especiaes do molcstias da bocca:
encarrega-se de qualquer trabalho de ci-
rurgia o prothcse dentaiias, extrahe dentes
oom anastesia por mneio de apparelhos apro-
priados: obtura (chuabo) corn ouro, platina,
cimento: corrige as irregularidados denta-
rias; colloca dentes pelos processes mais
aperfeigoados.
Advogaido
Dr, Milet. 1" prn)ntor public da ca-
pital ten sea escriptorio de advocacia, a rua
do-Crespo n. 18, onde pode ser procurado
para os misteres de sua profisslo.
Dr. Seabra---Mudou sea oscriptorio o3
advocaeia para a rua do Imporador n. p-0
Das 10 As 3 horas da tarde.
Occulista
Dr. Barreto Sampaio, consultas de 1 Ao
4 horas da tarde, na run do Bar(Ao da
Uicetoria n. 45, 2.0 andar, residencia, rua
de Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.
Bourgard & C.
Recife: run do Marquez de Olinda n.
16 Santo Antonio, rua Primeiro de Mar-
o n. 3; B3a-Vista, rua da Imperatriz n.
54. Grande fabrica do cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos do Ha-
vana e nacionaes, cachimbos, tabacos e ob-
jectos para famantes. Livros de medici-
na dosinmetrica e unico deposit da fari-
nha laczea de Nestle, para os meninos de
peito e leite condensado.
Drogaria
Francisco Manoel da Silva & C., depo-
eitarios de todas as especialidades pharma-
scuticas, tintas, drogas, products chimico
e meodicamentos homreopaticos, rua do Mar-
quez de Olinda n 23.
Brioches
Mello & Biset, com padaria a rua Larga
do Rosario n. 40, previnemn ao public em
geral quo em vista dagrande aceitagao que
tiveram as Briochos, resolvoram fazor duas
vezes por semana, send as quarta-foira o
sabbados. Esperam continuar a mere-
cerem a protego public, pars tao singu-
lar especialidade.


?flLICACOES A PEUIBC
effeIsom Ai-rabean a lniprensa
e, ao pgbileo
0 Sr. Dr. ,.wfis Junior, A quernota o conhe~o
pessoalhnonte, atirou-me urna interpella.'.o, ou an-
tes, fez inc umi investida em tao estrepitoso raise
en scene e fenrenha catadura, que stria eapiz de
atordoar -me, si, 6. ealm do espirito, e ja^se
disposiSes de servir dajiarodia. aa. cold eo lafi,-
bula. Collocado entree tres fogs9--,Dianio, oJor-


nal do Recife e a Folha do Norte, vou usar do di-
reito do. defeza, que Sr. Dr. Martins nao terA a
pretenao doe negar-rme pelo facto de estar S. S.
empenhado na luta.
Nao me compete sondar o motive por quo o Sr.
doutor, tend ineubado a ac9do durante dez Ion-
gos mezes, couvida hoje o seu ex-socio 4 confissio
public das condigoes onerosas de um contract,
que dormia no recess intimo da confianga-fal-
tando apenas o registro para ser urn dcumtento pu-
blico.
Quero e devo s6om3nte occupar-me do que me diz
re 3peito,
Dirigi ao Sr. Dr. Arthur Orl tudo da Silva a so-
gainte carta:
x Coahecendo a V. S. aponas de vista, sou for-
ocado a appellar p -ra os sous sentimentos de voer-
(( dade c rectidao, afirm do powder dar resposta ao
S que se mQ refere na Polka do Norte do houtem.
(( Peoo ao Sr.. doutor que se digne de responder-
cc me ao p6 d'esta, so ouvio.me dizermna 'Biblio-
S th-ca Provincial-que o Sr. Dr. Izidaro Martins
S Junaior, a testa do meiao duzia de rapses, espe-
cc czlava corn a fortune e corn a boa f6 de seu amnigo-
a (delle) Francisco CtmpeUllo, e quo a. &Foha. do
cc Norte era um resultado desa epeculapo.-
SJa ve o Sr. doutor que a respesta& muito sirm-
cc pies: 0 de-sim-au dei-ni--; mas, ne cas)
C affirmativo, 6 indispeneavel que declare quaes
a as pessoas, que so aehavam. presents, visto
(c conto diz- FPolkha do Norte-qua a-li me ouvi-
a ram tambernam. outras pessoas-, e 6 impossivel
oc que aw m., houvessa dirigido s6inentpao Sr. Dr.
cc Orlando$ coui quem, nuneca trqaei a nuis aim-
cc pleoonis aovTrs, Son eom, a d40idstat*m o de-
V. S. college muito respeitador.
Tive a seguinte resposta:
4 Ha pouco maiso, m acos de uti anne, que ea,
appareeendo na AilbiotheewaPtovineialpara eon-
suitar alpuna.livrs, ouvi o -,8. Dr. Nirabeau
d&er que-a forttana de Fra&0a$p Cau|eol, ra-
or p& do boa 6, estava soAieudo. I ow"Wilu
of Io da Folksa do Noec-Ci
a tins, chamriealAtteWS~ptHBRS.**ft 6Uain:
a BIbitotieea, e. d!hi por itt-taw de
a collaborar na Follia do Nore, at6 o m atu
i que publiquei um olu m da lfligos sobre litte-
o ratura. Qaanto as peasoaspresentes ja d me
o recorj,;. mas sobs amiinha psavrs.d w, i
affirmoo que acabo dedizero. Juilgo,pr6m I
o Houprio ouyio a pSlvras .e V. S., poiaer

vmuielo do Sr %. *Algaw*.a pwm rcK eAo Sr.


Sob a epigraphe suppra 16-sa no Diario
do 1 do eorrente meza un artigo, em cUP
conclus-ao s- fazem insinwanes injustas e
de todo infundadas ao honrado tenonte-
ceronel Severino Jo-d dos Reis Carvalho.
Caractor severe e de uma probidade re-
onhecida e incontestada, o tenoants-coro-
nel Severino 6 absolutamente incapaz do
censuravel e indigno procediinonto, quo,
por insinuates malevolas, so lho attribute.
Crem3s quo aquelles mesmos quo offen-
dein hoje, aminh'a quando a calm succ-
der a paix-ao, qno os domina, so arrepen-
derao da injustiga quo lhe fazem.
Opportunamente o illustre tenente coro-
nel se defenderA plenamente c mi docu-
mentos indistructiveis.
Rocife, 10 de agosto do 1884.
Justus.
Nao podendo despedir-me pessoalm -nte, pela
presteza da viagem, dos cavalleros que dispen-
sarar-me estima e considsraqao, faco-o por este
mneio pondo ao mesmo tempo means servig9os a dis-
posicao de todos em Matto Grosso, para onde re-
tiro me.
Recife, 13 de agosto de 1881.
Floriano Peixoto.

Rio Grande do Norte
Approxima-se a 6pocha eleitoral, as ho.
miens do powder vaio ostontando por acts e
na imprensa os sinistros pianos cQmn quo
hito de veneer e abiscoutar diplomas para
os sens candidates, jactanceando maioria no
oleitorado, quer no 10 quer no 2' dis-
tricto.
A provincia, a propria administration sa-
bemn que, retitada a intervencgo official, o
panic das demissoes aos empregados que
nao acompanham o carro de Mavorte ; o
21 district eloegerA se m coutestaQI o Dr.
Joao Manoel de Carvalho; no 1- o triuam-
pho do Dr. Amaro Bezerra 6 problema-
tico.
0 Dr. Amiro para salvar-se do naufra-
gio em 1881, sacrificou a candidatura do
Dr. Euclydes polo 20 district, para transi-
gir cam o Dr. Tarqainio, conservador, e
assim garantir-se de segundo eserutinio, de
resultado incerto, nao contando corn a in-
terventSo administrative.
A pressao, o terror sobre os emproga-
dos, as remoeoes em massa dos professors
sAo os meios de que vao langando mo os
bolieirns coatratados paraa direcglo da
campanha.
Leia-se o Liberal do 1o dCe agosto pNa
ter-se um specimen e conhecer-so que a
obra nao 6 de pao de laranjeira e sim do
carnariba.
Quem ler o artigo sobre a eleiglo de Mi-
pibi flea convict queo partido conserva-
dor alli 6 uma-bobagemi-qae a maioria 6
liberal.
Compareceram .A eleigto 87 eleitores
teve o caididato governista" 59 votos, o
conservador 27, havendo um voto perdido.
D'este resultado fizeram os homes do
Liberal um achado para provarem a maio-
ria quo tem alli.
Pobres tontos.
A historia ainda de hontom!
Ja se esqueceram do que em outubro de
1883 o bispo lannou -pastoral interdizen-
do a oleibao de Mipibu para derrotar urn
candidate conservador em primoiro es-
crutinio ?
Impioem aos creates do alcoraia que o eloi-
torado de Mgibpi do 87 eleitoras-!! !tl-

Quem saber As pallaies. da guardai no.-
daional ahi esto ?
A nenhum conservador. sensato sorpre-
hend~u o .resultAdo, anlo aos. hIooaas do
Liberal.


em PtnMUna,
em.OllfTo-
^.^~!:.S *;lS '^ 1 P"<1(1' .* *f


tinstria.
Niaito mIRsiW nit r$ 4Sx r. flrt *'iua
t 1 '" 'Ifi .o .k ~ l^
nao Acia a at ke Ornv'a4 ft asW*i*l Ott
lucro de especie algmnt, nesao:porque, co00 iisan
Sdo weuizo, s, ie qauo -omlp diMa, Rio* b
heran~a. I
E' num jomral que pouea vezes leito, principal.
mente depois qa vi nselle dtoui ,qu-qu reato
failsis e perigoas.
EstA o Sr. D, Martins a esp6)har-se eom to-
dos e por tudo, corn, ou sem razao, e as vezes
eaferado, viudno at6 a bolir comigo, quo vivo np
i eu canto, inteiraraenta retrahido Pls sa nSn&
gosto de exhibio5es series, quanto mais das redi-
eulas.
Notavel cntradicc& dos arrebatameratos pue-
ris !
Inuerever no alto do uaia bandeira o-vivre au
graactjour--eaugientar A lapis por haixo-naoli.
-me tangere-!
Ninguemn p6 l probibir que o Sr. Dr. Martins
se resolva a dizer meis tarde o qtm e ser especu-
lador, e qtaes alo em nossa saciedade *i espjew
ladores. Btsta n-o esqueer que, havend-s dispo-
siAo c remursos para o trabalho, cmrn todo o campo
so colh, meisc.
Recife, 13 de agosto de 1884.
Jefferson MiJrabeau d'Azevedo Soares.

Gloria de Goi1i


pouco d agua pmheiawda, evitando-se humi-
dade nos lugares em que eoUes estiverem
oollocados; quer nas eozinhas e dispensas
qu-a devem sor caiadas e lavadas mais fre-
quentemonpate, trazendo-se semrei lianpos
todoes os sens uteasilloas, deixando-se fdra
as aguns de lavagem- deste, e nito guar-
dando em casa o cixor, qu deve ser doi
tad :fra diariawente; quer fiaalxmentenos
qointaes e pateos, quo devem ser trasidts
limpos e coaetautesees, ono 6pr-
eiso nao deitaraguas sujas e crear anuimaes
que fagio lamanes. NMo 6 coaveuiento
trazer as casas fechadas, seado- ati ums-
necessidade tel.as bon araUAs af im de
quao o ar se renove e parifique, havendo
soioente o cuidado da ?ahin das pewsas
quenellas seo aharomi de evitar o ar en
SOcaaasdetaso p .. ... q t d "
Sao estas as pr-ecagoes que- coda urn deve


bit a w t
Em nuosso pri:ero artigo sob a mesa
epigraphe aeones w algauas medidas
geraes ralntivs A& hygiene d'esta capital
para sorerv i uan devida, coamidera-
Iao, attenioidno ji a wiBtia que nos
amea9a, jA a estagto que vafaos atraves-
sar. que vai ag ns. Maostraudo sea eceessi-
varnoute ouente.
Agor raises, de urna nmaeira clara,
precise, porn resumnidamrente, sen enutrar-
inos em minueiosidades nerm em grande
des-mvolvimento, tratar dw aft mas medi-
das particulares, quo eada- xam deve obser-
uar p,.-W cona sigo e em suna caa, se ma-
nifestal-S eontro n6s o cholera morbus.
Usar corn moderaito' de tuIo asqillo
que jA estiver habhitaado rno h, riteonvl-
nionto; todavia cumpe aer sobrio no usao
doK alimentos, qaa dpvea ser tornado em
t'es refeig95s por dia corn intervallo de 5
A 6 horas urma da outra, afim do que a
digestao so faga completamante e nlo seja
pertubada; no aso das bobidasm aleoolicas
ou fermeatadam, nos prazeres do amor.
03 alimentos devem ser de fail diges-
tao, evitaudo-se particularmante as maito
gordurosos e oleosos, os fructos mal ama-
durecidos ou amadurecidos a forga, os ma-
riscos, alguns legumes, emfim tudo quo
possa causar indigestao ;, nao dove deixar-se
de alimentar convenientaiente,porque ent.o
se enfraqueceria o corpo, tomaado-o mais
apto para reoeber a moleatia, e at6 convem
quo a alimentaAo seja reparadora, mas
nafo excessiva.
As fractas proprias da estaglo bern ama-
durecidas e de facil digestao podrem ser
usadas, hayvendo o cuidadb de guardal-os
em casa per um ou nmais dinas.
0 leitesem ser fervido deve ser abolido,
porque, seguando o professor Kock 6 elle
o melhor agente do propagagao dos micro-
bios do cholera,
A agua para beber, segundo Pasteur
deve ser fervida para dopois de fria ser
usada; a do banho deve tambem ser for-
vida, podendo cada um depois disto usal-o
na temperatura a quo estiver acostumado.
NiAto dove haver escrupulo em usar diaria-
monte de banhos segundo o habit, porque
at6 6 neoessario a limpesa do corpa e aceio
nas vestimentas que devem ser de tal or-
dem quo tragam-no regularmnente agasa
lhado a iquecido.
Em qualquer 6poca deve ha-ver o maior
cuidado na mudan9ga das roupas, quando
se estiver suado e no levantar da cama,
afinm de ovitar uma uma supressao brus-
ca e corapleta da transpiragSo e um rmez-
frianmento da polle, em unma occasilo de
epidemia isto dove ser olservado corn
todo rigor, e tambem evitado nao s6d o uso
do bebidas frias e geladas, quando a cor-
po estiver agitado benmcomo os resfriamen-
tos A noite.
Deitar-se cedo para dormir em lugares
que nao sejam hiunidns, nem abafados,
nema em companhia do mitas, psseas
reunidas; evitar as, emooes moraes, os
argglomerawentos, a vida irregular, as vi-
gilias, as excesses de qualquer naturezar,
emfim tudo que possa fatigar o enfraque-
cer a orgaiaisiuo, devo ser ta-tmbo i oe.-
to de maior attenco e cuiittdife em-taes
occasioes principaljente.
Em rela^So a hygiene dasclsaa pic'-
sio ser observedas pel meno as segtin-
tea medidas pars o aceio a limta t o'm-
pieta das mesmas; quer nas paredes, que
devem ser vasculhadas, caiadas ou. pinta-
da, quando estiveren.sujas ; quei nos as-
soalhos que devem ser varridos diiamen-
te e lavados de vez em quando e ema ho-
ras convenientes; quer nos moveis que
devem estar boe limpos e sacudidos; quer
nos apparelhos das latrinas que devem ser
lavados todas as vezes que so fizer qual-
quer d&pejo, e ate dosinfectados corn um


mula do Dr. Santa sa. contra as febres inter-
nmittentea (sezoes), sendo somente verdadeiras a
caixa de piHalas aompanhada dee urn. prospecto-
esm a firms- do mesmoDr. .
Pormotivo indepedente da minha avon-
rade, deixo de fazer part do Club- Conae-
vador Academica.
Recife 11, de agosto de 1884.

A adacia dos imitadores nno tern limited. Pro-
2uram actualmente substitair o verdadeiro alca-
trio Guyot por um prepmwa*a que nao tern analo-
gia algama corn aquelle excellente medicamento e
" abrieado no n. 61, ruad Seime, Pariz
Afim de-acautelar o-piblio contra todas tenta-
tiva desse genero, o Sr. Giyot previne As pess
que fazem uso de seu preparado qne mod m eao
saguma foi feita no rotulo, ne no invaltorio do
aptsao. .
* (Ver os aumsuioa a reproduoyio em tinta preta
-do rotulo do veidadeio* alcatrAo GurotL


Sabbado L6 49 vorente so n6W OnW brilo a~o
it alga a giruandolaa de fogueites, tondo newt
o~a~o culateba da damaica ,do, corpode
pem&isa
Domingo 17i a romper And'alva ni urna salva ,e al-
gunasgitandoia despertarde aos fieia devotes da
wuarsi Sbenaha SwAaW a joatu aeiaado-lbes
qaw 4 chegad o -"- t featiidale da mesanma
exelsa senhora, faszendo-se ouvi, na occasiao a
mesma bandsa de i sea.
Pelas 11 horas da manhla depois que a mesma
tiver execatudo trees lindas peip.q o sen variadis-
simarepertorio entrarA a festa cora a. mesma pompa
e brilhantiasmo send preeedida de terciae, ao
evangelho occupars ar.tribuna sagrada.o eloquente
pregador aoRn. capitUo Leopardo Joao Grego.
A orcheata sera regida pelo, habii professor Ly-
dio d'Oliveira. que fara exentar a misima do maes-
tro LIgany. Antes doseraio se -cantarA a Ave
Maria do maestro Carlos Gornond, find a festa
subirk ao ar num lind o bali fbito a caprieho por
um-dos noses irmIes, toeando ainda a music do
corpo de policia.
Das 4 horas da tarde em diante toe-ra "no pateo
da igreja a m33sna music acima mencionada di-
versas peas do seu variado repertorio soltando-se
diversos bales habilmenb preparados.
As 7 horns do noite depois que referida musical
tiver excutado trees linda a peas entrara o Te-deum
oecupando a tribune sagrada o distinelo pregador
padre Dr. Manoel Cavaleante de A. Menezes que
em um brn em laborado diseurso patentearA as vir-
tudes da Gloriosa Senhora Sant'Anna mai da mai
de Deus, finualisando o acto com a bon9ao do San-
tissimo Sacramento.
A actual meza regedora nalo temrn poupado es-
forgoa para o brilhantismo desta Cestividade. Pc-
de-se a todos os nssos dignos irmaos o sea com-
parecimento e aos moradoies do pateo e run de
Santa Cruz que illuminem as fachadas de suas ca-
sas nas noites e 26 e 27 do corrente.
Consistorio da Irmandade de Sant'Anna da igre-
ja da Santa Cruz em 14 de agosto de 1881.
0 sceretario,
Antonio Alvcs Villela.
Corrigenda
No artigo hontem publicado neste Diario, sob
o titulo Alfandega, no 3" period ondo se d iz-
remettida uma vez depois etc. deve ler-se : remet-
tida um mez depois etc.

Ao corpo acadeilco
Pede-se sos Srs. academics da Faculdade de
direito do Recife, que se reunam hoje, A 1 hora a
tarde, na faculdade para negocios importantissi-
mos.
Alguns academics.

Pastilhas doees anthelmiucneas de
Hering
para complete expelliqAo dos vermes intestinaes em
criangas e adulto3
Effeito facil, prompt e certo
Udieo agent

:0 0 s. XUJS
17---coRpo SANTO--17
IIeposUo Ul u& NpErfami aew regzlaa e
pharmaeias


{ CLINICAL HOM(EOPATHICA
DO

8 Dr. Tristao
SoConsultas das 7 As 9 horas, e chamas-
dos A ruan da Unio n. 15. 1
N< umero telephenie. 154 1.

#IxXXXXXXX--XXX XXXXIX

Oculista .
M ODr. Barreto Sampaio, medico oCR-
l4. lists, ex-chefe de clinics do Dr. de Wee- "i
k ker, da consultas A rua do Barno da Vie-
toria n. 45, segundo andar, de 1 As' 4 ho- i
.rs da tarde, except nsa daminges e din0 i
4 santificados. Chamados em seu consultorio X
^ on em casa de suna residencia s rua de _
Riachuelo n. j7, canto da rua dos Pines, M
,xxxxxxxx--xxxxxxx$.

Unra infallivel -das ss(es
Na pharmacia de Hermes de Souza Pereira &
C., A rua do Marquez de Olinda n. 27, 6 nesta ci-
dade o unico- deposito destas etficazee pilhlas for-


seu estabelecimento.


PV do Relw 3 d6 aUsa.
As trees horas da tard-
Cmtayos ofciaes
Ac6es da companhis peraambucana db navega-
So i vapor do valor de 20 X 80W0
cads umia.
Apolicea provinciases de 7010 ao anno do valor
de 1:00,0 ao proeo de L023^1O0) cada
numa.
Farina de mandioca da ,Rbia, 60 rs. o litro, no
dia 11t do corrente.
Ckmbio sobre Londres. 9U' drv. 19 3/8 d. por
IM000, do bano.
Dito obre dito, 2Avista, 19 118 ct. per 1000, do
banco.


Wyes da Nu L9 es, virlude
de convyai feit ice sna nora,
D. 1"m A 's da Silva,
si e c~fow Wwtoa de -sea Blikki
preceded atrisa 0o do Dr.
jiz de orphos, previne a os
*s respeeliv devedoes que se
devewm e der com seu genro

eprocirador, o endadorJo
s Antonio Pinto, que se atha Ie.
galmente autonrisado a liquidal-os
aiigavel oujudicialmentle.

anK. '1_ -. :

MEDICO E PA.TEIRO
SDr. Joaquim Loureiro
S Consultorio e rcsidencia rua Duque
ae Caxias n 39, defronte do DIARI )
DE PERNAMBUCO, onde dA consul-
tas das 10 as 2 horas da tarde.


DR. CARNEIRO LEAO
KEDICO
Consultorio e residencia a run Duque de Caxias
iatiga do Queimado, n. 88, 1' andar.
Consultas de 11 As 2 horas da tarde.
Chamados por escripto a qualquer hora.

0 Dr. AdriAo
MEDICO
Continia a dar consultas das 11 as 2 horas da
tarde, em sen antigo consultorio, A rua Larga do
Rosario n. 36, 1. andar. Chamados por script
a uqalquer hora, na pharmacia Bartholomeu &'

Dr. Cerqeira Leite

Medico e operator
De volta de su# viagemn A Europa onde
frequentou os hapitaes de Pariz, tend
feito um curse- esqpeial de parts e moles-
tias de senhoras, dA consultas no seu an-
tigo consultorio A rua,. Duque de Caxias
n. 48 (antiga do Queimado) do meio dia
as 2 horas.-
Especialidade uiolestias de criangas e de
senhoras.
Recebe chamados por escripto ou no
seu consultorio, ou em sua residencia A rua
Imperial n. 2.



MKEDIO OPIEBADBO
ESPECIALISTA EM PARTS E MOLESTIAS DA8
MUIZIERES
Tern o seu consul orio em casa de sua
residencia A rua da Imperatriz n. 30, 1.'
andar.
CONSULTAS do 8 As 10 da manha e
de 12 as 2 da tarde. Chamados por es-
cripto A qualquer hora.
Uma esmola
Ainda supplica as alas caridosas um obule, a
pobro velha do becco do Bemardo n. 51.

Pharmacia e dr-garia


3. 0. Levy &0. eon-

vidam A seus amigos

e fregneses & visitar


0 desgosto'dos eleitores. 2.o A derrota
dos chfes. j 3.0 Traiggo de deputados
populares. 4.o A nossa Assembt6a Pro-
vincial e os caixeirosbrasileiros. D 5." Ac-
susaglo dos instruments dos lusitanos
contra as braileiroe. 1 6. 0 odie contra
as funccionarios publicos. 7.o 0 wfso
TUESPACHtS DB BIf~jNTA4)Mi
Em1 l .e agosto de 18M
rfr- ewterte4
Nlo houve despachos.
Prai o ehIteritor
No patacho nacienal Maia 20, carregon:
Pam aio.Grande do Sul, A. Bahia4,tE)0 0o-
cean fietnct.
No vampor nonal Mandos, carregou:
Pars o Rio de Janeiro, M. G. Femandea & C.
-6,00 cocos fructa.
No hiate nacinalAdelino, carregou :
Para Maoahaa, J. JI Gonualvea Guimaraes 5
barrier cor 30d kilos de asaucar refinado.
No hiate nacional D). Antonia, carregou :
Pars Aracaty, P. Pinto & C. 10 harris con 9.0
litros de aguanlente..
No hiata nsional Deus te Guarde, care-
Sou
Pars Aracaty, P. Alvea,& C. 45 barricaa conam
2A609 kitodaismencar, brazaco.
QIWf1 -ITfoiODOR TwO
Navies sahyk wtdiada A&
Macio -?-tchor naeiduiol MaMa IT, capi-
Q*0 A. J. A. Moveira, em lmistro.
SauntaQAhom6& Patceho uacioaa li'/aew,
capitAo Adrimn varoas goneros.


ires, mais

e aroditada fabri~i
e sbe a phaor


do s a fazerumamad

fosensivel nos preho

res maons hecidosdos Fa-






zemo tambr seiente
que so acreditadoesitarios

cantdos medicamentos dopa;







smnetricos do doutor:
Bourgraeve, S ehdlitW

dos a fnteaud, zer uma reduo

dao seHorniman e daspr
(?os jaconhecidos.1 Fa<

zem tamb~m seiente





que saorfuarias depositary Gos-






nell.

FO0 DADO A LUZ 0 CATIIECISMO SOCIAL E
dos mdPOLITICO BRASILERntos do







POR
simetricAffonso de Albuquerque Medoo,
cujo assumpto mais so revella polo segdin-zi






to indice dlas materials nelle contidas.
Iantroduco Partd, I. Questes socis






-Capitulo I Da importa~o e exporta-
9fo. Capitulo II -Balan~a entire a impor-
talki o exportag~o. Capitulo III Do va-
lor e da oeda.Capitnlo IV.-Da moe-
perfiimarias de Gosm






da papel. Capital V. Da oda papel
FO'. DADO A LUZ 0 CATHECISMO SOCIAL E




no Brasil.- Capitulo VI. Do c bio, do
POR
Affonso de Albuquerque Mello,



dcujo assumpt do vmais se revelda e da differeguin-
te indice das materials nelle confidas.
Introdueglo Parte I. Questoes sociaes
-Capitulo I Da importagAo e exporta-
gaof -Capitulo 11 Balanga entire a impor-

t9ao e exportablo. Capitulo VII. Da con-


vers~lo do valor das dividas na razao do
valor e da moeda. crrenCapitulo IV.-Da moe- VIII.


Reforma do nosso systerna e padres ma-
da papel. CapituloIX V. Da moeda papel



cessarios ao resgato da inoeds papel. -
no BrCapitulo X.-Do emprestimo. Capitulo, do
desconto do valor da moeda e da differen-


XI.a de cambio. Capitulo Vnsum. Capital con-
versXII. Da convalors da divida publicna raza edo
valdo resgate do apel moeda corrente,. Capitulo V.
Reform do' nosso system e padrio mo-


netarios.Capitulo IX.-D ladres.Capitulo XIV. Ane-
cessimmoaralidade em dotina moeda papel .-
apDoutina e quest-es polirestimo. Capitus.Seclo I.
X. Do system eimpostoal e onsumo. Cap effeitalos.-
XII. Da conversgo da divida ptxbliea e

Capitulo -gate do antigo systema eleCapitoral
X ga -Os ladries.- I. As desgraas o mise-
immoralidade em doutrina. --Parte 11.-*

Doutrinas politics. -As desgaiticas e misias do
B- Do system eleitoral e seus effeitos. A
emigao. Capitulo -Do antigo system elei fructoras dl
nova lei elous fructosal. -Generalidades. u As anti-

co. Sua causa e meio des evital-a. Capi
tulo II. 0 remadio em suan generalidade.
Capitulo HI. Erros e preconceitos dos
eleitores.--Capitulo IV. 0 chefe do par-
tido. Capitulo V. Os partidos politicos
nos paizos constitucionaes. Capitulo VIL
Dos nossos partidos. Capitulo VII. A
fusao on confuslo dos principios die nossos
transaccIo corn o voto. 7. 0 eleitor par-
tidario. Capitula I1.-Meia de abater
a dictadura dos chefes dos partidos sere
compromettimento. Generalidades. 1.0


* I



















































Dr. Bettencourt
OperacSes, fistulas, vias urinarias, mo-
lestias de senhoras e criangas. Estreita-
mentos da urethra tratados pela electro-
lyse sem dor. Affeccoes de pelle e sy-
philis. Molestias do peito e da garganta.
Embalsamamrntos. Marquez do Olinda
n. 34, das 12 as 3.



~EDITAES


Edital n. 10
De ordem do Illm. Sr. inspector interino se faz
public que as 11 horas do dia 16 do corrente mez
serao vendidos em leila'o, no trapiche Conceicgo,
diversos pranch5es, barrotes e tiras de pinho de
rezina, queimadas, por conta de quam pertencer,
lives de direitcs.
Terceira secca'o da Alfandega de Pernambuco,
12 de agosto de 1884.-0 chefe,
Cicero B. de Mello.
0 Dr. Miguel de Figueiroa Faria, juiz
substitute do civel desta cidade do Reci-
fe e seu termo, capital da provincial de
Pernamnbuco, por Sua Magestade o Imn-
perador, a quemn Deus guard, etc.
FaQo saber aos que o present edital virem que
findosos diasdalei, na audienciadestejuizo no dia
3 de setembro serA arrematada em praea public o
bemrn seguiute : 1 armagao envidra9ada o toda en-
vernizada, balclo e 2 mostradores, avaliados por
12040)0 a qual vai a praca por execugao que move
a mesa regedora da Ordem Terceira de S. Fran-
cisco, contra Raymundo Pereira de Siqueira para
pagamento da mcsma execuaco.
E para quo chegue ao conhceimento de todos
mandei passar o present edital que scrA publica-
do pela imprensa, e affixado ncs lugarcs do costu-
me.
Dado e passado nesta cidade do Recife aos 7
de agosto de 1884. Escrevi e me assigno, Anto-
nio de Burgos Ponce de Leon.
Miguel de Figueiroa Faria.
0 Dr. Adelino Antonio de Luna Frsire,
official da imperial ordem da Rosa, juiz
de direito privativo de o haos da comar-
ca do Recife, por Sua Magestade Impe-
rial e Constitucional o Sr. D. Pedro II,
a quemn Deus guardd, etc.
Fago saber aos que o present edital virem, c
d'elle noticia tivgrem, quo no dia 19 do correute
mez, depois da audiencia deste juizo, na respeetiva
sala, ira a praca por venda, para ser arrematada
por quemn mais der:
Uma casa terra n. 2 a rua da Santa Cruz, fre-
guezia da Boa-Vista, pertencente aos mcnores
* Jos6, Antonio, Albertina e Maria, servindo de base
para a arrematacao a qusntia de 3:8C05000, offe-
recida por Joaquim Francisco da Costa.
E vai a praca dita casa, a requerimento de Jolo
Victor Francisco da Cruz, pai e tutor nato de di
tos menores.
E para que chegue ao conhecimento de todos
.. mandei passar o present que sera affixado no lu-
Sgar do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 9
de agosto de 1884.
Eu, Manoel do Nascimento de Pontes, escrivio
o subscrevi.


DECLARACOES
A Camara Municipal da cidade do Recife,
recommcnda aus senhores fiscaes das freguezias,
e faz public para conhecimento dos donos das
pequenas embarca95es, que por bern da hygiene
public, se faz necessario que sejam rigorosamene
te observadas as disposic5es dos artipgs 2', 3" -
4 da lei r. 1179 de 5 dejunha de 18'.5.
Art. 20 Nenhuma alvarenga ou embarcaggo de
qualqucr qualidade ou denominapao que seja, emin
pregada no trafego do porto ou rios, podcia tran-
sitar, ser carregada ou descarregar, serm estar
baldeada e no mais perfeito es'ado de *a-seio e
limpeza.
Os infractcres serb multados em 30000, e o
dobro na reincidencia, e obrigados a fazer immine-
diatamcnte a limpeza necessaria ; e, nab fazendo,
pagarao toda a despeza que for feita, nao s6 c.m
o assei, como tambem corn a desenfeeao, se for
julgada necessaria.
Art. 30 Ninguein poderA deitar nas ruas ciscos
e objcctos sem serventia, nemr cousa aluma que
prejudique o asseio e limpeza das mesmas.
Art. 4o Os proprietaries ou moradores, que nai
portas ou frentes de cujas easas for oncontrado
qualquer object dessa qua-lidade, serao multados
cm 10,000, e no dobro na reincidencia.
Pao da Camara Municipal do Recife, 31 de
julho de 1884.
Jose Candido de Moraes,
President.
.edro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretar'o.

8ocisath 0 1htul a 8oBs lcnted 1

Rbahaors.
De ordi in de nosso presideate, convido aos se-
nhores associados para comparecerem na sede de
nossa sociedade, is 10 horas da mnanh, do dia 16
do corrente, para em assembl&a geral tratarmes
dos interesses da mesa. Recife, 13 de agosto
dc 1884.-0 10 secretario,
Joaquim Jose da Costa Val nte.
Altera^8es encontradas pelo lan9ador J o&o
Pedro Jesus da Matta no langamento da
decima urbana da freguezia da Gra9a
que ten do servir para o exereicio do
1883 a 1884.
Rua da Aminizade
N. 4. Manoel Marques de Oliveira, urma
c isa terrea mei'agua arrendada por 963009
N. 20. Jose Antonio Pinto, uma casa
terrea arrendada por ? 800,000
N. 28. Jose Francisco de Si Leitao,
urma casa terra arrendada por 168O000
N. 32. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por 168000
N. 34. 0 mesimo, urma easa terrea ar-
rendada por 1685000
N. 38. Laura Dias de Carvalho, uma
casa tcrrea arrendada por 1204000
N. 42. Jos6 Nunes do Oliveira, uma
easa terreia arrendada por ,180J5000


Santa Casa da Iisericordia do

lecife
SNa Santa Casa arrenda-se por um A trees annos,
os seguintes predios :
RuIa Marquez de Olinda.
2.- andar do sobrado n. 53 425250
Rua da Saudade


Casa terrea n. 1
Travessa de S. Pedro
Sobrado de dons andares n. 2
Rua do Born Jesus
Segundo andar do sobrado n. 13
Becco das Boias
Loja do sobrado n. 16
Sensala-Velha
Casa terra n. 18
Rua da Moeda
Casa terrea n. 49
Senzala-Velha
.aLa terrea n. 16
Rua Imperial
C:ats terrea n. 127


I,'


405000
30;000
305000
126500
205000
30ojoo0
205000
125000


Rua do Visconde de Albuquerque
Casa terrea n. 61 175750
S Rua da Lingoeta


Segundo andar n. 14


155160


S rina aa lesiatracao
Casa terra n. 25 156000
Secretaria da Santa Casa de Miscricordia do
Recife, 13 de maio de 1884.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de.Sou.za.
The New London and Brasil-an
Banik limited
Rua do Commerci n. 32
Sacca por todos os vapores sobre, as cai-
xas do mesmo banco em Portu-gal, send
em Lisboa, rua dos Capellistas gi. 75. oN
Po, rtorua dos Inglezeo.


Arsenal de terra
0 conselhe de compras recebe propostas no dia
-18 do corrente, para a eompra dos artigos se


guintes :
Algodlo azul trancado ou zuarte, metros
Aniagem, metros
Algodaoziaho. metros
Alpaca preta, metros
Algodao em rama,. kilos
Brim pardo truncado, metre
Brim branco impe ial,- metros
Bonets para recrutas
Bonets de quarter
Bonets para inferior do estado menor
Botoes grades de metal, fines
Bot5es pequenos idem idem
Cauemira enearnada enfestada, metros
Ch Ap6s de Braga corn fita e legend
Esteiras de tabioa
Flapella branch de algodao, enfestada,
metros
Gravatas de sola envernisada
Ganga enearnada, metros
Hollanda de forro, metros
Lenugos de chits
Meias de algodlo, parcs
Panno azul para fardns, metros
Panno mescla alvadio, para capotes,


162
90
4,900
6
9,120
5,773,40
1,700
129
285
2
44
24
12
7
9
500
357
15.60
697
1,066
900
1,676
772-


AGENTES

Smlnn Bntlis & 0
; 11--CORPO SANTO.-ll







IMPERIAL

COIPIIA DEI 81Q118
CONTRA




FOG.
Tendo reduzido as suas taxas do
premio offerece grandes vantagens
aos Srs. negociantes e proprieta- /
rios. r
Premalos meodicos.
weguraraea iandubltavel,
I prompt pagamiente de
prejulxoes,

SCapita11,60.O:4<#$0)
SRecife, 1 de agosto de 1881.

BrOw|&CS. '&,
R UA DO COsE&CIO N. 5




TIE9AT- RO*
NANTO INT'ON



Sexiafeira, 13 do correne
BENEFICIO DA VIUVAE FILHOS DO
BACHAREL DEMETRIO JOSE TEI-
XEIRA.
Depois que a orchestra houver executado uma
deo sa. melbores ouverturw subira a mcena pela
pruneira vez a scena dramatica

0 FRATICUIA
Em seguida terA desempenho o novo drama em
4 aetos

flfwIif. a l viin9


Rariusai Panra. S. Thomaz e
New-York
Para cargo, passagens, e encommendas, tracta-
Be oem os


AWENiTE
Heny Forster- & C.
S. 8 RUA DOCOMMERCIO -


1. andar

Para Usboa
Patacho portuguez
Fraternidade
Recebe carga a frete modico : a tratar
Amorim Irmaos & C.


N.b


corn


Companhia Dahlana de Navega-
Vao a Vapor
Macei6, Penedo, Aracaji, Estancia e
Bahia
0 vapor
Marquez de Caxias
Commandante Nova
CE' esperado dos portos aci-
Tma at. o dia 15doagosto, e
regressari para os mesmos,
depois da demora do costu-
"I'll, A- k me.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na
AGENCIA
7-Rua2 do Vigario 7
fomingos Alves Matheus
pacific Steam Navigtion Compar
STRAITS OF MAGIELLAN LME
0 o rapor

Cordillera


Espera-se daEu-
ropa ate o dia 31
de agosto e segui-
ra parao sul de-
|pois da demora do
costume.


Para carga, passagens, eneommendas e dinheiro
a frete: tracta-se coreos
Consignatarios
Wilson Sons & C., Limited
S. 14 -RRUA DO COMMERCIO -N. 14

0 vapor
Galicia d
.-^ Espera-se dos postos
H r adosulat6o diaa28 de
agooto, seguindo pma
a Europa depois da de-
mora do costume.


Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete: tracta-s3e corn o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9

CHARIGEURS RE UNIS
Companhia Franeeza de Navega.-
4Vo a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis-
"oa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
Steamer
Ville de Victoria


Espera-se dos portos
do sul ate o dia 18 de
agosto, seguindo d&-
pois da indispensavel
demora para o Havre,
eomescala por Lis-
rboa.


Os vapores desta compoabia entrain no port,
aneozando em frente ao cAea da pra"a do Commer-
cio e sendo muito inconmodo o embarque dos pas-
sageiros no fundeadouro das paquetes transatlan-
ticos, no LamarAo e demais devendo todos aportar
ao Havre, que 6 o porto mais visinho de Paris, o
f6ra de duvida que ha grande vantage para quem
quizer ir A Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores ,tanto mais quanto, alm de seem os prepos
das passagens mais modicos, as despezas do embar-
que aqui c as do transport do Havre a Paris, slo
muito menores do que as que demandam as viagens
nos paquetes das outras linhas.
Coaduzem medico a bowdo, sao de march rapida
e offerecem excellentes commodos e optimo passa-
dioe
As passagens poderia ser tomadas de antemro.
Recebe carga, encommendas e passageiros, para
oo, quaes tern excellentes accommodates.

Steamer
Henry IV
S E' espernado da Euro-
a _nr. o a pa at6 o dia 22 de
Ssagosto, segauindo de-
pis da indispenavol
emora para a Ba-
a,R de Ja-
Roga-se aoe S-s. importadores de earga pelos
vapors desta linhaqueiram apresentar dantro de 6
dias, a contar do da decarga dos alvarengas, qual-
quer reclamwo e oneemnente a volumes, queopor-
ventpratenbamzseguido para os porto. do sul, afim
des,e poderem dar a tempo as providencias necessa
rias.
Expirado o referido praso a companhia nao s)
responsabilisa p erxtravios.
Recebe caga eseommendas e passageiros, para
os quaes tern exeellentes accommodates.
AGENTEle
iugusto F. de Oliveira


, I













*- toima parsadrogo, copIt s, do Ua, ;gtlw
coOmposteis, I cosea, do. pinbo e 1 jarric
n 9 do4 tfrfid


da


Sabbado 16 do
A's I 1 ho

Carnio e
Mobilias comiplctas novas c usia
tid is, -uiarda l mua, apparadores
z is claeticas, pianos, fiteiros, can
portantc cofre prova deo fogo, q
relogios, lounas, apparelhos para
,lm', candieiros para gaz, lantern
tes etc., roipas feitas mniudoezas
ragemn, machlrdos, enx6cs, chase
phosphloros, joias de oure e prata
niitos objects que se achain p
N. 27 ita agencia a travC.
Santo n. 27


JI Uw AL u va io A wdVU
*as i --- -__________
cusa Aluga- t e os andares superiors do predio n.
0 AGENTIE -)1, sito A rua do Imperador : a tratar no pavimen-
o trreo do predio n. 10, a praca do Commercio
,0j Aluga-se as casas terreas de n. 36 A rua da
S Ventura, na Capunga, a de n. 1 na travessa da
eiemana flora, no Espinheiho : a tratar na rua do Hospi-
cio numero 32.
correnle Aluga-so a casa terrea da rua do Forte n.
26 : a tratar na rua do Baralo da Victoria n. 14,
ras loja._____
,-- Precisa se do uina criada que tenha boa
ilva aonducta c seja limpa, paira andar camn duas
1iIv ~ criancinhas de 4 A 5 ainos de idade : a tratar na
rua da Aurora n. 27.


das, guards yes-
, comrnmodas, me-
mas, 1 grande im-
uadros, cspelhos,
minesa, dito para
ias, jarros, tapc-
retroz, linha fer-
pas para fogies
, relogios e outros
resents.
ssa do Corpo


Monte de Soccorro de

Pernambuco
Leilao de joias

A' 20 oe aot do co onte
Este estabelecimento transfer para o dia 20 do
corrente o leilao de joias fixado para 6 d i mesmo
mez, em razio de existir grande numero de cau-
tcllas por se liquidar ; e nio querendo o conselho
fiscal sacrificar os interesses dos respectivos mu-
tuarios, urma vez que corn a transferencia nao affec-
ta os do estabelecimento, iaz publieo que no refe-
rido dia 20 do andante se effectuara impreterivel-
inmente o leilao por intervenqao do agent Martins,
A rua do Conimcrcio n. 48, as 11 horas da manha,
das joias quo nito forem resgatadas at6 a vespera.
Os objects estarao expostos nos trez dias aute-
riores, a apreciaiao dos pretendeatcs.
Recife 5 de agosto de 1884.
Os objectos estarao expostos nos tries dias ante-
riores A apreciacao dos pretendentes.
N's. Objectos
713)1 Uma pulceiri, 1 alfinete e 1 par de brincos
ouro de lei.
7135 Dez colhercs para sopa, 9 ditas para chA e
1 par de fivellas, prata baixa.
7926 Tres voltas de trancellim, ouro de lei, 1 moe-
dinha, de ouro do valor de 5, mas 3 ditas
dollars e 1 cordao, ouro baixo.
7932 Um cordao, 1 cruz, 1 por de brincos e 1 dito
de rosetas, ouro de lei.
7934 Urma corrente para relogio e 1 annel, ouro
de lei.
7916 Uma corrente incompletea) para relegio, ouro
de lei.
7955 Um par de rosetas de ouro corn brilhantes
pequenos.
7990 Urma coroa de ouro para image.
8000 Urn alfinete, 1 par de brineo, 1 cruz corn co-
ral, ouro de lei.
8001 Urma corrente para relogio, oura do lei e 1 re-
logio de ouro.
$0)27 Dous pares de brincos, 1 dito de argolues,
mais 1 dito, 1 cruz e 1 annel ouro de lei; 1
crucifixo corn 1 laqo e alfinete, uoro baixo.
-8035 Um tranceihm, ouro de lei.
18050 Una corrente e medalha, onix, para relogio'
ouro de lei.
6806 Um pulceira, ouro de lei.
8076 Urna corrente e medalha, onix, para reloio,
ouro de lei.
8077 Urma corrente para relogio, ouro de lei.
.4082 Um annnel de ouro corn 1 brilhante, 1 par
de brincos e 1 relogio de ouro.
sm085 Um correntio, I corrente para relogio, 3 an-
neis e 1 relogio, ouro de lei; 1 aalva e-Ie o-
crivaninha, prata de lei.
8110 Um trancelim e medatha de ouro de lei.
8123 Um eajado para image, ouro de lei, e dias
cordas de prata.
8146 Um trancelim, urnma medalha e um alfinete,
ouro de lei.
: 8206 Urma aalva, quatro colheres pars sopa e Cin-
Sco ditas para chA, prata de lei.
$216 Urm relogio deu onro, para senhora, e nra
iedalba deoouro corn omix.
i IS .829Umrs medalha, urm annnel eum par de bot~e
^eli??^+ ^^ 11 | 823 Dous anneis.de'& ro.eonembrilbate.p.ie ,
io S. nuna corrente zam wslaeloa c liar TWto


Precisa-sc de uma criada para engommar a
para o servio domnestico de casa dG familiar : e
tratar na rua do Barao da Victoria n. 39, loja.


Quem precisar de urna senhora para ensinar
portuguez, francez, muvica e piano, flores de cou-
ro e de madeira, dirija-se ao Caminho-Novo n.
128. Na mesma casa se preciva alugar uma pes-
soa mesmo de ineia idade, que entenda de plan-
tacio de sitio e sirvi para vender na rua.
Precisa-se de uma ama de idade para casa
de familiar ; no largo da Santa Cruz n. 14.
Ainga-se uma grande casi cm Santo Ama-
ro, rua Lembranca do Gomes n. 4, muito fresca,
corn grande sotio, corn dons grande quintaeu
nmurados e corn boa penna d'agua : a tratar na
rua da Imperatriz n. 32, segundo andar.
==-- Precisa-se de uma cosinheira: na rua do
Gervasio Pires n. 30.
Vende se por'a-o de taboas de louro, que
foram servidas, de diversos comprimentoa e lar-
guras, e algumas madeiras novas e servidas, te
lias servidas : em Afogados A rua de S. Miguel,
sitio n. 107.
Precisa-se de um cosinheiro para hotel: na
rua estreita do Rosario n. 21.
-- Aluga-8e a casa n. 8 do largo da Soledade,
corn commodos para numerosa familiar, corn excel-
lente banheiro, gallinheirc e agua canalisada ;
estA caiada e reparada de novo : a tratar na rua
larga do Rosario, botica.
Precisa-se de una cosinheira e de um criado
de 10 A 12 annos ; na travessa de S. Pedro n. 8,
e indica ama de leite.
Instrucclo primaria
Ensino particular
Urna pessoa, competentemente habilitada, se
offerece para ensinar, corn aproveitamento, a
criancas de ambos os scxos, nesta cidade e em
seus arrabaldes ; podendo igualmente ensinar em
engenhos : a tratar na rua da Alegria n. 8,

Rua do lmperador
n. 81
Por motive de molestia, vende-se este estabele-
cimento de merciaria, nas melhores condioes para
o comprador, jA pelo local, como polo pouco capi-
tal precise para sea movimento.
Caixa economic
Desencaminhou se a caderneta n. 3105, de A-
do'pho Vieira da Silva: pede-se a restituic.o A
rua Augusta n. 210.


Precisa-se de uma engommadeira para casa de
familiar : a tratar na rua do Hospicio 46. casa
terra.


Sr. Andre Roempcke
que!ra apparec.r no caes Capibaribe n. 42, a ne-
gocio.
quida&o a di
'Yvnde-se na BJaiiaVerde,, villa do Triumpho,
as seguintes casas': am loja corn armaao A
pmraa do Commerei'o n. 10; urnm quarto cioja
corn armacio, 4 rua Bella n. 19; uma casade
morada corn um quarto de loja A rua do Triumpho
n. 57 uma casa A rua de Fiei Azgelon. 9- ua
junto da ponte n; 4; duas aeaBs TttJadSe k. Vi-
eette i. 3 e 4 : os pretendentes tratem -con ten
wocurador Olympio, ou em Ltmoeiro -eom Mlaod
into SouZa beiro, na rua da Mtiz 57.
27 h-W'-& -V ^ v I


I : : proves aeo
Tendo sido annunciado neste journal que a ca- sincere etc
deira mmta do povoado 4e Mocambo de Aguas rosa ordem o
Bellas estava no numero das nailo sanecionadas, o e as diverse
abaixo assignado deelara er isWto um engano, per sentor nas im
quato ess adeira foi contratada corn D. Maria que supd
t arso va s sctera 7 do i o mo cous oom- o i i n-
tar da secretaria da instra q pWlica ettran&o9
a mns nrmfessnra am lem A:meaicik em teamn, i


tA 44 horas 4bo, ou rdoi umvt* de- _au
** i , ..No begundo andar do sobrado da rua do an neom um dita d cmvri treooe
Imperador n. 31aiumorrn ditae e mer a 4 ouro e pla-
0 agonte Martins farA leilo dos moves e mais tias para relogio, uma, | Ui tG Pa,+
objects acima, por ordem de ura familiar que se pulceira, dous alfte1 6I ,Pam de brin-
retirou d'esta provincia. cos, ouro de lei; un relogo -d ouro.
S8329 Urn alfinete pra trato e m n par de brin-
1 +Icos, ouro de lei.
L e i ao 18333 Urn par de rosetas de ouro corn brilhantes,
uria puleeira e urn par do botOes, ouro de
lei.
n"Kffl m8334 Umn relogio de ouro para senhora.
8339 Um par dc brincos de ouro on brilhanteae
Agente M"'RIuO or mbihno
dons anneis corn ditos.
Cgal dOS lp oA 8348M Trez anneis de ouro corn m rillantes.
aS o d Umar pulceira, um. tr*ancelim, trez voltas de
J ouro, urn par de brineos, quatro anneis, um
ipar de botes e-um emblem da coneeigao,
UltA 0flb u~oIdmours de lei.
ia, iias d aard j o, a r, 8351 Seis colheres para sops, seis ditas para chA
1 piano, mobilias de jacarandA juco, amarello, e duas conchae prata de lci; .
camas de jacarandA e de ferro, 1 lavatorio corn 8353 Um trancelim, uramn medal, nrna corrente e
pedra 1 lustre do vidro parajgaz carbonico, cadei- cinete par elogio, ur de i, u rn elogiet
ras avulsas, candieiros, espeihos, quadros, joias e de our o r '
suites outros objects. 8351 Um par do rozetas de ouro corn brilhantes.
Ao corner do martello. 8355 Um alfinete, um par de brineos, um annes
uma p ilceira ouro de lei, uma pulceira, um
A'S 11 HORAS alfineto, um par de rozep.tas, baixo.
u ,,,""n -4n correntle 8358 Um aifinete de ouro, um relogio de ouro.
ulnlthfieira 14 cor8 8368 Uma corrente e medalha para relogio ouro
A RUA DIREiTA N. 36 do lei.
RUA DIREITA N. 36____ 8421 Um par de brincos e um alfinete ouro de lei
e l Ir m8 uma pulceira e dous pames de rozetas, ouro
fynte B rli mH):qili baixo.
gC/llC Ull lall~j~i 8426 Umn relogio ouro de lei.
Age t-e B-' l O qu 8429 Uma correntc e einete para relogio ouro de
lij^ ^l/^l/O8430 Um trancelim c um par de brinco, ouro de
lei.
17WO8430 Uma tmancelimne urn par do brinco, ouro de
De t ih d ro a o 8438 Um par de rozetas coin brilhantes ediaman-
De trilhos de ferro e aco t ,,,e s.,,
e e8439 Dous anneis de ours corn brilhantes.
No armazem (La Companhia Pernambucana 8450 Um trancelim, umma medalha, uma cruz, um
n. 16, pr autorisacrio do Sr. inspector par de brincos, e dous anneis ouro de lei,
n, i pulceira, um alfnete, um par de broncos
I' Alh D,, c i presnoa de m c- \collar ouro baixo.
prc'alo dal e m isma Alfandcga 8460 Um alfinete de ouro, cravcjado de pequenos
nnints foipo, 14 ilO pnirntQ brilhantes.
"U c 14 l oltoo 8461 Duas pulceiras, coin diaminantes umn tran-a
Sit I cclimn ouro d e lei.
AS I AI hos'as eln ponto 8462 Um relogio, ouro do lei.
0 agente aciima lcvarA;i leilto os tri hios ciina 8465 Uma volta de trancclim, trez pares de brin-
niiinci>iad,)s, 'a rquecrimento dos Srs. Pohlrr.an & cos, uma cruz e quatro anneis ouro de lei.
C. pur conta c rise de qucinem pertencer, salvados 8486 Una pulceira ouro de lei.
,ih wpr belgla Copernicus.. Os senhores preten- 8520. Dous tranceins, uma volta do dito e uma co-
(hntes desde jzi po(lerao ir examninar. roa ouro de lei'
S8528 Uma volta do ouro, uma medalha, dons pares
SAl8a do brincos, um botao e um and, ouro da lei.
LeWil 8554 Umn relogio de lei.
Recife, 9 dejulho do 1884.
D), irma arrnacao de amnarello envernisada e envi- 0gercntA.
dracada e dous fiteiros, aqual serve para qualquec Francisco Joaquim Ferreira Pinto.
hcgocio : existente na fabric de cigarros A rua
d I' Penha n. do G_ _. _
Quinla-feira 8 do corrente I AVl~f~ iV~ilAfl -


DEPURATIVO E PURANITE.
Este novo e admiravel purificador de
sangue actual sobreos intestinos
o figado, os rains "oa- pelle.o
E'cura infallivel contra a Debtildade
Mervosa, as Dores deo Caboca, a Dys-,
pepsia as Sezoes, e contra as doen-
cas de origem Miasmatica ou occa-
slonadas por desordens do figado
ou pobrezae Impuroza do sangue..
Depositos. Em Now-Y orkrniuou-
des Srs. Barclay & C. em Pamsuacor
0o e em casa dos dos Srs. Fsae ccab
Manoel (&a Silva & C.
Os abaixo assignados fazemn sciente que de
mutuo accord dissolveram a sociedade de que fa-
ziam part na firm Dantas & Bastos, ficando a
cargo do ex-socio Bastos todo o passivo e activo
que consta lo balango da extincta firma, e o ex-
socio Dantas pago em todo seu capital e lucro.
Recife, 30 de julho de 4844.
Manoel Jos6 Dantas Junior.


4eso.dque iHwo Geram pruvas eYientes de sen
peiar e couaideraglo, apresentando-hes on en-
viando-lhWs sentidos. pesamespolo fallecimento do
sen presado eunhado e tio, o ViBconde do Livras-
mou~to. *^'j'^: ___ __

Indite lphabetico e Re.

versivo
Da lei dal Reforma Hypothecam
ria e respective regulamento
pelo bacharel

LUIZ DE ALBIIERQMII i -

TINS PERIRA
Natural do Recife e juiz de
dire'to da comarca de Alcantara
no MaranhAo.
Esta no pr0lo, e sahira bre.
vemente.
Assignase no escriptorio do
Diario.
UIm volume de mais 300 pagi.
nas por6$000, pagos na entrega
da obra.

Luz brilhanle sem rfumo

Oleo aromatico
HYGIENICO E- ECONOIICO
pNm limpariIls


mies a professora, prote ontra o
Jos6 Maga^hosda Sivtt Poit^
Tricofero
de Bapry,
crizto-do quo
xZ jmmeor o
CABELLo
ainda imesmo las cubecas
rials canvas, beas cono Quo
cura radicalmente.
a TI4HA e a CASPA.
Positivamente impele a
Vda a o embranoqimento
0,BLOoem-tedoo es at-
S603 torn invariavelmente
H adio, Rilhante, Yormoso e
Abundnaite
Ern uso hianais de oltentaannos
tre rnmator venda quoe nenhum
S outm e'cparadoparaocabello em
to(-. -unmdo.
Agua Florida
de Barry.
DUPLA.
Preparada segundo a formula
original usada pelo inventor no
anno do 1829.
Tern duas vezes mals Fragrancla
que qualquer outra.
Dura duas vczes mais tempo.
E'muilto mrals rica de perfume e
mals suave.
E'muito mais Fina o Delicada.
Tern dobrada forca Refrescativa e
Tonica no Banho.
Fortalece ao Debile ao Cancado.
Cura as Dores de cabeca e os des-
maios. I
E'multissimo Superior a todas as
outras Aguas Floridas Actual-
monte a venda. -
Desooberta Importanutissima.
Pure Oleo de Figado doe Bacalhao
COM
IODURETO DE FERRO,
DR
Baxrclay & Companhlia.
--~--s-' "__^_-






Cn:ra radicalmente e corn scguranca os peores casos
de Phthisica. Escroftilas, Rlieumatismo, as doencas
da Espinlia Dorsa, dGse Quadris e dos Ossos, asin-i
flamina yOs do Figgado. do Bayo e do Utero, etc., etc., I
c rcstitte ao corpo enfraquecido e fatigado o suen pri-
i:itivo vigor e arredondado doe contornos. E certa-
miente uma grade descoberta o Pure Oleo deo
Fimado de Baeab!hao com lodureto deo
Ferro-de Barclay & Ca., New York. 4
Xarope de Vida'
de Reuter No. 1.
-At ~ ~ p I a, 1M-d I I


Beberibe
Vende-se o afamado doce de goiaba de Beberi.
be, da safra nova, a 1,500 a lata e 12s a arro-
ba : na taverns de Jacintho Correia Lobao, junto
a estagao.
Q18 n ct cha!!!

Babados bordados a 2C0, 300 e 400 rs. a peca :
na rua Primeiro de Margo n. 25 A, loja da es-
quina.
Urma senhora viuva, pobre e honest deseja
alugar uma casa pequena, ou em casas de familiar
uma sotea que seja a entrada independent da
casa, e que tenha vista para a rua, ou loja nas
mesmas condig5es, porem em casas de familia ho-
nesta, send preferivel na freguezia da Boa-Vista
ou Santo Antonio : quem tiver annuncie para ser
proemrado.
Semente de hortalia


Joag Joaquim Gonalves Bastes. '.iAcaba de cchgar um variadissimo sortimento
0 *- destas sementes:
Pota da Bussi Mate de Parana, em pacotes.
1 a d Rlussia, Leite suisso confidensado.
L Liuas seccas do Rio Grande.
Domingos Alves Matheus tern pars vender em Vende-se por pregos razoaveis, no armazem de
se? escriptorio, A rua do Vigario Thenorio n. 7, molhados de Valente Irmaos & C., rua estreits do
primeiro andar, superior potassa da Russia, em Rosario n. 1.
barris de 25 kilos, e reeentemente chegada no--
vapor allemo Pemambuco.Aluga U- .se

A e s n um sitio na estrada de Jolo de Barros n. 12, corn
Aluga-se.o segundo andar do predio n. 45 b rua tres casas juntas, para grande familiar, corn vivei-
estreita do Rosario, muito limpo, fresco e de gran- rus e bastantes arvoredos fructiferos, per preqo
des accommodates : a tratar na rua Duque de commode : a tratar na rua do Rangel n. 58, das
Cax ias n. 85. 10 Js 3 horas, ou na rua do Imperador n. 67.


GRANDE OF FIAE J.J :AIATE

JO L1~JSYIAN


o'es


um


C.


;re,


D


FABRIC A E


PARA


0^


-AC


VAMV|


AVIS~O


Para que o public reconhega que os queijos carimbados corn a marca acima, im-
porta seria e bem fundada garantia do recebedor, transcreve aqui a 3." parte de suas
instrucqoes sob as quaes slo fabricados os mesmos queijos no SERIDO', cuja inspec-
6so' alli feita por seus agents, a quem compete carimbar s6mente os quo recebem
dos fabricantes corn as suas devidas numeraVes em baixo relevo, como se verificarA
rmesjnos queijos, na part inferior a marcasupra.
INSTRUCQOES
3.' parte. Os fabricantes marcarlo os queijos no actor de pol-os nas formas corn
as numerages que Ihes forem fornecidas pelos mesmos agentes, deixando por6m de os
marcar quando o queijo nlo sahir nas condigoes exigidas, pelo qual perceberA o fabri-
canrte o mesmo prego como se estivesse marcado.
Do que flea acima dito comprehenderlo bern os apreciadores do leite do SERIDO'
que s6 desta marca se poderA fazer um present de leite puro. As encommendas
para caixas de 4, 6 e 12 queijos deveraoser feitas corn antecedencia no armazem do
rocebedor A ran da Madre de Deus n. 5,a vontade dos compradores, nas principaes
casas de molhados a retalho desta cidade.
,Recebe dos portos do norte por todo sospaquete snacionaes.


0




o


Products especaes
DO


DR. CARLOS BETTENCOURT


Salsa e Caroba
(sem mercurio) poderoso restaurador
sangue, em todo e qualquer grAo de
philis, ainda a mais rebelde e julgada
curavel.


do
sy-
in-


Apphca-se tambem corn vantage pro-
digiosa nas molestias beribericas.
Uia vidro 36000
Duzia 30#000
Elixir de jurubeba,
pega pinto, ferro e quina, recommendado
como o mais efficaz medicamento nas se-
guintes molestias; figado, basso, flores
brancas, catarro da bexiga e outras muitas
molestias.I
Um vidrcho 3000
Duzia 30#000
Xarope de jaranmaearu
remedio milagroso na cura radical das
constipagoes, catharro, bronchitis e todas
as affeegoes do peito"
Um vidro 2#000
Duzia 20#000


Vinheo tonice
corn lacto-phosphato de cal, ferro,
cascas de laranjas amargas e quina.


coca,


0 melhor remedio que se ternm formulado
pela combinagAo destes heroicos medica-
mentos. Empregado no tratamento das
molestias do peito, do estomago, anemia,
menstrau'9ao difficil, debilidade geral, cores
pallidas e todas as vezes que se quer forti-
ficar o organism.
Convem ser usado pelas senhoras que
criam afim de tornar o leite mais nutritive
e robustecer as criangas.
Este remedio e superior a todos os toni-
cos estrangeiros que se annutiams por ahi.
Uma garrafa 38000
506000
IPlhulas de Euealyptina
contra sezoes e outra qualquer febre, be-
nigna ou d e mau character ainda as mais re-
beldes.


1 caixa
Duzia


2#000
20o000


Pllulas aperitlvas
contra as molestias do estomago
1 caixa 16000
Duzia 10#000


INJEcOAO
anti-blenorrhagica, cura certa em 4 ou 6
dias-sem produzir estreitamento na ure-
thra.


Um vidro
Duzia


14500
16O000


Deposito....Pharmacia Galeno
51 RUA DO B&RAO DA VICTORIA 51


Fuii len


ALLAN PATERSON 8:
N, 4--Rua do Brum--N. 44
JUNTO 4A ESTAVAO DOS BONDS


L


c


, +






: ii+
'' i*f r


Tern para vender, por preges medicos, as seguintes ft rragens:
Tachas fundidas e batidas.
Crivagces de diverssos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos models.
Portas de fornalha.
Bancos de ferro corn serra circular.
Gradeamento para jar&im.
Vapores de forga de 3, 4, 5, 6 e 8 cavallos.
Medas de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Rodas d'agua, system Leandro.
Encarregam-se de qualqer conertos, asentameo machinimos execut am qual-
uer trabalho corn perfeigo ou presteza.


A ,,fa!..
Spknha!DOS

Gm 'e +ecina11


,A; wjf wi:.


45",


ER


e se nzearam rep
dia. assim como


A's I t ho
.-Va referida
POR INTEiRVEN(CAO D
Guismai


Leilao


&
Martins & Bastes
Pernambuco
Numero telephone n. 33


-wr -
































Chamn a attenuao aos ueldor pra
eeontia de combustivel q nu io-
nos engenhos Perirh*rAira e Ora desta
provincia, e Boa Vista de Maranguape, aoude
eor om fogo do assentamento se pFoduz va-
pr necessario para a mi4agemt.
Em moendas, rodas daagua, vapores e todo 0
maeninisina e ferragens preess para enge-
shos tern a v enda grande sortimento da me-
Ihor qualidade.
TRmLHOS PARA CANNAS. Tern de system por-
tatil simples, semi os inconvenientes que al-
guas apresentam; eom earros propries, loco-
motivas etc. a prevos razoaves, podendo fa-
zer contrato para o assentamento.
Nesta fuditio, a mais aitiga desta pot
vincia, vende-se a prazo, ou a inhciero eom
descontt.
FhIEAIO$iR BOW AE







DE


CARDOSO& IRMAO_

RUADO BR M N.tI00JA 4
OctI TIA u0J APOLLS S 2 K I
Os proprietarios deste bern eonhecido es-
tabeleeimento pelas suas relae6es directs


corn os melhores tibitk
tinet engenheivo de ]
g"rdes& vaiaten4wspara


provam corn
tes nos ea


an]se


corn um dis-


Ingl oteroa, reeem
eDo0nft, c .. cM.


os apparelhos completes
mhos Massauass4' e 1


neio appmretho no engenho Cofeen
MACHINAS -A vapor t"ando


assen-
sque, e


So.
so corn


o fogo do assentamea-to, pode ser examina-
das ais que fram assemtes Im en *s Be-
lmI elM TiBe-imbmsu', Cmeii, em ileira,
Diamaute em GoyaiMa, Pai&o. Amarello, Ca-
mara e Lages em Itam1. Vidratfo em ]P


d'Alho, e oitros im Rio GmAde dte


Norte


Paralqfw6
Chamam a attenpo dos Srs. agrieultores
para os novos vapores qie tem ree4ido' do
acreditado fabricante Robey, que se reeom-
mnendam pela facilidade de corrdier4 assen-


tamento e economic de combustive1w deixand6i
de mencionar os.eingenos em q os te M col-
locado, porja terem vendi& -S& par diversos


lugares,
eidnos.


e por issoja


derem s-.-Sie'bm Iffe-


Sao os n~iboi*ref dimho porta-


veispela -


Quanto m6 fta
tidas As- tuitias,


16-Rua doC .-16
0 abaixo assignado vendeu mo seus
venturosos bilhetes garantidos os premios
seguintes: 2 quartos corn a aorteU AWOO$
no n. 1368, al6m de outras maio de 32&
16 e 8#, daloteria n. 61.
Convida aos possuidores a vivm rece-
ber sem desconto algum.
Acham-se a venda os venturosos bilhe-
tes garantidbs da loteria n. 62 em beneficip
d igreja deo, de Nossa Senbora da Boa Via-
gem de Palmeira que se extrahirA quinta
feira, 16 do cor rente.
PRECOS
inDire 4*490
Ileto9 :000
Qurto 1:000
*endo qimatidade superior
a IOO*o00
lntefro eO
Melo A:,&0
Quarts4 1&
jcquim Fires da Silva.




Aos4: 006000
BILLTI IT RARANTIIIS
Rtua do Bar4 & Vl ritrla. 4Q(
e casmd 4i austurie
0 abaixo awign.do acabla ie vender
am seus foliowe blketes o 0iteib d4e n.
413 corn a sorte- do 10000O e diversos
premios d 0 390SM, 160) e 8#000.
0 mesmo abaixo assignado zonvid aos
possuidores A virem receber i i confonmi-
dade-do .costume,. sem- descolto- algumn.-
Acham-se A venda 0o,. flizes bilhetes
garantidos da 3.'parte-da loterias abe-
nefliciOda igreja de Nossa Senhora daI Bf6a-
Viagem de Palmares (62.&), que se extr&a-
hirA na quinta-feira, 14 do- correnrite,
MItEC0


Inteiro
Meio
Quarto
eam poriao
Inteiro
Mieio
Quiito.


4lZ00
26000,.
165K000
de 1004000 paZ
elm

0750
#875-,


JUte Joriquiria d~s Cos~a Leite


AOS 4AWSMf

Npa da Ir. pe-ei3 -

cia s. 3T7 e 39


0 abaixo assigado vandbu entire os seus
felizesbilhetes garantidkbs a sorte de 100#
em 2 quartos n. 1368, al6m de outras sorl
tes deo 32#16ee 8#.
Convida owposeuidores a virem reeclr.
semr deeconto algum.
0 abaixo assignado temrn exposto i
venda os seus felizes bilhetes garantips' do,
[oteria 62a a beneficjo 4a igreja d, Nfos"a.
Senhora da Boa Viagem de Pasmadoi. qu6
3e extrahira quinta-feira, 14 do oarrente.


SPreo
Bilhete inteiro
Meio


Cos


Quarto
Gm porpio de to
elma


Bilhete inteiro
Meio
Quarto
Antos&4^ugusto d s

Feilorpaa
1mncisa-se d um, pai|
A-de j or O


26000
10 00o
14",


t3. enhcido ha mais de 84 annos cemo t
MI Plr .prervatlvo dos Cabelos, particularmnnentt
nw paize quentes. Impw os CabJlos do Cai'
Se. Meeer; trtIca-osaoomvem especalmente
At CrpMna.--Vende-se tambem Cdr de Ouro.--O
LOWLANDS' MACASSAR OIL de. 20
Hatton Garden, Londres, encontra-se em '.das a.-
Drog-irias e Peffumariau


1f VIP O H 0SPMITOS ^
--.; -.,

Ij OS XAROPMS
DI HYNPOPHOSPHITO)
do .,oda, de Ca e de Fer- ,
q 'c.^cgadve cotm tantU oxito Pam;
f sG % phtLaloa 6 a = mufl tis
|agK~osa,. vendem.a-suaicamoaeat
us, frasms quadrados .orn eo 0oas az,
,ioUtnrj CHURCHILL srbrG o vidro.
P3b a Influencia qj ttfcfi dinui?'e, o appetite augrnatnts,
law forasa torrJPo a vir, os sure; aoo-
i tava bosAo, odoatgeno g-swa rcm.
Ibem osetar dosusado. I
d:fapa&Vi daPh.rm.cia SWANW, 5.lr
yr. Cawe ,Par> u40S o .s swic
IWconh*Wczi~os s raownmenamdo* a.
IS BURCEBLL. uto- da descobsrfa ,ts
stf prop.riedaLdM dPratwas.
IPReO: 4 fi. pot frasco un Praoc.
i *3ida-9e8 naR pincipaes Phibanrwa^aA
inKM-3-~

a"-'M^11 Um A dt A. JsAq .' Pb0 de j ClaM,
w t3U.-46 abvb U n tE4?PAMI

*lluqtti oS~l--Oa MAaiN


S30M6ADA.L.T. PIER

1,a > p1 P ..Stf-RRON, Pharmaceutictx do. Vlama
mIJto" noa zie cla teai pRsvado o exito coostatoa mtw*UI 4*
l p* :. 1 3VWEa contra 8S s' am'
piriT73L4R. IL&OASRA LBICOSAS, AWt.
!"a W nauupbrtav* qua lieijd@*.j4W)4
^dcHieei~fa^' A~d*#as6*tIjprida^ a ibee^l
OWfN 'LaM ^a ^ dei 61.cli ujfklV~ lwM.,
Jslfi^^ fflm-^llfc^v^ tat.lrh .
^' 'l~oJ~~ta&.|tbi.i^-4 '^^ j..^it~^_ Idj ^^ t- -- m t& ~I a Al


-EPILEPSAf1


HYSTERIA


5 ULS


'iPOLESTIAS


30W

Sfaxtos 'Piorto
AS^l-tO s x.^.


f


6aw



*.~ ,7' Deo* Is POOm' -* !
ZAInZnQn RUA"i^
0qUUSr n un


D. Anna Joaquiuna Jansen de
aftuto e Albuaquerqne Pinto
Luiza Rosa das Meres Jansen, Panula R. das
Merces Jansrn, Jonnna Rosa das Merces Jansen,
o pharmaceuticu Heinriquc das Mercs Jansen,
Abilio R. das Merces Jansen presentses, Dr.
Felippe Jansen de Castro c Albuquerque, Dr Vi-
cente J. de Castro e Albuquerque (ausentes) e
seus irmaos mandam celebrar por' sua alma uma
misra as 7 horas da manha do dia 14 de agosto.
trige imo do seu passamento, no mosteiro de S.
Bento em Olindix ; pelo que convidam todos os
parents e amigos para as.sistireni a este acto re-
ligioso, certos de que de vossos comparecimentos
6 dependent o nosso eterno reconhecimento.
Jos6 Alves d;i Silva manda celebrar duas mis-
sas no domingo 17 do corrente, na igreja do Li-
vramento, is 8 boras da manhb, per alma de
sua querida esposa, Militana Maria da Concei-
9ao ; e para cujo aeto, convida seus parents e
amigo s.




Pedro Paalo dos Santos
Maria dos Martyres Tavares dos Santos e seus
filhos, tendo de mandar celebrar na matriz da
Boa-Vista, sabbado 16 do corrente, As 7 1/2 ho-
ras, uma missa pelo lo anniversario da mort- do
seu desditoso esposo e pai, Pe-iro Paulo dos San-
tos, convidam aos seus pareutes e amigos para
assistirem a mesma, confessando se desde jA
gratos.




D, Anna Joaquian Jansen de
Cantro Albuquerque Pinto
Manoel Jos6 de Paiva Pinto, seus filhos, Dr.
Vicente Jansen de Gastro Albuaquerquel (ausente),
convidam aos seus parents e amigos para assis-
tirem a missa que mandam celebrar na ordem
terc*ira do S. Francisco da cidade de Olinda, pelas
7 1/2 horas da manhi do dia 14 do corrente, por
alma da sua idolatrada e sempre pranteada es-
posa, mai e irma, D. Anna Joaquina Jansen de
Castro Alququerque Pinto, trigesimo dia de seu
pisaamento.


Antont-iao s- a ii anUtos
Os empregados da companhia pernambucana de
navegaglo costeira por vapor, attrahidos pelos
sentiments de amizade que devotavam ao sen
companheiro Antonio, Dias dos Santos, comman-
dante do vapor Ipojuca, fallecido no dia 9 do
corrente, pa provincia do CearA, mandam cele-
brar mibsas e memento no dia 14, pelas 8 horas
da manha, na igreja do Corpe Santo, e convidam
para esse acte a todos os parents e amigos do
finado.

AlIqase haralt
Os armazens n. 13 do largo do Corpo Santo, o
qual tern communic cqo corn o do n. 4 no cases da
Companhia Pernambucana, corn guindaste.
0 1." andar do sobrado A rua do Bom Jesus nu-
mero 47.
A. easas terreas ns. 1 C e 3 na Baixa Verde
(Capunga).
A tratar no largo do Corpo Santn. 19, primeiro
andar
Wiauttento
Na rua da Unilo n. 47 faz-se plisses e recorta-
se babados seda de todas as larguras, pontu-
dos, redondos e miudos.
Primewo andar
Aluga-seo primeiro andar do sobrado a raa de
S. Jorge, antiga do Pilar n. 72 : a tratar na rua
Primeiro de-Merco n. 17, loja.
liii sfutipara alugar
Aluga-se a 6aaaita no Caldeireiro, junto ao
sitio em que reside o Dr. Joa6 Bernardo GalvAo
Alcoforado, tendo os seguintes commodes: 2
sakes, 6 quartos, coshiab fora, quartos paracria
dos, quintal corn arvores fructiferas e jardim,
cactimba comn boa agua e muito perto do no, para
o qual tern sahida : a tratar corn o Sr. Julio
Fuestemberg, A rua do Imperador n. 32, loja de
joias.

Iodists
ta da Praia n. 5, 2', andar
Edavirges Maria Coelho, participa as suas nu-
merosas freguezas que dispondo de habeis costu-
reiras, e teudo por norma os figurines mais recen-
tes, acha-se habilitada a satisfazer qualquer toi-
letr como sejam : pa-a easamento, theatre, bailes,
passeiesa e enxovaes pars baptiasados.
UM coRvite es-ecial
Zeferino Martins &C. convidam aos senhores
que deixaram de frequenter o sean atabelecimento
a virem tratar de negeeio que nao ignoram. Para
que nao se enganem, praca do Conde d'Eu nu-
mero 18.
AO senkwr eostrtrtr


1-4w, 1ge-lho. o fa4w de 'dfr A i4 4a da ma da
utr n. 40, anagocio qQu ilo ipa*e se
oajf-fiiefool ^ sevadate Q o MJl doe vet o
sou uoqapo r etoenso nest iaorio.


r LeULSIR AURMtA
L E PAtLIDA*
cIIMCENTO DO WIOS E
0 FERRO BRAVAIS
6 u dos ferruginosos mais ener-
giot, pois que algumas g6ttas
por dia bastam para restabelecer a
'uaede m pouoo tempo.
0 FEf, Rf BltBRAVAIS
no produz caL fatiga de
estomago diarea, new- pri-
sAo de venture.
0 FERRO BRAVA/S.
nio tern saber nem cheiroe alo
di miu gosto ao vinho, agua ou
qualquer Uqt.-2o em que f~r tornado.
0 FERRO BRA VAIS
6 o mais barato dos ferruginosos,
visto ofrasco inteiro durar de um
mez & seis semanas, importando o
tratamento em algums reis por dia.
0 FERBO BRAA VAIS
#aI) eimsgeo, os dentes
0 8SAr BRiVAis ad 9L Se garantir a eft-
fmCia ige4Wro 4* d mvesstor, qando
a0 rotudos traAw timrem A 1a ast.-
gnatzva imWpreso twt aUnta onoarnada.
tY=,mCZW =4a1oonpauha
Kima BtW adtona odo vu
date proio o sarruglaom.
WMD.B N 0GSS00
EuBdt.te OUTHON & 0'
49, 1pSt-Laizare, Perls
.DIPOSITOR r~titoR.PWCIPA82 PEABIACIAS
^ ,.^ --


wi


< ^


I


I


. I -





















DE
49. 4a Nova varvameocc ;! *11^/:1 1
Um Mado -ortimambo ema ehapellinas e chap6os par-a R-
ahoras eam tWdasa e", ultimoa modouos do um de
Nests casa Jew ipre an comp)o to rtswento a-Wealu tig" de
chapellaria, tan" pas L's, e B s5&
wnetau :oa pr cipa modisata e Paiso qu9- a de masds
a&ta noviade em caphos o chapellinas.
apaste-sne eino ade e pregos modlcos.


CAJITRUTBEBA

0 MAIS PRECONISADO DEPURATIVO DO
SANGUE DA ACTUALIDADE.


COMPOSICAO
DED'

Firmino Candido de Figueiredo.

PROPAGADOR
Antonio Poreira da Cunha.


VENDE-SE


NA DROGARIA


DE
nia Ow II BA IM


de joiAS
4rrm -e


a vetderi' ,'ais : ibwat#
oaque t.ou tra qua1-
quer If .




Antonio Jose Maia A C., proprietariosi
deste estabelecimento, aviaU os sons nfu-
merosos fregnezes e a todo as Srs. corn-
merciante em geral, desta e das outras pro-
vincias limitrophes assim como ao respeitav-,
el public desta capital, que Am vista d4
grande deposit e augmento do fabric,
resolve vender os seus chap6os por pregos
e condig5es sem competencia. Deposit
da fabrics a rua do Bareo da Victoria ns.
34 e 36


Aftenao
Francisco Antonio de S6 Baneto do 140 bata-
lho, Dr. Francisco Xavier Paes trieto, promo-
tor de Iguarassu, Joo Gonugalves dos Santos Ju-
nior, Jolo Baptists Ferreira (engenho Gapi6),
Antonio Bezerra de Menetes Lyr, Thom6 Au-
asrto da Silva Villar, apparegam na rua dop
at'yrios n. 148.


Ainga-se a casa terreas n. 4 da travessa de
Freitas, antiga do Trindade, bota o feado para
o becco azul, corn 2 salas, 2 quartos, sotSe, cosi-
nha f6ra, quintal murado e cacimba ; a chave se
acha junto, e trata-se na rua da uia n. 62, Re-
eife.


Precisa-se de um cosinheiro qu eaiba bem co-
sinhar : na rua larga do Rosario n. 12, antga dos
quarteis.

Dt4
Precisa demsn ama p4rs aus : na rua
do Apollo n. 2, primeiro mdame

pma _
Precisa-se de urma ama de conduct afsf dan
para todo serv o domAtico em os de amlia :
a tratar na praga do Oorpo Sante,.& 6, primeifr
andar.



Atonio Ignac1o Heitor
mudon o seu eatabeiscumemto darus d*Sp
Amaro n. 3 pars a ra da Roda n. 56, ContinI a
encmrregar-se de eeamnar saga pa'mW parti-
cularep, deposit. pars age&a, bomabme, tm'asba,
etc. Receibechaomo, pwoaoetta uodicidade nos
pre"os e prompted*. em seus trabalos.

AIhg34c
tUn sotaO Ou meMo algum quato na asa it A i
rua da Axawora, par preCo commode, tern agusa en-
canada : a tratar na referida casa n. 103.

Aluga-se
a casa terrea corn sotao, gaze agua do Beberibe,
sits na rua de PaysandA n. 22 : a tratar na rua
do Vigario an. &1.

Taverna
Faz-se oom urgencia todo e qualquer aegocio
corn a taverns sits i rus da Ssnala .nova a. 2. a


i Poea ^ BA> y*ep- o le-oo-
9 eM oCllO e oasMa parti(l*VSa4, s 4M J
resincis IL &rt do Visconde de Goyansm sume-



0%,OS.&Dr. N. tlooo Xavier Paes Bafetwe,
Marouw TMM^O eerteJo~er. qte~lepro-_
motera, ea* ea s4o, *Ao rgade vk &M do
Miaqup de 0*&) a. 50, d9 r ouuupiiento &o

I &-
que naoig~oAOL


00
Q6


03
re-



'-*a

gif
4w<


Para dom aidMsw te toda a
Perfeitamente couservado iUquido grazo e con-.
demado, approve oi efa ima. junta de hygiene
publics de Janeo.
Privileg*dao pelo governor imperial, pela effica-
cia da sua appucag.
Os frascos trazem o retrato do bacharel JoSo
Baptista Gitirans Coft ee a uma assi. tura do
propio punho e ago ades emo ta encar-
nada pelo cirurgilo dentists Num&a Pompilio.
Unico deposit em Peramianco, rua do Barge
da Victoria n. 54,1 oandar.
Prego de cads fiaseo pa amwaosw 65000
Pars ulceroes e granuwlnsedo eollo do
re.o e cancros syphilitioa, formula es-
cit, 55000



Aluga-se ur, indepepdeote, e maguik. par*
rapae solteiro, na rua do Calbouo n. 10, ientrada
pela mua do Seubor -Bom mus ds Creoulas: a
tractar corn Francisco Gomes i rua do Imperador
n.,28.1


3ME

MIGUEL WOLFF & Co
Offerecem ao respei-
tavel public um gran-
de e variado sortimen-


qual serve muito para principiante por disporde o reo is
poucos funimdos e por star bem afregaezada. Faz. to de relo Osdos mais
so este negocio por seu dono, aconselhado pelos rica
medics, ter de retiar--se pare mato. acreditados brican-

l0r0te,.e se acham habii-
Nodia 9do correote mez fei roubado da i S ven r m
de officina de Manoel Ferreirada u nsle- .. .. a e d r mai sU
gio de ouro, de se-.iorm, corn a mostrador saul e e do
corn 16 esmeraldas. corn o n. 4118, e am cordlo aw4atU o q 1 outro
de ouro cornm 11 oitavas ; pede-se a quemn o ap- q
prehender entregal-o no becco d4 Osidor, que a l isto rece-
receber 205000 de gratificmco
TnlipOKIn di uthilumeli berm directamente.


-ApIllUwu 1 UIpU-UUU
Vicente 4. do Espirito Santo eoxica msthea-
tics 4 rus do Apollo n, 2, prioeoio audar.


Copeiro


e ama para


cozinha


Todos os relogios
vendidos nesta casa
sio arantidos.


pit 14


a.0'I& &A" Airtta* Pw & ft"caSa-t
Mtui map%%&; Wt w zp4Msteia do
-1Uba po :ftfta os 6"u pospontoo eofiao se fows &e lamnca-
&&,A~t -6.4^!e gisye 'vantapgl. No inmefo vidb6
leeaim;%to teIa Ptfrt~e~t d m^ad ot
Mento dae mIlkoes mWcbia 40 B d e 4 todo"
es ppwvuau falcmctem e Yodfm aml peoro e a
reto '"mme pm pre"s Aulto rasoaveis ; us
rus do &Rnti& ViiaL *. W


Va~,ms ~Isito


Vende-ae duab vaecas te dOite Wto emansas o
bemn tratadas : par ver, no a e z Cordeiro, na
Enada Nova, e a tratar n a loja da rua Primeiro
de Kargo ii. 18.
Vende..e nia tavern as rua Real da Tor-
re, bea. afreguezada e corn poucos feudos a tra-
tar na mesma taverna.

Machia a -vapor
iamachina A vapor, type herisontal, corn fora
de6 cavaos, propna pra engeuho, poise que acha-
seproida d &tedos os rodOtes e transmissos, po-
dendo seradaptda immediatamente I qualqer
moenda. Vende-se por pree commodo, porter
tido algum uso, o que aliAs a torma recomuaenda-
vel pr estarem provadas as suas condigoes de
orstr beomn flaccionam"Oto.
A caald aldm de poder fomneer vapor ia urma
machias de puito naior for ga, 6 minida de um
aquecedor d'agua, o que occasions grande econo-
mis de combustivel.
As pesmoam que pretenderem, podem examinal-s
us Ompuuaga, a ru. dma ( ma 6 a. 57.
Vend .se u aliu-se
wna guunde cam cown sotu., am agua e gaz,
grande quintal maurado, corn grades commodos
parafamilla, sita i ra da Aurora u. 167 : a tra-
tar na rua dos Pires n. 21, corn Manoel Francisem
Frage. __.



Fazendas bravcas
Na loja des baraterows
daS B6a-Vita
40-Rua A&wprilz 40
MadapoNo, pecae de rdapolo frances
enftado t corn W 2 j2 da a eoa8
DitMelrs^, cam 26 v ws a 41OO e TWW
Jtitio fassudwmuitO e owfsds q1. p-
ece cretme, eoaf cn 20 va hns a e
65010. 655SOD
Ito fftsuue, smericauo, faieuda emito
"laa0 rpeda de 71 ate 125000
A ~o festadao om 9 palmer de lar.
gD a parea taer unoes de uzr s6 dpan-
ino metro a
Difts Iot"agdi em a meHo a argsra,
preprio pu. l96 es e tomafba ds
=Mes, oeto a e20(
B tnmante de algodo cod 10 almost de
largura, proprio.pa faxer f ioe
um 9amp Metro e8
Dto fne, seado de o linho, metre a
1m800 e 2100t
Dito -lez do quatro larguras, sendo





nMirogms, su -d ,
de Imho, metro a 2500 e 2A800
(Arouetias Pre pesm 3&%i I to s-I
lihasj, eroeulas, samndo famzeo in uito
ueaord vadapea, cop a 20 varms
pyorlif90 e emn vara a BO0
Drta cam a mewsir media a @., on
'-5a 400
Atoedled adao mmecado pe toealp do
mesa, tendo 8 paimos de largura, me-
tros 1a800
Assim como um complete surmineao -do
peos de algedaozinho smadsisa e
mglez, que se vende por e de BS at 6000
Isto no I da esquina do erreiro
Casemiras de cores


BAheiro v & dILva a -x xa 4, t- o
un immenso sortimento de caei de cores,
tanto claras comno eacuraa, q"o vemdqa a N000,
25500, W t)4 6e o cov&d, e d a m sas nmaadsa
fasef qualquer poga d'obra on costumes, pio pre-
gosmruito ratoaveis, asaim owno tern, taubem ur
explendido mortiliento do casernlrsa e pcbnosxpre-
toasateao mais flno sedan qwerern a.Berao e
des niesmos tambem se me~tigsma do uandiir
faner qusaiqer pesdoa rerapst .^wite do fre-
faez se coutodas aprfeica e presotea: istc na
bados barsteiros da Boa-Vhist, na esquina de
becco do. N~reiros.
Uiliwfs aIB~rIs
OB Barateiros d&B~a-Vista*tBata ite ho.
vaitoslinhoa de umanssor' do~r luti*~ipah sa
restidce, send. a160 rdis o .wad4 e e 4. etoa
late Ra rua da Impermfris n. 4,, eauqlu do becoo


- ^,tam11'


Algod5es largos a 3200 e8500 a dita!
Toalba a riqmssimas de labyrintho para presea-
tea e baptisados, a pregos resumidos.
Cortidado brdados a 7 o pa, prprim pamaa
cama e janellas.
Redes de cores, superiores, a 5 !
Fichus, chales, crochets, sortiimeuto complete de
roupas de todas as qualidades.
As vendas em grosso damos descontos
59-Rua Duque d e Caxias 59
Carueiro da Cunha a4 C.

CRAVOS E FLOR7

Na rua da Uniao n.

3, ha sempre para se


1!


A" LI
4% Am


All*4^


>- Pat ", a lt fow i ,r


DB ca<^?(W~aw&e^ e L' fJto


8ooJis4 m4Q ii


rud Wrteno dehbo160
Ditu oderaenedeeoredao e sm* 01
eania, grande sortimeato doe meairj.
branastant a rnes 1c2000 i11600
tanto do lik. curgo& atgoutlOO seOO
dedeu600, de;, o at e t 500
D%6 dec de ee



TPitlas, rtso de do1 co dod at,2600 85090
Moamsa, grandesortimento, do amisiRua
tore 2o| par, at6 500--6JO
Goflamhosgrane tirtneuto de coils-
rink.., tend. do 55 a. duzia at6 fQ
Toalhas, grande o rtimento de t.lus,
tanto par rosto como par bano, qu
se venadem pOr preos muito raoaveis.
_Tudo isto 6 eom grande red-Io de preos : a
oja da esquina do becco doe Ferreiro
FarinhaL.-*ea

Nos primeiros moses a alinnrnta~Io nxd
natural e apropriada ara alimentar a cri
9a de peito 6 o proprio leite materm oo u
em casode necessidade deve ser ixtiti-
do pela
FARINHA LACTEA DO DB]
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a fan-
nha Lactea come poderoso elemento uw
trictivo para a infancia e distinctos medi-
cos do Brasil e da Europa reconheeeram
ser A do Dr. FRERICHS a melhor n'este
genero.
Deve-ae pois evitar confiar o fiuhinl
uma pessoa estranha e de comportamento
nuo conhecido muitas veases o germen
numerosa molerstias.
Vende-se a verdadeira farinha Lacte
do Dr. Frerichs:
65 RUA DO IMPERADOR 55
EAt eiecimento de mtaicac e piano da Vis
torPr&z1 e

Cambraias trwspa^BJ
tesa3s
E' pechincma &
Nac ojra da d peraiz n. 40, esquim
do bec co dos FerreIo, vHde-se pes de e am-
braa branch transparee, dendo mauladiua ,
para v e aSido apemu ; a meitso a ra

Carneiro daCuhmha&
Liquidam os *eguintes tigs outra
muitas fsendas de sea gro de posito,
como scram :
Cretones daroe e eauro, ee pe n defeto
a 240 r. e riade!
Oxfords lisos pars vestidos a 129 ts. o oovadoI
Laide cores, bonito padres, a 200 rs. o dito !
Alpa-as de quadrinhos, nevidade, a 400e 500'
Ts. odith
Meria6preto de dus laigr a a odito!
Idem d cores a 15900, 6barato!
Casemiras de cores a 152 Oe 1"5500 o ditr, duas
larguras !
d agoa, finis, a 25400 o dito !
Brius para roupa de meninoea 240 ra. o dito I
Bramante ra a anado pars leaos a 500 r. o
metro !
FUstoes em cortes pars coellte a 2509 cada
urn!
Lenoe de linhio em cakuiahas a 3& a dmpo
Meias inglezas para home a 3500 e 50a a
dita!
8eroulas bordadas de bramanta a 16M a dita!
Camisas brancas e de cores, franceias, a 3000
a dita!
Cobertas de ganga forrada s a 25a600 M itI
SCobertores do VSL, grades, a 2 colchas fIss a
35000.
Saias bordadas superiores a 35, 45 e 55.
Espartilhos de couraca a 45500 cada un !
Leques modernos a 45, 6 barato !
Madapoloes, boa-vista verdadeiro, a 65 a pegs
dc 2ljardas !

























mos o 60liosde reef& -
Sdoeeipto-do:Sr. .w v em quieiC
,fopao, erra por tal form que toca A
parialidade; para o quo lhe pedimos voa
m a. .,; ,.,' ^.;.,,-.*'^? ^
Come;aremos pelas execuves 4o* aI
tyros Jos6 Luisz de mendioa e Atooi
Henrique Rab&lo, que o Sr.: Carmo diz ter
side, aquelle executado a 12 do juleo e
este a 15; quando o padre MLartins, ila-
tando estes factos, diz que a morte de J6,6
Luiz toeve lugar a 12 de junho na Bahia e
a 5 de julho a de Antonio Henrique em
Pernanmbuco.
Quet estara em error ?
0 Sr. Carmo fallando do coronel Fran-
cisco Jacintho da-lhe o posto de coronel de
linha, o quo elle nunca foi.
Tratando do senador Francisco do Rego
Barros, dA-lhe s6mente o titulo de viscon-
de, ignorando que esso illustrado pernam-
bucano teve tambem o titulo de conde.
A narragbo dos acontecimentos de 1848
estA cheia de erros. 0 Sr. Carmo mostra
que pouco sabe doses acontecimentos, as-
sim como sabe pouco da topographia da
provincia; porque colloca o engenho Camo-
rim na freguezia d'Agua-Preta a leste da
cidade do Rio Formoso, e os Remedies
tambem a leste da ilha d'Anna Bezerra.
Das datas mencionadas no Esbogo do
Sr. Carmo, raras sio as que 6ombinam corn
os acontecimentos dessa epochal.
Trataremos da chegada do coronel pes-
soa de Mello ao engenho Una, do coinbate
que se deu n'esse engenho e retirada dos
revoltosos para Agna-Preta, que tio mal
descreveu o Sr. Carmo,
Tpndo o coronel Mello occupado o-cnge-
nho Una (estava desoccupado), a forga dos
liberals tomou posiglo na margom opposta
do mesmo nome para cortar-Ile a passa-
gem. Vendo Pedro Ivo quo aquella forea
nao tentava passar para o lado de Barrei-
ros, mandbu Caetano Alves corn alguma
gente passar o rio Acimna do engenho e
desalojal-a, o que nto teve lugar porque,
quando os governistas viram que se appro-
ximavam os inimigos, pozeram fogo a urn
canavial quo estava de prermneio; polo quo
letrocedeu Caetano Alves e conservou-se
do lado de Barreiros, guarnecendo a passa-
gem. N'esta posiqlo conservaram-se as
duas for9as toda a tarde do dia 24 de no-
vembro, e todo dia 25, at6 que As dez ho,
ras da noite puseram-se em march os
revoltosos para Agua-Preta, pernoifando
pouco acima do engenho Ariticum.
No dia 26, chegando ao engenho Ca-
choeira, bateram uma forga de paisanos go-
vernistas qne encontraram.
A forga de Cocal, commandada polo co-
ronel Paulo de Amorim Salgado, sbguio
pelo norte do rio Una, tiroteiando aqui e
alli onde descubria nos lugares mais es-
treitos do rio os revoltosos, que seguiam
pela estrada acima.
Ao chegarem estes no engenho Barr.!,
passou o rio Sebastilo Alves da Silva corn
urn piquete, e fez retroceder a forca gover-
Iista, que contava o seu chefe no numoro
'feridos.
Seguiram os revoltosos sua march e
entraram na villa d'Agui Preta As 8 ho-
ras da note do mesmo dia 26.
Ve por tanto o Sr. Carmo quo os revol-
tosos naLo foram batidos em Barreiros, nem
na Cachoeira, e ainda menos em Cocal per
onde nao pa'ssaram.
Tratando do combat de Barreiros, o
Sr. Antonio do Carmo, como quo para des-
prestigiar o feito, diz simplesmente: --no
dia 10 os revoltosos em numero de 500
eommandados polo Dr. Peixoto de Brito,

(1) Estes apontamentos foram rometti-
dos pelo Sr. Josquim Jos6 Tavares da
Costa ao Instituto Archeologico e Geogra-
phico Pernambucano, que os mandou pu-
blicar.


Trat do (10 do o oa
motim, quo ficaj
posts a que Ihe d o Sr.
:mo, diz quo a forna de lina ahi
estava As. ordens do tenent.o.ronel Cam-
boip; nbo sabemos- o que J* woJav#-
dade, o q uo airels6 4l, (j wi
pernambuoaq anev= uwa polih onude
comiiss.o o0e.upou no.. epocha..:
Nada diz o Sr. Antonio do Carmo do
encontro das foras dogove o mocormn.8-
beraes nests mesmo engenho noi dia 8 de
dezobro do wino de 18U, send aquel-
las coaamowi das "polo major Ignacio do
Siqueiral_ SUv4a ,raz (o qual al m
de fear ferido, perdeu- parte da bagagem,
inclusive o cofre com'quatro contow de r6is
ern dinheiro) e estas por Caetano Alves da
Silva, Miguel Alves de Lima e Sebastibo
Alves da Silva.
Descrevendo a march dos liberaes de
Agua-Preta para o Recife, e o 9o bate Ce
2 de fevereiro, o Sr. Serami' e Silva erra
nao s6 nas data, cbmo tambem no cami-
nho que a tropa seguio, obrlgando a fazer
urn zig-zague, que mostra bemrn no co-,
nhecer elle os factors.
Os liberaes marcharam de Agua Preta
As 6 horas da tarde de 26 deo'janeiro de
1849, pernoitaram no eng3no Rebingado ;
sahiram nna manh de 27 e acamparam no
engenho Liberdade, d'onde seguiram na
manhi de 28, descangaram em Cabeleira,
e foram pernoitar pouco adiante do enge-
nho Carangueijo; na manhi de,29 ehega-
ram ao engenho Cumbe bnde carnearam, e
seguindo A tarde, passaram por QravatA,
pernnitando nesse dia no p6 da serra das
RussAs no lagar denominado Casa Nova.
No dia 30 desceram a serra, e deixando a
estrada de Santo Antlo, seguiram pela da
Gloria de GoitA, por onde passaftm jA
noite escura e acamparam em um engenho
pouco adiante, no qual pasam o dia
31, sahiram A tardinba o a&awparam em
TapacurA. No dia 1 de fevereiro passa-
ratn per S. Lourengo da Matta e acampa-
tam no engenho Mocot6. Dahi sahiram As
6 horas da tarde evitando a passage do
CaxangA, tomaram a esquerda, indo fazer
alto na Estrada Nova, mais ou menos polas
confrontagoes do sitio do Forte. Ahi divi-
dio-se a forga, passando o Capibaribe a P1
e 3a divisoes, e a 2a, de que era command
dante Pedro lvo, eitrou pelo Luca, indo
sahir nos Remedios, onie dispersou um
piqueto de guards nacionaes, apriionan-
do nessa occasiuo os portuguezes Manoel
Ignacio d'Avila e seu sobrinho Jos6 Igna-
cio d'Avila, se nao me falha a memorial.
Pela minadrugada passou a divislo para o
aterro, hoje rua Imperial, e rompendo o
fogo (so*e irem a Cabanga) tomarai a pegs
que guarnacia a trincheira, pega que nbo
foi desmotada, como diz o Sr. Antonio
do Carmo, mas estava cravada, quando
cahio em poder dos liberaes. Em actor con-
tinuado a tropa liberal occupou a fregue-
zia de Santo Antonio, desde a ponto do
Recife ate6 a da Boa Vista, e isto assim
aconteceo porque, esperando-se quo entras-
sem as forgas combinadas pela Boa Vista,
e uma decantada forga de Serpa Brandlo e
Venan1io, quedovia entrar polo isthmo,
precisavam encontrar as points francas,
para sua' passagem. r
Huanto A morte do grande patriots, ha
aum embroglio tal no esbog do Sr, Antonio
do Carmo queo msa Bs pode saber a hera e
o lhgar em quo se deu ease lutuoso ason-
tecimento. Bern podem esclarecer o facto
os Srs. Luiz Ceaario, Antonio Jacintho,


f~ em da AlS~l~MN -1 A*ie^b VABBw A, 4W
0 .. ,. perdu p.ar o l|||p...oi- d ,
Cperas,.pontp ewmmanai p) aio
Tristlo Pio dos Santos, qua destrogs-
do pelas tropas liberals ao maad -o Gae-
tanoAlves e de Sebaati o Alveida Silv4
o combat de.. Peaud ci:*6 demais
fatal sos liberae, pcrquo j. i, tiveram
mortos os oommandautes -3o@ Felix dO
Mello e Joo FrOta d'AaAm eom91 mAis
ides eompanheirou, 0910 25 ,firidos, in-
clusive Sebatoi, Alves da Sila.
Neste meosmo dia, qua era 1I de ianeiro
de 1850, bater iam n'a fors a. do major
Victor do Albuqueque cotn sa de MiguelI
Alvcs deLima, entire Bam do Dia e Ca-
mivouzinho, sean vantagem oem perda de
aceo .para ambos.
Pedro Ivo s6 dep~z as armas nas maos
de seu velho pai, depos *-do eotnbate de
26-dejan"iro.
Esta forga quo bom pode mew o"Wipwmo
do a da Peregrine da Paralybsad e te q
foram illustree viotinas Pedro 1v Mi gel
Affonso Foerrira, Pedro Correia, ias
Pont-BaMxa, Bernardo Coelho, Agostinhi
GuiearAes, Laurindo, Nascimento PortO
e outs, descrevam-na abalisados escrip-
tores, e se forem do pensamuoto do Sr.
AatoniodQ Carmo.- cantem hosannas e te-
9am mil encomios a seus autores!




]"sere"a&
A' BELLAIMINO DOURADO
Funebr tristeza,
SDQ vez em quando
V&'&me assaltando
(rcora*Iki
As vqzes penso
Que 6 uma doenga,
'Ou 6 descrenga
Da vI razao.

Em meio As featas,
**.^Na~eucseiii (af1.'1 --
Na oontradania
LA vei a dor I...
Toca-me n'alma,
Vibra a saudade...
A fatalidade
Me faz horror.

Porque minh'alma
Se enluta tanto?
Porque meu pranto
Me queima assim ?
Eu sou a escrava
Da negra lenda
Que segue a senda
Quo nao tern fim!...
A minha 'roa
Do pluma branca
De riso franca, -
JA se toldoul
Ninguem no mundo
Sabe o quee osinto...
Mas ah eu minto,
Tudo acabou I
Bello jardim-1884.
A. AUGUSTA ..


* .i + *, *'. + *+ ,it ,i *+ *e 11 *
...- .. .. .

Eis seWa quado--ao lounge
As ams it uhando
Docemente,
Aligero barquinho
Singrava imperioso
Na corrente.
Senher d'aquelle espao,
Como um soberbo eysne
Sobre a tona;
Nas vellas ciciava,
A briza que corria
Folgasona.

Dentro-g#ntil barqueiro,
C'o o remo em punho a olhar
0 firmamento;
Soliloquava uln canto,
Que al'm..... al6i mprria
Na voz do voento!
Que doe voz! que music !
Desafiava umn cOro
De cherubim I
Este, concerto mystico
De thremio-A, d aironia
Dizia assim:
Adeus minha terra! Mais rica, mais linda
Um'outra no mundo por certo nao ha I
Nasci nested solo, nasci brasileiro
Respeito as grandezas do altivo TupA I
Meu barpo, meu barco
Nas aguas correi;
Que em breve meu anjo
Nes bragos tereit
Que noite de rozas... Rainha de prata
A la se ostenta no azuleo docel !
Milhares de luzes faiscam brilhautes
Tudo 6 poezia nest'hora de mel!
Sou pobre barqueiro,
Sou pobre, bemrn sei...
Por6m junto d'ella
SSou mais do que umn rei!

S0 c6o se mirando no espelho das vagas
Mostrava uns cap'ichos nas roupas de anil;
As auras beijando mimosas florinhas
No ar derramavam perfumes a milU.
Gentil panorama
Na~terra, nos ceus!
GrAtdesa sublime
Da obras deo Peus! __


Era ella... a sua image
A sua Juli6ta,
l A., Quo de um p-bre barqueiro
Fazia-o rei, poeta.
Trocaram-se palavras,
Abragos, beijos mil;
Perante testimunhas:
A lua e os ceus de anil!
A natureza calma
a escutar serena,
Come que se orgulhava
De contemplar a sena 1
V
Mais tarde a voz da briza sibillanto
Trouxe um echo, meu Deons, mysterioso,
Sublime, angelical!
Quo fr.-i cauza este supreme abalo,
Do filho a reit .er de uns labios meigos -
Os:mto maternal!
Beijo de mui, tio cheio de dogura
A estreitar nos bragoes essa prenda,
SQue a into ja nao via.
Era um barqueiro, sim ; mas era um filho
Isso bastoi p'rs Ahe afogar o peito
I~ ares do alegria!
AgJ to-7-84.' -1
AMAiO PESSOA.


Le ersage nOir

(AO auigo Dr. Leal Vlanna)
De. Aegro crpete
No meio das lsazes
Tu 6s to coquette
Quo a todos seduzes.
Nao sei mesmo si foi n'um extasi ou n'um sonho.....
Na polka eras entio mais agil que o favonio,
Mimoso colibri.
Ten negro corpete
Me obrga a te amar.
AhI de5a que en de te
Um beg o ao luar.
Vem-me a lembranga agora aquelle dOce instant,
Quae comtigo dansei;
No auge do prazer, snti-me delirante,
A estranhos ces voei.
Teu negro corpete
Quemn vel-o nio vai ?
-Terrivel magneto-
As geutes- attrai.
Qual e, sabios, dizei, qual A a forca occult
leeasA veste enti ?


Iome aem a Patenr
Ha dias, os alumnos da facul dade de
medicine public de Barcelona offerociam
ao seu professor, o Dr. Raphael Rodrigues
Mendes, o busto em broze de Mr. Pasteur,
em reconhecimento da vulgarisacgo scien-
tifia feitapor este professor das descober-
tas e doutrinas do sabio francez.
Os estudantes de Barcelona aproveita-
ram o ensejo d'essa fiesta para mandarem
a Pasteur uma mensagem callligraphada
em pergaminho e corn todas as assignatu-
ras dos alumnos.
Encarregou al6m d'isso o secretorio ge-
ral da sociedade franceza de hygiene, de
Paris, de entregar o testemunho de admi-
raglo ao sou illustre destinatario.
No dia 19, As nove horas, uma delega-
9go da sociedade franceza d'hygiene, com-
posta dos Srs. Bouley, membrojde institute,
MariM Pavy, director do oblervatorio de
Montsouris, Dr. de Pietra-Santa, secreta-
rio geral, e Joltrain, secretario d'esta so-
ciedade, foram ao laboratorio da rua
d'Ulm.
ari6 Davy e Pietra-Santa fallaram, um
eat seguida ao outro, exprimindo a satis-
fAooo Iue sontiam em se associarem aquel-
la manifestaglo e a essa homenagem pres-
tada a urea das modernas glorias spien-
tificas.
Pasteur agradeceu commovido, e pedia
para serem transmittidos os seus agrade-
cimentos aos jovens estudantes de Barce-
lona e ao seu eminent professor."

Um pouco de tudo
A sogra de Francisco esta doente, a
manda-se chamar o medico.
0 doutor depois de a escutar, exclama:
E' precise cuidado: tern o pulse ir-
regular, a lingua ma...
Isso em minha sogra, neo 6 preysova
de minha sogra estar doente -, observou
Francisco.
*
Um cego tinha uma mulhor tao bo-
nita qubo leviana.
Uma vez faziam diante delle o elogio da
esposa.
E' urma rosa! diziam.
-.Sire, numa rosa! responded o velho;
conheei-a pelos espinhos._




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENIWIC247_9TSFET INGEST_TIME 2014-05-21T00:04:46Z PACKAGE AA00011611_15117
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES