Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15084


This item is only available as the following downloads:


Full Text


























bNe au t Janod ft u%4abu Jnria & Jithjo


111 E1 sp1a1r: zD A iN ari s
(Epeibaflpar ai

(Especial para o Diario)


PARIS, 6 deojunho.


+" As negoclac6es dlplomatieas acer-
ea da corterencia proseguena vaga-
--r osanmente. Todavia, espera-se que
ellas cUegarao a. produmir o accor-
do das potencias.


LONDRES, 6 de junho.


Assegnr&-se que o governor Inglez (
renuncla a maudar um exereito a D
Soldao.

Agencia Havas, filial em Pernambuco, f
7 de juhho de 1884. n



PNSTRUC I0 POPULAR %f

SISTOSI& na-' L BO IS es;

(Extrahida) t
A
PART IV Ie
OESCRIP-AO DOS PRINCIPLES PEIXES r
l.a SU3-CLASSE-PEIXES OSSEOS t
(Contimnuaiao)
A Cavalla on Sarda grande (Scomber s8oibrus) I
-4 mais pequena que o atum, de cor prateada, B
corn o ctorso verde-negro. Tern 5 barbatanas fal-
as em cima e em baixo. P
No verao approximam-se grandes cardumes de c
sarda das costas do nosso paiz e a sua pesca all- d
mental consideravel numero de pessoas. m
E' muito especialmente depois de salgada que a
aarda 6 consumida. Tern sobretudo fama enm For- R
tugal a sarda de Peniche. c
Fazendo-se a pesca da sarda no verio e a dos c
arenques (como vimos) no inverno, estas duas pes-
cas alternam-se vantajosamente para os homes
n'eUllas occupados, que pedem assim em quasi todo n
o anno ganhar a sua vida.
Uma outra especie proxima dos scombros e tarn- I
eom nmuito conhecida em Portugal 6 o (Carapdo t
(Gasterosteus), pequeno peixe corn a cauda em for-
ma de quilha de ambos os lados (como 6 a dos 1l
scombros), mas tendo em lugar da primeira bar- a
batana dorsal aguilhbes livres e sem meinbrana.
Entre as barbatanas ventraes tern urma pega ossea I
visivel exteriormente. -O sen estomago 6 urma di- c
lataao do canal alimentar curto e sem cegos.
E' vulgarissimo em Portugal. In
Ha duas variedades de carapao: o de trees espi- a
S dsea e o de dez espinhas. 0 primeiro 6 o Gaste- U
rosteus aculcatus que vive na agus doce e que pre- a
judica as desovaees dos outros peixes. 0 segun- r
do 6 o Gasterosteus putWitiu que 6 pequenissimo,
rondo apenas uns seis centimetros.
Outra familiar important d'esta ordem abrange I
as Scieins, as Omhrinas, e alguns Visugos. 1
Mencionaremos tambem a familiar cm que en- a
tram as Percas ou Meras e o Robalo. n
A familiar dos Percideos tern muitos peixes co- a
nhecidos, vulgares e bastante procurados em Por-
tfal.
M julgamos necessarlo, dar os caracteres es-
peciaes de cada uma d'estas qualidades de peixes
que enumeramos e de sues variedades. Diremosd
tAo s6mnente que esses caraeteres distinetivos siio
tirados da form da barbatana dorsal, a qual na
pesca dos rios do norte (am dos mais bellos peixes
de agua doce), tern 16 -raios, e que as barbatanas
ago vermelhas, emquanto o corpo e esverdeado no
dorso e dourado nas ilhargas, coin listras pretas.
(Continfia).


SPARTE-OFFICIAL
Governo da Pcovlnela d
EXPSDEST E DO DIA 3Z) DE ABZL DE 1884
Actos :
0 president da- provincia, attendendo ao que
requereu Manoel (Gregorio Vieira Lima, professor
de ensino primario de Alagoa do Carro, e tendo
em vista a informaclo n. 151 de 22 do corrente
mez3do inspector geral da Instruacqo Publica, re-
S solve conceder ao peticionario, a contar de 14 des-
te mez, 30 dias de huen.a, corn or!enado somente,
para tratar de sua saude onde Ihe convikr.
0 president da provincia, usando da facul-
dade couforid4 plo art. 7, da lei de 12 de agosto
de 1831, resolve proregar ate o dia 20 de maio
vindouro a actual sessio da Assembl6a Legisla-
siva Provincial. Fizeram-se as devidas eommu-
oica95es. -- < +
0 president da provincia, attendendo ao
que requereu Sofia Guilbermina de Mello, profes-
sora da escola pratica annexa a Escola Normal e
teado em vista a informa ;ao n. 26 do corrente
mez do respective director resolve prorogar por 3
k mezes, corn ordenado somente, a licenca ultima-
monte concedida A peticionaria para tratar de sua
i saude onde Ihe convier.
0 president da provincia, tendo em vista
I informacao do commandauto superior da Guar-
da Naeional das comareas de Olinda e Iguarass(I,
resolve declarer quo o tenente nomeado pare a 3a
I eompanhia do 680 batalhao do servipo activo cha-
ma-se Manoel Joa6 de Castro Villela e alo Manoel
Jons da Costa Villela, como foi meneionado na
S.... n.ortaria de 8 do corrente e ordena que n'este sen-
: tido se faea a devida rectifcafao.- Cemmunicou.
1^! se ao respective commandante superior.
+| -- 0 president da provincial, tendo em vista a


infornmacio do commando superior da. Gaarda
eieional das comarcas de Olindt e Iguarassd, e
rS popost do eommandante do llo batalho da re-
mpva, resolve nomear oe seguintes officiaes :

Tifte, JerounyMo Cavaleante de Albuquerqxue.
2' oBmpasea"
OIpitoi Alexandre Amerieo de Caldas Padilha.

Capitol, VindiWal Ribeiro Swes
5a ompant&a
^ A^ rs AdIp* O BItista daSilva.

a wue, alferes Eugracio Ribeireo e Mello.

%o 1 8ai,*.uo 1 ,pe do Rep Bar-


IAn d AsI


toa.
andanto


- Ao mesmo.- Transmitto a V. S. o boletim
udiciario do corrente .iez.
- Ao mesmo.--Sirva-seV. S. de mandar pa-
gar aos interessados os valords dos onze eseravos,
constantes da relaeao junta,plibertados na comarca
de JaboatIo por conta da 5a quota do fundo de
emancipaco em audiencia especial de 27 de mar-
"o ultimo.- Communicou-se ao juiz de direito da
comarca de Jaboatao.
Ao Dr. juiz de direito das execuq5es crimi-
naes.- Transmittindo copia do officiodo command
lante do presidio de Fernando de Noronha, n.
1,252 de 26 do corrente, declare a V. S. que ap-
provei o acto de que trata o citado officio.- O(i.-
ciou-se nested sentido ao commandant do presidio
de Fernando.
- Ao commandant do presidio de Fernando.
- Inteirado do assumpto do officio n. 1,231 de 21
io corrente mez, declare que flea approvado o acto
)elo qual V. S. nomeou D. Maria Adelaide de
Castro Lucena, para exercer interinamente o lu-
gar de professor de instruccao primaria n'esse
presidio durante o impedimento da effective.
Ao inspector do Thesouro Provincial. -
lransmitto a Vinemc. as inclusas petig6es 'de Gal-
lino Antonio Soares e Joaquim Alves de Castro
ifim de que informed a respeito na conformidade
da exigencia da Assembl6a Legislativa Provincial
;ontida em officio do respective I* secretario de
28 do corrente, n. 79.
Ao mesmo. Communnico a^rmc. para os
ins convenientes que de accord corn ma sua infor-
nacao de 26 do corrente, n. 582, concede permis-
slo a Irmandade do Diyino Espirito Santo desta
*idade para despender 'lm as obras da respectiva
greja atW a importan y de 600A correspondent
ao product do "11ap"ec da loteria n. 23, extra-
hida em favor de takes obras, ficando obrigada a
?restar contas opportunamente da applicaeao do
nesmo product e do que anteriormente lhe fora
ntregue corn a devida fian"a, para poder levan-
ar a alludida importancia.
Ao inspector geral da Instrucao Publiea.-
Autoriso Vmc. a justificar as faltas de exercicio
scolar da professor Maria Hermina dos Passos
Lima, alludidas em seu officio, a que respond,
n. 158 de 25 do corrente mez.
Ao mesmo.-Concedo a autorisaao solici-
ada por Vmc. em officio n. 163 de hontem datado
>ara justificar as tltas de exercicio escolar do
professor Manoel Benigno da Silva, alludidas em
eu predito officio.
Ao commandant do Corpo de Polieia.-
P6de Vmc. exclair do servigo do corpo sob seu
ommando, de accord corn o final do officio n. 427,
de hontem datado, a praga de nome Custodio Go-
oes de Britto.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao Limoeiro.-Devolvo a Yme. as plants,
uja remessa a esta Presidencia solicitei em offi-
io de 19 do corrente.
Portarias:
Para resolver sobre o assumpto do officio
a. 23 de 29 do mez find cumpre que a Camara
Municipal do Recife remetta A secretaria desta
Presidencia a plant e perfis da estrada do Am
olR.
Cumpre que a Camara Municipal de Gamel-
eira preste corn urgencia informaq5es sobre o que
ilega Jos6 da Silva Maia no incluso raqucrimento
iue serA devolvido, conforme solicit a Assewbl&e
,cgislativa Provincial em officio n. 79 de 28 do
orrente mez.
Para os fins conveuientes transmitto A Ca-
nara Municipal de Garanhuns o incluso officio e o
>baixo psignados de resideutes e doa eiliaioi
imsse aiiunipio, enviados pelo O secretario da As-
emblea Legisiatava Provincial-corn o parecer da
'espectiva commissao, approvado pela mesa As-
sembl6a.
0 Sr. agent da Companhia Brasileira de
Navegacas a Vapor made dar transport a cO6rte,
xor conta do Ministerio da Marinha, no vapor Ma-
ids, esperado do norte a 20 aprendizes mari-
nneiros que pars alli seguem por term attingido
a idade de o i annos e bern assim ao sargento
Cyrillo Alvares Praeiro que os acompanha.-Com-
municou-so ao inspector do Arsenal de Marinhba.
0 Sr. agent da Companhia Brasileira. -Fa
ea transporter a Corte, por conta do Ministerio
da Guerra, no vapor Manaos, esperado do norte,
o aprendiz artifice do Arsenal de Guerra, Joio
Francisco Pereira, que, per aviso do mesmo Mi-
nisterio de 2 do corrente, toi transferido para o de-
posito de aprendizes artilheiros. -Communicou-ae
ao director do Arsenal de Guerra.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETAR[O
Ao Dr. 1 secretario da Assemblea Provin-
cial.- De ordem do Exms. Sr. desembargador pre-
sidente da provincia, devolve a V. S. em resposta
ao sen officio n. 67 de 21 do co-rente, o requeri-
mento de Candida de Menezes Drummond da Cu-
nkA corn a informacao junta em original presta-
da a respeito polo inspector geral da Instruccao
Public.
-Ao mesmo.-De ordem do Exm. Sr. desem-
bargador president da proviucia, remetto a V. S.
em aolucao ao sen officio de 21 deste mez. sob n.
70, a informacao em original, que presto hontem
o engenheiro fiscal da reparticao das Obras Pu-
blieas, acerca do requerimento que devolve do ba-
charel Joao Lins Cavalcante de Albuquerque.
Ao mesmo.-0 Enm. Sr. desembargador pre-
sidente dg Drovincia. mands communicar a V. S.


quo form rcmettidos hoje a Camara Municipal
deoGaranhuns, o officio e o abaixo assignados de
residents e domiciliarios n'aquelle municipio e oo
respeetivo parecer, annexos ao sen officio, 9 que
respond, n. 77, de 26 do corrente mez.
Ao mesmo.-De ordem do Exm. Sr. desem-
bargador president da provincia, remetto a V. S.
a informascio do Thesouro Provincial, de 26 deste
mez n. 585, relative a falta de credit para occor-
rexr ao pagamento da importancia de 110A150
proveniente de transportes effectuados por conta
da provincia durante os mezes de desembro do
anno passado e janeiro e fevereiro do eorrente
no prolongamento da estrada de ferro do Recife
ao SNo Francisco, afim de que a Assemblea Le-
gislativa Provincial se sirva deeretar a quota
precise para a realisao d'aquelle pagamento.
Ao adjunto do I romotir publieo de Taeara-
ti.-De ordem do Exm. Sr. desembargador pro.
sidente da provineia, declare a V. S.que em seu-
officio de 15 do corrente exarou-se hoje o despa
eho seguinte : Ao Sr. Dr. chefe de policia panr
providenciar como entender acerea da segurangi
individual na povoaso de Jatoba t.
A eommissao encarregada da liquidago do
centas da eatrada de ferro do Recifeao So Fran
cisco.-De ordem do Exm. Sr. dciembargador pro
sidente da provineia, communico a V. S. que ti
veram hoje oconveniente destiny os document
que acompanbaram o sea officio de 26 deste mes
hontem reeebido.
XXPDIWITE DO VIA 1 E XMAIO DR 1[
Actos:
0 president da provinoia tend em vista
officio n. 588 de 13 de mar ultimo, do p
de Santa Cas. de Misericordis do Recife a
do dcttibuiglo ewferida pelo art. 5
prnial n. 531 de9 dejanho do 1862,
ft jmra Vsemrem ai s junta adminis %i c
wm Sa ta 0as durante o biennio de 18HT

Dewmb .dor Frani. de Assi Oliveira MI
A

4 Manoel do Nascimento CesarBarlamaqui.
5 Dr. Antnio Clodoal4o de Souza.
6 Dr. AugustoCarloa Vaz de Oliveira.
7 C )mmendador Manoel Jos6 da Silva Gui-
maxres.
8 Commendador Albi'$Jos6 da Silva.
9 Dr. Praxedes Gomes|2 Souza Pitanga.
10 Dr. Francisco Awnfrthas do Carvalho Moura.
11 Euzebio dw Cunha BletAo.
12 Dr. Joaquim Correia de Araujo.
13 Dr. Antonio Capistrano Bandeira de Mello.
14 Joao Gon*,Yes Torres.
15 Dr. Jos6 Antonio 'de Almeids Cunha.
16 Antonio Jo&o d Amorimren. ,
17 Dr. Alexandra de Souza Pereira do Carmo.
18 Dr. Luiz Emygdio Rodrigues Vianna.
supplentes
1 Dr. Ayres de Albuquerque Gama.
2 Dr. Bento Jos6 da Costa.
3 Tenente-coronel Manoel Martins Fiuza.
4 Tenente-coronel Corbeniano de Aquino Fon-


I


seca.
5 Joao Joaquim Alves.
6 Jose da silva Loyo Filho.
7 Dr. Manoel Gomes de Mattos.
8 Ernesto Vieira de Araujo.
9 Jobo Walfrido de Medeiros.
10 Joao Jos6 Rodrigues Mendes.
11 Modesto do Rego Baptista.
12 Luiz Jose6 da Costa e Silva.
13 Jose Camello do Rego Barros.
14 Luiz Duprat.
15 Joaquim Rodrigues Tavares de Mello.
16 Vicente Alves Machado.
17 D. Juan Busson.
17 Manoel Rozendo Torquato de Almeida.-Com-
municou-se ao provedor da Santa Casa.C
0 president da provincial tendo em vista a
proposta do Dr. chefe de policia em officio de 29
de abril, n. 462, resolve crear urn district de sub-
delegacia no term de Garanhuns, corn a denomi-
nago de S. Jobo, abrangendo o pevoado desse
nome, e tend por limited os seguintes : Princi-
piara dao Cachoeira do Velho Matheus no rio Ca-
inhoto linha recta a Cachoeirinha fazenda de Joa-
quim Agapito da Rocha, ficando esta para o 10
dietricto da cidade de Garanhtuns, d'ahi seguirA
em direitura ao Olho d'Agaa do Meio, d'ahi pars
a Cruz das Almas do Brejinho da Catinga d'onde
seguira rumo direito a Barra do Riacho de Mu-
cambo ao sahir na estrada que vai desta cidade
para a Palmeira, seguindo por esta abaixo at' o
balanco da serra desse nome aonde divide o 10 dis-
tricto da cidade corn o de Palmeira, d'ahi seguirA
os limited do mesmo district atW o rio Canhoto,
donde subirA rio acima a encontrar cornm a dita
Cachoeira do Velho Matheus, ponto de partida. -
Communicou-se ao Dr. chefe de policia.
c- 0 president da provincia, de eonformidade
corn a proposta do Dr. chefe de policia em officio
n. 462, de 22 do mez findo, resolve nomear para
os cxargos de subdelegado, 10, 20o e 3' supplentes
do district de S. Joao do termo de Garasauns, o
tenente Pedro Pereiza da Luz e Souza, Trajano
Moraes Campello, Antonio de Barros Silva Bur-
gos e Balbino da Cruz Vilella, na ordem em que
se acham collocados. 0ommunicou-se ao Dr.
chefe de policia.
0 president da provincia tendo em vista o
que epresentou o Dr. chefe de policia, corn officio
n. 471, de 29 do mez find, resolve, per conve-
niencia do servico public, alterar es limits da
subdelegacia do district do Brejao do termo de
Garanhuns, passando o mesmo district a ter oa
limits seguintes: a partir do sitio Juesara, onde
sonor-ma m u o distrieto da villa de Bomrn Con-
selbo seguiri pela estrada que ven d'aquelle sitio
parn a cidade de Garanhuns, at6 o sitio denomi-
nado MLuxilla, propriedade de Josn Teixeira de
Macedo, e ahi descera de estrada abaixo ate a
Cruz de Almas o que se acha na estrada do sitio
Brejinho do fallecido coronel Teixeira e d'ahi no
mesmo rumo e pela maesma estrada ate Brejo Secceo,
e segnindo do mesmo sitio Brejo Seeco, descera
polo riacho abaixo atM fazer barna no rio Man-
daho e deseerA de rio abaixo ate6 a segunda pas-
sagem do mesmo rio e a propriedade de Felippe
Jos6 de Souza e d'ahi rumo direito ao sitio Capim
Grosso a encontrar corn o district da Palmeira,
ficando o district de Brejia'o ao sul e o desta ei-
dade ao norte.-Communicou-se ao Dr. chefe de
policia.
0 president da previncia attendendo ao
que representou ojuiz substitute dos feitos da fa-
zenda resolve nomear o escrevente Jose Lins da
Costa Rocha, para exercer o officio de escrivbo dos
feitos da fazenda provincial durante o impedi.
mento do serventuario vitalicie major Luiz Au-
gusto Coelho Cintra, que obteve 6 moczes de ligen-
qa para tractarjde sua saude.
Officios:
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.-
Transminittindo copia do officio do commandant do
presidio de Fernaudo de Noronha, n. 1,231 de 21
do mez find, declare a V. S. que approvei o acto
de que trata o citado officio.
Ao mesmo.-Transmittindo oopia do officio
que me dirigio em 6 de marco 'findo o promoter
public da comaresa de Jaboatao recommendo a V.
S. que me informs sobre o pedido de justificae1o
de faltas de exercicio dadas por aquelle funccio-
nario.
Ao director do Arsenal de Guerra.-Autoriso
Vmc. coaforme solicit em officio n. 1,059 de 24 de
abril find a promover administrativamente a corn-
pra das alfaias e mais objectos destinados a capella
do Forte do Buraco, ama vez que para a respective
despeza exists credit zseguwdo dedara a Thesou-
raria de Fazenda ema officio n. 280 de hontem da-
tado.-Communicou-se ao inspector d.- Thesoura-
ria de Fazenda e commandant das axmas.
Ao mesmo.-Declaro a Vine., para es fins
convenientes, que a vista da suea informaceo n.
1,064, de hontem datada, defiro o requerimento de
Francisco Gabriel dis Chagas, prorogando par 40
dias o prazo que lhe foi coneodido pars entregar
n'esse Arsenal as 415 mar-mitas de follia, cujo tor-
neeimento contractor corn o conselho de compras.
-Communicou-se ao inspector da Thesouraria de
SFazenda.
v- Ao inspector do Thesouro Provincia.--De-
"volvendo a, inchusa conta na importancia de .....
1955624 da alimentacao fornecida por Jose Ellas
de Oliveira a diveraos encravos preaos na Case de


" DetncAo, que form Abandqnados por seus senho-
I res, autoriso Vmc. a mandar pagar a quantia de
S99; pertencente ao dito exercicio e esceipturar-a
de 99A624 pertcncente ao exercieio eacerrado, nos
e termosda informatio deassThesourode 23 de abri
" ultimo n. 879.--ommuioou-ge ao Dr. chefe de
- policia.
* Ao engenheir ch4e oda reprti$e.d Obni
Pabfica.--Trensmit o a itimc. o inili reqneri-
g, meuto de Adolpo Fitra'de Oliveira aia de que
iaforme a respelto a onformiada da exigeneia
dAsembla Le gilativa Provincial contida em offi-
do do reslpetivo I" secrtario de honte .datado
o6 sob n.+81.
S Ao juz de direit o de Iguarasu.--Declaro
Vmc. em sola so se.offie~o de 2 de abril ulti
8r ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ u ui--a. .-.:1--,,;- I' 1'.'7&-m .l:a-ll-, ^ rk-tM ^


a


Lan mte v5uoilw
ante m-MOrrvi-


DESPACf0OS DA PRESIDENCIA DO DIA 16 DE
JUs1HO DE 1884
AS foa*ps*io Pes*aa.--Informe o Sr. inspeo-
tor da Thesouraria de Fazenda.-
Abaixo asignados proprietarios e negociantes
residents na povoaeAo de Alagoa do Carro. Re-
mettido ao Sr. Dr. chefe de policia para provi-
denciar como melkor extender.
Diogo Carlos de Albuquerque.-Como requer.
Padre Joaquim da Cunha Cavalcante.-Informe
o Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Lindolpho Coriolano Bezerra Cabral.-Passe
portaria na t6rma requerida.
Manoel Jos de Torrems.-Nio ha que deferir em
vista da informaviao do Dr. chefoe de policia.
Manoel Ferreira da Cruz.-Prove por qualquer
dos meios legaes que 6 maior de 21 annos de idade.
Maneel Figueiroa de Faria & Filhos.-Deferido
corn o officio desta data a Thesouraria de Fazenda.
Simplicio Jose Carneiro de Mello.-Como re-
quer.
Viriato Antonio de Oliveira.-Exhiba na The
wouraria de Fazenda a prova de identidade de pes-
soa.
Vicente Augrsto do Espirito Santo Junior. -
Informe o Sr. inspector da Thesouraria de Fa-
zenda.
Secretaria da Presideucia de Pernam
buco, 7 dejunkode 1884.
0 porteiro,
J. L. Viegas.


Camaral Municipal do Recife
DESPACHOS DO DIA 6 DO CORRENTE
Pdo 8r. president commendador Mo-
raes, no impedimnento do commissario de edi-
jicaqes :
Maria Muniz das Neves, pedindo licenca para
mandar concertar as sas casas de ns. 128 A rua
de Vidal de Negreiros e 225 A rua Imperial, aas
condiCmes de quo dispoe o art. 48 29 da lei vi-
gente e de aecordo con as'posturas, bem como a
mei'agua sita a rue do Ypiranga correndo o te-
lhado e removeado as tergas de uma para a outra
parte.-Como requer, em vista da informaao Jo
engenehio e pages os direitos muipaes.
Pdo Dr. Jose Osorio, vereador corn-
misario de policia:
Clementino Machado Soares, pedindo que sejam
feitas as devidas averb&0oes no sentido de ter com-
prado a Manoel Antonio Vieira, o estabelecimento
de taverna sito A rua de Sant'Anna n. 13, fregue-
zia do Pogo da Panella.-Sim.
Jose Lopes Ferreira Maia, idem no sentido de
ter a4ebdo4 coin o armazem de sal, sito a rua de
Vidal de Negreiros n. 113.-Sim.
Salustiano Ferreira das Neves, pedindo licen9a
para abrir um estabelecimento de bebidas na easa
n. 5 A rua de Joao do Bego.-Pagando os imrpos-
toe devidos, concede-se licenga.
Camara Municipal do Recife, 7 4e ju-
nho de 1884.


0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da 87uva,







47aS55QOiM 6DEM 4WO DE 188
PRUBMOUnCIA DO XM. a-. *A4O D9 ITAPINSOMA
Ao meio di, feita a c4agda e verificado-e
estarem prefl5 on Sn. ho =4 open, JmmE
asfwaim .M di Ltfl*UBSESIB


Silva, Constantino Lins, Antonio Correia e Jobo
j
Alves. :
Faltam os krs. Democrito Cavaleante,')Fiel
Grangeiro e Alfredo Correia. I
E' lida a acta da sessio antecedente, e sem de-
bate approvada.
0 St. 10 secretario procede A leitura do se-
guinte


derrmfco que, esgotado perante o juiz municipal
eo de orlhaos o prazo do art. 84 do regulamento de
13 de ndivembro de 1872, o agent fiscal membro
dessa junta proceda de eonformidade corn o art. 37
e segues d dito regulamento, tondo mnuito em
eonsidelkco, sob as pens da lei, 6 disposto. na
ordem circular do Thosouro Nacional de 16 de ju-
Iho do a bo passado, sobre cujo cunprimento o ins-
pector da Thesouraria de Fazenda dirigio circular
ao mesmti agent em 30 de outubro seguinte.-
Comimte^u-sa ao respective juiz de orphios.
AV5unta classificadora de escravos de Villa-
Bella. Approvo, per star regular, a classifiea-
9ao dp oneravos, de que Vines. enviaram copia
corn d, cio de 31 de marco ultimo, recebido a 29
de abrf .reqmmendo terminantemente que o
agent o Coi-eio membiro dessajnnta, depois de
esgotadoI praso do art. 3 do Regulamento de 3 deo
novegmb(ae 1872, proceda de conforutda4dde cornu
o art. 3b seguintes do dito Reg apve$o quanto
ao arbitnento do valor, dos escravos Jibertandos,
tendo maito em considera 0t sob as pnas da lei, as
instrp ctids d .rdeiCirculsrdoTheouroNaeional



instrueels da'otvrdemconomepeciu'atm
do 16 de1 dulWdoo anne passado, de que o inspector
da TheeBsuraria de Fazenda, segundo informou,
deu scieifcia ao mesmo agent em circular de 30
de oututio seguinte.-Corrmmunicou-se ao respec-
tive juiide orphaos.
A mta classificadora de escravos do muni-
cipio dno Brejo.-Determinando o Ministero da
Aguiculrai, Commercieo e Obras Publicas, em
aviso de 15 de agosto de 18u1, que os escravos ca-
sados qie tiverem flthos escravos, preflranm aquel-
lea que es nio tiverem, conform preceitua tam-
bemn o aviso de 19 de junho do anno passado, a
que se refere a circular desta Presidencia, de 10
de fevereiro seguinte, na 6.a regra na qual manda-
se que os escravos menores de 21 annos sejam
classificados e libertadou corn os pages, quando re-
sidirem no mesmo mnnicipio e constando da copia
da nova classificacio, que Vines. enviaram corn o
officio de 16 de abril ultimo, recebido a 28, que o
escravo Vicente tern 5 filhos, nessas condr.Ces, re-
commendo que reunamn-se quanto antes para dar-
Ihes a preferencia immediatamente depois do pai;
guardada igualmente a prelaccao estabelecida nos
meus officios de 22 de fevereiro e 18 de marco.-
-Comma nicou-se ao respective juiz de orphaos.
Ao commandant do Corpo de policia.-Ae-
casando reeebido o officio de 29 de abril ultimro,
n. 425, declare a Vmac. que approve o sen actor
mandando incluir na folha dos vencimentos dos
officials do corpo sob seu commando, relative ao
citado mez, o alferes Joaquim Eduardo de Godoy
e Vascoucellos que se acha em diligencia na cide-
de do Rio Formoso, attenta a falta de recursos da
respective ollectoria para o pagamento de today a
forea, sob o commando d'aquelle official.
Portarias :
Transmitto a Camara Municipal do Cabo o
incluso requerimento de Antonio Ferreira da
Costa, afim:de que informe a respeito, na eon-
formidade da exigencia da Assembl6a Legislativa
Provincial, contida em officio do respective 1.0 se-
cretario, de hontem datado, sob n. 81.
0 Sr. gerente da Comptnhia Pornambucana
de navegaiw costeira, made dar passage a re a
Jolo Baptista dos'Aujos, por conta das gratuitas
a que o governor tern direito, at6 AracajA no pri-
meiro vapor que seguir para os portos do sul.


2." Os eontraventores serlo mnltados em 105
e na reincidencia pagarao o dobro.
Art. 3.o Nio serit permittido banhar-se pessoa
alguma no poeo da Fonte sobre o rio Tracunhaemn,
sem achar-se vestido, salvo se o fizer em lagar
que nao possa ser visto polos traseuntes.
1.o Os iufractores pagarao a multa di 105000,
dobrada na reincidencia.
Art. 4. Nio serA permittido lavar sacces des-
tinados A conducp'o de assucar para o mereado,
em qualqier dos poo090s existentes na cidade.
SL.o Os infractores paga-io 100009 de mnulta
ou soffrerxo 3 dins de pristo, duphcadas estas pe
nas na reincidenucia.
Art. 5.o Nbo sera permittido estabelecer pada-
rias nas ruas que ficam no centre da eidade ; as
j/t existentes serio removidas dessas ruas quando
tenham de ser trausferidas a terceiros.
S l.o Os contraventores pagarao a malta de
305000, e serxo obrigados a demolir a obra que
fizerem-
dPa, da Assembl6a, 3 de maio de 1884.-Paulo
de Oliveira.-Joa Baptista do Amaral .e Mello.
-Silvino Cavalcante de Albuqverque.
A Assemblea Legislativa Provincial de Per-
nambuco, resolve:
N. 150. Artigo unico. FPica autorisade o pre-
sidente da. provincia a contractor corn Augusto
Xavier t arneiro da Cunha e Jose Theotoxie Pe-
reira de Carvalho, ou corn quem naiores vantagens
offerecer, a construct de um ramal de ferro-via
que, partindo da cidade da Victoria A. terminar
na povoagio de Malhadinha, passando pela villa
de Gloria de Goit. e povoado de Pedra Tapada
da comarca de Limoeiro, sendo permittido aos
concessionaries um privilegio polo prazo de 50 an-
nos e as garantias de qua trata o art. 22, 18 da
lei n, 1,179 de 13 de junho de 1875.
Sala das commissoes, em 6 de maio de 1884.-
Bardo de Nazareth.-Augusto de Souza Le&.-
Joao Augasto, com restriceges.
Sglo lidos e regeitados som debate os seguintes
requerimentos: um do Sr. Olympio Marques, adia-
do, sobre umassasiinato em Bom-Jardim, a tree
dp Sr. Demoerito Cavalcante, send am, sobre a
diferenca que ha do que se tern pago ao corpo de
policia e guard civic se o dito corpo constasse
de 450 prmaas e a dita guard de 100; outro so-
bEe o assentamento de prata no 14* batalhio de
linha o menor Lourenao Torres Gallinado; e onu-
tro ped.ndo informal es sobre o proeesso do capi-
tio Joes Francisco Cordeiro de Arruda, em Bom-
Jardim.
Continue a dis'usbo do reguerimento do Sr.
DUsonrito Cavalcante paa serser imprea em avul-
so a lei do orQamenato vigente e sr votada como
,r*o t do orgametofu t aro.
0Q or. Weidoe-do40 mm mWOp .- (Nos

VemBt A mwm a lido, **%ado e regeitado o soe
ORD AM DO DI&
Omtrinf a,2m dkettum do projoctona ,. 2


S0 r. Olympio MarqueS- .(Nio devol-
yea sea discarso).
A discussilo flea adiada pela hora.
0 Sr. president levanta a sess.o, designando a
seguinte ordemn do dia: continuagao da antece-
dente e mais 3a discussao do project n. 261 de
1882, e 1" dos de ns. 117 e 138, deste anno.
SSao remetthdas a sanceao as seguintes resolu-
9Ses :
1.a Approvando credits supplementares e um
extraordinario e autorisando a abertuara de credi-
tos suapplementares.
2.a Autorisando a emissao de apolices aos jurors
das existentes pars execuao da lei n. 1,487.


48a SESSAO EM 7 DE MAIO DE 1884
PPESIDEsCIA DO EXM. SR. BARAO DE ITAPISRUMA
Ao meio dia, feita a chamada e verificando-4o
estarem presents os Srs. Aristarcho Lopes, Este-
vio de Oliveira, Jos6 Maria, Paulo de Oliveira,
Barao de Itapissuma, Silvino Cavalcante, Vis-
condo de Tabatinga, Pereira de Lyra, unha Bel-
traio, Arruda Falcao, Amaral e Mello, Louren^o
de SA, Drummond Filho, Barbo de Nazareth, San-
tos Pinheiro, Francisco Tiburcio, Juvencio.Mariz,
Constastino Lins, Amaro Fonseca, Malfiano
Duarte e Augusto Leao, o Sr. presidentO declara
aberita a sessao.
Compareceu depois os Srs. Olympio Marques,
Meira de Vasconcellos, Antunes Pinheiro, Nilo de
Miranda, Ermirio Coutinho, G6es Cavalcante,
Joao Augusto, Fcrreira Jacobina, Luna Freire
Junior, Rosa e Silva, Antonio Correia e Joao Al-
yes.
Faltaram os Srs. Democrito Cavalcante, Fiel
Grangeiro, Praxedes Pitanga e Alfredo Correia.
E' lida a acta da sessao antecedente e appro-
vada sem debate.
0 Sr. 10 secretario procedeu a leitura do se-
guinte expedient :
Um officio do secretario do governor, devolvendo
informada a peti4lo de Circumeisa Powel Calum-
by.-A quern fez a requisigao.
Urma peticao do bacharel Luiz Rodriguos Fcr-
reira de Menezes Vasconcellos de Drummond, re-
querendo que se consign a respective quota para
a Camara Municipal do Recife pagar-lhe 4204000
de castas judiciaes.-A' commission de orxamento
municipal.
Outra de Manoel Joaquim Ribeiro & C., nego-
ciantes estabelecidos nesta cidade A rua Duque
de Caxias, corn loja de miudezas, representando
contra a collect que lhes foi feita, como se tives-
serm loja de calcado estrangeiro. A' commission
de fazenda e orarmento.
Sao lidos, julgados objects de deliberaoo e
vio a imprimir os seguintes projects de lei :
N. 151.-Art. 1." Fica o president da provincia
autorisado a contractor corn Severino Saraiva de
Andrade e o tenente-coronel Francisco Pereira de
Carvalho, ou corn quernm melhares vantagens offe-
recer, um ramnial que partirA de nma das estag9es
do prolougamento da estrada de ferro de S. Fran-
cisco, Canhotinho ou Pogo do Coelho, que va ter-
minar na villa de Papacaca, passando pelos po-
voados de Palmneira de Garanhuns, villa de Cor-
rentes e LagSa do Emigdio ou suas immediaoies.
Art. 2.o 0 ramal sera construido pelo system
de vias ferreas de bitola estreita nas condicoes
que form estipuladas no contract.
Art 3.o Ao capital, orxado pela Reparticao das
Obras Publicas, por occasiio do contract e que
nao excedera. de 2,500:000, se&r garantido ojure
atW 7 0/c,, verificado seu effective emprego nos ma-
teriaes e construcgo. -
Art. 4.o E' concedido privilegio pars a explo-
ranio da via-ferrea por praso abo excedente de 80
annos, finds os quaes, sem indemnisanao alguma
passari ella a ser propriedade da provincia.
Art. 5.o No contract, alsm das condicoes tech-
nicas, se estabelecerio as demais do estylo e que
forem necessarias pars a boa fiscalisacao do ser-
viVo da construcglo e do trafego.
Sala das sessoes, 7 de maio de 1884.Maximiano
Duarte.- Visconde d4Tabatinga. Santos Pi-


EXPEMIENTE
UOn officio da Cimara Municipal de Correntes,
remettendo para os devidos fins o sen codigo de
posturas.-A' commission de posturas.
Um abaixo assignado dos membros da commisao
encarregada das obras da capella de Santo Anto-
nio em Beberibe, pedindo a extraccio da 2a part
da loteria concedida para ditas obras.-A' comn-
missio de or'amento provincial.
Uma petigAo de Cordoina Amelia da Paz, pro-
fessora public de Vicencia, requerendo que a sua
edeira seja elevada a 2a entrancia sem prejuizo
seu.-A' commnissiLo de iustruccio public.
So lidos, apoiados, julgados object de deli-
beraeAo e vao a imprimir os seguintes projects de
lei :
A Assembl6a Legislativa Provincial de Per-
nambuco resolve:
SN. 146.-Art. unico. Ficam concedidas trees
loterias, eada ama de cento e vinte contos de reis,
uma cm favor da mesa regedora da celestial con-
fraria da Santissima Trindade, erect do convento
de Santo Antonio desta cidade do Recife, para
compra de alfaias e concertos da mesma igreja,
e as outras duas em beneficio da capella de Nossa
Senhora do Rosario da povoagao de Angelicas da
comarca de Nazareth, sendo extrahida uma das
parties das mesmas loterias, segundo o piano que
foo adoptado no exercicio financeiro do anno de
1884 a 1885.
SRevogadas as disposic6es em contrario.
(c Sala das commissoes, em 30 de abril de 1884.
-B. de Nazareth.-Augusto de Sonza Leao.-J.
Augusta.
N. 147.-Art. unico. Fica autorisado o presi-
dente da provincial a aposentar no lugar de guard
fiscal da Camara Municipal da cidade do Recife, o
cidadio Belmiro Francisco de Souza, corn as van-
tagens a que tiver elle direito, podendo, se assim
julgar convenient mandar contar todo o tempo que
servio, como praga voluntaria nao.Companhia dos
Artifices.
< Revogadas as disposiVZes em contrario.
S Sala das commissZes, 30 de abril de 1884.-
Barao de Nazareth.-A. de Souza Leao.-J. Au-
gusto. 1
,, N. 148.-Art. 1.o As casas existentes nesta
cicade e as que de future se edificarcm, terao cal-
|adas ou passeios nas respectivas frentes, prece-
dendo a edificacio das mencionadas calcadas, cor-
dacaVo e mais preceitos dados pela Camara.
a 1.o As mencionadas calkadas terao a lar-
gura compativel corn a rua onde form edifidadas,
a juizo da mesma Camara.
2.o Fica marcado o praso de 3 mezes para
edificaqio das calcadas nas casas ja existentes, a
contar da data da present recsoluyao.
a 3.o Os coptraventores incorrero o na multa
de 104000 e o dbbro-na reincidencia.
a Art. 2.0 As casas de negocio, corn excepcao
das pharmnacias, hotels, hospedarias e bilhares, de-
verio fechar-se as 2 horas da tarde aos domingos
e dias santificados.
S 1.o Os infractores pagarbo a multas de I0
duplicada esta na reincidencia.
a Art. 3: Revogadas as disposioes em con-
txtrarxo.
t Paeo da Assembl6a, 3 de maio de 1884.-P.
de Oliveira.-J. B. do Amaral e Melle.--Siidno
Cavalcante de Albuquerque. x
A Assemblea Legislativa Provincial de Per-
nambueo, resolve :
N. 149.-Art. 1.o Fica de nenhnm effeito o art.
3o das postures addicionaes da Camara Municipal
da cidade de Nazareth, para o firm de poderem
ser organisadas feiras tambem aos domiagos, em
qualquer ponto da comarca.
Art. 2.0 As casas de negocio da cidade e povoa-
0es do municipio, corn excep9io dos hotels, hos-
pedarias, pharmacia c bilhares, fecharIo as sua-
portas e no poderiLo continuar a vender (nos dos
mingos e dias santificados depois das duas hora
da tarde.
S1.o As vendas e armazens de melhados nos
lugares onde se fizerem feira nos doraiagos e dias
santificados, poderIo continuar abertas ate 6 ho-
rns da tarde.


J


&


nheiro.
N. 152.-Art. unico. Ficam elevados a 9005 os
vencimentos de 6005, que pereebe o ajudaxte do
pharmaceutico do Hospital Pedro II, marcados na
tabella annexa ao respective regulamento.
Revogadas as disposicoes em contrario.
Paso da Assemblea 6 de maio de 1884.-P. Oli-
veira.-Santos P inheiro.-Visunde de Tabatingca.
N. 153. -Art. 1.* As cocheiras ou casas de de-
posito de carros funebres serxo removidas do cen-
tro da cidade para outros lugares, que forEm de-
terminados pela Camara Municipal.
unico. Fica marcado o prazo de 6 mezes, a-
datar da promulgagao da present lei, para ter
effective execugio o determinado no artigo ante-
cedente ; sob pena de pagarem os infractores 305
de malta, duplicada estas nas reincidencias.
Art. 2.o A Camara Municipal dara modelo de
carrogas fechadas corn tampas e apropriadas ao
transport de cal, estrumo e outras materials, que
corrompamn o ar e possam prejudicar a saude pu-
blica.
unico. Seis mezes depois de apresentado o
referido modelo pela Camara, comegarA a vigorar
a present posture. nao podendo, dessa data em
diante, ser feito o transported de semelhantes ma-
terias em carros de outra natureza, sendo multa-
do em 105 o proprietario do vehiculo, e em 2 dieas
de prison o respective conductor.
Art. 3.o Revogadas as disposicoes em contra-
rio.
Pago da Assemblea 6 de maio de 1884.-P, de
Olivweira.-Joao Bapkfta do Amaral e Meffo.-
Silvino Cavalcate de Albuquerque.
N. 154.-Art. unico. Ficam concedidas duas 1I-
terias de 120 contos cada unma para conelus.io das
obras da capella de Nosae Senhora da Conceilao
de Garanhuns.
Revogadas as disposicoes em contrario.
Sala daes sessoes 7 de maio de 1884. Amaro
Joaquim Fonseca de Albuquerque.-M Duarte.-
Santos Pinheiro.
N. 155.-Art. unico. Fica o president da pro-
vincia autorisado a despender ate a quantia de
4:000; corn a compra da easa que serve de ca-
deia na villa de Barreiros.
Revogadas as disposi9ies em contrario.
7 de maio de 188L---Satos PikWeiro.
N. 156.-Art. unico. Fica o president da-pro-
vincia autorisado a mandar admittir no Gymnasio
Provincial o menor Francisco Xavier Pae de
Mello Barreto, fiLho legitirmo de Anna de Andra-
de Paes Barreto.
Revogadas as disposiioes em contrario.
Sala das couimisssos 7 de maio de 1884.-Dr.
Francwisco Bdeltrdo.
N. 157. .Art. 1., Fiaeo president daprovin-
cia autorisado a despender- ate a quantia de den
Scontos de reis cpm a construe*o de uam acude no
povoado denominado Mucambo da freguezia de
SAguas Bellas. .
Art. 2., Revogadas as dispoesiqOeB ea contra.
rio.
7 de maio de 188.Onut Mo do Aluqwerqe.
M. Duarte.-G. deDruumond FilAo.
'ontinda a diacusao do eoarimento do Sr.
Democrito Cavateante, adiado as sesson antoee.
dente.
(Conmtinuek

A commissao de redgeLouPool qua o Orojee-
to n. 59 deste anno, ja redigido pa form we-
A .tAeAaeemblea Legislativa Pwvinoi de -
n ;ambuo, resolve : ,,^ i
Art. ... 0 office

*i4oe ro fica reaossi
i doj00


. + ,















WV, i|tolesaa ta bocca:
fiaqer -traba1M od ci-
aed _tasras extraho dotites
lor miBo-Ao#iparelfapro.
(chiabo)*eoo our hlf-ma,
leI m air"rWilmidsa" edta-
mUtes peopsro.@uosuiais


VeFua para as d atdas 550I1mPU
91o prmaria do povoado de S. Jp4do. CCA.mea-vou
ao Bem-teo-vi, 4d& .-'dO Bonito e JUrema deO
Qnaipap&.-Francisco 7Wnitrcw.-
N_. 192. Ao art. 2*.. Aeereseente-se: e mais a
quantia de 650J para 8 lampeoes na cidade de
Vravata.-Amaral e MeJ.-Ji.enio -Mariz.z
N. 193. A's dispokio5es geraes. -Apresento
,,omo additive o projeeto a. 137 deste anno. M.
Duarte.
0 referido project 6 o seguinte :
a A Assemolea. Legislativa Provincial de Per-
nambuco, resolve-:
a Art. unico. Fica o president da provincia
autorisado a dar novo regulamnento a Casa de Da-
8eno -) desta cidade, tendo em consideragAo o nu-
muro de empregados necessarios ao service do
mesmo estabelecimento.
a Revbgadas as disposigSes em contrario.- A.
Duarte. ,
N. 194. Ao 18 do art. 1- diga-se 305000 na
eapita c 55000 nos demais municipios. Fran-
.uisco Tiburcio.
N. 195 Ao art. 2- 37. Eleve-se a verba para
serem collocados 4 na campina da Casa Forte.
Jos 3 Maria.
N. 196. Ao art. 2' 9o. Eleve-se a verba a
mais 10 4, ficaudo o mordomo corn 1:3005000. -
Jose Maria.
N. 197. Additivo as disposicues geraes. PoderA
ser ineunbido das funcoges de adjunto d? profeis-
sor de instrucnio primaria do Gymnasio, pessoa
babilitada, sob proposta do regedor do mesmo es-
tabeleeimcnto. Adelino Lana Junior.
N. 198. Ao 56 do art. 2o em nlugar do 5a parte
applicada a Culonia Isabel, diga-se send uina e
meia quinta part applicada a olonia Isabel. -
Josd Maria.
N. 199. Ao n. 23 da tabella. Em vez do que se
16, diga-se: lojas de v-nder sellins e arrcios na-
cionaes 2005000, ditas de vender selling c arreios
importados do estrangeiro 7005. -A. Lopes.
N. 200. Para ser collocada (nde convier.
Quando for a imnettido o menor Austrielino, filho
de Joa') Felix Rib *iro de Carvallio.-A Lp-pez.
1. 201. Art* additvo. Fica o presidonte (Inda pro-
viiicia autorisado a reform-mr o rsgulamniuto do
theatre do Saut:t Isabel. Jos-. Maria.
N. 202. Art. addivo. O0 vencinentos ao amnan-
nuense do Asylo d3 M- ndioidale fica:n equip-ira-
dos aos dos amannuenses da secr.-taria dA S mita
Casa de Misericordia.-Estev.do de Oliveira.-Aris-
arclo Lopes.
N. 203, Aon. 20 da t ibella dos imnpostosdiga-
se 2;000A00).---Josd Mlaria.
N. 204. Supprimt-se o art. 20
Disposiques geraes
Art. A renda da imposiqlo additional corn des-
lino a Santa Casa de Misiricordia sera entreguo
ao thcsoureiro da junta polo oasulado semanal-
mente, e pelo Thesouro todos os mezes. -Ferreira
Jacobina. Arruda Falcdo.-Silvino Cavalcante.
N. 205. Disposiq5es geraes. Os coutribuintms
pelas taxas de vinho vinagre e aguardento no cor-
rente exercicio serao admittidos apagar suns nim-
posicoes corn vinte por cento de abatimento e dis-
pensos da miulta em quo incorreramn pela mora no
primeiro semestre.-Ferreira Jacobina.-Ararla
Falcdo.
N. 206. Ao art. 2'. Pateutes de officials d;i
guard national.
Capita 4') 5000
Tenente 3.30000
Alferes 2)5000
Pagarao metade destas taxas as patents de re-
forma e possagem em os ditos postos; inclusive as
transferencias do serviqo aetivo para a da reserva
e vice-versa.
.As taxas estabelecidas neste paragrapho silo
devidas ainda que se nio espeearn nornmes.
Registros de patents de officials superiores da
guarda national.
apitao 205000
Major 404000
Tenente Goronel 60$000
Coronel 80J009
Ditos de merc6s honorificas e considera5es.
barSes e outro titulos superieres. 204000
Arruda Falcao.-Ferreira Jacobina.-Silvino Ga-
valcante.
N. 207. Substitutivo. Companhia de Beberibe :
1:000S e 800i por cada sociedade anonymas ou
agency.
Fabrica do rape Meuron 1:500ff,
Classes
Agentes, deposito e retalhadores de rape fabri-
eado fora da provincia.
Ao n. 5. Em lugar dc 5:0001 diga-se 6:0005.
Ao n. 42. Em lugar de 4:0005 diga-se 3:00 3.
Ao n. 21. Do vender moves estrangeiros su-
meonte nucionaes ou estrangeiro e nacionaes.
Ao n. 10. Em lugar 4i 10, diga-se 12.
Ao n. 43. Em.lugar de 3 diga-se 4.
Ao n. 58. Em lugar de 17, diga-se 14. -Arrada
Faicaq.-Silvi'mo (avalc-mnte-Ferreira Jacobina.
N. 208. Disjosi(ues gcraes.
Os entribuintes que reclamaram perante a As-
sembl6e acerca da imnposiiqAo pur classes e nio fb-
ram attendidos serao admittidos a pagar o q-e cs-
tivrrem a dever das imposi95es dispensas da mul-
ta pela morn do pagamento do primeiro sernestrc
do corrente ammo.-VFerreira Jacobina-Arruda


Falcdo iSilvinu. (aval mte.
N. 209. Para ser collhcuda onde convier-Aug-
mente-se averba-illuminagio publiea corn a quanm-
tia precisa para 6 lampekes para a ilha do Retiro
na Passage da Magdalena.-Dr. I'itanga.
N. 210. Subamehnda A emenda n. 6. Depois da
palavra Fonseca-diga-se-e D. Paulina Marcellina
de Alhneida.-Jusg Maria.
N. 211. Para ser coil cada onde convier.
Ao professor Jos6 Luiz de Franca Torres...
43241)0 imnportancia da grtificako de merito,
contaia de 10 de agosto de 1881 ao ultimo dc ju-
nho de 1883.-Jose Maria.
N. 212. Ao 37 de art. 2'. Augmeute-se a ver-
ba para a manuuteniLo dos quatro lampeSes do
cruzeiro do largo da Paz em Afogades.-Cunha
Beltrao.
N. 213. Ao n. 69 da tabella : diga-se 3:0005.-
Estevdo de Olireira.


REVISTh DILRIL

Asemnbl6a Provincial'- Punecioou
huntemn, sob a presideucia do Exm. Sr. Bargo de
Itapissuma tendo comparecido 22 Srs. deputa-
dos.
Foi lida e approvada sem debate a acta da
aessao anteeedente.
0 Sr. 1 seretario procedeu A leitura do se-
guinte expediente :
Um officio do secretario do governor devolvendo
informada a peti o de Jos6 Teixeira da Motta
Cavaleante.-A quem fez a requisimo.
Um abaixo assignados de proprietarios, nego-
ciantes e fazendeiros, moradores no termo de 8.
Bento, pedindo que so construa na villa deste no-
me umn aude.-A. commissio de petitres.
Uma petico de E. A. M. Fenton requerendo,
como primneiro que solicitou privile'io pars a luz
. olectriea, que so attends w peticao que dirigio em
1882 a esta Assembl6a.-A' commisao de peti-

Ontra 4e Beradino deo Oliveirs Coragem de-
- senhist ,ap ado A repartie daa Obras Pu-
i~ca, eqeed qu ua aua pontadoria se
Ote o tempo deeorrido de 22 de outubro de
S aId ageitto de 1I5.-A' commisAo de
Qut ^'^ I^Imcitt Vomsafifn^AunfustotFo rsirst


letino Cua s, ineurso nasa pnas do art. 493
do Cod. Crim. '
Patrocinoa a causa o Dr. Luiz Ernigdio Bo ri-
gues Vianna e sendo o r6o condemnado a galks
peroetua, proteston por novojulgaineto.
EBtatiftea mnoertaria- No Cemiterio
Publico de Santo Amaro0 forarnm sepultados -e:n
maio :
Do 1884... 313 cadaveies
De 1883... 286
De1882.. 403 -
A m6dia diaria dos enterrarnentos em manio fin-
do foi de 11, 12 cadaveroes.
OS dias de menor numero de enterramnntos f)-
ram : 8 e 12, em que houveram 5; 3 e 9 em quo
houveram 6; e 22 em que houvcram 7.
Os dias de maior numero de enterramentos fo-
ram: 7 em quo houver.iun 18; 2, 23 e 26 em que
houveram 16; e 11 e 14 !m qae honvoran 14.
Lucia e o Biandldo Negro.-Silo estes
os titulos de duas mimnosas poesias do festejado
poeta brasileiro Castro Alves, roubado pcla morte
as lettras c a patria no ailvorecer da suna preciosa
existencia.
0 nome d'aquello pranteadd poeta, o sou grande
talent cnriquceido por umni variada illustraiiou
litteraria, fecundado por unia pujante itnagin'.wAo,
s:lo umn penhor seguro do merecim-nto das daits
prodiiu5es pocticas que toeis a vista e cnujI pr:)-
ducto sera destinado A cmiancipa?.o dos captives.
O respective folheto auha.s, A vcnla n.s livra-
rias Franceza, Quintas, c Laport.
Agradecemos a offerta de um exemplair.
Capata dia la Alfandega.-Antc-libon-
temrn a Presideicia da provincial recebeu telegram
ma (do Sr. miniistro dai fizenuda autorisan ilo-o a
abrir o credit precise pa.ra oceorrer a dospeza
corn o salario dos op-rarios da capatasia da Al-
fandega.
S. Exe. o Sr. prosidente da provincia abrio lion-
tern o cr-dito, e a L'hesonraria do FazIinda lii-
tem inesino de,,e ter feito o pagainento dos sal-i-
rios vencidos.
NavalBalntaa..-HIoutem, cerca de 8 horns dii
noito, e na run tda Floreatina, Antonio Fraucisca,
A. de Limn: Filho, estaudo a coiiovrsar cin al-
guns amigo tfui ferido pur uri individuo d 'sco-
niecid) que, aproxinanudo-so do grupo d-u no
misino Lnimna Filho tras golpes co)in umni mt navall it,
senl I.) umI na testa, oatro no qucixo, c o tereeiro
profaudo na face.
0 forido foi medicado polo Sr. Dr. Barros Sobri-
nhr).
Quanto ao delinquante, evadio-oe.
More repentina.-Houtf:n, As 8 imras di
noite, o pardo de nome Germano, pidreiro, ao pa:s-
sar pela rua larga d,) Rosario, cabio fuininado por
urn ataque. 0 sen corpo acha-se depositado nu
igreja do Rosario.
Companlia Lyrica Italiaua. Em
conseqmencia do ter adoecido uin dos cantores,
nao p6de ter lugar hontein a estr6a da compauhia
Lyrica Italiana; o que se realisarai hoje.
Cliapelaria Victoria. Este estabeleci-
mento situ A Praa da Indepindeuncia us. 38 c 40,
acaba de receeber umn lindo sortimento de chap6os
e cliapelinas do ultimo gosto.
Fettividade Celebra-se hoje, no convento
de S. Francisco, a festa da Santissiinma Trindade,
constando de missa solemne As 11 horns, corn ser-
mao polo Rev. padre Joao de Souza Oliveira e
Te-Dcam As 7 horns da noite corn predica pelo
Rvdl. padre cominendador Moreira da Gama.
Bonito Escreveinm-nos em 3-do corrente :
Foi installada a 2a sessao do jury desta co-
mares no dia 20 do mez proximo preterite,, sob a
presidential do Dr. Manoel Maria Tavares da Sil-
va, servindo de escrivao Manoel Eduardo da Cos-
ta Monteiro.
Foram apresentados pelo Dr. juiz municipal
3 processes devidarnente preparados.
Nesse mesmo dia teve lugar. o julgamento do
rbo Carlos de Araujo Pinheiro, incurso nas pa-nas
do art. 193 do codigo criminal. Foram patronos
os Srs. capitao Francisco Quinteiro da Silva Viei-
ra e o Dr. Jose Baptista Gitinrana. ri m vista das
respostas do conselhlo de scntenqa foi absolvidi
por unanimnidade.
,, No dia 21, foi submettido a julgamento o reo
Jos6 (escravo de Mi noel Dias do Amorimn Este-
yes) incurso nas peaas do art. 193 do codigo cri-
minal. Foi advogado o Dr. Jose Gitirana. Foi
condemnado a gals perpituas, tendo appellado o
president para o Tribunal da Relacao.
Nosse mesmo dia teve lugar o julgamento do
reo Damiiio Christovao, incurso nas peaas do art.
201 do codigo criminal. Patrocinou a causa o
Dr. Joss Gitirana. Foi abiolvido por unanimida-
de de votos.
E nao havendo mais processes preparados o
president encerrou a sessao.
No din 26 do referido mez foi lido polo Revm.
Sr. vigario, na occasio da missa conventual, um
officio do Exm. e Revm. 2 governad-r do bispado,
declarando que os emolumentos dos sachristaos
seraio os que desereve a tabella provisoria em vi-
gor. A' vista da respective leitura ficou o povo
plcnamente convencido da realidade, e cremos
que nao mais se reproduzirao os abuses pratica-
dos por rtlguus parochianos, os quaes se negavam
de satisfazer os eumolumentos respoectivos, maximi
a dos baptiz-mdss na insignificant quantia de
500 rs.


SNo dia 1o do vigente, teve lugar na igreja
mnatriz a fiesta do encerramento do mez Mariano,
corn pompa e brilhantismo, havendo nesse dia
uma minissa cantada celebrada pelo vigario. A'
noite teve Ingar a ladainha, subindo A tribune sa-
grada o vigario Joaquimm da Cunha Cavalcante,
que em um bern elaborado panogyrico de Nussa
Senhora o desenvolveu perfeitamenate, mostrando
aos se.us ouvintes quanto tarn sido benefica a pro-
tec~ao de Maria Santissima s bre o genio hamina-
n1o.


Duramte todo o acto toccu a bands de music
mnarcial Athcniense diversas peas de sou esco-
Ihido repertorio, tendo-s, prestado sem remune-
racao alguma, o que por isso aindamais se tor-
non mais digna de encoinios.
,, No decurso do mez Mariano concorreram a
esta pia devoKo grande numero de fieis afirn de
elevarem as suns preces Ai Virgem das Virgens.
Ainda desta vcz o povo desta localidade denu exhu-
berantes provas de dodieao e amor pela reli-
gino do Martyr do Golgotha.
,, No dia 2 do corrente teve lugar-a eleiggo pa-
ra preenchimento de um deputado provincial por
este district, em conseacquencia de ter sido rasga-
do o diploma conferido ao Dr. Regueira Costa.
A' 9 horas da mnanha em ponto den-se come-
go aos trabalhos eleitoracs corn as formalidades
recommendadas em lei, a mesa estava separada
per uma grade. Procedida a apuracIo ebtiveram
Dr. Regueira C(osta 115 votes, Candido LadislAo
da Azevedo 5 votos. )
leiles--Effectuar-se-ho :
Pelo agente Carmo e Silva, ao meio dia, na
travessa do Corpo Santo n. 27, de preihos.
Peao agente Britto, as 10 1/2 horas, na rua E-
treita do Rosano n. 31 de moves.
Pdo agent Pestana, As 11 horas, no armazem
do Annes de generous de estif.
Tera-feira: -
Pelo agent Pinto, As 101/2 lras, na rua do
Born Jesus n. 6 de fazendas avariadas.
* Pelo ageyte SUveira, ,W 11 loras, na lsrgo do
Paraiso n. 26,demsAwtometo. I
-Peo ageate rGumua',f s 411 horas, an ru do
Marquez de Olinda a. iO,,dmobiias.
Po ae m Bvit, As 10 1/t horaf,ca rua do

I" t- & 81n trb,-ap -
Ewaa~~rjfj,M~i w~rna dW


5. 739 10JO6000 )
6.591 5:0005000
Ler$eia doBio-de Janeiro-A loteria
a. 340 A, do Rio, de 20:000)000 serA extrahida
no dia 11 do corrente. -
Bilhetes a veada nas Casa da Fortuna, A raa l1
de Margon. 23.
Lateria-A de n. 150 B, do Rio de 'Janeiro
de 25:000J000 serA cxtrahida no dia 14 de ju-
nho. -
Bilhetes A vendana Casa da Fortuna, raa 1'
dc Marco u. 23.
L terialde 95t0ODS000-A loteria 150a
series B., core impreterivelneante no dia 14 de
junho,
0 resto dos bilhetes ha-se a venda na Casi
Feliz A praca da Indep dencia ns. 37 e 39.
Grande loterita 5&Oa *OM--
Esta extraordinarily loteoi serA extrahida na c6r-
te no dia 16 de julho pro me vindouro.
Os billihetes acham-se venda na Casa da
Fortuna, in rua 1 de Marc u. 23.
Mlereado aumnlepal dle S. JoSi 0
movinenito deste estabelceimnento no dia 6 do
corrente foi o seguinte :
Entraraim puar serem vndidos : 37 boio,pesan-
do 5,279 kilos.
No mesmo din entratinrmn patra o .esm e
tabelecincento:
Peixe 807 kilos
Fariuhla, milho e fcijao 81 cargas
Fructas diversas 20 ditas
Suinus 1
Carneiros 1
1Preos do din :
Carne wvrde do 480, 409, atW 320 r6is o kilo.
Saiiau a 6'10 re6is o kilo.
Carneiro a 15 idorm.
Farinha de 500, 400 at6 2G) reis a cutia.
Milho do 480 a 400 rois a cuia.
Fi'ijao de U1200 a 800 rs. ide'n.
Forainm occupados:
61 talhos de care verde.
2 ditos de ditos do lado do sul.
12 ditos d3 suino.
11 ditos de fressuras.
40 idem do farinha: comidas.
6) comnuartimahntos de legunes.
Deve ter sido arracadada nuoste di i a impor-
taucia de 2253 40-
Caa dote Detenci.o.-Moviinento dos pr,-
so; ino din 6 dejunho :
E xistiamn presos 327, entraram 14, sahiram 23,
existed 318, a saoer: nacionaes 281, minilhercs
9, estrangeiros 9, escravos 16- Total 318.
Arracoados 297;, sondo : bons 285, doentes 12,
-Total 297.
Cemiterio Paublico-Obituario do dia 4
do corrcnte:
Eulalia, Pernambuco, 9 mezes, Afogados; febru
cerebral.
Jos6 Luiz de Aimcida, Portugal, 53 annos, sol -
teiroe, Recife; insufficiencia tricepidotral.
Joanna Maria da Concei~lo, Rio Grande do
Norte, 80 annos, solteira, Boa-Vista; amoleci-
monto cerebral.
Joanna Maria da Conceigao, Pernambuco, 30
annos, solteira, Boa Vista; cyrrhose hepatica.
Amara Bernarda da Silva, Pernambuco, 78 an-
nos, solteira, Boa-Vista; anemia.
Maria Jo.iquina da Conceipao, Pernambuco, 45
annos, viuva, Boa-Vista; diarrhea.
Gervasio de Souza Campos, Parahyba, 30 an-
nos, solteiro, Boa-Vista; encephalite.
Zeferino Ribeiro da Silva, Pernambuco, 32 an-
nos, solteiro, Boa-Vista; bexigas.
5 destes foram pela earidade.
-5 -
Manoel da Silva ,anpaio, .Portugal, 56 annos,
casado, Recife; cancro do rosto.
Benjamin Graeiliano Galv.o, Rio Grande do
Norte, 17, .annos, solteiro, Boa-Vista; viriolas.
Antonio Ferreira Martins, Hespanha, 28 annos,
solteiro, Santo Antonio; febre amarella.
Antonio Simplieio Adorno, Pernambuco, 33 an-
nos, solteiro, Boa-V:sta; congestao pulmonar.
Olympia Antonia de Jesus, Pernambuco, 35 an-
11nos03, casada, S. Jose; beriberi.
Augusto, Pernambuco, 2 annos,. Boa-Vista;
diarrhea.
Thom6, Rio Grande do Norte, 5 mezes, Recife;
tetano.
Rosa da Lima Moraes, Pernambuco, 25 annos,
solteira, Boa.Vista; tubcroulos pulmonares.
Joao Antonio de Oliveira, Paraguay, 60 annos,
solteiro, Boa-Vista; rheumatismo.
Antonio Francisco das Chagas, Pernambuco, 45
annos, solteiro, Boa-Vista; diarrhea.
Francisea Maria de Jesus, Pernambuco, igno-
ra-se, Recife; pericardite.
4 destes form pela caridade.
Jose, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista ; variolas.
Joanna Maria das Virgens, Pernambuco, 1 an-
no, S. Jose; lesao cardiac.
Joao, Pernambuco, 2 annos, Graca ; enterite.
Joanna, Pernambuco, 10 dias, S. Jose ; con-
vulsoes.
Pedro, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista ; con-
vulsoes.
Maria, Pernambuco, 21 annos, BoaVista ; va-
riolas.
Rita Gliceria do Sacramento, Pernambuco, 70
annos solteira, Boa-Vista ; congestao cerebral.
Joanna Luiza de Franca, Pernambuco, 24 aui-
n 's, solteira, Boa-Vista; tuberculos pulno-


nares.
Simrao, Africa, 70 annos, solteiro, Boa -Vista ;
diarrhea.
Bartholomeu, Pernambuco, 24 annos, solteiro,
Boa-Vista ; variolas.
Maria Elysia, Pernambuco, 3 annos, Santo-
Antonio ; meningit,.
Martinha Maria da Conceigao, Pernambuco, 16
annos, solteira, Boa-Vista ; tubcrculos pulmo-
nares.
Tranquilino Pedrode Alcantara, Pernambuco,
32 annos, viuvo, Boa-Vista ; b.onchite.
Francisco Xavier Lins de Mello, Pernambuco,
70 annos, viuva, Boa-Vista ; herysipela.
7 destes pela caridade.


INDICATES UTEIS
Medicos
Consult orio medio.-eirargc.o do Dr
Pedro de Attahyde lijbo Moueouo a
rua da Gloria n. 89.
0 doutor Moscozo d& consultas todos os
dias uteis, das 7 As 10 hboras da manhL
Este consultorio offerece a commodida-
de depoder cada doente ser ouvido e exa-
minado, sem seer presenciado por outro.
De m'eio dia As 3horas da tarde serA o
Dr. Moseoze enu ga do Commerio, -onde funeciona a ins-
peco do saiide do porto. Pars qualquer
d'estes dompoant6s poderloo ser dirigidos
os chamados po cart a nas indicadas. horas.
Dr. Bc"W --&d Morae, rusa do Barbo
da Victoria n. 37 1.', andar; consultas dar
10 horaam ao meio dia; chd amadosaa por s-
cripto fta lqw heroa.
Lh, imarAlo, 4, r Cavakwauti,
,.;&"aico da FuoI~ de PA*i, pod. ser


w da tere.^Hp *nza am o wi-~


A4~4
1 p otenhtiu o dawca-
p seu escripa i
dotts on. 18, oudo pode ser pmuocuad
para os misteres do sua profissao.
Occulisma
SDr. Barreto Sampaio, eonsultas de 1 Ao
4 horns da tarde, na rua do Barito da
Uictoria u. 45, 2.6 andar, residpncia, raa
de Riachuelo n. 17, canto da runa dos Pires.
Bourgard A&C.
Redife: rua do Marquez de Olinda n.
16 Santo Antonio, rua Primeiro de Mar-
,o n. 3; Baa-Vista, rua da Imperatriz n.
54. Grande fabric de cigarros a vapor.
Especialidades.: Cigarros, charutos de Ha-
vana e nacionaes, cachimbos, tabacos e ob-
jectos para fumantos. Livros de medici
na dosimetrica e unico deposit da fari-
nha lacoea de Nestl6, para os meninos de
peito e leite condensado.
Drogaria
Francisco Manoel da ISilva & C., depo-
sitarios de todas as especialidades pharna-
ccuticas, tintas, drogas, products chimico
e mnedicamnentos hoinceopaticos, rua do Mar-
quez de Olinda n 23.
Pharmacia Pernambucana
Rua do Cabuga n. 11 de Antonio Mar
tiniano Veras, pharmaceutico. Avia-se coir
promptidAo e osmiero todas as receitas e
encommendas que ihe foreim onfiadas.



PUBLICA~iOES APEDIBU

Associacao Commercial AAgricola
0 PROJECT DE RECEITA PROVINCIAL
V
D 'sdc algun.- annos teoni a Associanao Comm.r-
cial Agrieolfa p1ihlicado artio-,', precedendo-os dc
seai noime,-iiilicato bowi faitil do ser conhecida.
Basta-nios citar o que appairtcou no Diario de 16
de nilovemnbro de 161, c vein anuexo ao relatori,
dc l1882.
0s actunies directors seguemn o mesmo systemrn";
pareen-lihes que era escusido e do inao gosto s;i-
lir cada um destes escriptos corn uina enfiada d<-
assignaturas.
A rcdaaIo, polidc ser de um ou de muitos, e atr
scr incumbida a uma pessoa cxtranha A directoria;
inmas isto 6 cousa secundaria, que nada import
aos leitores e aos coutradictores.
Entretanto o Sr. Dr. Amynthas acaba de fazor
esta censura:
o Emi vez de qualquer de seus membros, como1
eu e o public esperavamos, apparecen na imprensia,
investindo contra o project de receita provincial
um desconhecido campedo distinct por sua elegan-
cia e boas inaneiras. Polo titulo dado aos sous
artigos que, peoo permissaio para dizel-o, s6 pti-
main pela forrna, fui obrigado a consideral-o como
mandatario da Associaiao Agricola; e, nestas con-
dic6es eu tinha o mesmo direito de fazer-mo re
presentar por umn rmnandatario mneu, encarregado do
rebater golpes, atirados a esmo, que nem de leave
attingiram ao referido project. ,
A assignatura de umn associado 6 que itnportaria
a exclusAo da responsrAilidade colleutiva.
0 Sr Dr. Amynthas privou-se absolutamente de
responder As nossas poudera5es! Vejamos o mu-
tivo:
S .... no terreno pratico finauceiro, nao ha nada
mais intoleravel do que discusses abstractas sobre
urn ou outro ponto isolado e maliciosamente desli-
gado do assumapto questionado.
S Ora o assumpto questionado, e unico que de-
via constituir object de uma analyse, 6, e nao
podia deixar de ser, a solucaIo pratica da questao
que me foi proposta, no officio da presideneia de 4
de janeiro.
a Logo: toda a discussao que nao versasse so-
bre a solucao que so reputasse preferivel, nao podia
deixar de ser intoleravel; por-que o baler bocca so-
bre a preferencia de meios para urma melhor soluc-
cao que nao se apresentava e sobre certos enuncia-
dos sem attencao a sua relatividade, eram verda-
deiras polemicas escusadas, das quaes eu tinha o
direito de afastar-me, como me afastarei sempre. ,
Discutindo corn a maxima lealdade, fazemo'
transcripobes um tanto extonsas, para que seja
melhorme te apreciada a exactidao de nessa res-
posta. A exposicao synthetica de um eseripto
alheio 4 muitas vezes objecto de duvidas e contes-
tacoes; procuramos evital-as.
Dizemos isto, nao somente como uma satisfacdo
dada aos leitores, sen'bo tambem para que estes
apreciem o systerna inverse, adoptado pelo Sr. Dr.
Amynthas. Elle nao se deu ao incommode de
mostrar que fizemos-discussoes abstractas sobre
urn ou outro ponto isolado e maliciosamente desli-
gado do assurmpto questionado. Era just que ncs
convencesse dossa abstracqio, desse isolamento,
dessa malicia.


Discutimos, argumentamos, provamos, copiando
as palavras do Sr. Dr. Amynthas, emquanto esti se
limnita Aquella simple asseveraio, e n6s 6 que
batemos bocca!


Na opinion do nosso illuatre contradictor, a As-
sociacao Commercial Agricola devia seguir um
destes alvitres : calar-se, ou dar a soluqao pratica
da questao proposta ao administrador do Consula-
do, no officio de 4 de janeiro.
Ora, a qaestao proposta foi a exigencia de um
orcamento de receita e despeza, de mni oramento
complete;
Logo deviamos guardar silencio, ou apresentar
umrn project de oramcento !
Quando estadistas eminentes analysam e cen-
suram, no senado e na outra camera, disposioes
de umrn projeeto orgamentario, serA licito dizer-
Ihes : nao mereceis resposta, pois que nao offere-
ceis um onutro project; estais bateudo bocca!
S0 Sr. odministrador do Consulado na'o resolvcu
a quest-o, que lihe foi proposta no officio de 4 de
janeiro; limitou-se a projector impostos, abstendo-
se de qualquer estudo relativamente A despeza.
Umrn funccionario public de elevada cathegoria,
dispondo officialmente de elements de astudo, e
recebendo ordem no sentido de organisar um or-
camento de receita e despeza, nao quiz ou nao
pbde dar plena execuoo a essa ordem; mas en-
tende que a AssoeiagAo Commercial Agricola tern
qbrigao de satisfazel-a !
Admittames que o Sr. Dr. Amynthas, apezar de
referir-se A questdo proposta no officio de 4 de ja-
neiro, s6mente nos censura o nao apresentarmos
um ornamnto de receita. A censura ainda 6 mais
improcedente; porquc al6m de nio sermos obriga-
dos a fazer isso, estavamos moralmente obriga-
dos a nao fazel-o. Nao deviamos offerecer um pro-
jecto manco e imprestivel. E' necessario estudar
a despeza e reduzil-a quanto seja possivel, 'antes
de exigir-se da provincial uma.certa somma de sa-
crificios.
Desse estudo, que nao nos compete, fugie o Sr.
Dr. Amynthas, apezar de sua posiclo official, e de
ama ordem superior.
Examinar as verbas de despeza e proper as ne-
cessarias redaeces
Pedir a dimumi ao de vencimentos de algum
functcionario, o ousa que venha a dar em resul-
tado prjuizo dequaesquer vantagens!
Dier qae as noaa sleis provinaeie nos a sahem
um ato ro" eUtaudo em niM exereiio.......
142;M35 6, quando am um outro oxercidisnos
sshfrasa pIr-mmosde 8O000!

IIIIer que iao cei we rlvwigt
cf< T, a la72i6l7daenio mw


aaiaiksar as verbs d ,espezla,
68tamos tnatdefeasiva-basts-nos eontrait prP,.
.nea*eo. QuMa P.ojtdde esmagar-nos sob o peso
de conatribuilg s rmes, quo m atr obrigaao
de conveneer-inos dp quoe 64Seontribmntem-soffre-
riamos ainda 6aia se fizesse agamas- econo-
miss.
Augmentama de ma el.sda anno, criam em.-
pregos, acewoenatiMUOrdMdom s, ,iltam napo-
sentadorias, perd"omrdi*daa fuudam emlas e
imats escolas... e padm ipostos emais impostor,
novos ou aggravados.4 E qumado nam homem de
b6a vontade, ou alguia aaiaco,..aedoez.corro
contra o enforcamesute ap r Iawbe ate eirctlo
de terro :
A despeza 6 de tanto;
A receita deve ser.- egual A despeza;
Logo apresentai um project de receita equiva-
lente a essa despeza; o que nao for isto nao merc-
ce resposta.
E realmente nao nos responded o Sr. Dr. Amyn-
thus ; escreveu um longo artigo sobre o born peso,
a tara, a humidade do assucar, a commissAo paga
aos currespondentes, os precos convencionaes; c pro-
cura mostrar que os senhores do engenh? soffrein
immensos prejuisos, para concluir que elles nao
devem reclamar contra o augmento do imposto!
Quern Ihes pretcnde cortar os bracos, allega
este motivo: ii vos cortaramin as pernas!
Podiamos nao acompanhar o Sr. Dr. Amynthas
nessa questao de bom peso, tara, etc., uma vez que
nao furamn respoudidas as nossas ponderacues ; mas
o illustre administrator do Consulado nos mcrece
mnito, havemos de acompanha!l-o.

Appello da lavouiira
Diante do moviimento abolieionista, que
de dia a dia se ostcnta mais violent e au-
dacioso, nAio 6 mais licito aos homes do
trabalho honest e moralisado, aos cida-
daos pacificos e laboriosos de todas as c,-
madas sociaes, de todos os partidos politi
cos, crusar os braeos e deixar que os des-
ordeiros e anarchistas convuJeioncm a s>-
ciedade, ameagando de anniquillamento e
de morte todas as fontes de riqueza e de
engraindecinmento da patria.
Ainda bern Ja do todos os pontos do
paiz partemn protcstos vcliemente. contra a
propaganda dos demolidorcs socias. lia
das tres grandes p)rovincias do sul do im-
poerio, partio o grito angustioso e trmnm 'ndlo
das priuneiras vietimas immoladas ao furor
abulicionista !
E' prociso, urge miesmo, quo todos os
bons cidadcuos, reprcseRntautes do todas as
classes sociaes, quo viveoin tranquillos no
hr doimestico, que teem famniha e legiti-
mos interesses a defender, se congregucin
e;n umn s6 pensamento, para center a on-
da abolicionista nos seus desvarios e cri-
mes.
Ao conimmcrcio e A lavoura nos dirigiinos
de preferencia, porque siAto as duas clas
sos mais inmnediatamente interessadas na
grande crise, que mcdonha se levanta do
todos os angulos do imperio.
0 commnercio e a lavoura, primeiramen-
to, depois todas as classes productoras do
paiz, a industrial em todas as suas mani-
festagSes, as lettras e as arts, e atd os
empregados publicoa, todos haio de sen-
tir infallivelmente o golpe que os vadios e
ociosos, os impacientes e invejosos, os la-
dries e os assassinos de instinct e do
profisslo, planejam contra a propriedade
alheia, pregando a devastagao e a mortoe
contra os proprietaries ruraes, mais tarde
contra os capitalistas em geral, finalmente
contra todos os homes honestos e pacifi-
cos, que nao pactuam corn as suas doutri-
nas ineendiarias e crueis.
Mal estaria a nossa sociedade, se na
quadra afflictiva que atravessamos, todos
os bons cidadaos nao acudissem pressuro-
sos em defeza da ordeem e da legalidade,
ameacadas pelos perversos e desalmados
abolicionistas.
Que se congreguem todos, e que se
unam tambem a n6s todos os emancipa-
domes sinceros e honrados, quo desejam a
emancipaao legal e pacifica, sem abalo
para a sociedade. ilorrorisados devem
dIes olhar hoje para os factos escandalo-
sos e revoltantes, para as ladroeiras e cri-
mes commettidos polos abolicionistas in-
transigentes, verdadeiros communists mas-
carados.


f


I




4

I?











'V







I


I




r



a


1S uoma deleyaq& da tn1o,
quer dizer que sois obrigados %a f'44H1
os direitos de todos os brasileiros, nkd:
alfaadonando. raos caprichos e violeneisM
dowanarchietas e desordeiros, emboraF so.
Ai~w elleos do vosso partido, a honra, lk
vida e a fortuna deo milhares de cidad1osi
iteis A patria.
No estaco em que so achamn as cousas,
a -vossa indifferenga tornar-se-hia um cri-

Osangueda primoira victim, que ca-
hir ferida pelo brago abolicionista recahira
sabre vossas cabegas!
V6s soia os responsaveis pela ordem e
tranquillidade publicas, e portanto deveis
pur uin paradeiro a essas conferencias abo-
licionistas, feitas em lugares publicos, an-
nunciadas em todos os jornaes, nos quakes
se prega desaforadamente o roubo da pro-
priedade alheia, e o assassinate dos pro-
prietario; 1
Tendes o dever de fazor cesiar esso es-
candaloso roubo de escravos alliheios, em-
barcados no porto do Recife ostonsivamcn-
to, dianto das proprias autoridades, por in-
dividuos vadins, sem nome o ser reputa-
c'ao.
Uin govcrno serio, quo so julga apoia-
do por uin partido politico forte e numi-ro-
so, nAo tein i1kccssiddo do uxili) d1 mtii-
seravo s saltiinbancos politicos, cap izes
do todas as miserias o torpozas So os
acoihe, se precisa delles, e porq'-'. r-c, -
nhlieee a sua fraqueza, terae-os, Oa c con-
nivente com todos os scus crias5.
De todos os pontos da pr3vincia partemn
clamores contra a grandcl, quasi er minosa,
condescendencia do nosso go-':n- .)para
corn os abolicionistas intransigontes. E
na verdade, onde, c cm qim; tempo se veo
unia tAo longa seric do cxtora~cs, tc vio-
lencias e do attenitalos exarcidos c-mtra
ania classes respeitavel da sociedade, no
incio de tamanlia inditffrcnca do governor ?
Injuriados, calumniados e insultado:; por
todos os lados, spin partir de nos a mini-
ma provocaeao, s6 protcstamos quan-i) ja
estava oesgotada a tara das provoca-
9ues o dos sof.riinentos, quando cc-'_:e-
cou o esbulhio violent de nossa proprie-
dade, quando nos sentimos amca.ados em
nossas proprias vidas'
E o (quo tmn feito o governor cm nosso
favor? Ai peza-nos dizel-os : por meio
de avisos, deo coniunicaeFes reservadas
aos Satyros, aos Maracajds, aos Timeodu-
retos Souto, aos Titos de Mafoi, mianda-
nos atirar aos lobos abolicionistas, e M
possivel e inerte, parece deleitar-se coni a
guerra feroz e fratricida que elle prcprio
provoca contra a pacifica elasse dos agri-
cultores!
Chegou finalnente para n6s o tempo de
uxelamarmos corn o grande orador roman) :
0' teiL)ora, 6 mores, senates hc intelliglit!
Pernainbucanos de todos os partidos e
de todas as classes! Os nossos irmaos da
lavoura fazem um appello supremo para
todos vds, para os vossos sentiments no-
bres e patrioticos, ja que sominos abandona-
dos tao cobardemente polo governor que
devia proteger-nos.
Consta-nos que a benemerita Sociedade
Auxiliadora da Agricultura do Pernam-
buco, a pedido de alguns clubs da lavoura,
vai convocar nesta cidade unia grande
reuniio de ag-icultores, commerciantes e
mais pessoas interessadas pela causa da
lavoura, coin o fim de se tomar medidas que
a garantam na crises medonha que atrm-
vessamos.
Parnaumbucanos amigos do trabahio e da
ordem! Os nossos rminaos agricultores
contain corn o nosso apoio e pedem-vos que
nabo deixeis de comparecer a essa grande
reuniao.
Recife, 7 do junho de 1884.
Uin agricultor.

Born Jardim
A MENTIRA E A INJUSTI(A CONFUNDIDA
I


Quando no dia 16 de maio find li no Diario de
11, um officio reservado do Dr. juiz de direito Jos6
Gomes Coimbra ao Dr. cthefe de policia dando-me
e ao tenente Nicolao Antonio Duarte corn o ca-
pitao Jose de Arruda comno autores de torpezas in-
volvendo calumniosamnente no assassinate do alfe-
res Lourenco de B. Passes e sou primo H-rculano
pessoas estranhas ao facto ; e qauando no mesmo
dia em audiencia public o Dr. juiz municipal Li.
bcrato Coutinho sem a menor razao, e como ji
costumava, me tractou bruscameante, e teve a in-
discripgao de dizer que ia official ao Exm. conse-
Iheiro president da RmlaqIao para me eas ar a
proviso, fiz um protests pedindo no public que
suspendesse sea juizo, e pedmindo ao Exmi. Sr. con-
selheiro que so dignasse mandar-me euvir, se tal
juiz me accusasse ; mas deixou de ser impresso
dito protest por circumstancias independents de
minha vontade, e agora sem elle, porjulgar des-
necessario, you entrar logo na apreciaI9o da ma-
teria do officio, e dos mais factos anteriores e pos-
teriores, que se tern dad em Born Jaridin, defen-
dendo-me, e profligando a mentira e a inj asti~a emi
u.na series de artigos.
Nao deseerei a responder os insultos que uria
zebra, me atirou no pasquim torpe, inserto no Dia-
rio de 3 do corrente, nem tambem os que atirou o
bern conhecido Jose Cypriano Bezerra de Mello
sob a epigraphe Os negocios de Inveja-, no
Diario de 15 de maio.
Entes do quilate da Zebra e de Jose Cypriano
fallando mal de mim honram-me. Os mAos e
desmoralisados nao querem ser s6s, e tern odio aos
bons e moralisados. Em tmn migistral findlou
Cypriano, ou ella per elle, o sou pasquim deste
modo : .... o bestunto titulo de -queixa denun-
cia. S6 nesta parte respond dizendo, que se 6
tRo ignorant e estupido, que nao sabe fazer a
devida applicagao destas dnas palavras, sija ao
menos mais cautelloso e pergunte a quem sabe.
0 art. 72 do cod. do proc. diz : A quixa
compete ao offendido, seupai, c-t. : e o 74 diz :
o A denuncia compete ao promoter public, e a
qualguer do porvo ; portanto Joaquim de Albu-
querque Gandra como pat do assassinado L-urea-
go podia qucixar-se ; mas por part do assassina-
do Hercutano so podia denunciar, como pessoa do
povo; e por isso se e-npregou mui juridicamente
o nome de queixa e denuncia : dous eram os as-
sassinados, e quern tcntou a accao s6 tinha o di-
reito de queixar-se por urn, e a lei nuo quiz con-
fundir a queixa corn a denuncia, nerm privou de
alguem vir a juizo no duplo character de quelwso
e denunciante,'especialmente por dous assassina-
toe de urna s6 oceasilo, praticados per diversos.
Disse a Zebra : uma ueaa-.dewncia de 8fi-
lhas : em urn outro D ars em noticia da4a pan a
Revista Diaria, que essay pefoi em torn biblic,
et c. : at nisto provam quemo so eesses detracto-
res.
0 public sabe qanto 6 difficil provar-se
manda* eoM, a cbiuacteo ooutL deI tUN fat,
smprlmn segredo,edo e ordinarios6 por indicioN,
onuses decotvico, dodidas &. e ft e-
too e- eaninstanISM antrioree e postri a
deficto, sf epde f ier a prey. prata ueats
79a dot w& .-.''"'
aaaeia deve coatft -fai


; -- 1 "r'A-s ,;-i 1 -


E nao se diga que exageramos esses
factos. Nao ; porque estamos resolvido a
desmascaral-os, espondo-os em toda a sua
nudez e perversidade aos olhos do public
sensato e das proprias autoridades, a quem
cumpre a several repressao do crime.
Diante do perigo commum, desappare-
9am todas as pequenas consideragoes, to-
das as conveniencias da political, todos os
odios e todas as recrimina9ges partidarias.
E' umrn erro entender-se que a coalisso dos
partidos politicos para a solublo do e uma
gravissima questao social, pode alterar a
essencia dos mesmos partidos, confundindo
ideas, distanciando e separando os mem-
bros da mesma communhaio!
NAio ; n'ao acontecerA assimrn. Estejam
:lescangados os nossos chefes politicos.
Morta ou vencida a quest-ao social, os par-
tidos politicos reapparecerao cm toda a
sua pujanga, e talvez mats espurgados
desses odios violentos, dessas recrimina-
9oss pessoaes dos ultimos tempos da politi
ca. A convivencia e accord entire ho-
mens de cren-as political differences du-
rante o period evolucional da questao so-
cial, tornal os-ha mais razoaveis, maisjus-
tos e mais tolerantes para corn seus adver-
saries politicos.
A lavoura, mats do que qualquer outra
classes, porque ella e a mais atacala pr3-
sentemente, tern necessiaade de unir-se
como um s6 home para debellar essa
horda do abolicionistas, do miseraveis
aventureiros que chegam at6 o delirio de
aconselhar o exterminio e a morto violen-
ta dos senhores pelos escravos.
Diversos clubs da lavoura do Rio, de S.
Paulo e Minas jA nos derain e exernplo da
unito do todos os partidos politicos corn o
irn de defenderem os direitos da lavoura,
o a propria vida dos fazendeiros, amea9a,-
da polos desordeiros e anarchistas.
E nao ha outro meio de que langar
mao. Unamo-nos tod6s, e nao vacillemos
um s6 inomento I Cessem por emquanto
todas as divergencias polities, desappare-
9am todas as dissenges partidarias, e um
s6 grito, part unisono do tidos os pontoes
da provineia: .
UiAiIO! Uniao!
Para n68 nio haja mais ministerios libe-
ral, nem conserador. ,86 apoiaremos 0
governo quoenos efferocer todas as "-
tias que exigimos e dem a de ossa

paA' dedqem no o,
W pprc66rieadQe.;Nixon k ffiv-or qu
6 0 eamptimeto -4e "um evvitgio^
.pU^^Meal^^~i^ "::24f" :*


I.


(






- "~ -







-t
-I-


** ^v^y'
"*/".i'^





















Silva..


M itsatteista dog. Mijha lormna tde eewlmw
u Nf!I seinpi a osia, e para memhor, pornazo voa
hI do A nado a do pensar corn madureza e pro-
II i'^I" i a. Os queome eonhcem, sabem que a men-
tirApara rim mpossivel, e aos que nio ma co--
?: nheowm, mas polos attestados poderia fazer uma
W id)a asseguro, que minhapeona nbo sabe nem
p6de mematir, porque men cAracter repelie.
|Tenho doon:nentos irrecusavels, para publicar,
e outras provas, e hei do provar quo o officlo re-
servado afastou-se da verdade, e qae a injustiga
S- term prldominado em diversas quaestes minhas em
Bom-Jardin, e se me tern perseguido e aos meus
j,. constitaintes de uwa manaeira revoltant,.
|iEis os attestadoa :
1 ,, 1him. c Exm Sr. coaseliheiro desembargador
Laiz Correia de Qaoiroz Bars.--Diz Autonio do
S Lellis Soaza Ponites... que .. V. Exe. exereou o
S lugar de juiz de direito nas comnarcas do PilAr e
IngA e de Area o dc Alag-5a Grande tendo seropr]o
advogado .-., e coaheeando portanto V. Ewc. o
Ssupplicante ha inais de 20 annos, e bem de perto,
vem rsqueitr,... etc.
Attestado.-y D'hI Amnuito, des:le o tempo e lu-
gares que indica a pt~iclo, conheio de porto o
supplicant, qua seinpro m'strua loavavol com,
S portamrnfto civil e moral, halveado-se cmrn intelli-
gencia probidado nos tr.ibalhos do fmro, em qua-
lidad dc a:lvogado provisionado. Rocife, 20 do
maio de 1884.-Qteiroz Barros. ,
SIlnai e Exm. Sr. do.sembarhador Joio Francis-
|jl|| co da Silva Braga.-Dz Antonio do L311is e Sou-
f za Pomtes... que quando... V. Exe. exerceu por
muitos runes o lugar de juiz de direito de Itamb6
| tend o supplicaute advo-Ado perante V. Exc., e
tendo portanito conhecimonto... vetn requerer
Bse digne atteptar, etc..
Attestado.-.. Attesto em f6 de verdade, e come
fuimccionario public, que o supplicante C de exem-
plar condueta tanto civil com) moral, deo intelli-
genciii robust:i, dispo:ido (ie muiita pi'atica dos no-
gocios forenses, que durante os anno, que estive
come juiz do direito'da eomirca de Itamb6, o sup-
plicaute advogou diversas causes p)erante o meu
juizo desempcnhando os seas deveres de advogado
eom verdadeiro zelo, intelligencia e houradez, nida
Stendo praticado come particular que podesse dos -
eonceitual-o na estimtna e respeito dos homes do
bern. Olinda, 19 do maio de 1831,-Jod Francis-
co da Silva Braga. a
Continuarei.
At6 aminnhil.
7 de junho de 1884.
Antonio de Lellts e Souzia Pontes.


llumi naefio eleetriea
Nyo devo doixar serm resposta, ainda
quoe breve, as linhas que appareceram hon-
temn no Diario de Pernambuco, corn a cpi-
graphe acima e subscriptas por Brusq.
Somente por amor ao public presto at-
teneSo ao que diz o anonymo, que sanm
duvida e umn dos socios occultos do Sr.
Lovo Junior e talvez o que mais tern so-
nhado corn os proventos do desejado pri-
vilegio.
Nunca procure associar-me corn o Sr.
Loyo Junior. Brusq e ineapaz de provar
o contrario.
A verdadc, que este dovia confessar, 6,
sirm, que tive prop)sta para entrar no ar-
ranjo, e regeitei-a.
Naio sou, portanto, um despeitado, como
tenta Brusq apresentar-me.
Propondo-me a explorer a luz electrica
em Pernainbuco, trabalho em meu interes-
se, defend os mcus direitos adquiridos,
amea-ados agora corn a concessao de urma
exploragao exclusiva; mas promovo me-
Ihoramento, tendo em attenAo o bern pu-
blico, sacrificado no privilegio que preten-
de o Sr. Loyo Junior, e mais do que elle
ambicionam Brusq e QS seus associados.
SQuanto ai cartas anonymas. ameagas a
deputados e pasquini, que Bmusq diz te-

COIIERCIO
Praca de Reelfe, 5I de junho
de 188I1
As tres horas da tarde
Potatoes officials
Cambio sobre ParA, 601d/v. corn 1 114 0/0 de des-
conto, hontem'
Cambio sobre Londres, 90 d[v. 20 d. por 14,
do banco.
A. M de Amorim Junior,
Pelo president.
P. J. Pinto,
Pelo secretario.

REVISTA COMMERCIAL

Da semana de V a 9 de junho
de 1884.

Cambio sobre a Bahia, 60 d/v 1 1/4 por cento
de deseonta.
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 30 d/v 3/4
per cento de desconto.
Cambio sobre o Rio Grande do Sul, 90 d/v, 1
3/4 por cento, de desconto.
Cambio sobre Montevideo, 90 d/v 24485 r6is o
pezo.
Cambio sobre Londres, 90 d/v 20 1/8 d/s por
14000, e do banco, 90 d/v 19 7/8 c 19 14000, e A
vista, 19 5/8 14000 anco.
Cambio sobre Hamburgo, a vista, 600 reis o
reichmareh, banco.
Cambio sobre o Para, 90 d/v 1 3/4, 30 d/v 1/2
15 d/v 1/4 8 d/v 1/4 por cento de desconto.
Cambio sobre Lisboa, A vista, 167 por cento de
prenmio do banco, pagavel em Londres, 90 d/v, 20
3/16 11000.
Canmbio sobre S. Paulo, 60 d/v 1 1/4 por cento
de desconto.
Generoa nacionaes

Aguardente= Vendas de 684 a 704000 por uma
pipa.
Algodio Entraram 1,185 saccos, venda do
do seftao de 8S900 por 15 kilos.
Asucar*--= Entraram 2,735 saccos, aos pros
seguittes :
o bronco, superior, de 3. sorte, a 34$700 34850
os 15 kilos. O dito de 3.a sort, boa, de 3|i500 a
WO o0s 15 kilos. 0 dito de 3., sorte, regular, de
; 34200 a 34300 bs 15 kilos.-( dlito de 4, sortede
34000 a3|100 os 15iacs. Odito soinenos, de
28i00 a 34000os 1S kilos. 0 maseavado pur-
gs'a4mbr, de 2430 a 2|4400. 0 4itoreisfealr,
ps.Ae 4900 a 24100.1 0, aiericano de' 1$50 a
os 15 kilos. bruto,, regular, de 14350
.145i0 os 15 kilos. Canal, de 143Q0 lpor 15


:aho de 54600 A
*o verdeso=
ioditos


os 15


&Termrin#ndo, tdigo p6Bnusqquo nie1horr
sera discutir as vajitsens da8s pretongfe
para qneo -opubI*ooiqe habiitado a co-
nheceer quem mai s:asoffereee, se Loyop Ju
nior, ou o signataio destaslinhas.
Tire a mascara e appareoa. EstouI
prompto.
Recife, 6 do junbho'de 1884.
Pedro de Alcantara Boija e Costro.


ELE1iO
Das pessoas dovotas que hao de festejar o
Santissimo Coragito de Maria na igreja.
do Nossa Senhora do Pilar do Itamara-
ca, no anno do 1885.
Juizes por eleicao
Os Illms. e Exms. senhores:
Ban-to de Araripe.
oronel Manoel do Nascimento Vieira da Cunha.
Dr. Silvino avalcante de Albuquerque.
Manoel Cavalcante de Oliveira Andrado.
Juizas per eleicao
As Exiras. senhoras :
Baroneza de Campo Alegre,
Baroneza de Itapissuma.
D. Mathildes, espasa do Illm. Sr. Dr. Antonio de
Souza LeoAo.
D. Joaquina Theodora de Sant'Anna.
Juizes protectores
s03 Illins. e'Exms. senhores :
Vigarino Joao Antonio Rodrigues.
Vigario Floriano de Queiroz outinlio.
Padre Trajano Estevio da Providencia.
Padre Virissimo Bandoira de Mello.
Juizas protectors
As Exms. senhoras :
Esposa do lLhn. Sr. Dr. Jolo Francisco do Ama-
ral.
D. Maria do 0' de Jesus Vieira.
D. Antonia Francisca da Silva Ramos.
D. Gertrudes Argentina da Paz.
1). Autonia Bezerra de Menezos.
D. Anna Ma'ia da Concei9gao.
Juizes per dwvoqco
Os hlims. senhores :
Professor Alberto Augusto de Moraes Pradines.
Jos6 Martins da Silva Rego.
Alferes Jos6 Joaquim Aives.
Alfores Manoel Felippe de Souza,
Manoel Cordeiro avalcante Galvao.
Octaviano Vieira Gonzaga.
Juizas per devo9ao
As Exmas. senhoras :
D. Leonor Eugenia Miranda do Pilar.
D. Josepha Maria Gadelha Ramos.
D. Josepha Clementina Bandeira de Mello.
D. Damiana onstanua de Mello
D. Maria Emygdia de Barros Dias.
D. Maria Jos6 de Albuquerque.
Escriviles per eleiiao
Os Ilims. senhores:
Alferes Emilio de Souza Costa.
Felippe Teixeira de Bcnevides.
Escrivas por eleicao
As Exmas. senhoras :
D. Hermnina Adelaide Teixeira do Amaral.
D. Maria Pereira Ramos.
D. Flora Alves da Motta.
D. Rozenda Eudcatiria do Espirito Santo.
D. Gertrudes Maria da Conceicao.
D. Olivinua Maria de Souza.
Escriviaies protectors
Os Illhns. senhores :
Jose Gomes do Menezes.,
Joao Bento Paalo de Oliveira.
Joao Antonio de Barros.
Theophilo Lopes de Albuquerque.
Eserivas protectors
As Exmas. senhoras :
D. Bellarmina Maria da Concei9ao.
D. Maria'Aurora da Cunha'Cavaleante.
D. Geranga Alves da Motta.
D. Thereza Marques da Silva.
D. Bernardina Columba Disiet das Virgens.
D. Leonilia Carolina de Oliveira.
Mordormos


Os Illms. senhores :
Pedro de Alcantara Cordeiro.
Laurentino Gomes da Costa.
JoAo Henriques de Miranda.


Gomma- de mandioca= Retaiho de-24000-os
15 kilos.
Graxa do Rio Grande do Sal =- Cotamos de
74800 os 15 kilos.
Mel = Nao ha.
Milho= Ultimas vendas de 70 a 75 reis por um
kilo.
Pelles de cabra=Nominal de 704 a 90P000 hm
cento.
Sal do Assi= Ultima venda 900 reis por 100
litros.
Sebo = Cotamos de 84800 os 15 kilos.
Sola= Nominal de 44000 a 64000 um meio.
Vellas stearinas= Retalho de 320 330 reiso
mass de 6 velas.
Xarque do Rio Grande do Sul. =- Deposito
140,000 arrobas, retalho de 44000 a 54400 os 15
kilos.
Generor estranmgeros

Alpiste= Venda de 44600 por 15 kilos.
Arroz da India = Retalho de 24700 e 24600
por 15 kilos,
Azeite doce = Retalho de 34200 poi cada
um galao.
BacalhAo := Deposito 9,000 barricas, retalho a
174500 e 184000 tuna barrica.
Breu == Retalho de 135 a 144 por urma bar-
rica.
Batatas em eaixas Retalho de 44000 cada
uma eaixa.
Ditas em gigas = Retalho a 24000 por uma
giga.
Carvilo de pedra= Nominal de 144 a 184000
uma tonelada.
Cemento= Retalho de 84 a 104 uma barrica.
Canella=Retalho a 14350 um kilo.
Cerveja Bass= Retalho de 9,4000 a 101000 urma
duzia.
Dita preta= Retalho de 94000 a 104000 uma
duzia.
Dita de diversas marcas== Retalho de 64000 a
84500 ruma duzia.
Cebolla= Retalho de 254000 uma caixa.
Chi== Retalho de 3S a 54000 um kilo.
Cominhos= Retalho de o11 a 124 os 15 kilos.
Herva doee== Retalho de 140000 os 15 kilos.
Farello de Lisboa= Retalho de 4o400 por, umr
sacco.
Dito do Rio da Prata == Retalho de 34700
a 36800 um sacco.
Farinha de trigo= Deposito 17,000 barricas,
aos precos segumtes :
A americana, de 214000 nmnabamica. A de
Triestre e Hungria, do 264000 a 294000 eada
uma barrica.
Feijao mulatiuho== oetalho de 13Si000por um
Sacco.
Dito de cores= Nominal deS Aa 1O40W m

Kerosene== 4etalho &0 34300`84350aix lata;
Lou"a igleza==- Retalho a 350 por eenta robt
a factura..
Mawis italianas Retalho do 7J500 a 74800

1 Moadg *~fr iam borris Ultima vend&t


Jos6 Honoib oBezcrra de Menezes Sobrinho.
iMareailoo Barbosa da Costa.
3oa Pedro da Costa.
Joaquim Jos6 de Barros Morae.
..,, Mordonas
4*la as senhoras moradoras no Pilar de Ita-
T Procuradores
Os Illms. senhores:
'Teente MilitloRamos de Serquneira.
Joaquim Alves da Motta.
,alvio Dias da Costa,
Florentino Lobo de Miranda.
Joaquim Izacio Vieira.
Manoel da Paixqo e Paz.
Manoel Gongalv-s de Barros.
Marcelino Doruellas do Saranmento.
Pelix Lourengo de Freitas.
Procurador-geral
O Illm. Sr. Epiphanio Marques da Silva.
Thesoureiro
0 Illm. Sr. alferes Franeisco Martiniano da
Costa Lima.
Pilar de Itamaraca, 31 de maio de 1884.
0 vigario, JoAo Antonio Rodrigues.


Ao public
Bastante crescido 6 ja o numnero dos ar-
tigos publicados na Folha do Norte, no
Jornal e no D:ario, referentes ao ultimo
concurio da fazeuda.
No primeiro, quo foi publicado pela il-
lustrada redacgao da Folha do Norte, em-
bora sob a epigraphe Escrevemin-nos ,
respond, firmando a minha resposta corn
o meu none.
Aos demais porem tenho me abstido de'
responder, porque nAo quero e nern devo
discutir corn anonyinos.
Tenho soffrido corn calma todos os in-
sultos e parvoices pessimamente escriptos
e publicados no Jognal, tenho sido victim
das mais atrozes calumnias, que umn Basi-
leu hlia estampado nas columns do Diarlo,
e fiaalmente supportei a firm do Sr. Sa-
boya, scm responder cousa alguma.
So o illustrado public desta capital qui-
zosse ter a bondade de retirar desse intri-
gante os honrados co)gnomes Saboya e B:n-
deira de Mello, que o galvanisamn muito;
se todos conhecessem de perto a sua educaiaio,
quo o fazt ristzmente celebre desse collegial
haja vista o incendio, a sua suspensao
por dous annos na Faculdade etc ;
Se esse mooo fosse conhecido pelo que
na realidade o 6, aponto de o proprio Dr.
Correia Lima recukar-se a tcl-o por com-
panheiro de casa; ostou certo de que o
Sr. Saboya coin a sua firma teria para o
public o mesmo valor que os anonymous
Basileu e analphabeto Tenorio, do Jornal
do Recife.
Firmn, qualquer cavalheiro um desses ar-
tigos, venha corn a linguagemrn do home
educado, que desde. jA Ihe garanto no dia
seguinte a minha resposta clara e peremp-
toria, pelo qual ficarAo todos sabendo a
minha posiIo e p 'ocedimento nesse mal-
fadado concurso.
A anonymous por6m nao responderei.
Recife, 7 de junho de 1884.
Manoel Chrysogno da Silva Braga.


1l1m, Sr. ianou CH Mo30 oo
A dezoito dias que urma pessoa de mi-
nha familiar soffria de uma tcrrivel dor de
dentes, tendo por muitas vezes applicado
diversos medicamentos seor que tivesse o
maenor proveito.
"Paper^i^eibrulhi=7Retuilho de 64iVa 150
uma resina.
Pimenta da India= Retalho de 14250 a 14200
per um kilo.
Phosplioros. =- Da marca Jonkopings, retalho
de 24000 por cada unea groza. Dito da marca
Nitedals, retalho de 14600 a 14900 unia groza.
Dito da marca Wenesborg, retalho a 14600 urea
eroza.
Queijos- Retalho-de do3000 a 34200 cada urn.
Sardinhas= Retalho de 290 e 320 reis uria
lata de quarto, conforme a qualidade.
Toucinho de Lisboa = Retalho*de 124500 os
15 kilos. Dito americano Retalho a 104000
os 15 kilos.
Velas stearinas= Retalho de 380 a 880 reis um
maco.
Vinagres= Retaiho de 1204$ e 1504! uma pipa.
Vinho tinto de Lisboa= Retalho a 2104 e 2154


uma pipa. Dito da Figueira= Retalho a 2154 e
2254 uma pipa. Dito do Cette, braneo,= Retalho
2154 e 2204 uma pipa. Dito do Porto, em caixas
Retalho de 84000 a 204000 umna caixa de 12
garrafas, conforme a qualidade.
Xarque do Rio da Prata= Deposito 125,000 ar-
bas= Retalho 44500 a 54600 por 15 kilos.

RENDLIMENTOS PUBLICOS
Mez d( junho do 1884
LFAMoEGA=De 2 a 6 172:3464486
Idem de 7 27:1474969


mBCiBDOBrA.==De 2 a 6
Idem de 7


JONSULADO PnOVINCIAT-De 6
Idem de 7


RzcUIM DBAINAGI-DP 2 a 6
Idem de 7


199:494A455
5:93744
2:0324726
7:9703166
31:989A091
10:309A677
42:2984768
1:676A688
141A326
1:815$043


ALTERA(AO DAPAUTA
Para a semana de 9 a 14 de junho de 84.
Nenhuma.
Alfandega dc Pernamnbuco, 31 de maio dao 1884.
Os conferentes,
J. J, de Miranda..
Salvador A. A. Freitas.


DESPACHOS DE
Vapr franAeez Vilte do,
roe Lisboa,ano dia 7 doc
maIusto F. Aeflhvteira &


ahiMPOR entado H
lakia, entrado do Ha-


0 abaixo assignado artist desta compa-
nhia, agradeeo cordialmente a hospitalida-
.de que recebeu nesta provincia; assim
como declara nada dever a pessoa alguma.
Outro sim declara que o pequeno resto da
cobranga dos bilhetes de seu beneficio fica
a cargo do Club Ave Liberta, para o fun-
do benefico da mesmia.
Pernambuco, 7 do junho de 1884.
0 actor,
Francisco A.. de Castro..

f Born Jardim
0 LIBELLO DIFFAMATORIO DE JOSE ANTO-
NIO DUARTE COSTA
Diario de hontem
SCorrigenda
No 2' period, 33 linha, em respeito as
consas, lea-s3: e em respeito as cinzas de
nosso pai.
No 3o, 4" linha, qual outro chamam
amaldipoado; lea-se: qual outro Chain
amaldigoado por sen pal Noe.
No (' period, 6' linha, mineu tio Dr.
Nicolao, la-se : mneu tio dito Nieolao.
Depois da ultima assignatura, Francisco
Xavier Travasso Sariaho, l1a-so mais:
Reconheco verdadeiras as firinas supra.
Born Jrdim, 23 d minaio de 1884. Em
testemunho da verdade (signal e sell de
estamrnpilha). 0 tabeliiao public, Joatqum
Martins da Cunha.

Thesourairla de Fazenda
0 Sr. Raymudo da Silva e Cunha accusou em
reservado perante o ministry da fazenda a mirnm e
mais tres escripturarios da Thesouraria de Fazen-
da. Essa accusacao surtio o cffcito dcsejado polo
Sr. inspector : fomos demittidos einm outubro do
anno passado.
Viniods, 6 verdade, perdidos o tempo e o traba-
lho; pormn sahimos de frouto erguida e conscien-
cia li vre. de peso.
Fizernos publicar neste Diario, nio como defe-
za, porqie jA estavamos condemnados, mas como
satisfaao devida A opiniiaopublica, documcntos
officials corn que provamos que soubemos cumprir
setnpre os nossos deueres; que eramos assiduos Ai
repartiab ; quo zelavamos os interesses da tazen-
da, scm prejudicar os das parties que alli tinham
negocios; que nao tinhamos praticado um s6 acto
que desabunasse nossa coudueta, quer como fuuc-
cionarios, quer como particulars; que nilo nos ti-
nha, conscguintemente, sido applicada pona algu-
ma pela pratica dos crimes de quo tractam os
1" e 2' do art. 30 do Dec. do 6 de abril de 1868;
que, finalmnente nossa demissao toi injusta, iniqua,
uma verdadeira monstruosidade !
Agora 6 a minha vez ; eu accuse francamente o
Sr. Cunha, dizendo que S. S. proeedou pervcrsa-
mente, corn o fim de mais uma vez prejudicar-me
a bolsa; que errou ineptamente por causa da pre-
guiga que tom de ler as lehi. que de oitiva costu-
ma citar,
S. S.,'QOrim, flea indofeso, permanece no circulo
de fer'& que o colloquei, porque nio p6de sabir
pelas t|tes :-nao discutir corn anonymous, nao
ter dinheui6 para discussSes jornalisticas!...
E os amigos de S. S: deixam-no ficar assim ex-
posto ao escarneo publico!... E' que elles acham-
se impotentes para defender S. S. porque minha
accusacao 6 a verdade, e a verdade e a luz, e a
luz apavora a lobos e a covardes.
Se ate hontem o Sr. Cuuha ficou indefeso, hoje
ficara aniquilado; e eis porque :
Se 6 ignorante o chefe que r.dige despachos
contra lei express ; que sancciona actos funuados
em lei queniio existed; que diz que s6 se podem pu-
blicar despachos tirados por certidIo; que diz, co-
mo me disse hoje, perante o Sr. Manoel Guilherme
Alves da Silva e o 2 escripturario LUmz Emygdio
Pinheiro da Cunha, nile poder consentir que eu
visse o process de meio soldo, de que tractei no
C., 1 a ordem. Couros e bct~os 2 caixas a Gui-
maries Fonseca & C. Crystals 2 caixas a ordem.
Drogas 30 volumes a Francisco Mauoel da Silva
& C., 11 a J. C. Levy & C.. 5 a Ferr-iira & Ir-
mio, 4 a Antonio M. Neves, 5 a Dcodato Torres
& C.
Fitas e espelhos 2 caixas a A. Touquay. Feltro
1 caixa a Ferreira Barbosa > C.
Instrumento de musica 1 caixa a Antonio Jose
de Azevedo.
Livro 1 caixa a A. D. dos Santos.
Moveis e outros artigos 7 volumes a J. G. Pinto.
Manteiga 40 barris, 60 meios ditos a Domingos
Cruz & C., 20 a Joaquim Duarte Sim5os & C.,
20.e 30 a Joao Fernandes de Almeida, 35 e 70


a Augusto Labille, 10 e 20 a H. Burle & C., 25 e
35 a Paiva Valente & C., 25 e 50 a Souza Basto,
Amnorirf & C., 115, 265 e 59 caixas A ordem, 8 cai-
ias a Carvalho & C., 10 a M. T. da Costa Ribeiro,
14 a Sulzer & Koechlin, 15 a Francisco de Araujo,
60 a Pereira Carneiro A C., 16 a Souza Basto,
Amorim & C., 12 a Joaquim D. Simoes & C.
Mercadorias diversas 3 volumes a Sulzer Koechlin,
1 a Manoel da Cunha Saldanha, 4 A ordem, 11 a
Salazar & C., 1 a V. F. Ribeiro Basto, 3 a Gui-
maraes Cardoso & ., 1 a S. Serafim da Silva, 1 a
1 a A C. de Vasconcellos, 2 a J. Bezerra & C.,
1 a Adolpho & Ferrto, 3 a Ferreira Irta.o, 1 a H.
Nuesch & C., 4 a Nunes Fonseca & C., 1 a Ma-
noel & C., 2 a F. Lauria & C.,-1 A. J. M. Guima-
ries, 3 a Silva Alves & C., 4 a E. G. Casca'o, 3 a
Jose Augusto dos Santos & C., 2 a Maia Irmao &
C., 1 a Antonio Jos6 Main & Irmao, 2 a G. La-
port & C., 2 a Oliveira Basto & C., 1 a Theodore
Just, 1 a J. G. Peixoto, 1 a Antonio D. Lima &
C., 8 a Samuel P. Johnston & C., 2 a Mendes
.,1 a J. de Azevedo & C., 1 a Eugenio Coelho &
Vieira, 1 a Antonio J. de Amorim,- 2 a A. D. Car-
neiro Vianna, 1 a Vaz .t Leal, 2 a Vianna Castro
& C., 4 a Otto Bohres Successor; 1 a Francisco de
Azevedo & C. Machihas de costura 2 caixas a
Bernet & C. Meias 4 caixas a D. P. Wild & C.
Porcelana 4 barricas a Deodato Torres & C, 4
a Manoel Joaquim Pereira, 7 a Teixeira Coimbra
& C., ditas de vidro 14 volumes a B. Duarte Cainm-
po03 & C.
Papel 4 fardos a Sodr& da Motta & Filho, 3 a
Otto Bohros Succssor. Perfumarias 1 caixa 4 or-
dlem, 1 a Pedro Maia & C.
Queijo 1 tina a Sulzer & Koeclin.
Tecidos diversos 2 volumes A ordem, 1 1 a Cra-
mer Frey & ., 9 a Monhard Mettler & C., 5 a
Machado & Pereira, 1 a Albino Amorim & C., 2 a
H. Barle & C., 16 a Bernet C., 5 a Rodrigues
Lima & C., 1 aF. Laurio& C., 1 a Guimarlee
Irmlo & C., 2 aA. C. de Vasconeellos, 1 a Emi-
lio Soares, a F. G. do Amaralf 11 a Luiz Anto-
nio Siqueira, 1 a Ointo Jardim C., 1 a Magga-
flBM &C., 3 a Loureir, Maia-n C., 3 a Fran-
iteo de Azevedo & C., I a Ma'e dCunhaLo-
b,1 a D. P.Wild & .,4 5 a Alves de Brito d C.,
I a Rodrigo de Carvalho & C., 2 a Alracida--Duari
te & C., 1 a Agostinio Sgutos & C.
-Tinta s.10 arsi a FPraneisco Vanoel-da Silva
45 : 0 daL. ., -
V.elas. 4faidos'Daoemingos FTera, da-S&iva
^ C., ditaa mausta alimnticia*4 taiB a Ramo


Sc.R


Se 6 defraii^o40 l ff^eo pablicoso, fia
nar qau'es priva de qalquer rendao Sr. Ray-
unadoCuiinha defraudador dos cofres pu i .os 1!
- CercadoI d'essa peatilanta ataiosphera de inep-
cia, preguiia, relaxameato e defraudaZes, jaz wani-
quilado o Sr. Raymundo da Silva e Cunha, actual
inspector da Thesouraria de Fazenda desta pro-
-Vincia; mal p6do articular estas palavras:-
, morro asphyxiado pela logica dos facts, morro
esmagado por um 1n0o0o, em cuja vida pu'blica
tentei levantar urna barreira......, e morreu !
Morreu, e eu deixo seu cadaver exposto aos
olhos de todos! Faca-lhe autopsia quemn quizer.
Eu nao a farei: tenho medo de morrer tambem.
Recife, 3 dejunho de 1884.
Mangel Zeferino dos Santos.
(,) 4rt. 24. 0 process judicial ou administra-
tivo nao poderd ser entregue ds parties ou se8s pro-
curadores, except o case de ser necessario o reco-
nheeimento de firms ; SEII-LITES-HA, PORLM. FACUL-
TrnDO EXAMINAL-O NA REPARTIQA)O E TIRAR COPIAS DE
QUAESQUER DOCUMENTS QUE NELLE IUEXISTEM.



Urea ssm0oa no amor dG Dius
Um pobre homnem e uima pobre mulher
casados, que se acham por caridade, rcsi
dindo na casa n. 227 da rua do Marqnez
do Herval, pedem as ahlnas bemfazejas
unia esmola pelo aminor de Dous, emn vista
do sea estado de extreana miseria e de na-o
poder trabalhar, per se achar completa-
nimente paralytico. As pessias quo quize-
rein soccorr,3l-as podein se dirigir a casa
acima.


Festa da celestial confraria da
Santissima Trindade
Progranmma
Ao meio dia de sabbado 7 do corrente,
subira ao ar umni grande gyrandola de fo-
guetos precedida da conhecida music
iuarcial de corpo de policia, annunciando
a vespera da Santissimnia Trindade.
Do:ningo 8, de junhio, pela' 5 horns d3
manhia sera resada uina missa em tenoio
de todos os irm=ios vivos e defuntos, sendo
aununclada a alvorada coin umnia salva de
21 tiros.
A's 11 horas entrari a fiesta corn ter-
cias, sendo a orchestra regida polo pro-
fessor MIedeiros, orando ao Evangelho o
insigno orador padre Dr. Joilo de Souza
Oliveira.
As 7 horas entrara o Te-Deum, sendo
orador o mui illustre padre comraendador
Manoel 3Morira da Gama.
Consistorio da confraria, 6 de junho de
1884.
Jose Ramos Oliveira Junior,
Sucretario interino.


0 Dr. Adriao
MEDICO
Continia a dar consults das 11 ats 2 horas da
tarde, em sen antigo consultorio, A rua Larga do
Rosario n. 36, 1." andar. Chamados per escripto
- uqalquer hera, na pharmacia Bartholomeu & C.


ERBSWURST

Linserwurt, Bohnenvurst
Conservas leguminosas em p6, corn tou-
cinho e fiambre,- excellent preparado para
qualquer viagem por mar ou por terra,
pars abastecimento 4e navies, tropa, etc.,
dando em poucos mementos unia refeiao
suoculenta e nutritiva.
Conserva-se em born estado per alguns
annos.
A' tratar corn
THEO. JUST
18---Pra~a do Corpo Santo---17
1. andar.
leomte & C., 50 a Rosa & Quei-oz, 50-a Manoel T.
da Costa Ribeiro, 100 a Auguste Labille.
Cobolas 20 caixas a M. Carlos Cardoso, 20 a
Fernande & Irm'ao.
Livros 1 caixa a A. D. dos Santos.
Vinagre 10 pipas e 25/5 a Baltar Irmaos & C.
Vinho 17 pipas e 15/5 a Silva Guimaries & C.,
13 e 10,5 a Souza Bastes, Amorim & C., 2 e 11/5
a Baltar Irmios & C.


Barea portugueza Claudina, entrada do Rio de
Janeiro, no dia 6 do corrente e consignado a Jose
da Silva Loyo & Filho, manifesto :
Agua de Vichy 110 volumes A ordem.
Barricas 1,100 volumes A. A. da Silva, 300 a
J. J. Castro & C., 400 a Maia & Rozende, 33 a
M. Francisco Marque & Filho. Barris 400 a Pe-
reira Pinto & C.
Cognac 50 caixas a J. V. Alves Matheus & C.
Cerveja 30 caixas A ordem.
Farello 500 saccos a Paiva Valente & C. Fio
para telephone 370 volumes ao estacionario. Fume
em folhas 15 fardos a Esnaty Rodrigues & C.
Fogos da China 50 volumes a Joaquim Imarte Si-
mocs C. Ferragens 25 volumes a Miranda &
Souza.
Genebral5 caixas a J. V. Alves Matheus & C.
Gaz-globo 50 caixas a Francisco Manoel da Silva
&C.
Laranginha 50 caixas aos mesmos.
Mercadorias diversas 2 volumes A ordem. Mo-
bilias 14 volumes a Carvalho Junior & Leite.
Pipas 200 a J. V. Alves Matheus & C. Phos-
phoros 50 caixas a Main & Rezende
Vinho 10 pipas e 50/5 a ordem, 35/5 e 10/10 a
Joao Victor Alves matheus & C.

DESPACHOS DE EXPORTAQAO
Em 6 le junho de 1884


Para o exterior
No vapor inglez Marimer, carregou
Para Liverpool, F. T. de Albuquerque 18 sac-
cos corn 1,271 kilos de cera de carnauba.
No lhigar portuguez Lusitano, carregou :
Para Lisboa, A. Bahia 498 couros salgados corn
1,928 kilos.
Para o interior
No patacho norueguense Reidar, carregou :
Para Santos, J. M. Dias 500 saccos corn 30,<,00
kilos de assucar branch.
No vapor franeez Ville de Bahia, carregoiru':
Para Santos, H Barle & C. 150 saccos corn
9,000 kilos de assucar mascavado e 50 ditos corn
3,00u ditos de dito braneo; Burle & C. 209 ditos
corn 12,540 dit lde dito mascavado e 191 ditos
corn 11,460 ditos, de dito branco.
No vapor acional Ba/dia, earregou:
Para Manaos, P. Pinto & C. 3 barris corn
2 70(k litros de aguardente ; Anmrimi Irmmos & .
50 ditos corn 4,8,00 ditos de dito ; V. da Silveira
4@ barricas corn 2,326 kilos de assucar branch.
Parao aara, J. M. Dias 560 volumes comn
31,115 kilos de assucar branch A. Fradique 200
ditoS corn 11,750 ditof de dito ; M. J. Alves 100
barricas com 6,175 ditoS de dito ; P. Pinto & C. 50
b:ris orn 4,500 litros de agvardenoat ; F. deS
Martins 320 volumes corn 19,905 kilos de assucal
;braiwo A. Cunha 171 barricas corn 4,573 ditos
'd ditoe Baltar Irmaos &- 205 d aas corn1;0


guardaada asesfiea*o feit* peta respeoti
junta, serem alforriados os eseravos constaatW-
daquella elamssiiicao de u. 1 a 47, que slo os so-"
g u in tes : .. ..
Maria, es -a de D. Clementina Cavaleante
dd Albuquer Torquata e Sebastibo, escravos
de Franklin a;-, Ribeiro Franco ; Luzia, es--
crava de D. Mn ndolina dos Santos Moraes Pi,
nheiro ; Luzia, escrava de Alfredo Rodrigues dos
Anjos; Cecilia, escrava de D. Mirandolina dos
Santos Moraes Pinheiro ; Americana, escrava de
Pedro Osorio de Cerqu,. ira ; Benedicta. escrava
d-. Manoel de Bastes Mello ; Ricarda, escrava do
Dr. Augusto de Souz Leao, administrator dos
bens deixados p)r seu finado sogro ; Francisco,
escravo de Antonio Maria Carneiro Lcao ; Bene-
dicto, eseravo do Dr. Augusto de Souza Lciao;
Emilio, eseravo de D. Rosa Alexandrina Ferreira
e Silva ; Veneeslhlo, escravo de D. Anna Barreto
do Almcida ; Valentimn, escravo de D. Luiza Ma-
ria do Sacramento Cost-. ; Brasilisa, e,.crava de
Silvestre Marques da Silva Ferrao ; Pedro, Sil-
veria e Joao, escravos de Francisco Antonio Cor-
reia Cardoso ; Thereza, escrava de Antonio Fer-
eicira Baltar Sobrinho; Franeelina, eserava de D.
Isabel Maria das Virgens ; Brigida, Fehcidade e
Frai.e.sco, escravos dol*,Dr. Luiz Salasar M. V.
Pessoa ; Hf-rculana, escrava do Dr. Affoinso de
Albuquerque MIello ; Bento, escrbvo de Sebastiao
Brges Carneiro da Cunha ; Maria e Liberalina,
escravas de Agostinho Santos & C. ; Claudino,
escravo do Augusto Octaviano de Souza. ; Ruth,
escrava dic Antonio Jos6 Pereira de Mendonca ;
Flavianaii, escrava de D.-Anna Mercina de Siquei-
ra Sales; Virissitua e Justiniano, escravos do Dr.
Pedro Affonso de Mcllo ; Elisa, escrava de Emi-
li1nm E. de M. Tamboriin ; Sebastiana, escrava
de Adolpho Targino Accioly, Antonio, eseravo de
Pedro Osorio de Corqueira ; Thercza, escrava de
D. Marianna Pires d& Souza ; Francisca, escrava
do Agrigio Jos6 da Silva ; Alexandrina, escrava
d 1) D. Marcionilli 0. da Cruz ; Fclicidade, escra-
va de D. Anna Ursula de Olivehia ; Joanna e For-
tunito, escravos de Leopoldino Cornelio Ferreira
da Silva ; Ursula e Rosa, escravas do Antonio
Augusto de B. Corrcia ; Prudhncia e Luiza, es-
cravas de Lonidas Pires Alves Joelho ; Theodo-
ra e Julia, escravas de D). Leonor Muniz do Al-
mekida.
E para que possa ter lugar o determinado no
art. 34 do regulainento quo i;,xou corn o d(creto
n. 5135 do 13 do novcmbro do 1872, se passou o
prcsente, quo seroi publica'lj pela imnprensa e affi-
xado no lugar do costume ; convidando os s.nho-
res dos suprameneionados escravos ou seus legi-
times procuradores, pnra no prazo de 30 dias,
contados depois de concluidos os trabalhos da
Sjunta, fazrern as devidas reclamacoes, se per
ventura so acharem prejudicados.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 6
de maioe de 84.
Eu Manoel do Nascimnento Pontes, escriv'o, o
j subscrevi.
Ad;lino A. de Luna Freire.
Edital n. 22
0 administrator do Consulado Provincial avisa
aos contribuintes dos impostos de decima urbana,
sobre bens de corpora cSes de muo morta e de 120
rs. per litre de vinho, vinagre e aguardente, que
na mesma rcparticio se fara a cobran a dos mes-
mos impostos, bocca do cofre, corn relacilo ao
2' semestre do exercicio correinte (1883 A 84) a
cometcar no dia 1" de junho proximo future, de-
vendo terminar no trigesimo dia util, na f6rma do
regulamento de 4 de julho do 1879.
Consulado Provincial de Pernambuco, 28 de
maio de 1884.
Franciseo A. de aCrvalho Mourn.

0 Dr. Joaquiinm da Costa Ribeiro, juiz de
direito do civel d'esta cidade do Recife, e
seu terro, capital da provincial de Per-
nambuco, por Sua ii ajgestade o Inmpera-
dor a quemn Deas guard, etc.
Fa-o saber aos que o present edital virem ou
d'elle noticia tiverein que per part do gerente da
companhi:t da estrada dc ferro do Recife a Caxang-A
per sea procurador me foi dirigida a peti~ao do
theor seguinte : Him. Exm. Sr. Dr.juiz de direi-
to do civel. 0 gerente da companhia da estrada
de berro doRecife a Cax&ngH, vein declarar V. Exo.
que-estando teita a desapropria9o do terrenc e
casas do Manguinho pertcnccnte eos herdeiros do
fallecido Manoel Pinto de Souza c depositado o
product, digne-so na forma da lei, mandar affixar
edital per i5 aias para que cliegue ao conhe-
cimento dos herheiros ausentes, a Fazenda Pro-
vincial e Geral ou a qualquer outro credor, que
0sse product sera entregue per este juizo a quern
dircito tivor mostrando-se dividamente habilitado.
O product depositado e 6:000 000, e a desapro-
priacao livre de imposto. Pede V. Exc. defori-
mento, scndo intimauao acostada aos autos de-
511 kilos de sebo e 5 dias corn 850 ditos de car-
vio animal.
Para Maranhao, M. A. Senna & C. 3' barricas'
corn 1,881 kiios de assucar refinado ; F. J. de
Barros Junior 40 ditas corn 1,3o5 ditos de dito
mascavado e 30 ditas comn 1,455 ditos de dito
branco.


No hiatc national Adelina, carregon:
Para Macao, F. J. de Barros Junior 5 barris
corn 450 litros de aguardente e 4 barricas corn 385
kilos de assucar mascavado.
No hiate national Joao Valle, carregou :
Para Mossor6, F. J. de Barros Junior 14 volu-
mes corn 1,135 kilos de assucar mascavado e 6
ditos corn 301 ditos de dito branco.
Na barcaca Aurora de Macdo, carragou :
Para Mossor6, E. C. Beltrao & Irmao 30 barri-
cas corn 1,654 kilos de assucar branco.
Na barcaca Cacique, carregou :
Para o Natal, E. C. Beltrao & Irmao 11 barri-
cas com 594 kilos de assucar refinado.
Na barcaqa F. Sociedade, carrego :
Para o Natal, E. C. Beltrao & Irmao 44 barri-
cas corn 2,422 kilos de assucar mascavado e 2i2
pipas comrn 480 litros de aguardente.

MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 7
Cabo Verde==26 dias, brigue Sueco Fingal,
de 280 teneladas, equipagem 10, capi-
tAo Johan Nordlander, carga sal, 4 Her-
mann Lundgren & C.
Pelotas 23 dias, lugar nocional Tigre, de
232 toneladas, equipagem 10. capitio
Francisco Dias Costa, carga charque, a
Balthar Oliveira & C..
Sahidos no mnesmno dia
Manaos por escalas Vapor national Bo-
hia, commandant Aureliano Izaac, car-
ga varies generous.
Rocas por Fernando de Nor.onha-Bri-
gue escuna Tonelero, commandant o ca-
pita'o Francisco Jos6 Antonio Silva Gui-
marles, carga muniqoes de guerra.
Andorras (na!Amnerica) Barca ingleza Belle
Flower, capitio Peter Kier, emlastro.
Liverpool Vapor inglez Mariner, com-
mandante J. F. Newill, carga varies ge-
neros.
Guam Patacho Dinamarquez Amior, ca-.
pitAo Eduard Jesen, em lastro.


Ville de
Araucai
,lbe
Rosario
Pard
Author:
Guadiaw
TMnaro
.Marinko


VAPORS ESMERADOS
Victoria do sul
ia da Europa
da Europa.
da Bahia
do norte
da Europa
a do Rio de Janeiro
do sul
Visconde da Bahia
Satao 'do sul. : .
Mapa/a do sul


amanha
amanh]
awanahi
a 10
a 10
a 11
a 14
a 14


1~




4


'. '












. '.. -
"'- ir-?5


; ,;l -


-,x

** <

"'*'
"/ ,


.:f
::'2i



















idom.


mento comrkwr I d to etcicio 188,2.--l
id= froaima do Recife 8. $os6, q9W
_4ejwrcsnde pagar o mosmm impotnotm-
com etmpte declara aos mleafOecw oitri-
b e que theslca mareadooprazo d&30
dias, a contardii d pzdimaco do jpresente
edital, na conformidade do disposto no art.
53 da lei n. 891, para recolherem a impor-
tancia de seus debitos ao Conszdado Pro-
1ial, certos de que, findo o referido
raso e s procederd a cobranga executiva-
wente.
Recife, 19 de maio de 1884.
)0 procurador dos feitos,
J. Jo&o Francisco Teixeira.
Relago dos devedores ao imposto de 55000
I por cada estabelecimento commercial,
S quo doverlo de pagar no competent
tempo e que vai para juizo no nim do
S praso da lei, do exericiio do 1883 a
1884.
Freguezia de S. Jose
S Coronel Suassuna. 180. Antonio Leito da Silva
Rosa.
Marquez do Herval n. 160. Aminancio Jose da Fon-
to Braga.
Vidal de Nicgreiros n. 32. Antonio Moreira Ro-
drigues & C.
S Dita n. 40. Antonio Gomes Silva.
Dita n. 3. Antonio Nunes &. C.
-- Dita n. 149. Azevedo Lages & C.
Assumpgao n. 6 A. Antonio Duarte Correia.
Nogueira n. 1. Antonio Martins Gomes.
- Forte n. 35. Azevedo %, C.
S S. Jos6 n. 2. Almeida Rabello & C.
Dita n. 22. Alexandrina Maria da Conceicao.
Nova de Santa Rita n. 7. Affonso Ferreira & C.
Imperial n. 164. Antonio da Silva Netto.
S Dita n. 55 C. Adoipho Martins dos Santos.
Dita n. 107. Augusto Gomes da Silva.
Dita n. 299. Antonio J. F. Silva.
Travessa do Cunha n. 1. Augusto Manta.
Coronel Suassuna n. 119. Bellarmino Loureneo da
Silva.
Santa Rita n. 1. Barbosa Irmano & C.
Coronel Suassuna n. 258. -Carneiro & Souza (on
Rocha & C.)
Imperial n. 324. Candido Thiaggo da Costa Mello.
Dita n. 293. Custodio Martins Pinto & C.
Ilha dos Coqueiros. Constantino Ramos do Espi-
rito-Santo.
Vidal de Negreiros n. 3. Heliodoro Tiburcio de S.
Varejao.
Assumpcao n. 44. Francisco de Salles Teixeira.
Travessa do Peixoto n. 30. Farias & C.
Santa Rita n. 51. Figneiredo & Cardoso.
Nova de Santa Rita n. 1. Felisbcrto de Mcdeiros
Barbosa.
Dita n. 15. Francisco de Araujo Cesar.
Dita n. 17. Ferreira Coelho tU.
Dita n. 19. Ferreira da Silva.
Dita n. 43. Francisco Avila de Mendonaa.
Dita n. 1. Felix Pereira & C.
Dita n. 155. Francisco Xavier de Carvallio.
Dita n. 225. Felix Valois da Silva.
Dita n. 182. Francisco Jose de Carvalho.
Santa Rita n. 83. Genuino Jose da Rosa.
Vidal de Negreiros n. 21. Ignacio Bento Loyola.
Marcilio Dias n. 104. Jovino Vital.
Dita n. 93. Joaquim Jorge de F. Bastos.
Dita n. 99. Joventino dos Santos Silva.
Dita n. 113. Joao de Souza Pereira.
Marquez do Herval n. 68. Jose Antonio do Mon-
te.
Dita n, 170. Joao Joss Malaquias.
Dita n. 141. Joaquimrn Alves da Silva Junior.
24 de Maio n. 38. Jose Manoel Ferreira Guima-
raes.
Vidal de Negreiros n. 16. Joio Rufino Barbosa
&C.
Dita n. 30. Jose Pereira da Silva.
Dita n. 86. Joao Marques Pinho.
Dita n. 7. Joventino dos Santos Lima.
Dita n. 93. Joaiquim Angusto Guimaraes.
Dita n. 155. J3'ao B. Boaventura R. de Almeida.
Antonio Henrique n. 20. Joaquim Mendes Perei-
ra da Costa.
Santa Rita n. 50. Jose Antonio da Cesta.
Largo do Mercado n. 11. Joaquim Jesu Goncalves
Guimaraes.
Nova de Santa Rita n. 5. Joaquim Rodrigucs
Amorim.
Dita n. 9 A. Jo.ao Antonio Siqucira Lima.
Imperial n. 72. Jos6 Alves da Cruz.
Jin becco da run do Santa Rita n. 1. Joao da Costa
Januario.
Imperial n. 102. Jose -omes de Oliveira.
Dita a. 110. Joaquim Gomes Ferreira SA Lei-

-Dita n. 152. Jose Jorge de Azevedo.
Dita n. 158. Jeronymo da Silva Netto.
Dita n. 200. Jose Emilio Ferreh'a Lima.
-"' Dita n. 334. J. Alves M. V. Castollo Branco
(V).
Pita D 299. Juvmao de Carvalho Cavalcante.
Nova de Santa Rita ns. 49 e 50. Jose Ignacio
d'Avilla.


Imperial -. 229. Luiz Martins da Costa.
Dita n. 128. Lourengo Ferreira BrandAo.
Marcilio Dias n. 127. Marcos Gomes da Silva.
Coronel Lamenha n. 296. Manoel Pereira da Sil-
va (ou Jose L. Pereira Mello & C.)
S. Joio n. 5. Manoel Rodrigues Machado.
Marquez do Herval n. 207. Miguel dos Anjos Pe-
reira.
Travessa do Poucinho n. 57. Manoel Pires Agra.
Vidal de Negreiros n. 6. Maria Lucas Evange-
lista.
Dita n. 20. Manoel dos Santos Falcao.
Dita n. 152. Manoel Antonio Pinheiro.
Dita n. 151. Manoel Antonio da Silva Moreira.
Imperial ns. 140 e 142. Mario Jes6 Pereira Re-
sado.
Dita u. 254. Manoel Tavares de Mello.
Dita n. 115. Manoel da Motta Snm5oes.
Dita n. 151. Manoel Francisco de Souza Lima.
Dita n. 167. Martins Irmlo (viuva).
Ditan. 231. Manool Fiuza & C.
Dita n. 275. Manoel SimSes da Motta.
Nova de Santa Rita n. 3. Manoel Rodirigues de
Amorim.
Coronel Lamenha n. 106. Paulino Avelino dos
Santeos.
Marquez do Herval n. 114. Pedro Ratis (viuva)
Vidal de Negreiros n. 36. Pauline Barbosa de Si-
queira.
Dita n. 11. Pereira & '.
SLargo do Mercado n. 7. Roeha & Guimaries.
Marcilio Dias n. 139. Theodomino dos Santos
Silva.
S Imperial n. 94. Thomaz Antonio Coimbra.
Marquez do Herval n. 143. Vicente Ferreira de
Souza Rios.
S'1 ~Boa-Vista


Buaa da Imperatriz n. 2. Antonio Ferreira Guedes.
Dita'n. 54. Augusto Pastoril.
Dita n. 72. Alfredo Lopes w C.
Dita n. 80. Americo aJos6 dos Santos.
Dita n. 82 Antonio Vieente da Silva.
Pita a. 1. Agripino Deocleeiano Branco.
a n. 37. Antonio de Oliveira C.
'Pita a. 53. Antouio Mx*o do Siqueima.
- Vfts n. 65. Antonio Augasto nemos & C.
jt a. 47. Antonio j deo Sant'Anna.

1YpondeSde 85. A ntoCnio ran -
das'


e 7ibebn,42.,as W ,Mut
de
Twtespa do oel1os n Candid, o Thbiao Pe
-rairatluDoi*
Jmpaeatriz in. 58. D.amre & ?orois %
6,neij 24'. Darte Antonio de Mirai~4s.
Ponte Velhan. 77. Domiaggs' oialvesVilla-
SVerde. : .
Socegon. 70. Domingo. Pinto da Xatta.
Inperatris n. 63. Eiy dio Antonio da Rocha ou
JouR R. Suto.
Dita n. 78. EUias Avelino de Barros.
Coelhos n. 12. Ermygdio Serrat & ou JosX M. de
Almeida.
Coronel Lamenha n. 50. Emiliana Josephina da
Cunha.
Imperatriz n. 21. Ferreira & C.
Dita n. 45. Frederico Chaves Nogueira.
Dita n. 63. Francisco Rodrigues dos Santos Ju-
nior.
Condo da Boa-Vista n. 26. Figueiredo Santos
&C.
Coelhos n. 26. Francisco Gonqalve& da Costa.
Imperatriz n. 30. Gomes -oimbra & C.
Dita n. 84 A. Henrique Honorat, Miranda.
Dita n. 4. Ignacio Barbosa de Mallo.
Travessa das Barreiras n. 10. Ildefonso Martins.
Ruia A. Lima n. 10. Isabel Emilia Ferreira Soa-
res.
Imperatriz n. 10. Julio Ferreira da Costa Porte.
Dita n. 12. Jos" Carneiro da Silva.
Dita n. 16. Jacome & C.
Dita n. 26. Josg Gomes Ganches.
Dita n. 52. Joio Francisco Paredes Porto.
Dita n. 70. Joao Claudio Martins Pernambuco.
Dita n. 74. Joaquim Francisco das Chagas e Silva.
Dita n. 13. Josd Maria G. Vicira Guimariles.
Dita ns. 69 e 71. J. Kirchofer.
Praca do Conic d'Eu n. 8. Joss Anton'o Ferreira
Porto.
Dita n. 32. Jose Martins de Almeida & C.
Dita n. 3. Jose Maria Gomes da Silva.
Rna da Coneeigio n. 6. Joaquim Coelho Netto.
Dita n. 6 A. Jose Pinto' de Souza.
Visconde de Pelotas n. 4. Joao Francisco Nevcs.
Dita n. 17. Joaquimi Antonio Lopes Goines.
Visconde Albuquerque n. 2 A. Joao Framncisco do
Souza.
Condo da Boa-Vista n. 15. Joaquim Jacintlio de
Abrou e Mello.
Dita n. 105. Jos de Mello eSilva.
I)ita n. 139' A. Joss do Souz'a Almeida.
Hospicio n. 57. Jose Rodnrigucs Lim:t.
Dita n. 59. Jose Luiz Salgado.
Rosario n. 57. Jose Alves da Silva.
Dita n. 45. Joss Luiz Alvcs Villela.
Gervasio Pires n. 16. Joaquim Silva Villela.
Dita n. 49. Joaquim Francisco Silva Rodrigucs
& C.
Socego n. 31. Joaquim Pires Agra.
Principe n. 22. Jo:io Machado Soares Junior.
Dita n. 1. Joaquim Gonmialves Villa-Verde.
Santa Cruz n. 3. Jose Francisco Figueiredo.
Dita n. 11. -Justino Gomes de Almeida.
Nymphas n. 22. Joss de Souza Pereira Brito.
Visconde de Goyanna n. 24. Jose Dominigos Dins.
Fernandes Vieira n. 70. Joao Machado Soa'es.
Joao de Barros n. 1 C. Jacintlio Hora Pinto.
A. Limna v. 72. Jose Joaquim Souza Motta.
Largo de Santo Amaro n. 8. Joss Joaquim Ra-
bello.
Rua de Luiz do Rego n. 16 A. Jose Ignacio dc
Val.
Ribeira n. 3. Justino Gomnes de Almeida.
Dita ns. 4 e 6. Luizs Franca Marques.
Imnperatriz n. 14 M:aria Wanderley Fontoura
Lourciro.
D)ita n. 44 Manoel Marques.
D)ita n. 49). Manmel Antonio Percira.
Prac:i do Conde d'Eu ni. 11. Manoel (Gomncs Silva.
Rua do Visconde Albuquerque n. 2. Manoel Joa-
quirm Raphael.
Ponte Vlhlia n. 46. Mangel & C.
Pateo do Santa Cruz n. 1. MaNioel Joaquim Freire.
Run do Conde da Boa-Vista n. 57. Mauinoel Can-
dido df Albuquerque.
Dita n. 77 A. Manozal Paulo de Albuquerque.
Dita n. 35. Manoel Joaquim de Almeida.
G.nrvasio Pircs n. 40. Manoel Antonio Gomeis.
Dita n. 40 A. 0 mesmo.
Dita n. 53. Manoel Martins Loureno.
Dita n. 135. Manoel Az-vedo Cruz.
Conceicao n. 17. Manoel Ribeiro Gomes.
Socego n. 33. Manoel Ferreira Braga.
Soledade n. 4. Manoel Jorge de Souza.
Visconde do Goyanna n. 63. Manoel Nunes da
Silva.
Pombal n. 11. Manoel Antonio Pereira.
Fundicao n. 4. Manoel da Silva Rds.
Luiz do Rogo n. 38. 0 mesmo.
Dita n. 40 F. Manoel Alves Lepes.
Imperatriz n. 60. Odilon Duarte & Irmmao.
Dita n. 35. Otto Sohimiia.
Paysandt n. 1. Pedro.
Socego n. 62. Pedro Manoel da Trindade.
Travessa do Princips n. 10. Rocha & Carvalio.
Rua de Camarbo n. 17 A. Symphronio Olympio
de Queiroga.
Visconde de Pelotas n. 43. Traiano Souza Bar-
boss.
Condo d'Eu n. 11 A. Vicente Ferruira Neves.
Dita n. 13. Victorino Gomes de Oliveira.
Soledade n 46 A. Verissimo Marques & C.
Seocio do Contencioso do Thesouro Provincial,
17 de maio de 1884


0 1." official,
Manoel do NVasciwmento Silva Bcwastos.


Alfandega de Pernam-

buco
Editai numero 60
De ordem do hIllm. Sr. inspector se faz publiio
que esta Alfandega precisando contratar o fome-
eimento dos objects e mais artigos necessarios
para o expedient das seces e serving da guar-
da-moria, durante o faturo oxercicio de 1884-85,
recebera propostas em cartas fechadas, organisa-
das de aceordo corn a relaco abaixo transcript,
corn declara*o dos pregos de cada artigo, atW o
dia 21 do corrente, As 11 heras da manhi, as
quaes serlo abertas A vista dos proponents eppre-
feridas Aquellas que maiores vantagths offere-
cerem :
Azeite de peixe, litro.
Dito de coco, idem.
Dito de carrapato, idem.
Ancorotes de ferro, kilogramma.
Alcatrio da Suecia, litro.
Brim da Russia, metro.
Brinzao da Russia, idem.
Bandeira de dous pannos, uma.
Oita de tires ditos, idem.
Chumbo em pasta, kilogramma.
Cabo de linho, idem.
Dito de manila, idem.
Dito de cairo, idem.
Correntes de ferro, idem.
Croques galvanisados, urn.
Ditos maiores, id im.
Cadernaes bronzeados, Om,0275.
Cadernaes cylindrieos, idem.
Estopa do linho americana, kilogromma.
Dita da terra, idem.
Vita branca de algodao, idem.
Pios de algodao, idem.
Ditos de vile ingleza, idem.
Folha de metal par forro, idem.
Filetes de todasas ores, metro.-
Forquetas galvanisadas, una.
Kerosene, lata.
Linha alcatroada, kilogramma.
Dita. b!aea, idem. :..
Loua inglaza, metro.
Keio de SiiuMio ,-i .1, 1m.
Moarlim, kiloigr, ima.
Moit.es bxuaseMad,9 )M,2 5' -
Mli+Ax @vn enwie r.1ew.-1


Oer,:;1 i N1Pra o expediente
Papel azul, branco, rosado, liso on pautado, resma
Diw cor6a, minatro epaa ofcios, cadernos,
Pito de linbho azl, brafao, liso ou pautado,, resma.
Tiata preta *a, ct*mim, extrafina on encarndads,
boiao eou vidro.
Canivetes finos, raspadeiras e regoas de madeira,

Papcl matta-borrgo, folha.
P'nnas americanasi; Mallat'bu Perry, caixa.
Lapis de borracha e deduas cores, de Faber,
duzia.
Livhros em branch de qualquer qualidade, pauta-
dos, lisos, riscados a iiuterados, do 50 A 200 fo-
lhas, encadernados de papel, panno ou couro,
un.
Fina.mente todos os mais artigos necessarios
para o expediente, como sejam : canetas, presi-
lhas, lacre, etc., etc., cada artigo.
3' secco, 6 de juunho de 84. -0 inspector,
Cicero B. de Mello.

Edital n.61
Huarta praA
De ordem do lllm. Sr. inspector, se faz public
que as 11 horas do dian 10 do corrente mez serA
vendila em leilNo, no trapiehe Conceiao, a mer-
cadoria abaixo declarada, a saber:
Armnnazem n. 3
Marca DSP, 2 caixas ns. 71 e 72, vindas de
Ihamburgo no vapor allemao Ceard, descarrega-
das no 10 de abril ultimo, contend 500 kilogram-
mas de cartazes de annuncios, abandanadas aos
dircitos por J. Sabino Pinho.
Tcrceira secao da Alfandega de Pernamnbu-
co, 6 de junho de 1884.
0 chefe,
Cicero Brasileiro de Mello.
Edital n. .9
Faqo public que no dia 11 do corrente ir-ai
praea, perante a junta deste Thesouro, o forneci-
i:nt, dde alimeaitacao aos press pobrcs da casa
do dctencao, rulativo ao trimestro proximo future
de jalho A setembro, servindo de base a diaria
die 4M) rs.
Sccretaria do Thesouro Provineial de Pernam -
buco, ( de junho de 84.-Servindo de secretario,
Lindolpho Campello.
2' secao. Secretaria da presideneia de Per-
rainhuco, 4 de junho de 1881. De ordemin do
Exin. Sr. desembargador president da provincia,
o em observancia ao disposto no art. 1 1'do
decreto n. 4668 de 5 de janeiro de 1871, fago pu-
blico que ao provimento dos officios de tabelliao,
escrivlo do crime, civel c annexes do termo de
T"aquaretinga, coneorreram os Srs. tenente Gui-
lierine Duque Bezerra, no prazo legal, e JoIo
Barbosa de Souza, f6ra do referido prazo.
0 secretario, -
Joao A. de Albuquerque Maranhao


DECLARACOES


Conselho de compras da reparti-

ao de mariha
Supprimento de viveres, sobresalentes e ma-
teriaes aos navios de guerra funcleados
no porto desta capital e as depenlencias
d'esta Arsenal.
De ordem do Exm. Sr. cliehfe de divisIo Jose
Manoel Picanco da Costa, inspector deste Ar.mnal
e c.ipito do p)rto d'esta provincial, tac public
qiie no dia 16 do corrente mez, as lmlortdina-
iIlmI, so contracts em conseHio, Vista deNnp is -
tas apresentadas em carts fechadas, per tpmpo
de 6 mezes, A contar de julho a dezembro vindou-
ro, o supprimento de viveres, sobresalentes e ma-
teriaes aos navios de guerra fancldeados no porto
desta capital, e a3 dependeneias d'este Arsenal.
As amostras deverao ser apresentadas atW a vc.-
porn do dia em que tern da se reunir o conselho.
Oi objects a contractar-se sao os seguintes:
Vlveres
Arroz, kilo.
Assucar branco refinado, idem.
Assucar grosso refinado, idem.
Aguardente, litro.
Azeite doce para comida, idem.
Aletria, kilo.
Araruta, idem.
Boi vivo, inclusive o past, urn,
Bacalhbo, kilo.
Bolacha, idem.
B itatas, idem.
Came verde, idem.
Carne secca, idem.
Cafe em grAo, idem.
CafW moido, idem.
ChA verde, idem.
Chlv preto, idem.
Cangicalidem.
Couserva, frasco, um.
Doce, kilo
Farinha de mandioca, litro.
Farinha de Lisboa onu Santos, litro.
Feijaio preto oun mulatinho, idenm.
Gallinlia, unia.
Manteiga ingleza, kilo.
Manteiga franceza, idem.
Mate, idem.
Milho, idem.
Plo, idem.
8al, litro.
Tapioca, kilo.
Vinagre de Lisboa, litro.
Vinho do Porto, idem.
Vinho de Lisboa, idem.


Abaatecimento do alm<
Alvaiade de zinco. kilo.
Alvaiade de chumbo, idem.
Azul ultramar, idem.
Agua-raz, idem.
Arame de cobre, idem.
Arame de ferro, idem.
Arame de latao, idem.
Ago batido, idem.
Ago em vergas, idem.
A9o fundido em vargo, SS, idem.
Ago em barra, idem.
AVo fundido, SS, idem.
Arco de pio, urn.
Arco de ferro, kilo.
Arrebem, idem.
Azeite de caco, litro.
Azeite de peixe, idem.
Azeite para luz, idem.
Alcatrao, idem.
Amarello francez, kilo.
Acido muristico, idem.
Almagre, idem.
Alirabas de ferro, uma.
Aldrabas do metal smarello, idem.
Almotolia de ferro, idem.
Arco de o pa ra barrio, eento.
Argolas de metal, um8a.
Agu.ha para long, idem.
Agulh-, para brim, idem.
Bandeira&n iwnal deo23 48 e
Brooha para waiSS idem.
Breu, kilo.
Brocha pama pintarjuiwa.


>xarlfadeo


7 pannos, uma.


cli iUe ifigboa, idem.
MClaiubo'em 1dnolkilo..
Chumbo em barra, idem.
imento, barrica, uma.
CuUa4a Bahba, kilo.
Cobre em varoi idem.-
Cobre em tolha, idem.
Cobre em leneol, idem.
Corrente de- ferro, idem.
CrA, idem.
Correia de,sola dobrada, metro.
Correia de sola singela, idem.
Craves de ferro, cento.
( amisola, uma.
Cora amarella em pao, kilo.
Ccra preta, idem.
Canos de chumbo, idem.
Caibros de qualidades, um.
Caldeirlo do ferro estanhado, urn.
Cobertores de 1o, idem.
Colchoes de palha, [idem.
Conches parsa cozinha.
Calarola de ferro, idem.
Chaleira de ferro, idem.
Cadinho de lapes, urn.
Cutellos, urn.
Canecos de pAo, idem.
Comncha de balaga, par.
Cdejr em archote, kilo.
CUra em vellas, idem.
Cardenaes bronzeados, SS, urn.
Carretel de barquinha, idem
Cadeira corn assento de palhinha, urna.
Caixa de guerra corn vaquetas, idem.
Correia para caixa de guerra, idem.
Denal de repacho, urn.
D)obradigas de ferro, urn.
D bradicas de metal, idem.
Euchada, uma.
Espirito de vinho, litro.
E.-cova ingleza, uma.
Escova d e arame, idem.
Estopa de linho, kilo.
Estopa de algodilo, idem.
Ebtopa da terra, idem.
Estanho em vergas, idem.
Espumadeira de folha, uma.
Esmeril em p6, kilo.
Eicarradeira de ferro, uma.
Escarradeira de folha, idem.
Ferro inglez em varao, kilo.
Ferro inglez em barra, idem.
Ferro inglez em lenool, idem.
Ferro ingle z em cantoneira, idem.
Ferro inglez Loumoar em varmo, idem.
Ferro inglez Loumoar em barra, idem.
Ferro inglez Loumoar em leneol, idem.
Ftrro da Suecia em barra, idem.
Ferro guza. idem.
Ferro inglez em varao redondo SS, idem.
Ferro inglez em varao quadrado, lden.
Ferro da Sueasia em varao redondo, idem.
Ferro proprio para grelhas, idem.
Fechadura de terro, uma,
Fechadura de metal amarello, iHem.
Folles SS, uam.
Folha de Flanderes, kilo.
Ferrolhos de metal amarello, urn.
Ferrolhos de. ferro SS, idem.
Faca para;, cosinba, uma.
Ftnil de folha, umrn
Fio de vela, kilo.
Fio de algodao, idem.
Flamulas para escaler, uma.
Flamulas para navio, idem.
Fileuile SS, metro.
Graxa do Rio Grande do Sul, kilo.
Gomma laca,lidem.
Gachete patente, idem-
Goiva, uma.
Grisete de falha,'idem.
Gatos corn sapatilhos. urn.
Gatos do tornel, idem.
Globos de vidro, idem.
Oarfus de forr, idem.
Hostia, uma.
Lixa de vidro, folha.
Lixa esmeril, idem.
Lona da Russia, metro.
Lona inglez, idem.
Lona national, idem.
Linha alcatreada, kilo.
Linha de barra, idem.
Lanterna patente, urea.
Limas de ago, idem.
Limatues, urn.
Latio em leneol, kilo.
Liame de sicupira, urn.
Leaves curvos de sicupira, idem.
LampeSes de cupulas, idem.
Lampeoes redendos, idem.
LampeSes de rede e vidro, idem.
LampeSes de vistas, idem.
Merlim, kilo.
Metal em folha idem.
Mialhar branco para gacheta, idem.
Machado, um.
Moinho para cafe, idem.
Medidas metricas de folha, terno.
Moitoes bronzeados, urn.
Mochos corn assentos de palhinha, idem.
Navalba para marinheiro, urea.
Oiro cmn pio, livro.


SO;re, kilo.
Olo.o de linhaqa, idein.
OlCidos prra mesa, metro.
Oculos de alcance, unm.
Painellas de folha, uma.
Plasadeiras, uma.
Pat-seas do pbo SS, um
Pinceis escopciros, um
lPharocs corn os topes, idem.
Pannos para mesa, metro.
Pcdras de amo!ar, uma.
Pias de ferro, idem.
Pos preto, kilo.
Poa do quiri, urn.
Pelle de marroquim, uma.
Peneira de arame SS, idem.
Phosphoros de seguranga, duzia.
Pucaro de folha, urn.
Prato de folha (travessa) idem.
Prato redondo de folha, idem.
Piassava, kilo.
Pavios para lampeoes, idem.
Pelle de carneiro preparada, uma.
Parafusos de ferro SS, um.
Parafuso de metal amarello SS, urn.
Pregos de cobre ripal, kilo.
Pregos de cobre de costado, idem.
Pregos dc ferro ripal, milheiro.
Pregos de cobre para forros, kilo.
Pregos de ferro de batel grande, milheiro.
Pregos de ferro de batel pequeno, idem.
Pregos de ferro de guarniAo, milheiro.
Pregos de estopares, kilo.
Pregos de ferro cabraes, kilo.
Pregos francezes, idem.
Pregos de ferro de soalho, cento.
Pregos de eabeca do porcelana, urn.
Pregos de dourada, idem.
Rembs de fain SS, idem.
Rebollos, jidem.
Raspas de ferro, uma.
Rabites, kilo.
Ratoeiras, uma.
celogios, Um.

Sola da terra, meio.
Sel ingleza, kilo.
Saccos de lons, am.
acee"o d eodnceao. idem.


t tnMa.
lot.


UML


ki'lo .1: ;3

I. 1? 41-^;


Torneoae de metal, uma.
Toros de jenipabo, um.
Taxas de cobre, kilo.
Taxam de ferro, rnilheiro.
Tinta branca de zineo, kilo.
Tinta preta preparada, idem.
Tinta azul preparada, idem.
Taboa de cedro lpara forro, urma.
Taboa de cedro de 0,025, idem.
Taboa de cedro de 0,019, idem.
Taboa de louro para assoalho, idem.
Ta boa de pao carga dii 0,013, idem.
Taboa de pAo carga, de 0,025, idem.
Taboa de pAo earga de 0,037, idem.
Taboa de pao costado, idem.
Taboa de pao costadinho, idem.
Taboa de amarello para forro, idem.
Taboa de amarello de 0,025, idem.
Taboa de amarello de 0,019, idem.
Taboa de amarello de 0,037, idem.
Taboa de amarello de eostado, idem.
Tahoa de amarello de costadinho, idem.
Taboa de pinho da Suecia de 0,019, idem.
Taboa de pinho da Suecia de 0,025, idem.
Taboa de pinho da Suecia de 0,035, idem.
Taboa de pinho da Suecia de 0,075, idem.
Taboa de louro para forro, idem.
Taboa de pao carga de 0,019, idem.
Tahoa de pinho da Suecia de 0,037, idem.
Taboa de pinho da Suecia de 0,050, idem.
Toros de janipabeiro de 2,64 a 3,30 deo compri-
mento e de 0,55 ai 0,65 do diametro no topo
mais grosso e que nao tenham nos, urn.
Varas para can6a, uma.
Verde inglez, kilo.
Vidros de vidraca brancos e de cores, urn.
Vidro olho de boi, ldem.
Vista de ossos, uma.
Vistas de madreperola, idem.
Vassouras de piassaiva, urn.
Vergontea de pinho, idem.
Veruiz copal, kilo.
Vermelhao da China, idem.
Verde francez, idem.
Vcrniz de coartar, idem.
Zarcao, kilo.
Zinco em folha, idem.
Condicocs
1l Todos os artigos senru'o de primeira quali-
I'dade.
2" Serbo entregucs peloz fornecedores 11as por-
ues que lHie toremn pcdidas pel, ahuoxarifado c
polos navios de gucrra, no pr;izo de trcz dias con-
tados da data em que os pedidos forem despacha-
dos pelo Exm. Sr. inspector.
3" Os generous ficarbo sujeitos a approvaio ou
reprovagao do perito que foi designtdo para exa
minal-os.
4" Os fornecedorcs pagarIo as multas de dez
por cento do valor dos generos no caso de demora
nas entregas e de vinte por cento no de falta do
ontrega, ou reicj'o por mai qualidade, indemnizan
do neste caso a fazzenda national da differenca qu3
se der entire os precos ajus-tados e os por que forem
comprados os generous nao fornecidos ou rejeitados:
salvo se estcs form immediatamente substituidos
por outras da qiualidade contractada.
515a 0 pagamnmto da importancia dos forueci-
micntos sern feito pela Thesouraria de Fazenda a
vista dos documents que obtiverem os fornece-
doeres, e depois de satisfeito o scllo proporcionial.
6a Conformc o aviso circular do ministerio da
marinha n. 172 de 28 de janeiro do corrente anno
o fornecedor fiearA sujeito a mais sessenta dias de
suppnrmento, alum do praso estipulado no contrac-
to, sein que esta circumstancia he di direito a
prorogacao do ajuste.
ObservaSces
la Nenhuma proposta sera recebida sem que o
oponente d'ella declare por cxtenso, sem claro
algum emenda, entire linha ou rasura, o preco de
cada genero.
21 Nao sera aceita proposta sem que o nego-
ciante declare que se sujeita ao pagamento da
multa de cinco por cento do valor provavel 'lo for-
necimento durante o prazo para que e este annun-
ciado, so nao comparecer n'esta secretaria para as-
signar o contract, no prazo de trez dias, conta-
dos d'aquelle era que for notificado pela imprensa,
cmo determine o aviso de 28 de dezembro de
1874.
3" Ponfome o recommendado em aviso de 11 de
maio de 1880 nao serio admittidas as propostam
dos negociantes ou firmas sociaes que nao apre-
sentarem os documents seguiutes:
Certidao da matricula da junta commercial.
Bilhete de pagamento do imposto de industrial
no ultimo semostre.
Certidao de contracto social exhibido do regis-
tro da junta commercial.
4a Nenhuma proposta serb recebida depois do
dia e hora designados neste annuncio.
5a Os proponents aprescntario os documents
exigidos pelo aviso de 11 de maio acima referido
trez di.as antes do prazo marcado pama o reeebi-
monto das propostas pars a necessama verificacao.
Spcrctaria da inspecvao do Arsenal de Marinha
de Pernambuco 4 do junho de 1884.
0 Secretario.
Antonio da Silva Azevcdo.

Hospital Portuuguez de Be-
neficencia
Assembldc geral


De novo sao convidados todos os Srs. socios
desta beu;-merita instituifrio a reunirem-se na se-
crctaria dleste hospital, qii:ita-feira 12 do corren-
te :Ais 11 horns da manhl, afirm de ouvirem a lei-
tura do relatorio da junta adininistrativa, referen-
te ao annio de 1883.
S Outro sirn, cm acto continue sera dadaat posse
A nova junta ultimaincite ecleita.
Secretziria do Hospital Portuguez de Benefi-
cencia cm P crnamnbuco. 7 de junlio de 1881.
Alvtro B Dias Ferreira,
23 secretario.

Santa Casa de MLisericordia do
Recife
A Illma. junta administrative da Santa Casa
de Misericordia do Recife, na sala de suas sess5es
pelas 3 horns da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas para o fornecimento des gcneros
abaixo declarados, que forem precisos para os es-
tabelecimentos a seu cargo, a saber : Hospital Pe-
dro II, Hospital dos Lazaros, Casa dos Expostos,
Asylo de Mendicidade, Hospicio de Alienados na
Tamarineira e Collegio das Orphas em Olinda, na
trimestre de julho a setembro do corrente anno :
Aletria, kilo.
Arroz, idem.
Aguardente, litro.
Azeite de oliveira, idem
Araruta, kilo.
Bacalhio, idem.
Banha de porco, idem.
Batatas, idem.
Chi Hysson, idem.
Cafe em grjo, idem.
Carne secca, idem.
Cebolas, cento.
Farinha de mandioca da terra, litro.
FeijAo, idem.
Famo do Rio, kdlo.
Gaz, lata.
Milho, kilo.
Manteiga franceza, idem.
Potassa, idem.
Rap6, idem.
Sabao, idem.
Sal, litro.
Tapioca, kilo.
Toneinho, idem.
Velas de arnafiba, idem.
Ditas stearinas, idem.
Vinhotinto, idem
Pito bmaaco, idem,
Dito do Poros ideom.
Parollo sacma
I s doew Bfowem, carts fochadas,
Ss- adw7 indicando ofiado e obri-
,g*'do-86 0 eteai#Na multa, de' 5 O
i vje am ota" orop
4.,0w~lMtotia
doKeA05 e u


dos LazaYos, Ciwa dos Eipostosp, Asy-to4*1 1w
ci ade, Hospieio dos Alibnados, na Tam
e Collegio das Orphbs, em Olinda, no :truas 4
julho a setembro do corrente anoo. :
As propostas deverto ser em cartas fechadas.
devidamente selladas, indieando o fiador e obri-,
gando-se o arrematante a pagar a multa de 5 0/0f
sobre o valor total do fornecimento, se no praso
de 3 dias nao vier assignar o competent termo.
Secretaria da Santa Casa do -Misericordia do
Recife, 5 de junho dc 1884.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa de Mliseric" ardia do
Ileelle
A.' Illma. junta ahninistrativa a Santa Casa
de Misericordia do Recife, na slah das sunais ses-
soes, pelas 3 horns da tarde do dia 17 do cerren-
te, recebe propostas para o fornecimenuto de assu-
car, sendo de la, 2a e 3a sorts e turbinados, que
for neccssario para os cstabelecimentos A sen car-
go : Hospital Pedro II, Hospital dos Lazaros, Ca-
sa dos Expostos, Asylo de Mendicidade, Hospicio
de Alienados, na Tamarineira, e Collegio das 0O-
phas, em Olinda, no trimestre de junho a setem-
bro do corrente anno.
As propostas deverao ser em cartas fechadas,
devidamente selladas, indicando o fiador, e obri-
gando-se o arrematante a pagar a inulta do 5 OjO
sobre o valor total do fornecimento, se no praso do
3 dias nao vier assignar o comipetente term.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recipe, 5 de junho do 1881.
0 escrivaio,
Pedro Rodriues de Soaza.

Camara municipal
Desposas feitas corn a li'pesa das runas, praas,
eaes, pontes o traveo-is das freguezias de S
Fr. Pedro (co -alv, P.cife, Santo Anto-
nio, l. Jo36 e *1ia Visti. na semrnana de 2 a 7
do correniite milz.
Dcspendido coni a folliha da limpesa da
freguczia de S. Fr. P( dro Gonc(alves
do Recie 121440
dlem corn a tolha (d I liminpesa dt frcguc-
zia de Santo Antonio 121440
Idem coin a coinpra de regadores e vas-
souras parn a minesina freguez a 19.,200
Idem corn a folha da limpesa da freguezia
de S. Jos6 113'760
Idem coin afolha da linpesa dafreguezia
da Boa Viata 121 440
497.280

Contadoria da Cainaara Municipal do Recife, 7
do junlho do 188-1-0 contadoa,
Jose Maria de Souza Araujo.
Santa Casa de Mlisericordla do
Recilfe
A Illina. junta da Santa Casa de Misericordia
do Recife, na sal. das suas sess5es, pelas 3 horas
da tarde do dia 17 do corrente, recebe proposta
para fornecinento de pao e bolacha que for precise
para os estabeleciientos a sen cargo, a saber:
Hospital Pedro II, Hospital dos Lazaros, Casa dos
Expostcs, Asylo de Mendicidade e Hospicio de
Alienados na Tamarineira, no trimestre de julho a
setembro do corrente anno.
As poopostas deverao ser em cartas fechadas,
devidainmente selladas, indicando o fiador e obri-
gando-se o arrematante a pagar a multa de 5 o/o
sobre o valor total do fornecimento, se no praso do
3 dias na.o vier assignar o competente termo.
Secretaria da Santa Casa de Misericorcia d)
Recife, 5 de junho de 1884.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de So((za.
Santa Caaa de Jiserleordla do
Recife
A Illina, junta administrative da Santa Casa de
Misericordia do Recife, na sala das sessues, pela
3 horas da tarde, do dia 17 (do corrente, recebe
proposta para fornecimento do pCio e bolacha, que
tor precise para o Collegio das Orphas cm Olinda,
no trimestre de julho a setembi o do corrente anno.
As pi-opostas deverit) ser em cartas fechadas,
devidamnnte selladas, inlicando o fiador, e obri-
gando-se a pagar a multa de 5 0/ sobre o valor to-
tal do fornecimonto, se no praso de 3 dias, nao
vier assignar o competente termo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 5 de junho de 1884.
0 secretario,
Pedro Rodriyiues de Soouza.
Alfandega de Pernambuco
EDITAL N. 59
Por ordem do Illm. Sr. inspector se faz public
que no dia 12 do corrente; as 11 horas da manha,
no trapiche Conceigao, serao vendidos em hasta
public diversos praneheas do puao do resiaa,
por conta de quem perteneere lim de direitoe.
3a sec9ao da Aliandega de Perml'uceo, 4 de
junho de 1884.
0 chefe,
Cicero B. de Mdlo.

Santa Casa da Misericordla do


Recife
Perante a Illma. junta administrative desta
sauta casa, na sala do suas sess5es, pelas 3 horas
da tarde do dia 10 de junho vindouro, ha det ser
arrematada a qucm minais vantagoens offerecer, a
propriedade Illia do Nogueira, pertencente aos
ustabelecimnentos deo caridade, sob as condi(6cs
seguintes :
Pagar mensahnentc a renda annual de 1::600;
Ser o arrcndamento p5r tempo do tries annos.
Faner a sun custa ,s concertos de que precise
rem as csass ( o viveiro do sitio e entregal-os em
boin estado dr couscrvaqao na conclusilo do arren-
damento ; niao riar gado e plantar mca cada anno
150 pes de coqueiros, sob pena de pagar 2000 de
multa por cada umn que d,-i'--- do plantar, de
modo que findo o prazo devera apresentar os 459
pes, bern tratados e conservados, sendo de tres
em tires mezes verificado pelos respectivos mor-
domos o fiel cumprimento das obrigag5es da pre-
sente condicao, e nao poder abrir nerm consentir
logradouro nos terrenos da ilha.
Apresentar-se no acto da arrematacao corn fia-
dor idoneo ou carta deste.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 29 de maio de 1884.- 0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.

Uonfraria de S. Bfuedicto erec
ta no convento de S. Antonio
dacidade do Recife.
De ordem do nosso carissimo irmao president
da confraria de S. Benedieto erect no convento
de S. Antonio da cidade do Recife, convido a to-
dos os irnnaos ex-presidentes e ex-secretarios qune
tiverem no gozo do art. 41 do compromisso. a com-
parecerem no capitulo da mesma confraria no do-
mingo 8 do corrente, pelas 5 horas da tarde, para
a consult dos novos candidates, que tern de ser
eleitos em sessio geral posterior a festa do nosso
padroeiro, que hao de roger a mesma confrarialno
anno compromissal de 84 a 85. Recife, 5 de ju-
nho de 1884.
0 secretario,
Victorino Antonio do Sacramento.
D ordem da Illma. Camara Munimeipal, sgao
gonvidados os donos dos estabelcimenetos .
guezias de Afogados e Varzea, par-. a5
9ao competent rover os pesos, 'i
gas dos mesmos, uo proxIMo me*
pena & tlei.
Paco da Camara
maio de 1884. .,j j -


0

flbo


Pedro


leediwt deBio e Sa
Secretario.


coaseiho pa eimeto d viv
* frragns a opos desta
Sris ntarrntoeabno tma n 9as t
dooorenst o aceiARM homss


:. 5

( ,"







..
/
m


I- -


_ A


ift^''111:^
t1.,1",; 11 "'













' 4" ;'. "" "

29,
it '


,' ..4 : '
.Orr .:.


4 ... ia. % : ..




do 6 e arui a, idem
oe1 icf a ;, i dft (&ci0M2.
Qaiioo aos,-am

&l'" i arneirp, ides.
e. de poro, ideis.
dae~e vs~oea, ides (sem oe.e!
< LPrno de viteiha, idenm.
A#a-ne secoa do Rio Grande, iden.
'. Chi (a India,-idem.
S (hi preto, ides.
Cevadinha, ides.
Cerveja national, d in, ga:'rafa.
c chocolate commits, kiugrunuma.
C hocolat amusgo idem.
Pariul' i fins de MLig,, 1" qualidade, litro.
S arinhas finds del2Ma, 2' ttlidde, ides.
FeijAyo preto, idem .
P eijio mulatinho, idern.
leijso braneo, idern.
Figus passados, kilogramma.
r angs, urn.
S Oallinha, unia.
SG 16a de nio de vaner, kilogramma.
GelI, th1 mrmin. ls, ilel.
Gcelades iusg,, idem.
Goiatofdas cm alaas O -.n.les, idern.
Laranijas da Chin:,, h1111.
Esihanjm~as sc-lceta4:,dlni,..
Laraujas da t-rr-u, ideU.
Limas, ideml.
Uaincs azedlos, urn.
LimZcs doce's, ide.
Maearrpo, kiIogr:uma.
Maiseonas, id.nm.
Manteiga ingleza doi P qualidade, id-m.
MarDidtlada iaciowa, ii,r.
Matte einc foi ls, i'1011n.
Dito em p6, idemn.
-[ .: O vos, uiia.
9.P o, ki!ograanma.
Pito-d-16 tonado, id..
Passs, idens.
?eixe salgado, ideisn.
Dito fresco, r:t .to.
Q Q eijs do Minas, 'an.
Roscas de 1a (Pualadade, uL:;,.
Ditas commuis, idena .
Sagla, kilograinmmna.
8 hlitro.
.Tapioca, kilograminma.
lueinho de Nifias, idenm.
Vinho brauco, litro.
Dito tinto, idein.
Dito Madeira, garrnfa.
Dito Malaga, iden.
Diro dito, litro.
Dito Porto, (cominuin)-
Dito dito fino, g rrafta.
Dito dito gcn,.ros;, ideni.
Vinagre branco i de Lisb.,a, litro.
Dito into, iden idom.
Verdaraso etomperos, r:oaao.
d ura .tfrr-geas eJi-i.rayeas
Alfdai, kilogramma.
*Ailho miudo nacional, idem.



Dit emtore, ma
Farello de Lisbhoa, idem.
Capitm, mcdid:a caixeo.
Ferradurat, numerous.
Cravos, ceuo.
SPastagens pars a cavarliada, numero.
Medicamentos, ider.
Purg di-ersos misteres
Carvio madeira, sacco.
Dito coke, kilo.
Graxa do Rio Grande (bexigas) ider.
Lenhia em achas de I metro, uma.
Dits om torous, umrsa.
Lavagem de roupa secm distineqo de peas, um a.
Polvhilho, kilogramma.
Sabo bhespauhol, ider.
Dait comnaurn, idem.
S Tijolos jiugiezes lara area, urn.
Velas de composiqio, kilogramnsa.
Ditias cora, idors.
Datas de sobo, ilenc.
Vaseonras grades do piassava dunse.
Ditas pequenas ides idem.
Ditas do matto, cento.
Phosphoros amoricanos em caixa, gross.
Sanguesugas, pela applicavao de cadsa ura.
Ob/etos adventicdos para a enfermaria
Papel pautado flume, res maura.s
Duo anatta- borr-io, folha.
Pennas do a~o Fony, caiss.
Gomma arabica, frasco.
Tints pret's, garrafa.
Canotas, duzis.
Lapie preto do Faber n. 1, duzis.
Hostias, cento.
Ieou~so, kilo.
Condi.. es
1I' Todos os generous sor~o do primoira quslida-
do, e os fornecedores devorl.o satisfazer os podi.
doe dontro dos prazos marcados nos rospoctivos


contratos. entregaudo os mesmos generous nos
quarters, ou fortalezas e enfermaria, e depositarao
na Thesouraria de Fazenda urna quantia, como
c=q4o, que serA arbitrada polo conselho de for-
-. t'ecimento-
2a As proprostas deverao center a declaraqilo
epresea de sujeitar-se o proponents A multa de 5
0 da importancia a que minontarem os viveres ou
artigos que forem aceitos, se deixarem de compa-
recer para assignarem o respective contrato, den-
tro do prazo que for notificado pelos jornaes.
8a 86 podera concorrer aos fornecimentos an-
nunciados quem habilitar-se at o dia 7 do via
douro mez, na f6rma do art. 18 do decreto n. 17685
de 6 de marno do 1880.
4" Da falta do fiel tumprimento de qualqner das
obrigaScus contrahidas, o fornecedor ficark sujeito
a pagar o valor de quantu se comprar por sua con-
ta e incorrera na multa de 25 Ott) sobre o valor
do genero regeitado ou nao recebido em tempo.
5a Os concurrentes sio obrigados a apresentar
amostras dos generous ou artigos que forem julga-
Sdos precisos pelo conselho.
S 6* As propostas ser.o apresentadas em dupli-
catas ate as 11 horas do dii 9 do citado mez, em
S que serao abertas e apuradas em presenqa dos
proponents. Na mesma occasi.o se aceitario
S propostas para a venda de estrume dos animals
,, da companhia de ecavallaria.
?--: Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 14 de
a, mio de 1884.- 0 contador,
S:. S J. de B. e Accioli de Vasconcellos.


Club Caroies Gomes
Annivwersario da biblilotheca
Scientifica-se aos senhores socios que o sarno
4->ate -, mez sera realisado no dia 11, em solemnisa-
,"AOom ao segmundo anniversario da bibliotheca deste
SClub, inaugurando-se os retratos do notavel pro-
" lessor de musica, Thomaz Jose de Lima Cantua-
A &i e outros. Os senhores socios podem procurar
os seus ingressos do dia 6 em diante, das 7 As 9
horas da noite, em mano do Sr. hoalreavojy at4 o
-',.dis 10.
: Seeretaria do Club Carlo s GOr 84 hI
84-0- 1 secretasio,
____ t Andrt i. a Cfes.
avalleiros da rm
-wmirdem do president desta sociedade bene-
n video a todoe on socdos opars aistirem
s o a i.o de elei*vo, que devera ter lugar se-
*ira 9 do eorrente mer, 2is 7 horas da
SRbcifs, 6 de jnho de S84..
EH 0 gecretri,,.
I gT^"~ ~~I Go- ^_ m m w da Sv.


.4-a'


nternia4.
a-". -D. Mmn
ahrn to eas-


EEET DA COMPA. MUZELLA

ESTREiA DA COMPANHIlA


IOJE 8 de jndho de 1884
F recita de assignatura
SubirA A scena a opera em 4 actors, do maestro Marchetti, intituiada


cc







08
Ca

sq

C&
Lo.
Ca!
Caj

Ca.

Pro


Maria do Nerbourg, rai
SallNustio de Bazan
Pedro de Quevara
Fernando de Cordova.
( Iuritano


1). Joanna de la Cueva .
D. Manoel Arias .
Ruv Bias. .
Cusilda .


U:n 1)orteiro
Da.nas d(, hionra da rainla,


gens, etc., etc.


de Hespanha. Sra. L. Avali
S. Sr. L. Russo
S Sr. P. Gazzoni
S Sr. L. Guidotti
S. .Sr. E.' Galassi
S. Sra. V. Bacearini
S Sr. G. Cerri
S Sr. L. Parodi
S. Sra. A. Knubel
Sr. L. A-Molteni


*avaihoiros, gran ws do Hespanha, guards,
C, evallhciros, grandles de Hespanha, guards, p


Banidas de music no 1alco.


Prepos dos billieles
CaMnarotc;; de 0 e 2' ordem.
Bitoa de 3' cdeom.
.itoa de 4 ordem (4 entradas
Galerias e cadeiraa de 1 classes
Cadeiras de 2' clause .
jio.. .
:' ~ -O .


S 2500W)
184000
- 6-500o
0 51000
64400)
24000
1450


i t-4peot-r o comecara Ans horas


A cmpreza tecn a honra de communicar ao respoitavel public, que tendo a ul-
iina hora, antes do embarquc da companhia ni Italia, dado part de doente o tenor
Garulli e o regente Rieci, foram em substituivflo contratados o tenor Sr. U. GANZINI
e o regente Sr. CESARE GOSTINELLI; e que, para dividir o trab&lho cm a pri-
ma-dona ligeira a Sra. Marcellina Rastelfi, que embareou encomminodada, foi tambem
contratada a distinct cantor a Sr. Virginia Arnoldi.-
Os bilhetes dos Srs assignantes achain-se na livraria franceza.
Haverd bonds para todas as lithas e trem a16 Apipucos.


Santa Casa da Misericordia do


Recife


Na Santa Casa arrenda-se por um A trees annos,
os seguantes predios :
Rua da Saudade


Casa terrea n. 5
Travessa de S. Pech-o
Sobrado dc dons andares n. 2
Rua do Born Jesus
Segundo andar do sobrado n. 13
Rua do Burgos


Casa terrea n. 27


Becco das Boias


Loja do sobrado n. 16
Sensala-Vellia


Casa terrea a. 18
Rua da Moeda


Cana terrea n. 49


Senzala-Velha


Rua Imperial


401000
.105000


30,000
184000
12W500
201000
30,000


204000


Companhia Brasileira de Nave-
gaqaio a Vapor
PORT OS DO SUTL


Companhia Brasilefra de Nave
gaofo a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor


ParA


(Ujnuiwndante o 1- tenente Carlos An-
tonio Gonmes
E' esperado dos pertosdo nor-
Bte atWodia 10 de junho e
seguirA depois da demora
do costume para os portoado
riul.


Recebe tambem carga pars Santos e Rio Gram
de, free modico.
Para carga, passagena, eneormends evalom
tracta-se na. agencia
44 RUA DO COMMERCIO -44


S CilAIRGEURS REUNIS


Companhia Franeeza de Navega.
pao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis-
boa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
Steamer
Ville de Victoria


Commandant Fontaine

/fRJR. Espera-se


p-eas, urn s Casa terrea n. io 1


Casa terrea n. 127 121000
Rua do Encantamento
Primeiro andar do sobrado n. 9 15,000
Rua da Visconde de Albuquerque
Casa terrea n. 61 17X750
Ruan Sete de Setembro
Casa terrea n. 28 4805000
Estrada do Rosarinho
Sitio n... 2504000
Sceretaria da Santa Casa de Miscricordia do
Recife, 13 de maio de 1884.


0 cscrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.


Espera-se dos portos
do sul ate o dia 10 de
junho, seguindo da-
*oi da indispensavel
cdemors para o JHavre%
|com escala por Ias-


^Aim A jinn g~ lra~gflal jun11, segaindo da-
Correio geral dindispensavel
isPda padisopavro
Wramperte de malas eceala por Lw-
0 admbiastrmdor dos correios faz public e es- ba
pecialmente aos imenhores agents de companhias
de vapors nesta cidade, que desta data em diante
o servivo de transport de malas de corresponden- Recebe encommendas e passageiros, para os
cia de bordo pars terra, continda a ser feito por quaes tern exceUentes accommodates.
esta administration, na f6rma da pratica que ests- AGENl ES
va estabclecida, conform fora resolvido pela di- AGIE
rectoria geral dos correios em officio n. 32 de 27 Augusto F. de Oliveira
de maio ultimo, ficando deste modo revogado o
officio circular por esta administracAo dirigido aos & C o
mesmos senhores agents, em 12 aaquelle msez. w
Adminietraio doe correios de Pernambuco, 6 42-RUA DOCO-42
de junho de 84.


0 administrator, (tntrada pela ra do Torres)
Affonso do Rego Barruos. *
Directoria geral dos correios. Secqo central ROYAL AIL ISTEAI PACKET
n. 32.-Rio de Janeirc. 27 de maio de 84.-Accu-
sando o recebimento do seu officio n. 438 de 15 do CONPANY
corrente, corn o qual V S. trouxe ao conhecimento
desta directoria o facto de haver a inspectoria da Grade reduce, nor precom das
Alfandega dessa provincia ordenado alteraV5es na paimagenu
entrega das manlas para essa repartivao, e explica 0 PAQUETE A VAPOR
o smotivos por que nio se conformon corn as mes- T m
mas ordens, declare a V. S., conform pede em Tr
soen alludido officio, o seguintc :
10 0 serving do transport de malas de bordo Commandante A. E. Bell
para terra, e vice-versa, 6 de exclusive compe- A 1 esperado
tencia doesa repartifo. t dosulnodia 14
2o Estando esse servico a cargo do correio, dcrrtes-
nao tern o inspector da Alfandega attribuiqio al- I do coodept se-
gums para flscalisal-o. gn dopois
3o Deve V. S. continuar corn a pratica estabe- da dor necsaria pars Libo, Southampton,
lecida, at que ella seja modificada plo Ministerio da demora necessaria paraLisboa, Southamptontc.
da Agriculture. Te optimal o ae
Deus guard a V. S. 0 director geral Luiz Te optmas acomodaes.
Betim Paes Lemel.- Sr. administrator dos car- ..
reios da provincia de Pernambuco. Passagens para a Europa podem ser toma-
Confbrme.-O contador, Luiz Antonio Pires. das na ida dos vapores para o sul
Reducipo nos preqos para o Rio
Thesouraria de Fazenda de de Janeiro
Pernambuco 1. classe 90#000 e 3. classes 27#000
ArrematagAo de obras da Alfandega --
De ordem do HIm. Sr. inspector se faz public 0 PAQUETE A VAPOR
que flea transferida para o dia 11 do corrente, 1
hora da tarde, a arrematagro das obras da Alfan- E lbe
dogs, de que trata o edital desta Thesouraria de.
30 de maio proximo passado, visto nio ter appa- Commandante Brander
recido concurrent algum A dita arremataigo.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 6 de E e d
JSSo & 3L==C e-ewtario da junta. Weswado da Enropa no dia9
rz-caro A. de Oiveiram e Silva. j* : on 10 do cornente, seguindo de
;poi dadeoora necessaria para


EARITIIOS


COEMPANEIA PE BNAEBUCANAL


: S fE' esperado da Europa no dia9
!o l V 10 do correnta, seguindo de
^KJpiP dademora necessaria para

ana, o de d a.e ro, aonte
video e DaenyAres


Jabida
S
S
S
S
C
S
t

'7.
~;

~rtL. .7


Itmebra
xnA


Soathamptoa
fordsm
V t
S. Vicente
Prambaes.
3amt6


aaSn


1 9967
4 .24


"*ili 5

-2O 24 10,
ma*' it
1. .
:;*. .. 5&,/o" -,
,-' "* ."* '*- ^ '? *'.' *,': *'
11e.* .*. ; .
-.o (.fe


Waeflie C-tfr r
Fmaindo de 0

.&*..- no, as is
.. :,,.e ao ,


S isabos
S Visgo
S .Southampton
S6 tocarA se precisar carvilo.

TInhfig XNOa IT Q


S i os Estanos

Uniios ,
0 VAPOR
Guadiana
Commandante Horton


oa4 ; '-
27 It
18
29 14
21
11 28
80
15 2


Ai


Congo
Commandante 'Grou
E' esperado dos
portos do sul no
dia 20 do corrente
seguindo depoisda
demora do costu-
me para BOR-


JOaG doUtagulftbo. ISIS CUtUP Ptfl*B a. $11


.Joi~a- dKAAiuftil,%K -ar (10C| ,:I
ra e 1/4 um trem psarando em todas a. epats

Agente Pestana

Leflao


IE GENEROUS
para rechamento de contas
A' saber:
150 Caixas corn batatas novas.
130 Libras de manteiga.
Diversas caixas corn masses para sopas.
3 Caixoes corn phosphoros.
5 Harris corn vinagre branco.
40 Barris corn cnxofre c outros generous que
tari.o patent A vista dos senhorcs concurrent
Segunda-feira, 9 do corrente


A's It horas
p)orta do armazemn do Sr. Anucs
frente d'A.,Ufandeg-a
POR INTERVENCAO D(O
Agente Pestana.


Leilfto


hea.












es-
Oes-


cm


Agente Brilto

Segunda-feira 9 do corrente
A's 1101it horas
Na rua estrcita do Rosario i1. 31
O agent acima autorisado por 1tm:a fanmilia qu,
retira-se para o Pardi, fara leilho dos moves, lou
ca etc. existentes em dito sobrado, a s'-tbcr :
Uma mobilia preta minoderna corn tainpos de
pcdra, 1 guard vestido, 1 guard lonua, I toillete
preto, 1 rico espelho oval, 1 mesa lIastica, apara-
dores, marquczues, co-nniodas, bergo, cabides, lou-
(a parajantar, cscarradeiras, lanternai, scrpenti-
Ians, etc.
'1'udo o correr do nmairtullo.


Leilio

De predios


aseguindodepoisda Sabbado. 1 do corrente
demora do costu- AO MIEIO DIA
^an em ^ me para BOR- Por alvar.i do Illrn. c Exm. Sr. Dr. juiz da pro-
DI tocandoem vedoria e a requerimcnto de Jos" Antonio Macedo
Dakar e Lisboa Lopes, testamenteiroeinventiriainto dos bens do
cespolio de Domiigos Joaquimn Ribeiro Soares e
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as co.m assistcncia do wsmro Iir'ii. c Exm. Sr. Dr.
classes que ha lugarcs reservados para eata agen- jumz, sera vendida por intervenylo do agent Al-
cia, que podem tomar em qualquer tempo. fredo Guimaraes a casa terrea corn sotao, ultima-
i mtnte reedificada, n. 51 iL rus direita, a qual acha-
Faz-se abatimento de 15 por cento em favordas se occupada por urn estabelecimnento e reude
families compostas de quatro pessoas ao menos e 4004000 annuaes.
que pagarem qnatro passagons inteiras. Para mnais cxplicar6es o ,nesmio ag2nte darA em
Por excepvaoos criados das families que toma- seu escriptorio a rua do Born Jesus n. 45, under
rem bilhctes de pr6a gozam tambemrn deste abati- sers effectuado o leililo.
mento.
Os vales postaes s6 se dao at o dia 18, pagos GRAND4Etf TLTEIA
de contado. ALN tJl inLnAr


a


Para carga, passagens, eucommendas e dinheiro
frete: tracta-se corn o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMIERCIO -9


Pacific Steam Navigation Compani
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 vapor


Araucania
Espera-se da Eu-
ropa atW odia 8
de junho.e segui-
ri paraso sal de-
pois da demora do
costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiry
a free: tracta-se cornmos
Consignatarios
Wilson Sons t C., Limited
N. 14-RUA DO COMMERCIO-N. 14


Haitnm -SoueamrniM scho
Dampfschill'ffahrts-Gesellschatf
0 VAPOR


Rosario
j^ S E' esperadoda Baluiaatd
o dia 10 do corrente se-
Sguindo depois da demora
- necessaria para o


OaI, aftra lio. ParS, llha da
Eadeira, Havre e Hamburgo
Para passagens, free, etc., tracta-se corn os
agents.
Borstelmann & C.


IC(




CI




*
i




B



gle
for
Os
eoi
mc
da
me


obj


RUA DO VIGARIO N. 3
10 andar
impanhia Bahiana de Navega-
e&o a Vapor
Macei6, Penedo, Aracajd, Estancia e
Bahia


0 vapor
Marinho Visconde
Ccmniandante Pedro lVigna


Sme.
?ara carga, passagens, encommendas e dinheiro
ete tracts-so na
AGENCIA
7-Rua do Vigarlo 7
Domingos Alves Matheus

area Ingleza "Arequipa"


E' esperado dos portos aci-
ma atW o dia 15 dc junho e
regressarA para os mesmos,
depois da demora do costu-


0 capit.ao Robert Brown, da bare in-1


za Arequipa, arribada a este porto por
;a maior precisando fazer alguns repa-
e supprimentos de diversos objects
former a vistoria feita a bordo do mes-
navio recebo propostas em carta fecha--
rAo Consulado de S. 3f. Britanica atW
do dia do dia 9 do corrento.
)s proponents podem desde jA verificar
ordo os reparos necessaries e a list dos
octos procisos, no Consulado de S. M.


p
r





(

14
(


b
j,


DE

Imporlanles predios

Segunda-eira, 9 de junho
Ao meio dia
Carmo e Silva


Plenamente autorisado vendcr.i os seguinset
predios :
Urn sobrado de 1 andar c sotao A rua do Com-
mercio n. 7 em solo proprio, junto a Associaqao
Commercial, corn fundo para o cases onde embarca
xt prancha em navio de qualquer callado, e a pou-
co reedificado.
Um sobrado de 1 andar e sotaoio rua das Trin-
cheiras n. 40, em sdlo proprio.
Um grande sobrado de 3 andares, A rua do Pa-
dre Floriano n. 40, em s6lo proprio.
Urma casa terrea Ai rua Imperial n. 125, corn 2
salas, 4 quartos, cosinha extcin a, etc., s6lo foreiro.
Urna casa terrea Ai rua Sete de Setembro n. 20,
csm 2 salas, 4 quartos, cosinha e quartos externos,
quintal grande em s6lo proprio.
Urma casa (armazem) A rua do Marqucz do Har-
val n. 7, em s6lo foreiro.

Soguna-folai, 9 do inho
Na agenda de leilbes
27 Travessa do Corpo Santo 27


Leilao


De 1 factura de ricos jarros, mobilias novas, di-
tas uzadas, toilettes do jacaranda, mesas elasticas,
guardas-vestidos, secretarias, ricos quadros, espe-
lhos, guardas-louas, lavatorio.0 corn tampos de pe-
dra, colheres finas para s6pa, ditas para chA, cai-
xas corn cerveja allema e diversos moveis avul-
SOS.


Terca-feira, 10 de junho
A's 11 horas
No armazem a 'trua do MArii-quez de Olinda


n. 10
POR INTERVENCAO DO
Gusmao


AGENT


Leilao


De 30 peas de bruins avarlados

Torp-[o8 10 do1ie1nho
As li horas
0 agent Pinto levari a leilAo por autorisaqao
e em presenva do Sr. consul de Franca, A reque-
rimento do Sr, LuizA. de Siqueira da caixa marca
X n. 2145 descarregada de bordo do vapor fran-
cez Viiit Maranhdo corn avaria da agua do mar :
as 11 boras do dia acima dito por occasiio do lei-
l!o de eutras tazendas avariadas.


Leilao
De fazendas inglezas
Avaritdas


Teria-feira 10 de 1ino0
A's 1i horas
Agente Pinto
NO ARMAZEM DA RUA DO BOM-JE-
SUS N. 6

Leilao


Britanica ou no escriptorie dos consigna- De 6 lindos quadros A oleo, mobilias,
agios, pianos, mesas, cadeiras, lou a, vidros,
S & C coftes, arma95es inglczas, quadros e es-
Saunders Brothers & C. pelhos.
Praga do Corpo Santo n 11.Ain Tarpi-fa ID tie cnente
.oooTar -oi 10 do curoto

LmimI 'NO ABMAZEM DA RUA DO BOM
'- JESUS N. 6
Am' PINTO s Ii hoA a pE
i9 %; N E PITE 0 agte Piato tod&- de entregw a clav, do
1wc.." I.,* W nab armazm da ." do .&M. JerI n. 6, ev-i s'a lei-
pbn. l o 6 deitivo wqei igm, e -maia objctos
,0amW-t--l Gu am.. dt,

., ,A.
4W ?4

Of.
.' A- 5; .. ": .."''.. : .


'~
It
~ ~%t-~~ *Jc~v~*vY2
L .tiJ~4ttC, -


.4rt-


4~~
*Da casa, te a onto otao, cerrio,
de azulejo, agua, terrafo f6ra
Terafeinra, 10 do corrente
AS 11 HORAS
Por alvark do Urm. e Exm. Sr. Dr. juiz da pro-
vedoria a requerimento de Jos6 Antonio Macedo
Lopes, testamenteiro e invwntariante do cspolio de
Domingos Joaquim Ribeiro Sbares e corn assia-
tencia do mesmo juizo, serai vendido por interven-
qo do agent Altredo Guimaraes, a casa terre
corn sotao, ultimamente reedificada n. 51 Alrua
Direita, a qual acha se oecupada por un estabe-
lecimento quo rende 400.
Em seu escriptorio d rua do Born Jesus n. 45


Leilao


T-'


ra carrota.
Terca-feira 10 docor-


rente


An mueio dia
Largo do raraiso n. 26

Leilao


A's 11 horas
No armazem do moveis-Largo do Paralso n. 26
0 agent acima, por minandado e assistencia do
Esm. Sr. Dr.juiz de di'eito da provedoria, levarn
a leil, o um terreno no luar- denominado R.iv;-


a




I


Agenle Silveira
Sexta-feira. 10 do junlio


A's 11 hor-as
N'o arniazem de moveis- Largo do Paraiso n. 26
S0 agelite aculla, por inandado e assistencia do
Emm. Sr. Dr.juiz de direito da provedoria, levarai
L leillo urn terreono no lugar denominado Baixa-
Verde, tendo o dito terreno alicerces pars casas,
:odo murado.


odo mu rado.


Leilao


be 20 duzlas dc botinas para
senhora


Avariadas


Terea-feira, 11 do corrente
A's 10 1/2 boras
0 agent PINTO, levarA a leilAo per autoriaa-
vao e cm presenca do Sr. consul de Franca, a re-
querimento dos Srs. Salazar & C., a caisa marca
SALAZAR n. 116 descarregada de bordo do va-
por francez 1VI'lle de Prrnibuco. corn avaria d'a-
gua do mar, As 11 1,2 horas do dia acima men-
cionado per occasiao do leiilo de fazendas avaria-
das.


Grande leilao
De fazendas, miudezas e mobilias, etc.

Qularta-ffrf, 11 do crrlntu
A's 10 1/2 hora-s


Agenle Brilto
Rua do Livramento n. 31
0 agent acima, farA leilao de 2 mobilias de ja-
carandi, 1 dita de junco, 1 mesa electica, cadei-
ras do balanqo e de braVo, mnachinas de costura e
de copiar, port licores, espelhos, quadros, espar-
tilhos, meias, ci-tes do eassineta, fixus, casave-
ques e muitos outros objects que serAo presented
ao acto do leilao.


Leilo


Moveis, quadros, espe-

Ihos, loupa e vidros


A saber
Um piano forte, 1 rico espelho, 1 mobilia corn
sofA, 2 consoles corn pedras, 1 jardineira, 4 cades-
ras de braqos e 12 de guanmiac, 2 espreguigadei-
ras e differences quadros.
Gabinete
Urma mobilia dc jacaranda, 1 estate para livros
I meza redonda, 1 meza para escrever, 4 cadeiras
de balanco e seis ditas de guarniqlo, 2 espelhos
dourados.


Sala dejantar
Urma meza elastic, 1 guard louqa, 2 apparado-
res 12 cadeiras, cadeiras de balance, quadros, lou-
ga, vfdros, talheres, 1 guard comida de arame, 1
outra meza elastic, e guard louna.
Quartos
Urma cama fraceza, 2 camas de ferro e colxdo,
1 meza oval, 1 lavatorio corn pedra, 1 guarniqao,
6 cadeiras, 2 guard roupas, 3 commodas, 1 toca-
dor, 1 pedestal, 12 cadeiras, cabides, mezas e mui-
tos outros moveis de casa de familiar.
Quarta-feira, tI do corrente
Em S. Jose do Manguinho caZa junato da
igeja
0 agent Pinto levara, a leilao os moves e mais
objects existentes na casa de campojunto a i e-
ja do Manguinho cm que mor',u o Sr. Arthur al-
las.
As 10 horas e 15 minutos partirA o trem ex-
traordinario que darA passage gratis aos con-
currentes do leilao, parando em todas As estacie
para receber passageiros.
0 leilbo principiariA as 10 1/2 horas.


AVIOS-IVESO


Aluga-se por pre9o commodo a excelledite
chacara A rua do Caldeireiro, no Caldeireiro, corn.
magnificas accommodates para familiar, muitag'-
arvores de frueto e boa agua potaveL 0 sitio
estA perfeitamente murado em toda a long& area
de terrenos que abrange, e tern alen da cas.
principal, muitos commodos externos par eria-
Ann. O wu ,l,.1, ." 91 n


Cw, granIU U gunman i, gilixinheiro toeea em ."
grades de ferro, banheiro, etc., etc. ; trata-e na& '
r=a do Apollo n. 32, 1O andar, esacripterio. -
Alga-se o primeiro andar dCeaaU .25 I
rna velsa de Santa Rita, o priwe ..e aemg, n do
de n. 24 a rua do Aragjo, 4 aSw *tMew do
36 A rua da Ventuma u s e tn
traveosa daf Hora, e2 6 A 9S deo
noEsDpmheiro: a katie r s dof

- c ,- 1.7V..-
r L
..: :: .. [.<


S ,"." ... .. .I


C -';l


^ '-.-'

.,

'(!



b.*


1'


44''
4,


C!::
-N




4




I


'it

V
A


-~ it
'i~* I
.4 I*
44

-'7$Ott.


1


11


<


: .:(*a'- .


LEILAOI


I -1vis 0--s--DIV-E R---S---o-s -,


t(


I


-ft.


m


;-.'
/'.? .*,


i


I',: O_


I


i


t


I


I tm-


I --


I


F


I


I


De ura carteira grande corn 2 faces, 2 ditas
para urnsa pessoa, 2 cofres, prova de fuge, mesas
para fazendas, 1 armaceo ingleza, pesos, medidas,
bebidas, taes como limoaadas, gingetole, soda
cliampagnhc, cider, miikey, congnac, e outas,
Tera-feira, 10 de junho
AS 11 HORAS

AGENT PINTO
No armazem da rua do Boe
sJesus n. 6
Por occasido do IcilAo de iazendas e caladots
AVARIADOS

Leilao


Agente Silveira


De 2 bois para carroea, inilto
gordos e niasios, bern como
III bonilo novilbo lourino pa-


-1


I


I


I -


I


I


!


I


!


I


I -


I


1


!


a


i'


Para passages, frets, etc., tracta-se corn 0os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
3-Rita do Commerelo-3


COMPANIES DEN IESSACGE-
RIES4 EARITLMES
LINIIA MENSAL
0 paquete


Espera-se do Rio
de Janeiro no dial14
dejunho o qual de-
pois da necessaria
demora seguirA para
New.York via S. Thomaz

Preos das passagens
la classes 2:t clause 3' classes
Londres (via No-
va-York)..... 42.0.0 28.0.0 17.0.0
Nova-York..... 27.0.0 18.0.0 11.0.0
Sao Thomaz ou
Barbados..... 23.0.0 15.10.0 11.0.0


flY.i BLAS

PERSONADBNS
do Nerbourg, rainha de Hespanha. Sra. L. A


0 Be
cia,
esta
va(
rect
de
office
me;
dej


n. 3
sanl
Corr
dest
entry
0811
mas
Ben
pan
tenl
nao
guir
lecil
da
Beti





que
bora
degi
30 d
reci4
T



NAs


4


Co.
42-RUA DOCOMMERCIO-42
(Entrada pela rua do Torres)


(
]


(


























A, rifa do cavao cAstanho boneca que corria
m a 3a do uuhoif traunfetida para a ultima
aejuInIQ per uiotivosjiustos.
Arrenda-sae a asmwgrande do sitio das Ja-
9iwaa junto a es8ta9 do mesmo nome e corn
Isetantes coammodos.
A have em casa de Berto Jos6 da Costa na
3Pote d'Uchoa.

Cosiuheia
Precisa-se de uma ama para cosinharr
ao0 andar do predio n. 42 da rua Dnqu;
de Caxias, por cima da- typographia deste
Piano.


A Ciganinha





Bonilas sortes em rozas as


mais interessantes para as reu-
nines das noises de Santo Anto-
ito, S. Joao e S. Pedro, que se
acham a venda na rua Is. de Mar-
go n. 7 A.



w


Salina Monorata da Silva
Jos6 Nicacio da Silva, seu irma'o vigario Au-
gusto Franklin Moreira da Silva, seu sogro, ir-
maes, cunhados, filhos e genros agradecem pro-
fundamente a todas as pessoas que se dignaram
acompanhar at6 o cemiterio public a cadaver de
sua presada esposa, cunhada, nora, mai e sogra,
Salvina Houorata da Silva, e as convidam para
afsistirem as mmsas do setimo dia, na matriz da
Boa-Vista, As 7 horns da manha, segunda-feira 9
do corrente.
Manoel da Silva ampaio
Alexandrina Julia de Sampaio, seus filhos e
genro, cordialmineute agradecidos As pessoas que
se dignaram acomnpanhar A ultima morada os res -
toe mortaes de seu muito presado marido, pai e
sogro ; de novo ilhes rogam o obsequio de assisti-
rem as missas qu- madam celebrar na matriz do
Corpo S7nto, quarta-feira 11 do corrente, as 7
horos da manha, setimo dia de sen fallecimento.
Anna luiza do Esplrito Santo


Senhorinha Maria da Conceicio, Firmino Car-
neiro de Lacerda, Basilio Avilino da Silva, Ma-
ria do Sacramento, M. L. agradeeem summa-
mente as pessoas que acompanharam os restos
.mo rtaes de sua presadafilba e irma' at6, o cemiterio
public, e de novo rogamn as mesmas pessoas para
ouvirem as misses do 7 dia, na igreja do Rosario de
Santo Antonio, terma-feira, 10 do corrente, as 7
horns da manha, pelo que se coniessam gratos por
este acto de earidade.

Alert
Avisa-se pars que pessoa alguma faga qualquer
contrato corn os predios seguintes : sitio de Belem
n. 14 e o sobrado A rua do Coronel Soassuna n.
22, pertencentes ao espolio da finada Christiana
Maria de Souza, que v,13 entrar em questio por
dividas que deixou a mesa finada.
Aluga-se urn sitio no Chacon, corn casa ree-
dificada, corn acommodacues para familiar ; a tra-
tar na rua do CabugA n. 7 A, ou A rua da Aurora
n. 81, armazem de molhados.
Aluga-se quatro casas novas ao pl da ponte
dos Remedies. mas nlo para grande familiar, per
s6 terem 2 salas, 2 quartos, cosinha e cacimba, a
12;M) mensaes, dando-se por 104 a quem pagar
seis mezes adiantados : a tratar no mesmo lugar,
casa de azulejo, taverna.
0 mez de junho consagrado ao
sagrado cora* de Jesms
PELO PADRE
FRANCISCO VANETELLI DA C. DE G.
e traduzido da segunda edicio italiana
PELO REYVM. PADRE
ERANCISCO DO REGO MAIA
Veade -se na livraria industrial, run do Barno
da Victoria n. 7, e em todas as livrarias desta ci-
dade
Preco de cada exemplar 14000.
Elementos de orthographia da
lingua. prtngueza


G. MARTINIANO DE SOUZA
Vende-se na livrana industrial, run do Bar'o.
da Victoria n. 7, e em todas as livrarias desta
Cidade.
Preo de ecada exemplar 14000
Preeisa-ie de umaa ama para o service in-
terno de casa de familiar : na rua da Princeza
Isabel n. 6.
Precisa-se de uona ama para cosinhar, "
var, e engommar corn perfeicio, para casa de ho-
mem solteiro, a rua da Uniao n. 54.
Aluga- e os andares superiores do predio n.
51, sito A rua do Imperador : a tratar no pavimen-
eto trree do predio n. 10, A p va do Commereio.
w 'Aluga-se a casa n. 8 do largo da Soledade,
u commodos para grande familiar, agua canali-
gallinheiro e banheiro, e se aeha reparada e
S de novo : a tratorma-na rua Direita n. 32.
1 'reeisa se de nma criada para o servipo -do
me de ama de fa-milia : na rua Nova n. 39.
Qunem preeisar ie urma senhora para ensina
douina, portugurez, francez, musical, piano, flores
de foro e madeira, diija-se ao Caminho Novo
n.L2B, na mesa casa preeisa-se de uma mulher
q-*ja .de b6a condueta para companhia e pres-
ta Psuserv 10 e c asa de pouca iamilia, na
= o oas orphs devalidas, e da-se
Ouiins.- pomr caridade, na mesma. eass
Ton&-se umS cua" na rua Imperial n. 801, em
244, -palac die fundo, 26 Sdofrente-aeabda ha
po tempoe, minntobonito lugar,, estA senapre alu-
9 sean& adar do sobradt n. 41
_6l j u i l w b o d o -a 2 5 -A m a
^& |l^.80!,e '


Als


16-Rua do ObugA-16
0 abaixo assignado vendeu DOS sens
venturosos bihetes garantidos os premios
seguintes: .2 meios corn a sorte de 4:000#
no n. 1886, 2 quartos corn a sorte de 2006
no n. 3972, 2 quartos corn a sorte de o100
no n. 2634, al6m de outras mais de 32#-
16# e 8#, da loteria n. 43.
Convida aos possuidores a virem rece-
ber sem desconto algum.
Acham-se avenda os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 44 em beneficio
da igreja da S. Sebastilo de Olinda que
se extrahirA na ter9a feira, 10 do corrente
PRECOS
Inteiro 4:000
Belo 9:000
Quarto 1:000
Send quantldade superior
a 100:000
Inteiro 3:500
Melo 1:750
Quarto 8S5
Joaquim Pires da Silva.



CASA BA FORTUNA

kos 4:000000

ZILHIOT3 GiBITID
fau Primeiro de MIar n, 23
0 abaixo assignado tendon vendido nos
seus afortunados bilhetes dous quartos n.
3,965 corn a sort de 8006000, o inteiro
n. 3,778 corn a sorte de 100# tres quartos
n. 1,638 corn a sorte de 1006000 e
outras sortes de 326000, 166 e 86, da
loteria (43.a), que se acabou de evtrahir,
eonvida aos possuidores A virem raceber
na conformidade do costume sem desconto
algum.
Acham-se A venda os seus after anados
bilhetes garantidos da 1.a part das loterias
a beneficio da igreja de S. Sebastiao de
Olinda (44.'), que se extrahirA na terga-
feira 10 do corrente.
P RE OS
Inteiro 46000
Meio 26000
Quarto 16000oo
Em quantidade major de 1000
Inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto 6875
Manod Martins Fivsa.


AM A Ograva em 40 moaelos, eorrentep
oeli 0 z wa oIwens, pilseiras, alfi-
twe, vi*# opprta-leques para aenhoras e meni-
nw&6 .60 nitos, a Imita* o. do ouro ; amos-
Aram us vitring da loj a 4 run Nova n. 16.

AItteao
Aluha so ou vende-se um sitio A rua de Santo
Elias n. 4, becco do Espinheiro : a tratar na rua
de Santo Amaro, freguezia de Santo Antonio, ta-
verna n. 28.
^pl~llf < .,< li *MAO"U lowk A -~l* ^


S' yue trt.z
pnmripte (8to ltv'3
coui tinta eacainaida
a sasignatua owl create.
uqat. gurl; 24, A-vnte Victo".. ;?AR-1
wVUmaeUI$TW R ASRM MACIA$


OS XAROPO
!E HYPOPHOSPHIT&i
Sde loda, de Cal e de PeFr-
Vr &,pregadom com ttat oso part
gI Srlosas. vendemn-aemacatA;
v-"j

1m frasoos quadiados comn o i!C-nom z2,.
4'4dOutor CHURCHILL srbre o v'idjro.
S i&fa inluencia dos lHy pophiorphiToi'
atosw diroin'e, o appeLt'o au~It11nstt,
^ss for~as .Iornfo a vir, e s o ca i'gnore
Stumos oesslo, e o doer g--:c.a 0do tii..^
obam es.ar desusado.
.i 0 hypophosphit 5 ue ,er.',? .ia |,. r.xz
ds fabric da t'mar;cia SWANR, -l,
nit Caswtiglone, P4rnS., dfro -is
b,' GITJRCHILL. su1or da r e Coaiert;e ^.'
w,,s propr;iedads ('-',atzm-s..
S iPlo :A 4 fr. por fira -m Fran. .
w I'd61340 Tina s naptincipacs Pkmrarrnc?Ae g


AM



mc'


M Iii' S.


Martins & Bastos


Pernambuco
'__ ,:: .. .. ,9p_ ___R.


iu umcru mv punivow u. a m
Amas de leite e para
cosinhar
Precisa-se na praa do Corpo Santo u. 19, se-
gundo andar. Paga-se bem.

Leite de aveloz
Para cura de cancrass de toda a
eispeeie
Perfeitameute couservado liquid graxo e con-
densado, approvadi pela Exmina. junta de hygiene
public do Rio de Janeiro.
Privilegiado pelo governor imperial, pela effica-
cia da sua applicacao.
Os frascos trazem o rctrato do bacharel Joih,
Baptista Gitirana Costa corn a sua assignatura do
proprio punho e sAo rubricados corn tinta encar-
nada pelo cirurgiilo dentist Numa Pompilio.
Unico deposit em Pernambneo, rua do Barao
da Victoria n. 54, 1 andar.
I-- -


Pre~o de cada frasco para cancros 65-000
an I lMtO h nim s d 20 aU nlos Pama ulcera 5es e grannulao5es do col'o10 do
erG e cancros syphiliticos, formula es-
ci V 543000

I~i : Exofre superior
Vende-se barricas corn quatro arrobas liquids
Wte EDV ICAMSENTO, de sabor agradaW, a 8000o; no largo da Comipanhia Perniambucana
,, ,- .numero 12.
Sadoptads pelos melhores Modicos de oPasri numero 12.
OCosinheira


DOEFLUXOS, GRIPPE, TOSSE, DORES DE GARGANTA .
CATARRO PULMONAR
IRRITACdES do PEITO, das VIAS URINARIAS
da BEXIGA 4

PUilB Phuauaa BLAYN, T, L if lhlarc-it-fItu PIES .
Mwd P wml n ambinBo: FRAN N. &a SILVA P.
M-, ft Samo rjaipaaboraiat a _______


CA A 110 U II O
AeOs 4.00000O

BILIE~lu jAIRNT1DO
Rua do Barao da victoria n. 40
e easas do eosturie
0 abaixo assignado acaba lo vender
em seus felizes bilhetes dous quartos n.
3,965 corn a sorte de 8006, um quarto n.
1,638 corn a sort de 1006000, alm
de diversos premios de 326000, 16#000 9
8#S000.
0 mesmo abaixo assignado aonvida aos
possuidores A virem receber i a conformi-
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-se ,A venda os felizes bilhetes
garantidos da 1.' part das loterias a be-
neficio da igreja de S. Sebastiao de Olinda
(44.a), que se extrahirA na t erga-feira, 10
do corrente.
PIE(3OS


Inteiro
Meio
Quarto
Gm por~io

Inteiro
Meio


46000
26000
1#000
de o100o 000 para
elma


Quarto
Joao Joaquim da


36500
1#750
6$875
Costa Leite.


F EL IZ


SAOS 4:000400O
BILBETES MGAIANTID0O
Pra a da Independen-

cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado vendeu entire os seus
felizes billihetes garantidos a sorte de 200#
em 2 quartos n. 3972, a sort de 1006000
em 2 quartos n. 2634, e outras sortes de
32 160 e 86.
Convida os possuidores a virem reeeber
semn desconto algum.-
0 abaixo assignado tern exposto A
venda Os seus felizes bilhetes garantidos da
44a' loteria a enefieio daigreja de 8. &Se
bastifo de oOnda,- q Bfe extrah"rA terpa.
feira, 10 do correnta.

BiBete inteiro 4 0


/ INHJTRACTOvEFIGADO\
tds BACAL"AO dc A. CHEVRIER

YXKO ser -seaoW" qu" s poda&u"&a sweom abs s af*
Mm9 mlbca m m, e paw". to as as >Nprledades d'esto ols.
G od. cevoir de "Vwho represem cofolrd oo m*'9 d odedim de ilh.fl9
Saw tmia& = amamsa dosesm no. mesmos cssos.
NI2M46-so- nois contia a XM"I a dAm. a1 A*ia aawrim B meoA- 1


* tm'mnw a o.'oii, etc.,e d | haf seu poder rgePfrtd*or uia uUvdeu justa wte VInKO am nsio w tu
qi oUsmat aom paadamo wiiba sattddos.
Uex 0 tracto d4 t p& iJsiaceih.*ee s VO* 4.e Obabh 4* 9486S,
a approveao 4. ACAUMBUIA do MEBTHIOW id 1AI1B
44ps 4do so9 tw o) .vi*te 40 ,ir prfssorw be"Wle
s-m h Ox xtracs do SO&a de dowa 1.al e.

19* JIT 2. PARIS .-CIO


%Zia 1, V,
f.; ,a u l eataVA!


' FrriT~zs4


Precisa-se de uma cosmnheira : na rua do Ria-
chuello n. 57, portao dc ferro.

Aproveitem
Grande porcao de portas, vidracas de amarello,
usadas, que se vendem na nova fabric de cerveja
S8 rua da Florentina n. 15. Tambem se vendem
a grades de amarello novas, e nasus por tas.


o segundo andar do sobrado da rua da Penha n.
17 ; a tratar na rua do Livramento n. 32.


SVaccina

Fluida em tubox, em polga e em p6
0 institute va(ceinal entrega esta vaccina ao
public somente depois de ter matado o animal
vaccinifero e verificado por exame microscropico
que o animal era completamentc sadio.
UNICO DEPOSIT
Botica franceza e drogaria, rua da Cruz n. 22
(Recife)
Merino
Precisa-se de um 'enino de 10 A 12 annos papa
vender na rua, e que tenha boa conduct : na
rua Imperial n. 134. Paga-se bern.

ANA
Precisa-se de uma ama para cosinhar para duas
pessoas ; na run Duque de .t axias n. 48, segundo
andar.

Am
Precisa-se de uma ama que saiba cosinhar ; na
rua velha de Santa Rita n. 13, segundo andar.
0_ 0 I I -_ lin n


A PEPTONA
Sobaf6rmaa iVINHOdePEPIMONA,
preparuado per ie mre*a de Pars, 6 urnm
medicamento que muito con*ribue iara faci-
,;itar as func6es lo estomago, e regalarisa a
Sdigesti, umco n eio de favwrecer natriao
do doente.
Semnumere de experentias feitas pelos
mais afamados m -dicos de Paris e outros
,zes demonstraraii a effi,-aia doJVINHO
E PEPTONA DEFZ ESWBIi; na imn-
po!muibidade emque estamos de reproduzir
todas as uas cartas, limitanmo-?aos a apre-
senotar aqui a carta dirinida ao SAr Defresne
por dm facultativo, cujo Romee a fama ao
hem conhecidos pelo mundo medical.
Diz o D' Juiliet ao Sir Iefresne:
Selis, a 29 de Maewo de 1882.
Tenai o gosto de ihe manifestar a sa-
tisfagao qce tive corn a sua Peptona, pelo.
b ins resultado a que corn ella akancei aos
t OS graves em ..e a tenho en pregado.
S* Sempre quanao live de trat um eto-.
mago cansadn, doente on corn u As diges-
toes, a saa preparaW c alliviou o
daente, melhorands-lhe as func6es digesti-
o,^ ar mn;tas mulheres idc-s, a outra.
anenucas memnios rachiticos devem a
oude ao a.. da Peptona. Por isea.. qvm
consider co, b um verdadoiro ever o re-
Scommendul-o., os meusdoentes 'uPr granmde
numerl de casts.
s Tenho pratieado como medico pratico da-
mrante os annos de 1831 a 1860, period em
Sque a necessidade de digerir ox alimentos,
laiuediatamente onsumidos era menos imn-
.peariosa do que hoje; entAo as constitui",s
eraim mais vigorosas, eanguineas, energicas
P dotadas d'um robust aimetne. favorecidas
'.r uma grande almundancia de success gas.-
trico. de provocava a prempta transforms.
wn oa alimenitos mis refractarios.
S Hoje, porm, j4 que os estormagosdeobli-
tados carecoem de energia, 4 oontveniat
Hangar mno de todas as substaneias aime a-
cilitarm a di.estlo, cow., por exsmet, do
sua Panee.!nta.
0 preceito de hygiene mais impotaute,
t-ordm mais desprezado A este : GoGtor
,nuito para reparar muito. E' esate o e.
Sgredo da saude, e durante muito tempo os
menus estueo, tiveram este assinpto peor
.principal objeeto; aldm d'isso, a mminha si-
tuapo de medico na Repa-tiCai de Benefi-
cencia d'esta cidade, em qu os ,escrofulosos
.e iymphatisos abundam uora de medida me
,permittem fazer muit.j felizes Vpplicaces
.de seus excel'lntes products. ,
SAcha-se o deposito de tao valic amedi-
camento na, Pharmacias e Drogarits d'essa
cidade. E' preniso cuidar em recoiiecel-o
e nao sceitar aa imitacbes. exig 4o ',e
miawqrt'radetrVLVHOD lU lM


3
^
4
, 4
f 4
^
; ^
<
^
I
4
<
I
t
t


I




I


0 (ak0 &4Z44


(Ayers air Vigor)
A3 C4
o; '114
4 TALIDADE E CCR itUAE

PAMO 0CAREUFl,
TORNAND-0S
MACIO, FLEXIVEL E LUSTROSO.
Preprado oelo DrJ.CAY[RaCIA.[oVeltMa-sstUn


DEPOSIT GERAL
13-Rua Primelro de Mlaro--i
Rio de Jandeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMSION HOWIE &t C,
N.---3 Rua do Cqmmercio---N.---3 /
A venda em todos as boticas e drogarias.:

Jardim dis plants
Rua do Mondego n. so80
Sapotiseiros e sapoteiros muito ,randes e eo
pados, ean lo fructo, a 4.5 e a 3;, segundo o ta-
manho, c descendo atW 10, coin seis palmos. Corn- .
prando-se mais de dez faz-se abatimento. HA
outras muitas plants tambem para prcos conm-
modos.

Ensino primario e se-,

cindario
Uma pessoa habiiitadd, tendo aberto urma aulA
de primeiras lettras e de outras matcrias, t ruat
do Coronpl Suassuna n. 251, assim o faz public
para ser procurado pelos interessados. Tambem
se presta a ensinar em cas:is particulares
Precisa-se dc dous crnempregados para service
braual na rua do Aragao n. 37.
Francisco Machado dia Cunha Pedrosa veto
pelo present agradecer a todas aquellas pessos
que se dignaram assistir ao enterramento do ca-
daver de seu infeliz e minuito presado filho Juveli-
no Machalo da Cunha Pedrosa, e missas que, ema
suffr gio dalrna de dito finado, foram resadas no
setimo dia (r-quclle infausto passamento. A todoe,
pois, o sen c .erno reeonhecimenteo
D lMaria Miranda
Marcionillo da Silveira Lins e sua mulher D.
Carolina de Caldas Lins, mandam celebrar ru
missa na matriz da Escada, segunda-feira, as 8
horas da manhbi, setimo dia do passamento de sUa
presaaa prima D. Maria Severina Lins de Mirag-
da; e para esse auto religioso convidam a seim
parents e amigos.


Ama
Precisa-se de uma ama para casa de pequena
familiar : a tratar ua rua da Penha n. 21, pri-
meiro andar.



Atteneao

Nesta typographia ven-

dem-se as obras se-

guintes e romances
AMPHIGURIS, canticos e satiras por E.
de Carvalho, 1 volume 2405
JEROME SAVONAROLE, volume 2S
MANUAL MERCANTILE
APONTAMENTOS PARA M1S'!) ^-
RKIA- 1_DS- JTSUrTAS, 2 volumes 304()*
ESTUDOS.HYPOTHECARIOS 2j5W
EXPOSIQAO UNIVERSAL de 1873 2fO
SATIRES DE PERSE 2,0W
MARINHEIRO ARTILHEIRO 15o
REVISTA mensal das decisSes proferi-
das pela relaeao da c6rte em proces-
ses civeis, commerciaes e crimes, coor-
demnadas peie bacharel Joaquim
Maria dos Anjos Espozel, 3 volumes
encadernados
APONTAMENTOS sobre o contencioso
administrative e sobre os privilegios
e prerogativas da administra~ao nos
contractos e transace es que celebra
corn o poder public, por Henrique
do Rego Barros, 1 volume enc. 3O00O
STATUTEN der Koniglick Preussiochen
Rheinischen Friedrich Wilhelms Uni-
ver sitat. Offizieller Abdruk, 1 vol.
encadernado 5O00O
NOVOS apontamentos de origem allemu
para o estudo das questoes relatives
A a edncaeao national, collegidos pelo
Dr. Joaquim Teixeira de Macedo, e
publicados por ordem de S. Exc. o
Sr. conselhciro Barao Homem de
Mello, J volume em brochure 3^000
COLLECCAO das leis geraes do imperio
1827. 1 volume brochado 3AS50S..
Ditade ditas de dito 1828, 1 vol. brochado 2 5OS
Dita de ditas de dito 1878.2 volumes bro-
chados 5A005
Dita das leis proviuciaes dc Pernambuco


1875, 1 volume eneadernado 1O091
Dita de ditas das Alagoas 1835 A 1872,
6 vols. eneademrnados 124006
BEVISTA do Institute Archeologico de
1863 A 1872, 2 vols. encadernados 5O001
ORDENS DO DIA do exercito (do Pa-
raguay) 11 volumes brochados 12500
FALLAS DO THRONO de 1823 A1872
1 vol. eneadernado 5A000
N. B. Faz-se abatimento a quem compi?
todos.


Este remedio precioso tem gozado da acceita-
qo public durante cincoenta e sete annos, com-
egando-se a sua manufacture e venda em1 827.'
Sua popularidade o venda nunca for-o tao exten-
sas como ao present; e isto, por si mesmo,
offerece a melhor prova da sua efficacia maravil-
hosa.
Nuo hesitamos a dizer que nao tern deixado
em caso algum de extirpar os vefines, quer em
creangas quer em adults, que se achardo afltic-
tos destes inimigos da vida humana.
Ndo deixamos de receber constantemente
attestaes de medicos em favor da sua efficacia
'admiravel. A causa do successo obtido por este
remedio, tern apparecido varias falsificages, de
sort qu deve o conmpradar ter muito cuidado.
examinando o lum n e inteiro, que devia ser


RSTOMC


ea, torrea-n. 107


I F,







- I i


-..'-''


*ylz


A A

























RTE
L i12 DE Ju:BgI 180


COMPOSICAO.
DE

Firmino Candido de Figuoiredo


Empregado corn a maior efficacia no rheumatismo de qualquer natureza,
em todas as molestias da pelle, nas leuchorrh6as
ou flores brancas, nos soffrimentos occasionados pela impureza do sangue,
e finamhnente nas differences f6rmas da syphilis.


PROPAGADOR

Antonio Pereira da Cunha


M-
mPorque tornei-me propagadorC
';- v--, oit que es:a interrogaiao ha de ser formulada, apresso-me em destruir quaesquer ma&gnas iaterpretagSw, qq4 por ventura
S a t- : :i tribnir-lhe osque virem corn estranheza figurar o meu nome na propagacao do C04rvba.
t :'i::: 2;o:ivos principles determinaram o meu procedimnento:
r y.l attui'laicnte propenso a auxivr qualquer industrial nova, urmsa vez que resulted do seu desenolvimente qualquer beneficio e
.i pror";i~t,:Ie parar o meu palz.
,a. 'in ha ualidade de industrial entendo que ha nisto o cumprimento de um ever, principalmente quando se trata de urma inven-
o < 4;c,', aproveita a toda humanidade soffredora e cujo autor nao disp6e dos recursos precisos par fazema fructificar e ser util.
I ,rCi- mrae prtpagador para ausxiliar uma utilissima invendo.
i N :,iha inualidade de commerciante seria loucura atirar e comprometter capitaes, que de future h1o de constituir o patrimonio de
i pcus fil-oc, pra unicamente gozar da satisfaKio intima de ser util a todos corn sacrificio de minha familiar.
Por iiiso j*iuui tambem do meu dover, ao mesmo tempo que punha a disposiqio dessa nova invencAo o men nome, o r.eu credit
e os mecus capimaes, contractor corn o illustre inventor, que correriamos socialmente a mesma sorte.
S D'ahi o contract de sociedade que nos prende a mirm e ao illustre inventor.
S Consegauintemente tornei-me ainda propagador para explWorr om',erecianwnteewa invenf*o.
T Do que se segue ver-se-ha a demonstramqo do que acabo de affirnmar.
Ha algans annos, que o illustre Sr. Firmino Candido de Figueiredo, home de intelligencia pouco commum, e de urma aedvidade
persistent, applicou-se ao estudo e investigai5es, que deram em resultado o descobrimento de um poderosissimo medicamento cotra
Salgumas enfermidades que t~m a sua sede na impureza do sangue. Depois de aturadas experiencias, que levaram-no a adquiir itaba-
lavel convicAo da efficacia do seu medicamento, o Sr. F. Figueiredo procurou obter os meios de fazel-o conhecido e util.
Bateu a muitas portas e nenhuma se Ihe abriu; ate que sendo-me apresentado e especialmonte recommendado polo Exm. Sr. Dr.
JosG Marianno Carneiro da Cunha, digno deputado A Assembl6a Geral, informei-me minuciosamente sobre as distinctas qualidad9p do
SSr. F. Figueiredo, do seu character, da sua sinceridade e bOa fe e specialmente acerca da sua capacidade e do seu medicamento.
S Fiz mais ainda: quiz eu mesmo fazer as experiencias, que j& tinham sido feitas pelo inventor.
S ~Appliquei o medicamento a diversas pessoas, e at as de minha familiar, e eu mesmo experimentei-o.
0 resultado nao precise dizer que, que excedeu a minha espectativa; basta, para proval.o, o facto de associar-me ao Sr. F. Figueiredo
Sp6r immediatamente A sua disposiqio os recursos necessarios a propagacao da sua desooberta.
SUrma dificuldade surgio: o inventor nao tinha um titulo official de sua capacidade, emfim nio e pharmaeutico, e muitos lnvejosos e
outros tantos despeitados, posto que titulados,poderiam pretender embarac&l-o, antepondo-lhe as malhas da noswa official regulamentaqao.
S Ainda bern que a historic esti cheia de nomes de inventories, que nunca tiveram titulos officials, reconhecendo ou presumindo as
K conhecimentoo scientificos relatives a suas invenq6es.
E entire n6s mesmo, quantas muitas vezes a tisana domestica nao tern side subsipta e ado ptada pela sciencia dos Doutores ?
S 0 medlcamento do Sr. F. Figueiredo produzira menos effeitos terapeuticos polo facto de faltar-lhe urma particular de tintura wiefti-
ft o d[ do (7yur b a aoillustrado e criterioso exame daluta d irene Pubic.a do Rio de Janeiro, a qual conceded a devida approvacao,
ia pelo que igualmente foi concedida a respective autorisan'ao per decreto imperial para a manipulateo e venda do referido medicamento.
'S A approvacao da Junta de Hygiene sera bastanto para impdr respeito aos sectaries do officialismo.
Sendo o Caj4rubba um composto de products vegetaes, tendo per base o cafi' e a Jurubba, products estes que tern de aer apro-
veitados em umna poca do anno, deliberci construir e montar na cbacara do Sr. Major Luiz Cintra em S. Amaro armazens onde se en-
S contram machinismos e apparelhos par fabric do vinho e alcohol do cajfi, empregados no Cajirubba e bem assim sern o tambem
montados os apparelhos aperfeigoados e indispensaveis a manipulate" do medicamento.
I Em takes condigoes brevemente ficarei habilitado a& satisfazer as encommendas ja feitas e as que do future so fizerem.
SParn provm a efficaia e optimas resultados do emprego e uso do $04'ubba, chamo a attenCio dos leitores para as attestados e mo.
,lestias que foram combatidas e inteiramente debelladas per este medicamento.
Firmam os attestados pessoas onhecidas e de elevada posigo social, cujo credit nao podorl sor post em duvida.
Sendo, pe6m, costume considerar-se graiw taes attestados, preciso desde )a assegurar que nao sa o elles fictios: so, pos, algum
Sduvidar desta affirmagIo e onseguir provar per meiws legaes a falsidade ou groodade delles, receberi a quantia de .3000$M, quo me
; obrigo a pagar.
bfl Pawr que o public tenha conhecimento dos resultados que for obtendo o Otrub&a, publicarei um boletim trimensal em que se
Mpassaro em revist a os nomes das pessoas e das molestias em que o medicamento fOr empregado, send tudo comprovado portestem ha
S"irrecusaveis.
Desejando ser util aos que soffrem e dar a devida propagai o ao Cajrubfa, tenho enviado a alguns lustrados elinicos desta capital
um certo numerao de frascos do medicamento, afim de que possam eles reconhecer. os efeitb salutares deste.
S Creio ter respondido cmnvenientemente interrogaao formulada e aguardo as factor e a opinifio public sobre o men procedimento.


Attesto, que em Agosto de 1881 regressou minhia.
familiar da capital do Para para esta cidade, vindo
-minha-mulher muito incommodada de urna forte
erupgAo pelo rosto e parte do corpo. a ponto de quasi
nao durmir as noites. No Part, bem como aqui,
sujeitou-se a tratamento medico por muito tempo,
sem jamais o mal desapparacer. Em Abril deste
anno, ja descrente de tantos remedies, e ser] resul-
tado algum, resolveu-se a tomar Caj(iirubeba, reme-
dio que me foi indicado por meu mano Francisc.,
por ja ter applicado corn feliz exito em pessoa de
sua familiar. Corn dous frascos ficou restabelecida
Se at6 hoje a melestia nao voltou. Recife, 6 de
Agosto de 1883. Dr. Gervasio Campello Pires
Ferreira (Desembargador da Relaq o de Pernan-
d buco).
Attesto que empregando o preparacdo denomina o
Cajirubba no tratamento de dous casos de arctrite
rheumatismal chronic obtive o major resultado.
E' a verdade. Recife. 23 de Agosto de 18;81. -
Dr. l7defonso Theodoro Martins (Medico pela Fa-
euldade da Bahia).
Recife, 10 de Julho de 1881.
Illm. Sr. Firmino dandido de Figueivodo. Jos6
Caetano de Medeiros, Tenente-Coronel da Guarda
Nacional e Cavalheiro da Ordenim de Christo: --
Declaro que o seu preparado CajfirubbVba 6 umn pro-
digio! Meu filhoCleofas soffria de da-rtios a p'nto
de se ir tornando uma molestia s6ria; depois de se
ter tratado homeopathicamente e corn mais outros
remedies sem que melhorasse, usou do seu (ajiru-
beba, e antes de acabar um frasco desappareceram
como por milagre. Um outro meu filho soffria de
urma ferida na perna, e depois de tomar a Sfalsa e
Caroba por alguns mezes sem que a molestia obe-
decesse, corn o uso do seu miaigroso Caqjfirubbba
ficou perfeitamente curado. Uma minha neta,
soffrendo de flores brancas, recorreu ao seu prepa-
rado, eem poucos dias ficou boa. A'vista disto nao
devo occultar t-o prodigioso medicamento, nao so
para animal-o em seu trabalho, como para-ensinar
aos -soffredores a taboa da salva9ao. Recife, 22
d bilde b 1883. Jose Caetano'de Medeiros
SCertitico que a preparaqco do Sr. Firmino Can-
Sdido de Figueiredo denominada- Cajurub6ba, tern
sido por mim empregada quer na minha clinic
i- vil, quer na enfermaria de Marinhlia, com magni-
Sfieos resultados anti-syphiliticos, principalmente
ros rieuuatismos; e por me ser este pedido o pamso
: em f6 de verdade. Recife, 9 de Margo de 1882. -
1, lr. TristSo IHenriques da Costa.


E Agosto de 1881. llm. Sr. Firmino
Tigmeirgdo. Residindo em minha
i pretoe, co idade1 decn

-ilim. Sr. Firmino Candido de Figueiredo. Re-
cife, 13 de Maio de 1,8;81. Jalgo cumprir corn um
ever declaraudo ter empregado corn o maior suc-
cesso o sen depurativo Caji)rub6ba, preparado vi-
noso comlplosto.
110S0 COPflipO4Y'0.
Achando-se bast...nte doente, corn um brago en-
trevaodode rheuinatismo, minha mulher, e tendo re-
corrido sem exito algum a various medicamentos,
se;',;indo a s';a )reparaqao do depurativo Caj'ru-
beba, duas colhercs das de s6pa pela manha e duas
a tarde, corn poucas d6ses produzio uma melhora
sensivel, ficaudo em oito dias completamente res-
tabelercida.
Desejo que o meu testemunho ihe seja util; nao
posso deixar de aconselhar a todos sua preparacao.
Querendo, pode fazer desta o uso quelhe convier.
- De V. S. Attento venerador e criado, Joaquim
Ile.'culano Pe.;eira (Caldas Junior.


Attesto, porque vi e observe, que a preta Esco-
lastica n5c andava a quasi 8 annos, tendo as pemnas
completamente chagadas, e cornm o emprego de
Ca/t rubba desappareceram as chagas e comerou a
a.Udar. Recife. 6 de Agosto de 1883. Gervasio
Cainpello Pires Ferreira (Desembargador).
Recife, IG do Dezembro de 1882. I1m. Sr. Fir-
mino Caudido de Figueirkdo. Cabe-me o prazer
de communicar a V. S. que, tendo soffrido durante
4 in.ezes de rheumatismo, acompanhado de inchagao
nas pernas, alem das dores que me privavam de
andar, a conselho de V. S., comecei a usar do Ca-
j.nub.iba, seu preparado, cujo effeito nao sefez espe-
rar; pois somnente corn um frasco fiquei completa-
mente born. No hesitarei, portanto, em aconselhar
aos que soffrem de tal molestia que recorrdo aquelle
efficaz remedio.
Queira V. S. aceitar esta minha declaraAo, e
fazer della o uso que Ihe aprover.
Aproveitando a occasido, manifesto a V. S. a
estinima e consideracAo com que sou-De V. S. atteri-
cioso amnigo-e gratissimo criado, -Diogo Carlos de
Almeida e Albuquerque. "
111m. Sr. Firmino de Figueiredo. Tendo o Sr.
Emigdio Henrique de Paiva Filho, que estava sof-
frendo havia muitos mezes de -rheurnatismo, feito


uso do medicamento denornitado Ca3drubba.
corn um s6 unico frafco, que i.e trouxe, desappxee-
ceram-lhe todos os encommodos-d6res, fastie,
etc. ao ponto d& julgar-ee perfeitapente curado,
segundorme deei1aro: -
P6de V. S. fazer desta o iueo qie )heon vier.
Queira dispbr do.ese:,oi -Veuerldoe. -
S. Jos62,8deJullhode,88


(J


j(b~


IAC C

AffM ADORI kBQ UBBTO11BIII


&
f


S

















































.3.


S


MIGUEL WOLFF & C.
Participam ao res-
peitavel public, que
continuam ter um sor-
timento de joias das


Imais modernas


e dos


mais apurados gostos.
Compromettem-se
a vender mais barato
do que em outra qual-
quer parte.
S Ria o c nio. 4 i

VEIDAS
Vendo-se um engenho o melhor possivel d'a-
gua, eopeiro, corn roda de ferro, nova, moexNa de
quatro paIlmos, panadura e grossa, parol de cobre,
e assin os vaseos do assentamento e o alambique,
corn distilao muito boa, corn agua corrente, for-
mas de ferro, estufa, balcoes e deposit para assu-
car; tern as obras de tijolo, grande casa de viven-
da (sobrado), corn 3 salas, 8quartos, todos com
janellas, um alpendre ao logo de today a frente,
eapeU nova, senzala, estribaria, casa de farinha
e de bgas ; vende-se tambem a safra, rooas,
burros e quartos, algum gado de criax, e uma
propriedade unida so engenho, de boas terras, e
quoe da umengenbo muito facU d'agua. 0. engenho
tea ares," "orrego s largs, A grande e temrn a
maior part d terras cobertas corn mattas e ea-
poeiroes, tem o terreno para. fundar a proxima
iaf j prompt e plantaudo-se, alnm co mo cer-
-b4o satido e cezens Isitas. 0 proprietario fUr
a as mo-el... us iw e te. ret h-se par o


W U. .5, P0i
1. 2, armam

Nova


deo Cs-


uee m ao respeI
-viepuleu gran-
e varado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto reee-
berm directamente.
Todos os relogios
Vendidos n'esta casa
sao garantidos.

118 Cahio 11. 4

Sitio no Salgadinho
Aluga-se um sitio junto a estaao Teixeira Lo-
pes, corn grande casa de vivenda; a tratar na rua
do Impe. ador u. 16, armazem de trastes.

Ao coimercio
Antonio Netto Carneiro Leao nao podendo sa-
tisf4zer seus debitos em vista dos graves prejui-
zos que tern tido corn a molestia das cannas, e
sendo accionado por Tavares de Mello Genro &
C. e Ernesto Leopoldo, como consta das acqOes
que correm no juizo do commercio da cidade do
Recife, tern resolvido entregar todos seus bens
para pagamento, e por isso convida a seus cre-
dores a virem ajuizo tratarem de seus direites
para que nao fique alguns delles pretcridos. En-
tendendo-se na cidade do Cabo corn o seu procu-
rador Rotilio Tolentino de Figueiredo Limna, que
por elle se acha autorisado para esse negocio.
Cosinheira
Precisa-se de uma cosinheira : nos Afflietos,
sitio onde esta a estagio do Espinheiro.
Ama
Precisa-se de uma ama que compare c cosinhe,
para casa de pequena familiar : trata-se na rua
Duque de Caxias (antiga das Cruzes) n. 39, pri-
meiro andar.

} Leite de Alvelloz
I Conservado e garantide pelo pharma- }
{ > ceutico \
I Anonio I. Veras
SCada vidro corn as instrucqoes 3W000
Os effeitos obtidos pelo lefte de alvel- U
I loz do nosso estabelecimento, sio a me-
i hor garantia para quem desejar ter es
te remedio puro. U
{ jfarmsmacia Pewnaiombucana
B=a do Cabugaq n. 11



Jeaquim Frauaciso Vieira, professor de canto,
e ona esposa Germana Vieira, profeseora de piano,
teem a honra de annunciar ao respeitavel publico
de Pernambuco, que'se aeham nesta cidade aptos
para dar lies de canto (escola italiana) e piano
pelo melhor method conhecido na Europa; quern
desejar utilisar-se de seus prestimos, p6du procu-
ral-os no hotel de D. Antonio, Caminho Novo, ou
deixar o home e morada no escriptorio do Sr.
commendador Luiz Jose da Silva Guimaraes, no
Recife, rua do Commercio n. 5. n


transparentes, tend 10 jardas cada peqa
a 46, 4X500, 51 ejt6 7;000
De todas estas fazendas se dao amostras corn
penhor, na loja dos barateiros da Boa-Vista, es
quina do becco dos Ferreiros.
Brim pardo

Covado a 360 rs.
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, vende-se
brim pardo liso, proprio para paletots, calas e
roupas de crianga a 360 rs. o covwdo, isto per ter
um leve toque de mofo, que larga logo que se
molhe; A grande pechincha ; na loja dos bara-
teiros da Boa-Vista, esquina ao becco dos Fer-
reiros.
FarinkaLactea
Nos primeiros mezes a alimentaco mais
natural e apropriada para alimentar a crian-
9a de peito 6 o proprio leite materno o qual
em caso de necessidado deve ser substitui-.
do pela
FARINHA LACTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a fani
uha Lactea come poderoso element nu
trictivo para a infancia e districts medi-
cos do Brasil e da Europa reconheceran
ser A do Dr. FRERICHS a melhor n'este
genero.
Deve-se pois evitar confiar o filhinho
uma pessoa estranha e de comportamento
nlo conhecido muitas vezes o germen
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farinha Lactes
do Dr. Frerichs:
55 RUADOIMPERADOR 55
,Estadeeimeno de muasiw e piano do Vic
torPr&dle

AVISO
Adamson Howie & C. tem paro tender:
Nmho do Porto inoame caixa e bods.n
Whisey Donville vedadairo '- '
TI*'At;Hir: l'.: do l */ ipap bo qul kb*1; 1; 1 *."'L


@-Rua


-40


tura
Demonmiada Aurora
EstdA em exposigo a ruma do Barao da Victoria
n. 30, loja de Antonio Pedro de Souza Soares &
C., a nova machine ; cose cowt dous carreteis de
linha, pedendo ser de 500 jardas cada um, e
f6rma os dous pospontos como se fesse de lanca-
deira, e de grande vantagem. No mesmo estabe-
lecimento tern censtantemente um grande sorti
monte das melhores machines de costura do todos
os principaea fabricantes, e vendem em porcao e a
retalho sempre por preos muito razoaveis ; na
rua do Barao da Victoria n. 30.

Liquidaiao a dinheiro
DE
Fazendas finas e grossas

ArUN o i i or, mDrfias a

itros obioctos noassariosa

Z -Rua do Barao da victoria 0
0 proprietario deste
important estabebe-
leeimento de fazendas,
tendo de se retirar
brevemente para f6ra
da provincia, resolve
vender por todo o
prevo, para acabar!
os artigos acima espe-
cificados e outros de fi-
nissimo gosto eultimas
modas!
Nota-se que esta
grande loja de fazen-
das finas, foi aberta a
concurrencia public,
no come o do corrente
anno e portanto nao
tern alcaides!

Trastes
A' ma do Imperadorn. 16 compra-se, vende-se
ninga-se e troea-se nonos e nsados.

Fazendas

Para vestidos
Setinetas lisas e lavradas, sendo eom as
cores e lavrores o mais honito que tern
vindo ao mercado a 500 rs. e 640
Ditas muito bonitas, corn barras largas e
estreitas, covado 640
Gorgoroos bonitos de 1l, lavrados, para
vestidos, tendo de todas as cores, co-
vado 640
Merin6s de ums s6 cor, tendo de todas as
cores, fazenda de gosto, covado 500
Fustoes broncos, proprios para vestidos e
roupas de criancas, de 440 rs.. 500 e 640
Cretones com barra o muito encorpados,
proprios para vestidos, camisas e roupas
de crianaas, covado a 360 rs., 400 e 500
Chitas, grande sort'mento de chitas claras
e escuras, de cores fixas, de 200, 240 ate 400
Mariposas, as mais lindas mariposas que
tern vindo so o ercade, corn desenhos miu-
dinhos, co 7ado 360
Baptistes corn delicados desenhos miudi-
nhos e graudos, assim coma Uses 200
Cambraias brancas tapadas e transparentes
corn 8 jardas a peca 3A000
Ditas mmito finas, tanto tapadas como


a lythographia da rua de S. Bom Jesus (outr'ora
Cruz) a tratar na mesma.

A 28300
Farinha
Saccos grandes : na Madre de Deus n. 28.

CRAVOS E FLORES

Na rua da IUniao i.

55, ha sempre para se

vender craves e flores


GANTi1A DO ABLL0

UJSE E AFEf1A
Chegou nova re-
messapara a Livraria
Franceza, a rua 1. do
Mar9o, n.

UNICO DE POSITO
Preco 800 ris.

Febres inmmillentes
Chamadas vlgarmente SEZUES
Cura rapida e certa pela
AGUA ANTISEZONATICA
de Rouquayrol Irmlos.
Estepoderoso preparado e reconbecid& bojo
uts.t&uobesti

Nao bBIeC fra eta B
A. *"
RUA DA CRUZ (R


vEN'ZDE-SE
Madalpol, peas de madapolbo franee.
enfestado com 12 jardas a 3S000
Dito muitolargo corn 20 varas a 4 4000 e 6A
Dito, faizenda muito .encorpada quo pa-
rece eretone, eomr 20 varas a 5A500,
6$000e 6AW00
Dito francez, americano, fazenda muito
fina e encorpada de 7 at 1000
Algodio enfestado corn 9 panlmos de lar-
gura para iazer lenc6es de um s6 pan-
no, metro a 900
Dito trancado corn a mesma largura,
proprio para lenc6es e toalhas do
mesa, metro a 1j200
Bramante de algodao corn 10 palmos de
largura, proprio para fazer lenc6es de
um s6 panno, metro 1028%
Dito francez, sendo de linho, metro a
10800e 29000
Dito inglez de quatro larguras, sendo
de linho, metro a 23500 e 2A800
Lreguellas proprias para lenses, toa-
lhas, ceroulas, sendo fazenda muito
encorpada, cada peca corn 20 varas
por 10A800 e em vara a 500
Ditas corn a mesmra medida a 800 rs., ou
varam a 400
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
tro a 1;800
Assim como um oompleto sortimento de
pcas de algodaozinho americano e
inglez, cque se vende por peca de 33 atW 630A
Isto na loja da esquina do becco dos Ferreiros.
Casemiras de cores
De 2:00t0 at 6:000 rs,
EBrow Dor flBea
Alheiro & Silva A rua da hiaperarriz n. 40, tea
um immenso sortimento de casemira de cores,
tanto claras como escuras, que veneem a 24000,
2500, at6 6A o covado, e das mesmas mandam
fazer qualqu, rpcca d'obra ou costumes, por pre-
qos muito ra oaveis, assim como tern tambem um
explendido sorting ento de casemiras e pannos pro-
tos ate ao mais fino sedA que vein ao mercado, e
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer pe;a de roupa a vontaue do fre-
guez e corn toda a perfeiaoo e presteza : isto ua
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina do
becco dos Ferreiros.
Merinos pretos
alO200,I 4I00, 29000 e 1200
Os Barateiros da Boa-Vista, a rua da Imperatris
n. 40 tern um grande sortimento de merinos pretos
para vestidos que vendem de 14200 ate 25200,
sendo muito b6a fazenda, assim como ditos eneor-
pados para roupas de homes e meninos que ven-
dem muito barato, na loja da esquina do becco dou
Ferreiros.
Lilos a 160 ris
Os Barateiros da Boa-Vista vendem muito bo-
nitos linhos de uma s6 c or e de listrinhas para
vestidos, sendo a 160 reis o covado e de cores fixas,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do beceo
dos Ferreiros.
Brim pardo
Covado a 360 ra.
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, vende-se
brim pardo liso, proprio para paletots, calcas e
roupas de criancas a 360 rs. o covado, isto por
ter um leve toque de mofo, que larga logo que se
molhe, A grande pechincha : na loja dos baratei-
ros da Boa-Vista, esquina do becco dos Ferreiros
Fust6oesa30 440,500
e 640 rs.
Os barateiros da Boa-Vista a ruas da Impera
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus
toes brancos, proprios para vestidos e roupas de
criancas, pelos preces acima indicados : isto na
esquina do becco dos Ferreiros.
Setinetas 500 e 640
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, ai esquina
do becco dos Ferreiros, vende se um elegant sor-
timento de setinetas, tanto lisas coma lavradas,
send as cores mais bonitas que tern vindo as
mercado a 50' e 640 rs. o covado; assim come
um bouito sortimento de lasinhas lisas e lavradas,
proprias para vestidos, de 5 1 ate 8( 0 rs., A pe-
chincha : na loja doe barateiros da Boa-Vista.
Espartilhos
a 4i e 5o00o
Na loja da rua da Imperatriz n. 40 vende-se
muitos bonds espartilhos paia senhoras a 55000,
ditos para meninas a 45000, assim coma un be
nito sortimento de fichuis a 35000 ; isto na loja da
esquina do bocco dos Ferreiros.
Vende.se


4













2'


4











1-


Re3


Jul
























B vuji-juappbD. 4bu .qmrUnTO MIM'. -.1,*
Iam a imdida. E' falso ququor
F Ro da policia. GritAria da oppo-
a90 *oc/i$6 qc ldo encerrameato da 4isk
CUusle 1 .a....'] is. As galerias fizoramn
ife a( opra e contra e semr exeesso.
Assembl6a em segunda proroga io e as
lois de meiosem segunda discussion, ainda,
s endo esta a causa do encerramento propos-
S to e approvado. NIo me consta que hou-
S vesse protest de deputado da maioria.
| Sao estas as informagoes prestadas polo
president do Pernambuco. D'ahi so ve
que ha duas verses sobre os acontecimen-
Stos: a do telegramma que recebeu o hon-
S radio senador pela minha provincia e a do
que acabo de ler.
Por aqui se ve que nio houve (o presi-
dente da provincial assegura) intervengao
da policia -no recinto da Assembl6a Pro-
vincial.
Acredito que as scenas que alli se pude-
ram dar, foram entire os deputados da
maioria, e minoria, e por conts delles devem
corner, e nao ser langadas A conta das au-
toridades ou do governor.
Permitta-me o honrado senador quo lhe
digs quo quando referiu-se A policia actual
da nossa provincia foi injusto polo me
nos relativamente. Estes factos sAto de to-
dos os tempos: eu nao quero dizer que a
policia do Pernambuco seja melhor do quo
a de todas as outras provincias, do quo a
de todo o Brasil, quo so faca hojo alli mui-
to melhor do quo em outros tempos; mas
quizera que o nobre senator fosse mais
razoavel, ao ponto de reconhecer que polo
menos a policia do hoje 6 como a de ou-
tr'ora, porque toda ella 6 filha da mesa
organisag~o, today ella 6 coinposta da mes-
ma maneira.
Nao creio, pois, que estejamos em umn
estado exceptional a este respeito na pro-
vincia de Pernambuco ; me parece que se
procura escolher para estos cargos as me-
ihores pessoas dentre aquellas que osquoe-
rem aceitar.
Os factos a que refcrio-se o nobre sena-
dor, se se deramn (refiro me A policia), se
so deram-se come foram narrados, repito,
nao saio factos do hoje s6mente ; em todos
os tempos, em todas as situat5oes so tern
accusado a policia do commetter excessos-
E eu naIo quero recriminar de mode al-
gum, digo ao nobre senador corn sinceri-
dade.
Mas, a respeito de espadeiramento, qual
foi o mais grave, qual o facto da interven-
9o de policia nas ruas da cidade do Reci-
fe, mais serio e excessive do que o que se
deu em 1874?
0 Sr. Joto Alfredo :-EEm quo occasion?
O Sr Ministro do estrangeiros: -Foi um
facto muito discutido na poca.
Eu encaro ests cousas corn certram-
parcialidade; nao supponho que todos os
age ites da autoridade que pertencem ao
partido liberal slo bons, e ruins todos os
que pertencem ao partido conservador;
nao, ache que todes nos temos os nossos
errors, que ha certos factos quo be dAo
nests ou naquella administrrcio corn a res-
ponsabilidade deste ou daquelle ministry.
JA digo, eu podia avanvar mais do que
isto ; mas, emfim, quero que ao menos fi-
quemos nested terreno, pars assegurar ao
Senado que nao repute quo a provincia de
Pernambuco se ache hoje n'uma situa~io
excepcional. Acredito que ella vai se go-
vernando o meihor que pdic ser.
E a respeito dos factos da Assemblea pro-
vincincil o president da provincia infor-
ma quo a lei, cuja discussato foi encerra-
da dando lugar as reclamaoes da mino-
ria, estava ema discussito ha dons mezes.
Ora, bern v6 o Senado que nao houve
proposito do abafar a discussseo; o regi-

FOLHETIM


0 RMLRETA

POR


G. PRADEL


(Continuaglo do n. 131)


On ilboes la tia


-NAo, mas parece que tinham um pre-
aentimento. # E' muito bonito este luxo,
repetia-me ella, mostrando-me os objects
que a cercavam, 6 muito bonito ser-so ban-
queiro, millionario. Mas tudo isto des-
morona e uua manhi acorda-se na mise-
ria.
Na miseria!
E' numa maneira de fallar. Ella nao
e na miseria, mas creio que nbo 6 rica.
Deixaram o palacete que habitavam no
parque Monceaux e tomaram um modesto
S aposento na rum de Londres.
Pobre menina!
--Coa certeza, pobre menina !
SE' muito ihflis; mas emfim podia ser
peior. GCwraas a Deus tenho, senao fortu-
S a, pelo menow umrs grade abastana,
aI6t 4o si o ,pos e de umn bello future.
A rniiibiuisl 6 esfara-me por cot.io-
fa qea quo escON i ntae todas,; oa
jw-A~eaq w 0qi, pqdeu. E'isto#0


que ells pottem saitimazer o e dsejo que o
Senado padcesao ter de conhecer ofactore-
ferido e explicado per urn e outro lado.
0 Sr. Dantas requer verbalmonte a re-
tirada do-requerimento.
Consultado o Senado, coneedou a reti-
Trada.
0 Str. deio Alfredo vai offerocer
A consideraglo do Senado mais um reque-
rimento, afirm de responder immediatamen-
ao nobre ministry dos negocios estrangei-
ros.
Leu Sr. Exc. um telegramma em que o
president do Pernambuco affirm que o
project da fixa9,Io da fbroa policial estava
em discussao,- havia 2 mezes.
O orador nuIto p6de, no memento, exhi-
bir prova em contrario; mas promette ve-
rificar so istc 6 exacto, declarando desdejA
que vie uma carts escripta em 8 do cor-
reote, na qual um membro da Assoembla
diz quo esperava queaquelle project fosse
discutido para tratar de certes assumptos.
Quanto As outras lois annuals, pode ler
um document que julga sufficient pars
quo e o nobro ministry n. o insists na asse-
veragAo que fez.
O Sr. Shares Brandao ministryo dos es-
trangeiros) Nao insist.
0 Sr. Joao Alfiredo aceita a declara9io.
Corn effeito, nao foi a opposigio conserva-
dora quemn demorou a discussao e adopclo
dos or.amentos provincial e municipal
alen do tempo ordinario da reuniAo da as-
semblca.
VW-se do Diario de Pernambuco, de 9 do
corrente mez, que a commissao de fazenda
e orgamento, compost do Srs. Jacobina,
Arrada Falc.ao e Silvino Cavalcanti, todos
amigos do nobre ministry dos negocios es-
trangeiros, e adhiesos: A fracqa"o do partido
liberal, a que S. Exc. estA intimamente li-
gado, den parecer e offereceu o project
de orgamento provincial no dia 6.
A commissia desculpa-se da demora nos
seguintes terms (1I):
1884 -- parecer n. 159
A commisslo de fazonda e orgamento
vemt, cm desempenho de sou dover, offe-
recer A illustrada consideragio desta as-
semblea o seu trabalho or9ameontario.
( A confecca'o de um orgamento, serm-
pre difficil em condi93es normaes, tornas-so
difficilima diante dos embara9os, quo as-
soberbam as fontes de produc9gAo da pro-
vins is.
S Corn effeito, se per um lade se consi-
dera centre n6s o estado de abatimento e
quasi ruins da agriculture e desanimo do
commercio, e per outro a cessa9gAo inopi-
nada do imposter do consume, e a impos-
sibilidade de se crear impostos, que equi-
valam A verbal hoje subtrahida, tornam-se
bern patented a todos ats s6rias difficulda-
des, superiores As forgasa dcommisslo
para o desempenho abaI da mission que
Iho foi commetifda. "
( A estes inconvenientes, deve-se addir
o deficit crescent do exercicio financeiro
a terminar, e o embarago do cercearem-se
as despezas ja mui reduzidas dos diversos
servings da provincia.
4( Nestas condioes a commission nato p6de
eximir-so de apresentar um project de
or9amento em desoquilibrio, commenttendo
A sabedoria da assemblea preencher-lhe as
as lacunas corn as providencias que a sua
illustra~io e patriotismo Ihe suggerir.
Nato serA difficil verificar-se polos al-
garismos que a commissao elovou a taxa
dos impostos, e creou mesmo novas taxas
sobre todas as classes tributaveis da pro-
vincia, assim come que reduzio alguns
services no intuito de diminuir o deficit.
Per mais quo custasse A commissaro
confirnar o principio estabelecido no ante-
rior ornasento, de se fazer desconto nos
vencimeptos dos funccionarios da provin-
cia, entendeu ella que diaute das circums-


rado parando no meio da phrase e beijan-
do precipitadamente a boa mulher. Adeus,
minha querida Yvonne. Que mandem urma
baleeira buscar me A meia noite no embar-
cadouro da Tbrre Grande.
Atravessando segunda vez o botequim
da tia Bitord, saudando corn a mo os mem-
bros que IA estavam, Roberto do Laitres
pulou pars dentro da carruagem, e o co-
cheiro, fustiganio o sendeiro corn urma for-
midavel chicotada, pars recuperar o ternm-
po, partio a galope em direcio A port de
Italia.
A'quella hera do dia, um calor abafadigo
reinava ainda na estrada coberta de poei-
ra, quo a carruagem levantava em nuvens
espessas e brilhantes.
A estrada que conduz a Sorbes, atra-
vessa ao salhir de Toulon o bairro da Rode,
e deixando o forte Lamalgue A direita, s6-
be quasi em linha recta at6 aos terreuos
elevados que pendem sobre a espagosa ba-
hia Sorbes; estA situada sobre os penhas-
cos quo dominam o augulo cavado enutre o
cabo Brun e o forte Santa Margarida.
A vivenda da Sra. d'Armez e umagran-
de casa quadrada construida no centre de
uma mouta. Nada ha mais bell, mais
gracioso do que aquelle edificio todo bran-
co, no meio d'aquelles verdes crus ou car-
regados: urn bosque de pinheiros mariti-
mos, onfosados oe eneasquilbados pela mis-
tral curoa, o pincaro dos rochedos de um
rubro carregado, aos p6es dos quakes 6 mar
brame nos seus dias der furor.
No tempo calmo 6 urma deliciosa habita-
9.o e do topo d'aquella verdura tem-se
diante de si o azul immenso do Moditerra-
neo.
Dentro em pouco a carruagem deixon a
a estrada para rodar em urna avenida de
soberbos platanos. Paoiu aflnal diante de
um portito atravez do qual seo via a casa.
0 coragbo de Roberto batia corn for9a.
Um jardineiro veio abrir. Tra odo
urnm vestibule ladrilado em quadrados, o
jrven cial acbrnt-sooem u msa%,o'com-.


tomar providencias eat 'rdeih a. qie sefagt&
melhor distribuiigio das' endas servigos
publicos, do modo quo nAo seijah ias pro-
vincias despidas dos reeursos indispensa-
veis ao seu progresso material e moral, o
ainIda per cumulo de males sobrecarrega-
das cornm despezas, que em um systems me-
lhor organisado de administracao doveriam
ser commettidas sos podores geraes.
SA commisslo entende qu o6 de ma-
xima rolovancia, que esta assembl6a inspi-
rarido-se em sea roconhecido patiotismo,
se empenhe em contrarian qualquarmedida
que tends a fazor o accrescimo nas despe-
zas do provincia.
Consta do mesmo journal quo una sesso
de 8 foia imprimir o project de n. 165,
or9ando a receita e fixando a despeza das
cameras municipals no exercicio de 1i884
1885.
E' claroe, pois, que a prorogagAo dos tra-
balhos da assomrnbl6as nao foi doterminada
per obstaculos que a opposi9ao conserva-
dora creasse A passage das leis annuas.
O Sr. Barros Barreto o outros senhores
Apoiado.
0 Sr. Jolo Alfredo continuando diz quo
o nobro ministry negou a mitervenoo da
noticia nas desordens de 26 o 27.
O orador nio pode recusar o testemu-
nho do Sr. Dr. Olympic Marques, e sabe
do outras fontes que taes desordens origi-
nio-se da opposigao quo os conservadores
faziam a um project, quo manda reintre-
gar em urn emprego municipal urn indivi-
duo que 6 hoje autoridade policial, pagan-
do-se-lhe os vencimentos per todo o tempo
em quo do dito emprego foi privado per
deliberaq.ao de urma camera em sua maio-
ria liberal.
O Sr. Scares Brandao ministryo dos es-
trangeiros).
Nao conhego o facto.
O Sr. Joao Alfredo diz que pars essa de-
miss.ao concorreu o vote do um vereador,
quo 6 presentemente 1.- secretario da As-
semblea, e parent proximo do nobre so-
nador o Sr. 4." secretario.
O Sr. Luiz Felippe: -Nao jnstifico o
procedimento, mas ell tern precedentes.
O Sr. Joao Alfredo exclama: oh! os
precedentes!
0 Sr. Luiz Folippe: Digo a V. Exc.
que nao j nstifico o procedimento.
O Sr. Joiao Alfredo nota a facilidade
corn que os nobres senadores fallarn dos
precedentes, e acerescenta, se quereis legi-
timar o vosso dominion como umrn partido ca-
paz do moralisar o paiz, lembrai-vos das
palavras do grande conquistador: quem
quer victoria duradoura nio imita o Ven-
cido. (Apoiados). 0 quo tender corn os
precodentes ? So sio maos, fazei o contra-
rio : fazei o vosso dover. (Apoiados.)
Fallou o nobre ministry los estrangoiros,
e falls sempre, do sua m oderago q o
orador nao poz em duvida; mas 4esja
quo S. Exc. possa transmittil-a aos seus
amigos.
Apezar do esua moderaglo o nobre mi-
nistro quiz lan9ar-se no terreno das recri-
minagoes e recorder um facto do 1874.
S. Exc. refere-se a um facto muito dis-
cutido, sancionado pela opinibo publics e
declarado legal pelo supreme tribunal do
justi9a unanime, na qual figure como juiz
o nosso vonerando collega senador polo
Rio de Janeiro, o Sr. Chichorro da Gaama.
Quo compara9.o pode ter o facto do 74,
quo consistio na represseo da desordem e
do crime, corn os assaltos As casas e As fa-
zendas, o corn os roubos org-anisados, come
consta ainda hoje das noticias publicadas
polo Jornal do Gommercio ?
Em quo 6poca. viram-se em Pernambu-
co as quadrilhas de ladroes percorrendo a
provincia e demorando-se em diversas lo-
calidades, sorm quo a policia se incommode ?


tornando-se cada vez mais densa, escure-'
cia o aposento. ,
Cousa singular, urma tristeza infinda in-
vadio o coragao de Roberto, no moamento
de tornar a ver aquella crean.a que ado-
rava, aquella menina de quern ia fazer sua
companheira e da qual por tanto tempo es-
tivera separado ; sentia um cansago moral,
um abatimento deo tode o seu ser. Acjuello
memento corn tanta iapaciencia esperado,
encontrava-o sem alegrias. Um presenti-
monte funebre acabava de apoderar-ge
d'elle, sentia quo um violento desgoasto ia
cahir sobre elle.
Nito teve, por6m, tempo de analysar os
sentiments quo se Ihe agitavam na almne.
A Sra. d'Armez appareceu na ports do
salho.
Estava toda de preto, polo luto de seu
ir lo. 0 seu acolhimento foi ,dos mais
cor tiaes. A sua voz era triste, coino que
o 6co da desgraga que havia ferido aquella
familiar. Era uma senhora idosa, deo as-
pecto meigo e grave, e desde logo o joyen
official sentio per ella urna sympathia real.
Nao 6 pars mim um desconhecido, es-
nhor, disse ella estendendo a nao a Ro-.
berto, porque minha cunhada e minhba so,-
brinha, me tern por diversas vezes fallado
de si. Seja bem vindo, e se Ihe for agra-
davel, durante a sua, demora em Toulon,
consider esta casa come sua, so a voz
tremen-lhe ligeoiamente e teve umns pque-
na hesitagio-se os meus antigos projeoctos
nao estlo mudclados.
0 Sr. de Laitres nao ouvio o fim da phra-
se; a porta acabava de abrir-se e a Sra.
de Vanni6res e sua filha penetravam nosa-
lio.
Ambas, como a Bra. d'Armez, estavam
de lutopesado.
Ainda que o esperasse, aquella car ne-
gra assuatou Roberto e feria.o no COM.-
:A Sra. deoVauikres oeas afila ltVS
muito consmohv4ia,- e nso p6diat'ini|fl


asPg ioe; esesfieaos S. Eke. bem o0
^ ^s^e dera no tempo, dos conser-
s em -utras 6poo-" de que o
0bre winistro so ha doerocordar.
O0 Sr. barbo do Mamore: -E as dupli-
C'atas da Assemb6Aa' Provincial como a do
ParA.?
S0 Sr. Joao Alfredo diz quo opportuna-
mente diseutirA no senado corn o nobre mi-
nistro da justiga, so 6 vordado quo a se-
guranga individual e a tranquillidado pu-
blica nao devena inspirar grande cuidados
ao governor.
E' um assumpto quo interessa a todos,
quo dave estar acima das divergencias de
partido. Muitas vezes o orador toern dito
aos seas adversaries que estA prompto
para ajudal-os neste terreno; quo se devem
empenhar pela repress.Ro do crime e para
que se mantenha o imperio da lei.
O Sr. barao do Mamor6: -Apoiado.
Nao se corrigem crimes e abuses procu-
rando-se innocental-os.
O Sr. Joao Alfredo: -E' de. que se
queixam; quizera franqueza e coragem para
so comrbater o crime, mas em vez disto
encontra a negaglo systematic e a defesa
ex-officio das autoridades que procedem
mal. (Muito bern, muito bemrn.)
Foi lido, apoiado e posto em discussion
o seguinte
Requerimento
Requeiro que, pelo ministerio do im-
perio, se pega ao gverno informagao sobre
a data em quo foram postos em discussion
na Assembl6a Legislativa de Pernambuco
projects de leis e orcamentos provincial e
municipal. J. Alfredo.
0 Sr. Soares Brandio (ministro
do estrangeiros:) :-Sr. president, depois
do que acabei de dizer, seria ate excusa-
do quo voltasse do novo a occupar-me do
assumpto, mas fago-o ;principalmente em
attengdio ao honrado senador por minha
provincia.
0 debate amplo sobre os factos argui-
dos, corn relacgo ao estado de seguranga
na provincia de Pernambuco, arguidos polo
honrado senador na'o tern lugar proprio na
discussao de requerimentos na primeira
hora dasessAo, isso dove ser reservado para
um campo mais largo, em occasiao mais
competent; todavia, direi algunas palavras
ao honrado senador.
Ora, Sr. president, eu pensava que ti-
nha sido o mais razoavel |possivel, ao ac-
cusar o honrado senador, as autoridades
policies de Pernambuco,-dizendo-me; a
policia do hoje 6 como a de outr'ora cornm-
poe-se do um pessoal mais ou menos some-
lhante, a organisaglo 6 a mesa, por con-
sequencia so se dao abuses, sao abuses de
todos os tempos, sio abuses que estao na
ordem natural e at6 certo ponto inevitaveis
0 Sr. JobojAlfredo dA um apart.
0 Sr. Scares Brandao ministryo de es-
trangeiros): -V o senado quo eu at6
nesta occasiao nao tomei a posiglo que tal-
vez devera ter tornado de fazer comno o
honrado senador; slo accusados os meus
amigos? Pois bemrn; ea devia dizer es-
ses slo muito bons, sao optimos, os ou-
tros 6 qge salo -ruins; mas noi quiz che-
gar a easbe ponto e comparando as autorida-
des policiaes da situacao actual corn as au-
toridades policies da situaceo couservado-
ra, pensava que tinha feito a maior con-
cessio possivel.
0 Sr. Joao Alfredo; -Nao tinha.
O Sr. Scares Brandiao ministryo dos es
trangeiros): Pretender, porem, a fazor
acreditar ao paiz quo Pernambuco estA a
rospeito do seguranca individual e de pro-
priedado em um estado em que nunca es-
tove, por culpa do governo liberal, fazendo
crer que estamos as portas (ie unea confla-
grayilo, 6 isto exagerar facts communs a
todos os tempos.
Nao tenho conhecimento do project a
qua se reforio o nobre senador, e que so


discute na Assemblea Provincial, patroci-
nado, ou em que 6 interessada a autorida-
de policial de grande influencia, a qual
nao poderi ser demittida sem trazer com-
kplicagaes e abalos para o governor.


Roberto adiantou-se e estendeu a maio a
-Alini. A moga deixou-o pegar na sua ;
estava gelada, e foi a tremer quo o Sr. de
Laitres depoz um long beijo sobre os de-
dosaifilados da sua noiva.


0 tegredo de Aline


Um criado trouxo luzes.
Roberto recuou um passe, quando pode
descobrir os vestigios que a desgraga ha-
via imprimido nas feigoes da sua noiva.
A menina Aline Vanni6res era trigueira,
corn grandes olhos azues. Olhos profun-
dos, extraordinarios, pela sua c6r carrega-
do e polo brilho sombrio. Mas estavam
mudados agora, circulados per uma orla
de bistro, causada pela insomnia e pelas
lagrimas! N'aquelle moment tudo dava
um ar duro Aquella physionomia, que at6
entlo s6 tinha conhecido a felicidade e as
alogrias da vida.
As vestes de lute faziam sobresahir ain-
da mais a pallidez, corn uns tons de cera,
d'aquclla esculptural tid maravilhosamente
bells na sua regularidade. Involuntaria-
monte, Roberto lembrou-se de uina eabega
do Gorgona de Verraehio, que tinha visto
no museum de Napoles.
Lia-se n'aquelle rosto adoravel um pen-
samento frio, constant, fixo, que nada po-
dia desviar, e que fatalmente devia dominuar
todoa os outros.
i A' vista d'aquella mudanua produzida
pela d8r, Roberto sentio os olhos humede-
cereoi-so de lagrimas.-
Era effectivamente ella, a sua adora4a,
a sua querida, aquella em quo pensara dia
e n0ite durant o. set exilio no Senegal !
Era effetivamente ea,, -mas nio era a
moerna.-
-- 1


6-hia ainda ?


Speagunta
0L re8po i


me a outro, 1a Msemble a rovmincaL
Eu estou certe de que, se a project de
quo se trata6 tl como o nobreo senador
o considers, o eu nio quero duvidar, por-
que n"to tenho conhecimnento do facto, pois
nao me rest tempo, o que alias into, para
loer dotidamente todos os trabalhos da As-
semblea da miniha provincia, quo nio po-
dem deixar do me interpssar; estou certo
digo, de quelse o facto 6 assim, elile poderA
ter seu corrective na occasion propria, e
do poder competonte.
Eu nao volto a referir-mno ao facto do
espadeiramento de 1874: foi muito discu-
tideo na epoca, tlo lengos anuos nio se
tern passado, quo so possAio ter inteiramen-
te apagado na mmoria de todos que foram
contemporaneous delle, as irnpressoes quo
deixaram takes acontecimentos.
Agora, antes de concluir, deva dizer au
nobre soenador que S. Exe. tern razzito: os
orcamneato, provincial e municipal foramn,
como acabou de pr-ovar, apresmntado.; no
principle do mez de maio. Isto jA eu
tinha verificado no mesmo dia em que
aqui fallei pela primeira vez, reconrendo A
mesma fonte, ao Diario de Pernambuco.
Da mnesma form, consultando a minha
correspondencia, encontrci cartas de pos-
seoas fidedignas que me diziam quo a As-
sembl6a Provincial ha dons mezes nada fa-
zia, porque a opposicAo conservadora n.o
deixava votar cousa alguma, perturbava
os trabalhos, etc., e isto ia accasionar uma
primeira e urma segunda prorogacao.
Fundado nestas informaoes, eu fiz as-
severacio a quo se roferio o nobre soun-
dor.


0 Sr. Jotio Alfredo : -Mis vc que era
inexacto.
0 S:. Shares BrandIo (ininistro dos es-
trangciros :-Mas o ongano foi todo imeu,
confess.
0 nobre senador por6m ha do convir
quoe esta demora na apresenta.Ao do or9a-
monto provincial pole justificar.
0 senado conheco a desorganisa(ibo em
quo ficaram as finangas provinciaes de
Pernambuco depots da revogacibo dos im-
postos de importa.Ao ; dosde esse tempo
tern-so estado alli em cogitaces, em rei-
terados e aturados trabalhos, para se ver
de quo maneira serA possivel, conservando
a provincia mais ou minos aquellas despo-
zas que fazia out'ora, aquelles services
que jA estavam organisados, achando no-
vos recursos para fazor face a elles no or-
9amento provincial o president da provin-
cia encarregou a mais de um funccionario
que lhe apresentasse um project de or9i-
mento, que lho mostrasso o caininho mais
convenient a seguir na organisagIo do
orgamento provincial para ofuturo exercicio.
Alguns destes trabalhos, quo tive ocea-
siao de examiner, provam toldos os esfor-
9os e e diligencias que foram empregados
para so chegrr a um resultado convenien-
to, nas tristes circumstancias financeiras da
provincia.
Todos os esfo-cos, reunites da cornmis-
sao do orcamento da Assemrblea Provincial
dos funecionarios da fazenda provincial,
quo podium fornecer informagoes em tato
difficies circumstancias, deram lugar de-
mora na apresentagIo do project do orga-
monto.
0 Sr. Jolo Alfredo':-. -T2,. digo o con-
trario, s6mente digo quo foram os con-
servadores a causa.
O Sr. Scares Brandao ministryo dos es-
trangeiros): Era necessario n'o s6mente
cercear despezas, como crear receita, e
era precise que na creagao de recoita so
votasse impostos que fossem bemrn aceitos
pela provincia em geral, e at4 pela opposi-
9Io conservadora, que poderia fazer corn
aue nao se votasse o orgamento, como so
fazia ha dous mezes corn a forwa policial,
segundo disse o president da provincia.
N-o quero dizer que os conservadores
tivessem perturbado o andamento dos tra-
balhos mas tambem nito eram os conser-
vadores pessoas que nao tivessem nenhu-
mainfluencia, de modo que nao fosse ne-
nessario chegar a um accord corn as vis-
tas delles, pars fazer passar o orgamonto
provincial.
gem, deixado em iParis urna mulher ainda
nova, bonita, elegant e queparecia, quan-
do estavam juntas, a irma mais velha de
sua filha. Encontrava agora uma mulher
velha, alquebrada, do cabellos brancos,
corn os olhos vermelhos c enruaados pela
angustia e pela dor.
Sentou-se, olhando ora p:ara a Sra. Van-
nicres, ora pars sua filha, procurando em
vao no su enspirito uma palavra.
As lagrimas do Aline cessaram logo de
correr, os supercilios carregaram-se mais.
Dir-se-hia que se arrependia d'aquelle mo-
meuto de fraquezo.
Agora, corn os olhms seccos, fixos, os
labios contrahidos, conservava-se immersa
em um silencio glacial, que apertava o co-
racilo de Robert3, porque o pobre rapaz
esperavwa um acoihimento inteiramente di-
verso.
Em v'ao a Sra. d'Armez, boa e excel-
lente mulher, que comprehendia tudo quan-
to havia de daloroso n'aquella primeira en-
trevista, procurava animar a conversa.ao.
Aline aqesar dos esfor9os mantinha-so no
seu minismo.
A Sra. do Vaunieres, percebendo o des-
gosto que se lia nos olhos do mancebo, re-
solveu tentar por seu tumno uma diversion,
e di igio-lhe a palavra.
Alino nao se mexeu.


Aquella situa'io tornava-se intoleravel :
era precise pOr-lhe termo. Foi ainda a
Sra. d'Arnez que veio em soccorro de Ro-
berto. Fez um signal A suan cunhada, e,
levando-s paraumn canto do salio e abai-
xando a voz delmancira quenao pcdessema
ouvir ,
Esse bre apa z fez-me penn, dioso
olla sua, cunhada, impossivel que Aine
love tSlo lone a oroldade.
Ai! roplieou a Sra. Vanni6res, no
nesmo torn e corn um dolorxso suspiro,
tambem eu into rnma violent magua pelo
que elle ea4A softrendo. uMas o que hei de
^azer ?:Atiie 6 inflexivel, e confemso, mt-
nha querida irml, eriada corn a meigice
Sa. torqm d e Bu6a cereatmos; seu des-


cial, foam desedi
bm- combinanos e
sumpto.


SAo as informag6es qae tenho e queo
mitto ao Senado pars explicar o facoIW
realmente niao 6 regular, de ser apres -
do o project do or9amento depois i|4 I
mezes de sessiLo. .

O Sr. Jo'io Alfrodo : -Eu s6 contest
que os conservadores tivessem side a can-
sa da demora.
0 Sr. Shares Brandao (ministro dos es-
trangciros) -Mas o president diz que o
project da fixag9o da forga estava a douas
mezes em discussa.o
0 Sr. Joao Alfredo: -Enganou-se- e-
dondamente. "
0 Sr. Shares Brandao ministryo doe
trangeiros):--Corre per conta do.p,
dented.
E nem esso facto 6 taio inverosilbelji
possa o nobre seaador dianto delle lev t
tar tio formal negative. Pois nao tei
do estylo das das opposicoes eniorpeeg
a march das Assemblea. Pois s
Pernambuco 6 que a opposigalo havia e
deixar de fazel-o? Nio era, portanto, tao
grave injuria que so irrogava.


S


Pois born; o orgamento jA foi apresenta-
do, e vejamos o que faz a opposigao conser-
vadora; fagovotos para que ella nao ponha
obices ai sua votagAo quanto antes, atim de
que o president nto seja obrigado a pro-
rogar mais de uma vez a Asscmble6a nas
pessimnas circumstancias. emi que se acha a
provincia.
Sr. president, eu fico por emquanto, nas
observances quo tenho feito; estou certo
de que nuo satisfapo ao honrado senador
mas nao posso dizer inais, nmin transmitter
informaiecs mais autorisadas do quo as de
um delegado de confianga do governo.
Flea adiada a discussiao por ter pedido a
palavra o Sr. Jaguaribe.



VYARIEDADES


Desejo !


A' PAULO PEREIRA


Quern d6ra que teu bracinho
Torneado, bonitinho,
Me chogasse a pertencer;
E que a dons pezarosa,
Toda afflict, lacrimosa,
A' meus pes viesse ter!

So corn voz mineiga, dengosa,
Bern melifnlua, canorosa,
Pedisse-me restituib.o;
Eu tambem corn voz mui terna,
Pederia entao a perna,
P'ra fazer a colleg9ao.

Tendo a perna, tendo o braeo,
Cci qtwlquer pequeno pass
Lb. tvav -i. o coraleo ;
E, nto n'a vendo zangada,
Faria entiato a tomada
Da cabe9a, p6 e meo.

Depois entae que o corpinho
Tivosse todo juntinho,
E o pudesse governar !...


Faria d'elle uma bola,
E pagava a um mariila
P'ra saccudil-o no mar.


Macei6, 6 -84.


Gtuinra'es Po.s8
trees, se parece resolvida a nao querer mais
dirigir-lhe a palavra ? Quiz apesar de ti-.
do vel-o.
A Sra. do Vanni6res curvou a cabega o
'encolheu os hombros, como se faz quan-
do nao so tern nenhuma resposta a dar.
Da.'ante esta converse, Aline e Roberto
nao irocaram nurna anica palavra.
0 Sr. de Laitres jA nao procurava obter
um olhar ou urna palavra da sua noiva.
Dir-se-hia que ella, evitando encontrar o
olhar de Roberto, temia coder ou a umr en
ternecimento ou a urnma fraqueza.
Olhe, disse a Sra. d'Armez A sua cu-
nhada, o que me parece melhor 6 deixal-os
s6s. 0 Sr. de Laitres corn mcerteza anima-
se a fallar. ProvocarA uma explicaelo, 0
Aline sera obrigada a dizer-lhe o que re.
solve.
A Sra. de Vanni6res nada mais deseja-
va do que seguir este consel1o. Pedio des-
culpa por deixar o Sr. do Laitres s6 par
alguns instantes. A sua rocento chegada
obrigava-a a certos arraujos pars suas ins-
talla9go e de sua filha em Sorbes; sahio%
pois, do salao em companhia da Sra. d'Ar.
mez. Aconteceu o que a tia do Aline pro.-
via; quando nao havia um terceiro entire
os dous, Roberto levantou-se, veio sentar-
se junto de sua noiva, pegando-lhe na mb,
disse corn urma voz que a emoroo toravT
tremula:
-. Aline Porque a encontro assim ?
Oavindo esta voz tto vibrant, tio com-
movida, resoar-lhe "ao ouvido, a moa eoa.
tremeceu.
Ella levantou-so agitada e disse-lhe:
Venha! final 6 precise que tudo 8.
que bern explicado entire nds. Podia es-
crever-lhe, Roberto; prefer fallar-Uhe. X
quando o vi, fiquei gelada, aenti as a-
nhaa forgas cahirem, a ainha resoluckS
abalar-se.
Dizendo 'estas palavras, coa ,aui||| 4
cillante e nervoso, tra iapoa a pt.|
sallo, e levou Roberto atrae
dim. *' '


"I


*1.'


4




Ik









Itfl


PRI EfA PHTH




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN7F8T73L_CW7XBG INGEST_TIME 2014-05-20T23:09:20Z PACKAGE AA00011611_15084
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES


xml version 1.0 encoding UTF-8 standalone no
fcla fda yes
!-- Diario de Pernambuco ( Newspaper ) --
METS:mets OBJID AA00011611_15084
xmlns:METS http:www.loc.govMETS
xmlns:xlink http:www.w3.org1999xlink
xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance
xmlns:daitss http:www.fcla.edudlsmddaitss
xmlns:mods http:www.loc.govmodsv3
xmlns:sobekcm http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcm
xmlns:lom http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcm_lom
xsi:schemaLocation
http:www.loc.govstandardsmetsmets.xsd
http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitss.xsd
http:www.loc.govmodsv3mods-3-4.xsd
http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcmsobekcm.xsd
METS:metsHdr CREATEDATE 2014-04-17T17:09:41Z ID LASTMODDATE 2012-07-07T11:07:24Z RECORDSTATUS COMPLETE
METS:agent ROLE CREATOR TYPE ORGANIZATION
METS:name UF,University of Florida
OTHERTYPE SOFTWARE OTHER
Go UFDC FDA Preparation Tool
INDIVIDUAL
UFAD\renner
METS:note Created individual volume records and augmented METS file (Mark 3/18/2013)
METS:dmdSec DMD1
METS:mdWrap MDTYPE MODS MIMETYPE textxml LABEL Metadata
METS:xmlData
mods:mods
mods:abstract displayLabel Abstract The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
mods:accessCondition Applicable rights reserved.
mods:genre authority marcgt newspaper
sobekcm newspaper
mods:identifier type ALEPH 002044160
NOTIS AKN2060
OCLC 45907853
mods:language
mods:languageTerm text Portuguese
code iso639-2b por
mods:location
mods:physicalLocation UF Latin American Collections
UFLAC
mods:note funding Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
dates or sequential designation Began with Number 1, November 7, 1825.
numbering peculiarities Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
mods:originInfo
mods:place
mods:placeTerm marccountry Brazil
mods:dateIssued Sunday, June 08, 1884
marc point start 1825
mods:recordInfo
mods:recordIdentifier source AA00011611_15084
mods:recordCreationDate 951023
mods:recordOrigin Imported from (ALEPH)002044160
mods:recordContentSource University of Florida
mods:languageOfCataloging
English
eng
mods:subject
mods:hierarchicalGeographic
mods:country Brazil
mods:state Pernambuco
mods:city Recife
Brazil
Pernambuco
Recife
mods:titleInfo
mods:title Diario de Pernambuco
mods:typeOfResource text
DMD2
OTHERMDTYPE SOBEKCM SobekCM Custom
sobekcm:procParam
sobekcm:MainThumbnail 00011thm.jpg
sobekcm:bibDesc
sobekcm:BibID AA00011611
sobekcm:VID 15084
sobekcm:EncodingLevel u
sobekcm:Source
sobekcm:statement UF University of Florida
sobekcm:SortDate 666202
METS:amdSec
METS:digiprovMD DIGIPROV1
DAITSS Archiving Information
daitss:daitss
daitss:AGREEMENT_INFO ACCOUNT PROJECT UFDC
METS:techMD TECH1
File Technical Details
sobekcm:FileInfo
sobekcm:File fileid JPEG1 width 1000 height 1416
JP21 7440 10534
JPEG2 1428
JP22 7380 10541
JPEG3 1414
JP23 7426 10498
JPEG4 1421
JP24 7404 10519
JPEG5 1430
JP25 7486 10704
JPEG6 1426
JP26 7434 10602
JPEG7 1448
JP27 7422 10746
JPEG8 1439
JP28 7410 10665
METS:fileSec
METS:fileGrp USE archive
METS:file GROUPID G1 TIF1 imagetiff SIZE 78457724
METS:FLocat LOCTYPE OTHERLOCTYPE SYSTEM xlink:href 00459.tif
TIF1.2
TIF1.3
G2 TIF2 77877398
00460.tif
TIF2.2
TIF2.3
G3 TIF3 78042622
00461.tif
TIF3.2
TIF3.3
G4 TIF4 77967318
00462.tif
TIF4.2
TIF4.3
G5 TIF5 80216266
00463.tif
TIF5.2
TIF5.3
G6 TIF6 78900574
00464.tif
TIF6.2
TIF6.3
G7 TIF7 79843270
00465.tif
TIF7.2
TIF7.3
G8 TIF8 79113460
00466.tif
TIF8.2
TIF8.3
reference
imagejpeg 694690
00459.jpg
693985
00460.jpg
652622
00461.jpg
626209
00462.jpg
629795
00463.jpg
644160
00464.jpg
669585
00465.jpg
701891
00466.jpg
imagejp2 9796724
00459.jp2
9724177
00460.jp2
9744874
00461.jp2
9735445
00462.jp2
10016377
00463.jp2
9852006
00464.jp2
9969684
00465.jp2
9878550
00466.jp2
THUMB1 imagejpeg-thumbnails 13760
00459thm.jpg
THUMB2 12251
00460thm.jpg
THUMB3 12187
00461thm.jpg
THUMB4 12118
00462thm.jpg
THUMB5 14376
00463thm.jpg
THUMB6 14930
00464thm.jpg
THUMB7 14455
00465thm.jpg
THUMB8 13186
00466thm.jpg
PRO1 textx-pro
00459.pro
PRO2
00460.pro
PRO3
00461.pro
PRO4
00462.pro
PRO5
00463.pro
PRO6
00464.pro
PRO7
00465.pro
PRO8
00466.pro
TXT1 textplain
00459.txt
TXT2
00460.txt
TXT3
00461.txt
TXT4
00462.txt
TXT5
00463.txt
TXT6
00464.txt
TXT7
00465.txt
TXT8
00466.txt
METS1 unknownx-mets
AA00011611_15084.mets
METS:structMap STRUCT1 physical
METS:div DMDID ADMID ORDER 0 main
PAGE1 Page 1
METS:fptr FILEID
PAGE2 2
PAGE3 3
PAGE4 4
PAGE5 5
PAGE6 6
PAGE7 7
PAGE8 8
STRUCT2 other
ODIV1 Main
FILES1