Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:15055


This item is only available as the following downloads:


Full Text







' ., .,-<> -:. **'. o. ;, .
.*. *
*. ... 0
':"' : *,


a
I
-ii-


.* 0 ,


* 0


0 '' .
0 0 0


0 U .0 a 4~.4U .
e
0 6 U 0 0 0 0' 0 0 0


* 0


* .1
*1


0001*
4'


, Q T W R .M..N. O E L..T -
PR&ILKAI P MANOd&
*.o


OA DE FAA


FILHOS


e 9 tabellilo Franoisoo de Amis Monteiro,
apezar de serem cfinhados, visto nio funecio-
narem no mesmoa j aizo. Deus guarded a V.
Exc.--M. P. do Souza Dantas.-Ao president
de S. Paulo.
Ministerio da marinha
Por aviso de 8 do corrente foi nomeado o
1 tnenete Gandido Floriano da Costa Barreto
para exercer o Jugar de ajudante de ordens do
commando em chefe da forca naval de Matto-
Grosso.
Ministerio da guerra
Pdr decreto de 5 do currents fpi transfe-
rido para o 12o bataihio de infantaria o ma-
jor do 13o da mesma arma Honorato Candido
Ferreira Caldas.
Por portarias de 7:
Concedeu-se ao major honoraria do exercito
Josd Claro Ferreira da Silva a dispense quo
pedio do lugar de adjunto a intendencia da
guerra.
Foi nomeado adjunto da intendencia da
guerra o alferes honorario do exercito Anto-
nio Isuperio de Moraes Machado.
Mandou-se escusar do service do exercito,
por incapacidade physical, as segnintes pragas
e infantaria: do 5o batalhio, soldado Pedro
Alves Ferreira; do 9o, soldados Mathias Ro-
drigues das Neves, Belarmino Xavier Fausti-
no Ramos e Pedro Antonio da Silva; do 110,
20 cadet 18 sargento Alcibiades Guilherme de
Miranda Lisboa e anspecada Francisco Anto-
nio Lourenco; do 16, cabo de esquadra Vic-
torino Manoel Salvador e soldados Justino
Francisco do Salles, Jose Gomes da.Silva e
Basilio Caetano Martins.


Ministerio do imperio --
Por decretos de 5 do corrente : Governo da provincia
Foi concedida a exoneraglo que pedio o ba- Gove rnO d o
charel Joo Baptista da Silveira do lugar d EXPEDIENTE DO DIA. 14 DE FEVEREIRO DE 1881
ajudante do bibliothecario da faculdade de Actos :
direito de S. Paulo, e nomeado para o mesmo 0 president da provincial, de confor-
lugar Antonio Augusto de Araujo. midade c m a proposta do Dr. chefe de po-
Foram agraciados corn o foro de mocos fi- licia, em officio n. 219, de 11 deste mez re-
galds. corn exercicio na casa imperial o ma- solve nomear para o cargo de subdelegado
jor Carlos Egvdio de Souza Aranha, filho le- do district da Luz, no termo de PiAo-d'Alho,
gitimo do Conde de Tres Rios e o Dr. Josd Bo- aso bacharel Maximiano Ribeiro de Aguiar
nifacio da Silva Pontes. Montarroyos.- Communicou-se ao Dr. chefe
Ministerio dos negocios do imperio.-l.a de politia.
directoria.--Rio de Janeiro em 8 de fevereiro Officios :
de 1881.-Ilim. e Exm. Sr.-Resolvendo a du- Ao president da provincia do Ceara.-
vida de que trata o officio dessa presidencia, Cumpre-me accusar o recebimento do officio
de 3 do corrente mez, relativamente a prova de V. Exc., n. 263, de 7 do corrente, ao qual
da rends exigida no art. 3, 1, n. 1 da lei n. vieram annexas seis guias de sentenciados
3029 de 9 de janeiro do corrente anno, quan- dessa provincia.-Remetteramn-se as guias'ao
do o impostor predial 6 calculado nbo sobre o juiz de direito do 2.o district criminal."
valor locativo, mas sabre o do proprio immoa- Ao mesmo.-Declaro a V. Exc. para os
vel, como acontace nessa provincia, cabe-me fins convenientes e em resposta ao seu offi-
declarar a V. Exc. o seguinte: Segundo a cio n. 63 de 7 do corrente, que o orcamento
lettrg e espirito da citada lei, no registro elei- da despeza a fazer-se corn o fardamento, quo
toral quo vai ser organisado em virtide do tern de ser fornecido ao 15.o batalhao de in-
primeiro alistamnento dos eleitores deve ser fantia, foi submettido ao conhecimento do
inscripto todo o cidadbo que, tendon a renda Exm. Sr. ministry da guerra em 3 deste mez,
liquid annual nbo inferior a 2005, possa pro- e, logo que tenha lugar a concessbo do res-
val-a pelos mneios indicados na mesma leoi. pectivo credit, expedirei as necessarias or-
Desde que o immovel paga impostor predial, dens, afim de que dito fardamento seja corn
esta positivamente comprehendido no art. 3 urgencia preparado e remettido ao menciona-
e na part final do n: I do 2o do mesmo arti- do batalhao.
o, e como tal serve para provar a renda. Ao conselheiro president do supremo
Como ,esta provincia o impostor predial cal- tribunal de justiga. Passo as maos de V.
cula-se nao pelo valor locativo e sirm pelo do Exc. a inclusa resposta do juiz de direito da
proprio immovel, a prova da renda presta-se Comarca de Cabrob6, bacharel Miguel Gon-
por meio de certidio passada pela respective calves Lima, a reclamagio de antiguidade
repartiglo fiscal, da qual conste o valor do Formulada pelojuiz de direito bacharel Espe-
immnovel, declarando-se qual o aau valor lo- ridilo Eloy de Barros Pimentel.-Respondeu-
eativo, calculado na raziao de 66/o sobre o ca- se o officio do julz de direito da- comarca de
Kital ue o immovel represent. Deus guar- Cabrob6.
e a V.Exc. Bardo Homem de Mello. Ao Ao conselheiro president da relagco de
president de S. Paulo. S. Luiz na provincial do Maranhubo.-Accuso
Miiisterio dos negocios do imperio.-1.- o recebimento do officio de V. Exc., de 3 do
directoria.--Rio de Janeiro em 9 de fevereiro corrente, pelo que fico inteirado de haver as-
de 1881.-HIllm. e Exm. Sr. Em resposta ao sumido o exercicio do cargo de president
seu officio do 25 do mez proximo passado, da relacio dessa cidade. Approveito a op-
corn reolagio a accumulagio dos cargos dejuiz portunidade para apresentar a V. Exc. os
de pa; e procurador da camera municipal, protests de minha perfeita estima e consi-
declarb a V. Exc. que, ex vi do art. 2 1, da deracao.
lei n. 2033 de 20 de setembro de 1871, send Ao conielheiro president do tribunal
actualmente da aleada do juiz de paz o julga- da relacbo.-Afim de que V. Exc. sirva-se de
mento das infracges de posturas, e, nos ter- providenciar covenentemente,transmitto-lhe
mos deo art. 81 2o da lei de 1 de oatubro de oincluso requerimento em qu o rdeoFernan-
1828,Adevendo o procurador da camara muni- do de Souza Curinga, pede as peas de seu
cipal' demandar perante o mesmo juiz de paz process necessarias pars instruir urma peti-
a execugbo das ditas postures e a imposicao bao de graga.
das penas aos contraventores dellas, ha ma- Ao Dr. chefe de policia interino.- Sir-
nifesta repugnancia destas tunccoes entire si va-se V. S. de providenciar para que seja
quando exercidas por urma so pessoa, o que remettido, corn a possivel brevidade, acama-
firma a incompatibilidade dos mencionados ra municipal de Nazarelh, o pequeuo caixbo
cargos, conforme o aviso n. 89, de 4 dejunho que envio, contend medicamentos para a
de 1817, 2' regra. Alem das disposiqoes ci- cura da variola.-Communicou-se a camera
tadas, e presentemente incontroversa a in- municipal de Nazareth.
compatibilidade de que se trata em face do Ao inspector da thesouraria de fazenda.
art. 21 da lei n. 3029 de 9 do mez proximo -Communico a V. S. para os finr conve-
passado. Deus guardea V. Exc.-Bardo Ho- nientes que o promoter public da comarca
mem de Mello. Ao president do Rio de Ja- de Buique bacharel Thomaz Landim, entrou
neiro. em 11 do corrente, ao goso de 30 dias de li-
--- cenga, concedidos corn ordenado pelo conse-
Ministerio dra justice Iheiro president do tribunal da relagao.
Ministerio da e justia A commandant do Presidio de Fernan-
Par decretos de 29 de janeiro: do de Noronha.-Faga V. S. regressar para a
Foram nomeados para a guard national daa d o Detengbo desta cidado am soutoncia-
provineia de Pernambuco: Casa de Detenglis desta cidade us sentencia-
pravincia do Perambuco:e dos Manoel Joaquim de Sant'Anna, Antonio
Comarcas de Barreiros e Palnaris. Pedro Rodrigues e Rivaldo, liberto, conforme
Coronael commandaute superior, Joo Calos requisite o Dr. julz de direito do 2.' district
doMendoneaoVasnencelLos. criminal em officios ns. 101 e 102 de 12 do
Tonente-coronel commandant do 33'obata- corrente ; os dous ultimos pars serem postos
lhio de infantaria, Josd Felippe de Sant'Iago em liberdade.-Communicou-se ao juiz de di-
Rarnos.
Tenente-coronel commandant e do 34 bata- meito do 2. district criminal provincial.-
lhbo do infantaria, Felippe Benicio Alves For- ,a informadoo de 11 do corren-
reira. Em vista do sun imfomagbo de 11 do common-
Tenente-coronel commandants do 35 ba- te, sob n. 546, meande Vmrc. pagar a Wiberto
talhao de infantaria, Laurentino deBaro Barreto de Mllo Rego, arrematante da pin-
Lin. tura dasponte de Afogados, 725520, impor-
Commandante do 36 batalhio de infants- tancia das mesmas obras, ja deflnitivamente
ria, o actual tenente-coronel Pedro Francisco recebidas. Devolvo-lhe as respectivos docu-
do Albuquerque. mentos.-Communicou-se s yengenheiro aju-
Major commandant da 4a seccbo de bats- dante da repartigIo da obra publicas.
.hbo de reserva, Cyriaco Jos6 Velloso Lyra A0 inspector goral da instrutsno publi-
Fflho. ca.-Autoriso Vmp. a contratar con Victor
plho d-ovy r c a so e offio n. 16 do 15 de janoi-
Ch~o de reserva,-Cyriaco Jose Velloso Lyra. r ultiro, as concertos de que preocisam tires
Comarcas d Taquaritia, Bum Jrdim c i- pianos pertencentee ao Gymnaslo Pernambu-
Commefro. dn. do 3 ih d 7 ftr cano, devendo a respective despeza, na im-
Commandante do 37 batalhe ode infantaria dprtancia de 2665000, ser paga pels verbs-
o actual tEnente-coronev Landelino Manse! de Eyentuaes- da lei do orcamento provincial
Azevedo. g io.-Cmuios oisetrd
Tenente-coronel commandant do 38 bats- em vigor. Communicouso so ispeetor do
lhao de infantaria, Antonio Manoel de Faria thesouro provincial.
Leite. Ao commandante do corpo de policia.-
Tenente-coronel commandante do 39 bats- P6do Vmc. engajar o paisano de quo trata
lhao de infantaria, Antonio Candido de Oli- o officio n. 126 de 12 d1o corrente.
veira. Ao engenheiro fiscal da companhia Be-
Major commandant do 2 esquadrao de ca- cife Drainage. De conformidade corn a in-
vallaria, Carlos Leitbo de Albuquerque. formasao prestada pelo thesouro -provincial
Major commandant da 6= seccao de bats- em i do currents, sob n. 539, nests data de-
lhbo da reserva, Manoel Joaquimr de Souza feri a petigbo de D. Anna Carolina do Bego
Neco. Dantas e suss irmia, autonisando a sup-
Major commandant da 7a seccbo de bata- presbae de um dos tres apparelhos de limpe-
lhao de reserva, Vicente Joaquim de Miranda. za collocados no predio n. 57, mito a ra da
Comarca de Govanna." Aurora, onde Cunceiona a s.cretania de poli-


Commandante do 42a batalhao de infants- cia, e cessando a responsaDbui.mWe ae popaga-
riM, o actual tenente-coronel Feliciano Caval- mento das annuidades do presents aemestre
-onte da Cunha Rego. em diante.-Communicou-se Ito inspector do
Commandante do 43o batalhao de infants- thesouro provincial 0 ao Dr. engeneiro aju-
rla, o actual tenente-eoronel Jeronymo Car- dante da repartigao das bras publicas.
"aob* Albuquerque Maranhlo. Ao juiz de direito da comarca do Boni-
MaJor commandant da 9 secbo de bats- to.- Tranmittindo a Vme. s inclusa petigo
lhE do roserva, o capitao Jos06 Eleuteno Pe- ma'spapeIL, a qual o r6o Jobo Frmctuoso
teira de MorasN da Rochs implra o perdio da pena de 8
Mnisterio dos negocios da justia.--2.' annos de o I ipm a or sentenp dam
*.d-Rido Je aneoW, 1 de fevereroo de 1881 juizo em 7 de otubrodeo reMommeado-
--m., Exm. Sr. -IEm vista das inforia- he oue preote s 'uaf do de M
2t5fiOT'V. Ex. transmittlda noa om9io do On os e 8. do atio do A


64e s-dto e a de dezembro do ano 1* __,
dedaro quo, na Monformidade do aeeo l. 211
S to 16, a art. 28di ectW
%AZ dil^4deftr o I '166M.ftf


epnapad. medindo eento e mnin decimdtril-,
bicos, contend 53 litros de oleo de eloled,'
metro de meAhas destinados a capitanta do
porto danaella provineia. CommunicoopW'
ao inspector interine do arsenal do marinbg.
0 Sr. agent da Companhia Brawselira
faca transportar A c6rte, por conta do minis-
terio da guerra, no vapor Ceard, esperado 4os
portos do norte, o ex-goldado do 14 batalalo
de infantaria, Josd Sancho, quo se recolhe i
mesma co6rte corn destine a provincia de S.
Paulo, d'onde 6 natural.-Communlcou-se aso
general commandant das arms.
EZXPDIKNTh DO SECRHTARIO
Officios;
Ao chefe de policia interino.-De ordem'
do Exm. Sr. presiblente da provincia accuse,
o reoebimento do officio de V. S., n. 211, de
11 do corrente, transmittindo copia do ter-
mo da visit a quo so prooedeu na cadeis de
Cabrob6 no dia 26 de janeiro ultimo.
Ao juiz de direito interino da comarca
de Taquaretinga.-De ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia accuse o recebimento do
officio de V. S., de 8 do corrente, conmuni-
cando haver na mesa data assumido o exer-
cicio interino do cargo dejuiz de direito des-
sa comarca.--Communicou-se ao inspector da
thesouraria de fazenda.
Ao juiz municipal e de orphgos do ter-
mo da Escada.-De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia accuse o recebimento do
officio deT. S., de 1.2 do corrente, commuini-
cando haver na mesma data entrado no exer-
cicio do cargo dejuiz municipal e de orphios
desse term, para o qual foi nomeado por de-
creto de 15 dejaneiro ultimo.-Communicoa-
se ao inspector da thesouraria de fazenda.
Ao promoter public da comarca do Bo-
nito. De ordem do Exm. Sr. president da
provincia accuse o recebimento do officio de


counsel litterario, relator o Dr. Rigneir
Costa.
SSizenando Hilario Ramos, professor pu
bllco. da cadeira de ioslruccaq. rimari
da cidade de Palmares.-A' 3' sOo con
selho litterario, relator o Dr. JosW Dini
para dar parecer.
O porteiro,
Joao da Cunha Moreira Alves.
Repartilao da pol la
Secqao 2.3--N. 234 Secretaria de po
lUcia de Pernambuco, 17 de fevereiro d(
1881.-Him. e Eim. Sr.-Participo a V
lxc. que foram hontem recolhidos a caso
do detencso os seguintes individuos:
A' ordemo do subadelegado de Santo Anto
nio, Apolinarlo de Hollanda Souza Beltrio
Jose Gomes do Nascimento, Salustiano Josi
do Sant'Anna e Sebastigo Cesario de Sant'An
ha, por crime de furto.
A' ordem do da Boa-Vista, Dativo Jose de
Bilva Guimarles e Manoel Antonio Soares
por disturbios.
Pelo subdelegado da freguezia da Graga fo
remettido no dia 15, ao Dr. juiz de direito dc
4o district criminal, o inquerito policial a
que procedeu contra Joao Vicente Pereira
ue no dia 8 do corrente ferio na estrada da
onte d'Uch6a a Estevio Josd dos Passos.
Deus guard a V. Exc.-Illm. e Exm.
Sr. Dr. Franklin Amehico de Menezes Do-
ria, muito digno president da provincia;
-0 chefe de policia interino, Joaquim
da Costa Ribeiro.


V. S., de5 do corrente, transmittindo-o map- Thesouro provincial
pa concernonte a vista da cadeia dfet illa, DESPACHOS DO DIA 17 DE FEVEREIRO DE
procedida naquella data. 1
Ao juiz de direito da comarca de Panel- 1881
A *uz d dieit dacomreade ane- ,Contas da 73a parte da loteria da Santa Ca-
las. De ordem do Exm. Sr. president da s.-Approva das. da lotem da anta a
provincial accuse o recebimento do officio doe s.Apovada1 s i
V. S., de 1 do corrente, communicando haver imestne da colonia Ijuabenho relatximo pvas se-ad.
na mesma data assumido o exercicio do car- "-Approvadas.
go de promotr pblic dessa comara, oba- Contas do collector de Floresta. relatives
aPedoJorgedeS hu.ao tempo de 13 de dezembro de 1879 a setem-
--Aosagente da Companhia Brasileira de bro d1880.-Approvadas.
Navegaco.--S. Exc. o Sr. president. da pro- dey88O pprohad s
vincia anda declarar a V. S., em resposta p Contas da 43a part da loteria do hospital
vincia mnands declarar ;a V -S., em resposts eroI.-Approvsdas.
aso se officio de hontem, quo flea inteirado deo Pedro II.--pprovadas.
ue o vapor Ceard, chegado tambem hontem Conta da part. da loteria da Santa Ca-
dos pts do mart.,s 6 has di manhesaApprovadas.
s ris d shores da ta r e- aurin Francisco de Paula Mendes.-In-
guira para .os do sul, hoje, as 4 horns da ta- fow .Sr contadar.
do. Joaquim Cavalcante Barreto. Certifi-
que-se.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 17 DE Manoel Bernardino de Sales Menezes.-Cer-
FEVEREIRO DE 1881 tifique-se.
Contas da 42' part da loteria do hospital
Abaixo assignados, empregados da re- Pedro u.-Approvadas.
partigio dos portos.-Informe corn urgen- Manoel Elias de Moura.-Approvadas as
cia o Sr. inspector da thesouraria de fa- eontas da applicaggo do predueto da quinta
zenda. parte n. 49 da loteria a favor das obras da
... .. opellA de Beberibe, levantado pelo suppli-
Angelo Custodio de Abreu.-Encami- eante. d Beberibe, levatado pl suppli-
nhe-se. Ildefonso Henrique do Rego Barros.-Defe-
Alfredo de Aquino Fonseca.-Informe rido, progedendo'-se pelo contencioso as com-
o Sr. inaspocor da thesouraria de fazenda. patentes notas da caixa da fianqa.
Sr. ispecor a Cesouraa de agenda. ontas do collector do Brejo, relatives ao
Antonio Alves deSiqueira Boqueirlo.- exercicio de 1878 a 1879.-Approvadas.
Informe o juiz substitute do t district Antonio Bemvenuto Dellini.-Deferfdo.
criminal. Jobe de Oliveira e Silva.-Indeferido, a vis-
jnrm ta dap informa;Oes.
Aandida BalUbina da Rocha.-Informe o D.-Mwhner nhm s da 'Conceig o Viana.
Sr. director da colonia Isabel'. -Certiflque-se.
Floriano Soares Botelho.-Sim. Lydio Purpurario Santiago de Oliveira.-
Francisco Americo de Araglo Rabello. Certiflque-se.
Antonio Jos6 do Miranda Falcobo.--Certifl-
-Apresente-se a juntajnedica provincial, Aquo Josd se.Mranda Falo-Cetf-
afim de ser inspec.cionado. Dr. Manoel Gomes Viegas Junior.-Infor-
Ignacio Paes de Souza Gama.-Certifi- me o Sr. contador.
que o que constar. Companhia Santa Thereza.-Informe o Sr.
Alferes Jos6 Carlos Vital.-Passe porta- contador.
Manoel Alexandre de Barros Campello.-
na, concedendo 15 dias. Certiflque-se.
Manoel Caetano de Almeida Andrade.- Josd Joaquim de Siqueira Varejlo.-Certi-
Encaminhe-se. fique-se.
Bacharel Manoel Tobias do Rego Albu- Officio do Dr. administrator da Casa de De-
tengRo, recolhendo o product da indemnisa-
querque.-Sim. go de despezas de press nao pobres, trata-
Rogerio Rodrigues da Silva.-JI pro- dos na enfermaria do mesmo estabelecimen-
videnciei no septido eA que iequer o sup- to.-Ao Sr. contador para os devidos fins.
plicante. Jos6 Luiz Neto de Mendonga.-Ao Sr. con-
tador para mandar escripturar.
Simlo Chrysostomo de Souza.-Informe Jos6Joaquim da Costa Leite.-Informe o
o Sr. inspector do thesouro provincial. Sr. contader.
Vicente de Assis Tavares.-O suppli- Superlntendente da Recife & S. Francisco
canto ji foi attondido. Railway Company.-Pague-se.
a te fo attenido Superintendente da Recife & S. Francisco
Secretaria da presidencia de Pernambuce, Railway Company.-Pague.se.
17 de fevereiro de 1881. Francisco Americo de Aragao Rabello.-
Pelo porteiro, Cvertifique-se.
Moraes e Silva. Ursulino Deodato Ferreira dos Santos.-Ao
Sr. Dr. administrator do consulado pars at-
Inspectoria geral da instrucC9Ro tender.
pubcade P ernambuco Ofcio do Dr. inspector geral da instrucclo
pubca public, communicando o quantum para ex-
DESPACHOS DO DIA 12 DE FEVEREIRO DE pediente da cadeira do Serra do Verde.-Ao
O1881 Sr. contador para seu conhecimento e fins
convenientes.
Maria Augusta da Silveira, professor Luiz Vicente Pinto,-Ao Sr. contador para
mandar juntar sepia das informagSes.
public da cadeira de intrucsgo primaria riaci do Dr. bibliothecario.-Informe o
da povoaolo de Bengalas.-Indeferido, em sr. contador sobre o pagamento requisitado
vista do disposto no art. 186 do regula- da assignatura da Revieta Brasileira, cujo re-
mento de 7 de abril de 1879. cibo sejuntar.
o Alfredo do Aquino Fonseca.-A' seccao do
1 contencioso para dar guia, nbo havendo in-
Jos6 Ribeiro da Fonseca Braga, profes- conveniente.
sor public da cadeira de instrucolo pri- Bernardo Jos6 de Araujo.-Volte ao Sr.
maria da povoacao de Malliadinha.-Enca- contador.
Victorino Gomes de Oliveira.-Iaforme o
minhe-se. Sr. contador.
Maria Candida de Figueiredo, Santos, Fonseca Irmbos. Informe o Sr. conta-


.
\


a. ~W7 dela.
' n~iyimiisfld Coia~lui Pornuubil-


professor public da cadeira de instruc-
glo primaria da Ilha dos Ratos.-Justifico.
Maria Flora de Oliveira Maciel, profes-
sora public interina da cadeira de ins-
trucoo primaria da villa de Petrolina.-
Deferido corn officio desta data ao inspec-
tor do thesouro provincial.
15 -


Serviliano Correia Maal, professor pu-
blico da cadeira de Volta em Tacaratu.-
Justifico.
Jose Xavier da Cunha Alvarenga, pro-
fessor public da cadeira da Serra do Ven-
to.-Informe o delegado litterario do
Brejo. aI
46 -
Aureliano August0 de Vasconcellos,
professor public da cadeira de instructo
primaria da povoagco de Goyaninha.-En-
caminhe-se.
Casimiro Lucio dos Santos, professor
public da cadeira do ipstruc*o primaria
de Serra Verde.-Defendo quanto awex-
pediente para a escola, corn offieie desta
data ao inspector do thesouro p 'rinciA,
quanto ao aluguel da casa j4 so a a ao-
templado na tabella. .,-;,
Job Ante-Porlr Latenam
professor pduco da cadera


dor.
Jobo Ribeiro Pessoa deLacerda.-Informe
e Sr. contador.

Consulado provincial
DESPACHOS DO DIA 16 DE FEVEREIRO DE
1881
Antonio Josd da Costa Cabral, Rocha &
Guimarbes.-A' 1.a seceao pars aos fins con-
venientes.
Beirio & Almeida, Jobo Rodolpho Dias de
Carvalho, Josd Ildefonso de Carvalho Dias,
e Oliveira & Borges. Deferido de accord
corn as informagOes.
Fonseca Irmmos & C. (2). Informe a 1.'
seecTO.
Vraga Rocha & C. Sim, veriflcado o pa-
gamento do imposto.
Jolo Francisco de Souza.-Prejudicado em
vista das informagoes.
Manoel Joaquim Alves da Costa. Proce-
da-se a nova verificaglo, verificando-se se
existioin ou nao licores e transformagblo de al-
cool.
Manoel Amancio dos Reis. Em vista do
ar. I do auaonto de o do outubro de
10 nb n1Dso p6deser attendido.
SMithe 0n & C.-lndeferido, em vis-
at dw infll le.
Fe_ Costa & C.-Auntes da chega-
da do na '- upplioantes naio podem sor
atteda0o. o io,
Jod6 da Costa Car"Mho, Portz-
S Piwhefrls Menowi *0a4


(Pelo telegrapho terrestre) -
]f0io DE JANEIRO, 17 de fevereiro, a I
hora e 55 minutes da tarde. (Recebido
is & horas).
0 Sr. Joaqulm de Medeiros Ra-
poso lol nomeado escrlpturarlo da
repartigio das obras geraes, e nAo da
do melhoramento do porto de Per-
nambuco.
Telegrammas, aqui recebidos da
Bahia, dizem o seguiute:
a Houve no Curralinho urn conflict
entire o povo e os trabalhadores da
vla-lerrea, resultando delle duas mor-
tes e alguns ferimentos. 3
a 0 conflict tomou s6rlas propor-
o6es. v


?RTE OFFICIAL


4,,


a'.








gt








A

'O







p 01 ,

4).. ..





1 ';

A _


5 _.-,, ...- '- -

:.j^ j s '.A -:^^ .*..* a .t^ B


It ai -.
.'] : .*,* *' ;* '" ..*


* -. NI
4'Ai.


- I


-I

A 4
1 --.1


*


*I 0 0
0 0K 0O


i0 0
*~ 0


'a narhs. A' .4secgko para os fins conve- toriaddosacontecimentos JIda.TdaTo
I- Joaquim Antonio Lopes Gomes. Informe tington, Bright, todos se disp
1" a 1.6 seccao, near as arms, que lhes auinjklB' k
a Francisco Campello Pires Ferreira, Joao neja asarmasquonh s a v*i
Martfns da Silva. A' .L ssccio pars atU Por seu lad osBeaconsfield, que pare
der. pi aeum lao Bconsfirranjos doeima )-
SGenuine Pedro dos Santos. Certifique-se ar pu suas scenas de theatre, tambeman
0 qua constar dos livros existentes na repar- traas esmorecido : elle no homem -
tigio.o oil. tnom g -
Alfredo Henrique Garcia (2), David Ferrei- dard ante a opinion av va dem"
ra Baltar, Francisco Ribeiro Pinto Guima- tentado u dos ma energicos or -
ries.--Deferido de accord corn as informa- reerguer ao ascendets da In|gsera, t '
Ses.Antonio Muniz Maassegurado singulares satisfa-eso a r
eAntonio Muniz Mabachado, Domingos Bves Matheus. Goneal- national, restando de tudo a qu fez ainda
eys Machado, Domingos Alves Matheus, Hen- muita cousa para abalar a fibra brionnica.
Srique Xavier de Araujo Saraiva e Mollo, Elle nfo estava, portanto, dr amparado,
a Manoel Francisco Marques, Marccs Gomes Else ndo quetava, por isso rnesmo, de trnamparado,
da SvaJos VeosoScars &C.,Jos dasends que,01 pe iso. mesmo, se ternava a luta '^--
da Silva, Josd Veloso Soares & C., Josd da mais renhida e a victoria mais eoupleta.
Silva Alves.- Deferidos quanto i taxa pro- Am disso, na Allemanha a ustria a
porcional. Aldr disso, na Allemanha ustriaait
SFernandes da Costa & C. Sim, verificado su victoria era considerada neessaria pars c
o pagamento do imposto. oacabamento e consolidaclo do systems, cu-
Maia Pacheco & C.-Sim, verificado a al- jas bases haviam sido lanada na entrevista
~~dle ad e Vienna entire Bismark e AAdramsy; receia-
a legado. yam urea mudanqa na political, quo podesse
1 Machado & Pereira.-Infurme a 2.-1 sececio. a ^ 11n P11'qpd8e.
S achado & Pereira.- nfrme a 2.' secvco permittir Russia regular por mode conci-
SJulio & irmion Sim, verificado a piga- Iiador as quest6es pendentes entire essa po-
mento do imposts .tencia e a Inglaterra, e que, sere darlun al-
SSouza & C.-Prejudicado em vista das in- la s govern d S. Petersburg, r-lh-
formocoes.
fi 6s- 'his perder urn inimigo apaixonado. *
S _Tudo isso eram dados, que vinham favore-
cer a causa de Beaconsfield ; mas em aue elle
DIARIO DE PER AIBUCO oconfavabastante, pretendendo infervir
U RA DEj AlRlIMlUG corn a sua influencia governmental, pela
alteracao da circumscripcao eleitoral, pela ..^. ,
RETflSPZCO PgL TTGn ampliacAo do suffragio, e o6utras reforms na
lei electoral, das quaes esperava tirar bom
DO ANNO DE 1880 resultado, assim o parlamento sanocionasse
I comrn o seu voto essas medidas.
Nessas condic5es, todos se conservavali
(Continuacao) n'uma espectativa active, e nao se podia boeta
0 governor por sua vez fez o que fazem to- affirmar de quem seria o triumph. .
dos os governor: p6z em campo a sua poli- Foi sob essa atmosphere de duvidas, quo
cia, esforgou-se para reprimir, tanto quanto abrio-se o parlamento a 5 de fevereiro. A rai-
pode, os abalos ou os attentados, e acabou por nha inaugurou em pessoas essa ultima session,
ter tambem elle o seu process politico, en- por um desses discursos, qua nao sLa de na-
volvendo todos aquelles qua se passavam pa- tureza a abalar a opiniio, a suscitar ardentes
ra os chefes da agitacAo. lutas parlamentares. Dessa vez a imagAfico-
Estavam no movimento Mr. Parnell, o mais de lord Beaconsfield nao se.revelou na pre-
Sopular e o mats ouvido deputado por Cork, paraclo da arenga real.
r. Dillon, por Tipperary, Mr. Biggar, depu- A luta eleitoral continuava sua march,
tado por Cavan, Mr. Sexton, deputado por acompanhando os partidos suas vantagens
Sligo, Mr. Sullivan, que ao mesmo tempo qua e desvantagens. Os liberaes tinham muito a
e deputado 6 tambem editor do Weekly- fazer, na verdade, para conquistar o poder
News, e do Nation ; ao lado desses deputados por urma evolucao da opinion, apezar da sua
estavam os secretaries da Land-lkague, os ren'- actividade e seus recursos. Elles tinham con-
deiros, os mercadores, etc. Eram todos ac- Ira si um certo instincts popular qua o s poz
cusados de conspiracy. de excitar o odio dos em desconfianca,pelas allianas eom os sepa-
rendeiros contra os proprietaries de toda a ratistas da Irlanda, esses home-rulers, cujo
especie, para impedir o pagamento daes ren- apoio procuraram em certas eleiqees ; e ti-
das, para se opp6r a locaeco das herdades nham tambem contra si os taberneiros, os ne-
d'onde os antigos rendeiros haviamn sido ex- gociantes de cerveja, gente influence, que se
pellidos. Naturalmente elles serso julgados, havia irritado por certas medidas flscaes, e
quando se tiver vencido todas as subtilezas qua Mr. Bright havia querido, mas nao po-
dos processes ; serio talvez press, e, mes- dido, charnmal-os a si. *
mo se forem condemnados, nao serao nem Mas, se o minislerio tinha mats de uma
mais nern menos do que isso. vantagem sobre us liberaes, tinha tambem seu
A agitacao e por toda a part entretiaa pela lado fraco. Elle nao se havia de modo al-
palavra infiammatoria de Parnell e dos ou- gum popularisado por suas reforms interio-
tros chefes irlandezes. res ; nao tinham precisamente brilhado nos
Foi sobre essa situageo dolorosa, alarman- negocios financeiros, em seus orgamentos,
te, que Mr. Gladstone explicou-se sem ro- que estavam longe de igualar os orgamentos ..,
deios no banquet do lord maire, testemu- de Mr. Gladstone; e mesmo no que fsz sua-" '
nhando de novo suas sympathies pela Irlan- forga, sua popularidade real, em sna pclitni
da, mas se esforgando ao mesmo tempo por exterior, nao deixava de ter seus pontos vul-
acalmar, pela energia de suas deelara Oe, as neraveis.
.NquietaOes, que reinavam na Inglaterra. E assim iam se encontrar os partidos no
Elle nao renunciou a proper medidas agrarias pleito qua deveria comegar no 1 de abril. ^ -
ao parlamento, mas antes de tudo tratou de 0 qua, pordm, em tudo isso havia de vi n H '
fazer respeitar a lei, de assegurar a protec- vel e caracteristico era que, pela forea mes- m -
glo da vida e da propriedade aes cidadbos. ma das cousas, essa eleicio acabava por se o
Atd novembro nao tinha ainda julgado ne- fazer quasi exclusivamente sobre a question y
cessario o renovamento de bills de coergio da political exterior, e, por urma conseq-uencia .-
para a Irlanda ; mas nao deixava duvidar de today natural as eleicOes inglezas tornaram- ,
que, me fssse precise, nao exitaria em pedir se um negocio europeu'- e tomaram por esse
novos poderes, procurando entretanto so ap- modo urma importancia sensivel no todo da ,
proximar da political dos seus predecesso- situacAo do continent. De todas as parties,
res. Mr. Gladstone tinha razbo de dizel-o, a em Vienna, comoa em Berlim, em Roma, como
Irlanda, querendo punir a Inglaterra por sua em S. Petersburgo, seguia-se corn urma atten-
antiga oppressao, se pune a si mesma. A Ir- co particular esses movimentos, como se de-
landa, quando advoga a sua causa conta sem- vessem ter uma influencia decisive sobre a .
pro vis a vis de sua grande irma, a desvanta- march das cousas. Em Vienna e Berlim fa- ,.
gem das suns miseries, a inferioridade da sun ziam-se votas polo success de lord Beacons-
civilisacbo. Ella nao 6 menos infeliz, e, par field ; e era isso mui simples, pots quo, no f
maim explicacSes quo se de, essa crise nbao congress de Berlim, lord Beaconsfield foi
menos perigosa ; essa crise 6 tanto mais gra- um dos mais energicos promotores de urna
ve quanto tudo o que se fizer para reformer political quo conduz a allianca austro-allemba.
a condicao da propriedade na Irlanda, pdde A Prussia, som ter grandes illusSes, veria in- ,
ter o seu contra-peso na Inglaterra. E* isso contestavelmente corn satisfacbo a derrota
o que cream difficuldades a Mr. Gladstone, ex- do ministerio inglez. Roma parecia ter urn
osto a dar armas asos seus adversaries, se sentiments indefinivel, coma que um desejo
zer proposicoes muitoaradicae., ou alienar secret, do insuccesso do gabinete tory. No
de si um bom numero de liberals, mesmo de No meei de todos, a Francs mostrava-se a
colleges seus de gabinete,.se nada fizer. Tu- nagbo mais desinteressada em seus juizos :
do se preparava evidentemente para luctas par seus instincts, ella inclinar-se-hia talvez
srmias na proxima sessio do parlamento, quo mais voluntaramaente para as liberaes, se
deveria ser aberta no dia 6 de janeiro, bern quo guardasse do seu dominie urna bern "
Ante o espectaculo violentamente exaltado triste lembranca ; de outro lado via sem som-
que apresentavam as amotinadores da rlan- bras se exercer essa influencia britannica, '
a, ji no uso do incendio e dos assassinates, quo lord Beaconsfield tbo altivamente reer-
e amecando corn a dynamite fazer voar as gueu.
grandes propriedades e us caminhos de for- No fund, em todos esses sentiments di-
re, o Times pronunciava-se abertamente a versos, que excitavam aseleicoesinglezas, ha- :
favor do restabelecimento das leis excepcio- via muita miraeem : exaeerava-se um nouco


nuses, unicas na sun opiniao que poderiam o resultado desse escrutinio, que se ia abrir: I
canter as assassins, tornando a Liga-Agraia a situacao nao era mais a que era ha alguns
e os oradores como Parnell responsaveis polo annos.
estado em que so acham os espiritos na Ir- O anjo da victoria, porm, preparava-se pa- -
landa. Ao mesmo tempo notava o Times qua ra saudar o anjo da liberdade. 0 triumph
so ha dez annos se houvesse manifestado se- tinha de ser para os liberaes. E foi o que
melhantes acts, ter-se-hia suppprimido o ha-. aconteceu ; mas o que nao se podia affirmar i
beas-corpus, sem a minima consideragio. 0 ate a ultima hora. i-
alargamento da liberdade parece-lhe ser na O chefe do gabinete havia escolhido o mo-
Irlanda um incitamento so crime. mentor, que lhe pareceu mais favoravel, e em-
Abragando na Irlanda o partido dos oppri- penhado a batalha corn a destreza ousada de
midos, e lamentandoossoffrimentos das popu- umn home acostumado a veneer. Os libe-
lagoes trabalhadoras, nbo deixamos corn tudo raes mesmo, postal que levados ao combat
de reconhecer que havia alguma razo e ver. com fogo par Mr. Gladstone, n o contavam
dade nesse modo de sentir do grande orgao com certeza ganhar dessa vez a victoria ; es-
da publicidade. peravam quando muito diminuir a maioria -
Assim como entendemos que essa agitaQaI dos conservadores, e enfraquecer o gabinete
da Irlanda tom ua character eminentemente para acabar de batel-o em urma segunda cam-
social, baseando-se em serious motives de jus- panha. Nas capitals da Europa, em Vienna
tos e abafados ressentimentos, assim tambem9 em Berlim, ja se especulava corn o succes-
pensamos que na o seri por asses moios ultra- so do ministerio inglez. Tudo parecis an-
exagerados e at6 negatives dos sentiments nunciar qu a Inglaterra ia conceded um
humanos, que ella couseguira recuperar sua novo arrendamento do powder aso velho em-
liberdade e sua tranquilidade. Por esse mo- prehendedor, que conduzia seus destinos ao
do, em lugar de angariar, ella abrira de si as audacioso inventor da e politics imperial. s
sympathies das demais potencias, as quaes Era uma miragem envolvendo o estado real
a mug oausa 6 agradavel. mrgmovled saoma
a sui causao proeo agradavel m.mbrs da Liga- da opinion ingleza. A popularidade niesma
Coeod process dos members da d lord Beaconsfield naio era mais qua urma
Agraria e dos cinco deputados irlandezes. apparencia, que uma illusIo.
Os negocios da Irlanda teem chegado ai um abrtur do escratinio os re-
punto que torna-se preciso a maiior pruden- Logo desde a abertuni do ver tin o abalo da opi-
cia pars chegar-se aso fim desejado. Governor sultad fora deixand ve o abalo da Opi-
e povo devem compenetrar-s e cadsa um dos ni publics, e dedo os primeirosm dies o -m
seus altos deveres, pars que bemrn possam che- pimento foi-s accntuando o augme scoetw
gar aso desideratum que almejam. Nio ser As eleirae succemivaa, tanto a u Escocis_
corecnio is quo as cousa UsIngfaterra, n foram mais quo urns I,
corn excesses e violencias que as cousas h derrota pars o ministerio. ..
garto ai um estado normal. Conas curiosa, nao era mais do m me -_
giEntretanto 6 forca confessar que, &A iedida dco4 c umlsantido opposto do qi
que o perigo cresce na Irlanda, a political pa- via pusado 6 annos, na eleitid o ,
ciente do governoconquista novas adhs0es. piea quaes lord Beaconsfield O ltni- ,
Mu ins nao punlia terms a dflffiuidade8 phal mente aso powder. Ness&dpoet^
d egoquo 174
occorrentes o determinantesd feio quae Mr. Glad4tone quem dirigoaasd 0 oda I
tomav a politics m al. d Irand con Inglaterra, cdttaando tambem *m urea nmaio-
as6m idoq'6h61SDI Sin rniai ao ria consideravel, obtendo da rainha a diaso- -.
as Il qua. sta nne doIS M lu glo do parlamento e indo comrn tods a con-
SL aG Ieau dounw o nnealso .ozms flangapara o escrutinio. Em 1880 era lord
ao~b .e=. de unms 6e810o proxims,
-i:-%3?%^ *,j graveffque Beaconafield quo u novaya a"PeuieMui
*i^tV/ SS^Zfor- Nortiieote, poised sois annos do pod 01@^6P
n urn dofparidon; nanga ainda, talvez ornH Bi. .
.kdab I o reultado della, rentes de crer no m
t a ou n8o continuar sea tarno em Wto s
trm1 D niv "og. ris liberal, quo or
-diiddM Us Um isO vam dawurnm ia^ 0 9abatido .0 uo 0'..
h o gu~^knt~fn dn&l* so -AVttd a raB~ PY! fiM i H B^ ^ ^ ^


I.


,,:


* *
* *


t^:
; .


-


|E fSiftiB n' -.
'* -


NC,














tI v9Hasw qog|gft
I oupo m'iseia m
.1 ie nso ae uroetmrsi


i fudetroit-. -do
:" 6 g tain~em imposafvel, are um outrot
1wI~*tory*~h t dMr~

lado,lue lord Beaconsfield, em suas combi- i
naUoes, tenha contado pouco corn a nova t
composicao do corpo eleitoral, tal como o i
o-.. tornou a ultima reform. Elle nuo havia a
t ido Ijue
rp refrm pO qfp, t
lK'n_l'iwoodlaziuL" Vkl. pU~ft ete* "
4M|6^Was dep~ Claie q 4alk ur4, pu Qvue .1t
*M^m^taife era aoet poe rut
q Tp ate, am 0r4glant Ppoer, mi
( o dir das eleic~es. E' mais ,qpw prwwveA -
jT#" L Q p q.ute, w lord Beaconsfield nio aehqou
wyevr j~unto do povo inglez. se Bo aoobte-
I 7tewawaato do arrmulrnto dia 4*4 do
| Qjlsw alihuoe rej avonecida. uiQa Maoaye ,
A LtVtca aempre )i&a d. sorpreBos a
i- ft medai nao ass .garaza itekamaont a J
o 'We gr4 Lprt Banaisald tratava. doaa..-
N ow d S.Inglaterra como home de imasgi-
.4, 1F'O. Bem ttm"r as aventaras,. e muitas ye-
zoo. zod a-icalcular o qu i1he podariam eastrr
essaf aventurgs. 1
A 4errotaem todo o cas fo i tio brilhanto, e
qt tato ieapprmdab atd o ultimo moment, e,
pois eoe a victoria s desenhava em favor E
dos liberals, vo havie so nao vantagem em
', quta ella foasea complete., decisiva, de tal ma- d
;^, naira que, entrando para d governor os libe-
raes, nao tivessom quo contar corn os irlande-
Ssee as heme-ruers. d
UElfoi ass, corn effaito. o character desaas ul-
titas elieoes. Restava apenas saber o qae q
seor ease ministoerio, quo era cliamado i re-
Scollier urna suaccssio, qua poueo depois pa-
deria sar considorada coma aberta. A didfi-
culdade era menor na -maioria pairlamentar,
qua parpcia sufficiente, menmo semr os home-
ruiers, do que na composiiao de um ministe-
rio bastante undo, oastante forte para osten-
tat today a sua maaioria. Homes como lord
Granvile, lord Hartington, Mr. Childers, Mr.
-- Darchen. Mr. Lowe sao naturalmente desig-
nados pars os principals lugares. Lord Dar-
bi, depois da evoiuqbo, que o separou dos
" torys, podia ser levado a reentrar paraos ne-
goeios publicos eom os liberaes.
#. 4.nglaterra, mais antiga que a Fraana nas
revouIiaOes, mais experimental na vida cons.
titttiohal, e tambem mais feliz, atravessou
~ sem abalo sero, so nao sem emoglio, essa
)- crias das eleiiqoa que motiva.ra urma nmulan-
ca political.
0 O nvo ministerio ficou assim organisado:
Gladstone, president e ministry da fazenda;
Gelbeane, lord chancellor; condo do Specer,
president do conselho privado; duque de
Argylli, lord guard dos sellos; Harcourt,
ministry de estado ; Granville. dos negocios
....estrangeiros ; Kruiberley, das colonies ; Chil-
dors, da guerra ; Hartington, das Indias ;
Northbroock, primeiro lord do almiranta-
do; Forster, ecretario da L-landas; John
Bright, chancellor do dacado deo Lancaaster;
e Adam, commissario superior das obras pu-
blioas.
A logica doe usos parlamentares designava
lord Hartington para primeiro ministry, e foi
:- elle o prirmeiro chaniado; mas a situacao ex-
cepcioaal de Mr. Gladstone no partido wigh, de
que alis e 6o primeiro chefe, e &. brilhante
campanha que havia feito, impunham-no, e
nao poderia deixar de oser ineumbido de orga,-
nisar o mmistermo, salvo recusa absolute. Foi
elle, portauto, o primeiro ministry, tocando as
tres pastas mais importantes aos chefas do
pattidao Liberal: lord Granville corn a pasta
os. estrangeiros e lord Hartiagton corn a dos
neoimos da India.
"^j 1 Eesse o decimo quarto minister do rei-
ffl4, raiika Victoria.
O precadentesforam successivamente orga-
nisados par
Lord Melbourne (1837);
Robert Peel (1841):
.... rd John Russell (1847);
2ord Derby (janeiro de 1852):
Lord Aberdeen [dezembro de 1852);
Lord Palmerston ;18.9;
Lord Russell rl865j;
Lord DM bv (1866 ;
Sir Disraeli (t'Cevereiro de 1868';
Sir Gladstone (dezembro de 1865);
Sir Disraeli J1871,;
Hoje e o Sr. Ghd~tone [1880].
Nessa oec aibo publicou o Times ama inte-
ressanto estatistiea sobre essas ultimas elei-
coes comparadas corn a de 1874.
Em 1874, dizia elle. a Inglaterra e o paiz
de Galles contavam 2,245:108 eleitores: a Ir-
landa 229,560; a Escocia 230,333.
Em 1874 os conservadores obtiveram vo-
tos 1.222,2U5; os liberaes e os home-rulers .
1.436.215; dos quaes dados result'a que os de-
putados liberals e home.rslers, bem que em
mincria na camera, representavam 214,010


eleitores mais do que os conservadores.
( Em 1890) os conservadores obtiveram vo-
tes 1.418,442; os liberals e os home-rulers....
1.b8,847.
Houve, portanto, 612,859 eleitores mais
do quo em 1874.
S0 actual parlamento conta 347 liberaes,
61 home-rulers, e231' conservadores. a
Entretanto, emiboraessa derrotaestrondcsa,
o partido conservadornao havia desorientado,
contiava nas evoiuci, s naturaes do system.
A' 20 de :naio realisava-se aummeeting, no qual
lord B-asconslieid declarava queccontinua-
ria a se.r chefe do seu partido, o qual espera-
va ver voltar em breve ao powder. Attribuin-
do a sua derrota i tima necessidade, elle jul-
gava de curta duraeao o triumph do radica-
lismo. Ao mesmo tempo aconselhava a man-
terem na opposicio a nesmna attitude que no
S' poder.


f
TY

p
c
c


S


-s..

5-


ha na


Wlao pade sor canarderada meno coma uma trio.
,e aborrarcao do espinito biua~nrc, sut~fa<
nest polo. mejos dissolvettlos epwd
v m 0 qp -us






inuq~uullar. Cao!lTffitQn ,utorid11.IO
'rt?* &ptffc r~cr, ia- myrtqeado
at, 'reita e pria ass agents dausiae
has naones do voerlbo coentlo. E'omo m l
te bamberraquo do espirito hupnmlW qu t.,"
inlasta pelo ss mioavas, ssenteo as mteo ti-
&M, Wlar. Com eafei %A tn14w'




Elha precis naes do vequalquboeor mantiaent prevenip SM
,tambemn quea *o MUM elNdevf o 00 M, 0*9i
elastprio suns]avs M, gentio os ae i j
pafe. laveis. J1 ho elet'014wAdo. aawfm
E' precise de qualquer maneira prevenir.*s
coseequefcias dease evetdadeiro eataelysema.
Aritm disso, er espirito itrdagdor pfirs 9mf
is duvidas maisjustas e anais bemofuu4dad^.
Pareee que a si'tuOr aoswustador a0 preAtpa,
como nuvens qu eso vao ,montoando noS-'ao-
risoates da Europa.
E' verdade quese reconhece o armistoso qie
vrai Ras suas retal5es internaeionaes. A di-
plomacia faz o seu trabalho e as armas estia
ensarilhadas.
Mas esse presents nao inspire conflanpa.
Fssa paz naio e fortiflcadora.
As nacoes como que se acham receiosas e
desconfiadas, aguardando a primeira occasion
para medir suas forcas. Ellas cemo que nlo
saceitam a sinceridade reciproca como a basa
de suas relaeaes. E' o que indica esse emlpe-
nho corn qu cada uma procura se armar, para
as conjecturas possiveis e talvez mesaos pro-
vaveis.
Essa e a perspective mals notavel da poli-
tics europea.
A questbo do Oriente ameacsa cada hora
renovar-se; a Allemanha mostra-so cautelosa,
corn reeeios da vinganca da Franca; a Fran-
ca por sua vez nao so mostra disposta, a con-
servar-se abastardada erm su a inflancia riag
balanca da Europa, influencia, que ineontes-
tavelmente r nuawto so arsesquiahoa corn a sua
derrota ; a 1nalaterra, ombora oe&caupada corn
seas negocios interns, nbo perde de vista o
que se vai passando no grande mundo, prin-
cipalmente na parte attinente ao tratado de
Berlim, para o qual tambem tern suas vistas
voltadas a Austria e a Italia, todas ellas mais
ou menos desconfiantes das intenqOes da"Rus-
sia no sea intents conhecido de aniquillar a
Turquia, qua em grande part Ihe d6a ensan-
chas para isso pelo seu dezaso; todos eases
phenomnenos. e outros, que nos escapam ao
cerrer da penna, tornam confusae a s aesmo
tempo dilacerante a situaco da Europa.
Ninguem podera corn suas apprehensoes ao-
centuar as cdres caracteristicas das evoiutCes
de amaniha.
Apesar, pornm, de tudo isso, o maundo segu.
em tua marcha indefinida, e a Europa cami-
nha na vanguarda da sua immnieaasa caravaaa ;
apesar disso, a civilisapio progride, bafejada
pelas lzes do occidonte, emquanto que a
America se prepare para s'lbatitail-a n.a sae-
rio deseonhecida dos tempos.
E 6 isso o que tiada consola o espirito hu-
mano.
A's grandes locubrajoes da&ittelligenaia ht-
mana, asaignalando seus inatexnos tniumphos
na ordam moral, acompanham em passes agi-
gantados os grades avancoa sdos melhoramen-
tos materiaes, a come qua oasdous ,leamentos
da natureza na ordenm syllogistica da hAusiai-
dade se eombiuam na rivalisamn. par comaple-
tar o triumph inteiro do progresoaa humane.
Na ordem da philosophic politiea qual do us
elaumeatos teri asaupremacia-o hisatoriea o ou o
syllogitico t E" diticil a affirmativa; num o
qtoe 6 ce.to tque ambo sao hoje do ums forpa
immraensa na. coneatenaqto ecorn q.u se. va w
tendendo as conquiatas do epicito hua.uueO,
no espaqo e nOatempo.
Etudo quanto podemos dizer sobre a EW.
rops, que encerra na :actualidrade urn proble-
ma duvidoso, sam nada deixar antever par. c


future.

Noticias do sul do imperio
Polo vapor brasileiro Bahia recebemos hoan-
tern cartas e jornaes corn datas : S. Paulo 9,
Rio do Janeiro 10, Bahia 14, e Macei6 16 do
corrente. Eis o que delles colhemos .
S. PAULO-
Seguira para Pirassununga, em service,
o Dr. chefe do policia.
Dora-se, na madrugada de 8, um grande
incendio n'umn armazom de seccos e molhados,
sito no Campo da luz e pertencentd a Lucas
do 0'. Dizem as folhas que os soccorros por
porte dos bombeiros chegaram hora e meia
dopois do signal, o qu a foi causa de nao ser
possivel salvar o editicio.
Refere a Gazeta de Campinas:
SEm sessbo da sociedade Artistica Benefi-
cente, realisada ante-hontem (6), foi indicado
que a sociedade fizosse construir, por meio
de accoes, entire os socios, um modesto edifi-
cio quae, servindo para nelle realisarem-se as
suas sessoes, pudesse mais tardo prestar-se A
inauguracbao de uma escola de artes e officios,
destinada aos filhos dos socios. D
RIO DE JANEIRO
Fallecera o'alumno da Escola Polytech-
nica Antonio Josd de Almeida Soares.
Em Rezende faileceu, A 7 do corrente, o
Dr. Jos6 ,Pimnentel Tavares, medico cirurgibo
pela Universidade de Coimbra.
Contava 73 annos do idade, dos quaes pas-
sra 40 annos n'aquelle lugar, servindo du-
rante todo esse tempo come medico da Santa
Casa da Misericordia d'alli.
Era dotado das melhores qualidados, e no
exercicao da sua profissbo teve occasido de
retora- rn,,,tna o efrvinoia nsa hahitantea dea


E esse partido nao enfraquecia nos seus Hezende. ondo era geralmoente estimado e res-
neios de opposicao ; atacava principalmente a peitado por todos, pelo seu espirito de bonda-
)olitica oriental do er. Gladstone, nao estando de e caritativo.
)rovado que o partido liberal, do qual urma 0 se enterro foi prova da estima que alli
racq-ao tornou-se inqai:ta corn as consequen- gosava; al6m de um numeroso acompanha-
,,ia-s possiveis admntrac-ao naval per oa- oaa;ad deu nmrsocoph-
ias possuveis a demnostrecio naval ,poi se mento. quo seguio o cadaver atd o cemiterio,
masipo do ind eonto de Daeigno, apoiasse todo o commercip das ruas por onde passou
omopletanenteoagovernoseopor venturahou- prestito funebre cerrou suas portas em
vesse elle transformado a demonstracio do signal de respeito ao illustre flnado.
kdriatico por urma aceio nos Dardanelles. Fe- Lemos no Cruzeiro, de 10 :
lizuzente nbao velo isso a realisar-se. -Lmsn suerd 0
izmente no vo iss a reasar-se. Consta-nos que os militares residents
Apesar, por6m, dessa opposicio rispida, que nests c6rte pretendem reunir-so, convidando
Ihe m)oviexn os adversaries, o ministerio Gla- os officials da armada national, para organi-
nstoae-Granville seguia em sua uiareha, des- am ama commisao directors das proximas
tribuiudo mais ou menos convenientemente eleieres directas, no sentido de levarem re-
pelos differences ramos, em quo se rlparta a preientante das classes do exercito e marina
admnistraco ingleza, sends certo qae o mes- ~i. futura camera dos deputados. Entre outros
mo apoio national. que o havia creado, nao o cavalheiros quo sao indigitados, falla-se nos
tinha abar.dona'lo ainda. Srs. majors Escragnollo Taunay, tenente-
Essa e que era a verdade ; paiz conhecedor eoronel Catao Augusto dos Santas Roxo e
das praticas representatives, as evolucues s6 tenente-coronel Antonio de Senna Maduareira.
se opera nelle por causes determinantes bern Parece, porem, quo nao sern escolhido o can-
accentuadas, e entRa s6 pela apparicfo de ou- didato senlo depois de realisada a qualiflea-
tras causes naturalmente se substituem. eoo dos elaitores director da cdrte.
Temos mnais ou menos procurado acompa- a Nba podemos deixar de applaudir estes
nhar a desenvolucgaio dos acontecimentos po- indicios de que as classes mais illustradas
liticos na Gran-Bretanha em o anno de 1880. esto dispostas a intervir nos negocios pu-
Alem desses factors, pediamgs ainda apontar blicos e a tornar uma realidade a reform
a annexacao da ilhota Rothurnma, que faz par- eleitoral de 9 de janeiro.
te do grupo das ilhas Figi, annexaglo consi- ( Desejamos qae outras classes nao menos
derada eonto uma acquisigbo important de- illustradas, como sejim o commercio, a
baixo doAfonto do vista commercial; o quo lavoura e a industna manufactureira, tam.
foi F fta* pedido dos mesmos habitautes. borne se congreguem e enviem representantes
A %grara. portante, teve umr anno paci- seus ao parlamento.
flea no e iterior, sem que entretanto dei- Acerca da viagem do Sr. ministry da
xasse de vsr-se acabruahada polo peso do ca- agricultural escrevemi de Petropolis a um jor-
larmidades. verdadeiramente contnistadoras, eal da cdrte :
mae qne]J lb !inhhm em lgedado deoutros r Petropolis, 8 do fevereiro. Hoje, As 2
annosJ.
Em Iodo o caso a s4u politics vai atraves horas da tarde, o Sr. ministry da agriculture
saudi esaquadra do mne odo-m e. a -partio d'essa c6rte na bvca Principe do Grdo
S ur moe.Pard, pertencente a Companhia da Estrada
Sa t de Fertro de Petropolis, acompanhado unica-
T_.moscon:!Iuido a nossa vistaretroapactiva monte dos representantes dos jornaes da
soI0 o velho continent, procurande toraar aort.e
.a. os e bemrn eomprehensivoa os se.aus faa- a bto 6 sabido, tenciona S. Exc. percor-
6O ucipaes" .
&or aa o eaipaos. no s e re a atrada da Uniio e aIndustria, exami-
aoqVa noasflcoaudesse etudo? Quo ao anans a em today a extensQo, principalmente
pol.awos tirar da analyse philosophical doses no qae diz reseio a pontes. Ha queixaa
acontcimentos ? Contw o& twi etmu u actualmente se
TNo-JWp ezwcoatradigo dos ntrerses, q, ue acelot l =dUnte
caractnrisamn a perspectIva 4oa diftrentes pai- c -ftI & tM n "


uonservador e o eongenheiro fiscal icerca da
estr d., examlnando, corn interest, as novel
,de~mrmaBent~os qn se trem dMd esaa
ha, IdMM,.. ,* % a q~a '-
' amaala- tell ca 0O. 0 maiQr deu0,e ema
tseprai 4(aofax0da dtthose, peiiewodi-se- ol-ecu-
lar o volume de terrace pedra em .cer ai4
d494p in&t17atoS C4Aid. Ea^ ra*o d4-iaSao
a v9.o-8a obrigado a rfazr um dfs-
vmo parq,.o h~ver interru pqlt do trafego.
S1sa.o aeo vitatad pelo Sr. oonselheiro
Buarqu (mroeman espeoiai meosoa t de S-om
Anna no kil. 59, onde S. Ex s tpve ae deoer
rdum barranco para podor examinal-a e, com-
petente 4 ome 6, 9coQnXece8f itar em boas
condties do conservabo, trondo sido muda-
dos alguns Vanch~es do estrado, 9 tornan-
do-se neeaemMA a-reparao de outros.
a Na. pontes, A. Piabaa,. sobreo rio d"eate
nomO. e d Garca, sabre Q Pdahyba, S.
Ex. tambefas demorou-se algum tempo, exa-
minando-as, como fizera corn a de Sant'Anna,
priaeipalaente a ultima, cujO i consbracdao
s6lida Q luauwsa foi adnuiada.
A'a 11 a meia, hegQa a diligencia a Ea-
tre-Rios, oado foi servi(Ao aimogo a S. Ex c.,
qua vai partir it 1 hera pare o Jaiz dA F6ra,
visitabdo a 2." sec6o da Uaiio e Inaidustri.
a E' j usto consignar a boa anservacitSo da
estrada deade PeS.ropolis at Entra-Bios.- Di-
zern-mne, porna, que parte da 2.' sea o naoe
ost. em boas condicoes. 0 conservador mae-
mree animnaio polo quo tern feito na 1. .s
-- A afemnga da earti arreoadou do 1.
9 do corrente 1.j066&-180527/..
Eis as soticias comnaereiaes da ultima
data :
0a- Banco Commercial adoptou as sagoi-
tes taxas doepois da horam da tarde:
Londres 21l1/4 d., a 90d/v.
Paris 446 rs.e' por francs, a 90 d/v.
Portugal 253'o/ a vista.
Oa mo0vimeumto do mercado de cambio foi
pequeno sobre Londres a 213/8, 211/16 e
21 1/2 d.
a 0 movimento da Bolsa foi pequeno.
F6ra da Bolsa vonderam-se 73 apolices
geraes de 6 % a 1:045b$; 100 letras hypotheca-
rias do Bane o Predial (s.e j uros) a 76 1/2 %/o e
524 ditas (eorn juroea., 239, 200 e 85) a9 .
As vendas de cafe conhecidas at ims 5 ho-
ras da tarde rade i o 34,710 saccas.
BAHIA.


Nada dizem os jornaes que mereea mea-
ALA.G6AS
No dia 7 do correnta aatamio o exerci-
cio do inspector dathesourana de fazenda, o
Sr. Jobo Mendes Pereiri.
No vapor Peneda, da comrpanhia Bahia-
na, dove seguir para Piranhas o president
da provioeia. Dr. Jacobina, parm aststir i
inauguracao da parte da estrada de Paulo
Affloaso, ja prompt para o trafego.

Noticias da Europa


Pelo vapor inglez, Commander- recebemos i
hontem jornaes de Lisboa do 1 a 2 do corren- f
t, do& quaas apenaa colhemos es seguiataE
telegjaumas:
a Loadjres, 29 da.janeiro, 4 tarde. -Viate I
mil minoeiros quizeram fazer eessar o trab&lU T
na mina de Atherten. As tropas carregaram
oas miaciros, resultaAdo various foridos. Fiza-
ram-sa diver-as pria4s. Disemn de Durban,
(Natal) que a vangard*. 4* coluahOu iaglazaa
atacou.Qa-boors aom.i agsaoak,,mas foi eOpwl-
,lids crm grandas pndas. 4 f orws doas boea ,
Aslo muitAQ nueros mmaa. qnra. tmadas novas r
prec"uzOea sna. doekaa patra faeniuiaos.
I a Londres, 30 de janeiro, de maahL--.(Ol-
cial).-As forces. iglezas no cOaQmba de Lain-
gsnoek contra os boers compunhama-se d 810.1
thomena do infantaria, 171 do cavallaria. 6 e
pecas de artilharia. Os boors estiao entrinehei-(
rados, na collinaa e-repelliram o aesalto. A. ea-
vallaria deu urma carga de flanco, mas foi es-
mag~aL paela fasilaria dos boers. As perdas
dos inglezes so : umn coronal e quatroo ol-
ciaes mortos, various feridos a 181 sildados
mortos. 0 Times diz que testemunhas ocula-
res aflirmam que ano ultimo comhabte forama
mortos os foridos inglezes. Os boers tomaramm
uma. bandeira das tropaa inglezas, a qual foi
retomada em seguida a ponta de bayonet.
a Paris, 29 dejaneiro, a tarde.-Diz o Temps
que o Chile exige nas condioesa de paz qua o
Per. page uma iademanisasie degaeurra de
500 milhoea de francos e a Bolivia 250 milhoes,
a ceossao do porto deo Antafagasta e seu mterri-
torio, e a eitrega da esquadra das alliados.
Aldm disto, o Chile occupara Callao at6 ao
pagamento integral da indamnisacko de guer-
ra, e aproveitara o rendimento do guano e das.
minas de cobrne de salitre. Diz-se que a Rus-
sia nafo tenciuona proseguir a guerra no Tar-4
kestan. satisfazendo-se camorn occupar forte-
m.ente Geoktep. 0 president da repuhliceI
franceza visitou hontem a rainha Isabel. a
a Madrid, 29 de janeiro de tarde.-Aa inan-
dacOes tamn causado grand sa estragos ass pro-
priadades e nos earminhos de ferro ea 75 pro-
vincias. De Sevilha costa que vai augmon-
lando a cheia do Guadalquivir. 0 general
Martinez Campos, membro da opposidio, dis-
cutiado no senado a resposta a mensagem da
eoria, declarou que, se porventura sobravier
algum perigo para o regimen actual, star,
sempre ao lado de D. Affonso. Diversos mi-
nistros e a malaria applaudiram.
a Londres, 29 de Janeiro, a tarde.- Dizem
despachos de Durban que a vanguard da co-
lumns ingleza, compost do regimanto 58 de
infantaria e do urma forca de cavallaria atacou
a posicbo dos boars emn Alaingsvek. No co-
meco a assalto foi bern succedido parcialmen-
to, mas depois os boers, tendo recebido gran-
des reforcos, repelliram os inglezes infligin-
do-lhes grandes perdas. Os boers cointudo,
soffreram seriamente. Os belligerantes con-
servam as suas posicoes. A proposta turca do
dia 15 do corrente esta ainda esperando rosa-
lucao, porque a Inglaterra deseja adiantar
mais as negociacOes antes de responder. )
(( Porto, 30 de janeiro, a 1 hora e 30 minu-
toe da noite.-A reunite no salao da Porta do
Solesteve imponente. Nas immediacoes doedi-
flcio havia tambam numerosa coacorrencia,
qua nbo p6de tomar logal na sala por faita de
espago. Fallaram varies oradores, centre elles
o visconde Moreira de Rey, que disse que
o Porto era o culpado dos progressistas eesta-
rem ho poder,visto ser eata cidade a que Ihes
dera forca, e portanto causa e aorigem dos ma-
les que soffremos e dos vexatorios tributes
que nos querem import. Foi approvado que
se enviasse urma representacio as cortes con-
tra o odioso impostor. Relnou boa ordem,
apezar da vontade que os progressistas ti-
aham do que acontecesse o contrario. ,
c Porto, 31 de janeiro, As 8 horas e 40 minu-
tos da tarde.--A reunibo popular de hontem
no salbo da Ports do Sol esteve concorriditsi-
Sma, o vasto salio, galerias, corredores e esca.
das estavam repletas; muita gente estacio-
Snava na run, nao menos se retirou por nao
powder penetrar no recinto. Apesar do dmia e
da cheia em que os habitantes andavanm occu-
pados, a cnourrencia era tao espautosa, tal
- era o assampto. Reinou sempra boa or-
dem. Os oradores form freneticamente ap-
$ plaudidkins. Resolveu.se unaninremente re-
a presenter contra o vexatorio impoato de mea-
- dimento e regulamento representaclo dirigi-
cda aso re. 0 meeting nfo foi partidario, pelo
- que causou geral impressbao. Osjornaes d'es-
La ttarde, affeigoados ao govcrno sbo accords
que foi imponente.
r A grande cheia de hontem no rio Douro
- levaval-3 milhas e apenas faltava um metro
para chegar a de 1880; rues, casat e parts da
, baixa form inuxdadas. 0 transito dos car-
ros'americflosl foe suspeneo urea part da
linhu na rum ba Iagfezt sa loz. O.fapor de
- rebbque BAuirma,, proprisdade dif Aoresez,


I0
Ii
m
P
u

p
T




(2

ml
El
A4




cc
I

a
t(
o





n
t(
V


1(
E


el
t





n

p
I
C
d
D
t

t


r
z


m e0 hoje irli-
Wilares. 86 dot
,iJluminados a p
'au 5oje i
s ao nort4
ttta das in
ido haver pn
.omboios n
gularmente;
enos desabai


4w
meHju

n 0Hii


aMS no i-rou V proxIp- ._ aIMn o
Eteet. O^Iboio desceiq oUa k e
ma miul ue estava n.if
[ Deli tamento o Ui n erfew.6
Ireu Roo Lima, leg BWa dWW da sar
fortune a Souza e Silva collaborador do Jornal
-o Cotwwwcio 4k Porto.
c. Foi pmfwad0 o relatoiD 4a cmapaihia
Lanificios Lordello, send eleitoa os mesmos
A a lfandegs ieadeia hoja a. quatiU. 4d
6 A ,_


ChrisaMU.--a quinta-feira (24 do. corren- 'n
i), a igreja d* Peahs, desta oidade, o Exm.-
Roevm. Sr, D. Basilio Haggier, aceebispo C
I Auran., eonfaerir sa8crmento da hrisma e
iuellas pesseos, qucoa no seado aminda chris- '
adas, allicompaveceremn de-vda-amente pre-
aradas. 0 aeto. teri lugar is 9 horas da
ianhb. 0r
S. Exc. celebrariaesse actor em oamtras igre- F
a do Recife e Olinda; do que quo se dar Lt
evtio aviso. (
Festlvidades religltosas. No domingo t
20 do corrente), celobram-se as seguintes :
- D1)e Nossa Senhora do Livramonto, na
patmri da cidade de Palmaes, comn miisa s69-
smne is a 11 horas -a manhn, e Te-Deum i. t
oite, sen4do orador nesses acosa o Revd. Sr. E
spello-teneate Jose Esteves Vianna.
A' tarde ha procissaio, e depois do Te-Deum
ego de artificio.
- Do Nossa Senhora des Dores, na matriz
a cidade da Escada, corn missa solemn as
1 horns da manhb, e rTe-Deum ai noite. E'
radordo Evanjlho-o Rvin. Sr. conego An-
Enio Eustaqnio Alves da Silva, e do TeDeum
Reovd. coadjutor da freguezia Annunciate
ervido.
Ha fogo de artiflcio depois do Te.Deum.
- De Nossa Senhora da Conceiqao, em sua
apella da povoacio do Barro, na freguezia
e Afogadoa.
Ha missa solemne, pelas 10 horas da ma-
l,*. sendo orador o Revd. Sr. capellao-tenen-
e Leonardo Jobo Grego, e Ladainha a note.
- De S. Sebastiafio, na matriz da cidade da
rietoria, em Santo Antbo, havendo missa so-
emne pelas"I1 horas da manhb, orando ao
Evangelho o respective vigario conego Mar-
olino Pacheco do Amaral, e Te-Deum d noi-
e, orando o Revm. padre provincial frei Au-
gusto da Inmaculada Conceiqfo Alves.
Have procissbo d tarde, e depois do Te-
)eumn fogo de artiflcio.
As novenas terminam amrnanhi.
- De S. Genogalo, em suas capella da povoa-
bao do Itapissuma, em Iguarassui, havendo
aissa solemne pola manha, e Ladainha a
aoite.
De Nossa Senhora de Bel6m, em sua ca-
)ella da freguezia da Graca, do Recife, corm
nissa solemn pela manha, e Ladainha a noi-
;e, precedendo urma pratica.
Conflicto em Pahnares.-Em addita-
meato &. natieia, que, ha tires dias, nos renmet-
teram de Palpares, relativamente ao conflic-
to havido entire os proprietaries do engenho
TUrguaqanale, d site Lageitro, comBmuMicam-
nos aias.o sagui8te:
Qme depqo dU trocae de palvras acres e ve-
hementes entire os referidos dous proprieta-
rios, e quando passaram ellcs A vias de facto,
oi Mar-oli Ribeiro quem efiwctivamente
atirou primeiro em Vianna, fazendo-lhe o fe-
rimento que foi notioiado, mas que logo ein
seguida Vianna atironu em Marcolino Ribeiro
empregando-se a bale da Pea arma no peito do
4dversarie, eputra o qual tamnbeir atiraram ea
ino*Akse9 de Visann mna ajo Mareolina Ri-
beiro.
Que, em seguida foi Vianna levado pars o
isu egnenho, onde no dia segainte foi inque-
rido pela autoridade policial, declarando-ee
elle preso: pelo quoefoi transferido parm a at-
deia da cidade de Palmares..
Dinheiro.-O0 vapor Bahia trouxe 2:000S
para o S'. Barro de Nazareth.
0 vapor Penedo trouxe para:
Antonio Joad Rodrigues de Souza 800500
Paria Sobrinho & C. 5785000
Geaeros allmnntieios. Pelos vapoQes
Penedo'e Bahia vieram para nosso mercado:
assucar, 440 saccos; cafd, 580 ditos; cevada,
4 barnicas; licores, 10 caixas; milho, 1.536
aaccos; toucinho, 20 barris; vinagre, 10 di-
tose a A ipas; vinho, 2 ditas e 20 harris.
VIa-ferrea do Caxang4t-Depois de ama-
nha, dia em que tern lugar a festa de Nossa
Senhora da Concoicio que so venera na ca-
polls do povoado do Monteiro, o trem da li-
nha ferrea do Caxanga, que costuma partir do
dito povoado as 9 horns da noite, partiri dal-
li pars o Recife ds 10 horns. Todos os trens
de regresso prar o Recife estacionarmo em
fronts a escola do Monteiro, no intuit do fa-
ailitar o service.
Novenas no Monteiro-A de hoje, que
core a expenses dos empregados dac via-fer-
rea do Caxangi, pro motet seranimada, ha-
vendo, depois dells tentainada, varies entre-
tenimentos.
A de amanhb 6 feita a custa dos meninos,
de ambos os saxoS, aili residentes.


Ladroes de cavallos.-Do term de Agua
Pr-ta nos pedem varies assignantes par laem-
brar aso Dr. chefe de policit a remessa para alli
de um destacamento volante, especialmente
incumbido de dispersar o grande grupo de la.-
dr6es de ca-vallos, que infesta aquaella localf-
dade, eor grave prejuizo pars es Srs. de en-
geahos.
Apresentando o pedido, que nos foi dirigi-
do, deixamos ao Sr. Dr. chefe a escolha do
melhor meio d. fazor cessar aquella perse-
guic o feita a agricultura do term.
C &Mcaimeto.-Chamamos a at&engao do
Sr. Dr. director dos obras publicas provin-
cises arsa o passeio de lagedo da fachada
principal do Pago da Assemblda provincial.
Ha muito tempo que foi feito urma part
d'esse passeio; o resto tern estado per fazer
desde entio, e agora quo se pintou e concer-
tou oedificio parece-nos que searia opportune
cotcluir o mesmo passeio,
(Nub Litterario de Afogados de In-
gazeflra-Reunio-e essa sodiedade, oaem ses-
sao solemne. a& noite de 27 de janeiro, no px-
Vo da camara municipal, para feostejar,, na for-
ma do seus estatutos, o sou padroeiro S. Joao
Chrysostomo, e curmprir o disposto no ar-
tigo.
Aberta a s3s8Xo, pelo vice-presidente Dr.
Argetiuro Martiniano da Cunha Galvio, juiz
de direito interino da comarca, que o fez por
am discurso, subiram a tribune o Dr. orador
Jos6 Theodoro Cordeiro, oas socios Alfredo
Adoplipho Ferraz Costa, segundo seorebario, ca-
pitbo Manoel de Freitas Barbosa Gordeiro e
Eduardo Ribeiro do Valle, pronunciando os
tres primeires discursos analogosso acto, e
recitando o ultimno um soneto dedicado ao
Club a seus inatituidores.
Segairam-se-lhes as Exmas. socias D. The-
reza Ananias da Silva Erumbeba, D. Rita de
Cassia Caldera, D. Paula Augusta Caldors, a
alumna D. Maria Amelia de Oliveira Coimbra
e o alumao Joao Cyrillo da Oliveira, cads um
dos qaaes recitou urea mimosa poesia, oran-
do finalmente o Dr. Manoel Leite Cesar Lou-
reiro, que, par muito tempo, prendeu a at-
tenclo do auditoria corn suaas eloqueontes eon-
sidiragbeS, erguando alArm. vivas a instituicao
e aos 50us fundadores.
A' esta festa litteraria compareveram gran-
de numero de families e convidadfos, asmistis-
do Caenao os alumnos ealumuas deas duns
escolas .reaas pelo Club, a qua sa ofteramm
repreosentar pelos dous jovens D. Maria e Joao
Cyrillo, acimsa mencionados.-
Mimosamente iido, fleou litteralmente
;chei o salto do PaQo "' ,amara, onde eoie-
'brou-so sa seIBa. euja;,a84 foisa3ignmds
r por tod&awA eaialbeiroas pe qesteamo que
encerrou-se depois de Infdru da noite,


mo d6 G to to
Wbo; Up l1MehI-l at6 at lea cQuoerveG' or
viandes te. nusemyos do Abolinionuisa ;
tm fothpto-birbothe6Az4unicipai de Itagua- d
y; um retrosapfto qominercial do Jornaldo to
omnmercio. cu
Pelo Sr. Josd Primonio: Dous folhetos- de
O Futuro dos Pj holift; urn rOii .
14 permodico
telo Sr. Aoto 5II 1 er afpeWk *
rt; Tres boli 4*vicieU enm m.iw s
tda c6rte'.-
onlas respeeti pd g 8s 6 -
orreto de Na F1 F. F ne, Conautvica-, ma
HRiL Catholico, J|||tqs)* Eupsf*p Sankut s '
poldinmune, J JW do, l 4a iu'W d&. Labta, di
ad e aDiario 4O rr a d.
Mr um anonyx Wi o iMuMm A Io
r d& infancia e da vevdde. te
Supremo Tribunal de Justiga. Na li
ap 0.de9.dAo-aomnte foram destribuidms: o
IAeuita ermna--. 2.386. Recife. R. Galdi- u,
o.0 Nunes Pereira de Albuquerque. R. a jus- ra

R^.eawa d antiguidVae.-N. 291. Reel. o
aiz do deaito d Flopea, a .Peemnbuteo, bha,- p
:hbrl Firwctseco Domin~gues Riboiro Vianna. re
-Aom*. Coato. e
Reforma electoral. Pelo paquete bra- n
ileiro Bahia, hontem vindo do sul, foi-nos c(
emettido Volos Srs. Tolentiao Alvares & Ir- ti
maos. nosose correaspondentes da Bahia, e ahi
proprimetarios da important Livraria Economi- s
a, unm xremplar de um foleto. edicetado por r
sse distinctoa livreiros, coutaado a Reforma s
Eleitoral, Decreto n. 3029 de 9 de janeiro de a
1881, as Instruccws de 29 de janeiro ultimo pa O
a o primeiro alstamenko de eleitores, e umna se-
*ie de models para requerinmentos de alista d
nento, para editaes e despachos, trudo no in- t
,uito de facilitar aos cidadu;o' conhecimento n
la lei eleitoral, ensinando-lhes os meios pra
ticos do brn em ntendel-a no que diz rmspeito ,1
io direito politico de cada urn.
0 decreto n. 3029-a Reforma Eleitoral- a
acha-se todo annotado e explicado de modo a
tornar suas dispoaicbes claras e precisas ; e as
iotas sbo por sem duvida a part mais inte-
ressante do folheto, que assim voio prestar t
ium quantioso auxilio a a uma certa part da
populaqao que so interessa pelos negocios po-
liticos. N
Naturalmente o folheto seruiexpostoa veon- p
da em alguma livraria d'esta cidade; e, pois. l
cada qual se podera couvencer da sua utilida
de rnunindo-se de um d'elles, no que pensa- p
muos que audarao bemrn avisados.-
Poejo mais agradecemrnos o exemplar corn ]
que nos mimosearam os nossos referidos cor-
respondentes. t
Gazeta Jaridlea. Dessa assaz aprecia-
vel revista mensal do doutrina, jarispruden- d
cia e legislaco, que sai a luz no Rio do Jai- j
neiro, sob a direccAo qo illustrado Sr. Dr. Car-
los Frederico Marques Perdigbo. acaba de che- A
gar o n. 218, correspondent a 1 de feveroro d
corrente ; contend interessantes artigos so-
bre jurisdicedo civil, commercial, e criminal,
bem cjmo a legislacao e decisOes do governor c
no mez antecedente.
A assignatura annual continue a ser da
20$000 para todo o imperio.
Reunito de Coofraria No domingo
(!0), is 10 horas da manhg, deve haver reu-
niao da mesa geral da irmandade do Santissi-
mo Sacramento da froguezia da Boa-Vista,
para de accord corn o art. 27 do compromis- d
so, deliberar-se sobre divorsos assumptos irm- (
portantes.
Companhta Pernambucana-E' hoje,
as II horas da manha, quese dove reunir a
assembl-6a geral ordinaria dos accionistas.
Juiz de direito-Em viagem pare a pro-
vincia do Ceara, onde vai assumir o exercicio
de juiz de direito da comarca de Maranguape, (
acha-se i bordo do vapor liahia o Sr. Dr. Jose j
Mareelino deo Araujo Lodo Vega. j
Revtsta Braslleira-Pelo paquete brasi-
leiro Bahia, hontem chegado do sul, veio o
numero desta Revista correspondent ao 1 do
corrente mez
Traz ease numero os seguintes interessantes
escriptos : I Lourengo, chronic pernambucana,
par Franklin Tavora; II As duas passagens
do noroeste e do nordeste da region circumpolar
arctic, pelo almirunte J. R. de Lamare ; llI
4 questo d. din -a emancipa io dos escravos,
pqr Silvie liomero; IV fose^de Alenear, perfil
,ttevrwio, por Triatbo de Alencar Araripe Ju-
nior ; V Wwras puubticagces.
Impvefsa--P7omoa obsequiados, polo au-
tor, corm am exemplar do discurso proferido
polo Sr. coroner Jobo de Souza Mello e Alvim,
na session extraordinaria do Institute Polyte-
chnico Brasileiro, em 22 de outubro de 1880,
acerca do historic e piano da desobstruc.bo
da Barra de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, em
refutagbo ao que disse o Sr. Barmo de Teffe.
Agradeeemos o obsequio.
Brasil Agrioela-Sahio i Iuz o n. 11.
Fundos amerleanos.-L6-se n'uma coo-
respondencia de Londres para o Jornal dr
Commercio do Rio de Janeiro:


0 emprestimo brasileiro de 1865, emittido
a 74 0/0, fechonu a 98 ; o de 1871, emittido a 89
0/0, fechou a 97 0/0; e o de 1875, emittido a 96
1/2 0/0, fechou a 98 0/0.
( 0 facto mais notavel nos funds do novo
mundo, diz o Investors Monthly Manual, 6 a
subida de todos os funds de baixo preco; os
do Mexico, de Costa Rica, do Paraguay, do
Peru, de Venezuela, do Equador e mesmo os
de Honduras estao todos mais altos ; e o fac-
to de urma subida (por exemplo) de 5 1/2 nos
Mexicanos significar iada menos do que um
lucro de 50 0/0 sobre o prego de compra de ha
poucos mezes, pesou sem davida no animo
dos compradores que especulam nesse papel.
a Ultimamente, por6m, tom-so dito que o
Mexico esta mais bemrn disposto pars corn os
seus credores, e core tambem que aeseja a
introduces@ de mais capital europeu no paiz.
Os pessuidores de bonds peruanos, desespe-
rando por nlo poder obter justice em Lima,
entraram final em um accord eom o Chile
par a o embarque de guano dos depositos hoje
em poder do Chile.
( Os possuidozes de bonds de Venezuela
aceitaram, no oomeco do anno, urma proposta
para a conyversao desses bonds, em eondicoes
maito favoraveis pars ease estado ; mas esse
contrato foi repudiado por Venezuela, e oos
seos credores tiveram, posteriormento, de
aceitar condieces ainda mais onerosas.
S Os bonds chilenos estAo mais altos, a des-
peito da guerra ; benm come os .amprestimos
do Uruguay e on argentinop, posto que estes
soffressem um baixa consideravol durante a
revoluqio quo pouco durou em Buenos-
Ayrea.
a Vyentre os funds sul americanos, so os
columbianoa baixaram e isso em virtude do
confisco das randas formalmente destinadas,
e ate aqui pagas, aos possuidores de bonds. )
Consas do Brasil.-Na mesma correspon-
dencia 16-se o seguinte :
Seja-me permittido dizer algumas pala-
vra sobre o Brasil: 0 Rio News publicou um
artigo lacnmoso sobre a situacu o do Brasil,
que n6s aqui julgamos eatar mielhorando sob
a influencia deo safras excepcionaes, e que pro-
vavelment e 6 m& so para aquelles que pensam
que:


There is such a charm in Melancholy,
They woold not, if they could be gay.
a A proposito desse artigo, eu. direi que os
precos a que tern subido os funds brasileiros
nao slo de modo algunim o resultado dos orqa-
mentos illusoriamente brilhantes, que o es-
criptor attribute ao governor e aos dous ramos
do corpo legislative; mas da certeza que mais
de meio seculo de experiencia toern dado da
existencia, em Londres, de funds amplamen-
te safficientes para o pagamento dos dividen-
dos e amortisacko desses funds, acreditando-
se que, como tern sido atde aqui, serA para o
future ; e da sftperabundancia de capital que
procura emprego em papeis de primeira clas-
se que sao difficeis de encontrar.
a A critical sombria dessa folha de nenhum
modo assusta o nosso mercado, porque ainda
quando deficits em vez de sobras possam appa-
recer ahi nos orqamentos e(m consequencia de
votos pubsaquentes de ereditos extraordina-
rios, o que em principio e mao, 6 isso larga-
mente praticado na Europa e especialmente
em* Franca; e esta transformaglo no or.a-
mento brasileiro para 1881 a 1882; parece ser
devida principalmente A necesaidade inespp-
rada, quando a sessio ja se achaya adiantadi,
de augmeitar os credltos para amm arnamen-
to densrvo. Mas posto que os dnus credi-
os montem a oersca d 908,000, nao e prova-
vetl que sojam gastos em nt anao.
I


doa impo b, duiCto (iio qna
toe. o quo 0 quasi certo, visto o a ao
export Ao produzir natural m it ae-
rescin a tra lL

)reael Us conol: Ia
trad o rro ..tee d
0 q .prova en i/2 o
Wlevanft~nt 1neces-
0/0 3IW pi evaxjpn |tl flei-
rio^-
a Cc tambea corn &sU**ha no que
z MWiei ledena*u arpmrdB PAll O fO A in-
Wt 0 acpipJ, ftpomquan-
, 0O u) i lnhQM a n"7 l A pro-
cio diminuiria a receita, deterioraria a-qua-
lade, augmentaria o custom e faria decrescer
consume dos generos quo affoctasse. Seria
M impostor indirecto lancado sobre a lavou-
e sobre todosa s W oa idma!
-s fabricantes do generos rUinaI S a rOs.
SEsta teadonoWi naMOu, Ai. tsl princi-
ilmente, eram. consequencia d os enormes di-
eitos de importacio, e talvez valesse a pena -
xperimentar se uma tarifa muito mais baixa
Ao produziria major receita, augmentando o
ensurmo de generous, hole limitado pelo sac-
ual systetna fiscal.
a E' evident quo loterias a prazos longos
io cousas muito ruins, mas nero sernpre 4 fa-
il abolir cousas ruins quando estas tern-se
polerado de urna naqo. Po$so aegurar
o eleitor quo a nevralgia no bravo direito 6
ousa muito dolorosa, mas quando tem esta-
o no svstema mais de meio seculo, 6 muito
ifficil expellil-a mesmo coin o tratfnxnto
iais scientifico. A paciencia 6 o unico re-
iedio para estes males.
a Finaalmente-divei, sMriamente, qae depois
a lei quo se vtou coinmo meio de aboiir per-
nanente a escravidao. 6 patriotagem fazer bo-
itos discursos para precipitar a emancipa-
ao, quando so adnatte quo isso so fasia ,
usta da ruina da lavoura, que e a vida e a ,1-
aa do Brasil. A rhetoric brilhante 6 mui-
as vezes a antithese de boa politiea. o
Leilies-Hoje realisamrn-se os seguintes
Polo agent Pinto, is 10 horas, na rna do
larquez do Herval n. 114, de moveis, vidrov
para espelhos, utencilios e ferraimntta para.
narcineria.
Pelo agent Martins, as 11 horas, na rua Im-
perial n. 1'28, do moves, etc.
Peto agent Pestana, as 11 horas, na rua do
Irum n. 29, da padariao seus utensilios.
- Amanhai devem realisar-se os seguin-
;es :
- Pelo agent Stepple, is 11 horas, no edificio
lo Asylo de Mendicidade, em Santo Amaro
las Salinas, de diversos materials velhos.
Pelo agent Martins, as 11 horas, na rua da
Lurora n. 85, de armacio, generous e utenais
Ie taverna.
Terca-feira deve realisar-se o soguinte :
Pelo ageoie Pinto, as 11 hoeras, na rua Larga
lo Rosario n. 37, de billhares, moves, etc.
Quarta-feira dove rialisar-se o seguinte :
Pelo agent Pestana, is 11 horns, na rut do
Vigario Tenorio n. 12, do diversos predios.
Missas fmunebres-Serlo clelbradas :
Amanhd : as 8 horas, na igreja do Car-
no, pela alma de Joao Gomes de Souza; is '"
horas e media, na capella do cemiterio publi-
co, e is 8 horas, na igreja da ordem terceira
do Carmo, pela alma de Ciandlo Dubeux.
Segtanda-feira: is 8 huras, na matriz do
hfogados, pela alma de D. Elvira Bastcs Ta-
rares Lima.
Vapores.-Sao esperados os seguintes:
Henri IV da Europa hoje
Equateu.r do sul a 20
City of Para do New-York a 22
Neva da Europa a 25
Pernambuco do norte a 26
Alice da Europa a 26
Pard do sul a 27
Patagonia da Europa a 27
Elbe do sul & 1 de marco
Glenlogan, do New-York a 3
Niger da Europa a 7
Kspirito Santo do sul a 9
Grande loterla de S. Paulo.-Sabe-se,
per telegramma recebido, qu.a essa loteria
aera extrahida impretarivelmente no dia 26 do
corrente.
Loteri# do Rio de Janeiro. Por tele-
gramna recebido aabesso qpe a loteria 295.
a beneficio da InstruccEo Publics, do Rio de
Janeiro, se extrahira anmanhh, 19 do corrente.
Loteria da provincia.--Ter.arfeira,22do
corrente, so extrahira a loteria 100.a, em benme
ficio da Santa Casa de Misericordia do Recife,
no consistorio da ugreja da Conceiglo dos Mi-
litares, ondo se achariio expostas as urnas e
espheras arrumadas em ordem numerical, a
apreciagco do public.
Hospital Pedro ll.-Movimento do dis
16 do corrente:
Entraram 10, tiveram alta 7, falleceram 2.


Existiam no dia antecedents 619 enfeoos.
Exiatem 620, send : nacionaes : soldad
13, do sexo masculine 294, do sexo femueniMQ
210 ; estrangeiros 81, estrangeiras 13 ; ese0a,
vos 7 e escravas 2.
Passageiros-Chegados dos ports do sal
no vapor Penedo:
Benilde Romero e 1 escrava, Braz Teixeira
da Costa, Louren o Vidal, Pedro Francisco
da Silva, Vicente Ferreira Barboaa. Joaquim
Jose Maia, D. G. Claurim, alferes Sebastiao
Goncalves da Costa, sua mulher e 1 criado,
eadete Arthur Cavalcante de Albuquerque,
sargento Pedro Nolasco de Souza, soldado
Antonio Senhorinho da Silva e sua mulher,
corneta Paulo Jeronymo do Nascimento, sua
mulher, 1 filho menor e 1 escravo a. entregar.
Chegados dos portos do sul no vapor
national Bahia:
Dr. Luiz Salazar da Veiga Pessoa, Lauria-
na Rosa C. R. B. Dummonte e seu filho, Dr.
Jos6 Balthazar F. Fac6, Faliciano Ferreira S.
Soares, Jose Guedes Botelho, Eugenio C. Ca-
sanova, Alexandre Haag. Jos6 Eustaquio Li-
ma Brandao, Mathilde Brandio, Bernarda de
Souza, ex-2 cadet 10 sargento Francisco Fur-
tado de Oliveira Cabral, 1* sargento Josd
Ottoni Ribeiro Franco, ex-2o cadets 2 sar-
genta JoSe Francisco da Cunha, Dr. Olympic
Manoel Santos Vidal, Rodrigo Antonio Corn.
reia de Araujo, Octaviano CIesar Correia de
Araujo, Manoel Jeronymo F. Junior, Arthur
Trajano de Hollanda, I. Beuder, Demetrio
Cidro, Antonio Henrique Mafra, tenente-coro-
nel Hilidio Pereira Banacho, Francisco Pinto
Ferreira, Pedro Vendaval e suA mulher, Eu-
tiquio C. de Carvalho, Manoel Josd Remigio
de Oliveira, Helena Maria da Conceio, Jos6
1. Araujo Pinheiro, Manoel Luiz C. de Albu-
querque, Dr. Jos6 da Rocha Cavalcante, sua
mulher e 1 criada, Octavio Dierr&, Firmino
Leocadio de Lima, Rita Barbosa, Job Cutim,
Bernardino Maranhfio, Porfirio G. Bastos,
Cupertino Guimaraes Bastos. Josd Germino
Araujo Pinheiro, 1 praca e sua mulher e 1 es-
cravo a entregar.
Seguem para o norte no mesmo vapor :
Maria Mendes Vianna, capitao M&anoel EL
da Silva, sua mulher a 2 fllhos, Jose Mareeli-
no da Veiga, Joaquim Moreira da Silva. Cle-
mentino do Azevedo. Francisco Jose Caval-
cants, Antonio Joaquim, Jose de Cesar Sam-
paio, Jose Rodrigues Callado, capitao-tenen-
to F. Monteiro Bastos e Joio Baptista Correia.
Matadouro da Cabanga.-Foram abati-
tidas, hontem, para o consume desta cidade,
43 rezes.
Casa de detenwAo.-lovimento dos pre-
sos no dia 16 do corrente:
Existiam press 446, entraram 7, sahiram
4, exist-m 449, a saber: nacionaes 399, mut-
Iheres 10, estrangeiros 12, escravos 28.-To,.
tal 449.
Arracoados 388, sendo -- Boas 357, doen-
tes 31.
Movimento da enfermaria:
Tiveram alta:
Francisco Ferreira Campos.
Xntonio Amancio Principe.
Teve baixa:
Antonio de Oliveira Lima.
Cenilterlo pubUco-Obituario do dia 14
de fevereiro de 1881:
Enedino Vieira da Silva, preoto, Pernambu;-
ao, 16 annos, solteiro, S. Jose; tuberculos
pulmonares.
Claudio Dubeux, branco, Portugal. 76 ai-
nos, casado, Poco ; hemorrhagia cerebral.
Luiza Maria da Silva Goes, branea, Parnam.
buco, 25 annoa, casada, Santo Antonio; t.- n
berculos pulmonares.
Maria J3m6, Eoypitito Santop rtet, PAn
anbp 40 11 es. 4014as BI It ttt
"Urttlos pttlmonttes." ..... .:.


Now


LI


- -. ,


"*Ii-


1p






I

i'


?


/.,





1^'. *


- 4-





















'^Si~~~lvHHI^s^r vwpW WO ri iu-
A +S' $Pba .irasbdeo, 39
Poreir aII; 1wo or-
^1^ peiseis db3 ;3antoV Casto., 'br@@a,;
: e onbeco, 39 annos, viuva, Ghv*a.; bhmao-.
ji mUly.Sa do Patrocinie, pardo, Rna~m
tuM anaop, aM)U~lro, Boa-Vi8ta; fraatarh
.dnewo. o. .
Jojo Franeisco Capiba, preto, Pornambuco,
f22 8nse, mado, S. Joe; -vaiolvo.
'Mayia,- qde~nscai', reutMt1T]4elo sub-
ddxitto'.te ,pam;s.ep o.
If0dlfti, LpastIa, 'Periauibfeco,') meoes, 3S.
.Thsr ;,'e~jeelu'xe. ,
Ibi',a escr'aia, .Teta.,Pardhyba, 5 arnios,
solteira; tuber*f6i6 pulmonares.
Jliro, Pernambuco; eonvals~es.
rasaseeo ,Ferreira de Metto, par-do, -Per-
nambuco, 4&annos, viuVto,Reoife; nwaleatia
Macoel Victnte Goraes, pardo, Peru bbai-
co. 75 annos, viuvo, hospital Pedro IT; (diar-
rhea.
Manodl Antonfo'Cdrreia Borges. 'pardo.'Per-
Miavr.buqo, 22 ainnos, solteiro, hospital Pedro
!I.; tubercuics pul-monares.
jRayrnmundo 9Remlgio de Mello, branco. Cea-
is. 38 annos, solteiro, S. Antonio; aneurisma.
JoS,.pratdo, Pernamnbnco, 18 dias, S. Jose;
ose, preto, Pernambuco, 15 dias, Boa-Vis-
ta; enterite.
Maria, parda, Pernambirco, 120 horas, S, Jo-
se; colica.
&uAnna Claudina de AguiarWanderley.bran-
ca. Pernambuca, 51 annos, ecasada, Graca;
paralysis.


ilUJiNI4A JUDICIARIA

Juizo especial do commercio
AUDIENCIA DO DIA 47 DE FEVEREIRO
DE 48S1
Juiz-o'Dr. Thomaz Garcez Paranhos


Primeiras k 'm. atim, ntift-
Oo e as 4 oprau e iateiros. Calli-
grapbia. d, latodos a dns das '6 as 0
boras. Prfesft eI a Wsieves Alves.
llaegolb' wnm .
amumLD 4LA. .
Desepho: -4 as tero e as*1eica das
Q as 7 boras. Professor arobitecio Dr.
tHer~oalaoo aoio. .....
JMusicQ.--:Ns sabbados. Aula das 6 i
-7. ha. .teIwoto m racdiao A. A. Mi
LPoflv .gw-z:- L+!b.,a Mtck tefi-
y fMOsrgaE.~ ~ bhI 4L*4V;4A

das cousas Aula todos os dias d4:ei7 l
'h r. rehes'r Dr.'-ft4wed w 4lde
Lacarda.
s guan, Inartas
e settas.-fras. Aita'das8S'-180 horas.
Professor Telles .Junior.
Arithmetiian--Asiqgltr0 operagles c
inteiros, fraetMs .4oeitts e metrologia
Nas terwa6 iq altMose I9es. AMila dat
8 as 9 hWras. Ytrfessr. B.,iito dos San
tos uBaTros.
Terediro anAo.
TfICBIRIA SALA.
Arithnmetia :-ProporCoes, rgra de trIt
e suas appliances nmais ttuaes, NTs 4M-
gundas e qoatlA-feifas. Aula das 6 a$
7 horas.---Professor Lydio MarianAo de
Albuquerque.
Desenho: -Nas tarcas e sextas-4eiras
das 6 as 7 horas. Arohifecto Hlercuanao
Ramos.
Geographia e historic patria: -Nas
quartas-feiras e sabbados Aula das 6 as
7 horas. Professor Dr. Elpidio de Mes-
qaita.
Calliyraphia :-*Nas segundas e sex-
tas-feiras. Aula das 7 as 8 horas. .Pro-
fessor A-Jfredo Ducasble.
,j n ijaue_, ---[.I aritr dai nrnd.A z -versa.


Cartorio do escrivao Josd Franklin graminatica, analyse logica e- grammati-
Autoamento do summario contra o-correc- cal, li0o das cousas. Nas ,tergas, quin-
tor geral Francisco Jose -de Oliveira Rodri-
gues. Ddvolva-se ao president da junta Us e sabbados. AnUa das 7 as 8 honras.
commercial. Professor Felix do Valois Correia.
Accao executive Musica :-Aula nas quartas-feiras das
Aggravante acomnpanhia Indemnisadora do 7 as 8 boras. Professor Franoelino D. de,
Porto.-Recobidos osembargos.
Protesto de prescripcqgo M.. Pessoa.
Protestantes Farreira Guimnaraes & C.- CURSO GE&AL
Julgada a ausencia dos protestados para se- Prlmelro-auno
rem intimados coin o pra-o de 30 dias o pro- QUARTA SALA.
tested de fis. Desenho linear :-Nas segundas, quar-
Carlorio do escrivao interino Vicente tas e sabbados, das 6 as 7 horas. Profes-
Silva sor Alfredo Ducasble.
Aecao do 10 dias Desenho de ornatos.-Nas iercas e
Autores Ernesto &Leopoldo.-Julgada pro- sextas-feiras, das 7 as 8 horas. Professor
cedente.
Autor Leonias '4to Loureiro. Julgada Augusto Barradas.
procedente. Exec5o dsetnaArithmetica, algebra ate equaVes do
Exqu Execuct o d setanca doAlbur 2 grdo. Geonetria plana :-NIas se-
Exequente Mnrarta e saados, das 7 as 8ol
qge Ferreira. Mandou-se remAtter os autos gundas, qaartas e sabbados, das 7 as 8
para o superior Tribunal da Relaqao. boras. Professor Jose Ferreira da Cruz
Vieira.
,,,___ CURSO SUPPLEMENTAL.
IvlTfs TI& Ln!Tn flv Tachigraphia :-Aula nas segundas e
P uD] CA S 1A PEii @ qintlas-feiras, das 6 as 7 bhoras, profogr
_______________- ~sot Alfredo Falz.,o.
Ao publico Musica :-Aala nas tercas e sex-tas-fei-
Ar.0 Csr A OraSas 6 as 7 horas. Professor France-9
0 CIDADMO AFFONSO DE ALBUQUERQUE line D. de M. Pcssoa.
IELLO Jgl.:-AuaaswquartasWrase sab- I
Cliega ahora solemn em que as condios :-Alaa qaa as ab-
da vida desto povo v2o soffrer tao tremendals bados. dasi6as 7 horas. ProfessorDr. Joao
transform acoes, que abalam atd os ultimos de Biito.
fundads ,tos da aociedade. Estejamuos, poiS, Phitosophia:-Aula mas segundas ee
-todQs-yatos e promiptos paraa luta, qu s S inas-firas, aas 0 as 7 toras. Profes-a
a(Bim 'aOtos triuamphanteA e aleangarem>> qwin<*0i 1**' a -6- 7 Profs-.
della o, mnaior bem. sor padre Joaquim Arco-Verde de Albu-1
Hontemn era umn governor despotico. con as querque.
hypoerisia das formulas constitucionaes; seu Latimn :-Aula nas teras e sextas-fe4i-
bracor executor do sua accao, era a policia 6 as 7 hras. Profesasr Fe-
quiintO poder public, desconhecido na lei; ras, daas 7 ras. S e
torpeA iunfamn, praticando todos os crimes a lisberto Milagres.
favor,: ora do urn partido, ora de outro, em Italiano :-Ault nas quartas e sabba-
proveito dos dyscolos quo faziam da nio do dos, das 6 as 7 horas. Professor padre
estado a sua presa, de n6s, todo o povo, as Jronymo Thomp da Silva
suas vicLimas, que causaram a nossa ruinua, on o m aSi .
corromperam os costumes, perverteranm os Geographia:-Aula nas segundas e
seantimentos, e-pancaram o patriotism, l;uia- quintas-feiras, das 7 is 8 horas. Profes-
garat o ridiculo sobre oeta palavra e o senti- sor Dr. Maioel B. P. Diogues Junior.
men o que ella exprime, intibiaram todos os Francez, 1l cadeira :-Nas ter as e
IioI produziiaintodtsas asiiserias, todas as. rn^ Icaza ~&lra
bdJioA, produziam tods as isrias, todas sextas-feiras, da- 7 as 8 boras. Professor
dor~ncams desto pali.
aijesao chamnados todos os homes qua, Dr. Leonardo de Alineida.
imp-atentes contra a policia, so retiraratn da Francez, 2" cadeira :-Aula nas quar-
acsio, todos os qua nas condicodas mis bem t as-feiras e sabbados, das 8 9 horas. Pro-
provadas do sua indepiudencia e prudeacia,
.is gar'ania podeom dar de se.u voto, as fessor Oscar Destibeaux.
condicoes de dogradacao a qie ternmes cliega Allemdo ;-Aula das 7 as 8 horas, nas
do; todos estas sio chainados a governor a quartas-feiras e sabbados.-Professor An
nacao por meio de saus representatives, esco- tonio Carlos Ferreira da Silva
lhidos pelo voto de cada urn. --on aos rrera a lv
E' pois urna verdadeira. urna grande revo- listonria :-AuraS nas tercas e sextas-
lucio quo revolve ate oi fundamentos da so- feiras das 8 as 9 boras. Professor Pa-
ciedade. tricio Moreira da Silva.
Hontem governava a policia em proveito dos a.
dyscolos de umr ou -de outro partido qua a '
creavam ; hoje e chamnado o povo, nas pes- Nao ha duvida que o espirito religioso
soas de sous representantes natuaraes, a clas- renasco. Todas as festas do campo se temrn
se radia, qe nop6d per seas votes ter at- feito, at a da povoagao do Montero qu
tenefo a seas interesses soin tar eua vista os
do toda a naeio. estava esquecida, renova-se este annogsos-
T.da estaclasie, pordm, retirada e apatica. Lames maito disto : entretanto sIanos
do sea descuilo so querean aproveitar os am- tainmbem aramigos da ponitencia, -por isso 6
bieioos parsd continsuar as deprdacs dos quo lemrbramos aos nossosirmaos tereeiros
te-npos passades.
Venhari. pois, todos a po.tos. nio espere Franciscanos que aproxima-se o Santo
ninguem que os pretendentes ov habilitem elei- tempo quaresmal; e precise tratar-so dos
toras. purque elles s6 habilitarfio os seus se- meios de fazor-se effective o Nosso Pro-
quaz-s. Habilite-se cada um para entrar nes- so dcza, ser es e o exercco da
ta f'sta gloriosa, nesta ace.o sablimeda cons- s de cinza, series e o exercicio da
tituir o povo, de dar a sua naceo, o governor via-sacra, actos estes bean recommenda-
dea sua escollia, de sua vontatle. dos pelos nossos estatutos : renovemol-os
O trabalho e pequeno para ui alcance tao por que desde que se os tern sqfecido a
alto, e nao t'alta quem dirija aquells que o
caream mosmno tdra das commiss0es dos par- nossa ordem nio tern prosperado peo con-
tidos. trario........a. Sshi pernianece.
Veanhliam, pois. todos a postos. a grande 0 rmdo preidenie.
fest-, no primn2iro acto da salvaco da patria. ___
DI mninha parte, lidador constant pelos in-
terdassds publics contra todos es desmandos: t nftl
sas no a.+ opno-m d t.oiks, v esposla
Saumpre co~n a penua em punh- ha trinta e
sois annos, occupando-mo de todos as gran- -i i -.*
des negocios qae so tern agitado no paiz, so Nij merecendo resposta o valenlo Ani-
descaneannio em curbos periodos emquaunto re- 'eto, qua no Diario de Periambuco de
faco us ui-'as; 16 do corrente apreseatou-se coeira .Bim,
Occupando un assemblea provincial a tri- cheio do choro e lagrimnas qte ousopava-
luaa por vinte dias, corn satasfacao do povo th"t103 boio. ; La via vo em pon-
e deseapero dos grandes de amubos os parti- Ihe ate os belces ; todavia you em pou-
dos, quo d',lIi me podraiin expellir, por ser CaS palavras responder-lhe.
supp!ente ; D ase, esse valeutasso, fundado em die-
Militando sempre na opposigbo com -.os qne dore, ess vaoe so fndado; e e-
soffrem coutra os qmue gcvernaa0 p ;aq o mai aisinho;aquespao-
Nunia,. pjrtxato, tendo concorrido para as i<^ e Bulr. tai a Uiapob~e JBlba; que
nossas detsragas que .6 destes tem vindo; levet ao deseepero uma pobre mealtua, a
Lutando sainpre em favor dos interesses ha- pontlos de evad:r-se paraa Casa do visinbo,
cionaos contrra os abausos ca coQurrencia eO- e que tiaalmente sou bpin-ioobecido
trangaira ;
CtHUe de indtignac.o coatra todas as pr.ter- Pois bern. F.ua menina 6 verdade qua
vias, sftiado em iim tow-cas para arcar corn de miuha casa fugira na uoite do 19 de


as dysItios. diaposigao pma ser eimagado, af- janeiro lo 1880, e em vista de que ixa m-.
froma os perigs para nio abandonar me nha e denunci do Sr. Dr. promotr Ali-
posto. m mnais do urea vesz o tenho pub Ii-enoi dSrD.pouorAt-
camsa o pmaticado ;- no, o sobielegado capUto Figueiredo Cas-
Nat.iu condigos : troa da. as,prow.idenAcias, fownaando inque.
Proponko-me aos a eleitores do 1 district rito policial contra Joanair I Braz da Co-,
desta prorimp.ia oud. sou mais eonhecido, a-a '3, sobrstw de linool Zefl0 )as
reeeber 44 0, eo la4o a-rir seantante da a
nwa-o qua O= ,tam doeO lesr. Barto, de quem trata Anigto,.:peras-
.mrbo p"qrneaJio quej" *sig n' iLas qu aram do rapta- a meaina : trs
.oe aproNs ; itu qae coanego d'iu mr.e e si q i
"own
W mo 'l moflias..a poblca*t., apt apv--na 4a i mt aI

do ..'a" a
+' SW'


ateliil-


o0 meu primeir. exercicio data de 31
de outubro de 1863 ; e fui assiduo seam
dar nea ninua falta ate 1871: era, pois,
professor vitalicio -e s6 podia ser demitti-
do em virtue de senteoa em pre'esso
disciplinary ; e me parece, quo no conselbo
director nao baveria entdo quem tanto
desconhecesse a lei, entao vigente para vir
proper a demissio de utu professor vita-
licio, que, alem disso, ji ftra louado
pela dircctoria geral em ofticio de 21 de
janeiro de 4868, dirigido ao delegado lit-
Lerario da Varzea.
Creio ter dito o bastante para provar que
born escolhi o titulo .do presenote arligo.
Recife 17 de fevereire de 1881.
F. S. Miranda.


do i881,


reinm, a diffikuldade -no 6 de attrahir o
sangue na partLe exterior, um sinapismo
para isto basta. poreim, mantel-o neste
lugar. At6 hoje nao havia remedro para
isso. Hoje em dia, temos o extracto de
pimenta, o papel Lar4y.
Sem causar a meonor d6r next a menor
comichlo, obtein-se iimmediatamente so-
bre o ponto de applicaolo, uma viva ver-
melhid.o acompaohada unicamente de urn
calor que nio e desagradavel, e o sobre-
diLo estado prolonga-se an to tempo como
se deseja, se se julgue necessarib. E sob
a influencia desta energica derivaglo
desapparecemn como por encanto, deflu-
sos, bronobites, caitrbos, d6res de gar-
ganta, d6res antigas, sciatica, lumbago,
ali Vam nmn P__ vnh nii an fh am'


Certi feo quanto ao prido pontoIa"'-iu. uLU UinalcajuAJU i e n em
pe tfiiorr oquanapreiropatdo 0 qualquer pharmacia se tern bastante para
pieio do deltqado a tterio da part-e o of averno inteiro. Isso nio 6 nem bern
liiodo deogado ^ -lDe-i l1 atu
director geral, 6 do hth rsegwe : agradavel nero muito caro.
gacia e districlo litLeraro4a freguezia m ,, ,
Varzea tres de maio de njr pitio cenLos e
setenta e um.-Illm. Sr.-- saluj Fran- 1U IERCt0
cisco da Silva Miranda, professor publicowC IK
de instruccgio primaria do aevo mascalino junta dos correil S
na povoacgo da Varzea, que al6mn de sua iAI do iot i
reconhecida habilitagio, fui sempre muito PRA(QA DO RECIFE. 17 DE FEVEREIRO
p uiual no cumpriQipeoWo dos doveres de JE 1881
seu magisteio, costumava aprovehar as As eho dtaesrd
fa~i d NiilA ><4 Pe4m ar i tros hot-as 46 tat-do
ferias do Natal e as de PasCtha, para ir Acc5es aa oompanhia dos trilhos urbanos do
a Macei6 Wsitar a famulia e ralar de ne- Reote -d Otinda e Bebeniba, do valor
geeios-particntafeg, chegaudo aqui sem- de 2t4.0 40000-cada umat
pre antes dlo dia da aber'ara da cscola. fiablo ,.''-LIhdmw 99 d/v. 211/2 d. por
Autes 4a milima feria da PasAoa, elle mbo sbw Pa., 9)47v..4 is. a tre..
commcmm ko-me que ia a lacei6 e pedie- Dito shbse4 :ito, 0-d/v. 4" M.s. franco, do
me nua licenca de tires dja A contar de banco.
trinta deamanpa pliaeiro loabril, que eu ,W B--
concedi para aproveitar o vapu qWe par-- .A iiiueMt, -.-
Uia atritma de wpo. Qua* so.a. uo 15 .ac c p nBtoibe aGas a as.eew& thog c as- do Recife Oi.inda e Be'beoibe.
f.o d-irctor, Aejaneiro a 6 u4ja bie 'P. J. Pito,
mil oilocea#oso rtaegte UMada- a a -A. Lsuxsl d gwm.
4uM &W pWUMA0e ao 9We-he gm <%iG -A MeT. ms oAriga .
.rlc vaadIrideMdia ogincow- -.
do a deMnssno du profa $ps a AjL'A? tWfiA '
Cruz Ribeiro do ar e meabr do e- deonimento ao aIM. a a1 5 79:
Mo conselho, noi&a la reaQI ao, Idemn do diae 17 7
,+,g~ N) mm 4wM p~o o ev.eS
".. POW- "17.
gI,4' .,


'U


W*-I
IPer-


,do'em casa aleia oe 9 of eb ar4
ha teaZttr'corftra a vida"to cnl.Rtol
de. .dioo- Adl,SQ.za Albtiquerque, comoI
diso sabe a ."Wbdelegade Fineiredo Cas-
tro; por ter ataeado e oke de espingar-
da (ca i' ye M a, do pro-

terra, cIfa M ik an legado dh
Santo Amare, 4 rktftM casa cornm siua
proprio muleri ado'doaouce e espan-
cando os ft"
Este ArA nw'addor- a ,O o-u doun
mezwa&,! a .4, Principe, sb temn-se em
@01adofo pr.ke) m des ebir fltas a-
be.kf *wfa',t>Q1Yf ^poder e~bir as 'ifdas
Ae Oue6 1 a4U o.00
Tern ta toeiwm, euodan 1 Sipol'
que fins, qwsW -o l Jadortde ter corn
&ai-a j.m br,v Jhbe e Ses sji'os, -odos
armados evadido em miniha ameencia i-
nha casa, gu. adoart.o menos do cincoenta
pessoas cmgp mram -xio logar de onde
4wl- Ato. .:mtwafava suas brlaes e sel-
vageos acoes bIm conhecidas.
D.tve saber os e -A'Aieo que ndo estia
nas praias ia cidade do Porto, onde as
ratei r briam : pelas -oomras e -veadas
fe aardidhas mas.
Nao voltarei inais.
.Belarimino Pinto do Paiva.

A Mulher, a Familia e a Ci-
vilisag~o
PELO
BACHAREL J. GUENNES DA SILVA MELLO
Acaba de sabir luz e acha-se A venda nas
livrarias desta cidade.
0 author pede aus senhores assignantes das
cidernetas o favor-de mandar procurer as ca-
dernetas, que ainda pao IWes tinham sido en.
tregues, noa escriptorio A rua do Imperador n.
78, 1 andar.

0 Sr. pr4tessor Simpiioio, ini-
migo -da voi dtade.
Venho defender-mne, como prometli, da
accnsagiio qoe me fez o Sr. professor Sim-
pliojo no final do seu artigo publicado no
Journal de 20 de janeiro proximo passado.
Disse S. S.:
a Em cont'.usdo, muito estimarei que o
Sr. professor Miranda promova tanto os
[nteresss da lasse, quanto eu fiz por S.
S, quando o conselho director, a quemn
entio eu pereacia, quiz propor a sua de-
missio por haver S. S. abandonado sua
cadeira, retirando-se para a sua provincia
natal, conform iuformou o delegado lit-
terario. )
0 fact, a que allude S. S. 6 o se-
guinte :
Fm 30 48 marco fui, corn licenc.a do
delegado fitterario, a Maceib, passar as fe-
rias de Pascboa, que se findavamrn a 9 de
abril deoi871.
All adoeci gravemente e s6 consegui re-
gressar a 27 d im nio do mesiao anno.
Coin o P ponto da oertidio, que abai-
xo public, provo a exactidio do quo aca-
bo de dizer.
Aqui chegando, encontrei publicado urn
edital da entio directorial geral da iustruc-
Cao ptflica, imhpondo-me a jena de ad-
moestacio : eatrei am exorcicio no dia 29
de mawo, justiliquei a miuha ausencia por
Lal forma quo coesegui que o mesmo di-
rector geral que me bavri imposAto a po-
na, a mandasse considerar sere effeilo.
Provo-o corn o 3 ponto da certido
abaixo.
Agora, corn o 2 pouto da mesma cer-
lidao provo quo e falso 0 pe dtz o Sr.
Simplicio, quo neno ao mnenos se tratou
de mimn no conseliao director na epoca
desta minha auseocia.
Logo o coaselbo director nunca preten-
deu proper a minba demissao, logo o Sr.
Simplicio falta a verdade para allegar ser-
vigos, quo nao prestou.
Pc mais o conselbo director nao podia
proper a minha demissao, corao pass a
provar.


province*, ia U1 ?Wi
,diz c.ik* -i~ ^

Sip ,Cl ',wtnl
vars fl,cor nStnto
vivas;, nariz-el,mvp ^ !^
e f.4rlada,)tenkHa
unna cIO triz tde (i1of d,
a sipnO o anlft-a o do
__ rnclwo C 4


I'
A-


J bt i,&rBvin do de.seca io,
x Bw K-.


im. AO-t onti 0fUch'U .*- -1
Miss AtlIa Carroll, desejano do r w4 P 4-dw
Ge5olviMeW o so cewso de estud.sftom'ob6l-
i9ftIMavsaBauxiltar 41o Sea,. pa'op
"Ms 4*PBnbeoid*- teriA% .Arde soa'w
gurar fi suas discipulas o melbor .rIf.,a
GQ"1**e6icao am.; Aotemour quo 0swda-
ren.
As Mateuts .nsOieaa no seu estabeleci-
Mento Bso e Olntes:
nftUez-- MOz, iffi -t s-
doseIe1ad#*ssHdoadrv. odsleIftbw.ol
Inglez-pela director.
Primeivas letti < bokiadts-pela Sra. D.
Augusta da Sftta.
, Pmao e caato-.po Sr. Genes EidavLf.
Bosnhbo -e pita-'pelo Sr.. Aumvelio 6eFi-'
* ueiredo.
Lefpuoo retigiosa-pele Sr. vigario Vel.
toso.
As linguaIslUadas no collegio sAo: o por-
tuguez, frainez e inglez.
O collegio receb3 alumnas pensionistas,
sinme-penBionistas e xternas. As amla esta-
rao abertas do "dia 10 de janeiro em diaute.

Pr gramma
Da festa da umilagrosa im gei de Nossa
Senbora de Belim, em suaa ca*ea oa
estrada desse nome.
Amnanhfi, ao maeio dia, grandequattidade
de fogo do ar annunciara o dia daquella festa.
,As 1 horns da noite de hoje sera arvorada
a bandeira, send saudada pela banda de mu-
sica dos aprendizes artifices do arsenal de
guerra.
Ao romper da aurora do dia subsequent
(20) havera umasalva de 21 tiros, annuician-
do aos fieis que 6 chcgado emnlm o-dia da!
mesaina festividade.
A's 11 1/2 horas tera prinuopio a dita festa,
occupando a tribune, ao Evangeiho, o Revin.
vigario da fregueziade N. Sra. da Graca, sen-
do a orchestra dinrgida pelo habite ber n co-
nhecido artist Mareos Evangelista Corrfa,
-a tarde estara a mesma banda de music.
postada em frente da mentionada capella -exe-
cutando diversas peas de seu repertorio,
inostrando assim a pericia, gosto a desenvol-
vimnento, e subiriAao ar um balAo nuncawvisto.
A's 7 horns da noite antr 'a a ladainha, ter.
rminado este acto religioso queimar-se-ha o
fogo de artifloio.
Ficando assim preenchLlos os deaejds, nio
s da commissio abaip assignada, encerre-
gada da indicada festa, como dos devotes d'a-
quella Sonhora.
Joaquim Francisco dos Saritos Rocha.
Firminio Valentimn de A.ndrade.
Luiz Antonio de Alcantara.

Collegio Brasileiro
Para o o.exo iemnlino
N. 22-RUA DA IMPERATRIZ-N. 22
As aulas deste estabalecimentou estlofanc-
cio 4do desde o din 17 de joaneiro, e noesater
collogio. continua-se a aceitar meninDas inte-
nas, semi-inteinas, e exiernas. A diroctepa
affianga o born adiantamento de suBs alumnas,
para o que tern esacolhidos professors.

tollegio Zima
PARA 0 SEXO FEMININO
Rua do Livramento n. 38, 2..
andar.
Pro0essoras e direcloraos:
Amialia Roxo Lima.
ZiVna BPo Lima.
A mnatriculado 8."AnnooleetLvo paira as aslas
deste collegio eata ebmrta desde 7-de Janeiro
de 188-lawe diatea, t.o someutea jara alumnus
extelsas.

Music, piano e canto
A abaixo assaignada continua nestes ensi-
nos per cohlegios e casas particulares ; pro
meote assiduiJade e dedicagao a suas alum-
nat : a tratar em ua residencia rua de S.
Francisco sobrado n. 10.
Fancisca de Albuquerque Silva Costa.

Todossabom que o melhr meio de
roandar desapparecer urn defluxo ou urea
d6r, 6 de attrahir ecor promptidao o san-
gue ia ellee niantl-o hasle lugar para
tirar a congesti, do org~o doente. Po-


We '

'. l16 'PiffIesfns &s

Mi a^'Wtero4:zfi1 Bro,.00~ A.VP~i<
C., 400 Wat. .orrb, IN a 'aliia 'Paghe6o &
C., 10N0 a, Bftr Iti rInrraft efide.
Toaioftbo 20.barria a Franiso R. Pinto

VapornaionAl Bahia, patrado dos portos
do isul -na mesa data e, consigndAo a'Bdernar-
'dino Pontual, manifestou:
Carga dojtio de -Janeiro
Cafd 100 ,accos a Joaqaim Ferreina de Car-
v'ilo &. C., *100 a Mag alhies*'& Castro. 50 a
MInoel Joaquim Carneiro & C., 50 a Manoel
:Sreira & tC., 50 a Santos & Araujo, 50 a
Motiriro &*.. 0 5 Jjoaqiu Duarte Sirn6mes,
+a:SUv Paira &C., 30 af Caimarmfts Bocha
&WC. Ceovada 4 btrricass ao eonsignatwrio.
Coilsa 11 sacco, a Domingos A. Matheus. Cha-
pdos feaizax 'ordem, 1 a Gongalves Irmao &
Companbia.
Pazmndas 4.caixas a Cramer Frey & C. Fu-
toe 23 vlues*s ordem, 12 a Beltraio Junior
& Resenrte, 8 a'Josd C. de Moraes. 2 a Jacin-
tho P. Pobtus. Dito em folhas 10 fardos a
Jo'o F. ierite.
LiUcores 10 caixas 6 ordem. Livros 1 caixa
a J. W. de Medeiros.
- ObJeetos pars chapdos de sol 3 caixas a Oli-
vieri & rmbo.
Pefrnumarias 25 volumes a Parente Vianna
^.C.
Vinho braneo'2 pipas, 10/5 e 10/10 a ordem.
Vinagre' 2 ipas e 10/5 i ordem.
Carga da Batia
Mnrp6o 2 eaixas a Parente Vianna & C., 2
a -Mara lrmio & C. Charutes 5 caixas a
Botrgard & C. 1 i ordem.
Fio de algodbo 50 saceos a Luiz G. da Silva
& Pinto. Fume em folha 2 fardos a Jose Aia-
tonio Pereitra.
Panno de algodao 40 fardos a Amorim Ir-
mhos & C.. 18 a Machado & Pereira, 10 a
Gonealves Irmbos & C., 8 a Souza Moutinho
& C:,5 a Luiz Antonio Siqueira.
Siacos vasios 48 volumes a Pertira Carnei-
ro '& C., .40a Olinto Jardim & C.
. OSPA(lIO8 DE f.A.PORTAQAO NO DL.1 46 DE
FEVERsiRO DE 1881
]Ports do exterior
SNa barca ingleza W. Naizby, carrega-
ram :
Para o Canal, F. Casclio ,& Filho 450 saccos
corn 33,750 kilos de assucar mascavado.
Tqo'patavho inglez Scotia, carregou:
Para o Canal, G. R. do Passo 110 saccos corn
8,250 kilosle assucar mascavado.
No patacho .liespanhol Juliana, carre-
gou:
,Pare o Canal, L. J. 3. Guimarles 2,000 sac-
ces corn 150,000 kilos de assucar ,mascavado.
No patacho inglez Kestrel, carregaram :
Para o Canal, Julio & Iro-Ro 1,500 saccos
corn 112,500 kilos de assucar mascavado.
Na-birca ingleza Paragesio, carregaram :
Para o Canal, J. S. L.yo & Filho 500 siccos
corn 37,500 kilos de assucar wascavado.
Para New-Yoik. F. Cascao & Filho 950 sac-
cos corn 71,2.50 kilos de assucar mascavado.
No patacho amoricano B. F. Latimer, car-
regaram:
Para New-York, HI. Forster & C. 8"0 saccos
corn 60.0t0 kilos de Assucar mascavado.
Na barca ingleza F. Belle, carregaram.
Para New York. H. Forst-r & C. 3,2ib0 sac-
coscom 240000 kilos de assucar mascavado.
No patacho hespanhol Felicia, carrega-
ram:
Para o Rio da Prata, P. Carneiro & C. 1,000
barricas corn m8.360 kilos de assucar branso e
!00 ditas corn 21,200 ditos de dito mascavaJo-.
No pataeho allemao Lisete, carregaram :
Para o Rio da Prata, Amorim Irmn&os & C
1,140 barricas corn 142,363 kilos de assucar
branch e 260 ditas cornam 31,501 1/2I ditos de dito
masoavado.
Na barca portugueza Novo Silencio, ear-
regaram :
Pars Lisbaa, S. Guimar~as & C. 278 COUTOS
salgados cam 3,336 kilos.
-,- No brigueportuguez Sob'6rao, carrega-
-am:
Para Lisboa, Beltrbo Junior & Rezinde 30
volumes corn 1.,60 kilos de gomioa; E. P.
Cas, eo 300 saccos corn 2-,00 ditos de assucar
rnascavado.
Portos do interior
No patacho alleuao Diamante, carrega-
ram
PNra Uruguayana. J. S. Loya & Filho 40
barricas corn 4,126 kilos de assu'ar branco.
-o patacho portuguez Dililente, care.
Pars Santos, L. A. ferreira ,0 saccos corn
3,000 kilos de assucar mascavado e 50 ditos
crnm 30'X0 dibos de dito branco.


S
S



I.
4647

a
3"M7
399430
199i62


14t166









i46
181?895


S
S


$
I













1B3
1
623M0


S


;!

s
20-
7a5
9f5







9S&
.5uq


0 Dr. Addeino Antonio de LuaAft,
juiz do dim o pr4"Vso d .rpi oa
dt comwrza do Rmwifw potr S aui.
geslade 9 Imperador, a UtA m 8s
Guards ec.
Feaz saber aos qua o jreoente i
iatreoma, quo a lista dos'aemas
doe pausasiem alfawriaio peLwi1il
cipicuo. ftB ouJoiads Ak4 .a"
de-ww Pau nbzde mowIl. N
claiamwesjua iEHbe zea
SwamGI43910bi
10 Ra.'in,.


'ci-'-.- -- -f -'
-, ~ ~ '14* :..~r-
~ ~,;'~: -~ '- .~- 4 F


-I


- .-, -


C


S


- .. j -


Fl. -! *


Sasratern ft^Biea 4*WMJ p
-,S<&oaea 4e .12qs4vqrejr4"A
onta seftsajra se. faz p~hl1ivqoq0.^q &ML&4
Lraasouiptp, ntfl n"loDvawent am f rnouarr.
serventisa vitalica dos ofifujaes e pOriJ .
e,cont'ador doar|Do de.TaoqaretiDa..:
cretar--Jojo AwtregesiLo fodru i'.
0 1)-. MaoolAaoas Jaone Pires, o ju$ ,
nicipal ede orphas do I'alOrMno TIgfjAoren.
g, provincia doe Ppfmmb.uce,,.pqr S Mp l wl-
perador quemI .Deus guard ea ; Faeopaf -
ber aos %IQe p. peswte edital vir, ouw oti4
notiola'tLiveV qu0, emB-yirtude da leiprovz.-
aial Di. 504, d4 19 de maWio de 1361 art, l4,,p.
inte.gra-i.a seguinte.:
a FicamcioadozeetL twIos osterw Qs rotqin-
cia dous lugares de paprtidorep., i.amiAs q)e4s
accu nmulara as Jfuncgiepde dastrJb i o.roa to-
mos em qae h-aveF4esatii5'10golUto aP %
contador, mealvo o dueito .adquarido ,pPo, aO-
tuaes proprietarios; flea aberto .0 cOncurp
dos officios de partidor e ccntdOr S6iyeteA,
por nao tercomparecido pretetote teojprap
legal, corn exclusaedo officio:de o4distribmt4po,
que nao pode sexistir.em face da,. lei.ta"*eR "
provincial n. l,316,de,4 de v.fareiro do anno
de 1879 qua aasim flispSe.
i Fica creado um tabellionatotnoermo deiTa-
quaretinga. ao qual serAo annexados todos.o,
cartorios do crima .e civel, inclusive o do jxe-
gistro de hypotheses.
Os pretenientes devemn apresentr os seus
requerimnentos no prazo de 60 dias.e iustrur
dos nos termos .do decreto n. 817 de.30.d
agosto de 1851, combinado com-o do n. 4,W
le 5 de janeirode 1871, e do aviso n. 252 p.
30 de dezembro de 1854. E para qua,.cheguo
as conhecimento de todos mandeiapassar o
present edital, que serd afflxado no lugari,4do
costume e publicado, pela imprensa. Dado e
passado nesti villa ae-Vertentes,.ao 7 dias
do amez de fevereizo do 1881.-Eu, Jeaquim
Cordeiro Falc.o, escrivio provisorio de or-
jphaos, crime e civel o esravi--Manoel Anxep
JacoaiePires. E mais se nAoacontiIha, QW
dito edital aqui por nimi fielmente copiado do
proprioo original, ao qual me r.eporto.-Vou We.
-Villa de Vertentes, 7 de fvereirode 1881.
Ginfurme.--O escrivao provisomio de orphaos,
crime e civel, Joaquim Gordeiro Falto,.
--0 procurador dos feitos da fazen&a
provincial de Pernambuco, tendo recOWb
do thesouro provincial a relaCto abaixo
transcript dos contribuintes da decinm
urbana da freguezia de Afogados, relatiko
ao exericico de 1878 a 1879, cnjos debi-
tos se acham constituidos em divida acti-
va, declara aos mesos contribuintes que
blhes lica marcado o prazo de 30 dias, a
contar da publicagio do present edital,
na conformidade do disposto no art. 53
da lei n. 891, para recolberem a importan-
cia de seus debitos ao thesouro proincial,
certos de que, findo o referido prazo, se
procederi executivamente A cobrana.-
Recife, t7 de fevereiro de 1881. -Jodo
Francisco Teixeira.
RelaCio dos contribuirles de decima da
freguezia dos Afogados, que deixaram
de pagar sous debitos no exercicio de
1878 a 1879.


No vapor francez fienry IV, carfegaram:
Para Santos, "E. P. Cascho 400 saccos corn
2t,000 kilosde assucar mascavado e 409 ditos
corn 24,000 ditos de dito branco; J. M. Dmis 150
ditos corn 9,000 ditos de dito mascavado e 520
ditos corn 34,200 ditos de dito branch.
No vapor national Penedo, carregou:
Para Bahia, P. 0. de Cerqueira tOO barricas
corn 11,368 /'2 kilos de essucar bronco.
No vapor national Ipojuca, cairegou:
Para o Geara, A. Neves )20 saccos corn 1 500
kilos do assucar branch.
Na barcaca Biachuello, carregou:
Para o Natal, J. A. G. Pires Junior 12 saccos
corn 90J kilosde assucar refinado e 2 ditos corn
150 ditos de dito branco.
Na barcaga Rainha ds Anjos, carrega-
ram:
Para Miriu, F. M. de BaTros '2 saccos corn 120
kilos de assucar refinado e 2 ditss corn 120
ditos de dito branco.
Para Macdo, E. da Cunba Beltrbo 10 borri-
cas corn 759 kilcs de assucar branco.
RECEBEDORIA Dh RENDAS INTERNAS GE-"
SRAES DEPKERNAMBUCO
Rendimento do di- 1 a 16 32:61 1C64
Idem do dia 17 6:77592
39:M9S59

CONSULADO PROVINCIAi
Rendimento do dia I a 16 136:154t 11
Idem do dia 17 9:427S:06
145:5t1 17

REGiFE DRAINAGE
itLndimnerto dia I a 16 20:776j750
Idea do dia 17 3:083732
23:86S482



MOVIEMaTO vO P017t
Naviu .o ad a o d& 17
Postos do s.1-'7 ds vapor brailhwcih&a.
de 1,999 tooeladas. commandat. D)amii&o
J. Lima. equipagem 66, oarga vari.on gee-
roe ; a Poatttal.
Babia e esoala-12 dias, vapor brasiloiro Pe
nedo, doA49towladso. olomm aadaa Boa-
vehtura.mqjmpaqgjp 23, earga vaioes gone-
roe; a L A. Afthous.
Liverpol e "Iaba.--2 ds, vapor inglez
.smduwe.. ^h i,0 'tmuiad,- 'omman-i[
dauftb J. Watoawck, zsqga r M-argia
Tvaiosos ~ -4; aandsrs 8& C.
Terra-Nmw-U 4bdaerhm*wmo ingh Msieor, 4a
~~. .p W. lWJe. -Iuipa-
U mou' are-
Ab C.a;-


A
Rua Direita n. 42.-Antonio Dias
Canozio
Dita n. 44.-Idem
Motocolomb6 n. 61.-Idem
S. Miguel n. 16.-Idem
Dita n. 18.-Ideam
Ditan. 18 A.-Idem
Travesa de S. Miguel n. 23.--Idem
Run Direita n. 23.-Antonio Elisia-
rio da Silva Camoaes
Becco da rua Direita n. 1. -Idem
Dito n. 1 B.-Idem
Dito n. 1 C.-Idem
Rua Direita n. 49.-Apellinario Car-
neire
Largo da Matriz n. 21.-Antonio
Justino de Souza
Motocolomb6 n. 6.-Antonio Morei-
ra Reis e Antonio da Costa Mon-
teiro
Dita n. 48 -Alexandrina Maria da
Conceico
Dita n. 25 A.-Antonio Jos6 da
Costa Ribeiro
Travessa do Motocolomb6 n. 3.-
Idem
Dita n. 5.-Idem
Dita n. 11.-Idem
Dita n. 13.-Idem
Dita n. 15.-Idem
Dita n. 17.-Idem
Dita n. 19.-Idem
Mozoeolomb6 n. 37.-Antonio Mo-
reira Reis
Dita n. 39.-Idem
Dita i. 47. Idem
Ditan. 59.-Idem'
Travessa do Motoeolomb6 n. 7.-
Idem
S. Miguel n. 26.-Idem
Quiabo n. 18.--Idem
Dita n. 20.-Ideam
Dita n. 31.-Idem
Dita n. 40.-Idem
Dia .n. 42.-Idem
Dita s. 44.-Idew
Pogos n. 2.-Idem
Dita n. 4. -Idem
Dita'n. 6.-Idem
Dita a. 8.-Idem
Dita n. 10.- Idem
Dita n. 12.-Idem
Largo do Remedio n. 44 D.-Idem
S. Miguel n.33.-Antaonio Francis
co das Chagas
Dita n. 43.-Anna Rita do Sacra-
mento
Dita n. 45.-Idem
Dita n. 59.-Antonio Cesario Mo-
reira Dias
Dita n. 103.- Andre Ferreira de
Souza
Dit a n. 105.-Idem e outro
Ditsa u. 145.-Antonio Baptists
Dita n. 147.-Idem
Dita n. 149.-Idem
Dita D. 151.-ldem
Dita n. 151 A.--Idem
Qaiabo n. 26-.-Akexandrina Joa-
quina dos Passos
Dita a. .39.-Antoami Martins dos
Rios
Poos n. 26 A.-&Antonio Franaisco
Xavier C














*.. .:* ..
Mw;n,Co1
C D"


R--0 Ikli


poaft- esocavo doManoel Trajano
GM 9Ca"pello. 12 Boernardo, pardo, 40
ft -6,-Ce ,.or -O 1:0008, eseorvo de Anna
There Grrria de-Araujo. 13 Francisco. par-
do, -i. annom% casado, por 1:0008, escravo de
Antonio Caldas da Silva, tern I filho livre de o10
anos. 14 Jesuino, parde, 55 annos, casado,
Mor 400M, escravo de Miria C. do MendonQa
Barrato. 15 Jose, preto, 38 annos, casa-
doI por 1:500S, esoravo de Antonio Joaquim
Correlia deAraujo. 16 Martinbo, preto, 30 an-
nos, camado, por 6905, escravo 4e Luiz de Quei-
roz de Albuquerque. 17 Martinbo, preto, 48
anmnos, casado, por 1:200 escravo de Manoel
Paulo de Albuquerque. 18 Joaquim, pardo,
60 annos, casado, 500$, escravo de Gertrudes
Maria Machado da Silva, tern 2 filbhos livres.
Conjuges escravos de differences senhores
19 Floriano, preto, 33 annos, por 1:0005, ee-
cravo de Maria de M. Campelio Vianna, casa-
do, corn Maria n. 20. 20 Maria, preta, 25 annos
por 800S. escrava de Pedro Rodrigues de Souza.
21 Joaquim, preto, 45 annos, por 8005, escra-
vo do Manoel Paulo de Albuquerque, casado
corn Claudina. n. 22. 22 Claudina, preta, 2G
annos, por 1:000S, escravo de Manoel Antonio
SRibeiro, tern I filba ingenua.
Conjuges corn filhos livres, em virtude da lei, e
menores de 21 annos
23 Antonio, pardo, 40 annos, escravo, de
Jos6 Lucio Lins, tern I filho ingenuo, e I filha
liberta, casado, corn Sebastiana. 24 Sebas-
liana, parda, 35 annos, escrava do mesmo Jose
Lucio Lins, ambos peor 1:2005. 25 Innocencio,
pardo, 40 annos, escravo de Evaristo Mendes
Gunha Azevedo, tern 1 filha livre cam II annos.
casado corn Domingas. 26 Domingas, pardon,
36 annos. escrava 'to mresrmo Evaristo Mendes,
ambos por 1:200$. 27 Sabino, preto, 50 annos,
escravo do Barbo de Muribeca, casado cam Sa-
lomea, tern 4 filhos ingenuns. 28 Salomea,
preta, 34 annos, escrava do mesmo Barsao de,
Muribeca, ambos per 800S.
Conjuges corn filhos menores escravos
29 Manoel, preto, 36 annos, escravo de R:sa
da Cunba Freitas, casadu corn Idalina. 30
Idalina, preta, 34 annos, escrava da mesma.
31 Joao, filho dos escravos supra, 11 a..nos,
solteiro, por 1:0005 os tries. 32 Luiz, preto,
53 annos, escravo de Antonio Pinto de Burros.
casado com Mariana. 33 Mariana, preta, 37
annos, escrava do mesmo Pinto de Barros. 31
Jolo, filbha do mesmo, menor, todLs por 1:4005.
35 Marcolino, preto. 31 annos, escravo de Luiz
'rancisco da Silveira, casado cornm Mathilde
36 Mathilde, preta, 23 annos, escrava do mes
mo Silveira, coram 3 filhos ingenueos. 37 Umrn
filho menor dos mesmos, lodos 3 por 2:00, 5
38 Antonio, piete, 45 annos, escravo de Fran-
cisco de Mello Gavalcante de Albuquerque, ca-
sado corn Genoveva. 89 Genoveva, preta, 40
annos, escravo do mesmo. 40 Um filho me-
nor dos mesmos, todos 3 per 2:000S. 41 Ma-
noel, preto, 50 annos, escravo de Luiz Fran-
cisco de Burros Regu, casado cornm Gorgendosa.
42 Gorgendosa. prelta, 40 annos, escrava do
wesmo. 43 Um filbo menor dos mesmos. i44
-Outroflibo menor dcs mesmos, todos por 3:0005.
45 Luiz, preto, 38 annos, escravo de Manoel
Joaquim Mauricio Wanderley. casado, corn
Barbosa. 46 Barbosa, preta. 38 annos, escra-
va do mesmo Wanderley. 47 Um filho menor
dos mesmos escravos. 48 Outro filho menor
dos rwesmos, Lodos por 3:000$.
Maes corn filhos mcnores escri-avos
40 Romana, 4i annoe, solteira, escrava de
Maria Salustiana de Amnorim. 50 Joanna, fi-
lha de Romana. 16 annos, solteira, escrava da
mesma. 51 Deolinda, filha de Romana, lV
annos, soliteir, escrava da mesma. 52 Fe-
lisberto, filho de Rumana, 12 annos, escravo
da mesma ; todos per 2 20''. Romans ter 3
filhcs ingenuoE e 1 liberty, eo peculio de 60 5
53 Paula, preta. 3'9 annos, solteira. escrava de
Jose Vicente Games de Souza. 5 Benedicts,
filbo de Pdula, 9 annos, escravo do -nesmo Jose
Vicente, ambos pir 1:5005. Paula tern tres
filhos ingenuos, e 5005 de peculio. 55 Luiza,
prete, 49 annos, so!teira, por 7u05. escrava do
desembargador Francisco de Assis Oliveira
Maciel. 56 Anna, filha de Luize, 18 annos,
preta, solteira, pr 1:200$, es.-rava do mesmo
desembargador. 57 Marra, fllha de Luiza, 16
annos, solteira, pe. t1:200$. escrava do mesmo.
58 Joaquina, parda, 28 annos, viuva, escrava
de Anna Francelina de Miranda e Silva. 19
Raym.ndo, filho de Joaijuna, parda, 12 annos.
escravo da mesma. 6,i Jose, filho de Joaquina,
parda, I1 annos, 2:8005 pelos tres. Joaquina
tern um filho ingenue e o peculio de 3005. 61
Emilia, pieta, 30 annos, soltehra, por 790$, es
crave do coroner Maooet Joaquim do Rego Al-
buquerque. 62 Maria, preta, 15 annos, soltei-
re, flha de Emlia, escrava do mesmo, per
7005. 0 cenhor cede a favor da liberdade das
mesmas 3005. 63 Josepha, parda, 40 annos,
solteira. escrava de Joanna Baptista de Arau-
jo Bastus. 64 Maria, filha de Josephs, parda,
18 annos, solteira, escrava da mesma, ambas
por 1:1005. Joseph tern 4 fi'hos lhbertos, e
O peculio de 1005. 65 Emilia, preta, solteira,
34 annos, escrava de Jose Antonio L~pes Gui-
marbes. 66 Francisco, filhodeEmilia, 16 annos,
solterro, escravo do mesmo. 67 Herculano.


flho de Emilia, 19 annos, escrvo do mesmo.
68 Antonio', filhu de Emilia, 11 annos, es.ravo
do mesmo, todos por 2-400. ; tern o peculio
de oS15. 69 Catharina, 41 annos, solteira, es-
crava de Manoel Antonio Ribeiro. 70 Maria,
filha do Galtharina, 19 annos, solteira. ambas
per 2:0005, tern o peculio de 4005. 71 Ber-
narda, parda, 29 annos, soltoira, escrava de
Manoel Leite Pereira Bastos. 72 Joanna, fi-.
lha dc Bernarda, parda. 10 annos. ambas per
1:500S, tern o peculio de 2005. 73 Thereza,
preta, 41 arnos, solteira, escrave de Francisco
de Barros Falcao Cavalcanti de Albuquerque.
74 Affonso, filho de Thereza. preto, 15 annos,
solteiro, escravo do mestno. 75 Augusto. fi-
lho de Thireza, preso, 16 anncs, solteiro, es-
crvo do mesmo, os tres por 3:0005, tern o pe-
culio de 6005. 76 Victoria. prela, 30 annos,
solteira, escravd de Miguel da 3Silva Guimna-
ries. 77 Damiana, filha de Victoria, preta, 10
annos, por 1:2005 ambas. 78 Joanna, parda,
36 annos, solteira, escrava do commendrdor
Francisco da Costa Maia, por 5005. 79 um fi
Iho menor de Joanna, escravo do mesmo, Joan-
na ternm um filho ingenuo, e 20'$'de peculio.
80 Tertuliana, preta, 42 annos, escrava de Julo
da S. Pereira da Rocha, por 4505. 81 um fllho
menor de Tertuliana, escravo do mesmo. -'2
outro filho menor de Tertuliana, escravo do
mesmo ; Tertuliana tern o peculio de 825. 3
Maria, prela, 46 annos. es-rava do Dr. Pedro
Affonso ddJ Mello, por 4005. 84 Manoel, fiho
de Maria, 12 annos, escravu do mesmo, por
1:2008, para ambos o peculio de 20: S.
Conjuges serm fithos
85 Egidio, preto, 48 annos, escravo de Rosa
da Cunha Freitas, par 2505, casado corn Maria.
86 Mari,, preta, 46 annos, mulher de Egid!o,
por 150S. 87 Benedicto, preto, 40 annos, es
cravo de Joao Duarte Carneiro da Cunhr Gama,
per brO, casadj corn Helena, 88 Helena, pro,
ta, 35 annos, C3sada corn Benedicto, por 500#.
89 &Wexandre, preto, 56 annos, escravo de Ma-
noel Joaquim do Rego Albuquerque, por 2505
.ssado con Angelica. 90 Angelica, preta, 48
"nos, por 250S, casada corn Arexandre.
S"ieis e pais cornm flilhos livres
91-1-abel, preta, 35 annos, solteira, corn
doJs flbaos ingenuos, escrava do commenda-
dot JomS Pedro aeSilva, por 1:4005, temrn o
Suiio doe? 8). 92 Lourenca, preta, 31 an-
nom, solteirs, corm dous flbhog ingenuos, es-
ara do Joaquim Elis Pereia do Magalhbes,
p 1r 1:3008, teom o PeculiO de o 0. 93 Elisa,
proa, 35 annos, solteira, om dous fillos in.
nuaos, escrava de Emlliano Erneto cd^kmllo
16bolrB, per 48005, tern o peter 5a m ig
4 :Phuiomens, preta, 37 annos, olteirao
AtlbOl hvnrOu escrava do Carlo" Xd
TR po !0 4, telon o peculie deo W .
., pates, .3 annos, soltelira. corn ma
.7. imW, e.rava de Jo9s loaquirn Peoreira
"ff.:por 1:2005, teal o pewceio do 6W.
l Wis la, preta, 45 annos, sleolWra,-eo.
M. E tJoWOvs e doue ingenous, werava del
,f^'yVI : -


/1


ve, oscran redo, por 500$, tern o peeuki de 0too. .10?
Libanla, preta, 45 aanoia, sltuira, -oAD =ua s -
Umlo Uvre, esmvs deJaqueino Garneiro ds Al-
buquerqve La4rda, por 50# te0 o peo1uU*
de 100S. 103 Emilia, pada, 32 anunos, or-
Sran, conm urn filho livre, escrava de ,Calisto Jose
do Mello, por 5505, tern o poculio de o-00. 104
Maria, parda. 40 annos, solteirr, eo am u fi-
iho livre, escrava de Felix Antonio Alves K Mas-
canhas, por 8)JO,. ioem o peaulio de 400.
105 Julia, parda, 30 arndos, solteira, cornm urma
filha livre, es.-rava do Dr. Luiz Lopes Gastello
Branco, por 605f, tern o peculio de 3505. 106
Francisca, pards, 24 annos, solteira corn um
flIbha ingenua, esqrava' de Gustavo Uesiazeno
Furtado de Mendonga, tern o peculio de 80$.
107 Manoel, pardo, 48 annos, viuvo, corn qua-
tro filhos libertos, esccavo de Vencesiao Ma-
chado Freire Pereira da Silva, por 500j
Escavos solteiros sem filhos
108 Eulalia, preta, 15 annos, solteira, escra-
va de Jose Pores Campelle de Almeida, por
6009, tern o peculio do 3005. 109 Anna, par-
da, 22 annos, soltoira, esorava doe Samuol de
S& Montenego, por 1:0005, tern o peculio de
4005. 110 Germana, parda., 22 annos, soltel
ra, escrava de Florencio Domingues da Silva,
por 6005, tem o peculio deo 130. Itll Primit-
tiva, preta, 24 aDonos, solteira, escrava de
Francisco de Assis Pereira Rocha, por 1:0.05,
tern o teculio de 500. t112 Luiza. parda, 31
annos, solteira, escrava do Jasuino Carneiro
da Cunhar par 1:0J0$, tern o pecullo de 150S.
113 Delfina, parda, 25 annos, solteira, escra-
va de Francisco de Lemos Duarte,'por 500S,
tern o peculio deo 200. t114 Felippa, prte,
35 annos, solte-ra, escra de Joao Baptistade
Moraes, por 400$. tern de peculio 1509. 115
Justina, parda. 38 annos solteira, escrava de
Umbelina A. de Sjuza, por 7005, tern o peculio
de 1505. 116 Fabiana, parda, 47 annos, sol.
teira, escrava de Felix Antonio Alves Masca-
renhas, par 800$, tern o peculio de 4000.
E oara que chegue ao conhecimento dos in-
teressados, mandei passar o presence, que
serA pubhcado pela imprernsa.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos
15 de fevereiro de 1881. Eu, Manoel do Nas-
cimento Pontes, escrivao o subscrevi.
.Adelirzo Antooio de Luna Freire.


DECLARACOES

Juizo dos feitos da fazen-

da national
Escrivdo Torres Bandeira
No dia 18 do corrente, depois da audiencia,
irao A praga por venda as predws abaixo de-
clarados, penhorados por excucAo da fazenda
provincial:-
Reci/e
Sobrado de dous an.lares d rua da Madre de
Deus n. J2, corna 4 metros e 50 centimetros de
largura, :i meLiros e 90 centimetros de cornm-
primento, o pavimento terreo A armazem, e
em cada umn dos superiores tern as seguintes
commodos : 2 sales, 1 quarto, c zinha ao lado,
sotho con 1 sala e 1 quarto, sendo a entrada
pelo becco da Cacimba. avaliado em ::,0O000,
pertencente a viuva e herdeiros de Jos6 dos
Santos Nunes de Oliveira.
S. Jo4
Casa terrea A iua e de Vidal de Negreiros n.
40, cornam 4 metros e 21)0 centimetres de laigura,
28 metros de comprimenLto. 2 salas. 2 quartos
e sotlo, avaliada em 3.000$003, pertuncente a
Americo de SA Albuquei que.
Casa teriea sita n, lugar da Cabangn, n 64
A, cam 8 metros e 5 centimetros de largura,
15 metros e 4u centimeLtros de comprimento,
corn 4 salgadeiras, avaliada em 80,0000, per-
tencente a Joac, Moreira de Mendonea.
Casa teerea sita no mesmo lugar da Caban-
ga, n. 62, corn 1 porta de frente, 8 metros e
5 centimetLros de largura e 7 metros e 4 centi-
metros de comprimento, e 2 salgadeiras, ava-
liada em 40000J, pertencente a Manoel Paulo
de Albuquerque.
Casa terrea e Lerreno A rua do Passo da Pa
trla, rs. 5 e 11, tendo a casa 2 metros de lar-
gura, 7 metros e 10 centiinetros de compn-
mento, I salad, I quarto, avaliada em 200$)LO,
e o terreno 9 metros de largura, 29 de Zundo,
corn 10 quartos de madeira cobertos de telhas,
avaliados era bO0O:OJO, pertenceotes a viuva de
Joao Francisco Carnearo Monteiro.
Po{o
Casa lerrea a estrada de Sant'Anna, n. 21,
construida de ferro, corn 5 portas de frente, 2
ateraes, 19 metros e 60 centimetros de largu-
ra, 9metros e 10 centimetros de comprimen-
to, 3 sales, 5 quartos, avaliadd em 1;C0,-OO,
pertencente a Chapman.
Olinda
Casa terrea A rua do Barato de Vera-Cruz n.
68, corn 1 port, 2 janellas e terraco de fren-
1e, 2 portas e 2 janellas no oitao, 7 metros e
50 centimetros de largura, 1. metros e 30 cen-


timetros de comprimento, 2 sales, 4 quartos, I
gabinete, cozinha fora, sotlo, corn 2 jenellas,
quintal grande e cacimba, avaliada em t005000,
pertencente ao palre Jos6 Zacarias Ribeiro.
Casa terrea A mesma rua n. 35, corn port e
lanella de ffen e, 4 metros e 50 centimeltros
de largura, 15 metros e 30 centime.ros de com-
primento, I salus, 2 quartos, quintal em aber-
to, avaliada em 400$010, pertencente a Anto.
nio Martins Duarte.
Beberibe
Casas sits no lugar Agua-fria, ns. 14, 18,
20, cam porta e janella de frente, tend as de
ns. 16 e 18, 3 metros e 10 centimetros de lar-
gura, 7 metros e 10 centimetros de compri
mento, 2 salas, 1 quarto, avaliada cada uma
em 31,$000 e a do n. .0, 6 metros e 49 centime-
tros de largura, 8 metros e 4 centimetros de
compnrimento, avaliada em 405000, pertencen-
tes a Maximieno da Silva.
Casa terrea A rua doa Clerigos, n. 3, corn I
porta e 2 janellas de frente, 2 janellas loteraes,
5 metros e 90 centimetros de largura, 9 me-
tros e 80 centimetrts de comprimento, 1 sale,
1 quarto, em s6lo proprio, avaliada em 100$.
pertencente a Balbino Jose de Andraee.
Recife, 1 de feverei.o de 1881.
InspecQco do arsenal de
marina
Faeo public, de ordem do IlInm. Sr. inspec-
tor, que no dia 14 do cor.ente foi vistoriado o
vapor Emperou, propriedade de Wilson Sons
& C., declarando a commission de peritos que
o referido vapor p6de, empregar-sa no serving
de reboque a que 6 destinado pelos seus pro-
prietarios.
Fago public, de ordem do Illm. Sr. inspec-
tor, que no dia 16 de janeiro foi vistoiiaado o
vapor Ipojucq. propriedade da Companhia Per-
nambucana de navegaC5o costeira, e dEclarou
a commissao de peritos que podia o referiL.o
vapor continuar a navegar, depcis de fazer as
concertos precisos nos mordentes, abitas e ca-
brestante.
Inspeccao do arsenal de ynarinia de Per-
nambuco, 17 de feveielro de 1881.
0 seretario,
Antonio da Silva Azevedin.
ADMINISTR&CA0 DOS CORRE10S DE PElt-
NAMBUCO, 18 DE FEVEREIRO DE 1881
Malas a expedir-se hoje
Polo vapor national Bahia, e'sta adminis-
traClo expede malas para os portos do norte.
ftecebem-se jornaes, impresses de qualquer
natureza, e carts a registrar, para os respec-
tivos portos, ate 3 horas dh tarde, carts or-
dinarias at6 4 horas, e at6 4 1/2, pagdndo
porte duplo.
(Yadmiristrador,
fnsa do tBQ oBarros.


Fetano ner
| oWM0..
-. '41.- 4




'-Noomiugo SO do oerrents
dinario quo cowtumava partir do Montetro para
o Reolfe,' 9 I boras da eDolte, partirU& n'esta
data is40 horas.
l'este dia todos os trens de volta para o Re.
cife, pararlio re frente da esela do Monteiro
parnmelbhor convqnienoia, em vez do lugar do
costume.
Esoriptorio da eompanhia, 17 de fevereiro de
1881.
Francis E. Fenn,
Gerente.
Coniraria de Santa Rita

de Cassia
Convido a todos os irmlos a se reunirem em
noseo consistorio-no dia 20 do cortente, pelas
11 horas da manba, afim do proceder-se a elei-
gAo de alguns cargos que so acham vagos.
Consistorio, 17 de fevereiro de 1881.
0 secretario,
B. S.
Club Carlos Gomes
Faz-se sciente aos senhores socios deste club
que em consequencla do proximo concerto que
se tern de realisar, deliberou o conselho ad-
ministrative, que a principiar da semana vin-
doura, ficasse suppnrimida a aula is quartas-
feiras, passando os ensaios a serem feitos as
segundas. quartas e sextas-feiras. Recife, 17
de fevereiro de 1841.-0 20o secretario,
A,. Ferreira.
0.a_________

Irmandade
DO
SS. Sacramento da freguezia da
Boa-Vista
De ordem da mesa regedora desta irmanda-
dle, coovido o todos os senhores irmbos a com-
parecerem em nosso ccnsistorio, pelas 10 ho-
ras da manba do dia 20 do corrente mez, afim
de em mesa geral, resolverem sobre assump-
Los de importancia, que na forma do que dis-
poe o art. 27 do respective compromisso, nao
podem ser decedidos pe'a mesa regedora.


egue-para os por-
ttf acima no dia 19
do corwte, ais 4 boras
da tarde.

Smelo dia do dia de sua


sahlda.
Para carga, passagons, encpmmendas e di-
aheiro a frete, trata-se nagencia
7-Rou do Vigario-7
DowA!bgos Alves Matbeux
COMPAHU. DB IES. MSBAGE-
RISSMARITIMES
S LINHA. MRNSAL
0 paquete
Equateur
Commandante Leeointre
i Espera-se dos por-
Stos do sul no dia 20 do
,L corrente, seguindo de-
"R ~pois da demora do cos-
in tume para Bardeaux,
l tocando em
DAair e LLb6"
Para passageiros, encommendas, etc., a
cratar com o
AkGENTE
Auguste Labitle
9-RUA DO COMMERCIO-9
COMPANH1A PMMEMBUCANA
DE
Navegagao costeira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macdo, MossorM,
Aracaty, Ceard, Acarahu e Camossim
Segue no dia 21 de
corrente, o vapor 1po-
j u c a, commandant
Telles, As 5 horas da
tarde.
Recebe carga ate o dia 19. Encommendas,
passages e dinheiro a free at As 3 horas da
tarde do dia da sahida.
Escriptorio
Rua da qompanhia Pernambu-
cana n. 12
COMPANHIA PERNAMBUCANA
*DE
Navegagdo costeira por vapor-
Portos do sul
MACEIO', PENEDO E ARACAJU'
I ID hg a 'arga nam q n-


Gonsistorio da matriz da Boa-Vista da cidade hirurgentemente aeon-
do Recipe, 16 de fevareiro de 1881. .' nto d'os Srs. carrega-
0 escrivbo interino, I S dores, o vapor Piraupja-
Antonio C. de Albuquerque Pimentel. ,,a, commandant Rino.
ADMINISTR 19AO DOS CORREIOS DE PER- Tambem recebe en-
NAMBUCO, 16 DE FEVEREIRO DE 1880 cnrmmendas e dinheiro a
Relago da correspondencia registrada free. E corn excellentes commodos para pas-
(sem valor) que existe nesla reparti- sageiros : trata-se"no
ESCRI PTORIO
fdo, por ndo terem sido encontrados Rua da Comnanhia Pernambneana


seus destinatarios
Aureliano Xavier do Vaile, Anna Pimoentel
de Uch6a Cavalcante, Antonio do Rego Medei-
ros. Antonio Loto, Antonio Guerra, Agente
Fiscal dos Direitos da Provincia de Pernam-
buco, Bernardino L,,pes dos Santos, Bernarda
Maria da Conceigeo, Bento Lemos (3), Bernar-
dina Maria da Costa Paiva, Carlos Eugenio D.
Mavignier, Carl Axel, Cornelio Theodore de
Souza, Candido Augusta G. de Araujo, Diome-
desa GonCalves da Silva, Daniel Sarmento de
GusmAo Guabiraba, Frederico (violoncelista,)
Francisco Cusato, Felix Manteiro de Castro,
Francisco Jose Nogueira (2), Firmo Xavier da
Silva, Jeronymo Joaquim Fiuza de Oliveira.
Joao Lopes de Oliveira, J. P. Heuseler, Jose-
pha Apolonia da S ilva, Jose Soares Ferreira,
Joalo Jose da Silva, Joaquim Rodrigues Cha-
ves, Joao do'Nascimento, Joao Martins Fer-
nandes, Joaquimn J..s Alves Mendes, Joaquim
Canuto de Sant'Anna, Joao Silveira de Souza,
Julio Von Borell du Vernay Junior, Liberato
Benicio da Fonseca Lima, Miguel Joaquim de
Almieida Castro, Miguel Archanjo de Senna
Santos, Manoel Damasio dos Santos, ManopIl
Vieira da Cunha Junior, Maria Joaquina de Je-
sus (2), Manoel F. S. Antunes Filho, Maria
Joaquina Peixoto Duarte, Manoel Vieira da
Rosa, Manoel Augusto de Me-quita, Raymun-
do Honorio da Silva, Theophilo Modesto Soa-
res, Torquato Jose Vidal, Tiburcio Valeriano
de Carvalho.
0 20 official, encarregado do registry,
Thom6 A. da Silva Villar.


Prolongamento
PA

ESTRIADA DE F[RRO DE P[RNAMBUCO
De ordemn do Sr. engenheiro em chefe, faCo
public que n'esta se.retaria recebem se pro-
pastas em carta fechada aL As; 11 horas da
manh& do dia 2 dae maro proximo vindouro
para o servico de extracCao e transport de
lastro nus primeiros trechos d'este prolunga-
menlo 5 partir de Palmares.


0 lastro sern de terra vermelha.
II
11
Serd extrahldo dos cortes que forem
nados pelos engenheiros-
III


desig-


A quanlidade d empregar ser.A determinada
pelo engenheiro em chefe.
IV
SerA medido depuis de applicado e segundo
o peifil tjpo.
V
No preeo de cad- metro cubico se incluirA o
service de extraccbo, transport e applicac.o
do lastro e bern assim a regularisagAo do leito
da estrada e seus desvios.
VI
As medigSes e pagamentos dos trabalhos
realisados em cad. mez sei.o feitos de can-
formidade cornm o estatuido no conkraclo -eli-
brado A 19 de junbo.de 1876 entire o governor
imperial e o empreiteiro Francisco Justinlano
de Castro Rabello.
VII
O transport sera effectuado fazendo-se uso
dos trilhos qiue ji estiveram assentados.
N'este escriptorio poder-se ha ministrar aos
proponentes qnaesquer outras informacoes
que form necesearias.-
Secretaria do prolongamento da estrada de
ferro de Pernambuco, em 8 de fevereiro de.
1881.
0 secretarlo,
Antonio Jos6 de Oliveira Campos Junior.

Companhia -
Pernambucana de Navegagao
costeira por vapor
Por motive justificado fica transferi-
da a reunido ordinaria da assemblda
geral dos Srs. accionistas, de amanbhA
15, para sexta-feira 18 do corrente as
11 boras do dia, em a sala do edificio
dacompanbia, o que me cumpre comn-
municar aos Srs. accionistas.
Recife. 14 de fevereiro de 1881.
0 president,
L B. Galuvo Akoforado.





M.ga aftrate pMara s o- -iei, pj
ogLr c ,.n b S.v.dd .:
ms1^rfor.osad it 8va lb^^l~to,? A


n. 12.

LEILOES


LEILAO

A genie Pinto
Sexta-feira 18, o de moves, bancos e oh-
jectos da oficina de carpinas e marcineiros
da rua do Marquez do Herval n. 114.

LEILA0
Agente Pinto
Sexla-feira 18, o de moveis, bancos de ma-.
cineiro, ferramentas, madeiras e mais objects
da offlcina da rua do Marquez de Herval n.
114.
Agente Pestana

LEILAO
Da pad&.ria corn todos os seus
utenicilios, sita a rua do Bram
n. 29.
Hoje
Sexta-feira, 18 de fevereiro
is It hoas em ponto
Em um s6 lote
0 agent Pestana farA leilao por conLia e
risco de quern pertencer, da padaria e seus
utencilios, a qual serad vendida em um s6 lote,
livre e desembaragada dee qu3lquer onus ga-
rantindo se as chaves da casa, podendo des-
de ja os Srs. compradores irem examiner a
diLa casa.


LEILXO
Dos bancos, ferramentas, mo-
veis e mais objects da offici-
na de carpinas e marcineiros
Dc rua do Marquez do Herval n. 114
CONSTANDO
De 12 bancos corn todos os seus pertences,
113 armn ;es de camas, serras, serrotes,
formbes, ircos de puas, sepos, caixilhos,
gramnpcs, traves novas, soleiras, carrcs de
mno, armarios, estantes e outros a:tigos.

(Em continuanao)
Uma mobilia de jacaranda, camas francezas
cadeiras avulsas, I jardineira, I mesa de
jogo, 1 toilette de mogno, 3 cantoneiras, 2
consoles, pedras para tampo de jarlineiras,
vidros ovaes para espelhos, 2 theares, ore-
logio de parede, 1 guarda-vestidos, I car'ei-
ra e muitos outros moves novos e usados.
Hoje
Sexta feira 18 de fevereiro
NA OFFICINX DA RUA DO MARQUEZ DO
HELVALN. 114
Pedro RatLu de Barges, terdo de fazer uma
viagenf, em consequencia do seu estado da
saude, tar, leillo por inlervenCAo do agent
Pinto, e por liquidacAo dos bancos, ferramen-
tas e mais pertences de sua officina, bemrn
como moitos e differenftentes de casa de fa-
milia, nuvos e usados; send que, tudo serA
vondido ao corner do marLtello e sem reserve
de preco.
0 leilio comeCLea As 10 horas em ponto,
por serem muitos e differences os lotes.
A entrega effectuar-se-ha em 24 horas.

LEILAO


De moves


f BSS!iml, oIR!tel
i Oa.4;M ..a.aa -.,M

SjrA9;oB400DQORRECNTE
A's 11 hora .'em ponto
Na rua da Aurera a. 85 --
O agent MaiUma, fw6 leialw por conta e ris.
co de quem portencer da armgao e pertences
acima. em un'n Mu.J a lota.


LILA 0
De porao de caixilbhes, portas, traves,
bandeiras, varahdas de ferro fundi-
do, divisOes de anarello, taboas e
pranchoee.
Sabbqdo 19 do corrente
NO
Asylo dc Mendicidade
0 agent Stepple, autorisado pelo Dr. Luiz
Ecydio Rodrigues Vianna, mordomo do Asylo
de Mendicidade, levard a leilao o que acime
declhra.
O bond quo parLe da estalo As 11t horas,
dari passagens gratis aos concurrentes.

Agente Burlamaqui


LEILAO
TUINTA-FEIRA 21 DO CORBDNTE
As 11 e as 2 horas da tarde
Espolio de Jose Luiz Ferreira da Costa
0 agent acima legalmente autorisado pelos
administradores do espolio de Jose L. F. da
Costa, cow a respective autorisagAo do Him.
Sr. Dr. juiz de direito especial do cnmmercio,
levara a leilao as casas terreas A rua. de Pe-
dro Affonso, antiga rua da Praia o.7, e a da
rua da Palma n. 115, completamente nov t,
send o leilao da primeira effectuado AF I I
horas da manhA, e o da segunda as 2 horas
da tarde. ambos con assistencia d; ltlm. Sr.
Dr. juiz do commercio, consul de Poi Lugal e
administradores do respective espolio.


LEILAO
De 2 bilhares, seus pertences, t cofre. I hi-
cao corn Lampe de marmore, 2 espelhos, quna-
dros, 4 mezas corn pe-Iras, I puarda Ic.ua
grande, camas de ferro, mesas, cadeiras e
"muitos outros moves existentes na sobrado 1,
Rua larga do Rosario n. 37
(HOTEL CENTRAL)
Terga-feira 22 de fevereiro
POR 1NTERVENQAO DO AGENT
PINTO


No 1o e andar do sobrado da
Ilara do Rosario rn. 37


rua


A gente Pestana

Leilao de predios
NA C1DADE DE OLINDA
Da casa terrea na ladeira da Ribeira n. 10
corn 2 portas e 3 janellas 'de frente, 4 quaitos
g:andes, 3 sallas, quarto de dispense, cozinraha
fora, terraCe, tanque pare agaa, quinrtal mu-
rado e portao ao lado, em chaio proprio.
Da casa Ltrrea na mesma rua n, 22, corn 2
sallas, 3 quartos, cuzinha internal, quintal em
aberto, chao proprio.
Da case trrea na mesma rua n. 17 cornm 2
sallas, 1 quarto, 1 salAo, cozinha internal pro-
pria para negocio, por ser de esquina, em ch.o
proprio.
Da casa terrea na rua do Amparo n. 73, corn
grandes commodos para famillii corn 2 salas,
4 quartos, cozinha fore, loja embaixo, quintal
grande em abertlo.
Da casa terrea na travessa do Amparo n. 2,
corn 2 salas, I gabinete, 2 quartos e cozinha
internal corn grande terreno ao lado que pode
ser edificado.
Quarta-feira 23 do corrente
A'S II HORAS EM PONTO
No armazem da agencia de leiloes a rua
do Vigario n. 12
O agent Pestana, fara leilao por conta e ris-
co de quern pertencer das casas acima mencio-
nadas ; para qualquer informacoes o mesmo
bgente dara. em seu aimazew- a rua do Viga-
rio n. 12.


AVISOS DIiVERSOS
Na rua da Unido n. 47 fazem-se yes-
tidos, casacos e outras peC.as para TOILLET
de Sras., pelos figurines mais modernos,
e por prepos commodos.

M ascaras
Acaba idechegar grande sorLitrrento para a
loja 1o vapor francez, 5 rua Niva n. 16, a pre-
Cos baratissimos, em duzias.
Precisa-se de uria crialla para lavar e
engommir para duas pessoas, e arranjos de
quartos: a tritar no Caminho Novo, defronte
da estaCca, ou na rua do Apollo n. 32, arma-
zem.
Fugio da case do abaixo a!,.ignado, na
Barra Grande, em Porto-Calvo, Jm escravo
crioulo, de name Be:edicto, bern preto, corn
30 annos, ma s ou menos, boa figc.ra, levou
vestido paletot prelo, chapeo preto alto, e usa
um cartLa pass ao lado : quern o pcgir, p6de
leval-o ao Sr. Joaquim Rodrigues T v .res de
Mello ou ao Sr. Bernardino Pantual nesta pra
Ca, ou a seu senhor em Barnr Grande. ou n.
engenno S. Vicente, no mesmo lugar, que serr
lem recompensado.
io5o Baptista Accioli.
Pre'isa-se de umrn born c.'zinheiro livre
ou escravo, a traLar na rua do Bario de S.
Borja n. 53.
Precisa-se de toma cozinheira. prefeie-se
escrava ; na rua do Imperador n. 73, primeiro
andar.
Aluga-se a loja do sobrado n. 61 da rua
ireita, a do n. 3 A rua da Penha, a do n. 8 a
ua Io Fogo, a do n. 27 A rua deoLomas Va-
lentinas ; o Io e 2o andar do sobrado n. 25 A
tua da Santa Rita, o 10 andar n. 16 A rua de
Hortas e a casa terrea n. 77 A rua do S. Joe :
a tratar no 20 andar do sobrado n. 41 a rua ldo
Rangel, ou corn Augusta O ctaviano de Souza.
Aluga-se a casa terrea n. 49 a rua de S.
Jolo, por preco regular: a tratar na rua da
Imperatriz, 20 andar do sobrado n. 20.
Faustino Jose da Fonceca, solicitador nas
comarcas do Recife, Olinda, IguarassA, Gay.
anna, Jaboatlo, Cabo, Escada e Palmares,
p6de Fer procurado A rua de Dias Cardoso n.
12, 20 andar, ono caes`2-2 de Novembra n. b7,
t andar.
Recommenda-se aos senhores capities
de campo a capture do escravo Luiz Fialbo,
inulato moco, que se acha fugido ha mais de
um mez, Q qual foi escravo do fallecido E'ir
Visconde de Suassuna. e boje pertence a Ma-
noel Caldas Barreto, par Ihe tocar em partilha
do respective inventario, e a quern sera en-
tregue no engenho Sapucaia d Beberibe.
lima nrccn frA'LA'A' II, PUic


Sends-: s um n ,,,,, a, ru t~au,-. PAir ,A
Uda mobil:acompedra,4jarrosparaflores, onde residio por mais de O10 annos,
1 santuario, I meia commode de amarelle, I achando-se perfeitamente habilitada,
cama franceza do dito, I marquezbo largo, 2 resolve ensinar a lingua franceza,
diatoS estrejtos, I lavatorio, I carr.nhos para quer em collegios, quer em casas de
cniancas el toilletede jacaranda. amilias. Para este mister poderA ser
Urma mesa elastic de 7 taboas, I guard lou. a a ar sl mister poder ser
ea Ve amarello, f marqueza, cadeiras para procurada i rua do Crespo n. 4, esta-
salis de jantar, 1 quartinheira, 1 grande socre- belecimento do Sr. Franciaco Xavier
tarla antiga-e outrQs uitbs-moveis. Ferreire.
Juolej '_ i-se casa, comida e algum 6oro-n-
Selxta-feira, 18 do corrente do a umn honreade meia idade e ca-
A'N It ra'a sado, que entenda um pouco de plan-
Na rua Ie : IaL 4.8, 2a andar LatOes : quem pretender, deixe carta
o' 0,w 1o schneiptoiO deste Diario, indicaad9

~. '4 M A ".'.: 30A%, ".' .'. "
.,-i- ,.-"" i v-"f /do-am edO r" "dna, rat. do n B rnm
,k- 9 Vt -


S' ------
,'.- .. ..- ',,1 -.


0;
5


que seJalimlpoepoJrJQM'Bas Y
Aurora n. 73. .
Preci a-sede d aaa am ..pv .re-k. .s-
crave, para uwa casa d. odu_ wn.: a
tratar na rpa do Ma.hir z do Herm, aUgp
rua da Concordia n. I.7. ,.
Pedro Tornagbi, desenbista da setrada
de ferro do Limoeiro.-Pede-se a esteosenbor
on A pessoa que por este garantlo, quo appa-
rega na rua do Hortas n. 15.
SAluga-se'a grande cas A ruea de Santa
Rita nova n. 61, serve para uama ou dues fa.
milias, tern quintal, agua, banheiro, encana-
mento para gaz, esta em pintura, p6do ver-
se: a tratar na rua do Marquez de Olinde n.
6, ou Vigario a. 3.
No dia 15 de fevereiro corrente abriose
urn hotel chinez, 6 rua estreita d6d Rosailo n.
21, corn loda a especialidade, cozinheiro cfr-
nez, tratando de mandar comida para fdra,
para families, e todos em geral. Espera me-
recer do publfco a proteceSo.
Manoel Jo$6GCunha.


Precisa-se de um moleqme do 10 A 12 an-
nos, para criado, que seja affSanado ; na rua
do Livramento n. i.
Precisa-se de uma ama para engommar
e comprar: a tratar na rua da Aurora n. 1, 20
andar.
0 abaixo assignado declare a quem inte-
ressar posse, qua no dia 8 de fevereiro do
corrente anno pagou aos Srs. Carreiros & Silva
a quantia de 5(N0, importancia de cinco letras
de seu aceite da quantia de t100000 cada uma,
cnjas letras os Srs. Carreiros & Silva nbo me
as apresentaram, declarando queashavia per-
dido, em vista do que passaram-me um reci-
bo corn todas as formalidades legaes e cornm a
declaracAo de as haver perdido, assim pois o
abaixo assignado previne a quaesqauer pessoa
que por ventura as acbar, que as referidas cin-
c,, letras de IWO$ cada uma nenh-tm valor tem,
e para que ninguem se chame a ignorancia, o
abaixo asspgnado protesta pelo mao pagamen-
to das ditas letras. Recife, 16 de fevereiro de
l.:81.-Tiajano de Souza Barbosa.
0 jbaixo assignacdo, nau se responsabilisa
por qualqaer di 'ida que o seu criado Roberto,
- utLra ,ilalquer pessoa fizer em seu nome
ou de seu flho, poi. nao compra nada flado,
tudo e a ulinih .iro.
Necife, 15 de fevereiro de 1881.
_Francisco Jose Cyrillo Leal.
Na rua do Hospicio n. 39, precisa-se doe
iwa pess)a para vender pela cidade.
Preciqa so de um menino para caixeiro
de taverna, na rua do Jardim n. 1.
-- Precisa-se corn ur-encia de uma ama
para cozirlhar : a tratar ilua do Marquez de
Ilerval n. CoU.
Aluga-.e uma escrav field, para o serviyo
de casa e conipras de rua, menos eagommar:
na rua do Livrameuto n. 15, loja.
A' fahrica de cigarros

MORENIN1IA


MUDOU-SE
PARA A RUA


Marquez de Olinda n. 32
(Antiga rua da Cadeia do Recife)
Ctntinua fugido ha dous mezes o escravo
Cypriano, de 20 annos de idade, baixo, fulo,
pescoco grosso, falta de dentes na frente,
pernas um pouco tortas: quem o apprehen-
der, p6de ontregal.o A rua da Aurora n. 81.
onde sera recompeasado.
Na rua d1o Imperador n. 81, 10 andar pre-
cisa-se de um feitor.
Firmezi, 31 de janeiro del881. Fugio
deste engenho o meu escravo Albino no die
27 do corrente, o qual tern os signaes segnJn-
tes : alture boa, cor preta, cornm algumas mar-
cas de bexigas, idade 21 a 26 anr.os levou ca-
misa de algodao riscado, calca e p"iPot bran-
cos e chapeo do chile, todo este ves,Jario p6de
ser substituidI por outro; elle 6 bas'ante ati-
lado e rr.uc. bounta iihura. RoEr., ortanto,
aos capiLaes de cainpo e a qualqucr utorida-
de a prisao do ni mesmo e:-cravu, devkndo ser
entregue neste engenhi) ou a. s mneuw corres-
pondentes Tavares de Mello, Genio & .. pra.
Ca do C irpo Santo n 15. Quern o apprl hender
sera bern recom.pens.ido.
Rario de PirAuv:f
0 Dr. Oni16n convi-
_. -. 0 os parents e migos,
para auvirern s mis-
ses quo manda rezar
par alma de so oCho-
rada esposa,. D. Elvi-
ra Bestos Tavares Li-
Sma, na matriz de Afo-
gados, As 8 horas da manhA de 21 do corrente
nez, dia immediate ao do anniversario do seu
fallecimento.


t
Claudlo Dubeux
Jsephina Buile Duibeux, seus filhos, genros
e manes, compungi'os da mais acerba d6r,
agradecemrn intAimamente as pessoas que se dig-
naram assistar ao enterro dos restos mortaes
do sea jamais esquee'iduo espuso, pai, sogro e
cunbado. Claudia Dubeux, L de novo conwidam
aos seus parents e amigos e as do finado pa-
ra assistirem as missas que se hb.o de celebrar
As 8 1.2 horas da manha na igreja da venera-
vel ordem tejceira do Carmo; e As 7 i/I na
capella de Apipucos, no dia 19 do corrente, se-
tlimo dia do seu passamen.to. Confessando-se
desde jd profundamente gratos por mais esse
actor de religiao e caridade.
Joao Gomes de Souza
Marianna Pires de
_.. .,. Souza, D. Ursula Pi-
So oresdeAoaujo eJos6
--m ao Vicente Gomesde
4 Souza, esposa, so-
ra e primo de Joio
Gomes de Souza,
agradecem a to ddo s
quo seprestaram a aconapanbar A ultima mora-
da Os rests moitaes do finado; e de novo
convidam aos seus parents e amigos para as-
sistirein a missa que mandam resar no dia 19
do cortente, na igreja de N. S. do Carmo, pelas
8 horas da manhA.
Aluga-se a casa n. 9 A.rua do Leto Gaoroa-
do ; a tratar na rua do Livramento n. 23, pri-
metro andar.


10M/




Pernaskinchada
Curam-se radlealmente iob"e i
poveniente .da erysipels, aan4a.,
disformemente ercut 0 mal
se ext~rnamente'
.dift*diimt sw, .Hr
NlUo= er o bti
4oeatiA


rit lqs t~i


A
' I33
74ft


r ~ -


7


s











it
4-5




?' -.



$1







A-l


_* '


. I


I


o.










r


A.4-
L de *
jt .. ,JB "IU ^ I&

l ,tXI' ./y.B^ -^Bl,. '"JBMIo M
"^^~~~ ~ ~ ~ ~ ^ ^^^^ ^^^ ^^ \y ^^^ ^^


noite.
N. 9--


UA DO CABUGA'--- N


FORTUNE


Grande loteria da Corte

ALOS 1,350:000000
Em tres sorteios
CAPITAL "0" 0 C"4OIqWT tOJ
500,000 bilhetes de 12 000, divididos em inteiros, meios e
quartos
A extraccaio d'esta loteria 6 dividida em tires sorteios corn intervallos de tires dias.
rods os nurneros teem direito aos tries sorleios, offerecendo assim esLe bystema a
vantag .n de um s6 numero poder tirar Ires premios.
No tim de cada sorted sees publicada urma lists dos numerous premiados. Depois do
terceiro e uliwo sotLeio ssrd publicada uma list geral, corn a qual so ar i o pagamento de
todos os premios.
A nitidez da imptessSo, a numeraC5o, o cuidado, e finalmente a confecAo de toda
esta loteria 6 feita polo pessoal da thesouraria das loterias da COrte, cuja longa pratica offe-
rece as melhores garantias paca a boa execuiao d'este secivio. ".:---
0 process de extr cco serd o mai3 aperfeigoado. As impurtancias dos bilhetes ven-
didos sziao recolhidas ao Thesouro Nacional.
PLA-kio


A saber:
Primneiro sorteio
63.47 premios no valor de
Sendo:
1 premio de 150:00
1 dito de 50:O<0
1 dito de 20:0!O
4 dits do 10.00"- 40.00X
10 ditos de 5 0008 50.00(
16 ditos de 2:0005 32:001
40 ditos de l:00(5 40:00(
50 ditLs de 5000 25 0O0(
1it 0 ditos de 20.1$ 2,:0u(
250 dros de 100$ 25:00
L.OCO ditos de t 5U:000
5.000 diLos para Lodas as
caenteaF, cujo al-
garismao lterminar
n'aquelle em que
sahir o primeiro
pemio d'o,.o sor-
teio, achando-se in-
cluido o mesmo nu-
Zwe.' mero a 208 IC0:000


52.209 premios no valor de .
Sendo :
I premio de .
1 dito deo .
I dito de .. ...
2 ditos de. .
4 ditos deo. .
8 ditos de .....
12 ditos de. ..
2,r ditos de ....
60 ditos de ...
1 .0 ditos de. .
350 ditos de ....
O60) ditos de ....
1.000 ditos de. .
50 O'IO ditos para todas asde-
zenas cujo algarismo
terminar n'aquelle em
que sohir o primeiro
premio d'este sorLeio,
acliando-se incluido o


Segundo sortelo
G02:0205 6.618 premios no valor de,
Sendo :
1 premio de 20:0(
1 dito de 100:0(
1 dito de 50:0(
i dito de 20:0(
4 ditos de 10:0005 40.0(
10 ditos de 5:0005 50:C(
15 ditos de 2:00tS 30:0(
55 dritos de 1:001s 55:0(
80 ditos de 5005 4f):o(
150 ditos de 20.5S 30:U(
300 ditos de 10 '$ 3.':W(
1.000 ditos de 505 58:0(
5.000 ditos para todas as
centenas, cujo alga-
rismo te-minar n'a-
quelle em que sa-
hir o primeiro d'es-
te sorteio., achando-
se incluido o mes-
i0:005 mo numero a 205 160:00
Terceiro sortelo


50:060000)
20:1008100
10:0005000
5:0005000
2:0005000
1:11005000
50050o0
2006000
1000nO1)
50(000


2.575:00(


o3:0008


)05
)05
008
100
oos
(JOS
)0o
)00
)00
)00
008


5OM 795:0005
)o0oe


1.000:0005000
200:0-J0000
100:'10O05000
100:0008000
80:005000O
80.0008000
60:00 5j000
40:C005000
60:0005000
75:000 00
70:OCO(5000
60:0005000
50:0005000


mesmo numero a. 12(000 600:000500 2.675:OCO(00

TONOS 0: MUM Si AGO I pos DESCONT0
0 abaixo assignado avisa ao public, que acham-se a venda em seu
estabclecimento A rua Primeiro de Marco n. 23. os afortunados bilhetes d'esta
graride loteria, cstandlo Ilabilitado a satisfazer qualquer pedido em poroao, por
precos ntuilo razoaveis.


23


&cb.


GRANDE LOTERIA DA CORTE

1 ,5i0:099000



GRAIIIE LOTEIIIA IES. PAULO

R. 1,000:000:000

Vende-se bilhetes, meios e quartos, em gran-


im a venda os bilbe


Papel de soda para cigarros
da fabreca de Joseph widm k iBI, em remiamus e
do 1141,10 m"h
VENDE'A ABRAICA APOLLO
ho 50 1/2 87
1'aOLk pa elma fal-. odetoonfo de 51..
A % .. -
...." .-


tes da


~i WE?


IXTiAECAO
PR-IKHEIRA LOTUIA 10 YPIRANGA


A extraccao da .a grande loteria do Ypiranga
sera feita a 26 de fevereiro corrente

impreterivelmente
conforme foi resolvido pela respective commissao.
PREMIOS


4
4
20
30
100
200
700
1,000
98,000


de


100oo:ooo000$
5o:ooo$
2o:ooo$
10:000s
1:000s
I o:ooo$
I:ooo$

5oo$
loo$
5o$
lo$


Beneficio


1,000:000 000
4OO:00000O
400:000$000

200:000$000
400:000000
300:000000
100:000$000
100:00Q$QOO
70:000 000
50:000$000
980:000$000

4,000:o000ooo
1,000:000$000


500,000ooo bilhetes a lo$ooo 5,000:000$000
Pelo agent do vendas, Rober'to Duarte Ribas,
J. H. d'Ornellas Junior.


CASA DE OURO

:80004t60
Bilhetes garanlidos
Rua do Barao da Victoria n. 40
e casas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
entire os seus felizes bilhetes dous quar-
tos de n. 2,122 corn a sorte de 4:0000,
dous ditoq de n. 1,377 corn a so"tA de
8006000, dous ditos de n. 1,614 corn a
sort de 2006000, dous ditos de n. 3,395
corn a sorte de 100A000, e um meio de
n. 1,531 corn a sorte de 1000000 alWm
de outros premios de 326000 165000
e 86000.
0 mesmo abaixo assignado convida
aos possuidores a virem receber na
conformidade do costume, senm descon-
to algum.
Acham-se i venda os felizes bilhe-
tes garantidos da 81.' parte da loteria a
beneficio da Santa Casa de Misericor-
dia do Recife (100a), que se extrahirA
terpa-feira 22 do corente.
PREgOS
Bilbete inteiro 46000
Meio 2#000
Quarto 16000
Em porAo de o100000 para
cima
Bilhete inteiro 36500
Meio t1750
Quarto #875
Jodo Joaquim da Costa Leite.

Attenpdo
Di-se 3005000 por penhor em urma escrava
idosa, que cozinha e lava: na rua de Hertas n
15, sobrado.
Caixeiro para taverna
Precisa-se de urn de 12 4 14 annos, que d6
flavor de sua conductas ou que traga boas in-
formag~es de sua petsoa : 4. tiatar na fabric
de cigarros A rua larga do Rosario n. 4.


CASA
Caminho Novo.-Aluga.se a casa n
muMlos coimods e born quintal, co
arvoredos, perto da estaCao do camin
ro; junto as mangueiras. A chave
esta na casa junto n. 153.
pacoteCS Moleque
Na rua da Alegrja n. 40, precisa-i
molequ.e, paga-se bem.
6 -- t Alga so,
16" o primeiro ana n n. 2 6 *m DaDe
a tratar no 1" an48af- -.-.54,0W-i *I
"", .

'* t:^^ ,' ..A^ac a. .^S^^ .,,.,il


C4S


FELIZ


Praca da Independencia
ns. 35, 37 e 39
Aos 4:000000
O abaixo assignado vendeu entr,'
os seus bilhetes garantidos da loteria
99a a sort de 4:000 000 em dous quar-
tos ns. 2122, a sorte de 800#000 em
dous quartos ns. 1377, a sorte de 200c
em dous quartos ns. 1611, a sorte de
100i000 em dous quartos ns. 3395,
alm de outras db326, 161 e 8500U.
Convida os possuidores a virem re-
ceber semn desconto algurri.
0 mesmo abaixo assignado tern ex-
posto a venda os seus felizes bilhetes
garantidos da loteria lO0a, a beneficio
da Santa Casa de Misericordia, que
tern de extrahir-se no dia terga-feira
-22 do corrente.
PREQOS


Bilhetes inteiros
Meios
Quartos


46000
25000
15000


Em porgao de o100000 para
cima
Bilhetes Inteiros 35500
Meios 15750
Quartos 5875
Antonio Augusta dos Santos Porto.
SIA hPrecisa-se de uma awa que cozi-
A she, lave e engomme, para casa do
familiar : na ria de Pedro Affonso n. 25.
A I A Precisa.se de urma que
cozinhe e compare, A rua do
A M A Barao da Victoria n. 50..
AM A Precisa-se de urma ama que saiba
.u cozinhar p lavar: a tratar na rua Io
de Marco n. 3.
Amai, Pgecisa-se de uma ama para en-
gommar 'e cozinhar para uea s6
pessoa: na rua do Hospicio u. 34, taverna.
A i A Precisa-se de urma para
AMAt E comprar e cozinhar para
~*--i*'r-*"l,, urea pessoa, d rua do Du-
que de Caxias n. 36.
Ama Precisa-se de uma-ama que cozi-
nhe e compare, para duas pessoas ;
na rua Velha n. 115.
SProcia-se de urea ama que
m ,s seja boa cozinheira e engom-
A JUIJ.L madeira, prefere-se esorava;
___ na tua do Livrameptq n.,3.


so d u 'Ama Precisa-se' deurma Tia Ivre ou
se de um ra2 euerav, na ra t d Pedro Aftoao
Snumer 12. ; : -


vv. "': ": ?-": : ;'' ". '*
^ ^-. ', ', .;. -" '',-' '
.. ,au -
I~q Ai
':/ ,.. ; ,;. -:- .,
.-" "- '4.
.-,.-+ + .:. -, .


Xarope de Cascadcle Laranja amaii-'j

ao IODURETO de POTASSIO
Approvado pela Junta de Hygiene do Brazil.


OF
majuw
.7


. algodo BuieO a
iUN do madapolao.francez, no a. 45500, 24
Biats d0 c4res fioos, esoaros, a 360 rs. o
ovado I
DIs pardon encorpado, a 40 6- dito !
BOMuitS- do adgodlo a a30t1 a vara!
Hatburmgos finlusimQs de lnho, a 560 rs a
dita! 1 barato.
Cretones flnos pars ooberlas, a 280 rse. o
covado I corn defeito.
Granadinee de seda preta fRa, corn om6fo, a
300 rs. o dite I A ellas, 6 de custo de 900 rs.
Ricos flbchus do IA e sabida de bale, a 35000
e 55000! Chales pompadour flinissimos, a 58 !
Duzias de colarinhos de lihobo a 15000! para
acabar.
Ditas de toalhas grander, a 450001 felpudas
55500
Ditas de camisas brancas finas; a 30A000! 6
de 40000 !
Dltas de seroulas de superior bramante, a
165000!
1i6asde lencos abanhados, em caixlnhas, a
18800!
Cobertores de 1, do Rio Grande do Sul, a
25000 !
Lenc6es de bramante francez, a 25000!
Cobertas de gangs incarnada, forradas, a
25800 !
Colchas francezas finas, a 25800! 6 de graga.
Muitos outros artigos por pregos sem com-
petencia.
9 rua Duque de Caxias 59.


ELte agente poC.leroso adminis-
trtlo ern soluca6 corn agua tern
lpor inconvenient o irritar a mu-
co.-a do --tomago e determinar
access,,+ ,,.i-t ral.;'co-;.
E:n vi-ta d'i to o-. medicos aci-
mia menciunalos escolherao por
excipiente d'e!te famoso remedio,
o Xarope de casca de laranja
amarga de Laroze, o qual por
'ia acedo tuunic:-L sobre oi orgaos
i., opparelho digestivo, facility a
absorpe5o de iodureto de potassio,
lirevine qi.al'luer irrita~fo e per-
initte ,que se continue o trata-


im itto ,
4iccil-lente


cm temor de nenhum
Sate complete restal)ele-


Deve-se ter caltela corn as numerosas falsicapoes e imiteq6es, o
empregv das quaes pode sei, muito noscivo d sahide.
Para ter-se a certeza da pureza e da dosage exacta das substancias
empregadas nas Preparacoes acima ineucionpdas. deve-se exigir sore
cada frasco a firma e a marc de fabric de J.-P. Laroze.






Nos mesmos depositos achao-se os seguintes productos de J, P. Laroze

XAROPE LAROZE ar' TONICON ANTITNERVOSO
Contra is Gastrites, GastraigLas. Dyspepsia, Dores e Caimbras de estomago.
XAROPE SEBATIYOa ,- P.-RG1URETO DE POTASSIO
Coni.ra Epilepsir Hysterico, Dar.n S.Guy. In.-omnia das Crianqas durant3 a dentigao.
M de ,i~ G. pe POT-~l
XAROPE FERRU OSO ; JPROTO-IODURETO DE FERRO
Cu.tiaa Anemia. Chloro-Ancmria. Cores ualhljas. F.orcs bran-as. Rachitisme.

1eposito em todas as boas Drogar.zs do razil.
Paris, J -P. LAROZE e C'3, Pharmaceuticos
|L 2, RUE LES LfuA'S-.. I.VT-P4 41, 2


IACMIIAL


, o ELIXIR VINOSO F RI
A Quina-Laroohe contem todos 0s o 0omo
principios da quina, tern umn gosto muito LtR FERR UGINOSO
agradavel, o6 superior aos outros vinhos 6 a feliz .ombinaCAo de um sal de feiro
e xaropes de quina; contra o deseaI- corn a qrda. E' recommendado contra
mt.o f ,ras e da eerog s, as e ecfets a pobre'a do sangue a ckloro-4iwsia, as
do atosa, as fdebres in vetradaaS, etc. fesaueucwiaa do parts, etc.
Par, 22, ruO Dromet, s 0n prIhaolpss Pharmanec do Mundo.
MuUl^m p 9PIu : 3.E'AsM 3M Ma 1 e 3 IA iMvOU ao M L f'.OM


2-m


'4^ t^s, HISy 81 '

".e ,_.. ivT r '.. 2 IIu1 ,.~.t
T .-F i : 71-.
'- 'GS^ | BUTONIQUI
DE VI L .T4i ...NE.
"'- -. -',' ..: B .'1 *j




U~. S GE
.._.' ._, ,,, ..
Hyg;ene dos Cabebtoe
AGVA TONICA
DE VITELLINE N++
1AGVAS VEGETAES

DE ROSAS, DE VSO?.ETAS
e ot:tros Pw'fifumes
-z'1 a o to -ado:- e a cabeca.
La T.SP VER
t9, BOULEVARD DR STRASBOULG, it,
1E=b A. Vt .X
Depaiis nas 'rinclPaes MPeiumartas, BruMcuu
e CabaliIreiros d AME i*UJ .


STodo o mundo conhece as pro-
priedades do lodureto de potassio.
Os mais distinctos medicos da
Faculdade de medicine de Paris,
e principalmente us Stir- Dres
RECORD, BLACIIE, TROUSSE.U,
NALATON, PIORRY, ROUER A)ti-
verdo os melhores re,-ultado, no
tratamento das afrecc6es escro-
phulosas, lymphaticas, c:a.:roc,_s,
tiuberculesas, sos da car'ie decs
ossos, dos tumors ir,'i:ccs. da '


CASA


DA


06
los
Q5
los
045
Is
os


S6


Manoel Martins Fiuza
23 Rua Primeiro de Marco


OUTTIIIAIW


I ,


F
':/







* +


des e pequenas porooes
BOURGARD ft C.


Tambem se acha
grande loteria da corte.


.-=.0


papeira ou bocio, das molestias
chronicas da pelle, da agrura do
sangue, dos acoidentes secunda-
rios e terciarios dc- syphilis, etc.


0 proprietario desta important .oasa de joias, piohoaAo pela frequenoia que sempre
Ihe- tern dipensado o honrado public desta cidaa e a* Jxnim families, a~aba de promover
em seu esl'belecimento uma complete transformagio, j ni que-dizroespeito ao asseae e orna-
mentos da'casa, ji quanto i variedade de joias que ultimamente reeebeit de Paris, onde tern
urn correspondent que prima pelo born gosto na escolha de objtecto de phantasia, pedendo-se
mnesmo affirmar, sem receio de contesta.o, ser especialista nest genero.I
0 respeitavel public encontrard ,empre um complete sortimento de relogios de to-
das as qualidades e dos mais acreditadbs fabricantes da Suissa, Londres e America; cadeias e
correntes de ouro e platina, grande quantidade de artigos de lenelaria, aldm de uma infinida-
de de objects de ouro, que se acham patents A vista de quem queira honrar ests impor-
tante estabelecimento, visitando-o.
A's Ezmas. senhoras convida-se A dar um passeio A LA VILLE DE PARIS, afim de
apreciarem o lindo e variado sortimento de joias de ouro, brilhantes e pedras preciosam, e con.
vencerem-se da sinceridade de seus empregados e da modicidade de pregos corn que sao
expostos d venda os seus artigos.
Nesta casa compra-se ouro, prata e pedras preciosas, assir, como tern um perito
cial para concertos de relogios, garantindo-se a boa execucao de ser' trabalbkc.
0 estabelecimento abrir-se ha serr pre as 6 horas da manhb,e se ecstuc


*^
*.'-., ' ..'**^
;<'


<


. 1. 1

















J d ViennaWAPtria do 1873, na do CPhie de 1874 e nade Po bIp'


-9 pharmaceuticos FERREIRA MAIA & C., quo sempre teioeniprocur=4
emwregar na t pti as plaptas digeaas, o q u attestam corn m ,_M"D nj
: a prepartoS. acabam de formular urn, QUE UM GRAND][ ENEI_
SDEPUR&TINVO a que denoroainaram ESSENCIA DEPUBATl AME'
S IG&NA, tendo obtido corn elle todas as vaptagens do mercurio e aic1reto dd
potsBua, sem todavia produzir os ptyalismos e outros inconvenient deste
S1 acrescentando a isto o sabor agradavel.
No RHEUMATISMO, quer agudo quer chronic, o sen effeit* sedative
rapido.
Nas differeates species e DARTHROS, elle tern por mais do uma E
prwad a sua fficacia.
Seom numero sio os ESCROFULOSGS que corn a ESSENCIA DEPURA.
TIVA AMERICANA, teem recuperado a saide.
Emr urma palavra, todas as molestias que teem sua origem na impureza 6
algaen enwontram neste medicamenoto urnm energico especifico, eque fica exw
bwantemente provado corn various attestados, ja de facultativos dests province
quo o teem empregado em sua cliniea, j& de particulares, que corn ate podero
so medicamento teem recuperado a saude.
Para que se possa contar corn 0m o3 resultados acima ditos, d necsarib qu*
o medicamento seja verdadeiro,para certeza do que, deverA exigir-se a marc
registrada dos pharmaceuticos reparadores, em volta da capsula da garrafap
Preco de uma duzia 30000
garrafa 31000
UNICO DEPOSIT DE PERNAMBUCO
Pharmaeia Americana
W. 57 Rua Duque de Caxias N.57


FUAIfcl0 GEiAL

ALLAN PATER BSON & C
N. 44 Rua do Brum N.--44


Junto A esta o dos
Ternm para vender, por prepos modicos, as se|
Tachas fundidas e batidas.
Crivaoes de diversos tamanhos.
Rodas de espora idem idem.
Ditas angulares idem idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos models.
Portas de fornalha.
Bancos de ferro corn serra circular.
Gradeamento para jardim.
Vapores de forga de 3, 4, 5, 6, e 8 cavallos.
Moendas de 10 & 40 pollegadas do panadura,
Rodas d'agua, system Leandro.
Encarregam-se de qualqaer concerto, assent
qualquer trabalho corn perfeigdo e preftezi.


3
La


4a90
=ftB


7.:; =


C/2


6--m
IX:3


s bonds
guintes ferragens:


L.-i machinismos e executas


' +



.




..

-I,





.r
*' i '





.F-.
V** s
, '
:] '


0
t_?
^->
p=l



^


g
Fa
(^


U
I

I

i


U


I
I


CC "- f4






w 2 o -.. ,_
-c.:- S



40 CC ~a.5
0 M- W. 0 0
-M zt E





C.0 E
Q-



Itt


,=a-- .-'. W
^ s-









g r t. --




.
I" -"Jt J 5
-- -
PC 0 A





",,-, ft -


n. !'Z .
-1. D,.- "
*-- 0 m -.. -
ei

g g o ..













M 6 0- C. s 1 .
'S -S 4;










E.- .- .
e-. 2. 11 -fe z










S 6.; 5 -.. W "
'S 0 'S 0
K4) IFAs~





















2- cc + ,
iDc irE, i

*Ev a'S O W
0:- S^ 4.O*

p w se





V-0.Ic0
d -AJ E






ta.


-0 6 0 le

C3 0
al UlCI S
S c 0. : :






ca-
cc PC- ^ a









~E C
u- 0 c3-5 o 0
AiiSi &


* 4-.
* .4


.0 andar Caravana hunnlivtaria sem motive algum. e aim suspeitando-se ter lerrenos a ven6 a
sido seduzido p-ot alguem, a !.itulo d'e alfurria, T re o e d
Nesta cas rara-se vestidos corn Mascaras sortidas em typos e qualidades, se oabduzido passr lguem a p tulo dp aldorria, Vs n d
e a a preparam-se o i ade obeixo assoignado protular pr p nc a Magdileea.defronte do Exm. Barao de Na-
major aoeio eprosteza, e que oam rda per- encontraFrlo os dignos socios da Nova Emanci- e damnos contra qleui o liver em sea peor zeth, em ugar eado e iseno das cea
feigo do trabalho e mnodicidade de pregos, padora quo lein docomp6r a caravans hama- valendo-se para isso ds leis do 'paiz. do Capibaribe : A tratar corn o corrector Motta
tern sempre modernos figurines. nitaria ; no Bazar Victoia n. 2. Antonio da Silva Ponies Guimaarles. na PraQa do Commercio.
PRaEmaspa a nBoa ncn onin uadt ira_ i n
VesMidos para casamet Mobias para ca cd I ra- Piano
3 de seda ou gorgorlo 10000 Dos models mais -aperleigoados dt hoje m.a do Sao Aiaro n. 22,tavaso e en- Vende-se baritn uum piano de mesa, em ps.
la ou alpaca 9t0 eonhecila; endem-se aruaDnque dexius gomma-se co prfeiopo preo cor- feito estado, prodrio para aprender: 6 vere
Sde cambriia o cretene 7OO n.54, l-ande onde e e qicontrara bom oleo -u ttaar ,, estrda do Pombal casa n. 18.
) chita 3M0)0 pare as -mesmus, assim tambem pessoa hebi- i w i 1" -_ _
Enxvaes a.a bapnlisado 00 itada-para eainar a cozer ou dar qualquaqer eIJiX 1 R Him gim S
Tnovaes para gap isa*o w eplicagbo necessaria, e encarrega-so de qual- Precisa-se de um caixeiro de 14 a 16 an.os .G. .in
Tambem se enecurega de ifenLar, o9D.-quEtooncertho em machinmas de costura, pro- deidade. que oenba pratits do mdthados e que Grande s&Ctimento, na loja deDomingos Jo-
cerLr e faier chapeos, gorros, etc., pa tt-a euno npontualldadse, asseimo e medico preo. -d4 flador a sue -conducta ; a tralar na rua do errcira & .. rua do Barao da icora n.
senhoras e menial, por. dimmnuto prepo. -- .Capito Lima. ian21.
AugaeBom BeOCIO CURSO DE DANSA Leqpes
duas casas terreas da rua de S. Joo. ns. 36 0 A moda de Paris D seaa s po upadour. .
dua, corn commodas para familiar: a tralar d Tr3apassa-so. umr eslabelecimento de vanta .18 n D loA lR Petit Pais,'.eTcom plumas de lindas cores,
41,: c commodes pare, ailia: Atratar .g :38 RUA DA IMPEltATIRIZ38, 1roAndoA-sverde-se no Bazar Victoria n. 2,umsva.
rua do Duque do Caxisan.62. gem em umaboa rua, muito boa pars qneov rua Nova.
I-- quizer desenvolvel-o, pois Lem urn pessoal be -h- F a
Abilitsdo pare continuar, assim omo -se fez ne- POllilI 7 7tl es rancos a
A ia I77gocio non a casa ondo estl montado dito esla. 0UULLLulU G 1LLLIZ EFRANCZiLL
Precisa-se de umna amra pars lavar ecozinhar belecimento, pois stando ella limps piesta-se 38 RUA DA IMPERATIZ 38 4 I0 r-
pari tres pessos : na rua da Imperatriz n. 33, 1 outro qualquer negocio por estar em boa lo- Lices pariculares em case da professor e A
loja._________ calidade: os pretendentes deixem cailta fe- | na oasa das famililas. Na loja dos barateiros aa Boa-Vista vende-
--- chada nesta typography corn as iniciaes A. se superiores fustles broncos e c6r de perola,
_.i -m I B C. Silipr ofiralugpa| n propio para veslidos o roupas de creangas.
P aul a -(---/- SlilU ptr l UgU pelo barato preoo de 400 rs. o covado; istona
BtIdo aro mrua da Imperatriz n. 40, esqnina do becco dos
Fugio no aia 10 de dezembro proximo pas- Mreoisa so de um criado -a rns do Cow- N1 Capunga, no lugar da Baixa Verde. alu- Ferreiros.
sado a escrava Paula, da casa de sua senhora mercio n. 1. ga-se um bom sitio corn boa casa, toda cana- '- --'-h---- I C
D Bernardina de Sena de Jesus. moredora d lisadaagaz, e bern reparlida, Lendo ositio um en6 eSasas uar r rtfo gal
rua Imperial n. ti3, a qual tm os oionaes ses- 'Boa acq s borm viveiro de peixe, muitos arvoredos de J s
guir tes: preta, ala, idaae 35 annos, secoa do J uLUllSl Va fructo, jardim muituo bern feitode tijolo e plan- iaLa
oorpo, falita de um dente no queixo de cima Offerece-se uma senhora estrangeira, como lado, case pars banho e livagem de roupa, e. ilJa,
olha porbaixo, Ireme corn a ca' eca ; roga-se professor, em casade familiar, ou n'um enge- boa cacimba e corn dousjrtOss ao'lao ; a Maia, Pacbeco & t.,d rua do 0ommercio n.
.0 capi.ts de campo ou .do quem dela der nbo nos sUburbios desta cidade- leceionando tratar no 10 andar A ma DuqAMe de axias nu- 40. facilitam remessas de mor es e maiures
.nfoimalo, qu sdiijm Acasaacima n as linguas franceza e ingleza, piano, canto, nero 54. quantibs para Lisboa, Porto e ilhas, e todes as
cionada, quo serao bem gratificades. etc. etc., garnte a sua conduta .e babilita- de wais villas, aideas, c-idades ou dea onimA
,.s : dA.se informagOes d run dos Florc n. /ias do reino.
itO Iiii ) + 37. 2oandar."W"-
(TUi fiOe 1ote m on- P el de lalme^S
D b do do Granwdelels-ta FormatMs do Brrio doPernmabuco e do"Jur.
Da fabrica do az ee ds offleinas ede ferreiro fm i g s A p l nal do Recife, vendem cRodrieguess d:ras Faria
roubaram vis noite de 8 do corrente uma ma- %VJtt ^ Compra-se apolfesp geraes: ina-r'aado Bou C., rua de MadiZ a Barros a. 11, esquina da
ctina Duplex, de furar chapas- de ferro, pe- E'de esperar que seja muilo concorrida esta Jesus n. 45 l oeondar. .s ----sua4- o p. ....r.
sando dilto machina 40 kilos, mais ou menos, grande ftesta ; e par& maior commodidade dos Compra-se duas rotulas j ,usadas, para -- -"
di-se 25000 de gratifioacao a quernm der intor- fleis devotos acha-so aberta agrandecasa omde porta : a tratar no pateo da Penha n. 8. JI.lvOPa
msacoes exaclas da w me, e 605 a quem der foi o antigo e bern conecido hotel do Monlei- -Gempra-se um cylindso imericano ea "Cotrn'iia a vender-so .. piv supra
proves da possoa qua -a ronb.ou. 'o. na qual eacontrarlo um variado sortimen born estdo, e vende-se um do sistoerna inglez: qua .ad a ais baratado quoaunm o ,ja o. ,
I~ },l, ntl p- ,,,ara, a-xCeAL, nte. Pt p a -ra azei safrmar que nenhum devto podeta queixar-seo qiur pa. d "e fl p j
o .......... [que nao vai A-g r e festa Jo Monteiro por uInmT q C,'. __ -;do
de, ssuca fsa omrpra se -Vades caixes corn[eta opolvarat
U3- Aluga-se o armazem da rura do Vigario n. 3, ra o antUgo'hotel resherto. uma carroga e um boi: a tratar na rua larga 1/ l bra de do1/4, de prtneira qualidade: no
corn sahida para o cases, proximo so itrapiche .-- do.Rosario i.a., ,a ja. cases 2 doe Novambro n..8.
deaCuupanhia; a tratar com M A. Guerra Ju.- tIalxeiro d
nior, A rua da:n n. 61. armsmea. Precisa-so de un aixeiro corn pratica do -se m
f ,trlf rlt d- aCa Inr, .r taverns: naa Itmpe ia -i. 164. -IVC.J. F. Canpos* C.,- rece bqra1im
fiat mus MIUL1a -- ._ ,,_l_ IUJiUg" todaf as cores, propriss para o car dno S
Avisa-se as fammas 1-01-0 --m Bta_.. J ..., pn t9ra1.B paa S ivi P .lo i L
'mQu.,o Reueitoruea ApCorduniz n. 14. ar Pde-.se.-o c. JosO, a.,hWo da GWR., l J- /1iW .UU J V Jn /iP j,, I sd e MS ,s u e .en .
mamn,Lou no rmea ioperatilzn. 46, 1"n-- buqu-rque, quo por-ua-oe,,.Oe .vomba.ooa- IdOA doatmemlpw oSS a na rro
ueamdo famitih; Jtdes maebinas d coo-.o81ir -aqetleoegoeto quoe Weomprometteu, A 4 W 4 it'.. ... .
tu8es prego de t5i)0 30ik81i00 para liquidar. ,sua Vidal de Neetos M. W. Diomingos A .lves Mathos --. l m.
garanto-sae-a *4gusde -dnemaaa, en.-- --e -' -'e ......... |y..i
--a-n',e. ""- ... ~~p m~ llelj. /r suecn ott. A.Ar @ ..4 -2-ll'
campy ticose t meows coNW 4. ensinar aI ~fw "'d-' W, osuperiver e gerw~pykti;~IbpvIo
cozer por umarsenbora abitlltada. A 8_ 0 .kilo .ve-de Pat.eria & C .. A ru em a .awreltas, q W pm a Vnd 2B-
U U f. largit do WosmiI14 7
Precifa-so defm eria'dogRft irvicg.) dwe$- Tg^g~ >* ft^B^tlff-*ifif ^ ^^~ f^ ^^H lfi
- Hortas a.. 15, sobrado. Net s fabri e teeles. Vend-seaa a .31... k eda.
-- .j -. -. ,?-- .- ,


* ~4
*CC
2.ll~


U


-
-. "- .V-.. .. .. a .,"


-- to ~.* -
-, -


- -
14'


---'-'
!.'.-*
r
s-
'^'
*^- :


U




-i~ 4~~


OWL


4-
.*:
.,



#[


i


lk ,o C asn.36:
I gca [ C \nova de |Isboa.
.- .... :|o / ll !e, pan and I m o |PQasasu da Russia.
.U +M [ Wl~l E'aita drez de cora~ao 1!cf ^ is 5 ,a a =iaa doPoo..g
u .K 40 o Zisnadus do Porto.
Bl~ai~m Poisdevia'vir, o mandar.e -. <2_ ; ESeumadeiras e passadeiras.-
S-^ Pals de aviron anr | Forems de forro pars kssuoar. -.
sos..,isirn 7 usuiumu.- quae S.. qto cauaalo, no t o B E IJA-FLO
E' uro 4ISIWS~~D C i4M Hslbl r doriacu ar a quo so esa CS ^ -- -2 ""T Ltse sympalbico estabelecimento recebeOU
to,- quz CurN ?*1Semm Mem 4S- sl amw cet4_. pa, er ca....ntad, -tt'i a,,.. 4 lindos Pmpadour
urinasquialqeaeiquoseja a Suaa.O qubtf^ al logo ar serAaaa uhi"da. wm g SS*= .. ^3 agora bmniias I~s para vestidos, pctitPlprS,
do i e daM" B b-exig rw ci 'u logo se public .da, "" S^ o ff em cbitis, lindos padrOes a Pompadour, ls --
do s ria ed beiga. ._ t ti~A --- &2 -' -,a -- 2 q~ues chinezes, flchfis de sed0, defi pbantarl
Opo Btglr --e "iUhbo noses eo. iBit(n l E 18 I sia e gosto, cretunes, popeliaes, eta.. etc,
puosi"c s 0ls IhP*de ,p. aaio oitih"ri, E~l Rodrigios da f j iEi 7^ .3 sortimentoseacokbidospara wiwosoarosssua
grimm 4qirudo0 #^l~l8oqs gwarseSilva, phayamiia etj. .._ c' freguezes, per pregos razoaveis.
a Ol OSt, e..to, p quoqepomss .r.nDela fapil.dadogi. 6De i31a do i -mp .'. o .s 2 D-RUA DO CABUGA-2 D
gular ooaexcUtal as daaes queneoefstao- ,. d .o.Jaoiroe success or S-S -- = J 6 bastante conhecida a lojinha do Beija
S" P.... -- d Auut Fu er.a.g. ior, do .
Ucpplcai es M. Leroux, eaoarrega so do twa- 8 Augusto -"gueFra & C '}
0 xatop eode'tdlfha (t m llho enra r tele- balfi o8 d on teJ~lo s, p ot pre oo co 8 ^ S ^S o J -ii ---- 1-------
gao da urina, catharro da boxiga, fez dosappa- com'mnodoft. Aeha-. iW sm B gar ^ ^^ 'l~a02^5 I L iq 1rnda 1ao
rocor sem pouCos .ousi as Ilabns~oss p !IB binete das Os men ia /s 4 horas -:,-: '
o u rera s, us sodim oentos da urina; 6 f nat-! _. ,.." ^ i .L
mente o melbor tewodlo, sempro queto r c.a tarde -a rua do Baro d C -3 Baptistes miudinhas para vestidos a 200 rs.
sesario auguientar a secreoao da urina. Victoria n. 23, 1.0 andar. c'g o o covado.
4.0








Dusauto Dsos ----- f-------..?35mSSS^' Ditas d4 cores lisas idem a 240 rs.
Dcbs a qttio olseee dasde opapot de a MO l SS | .= | s Fustses de cores e padrSes miudinhos a
para osaissoloisos 8m cg aa aria. Compra-se. vende-se, ahlga-se e troca-se --. |2gg gS2 Madapolao francez e inglez, preco baratis-
Dita moves novus e usados doe todas as qualidades. .Aoe alg -emdw.deims.
.oBlabtn.. .. As ...pras effoctuam.se de prompo a di- -. i
soaM btn oS. hoiro d vita, qulquor que seja sua impor- = o3 B Bramanie para lencoes, toalhas e ceroulas a
nhos alcoholics, de pimentas, e Lodos oe 53U Lncia. "= i5 20 1 .0 o metro.
'U
tantes. y Em todas as transas es, sao tomadas em .S o'-. Cretones a Pompadour para vesLidos a 320 &
Deposit geral consideracao as nacessidades dos Srs. preten- Bar -t"s 400 rs. o covado.
Pbarmacia e drogaria, a rua larga do Rosa- denIes, qu encontrarslo matores vantagens as Ditos francezos. de cores seguras e lindos
rio n. 54, Pernambuce. do ore em outra qnaiquer pajte. Aluga-se por 235 a cbsa n. 16 A run do Dias desenhos Id~m idem.
"fiffS~r^ S B* ~J~ *ARk&ZIIM 1E MQVEIS Cardoso~e por 255 o sohradinlio ri 35 a rua do Chilas escuas e cliras, devarios precos.
*^~r H ~ 'H A viado.Puqus doCaxi'aso.37) Fogo ; a rrata a rua Duqu do iJa D, 46 Fechus e sahidas ao bailes a .
rv t o andar ou Barao de Borja n. 51 Chales A Pompadou4r a 5O5 e 6.
BAR iIOS REGf HI Ci --- -as-. -* --- ----1_ Dutos do casymira a 13500, 2rf e 41500.
E B Fax seovsnlrgte por urea casa. terra, corn Fuiranm Na a A
A D V 0 G A D O agua o gz, e quintal quo tenha pelo mense 0
caioco quartos inernsa, oa freguezia da Boa emo pr doDua de Caxias numero 47.
Mudou sa residnciaVista: quem a liver diria-se rua do Mar- ooSngenhos Tapug do baixo
do Mudoufsun esirduenia e quez do Olinda n. 5. 1 ,ndar. do cima. us Osoravos seguintes":" L fU idAC i0
___________________ lenrique, do 20 a -25 annos do idade, do c~r 11
escriptorio para a rua Estrei- "---'i-- n mulatada, do estatura baixa, bern frito de cur-
S th do Rosario n. 43, 1 andar. Vd60e po, pouca harba, cabellos pretos e caxeados, r
M n W rrcima-si de urn coz-inChei e de um ho- mos e ps curtos, tern falta do denies na R
w i eem volho para faer compraP e Orator de frente e no queixo superior. C4 l e ra iaec,
U'l plants: A tratar as 4 as 5 horas da lard, Argemiro, moleque. de t4 a 15 annos Re Iua -Du ue de ais
^^Ik'^^l' :l i^HB na fundicako de Cacdoio Irmwao, tC0 a 104, idade, de c~r f'ula. sec.:o do corpo, pds e maos V
Retalhamento run do Bium. Rdcri 0mprid0A10 ,. gos 0muio o e fus'aT, e ;o o iph n. 43
J~ l ia ~ ex ~ ~ u y --- -o ^ ---he-- r, n u e p a T a a p e s s o a c rf ro q u e m I'a lla ro g a -s e P E H I C H ASi ^ T i
Manel de Mool Eteves st retalhaddo O zi quem pegar diLos escravos de os levar a ditos P HI H AS
seu sitio corn a frOMeate pata Ob rilb do A- engehos, que sera bon recompensado, ouA
raial, cra treocae deet'fta, dOas Cacimtta5, Practa-se dS ulna a1nheira ; a tratar na no Recife no Sr. Jise Antoni. deMacedo Lopes Linhos lisos a 16@ reis o covado.
muito perto daestaco da Marabeira de cima, rua do Barao da Victoria n. i.a rua Direita n. 55. Poupelines mescladas a 24 o covade.
luoar muilo seudavel oaremeatquo, preo a n"i- 0P0 dai saJe-* a Lzinhas miudas a 2o 0 reis o covado.
to cmfftodo; trata-se nma rua do ifiiperafot n. MUl allnlaO ir~tiios a veuua Madapol~o francez avarlado a 45 e 55000 a
50, o e 3 audares e nos Cias antifads no d oa Mro do a e usor dt J.e d e u ar pe,.
mesmo sito. osa Maria e esus. iiquitaa aer- Pr ui mens do seu valor, vendem-se Fuslo bronco para estidos a 500 ris o co-
---- -------- ab dos bens quo ficaram por fallecigento de s segumteA predios, t.dos alugEdos e bern vado.
Aumsn sua fiba D. AntoniaAlves Maria do Jesus, ccnservados, e seas redimento livres de im- Musselin branch a 280 ris o covado.
Scasada qu9 foi corn Sergio Antonio Alves, a pnstos, e reduzAdos como estao. excedem a Z Batistes lisas a 3:0 reis o metro, grande va-
a casa n. 59, rua do Guararapes: a tratar pouco frllecido, previne a quemr interssar /i em vista do prevo que se yen ien: riedade de padres. .
na rsa do Cenaercio m. 34, 2o andar. possa de quo Antoni. da Silva rao pode disp r Sobrade de d,)us inoares, a rua da Compa. Batistes miudinhos a .00 reis o covado
S, # de nenhum d,,s beos deixados plo dito Sergio ohia Penambu-ani n. 20. Chales de casimira muito grades a 35 cada
B^ B- em quanta nao findar o letigio a qua estlo su- Sobradinho d ,im andar n. 56, a run nova urn.
S o as eitos. Rccile, 3a e fverere o deo s81. de Santa Rita. Ditos frocados a Pompadour a 6W cada urn.
puonde sods eto ido fum ebecords,"a Antonio FIeira Botelh Casa terra cam aotaa n. 58, idem. 1 0
flad o et oiaha detodoesas qualidades, o as Procurados. Casa terrea n. 60, ideM. 4 w
nheAtrAatatanaruaue doe Imperadorpr- n.Nb81.











marcas mais ac ediLados neste mercado: nos Alo trta s ru do 1 paor.8.Pmaou____ r -----------a-320-a
m- atagaensdAl~ilvaPaiv& G., truada~adre E s ~ra^vo tuFP1 0d Mcrlnos e apa cas<
Deu ns 24 e 16. -J.s A as1 ia d \a\ 40\/ 5 rU0I0s
e-A:Ioa-qoo- T- ---- D Baratoir s da n Bo eo-Vrista vsndem
Jieob 100^ le gratdicaM ao Advogado MENoS a 0!) 50 ^i
_l -. 0 0 .'' : MEI~o~s 50rris. Bonitos merin6s d
r uio n 4,Prnm buc e ltebo. prxdop s- useontou-serioe qugenno aioe. s, a lco sep -$a za .16dru d ia esn .dwid












iF'uglo io Efa 8 ~ ), da cte i ai D. Cesa Gandid maca dA 'Abo. no dia I do me ars enoetrado ds 1 horas da mianh a 'd- .,tasia, a 5(0 re;s o covado.
Nobroe de Gusm&o, o eicravo Jacob, prtoe, julho. o escrrvo Muys6s, corn o signaea s e- as 3 da tarde, A rua Duque do Ca- AL PACAS a 400 reis.-Bonitas aipcas do uma
to ap. doe serv doeA cmpo, eDu. as vezes g.i.ltes c6r fula 3abeaa roetdar, dabellos entrada pela ru a rei- 4 6Aso acr. ten o do todas as ores eas
bebe, miilto conhecido em Jaboatlo; a pri- carapibos, dentadura perfeita, bern feito de a, ta do Rods rio." mais bonitas qua teem vindo ao mer-
Y*5i&i vetcpqb fuio foi preso adiante de Usa, rosto e de corpo, tern 2, annos de idaie, po- WTjRS "". cado, .40.i reis o cov. do.
oMOS ahi *iv-a eomo lvre : quem o appreen- rem represenla pela physianoria 24 est. ^ --, .4W-/ ./^f FUSTOES a 640 r 1is.-Bonitos fustles de B5a
.der, send em Uosa, otregue a meu irm ahi principiando a barbar e tern poucos cabelios 0 s car, endo da todas as cores e
estiA D eto 0. q GKlAio Francisco da SHva Gus- no quejxo, tern o peltos crutzao te eamcabol- .. e e brancas a 64) rpis o ,covadon
mo ; em Jaboatao A minha mai, e nests cida- los, bern roeto de ps. altura regale ci a OZinheira CAM..RAIAS a D uq..d,-Ca.braias A Victoria,.
dhe ao abkteo aigaaf, que recompensara. do referaidu engenho, carguei Aeo e armwo, is_. d .fazenda muito flna, a 35. 35d00 4e
-M exlmhM da Silvia Gusmeo. nunca fugio, e provavol que esteja drabman- Precisa-se d urna aea que cozinhe: no pa- ate as mais floas que veem ao mer-
,pt. do em alguma estrada de ferro, ou em algum too do Paraizo n. 26. cado, por prehm borato
[U I engenbo como carreiro, corn o titulo de ferro; A ,i.IO
o a u ( o do 16 pede-se a quern o apprehender, que ieve-o ao PnllSelPa perdida 2 .DIrAS transpasene--fazoenda mqate fia do
Ach Re fui.o d'ede o meado neve- dito egnh- ou rua Formosa n 13. be .pe mo-,, Au pere- l .u ate petizn q o.
Ari-o e do duO ao erso o mdloumnh oo-se, de 16 --- ,o.... lLa de d.. .nea ua- dan
1a p... ... "MW3 "e b&, "e p 1 | 1 4 do bel> e no da suror. a a da dmperatrxz n.4U. -
.....la se cor p de u e st tn a l ih l K a E 11 15 horas da tarde, ura pulseira deouro ucm -Vende-se uma escravinha de t 15 an-
r.egul ..a. ..r, e na d e r d,, antae s nua eno:" d AdJ 111mo1, 100i a acbou e quizer resttuil-a, p6Je fazel-o A rua nos, tend pnincidios de service domestic:
Retlh in' pe er, pode leval-Ao oI
S nartfa dot nie'Caxias n. 1. t aa- ssa do Caipen. 1, 2 rnar. Baro deS. Borja n. 37, quo perA genero- a tiatr n ru do Liramnto n. 7, 2* andar.
dar, das'10 horas dh mateafth as 3 da tarde, que a samenteogratlca so...._0,o___.a_ /.1 mn,,at iado
sera goanerossnrtreereco*tpnsauo. m, do Vias-onde de Goyanna n. 79, terreasenoRi r6. "|loe L -'l,--.a 9di.oco
Wulto Irto a Tra.aessa do Carmo a 10, 1 andar e loja. Fugino m e na o
--i-- ua ,u r7Vende-se a casa sita a rua das Trincheiras
i ud i tPorto d Madeira, rua da Aguazinha Tendo-se ausentado hoje (17). da casa do n. 27: a tratar na ua do Bo Jesus n. 5, an-
me'o ito. ."os MaiadeJess.7:ui aaitratertPrruinamnc ddoe vlornndmJesusio roco.ar vstosa 00 anoco











A U D T N. 2 (Bebero bee) bn sito; trta-s no large do abaixo assinado, seu escravo Cludiano, pre- dar, dhs 9 horas da manb as 3 da tarde.
N A RUA DO IMPECADOR N. 52 Gorpo Santo n. 19, l I andar. to. A uola idade 60 annos. aas ou mane- -
a aan.5,A, o Gaaaps:a rn---c ileiopeie um neasa P --itad eg u s"--im idaed pd s


Cw
am
;L!
FA


SSHi


ON


^
-0

bp^
^1
^















RUA


IGA'


ESQUINA

darua larga do


ROSARIO


4 I I S


1


f


ro r tern sempre ulu sortmeo sem igoal, e vende
!por preos qe outm u casa p vedra
A' vista da e do pI d aM jtd, cada um poder-se-ha convencer da verdade. Ga-
rante-se ser tudo de lei. Compawse oM, pr&a & pedras final& por preos muito eevados.

A loa eiti a at s hor a oite.


DO

CABUGA

EdQUIP

da rta lere'a do


ROSARIO


I


Grande pechiucha em
roupas
Na loja dos Barateiros da BorVista,
veonde-se.
Calgas de casemira, escuras e claras,
faeudna muito boa a 5So 593500.
2_aitas muito, fnas param 76 e 8000..
PIletots de casemira, de c6r,.:wui o
boe feitos a 6, 500, sendo forradom a
""' 8160
Dito de dita preta, de. diagonal e
gongorgoi forrados e muito berm feitos
a 101000.
doDitos de dita, de cres, sendo fomra.
s a 88500, e sent forro a 6.500L
Ditos de alpaca preta, de 3 atid.7000-
CGanmisas modems, corn peito de al-
goddo imitando linho, a 25.e 21500.
Ditas modernas, corn peito do linhoi
d*46 atW 500.
S Cermulas de greguela, fazeida muito
encorpada e muito borne feitas a 1#200
e 1-6600.
Brins pardos a 3W0 rs.
Na rua da Imperatriz loja, n. 40', es-
quina do Becco dos Ferreirosi vendose
brians, pardo liso, para roupa de ho-
mens e meninos polo barato. prepo de
do 320. rs, o covado, por ter um leave
toque de mofa, que larga logo quo& se
law~e. ___
Me rms de cores para
vestidos
Variadissimeo sortimeato de merin6s doe ou-
res lindisfimas,, o que ha de mais moderno,
pars vestidos, a 800 rs. o covado.
Mpwse lisas s. de diversase cores, pars ves-
tidsa, a&640- e 500 re.
Fustoes brancos e de cores.
Dltos de assento branco corn flares e listras
mtudinhas a-320 rs. o covadao,
Mlpaelkodecor liea para veetidosa t OWo0
coradi.
Na laja Fragata Amzonas, rua,
Duque de.Caxias n. 47.


A Rasa :to utpes
32 rua do Barao da Victopia 32L
A Rosa dos Alpes recebe urn compleLo
variado srtimento dos vguinte s at-
tigos dealta novidade, ccno sejm :
Franjas de lM, padres mwdernos
de cores especiaes.
Franjas de la e seda, o qua ha de
mais apuradu gosto, e de cores as mais
apropriadas para fazendas, hoje mais
em moda.
Franjas de seda preta, o que ha de
meltor neste genera.
Franjas de sedan de varias cOres.
Bico de Guipeur, branco e preto.
Bico do seda, preto e branco.
Dito de la. preto corn e sem-vidrilho.
Fitas de gorgordo detodas as largu-
ras e de cmres species.
Fitas de sarja, velludo, escocezas o de
setim, grande variedade.
Luvas de pellica, de cOres, branoas e
pretas, parm homes e senbhwas.
Chapeozinhos, toucas e sapatinhos de
setim e merino, bordados,o qae ha ie
mais gosto para baptisados.
Floes artificiaes, escolhido a variado
sovtbmento.
Pi'amas de todas s oe6res para cha.
p6os.
Collarinhos, punho. e lengos para
bhomens.
Gollinhas bordadas para senhoras.
Collarinhos e punhos ,uoa dos elisos
pars senhoras.
Porta-canda de ve .
Prepares para flOres
Mignardize para trabaluo de crochet.
GuarnigOes de tres pentes, de Cellu-
oid, para coc6 e marrafa.
Brincos, pulseiras, cagoletas, cintos e
rosetinhas de tarracha; tudo de Cellu-
loid.
Pulseiras pretas corn enfeites de Cel-
luloid
Ditas A imitaeao de tartaruga.
Ditas pretas, grande variedade.
Espartilhos, cintura regent, os mais
blegantes atd hoje conhecidos.
Espartilhos couraga e outras quali-
dades.
Perfumarias dos melhores fabricantes
Inglezes e francezes.
Caixinhas corn perfumarias proprias
para presents.
Guarni5es de pentes A imitagio de
tartaruga, para coc6 e marrafa, gostos
modemos.
SCapeflas cornm vos pars neivas.
Ramci de flOres de larangeirAs parm
vestidos de noiva.
Leques de osso e seda, brancos,para
S noivas.
Ditos de scores e preto, corn plumas
v sem ellas,
Bolas de borracha para creanvas.
,Pentes de Celluloid para regago de ca-
bd tloq.
* Bordados em cambraia Victoria e
S ransparente, grande sortimento.
iSW Btes dourados e prateados pars
i tidos.
e Coques A imitacao de cabello.
|,.'T VYtwiade de bonecas ara mepino
E, ruaao Barao da Victoria

^^teM..!^? ,la d ^0 a q.


I 5











-a


Vende-ie juntos ou separados dous sitioa
bastantes extensos, no lugar ArraiaW. rondo o
Srimeiro duas excellentes casas, urma cam
rente para o ramal do Arraial, oom setlo,
e muitos cammoidos; outra no fund do role-
rido sitio, corn freote para a estrada de ferra
do Limoeiro, parte da frente murado, estaglo
sob o titulo Mangabeira, cacimba corn muito
boa aguade beber, bastantes armores fructife-
ras e cafeeiros, e terrena proprio para qual-
quer plantagao, e tendo o segundo denomina-
do Mangabeira, cerca de media legoa de exten-
g5ao. cuja frente demarca com a os funds do
piimeiro e de outros, e urma pequena casa ce
taipa, passando a estrada de ferro do Limoel.
ro pela frIto do, aeema, muitas arvores de
fructQ e ferUtilissimo solo para diversas plan-
tagboes: a tratar no caes 22 de Nevembro nu-
moro 4%.
Slxm.

43
Rua Duque de Caxias
Cambraia Victoria para 35 a peCa.
Chita encarrada corn assent preto a 280 rs.
o covado.
Chitascuras a 2)0 reis o covado.
Lngoebranows abainbados-a a 100 a duzia.
Ditos corn barras a 2400 tambem a duzia.
Algodl l da Babia para saecos a 320 e 34C
reis o metro.
Brim preto pars luto a 6060rei o metro.
Ceroulas de brawinte a 15200 tada uMpa. E'
pochin-hs.
Borracha para-lima
de nperi qulide; vondem-Rodrigu de
ainaG., d ruadoa P Jo0 m i s. .. Id. e.
quina da rua7 do amorim. t


Mais peclnuchas!!
S6mente a 5 d" rua Duque de
Caxia.
Casemiras para, ves4idos,, fazenda. superior,
lindos padres, a 240 rs. o covado !
Bonitos l s furta-c6res, fazenda irteiramen-
te nova, a 700 rs. o covado !
Cretones mcrdermnos, A 280 rs. o dito '
Nansuks finisspmas, lindus cores, a 220 a
dito I
Peas de madapolao francez, fino, 24 jardas,
a 4S500 !
Cortes de caeseiras finas, a 2J200 ea 4000.
A ellas !
Ditas em peca diagonal, para 2$200 a 25600
o covado!
F]anela ingleza. propria para patitots, a
1500 crditio!
Brim pardo enuorpado, pars roupas deo. me.
nao.
DiLo de c6res, a 400 rs. o covado, apro-
veitem!
.D Do &brano xposivbo, superior, a-106100's
vans!
Importance sortimento de fazendas para lute'
oomo baptiste e chitas pretas, 210 rs., ls.6
'alpacas fina%, a 400 rs., bombasina e mertine
de duio larguras, a& & 00 e tI5600 o covado.
Dispomos de: pepSro alfaite pure 0 demmpe,-
nbho de quaalques paca do roupa.
CARNEXRO DA CUNHA & C,
S51 Raa Duque de Caxias
Por baixo da'bilhar.

AGUA FIGARO
infallimel para resUituic aos ca-
bellos grisalhos a cir natural
p da juventude, garantlindo-se
sereparlgo: paps por si pro-
pia. Utingi r instiantaneamentsa as'
cabellos e bar-ba.
UNICO DEPOSIT
PBotica Franceza e Droga-
mia,-A. Cars
RBt do Bom Jesus n.29a, defrute do chafuiz.
Aos Srs, de engenhoe scus

Na ma estmits d& Ronaio n. 12, vende
superior, potoajsS dRBmJsia4 Bova, egbe a
pelo ultuo or.-

2-RUA DO BARAO DA VICTORIA N.-4
SNeste estabeleciomento encontrara o respei-
tasel'publico o'esegulnte : a
MAUAS do. made de couro e de tapere4
grandes e menoreor, parw vinW.B
SCHIGOT'S de haWip, cca cast.o de marflw
o de osso.
LUVAS de camurga, de 1a e de fio da Es
cessla'
-0088*
SESTAMPAS do cidades, wontaahas, etc.8.
etc., e sacras.
QUADROS dburados para oo mesmos.
LINDAS BANDEJAS D E METAL e de ohsba-
io.
IMo-
PINGiNTES d 4 vidro lapidido para cande.
.labro.
COMPLETE SORTWMENTO de jarros de co-
rea, branches, grades e peqaenos, proprios
pana sautuacio a toilette.
CADELRAS de vimae pars criangas, cadoiems
de balance e part mesa.
ELEGANTES ESPBLHOS corn molduras dou-
radas iam salio, pequenos, oornm 2 e3 widrme,
moldara do metal, para pentear-se, etc., etc., e
pequenoa cax augmento para banca.
Vende-se ma rua Nova n. 2.
Amaral, Nabuco & C.
vendeea per piegos cammodos os seoguintes
artigos do umoda e de phastasta :
LUVAS DE PELLICA brancas e de cores e
pretas. para homens o senhbras.
LINDuS RAM8s de flares pars cabega e ea.
feites de vesticot.
MEIAS FIO DA ;SCOO SIA, de lindas cores
para senhoras.
ENFIADORES DE ALGODAO, de linho e de
sods, paraeepartilhos.
ATACADORES DE A( O paTa espartilhos.
BOTOES DE LOUQA, osso, madeira madre-
perola, mrdta masss e sedan, preLos, brancos,
e do coren, a Pompadour.
VESDIDINHOS e VESTAURIOS completes
para baptisados.
BERCO DE PALHA, e de madeira.
'FIOe'"iELA E SIDA, a Pompalour, para
border e urn lindosortiaonto, da ,aixibase
objects para presents.
VENDE-SE NA RUA DO BARAO DA VIC-
TORIA-N. 2.
Bom emprego de
capital


Os Barateiros da Boa-Vista vendem chitas
lofarase eseura de cores sendo fezenda mui-
ta boa, eoado a 200 rdi.
Ditas ewouras e olaras cam ao cOres fixas,
a 240.
Cretones muito flnas para vesttdos, cores
claras e escuras, com pequeno toque de mofo,
a 280.
Cretone vordadeiro, corn delicados gostoa a
Pompadour, sendo claros e escuros, a 320.
Percalles brancas, padres tmiudinhos e
cores fixas pars vestidos e roupas de criangas,
a 300 ris. _
FORMS PAi -AS-
SUCAR
Novo system do for-
mas anmerioanas para s
wear, feilas de madeirw:
amostras no eseriptorio de
Saunders Brothers & C.,
praca do Corpo Santo n
I, primeiro andar
Formas gadvaiiisadas
Tavares de Mello, genro & C. tem para ven-
der em soeu esAptario 4 prga do Caip San-
to n. 15, f6rmas galvaniasd4 chag dodai po ul-
timpo vapor. A muita sahida que eolas teo tide
preys seuffolentemente a sua boa qualidade e
modics preea. A'aelia. p ol, antMi qu Pa
acabe.,


I Roupa por media
M'este ensbeleckasmm tambern s mania
famai qupaemque peas de obr,. ComU soejaum ;
croisls, fraques, calgas e colletes, A vozitade
dos freguezeg, e Psto por prgqos muito razoa-
veis ; e pare este fim eweontTmao uam mnagi-
fico sortimento de pem'os finos pre&oB, e ca-
simiras. tanto pretas como do cores, sendo
francezas e inglezas, assim como grande sor-
timento demerin6s p-etos e outras fazendas
para luto, e manda-se fazer qoalquer ewrcom-
menda oom a maior promptidAo, reponisabi-
lisando-se as preprietarios d'este estabeleei,.
mentor pela ba exectiCo de seu. trabalho,
isto A rua da Imosratriz n. 40, esquina do bec-
co des- Ferreiros, loja de
Alheiro & Silva


-m


TINTURA CHINZA
iara turner o am e s rz
pidamente pretos aemn of
fMnder a outis
PftNPARADAtPOR
A. IL RAMALHO
Rua do Marguez de Olinda n. 21,
1.0 andar
SALAO DE CABELLELREIRO
Esta preparaiao, tendo side feita de
acdrdo corn o eimra deote peiz, tor.
aa-se atd hoje a meiioto, pore Dnom.
s6 fez o effeito rapido, sem .Reader a
eutis, como se o fizerem bern, s6 bas.
tari retocar do quinze em oainze dies,
A cada frasco acempanb'rac. as in s-
:ruaoes precioa
PregQo ae eada caizxiha oem
3 frasoos 3#000
Vende-se em grosso e arelfale, com
3 devido descent. de 1( a 15 /B.
N. B.--E' muito prdciso eaplica g6e
1a9 portadores, pwar.melhor acertarem,
G ue eota tintura, so veide' sO na rua do
arquez de Olioda n. 21, .o andar, a
aIo send 1U compuada, e falsa.
(SALAO DE CABJEIIFIRF.TBO.)
Contra a tosse
Xarope piltoral Jame
i Unico logalmen' e autorisado pelo conselho
de sade public Ii Portugal, ensaiado e ap-
provado nos huf pitaes. Cada frasco est&
acompainhadO de j i impress corn as obser-
vacOes dos prinoipaes, medceos de. LimbOa re-
oonhecides pelos oonsules do Brasil.
Cotra a debiidade
Farlaha peitoral ferrugimosa da
pharmacia Framoo
* Recohecida oomo. preciogo alimento repa-
rador. e excellent tonico reconstituinite, esta
farinha, a unica' legalmente atarisada e privi.
legiwkemPoEwgaf, onde 6&de use qwasi gerl
;ha muitos annos, appuc-a oom aro0.Mai Wco*
niotl4do proveito eam, pessoas, debols, vas que,
padecem O peitoem convalescentes de quaes-
,querAdoefnas, em crlanus, ariemlecos, e em
gerel tH- quoe oarocew de fopbgS no-or.
i Usw dtepositia eumo nM,094' k.
ima do Ma aquw 4& Olmide, n. A ] phari
maia. dFo amraie Jirw"Ai.* i& 40mI
a C.
Grande pet cia para
prhicipi3Tr anno
DE

Na loja dos Bawateios da Boa-Vista,
d rua da Imrpwariz n. 40
A SAB8R :
Aos oiato zul ovadcQe de gorgo-
rAo para veatidcs a 320,rxi
Vende-se um grade sortimento dos mais
bonitos gorgorles corn delicadissimas cOres
pare vestidos, sendo fazenda de site pbanta-
isia e do muito boa quelidade, com. padroes.
miudinhos a muito. modemnos, polo baratioi-.
mo preco de 320. ris o covado, isto devido a
ter-se foito urma grand compra d'esta bonita
fasenda. S6 na rea dalmperetrlz n. 41, esqui-
na do becco dos Ferreiros.
ALTAS NOVIDADES EM CASIMIRAS
a 2$ o covapo, ou a 35500 o c6rte.
S6 as Barateiros d't Boa-Vista p6dem ven-
der casimniras de duas largures oom as cores
clara eeseuas, sendo fand a aadfl e odemui-
to bans gostos, proprias para calas, paletots
e colletes, assim coma para roupas de meol-
nos, polo baratinimo prego Ge 25 a covado ou
355f0 o oortede cal : este diminuto pu o
por que se veade, e derido a5 toe. foeito gra-
de compra d'este artigo, que so veade muito
mais bacato do quo em outra qualquer parte ;
na rua da Imperatriz n. 40, esquina do becco
;doe Ferreiros.
Novos Unhos para vestidos, a t60 r4s
o covado
Na loja dos Barateiros da Boa.Vista vende-
as urns grade quantidade de novas linbos
de urea s6 esr pars vestido9 tendo do todas
Ias cgres, claras e escuras tambes. de Ustri-.
nbas, que se liquidam a 160 reis o covado,
assim coma um elegante sortimento des mals
bonitas baptistes de cores, padres novos a
cores fixaa; isto na rum da Jmparatei; n. 40,
esquina do becco dos Ferreiros.
Cretones e chitas para vestidos, a 200,
240 280


cornom variedades de cores, 6 pechincha, a
m. o Cfvado.
S6o4a


2801


Defronte da praga da IndeOpendencia
SFandsb8UCaneas
Os barateiros da Boa-Vista vendem
um grande sortimento de fazendas
brancas, por prego muito em conta:
Madapolao-PeQas de madepolao franoez
muiko fino, corn 12 )avdas a 30200.
Dito francem, cowa 24 jardtas, ou 20 varas
45500, 5.000 e 6O000.
Atgodtlo infestado, cornm 10 palmos de largu-
ra, propfi par lengeeo, metro a 900 rs.
DirM w m'anQad. muiLt eaorpado, con 8
palmons de.lugura, para toalbas o le I 6es, me-
troa 1 200.
Gregoele, fazenda branca muito encorpada,
paw len 6es e oeroulas, send a pega cam 30
vagas, por 145000, ou a vara a 5500.
BramatA. de algodao eao 4 larguras, pro-
prto pamiU lWs o metro a 280.
Dito de linho om a wsmsa.largura, a 2$200,
21500 e 2 800.
Atoatiado-Superor atoalhado corn 8 palmos
de lergura, send oor o lavor em alto relove,
mqtro 1500.
Dit6 de linho adamascado, cowa a mesiAa
largura, metro a 2$400.
Pannos da Costa listrados e de quadros
proprios pars eobrir mesa de jantar, co vado
l5280 e5600.
Guardanapos da liiho, fazeanda muito boa,
duzia a 510W.
Isto na mua da Imperatrtz n. 40, esqul-
na do beoeo dos Ferrelros.



0 Bazar Victoria acaba de receber da Euro-
pa, um grandiose sortimento do mascaras, na-
rizes, queixos e meias mascara, brancas e
preto, feicOes d4e borem, rullieres, mpeninos,
moQgos, volhos, caricatoa o de diversos an!-
maes.
Calces, camisas, carapuvas e luvas de meia
brancas e cor de rosa.
Franjas, trsnpas, bicos a lantijoulas doura-
das e prateadas, e outros muitos artigos para
fazer-se lindos Nestuarios para as felias carna-
valeseas.
Retebeu tambem um explendido asortimento
do bisnagas d'agua de obheiro o de p6, e outros
muitos artigos de sorpreza proprios para os
brinquedos de sallo, nos dias de carnaval e
vende-se por pregos commodos, na rua Nova
numero 2.

Cretones S a 280
0 GCOVADO
Pochinohal
COtanex lisoa de todas as cOres a 380 o co.
vado : 6 pechincha S6 o 43 da Tua do Quei-
mado.
Madaplllo fmncez a, 38500 p pe0a.
Btitea d cOre finas a. 20Q1 reis Q covado.
VRaOam A ppchlncha,
Mariposa arrendada, padresffli~os, 4 240 o
cevado I 8S 9 n. 43 da rua Duquoe de Caxias
ni. 43. Dao aostras eComrn pnhl.-
Vende-se (im A esoraM jmoia qft
engomma, lava e cozinha bemr: naz'ua od ima.
perador n. 28.


CIA IDE F tflIltCA Ui EtA
DE


ARUDA LUSTOSA & C.
N. 41-Rua do Barao da Victoria-N. 41
Neste acreditadissimo estabelecimento -e encontra sempre urn complete
sortimento de casimiras de todos os padres e os mais novos, panno pretm
azul e cOr de cafe, brins brancos e de cor, pardo trangado e liso, camisas ce
roulas, gravatas, leneos, neias brancas e de cOres, collarinhos e punhos, et,.
Podemos vender mais barato as nossas fazendas, visto que recebemos em
tonta propria por todos os vapores da Europa.
Prepara-se costumes para luto em 24 horas.
A nossa officina sempre conta perfeitos artists, que por sua promptidia
perfeico nada mais se pode desejar.
ARRUDA LUSTOSA 4G Co
Rua do Barao da Vkictoria n. 41
i i... A .. ._ l .. .. .- ... .,. .. _- .... ..... ......' .. : -- '.. .. .. s ... ... ..,


I




.4
Ca
0
gI


Antonio Pedro de Souza Saares & C., vendem machines de costura de to.-
dos os systems e de todos os tamanhos, desde o prego de 144000 a 1101000,. e
em poroio fazem desconto conforme a quantidade; teem sempre especialidade.
nAo sB em malchinas de costura como de preguiar e de tiotar-lazer meias.
No mesmo estabelecimento ensina-se a coser, e ooncer-se qAualquer ma-
china, para o que tern bern montada a oficina


ELIXISEATO PEITORAL
ANTI-AS HMATICO

DE
BARTHIIOLOMEIU f C.
Pharmaceuticos premnados em diversas exposigOse
Nio olhando s6mente as especulagOes, destinamos part de nossos estu
dos e observag0es A descoberta de compoicOes corn medicamentos novos, o
corn os poucos, ou ainda nao experimCifados, para procurarmos obter a cura
ou ao mencs urma sensivel modiPfcado, na marcha dos terriveis padecimento
hue affligem a humanidadeo que atd hoje teem zombado dos mewos conhecide
a medicine.
As molestias dus pulmoes, e dos demais orgaos da respiracao, considera-
das das mais graves por suas funestas consequencias, e que infelizmente, sem
que se cenhega a causa, tanto se vai desenvolvendo entire n6s, nos tern mree.
cido principal attengdo, e temos a ellas dispensado as mais aturadas inquirigOes
Acabamos de formular um preparado de mui agradavel gosto, e portanto
de facil applicagio a todas as pessoas, qualquer que seja seu sexo e idade, que
expomos ao public sob o nome-Elixir sedativo peitoral anti asthmatico ;-que
sendo um oomposto principalmente de bases vegetaes, produz effeitos calmantes
immediatos, sem center a mener quantidade de opio e seus compostos, ou os
emiticos, do tdo perigosa applica.ao.
0 Elixir sedativo peitoral anti-althmalico tern as precisas propriedades
para debellar promptamente as affecg6es da garganta, do peito, e mesmo do es-
tomago, e na asthma, e coqueluche, em que jA tern side bastante experimenta-
do, o Elixir tern apresentado os mais satisfactorios resultados.
Nao menos proveito temos obtido como verdadeiro espefico nas constipa-
oes, catarrhos, defluxos oatarrhosos, e todos os mais soffrimentoo das vias res-
piratorias.
Nunca apresentamos preparados nossos as ao public sem experimpu
tal-os nos.hospitaes, e agora oram as mais satisfactorios possiveis as ospltaqIp-
que obtivemos com o nova Elixir, como affirmam seus distintos m6dieos.
Esperamos a continuagco dos bons resultados do nooso novo pI a .
ficard o satisfeitos nossos esforgos, se elle vier preencher a lacunta qu
e resent de um verdgdeiro especifico para molesties tAo graves. '

'- .*''i '- ,' "-' ri" ". a
r -. -- -' -' -- *-. -

,- .& i ^^.- .. ,;i*'


I


A"zruM largado Rosarlo n. 20
Unc senpre grands sortimento vaiaddo de
videos brancose do cores, assim ,omo tudi
que peitenee A smaoffiiinea.

Sagiftco piano
Venae-seum piano de media cauda, do afa-
mado fabricante Erard, inLteiramente novo;
vende-se par tar o donor, lbgn ap6s a chegada
do piano6, par molestia, seguldo pars Europa:
para ver e tratar, con o Tresse, A rue aa Im-
peratriz, fabjio. de.pianos.

SELL.IIS IWZILTI


Pechindia
A nova loja de seileiro de J. Joaquim deAze-
vedo, que se abrio A rue do Barho da Viotoria
n. 29, acaba de receber os mals modernos
sellins inglezes, que at6 hoje tern vlndo ao
mercado, e os estA vendendo por muito com-
mo'do pre-gQo; A elles, mntes quoe se acabem.
Na mesma tambem sW enoowtrar, umn com-
pleto sorLimento de todos as objects da arte
deselleiro e colchoeiro, as quaes se vendem
potr meno de que em qualquer part; s6men,-
te-para as"m smisfazep os mtus freguezee, as-
sirm como cochins de linho.

Eutfls~G a 4406 is. & o
fado-
R'ft d. QWimed& 43
VeshbMp A eoes
FastOSes bwastuo e do. cores, piop ios pars
vestidos de. senhora e mroenilnos, polo preCo df
400 rs. o covado, valem 760 ros.; vende-se para
liqukiaar atm.
ftfttee lh'sias
comn grande variedades de cores, a 200 rs. o
covado.


I


'. f


<- S


-PEENRJ


.. ..x


12



















o '%bUso do
quas ,p rtfin oorrigir no pre-
-camaaw abusavam, demorando a
o, c o tim de fazer trium-
p ota aquella apuraca ; as cama-
am apurando ou deixando de apu-
r fora dos casos da lei;- as ca-
finalmente, abusavam, duplican-
paraa victoria deste ou daquelie
,portanto, necessario que as novas
sejam organisadas e trabaihem de
.4svitar queixas tio legitimas como
amque nOS v6m do passado.
Para isso m6 precise firmar como regra
absolute que as juntas de apuraoo s6-
mente contain votos; 6 preciso tornar
certo o edificio em que celebrem suas
reunites, certa a competencia dos apura-
dotes e certas ainda as regras ou obriga-
Q5es que Ihes forem impostas.
0 art. 13 nao declara a casa ou edifi-
-o em que se devo proceder a apuraoao,
Se, posto que se possa presumir que seja
na casa da camera, parece que a designa-
CAo dove ser express, constando da pro-
pria lei direct ou indirectamente.
0o art. 13 estate que as juntas sejam
resididas pelo j uiz de direito, e em sua
alta pelo substitute legal; mas 6 neces-
sario declarar quando essa falta 6 legiti-
ma, evitando assim abuses possiveis e fir-
mando a preferencia do servigo sobre qual-
quer outro. Posto que seja possivel, para
nao assumir a responsabilidade de certos
actos, prevalecer-se o j uiz de direito de
fingida molestia, 6 todavia certo que no
exercicio de suas proprias atLribuic5es
pbde o magistrado, president da junta,
achar escusa para entregar a presidencia
a substitutes, mediante urn piano politico.
Nao ignora o senado as quesWes de prefe-
rencia que se ternm dado entire os membros
dos oanselhos de alistamento military,
quando chamados para outros services
apontados pelas leis.
0 art. 13 exige, para que a junta pos-
sa funccionar, a presenca palo menos de
quatro presidents das assembl6as eleito-
raes, mas determinada a publicidade do
local pela designaQio do governor e por
acto consecutive da autoridade, e presidi-
da a junta polo magistrado que se reputa
garantiasuprema, desde que nao possa
urn dos convocados allegar ignorancia do
acto ; porque nao contentar-se apenas corn
a presenca de dous dos presidents das
mesas eleitoraes, quando os outros nao
comparepam ? No 6 urn meio simple
de evilar as antigas~demoras, e os cono-
luidos provocados, em nome dos interesses
de partido, pelo regimen das substitui-
Cues? Que receio pode hayer, maxime
quando a commissio, para former nas sec-
06es de parochia as mesas eleitoraes; con-
tenta-se corn um dos j uizes de paz e urn
dos seas immediatos convocados ?
0 art. 13, dispensa a publicaCao pela
imprensa, contentando-se corn a publica-
cao por editaes e aviso singular aos presi-
dentes das mesas eleitoraes; mas sio in-
tuitivos os inconvenientes deste meio iso-
lado de publica]o. Alem de que o fact
a todos interessa e por todos deve ser
conhecido, acresce que e facilimo frustar
o fim da lei, inutillisando os editaes e nao
fazendo os avisos, e creando-se mentida
prova e arranjada em tempo.
0 art. 13, em vez de fulminar peremp-
toriamente as duplicatas, parece que as
entrev6, referindo-se lei de agorto de
1846, e nao limitando em termos expres-
so as attribuicoes da nova junta.
A lei do 1846 autorisava as cameras a
escolher entree as duplicatas que fhes eram
apresentadas, e a no apurar votos de col-
legios celebrados em lugar no reconheci-
do pela lei. As cameras municipaes, il-
ludindo a confianca do legislator, nao s6
ibusaram do arbitrio que Ihes f~ra conferido
limitativamente, como ainda julgaram-se


autorisadas a nao apurar as actas que en-
tendiam nao center os requisites legaes,
como, per exemplo, as que nio estavam
concertadas.
Convemo que as novas juntas nio pos-
sam obrar do mesmo modo, e para isso
.basta firmar seguintes regras absolutas :
1. As eleiQoes feitas fora do lugar de-


FOLHETIE


AS MULUERES DE BRONZE
POR
XAVIER DE MONTEPIN

SEATUNDA PART
0 EVADIDO DA DOURADA
(Continuacie do n. 38)
XLVI
Jobo Renaud sorrio e cumprinmentou de
novo.
Sr. Chavassu, faz-me o favor ? disse
elle em seguida.
Ninguem responded, por6m trocaram-se
algumas palavras em voz baixa.
0 Sr. Chavassu nuo se acha presen-
te, meus senhores ? continuous Joao Re-
naud.
Chavassu ? Nao conheoo... resmun-
gou Remy Ch0nmin.
SEsta bemrn certo disso?
Certamente que estou. -
-. Admira-me 11
S-. lW2 Chavassu 6 o senhor.
M .Urw Iko61U circulou & roda da
mesa.
~.-iil ocimwnReMY C win.
"- 'Orma t a"ho--mn yPOmo forte I
tdb U&AlA um importunm qO TBm 1br-
Fola o aos Srp D O
'M ro t~ de diverti.r- urn. prooe,


dagiq* orea^ leAeaadk
mtmas atcas. -
0 art. 13, exigindo a mai benu
do eleitorado para quo os caalitd s & e
putacao geral soamd coue'rado como
elditos, admitted loaia, a esgu a
eleicao, e nesta a maloria relative, sem ao
menos a exigencia de urn minimo qual-
quer.
. Si a maioria absolute 6 noeCMsUaria no
primeiro case, como se explica a ausencia
de qualquer limited no segundo?
No primeiro caso nao ha eleico sem
metade e mais urn dos eleitores; no se-
gundo caso p6de have oeleicao, at6 dimi-
nuindo o voto de alguns dos candidates
jA votados na primeira eleicao.
Depois, se emendas da commission ace-
taram o voto uninominal para a deputa-
cao de provincia, sem deierminagio de urn
quantum qualquer, porque levam a sua
exigencia em relaeao a deputagao geral
ate a maioria absolute ?
Si a escolba dove ser livre, per que o
impor ainda ao eleitor na segunda elei-
g o a escolba entire dous nomes, si nao
ha meio de foroal-Q a cumprir o pre-
ceito da lei, e no caso de recusa tacita
outro remedio nao ha senao sujeitar-se
final a maioria relative ?
Parece que fora mais logico aceitar a
maioria relative, embora se determinasse
um minimum de votes para ser eleito de-
putado e quaudo ordenada, porventura,
nova eleicao, per nao ter o candidate mais
votado attingido esse minimum, deixar
toda a liberdade ao eleitor, declarando de-
putado qualquer dos candidates que obti-
vesse maioria.
0 orador analysa neste ponto a doutri-
na da commission, tend em vista o elei-
tor e o eleito, chegando a conclusoes op-
postas.
Nota que o texto do project nao 6 cla-
ro, quando admitted o sorteio centre os ci-
dadios mais votados, parecendo que o es-
colhido pela sort p6de sel-o tambem per
um candidate menos votado; por6m sup-
pondo que o pensamento da lei 6 unica-
mente empregar o sorteio para reduzir a
dous o numero dos candidates da segun-
da eleivo, que motive p6de explicar este
recurso a cegueira da fortune ? No case
de empate de trees ou quatro candida-
tes, nao foram todos distinguidos corn
a mesma confianoa do eleitorado ?
Come, portanto, dar a uns que se nega aos
outros ? Porem, si no case de empate
mais de dous candidates podem de novo
ser sujeitos ao voto popular, porque limi-
tar a dous a nova apresentacao em ou-
tros cases ?
A contradicoo estA no erro do system:
si a eleicao deve ser livre e livre o vote
do eleitor, p6de hayer segundo escrutinio,
come simples advertencia ao eleitorado,
para meditar sobre a sua escolha, mas
ainda corn a indispensavel liberdade para
quem escolhe, e que per conseguinte deve
ter motives de preferencia.
0 art. 13, applica As eleio5es provinciaes
o system da pluralidade simples, reconm-
mendavel sem duvida pela singeleza de
sou mechanism, mas condemnado pela
verdadeira doutrina e pelos factos eleito-
raes estudados em sua natureza e conse-
quencias.
Este system individualisa a eleicao,
dissolve as grandes aggressoes de partido,
gera antagonisms pessoalmente ao prin-
cipie da proporcionalidade pela ausencia
do quociente eleitoral, nao aproveita a
todos os votes que concorrem A eleicao,
desequilibra a forca da representaVo e
tritura quaesquer elementos politicosna lu-
ta, fazendo prepouderar as pessoas sobre
os principios.
O orador desenvolve estas diversas the-
ses, estudando especialmente a doutrina
da representacao das maiorias e das mino-
rias, e mostrando que a verdadeira pro-
porcionalidade nem ao menos podera
existir corn a doutrina da unidade do vo-


to e da unidade do collegio, pregada per
Emilio de Girardin.
A todos os systems empyricos ou racio-
naes, ideados para a just e proporcional
representacol dos parlamentos, verdadei-
ros artificios numericos, aos quaes se po-
deria applicar esta phrase do estadista


do contrario as cousas podem correr de
outro mode.
PeNo perdie, se os vim incommo-
dar, meus senhores, responded o evadido
da Doorada, por6m tenho necossidade de
fallar ao Sr. Chavassu.
E' amolador, este china de couro da
Russia I disso o grumete corn a sua voz
ciciante e canalha.
JA Ihe disse que nuo conbecemrnos ne-
nhum Chavassu.
E eu repito que elle aqui esta. E
Joao Renaud apoiou a mwo no hombro de
Remy Chomin.
Todos os bebedores levantaram-so amea-
Oadores.
Um delles, urn diabo grande come urn
Hercules das feiras, approximou-se do
recem-chegado, medio-o de alto a baixo
e de baixo a cirna, e, depois tomando a
attitude de um jogador de savata, disse-
Ihe:
Isto vai acabar ja, hein, meu esper-
talbbo. Veja Ma se quer que eu o fago sa-
hir mais depressa do que entrou ?
Voc0 ?
Eu mesmo,1 pois entio ?
Experimente...
0 grande diabo levantou o punho ner-
voso, capaz de abater urn boi e deixou ca-
hir tomando por objective a cabeoa de
JoSo Renaud.
Este evitou a pancada, agarrou o seu
adversario per debaixo dos bragos, lWan-
tou, e atirou-o a dez passes estendido no
cheo.
Urn clamor surdo fez-so ouvir; os bebe-
dores pozeram-se de facas na mlo.
Jose .ud, sem recuar, tirou do bol-
so u m ft idver.s
[ tl1 o aegocio e eB .1 dine elie pa.


ir um
US ioE.


pence'1
Qean-


d~ricoB^^re^^^ elegeF umi dego-.
P didida-,..o

com!pffIndoa cada um a eleico do um
4eputado provincial.
i (ea-te o" too, resultado que pre-
tende a commission, sem combinaces ar-
bitranras, e procurando a representacoo das
minonias no seio d94 municipios divislo
natural e que represeNoa um interesse res-
peitavel.
A eleiioujiiominal 6 o acaso, a con-
fusao a a desdrkm doe interesses pessoaes
em litigio. (Mui bem).
0 Sr. Jgua r:be: -Sr. presiden-
te, o nobre p esidnte do cooselho disse
hontem, maj oua vez depois do muitas,
que este project era feito mais em van-
tagetm das opposio~es do que do partido do
governor.
Creio, por6m, que S. Exc. -nio tern ra-
zao para assim continbar a enunciar-se,
porque parece-me que muitos dos honra-
dos membros que trn impugnado o pro-
jecto, inclusive o humilde orador que nesta
occasiao se dirige A casa...
0 Sr. Mendes de Almeida -No a-
poiado.
0 Sr. Jaguaribe :- ... tern mostrado4
que este project fore antes de tudo a
maioria da nacao, porque a exclue...
O Sr. Mendes de Almeida :- Apoiado.
0 Sr. Jaguaribe: ... e, desde que a
maioria. da nacao 6 excluida, nao sei come
andar-se fazendo esta distincqlo de que
o project 6 mais util ao partido do que
ao do governor.
0 Sr. Mendes de Almeida: Timeo
Danaos et dona ferentes.
0 Sr. Jaguaribe : Nao me demorarei
neste ponto, porque nao quero que se diga
que elle nao cable no artigo que em dis-
cussio; mas ponderarei a S. Exc. o au-
tor de um elixir nao 6 quern deve Iou-
val-o; deve antes esperar que os doentes a
quem esse elixir tenha side applicado de-
clarem que sua accao 6 benefica.
0 Sr. Saraiva presidente do conselho):
- 0 elixir nao 6 meu so...
O Sr. Jaguaribe EEm todo o easo V.
Exc. 6 o primeiro.
0 Sr. Saraiva presidente do conselbo):
- NMo, senhor; apenas dei fbrma ao pen-
samento de uma grande maioria.
0 Sr. Jaguaribe:-Quod erat pro-
bandum. Em todo o caso parece-me que
o nobre president do conselbo procede de
um modo a justificar o que se tern dito
constantemente, e 6 que S. Exc. acastella-
se no silencio.
0 Sr. Saraiva presidente do conselho):
- Oral tenho fallando tanto I
0 Sr. Jaguaribe : Tern fallado, mas
nao tanto quanto seria para desejar; falla
de vez em quando, para dar apenas um
ar de sua graga...
0 Sr. Saraiva presidente do conselho):
- E' que nio tenho a facilidadedede fallar
que V. Exc. tern.
0 Sr. Jaguaribe: Ao contrario, eu
invejo a de V. Exc. e, si a tivesse, talvez
o project soflresse golpes mortaes; por-
que corn a eloquencia de V. Exc,, corn
suas boas maneiras e dons especiaes, na-
turalmente a argumentacao dos impugna-
dores do project turia melhor sorte;
isto 6, acredito que a boa razio esta da
parte dos impugnadores, mas infelizmente
elles nao dispoem dos meios oratorios de
que V. Exc. dispoe.
0 Sr. Saraiva presidente do conselhoh:
- As votacoes 6 que mostram quem tern
razao.
0 Sr. Jaguaribe : Mas. como ia di-
zendo, S. Exc. neste negocio me parece
seguir a tactica daquelle general romano
que cansava o inimigo pelas repetidas


marchas.
0 Sr. Saraiva presidente do conselho):
- -Creio que V. Exc, e que tern feito o pa-
pel dresses general romano. (Riso).
0 Sr. Jaguaribe : -- V. Exc. nao faz
grandes marchas, 6 certo, mas acastella-se
em seu posto, tern em torno de si urn exer-
cite que mantem silencioso, e entlo diz:
(c Os adversaries que se fatigue; depois
da fadiga a victoria sera minha... S6 em
uma ou outra occasion 6 permittido fallar
polo meu lado: contentem-se corn mfinhas


avanoava sobre elle espumando de raiva,
quanto a ti, Marcos Ribot, per alcunha o
Alcide, se nuo queres levar uma bala na
testa, fica quiet, e pergunta a Remy Cho-
min se elle se charna Chavassu.
Ouvindo pronunciar os seus nomes per
este interlocutor desconhecido, os bandi-
dos estacaram estupefactos.
0 supposto mulato continuous :
Nada de espertezas commigo I Co-
nhego-os a todos, a ti Langlade, a ti, Mer-
cier, a ti, Poillet e a voces tambem, Vidal
e Chalumeau, e basta quo eu abra a boc-
ca para ir tudoe parar a Masas.
Filados I murmurou melancolica-
mente o grumete. Corn certeza a policia
esta a todas as portas...
No ha nada nas portas, pequeno
idiota... replicou Joao Renaud, sao tedos
uns imprudentes,'porque eu sou urn ami-
go. Assim, pois, soceguem e deixem-me
fallar corn Chavassu.
Remy Chomin bateu corn o braoo no
grumete.
Quern podera ser este typa, pergun-
tou-lhe em voz baixa o fadrno imberbe.
Os diabos me levem se eu posso sa-
ber, mas ji vamos ver.
Os bebedores, aturdidos corn a scena
que aabava do passar-se sob seus ollios,
e muito pouco tanquilios, 4ao volUam
para os seas lagres ; depois de tewjra-
pidamente esvasiado as garrafas, esgueira-
ram-se prudeatemente um depois do on.
tro, deixando f eql C"Cmin e o garoto
corn Joao Renaud.
AfitkaI, o o. quer o senhor commi-
go ? pergmw4ft:rusawmmt9 Reaq Cha
mmin, o 0 f*b quom eu sou, muito
bem, po fte. 6 que o no econheco...
E antes de quem 6 o enbor ?
-- Unbem vO A puo o o n-
dido dae -,,


as ozes se tqmr o
so b di ap4oiar o pritcipe
ge e sao aa dos diMo
D .por. Paulo '0 ppla Pa-
a; maoprImeiro, quando se tern
feito ouvir-, na maioria dos cases nao 6
para detder o pronto e aim paralipu-
gliao! M toda r brgia s proce.e-oia;
e o outro nobre senador para apresentar
tambem corn mUita ,procedencia, as duvi-
das que existem em seon espirito e que,
uma vez apresentadas, sao verdadeiras im-
pugnao0es ao project.
Portanto corn toda a razio se p6de affir-
mar quoe effectivamente o nobre president
do .conselho acastella-se em sea reducto e
6 um novo Fabricio; quer cansar o inimi-
go e obter a victoria pelo cansaoo.
0 Sr. Mendes de Almeida: Ficando
sempre corn tropas frescas...
0 Sr. Jaguarib.: E' o case; opp~e
a estes poucos que impugnam o project
suas trincheiras cercadas de abatizes, bo-
cas de lobe, escarpas e contra escarpas,
cavallos de frisa, etc., (rise) ao passe que
os outros defendendo a mais nobre das
causes, s6 o podem fazer em campo raso
e a peito aberto !
0 Sr. Leao Velloso: Para que fallar,
quando os nobres senadores sao inimigos
radicaes ? Como convencer a takes adver-
saries?
0 Sr. Fernandes da Cunha:--Isto e
commigo, sou euI Mas Vs. Excs. fallam
para mim ou para o Brasil ? I
0 Sr. Leao Velloso: Para convencer
aos nobres senadores.
0 Sri Fernandes da Cunha : Oh 1 que
razoes t
(Cruzam-se outros apartes).
0 Sr. Jaguaribe: Eis aqui, senhores I
Novum crtmen, Caii Caesar, usque hunc
diem inauditum I Caium Ligarium in
Africa fuisse Eis aqui nosso grande cri-
me, defendemos a Constituiao 1 Disto
faz-se-nos um crime, quando defender a
Constituiodo 6 dover de todos os cidadlos;
e quando entramos nesta casa, naquella
mesa, 'corn toda a pausa, corn toda a
gravidade imposta pelo nobre 1.0 secre-
tario, juramos manter a Constituiggo do
Imperio.
(Trocam-se diversos apartes).
Portanto, fique assentado come ultima
resposta ao nobre president do conseiho
no ponto em que fallen, que as vantagens
do project ainda nio foram demonstra-
das; e que S. Exc., dizendo todos os dias
que ellas sao conhecidas, que aproveitam
a opposiClo, nao faz mais do que, permit-
ta-me S. Exc. a phrase, incorrer naquelle
proverbiozinho c Quem ha de louvar a
noiva sense o proprio noivo? (Riseo).
E' o que vejo,
Sr. president, tenho algumas duvidas
sobre este artigo, mas confesso que as vou
expor corn timidez, desde que oradores
11o distinctos me tem precedido e nellas
nao tocaram, o que me faz crer que ellas
na verdade nuo terso talvez fundamento
algum. Mas, em todo o case, expenden-
do-as, j ulgo prestar algum service a dis-
cussio e ao melhoramento da lei, princi-
palmente si tiver a fortune de que as
mcmas duvida. sejam tomadas em consi-
deragio e prevenidas no project.
Notei, Sr. president, que o ultimo ar-
tigo era longer de fatigar...
0 Sr. Mendes de Almeida :-Apoiado.
0 Sr. Saraiva presidente do conselho):
-Este 6 menor.
0 Sr. Jaguaribef:-... e subdividido em
tantos paragraphos que deu lugar a que o
meu nobre amigo senador polo Marauheo,
corn o espirito que Ihe 6 proprio, o deno-
minasse uria floresta de paragraphs. Ef-
fectivamente era uma floresta I
0 artigo de que se trata no 6 urna selva
to vasta come a outra, mas em todo o
case, attenda-se bern para este in folio I
Urea columna inteira, e, polo menos, mats
um ouarto de column Per conseaueu-


cia ha material para uns poucos de arti-
gos.
0 Sr. Fernandes da Cunha :-Uma mis-
cellanea.
0 Sr. Mendes de Almeida :-As diversas
disposiQoes nio tmm relagio umas corn as
outras.
0 Sr. Jaguaribe :-V%-se pois, de quanto
tempo seria precise dispor para examiner
semelhante floresta. Nao o fare: occu-
par-me-hei apenas corn uma pequena part
do artigo, expondo as minhas duvidas.
Para expendel-as, Sr. president, pro-


Pouco Ihe import; nao precisa sa-
ber mais do que sabe.
Eh I Eh I disse o velho bandido corn
ar de motejo, talvez que eu saiba mais
alguma cousa, e que podesse descobrir o
que o senior fez, nao -ha ainda muito
tempo.
Joao Renaud olhou fixamente para Re-
my Chomin.
0 que quer dizer corn isso ? pergun-
tou elle.
Nada... replicou vivarnente o gru-
mete... nada absolutapmente. Bern vm6 que
o velhote est a brincar e que quer fazer
espirito. E uma vez que o senior negro
de fume precisa trocar dous dedos de
converse comtigo, continuous dirigindo-so
a Remy Chemin, 6 precise escutal-o corn
recolhimento e compuncCAo. Este senhor
estA bemrn trajado... tern uus ouros a relu-
zir... corn certeza ha algurna cousa a ga-
nhar corn a sua conversagSe. Queira ter o
incommode de sentar-se...
E o garoto puchou tros cadeiras.
E' s6mente corn Remoy que eu tenho
a tratar, disoe Joao Renaud.
0 pequeno nao 6 de mais, replicou o
velho bandido, elle e ea, 6 tudo a mesma
cousa. E' meu discipulo e meu amigo...
tenbo por elle o amor de urn pai. NU
t2 s gredos urn para o outro... Venha
de tope.
Seja, disse o evadido da Dourada,
sentando-se.
Quer seryir-se de alguma cousa ? per-
guntou Remy Chomin.
-Obrlgadfe.
-Era para ter o prazer de bobermos
juntose prft quo o tempo parecme mais
curto. "
-Tenhb pouco a dizer-the.
-- Sojltodo "ous.OB
_u
WdU


kuNpaz da l ua(4istrictevide
at a junk. Si i'dA estus no
co hcem, re eorrerr-se-t "os juizes
da'paz da parochia on district mais- vizi-
nho.
YV-se pois, Sr. president, que nas pala-
vras que acabei de ler, estabelecem-se 3
ordens-de mesarios que t6m de ser presi-
4idos polo juiz de direito..
A minha duvida esta nisto: que o esta-
belecerem-se trees ordens de components
da mesa 6 umn grave inconvenient e p6de
dar Iugar a muitos abuses faceis de prefer
per quem conhece o que 6 e tern side este
enredo eleitoral, abuses que podem ani-
mar muito as duplicatas, flagello eleitoral
que o legislator dove ter muito a peito
evitar.6"
Corn o system das duplicatas, senhores,
temos caminhado por tal fbrma, que ainda
depois de verificada a eleigao fica-so em
duvida si foi a verdade que prevaleceu,
porquanto infelizinmente no espirito public
-ja calou a convic0io de que as maiorias
nuo esmerilham muito onde estia a ver-
dade.
O Sr. Mendes de Almeida :-E' exacto.
o Sr. Jaguaribe :-Portanto o system
de duplicatas 6 cousa deploravel,o e o le-
gislador, procurando os recursos ao seu
alcance para evital-as, tern prestado gran-
de servigoe.
0 project estabelece ordens ou catego-
rias de components da mesa: 1. serno
os presidents dos collegios, polo menos
quatro.
Os collegios divididos podem ser muitos,
e o project diz que a mesa se formara
pelo menos corn quatro presidents. No
julgo boa a expressao -pelo menos.-
Acharia meihor que dissesse : As mesas
serao formadas pelos presidents de col-
legios-porque ficaria bern claro ; todos
entenderiam que tinha o direito de tomar
parlte, corn a restricgo de que nao pod'ra
a mesa funccionar sem que existam pelo
menos quatro presidents.
Era um modo mais generic do que
esle, que p6de dar a entender que desde
que haja quatro, os outros podem nuo to-
mar parole, quando alias parece que o pen-
samento da commission foi que todos os
presidents de collegios eleitoraes devem
fazer parte da mesa.
Esta 6 a primeira categories; mas diz
mais o project que, faltando estes, virdo
os juizes de paz e na falta os j uizes de paz
mais vizinhos.
Acho inteiramente censuravel esta f6rma,
Sr. president. Parece-me mesmo que, a
despeito das boas inteng6es da honrada
commission, semelhante modo de exprimir-
se p6de dar lugar a duplicatas.
0 president da provincia que nao po-
der contar corn os presidents de collegio,
se aproveitara desta disposiQo e ira for-
mar a mesa a seu sabor.
Acho, pois que conv6m arredar de todo
essa idea de categories e antes a honrada
commissao, mantendo esle mesmo pensa-
mento, altere a sua phraseologia, fazendo
apenas entender que quando neo compa-
recerem presideotes de collegio em nu-
mero de quatro, sejam substituidos polos
j uizes de paz.
o que desejo, senhores, 6 que se evite
tudo que possa dar lugar As duplicatas.
Nao sei se me exprimo bern....
O Sr. Mendes de Almeida :--Perfeita-
mente.
0 Sr. Jaguaribe :-... mas em bode o
case parece-me que tenho dito bastante
para ver-se que pode resultar inconvenien-
te neste modo de dispor.
0 que se deve dispor 6 que a mesa se
comporea de presidentes de assembleas elei-
toraes, marcando-se o minimo, no po-
dendo nunca funccionar corn menos de
tantos e estabelecer-se depois que, haven-
do falta de algum destes, sejam elles subs-
tituidos pelos primeiros juizes de paz e na
falta polos immediatos. Deste mode ar-


redava-se a idea de categories e tambem
a da possibilidade de uma duplicate.
Eu me record de que o art. 191 da lei
de 3 de dezembro, tratando de substitui-
goe, diz que os juizes municipaes serao
substituidos per seis juizes substitutes,
nomeados pelo president, e que quando a
lista destes seis for esgotada, so recorra
aos vereadores pela ordem da collocaoVo
de cada urn. afim de substituirem os jui-
zes impedidos.
Este mode de dispor nuo exclue a idea
de categoria, parece ter predominado no
project, e 6 per isso que avento a idea


naud, o senhor vivia na intimidade de uma
parteira, cujo estabelecimento era situado
em Vincennes.
Remy Chomin, que nao cessava de es-
tudar a physionomia do supposto mulato,
fez um gesto de sorpresa.
Come sabe isso ? exclamou elle.
Sei, 6 quanto basta. 0 que acabo
de dizer nao 6 verdade ?
-E'.
Essa parteira chamava-se Clara Ben-
champ...
Exactamente, e p6de accrescentar
que era uma linda creature.
Nessa 6poca Clara Bonchamp foi con-
demnada, por cumplicidade de infantici-
dio, a dez anflos de prisao.,.
-Coitada I...
Depois de ter cumprido a sentenoa,
obteve pertnissio para voltar para Paris.
Ao mesmo tempo voce sahia de Poisy, on-
de tinha estado cinco annos, per causa de
urn roubo...
Depois ? disse Remny bruscamente.
Corn todos os diabos I exclamou 0
garoto ; p6de gabar-se de saber baslante.
Per acaso traz comsigo os registros da
Prefeitura?
Semo se inquietar corn a interrupolo,
Joao Renaud continuous :
- Sahindo da prisio, voce tornou a ver
Clara Bonchamp.
-E' possivel.
S-Tenho necmidade de saber o que e
feito della.
----Para que o? perguntou Remy Chemin,
emo to46 dgraceio. -'
Poue k6precise que a veja...
Ella toen Intresse nimoo?


Ameos Col-! ... ..g.
posl-io ao so ft
neira pot quo 0 8i 4bp
essas categories deo
cilita perfoitamente.W C ".
Agora, Sr.,preu IW 1a
uma outra duvida a qdfteibif
go da lugar. Na_ sua ultim ri0c a
manda recorrer ao juiz de paz,do diqtc-
to mais vizinho.
Temes visto praticamente aneoMm-
teria eleitoral ha constant abuTO 1i-
dos A duvida que nasce de nao deoatw
a lei o que seja propriamente district**
vizinho.
Nas leis anteriores da-se estalacuQ,
dabi aconteceu que muitas vezes, ha
dous e tres districts vizinhos de uniFi .
rochia do mesmo term, foi-se buscar b -i '
juiz de um district muitoyemoto, esSs^ *
eleigoes eram approvadas.
Parece indispensavel, pora cortar todos
os abuses de que tomemos conhecimento, que
nesta lei se declare o que 6 district mais
vizinho ; que pelo menos se diga que sO
se pode entender por district mais vizi-
nho um do mesmo term, porque isso jA
esta declarado senao em lei, pelo menos
em avises.
Eu tenho aqui nota de um aviso que
foi expedido, sob o n. 282, em 12 de de-
zembro de 1840, dirigido ao president da
Bahia e assignado pelo Sr. Antonio Pauli-
ne Limpo de Abreu, que hoje 6 o venera-
vel Sr. Visconde de Abaete, avise pelo equal
foi decidido que todas as vezes que estive-
rem impedidos todos os quatro juizes de
paz do district e se Ltiver de recorrer'ao
mais vizinho, nos cases em que a lei assimr
determine, se devera considerar a vizi-
nhanca corn relacao s6mente de um a on-
tros districts, comprebendidos dentro do
mesmo term ou julgado, pois de outra
sore se confundiria a division, que sejul-
gou convenience estabelecer para a boa
adminislraCeo da justipa.
Foi uma decisdo proferida polo Sr. Vis-
conie de Abaet6, que de mode algum po-
de ser suspeito ao nobre president do con-
selho, e que me parece estar muito no
caso de ser adoptada para ser consignada
nesta lei, islo 6, que per district mais vi-
zinho se devera entender polo menos um
do mesmo term, e nao se lembrarem jA-
mais de juizes de outro term que nao
estio debaixo da mesma circumspecogo.
Creioe que nao se detLerminando no pro-
jecto o que 6 dislricto vizinho, abre-se
uma porta a abuses, podendo-se ate cha-
mar juizes de termos muito distantes,
como se tern visto em eleicoes que alias
t6mn sido approvadas.
Comprehende-se que isto da lugar a
muitos abuses, que uma vez conhecidos
farao corn que a lei nova seja logo sophij-
mada; devemos, portanto, cortal-os pela
raiz.
Assim, esta decisao do illustrado Sr.
Visconde de AbaeL6 parece-me que corta
a question, e 6 um principio que ja esta
adoptado pela nossa jurisprudencia "admi-
nistrativa e por ura autoridade neo sus-
peita aos autores do project.
Julgo, pois, que esta muito no caso de
ser adoptada.
Sinto nao ver nenhum dos membros da
nobre commission de constituigio, a quem
desde ja consultaria si a idea 6 ou nao
aceitavel, ja que os nobres ministros e
seus amigos nao dio signal de vida para
declararem si 6 ou nuo aceilavel.
o Sr. Fernandes da Cunha :-Louvam-
se na commission que deve fazer o traba-
lho para o governo reformador.
o Sr. Jaguaribe :-Sao estas, Sr. presi-
dente, as consideracoes que tinha de offe-
recer a casa. Eu crebo que os nobres mi-
nistros t1m side injustos commigo quan-
do dao a entender que tome tempo aose-
nado.
Limitando-me a estas tao braves consi-


derag6es, ao menos hoje nao poderno di-
zer que retardo a discussion.
Tenh o concluido.
0 Sr. Mendes de Almeida :-Muito bem.
0 Sr. Fernandesyda Cunha na>
p6de nem deve deixar encerrar o artiqo,
comquanto nao possa hoje discutir. Si o
querem levar a viva forga, A valentona
perdem o seu tempo. A sua humilde na-
tureza nuo aceita imposicoes. EsA nom
seu direito e cumpre o seu ever.

(Continia)


E, se eu disser, quanto me dA por
isso ? 0 senhor sabe, os tempos andam
muito bicudos. Quando se quer ganhar
honradamente esta triste vida, 6 precise
fazer dinheiro de tudo.
Dou-lhe mil francs.
No 6 mio I exclamou o garoto.
Onde estio os mil frances ?
Eil-os... responded Jobo Renand, ti-
rando do boise uma nota do banco.
E recebo-os em troca da informaCo.
Naturalmente.
Pois bemrn, Clara esta no Hotel Dieu.
Doente ?
Muito doente, pebre mualher; hei de
ir vel-a amanhg, que 6 qainta feira ; sabe
que 6 o dia de visits, e tenho bastnate re-
ceio de a encontrar ainda peior quo a ul-
tima vez...
Tome, aqui esta o sua dinheiro...
Remy Chomin metteu a nota no bolso
corn visivel satisfaCao, e murmuroti a4,
S- Vamos la, o senhor 6 um bo jf re.
to I faz gosto tratar negocios comap.
Quer ganhar em acto continue o 0du-
plo dessa quantia ? continuou Jobo Re-
naud.
Os olhos de Remy Chomin scintillarant
de cubioa. -
-E' li cousa quo so pergulte o 1|
con edie. 0 que e precise fo a rl aB?
Responder francamente is pwguna.
que lhe you fazor.
Eu($jatrafqil1,; d
Clara Bonchamp wam
c6 era seon amigo... int'ip
p61-o ao facto de tudo .p0
so tinha pawua-ino $e
cujos livrose || ^


* ;..


A


I













.-
V








h-.


') .i *
*


"1-


'- -


-j



--.-. .~.
'.1


5-


7




I


I-


r~i


3al


; >' ,. ,.
:


Le-, Vt
-^-* .' \. .- "-._.^;.;- ", ^':.: "'*' ^ l~




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8 standalone no
fcla fda yes
!-- Diario de Pernambuco ( Newspaper ) --
METS:mets OBJID AA00011611_15055
xmlns:METS http:www.loc.govMETS
xmlns:xlink http:www.w3.org1999xlink
xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance
xmlns:daitss http:www.fcla.edudlsmddaitss
xmlns:mods http:www.loc.govmodsv3
xmlns:sobekcm http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcm
xmlns:lom http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcm_lom
xsi:schemaLocation
http:www.loc.govstandardsmetsmets.xsd
http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitss.xsd
http:www.loc.govmodsv3mods-3-4.xsd
http:digital.uflib.ufl.edumetadatasobekcmsobekcm.xsd
METS:metsHdr CREATEDATE 2014-04-17T17:08:48Z ID LASTMODDATE 2012-07-07T11:07:24Z RECORDSTATUS COMPLETE
METS:agent ROLE CREATOR TYPE ORGANIZATION
METS:name UF,University of Florida
OTHERTYPE SOFTWARE OTHER
Go UFDC FDA Preparation Tool
INDIVIDUAL
UFAD\renner
METS:note Created individual volume records and augmented METS file (Mark 3/18/2013)
METS:dmdSec DMD1
METS:mdWrap MDTYPE MODS MIMETYPE textxml LABEL Metadata
METS:xmlData
mods:mods
mods:abstract displayLabel Abstract The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
mods:accessCondition Applicable rights reserved.
mods:genre authority marcgt newspaper
sobekcm newspaper
mods:identifier type ALEPH 002044160
NOTIS AKN2060
OCLC 45907853
mods:language
mods:languageTerm text Portuguese
code iso639-2b por
mods:location
mods:physicalLocation UF Latin American Collections
UFLAC
mods:note funding Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
dates or sequential designation Began with Number 1, November 7, 1825.
numbering peculiarities Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
mods:originInfo
mods:place
mods:placeTerm marccountry Brazil
mods:dateIssued Friday, February 18, 1881
marc point start 1825
mods:recordInfo
mods:recordIdentifier source AA00011611_15055
mods:recordCreationDate 951023
mods:recordOrigin Imported from (ALEPH)002044160
mods:recordContentSource University of Florida
mods:languageOfCataloging
English
eng
mods:subject
mods:hierarchicalGeographic
mods:country Brazil
mods:state Pernambuco
mods:city Recife
Brazil
Pernambuco
Recife
mods:titleInfo
mods:title Diario de Pernambuco
mods:typeOfResource text
DMD2
OTHERMDTYPE SOBEKCM SobekCM Custom
sobekcm:procParam
sobekcm:MainThumbnail 00011thm.jpg
sobekcm:bibDesc
sobekcm:BibID AA00011611
sobekcm:VID 15055
sobekcm:EncodingLevel u
sobekcm:Source
sobekcm:statement UF University of Florida
sobekcm:SortDate 666202
METS:amdSec
METS:digiprovMD DIGIPROV1
DAITSS Archiving Information
daitss:daitss
daitss:AGREEMENT_INFO ACCOUNT PROJECT UFDC
METS:techMD TECH1
File Technical Details
sobekcm:FileInfo
sobekcm:File fileid JPEG1 width 1000 height 1397
JP21 7450 10410
JPEG2 1380
JP22 7622 10521
JPEG3 1396
JP23 7582 10583
JPEG4 1406
JP24 7418 10426
JPEG5 1387
JP25 7482 10378
JPEG6 1393
JP26 7598
JPEG7 1401
JP27 7498 10506
JPEG8 1416
JP28 7386 10458
METS:fileSec
METS:fileGrp USE archive
METS:file GROUPID G1 TIF1 imagetiff SIZE 77638302
METS:FLocat LOCTYPE OTHERLOCTYPE SYSTEM xlink:href 00311.tif
TIF1.2
TIF1.3
G2 TIF2 80275750
00312.tif
TIF2.2
TIF2.3
G3 TIF3 80325490
00313.tif
TIF3.2
TIF3.3
G4 TIF4 77423998
00314.tif
TIF4.2
TIF4.3
G5 TIF5 77731742
00315.tif
TIF5.2
TIF5.3
G6 TIF6 80494818
00316.tif
TIF6.2
TIF6.3
G7 TIF7 78858558
00317.tif
TIF7.2
TIF7.3
G8 TIF8 77326974
00318.tif
TIF8.2
TIF8.3
reference
imagejpeg 770182
00311.jpg
755819
00312.jpg
740286
00313.jpg
761864
00314.jpg
642512
00315.jpg
676811
00316.jpg
694047
00317.jpg
814236
00318.jpg
imagejp2 9694393
00311.jp2
10023988
00312.jp2
10030137
00313.jp2
9667583
00314.jp2
9706133
00315.jp2
10051310
00316.jp2
9846853
00317.jp2
9655453
00318.jp2
THUMB1 imagejpeg-thumbnails 15475
00311thm.jpg
THUMB2 14095
00312thm.jpg
THUMB3 15133
00313thm.jpg
THUMB4 15280
00314thm.jpg
THUMB5 15787
00315thm.jpg
THUMB6 16045
00316thm.jpg
THUMB7 16836
00317thm.jpg
THUMB8 16193
00318thm.jpg
TXT1 textplain
00311.txt
TXT2
00312.txt
TXT3
00313.txt
TXT4
00314.txt
TXT5
00315.txt
TXT6
00316.txt
TXT7
00317.txt
TXT8
00318.txt
PRO1 textx-pro
00311.pro
PRO2
00312.pro
PRO3
00313.pro
PRO4
00314.pro
PRO5
00315.pro
PRO6
00316.pro
PRO7
00317.pro
PRO8
00318.pro
METS1 unknownx-mets
AA00011611_15055.mets
METS:structMap STRUCT1 physical
METS:div DMDID ADMID ORDER 0 main
PAGE1 Page 1
METS:fptr FILEID
PAGE2 2
PAGE3 3
PAGE4 4
PAGE5 5
PAGE6 6
PAGE7 7
PAGE8 8
STRUCT2 other
ODIV1 Main
FILES1


xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7SDXHJU1_MDMRCN INGEST_TIME 2014-05-20T22:58:15Z PACKAGE AA00011611_15055
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES