Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14967


This item is only available as the following downloads:


Full Text

































Aviso

A' quem interessar

possa, avisamos que

os numerous avulsos

do Diario de Per-

nambuco de qual-

quer dia, vende-se a

100 rdis cada urn, tan,

to no nosso escripto-

rio, como nos pontos

ja conhecidos.



TELEGRAMIAS





(Especial para o Diario)

PARIS, 12 de janeiro.

lime. Clovis Hughes, levada aor
tribunaes como autora do asmassi-
niato do individuo de nome Mloria,
acaba de ser absolvida.

LONDRES, 12 de janeiro, Ai tarde.

AI questiio centre o .lapao e a China,
acerca da Corta, 6 objecto de uma
mediacaio coilectivadaa Inglaterra,
Aemantia e Estaido?-Unihdo0.

Agencia Ilavas, Lhid em Pernaiubuco,
i5 de janeiro do 1885.



IRSTRUCCIO POPULAR

PHOTOGRAPHIC
(Extrahida)
2

PATE 1I
OperacGes e processor plhotogra-
phicos
CAPITULO III
PROVA POSITIVE
A trausformaao do cliche para o que hoje se
chama a photographic (em lhnguagmin vuligar),-
isto 6. a sua transformalao para a prova positive,
-sera o que n'este capitulo explicaremos.
A prove positive e aquella em que as sombras e
o3 claros estio representados exactamente como
no object.
Para isto 6 necessario, em primeiro lugar, ar-
ranjar o papel photographic para o sensibilisar.
0 papel photographic pode obter-se ja prompto
no commercio ou entro preparal-o na propria ofti-
cina do scguinte moo :
Esecllie-se umi papel forroado por urea pasta
compact de grauulaqtes homogerines, supperfieie
aisa e assotina'ii, e quo tenha sido previamente
albuminalo on. g.litinalo, mette-se em urea tina
contend um-a suluc,) de sal .narinho (chloreto de
sodio) na proporcaio d 3:) graminias por cada litro
de ague, c ahi so conserve ducautn lguns minutes,
expondo o depois ao ar para seecar.
Para sensibiliscr o papcl, basta mettcl-o em urn
banho de prata (200 grarnuas do nitrato do prata
para 1 litro d'agna destill:ida) c.ntido em urna tins
de porcelana,-e, depois de star mnito bern em-
bebido, pdl-o a seccar na obsiuridole.
Deve haver o cuidado de nao demorar mnito o
emprego do papol sousibilisado, porque alguns
dias depois coineca a torar -so amarello.
0 pap:;l alouminmdo quo so obtain no commercio
ja traz o chloreto dI, so lio ou doe anmonio,-e por
iseo s.' e n ccs.aa,'ii) ir';t:--o i b;1luo de prata


Preptralo a-i o pa:;c!, cort, i se em pIrtes
peace m .tii r,:: *[, ,[*** ,, ci/,;c//;, e. '-.*ln .+:'..is. dentro
pouCOo 1.111'I-.
de u:n uaixili ,-,;;, c(uju fuuJo Unlina cbapa
de vidro, e c'j i timpai trn ieuma disposielo apro-
priada ptrua p.) lr ;ibrir-se em duas metados e exer-
cer prossao s .brc o )q:jt1 s iitt'r 1o caixilho.
Em prirnmeiro tlugar, colloca-se junto ao funkl de
vidro o clicJ oui ova negative, como o collodion
para o lado da tamp:1, e sobre e-te assenta-se o
papel sensibilisadio, enchendo depois o caixilho corn
papeIs pIassentos c pouco duros, pare fazerenm de
almoiada entro a tampa a o vidro, evitando que
este se parta ; fecha.-se a tamIpa e aperta-n- as
travessas quo esta tern.
Volta-se de fundo pare cima o caixilho e expoe-
soa ao sol diuraute o tempo necessario,--devendo
haver cuidado emi pr o caixilho cna tal inelina-
Veo, que os raios do sol incidamrn quasi perpendi-
uelarmente, par. evitar deformau5es provenientes
dia desigual grossura que possa ter o cHicU.
^,; C'ontbv'e).



SPARTE OfFICIAL

ovo veiao da Provincia
SEXPSED4rE DO DIx 27 DE DEZEMBRO DE 1884
i' Actos:
... 0 president d;I prvincia, attendendo ao
q* requereu o capitol refo'-mado do exercito Es-
vao j ose Paes Barrcto, e tendo em vista a infor-
ae 'a Thesouraria de Fazenda, de 29 de n,-
tbr ultimno, n. n1, resolve de conormnidade
em adisposte no iee.o n. 2,881, du o10 de feverei-
So de 1862, abrir urn credito da importancia de
a21A174, i verbal Reformados, do Mi,iaterio4a
^Guerra xeriekio de 1983-1984, atim dP oceorer
sopagmento a different de soldo a queotem di-
ta, eieio.ario.- lmetteu-se cpia it The
Of ia :d x prosIr tteadendo ao
AimVea A do 6` 0~ahodoif


gamento do sold, gratifieaco e etapa A qua tern I
direito o peticionario.--Rometteu-se cipia A The-
souraria de Fazenda.
0 president d.& provincia, attendendo ao
que requererama as pracas reformadas do exercito
Luiz Jose Ftrre-ir i, Jose Vieira dos Santos, Aveli-
no Jose de Lima e Antonio Joaquim da Silveira,
e, tendo cmn vista as informa5es dar Thesouraria
de Fazenda, de 16 e 20 do corrente, ns. 838,841 e
850, resolve, deo conformidade cornm o disposto no
Dec. n. 2,884, do lo de fevereiro de 1862, abrir
sob sua responsabilidade umn credit da importan-
cia de 81;550 A verbal Classes inactivas, do Mi-
nisterio da Guerra, exercicio de 1883-1841, afim
de oceorrer ao pagamento do soldo vencido pelos
peticionarios.no referido exericiio.--Remetteu-se
copia A Thesouraria to Fazenda.
0 president da provincia, attendendo ao
que requereu o baeharel Geroncio Dias de Armada
Falcao, jumz de direito da comarca de Goyanua, e
tendo cm vista a informacao da Thesouraria de
Fazenda, de 24 do corrente, n. 863, resolve, de ac-
cordo corn o disposto no Dee. 2,884, do 10 de feve-
reiro de 1862, abrir sob sua responsabilidade urn
credit na importancia de 1:297,419 a vorba-
Jasti as de la instancia, do Ministerio da Justila,
exercicio de 1883 -1884. afim de occorrer ao pa-
gamento dos vencimentos que o petieionario dei-
xou de receber quando juiz de direito da comarca
do Rio Negro, na provincia do Amazonas.-Re-
nmetteu-se copia a Thesouraria de Fazenda.
0 president da provineia, attendendo ao
que requereram os professors Torquato Laurenti-
no Ferreira de Mello e Emilia Alexandrine de Al-
buquerque Pereira, esta da 2a cadeira do sexo was-
culino da freguezia de Afogados, e aquelle da 5'
da de S. Josed do Recite, e tendo em vista a infor-
macao n. 397, de 23 do corrente mez, do inspector
geral da Instruccio Publica, resolve, de aceordo
corn o art. 181 do regulamento de 7 de abril de
1879, permittir que os peticionarios permutem as
cadeiras em que leccionam. Communicou-se ao
Dr. inspector geral interino da Instruccao Pu-
blica.
Officios :
A' Thlesouraria de Fazenda.- Communico a
V. S., quo em 4 do corrente, o juiz municipal do
term de Tacaratd, bacharcl Marcolino Dornellas
Camara Junior, entrou no goso da hLccenca de trees
mezes, corn ordenado que ti er direito, concedida
em 22 dc outubro ultimo, pelo Governo Imperial,
passando o exercicia do cargo de juiz municipal
do termo ao 1" supplente do mesmo juiz, cidadao
Juvenal Gomes de Souza Rocha.
EXPEDIENTE DO SECRETABLO
Officios :
A' commission enearregada do exame das
contas da estrada de ferro do Recife ao Limoeiro.
-De ordem do Exm. Sr. president da proviacia,
eommunico a Vv. Ss., que tiveram hoje o conve-
niente destiny aos documents que acompanharam
o seu officio de 24 do corrente.
A' Companhiea Pernambucana. De ordem
Jo Exm. Sr. president da provincia, accuse o re-
cebimento d:j officio de 24 do corrente, no qual
V. S. communica que os vapores Giquid e Pirapa-
iMa, seguirao, o primeiro para Tamandare c Rio
Formoso, as 7 horas da tarde do dia 18, e o se-
gundo par o03 portos do norte atW Ceara, no dia 5
de janeiro, is 5 horas dia tardo.
EXPEDIENTE DO DIA 29 DE DEZEMBBO DE 1884
Actos :
0 president da proviucia, attendendo ao que
requereu o bacharel Gaspar de Drummond, e ten-
do em vista a informinaao da Thesouraria de Fa-
senda de 26 do current;, n. 864, resolve de confor-
mnidade corn o disposto w'- decreto n. 2,884 do 1."
de fevereiro de 1862. abrir sob suna responsabihlida-
de urn credit da importancia de 6003000, : mver-
ba ajudas de custa do ministerio do impero, exer-
cicio de 1884-1885, afim de occorrer ao paga-
mnento da ajuda de custo a que tern direito o pe-
tieionario, na qualidade de deputado A Assemblea
Geral Legislativa ultimamente eleito pelo 8. dis-
tricto desta provincia.-Remetteu-se copia a The-
souraria de Fazenda.
0 president da provincia, resolve nomear o
major Jose Barbosa Pcreira de Andrade e Nor-
berto Percira de Lyra Andrade para os cargos
vagos de 2. e 3. supplentes do juiz municipal do
termno de Timbadba, passando o actual 2.' sup-
plente, Simao Velho Pereira Borba pare o lugar
do 1. na forma da lei.
Aos nomeados fica designado o praso do dous
mezes para prestareis o juramento do estylo. -
Communicou-se ao Dr, juiz de direito de Tim-
bauba.
0 president da provincia resolve, nos ter-
nuos do art. 4. do regulamento de 7 de abril de
1879, nomoar aos bachareis Ayres de Albuquer-
que Gama, Ezequiel Franco de Sa, Jobo Baptista
Regueira Costa, Joss Dinir Barreto, Dr. Manoel
Enedino do Rogo Valenca, Antonio Justino de
Souza, monsenihor Joaquim Arcoverde do Albu-
querque Cavaleante e professor Francisco da Sil-
ma Miranda pare exercerem o carges de anombros
do c')nseiho littorario duranto a trinnio de 1885 a
1887.-Fizeram-se as devidas communicacoes.
Officios :
Ao inspector do Arsenal de Marinha.- Pare
sonu cerlhccimnento e devidos fins transmitto a V.
rxc. o uviso junto por copia, do Ministerio da
Mariulni du 17 do corrente sob n. 2,009 pelo qual
foi approvade a liecena de 3 mezes concedida por
esta prcsidoncia ao almoxarifo d'csse Arsenal Fran-


cisco de Paula Rodrigues de Ahlneida para tracta-
mento de sua saudc.
Ao general commandant des armnas. De-
venIdo, de canfirmidade comin o art. 10 di lei n.
3,22D de 3 de setembro e aviso do Ministerio da
Fazenda do 31 do outubro ultimo, ser mencionado
na proposta de orainento quo tern de ser present
ao powder oegislativo na proxima future sccqao a
vcrba r.latir.a ; despeza a fazer-se corn o porte
da correspondence official des difforentes reparti-
cs e autoridades subordinadas ao Miristerio da
Guerra, determine o aviso circular do mesmo Mi-
nihteria do 15 do corrente que corn a possivel bra-
vidade, seja remettida a respecliva secretariat de
estado uma relacio da somma do que necessita
para o alludidlo fimcada umin das ditas repartico,.
ou auttoridades.
0 quo fao.constar a V. Exc. par a sea conheci -
meinnt c extucado a part que Ihe diz respeite.-
Igual ao Arsenal de Guerra e Obcas Milittires.
Ao mesmo.-Declaro a V. Exc. para seu eo-
nheciwento c fi1s convenicutes que nos terms do
aviso d;. Ministerio da Guerra de 17 dasto mez,
aatoriso o director do Arsenal de Guerra a man-
dar forneccr ao 1-4. batalhao de infantaria, para
pagamento do.. vencimentos do corrente anno e
ajuste de conats do de 1883, o fardamento cons-
tanto des tres inclusas nutas. por oopia de 17 de
novembro find, organisada na reparticao do quar-
tel-mestre general.
Ao mesmo.-Decla a V. Exe. pare seu co-
nbecimenato e execuo que al" das informaZoes
exigidas em men officio de 3 de ounubra u.timo,
devu- tambiym enviar a Saeretoria desta Presiden-
cia, corn destiny a de estado do Ministerio da
Guerra, ata ofim de fevetr do anno vindouro,
de conformidarde o a -ireuts de I15 do cor-
^unfv,novas&.i^ imaao do re
latoriqaqutcim dte setprment&Aw xubla #is
ral naaproxFQ iM efS."7
Igual no Arsenaldt errasaao engeo hli
das obras tailta1 m-,
-A~e~fs pR -1 padendo q0d
A o,AW A abn 0c d on vi u C


da Justiga o assumpto de seas Ocio n-. 1,048 e
1,184 de 26 do setembro e 31 de outubro ultimo.
A' Thesouraria de Pazenda. -Traatto
V. S. para sea conhecimeato e devidos eff1itos
aviso junto par c6pia do Ministerio da Mariuha de
18 do corrente, sob n. 2,009, pelo qual toi appro-
vada a licenca do 3 mezes conoedida por esta Pre-
sidencia ao almoxarife d, Arsenal do Marinha,
Francisco de Paula Rodrigues de Almeida, para
tratamento de sun safide.
Ao mesmo.-Para sou conhecimento e exe-
cug40 na part que Ihe diz respeito, transmitto a
V. 8. a indlusa c6pia do aviso circular do 15 do
c. rrente em que o Ministerio da Guerra determi-
aa que, corn a possivel brevidade seja remettida
a respectiva secretaria de estado uma relago cda
somma necessaria Ai verbal relative a despeza, a ta-
zer-se corn o porte da correspondencia official
cornam aquelle Ministerie.
Ao mesmo.-De conformidade corn as dispo-
sicoes em vigor, nesta data autoriso pelo Arsenal
de Gierra a satisfac-o do pedido junto por c6pia,
de artigos de fardamento que para seu uso faz o
alferes do 20 batalhao de infantaria Francisco Je-
ronymo Lopes Pereira,
0 que faco constar a V. S. para sou conhoci-
mento e devidos fins.
Ao inesmo.-Faeo constar a V. S. para seu
conhecimento e devidos fins, que do conformidade
corn o aviso do Ministerio da Guerra de 17 deste
mez, autoriso o director do mesmo Arsenal de
Guerra a mandar fornecer ao 14 batalh'o de in-
fantaria para pagamento dos vencimentos do cor-
rente anno e ajuste de contas do de 1883, o far-
damento constant das trees inclusas notas por c6-
pia de 17 de novembro tindo, organisados na re-
particao de quartel mestre general
Ao minesmo.-Communico a V. S., par a os de-
vidos fins, que, em aviso doe 17 dest- mez, decla-
rou-me o Exm. Sr. ministry da faaenda haver de-
liberado que o 10 escripturacio da Alfandega do
Parai, Eutychio Mundin Pestwa, que se acha ser-
vindo coino addido na de Pernambiuco siga quan-
to antes para.aquella reparticao.
Ao mesino.-Declaro a V. 8S. para os devi-
dos fins que em aviso de 18 do corrente communi-
cou-me o Exm. Sr. ministry da fazenda havtr de-
liberado que o 2" eseripturario dessa Thesouraria,
Saturnino Justo Argolbo de Castro vA servir como
addido na Alfandega da Bahia ate segunda or -
dem.
Ao mesmo.-Exigindo corn toda a urgencia o
Exm. Sr. ministry da agricultural, commercio e
obras publicas, em aviso circular de 17 do corren-
te, informagies acerca dos escravos de 60 annos
existentes nest provincia, sirva-se V. S. de pres-
tar os esclarecimentos que solicitei em 17 de no-
vembro.
Ao Srs. Manoel Jo.o de Amorim c Antonio
Guedes Valente, president e secretario da Asso-
ciagao Commercial Beneficente do Pernambuco.
-Respondo ao officio de hoje datado declarando
a Vv. Ss. que oa governor imperial, a quem dirigi-
me iogo que recebi a representagao dessa Associa-
cao relative as quarentenas dos navios e paquetes
praoeedentes da Europa, declarou por telegramma
nao ser possivel attender ao pedido.
Quanto a segnnda part do predito officio de-
claro a Vv. Ss. que Ihes farei constar se porven-
tura tiver communicago official, qualquer delibe-
ra~ao do governor de admittir a livre pratica as
embarcac5es procedentea de ports francezes.
Dignem-se Vv. Ss. de aceitar e transmittir a
esa Associago meus protests de subida estima
e considera*o.
Ao administrator dos Correios.-Declaro a
V. S. de accord corn o aviso circular do Ministe-
rio da Agricultura, Commercio e Obras Publicas,
de 18 do corrente, sob u. 6, que d'ora em diante
nao poderA ser creada agencia de correio senao
nos terms rigorosos, prescriptos pelo decreto n.
8,895, de 24 de fevereiro de 1883, e que portanto
qualquer proposta nesso sentido deve ser acompa-
nhada dos eselarecimentos exigidos pelo art. 1 do
dito decreto.
Ao inspector do Thesouro Provincial.-Res-
pondo ao officio n. 192 de 29 de setembro ultimo,
autorisando Vmc. a mandar fornecer para os pre-
sos pobres da Casa de Detenglo, 400 cobertorea
de l e 400 pares de chinellos de vaqueta branca,
devendo a despeza correr por conta do credit do
art. 2o 59 do orgamento vigente. Communi.
cou-se ao Dr. chefe do policia.
Ao mesmo. Provideneie Vmc. para que ao
thesoureiro da Reparti~ao das Obras Publicas seja
entregue a quantia de 6:300,000, constants do
pedido junto pare occorrar as despezas a cargo da
mesma reparticao no mez de outubro proximo pes-
sado. Coinmunicou-se a Repartico das Obras
Publicas.
Ao director do Arsenal de Guerra. Na for-
ma das disposiSes em vigor, made Vine. satis-
fazer o inoluso pedido. de artigs d.o fardamento
quo para sou uso faz o alfer: 3 do 2" bat.slhao,
Francisco Joronymo Lopes Pereira.
Ao inesmo. -No3 terms do avise do Minis-
terio da Gueri a de 17 doste mez, mando Vine. for-
necer ao 14 batalhao de infantaria, para paga-
mento dos venciientos do corrente anne e ajuste
de contas do de 1883, o fardameeto constant das
tries inclasas notas do 17 de novembro find, or-
ganisados na Reparti9ao do Qsartel.Mestre Ge-
neral.
Ao mesma. Conformo determine o Exm.
Sr. Mmisterto da Gaorra em ariso de 12 do cOr-


rente, manide Vrn. eliminitr da coinpanhia de
aprendizes artifices desse arsenal o menor Miguel
Antonio Baptista, visto estar soffrendo do taber-
culos pilimoniares, soguudo o termno de inapecilo
de sa'du a que fui submettido.
-- A' junta ciassilicadora de Floresta. -Appro-
vo, para os effeitos do art. 42 do regulamento de
13 de novembro de 1872, a classificayao que por
copia acompanhou o offi-io de Vnmc. de 10 de no-
vembro ultimo, recebido a 27 do corrente, dos'es-
cravos libertados nesse nunicipio por conta da 5a
quota de fundo do c umxeipaco, e determine que
tenha lugar o arbitramento competent, nos ter-
mos das orders em vigur, dcpais que houver expi-
rad.) o pzaso do airt. 341 d. inesmo regulameiuto. -
Comnmuuicou-se au juiz municipal.
Igual A junta de Petrolina, quanto a classi-
ficaqAo de Boa Visti, r.nmettida corn o officio de
22 de noveminbro. C(uumiunicou-se ao juiz muni-
cipal.


$o prestada por Vine. no officio do 22 do eorren- Josephina de Miranda Pinto.-Informe o de-
e, sob ua. 652, approve a tabella que veio annexa legado litterario.
o. dito officio, coan as modificagoea que nella se Phylomeno Raymundo Nunes de Lima.-Cum-
tem o-quo vigor do 0lo de janeizo em diante. pra-se e registre-se.
SE-n virtude dessa modifieai.o partira o primei "9 -
jo trem da estagao do Bruin is 7 horas e 42 mi- Clarinda Ribeiro da Cunha Guimaraes.-Enca-
putos da manhai e o asegundo as 2 horas e 37 mi minhe-se.
autos da tarde, fazendo os devios parades na es Antonio das Chagas Rodrigues Machado.-En-
taU* de Arraial e Macacos. caminhe-se.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do 12 -
Recife a Olinda e Beberibe.-Tendo ouvido ao en- Manoel Torquato de Araujo Saldanha.-Cum-
geuheiro fiscal da estrada de ferro do Recife ao pra-so e registre-se.
Limoeiro acerca do que Vmc. expcz no officio de' Minervina Francisca Cardoso. Encami-
11 do corrente, sob n. 19, acabo de approval nova nhe-se.
tabella de hor;.s dos trem daquella estrada de fer- Maria Maximiana Carneiro da Cunha.--Cum-
ro, a qual tera exeougao do 1. de janeiro em dian- pra-se e registre-sa e marco o praso de 15 dias
to, e attendeado ass interesses do public, de ac- pare entrar no gozo da liccnca.
eordo corn que Vinemc. propoz. 13 -
Dito ao deo S. Francisco.-Declaro a Vinmc. Jose Luiz de Fraunca Torres.-Encaminhe-se.
que cm aviso do Ministerio da Agricultnra Corn- Secretaria da Instrucgao Pablica de
uterciao eObras Publicas, de 12 do corrente, sob n. ernabuc, 13 d aniro de 1885.
25, foi approvado o acto desta prcsidencia conce- o, d a r d 5.
dendo 30 dias de licenca, corn ordenado na forma Pelo porteiro,
da lei, pare tratar-se.ao escrevente dessa reparti- Jose Francisco de Almeida Doria.
gao fiscal Henrique Soares de Azevedo, e nomea-
do Amaro Augusto de Barros Correia para substi- Reparttl o da Pollela
t uil-o percebendo a terra part do veneimento do S l P
empregado substituido. .ecao I -N. 23-Secretaria de Po-
Mutati Mautanidis, a Thesouraria de Fazenda. licia de Pernambuco, 12 de janeiro de
Ao promrnoter publieo do Cabo.-Inteirado de 1881.-11hn. e Exm. Sr.-Participo a V.
que Vinem. cxpoz no officio de 10 de novembro, te- ExC. que form recolhidos A Casa de Deten-
nho a dizer-lhe que, sendo designado esse dia no
respective Regulamento para as reuniAo dajunta 9?1o os seguintes individuos:
revisoura, e deovendo ter sido opportunamente re- No dia 10, )A ordem do subdelegado do Recife,
cebida a circular desta presidencia de 22 de outu- Francisco Rosci e Jos6 Alexandre Pedro, por dis-
bro, marcando o mesmo dia para as reunions da turbios.
juntta classificadora de escravos, cumpria quo a No diae11, a minha ordem, Sabino Jose Fran-
jutz de dircito dessa comarca previamente infor- cisbo de Soiza.
madodo oceorrido para nomear promotoradhoc, afim Communicou-me o delegado do termo da Esca-
de que a mesma junta so reunisse n'aquelle dia. da, que no dia 2 do corrente, em terras do enge-
Ao juizx de direito de Taquaret;nga.-Com a nho Cabega de Negro, Joaquim Alves da Silva,
inelusa copia do officio do commandant do corpo tend urna pequena altercaoao corn Joco Marques
de policia n. 1171 respond o que Vmc. dirigio-me Evangelists, ferio a este corn dez facadas, tendo
em 19 do corrente mez relativamente ao estado do antes feito no mesmo um ferimento corn uma en-
destacamento dessa villa, xada.
Ao juiz de direito do Floresta.-Declaro a Contra o delinquent, que foi preso em flagran-
Vinemc. em solueao do officio de 28 de agosto ultimo te, procede-se nos terms do inquerito policial.
que, por falta de forca, naL, pode ser reforgado o Deus guard a V. Exc. -flim. e Exm.
destacamento abi existente.-Communicou se ao Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel muito
Dr. chefe de policia. igno president da provincial. 0 chefe
Ao juiz de direito de Palmares.-Para resol- digno president da provincea. 0 h efe
ver o assumpto do officio de 19 de corrente mez de policia, Manoel Ventura de Barros Leite
convemn que Vmc. proponhlia pessoa idonea afim de Sampaio.
exercer o cargo de adjunto do promoter publieo -
dessa comarca. Thesouiro Provincial
Portarias: DESPACHOs DO DIA 12 DE JANEIRO DE
A Camara Municipal de Triumpho-Em vir- 1
ta do art. 26 unico da lei n. 1221 de 21 dejunho 1
de 1875 approve a deliberaao que tomou a Cama Companhia do Beberibe.-Certifique-se.
ra Municipal de Triumpho do despendar extraor- J. J. Avires de Albuquerque. Informe o con-
diaariamente 615250, ore o concerto urgente da tador.
cadeia dessa villa. Torquato Laurentino Ferreira de Mello.-Re-
S- Quanto a parte final do officio a que respon- gistre-se e fagam-se os deridos assentimentos.
do de 26 de outubro ultimo recommend a Camara Antonio Augusto Falcio. Entregue-se pela
quoe informed sobro a natureza e importancia dos porta.
concertos que exige o paso municipal afim de que Manoel Ignacio de Oliveira Martins. Informe
esta presidencia possea resolver a respeito. o Sr. Dr. administrator do Consulado.
Companhia Pernambucana.-O Sr. gerente Joaquim Francisco Carnuciro Monteiro.-Certi-
da Companhia Pernambncana, made dar passa- fique-se.
igem a pra at o presidio de Fernando de Nero- Thesoureiro des loterias do fund de emanci-
nh, na primeira opportunidale,,por conta das gra- pa.o e Fielden Brothers. Informe o Sr. conts.
tsa qwo o govero et mdirto, a Maria Avs dor. .
da IPaixio, mulher do sentenciado Manoel Joaquim Antonio da Costa e Silva Maduro.-Ao Sr. con-
Bezerra, e dous filhos menores. tador pare as devidas notas da portaria de li-
Igual a Silvina Teixeira de Carvalho, mu- cenqa.
lher do sentenciado Antonio Anacleto Gomes e 2 Herdeiros de J. Francisco Martins. Volte ao
filhos menores.-Communieou.se ao commandant Sr. contador.
do Presidio. Jose Martins de Almeida. Entregue-se pela
EXPEDIENTE DO SECRETARIO porta.
A Assemblea Provinciol.-O Exm. Sr. presiden- Bellarmina Francisca Lobo Barros.-Depois do
to da provineia, manda transmittir a V. S. afim de visto do delegado litterario, velte.
que se digne de submetter opportunamente a con- Manoel Tavares Ferreira.-Ao Sr. Dr. adminis-
sideracao dessa Assembla a copia inclusa do officio trador do Consulado pare attender.
que expedio hoje a Carara Municipal de Triumpho Barao de Una e Clarinda Maria da Annuncia-
approvando a deliberagao constant do de 25 de outubro ultimo relative a dospeza extraordinaria ra attender.
de 64250 feita com o concerto do gradeamento da 13-
cadeia da villa. Maria da Conceigao Azevedo. Registre-se e
Ao general.-O Exm. Sr. president da pro- facam-se os devidos assentamentos.
vincia,, tendo auterisado pelo Arsenal de Guerra Emilia Alexandrina de Albuquerque Pereira.-
a satisfa6o do pedido de artigos de fardamento Registre-se e fagam-se os devidos lancamentos.
que pare seu uso fez o alferes do 2. batalhao de Manoel Cavalcante Coelho e Antonio Florenti-
infantaria Francisco Jeronymo Lopes Percira, as- no de Barros Guaba.-Informe o Sr. contador.
sim o manda declarar a V. Exc. para os fins con- Dina da Silva Coutinho e Antonio Candido Fer-
venientes e em resposta ao seu officio de 27 do cor- reira.-Registre-se e facam os devidos assenta-
rente, sab n. 677. 7nentos.
-- Companhia Brazileira de vapores-De ordem Collector de Panellas.-Iaforme o Sr. coatador.
do Exm. Sr. president da provincial, accuse recc- Ernestino Antonio Soares des Merces.-Informe
bimento do officio em que V. Exe. communica a o Sr. Dr. adminiotrador do Consulado.
chegada do vapor Mansos dos ports do sul hon-
tern as 6 horas da manhi e a sua sahida hoje Consulado Provincial
as 6 horas da tarde para os do nort,. DESPACHOS DO DIA 13 DE JANEIRO DE 184
Ao juiz de direito de Garanhuns -Sua Exc. Antonio Martins Moreira. Informe a 2a sec
o Sr. president da provincial declare a V. S. que
em seu officio de 22 do corrente rnez ptoferio-se a oie.
Antonio Martins Moreira.--Attendido em vista
hoje o despacho seguinte.-Ao Sr. Dr. chfe de da informacao.
policia para providenciar. Aloheu S. Raposo, Joao Ribeiro Dins, JosdBap-


DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 12 DE
JANEIRO DE 1885.
Antonio Herculano dos Santos. -Remet-
tido ao Rvd. Sr- director interino da Colo-
nia Orphanologica Izabel para admittir o
menor se estiver has conci9qes legaes e
houver rage.
MajorArscencio Cordeiro Ribeiro Cainm-
pos.-Informe o Sr. inspector do Thesou-
ro Provincial.
Dr. Antonio Joaquiin do Barros Sobri-+
nlio. -- Remettido ao Sr. adrainistrador do
theatre do Santa Izabol para attender ao
supplicante.
Bernardino do Oliveira Coragem.-En-
treguem-se mediante recibo.
Tenente Coronel Joaquimn Mendqs Pe-
drosa e Silve. Remuttido ao Sr. cournman-
dante superior da Guarda Nacional de Oricu-
ry parsa mandar passar a guia de quo tra-
ta o art. 45 do decreto n. 1130 do 12 de
mar, a 1 oR153 comrind o a suuplicante


IUAam U L ,,,. V Lv x.. .-L -
A' da de Floresta. --Segundo o aviso circu- eai tempo opportune roqueror aggregate
lar do Ministerio ia Agricultura, Comnercio e cai r
Obras Publicas de 31 de manio ultimo, do qual ao Governo Imperial nos terms do aviso
esta Presiaeneia deu scieneia a Vines. em officio n. 543 de 30 de novemnbro do 1860.
tambemin circular de 26 de junho, devem ser de CapitAo Pedro L-onardo Joao Grego.-
preferencia classificados os escravos casados con Providenmind.
livres, que tiveremin mlior numero de filhos livreos, v ao
menorcs de 8 aunos, ou na faltas destes menores de Ricardo Fonseca do Modeiros. -Conce-
21 annDs, estabelecendo-se corn razio de preferen- de.
cia em cadsa urna dessas classes, o maior peculio Silo'stro Antonio de Souza. Como re-
o attendendo-se sempre que a conjuge eserava I i
prefer ao conjuge. 1 aquer. Prnu
Nao haveud. escravos nessas eondig5es devem Secretaria da Presidencia de Pernaubu'
ser elassificados s03 coujug e de lives que tiverem aco, 13 do janeiro do 1385.
filhos libertos ou unao que tiverem filhos, seguindo- 0 porteiro,
se-ohea os que os tivoerem eseravos, tendo-se em J L. Viegas.
attenaao 6 pectlio.e
i ssiuarospondo A consult do Vwne.,- de 29 de -
xmlembro ultimo, mrcebido a 27 do corrente. '- -. i -I ttrwcpafo PlbIea
~-Ao jjniz municipal de A~amoleira. D~iecao
Vin. 1 po 6 U L do 22 do '- AmrCUC)JDA INSPECTORIA 4URL DO DIA
doeve .erentr|aerta doese- 2 tf J PE ...W...'. o
'Marriddo d nesso termo par count a da,- L1avi* britO. OW' er *e-
fuado do emanci, 3n.. visto almoa"IJa. 6b L


tista Braga, Ernesto Antonio Soares das Mercesa,
Jos6 Antonio de Araujo Livramento e Joanna Ma-
ria de Jesus.-Inornme a 'a seeqo.
Caetano Jos6 Rufino.-Junte conheeimento de
quitaqao do imposto de roparticae relative ao 1-
semestre do exercicio corrente.
Francisco das Chagas Riboiro.-Deferido vistas
as informaqoes.
Antonio Pedro Dionisio. -- Certifique-se o que
co-star.

INTERIOR__

LUND
E SUAS OBRAS NO BRASIL
(SEGUNDO 0 PROFESSOR REINH \RDT)
BEMORIA LIDA POR II. GORCEIXI DIRECTOR DX ESCOLA
DE MINAS DE OURO PRETO, AO SER INXUGURADO
NA Ms3MA ESCOLA 0 RETRACTO DE LUND
(Do's Annaes da Escola de Minas de Oaro Preto,
(Conclusao)
Eis, pois, as descobcrtas dc Lund:
1.- Devem-se a Lund a primeira exposiao me-
thodica e a determinaqao do modo de formnaAo
das grutas abertas no calcareo do3 planaltos de
Minas-Geraes, do modo como foram cheias e, pelo
menos, das duas idades a que pertencem as ossa-
das tosseis que ellas encerramn.
2.a A terra vermelha que as grutas cont6m 6
identical A que cobre o solo daquella regilo, acha-
se collocada entree duas camadas de stalagmites e
foi alli mintroduzida por acao violent c torrencial
que submergio toda a regiao. Os seixos meio-ro-
lados que nella existem, as grande masses de cal-
ereo que muitas vezes a acompanham, identicas
noaspectocomo naseomposiop is que, foradasgrutas
formal monties e rastilhes, a existencia frequen-
to de brechas calcareas, o esmagamento ordinario
dos ossos fosseis que nella se acham enterrados,
slo outras tantas provas "d& exactidao desta hypo-
these em grande numero 4e casos. Em outros ca-
sos a pureza desta argilla a a ausencia de areas e
de cascalhosindicariam, ao contrario, acAo mais
tranquilla, em virtue da qual as aguas teriam
penetrado nas grutus quer por inlgltrago, quer
por decantagonatural. Msi ainda neste modo de
Sintqptar os 08act9 fore 6admittir conside.avel
&.nh.. o eijem dos gra des go que co-
va a regioe subitaeleva9Ao do nivel de suas
..gt. p.d.r. m sagtisfr as entradas das gru-
tas. tanuiw sme wituadma 20 ou 30! aeima dtj


talvez mesmo se ache em intima relaSAo cam a
confinrmao destes enormes depositors de econgloam-
rato ferruginoso, ora horisontaes, oram formando ea,
madas noo flapcos das montanhas, e acompanbma-
do-as nos declives. Este modo de forma o da
ganga, indicado poi Lund, conforma-se inteir-
mente as novas observaVoes que poderao fixar a
idade destes deposits.
3.a 0 conjuncto destas formacoes pertenee i
mesma idade geological que os deposits analog.
da Europa, 6poca diluviana, ou, conforme a do-
nominagao hoje adoptada, A epoca quaternaria.
4.a Restos fosseis, perteuncentes a 56 generous
comprehendendo 114 especiaes. Daquelles silo 15
inteiramente novos, scndo sua descoberta devida a
Lund. Destes, certo numero caracterisa bemn a
fauna antiga dos planaltos de Minas Geraes. As-
sim, o terrivel Smilodon pepulator (o devastador),
que estabelece a passage do genero Felis para
as hyenas, emquanto em outros pontos mostra ier-
ta semelhana cornm o urso. Exccdida elle em ta-
manho As maiores species dos generous Felis e Ur-
sui, sendo suas defesas, que tinham perto de om
deeimetro, muito maiores do que todas hoje em
dia conheeldaa. 0 Palceocion troglodytes e o Spee-
thos pacivorus, habitantes das eavernas onde reA-
navamrn como tyrannos sanguinarios. 0 primeiro,
do qual o guar,! actual nao 6 senior descendente
degenerado, excedia em tamanho o lobo da Euro-
pa, o segundo era mais robusto do que qualqaer
outra especie conhecida do genero Canis. Amboas
contribuirmm em grande part para o amontoa-
mento de ossos de roedores e de pachydermes, tM
abundantes em certas caveruas. Os dicotyles pa-
recemn ser ,L preza preferida pelo primeiro ; o se-
gundo perseguia principalmente as pacas. Na fa-
milia dos tardigrados 6 digno de nota o gigantea-
co Scelidotherium; bern que primcirameite desco-
berto por Owen, foram comtudo os trabalbos de
Lund que pozeram fo6ra de duvida os verdadeiros
caracteres e o lugar que deve occupar aquelle ani-
mal ao lado dos tardigrados. Era maior que a
Rhinoceros, tendoe o corpo coberto por fixes de
pellos e concreoSes calcareas arredondadas, pri-
meiros rudimentos de uma coura~a. Os quadra-
manos tin tambem nas cavernas um representau-
te de tamanho gigantesco: 6 o Protopithecus bra-
siliensis, maior do que os chimpanz6s e eoraugou-
tangos.
D is mencionados 56 generous contam-se 16 comn-
pletamente extinctos e 5 que, embora se achem vi-
vos, nao habitam mais a region onde Ihes desco-
brio Lund os rests. Dos generous ainda vivoa
contam-se 24 proprios da America e 9 communal
ao novo como ao antigo continent.
Como corollarios de suas descobertas Acerca da
fauna diluviana, formulou Lund as seguintes pro-
posic5es, ainda antes que a relacao dos generous
fosse tao complete e numerosa equal conseguio mais
tarde colligir, estudar e classificar. Sao estas as
proposi5oes nas quaes condensou o sabio o frueto
de pesquizas aturadas e de obscrvaeU5s methodi-
cas e protundas :
1.a Durante o period que preceded A ultima
revoluio da superficie da terra a zone torrid
mostrava riqueza e variedade de forma que pa-
recem ter excedido de muito que vemos em. nossos
dias.
2.a A classes dos mamiferos que viviam nesta
part do mundo apreseata em todos os seus as-
pectos os mesmos caractcrea que os distinguern ao
antigo continemne.
3.W As species que vivem em nossos dias sio
todas differences das species fosseis.
A esta proposio3o tinha accrescentado Lund
que o home nao vivia naquelles tempos, mae
descobertas posteriores modilicaram-lhe a opinion
Aceica deste ultimo ponto.
4.a Os continents d'aquelle period apresenta-
vamn a mesma form que ainda hoje perdura.
5.'a A temperature na superficie da terra era
entiao mais elevada do que hoje, mae diminuia,
coino agora, do equador para os p6los.
6.a A catastrophe que produzio a destruicgo das
numerosas creatures daquelle period foi univer-
sal e abrangeu toda a terra.
JA nestas conclusSes Lund nao consider como
verdades isentas de toda a objeco que a catas-
trophe destruidora des species haja sido univer-
sal nemr que tcnha sido quasi complete a desappa-
riqao da fauna. Outra memoria mostra como no-
vas descobertas Ihe haviam modificado as opi-
niSes; abi nao e mais tao formal a proposicao re-
lative ai difference des eapecies actualmente vivas
e des species fossois, a- qual Ihe parecera a prin-
cipie n-o poder ser post em duvida. A fauna
que habitava os planaltos do interior do Brasil,
escreveu Lund cm sue terceira memoria de 1837,
era no seu type fundamental a mesma que o habi-
ts hoje. Um pouco adiante, depois de harer
declarado nao ter podido achar senua unia s6 es-
pecie, Loncheres elegans, que mais tarde differen-
cara da espeeic viva commum -As duas faunas, diz
Lund que pare certo number de esptccies, em mi-
norma no conjuncto da fauna, as semelhancas s-o
tao grandes que somente confrontacoes exactas
Ihes podem assignalar differen9as espeeificas.
o Se nao nos limitarmos, obsaerva Lund, ao pe-
queno numero de casos em que occorre perfeita
correspondencia, e tambem comprohenddrmos em
nosso cLa:me os casos em que so observe, de ma-
ncira certa, grande semelhanca, nao poderemos
negar que crnsideravel quantidade das especico
vivas possuia outr'ora representantes mais ou me-
nos semelhantes. Os naturalistas que admitted


a mudanca gradual das species pelo correr dos
tempos, nao se embaracarao com differencas insig-
nificantes para admnittir uma tranwicao nao inter-
rompida da creaqao actual. Para aquelles natt-
ralistas, porern, que seguem a lei da invariabili-
dade das species, sera por demais insignificant
par admniissao dcsta hypothese o numero de casoE
em que indubitavelmente existe para os dous pe-
riodos identidade da especie : de grande numero
de casos em que se verifica o inverso concluirio
pelo contrario ter-se dado destruiao geral dos
animnaes primitives e verao na creagao viva uma
ereaio nova e absolutamente independent da
exthineta. Embora mostre de modo nao duvido-
so sua preferencia para esta ultima hypothese,
parece que Lund, apizar da influencia da escola
de Cuvier, nio desejou pronunciar-se de modo
positive; elle prescruta .os documemos quereco-
lheu, sem ter tornado partido por euma ou outra
das hypotheses, sem diminuir a importancia dos
que se patenteiavam contraries As id6as que ihe
haviam dictado o titulo geral do conjuncto de
suas memories, nem reconhecer aos mesmos do-
cumentos valor suffici-nte para fazel-: abandonar
a concepao do author da historic das revoluabes
do globo. Luud nao mais se detem no problema
da iqvariabilidado das species ; seu espirito cla-
ro e vigoroso nao podia after se A demonstra*ao
de rina hypothese a respeito da qunl os faetos e
as observanoes cram absolutamente insufficientes
para justificar uma conclusao ainda mesmo sim-
plesmnente provavel.
A' ordem do ideas applicava-se Lund corn pra-
zer : era o estudo das ligaqSes que existed entire
os diversos grupos de mamiferos uafaunas extinc-
tas d-, Brasil. .
Dep. is de haver estudado os generous extinct
dos desdentados, proclamnou Luaud a existencia do
urma s6rie de desenvelvimentos eao int.rromp)o5
da familiar dos Tat&s para a dos tardigrados. "
Chlavrwdotherium, oa molares offerecem uma aU-
perficie de trituracou beinm superior & do eSnerosf
de tatW ainda visvo, e por eat< aspoa appmo-
Xima-u da tamilia dos tardigra.'
Esata anodificoe8 aceeAtuaa-seaiw4eai# Usno
geera mplphorus aujoqai
qua e n-A lian : ilt
pert"M fada -,' !0 &
de dift areadit Mao"i 416Pdo,*
ScIendeote -fc~Sri tl

















0 vdiwtterel tto d ot av. ao CM qu e ld oreo-





v ou co ft aqiaeseieGuamodi terua p t-
8a1001. quo tem dso AeBrfiaes d omentros
prtocem aoabes trdigesade aosetae (Bradypeu.)

Pam qwm n ewra em d ftme aine c
ahastando r res o a dis Pa' eo-
beleem a P stM sulio ya n ndas rt
Im solipedidaafi -, cs p-om s grs
qUa M iA odo L dlaa r na
va9aes, inteliouf inrewub idaea ma s a O i
m de idesasn ..* de afolip ccn aepene
ens coofo-- o -l1M a s~fi) cern
eavallo actMW4 o JAbw IBwqztain anan
date, talvesz nBo w o tirde a sta
No E.quw w m : os ii ysiternaa dents1-,
efo ainda mai auec eadso srtema sdents-
no differe tanto do typo eavallo, que lund ponde-
iou come aquella especie poderia ter um tdo
different do idos cavallos, como a Macrauheneia
patgonicac, quo tern as extreanmidadeos dos membros
tees detos igunaes, terminados por trees pequenos
owes% pwqus o enbadem to ode. o sew proime-
res a structure dos pa dos Tapirs e dots Paleo-
&riums. Que estes ultimos Equu8 neogwu# e
mPews prinipaui estejtam, em um system nato-
al doe classificaavo, collocados no mesmo grupo
ue o cavallo A cousa indubitavel, mas 6 verosimil
"e a desigap o dei solipede nao Ihe p6de ser
-*!icada. Estas linLas sao tiradas das ultimas
-.ginnas da memorial que encerra a obra scientific
de Lund, eacripta quando devia elle conhecer
uasi completamente a fauna extinct. das grutas
Splanalto superior doae Mine -Geraes, e ellas pa-
eem hbem indicar que, para Lund, os diversos se-
v es que appareenram successivamnente sobre a terra
fwmavanm uma cadeia da qual a fauna actual s6
represents alguns elos, estando os outros sepulta-
dos nas diversas camadas dain crosta s lisda do
globo.
EstA provado o encadeamento do mundo animal
wOs tempos geologicoa, cuja historia foi empre-
didtia por uma dos mais sabk s paleontologos
ahcezes, o Sr. Gaudry. Este encadeamento re-
vdando, apezar da diversidtade das f6rmas, a ida
de um piano unico mrgulado por uma vontade su-
prmala, era proprio para agradar ao espirito philo-
sopjico e religioso de Lund. Muitas vezeserepetio
sde que a eresao animal desapparecidia offerecias
averdadeiro prototype da nactupal. As differengas
especiicas traduzem-se sobretudo nas duas faunas
peas dimensoes colossaesie certas especies de tiraiddes-
tronhecidas, onde se acham os represeontantes dos
lat-s, attingindo, como o Pachytherium, o tamanho
do urn boi; os dos tardigrados, como o Megatke-
.nm, o Scelidotherium, excedenddo o do Rhinoceros;
made so encontrma umans paca, e Coelogenis major,
igualando quasi a capivara s.actual; um rato de
Espinho, um Syiwtheres do tananho tde unm j -
-Tali!
Nestas ultimas oaginas vejo, alte n disto, des-
pctamr a tduvida no espirito de Lund acerca eda
existencia de uma s fauna die nmammiferos nas
eavernas qu e studava. Estes restos correspon-
deriam a duas tpocas distinctas. A mais antiga
toleria sido a dos animals que mais se atastam dos
ue ainidavivoem neatas regiues e seria caracte-
risada pela presenca do Polocyon troglodites e dos
EJgpus neog&eus, e Equus principalis. A segundat
pertenceriam as species d e maiorn affinidade, corn a
fauna actual, fuaes o guard fossil, o equua affinis
eaallo, e o home. A vegeta ao dos planaltos
ier-se-hia tornado gradualmente no que 6 hoje;
aos habitantes dos mais fechados teriam succedi-
do os dos campos abertos, precedendo tainbei
ead a vez mais em nsne as approximaoes, os que as
]pvoam em nosseos dia.
V para lastimar que Lund nao tenha desen-
volvido mais estas consiieraencos. Desejando nao
opor Bsealo as opaniea que elle exprimio cathe-
goicamente, nao julgo -me seja licito interpretar
dais extensamente algumas linhas que clle con-
sagmou a este objecto.
No estudo desta questAo ha, entretanto, um
problema dos maits interersantes acerca eda patria
primitiva ou dan in origem desta fauna.to, aramcte -
nratiea do Brazil.
Os tmabalhos do Dr. Morcno de Buenos-Ayres,
icerca tn fauna fossil terciarin e quatemnaria dat
miargeas do m~o-Negro e doe desertos tin Pata.-
gonia, tmazem totios os dies nov08 elements para.
facilitar a solucao dnquftlle problems..
lEstas deseobertas quo, tiopois tie urn intervallo
ic 50 annos, vscm tao brilhante'aente completer os
ta-abaihos tie Darwin e tie Bmavard relativaniente-
a eBtas mcgioes, mostarnm quo tambem Ia, ema zonaa
tib desherdatin pela naturoza, vivin nan epocas
osae precetieram a nossa, uina fauna inteina, tao
neie pelo unmero tins especics quante pela gnan
desa dos individuos e tendo coin a tins cavemnas
do Brazil a inaior affinidade.
Muitos factos vein em sapoio da engenhoss by-
pethese do Dr. Momeno, segundo a qual estas es-
aoecies, expellitins no fin da tipocs terciaria da ox-
tremiidatic ti continent ainerienno, por Oats-
cilema, em quo as geleiras, usindo-se nos vulcioes,
tornarana inh-ibitnveis ostas regaoes, viomnan pro-
cumin no Brazil dlma mais favomayanl e natureza
aiais clemente.


Mais tarde effectuou-se urma emnigracao em sen-
tidb eontravio, quando os territories da Republica
Argentina offereceranm de novo an mundo animal
Ia America do Sul condig9es apropriadas A sua
organisaao.
Assim se explicaram faeilmente os caracteres
eommuns tao numerosos das duas faunas e a
.xisteneia no Brazil, durante a 6poca quaternaria,
de generous comno o Ursus e o Lagostomes, que
ma 86mente se encontram vivos muito mais perto
doIle sul.
Etais descobertas, por6m, nada diminuem a
gloria de Lund; a importancia de seus trabalhos
fiea intacta. Antes delle a fauna extincta dos
mammiferos do Brazil era desconhecida. Depois
delle nada se ajuntou As suns descobertas.
A publicano de suas obras 6 o amelhor commen-
twio que se lhes p6de fazer, e gracas A liberal
'generosidade de S. M. o Imperador, vamos em-
prehendri esta publicaiao nos Anna's da Escola
de MIns de Ouro Preto.
E' novo servigo prestado 4 sciencia que em
nenhuma outra parte encontrou ainda tao alta
ner tao esclarecida protec9ao qual a que sem-
pm Ihe ha dispensado S. M. o Sr. D. Pe-
2zoII.
H. GORGEIX.
Ouro-Preto, 8 de dezembro de 1883.



Geaeros e espeeles eujos res-
tos fossels foram achados por
Lnud.
EDENTATA
A


2o genero. Myrmecophaga aft. jubato. .
D tetradactylo
EFFODENTIA


2.0 genero. Dasypus aff. octocincto.
V v mirim .
punctato ..
a a sulcato. ...


3.o j, Xenurus nudicaude.
4e genero. Euryodon. .
50 HIeterodon. ...
6go Chlamydothcrium Humboldti
a Majus .
20 a Hoplophorus Euphractas .
Selloi.
o Minor...


8. Pachyterium magnum.
BRADIPQDA


tga ." *E ^lIm5-.. *
17. genero. CWmrvmus-. piudlo ..
-cam.pestri .
*'ap. .
Staff simplicicorni
18. a Auchenia sq.
a sp.
19.o a Leptotherium majus .

r RUBE
F
0.o fn. Nelistaotopmther.
a w. o1 .
aiL6
WEom--ri .
iPamMht



22.o leticyon major .
28.0 0 Abathmodon fossilia .
24.o Galictis aff barbaram .
a intermedia.
25.0 a Mephitis sp .
26. 0 Lutra aff. braziliensi .
27.o0 Phbeocyon trogtodytes.
robustus..
28.0 a Canis Lycodes .
a robustir .
protalopex .
Sa&. fulvicaudo
29.0 D Speothos paeivorus.
30.o Nasua aff. solitary .
a aff. soeiali .
31.o 0 Ursus brasiliensis .
MASURPIALIA
G
32.o genero Didelphis aff. aurita .
a aff. albiventri
aff. incannin.
afl. elegant.
S aff. pusillie
a aff. myosuram.
Sp. .
GLIRES
H
33." genero. Mus aff. principal .
aff. aquatic .
aff. masticali
aff. laticepiti
aff. vulpini. -
Safl. fossorio. .
aft. lasiuro.
a aff. expulso.
robustus .
debilis. ....
Orycter.....
talpinus .
34.o Nelomys aff. antricolme .
35.o Aulacodtus aff. Femmineki.
36.o Lunehercs aff. elega.utI.
37.0 Lonchophorus fossil .
38.0 a Phillomnys aff. brasiliersi.
39. Syncetheres magna.
dubia .
40. o Lepus aff. brasiliensi.
41.o Lagostomus brasiliensi. .
42.0 ) Myopotamus antiques.
43. Cavia robusta .
gracilis .
44. o Kerodon aff. saxatili .


45.o
46.0

47.o


a bilobidens.
a Hydrochoerus aft. capibarie
a sulcideus
, Dasyproeta aff. eaudata.
capreolus
a Ccelogenys laticeps
Colebgogenys major -
CHEIRAOPTERA


48.o genero.- Phyllostoma aff. spectre
a sp ..
S sp .
Ssp .
so .
49. Dysopes a'ff. Femineki
50. Vespertilio sp ..
SIMi&


51.o
52.o
53.o
54.o


J,
genero. Jacchus aff. penifleato .
S grandis .
a Cebsn macmegnatus.
a CaUitrix primevus.
a Protopitbecus hbragilesiis.


31
35
36
37
38
39
40


41


41
b
a
a
a
at






4.8

51

51
52
5a
6t
57
58
59
60
61
62
63


64
65
66
67
68
69
70


71
72
73
74
75
76
77
178
7S9
80
81
82
83
84
85
86
87
88
89
90

92
93
94
95
96-
















97
98
99















100
101
102


103
104
106
107
108
110
7il
t12
7t(


55. genero. Homo 115
Entre estes genmros achurn-se omnpletamenoe
extinctos os segnintes 16:
1. Chlamydotherium.
2. Euryodon.
3. Heteroduon.
4. Hoplophorus.
5. Ochnethexium.
6. Megatherium.
8. Cmlodon.
9. Scelidotherium.
10. Mastodon.
11. Smilodon.
12. Palceoeyon.
13. Abathmodon.
14. Leptotherium.
15. Lonehophorus.
16. Protopithecus.
Post que vivos, 5 ao habitat maes a region e
sao as seguintes:
1. Aucheaia.
2. Ursus.
3. Myopotamus.
4. Lagostomus.
5. Equus.
Dos 33 generous que ainda hoje vivem: 24 (a)
sao proprios da America, 9 kb) vivem tauto no
antigo come no novo continent.
(a) 1. Myrmecophaga.
2. Dasypus.
3. Xenurus.
4. Dicotyles.
5. Galictis.
6. Mephitis.
7. Icticyon.
8. Nasua.
9. Didelphis.
10. Nelomys.
11. Aulacodus.


12.
13.
14.
15.
16.
17.
18.
19.
20.


Loncheres.
Phyllo-nys.
Sinoetheres.
Cavia.
Kerodon.
Dasyproeta.
Coelogenfs.
Hydrochoerus.
Phyllostoma.


21. Dysopes.
22. Callithrix.
23. Cebus.
24. Jacchus.
(b) Generos communes
nente.
1. Tapirus.
2. Cervus.
3. Felix.
4. Lutra.
5. Canis.
6. Mus.
7. Lepus.
8. Equus.
9. Homo.


ao antigo e novo conti-


tedoSubdelegad do do 20d-
ribeeAL
I JNoi. mam io de Jesus, Jolo (U a
Si'-.et eafiy Antonio da Silva Pft*^H.I
5 *r20e a Souppleates da 8udee faQ
6 de > ricto (L)Dult) termo de Muribeo K a, id ,iR^
7 que se acham.
B Snbdelegado e 1 supplente do!2 distrkto (Be-
Slema) da parochia da Gras C.ft -ino a0n ti.

owW i nausea
a R~~~kSm D YW 6tak.M
i -nnl -Por aofte refetri
Sdau d m dt wrwme, fdmneada
Ot O PemPlhki hBi% a asi nktra da
SEs 5rzo pr w ilim fa u*ira de
rn-> maiaft i. da m fasdo Li
Cab.o ubuarilno-Da estaggo da Weas-
Stern & Brazilian Telegraph Company Linmited,
So0mmunicaram-nos hontem qaej a aicho ratr
Sbelecido o cabo submarino entre a Bahia e- e Ri
Sde Janeiro.
CoHeglo de NeMsa Seanora da Wa
- ^-Cbw e& noame- f si credit e a staafd, nor dia
S12 do corrente, no predio n. 46 da rca do Bare ds
SVictoria, umn collegio parm meainas, sob a direc-
Sio de uma habil e intelligence senhora, qu se-re-
Scommends.a pelos sus dotes moraes e deeidida vo-
easo para o magisterio.
) Vo vel-o os pages d. famitias que teem meni-
nas a educar, e fiamos que so agradarao do-novc
collegio.
Ratoeira de apanhar genie-A' pro-
posito da noticia quo hontem aqui damos corn este
titulo, escreven-nos o Sr. fiscal municipal da pa-
rochia de S. Frei Pedro Goncalves do eceife, di
zendo que, por diversas vexes, tern sido colloeadas
Slages novas no becco da Lama, de conta da Edili
5 dade, e que sempre se estio elas A partir, devidc
a incuria, desmazell) e perversio de pessoas des
7 conhecidas ; que cogita elle, fiscal, de substituil-as
Snovamtnente, o que nao realisou, logo, na segunda-
Sfeira, por ter estado encommodado ; mas que is
mandar fazel-o incontinente.
Paquete ingles E1be Este vapor di
Real Malla, em viagem do sul para a Europa, de.
ve tocar em Pernambuco amanhi.
1 iance do Braxii Na rua do Commercio
2 n. 6, 10 andar, paga-se o 620 dividend aosaceio
Snietas do Banco do Brazil, 4 razio de 9o030 por
Iaco.
5 Ferro-via do Recite ao S. Francisco
SAmanha deve ser inaugurado um novo trecho fer
7 reo no prolongamento da estrada de ferro do Re
Scife ao S. Francisco, antre 8. Bmedicto e a vilil
9 de QuipapA.
A's 7 1/2 horas da manha de hoje, largari un
Stream expresso da estacao de Cinco Pontas, da fer-
Sro-via ingleza, conduzindo S. Exc. o St. presi
. dente da provincia e diversos convidados que vac
Sassistir ao actor inaugural.
5 Moda Ilnatrada-Para A Livraria A%-
3 mine.ee, A rua do Barlo da Victoria n. 9, acab"
7 de chegar o n. 144, correspondent a 15 do corren
Ste, da oda Illustraa, revista edictada pela iin.
Sportante easa David Corazzi de Lisboa Traa foiho
) de rmoldes e figuring colorido.
Lydia e Laura-Uma polk para piano con
Seste titulo acaba de oer publicada no estabeleci-
Smento de musicas do Sr. A. J. de Azevedo.
S Foi compost pelaExm. Sra. D. Rosa L. Freir
5 do Pilar.
SAgradecemos o preeente qu nos fez o Sr. A
J. de Azevedo, de um exemplar.
Igreja da Santa Cra,-Amanhi, dia dc
milagrmoso Santo Amaro, havermo miseas pela ma
drugada e as 7 horns do dia em louvor so mesm<
Santo, corn exposi*ao da mesma image daas 6 as
9 horas da noite, prelongando-se essa meemsa ex
posicio atW o dia 24 do corrente como e eostume
nesta igreja.
Duranta eesa snoites de exposiqlo sero. canta-
dos pelos fisis devote, eaaeos sagrados.ea, soa
de gragas A.nasmB imagtm.
Ferr-va de OUada Heontem, aests
ferro-via, deram-se dous accidents.
Foi o primeiro na Enernmilhada do Belm, oende
um individu semi-branco, teaa' saltar para
um dos earros do trert qua desceu de Oliada as 3
1/2 ibrafe da taade, quand. o maneo tiron ji ema
va em nuvima ate, eale fi apuMruhd pol
vehieulos, ficando eaMB umau danis e um doe
p4ft emagadose recehedo a- p wav, *rimeto
no cranec. Tra-ido paraso Rnette uo trew, fi
recaihido ao hospital Pedro II
prr 'aili o tem da. 41,/2h-au 4a>taxie, e
consistio na fractura d~o meo ediversas eeatcR
sos em urea praca do corpo de polieia, a q.al,
suhindo paa o trem quando estarva elle em movi-
rnentore subindo nal, pois eomervou-se fora dma
carro, bateu de encontro a urea das Immbreiras
do portao da eaqm&m, e soffr w iadicados feri-
mente e contuaSea
Em raSmbos os casas as antoridades polieiaso dos
respectivos distrietos tomamras oenhoeimento doe
fato para proeederem nafhr neda Iri.


Circe eiuropen-Fazem hoje beneficio nea
te circo as irmas, Julia e Rosa artiatas equestma
e gymnastics.
0 programma 6 vanriado e escolhido entire os
melhores trabalbos da companuhia.
A beneficiada Julia, intitulada-FiUa do ar-
farA novos e surprehendentes trabalhos no traps-
zio volante.
0 espectaculo terminara corn a feata pastoral,
que tanto tern agradado.
Dimtraeao Becreatlva-Esta e a deno-
minaco do Club Mixto Minerva, per deliberaqo
tomada pela assemblha geral, em sua sessao ul-
tima.
Esta. marcado o dia primeiro de fevereiro pro-
ximo para a installacao,-em sua sede a rua do,
Coronel Suassuna.
RUna de Pedro Affonao -Dizem-nos mo-
radores desta rua que o respective calgamento
estA em deploravel estado, tantos sao os buracos
que apresenta ; e accrescentam que ha alli entu-
iho, cisco, poeira de cegar, etc., etc.
E' de a Repartigo das Obras Publicas Provin-
ciaes mandar coneertar o calcamento, e o fiscal da
edilidade ou a ccmmissao sanitaria melhorar %
estado da rua.
Convem agora que a maxima energia seja desen-
volvida na limpesa e saneamento da cidade.
Athneu Musical Pernamnabnecano -
Em assemblea geral, para posse da nova directo-
ria, funeciona esta Sociedade, hoje, as 6 horas da
tarde.
ltalla-Extrahimos do Temps de 2 de dezem-
bro find :
S Hontem, depots do meio dia, o rei Humberto
recebeu as felicitagSes da camera e do senado, que
vinham agradecer-lhe as visits que tinha feitD
ae cholericos de Busca e de Nanoles.
0 rei disse que foi testenmunha de maravilbosos
exemplos de abuegacAo e de coragem ; exprimio e
experanca de ver o hello paiz de Italia poupado
para o future pelo cholera, sobretudo Napoles que
vai ser completamente saneada.
A's sete horas da tarde tove lugar um passeio
auxflambleaux eoua honra da volta da familiar real
a Rcma. Cincoenta mail pessoas pouco mais on
menos tomaram part nesta demonstrayo.
Apezar do grande fro, o rei, a rainha e e Frin-
ceps real ficaram na varanda do palacio durante
o tempo em que durou a passage da passeiata,
trinta e cinco minutes. 0 rei e o principle de Na.-
poles respondiam saudando corn a m'o As accla-
masoes, e a rainha indinando-se constant
mente.
Os gritos os mais repetidos eram: Viva o he-
r6e de Busca e de Napoles Viva o pai do povo!
Viva a casa de Saboia !
Nao houve a menor desordem e nem constoa ter
havido accident algum ).
A conferencia africana. -No banquet
dado a 27 de novembro ultimo em Berlin, em hon.
ra de M. Stanley e dos delegados technicos A con.
tereneia e ao qual assistiram cerca de 275 convida-
dos, o professor Beyrich levanton u m brinde ao im-
perador.
M Negri, deilegado d'Italia pronunciou um im-
portante discurso em attencao, no qual confirmom
o papel important desewpenhando pela Allemanha
nas sciencias. Cit6n Humbold. M. Ritter, no
meio d'applasos, fez o gie de r d eos patiot
quo, hoje como dante deinguem artes
nag lettras&
M. Coelho, fewim m sdw & iilm, o exPloram;








..am..M..I W
di.o na. o d tie, i'to









Ir


ySBSSS qi^ t* *4affa numn veneno
6idowe b Para o home
Imd. l',_aA ibualado eem mnaito
c Ma S vn a Al-o qmando o fa-
habt. djtra a ftnaca como se diz

Zuijaiki certifiawjjf que oats woter
pro!a } c8.ma,.jo ^M ^ A
^~- t MSco, fMm i a djt *nil ilam quo
.B t da do tie on aI w MSadiou nmo
grao menor. Sllbsmrtw, "+eft um
io principio toxic s -ain Ca B awMride)
d4e oxydo ade carbova eAlteai dmaxico.
meitos produzi6ds e buse da ftwii de-
pat demais em -- wed4,-4sa i reza
( lita e da manek de iafift. 0 mista
d mtoo absorve do 9d&ci-
g--frste mais que o wisk e cachb= e ; en-
irn, o fumista que tern o cuaidado de se servir d'um
cachimbo turco oe d'outro qualquer apparelho fa-
ndo plasu a fiam a a travel duna acamada
d'agua, retiuz o8 effeitos deleterios ao minimum.
Em geral os famos menos corados sao os menos
este earacter muitas vezes engaador porque um
grande numerode fumos ao articialment embran-
quecidos. por meio de agents chimicos que nem
sempre adeixam de ter perigo.
Muitos funos d'apacto paido e pouco palUido e
pouco terrivel apresentam o grave inconvenient
de dar ura fumaat ardent, em razao da forte pro-
poiVao de filvas lenhosas que elles comtem o que
os fumistas chanmam enchimento.
0 caporal da regiao franceza e corn todaa a ra-
z~e o product de exportaglo pertence a esta classes
e dA-se o mesmo corn o mais popular de Inglater
ra, o birds ere ( olho de passaro ) que deve este
noine os peluenos circulos eortados nas nervuras
da folha de que estA cheio.
Os fumes deste genero causam frequeitemente
inflamases ligeiras de lingua pela temperature e
levada e naturesa irritant da sun fumaga.
Elles devem pois ser especialmente evitados
pelos fumistas d'idade madras, que sao os mais
expostos ao cancro da lingua ou dos labios. Os
fumos escuros sao, taminbem, muitas vezes adultery
dos, mas cm conclusao sao ainda os menos perigo-
sos.
Operacees eirurgicas-Foram pratica
das no hospital Pedro II no dia 10 do corrente as
seguintes :
Pelo Dr. Malaquias
2 Posthotomias pelo process de Ricord e cau
terisagio pelo thermo cautrio de cancros venereos.
Pelo Dr. Berardo :
Pupila artificial reclamada per mnancha da cor-
nea.
Dia 12


Pelo Dr. Malaquias :
Ablacao de kisto sebaceo da rehiao clavicular
0 esquerda.
Posthotomia corn excisao de cndurecimentos
- cancerosgs c cauterisanaocom o term cauterio d'
a Paquelin de uma ulcera cancerosa da verilha.
Posthotomia pelo process de Ricord reclamada
- por phymoses e cancros endurecidos, excisao dos
a caneros e cauterisaoao.
Extirpatao de um kisto sebaceo da regiao su-
n pra-clavicular.
Leil6e--Effectuar-se-hao :
Hoje:
S Pele agente Gawsmao, As 11 horas, na rua do
Born Jesus n. 51, de num sitio em Olmnda.
Pelo agent Pinto, As 10 1/2 horas, A rua do Li-
vramento n. 6, de moves, loucas, vidros, etc.
S Pelo agent A. Guimaraes, As 11 horns, na rua
- do Bom Jesus n. 45, de fazendas, perfumarias e
9 outros artigos.
s Amanha:
Pelo agent Burtamaqui, As 11 horns, na run doc
, Imperador n. 22, de fazendas avariadas.
Pdo agent Pestana, as 11 horas, na rua Impe-
- rial n. 279, da taverna ahi sita.
S Pe'o agent Britto, as 10 1/2 horas, A rua
Direita a. 36, de moves.
S Pdeo agente Silveira, as -11 horas, A rua Velha
na 32, da taverna ahi sita.
S Isam funebre --Serao celebradas :
Hoje :
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, por alma
de D. Helena Tasso de Mello Ganches ; As 7 ho-
fras, na Santa Cruz, pr alma dc Joao Gomes de
i Mendonqea; as 6 1/2 hora, no Tergo, por alma de
ID. Hermina Januaria de Oliveira.
L Amanh.-
A's 7 horas, na igreia da Madre de Deua. per
alma de An io Fnsndes YVboo.
Sexta-feira:
A'(r8 horas na igreja do Livramento, por alma
de D. Francelina das Neves Farias ; As 7 1/2 ho-
ras, na igrja da Madre de Deus, per alma de
kdetpho urgai- isA 7 horas, na matriz de Gra-
P va, par alma do i Dr. Antonio Pereira da Silva
Bwres; das 7 1/2 horas As 8 horas na igreja do
spirit Santo, per alma de D. Rita Aureliana
Kroeger.
Sab'bdo
A's 8 horas, no convento de S. Francisco por
alma de Jose Antonio Pereira de Oliveira.
ILoteria da provincia --Sabbado, 17 do
corrente, se extrahira a loteria n. 101, em benoa-
fieio da igreja de Nossa Senhora do Livramento
da Varzea, pelo novo piano approvado, no consis-
torio da igreja de Nossa Senhora da ConceicAo dos
Militares, onde se acharao expostas as urnas e as
eopheras arrumadas em ordem numeric a apre-
ciagio do public.
Loteria-A de % 169 B, do Rio de Janeiro
do 30:0004000 serA extrahida no dia 17 de janei-
to.
Bilhetes A vendana Casa da Fortuna, run aI
de Marco n. 23.
Loteria de 30O001 OOO -A loteria 169
serie A, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
to melhborado, core no dial7 de Janeiro.
Bilhetes a venda na Casa Feliz A praa da In-
dependencia ns. 37 e 39.
3a grande loterta da eorte de......
00:tOOOsO0-Com novo plane muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham--se A venda A Casa da For-
tuna, A rua do Crespo n. 23, es bilhetes dosta lote-
rias.
Grande loteria da eorte-Esta grande
loteria, cujo premnio grande 6 de 500:000;000,
sero extrahida brevemente.
Os bilhetes acham-s A venda na Casa Feliz, a
praa da Independencia ns. 37 e 39.
Loteria do Rio de Janeiro-A loteria
n. 349 B, do Rio, de 20:0004000 serA extrahida
hoje 14 do corrente.
0 rest dos bilhetes na Casa da Fortuna, run
I doe Marco n. 23.
Mereado Municipal de S. Jo*e 0
movimento deste estabelecimento no dia 12 de
janeiro foi o seguinte:
Entraram para sercm vendidos : 36 bois, pesan -
do 4,673 kilos.
No mesmo dia entraram para o mesmoes-
tabelecimento:
Peixe, 175 kilos.
Farinha, milho e feijao, 30 cargas.
Fructas diversas, 28 ditas.
Suinos, 4.
Camneiros, 4.
Precos dos dias:
Came verde a 600, 480, e 320 rtis o kilo.
Suino a 600 reis o kilo.
Camreiro a 14 idem.
Farinha de 500, 400, ate 280 reis a cuia.
Milho de 480, a 320 rdis a cuia.
Feijao de 800, e 500 ms. idem.
Foram occupados:
47 talhos de came verde.
12 ditos de sumo.
12 ditos de fressuras.
36 compartimentos de farmnha e comidas.
70 idem de legumes.
Deve ter sido arrecadadg neate dia a impor-
taneia de 169i500-


Foram multados em 104000, e suspensos per 8
dias, por fraud em peso de came, os talhado-
res:
Marcos Pinheiro do Nacimento.
Liberate Felix de Souan.
atadoaure public Foram abatidas
no matatdouro pulIiuo cda Cabanga, parsa c eon-
saumo do dia 14 do uemnte, 66 mews.
fiS M .d doe opro
IMa 0 7i O:t m 5 m im
|B*(i-3a5,
fel~g! "*1 3 afto6 ,erwgh *
^J^^^: ^i^


.- .,
.5, :i '_ *


Domnigoa, eMseavo de mnoel P. C. Jacome.
Fppe, eeravo de Frandcismco Pereira de Britto.
Joaqim Ferreimra do Soua.



PEJAIIUBCO

Caixa o iniue NMr So-

wir& $1on't Wd
Dalainys OM 83V dW4I -- -d. d


Io-
CAMW2 O3M
Thesourari do aszensq ta
deposits
Thesouraria de Fazenda-conta de

Monte de soccorro-conta de pas-
sagens
Caixa


Passive
Depositos em eontas correntes
Monte de soccorro-conta de jurors


681:11380
185:570;455
*
60:293A440
9524000
927:9294095

923:617A801
4:311A294

927:929A095


MONTE DE SOCCORRBO


Active
Emprestimos sobre penhores
Valores depositados
Moveis
Cadernetas
Gastos corn leiles
Obras e concertos
Caixa economica-conta de juros
Caixa


Passivo
Capital
Cautelas de penhores
Thesourariat de Fazenda-co ata de
emprestimo
Saldos de penhores vendidos em
leilao
Caixa economica-conta de i.assa-
gens

S. E. &0.


97:449;386
123:0024377
3:631,4227
611A804
21A038
800O000
4:311A294
737A589
230:564A715

12:394444
123:002$377
32:0364721

2:8374730
60:293A440
230:564A715


0 guarda-livros,
Francisco Joaquim Pereira Pinto.


PUBLICACOES A PEDIDO

Vozes d'alma
A' MEUS PARENTS


Hodie mihi ceras tihi


Soffro muito, e ninguem sube
Quanto fel aqui me cable !
(C. CASTEILO-BRANCO)


Oh musa divinal, vem inspirar-me !
Vemt da lyric concertar-me as areas cordas!
Suspende-me os solutos da agonia...
E me enxuga o triste pranto da saudade !.
Vem risonha minorar-me as maguas 'd'alma !..
Auxilia aqui no ermo... ao triste bardo!
Vem, oh musa, alentar meu pobre estro !
Me abrasar o frio peito, em lava ardente;
E me ensina a modular n'este deserto....
Uns cares, que revelem puramente
0 desprezo mais pungente, que hei soffrido
Dos meus miseros parents, nested mrundo I...
Vivi na juventude acabrunhado,
Lutando co'o destine, bragco a braeo,
Sorvendo a taqa amarga da cicuta...
Que davam-me a beer meus vis parents
Miserrimos algozes de. minh'alma ...
Lancaamn-me no abysmo! em densa treva y.!...
Cortaram-me o perfil dos passes meus !...
Iuando eu trilhava s6, em orphandad., -
aextrwm, estrada acerba da agoia ...
-Oh dor t! -oh cruel doir -fatalidade !...
Lutei Em forte luta,cem latat isan,
Ferio-me a negra mAo da desventara,
E prostroan-me em damro. leito, onde padeo !...I
No auge do torment ... -em desespero,
Nas garras da miseria inteiramente,
Em complete abandono... a mingoa amfim,
Implorei a protect de alguns amigos :
Po, ue o miseros parents me trajavamn,
E de mina escamneciam n I --galhofava -
Oh miserrimos verdugos oh sicarios !..
Quem 4 que nao soccorre um desgramado ?
Qiem e que esearnece do infortunio ?
S6 v6s infames -- impios desalmados!
Que negais uma esmola, a caridade !...
JA que nao tends pudor, nao tender brwo,
Fica o public sabendo quem v6s sois:
E em breve provarei melhor ainda
A verdade incontestavel, do que digo,
Co'a miaha presence em praca public.
A um destes infames eu pedi
Um favor, p'ra salvar-me da miseria,
A que me reduzio a desventura !...
A resposta, que me deu ao que pedi-lhe
Foi, qu'eu fosse p'ra o Hospital Pedro Segundo I
E eu a transudar crua agonia...
Ouvia esta resposta resentido,
De uma serpe, a quem outr'ora protegi,
Quando As sopas de meu pae elle se achava I...
A mima deve o que possue, hoje este monstro I
Roubou de men pai boa quantia,
Outr'ora, quando foi seu empregado !...
Ha na corte deste imperio uma matron,
Que 6 minha madrinha, e minha prima:
Mulher de um senador, hoje ministry,
Confidente do Senhor Pedro Segundo.
Muito antes de prostrar-me a desventura
Neste leito infernal, neste desert...
Era eu pois, empregado do Thesouro
Desta infcliz provincia, em que nasci :
E servia de criado, de laeaio,
A um fidalgo... dos da minha terra.
Escrevi a minha prima muitas cartas,
Pedindo-lhe melhora de emprego :
Em vista de ser isto cousa facil,
Porque ali jA estava ha muito tempo.
Baldados foram pois, os meus pedidos !
A prima ingrata nunca me attended !
Foi o unico favor, que Ihe pedi,
Des que vivo neste mundo de miseoria !
Entretanto ella attended a muitos outros,
Que tambem Ihe feoram feitos neste tempo,
Per pessoas, que assim Ihe importunavam.
Todas estas foram, sim, bem empregadas ;
- T6 algumas de mAos comportamentos I...
- S6 de mim pobre infeliz, nanca lembrou-se I
Oh sort! Oh dura sort Oh negra sina !...I
Nao me persigas rmais, basta oh destine !...
Suspended o teu rigor atroz tyrano !...
JA nao posse supporter neste deserto...
- 0 lathego da desgraga -a dura algema L..
- A sentenga fatal -fAro degredo -
Deixa ao menos tenrminar estes versinhos,
Que no leito da tier etoua compondo;
E qu'eu possa imprimil os brevemente,
Organisando assim, mais um livrinho.
P'ra juntal-o a outros que ahi andam.
Deixa mesmo qu'eu possa ir vendeol-os
Pelas rmas e pragns da cidade,
A quen se condoer do men penar !...
E qu'eu tire uma resultado destes versos,
P'ra d'est'arte salvar-me da miseria,
A que reduzio-me o infortunie !...
Deixa ano menos mostrar aos meus sicarios,
- Estes miseros parents, --desalmados,
Que embera, aqui prostrado em duro leito,
- Exhaasto ae lutar... -agonisando...
- Em complete abandono... -- a mingoa emfim,
Dispua ixat do iorcas p'ra salvar-me
Do abysmo, ende prostron-me a desventura,
Invocando em men auxilio a miaha musa,
E tambemz a proteccdo de alguns amigos.


*. JeaOuim Franciaco de MeU& Sintoa.
Z..Z e .abefl.I disia ocadi-
In ;tdo vw a qao a imngs F e oemprida ma.
4I diaa OlieO ae toa d m hII n'o
uepb philHOebRn -.rfty wa~tua die dodeudaif
aoir fis dwheasi&a. i quaei. a -hcul~.c
aq 0W -w mmmbras Gdsebe
:wium r"Llf q& 6F Mbnow*df mhe *e anr
Aimlayprdrin in meu nmainIMes me-
dimiae a applioscio durn estlmuanuto pr'pijo.


-+ ,.' ,, :


:* s-, .
-.. '. -L' .
S: <-* -" ': ,'":5l 7.-; -', ..- -- .. .- -' ..-.. >':,, .
& -s --' +- + .'^ --:.:'' .. ,"-' .. ..* '- :.' -f^.. ''. ::- ,o- ''
. .. :A.-.- .,
.; ., :- "=, -02-1


do cabe:o e aamate I
production das raises.


0 julz de dlirelte do AsM ae -
Spubts e -Q eraM do

Quem m ehsbdiee tern fido o que
WaRpPMu do contf mim, no journal
,Ubwensel f de aw davida alguma fazer
a uou resg.to 4 mai dasfavoravel juizo,
*M lndo-we uma verdaira pustula so-
cial
katreta&to, digoe da frnte erguida, te-
nho sido victim da mais revoltante in-
justiga, movida per inimigos baixos e pe-
queninos, que, por todos os meios, ainda
os mais torpes e reprovados, tem procura-
do perder-me no conceit des homes de
bern e do governor, que me confiou o alto
cargo de que me achebo revestido.
Artigos infamantes s calumniosos, avul-
0sos immundos e nojentos, descomposturas
pelas ruas e estradas e ate uma denuncia
perante o Tribunal da RelaqIo, takes sao
as armas de que se tern lan9ado mao,
para marear minha reputagao de empre-
gado public e cidadao.
Os Cearenses estao repletos de commu-
nicados em que se me empresta a pratica
de tetos os mais feios e aviltantes, que se
pode imaginar.
Alguns destes communicados, era sob a
capa do anonymo e e ora sob a assignatura
de instruments de meus inimigos, foram
cabalmento refutados no Pedro II: outros
porem ficaram sem resposta.
Querendo, de uma vez por todas, tor-
nar bemrn patent a justiga com que se me
tratava, constitui procurador nessa capital
para dar queixas contra Melchiades da
Costa Nogueira, Andre Cursino Ribeiro
Campos e Jose Alves de Souza Alencar,
siguatarios de tres artigos insertos no re-
ferido journal.
Todos tres foram pronunciados pelo Dr.
juiz de dIreito do I yara criminal dessa
cidade e recorrendo para a RelaqSo, esta
negou provimento aos recursos dos dous
primeiros, e annuliou o process contra o
editor do Cearense que, na'o apresentando
a responsabilidade legal de artigos fima-
dos pelo terceiro, foi summariado em sou
lugar.
Melchiades, send julgado A revelia, foi
condemnado adoze mezes do prisao sim-
ples e multa correspondent A metade do
tempo, grAo mndio do art 231, corn refe-
rencia aos arts. 229 e 230 do codigo
penal, e Andre Cursino, A esta hera, tal-
vez ja tenha tide igual sorte.
Pois bem I saiba o public e saiba o go-
verno do paiz, que ambos esses calum-
niadores acabam de pedir-me pedao, re-
tratando se solemnemente do quo contra
mim disseramn e escreveram, e eu perdoei-
Ihes.
Eis a minha vingana !
JA urma vez, disse, respondendo A de-
nuncia que contra mim, deu, Andre Cur-
sine perante a Rolaqo: ( Nao ha veneno
tao mortal, que calcinado e temperado
como convdm, nao se convert em antido-
te e sob o mfluxo deste prineiple scienti-
fico, a medicine da cabega da vibora, fez
a melhor triaga. )
E' o que acaba de acontecer: Meus
inimigos, para me molestarem, lannaram
mano de cegos instruments, e estes, sao
hoje que so encarregaram de minha de-
feza!
Estou pois triumphando na luta desabri-
da em que me envolveram inimigos villoes
e ruins, e elles, coitados, o que Ihes resta ?
i A vergonha, o remorse de sous proprios
acts e o epithet de calumniadores corn
que hio de ser apontados pelos homes de
bern.
Estou satisfeito, muitissimo satisteito,
porque come sempre, ainda deata vez se
verificou que Dens escreve certo por linlas
tortas.
Abaixo public os retrata9oes e cartas
que me foam dirigidas, para as quaes cha-
me a attenado dos benignos leitores.
Assare, 9 de novembro de 1884.


Candido A. Machado.

DOCUMENT N. 1
ILLM. SR. DR. CANDIDO ALVES MACHADO
Cajazeiras, 24 de outubro de o 84.
Acabo de ler a carta de V. S. dirigida
a compare Neco e cada vez mais fiquei
convencido da elevaao de sua alma, e do
quanto e caridoso para con aquelles de que
recebeu offensa.
Estou condemnado, porem fique certo
que os communicados no Corsario deno-
minado Cearense, tudo sao obra do caixei-
ro Henrique. -que abusando de minha boa
f6 assignara o mneu nome e tudo escrevia
contra V. S.
Nao podendo ser ingrato para comrn V. S.,
retirei-me dessa comarca, e isto deu lugar
a que os grandes Arroes ficassem indigna-
dos e despresassem a mninha causa, e ache-
me eu soffrendo ha 8 mezes e somente
agora por clemencia de V. S. ficarei isen-
da pena que me for imposta.


Sou de o V.S.
Respeitador e criado,
Melchiades da Costa Nogueira.
(Gazeta do Norte de 14 de dezemabro
1884)
DOCUMENT N. 2.


Aabo'de saber que fui julgado A revelia
e condemnado pelo jury da capital desta
provincia, A doze mezes de prison simples
e A multA correspondent a metade do tem-
po, em virtude de queixa que contra mim
deu o Dr. Candido Alves Machado, juiz
de direito do Assar6, per crime de calum-
nias impressas.
Reconhego a justiga da pena que me foi
iuflingida, porquanto, sem o menor motive
e somente para satisfazer exigencias de Ni-
colau de Albuqueruue Arraes, inimigo ran-
coroso do mesmo Dr., atirei-me contra elle
nwas columinas do XiOearenses calumniando-O
itjusta e brutalmente jd em artgoe sob minha
assignatura, jd em anonymous.
Entretanto, confess minha gravWisma
faita e estou arrependidisSimo &diwe fXf
pelo quo e pars descarga qp maf aenr
cia desaggravo djuatiga e n 6-. pan-
Viw, deck"r X&rnMenM MA fw 15
aw e pu~pi cta 0 Dr. "-i
pura odlv'wia, po n i a .e.4'
MR Jlfyt~rada owao
wmre. atdo dinheiro ed 4a& pf w..


4- -- ,:'. ;- '_
_.. .,+ ..- -,-:-.-^ ^
...... .:... .. *,, .


' -.4


S- "." -i-


REVISTA DIARIA


F wat 46o..


}

t
5







L


r


I'.


'I
<
J
1
I
1
















I--
ff
'-.
T "r-.
j .


him. Sr. Dr. Candido Alves Machado.
Hoje acho-me convcncido da injustiga
corn que tenho obrado para corn V. S.
como venho de cxpor.
Tendo ido fixar minha residencio na villa
de Saboeiro, em dias do anno de 1880, alli
chegando achei alguns dos liberaes desta
comarca corn os animos alterados ou inquie-
tos corn V. S. centre estes o Sr. Nicolau
de Albuquerque Arraes, corn quern desde
entao relacionei-me o aqual de preferencia
incutiu no) meu animo prevengao, alias in-
iusta contra V. S., insinuando-me do ama-
go de seu malentendido bestunto, s moieos
indecentes para esse f im.
Decorridos tempos, apurando-se a diver
gencia centre aquelle e V. S. e me achan-
do ( dopendente do dito Nicolau, tive que
obedecer ao mesmno para, calumniosamen-
te, detratar do V. S. no prelo, como de
facto fiz ), contra a espectativa do minha
conscioncia.
Esses meus desvarios, cujos procedi-
mentos os condemno, per (( achar-me des-
illudido ), sao, entretanto, mais ou menos
attendiveis e justificaveis, tendo-se mais ou
menos em vista as ( circumstancias ue )
induziram-me A assim obrar ;
Era A esse tempo, como o sou hoje, um
hoinem pobre e sobrecarregaclo de onerosa
fanilia, porquem nao trepidei, afimr de ad-
querir para ella o sustento: c fui assim
arrastado a obra de infamia contra V. S.,
para desabafos alheios entretanto, po-
rem, nao muito long e tive em compensa-
9ao ver a minha familiar sem o que eu as-
pirara-o sustento.
Se dei uma denuncia contra V. S., H foi
ainda obra do Sr. Nicolau ), para o que
don camo testemunha o Sr. Melchiades da
Costa Nogueira.
Conhecendo mais logo, do que havia de
calumnioso em semolhante process,
acervo do iniquidade ,, escrevi por vezes,
como sAo testemunhas o vigario Manoel Li-
ma de Araujo e o Sr. Francisco Guedes
Alcoforado, ambos residents no Saboeiro,
ao Sr. Henrique Nogueira de Albuquerque

COMERCIO
PraVa do Recife, 1 de Jameio
de 1886
As tries horas da tarde
Cotaofe officiaee
Ac9'es da companhia de seguros Phenix Pernam-
bucana do valor realisado de 200$00 A
4505 cada uma.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 1/2 d. per 15,
particular.
Na hora da bolsa
Venderam-se
5 ac95es da companhia Phenix Pernambucana.
A. Leonardo Rodrigues,
President.
M. J. da Motta,
Secrctario.


i.ENDLIENTOS
iez de janeiro
iLPANDEGA==iDa 2 a 12
Idem do 13


PUBLICOS
do 1885
259:616A782
40:007A127
299:623A909


uCBBBDOuau i=I)e 2 a 12 11:5155610
Idem do 13 302A775

11:8185385
OSULADO P raovIcCAL.-i)e 2 a 12 108:459A054
Idem do 13 5:4175579
113:8764593
Aecrn DAwN-es-Do 2 a 19 1:5465942
Idem do 13 1995592
1:746A534
DESPACHOS DE IMPORTAQAO
Vapor inglez Author, entrado de Liverpool c
Lisboa no dia 12 do corrente e consignado a
Johnston Pater & C., manifestou :
Carga de Liverpool
Amostras 2 volumes A ordem. Annuncios 1
cai-ar M.-F.'Pnto. Alpiste 15 saccos a Asaujo
Castro & C. Arroz 350 sacos a ordem, 100 a
Souza Baako Amorim & C., 100 a Duminges Cruz
& C., 150 a Fernandes & Irmo, 50 a Araujo Cas-
tro& C., 60 -a Fmades d& a(ota & r.
Biscoutos 11 caias a Francisco G. de Araujo,
10 a Carvalho & C. Batatas 138 barricas a
Saunders Brothers & C., 400 gigas a Carvalho &
C.,O 300 a ordn, 100 a PvaValente c C. Bar-
ras de ferro 390 e 91 faizes i Cardono & 5e Ir o
180 e 52 a Bets &B Sana.
Caella 5 caixmas a Araujo Castro & C., 10 a
Soua Bato Amorim & C. C -dn 1 caixa a F.
IR diska, s A7 tBoA de wlho A C 2 I
AaItMioD. Cuas.r vi...^ :C u siat Ii PAi-


i: : .a wra lop ra a
"' ; %, 'J'."'-i P.tf i

dt~~ i pobw t famihia I ta a rome
dY 6&vtda, so M -to e per-
9s6Mw iaucAn Arres, quo acooelhado por
sea irmlo Henrique Arras, .vergonha da
ctual assembly provincial, servla-se de mim
ptra escrever desaforos e calumnias contra
o Dr. Machado, naointento defazd-o deegos-
tar e retiarr se de kemarca, removenado as-
sim o unico embaraco que o impedia de per-
seguir os seus tdSffectos.
Vou coneluir e antes do fazel-o declared
que foi ainda Nicolau Arraes quem me fez
praticar today sorte de desatinos e tropelias
no termo do Saboeiro. denunciados no Pe-
dro 1L) e especialmente contra o capitio
Deodato Fernandes Basates, na questlo en-
tre este e o negociante da capital, Antonio
dos Santos Braga Junior, de quern o mes-
me Nicolau era preposto, a ponto do ser
coartado o direito de dafosa do mesmo ca-
pitao por quanta, osjuizes do Saboeiro, crea-
turas que obedeciam ao menor aceno de Ni-
colau e assessoriados por mim que ao mesmo
tempo era o advogado de Antonio dos San-
too, cobriao cegamente o rascunho que eu Ihes
ministrava.
Sirvam estas linhas de satisfaglo ao Dr.
Machado A quo eestupida e covardementeC
calunniei e digne-se die conceder o perdao
da penad 'que estousugeito, que corn isto ar- I
rancara urma familiar das garras da miseria
e darA mais urma prova de se u generoso
coragao.- Cidade da Barbalha 24 de ou-
tubro de 18s4.
Melchiades da Costa Nogueira.
Como testemunhas Antonio Dias Arvo-
rndo, Guilherine Brigido dos Santos. c
EstA sellada e reconhecidas todas as fir- f
inas pelo tabelliao Ignacio Bastos de Oli- a
veira.
DOCUMENT N. 3. 1,


Rua Vidal de Negreiro.n. 196 d
Maria do Carmo Rodrigues de Almeida, (lz 1
;iente aos pais de suas alumnus e ao respeitavel
ublico, que sua aula acha-se aberta no dia 7 de s,
neiro proximo vindouro: o ensino consta de pri- n


20 a Fernandes da Costa & C., 20 caixas a Otto
Bohrcs Successor, 10 A ordem. Canos de ferro 17
feixes a Cardoso & Irmdo. ChA 27 volumes a
Fernaudes & Irmao, 12 a Jos6 Joaquim Alves &
C., 2 a Domingos Cruz C& ., 6 a Joao Moreiru &
C., 2 a Joaquim Duarte Simbes & C., 7 a Antao-
nio Loureiro & C., 1 a J. F. Costa, 7 A ordem.
Couros 1 caixa a Ferreira Guimaraes & C. Co-
bre 40 volumes a Jos6 A. da Silva Santos. Ce-
vada 5 barrieas A ordem.
Drogas 4 volumes a Faria Sobrinho & C., 20 a
Saunders Brothers & C.
Enxadas 50 barricas a Parente Vianna & C., 10
a Antonio D. Carneniro Viatna. Estopa 37 fardos
A ordem, 11 a The Central Sugar Factorie of Bra-
sil, 10 a Gregorio Maia & C., 10 a Jose Francisco
Martins & C., 10 a Julio & Irmno.
Fio 3 fardos a Miranda & Souza, 1 a Jos4 A.
da Silva Santos. Ferrageus 10 volumes a Vian-
na Castro & C., 1 a H. Nuesch & C., I a Miranda
& Souza, 3 a Parente Vianna & C., 130 a Cardo-
ao & Irmao, 5 a Ferreira Guimaraes & C, 8 a
W. Halladay & C., 6 a Samuel P. Johnston & C.,
49 A ordem, 4 a Decio Rodrigues da Silva, 1 a
Jos6 A. da Silva Santos, 2 a M. R. da Silva, 1 a
Antonio D. Carneiro Vianna. Ferro galvanisado
10 fixes a Silva Alves & C. Folhas de terro 10
a Reis & Santos. Ditas de zinco 1 volume a
Francisco Botelho de Andrade. Ditas de Plan-
dres 25 cunhetes A ordem, 50 a A. D. Carneiro
Vianna.
Harmonicos 2 caixas a Otto Bohres Successor.
Louca 3 gigos a Bernardino Duarte Campos &
C., 20 a Souza Bastos Amorim & C., 25 e 1 bar-
rica A ordem. Lona 1 fnrdo a Machado & Pe-
reira. Linha 2 caixas a The Central Sugar Fac-
torie, 1 a Netto Campos & C., 1 a A. D. Carneiro
Vianna, 11 a Francisco Lauria & C.
Manteiga 28 barrios e 383 meios ditos ai ordem,
15 e 15 a Rosa & Queiroz, 25 e 35 a Paiva Va.
lente & C., 15 caixas I ordem, 12 a Joaquim
Duarte Simoes & C. Materiaes para estrada de
ferro 416 volumes e peas a Great Wester of Bra-
zil Railway Company. Mercadorias divereas 10
volumes A ordem, I a A. G. Browns, I a H.
Nuesclh & C, 3 a W. Halliday & C., 8 a Antonio
Jose Maia & C., 1 a ite Basto & C., 3 a GUai.
marlesa Irmao & C., 1 a Irma Bernard. Materiaes
para engenhes 8 volumes e pecas a Amorim Ir-
mags. ditos para eneanamentos d'agua 8 volumes
a Compinhia do Beberibe. Maehinas de cotmara
32 caixas A ordem. Machinism) 1 eaixa a The
Central Sugar Factorie, 36 a Victor Neesen, 2 a
ordem.
Objectos para gaz 3 volumes a empreza do
gaz.
Papel 6 caixzs a Gomes de 4Mattos Irmaos, 5 a
ordem. Pas de oterro 3 feixes a Samuel P. Johns-
ton & C., 12 a A. Duarte Carneiro Vianna. Pa-
rafina |10 qaias a FMaiMeo Jos dos Pasees
Guimarlae. Pinet 10, oSew Pa irs Yal tse.
& C., 10 a Fernandes da Cota & C.. 10 a Aru
Lastro & C.
Tethas de sino 6. eaurni a F as o BelWho d
Andrade. T*a po de A S a
N.ms. T uio IkWo.6 m 4^e i,
[]no ft C., 4 a a t & |ine,_ T


Carohnas Leopd
aom pas defmilia l
estarA abert sw itS* ri.
runa Vidal de NegreM Vow
1- aa4ar, ondle a mews Teamma
trash, trancesz, piao everssm i


Nee hri% indo o dito NWicom A
capital,- prfbt WE% A a meu pedido,
tneder saqmoSIa 'A4n e quoa n fez,m
g vioeldo iamsit .a p eS a corn intei-
ro abuso do miuha "sVa. D
A' vista do expendid"- e reconhecea-
do que V. S. como particular alo tern
Smaculax e aW= como jlaw, que 6 into-
gro em seas actos P e na diatnbuico da.
justiga tomrn obrado ecorn muita liura soendo
ioel cumprider da lei, pe qu tudo quan-
to so tomrn dito na imprensa contra V. &.
nbo pass de calumnias atiradas por ini-
nigos via e baixoa, afim do chegarem aos
seus fins monos iustoa : vonho por meio
da present e impetrar P: o corallo hu-
manitario de V. S. que sde ter umn dos
mais revestidos de dotes que ternm appare-
cido nest e nosso s6lo, o 4( perdlo da quei-
va que V. S, dora contra mirm per inja-
riaa impressas inacertas no jorasal Cearen-
se, orglo publicado nesta provincia.
Assim fazendo, tern feito V. S. uma
obra de grande proeo, nao s6 para este
mundo -per ter commisercao de um po-
bre pal de famnilia, quoae era dependent s
de um ( mandloo senlo tambam para o
outro, pois cumpre V. S. um preceito re-
commendado polo nusso creador.
Confiado na magnitude e sentiments
de que -e aeham ligados A sua candida
alma, fico certo de que nao sou mais um
homem criminoso e sirm urn.
Fiel creado e muinito roespeitador de
V. S.
Assar6, 5 de novembro do 1883.
Andre Curcino Ribeiro Campos.
DOCUMENT N. 4
Levado por sentiments que me ditam a
consciencia, venho do alto da imprensa
fazer solemuemente as declaragoes infras,
liAs verdades bastantes duras Ei-las:
1.0 Que a denuncia dada perante a re-
agao contra o Dr. Candido Alves Macha-
lo, juiz de direito desta comarca, e toda
alamniosa, e, foi dada por ( mandado de
Vicolau de Albuquerque Arraes o; 24, que
oue todo atropello de que foi victim o ca-
pitAo Deodato Fernandes Bastos, na acglo
le arrest, que Ihe foi proposta por Anto-
iio dos Santos Braga Junior, negociante
a capital, de quem o mesmo Nicolau era
reposto, foi obra ( doste )) A quem, na
;ualidade de escrivto, a indusio-me A des-
anciar me da orbita de meus deveres e fi-
almente, que todos os desmandos e des-
ttinos praticados no f6ro do Saboeiro, fo-
am occasionados pelo referido Nicolau,
e quern eram a cegos instruments )) os
x-1i e 30 supplentes do juiz municipal,
rose de Araujo Felix Martins e Jose Alves
e Souza Alencar, assimn como que todos a
s artigos publicados no Coarense foram r
scriptos A ( mandado )) do mesmo Nico-
zu, rancoroso inimigo do mencionado Dr.
jandido Alves Machado. j
Concluindo, pego ao Sr. redactor que, s
e publicidade as verdades inseridas na C
resented declaranao, pela qual responsabi-
sa-se o abaixo assignado.
Assar6, 5 do novembro de 1884.
AndrA Curcino Ribeiro Campos.
Coma testemunhas Raymundo de Mat-
is Arraes Sobrinho, Joaquim Paz de
astro.
(Da Gaza do Norte)

'ortuguez, franeez e
inglez

Pedro Marques offerece-se para leccionar em
isas partieulares as materias acima.
Promette empregar os meios & sen alcance para d
hantamento dos que quizerem se utilisar do seu x
,estimo: a tratar na typographia do Tempn das c
I a 1 da tarde.
q
Escola particular ti


Vermouth 16 caixas a Carvalho & C. Vidros 1
aixa a Samuel P. Johnston & C. Vinho 20 cai-
as a M. F. Pinto, 8 a H. R. Gregory, 1 barril a
ramer Frey & C., 1 A ordem.
Whisky 55 caixas A ordem.
Carga de Li3boa
Azeite 52 caixas a D. Cruz & C, 10 a F. R.
into Guimaraes, 5 barris a Paiva Valente & C.
Ifazemra 5 saccos oss mesmos.
Batatas 100 meias caixas a Domingos Fecreira
SSilva & C., 2 a M. Joaquim Carlos Cardoso.
agas 4 volumes a.J. Teixeira & C.. 2 a Moreira 1
Braga, I a Josh A. do Valle, 4 a Pinto & C.
Cal 69 barricas a Jose6 eixoto da Fonseca, 50
Guimaraes & Valente, 80 a Lopes & Araujo.
ebolas 100 caixas a Carvalho & C., 25 a Paiva
alente & GC., 25 a M. Tavaies da Costa Ribeiro,
Sa Rosa & Queiroz, 20 a Domingos Ferreira da
ilva & C., 50 a Silva Guimarnes & C., 15 a Fer-
Lndes & Irmao, 20 a Jobo Moreira & C., 10 a
aimeira & C. Cordas de linho 3 fardos a Ferrei- d
Guimaraes & C. Cerveja 5 caixas a Almeida
achado ., C. Cognac 1 caixa sos mesmos. Cas-
nhas 1 caixa a Gomes & Pereira, 1 a A. J. da
.sta.
Drogas 9 volumes a Bartholomeua & C
Ervadoce 7 saccos a Fernandes & Irmlo.
Ferragens 5 volumes a W. Halliday & C. Feio-
o 150 saccos a ordem. Flores de sabugueiro 1
rdo a Moreira & Brags.
Genebra 20 caixas a Paiva Valente & C. ]
Linha 2 caixas a William Halliday & C. Livros
caixa a JoiEo W. de Medeiros, 1 a Andrh San-
s. Luvas 1 caixa a Francisco G. do Amaral.
Mortalhas de palha 1 caixa a J. Teixeira & C.
Maqis 3 caixas a Joaquim Minoel T. dc Souza. ]
Obras de vime 4 volumes a J. Teixeira & C.
Papel 1 caixa aos mesmos. Peixe 1 barril a Ma-
oel C. Cunha.
Rolhas 3 fardoj a Scares d'Amaral hI-maos. 1 a
endes Lima & C.
Sardinhas 25/2 barris a Araujo Castro & C.
Vinho 6 pipas a Jos6 Femnandes Lima & C., 50
150/5 a Domingos Cruz & C., 18 e 30/5 a Amo- J
m Irmmos & C., 10 e 15/5 a Baltar Irmos & C.,
2 e 30/5 a Francisco Ribeiro Pinto Guimarnies.
D e 15/5 a J. R. N. da SBilva, 8 e 30/5 a Sowun
isto, Amorim & C., 11 barrios a Nunes Foommeoa
C., 4 A ordm, I a T. Brag, 14 a Guimardea
alWonte, 2 a Doins Ferreira da Silva & C.,
5 caixas a Berast a Ce 20 a fumes & Paei. 1
Sa A. F. d'01 veira & 0.,1 a-G. F. P. Porto. -

I il,' 'D A .ir OTn l rn'l I -,ra-. ., -


y n~ ~ ~ ~~) -4=8~i~t mymN f;itt .
^_vorjim ~ b *amco e.0ncN a toiu^

iem Su u pred^ijoe n, s, p"r6m en-
id$ j lq h4?or.acawneac use
8ae iobuataes e umas nova ;id, dedd en-
tio.nse ldmeiei de ascmoh "a s meus
amgos pars que como en possum gozar
da4 prodgwos dets mca owe femedio.
Como de outro modo -B& poo manifestar
a gratfidlo de respeito quae devo ao inven-
tor denst remdiao Sr. bimuw C. de Fi-
gueiredo e prowagador Antonio Pereira da
Cunha, offereo-hes estat para ser publi-
cada, e as im chqgar .ao aoo.euimento de
todos.
Pilles de Bananeiras, na provincial da
Parabyba do Norte, aos 22 de novembro
de 1884.


Escola particular

RHiM hllt IB n
(ANTIGA DO SOL)
Anna Theodora Simiea, avisa ao respeitavei
publiceeo e as pais de suas alumnas, que no dia I
de janeiro proximo vindouro, prineipiRao 08 tera-
balhos lectivos do seon estabelecimesto de ihatre-
91o primaria, continuando a receher alumnas in-
ternas, meio-pensionistas e exterfma, esperandb
dos mesmos o acolhimento e protecco que sempre
Ihe dispensaram, certo de que empregari. todo
esmero no adiantamento de susralumnas.

Coilegio da In mmadaio.

ceit -
IRna do lKepft a. 4* I
As aulas deste collegio abrir se-hSo a 15 de ja-
neroi, continuando a ter aulas 'iafrias pra todoe
os preparatorios e um corpo docente do mais re-
conhecido merito.
Admittem-se alumnus interns, meio 'pensionis-
tas e externas.
A direotora,
Maria Cod. o da Silva.



I Dr. Mello Gomes
Medico operadr {

SRua do Barao da Victoria, antiga
ruanNova n. 37, 10 andar

Onde pode ser proourado A qual-
quer hora do dia e da noite. "Constw as }
das 10 ao meio dia. Recebe chamados
por escripto e para fora da capital. De (
dica-se corn especialidade ao estudo de
Sfebres, molestias de peito e affect 'es sy-
philiticas de ambos os sexes.
S APPARELHO TELEPHONICO N. 156 }





EXPOSICAO

B3 MOiNCTOS BUNIMoiOS
Achando-se nomeada pela AssociaAo Commer-
cial Beneficente, a commissiao abaiso assignada,
)ara agenciar products e todos enoutros artigos de
nanufactura desta provincia para expos, a quieco'
-ai ter lugar em Antuerpia (Belgica), tern immen-
sa satisfalo em cunvidar aos senhores agriculto-
es, assim como aos senhores artists e a todos em
reral, que quizerem conconorrer eom sens esforcos e
,species, para mandarem entregal-as na Associa-
*ao Commercial, A rua do Commercio, Wat o fim de
aneiro de 1885; pois que destc incentive poderi
sobrevir algum desenvolvimento e bem commum
Ie commereio corn o estrangeiro.
Joao Fernandes. Lopes.
Jos0 JAo9 de Amorim Junior.

0 Dr. Adriao
MEDICO
Continue a dar consultas das 11 as 2 horas d6
iarde, em seu antigo consultorio, A rua Larga dc
Rosario n. 36, 1. oandar. Chamados por script
uqalquer hora, na pharmacia Barholomau & ..


Cajurubeba

lima cura milagrosa!
Illm. Sr. Firmino Candido do Fiigueire-
o e Antonio Pereira da Cunha.-Eu abai-
;o assignado, afirmo que soffrendo de uma
scrofula a mais de 18 ou vinte anaos, a
ual pur mnitas vezes, me deixou em esta-
o de abatimento; a nao nuphr esoapar, e
ando a principle tornado diversos remedies
e curandeiros, tratamentos medicos, to-
aei mais Salsa Parrilha de Bristol, Seal-
a Parrilha de Ayer, SSalsa Caroba e Ma-
acd de Eugenio Marques de Hollanda, po-
A. Vfeira & C., 13 a- Narciso Mais & C., 4 a
rancisco de Azevedo & C., 16 a Souza Moutinho
C., 10 a Olinto Jardim & C,, 36 a Rodriguoes
ima & C., 2 a Francisco Lauria & C., 4 a D. P.
Vild & 1 a Alves de Britto & C., 1 a Fer-
indo Silva, 4 a Beraet & C., 4 a Monknrd
[uber & C., 1 a E. G. Cascilo, 8 a Bereardano
[aia & C.


Pars New-Yo-rk, K--I.Jda Rocha 1,424 saecos
com 106,800 kilos de assucar mascavado.
== No patacho inglez Reldnan, carregeu :
Para New-York, J. Pater & C. 5,900 saecos
crum 442,500 kilos de assucar mascavado.
No patacho inglez Wern, carregon :
Para. o Canal, J. S. Loyo & Filho 2,000 saecos
comrn 150,000 kilos de assucar mascavado.
= No vapor allemao Hamburg, carregou :
Para Hamburgo, Pohlman & C. 164 couros sal-
gados corn 1,968 kilos.
Para o interior
= No patacho norueguense Vermern, carre-
gou :
Para o Rio Grande do Sul, B. Oliveira & C
50 pipas corn 24,000 litros de aluardente.
= No brigue inglez cambrian, carregou:
Para o Rio Grande do Sul, M. F. Marques &
Filho 500 volumes corn 51,588 kilos de assucar
branco.
= Na barca national D. Clara, carregou :
Para o Rio de .Janeiro, J. B. de Moraes f,060
eocos fructa.
= No hiate nacioual S. Ambrosio, carregou :
Para Macahyba, M. A. Senna & C. 4 barricas
cem 243 kilos de assucar refinado.
= Na barcaga Abismo, carregou :
Para a Cidade do Passo, D. Gouveia 5,000 litres
de sal.


MOVIMENTO DO PORT
Navios entrados no dia 13
Rio Grande do Sul-26 dins, pataeho-norueguense
Zaiitra, de 167 toneladas, capitio N. Buinstad,
equipagem 7, em lastre; A ordem.
Rio de Janeiro-11 dims, patacho normeguense
ljartan, Je 327 toneladas, capitio B. Jensem,
equipagem 9, em lastro; A ordem.
Sahidn no mesmo dia
iio da Prata-Patacho allemlo Elegante, capitio
H. Seitas, carga as'war.
ObservaqUes
Suspendeu do Lamarao para Macei6 o patacho
nglez Mary E. Bliss, capital M. Fanning, em
astro.
Pars Guam suspended a bares norueguenae
Roma, capital H. Skoaard, cm lastro.


VAPORES ESPERADOS


VUe de Maceid
adpirito Santo
Xarnas de Caxias


da Europa
do Ml
do norte
da Bahia





decPl
-4-.


a-hi


siB
e 18
A19

Sal~

AD
,amJ


1W ~
~TI
V t-s- .2
b a~wovado.


kfabJilMftlM.^
i. --.. ..-^. a-j^S^
W1WUM-,
B^q&kA^dh&.
W^K^HHk ^^^*^^H- *
- *l/ '*


CcamdbiN*, Aez d lranqa.
SReoonhego verdadeira a firma supra de-
clarada, ser do proprio assignante e dou fh.
Villa da ILadpndencia, 2 de dezembro de
1884. R-n tsetemunho de verdade o tabel-
Ul puWiaoA- Ara JSaeier Cavalcante



HNke e opmdor
De volta de uam viagem A oe frequen-
tou os hospiftaes de teado ito um curso es-
pecial de -pasrtos e mdlest.m deeuhorua, d con-
sultas no seu antigo coosu.toio rua Duque de
Caxia n. 48, do meio dia as 2 heas.
Especialidade,: molestias de orianeas e de se-
nhoras.
Recebe chamados por escripto ou no sen consul-
torio, ou eam sun residenciaA A xa do Barno de S.
Borja n. 30.


OCULISTA
0 Dr. Barlmelo Ia j medico
oculista ex-chefe de cinema do Dr. de We-
cker, de volta de suna viagem ao CearM,
continaa a dar consultas A rua do Bark da
Victoria n. 45, segundo andar, de 1 As 4
horas da tarde, except nos doningos e
dias santificados. Chamados em sea con-
saltorio ou em casa do sua residencia
rua de Riachuelo n. 17, canto da rua dos
Pires.

Escola particular

mixta
Rua Direita n. 27, 2- andar
Maria Hermina Pedrosa, professor habilitada
pela escola normal, com 10 annos de exercicio.
participa aos senhores pais de seus alumnos e ao
roepeitavel public, que dea eomeoo aos seus tra-
balhos no dia 7 do corrente. Aproveita a occa-
silo para agradecer a confianga quo ath hoje tern
merecido, e appellande a consciencia de nao te-
rem side baldados os seus esfornos afim de satis-
fazer fielmente os deveres a que se imphem, de
novo solicit a continuaio da honrosa missiva, e
para aquelles qae ainda nito se dignaram dispen-
sar protecclo e confianea chama-lbes sua parti-
cular atten9ao.


COLLEGIO

DOUS DE DEZEMIBRO0
RI tam-ua do Hoasple'o n. 5 ).
Resultado dos exu. es officaes prestados
polos alumnos deste collegio duraute o
anno de 1884.
Portuguez
Alfi-edo Mameliano de Castro Quintaes, approva- I
do plenamente.
Josh Francisco Bandeira de Mello, approvado.
Joaquim Gongalves Casceo, approvado plena-
mente.
Francisco de Paula Gonaalves Casceo, approvado. ]
Manoel Guilheime de Athayde, idem.
JoaLo Xavier C'arneiro de Albuquerque, idem.
Castor Athelano de Souza Lacerda, idem.
Josh Populo de Mendonca Vasconeellos, approva-
do plenamente. I
Pauline Augusto Velloso Freire, approvado.
LT curgo Pimentel de Albuquerque, idem. N
Francisco de Barros Cavalcante, approvado pie- A
namente.
Edgardo Cirne Lima, idem.


I

J


Geometria
D. Maria Amelia Cavalcante, approvada plena-
mente.
Francisco de Paula Cysneiro Cavalcante, appro-
vado.
Diego Salomonio A. Maranhuo, idem.
Joao Pacheco de Queiroga, idem.
Jolo da Costa Ribeiro, approvado plenamente.
Manoel de Barros Bezerra Cavalcante, approvado.
Godofredo Moscoso da Veiga Pessoa, idem.
Cicero Martins Pessoa, idem.
Manoel Ephisio de Queiroz Monteiro, idem.
Irineu Erasmo P. Jutuca, idem.
Lyeurgo Narbal Pamplona, idem.
Josh Marianne Carneiro Leao, approvado plena-
mente.
Victoriano Rigueira P. de Souza, idem.
Manoel Gonsalves Lima, approvado.
Joaquim Andrh Bentzen, approvado plenamente.
Bemrnardo Sampaio, approvado cornm diatinceeo.
Algebra
D. Maria Amelia Cavalcante, approvada corn dif-
tincio.
Joio da Costa Ribeiro, approvado.
Manoel da Cssta Ribeiro, idem.
Bernardo Sampaio. approvaao plenamente.
Irineu Erasmino P. Jutuca, approvado.
esWamo
Approvados corn distineglo 3
Approvados plenamente 54
Approvados 70


Reprovados 25.
Deixo de mencionar nests list, per ignorar o
grao do approvagso, onomne do Sr. Caetano Cor-
reia de Queiroz Monteiro que fez exame e foi bem
sneerldidoem latim, inglez, geographia e anith-
meLuca ; bem coma o do Sr. Laurentino Antonio
Moreira de Azevedo que :ez asame de francez,
inglez, latim, arithmetic e rhetoric, mas cujo
resultado nalo me foi communieado.
Juntaudo o reultadoedes exames do Sr. CGacta-
no Correia de Queiroz Monteiro ao resultado ji
conhecido temos :
Approvados 131
Destes 16 teominaram o caursoe de preparatorios
e matricularam-ae em diverse faeuldades do irm-
perio.
Recife, eoilegio Dous de Dezembro, 9 de janei-
ro de 1885.
0 director,
Josd Baudeira de Meflo.


La~ein partlicular
Papa o sexo Femealme
D. Maria dos Anjos Dormellas Ca-
tara BM B ebilaMa, tai aberto
a sua aipmi )bm e p omflsamu.70, 2.
*mdarbum patieular de primiraal ettra, pars
PaT Aded a.d- s B s a a.is'imu
Sii r-ad-veme.n
1rabal f agBiM.Amnplo1 rty a; quvn


m -- r r
Fabio Rinollhin idem.
Repevads 2.
Isgiem
uyav, appprovado.
iranuiso de Paula lie Junior, sapua&sdo phI
namente.
Gaspar Menezes de Duaumnud, idem.
Ayres Gama Filho, approvado.
Josh Nogneira de Souza Filho, approvado plea
mente.
JoAo Olympio Theodorero da Silva, idom.
O.taviano de Siqueira Cavalcante, idem.
Francisco de Paula Gonyalves Casclo, appro
vado.
Thomaz Ling Caldas Junior, approvado plena
mante.
Horacio H. Carneiro Leo, apprevado.
Irinet Erasmo P. Jutuca, approvado plenamente
Jos6 Marianno Carneiro Leao, idem.
Beprovadoes 5.
Latm
Joaquimn Guedes C. Gondim Filbo, approvado pie
namente.
Octaviano de Siqueira Cavalcante, approvado.
Braz Carneiro Leao, idem.
Francisco Gomes Parente Filho, approvado piel
namente.
Thomaz.Lins Caldas PFilho, idtan.
Espiridilo Buarque de Lima, idem.
Manoel E.phisio de Queiroz Monteiro, approvals
eom distincco.
Fabio Rino Filho, approved i plenamente.
Firmino Antonio de Souza Vianna, idem.
Lycurgo Nasbal Pamplona, idem.
Joas6 Marianne Carneiro Leoo, idem.
Epaminondas Leite Chermont, approvado.
Rtegorifta
Alfredo Mamelian- de Castro Qmuntaes, appro.
vade.
Francisco de Paula Leiva Junior, idem.
Gervasio Pires Pioravante Ferreira, approvadc
plenameate.
Jolo de Carvalho Soares Brandio, approvado.
Theophilo Torquato de Araujo Saldanha, idem.
Joaquim Jos6 Correiade Araujo, idem.
Antonio Gitirana, idem.
Heraclio Gitirana, idem.
Josh Gitirana, approvado plpnamente.
Luiz Augusto Cirneiro dd Albuquerque, appro-
vado.
Alfrede A. Gama, approvado plenamente.
Caetano Correia de Qutciroz Monteiro, approval do
Manoel Guilberme de Athayde, idem.
Jose6 Candido Dias, idem.
Raymundo Cunha, idem.
Manoel Ephisio de Queiroz Monteiro, idem.
Reprovados 4.
Geographia
Josh Nogueira de Souza Filho, approvado plena-
mente.
Francisco de Pcula Leiva Junior, approvado.
Luiz Jose6 Burlamachi Monteiro, idem.
Alfredo Drummond, idem.
Antonio Miguel Nogueira de Souza, idem.
Arthur Cavalcante de Aibuquerque, idem.
JFusio Luiz dos Santos, idem.
octofredo Moscoso da Veiga Possoaes, idem.
Aristheu Pinhciro de Mendonga, idem.
Julio Pires Ferreira Sobrinho, approvado plena-
mente.
rhomaz Lins Caldas Filho, idem.
Firmino Antonio de Souza Vianna, approvado.
gspiridiio Buarque de Lima, approvado plena-
mente.
Fabio Rino Filho, approvado inom distincgao.
loracio H. Carneiro Leao, approvado.
rinen Erasmo P. Jutuca, approvado plenamente.
(ictoriano Rigueira P. de Souza, idem.
Foaquim Andr6 Bentren, idem.
Reprovados 7.
IHistorla
oLo da (Costa Ribeiro, approvado.
Llfredo Drummond, idem.
Ianoel Gonualves Lima, idem.
lanoel Policarpo Moreira de Azevedo, idem.
juiz Correia de Queiroz Barros Filho, approvado
plenamente.
lanoel Ephisio de Queiroz Monteiro, idem.
rineu Erasmo P. Jutuca, idem.
os6 Marianno Carneiro Leao, approvado.
Tictoriano Rigueira P. de Souza, idem.
Lifredo A. Gama, appravado plenamente.
loaquim Andrh Bentren, approvado.
Phlesoolpia
). Maria Amelia Cavalcante, approvada,
oao da Costa Ribeiro, idem.
ogo Carlos Camboim de M. Vasconcellos, idem.
'irmino Antonio de Souza Vianna, idem.
aos Marianno Carneiro Loao, approvado plena -
monte.
Tictoriano Rigueira P. de Souza, idem.
1lfredo A. Gains, idem.
emnardo Sampaio, idem.
Reprovados 3.


T^ ^ "' f I-'!..'.S,.L '., '-'' f .

Aol e4o o aWiid



ra das V itela -
RUA DO HOSPICWiO N. )
date collegio continuarA dimLom a lectiv.
de 1885, abrindo suas aulas nod il 0-d n umee.im
Admitte alumnas internal, semi-internas e ae-
ternas.
As dresoraa
Blanc/e d'Herpmtbrpe.
Baroene Luie d'HerpeL

VACLLEGIC


I.









I.








K


Os semi-internes da eschola in-
fantil


Os semi-internos do curse se-
cundario 100509
Lavagem e engommado de
roupa 200.00
Externos do curso primario 2%OM
Externos por qualquer classes
do curse secaundario 154000
Per qualquer classes de artess. 151M00
Piano 30#000
Resdultado dos exames offlciaes prestados p-
los alumnus do collegio durante o an imed
184.
PORTUGUEZ
Manoel Cavalcante do Rego Barros, #p-
provado plenamente.
Joaquim Nunes Ferreira Coimbra, idea.
Jos6 Luiz Gongalves Ferreira, idem.
Arconcio Camboimn de M. Vasconcell,
approvado.
Elisio Alberto Silveira, idem.
Andre Dias Pinheiro, idem
Alfredo Olyntho Barbalho, idem.
Antonio J de Rego M. Netto, idem.
Carlos de Paula Lopes, idem.
Justino E. das Neves, idem.
RRANCEZ
Zeferino Pontual, approvado plenameute
Manoel C. do Rego Barros, approvado.
Carlos Adour, idem.
Manoel S. Nunes Machado, idem.
Jos6 Martins Fiuza, idem.
Reprovado 1
INGLEZ
Josh Gaspar da Silva Loyo, approved
corn distincfAo.
Afredo Felippe da Costa, idem.
Joaquim Nunes Ferreira 2oimbra, ap-
provado plenamente.
Joao Custodio de B Cos;a, idem."
Alfredo da Silva Loyo. idem.
Manoel C. do Rego B. approvado.
Andre Dias Pinheiro, idem.
Joaquim S. de Arruda Falcao, idem.
Joh Luiz G. Ferreira, idem.
Reprovados 4.
LATIM
Horacio de Almeida Guimaraes, appro-
vado plenamente.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idao.
Joao Custodio de B. Costa, approvado.
Manoel Cavalcanto do Rego Barros, idea.
Joaquim N. Ferreira Coimbra, idem.
Joaquim Siqueira de Arruda Falco, ideam
Pomp -o da Silva Loureiro, idem.
Leonidas A. de Mattes Torres, appu-
vade.
ARITHMF.TICA
Josh Hugo Gongalves, approvado ples-
monte.
Sebastiao Lins Wanderley, idem
Joaquim S. de Arruda Falceo, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, ap-
provado.
Joao Custodio do B. C'.sta, idem.
Andrn Dias Pinheiro, idem.
Pompeo da Silva Loureiro, idem.
Reprovado 1.
GEOMETRIA
D. Demhnira S. da Costa, approvado pie-
namente.
Entichio Autrant, approvado.
Josh Hugo Goncalves, idem.
Joafo S. de Arruda Falcao, idem.
Eduardo I. Ferreira da Silva, idem.
Josh N. Ferreira Coimbra, idem.
Josh Ferreira Muniz, idem.
Praxedes B. de Mendonga Vasconcell
diem.
Jolo Custodio de Barros Costa, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, ides.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, i<&-
GEOGRAPHIA
Pompeu da Silva Loureiro, approvaid
plenamente.
Joao S. de Arruda Falcdo, idem.
Joao Cuntodio de'B. Costa, approvado.
Eduardo J. da Ferreira da Si'va, Nlear,
Josh Martins Fiuzs, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idea.
Reprovado 1.
BGE8TOBIA .


Jolo Siqueira de A. Falco, approval
corn distincco.
D. Delmira S. da Costa, approvada epie-
namente.
Josh Ferreira Munif, approvado plena-
monte.
JoshN. Ferreira Coimbra, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
provado plenamente.
Jolo Castodio de Barros Costa, app'-
rado.


RUETOICA
Joao s iqMn de h 1.i-YFeh,
vado .l$ uate.


app-


.' W i, .
;* -
B:'.:
'*' '* .,*
.* ,"' *' *'- *"'* ^ .
" 4"k ,:"'' ''') :'

'- S -,;


6%- -
_l :. -: .: -" -
-.. -..-i -'.., -


I -.-lk '. .. "-


Arithmetic
Diogo Salomonio A. Maranhao, approvadc.
[oao Pacheco de Queiroga, idem.
Luiz Josh Burlamaqui Monteiro, idem.
Fobo Carvalho Soares Brandao, idem.
tanoel da Costa Ribeiro, idem.
Lntonio Espinola Ferreira de Oliveira, idem.
Virgilio Cicero Carneiro Leao, idem.
Jos Ricardo de Souza Bandeira, idem.
Espiridiao Buarque de Lima, approvado plena-
mente.
lanoel Ephisio de Queiroz Monteiro, dem.
Joaquim Andrh Bentren, approvado.
Reprovado 1.


I

si


a-


/







J!






" .--
I.








it
.i ..
...
.1 .:.
wbS^

' -.:.





.d


127


Total


-.It A


InstiUto Acadtemico

153 RnlBVlcala hdaGoyaia 153

Este eollegio, estabele.io eram urm dos
mais vastos edificios d'eata cidade, acha-fe
convenientemente preparado para ireoebr
alumnos internos, semi-internos e exteram.
A situasgo do edificio em um dos lugaum
mais hygienicos, a disposigio dios e ales d
estudo e dormitorio de acordo sgm a boa
discipline, a excellent chacara, pare re-
creios, o corpo docente e a longa pratica.do
director nas materi. do ensino devoem er
penhores assaz sufficientes de optimo dese.-
volvimento physics, intellectual e 'aermld ida
infancia.
Pemoses e lamerameos
Os pagamentos sio f itos adiantamonte
per trimestres nos 5 primeiros diias dos me-
zes de janeiro, abril, julho e outubro. -O
director nao fornece objectoalgum ao alum-
no, salva a conveuglo corn mseun pae ou tutor.
Os alumnos interns pagaram per
trimestre 1500OM


7560W





















distino3o 3
23
45


STotal 71
ReprOados 10.
.Pra eonhecimento do pablico o director
ed coUegio doelara quo os cursos do anno
ketivo comentoaro a 15 do janeiro de 1885
Recifo, 24 de dezembro de 1884.
I 0 director,
S.Josi Ferreira da Cruz Vieira


Collegio Pedro II
S..Caes do Ramos n. 82
As aulas deste estabelecimento principiario a
fnoeionar no dia 7 do corrente Rccebem-se
ahumnnos internos, mneio-pensionistas e externos.


THE EQUITABLE

(A EQUITATIVA)

8htic e de Seguros sobre Vida,

do Eslados.Unidos

S Eserlptorlo central, em Nova-
York, Broadway n. I0O
E3serlptorlo filial, em Londres,
Cheapside n. 81
Eseriptorlo filial, em Paris,
Avenue de lOpera n. 36
Z riptorlo filial, em Hamburgo
Neueberg n. 22
Bscrilptorlo filial, em MADRID,
Carmen n. 23
e em todas as principles
eapitaes da Europa e da Ame
rica 8eptentrional e leridional

PLANO PIJRMENT MUITUO
Durante o seinmestre decorrido de 1 de janeiro atW
30 de junho proximo passado, pagou esta compa-
Bhiador 38 8 sinistros (mortes) a importancia to-
tal de 1,827,217 dollars ouro dos Estados-Unidos,
m nem moeda brasileira cerca de 4,600:0005, sen-
do:
Em janeico per 60 sinistros A 268,925
Sfeverciro por 50 209,615
r maro por 75 252.1863
abril por 84 396.261
Smaio por 61 A. S 409,595.
Sjunho por 58 ) $ 290,635)


Sinistros na im
Tceara'o At Inglaterra
A Escossia
A a IrLinila
n ao CanadA
SAslndias Occid.
a Franca
a- Al'emnanha
A Hespanha
A A Suissa
H ao Chiie
ao Mexico
.a- aos Estados-Unia.
Total
Durante o niesmno period
em 1883 :
BEjameiro per 56 sinistros
, tevereiro v 55 v
* marco 75 ,
Sabril 54 o
a maio 65
ajanho 64
Total por 369


niportancia
6de 19,12?
5 A i 10,00(W
2 a 5 22,500
8 -0
8 Is 0 ,.,,0i K)
10 s o 87,000
2 4 12,00(1
2 ,68U
6 ; 30,00(1
1 15 7,0(0i
3 4 17,00t,
6 A 28,00(0
337 4 1,558,912
388 4S 1,827,-217
pagou a companhia
S 4 199,90)
4 22.,112
S 255,654
S- 232,205
S 365,358
X 227,370
A 1,500,59.


0 rateio da mortalidadc sobre os seguros vigen-
teo era em 1883 de 1 10/100.
0 total page pela eompanhia nos ultimos 25
annos, por sinistros, dividendos, annuidades e
liquidaw'es de ap,.iiccs, era em 31 de dezemnbrc
proximo passado t 83 877,699 51/ ou m/1m........
200.0000005000.
0 total dos havcres da companlhmia em 1 de ja-
aeiro de 1884 era S 53,030.582.00; o total de sams
respousabilidades conforme a taxa de 4 1/2 0/0
padiho do Estado de-Nova-York) A 40.020825.00;
deixando o pnorme surplus, f.undo de reserva, a di -
vidlir-se E.itre o0 mutuarios (poesuidores de apoli-
aem de 12.109.757.00 ou cerca de 30.000.000,000.
0 rateio dos haveres da eompanhia por cada
it 100 de sua responsabilidade e de A 129.
fExtrahido dos Relatorios Officiaes).
As pessoas deaejando i nformaoes ou querendo
fazer umna proposta para segurar a vida, podem
dirigir-se aos Srs. Henry Forster & C., os corrms.
pondentes, ou ao 8r. William Munn Webster, rua
aio Commereio n. 3, o encarregado dos negocios da
eompanhia, nesta praVa.
Recife, 7 de Novcmbro de 1884.-T77eod. S;mn,
Agent geraP neste imperio.


Insliltutlo 19 de Abril

4.-1Rnn do BNOi'0Qd 8. Bofia--l4
DIMECVo DO
Bacharel Luiz da Costa Ferreira P.
Carreiro
As aulas d'este institute abrem-se no dia 7 do
eawrente.
Pentgea e bonorarlos
Interno por trirestre adiantado 140500)
Por mea .. 50000
mais de um irmlo tern o abatimento de 5 0ow sobre
da penso.
-Seui intern d'aula primaria ou de uria
r6 aula- superior 754000
iDe aios deo umna aula superior 100000
Ezteao d'auita pnimaria por trimestre 155000
De ma aul superior por trimestre 205000
D, iso de nit aalk superior por tri-.
,,roif i305000
- 1vagem de roupa 15JO' 00
Daesa, muica, on desenho, por itrimes-
trde dca udanma 20000


SPhilotlico
)0 VISOONDE DE AL-
QUERQUE-33
ln*;Kil primaria


Ingim


Eisu doe sa,,o
4
0 uano lectivo de
janeiro de 1885.
enmi-internas e exb


IlA$l M (aMiga do
Ulegio ofiegarA em 7 de
l.-e Alanau internal,
4.= Abetors,
1. Adour.


Embarque
0 cirurgiAo dentist Jose Basilisco par-
tecipa aos seus clients e aoigos, quo so-
gue no dia 5 para o sul, em busca do Mie-
ihoras A sua saude, e espera quo na sug
volta continue a dispensar-Ilie a confian
ga, corn que sempre o distinguiram.


Insliluto vaccinico
Mua Larga do lobari n. *6 I a day
Funciona todos os dias uteis de 10 as 12 horns.
0 director
Dr. Arruda Beltrao.
Aula partleunlar de prlmelras
lettras
Antonio Cesario Moreira Dias Juialor tern aber-
to, A rua das Nymphas n. 2, umna aula de primei-
ras lettras que come"ara a funeeionar no dia 8 do
inez de janeiro vindouro.


COLLEGIO
D

NOSSA S. DA PENHA
Rua do Cabugia ns. I e 9
S segundos andares

Os trabalhos deste

collegio comecarao a

12 de janeiro.

As disciplines ensi-

nadas sao: primeiras

letras, portuguez,

francez, inglez, alle-

nmao, geographic, his-

toria, musica, piano,

d(lesenho, costuras,

bordados, etc.

Admittem-se alum-

nas internal, meio-


pensionistas


e exter-


nas.


iollegio do Santissiino

Cora ao de Jesus
I- sec collegio para instrucclo do sexo fo
inimno e qu, funec-iona no predio ni. 15
da travcssa do Veras, abrirA suns nulas
no dia 12 de janeiro proximo.
Tendo feito acquisiciio de bons profes-
sores para as materius quo constituent o
onsino do mnesmo collegio, acha-soe nas ,uc-
Ihores condiOes dc preei-ncher o sou fin.
Slo professors os seguintcs Srs:
Primeiras ietras-D. Maria Luiza Sam-
paio.
Portuguez Dr. Joao Feliciano da Matta
e Albuquerque.
Arithmethica --francez e geographic
idem.
Desenho Jeronymno Jose Tlles Ju-


nior.
Piano e mnusica a director.
Alin dessas disuiplinas, o coilegio
trabalhos d'agulha, bordados, etc.
Recife, 31 do dezembro do 1884.
A director,


ensina


Vicentza Cesaria de .31dlo.

oilgi0o dto Nssa Siino ra daPz
No dia 12 db correonte serA inaugurado
A rua do Barbo da Victoria n. 46 20 andar
corn o titulo acina, urn collegio de educa-
aio para o sexo femenin.), recebendo alum
nas internal semoi-internas e externas.
0 ncasino compor-se-ha das materials do
curso primario c secundario, alhin do di-
versos trabalhos d'agulha, desenho e piano
come ver-se-ha dos estatutos que se distri-
buem no mesmo collegio, nos quaes a di-
rectora especifica o ensino e as qualidades
dos trabalhos
Quaesquer informagoes poderao ser da-
das polos iEms. Sr. Rvd. vigario da fre-
guezia de Santo Antonio e Dr. Miguel de
Figueir6a Faria.
A director,
Mariat da Paz e Freitas.


Collegio de N. S. das



Este estabeleimeato de instrueo primaria e
secundaria parms "o femeniso tern a sua es de
em uma contortavel chaear sna Ponte d'UeOha n.
10.
As materias onainadaa no colleglo lo a sne-
guintes : Relig portu fane, ingle, ialle-
am, historic, geoapia, demenhe o pnlut.
ra, bordadon e fler.
As lingaa ibllade no. coegi .. as franeea
Inglesa e afleml, pana a quae te mestras que
reqidem mo coflegw- .


VIIITE5IA # N. wN 4; W jj,
rpapei 'ah ao (PhioSi ( u), ..
SOCIrDAD PT0RL A C TjO0 ESl P 41`0tj 0
lIEII S S< .,ito dit-.io mm paM ,preo,4N fb *..
Papel paa. officio mar do cuforme o modello,,
S 'Dito fre a mues, rn: o.
t rprem" tellf thto matte bord bomwfolha
'PRNAM1DUW KPOpsbo 'e al palm opuad^r',idem.
Vit do emrnbalho bort idem.
^ ~ ~ ~ ~ ~ er praoimei kilo.< ^ e v3
Pesos d i* r.
2 -LARGO DO CORPO SANTO-- Papel raial puta4o, folha.
flito chne W-
Michina suJperior, systems Singer e D hPam-0 d gross.
Whrcler & Wilson. Ditos de ft ", ider.
APEROWEI ,OGADAB DNitoa ditos -eomn pores, urn.
PREMLADAS EM TODAS AS EXPOSES Piche, litro.
-- Pdos de bronze, gramma.
Pineeis chatos rodondos sortidos, urn.
SDitos de pensostidoes pars pinturas, idem.
lma preto, kilo.
Preto cortigo, idem.
S rDito marfinj, idem.
Preinsa pars copiar, idem.
Pavios par candieiro, idem.
P6s amricanos, idem.
Plainas corn dois rrosr. idem.,
Pao de ouro franoeez, litro.
rados, grades e entros insrtuPi~ecis Balormnho (para ouro), uum
Pennas Mallate exafinas n. 10, caixa.
m en 1Panceis pars copiador, urn.



nicoaent os agrmadolasrcne S o WAPennas de do eseanhoy,eartAo.
305 medalhas diploma as em Qaartinhas, uma.
10 >u 6s Houxo terra,.kiflo.
0 annes IDito rei, idem.
Theo. Just Raspadeiraseabo de marfim, uma.

SRrrotes gradesukilo.
0 -m..Sr.Corprs anto.--,IT g Sabonetes, urn..
17 ... CrpoSant-4 7Sobrcsalentes de matt& borr,o cylindilo 0,09, urn-
PERNAMBUCO Snlfato de maguineial kilo.
Unico agente do afamadofabricante .. cnta fl o, kilo.
SdBtcante fezes, kilo.
Sol da de estanho,.kilo.
Jt-"G 0'_.Sbla forte,.kilo.
lgi t L dooeipi amareillo, kilo,
flo z L Sola iS ingleza, kilo..
Ilefereneias: Saudalo, kilo.
0 Ih1m. Sr. Dr. Ignacio ue Burros Barreto, go- Sinetas, kilo.
rented dai s eiodad,. Auxiliadora da Agricultura.; Tinta :1 tampon;, frasco,
0 I1m. Sr. Dr. Ignacio de Barros Barruto 1,' h)ita carmim, frasco,
lho, noeng-enho do Meto, Varzea. Dita dita,.pito.
Dita preta. (bUen black), litro.
______, ____ in_______- teirosa de vid, ro.um..
TriniSa deEof metalhico, de 2-3,Om a 30,0) uma.
EDI AESTmaix-a de cobre,mrasso.
l)ita de. latiuo, mae).
E dita n. 39 QTrado de-anuele rosa, unm.
EdiO al 11. 3-9 rToalhas felpaas grandes, uma.
mv Tijoloa franceees, um.
1a pra1'a Tinta verde-eromo, kilo
De ordem do Illm. Sr. in.oector, se faa public Tmita azul ultra-mar, kilo.
que ais 11 horaas do dia 14 do cor-rente mez serA Tnta saimpes.a lithographia, kilo.
vendida em lcillo, no trapieheo Cncci.Ao, a mCr- Vidros branch 0o75ix4-35ax00i2, kum.
cadopmia abaixo declarada : Vidros broncos 0j660x0486x0002, urn.
i Armazem n. 7 Vidros fuscos 0,560x0130x0OJ 3, urn.
Marea CWR, 9 c ~ixaas n. 1 A 9, vindas dt Vitros fuscos 0,850x0420x0003, urn.
New-York no vapor americano Finance, itrado Veruiz. bronco, litro.
cmi 18 dto mainu d.- 1881, coiteudo folhlinlh.,s in.,- Dito peto jipio, litro.
pressas em umna s6 ;Or, pesapesud peso iqnido 350 rito gld sine, litro.
kilos abandonadas aos direitos por Adamson Ih Vassoaras de piassavas, nma.
wI Terceira sca i AlfnTia& o D)itasamericaias, uma.
cot1creeira seeo da Alfnd85 a d. P Ian~b"r Vtlas do spannacete, kilo.
co, 10 de janeiro de 1885. Vidiros para niveis d'agua, urn.
Cicero r 0 e h fe, Verniz de litographia, kilo.
_Brasero de MtO1e- Vermelhbao da China, kilc.
-------- ,Zarcio, kilo.
Prolongamento. da Estrada deZinco em barra, kilo.
Ferro do Recife a& Sl. Franelveo 0 fornecimento serA contratado per seis mezes
e e st.rala de Fer- do I=eeia. cfito couforme as sespectivas reqis "es..
i d Fr drtor.t i Os objectos serol de primeir qt,"-.L.idado ..entro-
IlUdihillrU gues convenientminente acoiLdicioenados no alms-
.I) oridem do Ilie. Sr. director ena2gnheiro ln-fn, xarifado ou na estaio' das Cinco Poutas, segundo
fit, ,p.itic:, publieo qi ate o dia do corren (I I .
Pt exigencia do servi~o.
msujm amo win th j no oacript ent 0'p4 ld-c m t eitario eAcu r.-se-4ie as amostras,
1li oa irudi da Vit-,ria n. rcc.ub-nse prop t|a, mi .assiao -esclarecimoentos naecessarios. At
emit tarta fchatda para o f1rnecinento 4t1,s objoetose, pr0postas serilo abertas e lidas no lugar,. din e ho-
seguiites necessarios aos trabalhos da repalri;m:,,i-ra acima indicados na presence dos Srs. propo-
Arime tidc cobre, khlo 1I neutes que deverito assignal-as e indicarnas mnes-
Di)to de latiao, idemn mas suas residencias, c o forneimneuto paodera ser
Diito de zinco idem-. ajumtado coin um E6 proponents, ou parcialmente
AlgdnAio da Bahia, ietr-o. confonne as vawtagens offerecidas.
A.o dc Mila,, kilo. ki ecretaria do prolongamonto da estrada dc fer-
A,,ua raz, litro. lo do Recite ao S. Francisco e estrada do ferro
A Ivaiade de zincO0, kilo. j do Recife a Carmarxi, 13 de jaieirt do 1885,
l)ito de ehumabo, idem. I 0 seeretario mterino,
An-ia para inoldar, barrica. Manoed Juvencio de Saboya.
Ahavinmnca ea1catias tie muco, umna. _________________-____________________---- --____
Azaite do coce, litro- 2.a seecuo.-Secretarma djt presideneza de Per-
Dito de peixo, Wit, mmambuco 13 do janeiro do 1885.-Edital.-Por es-
Amarello francez, kilo. ta secretaria se faz publieo de conformidade corn
Acafrao ( tiata,)iderm.-' art. 11 do decreto n. 81"t de 30 de agosto de
Bomuets, un. 1851, o editai abaixo transcripto pondo em con-
Bmndetiras iunpemiae corn dous paanos, ina. cirso -.om o prazo de 60 dias os officios de segun-
Bocaes para candeeiros, urn. I do tabelliao de notas, eserivto do crime, civel,
Ilarbaate grosso e tino, novello. eommcio, privativo do orpaios e a.sentes do
llrochas chatas e redondas sortidas. *Itrmo do Cabo.- spcretarie J. A. de Albuqueru
Bi-rracha em lentol, kilo. i que Maranhao.
Cadernetas emn branco papel ahlna9o pautado bOO EDDTAL V Ps -
foihas, unea. 0 Dr. Luiz Sahazam da Veiga Pesson, jui, mum-
Ditas de pouto ( coxforme modelo) idem. I cipal e deorphaos do termo do Cabo por S. M.
Canetas de madeira, idem. o Imperador, etc.
U:xmivetes bons de duas folhas, urn. .} Faco saber ass que o present edital virem e


Caixas corn colchetes n. 2, 3, 4, 5, uma. I delle noticia tivrem que se acba em concurso
Cestas para papois i tcm. 1 corn o pr-azo de (G3 dias da dita deste os offieios
Cola da Bahia, kilo. ; vti:!!io1 de seguaib t '. lli'o de rlo-,s, eCsrivmO
Cal preta, aiqueiro. do (rin-1e, cive (. : if 'ci ,, p:'i.'tiv.- ,k' orphi,)s
Clhaves inglezas, umra. e1 :ti4s.-mtc3 detu tnrmno,, va-'.) ,i;r flleoim.-!uo ,J!
Ca, iAo dc f. rrniro, ki i,. pro:i-:tari, capita.v) Manoel Jose de S-tutAnna t
(Chamines purat c:mndieiros, un. 'i Ar.:uio. oficios cr'tidos p-io ah'ar:i ti c27 de jul'h
Ca .d.eiroi par t keros.ne, iden. i 1-Sli 1n u1dado 1i )rxr i.-Ia lei nr vufiiil n
Cobre em lniqol, ki!o. '. 1 .' c 5 do maio de 1-3-1, a qual dispoSa n) art. 4
Cadadhom, urn. ,1 o.-. dscrivis das villas do Bomit,, Cab,) e Pio
Cadiados grades patents, idem. i 'Ai-A mt|i liver In rituhos vitalieios, .lassar3 a
Ciscadorcs grades, idem. O : s-riir seuselnpr'g.gas perante as jasti,.:is nova-
Ceimento Portland, barrica. *i mnctc aereada, semn que ihes fatin mister novo ti-
Chaves de parafusos de ago, uma. tulo.
Dita de dita francez, idem. 1 Os pretenulentes dJevr-.to apresnutar suas pR -
Corda de linho, pe"a. coues devidameauto iastruidas nos termos dos do-
Cannes de chumbo, kilo. cretos us. 817 de 3:) de agosto dc 1851, 4,668 de
Shumbe de barra, idemn. 1 5 ie janciro de 1871 e 8,2/iG de 15 dte utuLro de
Carimbos de borracha para datar, urn. 1881, no prazo acmma me-uncimado.
Cadeiras austriscas, uma. E para que chegue mo conhecimiento de todos
Copos de vidro, um. rmandei passar o present qua aserai affivado no In-
Cre, kilo. gar do costume.
Dobradigas de latA.o corin parafusos, par. )-ido e passado nesta cid-ade de S. Agostinho
Ditas do ferro corn parafusos, par. i do Cabo, cm 12 do j.neiro de 1885 -;u, Clarindo
Escarradeiras de louqa, uma. Hermieto tlins, escrivito o escrevi.-btmiz Salazar
Espanadorms de palha, urn. da Veiga Pessoe.
Estanbo, kilo. Conforme corn o original quevai scr affilado no
Enx6s corn mpartello, una. lugar mais publieo e do 'costume, dou fe. Cabo,
Espirito d e vinho, litro. 12 de janro .e 188).-O escrivao, Clarindo Her-
Enveioppes quadratidos marcados, cento. meto Lins.
Ditos pequeninos serm marca, cento. 4
Fardeto de panno pars guards, uma. 1 X n.
Feehaduras de'latio pars gavetas corn parafusob, Ed*I n. 40
uma. 2a pra~a
Ditas de ferro eom parafusos, idem. De ordem do IUhm. Sr. inspector se fax publieo,
Ferro suneeo sortido, kilo. que as U horas do dia 16 d6 mez corrente, serao
Dito dito ing.ez, idmr.. .4 idaa em leillo, no trapiche Coneeoio, as mer-
Ferrolhos de latio pars ports e armarios, irnn. -eadorias abaixo deelaradas :
Ditos de ferro para ports e armarios, idem. Trapiehe Barlo do Livramento
Ferro em le.nol, kilo. Marca MFA, 2 barris de quinto, vasiop, vindos
Forces acionas, n. d e Lisboa no vapor franeez Henry IV, entrado
Formuea sortidos, urn. em 6 de junho de 1883.
Ferros para aoldar, kilo.. Mares NF&O,. 1 dito idem idem no vapor fran-
Qomma arabica em carogo, kilo. esVile de _arano, idem em 11 dejulho idem.


ta dita, r*ieo.
le linho., kilo.


SMarca MFM, 1 dito W lem idIem na barca por-
tgoeza Boina, idam em 2 de novembro idem.
iiarea &TC e contrawaeca G, 10 caixase idem
&Uiverpgol no Yvpor mglezs Author, idem em 8
,**PBto idem, ,*a*couservs de loite, pesan,.


pow& qwB o Ae.s o do todio.
.maw=da pawar a pregeoka 44e ri.iafsd K

qaiveDiasdo Rego~unior.^vf~Smi
Adelino A. de unas Freime


RECARAOES

Indemnisadora
A direeco data co*mpanhia de seguros canvid
os senbores accmstas a se reunirem em usem-
1bla geral extraordinaria, que deveri ter lugar no
tescriptorio da esnauL eompanhia, as meeo din do
,19 dejaaeiro proirmo vindouro. 0 fim da referi-
da reunion a dscusslo e approvaAo, dos esta-
tutos da mesma eompanhia ultimameate reforma-
dos d acceordo corn a lei n. 8150 de 4 de novem-
;bro de 1882. Becife, 8 de janeiro de 1885.
Os directors,
Henrique Bernardes de Oliveira.
Joaquim Alves da Fonseca.
SJos6 da Silva Loyo Junior.

F1 wia ga Boa-vista
0'fiseal do 1I district da freguezia da Boa
Vista, autorisadcoe pelo Revm. Sr. vereador corn-m
missario de edificaoes, declara a quem interessar
possa, que nenhuma obra p6de ser comeVtida antes
de concedida a Heenga da Camara, quo deveri ser
vista pelo fiscal respective, sem o quo os infracto-
res sujeitar-se-Mbo as penas do art. 9t da lei ii.
1129 de 26 dejunho le 1878. Boa-Vista, 10 de
janeiro de 1885.--0 fiscal,
Francisco Antonio Brandcto Cavaleante.
bslilirtuto A eologico e Geogra.
phio Perniambucano
Quinta-teira, 45 do c. rrente, o meio dia, have-
rA sessao ordinaria.
Socretaria do Istituto, 13 de janeiro de 85.
Baptista Reguteira.
10 seeretario,
A C am-L iManicipal dt icla de do Recife
convida aos donos dos est dJ!Eci-ntit.t cornmer-
cile dat frt-iu.'zias ula fGray, P. S. Lourenro da Matti, part virirn seeao conm-
oeteuta aferirm ons. [sos, meodidos e blanmseas dos
mesmos, no proximo mnez dle janiro, sob pena
da lei.
Paeo da C3am.4r; Mnnicipil do LIRoecfv, 30 de
Aovembro de 1881.
Jose Candido de Moraes,
President.
Peamo Gauftano de Ratis e Silv/a,
Secretario.
De ordiduI do Illm. tevmn. r. padre Antonio
de Mell, e Albtiuini'TW, vercador comnpissario de
ecditicaQ:o, sk avii a3 quim initeress tr pjssa, que
as pietic53's dirigidas it lilint. Camnara, pediudo
flicenea para cdii-mr, loverlo s0V1 de aIccor'Io c.)m
:o art. 75 da lei nI. 1129 de 26 de jnnho de 1873, o
tqual t do theor segnmute :
Quando. se tiver de edificar, recdificar, demoiir
ox fazerqualcquer concerto, s, requcrera lieenca
A Camara MNunicipal, na qual se pedirA igualmen-
te o nivi-rncment,. cordeagio e mais preceitos sy-
metricos ; tambema se declarart o nome do mestre
da obra, renovanmio-se a declaracao quando hmuver
mudancA de mecstre.
Secretaria da t'amara Municipal do Recife, 12
de janeiro de 1885.
Pedro G. de Ratis e Silva,
Seeietario.

Thesouro Provincial
Nesta ep4jo pags-.se boj a s eg-inteot'ha::
Professores de iustruceeo primaria de 1' en-
trancia, coin relavAo ao mez de outubro.
Pagacloria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco, 14 de janeiro de 85.
0 escrinvilo da reeeita,
Luiz Epiphanio de Souza.

Thesonrariti dIl EaznIda
Pagtticnt) ,le eottnras no Arsenal de Guecru
De ordetf di him. Sr inspectm-i so faz pubtieo,
quo no dia 15 do corrcnte, As 10 horas da nmiha,
se fard pagnm~nto i,' Arsenal tie Guerra :'s cos-
tureirAi de Lxrdan,'tto do mnes-o Arsenal, t-lat.i-
vamentte a reguada quuinzena do mez de deaewbro
proximo findo.
The.murairia de Fazenda de Pernambuc, 13 de
janeiro de 1885.
0 scretari.) da junta,
F. A. de Olivoira c Silva.

Soecledade Benefleente Luzo
Brasileira
SESSAO SOLEMNE DE POSSE
De ordem do Illm. Sr. director cemvido a todos
os eleitos pars osxliversos cargos na nova adminis-
tra9ao destl Socxodado do anni, carrente a compa-
recerem a sssail soleonne do po.s", a qnal tera
lunar i;) 1. 1 o ., trytrivints ,d,'i ) ) l m 12


horas (14 la :mhiiSi!! s*. *xtc 'i 1Ze Coil -
vite a to i -, "s S's. .>;'i e':n m gc'-rI.
S-er'.t'' : .- '.- & li,'ect. r-i d.t., S .-il Cl l;.u-fi-
ceute L.z1-',ii. ira, 1., -3 14 -d' ij,,, rc') de 1885.
0 -weretarir.
A-tomio Pereira de 1Ma 111hae.s.

Festa de Sant, Amaro
das Salinas
A mesa regedora da irmaridade de Santo Amaro
das Salinas, transferio a fiesta de scu padrociro
para Domingo 25 do correlite, mez, tend lugar no
dia d( Santo Amaro, 15 do corrent, emn sua igre-
ja, As 7 e 1/2 horas da mauhl, numa missae aIs 5
hor:as da tarde o acto da bentilo das imageups dos
altars lateraes, que fidra de novo preparadas c cn-
carnadas; a:, 7 horas da noite a bandeira, serA
conduzida p3r meninas b -m preparadas. Cor
girunld acomnpannhamento e ordem o estandarte do
milagroso Santo Amaro, sahirA de sua igreja para
o masta e', tocando cem todos os sens actos a inu-
sica do 14 batalhio, subindo ao ar divenas gy-
ra'idolas de fogo e rices balncs.
No dia seguinto teriAo comeqo as novenas presi-
didas peio nosso muito digno vigario Augusto; a
orchestra feita e dirigida a capricho polo profes-
soreLydio Vieira.
A mesa regedora pede a coadjuva*io de todos
os seus irmaos e devotos do amilagroso Santo, pare
mair esplendor dos mesmos actors.
Consistorio da irmandade de Santo Amsro das
Salinas, 12 de janeiro de 1885.
0 escrivio,
M. D. da Silva.

A ssocia o Portugue-

za de Beneficencia
Do ordem da directorial scientific aos
Sm.` associados que, a contar de I do cor-
rinte, achamn-se ra execuqAio os seguiitel
artios de le, iapWvado O.em sesslo d' A-


I m
o 0 lhos gibim, OIL
socios, tontdo aid,(*a*&
oa fita a lesitima00 0o5 6meaea
antes do fallecimento o al .44
estiveems em dia no pagMoUto 4 .uas
contribui$3es (f 2.0 do, art1. 2 do estate.
toe o art. 1 destes).
Art. 4.0 Fica revogada a' part do I 6o
do art. 58 dos Estatutos,. qoe diz: -
,r em face das syndicaneiae-m -
Secretaria da directorial 1'3 de janeiro
de 1885.
1 0 secretario,
Maned Lop.r Ferrsira.


itolanliii e d T st Orw do

Rtcif a Olla e BobBIO
SDIVIDENDO
A partir do dia 12 do corrente at6 o dia
Sseria page no escriptorio da compauhia,
das 9 horas ao meio dia dos dias-uteis, o
sett vigesimo dividend a razlo de 8 o0l
ao! anne; sondo d'alhi em diante o- paga-
mentos fcitos as mcsmas Ioras nas ter-
gas-fciras e sabbados.
Escriptorio da eompanhia, 7 de jtneiro
de 1885.


0 gerente,
A. Pereira Snires.

Escola Normal
D)s rdem do Dr. director faz-se public & qoem
inter'asar p)ssa, que as matriculas deaste, curso
estaita'o bert:is desde o dia 15 do corrente ate 3
de fevereiro proximo.
Os pretendentes A matrienila do 1 anno- deve-
rao instrnir os seas requerimentis corn c'doeu-
menetan sbguintes :
1" Certidato de idado maior de 18 annos para
homes, e 1i pira senhoras.
2(- Certid.1o de nao haver soffrido coudemnaglo
por algum (los crimes que motivam a peada da
cadeira aos profos sores publicos.
3a Attestado de approva9gao em exame nas es-
colas publicas do instrueoio primaria.
4P- Atteetado de moralidade passado pelt, res-
pectivo parocho, ou pelas autoridades policiaes e
litterarias da freguezia emn qte residir o'peticio-
nario. Aquelles que nio poderem exhibit aftes-
adces de exame primarmo em alguma escola pu-
hblica, dleverao inscrever-se para os examnea de
admissao, que doeverao eomneqar no dia 2%do cor-
rente, de conformidade corm os arts. 75.-a-76 do
rigiBaento intern de 17 ae tetembro de 1880
Pan as matriculas do 2- on 3- anno iastta ins-
tmuir o requerimento corn a certidao da a-pprova-
cao no exame do anno anterior.
Secretaria da Escola Normal do Rcoie, 7 de
jitemiro de 1885.-0 sccretario,
A. A. Gama.

Minisferio da Mariwha
Repartiqo de phbaroes
Aviso ros nuvegantcs
Substitui.ao de luz,
Pharril doe Slacolumy
PROVINCLA DO MNARANIAO
BRASIL
(8o de 1884)
Do di a 15 de jautneiro proximo vindouxo. em diani-
te serA exhibida do pharol deo Stacolumy uma luz
fiva, branca, variada p'r lampejos brmcos, de dons
em dous minutes, illit,,inando todo o, Arisante do
mar, em substitni.o 410o actual.
0 apparhlho d( luz e de optica da& 3' ordem, e a
luz A produzida pelo combustao do oleo mineral.'
O piano focal cleva-se 48m,00 (157 pls e 6 pol
legadas) ao nivel medio tdis marAs, e a luz sera
visivel da distancia de 18 milhas, corn tempo
claro.
0 novo apparelho de luz esti motado na antiga
torre que eleva se do centro d casa dos pharo-
leiros, grande edificio de dons andares, pintado
do branco.
Posica.o geographia:
Latitude=2'-10'-10" S.
L ngitude=l" 14'-20" ?Rio de Janeiro.
= 44' -24'--W' 0 Grw.
ft = 46e 44'--'50" 0 Paris.
Reparti* o de pharoes, Rio de Janeiro, em 19
de dezembro de 1884. (AssignaAn) Peclro BeCi-
jamin de Cerqueira Lima, director geral.
Conforme.==Capitania do, i-rwo (l P.:r t:nbai:o
10 de janeiro d 18.i.=-d useeretario,
Anttonio da Silva Azievtlo.

Banco do Birasil
P;ga-se o 620 divimndo na iiai7z.o de 9,600Wt) p,
acctao ; ta us do (cniImmercio U. 6, I aud.ir.
-- Nms ab~ixu ussiguia> ts, coaeordmiiis a s3o0
c.imnprnir m inexpco tA venla iinita'. :ilgun-' do
afainmado Whis-ky Kseossez Royal B'end, mnrca
viado, do que sao agcntes os brs. lBrowus & ;., e
prumrettcmc's faz,-r tudo o que for de nosso )aeance
para proteger a dita marca, a bern dos interesses
dos nossos freguezes. Recite, 9 de maio de 1884.
Antonio Sampaio do Nascininto.
Torres IrmiAio.
Carlos Pluym & C.
Domingos Joaquim Ferreira.
JosA de Azevedo Braga & C.
Abrantes & C.
Ramos & C.
Jos Joaquinm Alves & C.
Por Carroll & C., Ant. dos Passos.
I. Lagumn & C.
Campos & Monteiro.
= A. quem interossar declaramos que nest
data 'espedimos c nosso empregado Joaquim An-
tomei de Araujo. Recife, 12 de jamwiro de 85.
Floriano Passo a C.
IRIKANDADE
llRO: ri o O o Sute


Factura de Catacumbas
A Ilirna. mesa r.gedora contract corn quemn
melhores vantagens e garantia do contrato offe-
recer, a factura de quinze pares de catacum:,as
grandes, encostadas ao muro do oemiteriO publteo
de Santo Amaro. Os preltdmeates aproseatarao
suas propostas em carta feehada ao irmao the-
soureiro M. M. Campos Junior, a rue, do Born Je-
mus n. 57, ate o dia 15 eorrente, ou A:rma do


Apollo n. 2.



Dekasted 4i'ags ei I
^: ^^" deir^ lr^


Par* a osJ


ide pmehini, idem.
.umal !'1 :


elm 082,


i

..


Eaff














^pitquercoaode eouumu4 Ol m
s6 dave Ser pago medlante re
rpr Minubrieado. 9
^da Co nhim, 1m a I de neiro de 1985.
iA. P. islmes,
Geie-nte.

nmientlo da estrada de ferro
40 ecite aoft F acliso e eu(ra-
qt edo ferr do Recite a Caruarsi
Do ordem do Illm. Sr. director engenheiro che-
fh, faro publieo quo no dia 15 do eorrentc seri
aberta ao trafego a cstaqito de Quipapa.
0 horario dos trends e os pregs das passogens
sao os seguintes:


Estaceds


A tarde
TRU31M M 1


CIIEGADA PARTIDA


Utaa .
lBla Sorte -
Catcude .
lhaI.,ii- ra.
M-r;iyal .
S. Bcnedicto
Quip pi-.


K<1aeeoM


1-50
2-10
2-45
3-10
3-40
4-(;
4-44


1-39
1-50
2-15
2-50
3-15
3-45
4-11


De manulai
TREM I3


CIIEGADA PARTIDA


Qjpia. .8-
. ]ci8,3cto 8-38
iSr:t .. 8-59 9-4
v 9-291 9-31
.w I I ira 9-54i 9-59
Ct ( 10--29 10-34
tiS.:t 10-5-14; 10-54
. 11t- 14

I'i E(.'OS DAS PASSAGENS




a a a s a 7
-~ i
-' I
t
V I
a --

o ? .. t


L>4 el* e &. 52 Ica- i ">*
b;. or) 1 1*& | 9'*
--1 ~-1 33 = 4-- SS I n2

0000005 i OD a
5 ,-- i
I ^'
t> ~ clI1 I zt .I ^
to& So& ^ o& 1 SI


'U
~8
~8
"a


-c': brtO- -
i^ t te -. J | (o I
ts S^o Ss fiv % 5
Ir Z ND 0 0 to00 M &
Os pr.(os d:ai mnercadorias constain (!a rsjpec-
fiva tabclla, qjc pSde ser consultada uis Estacoes.
Seeretaria do Prolongamnento da Estrada de
Ferro do Recife no S. Francisco e Estrada de
Fcrro (:)I Uocife a Caruar6 12 de janeiro de 1885.
0 secretario interino
Alanoel Javeneio de Saboya
Santa Casa de Misericordia do
Recire
Por esfa secretaria sao canvidadas as armas a
(jcin estio confiados expostos para eriar, atfin de
(u1 vcnham receber do Sr. thesoure;ro as mensa-
iidades vencidas de ontubio A dezembro findo, no
(lia 15 do corrente, pelas 8 lioras da manhi,, no
salao do respective estabelecimnent', aprcsentan'Io
por essa occasiAio os mesmos expo, tos.
Secretaria da Santa Cas a de Misericordia do
tecife, 7 de janeiro de 1885.
0 escrivAo,
Pedro Rodriques de Souza.
Imperial Sociedade dos Artis
tas Mlechanicos e Liberaes
ANNIVERSARIO E EXPOSICAO
Convido. dc ordemn da directoria, a todos os Srs.
socios beinfeitores, honorarios e effectivds a com-
parecerem na s de social, domingo, 18 do corren-
te, As 10 ioras da manha, para encorporados as-
sistirem no convento de S. Francisco a inissa man-
dada celebrar em hionra da padrocira desta socie-
d(ade e em seguida em seu palacete a sessao
.nagna do 44o aniiversario desua instilla'ao, 44
do Lyeeu e abertura da 3" exposicao artistica-in-
dustrial.
Tiamnbein scientific as pessoas que quizerem ex-
0or os seis products, que do dia 15 em diante,
.as 10 horns da manha As 3 da tarde eacontrarao
io0 edifici, cquern as receba.
Secrctaria dai imperial Sociedade dos Artistas
eehanicos c Liberaes, 12 de ianeiro de 1888.
Francisco da Costa Rancs
1 secrctario.


Grande Circo


GOMPANHA EUROPiK
Equestre, gymnnaslica e acrobatica
DE
SPGA'L SE I0NO
Largo do Arsenal de Guerra

Hoj6, i art al ,R Hoje

Explendida festa artistic!
Grande extraordinarla fUineio
S ElaUstr, 1 M1astica 0 pisttril

DISPiCIO DAS ABTISTAS

Irmias Magri

Algmas novidades!
IProgramna attrahente
Exhibit se-hito os melhores trabalhos do reper.
tn)rio da companhia-


Precos
Cadeiras numeradas.......
Cadiras avulsas..........

A fO.........!......


24000
14000
100
#5O0


SLinhP quiaep,
uoa, Pernambuco,


gyro, Li.
dejaneiro el


Santos
team~er
Ville de Xacei6
.. B E'espado da Euro-
-o Patod14 d e ja-
eiieaniro, seguindo de-
poisoi indispensavel
mra parsa 3a-
o di Ri se a&


aeiro e Mnauu.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual.
quer reclamaAo concernente a volumes, que par-
ventura tenham segunido para as portos do sul, afinm
4esse poloern dar a tempo as providencias necessary
rims.
Expirado o referido praso a comnpanhia nao s
responsabilisa por extraviB.
Recebe carga, encominmedas e passageiros, part
os quaes tern excellentes accommodaw5es.
AGENTS
Augusto F. dc Oliveira

&C.


42 RUA DO COMMEROIO -42

Pacific Steam Navigation CompanT
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR
Patagonia
1,' s.pera-se dos
ports da Europa
6te. odin 18 de ja-
neuro e seguira
para os do stl e
J T L AL,, ," ).
ia demnora do costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
frete: tracta-se cornos
Consignatarios
Wilson Sons d C., Limited
M. 14-RUTA DO COMMERCTO-N. 14

United Sltates & Brasil Mail S. S. C.
0 vapor
Merrimac
j ~ Espera-se deNew-Port-News
at6 o dia 19 de janeiro,
reguindo depois da demora
neceasaria para
Bahia e Rio de Janeiro
Pclos vapores desta companhia dao-se passa-
gens para Liverpool ao preco de 200 dollars ; o
passageiro desembarcaado em New-York ternm ga-
rantia a passagens pata Liverpool quando Ihe ap-
,;rouvcr per vapores de la ordem.
Para carga, passages, encomn.endas e valores
tracta-se corn os


AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUA DO CO"MXt'LCiO
1. andar


N. 8


COMIPANIIIE ODE% MIE.SAGE-
RIES4 MARITIMES
LINHA MENSAL
0 paquete
Orenoque
Commandante Nortemard
E' esperado dos
Sports 'do sub nt
dia 20 do corrente
seguindo depoisda
demora do costu-
4A i I rme para BOR-
DEAUX, tocando em
Dakar e Lisboa
Faz-se abatimento de 15 por cento em favor das
families comipostas de quatro pesses ao menos e
que pagaremn q atro passagens inteiras.
Por exeepcAo os criados das families que toma-
re mbilhetes de pr6a gozam tambem deste abati-
mento.
Os vales postaes s6 se dao ate o dia 18, pages
de contado.


Para carga, passagens, encommendas
a fretc: tracta-se corn o
AGENT


e dinheiro


Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9


Para o Rio Grande

doSul
Para o porto acima indicado segue corn toda a
brevidade a escuna dinamarqueza Eqpress, tendo
jA a maior parte da carga engajada ; e para o
resto se trata corn os eounsignatarios Herm Lund -
gren & C.


Strotflu ari Llu0

Na gation G o
0 VAPOR
Memfi
-E' esnerado de Triesto.
at o dian 20 do corrente e de-
pois da demora necessaria
seguirA part a

Bahia, Rio de Janeiro e Sanlos
Para carga, passagens e encommendas tracta-se
corn os08
AGENTS
Henry Forster & C.
RUA DO COMMERCIO N.
1. andar

Hlol- rg-8negeo riiflsc h
IDnnprschi lahrls Gesellscdafl
0 paquete
Hamburg
.alali,' esperado da DahiaatA o
di2 r7 de janeiro sepindo
depois da demora necessaria



Toceando no
eainra, Nadeira e Lbboa
P~araa~f retet e. traota-se COM on
.*galAM .-1Am IM:1;1,1".,1- 11 1. x -:- .11.


:;pradod* portosmul'
=a M6o dial#16&4ejanoirO,
^^ ^^e^e regressair para, s .meb-
mos, depois ademora docos-

Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na
AGENCIA
7-Rua do Vigario-7
iomingos Alves Ratheus
Compauhia Brastleira de Nave-
gaqto a Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor
Ceara
Commandante o 1.0 tenente Guilherme Pa-
checo
E' espcrado dos portos do sul
tatt-o dial16 de janeiro e
Sseguira depois da demora in-
dispensavel, para os portos
do norte at6 Manbos.


Pars carga, passagens, encommendas e val ores
craeta-se na agencia
46-RUA DO COMMERCIO 46
PORTOS DO SUL
0 vapor
Espirito-Santo
Comminandante Jolo Maria Pessoa
E' espcrapdo dos portosdo nor-
6te ate o dia 15 de janeiro e
*'/ segqirA depois da demora
e do costume para os portoado
cail.
Recebe tambem carga para Santos c Rio Gran
de,frete modico.
Para carga, passages, encommendthte valores
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO 46

-LEILOES-


Agente Pinto
Quarta-feira 14, deve ter lugar o leililo dos mo-
veis, louci, 'cryataes, e mais objects da casa em
que residio o Sr. Braga, A rua do Livramento n. 6.

Leihlo
De bons rmoveis, crystaes, porcelana, espe-
Ihos, jarros, quadros, 1 foglo de ferro e
1 bomba
A' saber :
Um piano forte e 1 cadeira para o mesmo, 1
mobiiha de jacarandA macieo, corn 1 salai, 2 conso-
los corn pedra, 1 jardineira, 4 cadeiras de braVos,
12 ou 18 cadeiras, 2 espelhes grades e dourados,
candieiras a gaz, tapetes, cortinados parajanel-
las, lancas para cortinados e pannos de crochet.
Uma mobilia estoufada, corn 2 livans e 10 ca-
deiras, 1 mesa corn aban para junto de sofa, 8 jar-
ros para flores, 2 rcdomas corn flores, e escarra-
deiras.
Uma cama francezaa de jacird~iiidA, 1 toilet corn
marmore espelho, 1 lavatorio corn pedra, 1 guar-
da-vestido, cortinadus para camas, 1 mesa de cha-
rio, 1 guarnicAo, 2 machmias de costura e 4 qua-
dros.
Um guarda-roupa, 1 commoda, 1 marquezao de
amarelo, 1 berqo, 1 cabide de parede, 1 mes a de
connmnla 12, marquezues, 1 lavatorio, 1 espelh o e
cstante grande envidraqada c 12 cadeiras de junco
Salad de Janitar
Um guarda-louCa grade envidiaftdo, 1 fefa"
elastic corn 4 taboas, 2 aparadores. 1 quartinhei-
ra, 1 sofA, 2 cadeiras de balango, 12 de guarnigao
de amarello, 2 mesas corn pes torneados, 1 arma-
rio, 1 guarda-comida de arameo e madeira, 1 relo-
git de paiede, mesas de cosinha e de engomanar.
Dous apparelhos de porcelana, para cha e jan.
tar, prymtos para peixe, cobertas de metal para con
servar a comida queute, 1 porta-queijo, talheres,
colheres, fructeiras, 1 porta-licor, 1 gtalheteiro,
compoteiras, copes, calices, garrafas, machines'
para cafe, cops de metal para cerveja, bandeijas,
48 garrafas corn cerveja. 1 fogo de ferro, 1 bonm-
ba, e mais accessormios de casa de familiar.
Quarta-felra, 14 do eorrente
No segundo andar do sobrado do azulejo
da rua do Livrarnento n. 6
Jose Antunies Pereira Braga, tendo mudado de
residencia, faz leilio por interven$.o do agent
PINTO, dos moveis e mais objects acima men-
ionados, existentes na casa em que iesidio A rua.
do Livramento n. 6.
0 leilao principiarA As 10 1/2 horas em ponto

Leilao
Do sitio denominado Sebastiao Lapes, em Olin-
'da, tendo de frente 224 metros e de fundo 162
metros e (6 centimetros, corn casa de taipa cober-
ta do tellias, tendo 95 p6s de coqueiros de fructo,
sapotizeiros, jaqueiras, mangueiras, dendazeiros,
cajueoros, goiabeiras e outras fructeiras, todo cer-
cado, corn mulito boa varzea para caina, capim,
ou outra qualquer plantatao, corndo de levadas e
tern um olho d'agua de beber.
Quarta-feira 141 do eorrente
A's 11 hores
No armazem da rua do Born Jesus n. 51
0 agent Gusmao farA leilao por conta e risco
de quem pertencer, do sitio acima mencionado, e
para mais esclarecimento o mesmo agent dara.

Leilao
De fazeadas avariadas, sabone-
tes, bottes para punhos, pen-
tes, quadros para retratos e
espelhos dourrdos.
Qiuarta-fcircc 14( de janeiro <]e 1885
As 11 horas


POR INTERVENCAO DO AGENT
Alfredo Guimar"es
Em suci agencia d rurta doo Bum-Jesus n. 45

Leilaio

Agent Silveira
QUINTA-FEIRA 15 DO CORRENTE
A's 11 horas da manhka
De generous, armanao e utensilios da taverna sita
a rua Velha n. 82, em um ou mais lotes.
Garante-se as chaves.

Leilao
LiquidaIos final
De 1 excellent piano de cauda, bons mo-
veis, 1 rico porta-licor, fazendas e miu-
dezas, coma abaixo :
0 agent Britto, autoriaao por uma pesaoa que

i mobiade jacarmuda corn maseguinte p-
s: 1 A, 1 mesa. jr deira, 4 consoles iendo 2
gutnuici Uma mobfisi de jtmeo eomipleta,- I


Rua ireita ta, 86


Leilio-~


I


Compra-so dous numerous d'esse journal
de moda publicado no Rio de Janeiro; slo
de 30 de outubro o 15 de novembro do
corrento anno. A tratar n'esta typogra-
phia com o administrator, no 1.o0 andar.
Aluga-se ou vende-se o sitio do Cumbe em
Tleberibe, onde residio o Sr. Vallen .a, achando-
3e a casa limpa, o sitio bem plantado de arvures
fructiferas, o qual confinda corn o rio desse name,
onde tern lugar para o agradavel banho ; cornm 4
quartos, 2 salas, capmar, cosinha f6ra, quarto para
criado, etc. Para informa5es, nesse lugar, ta-
verna do Sr. Jacintho, junto a estaVAo, ou con o
proprietario a rua do Bemfica u. 5.
Aluga. se barato as seguintes casas:
Sobrado n. 3, cases do Gazometro.
Casas terreas :
N. 7 da u esma run.
N. 52 a rua de S. Joao.
N. 5 'a rua de S. Jorge.
N. 10-C A Ilha de Remfica, cornm grande quintal,
agu& encanada e viveiro.
%ata-se A rua do Caes do Gazometro n. 3, loja,
corn o Sr. Valena.
SPrecisa-se alugar umsa casa em Olinda, per-
to do bauho, e que o seu aluguel ni exceda v
165000 mensaes: qucm a tiver anruncie para
ier procurado.
PARTEIRA
Run da Aurora numero 1.
= Precisa-se de uma ama para cosinhar e rtrait
services de easa de tamilia, e de um meniao para
compras e recados : a tratar na rua do Marquez
de Olinda n. 51, 2- andar.
Aluga-se na rua Imperial duas casas, uma
de padaria, corn forno e utensilios, e outra de moo
radia. nas. 198 e 199, per preco muito commodo
a fallar corn Jose Feliciano de Nazareth. a rua
de Pedro Affoubnso (outr'ora rua da Praia), amnan.-
Zei U. 20,
Por festa ou por anno, corn pagamento adi-
antado ou fianca idonea equivalent, aluga-se o
pequeno sitio da travessa da rua da Mangueira,
quefoi do fallecido Joao Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alem de mmfas arvorea fructiferas, tap-
ques c cacimba corn excellente agua potavel, e se
aehar imurado, tern casa de habitaAo em born es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e um quarto fora para criado on feitor, accreseen-
do ser ease sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e ,AJugW eatac9es da COsa Forte e Caldeiieiro
da lsha-ferrea do Recife ao Caxanga' : quern o
pretender p6de entender se corn a familiar do Sr.
Manoel Miranda ou corn o Sr. major Jos6 Camel
lo do Rego Barros na mesma travessa da rua da
Mangueira, que Ihe maudarao mostrar e podermo
dai as informagqes necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, A rua Velha n. 59.
= Luiz Gouzaga da Silva tern uma carta na
ma Duque de Caxias n. 67.
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joao de SA e Albuquerque, a qual tern exeellentes
commodes c grande sitio : a tratar na rua Pri-
meiro de Marco an. 13.
Maria da ConceigAo de Drummond participa
aos pais de familiar que abr'rA no dia 12 do cor-
rente mez, A rua da matriz da Boa-Vista n. 44,
1- andar, um curso das materials attinentes A
instrucqAo primaria para ambos os exos, estaudo
os Exms. rs. Drs. Joao Jose Pinto Junior e Ale-
xandre de Souza Pereira do Carmo habilitados a
dar as precisas informaies. Desde j4 agradece
cordialmente A-quelles que a honrarem, confiando a
educaao de seus filhos
= Precisa-se de um socio cornm o capital da
1:000 A 1:200A para um negoeio vantajoso e de
grande future : quern sec dispozer deixe carta corn
as iniciaes F. F. na taverna da run da Concordia
numero 73.
Precisa se alugar umn criado forro oucri- et
vo, ou uma preta para vender flores e bolos, pa-
g--se bern ; no Caminho Novo n. 128. Na mes
ma easa se dir4 quern vende um xarope e tintura
de plant vinda do eentro do sert-Ao do Cear,
para eura de molestia do peito e asthma, que ja
tern felt muito boas curas. Nai mesma casa se
vende parasitas em vasos prcprios para sala ou
embarque.
Precisa-se de uma area para lavar e engom-
mar cm casa de familia, e que nao durma f6ra :
na rua do Livramento n. 31, sobrado.
Precisa-se de uma ama para cosinna e mais
servigos : na rua da Praia n. 12.
Precisa-se de um criado e de ura cosinhei-
ra: narua Nova n. 61, 1- andar.
Theod. Chiristiaanen participa ao corpo do
commerci0, que, estabeleeendo-se o Sr. P. Stuhl
mann por propria conta, flea extincta nesta data
a procuracito que tinha da minha casa commer-
cial. Recife, 5 de janeiro de 1885.

Boubo


Na noite 24 psra 25 roubaram da ruan da Impe-
ratriz u. 6, 3 andar os seguintes objects: send
o ouro todo de uma image, resplandor cornm uma
meia lua toda de brilhantes, tires grandes no cen-
tre e diversos menores, uma cruz de ouro e o me-
nino Deus corn coroa e cordaosinho de ouro con
um coraclosinho de filagrant.
Umn alfinete redondo coam esmalte azul e um cir-
culo. de brilhantes corn um bastante grande no
centro, umsa eruz corn 7 bilhantes e urna volta de
perolas, um atacador de euro corn diamantes, um
par de brincos corn dous brilhantes em cada brin-
co, um annel corn 5 brilhantes, outro de nove pe-
rolas, um par de brincos de monosinhas corn perolas
e rubins, e diversos objects de ouro, assim como
usa moeda ce ouro de 20500 e outra de 55000,
sentdo esta ultima manchadsa de azouguc, quem
trouxer noticias desses objects sera generosamen-
t gratifiado.
SPreclse-se
de usa mnenina para andar cornm umsa criaua : na
i-ua das Cruzes n. 28, 2-' andsr.

Ama
/ Precisa-se de uma couinbeira: ns ruas das C(ru -
jzsA. b281L2'- andar.


par. duas pea
a fauiliat rua-


Alu in lhiii" iO-Ost& da rma do
Dssque udi o Pinhn-m37
ma rua larga do oario u. 88, 20 andar.
Jos6 SalSv M orats paeips a meuiami-
gos e frogueoeo que midou sen eastoaeue to de
cocheira de carros do aluguel e cavailop a trato,
da mda Rodas u. 60 pan a rua de Sato Amnaro


A viuva, filhos, tio e cunhados do finado Anto-
nio Joaquim Pereira de Oliveira, feridos do mais
doloroso golpe, pela premature morte do sen pre-
sado mando, pai, sobrinho e cunhados agradecem
do intimo d'alma a todos aquelles que se dignaram
aeompanhal-o a sun ultima morada e de novo os
convidam a assistir as misses que por alma do
memo mandam resar no convent dos religiosos
Franciseanos, A 17 do corrente, pelas 8 horas da
manhl.


De fazendas avariadas
Quluta-feira f5 do errente
A' l HORAs EMPP6(TO
NVo armazm i rua do Imperador n. 22
0 preposto do agent Burlamaqui levara a clei-
lIo diversos fardos corn madapolao avariado d'&-
gua do mar, vyindos tdimamentc do estrangeiro, e
outras faizendaatamb)em avariadns, e cere'de 6
mil chaps de Chile, suuito fines.

Age.te Pestana

Leilos
Da be afreguezada taverna sita
A rua Imperial n.,19
Quinta-feira 15 dejaneiro
.As 11 horas em ponto
0 agent Pestana far& leilao da bern afregue.
zada taverna sita ruam Imperial em um ou mais
lotee s vontade dos Srs. compradores.

AVISOS" DIVERSOSO

A Estaiao


ClUnio Fernandes da Silva ilanta
Sexta feira, 16 do corrente, setimo dia do falle-
cimento de Clinio Fernandes da Silva Manta, ce-
lebrar-se-ha, As 7 horas, na matriz de Santo An-
tonio, uma missa pelo repouso eterno de sun alma



A VENTUROSA

Aos4:000$OOO

llLLllTBS GIM{!LOS
16-Rua do Cabuga-16
Acham-se A venda as venturosos bilhe-
tes garantidos daloteria n. 101 embeneficio
da igreja de Nossa Senhora do Livramen-
to da Varzea que so extrahirA na sexta
feira 7 do corrente.
PBECOS
Inteiro 4#000
Meio 2#000
uarto 1000
Seaudo quantldade superior
a 100:000
Inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto 875
Joaquim Pires da Silva.

YASA71 ELIZ


AOS 4:000$000
E

2:0008000
BUSDETE$ GARANT[DOS
Pra a da Independen-

cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado tern exposto i
venda as seus felizes bilhetes garantidos da
3a part em beneficio da igreja de Nossa
Senhora do Livramento 101, que se extra-
hira sabbado 17 do corrente.
Prepos
Bilhete inteiro 46000
Meio 2#000
Quarto 14000
Om por~io de 100,000 para
cima


Bilhete inteiro
Meio
Quarto
Antonio Aaqgsto dos


35500
16750
6875
,r),ntos Porto.


UASA DI)0DII0
Aos 4:0005000


lua do Barao da Victoria a. 40o
e easas do costume
0 abaixo assigned :acaba *1 v.n- er
em seus felizes bilUetce(j quatro quartos de
n. 4,471 corn a ,orte dc 4:000# e diver-
sos premios de 32700V 1.6000 e 85000.
O mesmo abaixo assignado oanvida. aos
possuidores a vir ,) rtc2;ober na c formi-
daae do costume, r u desconto algum.
Acham-se A venda os, felizes bilhetes
garantidos da 3.A part das loterias a be-
neficio da igreija do Nossa Senhora do Li-
vramento da Varze., (101.-), que se ex-
trahirira na sabbado, 17 do corrente.


am


Inteiro
Meio
Quarto
poreao

Inteiro
Meio
Quartz


45000
26000
2#000
de o100000O para
3500
16750
#875


Joaio Joaqrirn da Costa Leit-.


CavaIo fruriado
Da Lagoa Comprida, termo da cidade do Li-
meeiro, foi furtado um cavsllo co6r russo sujo corn
pintas de pedrez, trees cascos pretos e um claro,
popeiro quando se Ihe toeca, o terror faz volta a
imitaCo de u e continuando outra volta a imita-
a de b, lado esquerde, castrado, cachet, aeaban-
do de igualhar, pertenccnte a Antonio Feirreira de
Burro, o qual gratifica corn 20 A pessoa quti
apprehender, podendo dirigir-se.A sa mora'ila ti
no Acifea Aseu irrnmAo Soverino Feliciano de Et
'o., marador na Paosagem da Magdalena. -


guio j hoje aniincs
assignantes que a Moda 1uNlata..frM.
seus abitos de potualidade co
numero. As provideucias quo
adoptamos custam-nos os grandes
de quo nos daremos por bem .pagos eia
certeza de que os nossos leitores ao tov-
nam a soffrer demora de um dia no rece-
bimento do journal que tanto temrn bonado e
distinguido corn a sua benevolencia. v
Podemos garantir aos assignantes da
Moda 1llustrada que o' promettimento do
incansavel editor David Corazzi p6de ser
aceito como realisado.
Assignatara tomato-se na
LIVRARIA FLUNIINENSE

9R---Ra do BNaroB da YictoNa---9



CASADAB FRTITNA

0os 4:OW$O00


flILIZTZS GANBflTflOg
dua Primeiro de MarU o n. 23
0 abaixo assignado tendo vendido no0
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 3,067 corn a sorte de 2006000,
4 quartos n. 2,690 corn a sort de 200#000,
4 quartos n. 3,342 corn a sort de 1005000,
4 quartos n. 4,689 corn a sort de 1004000,
almna de outras sortes de 325, 16# e 8#, da
loteria (100.1), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem descontbo
algum.
Acham-se A venda os seua afortanados
bilhetes garantidos da 3a part das lote-
rias em boneficio da igreja de Nossa Se-
nhora do Livramento da Varzea, (101.')
que se extrahirA :pA' sabbado, 17 do cor-
rento.
PBE ;oS


Inteirc
Meio
Quartc
Em quant
Inteiro
Meio
Quarto


D 465000
2#000
26'OOO
0 1 000
idade malor de 1000
D 3b!500
16750
D #875
Manoel Martins Fiuza'


Ama
P-ecisa-se de uma ama para cosinuhar e lavar :
a tratar no Chacon, sitio da Pena.

Criado
Na rua do Born Jesus n. 45, 22, andar, se pre-
eisa de um criado.
Albino CGonalves Fernandes
tern uma carta vinda de Portugal, na rua da Irm-
peratriz n.13.

Canaries dAllemanha
DE
C. BRAUDMIILLER
Vende-se
Bua do Imperador n.12
Casa de Lopes & C.
Vende-se um sitio no BI:trro. que foi do fi-
nado Ignacio Ferreira da Cost:i, corn casa grande
de moradia, em chaos proprios, cornm alguns pes de
fructeiras, perto do rio : a tratar em Afogados, i
rua do MotocolombW n. 13.

Comipra-se
uma besta parida : na rua estreita do Rosario
numero 24.


ci conhecido do mundo inteiro Iw
o como o melhor 6 mais perfeito 0
de todos es sabaos de toilette.
Especialidada.
Estractos A essencias triples t
de cheiros. Agna de Colonia.
4 Vinagres de toilette. P6s d'ar-
roz. Pommadas. Azeites 4 to- I
Sdas clasesde pci-fur-.riasfinas. t
Superiors qualidades. "
SDeposito3 nas principles Per- i
fuma.-ias, Pharmacias e Cabel- .
leirciros do Brazi. c
___ j1873.
Medalhade Progre.:so Vienn1a173. }


'/v ,,FORNECEDC? 0 C R
|al uDASACt.A-Q

Pomada i". par dent*
Cosrntico r i Aun. pa-a dented r
En.-;:..ia ;.a ..*.- -.---!^ --
Dsposito ii3 principals Peri,-.,sris
Pharn-asias e caie,'irIza |;.
p If A6AsAAM-2 00
CELLOS 51AhNS
Co esta Ags maramvbow rr~auk&a ou inftants. p6de
Spropria p a, restituir paran sempre. ern altOa., am
Cahbeo.l e earba a Cor primitiva corn uma ou dusas pplids-
g5ea mn lavagem nem preparoelgum.- Resultado garahtio
por moAs des oa oftim de asucceso sempmre cr1eete
CAqA SALLftS FUSDAA EM 1. 150
SMoq.hpbeWt Sue demileE6af ftls,73, r.TiAbigoMAI
fowkem Aftra'A oi 00: Pr-AU&" 9e nSrjlp


Ii


^
-.1 ->3 ci tf- ca tS 1-1 ft
to *& t>- & te & & sT
>-i *-1 -;1 it. C5 rf- ^ (
(^^ (^ f^ ^^ c^ ^*i ^? 03
^ ^


D. Rita Aurelana Kroeger
Christiano Kroeger e sua famihlia cordialmente
agradecem a todos que acompanharam os restos
mortars de sua presada esposa ao cemiterio, e
roga aos mesmos senhores e a todos os mais co-
nhecidos e amigos que se dignem prestar o cari-
doso favor de irem assistir as misses de setimo
dia, na igreja do Divino Lapirito Santo, das 7 1/2
as 8 horas de sexta-feira 16 do corrente.























14


Ama
A' rua da Imperatriz n. 53, lo andar, precisa-se
de urma para todo o serviqo de uma casa dee-
quena familiar.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 12 A 14 annos,
oomI pratica de taverna : na rua do Camarao
numero 17.
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos corn refinacao
de assucar por grosso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveram collocar o telephone em
sea estabelecimento para mais commodidade nos
pedidos de seus freguezes. Recebem tambem en-
commendas para f6ra desta praca, garantindo
pontualidade, mraodicidade em preqos e sinceridade
em suas transacoes. Os proprietarios esperam
merecer a protecAo de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77
Caixeiro
Precisa-se de um ceaixeiro corn pratica : na re-
finaoao do Varadouro em Olmida.
Por 22000
Aluga-se o 2 andai e seta'o a rua de Lomas
Valentinas n. 50 : a tratar na rua Pirmeiro de
Marco n. 7 A, livranra Parisi-nse.
Lympha vaccinica
Chegada pelo ultimo vapor; vende-se na botica
franceza e drogaria de Rouquayrol freres shcces-
sores de A. Caors, rua da Cruz n. 22. Recife.
Ao public
A abaixo assignado deelara ao respeitavel publi-
co nao se responsabilisar por qualquer duvida con-
trahidas polo Sr. Jose Teixeira da Costa e m u
nome, fazendo o present para evitar duvidas.
Recife, 8 de janeiro de 1885.
Maria da Conceiao Seixas.
Cosinheira
Precisa-se de uma cosinheira : na rua da San-
ta Cruz n. 74, esquina do Cotovello.
Trastes
A' rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-s9
luga-ae e troca-se novs e usidos.
Aviso
JA chegou para o unico agent nesta provincia
o acreditado kqrozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha A venda no unico deposit A
rua do Born Jesus n11. 38, junto ao correio.
Ama de leite
Precisa se corn toda urgencia de uma ama de
leite para Olinda, casa de familiar conhecida : a
tratar na rua Duque dc Caxias (Recife) n. 30, 1
andar, de 9 da manha As 3 da tarde.
Balamweador
J. dos Santos Vieira, cornm pratica de, balanos,
contracts e distratos sociaes, offerece os seus ser-
vivos aos senhores commerciantes. Chamados A
rua do Rangel n. 3, ou em sua residencia, A rua
da Penha n. 7, primeiro andar.

Molestias do estomago e

dos intestlinos
As dyspepsias, desordens gastricas, enxaqueeas
digestoes difficeis (azias, flatulencias) sao comple-
tameute curadas corn o uso das
DOTTAS ANTI-DYSPHPTIGA8
preparado puramente vegetal da flora brasileira
Vende-se na Botica Franceza de
Rouquayrol Freres
SUCCESSORES DE A. CAORS
22-Rua da Cruz--22. (Recife).
Aluga-se
a sala de detraz do 3. andar do predio site a rua
Primeiro de Marco n. 18, muito propria para es
crip~orio de qualquer natureza ; a tratar na loja
do mesmo predio.
Ama

Precisa-se de urma ama para lavar e engom-
mar : na travessa dos Pires n. 5 (Geriquit).


Aluga.se barato
0 20 anaar'da ruado Born Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
Casa terrea da rua da Ponte Velha n, 22.
A casa terrea na rua da Palma n. 11
X casa A rua do Visconde de Goyauna n. 79
A casa terrea da Baixa Verde n. 1 B.
A tr tar no largo Jo Corps Sant. 19, primert
audar"
Criado


Precisa-se de um criado : no
n. 33, hotel


large do mercado


JOIAS
MIGUEL WOLFF &G C.
Participam ao res-
peitavel public, que


continuam ter um sor-
timento de joias das
mais modernas e dos
mais apurados gostos.
Compromettem-se
a vender mais barato
'dque em outra qual-



M- ._-...

. / *^ af<, ..


MIGUEL WOLFF & C.
Offerecem ao respei-
tavel pwblico um gran -
de e variado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-

berm directamente.
Todos os relogios
vendidos n'esta casa


sao


garantidos.

Ria d oGt u i. 4


Criado
Precisa-se de um ecriado : na rua da Aurora
numero 109.
NaCao&& a perdida
Na rua estreita do Rosario n. 9, junto a igreja
pede-se a quern achou uama cacolgta, o favor de a
restituir, que serA goneresamente recompensa do.

Olinda
Aluga-se a casa terrea A rua de S Bento n.
57 : a tratar corn o capitAo Marcolino Dias da
Araujo, na rua do Bornm Successo.
Ama
S No largo do Corps Santo n. 19. 2" andar, se
precisa de unina ama para tratar de uma crianca
de um anno e que entenda de angommar.
Cal de Lisboa
muito nova e mais barata do que em outra qual-
quer parte : na rua Duque 4 Caxias n. 73. pri-
meiro andar.
Diarios e jornaes
Compra-se diaries e jornaes : na rua larga do
Rosario n. 27.

Uma
Precisa-se de uma cosinheira : na rua da Au-
rora n. 109.
Ama
Precisa-se de uma engommadeira : na rua da
Aurora n. 109.
Ao commercio
0 abaixo assigna lo declara pelo present que
passou o seu estabelecimento de calcados sito a
rua do Livramento n. 1, que girava sobre sua fir-
ma individual aos seus interessados os quaes adop-
taram a firm de Paiva Oliveira & C., desde 2 do
corrente mez.
Declara o mesmo abaixo assignado que fica
pago e satisfeito de seu capital e lucres troudo de
accord ecmin o balanco feehado em 31 de dezembro
proximo passado.
Recife, 2 de janeiro de 1885.
Antonio de Paiva Ferreira.
Ama
Precisa-se de uma para lavar e engommar e um
menino para ciado a rua da Uniao, sobrado n. 37,
portao de ferro confront a venda do Sr. Antonio
Duarte.
Ama
Precisa-se de uma para comprar e cosinhar em
casa de home solteiro; rua do Queima'io n. 54,
Ao commercio
Os abaixo assignados 2cientificam a quern in-
teressar possa que compraram em 31 do mez
proximo passado ao Sr. Antonio de Paiva Fer-
reira o seu estabelecimento de calcados sito a rua
do Livramento n. 1, e que continuaram no mesmo
ramo de negocio sobre a firm de Paiva Oliveira
&C.
Recife, 2 de janeiro de 1885.
Adolpho Ferreira de Paiva e Silva.
Manoel Jose da Silva Oliveira.
Precisa-se
de um bomrn feitor : a tratar na rua do Commercio
n. 20, ou no Chacao n. 5, sobrado.

Cozinheira


Na praga da Inde-
pendencia n. 38 a 40
se dira quem precisa
de uma mulher forra
ou escrava para co.
zinheira de casa de
familiar.

Cosinheiro
No 2., andar do predio n. 35 A rua da Impera-
triz precisa-se deum cosinheiro.
LINHA COATS
r Lustrosa a para machine, e a a Macia de 6
fosR tanto para machina como para cozer a mdo
-NAo se usa mais linha em novello-
Pede linha em carretel corn o nome
J.&P.COATS -


R. DE DRUSINA & C.

R do BO-JOsu R, i18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de commissoes
Grande e variado sortimento (le amos-
tras e catalogs de produces da Allema-
nha, Franqa, Inglatera, Austria, Hespanba,
Italia e Estado Unidos.
N. B.---Informnaa9es sobre machinismob
!Agricolas, ditas para engenhos central,
bombas, etc. para incendics e outra8 ma-
chinas e utensilios.


I ets.it~n -49 INCadho t3Bgi

n,.................

1 de 1:00000
1 de 2005000
2 de 1005000
4 de 50"000
15 do 20000
40 do 105000
50 dc 55000
500 de 21500
Este ultimo e o prego de cads um bilhete alli,
send elle em Pernambuco 25750 para os vende-
dores e na casa 3s000.
Os premios slo aqui e alli pages integralmente,
sem desconto algnm, A vista da list da extrac-
91o.
SMo estas vantagens que nao podem deixar de
ser apreciados pelos que gostam do jogo das lo-
terias.
Aluga-se barato
o primeiro andar e a loia corn 2 quartc-., quintal
e portao, do sobrado n. 38 a rua estreita do Rosa-
rio : para ver, as chaves esti o na taverna de-
fronte, e a tratar na rua de S. Jorge n. 56.


0 mda"Owro N6 as f
e "rmpto 4
-WA'* ." v a
ties

iF&dnp '10 traf'3z
i I y ~S o n i a 11 Io wa U ;;
efie pce toiroz
icow ttint& ncaroii44
a aea iguatura en' fren'o.
i .? A wal 34, Avenue Vxcto-:.,, AL;
VMN4'SU EA TODAS A5 PHARNACI&3
IEfc^^~~O^ --d OVtf V- 0MR
j l4iaiIlo 4 Or^Cr~ol1iadhevlior
L td PLIWS HAJrS RtrOyMPENSL

IQUA DIVINA
ts OUDRAT'
OMa ASUA BE AUVOE
Fmmsisx1o p,.ara o tamadis, como wsmuui.
coBUemagewo as cs da mocidAde.

ART'30S REGOMMENOADOS
S iusm.ads pilu leadodlkdlmU lEMu.
601A8 CONCENTRADAS pure o imp.
0LZOCOVUpara a bellema4w c4%UL.
E MTIOS 0ACHAM-SE IA F*AMA
PA2 1 1. m d'ilbii.. 13 MmI
3; ea C-auereir da 4Amricm.


GRAG$S1
Sd' Extreims Depurativas
d dle iORETO do POTASSIO
do Doutor DU COUX de POITIERS
SRegenerar o sangue depurando-o, Wzer
Sdesapparecer os vestiglos que ordinaria-
Smentedeixamas roletia* mte, e,
Sparalysar a acco do wer cmto, se Uiver
sido empregado, expelUndo-o da economic,
S s o o prlncipaes effeltos d'este prcloso
depuratUvo que, nas Moleoti sjphtl.
ticaa, 60 o complwento de todo tratamneta
,e CeooWmeot.. aere purgt rvle,
Aceideteeseeuzndarseouteeie,
que Cuma se existirem.- Empreganm-se eolas
Gragfas corn vantagem nos Rheumasie
mtoNeMoemtiazdo Pellee EscrojWft 9a
DUPOSITOS GRIAE5 :
:m PARIS, 209, ma S. Denis.
Em Pe-nambco :
FRA M 3. da SIIX,.-A. & C'


IBRAIMiE THEATRALE
44, "ua ca.. fram. )nt em 03ari
Encontra-se toas as pecas de tleattq
Ligas e modornss assim como um
sortmunento completo dos Vamologos
mats em voga, como:
LakP e -LaGuidgae-LePomoib
e Trae d'iumn Gendr .
US ftEMOUur qui dine em onVi
Un Defaut
tLo Ats !ncohgreutm I
'R'99C .1i CAPA MONO.OGO :: 1. P,.
Ex pdicao fr.co e pceo Correio err c a 1
dee re:nessa em carta f -nqus4a. da
C' Miuatat de um fra 10o ei scu.s peoi-K
States dU qualquer piz.


ELI IVR VINOSO
Phosphatado
APERITIVO RESTAURADOR
Os facultatfvos o receitam muito As
mulheres pejadas, e as que amamen-
tam, porque em ambos os casos e util i
a mai e a formniacio da crian;a.
PARIS, 22, rua Drouct, 22, PARIS
E XAS FAP.MACIAS


DPfluxo- Grippe, Br 5i3-ai
IrTfT!"f do Peit.0, 0 XAROP7Je a PAT Vei-
ral & VtOeSANO R ISO do ma
*Mflood&* owtft e vrifmda por li m daD Ia-'
do MadiciaB dto afranV
SfmOpbc, JforpL~na nm Cakfrwa ft-w Mm ink
- ris a affeoeda do Toaea on CoqtWioe


a -.- i l


'S t


Em presianes





18000


Por


P6de adquirir-se as verdadeiras machines de

SINGER

Quem no deixara de comprar agora uma destas afamadas machi-
nas?
Venham a succursal da companhia Singel na


RUA DO CABUGA N.IA

N. B..--Vendemos lambem linha superior, relroz em carreteis,
agulhas, oleo, linha de crochet, peCas avulsas para as machines,
ludo de superior qualidade e por prefos sem competeneia.


LINIMENTO GeNEAU
A '~E^SLra os Ca,-va~lias
E:progado corn o malor o*ito nas oavalhari9as reaes de SS. MM. o Imperador do Brazil. O Rtei da
Belgisa, o Rei dos Paizen-Daixos e o Rei da Saxonia.
c zuppressao do gogo D ,.o 35 annos de (xito
E DA QUEDA DO PELLO '
S6 este precloso Topicso o unico que FABRaBB IP I V -A, a'
substitlieoemateooecumaradicalmente 0:- Os resultados extraordlnarios que tern
em poucos dias as mianquelra, novas obtido nas diversas Affece do
e antigas, as Toreedlms, Contusaes, Li Peito, os Ctarrhos, Bronehtis,
Turamres e 3nehacoes das pernas, 39 olestias da Garganta. Ophtal-
T paYv, obre-Ganna&. F raquea e En- mia. etc., nao dao logar a concurrencia.
gaorffltamento das pernas dos potros. etc., ser I
occasionar nenhuma chaga, nem queda do pello A eura faz-se corn a :ino em. 3 mtinute, semn
mesmo durante o tratamento. dot e sere cortar, nero raspar o pello.
D ito am Parft : Ptarmada G Tw3SE!L J, ]Rua St-Honor6, 275, e em todas as Pharmacias.


I'
- II


Pastilhas Peitoraes
DE SUCCO D'ALFACE E LOURO CEREJA
de GRIMAULT & Cia, Pharmaceuticos m Part.
Admittido na nova pharmaoop6a offelil do Pronf.
Approyrado pela Junta central de Hygiene do Brazil.
Sob a f-rma d'nm confeito deliciow, tornado corn prazer tanto pelas creancaa,
poreno peos adiltos, estas pastilihas contem os do's principios mais calmantes e
i;Jlensivoos em material media. Empregam-se ozom o melhor exitoe contra:


oss, Molestia do Peito, C.tarro-Epidemico, Doen.as da Gargaat, |
|j ru:oa, | Coa-r;rcs, jRouquiddo. Bronchites Coqueluch6e.
S ^r... o--. Rua Viv:er,. e nas principaes Pharmacias.


.^HHHH^,CGnAripifaeseqracsn TISATCGAIBIER1
[~drnld osq .m is0ic
PharmacWtlo-Chlmloo de fo Cmo ds La Sapoe.Idor do Pais.
3 | ~ tlUma mda fumigaso0 bUts maln dan vTm.psra amrI M ASO0o
OPPRESS. 1 LdeTossemaABviolentos e as OppresegnOaadolorous--1an 1
de feliSe reesutadoS. A sua oonheoida effi cke a toi
emirogo, que o o fatiga o doente, justiflcam .. prefereacis quo O oedn
71 C e doentes dio so ANTIASMATIOO OAMBIER.- As iuommam c p-
psMef A aoitt s acabam-se, id so tiver o cuidado, ao deitar-se, de quiWr P
Sno quarto de dormir um pouco do ANTIASMATIOO QAMBIKE-
NC. --- EOThA-SE NA MESMA PHARMACIA
-4& dGRAOS ANTINEVRALGICOS 1 FEBRIFUGOS G6AMBIER ,.I" o pro: P:
pproc"iodaynto d"a Nevralglas, jnxaqueca", D6res do Cnbei, qtc. A sua ef/iklm 6 imooatwnt -m
Sdon paims quentes e huaidos : Febres amarella, Palumtka. af.
Deposit 6,'al : Pharmacia (5 1flrIE~h, em Compugne (lkra'ica;.
3P 1- 1 =-na o: W NAwrCiBOO bw da mLaVwA- o. ,

BRONOHITES, TOSSES, Catarros PulmonaEm,
OEFILUXOS, Mo.estias do Peits, TISICA1 Asum
CUbA ",APIDA E CERTA PZLA8


Gottas Livoniennes
1 pXROUJTTr5 -PRRJES
C R CRESOTSrE de P414I, ALCATRAO de NORtUS6A e BAL4AMO 92 TOLf
sbte preparao, ihfallive, peracumra r ractoalmonte t(ias as Molesthi das Vis
apiretonsa, reooanmnendido pelas Notabilidades medical cc=o o unico efficas.
f ,,-w mericamento quo .Jem do n io fati'ar a otonMago, ;' fbrt-fieoa, ,Awstht se dspert
C alettt rivs gotta pela manha e 9 tar-dc bastam para triumphar dos o om S! tii W. .
DF-.'-T? EXIGIR 0 SELLO -'E GARANTIA DO -OMWO Wn <
Depoit primip-: TROUETTE-PEf1L 1T, 365, rua Siant-Atoii,. PARIS
!"'T.1 ,'; (;,c e? : F -a--cisco 'J. 6 1-..iVA & C.", C itP S I rincin?.es Pharmaclas.
10fAAAA-uii'iyvi~''A -MANAMM V *^ ***A ^ f ^ ^ ~~


IP"PARA.DR OOM B UEMDTHi
So Pot 023. FA.s, PerfUmnista
P.AMU3, 9. Aa.a e la :PaiA 9, 1 NAMIS
SM 'IHEIOM NEM GOSTO DOS OLEOS ODINARo
DIE TERRA-NOVA
!do ZGAD--S Frreoo
StBACALHAUD0 800
h.-CJcuaue ccerta contra a Molestias de Peito, a Tlaioa,
Bronquitis, Prisesa de Ventre, Tosses chronicas, Affeoe e.oromoio.
jDVIFTENCIA. Exiga-se no rouiu r cello-Azul do Estado frances.BB
OOQGqo PharmacuasUtico, 2. rua Gastialioaom AIUZ. wincipas PkanA


..PU.RGATIVO JULIEN
CONFEITO VEGETAL, LAXATIVO e REFRIGERANTE contra PRISAO DE VENTR
Approvado pela Junta central t' HygSene to Brazil.
Este purgative exchlusivamente vegetal se apresenta sob a f6.ma de um confeito agradavel, que purga corn sua-
vidade sem o menor incommodIo. E' admiravel contra as affecQjes do estomago e do figado, aictericta, bilis,pituita.
nauseas e gates. 0 seu effeito 6 rapido e benefico na enxaqueca, quando a cabe~a estd pesada, a bocca amarga,
lingua suja, falta o appetite e a comida repugna, nas inehasies de venture causadas por inflammapaI intestinal, pois
ndo irrita os orgdos abdominaes. Emfim, nas molestias de peUlle, usagre e convuls#es da infancia. 0 Purgativo
Julien resolve o difficil problema de purgar as crean~as que nao acceitam purgativo algum, pois o pedemn como
se fosse uma.pstilha de chocolate sahida da comitaria.
Deposito oem Paris, S, IN= Vi n, prinoips Pharaolas e Drogara..


PM"ACAA D'aruikCm"it
TOSS. ASTH M A. BtONCHrITE.
COQUERLUCHE OuTo.SSE CONVUwLSi
Tisica euhnonar.
.,,,a e, cco o, JC AYER aaRlowe.M in [90A

DEPOSIT GERAL
13--t-Run Primeiro de Marco-18
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMSON HOWIE C.
N. 8 = Rua do Commercio == N. 3
A venda em todas as boticas e drogarias


A TOSSEJAMES
Unico legalmente auctorisado
polo governor de Portugal, e approva-
do pelo conselho de saude do mesmo
paiz, depois de evidenciada a sua effi-
cacia em repetidas observaoes nos
hospitals omffeciaes.
Cada frasco estAi acompanhado de
um impress corn as observaoes dos
principals medicos de Lisboa, reso-
nhecidas pelos consules do Brazil.
Helena Tasso de Hello Gaucehos
Jose Gomes Ganches, commemora o 1" anni-
versario do fallecimento do sua extremesa espesa
Helena T. M. ranches corn urna missa, que serA
celebrada As 8 horas aa manha o dia 14 do cer-
rente, na matriz da Boa-Vista.
Francelina dam Neves Parian
1- anniversario
0 tenente Albino Leite de Farias e suas filhas
mandam resar uma minissa por alma de sua muito
presada esposa Francelina das Neves Farias, sex-
ta-feira 16 do eorrente, pclas 8 horas da manha,
na igreja do Livramento ; para isso convidam a
todos os seus parents e amigos, a quern se con-
fessam intimamente gratos.





Adolphio Rourgard
Arthur Espiaca, Libanio Costa e Fernandes
Barros mandam celebrar sexta-feira, 16 do cor-
rente, na igreja da Madre de Deus, As 7 1/2 ho-
ras, uma missa de setimo dia, por alma di seu
distinct amigo Adolpho Bourgard ; para cujo
actor religioso convidam a familiar do finado e a
todos os seus amigos.
9.



Salloplo Leopoldo Bourgard
D. Carlota D. dos Santos Bourgard, seus filhos
e genros, mandam celebrar misses na ordem ter-
ceira de S. Francisco, por alma de seu filho, ir-
mao e cunhado, Adolpho Leopoldo Bourgard, no
dia 15 do corrente, setimo de seu fallecimento,
pelas 8 horas da manha.


Dr. Antonio Pereira da Silva
Barros
0 conego Joao Serapiao da Cruz celebra no dia
16 do eorrente uma missa corn memento solemne
na matriz de Gravata, por alma do Sr. Dr. Anto -
nio P. da Silva Barros, irmao do Exm. Sr. bispo,
diocesano, para este acto convida todos os seus
amigos e parochianos.
Antonio Fernandes Velloso
1 anniversario
Manoel Fernandes Velloso manda celebrar al-
gumas misses resadas por alma do seu presadis-
simo tio, o finado Antonio Fernandes Velloso.
quinta-teira 15 do ccrrente, pulas 7 horas da ma--
nha, na igreja da Madre de Deus, 1 anniversario
de sen passamento ; para cujo actor de religion e
caridade, convidalas pessoas de sua amizade, an-
tecipando as mesmas os ss so sinceros agradeci-
mentos.

Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 12 A 14 annos
com pratica de taverna : na rua do Nogueira nu-
mero 1.

Ama
Precisa-se de uma ama para casa de familiar.
que saiba cosinhar : a tratar no Cajueizo, sitia
numero 4.

Ao commercio
Os abaixo assignados participam ao commercio
que nesta data teem dissolvido a sociedade que
tinham no estabelecimento do fazendas A rua Du-
que de Caxias n. 90, sob a firma Almeida Duarte
& C., retirando sc o socio Theodomrniro C. Duarte
Ribeiro pago de seu capital e lucros, ficando o
so0io Antonio L. Rodrigues de Almeida encarre-
gado do active c passive e continuando sob a
mesma firm. Recife, 31 de dezembro de 1884.
Antonio Luiz Rodrigues de Almeida.
Theodomiro C. Duarte Ribeiro.

Ao commercio
N6s abaixo assignades declaramos ao public e
ao respeitavel corpo do commercio que nesta data
dissolvemos amigavelnente a sociedade que tinha-
mos no estabelecimento de seccos e molhados, sito
a rua do Visconde de Inhauma n. 65, e que gira-
va sob a razao social de Joalo Ferreira & Irmaio
retirando-se o socio Manoel Joaquim Gomes Fer-
reira pago e satisfeito de seu capital e lucros e o
socio Joao Joaquim Gomes Ferreira de posse de
estabelecimento ercsponsavel pelo aeti'o e passive
d, mesmo.
Recife, 3 de janeiro 1885.
Joao Joaquim Gomes Ferreira
Maneel Joaquim Gomes Ferreira.

Prmiallta-so o Go-S8
Uma parte de terras corn mattas tendo madeiras
de todas as qualidades e grossuras no engenho
Utinga em S. Lourenco da Matta vende-se ou tro-
ca-so por uma casa nos arabaldes desta cidade; os
pretendentes dirijam-se a rua do Imperaor n. 771

Barreiros
Roga-se ao Sr. Jose da Silva Leitao para vir
ou mandar A rua de Marcilio Dias n. 23, a nego-
cio que nao ignora. I
== Precisa-se de um eaixeiro portuguez de me-
nor idade, que de informiAo de sua conduct e
tenha pratica de taverna : a tratar na rua Vidal
de Negreiros n. 8. -.
= Precism-se de um criado para casa de fain'-
lia : narUa Nova, loja n. 16.
Ataga-se para fixiia o pritneiro e segando
andares do sobrado A ru Jo BarUo da Victoria
.. 14 por 50S, todo pintado : a tratar na loja dr,
meamo.


semana


b.SOLUCABO COIRRE F }
AO CHLORHYDRO-PHOSPHATO DE CAL
JS mto pedewoao don reconstitujate adoi)t'do u'or todos os Meeicos da IMMWA NI.
Prepwq gera4 Anemia, Chlorosis, Tissiea Cad exoia, hE rofiuls. *aehittle, Duufd
=a5 o8o8, Crescdmento in','-.tZl de" -iancas, astio, D(spepsias.
Paris, COIRRr,-Phco779, rua do CheercaoCid 'i1-is nas pricipam tili/s .


I '


III I1 .......


pw


i


^*^W^^^^-^-^WI/VW^TW 1


* ]'- t















- F a-



^^W d;-ajo aor g ortan e-:do janellas do Vades uma taen noprod adia en
W d i a et da di pro- Chap%. pA ..enhora.


i t,5 q. ; o t 'e C h.tas lisa.: do core..
f~afutof qartf O qiaal qu iz Pe Pmrao PIIIMPt owIU Plohum do usda e do l
Tp pr. a d err d m- F caps d aha d.
All'

.uj:Z Joo !. di iu Gro muar, A r a Due vrddoIo danostrshVio pn. -.h-





etaimba corn muito boa agua: a tratar nofa .. V aa u.
91 as a. 68. a.C159 sass Iore

dlCnd~riades. s.jai, do Pedro Antunes & C., A n Duque do Ca-& vaeafeitios. .
Aidm- -- ocd a da .ca O. 1,o 2 de n.(Ss6rua Direita; o lo, 2, e3oda de n.'B3 a J]i~l (yOJItO I0 B~IHJ !!I Se" n~. T&4& + pw -- --oe
-.ruada-aha; o 2- daae n 25 a rua ae Smanta yl ( ... .... ia O ".^i ^ ,;., desde aa 4 _. ...
Rits ; lo da de n. 34 rua do Rosario Estreita; Boiritasne elegantes bonecas, o Pedro Antu- Cl-'n'--parsrnen-. .S.S .I ; sins,-
a tat ni rus do Hospicio n. 32. nes & C. uem tem, torms-ae indigpe6&vel entre- srCinosa ado. ..36e.. ..- .
Pre.. .sa node.-s am p qar -6lav ter o espito dai interessantes crianaa, p que s doiBIS.a. r di ell ,
.a -PrseLaes eaamaparalavareengom- ow proprietarios, dov a Na .E.persaaao po.. G a--v gands v.,IL .
mar, par ire pesos ; na ru do Imperador.n eforo ; a Dne de Caxias n63 d o.cvadaa, ranade varesad e u.
35,2 a ndar. 'd "a ,4*0 ^ d "" aa. Meiae ebaaa, o mas.derao bsa preoa f-
Q001nuirbalugo&:ae n.4t r tranoas15ana -.-*
t d Conde da Boa-Vista, pd rocurar Especialidade pars fazer presented as criaa as,. ris etc.. etc.
as haves no estabelecimento n. 30, a o Pedro Antunes & C. distribute gratis aos sedus *r ,
Al 0a froguoze; n Nova Esporansoa 63, A rua IC wque rlADo alliA W lp
... .- -- ; de L/axias. [- _I.
Aluga-se a loja do sobrado a rua do Livra- iCalsllo. brano a6 te. que. 8L 0 R l-
mento n. 31, a qual se acha perfeitamente asseia- quer qEm erente a matrix de Santo Antonio
da para ura tabacaria ouloja de cabelleireiro : A verdadeira especially preparao, vende o; CFam o n81;Ma
especial pre do u. 82-deLo36.



a tratar na rua Duque de Caxias n. 53, loja. Pedro Antunes & C., pela quaotidade oue vende r a
Precisa-se de una cosinheia pra, para casa de prova a sa especial qualidade; na a Duque Nde p r nros.G mossat aliuet*o m
familia, paga-se bem : a tratar na rua do Baro Caxias n. 63. INe prmeiros m aD aeedeta mn.
da Vit ria n. 39, loja. do o .o natural e smeapropitmda aaieat iai
-- Aluga-se a casa- n. 1 a rua LembranWa do 0 UUonl aap de Peto, peo a + o mPao bte matemo o qu
Gomes, em Santo Amaro, grande, fresca e pintada as luvas de soda abertas, cannao alto, que acaba caso de necessidade deve ser m ubstitun
de novo, trom agua : a tratar na rua da Impraam- de receber o Pedro Antunes & C, A rua Duque do pela
friz n. 32, 1" andar. de Caxias n. 63. FARINHA LACTEA DO DR.
---___ --------___ ---_________ ---__ --Pars os banhos salgados recebeu o Pedro,
Aluga-se a casa da rua da Uniao n. 67. Antunes sortimento de sapatos especiaes ; rua I FRRLCHSb I
tern commodes para familiar, agua encanada, gaz Duque de Caxias n. 63. A sciencia e a pratica adoptaram a faio
e grand quintal : a tratar na rua do Apollo n, Sapates napolitanos, especiaes, pars o tra- nha Lactea como poderoso element n
22,armazem. u bae do campo, tern o Pedro Antunes & C., e trictivo pars a infancia e distinctoa media

e ia a eAS de Caxias n. 63. E' a Nova Esperanca. 1COB do Brasil e da Europa reconhemera
Pecia YeNde -a Siner, aacs estA 9& liciandospar ecia r fuacturs; naus Duque&11





______ VbH~a ______-,,--------- -- --- ser A do Dr. FRERIC~H8 a meihor n'es
= Vende-se umararma~ao de loja de miudezas IJVris pfr esc0as gener.o a .a o funh
que serve para outro qualquer estabelecimento : U1Deve-8e p0s evUtar Infiar o fihnho
a tratar na rua Duque de Caxias n. 93, loja. CASTO NUNES, compndio elesnsentar da u poa estranh: e de comportament
da Viet riaCASTO n. 39,comenda el.en a turalaarpid r lmet aru





Vende-se por 2:800*000, quantia em que grammatiea national, segunda edi9ao correct n6o conhecido muitas vezes o germen
est avaliada, uma part do engenho S. Francis- e anndtada par Jose Martiniano de Souza, 1 numerous nolestias.
co, notermode Serinhaem, distaste duas legoas voluvsme. Vende-se a verdadeira farinha Lactt
da estaao de Gamelleira : a tratar corn Antonio IDEM, elementos de arithmetic, nova edicdo ,
Franco da Silveira Lins Filho, do engenho Santa revista e melhorada .por Jose Martiniano de do Dr. Frerichls:
Catharina, no term de Porto Calvo. Suan I 55 RUA DO IMPERADOR 55
=-ed--.e- up d e ar b IDEM, resume da doutrina chri ta, nova edicno, I6stcsdelcmento de musicds e piano de Vi;
= Vende-me uco piano de meio armario, bormn D urevista e annotada por urn sacerdote, nan. e
para quem tiver de aprender a tocar, em born o JOSE MARptINAN, elemed ntos de orthogra- r
tadoe por pouco dinheiro; na officina de pianos phia, terceira edicao, tevista e melhorada. imontar p rtfland ce ptlassa novai
do St, Tree, rua da Imperatnz n. 65. PERGENTINO GALVAO, o livro dos bans Von. d c O eo Traaaou C, epa -o
VEND S se -i o Dr FREWHS meseihos.~t



Vea1 n d esis a de. i Venden Or estea Travssos & C., em seu eacrip-
e al d ulSbta BISPO DO.PARA, historic biblical, ou narrati-1 torio no largo do Corpo Santo n. 19.
a t r ra Duque de n. 93, 136 C, as do velho e novo testamentso emn-----0 -.n e do -----------
Em pedra e em p6, vende-se a barricas, rue do Avenda n livrsria Industrial n. 7, rua do Ba- Attfie
V:gario n. 1, trapiche Baltar.d ra o da Victoria; e na livJraria Economics, rIuam .l UJIilU
co, n oPrimeiro de Mar, junto ao arco de Santo An- vleVende-se per preco muito razoavel urina casa
da estao de mtoeno.__:-a__coinntoni I 'terres come a guns comdiodos a rus d Lomas Va-
r-n----o m--....t- I lentinas n. 90. Tambem se vende unma part do
C oVlintlda oongeo Jussara da fruguena, do Jaboatn ,
Vinho pure da uva, c fino da Figueira, vendeeo .. ...p mono, deo a logoa dat estrd do fers do Cs-
Mai ana rua da Concordia n. 165, a 500 rs, a gar- Vendo-se urn cylindro pars padaria, corn poucon ruar : quemn pretender, dirija-se rua da Au-
rafa ? usa ; na travessa dos Pires n. 9 (Geriquiti). rora n. 85.


aht imo.am -+
min. .w, _
rose oretom, en de v S-


roesa, m m Vj 11,
6.000.e 6d10o
Dito fiance, meri o faIa ito
laaO een1padzde Ua0e IWOO
A edo ut Oro 9 larg oss do lar-
gma ~ ~ ~ ~~~. IUflnlnia uBopan-
DiE trUsna a mea largma,
p*%pwi paraSO 6e6dooa to do
me-a, meti 0 I0r.4
Branante do alodo ca 10 pmo d
bomgra=uopiamto rtoieno de
um adpAwno, meoro ISe
Djto fran.en, sendo do lIbho metro a
180 e s 2e000
Dit i.ez de quatro largsras, wedo
d lo 1h e, a2*4:0 e 24 800
roegueDal propriao pars le bern ton-
ta!e, etrou L Rfo, ndo e ifiu da muate
enorieada, eda pgsa corn 20 vans.
'Bm1080 eu em varma 500
cma u'ft wa medda a W0DrL., on
vans a 400
Ato rahado adam cadoe par toala d
meas, tend 8 paiMos de largu;a, me-
tro a 1,800
Austin come um eompleto sorirnen eto de
peins doe aigeda ieho amenianao e
mgtnz, que se vqude por p.Ga de 3* atW 6*000
late ua loja di esuia do becco dos Ferreiro

Bilar


Runa de I-iperador a. S8
'O pIopdetaio@ daete beM rnotardo e conhe-
lido et bolmento, tendo recebido diroctamente
dl Europa um grande sortimento de tacos que ha
Cd m lhor nest. genero, ternos de bolas de marfim,
do piimeirs qualdade, jogos de domin6 e outros
4agosa coucenentes a este fui, e como tenhaln
tmbem feito urnm reform em- seus novas bi-
liea, forrando-os e collocando marcadores nas
tabedla e do todos viles ; por isso convidamr sos
am fregueses e amigos, a visitarem como de dco-
tqme eat. estabelecimento oade encontrario tam-
mum completo sortizuento de bebidas finas. cemo
arm: vinhos, cervejas, licores, champagne e re-
fjows gelados de dixersas fructas do paiz, e c
magnifico caf& moka a qualquer hora do dia eu
'Outrosim, vendem bolas, panos e tacos usado
por modico prego.

Tayerna


Vende-se a taverns da ma do Rangel n. 29.

Carrea para carnmo'
Vende-se urnsa b carmroca par cam eiro, a ver
Strata na rua do Born Jesus n. 61, agenia de
10l1e1.


.... ... i ._ e a TlWI .p ,
- ma + Umaa as sdsOi soaI",'s, -obra. buSm
R~~Wet on Us ID dG4d -0 ulob- Nf s h w a
DEjmodeamabnrg 1dO 9lIuabo1 QU .
-s .-s----- Coletinnos parm datro, senddoaero-
6 i*lii ,g -- e muito ben feitoes as 800 1a
U fLaminas. grande sortimeate de o amina
l .DO branes, tanto franceas Mom gloes
1L flta.L tanto de linho como de algod end
ft e. D iR eO do 2*,;2*500, 3*, atW 6*0XX
VeAdaneBX oaeatalo, deaontoo van. Dits de retone de cor do 29, 2A0 a00x)0
tajoma; srua Badro da Vietora n. 48,- Ku m e ortimento de i aeauus
Pfnubueo. I mmens, de 20 ra. o par, atM6 50)
Pi-02%.1=0691 Caariahoe, ande sortimento de colls-
S bihoa1 tendo de 5 a dusda at. 88000
Caseirs & To grandotnte oordes ito.
ta! intro s rto come par banho, qua
D A LO f "0 9 6 so= Ovendem por preo muito ramoaveis.
E t U ITudOp itoe eom grande redu*o do prep o :n
mill oriEN ol da eoquins do been d P-.rreimos.
| A4o& BilymaruadiLmpeat n.40 te Novas setinetas iam da 150O
ur immen se ortimento de aemi deores, IChoson a loja dos Barateiro eda Boa.V'rta,
tmento dclmaon emmras, que vendem ianns0 rua da Imperatris um grnde sortimento das
2_9500, atS 6 o covado, adas. mesaa mandem a ilindas setinetas lavrieas, tendo de todas a
feaer qualquer peca d'obra o costume por Pre- c ores mais novas que tem vindo ercad inclu-

^ dos atora, ^ vs^ o'vis aui 2o00 tent(bm
goo m.raioai evtos, mCOM t e talbem Ura ivamente pretas, send a fazenda mais bonita que
dido s^ortimento de caemrasepua pm- teorn vindo pars a fiesta, e vende-se a 500 rs. o ao-
tos Wa st mim s fab Us que vemn sm mereato, v ado isto na loja da esquina do beoo dos Ferrme-
dos meomos o tambem so encarregam de maudnr ros.
faei qusalquer pe a do reapa A vontale do fie
:co n atodaai pernf e esia : o n aze ItWe s a e so e a
noj dos abBateorFos, da Boa-Vista Na esquina deo 4 ad
sbecco dos FerreirFeos.os
Liis^ alSi lI Na loja dos Barateiros da Boa Vista, vende-se
un elegant sortimento de cazemiras de duna lam.
Os Barateiros da BUa-Vista vende muite bo.- guras, send inglezas e com bonitas cores que us
nito linaho c de uma r n6 er e de listrinhua vendem a 2J50e 24800 o covado, sendo n uite
vestidos, sendosa160 r o ovado e de eres proprias pars ctt:mes, e das mesmas tambem se .
isto as inn di Imperatriz n. 40, esquina do boeuow madam fazer costumes muito boe feito de cslWa
do. Ferm'eiro.palitot e collete per 30* e 351, 6 grand, aeciacha
nrta& s loja da i a da Imperatri z n. 40 a equina do
9spa Oi m hbeocco dos Ferpeiros.
46a e 6#0" Fustees a 44",546 e 640
No lot da ns d r Imperstriz n. % venue-is s a 4 00 o
as1bm es s a seair as 5 u reIOsBarateiros da Boa-Vista, A ras da Impera-



muto -s no eaprtoso par&o senheos aor brlh d sdaa 00
satos pars menmas a 4*000, assimr oo murn be. ttris 40, vendem umn grande sortimento deo fts-
dito sortimento de fichds a 3000 ; isto na loja d tes broncos, proprios pars vestidos e roupas d
qeiuina do becco dos Ferrairos. creangas pelos pregos acima indicados ; isto na es-
Par Im e st quina do becco dos Ferreiros.
Paras esta I sinhas para vestidos
Veide Alheiro & Silva, l rua da Imperataz n. 40 aca-
io udpa p ar b n bs de reoeber um grande soitim ento das ma i
bonitas lansinhas para vestidos, send alpaca.
de cordlo ccm lindas cores a 500 rs. o covady
gunrgurSes lavrados tendon de todas as cores aNO
I e rs. e ditos mut fnos com brilho do soda a 800 mu.
0 0 todas estas lahinhas sle inteiramente modernas, e
P1 r e r o s1Ul LaNiUmokm vende-se na loja da rua da Imperatriz a. 40 a ca-
Rue da I epM AtiPzt a I. n0 uina do becco dos Ferreirnj.
LOJA DOS 'BARATEIROO
Pasetots de casemiras de quardnihos, f&_
zondi que so lava 6 Engenh
D it ., de panno pr ato fino, fa zen da m ito. .. .. .


boa
Ditos de casemira de quadrihos e listri-
nhbs, forrados
Dites de casemira escurat de cordao, for-
rados
Ditos deo flanella saul, forrados, sendo fa-
S seasa que nao desbota


7"X
l#AM
8*00
8l00(
10*000


veane-se o engenno Mjaurity, anugo Uasuo, na
comarca de Palmares, prompt de um tudo para
safrejar 4,.00 pies : os pretendentes podem ir
vel-o e admiral a fertilidade do seu terrene. Aos
mesmos se dirA a razeo perque se vende, e trata-
se corn L. G- da Silva Pinto, no Recif, ou no
mesmo engenho corn J. Matheus Fcrreira.


LIST GBA
N. B. prenio prescreverA
OSOSDAAT IAS OA PRI RNB A B D B Dum aAno depois daextracNho.

DOS PREMIOS DA U PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 40(4 A BENEFICIO DA MATRIZ DE TACARATtr, EXTRAHIDA EM 13 DE JANEIR

....... ....I 1..... .. Iw- I J I '


t0 DE 1885


NS. PREMS.


2
13
34
37
40
42
45
47
51
52
59
60
64
65
67
68
70
71
72
79
84
86
93
S104
6
9
14
21
23
37
42
43
47
58
62
72
74
75
85
88
91
201
2
3
7
g
13
16
30
32
45
..12Or


I


I
16
46


.

ami


NS.

303
9
11
12
S15
16
17
18
23
25
28
45
47
54
63
70
86
89
90
98
99
411
12
14
15
20
23
27
30
41
42
44
51
52
54
56
73
84
500
2
14
22
26
26
28
33
39
40
43
44
48
50


PREMS.


INS. PRF4REMS


S605
14
18
24
S34
36
37
43
60
65
78
79
84
85
90
91
94
704
6
18
34
42
48
50
52
53
54
67
91
96
97
811
17
31
34
40
49
50
57
59
66
71
74
79
83
84
86
87
90
91
94
98
,904
13
: ..


4,


166

46


SNS. PREI

S932
-40
-44
45
- 47
- 60
S62
S73
- 77
- 83
- 92
95
1001
6
9 i

13
26
27
35
-40
44
49
S51
58 I
70
- 76
83
89
96
98
.99
1100
3
4
6 I
14
15
16
25 1
37
47
50
53
54
64
67
68
74
76
79
S82
918
i :91


.. ... *t, .-o'. ,' -sB


,MS


B3(
44


I2,








I.,,
4,
44














46
I


. NS. PREMS. NS. P
5 1225 4# 1515
- 31 16
. 32 20
- 39 21
- 42 8 26
- 46 4# 31
- 50 34
- 52 S# 36
- 53 4# 50
- 55 65
S64 79
66 86
- 68 w g 90
- 73 46 1600
S77 4
S82 -- 14
98 31
-1302 86 33
4 41 34
S11 45
S15 47
- 26 48
- 34 49
- 36 55
43 61
S52 69
S58 76
63 77
69 79
71 87
84 94
- 90 1705
92 8
94 -. 21
- 97 25
S98 27
1403 37
13 41
16 .- 43
17 45
24 49
28 50
41 I6# 52
44 46 60
45 65
46 66
53 69
63 72-
67 81
69 86
78 89
79 94
84 L8%
S91 -- 5
98 iJl 7
^ .^ ... :
".9_T1,
J L


REMS.


sob
4#


8$


465

.
;I-


NS.


PREMS.


1838 4#
S41 -
44 -
45 -
49
S51 -
52 -
64 -
66 -.
76 82S
85 4#
1911 -
12 166
18 4#
19 -
28 -
35 -
47
51 -
S56 -
60 -
66 -
67 -
70 -
73
74 -
78 -
82 -
92 -
2000 -
1 --
7 -
13 -
16
21 -
22 --
27 -
32
35 -
37 -
39 -
40
47
50 16
52 4#
64 -
66 93,
68
70
76 --
84 -
88


. 1 .
S.....A .. ::-*" ^
'--,JL. .:+. t -" ^ -r &


PRE


NS. 1

2117
23
28
35
39
43
45
52
55
58
59
64
67
71
72
74
76
80
89
2205
10
11
14
20
33
34
40
44
46
47
54
57
58
69
79
82
83
84
86
2304
5
13
14
26
28
29
311
-88
-36
37
39
49


I..'


MS. NS

45 2369
70
78
79
80
1641 84
4#, 91
92
97
-2402
9
11
19
25
28
31
33
34
37
42
43
45
86 62
4# 72
91
92
95
2506
8
9
12
14
29
32
34
35
42
44
47
50
53
64
65
-- 68
69
76
ml 77


. .8
4# A$t
S# 95
,2609
-- a
'I^
ir^^k Li."


PR]F4

4i


. 8. :

5 2659
5 61
- 69
90
2701
2
5
- 22
- 24
- 27
- 28
- 29
- 52
- 56
- 71
- 72
- 77
80
- 82
- 83
- 84
- 85
- 86
* 94
- 95
- 2804
5
- 11
- 14
- 25
- 30
33
41
45
55
59
60
63
66
74
80
90
99
2902
10
13
20
24

39
44
49

^00
,.'


PREMS. Ns
4# 2991
3000
10
30o5 15
4#517
1t6 23
4# 26
27
38
6 40
4# 47
57
59
64
65
67
73
S75
S77
81
82
89
90
97
3119
28
S 30
6I6 32
86 35
4# 37
47
48
51
-- 52
65
66
79
81
86
91
3205
14
21
24
25
42
44
59
60
66
67
75
78
80


PREMS. JNS. PREMS


4,















,00,
4,


16
4


S3308
- 21
- 26
- 36
- 37
S42
- 47
- 50
- 56
- 62
- 66
- 73
- 83
S84
- 90
S 91
S 96
- 97
- 3410
- 15
- 33
38
- 44
- 48
- 55
- 59
68
- 70
S 75
- 85
- 86
89
S 90
S3503
7
16
19
21
22
37
38
51
57
62
66
73
75
77
87
88
89
97
.%wtn


1too
4








4
83
4


- 2 33<%
- 1 7 ,
- 10 -
- 19 -


I,- -
* -'.-.-

~4., '---4,

*4~5
4,-


i NS.

t# 3627
- 39
- 41
- 42
S43
44
50
- 59
S 60
- 65
_ 69
73
89
90
i99
6 "
#3704
6 I
68
9
10
15
25
27
37
47
49
54
57
58
60
S61
65
68
84
86
90
92
99
3802
8
9
11
24
29
30
33
38
51o
52
55
63
64
65
67
85
86
92
93
3917
19


PREMS.


46


166
46


46


NS.

S3920
32
47
60
63
69
72
74
77
78
S83
84
92
93
94
4001
11
13
22
25
28
34
39
40
49
50
51
53
62
63
72
76
79
86
90
91
96
99
4102
8
10
16
19
22
23
25
33
36
44
47
62
64
65
70


V- -- it
-- 73 21
77 9 4 23
78 4 26
90 42
93 44

.o'
<."*1..-" '. ', .^ .i' -" .
.o .:. ~ .._ :' ,. ..--
..- ,..' .. :" -*. + '.
*- ., N- .... ,^// +^ ,, .-.- ,


PREMS


4



4,


465


. NS.

6 4197
-4202
- 5
6
^ 7
- 10
- 16
- 21
- 34
- 42
- 44
- 51
- 59
- 61
- 62
- 63
5 67
$ 69
- 71
- 74
- 78
- 80
- 86
- 93
- 95
- 98
-4300
S 2
S 5
6
20
22
24
S30
41
43
46
47
49
53
54
63
68
70
74
78
80
81
85
90
97
4402
8
17


PR]


EMS. NS.

4# 4452
58
62
71
73
80
83
86 91
4# 92
94
4510
14
15
18
-- 20
24
25
31
36
38
42
43
46
49
3M 50
4# 60
IO5 62
4# 64
8S 67
4# 71
78
1W 81
4# 83
- 85
- 93
- 98
- 4600
- 2
- 3
- 22
- 24
- 26
- 28
- 33
- 34
- 43
- 50
- 53
8S 56
46 57
- 58
- 64
- 74
- 79
- 83
- 89
- 96

- 1
1
. ;,


*"'-*&. 4'


"i -






f


PREM




4:oo





I&


/




-/
L


,e,

/'i ;''


.'/


PREMS.

46


4#



















4#
4#












4#





46
6
46


86

4i1




*
i..I

..


[S. NS.

4# 4702
-- 13
- 18
.oE 20
4# 23
- 26
27
31
40
6 51
4# 57
- 58
- 61
- 63
- 64
- 72
- 73
- 76
- 79
S86
- 88
- 90
86 91
4# 4803
7
9
- 10
21
24
24
33
39
40
42
S# 43
4# 46
S 61
75
7 77
79
87
- 4900
6 13
1 18
23
- 26
28
- 31
.- 41
55
S57
6 63
67
70
- 70
9ll
_ 79


'-f^


-k, i .f ..
*- i^," .,:
i:. .-+ .:.": .


- -- _f, vr%


I


-L -


I


I


i


ddW.















j ]


gCUA DO CaOIRA EM PXISA2MBUCO
No AXWO S iF55i41856
Ilfaidua, Regina, jubes renovtae dolwem


(Continmcaflo do n. 9.)
Id6a geral do cholera; opinifo
do varies congressos medical a rea-
peito do ua importagAo e; coutagie;
innumera, provas .concludentes em
Pernambuco a este respeito; as al-
teragies teluricas, aereasa, as infrac-
COZu da hygiene alimeitar, nro dao
'lugar ao cholera; different entire as
molestias sazonarias e as contagio-
sas; os casos retractarios do cholera
nada provam contra o contagion d'es-
toe.; todas estes razoes implem as
quarentena s.
Para so poder osperar de qualquer media prevonti-
va um resultado vantajoso, quando so .nuo quer langar-se
no occano das aventuras, 6 preciso, em primeiro lugar for-
mar uma idea geral do object ou cousa-A prevenir; e
em segundo lugar, qual o melhor meio pratico, ou quaes os
trabalhos quo melhor resultado podorao fazer effective
esta prevenc.io; evidontemente quando se ternm do fazer
uma obra prociso e saber, em primeiro lugar, quo obra 6
esta e os seus detalhlies; em segundo lugar, quaes os tra-
balhos quo precise esta obra para ser bemrn executada : nao
andar assim, C an : ar -s apalpadellas ; 6 navegar sem bus-
sola e A merc6 dos ventos, ou ao arbitrio de cada vontade.
Assim, pois, querendo-se evitar a invasao do cholera
por meio de medidas -preventivas, ou attenuar suns conse-
quencias, 6 preciso, om primeiro lugar former uma ideia
geral do quo seja o cholera, ou qual o seu modo de actuar;
u cm segundo, qual o trabalho, meios ou medidas mais
vantajosas a empregar, nesto sentido, aconselhadas pela
p)ratica, e pela sciencia.
Sea idea geral que fazemos do cholera 6 quo esta
molestia naopassa de meras mudangas atmosphericas ou
teluricas (1) nos lugares em que elle apparece, corno pen-
sa o illustre Inspector do Saude Publica, o alguns poucos
medicos, o mnelhor meio para evital-o sera fazer cada indi-
viduo, como melhor lhe for, urea redoma em quo fique so-
questrado do ar, on urn tanque d'agua cm quo fique isola-
do da teTrra.
Se, por6m, se entende que o cholera-rnorbus 6 o pro-
ducto de indigestoes, como ere o minesmo Inspector, (2) as
medidas preventivas para impedir seu desenvolvimento sao
-di,'ta rigorosa--pouca carne pouco peixe venhuma
verdura etc.
Sa s, entender, em fim, que o cholera C um castigo
do c6o, como entendem as beatas e os santarroes, entIa o
remedio esti nas preces e no confissionario.
N6s, por6m, que fazemos do cholera ideia mui diffe-
reiite, ni0o podemos indicar taes conselhos.
E' de razlio que nule s) o administrator da provincia
como a Camara Municipal e outras autoridades, tend
de ton'.ar quaesquer medidas a'esse respeito, ougam atten-
tamcnte, e se regulem n'csta material, fundados nas pala-
vras da autoridade competent, a Inspectoria (d Saude
Publ-ica.
3Ias a idea que o fanccionario, chefe d'esta reparti-
9o, tenin emittido por varias vezes, officialminente, a res-
peito do cholera, bern comO de outras epidemias, nao e a
mais prudente, e do todo n-ao ( a mais scientific, emnbora,
para sustental a, chame elle em soeu apoio algumnas hojo
raras autoridades, algumas das quaes sito defensoras do
direitos cominmnrciaes patriots, e em um paiz exclusive, onde
as ,autoridades sanitarias sao soberanas em suas imposicues
lyginicas.
A inspectoria sustenta que o cholera-morbus epiderami-
co niIo c( importado, e que nao prov'mn de contagion, inas
sim do alteraOes atmospherics, r'xistcntes em todos as
lugares, passadas ou presents, observadas corn toda a an-
tecedencia, modificando o organism, do modo quo venha
a dar lugar a u,:n'a ououtra epidemic (fsbre amarclla, be-
ri-beri, cholera etc etc) (3), e n'este sentido siAo desneces-
sarias imelidas provc-ntivas; e se d'e-ilas so apart.i, C for-
I( A nossa constitmm',o ,ndica teni apresutado iiliciis, do
,que algnmma altor.e.co se offectua na atmnosplih-era -<'par'i provar que
-estamos .ii amca-ado do choleraM
No Par.i tir\ havido maitos cholericos etc. Em Santo Anti.o
tCn havido f-equeoitcs casos do chmolerina, alguns dos quaes fates
(Ibidem). Os documentos apresentados pelo illustre Inspector de
;Saude, um nada provm, por falta de competent autoridade ; o outro
]yrova o contrario ofihcio ancxo, n. ( ibidem.
Din-'o fie c'uamal,,cot. 183.
Dr. *I ososo.
(2) Tivemos 1'a pauco dous casos bern caraeteristicos do chole-
.ra-morbus, cm c-rnscqueneia de indigestucs, tarninmanlo um pela
morte, restabelecendo-s oa outr-- (p-r ter sid,) enitrcm-! a,,s seas
cuidados.)
Diario de P ranmbuco mm. 183.
Dr. Moscoso
(3) Parecer sobr- a males-ta da canna 21 do jutiho do 1881-
pagmna-20 a 22-


viswo P16m; a h rmeeutici a e wj:vak
torisam na susteitaroin*i 'Reo i fth peW-S0 *
* arei .
0 cholera epidemico 4 umji %ntidade morbida, epeci-
ficas, quenase, eresce e morre, podeaaodeixar por algum
tempo sftnentes para reapparecer quando so offerecerem
condies favoraveis ao seu desewvolvimento; 6 doaies-
mo minodo quo apparecem mnita, outras pragas qaoe tanto
flagellarn a vida ; deve-se, pois, procMrarpor todo-A wies
destruir esta praga e seus germens funestos, como so.dea-
troe um animal daninho. A scencia posuejai alguns d'es-
tes meios, embora no recondite cm que taes germeus so
occultam, e o mysterio do sua ropredouco .norw somp", -
possam ser reconhecidos e atacados -todavia, pederp-[
minorar a influencia d'este flagello 6 jA ,ma vantageLa.
0 cholera-morbus asiatico A semento iadigemna :f
Asia; li vegeta ella no delta do Ganges todos os a 1';
entire n6s e elle semente exotica, e '.6 vegeta quando nas
6 importado, e reproduzido.
A procedencia do cholera asiatico, sua importag3Xe
infecciosidade 6 um facto historicoinquestionavel bojo pt)41-~
todos os observadores, em todos a paies- em quo tal p&t
ga torn feito, ou faz suns devastaoes.
Esta questao (de ser o cholera agent infeccioso &*
oriundo da Asia) foi post a votos na conferencia intemn-/
cional do Vienna, em 1874. -
Hirsch diz :- Os de!egades de todsos paizes form
unanimes na aceitaqco da inportaQao indimna.
A mesma questAo foi ainda, ha pouco, posta A votos
na conferencia do Berlim, no corrente anno, em conse-
quencia da invasao do cholera em Toulon e Marseille: diz
Virchow que esta questao nao merecia mais ser tractada
na Alemanaha. ,
Na academia do medecina do Paris todos os medico.
sao do mesmo parecer, monos Julio Guerin, o unieo quo
nega a importacao, e sustenta ter o cholera uma gen6se
ou evoluaRo gradual desde a diarrhea premunitora ate a
algidez, em rtodos os lugares, onde apparece: do mesmo
pensar 6 o illustre Inspector de Saude Publica, mas ainda
assirn aquelle sustenta o contagion, o que 6negado por este,
por6,n sem prova alguma.
Em vista d'estas collosacs autoridades, para que a
Inspectoria do Saude Publica de Pernambuco diga o con-
trario, e sua voz possa ser ouvida pelos sons colleges e
pela administragAo public, 6 precise que esteja baseada
em novos factos presenciaes e proprios, os quakes atW hojo
permanecem desconhecidos para mimn, e niao em opini5o4
individuals, negadas por corporaoeos gabias de quasi todos
os paizes.
0 illustre Inspector de Saude Publica, bern como eu,
fomos testeMunhas da invasao do cholera em 1855 o 1856,
n'esta provincia; 6 justo pedir-lhe que .cite os factos de
sua observagao em apoio do suas ideias, isto 6, qae aqui
o cholera tivera sua gen6se nos lugares em quoae so mani-
festara, e que nEo 6 contagioso; e, como eu, fundado nas
minhas observa95es feitas n'aquella epoca e no mesmo lI
gar, penso diversamente d'elle, isto 6, croio na sua impor-
tagao e no seu contagio, passarei a referir o resultado de
minhas observaoes.
De passage direi, logo que nao conhego historiador
algum, que inforine ter em algum tempo side observado o
cholera nt America do Sul.
A introduegao do cholera no Brazil fora foita pola
Barca Defensora, quo aportara no ParA, em meiado do-
anno de 1855 (pouco mais ou menos', procedenteda cida-
de do Porto, cm euja viagem perdera '43 pessoas, cujasV
mortes foramn attribuidas ao uso de utensis do ceOr, oi
que preparavam seus ali.inentos. *
Invadido o Paiw- por esta epidemia, que..., s6 mui
tarde fi.i reconhecida ser a do cholera, do hi partira o va-
por imperador coin oscala pelas provincias do norte, e
chegara a provinca da Bahia a 20 4eo jultio d
anno, e A 21 se dav.ai j alii o primeiro caso de dhol(Ia.
D'esta provinciis ae transmittira a opidomia pelas provin-
cies de Sergipo, Alagoas o Pernambbuco, corn marcha oer-
-t, permittindo par esse modo que sun invasho sucassiva
fosse observada pass a passe.
Para muitas pessoas, o c-reio que "ambem para o il-
lustre Inspector de Saudo Publica, salo estes factos contes-
taveis ainda haje; cono form contestados n'aquella epo-
ca, em quo se derain: e assim devia ter sido, porquanto,
nao so esperava por dies, nuo so couhecia aqui ainda o
cholera, sou apparecimento era para todos unaa novidade
muorbi~a, uma sorpresa.
Mas, si esta incerteza tivers bohm fundamento quan-
do entao nada se sabia do cholera, ella devia ter desappa-
recido do animno do todos, inclusive do do illustre Inspector
polos facts probantos quo posteriormente se succederam,
, que nhi tcin sido ate hoje contestados.
Tendo cholera invacliio a Bahia e Sorgipe, e cho-
gado A Penedo, passara logo a invadir Al.agoas, onde to-
dos jA estavam alerta e ja o cspcravam ; e por isso a p4j-
meira victina nibo passart ulesapercebida; o cholera fira


F HLlIETIB TICalmmo, ouvin-do a -az estcva iprompto Felippa teve um sobresalto ; era Rachel,
a reconliececl-o c peir d(lesculpa. (1i tido ouvido e tocar a campainha do
SA baronezad'Herve-y aereditou n'esta palacio, crrera para junto de sou tio.
B Jistoria. Fcicilmente ; mtmno,3 iaquillo 0 conl entrou rapidament- c quiz -f
(1 II j- A I I hsquo qteremos, .F nspirou- mais -livrc:nento, faster sasuu sbrinha.
F AL i(-) DE ANT ON convencida de quoe, soen fiiho nada sabia e Fyippe eonservava-se na soleira da pr-
POR cert do qua F-pp, tnd a ,!),o ao ta, bastante ombaracado e corado.
condo dc Sunoy. Aotecia o qu ells tinha p.rovist. At
POR ift0 C1110ellefirlliapi,wisto. At6
1 11 A' noitc, quando mdd voltou, ob-eine csa, do conc do de La-noy, Mne dc
A!J<\M DO "servoua a eua doento, -xnaminou o fcmrimen- truxera aquella que duvia ser sua
to, e disse alegremente: noiva.
---- NAo ha perigo algumn, e creio uies- Ficou ainda mais sorprehendido e emiba-
QUARTA PABTE mo que na o sera necessario recommendar- raado, venda o condo fallar tabe familiar e
Pe s, 0 a na plh descaoT ; na passa de urma peque- paternalmente A mowa.
Perltencesie OcmO 0 homeI a Ia picada,I apezar do quo alguns millime- Rachel era corn effeito parrta do con-
(I(sgra a tros mais abaixo seria mortal; descance, de ? Nao havia a menor duvida, ouvin-
d esurap avn
minha senhora, e amanhi levante-se sem do-a dizer :
Spensar mais n'&qla. I Minhia filha, pega toe, deixa-nos, d'a-
Felippe beijou sua mAi que Ihe disse ou- qui a pouco te chamarei.
(Continuaglo do n. 9) tra vez : Rachel fixou os seus dous grandes olhios
-- Nao ime mentiste, niao 6 verdade ? cheios de lagrimas no mego, e corn o olhar
CAPITULO VI renunciaste de vez aquelle duello ? supplicant fez um cuaiprimento e reti-
A prova, minlha querida mai, visto rou-se.
Ave mater: o medico ter dito que amanhA nada mais Felippe estava disnorteado ; nao sabia
Ssentiras, e que amanhAi mesmo levo-te e qual a posicAo que devia tomar.
Felippe calm, sorrio para ella. A ba- vamos almogarjuntos. Quando o condo vAltou, depois do ter
roneza tranquillisou-o. Adelia, sorrindo, beijou seu filho, e mais conduzido a nmoa at' A porta, dirigio-se
A infeliz senhora, a quem seu filho s6 tranquilla adormeceu. para Felippe e disse :
havia respondido, ao v-r a sun physiono Felippe disse enttao A criadaque velasse Queira sentar-se, sanhor, estou as
wia inqxieta, teve um memento de ter- junto d'ella ; dirigio-se para o seu quarto suas ordens.
ror. e vestio se as pressas. Felippe fez umn esfor9o e conteve-so, pas-
A mudan9a que so havia produzido ta9 Ia a sahir, quando vio entrar Vernet em sou a mA'o pela front, como para dissipar
rapidamente nas inten5es de Felippe, te- um cstado digno de lastima. a nuvem qu e lhe tuldavm os seus pensa-
ria por causa a revela9ao do passado ? Nao so lembrando mais do procedimrnen- mentor, e, comno. querendo arrancar um
Teria ella, ferida em um inoirento do to do antigo hussard, todo entreguo ao peso quo lhe esminagava o cerebro ; depois,
delirio confessado a sun falta ? Teria. seu seu pensamento, disse apnas : fixando o olhar no condo, e corn a voz
ilho sabido que o son adversario era seu Vernet, vem coinnjigo. tremula e commovida, disse-lhe
pai ? Fetippo entroun no peristyle do palacio Sr. condo de S&ncy, 6 do p6 quo eu
Tranquillipu-se, vendo o sorriso calm do condo de Sancyz dizia o seu nome ao I devo e quo quero fallar-lhe, senior ; ve-
do iancebo, pouvindo-o dizer que, em conse- criado, quando a port abrio-soe o o condo nho pedir-lhe que me desculpo e que me
ia^di a par eeu pf-rdoe. :
iencia'da emoabio que cxperimentara, von- apparoceu.jptd0
do a i fr-se, emuma crise do lagri- Admirado e inquieto, vendo o mancebo, Oi senhor, (iisse 0 condo doeSan-
7 lrocrado a causa da d^r que disse-lhe vivamebte : cy, tremendo, comiletaiuento emudado ploe
Bv aan mli Aquella extre- q deseja, senhor? minodo porqueQo ano0 fallava;', foi sua ui
'-~~~~~- Alguna minutes do atten o,- 50 o se-i ,no lno0
* o 1 Alguns minutoo de 9t~enoso que oobrigot a ter este procedimenlto, e
cholera quo o animavam ha- nhor quizer conceder-lu'os. eu.. ; -
gwdspparecido, e Entre, sen ior. ao s
k -w *- wais fracameate Elle .atravessou a sala.quo preedia o'puls doe 04 R.
-jsallo, abrio at pcO'IA e pediO AO irnoo oquej 0 qtre diat,--inhr? d 'O, 9 eb~da f
i* sdo rovoca- euteass0 01! rar eakAn lePWo t.-r,
via portad- No memento em quo dipp tra -
iv A -46-ba u soleira., ottvio-se umu ,equna ri*o V dr rttn w
U dill".WUA*


_-i 4 ,..o s AP.a o Assucar, quoe fora
logo em segi4aia i ::-Ame mo mal. : .
S Em Agu ts- lis uas regNaas acima do P' do
o de PAo do Assupaasa:pieras ietlmas fora oUs
mindividus proceeqnts d'este ultiwo lugar. -
] i ita ondo easo nenhum de cholera so CO-
nh'ei* vs^4ie s ima do Santo -Ant2io, urn indivi-
duo, d.viape *&Agoas Bellas, fern accommottido da
epidei dqLaw:d fallecora em sua casa, A 14 de janei-
ro, e a -6A today sua famiiia havia perceido do mesmo
ref a L ;:" '
EM Sail A U -on, olde timbein caso onhein de cho-
lva so. notai,, t primeira victina da epideinia fOra urna
senhora procedemte de Oatimbas, recolhida A casa do es-
crivio Jos6 Xavier Lins do Albuquerque.
Em Jaboatao. eolunm caso era ali ainda conheoido;
os primneiros quo all a eram foram em peesoas em-
migdaas do Santo Atlio.
No Recif, n'te lbiMfct ala o loitior, nenhuis caso
havia deot ) ct44olerina,, mas tudo e todos
Sestavam preoa cinco eou seis mezes antes para rece-
bd o.


0 prihneiro caso observado foi Herinecnegildo do Pan-
la e Albuquerque, branco, de 24 anaos do idade, sol-
tairo, morador na rua do Ouri, freguezia de S. Jos6,
d'esta cidade.


LITTERATURA


PAIO EMNE
POR

EUGENIO CIIAVETTE

PRIMEIRA PARTE
0 VIRA-TRIPAS

(Cou t iinua o)

IX

Como rosposta A accusagao de ingrati-
dAo que Ihes era foita, levantou-se do lado
do rio urma voz sarcastica e mordento que
dizia:
Ah! grandes malandros, estao a ca-
tar as pulgas em vez de acebaremr coin
aquelles patifs?
Vainos, maos a obra vadios !
Oh! oh, disse Bernabe, aquelle, falla
grosso com,;as nossos hovaens.
E querendo vOr aquelle quo tratava corn
a cabega de f6ra dajanella.
Se o Tira Tripas nao conhecia a vos,
nao io acontecia o mesmo corn a cara d'aj
quel4e ue tinhia fallado, porque apenaa
olfhi. r tremeceu. do prazer dizendo aVas-
seur: IT
livinhe quew t 2 ? 0 Beolo Francis-
cisco etu pessoa
E engatilhou a espingarda accroscen-
tando
---- Jusiamente cstA bern A vista e porto.
Ao sahir-se de um banho frio, como o quo
'ie oiQ t .4iieata appetite, e
gosta-se do metter algumna cousa no, esto
mago. Vou offerecer-lhe uma aineixa.
SVasseur final tevo tempo d- lovantar a
espingarda do inagricolla.
S Naio, nio, disse elle, qacro agarrar
aquelle mise.ravel vivo. 0 cdu.lafitlso re-
clanm ,-o.
Na mu.sma occasiA) o BAlj Francisc.)
dizia anos scus liomens.

Dou Ihes dcz miiutos para so apode-
deraremi d'aquelle casebre. Dos d us wor-
cegos o do io.igi'i:'ella poden fazer o que
Squizerem : inas u tencnto q'.icr o vivo.
-- disse Bernabe, olihando para o
teuente, parcel qua symnpathisam ui-n corn
o outro. Em seguidi, julgando que a re-
comniend,.9 Lo do Bedlo Frincisco tiv(ws;
Sfeito Vasseur inudar de opinion visou de
novo o colosso c pvrguntou:
Atiro ?

seus olhos hulne lc.e',-n-s. duats lagri-
mas rolarCemi-lh. pelas faces ; os lhbios tre-
miam-lhe, quanT.Io e!e balbuiou
Nao mn interroge; S'i ttudo, so-
nhor, si tuilo.
Antony pegou- h1: vi;'a.nitti na miAo.
Fcbppo cabi.) dO jo'lh 5s a seus pes e
disse
-- Perdao.
Lavante-se, levante-se, disse viva-
mente Antony, temendo que entrasso al-
gutom, e que visse o m1109 do joelhos a
seus pes.
Baterarn na porta.
-- Levante-se dcpressa, repetio ainda
Antony, 6 Rachel, minha sobrinha. Que
mnguem o veja assim.
Sua sobrinha 1 exclamou Felippe, la-
vantando-se.
Houve um siloncio, durante o qual os
dons hiomens apertaram affeetuosamente as
r[aes.
Felippe sorria, e Antony procurava con-
ter as 1.griznas.
Est seena que durou apenas alguns mi-
nutes, eem cue os dous homens trocaram


algurnas palavras, foi o sufficient para
quo ambos se coimprehendessem mutua-
inente.
A port abrio-se, e Rachel entrou, e
bastante itquieta, desfigurada, abragou-
so corn seu ti3, e, rapidamnente, sem Ilhe
permittir que die lhe interrompess, disse :
-Oh !, diga-mne, mea tia, quo isto n.o
6 verdade,- quo e impossivel que o senhjr
so bata. Eu nao quero.
Mas, disse iniinediatamente o conde,
conservando entree a sua it ,) a do Fe-
lippe, quo historic 6 essa quo estAs a con-
ta'r ? Barter-ine! a proposito do que, meu
Se s' o motivo for r pedido que me aca-
bam deo 'fazer?


mn-'ada,
Ul0 0os5do
btir io-,. q


2 JesAare iM a ores, hat i dr
Hieiro de profissao, morador na
* o do ReIdf informou quo fo 1i
He~nneito a boat~o, no! d. mincgo fl,
falla eui : 4. 3" Manoela Maria ida G0neeiglo, br*e
annos do idade4 virva, natural do PernambuleaY6 de
Ierinenegild4, ew o qual morava fallecido do cholera
no dia 27 di janeiro ; falleco ella na mesma casa no dia
7 do fovoeirmo.
4- Em S. Jos6 more tambem. no dia 1 do Aye-
reiro, Dionizio Oomes do Rego, branco, casado, atora
de Santo AntAo.
5" No dia 2 do mosmo mnez more Alexandrina Go-
mes do Rego, mulher de Dionizio, do 53 annos de, ida-
de, natural do Pernambuco.
6- No dia 7 de fevereiro morro da apidemia The-
resa de Jesus Oliveira Camara, solteira doe 17 annos
do idade, natural do Pernambuco.


(Continua(


Prohibo-te accentuou o tnenrto corn Os dous da frente ? pergunton otVra
um tom secco. Trips.
Quando acabava a su-t phrase a voz im- Nio. Os dous primeiroa do :nesmo
periosa do Bello Francisco dava esta or- lado. Depois corn as espingar4isos
dem singular: meus homes, deitamos abai* aos dous
Quatro rapazos por bands, lengos ni seguint-s do mosmo lado. Comiprehendes-
maio tomem-me aquella gaiola A metrad t ? termninou Vasseur, lovando a arma A
lho. cara.
Ol0 1 possuenm artilharia ? Safa I temn Perfeitamente respon:leu Birenab-fa-
a casa bern sortida! Observou o Vira- zendo pontaria.
Tripas corn admira9ao. Os incendiadores eaminhavam lontamen-
-- Nao. Espera um pouco e ficaras te corn a sua carga, quatro do um lado,
sabendo a que chamam ells metralhlia, res- quatro do outro inmas corn urea hesitaTelo
ponder Vasseur. visivel.
O que era assirn chamado na gyria dos A mnetralha era umn excellenS meio do
Incendiarios, quando se tratava de better better uma port dentro, mas elles a ti-
uma port dentro, naio passava do antigo .nham sempre emprogado contra morado-
system-i do ariete.
teiordo ariete. es, a quemn o medo paralysava. Agora di-
Oito, dez ou doze Inceadiarios, segundo dirigiam-se a adversaries serious, quo ti-
o peso a levantar, collocavam-se em dunas nham sangue nas veias. Isto mudava a si-
filas, uns defronte dos outros. Uniam-so 9tuaAio: e tio born o comprehndieram quo,
dous a dous por m1eio de urn.lengo, urna so nao estiuessem vigiados pe&o Bollo Fron-
gravata ou uma correia, presa ao pulso. Cesco, d e boa von:ade toriam abandonado
E.n cima d'esta espoeie do la9o balanuavam aquella perigosa tarefa.
urn tronco de arvore, uma escada, em uma --Fogo! ordenou Vasseur.
palavra, aquillo que o acaso fornecia para Os dous tiros partiram.
o corimmetimento. Dirigiam entao uma (las Fogo! ternou a dizer o tenente
extremidades, contra o obstacubo a veneer. quando Bernabe e ell receberam, sem
Na outra extremidade estavam dous ho- perda de tempo, as carabinas dos solda-
mens encarregados co dar o balango Aquella dos-
especie do catapulta. NoNem uma balla so perdeu.
Uma trave, cahida das ruinas do case- Mortos, ou gravemente feridos, quatro
bre, e quo uma causa desconhecida havia homes acabavam do cahir do mesmo la-
transpor.-ado um pouco longer da casa, of- do da trave, quo rolou por cim, dos cor-
fertceu-se aos olhos do Bello Francisco o
par-I lhe sugerir a ida e dar-lhe o mneio Prompto! disse alegremento o Vira-
de atacar a porta A i metralha. Tri-pas, que imprudentemente poz a cabe-
E' muito ongenhoso! disse o Vira- f6ra da janella para melhor ver os sobre-
Tripas, que por unia fonda da janella os viventes da metralha, que fugiam a sete
via fazer aquellcs preparatives. se perguntarem polo rcsto.
Dizendo isto, levou a espin-arda cara, s e p ri sto.
Dizergn Pndo isto, aseuo a p earn, A cabea assist visivel serviu de alvoao
perguntano a Vasseur: allo Francisco, que Iheo mandou uma b'la.
E' pro-iso mandar e- p a. 0 coQosso era um excellente afirsi -
-PAraizo do Ineendiarios? ?a sort dos seas homes lhe haviam causa-
Ao, espera, ordenou o tenente, nto do um tal deseapero, que, segundo parece,
dovernmos fazer uso das nossas munisOs se- le abalou os nerves, porque a bala des
nao para a. approveitar. tinada ao Vira Tripas foi perder-so dentro
L-mrnb:rt nite era mnuito dextro. doe casa.
Fielihet demnonstrava uima incapacidade iN'o 6d, todo mau! disse elle quan-
a.sesperadora. S5 Vasseur c Bernfab6 P- do a ball nt -ua passage Ihe assoviou
diam recsponler pelos seus tiros. Foi isso aos ouvidos.
o qua dictou a ordem do tenente aos seus Mas, immniuediatamente, muito sorpren-
soldados. dido
S-- Logo quo fizcrmos fogo passem-nos Que musical esta? pergunteu elle.
as suns espingardas, c carreguemn as nos- .No lunar ondo se foi encravar a bala,
sas armas. ella havia quando batcu produzido um sorm
Comeca a dana, annunciou o Vira- I estranho.
Tripis, sempre de observa%.o. Effecti- Como, para sae.r que sorm era aquelle,
v.mente oite homes uridos dous a duos o csquelcto so puzesse a procurar nos dos-
pelos lensos, dirigiam-se para a Salina, trogos que enchiam o chieao, soltou um gri-
carreganlo a travel, da qual uima das to o espanto, quo levou o tenento par o
extirenidades c.a-tavatapontata par a ortaa. so ld.
Vasseur foi reunir-se a Bernab. -Que teus tu Beruab6? perguntou
Vamos d(leitar ao chao os dous pri- i.1C


umIeiros, disse elle.


('lLerv qi iniolia sobrinha estava
acostiiumad.t. inpor-me as suas vonta-
,dles, o qua n.o po'lia raspmlor por ella.
Entra;;to exact-.ient.3 n'este inornento, e,
luinha querida fllia, dcixo'to (sse cui-
dado.
Einqualito Rachel, muito c6rad(a, io0 sa-
bia qua attlii t.tc devia toimar, Folippe aper-
LOu cilorosaiuito a rilo do Antony, e dis-

Oh! obrigado, Sr. conde, obriga-
do. meu pai.
7 Cala-te disse Antony.
E voltando-se vivamente para Ra-
chel, disse
SVes, elle parece ter eerteza da tua
resposta, uma vez que ja me da o nome
corn quo costumas a chamar-me.
Ohi! minha senhora, supplicou Fe-
lippe.
Sr. bara'o, balbuciou Rachel, obede-
cerei a incu tie.
Ora, at6 que se entenderam. E ago-
ra, meu caro barao, abrace sua noiva.
N'aquella minesmna noite, Rachel aconm-
panhada por seu tio, apresentava-se n'um
camarote da Opera.
Muitas vezes eJla inclinou-se para fallar
ao barao d'Hervey, qaue estava assentado
p(r detraz d'elles.
Os frequ-mtadores olhavam para elles, e
diziam arns aos outros, quo logo em se-
guida a urma explicagao, os dous homens
se tinham reconciliado e quae aquella ami-
zade era reatada polo projectado casa-
samento de Rachel Delaunay e do barao
d'Hervey.
No dia seguiate, a baroneza, fraca e
abatida, estava sentada ein uma poltrona
no seu saola, quando o condo do Sancy 4e
apresentou em sua casa.
Felippo o Rache' assistiram A entrevista.
Ellps poderam apenas frocar algumas pa-
lavrai.
Adelia disse-lhe em voz baixa, quando
se indinoa pawraoijar-o* a mo:
_Pe, dlo4 '. I


iuito tder.
do Adeflia..


(Continda)
SDelaunay, quando partiramin repentinaimen-
to do Pariz. Dizia-se qui aquella partida
era motivatla polo casamento da viuva do
manetral d'Hervey coin o condo do Sancy;
a ceremonia devia realis:mr-sa so no castello
do Lacret, qui, pc-rtencia A baroneza. Era
aldii que o con-lo devia fixar residencia,
pois qu o jovenii casal devia occupar o pa-
lacio do baiiro tSaint-Honor6.
Por cima do port.1o do castello a con-
dessa tinha minandado gravar: -ADESSO E
SEMIPRE.
Este facto servio por alguns dias de as-
surmpto a todas as conversaces; mas de-
pois nao so tornou a fallar ni.so.
Urn home existia que nao podia coinm-
prehender a mnudanca occorrida na familiar
que havia servido. Era Vornet, que quan-
do lho perguntavam a razo do casamento
que se tinha dado tio inopinadamente de-
pois da questao do dtello, contava a his-
toria A sua maneira.
Tinlha sido elle quoern, em virtude de urma
carta do general, tinha causado tudo
aquillo.
A carta obrigava o filho a fazer o ca-
samento de sun ma-i corn o home que
a tinha querido assassinar ou entAo ma-
tal-o.
0 barao d'Hervcy, seuamo, respeitando
a vontade de seu pai, havia obrigado -corn
as armaas na mao Antany A desposar a ba-
roneza d'Hervey. Como o barao era um
bmoe filho, tinha consentido em casar corn
uma parent da familiar.
No dia em quo o casamento so decidio,
um homicm apresentou-se no palacio, da
part da Sra. viscoudessa de Sirvan; foi
Vernet quemn o recebeu. 0 infeoliz, qu
outro nio era senAo Leclaqu6, ao ver o
hussard, largou a corner sem nada pergun-
tar. Foi esta a causa da quebra das re-
laqeos de Mine. de Sirvan con a baroiesa,
a quem ella qualificou doE ingralta. a:
alta sociedade, fall"-se i itii` ,A.
iamizadeo que une o ,padrasto eoeis|(e,
recordando quo aquellaainiziA- .e.- r
origin ua duello. -


Law = 11 1- -1,1 I


_ --.-v. : __ ......... .


A*-1.-


I I




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQYG1NOUD_ZY64HJ INGEST_TIME 2014-05-20T23:54:42Z PACKAGE AA00011611_14967
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES