Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14955


This item is only available as the following downloads:


Full Text











" ,-;.fi~~ i


t,
-"


* I


> sjl '.* -r
m., -


" PROPRIEDADE DE MAN4MU.
"g g :1 ^ now


TELEGRAMMAS

PARTICULAR DO DIARIO
RIO DE JANEIRO, 8 de outubro.
Consta que o Marquez do Herval,
general Osorio, se acha nomeado Aju
dante de Campo de S. M. o Impera-
dor.


IAHIA, 8 de outubro, a
imeia da tarde.


hora e


0 vapor francez Paranud itaufrago
na praia de Monte G6rdo ou Assft da
'Tor'e, proximno da capital.
A companhia Bahiana, a capitania
do porto, e o arsenal de marinha en-
viaram soccorros.




POLITICOS
VIENNA, 3 de outubro.
Os russos desmentem a noticia coa-
4,ernente &t victoria dos turcos na ba-
talha de Igdyr, na Asia Menor.
CONSTANTINOPLA, 4 de outubro.
Oeu-se uni novo comnbate entire rus-
sos e turcos na Asia Menor.
Noticias de origem tirca annuncian
que os turcos tiver.am ganho de causa
nesse combat.
S. PETERSBURGO, 4 de outubreo.
Noticias de origem russa, relW as
:-o comnbate que teve lugar, na Aiao
Menor, entire russos e turcos, desou.n-
tern a victoria que se attribuemr.ost
I' ircos, e, pelo contrario, dizem. u
os russos foram os vencedores.. ,'

COMMERCIAES
I.XAHIA, 8 de :outubro. .
0 paquete francez PARANA, 4a corn-
panhia das HESSAGERIES MARITLMES, per-
4leu-se completamente sobre os ro-
,hedos de Itapoin. Todos os passa-
,jeiros, bern coino as malas, poderam
-er salvos.
P'ARIS, 6 de outubro.
Titiulos de 5 0o, da renda Iranceza, a
105 francs e 37 1/2 ceutimos.
Ditos de 3'o a 09 francos e 25
eeu tiinos.
I.ONDRES, 6 de outubro.
C'onsolidados inglezes de 3 /o de 95
:-8 a 9512.
Fundos brasileiros dtie 5 ,o, empres-
limo de 1875, a 94.
Fundos argentinos de 6 O,/o, empres-
tlimo de 1871, a 58.
Mercado de assucar desanimado, e
os precos sustentados serm varia-Ao
apreciavel, corn tendencia porem a
baixar.
Existem aqul, Liverpool, Bristol e
Clyde 157,000 toneladas, vendendo-se
no mez 67,000 toneladas
LI.VERPOOL, 6 de outubro.
Venderain-se hole cerca de 20,000
Ilolas corn algodho de diversas proce-
dlencias; sendo o de Pernambuco a
09 16 d. por libra.
Existent aqui 598,000 balas de di-
versas procedencias, sendo do Brasil
109,000 balas, vendendo-se no mez
.103 balas de diversas procedencias.
I VVRE, 6 de outubro.
Algodao ordinario de Sorocaba a 77
irancos pelos 50 kilogrs.
Extstem aqui 170,000 balas de di-
versas procedencias, sendo do Brasil
:3.000 balas, vendendo-se no mez de
V5 a 50,000 balas de diversas proce-
d eucias.
NOVA YORK, 6 de outubro.
l'arinha de trigo (XTRA STATE SHIP-
14.NG BRANDO de $5-70 a $5-90 CENTS pot
btIrica.
I1ISBOA, 6 de outubro.
4Chegou hole dos portos do BrasU,
,, paquete Inglez ACONCAGUA, da coamj
p;)tlliha PACIFIC STEAM NAVIGATION.
Ageucia de Pernambuco, 8 de ou-
n.dn1'o de "1877.
PELO DIRECTOR, J. BROCHIER.


PARTE OFFICIAL
Ministerio do imperio
Polo decreto n. 6,699 de 27 de setemrnbrc
f, prorogada atW 10 de outubro a sessio da
-r'emblea geral,
-- Por despacho de 19 de setembro :
lr molivo de inaugurai..o do engenho cen-
I I-: de Quissami, forami agraciados os rmem-
t'.w:o da respective direcLoria
Iarto do Araruama cornmo tiulo de visconde.
l;trro de Villa.Franiqa, corn as honras de
,-andeza.
Tenente-coronel NTanoel Carneiro da Silva
,om o titulo de barAo de Ururahy.
Tonente-coronel Jose (Caetano Carneiro da
i.-va, corn a commnenda da ordetn da Rosa.
iacharel Manoel de Quoiroz Mattoso Ribeiro
Srorn o officialato da mesma ordem.
Por serviQos prastados ao estado:
Forain concedidas as honras de grandeza a
iktruo de Lavradio.
Forari nomeados
4 Dr. Manoel Pereira da Silva Continentin
Junior, cavalleiro da ordemn dc Nosso Senho
.Jesus-Christo.
O subdito portuguez Arthur Napoleao do
Santos, official da ordem da Rosa.
O porteiro da secretaria de estado dos ne
w;ocios da agriculture, comnmercio e obras pu
llicas, Jos6 Ignacio da Silva, cavalleiro d
inesma ordem.
FVoi nomeado cavalleiro da ordem de S. Ber
to de Aviz, o capitlo do io rngimento de cava
riatigelra, $Manel Luiz da Rocha Osorio.
Ao bara do Arir6, elevado a visconde d
WOMe @1- ,por decweo d 16 de junho d
1 -^ I oAAtt


do Joaquim Monteiro Junior, Jos6 Joaquim fo-1
drigues, Jacintho Caetano Botelho, Fortunato
Josd Pereira Carneiro, Antonio Pereira de Mi-
randa e Tose Cardoso da Fonceca
Foi remettida a secqto dos negocios do
imperio do conselho de estado os papeis con-
cernentes I duvida seguinte :
Se ao secretario da camera municipal, ;como
escrivIo da junta municipal, 6 applicavel a
disposicao do 3 do art. 43 das instruegSes
de 12 de janeiro de 1876, no caso de haver esse
funcionario feito parte de alguma junta pa-
rochial do municipio; e o requerimento em
que a administragfio da devogo de Nossa Se-
nhora da Soledade erecta na igreja do conven-c
to do Carmo desta cOrte, que pretende do ser
elevada A cathegoria de irwandade. 9dd


Milnisterio da agi*4'ura. o
Por portaria de 25 de semolo ftam no. D
meadows os agrimensopes He ,nawp la*inollat, UJ
Monoel Antonio Meyer. da BtdSo e Gustavo t
Krebir, para servirem na" 0 t' t Leo-i*
poldina, provincia do EspWr14, ,:* agriQ
mensor Luiz Firmino de o i ,pan P
servir na commission inc.uniA pd discrimi-
nar os limits dos aldiauets extinctos 0ew
Mtssao de Saude. Pombal e GeWr'inoaba, na
proipaoia da -ahia. .ct
-Pgor portaria de 2 foi a0ildo instruc- con
tor @ffocvo do corpo 44 boaftipI o ianattuc-
tor mntitn oJ0aosd evmoj Dlal, co 09 dp Cn.A
cimentos ',arcados 4no, mgolwta to de 89 dr Ios
,abril 4elI6W, e no grJll> fl^ e30*v


. respectivQOB ^ aYTipeaido ^'W l" de: ostembro o se-
overno mp .guinate aviso ao engetliro em cfie -do pro-
u-- longauiento da estrada de ferro lo Perau-.
Ministerio da Justiga buco:
PoCoin o officio de Vine., de 22 de junwlo ul-
Pot decretos' de1D de setembro foram time, orineza Ia,
tiao, foi presnt- a Sua Alteza a cV
nomeados jzes d direito: perial Regente, em nome do Impeiador, o re-
0 bacharel Francisco de Paula Rebello e Si- cursor interposto em 14 do mesmo mez, poelo
va, da comarca de Jahf. empreiteiro das obras do prolongamento dessa
O bacharel Miguel de Godoy Moreira e Cos-, estrada de error, Francisco Justiniano do Cas-
ta. da de Pindamonhangaba. M trada d Fd
t dac l d o amoAntanga doA maral tro Rabello, das delstes per Vmc. proferi-
bacharel Joaquim Antonio do Amaral as em execugoe das clausulas 28 do contra-
g el, da de Lenqees. a to de19 de junho doe 1876 e 2' das espoifoa-
O bacharel Joaquim Augusto Ferraira Alves, nes annexas ao mesmo contrato,!,
O bacharol Alfredo da Cunha Martins, da doa. Esse recurso foi formula4o polo emprei-
O baham Alfedoda unhaMarido Ma-d terro nos quatro seguintes quesitos:
Grajabfi, de ilk ontrancia, na provineia do Ma- tionsqar eune usts
rajao1tr ai((1.0 Se, em face da clausula 2& on de qual-
O bacharel Antonio Jos6 Pinto, da de Santo quer outra do contrato de 19 de junho do'
Antonio, de 1 entrancia, na provincia de S. ano findo,. esti o engenheiro em chefe auto-
Pedro 'o Sul. risado a marcar prazos fataes para conclusao
Foi nomeado o bacharel Manoel Jeronymo de quaesquerobras, ou so tao somente para
que sejam est encetadas, e para augmentar
Gongalves, para o lagar de juiz municipal e de pessoal ou material quando os trabalhos
de orphfos do termo de Porto Seguro, nano progricm cowatividade de mode a fi-
provincia do Bahia. ca nemo progncluidasm co as obrctividas dentr modo prazo do-
Foram reformados no posto; contrato. as obras dentro do prazodo
De major, Franciseo Ramiro de Assis-Jun- 2.Seteongenheiro em chee ompe-
queira, major designado do batalhao n. 44 da tOcia para determinar quo o caminho quo a
guard nacolda provincial de Minas-Geraesnho
Doecordatco ea quim JosO Silveira, tenenteI empreitpiro cumpro abrir ao long da estra-
De corabei, Joquim Josd Silveira, tenente- da, segundo a clausula la, 9o e 3o period do
coronel commandante do 10 batalhao de infan- da, segdapcilausl1, 9",e 3 peomdodo
taria ia guarda. nacionual da provincia de Per- art: o das especifieaeOs, tenha urns largura
nambuco. uniform e declividade quo entendxW,4Boamo se
, De coronel., oacharelJoaquim Antonio de se tratasse de ura estrada de .rodagm; ou
ODveiraSeoalra, coronel commandante supe- e pode o deve apenas exigir qup seja feito
0 11i ei r '$ e b ra c o r n el c o m a nd a t e u p e d e m o d e a d a r tra n s it e foc al sa c e c a rro s c a r-
rit da gtuada national dos municipios de drete anodoma da qutenhamsdo ondazir ge-
ItapemIm, e annexes na provincia do Espi-es ta md o u
ro Sato~~ hneros e niaterial para as obras, servigo que
-so da servntia vitdiz o empreiteiro ser todo delle.
hlz'se ;mrc. da serventia vitaicia, dos of- 3.o Se o empreiteirg 6obrigado a estiy4,
De escriodeorphos do term de Piraci- varzeas enxutas, porque podem serinundadas;
ID c rval, na orphinc osi d o eoe ou se cumpre ttao sonaente fazer estivas ondf
cabas, na provincia de S. Paulo, a Francisco allas forem indispensaveis, come prescrevwl
Jos6 da Sdva.
De 2o labelliio do public, judicial e notas a emaclausula i 9 o period 4" 4d .
do memo termo e provincia, a Francisco Pi- tadas especificaQes.
menta Gomes. a 4.o Se entregue pelo engenheiro em chefe
De bscrivAo do jury e das execucoes crimi- o perfil de dezonove e-mais kilometros, como
naes do termo de Braganga, na mesma provin- fez ultimamente, deve o emnpreltoiroe ser lofr-
cia, ao.tenente Paulino Candido Furquim. de oado a fazer primeiramente o rocado e cami-
Campos.- nho em toda essa extensao para s6 entAo a0s
Foram perdoados: darem as ordens ao meoiomiempreiteiro p
JoAo Jos6 Fernandes Allivio, o tempo que podr encetar o sawioo de nmovi4menmWd
lhe falta para cumprir a pena de quatro an- Ierra, ou so, pelo contrario, prompt, em cardbs
nos e meio de prisW corn trabalho, a que per cilometro aquefe tribho prepaztorio, podomi
crime de bancarrota fraudulent foi condem- 3 devem set dadas' I zoessk o -emprelteir"O
nado em grdo de appellagao. por accordao da logo qte as sid'ta.wrdasap .ataar- o04'
relaclo de BelAmi da-9.J 9li-- yw ,- Id o wCmo--w, xR---t---_ ....
Luiz Martins, do tempo qtte falta para cum- conveniente ao progress das obras. .
prir a pena de 14 ann"rs de prisgo simiples, im- x Quanto ao primeiro quesito, cumpre ob-
posta em virtude de decisdo de jurv do termo servar que a faculdade concedida ao ene-
da capital da provincial do Parii, por crime de nheiro em chefe pela citada claustula 28a do
homicidio. contrato de marcar o tempo ero que dove ser
Foram cominutadas: encetado qualquer trabalho em cada kilome-


Na pena de 115 annos e seis mezes de prisao
a de 23 annos e quatro mezes que por crime
de homicidio fui imposta a Francisco Jos6 de
Oliveira, em virtude do decisao do jury do ter-
mo de Itabaiana, na provincia de Sergipe.
Na de nove annos e quatro mezes de prisao
a de 15 annos, seis mezes e 20 dias, que por
crime de tentative de homicidio foi imposta
a Porfnirio Jos6 Santiago, em virtude de deci-
so do jury do termo da Imperatriza na provin-
cia do Rio Gri-ande do Norte.
Foram marcados os seguintes prazos :
De um mez ao dosembargador Jose=Quintino
de Castro Leaio.
De dous ao desembargador Antonio Barbosa
Comes Nogueira.
De tres aos desembargadores Ovidio Fernan-
do Trigo de Lom'rciro e Domingos Ribeiro Fo-
lha; e aos juizes de direito Manoel Martins
Torres, Igracio Teixeira da Cunha Louzada,
Antonio Torquato Fdtes Junqueira, Jos6 Joa-
quim Fernandes Torres. Manoel Maria do Ama-
ral, Joaqdim Simoes Dattro e Silva. Conrado
Caetano Erichsen, Candido Pereira Lemos,
Ignacio Accioli de Almeida, Joao Feliciano da
Costa Ferreira, Americo Vespucio Pinheiro e
Prado, Francisco Jose Monteiro Junior, Pedro
Gaetano da Costa e Ernesto Augusto Pereira.
De quatro aos juizes do direito Carlos Espe-
ridio de Mello Mattos, Cypriano de Almeida
Cibrao e Domingos Antonio Alves Ribeiro.
De cinco ao desemibargador, MarcosAntonio
Rodrigues de 'ouza; e aos juizes de direito
Aristides Jose de Lelo e Francisco de Souza
Girne Lima.
De seis ao desembargador Jos6 Antonio da
Rocha.
0 decreto n. 6,689, de -19 de seterrmbro,
declarou de primeira entrancia as comarcas de
Lenc6es, Tatuhy, Pindamonhangaba e Jahf,
ereadas na provinoia de S. Paulo, pelas lois da
rospectiva'assemblea ns. 25, 26, 27 e 28, de 7
ne maio do. corrente anno.
0 iecreto n. 6,690, de 19 do-corrente,
marcou aos promotores publicos das comarcas
de Lenc6es, 'lIatuhy. Pindamonhangaba e Jahi,
na provincia do S. Paulo, o vencimento annual
de 1:.400$, sendo 800$ de ordenado e 6005 do
gratificaCAo.
-- Por decretos de 19 foram reconduzidos:
0 bacharel Lino Leoncio da Assnmpcao, no
lugar de juiz municipal e de orphaos do termo
Sde Marvuo, na provincia do Piauhy.
0 bacharel Aristarchio Cavalcante de Albu-
querque, no de juiz municipal e de orphaos
do termo de S. Bento, na provincial de Per-
namb6uco.
0 bacharel D. Luiz. de Souza da Silveira. no
de juiz municipal e do orphaos do termo de
I Icatfi, na provincia do Maranhio.
S 0 bacharel Amador iIves- da Silva, no de
juiz municipal e de orphaos do termo de Cur-
Svello, na provincia de Minas Geraes.
0 bacharel Miguel Joaquim Ribeiro de Car-
Svalho, no de juiz municipal e de orphaos do
termnio de Cantagallo, na provincia do Rio do
Janeiro.
O bacharel Jorge de Azevedo Segurado, no
lugar de 7,, jiiz substitute da c6rte.
o Passou-se diploma de habilitacAo ao car-
go de juiz de direito'aos bachareis Manoel de
Araujo G6es, e Guilherme de Souza Campos.
)r Ministerio da fazenda
s Por decrotos de 21 de setembro, foran
nomeados:'
B- 0 chefe de seecao extinct da thesouraria
i- do Piauhy, Saturnine Mesquita de Loureinrc
a Mares, para o0lugar de contador da do Ric
Granle do Norte, em substituiolo de Mauricdi
i- Theodoro de Souza, a quem foi concedida
1- aposentadoria que pedio no referido lugar.
0 29 escaipturario da alfandega da cidade di
lo Rio rftad, provincia de .8. Pedro do Ri
toe Gande do Sal, Antonio Preira de Almeide
ar& o0lug'r de conterente da u.ema alfto


t1
tr
ai
d
cc
ta
n
II
s

a
e

c
t

di


ro, nao exclude de certo a de flxar o prazo den-
rodo qual deve ser concluido cada trecho
3a linha entregue ao empreiteiro. 0 prazo
Ie cinco annos fixado no contrato refere-so a
onclusao de todas as obras ; nao pode, por-
anto, o memo empreiteiro delle tirar argu-
nento para demorar a terminaaQo dos traba-
hos de qualquer trecho da linha,' pela con-
ideraao de poder concluil-os dertro daquetlte
razo.
(( 0 interesse do Estado, como do public,
Squern vai servir a estrada em construcvao,
stA segurarnmente em abrir ao trafego as sec-
GSes de estrada quo se foremn promptificando.
(( Ao engenheiro em chefe, pois, cabe fixar
i prazo para conclusao das obras em cada
recho ou sub-secco da linha; devendo, quan-
lo assim proceder, ouvir ao empreiteiro e ter
mn consideraQAo a importancia e difficuldades
Los trabalhos a executor.


43qn
-iteve dew
l1aterial
a On.


..i.f ipos i e etor gerI WA rovara direct ol idirectafAnt,
gum W8oQ'o9'd0 qluQ PropriQ f stica.--Remetta V.U: a. k ecrtauImdira0a
.41 OimpeloriUlr.rate o escanda-.
PU Vdo r ar ura par- a !gy P pedido constant 4 saito
!* t:a jv de Pirangy, Funhon. 7,898,a relaQco dos empreg manido e elogkIa4pela pnarados
O i hs :- dmtiad tivos q-O mantmd diest' provincia. iidistrict)tados, do ser um ministry d'Eata-
J m destiado A d re do district encarregado dos- negocios da fa-.
ao porte do materiaes do na-.'ToSmitto a V. S. o process Inda ee mandilario de tma casa l,
Sta~m~ para uw. ,do pessoel: do o0 o ,sl( do corps deunyi. ge
-a noiAMra& d raO e trada Fpo f e m an iaro m es umo a
Fda altrao doia estrada, o Ribeir), afitn de qne g to o poradora mesmo tmpojuiz,
ta nto aopte o over.de o aosr.de ao
prtanto ao govereo o dver de vi-. e 40do t perante a junta dode jstiga pleito$,corn a ,esma fazoda, da *o-^
al lie ooetts: doou naiobrdoem *f l 4 o|l-oem ultima instancia neste ciddg4 edi,44e-a inter os ?
Yarw.gjuldarest gar ac12 da n reas ,
cabodoU Ofte Hqie. 00ga dima "rhf. -... qatp lLaC!a amara dos delpu7
ia, da ocaso e qua os trbad Sl .
wo m e cte A d am %SM para 4 ta 8erv U
I eP 1to ii p4uir a A ltru nento cir novos coal*
entrua de poeferea obras d ue seja conoedido a essa thesouraria por ttientos do se' -Ou e 9
e'tafda de ferro, o -.900 ou v4oi- pt .0o 0 i-Diversas despezas e eventuaes- Aproveitria as ies qorece OS
,-trn it ra c o-4 0- i ao ^ 60-eAprovde1876ria87as li'gdes DO'S*n0
aforma do-art. S, p cacs, 4 .ercicio de 1876 a 1877, o augmento de Estados-UnidosdaAmercado Norte-
tranaito franco e sgaw ao peuso e ctedi Ie 4.i)0, para effectuar o pagamen- ra dar aopovo brasileiro a liberdade que
da estrada. ,d .to dolaluga l dacasa enim que funcciona a se- Ihe falta 9 asiei erae qe
qlnrtn A(Qp invinn ra ro A < A. M > IH ala ?


tr4 t&OS pr.paratpir'os p preUmiuarea especHt-
r uares;,pedT
OsEatine ,potrato e igualmente rotribuidopelo
es 4do,,'o m major, razlo poder-sw-ba exigir,
se .p4uqbe f6r necessario, que preceda a to-
do I outros, o.aej executa(o via extensao
qu a Vtb. parecer convenient.
.Tendu .em consideraCAo estes fundamentos
SafmWusgusta. senhora resolve negar pro-
vi itoa'parte do recurso concernente aos
su t~do quesitos 2o, 3o a. 4.o Do que
dou a a Vmc. part a devida execugo.
Deo I-fde a Vine.-Thoma Jose Coelho de
At

A inisterio da guerra
F BIrado o pharmaceutico alferes do
cor Ade do exercito Honorato Caetano
de .do.lugar de encarregado da phar-
n hospital military do Pernambuco, desi-
4nhlefe interino do referido corpo urn
outr"'Vprmaceutico para o referido lugar.
-"Ku445'4* setembro foi expolido As pre-
si4enoi* de prvincia a seguinte circular:
tI1i1 e Elm. Sr.-Expega V. Exc. suas or-
dens,.of de que nlio' sejam aceitos volunta-
ries cm destiono sos corpos esltaniados nes-
sa povcia, oujo pessoal esteja cormpleto,
poded"o, entretanjo, ser recebidos corn des-
tino i&aecUato a esta cOrte, onde se Ihes de-
signalAo butalhao em que tenham de servir.
Dem1Wjed a V. Eze.-Ih'que de Caxias. D
v-- f pgaria de 28 de setembro, foi no-
raeado lilario Antonio Rodrigues, par a o lugar
Oe fiAd q lmoxarifado do arsenal de guerra
da povocia do Para4.
Ptadecretos do 24.
pFontpromovidos :
No v J e estade maior de I- cf&ase. A
tenenfte-onel, o tenento-coronel graduado
Joa Antmlo da Fonceca Lessa, per mereci-
mento. j, I. -
A IL"e-OWro.i gradad4o, o major Carlos
Jos4a Costa Pimentel.
. AitB,. o capiilo Joa Ptira da Gra 9NpdbCM do tU : 50 regiiinto. A
taGnlB 8*ronel awuManseel AMtonio Re-
d0JoaH UQr, pot astiguidade..
h~Wy0 @1Ufjqgraduado bonizolda de


xwaae i Luisi. de- Awaie
Nev, at&ogundade, para a primra conm-
nhia.,
. A ternte da arrna o alferes Virginio Ferrei-
ra de Siuza, per estudos.
A alfores da arma: o segundo cadet, se-
gundo argento do segundo corpo Benjamin
Ramos Velloso.
Conctdeu-se reform nos terms da primei-
ra parts do Io do art. Qa da lei n. 6M8 de 18
de agcqto de 185?, ao capitao commandant da
compahia de infantaria da provincia da Para-
hyba, fathias da Gama Cabral de Vasconcel-
los, eio capitao aggregado i mesma arma
Joaquin Antonio de Moraes, visto soffrerem
molesias incuraveis que os tornamu incapazes
de coaltinuar no sorvico do exercito.

Ministerio da marina
Poroleereto de 24 de setembro foi declarado
-serm eeito o de 26 de julho ultimo, que no-
meoub capitol de mar e guerra Ignacio Joa-
quim da Fonceca para o lugar de capitao do
port 3a provincia da Lahia..
tor decreto da mesma data, c primeiro
toenen da armada Alfredo Fernandes da Cos-
I. 9- --f .... A. n *w .. ... .. f C ria # nf~r-


S Tal 6 a verdadeira intelligencia dada polo a, loirermao no U nm1mWSU t J u L,....
aviso n. 59, de 20 de agosto ultimo, A supra- mi4da4 corn alel a. 646 de 31 d, julho de
mencionada clausula 28' do contrato de 19 de 850.,
junho d 1876. or decretos da mesma data:
(t nho, deo86. Fol1orncedida a exonerae~io que pedio Jo'io
(, Isto, porem, nao import reconbecer que Eieut^o do Carvaiho do lugar de almoxarife
tendo o engenheiro em chefe marcado prazo Eat erase odo lnoariao ari
para a conclusao de cada kilometre ou sub- teteira sec-lo do almoxarifado de marinh-
secno da estrada, possa arbitrariamente fixar AscOte, e nomeado para sabstituil.o Jos6 A-
prazos faiaes para terminacdo de obras par- nastako do Abreu Nascentes.
ciaes do mesmo kilometre, salvo se takes obras --
forem da natureza das que trata o art* 16 das Governo da provincia
especificaCes e para as quaes o contrato exi- P ENTE DO DIA 14 DE SETEMBO DE 1877
ge que ur m ve: principiadas, continue e se PAco D
concluarn sem demo,- e interrup5es no menor -- president da provincia, attendendo ao
p)raEo possivel. ddosoque equereu Francisca Seraphico de Assis
SE como se possa presumir dealgunsdos Garvah, professors publics da povoac.o do
officios de Vmc. que acompanharam a dito re- Carva, profeendo em vista ca pinfoacAo don. 63
curs, qe dvera 6a inellgenia adaaosRio Ibbe, e~tendo em, vista a infortnaC~o n. 163
cursor, que divers 6 a intelligencia dada 0aos de 2Y6e agosto, do inspector geral da instruc-
citados art. 28 do contratc e aviso de 2 de blica esoW, usando a auori ao
agesto, s endo quo seria lieito at( supp6r que Ot' o blica, resolve, usando da autorisaC~o
agosto, de intervir na propria a dministra conclda pelA lei n. 1,267, de 9 de jiulbo, con-
a" edeUie tim anno de licenga, corn ordenado
das obras, o quo por certo n~o tern Vmc. em pe .r atar de sua sade onde Iadohe
vista, sua alteza imperial regent, em nome porireiro, paa tratar do su safideondehe
do Imperador, manda dar provimento nesta offlios :
part e nos terms aqui relatados, ao recurso0 ns
do empreiteiro Francisco Justiniano de Castro .4o president da Bahia.-Para satisfazer
Rebello A qua so rfofre o pnirneino dos men'a umn requisiCio do inspector geral da ins-
ciRebello ad que se refitos.re o primer dos men- truccio public, rogo a V. Exc. se digne in-
En5 relacio aos2o, 3e fornar-me se o professor public ida villa de
En rlao os 2, 3o qesitos, r Pleva etrldira advoga na de Joazeiro.
considerar: -- do Rio Grande do Sul. Accuso o re
A Que do art. 20 das especiflcacgOes ve-se que cebimnto do officio de 22 de agosto, com'o
o empreiteiro 6 obrigado a reparar' 6 caminho qu~l l. Exc. se dignou reinetter-me dous
actual, a rnelhoral-o ou completal-o por forma exemplares impresses do relatorio corn que o
a have ao long da estrada do ferro uma corn- Exm. Dr. Joao Bias de Castro, entregou a V.
municagao franca e segura. ExC. a administraleio dessa provincia no dia
SQuoe somente a Vmc. compote julgar se 21 de mlaio.
takes condieoes teen sido preenchidas pejlo era- Ao commandante das armas.--Para que
preiteiro. possa o governor imperial resolver sobre o re-
Que dos documents juntos i petigio oon- querimeuto em que a ex-praca do 2' batalhao
clue-se que Vmc. nao s6 nao exigiao que o rmes- de infantaria Ricardo Jos6 de Lima, pede pa-
mo empreiteiro construisse urna estrada de gameito das gratificaCies do voluntario do
rodagem*em condicQes regulars, como ape- exercdto, a que se julga corn direito, sirva-se
nas marcou para esse caminho a largura de V. Exc. de fazer constar ao interessado que,
U.,50, que por certo nao pode ser arguida de em solucao ao aviso do mlnisterio da guerra
exagerada; e que assinim procedeu par- evitar de 1 do corrente, dove elle proval que antes
o abuso do empreiteiro construir caminhos, de 9 'de fevereiro deste anno solicitor a vanta-
come o tern feito, corn a largura de 0m,50, gem de que se'trata, e hem assim sellar a es-
compromettendo por esta form a seguranga cusa junta, que deverA ser-me devolvida para
do transit. ser rostituida aquella secretaria de estado,


(( Que o prego fixado no contrato para a
construcqAo desse caminho e outras obras pre-
paratorias seria tesivo ao estado se takes cons-
trueOes fossem de natureza a se inutilisarem
facilmente e sem utilidade real, como seria
por carto uma-vereda de 0,50 de largura corn
declives quasi inaccessiveis, curvas de muito
pequenos raios, e oonstruida em muitos pon-
tos, A borda de desfiladeiros. "
S Que dispondo as especiflcagOes que o em-
preiteiro fara, para seguranea do camninho, aS
estivas, pontes e pontilhbes provisorios de ma-
deas, que form precisos, a Yrm. cabe tam--
Jem avaliar dos pontos. do. mem:o caminho,
,onstraido oa melhoradoi, onde es eiUvas
devam ser.empregadas..
.,a Qe 6 for*a de duvida e Rat
Ommpvl4 gOw "#ewuo~ti
din:,g a a. e Jm


conform recommend o citado aviso.
.o mcsmno.-Determniinando o ministerioi
da guerra, no aviso de 11 de agosto, que fique
extinct a enfermaria da fortaleza do Brum, e
quo nao sejam recebidos no hospital military
os piPos paisanos empregados nas fachinas
dos corpos e das fortalezas, os quaes, quando
dpentes, devem ser remettidos para a casa
de detenQlo; assim o oommunico a V.Exc.,
para seOn conhecimento e expedieAo das con-
venentes ordens a respeito.-Deu-se sciencva
ao Dr. chefe de policia interino, juiz de direitoa
das executoes criminals e inspector da the-
sourpia- d fasenda.-
,-40 qom;.-ape ndo o requelraBnto do
' 00atgRQ4to 49 ^ athop de infantali Maoe


vw wli~u n u v uwU IUj Tdo dalalraisae ia pri-
vincia, relative ao trimestre de abril a junho
proximo passado ; assim o communico a V.
S para sou ohebecimento.
Ao mesmo.-Transmitto a V. S. para os
fins convenientes, os decretos de nomeaClo
dos empregados dessa thesouraria Christovao
Santiago de Oliveira e Antonio Serapiao de
Garvalho, para os lugares, este do 20 e aquel-
lede Io escripturario.
.- Ao do thesouro provincial. Declare a
Vmc., em resposta a sou officio de 12 do cor-
rente, n. 126, que a gratiflcaao arbitrada ao
major" graduado do 20 batalhao de infantaria,
Luia Aftohio Ferraz, parm inspeccionar diver-
soswgidprdas locaes, deve ser contada do Io de
agoto' dia em que foi por elle inspeccionada
a g"ltta local do Cabo.
S-'Ao commandant do corpo de policia.-
PdMe Vmc., conform solicita em seu officio n.
3, de 12 do corrente, engajar os paisanos Fe-
lippe Jos6 da Silva e Augusto de SA Vieira.
Ao coummissario de policia de Palmares.
-P6de Vmc., conforme solicit emr seu officio
de hoje, eliminar as pracasJoao Laurentino da
Silva, Manoel Jos6 de Mello. Joaquim Alves de
Miranda e Francisco Jos6 Tavares, os trees pri-
meiros impossibilitados de continuar a ser-
vir per motive de molestia e o ultimo por ser
incorrigivel.
Ao de Ipojuca. P6do Vnmc eliminar o
cabo Caetano Tolentino Lopes, a quemr se re-
fore a informacao constante de seu officio de
10 do corrente.
Portana :
0 Sr. agent de companhia brasileira de
navegaeZo a vapor faga transportar AcOrte,
porconta ido ministerio da guerra, no vapor
Baiu, proeedente do norte, o deserter do Io
batalhao de infantaria Fructuoso Jose Corr6a.
-Comaw a u-seao commandant das armas.
/9XPEIAftET DO SECRETARIO
Qfftios:
-. Ao commandant das armas. 0 Exm.
Sr. president, submettendo per officio desta
data &o conhcimento do governor imperial, a
duvida susci.ada ptla thesouraria de !azenda,
sobre o pagamento de gratificagco para ciit.(1)
a officiaes graduadaw'; assim o manda decla-.
Ao adfcm? A----t-on
dem do Exm., Sr. presidenite, rometto a V. S.
a portarij do Ignacio da Cunha Pedrosa, agon-
te nomeado parsa ocorreio da povoaco de
Cruangy-, para dar-ihe o ceminpetente desti no.


- I

INTERIOR
RIO DE JANEIRO
A IGFJA E 0 ESTADO
Vxl t oVil.
'Ca, ipat 7othnu.,.


Aproveitario as Iii6es que recebeu .1"
Inglaterra, relativas a dignidade dos
representantes di nado e a pratica re-
gular de urn governor constitutional ?
Estard disposto a manter a desgraoa-
da situagao de relagses do Estado coa
a i greja roman ?
Continuarao as bullas nao plhacitadas
a ter impunemente execuao no Impe-
rio ?
Continuarao a perturbacao das con-
sciencias, a desordem na constituico
da familiar, os insultos, as 6eKtorses
praticadas no Imperio pela igreja de
Roma?
Continuarao as dioceses constituidas
Estados no Estado e os bispos a obe-
decerem de preferencia As instrucgSes
do Vaticano em menoscabo da lei e da
soberania nacionaes?
Vird disposto a center o altar em seus
desmandos, ou alliar-se corn ella?.
Em todo o caso dove cessar na ad-
ministracao public o torpor em que
durante 18 longos mezes jazea, excep-
Ao feita de esbanjamento dos dinhei-
ros publicos, ajustes de velhas coutas,.
pagamento de saldos aos amigos. j
conchavos clandestinos, escandalos e'
prevaricavges, que a voz public tom ,
denunciado,'e scm contestaio ;proce,-
dente.


Em todo caso cumpre ser frnco, e,-
dizer, por actos inequibocos ao paiz, o
que quer e para onde vai.
Sua Magestade creou os actors que
na sua ansencia 4everiam representar
a comedia que Ihes deixou escripta, e
rpm ordem express de nada absoluta-
MS. M. nada maisqueria jiso "do
que conservar a adminis5 publi-
ca corn urma certa apparencia de vitali-
dade, para encobrir assim a falta que
commettia, emprehendendo urna via-
gem para f6ra do Imperio, em circums-
tancias as mais critics do paiz, que se
via a bracos corn gravissimas difficul-
dades em financas, corn a peste, por
conflictos 'religiosos, e em tudo que o
p'de mais realmente interessar.
Mas, Sua Magestade, que conhece os
seus homes, e receioso de que os seus
actors nao desempenhassem strieta e
satisfactoriamente os papeis que Ihes
havia distribuido, e conforme a apti-
ddo de cada urn, ereou urn contra-re-
gra, e escolheu para esse cargo o seu
Mac-Mahon, em cuja severidade e
energia confiava, aguardando delle que
a projectada mnystiliccago fosse perfeita-
mente desempenhada.
A companhia, porem, se, na f6rma
do program ma, deixou de curardos in-
teresses publicos, e calculadamente se
absteve de satisfazer as mais palpitan-
tes necessidades do paiz, ser saber
mesmo o que podia ou o que devia fa-
zer; logo que se vio entregue a si pro-
pria, e corn possibilidade de dar livre
past a seus vicios, ali.s originaes, apo-
sentou de facto o contra-regra, ao qual
nenhuma importaticia deu, mas a
quem acalentou sempre corn pompo-
sos elogios, que ainda mais o compro-
metteram. E quebrando todas as ca-
deas da moralidade e do patriotism,
estabeleceu os seus errmiaes no campo
singular do egoismo, e do interesse ma*
trial, perdendo a donfianca de todos,
e convertendo a administragdo public
na mais repugnante orgia political.
0 imperio official foi transformado em
u ma grande coenimandita!
Cada um dds interessados curava s6-
monte de si, e dos seus apaniauados !
Comecou polo desempenho Lo com-
promisso de honra de Sua Magestade;
a eleiqio geral.
A satistaAo desse compromisso foia
designacAo acintosa e revoltante dos que
deviam compor a camera dos deputa-
dos.
Sua Magestade fez a lei do terfco, es-
sa antinormia (do system representati-
vo ; promeUtteu corn essa grapa especial
Sdar por sua alta generosidade, entrada.
na camera a representantLs da opposi-
gao como que para former alli urm gru-
po ameagador, e que impozes".aws
) do partido dominant a umiaoea L9
para se perpeturemn no poder.
Os instruments imperiaes, porem,
Snem sequer comprehenderam o aleance
-dessa munificencia de Sua Magestade!
Atiraram-se cegos e descomedidos


d
(



*4


EST HIC!
Chegou S. M. o Imperador; e acha-
e restituido A sua C6rte !
Saudemol-o corn a verdade.
E' quanto Ihe devemos, 6 quanto Ihe
ribtitamos, 6 corn o quo lhe podemos
er util, porque 6 deste modo que en-
mndemos melhor servir a nossa patria !
S. M. esta, de facto e de direito, no
xercicio do seu alto encargo.
Bern vindo seja, e bern inspirado ve-
ha.
0 Imperio vai reanimar-se, se 6 que
Spresenpa do monarch nao produza
penas a visit de saude ao enfermo,
a em estado quasi desesperado, comd
e acha este paiz.
0 etame minucioso e reflectido do
que se passou no Brasil duraute a sua
ausencia, dove ser o seu trabalho pre-
iminar, para comprehender corn acer-
o a sua peopria pooido, e poder dig-
aamente proseguir.
A sciencia por um fio electric nem
sempre e exacta.
Comparar o que vio praticado pelos
poderes publicos nos paizes livres, que
percorreu, corn os habitos inveterados
e viciosos do. nossos governor; avaliar
profundamente, e corn patriotic inten-
(;o as.consequencias de.quanto tern si-
do temerariamente expedido em seu
nornme, direct ou inoirktamente auto-
risado por elle,-- de teu mais rigoro-
so dover, e de que corn boa fd e lealda.
de nao -p6de prescindir.
Veio S. M. disposto a corrigir os seus
erros, e os dos que vivemrn de suas gra-
as ,?
Mantera esta ordem de cousas?
Approvara quanto fizeram seus pre-
postos, em sua ausencia se bemrn que
sob sua responsabihldade, ex-vi do te-
legrapho ?
Chamarma para os conselhos da coroa
os liberaes, prcedendo, para corn el-
les, corn a inidispensavel sinceridadeo
Reorganisara o partido conservador
impondo-lhe discipline, chamando ao
governor os mais habeis, e entregando-
ihes os destinos do Brasil ?
SProcurarA ainda realisar as iddas
de progress corn o auxilio conserva-
dor, e impossibilitar de acgto os natu-
raes desse commettimento'I
Continuara S. M. na sua constant
political de perturbar e confundir o,
partidos, desmoralisal-os e perdel-os mn
opiniao pubIiBa.--poli Ud e consequen
cias desastradas, e com, qual s6 ten
conseguido a defcretia geil ge?
urari ainda realisar ttiu alma
a politic%, e torI e w3 ap


ar axnmn'e
inttJDiro aW


~~u~5vU. 0
I
1'
I. *


b 0


* *
0
' *.


I., -"o
, TWIT.


A


T -- --- -- "


#A


3A


1
. /


q
WPM
to, 80


I A -


I

















































ijl a hpbestnda a
i dftt~l b, tse reclamal PrO-
14 kscin~ivtis para cbdter i1
gente de Roma q up ertur.ba a paz das
; ;ef tj 6 l 6* tIt ar6. o
1afd- (ii: conscien-
c?9; 'ue.R de rnmitAWelindroso e
sviado t. "vitda civil e na vifa'.'*bmes..
tica, wAtgusta Rgente toma-a eim sen
C ,fiti 0enviado do papa e0comreie
pAia*r f rtms desta cidade, depois
de, no sen character imperial, s -4ehra-
j64t46e: hebijado-a mAo desse envia-
d-IVq6%M no64t' p-ublico e solernne !
Se se r'ovava em. plena camara que
o-finiOM6 4a- 'fazenda era socio com-
rt Rt~tt %n!'-una casa commercial
deiti-dtfi~tde, respondia-sp para collo-
netar -essa -in"moralidade, corn unia
moe1o decontiana nia nf'esma cama-
ri .infdo-.e dos cores' pubficos
dt'dfiac'decontos'de rdis, em logos es:
tilNd4'ly'aneyvricos aesses ministros !
-Emr pregena de urn deficit medonho,
em face de uima terrivel ameaa dco
banea-rotit do EcrAado, comminissues inu-
teis, m$, -ditenti6sissimas, eram no-
nlea'lasi prut a$rorecer os protegidos
db'mii`tin .iAeterminavam -se nova,
e'85rt uavatmse obras de mera bs
tentta(ito e atsolutqrnmente prescindiveis,
e twd01 pafh'alargar o circle '"dos pro-
teidos e dependelites!.
So em presenga do calamitoso esta-
do deAnossas finangha,, se propunham
razbaveis e aovultatdas economies, im-
portantes n in muitos mil contos de
re6is, o' iinisterio- se oppunha a isso,
para ^ o&tseerr- no'chamado oramnen-
to a autorisa5to'para despezas intrteis,
ad.passo. que 'requeria. e obtiniha (!)
augmento de impastos, para maior fla-
gello-d6povo .
Aft'..', t O1RP
do paiz em urnia conven:5o corn o es-
trangeiro, esse ministro respondia ou-
sadamnente- que stava emn seu direito,
porque nesses actos o poder executive
dapa lei, e pode, contra as do paiz, ne-
gociar corn os outros govermos!
Se urn sena(dor dizia em face a um
ministro, P em plena'sessao, que' en-
trara este para o Senado por uma por-
ta invae de um miodo repugnante e
vergonhoso prvalecendo-se de suapo-
sigao para extorquir urma eleigio e uma
escolha, raspondia o felizparvenit-que
este racto constituia o maior galarddo
de sua vida public !
Estes e outros innumerns factors deli-
Snero o que foi o governor do Estado na
auseacia de Sua Magestade.
Muitos escarindalos aimdase passaram
no nysterio, muitos sib guardlados iina
maior reserve, porque nemo sequer
suppwrtariam a luz da publicidade ante
os-propk'os governistas !
*Tod4s, pordm, serao conhecidos do
Impetrador, e Sua Magestade con.or-
dara&i-Iomnosco em que o seu cont'a-
r A i-inepto, e a tropa que deixoui
pa4i4yernar-nos transformoa ua admi;
nil(iartS^ public ha' mais repugnante
orgia. -" I
E como se tudo fosse pouco ainda,
esse gp-verno, rece.ioso de ficar am falta
do qufepromettera par bern: da com-
mandite se apressou, quasi a chega-
da!de -Saa Magestade, em esbanjar
gramas que, felizmente para o pail, ja
se'acham por tal modo desmoralisadas
que s6 tern o resultado real dos paga-
menlos dos irnpostos'aque se sugei-
tam 6s agraciados.
Tal 6 situacrio desastrada em q'e
Sua Magestade 'veio achar o paiz, takes
sao as consequencias da notabilissima
irfprevidencia imperial!


Sua Magestade vetn achar as provin-
cias do norte devastadas pela fome e
pela rmseria: vein contemplar de mais
perto os centenares de cadaveres que
juncarn as estradas do interior do Cja-
ri, Rio Grande do Norte,' Parahyba e
Pernamrbuc.o:
Sio dlos mortos a formne, sao dos a-
bandonados desse governb-orgia, e que
.eloqplentemnente dizemrn aos que sobre-
vivem qunc nao mais acreditern no ac-
tual systenaa, e do uma ve2 para sotn-
pre detested a centra -isagdo adminis-
trativa d governor do Imperio.
Sua 'Magestade vein achar' todlo o
coriMremrcio das provincias aniquilado,
e o-da propria corte cmbaracado em
rit difficuldades insuperaveis talvez, e
Tque o arrastari o a urn desastre hor-
rvel.
Sua Moagestade eren achar assem-
'bleas provinciaes esbanjadoras, e pre-
terindo todos os respectivos interesses
,-. nblicosem favor dessa commandita
T... mplo da administragao ge-
riat' l66e9I.4da as provincias attin-

a a4 estate 1vet aprech a pro.r
On a d6 ha n 10o ,r


tEpara,,tq e -
Para mlevntar arcos 1 f
pinho, c.bertos eomr Tanthloi-o
e obrigarern^i.%Ampe'r4 pi? ^twra-Iiipoam
baixo dresses. aroes, quebem Ibpbdeivn
classiicar forcas -caudinus t.l ,-
At6 a Isso obri&a agent "que esco-
lheu para, na sua auseic, intetgar
os dest~uos deste grande pvo, o nMais
soliredorw, o nais paciente, e o mais fa-
cit de diigir.
No raido offidal, ga grita dos poll:
ciaes desfargados, na.bajulaio servile
dos que, aiada'via dependern6ia, proci-.
ram captar-lhe as gragasi'p Imup.,aOrd
seria atormelitado serm du (va plJoAss-
peo4is da fomrne a da mi'we .er o
cornmfercio em deCadencih, pi1 a
agriculture quo defrina, ieldpl l:J
lidade e da perversiodo sea gevwana.
Compreheidera Stt&hagiestade q'6<,h'
to ganhou. o Imnperiow na sni'ausencia,,
coinprehendora quanto, e quao rapido
progress tiveram os nAales, que elle
propnrio deixou creados...
E' mister confessar o erro, e .orr'i!
gibe. ,
E"'brasileiro, deve teramor a sua pft-
.tria, e cumpre-lhe abrir os olhos, apal--
par coin sunmo cuidado o terreno em
q(e ptsa e arrepiareat'reira, para po-
der feliciar o paiz.
Ou Sua Magestade caminharA franca
e lealmente para a libev4ade, ou osea
Imoerio entrard em infallivel e rapida,
liquidagdo, mais desastrada tLayiz,A4o
que.a muitos parece. '
Nao abandQnamos o nMo94p 'sto
nelle nos deixoa S. M.,Tei'i s.n-
contra sempre .vigorosos. e .itrsIn.ia
gentes, porque a verdadelnuotrmnsige.
Propugnamos pelo quea thl, rttfais
caro, de mais nobre, de, tj4j impbr-
taste na liberdade de npisapa4ria,.
Continuaremos a dia4 a verdade,
.......- --- "?"'*. ".t g~i Y-J l^.'Ttr w=-f
vo, e s rsigiamos as conse-uencias,
quaesquer que sejam. Veiga o que
vier ; ndo vira a deshonra. ...
So6 daremos por, find a nossa mis-
sdo quando tiveraio.enmprido de todo
o nosso deverr,
Saudando, pois, ecor a verdade a
Sua Magestade o Imrnerador pelo seu
feliz regresso ao Brasil, ihe diremos
corn a maior singele~a
Esta patria nao 6 ia somente, e
nossa tambem, 6 de todos os brasi-
leiros ;
Nos paizes livres, ou que aspiram
ser lives, nao 6 a vontade de um so a
guladora : o voto da maioria 6 a ei do
povo, que preza a stiua dignidadp.
Rio, -26 de setembro de -1877.
Ganganelli.


DIARIO DE PERNAMBUCO


SRECIFE, 9 DE OUTUBIU
Recap.o de SS. MM. II. no
di .T nirn


Rio


T %A O V-LA Z .1
0 Jornal do Commercio assim se oexpres-
sa a esse respeito :
( Fundeou hontem [25] as -10 1/2 horus da
noite em nosso porto o paIquete francez Ore-
noque, conduzindo a seu bordo SS. MM. Impo-
riaes. l
( Depois de teremn subido a visit do porto
e 6 Sr. guatda-m6r da alfandega corn o seu
ajudantoe, a galeota imperial atracou to pa-
quete passando para este S". AA. Imperiaes,
cujo enconLtro.comin Sas Magestades foi corm-
movedor.
( Sias Magostades forum c umprimentadis
bordo pelos membros do miiisterio, varios
senadores o deputados, entire os quaes distia-.
guimos os Srn. Bat-Ao da Villa da Barra, Barao
db Macei6 e Dr. Gasmiio Lobo, pelo .'r. Barao
e Baroneza de Nogueira da Gama e outros
gentishomrnens o veadores da cosa imperial,
alrm de representanules de varias classes.
To.los notaram Qom viva satisfaeao quo
S. M. a hmperatriz,4presenta as mais felizes
inelhioras ria s la precrboa saude.
SSS. MM.. Imperiaes designaram is 7 -1/2
horas da manh- die hoje para o sau dosembar-
quo, quo sero no arsenal de marinha, obser-
vando-se o ceremonial prescripto no program-
ma ja publicado pelo governor.
Saudatmos os augustos soberanos no seu
tlo desejado regresso ao soio do povo que
sinceraimenteo os amna.
( Ante-hjntemn [25] 4)noito, a bordo ainda
do Oienoq w, S. M. ohinporador, ao saber dos
festejos ilj se haviam preparado para sun
tecep(iio, ao mesino tempo que se mostrou
penioriado por estas demonstrates de amort-
o fidMlidadt, lamentou nto o haver sabido a
tempo de pedir quo o dinhoirosque se ia gas-
tar fosse de prererencia ap)plicado a s)ccorrer
os nossos irmnos (palavras textuaes) las pro-
vincias do norte, flagellados pela secca. Tinha
razio Sua Magestade nesta expansdo do seu co-
raQAoinagnaniMo : toda essa arcaria poderia
tersilo supprimida, que nem por isso seria
menos esponlanea, menos ardente a explosdo
do contentamento e jubilo deste povo leal.
a Essa por carto nao a teria quorido dispen-
sar o Imperador; a vaidade, a amrrbieo, o dt -
sejo de recompensas podia, porventura, ter
impellido algins dos que se Ihe acercaram in-
dividualmenteo, dos que ligarainm os seus .nomes
aos fe ;tejos, mas as acclamagOes freMentes
do povo, da turba anonymna, que noo pede na-
da, apenas tanifeSta a conflanga em que ihe
serao guardados aeus direios, ttrabialho,
a seguranga, ,a lib ot., e0saS .s9lo senaipie
incerfso puro quNimad 40s da realeza
Ao tornar a pis r 0,o ,hWd a atria, oa f M
dor deve ter-Resenti & *do seu 15c
Akd*p eraW-taPe4'Adb irfs g atoi, rtdif
b Ra 1%


qTta imp4anaiibiboua fo ees. do artenaf do
tit r. t*p ud1Wtttol t -o n lte i
mistroS anaftf 'riedlt I-
trangeiros e fazenda,@ itihdd a
cama cW#4s a- ulMs oA a pi a
dittrsoS Eo^*iCeilW gteW^ irM
iwadsia-f (M eke# 'wdiaO egbri u-
ciona~kablifeco^ e9 ti6 -rnfthe'^rin gtvol'
di eriiom#6Me01 peWd lgkdas, cujos aines
torna-se impossivel referir:.
No arsenAlIftraMa tlt sahpiranes da
.sc0l de mnarina'Ma, aluervtos d (to:1lef8naval
yfffile!rosnavaoeS.. qttrvatr ili as-idsicas-
aIs artifiOes dos arsenaes do marinha- a de
gerwra, aiadodImperial A- o Agft ola. flavia
fththrni m g4 a a rd. adlirs, qe arri
sh t tias a
.a p 9 Aft' ifihhl; sa-n-
(10 iA*a 6ftAg.2o' regiment de arffljS
ia, pOstado na praga, e D. Pedro It. rT< I
a t NO* a]'j#ecto Suas Mageslades sanaa
datiente -A todos, apertandb as rniat^.
vatft& pessAeW e corres.pofaendo e 'n_6 ceS.

tarea ese t8(RtI as janelFas -is''scasasa' la ia
Prhnetvyd(^Maee;, e quqde Rkaiui s
Irnperantes fqIias e ramos deMt6rd.. :,
*r "Jz4r b'lai composta do 1" re0im'lo
de -aOwvafifi,' lo,- e too bataltimes de ihfA -
ria, 4ob as ordens do brigadeiro'Vatpqlto, A1z
alks de'sde a p1rta do orsenai dniatiirnhae r te
a entrada da eapella imperial. Os"attI'0"';la
escola militaryr e seu coimnmantlantei'M a,-l
nhados da ,nusica do corpo de enge'rleir s,
tamrnbemrn estiveram na run rilneiro doMIaor .
S Al6nI-da'(.nif tiv aie "StIfln'Migi ta Ies
acornmpaahararn-nas rno desemnhwbaqtt fI's.
'Coado d'En, Baraio 3 Blaroneza de .0*drjt da
Gaima, o conselheiro Paciho, .as'-prJ'i*&4 e,
-outras.pessoas. 'i ,' i
S. M. o uImperador e sira comitivitctraja-
vam cas.Wa pretaW *
-eD?3pensafds as contineRpias,. filitaks e o
Te-D eamn, para quac 'o -ImtiersKladtlaru
quniemarcaria- :tia. SS. MM. Irnpelaes/t~ndo
feito or-aoae na- capetla imperial, entrat",Vto
pago4a di4alde, onde atmaoaramn, .rep4hdo'
depois ,a feticitag5es das- cornisnss 4tsr
duas casas do parlaincrto, do o-rpo dipbmte-
tico, de vawasv' corpota^os e a! do tlWtas
pessraaigdadas. 1 "r .- i'-'1
( 0s lemriaros do inhs1*t1b domaid
no pGot'.i16rial:to a rebradht*ide-do- [a=
gestades. fi' : .. ,u
a Antes 'de I hora da tardb Saas. M aat=A-'
des, em ncarruagem descobeor'ISairaitt-
ra S. Christovao, tomando pla- rua dc.1ir--
dor', onde principalmonte a manifest d
julilo popular e tornou envttsiastieat 's -
'E E impost*rel descrevdr 'a aggtkfM(dfa'
de pwo e de;enhaoras nas v 1elita dhkaolAI
situadas nas ruas por onde passaraia W aA'
Magestudlee. Diffiot~mel~e $:Iodia' ^Mila^
por ellas. .i :'1,, .
c Gtsiarcgte'a&1u'lif Paula foram SS. MM. ImnpNMas rOMMOO 4
sot do iyfnm iacipal, rl;bi'io a t afrAW-
dol( te logatALds e OS MOt O salvas *bbm-
bass Dahi seguirm os a urteMos J ft
p ela ra'Uo tuaab o, praca da ,ur A .w .
do Senaduie"uzobio, praga OQiaaze 4e Ju ( u
de Miguetl de rias o rua doS. .Natv ioen-
tranido na imperial quinta da Bo'-Vista onde
os empregad.s das respectivas obras irma-
vain alas e saudavam freneticarente o4 mo-
narchas. -
K Em.todo este trajecto as senhbras doe or-
navam as janellas de todas as casas amena-
varn corn os lencu,. atiravam. Moves delolha-
das, e a-multltdao qab percorria as ruadava
vifstaos hn Pentesn AV misicas dos tver-
sos-coretos, ao passarb ooothe n que iat SS.
IMM.imperiaes, toeavkAit o bymno nacioil.
S A porta da imperial quiata eltava lixto-
samente adornada corn palmeiras e outro, ar-
vorecros; quasi no fim da alameda havii-.um
arco tambem de arvoredas; enrtrada dopa-
lacio estava uina banda de musica mililir e
rma guar'ia.!o 2.o regimoneo tie artilhar4
a Grande numero de pessoas acompan lp o
prestito atd 4 quinta imperial, onde SS.MWI.
Inpeniaes apearim-se a I 3/4 hoeas da ttfe,
sendo enUtu freneticameotoe s.aidados p" to-
dos os empregados da sua casae pessoas re-
sentes.
a( Para festejar o feliz regresso de SS. H.
Imperiaes haviam sido ornadas com arcos co-
retos, bandeirns e galhardetas as seguintes
ruas: Primeiro de Marco, Ouvidor, praQt-4a
Constituimao, ruas do T'heatro, Gonstituio,
quarrel d,o i.o batalha.o de iafantaria, rut do
Senador Euzebio, incluiido a praca Onzp de
Junho,-ruas de Santa Rosa, PaysandAiHuaai-
ta, Guanabara, Ajurla. Passeio, Hosprcio-,o-
sario, Ourives e Guarda Velha.
at A' noite estiverarn brilhantemente illimi-
nados os odificios pulicas, casas particulhres
e varias rraae havendo no palacio Isabel ima
luz electrica.


SS. MM. Imnperiaes e Altezas hlionraramnom
a sua presonea o espectaculo de grande pala
no theoLatro imperial, trajando o Imperadbr a
farda da marina. Ao apparecerem na triluna
SS. MM. Imperiaes, acompanhadas dos minis-
tros de estado Q da sua c6rte, romnpera n -
timusiasiicos, applausos .de to4os os pontoj do
vasto theatrM litteralmente cheio e ornadi de
stnefas verdoS'e amarellas, sondo os vivaS er-
guidos pelo Sr. desemubargador chefe depo.
licia.' ,
( 0 hymno national foi cantado pelos ori-
meiros artListas da compauhia e c6ros.
m< Tocou-so uma mnarcha-hymno, bella cnli-
posiG5aodo mrnaestro Bassi,-ara este dia dqre-
gosijo, qua foi vivanmeate applaudida, segain-
do-se a representagao da opera Roberto do
Ditbo -


Noticias do sul do impario
Hontem As -10 horas da manhd fundeouiem
nosso porto, o vapor brasileiro Pa'd, traien-
Sdo jArnaes.e cartas corn data: de Matto-Gtos-
1 so 30, do Rio da Prata-26, de Minas 23, do Rio
Grandit do Sul 26, do Parana 25, de Santa Ca-
tharina 26, de S. Paulo 30 de agosto, Jo Rio de
Janeiro 1%, da Bahia 4, e de Macei6 7 do cor-
rente.
Aldm .do que publicamos sob outras rubricas,
eis o que encontramos nos jornaes :
REPUBLiCAS DO PACIFICO
0 Chile pi-omnulgara, ratiicados, umn trataio
de arnisade, commercio e navegagao corn o
Peri, o a convengdo postal corn o Brasil, as-
signada no Rio de Janeiro a 26 de mnaio de
1876.
Na camera dos deputados proseguia, ji as-
sAs adiantada, a discussAo da reform da ins-
tfuceAo secundaria e superior. 0 project rela-
tive aos ctaiterios parecia momnentaneatlotlte
tetirado da ordaem do dia.
Na BoliviMd f6ra nomeado Jos6 M. del CarptO
para'' pasta dointerior, rernuriciada pora ( q as.
JNo Peri tainbena renunciara a pasta da.-a-
rinha,'e gmerra o general Bustamante, perrhit-
tiado assim ao gabinete voltar i cond 0o
normal de cinto membros. .
Por decreto de -Ir de agosto o governor tbr-
nara stua a emissao dok bancos associadtis a
sonmmdaif15 milhSeos de s6es, prohibint
a er$shab doe mnais unia nota:quefomes
ddA IW tri'e Meigg, -fxan* .tla


Em1 Ni N ui
lemaMW' P
ttWW fMiA s @P6at
dtos'os tanfeuHl
attea9adoa-,'^
nos mesmo's; 3
set entrzass, i
que em repnqr
consular allemi'
urma divisao *t
0 gdernoW'
Las*ekivncoida
gAbilftab de 'B4
petlindolhe s"
La ato receber n,
se attendijW'-
iinddliduipslf
l REPLU
l4-to Aa~i|
moll vvtv, segaWIfi
dealarar o pa 49
te oilt, OyrMW.i
prudericua de6t'm
0 depUtaa0i
Inan116*, mminiw
da se concluiot
,qmc *J0,"
0 presidenW
nha. hfe fti. feter-
por teda alpArte
diversAs prtviA
publicavanPunr
rigidaiao gt nrr
resrtltadb8'. ol
trasqpLoVificias.
N~io eyttritod.
capital Wet-^
Ffi Buenos-A
paiftdos" aitroi
clheadrj a enten
tids6'-pAra os
govt Nir'toir da
nra aueflo l Dr.
lix Frrist.'tFuita
teria 6 'pabtuad
;dadZ ii
T'itava-se fie
viarninvAdiudl a
NoFE1ado
rmeado ministry
'ibp tindes. A

adtPl e~erftal w
Nova Pahnira pa
r A ;iO')a populara
celebroi -coflag
curJteoia as 0li2
SEtf'ctnara-s0
Lrfaoritji acfavor d
-Lf r&aiwi~o p
FreliotiqaI*Loi
co R0oikt8a. -j
tonio i3ngs

to Barbosa o ter
teiro Tapajoz, r
dro*.
0 product, i
entregue ao Dr.
agencimndo don
mnesmo rim.
O.referido Dr.
da provincia no
4:7533500, prodi
zera oorrer..,
Cbo',,ra por
t lal. na .ap
RIO
No 4jH2O6
pulares, na capi


|2za aMuwe 0 ogovernoV A colonia rranceza resident em Pelotas pre-
sea declet.9, !l eado-esbe lendia aelebrar exequlas "na'igreja'matriz em
i'da rise s |a. homenageoin 6 memorial do MP. Thiers.
reheriderapo ,f.o qqatro 0 tenento Trajano die Menezes, empregado
oder dos quaeslp,1ncontraram na invernada do Vaceacahy, voltava para a ce-
otas do banco aTs& por dautrb fade de:S. Gab'riel, quando-ao atravessar em
izes de Pierola, acoimados de frente A chacara do Sr. Barcellos, passou-lhe
1. r I I I P-Q-aijxo du queixo wma bala que, se o ca-
Stambem v8 s lVor que disparqa ausptgaa41a que a conti-
ias das eelei rtL i- levantasse-a mais., onataria.
viTiento ttre I rr, -Ila noite de 7 do corrente descarregou sobre
muateriaes, rs a |Jeopoldo urn ,et*exemporacorap, ha-
uma mulher b r do forte chnva As puNis. Os trani" va-
iam entire o lktanhi de h iha9 a a.
.owriam boal |b| rl- tdAlubasa. .4e u tarain fonsi4qra!e
e Bolivar, Wp s M-_nt em njaizo ias vidhagasae 0aniantgohs.
..... ... W' 0 Gorreio M.ntin Pel'as do.dia 21
gitavam-se PW tPgeve o seguint d
ca4ao para .Hov Tonemorn ao ,nel4o4a, cahiO srrbre esta ci-
leportar os ecelesiasticos que dade uma assombrosa chuva de pedras, acom-
|,,^ Attm81a?1*1^t8*aval"- rhm ly1d1%44 astmail e tocada de fortissimo
Msiar .sihadl atfamilklO S,=lf&ll ie Aleprnlongou por oito minutes.
ibarcar o dello da cathedral do Nao ha exemnpo de urna catastrophe sernelhan-
*M-.-reatt 1l ve..4*W -quoowto&, i6"lte'Ia'b1 i o'a Ao in '864'e
ap endian reclamates da 1- est; mesma cidade em 1844, e nao podiam ser
#11=4e 4 O. W feit.Wmou- iguaes A qu e houtem presenciamos. 0 gelo
mio ',4 M *g ao1eoushi effectlvo era arrojado, em terrivel mpeUwosidade e ex-
e.iadlWtfmerieo. 0 respec-- traordinaria abundanoia, em pedacos de tdmna-
.-o, qtl/oSJe'mprocessa- nho superior a ovos de gallinha, .notando-so
1%*tWble conpnices daquelles- entire elles uma grande quantidade corn maior
1ttftrktteEe'processados e Gas- volume qie laranjas regulars, pesando mais
|d@ putlives conniventes de meia libra. Foi un verdadeiro cataclisma.
.* 10 ittnfloile inderbfiisaclo lo As ruas esliveram. nor instantes cobertas
fi~tlo'-O, 1rs; 4o, de gelo. As vidraas mcorn frente ao sul, nas
14d da 'fMcria fosse a baudeira rras transvarsae, ficaramn comnpleLtamnamtnle inu-
I saudad 4 son leme ;1te-1br' tLinsadgs. Nao ha urma s6 casa em queos te-
Irda-putyica r _- lhadbstahatain ficado incolumes. As taras
'iMrat Vlt4pondoeu' tt'ls-'-boias, os vasos, os balaustres quae naoo ftfere-
.46 iniift appc4tav '1a0 b ciamn a necessaria resistoucia, iLudo foi derru-
kiimr, '"'o Ituali tlIetiphiAra bado e feiLo-em estilhagos. As pedras de gelo
pendesse-titeior procedimton- batiam no solo serin se espedagar, erguiam-se
,was itera~es. 'Se niao tos--*a alttura de duas braosa e iam rolar aiemni corn
v gernopdtestaria centra o inmri'vel velo6dtb.; 'Parecia uiea chuva de
iapfr p`prte -de uma grande balas de fuzil.
jAim povoke-lete innocent. a Os prajzqs.sa? incalclaviais. Ao ha
BLIC.A DO PARAGUAY urn so edhliof6,,= do dafino' d6 exterior,
4- fbticiot-se a prisdo do ex- ordeiaclitiva nto tenha penetrado e causado
Iatngeiros Faeundo .fachado. 0' graves estragos, j a em moves, j ern artigos
lo a Aefonma, er"'-obrigal o a de consumo-publico.-
leiro ddO assassino'do presiden- q Alcm disso, algumas pessoas a quarmn a
aivarola, 'qe elle tivyc.a.'ri- 'tormnrta tomou defsurpfeza, nas ruas onu e-
zsrque e6.h.dia.II '. tradas, form offlendidas pela chuva de'pedtra.
Lngio -Po a'tinteroeflou hancd" A brota-ao dos arvoredos, quo recem-appare'-
o' d6 interior- pot; Causa desta cia, foi muitissirno damnificada e o mesAio
is unma sessao tempestuo'sa ra- succedeu afs jardins e tortas, ondetudo sao
"", "DA t i destroeos que ctusam lastima.
b'K DA-r PAAT, I E' impossivel-de3crever tod6s os effeitos
da Republican Argentina, empe- dessa tempestade de glo (que se desencadeou-
-vingar a pdlitica de cofilliaeo huntem sobro esta ciidu. Consiignanos ape-
3, proeuraVa fazel-a adoptLi' nis nas o fanto, lamnentando suns fataes conse-
ucias. A-inda agora as fd1has quencias.
a carta delle neste seitido, di- 0 prejuizo total em toda a cidade de Pelotas
rador do Salto, preoonisando os entre vidros, reteiharnento, etc., etc., 6 cal-
btAdos em Bueneo-Ayres eou- culadoen 70 a 8"O00#000.,. .
S': <- (;anvmn dizer ap6s a chuva-,de pedras,
svia Mtuito tangiveis na mnesma cahio umna batega d'agua, o tempd *clareou e
^iltaios.' chegou a apparecor o sol.
Lyres as sommissoes dos dous Entretanto, xo dia oonservou-isei! sombrio e
)rfniSta e niadionalista haviam, chuvoso. Iub
ider-se sobre a eorlha'Ade can- Diz.em' seguida o mesmo jorninl- -
s car',os do gb6ornidor e vice- ( Parece que achuva de pedasLaintda-se f'z
ptovinceia, sendo do-,ignado pa- sentir mais forte nos arrabaldes, quae'mgmo
Carlos Tejedor e para este" Fe- na citdade. De todasaadiireocos.nos-'clegani
vaver se nas eleir5es sdiman- noticias contristadoras.
1o, rablhando todosmd'rn ai- Na chacara do sr.' Jhl" Thbuz F'arNuta,
e s'e, 'j ". por exemplo, foram qoiebrados pira mafdt:
i "erseu"i os infl&;o:,'qib"ha- 120 vidros, arrazadas as plantag'es, o arvoredo'
iprbitncia d Santi l4P;& todoestragado, inuliliaadas"a iwalde rll telhaa
Oriental a.abava ':sfer no- dos galpies d; oarlaa e monrtos alguVll-ani-
de eslrau'geir6 o Or. Gual- makes dohiesticos. -; ,,' :
L-carta d nbisso correspondeni- ( Na chacara do Sr. Francisco "Annibal e
o referoerfais algumas particn- 'era todag que par alli ficam acontceu. tam-
Sresse. ., be a nmresma cousa iq r '
S'governador provf:orio do Es, (t Por toda a part inao se ourt-.'senao
chbava de habilitar o port'olb queixas e lamentacoas. E quem.sabd-aInda a
ira imporlaQao e export,'GXd que ponto attingiram os prejnizos em luga-
ao fraucaeeza, em ilonteviduo, res mais distantes.
ranade pspa e ntanmerosa con- a Comcor esoqaencia da chuva de' pedras
iqwqa dc Thiems. de honltem,.estes dous artigos encaieceram
tArroftossao 'Ixepentinamqente e de um modorxagemrado.
I.:_da l-ade julho nta espec,.i A telha de barro, que valia 52- o milhei-
ivclssifM da secca no am- -ro, foi toda vendida hontem desde 15O0 a
idorSr .u .Ltenertt &Iuacrit 20000.
ai0Qofal5, capitao FrocaQs,, a A caixa de vidros, que custava 17fi, ele-
S<, i ,tlt~vnl .onek An- vou-seao dupio do-preco e a telha de vidro
ol^..fiari -Aiirra, capital veudei-sea.q utua i- i,
kr<>4t'itLatliaJB^lboSaa-Fraln. a-',p rovaMl, papim,.qu*na brevo affluam
nento Menandro Leandro Mon- No Rio Grande se fla ,:in' bontem impor-
esidentes nh- freguezia de Po.- tantes,e n zrferidts generous.
'!IiINAS-GERAES
na importancia de 3415000, foi. -) 0 Monitor Sul Mineiro de 23 do corrente
Atigusto Novis, que andava 3eiscreve :
natives, em Cuyabai, para a a Communicam-nos da freguezia do Cam-
pestre, termo de Caldas, que' ahi existe Jose
Novis entregara ao president Joaquim de Saat'Anna, conhecido por padre
dia 2 do corrente, a quantia de mestre cor a idade do 109 annos, pois que nas-
icto da subscripc.o jIte altifi- ceu em o anne de 1768 -
Este Sr. Sant'Anna, ou.para meihor dizer,
vezes copiosamente na capi- padre mestre, acha-se perfoitameate conserva-


do, pois parece ter 50 annos E' mestre de
SGRANDE DO SUL miusaia e casado emasegundas nupcias
houve"tm grande festas po- ,.. S.-PAULO
ital, pelo feliz regresso de SS. PAULO


M11. 11.
No dia 20, As 9 horas da note, desabara so-
bre a cidade de Porto-A-ttgre tuima grande teoa-
pestado, acompanhada de chuva de pedra, fa-
zeado um r uido assustador, Durara de -10 a
12 miniut0 e se se proJqongasse pos mais temn-
po seriam irialculaveis os estragos produzi-o
dos. A's 2,hras da madrugada cahira novo
temporal, acompanhado ,de chuva de pedra,
pornm, no tLao forte co ..o a primcira. Ha al-
guns prejuizos a lamentar.
0 Jornal do Comiercio, de Pelotas, de
0, publicou o seguinte :
(I Espalharam-se hontem, a'6s a chegada da
diligencia da empreza Silva, do interior, ater-
.doras noticias, takes como as dos assassina-
1(0o coroner Jos6 Ftrreira da Silva Junior,
,coanmandante do '3 regimento da guarnicao e
frdifteira de Sant'AnnA; e do brigadeiro Bento
Martins, Bardo de Ijuhy.
a 0 assassinate do coronel Ferre$ha se dizia
ter sido perpetrado por um sarge:nto e dous
soldados.
a Nao podemos acreditar em semelhantes
n6dicias. Quanto a do primeiro, o assassinato
do nosso amigg coroner Ferreira, porquo, -.se
tal acofinteoese, teriadmos.-tido comnmunicaC6
de atgun, 'd renossos amigos residbntes em
Sant'Anr ; quanto d segunda,-a do assassina-
to do Barho de Ijuhy, porque, quando ainda
no Alegrete estavamos, alguem espalihou esta
noticia','qie immediatamente foi destnentia'&
per umcvalheiro alli chegado, procedente
das immediagoes da estancia do referido ba-
reo.
S E' quanto nos occorre dizer de moment,
attenta a hora em que viemos ao conhecimen-
to de semelhantes boatos. ))
No dia seguinte diz o Diario da Pelotas:
(('Jaestava compost a noticia trarscripta
do Jornal do Commercio, referentt. doV boatos
que corriam sobre o asadi'nho!'A(dd coronal
Ferreira, con&Whdante' 46 36"re:r1mento de
cavallarii;, destacado em SanrffWr4ii dcrLivra-
mento. quando uma distiiii6 'vi'alheiro, mora-
dor em B -g e actttameno itO dApasseio nesta
cidade, nos obseqLttibu teoi*uma carla desta
localida4e, datad' 14 645 do corrente, da qual
ex.rahimos os seguintes topicos.
a Tendo chegado -deD. Pedrito Urn filho e
Domfngos Jos* do Rosario, ourives, deu noti-
cia que o jniz ide direito de Sdnt'Anna d L-
vrarnento officiara ao de D. Pedrito annuncian-
do quea o colonel Ferreira, commandant do
3o regimnorto, f6ra victim do ba.-narte as-
sassino. a
S'O fact, segundo dizem, deu-se da sqguin-
te maneira: .
a Tendo havido urna rixa entre"soldados de
infantaria e pracas do 3o regimeni:o de caval-
laria, e tend essa- rixa tornado proporcoes
espantosas, engrossando-se as fileiras de am-
bos oslados, cornemaram-se tircteiar.do de
part a part. 0 coronet Ferreira, sabedor
desse facto, dirigio-se ao ligar do conflicto no
intuito de restabelecet' a ordei; 0o3 contendo-
ies u desveopeitaratne o tiroteio continuum. 0
coronetml Ferreira, inwlandQ ainda Pela cbn{,u-
sAo do conflict, foi.morto por unea bala, uio
-se sabtndo sea ello dfrigida de proposito on
so per acaso.
-a 0 certo, por6mn, 6 que dizern que foi elle
mvrto e holave muitos soldados feridog e mor-
:tos doeinambosos-:lads s.-:. 4 -
U.tlA6tnipei tSna fza teiuar4 coi o acitadaio
tJos Maia de ka, fazotero1'di4 munioipio
*4<7'W4 g4oA. invMp0lir
lirrthBiriitfc~iett'flmi1hiSff iiii~iif


-- No tendo a camar'a municipal da capital
recebido as authenticas da eleinao do collegio
da Faxina, para membros da assembled pro-
vincial, adiou a apuracao para o dia 9 de ou-
tubro.
0 Dr. juiz de direito de Santo03 absolve
c cidadaos Dr. Alexandre Augusto Martins
0odrigues, Joao Octavio dos -Santos, Augusto
da Silva Prates, Adolpho-A. Peixoto, Antonio
F. da Silva Sobrinho, Francisco Antonio Rosa,
Henrique Ablas, Joaquirw, Xavier Pinheiro e
Francisco. E. doe Sa, vereadores eleitos em ja-
neiro e Romno Js6 Florindo,juiz de paz, pto-
nunciados por desobediencia ao accordau da
relacao, que ait-ullou as .eleiQOes municipaes
e cuntinuagco do exercieio do cargo.
Em Campinas jA excediam de 40 condos
de rnis, as quantias subscriptas para a funda-
Qao do hyppodromo.
Constava i Tribuna, do Amparo, que,
sob os auspicios do Dr. juiz de orphaos do
term, trata-se do fundar, na fazenda denomi-
nada S. Paulo das Cachoeiras, daquelle muni-
nicipio, propriedade dos Srs. Gomes & Mouth,
unia colo)nia orphanologica. ., 1,
Refere a Prooincia de S. 'Failo : .
a Por telegramninma hontem recebido d ai .
tos, consta quefoijulgada improcedent,4o"
nuncia-dada pelo Dr. promoter da comarc
pelo roubo da alfandega, cortra os Srs. major
Antonio EusLachio Largachar, Antonio Justinia.,
no de Assis e Joao Baptista de Liina,-thesou-
reiro, inspector e chefe de seccao daquella re-
partigdo. )
0 president da provincia* seguira para
Piracicaba, d'onde, ao que constafVa, preten-
dia fazor umn passeio fluvial at6 a villa de
Lenco6es.
Diz uina folha do B3ananal que, a nao so
frustiaremn as promessas do urna florescencia
exubcraito, haverai este anno mnia safra de ca-
f6, como ha mnuitos annos nao tern tido esse
municipio.
Escreveram da Limeira ao Diario de Cam-
pinams :
a Acaba do dar-se nesta cidade unia coin-
cidenicia notavel.
SUrma pcssoa, cujo nome somnos obrigados
a occultar, offcrece.u um quarto do loteria para
o leilto, cuijo product seria applicado d festa
de S. Seba~tiao, pramovida nesta cidade pelo
Sr. capitao Francisco. da Costa Moraes, corn a
-Jausula de leverter a quantia que ob)tivesse
em arrematlt(0o para a'festa e o premio que
ihe tocasse por sorte seria cedido emn beneficio
da co npanheira e filhos do infeliz escrivao de
orphaos, que se achava enfermo, Manoel Cae-
tano dam Cosa Nogueira.
A 25 falleceu o Sr. Nogueira, e hoje 26
chegou a lista da loteria, e par ella se verifi-
cou ter sahido no numero daqielle bilhete a
sorLe do -10:000d, vindo a tocar-lhe a.quantia
de dous contos e tanto.-
(, Esle dinheoiro.vai sereatreguo aos or[h'aos,
pois que Ihes pertence'emn firtude da condi-
gao imposta pelo doador. ) -
No dia 30 effectuaiain-se as corridas no
Hypodromo Paulistano, da capital.
Por umrn telegramma do Dr. Leiue Guimaraes1
podemos noticiar qunl foi o resultado de dons
do$ seis padres disputados[o 2o e o 4Q] e que
foram pr6cisamente os mais interessantes, por
estaremn lnscriptos netles tres cavallos .pur-
o gchegados nan ha muito da Europa, -- dous
tl'qiuaes j asert oven -6 fam .n ,&Ere, aorre l
It Secret vencou facilmente Ernest, correo4n


z,,t-wm n rsrng o erocaaba:.
.HaA OM Ptelte R bM ttwAl2 do Pas-
sado, se&g4N upqjrL*gb 4i a no .Y/-
nema, D. Rbs4)(anr H, io da .
ta, co rn it*fnoS- "de! iz zava ainda
da mnuitag de6 ,sAsfaculItdes4w muito esti-
mada. Esta senhora e seu marido foram os
primeiros que tomaram posse e edificaramn nas
terras 4*a, ho A .4a d* jL tao
*adiantada. popu; ... :
O seodo pr( a Am .0. o rga-
mento d-gasio im
Na a de 27 r. AbaetW,
obtendb* plavraj :r ( uque a
leoutVeo 4 U ewfji a felicitar
a S. If, o T144rador pelo w0gresso 0
de sua augusta co4sorl, arsenal
dernrii.aoes qM. Im-
periaes ; edepois no pago da cidade, sendo
inltroduzida corn as formalidades ,2o estylo,
coube-1he, como orador da deputa-ao, dirigir
a S. .M. o Impeaador a seguinte felicitagAo
partida jo V. M. Imperial 'acompanhou-o
semnpre,.,e4 1n1%a l. M. a IrnieratrZ, r corn
anciosa solftihre Jivi sanadaa, olvia-nos
hoje em deputacaP para termos a honra de fe-
licitar em seu nome a V.M. -Imperial o sua
aLugutafconsorte pelo deejado r regWAfit Ca-
pital do imperio.
(( Senho,)r No restabeleeiiherto-dat "preciosa
saude de S. M, a Irnperatriz, aprouve a Deus
ouvir assupplices vozes do corac.,ah de.V. M.
Imperial e as fervorosas prices dos brasileiros.
( Rendendo as devidas granai ao Txodo Po-
deroso, o setiado poracontedifnento tao faus-
to, como de geralsatisfacao, congratula-se corn
V. M. Imperial.
(A Respeitado e applaudido nios prizes que
visitor, pela sua illustragao e palo icessante
estudo das maravilhas da sciencia e da inlus-
ia, qui elites oifferecenim ao observador dis-
cret,) e intelligence, a viagem de V. AL. Imperial
ponosa para quem a emprehendeu, sernai para
o Imnoerio umna nova foLe de bonericios.
a Ainhelante de progtesso, a nacao ja o pre-
sente c reconiihece.
S'o disto irrecnsavel prova as esponta-
neas inanifesltaes do juhbio cor (que corre
pressurosa a saular a volta de V. M. impe-
rial ao soio da lpaLria, quIe tantlo so es n.'ra em
en-randecer.
f Taes maiiifestaQ5es rcclainam ao niesnmo
tempo o MWW. A i*,ou e,,,laoult qu- ella
consoarava V. M, 'IPperial e 'i sc a -argu-ta fa-
milis, na qual. por virLudes q..a real(aii os
eminentes dotes--do- sen espirito, diktinro-se
a herdeiri p)resumltva da coro'i, jue,% adqui-
rinido novo:s titulus ao respeito e doratiria dos
brasileiros, acaba do exercer crin aioiravel
sabedoria osM altosoderes'consti ucion.is qfue
a loi lh-i coirf1;i Ma al4soncia do V. 31. Im-
p e r ia l .A
( Sealir! Expri),injl'-se por es.'ie mdo, o
senado esti certo de ser fil[ iL.oct.- l dos
votos Q senfimetosidaitnari., quo sao tam-
bemn os seus prn s kotos e sentimrentos.
(( Digne-se V. hMi Imperiwl de acolhel-os corn
graciosa behevolenoia. Rio d Janeiro, 26 de
setembro de 1877.- isconide de Abactd. ,
S. M. o Imperaior dignou-se 'r,,spinder':
A.tade(o eord(ialmente ao seniod' a mani-
I'estaQo de seus sentiments.
Al 'bnarafdos'd'upWadcossufnnccioonou no
dia;7 do Correilt..-
O"I..B-ao %, VITah rda Barra diz que, dando
po~tMoresult4oda depftagaoda eamara dos
Ollfd& de que fez pr-fte como "relator, alim
dB cumprimentar Suas Magestades Imperiaes,
plaa Sttu chliegada ao.Brasil, na prezscnra ide
Suas Mageslades im pneiaes, -teve a liounra de
,dirigir a seguinte felicitiao :
e Senhor. Org-ao (da 0ontraissrio enviada
pelo ramo temporario da assemb!ca gral le-
gislati-,a para. saudarT a V. M. Imtnperial e S. M.
a Imperatiz, pelo tao suspirado regresso ao
gremio dos brasileiros, venho neste character,
n&0`796 apresentar a:V. M. Imperial e a S. M. a
Inim-eratriz a, seguranca do mnis profundo res-
peito e leal adhesao a VV. MM. Irnperiaes e a
regia dynastia do Magnanimo Funilador do
Imperio, comb tambeoH manif'estar o juhilo de
que a camara dos depattados se achia possuida
por tao fausto e aforlAunedo acoptecimenta,
deppis de tO pro1ocgsda, "quanto indubitavel-
mente sensivel 'ausencia.
(( Comtudo,. forca e confessor, quo os effei-
tdsdesta auseneia-(orare do clgum modo atte-
nuados, ja pelas" grandes vantagens que S. M.
a Impeuatriz alcaR'Qou na sua preciosa saude,
jai peas glorias que V. M. Imperial fez rellec-
tir sobre o Brasil, exhibindo fdra da patria, pe-
rante as corporacoes scientifinas mais nota-
veis, exuberantes provas de sen V. M. Impe-
rial um dos monarchs mais instruidos do
mundo civilisado, e ja finalmento pelo alto cri-
terioa om que ainda no vendor dos annos, S.
A. Serenissimna aPrinceza Imperial, esse anjo
tutelar, soube conquistar as geraes sympathias
e estremecilo amor dos brasileiros, seguindo


os passes do seu venerando e augusto proge-
nitor. )
Sua Magestade dignou-se responder:
SAgradeco cordialmebte a camera dos Srs.
deputados. os sentiments que me manifesta.
Nessa sessgo a'cama'a occumou-se corn a
discussao (do additivo dolSr. Andrade Figueira
a lei de forqas de terra, e a do project sobre
suspensao tde pagamentos de baicos e de so-
ciedades anonymas.
S. M. o Imiperador enmeovi no dia 29 a
dar audiencias, que terio lugar nos dias ter-
gas-feiras e sabbados deeada semana.
Repetiram-se, diz o Jornal do
Commercio, no dia 26 noile, as
illuminaces nas ruas Primeiro de Mar-
go. do Ouvidor, do Theatre, Constitui-
5o, Senador Euzebio, $anta Rosa,
Paysandi, fumrnaiti,. Ajuda, Passeio,
Hospicio,'R6sario, Ourives, Guarda Ve-
lha, pragas da, Constituiiio, Onze de
Junho e S. Fztaneisco de Paula, e quar-
tel do I1. batalhio de infantaria.
q Comno na vespera, foi extraorclina-
ria a concurrencia dle families, mor-
thente na-prapa da Constituiyio e nas
'TiiPrimneiro de Margo, do1 Ouvidor e
tyBik)ra.
? -rla das Laranjeiras atW o pacio Isa-
bel, espera de SS. MM. InmFeriaes,
que foram visitar Suas Altezas.
Suas Magestades chegaramn ts 8
horas da noite, e foram rccebidas ao
so-n do hymno national por S. A. o Sr.
Conde d'Ea, acompanhado do Dr. Mar-
tins Pinheiro; e pela commissaio, orga-
nisadora dos festejos nas ruas Guana-
bara e Paysatid,., compost. dos Srs.
Barao do Cattete, Dr. Josd da Silva Mat-
tos, tenente-coronel Antonio Jose da
Silva, Jos6 Vieira Xavier de Castro,
Francisco de Oliveira Braga c Antonio -
Gomes de 2 Macedo Braga.
(( Tanto na rua Guanabararom na.
do Paysanhi ha dous elegantes arcos e
columneias, liganhis lumasfas ontras por
folhiagens, bandeiras e galh.ardetes, sen-
do a illiuminaaio em geral profusa e
bern disposta.
e( S. M. o Imperador, sahindo do car-
ro, recebeu um lindo ramo edas maos
de unimainteressante menina. que reci-
to.u. uLima bonita poesia. -
f, 0 Sr. Barao de Cattete, president
ia commnissto d(os tfestejos, levantou
vivas a SS. MM. Imperiaes.
Seguio S. M. o ImpeIddra e
para o palacio Isabel, aconmpthhado le
S.A. o Sr. Cbnde d'Eu, Dr. 'Martins
Pinheiro, membros da co'urni+sao e do
povo, ao sonI de vivas acclama Pelo thpsqur~ir da Commirsao
central organisao ,t,,.a a .n
aos innundados c 4 r
gueoaad,
















IMMFfa~fd^( iSM^ Oir.
^ Q~)1ig~Il8 a illiJftaPf a1liius
prlcbalkiea do Rio de Janeiro (Awi.
6yGrande, S. Francisco Xavier,
elo, Engen Novo, Caj4 e Praia
Peqnena etc. empregando, o Globo-
G i, p a r a c a j a i n t r 0 d wgA o o b t e v e p r i-
vilegio em i874, o Sr. tneale-wrone1
Antonio Josed da Silva. -
Este gaz 6 extrahidklo do oleo de naph-
ta paelcprocesso denominado eolypilo.
SHaveado satisfeito as clausulas do
eontrato, o Sr. Claudio Jose da Silva
designou, cblnaassentirnento do Sr. eon-
selheiro Coelho de Almeida, o diai 23
do correate paa a inaagairax> do ser-
vio e 6bsequiosaanente' coavidou- para
assistiremn Ltarnben a essa inauguraao
muitas pessoas grades, entre as quaes
achavamn-se os Srs. senador- Leitao da
Cunha, deputado Pires Ferreira e Go-
mes do Aiaral, desembargador Cas-
tello B'anco,Ij uiz de direito Dr. Accioli,
Drs. BuarquQde Macedo, Pereira Pas-
sos e Souza'-fonteiro, tenentes-coroneis
Moraes Ancora e Pirrho, eornnmendado-
res Maciel da Rocha, Bellegarde, Drum-
mond e outros.cavalheiros.
, Reconhecerarma todos que o novo sys-
tama de illumninagdo constitue incontes-
tavel melhoramento para os subur-
bios a que nos referimos. Corn effeito,
0 globo-gaz apresenta uma chamma in-
tensa, clara e irme,, e as columnas de
ferro futndido que se asse ntam os
lampe6es sao, alem de s.lidas, elegantes.
Accenderam-se G33 combustores. 0
prepo estipulado e de2irdis por hora
de illtuminago de um combustort
obrigando-seo .contratante a reduzil-o
a 20 rdis se conseguir isendo de direi-
tos de importago para o oleo de
naphta.
-Aalfandega da c6rte rendeu no
mez de setembro 3,468:891$608.
Ei-, as noticias commerciaes das
ultimas datas :
c Buenos-Ayres, 24 de setembro.-As
ultimas operacoes de cambio-para o pa-
quote fraincez tizeram-se a 49 e 49 11i8
d. ouro sobre Londres, e a frs. 5,16
sobre Paris e Antuerpia.
S Ha abuadancia de dinheiro, e os
bancos particulares descontam de 4112
a 4 341 o[o, Pm moeda corrente, e de
3 112 a 4 O[o, em metall'
t Dit-se que a directoria do Banco da
Provincia pretend reduzir a taxa do
juro, o que serai muito convenient.
(( 0 assucar esta subindo ; sao escas
sos os de Pernambuco, que tern-so ven-
dido at( a $ 82 o de 1 .a, e corn differen-
Va de $ 3 as outrkas sortes.
Monh1teiulbo, 25 de setembino.--O.nmer-
cado de ourosubio hoje a 217.
S(( IIa pouca actividade no mercado,
de cambio, tendo-se feito alguma cousa,
em consequencia da baixa que tiveram
as taxas na praca de Buenos-Ayres.
0 mercado de exporta5o esta pa-
ralsado : nada tern entrado do interior
nern pelos rios ; os deposits sao limi-
tados, e ha grande desharmoma de pre-
0os entire os pedidos e as offertas.
a Tern-se realisado diversas vendas
de vinhos catal'es para o Rosario e ou-
tras provincias argentinas, o que deu
firmeza ao inercado, seado provavel que
os pregos melhorem, senio houver
granies supprimentos.
a Contirnta a retalhar-se a existencia
de aguardente de Havana corn facilida-
de a $ 85, despachada. -
a A aguardente do Brasil, posto que
menos procurada, vende-se regrlar-
monte a 82 por 500 litros, despacha-
de.


a Os possuidores de arroz mostram-
se firmes -e dispostos a elevar os pre-
gos. D
( Rio de Janeiro, 29 de setembro. -
As taxas bancarias.de cambio foramrn
hoje, conriforrne as tabellas :
Sobre Londres 243[4 d. a90 d[v.
Paris 386 rs. por fr. a 90 div.
SHamb. 478 rs. porr m. a90div.
) Portugal 215 a 217 o[., a vista.
a As transacc0es em cambio effec-
tuadas hoje foram importantes; sobre
Londres a 243[4 d. papel bancario, 24
718, 24 15 16 e 25 d., particular ; re-
gulares sobre Franca a 386 rs. por
franco, bancario, 384, 382 e .381 rs., par.
ticular, e pequenas sobre Hamburgo
470 rs. por marco1 particular.
( Negociou-se urta lote de ouro sa-
cional a 8 "o(, pequenos lotes de sobe-
ranoi, a 96.90 e 9$700 [sendo este ulti-
mo prego pago pouco antes de se-fecha
a pracaj, varias partidas de apolices ge
races die 6 io a 1:0126$ e i:0138 eum loft
de acg5es do Banco Rural 21M6000
(( As vendas de cuaf conhecidas at(
is 5 horas da tarde erarn insignificant
tes.


'Nao coastaratm fretamentos. D
BAHIA
A presidencia da provincia, em
25 setembro, expedio o segruinte
0 Ou desembargador presideytte da
provincia, considerando
a QuC algusnas eleoig6es primariases-
tdo iil,,:,lctes da approvagao da ca-
mar 11 )s Sirs. depnutadlos, e bern assim
qu e ,(iif ilversas freuezias aila ndo
so liz.'r;tnii i uaes eleic,- es"
,t fo, i-li)s o.s eleitores devern con-
coIter ;ij iililto cleitoritl, p)dOlenido, pa-
rti- j-,) ;,,liar-.si sc inconveiJiente a
clei-. '.) i U 'it r, pur act) ile 28 ,le ju-
uli)o I' \,iiJ ) asadto pa t tU ineinl)iros
Ia a--.? imliji4 lee islati.va piovitcial, por
,itralt. ti ,t 1:1 a etaerLur'.t estA lixaida ilara
o 1., ," l i ;io dlc 187dc ;
'R [i : ;u1ve lcsigrna, a sotunila do-
inin-n dI.1- juileiro proximno TuLuro para
ter I ;;!r Ia referida eleigao.
a (O;-leuta, portlnto, que se expecam
as 1 c,4'.iriivi coinra uruica;oes. )
Pela iosrna au-toridvale: foi ex-
tinct;i a mn.elsa de rendas provinciaes, e
foi i,'nIealo-todlo o pessoal do thesou-
ro pr.,vinuCi.l e da ree.ebedoria das rei-
das internas provinciaes, de accordo
coin as nIti;nas reforrins feitas nessas
repay rlices,.
:-r- Tendo-se-concluido 0 concurso, a
a se procedia na Faculdade de Me-
Aina, foram cissIificados os canmtida-


-- ,.
-
~'4' I,.
i-#- ,-'~
.1~ j~4
4;~4 '


'( rtlfao dofe to .
No' maw d& t9w4o- atreiadti-

Alk-dIega 792:774#765
Mesa de rendas prmvin-
ciaes 1504308578
Recebedoria 33:816670


oecretaria aa Hpocia,
(diversos emolu-men-

Correio
Pelo Dr. inspector


4:1 N3500
5:1105s00
da alfandega


foram expedidas as seguikites porta-
rias -
( N. 2905. --0 inspecttor da alfande..
ga, tendo em vista os favores e privile.-
gios concedidos aos varparas das linhas
regulates e de navegagdo trasatlantica,
e o irn que teve 6m vista o governfo
imperial corn semelhante concessao,
resolve fazer extensivos aos vapors da
companhia Bahiana e Pernambucana
os favors a que se refere o art. 8.0 e
9.o do decreto n. 4,955 de 1872, ista 6,
permittir que saiam a qualquer hera
do dia ou da nolte, observados os re-
gulamentos da policia do porto, poden-
do os respectivos agents responsabili-
sar-se pelo pagamnento de qualquer
multa, afirm de evitar delongas e de-
moras na sahida e desembarago dos
respectivos vapores. Os. agents, para
evitar o incidente havido corn o vapor
Conde c'Eu,. e dado corn outros vapo-
res, devemrn requerer o que Ihas pare-
cer couveniente A inspectoria em tem-
po de se provindenciar, e para que nao
hajarn queixas nem reelarnma6es, e o
servico se faga em ordernm e sern atro-
pellot-Alfandega da Bahia, 4 de outu-
bro de 1877.-H. do Rego Barros. -
,r N. 206.- 0 inspector da alfande-
ga remette so Sr. chefe da 1 a secao
o Monitor de hoje, Aim de que haja
de circumstanciadamente -informar a
respeito da declaragao feita pelo com-
municante do vapor national. Conde
d'Eu. Alfandega da Bahia, 4 de ou-
tubro de 1877,-jAssignado) H. do Re-
go Barros.
SIllm. Sr. Dr. inspector.-A respei-
to da publicacao do periodic Monitor
sobre a transferencla da sahida do va-
por national Conde d'Eut,,. e que muti-
voua portaria de V. S. sob rw. 206,
cabe-me informal a V. S. o seg~inte :
a 1.o Que a conferencia dos despa-
chos dos generous emrnbarcados nesse
vapor nao pode ser concluida dentro da
hora do expedient por nao term vin-
do para a sessdo, atim de seremn con-
feridos os ultimos 7 despachos dos
generous embarcados 4 ultima hora.
a 2.o Que esses despachos vieram da
guarda-moria para a sececo quasi as
tres horas, tanto que um empregado
da mesa. do despatho maritime foi
quern os notou por suea lettra no pro-
tocollo da guarda-moria.
S3.o Que os officios de remessa
destes despachos (manifestos). nao fo-
ram presents a V. S. para assignal-os,
como declarou o capitdo do refdrido
vapor em sua publicagao.


I 4.o Finalmente que o toque da
cIampa foi posterior As 3 hoeas da
tarde. Alfandega, 4 de outubro de
1877.-0 ehefe da I.a socaO, P-"anciz-
co Ferreira Franca. )
Lemos no Jornal da Bahia, de
'29:
a Hontem tendo a policia denuncia
de ter fallecido um menitio de cerca de
10 annos de idade, filho do pardo Joac
da Graga Gentil, morador 4 rua das Flo-
res, em consequencia de castigos barba-
ros que lhe infligira o desnaturado pai,
tratou de averiguar o caso : pondo cercc
a casa d'aquelle individuo e encontrandc
no mais horroroso estado o cadaver
da infeliz crianga, remetteu-o para c
hospital de caridade, afim de se effec-
tuarem os exames legaes, e prendeu
em flagrante o criminoso.
a 0 aspect do cadaver compuagio
quantos o viram, e a autopsia deixou
bemrn patente o monstruoso ,crime, as
signalando as horriveis torturas po
queo oferoz algoz fizora passar a in
defeza e fraca victim.
a Verificou-se que o infeliz ficara por
algun*, dia s comn as pernas e os bracos
amarrados, sendo durante esse tempi
submetido a rigoioso jejum, e rece
bendo em takes circumstancia? os mai
crueis castigos.
( A'lm das grades contusoes-
echymoses que apresentava em todo-
corpo, os lugares emt que as cordas
apertavam, estavam, corn as carpes di
laceradas quasi a deixarem os osso
descobertos, o quo idica a pressao qu
aquellas exerciam sobre a desditos
crianga e os esforgos desesperados. qu
ella fazia para desembaragar-se das pri
s6oes quando as does atrozes de outro
castigos a isso a obrigavam.
( E o monstro, que a sangue fri
extinguio lentamtnente e cornm ferocidad
inaudila aquella misera existencia, qu
era tambemn sua, teve ainda o cynism
de declarar que prendera e castigar
sea filho por ter elle o habito de fugi;
mas niao tivera a inten-,io de assass
nal-o!
( Con.sta-nos clue conm elteito a criai
ca tiuiia aquellp lIabito e aitmda ullirn;
inmenlte o pozera emrn pratica, o que d
i'no(k)o ;Alguin pode ser-lhe exprohad(
l)oriue ailiniravel seria que ella poder
se eiizontrar attractivos na cornpanhi
de seinelhatte pui. .
ALAGOAS
A presidendian da provincia dirigi
d Associaco Coinmercial de Macei6
seguinte oeticio
( 2., sec.fio.-Palacio da presidency
da Alagas.-,Macei emn 6 de outubi
de 1877.


i Contando esta provincia urn con
mercio j. bastante desenivolvido, per
sei no estahdelwiaeuLo de relates coa
nerciaes "eLta praaa directarnente coi
a Europa. -
(( Parece-me que o commercio ter
vantojosos resultados desta- media n,
s6 por licar em -contacto coin as pr
gas mais adianitadas daquella part d
rntriudeo, c,,om-por conseguir alli os g
nerorper preoas ,mais ooammodos -t
Peus- t"eIV8e 4jr qilw nma Bahia e- el
Pemk*& i ..
,, 4 '.. 40.
o- -


VA .. ---- .


'0 -i~l6 t~E 1

C P~rtwP~fDa"O 4,W e~~b,, dw~
ciagao commeftcial sobro.O f 0IS dom da adedkN rand*, pas

a 1.o P6de-se esabele 'r pas"t iag et f :'tf> qiw-e Aram Boe
ciroum~ta& ,sia a o9 imoma* directL durante a. setoans Iha, 2 3 q
desta ea BJogwlrm.dma.ta"uW5!obtW11-s. sendo de na2
estepA con as da. tu'p? : ', stores a 191 obras, e aoilte 106 lei- teK
c 2.o No caso oflirmativo, qm tw-w A 134 obras, sobre reVista e jornaes po:
meiow mais iegurros e emflItdew 0 f' 8 -.4 Hd78'ftterttrd. 38,. itosop-ia 11,
var-se a effeoto smern heated' melhO !7', retito, 7, emaDonia,,potUea, 6, is- tre
mv- senao e aem ialil me r 6tori 6,. eographia 5, linguisUci 4, historia apr
mento ? naural encyclopedia 2: nas lingiuas portu- pro
cc Aguarko a resposta da associaVdo gu(a 2 4, raneeza 79, italfaia S, ingeza 1. cha
commercial ldentro do mais curto prazo Freguentaram esla repartiQo, a trante o co'
possivel. fIDeus guard a Vmes.-An- triestoe findo, de julalo a suLamre, 3,732 1
?'0 i O -0possoas que coasullamtt 4,6 o brain& distri- ere
tonwo dos Passos Miranda. buidas pela order segfnlle: oraaes e ievisl- S
.. .... .. 11111 ..... ta25.94,- lltteratura 1,027, direfti 449, histo- coi
ria 167, roligiao I 11, philosophia 94, political e se
r lllA HB ~ administrator 8 3, geographia 52, encyclope- I
'Adias 36, rathemati2as 8, iedicina 19, tisto- por
VIT DI IA rfa npitural 11, economic political 8, chimica e aqi
REVISTA DIARIA physica 4. bellas-artes 1; total'4,(14. es(
SOCIr~ w~- Propegaddrna de 1ristrue- 4
Telegramina-Hontemn noite fomos oh- c0puabike Proa p Or0 daP ellAstAb- en
sequiados corn o seguinte telegramma P bih-4ea no Poell da Paqo ellarn bi- oans
SCidade de Goyanna, 8'de outubrro Teve l0thaca desta soiietade, que tern 442 obras da
lugar nesta cidade, nas noites de 6 e 7 do cor- pore 628 p essoas. foi feanquentada m stembro qu
rente,. o loillo de prendas, offerecidas polos As eeolas, tivoram no meosmo mrez o seguin- val
seas habitantes em favor das victims do. see- te movimento : to
ca, tendo produzido 1 :224#900. 'Mni LDiu-rna-Mixta--MatrioulI 4( frequen- tav
Passanento Victina de padecimento cia diaria 31X q
chrohicos deu hontem A noite a alma ao CrOea-. Nocturna-4 de mAtricula e frecluencia dia- Le
dor o Exm. Sr. conselheiro Ansalmo Francis- ria 14. exiL
do Peretti, president do tribunal da orelacao Encaamento--Diurna (m. xta)-N-atricula 39,
do Recife, na idade d cerca de 60 nnos. froquencia diaria 37. est
0 sahimento funebre realsar-se-ha hoje, as Podra Mole-Diurna-matriula 2, frequen- eel
4 horas da tarde, da casa do residencia do f- coia diaria 23. e
nado, A pra1a da Santa Cruz, para o cemiterio Macacos-Diurna Matricula 13, frequencia eoil;
public. S ciaxia 10--Nocturna-Matricula 3, frequen- I
Para esse acto de caridade slao convidados diara .-Notura-Matriula 3, freqen-
os colleges, amigos e parents do flnado. cia diaria 2 vi
Magistrado honrado e justiceiro, cidado Total. -, Matricula 147, frequuacia iria, coi
amanle das i'stttuigdes e sustentador das lei 0 o p s nte das Alag6as.--De un ta- s6



pazamos. Passes Mirandajpresidente daque"la a provincia.
do pai, ra miSegandos jornoes dad idrte, i v eo h'ieo ** ri obr` -*ae.pno i. .te.A.... t a s deix. U&i
ser ograciadose:i Pe di desembargadorCaeanoEs adeixou d
o ut o titulode visconde do Uruguay, o con- er26 de deze tbro do anno passado, a almi-
setheiro Paulino Tos6 Soares do Souza. nistnrauoao r ce-preosidense Dr .iCosta Mtorei- qu
Corn a Aa-cruz do ordem da Rosa, o mar-nra 'quo no dia 1.6 do maio do corrente anno lqi
qu d icone devolveu-a ao actual president, o sne Sr. pra
rztme S. Pito do qt >. ,d coalmendador Dr. Antonio dos Passes Miranda.
Abot Marquez, o, visconde,.de 4 mozes, pois, quo So acha A testa Ve
Tribunal do-Sgn o Corna aeisncitd, os nOegocios publicos doe nossa provincial o Dr. po
seTaraibualdos: r.-.Cmasitni~e '



39 juizots d facto, fun e cioneou hontem-so Miranda. Mo2d o aindao, illustrad e de senti- lou
sribunai, send submnettido a )usgaafento o mentos nobres, p6de elle dotal-a 1e melhora- ab
r6o Joao Coelho de Bulh~es, quo, na madru- mentos UIis. 4omrnmenda-o a experiencia log
adadeo5dejulho do 1876, na freguezia da de trees adnonistraQ6os em que rcvelou,t ale lc
Vaea gtentouaroubar taveorna da sviuva deo do eludos e oenergia, um fnosentso penatico. p
Seb, de Arda Pones ,' quof l pro o se deixando ernbair por utopias, 6 todavia
nunciad o o art. 269 combinado co o art. 0osenasprri nnio dpcse iercia qu
27 u do codigo cry nl.. a e dnegotaio est:ril do expeodiente. or
Va~n, ^n.^liw <^f,,.. -A^ on a Alcangaudo da assembled, que encontrou 8
Feita a accusag~i dMfendou o rio o Sr. Dr. ecinanda.M, o idasaisultad-qo enconsnti- sot
Luiz Emygdio odgUesVianna, dvogado funccionando, todas as moidas d3 confia
dos prosos pobros ; a 0 Sr. Dr. juiz do diroilo, cornpativeis corn a situagao precaria das finan- Ili
3 pruiesnte d tribunal, em vista dose respottos gas, sua pimeira proccupAud o grave tern Le



t Continuam a ser multados os jurados (( S. EX.romove activamente I realisao z
quo eixCrao eo comparecer s esso s anto ar iinternato para a edumcaeao noral e a oi.te-
4 gol uea asi-fram mlads soes qie- rId rirsadaqlau infelizest creatures do sxo fra-Z
FS 'lgJ,^ o ) q ua, tgendaperdoos pais, fear Sel u
faltaram d sessao do hontem, que sao os Srs. : atnido perdido os faisne" sense paiou-
Variza teto roig a r Pesa travensoda voinuva Ride ,anroa d alaspbia






bLuizo da Veigaua PessaManorela al oipn Ri- .i0aflos das orphas devatidas esta sendo a s
nbeirodaSncilvaMauoel Pereirado o tan ha, Dr. u fac; noobsanite a crise, a o fl i doe-e
oel i o de BarroN Rego6 tal b4deq oillustrepresidentinocou a gel
d r esdio do erinn do deoidad et o pastrioLiso dos e lagodnos. 0
Presidao de Ferna, do de oronha. s or querr n uma svirud S energica, eS.Exc qu
-Chegou hontem ao nosso porto, de reogresso n& iademonstranud.Pa
do do Fernando d sNoronha, a corveau Paraeir- n(10 Tal is ou monuersto uo por- a
sd ^ anns6 ms e galsveisa p de eialdtebonf urne monumento qua per- s
se, quo alli fora a. servito.
SAs notiicias do q feiporutadoraalocanuam o, ar sua ad.raini.trae o avivando 0 reco- dis
docoeidataem quordaai nosmescre- niorasquesdtop-di A
eo gdinar do p sa a dasens quoeduos c unat s o eoo fas do
te reovbeflo assopporatunidade osi Posene gmt raess puenio prendido os pals, iuar- seeou- z
fplarc h an noiciass deshote, presidio o r. cit.e dor do aprmsdnea e naridade public. 0c







sLniezciado Pedro Antonio Vital assassi-ou a tw Para estreo do
corn uma facada ao sou corupanhelno Pedro S'SC I Bealo ^r.-mw 'A^L? ^a, .e-0
EMero n ello cM a dosl viran no mesma a Oldas orpteapanida hest ponhola. deo s
anoel Francsco des Barras Reg eia na0 eital tla.em tires actos, Juga,- car fuen go fidein- de
000, was havio muito tempo quo alimenta- q te fogo), lettra ded. Ventura deLou Vega,
van odios entro si, vivendo sempro a altorca- i do maestro o Francisco A. Bambieri, ,
resn, al queo n refendo dcea, ostando Vital a qu enrore u o vite in e e. .p
oscomor peixe,r nlraram a disputor-soet sdous j hal ciasioe a Felix, fidalgo o q pObre de
e, passando a vias de facto, rocoheu *artins p s cuaj pai tinhta come saliado doena- i
uma facode. da quol veio a fallecor poucos s sangae nos campos do I)atralha, en i
momentos a depois. da P e cit pn do preal.ente--a anora p e
a a(( Foi issotquano so pdeo collier das inves- pr dot isa rea sinsa amione.a a Meai i e d
tigacUos feitas logo apos a perpetra-se do o rhmena, onlom bipo nae cert. a yeto!
eaob, naa havia aito tempoaqceralimAcompad-


n -, hva-o slu primo Antonio, rap-az bronco e p
( Afora esse acontecimento, hada mais tern tarella, que tambern desejava um lugar.
perturbado a paz desta ilha, cujo estado sani- t ir Felix entregar ao duque ds e Albuquer- c
1 tario satisfactorio, nio obstante o ardentOe sus carts de re endao, viso
j-voraio, quo pareco quorer abrazar o salo. q suas cartas de noeomrmendadhoQO, .ti visto
Svrpao, que parcel querer abrazar o 3o. p filba do duque, a duqueza de Mbledina,
S Estamos soffrendo os effeitos da mais ri- jo en e formosa vluva, que, desd-a logo, sen- b
gorosa secca. Consta-me que por este mesmo ti .se tomada de serio interesse pelo mancebo, e
vapor o Sr. commandant do presidio pede cu o garbo egentileza muito aimprmsionaram. P
I providencias a respeito. E' tempo que nos rendo-o encontrado depois is margens do e
soccorram. M n ser fito caaeto do pro- inanares, entendeu que nao-havia imnpru- t
sd ContAta a ser feisp tos o calamento dopre- cia em provocar seu amor; antes pensou
sid, e jd temos.-promptos mais de-1,500 me- qt seria a diverslo agradaval aos galarn- q
a tros depobra. tro s mental dos fldalgos d(ssolutos da d
.. Actuaalmenteprocede-seAabertura de.uma cpl to, aquelle Bamoro,.que ella poderia aban- d
l: estrada de rodagem desde a villa atW o onto dO ar eesqueoer, desde que ,he aprowesse, r
donorninado Sraeste. d an e osque~ew, dosdo quo Ilhe aprouwosso. n
denominado Seste elix, quae nao sabia quom era a duqueza, e
a Eis tudo quanto Ihe posso dizer, aguar- fla no entretanto captivo de sues graoas, e6 r
dando entretanto* vapor da companhia per- ppria duqueza, bern que o busque negar a c
r nambucana, polo qual Iheo communicarei 9 consciencia, cada voz mais se apaixona pelo
Smais quo occorrer. a fl4algo provinciano. s
0 Provedorla de capellas.-As audiencias Amiudam-se as eit@evistas ; ate6 que chegot 1
desse juizo, duranto o tempo em que o S&. Dr. u a duqueza marcara para a noite de S. I
Adelino Antonio de Luna Freire estiver pre- jo, A s margens do Mananares.
S sidiedo ao tribunal dojury,Oerlo nas quartas- rinha ao sitio aprazado, quando o mArquez
foiras Ats 10 ho'ras dli manhfl.
feiras snheiro.-0 vapor Par troux manha. C Garavaca, que tambem alli ;e achava, a
~~e D~inlro.- vapor ^Pard tr erneontra, e suspeita, apezar de seu disfarce,
SGratuliano dos Santos Vital 15:000000 quern ella seia. -Busca sguil-a ; mas a este
.0 Juio& InnO 04:1"(000
o Jos6 Rodigues dSo150uz00 tempo aplpatee tambem oduitede d. Albuquer-
o Jos6 Rodgues de Souza 1:00000q, pi da enamorada viuva, e esti p6de es-
i. Translerencia.- Por ordem superior foi quivar-se.
B transferida, para o dia 15 do corrente, a sa- Gqonversam os dous fidalgoe sobr a nova
Shida do vapor Giquid, para o presidLo de Feor- conquista que pretondia ter feito o marquez de
e nando de Noronha, Iuma formosa darna da c6rte, que alli encon-
a Pombaut.-Moradores dessa rug, na fregue- trnra disfarnada, e A quoern fizera fugir a pre-
le zia da B6a-Vista, nos podem parS lembrar, a sqnca de Albuquerque. .-
I- quem competir, a conveniencia-de sfreii para A este tempo ia chegando Fe:.ix em busca
i91 alli env.iadas duasr praga da guatda civic, dd dama de seas pensamenlos; acompanha-
que, auxiliemrn aautoridade policial na repros- va-o seno primrno Antonio. Este, ao ver jun.-
sao de crimes. tos os fidailgos, qne os deviam proteger, cor-,
0io Achando razoavel o pedido, apresentamol-o r6 a Jar-lhes satlsfaco, por nao os ter a mais
Sao Sr. Dr. chefe de policia. tempo procurado, e para desculparsua desidia
S0 Sr. BarAo de Nazareth.- Este nosso conta qoe a motivara Felix, por causa de uns
e amigo particular chegou hontem, corn sua arnores em que andava efitdo engolfado.
[ Exmrna. farnilia, A esta cidade, de regresso da Suspeitam os fidalgos que a embugada, que
tt excursio que flzera ao Rio do Janoiro. o mnaarquez encontrara, & a mesnia. por quem
S .0 seu desembadrqne teve lugar.no arsenal Felix se esquecia do procurer seus protecto-
, de marinha, onde o aguardavanm muitos ami- res, e promettem dar-lhe quainto antes o em-
i. gos, todos os quaes o-acompanharam, a carro, prego appetecido, se lhes referir francamente
at6 a casa de sua resideTreia, na Passagornm daa aventura amorosa em que ando. mettido.
1I- Magdalona. Diz Felix quanto sabi.I-qtoe era formosa,
b- Deputado geral. -4Ao bordo do paquete charnava-se Leonaor, e apeiinas I ie consentira
national Pa,'d chea.u hwtlem, proeodente do beijar-lhe a nriio.
( Rio de Janeiro, o Exm. Sr. Dr. Ignacio Joa- 0 marquez aconseiha ao.mo--) provinciarino
0, qjuin de Souza LeAo, Jeputado a assembl6a que s,;ja inais auiaz, e'diz a oelle e ao primou
5-- geral por esta provincia. que o busqtluem no dia seguin.e no palacio
iE Longevidade. No cernitero public do real do Buen-Retiro.
Recife sepull.ou-se, no dia 6 do corrente, Iina- Despedemn-se os fiiullgoz, quo, sabendo que
cia Jozefa Giavaluante, farllecida no mesmo dia. Felix tinha en'.revista para aijuella noite, pro-
na freruezin de S. Josr, na avanv.ada idadie de tendemi descartar-se u1m do ouLro, para virem
ijo 40 annos. Era naftral da provincia da Pa- surprendel-o, e arrlebatar-lhe a coinquista.
S ravh. .g F.-a Felix fazendo exp'oba5,os. A Antonio,
institulo Archeolog1co. -- Na quinta- quando entra a duqueza. Altoino retira-se, e
feira proxima, 11 do corrento, dove haver deixa s6s os dous amantes. ;
li sr-ssAo deste institute, pelas 11 horas da ma- As encarecidis expresssos cdni que exalta
'r nliA, ao lugar do costume, sendo a ordem do o moyo a nagestade da duqueza, e o submisso.
dia-pareceres de cornmmissses e o mais que respeito que por ella mostra, leam-na a des-
oceorrer. conliar que o amnante suspeita jU sua alta go-
1- Via-lerrea do Caxanqt.-A comeoar de rarchia social ; e por islo, quer.-nmdu illudil-o.
I- tI do corrente [domingo proxitrfoj passara a diz-lhe ser camreira de illustrer daina, em
a- vigo)rar nessa companhia a tabella do horazio cujo servi'Q adquirirao oar senhoril quo the
da partida dos itrons, que hontem publicamos, nola o apaixpnado mancebo.
quier nos dias uteis, quer ndsdomingos edias Anima-se o mogo a pedir-lhe umrn abrago,
santificados, tanto nalinha principal, como.no qua ella nao IHie nega, por nao avivar as sus-
ria ramal do Arraial. L Pas. Dopois-offorece-lhe algjns loces e
jl0 A partir do dia 15 a carga para as estaqoes H9as,,que debalde a dluqueza recusa.
a- do Camrninho Nov), S.'Jose. Torre, Ponte d'U- Cego a este tempo o -marquez, e,- vendo
Soeh6a, Jaqueira, Panaameirim. SantlAnua, Casa quo estlaoaa joate tEe e a qa)aw e sahee a
10 Forte, Porta d'Agua, Dous Irmos e Pedra-' Ia car geh te ue os "colha eLm flagrant. E',
P- niolle, sd sera despaohada haveado pesoa uG f ,pFrb FopjorFFeFtiiS o 4vaa d
I, a-'tfoi e e' h ei ta~ a pe r-l i H sua carrua-
do destino peas a immediata- Zgem.
mente que cheo Mtf -....... Be- .. a, -
MOW*sb _ba.


'i- -- -


~'#9


'slno. :- ..
, gab mcb m We1a4in i pafayo 0 fues-Re-
N mscorrdm dimas e cavaffaeiros sobre a tu
ftturado lan9% maL'os cointecid'ana cOr- te
L'bwm qu'le'" n cr; -sre que.o caso havia va
ssado dom dorna dalta linhagem.
Picando S6s a duqueza e a corddesea de so
rnes, sua amiga e cunfidente, conta aquella gr
* aeaw a uwos ran mwyo- ac, e que, za
o tOnd4 podido Ovefpera ir veor e aafante, ne
nendb Aue'ei eoitmeitasse algam dEspro- en
sito, Ihe escrevera urna carta. tu
SAo horas do serviko do rei : a sala estaL en-
gue s6 aos ptgesn e officials, quando :-e G(
resentarp Antonio Felix, em basca de sous 18
)tectores. Diz Antonio que alli os esperara ; re
isqueam os outros quei a viaos tal se nao A
nsente. di
Declara entAo Felix indignadd que e fldalgo; de
isce o motejo, que degenera em tumulto. rij
Sahe o marquez a indagar o quo havia; re- B,
nhece Felix, o aproveita o ensejo do vingar- da
da desdenhosa marqueza. Di
Manda ao inexperto mogo que fite bem, uma M
r urma, as dams que tern de passar por Ai
iella sala, confiando quo vai seguir-se um m
eandalb. M
Com effeito quando a *duqueza atrayessa, -
tre outras damnas, do quarto do rei para o ci,
rainha, Felix a reconrfiece, e o diz ao mar- M;
ez. Estelhe aconselha que se nao acobarde -
te ella, e quando voltam A sala damas e ca- N,
Jheiros corn o duque e a duqueza, o ciumen- d(
marqaez disp~e as cousas de geito que es- ti!
va Felix para comprometter sua amante, bt
ando turbado pela apparent serenidade de -
onor, declare ter-se equivocado ante uma Ti
Ltraordinaria semelhanga. Si
Fioando de novo a s6s Felix e o marquez, Fi
le nao desanimna ainda, e acha tracas de re- C,
her do movo a carta qu. a duqueza Ibe es- lh
avera-, e que, dizia, era necessaria para que
a consentisse em recebel-o por esposo. jo
Retira-se Felix A ontra sala, ao pass que
inha a duqueza em busca delle. Eneontra-se m
nm o marquez, que mostra-lhe a carta, que qt
entregarA so ella consontir em a;olhler sen le
.or, para prova do que exige umn abraeo. A gi
irqueza consent em dar-lh'o, como unico p,
eio de obter acarta, resolvida a descartar-se tr
pois das importunagOes do velho amanLe. d,
Surpredie-os Felix, e fdra de si faz d ingra-, dc
ao da duqueza do Medina as mais tremen-
s imprecag5es. d(
Ac6do a c6rte, corn o duque a frente : a du-
eza, por livrar a reputa.ao, accusa Felix de re
icura, e, a instancias do pai, ordena que o g,
uidam. & Li
0 3 acto tern lugar n'uma casa de orates, fo
io Antonio visitor o primo. Emquanto o r
rteiro sahe a prevenir Felix, pede-lhe umn Q
uco, corn terms muito cordatos, quo Ihe A
ra ura porta. Accede o palerna, que so v6 ci
go rodeado dos loucos. quo buscam despil-o, d-
o maltratam, jc
Livre emfimn dos doudos, e a s6s corn Felix, 0
-so ainda Antonio aggredido por este, por- rE
,e accedera a attester a loucura do primo, M
iue fizera a conselho dQ,duque, que lIhe per ri
adira ser o unico nmeio do salval-o. C
Acalma-se, por6m, Felix, e recebe (de Anto- v
o'umacarta que Ihe entregara a camareirade
onor, na qual a amante se mostra muito s1
rprenidida de saber o quo se passava ei
lacio. c
Chega dopois a duqueza, quo consegue per- B
adir a Felix que 6- muito distinct da duque- S
de Medina. C
Annunciando-se nistoo marquez, a duque- a
esconde-se. tr
Felix diz ao Sr. de Caravaca que acabava de a
tar corn su amanto, a qual fugira por nao it
r vista delle, que ainda a poderia aleanCar,
o a quizesse seguir. 0 marquez aceita sern
emora, e Felix abre-lhe a port dos doud6s, n
ae so apoderam do fidalgo e tiram-lhe a rou-
a, que veem depois vender nas grades ; a du-
leza, quo estava de novo C IJn Felix, compra
roupa, e, om ella o fidalg6'-rovinciano fuge r
sfarQado em companhia- da duqueza e de o
n tonio, mas prende-os na port do estabele-
mento o duque, que os conheco. P
Tornando a scona, travam-sa em dispute o 11
ique, que quer entregar Felix a uma escolta
1e o levara a Saragoca, e a filha, que declara x
.ue no abandonari o amante. ,
Termina a scena, e corn ella a peoa, pela .
)ltada + nr1ooao ..- ,a, di..ormt ,n ,.it
tn qua ordena Felippe y que so una o sangue (
e Medina cor o sangue derramado em defeza .
3 seu throne (
Reconheoe entaio a duqueza quao sensato 1
)ra o conselho prophetico de sua amiga a 1
r.' de Bornos; sahe sopre por fim quei- (
iado -quern poe-se a brincar corn fogo.
Quadro da batalia de Avahy-Lemos d
o Jornxt do Commrrcio, da c6rte : L
(( Finalmente, poderao os Fluminenses apre-
iar o, na iuropa ja mnuito apreciado, quadro (
istorico do nosso talantoso corupatriota Dr. t
'edro Amerinoo artist vantajosamente con-
eituado oeprofeusorlOureado da nossa Aca-
emia das Bellas-Artes. 1


a 0 que dizer a respeito do qelebrisado tra-
)alho -do pintor historic, quando tanto se I
screveu laudatbriamonte na Italia-bergo da j
intura por excellencia-e nos outros paizes,
mn quo foram transcriptas as chronicas artis-
icas de que tivemos conhecimento ?
(( Abi estd o quadro, ahi esta o trabalho,
[ue, por alguns annos. foi o sonho constant
de um esplendido talent, a pyra em que ar-
deram tantos desejos de gloria, tantos senti-
nentos patrioticos, que procuravam escrever
em urma tela de poucos metros os fastos he-
-oicos de um punhadorde bravos que engran-
leceram a patria.
VAo admiral-o, principalmonte nos seus ep"
sodios (detalhes), que fazem a sua maior bel.
eza ; v&o contemplar o relevo de certos gru.
pos quo se destacarm, formando, por assim di-
zor, pequenos quadros, que s6o por si, dariam
qome ao pincel quo os creasse e Ihes ddsse
yida.
a Nesses pormenores, nesses episodiog, in-
dubitavelmente o eximio pintor mostrou a sui
mestria.
Se o quadro do Dr. Pedro Americo tern
senses, tern defeitos, que uma crltica rigoro-
sa poderA quicfA apontar 6u pedir conta del-
les ao artist, nao cable a n6s, e sim aos en-
tenrlidos, manifestal-os, para a verdade da
arte. D
Corveta Bahiana-LUmos nesse journal:
(( Sabem os nossos leitores que este vaso
de guerra, actualmente em viazem de instruc-
C.o, ch egando ao Cabo da Boa Esperanga, te-
ve de fazer obras consideraveis para reparar
avarias soffridas debaixo de umn temporal. Sa-
hindo depois, sobreveio outro temporal que
obrigou a corveta a arrlbar ao mesmo porlo,
tornandose necessari6s novos concertos. fi-
zia-se que o navio estava'tomido de cupim,
nem poderfa proseguir na sua commissao semr
grave risco.
a Nestas circumstancias o Sr. ministry da
marintha nao querenio assamir a responsa-
bilidade de p6r em perigo sem necessidade
urgenite tantas vidas preciosa.s, coin louvdvel
solicitude auitLorisou o coinmanJaifte da cur-
\'eta a dar por finda a sua commissAo, spjul-
,iasse arriscado proseguir nelln, e voltar a es-
te porto, i.to inesmnio se o consentisse o es-
Ia '>I do ua-.'Iu, pois que em ,:aso contrario
outra r.-,videncias se tlomariain.
l Ea autorisaC.o foi expedidla pelo seguin-
te telegraMma:
(( Rio de Janeiro, 8 de agosto de 1877.-Ao
miniitro brasileiro em Londres. Diga ao coir.-
mandanle da Buhiuna, no Cabo, que se o es-
Indio do navio causa recei, de continuar a via-
gemn, regress. podeudo. Elle que respond.
-.Uinistro dta mutrinha. u
(i A resposta telegraphica veio datada do
u Fundtal, ,5 de setemhro de 1877.-Ao mii-
nisLro da marinha, no Rio do Janeiro. A Ba-
hiunaa pide fazer a suta commissao. Sigo para
Boiurbon, centre 10 e 15 do correnle.--lVandci-
kolk. commandanle.a
S, Do Cabo para o Funchal, nio podia esta
resposta vir senior por vapor ; devia, pois.
ser originariamente expedida antes do.dia 10,
sendo, portanto, o mnez.corrente o nieosmo do
setemnbro.
S Do capilAo tieo expwiimntado podemos
fiar que, so nao por yI e. ei,. -pelo dos
seus commagdados,nW'terla doixado de a-
ptwvhitar a autorisago superior, se @ estado
4d navio lhe inspibW.s jiudadoS uceios &-
ra da su a seguraso ,.a 9De. mAi,)rwa.quil-
,Umr-se os qe- NaMA a r
dodaqueft r8^


g~i ~


aHouem 08si Roit& S
to Historioo oga p1lu 00-
proposta, que foi ui-m-; 6 aWpro- *
da:
c Propomos que6 delt m_01604"pw
te sessho queo ins atabe IBiioi@ eO --
aphico rasileiro recebeu 6eo pio(MWd3K -
r a triste noticia do faUeclmantop do i-
inte historiador portugtez Alexandao B5[t-
ilano, socio eerrespondeate do mesmO 3.If-
to.
( Sala das sessbes do Instituto listo"l e
eographico Brusileiro, em 28 de setemM 'de
377.-Luiz Francisco da Veiga.=Afntonie'Pe-
ira Pinto.-Alfredo de Escragnolle Tawoiy.
gostinho Marques PerdigAo Matieiro.-Con-
d,o Mendes de Almeida.-Olegorio Hero, *no
a Aquino e Castro.-TristSo de Alenmea Ara-
pe.-=D. Francisco Balthazar da Silveira. -
irao Homem de Mello.-D. Jos6 de Saldanha
a Gama. Carlos Honorio de Ftgueireda*-
r. Couto de Magalhaes.=Joao Wilkems de
ltos.--=Henrique de Beaurepaire Rohano.-
ntonio Alvares Pereira Corula.-Dr. Benja-
in Franklin Ramniz Galvlo.-Joaquim Pires
achado Portella.-Joaquim Pinto de Campos.
Dr. Joao Ribeiro de Almeida.-Jos6 Mauri-
o Fernandes Pereira de Barros.-Joaqafim
anoel de Macedo.-Manoel Jesuino Feneira.
Dr. NicolAo loaquim Moreira.- LatisIlo
etto.-Dr. Manoel Duarte Moreira de Azeve-
o.-Guilherme Schuch de Capanemna-Bap-
sta Caetano de Almeida Nogueira-Joio Bar-
)sa Rodrigues-Dr. Cesar Augusto Mari4ues.
Dr. Joaquim Antonio Pinjto Junior.-uJos6
to Nabuco de Araujo.-Miguel Antunio da
lva.-Joaquimn Norberto de Souza e Silva.-
rincisco Jos6 Borges.-Felizardo Pinhciro de
impos.-Dr. Maximiano Marques de Carva-
0. b
Paquete Orenoque.-Lemos mais oesse
rnal :
(( S. M. o Imperador presenteou o Sr. DeSo-
ier, commandante do paquete francez Oreno-
Ue, corn urn rico chronometro; o Sr. Sainvil-
, segundo commandant, corn urn boia ielo-
io ; o Sr. Dousst, commissario do mesmo
iquete corn urma corrente para reloglo, dis-
ibuindo various presents aos outros officiaes
Sbordo e 110 libras A iquipagem e ao resto
Spessoal de bordo.
Vaga de desembargador.--Emn vitude
o aviso do ministerio da justiga do 28 de se-
mbro, exigindo a relaCao dos 15 juizes de di-
eito rnais antigos para preenchimento da va-
a deixada pelo desembargador Jose Mariano
uistosa do Aniaral, da relacao de Goyaz, jguo
i aposentado, o supremo tribunal de justice
mnetteu a seguinte relagio : Joao Salom6
ueiroga, Antonio Angelo Ribeiro, barlo de
nadia, Francisco Liberato de Mattos, Fran-
sco Urbano da Silva Ribeiro, Jos6 Antonio
a Rocha Vianna, Quintino Jose deo Miranda,
iaquicn Jos Henriques, Francisco de Assis
liveira Maciel, Pedro Antonio da Costa Mo-
eira, Joaqnim de Paula Pessoa de Lacerda,
anoel Pedro Alv'ares Moreira Villaboim, Amine-
co MilitAo de Freitas Guimaraes, Antonio
arneiro de Campos e Severino Alves de Car-
alho.
Supremo Tribunal de Justiga. Na
essao de 26 de setembro, foi julgada:
Revista crime n. 2,292.-Do Maranh.o. Re-
orrente, o bacharel Joaquim Gomes da Cunha
eltrao. Recorrida, a justice. Juiz relator o
r. Albuquerque e revisores os Srs. Couto e
osta Pinto. Relatado o feito, julgaram negar
revista por ndo haver injustiCa notoria, nerm
nanifesta nullidade. mandaram regressar os
utos ao juizo d'onde vieram. 0 ST. conse-
leiro Silveira nao votou por impedido.
- Na sessao do 29 foi julgada:
Revista civel n. 9,140.-De Belem. Recor-
ante, a fazenda provincial do Amazonas. Re-
orridos, Joao Cavalcante de Albuquerque Tor-
es & C. Juizes, relator o Sr. conselheiro Al-
neida e revisores os Srs. bar'o de Mont'ser-
at e Simoes da Silva. Relatados e debatidos
s fundamentos da revista, nao conheceramn
or ser interpost, por part illegitimao incom-
etente. Nao votbu por impedido o Sr. conse-
heiro D. Francisco Balthazar da Silveira.
Grande loteria da Bahia.-Acha-se fi-
ado o dia 5 do janeiro de -1878 para a extrac-
ao da quinta dessas loterias.
\apores-S.o esperados os seguintes:
ruddi"na daEutopa .at i
llinho do Sll atl 14
,ear do Norte at6 15
Jahia do Sul at6 17
Potosi do Sul at6 20
)renoque do Sul at6 20
Loteria da provincia Quinta-feira, 11
lo corrente, se extrahiraX a loteria 244.*, em
)eneficio das obuas da watriz do Jaboatto.
Os bilhetes acham-se a venda na thesoura-
ria das loterias e loja de calcados do Sr. Por-
,o, a praca da Indepen'dencia rs. 37 e 39.
As listas sahirao no mesmo dia da extrac-


p.o; quanto, porem, aos pagamentos dos pro-
nios, s6 terA lugar do dia seguinte em diante.
Loteria do Rio de Janeiro- Resume
la lista da 61 loteria [257&] em beneficio da
intructico public da provincia do Rio de Ja-
neiro, exUrahida a 24 de setembro :
N. 2747 .... ......... 20:OO
N. 2382 ... ...... .10:000000
N. 467 4:06.^00
N. 818 . .
Ns. 4142 e 5781, 1:000S000 a cada urn.
Ns. 1158, 1935, 3741, 5860,-800$000 a cada
um.
Ns. 642, 1617, 2653, 4009, 4408, 4781, 4969,.
5202, 5384, 5568, 200(000 a cada urn.
Ns. 267, 1065, 1613, 1660, 1872, 1921, 1929,
2195, 2849, 3.248 3959, 4172, 4339, 4481', 4635,
4804, 5038, 5610, 5776, 5962,- 100lWO a cada
um.
Ns. 33, 266, 727, 894, 992, 1)77,1087,
1107, 1389, 1413, 1546, 1590, 163 1 -1823,
1840, 1910, 2012, 2037, 2-202, 224 346,
2365, 2479, 2488, 2655, 2749, ;31'77,
3311, 3500, 3668, 4093, 4102, 4 1, 4241,
4F23, 4364, 4577, 4T42, 4658, 4751, 496. 4967,
5064, 5066, 5153, 5425, 5501, 5535, 5540; 5512,
5628, 5652, 5817, 5843, 5918,- 40S000 a cada.
UM. *
Resumo da lista da 109, loteria [68011 em
beneticio dos estabelecimentos de caridade da
c6rte, extrahida a 29 de setembro:
N. 2110 ..... 20:0004000
N. 2099 10.000#000
N. 800 4:0004000
N. 498 .. ... 2:000O0M
Ns. 3227 e 4067,--1:000000 a cada
um.
Ns..2-2-, 1335, 4672, 4883,--8008 a
cada urn.
Ns. 546,.642, 1265, 1710, 2205, 2378.
3525, 3849, 5261, 5297, 200-000 a
cada um.
Ns. 199, 307, 1253,1758, 2060, 271M,
302.7, 3137, 347, 341M9, 3524, 3579,
3931, 3959. /4130, 416, 4520, 50;34,
5487, 5550,- 1008$000 a cada urn.
Ns. 177, 2i1, 272, 429, 508, 517,
834, 984, 1078, 1084, 1174, 1224,1249,
1315, 1368, 1194, 1557, 1705, 1706,
1941, 2012, 2.,41, 2198, 2224, 2455,
2703, 2763, 2785, 3014, 3025, 3122,
3167, 3187, 3243, 3359, 3424, 3517,
3858, 4049, iO, 4:373, 3941, 4493,
4698, 4786, 4889, 4915, 5038, 5(055,
5060, 5148, 5218, 524i, 5333, 550l,
5662, 5770, 5850, 5915, 5977, -406000
a cada urn.
Passageiros-Chegados dos porlos do sul
no vapor national Pard
BarAo de Nazareth, sua senhora e 2 escraw*,
Dr. Ignacio Joaquim de Souza LeAo, sua si^b
ra e urna escrava, Lourengo de Olivezfl't .
bral, Dr. Jeronymo A. R. da Camara, PdJft11"
G. da Cruz, Joao Maria de Senna. Rotdipto
Gomes da Silva. Carlos Claudio Threes, lb".
Macario de Senna, D. Guilherminlna LMoAfi6
G. Araujo, Joao Jos6 Rodrigues Meade.i ;
quira Ferreira dos Santos CdimbMa G_
sua sediura e 3 escravos, .g .,!L .
Krause, Synay Handel, 0o0 -l
Gil Braz, commendador Mdbl... ,
tLe Guimarles, sua senbho .0..
no- Otw. 5


-~-~--~ ~


'?r

-.
--4.

4


(



















d a Silva, Frlpelao (.daa
J Jeremiss Vascort as, captpl1o
R, Q4 c*pittoUlysses A. A. Selies e
Dr. Antdnio J. Gomes do Amaral,
D.EpipbhaioPedroso e .sua familiar, C. B. G.
AWitT.T. C.de Carvalh, T. Leopoldo J. aos
Psses. 1B edo, i saias A. M. Pinheiro, M.
C. 'otaiRB XU.1etrailu, Pierre Ulpinien, Fran-
ciso Bian, Terra Pasquale, 4 ex-pragas de ma-
ripha, 16 ditas do exerciop, uma mulher e urn
flho e um escratvo a entregar.
k ] &La --Hoje devem realisar-se os se--
gurntes: 1
1P0 agent Gusino, a rua de. Marcilio Dias
n. 50, da loja de miudezas.
Pelo agente Pestana, a rua do Vigario n. i2,
do sitio da Sra. Villaga, na povoacAo da Torre.
Amanht deve realisar-se o seguinte :
Pelo agente Pinto, na rua de Santo Amaro
-A, de-piano, movesi, espelhos, relogio,
quadros, tapetes, louea, vidros, obras de pra-
ta, etc. .
--Hospital Portuguez de Benetlicencia
-0 movinmento das enfermarias deste estabe-
lecimento na semana de 30 desetembro a 6 de
outubro, foi o seguinte :
Existiam 20, entraram 7, sahirrm 7, fallece-
am 2, flcam em tratamento 18.-Total 27.
Contirida em cxercicio o Sr. minordomo Jos6
Francisco de Figueiredo.
-Celniterio public Obituario do dia 6
de outubro de 4877:
Joaquim Rodrigues da Silva Nevos. branch,
Parahyba, 22 annos, soleiro, Boa-Vista: tu-
berculos pulmnonares.
Manoel Benedicto. preto, Pernambuco, 45
annos, casado, -Boa-Vista; hopato splenite.
Miguel dos Anjos Alineida Villarouco, bran-
co, Pernambuco, 31 annos, solteiro, Gra-a;
rheumatismo.
FeliCiana Pereira de Lyra. branca, Pernam-
buco, 22 annos., solteira, Boa-Vista ; tubercu-
los pulmonares.
Ignacia Josepha CavalcanLe. branch. Para-
hyba, 90 annos, viuvo, S. Jose ; metrite chro-
nica.
Mariana Joaquina de Miranda, parda, Per-
nambuco. 24 annos, solteira. loQO ; bronchite.
Blandina A. Fragoso de Albuqauerque, lbran-
ca, Pernambuco, 30 annos, casada, Afogados ;
tube'culcs puliMonares.
-7-
Silvana, escrava, preta, Pernambuco, 40
annos, solteira, Boa-Vista; cyrrhose do fi-
gado.
Antonio Lopos Ferreira, branco, Portug I,
-18anns, s olt.ir.), lBoa-Vista; coiigestio pul-
monar.
S Miguel Atintnes S.ares. par !o, Perniiambhuco,
18 annos, solteiro, GraC(a; tuberculos pulmno-
nares.

Junta commercial da cidade do
Recife
ACTA DA SESSAO DE 4 DE OUTU-
BRO DE 1877
SPESIDENCIA DO ILLM. SR. COMMENDADOR
A. G. DE MIRANDA LEAL
As -10 horas da manha, estando reunidos
os Srs. deputados Olinto Bastos. commenda-
dor Lopes Machado, Cascuo e Pinto, e secre-
tario Dr. Julio Guimaraes, o Sr. commendador
presidelite declarou aberta a sessdo.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
Procedeu-se i leitura do seguinte :
Expediente
Officios:
De 26 de setembro, da presidencia desta pro-
vincia, declarando em resposta d conrulta fei-
ta pelo president desta junta em officio de 15
do mesmo mez, quea .vtsta da doutrina do
a'iso do ministerio da justiCa de 14 de agosto
ultimo, devem ser addidos d secretaria desta
junta o ajudante do porteiro, o continue e os
dous officials de justice do extinct tribunal
do commercio.-Inteirada.
Semdatado bachar-elChristovio Xavier Lo-
que no predio em "que funcciona esta junta,
possuia o Exm. Sr. barib de Bemfica, por es-
criptura lavrada nas notas do tabelliaio Mara-
nhi.o Sobrinho.-Para o archive.
De.29 de setembro, da junta dos corretores
desta praca, remettendo o boletim das cota-
pses officials da semana finla. -- Seja archi-
vado.
Da mesma data, tambem tais juntas dos cor-
rotores, enviando a nota das transaccoes effec-
tuadas por cada corretor no mez de setembro
proximoo findo.-Archive-se.
Diaries officials de ns. 214 a 216.-Sejam ar-
chivados.
Communicacao da secretaria desta junta de
se achar sertindo no jury desta cidade, o por-
teiro Antonio Correa Maia.
Form presentes as petic5es dos commer-
ciantes: Manoel Gomes de Sab Leitibo, Domin-
gos da Costa Momtfl'roe Velloso da Silveira &
C., 'Manoel Rodrigues de Oliveira, Miguel Fer-
reira Pinto. Silva & Azevedo, Ezequiel & C ,


Vianna Christiani & C., Jos6 -Tavares de Gou-
vfa, Antonio Maria Marques Ferreira, Antonio
Luiz da Costa, Viuva Sabino & Filho, Manoel
daSilva Boa-Vista, Jos6 Francisco Xavier. Cor-
deiro & C., Conrado & C., Joaqmim Caetano de
Carvalho, Carvalho & Freitas, Marcolino Augus-
to da Silva Villar, Francisco Alvs de Moraes
Pires, Lapa & Moreira e Jos6 Gomes Loureiro.
nas quaes o Ilrm. Sr. conimendador president,
depois deouvir o fiscal respective, e attenden-
do a aidar-se no dia 29 de setembro o prazo
para do imbposto de 20 0/0, concedida a
favo commercio, deferira ditas petiQOes
nos dta- 28 e 29, legalisando e ordenando
registro$se nomeac5es tde caixeiros.-A junta.
ficou inteirada.
Despachos


reauni axn a ua euV.
Ao meiodiW. 0ap aVen6pumeis nada a des-
pachare folwoecen w o. -

IN.iOAC0ES I~J


Medicos
Dr. Lobo Moscozo, run do Visconde
de Albuquerque h. 39.
Adv6gados
Dr. Guennes, rua do hInperador n.
48.
Dr. Antonio Drummond, rua do Im-
perador i. 20;
Fazendas e modas
Antonio Correia de Vasconcellos, rua
Primeiro de Marco n. 13.
Qhapellaria e modas
GCosta Maia &,C., rua Primrneiro de
Marco n. 6.
Fabrica de cigarros a vapor
Bourgard & C., Recife 15, rud do
Marquez de Olinda, Santo Antonio.3,
rua Primrneiro de Marco, B6a-Vista 54,
rua da imperatriz.
Pharmacia e drogaria
Ferreira Maia &C G., rua Duque de
Caxias n. 57.
Encadernaaiio, pautagao e papelaria
Miranda Junior, rua Dtuque. de Ca-
xias n. 37.
Lioges de francez
.Lig3es theoricas e praticas de fran-
oez, pelo method mais facil para se
aprender esta lingua em poucos mezes..
Curso todos os dias na rua da Aurora
n. 41, 2. andar.
Gastroniumia
Archiarmnazem do Campos 28-rua do
Imperador--28
Leite condensado superior, presun-
tos para fiambres, linguas afiambradas
(em latas), fiambres em latas, chhfino,
doc,., licores. acipipes e grande varie-
(lade de vinhos finos e de pastes.
Vendas corn desconto, em grosso e a
reialho I
WiHiam Inglis & C., rua do Impera-
dor n. 57, armazem, grand deposit
de fazendas francezas, ipglezas, beJgas
e allemnes.


PUBLIC OES A PEDIDO

Alagoas
PENEDO, 25 DE SETEMIBRO DE 1877
Possuidos do mais sincere e profundo jiibilo
registramos hoje em nossa pagina de honra, o
acto assds memoravel e digno de todos os on-
coinios que S. A. a serenissima princeza im-
perial regent por decreto de 7 do andante,
conferio ao nosso amigo dedicado e muito dis-.
tincto corrcligionario, Revm. padre Aitonio Jo-
s6 da Costa. o titulQ honorifico de conego da
capella imperial e cathedral do Rio de Janeiro.
Os relevantissimos services que este proemi-
nente sacerdote ha prdstado ao cultodivino pela
imprensa, a dedinao e amrnor corn que se ha
desvelado em defender a igreja 6 o throne das
invasies nefandas do protestantosjno, e anar-
chisadores, a esmerada actividdde e pericia
corn que desde os seus mais antigos tempos
tern promovido a sustentacQao e prior das
id.as conservadoras, incontestavelmente fa-
ziam juis a tMo subida distincgio.
Reconhecendo a justice do governor imperial,
congratulamo-nos corn o, nosso amigo e felici-
tamol-o pela 1prova inconcussa e exuberante
do concerto honroso e merit devido que se
Umn governor sabio ejusto no esquecejimais
os relevantes services dos seus concidadAos.
Fazemos votos para que o nosso illustrado e
digno amige frua por longos annos a just re-
rnuneranao de seus bons services d causa de
Deus, e do paiz que o vio nascer, o niorecido
premio de suas virtudes. para inteira satisfa-
cao de todos os seus bons amigps o pie-
no prazer de sua muito prestimosa e digna fa-
milia.
/Do Conervador Penedeiscj


COliEBCO


Junta dos corretores
PRAgA DO RECIFE, 8 DE OUTUBRO DE 1877
As tires horas da tarde
cotae6es officiaes
Couros seccos salgados,! 385 r's. o kilo.
Gamble sobre Londres, 90 d/v. 24 3/4 d. por
i18000, bancario.
Farinha de onandieca, da Bahia, 65700 e 65900
por 80 litros, sabbado.
Dita de dita, do Aracajfi, 7S(00 por [802litros.
sabbado.
Bernardino de Vasconcellos,
Prei-nt.I


President.
J. Leal Reis,
Secretario.
ALFANDEGA
Rendimento do dia I a 6
Idem do dia 8


259:56

288-:587MI


Parecer fiscal proferido no officio de 24 de Bar, e a mglza Veti, fuurrag us doesaha,
setembro, do Dr. inspector commercial da Pa- Barca ingleza Gletilt, ferragens despachada
rahyba do Norte, sobre a escriptura public de Br para oo e go points. .
declaraeao de testemunha abonadora da fianca francza Mossorifeages paa Q ta
do agent de leiloes de dita praan Jos6 Fran- piche da alfandega, para despachar.
-riseo do Alhayde e. MelTO. A substituieto tda Brigue portuguez Damido, cal despa~cmada para
testemunha abonadora nO est5 na form da' o 30 ponto, e vinho para deposit nc
lei. Officie-se ao Dr. inspector commercial trapiche Cunha.
para qusoedignonoaentespenderdoLugar portuguez Angelina, generos nacionaes
pa qu iparao trapiehe Companhia.
exercicio o agent de leil5os Jos6 Francisco de para o tmeapic eCompanha.
Athayde e Mello, afire de refortur sna farr, Bnigue suoae Esmneralda, feno tispachadc
sob as penas do art. '12 do regulamento n. 8i8 para 0 0 ponto.
de 10 de novembro de 1851, reinettendo-se-llb -ndo
copia do parecer fiscal. AlteraeAo na pauta dos precos dos ge-
Petigoes: neros sujeitoit & direitos de export
De Thomaz Teixeira Bastos, solicitando que .ao, na semana de 8 a 13 de outubro
se made dar baixa no registro da nomeacio de '1877.
do sea, ex-caixeiro Manoel Davino Teixeira AlgodAo lemn' raama ou descarocado, 400 rs. o
Bastes. -Como requer. kilo.-
Dp Antonio Ferreira Baltar, para que se man- Assucar mascavado, 160 rs. o kilo.
de registrar a procuracao quo lie passara em Alfandega de Pernambuco, 8 de outubro
notas, Alfredo Ferreira Baltar.--Registre-se. de 8177. Os conferentes.
De Joaquirnm flias da Silva GuimnarSes, para Raymundo F. Borbosa.
que se made registrar a escriptura ante-nup- J. B. de Castro Silva.
cial que celebrdra cornm D. Uinbelmina Cecilia cas Approvo. Alfandega de Pernambuco, 8
Neves.-Seja registrada. de outubao de 1877.
De Camello & Duarte, apresentaido a regis- 1 0 inspector,".-
tro a nomeaqco de sen caixeiro Julio Vietorino A. de F. Carvalho 1~s.
de Paiva, a qual tf6ra entregue 6 secretaria
desta junta, no dia 10 do corrente. Regis-' Importago
tbe-se. Patacho nationall Palheiro, entrado
SDeLudgero Teixeira Lopes e um comman- do Rio Grande do Sul em 7 do cor-
ditarino, solicitando o registro do contrato de
Socedade, sob a firina de Lopes & C. --Satis- rente e consignado a O.iveira, Filhos &
feitiO parecer fiscal, archive-se nos terms C., manifesto
do decreton, 4i394 de 19 de julho de 1869. Sebo coado 30 barricas.
De Valdevino Ribeiro da Silva, para q u" se Xarque t64,580 kilos ordni.
mande registrar a nomeaAo junta, e dar bai. arue kilos in.
aw de sea ex-eaixeiro Antonio Mariano da i -
SIt.-Como orequer. Brigue sieco Esmeralda, entrado de
N laDuarte & C., para igual ftim, Buonos-Ayres; na mesma data e con-
quahto ao seu caixeiro Joaquim Modesto da signado a Macdido Lopes C., mni-
Silah-Recouhecida a firm signataria da no- restoa o
Bi0g^o, ea registrada:
NDo ntopiaIgnaieo do Rego Medeiros, Fran- Feno 287 fardos .aos consiglbatirios.
iso l dacio deOliveirae Jos6 do Assumpco -
sob a firma Oliveira Filhos & C. Lugar nationall Arabe, entrado do
d4o exemplar presen- Rio Grade oS m 8 do cOrrente
rnt. 2o do decreto n. -v9 io rneoS1e ,ocreW
archive-se na torma e consignado a Francico Ribeiio Pin-
...c .. to uiaes, mauifestou : .- -,
4i 0 ,,,- +_ .+ L e b-


do Rio de- Janeiro na m-4m(wadatae
consignado a Sitva GuimAAeg G.
maliffestou -
Cafd 130 saccos a Jos*S Mar dio 3
nsa. Filhos, 12.0 a LebreReis.- C.P
110 t order, 70 a Franciscoda Cunha
& C. 60 a Monteiro, Irmao, 110 a Josd
de Afmeida Salgado, 20 a Fortunato
Ribeiro Bastoa, 179 a Souza Bastos &
C., 210 a'DorIntngos Cruz &G.
Fumo i0 caixas a Corga, Figueiredo
&C.


Vapor national Pard, entrado dos
portos do sul na tmesma'data e con-
signado a Bernardino Ponritual, mani-
festou:
Carga do Rio de Janeiro
Barras de ago 2 atnarrados ao geren-
te da companhia pernambucana.
Carnet 40 amarrados ao mesmo. Ca-
fe 150 saccos a Corga, Figueiredo & C.,
210 A ordem, 2 a Antonio Muniz Ma-
chado. Chapdos de pello l caixa a
Francisco Xavier Ferreira. Caixa de
music 1 a -Antonio E. da Silva Ca-
moes.
Fazendas 5 caixas a Auiiguste Bemet,
2 a Simnipson & C. Fumo 7 encap.dos,
1 caixa e 34 pacotes a Joaquim Bernar!
do dos Reis 10 caixas a Antonio Perei,
ra da Cunha, 28 lataw, 15 suri'oes.e 5
encapados d ordem, 38 rolos a Alfredo
Ferreira Baltar, 1 caixa aJosd Gongal-
yes da Costa, 2 caixas e 7 encapados a
Josd Antonio Pereira, 20 pacotes a
Francisco Antonio da Bosa, 36 latas,
12 rolos e 1 caixa a Luiz Goncalves da
Silva & Pinto. FeijaIo 2 saccos a Go-
m"s de Mattos Irmaos, 20 ao gerelite
da companhia pernambucana.
Milho 12 saccos a Gomes de Mattos
Irmaos.
Sola invernisada I caixa corn 24
meios a Monlhard Mettler & C.
Velas de composiCao 50 caixas a Pau-
lino Josd da Costa Amorim, 50 a Fer-
nandes & Irmio.
Carga da Victoria
Cafd 50 saccos a Dominges Alves
Matheus.
Carga da Bahia
Charutos 2 caixas a Antonio Pereira
da Cunha, 2 alH. Nucsch & C., Ia
Corga, Figueiredo & C., 1 a H. Lund-
gren il C.
Farinha de trigo 200 barricas a or-
dem. Farinha de mandioca 200 sac-
cos a ordem, P50 a Josd Moreira Brafa.
Feijao 36 saccos a ordem, 50 a Friga
Rocha & C. Fio de algodio 20 sac os
a Rodrigues de Faria & C. .Fazen as
2 caixas a ordemn, 2 a Mello & C., a
Simpson .a C., I a Monbard Met er
& C.-
Milho 100 saccos a Fraga Roeha
& C.
Panno de algodao 95 fardos ado-
mingos Alves Matheus, 10 a L. Ier-
nard & C.
DESPACHOS DE EXPORTAQAO NO DIA B DE
OUTUBRO DE 1877 AL.
Na sumaca hespanhola Joven Mar4 ',ie-
gou : para Barcelona, R. Pessoa 20i pos
com 13,330 kilos de algodPio.
Portos do interior
No vapor national Prapama. carregtram:in:
para o Ceari, M. G. Beltrio 45 saccos cormn1,175
Skills de farinha de mandioca, 10 ditos con 600
ditos de milho ; J. Ferreira da Silva 60ditos
corn 4",800 dtos de farinha de mandioca. Pa-
rente Vianna 100 ditos corn 8,<00 ditos deaito ;
L. G. da Silva & Pinto 15 ditos corn 600 litos
de dito, 5 ditos corn 350 ditos de milho ; 1. B.
Ferreira 70 saccos corn 3,500 kilos de faunha
de mandioca, 5 ditos oom 35 ditos deteijto.
Na bmarc portugueza Victoria, carregaam :
para o Bio de Janeiro, P. M. & C. 41 pipascom
2",600 litros de espirito. .
Na barcace' Cautelosa, carregaram : fara
Guarapes Julio & Irmlo 40i saccos corn 16,000
kilos de farinha de mandioca.
Na barcaga Laura, carregaramr: para a villa
da Penha, Soares Neves & G. saccos .corn
320 kiios de farinba de mandiock.
Na barcaca Feli: Olinda, carregou : para
Macahiba, C. G. Torres 340 saccos corn 11,800
kilos de farinha de maadiisca.
'a barcac. Agria, carregou : para o Natal,
J. A. G. Pines Junior 15f) saccos corn 34,000
kilos de farinha de mandioca.

CAPATAZIA DA 'ALFANDEGS.
Rendimento do dia i a 6 6:73189
Idem dodia8 4ia13
7:14q902


VOLUMES ENTRADOS
No dia i a i 963
No dia 6
Vapor francez ParaiW 152
1,115

VOLUMES SAHIDOS
No dia I a 6 3,611
dio dia 8
Primeira porta 124
Segunda porta 4- .5
Terceira porta 352
Trapiche Conceicio
Trapiche d'Alfandega
6,502

SERVIO MARITIME
Alfarengas desecarregadas nos trapiches
da alfondega "" ~
No aia 1 a 6 2
Nc dia 9
43


NAVIOS
No dia 1 a 6
No dia 8


ATBACADOS


1


RECEBEDORIA ,DE RENDAS INTER.
NAS GEAES DE IPERNAMBUCO
Rendimento do dia 1 a 6 8:769(748
SIdem do dia 8 722272
9:4925920

CONSULADO PROVINCIAL
Rena.iT-'nto do dia ta 6 32:401$1l
'bem do dia 8 -. 2:880276



+Da+r: "%aO edo .


t


a libra.
Massas italianas.- Retalho de 9$ a 105000
a Maixa.
Oleo de linhacQa.- Cotamos d, 1$800 a 25 o
kalblo.
Papel de embrulho.- Cotamos de 700 rei s
a 1$800 a resma.
Passaq.- Cotamos de 7550) a 85000 cada
caixa.
PainQo.- Cotamos a 35500 os 15 kilos.
Pimenta da India.- Cotamos a 460 r6is a
libra..
Quei'jos flamengos.- Gotamos a 2$80 Q eada
queijo.
Dito prato.--CoLamos a 00 reis a libra.
Sardinhas de Nantes em latas,- Cotamnos a
300 e-W0 reis a lata de quarto.
Toucinho de Lisb6a.-.- Cotamos de 105000 a
116W00-os 15 kilos.
Velas stearinas.-Ultima venda a 500 reis o
nimaco de- 6 velas.
Vinagre. Coiamos de 1155 a 1255000 a
pipa.
Vinho branco.-Cotamos a 24($ a pipa.
SDito da Figueira.- Cotamos de 50AR00 a
2 000 .a pipa. .
Vinhotinto de Lisboa.- Retalho de 2305 a
1455 a pipa.
Dito do Porto. Cotamos a 95000 a caixa.
Xarque do Rio da Prata. --.Deposito...
14,000 arr bas, e retalha-se de 65000 a.75200
os 15 kilob. _

EOVTIEOTOD OI. PTO
Navies entrados no dia 7
Rio Grande do Sul-20 dias, patacho brasilei-
ro Palheiro, de 170 toneladas, capitAo Tito
Job, equipageoin 9, carga xarqie; a Oliveira
Filho & C.
Buenos-Ayres-29 dias, brigue sueco Esmaral-
da, de 214 toneladas, capit* Tornston, equi-
pagem 8, carga feno; a -Lopes Machado &
"C. -
Rio de adeiro-13dias, ligre. portuguez An-
gelino, de 284 to das, bapit.o Jos6 Caeta-
no.0da Silva, -uA b l10, carga various ge-
neros; aSilva es&C.
Nao houve sahidas.
Nawios entiados- no dia 8
Rio de Janeiro e portos intermedfos-6 dias,
vapor brasileiro Pard, de 1,999 toneladas,
commandagte 1.o tenente S. A.- Gomes, equi-
pagmni62, carga differences gelemrosa; a Ber-
naraino de Senna.Pontual.
Liverpool-40 dias, barca ingleza Luza, de 250
toneladas, caplto W. Weymouth, equipa-
gem 10, carga carvilo; a Wilson Brothers
& G. I -
Rio Grande do Sul-20 dias, lugre brasileiro
Arab, tde 199 toneladas, capitio Manoel Franr-
cisco Trocado, equipagem 9, carga xarque;
a Francisc, Jos0 da Costa Araujo.
Illa de Fonmndo-48 toras, corveta national
a vapor Paraem, commandante capitao de
fragata Pedro Thom6 de C. Araujo.
Terja-Nova-'38 dias, lugre inglee Do'ade,211
toneladas aitao W. H. idd, equipagem
9, carga. 3,20 barricas corn bacalhAdo; a
Saunders Brothers &, ..
Navw' mhio no memc dia
Terra va-LugtAV iaglez Cw a 9fw, captio


M~f~ 3/4 d/a ban-
I4,44M 6 la0 oiP~l -o r cento[
.gEntrada 755 saccos.
iAssuicA m 'g preQos e nUao ha deposit.
-; usros naclonaes.
Iguanidel-e.- Cotamos ded 7T00 a 765000
do Rio 4e Janeiro.-Cotamos de 85500 a
9$5,M os 15 kilos.
Couros seccos salgados.- Ultima venda a
385 rs. o kilo.
Ditos seocos espichados.-Ultima venda a
470 reis d kilo.
Ditos verdes salgados.- Sera precos.
Farinha de mandioca.- Vendas de 65400 a
75000 o sacco do 80 litros. &
Feijao mnulainho.- Vendas de 185 a 205 o
sacco,
Fumo em latas.-Vendas de 18 a 18550( os
1i5 kilos.
Dito em rolos.- Vendas d& 1(6 a 395 os 15
kilos.
Dito do Rio Novo e Goyaz.- Vendas de 165
a 395 os 15 kilos.
Gomma.- Cotamos de 2$400 a 3$000 os 15
kilos.
Gorduras do Rio Grande do Sul-Cotamos
de 75800 a 9$000 os 15 kilos.
Mel.- NAo ha.
Milho.- Vendas de 120 a 130 reis o kilo.
Sal do Assfi.- Venda ai000-r6is os 100
litros.
Sola.-Cotamos de 25600 a 311500 o meio.
Velas do Rio de Janeiro.-Colamos de 480 a
460 r6is o mago de libra.
Xarque do Rio Grande do Sul.-Deposito de
61,000 arrobas, e retalha-se de 45000 a 75400
os 15 kilos.
Generos estrangeiros.
Alcatrao.- Gotamos a 265 o barril.
Alfazema.-Cotamos a 7 e 10% os 15 kilos.
Alpiste.- Gotamos de 5$800 a 65 0 os 15 ki-
l s.
Arroz da India.- De 36 a 3S200 os 15 kilos.
Azeite doce em barris.-Cotamos de 3S200
a 3$0 0 o galo.
Dito em caixas.- .No ha.
Bacalhio.- Deposito 4,000 barricas, reta-
lha-se de 45$ a 205000. a barrica."
Breu de resina. Cotarmlos de 95 a 125 a
barrica.
Banha de porco.- Venda a 440 reis a libra.
Batatas em caixas. Venda de 45500 a
caixa.
"Ditas em gigas.- Vendas de 15800 a 25000
ar"cga.
Carvio de pedra.- Cotamos de I 16 a 20$000
por tonelada, conform a procedencia.
Cebolas.- Vendas a 95000 e 10000 a caixa.
Cerveja Bass Ihlers &Bell.-Nao ha.
Dita de outros fabricantes.- Cotamos de 6S
a 8$000 a duzia. -
Cinmento.-Cotamos a 9$000 a barrica de 320
libras.
Cha ver4.- Cotamos 15800 a 2$600 a
libra.
Dito preto.- Cotamos de 1$100 a 25000 a
libra.
Cominhos.- Cotamos de 7$(%00 a 85000 os
15 kilos.
Ilerva doce.- Cotamos a 10$ os 15 kilos.
Farinha de trigo.- Das m.rcas Trieste e
Hungara, deposito 5,500 barricas, e retalha-se
de 24$ a 305500 a barrica.
Dita Americana.- Deposito 1,500 bardr.as, e
retalha-se de 235 a 245500 a barrica.
Farinha de milho, ingleza. Cotamos a
.$800 a caixa, Maizane.
Diita de dito americana.- Cotamos a 56300
a cafxa.
Farello de Lisboa. Venda a 4$800 o
sacco.
Dito do Rio da Prata. De 3$800 a 45000,
e nao ha. d
Feijao mulatinho d6 Lisboa. -Cotamos de
145 a 180 o sacco, e ha falta.
Phosphoros.- Da marca Jonkopings, cota-
mos de 2$400 a 25600 a groza.
Ditos. Da marca Nithedals, cotamos de
25300 a 25500 a groza.
Gorduras do Rio da Prata -- Cotamo des
a 85 os 15 kilos.
Genebra de laranjinha.- Gotainos a" 55500
a duzia.
Dnmaoi=nmum;- Uot'amus a JU a fluzla.
Dita vida eterna.- Cotamos a 35500 a
duzia.'
Dita em meias botijas.- Nac ha.
Dita em botijas inteiras.- Cotamos a 125 e
145 a duzia.
Kerosene:.- Cotamos de 45400 a45200 cada
l bata.
.Louga ingleza. De 360 por cento de
premio sobre a factura
Manteiga franceza em barris.- Cotamos
a 680 reis a libra.
Dita ingleza em barris.-N~o ha.
Dita em latas.- Cotambs de 15100 a 15150


-Oliveira Maciel. E para constpr, man-
dei passar o presente,-que sert affixado
nos lugares do costume e publicado
pela i'mprensa.-Dadao e passado sob
meot signal e sell ou valha sem
sell ex-causa, nesta cidade do Reci-
fe de Pernambuco, aos 20 do setem br-
de 1877.-Eu, Floriano Correa de Britc
to, escrivio, o fiz escrever e subs-reo
vo.-Francisco de Assis;Oliveira Ma-
ciel.


2asecao. -'Secretaria da -presidencia de
Pernambuco, em 6 de outubro de 1877. Por
esta secretaria se faz public, em additamento
ao edital de .2 do corrente, que a serventia
vitalicia dos officios de 2o tabelliao de notas,
escrivAio'do civel, crime e privativo das exe-
C*coes civeis do terio de PAnellas, concorre-
ram mais os cidadlos Francisco Luiz de Pau-
la Cavalcanti e Franklin Velloso de Gusmao
Uchoa. 0 secretario -- Henri4ue Marq(es de
Hollanda Carvalcanti.


Thesouraria de fazenda
De-ordem do llm. Sr. inspector da
thesouraria de fazenda, faco saber que
em cumprimento do art. 14 da lei n.
601 de 18 de setembro de 4850 e auto-
risado pelo aviso do ministerio da
agriculture commercio e obras publi-
cai de 14 de agosto proximo passado,
transmittido pela presidencia em 4 do
mez de setembro find, va a praga
para serem arrematados por venda, pe-
rante a junta desta thesouraria. a quem
mais offerecer, t uma hora da tarde
do dia 5 do mez de dezembro vindou-
ro, 16 lotes de terras publicas devolu-
tas na barra do riacho Carito, ppuco
distaste da'colonia Leopoldina, servin-
do de base para o prepo da arremata-
gao umrn real por brTaga quadrada ja of-
fertado, alem das' despezas de medi,o.
E para constar a quem convier lan-
car cm ditos lotes de' terras,, mandou
fazer o presented edital, qu. sera pu-
blicado nos jornaes 'desta cidade e afli-
xado nos lugares mais concorridos da
comarca de Palmares.
Secretaria da thesouraria de fazenda
de Perhambuco, 8 de outubro de 1877.
0 secretario,
J. Mendes Pereira.


em


+ it .. ..,,,4
-Potr este
Pam aconleci


para a inseniC40 e.. r ^ mtn i-
ka~o 40 cqA- e pretenderem
once r ad proVithento da 2.o cadeira
do .4" iat da Escola Normal, vaga por
demissao do barhavI Jorge Dormelas.1
Ribeiro Pessoa. Secretaria da instruc-
.o public de Pernambuco, I de ou-
tubro de 1877. -0O secretario, Joaquim
Pereira da Silva Guimaraes.
Editaln. 357.-De ordem do ins-
pectr geral da instruciao public se
declare aos Srs. professors publicos
,achar-se- aberta a inscripgio para as con-
ferencias pedagogicas a que se referee o
edital n. 344 de 11 de dezembro do
anno passado. Secretaria da instrucao
public de Perniambuco, 1o de outubro.
de 1877.-0 secretario, Joaquim Perei-
"ra da Silva Guimardes.
0 Dr. Jos6 Jacinthbc'Borges Diniz, juiz substi-
tuto do juizo especial do commercio desta
'cidade do Recife e seu term, capital da
provinci'de Pernambuco, por S. M. o Im-
perador, a quem Deus guard, etc. ,
"Faco saber aos que o present edital virem
ou delle noticia tiverem, que no dia 9 de ou
tubro do corrente anne, s 11 horas da ma-
nha, na sala das audiencias, deverd ter lugar a
reuniAo dos credores da massa fallida de Eu.
.zebio Raphael Rabello & C., para verificarem
os c reditos, deliberarem acerca da concordata
se houver project della, ou formarem o con-
trato le umnio e nomearem administradore3 ,A
dita massa, certos .os credores de que nao
serao admittidos por procurador, sem que
este exhiba procuraco especial, a qua] nao
poderd ser conferida a devedor os fallidos :
nao podendo, outro sim, que s6 individuo re-
presentar por ddus diversos credores, e que
sera havido o credor que nao comparecer,
como adherente is resolucoos quo tomar a
maioria .de votes dos que comparecerem, corn
tanto que para ser valida a concordata 6 ne-
cessario, que seja concedida por urn numero
tal de credores, que represent pelo menos a
maioria destes em numero de dous terCos, no
valor de todos o credits sujjtos aos effeito s
da concordbta.
E para que chegue ao conhecimento de to
dos, rnandei passer o present edital, que
sera pulblicado pela imprensa e affixado nos
lugares do costume.
Cidade do Recife de Pernambuco, 4 de junho
de 1877.
Eu, Secundino Hliodorio da Cunha, escrivao
interino, o subscrevi.
Jose Jacinro Borges Diniz.
0 desemnbargador Francisco de Assis
Oliveira Maciel, official dta Imperial
ordemn da Rosa, cavalleiro da de
Christo, juiz privativo de orphdos e
ausentes na comarca do Recife, por
Suaa Magestade Imperial e constitu-
cional, o Senhor D. Pedro II, a quem
Deus guard, etc.
Faco saber aos que o present edital
virem ou d'elle tiverem noticia, que o
bacharel Luiz Emygdio Rod rigues Vian-
na, dirigio-me a petigdo do theor se-
guinte :-Illm. e Exm. Sr. desembar-
gador juiz de oriphdos.-Diz o bacha-
rel Luiz Emygdio Rodrigues Vianna,
Scurador. dos interdictos Francisco A-
mancio Mamede 'de Almeida e Jose
Francisco Mamede de Almeida, e tu-
tor dos menores filhos de Jose Fran-
cisco Mamede de Almeida, que achan-
dp-se desoccupado o sobrado de quatro
Sandares numero quarenta, da rua do
Com mercio, e convindo alugal-o de mo-
do a produzir um rendimento seguro
para os possuid~ores, requer a V. Exc.
Atigne-se mandar passar edital para ser
I alugado em pratca por seis annos, afire
de obterimaior pre9o possivel, servin-
do de base urm contoe duzentos mit
rdis annuaes; obrigando-se o atrematan-
te aos concertos e conservacao. Nestes
terms pede a V. Exc. deferimento.-
I Escrivao Brito.-Espera receber mer-
ce.-Recife 12 de setembro de 1877.-
0 tutor e curador LTuiz Emygdio'Rodri-
gues Vianna.-Estava uma estampilha
s de duzentos reis, inutilisada na f6rma
do estylo. Nada mais se continha em
3 dita petico e sell, depois do que, se
via o despacho do theor seguinte :-
) Sim.-Recife 13 de setembro de 1877.


De ordem do Ilm. Sr. engenheiro
chliefe interino da repartiyio das obras
publicas, fao public a quemn interes-
sar possa, que, em virtue (da ordein
do Exm. Sr. president da provincia.
vai a praga peyante esta repartig5o, no
dia 20 do corrente, ao meio dia, a obra
de embarreamento dos diversos areiaes
da estrada do norLte, no lngar denomi-
nado Chd da Mangabeira, na impor-
tancia de 1:2575490. 0 orcamento e as
condigoes do contirato achiam-se nesta
secretaria para sereni examinados pelos
pretendentes.
Secretaria das obrais publicas, 1 de
outubro de(1877.-0 ofticild, Jodo Joa-
quim de Siqueira Vareiao. -
Pela recebedoria de rendas in-
ternas geraes se faz public que e nes-
te mnez de outubro que tern de ser pa-
go, livre de multa, o prinmeiro semes-
tre do exercicio corrente de 1877- 1.
relative ao imposto sobre industries e
profissoes, depois do que sel-o-ha cow
a multa de 6 por cento.
Recebedoria de Pernambuco, 4 do
outubro de 1877.
0 administrator,
Vanoel Carneiro de Souza Lacerda.


Santa casa da misericordia do
Recipe
Por esta secretaria se faz constar que o Illni.
Sr. thesoureiro, no salAo da casa dos expo4-
los, no dia 15 do corrente, pelas 9 horas da
manha, farApagamento das mensalidades ven-
cidas de julho a-setembro findo, As amas qut
se apresentarem corn as criangas que lhbe
foram confiadas.
Secretaria da santa casa da misericordia do
Recife, 8 de outubro de 1877.
0 escrivAo,
Pedro Rodrigues de Souza
looiedade Monte-Pio Santo
Amaro
De ordem do vice-presidente, convi-
do a todos os socips da mesma para
comparecerem nas sessoes que terao
lugar todos os domingos as 6 hora<
da tarde do corrente mez, ficando cer-
tos os socios que nao comparecererit
atd a ultima dominga deste mez qu
serao considerados comrio no pertei-
sendo a esta sociedade.
Recife, 5 de outubro de 1877.- 0
seeretar o interino, Firmino Alvc-
Barbosa.
Institute Archeolegico e Geo-
graphico Pernambucano
Havera sessaio ordinaria no dia quin-
ta-feira, 11 do corrente, pelas 11 hoeas
da manha.-Ordem do. dia.-Parece-
res de commissoes e o mais que occor-
rer. Secretaria do Instituto, 8 de ou-
tubro de 1877.-0 secretario perpetuo.
Salvador Henrique de Albuquerque.
ADMINISTRACAO DOS CORREIOS DE PE1,-
NAMBUCO, -9 DE OUTUBRO DE 1877
Malas a expedir-se hoje
Pelo vapor national Pard, esta administpa-
co expede malas para os portos do norte.
fiecebe-se jornaes, impresses de qualquer
natureza e cartas a registrar, at6 2 horas da
tarde, cartas ordinas at6 3 horas, e at6 a
12 cornm porte du Io.
Pelo vapor national S. Salvadvr, esta admnii-
nisraqf expede malas para Jaragmi, Macei6,
Penedo e Sergipe.
Recebem-se jornaes, impressos de qualquer
natureza e cartas a registrar, at6 1 hora da
tarde, cartas ordinarias atd 2 horas, e ate 2 1,2
corn porte duplo
0 administrator,
Aifonso do Rego Barros.
Estrada de ferro do Recife a
CaxangA
Do dia 15 do corrente por diante a cargy
para as estaQOes de Caminho-Novo, S. Jose,
Torre, Ponte de Uch6a, Jaqueira, I arnamei-
rim, Sant'Aiim, Casa-Forte, Porta d'Agua.
Dous Irmdos e Pedra-Molle, so serd despacha-
da havendo pessoa quo a acompanhe; on
quando houver na estagAo do destiny quem a
receber immediatamqnte que chegar o ftem ;
o que deve ser declardo na occasiao do des-
pacho.
No caso de falta da pessoa que deve rece-
ber a carga, esta seguird para a eslaQAo mais
proxima, onde houver empregado que a
guard.
Escriptorio da comi)anhia, 8 de outubro 6de
1877.-0 gerente.


F.R. Fenn.




A companhia ferrea de Olinda, .com-

pra sulipas-le oitysica cotmas dilnens6es
seguintes :-comprimaents 9 palmo6 -
largurm 9pollegadas, eogrossuir 4 plo1-
gadas.-O gerqnte, L,.-deMir`a.


Sabbado, I3do c
cia do Sr. Dr. juiz de o
ir em praa publicsa, pic
na sale das audience


da 2 1
horai
na ms
ihla s


I


sua Wkg8e ej[-ritq porbemwdenfr^jj1
em portaria expedida a esteOsu
pela reparti&o de estatistica do mini-
terio de obras publicas, commercio e
industrial, que se proceda tambemri ao
recenseamento da populaVdo portugle-
za resident no district deste consefla-
do; e em virtude desta ordem. convi-
do a todos os portuguezes, ou natura-
iisados portuguezes, residents no dis-
tricto deste consulado, no dia 31 de de-
zembro do corrente ann'o, a remette-
rem a este consulado, por escripto, in-
forma(6es que contenham os nomes,
idades, estados, profissdes suas e de
cada pessoa 'portugueza de suas fami-
lias, corn a declaragao dos qne, em ca-
da lugar teem residencia habitual oei
nelle estao momentaneamente de pas-
sagem ; ou dirigirem-se pessoalmente,
a este consulado para darem estas in-
formac5es vocalmente.
Recife, 27 de setembro de 1877.
0 consul,
I. de A. Guimnardes.
Obras publicas
De-ordem do Him. Sr. engenheiro
chefe da repartico (las obras publi-
cas, fago public que nos dias 8, 9 e 10
do corrente, fica interrompido o trarin-
sito de vehiculos e animals pela ponle
da Taicaruna,,' em consequencia da col-
locaqo do novo lastro.
Secretaria da reparticio das obras
publicas, 3 de outubro de 1877.
Joao Joaquim de Siqueira Varejao.


I


flao me% woo,& n. t n A ^'AI rjv#*2 mA& &7


































ecife .
RuadoSol .
Rua Formosa
Officinas. .
Soledade..
Caminho Novo.
Manguinho .
Entroncamento
Igreja dos Affl.
Tamarineira "
Mangabeira.
Casa Amarella. |
Monteiro .
Entroncamento.
S. Jos6 ..
Torre. ...
Ponte de Uh6a
Jaqueira ...
Parnameirim
Sant'Anna .
Casa Forte .
Caldeireiro .
Monteiro. .
Porta d'Agua
Apipucos. .
Dous Irm'os
Pedra Molle
qaxangA. .


1 4 5 7 8 12 44


6.10 .... 7.357.459.25412.0
.... 6.14 .... 7.397.499.9
.... 6.16 .... 7.41 .... 9.31
5.306.19 .... 7.44 .... 9.34
5 326.21 .... 7.46 .... 9.36
5.346.23 .... 7.48 .. 8
5.366.25 ... 7.50 .... 9.
....... -3. :.7 ... t
.. ..... 6.33 .... 8.04 ..:.. Cs
[5.. ..6.238 .... 8.06 .... I
6. .42....8.10. ..' -
.... 6.45 .... 8.13
... ... 6.50 .... 8.18 ... S
5.37 6.27 .... 7.51 .*.. 9.49 'D 4
5.396.29 .... 7.53.... 9.44 So
5.41 6.31 .... 7.55.. 9.46
5.436.33 .... 7.57 .... 948
5.466.36 ... 8.00 ... 9.51 -
5.486.38 .... 8.02 .... 9.53
i5.1 6.41 .... 8.05 .... 9.56 I
5.536.43 .... 8.07;.... 9.58 8
5.56!6:46 .... 8.40 .... 10 1
6.0016.5 820 ....1105o 5
..6.5 .... 8.23 .... .. ..
.... 658. ... ,8.26 .... ..
.... 7.03 .... 8.31 .........
.... 7.05 .... 8 33 .... ....1
..7.42 .... 8.40.... l.... '1.20
I


'16 17 19 22 23 2I


2.20 .3.15430 ... 5.1
2.24 ... 3.194.34 ... 5I
2.26 .... 3.21 4.36 .... 5.1
2.28 .... 3.234.38 .... 55
2.30 .... 3.254.40 .... 5
2.32 .. 3.274.42 .... 5.9
2.34 .... 3129 4.44 .... 5.
.... 2.37 .... .... 4.47
.... 2.40 .. ..... 4.50..
.2. 245 .... .... 4.56..,
5. I ... .4 ...
2.52 .... .... 5.02 ...
S2.57 .... ... 5.07
2.36 .... 3 33 4.46 ...S
2.38 .... 3.334 .4 5.3
2.40 .... 3.35 4.50 .5.
2.45 .... 3.404.55 .... 5.4
2.47 .... 3 424.57 .... 5.4
2.50 .... 3.45 5.00 5.4
2.52 .. 3.475.02 .... 5.4
2.55 .. 3.50 5.05 .... 5.5
2.59 3 0033.54 5.0915.4105 5
3.033 57 .......5.5
3.3.064.00 :... 515 6.1
. .. 3.4 .. ... 5.21) .. .
'3.13 .... .... 5.22 6 V
.3.20 .... 5.296.4
_


5 27


156.00
1906.04
21 6.06
236.09
i56.11
217 6.13
296.15




i2 6.1i8
346.20
166.22
186,24
4 6.27
K3 6.29
466.32
86.34
M 6.37
556.42
86.45
1 6.48
.. 6.53
'7 6.55
47.02


29


6.50
6.54
6.56
6.58
7.00
7.02
7.04
7.06
7.09
7.14
7.18
7 21
7.26


I I" i [


32 33 36 8


7.35 .... 8.25..
7.39 ..:.8.29..
7.441 .... 8.31.
7.44 ... 8.34..
7.46 ...8.36.
17.48 .... 8.38..
7.50 .... 8.40..
S.. 7.55 .... 8.
.... 7.58 ...8. ,
. 8.03 .... 8.
8.07 .... 8.
.... 8.10 .... 9.
8.16 .... 9.
7.54 ... 8.43 .
7.56 .... 8.45 ..
,758 .... 8.47,..
8.00 ... 8.49:
8.03 ....8.52 .
8.05 ... .8.54i,
8.07 ... .8.57 .
8.09 ... 8.59/.
8.12 9.021 .
8.16 .. 9.07..
.... .... 9.40 ..1
... .... 9.13 ..
..... ... 9.19 .
.... .... 9.21
.. 1 ..9.28 .


17 39

.. 10.00
.10.04'
.10. 1.061
10.08
.. 10.10






..J10.12
10. .14

58!. -.

.06 ...
..6.1018
.K208
.U1.25
.1 0.271
1.30t
..10.32
.. 1035
10.J402
.10,431
.10,461
10 51
1. 531
i0


Recifd
Rua do S
Rua Form
Officinas.
Soledade.
Camninho
Manguihh
Entroncam
Igreja dos
Tamnarinei
Mfangabeii
Casa Ama
tMonteiro
'Entroncan
S. Jos .
(r)rre.
d6nte i'U
2aqueira.
Parnameir
Sant'Anna
Casa Forti
Caldeirei,
Mnnteiro.
Porta d'Ag
Apipucos
Dous Irm5i
Pedra "Mol
Caxanga.


S Manha



,..1s-.--------1..
-1 3 5 97 f


N 6.00 .45 7.30 8.15!9.
ol. 6.04 .49 7.34 8.19 9.(
osa 6.06 .51 7.36 8.21 9.(
.6.08 .53 7.38 8.23 9 (
6.10 .55 7.40 8.25 9.1
Novo. 6.12 .57 7 42 8.2719 -1
0. 6.14 97.448.2991
nento .o....... .0...... 91i
AffM .04 .... .... 9 1
ra. .:W .... .0 ... .. 9,
rae I ::: 7.1.3 .... .... 9.2
rella" | |!. 16 .... ..... 9
7.21 .. ... 9.3
nento. 6.16 .... 7.458.311...
.16.18 .... 7.4718 33 ...
S ...6.20 .... 7.498.35 ...
Tch6a. 6.22 ..., 7.51 8.37 ...
6.25 .... 7.54 8 401...
Him .6.27 .... 7.568.42 ...
. .329 ..... 7.588.44 ...
te. 6.31 ... 8.00 8.471...
S.. 6.34 ... 8.03 8.50'...
S. 6:3877.258.108.55,9 3
pua .6.41 7.28 8.13 8.5819.3
. 6.44 7,31 8.16 9.011 94
os .6.49 7.36 8.21 9.069 4
Ie. 6.51 7.388.239.0819 4
..5 7.45 8.30 9.159 5


D 10


00 9 40
04 9 44
06 9.46
)8 9 48
10 9 50
U2 9.52
14 .9.54
16 .....
4i6 .. .
i91 .....
28 .....
31.
36.
$6 ....
9.56
9 58
10 00
1002
10 05
10.07
10 090
10 11
10.14
91 '.2'1

W110


14 15 17
!.7

I 40 1.20!205
1. 1411.24 2 09
- 16M .... 12 11
1 18 .... 2 13
120 ... 2 15
122 .... 2.17
1.24 ..... 2.19
1.29 ....
.... 1 37 ....
. .. 1 .37, .. .
.. ." '.4t ...
.... [1.44 ...
1.49 ... .
1.26. .. .2.20
1289
14.28 ....2 212
I 0 .... 2 24
1 32 .... 2 26
1 351'.... 29
1 37V.... '2 311
I1 39 .... 2 33
1.41.... 2 351
1 441.... 2 38


19 22'


,2 504 00
2 544 04
2 564.06
2.584081
3 0014.,10
3.024.121
3.04 4.14
3.05 ....
3.09 ....
3 14 ....
3 19 ....
3 21 ....
3.26 ....
...:4.16
.... 4.18
.1.4.201,
.... 4.22
.... 4 25
....4 27
....4 29
.... 4 31
.... 4 34
.... 4 38
.... 14.41
.... 14 44
....14.49
.... 4 51
.... 4 58.


4 18
4 21
4 26
4.30
4 33
4.38


5 00
5 04
5.06
5.08
5.10
5.12
5314




5'.16
5.18
520
15 22
5.25
5.27
5 29
5.31
5.34
5.40
5.43
4.461
5.51
15.53
6C.OO


27 29 313 33 35


5.506.4018.058.50 9.40
5.541644/,18.09, .54 9 44
5.56i6-468. 118.56 9.46
5.58 6.48j8.1387.58 9.48
6.0016.5018.159.00 9.50
6:02i6.52 8.17 9.02 9.52
6.04 6.54 8 19 9.04 '9.54
6.06 ....8.20 .... .....
6 09 .... 8.24 .........
6.14 ... 8.29 .. .
6.18 .... 8 33 .... .....
6.21 .... 8.37 .... .....
6.26 .... 8 42.......
.... 6.55 .... 9.06 9.56
... 6.58 .... 9.08 9.58
... 7.00 .... 9.10 10.00
... 7.02 ... 9.1210.02
... 7.05 .... 9.1510.05
... 7.07 .... 9.1'7 10.07
... 7.10 .... 9.2010.10
... 7.12 ... 9.2210.12
.. 7.1 ... 9..2510.15
6.307.49 9.2910.20
6.33 7.22 .... 9.3210.23
6.367.251 .... 9.3540.26
0.41 7.30 9 ... 9 40 10.31
6 43 7.32'.... 9.4210.33
6 5017.39' ." 9.5010.40


VOLTA


Dias uteis I Domingos e dias santificados


Dist. Manhl Tarde ManhA Tarde
---Estaies ---- -- ----.-...... Estaioes -- --------------.-------------------
Kilort 2 3 6 9 10 1 i 13 15 '18 20 21 24 20 8 30 31 34 35 38 40 4 6 8 11 12 3 16 18 20 21 2426 28


o Is 800 00 3 .... 5.356.207.0 .... .... ........ 40.26 Caxang. 6.15 7.05 7.50 8.35 9 11.30 12.00 2.20 3.30.......5.206.107
D an... .o45 8Q091.... 9.09 .. 1...0.27. Pedra Molle. 6 22 7.12 7.57 8.42 10.04 11.37 12.07 |2.273.37. 6.17
2.550 Dous Irmaos ..... 8.09.... 9.09 ... .... 4. ........ 9 ............ 0.9 Dousrmos 6.247.147.598.4410.061.3912.09 .... 2.293.39 .... .... 5.296.97
3.87 ppos.. .9 .... .. 8.-14 ... 9-4 .... .... 4.4 .... .-496.37.24 .... .. .... 10.34 Apipucos .. 6.297 198.048.4910.11 11.4412.14 .... 2.34 3.44 .... ...5,346.247
4.50 Portad'A.gua 6.02 ........8.17 .1.7 ... 9 14.17 ....... .5.52 6.37i7.27 0.... .... ... 10 36 Porta d'Agua 6.3217.22 8.07 8.5210.141.472.17 ... 2.37 3.47........ 5376.277
5.2 Monteiro 6 ... .. .... ..... .... ... ... 7.32 ... 8.22 9 i 5 ..... Monteiro .. 7.25 .... 8.55.........2.20 2.00.......3.52 4.55 .... 8
6.7 aaAar _a. .. 6.1 830........0.... 12.... 25.. 2.05.......35 5.0 '8...
6.370oCasa Abei1 ,a .. 6.16 .....I:830 .4.276.01 .... ....7.37 .... 8,27 10.00. .... Casa Amarella. .... 7.30 .... 9.00 1 8
6.16 .2..... ... 8 34 ........... ...4.31 6.05. .. 7.41 .... 8.31 10 04..... Mangabeira .... 7.33 .... 9.03 ...'. .....12.282.08 4.005.03...
8.330 Tamarineira. 6.208 .... ..C .... 4.35 .... .... 6.09 .... .... 7.45 ... 8.3510.08..... Tamarineira .... 7.3 .... 9.08 ......... 2.332.13 ....... 4.055.08n a ..
9.505 Igreja dos Af. fz 6.24 .... .... 18.43 ....... .... 40 .... 6A.... 614 .... ..7.50 .... 8.4010.13 .... Igreja dosAfM.l ..1. 7.42 .... 9.12,..........12.372.17........4.095.42.. .....I8
'40.305Entroncamento .7....27 .. 8.46 .... ..... .. 4.43 .... .... 6.17 .... .... 7.53 .... 8.4310.16 .... EntroncamenteJ .... 7.45 ... 9.15.........2402.20.......4.12515.... ...8
5250 Monteiro .6.0.... 0 .55 8.20 .... 9.2010.45 3.095 .... 4.21 5.10 .... 6.427.31 .... 8.20 .... .... 0.4 Monteiro. 6.88 .... 8.10 .... 1.8 1.50..... ...2.42 3.50 ... 5406.30
5.965 Colei~reiro .. 609.... 6.5918.24....9.2440.19 30l ..1.25,5.14 ..6.A617.351-- 0.. ... ...t0o alerr. ./:2"8t1'hoHs'i[1i35il.i54[63
6.70 Caa Frte 6.1 '71 2.~ 1936.09I1 4271 64 040Caldeireiro ,.6.42 .... 8.14 ..10.221.4.....6 .4...S63
6.700 Colasa Forte 6.. .. .... 7.018 26 :.... 9.26 10.21 3.11 ....4.275.16 ..... 6.487.37 .... 8: .. .... 0.46CasaForte .6.45.... 8.7 .... 0.2514.57 ..... ... 2.491 3.57 ... ... 5.47 6.37 .
.. 10.2 0346' C7.37Fo.493.57......8.476.37
7 075Sant'Ann3 6.13 .... 7.03 8.28... 9.80. 3.3... 9.28104.29 5.8 .... 6.50 7.39 .... 8.28 ....... 0.48 Sant'Anna 6.47 .... 8.19 .... 0.27 .59 .......'5359 .... ...5.496.3.
7 Parnameirim 6.16 .... 7.068.31 .... 9.31 10.26 3 3.316 .... 4.3215.21 .... 6.53 7.42 ..:. 8.31 .. ..... .0.51 Parnameirim 6.5G .... 8.22 .... 10.30 12.02 ..... ....'2.53 4.02 ... .... 5.52 6.42j.
8.450 Jaqueira 6.18 ... 7.08 8.33:.... 9.33 10,28 3.19 .... 4.3415.23 .... 6.55 7.44 ... 8.33 ........ 53 Jaqueira. G.52 .... 8.24 .... 10.32 2.04 .... ...2.55 4.04........5:55 6.45.
9.10Pontede Uch6a 6.20.... 7.108 8 5.... 9.3510.30 3.22 .... 4.3615.25 .... 6.57,7.46 .... .35 ....... .55 Ponted'Uch6a. 6.5. 4 8.26....o6.. 10.3412.06.........2.8 ....... 868.
9. Torre 6.23 ... 7.13 8.38 .... 9.38 0.33 3.25 .... 4.39 5.28 .... 7.00 7.49 .... 8.38 .... 1..... 0.58 Torre .6.56 .... 8.28 10.362.08 .. .. 3.00 4.9.... ...6.006.50..
10.-11',S. Jos .... 625 .... 7.5 8.40 .... 9.401 0.35 '3.'28 .... 4.41 5.30 ... 7.02 7.51 .... 8.40 ... ..... I. S.Jos6 ... 6.58 ... 8.30 .... 10.38 2.40. ... "3.024.1 ........6.02 6.52..
10.25 Entroncamento 6.27 .... 7.17 8.42 8.47 9.420.37 .363.31 .... 14.45 5.326.18 7.,6 7.54 .... 8.43 8.... 107 1 02 Entroncamnento .7.017.45 8.3149.1610.40412.212.40 2.213.054.16 .... 5.66.066.558.
10.71 0 Manguinho 629 .... 7.19 .... 8.499.4 10. 9o .. 3.33 .... 4.48 5.34 6.2017.08 7,56 .... 8.45 ... 10.H4 0 4 o 7,40 4 O n',L ,,7' 40 ,0oo Q I' .. 41.
11.125 amtnflo Novo 31.... 7.21 ... 8.51 9.46 10.41 ... 3.351.... 4.50 5.36 6.22 7.10 7.58 .... 8.4,1 9. I 2 .X in o, ovo 7.04 7.49 8.3&9.19 10.44 12.16 12.44 2.25 3.09 4.20/.A. 5.20j6.10
S580 Soledade 633 .... 17.23 .... 8.53 9.48 1 .. 3.37.... 4.52 5.38 6.24 7. 12 8.00 .... 8 49 0. .0 Soledade 7.067.518.3719,2 10.462.82462.273 4.22 .. 5.226.27.01
12.240 Officinas .. 37 ... 7.25 8.47 8.56 9 50 10-45 .... 3.40i.... 4.54 5.40 6.267.A4 8.02 .... 851 ..54i0. f .10 Offlcinas. .7.08 7.53 8.39 9.24 10.48 42.20 12.48 2.29 3r13 4.24 ... 5.246.447.038.
12.550 Rua Formosa .639 .... 7.27 .... 8.58952 40.47 .... 3.42 ... 4.56 5.42 6.28 7M6 8.04 .... 8 53 ... 10 27 1-.44 Rua Formosa 7.407.558.419.26410.502.2242.502.343.454.26. 5.266.467.058.
i2.850 R ua do Sol .7. .... 7.29 8.49 9.00 19.54 10.49 .. .3.45 .... 14.58 15.44 t.30 7. 48 8.0 6 ... .55 .. 40. 29 1 10 Rua do Sol 7 .1 7 "575 8.43 9.28 40.521 2. 24 4 2 .5 2 2.33 3. 47 4.28 .. 5.28 6 48 17.07 8.
13.550Recife .... 6.45 7 .... I7"853 9.04 9.58'10.53 2.55 3.50 5.02 5.48 6.34 7.22 ...4 ..."0 16:35 1 :,222Roi : "'...0 .22 Reif 76. 8... 85"473262"10..

N. B.-Desta data ew diante vendem-se- bilhetes de passagem nas estates do Recife, rua do Sol, Officinas, Manguinho, Entroncamento. Caldeireiro, Monteiro, Apipucos e Caxanga
senores passageiros que comprem seus bilhetes antes da partida dos trens nestes lugares, e igualmente que conserve as metades-dos bilhetes aWe sahirem dos cartes.
Escriptorio da companhia, 5 do outubro de 1877. Gerefe,
j i Francis C. "enn
I I 1 I, -,


rA de autorisac.o do him. Sr. Dr. juiz de di-
reito da provedoria de capellas e residues, e
a requerimento da Illma. e Exma. Sra. D. Joa-
quina Emilia da Silva VillaQa, testamenteira
e inventariante dos bens do seui casal, por
fallecimento do sed marido Domingos Anitu-
nes Villaca, o sitio e casa acima mencionados,
conform a planta que se acha em mAoi do
referido agent, para os Srs. pretendentes exa,-
minal-a.

LEILAO
DE


passageiros, a tratar corn Parentel Vianna &
C., d rua do Marquez de Olinda n. 59, ou corn
o capit5o a bordo.
'OMPANHIA PERNAMBUGANA
DE
Navegagd-o costeira por vapor
*Portos do norte
Ceara e Aracaty
0 vapor Pirap'ama,
-. commandant Silva,
Hseguira para os portos
X acima no dia 10 de ou-
f Htubro, As 6 horas da
manfi.
Recebe carga, encommendas, passagens e
dinheiro a frete, at6 as 3' horas da tarde da
vespera da sahida. Escriptorio na
Rua da Companhia Pernambu-
cana n. 12
Os senhores carregadores qaeiram nandar
hoje [4) ao escriptorio da compaqhia declarar
oA volumes quo pretendem embarcar, afln de
ser resolvida definitivamente a viagem, no dia
e hora acima indicados.
Escriptorlo--Ua da Companhia Per-.
nambucana n. 12
(Companhia Brasileira
DE
NavegaQao a vapor
PORTOS DO NORTE
PORTOS DO SUL
0 paquete a vapor
Ceara
Commandante Alcoforado
SE' esperado dos por-
tos do norte atW o dia
15 de outubro o depois
da demora do costume
seguira para os do sul,
inclusive o de Santos.
Para carga, encommendas, valores e passa-
gens, trata-se na agencia, escriptorio de com-
missSes de
Bernardino Pontual
12 -Rua do Born Jesus-t12


Do sul
De Buenos-Ayres nos dias 1 e 15 de cada mez.
Se Montevideo nos dias 2 e 16 de cada mez.
o Rio de Janeio nos dias 0 e 24 de cada mez.
Da Bahia nos das 12 e 27 de cada mez,
De Pernambuco nos dias 14 e 29 de cada mez.
PREgO DAS PASSAGENS
CLASSES
I.' 2.' 3.'
Para Lisb6a e Vigo. 20e25 15 9
- Southampton ,. ((30-35 W20 13
- Baljia. 505 1 255 4155
- Rio de Janeiro. 100S 50M 30I
- Montevideo. 23 tff 7 6.8.
- Buenos Ayres 24 [2 8
Bilhetes de ida e volta teem um abatimento
de 25 por cento.
DA-se 4inho gratis aos passageiros de to-
das as classes;
Faz-se graindes abatimentos a faver de. fa-
milias e para reducc5oes sobre os pregos da
tabella, tirata-se corn os consignatarios.
0 PAQUETE A VAPOR
Guadiana
Espera-se da Euro-
Spa, no dia 10 do cor-
rente, o qual depois
daxdemora do costume,
seguira -para Buenos-
SAyres, topando* nos
portos da Bahia, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para passagens trata-se corn os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie C.
Rua do Marquez de Olinda n. 37
Entrada-pia rua do Bispo Sardi-
nhan. 37.
Companhia de .avegaQAo a va-
por Bahi limitada
Macei6, Penedo, A If Estancia e

0 vapor' "
S. Salvador
Commandante Beltrao
Sogue para os
portos acima %no
,~ dia 9. do corrente
as 4horas daIAr-
de.
Para passagedfs, carga, encommendas a di-
iheiro a frete : trata-se na "
__ Agencia


De ordom do Illm. Sr. Dr. provedor de
capellas e residues falo sciente a quem inte-
ressar possa, quo as audiencias deste juizo,
durante o tempo em que o mesmo senhor es-
Liver presidindo b tribunal do jury, sergo nas
u artas-feiras, As 1't horas da manhn. Recife,
de outubco de 1877.-0 escrivao,
Domingos Nunes Forreira.

THEATRE

SANTA ISABEL
.COMPANHIA HIEPA!NIOLA
DE


Z1RZEKLIS
TER.A-FEIRA 9 DE OTJTUBRO
Terceira recita de assigna-
tura
Estrda &do .1o Baritono-Sr. Villa-Real

Zarzuela em 3 actos, sob a direce5o
de scena do Sr. Thiomaz Galvao.
Brincar corn fogo
PERSONAGENS "
uiqueza de Medina-Sra. Garcia.
Condessa de Bornos-Sr. Espana.
Marquez de Caravaca-Sr. Villa-Real.
Duque de Medina Sr. Bonaplata.
Feliz fidalgo-Sr. Gerner.
Antonio-Sr. Diez.
Guarda dos Doudos-Sr. Orttz filho.
lo pagem-Sr. Rondone.
2o pagem-S. Juliana.
Damas, cavalleiros, dous c6ros de homons
'- mulheres.
Principiard as 8 horas.
Os bilhlietes encontram-se A venda no
escriptorio do theatre, e findo o espec-
taculo haveri lbonds para Magdalena,
Afogados e Fernandes Vieira e trem
para Olinda e Beberibe.



GOMPANHIA I 1tNAMBUCANA
DE
Navegacao costeira por vapor
Portos do note'
Fernando de Noronha
Md.LE4 A


O vapor Giquid,
commandant Costa,
seguri para o port
acima, no dia 15 de
outubro. ao meio dia.


Royal Mail Steam Packet


Company
reduee&o nos pregos das pas-
sagens '
) PAQUETE A VAPOR

Gommandante Compton .
Tocando an Vigo
& spera-se doa por-
r' tos do su no dia 14 do
Kcorrente o qual depqa
Sda demora 4o costume,
seguir para Antuer-
ia 8odtampton, to-
.s..o. .vilente, Vigo 9Lis.
eatS vDnores por mez. desta oornfa.i


7-Rua
D-omugos
COMPANHIA-


ri .7


ila


I'


Companhia des Messa-
geries Maritimes
LINHA MENSAL
0 paquete
Orenfoque

Commaidante Deo Somer
jr-y^St Espera-se dos por-
.^j^ y ~tos do sul no dia 20
il- S ~do corrent3, seguindo
depois da demora do
__: _.- .^ costume para BOR-
BDPUMX tocando em
Bakar, Lisbba e Vigo.
Para passageiros, encommendas, etc., a tra-
tar corn o


Auguste LaMie
9- Rua do Coxmmroio-- 9

Araeaty
Segue nestes dias o hiate Flor do Jardim;
para carga, trata-se na rua do Vigario n. 33,
10 andar, corn Jolo Jose da Cunha Lages, ou
comrn o mestre, no trapiche Loyo.



!ieiao"

VA
loja de tniudezas da rua de Marcilio
Dias n. 50
Hoje
A's 10 l12"horas
0 agent GusmAo, competentemfCiente auto-
risado, fari leillo de urn complete sonimento
de miudekas e armaeao existeates na loja aci-
ma referida, a qual sera vendida em lotes, di
vontade dos compradores, ao correr do mar
tello.
Agente Pestana
BEGUNDO
LEILAQ.
.- Do
Imporlante sitio no lugar da Torre,. corn
casa de pedra e. cal, tendf a caso os seguwi-
ta olumodos: 1 porta e 3 janeUss de frente,
2 sWlas, 7 quartos, cozinha externa, diversos.
quartos' par criados, estrlbaria e cocheira, e
u grnaoto com 3 quartos e' 2 lae,'me-
diiidp 43 urtroe e 80 centiiet"S.Ae largyra,
a i3 metwop de powiprituent%, teUb -o eten


em


bo ripttn


pro-


moveis, louca, crystaes e um faqueiro
de prata do-Porto, a *aber:
1 piano forte, t mobilia de jacarandA, casti-
caes e mangas, 2 cadeiras de balance, 1 es-
pelho'oval, 1 relogio de d arede, 2 quadros, e
serpentinas, 2 jarros para flores, 2 figures de
jaspe, I candeeiro iiglez corn 2 pavios, 2 es-
carradeiras, tapetes grandes e pequenos.
I cama franceza, '1 guard vestido, 1 mar-
quezAo, I guarda-roupa, I commoda. 6 cadei-
ras, i sofk-e 1 lavatorio
I mesa elastica, 1 guarda-louea envidraQa-
do, V aparadores, I guarda-comida de arame,
12 cadeiras de guarnicao, louca, vidros e out
tros objects de casa de familiar.
I faqueiro cojn objectos de prata do Porto e
I paliteiro.
QUARTA-FEIRA 40 DO CORRENTB
No sobrado n..4 da rua de Santo Ama-
ro, em trente a cocheira do Pinto -
0 agent Pinto farA leilao por conta e ordem
de'uma familiar que muda de residencia, dos
moveis e mais objects existentes no sobrado
d2 azulejo da rua de Santo Amaro n. 4.
Principiara as 10 112 horas.

SLEILAO
DE
Um sitio na rua do Maxixe, em Afogados,
corn 378 palmos de frente, coni viveiros, tO-
quejros e outras arvores de fructo.
Um terreno corn cerca de '100 palmos de
frente, em que se acham edificadas 5 casinhas
de pedra e eal, na rua dos Pogos, na.mesma
fregue"ia de Afogados, corn cerca de 1O) pal-'
mos de fundo.
Quinta-feira 11 do eorrente
A's 11 horas
POR INTERVENCAO DO ACENTE
PINTO
Na rua do Bornm Jesus n. 43
Os pretendentes poderao ooter qualquer in-
formano no estahelecimnento do 'Sr. Jos6 Pro-
gresso, nos Afogados.


AT ~;R


Alua-seo predoda
puk de -Hortas n. 4, constando de ar-
mazem e sotWo, com 2 qwrtos e' salas
propri.s para ..or.dia doe quem. n'elle
seest~ ecer coin jpai,

30 i32 34 36


%410 8.20 ...... 40.00-
r.47 8.27 ..... 10.07
.49!8.299..... 10.09
.548.34 .... 10.4
.578 37 ..... 10.17
.00 .... 9.35 ....
A03 .... 9.40 ....
08'.... 9.43 .....
.121.... 9. 47 ....
.7 .... 9.52 .....
.201.... 9.56 .....
.. 8.42 ..... 10.20
.. 18.46 ... 10.24
... 18.49 .. 027
. 8.51 .... 4.29
. 18.54 ... 0.32
S!8.57 .... J.35
9.00 .... 10.38
S9.02 ... 10.40
.19.04 ..... 10.42
.21 9.06 9.57 1.44
-. 9--% YU -M. 9 .- ,
27 9.42 10.03 10.50
299.1410.50.52
31 9.16410.0740.54
3319.1841.0910.56
379.22410'31.0 0


Se roga-se aos


UHlfO HAISMAW

No restaurant italia
no, a rua das Larangei-
ras n. 23. vende-se o ex..
cellente vinho Marsallai
Delk Falloria de ;Gi.
come: a premo coimno-
do.

S-PRECISA-S de umaltma para
cosinhar e comprar: na rua da Concor-
dian. 43.


Pretende-se aluigar uma casa con accom-
modacoes para familiar, que tenha s-tio on
quintal, proxima da cidade, em qualquer des
estradas per onde passam as linhas dos bonds,
Passagem ou Fernandes Vieira, tendon ecana- .
mento d'agua e gaz; indemnisando-se de
qualquer bemfeitoria : a tratar na saboria do
Recife.
-RERDEU-SE no dia 6 do corrente,
no theatre de Santa Isabel, um alfi-
nete de pqito corn urma pedra no cepttro-
ue' Ihe chamam topasio; pede-sd a
quern o tiver achado e querendo res-
tituil-o, serai recompensado : ai rua Du-I
que de Caxias n. 91. '
Consta que se pretend vender a casa. ..
terrea n 46, sita A rua da Assumpqlo, fregue- i
zia de S. Jose, avisa-se a quern comprar qu.e :t
foreira e devo alguns f6ros, assim como o laM w
demio.
-Precisa-se de umna amai paraca a
de pouca familiar : a. tratar na rua de
Pedro Affonso n. 34. .
Precisa-se de urn rapvz brasilei-
rto, que tenha de 14 -a 18 annoti;, coi
pratica de molhados : na rua dalm- ,-
peratriz n. 46.
0- abaixo assiguado, tendo i at "
matado perante a cmara m unici
acugueis das l6jas. ns. 7T e V dt
da Independencia, emcuja estavl
Francisco Jos6 GonqaA de
declara pelo P..te..
mento 0 os. imp fs que C.
sujeitou-se a comprar a ara
tenslish que era o que i el.u
R ecife; 3 de.outbro. I
0 Jog d 3oWzt a
-~Para ooziub 6


700
1.000
1.310
1.970
2.425
2.840

5.020
6.020
698
3.
3.440
3.900
4.420
5.100,
5.7001
6.475
6 850
7.585
8.300
9 030
9.680
11.000
11.380
13.550


Grande
I (


I I I


- -4 -,. -


L


|




















Cer2 ^rua do


37, entrada para o es-
eritorio-rua do Bispo
Sadinha n. 37, oitr'o-
Ps Prn1 Arn VnoinfotzaAn.-


Aluga-se a casa terrea da ma Im..
perial, n. 44, com grande commodos
para familiar, tendo 2 salas grandes,
send uma forrada, seis quartos, send
DIUS fDMMd*M, 1mi urrS sn

prateleirai,gozinha f6r. t urn terraco,
itax" q i 4Ahb K ,oacifuba 0*1
bomba, grande quintal e um grand
telheiro no mesmo : quern ma pretender.
""a-se a rua do Queimado n. 49, lo,
ja de fazendas.
,A aii so rMm111* Ifiii r l Wl111 -11 F WN ni "Mllir "iFM1 11 1 M -1


a I uauv JIWAU~tulaUV-r -'ltf-p;'B"fH"""-"^"*-** I
S'"I D. Biandina Amalia Fragoso
to. de Albuquerque
__ PLydio Mariano de
Futgio desta pra'a, no dia 23 do Abluquerque e sua
_. B.-? J~siKS~S=3, filba Anna Cilotib1^
mez proximo pass a x escravo An- fl aFragosodeAIbuquer-ll
tonio, mulato de 3 anos, pouco que agradecem do in-
nais ou menos. pertenwente ao Sr. timo d'alma a todos
colonel Jose de Cartalho de Araiujejo os seus opabensod
f amigos o obsequio d
Cavalcante, moraddr *a I, eada Cam. trem assistMono cemiterio p4btidq' inhu
po Alegre, em Papaca, levou urama lco do cadaver do spa sempro lembrada
pequena trouxa corn m oupa, e vestidb Psposa e m~i D. Blandtl' Amalia Fragoso de:
cor clpa camisa d^ alodn do Ii lbiquerque, e aos convidam de novo a assis-
com calda e camisa do alao de lis. ytiremn as misses, que pelo eterno r6pouso de
tras e chapo de coa, jA velho; sua alma, mandain resar fis8 horas da manhbl
baixo e grosso e tern alguma barba, do dta 11 do eorrnte, setimo do soeu falleci-
usa do rosario no peseoVo, tern os p6s iento, na matriz do 88. Sacramento de Santo
apalhetados, fall maosa e diz serli- Antonio desta cidade, confessando-se desde jai
por esse e rvor eteropnte decides.
vre: quem o apprehender e o levar 'a ia ravoretopne uecids"
rua do Marquez de Of*4da n. 50, ou a arieo c ro e v
seu senior na mesw# fazenda, serA Joao Jos6 deo Carvall* Moraes manda cele-
brar por alrn do son amigo Romarice do Bar-
gratificado. r ros e Silva, uana missa na igreja de N S. da
Precisa-se(- dG10iS rnr, ,ia rua gloria, as 8 horas da nanh4 do dia 10 do cor-
da Aurora n 9 1 adar u saiba re e convida aos seus parefes e amigos,
da Aurorea n. 9, i.e a r, qu saibae n assim os do finado, paa que se dignem
cozinhar e engomma e que se preste assist a ese rliisoacto.
'a ir para f6ra da cidade. eg osoaca.s
S- No restaurant da Madre de Deus, A rua oesa f oKt eas
do Encantamento n. 36, precisa-se de um bornm Gomes, ferodso mais
caixeiro para o mesmo. doloroso s'ntaento,


Traspassa-se awa- hypsbeca do qumti.
de 3:5006 sobre umn predio de dobrado valor :
auem pretender fazer este nsgocio, deixe car-
te fechada nesta typographia corn as iniciaes
B. S. P., para ser procurado.
-.--PRECISA-SE de urna ama que
entenda de engommado, costura e
mais services domesticos: na rua da
Concordia n. 12.
A pessoa que liver uma escrava
moa e de boa conduct e quizer per-
mutar por 5 acVqes da companhia Per-
Aambucana, no valorde 1:00W%, dirija-se
a rua da Ponte Velha n. 101. '
Na rua Vidal de Negreiros n. 136, preci-
sa.- se de vendedeiras para doces; paga-se bern.
Fugio a 27 desetembro do corrente anno,
da freguezia de Jaboatao, o escravo por nome
Pedro, de idade 45 annos, corn os sigoaes se-
guintes: alto, corpolento, falla grossa, con-
serva barba e as vezes raspa toda, pes gran-
des e enchados, provententes de duas feridas
em ambas as pernas, denies perfeitos, nariz
chato e aquilino.; julg se- ter ido para o Re-
cife e Capunga, aonde tea os parents : roga-
se as autoridades policies que o apprehen-
dam e levem-no A travess do Peixe Frito,
taverna do Srs. Azeved4 Pires & C., n. 3.
Aluga-se. em Olinds para testa uma casa
corn excellentes comnwod4s para familiar a pri-
meira da ladeira da Misericordia n. 17, tern
am pequeno sitio corn vratao para o Born-Fim
e muito enxuta. Na rua da Imperatriz n. 8 2o
andar, se dirA corn quev ase trata.


eovida aos seus pa-
rentes e amigos para
ouvirem algumas mis.
sas que por alma de sua sempre cho-
rada mdi Guiomar do Espirito Santo,
fattecida em Portugal, manda resar ter-
Va-feira, 9 do corrente, As 5 h6ras da
manha, 30.o dta do sea fallecdnento,
na igreja matriz de S. Jose ;e desde ja
se confessa grato por esse acto de cari-
dade e religiao.
Antonio Climaco iWoreira
.Temporal
Manoel Germano Re-
gueira Pereira de Bas-
S tosgconvidapelo presence
r a todos os seus amigos e
6s do finadoAntonio Cli-
maco Moreira Temporal,
residents na freguezia
de Se inhaem, para assistirem a uma
missa que polo eternal repouso de sua
alma, manda rezar na igreja matriz da
mesma freguezia, no dia 16 do corren-
te, pelas 9 boras- da manhbi, trigesirnmo
do seu fallecimento, e confia que se
prestario a este acto dd caridade o que
muito Ihes agradecerA. Recife, 8 de se-
tembro de 1877.-


ULEO0DO 0" DUCOOI
SOLEO DE FI1ADO DE BAGALHAU
^(^ IO]DO-IFEItREO COII QUX2NA i


CASCA DM A&*lJA AMARtGA


AUt OtF :i!NQ Uif

et & ICO?.CEa'ORAP1GT
AblE RE
du D! IYJCOUX
PA M;i 3


0gi pparecimeato d'este oleo 6 devide ao estud* e is nurn6-
ri rss exp~riencias feitas pelo D' DUCOUX durante long annos.
atim de reunir n'um so product, o Oleo de figado te
baealhan, o Femrro, a',Qiua e a Xqre" 4 eas.ia dp
110 lraJ amarga.
vij, 0 agmento progressive do consumo d'este product derro'.
a sua grande voga.
S 0 Oleo DUCOUX 6 um poderoso mokearentt utM g
Anemia, TChlur, Dwnem do pe4, EtkOMMm, DvIwsv.
Catarrho,, ?ifs, Diutesi 9Hnsmwie 5ara tqWe.
SEm raa o emproga taul O"oo* zw r n. Pap
eTor abft m ho.ir d-1:agi ". ed
| remain ada epcia l. e f Olso.


DEPOSITO P.AAL EN PARIS
Dy Dint ,0
200, wu^ Saint-'DenTis, 200


I


sind- emwzaeip. eM cap 4e VBusIIA xAU 4 C? FClciscu lAbOE da a SILVA C.t


ESt, VE ) IC MENTuo de un gosto agradavel, adoptado corn grande exito ba mais deo
o0 In;S ieos meiu tlhores D"ledices do Paris, cura os Defluxos, Gripe, Tosse, Dores de gar-
qnyi,, C!nwr/i:) punlmonar, Irritaoes do peito, das V4as urinarias e da Bexiga.-- Pas,.
#LAY,*, 7, rue du Marcht-Saint-Honor6.
Decito as Pefmbte. WURUIRA MI A C' T7. ru Daune di C011111
'z


DEDIGITALED LABPOnE O Y
Empregado desde trinta unos. pelos medicos jie todos os paizes. contra as divers, Ic
doencas do coraco : Hydropisias, Bronchites nervosas, Goqueluches,
Asthmas, etc.. emfim, em t6dds as pertm'baSoes da circulasao.

GISAGLS Dr GLIS E CCuTh -
A.O L.A-OT TO DE PflRSO '-
Appradas pela Academia de AMedioin.ha de Perk, que duas vczes, em 2 annos d'ile:-'-
vallo, constatou-Ihes a superioridade. sobre todas os outros ferruginosos, e .
eflicaoia contra as molestias occasionadas pelo empobrecimento do sangue.


RG iTEA .AGRAGEASDERiGOiiNADE BOdiU
(Afedithfa dfOu dia Soiadads do Pharmwia de Paris)
t'1 n BrE dpriha BoejeM 6 um dos melhores herfostalicos.As rar,-
!,, t Bmj.am soap empregadass ara a1ilitar o Iraha ho aro,
r l aa he io rigias, de quaIirfer atttureza.

GII5flW (aibll^insE' LAB6LO1YSSE
ielas^ pbdaeitV nohosptal d al do Graca de Paris, qi:
e S ps %ragea& sao einpr-egadaS coi rrdsultadoseon4i aaS Mtndestia' serctWas, ci--'
urdars em pouicos idas sesmo'quaudo .eiih&o wi,' tidaiiiubeba e iotpaiba


t Pkanwana LAB LONYfi, 9#1,Irua e, ibokir5 em.
"^ii^.:^


Rg'ie


XAROPE PEITORAL I
DE
Carts Bittencourt
na da Bahia
Grade e novo deseobriilento
ESPECIFICO ,DA PHTYSICA E DOWN(vAS
SPULMONARES
0 Jaramacai compostoou xarope pelto-
ral 6 um medIcameaWo Pp so e o m0 -
ihor peitoral sit6 hoje conhecido nos anm-
iaeu da medicuina. E' considerado'specifi-
co nas molestfis seguintes: defltfo. tos-
se sinipWes ou rebelde, catarrho pulmo-
Snar, affeocgesda garganta 'ephtyslca pul-
pronar. Sao InnumeraS as curps elec-
eadas daI o aseu 4escobriqetnto. 1'
empeado e alta eseela polos 0 medicos
Salsapsiiha e caroa
Dt!
S Cartos Bitteneourt
Ganade deperavOo do sague
Empregada ,sohydropesias, rheumatis,
mos, affecwes g$osas, infartos glandu.
areas escrofklas, syphilis, papeira, mO-.
. lesfias chronios da pelle,, cachexlUa neri
.curial, lupus, sycobse, eczema, cario es-
crofulosa, dystria, darthros, boubas, bwr
boes- e todas as '-molestias qi tO,,it A.
sua origem na impureza dto sangue.
Dose : umna a quatro colherbs doe sOpa
por dia eM agua e mais progrosiva,-
mente.
DEPOSIT GERAL
Pharmacia popular
Carlos Bittenoourt
Au t Nova 1. 5t
Pernambiuco


1IiMA M
NAO PODERA' HAVER MAIS CABELLOS BRAN-
COS, COM A TINTURA CGINEZA
Preparada por A. R. Ramalho.
21-RUA DO MARQUEZ DE OLIN-
DA-21
Esta tintura faz tornar os cabpllos
rapidarnente pretos sem offender a cu-
tis, e inuito facil de se applicar. Cada
frasco acompanharA as instrucoes ne-
cessaries.
0 autor da tintura chineza ndo preci-
sa de encher as colurnnas d'este journal
como muitos outros autores fazem, en-
grandecendo seus preparados a ponto de
tornal-os uina maravilha, sem se lembra-
rem que, i mdneira que seu autor 0s
eleva, o public os p6de rebaixar, pco
que as mais das vezes 6 enganado.
Portanto, o autor da tintura ebineza,
certo do bom resultado, j5 pelas m-
tas experiencias que se tern feito, .
pelas b6as provas que sempre tetn tid,
tecommenda esta tintura.
Pede tAo s6mente que experimental
ella, para depois fazerew sou juizo.
Unico deposit, om casa de seu a-
ro acim

-A
-VILOUTIli'


PO DE FLOR. DE ARROZ
Especiahmene'preparado coinmrsMtUTH1
e per Cons uite d'umia aceIo sandaurel sobi
a Fitle. ."
AbHEREJTE e tolalmente INVISIVEI,
deWi. t pelte uma Irescurra e aTekIttrdo natu
raes.
Phewo da Caixihaa Coni borla, 5fr.
Paris, Cih. PAY, 9, rue de It. Paix.
Dep~osito et em erwwblco,
ELIAS DE MOURA e G-.
e nas P rui.ipacs Phiarmacias.


,_s ,r. Vtvto, f*W.


t .~rdanipmada ue aqcura den ir em
P0MAdA ANTINERPETICA
Contra : as Affecges cutaneaa e wmiAu
PIlLAS VEOTAES DEPURATIVAS
SMAmW Ac 0 talheto.
AW8O-A0 SRSM. M ICQOSs
J r latharroei8
pasta ao doemtd om
o. eraaa ate Xaeop O D'.Port~.. U
Or CRAItEm em Pariz, uau T.vIeMHS, .
DenBsito em oww AEI flUR -..BRANTATAMM.


Os


DO.- D PAPILLAUD
A Aoaadema df icOna de Parbi
&oreaprio favaral.l "=e r Brtandw
o do u
Aproado pala Lint. de Bygiee oiee Bwil
Granulos Aitimoniaes
*^utra Doen as do Corag, Asthma
Catarro, Tiaica e Affeoges iervoas.
Granulos Antimonio- Ferronl
Contra Anemia, Chloruis, Neralgiaa
*~W AIece es~epwhfrind^as
Granuo otimn Ferrosoi
Cdptraas Doenuas dA ias digeotivas (Dii
pepsias,Gistra gasi e as Doensas nervous.
Ph E. MOUKt IER, em Saujon (Fra'A


S auA IMmole em pdra dura,
(Mas esta d'de bronze,.-, que se nAo
n ftmurado por ser estanhada).
,-fRa-se ao Illm. Sr-. Igracio Vieimr
de Mello, escrivao da cidade de Naza-
d_.t8 pjroftncia, o fot d 6 vir a
rua Yuque de Caxias n. 36, a conclw,
aquelle negocio que S. S.'se compr&
metteu a realisar, pela terceia'chama-
da deste journal, em fins de dezembro
de 1871, edepois para janeiro, que pas-
sou a fevereiro e abril de 1872, e nada
oumprio; e por este motive, pois, de
naovo chamrado para o dito fim, pois do-
ve S. S. lembrar-se que este negocio 6
de maia. de Oito annos, e quando o sei
0 or seu filho e s achava n sta cidade


Pt!-se a premio ajuros sob prdios
mu diversas mqantas: rua de Bortas
n. 86, se t querm da.


Ama escrava
Precisa-se de ona ama para vender
bolos, prefere-se que seja escrava: a
tratar na Capunga, na rua das-Pernam-
bucanas n. 12.

Offlcina de .az

Traveoaa das Cruzms n. 0
Nesta loja encanega-se de qualquer
obra ou concerto concernente a enca-
namnentos de gaz, collocacio de candiei-
ros, lustres, etc., corn todo esmero, e
por prepo razoavel :*-' na Iravessa das
Cruzes n. 6.

Piano, musica e francez
Ressente-se a falla na cidp.de de Ma-
mamnguape de uma senhora, para lec-
cionar piano, rnusica e francez; haven-
do naquella cidade bastantes meninas,
e desejo dos pais dar-lhes educa&io,
conforme suas posses, deixam por
tanto de o fazer, uns por clsa de des-
pezas e outros por nio quererem ex-
portar-suas filhas ; faria boa aquisigdo
a senhora qjue se resolvesse ir para la. ;
qualquer pessoa que desejar algumas
explica6es neste sentido, dirija-se A
rua da Cruz n. 37, Recife.

Breu purificado
claro, barricas de 400 libras, no arma-
zem do Jorge Tasso, a rua do Amorim
n-.37... .
Ama de leite
Presisa-se de uma ama de leite que tenha
born leite: na rua Nova n. 34.

COSINEI0
Pare casa de familiar precisa-
se de ugn, que seja perito em sua
tare: no Manguinho, sitio n. 2.
Medalhas milagrosas
fhegaram de ouro em pouto grande, para a
loja Mode Ouro, rua -do Cabu a n. 9 A.
Ao public 1.-
N6s abaixo assignados proprietarios
da Confeitaria do Campos, sita A rua
do Imperadar n. 24, prevernimos ao pu-
blico e corn especialidade aos nossos,
amigos e'freguezes, que o Sr. Manoel
Gencalves Caseiro, deixou de estar em
nossa confeitaria desde o dia lo do cor-
rente e que por isso qualquer negccio,
tanto interno corno externo, relative ao
nosso estabelecimento, deve ser dirigi-
4o a"S 0& es8meete. Ii..if*, 51
tubro de 1877.
V Marques o Ca




Os abaixo assignados declaram ao
respeitavel publico que o Sr.'- Manoel
Paulo dos Heis nesta data deixou de
ser caiieiro da casa, sita a rua do
Cotinm cio ns. 4 e 6.
Reci'e, 5 de outubro de i877.
Herman Lundg'en & C.


Grande casd


Aluga-se a excellent casa da rua do
Padre No1~tega n. 30, corn jArdim na
frente, gradeamento de ferro, agua en-
canada, corn deposit e banheiro .e
boas accommodasg p!ra familiar : a
tratar a rua d6o iIttfe doe Caxias n. 52,
1.9 andar. "

Capellas mortu arias
Rua do Barao da Victoria foutr'ora
rua Nova] n. 40, lo andar, tern bonitas
capellas de flores artificiaes, por pregos
commddos, assim como fazem de per-
petuas naturaes, sendo estas feitas a
encommenda tires dias antes3.

Aluga-se
duas capas na Capunga, urmas. na rua das
Crioulas n. -64, e outra, noi Quatro Cantos n.
29 B: a tratar na ru ouVigarlo in. 33, pri-
meira andar. J ,
B6a allkisiiao
Aluga-se a casa cornm arma.ao e mais
pertengas da antiga e muito afregueza-
da taverna, na povoaao do Macaco,
freguezia do Pogo da Panilla, por preco
corn medo: a tratar ncr largo daAlfan-
dega n, 2.

AcCoes entire amigos
Fica transfier da da Ia deste nez para a 2 ao
mesmb, a aclao que corre corn a sorte de
4:000S, um relogio de oauro de lei, e c6rm a
immediate urn annel inglez, do ouro.

SPrepisa-se saber aond%, e iste Augusto Pin
to da Barros, "Mlha deBDamiana do CarmiQ, na-
tural da-cidade de VithaReal, em Portugal,
indo para esta provincia em 5 1$ 5 que-endo
qimulqqerpessoajfazer o ,obfh de Irnoti-
05 diri EM-SANPaueJulio, -4AS apor


^ -Cognac
Bisqut Dobouehd & C. *, e
H. Ledebour, raa do Commer- .
dmm.... cie 17, 1o andar

PARA CO .
Precisa-se de urna ama forra ou es-
crava, preferindo-se desta ultima con-
diao, para comprar e cozinhar: na
rna Duque- deo CaxiaS n 44, terceiro an-
dar (nesta typ^grappbi). Adverte-se que
em poucos dias a familiar tera de sahir
para f6ra da cidade.


'intura Japoneza
A unica approvada e premiada pelas
academias de Paris e Lond es, por nao
ser prejudicial a saude, encontra-se nas
principles casas de cabelleireiros e em
todaj as boticas principaes 43 Pernam-
buco, Caors, Bartholomeu & C. Mau-
rer & C. e rua da Cadeia 0 541, A.o an
dar.

Fumo hollandez ^
F e cachimbos de barrovende
H. Ledebour, rua do Commer-
S cio k. 17, lo anflar


Olinda e Beberibe
Junto as estag3es de Beberibe e 0-
linda ha quartos e casas para seremi
alugados a pessoas qae precisem de
banhos. O respectivos chefes das 0s-,
tacoSes informarlo.
Bom predio para alu-
gar-se
Aluga-se qpredio do Dr. C4istello Branco,
sitLo 'A rua das Pernambueanas, na Capunga,
corn jardiia. sitio arborisado e todo murado,
casa corn banlbo; aeha-se todo reparado e
pintado de novo, 6 mfiito arejado.e tern gran.
deg commmodos para fainilia ; esse psediyfica
pr!ximo a nova ponLe que se iazeT p a
Torre, o preoo 6 commodo, a .se n .'se-
gundq andar4 da rua do Qu ... 2L


alua-se
Irua de J


1,~ MaSj. rena
ura boa casa com agua. e eait aa A
PassagdA ti 1: )a tr&t.W rua ma


tigo becco do Ouvidor) n.o
12 A.
Compra-se apparelhos de gaz e agna
em bom e mao estado, como seja can-
dieiros, arandelas We BroSnze e ferro,
iOstres de vidro, registros, torneiras,
'humbos, latio, Eobre, bronze ve-
Iho etc. .
Nesta mesma casa encontrarao os
seus freguezes urn sortimento de enca-
namentos de chumbo, e apparelhos pa-
ra- gaz e agua; encarregando-se o ma-
chinista ( collocar e fazer qualquer
obra de sua profissao, mais barato do
que outro qualquer, tendo sempre pes-
s~as habilitadas para. tratar de qual-
quer orgamento, concertos e limpe-
sas de lustres e encanamentos de gaz e
agaa, latritas, lavatorios, etc.
Eseravos fugidos
No dia 20 de agosto de 1877, fugiram do
engenho Canmarpgibe, do termo de Serinhfem,
dous eperavos de nome Jose, sendo um alto,
corpo regular, pouca barba, cabello carapinha-
do, tern um braco quebrado. e por isso um
pouco torto, tern algumas cicatrizes de relho
nas costas ; este escravo foi comprado em 16
de maio deste anno nesta cidade ao Sr. Pa-
tricio Jos6 Tavares, que o comprou na cidade
da Parahyba. 0 outro de altura regular, cor-
po tamrbem regular, muita barba, falla fina,
idade 34 annos ; foi comprado na mesa data
em que o outro, ao Or. Manoel Travassos Sa-
rinho, morador em Born Jardim, Parahyba;
este escravo 6 viuvo e deixou flihos na Para-
Shyba : roga,-se As autoridades oliciaes e aos
capiAes de. campo a apprehensao destes es-
cravos, gratificando-se a quen os.entregar
nesta cidade aos Srs. Manoel Alves Ferreira &
C,, a rua do Apollo n. 4, primeiro andar, ou ao
respective senhor, no engen1h Camaragibe,
em Serinhiem.
Auga-se um excellent sitio em Be'-
beribe, no Porto da Madeira, junto ao
rcontendo mui boa casa de vivenda,
corn todos os commodos precisos,
jardim com gradeamento de ferro, ca- gJ
cimba e algumas arvores de fructo, w
bern como um gradde terreno corn
baixas deapim a tratar no largo do
Corpo Santo n. 15, 4o andar.

Bolos de encommenda
Faz-se bolos de encommenda para
casamento e partidas, na Capunga, na
rua das Pernambucanas n. 12.
Aviso
0 abaixo assignado, estabeleqido corn loja
de ferragens a rua da Imperatriz, declara ao
respeitavel public e ao corpo do commercio
em particular, que nao se responsabilisa per
debito algum contrahido por qualquer pessoa
serm sua pr6via autorisagao verbal ou por meio
de tituloq firmados pelo seu proprio piaho.
,.Recife, 8 de outubro de 1877.
Jos6 Victor da Silva Pi nentel.
Moleques e rapazes
Precisa-se de iioleques e rapazes
para vender bolos e bolinhos pelas ruas,
paga-se b6a vendagenG, na qual poidem
ganhar parm mais *d dez tustoes, ati
4ou cinco mil rdis por dia, conform
a diligencia : a tratar na Confeitaria do
Campos, A rua do Imperador n. 24.
Ollnda

Aluga-se urea casa terrea, corn 2 sa-
las, 1 gabinete, 3 quartos, cozinba f6ra,
sita a rua do Sol, na praia de S. Fraa-
cisco, eiti Olinda, distant 400 passo
do mar, offere'endo assim a grande
vantage de poder sahir-se della coom
trajos proprios pap o banho salgado,
aldm de sua proximidade A estacao do
Carmo e ser confront 'a capellinha de
S. Jose : quern a pretender, dirija-se
ao sobaado n. 5 da rua do S. Pedro
Martyr, dae mesa cidade, a tratar corn
o seu respectivo proprieterio.


Quarto IL0O0
Em porCAo de 100$000 para cima..
Bilhete inteiro 35500
Meio bilhete 1#750
Ouarto $875
Manoel Martins Fiuza.


COIPRAS
COMPRA-SE uma escrava que
saiba beny cozinhar: a tratar na rua
larga do Rosario n6 32.
Compra-se um estabelecimento de mo-
lhados, que sfja em boa localidade : na rua de
Hortas n. 17, se dirA quem compra.
eras
Compa-saLeuucftelfnd de padaria: na rua
larga do Rosario n. 22, loja.


VENDAS
Vende-se"
o engenho Conceigo, em' SerinhAem, nesta
provincia, muito bom d'agua, podendo safre-
jar annualmente 2,500 pAes : quem o preten-
der, dirija-se a praca do Gorpo Santo n 15,
primeiro andar, onde achara corn quem tratar
a resppito.
Fazendas e modas
Conquista
6 Rua do Cabuga 6
E.


400 rs. o covado
Rua Duque de Caxias n. 43
Corram e venham veri
Popelines de linho- e, soda, padres
inteiramente novos, uso actualmente
-em Pariz, por 0, rns. o covado: dao-se
amostras cwn peahor. 0 43-da rua
Duque de Gatias.
Capellas
Vende-se tires capellas mortuarias.emi-
feito estado, 0 por preoo Commodo. com n
seguintes letreiros : born pai, saudade, aceita
minha dor meu esposo : na rua do Marquez
de, Olinda n. 35. -.

Vende-se,,.
no telheiro que servio para & ia8truc*W &
-ponte- dos Afogados, 'poagno de nadeira do
qualidad, 'e quaitiddofe pedagos de oa-
rwlo, de a 22 poWS, dO WnPrimo btyi .pfr
pdos par# Offica dde n aaiiros ea
to d adeimr qBSrifW,-, RPasl.4a
W^^^ ^''IMMwP "-R


SA LORH0 DRO-PHOSPHATO DE CAL
0 mais ip. der s, reeoftavtes. .- -emedio soberano eorepdo des* ed
aum pelos. Mefaiet Acue.s e adoptdo por tiods os Medicos da Bwropa na Fra esa gw*,
na A'mza, B CAw s, na Tisica,as Cackexia, as ascrofclosas, s oachiii#
uaa Doenfams do GOTsoy Creswe to diffic das criancas, no nato, a vvv
stas e nas Do (WtW te osmas. i-'
NOTA.-. O renfS lo MinEdripto em 1677 no supplement do Codioe tranoe.
COItRE, Pharmaceutico, 79, rua do Cherche-Midi, em*Paris.
Dqao-m P~~P I' kC0m camde ELA DE XOURA s e nas prindpaes pharami.


45


Sol


%-- "pop-A*


',* .ll^
-'=I ^


to.


4


<






I


<-t-


Sr6a. ofl tewe aos Pntorestropri l
rios dos engenhos, para estudar (er-,
reno e assentar trlbos paraconduzir as
m-m-ws ^, partdos para a casa
do fabric. Al6m da modicidade do
preco que p6de custar esta via de trans-
porte, ella offerece ao senior de enge-
nho, presteza, menos carencia de bra-
90s, QWi fo& 4ga e mais method, po-
dendo os trilhos ou via permanent
sereni mudados e collocados 'todos os
ainos para os lugares em que se acha-
remn arfptfta,(es.
A construegio de taes trilhos p6de
ser empreitada ou feita por adminis- -
traiAo. sendlo que se procederi a um
ajuste ou contrato pelo qual o senhor
de engenho saberAs logo o custo da
obra. A madeira a eminpregar, atW na
construcva, dos carros ou carroca%,
podera ser tirada nas proprias mattas
do engenho.
Offerece-* tambem pafa fazer de-
marca6es e nivelamentos para leva-
das, etc., etc.
P6de ser procurado m rua do Crespo,
loja n. 6, dlas 10 da manh5 as 2 ho-
ras da ,tarde.

Bom negocio
Quem tiver moleques e pretas desoccupa-
dos, p6de obter todos os dias um bom aluguel,
qfierendo emprega-los em vender bolosipelas.
ruas, porque a confeitaria do Campos, A rua
do Imperader n 24, fornece bolos de venda-
gem : a tratar na mesma confriLaria.

Por 25',$
Aluga-se a casa n. 107 da rua do Marquez do
Herval: trata-se na rua da lniperatriz n. 47.
Aluga-se
Ainda cstA para alugar umrn sitio na Copun-
ga, rua das Crioulas n. 59 : a tratar na rua do
Vigario n. 33, 1o andar.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
rua de HIortas n. 48, corn sotao, 5 quartos,
quintal e cacimba : a tratar no primeiro an-
dar do mesmo sobrado.
Aluga-se o solirado n. 85 a rua do Mar-
quez do Herval, bem construido e asseiado,
tern todos os commnodos para trees families,
born quintal e cocheira para a rua da Palma :
os pretendentes dirijam-se d rua Primeiro de
Marco, sobrado n. 12, primeiro andar, das 9
horas ds 5 da tarde.
-- ALUGA-SE o terceiro andar e so.
tdo da casa da rua do Commerci o n-
10, muito fresco, corn commodo- para
familiar : a tratar no armazem.
ALMAC Precisa-se de duas, uma
A-lA para lavar e engommar e
outra para cozinhar, para casa de fa-
milia: a tratar na rua do Viscondr de
Itaparica n. 32.
A] 7a Precisa-se de uma ama que co-
,Ama1 jzinhe betn e compare, para casa de
pequerna familiar : na praca do Condo d'Eu n.
30, segundo andar.
Ama Precisa-se de uma ama que saiba
cosep com, perfeicao ; na rua do
Merquez.da Herval n. 42.
Casa da Fortuna
Aos 4:SOOOOOO
BILHETES GABANTIDOS
A' rua Primeiro de Marco (ou-
tr'ora rua do Crespo) n. 23 e
oas do costume.
0 abaixo assignade, tendo vendido nos seus
felizes bilhetes um quarto n. 387 corn 8005000,
um inteiro n. 1422 corn 100$, e outras sorts
de 40$ e 20$ daloteria que se acabou de extra-
hir [243.'], convida aos possuidores a virem re-
ceber na conformidade do costume, sem des-
onto algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 14.' parte das loterias, a beneficio da
matriz de.Jaboatao [244.'], que se extrahira
na quinta-feira, 41 do corrente mez.
PREgOS
Bilhete inteiro 45000
Meio bilhete 28000


11


POP
E
mol


















&~


iBtas rem tesa, br&^4b ik&
eto 4eco aba, verdqo *qa
eo de linhaa em latasde 12 es
Visho do Pirto, superior. ;
0fto Sierry.
CdgG. Em caixas de umadunia.
p, b paJaeaO Ja, da v a nh.cid_
aw~ca', ,em caxas.


S ma boa tratba do cabellos, por nao ter viudc
S. igual a c6r do cabello da aenhora que a en-
oommendoii: a tfatar n& T' uPnmeiro ,d
Margo P. 20, Io]a das tres portas.
Verniz pra m tias
armacoes
Querr einernizar suas mobiiias
por 1$000? EW o custo de tim frasco
e verniz, que da para menvernizar urma
mobilia. Conserva seu brilho por es-
pago de 6 anno. Os fracos tmern gOS ro-
tolos a maneira cor m dee s', |i t a
sua applicag-o e por isso p6de ser ap
plicado por qualquer pessoa.
VENDE-SE NA RUA NO VA N. 30.
Veos e capellas panr noivas
Chegaram lindas capellas e v6os de blond
deseda para noivas a 6, 8 e 10$, 6 baratissi-
mo : na ta amazonas, rua Duique de Ca-
.xia8,s|__________
24--- A DO COMMERCIO-24
Neste estabelecimento .vende-se o
verdjadeiro :e superior vinho de Boi-
deaux, tanto em barris como em engar-
rafado, e mais barato do q em qual-
quer parte, por ser recebido de- conta
propria. No mesmo estabelecimento
compra-se garrafas vasias que tenham
servido para vinho de Bordeaux ou
cognac.
Chapeos para senhoras
Elegantes e primorosamente enfeilados cha-
p6os, acaba'ri de chegar pelo ultimo vapor, os
quaes estdo se vendendo por pre~o muito
commodo : na Fragata Amazonas, rua Duque
de Caxias n 47. ___________
Bereos de vime e de
ferro
Vende o Bazar Victoria, rua do Ba.
rio da Victoria n. 2



Lindissimas baptistas para vestidos.
a 240 rs. o. covado.
Variadissimo sortimento *de unripc
zas, a 400 rs. o dito. .
Grande sortimento de pope as part,
vestidos, a 400, 500 e 600 rs. covadc
Maripozas brancas, o que-tm vindr
de mais gosto.
Biquissimo sortimento de cretone,
corn desenhos inteiramentei novos.
Popelinas de seda puram a 14000
1*200 o covado.
Popelinas de seda branca para casa.
mento, a 1 000 e 15200 dito.
MadapolAo francez de /duas larguras,
a 56000 e 5$500. '
Cambraia transpare,{e para vestidos.
a 36500 e 4 000 a pe~a.
Fustao branco para vestidos e ves-
tuarios para menints.
Bramante corn larguraa, a 44500 E
vara ; e muito l)arato 1
Camisas bo^dadas para senhora, i
35000 e 4^000, que pechincha !
Gorgorao de la, de cores lindas parr.
?estidos, barati ssimo.
Leques de adreperola finos, dese
nhos riquissiin s a 104000.
Chitas : gran e s rtimento e pars todc
preco.
Temos urn completo sortimento dE
fazendas, das uaes a maior parte na
,* .uDPunciamos/ para nao errfadarmo)
osa nos lei ores, e de tQdas se da.
amostras e Jnandam-'se em casa da,
Exmas. frmi ias para nheihor escblhe-
rem: na jix'agata Amazonas
47- Rua buque de Caxias-- 47

"2omem nota:


-F- a do Imperador-14
0 Ah IAZEMPO NUNES-
(.'l-riQao instantanea)
Grande variedade
Sde generous ajimenticios
S do superior qualidade.
Modicidade pantosa!
Facilidade :lrica!
Vantagem poveitasa!
SVeijam:
0 Nune tern resolvido vender barato, bara-
tissimo ; garantir a superi9ridade de suas
mercadot as; sl stentar uma-prodigiosa varie-
dade de renero raros e saborosos, efinal-
mente jijstrar aIfilidade de qtalquer pessoa
passar l (m corn ,\uco dinheiro.
j C ^ pOuco
Venhn tirair ao e depois digam se ha
quem t 'ha sorim ito')mais variado e upe-
rior; e :enda ri larato e d6 melhores
provas re sincerid.'ei anqueza do queo
e sT MK' T T J 'o,

7^NBat ai
Vende-se m`i'to vasya:i3000 cai-
xae 60 rs. a Ii}40 na rua do Livra-
^iento.n. 31. ^


ampo cidade
Vendfe-se ume easa r ormada de novo, corn
6 quartos 2 salas, sota'oin mjanellas, cozinha
fa, estribaria, coch 'a, deposito 'agua,
Bauheiro, quartos, tan de l avagemn, ardim,
e grande quintal, em u, das inmelores ruas
da Boa-Vista: para ir v e tratar, A rua Nova
i aumero 13. __ ____
.. ,_V__V'--ende-se a casa c.aowaueno sitio, sita


rtei h alio duas salas, tros
f.ra Iljja casa-6 inuiko
rtua Pires- n.


do Duque.
pereira d4a


fiuxa paa 14rda,-se Nova pE-o~
rna e quernem. te,,
' Agua floridaa 1, fitaded -4a 0 o ntoLI A
rs. a pe~a, pape1 amisade a I" 40
Cai4a, cordao a vestide a 20rs.
... da,"a- -q
Spea envelopes a 500( rs. a caixa de1: a21t6iAs
na.Nova E speraoa, a-uq4q de ,5Id
a Caxias n. 63. "C.
SArtigos de luxo e pantasi a p lei a-"' 111j'
Estampas allegoricas pamra oriar sa-
' las e gabinetes bonitos leqpI eoi0plu-, I Chegou p 'aljo
mas e sem ellis, alta novidade, lindos gate sortmento 0dei, t |
livros delembrancaco o capa de main, de quadrinfaos, propra p vesti0,
Sproprios para senhoras, delicadlos ra- tendb de daas s cores, qu e se veandae
Smos de finas flores para cabeca, novos a 360 e 400 rs. o covad4o ; ssim conm
coques de moldes stiaples e elogaptes, um bonito sorfimento 4e maripoqa,
agulhas para crochet, send de ma- das mais 1inas e IiWa*qu o
dreperola ; tudo isto. icon" 6 400. ,!'o
i sperprnan ua uqe iraA3 Da'SeoaCa.,
xas n .63. reira da Silv6.Q .
Para os que sao devotos -VimDE S ,tkwa stabelei-
Urn pequeno sortimento de finas es- da no q r_ t0o 4: da- rieir7 ditBoa-
tampas de santos : recebeu a Nov? Es- Vist%, a- qual 6 b^ aW4'41io poar
peranQa,aarua Duquede Caxias n. .oo. pender de p eno capital, .Sewmiit1
SPara as floristas afreguezada em lugir' 4d muita.0-
Papel para petalas, dito para folha, currencia: a tratar- n largoida Allan-
de rosas, calix e peitilhos e m is pre- dega n. 2.
paros para tal fim ; term 4 Nova Espe-.
ranga, A rua Duque de .Gaxias n.63
Aos pais de familiar
Quereis distrair vosso filhinho, ou Vin de rda
~~ ~ ANvEseIVinho de Bordeaut~
presenteal-o? dirigi-vos d Nova Espe-.A
ranca, A rua Duque de. Caxias n. 63, a 45000 por duzia de moias.
comprai um lindobrinquedo, pois qw- garrafas corn capasde paia.i
ella recebeu umrn compIleto sortimenf9, caixas sortidas de vinhos fi-
e esta vendenlo por prego muito razoa- nos g0$000
vel. H. Ledebour, rua do Corn-
Bonecas a mnercio n. 47, l.andar'.
Um sortitnento de bonecas man- W 'O w" /
sas e choronas, pretas e brancas-: re-QA
cebeu a Nova Esperanca, A rua Duque Cimento portland
de Caxias n. 63.
Cabellos brancos s6 tern que Vendem Jo s Joaquim Alves &C., fi rua do
qum Barl da Victoria n.:69.
queri,,' t
A Nova Esperanca, A rua Duque de -
Caxias n. 63, tern a verdadeira tintu-
ra para tingir cabellos, pretos, casta-
nhos, 6 instantanea e n.o damnifica os.
cabellos, e vende-a razoavelmente.'
I Peehindms em liqui-
X 4Culde Lisboa dacao
SVende-se cal de Lisboa, chegada no Na loja das tr es prtas
ultimo vapor, em muito boas barri* ai ua do CrespO n. 20
cas : no largo do Corpo Sarlto n. 15,. Lindas lAzinhas de quadrinho, gostos
primoiro andars -, ,, novos, a 320 rs. o covado: e pechncha.
-_ 6 Grande por&o de popelin de linho,
0 Bazar Victoria bons gostos, pwra 4 rs. o covado.
BVende: onitas batiste, todas sortidas, miu-
Vende : -dinhas, 240 s.o co0vad~o.
Lindas gravat~s'de seda -ede linho e se- di e'as'240 .o vaa .
da, para serdhoras e homes. 4 Etoay.w ocae.d ,aostotitem a
Lengos de linho corn listras. 40 rs. o covado : aproveitem.
Meias de algoio e l para senhoras Lazinhas escocezas, padres 6scuros,
e homes d lpara 160 rs. o covado.
Na rua do B3arao da Victoria n. 2. Ricos c6rtes Ae linho pardon, liso e
bordado, aberto, 95 urn.
Mulld0 -se o temp Chitas escuras e claras, para 200e
.u1-s o tempo 2o40 rs. o'covado.
JOAQUrM F REIRA CAMPOS & C. Lindissimas mariposas, brancas e de
Rua 1.0 ae Maro n.0 21. c6res, lisas, de flores, achamalatadas e
RECEBERAMl AS SEGUINTES NOVIDADES: arrendadas, para 320, 360, 400, 500 e
Lencos de li ho corn letra e barras 600 rs. o covado.
de cores a 9$, duzia. Bramante de algodao, 4 larguras,
Toalhas alc choadas para rosto a 4$ para 15400 e 15600.
a duzia. E' p chincha. *. Dito de linho, corn 10 e 11 palmos,
Meias de cOojes superiores pare ho- pars 25 e 25506 a vara.
meor, duzia 8t 10 e 125000. Sao lin- Pazendas do ultimogogto, nfvas
das. Jaines lisos, uma s6 c6r, proprios
Meias superiors para senhoras, du- pars vestidos, a 800 rs..o covado.
zia 10$ e 12SO000. Admira !... Gorgoroes de laI, as mais hndas cores,
Brim branco alcochoado superior a pare 900 rs. o covado.
3$ e 35500 a v(ra. E' baratissimo. As maisi lindes popelines de seda pu-
Coques ffisados do ultimo gosto a ra por 15800 o covado.
55000. Os mais moderns ostos em las es-
Cortes die liriho bordado, a 12500( curss, fingindo quadros, 800 rs. o0Qo-
Linho bordado, covado 500 rs. vado.


Dito liso corn 4 palmos,covado 360 rs Elegante sortimento de gravatas e
Alpacas corn listras de seda, covado mantas para senhoras, e muitos artigos
500 rs. c oa de phantasia, que Vendemos muito ba-
Chitas chinezas para colchds ,covado rato,
500 rs. Loja das 3 portas, antiga do
Camisas brancas para menino, uma *Guilherme
2g0000: -------- ^--- ---
Cambraia slisas de cores, metro,500rs
Algodao corn 5 palmos de largura, .
vara 400 rs. 2 0
Toalhas felpudas, monstruosas, para
banho, a 28500. ] nf "
Lindas mariposas, braneas e de co- PehmIMlia camisas
res, a 360e 40W rs. o covido. Camisa., brancas, comrcollarinho, a
Fil6 preto corn salpicosl vara 500 rs. 2($ a duzia, uma 15800..
Brilhantina preta e de c6res, cova- Ditas decretone, o que ha de melhor,'
do 500 rs. a 305 a duzia. uma'2$500."
Esguiao amarello, corn duas larguras, J)itas francezas, brancas, as mais le.
vara 1520l. -igantes em punhos e coliarinhos, diver-
Lindissimas mantas de setim para sosgostos,.de50$ a 60$ aduzia.
home, a 15000 e 15200. Grande sortimento tambem dr pu-
Casemiras de cores, finissimas para nhos e collarinhos. P
costumes, covado 35500. 0 mesmo em meias e ceroulas, de.
Especial flanella azul para paletot, menor atd o maior pi0o, bemrn como
covado 3#000. mantas e gravatas. .
Damasco de li e seda, peio diminu- Antiga loja do Guilherme, ruaI
to preco de 3 000 o covado. do Crespo n. 20
- Capas-de borracha, prova d'agua e no- -Tv --
vidadea 245000. VENBE S
Cortes de -casemirm de cores, lindos n ^ i .**i '
Cortes do iasemira-do cores, lindos Uns import-antes lavatorios inglezes,
desenhos, a 55000 e 10)000. de mogno corn talmposI deped.raqua
Camisa dOlmhnho para home, o^^ ^ rau, deua,
Cadmisasude'riho parahomor0 0 drados e triangulares para canto deta
quo ha de superior, a40000,50000 sa, cor os apparelhos prateades, gosto
e 60500( a &uzia. modern, na tavessa 'do Marquez do
Ditas bordadas, uma 6W Recif&.n.o 12 A, casa do macfiista de
Ditaiide bonitas cretdres, a 30$000 e gaz, Luiz Moareira & C.
40$(KX) duzia.-
Gambraia pretax fiia, vara 040 rs Lagpdo de Lil soa
Mahtilhas a brasilera,a 5500. Em pequenasie grides porges : vende-se
ROUPA FEITA na saboaria do Recife.
E' tMo bonito soretirmemnto deste ar- a isas 0 08
tigo e per. tiao barato 'prego, qAUeo6a a..
'corm a presenga do elegant 'cavathoi- a i 30 8M a"dUAarai
I ro, Ae poderAt mtrar.a ealidade. rni a Duque de Catia* n, 47 ,
'Bftol 1^


estabele m.Wnto para verem o
o de B hwWias q ferrraens que
,tudo da-meio (quatdade,o

a prazo ou -a dinheiro, corn des-
mmuo resunidos. -
apor, de fora de 4, 6, 8 e1O
ores OR aui teem vindo.


a obra superior, im-
viem com- arooletes.
utadas e Valanisadas.


e dma-


TAflAS 1IATItAS e ftundidas.
0 AMA e t4as a qalidades.
MJH O ONO para imandioca.

FORNOS paratorrar farinha, e
TODAS AS FERRAGENS prefisas agriculture
desta provincia.
SENCOMMENDAS-- Mandamn virda Europa qual-
quer machinismo, responsabilisando-se pela sua
loa qualidade.
CONCERTOS-Concertam qualquer machinismo
e fazem contract annual para lodos os concertos
do engenhos; para esse fim teem a fabric bem
ntada, corn- grande e bom pessoal, e diriqida
poi dous 0genheiros
FRANCISCO COIIHEIA DE MESQUITE CARDOZO,
i (ha pouco chegado da Inglaterra.)
GEORGE BRAITI (omaisprafico eantigo que aqui ha)
Rua do Brum ns. 100 a 104.
tDepo i rua do Apollo ns. 2. e 2B.,


WEIEI ~ PCliINCliAS
Na oja d'Amera rua do CabugA n. 10
MENDES &t ., LIQUIDAM AS-SEGUINTES FAZENDAS POR PRECO0
BARATISSIMOS
A Ppnte n A eao
'Popelinas de eda, fazenda de.25 a (1200 para acab.ar. "
Ditas d'uma s6 cOr imitaco de gorgurdo a 15600.
Grosdenaples e gorgurao preto de seda, pregos sem competencia.
Setim mnacao, todas as c6res.
V*,s e mantilhas de filo6 preto de seda, precos rezumidos.
Filo6 ie seda preto, branch e de linho corn salpicos e liso.
-lombazmnas, mOerinmsaTpacas, cantAt, prince la lisa para vaetidos, etc..


etc.
Alpacas de c6res para veslidos, Tagnifico sertimento.
Baptistas miudinhas; finas, lindos padres e c6res fixas a 240 rs.
Mariposas branch -e de ordes, cretones e chitas, born sortimento para tododl
os prepos.
Saias branoas a25000, 6 pechincha, aproveitem.
Penteadoresie casas lisa berdados a 45500, 6 barato.
'Purhos e'collarinbos para senhoras, enfeitados de renda, 6 novidade.
Vdosde. fil6 para chap6os corn salpicos dourados e prateados.
Gravatas para senhormse para homes, esplendido sortimento.
Meias de c6res e brancas para senhowas, homes e meminos.
Lengos de inho em eaixinhas de phantazia, duzia 45000..
Camisas de meia differeates qualidades e torecos.
Cambraia adamascada para cortinados, e cortinados bordados.
Tapktes-de todos 6s tamanhos,
Secilias,'breta Aasesiio ,4e linho e bramante de 4 larguras.
Casemiras pretas: e de coeg em peas e cortes.
Panno preto e azul espectfdiade para 7$ e 85000.
Colchab brancas eodie 6res e cobertores de l.u
Cliales : rainha Victoria
Ricos chales, mantas superioridade em tecido e c6res, nunca vistos a 121
Espartilhos -A Princeza Rente, sao lindos. '
Granadina preta.de seda d listras .e quadrinhos.
Chapeos de sol, seda trantiaa e east6es de phantazia.
Collarinhos para hornets,; superior qualidade a 75500.
Leqes pretos bordados, lisbs ede cores soit'maento complete.
-iaiws pretos, or&ls,, sos e de c6res, sortiaento comlleto.
C lamisas bi ancas e deo- o melhor sortimentb possivel.
C6brtores escuros de l a 14800, 6 pechincha.
Ditos brancos a 145000 un, -
Lencos de esguiao, finos, a 25000 a duzia, 6 pechincha sem igual.
Alta novidade
Fichfis de l e sOda, recebidos hontem, 6 o qa.e de mais gosto se pode de
Sejar,e .ndemos per ,comntodo preo .
NA.LOJA D'AME;RICA A' RUA DO 10.

Essencia concentrada de salsaparrilha e caroba
S, PREIAMADA TPOR

PIIARMAMcETI snl tg 'fttD -EI BE POIDTMGAL
PKI(9*U-M*0 I DTVERSAS EXPOSIgOES..
Pari cura sde toft' m riolestias que tern snaorAgem na impureza do
iahtgue, como sejam as netiasf syphilitficas, boubaticas escofulas, rheuma-
tiBm0ei ndartros tumres,Wulceas, erup .etc., etc.
SiSITO GEi-AL EM SUA PHARMAIA E DROGARIA
r,*; ;1 .::" 1 \ 11 ^11 *; 1 ,1 1' .,-
i-'-t-*1:''l^l.""--*-J.I^QJ -*.if. L okj:*'"l~'^! a d o /- iR o: ario--- 3 4**1;1"'r i1 1 : ,


. *V' I" .das
i'l1"-da'^1


Alta uovidade..


(Antlgaa & Qiiadraa
Li'ho pario para vestios, a
ocavado. '
Orqandis -com listras de la, a,3X5B,
pegai"; dinoderno.
Bretaba de linho puro corn 30 n
tpo a siapeoa. r
Varas da mesam, a 320 rdis; e
chincha. "
Mariposa branca, bordada, a 406 s.
o covado.
Batistes finas, a 240 e 320 rs, o e0
vn^ At V A .


TCXUU. l
Mariposas a duqueza, a 400 rs. o e0 -
yado.
Chita indiana, a 320 rs. o covado. &
Brim pardo liso, fino, a 440 rs. e c,-
vado.
Peas de cambra-'a Victoria, fina
3$ a peca. "
MadapolAo francez infestado, a 5 a


peqa.
I Brim pardo trangado, a 400 rs. .O -
vado. -
Chitas escuras, a 240, 280 320-r".
o/'coyado. "
SC6=les de casemrim grega, padres
especiaes, a 2$ unm'.
Casemira preta, fina, $18400 o ce-
vado.
Camisa,, bordadas, finas, a 35 uma.,
Organdis bordado corn flores, a 50
rs. o covado.
Peca de algodlo a 35 e 35500.
Pea de camrnbraia transparent, final,
a3$500 e4$.
Folores de cores, de l e seda, pa-
droes ultirmramente chegados, a 500 r.
o covado.
Chita escarlate, propria para vesti-
dos e polonezas, a 320 rs. o covado.
Alpaca preta, 'fina, a 440 rs. o e--
vado. *
Merino6 trangado, corn 6 palmos4b
largura, proprio para roupa de home*
e de senhoras, a 25500 o covado. .
Setim Macafio de todas as cores, a
1$500 o covado.


Toalhas acolchoadas a 4$ a duzia.
Meias para meninos e meninas, de
38 a 4$ a duzia. b
Ditas de cores para ham'ens, a401
duzia, e outros muitos arligos portb.
rato preco, vende-se em grosso e apr-
talho a
RUA DO QUEIMADO N.43
Armazem oloja de Guerra &
Fernandes'
Blnoeulos
de madreperola, marfim, tartarugae
metal / vendein Amaral, Nabuco &C,
rua do Bardo Victoria n. 2.
Capellas mortuaries
Amaral, Nabuco & C. receberam "t
timento de elegafites capellas funebre6,
brancas e pretas, corn as seguintes ibw-
A meu pai A meu filho
A' minha mai A' minha filha
A meu espdso Saudades
A' minha espota Lembranoas '.
Uma lagrima
Vendemna rua do Bardoda Victoria n. 2.
Folar de cMres
a 500 rs. o dovadob
Rua do Queimade n. 43
Rival 4ds barateiros '
Folar de ta e seda, corn hlitras .4.-
vores, padroea4.ovos, uso actualmefte
em Paris, peld modico preco de.:0
rs. o *vado ; venham wr o maora
buscar as araostras, mediante qualquer
penhor: s6 haino 43 da rua do Quei-
mado.

Vestidos bordados
a 100, 124 el44
"America, f rua do Cabugi n. 1@;
so,. vende pbr este prewo,
Potassa 4a Russia
A mais nova do Inercado, e em barris pe-
quenos : vendem D.wingos Cruz & C., na tra-
vessa da Madre de Deus n. I.
Attend iao
Vende-se u"a itaportante mactina
para cortarbolacha, em perfeito 9tad,
corn todos osjogos decortadeiras: altr
tar na rua Imperial n. 208 ou no pates
da Santa Cruzn. 1.
Vende-se a barcaga Flor dos -
neiros, qne carrega ate 200 sacces
com. assucar, pintada e calafetada d
noro : quern a pretender, dirija-se h
do Marquez de Olinda n. 50.
Vende-se m casal de escravos, preWe
robustos, parao ehgenho, bern coro urm paris
cozinheiro e copeiro, uma parda perita k-
gommadeira'e cos~ureira, asslm como outras
escravas que serao presents aos comprado-
res ; na rua de Pedro Affonso n. 59, tercei-
andar.

Nazukes a280 rs. o co-
vado

Receberam Almeida & Camposies
mais lindos nazukes para vestidedI-
ganres padroea e as mais m4||~
cores, para 280 reis ; e pechincha.
Rua do Crespon. 20,
______Alfmeida & m j.
Correias. pam m
Fogoes americaos1 pars lenha -e
'vao. lll. .. ..l ; *" I~ l
Grades 3para a lavour.
MachinBs para detca
Mgchinas a vap or de for i
* e4;ea~'alloi.- -1*'.^ aii


SVendem-se na rua doru
Olinda ir 4
_ _. -__


I Q*


' .1
\


$


11


I


I


4' i .* .. !


1.1
















3. 'asSJalr a eircums-
"tanc ia4;uereremn s representatives
Ste ea isso recusarem-se'os represen-
*^'',0 Parana ( Eug8l asio Cor.
rAa d tkma), alias homes de tribunal
dis.ttos. Nabo estando present o Sr.
minmistro do imperio, espera que quat-
qauer eutro membro do gabinete se dig-
ne db dar alguma explicagdo que pos-
Sya.restituir o socego as populag8es mais
interessadas na solugaodesta' questao,
Syisto o adiantamento da sessAo nao lie
permittir esperar urnia solucao delini-
tiv~-.
E spera, pois, quo seja attendido o
4 loplq ue faz ao governor, porque s6
Sw rileo os representantes da
iBcia espoliada dar contas do. mo-
no por que defended os seus interes-
'., esia mesa e d lido, apoiado e flea
ii [o, por ter pedido a palavra o Sr.
) rasio Correa o seguintc requeri-
4I.eqte.io que o govgrno informed se
o6.1 no regete a soMV4ao da questao
jlei! eas provincis de Santa
a k-p- o Parana, attentos os con-
fiktov p men tes d jurisdiccao entire
Sas auto iu0.diciaes e'adrininistra-


l+ ... +. : ". projects
0 r. tancourt Cotrim, vol- se trata.
tando a tri'na, diz quo o fim do seu bre depul
requerimento era ouvir a palavra do verno estd
governor sobre umn assumpto de inte- a solucao
resse public, nao send, por conse- juutar o s
quaeacia, questao merarnente pessoal. tado, par
halga o nobre roministro da agricultural tunamenl
que este project e inais compet-ente project
na, occasiao para dar a informaiao que 0 Sr.
se deseja. ra-se sati
Appella para a .enerosidadcO da ca- Sr. minis
_mara. Trala-se de umna provincia pe- petente,
quei.a, cujos represlntantes nao tmrn 0 f.quei iner
apoio de una palavra autorisada. Invo- sidente n
cando.os sentiments de justiga, pede nhar os
fois, ao nobre ministry da agriculture EXw. dc (
#e digne responder a pergunta que aca- demrn do
ba de fazer em sen requerimento. sao o pr<
0 Sr. President nao p6de, nos tre as du
terms propostos, apresentar a urgen- Consul
cia a votaco da camera. retirada
SOSr. deputado pede pma iaque algurnm o0 Sr.
dos Srs. ministros respon(la ao pedido sirn que
deinfbrma0es, quo S. Ex:c. apresentou, trabalho,
e aenhumni dos Srs. ministros esta corn project
a palavra. tado poi
Pede nesta occasiAo a palavra o Sr. Em se
tmnistro da agriculture. 0 Sr.
Em vista desse pedido, o-Sr. presi- palavra
dente diz que jA p6da consultar a ca- mentar
mara. sabe o p
O Sr. Eufrasio Corrda usa da represent
palavra pela ordem nao s6 para requc- phia.
rer urgencia afim die se entrar imme- A esta
diatamente na discussao do requeri- ductos rdi
mento do nolre deputado per Santa raram b
Cath'iarina, como tambem para lembrar svmpath
a S. Exc. nao a sua falta de generosi- na para
dade, mas a injuria quo irrogou a uwin Dessa
seu college, Julgando que elle em uma benefici
discussao ja adiantada e largamente tra.- relacoes
tila, e sore umn requerlraento de me- mais.
t* expediente, usaria da .palavra para Pa
abafar a discussao de uma.nmateria que mas rel
S. Exc. julga important. os dons


Se em dliscussoes inmais soleminues ou
mais asperas para si o orador n5o tern
o inero receio de aceitar a discussao
que Ss. Excs. quizeram provocar na
camara, muito menos o teria hoje.
E querendo que a questio seja dis-
cutida, vem a tribune declarar que de-
Aiste da palavra sobre o requerimento,
nio por medo da discussao, mas para
usar de uma generosidade que o nobre


FOLHETIM

OS FILHOS DO MONFI
ron
FEBNANDEZ GONZALEZ
VOLUME I
PRIMEIRA PATE
OS AMORES DE YAYE
tContinuaoo do n. 231)


CAPITULO XIV
I'-M OEN SE SABE PORQUE DEIXABA A SUA GASA
0 CAPITAO ESTROPEADO
Retrocedamos A madragada do dia
antecedente, em que o capital ) Sedeno
sahira de Granada em direccao As Al-
pujarras.
Urgente devia ser o motive que aliI
.o levava, porque fazia corner o cavallo
.o mais que Ihe era possivel correr sem
.e Ihe importer que rebentasse ou
nao.
Antes de chegar ao Padul, ent~ou
*i'ma estalagem, proferio algumas pa-
li'lvras emn arabe ao ouvido do estala-
jadeiro, e entregou-lhe o cavallo.
Pouco depois o estalajadeiro trouxe
para f6ra da estalagem outro cavallo
corn os arreios do primeiro, no qual
o capital apezar de coxo, montou corn
ra facitidade corn t o poderia fazer
inn home sao, e poz-se outra vez a
S- caminho corn toda a rapidez de que era
capaz o animal.
Quatro vezes mniudou de cavallo pela
Mosma f6rma, antes das oito da ma-
A*i deixando a um lado a villa de
Orgiva, tomava pela mes a lomba e
pelo mesmo barranco por onde vimros
Vaye e Abd-el-Gewar tomar no prini-
.pio d'esta hIistoria.
Quando chegou ao pinbeiral, soltou
um agudo silvo, e apfreceram alguns
monfiesque se encarminbaram para i elle.
Mostrou-lhes o capitao; um pergami-
no enrolado, e lendo-o o wall que
commandava os monfies, felo de'smnon-
Aj y.ndou-Ihe os olhos, deu-lhe o
para Ihe servir "de guia e apoio,
4 do$u mro monfilo cavallo pela
: introuziram-se na selva.
'.... ,ram estreitos e ingreiesi
f.l a um profundo bar-
w entrees -?enbas
quamwo Se


Estados-
product(
Brasil,
provemc
de urn g
que 6 o
tos outr
instrumr
mais ne,
A civil


6^<< l>d ~ila(m,-
nistro ia agriculta) cr^ epja teve
owcasiAo de, resporideudo nests caa- a
uima interpellacao do, honrado deputado
por Santa Catharina, relative ao mesmo
assumpto 4d que trata seu requerimen-
to, enunciar a opiniao do governor; en-
tretanto vai de novo satisfazer a S. Exc.,
denlarando que. o governor consider
ur'gente, dirA mesmo .de mrnaxima ur-
gencia, a solu.io d questAo de limnites
entire as provincias de Santa Catharina
e do Parana.
0 SR. BITANCOURT COTRI : -- Miito
bern.
Isto mesmio, continufa o orador, esta
consignado no relatorio do Sr. ministry
do imperio. Nao senate necessidade de
dar A camera as razbes sobre que as-
senta esta opinion, visto como o nobre
deputado, fundamentando o sen reque-
rimento, teve occasion ainda hoje de
alludir a factos desagradaveis, verda-
deiros conflicts quo se teem dado em
sua provineia e na do Parana, occasio-
nados pela confusao dos limits das
mesmas provincial.
0 nobre deputado, tambhein ja nesta
sesdio, ere o orador, requereu ao Sr.
president da camera desta tribunal a
inclusdo na ordem do dia do project
relative 'i fixago dos limits de que se
trata. Fguramente o Sr. president
ainda n Po p64-attend4l-o pdritver'
beo~~m, que putros


devreniam pretferir aO de que
Entretanto, para dar ao no-
tado testemunho de quo 0 go- 1
i convencido de que e urgent
desta questao, nao duvida
seu ao pedido do nobre depu-
a que o Sr. president oppor-
te d para a ordemrn do dia o
de que se trata.
Bitancourt Cotrim decla-
isfeito A vista da explicacao do
stro da agriculture, que e com-
e pede para retiraT o seu re-
ito, certo de que o nobre pre-
ao poderd deixar de acompa-
desejos manifestados por S.
que centre quanto antes na cr-
dia, e tenha a desejada discus-
ejecto que trata dos limits en-
ias provincias.
Ita(lda a camera, consent ,a
pedi da.
President declara que as-
o permitta o andamento dos
s, darA para ordem do dia o
oa que se referee o nobre depu-
r Santa Catharina.
guida
Souza Franga, obtendo a
por dez minutes para funda-
um project, diz que a camera
apel important que o Brasil
tou na exposicao de Philadel-
ida ahi do Imperador e os pro-
la nossa industrma que ahi figu-
rilhantemente excitaram novas
ias do povo .da Uniao America-
corn os brasileiros.
sympathia s6 podern resultar
)s para as duas nagoes, cujas
se devem estreitar cada vez

provar a conveniencia das inti-
agces que devem existir entre
povos, basta lembrar que os
-Unidos sao o consumidor do
) agricola mais important do
que eo caf6. Alem disso n6s
)-nos no mercado daquelle paiz
*enero de'p.rimeira necessidade,
trigo, aldm do kerosene e mui-
os products eartefactos, como
entos agricolas, trilhos e tudo o
cessario as estradas de ferro.
lisagAo que borbulha naquelles


Pouco depois vio-se um enormnie ro-
chedo por-se em movimento, e deixar
patente urma port de ferro, tambem
aberta.
Entraram o wall, o capitao e o mon-
fi que levava o cavallo, e a porta tor-
non a fechliar-se.
Ja alli imperavamrn as trevas. A es-
papos via-se urna lanterua pendurada
na parede d'um largo camrninho sub-
terraneo, produziado frouxa luz. Ao
pe de cada urma d'aquellas lanternas e
cormo sentinella, via-se um rmonfi ar-
mado.


No tim de poucos passes no subter
raneo, o monti que conduzia o caval-
to tomou por unia das galerias que de
distancia em distancia se viamn A direita
e a esquerda, e o wall e o capitao coi-
tinuaramn s6s pelo subteraneo adiante.
No tim do caminho acharam-se n'um
largo de forma octogona coin paredes
e abobada arabe de ladrilhQ em cujo
fundo se via uma port -ornamentada,
e diante d'ella uma numerosa guard
corn sumptuosos trajos musulmanos.
0 wali que conduzia o capitao fallout
um instant corn o wali da guard, e
immediatamente este abrio a por!:a
corn umna chave dourada, franqueano
a entrada ao wali e ao capitao Sedeno.
A porta tornou a fechar-se.
Entao o wali tirou a venda ao capi-
tao.
Achavam-se ja na parte xnaravilhosa
do alcacar subterraneo.
Tinham entrado n'uma galeria mag-
nifica sustentada por meio de arcos
armados de lavores sobre columns de
alabastro.
Atravdz dos seus vdos de gaze fol-
rmosas lampadas despediam uma luz
languida ; cobria o pavimento urna
branda alcatifa.
A espa(os viam-se immoveis. como
estatuas, oscravos negros, vestidos de
purpura. -
Aquella galeria formava por assiin
dizer o vestibule de um alcacarad mi-
ravel.
Cotitinuaram a caminhar, atraves-
sando galerias e cameras, atd che-
garem a uma. a cuja porta o wali
fez esperar Sedenb.
Ponco depois sahio, J dsie ao ci-
pitAo -.


-0 poderoso Y
Sl; I Miley Yay

i do


Pastaa to~ rc~rai;, nossaw
5es corauprciaes. soru iwjirel
aente corn ai Uniao p reim de tiuaft
omparihia de Liverpool corn o saerifl-
io de 10 por cento los products que
mpo3~tamos, do que .se aproveita o corn-
neroio inglez. .
Nestas circumstancias desejava que
s estabelecesse uma linha do. navios
aci6rnat par' os Estados-Unidos e pe-
le ao nobre ministro da agricultural que
procure encorporar uta cnmpanhiana-
cional para esse fim. :Se, pordm, nao
or possivel encorpomir nia compannia
onom capitals nacionaes, entende que
leve entilo preferir-se o contrato Corn
1apitalistas da Uniao Americaa.
Alem de outras conveniences d..ali-
iha direct, v0 que podem por ella re-
ceber colonisa o as provincias 4o nor-
:e, que ate' ao*iuo teem recebido
esse benefitWlc-
SExistem n. l uitqs coolies, que
teem concl rontrato, e muitos
p'0l-o isthmo de
P~anamia.
Esta consi ra*a, alias muito im-
portante, foi uma das razdes que o le-
you a occupar a atteng.o da camera, e
present* o project que vai ofrecer
l.sp cbtideraa'*o.
triiol.oassou no oroameutt'uIm
medida ia. uqe o Sr. minisim '
igricultura possa prover a es necessi-
dlade, entende que a camarawpara nao
parecer indifferent a qtestlo tio mo-
mentosa, deve occupar-se della antesde
tindar a sessdo, constando-lhe at que
o governor do Es8 -Unos fez con-
vitbao do Diasil.i estabefmcimeritc
de unm linha direqb r
0 facto 6 digno K considerate. Se
o governor se mostrar indifferente, pa-
recera que nao deseja manter relagoes
corn aquelle paiz, quando alias ellas
sAo de grande alcance political ou corn-
mercialmente fallando.
Cri- que se poderi organisar urnm
companhia mesmino no estado de nossa,
finangas.. Demais, o project nio au
torisa despezas para ja. 0 orador ten
bastaute confianga no paiz para acredi
tar que das re[ndas publicas ha de ha
ver sobra suficiente para que o govern
poss.a prover as despezas que demand
a organisado da .oapanhia.
Consider ainda iue se trata de umr
dpspeza reproductive, e essas nao teer
o orador receio de fazer, porque os co
fres publicos nao sab para immobilisa
capitals, mas para occorrer as necessi
dades do paiz. Acredita qua corI a
verbas do orcamento votado, Inedi Int
just economic, haver4 superabunlan
cia para que possa attender-se a serv
cos desta ordem.
Quando disse qur. a nao poder orga
nisar-se companhia brasileira devtria
mos preferir os capitalistas dos Bsts
dos-Unidos, fundou-se min saber que
governor daquelle paiz estA disposto
auxiliary essa navegaco, send feita so
a bandeira norte-americana. Louv
essa resolucao e lastirna quo nao stej{
mos em cendicoGes de fazer o o.
Ainda que na present sess fi
haja tempo de que passe o preo;to ei
tende que o facto de tomar o cowao 14
gislativo conhecimento delle, p iistar
do4-e o seu apoio em primeira e s<
gu!da discussao, sera o sutliciente par
se rec.nhecer que o Brasil nao e ii
diffedte ao eonvite que Ihe fez o g<
verno dos Estados-Unidos em benefici
do progress dos dous paizes.
Conclue oferecendo a considera~a
da camera o seu-projecto, esperand
que ella deliberira como for mais ju,
to, parecendo-lhe que ella estara coi


sumptuosa camera, e tirou iespeitosz
mente o gorro.
N'aquella camara, pensativo e tristU
passeiava umrn anciao, singela, mas m:
gestosamente vestido.
Quem o visse corn a branca touch
embrulhada na cabeca, o seu cafta
negro e o amrplo e fluctuante albormn
branco, te-lo-hia tornado por amu p
triarcha dos tempos antigos.
Alvaro de Sedeno avancou cexeiand
e disse quando se acbou A certa di
tancia do anciao :
Que Deus o Altissimo e o Unicl
te guard, poderoso Yuzuf.
0 anciao parou, olhou para Seder
d'umn modo severe e profundo.
--Que queres ? perguntou.
Venho ver-te, podoroso Yazuf, in
pellido por muitas razbes.
Senta-:te, disse-lhe o anciaio, aporn
tando para urn divan.
Sedeno sentou-se Yuzuf sentou-s
junto d'elle.
Ha nos aposentos proximos a
guem que nos possa ouvir ? pergunto
o capital.
Qual dos meus so atrevmia a bi
riscar a cabeca para satisfazer os o01
vidos? etorquio Yuzuf em torn d
autoridade.
Visto que ninguem mais me p6d
escutar, disse o capitao, escuta-mn
emrnir.
Yuzuf tomou uma attitude attonU
mas cheia de altivez,', c o capitau Si
deno comegou desta maneira:
Sera precise que'me concedes a
gum tempo, e alguma paciencia, s<
nhor. Preciso de te recorder alcuni
cousas que tu pareces ter esquecido.
Yuzuf franzio o' grisalho sobr'olhi
--Nada em de estranho que tu, ei
meio dos cuidados que te.- cercam, coi
tinuou o-capitao, esqueqas os negocki
de um homnem como eu, qae compare
do comtigo em forca e grandeza, sou
que seria um g"ro de area compare
o corn um rochedo ; per isto mestr
requeiro a tua indulgencia paraas a
nhas palavras.
Vamos ao assumptO, ao assumpt
Sedeno, disse.Yuzuf corn impacienci
graves pensamentos me preoccuapa
es6 me prestei a oscutar-te, uppo*
(queo altgum obecto de grande intbrew
te trazia aqui. .
Tm- a requerer a tiiaIId


Qu^Uf11C, '^ afrtos plicar5aigumas sas palaras que form [
l rpdr seu pr al inaterpretadas por alguns dos ora- c:
CPassemlea gei rlve: dores que teem occupado a tribuqa. gol
4 Art. I.e E' autoris 4 o govorop a Citando algumas palavras do Sr. sena- au
contratar comqualquerempreza habili- dorJobim, nao foi a sua intengao a que 32
tada, national ou rt,* o service] Ihe attribuirarnm aquelles Srs. .deputa- go
de uma nha danavap dos. aern palavrsq do Sr. Jobim ao
recta mensal entrh dpi desta ca- podiam con)$,offensa A faculdade do
e New-York, to to aa ida Rio de Jandp porque ellas eatlo de
9- daa Bahia, accord coas uej na camera pro--
o n a v o l t a n o s d o4 i t e
Perianbuco e Belm 1y1a. 'ferio o Sr. BarAo 4 Macei5. Cita os rei
c Art. 20 Os yapS 4 s-deuao er de trecrios para o cofitovar. tec
primeira clas.e, int t o e noyos, e Nao se justificaM pela opiniao quee la
de ferro ou de ago, lraai4 pe Ihe quiz attribuir om rela*o A faculda- sir
commodagies para 'i os eh- 4e do. Recife. Todos osaeus cowgas tos
gas, reunihdo todos os me horamentos shbem que era incapaz de articular numa de
mrodernof 4j:O h bowsareha e ca- s6 iltavra que nio fosse em favor da qt
pacidadeniea inferiorr. 3,00W ton- procffiencia. corn que todos alli occu- mi
laii pam suas cadeiras. do
4 Art., 8,-arreatisa desse ser- Explica ainda a coutradiccao que se co
'Iiiopodet i g ovo irn.t suavencioar a quiz encontrar no facto de aceitar oart. ly]
emipreza que dele sacencarregar'com 1, e- nio admittir o 2.o Se o project vo
quantia que no exceda a 200:0008000 entrar em 2a discussio, entao apreciara Fa
a.nuaes. os arguments corn que foram inlpug- ac
t tArt. Anpreza so obrigara a nadas algumas das proposicoes que ca
nd uir ,orepre os modicos e corn tra- emittio.
taopnto convenient os immigrants ou 0 Sr. Bardo de Macei6 vem just M
ttabtilhadores asiaticos, ou de qualquer licar as palvras corn que impugnareal- fil
outra procedencia, que dos Estados- gumas das proposicgoes do nobre d6pu-
Unidos se destinarem aos nossos por- do por Pernambuco em rela'ao A fa- hi
tos, quhr directamente de New-York, culdade de medicine do Rio de Janeiro
6qur atravessando o isthmo de Panama. e explica osentido em que tomara asp
L Sto w aFg J4.-E palavras de S. Exc. corn referencia a
A* i J. .do.. .--"alarRcife, r eiocuma eige-
- --Freitas HIIe ques.-M'ayoltno uMou- guida, demonstrar nao haver oetrdnia-
ira.-Fldres.-Barao de j5omingos.- -ao entra as palavras que uma vez pro- M
Nobre. AFenoir C ait*ao. Barwo de feria na camera e as que pronunciou
Anadia. 4Sotza -Leod.- Portella.- agora na discussao do project. .
Aguiar.w- edeAtwral.-P.Affon- Tambemde suas palavras ninguem
s so. -Paulino -Nog eira. -- Corrda de poderai inferir que estao de accord 2
Arajo. --Ho4nda Cwa'vcanti. -Fi- corn o qu av-ngou no senado o Sr.
gueiredo Rocv Jino)i. Conclue dizendo que a anato-
o 0 Sr. Cant o (pela ordem) requer mia e umrn dos ramos das sciencias que so
- urgency, por media hora, para no pri- melhor se cuitivam e de que se Ltira g
s meiro dia de sessAo apresentrar e justifi- mais proveito na faculdade do Rio de d
s car um requerimento, que versara sobre Janeiro. t<
- negocios que, dizendo respeito A sua 0 Sr. Lima Duarte estranha que p
provincia, em particular, tambem tern o governor nao se tenha ainda pronun- v
i interest geral, Dorque se referem em ciado na 'questio, tratando-se da liber- d
s primeiro lugar A fiscalisagac' das rendas dade do ensino e send o project E
- pblicas, e em segundo A distribuigdo apresentado por uma commissao da n
i feita pelo governor as proviricias para camera da confianea ministerial. Attri-
i- auxilio da forga policial, e em terceiro bue o motor do silencio e da indiffe-
- lugar porque trata da catechese dos in- renga do Sr. ministry a estar terminan- a
o digenas. tIo o prazo-estipulado ao governor para t
r Consultada a camera, 6 concedida a tratar dos negocios do paiz, divisando i
urgencia requerida. nesse facto um symptoma de que o r
a 0 Sr. Florencio de Abreu (pela governor tera em breve de deixar opo- q
a ordem) deseja dar urna exiplicagao em der, dando por terminada a sua mis-
- consequencia do incident que se deu sao. i
ir hontem ao terminar a sess-io e em que Pretende dar seu voto, ao project, t
i- o seu procedimento p6de ter sido mal jai pelas vantagens que deve auferir-se (
.s interpretado. do ensino livre, ja pelo estado pouco r
te E' costume da mesa nao dar a pala- satisfactorio em que se acha a instrue-
i- vra ao orador inscripto quando falta cao no paiz. Nao tern por convenient o
i- apenas um quarto de o.ora ou menos que se acabe corn o ensino official, mas
para terminar a hora regimiental da ses- quer que elle se melhore. Pensa at
sao. Tendo a de hontem comegado as que estabelecendo o ensino livre deve
-" 11 horas menos 5 mittos, s6 poderia o governor ir em auxilio facultando os
-. ser levantada quando Ftiassem cinco gabinetes e os laboratorio* das faculda-
o minutes para as quatro. des do Estado.
a Quando, porm, terrnincotmo seu dis- Passa depois a considerar o estado,
b cursor o Sr. Duque-Estrada, naio falta- da instruccio no Brasil, baseando as
,a vam cinco, mas sim dez minutes ; en- suas considerac-oes prineipalmente na
i tretanto o Sr. 20 vice-prSidentedeclarou estatistica, de onde se v6 que metade 1
logo adiada a discussao, e, sern atten- da populacao da curte nao sabe ler
io der a recamaca d oradeF,Vntinuou nem escrever. Entende que corn o di-
n. lendo a ordem do dia. Foiaesse pro- nheiro gasto corn os luxtosos palacios,
c- eedimento, bern como o facto de toma- destinados A instrucc.ao,, poderiazu ser
n- rein os oradores da maioria o tempo construidas casas mais inodestas que 1
e- aos oradores da oppo$eo, que qualifi- servissem mais a dissent inal-a.
ra cou de violencia. ^ Depois de algumas coi sideracoes so-
, Da esta explicaco jlra que fiquem bre a generalidade da q estao, occupa-
-" bern conhecidds os nivos do seu pro- se da escola de medicine da rorte, lasti-
in cedimento. mando que ella nao tenha edificio pro-
'0 Sr. Presidente diz que nao se prio 0 governor espera talvez a oppor-
io achava present quando s to dente a que se refere o Sr. deputado, que procure resolver todas as ques-
s- nao podendo por isso dizer nada sobre toes.
n- o assumpto. Tratando da distribui(5o do ensino,


a- annos da idade que tenho, que se esse merino nao redebe a criac.0
dous esposos castelhanos foram assas- d'um fidalgo !-Os mot ties.
e, sinados entire as brenhas das Alpujar- JA ves que se men pai fez morrer
a- ras. Elle era um soldado fidalgo que teus pais, cumprindo rigorosamente
ia A povoaAo de Orgiva ; ella umna for- corn ajustica, adoptou-, por llho.
>a mosa joven das montanhas de Santan- Pagueiez ti a divi a a mrneu pai ;
n der. A mulher, quando. foi assassina- fui urnm servidor lea[; m, christao, e
)z da levava nos bracos w a crianca. honrado por el-rei, verLt o sangue pop
a- Aquella crianga era eu. Ftram os mon- v6s, inimigo do meu D us e do meu
ties das Alpujarras os assassinos de rei!
1o men pai. Continfia, continfi ; conclue.
hIa quinze annos, quando tinha
Teu pai, volveu Yuzuf, era nosso vinte e cinco, fur atacado um dia, em
o, inimigo; um home cruel como tu, que que me entretinha a ca;ar na monta-
perseguia encarni(adament3 os mnonfies, nha, por um grande numrero de mon-
1o e por causa do qual muitos pereceram ties. Sem me ferirem, semn me mal-
enforeados nas pragas pubiicas. tratarem, rodearam-me, apoderaram-se
Bern, comprehendo que em meu de min, vendaramn-me os olhos, e agar-
pai matasses urn inimigo ; mas minha rando-me por umn braCo, conduziram-
mi.. me a este mesmo sitio. Conheci-te en-
.- Osehristdos escravisain, aoutam, tao Yuzuf, disseste-me que. teu pai te
esfaqueiam e queimamin as mouriscas, encarregara de velar por mirn, e que
e exclamou Yuzuf corn mode sombrio. em eu chegaldo a certa idade me pro-
0 delicto de outrem nAo desculpa pozesses se queria pertencer ao vosso
I- o delicto proprio, retorquio Sedeno corn band. Eu sabia demasiado que tudo
u energia. o que era, as galas que vestia, as ar-
SE nao obstante, tu sum ihomem mas que trazia, o ouro que guardava nos
r- carrecado de delictos. bolsos, pertencia a um protector des-
u- Isso nao importa. Extermino os conbecido e generoso. Concebera-o
e meus inimigos quando posio, e- .proomu 09so e potente, e estava ancioso
ro satisfazer os meus desejos,new ni ais por conhecel-o; quando entree neste
le nemr reenos que tu, como todos os que subterraneo, quando te vi diante de
ese sentom corn meios o lorgas para miri, tudo o que me rodeava me des-
Sisso. Voltemos pordm A minha histo- lumbrou. Entao revelaste-me a parte
a ria. 0 punhal dos assassinos que nao que eu ignorava da minha. historia, e
e. se detivera nero perante o valor (do pai, propozeste-me que te servisse de espia
nem perante a formosura e as lagrimas entire os christdos, e te servisse em tu-
a. da mai, e que por certo nao hesitaria do que estivesse ao ten alcance e me
e- perante a fraqueza do filho, foi contido exigisses. Eu era agradecido; aldm
ts por urn homemn generoso e valente. de agradecido amnbicioso; sabia que
sse home foi teu pai, emir entao dos meus pais tinham morrido d'um modo
o. monfies. desgraqado, e que o teu me salvara;
m Enviou-me mysteriosamente ajustiQa nao sei so devia recusar tudo o que par-
n. de Orgiva, quero dizer, feiz corn que a tisse dos homens que tiuham tinto soeus
os sua gente me pozesse unma noite a por- punhaes no sangue dos meus pais; tal-
a- ta da igreja da villa corn este papel em vez devesse preferir uma vida obscure
o cima de mim. as riquezas e ao poder que de -repente.
a-- 0 alferes puxou por i na carteira, e havias ostentado ante meus olhos ; mas
Do da carteira tirou um papel to.co e ama- emtim bem ou mrnal feito jurei servir-te
,i.- rello. e sirvo-te.
a Corregedor de Orgiva, dizia o pa- Em troca paguei-te d'um modo es-
o, pel. 4hi te deixamos o filho do alferes plendido. Comprei-tei urma patente de
i: Pedro Sedeno, p cruel, a quen demos capitao...
, a morte.emrcastigo das suas cruelda- --- E' verdade, compraste-me urna
do des. Sua mulher foi tambem morta patente de capitio nos tercos doreino
se pelo que gozava comn os soffrimentos e e costa de Granada. Tinhas os teus
martyrio das nossas, mulheres. Per- projects e servi-te ta bemrn, avisei-e
In do.mos ao innocente. rAi to eatre- tantoA d tpo de qua expi, es
.^ =amas. C^.ia-v i, eammro. aupa d Lo uat hiasm. V68,quop


verno 9 aepce r e-e
la a sua dispOio 4 Iao
leitos. Acha que a indif
verno traz o desanimo e o
corpo docente.


encao do
a ultima
ala corn
arena' do
desgosto


Trata em seguida da faculdade de
edicina da Bahia, da faculdade de di-
ito de Pernambuco, da escola poly-
china e da escola de nhinas, fazendo
rgas considerages a proposito do en-
no em cada urn desses estabelecimen-
s. Entende quo o curso da escola
minas deveria ser em vez de dous
iatro annos e acha inconvenient o li-
itado nuymero do dez alumnos4even-
3 fazer parte delle as materials que
)nstituem o curso geral da eucola po-
techina. Julga convenibtte que se
Ate ao antigo systema-de 'examet.
az ainda largas, consideragc4es sobre o
-tual estadd do conservatorio de musi-
i e da academia de Bellas-Artes e con-
,ue votando pelo ensino livrp melho-
*1o-se ao mesmo tempo o ensino of-
Esta discussao ficou ada pela
ora. 1
Proseguio depois a 2.o discussao da
roposta do poder executive que fixa
for"a de terra para 1878 a 1879.
0 SR. Jost 1AN"Lo, pela ordem,
e, 'a camera concede, o encerra-
aento- da discussao do art. 1.0
Posto a votos o artigo, foi appro-
ado.
-Por ultimrno a camera discutio o art.
.o da proposta.

0 Sr. Silveira Marti empre
e mostrou docil As prescripg oore-
:imento interpretadas pelo "presi-
lente, restringir-se-ha portantoi ma-
eria especial do art. .o; pede pordm
)ermrnissihio para explicar algurnawpala-
ras suas que foram rnal interpreta-
las polo ultimo orador (o Sr..Duque-
Estrada Teixeira) que tomrnou a"palavra
aeste debate.
Attribuindo ao orador injuries feitas
1o nobre president do conselho, impu-
tou-lhe o nobre deputado uma grande
njustiCa ; nern as palavras que Ihe fo-
ram attribuidas sAio injuriosas, mesmo
quando as houvesse proferido.
NAo 6 exact que tivesse chamado o
nobre president do conselho decrepi-
to, ponderando a sua idade e a necessi-
dale de repouso para prolongar os
seus dias em proveito e gloria do seu
paiz, aconselhando a todos os governor
corn a experiencia adquirida, julgava
render homenagem e nao dirigir-lhe
umra leve censura e menos uma injuria
graciosa, que nern ao nobre Duque
desaraiva, nerm estava na altura do re-
presentante, da nacdo, porque em vez
de ser isso urn actor de nobreza seria,
uma grande cobardia.
Ainda houve injustica do nobre de-
putado attribuindo ao orador a, idea,
que nao ihe passou pela ment de ter
pensado na morte de S. M. o Impera-
dor, que naio d cousa que depend de
rin6s, nio e object dos calculos hunma,
nos. Apreciando o long governmo de
Sua Magestade, discutio a mudanca de
system por um actor de espontanea re-
solucao que declarou julgar difficil,
porque d difficil no rnm de uma longa
vida confessar urn homem que errou
na maior parte della.


\ (Continua.a

fies nos profundos de'penhadeiros das
Alpujarras.
Por cada cabecajdc% chrstao rece-
beste um premio, Sederio.


E' verdade, nao m queixo ; mas
deixa-me continuar. D ia, pois, que-a
importanciados service. que te presta-
ra, te impellirarn a e pregar-me em
maiores emprezas UmI (nidalgo extre-
menho, Ferndo Cortez, a abava de con- ,
quistar um rico e poderos imperiosiS"
lI dos mares. Dizia-se 4ue na4quelle
imperio abundavam as penolas e as pe-
dras preciosas,le que no ce tfo dos seus
desertos havia umra montaeha (de ouro.
Tu precisavas de muito dinleiro para a
realisapao dos teus projector derecon-
quista de Granada, e voltas liatten-
9ao para o Mexico, para aquile impe-
rio conquistado ha pouco, qnde, segun-
do a fama, se encentraram por toda a
parte o ouro e a riqueza. 'u foste um
dos innumeraveis ambicios, s q'e esten-
deram as garras avidas para as Indias,
esse novo mundo, que devia cobrir corn
o seu ouro os andrajos do soundo ve-
Iho. Tinhas coanfiana em',IIim; um
castelhano jai conhecido sob bandei-
ras do. rei da Hespanha co vinha-te
mnito mais qae umrn d s'tes walls
par, os projects que firnavas. Com.-
praste-me entao uma cmnpaia, ou
para melhor dizer, d&'e-rne lnhewo
para comprar a licer a de a crutar
nas Alpujarras, e p ir servi corn
ella nas Indias. o dinheir tudo
alcanca, alcancei k, .nca para ieru-
tar nas villas da Alpujarras a|ente
precisa. Tu mesi -o escolheste Mawi
valentes, os 0 s frozes de, ceus non-.
ties, cem demOnio que Aeviam lev a
assolaAo ao Mexic e gtantir-lae'a 1i-.
nha fidelidade. HA Jze annosQ
embarquei corn a i nha gentle, on.-!
melhor dizer corn m .ua. Duira
annos que perman i no Mexi
de receber as feridt que me ibi.
litaram para a gue.a, u m rn.E
outro,woltou a H panha,.,lbA
urm thesouro.


'4~9ar4.haI


A

Lv


3* i


,L 'i-:1




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQKX3AAN0_YI40MZ INGEST_TIME 2014-05-20T23:39:55Z PACKAGE AA00011611_14955
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES