Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14877


This item is only available as the following downloads:


Full Text



) .I A *i-f



. '- ..gg f .B a g
moo


* _.;- .., .? -. .' ,. ::, .
..' 0 ..


LII


PARA A CA*'iti K LIZARDS
Por trn mazes adia -. .
Porseias ditos idem...a. ., .
Por um ano Idem..o -. ,
Cada numer avulso, do tinesmo dia.


d
It -.
.4-


* fp


A.


r-1,


B^ "l *u,- o 6 $f^ ^ (ty; -".;^ i *..*'* .
r- i *- .. .







*'. S.",
--Ty

'. ,u.m..'! C ..... ., .. h .
.... I;.. ;,.'.a .a a a '.
,t.. 1.,


- %. ,
..o.


-..ropriebabe .be Alaut Sgfiira b Ada. & h*Z


TELEGRAINAS


RIO DE JANCIRO, 31 de dezombro, As
12 horns e 40 muhiutos da tarde. (Rece-
bide As 3 horas e 10 minutes, pela linha
to'cestre.)

Pelo 1.0 district de Matto Gtirosso
foi eleito em I.0 escrutniolot segun-
do o orgAo couservador. o Barao de
Diazmantina (C)-; segundo o orgao li-
beral, o Dr. Jost Maria Metollo --L).
Foi nomeadlo juiz municipal e
do orpliuos do termo do Brejo da
Madre de Dens, em Pernambuco, o
Dr. Eutropio Silva. s endo considera-
do semn cieeito o decreto que nomeou
para o mesmno cargo o Dr. Manoel
Maria Tavares da Silva.
Foi reconduzldo no cargo de juiz
municipal e de orpliios do termno de
Gamelleiras, em Pernambuco, o Dr.
Jose Brandio da Rocha.




im^ BA A's37A SIA"

(Especial para o Diario)

"( BERLIN, 30 de dezembro.

Numerosas saabscripcoeesstito oen-
do feitas na Alemanha em favor do
Principle de'Bismarki e do pessoal do
Iinisterio dos Negocios Extrangei-
ros.

PARIS, 30de dezembro, A tarde.

Un il despaclo do general Briere dc.
ilsle annuncia que as tropas rran-
cezas do Tonkin faram atacadas por
grande numero de pirates clinezfes
perto de ilongayen, sendo por6m os
ci6iezes completamente desfeitos.
e p4rdendo 2 canh6es e 300 homena,
que foram morto%.
Os fracezeos tenhuinuma perda ti-
Sveran.

goe inla H-avs, filial er i Pernambuco,
31 do Tezzmbro do 1334.



(* NOTA DA AGENCIA,-0 telegram-


ma acima, poueo compreliensivel e prestan-
do-so A diversas interpretagoies, e publicado
tal coao foi recebido pela agencia.


ITRUMC CiO POPULR

7PHOTOGRAPHIA
(ExtrahidaiI)
PAR ^T2T
leIrr'ii k da photogIraphia
SCAPITULO IV
D A G U E R R E2 T YPO 0
A' carta',quie dissemos ficara seur resposta, se-
guem-se ouras mais felizes. Emn 1827 chegam fi-
nalmente a encontrar-se aquelles dous homes, e
passados teapos assignam nuna contract peloqual
se obrigam,- revelt-remin autuamonte os seus pro-
cease, e a Otirtituareu os sens trabalhos em corn
mum, prar .hegarem ; :leana'r-a fixacvo das
!iif ,! tV (5tu.i pP/CC eernwtii escrrra.
C,1,rai'? au-r l)'is 4- seus trabalhos. E um dia
Dagci'rerI, pr a dcstes. atasos que muitas vezes
a:tjlriaw os afiieados trabalhadores, descobre o sc-
gaitnt.e :-h-mdo dei.xado uma colher de prata
sobr u nia clipi; metailc a tratada polo lodo, vio
nor oetro din, oo levamtar a colher, que esta se ha-
via pjrfCtaia ante desenhado sobre a chapa.
l ,oi entio qie abandonaramu o bitume da Judsa,
e passararm ps-a o iodeto de prata,-o qual inne-
grec facilnimeae,.quando exposto luz I; mas ape-
zar TA sensibiidade de takes chapas, ainda assim,
era necessario pue a exposizlo fosse muito demow-
rada para ficirperfeita a ca'pia obtida pela cama-
ra escura.
Diz-se pois qoe um ontro acasc lHie fez conhecer
a substancia rweladora. Eis co-no o facto se
conta :
Daguerre dtxara esquecido ni'um dos seus ar-
mianso urna cha)a cuja exposicao havia side maito
curta, e que politfo niuo tinha a imigmn bmrn de-
finida ; io abrirl'ahi a dias o armario, freou es-
tupcfaeto por eieontrar a chapa corn a Jimagem
(omiplementem t irm.tr .: ni, duvidou sea u so
devido a qal(que- dos inredioentea quea estavam
no anrnario, c porisso comecou uma aerie de expe-
rieaciais. pondo tt los os dia arma nova chapa corn
l)e.v41" .-snsig :, tirandeo su. ceaivameote cada
.'.t'hs sibstanti.,s que i estatvam guardadas, e
.,t:rieo .ompre i't, a in rgem se contiamva a

i o ;rinti'') k luava quasi inpo e ainda appa-
& iinagumin, iji do vi. urma oeipsula cheiage
cLn rio qr 'ai4 L alli soe conservava. Julgon
e soria estat a cfs3a,-9', para se certifiear, expoz
*utra chlm)pa na caVara e.scura por mui pouneo term.
po eddepois sujettA a :0os vapores de iertwria:.
via irnnediatmen. formatr-se it a&.s.1d -
ainto a2sim eeaou o0laguerrenty pe. -.
A 6ate te lenpQ.. ijL io q g;
1b33, sem ret tidE e snebto cpaheia ipnbeaiaa
&woberta do dad&hum do '




W- It4t

.I*,
-J'2.,-^-:
.i "I^ 'H


nhe-se, davendo ser page o port na Re-
partigio dos Correios.
Baeharel- Francisco de Castro Rabello.
Sirm, corn ordenado.
Lonento Francisco Evaristq 4e Sousa.
Deferido cornam officio desta da.ta a The-
souraria de Fazeoda.
Baeharel Jos6 C rnetio Leit'to Rangel.
Remettido ao Sr. inspector da Thesou-
raria de Fazenda para attender ao sup-
plicante, do accord corn a Ordem do The-
souro Nacional de 13 do corrente, n. 193.
Jos6 de Azcvedo Souza.-Passe porta-
Siia na form requerida.
Luiz de Fran9a Xavier.--Passe porta-
ria na formal requerida.
. Jose Euzebio Rodrigues. Doferido corn
officio desta data a Thesouraria do Fa-
zenda.
Secretaria da Presidencia do Pernambu-
co, 31 de dezembro de 1884.
0 porteiro,
J L. Viggas.

Repartilao da PolUca
Secfo 2.'-N. 1,343.-Secretaria da
Policia de Pernambuco, 31 de dezembro
do 1884.-llm. e Exm. Sr., Participo a
V. Exc. que forarm hontem recolhidos A
Casa de Detengfio os seguintes individuos:
A' minha ordem, Antonio Vicente Duar.
te, vindo da comarca de Santo Ant-to come
criminoso"
A' ordem do subdelegado do Recife,
Francisco Ferreira da Cunha, Rosalina
Maria da Concei(do e Maria Martiniana de
Assump9do, per offenses A -noral pablica.
A' ordem do da Madagleua, Jos6 Cy-
priano Marques de Almeida e Jose Igna-
cio dc Oliveira, per disturbios.
Deus guard a V. Exc. llm. e Exm.
Sr. Dr. Sancho do Barros Pimentel, muito
digno president da provincia. -0 chefe de
policia, Manoel Ventura de Barros Leite
Sampaio.

Consulado Provincial
DESPACHOS DO DIA 30 DE DEZEMBRO
Manoel Cortez da Silva Curado. Sim-
Joaquim Gon9ualves Casco & C.-Iu-
deferido, visto as informa9ges.
Junta administrative da Santa Casa da
Misericordia do Recifo. e a Irmandade do
Senhor Born Jesus das Portas. Inform
a i sec9ao.
31 -
Manoel dos Santos Servaira Jolo Luiz
doe Jantos & C.& Azevedo R0Irigues &
C. e Mliguel Francise0 Jose dd Araujo.-
Informe a 1' sec-o.
Bourgard & C. e Adolpho Bourgard. -
Certifique-se.
Antonio Ignacio Heitor e Pedro' Antu-
nes & C. -A 1' secvgo para os devidos
fins.
Ferreira da Costa & Irmao. Indeferido,
cm vista das informa9oes.


BIAuIO BE PERNABUBCO
RECIPE, l.o DE JANEIRO DE 1885
V
Retrospecto Politico do
anno de 1ot4
fl --- A -. --_ A-_


clararam se eomc
roes nevoeiros do i
A ultima confeao
moetrarem cada


o desappaareimento do tbra'dei/- ftigosa e nao orneoudia a nneabuina necessida-
inverno. E come que para levar d pratica. Debalde o Sr. Clcmenceau se esforcea
todas as coujectfras, longe dej par dcmonstra o contrario : a Assemblea adoptou
res mais intenscs os sens resenti- por umra grade maioria urma ordem do diA nestes


mentos, o governo da Republica Franceza e o
chaacelldr do imperio allemolo procuram, ao menos
temporariamente, aproximar-se e tornax mnenos


1Idesconfiadas eacerbas as astas mutuas'relaSces.


Qunem diria ainda ha peace perganta armi-
rado tun chronista fri-anee- que bavia de chegar
am din em que entire a Franea e a Allemanba
houvesse um avisinhamento, uma ombinaglo ou
accord, nao certamente Acerca dos:negocios euro-
peus, mas relativamente a todas as questucs de
political colonial que-hoje se agitam no mundo-no
extreme oriented, no Egypto e d Congo ?
0 facto por mais extraordinario que pareca e
per mais inesperado que seja, explica-se no em-
tante. 0 Sr. de Bimaarck, o impreterivel fao to-
umn da political moderns, quer tambem colonisar,
diffundi r as luzes e as tendencies mnarciacs do im-
pereio que domina entire as-populates extra-euro-
pea. 0 que elle deseja, sobre tudo, 6 diminuir a
expansion do socialismo revolucionario, procurando
novcs mereados par oas products industries de
seas activos concidadilos. E ha de conseguil-o,


tebo$ ..
Pp. ar, eonoando nas declaraVes do'g'-
vY&S .lativas A revise das leis .constitucionaes,
deiara. Lo haver enspjo psra t mar em conside-
ra$19 piopostas dos Srs. Andiieux e Barodet. "
byqs -se eguio a este voto 6 mais ou menos sa-
bido. A extrema esquerda, ou urmsa consideravel
p_. e grupo parlamentar, reunio-se dias de
poia l sala Wan-Halle para proover a forma-
do numa liga reviaioista, qau, -eatendnddo-se
per t.o a tenrritorio national, agitasee a opiniao no
inta ., de obrigar o governor e as. cameras a aeei-
tareot a proposta repelida.
E'a, como me vO, a tentative para inauguraiAo
de am.dos costumes politicos da Inglaterra, o qual
se nao pdde asclimar perfeitamente u n'um paiz de
suffragio universal.
Como se devia esperar, a effervescencia radical
durou pouco por cese lade. 0 movimento na'o se
propagou extensamente, porque era. puramente ar-
tificial ; nao correspondia naquelle memento a no-
nhuma preoceupagIo s6ria e preponderante no


ainda que seja necessamio algumas vezes edificar- I Pais
I ln o -s a ,,11m...a .m SR-,;iu/ian.a n o ni ,n-.


os povos barbaros e semi-barbaros pela voz das
metralhadoras recolhidas aos arsenaes prussianos
depois da goerra de 1870. A Franga anuda na
mesma faina, corn a differenqa de que os obuzes
corn que actualmente eatA educando os chins e Os
naturaes de Madagascar, slo, ao que parece, mais.
certeiros e destruidores do que aquelles que diri.
gia, ha quatorze annos, contra os invasores do seu
territorio. A harmonica na snavidade evangelisa-
dora, identifica presentemente os governor de
duas nacionalidades, que a historia destes ultimos
tempos collocou em frente urma A outra na relagio
de espoliador para expoliado.
Em quanto a Alsacia e a Lorena, incorrenda na
iras temiveis do severe chancellor, rmostramn cons
tantemente a sua intima aspiraao a4 voltar A pa-
tria de quo foram violentamente separadas, o mi-
nisterio de Julio Ferry, esquece-se completamen-
te dos soberanos principles dca grande -yevolucao
do tim do seculo passado e de todas as generosas
tradicoes do seu paiz, pars, cm sociedade corm a
Allemanha, ir f6ra da Europa fazer -mais de uma
desgraqada Alsacia-Lorena, roubando a indepen-
dencia a povos que tmrn tanto direit k eta eUwmo
OSa'bibiLa*S*Ldaa na asa do Iswbo o do Loire !
- Quea-odera,' p@v-r-"fwt i-s-- aonseque-hlFas
desse extranho connubio inspirado sem duvida no
odio A attitude tradiccionalmente ambiciosa da In,-
glaterra pelo que respeita ao dominaio olonial?
Ninguem corn seguranca, como nao licito deter-
minar desde ja que resultados colherlo a Hespa-
nha e a Belgica da transforma9ao political porque
acabam de passar, em proveito dos' partidos mais
retrogrados dos dois paizes.
As sociedades occidentaes acham-se dominadas
por urma dupla doutrina, cujos conflictos caracteri-
sam profundamnente a situane political da actuali-
dade. E' visivel a tendencia de todos os espiritos
contemporaneos para uma reorganisagio social de-
finitiva. Mas essa tendencia, concorrendo corn a
falta de generalisac. de uma theoria u tdo racio-


u anni que acaa ae nnasar, corn ecepao uo snalmente concebida, que no conjuneto da seu de-
que socialmente se passou em nosso paiz, nao foi Ineo active e de ua appl%io possa


grandemente rico de tactos, ao pnrmeiro aspecto,
significativos da preponderancia de ideas e senti-
mentos novos na direeoio political das diversas na-
9oes occidentaes.
,r-%*--- .- -- +- -ni l .. b


permanecer constant e plenamente accord corn
os seus proprios principios, x da ensejo a que o
poder public esteja nos differences paizes hodier-
nos, ou no mesmo paiz, segundo as oscilapqes da


Dizemos (f ao primeiro aspecto, )) porque na .1 ,,.^ i ji
e ru -. opiniao, a merce dos representantes dessas doutri-
successos apparentemente poueo expressivos na n i
ass par igal incompotoates pars atlbngirejzm um.
sua origem, e cujas consequencias, Ais vezes bem .a p rig io mtn a ati tni u
.. f.. rimen normal E.' aaim ,au n nartido tbheoloi-


proximas, sao todavia de um alcance immense, nao


en- .nonhne-nan ardioalmeontf fa leia da drvnmmi


s6 sob o ponto de vista nacional m as planetario I . .. f ... .. .. .: ...
c a anscialD nrtsndei reviver um nassado definitiva-


tambem. A sciencia social 6 de uma complexida- -- .
d or- mente morto. 0 p',rtido metaphysico-revoluciona-
de extrema. As previsoes nesse terreno sab sem- n o de -nnvoi
pre arriseadas e falliveis, porque, al6m do fortui- rio, esqu que proves apn e o dsvol-
vimantn da n-rdam a vai nor todi a narte levantan-


to, do inesperado, que tern uma grande part na
historic humana, ha para maior complicaqao do
problema, a falta de um criterio geral, a ausencia


do construcedes ina.onsistentes, que sao dentro em
pouco ruinas, por falta dos indispensaveis alicer-
ces. 86 o born senso public ternm. preservado


ou os sentiments demasiado esclusivistas, excen-
tricos, a que obedece a maior ,parte dos directors
politicos de todos os paizes, a que estA subordina-
da today a diplomacia modern.
Quern, par exemplo, estudando os acontecimen-
tos de que fizemos a resenha no anterior retros-
pecto, n-lo obegaria a ver nas allianVas realisadas
no centro da Europa-e nas quakes a Italia entrou
um poueo siqiularmente o prenuncio certo de
temerosos conflicts internaeionaes? 0 estranho
ardor diplomatic, as entrevistas imperiaes, reaes
principescas, e a linguagem acrimoniosa e vie-
lent4t.que entire si mantinha a imprensa des diffe-
rent* Estados, deixavam antever uma guerra
proxirea, e tao geral, que poderia alagar de san-
gue todo o solo europeu. Segundo todas as apre-
ciaiS6,s aliAs autorisadaa peo que urma acredita
da Revista do Vdelho Mundo chamou a as bruta-


liad-es do principle de Bismarck, essas allian-
Vas denunciavam um violent desejo dc humilhar
a Franqa, de isolal-a, de todos a seus iaturaus
ausiliares, levando-E 'por urma guerra de extermi-
io a abandonar.o oeu actual regimen politico, afi-
.,al pouquisuims ypatbico totalid -oa I ee-


tuaqao centre esses doisextremos a traz eonstanelte-
mente exposta. As muta5es ultimas da politic.
hespanhola e belga confirmam a exactidto destaa
proposivies, como se verA no correr do preseihte
retrospect.
lFranea "
0 taeto inais notavel da politics intprna da Re-
publica Franceza no decurso do anon passado, oi
o da reform constitutional. E assim meaina a
uotabilidade desse incideatl results mai .direeta
da agitaae que produzio no Parlameato, e das
discusses a que deu lugar na imprensa d'aqueIe
paiz, que da importancia de tal reform ew si
mesma.
Einquanto durou intense e exigente a agitacoe em
favor da retorma constitutional, o Sr. Julio Ferry
oppoz-se sempre energicamente a que o parlameu-
to eneetasse qualquer discussao n'esse sentido.
Quando n'outra occa'ia foi president do conseb-
Iho, combattoem corn todas as forcas a proposta 4
revise apresentada 4 Assae % pelo.depuatp.
Barodet. Noa primeiros mzes do se*. actual gao.
verno, o prljeela Barodet-Andrieux f bi.de niv
Awrecido-a eosuieraco da Camara, e aimda des
%7"a ,__.. .....A C A ; .ix Mn .rwnna ,._n-'A, Mr,.


constitutional.
Essa questio estava havia muito adormecida,
quando, na ultima sessao parlamentar de 1883, o
Sr.Julio Ferry declarou, uir tanto inesperada-
moeate, que o anne seguintoes Abriria a discussao
da reform da constituicao.
Podemos ajuizar do effeite que produzio esta do-
clara plo quo e escrcveirmnmdos maj'aciedita-
dosjornaes de Pariz, nada 'infenso ao uMinisterio:
,'. *^srt "*-
i 0 anne de 1884 sera o das reformas consti-
tucionaee. v' Foi por estas palavras que o presi-
dente do conselho, na ultima sessao da caamara,
traou o horoscope do anneo que come9a. Dizemos
boroseopo e nao programma, porque ngo pode-
riamos adioittir que o assumptd doas reforms cons-
tituciouaes formasse o antico programma legislati-
vodo anne, ou reao qcue tivesse nelle o primeiro
e mais aiii1o lugL. E, porim, verdade, infeliz-
monke, que uma vez eomenados- 0a debates sobre
essa-these de political 'bstracta, fica-s em risco
de vftl.'os fazer muito ruido e conduzir a grsades
dper os de tempo. .
,Ep'iritos criteriosos teem perguntado a sl mes.
we, se teria side deo hab polities goveati o
levar dunlriisterio ao priseiro piano "a t tena-pa
lamcntar uma questio de semelhante natureza.
o,, 0 govorno ndo eacontraria difficuldade eon dt
fender-se per ease lade.
,Nao foi elle o que creou o incident da reform
de que se trata. Encontrou essa questa'o na he-
ranga political de seus predecessors, em antigas
preoccupavoes da camara dos deputados, perante a
qual, dias depois do seu advento, tomon, o solemn
compromisso de esforgar-se per solver esse nego-
cio cm tempo opportune. Essa opportunidade no
pensar do 'ninisterio, dar-se ha no fiua do corrente
anne. Elle tinha obrigado a sua palavra, e com-
prehende-se a que accusanoes ficaria exposto, se
so podesse desconfiar que pretendia faltar a ella.
E' portanto foreoso reconhecer que nao foram as
palavras, pronunciadas pelo Sr. Ferry a 29 de dc-
zembro ultime, que deram origem a questAo: elle
enunci6u urn dos pontos do programma corn que
entrou pa o governor, affirmando de mode solem-
ne que se-approximava o memento de camprir,
ap6s todus as outras, a promessa que havia feito.
Esse prqcedimento ministerial 6 perfeitamente
correcto,4 eal e, digaminos, inevitavel. ,
(Contina,)


EXTERIOR

A adminlstrarao municipal de
Par z
S (Continua5ao)
0 algarismo das despezas de soecorros publicos
em ari elevava-se, segundo o ornament) de 1882,
a 24 milhUes, equilibrados na receita, metade pelas
rendaa proptias da administrator, que nossue pro-
iriedad' importantes, e metade pela subVen9gao
Municipal.
O nuni o dos individuos soccorridos nos hospi-
tae-n 110 ospicios, nos asylos ou nos dornicilios,
ebega a juasi 400.000, Por estes dous algarism0a.
noe quaie nso estao comprehendidos nem os recur-
os, nerasB obras da caridade particular, pode-se
jul gar extenso que se deu aos services d-s
coc. .rr publics; entr tanto, essa liberalidad
que b--jfin muto a administrasAo parisiense, nao
corresp ade ainda a todas as necessidades.
Os in aigpnteFi inscriptos nos livros de benefit
ceucia s o em numero de 125.000, dos quaesape-
,as8' q arta part so parismenaes.
(0 i9 igentes nascidos nos'departamentos eons-
titpemos ais da mnetade do algkismno.
0- idig,-ntes estrangeiros ahi representarim
cera d- deoim, parte.
Paris d10 distingue os que soffrem; poscue, d-
Agai g doo, abneficencia t cosmopolita ; eontem-
pla.na- stribuivAo dos soceorros os imnaigranteo
quo Ihe gIhi doa departamtnt.)S ou do estraa-
geiro i. uma carga pesada, que, em muitos cans,
tuxte a igiaslaVAo n-i Ihba permittiria aceitar;
mas a iseri nibo permitted diseusseo on retarda-
inpto scra n iscr.
r g;* 00, e os parisienses nSo reclm- m.
Oer aceutec A. poptabao dos hospitaes e
Ss quo cmntam cerca de vints a4--uet
M; litpa pat 6s ddoen'es, uumero iastiff.iente
quetn 'ia.-a -umwuntar antes cOu a creaalo d.
eotabefient--!. ,svosa do que comn o augmetik
S i.es eiistedtes, onde, s:gundo a opiaiiioi
S a puIpulao esat imuito ag Jomemada
SA tt itract id ocupa-se tambomemm facilitan
Iaa.nt-s a.ais loniclios, o quo exon.a,- eO
S e, n nfi in. rise dos Laspitnes, exi.ado unam
iomntr a sendo m.,ii coaforme aou seati
0 ...OMeFrainentus ut*aftem ainda d
|^^d^.:-L|..5. ue -1^S^


* A Ceneiderada em sen conju.ncto, a papulagio pa-


Considerada em-sea conjancto, a ppalaeao pa-
risienee vie crescer, em cads geragAo. suas condi-
cues de riquezh e bem estar.
Em paresena d'oate progress incontestado, o
que sucecdeu i miseria ? 0 effective dos misers-
veis augmentou ou 'diminuio?
A estatisca nao offerece a tal respeito uma res-
posta cabal.
Si o orgamento dos soccdrros publicos 6 mais
elevado, si se conta corn um numero maior de
soccorridos, pode-.e attribuir, aao a extensso da
miseria, mas Aorganisadao mais complete dos ser-
viqos, A distribuigco mais ampla e inais liberal
dos soeccorros. Tal 6, acr-ditamos, a explicavdo
do algarismo do 100.000 soccorridos, mcncionalas
nas contas administrativas. E' urma proprdao
enorme, porquanto represent a setima parte da
populasio. E' certo que Paris, na sua qualidade
de capital, attrahie e cont6m elemenatos quo aug-
mentam singularmente a clientele ordinaria dos
soecorros 1ublicos. Paris 6 urna cidade franca aos
vagabundos da Franqa inteira, aos foragidos de
todos os paizes. Quantos desses infelizes vaio es-
barrar no hospital ou nos asylos de mendicidade!
Como eidade industrial, Paris contem numerosas
families de operarios, que as crises ou a falta pro -
longada de trabalho, expiem muitas vezes A pri-
vacIo do salario, e sao obrigadas a recorrer A ad-
m inistradao.
HaverA, portanto, sempre, na grande capital,
uma proper'', excepcioanal de miserias, cuja repa-
racao exigir0 o augmento continue do orcamento
official e dos dnuaativos da caridade.
Na primeira plan das obras de soceorros col-
loca-se o cuidado dos velbos e a psoteclo das
criangas.
Os estabelecimentos hospitalares administrados
pela cidade de Paris cont6m ceraes de 9.000 luga-
res destinados A velhice. Observa-se, al6inm disso,
que, no algarismo da popula-Ao indigento socecor-
rida polos escriptorios de beaeheencia, as chefes
de famiiias, maiores de 60 annos, eonstituaem as 2
quintas parties; mas 6 sabido que as soecorros
concedidos polos escriptorios do district sao rela-
tivamente.diminutos seria evidentemente mais con-
venienle melhorar, pela educaaio e peolos costumes,
os seantimentos de familiar, propagar as instituigues
de previdencia; entretanto, o facto ahi estA, in-
contestavel, brutal; o velho, inutil para o traba-
lho, seffre e more ineffieazmento protegido.
Os sefo!!e' dos soceorros, quanto ao que se re-
fgre" ,Aevice, nao parecem star sufficientemente
dotados. -
Relativamente A proteceao da infancia, nestes
ultimos -anaos tomsido assumpto da mais louva-
vel solictude, e 6j'usto pafentear os beneficios rea-
lisados. -


do trabalho, e da fortuua adqu;rida. Todavia, 6
anoessario ter cuidado. Nenhum credit 6 inaes-
gotavel.
Novos emprestimos serAo necessarios ; ora oa
direitos de entrada, que sac a principal fonte de
read corneamn a ser sdriamente ataeados, e tor-
na-se difficil defenler sewelhante imposto. Per
conseguinte, serm estar embaraqada actualmente,
a situaa.o financeira d,. cidade impoe A adminii-
tragio municipal urn accrescimo de economic e
prudeucia ao memo tempo quo o ostudo previ-
dente dos recursos destinados a compensar a sup-
pressco total oa reducedij dss direitos d- eutrada,
que pesam mnais scbre o consume popular. C G vcm
preparar essa reforma do minode a acudir As des-
pezas uteis, reservando a pos3ibilidade de futures
emprestimos.
A importancia do orainmeuto de Pariz nao se
calcula s6mente pelas centenas de milhbes que
sao recebidas e despendidas annualmeute. 0
emprego que se dove dar a uma renda tao con.
sideravel produz iucessautes debates, theoricos
e praticos, e decisoes que iateressam no maie
alto grAo A condigIo material e moral da popu-
la~ao pariziense, suas opinioes e seus sentimen-
toes. Demais, o paiz inteiro observa corn atten-
qao, e, algumas vezes, corn anciedade, as dehlibe-
ragoes do Hotel de Ville. Como, reahlmente, se
ha d, contestar a influencia que dove exercer aa-
turalmente o exemplo da capital ? Os principles
discutidos em Pariz adquirem per esse facto uma
autoridade e forca de propaganda que o6 impossi-
vel desconhecer.
Tambem a organisa^So do system aprecenta
as mais graves difficuldades. Cumpre respeitar
as attribui6es municipaes e velar ao mesmo tem-
po para que a autoridade, iivestida dessas attri-
bui6es e dispondo de semelhante orcamento, con-
tenha-se em justos lIinites e nio suscite embaraeos
e perigos ao governor e A naaao. 0 system que
concilia essos differences interesses ainda nao toi
descoberto. De todos os ladies critica-se o regi-
mem actual; existem mnuitos projects para urma
reforms partial ou total; as opinions acham-se
extremamente divididas e a political e que domins.
A question, muitoe dedicada em si, fica ainda maim
complicada pelas lutas dos partidos.
Esboqar as diversas combiaa9oes que, no tempo
da antiga monarchia e desde o comeoo deste se-
culo, t6m side appiicadas A administra~ao da ci-
dade de Pariz, seria um trabalho interessante sob
o ponto de vista historic, mas pouco uil e pouco
concludente para a soiuqdo do problema que se
trata actualmente de resolver. Basta lembrar a
ongem e as priacipaes disposigtes da lei em vigor.
A creacao do conioelho municipal e a divisao da
A doeposa escod a 5.Q~iO.000. nle ha dinheir 4ULIIWL r p C qILLU a 5JarLt4in 1a u ua a put--


1 f i~\ f~ff\ XT"i r i taminisraion Adepezaexcedea5.Q .00. No ha dinheiro foitura de policia, datamrn do --insulado (le do 28
mats bem empregado. ,o pluviose anIo VIII); a lei de.8 de abril de 1834,
Quaesquer que sejam as causes, a mortalidade mpo da monarchia de i ulho, estabelecea
.da criannas da primeira idade nas grande cida- elo o polo vote censitario ta como existia enteao,
de attinge proporces verdadeiranmefteo &ssueta- da metade dos membros que compunham o con-
doras; as criangas abandonadas, real ou moral- seiho municipal
mente, pullulam. Quem nao v6 estas cousas de 0 governo republican de 1818, instituindo urn
porto, naopode imaginar quantas cnian9as morrem maire de Pariz que alo era, corn outro titulo, se-
em Franga, per falta de cuidados, nem quantas, no o perfeito do Sena, dissolveu o conaelho mu-
depois de tcrem vencido, milagrosamente, o desfi- nicipa fcleito, e substituio.o por uma commissl o
adeiro da primeira idade, sao votadas, polo aban- provisoria, caujos membros cram nomeados pelo go-
done, A vagabindagom e A ig~ria. po
doo &vgandgem e A esente ^ regimen da commisa pRovsra
A estatistica, excavando nos registros dos obi- verno ; ost regimron da commiss provisornia, coin
ronova,o dde Inombros todes as ounce annos, fei
tos, demonstrou quo a noasa civilisaqgo t.ao gabas conserved peleosgondo imperio s finalmente, de-
-do cormoette ineonaciootomente grande number e do oservado peo-e egunido impenie; finalumento, de-
infatdietteios;s archiveitemente grande numero de nn- pos da revolu9ao de 4 de setembro de 1870, houve
infantieidios; s arivesjudiciario8 teem de ao mesmo empo desappareeimento total da com-
ciado a part de responsabilidade que cabe a so- amom municipal e sspa do matre do Parc-z
imputados A maln issibo municipal e resunroireig do maire do Paris..
'iedade nose crimes e delictos imputados A maiort6 qu a l 14 do abnil de 1871 resttto cap
part dos joveus reos; a economic political, do ac- tal urn eonselho eleito pelo suffragio, e deliberando
cordo corn a moral, sua natural alliada, calculoue amplanonto sobre tod e os negecios de inteross
os rejmosequ o stao s tens ulpdoamplamente sobre todo.3 os negocios de interest,;
os prejuizos deoque o estado se torna culpado, da communa, em presenga do prefeito do Sena e
quando nao ampara aquelles que nao podemn de- do prefeito ds policia, conservando ambos as saas
fender-so quando nao resgata o recem-nascido attributes. al a organisao actual que tra.
da morte, nem o adolescent da ignominma; quan- ta-se de reformer.
do, em summa, priva o paiz de productores uteis 0 conselho municipal protest contra o regimen
e bons cidadeos.
Em ceada anne poerde-se assim ua messe de de excepcao que e feito Acommitua de Pariz: rei-
Emcaa ano pede-s assm um messde indica a plenitude das attribuioes, que'*sao coa-
seres humans ceifada pela more ou destruida di a plenituder, todas attribies, qommu-as dcon-
em lor. A reacao 6 devida ao excessoo mal. acdidna pela lei g eal, A todas as communal de
Almas generosasvotaram-se A proteeao da infan- Frana; reclama para que Pariz tenha ura maire
cia. Uma lei recent e regulamentos novos minau- constituida e um maire leit.
g~uraram a reforms, o a administraC Urna minoria que augment em cada eleigdo, e
iense, cg uraram a reform, e a adnr seguidoe da que no tardari a tornar-se maioria, pcde mais:
znsa parte, cujo exempo merece ganisar taseguido emn toda- quer queo conselho municipal, inveetido de attri-
agparmnte, quat era peito organisarvito das crianr- buiioes mais latas, realize pars Pariz o type da
game steorquidas. terapssiveloserviodascan eommuaa indepedente e autouonoma. Cotrario a
smoe sontimentod liberdade oraetaia essas pretencoes, que se affirmanm eada anne corn
0 mesmo sentiments de ibrdade orcamenta ina energia crescent, o governor observe as usur-
encontra se nas medidas tomadas pelo conselho paes do conselho municipal sobre o domini po-
municipal de Pariz, em matenia de instruco p- litico, os votes illegaes que neeesasario annullar,
caEm 1869 as dspas do ensino pimai attin- urma attitude e resolugao que cream conflicts
Em 869, as despezas do ensoprimano attn muito frequents eutreo conselho e os dous pre-
giram apenas a cinco milhoes de francs, em 1883 fitos, e concle naturanlmente-que a legislaqgo
excederam a vte e trez omilhoes, e si accrescenta- seja e laborada de odo a furtificar o podcr cen-
rein-se as despezas corn o ensino secundario e su systemas bem distinctos : urn,
porter, o dotld on~amento da inet'uc'do publicist. iusdnsytasbrdsicos:r,
peor, o total de ramento da instruct publi que visa A independencia complete da comma. a; -, o
olovar-se-ha a .5.00facs
elevar-se-haa s ecol00.000 francos. do outro, que tende a consagrar, para as attribuiQ5es
oaugmentodas esmcolas supeiores e do enseso mais importantes, principalmente para o service
professional, assim como a creaeao dos lyceus da policia, a autoridade superior do Estado.
para as mulheres, dovem fazercroscer esse alga- Entre estes dons systems collocam-se medidas
rismo, que noe tardarA sem duvida a attingir a pelas quaes espera-se estabelecer unia transaccdo
30 milhoes. demasiado abso
Independentemente da despeza annual, conviria entro e oque um e outro pode ter dmasiado abso-
avaliar os juros do capital destinado d construe- po er central, representado polos dons prefei-
cqo das escolas novas. 0pdrcnrl ersnaoplsdu rfi
au das ofscolas novas. u i l tos oue por um funccionario unuico, conaervanra a
Tudo ito forma um total que 6 licito julgar ex- P attributes que he cabem em vir-
traordinario. Pn oa sntiu~e u h so mvm
traord n o.sse dsuvolvint dad As scols, tude da lei geral, e o poder municipal, em vez de
Ha nesse deseuvolvimento dado As escolas, de sor conucentrado em urma unica assemble6a, series
qualquer ordem e de qualqer natureza, outra 20 districtos.
cousa mais do que o simples dasejo de facilitar a d district teria a sa municipalidade e con-
instruCe9o popular. A political tern grande parte Cads deitos, possuindo per essa municipalida ade mi con-itra-
nisso. 0 conselh o municipal quer que todas as sol leito e possuinda pe essa 6ma admisetra-
crianaas do Paris recoharn rina instunucio es vIlo distiacta em matoria do estradas reaes, de
crianas de Pariz reebam uea struc s assistencia, de instrucao public, etc.
special; quer, mais do que tudo, que essa ins- Qaanto As questoes que interessam o conjuncto
truccao desprenda-se, principahlnente, de qualquer da cidade e que comportam decides de applica-
principio religioso.
Para semelhante tim, organisa nas suns escolas, ao geral, seriam tratads, ou por urm conselho me-
que contain 100.000 alumnos, o ensino secular e tropolitano, cujoi membraos deviam seto eitos plo
luta a golpes de milh6es corn a concurrencia Jas conselho municipal ea cada district, ot pelo con-
antigas escolas congreganistas, quo se converte- seiho gecma do departamonto do Sena.
r'.jm ern eseolas iivres. 0 or9'smento fas as des- Esta combinaabe teria, per effeito, p3r termo 0os
pm em escolas lives. 0 omen tempo, o fas cidadoes- coflictos politicos e eonservar para a popula9ao o
pezas da guorra, Ao inesmo tempo. os cidadaow diri do administrar-se m-ais direetamente, no
que nao se assoeiam a essa political, ospais de fa- dircito d eo administar- e ma s diectaente, no
milia que nao entendem que ,a religiao deva sero ciculo doe neo muaicipaesm eo g nocessarie
esebuida systemiaticamenote da escola, cotizam-se e forticar mais a autsridade do governor, a qual, co0n
excluida systematicamente da eaeola, c^tizam-see stessea a sof eriousa lua
resignam -so a sacnificios para a fuidaao e0- semelhante systems, ao sofreriscausa alguma.
servacao de muitos estabelecimentos quo recebem C o .
70 000 alumnus. l
Muitos milhoes slo assim depeandidos, alem dos
milh5es inscriptos no orcamento municipal, do que oT _l
result que muitos contribuintas tern de p.agar iNiT IOR,
um impoito duplex pars as escolas : seIo taxados
pars a escolahioicial e tasxan-se, voluntariamente, Vlagem de o S. Altezas
p:itra a escol-t livre. A. despeza total excede a (IadoGomnercio)
somima que seria necessaria para assegurar, em (oral do Commer)
melhores condiqces, a mnastrueio dos l70.00u) alum- % Pome de S. Luiz (Campos Geraes) 8 de dezem-
'nos qu4 frequentaim as escolas prirnaras. bro.-Aqui cheguei hoetem as 7 d:i quite para des-
Tudo isso redonda em um verdadeiro disper -ansar d's rotabatida em quo v.im-s pat a Palmei-
Sdio dos recursos da cid-.de para um eommetti- a. Nio pude fiear no lug4-r chamado Itaqui,
rmeito politico e anti religious' a favor do qI de reside o deputado provincial Domingos An-
ninguem ousarA certamente inuocar .as tradio6e touio da Cutiha, que hospedu u uas Altezas, por
do direito municipal, nem o principio superior da que a casa, 6 piqueua, nio podia accomnmodar toda
'liberdado. e
Sliberdade. I- gete que veLo na excursio aos Campos Geraes
As financas da oidade deveriam ser, a este re- go P qrauos
peito, mai se\'eramente pouptdas. Sun Altezas, acoeipanhadas dos principes do
o IV irko-Part e D. Luiz, .a Sra. Baronesa die Burn-
0 orcamento d. cidade de Pariz elovara-se em by, mnrechl, do campo Miranda Reis, Dr. Rami:
r 1883 4 263 milhdes de frances. GavlQ fosEasor Stoll, senador Coria e sn ir-
n a* um en am-.nto de estadb. -Nqlle eneontra-se is > nfo nOIreia s preidente 4t provincia, t
a tauds inelusiv- urna divide. anwhavel prove- 1k. -' fo:ia Loao Velloutstioeonaslbli-
- vejinte do *zjrsmbraitos t"omfvfeaf4a enje sorvli m w-^ Aratije, o satin pea partira
rudge o pagmmento annoal do nat e92gntea ma -% jnt di. oa do otituia e pararh

, A dirida forma tt.g maim impstaat aW.' espqahePi oS
i di.'.. 0 MrOdUctG M udo dieio 4s wndsa? .AfflM 4A.-


0 .1


MAN-*1. A


\' '


I


I


.I a &se naoU lainava comuuul otoiniinen *m ,a


11


I


I


I I


de um principio aeterminado e aosoluto empinrsmo d d m rs
u~~~~~c ~ usu.i r iedp~rade dp. uma varte dos estraeros a que a fl~tica


ZV4.LUUMAU %AV UALLM LJEASV






de ] *fo- d I-- '"- '

*^**y ^ I B l. de ]


PcrIaRbco rnmvain


j .... .., ,<- '*.--y^8 : v> ^ --,,e(.-- .. _" .. ......." -.<* ,,*y wI .<". .. .
.. ."
"'' ... *' _. .. -' ; .. .
.' 0' ..
.* .t --

lite-fbt 1 de snteirox 4Ig Jilf


5- -.
- ~ ~-


Grao- PiariD. L oi. oauhalas da ae ; T
tor o Dr. Rsiniz 0Idvoo e-d protessor Stolt, re
gressiram para a capital eoutinuaado.SaIs AIlt-
zas a viagem pars a villa de CGmp)-Largo, ounde
chegaram A 2 hrans da tarJe. A estradai quo vai
de Coritiba & esta villa chama-se de Mfatto-Gros-
so e era oiWt aQ to beom coaservada come a aUniao
e Industrii.: baj porem as cousaas mudaram. Bu -
raeos, nuvs de poeira, falta absolute de maca-
dam, eais o qu o ali se nota.
S Como 6 s-ibido a principal riqueza da provin-
cia 6 a herva maik
PNde-se dizerm s om am eo dicrrm"e 9eSAisU
do abandon enomq eaihs ntria3 urast de,
vida unicamenoti f-acMa da. eatraco9s do
mate, que abua "Miestipwviia dk u mni md in-
crivel. Sd no mW iciipde Campo Lawgoa J 9P.
engenhos para basnficr -a hbrva nmate, dosq aea
18 sao movidosI*. 1 per vapor. Prten -
ce este ao Sr. % 5 ai1o do Maedo. DiUsesa
engenhos 13 trabuAliaftefect entGe, podemado-so
calcular qua a exportao do ammiipio chega a
2,400,000 kilos.
c Sua Alteza o Sr. Condo d'Eu acompanhado
polo pave visitor a matriz o telegrapho e o club
Campo Larguense, dignando-se assignar o sea
nome no livro dos visitantes.
Seguiram Suns Altezas viagem para Itaqui,
comns jA dissemos, onde se haspedaram na easa do
Sr. depgtado Domiagos Cunha.
( Dapois de Campo Largo comeoa o terreno a
elevar-se e de repente apparece ama cordilheira
escarpada quo se esteade par alguimns dezenas de
kllfmettos. 0 seu came que fca a 1,060 metros
aetma db nivel do mar, tern mais de 100 do que a
8erra do Mar e quasi 200 mais do que Coritiba.
O'cuane chama-se Alto da Snrrinlha. E' um
espectaculo dedaumbrante.o qua se vista dalli.
Do-um lade, al6m da Serra do Mar, as terrenos
que fitam centre aparte denominada Campos8 Geraes
e a- regiao montanhosa, e do outro a immensidade
d6s referidos campos que comeom no alto da Ser-
riniha-e estendem-se corn ondulaao para les-noro-
est e. norde-.te. A Area dresses campos tern n,
sun maior comprimcnto de sudoeste para nordeste
nmais de 396 kilometros de extensao send a bifur-
caco, nas mattas marginaes dos rios Cinza e Ti-
bagy (desde a.Serrinha) de 264 kilometros, e a dos
ries Cinza e Paranapanema de 330 kilometros.
Ve-se pois que as campos sao immensos. E' do
alto da Serrinha que elleas comegam.
.3 Autes de entrar nos campos; devo dizer, ainda
que resamiiamente, o que 6 a provincia do Para-
na A s ua extensao superficial de 335,4:12 kilo -
metros quadrados pouco mais ou menos. Esta ex-
tenseAo, apenas habitada por 155,000 aimas, apre-
senta tantos climas quantas sao as variadas.con-
di95es topographicas do solo.
Ojipinho em breve tempo tomarA o lugar d(
mato e por causa da facilidade de condaucao que
Mehi de proporcionar o prolongamanto da estrada
do terro do Parana.
,, Entre outros products notam-se tambem c
trigo, o centeio, a cevada, o fteno, o feijlo e o mi-
Mho, geralmento cultivados pelos colonos, a canna
o-caf6, o aagodao, o tabaco. a baunilha, fructas d(
paiz e da Europa em grande quantidade.
Do lugar ftaqui seguiram Suns Altezas, depois
de onvir missa, para este pouso onde Ihes fai offe-.
reuido um almoco, findo a qual proseguiram nai
sua-viagem pera Palmeira, onde contain chegar As
5 .oras da tarde.
,, Palmneira, 8 de dez, mbrod iniat-noitc-Suas
Altezas depois de ouvirem missa na capella do de-
piutado Domingos Cunha, As 6 horas da mnanha, so-
guiram viagem e parAram no pouso de S. Luiz ond(
almnoaram. A viagem foi muito incommoda da-
rmte o tempo que atravessaram os campos poi
causa daas nuvens de poeira que se levantavam na
passage -dos carries e a censervaao da estrada 6
to mn, q qeja nago se v6 o macadam.
Cc Lppois' do pouso de S. Luiz, v&-se a-bonita
ponte -dos Papagaios, denominacao tirada do no-
me do rio, que por ali pass, e dista 20 kilome-
true da villa da PaImeira, que 6 a primeira peo-
va&o quae se encontra na Serriuha. A ponte e
today. de granite e toern dons vAos em arco de 12
zntres de largura. E' nesse rio. que se diz pom
aqmn que ha diamantes em profasao.
( Depois d'esta ponte. a alguns kilometros .ape-
ans, flea a tao fallada fazenda do Capa d'Autas.
SHoje dizeam-me que a colonisano aqui vai
melhorando. Os ruasos preferem cuidar da cria-
caoodo gado, pois que a plantacao dos cerieaes
pouco da, por nao have terra part fazer.vingar a
planta. um pahno abaixo da gramma so se en-
contra pedra. Esse terreno de pedregulho paes-
ta-se, eutretanto, perfeitamente para ermamao.
&e A criacao de gade vaccum, cavalar e -muar
f. -a riqueza dos fazendeiros d'esta. zona da pro-
vincia.
a lNa ,Pslmeira o clima 6 favoravel A culture
dearvores fructiferas nao s6 europdas, coma ano-
geeira, amnndoeira e outras, mae tambem laran-
gesiras e limoeiros.
,c Pare qtalquer lad qoue se olhe, ve-se pastan-
do gado gordo, ihzidio e forte.
cc Quatme cavallo- aqui puxam uma berlinda
daranta sote legnas, sempre a trote, e algunias
vwos a gaope, subindo e -descendo morros.
Cousa singular, o cavalbo no Parana parece
qo -refz, as forcas pei-didas bobendo agua.
SUmna. legua autos da Palmemra, exactarnoate
na-narte mais eievada de unia das collinam que. se


estendem pelos 'ampos Geraes pararam Saas Al-
teoas. para recelber os comprimentos do conselhei-
ro Jesuino Marcondes, Dr. juiz de direito da co-
marg e pessoas importantes da villa. Cerca de
100 cavanleiros esperavah ali; tambem Suas Al-
tezas, A' proporVdo que a comitiva se adiantava
engrassava o numero de cavalleiros, de mode que
aoiitratmrna villa p6de se dizer que mais de tre-
seatos eavalleiros acompanhavam o prestito. Isso
coneomeu nao poico para que nuvens de poeira
tambemn- -seguissem e euvolvessem os carros, de
mado que quasi nao se via os que iam na frente.
SN(A Palmeira, onde Suns Altezas chegamra-n
As 4, h oras da tarde, levantavam-se areas de fo-
Ihagwn, em -alg as dos qaaes liam-se os seguintes
dizeres :- ivamr Sans Altezas Imperiaes. Viva
o Prnacipe do Gr-o Pard. Viva o veucedor do
Paraauay, viva o heroe de Pirebeuy, e outros. Vi-
va 8., M. a Inperador, viva S. M. a Imperatriz.
,, Sa.-is Altezas hosp daram-se em casa da Sra.
Vic,)ndessa de Tibagy e do sea filho, o c.nse-
lh'*iro Jesuino. No fim dn jantar que o conselhei-
ro -Jeanimo oflereceu a Suas Altezas, ao ser levau-
tado o brinde, foi suggerida a idea de tornar-sc
public o acto da libertago do 52 escravos, feita
em rogosijo pela honrosa visit de Suas Altezas a
esmin localidade. Dc ha dias a esta part esta
provincia term visto libertarem-se centenas de es-
cravog.
o Snas Altezas ouvir:rm na matriz As 7 horns
da noite urna novena, finda a qual queimou-ae umn
bonito fogo de artificio no largo da matriz, assis-
tindo Suas Altezas corn sua comitiva da casa do
Sr. Hlenrique de Araujo.
,, Partein Suas Altezas amanhd, As 6 bhorns da
minhA, para Lipa, onde se hospedardo na casa
do Bari-o dos Campos Geraes.
(( Lapa, 8 de dezembro, 6 horas da tarde.-Aca-
banr de chegair aqui Suns Altezas. A recepedo
foi bonita. Eitarnos viajando desde 7 horas da
maihd. Esta carta vai por um proprio para Co-
ritiba.

Topleos do dia
,Do Paiz, da corte)
Eraquanto Sua Magestade o Cafe vai recobendo
a homenagem dos visitantes da exposicao, 6 just
quefagapmos algumaas-respeitosas reflexes ante o
excelso throno do glorieso monarcha.
Sao tantas as lisonjas que desfilam em cortejo
perante o real Senhor, que parecerA ousadia a tos-
ca linguagem do reverente, mas pouco mesureiro
vassallo, que enfileira-se agora entire as corte-
slos.
El-rei Caf A um soberano de sabedoria salomo-
nica- e por isao tomarA, em boa coat a os nossos
dizeres.
Sual Magestade vai senado muito adalado, e 6
eonveaiente falar-Ihe a verdade.
Soahor! enganam-Yvos aqueHles que dizesom ser-
des unioo aneste pai1 Outros mrecem tanto
eoui v6s, e at, reievai o rebarbativo da phrase,
co-umais aigum esforgo, mereceriam maisl
0 taceto de rodear, como plaata emblematiea e
heraldiea,, a esphena annUlar, que adorna o nossoam
eeta.di*A(f#an k.a acamre genalogiea de Vberm
Mnm 4- isl' incontsartsvis a otuamo a.-
ta tAt m mmm amase, e seg amente n&a
Uao-1 we 9S. piVito da f-m a..._
A'emmnd AT go eo algod ai 8 am
mmM-fzGda tMMain dua*mn aaeu t iva_
da dami &I ptaW sniam. dos doaaiixoods
ag~ htk. ***
.SbaWS*,t 4 stIdouommtd do Mani p- o .a
eeilm quw 1aw i .am temps Tedas.uiad.
mui La wukm.to iaadim su

* ume aa pi iO eia, e~qedt- weot mdiph or


nao sao convenientemente cuidados e a gramma
parece que, ha muito tempo, nao recebe agua, a.
uao ser a da chuva. Muitos dos bancos precisamn
de se6rio concerto; tao desconjuntados se aeham!
AIg-ins at6 no tern lastro nemo encosto!
E E' espantosa a poeira que existe no ameno
jardim; somente sabre a poeira que se anda, vista
como a area grossa corn que costuma alastrar as
veredas -nunca-mais alli appareeeu, depois. que soe
inauguroun.
F, entretanto, bemrn pequeno e o jardim da
praa. do Conde d'Eu e oearn pequena despeza fi-
caria- correcto, deixemn passar a chapa.
a Publique isto na asua Revista Diaia, afim de
que alli apparega quern deve e p6de remediar takes
oousas. ,
Igreja do RBosarlo de Santo Auto-
niuto-N'esta igreja estarl exposta, hoje, pela ma-
Sdrugada, e das 6 As 9 horas da noite, A veneracau
d&s fieis a imagem do Senhor Born Jesus dos Re-
medios.
Conferencia-Na proxima terma-feira, 6 do
corrente, terA lugar, no Theatro Santa Isabel, ao
meio die, a conferencia eleitoral do Sr. Dr. Joa-
qnim Nabuco.
Espirito Santo-O paquete brasileiro deste
nome que devia regressar do norte agora, tocando
em Pernambuco de 2 A 9 do corrente, parece que
ficou encalhado ou teve qualquer outro desarranjo
no rio Amazonas, pois nao ha noticias d'elle.
0 Pernambuco, que estA pela ageneia annun-
ciado para o dia 2, nao p6de absolutamente ser
'gora esperado, pois tocou aqui em viagem para
o notte A 18 do passado, e nao pode em 15 dias ir
ao Amazonas e d'alli voltar.
A companhia, pelo seu agent- aqui, deve dar
alguma explicaoao A respeito.
Ordemu a de S. Franmineo-Hoje, As 8
hers do din, ha nesta igreja a ceremonial da en-
trada de novas irmiaos e profisslo dos jA appro-
vados.
Kalenudario par& I 85 Na forma do
costume, diatribuimos hoje corn os assignantes
desta folha c kalendario para o anno de 18'5.
Peell'tividade religioea Na igrja da
Madre de Deus, celebra-se hoje a festas do Senhor
I Born Jesus dae Portas, constando de miss resada
A s 5 horns da manha, miss solemne cam sermnro
polo Rfvd Leonardo Jo~o Grego, as 11 horm do
Sdia, e Te-Deum As 7 horns da noite.
A' tarde e A noite estara exposta a image do
SBbm Jesuns dos Portas, e sero distribuidoa regis-
tros e fitas bentas. Tocari uma bands de musi-
ca.
Septenrlo do, Pamo no Malagul-
Snho.--Communicam-nos o seguinte :
o Como tivesse sahido inexacto o annuncio do
Soptenario dos Passos na capella de S. Jos6 do
Manguinho, pedimosa-lhe a reetifieagSo seguinte :
v Conua 0 Septenario do Seuaor dos Paoss
na. cape&l do S. Jo6 do Maaguinho, corn bastante
frquenecia. A parte musical 6 exeo6utada por pro-
feaswes. Foram supprimnidos os versos. i
Iendtmentos publioos Arreoadaram
pat seguintes esttaces em doembro:
SAlfandega:
De 184 758:684A496
SDe 1888 1:089:182414 4
De- 1882 9M194a2586T
De 1881 1;351:48(W004
Do 1880 1,095:4M53a
Aftekdoria Gercz :
De 1884: 48:3299722
1) 1888 5?;285^599-
-t 1882 10:882S8S
1 I 1881 a308518
Do 1850 96G9S7
L' Codw Provf6CiaL:
IJ 1WtS 23I1:W4.S18


a


IdaL
Fostes aluaaida fitM a antigo iavwor
arregalar o olaho, lamentando tudo qunsato perdeu
depou da tatal jornada de Giararape.I
Fostes Russmia e a dynamite oaleu-se por ins-
tantes, dando folga ao czar para faer ehover so-
bre n6s um diluvio de Santo Estaalslao...
Tendes visto e onvido muaito, mu nWa vedea tu-
do quanta pass perto de v6s, e nao ouvis aquillo
que deverieis onvir.
Ha wc:vw~ ~eoo inimni4o progreo e
MOOrat agof gi ; q ; swmeate medoais
A ladKtda emmvidb; qeo tendi horror uawtra-
bdho awfnirdo, asando exdumramenet$. a*
w lad-blaudaie doa graadss pwprietario."
Quaaddtawa te em libeWade, apontaumwm" _
B agpiomaa que a chc em perigo, eramds
alar awrzeriadAs livras e.bem da voae tema
quillidajie I
NTO!adaittairq aie;vivw- seno na osa,
tenses terreie;- 0,,eaManmato das pequenas 0 0-
Iheitas nio vos serve; sois incompativel corn fa-
bricas como esses engenhos centraes de assucar,
onde o plantador proletario p6de ser vosso subdi-
to, mas corn as regalias de cidadio...
Rei absolute, 6 o que querem que sejais, inteira-
do de todos os negocios, envolvido n'elles, morel
de todos os nossos actos, irresponsavel e sagrado
at6 nos indeseulpaveis erros !
D'lo-vos uran origem oriental, descendeis dos
soberanos de Moka e do Malabar, trades a tyran-
nia. dos principles despoticos !
Debilde algune patriots apontam tantos peri-
gos imminentes, desde a liga de vossos- vizinhos
productores ate o abaudono em qua jazem outras
industries nacionaes.
Nada, porim, p6de ser ouviclo por Vossa Mages-
tade, graeas ao ruido que faz essa olygarchia que
vos cereal e ano q-uer que fagala concessoea ao es-
pirito moderno.
Subdito fiel e revereute, como aquelle outro que
ha poueo escrevew um Manual para- use dos lavra-
dores, viemos repetir, nt.o a ameaa-stbrinissa ou
demcssao-, masque preeisais conteunporisar coan
as ideas do seeulo.
Deixai de lado eleic5es e toda essa traqaitana
em que vos metteram, para servirdes de bandeira
a uns tantos campeoas, e reeolhei-vos ao sombrio
apriseo da matta.
Ja ecarranca a citaeao da Illiada na part& em
que se diz que os Douses nao devem combater
comn os hormens, afian do evitarem a irreverencia
de urma setta desgarrada.
Pois ahi fica a citanao poetica em sua quadrage-
si-ma edilAo political.
PFaamos um pacto, Senhor, mas um pacto
lea l!
Consent no fraccionaimento do solo de modo que
as pequenas lavouras, unidas pelo trabalho, apre-
sentem o nmesmo resultado da lavoura corn o m')-
nopolio da terra; permitti que o estrangeiro pene-
Stre no eito e que, sem pengo par& a terra sagrada
da patria, revolva tambeom suns entranhas ; con-
Ssenti fialmente na confederaa"o dos bragos li-
Svres, ligados todos polo estimulo proveniente de
boas leis economical e saciaes!
s 8de umn monarcha do vosso temp3, e o vossoa
Sreino serm logo, fecundo e cercado das benuos
da posteridade.
s Seudo assim, todos vos promettemos, senao ver-
ter, pelo menos beber-at6 a ultima gotta da preeio
8 sa rubiacea que vos da o nome, sengo, como no
* preito de vastallagem dos fidalgos castelhanos, re-
- petimos em alto e born som :--sinon ?wn.


\ RiSTA Dina
Anno born -A todos os nossos leitores, em
geral, e p&rtieularaente aoaes dignos subsacriptores
deste Diario, cujo va'sioo auxilio tio efficaz nos
tern sido, agradecemos cordialmente sun benevola
Scoopera*ao, que eeperaios ido nos ha de fahar
r na nova campanha que incetaimes hoje, e para a
q.ual nos seatimos tao diappatoa come jimaia dei-
xamos de sel-e nos 60 annos deeorridos desde o
nosso apparecimento na arena jornaliatiea.
A tados e0ses bona amigos da. imuponua,, que
assim sido inequivocasprovas dirseu interemse pelas
conass patrias, do seu amor ae progre so do paizm
o especialmente ao desta provinoian, aonprinaoata-
tos carn a maior effusao, e dezejamoa que tados.
teaiiha lic. ainino q agosnacomaerelQares e anis
greAas veaturas do qfe noanne do 188, quo vol-
veo liontem ao dominie do passado.
Sejao as avo earn peoptet. t. doo e trags
etle novos alentos A provincia deo Pernamibco, tob
absAida, tao infelicitada; dosde algana anos, e0
prineipummonte no deenrso di quo-eaiba deser&
ibsorvido pela voragemn do tempo.
Jardim da Praea do Coade d'Eu-
Communicam-nos:
Acha-se em misero estado o jardim da praca
do Conde d'Eu, unico potato do recreio conee-
cedido aos boavistanos. Os arworedos e arbustos.


A discipline military 6 o q
par abater o orgutho dos que s6
pmsapia.
Fvllado disto e dos tradlgoes
velha nobreza austriaca, rofeare
senw o segulate iuteresaamte., ea
Unm oven e nobre conde austria
ema 18 no regimento de zuavo
novo soldado do papa apresento
do dia :
O--Qe hei de eo flam$r apra,2
VA'para 0patfeaom a sta
oe u tar batas pam* o rancho.
1- 0 qn;- s de uear hatatos?
S- S1Im, sahoriipt'lurdo?


.it- "


daurou uas quunae tajosao. '" pt.o"e1
I Os bilbetes aeham-se & veda A CasA da For- Afogadcs, 30 de dezembro de 1884.
1dio, quoe se pde tuna, ?A run do Creip o n. 23, as bilhetes dosta late- Archias Linclpho da Silva Mafra.
ito de phosphoro ria.
e a 100 graos, a 4,raude Iftsoteria da eorte -Esta grande Autodo peg tas feita a Sr. Arches -Li-
do e deatand-Loot- er gdolpho da Silva Mafra.
o, tco eras oo pr io grae 6 dh 50d0:a000v0, Aos 22 dias do mez de dezembro do anuo do
atte e sivobtho.ee naham-se Ar venda an nas. Folin A Nasemnto do Nosse Senhor Jesus Christo de
to i0AC1864, nesta cidade do Reeif- de Pernamnbuco, em
o.i -pra--ca. d Ino a-. 3T e.-;
iTtorie que1 seW, eV .e"a ue ae Ja*e-A oteri asa de resideacia do Dr. Francisco Auguasto d
idoio ue eA~ i Ls~rlka. dwaedo ,j~maed o-A loteria
oeis porque creiom 319 A, do Rio, de 200005000 sern extrahida Fonseca e Silva, delegado de policia do primaiwo
ser exporirunlta-: no-a i93,do correlate; district da capital, onde eu escrivao ad hoein m
ser experimenta-: nddion3do correnteu acha resente oSr. Archias Lindolpho da Sit-
e. 0 0r0to does tb -a v.asFortuna,cruaelo mesmo Dr. deao foamfai
aoe a -- P ldo Margo a.23.Va Dr.legado feitas
de attenioaftor- Lterla de 4010O0 "OO-Esta gra-i as perguntas g tes estad fi-
Pergantada qual sea nomae, idade, eatado, fi-
i, par unea antori-do loteria doRio deJkneiii oraettrahida no daI Plinaqo, a ua pose o e s
Iw~rhi-do as- dej~inofo.'pcvxma iadsro. ia~a, ataralidade, prafisado e se sabe loin e es-
Awrtir de Was- 5 dej
iW, referil a,pa- BilhetesAVeondoa naCasa .Feli L rap a daoIn- ona& chamar.se Archias Lindolpho da
los aiuda as prin- opendencia ns. 37e 39. Silva fade 38 a cad fiho de
rnaclonal. Grande loteria, 0Wi t5'N u-4N --Eita 1e- ,d 08 e.nicnssdo, tithe deFra-
,duiot. da inta-l.eri*.c anjppemi.grsude .de,4W00005-A0o, serA Cisco Simres da Silva Mafra, natural desta-pro-
rg#ico, no caa extrahlidaii no di n de jaeire proximo viadouro vincia, negocio, sabe ler e escrever.
volinv^e ,.vt-adal Perguntado com se deuo facto de que resultou
uo -0o sahir oell*e Laid
(InftraYo). 404 U E 2" quem-na naiite-d soxt-feira- 10 do
oenas Ourinas ,ds ta lotta, cujoeapital' d6 2,0000005000, dividi- cormente, s 9 horas e. um quarto pouco mais on
e- o oas~ ,- tmenos, chegou a poa de sua ca sat Arua Diareita
ati- a. duager4>(eioesag 10ti 0 a predin o 1 de-Afogtds unarmaro depasssio cujo boleeiro en
LbaiotivwoOe ,nioprox i emo ia r10 detregou-lhe uma earta-fecada dizendo leal-a de
zba* A prwmpjag laneire proximo vindouro.. paedo nlae oJos&Mariaao.everficudo
topassa-se entire Bilbteis A vndi na aCs da Fortuna & rua 1 e i terrdoe J de leitu do eaabcripto da ficandrta
peOtua e humi- e ar1m Oeintrrdo do leitu do sabsriptodi.car
'i d per tarae huni- i eMa d r o- etaotei. cu e e. la procedia do conselheiro Jaod Alfredo,. que
mrhq-loiqai IXOM^ ^ -^JW 0&r^4*k1efi entregae per um hometa coahecidh por
lera o opwoca : uAior.premio 4:000 corte mpreterivelmente t da- a do Cap um homcreseentahecdo que
Quineas da pr. a do Capim, acerese que
vrege b d.ove- 3ii.nessals aatg at teui, ran (Man Fos A jA tinha conduzido n'aquela noite a casa do mesmo
'3_ A_00o1A'Arl n, a, aOuts, j~imw de az
,diais,-,qpe.aa Bra da. Ineiperaa d nU ao 9 .. ua s esta era a razo por4u1 cle-
atea s ekibeaw.- ercSadedw1Onr#-0 tad& oatseira maid6;p
aimaebs e s vegea- 4im&tSTdtes u diau 31 de gao a tt -a-es. d'elloaeaogead; qe-i"tb
ia ca rea ew seguid eehon fh'eI- wia- a coweveh na-mm'eaqtb em
r !mE rnac raserofoia t P Iname do conselheiro Joao Xfred iamp..s praoi-
idafpioo inteti- Entraram1soraeremvendidos : 30boie,pesan- -dealgmas plavra em maaus&ipto cvi-
i.sman a dn, Ia s. m din- ea. ..rr par-ao inuoB- dando-o para uma reuniea em sua casa na Passa-
~ot" wo aden, X6 W A Pam 0w f ~ome gem da Magdalena, afim de tratarem de negoceios
L= -w ac tei Pe tabe e, kilos, reatitos a x naco, daos votes da ,eAopawde-
s~e characters xe,206 kls Optad geral peloto distrieto; -a equal. sa ter
lae Mp a.w w n ]-auctadiveaa,13 2rdit ellie interrogado com o juiz de paz presidente.da
q. CaneiaoS 1. imeira 5seevao do freguezia de Afogadosw; que
10 qua produaza Craeiis, 12. no obstante arrastarex.theao eapirito algunas
r tempo, idefl- Preeos dos dias duvidas acerca da veracidade d'esse convite, dis-
a, ow awova- m vavwteA a 56Q;480 Y kilo. I----_e esfttdtvift ns/o s6 porque eo-
Eam no Bpeiododa uonna a 600 r6ix o kilo. i do: vista, a m*s m |t-mL, o bokirew, came
bjectos dinfeei o C neiro a 14- ipem. i-*h aaemgtcaisase.vinieaia
Sns actividaew g uiaa-d W W-50 ,O0 400, ati2 rA) a t s a slqaami won, set-vil zia *!
lasa ma&sw p il-hodo 480,40 -a 4 -20: rnis &Ouia uem contoazo oceorrido, este acrediton na vera-
wdistancma, ms o doe 800, e 500 re. idRem. s4io ddtd e eoawfe. quosegsindo ell, iatere.r
er diatan nos, Feo de 800, e 500 rs. idem. do par a Magdalena pelo caminho maib curto
e tarnadas depois roram occttpsad : o as- trWi do- Bemeadies, ao enttar n'este
Scandal aliuantar- ,60. tamhosdo ae ver&.. aminho, p assdwaea :-pta-d.t&eante Miguel
aetaudo -a boeca. 18 ditos de suino., unes de Freitaa, convidon-o para acompanhal-o,
corn a saliva, on 10' difto do fressuras. segaBiram ambos; que ao passar a pritmoeisra pon-
agua e da comi- 3WlcompartiBeaetoa defamnaka ecomida&. Oai coahecida por poate dos Remedies o bo-
70 idem das legameas. eeiro propoaitahmente fez apara o carro e appare-
wm meio natural, Deve ter side arreeadada nete din a impor- Veu a cada uma das duas portinholas do carro um
netaglo, ou coam o neta deB210B520. homem armada de ea ou punmal- de lamina gran-
soels qwC eoaW-i Fd.o = tsdo& nn 000 o'pombeireo M walelBan- te t ad ot ioquiind. etee b.-homre qual o
zes aeidodear. deirat.per i A ia eato do Mem io. estino d elle interrogado e seu compauheiro di.
MMA&uro ubtle oramabatidas e
. e r i atadourmi pu b llco -- Forma abatnda endo-lhes que nao flzessem acco pois morreriam
do tambem artifi- uo m -taiourod publfdda Cabanga par consumosempre; que iesta ocasio procurando elle inter-
As evaeu s do. do dial de jaecird 77 rees. igado afastar de i a faea que um dos homens
aont6a, coma&aeL- Casa de Detenao-Movimento dos pre- tinha erguido sabre as aeus peitos, ferio-so nos
lo ar contamina- sos no dia 30 de dezembro : tres dedos da mao esquerda; que diziam estes ho-
na diathese aci- Exiatiam preseoa 397, eutraram 12, sahiram 12, menas que sabiaw-que elle intrrogado dirigia-se
o que recabeu o existem-397. ara a casa do conselheiro Jo" Altredo, mas que
A saber: I la no chegariam; que tendo o seu acompanheiro
betaclamone a Naceionnos 358, mulheros 7, estranged s1,h. apnom
bstancialmente a s 14, conhecido um dos takes homes, e sido tambem eo-
ta, doutrina con- oseravos 18.-Total 397. nhecido por este, disse-lhe o mesmo homem que o
tada por um ve- Arranoados 366, send : bons 351, doentes 15. iegocio nao era com elle seu compauheiro, mas
Sonde existe en- -Total 366. sime cornm o juiz de paz, indicando por este name
Movimento da eafenrmaria : a elle interrogado, aecrescentando as mesmos ho-
is sanitarias ac- Tevr baixai: mens ao sea companheiro tenente Miguel que dee-
apoiam sabre es- Manoel, eseravo de Felisberto Braga. cessem do carro pois que deviam elles seguir s6-
mente carn o interrogado ; que insistindo o tenente
sas positivamen- Miguel em nao abandonar a elle interrogado, e
apparelho inven- aill UTI1Q acompanhal-o para onde quer que elle fosse, depois
jue elle deu o no- U LA U M T U J de mais algumas ameagas, resolveram elles inti-
cto deste inven- meal-as para que nao fosse elle interrogado a elei-
tambem ha quem Medicos n9,, sob pena de ser o interrogado e soeu compa-
fado. onsulterwio edileo-=irtigcoe do Dr aheiro assassinados em suas proprias casas se
a noticia sabre a Pedro de Attahyde Iolob l M oseCOO a o interrogado fosse a eleigao e ambos revelas-
rea da Gloria n. 39. semo quo ani acabava de passar se; que jA
o clima de Italia 0 doctor Moscozo dA consultas todos os se achando apeados do carro o interrogado e
o mundo, traetou dias uteis, das 7 As 10 horas da manh. sea companheiro por ordem de takes homeni.
ficando anu con- se a s o c noid aeguiram estes no mesmo carroe em direccao
mroxido de hydro- Este consultoio offerece a conuodida- a Magialena, voltando elohs a pA part suas ca-
sais outras pe- do do poder cada doente ser ouvldo e e0.- eas; que ello interrogado couhece nainto de vis-
tinham prpciea- minado, sem ser presenciado per outre ta o boleeiro que o conduzio, nao sabendo po
Ltair n0 voll do Do meio din As 3 horns da tarde serA a SBm o name, mas no dia seguinte disse-lhe uno
o. i empregado da estheto das diligeacins, conhecido
umn apparelo do Dr. Moscozo encontrado no toireoo a pro- por N~eo, qae carn o mesmo boleeiro conversou
larynge eorn ar ca do Commercio, onde funcciona a ms- na occasion em quo este chegou a suan porta; que
em aoregoid a, peca de inside do port. Part qualquer o referido boleeiro chamava-se Aurelio, o qual
Ia apregoaudo Sp e d o diriido oostuma fazer services propnios de sua profisado
cdrio. de ter doud pontos e)0010 ser g unco hi do Paula Mafra onde elle interrogado
in o appd'elho, oa chamados por carlanas indicadas horns. jA o tern visto par diversas vezes, n-a sabendo
has da in~ncio Dr, Lewwrdo do Albuquerque Cavat- portm se A sea empregado effective ou avulso;
ontestavel. Ape- cane, medico e laureado da Faculdade de que o carrot era fechado corn cortiuados ou banbi-
as cofrdas or *-" ^ p^e prcurade nellas de cor azul, A grande, e quando se Ihe fe-
es lufadas da ar Paris oe ser procurado em seu consulto- chain as pertas, fecham-se tambem as estribos,
de desacosumaa- rio a run do Impemador ii. 44, dnas 11 as arecendo a elle interrogado que este carro 6 da
e choia. Cnto-- 3 horms. Residencia provisoria -Alto da cocheira do mesmo Paula Mafra onde a poucos
ais distinclt, fi- Misericordia- dian a via, isto nosino the affrmou o empregado
s Brretto ampaio volt estao dos diligenis a quo j s fe
atoa ,,. ,..,~t e -ar~ .. .. -ao de otd. csaa o nourfermhada isto mosmo no meneaionado Paula


c Eiste tratamento quota4i oa
dias.
x Corn a influenoaeia do ream
considerar como um oleo-margara
gragas A, soluago do mrtalloida
psubstancia cornea foi amollecea
se para bern dizer espontaneameu
pellicula muito final, absolutamn
qua se tern coonservade desde eat
Este resultado, tao satisfy
talvez susceptivel dc generaiisar
quae a mesma medicagao deveria
da nas afieoces esoamoeas da pe
A-do*riuuaammertanft
Uma outra doutrina, merecedor-a
mulada nos annos de 1873 a 1875
dade oberv'adora, o Dr. W0oo:
bington, A a segaiate. Cremoes ut
que nella' so acham comprehendid
eipios directives da hygiene into
1.- 0 vardadeiro ohoieam 6 pr
ducco d'um veneno epecfiw e o
alimeutar, veneno que se desenv
menteem certas partes-danfidia
2.- Eatevea e &.oatado uma
nos vomitos, nos eswoontos j
pessoas que ji se acham infectaa
3.. Parm tornar-se noyainentw
precia de am certoe iaueo eiwiC
'uma mistura alcalina, cujo tern
uam owtrez dtas. Uma cerfita tern
dasdwozeccm apresospa, O iou
reacgao totalmente alcalina acce
o contrario a demora.
4;a Coadiqees favoaveis ple
oewo se acham na eguaapoYevol e)
t6m contamina5oes azoticas orga
os alcalinos b) nas ,substaucias
aesqwe-se deosaom e; -e
l-alina c) no coteudo a alizw A
nal do canal alimentar.
5. O tempo deac*o do amw
:r, em a iCO is vorves pM
nee, cerca do trezdias: esta ag
Scorn a preseonA dft 5acteios, q
OimsA periods da. -iasA*o d
tie artividade, qw.= podaz azdoea
6-. As quahidades do venen
doenca se podemn- mater'por una
a Menteeteusad ti sua-pate.s
euaoes do cholera, as- quaes. sece
*ua incubacao, ou em outros oa
*obre us quaes secam- d rmante a
7a AspartidalaaxiA&veaewatebo]
dem se transportar para nqalque
*estidos, na roupa da cama etc., e
i lves podem aehar-o camin a w
Sdimectameate por meio do,ar pa
s no nariz e engulidas depois
'menos -drectamunte por'meio da
da na qual se achan inf'usa. -
8.- 0 veneno se destroy por u
seja coam o process da sun veg
oontacte d ttfow iste 6 eomn s
tim a aga o totenewa coMn g
oom a. secrecao acida do estomag,
S9.. 0 veneno pode ser distruid
ioalmmnte: corn o trtameato d
cholera, ou dos objects que o a
dos, corn um tratamento acido d
do, corn o restabelecimento d'um
da do organismo em um individu
Sveneno.
Estas proposicoes. incluem sa
doutrina american hsobre o chola
ftgoistni4Pa-,iuse-oiosa, represent
neno bacterico de origem iadiana
dermico.
Urma grande parte das azafama
tuadas e aotuaveis na Europa se
tas propeosioes.
mieelianea-Dizem se cou
te phantasticas a respeito de um
tado pelo Dr. Carlos Moffat, e a q
me de Ammoniaphone Ao produ
to cbamam alguns ar virtuoso, e 1
Ihe chame ar italhano... engarra
Um journal di a seguinte ligeira
descoberta,:
Notando o Dr. Moflat que
produzia as mais bellas vozes d
de analysar o ar desse paiz, veri
tinha extraordinaria por~ao de pe
geneo e d: ammoniaco ; fez. deo
rimncias, e achou quo esses gazes
monte a propriodade de augment
voz e de tornar claro a sen timbri
Portanto o doutor construio
inhalaco, quo permitted banhar a
italiano artificial. E abandona
ciientella pare andar .pelo muni
virtudes do-ar italiano engarraf
As pessoae, quo experimentarn
algans milhares, dizem maravil
e do sen resnitado immediate, inc
uas os punlmes aspiram algumi
virtuoso, a larynge dilatou-se,
adquirimam um grdo de sonorida
do, a voz tornou-se mrais ampla
>res da opera, alguns oradores m
zeram experiences e ficaram enos
sultado d uma simple aspiraco
0 Dr. Moffat estava ultimaua
suns experiencieas cm Saint-Ja
dies.


cmab mwuqm fto B gg -
ciedade fam hoe, em eA sd & t Jo- i3
n. 35, pelas 11 horns do din, wue dam bIa
geai e posse solemne da diroeetoria qw tern do-
favor a adiaistracgo do 10 semestre de 1885.
Aeha-se o sallo elegantemente adoraad) e uma
bandsa de ou ia far i as bouna
bro fQdwmola Miew d< sam femiino de
fregii hU & Lmmcast Mhlta.rqpda pba;
profmoiMbD).UranunwNyn* dw Svaw, fizer-.
exam diuensrias4WA t gIo de inmroeo pld-p
mari.MhuImas Midm sungues d1 Souza
Isal WiePugiiu do ftsaimm; u wd m.J Lappio-
vadbtesmdidaImcafKua -- a na-4.
QOsdo-foi .esidW-,*pelA% dthiadalittrario
Dr.iainsti 4. ii erwe La exami
"adwes o pvesswjiabli JLvie P weea e a
professor da cadeira.
Movlmnento de disheiro No proximo
ffndo mez de deiaembro, sob a respoasabilidade do
diversas coripanhias de vapores que servemna
praca do Recife, esta :
Aecebeu 1.4-k885V- 3Q
Expedio 805:744j730
A fn; .L. rcc' JU !. I


Carteira perdida
1 0 abaioassignado, no trajecto da rua do Ba-
rdo da-Victoria A ponte do Recite, perdea urna
parteiracoma algunspapeis e a quantia de o42.
A pessou que achoi querendo restituil-a ao seu
dono podera entregar !na Agencia Havas.
Recife, 31 de dezembro de 1884.
Jos& A. Brandlo.


IM il9doSo.MS" o ailjoo
Na seyta-feira 2 do corronto, noaetena-
rio do Senhor Born Jesus dos Pas+s, quc
se estA celebrando naquella igreja, serao
cantados as versos pelo insigne 'ofessor
Sabino, que obsequiosamento a sto se
presta, send a music do maes'o Ciro
Ciarline. t

L6 se no principal orglo techinico a Franca,
que tratade questles vinicolas, a a ien-ue des
Vins et Liqueurs a um artigo eio de in-
teresse sabre a recent descoberta fA a por um
proprietario de Blaye porto de Cogna (Frana).
Delle extrahimos trechos quea nao dei rao de in-
teressar tambem nAos leitores.
0 Sr. Ardura (6 o name do inv tor) muito
conhecido senao do geral dos conau daores pelo
menos dos bans entendedores em Fra -a, pela su-
perieridade de seus preparados, vins ec sobre-
tudo cognac, conseguio p6r, e o cas de dizer, o
melhor de todos os licores, o velhs Cognac.
ao alcance de todos os estomagos e a- untar a seu
principio alcoolico e incomparavel a aia todas as
propriedades do toanico por excelleaa, queremos
dizer da quint. Sim, a Cognac unaa que ja'
6 tilo procurada, que vai fazer rapidonente a volfa
do mundo e tornar-se o licor dos lies, 6, como
sea nome o in iica, nao s6moente do mQsamo agra-
davel e quotidiano, coma benefice tao digestive
como aperitivo.
Misturada coarn agua torna-se la bebida das
mais hygienicas para tod-is as pesi as expostas A
fadigas, grande caLtr, climas humi as e miasmas
paludosos. Pode, em razo de suan propriedades
tonicas e anti-febris, prestar os ais relevantes
servings nos exercitos coloniaes, vi o que todos os
Smedicos reconhecem que a asasocia ) do alcool aos
prineipios da quina e particular ite do quinine,
que nella se acham contidos, favor e sun effieacia.
Isto explica as numerosas recoit de plo5es corn
quina e cognac, ponche, etc., cujo efleitos tonicos
e febrifugos-sao manifestos e sati ictorios.
0 Sr. Ardura podenria corn azo 'arr;_-3C
a velha divisa Utile dulci porqunchou a soldyin..
de um problema at6 ento insolhel. Os. lieoredr
os mais agradaveis nao seroe por entura mais c':
menos nocivos A saude ? E de odas Jt bebidas
hygienicas conhecidas, haverA ua se quer que se
tome verdadeiramente corn pnzer ? Por isso
umras ao o privilegio das pesse de boo saude e
as outta s6 acham consu idore centre as doentes
ou coamvalesceutes.
Poias bem, a Cognacklna realisa esse desi-
deratnm, destina-se todos, poue posasne o aro-
ma do mais delicioso licor e a certeza nao ha
Soutro que mais:agrade ao pal ,r delicado das seo -
nhoras, al6tm disto faculta am Oas meios mais po-
derosos de melhorar e conserve- a saude.
E' portanto um acto de phil tropia a chamar a
attend de todos,, maxite daI pessoas que habi-
tam as coalois s painio quaeues, pare a preciosa
deseoberta do S Ardut'

EMtUsMulal AO bbelRa ow"dm z
-Be o v om eableUo etadiso, lembrai-vod .-
entre os cliearo s bm& ram f bi- ain renovos de s-
belles debaixo da epider n, quae s6 8necessital
d'um estimulante ,a& p aizudal-s a peneuar
a superficie e brotarem em ras vigorosas.


::.4 ~~j:>-
- -r
.5,


/


9


0 magnate teve uma verta, e quasi Ihe sn-
h. a mostarda ao nariz. Previra a luta, as ba -
Iet, 0sanague, a morte. tibam previsto tudo-
mRIMU as bgttau.
. 0 senhor quer divertir-s eaomigo, e de certo
wgp4ra qua eu sou principe do auto Imperio e
emde de tees condados I Vim pedir uma espada
e nio uma faca de cosinha.
0 que o sargento resapoadeu k demasiado de
quartet para so dizer em lettra de forma. A his
toria refere, entretanto, q-a *edado reeaeitran-
lw&mus ao serving d& .t SSfiem doa dias
deudeOk9o na compjhia.
0 systems da emaa progride inAlle.
mMia especialment. su 4A a urg%. que 6onde
WtmAito maiores progreuf.-
Aitalmente o numer d ren3clt de sds Ia-
veSsoexcede a 200.
Dat. de 1878 a .cmve & i do *Wrere-
mmatj, tendo cresei6.de a. pomi. amvvu-
nm doe ereima5es, ewt w v: -ea 1M29*- 17 ;
cmna-19 -16 ; em 1881 e 1882 33 cada anno;
em 1883 47, em 1884 .- 54. Entre os diversos
mortos submettido A cremaco coatami-se 62 da
Gotha e l8eItmageiros.
maior contingent foi de homens,-126 con-
tra 69 mulheres e 5 criannas,

Pdlo agente Britto, As 101/2 horns, A rua da
Aurora n. 1d9, de moveis e vaccas.
Pe aaut (arnw e Silva, ao meio dia, na tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, de prodioas.
Sabbado :
Pdo ae gentle Carmo e Silva, ao meio dia, na tra-
Yessa do Corpa Santo a. 27, de. predio.-
Polo agent Pinto, as 11 horas, A rua do Born
Jesus n. 43, de predio.
ujmAtu fnebre--Serao celebradas:
Hoje :
A's 7 horns, no Corpo-Santo, por alma de Mo-
desto Leopoldo Xavier Bastorff; As 8 horas, ma
matriz da Boa-Vista,. nas do Mknteiro e -As 7
horas na Cathedral de Olinda por.alwa de. D. Ida-
lha Regueira U. Cavalcante.
Sabbado:
A's 8 homs, na magri: do Rio Foemso, por al-
ma de D. Idalina. Regueira, U. Cavaleante ; As 7
horns, na matriz da Boa-Vista, por alma de Modes-
to LeopoldoXavier Buatocffi; As 7 112 na matriz
acia Boa-Vista, por alma 4a D. IdatiUna Regneira
Uchoa Cavalcante; As $ horse, na igreja da Po-
nha, per almade D. Canaida Maria Ferreira.
leoteriada prailndf Segunda-feira,
5 do corrente, se extrahira a loteria n. 98, em hena-
ficio da irmandade das Almas do Recife, polo
-novo piano approvado, no consistorio da igreja
do Nossa Seahora da Coneeuco dos Militares, ondt
se achariio expostas as umnas, e as eapheras arru-
radas em ordem numerics apreciagio do pu-
blimo.
3a -'rade loteria da e orte de......
l00000:8000.-Corn novo piano muito van-


jectos par fumantea. Livros do medici-
na dosimetrica e unico deposito da farid-
nha laSea de Nestle, para os meninos de
peito e leite condensado.
Dregaria
Francisco Mawnod da Silva & C., depo-
eitarios dc todas as especialidades pharma-
scutieAs, tintas, drogas, products chimico
e medicamentos houernticos, ruma do Mar-
quezs do Olind n 23.
Boome&a ftnemm
Rouquayrol F' re. sacco ores do A,
Caors. Neste etaboeeimeut mesnamtra-se
todos os medinmeam homewepticos da
grande e offamada easa deO Catalan. 0
granules dosimaMticos do Jkargwsa As
especialidad phaa"tic da
e da America, dos verdadeiros autores,
drogas, product:-s chimichos, tintas, oleos
pinceis, vernizes- Productos especiaes da
ora brasileira e toda qualidade de funds.
aecebe sempre vaccina, fresca e boa. Rua
aCruz n. 22, Recife.
Pereira & C., contintam a alugar servigos
para chi ejantares, talheres 4e metal fino,
trinchantes, cops, calicos, garrafas, com-
odteiras, jarros, globos, lanternas, lustros,
toalhas, guardanapos, toalhas de I Lyrintho
para baptisados, espelhos, bandej .: ( e me-
tal bronco para cha, meza elastica e de fer-
radura e outros muitos artigos para casaj
mentos, baptisados, bailey, festas de igra
e etc., por pregos commodos na run Nova
n. 39, 1'andar.
Drogaria
FAria Sobrinho & C,, droguistas par
atacado. Rua Marquez de Olinda n. 41.



PIBLICACOES A PEDIBI


Ao pubtico
Como uieao resposta ao que em relagao ao facto
que commigo se den na noite de 19 do corrente,
disse o Sr. Franaeisco de Paula Mafra, no Jor)maal
do Recife de 28, tenha apenas a sujeitar a apre-
ciano-do pubfico as autos de perguntas a que
respond, bemrn come o Sr. tenento Miguel Nunes
do Freita, que expressanm a verdade e queabaixo


to dip Jmanea e Sila. Arkiaas Lindolpbo da
a".if Kafra.
Autodeperuntas feitas ao Sr. tenente Miguel
Nunes de Preitas.
No meamo dia mez e anno e lugar, present o
teneate M :i-el N..m e doFita# foram pelo mes-
mo Dr. delegado feitaa as perguntas seguintes:
Perguntado qual o sean nome, idade, estado,
pofisago, fiq, natn Miade e se sabe ler e es-
wver.
pond m opam II W I Nunes de Frei-
ta 48 ansun easado, fifli de Jose Nunea da
f(B, natuwieataphevivae, negxcio e sabe ler
ever.
PI*guntaa4 que sabe ama do facto acvnte-
"eidfa noitoeA 19 do corewte, na estrada dos
mwmios, w juiz dU pan. Arehias Lindolpho da
Silva-.MafriL
BBfmnde] qm e As 9 bras e media da noite, pou-
co mais ou menos, de 19 do corrente, parou a sua
porta em principio da estrada dos Remedies, o
alferes Archias Lindolpho da Silva Mafra, e di-
zendo que tendo recebido urn convite do conse-
Iheiro Jodo Alfredo para ir a sua casa na P.".sa-
gem da Magdalena tomar parte em uma reunito
sobre a apurado da eleigio que dovia ter lugar
no dia seguinte, e de cuja junta era elle membro
como juiz de paz, e que send jA um pouco tarde
convidava elle interrogado para o acompanhar, e
de feito cntrando no carro em quo ia o mesmo juiz
de paz, seguiram para agdalena; que ao transi
por o carro a primeira poute dos Remedios, fo-
demorando a marcha, at6 que parou, acercando-se
do carro dous homes, um em cada portinhola,
achando-se ambos armados de facas ou punhaes
bastante grandes e estreitos ; que n'essa oce-asio
inquerindo elles para onde se dirigiam elle inter-
rogado e seu companheiro, declararam se aquel-
les, entree outras ameacas; que nao fizessem acdo;
quc conhecendo elle interrogado um desses ho-
mens, interpellou-o sobre as seus intentos respon-
dendo ambos que nada qucriam corn elle interro-
gado, que elle poderia descer do carro comtanto
que conduzisaem o juiz de paz Archias a presence
do Dr. Jos6 Mariannao; que insistindo elle inter-
rogado em nao abandonar o seu companheiro e
em acompanhal-o para onde o levassem, depois
de muita insistencia, e pedindo elle interrogado,
como um favor quo se Ihes fazia deixando-os vol-
tar, a isto final annuiram elles intimando-lhes,
porem, qne nao deviam revelar a pessoa alghuma o
que alli se havia passado, e que o juiz de paz Ar-
chias nio devia ir a junta da apuraco no dia se-
guinte sob pena de serem ambos assassinados em
suas proprias casas, o que elles prometteram pa-
ra se verem livres do perigo em que se achavam;
que a pessoa que atacou a portinhola do carro do
lado em que se achava elle interrogado, elle co-
nheceu perteitamente ser NieolAo de tal, pardo c
mogo ainda, que foi eseravo do fallecido Aristides
Duarte, segundo Ihe coasts, e actualmente cnra-
do ou boleeiro do Dr. Jose Marianno, e o outro
que atacou a portinhola do carro do labio em qua
vinha o juiz de paz Archias, pareceu-!he pela al-
turn, corpo e gestos o pardo Rozendo quo segun-
do ouvi dizer 6 boleeiro do mesmo Dr. ; que elle
conhece bern tanto Nicolao ciro o Rozendo, mas
nao p6de bern verificar se este ultimo foi con ef-
feito um dos assaltafites porque tinha o rosto co-
berto pelas abas do chapeo e recusou dar-se a co-
nhecer nao obstante as diligencias que para isto
fez elle interrogado, perguntando atW pelo seu no-
me ; que NicolAo tratou elle interrogado corn mui-
ta atteng'o durante o colloquio que tiveran. -eundo
que o ferimento que soffreu ojuiz de paz Arch;:.s,
foi feito pelo outro companheiro na occasion cmi
que o mesmo juiz de paz procurava afastar de si a
faca que sobre elle havia o mesmo home ergui -
do ; que depois de todas estas occurrencias, se-
guiram os dous homes no carro em direcco a
Augdalena, voltando elle interrogado e seu com-
panheiro para Afogados, oade reside ; que nao
conhece o boleeiro nerm d'onde 6 o carro do qual
lembra-se apenas que e fechado; e finalmente
que nao descobrio da part dos dous assaltantes
a intea*o de assassinar ou mesmo de ferir a elle
interrogado ou a sou cimpanheiro, e ouvio que,
o que ferio ao juiz de paz Archias, pedir-lhe des-
idpa dizedo que n~ro era aquclla a sua inten-
yaoa .ioto se daudo quando se separavamn, acres-
centando que o seu fim era privar que o mesmo
juiz de paz tomasse parte na eleicao e se fizesse,
eu refeissem o questi se passara, seriam infal-
livelmente assasainados.
E nada mais send perguntado, nem respondi-
do-deu-ae per find este auto de perguntas cm
| Wq aatua oxm o Dr. delegado de qua tudw don
rf. Eu, Henrique Francisco de Moraes, escrivao
ad hoc o escrevw.-(Assignados)-Francisco Au-
^g go dag Eoneeca, Silva.-Mignel Ninnes de Friei-
taS.
Amia particular de primeiras
lettras
Antonio Cesario Moreira Dias Junior tern aber-
to, A rua das Nymphas a. 2, Unma aula de primex-
ras lettras que comecarA a funceionar no dia 8 do
mez de janeiro vindouro.


I


Franca 1:2505000
Rio de Janeiro 21:400,000
Bahia 15:3825000
Alagoas 213:000S000
Parahyba 20:400J000
Rio Grande do Norte 57:000,000
CearA 40:812730
Maranhao 346500000
Para. 400:0005000
Cura radical doa calls per meio
do oleo plnophorado a 300o .--.0 D r.
Tarigaot pnbLieou no Courrier Medieal b eguina-
te : -
cc Este carativo radical toraa-se bastte inte-
ressante A vista da simplheidade do as.apto :
1.o que ha jA urn aao qutte oi foita ; 2.o qua e
ama nova applicacao e asaz inesperada de um
nedieamento que tenho utilisado desde muito tem-
po e em easoe, em %ppareneia,-mui diverse ; 3.A,
ernfim, que foi em miua memo que empreguei o
tratamento, polo que estou duplamente satia-
feito.
,, Os meus calls aehavan-se na parte external
dos dedos pequenos dos p6s, e durante muitoas an-
nos tinha eu per habit fazer a resecc*o d'elles,
todos os mezes ou de quinze em quinze dias, se-
gundo o estado hygrometrico do am.
,c En jdilho de 1883, tive a id6a de experimen-
tar o oleo phosphorado da seguinte maneira :
a Todeoe a dias de -mathi, ao caLoarae m-asmeni
molhava-as corn mwa pincel de penaa, por eima.de
cada call, cam o oleo phosphorado, calgava as sa-
patos depois, come de costume. .


enti fa o'agwam s ano C ear, d* eConsubW de I aS 4 jafra corn quern tern rela9's de amizade e de
ne'a Hallf.Lon boras da tarde n run do BarK. da Victo- quoem 6 at compadres, este nao tlhe affirmou nemo
ad e ria n. 4, 2.o andar; residence, rita de negou; que durate a scene quo se don na etra
no han. do5i,2h0r Ti a ii 17 ondo di m doia r a d dos Remedios, o mesmo boleeiro couservou-se
o muito chief helo 17, oant da do P s. pr impassively na bolea ; que nao conhecen as
,Adaulijondo eas que o aggrediramhnem se record se ji
aistocratetna da Dr, Met. 1" promoter public da CA- as vio nnem o aesmo afiin.seos conheeera vean-
um jornalpari-. tal tern sen escriptorio de advocada, A rua do-os de novo: sabe, pornm, que eram dous ho-
_ao :p a. 18 nde p rocudo e moos e de c6r parda, mas son companheiro
a sentou1b pw o0 mister8. onde .i. pr o u, % eooenupo, oG hanaudo um, delles pelo tnoe
oc f s"m oe mteres. de sna e NicolAoeste so de-&a conbeer do modo por-
potifica* Ot 9 a C& f que ji referio, e que finalmente o lugar em que
se a- o oSaRpI Sdeif.: o ua do. Mauqwes do Oh.nds deuo faleto 6 ermo, pol nao ternm habitases
? ; $SAto Aatonio, -um Priunmeiro di Mis- nem illuminaeao.
ampanbia Asp-. 3 ;n. 3-B -Vi^ ru da ImjerabW zi L i.U Xadsemalsiado perguntado,nem -repos--
de fba do cWarros a vspor. 4o, deu-ae por findo este auto do do to em
GinauC asOigr om oDr delegadodcl~qeue doaun
SS fpeoi des: Ogarrod, eharatos de Ha- .. EW, HMique Fnmcis" de M wm, esivio
-a s a ua ionaeee, o eczmbos, tabacos e'ob- ad hoe eseevi.-(Asignados)-Iwciwo Azgu-


5. .; .'


i
i


l..














o 40dof uaquo. oiu mte
i tr o anAi -Sim asn


N .M.


0 apostolo do Baixo 8. Franciseo-Fr. Cassiano
de Comachio, ha mai de m4a se acha entire n6s,
atauncod aliswma de Deus e colbeudo abun-
daa eftshacm@.t temanho irrecusavel do born exi-
S to da ama .si apostulica."
A dea, ptlava autorimada oorno os seus patented
esfroos -tem &.TYo eonfirmando mais e mais a ne-
cessidade deeta santa minileo.
Os bots deuejoudo eleito do Senhor so corres-
pondidos pela boa vontade do povoe todo, que aeode
S prompto uo ehamamento da graga divina e nlu se
poupa ao labor ineessante, em quo esta empenhado
o religioso missionario.
N'esta missao nio sabenmos o quo mais admirar,
se o incessante trabalho na administracao dos sa-
cramentos, ou se o rapido adiantamento da con-
strucgao da nova igreja, destinada a matriz da
freguezia da Lagoa PaFunda.
A eontar do dia 30 do outubro passado A esta
parte, o numaero dos chrismados attinGio a 700
pessoas; as confiesses cliegaram a 1,09; os ei-
samentes subitam a 22 e os baptisados a 23.
O seirvigo do temple, cujo deenho, em todo o
sevtao eonhecido, s6 ha signal em Baia Verde,
aigmenta como por encanto e dentro em pouco es
tara concluido. Taes silo os fructos espirituaes
nao s6, como ainda m-Lteriaes, colhidos pela aego
-& viva e louvavel empenho de Fr. Cassiano, e
aben~oados pelo Omnipotente e Misericordioso
Deus, Nosso Senhor.
Mais uraa vez counsigaamos um voto de lou\ or
ao zelo'tafatigavel e a generosa dedicag.ao do apos-
tolo do Baixo S. Francisco.
AzJo da paz e consolaoo, e elle para os povos
ribeiri&hos o benemerito da ordem dos religiosos
Cpuichinos.
Para n6s e para todos, que hemos recebidos be-
neficios e teatemunhado sacrificios assim innume-
ros, todo o amor todo o respeito 6 pouco para bern
significar a nossa viva gratidao a Fr. Cassiano de
Comachio.
,Quando, eatretanto, no dia que ha de vir, o po-
vo eongregado no recinto do novo temple, consa-
grado a Virgem Santa do Born C6nselho. ajoelhan
do, elevar os sous coracles estremecidos As celes-
tes regions em hymnos de contentamnento, que os
anjos hiao de escutar corn telicidade e repetir nas
suas harpas, de ouro aos ps sagrados d'aquella
Senho-a, bemdirA ao mesmo tempo o nome de Fr.
Cassiano de Gomnachio, trees vezes respeitavel pela
sua idade, pelo scu saber e pelas suas virtudes.
Acta da collocacao &a primneira pe-
dra da igreja de Nonsa fenahora
do Born Conselho da Lagoa Iauuda.
Aos vinte dias do mcz de novembro de mil oito-
centos e oitenta e quatro, da era christi, reiuando
na igreja ca'holica, Sua Santidade o papa Leao
XIII, presidindo a Se de Olinda S. Exm.a o Sr. D.
Jos6 Pereira da Silva Barros, governando o Im-
perio do Brasil Sua Magestade Imperador o Sr.
D. Pedro LI, estando na administration da provin
cia das Alagoas o Exm. Sr. Dr. Euthiquio Carlos
de Carvaiho Gana, e sendo parocho desta fregue-
zia o Rvmin. Sr. Vicente Ferreira de Meira Lima,
foi collocada a pedra fundamental da Nova Igreja
de Nossa Senhora do Born Conselho da Lag6.a
Funda, tend em uma das faces a seguinte ins-
cripcao : I.a P- F. da E., collocada em 18I3 pelo
minisionario capuchinho Fr. Cassiano de Coma-
chio, acomnpanhando jornaes, medalhas e outros
objects da epoca, o que tudo consta do quo se-
gae :
As quatro h')ras em ponto do dia, mez e anno
supracitaclos, comparecendo ao lugar da collocacao
da p)rineira podra da referida Igreja o incansavel
e z.-Loso Fr. C.assiauo, assistido pelo Rvdm viga-
rio do Floresta, padre Antonio Soares de Mello,
acompanhado de grande nuinero de paranymphos,
quo para este acto foram coavidados, e presented
itunenso concurso de povo, preencheado as 7ormna-
lidades do estylo e prescriptos polo ritual de Pan-
lc V, o Rvdrn. missionario, a quern as geragbes
presents, comno fucuras no auge do seu entranha-
do reconhecimento devem render preito de home-
nagom e respeito pelo bern que tern e vai fazendo
aos lugares sonde abre missao, collocou a referida
pedra no seu lugar competente, a saber: de baixo
do alto-mor da dita capella e deciarou terminada
a sobredita solemnuidade, seguindo-se apos caloro-
sos vivas 4 religiao eatbolica apostolica romana, a
sun santidade o papa Lo'ao XIII, ao principle da
igreja de Oliada, uo Rvdrn. missionario Fr. Cas-
siano, vivas que foram cnthusiasticamente corres-
pondidos polo povo em massa, que cercava o Rvd.
missionario. E pars quo em tod o tempo conste
est:a solemnidade, toi lavrada a presented aeta por
mira, escrivAo ad hoc nimeado, Jovwno Possidonio


dos Santos, professor public, e assignada pelo
Rvdm. missionario, director da obra da nova igre.
ja de Nossa Seuhora ds Born Conselho da Lagoa
Pfanda. e mais pesboas do modo que segue:
Fr. Cassiano de Comachio, missionario apostoli.
co eapuchinho, vigario padre Antonio Soares de
Mello, Jovino Possidonio dos Santos, capitio &pri-
gio Gmcalvcs de Andrade, capitIo Candido Fer-
reira Machado, ten u'nte Fortunato Francisco de
Oliveiri, alferes Candido Soares de Mello Doria,
tenente Jos6 de Frcitas Machado, capitao Joaquim
Soares de Mello, tenente Luiz Gonzaga Torres,
alferes Bento Jose de Mello, Francisco Jose de
Mello, Manoel Antonio de Machado, Martinh6 Ro-
drigues te Mello, Luiz Jose de Mello, Marcellino
Bezerra Liberalquim, Jerernias Soares da Silva
Feitosa, Jose Rodrigues Noya, Hygino Jose Viei-
ra, Manoel Hygino Soares de Mello, Pedro Jos6 da
Ro3a Moreira e Antonio Joaquim dos Santos.

Dr. Cerqueira Leite

Medico e operator
Do rolta de sua viagernm A Europa onde frequen-
tou os hospitals de Paris, tendo feito urn curso es-
pecial de pirtos e molestias de seahoras, dA con-
sultas no sou antigo consultorio A run Daque de
Caxias n. 48, do meio dia As 2 boras.
Especialidade : molestias de cr'tangas c de se-
nhoras.
Recebe chamados por escripto on no seu consul-
torio, ou em sua residencia a rua do Bargo de S.
Borja n. 30.


COMIERCIO
Praca do Reelfe, 31t de dezem
bro de 18@4
As tres horas da tarde
CotaChes officides
klgodio de Goyanna la sort, 84000 por 15 kilos.
Dito de dito median, 7,000 por 15 kilos.
Dito de dito 2a sort, 64000 por 15 kilos.
Algcdao do Rio Grande do Norte, la orte, 8 000
por 15 kilos.
.)ito de dito mediano,7000 por 15 kilos.
/ito de dito 2a sort, GOO0 por 15 kilos.
,F. J. de Oliveira Rodrigues,
President.
A. M. de Amorim Junior,
8ecrctario.
RENDIMENTOS PUBLICOS


Moez de dezenibro do
FANODA=L0e 3 a 30
Idem de 31


tacBaszooaL-==l)e 3 a 30
[dem do 31


sBOULADO PSoVUTCIAL-i)e 3 a 30
(demr de 31


dltB m D OUh-1 3 a 30
Idem do 31


1884
714:447?46
89:238A750
753:6845496
47:258N809
1 :t7M913




206:147179


184AM81


,-DO
6:'fA4Gt



LiNi-lfiB|f, bww m &Ikn adfs' '


A& matsifi etusfod n o e Megio 4s- as ne-
guintes: Refig~lo, pOrtuguez, frausasing 41,.a-
mAlo, historic, geoaphi -pianoa deaenho a epimta.
ra, bordadoso e I -
As lingua* taladas Bo rlegio sao aa fraeass,
inga ewA&udta, pas, A quaa temrn metp.qao
reside no tolegio
A director encarrega- e eguudo a votade do&
paes,.de preparar as alam -para faser ezames na
Academia, como f s ate anao corn brilbante re-
sultado a collegial Marla "Eugenia de Mattes, ob-
tendo distincoo em francez, ingloz e portuguez.
Director,
Anna Carroll.


institute Pioafl iio
33-RUA DO VISCONDE DE AL-
BUQUERQUE.-33
Cnrso de i siwf primaria e



BACHARIL *LINTHO
VICTOR


Internato


e externato


As aulas deste estabelecimento de instruooio e
educaseo estarlo abertas do dia 7 do corrente em
diante.

ConrSreso- Phuima-

ceutico
Por "ser santificado o dia 1 de janeiro, aera, no
dia 2 a primeira sessIo ordinaria desse mez.
Communico a todos os Srs soeies que nesta see
sio serai dirigida urma interpella lo a am dos mem-
bros do Congrosso, sabre aasumpto de alto -alcan-
ce. Rogo por iisso a todos que se interessarem o
comparecimento a essa sessao.
Recife, 31 de dezembro de 1o84.
0 praidente,
Francidsco Floro Leal.


Externato

Sexo femenino
sua do Viseonde 'de oYyanna (autiga
do Cotowello) n. 139
Abrir-se-hio no din 7 dejaneiro proximo vin-
douro as aulas do estabelecimento acima.
As materials leccionadas constam de : Primeiras
Lettras, P6rtuguez, Francez, Geographia, Pia-
no, Desenho, Pintura, Flores e todas as diversas
species de trabalhos de agulha inclusive borda-
dos a ouro, a cera a froeo, etc. As materials nsupra
sao leccionadas por professors legalmente habi-
litados. Recebe .se tambem alumnus do sexo mas-
colino atW a idade de 9 annos. Ha duas classes
de alumnos, meio pensionistas e externos.
Clementina de Carvalho Soares.

Jose Joaquim Dou-


radio,


assignar-se-ha


desta data em diante

Jose Ferreira Dou-
rado.

Recife, 30 de de-

zembro de 1884.

Programma
DA FESTA DO SENHOR BOM JESUS DAS
PORTAS, DA IGREJA DA MADRE DE DEUS.
Qaa:ta feira 31 do correnteo ao meio
Sdia, uma salva real e numerosas girando-
las de foguetes, ao scm da acreditada ban-
da de music marcial dc Corpo de Policia,
annunfiarA a festividade do Senhor Born
Jesus das Portas, que foi do antigo areo
desta cidade. As 3 e 6 horas da tarde
outras tantas girandolas de foguetes, ainda
annunciarA a vespera da tradiccional e po-
pular festividade do Senhor Born Jesus das
Portas.
A meia-noite em ponto, uma salva real
de 21 tiros acompanhada de um prolonga-
do repique de sins, despertarA todos os
hliabitantes desta heroic cidade e seus ar-
rabaldes, co-nmunicando Ihes a passage;
do velho para o novo anno.
Na minadrugada do 1 de janeiro hmverA
missa resada, e, ao findar, outra salva
real subirA aos ares, em regosijo e sauda-
9. a primeira aurora do novo anne.
A's 11 horas do dta, entrarA a festivi-
dade precedida de tercias, send a orches-
tra confiada a direeglo do professor Jose
Tavares de Medeiros, nos principals solos
se farbo ouvir o distinct cantor Manoel
Antonio, e outros de conhecido merit. A
tribune sagrada, serA occupadas pelo nosso
prestimoso irmio provedor padre Leonar-
do Joao Orego, ao finalipar a fiesta outra
salva real stbh-ir aos areas.
Das 5 horas da tarde em diante, a refe-
rida banda de music toeara no pateo da
de 386 toneladas, capitilao Peter Rier, equipagem
10, carga carvio de pedro; a companhia do
Gaz.
Rio Formoso per Tamandar6--12 horas, vapor na-
cional Giquid, de 22 9 toneladas, commandant
Mafra, eouipagem 30, em lastro; a Companhia
Pcrnambucana.
Sahidos no memo dia
New-York-Lugar americano Arthur C. Wud, ca-
pitao M. Sherman, earga assucar.
New-York---Barea americana Shetland, capitio
D. H Harihell, carga assucar.
Liverpool-Vapor inglez Gleadevon, commandant
John Gordon, carga varies generous.
New-York-Brigue inglez Evelyae, capitIo H. Ro-
bert, carga assucar.
Observacso
Suspendeu do Lamarlo para Buenos Ayres, o
patacho hespanhol Guiami I, capital Jos6 Antig,
corn f naeatm carga que trouxe da America.
Idem para s Parahyba o briguez inglez Ervira,
capitao E. W. Browns, em lastro.


VAPORES ESPERADOS


Mie de .Maranhdo








Balk

'wape


do sul
de Hanlburg e por-
-toe do note do
Brad
datBabia -
do Peafico
da 1
diL>r




d1w-port-News
desul -
do.ul
C19 FU.O


a 3

a4
a &
a 5
-6`
a'.4
.a 7
-519
,610
.12
14
a 17
a4
a19
ago
29


professori Cadide
.A's 7 hos de on...
A igrej minternameiuie bd6
gaz, inclusive t m 0pu .
oonsistorio, que pela primukA "*
franoos a concurrencia public.
ROMRIA
rSw& exposta na eapila-w4r, am nioako
ri a8snte tornado, a veuaeravel SacM aft
imiagem do Senho i Born Jesusdas Portais
do antigo arco, excepcional e surpnendente
obra d'arto de mais de dusentos annos, e
quo s6 6 exposta t veneraglo dos fiei
urna vez no anno, o coramo seja immensa
a conourrencia publUio anet's 3ranfioso din,
pelo religioso povo pernainbucauo, a visi-
tar tSo milagrosa imagem; soatinuarA ests
devoto dos fieis nos diss de -setta-feira,
sabbado e domingo, das 7 As 8 42 horas
da noite, encerrando-se noeste timo dia,
at6 o do janeiro de 1886. Dietibaem-
ise fitas e registros bepto, 'pols .-roemiros
ivisitantes, que gozar~o da& "i IOgwcias
lconcedidaa por Sua Santidadae .p"p Pio

A mesa administrative nro'^ itou es-
imolas dos fieis, deixando a genao-- dade
ide cada um offertar o qua .iha diatar generosidade, per occasi&A da .rviitaho da
mesaa image.
Secretaria da irmandade, em 30 ae do-
zembro de 1884.
0 8Necretrio,
Ramiro t6a.

Auia partielar
Therezad'Assumpcao Pessoa eB Souza faz scien-
tte osipais de suas almmnaen.ao rospeitavel pu.
^blieo, que sua aula ;aeha Be aberta no dia 9 de
janeiro proximo vindouro A sua do Padre Ptloriano
In. 9; consataie ensino de rprimeisao lettras e tra-
tabftibm de agulha de differences qualidades.
Pregos rasoaveis.


> Aos so'~ups ni me*
A"o..re... ...
Pagu-ai nha 4uota-aim -senhor? se nio me
deram recibo para provu- o que digo, 6 porque
pensei que' SS. em uea igraja;-vao-tratariam
d'este negecio assim como de political e por isso
tenho a conaciencia que piguei e pague...
Emquanto a miss quero que me diga.*s 8 horas
e nao se eapere polo senho.... porque pagou tanto
quanto os. outros, pertengo a plebe mas exijo o meu
direito.
Ao Revm. dir Ihe hei poZlitica trata-se cm.- casa.
mas nao em uma igreja, que .prohibido.
Lembra-oe-lhe a festa do Pogo para repetir-mos
nilo precisamos nem de padres nem de missas.
0 quotisado.


Eleivao do .' district
E' conhecido o resultado dos trabalhos
da junta apuradora do 1.' district.
Nao precise expur o que occorreu: cons-
ta das actas publicadas no Diario de 25,
tern sido referido pela imprensa, e esta no
conhecimeuto do public.
Apesar dos meios de intimidaglo empre-
gados, inclusive a cilada e ameaga ao juiz
de p.,z president da mesa eleitoral de
Afogados, todos os mesarios conservadores
compareceram except o juiz de paz pre-
sidente da mesa eleitoral da matrix de S.
Jos6, que, ainda sob a dolorosa impressao
dos successes do dia 1., em que fui ferido,
nao poude dar como aquelles mais urea
prova de seu valor civico.
0 proprio Dr. juiz de direito, que tinha
de presidir a junta, tornou-se deede o dia
17, por suppouta dedlaraLo de opini.o fa-
voravel a apuracao da matriz de Si.Joe,
alvo das mais grosseiras aprecia@5es e das
vociferaces as mais amea~adoras.
E o facto el que antes mesmo de haver
ells recebido a acta da eleic7o de S. Jose,.
que, como declarou, so chegou As suas
mios no dia 19, consultou a 18 ao presi-
dente da provincia sobre poder ser ou nao


apurada aquella eleiAo.
Nenhuma consulta tinha ele que fazer
porqae, quando duvida tivesse, devia sa-
ber, e sabe que por forga da disposigo do
art. 241 3.0 do decreto n. 8,213 de 13
de agosto de 1881 cessou desde a publi-
Cacao d'este a atribuigao que pela legisla-
to anterior tinham o Governo na c6rte e
os presidents das provincias para: resolver
duvidas eleitoraes.
E se roconhecia no Governo compe-
tencia para resolver a duvida, o que-.
ria guiar-se pela opinilo d'este e nao pela
propria, fizesse entao a consult em ter-
mos, expondo o caso corn todas as suas
circumstancias.
Nao admira, pois, que conformando-
se corn o telegramma do mmnistro do ima-
perio, se insurgisse contra o voto da maio-
ria da junta, apezar de ter submettido a
material a discussRo e votacgo, facto que
mostra reconhecer elle que A junta e nao
ao Governo cunpria resolver.
Felizmente a dignidade dos seis mesa-
rios, que constituiam a maioria da junta
fez respeitar o preceito legal, mostrando-se
elles assim na altura da missao que a-lei
lhes conferio: protestaram contra a obsti-
naglo do juiz, e, fazendo a apurago, re-
conheceram o facto d'ella resultante, a mi-
nha eleiAo, e expediram-me diploma.
Perante o podor competent defende-
rei este diploma, expresslao da vontade da
maioria do corpo eleitoral do 1. district;
e confio quo serlo respeitados os seus vo-
tos, e severamente estiginatisados os cri-
mes inutilmente praticados na matriz de
S. Jose.
Protesto contra a resoluoio que tomou o
president da rinoria da junta, mandando
proceder a segundo escrutinio, nao s6 por-
que ella se opp~e ao voto da maioria, que
expedio-me diploma, reconhendo ter eu
sido eleito em primeiro escrutinio, come
porqae nerm ao meos estA de accorJo corn
os votos dos quatro mesarios constituidos em
m ino tia..
E este proteato acareseentarei que,
ainda quando nao tivesse side eleito, que
a minha eleico nalo houvesse sido recc-
nhecida e proclamada pro todos, e afial
pela junta apuradora em sua maioria, e ie-
galmente podes hiaver aegundo escru-
tinio, deOIsia d'elle) uaa vez que,
subeistindo 66 esmos elemaentos de per-
turbao ea- desodem, que deram lugar aos
assassinatos e ferimentos dos menus amigos
na mnatrizs de S. Jas6, eu ato exporia as
elsitor que qu2aems ainmda honrar-me
comn os seus voto., a novas scenas de san-
sute.
Feizeo IPU o 6 Aato o e ac: fai elhito
em piamo 'eio. .u M, e, nada absoluta-
mente eo-i r ** d que correrA


A 184.D" ,par
Dr f.h,




a expsio d Aturfmpia e o rinter-
medio do Contro ada M A& do Eo de Jairo e
de accord comn a Aaocia Cab aMiarjl dota
praca delibero comn a respsetiva. dioetoria ser
urma exposic- parcil em 27- .do Ajaneifro proximo
no predco da mesm- A- oeina*o antes Ie expedi-
rem-se oectosa, que adquirir para qe o pblico
tenha ocasilo de apewiar o daavoldimoento das
artes e induatris.
Para isso a ummniasko pede a todos Os artists
e industries, quo abrilbatemom seas primors
d'arte pera et r o progreao deata provincia,
bor eomo toga .s 8qf0ut- cidai~a (que p5aua
aIg. a moves e- objetos de artes antigua) o es-
peial favor de os aprsentar coino fim de se con-
fontar o adiautamento, que ha oeorrido acerca
de- urmn seeulo. -
A eommiadA du elra, que estes objects devem
ser remettido. pana a Assoeiswio at6o dia 20 de
janeiro para havriteJmpo de serem collecionados'
pagando esta, -niw a despeza do transport
dos objector enprestades.
0 programma doesta ata do tahalidho ser em
tempo anuncmido esperando quo eja bern eoncor-
rids como o mere.
Retite, 29 de doenobro de 1884.
Joo FPernandes Lope.
Josi JoAo de Amorim.

GOLLEGIO

InSliluto Academico

153 BRia dio Yiscoie doi tonai153
SE (Mondego)
Este collegio, estabelecAdo em urn dos
mais vastos edificios a'esta cidade, acha-so
convonientemente preparado para receber
alumnos interns, semi-internos e externos.
A situag o do edificio em urn dos lugares
mais hygienicos, a disposiIto dos sales de
estudo e dormnitorio do acordo corn a boa
discipline, a excellent chacara, para re-
creios, o corpo docent e a longa pratica do
director nas materials do ensino devem ser
penhores assaz sufficientes de optimo desen-
volvimento physico, intellectual e moral da
infancia.
Pensoes e HIonorarlos
Os pagamentos sao f itos adiantamente
per trimestres nos 5 primeiros dins dos me-
zes de janeiro, abril, julho e outubro. 0
director nao fornece object algum ao alum-
no, salva a conveucao corn seu pae ou tutor.


Os alumnos interns pagaram per
trimestre
Os semi-internos da eschola in-
fantil
Os semi-internos do curso se-
cundario
Lavagem e engommado de
rjupa
Externos do curse primario
Externos per qualquer classes
do curso secundario
Por qualquer classes de artess.
Piano


1506000

75O000

1004000

20000
205000

156000
15(000
30000


Resultado dos exames officials prestados pe-
los alumnos do collegio durante o anno de
184.
PORTUGUEZ
Manoel OCavalcante do Rego Barros, ap-
provado plenamente.
Joaquim Nunes Ferreira Coimbra, idem.
Jos6 -jAI 6-.g0faves Ferreira,. idem.
Arconcio Camboimi de M. Vasconceilos,
approvado.
Elisio Alberto Silveira, idem.
Andre Dias Pinheiro, idem
Alfredo Olyntho Barbalho, idem.
Antonio J de Rego M. Netto, idem.
Carlos de Paula Lopes, idem.
Justino E. das Neves, idem.
RRANCEZ
Zeferino Pontual, approvado plenamente
Manoel C. do Rego Barros, approvado.
Carlos Adour, idem.
Manoel S. Nunes Machado, idem.
Jose Martins Fiuza, idem.
Reprovado i1
INGLEZ
Jose Gaspar da Silva Loyo, approvado
corn distincao.
Alfredo Felippe da Costa, idem.
Joaquim Nunes Ferreira Coimbra, ap-
provado plenamente.
Joao Custodio de B Cosla, idem.
Alfredo da Silva Loyo. idem.
Manoel C. do Rego B. approvado.
Andre Dias Pinheiro, idem.
Joaquim S. de Arruda Falcao, idem.
Joe Luiz G. Ferreira, idem.
Reprovados 4.
LATIM
Horacio de Alneida Guimaraes, appro-
vado plenamente.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Joao Custodio de B. Costa, approvado.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idem.
Joaquim N. Ferreira Coimbra, idem.
Joaquim Siqueira de ArrudaFalclo, idem.
PompLo da Silva Loureiro, idem.
Leonidas A. de Mattes Torres, appro-
vado.
ARITHMF-TICA
Jose Hugo Gongalves, approvado plena-
mente.
Sebastibo Lins Wanderley, idem,
Joaquim S. de Arruda Falcao, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, ap-
provado.
Joao Custodio deB. Costa, idem.
Andrd Dias Pinheiro, idem.
Pompeo da Silva Loureiro, idem.
Reprovado 1.
GEOMETRIA
D. Delmira S. da Costa, approvado ple-
namente.
Eutichio Autrant, approvado.
Jos6 Hugo Gon9alves, idem.
Joao S. de ArrudaFalcao, idem.
Eduardo I. Ferreira da Silv.a, idem.
Jose N. Ferroira Coimbra, idem.
Jos6 Ferreira Muniz, idem.
Praxodes B. de Mndonga Vasconcollos,
idem, .
Jolo Custodio de Barros Costa, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idem
GEOGRPBIA
Pompeu da Silva Loureiro, approvado
plenamente.
-Joao S. de Arruda Faleo, idem.
Joao Crastodio de B. Costa, ,appwudo.
IEduardoJ. da Fearreira da SiM-, "den.
Joa6 Mattin Fiuza, idem.


-D.
-im r *' ''* ;" .** 7 *


Jo" N. Ferrfea Coiubra, idem.
Manoel Cavadgat dtdo 1 arrwM ,p
provado plenamente.
Jolo Custodio de Barros 'Costa, appro-
vado.
NEETOBiGA
Jolo Siqueira de Arruda Falcbo, appro-
vado plenamente.
Manoel Alfredo M. doe Passos, idem.
Reprovados 2.
PHILOBOPHIA.
D. Delmira Secundina da Costa, appro-
vada plenamente.
Joo S. de A. Falao, idem.
Jolo C. de Barros Costa, approvado.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros,
idem.
Jos96 FerreiraMuniz, idem.
Reprovado 1.

Approvados corn distincgo 3
Idem plenamente 23
Approvados 45

Total 71
Reprovados 10.
Para conhecimento do public o director
do collegio declara que os cursos do anno
lectivo comegarlo a 15 de janeiro de 1885
Recife, 24 de dezembro de 1884.
0 director,
Jose Ferreira da Cruz Vieira


Es ola particular

Rea dg MIf o lleHemraI it 9
(ANTIGA DO SOL)
Anna Theodora Simoes, avisa ao reopeitavel
public e aes pais do suas alumnas, que no dia 7
de janeiro proximo vindouro, principiarao os tra-
balhos lectivos do seu estabelecimento de instrue-
gao prim&ria, continuando a receber alumnas in-
ternas, meio-pensionistas e external, esperando
dos mesmos o acolhimento e proteceao que sempre
Ihe dispensaram, certo de que empregarA todo o
esmero no adiantamento de suas alumnas.


Cajurubeba

[ma cura rapida!
hIm. Sr. Antonio Pereira da Cunha. Taquare-
tinga, 22 de dezembro de 1884.-Nio precisa o
seu famoso Cajurubeba que se Ilhe faca o favor de
o exaltar; 6 por6m de toda a equidade que se pa-
tentei e as milagrosas curas que elle faz, isso para
proveito da humanidade. HaverA cousa de cince
mezes que pernoitou nesta sua casa o meu amigo
Sr. capital A. da S. Ramos, o qual vendo o estado
soffredor de urns mana minha, senhora de 74 an
nos, e que scffria horrivelmente de rheumatismo
ha mais de 20 annos, a ponto de naoopeder andar
sem apoio, Ihe aconselhou que usasse o Cajurubeba
e elle mesmo Ihe forneceu urn frisco.
Nos primeiros trez dias, as dores dobraram de
intensidade, e ella deixou de o usar; pordm a ins-
tancias minhas ccntinuou, e antes do liquid se
findar, sentia-se completamente restabelecida.
Para que pois, quernm se achar em identicas cir-
cumstancias as de minha irma use de urn tao mi-
lagroso medieamento, peco a V. S. que d publi-
cidade a esta minha declaracao.
Disponha do pequeno prestimo de sen criado e
obrigado, vigario-Renovato Pereira Tejo.
Reconheco verdadeira a assignatura supra e
dou fA.
Recife, 27 de dezembro de 1884. Em testemu -
nho de verdade, o tabejliio publico.-Josd Boni-
facio dos Santos Mergulhdo.

Collegio da immacolada Con.
cei 0o
Rua do Hospleio n. i[
As aulas deste collegio abrir se-hao a 15 de ja-
nenro, contlnuando a ter aulas diaries para todos
os preparatorias e um corpo docente do mais re-
conhecido merito.
Admittem-se alumnas internal, meio pensionis-
tas e externas.


A director,
Maria Coelho da Silva.


Curso Minerva

Internato e externato
Rua do Imperador n. 5 1:- andar
0 director desto novo curso, declare ao public
em geral e especialmente aos pais de familia,t-:-
os trabalhos deste estabelecimento comegarlo no
dia 7 de janeiro, e que tern empregado todos os
esforgos para adoptar em seu curso o method ame-
ricano, quer no ensino preparatorio, quer no ensi
no primario, e eis o programma que pretend es-
tabelecer : o curso primario 6 aividido em dous
a'nnos, constando o primeiro de rudimentos prima-
rios e ensino de cousas, method muito adoptado
em todos os paizes cultos. 0 segundo anno cons-
tarA de leitura correct de prosa e verso, elemen-
tos de moral, de ar'thmetiea, de grammatica na-
cional, de geographia analyse grammatical e lo-
gica, exercicios de redaegio, continuando ainda o
ensino do cousas.
CURSO PREPARATORIO
Este cursor consta das materials adoptadas para
a admissIo dos cursos superiors, havendo espe-
cialidade no ensino de linguae, pois temos profes-
sores contractados para o ensino pratico de fran-
cez e inglez. 0 director,
0 director,
Josg Calasans de Assis.


Escola particular
Rua Vidal -d Negreiroun. 196
Maria do Carmo Rodrigues de Almeida, faz
sciente aos pais de suas alumnas e ao respeitavel
publieo, que sua aula acha-se aberta no dia 7 de
janeiro proximo vindouro: o ensino costa de pri-
meiras lettras, trabalhos de agulha de differences
qualidades, flores, musica e piano : recebe algumas
alumnus internal.

Aula particular pra nieinas
Vidal de NegrTetros n. 12
Carolina Leopoldina Cuelho de Araujo, particpa
aos pais de familiar qae de fevereiro em diante
estara aberta sua aula particular para meninas, A
run Vidal de Segreiros ,pateo do Toreo) n. 12,
1- andar, onde a mesma leceionara primeiras let-
tras, trancez, piano e diverse trabalhoes de agulha.

CirnrgiAO dentista
Joso6 Basilisoo da SMlva Santos, cirurgilo
dentist e pharmaceutioo pela Faculdade
de Medicine do Rio de Janeiro, colloca
dentos pelos system maim s aperfeigoados,
obtura cmuinba) a emro, A ptifia e a osso
artfiei -; faz reoonstrucgoes de dente de
oum, trata das molestias ,da bocca e corri-
a* a. irr-gulaidades dentauims. -Aeba-ae
As 4 hamsno mu gaineto Aw Ta
da Itperatriz n. 1.


IVA.
,em Neva- "





w.b.ug -ih._
el fWpted mloal, em hp-r D,
Carmesn 33
e em tod&"as : alnlpin-
eapi|aes da l urnpa e da Ae-
rica Septentroiial e SerdlIomal

Pull (eTenrl"a EmXr~o


Durante o semestre deerido'de A de weiro at W
30 de junho proximo pasuado, pagou eatsta compa- y
uhiador 88 8 sinuats (umts) a importaneia to-
tal de 1,827,217 dollars ouro dos Estados-Unidos,
ou em moeda brsileira cereal de 4,600:0006cam-
do:
Em Janeiro por 60sinistros. .26826
fevereiro porW 50 20
maro por 75 a ,- 5
Sabril por 84. 396 1
maio por 61 a .. I 409i -
Sjunhopor 58 D 20,


Nintistros na importaafea
Tocarlo A Inglaterra 6 de
a Escossia 5 a i
a lrlanda 2 s
ao Canada 8
AshIdiasOcceid. 10 a
a PFranca 2 5
a Allemanh 2 X
a Hespanha 6 A
a Suissa 1 i
ao Chile 3 1 '
ao Mexico 6 1
aos Estados-Unia. 337 1,5
Total 388 i 1,8
Durante o mesmo period pagou a eomr
em 1883:
Em janeiro per 56 sinistros 1
S tevereiro 55 2
, marco 75 a 2
Sabril 54 2 i
Smaio 65 A 3
a junho 64 V 2
Total per 369 k g 1,)


19o25
10,000

87,000
12,000
5-,680
30.0O
7,000
17,000
28000
558,912
827,21
panhia
99,900
!2,,112
255,654
232,205
365,358
227,370
500,590


O rateio da mortalidade sobre os seguros vigen-
tes era em 1883 de 1 10/100.
0 total pago pela companhia nos ultimos -2 ,
annos, por sinistros, dividends, annuidades e
liquidas5es de apoliees, era em 31 de dezeinb'-
proximo passado 5 83877,699 51/ ou nm/m.....
200.000:0005000.
0 total dos haveres da companhia em 1 de ja
neiro de 1884 era A 53,030.582.00; o total de saas
responsabilidades conform a taxa de 4 1/2 (Q
(padrao do Estado de Nova-York) A 40.020825.&0
dcixando o enorme surplus, fundo de reserve, a di-
vidir-se entire os mutuarios (possuidores de apoli-
ees de 12.109.757.00 ou cerca de 30.000.003,000.
0 rateio dos haveres da companhia por cada
; 100 de sua-responsabilidade A de 129.
(Extrahido dos Relatorios Officiaes).
As listas detalhadas e relatorios officials por
ser vistas no escriptorio do Srs. Henry Furster &
C, na rua do Commercio n. 8, correspondents da
companhia, onde tambem pode ser encontrado o
Sr. Theodoro Simon, o agent geral nested Impe-'
rio; todos os dias, das 10 horas da manha ate as
3 horas da tarde, durante a sun estada ncsta 'c-
dade.
Recife 24 de outubro de 1884.


COLLEGIO)
D

NOSSA S. DA PEMIA
Ria do Cabuga ns. 9 e 9
segundos andares

Os trabalhos de,

collegio come aran,

12 de janeiro.

As disciplines ensi--

nadas sao: primeiraN

letras, portlugue7,

francez, inglez, alle-

rmao, geographic, his-

toria, mu sica, pI ano.

desenho, costix

bordados, etc.

Admittem-se

nas internal,

pensionistas e

nas.


EXPOSICI

Achando-se nomeada pall Asmoc
cial Beneficente, a commiasio aba
para agenciar products e todos olit
manufacture desta provincial paraexl
vai ter lugar em Antuerpia (Belgiea),
sa satisfanao em cunvidar aos senhbje
res, assim como aos senhores artistasi
geral, que quizerem concorrer -
especies, payran -madareafen
qao Commercial, -ax uafo Co
janeiro de 1885; poQ que '
sobrevir algum desenvol,-
de commercio corn o eotraL
Jobo Fer,
Jose Jo. o

Facts e nf
Aoa gye se dwaw-s. trot
saude corn preparaa-
Nesta typographia e na
vende se tnturas honaeop
ra das seguintes molestia
bronchitico ; eryipela,
(sem o emprego dof fata
falta de mewlruacao; ct
ou metrite; dares de dep
giam vermifm dentioss
tado munipulndo de her-
.Assim come tnatna..sc
grao e gommatosos.


- lB~


- I ..


.;.I-." -




--------. -- ------ -i--. ..'-' .,-..^ -.,. -- -. 4
H I -.1 r i -* -..11 .. -...^


^


' ft,


maRI


I























... aBLte col: .'ip. ddo oum 187,8; estatina a tuncioar a rus deS. Francisco, palaete n. 72, a
Dalnee WsmM fiteRas, mtelo-pevilbtan e externos.
-- AmuTi a profewsada. ao : PtAmeiras lettram. IPortuguex iLti-m. France.,
.. ReIAtoereaq &r nthmaeticao Geomeria, G eographia, Histoeria. Phle.
f mphna. Nmuiea m q*a e Desenho,
S Os profesisoros sio habilitados e moralisadoa, tondo os alumnos obtido sempre boas resultadoe,
% o.to noB exames prestados no Inbtituto como no Collegio das Artes.
1 A alimentaao 6 a le abundante, reservande se apenas certos fructos e outras comidas nocivas,
- 0 regimen interno ago 6 vexatorio : ha horao destinadas para estado, recreio o repouso, e em
em ao nenhum soffrergo os alumnos pnrvalo da alimentaclo nem deixarlo de repousar as horas exigidas
pela hygiene.
0 trabalho 6 distribuido de conformidade com a idade e desenvolvimento phydieo e moral de
rads utm.
0 predio e ecommodo, aceisado e em geral claro e fresco, corn espaeosas salas para sulas, refei-
torto, dormitories e reereio,. mobiliadas convenientemente.
S0 colleglo fornece gratis, pennas, papal, tints, lapin, crayons, ardosias, livros para consultas
aows alumnoae intern, no Collegio.
/ Os alumnos interns tambem tcm direio A roupa lavada e engommaaa, sem remuneragao algu-
S ma alnm da mensalidade.
Tambem nlo dao joia na entrada.

Enxoval dos alumnos internos


Gamisas.
Camisolas
Oalca preta de casemira .
-, Calca de brim pardon
-, Jaqueta preta de panno fino
tolete preto, idem idem .
Qavatas pretas
(mhpao preto redondo
res de meias
raas par .
Sapatues idem.
Lencoes.
*- 1 obertas.


12 Cobertor de bafta encarnada
6 Colcha ..
1 Cama de lona
6 Travesseiros .
1 Lavatorio de ferro e bacia
1 Toalhas para rosto .
2 Ditas para banho
1 Copo de metal.
12 Escova para denotes.
12 Pente de alisar
1 Dito fino.
1 Espelho pequeno
6 Thesoura .
4


1
.' 1
1
2
1
- 9
- 1
6
1
3
1
1
1


Em attenejo as difllculdade comn que luetam os senhores paes para
educar meas flithos. nao podendo mauitos sumsteftar tao pemado eneargo de
Om#0OOn mental por ceada un, como alumno tnterno, alm de outran mui-
tas dempezas que oceorrem, flea entabelecida a seguinte tabella :
Alumno interns 4000 por mez Alumnos externos d'aula e-
mejo-pensienista 25~0W-cundaria (2 pre-
S meio-pensiosa 2500 parat). 9000
. externo d'aula pri- exteruo d'aula se-
maria. 5.000 r cundaria (3 pre-
externo d'aula se- pat.). 12000
eutaria (1 pro- Aula de musical. 5000
cundaria (1 pre- dan~a. U 000 ,,
parat.). 5$000 : deseuho. 5. 000 ,
N. lB.-Os pagamentos sao feitos por trimestres adiantados.
As aulas comeqam a funcionar a 7 de janeiro e terminam a 15 de dezembro.
0 director.
Hermino Rodrigues de Siqueira.


MEDICO E PARTEIRO

S Dr. Joaquim Loureiro
Consultorio rua Duque ae Caxias n 39,
defronte do DIARI ) DE PERNAM- 0
SBUCO, ondedA consults das 12 As 3 ho /
Sras da tarde. Reside temporariamente n
S( Monteiro, (
Ru -' "" 2


EDITAES


Edital n. 8
0 administrator do Consulado


Provin


eial avisa aos contribuintes dos impostos de
decima urbana, dos bens de raiz de corpo-
90es de mao morta, e de 40 reis por litre
de vinho e 80 r6is por litro de aguardento
e quaesquer bebidas alcoolicas consumidas
na provincial, em estabelecimentos do f6ra


UPCULIST.A do perimetro dos impostos de repartigeo,
o Dr. ..pal, medic. dos quaes trata o 8o do art. 19 da lei n.
0 r. Barreuo sarnpaio, medico de ^^
,'"ista ex chefe do clinic do Dr. de We- 1810 (orgamento vigente) que no dia 1 de
er dsa ex volta de su clinicagn o Cear, dezenbro proxirno future comeca csta re
er, de voaha de sua vsagem as Ceara a arrecada"o, a bocca do co"re,
?,parti'aso a arreeada ast, A boeea do core,
contmuaa darconsultas Arua do Baro daos mesuos i npostos, eon o praso de 30
Victoria n. 45, segundo andar, de I ..I4dias uteis na fortna do art. 42 do Reg. d<.
"horas da tarde, except nos domingos e4 ,, ... 7
dias santificados. Chamados em seu con-ia ,si o provincial de Pernarubuco,
sadltori ou em casa de sua residencia A iConsao Povn a ernau o,
26 de 1883.
xua de Riachuelo n. 17, canto da rua dos Francisco Amynthas de Carvalho Moura.
yiros. i ________________________
ires. is
--- I Edital n....
COLLEGi O 0 O administrator do Consulado Provincial avisa
ANAha ,,,,,,,, ,, a Lourd aos contribuintes do imposto do reparti'eAo por
e No "S enwura de LourUds classes, sobre ii duatrias e profis.Ses, a que se re-
PA 0 E FEMNINO fere c 26 do art. 1 da lei n. 1810 (ornamento
PARA 0 SEXO FEMININO vigente) que nests repartiailo comea no dia 1-
NA CAPUNGA, IRUA DAS CREOULAS N. 26 de janeiro proximo future a cobranoa A bocca do
cof re, do mesmo imUnposto, relatives ao 1 semtstr,.
a direcqio de D. Maria Luduvina C. do mxercieio corrente (1884 A 1885), devendo esto
Albuquerque, auxiliada por suas fiihas terminar improrogavelunote no trigesimno dia util
(ia 7 de janeiro vroximo, abrir .sf-ha este nos termos do art. 42 do regulamento de 4 do ju
a, sito em uma chacara minagnifica, arbori- Ihe de 1879.
corn todas as condiq5oes hygienicas. Consulado Provincial de Pernambuco, 24 de de-
na-se a par dos primeiros conhecimentos- zembro de 84.
r'ntifeOz, francez, geographia, piano, flores e Francisco A. de Carvalho Mourn.
Dordadds do todas as qualidades.
Para infornmacoes i rua do Imperador n. 31 1 eitl
andar.
la praa_


Ins ittion frantaise de
selies
-aa dolarae de S. Borja (an
SNSebo) n. 50
0 awno lectivo deste collegio comegar
ieiro de 1885. Recebe-se alumnae
Ani-internas e externas.-A director,
I. Adour.


slitiuto vaccii
'ga do Bosario n, o26
todos os dins uteis de 10 as
0 director
Dr. Arruda B.


DmZ ovO eo A


dem i De ordem do him. Sr. inspector seo faz public,
0 0 mque as 11 horas do dia 3 d.) mez de janeiro vin-
douro, serio vendidas em leilio, no trapiehe Con-
ceimeo, as mercadoria abaixo declaradas :
a Armazem n. 1
itiga do1 Marea OR, 2 caixas ns. 26 e 27, vindas do Ha
A em 7 d vre no vapor trancez Ville de Pernambuco, entra
* em 7de do em 7 de outubro do corrente anno, contend
internas, pedras marmores, quebradas, abandonadas aos
direitcs por 0. Keller.
/ Armazem n. 1
4aiaca M&C e contramarca P, 1 caixa n. 12,
y vinda do Havre no vapor francez l'ilie do Ceard,
)0 eutrado em 7 de novembro ultimo, contend 120
Jo kilos de rotulos impresses emnuma so cor, aban-
Sdonada aos direitos por Meuron & C.
*.a 5 ddar 3a Seceao oa Alfandega de Pernambuco, 30 de
s 12 horas. dezembro de 1884.
r 0 chefe,
eltr0o. Cicero B. dc Mello.


'M1


is de ferias
materials para exames em marq
rio de 0. Borja n. 41I
de Luiz Porto Carreiro


o Nossa Senho-

ias Victorias
0J HOSPICIO N. 10
10 confinuarA durante o anno lectivo
ndo sas aulas no dia 10 de janeiro.
-mnaA internal, semi-internas e ek-
e ^

ite Lws- dl rpeu/t.

;liwBolt8, dli Bir-
.11p


iades thekrapeutica du
.io e outras, exeelab
ibranas mucoas, affee.
as, esmcrofulas e miamlea-
do figado, sofriauumtou
idencia prolonFad em
des, cges gSto ep i-
eldra renrtA^
znauadas poet WMuW-
a er bebida pdoaLMa-
defplta doeaftaM'
midadesn a- ABgost


A Camara Municipal da cidade do Recife
convida aos donos dos estabelecimentos commer-
ciaes duea traguezias da Grama, Poo da Panella
e S. Lonrengo da Matta, para virem A becao
competent aferirem os pesos, medidas e balangas
dos mesmos, no pronmo mez de janeiro, sob pena
da lei.
Pago da Camara Municipal do Recife, 30 de
dezembro de 1884.
Jos6 Candido de Morases,
President.
P. G. de RBatis e Silva,
Secretario.

Classicagog oh escra'os -
A junta elssificador dos escravos do munici-.-
pio do Recife, em cun.primento a circular do Exm"
Sr president da provineia, recebida em 26 do
corrente mez, fax saber As pesoas que apresenta-
ram A meemst junta as notas dos eseravos que
teem do sew elaaifiaadoe, que lhe. flea mwrcado o
prazo de dez dias, a cantoar desta data, afm deo
instruil a emn a respect matricula especial on
averbagoo, ertidlio de baptismo dos flihoe esra-
vos e eertidio de casamento dos eseravod que fo
rem camsados ; vidte como a intenqio da lei 6 que
nio so aceitem declars5o" algumas se m que os
interessadox provem por meios reguld as aIle.-
ga95o que possam eonstituir direito de preferen-
eia ao5 mesmos escravos.
Pao da C Imara Mucipal do Recife, 30 de de-
mbro de 1884.-4-ubcevo aseigno.--O eseri-
*1Io, Corielasade Abrou.
Joa6 Awdio do Moriae.
Manoel JoaI&gBoar de Avellar.
Henriqae MlOt.


a


I K e Bf
i dotj~'il


bN-It~


N... gerald.oeolff
De ordem do eoa m b=1i0 covido a todos
on nossoS irmaoe para Com xe em nosso
consistorio da meama igreja domingo 4 do corren-
te mez, pelas 10 boras da manhi, aim de reunir-
mos em numero legal, como termins o art. 24 do
eompiomisao que nos rege, proceder-se a eleiVlo
da nova mesa regedora que tern de reger a mas-
ma irmandade no anno compromiasal de 1885 A
1886, como terminal os arts. 26 A 35 do mesnio
compromisso.
Consistorio da irmandade de Santo Amaro das
Saliuas, 1 de janeiro de 1885.
0 escrivio,
M. D. da Silva.
Sr. seeretario expeova &ni portarisa ao Sr.
chefe da 4a io o, %pars que intorme o seinte:
Silva Dias & C., corn estabelecimeato na rua D.
Vital n. 1, froeguezia da Boa-Vista, aferio e pa-
gon o respeetivo impostor hoje, quando o prazo da
%ferieao terminou em 30 de novembro, e corn au-
torisaglo foi dispensada a multa em.qdeuselacha-
vam sujeitos Enm 31 de dezembro de 1884.
0 vereador,
Manoel Antonio ViegaW

Great Wsetirn ofBruU Rilway
AVISO
Do lo de janeiro de 1885 em diante o serving
dos trens de passageiros se fara conform o hora-
iio seguinte:
Linha principal


PARA 0 INTERIOR


Recife...... part.
Encrusilhada. ,
Arraial .....
Macacos ....
Camaragibe.
S. Lourenqo.: ,
Tiuma......
S. Rita ......
P. d'Alho ... a
arpina......
L. do Carro .
C. Grande .. .
Lirnmciro .... cheg


DO INTERIOR


M


M


Limnoeiro ...
C. Grmnde ..
L. do Carro
Carpina ....
P. d'Alho ...
S. Rita .. ..
Tiurna ......
S. Lourenyu.
Caimaragibe
M cacos ....
Arraial .. ..


part.

ft


D
n
ft

ft


DIAS UTEIS DOMMNGOS ETC.


:anhS Tarde Manhi Tarde


7.42 2.37 8.45
7 50 2.45 8.52
7.57 2 52 9. 0
8.12 3. 8 9.14
8.25 3.20 9.26
8.49 3.39 9.45
9.03 3.49 9.56
9.23 4. 9 10.13
9.53 4.39 10.41
10.30 5 16 11. 9
10 48 5.34 11.24
11.05 5.51 11.39
11 24 6.101 11.58


DIAS U


anhai


6.13
6.35
6.54
7.191
7.52
8.16
8.33
8.52
9.10
9.22
9.36


JTEIS DOMINGOs,


Tarde Manhal I


2 3
2.25
2.44
3. 9
3.43
4. 7
4.27
4.47
5. 6
5 18
5.321
A iQ,


ETC.


'arde


2.30
'2. 50
3. 5
3.23
3.55
4.16
4.33
4.48
5. 3
5.15
5.29
C qT


icrulzilliada c U.,o4 .o1 ;.o
4ecife ...... ch 9 9.50., 5.46 5 43
Ramal de Naszareth

Carpma..... part. 10.40 5.26 11.:5S 3.30
T'racunhaem. 11. 0 5.46 1 1.32 3-47
Nazareth.... cheg 11.12 5.58 11.44 3.59

Nazareth ... part. 6.20 2.10 10.20 2.40
Tricunhaem. 6.36 2.26 10 33 2.1 3
Carpina..... cg 6.56 2.46 10.50 .10


Ailsa Janson,
Superlntendente.

Consulado Provincial
Pela 2.' secego do Consulado Provincial
slo chamados os Srs. comprehendidos
na relagio infra afim de virem satisfazer
a importancia das differengas que foram
encoptradas em despachos de cabotagem
perteneentes aos mezes de janeiro a
margo de 1883 no prazo de 8 dias, fin-
do o qual seizo ellas remettidas para o
juizo.
Antonio de Almeida Nobre
Augusto Baltar
A. D Carneiro Vianna
Affonso Tavares
Albuquerque & Filho
Antonio Jos6 de Senna
Antonio Jos6 de Amorim
Antonio Jose da Silva Ribeiro
Anacleto Lopes de Medeires
Antonio Loureiro & C.
Affouo-o Lucio
Agostinho Lins Vieira
Antonio Manoel dos Santos
Alhneida Machado & C.
Alfrcdo Monteiro -
Affonso de Oliveira
Alheiro Oliveira & C.
Antonio iPereira Santos
Adelino Reis
Antonio da Silva
Antonio da Silva Campos
Adriano de Souza Monteiro
Basilio Costa
Boaventura & C.
Balthazar de Britto MagalhIes
Bento de Freitas Guimarles
Costa & Medeimos
Braga & SA -
Eduardo Miguel da Costa
EugenioGuedes de Araujo
Francisco B. de Albaquerque.
Fernandes da Costa & C.
Francisco F. de Souza
Francisco Jose da Silva
Francisco Joaquim de Barros Junior
Fernando Leal & C.
Francisco Miranda
Fernandes Peixoto & C.
Ferreira Rocha t C.
Francisco Silva
Franciso o Zacharias da Costa Silva
GaIldin Pimentel
GuimarOes Rocha & C.
Gufilhermino da Silva Figueiredo
Herique Gomes Loureiro
Hermann Lundeoea
H. Peterson & C.
Ign cio de Carvalho IM.
Jo Aleamdre Pereira
JoRquiMA ,thur dos Santos
Jose Antoio de Barros
Jos6 Augato Viera da Ombaa
JosA Aires do Valle
Joio A. da Cruz & C.
Julio Bandeira
Jose Ouna
Jos Domingues de Oliveira
Jose de ftgq=redo CNsto
Jo69 Francia daSilva
JO6 Fenaawd do* Santo Bastos.






-o .
Jose Bwei B


L .-, o .
te^,^"' '* ..


- ;4 ; .3 .-


_a6 a, Ifta* -
Manoul Abveu Baruboi Suceeao
migael do Barr1-
MrehA da Silva & 0.
Momma & C.
Maoel da Cunha
Mendes da Cunha & C.
Manoel Fernandes da Bilva
Miguel Jos6 Ferreira
Manoel Joaquim da Silva
Manoel Joaquim Dias
Manoel Jose de Souza
Manoel Lopes & C.
Macedo Lopes & C.
ModJesto Lopes & C.
Manoel Moreira Campos
Manoel Moreira & C.
Manoel M. Ribeiro
Manoel Ramos.
Manoel da Silva
Moreirs da Silva & C.
Mendes da BUSilva
Manoe! Scares darSilva
Maeedo Vergulino
Netto Campos _& C.
Neves & Salgado
Olyntho Jardi & C.
Pedro Antunes & C.
Pedro Osorio de Cerqueira
Pedro M. da Costa Rego
Rodolpho Cavalcante
Rufino Figueiredo
Rodrigues dos Santos
Romualdo da Silva Brags
Soares de Amiaral Irmmos
Seledonio da Costa
Sebastiflo Retumba
Virgilio Macedo ,
2a. Seego, 31 de dezembro d0 1884.
0 chefe
Manoel Pereira da Cunha.


A Camara Municipal da cidade do Reciie
r.anvida aso donos do. estabelecimentos commer-
siaes das frequezias de Afogados e Varzea, par
virem A seccao competent aferir os pesos, medi-
das e balangas dos mesmos, no proximo met de
dezembro, sob pens da lei.
Pago da Camara Mnnicipal do Recife, 29 de
aovembro de 1884.
Jese' Candido de Moraes,
President.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretario.

Circular n. 15
Thesouraria de Fazenda "de Per-
nambueo, 29 dedeexembro de S4
0 inspector, tendo em vista a circular do The-
souro Nacional n. 49 de 10 do corrente, ordena
aos senhores collectors das rendsas geraes "que
informem cornm today a urgencia qual o numero dos
ingenuos apresentados em cada municipio, e so
os protests dos respectivos senhores que optam
pelos titulos de rendas foram julgados e aceitos
uos terms do decreto n. 5135, de 13 de novembro
de 1872, afim de que o Thesouro teaha base se-
gura que o habilite a soliceitar o precise credit
do Corpo Legislative para pagamento do juro dos
refvridos titual s.
Antonio Caetano da Silva Kelly.

Institute dos Professores de Pero
nambuco
Nio se tend reunido no dia 22 do corrente nu-
mero legal de associados, sio de novo convidados
todos os socios deste Instituto a se reunirem as
10 horas do dia 3 dejaneiro, afim de, constituida
a assemblea geral, eleger-se o conselho adminis-
trativo que tern de dirigir o Instituto no anno de
1885. Desta vez funccionarA a mesma assembl6a
corn o numero que comparecer. Recife, 30 de de-
zembro do 84. 0 2- socretario, servindo de 1-,
Torquato Laurentino Ferreira de Mello.


Tliosonrara do azendo&
Assignsatura de contrato
De ordem do illm. Sr. inspector, convido 'os
Srs. Fraga Rocha & C., Soares do Amarial Irmlos,
Mello & Biset, Fonseca Irhmos & C., Antoni Soa
re Raposo, Jose da Silva Loyo & Filho, Jo'to Ro-
d u de Moura% Beltrii Costa, Medeiros & C. e
.ti Silva & C., para assignarein, no praiz) de
tree dias, na secao do contcncioso desma thesou.
raria, o term de contrato para o fornecimento de
generous e diversos artigos ae presidio de Fernan -
do de Noronha, no seinestre de janeiro A junho do
anno proximo vindouro.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 29 -de
dezembro de 1884.
0 secretario da junta,
Francisco A. de Oliveira e Silva.

Gabinete Portug'iez de

Leitura
ASSEMBLE GERAL
De ordem do Exm. Sr. president do conselho
deliberative, convido os senhores socios a reuni-
rem-ae em assembly geral no domingo 4 de ja-
neiro, ais 11 horas da manho, afim de proceder.se
a eleieao de alguns membros da direetoria, em
virtude de terem recusado os seus cargos os ulti:
mos eleitos.
Secretaria do Gabinete Portnguez de Leitura,
em Pernambuco, 29 de de: embro de 84.
Jose da Silva R)irigues,
1- secretario.
Pela secretaria da aUuinara Municipal da ci-
da.,le do Recife se faz public quo em virtude de
resolaca. da Illuia. Camara, tomada em sessao de
17 do corrente, foi coneddido o prazo de 30 dias,
para os proprietarios dos estabelecimentos aa h'fe-
guezia de S Jos6 mandarem A seccao cempetente
aferirem os pesos, medidas e balances de seas
estabelecimeatos.
Sceretaria da Camara Municipal do Recife, 19
de dezembro de 1884.
0 amanuense, serviudo de seeretario,
Leoncio Quintino do Castro Le~s.
A camara -municipal do Recife faz mciente
a que inreressar possa, que em virtude da resela-
9ao tomada em sesslo de 17 do corrente, foi pro-
mogado o prazo de trinta dias, para dentro dells
serem reeebidas propostas para a factura do nov.
mercado da Boa-Vista; devendo ditas propostas
seem entregues em seseo.
Paco da camara municipal da Recife. 19 de de-
zembro de 1884.
Jose Candido de Moraes.
President
Leoncio Quintmno de Castro Le~o.
Amanuenso servindo de secretario.
Camanta iunlicpal do Reeie
Tendo-se esgotado o prazo para pagamcnto dos
diversos impostos da munleipalidade, como deter-.
mina o art. 77 da lei n. 1,609, previne-se aos con-


tribuintes que feia prorogado por mais 80 dias
afim de satisfazerem ditos impostos hlivre de malta
de 50 o/o, eonforme precreve a lei citada.
Recife, 29 de november de 1884.
Josd Candido de Morass,
Preoidente.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva,
_Secretario.

DAB

Alms n~i atrn z do


in4:
proA


0 ueretario da junta,
Francisco "Antomio d OHliveira e Silva.

Sociedade Beneflcente LasoBra.
sileira
ELBIIAO
Nio se tend reunido numero legal em assem-
bl6s geral de 28 do corrente conform tol convo-
cada, de novo convido de ordein do Sr. presiden-
te aoe Srs. socios para comparecerem no proximo
domingo 4 de janeiro aso meiw dia no reeinto des-
ta asaociagoy, afim ae se proceder a eleiAo dos
funecionarios par o annea de 1885, reunaio
esta de accordo corn a ultima parte do art. 35 dos
estatatos em vigor.
Secretaria da assembly a goral aos 31 de de-
zvembro de 1884.
Ramiro Costa,
Secretarlo.
The New Liamden a.i BraslHan
Bank Lilted
Rua do Commerci n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xis do mesmo banco em Portugal, send
em Lisboa, rua dos Capeflistas n 75 oN
Po, rtorua dos Inglezes.


SEGUROS
MARITIMOS CONTRA FOGO


Companhia


Phenix Per-


nambucana
Rua do Commercio n. 38.
COMPANBiA AMPI'TRITE
de

O miisios o torstros
N. 9--Praga po Corpo Santo--N. 9

A NOVA-YORK
New-York Life Insurance
Company
Seguros de vida
39 annos de constante prosperidade
Unica compaulmhia nesta provincia pumramente
mutua.
Activo effective, 31 de dezembro de 1883, mais
de 55 milbhes de dollars
ESCRIPTORIO FILIAL
N. l--Pracas do Corpo Santo-N. 12


OMPANHIAIN IMPERIA L

DE
SEGUROS CONTRA FOGO
EST: 1803 -
Edificlos e mereadorias
Taxas baixas
Pronipto pagamento de prejitizos
CAPITAL
as. 16,000:000h000
Agentea
BROWNS & C.
N. 5 Raa do Commercio N. 5



IuONTRA FOGO

The Liverpool & London & Glob

INSURANCE COMPANY
AGENTES

SHInlrs Brolthoers & G.
ll--oORPO SAY TOll.-

0OIIPAflIA DR 8RcliRO8
CONTRA FOGO
North British & -Mercantile
CAPITAL
*:000,000 de libras sterUnas
AGENTS
Admson Howie & C.
RTJA DO COMMERCIO N. 3.

INDE NISADORA
roma.segurom maritimos e contra
FIco
RUA DO COMMERCIO N. 44


Grande
0dUlrll I %TWIrI


Circo


TITT"ltiT II


Equestre gymnastica e acrobatics
DE

PAUL SERINO
Largo do Arsenal de Guerra

R Qol, ltabh'eo, oe

Extraordinaria runcCao!
Para festejar o

A.XT-erc) 3Navyo
Toma porte todos os artists
Sccesso crescente! DelirioqJ


Novo
Compoadto da. mast
nambumnas.
Mose esteem


pastoril
applaudidas pastors, per-

e da vietrlada


Aic~ELAIDR


&O catco CIRCO!

VER PA G8CnR1


*d ,^*- '- "" :' :- "'* -

O.,.l.a .- 7.
-. 1 4 AilP_








Dia dK inig. i

Reapitavel public, terei a hours.de aVawntir
on weus mnoehores trabnilhboa de eoatorno, desloog-
q6es adttbados corn as mollepo. pilbaa do meu
repertorio, propondo-me a imitar oeo0 corpo di-
versos animals conhecidos, o todom aquelies que
forem lembrados na occasion, e propomdo-me iguani-
mente a eigdir tim iowmiien, em plea vista de to-
dos que me honrarein uin as sunas presenoas, Q
espetocahlo serd gratuito ; nada quero de v6sae s
nio applas-siguaes aos que tenho recebido em
divir' as capitues da Europa e do nosso Brazil. E
confiando no men trabalho espero tel-os corn cer-


teza.
Virgilio 7'Tacares de Oliveira
0 artist Virgilio fez part da companhia do
choiado artists Antonio Carlos do Carmo, era o
seu Iown e corn aquella e a companhia dos Ir-
m&os Carlos trabalhou em Pariz, Roma, Madrid,
Lisboa, Porto, e em todas as capitaes das nossas
principles proviucias. Propoe-se no espectsicul,
qua se presta a dar, a representar ao memo tem-
po dous papers, um serio outro jocoso. Em face
do eeu annuncio e do seu nome ja iconhecido nada
noascompete acrescentar.
* 0 pavilheo da praia de S. Francisco continue
cercado corn uma grade dentro da qual deverlo
ser postas as eadeiras das pessoas que as levarem
pars o largo, devendo os demais concurrentes ficar
nos'bancos que ficam por f6ra, ou de pi por traz
d'esses.
0 divertimento comecariA as 5 horas da tarde,
fazendo a banda do 14o. batalhao as honras da
festa.
0 encarreaado dos divertim'nos.

EARITIIOS

tacilic Steam Naigation Compayi
STRAITS OF MAGELLA1N LINE
0 VAPOR

Patagonia
E Espera-se dos
ports da ouropa
atW o dia 18 de ja
neire e seguirA
para os do sule
do Pacifico depois
da demora do costume.
Para carga, passagens, encommendis e dinheiro
frete: tracta-se comos
Consignatarios
Wilson Sons d C., Limited
N. 14-RUIJA DO COM-ERCIO-N. 14


0 VAPOR

votopaxi
Espera-se dos portos
do sul ate o dia 5 de
^ sj aneiro, seguindo paxa
a Europa depois da
H E demora do costume.


P ira carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comos
Consigmatarios
WVlson Sons &k C., Limited
N. 14- DOCOMMERCIO N. 14
CilARGEURIS IREUNIS
Companhlia Franeeza de Navega-
oao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis
ooa, Pmrnambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
Steamer
Ville de Xacei6
E' esperado da Euro-
pa at6 o dia 12 de ja-
neiro, seguindo de-
pois da indispensavel
emora para a, Da-
E. NRioe de na-.
neiro e Santos.
Roga-se ao Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da desearga das alvarengas, qual-
quer reelamacao coneernente a volumes, que por-
ventm-a tenham seguido para os portos do sul, afim
dense poderemdar a tempo as providencias necessa
ras.
Expirido o referido praso a companhia aco an
responsabilisa por extravios.
Recebe carga, encommedas e passageiros, pars
os quakes tern excellentes accommodates.
Steamer
Ville de MIaranhao

Sspra-pani sedoins ports
r edosul at o odia 3de
Janoiro, segmueindos d-
pois da indispensa-
vel demorapars e Ha-
vre, comn escals por
'. :Lisboa

Os vapores desta companihia entrain no port%
aneorando em frente ao cres da praga do Commer-
cis e send muito incommodo o embarque dos pas-
sageiros no fundeadouro das paquetes transatlan-
ticos, no Lamar o e demais devendo todos aportar
ao Havre, que e o port mais visinho de Paris, o
defdra duvida que ha grande vantagem para quem
quizer ir Ai Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, alem de serem -os prego-
das passagens mais modicos, as despezas do embar-
que aqui e as do transport do Havre a Paris, sao
muito menores do que as que demandam as viagens
nos paquetes das outras linhas.
Conduzem medico a bordo, sao de march rapid
e offerecem exeellentes cormmodos e optimo passa-
dio-
As passagens podorao ser tomadas de antemio.
Recebe carga, encommendas e passageiros, para
os quaev tern excellentes accommodacg5es.
AGENTEIS
Auffusto F. de Oliveira


42 -RUA DO COMMERCIO-42
COMPANRIA VSU.NAUnUCANA
DE
I[aeqgapIo Costelra per vapor
PORTOS DO NORTE-
Para*y6i, Natal, Macdo, Mosord, Ara-
So- dia 5 deja-
[~~~ 0vpr Psra_-
IM--ll"^ ms, e mandanteCar-
[.valo, s5 horam da


pasanens etdmheiro afrWte ato
I rhmindtadedoda dasnhida.

Iem a c- mpu .la
mm~ana. lii
J. H. Krak, capital do luog hoilsdes Ipe -
1pm., sr~ibado ai'ean porto oem quoa aborts
L US. ***-** A.. O.t *-In~*


'."W TY C E4 vi a@= .G-."am --WA'*-" -'plw Pa m- a: b
Mawl.406 .6,.

.;3 :, "-- A.1 -,-. ,-. ,' .- ...




-^ .'= i-'".' "i-' .. .,
,...- "' .. .-i.
I .V-, y... ._, :. .


6-
'e.


A


I I


- I


1


&





. ." ,' --.- '- t ._t-' .i a ". .



SI. ILL. *
.. ..... .. . ...... ,. ......


reembauque dit dits 4qg, fvp
propostas em cart eib4
'uas Baixos desta cidade t S
de janeiro proximo y', '
'COIIPASiIE

0 paquete
Nigw
ComimandaRte Baule
Espera-se da Eu-
ropa at o dia 6 de
janeiro, seguin-
doodepois da de-
Imora do costu-
dme para Buenos-
S f-es, tocndo na
"- Rio de Janeiro e Monte-
tevideo
Le Mbra-., aos Srs. passageiros de todas as
classes que 1ia lugares reservados pars esta agen-
cia, que podem tomnar cm qualquer tempo.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
frete: tracta-'se corn o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9

ROYAL MAIL STEAM PACKET
COMPANY
grande reduecio nos prices das
passages
Iltinerario
IDA


Sahida
Chegada
*^
C
*





Sahidas

2,hegada
S
*


i.nouthampton
i Bordeaux
Vigo
Lisb.;a
S. Vicente
Pernambuco
Macei6
Ba'amt.
d';-, (*!u Jaa h.'iu
San tos
onteviddo
iumeios-Ayres
VOLTA
t)ietio.Avrcs
:lour, cvidKo
Saiutos
..Rti do Janeiro "
BBahiia
Maicci6 s
P,.'ru:umnbuco
S. Vicente 2.
Liibomp 0
Via-o
Sou ritnapton


1 9
4
7 13
*


zJL ,
2-2
2CIY 29
28
5
7
S 18

24
27
o 29
i 1
3 11
CO 1
0- i


S (-..t-) S6 tocir:i se nrecisar carvilo.
Para passautns, firetes, etc., tracta-se corn os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
3-Ria do Commereio --
impanhia Brasileira die Nave-
gafio a Vapor
PORTOS DO NORTE
S0 vapor
Bahia
Commandante I- tynente Aureitano Izaac
E' esperado dos portos do sul
ate o dia 6 de janeiro e
j seguirA depois da demnora in-
dispensavel, p'tra os portos
y S S do norte at MauAos.
Paa carg:,passagens, encoinnmendas e valores
Tac i-0e na ag eim
0 hmnA. DO oo(YfQ MItOLxo 4(3
PORTOS DO SUL
0 vapor
Pernambuco
Comminandante o capitdo de fragata Pedro
H. Duarte
E' esperado dos portos do nor-
te ate o dia 2 de janeiro e
.A \ IseguirA depois da demora
S'. do costume para os portosdo

Recebe tambem carga para Santo* e Rio Gra
de, frete modico.
Para carga, passages, encomunend valores,
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO -46

United States & BrasilH ail S. S. C.
S0 vapor
Finance
E' esperado dos portos do
// -\ sul no dis 6 de janeiro, e
Sdepois da demora necessaria
seguird para o
Para,. llaranhao, S. Thomaz e
New-York
Para cargt, passagens, e encommendas, tracta-
CI corn os
AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUA DO COMMERCIO N. b
1.- andar
0 vapor
Merrimac
Espera-se deNew-Port-News
atk- o dia 19 de janeiro,
J ePeguindo depois da demora
necessaria pars
Bahia e Rio de Janeiro
Pelos vapores desta cempanhia dio-se passa-
ieis para Liverpool ao prego de 200 dollars ; o
aassageiro desembarea'ado .em New-York tem ga-
raia a passagens pata Liverpool quando lhe ap-
rruver per vapores de la ordem.


Para carga, passages, encommendas e valores e
trecta-se com os I ver


AGENTS
Henry Forster & C.
N 8 RUADOCOMiA.itCiO N. 8
1."andlar
tmpaahla Bablaaa de Navega
fio a Vapor :
Maceio, Villa Nova, Penodo, Aracajii,
Estancia e Bahia
0 vapor
EmiDho Viscoe
Comnaudante J. J. Codeo


tgente Brito
De move, euro, 4 rodas, 1 cabriolet, vaccas
toBurin 1 bpte, 2 oifres do ferro, e mais objec-
tos mo "--s wpalio de Antonio da Silva
Ponites| r~e.
0 ageioan 'bina a mandado do 111im. Exm. Sr.
Dr. juiz de dieaito, de orphAo c a requisiAo do
IIm. Sr. Dr. conmal do Portugal, e assiatencia do
HIm. Dr, curador geral vendera em leilao o se-
guintes moves


A saber
Sof6As, consoles, j-9rdineiras, cadeiras de balance,
brago e guarnitlo, ccmnodas quartinheira, cama
para casal, bancas, carteiras, para escriptorio,
caixas de madeira, armarios, secretaria, 1 santua-
rio, etc. etc.
Vaccas, novilhas e bezerros tourinos, 3 caval-
Iss, sell, boi para carrota, 2 carneiros, 2 carro-
9as, 2 carrocas para boi, 2 ditas para carneiro, 1
cosmorama, 1 caixa musical, 4 espingardas, relo-
gios de paredee mesa, 2 revolvers, diversos des-
partadores, 1 telheiro zinco corn diversos utenci-
lies, 1 espelho, lanternas, escarradeiras, tapetes,
pannos de croceth, quadros, jarros, 1 manivela, 61
saccos corn farello, 9 saccos corn milho, 3 saccos
corn famrinha e muitos outro objects.
Sexta-feira 2 de ianeiro as 10 e 1/2 horas
Rua da Aurora n. 149

Leildo'
Das casas terrepa sita a rua da Soledade n. 20 e
22.
Sabbado 3 de janeiro
AO MEIO DIA
Carmo e Silva comnpetcet-!mente autorisado faz
leilao das casas teneas n. 20 e 22 sit-as a rua da
Soledade solo proprio corn grandes quintaes corn
mais dc 300 p:,lmos de fund, coin cacimba, boa
agua, local muito saudavel.
Sabbado 3 de Janeiro ao mcio dia em ponto n.
27 na travessa do Corpo Santo agencia.

Leilao0

Sabbado, 5 do corrente


As I1 horas da manhA ern ponto
Mobilias novas c usadas, piano, guarda-vestidos,
guard luca,u mesa elastica, apparador, comimo-
das, estantes, espelhos, quadros, jarros, candiei-
ros, loucas, vidros, minachinas, bomrbas, fazendas,
miudezar, ferragenis, joias de ouro e prata, relogios,
oculos e outros mnuitos objects que serao vendi-
dos sein reserve de prepo, no corner do martello.
CARMO E SILVA
N. 27 na agendeia t avessa do Corpo Santo n- 27

Leil*o
De moveis : constando de 1 mnobilia antiga, 4
quadros, 1 relogio de parede, 1 guarda-vetidos,
1 commode, 1 santuario, 1 cmuna franccza, 1 mar-
quezao e colchao. 2 mtnarquozas, 1 berno, 1 secreta-
ria, 1 mrichina de costura, 1 coatnreiLa de moguo,
1 mesa clastica, 1 arrcario, 2 cadeiras de balance,
cadei,-as de guarniclo, consoles, lougas, vidros e
mint ,s o itros objects de uso dom.stico.
SABBADO, 3 DE JANEIRO DE 1885
A's II horas
No 10 andar do sobrado sito a rita Direita
n. 32
0 agent GusmAto comnpetentcinente autorisado
farA leilao dos moveis acima mencionados os quaes
serio vendidos ao correr do martello.

Leildao
De rc moveis pertencentes a massa fallida de Maia
.,amnos & Santos, constando de 12 cadeiras de
junico, 1 marqueza a, a.,,io. ll guada-comnmo-
da, 2 aparadores, 1 lavatoro, 1 nmesa de pdu., I
banca de aminarello e 1 quartinheira.
SABBADO, 3 DE JANEIRO
A's II horas
0 agent Gusinamo autorisado per mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz do commercio, fara leilao dos
inmoveis acima mencionados, trausferidos para o 1I
andar do sobrado n. 32 da rua de Marcilio Dias,
cujos moves s'o vendidos a requerimento do ad-
ministrador da mencionada mass fallida de Maia
Ramos & Santos, por occasiio do leilao de outros
moves existentes na referida casa.

Leilao
da casa terrea sita A rua de ApI-
pueos n. 26 (porta d'agua)
Sabbado 5 de janeir o
A's iA horas
Na rua do Born Jesus n. 43
0 agent Pinto levara a leilao, por mandado
do Ilim Sr. Dr. juiz substitute dos feitos da ta-
zenda, a casa terrea sits a rua de Apipucos n.
26, lugar Levada, cdificada em terreno arrendado
a Symphronio Olympio de Queiroga, servindo de
base a quantia de 168s. A referida casa pertence
a Florencio Jose Carneiro Monteiro, c penhorada
A fazenda provincial.


SAYISOSDiVMRSOS


A Estadao
Compra-se dous numerous d'esse journal
de moda publicado no Rio de Janeiro; slo
de 30 de outubro e 15 de novembro do
corrente anno. A tratar n'esta typogra-
phia corn mo administrator, no 1.0 andar.
SITTFNAIF

"itrn~xo
Vejam este quadro

d'aquelles que saio PON-
TUAES no modo de sol-


compromissos,


que s~ao convidados a

virem a rua do Impe-
rador n. 79 a negocio
que naoignoram.

Srsi.:
SenadorJacint-hoPaes

d M.idon a.

^'^ Ssti da Siva, da


sy v omae e jurn
uiz
bit



,.' .- .' 'US, '. "


,: H.. ,. :. ., -:.
^ ^ ^ _:: :.^ ....1 -.'"


go Ramos.
Clementino Pere ira da


Costa, de Barreiros.
Antonio Ribeiro c4Al-

buquerque Mara-

nhao, do Cabo, enge-
nho Ara(agy.
Louren(o Bezerra de

SiqueiraCavalcanti,
engenho Castello,
Ipojuca.-
Joao Baptista da Con-

ceiiaoengenhoSan-
ta Rita, Serinhafem.
Joaquim Manoel de
Souza Oliveira, en-
genho Cachoeira

Nova, Serinhatem.
Francisco Mauricio de

Mello e Silva, Rio

Formoso.


Ao public
No dia lo dejaneiro 20 anniversanro, corn festa
no hospicio dos alienados na Tamarineira haverA
As 5 horas da tarde o divertimento do pAo en-
sebado para o que subir na altura de 12 palmos
apossar-se da quantia de 2004. ao som da boa
music.
Per festa ou por anno, corn pagamdrnto adi-
antado ou fianca idonea equivalente, aluga-se o
pequeno sitio da travessa da rua da Mangueira,
que foi do fallecido Joao Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alem de muitas arvores fructiferas, tan-
ques e cacimba corn excelleute agua potavel, e se
aehar murado, tern casa de habiza;ao em born es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e um quarto f6ra pars. criado ou feitor, accreseen-
do ser-esse sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e As duas estac'es ca Casa FPorte e Caldeireiro
da linha-ferrea do Recife ao CaxangA : quem o
pretender p6de entender-se corn a familiar do Sr.
Manoel Miranda ou corn o Sr. major Jose Camel.
lo do Rego Bairros na mesma travessa da rua da
Mangueira, que Ihe mandardo mostrar e poderio
daL as informaV'es necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, A rua VelhaI n. 59.
Aluga-se a casa da rua da Uniao n. 67.
tern commodos para familiar, agua encanada, gaz
e grande quintal : a tratar na rua do Apollo n,
22, armazem.
Aluga-se ou vende-se o sitio do Cumbe em
Beberibe, onate eA-;o o t_ Vidieuva ahasdn.
se a casa limpa, o sitio bern plantado de arvsres
fructiferas, o qual confinda corn o rio desse name,
onde tern lugar para o agradavel banbo ; coin 4
quartos, 2 salas, copiar, cosinha f6ra, quarto para
criado, etc. Para informa5es, nesse lugar, ta-
verna do Sr. Jacintho, junto a estagio, ou corn o
proprietario a run do Bemfica u. 5.
Preeisa-se de uma ama para cosinhar e la-
var ; na rua do Visconde de Gfyanna n. 72.
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da run
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joao de Si e Albuquerquc, a qual tern exeellentes
commodos e grande sitio : a tratar na run Pri-
meiro de Marco n. 13.
Alugam-se o lo andar da casa n. 18, o 20 da
de n. 66 A rua Direita; o lo, 2q e 3v da de n. 3 A
rua da Penha; o 2- da de n. 25 a rua de Santa
Rita ; o lo da de n. 34 A rua do Rosario Estreita;
a tratar na run do Hospicio n. 32.
Aluga-se a grande casa n. 159 A rua Impe-
rial, de azulejo, corn port e duas janellas de
frente, estucada e ladrilbo de mosaico, contend
2 salas, 1 gabinete, 5 quartos, cosinha f6ra, quin.
tal e muitos quartos no quintal, qu e e murado,
tendo portiAo para a estrada de ferro de S. Fran-
cisco, cacimba corn muito boa agua : a tratar no
escriptorio n. 54, primeiro andar, A run Duque
de Caxias.
Aluga-se na rua Imperial duas casas, uma
de padaria, corn forno e utensilios, e outra de moo
radia. ns. 198 e 199, por prego muito commodo -
a fallar corn Jose Feliciano de Nazareth. a run
de Pedro Affobnso (outr'ora run da Praia), arma-
zem n. 20.
Aluga-se uina ama perita pars todo rervico:
na rua do Livramento n. 33, 2- andar.
Aluga- se o sobrado e sitio na travessa do
Caldeireiro (freguezia do Pogo da Panella) proxi-
mo ao sitio do Dr. Alcoforado, na qual proprie-
dade acabain de merar os Srs. Candido Alcofora-
do, Bernardino Carvalho e Manoel Loyo. Os pre-
tendentes dirijam-se ao escriptorio da nova com-
panhia de carnes verdes, no 1- andar n. 60, A rua
do Rangel, d"a 10 horns da manha as 6 da tarde,
a entenderem-se corn Jesuitio Ferreira, da Silva.
Precisa-se de um criado : na rua do Barao
da Victoria n. 61, 1- andar.
Precisa-se de um official de barDeiro : a
tratar em Afogados, no bilhar.

Por Os lusnoSOS
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., 'a rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como siao lindas!!!
Bonitas e elegantes bonecas, e o Pedro Antu-
nes & C. quom tem, torna-se indispensavel entre-
ter o espirito das interessantes eriancas, pelo que
os proprietarios da Nova Esporanca nao poupam
extormos; rua Duque de Caxian n. 63.
IO,O00 bolas de borracha
Especmalidade para fazer present as criancas,
o Pedro Anines & C. distribue gratis sos seus
freguezes ; Nova Esperanca n. 63, a rua Duque
de Caxias.
VabelloRn braincos *6 team quein
qner
A verdadeira e especial preparacao, vende o
Pedro Antunes & C., pela quantidade que vonde
preys a sua especial qualidade; na rua Duque de
Caxis n. 63.


Sao bonitas
as luvas do seda abertas, eamno alto, que amba
de recebe9 oPedro Autwua & C, aruaDuque
Caiias n. 68.
Pafrt e bnbaoso ni t
-nit-


Trocam-Ne as apolices provinvises de I005
cor pequtmo desconto : a r ua do Born Jess,
antiga da Cruz n. 60, loja de cera.
Aluga-se para f"imiia o primeiro e segundo
andares do sobrado A run Jo Bade da Victoria
n. 14 por 505, todo pintado : a tratar na loja do
memo.
Alugas -se o 2 andar do predio n. 51 A rua
de Imperador corn grandes e erxellentes commo-
dobs.parafamilia, tern aga e gaz; tracta-se no pa-
vimento terreo do predio v. 10 a rua do Commer.
cio.
Eu abaixo assignado, pelo present declare,
que vendi ao Sr. Francisco da Cunha Moreira o
men deposits site & rua do Nogueira n. 28, livre e
desembaragado de todo e-qualquer onus que possa
apparecer, e quemn se julgar corn direito apresen-
te-se no prazo de tree dias.
Manoel Marques de Almeida.
Transfere-se a rifa de uma armaglo de ta-
verna para ultima loteria da provincia do mez
de fevereiro vindouro de 1885.
Offerece-se urna costureira para casa de fa-
milia : a tratar na rua da Imperatriz n. 16, pri-
mreiro andar.


Idaltina Ieira Cawalcante
Francisco Tcixcira de SA e sua mulher convi-
dam sens parcntes, e amigos para assistirem A
missa que por alma de sua mui presada cunhada
Idalina Rigueira Cavalcante, mandam celebrar
na matriz do Cabo, no dia 3 do corrente as 8 ho-
ras da manh.
Os empregados da reparticAo da Instrucgao
Public, em demonstra9ao de pesar polo falleci-
mento da mui digna consorte do Sr. inspector
geral da mesma repartiao, Dr. Jolo Barbaiho
Uchoa Cavalcante, D. Idalina Regueira Uchoa
Cavalcante, mandam celebrar uma missa em suf-
fragio de sua alma no dia 3 de janeiro future,
pelas 7 1/2 horas da manha, na matriz da Boa.
Viita, convidam para assistil-a os parents e
amigos da familiar.
...-I ... .
Os empregados da repartiq'o da Instruco
Public, em demons!rago de pesar pelo falleci-
mento de seu college Modesto Leopoldo Xavier
Bustorff,mandam celebrar umna missa em suffragio
de sua alma, no dia 3 de janeiro, As 7 horas da
manha, na matriz da Boa-Vista, e conuvidam os
parents e amigos do finado a fazerem o favor de
assistil a.


D. Candida Maria Ferreira
Olegario Saraiva de Carvalho Neiva convida
aos parents e amigos da finada D. Candida Ma-
ria Ferreira para assistirem a missa que manda
celebrar por alma da mesma, na igreja de N. S.
da Penha, no dia 3 de janeiro corrente, As 8 ho-
ras da manha.


Candida Haria Ferreira
Francisco Gomes da Silva Saraiva, Joaquim
Rodzigues de Amonm, Amelia Ferreira Saraiva
de Amorim, Maria d'Assumpao Ferreira Saraiva,
sobrinhos c sobrinhas da finada, convidam as pes-
seas de sua amizade para assistirem as missas de
seu setimo dia, que serao resadas na igreja de N.
S. do Penha, sabbado, pelas 4 1/2 e 6 bhoras da
manha.

Attenc,10
A~%lle~
Jose Si e Souza declara aos seus freguezes e
especialmente ao commercio, que comprou ao Sr,
Luiz Lucas de Mello Junior nesta data o estabe-
lecimento de padaria, site A rua do Lima, em
Santo Amaro n. 4, e espera continuar a merecer
a confianca de seus freguezes. Recife, 30 de de-
zembro de 1884.

Papelaria
Papel e enveloppes de alta phantasia para es-
crever, de cores e branco para quaesquer miste-
res, de impresseo de differences fonrmatos, de seda
para flores e folhas. Tintas de impressao, de es-
erever.e copiar, dos melhorcs fabricantes conhe-
cidos. Deposito da afamada TINTA SARDINHA
do Rio de Janeiro. A unica casa aonde seo p de
encontrar um complete sortimento de papel e ob.-
jectos de escriptorioe na

Livraria Industrial
Rua do Barao da Victoria n. 7.

Papel pinlado
e guarnigoes das fabrics francezas e nacionaes.
grande sortimento do qualidades, e precos sem
competitor, acaba de chegar para a
LIVRARIA INDUSTRIAL
7 Rua do Barao da Victoria -7

Cimento portland e polassa nova
Vendem Orestes Travassos & C., em seu esorip-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.

Caixeiro
Precisa-se de um menino para caixeiro, que te-
nha alguma pratica de molhados : a tratar na rua
da Detcnco n. 7, taverna.



A VENTUROSA

Uos4:000$000

BILMATES DARAmTIDOs
16-Rua do Cabuga-16
0 abaixo assignado vendeu nos seus
venturosos bilhetes garantidos os premio; se-
gintes: 1 inteiro em quatro quartos corn
a sort de 100# no n. 3410 alm de
outras mais de 326, 16# e 86, da loteria
n. 97.
Convida aos possuidores a virem rece-
ber sem desconto algum
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 98 em beneficio
da irmandade das almas da Boa-Vista que
so extrahirA na seunda feira 5 de janeiro.
r'fips
Inteiro 4M000
Meio 2S000
Quarto 16000
Sed.o quamldade superior
a i@@:m
Inteiro36500
! Meio 16750
Quatto 875
J, iqu.iir Pir d &,)8l.a
O.talio eo tTo -
Veode-we urn Igom flav^o coin anata- um
Iboarbwr.rrs par -,gou carroya ao ~pdo'


L


2:OOO000
BOLWEN T X GARANTIDO0
Pra~a da Independen-

cia ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu entire os seus
telizes bilhetes garantidos da 97a loteria,
a sorte de 2:0006000 em 4 quartos n. 1181,
a sort do 1006000 em 4 quartos n. 685,
alm de outras muitas de 326, 16# e 8#.
Convida os possuidores a virem receber
semr desconto algum.
0 abaixo assignado tern exposto &
venda os seuns felizes bilhetes garantidos da
la parteem beneficio da irmandade das
Almas da Boa-Vista, 98', que e extra-
hirA seganda-feira 5 do corrente.
Precos
Bilhete inteiro 46000
Meio 26000
Quarto 16000
Cm porpio de 1001000 para
eima


Bilhete inteiro 36500
Meio 16750
Quarto 6875
Antornio Augu.sto do Sa ntos Porto.



CASA DA FORTUNE

Aos 4:OOO$000

:ILIAOT; GA^I;ATIBO:
ona Primeiro de Marpo n. 25
0 abaixo assignado tendo vendido nos
seuns afortunados bilhetes garantidos 1
quarto n. 244 corn a sorte de 100#000,
al6m de outras sortes de 32#, 166 e 8#, da
loteria (97.'), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sew desconto
alguam.
Acham-se a venda os sens afortunados
bilhetes garantidos da l.a part das lote-
rias em beneficio da Irmandade das Almas
da Boa-Vista, (98.') que se extrahirA na
segunda-feira, 5 do corrente.
PRECOS


Inteiro
Meio
Quarto
Em quantidade
Inteiro
Meio
Quarto
Manoel


46000
24000
16000
malor de too#
36500
16750
#875
Martins Fiuza-


FUNDICAO


....* :,j "v : "- <-" :' '" "
S Ai aras des estate wcfaimto prlueipisrao I
fiaOckiur no dia 7 do eomite ecobmi-se
alimnM intemos, m.eio-pemao ta 8 e xternoms.


Urn oryo quasi novo, corn 2 maunales. 1 pedal
e 28 regmutros, d'urn so w, muito forte, prestando-
se tambem pars igreja, est A venda por metade
do preo : na rua Nova n. 52.
0 thesolro dos dentes
P6& dentrifio emigual; veinde-se ns praa
do Conde d'Eu n. 22, pharmacia. Preo de cada
caixa 500 ra.
Canoas pequenas
Alugam-se canoes pequenas : a ver o tratar na
rua Imperial, olaria da Casa Amarfls.
Precisa-se dem amra m que saiba cosiuhar:
na rua Nova n. 61, 1- andar.
larcineiro e arapina
Vende-se urma caixa contend 39 peas de fer-
ramenta ; i tratar na rua da Senzala Velha nu-
mero 52.

Livros Para escolas .-
CASTRO NUNES, comprndio eleoentar da
grammatica national, segunda edigao correct
e annutada por Jose Martiniano de Souza, 1
volume.
IDEM, elements de arithmetica, nova edicao
revista e melhorada por Jose Martiniano de
Souza.
IDEM, resume da doutrina chritA, nova edicao,
revista e annotada por urnm sacerdote,
JOSE MARTINIANO, elements de orthogra-
phia, terceira edico, trevista e melhorada.
PERGENTINO GALVAO, o livro dos bona con-
selhos.
BISPO DO PARKA, historic biblica, ou narrati-
ves do velho e novo testamento.
A venda nL livraria Industrial n. 7, run do Ba-
rao da Victoria ; e na livraria Economica, run
Primeiro de Marco, junto ao arco de Santo An-
tonio.

IAw ELIZ
A0S 4:A V Oi0
AOS 4:0004000


Inteiro
Moeio


46000
2#100


Quarto 16000
Em porao de @100 o 000 pars
elma
Inteiro 3$500
Meio 1#750
Quart. #875
Joao Joaquimda Costa Leiae.
Aluga-se 9 loja do sobrado n. 31 A rua d
Livramente, a equal se acha perfeitamente asseia.-
da para urma tabacaria ou loja de cabelleireiro :
a tratar na rua Duque de Caxias n. 53.
Tricofero
de Barry,
IaYreeraute-se quo
u cretcer o
CABELLO
S aiuda esno nas 'sab; cta.
rmaim calvas, bent ,omei 11e
cura radicalmncuz
S a TINHA e a CASPA.
*P Positivamente imed.? a
queda e o0Cnib:'.':y :
doCABELLO e em todos os ca-
m ss o torna invariavelmente
Macic, B-lhante, Formoso a
Abundante
Em ,n bi :) :.m (t'e oiteeta anno,
e -e i : ida que nepltura
Lon t ro preparadu aria u cal,'elo sal
tod- mndo.
SAgua Florida
de Ba M -1.
DUPTA.
B P reparads segundo a formula
-original usada pc'o .'>,.1r no
anno do 1820.
Ternom duas vezes mais Frag-ancla:
que qualquer outra.
Dura dua.s vezes mais tempo-
E'mui.t mals rica de perfume e
mais suave.., I -
E'muito mals Fina e Deticada..
Tern dobradaforca Refrescativa ,
Tonica no Banno.
Fortalece ao Debile ao Canoado.
Cura as Dores do cabeja o os des-1
malos.
E'multlsslmo uperlcr a todan as
outras Aguas Flo vidas Act.ual-
mente a venda.
Desooberta Importantissima.

Pur Oleo de Figado de Oaoaihau
COM
IODURETO DE FERRO,.
DE1..
Barclay & Compaim J






Cura ridaidimente e corn seguraucat, ,, ,'-.m cafnosi
(i3 U,"-hi-hic;. Ksr'i)'.i!;;>ul:-, ?. Emnnit-pio, r.,s dox-rTiaa
la .E~iihD ot mor.;;', dos Quudri.s c 'O O, -,s, as in-1
llti.o ny6*'e Figado. doJ~o ; c do Ivro, ecetc.,e 1
e restitue ao corpo entraqnecido e fatigado o seu pri-
i'tivo vizor e arredondado dos contornos. E certa-
!; :'e J:L. Craunde descoberta o Pnro Oleo deo
:.: de naea!hao coin lodureto dol
Pe "rro--e Barclay & Ca., New Tork.
-rope de Vidal
dc Reuter No. 1.
Ii fl,236


%I -


DEPURATIVO E PURGANTE.
Este novo c admiravel purifi6ador do
sangue actua sore os intestines
o 0 gado, os rns e'pefeT.
E'curainfallivel contra a Debilidade
MNervosa, as Dores de Cabeca, a Dys-;!
pepsia as Sezoes, e contra as doen-'
cas de origem Miasmatica ou occa-I
sionadas por desordens do flgado!
ou pobreza e impureza do sangue.j.
Depositos. Em New-Y orkrnim-ne
des Srs. Barclay & C. em Pamsuacor
Po e em casa dos dos Srs. Fsae ceab
Manoel da Silva & C.


GERAL


ALLAN PATERSON It
N. 4-Rua do Brum-N. 44

JUNTO 4A ESTAVAO DOS BONDS


Tem para vender, por pre'9a medicos, as seguintes ferragens:
Tachas fundidas e baildas.
Crivag&es de diverssos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandaa de ferro batido...
Ditas de dito fundido, de lindoa models.
Portas de fornalha.
Bancon de ferro corn serra circular.
Gradeamento par a jardim. -- -. -
Vaporea, defora de q3, 4, 5, 6 e 8 cavsalos.
Madas de 10 it40d a de panura. -.. .

am .5.L.3.. f u rotomh# a
qaer tinb cn o. -.0


*C


---a
-~ .~j
it tv-.


''4

I


*' *.. ,*-. .


""-- L :,, :- ,
A' .-
.., .. ., l*,"-" : ,(-' -'
,,, **t r .. -;.-:: -*' ..' ,, .-\' :-.( ,
.- ;- *. ** :- '* ] ." :- /" \ "-f~ "" "
'- [. -f .. .' ]^ ',y :- :' : t/ _. .-
"- !. ,-^ i^ .__; 7- r'_ ._ .^ -


Ar


< r'
T


amade m -'e

eearn etiauri

0 abaixo assiguad. dcabs 46 vender
am seans felizes bilhetea quatro quartos de
n. 4,118 corn a sort d, 10O0#O;O e diver-
sos premios de 32#000, 16S000 e 8O000.
0 mesmo abaixo aesinado oonvida aos
possuidores A virema receber na confrmi-
dade do costume, s'- desconto algum.
Acham-se i venda os felizes bilhetes
garantidos da I. part das loterias a be-
neficio da Irmandade das Almas daj,6a-
Vista, (98.'), que se extrahirirA na segunda-
feira, 5 do corrente.
PRECOS





v :04 jI ,. -. .I


-~ -'-4,-
..5j'~
C'
-5 ----I.


Casa emOinda
Aluga-se o sobrado do finado conego Manoel
Thomaz, ou metade do mesmo, contend este 2
Walas, 4 quartos, cosinha, quintal e cacimba, sito
na rua deoMathias Ferreira n. 12 : a tratar na rua
da Imperatriz n. 61.

Hospedaria

dePonte deUch a
Filial do hotel de Europa
Praga do Commcrcio numero 12
Telepbiene n. 994
J. Laguin & C., proprietaries de hotel de Eu-
ropa, acabam de estabelecer, em umna aprasivel
chacara, situada em Ponte de Uchoa nwna filial ao
seu hotel, onde seus clients encontrario todas as
commodidades que devem esperar de estabeleci-
mentos de tal order, nao s6 os que se acharem
alugados no hotel de Europa, como os que a dita
hospedaria se dirigirem. Para alli tera o public
ainda a commodidade de facil conduccao por bond
ou caminho de ferro, e a correspondencia pelo te-
lephone n. 295. Para informa95es no mesmo ho-
tel de Europa.


Atten ao


Lava-se e engomma-se na rua
n. 4, pelos seguintes preqos :
Vestido de chita, de senhoras
Vestido de fustao


.Vestido branch
Camisa de chits, de homem
Camisa branch
Camisa de senhora, passada
Coberta de gang
Cortinado


Sa fern


de




ro


Toalha de mesa
Saia branea, lisa
Saia de bordados
Paletot branch
Paletot pardo
Calga branch
Calla parda
Contrata-se por mez.


Santa Qeilia
400 is.
11500
100 rs.
120
160
60
80
1$500
160 rs.
240
320
2-;)
320
240
160


Engenho para arrendar.se
Arrenda-se o engenho Guarany, do term da
cidade da Escada, urn quarto de legoa da villa de
S. Jose da Boa Esperanca, a casa e toda de tijolo,
e o dito engenho tern propormoes para safrejar
dous mil paes, commuter a vapor, forca de seis
cavallos, andames para quinhent3s paes, assenta-
mento de ferro batido, e dito para retame, tem
estufa, casa de bagaso, destila9go, quatro balches
em corredeira e quatro ditos moveis, cercado sof-
frivel para animaes, casa de vivenda de tijolo,
caiada, apparecendo quem queira comprar a sa-
fra proxima future, negocia-se : quern quizer ar-
rendar dirija-se ao Sr. Jenuino Jose da Rosa, 'a
rua de Pedro Affonso n. 43, ou no engenho Pre-
ferencia, estaiao de Frexeiras, onde mora o Sr.
Jose Herminio Pontual.

M W R.B,
Desappareceu de um bond da Magdalena um
livro francez de Chagrin, verde, dorado, deno-
minado Lacolombe du Tabernacle, corn as iniciaes
acima : roga-se a quem for offerecido de appre-
hendel-o e entregal-o nesta typographia, que serA
gratificado.


Sitio
Aluga-se um sitio corn casa, tendo eata bastan-
tes commodos para familiar, na rua das Crioulas
n. 59 (Capunga) : a tratar na rua do Amorim n.
10, escnrptorio da viuva Lages.

Cozinheira

Na praga da Inde-
pendencian. 38 a 40
se dira quem precisa
de uma mulher forra
ou eserava para co-
zinheira de casa de
familiar.


SQuem quizer alugar o segundo andar do
sobrado n. 43 A rua da Aurora, poderA
procurar as chaves em a casa dos Srs.
e Negreiros & Irmao n. 30, A rua do Impe-
aador.

Balanceador
J. dos Santos Vieira, corn pratica de balances,
contratos e distratos sociaes, offerece os seus ser-
vicos aos senhores commerciantes. Chamados a
rua do Rangel n. 3, ou em sua residencia, a rua
da, Penha n. 7, primeiro andar.


Precisa-se de urma ama para andar corn crian-
gas : na rua do Apollo n. 2, 1- andar.


MIGUEL WOL & C. BCLiF
Pa i WOLFFO-S MO
peitavel publico, que Offerecem ao respei-
contiuamter mn sor- travel publicoumr gran-
timento de joias das de e variado sortimen-
mais modernas e dos to de relogiosdos mais
mais apurados gostos. acreditados fabrican-


tUompromettem-se
a vender mais harato
do que em outra qual-
quer pade.

BIa o Ceba n, 41

Pulseira de coral
Perdeu-se no domingo (28) da rua da Impera-
triz atA o largo do mercado de S. Jose, uima pul-
seira de coral e oure para menina : quem a achou
se quizer reatituil-a p6de fazel-o na rua nova de
Santa Rita n. 3, ou na da Imperatriz n. 5, segun-
do andar, tm qualquer desses lugares se gratifi-
cark e agradecera.
Criada para viagem
Precisa-se de uma criada que, em companhia de
pequena familiar, queira ir para Portugal, tomran-
do conta de uma criana de anno e meio : a tra-
' tar na rua Nova n. 5i.

GutsI S PririO 0 sancariAO
Joes6 de Souza Cordeiro Simoes participa ao
respeitavel public e aos pais de seus alumnoo,
que no cia 7 de janeiro proximo vindouro princi-j
piarao os trabalhos lectivos de seu estabelecimei-
to de instrucao primaria e secundaria, sito A rua'
do Marquez do Herval (antiga rua do Sol n. 11),
cujo programma cm nada altera ao jA conhecido e
adoptado ; continuando a receber alumnos inter-
nos, meio pensionistas e externos ; esperando dos
mesmos o acostumado acolhimento e valioba pro-
tecglo, certos de que empregpri todo o esmero no
ad'antamento de seus alumnos, jarnais agora, que
graoas a Providencia, acha-se restabelecido do
incommode que motivou sua retirada para o sul
do imperio, razao esta que o forgou a deixar in-
terinidade em seu dito estabelecimento.
Oatrosim, declara, que 6 infundada a malefida
noticia que alguem faz propolar de me achar exo-
nerado do magisterio que atW o present tenho
abraiado e que muito me honro em continuar a
exercel-o.
Ama


Para consinhar para pouca familiar, a rua da
Aurora n. 139, atratar das 3 Ais 6 horas da tarde.


Administrapgo : PARIZ, 8, Boulevard Montmartre,
GRANDE-GPJLLE.-Affecoe slymphaticasdoen-
9asdasvias digestivas,obstrucqdes do figado e do baco
obstrucedes visceraes, concreK6es calculosas da bile.
HOPITA&L. --Affec(6esdas vias digestivas incommo-
dos do estomago, digestao diflicil, inappetencia,
gastralgias dyspepsia.
CILESTINS.-Affecq6esdos rins, da bexiga areas,
concre6es das ourinas, gota, diabetes, albuminuria.
HAUTERIVE.-Affec-pes dos rins, da bexiga,areias
concreihesdas ouirin:s-, gola, (Iiabetes, albuminaria.
EXIJA-SE o OME fla FONTE na CMPSULA
Em Pernambuco, as Aguas d- '011otes d Vichy,
E^ -S oS d i z-o-se en casasde
HA ISMENGY & LABILLE, 9, rua do Commercio;
a SULZER & KOECHLIN, 35, rua da Cruz.


A venda em casa de Sulzer & Kuikco
ma aa Cadeia n. 36.


tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm direetamente.
Todos os relogios


vendidos n'esta


sao


casa


garatidos.

ton dft cbutig


Aluga-se
o sobrado da rua do Capitio Lima n. 30, Santo
Amaro, esquina da travessa Ada Fundiao, tern
commodos espavosos para familiar grande ou para
collegio. Entre salas e quartos contkm 24 repar-
timentos, copiar e quintal grande ; a casa se acha
muito limpa, toda pintada e caiada de novo, tern
agua encanada, banheiro corn tanque, e gaz ; a
linha des bonds corre pela frente da casa : a tra-
tar na mesma caga ou na rua do Marquez de Olin-
da n. 8, lithographia de J. L. Purcell, das 8 As 4
horas da tarde.
.. Aluga.se a casa da rua do
Fogo n. ;0, a tratar na rva do
Bario da Victoria n. 14.
LINHA COATS
SLustrosa para machina, e a Macia de 6
f#os tanto para machine como para cozer a mdo.
-Nio se usa mais linha em nevello-
Pede linha em carretel corn o nome
J.&P.COATS -
Feitor
Precisa se de urn feitor para cuidar de umn sitio,
prefere-se portuguez : a tratar em Beberibe corn
Manoel Elias de Moura.








ROWLANDS"
Macasar Oil
f~eo couhecido ha -;- Jr84 CLiUfos C O
mwnor preservati'o dos Cabellos, particularneup
OS paizes quentes. Impede os Cabellos de Cal
0 de Incanecer; fortlflca-os e convem 9speclalmeak
CrIan0ae.-Vende-se tambem C6r de Ouro.-O
ROWLANDS' MACASSAR OIL d2e o
Hanoun Grden, Londres, encontra-se ein lodas v
)rruarias e Perfumarian


II H ...... I I m II ""l1r" 1^

InjecQao de Grimault & U
M& cu" 3 TICIO 1
ApMadaf polo Junta Central le Hygiene publioa do Brazil
i Esta tiecio na qual utilisou-se as propriedades notaveis das folhas
1wt matico do Peru contra a blenorrhagia, goza, desde mnuios annos,
do unma reputacio universal. Cura em pouco tempo os corr"meatos
w nais rebeldes.
Deposito em Paris, Pharm. GBIMAULT & C0*, Rua V:vent-e
e zas principaes Pharmacias e Drogarias de Portugal et do Brazil.


VERDADEIRAS PILULAS do r LAUD '
Pecos prepa ados ftrugmoso" podem apresntar- d confianpa do sU Ma B
e Dates apoiados em documentoz tio autteacos como os eguintes ,
9o einpregadae cam o meulhor exito, ha malsi de 40 annos, pala malor parte O medoMM,
par Ottar amnemla Chlorese .(CsOret Lian), e taclitar a formal a das rajamga.
es eow que a isercao destas Pilulas ncnovo Cedex france os dispense doe tod gl,
BOB Uall o5 a aa uaa unica eJtagao, a do UW XOURBM s
aT- n annos que ezerqo amedicluadlz ele,reeanlh9ouaab PiUl de iGu
aatnas Iacontestavels sobro e onutros fenruIaosOS*, e as oodcMu o como
w aince amblhroziceu a D' DOU w
t efx.Pmtdmat t doAademla de Mdleft do fE Per/.
SB m que obe o nome Btela gravado aobre cad & Pllula come &irA'rgem
SOUMPIRE DESCONFIAR DAS IUDTAQ6ES
= PAWS, rsa Payenne. 8.-Per-ambuco:FtNg o. dam?.A At", e nas piuuipuluIS, 1,


w_


..-, .. .^ ...^ ... .,.,-,^ ^ ;l::-",<. i,, iW a .
..,Vr"'' <-- c. *-'* ", '-r- ",- *'. ': "* {^ a!? S m^B flf* ^
^~~~ XlutyfiLBE LAU0 L01"ONE
~~~c de- 4:7- LAounI
mga i de-e trta wnos pelos 'M ico d os i 6a0 So ta
" dvers.;. LD.,r'cas coraAo, Hydroplias, Bro.bt. ..o.rns. a v-
q3c-t cue,-,o, z st '.- 'U, e.., n emini-, en todas as pjtuurwivWOes edacc,&iaii .

E 111 -a EAS ORA OTIK M
Btue 3ONJEA|
Xea'S ffk^ d'Ouro da 89c0cadade de PhAasuln Atr
A 5oou6gft d'B^ErtSwV B.sJeon e umn dos melhores bemoat&tw@, Asuuwn |
S4'roadimas 49 iovjvea wso empregadfs pwo q aciitao tw9-b, spMr
e Mier Warar ap bomwhaglas, do qaaiqre? nqaw Mnar aj
^ mb 6e. s : Phaae UftiLONYE. 99, rum nAhv~lr, so
ion m n WI IIwi.>a9ii m BIrJiLs


MIAO MAIS O1EO DE FIGADO DE BACALHAU

RABANO DADO
De GRIMAAULAT & C. Pharmaoeutioos em Paris
ADXPMp NA NOVA PHA4MAC1OPi O FICl4L PELFBANA. APPBOyADO RPELA JUNTA CENTRAL DR HYGIENE DO BRAZIL.
O Xarope de Rtbano iodado deGrimault & Ci 6 uma feliz combinaCao do iodo corn as plants antiscor-
buticas seguintes: AgriAo, Rabano e Armoracia, cuja efficacia e popular desde os tempos mais remotos.
Todas as affec9oes, em que o use do oleo de figado de bacalhau e dos medicamentos iodados 6 indicado, sao
combatidas victoriosamente pelo Xarope do Rabano iodado, que apresenta a vantagem de ser facilmente
acceito e tolerado pelos estomagos mais delicados, ao pass que o oleo de figado de bacalban, as pilulas e o xarope
de iodureto de ferro occasional, as mats das vezes, nausea, diarrhea, ou accideates de imoterancia.
Jia ha mais de vinte annos, que waste medicamento da os resultados mais notaveis no- h'rtarneito da
Ttsia e das molestias ases oranas; e soberano coatra escrofulas, lym iiatismo, racLls:.3,
tnlrte, inflammnaQao das glandulas do peoeogo, tumnoros, usagre, e as varm; o'uproet
da poleUe, da cabega e do rosto. Exoita o appetite, fortaleoe os tecidos, coii.bate ap-Ulid:.. .
lacolfte das carnes, e restitue As crearcas o seu vigor e alegria naturaes. Tambhwn 6 uni ariiravci tl 1i-
caeato depurativo, s6bretudo**Ileawn contra as crostas die leite; era virtude de oa ac a&o depurati'va cura
ci os f e evita a sua reappr (ldm / fru evy a fi6ae o sello de GIi1,4O.LT .6
IZ L, AI. 'tlR 8, ria Vivienne, e nas. prin2'1pas Pamacia 0 o.
'" "- ''* .... *' """ '"'- ':' '- I


^*^. 'jS~r*AylerI
(Aers flair Vigor)
CHKPELINASE CHAPELS :"
NA MM E COR WMU

Praa da Imlependecfia us. 56 40 R0To,


DE
4. da Sllva Carvalho & c.e
Um lindo sortimento em chapellinas e chap6os pars se-
ahoras em todas as cores, ultimos modellos
Nests casa tern sempre um complete sortimento em artigos de
chlapellara, tanto pars homes, senhoras e criancas, s recebe
mensalmente das principles modistas de Paris o qaieha de mais
alta novidade em chap6os e chapellinas.
Garante-se sinceridade e pregos modleos.


MACIN AS


DE


COSTURA


SINGER! SINGER!

MCHNAS E COSTRA MACHINAS DE COSTURA
VENDAS DO ULTIMO ANNO 603,292
Quem nto tern ouvido fallar das famosas machines de costura de


Singer ?
Em presta~oes


semanaes


1800 0
I Quando o pagamento por este system se
effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
de 56000.
Abatimento de 106000 a dinheiro A vista.
SRoga-se aos pretendentes de virem ao es-
criptorio da companhia para informages cir-
._-_-- cumstauciadas.
Immensa e real vantage a obter-se o
melhor artigo nas melhores condi9oes.
De hoje em diante mlnguem comprara senior a verdadeira
machine de SINGER

PORQUE?
1.o Por ser incontestavelmente a melhor. mals forte, mais hem aca-
bada, mals samples, mals duradoura, a unica que tern obtido mais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imitadores.
2. Por existir um deposit succursal da propria companhia, onde se gran-
te estas maehinas por um tempo lllimitado e onde sempre se eneontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.0 Finalmente, porque aquellas pessoas que ate o present, por falta de meios,
nao podiam satisfazer o seu desejo comprando urma d'estas excellentes machines,
podem agora corn toda a facilidade compral-as mediante a modica prestagao de


$000 POR SEMANA"
Recommendamos corn insistencia-Nao se illudam comn as machines
que trazem eno osso nome e que nao passam de RUINS IlI-
TALOES.
Vendemop, tambem linha superior, retroz em carretels, agulhas, oleo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e por pregos
serm competencia.
0 unleo deposit das verdadeiras maehinas de Singer e na
Rua do Cabuga n. 1 A, Pernambuco
Direcfao geral da America do sul.--101 rua do Ouvidor 101.
Rio de Janeiro. Casa matriz...34 Union Square, New-York.


; ^| ^07a

-P k IG&UD & I
^*'*^""'^8,LQoeMVs

^ sTai E6 AsruI extrahi
.- s
'.dadaes beneficas, exc
........... tan o Sid"
1i 'uade eAee a te.
: '..0.. Z. Usa a 3 o banho. 7
:,..~ i 5.-a 5 Ct : c :c ^ J 3 c .e
.'.:" 9 % 5'P ,...- : 2, *- > ^ :. -- i.
**'vtaas?-'-'-v.* -*- ~r aa.m.-<- a..w iM^'ses~aa


w w 'q k


_y.? .] L...-... ".;-
"5.-)Y-;'2-: ', -.:

C-.-.3 '- a ....... ....-
.., : ,.. C
B;s?=: .---^ -:'





.'*-..t3 =,= ^ t- '. ;
.,


NGA oo JAPAO
4gua pam e oucadcr
rAoA P"R
C"., Perfumistas
flenne, PARI S


da das fl6res d Pinro
uavidade e suas proprie-
;ede os cosmeticos mais
Sadoptad por toda a

d? um perfume delicioso,
faz desapparecer as
* efllorescelicias da ( \,..


-w w w w w -u w w Y' WY' ~ W W W W '~


-- > C. Anl





'L vm1cr4.eza k
t -.,';: ,. ,.. ,..:. p~ a.i -,. s~.l idr c or3 a t
-**'L...*. :.; L'. :-' ;:: ;.*.:'-.;. A-; a;fec<..hes nasrvosas do coracg c .
,.. -e OLe.., ;:.' i ;.. v-a& d:-"-. -'_ s e rs-joraiorias.
S.*-.2 ":'.:- ;.: "-.- n vra'lt a .a, a el:kleaza, o "-.-ste-
a aanc-" 7 insomanib.
_'):'.a -' .;^ ,':"F"."."s c.'ia ; -s a,. a t'-,c ei
:. c i ........... .-: ....,, 1' ,c u-n, ; ... l-;.. .... '*2 a S a K c^ e ;.

'" }':.l ... T a SaM4
;-:,;=;5 : .'*.*-..-... .:- ;'"" .*-*::*'.. l/^-':: < (;aij-b'c 3 C'.o et amag3 O. ^. ^
^*"- ., .aSwt E -TCuznmaq~o.t
.-' .^ -.** .. *-, *. .iIC.? u55*- Z'*": c(-; **? -J"r' c ; si e ^*


at,,'t.a. Ancraia, Ch',u a "' K( ,"L.b",-.. Fca ; r -s. P.Cch.it no.'
os. .im f.s as o I -..s ao t B ,, 'z
as. J -P. L.AROZE e C r'llar.-..ia-3sutia "i
.. ~ ~~2, P,*jC, Dts L: T.1-S A INY2.AV.L, --


w wvww PP-MPR*i


DEPOSIT GERAL
13-Run Primeiro de M
Rio de Janeiro
Unico agent em Perna'
ADAESQN HOWIE 7 C.
N. 3 = Rua do Commerao -== N. 3
A venda em todas as botieas e drogariae


Frecisa-se de uma ama para cosinhar e engom-
mar, para casa de familiar de duas pessoas : na
rua Duque de Caxias n. 86.

Para comprar e cosinhar precisa-se : na rur
doBarao da Victoria n. 48-A.
Aluga-se barato
0 20 anaar,'da ruado Born Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
Casa terra da rua da Ponte Velha n, 22.
A cisa terrea na rua da Palma n. 11
4. casa A rua do Visconde de Goyauna n. 79.
A casa terrea da Baixa Verde n. 1 B.
A tr tar no largo do Corpo Santn 19, primeui
audar-


.9.
0

Idalina Regueira U. Cavalcante
Jobo Barbalho Uchoa Cavalcante, possuido do
mais profundo pesar, agradece aos seas parents
e amigos que acompauharam A sepultura, em Pal-
mares, o corpo de sua presada esposa Idalina Re-
gueira U. Cavalcante ; e mandando dizer por
sua alma uma missa na matriz desse lugar, e ou-
tra na matriz da Boa-Vista, as 8 horas do dia 2
de janeiro, setimo do seu passamento, convida a
todos que o quizcr!m honrar, assistindo a esse
acto de religiao.


Mlodesto LIeopoldo Xavier
Bustorff
Amelia Bustorff e seus irmaos, Luzia Mar
Bustorff e seus filhos convidamn a seaus parents
amigos para assistirem as missas que mandarn
resar na igreja do Corpo Santo, As 7 horas da
manha do dia 2 de janeiro, setimo dia do passa-
mento de seu sempre chorado pai, filho e irmao,
Modesto Leopo!dco Xavier Bustorff, e desde ja se
confessam graos.





Idalina Regneira Cavalcante
Joao ]3J'*.wT'" Ztrugt-u^fxm Ckfota %;u t7L VjTa. ab zeu
parents e amigos para assistirem a missa que,
por alma di sua irma D. Idalina Regueira Caval-
cante, ma:ida celebrar na cathedral (-, Olinda.
pelas 7 horas da manha do dia 3 de janeiro vian-
douro.


.9.


0 bacharel Manoel Nicolo Rigueira Pinto 'de
Souza, sua mulher e filhos mandam celebrar na
igreja do povoado do Monteiro la freguezia do
Poco da Panella, no dia 2 de janeiro vindouro,
ura missa por alma de sua finada prima D. Ida-
lina Rigueira Cavalcante, casada que foi corn o
Dr. Joao Barbalho Uehoa Cavalcante, setimo dia
de seu passamento, convidam portanto aes seus
parents e amigos, e aos pare-ites e amigos do
marido da finada A assistirem a esse acto de reli-
gia'o e caridade ; e desde jA se contessam agra-
decidos.

4 ,.



Idalina Rigueira Cavalcante
Gaspar Rigueira Costa, Candida Camilla Ri-
gueira Costa, Jose Nicolao Rigneira Costa, irmas
e cunhada de D. Idalina Rigueira Cavalcante,
mandam celebrar no sabbado 3 de janeiro, na ma-
triz do Rio Formoso, pelas 8 horus da manha,
missas em repouso d'alma daquella finada, e con
vidam para assistil as os sevs parents e amigos,
confessando-se desde jA agradecidos por esse acto
de caridade.

XAROPE
DE
TO I m 2 M A K FN I


WAI'A-E4T4
BAI.
Mata-MatA (lecyrhis idatimon) c, m o qual s&
prepare este xarope e' um vegetal da flora brasi-
leira.
E' um agent therapeutico poderosissimo contra
as molestiaE do peito e da asthma.
Os numerosos affeetados que del'i 'n feito uso
consegairam um resultado muito safti-rictorio, acal
bando por se reconhecer que 6, at L Ije o melhor
preparado para a cura da asthma, brounehite asth-
matica e antiga, e oppresses ; dispensando o em-
prego do arsenico, folbas de estramoii:) e plants
narcotics que acabam quasi sempre pelo abuso
que delle se faz e mesmo pelo uso prL: ,ngado po
produzir effeitos desastrosas sobre a saude e em
geral entorpecimento do cerebro.
VENDE-SE NA
Botlea Franceza de Rouq-,yro
Freres
succeessores de A. Caors
22==-Rua dCa Cruz==22 RECIEE

Ahuga-se
urnsma grande casa, sits & rua da Aurora n. 167
pintda e caiada de novo, corn grand sotgo, pro
pria para grand tamilia, corn canalisa.ao pan
gas, cornm agua, quintal, todo murado : a tratm
jna run do) Viseonde de Ooyauma n.. 10(Y), Entron
catuent,, Manguinho


Doce de caj em.d
Seft eemupeereie
Aceita-ge eneommeWas A i-k Imperial 1 134
oa rua de Hortas a. 1,.tavern, onde.encoo ..rL
os pretitea a Mostra. Aoelta-u. encoinmuu.
dw pas t lma M ; ; .


.
s-' '' -.'V.a. 1
..., ,, .. ,,,/,..:. .,,^ ^-,-:^ -,.- -,..: -... ^ -.,' -


* :.'- .4'


-g


mpv


rw 0;-


i


II


II


kh', -- JE- I i


mftbh


-- ... ..... _.- .


r


11 J k- & I INhm


11


I I


I


..... i i .--....


-V


*Stbw z,
JS3' '.Ar


I hfpt'.*
























Aig ~in cernentea f, e em a bm
*an uma rWLi m Ws-. m bi-,
hau fomando-os e aomllamadO w mdsam mw
tabOucla de todos SUlos; RDa iSo couvidam 'koa
seu freguezes e amigos, Aiuitarem como de. Co-
tmst est sstabelecimentOmlde eumomtw & tarm-
ban um complete sortimento deo bbida*finaoema
seimn; vinhos, cervejas, lieres, chaapagne e re-
fresco. gelados de djsersas frudtas o pai, e o
magfico caf6 mokasqualquer hora do dia euon
danoite. .
Outrosim, vendem baas, panos e tacos mnsado
poe modico prego.


Preeisa


se de umna


perfeita cA sinheir par

ra eaa d pequena fa-

milia, que compre e nio

durma t6ra: a tratar na

rua das Cuzes n. 39,


1. andar, de
Sa m-Anhuui*


11


as 2


"a- TM6 as so *%*.4
Vende-se por 2:800(0W,, qM'ia et
eot4 avild4| Bumaparts do eqsnho 8. Francia-
co, motejA4 Ser&nl, distanta- duos legoas
da -st-L do Gangleira : a tratar co Antonio
Frana d4 Bisra Lin Fiibo, 4 engenho Santa
.Catharia, no tmrma de oPoto Cdn.o
Vendepe duos asradas de e:;ma pad "nma
pequena fmi lia, "itauo Porto da ade ira : a
tratar us rus dos Guaraspes n. 10.

Para festa
Vende se

Roupas para homes


Pre o os baratissimn
Rua da Impe1atrlz 6 &0
LOJADOBARATEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, f6-
zenda que so lava 60
Dites de panno preto fino, faenda muito
boa 71
Ditos de casemira de quadrinh e slisti-
nhas, forrados 8I
Dites de casemira escura, de cordlo, for-
rados 81
Ditos deflanella azuJ, forrados, sendo fa-
zeaia que nie desbota 10
Ditos de casemiras de cores claras e es-
1 curas 100


G

'X0


000


000


U(I ImIIIJUltU Ditos dc panno preto fino, forrados 105000
~____~____________ jDitos d3 casemira preta de cordio 10 e 12(W!
lV ln Calcla de casemira corn differentespa-
lo armazem do Yasconcellos, rua roes, de 5 ,500,6500,,8 e .10500
Ditas de casemna preta sedan a 84 e 10#00o
da Aurora n. 814 Ditas de casenira de cordlo 65506
Ditas de 0casemw preta 6AW00
Vende como specialidade Seronlas de cregella, obra muito bem
Gomma de araruta e matarena, preparada por feita o 15200 e 1;600
D. Jeronyma Cousseiro. Ditas dc Hamburgo deli nho a 10800 e 25000
Vinbo do Porto. qualidades finas. Colletinhos para dentro, sendo deoere-
Dito branco, superior, guella e muito bern feitos a 800 e l100)
Licores finos, divcrsas quahlidades. )wamisaa, grande sortirento de camiaB
Superior cha prete. braneas, tantolrancezas como inglzeas,
Fino cha verde imperial. tanto de linho como de algodp, sendo
Bonitas caixinhas corn biscoutos e bolinhos. de 25, 25500, 3 W, ate 6500
Lindas caixinhas corn passes finas, proprias Ditas de cretone de cor de 25, 2500 )e 3U00
par presented. Meias, grande sortimento de meisms cruas
Queijos de Minas e requeijoes. para homes, de 320 ra. o par, atW 500
Collarinhos, grande sortimento de colla-
Ama de leite I rinhos, tendo de 5A a duzia atW 8000(
Toalhas, grande sertimento de toalbas,
Precisa-se corn today urgencia de urma ama de tanto paw rosto como para banho, que
leite para Olinda, casa de famnilia conhecida: a se vendem por pregos muito razoaveis.
tratar na rua Duque dc Caxias (Recife) n. 30,1- Tudo isto corn grande redugo de pregos : n
andar, de 9 da manbl As 3 da tarde. o jada esquina do becco dos Ferreiros.


M t- do Dr. KI a mw ior u'^t
4-,,o. .
ulo c powA maap j#- 0 Ab be


Yeapi.b-. a ,wdadofra frik- Las.
do Dr. Frrielas: .
55- RTADO;IiBERADOB 55
EstdeewiMaMsto de muiOWe pUw d. Ve
torPr" ae

Papel pi"do
para forrar salas de visit e jantar, quarts, al-.
covas. corredores, etc. Grande e vanado sorti-
mento pow pregqo extremamente medicos
SEM COMPETITOR
acaba de ehegar pana a
lwvamft $,l lmrmtrIal
a rue do Borx& da Victoria n. 7.'


Vende-se
trees boas propriedades em Olinda, send urn so--
brado & rua Bertioga n. 1, oom sitio, eacimba, fru-
tiras, etc.; uma casa tcrrea, grande, comn grand.
qnintal, rua do Bomfim u. 8, e urn sobrado corn
terreno ao lado para jardimn, corn agaa e gazA rua
Fernandes Vieira, antiga Mathias Ferreiramn. 36:
a tratar na rua da Madre de Dens n. 5, primeiro
andar.


Vinho puro da uva, c fino da Figueira, vende o
Maia na rua da Concordia n. 165, a 500 rs, a gar-
raia !.__ __

Engenno
Vende-se o engenho Maurity, antigo Gallo, na
coiparca dePalmares, prompt de umn tudo pars
saaejar 4(00 pAes: os preteudeutes podem ir
vel-o e admirar a fertilidade do seu terren. Aos
mesmos so diri a razio perque se vende, e trata-
se conom L. G- da Silva Pinto, no Recife, ou no
mesmo engenho corn J. Matheus Fcrreira.
Carropa para meiro
Vende-se uma bda carrot pan carnAop, a ver
e tratar na rua do Bom Jesus n. 61, agencia de
eiloes.
Vende-sea bem conhecidft propri.dade Tra-
picheira, distant da cidade de Olnda urma nmi-
lha : a tratar na rua do Imperador n. 16, loja de
trastes.


S fi n s e e p *. ,.. ..
4MDft 1BlM|'|~f mwami
DJito te smt eaa memaaa qEtsn
BBR wipiMi 'a., -' iifSBt
Brsmf~em aldIo oMo 10 rirnos do
un M6p4ao, so i _de
Dfto &D jeo de irbo, metro a

do linbemetro 2 eX 2800
a aalenqe, toa-
Mdma 60koflla. &=OI a da muito
encopaa ORdW "ee cn 20 vara
1 0 e 1"%;& 500
Ditas comoa a m smedi" a 809 a&, ou
vaa a 400
Atoalhadoiadmaseado para toslas de
mesa, teado 8 plmoes de largure, me-
tro-a 18800
Assi, como um eompleto sortimento de
peWas de algadizinho amerieano e
ingl, que se vende por pe de 83 at6 6O0O0
late ua loa da equinas do beeo does Ferrelro
Case Nfas de f wes
De *3- at6 0,600in,.



Alheiro & Silva a rua da'Iprtri 4&
um immenso sortimnento de case'rn de lo
tato claras como emas, que vumd a au,.
21500, at6 65 o covado, e das mesmas maAind
faer qualquer pega dobra ou costumes, por pre-
gos muito raxoaveis, assim como tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannoes prM
tos st6 ao maii fino sedi que vem so morcado, e
des mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer pega de ropa A voftae do fire-
gues e om today a perfeiao prefte : into na
loja dos barateiros da Boa-Vista, sa eoeuna de
becco dos Ferreiros.
UIMIS atBOrOtS
Os Barateiros da BOa-Vista vendem muito bo-
nitos linhos de urna s6 c6r e de Hlistrinhas para
vestidos, sendo a 160 reis o covado e de c res fixa,
isto na ruas da Imperatriz n. 40, esquina do beew
dos Ferreiros.
Espartil'os
a 4Q e 5#0"0
Na loja da rua da Imperstrit n. w venue-se
muitobons espartilhos para senhras a 5000,
I sntos para menmas a 45009, assim como ua be-
dito sortimento de fichds a 85000; isto na loja dI*
qeiuins do beeco dos Ferreiros.


. .. s,, ;, \ -. ^
.0 N. ,'%
'*"B :dlW N*" r'f ":" ---' ,'


.B.-oa p ,*.. "ofrno "pno .NKM ..
desdS. 85 46 ,. ....
Caus par ominos dsdu& 2864 5; eem col-
g=o.golad..saea5
Cxm^aw as cptaowela"cs p oal". n
Gravatas, gzande vamiedads.
Capcho, jpe ,id|Myt*mB8 holme, velhiui.
Ie, rii. a ee. cores, nluvas, perfuma-,
rias et.. etc. '
Papoula & C.
i 9 Rua de ,C0itbg-i
Em fronte amaitr do Oiato Mttauo


Nmas selletm la wadA i 5
Chgu para a loja dos B rateiros da Boa-Vista,
rua da poratriz urn grande' sormento 'dam
a ildas bsmtinetas lavradma, tended de toua aw
e ses.-jnaia novas que tern vindeo so mqrcade, inclu-
sivamente pretax, sendo a fazenda mais bonita que;
tern vindo para a fests, vende-se a 500 rs. o co-
vado, isto na loja da esquina do becco dos Ferrom-
roe.
Cazemiras InzONas a a0"0 e
2|8
Na loja des Barateiros da Boa Vista, vendo-se
um. ligaute sortimento de eazemiras de duas lar-
g'us, sendo ingiezas e corn bonitae cores que ae
vendem a 2500 e 25800 o covado, send mnite
proprias para coitAimes, e das mesmas tambem se'
nm*dam fazer qostumes muito bern feito de calga
palftot e college per 30I e 85, 6grandepecincha
naloja da ruada Impeuatriz n. 40 a equina do
becco dos Ferreiros.
Ful es a 44,. O0 e 640
Os Barateiros df Boa-Vista, A rua da Iipera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fis-.
tos brancos, proprios para vestidos e roupas de
creangass pe.opregoo acuma indicados; istouses--
quina do becedaFerreiros.
Llsbmhas para \< .idos
Alheiro & Silva, A ma d, Irpm tz 40 ac4--
bamdeoreeeber um grande smO ento dis mais
bonitau lansinhas para vestidos, sendo alpaca.
de cordao ecrm lindis cores a 500 ra. o covado,
gugur es lavrados tendo de todas as cores a 560'
rs. e ditos muito fims corn brilhodesedas 800 re.
todas -estas l hnbas do inteirante modernas, e
vende-se n usq da rua .da Imperatriz n. 40 a es-
quina do becco dos Ferreirma.


MO. .& m .0 ;.s
^<*die 60M kivii
-a m -. d1 l *' & V
do, tp I .. m i.

''^^ awb, Ha superior, .MO3 n. d l


Ulem fM diapa a 2t"4M0& dito I
t on a, btwt'o er ore, a 600 0 .
J4O~el|90 e dife '
slAo saortuimenteo de les para vtn
itO500 .oocovmado!t a6 a aeabaw
Pti tf f rance s 360 rs. o covado !
Sbdtim iaeio bronco pars as Funae. noivwa
IOM gab I
Idem d today aacores a ld0 !
Me5ps do dua" larguras ode todaW a 8 o0ea
lo ,ax, fasedda de 2000!
Idema prnto superior a 10200 e 1500.o dito I
Bramantes para jengoes a 500 r. o metro, 6
Minm dode uao larguras a 1200toedito I
Qpbrta -de gangs para earnm de casal a 8!
Len.oes deobramante idem a 2008 1
Cobertoses de 11, grades, a W.
Swroulas de bramante bordada a 16s duiialsI
Meis ingleua corn bocal de oora 30S 0 aditaj
Oamisas firancezas finals a 80f a dita!
Lengos brancos abanhados a 21 e 35 a dita !
Mdap boa vista, 24jarda_, a 6 a poa!
AIgo= lago superior a 3S800 e4Aa dita!
( .nbrai victoria e transpareate a 8J5 a
dita!
Espartilhos modernos a 400 e 55 urn!
Riq usaimas tlmhas de labyritiho, propxia
paabptisialos.
Enovaes pars. dito a 15# (6 22000 em outa
part*).
Guarniieq de crochet, o que ha de melhor, p1
205000 1 sepre se venderam pop 805 "
Idem avulsas a 1J5200, para ofi a 3 8 .
Colqaj .de dito a-10 so lindas.
Cqrtinadoa, aevos gosto eam bodados. a 7;000
o part
Fichus e sahida de baile a 4I e 55 um-
upe *es redes da Bahia (sdi de 4 pabhos) a
Grande sortimento de roupa, bemrn como de
outros artigoos : gravatas, A A. modeos,
punho, saias bordadas, ethal4es, e.; ttemoa de-
posito de fasendas proprias pars ow aenhores a*-
gociantes do centro, e as veades em grose ds -
mos deseontos.
59-RUA DUQUE DE CAXIAS--59
Loja de
Carmeiro da Caunha a C.


ftoenda
Venda-seuMownda im perfeito casbdo peka
quinta piarte d seu valr, tedo 18 pollegadau dc
paadura e o40 de grossara us n a larg do g o
sario n. 22, loja.


LISTA L N B premio prescreye -
DOS, DA LI P ROVINCIAL, N 161% A DA SANTAurn anno depois da extrac5o.


DOS, PREMIOS DA 210. PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 156a. A BENEFICIO DA SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECIPE, EXTRAHIDA EM 3


.7.

I DE DRZEMBRO DE 1884


LIMA$. -,MBIL. .FJIcwb, .
46 288 46
303 -
12
21 -
22 -
43 W
28 44
33 -
-- 38 -
39 -
S445 -
50 -
54 -
61 821
63 44


64
65
67
70
71
72
74
78
85
89
402
7
10
17
19
33
34
40
45
51
52
53
59
62
63
64
74
84
90
91
92
500
2
5
11
21


4-


8



q
4


NS. PREMAS. No
568 46 8
75 -
85 -
88 -
90 -
97 -
99 -
605 -
7
9 -
12 -
15
16
19 -
21 -
23 -
25 t
- 30 -
37 -
38 -
-48
- 52 -
614o:0oo
66 46
- 67 -
- 68
81 86
- 85 1065
- 90 46
-705 -
5 12 -
^ 24 -1
- 28 -
- 36 -
- 37 -

-7M 8
-454
- 63 46
64 -
- 65 -
- 76- -
- 81 -

- 85
88 -
S800*--
- 6 -
"i9 9

';****' ^^SS y'' .-.


13D-'I z N IMIM*.II N *11I


0. JojaUiIUJ A"
377 4 11
82 -
83 16
86 45
87 85
95 46
96. -1
99 -
900 -
1 -



7 -
14
481 -
22 -




71 S#
75 46]
36 -
37 -
43 -



48 -
62 -
~68
71 86

8475 461
82 88
84 461
88 -
89 -
91
99 -
L007 -
8 -
14 -
18 -
20 -
31 -
36 S#
37 44
38 -
46 -
53 -
56 -
68 -
6-T4
69 -
Aw11 .
"',*79 ".

1105 -


156 4Q
76 -
81 3 o
88 46
90 -
94 -
213 -
14
27 -
31 -
33 -
39 165
47 105
50 4#
51 -
55 16#
56 4#
63 -
64 -
67 -
84 -
86
91 84
93 44
98 -
99 -
L307 -
9 -
16
17
19 -
24 -
25
26 -
32
36 14N
43 4
47 -
53 -
71 -
72
74
77

85 4
88 -
89 -

S'.-94 -
9,.< .., -


19S. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. S& PpaiSS. UPMS. NS
1442 4# 1750 4# 2063 2339 4# 2681 4# 298
46 -- 53 67 43, *- 84 9
54 56 75 45 92 -
56 62 76 48 2701 -
60 64 85 04 52 2 -
62 72 91 4# 69 8 -301
64 74 95 70 11 1
71 76 -2100 76 13 -
72 81 3 77 17 2
86 92 6 79 25 -2
87 99 16 82 40 i
88 1805 18 85 S#8 43 -
89 17 2U 92 4# 44 -
S91 22 22 -2404 45 -
94 -32 27 9 48 -
1500 36 29 11 53 -
4 46 31 -3 12 30# 63
11 48 40 13 4# 65 --
. 16 63 -46 14 68 -
17 644 48 33 74 8 #
18 6 i 51 34 76 4#
19 70 45 56 35 88 -
S22 80 58 39 -2800 -
36 84 60 43 2 -31
- 44 88 61 4,8 6 -
-46 -9- 0 71 68 -10 -
- 55 92 74 74 13 -
- 61 94 78 81 30
* 62 95 82 85 32 -
" "68 -1900 90 87 34 -
- 70 1 95 88 35 335
S77 8 --2204 2501 36 4#
- 80 10 6 7 37 -
. 92 11 -% 16 9 43 -
.1604 24 17 18 46 -
^ 10 27 19 19 54 -
S11 28 29 24 59 -
- 16 34 31 28 68 -
- 20 42 32 -54 70 -
- 26 43- 35' 60o 0 74 -
- 31 44 42 86 73 45 78
- 32 53 43 40 75 79 -
- 36 56 62 77 80 -
S41 58 565 81 84 -
0 47 "- 68 72 -" :82 86 1L
- 50 70 749 91 87 4#
- 66 82 77 98 91 -s
- 76 92 81 95 41 95 -
- 3 8 94 82 -9. -1j99 -
-i-89 l 95 -88 "
9 .. 4, 96.- 9 -I14 .- \ .1 -
- .2O15 -. -~b4.- 9 .

l s :.... :
At: + :, .,+..,.: ; : .-, .. :+
-.: t ;:,it.


PREMS. I


36
0
)o
al
D5
D6
.3
18
2
23
29
33
38
10
42
14
55
59
63
73
75
78
88
89
03
11.
17
19
23
27
31
36
40
41
43
44
53
59
66
68
69
72
79
82
86
90
96
201
4
5
12
14
18
23
-2S
26
31


46


SAPP
43


















8;
4


NS. PREMS. NS. PREM
3258 4# 3549
59 56
66 66
82 67
84 8S 70
98 4# 81
3303 82
7 85
10 89
20 3604
24 5
25 6
26 7
27 10
31 25
38 2?
39 40
49 47
50 -i 40
56 54
S64 55
69 57
72 58
S76 67
S78 69
S81 165 74
85 4Q 78
87 80
S89 88
S93 89
S95 93
.3403 96
9 -3709
S10 1005 17
13 45 22
S23 25
28 26
29 29
31 31
' 33 34
40 36
- 44 37
S50 41
S51 42
52 8S 45
53 4# 53
64 -- 56
_ 55 82 62
46. 64
-.81 336 71
96 8 84
.3 .4 86
+ 1? -. a88

98
S... *. :' -96 -

.'.:< ,6'.;:.:,+


IS. INS. PREMS.INS. P1SS. INS. PREMS.IiS. PrEMS.


*808 46,4
9 -
15 -
16 -
21 -
23 -
28. -
32 -
35 -
39 -
40 -
56 -
66. 1654
67 46
68 -
69 -
80 -
86. 1"
88 46
- 89 -
3909 -
-11 -
17 -
24 -
26 85
-27 4
- 30 -
- 31 -
- 32 8 4
- 40, 4#
- 48 -
- 58 -
- 60 -
- 72 -
- 89 -
- 93, -'
- 9.. 105
-4001 4#
- 4 -'
- 5. -
-20 -

- 28 -
-31, I
-46.
- 51 -
- 54
- 61 -
- 74. -
71 8
75 .4.


118 I
19
24 :
36
49
50
55
62
68
74
79
85
W03
13
24
26
29
36
38
46
48
49
52
62
68
69
73
99
4309
10
15
20
29
31
39
41
50
55
59-
70
78
S81
S86
91
,94

99

23
25
*37
S.43

i' 4*


too#
4#

85



85
46


-'-'V


44771
78
79
82
4501
4
6
7
8
17
25
29
32
34
S35
36
38
47
49
54
59
66
73
77
79
80
82
86
87
93

98
4600
2
* 11
22'
i25
- 28




- 37




- 78
-I42




- 54
- 68


- 64

- 67
- 72
- 78
- 75

9:82

- 4.1

2415


4# 4729
- 30
- 33
- 37
- 44
- 47 14
- 48
- 51 1
- 56
- 57
- 66
- 67
*-71.
72
88
91
94
97
48.02
12
-- 16
17
21
23
33
34
53
56 1
59
61
68
-o 74
75
77
16# 82
4# .83
-- 85
95
-4910
14
27 1
S-34
S36
37
42.
43
44
45
10 51
41 52


-I 5?


NS.


EJ.


1
3
5
6
8
9
28
24
33
46
48
50
56
67
68
70
79
84
89
91
95
96
97
102
11
13
14
18
24
25
29
35
42
47
50
51
60.
61
67
79
83

91
210
13.
18
35
41
42
r-<. 44
-tI 90


I?




V


$1





Li


f ,


B5
4#











40










46


86
45


45








41
I.


vim

Qo


.Q iTW7l F I l^KH-MIS


SITOD -ny.l"lkrcv %To, -ninrui.&K40 I


I ".''
/ 'r


(





1
I
































SdoPbareo, 4to Olld
&n 4 itsj ,ao stina qufossi
~o~so i ia r tift medico, quii
eneatrar no quarto onde Leooa4ia._ lfi'
zer pai.
Mas a porta tiaha Ihe Si(o tio obatina-
damenht6 fechada a car, qu o' pobre'dia--
bo ficara reduzido a pasaear pela casa as
suas angustias oonjugaes.
Seguudo a sua deploravel mania de fa-.
zer confidenciAs a tod,- a gente, o Paio em
p6, ,em quorer saber d'ondo Ihe vinha
aquolle'econdonto, lo quo oVia-Lrip
se voltou A sua voz," olhou pa :elle eom
am olhar inconsolavel e disa coom uma voz,
lagriabsa:
JA 6 tarde para ir a Oormi6rcs! A
romaria dove proceder ao nasoimento. Leo-
cadia teve muita press I Podia espprar
mais qtatro dias, quo per isso no deix:va
de lisongear-me de ser pai nodfim deocinco
mezs4oe casado.
Que animal sera estelperg'untou a
si mesmno Bernab6, ignoyando" que estava
na, presenga do proprietariw da estalagemr
da Corpa Branca.
AnG_ iu.e .udesso articular urma pala-
yra, 0 es'taWjaei ro rnopeu em solugos :
E' que, murmurava elle, sem a ro-
maria o men filho vai nascer semn cabea !
Oom as histories dos meus freguozeo a
respoito da quadrilha do Orgres e ,4o sijo
Bello Francise, minha- mulher imess'ios-
nou-so por tal maneira qu' xs&ie
quando on estavs-caendq A .7q
nao quizoram abhrrj'- 01, T &pdia, quo
por centre as sua. does repetfo aquaellas pa-
lavras.
Ouvindo fallar do& seus clients, Ber-
nab6 advinhou qae o seu home era o es-
talajadeiro.
Bornm I disse comsigo, por elle you
informar-me.
Mas, comno polo qu diza o Paio em P;
a ua curiosidade acabava de ser desperta-
da, apurou o ouvido para saber o que di-
zia a mulher, por entire as suas dores.
E o quo dizia a cidadA, tua esposta ?
insistio Ale, verido o estalajaleiro calar-se.
Se o estalajadeiro so havia calado, 6 que
a palavra Ihe tinha sido cortada, pela ap:
parigIo do Pancracio, senu moo de estri-
baria.
Nab partiste para Mans c)m a car
iola nara trazeres medico? parp tou
irl admirado.
Nao e possiv-M, patrlo, deelarou Part-
cracio
Porque ?
Porque, para a carriola 6 precise um
eavallo,
E o men velh), russo ?
-- P6des ir ver a estribaria cidadao pa
"trEo.... .Aprormptaram-n'o cruelmente I
Cortaram os artelhos.
Antes que sea amo tidosse tempo de s)ol-
tar uraa exclama$So, Pancracio cont'nu)u:
Fizeram a mesa cousa aos dons
cavallos dos viajantes que chegaram ha
pouco. Os tres pobros aniimaes, estropia-
dos, estio cahidos nas baias que corta o
cora$io vel-os.
Os viajantes cavallos, repetio o
Paio em pe estupefacto, porquo tendo sa.
,hido para ir tomar a sua passage a bordo
da Julieta, antes dai chegada do Porco
Montez, era incapaz de comprehender.
FOL.ETII



0 FILHO DE ANTONY
POe

ALEXIS BOUViER

QUARTA PARTE


Pertenees-ue como o home a
dcsgra

(Countinma9o do a. 301)

CAPITULO I1


a1ou u emo- antoten flw
Zo6iuzeure oo ia voz fregizezes seui
Nn enos deo" ,
,- Ur.ve quo 4 respoeua franca- estAv sntta 6. w
eont 6 queni q ous^qu.na sr *a horni- maqu7neqi n',
el.vor|ade, q4e quizimosoque eu fossegala, Lamberte Sq ..e. h.
evarificarL% or:miam s ino. s N. o, ternm bo- ia reunido o estal aaeIro, daemM fuo.a-
chechas p .a e aeariar corn os meus la- zer aos queixft:i ,
b :'l!flll, *.: 1 1- 1'- 1-, T, .tEK ia" o faro .i.'1." P iK ^'A :
bios dopa I -- Logo quo-s!iou a foma,_ o tez4&pros
..CincQminutos haviam bastado| Vira- sou-se em rep"tir -l ama p^ utA at
TIpas para. julgar o seu homrn aPor entto tinha f8adosem.i 'esposta:
Jsso foi quo corn a maior seriedade deixou Ag r':a .Berab6, po46sdizei
intrever uma console : me r[qe _,mtivo, -te, otlt mbad do d
Mesmo serm ca iao tea tilho ha de carregar atua espingarda,- qiando a poer
ter daas bocheehas para offereeer aos teus medeixast,,paras artires adante, teon-
beijos de pai. control a carregal-a ouira vel
Langas-me balsamo na alma! pro- 0 Vira-Tripas percebia que havia im-
nunciou o pobro pai, que, langando um prudencia em responder ao tenento an-
olhar de reconhecimentoaBernab6, poz-sQ tea de o ter preparado pars a sua narra-
a subir a escada que lovava ao quarto de a o. 0
sua mulher, ao mesmo tempo quo Pancra- Usou portanto de urma evasiva.
ceio sahia pela porta que dava para o pa- 0 meu tiro liga-se a um incident
too.. l a noito passada, ao qual precise refe-
Logo que ficou s6, o Vi,'a-Tripas poz- rir-me.
so a pensar no que dissera o mogo de es- Refere-te, entao.
tribaria. YE' essa a sua opiniAio ?
Nao havia que duvidar, f6ra o Belle -.- Certamente.
Francisco que comn uma faca havia ostro-
piado os tres cavallos. (Coutinuar-se-ha(
SPor -que ? _______
A -unica resposta era que tiaha qunerido '--
'tirar do Porco Monto a-irfewos do o alcan- ViARfIDAB ES
garr na suafaga." Mas ne'oste case surgia
o*t ifrpoirque mysterioso. Qual o mo-
tive por que, quando havia para elle o pe- Mu ol o
rigo de nao se afastar depressa bastante,
o lncendiario havia recusado lahngar mao 0o ANNO BOM
dos cavallos que os levariam long, a elle
e a mona, que roubava? Porque, pars o E auaca fui carol, mas prometto
Vira-Tripas, que igaorava a existencia da Pelos santos que tAn no kalendario
pandlla cheia de ouro, a moa era o unio Passar um mez inteiro ouviado misses,
obstacalo quo devia embaragar a faga do Trazer mesmb 6-e c6r o breviario,
bandido.
E n'estas condi9es, tinha preferido par- Se o ann.1: que deponta radiant
tir a pe. Tinha rejeitado o unico meio Me tr-v.'-.r o deseango, quepreoiso,
de por urma grade distancia entire elle Fazendo-me o favor, a santa esmola
e o iimplacavel inimigo que ia ter no en- De dar-te grande pommadde juizo.
calgo.
Polo rio, nio havia possibilildade de E' tempo e mais que tempo do mudares
ter elle fugido. A Julieta ainda estava Do vida e do ficares moga seria,
atracada e a canui de Pancracio nwo tinha Um janeiro de mais corn os quo tu contas
desapparocido. JA dA o que pensar, nao e pilheria.
0 Incendiario tinha, portanto, partido I ... ..
a pQ. Reflecte bera no caso, ve qua todps
Apesar da logical quo o affinrmava, Ber- Ja sabein quern ti 6s p trfest f, e; .
nabe repetia que ubo era iss-) possivef. Nao queiras maisnegwr atua idade,
Qae a moca o tivess- seguido, ou que ek Nao sojas, por favor, minconsciente.
a tivesso carregado desmaiada, o Bello
Francisco nao podia, de boa vontade, ex- 1Ha, dias, inm contarar, qute disseste
pCir se a deixar-se ser facilmente alcan9gdo Ter viuta o quatro annos s6 d'idade,
polo Porco Montez. Mas isto serA certo, nao contando
Afinal acudiu uma suspeita ao espirito 0 tempo quo deixaste esta cidade.
de Brnabe.
A nwo sero disse elle corn os seus! E foster para o mato desgostosa
botoes, que o Bello Francisco, em vez do Por causa d'aumn negocio... urna taboca
fugir, so tenha ficado por aqui escondido Que tevo habilidade de pregar-to
em algum canto, deixando o Porco Mon- Aquolle a quem chamavas--primo Joca.
tez correr-lhV, aa pista.


-Loe.ubrando-se entio de haver dito a Assim como tambem uns quatro annos
Vasseur que o esperaria no lugar da es Em que estiveste A more de fraqueza,
trada, onde, antes de chegar a Mans, hou- Pois desde que nasceste que ta trazes
ves-e alguma novidade, o esqueleto foi Defeitos que te dea a natureza.
postar-se na portLa da Cora Branca.
Dez minutes depois, como vimos, che- Mas c por miaihas contas, convencido
gavam o tenente e os seus dous homens. Por notas ia do archive do bispado
Nao estava muito tranquillo a respeito de Sem na:ia do rigor e sem muald e
Goetr'asia, o born do Vira-Tripas. Comtu- Eu dou-te ineio seculo bern0x


trar-aos-hemos amanhia, As dez huris, no
lugar que fixareu, porque viemos aqiit,
julgando que teriamos apenas que trocar
algumas palavrams sobro a hora do duello.-
Corn as novas condicOes tado esta adiado..
Recusam ? nfirzyntrn o ,anit.^'t a.-


Antony per,--atou
oquo queria. -
-'4isil. seahope
d'Hervey vpltou a
de Lancy; 'ella qu
Ihe : eptai n'nm est


senac. -- 0 que querci
Nao, disse imm:rediatamiiecte o Moci- aborrecido. -to .
nho. nao estava?.
1-- Nao, meus senhores, contimaou de Oh! seniorr,
Croissy, pedimos apenas o tempo) nIecessa- quizeram acredita
rio para onsuitar o Sr. d'Hervey, porqBe ,a'Hcrvey disse-mao
como ja Ihe disse, por miira s6 nao os ,nvia de filiar
acompanharei em um negocio d'esta or- qb orseuhor volta
demn. Poderiamos, so quizess'em, chegar Luiz exagerava
a um accord, marcando o difello a qainzzai .n d4ito A barone
passes e o tiro a um signal. i.. 0o ebnede d.Sancy
Oh! nIo, no, disse vivamente o ca- :,pessoaaIlgua.amqwu
pitio Casenac; as coadicoes quo expuz tea a baroneza ftz
sao terminantes, o o Sr. conde de Sancy possived para que
nao se batera se ellas naio forern aceitas. vi h1--.lie. P
.Muito bemrn, os senhores affirmana quote -llei]por causa
o Sr. condo ;do Saucy nuo se batera -i.,epoatava coi
sas eoadioes uao f6rein aceitas ? v-.;-
Sim, senior. "' I vou
D-3 Croissy conversou em voz baixa corn guem vier procure ,
Mocinho. quoimn for, uanda
Este ultimo disse : para qtie eu W
S Meus senihores, julgamos necessario. tais visitas, ,.:-
para isonuar o nosso constituinte do quo Bei, soahor
possa acont ceri, redigir a acta do Gue aca- 0 condo encarmi
barn de dectlarar. Coasentem ? '- '-
SPerfeitanmente, meus senhores. L CAPI
S-- Quets- redigil-a o senior mesmo, disw ,
soo eapitao Casenac, ofereecendo a -adeira nm ueo intBm r j
quo estavad 4eadali iante da secretairia :
do condo.
A aeta fbi dietada ein voz .Ita por do ('Qundo sairani
9isq^~, ojassigoaraim as quatne 0testem mmtirgeg5es,.ts|
w'^o slS -do Croi de o Gs- -6y. iigiiai-opar'
tap o ....- d~i- s adiora
W.. ..a p .......


ao ea velho cr4do

ddise 'a SniIo
aeompanhada,; *e.
Ler a toct o 0 cu -
ado desesperado.-
n ainda ? disse o
podits dizer-lho -

eu disse-lhe, mAg -nao
r-me.. A Sra. ba'onoza
quo queria faa11lihe, e
-Ihe; ella espara at6
See.
urn pouoo: o *i elle
za era qae julgaVa que
nio desejav, receber
Alla tarde, mas promet-
:or do sua parte todo o
o eoade se decidisse a
?orque o vello criado
id rosultado 4o dello,
Ine. d'H'rivey para o

L, disse o cond ?.1


Ot vais para dianto ou te prometto
japs bolos to applicar, qu'importa a idade?
Eu quero quo tu sirvas, mesmo velha.
Eibora a6 pros teus de utilidade.
Eu tive sempre em vista n'esto anno
Prveder-te n'um collegio corno interaa
Com ordem terminante de viveres
Em urma reclusao several, eternal.
P'ra isso fui a todos Os collegios
Do homes e mulhores, t6 no Hospieio,
Mas nAda de quererem nem bem pagos
Fa? a tea respeito um beneficio.
A culpa d'isto tudo 6 do governor
Que except as eleig'eos, nao tracta em nada
Ficando este paiz semr ter escolas
P'ra gentle como tu, p'ra gentle usada.

Mas tu has do aprender! deixa o governor
Tractar de cousas pulhas, d'eleiqoes,
E vamos comcar corn todo o gosto
Depois do dia seis, nossas lig5es.

Ainda hei do te ouvir fazer discursos
Mais uteis e corn mais discernimento,
Melhores, ou tao bons, comr os do muitos
Politicos do nosso Parlamento.
Ja ves qu'estou disposto inda esto anno
Fazer tudo por dar-te educag.o,
Niao seo pois tao, mostraum moment
Que te' um brsmn ialdo coragio

Ivandando-me ppreenti, glanteios,
Em honra deste dia de Anno Born,
Pois jA te prometti mudar de rumo
Cantando-te as bellezas n'outro torn.

Vou ja pur-mo A janella alegroiemente
-Fumalo t,.m -bonm charuto, engravatado
A vOr Aurglr ao long o sortimento
De mimos que me traz o ten criado.


NAo fagas como as Festas na-i mais
Sirvir para os vizinhos de jogqete
.U quero roceber mimos que sirvam
E nao pela cidade outro bite.

Adeus! quo o anno novo to depare


quero


Aquillo que nais queres ser esposa.
Mas olha vou p'ra port todo o dcia
A ver so tu me mandas qualquer cousa.
Recife, '10 de jaueiro de 1885.
PAULO EPEREIRA.

0 ^ "rai pala rua

DEDICADO A EXMA. SRA. D. E. -D. S.

A rua 6 um espectaculo quo s6 differ
*do theatre 'em expor este os factos ficticia-
mente, e aqulla a realida le dos mesmos,


Pais COo t4..-iilw,&4 toores, a
moda mn, w re re, 6 apresentar-se urna
moga corn m t^aj de urna s6 car.
As auquinhastdolasno slo mons-
truosas, como crtas rque tenho visto, ob-
sorva a primeira.
A do lade esquerdq possue o corpo
bemrn feito, e os pes peqaenos, reapara a so-
gunda.
--A do lado diroito anda olegantemen-
to, pros oe a tereeira.
: aquolIa moga quo ve m a no
i epuwopro A tiracollo suspense por um
cordao roxo. E' a unica qae adoptou esse
gystema de conduzir bolsa, talvez para nao
so esquecer della, e 6 igual-nente um
meio desta nao ser roubada. 0 mogo o
qual a acompanha 6 bern symnpathico, diz
a quarta.
A vizinha, senhora casada tendo neoes-
sidado de comprar fructas a vendedora,
assomou a janella nesso interim.
-- Come passamVines.? perguntou ella.
Eu, bomrn, agradecida, responded D.
Rosinha, a mais joven das, referidas quo ja
torn noivo, a conta 14 annos. Lili que
completou 16, e cuio eordao ainda so acha
desocupado diz: Eu t6nho estado urn
pobolindisposta.
A vizi&ha sorri e assim so express:
Use doba&nhos d igreja que Vmc. .ficarA
boa,,D. Lii, experiment ; a difficuldade
estA- em Vine. eneontrar um enfermneiro
amavel que so disponha A cural-a. Lili tor-
na-se corada, nada diz, por6m, deixa ver
nos labios am sorriso de satisfagAo, em sig-
nal do apoio.
Quando casa D. Rosinhi? interroga
a visinha A irml do D. Lili.
Ainda api se marcou o dia respdn-
de esta, porqae o .meu pretendente so es-
forea pnimeiro porconseguir um emprego
rondoso, por ser pobre, visto o pai nao
approvar o casamento, pois queria que,e olle
desposasso moa rica, e nos nao dispomos
de fortuna.
Eu fico anciosa por ver Vines. qua-
tro donas de suas casas. E' a melhor vida
que ha, quando os esposos. sao unidos;
mas igualmente so torna um inferno, so
cada um delles s6 entende que dfve satis-
fazer a sua vontade. Polo quo eu acouse-
,Iho A ti* a moa quo deseja preader.e
polos lagoa connubiaes, que antes do se
inclinar a urnjoveh, -6studo bemrn o genio
delle assim como quo este fa9a o mesmo
emn rela'ao A ella, afim de n-o arrepende-
rem-se depois de desposados.
'Um aoadetiic e enoutro individuo fa-
zem consideragoes acerca do acto do pri-
meiro anno prestado no cu"so juridico des-
ta provincia por uma adolescent.
Que proveito ha em urma joven sa-
ber direito ? pergunta o estudante.
SDA lugar A arranjar um casamento,
vantajoso responded o interrogado.
E' s6mente a utilidado resultante
d'ahi, continuia o future proselyte de The-
mis, porque A mulher nlo Ihe concedida a
faculdade de votar nerm ser votada em paiz
nenhum, por conseguinte ella torna-se in-
capaz de exercor o cargo de deputado,
senadora, ministry, president, etc. A
raziao della so aciar inhibida de partilhar
corn o sexo forte a vida publics doste 6
que a mulher deixando-se gaiar mais pelo
coraao, do que pela razao, involhintaria.


iva constant-emente, ou no soeu quar- mos buseal-o ao seu quarto e ajadiamol-o a
to, ou no gabinete contiguo, e todas as ve-1 descer.
zes quo o moigo o procurava para fallar-| 0 quo dizes? pois elde ropresentou
Ihe, nao o encontrava. Parecia-lhe que ta comedia e nao me disse cousa algu-
elle o evitava. J ma? VA depressa buscl-.o ao seu quarto.
Seria por causa da emocao que elle sen- Vou chamar o Justino pars acomnpa-
tiria, sabendo quo no dia seguinte o ba- nhar-me, e jA o trago.
IN a quem elle conhecia* desde a infancia E' inutil, auba s6, diga-lhe que eu
i rriscar a sun vida ?- ulgava isso, mas ordeno-lhe quo venha immediatamente, ou
aehava rmal cabido n'este moinento., que you eu buscal-o.
"Esperando a todo o moinento as suas Oh mas, senhor, disse o criado, as-
testemunhas e seado talvez obrigado a seguro-lhe que elle estAlmuito doente, nao
partir ihmn iatamento, Felippe pensou em se p6de ter em p6..
sua ai,. VA, jA lhe disse, e avie-se.
Desejando saimpre occultar-lhe tudo o E, furioso, Folippe passeava a passes
quo so passava, nao queria partir sern largos pelo seu quarto.
abragal-a porque a sorte das armas podia Alguns minutes depois, Vernet desceu,
fazer comun*ue este abra9o fosse o seu Ulti- segaido polo criado, que estava admirado
ino adei. t da inawanga rapid quae se tinha operado
Proparandbi-e, -.nm ter consciencia do em seu estado.
que fazia, fallava alto. dizendo : 0 velho hussard estava pallido.
Pobre mulher! Ficar-lhe-ha de mim
uma dolorosa lemubranga, e preciso quo eu Em outra qualquer occasion Felippe nao
a ejia. Qu dia oibastant cora- terian deixado de fir-so quando Q vio, to
qae dni pab t'ere bastanto eora-toi
m pLara woc torRi'r ,eg r adurante alguns mudado tipha elle o rosto pelo golpe de
tinutos. Vod troanda r,, Venir minha florets quo o tinha inchado -e, tatnofacto,
i^^ ., ^' Veraet trenda dos pes a cabeca.
| Ecnmoau Veoet, e ao contrario do Depois do ter fallado corn a baroneza,
qw o Volho hussard eostuinava a fazer, ou, porautra, depois do ter faltado A pala-
accudir iimedib eatoan- ao scu chamado, vra q dcia Felippo, era obrigado a res-
no respond4., FFelippe julgou que ele ponad aoofilho teado-se compronettido
eosvesse iong. ... con a.barnoeza d'Hervey a nIeo dizer cousa
Abnio a poftt, e- nbo o vendo,-acroditou algurna. /.
qwo so tivesse nganudo, penstndo que Assim quae ele appareceau, Felippe per-
iVrnet tiaba subito para -o sa quarto, egunton-iho gritando -.
ifechavaaportdoque ignifia esta comedy Sr.
Rea _perganztotfi-e,: '- jV et? -0 senhor~~to-o ai
8")_CSo.. baron,"Ma d'LAer,% vt ~el nia~nab, met rnIskf
-. -.&*' S/.5,I^ut fA&m MtnMA


lgaigWR sias qae itfl .ezoitasee % cuiosi-
dal -no, momento ent dquo estas isum .de
| (ost#*o, sdmuquto um &Unsi volt&.* ebQ
P 4neipir a ida rua, -o' ontro ''ua nlo
;Ihil^-p aceo'Mr~ltt1- *~
ooberaevos o s insna*i t4 l: Quo
flberbo Cio~ltloi e comprido 6 q 4a-
qaw11 joven do meiO Exeedoha I na:-
degas Pois a iev ada havia feito da
coma uria unica tra4" que Ihe cahia gra-
ciosamente sobro as 4stas.
A noite umna pisio corada, alva, um
pouco adipose, paswia do em companhia
de outras, ,sorrindo ei palestrando, inter-
rorupe de repente a co versa oe diz para
uama das amnigas: -Entremos depressa
aqui n'uma casa, porqIe a saia me estA
o thindo.
Incident que aindtla mais provoca as ri-
sadinhas de todas.
Um oephobo achava.se A janella de sua
casa terrea aspirando deliciosamente o ar
fresco das 10 horas da noite, iuando pe-
quono grupo de rapazes bretSes approxi-
mia-se do 1o0o. Umn destes, tamben jo-
ven, corn ocidulos do vidros coloridos, ao
passar defronte do lugar onde estava o
indicado mancebo brasileiro dirigio-lhe os
dous seguintes vocabulos: Good night;
parpu, e emquanto os mais neo cessavamr
de andar, poz-se a fallar e.m inglez corn o
pernambucano. Esto quo apenas proferia
um ou outro termo na dita lingua, de bal-
de so esforgava por comprehender o quo o
filho da opulenta Albion dizia. Eininm,
mais por gosto, do que por meio de pala-
vras, entendeu que o europeu era indigen-
te e pedia-lhe algum dinheiro, afirM do vol'
tar para o ,seu paiz, pois sahira do hospi-
tal oude se havia curado dos olhos, tra-
tando o 0nosso pisinno por gentlemnan,
amabilidade que o filho da Terra da Santa
Cruz retribae-lhe corn as palavras -I thank
you. Mas como nao Ihe fosse possivel ser-
vil-o, despedio-se cortezinente delle o en-
glish-man tirando o chap6o.
Urm individuo 'pauperrimo, que soffria
grande fome, entrou n'uma casa de past
mediocre, e pedio o quao houvesse, para
jantar. Depois do ter coinido a nso powder
inais, como nto possuisse dinheiro nenhum
afirm de pagar a despeza, fugio do estabe-
leonimento, co;rendo corn todai as- suas for-
gas. 0 dono deste, vendo que ell so au-
sentava semn dar-lhe a minima satisfa^go,
seguio-o tambem na carreira o poz-se a
gritar:-pega o ladrao. A estas vozes,
alguns homes igualmente comegaram a
perseguil-o; mas, ou porquo o larapio fosse
rnaisvligeiro do que os mesmos, ou por sa-
berem o motive pelo qual o queriam pren-
der, deixaram-n'o evadir-se. Certamente
o" fatf era mais paft 'Xcitar o riso e a
coropaizao do quo para Ber punido. 0 pro-
pinotario dos 5'dW -&a1henticioi foi quemt
nlo ficou satisfeito corn este "meio do for-
pal-o a fazer caridade a urn desvalido.
Uma criada ontra n'uma botica o pode.
quatro vintens de chi do sabugo.
0 pharma(6pola diz-lhe:-S6 tenho as
flores do sabugueiro. Para t azor a infu-
slo que Vine. deseja, compre na /venda,
folhas do cha preto ou verde. S6 assimn 6
que esse cozimento se pode chamar cha de
sabugo.
Duas joyons, ao passarom eem frente de
urna loja no fazendas, urea dallas dirigo a
outra estas palavras : -0 caixeiro, do qual
Ihe faliei. 6 aquelle do costelletas. 0 que
ao ontondcr da mesma, indica barba ao
lado do rosto, cuja expresso naio existe
nos diccionarios pnrtuguezos.

Recifo, 23 do dezembro do 1884.

ANTONIO DO CARMO SERAPHIM H SILVA.


esta pobre oiiher ? 0 quo disse7ela? que
quer fazer ?
Impedir a todo o custo quo o senhor
se bata.
Folippe encolheu os hombros, dizendo:
Isto 6 impossivel. Ella esti ai easa
ou sahio?
Sim, senhor, disse Vernet, abaixan-
do a cabega, receiando uma nova pgi-erg -
ta, e temendo ser obrigado a dizer paras
onde tinha ido a baroneza.
N'esto moinmento bateram a ports; Ver-
net foi abril-a immediatamente; era o
criado quo vinha participar quo os Srs.
de Croissy e do Ge svres queriamrn fallar ao
barao d'Hervey.
Os dous homes estavam no gabinete
do barao.
Felippe disse "
Bern, digs a e .. orZs quto yOU ,
iminediatamente.
Depois, dirigindo-se a Vernet:
-- To- fleas aqui; precise falla-t4e.- Es-
tou admirado da tua hypocrisia; nso to
julgava capaa de me enganar.
Oh! Sr. Felippe, protestou o veliho
hasr -rd, nao digs iass. Votue cotar-Ihe
- t, td,-. ...
--Espera-me, 'disseo Folippe, conversa- -
reimos d'aqui a ponco. -
0 Mo'o0 fbi tero co as suas teateami-
Alats.
Q4uda4o de Croissy lhe rnostrou,*i.ac
e lhe'disse as condieges,.quo x -
lippe-leAitou-se e u osonro sto toi:1
ividq ;ias- i apenasurns um i uvqj
iiinpiet- tiv quo ie pisason pek %90
lmadiait~mete ,dorainou-soee




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEXN60OK6_LW03RH INGEST_TIME 2014-05-20T00:31:35Z PACKAGE AA00011611_14877
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES