Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14794


This item is only available as the following downloads:


Full Text










-v
I -
.5 5 5 5


S S S
S ~ ~


~$uda a'um~ NP~bo~ -do sewas d


S:. .S -.:* '. >

.. .. -" .* .
S :
.5 #t1w .. d,-
'W .,ail


'4
I'..


&;. *;.* .*** ,; ,-*? ,* 't^ .it .. .* "< .*- ** .*. .^'--if flr i;
I" f ', :.t 'I .
& ~ ~ ~ ~~~.,. ,lt iiliiii r"'.*^', ." i"- ^ '*J
,: ,,.^ **i *;- ,, .... *.- '-., ^ ^ .. ;,e:-_i" i[


4 'r.,
*,i ,* "L .'


I si-'-

j1reprieM~it bt *taEeft


11


: i" .-' -. '" "
*i';^,-- .;. -. : --- -- .* .


,,1 .ri .:... .. .


TELEGRIIIAS


;S37:3 2A171p, f3DiSI3


RIO DE JANEIRO, 23 de janeiro, is 4
horas e 35 minutes da tarde. (Recebido
as 5 horas c 30 minutes, polo cabo snbma-
rino.)

Foi elelto em .) eserulatiio pelo 9.
districto da previncia do Rio de Ja-
neiro, o ari&o de Leopoldina (C).
F- oramn diplomadon pelas respec-
tivaM Juntas apuradoras do Rio de
dIan iro:
I.0 district, Dr. Valdetaro s
2.0 district. Dr. Fernandes d'01i-
veira;
3., dimtricto. Dr. Bezerra de Mene-
zes I
1.o dlstricto, Dr. Castrioto.






(Especial para o Diario)

PARIS, 22 de janeiro.

A Inglaterra adieCre em principio,
A propostas dam potencias acerca
da divida egypcla.

BERLIN, 23 de janeiro.

0 estado de saude de S. M. o Impe-
rador Guilherme melhora raplda-
mente.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
23 de janeiro do 1885.



INSTRUgCiO POPULAR

PHOTOGRAPHIC
(Extrahida)

PABMTE IT

Operariiem e processor pltotogra-
phieos
CAPITULO V
VARIOUS PROCESSES
(Continuagqo)
Processo d. p:apcl iicerado ou albuaminado.-
N este process 6 o vidro do ns.ativo substituido
pelo papel; nito silo estes cliches tao belles corno
os do vidro (coino jA sabeuios), Was teem a vanta-
g';n d a nio serein quobradi(os, nem pesados, ncie
volnmosa; 6 muito demorada a exposiao, mas sa-
tisfaz aphotographia de viagem.
0 papel deve ser escolhido muito bemrn, porque
hai de servir para ser visto par transparencia.
Para o incerar faz-se o seguinte : estende-se o pa-
pei em urma caixa de terro cheia de agua a ferver,
pondo entire o papel e o ferro uma camada de papel
mata-borrnlo ; fricciona-se corn eera branca que se
funde e derrete A niedida que se vai estregando,
at6 estsr parfeit:tmunte impregaada; sobre esta
fuliha poe-sC u:na outra nao incerada, depois outra
incerada, e assimn suecessivamente, at6 uma duzia.
'^ 0 excesso da cera pass para as folhas nao ince-
radas, e obteem-se assim 24 folhas inceradas.
Tira-se entao cada folhai por sue vez e desinca-
ra-se corn uma boneca de papel de seda at6 fear
lisa e transparente. Assim preparadas, mettem-se
em ama soluyao de :


Agua de arroz (*)
Asaucar de leite
lodeto de potassio
Brometo de potassio


1 litro
50 grammas
15
5


S9o depois os papeis mettidos entire duas folhas
de papel mata-borrAo. e passados comn um ferro de
engomminar, apreseutando eutai urma cor violacea;
devem conservar-se ao abrigo do ar e da humi-
dade.
Sensibilisa-se em um banho de :


Agua destillada
Nitrato de prata
-'/ Acido acetico crystalisavel


1 litro
75 grammas
75 1


A exposiclo consegue-se mettendo-o centre duas
laminas de vidro muito claras, e dura 1 hera pouco
mais on menos.
0 desenvolvimento 6 por meio do acido galhico,
acetico e nitrate do prata, atW apparecer a ima-
gem corn a intensidade requerida. A fixagio faz
se pelo hypo-sulphito de sodio.
Em todos estes processes, as proves obtidas de-
terioram se e desapparecem final passado mdito
tempo, ainda quando form cuidadosamente lava-
S das. Procurando-se pois evitar tal facto, foi des-
eoberto urn ountre process clamado.
(Continua).
(.) Esta agua e formada per 75 grammas de
arroz em 1 litro de agua a ferver.


PilTE OFFICIAL
Govermo da Proylmela
EXPEf!DEET DO DL 12 DE JAEl) DE 1881
.Actos:
-A) president da provincia de aceordo corn a
prput& do Dr. cbtet deo polieli em officio desti
dat, resolve demnttir Joao MitA Ferreira Li
t ergo de 1e aupplnte abdeiado lo dis
tsWo do Brn di Jaag4a (Paripen) 86 term
aa -Oomir.cou-se so Dr. chefe de poll
... O preidmte da prwoviods eAm 4m i

FW ti do .. & -..f. .kIw


;io Joaquim Poreira Lobx.-Communuicou-se ao
Dr. chefe de policia.'
- 0 president da provincia attendendo aso
tn reiquereu Quiteria de Atwcida Bmstos, profes-
,era da cadeira de ensino mixto de S. Jos96 da Ex-
treain, resolve conceder & petieionaria 2 mezes de
icenga corn o ordenado que lbh eompetir na form
da lei pars tratar de sua saade, devendo dita li-
cenga decorrer do 7 do cobvonte mez.
0 president da provincia attendendo so que
requercu Ricardo Fonseca de Medeiros, professor
dIe ensino prima-io om Santo Amaro das Saliias,
e tend em vista as intormages ns. 376 e 303 de
6 e 23 de dezembro find do inspector geral da
[InstrucVilo Publics e do Thesouro Provincial, re
solve, de accordo corn o dispoato no art. 12 1
da lei n. 1,766 de 21 de junho de 1883, conceder
ae peticionario a gratificaoo de merit que Ihe
compete, por contar mais de 15 annos de effective
exercicio no magisterio public.
0 president da provincia attendendo ao qVe
requeren Maria Maximina Carneiro da Canha, pro-
tessera da cadeira do sexo feminine de Venda-
Grande, resolve conceder-lhe 3 mezes de licena
na form da lei para tratar de sua sauid- onde Ihe
convier.
Officios:
-Circular sos agricultores da provincia.-
Constando ao Exm. Sr. ministry e secretario de
Estado dos Negocios da Agricultura qne nests
provincia ha proprietaries que possuem mais
de urma propriedade agricola, ondc, por fal-
ta de trabalhadores desejam estabelecer immi-
grantes para cultival-as, dividindo-as em lots de
terras, mediante concessoes vantajosas, tenho re-
solvido, no intuito de habilitar o governor) imperial
a providenciar a respeito, convocar para o dia 19
de fevereiro proximo vindouro, A 1 hera da tarde,
nested palacio, urna reunion de agricultorea e ou-
tras pessoas directamente interessados pelo pro-
gresso e prosperidade da lavoura da provincial.
Convidando a V. Exc., espero do seu patriotism
que nio deixarA de comparecer A referida reuniao,
ettentos os resultados beueficos e vantajosos, que
della poderao provir.
Aproveito a occasiao pars significar a V. Exe.
os inceus protests de subida estima e distmneta
consideraqio.
Ao Exmin. Sr. president e membros da Asso-
ciaiao Cimmercial Agricola. -Constando ao Exm.
Sr. ministry e secretario de Estado dos Negocios
da Agriculture que nests provincial ha proprieta-
rios que possuem niais de uma propriedade agrico-
sla, onde, por falta de trabalhadores deasejam esta-
belecer immugrantes para cultival-as em lotes de
terras, mediante concessoes vantajosas, tenho re-
solvido, no intaito de habilitar o governor imperial
a providenciar a respeito, convocar para o dia 19
de fevereiro proximo vindouro, A 1 hora da tarde,
neste palacio, a uma reuniao de agricultoreso e on-
tras pessoas directamente interessades pelo pro-
greaseso e prosperidade da lavonura da provincia.
Convidando a Vs. Exes., espero do sen patriotis-
ino que nito deixarao de comparecer A referida
reuniao, attentos os resultados beneficos e vanta-
joseos que della poderao provir.
Dirigi convites especiaes a minuitos agricuitores e
outras pessoas, cujo comparecimento C proveitoso
e indispcnsavel A remerida reuniio. E' possivel,
entretanto, que maio grade meu, alguns outros ci
dadaos prestantes deixem de receber takes convi-
tes. Por isso V-_.X. .como.0xtp .d4&iicaUo qu,
os distingumn, se emnpenharao per todos ns meiose a
seu alcauce p.ira que a reterida reuniao seja con-
corrida per todas as pessoas a quern direct on in
directamentc interessar o assuinpto da referida
reuniao.
Aproveito a occasiao parasignificar a Vs. Exes
os inmeus protests de subida estima e distinct con-
sideracao.
Ignaes a Assoeialo Auxiliadora da Agrlcul-
tura e a Associacao Commercial Beneficente.
Ao inspector da Thesonraria de Fazenda.-
Mande V. S. ajustar coatas e passar guia de soc-
corrimento ao capitao do corpo ecclesiastico du ex-
ercito padre Leonardo Jobo Grego, que vai subs-
tituir no presidio de Fernaado de Noronh-i ao te-
nente do (nesino corpo padre Juvencio Veriasimo
dis Aujos.-Commuinunicou-se ao general.
Ao director do Arsenal de Guerra.-Em offi-
cio da 10 do corrente sob a. 23, partecipau o bri-
gadeiro commandant das armas que o soldado da
companhia do operarios mihutares desse Arsenal
Jos6 Mlrcelino do Souza Pereira, que baixou a
enfermaria military a 20 de novembro do anno pas-
sado, afim de ser tratado, foi a 8 deste mez ins-
peccionado de saude pela junta medical military e
julgado incapaz de continuar no servigo do exer-
cito per snffter do tuberculos pulmonares. 0 que
fago constar a Vmc. para seu conhecimento
fins convenientes.
Ao inspector do Thesouro Provincial.-Ap-
provo a arrematacalo feita, parante a junta dess<
Thesouro, no dia 31 de dezembro proximo passade
do fornecimrento de eustento dos press pobres di
Casa de Detengao, pela diaria de 420 rnis devendo
porem, ser a mesma arrematacao pelo tempo d(
urn trimestre, em vista do art. '209 do regulament(
de 2 de julho de 1879. Assim flea respondido 4
officio de Vine. datado do mencionado dia, sob n
310.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro di
Recife ao S. Francisco.-Declaro a Vmc. para sua


direcgao que o ministry da agriculture, commercial
e obras publicas, per aviso n. 27 do 24 de de
zembro ultimo em solugeao aso recurso interposto d
superintendent dessa estrada de ferro da decisi
de menu antecessor de 10 de junho, quanto A ssa
tisfaao do impostor de aferigio eobrado pela Ca
mars Municipal de Gamelleira resolve que, nit
tend competencia os engenheiros fiseaes das es
trades de ferro pare verificar a conferencia d
pesos e balangas existontes nas estasges das res
pectivos estradas, somente As cameras municipal
cabe semelhante fisealisaglo e por isto muito bem
procedeu esta Presidencia mantendo e ordenand
a execuCio do aviso do mesimo ministerio do 20 d
margo do mesmo anne.
Ajunta classificadora do municipio de Igua
nrass.-Para poder resolver sobre a classificaO
Spor Vine. remettida corn o officio de 1 dde dzen
bro ultimo recebido a 26 d'aquelle mez, cumpt
que informed 9i nao ha uesse municipio eacrav
casados som lives, que tenham major numero (
filhos lives menores de 8 e de 21 annos, de coi
formidade corn a circular de 26 de junho, corn de
e cla-hiao da idade e numero desses filhos, e porqi
tendon cada uin dos everavos Silvano e Francisc
5A de peculio em poder de seus senhores deade
de fevereiro, figure o mesmu peculio reeolbido
collectoria em 19 de abril, sem o accreacimo
juaro.
A junta classificadora deo CaruarA.-Appr
-yoe a elassifica,9o, que Vinemc. remetteu,- por cop)
corn o officio de 27 de novembro do ano passed
paras applicaso da 6* quota do fuido de em%'c
paglo, e determino que per pats do agent fi=e
membro demsajuuttenla lngsar o arbitramen
a doe valores dos Jibertandos, observadas as diap
m i.oisa em vigor, depos do praso do art. 31 do :
i gulmue dt do e dmovmbrdo 1871 -Omom
Sieou-uSe ao jui[ muliepaL
S-Aos ka.Praew e a*mnmo damemuls
* Sonald $afaAr deBoB6... .-,Jx
IS* Yaw& coAW r"
T~ak w~~ ixeaiad-iwdn


emn o 10 de dezembro proximo pausdo, para depe-
tades-goras.
goal A da parochial d N. X da oificaa
de S. Qonealo de Una.
Ao da parochial de N. S. da Penha de Villa-
Bella. Cumpre que oi.m urgeneia Veo.,rmetta
A secretaria desta Presidencia as opiaa das atas
da eleigao proedida em 1'. dezembro do anne pas.
sado pars deputados' gerae&.
-Igual ao da proehia deoS. JosdeBel-
montf.
Igual ao da parochia de S. Caetawo di Ra-.
poa.
Igual as mesas eleiteoraes doe diatrieas-do,
Jurma, do Poqo da PaneUla dai S Jos6 do Brejo
da Madre de Deus. :
Ao president da mesa eleitoral da parochiba
de Jesus Maria e Jos de Papacaqga.---Campre
que corn urgeneia Vine. remetta A scretaria desta
Presidencia as cpias daa actas da elei00o proce-
dida era o 10 de dezembro do anne passado, para
deputados geraes.
Iguacs aos preaidentes da mesas eleitoras
das parochias de Santa Agaeda de Pesqueira e
N. S. das Montanhas de Cimbres e N. S. da Con.
ceigio de Alagoinha.
S- Igual A mesa eleitoral do 1 districto da
parochia do Nossa Scnhora da ConceicAo da Es.
cada.
Igual As do 2.0 e 3.o districts da paro-
chia do Nossa Seonhora da Conceiclo da Es-
cada.
Aos Srs. presidents e membros da mesa
eleitoral da parochia de S. Vicente.
Igual da parochia de Nossa Senhora do Ro-
sario de Cruangy.
Igual ao do 2o district de paz de Nossa Se-
nhora da Gloria de GoitA.
Igual A dai parochial de Nossa Senhora da
CounceiAo de Beberibe.
Portaria:
Camara Municipal de Game leira.-Dcclaro
a Camara Municipal de Gamelleira para sua exe-
cuqao e directo que o Ministro da Agulcultura,
Commerce e Obras Publicas, por aviso n. 27 de
24 do dezembro ultimo, em soluqao ao recurso
interposto pelo supenntendente da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco, da decisao desta
de meu anterior de 10 de junho, quanto A satisfa-
9rlo do imposto de aferigcio cobrado, resolve que
nao teudo competencia o" engenheiros fiscaes da
estrada do ferro para vcrfiecar a couferencia de
pesos e balanuas existentos nas estac5es das res-
pectivas estradas, s6minte a Camara Municipal
cable semelhante fiscalisaao e por isso muito bern
proeedeu esta Presidencia mantendo e ordenaado
a executcao do avise daquelle Mimnstero de 20 do
mar9o do inesmo anne.
Comnpanhia Brasileira a Vapores.-O0 Sr-
agente da Couapanhia Brasileira, em virtude de
telegramma do Ministerio da Agricultura, CoBn-
merclo e Obras Pablicas do 9 de corrente, Mzaude-
dar passage a r6 ate6 a Bahia na primoaira op-
portunidade, per eonta das gratuiWas a que o gd-
verno tern direito ao bacharel -Jos#6 Theodorp de
Sat Barreto, bern assim A suA familiar.
Companhia Pernambueana -0 Sr. gerente
da Companhia Pernambueaaa made dar pasaa-
gem, por conta do Ministerio da Just 9A, no vapor
que swgue amiuahai para o Presidio de Fernaudo
de Noronha, ao capital do eorpo eeclesiastico pa-
dre Leonar4o, Joeo Grego.
-Companhia Pernambucana.--S. Exe. o Sr.
president da provincial manda accusar o recebi-
mento do officio de 5 do corrente no qual V. S. de-
clarou que o vap,.r S'. Francisco seguiria a 10
para a Bahia e esealas
EXPEDIENTE DO DIA 13 DE JANEIRO DE 1885
Actos:
0 president. d:i provincia att-ndoado ao que
requerea Francisco Augusto Pacs Barreto, 2 offi-
cial do archive d;a Seeretaria da Presidencia, re-
solve, usando da autorisecAo conferida pela lei n.
1107 de 25 de junho do anao find, prorogar por
seis mezes coin ordenado na form da lei citada a
licenua ultitnatiente concedida ao peticionario para
tratar de Eua saude on Ie Ihe convier.
0 president da provincia resolve nemear o
cidadio Jos6 Francisco Avires de Carvalho para
exercer o cargo de 3. suuplente do juiz municipal
e de orphilos do terno de Leopoldina.
Ao nomeado flea mnarcado o praso de trcz mezes
para prestar juramento do estylo.-Communicou-
. se ao jaiz de direito.
Officios:


Ao general.-Sirva-se V. Exe. de mandar diante recibo. c
inspeccinar pell junta medical military ao soldado Horacio Barbato Accioli. Remettido ao Sr. Dr.
da companhia de operarios militares do Arsenal chete de policia para tomar conbecimento.
de Gnuerra Joao Candido Jos6 Pereira. Manoel Caetano Vieira da Paz.-PRemettido ao (
Ao mesmo.-Fico inteirado pelo officio de 1. director do Arsenal de Guerra para tomar conhe- 1
do corrente sob n. 22 de haver V. Exc. nomeado o cimento. c
capitio do 2 batalhio de infantaria Jos& Fran- Mesa regedora da irmandade do SS. Sa'ramen-
cisco Ribeiro para substituir ao commandants do to de S. Jose.-Remettudo ao Sr. general comman-
destacamento existent no presidio de Fernando dante das armas para attender.
de Noronha e mandado refmrmar corn mais 11 pra- Dr. Manoel Clementino de Oliveira Escorel.- -
cas o mesmo destacamento que send presentemen- Infornme o Sr. inspector da Thesouraria de Fa- (
te de 122 pragas deve ser elevado ao n. de 200 zenda.
prefixado pelo Ministerio da Guerra. Maria Amelia Prager.-Informe o Sr. inspec-
Ao Dr. chefo eo policia.-Conv6m que V. S. tor geral da Iustrueglo Publics.
corn instancia recommended as autoridades poli- Miguel Antonio de Figueiredo.-Sim, mediante
ciaes respectivas que continue a proceder corn recibo. C
actividade as diligencias legaes para descobrimen- Bacharel Manoel Coelho Bastes do Nascimento.
to dos autcres do assassinate de Jos6 Antonio da Remettido ao Sr. inspector da Thesouraria de
Silva vulgo Jos6 Pellado, do qual tratam as infer- Fazeuda para attender ao supplieanto de accord
maoes annexas ao seu officio a que respcndo n. com a portaria de hoje.
1332 de 26 de -dezembro find. Jos0 Pereira da Silva.-Informe o Sr. inspector
A Theaouraria de Fazenda.-Acompanhadas da Thesoenaria de Fazenda.
da copia da informagio n. 88 prestada pelo enge- Secretaria da Presidencia de Pernaminbu-
nheiro encarregado das obras militares em 1 do d i d 185
corrente remetto a V. S. para os devidos final notas co, 23 de janeiro de 1885.
de 7 mil pbs degaz consumido nas companhias do 0 portoiro,
Operarios Militares e a;rendizes artifices do Arse- J L. Viegas.
nal de Guerra no mez de dezembro proximo findo. --
-Communicou-se ao director do Arsenal-de Goev- C- omuando das Armas
A mesma.-Em resposta ao officio de V. S. QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS AR-
datado de hontem, sob n. 24 acerca do credit .AS DE PEENAMBUCO, 23 DE JANEIRO
Spars pagamento de ajuda de custom aos deputados DE 1885.
por essay provincia A Asembhla Geral, tenho a de-
elarar-lhe que o deputado At.tonio Manoel de Si- Ordem do dia n. 1,501
Squeira Cavalcante reside na c6rte, razio pela qual
Snao foi contemplado no referido credit. Havendo o ministerio da guerra, em
Ao juiz de direito da comarca de Caruaru.- aviso de 14, que me foi transmittido per
Recommend a Vmc. que providence no sentido presideia da provincial co
i de ser remettida A secretarina d'esta presidoncia a copia pla presideia da provincial corn
Scertidio do proceseso do r6o Manoel Alexandre de officio de 21, tudo do corrente, approvado
Souza que pretend interpor umn recurso de 'graga a nomeaglo do Sr. tenente honorario do
Sda pena de 8 annos de gales e 35 dias de primto exercito, Jos6 Francisco de Paula Ve ;ez,
Simples, inclusive a munita, a qual Ihe foi impo ta ra lugr de conservador da fortalesa
pe jury do termo de S. Bento em 7 de mawo de pam a lma as deoar ia fo
[87SF de Itamaraca ; assim o declare a guarnicao
.Outro sim, conv6m que Vine. de eonfrmidade | para os devidos effoitos.
Scorn o disposto no aviso eirolar do Minisbterioi dasj (Assignado).- Antonio Tiburcio Ferreira de
SJamtiea n. 287 de 28 de junho deo 1865, preste a Sousa, brigadeiro commandant das armnas.
eompetente infbrmaglo acerea do process do mes- Conforme. 0 tenente Joaqui Jorge de MeMo
mo ro. .. .o, ajudantoe de orders, encarregado do deta-
Ao jniz de direito doe Garanhuns -geoom- he.
Smeado a Vine. quoae provdeneie no umtiio de o _.o
ramettida s& neteriau de. p.doui acortidta t llfl
do proanm do ro ".sAi a di co- a l o& da Pi a
Ro6ak i sisft. I -eeqUo 2 ---. 64.- Socretaria da
if-us rt ene wda pqg -41* a b f0i cia .le Perauibuo, ,23& de janeiro doe
^ i1 B K .-rJlla. Fntm. Or.- Participo a V.



J1--o-d",10h o e ioa eo An-


llftd iupector gutal ci JxtaeW Pa!
bli l l-i -:i"
edleetor do Anemdl de Guaerra.-Deela-
ro a or4erkb9 Urn. quoe, dor termo do
inzpe ||uo a i kpuabm saubmettildo o
d iUeBaia opraniow militares deem
kr A hwc Feitoef6'an0t o m W 0IW
l d dde 'Iapateb o iucipiante do
palm ito ]mr ora curkvel, e que dwe baixar
a &aemwfia par swen couveniastementA
afe do prolongamento.-Tendo ouvido
o e chef. da Rseartiefo das Olbras Pu-
11 Ma do qne Vmo. expoz eram officio de 12
de noa omo ultimo, sob n. 1481, nesta data an,-
toriso rem engeo hero a eontraetar corn Jose
Anton de raj Livramento a construct t-e
m- de gaeia de esgto do 1a claf, Ua
misatnote o Vlveriro do, Mnmiz, por oade
pass estrada do ferro do Recife a Caruart cor-
refido ( peaa por coat desse prolongamento, e
de acc i coin o empreiteiro do calgamento desta
cidade
Sr. Raymundo de PFreitas Padilha 3o juis
de pOaz diatricto de TamandarA -Respondo ao
officio 25 de dezembrofindo declarando que ten-
do V prestado juramento de seu cargo nos ter-
mo do rt. 118 do regulamento expedido cornm o
deerot .'8,213 do agosto de 1881 nio precise ra-
tifical afim de ezercer as fnncoes, que lhe corn-
petir n ldade de juiz de paz do 3o anno do
quatri 0
A enganheiro chefcda Repartigco das Obras
Publi -A' vista da infornmacao n. 269 presta-
da por nre. emiI de dezembro ultimo autorisoa.
co :t1 r orm Jos6 Antonio de Aranjo Livramen
toa R c'eAo deo 20 metros de galeria deo esgo-
to do 1 celasse na camboa existente no Vivoiro do
Muniz r on nde pass a cstrada do ferro do Reci-
fe a Csa w4s, correndo a despeza per conta do pro-
longam tb daj estrada de ferno do Recife ao S
Franciao e de accord corn o contract eelebrado
corn o e~ipteiteiro do calcamento desta cidade.
Portaia :
-- A amara Municipal da Victoria.-Cumpre
que a Caara Municipal da Victoria remetta aSe-
cretaria desta Pre.3idencia a relagAo e os quadros
de qne t atam os arts. 89 e 90 da lei n. 1221 de 21
de junhjde 1875 afim de serem annexados ao offi-
cio de 31 de dezembro findo, que tern de ser ep-
portuna ente submettido a considerate da As-
sembl6a egislativa Provineial.
A eoara Municipal de Alagoa de Baixa.-
Declaro & Camra Municipal de Alagoa de Baixo
que ica* apprwaaiis as arrenmataoes dos impos-
tos eonsantes do termo asnexo ao seu officio, a
que resptedo, de:21 de outubro do anne find.
A mamara Municipal do Espirito Santo de
PNo d'Alo.-Recommendo a Camara Municipal
da eidado do Espirito Santo de PANo d'Alho- que
em tempn opportune solicit da Assembl&a Legis-
lativa Prvmncial eos seis precisos para effectuar
os tra',alOs dc qui trata em seu officio, a que resa
pondo, d2* de dezembro find e per quanto no
ornament zinicipal vigente nio tern a Camar-
credito pars obras publicas e nerom cabe a esta pre-
sidencia toecedel-e.
A (Ctmara Municipal de Gamolleira.-R!s-
pondo ao fficio de 7 do corrente met recommen-
danio A itamara Muuieipail de Gamelleira que de-
fira jura,!ento ao vereador bacharel AntOnio Ve-
nancio CavidJcante de Albuquerque segundorecom-
menlouow4 preidencis em 8 de abril do anno
psasdir. "
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
An provedor da Santa Casa de Misericordia
do Recife.--De ordem do Exmin. Sr. president da
provincia em rensposta ao officio n. 140 de 12 de
dezembr.) ultimo envio a V. Exc. 200 pass da
Compantia de Ferro Carril e 200 do ida e volta
da estradeo. de ferro de Caxang-A pars uso do servi-
9o externo dos estabelecimentos A cargo dessa San
ta Caza, fornecidos pela dita companhia ou' cor-
rente anno.
Ao coinniandante do presidio de Fernando de
Neronha.-S. Exe. o Sr. president da provincia
permittio ir a esse presidio Maria Francisca de
Jesus.
Ao Dr. chefe de polieia.-S. Exe. o Sr. pre
sidente da provincia, fica inteirado do assumpto
dos officios ns. 17 e 21, de 10 e 12 do corrente
e manda devolver a V. S. conform solicitor o te
legrammna que acompanhou o primeiro dos citados
officios.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 22 DE
JANEIRO DE 1885.
Franeise, Izidoro Ribeiro Camara. Sim, me-


Desu guar'- a V. Exc.- Illm e Exr"
ir. Dr. Sancho ae 1karros Pimentel, muito
digno president da provincia.-0 chefe
-do plicia, Manoel Ventura de Barro. Leite
Samdaio.

Conulade Provincial
DESPACHOS DO DIA 22 DE JANEIRO ED 1885
Anna Pereira da Silva, Felix Cypriano da Silya
Teixeira.-Informe a la sAeegao.
Firmino Gomes Leal & :., Maaoel Maria Go-
mes da Silva Cnnha, Santos Silva & C., Santos
Sobnrnho & C., Jose Antonio da Motta Guimnares
Antonio Francisoo da Costa Snccessores, Antonio
Joaqttim Coria doe Snatos, Antonio Francisco
dos Santos, Francisco Oglessas Lopes, Avires &
Primo, Alfredo & Ferreira, Couto & Mattos, Ma-
noel Vicente dos Santos Taveiros, Vieira & Silva
Manoel de Araujo Guimnarles, Siglismundo Lopes
da Silva, Antonio Jos&6 de Mell)o Silva, e Antonio
da Silva Ramos.-Sim.
Jos96 Pereira de Carvalho & C., Martins Viegas
& C. e Gaspar da Cunha & C.-Indeferido cm
vista das informagces.
Bacharel Manwel Ferreira da Silva.-Deferido
corn relatao ao 10 somestre.
Joao Jacintho Guedes de Lacerda, Heurique Ber
nardes de Oliveira, Jos6 Machado da Costa, Jcs6
Lourenco da Silva, Guimarles & Permam, Au-
gusto Kruss Successores, Ferreira da Costa ,& Ir-
mnaos, Irmandade da Ordem Terceira de S. Fran-
cis), Irmandade do Senhor Bomrn Jesus das Pertas
Manoel Fernandes Velloso, Cordolina Muniz Fal-
cao de Souza, Joaquim Xavier Baptista, Manoel
da Motta Bastes, Joaquim Moreira Reis, Alfredo
R. Teixeira dos Santos e Machado & C.-Informe
a la secgIo.
Domingos Jose Antune Guimaries, Justiniano
Francisco Pereira da Silva, Almeida Duarte & C.,
Santos Silva & C., Joao Bezerra & C., Jacintho
Pacheco Ponfes, Joao Gonalves de Oliveira, Mu-
niz & C. e Pedro Antunes & C.-A -la secclo para
os derides fins.
Antonio da Cunha Ferreira Baltar.-Junte co-
nhecimento de dccima relativa ao ultimo semes-
tre.
Pereira Carneiro & C.-Informe a 2 sececo.
Rita Cavalcante da Silveira Lins.-Informe A
ta seceao.
CApitaio Luiz Pereira de Faria.-A 1' seccao
para attender.
Antonio Fernandes Lima.-Deferido de accord
corn as informagcos.
Ferreira Cascao & Filhos.-Deferido de accord
corn as informaVues.

Camara Municipal
DESPACHOS DO DIA 21 E 22 DO CORRENTE
Pelo Sr. Viegas, commissario de policia:
Adolpho Angusto do Azevedo Seve, pe-
dindo que seja-lho permittido pagar sem
multa o imposto do sonu estabelecimnento do
taverna sito A rua da Ponto Velha n. 27,
visto nlo tel-o feito em tempo competent,
per falta de rocursos -Nilo temrn lugar o
quo requer.
Antonio Augusto Lemos & C., pedindo
bapXa. d impostor. de seu carro .%b n. 190,
visto achar-se o mesmo inutilisad6. Come
requeremi, depois de satisfeito o impostor do
corrente cxereicio.
Aggeu Barrato de Mello Rego, para
inandar concortar o encanamento d'agua
do predio n. 34 A rua dos Guararapes. -
Sim, pago o imposto.
Club Recreio Campestre, roproeentado
pelo socio Manoel Joaqtimn Carneiro Mon-
teiro, pedindo liccnga parater urn theatri-
nho, do accord corn os j 73 e 92 do art.
ucico da lei vigente, om terreno particular
de Manoel Ferreira da Cruz sito A rua da
Casa Forte, freguezia do Pogo da Panella
-Sim, nas condii-s ds j 73 e 92 do
art. unico cap. 2", com.n tiuu bern diz a pc-


iio0. II Ai LiALIlIU& .
Domingos Martins Gomes, para canali- .
ar gaz par a seu estabelecimento site A rua Cogresso da Iastruejao
Lo Motocolomb6 n. 67, freguezia do Afoga- DO
Los.-Sim page o imposto. RIO DE JANEIRO
Francisco Alves de Mello Tico, pedindo 8a QUESTIO
1ue sejam feitos os devidos langamentos Creaeao de unra faculdade de sciem-
1n sentido de ter comprado a Jos6 Nunes cia" rellglosas. Sua organisaiae
la Silva, a carroga matriculada no cor- e piano de estudos.
rented exercicio sob o n. 189- -Sim. Parecer do Dr. Joio Capistrano Bandeira de
Jose Antonio da Costa, idem, no sentido Mello
ie ter comprado a Joe da Silveira Muniz, E' irrecusavel a necessidade de crear no Brazil
o hotel site oA rua de Thome de Souza eD. e on mais faculdades de sciencias religiosas ou
3.-Sim, page o respective imposto. thcologicas. Ella cstaria ha muito tempo satisfei-
James Fasten idem, no sentido de ter ta, si o govemno do paiz nao tivesse desviado a suan
comprado a Manoel Joronymo Vieira a atteneao paras outros assumptos, alguns talvez me-
o acollecteda noe corrente oxorciie nos urgentes, corn preteriiao do melhoramento in-
arroa colctada no corrente exercicio tellectual da important clasae sacerdotal e quigA
sob o n. 179. Come requer. do de todos aquelles que recoahecem nos estudos
Jos6 Ignacio do Vallo, idem, no sentido theologicos as verdadeiras bases da moral, da ju-
d te compado a Jacob Castellar, a n risprudencia e da political, e de quio proveitosos
de ter comprado a acob Castear, a s so elles para o homem de Estado, pars o magis-
earroga sob n. 676.-Idem. trade e pars o jurisconsulto.
Jesuino Alves Fernandes, idem, no sen- Recresce, por6m, essa necessidade, si por ventu-
tide de ter transferido da casa n. 48 A rua ra realizar se, come centre n6s se pretend, a crea-
do Marquez do Olinda para a do n. 52 A gclo de.uma universidade. Nesta. e especialmeate
edo Brn Jes, o sr eabee em um paia catholico, a theologia, a rainha das
rua do Bom Josus, o seu estabelecimento sciencias, tern de direito o seu lugar assignalado.
de fazendas dispensando be supplicante de A faculdade theologica em urma universidade cons-
qualqder contribuilo quie possa ever' a titue uma das parties desse grande edificieo e o
cas par& ondo transfer dito estabeleci- que mais concorre para mauter o lago de unilo e
r -Sim. Pagoo dim to do i- a intima solidariedade que dove exiatir em trdas
mento.--Sim. page o imposto do exerci- as sciencias ou faculdades. Corn effeito, a id6a de
cio corrente da casa para ond e vi estabe- universidade (tal como a comprehendemos), isto e,
lecer-se urna synthesedis sciencias e o seu desenvolvimen-
Manoel Fernandes de Abreu, replicando to sobre um plano unico e uniform, presuppS
pede qao o dispense do pagiaiente de be- uma base commum que sirva do fundamento a to-
ped qu o dispense do pagaosent d be- s conhecimnentos e os ligue entro si, de mode
bidas espirituosas, pagando somente o 0im- a formarem urn feixe harmonic.
posto da barrdca que pretend -armar em Ora, no edificio universitario (referimo-nos a
Santo Amaro das Salis. 0 supplicante um paiz catholico e creada regularmente a univer-
nbter bidas aespiritosas na bar- sidade) a faculdade de theologia 6 a que, firman-
no pode ter b~ddas espirituosas na bar- do todas as sciencias na sua base e protegendo-asi
raca que pretend armar, sobre o quo. 0 na sua legitima liberdade, prende-as ao cimo do
fiscal terA today a atteulo no cumprimento grandiose monument scientific. Ella 6 o comn-
do presents despacho. plemento, o remate do edificio, tal como observa-
PdpreMao Lobato Carneroda mos na construcao de um temple. Este form
Padre Manoel Lobat o Carneiro da Cu- um todo complete e suns parties, as mais diversaa,
nha para collocar ume taboleta corn disti- se reunem em um conjuncto harmonious. Esta uni-
co na varanda do predio onde tern collegio dade por6m nilo seria perfeita, si todas as linhas
do edificio nao viessem convergir par& um s6 e
site A runa do Visconde de Camaragibe n. dn e e e neri n s
mesmo ponto, qne 6 o sanctuario, e n,) qual tudo
20. Sim. pagoo imposto. termina-se, desde o limiar at6 A cupola do monu-
Passe oX C., pedindo para collocar urna mentor, atravez das arcadaa e das columnnas da
vitrina em urma das portas de seu estabele- nave.
cimento n. 77 a rua da Imperatriz. Sim, Tal 6, no nosso entender, a imagemn da univer-
sidade catholica. tReconduair on refurir a Deus
em termos, todas as sciencias co.uo outros tantos raions ema-
Tude de Mendonga, para armar urma bar- nados da eterna verdade, eis o meu thea,--certo
raca volante em Santo Amaro das Salinas. cemo 6 que nenhuma dells. 6 estranha A gloria de
SSir, pa gs os reaspectivos impostos, dDeuns e so brem da humaniJade; finm eate a que to-
sendo a petiggo aprosentada ao fical. dast im, porigem n. o 6, ne poderia e mera-
Eat. fin, porgn, ado 6, nernpdns e oa
Pdo Rod. padre Mello, commisario4 d mente terrstre, uina yes que. o o U nsoseama-
l .di e:- ba neste baizomunido e temn honsoue mwn wav-
ewjwwjow. i?,.-..- too e perpectivas mai8 elevadaq..,KiT~~
Antonio Pantaoleo do Monte Ferraz, to3. pe..s.tivu ma d e d .* M
w~bm eM dUp do =W409qau ww. p
psara, ce*ua rotuli, tera e diverao oat d pie deIa, ew qu asBt
oteea, .4 piaordsnocinnd Ds tedn$mupuraetsinouks;
.p@oSOmd (i* CAs"temre Ui. 4 a Balie- piano a sw& maw w iZwra


s-in
'..


::,;%


Verde.--Pagos os direitos, concede-se B6-
mente o quo pede o supplieante.
Candida4Cypriana Seraphina, para man-
dar concertar as casas do ns. 12, 14 e 18
a rua da Paz, freguezia de Afogados, subs-
tituindo aa grades das portia e janellas, e
fazendo cozinha na de n. 14, muros divi-
sorios nos quintaes, e pequenos reparos in-
ternos. Pagos os impostos e de conformi-
dade corn (parecer doengonbeiro, conce-
de-se. depbis de satisfeitos o que preceitua
6 dispositivo do art. 76 da lei 1,t29 de 26
de jlho de 1873:>
Francisco Jose Vianna, par substituir
uma terga da coberta do sua mei'agua sita
a travessa do Principe. Pagos os impos-
tos, concede-se, dando previa sciencia a@
fiscal.
Francisco Ignacio de Oliveira, replican-
do pondera quo os oculos que pretend
abrir e nos oitoes de sua casa de n. 82 A,
sits a rua da Soledade, que sao feitas de
accord cem as postures e parecer do en-
genheiro e que sao para clarear e arejar
os quartos da casa. -Nao havendo lei que
autor se a factura de oculos, indefirido'
Isabel dos Santos Nunes de Oliveira,
para correr o telhado de seu predio n. 9
a rua da Madre de Deus, subatituindo te-
lhas. Limitando-se ao que pede, e daudo
previa sciencia ao fiscal, concede se.
Commendador Jose Joto de Amorim,
inventariante do expolio do commendador
Manoel da Silva Santos, replicando, decla-
ra que consiste em reparar o ladrinho da
casa e suas dependencias, alguns caxilhos
e portas internal e externas, tomar gotei-
ros e pequenos rebocos, os concertos ge-
raes de que trata a sua anterior petigeo,
corn referencia a casa n. 17 A. a rua de
Bemfica. Pagos os impostos respectivos,
concede-se.
SJoao Joaqaim da CostA Leite, replican-
do, pondera que nAo havendo demoli9o e
sini concerto na coberta, e o interior de
sua casa n. 22 ao Caes do Rames, e que
nao alteram a edificagAo senior na parte
que vai pl01-a nas condi9oes das postures,
pede quo seja cobrado o competente im-
posto, come exige a Coutadoria, descrimi-
naneo o engenheiro a la area. 0 Sr. en-
genheiro marque, a area que na f6rma da
lei deva ser contada, mantendo no mais
o meu priweiro despacho de 16 do cor-
rente.
Joaquirn Carvalho de Azevedo, pedindo
licenga para tomar pequenos rebocos nas
frentes de suas casas ns. 50 a 52 a rua
Felippe CainarAo. -Dando previa sciencia
ao fiscal, concede-se.
Luiz Caminha de Amorim, para mandar
tomar goteiras na casa terrea no 8 ao
pateo do Carmo.-Sendo s6 para retelhar,
concede-se, dando sciencia ao fiscal, antes
de principiar a obra.
Veneravel Ordem Terceira de S. Fran-
cisco para tomar goteiras na coborta da
casa n. 52 a rua do Born Jesus. Idem.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 23 de janciro de 188).
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da Silva.

.- =. ...i T | s


*


ftfc.-














..... -m`


o 3Sas- o," l S.. em "anM "ntmdo iaS e as-r


MaU4aa, qa on& chnota inhas a am qua as MauodIM
Se o ro que so ss o do am




yhd-.sheoangae, qoa estas n: MNlIi. nao .ed ,-d oano thogi a loeesa aol llr, a esm ^^,l"eto.
sadd doe d o q u
Isgc E14oaa


ie.to em pe.ex .)




dadee.no ^ de oron ^ ^ ^i ?o^ cas,^
usuael enidade e barme no s.n.. qo d.
odrous su?^^a^ so t
Sutccederia o que v emos nas univorsiaades pro. dotn chrst pe...t. a_ moidd .le.ig.a;,et a,,4. ann, thon 4'a selo-1' cadeh: ira.Couiauab- d
t e nas quo suo simplesmente civis, mere? sua ac sobre o clero, paorem, 6 ab__lut,-neo b ih to"a-' u-"h xaor*a p Il
istituees doEstado, onde, ou ato existem facul- nulla. de mister dider tda, .as faculdads u do e ,s a oiasia D0. |






d'.do tpelogcas, ouetas, nio teIudo sido cano thooi ul aetresa 0ce, uopealmet CiiRSO DEi D[E[T CANONICOu o aii MI
_--mnte n stt.ouid o as, e abndonad a e se u sa nos d estanos da i ,o a adoaisa e s do xo ,' --_I o.a ad..ia. rBO paa Di-
u e d ot -so .asonoi do a ni- tanrno dso usa- o "u e o, ipaoooa s, a sa AMmMo2aoa -I a e aduo.- eat ad n
AStiem, d .. co d .ddd. .o .e.o.e torno. ober do m io theologuedia moral; 2 dra. Idea das iade+ u
A sas diavestdade notfs auonters- s.t da spmrqtxse de mdeo d "a t "paB"a ti

,minr rala pao,, de upelsmi aprlo se esla- a r d epis o qale a6&- eQm~nM ges? o.a pa. 8' a- i- -T atoua toe
di.e.. aa a o.s, ra.o..o .. prodr n da t a. e emes deo oeus pa de hae nao om ulqsansa. mwea do
o d sr mma m equets rel n edessfiar d a ce. deo
,,tahln piidausle (1)sAode"stsacsqN -.- 4'.-a odi 4a---d- m-4,


sdidjavelmioisdrnosubin noete u nd E pTnciadda grejsobie a instduaeao sigios, pre-tia sacerao. d oa








prS.iwo oo emvqorao bsto^ sus lw eos irpeaseiu cit^ sqeu o eeed ~ro tnqer a eao ni. Jlgo-sdiprenaadtmwo. eu~m eapa flane noo
S -ees iasoso s emsios n esadopem odoe taculdades theol geas precede a stit ai- d cades una desses caUmes. Elle rais ot .mt.
esaa-aseases f o qSaine asainmasmeam, sendo, po dm nirca. ...o deao...... aEftheoh ado nia ioues do que toelblia
.u.. .. p .s.a ,vedadeiros. sepulchr. bran- Na bouua qo a conceder e-ad intr do oatra ei at,-o poisese a,-
nvotcitdsadooTe, o Tl xStem faeul ulas V misoeter daoregien* das faculdades de eo- cade speial ewet bbe c &a t og cxeas, onie.a..s par- ig s pc s oeo is ilea naoi t t riso dcomp h i ..... orofomgs en e uamnio o soi
si qoamente tustiuidsiveras de oads asmaea- pmars- sinos pa es pis oordoh ac son dle tiordson ise-auto ua peoiov. .D
rs sat .espini t d sem doero no pdieediroe, qu a dos funa dos necessa- Os queeoneeprne aci4atae 1de e mim .Lema .o o









harmonics, qdus os a igrj ensabid sempnro usn ru os A manutons das facaldadesi regulaonstinr osn Osaerido exageratta pleno oiaica do aesuadado da-
++s ~ t+ u o .. L _ae c^ e= L e .
damt, ds orgauina o des sciences do on-pe mpalermts imptortates .reat-vos bA otos.aAo A. theolois dTogal2aa, ds- --ral" d md insiad a fa






^ e~~~e^To^gwnoo s- f gave deotoide ds~a nepotrtooi ns- de ci vdiuaaao-
Asis. a siiplna desseo estabeleeente, taes como as scanmea e dog tox.em.icoodoes as par t1

vaiosetpomas adbnesa attelao areimples autz k amscde eiselo ou director e fcudadeparW gavds cadsn- ut.s d erno mtpemas daRt amota ua al-pi
toars outodop...rams a. IeoB d todur s afsseso cam mse oudpianodos enstdtos, amra d tisaeo eeteasae ae qis akideer o ad
atu ae d osaecbsrhsoa de s du e d sao dovroe e piosprs a eloseso cmmre o o u ad de od ci
flias e e pausoed1rns rciojs tda, u.e Or. ap h ,a pevtas qu eos ; ah salume-ontarmos sacerdotes illustados e ato par as be
ai ii posao n pard aeuao p e-r d lo, rcies e as oepoos c eia stinteoLsu o exe.v. .o q- --,te- to-- .- e o.as.t, ds p -e .a4...dt d^is p .l-
yes torn idod demonstrada a .nees-am-adeda cre-nciaodorI m oneida ern uio ti pare- dceom p"uddoo a a,





PvStdooze nom Saaigmr no em ueeealment BU Ora, c omo w tilpii el Ra direcaol, oxre araio L.< Sttspunso-z &enwm isttia jesa fim e, pma eo
s oe faculdades thesologieas. Foi geralmente raus.theol ..cas p e de ai rita de gueo quao" fiei s Eda as.pn n v,
eaheida as as tagemidoeeas a niel qdoOs-De de quonia 6M poetOemdv qjue a Nadiscusaiaumo poretupra t do.daso
Smnbrasxpoloae-catranko firmand b a cnv-ca" b tod&s essesa Poutnc saena te prdcendo aotorda 3pen quoera p Uese os, oespevS ma er n
toadrim a exesidas pars; aquens q petea tra oe steroensi- .a.... un ewo dae0ld0t on aevaw o d.
d qLsia rto an mirnentaL quoantAo .sur- ou conveno centre o pvroano ime rial e a ana sen veiso ma io cesidade e vatgens tid
e e er -P do es .. ^ce-iaticos tro^u em S, -oderA. ser fixados .de mado a atteibuar ao Entretanto, adiantamo-nos diendo quo eo af-
resultado a tmesauriaao eunifeida so governo, d Estado, como padroeiro, ert'os eos deesga-erea oedm ao em ca d. rdendoe eaos. o a it
a lcoi a ourasa p era 1eo log. 81d 1,do s o- lpels d ...... al.........pra o nemn m ssa o rgim de -_a s culesads ae dei o u a t depeial o deto p ub i .g ecoPeiada
teabrno deorg 1no pas despdoieri asqeuontd- ooitas. nAaprtes revos A podena e uma dcouapaea)oopo. s u doa pousatd org itti
oinse "o o deosrea do e ifauldades or ass dm, serA mediante ease aeordo os con- de ths.eolginaao eadoa ematheosa deoet.aonai, o
tigalei, casendoud as atae enmiaio mpsa- pelgo idseonsair, qoarneaa do deoa nns'adi- ea nos e retam msimin dos "i"Act-
ovpaos dtprs professors os racuLd oades s consttuaurn umos s m eerdaoes o Earmsao s aestd s ouado d 1o
t.redtaeo o.nacelgoseAo. o x^-:gu.aidea "dim-eato dixto eoncrmpendo ambos eo pde resg ulleiraido direito iad de apple qual gero jaoen
fnvr e'Ila npoendemuoa projues a unies- anu o...s p.o.as na de) e os alum armos oaem q latradose os aa b&
a&s me votados, on, e os dizem algun rs, dos par o act, o eccaesmstico c que porn a proposta em da Bairal e r e em vista d a exstet entrao
n bnevolencia do governor a tas instituires, Ilist a traplice, felts peooc bispo dat diocese em que ella e a Sants ia .dta e
o etoqu~ d..co....dos qus tint a....... Ifor fundada a faculdade, e o poder civil corn al Becife, 24 do arar do t883--Jodo Capi~uranol eu
e-tepi d'ae" li oe nead nhum passo oae no cons- aprsentao ou sdesigna9doo, a exempmlo quo s Tes nre o .logia e
ernsddade paoras eeFqi, e deatiea no rovimento dos ben ficos ecelesia s- PROPOSTA di
p neoi ponto seja-nos lieo apreseo, nivero- iODs. Ar "eti "s dir ..a. Seeddo a rem..nisa eeusdade a e
tda ..e quo.ee.mceo roedento o geo Nomgr i autor da de esprial mingernca nes- do seienciln rehgia dadryadi e edeaeouu ro a- ,
eowaso qseoctraon do al egns anosd a sasi nomeaoes, mportaria deseonhecer endos seus curso thenlogit.coe caused iroeto cea
detoe q rte tearn etle s deavellado em dissenioar e inpreser Aonptivis dre tovers ne occaoar graves con- st... e go eanmso imde.va Sntag t
desenvelver o ensin. pars todas as classes _lacses, fiiotos e funomstissimos reaultados .... .. .. cesseamia i _xst tuilAo cnoo a,,.qua,, do-v'rA tpie-
jA rorgadsa~ndo as faculdaies do direito, do me- Cuumpre no esqueeer quo a igreja peos seaus] oder accord o ioantmo-n izw obo"egeuaosf
dieina e a-s-es-colas-po-lytochnica o naval, jA sub-/pasoresi os bispos, torn a direciqio oisec- ...p....s. Id
venciomando us core o em algumas provincial do do easiuno religioso, oue quer quo este seja ado,/ 1.0) Nomeac^o do daea on director itacaida-/ j
.ios para yce.s dlos arts o da ofcio, etc hla em estabolecirnentos publicos ou particulares, do e dos professors polo govorno sob prop ota emo
negliaciado a siaestrucd o superior do q u e, dee m eceles asticos ou edVi list eap ie fita polte+po dobes.spo. p
xaaido o jazer no abatirnento em quo geralmede- o estOr, come imprirnir eessadimetooemree a 2.') Susensa. ead& um d.se fmdcIona-
emvors, on a reorner, cume alguns des seus morn-d Hspecon.onas factadades gmeonogicas onad aeoseon-| raos poo go]verano, qude Ooulic*as poelo bipo 9iej
bros o tern feiSM, a aculdades etrangeiras parsa cias reigi.sas, desae quo .so pretender quo a auo dioesa deapmos do oo mtprocam s.o- n-i a
dqeutmrem em greo mas elevado os coahecimen- |ridae ecclesiastical 'eja nteramene extrano a a 3.c-n ) Eseia don elros e comnpios altuadeid co
los..: porisdosa- estado., nomnea~mto d'aquelles quo t~m do ministror o ensi-[ A congrega9Ao da fiacaldade roe approvaglo doI
T laisemto n tauto mais lamontavel, quant 6 sa- no ? .Como si.duua roe plofessores adtoid ee bipdeae diose.ayze ....... .... .
ido quo somonte urn clero ilustado e vituoso/dos bispos, austi ddos gsuds vigilatmes do Coases _gredobacar _dou tdor o
pode desempenhar sua missAo civihisadora au so-doutnmin e unicosncomptentes nas sass iocesees um cades urndoduresito.. pocdnipreea emo o
eiedadoe, vindo a ser, na phrase do evageiho ,a pars dan ern misdlo afia do nella sor enstam doBasdldetr Iamdfista dotepes swibro prs o pe
.n.oa o e o .so.dd ..terra. thileologias ? formulados pola eongnsgAdodseuemuqael a n fad., a n t
No relato io doe negocios do impcriu apreseuta- Si tal pretenao p rovaloeesse, born c odermi deiu ,R dRserta,4eow sobre unM dos podtoC organic .
do em 1877 d assembly a genal legislative, o ,llns- acoatcer q ue ur professor interdiaem pel s igree.j iad o d leMpotsP rongre_-..
t "ado ministry do ent o acompanhava o setimen- per causa do suas mas ndo'smnas, fosse mantued 5.0) Lesign APo dos empregos e Ac .io,, j
to gera quando assiar se expniaia: ,,Conparoa-| polo Estado us sun cadeira, no direito do ensi- pars cujo exereiei sejanm necessaries o_ guasi.l doe fu
a. gae afueciaodsc_ pessos quo s-ov dedicamnar i E d ahi quantos conflicts suargiriam / badharel on doctor em theologia on em diaoito ca-
nos diversos mistress sociaes corn a limitada con-| Reservando o Estado pars si exusivamente as uonco. .eid
eurnencia das quo e se desiiam vida clerical,e nomeatio do deo (ropreseetante immedgiato de 6.n ) Piano do cad urnm doe cursAs em qntaro -
..s.so evideno des..eqarsio quo ..latfc ai no-. ambos os podenes as iaculdade) e dos professo- aunos on em quatro se I e co as soeguintes
-e seidaddopaopoaca aiestads meios de aai-. res, sorts possivel que per negla gnema, erro soescedoraeatre ellengdns 941k; ds: e a





s~dd de^ S propo ...... a uX
a.9Ao?, do q...e necssta pars coaduvar vantajosa- mA vontade fosemrn olloados A froute dan facul- a) Theologia dogmatics; p
--nte as "co bee,ch--.admoessov socal,. bornsb-. dadsee ns c seiras do enasino hemens 'eme f on b) ThooLogia moral; d
vendoido: rove...itoo. Tenbeoma ems pra dei qno do d6 suspeitosa. E euteo o que asontecea 1? c) Emeriptada sagada oe hietoria eleutia a
o.cu.o a. heologico, queo.fiz parte de uma univer- Os bmpos estarbain nt o s6 no direito, mas tarn- comprehendendo a archeoogia sago.rad
gd..en guarmosnto lo su ida ro, de .haam do-pto bernr no strict dover do reclamar contra 055a5 d) Eloquencia sagrada e hermoneutaca sacra, ,
e o so, emosernog emq g d especie de abati- noreaoes, e, quando nao fossem attendidoe no e) Lnetitutpese canonicas,
emosonare cmqorerasmo acha Sentd-so dosurn me- do piohibir, dehaixo de sevoras penas, aos profes- f) Texto canonicop4
ado nq.iet.do,. asfficuldade e d encontrar opo- soresgons, qaem otu Brequen atrem some- i) Doieio pubidco e proexa e o. .
rad :rio e p rs..os ,als cargo. da" s herhaecle-^ Ihantes curses 7A o Estatutos e regulamoato complemen t., am do
ladtics. a Ainda mais, querendo eles proper de remedio o faculdade, organisades pule goveroa, ouvtio o d
tdaha nt ai .. ss.v. do qu.o.. ese techo ? maml de urn mdod geral, poderism ordenar que nni- bispo diocesano.
Emit verdade, como fserm complelar e aprotunda o guer professa.ss .alguad rnao .dass.ilnes.)e sld- d'e--"
ud semfauldds tpheologhacs o ensino recebido nos grads. e ecclesiaseteia sem prnva d licen se do e an- uo a quuSTdno o s
--,-p-dem os-sacedotes habilita.-s pse- toridade eclesiastia e outro sim quo ninguem .. ......
No..esaltos ados, da .g.e.d" mpehode e .e...e ohSiealumno do ,profeseoessqu, m ao tiv-essem essa Eomnpeteinta tom pomeres prowm.- 96
trade alstocrgos daeigrenaomprenenaer. .emexrper causa de suas mis doutr nas, fosse mantido 5.0) edos...- .mosara crease-kabieUj


devidamente o munus sacerdotal e ser detensores i,;, .. .. .f A. .. ALf
Strenuosdaf6catholica? fora confessar, os bispos obraiam a esphe- a ea no sue or
E' quasi impossivel conseguil-o ncs seminaries ra dsus attibim se excederem s lmites Parecer do Dr. Tarquiniecer s o B. du poposta, pre-anto.
diocesanos, onde curando-se antes deotudo de for- da mats rigorosa prudeacia. Pars dan parecer sore a qraetc proposta, pro-
mar o coracAo e desenvolver a educaao dos jo- Mas ahi teriamos os conflietes, a que alludimos, cisamos recordar algae ionapmc maipois consitueo-
vens levitas na' pratica dos actos de piedade e de e corn elles o desasocego, a desconfianga e a per. es,qu co ella elacionam mais omnos
realigiAo a teneri. anni. adpietatm et religion. turbasao dos espiritos, e como resultado final o iati nte.e
g P "" da A C o tztu xtP ohtticA dQ B r ad l, erm M atria de
%M informetur n, contentam-se em dar-lhes as no- abaadono ou esterilidade das tau lldadde e. AConstitui polic a .. e atoi a
-1 or5tes das ,uci oruenf s om- ,_ Orainsiatim e.am diz.lo, o mia d eo o s- liberdade d e ensiauno, rao 6 t explcia quntao a
"y qtw oa" t ae prepa- 'i l~~ll~Uigil~g&kIVll& i vias Util
nar para os altos estudos eccmesiasticssos m ales t amaer depe dent essas nome,- da Beg. a .. i ua n- at 17a p roclm q o eaia I-
~ os meesa~sticnees. 9t 1 art. 17 wis quo'"- a eas''-'i.....
Nao preeisamos encarecer mais a necessidade e dO..d.doe.poderes,.es- ventiva sendo a repressao dos de di'toa rea-d
vantagens de um,a&a mals faeuldades theologicas, se ao mesmo tempo oregtra para s caso em quo ventiva e sedo a repress dosd
ou sejam fundadas, ura no sul e outra no norte for exigida a suspenso oa deatituiao dos profes- s6 .te em virtde da .lei.
do i-pei, ofaa algua dellapartod.ores.porem a csa;ns note ep-
ad-ivperiQ ade-usart,..doqaa e Maoje Acc esce que 6 muito mais conform ao espi- cita quant a datBelgieca, estabelece todavia. prin- I
da emonveatramosidade n complrte, nto ou c raeton ito christio qudve .imar a legls m cipios, dos quakes liberdade do ensino result e.
dt es e ompleeto pai catholico, croaeencionar stexto smo de no corollanio legitimo e necessario.
.tempo po de realisar esse grande desidera- suas prescripcoes os direitos d. igrena, do que dar Assindpo a nowso legiador constitute no
gum, satsfazendo-se deste mode a just aspirao azo "a conflicts collocal a a neceseidade do 4oi do art.s 7
de urma important classes social e cessando de ser fultinar suas peas espirituaes .porque ao Tod .os podem coe. .iar s seaus pea. m-e
lettra-o.rta a citada, lei deo10 de setemkt'o de 1854 dizel-o ? Si of ehristos, individunalmente cosi- .os p.a palavras, eberiptos. e publical-os pola u--
.. pat relativea. .cr.. d,1 o -dasafacul-ades derados, acbam-se no dever do recouhecer nos pr-e sew a mdependoecta de censur, eomitanto queo9
theologians. pastones da igeja o di.eitod eo adminiotra a dt- hajam de responder pelos abuses quo commetterem
11o gi o eino religioso, porque o Estado ao ha d no exercise deste direito1 nos cases o pela forma
A crea"io e organisalo de faculdades theolo- em suas leis prestar o mesmo reconhecimento e quo a ale determinar. ,
gicas depend, poT sua natureza intrinsaeea, do can- proeeder sempre em virtue disto? Ora, dar-aoe cidadiros brasileiros, ou an stes re-
aurso da autoridade supreai eclesiastica. Seado Em resumo : a cremcAio e organisanio de feui- cohecer-lhes o direito de communicanr os seus pen-
eerto queo a ig.reja tern o direito absoluto e exclu- dades de theGlogia, para serem efficazes, prestando samentos per palavras ou eseniptos, import o
iivo de ensinar as scieucias religiosas, porque so dplo servibo A igreja e ao Fstad e afin de me- mesmo que reomnbecer-lhes odireito d em einar,de
alla recebeu. de seu Divine Fundador miss'o cope recerem os seus graus o reconbecimento e valor abrir oseolas, de fundar estabelecimeatos, em que
cial pars este. fim ( pro Christo leatione fAni- da igreja universal, dependem esmencialmente da o ensino seja piropagado, visro ceomo eiasinar ngo 6
mur, tanqlam Deoe cxhortae per nd& 6 forcoso nnwtituiwo canonica, qo dove sr impetrada da senAo commumicar nuta oeosa a outrem que a ig-
admittir que.sonment e A autonidodc ecclesiastica Santa 6, precedendo o accordo ou envena, a noa transit a verdade on oquose suppe so
cabe regular o ensino e suas condi5es, velando qe nos temos referido, sobre os pontos mais i sa- a vendad a quem nao st d posse del.
parmaquoa.s&iA doutnima do so corrompa, nem pro- portantos relatives A organizaq~o a regimen diaci- Reconhecendo nos, poea, o direito de commmai-
a f odo d .plsrtdans faeldadies. Na orpaoet ente bulls scar nossos pensamentos piala linguagem fallada out
atduza traetosa de OUperdicao. orosne o- plimr d acordo entre o ompetente. iberia e a escripta, o legislator constituinte reconheceu-nos
AXiustitna ocanonica 6, por conseguitte, ne- tenures do aciordo entire o governor. imperial se a
eeswaria pars a.existencia de faculdades thieodogi. Santa S6, se' regulado tudo o qua respeita A no iasplicitamente o direito do ensinar; e sobeja r:t-
eesari paa.a eistnca d fauldde tholoi.^nts^8a^zaoteve o illustre Thonisftw, commentando a art.(
saa u de sciencias religiosas nos terms do pro- meaAo do primeiro dignitario do corpo professo- o tve da ilniustre Thonisse, commperntando o art.legis-
granuas. ral, A constituiiA o de professores, ao piano de es- 17 da Codernos que b l pramam a ier: O legis-da
Dispensada on pretenrida a inustituigAo canouiea, tudos, ctagio do grais, a necessidades des*eim lprdonsa, res modervando ao Estadolaa a ibedade daxclu-
as faculdades theologieas terio o caracter de pu- pars certos empregs .eceleeiasticos. iprensa, reservand ota s o a dire o exn-
ramente civis, dependents exclusivamente do po- As faculdades theologicas terlo pois uma cons- siva do ensino, recuam, taves serno saber, dioute
der civil e sem liga*uio alguma corn a autoridade tituicao mixta, pela qual ficarao salvaguardados da applicaAo sincera cveradeira do p-iucipio
eeiluoiastic os direitos da igreja e os do Estado, no caractei constitutional da liberdade das opinitis.a.
Nasedo por esta consderadais instituieZs da d,, padroeiro e em compensaao da dotaqAo que taz Nesta incoherenucia, poi naio inleoirreu c leis-
Nio sed po est cosdea kdo c iti~aiania.Rap~'rAmae~il onsi tui uinte d.') Brdasi, -041ua1, firmiUjoa
igrja universal a inrtitutiones in ecclesia univer- As faculdades para sua eon. raa mantenga. ldor constituinte do Bras, qual, firma17o o
ua eoo u h es graos grade principio coatido no 4' do art. 179 da
i uada merecerAo aos seu olhoa, e os graos Conubtitui-ao, em uenhuma outra de suas disposi
scientios que onfrirem nehum valor ter Conforme jA dissemos, na ball a que nos temos reserveou ao Estado a direcVdo exclusiva do
para a igreja, desde que nalo forem em noome referido dveri ser descpto, sempre de aecordo ensino.
daquella autoridade, unica conpetente patia jul I
gar dodoutrmaa e da sciencia dosequoe aspire -L orn o padrociro, o plano de estudos das faculda E' que o fatal regimen do mouopolio, em mate-
gr ou titulos d habitacAo em matnias eli ues theologicas, eonviudo que este seja disposto ria de onsino, nio podia se r eonsagrado em nma
giopas. em ordem a dar a maior somma possivel de habi- Constituiqeo que, desfraldaudo a todos os ventos a
e. outro pocedinto deveos esporarilitagoes aos candidates sos grAtos theologieos. So- bandeira da liberdade industrial, proclamou no
Neo. qotre proved ento devemos esperar di mos de arecer que as faculdodes de theologia ou 6 24 do citado art. 179 : ,, Nnhum genero de tra-
igrqT, que assim v coneuleada a sua jurisdiCio de scioncias religioasa, come as denoatina o pro Ualho, de cultural, industrial ou commercio p6de
aqueo mimoda, comprehendendo, como 6 sabido, gramma do Congresso, sejam divididas em dous ser prohibido, urna vez que se ne o opponha ao:s
nao s6 todaa as sciencias theologicas e ecclesias- cursos-curso theologico e curso de direito canoni- costumes publicos, ; seguranca e saude doe cidai-
tiae, corn0 ptea que so da reliio, come ta co-, send ad ni um delles feito em quatro anno. os.
bera todoe os Aldos de transmissao dcssas scien ,-,u distribuido em quatro seeies e podeudo confc Verdade 6 que a Constitiiao, nio confiandu
ciaa taes como a predict, o livro, o ensino, qu-r mir cs gros de bacharel e de doutor em theologia bastante na industrial privada e desejando promo-
estel seja dado no temple, quer na unversidade, ou em canones. ver, quanto possivel, a propagaqio do ensino, as
se pratcola em gepratl, ar-se a instrucgars em qu A vantage da divisao em dous cursos corres- segurou no 1 32 do ja referido art. 179, que a in-
Spratpnca e pode praticar-se a instrco r de, no sso entender, a naturesa e especiali- struugio primaria swiask ataiUa par todes os ci-
glos, dad@ das maerias que acompoem o quadro dam dadios,.,e no 33 do mesmo artigo garantio colle-
$6e1 a inastituiiACo eaaoica as facnldades se aciencias em uma faculdade de theologia e atten- gios e universidades, onde serlam ensinados os
renMtirao do memo vico de origem do que se de quant possivel A predilecoo dos alumnos pelo elementoe das setencias, beoas lttras e artes.
icham lnquiwaa as- fsaldadez leigas, actual- dstudo de certes ramos sobre outros, que poer sua Mas, si logidlador wnastitunte sWMuegm & a
monte xiaententem Franga, as. qnusu, segundo o vez alo ae iadispeasaveis para o exereicio da gratuidado da inatrwaio pxitria, si galaotio a&
texaamuainodo mbbsdeA ldrlv(eourna/4io. A&droit carreira ou do emprego, a que pretoadem vo- funiadalo de estabelecimeuto de i taucago aqo-
ow ).iendo meiamente civis, tern sido a mti e c daria e superior, de mesmo mode quo, no I do
p* "; p p" p- CI r aeQuanto a distribuiao 4a" mattria d cads cit- eitado art-. 149, ItN' *os socorros pualicoM Una
matS" scas i so em quatro mmos on formando quatro %ec9es. devemos inferr" ttribado a.
'auomos a quae tern sido adoptada gembeM e Eetado o direito eodlasio .ouiusin, de abi g,.
V o."am 3| cw eoo a e fueda oto" s n i.,
p^ 'Iabb6 G. satptigas hmuldades.
aAo BW ver, qslqner ontra distribuieao ins- Umr tal. lla o mntrark fqrimahmnt a iu e-
..portwmia awificar obri6io do s diplomas adquiri- 9o do legialador eo titailte to .s-higo m-


des IN eit6, em 01 VInD, i-
am-se, sob a denominago de eseaola-u Facul-
los de Medicina, as Academias ledico-Cirurgi-
4L existuea..,uaW a de Ja*iro eo_ sfaibie*
lm e=t"i-b o-l lm.go do iaseucue sei nOd-
Staes eomo oa curso s annexeos As Faculdadee de
reito e omgr JaWeg L! -okPed=ro c~aam,
a euoaea p'eieiarnuo se desenvo teu logo
mesma proporgi da do ensino do Estad; of a
Uab" pnv&ad no poss. inads urn as estatbe.
imento de casino superior, nio p6de isseo servir
prom eautre o principio de tiberdade consagra.
pala Cbtioui mas s 6mento nar domons-
u qu. a i- iatva individual, tibia vacifinte
tMe nd4 precise sec despertada e aeorogeda pe-
poderes publics, que alims sa hoje s6 teem
gtdo de eoacentrar e absorver todas as enur-
Ls do vida national.
Depos da Constituil > promalgou-sc o acto
dicional (lei de 12 de agosto de 1834), o quial
a aerarm oas grades prinmcipios constitudooies,
que deriva a liberdade do ensino, e corn o in-
to s6mente de alargar pela deseentralisaao a
phetra do ensiub publico, no I 2o do art. 10 con
d as assembles premvincies a attribaigio de
aisosbre a instrareio e estabeleeimentos pro-
ios a promovel-a, nao eomprehendeado as facul-
de_ de medicimna, os curses juridieos, academias
tualmente existeutes e outros quaesquer esta-
lecimentns de instrueg-lo, que para o futuro
reinm creados por lei geral.
A sabia e providente disposigio do 2o do
t 10 do actor additional parece destinada a im-
dir, que se levantem entire n6s as queixas que
tern levantado em Franca, por causa da con-
ntraio do ensino superior, e das quakes nos dA
ticia o illustre E. Laboulaye, no seu livro in-
nlado-O partido liberal, sen programnma e sea
haro
SQueiram se em Franga, diz o eminente pu-
[icista, que a provincial estA mortar e nao ha vida
bellectual seeoe em Pariz. Observam alguans
m razio que o contrario acontece na Allem ubha,
de se eneontram em cidades de dez md almas,
mo Heidelberg, recursos que faltam em Lealo e
a Bord6os. Segundo penso, a principal causa
esta inereia 6 o monopolio e a ma organisa*ao do
casino superior: disseminar ao acaso algumas fa-
idades de sciencias e lettras corn seis ou oito
rofessores seam estudantes, 6 langar. ao vento o
nheiro do pablico. Imitai a Allemanha, fundai
aiversidades, ou melhor ainda, permitti que as
-ovinias asfandem, e tereis centros litterarios e
quella vida intense, cuja falta lamentases.
Antes de Labotlaye, os autores do nosse acto
Idicional ja tinham comprehendido a imperiosa
seessidade de alargar a esphera intellectual das
versas provineias do Imperio, e per isso a attri-
iAgao conferida As assembl&as provmciaes no
2 do art. 10, concebida em terms geraes, corn-
rehende, nem p6de deixar de comprehendcr, a
atrueo em qaquaquer dos seus grios, a inastruc-
lo primaria, a secandaria, a superior e atW mesmc
proissional, que o6 talvez a de que mais pre-
sam as nossas provincial.
A' attribuiqao que tern as assembl6aa provin
iaes de legislar sobre a instrucqAe publiea e es
abeleimentos proprios a promovel-a, nio encon
-amos outra limaitaio, al6m das que est-lo ex
ressamente coatidas no citado I 2o do art. 10 d<
eto adicional, isto 6, as asse'abl6as provinciaei
S nao podem legislar:
1. Sobre. as faculdades de medicitna, os curso:
indices e aeademias existentes ao tempo em qua
>i promulgado o acto additional.
2.* Sobre quaesquer outros estabelecimentos dc
astrueao, que depois do mesmo acto addiciona
iremn creados por lei geral.
Estas duas restriccbes feitas A attribuiolo da
ssembl6as provineiaes, em material de instruc$A
ubliea, s9o por si s6s bastantes para conveneec
.e que em tudo mais tern as mesmas assemblas:
impla faculdade, sendo, como 6, bem couhecido(
Lphorismo de Bacon: Exceptio firmat vim legi
n casibus non exceptis.
Si, pois, as. assembl6as provinciaes tern compe
aencia nao s6 para legislar sobre a instrucio pu
Mica em qualquer dos seus grAos, mas ainda so
bre estabelecimentos proprios a promovel-ai, 6 ma
nifesto que essa eompeteneia inclue tambem a d
Tear os mesmas ostabelbcimentos.
E nao vemos, con effeito, que todos os dias
lera a menor eontostagse, as assemblies proving
biaes cream nao s6 escolas de ensino primary
nas tambem estabelecimentoe corn as denomina
Ie Lyceus, Atheneus e Gymnasios, nos quaes a
Listribue o enasino secundsrio ?
E' certo que ate o presente nao temoe visto a
tssembldas provinciaes erearam estabelecimentc
Ie ensino superior, nos quaes se estudem as scene
eias e as lettras, o direito e a medicine; ma
asta faltis devida talve ao. mBa. estado fiamp
aanceiro de nossas provincias, see mnigoados re
aursos de que ellas dispeem, nao prova de utawe
tlguma que ihes falte competeneia pars croerem
ta 9 eaitteleneootas.
O Buo aso de ua diaoito nao prova a earenci
u perds delle, maxims quando ease direito 6 oni
ginario de uma lei eonstitueioual, cujas disposi
ysea sio mauifestamente imopreseriptiveis.
D'oude vent pois a razie de duvidar da cone


apetencia doe poderes previneiaes para crear esta
beleeimentos de ensino superior ?
Poerque razi, ha de essa eompetencia figure
entire as qaestaes propostas A 2' seegio do Con
gresso de Instrmuo9il) Publica?
Tao clara e evident nos pareee a oompetenci
dos poderes provineiaes pars rear estabelee
mentos de ensino superior, que noo atinariami
eom a razio de davidar da meama competence
si o illustre Visconde de Uruguay, de saudosa mi
moria, nio nol-a deizxasse entrever nos seus-E
tudos praticoe sobre a administration das prove:
cias do Brasil.
0 illustrado publicists brasileiro no 172
sua interessantissima obra, examinando a quest
de saber si podem as assembl6as provinciaes n
seuw lyceas e estabelecimentos de instrucqbo co
ceder o grio de bacharel em lettras, refere qu
tendo a assemblea provincial do CearA decreta,
qoe os estudantes que fizessem exams publicos
fossem approvados nas aulas do Lyceu Provi
cial, receberiam o grko de bacharel em lettras
seriam preferidos, em igualdade de circnmnstai
cias, para os empregos provinciaes, o president
d'aquella provincial aegou asancao a esse project
de lei por entender que as disposioes delle e
cediam as attribnigbes das assembl6as provi
ciaes,
Refere ainda o douto publicist que, senaio o
vida a Seetao do Imperio do Conseliho do Estac
sobre os motives qoe tivera o president do Cea
pars negar a sADnccao aquelle prejecto, approval
o procelimeuato d: president, cm vista idas razZ
expostas emr consult de 6 de novembro de 184
eom a doutrina do qual se conformaxam nao s6
a assembl6a geral do mnesmo Conselho, em co
sulta de 4 de janeiro de 1844, mas tambin
resoluto imperial de 26 do mesmo mez c ann
em virtude da qual foi expedido ao president o
CearA o aviso de 15 de fevereiro de 1844.
Nao nos foi possivel encontral na collecclo (
lois o alludido aviso de 15 de fevereiro de 184
-: por isso, para sabormos porque foi approvade
aeto do president do CearA, negando sancao o
decreto da assemblea d'aquella provincial, reco
remos As razses de decidir adoptadas pela Secc
do Imperio Jo Conselho de Estado, taes como m
sao transmittidas pelo ilLustre autor dos Estud
pmraticos sobre a adminigtrawou das provincial
razoes gue devem ser identlcas As do arise q
nao conhocemos.
SPorque, dis a eensulta de 6 do aevembro
1843, gs4o do bacharel em lettram 'cant6am
#tuLo que confer, amo tituladweerta considerac
nA oommum a tld U Q% membo d sociedad
Ome note-se, que as assembleaB pronuinMes, coi
WO eatsjam gW emjB4aalape i QL1 &V daJ I
"a ISde .. is. 4 para lesla soabre in
tUGegL4pu mnU n unAx d.a d rtigo a dame.
jamdraofdars-.pmw ndoer qiaaaqur tit
Shonras ou dutinee, e roonheor-eb.ha q
a do Cera, coaeedendo o titnalo de bacharel v


pr mos: -
SPodem os estabslo enPtoeo-4mau p s a-,
creados pelos podereo provinciase, conceder graos
acadomdeic?
As ao9S o affirmatira desta question nos parece
t eviduiate, quanto 6 certa e inquestionavel a at-
tribuito das assembl6as provincimes para crear
I~A --- Pon,-~,,


ts
pa




ma
la



de
re



P!
U
VI
T4
to

gi
cc
A
N


Corn efteito, o direito, de easnar, de fuudar es-
tabeleeimentos do instrucgio, esta tao intimamea- t
te liado ao de confeoir aO gros academicos, que
quasi nao se podo compreleuder um sem outro, s
aem o.primneiro seria util tsem o segundo ; e pois, -
"o podemos admittir que os autores do Acto Ad-
dicional, dando As Assembllas Provinciaes a attri- gi
buigo de legislar sobre instrueai) public e esta- h)
belecimentos propriose a promovel-a, nao dessem i
tambem a takes etatbelecimentos o direito de con-q
ferir grais sos que frequentasem suas aulas e d
fossem approvados uas materias do respective en- i,
inO. t
Urma cousa supple a outra; e o legislator que
desse o direito de ensinar, sem dar igualmente o
direito de aquilatar e attestar o grio do ensino re-
eebido nao faria mris que dar corn a direita o
que devia retirar corn a esquerda, faria urma obra 4
vA, illusoria e nulla.
0 que vem a ser os grAos academics ?4
Os graeos, dizia um estimavel publicist francez,
slo uma verificaglo dos estudos. Cads eastabele-
cimento, escoll, faculdade ou universidade, cons-
tasta os estudos de seas alumnus, e por conseguin- 0
te confer os gras, que deven ser urma attests- [
io dos mesmos conhecimentos. Isto 6 elementary .
0e o se presta a argucias. A collagio dos graiosle
6 paois um direito proprio de cads estabelecimen- di
to...
Aceitando esta no io, folgamos de ver que est! a
ella inteiramente de accordo com o que escreveu P
o Visconde de Uruguay na obra e lugar citados :V
a Urn diploma de bacharel em lettras, dizia o
illustre publicist brazileiro, apenas urma certi-
dai mais selemne que faz certo que o iadividuo de m
quo resa estudou takes e takes materials. ) |l
Mas, opinou a Seceao do Imperio do Conselho de
Estado na consults de 6 de Novembro de 1843, o
grao 6 um titalo que confere aos titulados certa
consideragio nio commum a todos os membros da 9
soeiedade, c pelo art. 102 11 da Constituicio s6 P
ao, powder executive compete conceder titulos.
Ssatimos dizer que urma tal argument ao no r
faz honra sos illustres conselheiros de Estado, que
sutbsereveram a consultsa de 6 de novembro de
1843, e serve apenas para demonstrar que aindaS
os melhores espiritos, fanatisados pelo poder, salo
capazes de saerificar lhe as liberdades publicas,
os mais sagrados direitos e os mais caros interes- d
see dos cidadlos.
Como pois, porque ao poder executive compete
a attribui*o de conceder titulos, hours, ordens
|mihitares e distineco9es, segue se d'ahi qle naon
poesam conceder graios de doutor ou de bacharel
os eastabeleeimeatos de instrccio superior, crea-
dos pelas Assemblas Provinciaes, ou aquelles quo
deo future o forem pela simples industrial privada ?
A i h! pelo amor de Dens, deoxem livre o temple
augusto da sciencia ; que escape elle, ao menos, A
aecgao constaatemeate invasora dos que exercem o
poier executive!
Concede este poder, na quantidade que quizer,
os titules-de no breza, taa As duzias e sos cents
SbarSes e visondes, codes e marquees; andem A
i roda as condecoragea, os oflficialatos e as corn-
mendas, as dignatarias e as gra-cruzes; mas. que
i ao menos, os titulos de bacharel e as insignias de
a doctor sejam concedidos s6mente por aquelles que
tem a sagrada misso de ensinar, sejam profesto-
a res lives ou officiaes, porque s6 elles podem aqui-
1 latar o merecimento de seus alumnos, s6 elles po-
dem julgar do esforvo e do trabalho, do estudo e
8 do aproveitamento dos que frequentam suas aulas,
D porque, em summa, s6 os mestres, s6 os professo-
r ices podom graduar a sciencia dos discipulos.
L A opiniAo di Seci.o do Imperio do Conselho de
0 Estado, exarada na consults de 6 de Novembro de
1843, nao pecca somente por exagerar de mode
descommunal a attribuiegao que ao powder executive
confere o art. 102 11 da Constitniuico, pecca
ainda por transgredir a regra de interpreta*o,
contida na L. 24 D. de kgtb., a qual diz : a In-
civile eat, nisi tota lege perspecta, una aliqua parti-
e cua judicare vd reapondere. a
E' certo, e ninguem ousari contestar, ser urma
e das prineipaes attribui6oes do poder executive-
conceder titulos, hoarse, orders militares e distinc-
', 96es-, mas a quem e porque ? A estas interroga-
oes responded sabiamente o legislader conviituin-
e te : a quem houver prestado servicgam ao Estado e
em recompensa de taes services.
s 0 art. 102 11 da 2onstituicAo diz corn effeito
s -conceder titulos, honras, orders e distincoes em
reomipensa dos services feitos ao Estado....E
Sporsahl se v6 clarameate que o legislador coefti-
tIints, dade seroelhante attnibaugl aso pod.r exe-
cutie, nia cogitou absolutarmeote dos grios out
a tiaulos. academic.
a E Be mo vejamos.
Um estudoate de dineito ou de medicine, pode
a ter notavel talent, pade diatingair-se pela sas ap-
plicateo e estude. p6de tcr percorrido todo o eata-
dio academico, pode ter feib exeolleates exames.,
p~de. tor-so habilitado, emtl, a prestar rele sautes
servigos ao Estado, mas lajo prestou ainda ne-
nhum: e, pois, udo tern diueito algum aos titulos,
honras, orders e distitccuZes a que se refore o art.
,r 102 11 dia Cosetuiuo, embora menreca os gros
,- acadenaicos, isto 6, aquelles titules que sa podem
ser conferidos peloa sacedotes da sciencia e que
a sib, na phrase de umt escriptor, o signal sacramen-
i- tal do saber.


3S Ao envez :
a Um general p6de ter voltado victorioso da cam-
Spanha, onde praticou eminentes actos de bravura ;
s- um president de provincial p6de ter prestado as-
-. signalados services a, circumrcripglo administrati-
ve que Ihe foi confiada; um chefe de reparticao,
ie um empregado public qualquer, pode ter-se dis-
o tinguido admiravelmonte no exercicio de suas func-
Do coes ; qualiquer desses funecionarios p6de ter feito
jus a um titulo de bariao ou de viseonde, a ser cQn-
decorado con' a commend de Christo ou corn a
e, dignitaria da Rosa, mas cern certeza nenhum mi-
e nistro do imperio, por menos sensato que seja, se
e lembrarA de conceder-lhe o titulo, o grAo de ba-
eharel oun de doutor em sciencias ou em lettras,
a- em direito ou de mediciaa.
te Parece pois ficar fora de duvida que a disposi-
te gio do art. 102 11 da eonstituiao nao se refe -
Kx- rndo sos titulos ou grAos aeademaicos, uada obsta
n- a que sejam elles conferid. ,s pilos estabelecimen-
toe de ensino superior, creados pelos poderes pro-
a- vinciaes; tasto mais quanto a collagAo de tars
lo grAos urma consequencia neeessaria do principio
ra da liberdade doensino, prineipio que, senalo expli-
ra cita, ao menos implieitamente eeta consagrado na
es Constituicao do Imperio.
3, E' sabido entretanto quo no Brasil, ao envez do
a que se dA uos Estados-Uuidos, os grios academi-
a cos abrem a port de certas profissoes liberaes e
a diao aecesso a alguns empregos publicos, que s6
o. podem ser exercids per aquelles a quem takes
Jo grAos sao conferidos.
Sendo assim, podem perguntar : os graduados
Ie pelos estabelecimentos de ensino superior, creados
4; pelos p.lderes provinciaes, gosraio das mesmais re
o galias, que t6m os graduados pelas faculdades do
1o estado actualraente existentes ?
r- Poderio elles exercer livremente a medicine e
lo advocacia, ou serem nomeados pars os cargos da
as magistratura e outros para os quaes a lei exige
os grAos academics ?
W, Por mais que desejemos, nto nos 6 possivel res.
ie ponder affirmativameate os quesitos que.acabamos
de formula; pois que a legislacao que temos, fa-
le aendo depended dos graos o access de certas
m funoes publics e o exereicio do algumas profis-
o a5o. liberaes, s6 ogitou dos graos conferidos pe-
i; las faculdades do Estado, e nao dos que podem sel
a- o pelos estabelecimentoe de eastino superior, erea-
lei dos ple podekwo provineimao on pl&a industria
LA. p6#66. -
ei o Poar oui lad, 6 eerto que, no eetando -admit-
a- tids enteeaos a plfio americana, quoa e-onagm
e o a prheipio da Hbedadka das proj s em today d a
Im plenitude, nao se p6de reeusar ao estado o direito


profile liberal VaWeOeMO 40 ertoM tCrgoin
De acordo corn at doutrma parece estr o il-
stre Viscoada de -Uruguay %Md*, 1a obra e la-
ir citados, dix qu oa titsMoa griu6 conteridos
elos estabeleeimentos ptwiae de instrac"o
Spodem a habilitar para ose empregos provinciaes,
IMU a& ara Tj l~dO si 0o v
_ top, wb n m kq semelliante
e ibeloeimentos
de S em condi-
.T. tajoo~w~m u a dos que ti-
009o 0s -_grw daf i;Mldades do es-
lA Am suItM4 ri *balmIa4 daquelles es-
toos, A fii uma vida ra-
ISH, ilip.M i co 4%dnMiQlovimento e o
Cavem portantoretnediar, e quanto antes, tio
rave inconvenient, tornando efficaz, ou antes
.mpletando por uma lei ordinaria a sabia e pre-
ideate disposigo do art. 10 2o da lei de 12 de
gosto de 1834, sem o que a inquestionavel com-
etencia dos poderes provinciaes para crear esta-
Weeimentoo de ensino superior nao produsira Os
randes e benefieol reaultados, previstos pelos au-
ores de actor uddicioail.
Chegando a este ponto, nao duvidamos confes-
ar todas as noosas sympathias pelo grande prin-
ipio da liberdade do ensino em qualquer dos seus
ros ; e para que tao grandioso priacipio seja ap-
licado cm toda sua pureza, sem as cavillaces e
ypocrisias das cdebres leis Ferry, no conheee-
xo nada melhor, nero mais eonsentaaeo a proper
ue a adop*o do system seguido pela lei belga
e 20 de maio de 1876, em tudo quanto f6r compa-
ivel cow os nossos costumes e prativel em terri-
erio tao extenso como o uosso.
0 system da lei bclga, em seus traos geraes,
insiste:
1.0 Na determinaao das materials que devem
er estudadas nos diversos cursos, e sobre as quses
lever recahir os examnes publicos.
2.0 No estabelecimento do modo como os grAos
seademicos devem ser couteridos.
3.0 Na instituigio de ama commiass nomeada
pelo governor e ineumbida de examiner e confirmar
*s diplomas, expedidos pelas corporagoes compe-
entes e em virtude de exames feitos sobre as ma-
erias do ensino e nas condiq5es prescriptas pela
4.o Finalmente, em regular os efleitos leg~es
los graos academics em relaIo as profissOes, que
aLo podem ser exercidas por quem nao esta na
aposse dos mesmos grAos.
As disposi95es da lei belga, a que nos referimos,
omprehendem nao s6 as universidades do estado,
mas tambem as livres ; ficaudo todas portanto no
mais perfeito p6 de igualdade, e de modo a reali-
sar -se corn a maxima sinceridade o principio da
iberdade do ensino, tao altamente proclamado pe-
Io art. 17 da constituicao d'aquelle paiz
Adoptemos pois o regimen que actualmente vi-
gora na Belgiea em material de ensino superior;
promova o nosso governor a decretaylo de uma lei
no sentido indi,.ado ; e podemos ter Iundada espe-
ranga de qce nao s6 os poderes provinciaes, usan-
do de sua competencia, crearlo estabelecimentos
de ensino superior, mas ainda que, a par delles,
se tundarao outros, originarios da industrial priva-
da ; e deste modo se estabelecerA o saudavel regi-
men da concurrencia, tao neeessario para levantar
as taculdades officiaes, fazendo-as sahir do estado
de marasmo e abatimento em que visivelmente se
acham.
Sema isso, sem urma boa lei que regule o ensino
superior e realise seria e sinceramente o principio
da libei dade do ensino, as sciencias e as lettras
nao medrarao em nosao pa;z, como n.o ten me-
drado em parte alguma.
A este respeito estamos inteiramente de accor-
do corn o que dizia no parlamento belga o illustre
Mr. Smolders :
A sciencia vive da liberdade e s6 por meio
della p6de efficazmente desenvolver-se ; a liber-
dade foi a causa da grandeza das universidades
da idade m6dia, e e o segredo da prosperidade das
uni ersidtdes allemas.



ILIISTA MARIA

Colonisacao e emilraqao Da se-
cretaria da Presidencia foi-nos remettido hontem
para publicar o aviso infra acompanhado de urea
carta do consul geral do Brasil em Teneriffe, e
bases do contrato, que possam ser aceitas pelos
agricultores desta provincia para acquisicao de
colonos e immigrates das ilhas Canarias para o
Brasil:
Ministerio dos Negocios da Agricultura, Com-
merceo e Obras Publicas.-Directoria da Agricul-
tura.--3a secao.-N. 1.-Rio de Janeiro, 5 de ja-
neiro de 1885.-HIm. e Exm. Sr.-Transmitto a V.
Exe. copia da carta e do coutracto juntos que me
foram remettidos pelo nosso consul geral em Te-
neriffe afia de que dando a devida publicidade
procure veo lavradores e industriaes residents


n'essa provincia, que querem contratar colonos d'a-
quella procedcncia mediante as coudiqies propos-
tas no mesmo contralto, que podem ser modifica-
das, achando-se alWm d'isso disposto o governor a
auxiliar a vinda d'esses colonos, dando-lhes pas-
sagens como o tern feito pars outros destines.
Sendo o service de bolonisacao e emigragco de
grande alcance para essa provincia, muito confie
em que V. Exc. se esforcarA para conseguir abi
estabelecel-o.
c Deus guard a V. Exc.-Antonio Carneiro da
Rocha.-Sr. president da provincia de Pernam-
buco. )
( Consulado do imperio do Brasil.-Teneriffe,
23 de outubro de 1884.-Him. e Exmi. Sr. miuistro
da agriculture e obras publicas.-Recebi a atten-
ciosa carta que V. Exc. dirigio-uame em 10 de se-
tembro proximo passado e corn a possivel brevi-
dade dou a V. Exe. as seguintes muformacoes, que
dignon-se pedir-me relativamente ao service da
emigra=o para a provincia da Bahia. As con-
dis5es exigidas pelos emigrantes paras occuparem-
se dos trabalhos da agriculture sao as que se se-
guem :
S Os recursos de que elles necessitam e que de
vein ser concedidos por esse ministerio sao: 13 pe-
sos fortes para as despezas indispensaveis, takes
comno: aos encarregados do pagamento de fretes a
ossa capital, direitos de alfandega, habilitaAo dos
papeia, pagamento as pessoas que tratam de des-
pachos e outras despezas miudezas.
a 0 numero que podera vir sera de 150 A 200
emin cada mez, termo medio : prestando-se a serem
dirigidos os emigrantes para a Bahia. Incluso
remetto a V. Exc. urn exemplar de contract aqui
existente, afim de que sirva de norma e possa me-
recer as modificacoes que V. Exe. julgar mais van-
tajosas. Alem das despezas ahi indicadas, appa-
recem as passagens para os referidos emigrantes,
as quaes ser-lhes- hao dadas gratis pela forma que
V. Exe. ordenar Pars levar ao cabo todas as ex-
pedicoes de emigrantes, torna-se urgente que V.
Exc. ordene se me remettam, sobre Londres, sa-
ques, no valor de 4 a 5,000 pesos fortes, para poder
fazer face as duas primeiras turmas e aproveitar
assim a boa 6poca e convenccr aqui a gente que
estA corn porporg5es para encaminhar-se a piovin-
cia da Bahia, sempre que me apresentar come seu
conductor. Esperando as immediatas ordens dc
V. Exc. queira aceitar os protests de minha alia
estima e consideraco.
D. V. Exc. attento, venerador e criado.-
A.gelo Crosa, consul.-Confere.-Franciso Per-
digdo.-EstA conformne.-J. H. Calazans Rodri-
gues.
Agencia de colonisacao para o imperio do Bra-
sil nal provincia das Canarias.
Original Contraeto n.
Ses ahaixo assignados ................ de
.... annos de idade, estado.......... profissao
.............. natural de.............. .....
lir.Jvincia das Canarias, na qualidade de colono
contractado e como contractantes da companhia
de colonisaiao agricola estabelecida na cidade do
Rio de Janeiro, capital do imperio do Brasil corn
emprez-i colonisalora autorisada e protegida pelo
gove'no imperial e ropresentada n'esta por seus
unicos agents os Srs. Hardisson Hermanos, de-
claramos que nos obrigamos a cumprir fielmente
as condiqces do present contract, que serA con-
siderado como por escriptura public e i-q.a
por tabcllilo public e para devida execua, I!:-
galisada no consulado do Brasil n'esta cidade.
a Condico i.a-Eu- colono contractado me obni-
go ao seguinte :-
1 A prestar os servings de minha profisslo
nas provineiass do Rio de Janeiro, S.?Panlo, Minas
Geraes e Espirito-Santo, per espaco de 5 annoas a
o9aor do dia em que ehegar a localidade para
mim destinada, a qual. ficara na exelusiva delibe-
raao dos contraitantes Srs. Agostinho Pires &


IS-' ~ in--, --


__ __ _" 7--- __ u II


.L


i. ,? -J ,





















-..-*


'...9t
.'" .?1
ri.*-.,
.


Oepm 4ado de Prernaambaco-Ao beor- mentor das propriedades tonicas do brandy, teve a I B
do do paquete MaW os devem seguir hoje s*ura o engenhosa ia de deitar uma gotta de dito h-
sul os Srs. Drs. Maoel do Nascimeteo MaAdo quide na boeso de cada um dos poixes. ri
Portella e Bento Ceciliano dos Saatos Btmos. Oeffeito tei magic e immediate. Todos hs
Nove faeadas-Ante hontem tarde, dous peixes apodradas de repentino vigor, renuncia-
ceriados de uma asa da rua da Gloria, nas ,paroehia ram a sua primitiva posigo, deisaram de bocojar la
da Boa-Vista, aum de noane Joilo Eleuterio deAr- e omegamt a passeoar pelta agua.
ruda, outro de nome Justino Augusto Jos6 de Sou A mesma experiencia repetida grande numero rc
za, tiveram urea dispute e me amea~ramdreeipro- de vezes, produzio identicos resultados.
camentoe, sendo provocade o pimio.Postoriormente s tern observado querea got- ab
S done da cast despedio este; mas, A noite, ellae ta doe aguardente obracorn grande energia sbre
voltou pedindo agazaiho, per a e ter onde dormirn, a vitalidade dos pexoes tirades de seu element Sa
o, gantiad qu ud stava aado, foi-l natural, oe facilita de um modo extraodiario o
c cedidao a paosa q daa l transported delales.
e rverisdetinoaea ro. S t rDeste mode, os apaixonados da posea flavial po-
0perverso tinha entretanto intenq/3esreserva deoleaprsuscasa tusea ngisv
das, poise quo hoatem pela manhi, achando A ds dona elolvr pamsuateessas as trata~s aas ougnias vi
a eosinha o seau eopanheiroe uastino, deu-lhe vivas e moveondo-se, di ur osenriptor e nrosa.
om I anguesaga baremetrica-- A me- iii
pela costas neoaovesfacadas, deixando-o quasi emor- e es popular, baseada em ultiplioeAs h-
to; e logo tratou deo evadir-se. o ar isapopore acora a alalad e i
Foi pserwM ,a n p u de sr agrrado servaoe, erceom frequeneia partieularida- n
Desconfla-se que foi pan a S. Vicnteu, de onde des dignas de atteonao ome a dos melhores ba-
natural. rometros. r
Tire ao atlvoe-Amanhi, A tarde tera' gar aUsanguesaga poer exeomplo, p6de substituin a
em Olinda, nopate do Can, e p amadr, cuja gymnastics 6 batante co nheida. v,
emOerici do atiro do areeo.o Seo dia tern de ser born, a sauguoa perman-
evaforeideeamradoS tire aho erelaa-so.V
rmSdetm lt4ora-Devem reuair-se hoje, nece immol Et no fund do fiasco, ondeseo eMa.rsca si



iSr.Dd oisBrrtD.SuaPno Dr. fom A d iuetp~ra[ de ternsc e ccoaeque eleva-sxe-
oe Meo dia, os aceionistas da Ceompanhia Indem- emafaro-a .do s por ta aado aoe oovel 4
nisadora para diseusspo e approval do eros qu-anteos dura a ohuva. Eg camdate vente proxi-m
estatantos, me agita-se sew essar, e no de tempestade sahe o




astatmutres su Are quatatranaa chum. eit se do veph e -otglp
Revista da c Artt Cor n em e titnao 0co- d agua e, ad..-rida ao vidro oexpriap enta, seganlo-
manou puhliccar-s-e sat& cidade uea folba heb- paree, rma inquietafio que sempr e se manitta ad
domadaria do propaganda instructiva, da qual 6 por meio d wovirmentos eounvalsivos. I
proprietario o Sr. tenente Francisco de Paula Ma- 0 apparelho ne o pode sero rmais simples o nem. tal
frail o. at rmaeio economic. I
At6m do artigdas e presot ie, a fix-mado pol Ceaffterearcia de eerila. Eesmpanha 2
propriettrio, traz o primeiro numero t rabalhos dos -u s Iltrahimo do Wabo de Madrid:
irs. Drs. Tobias Barretoe, Dr. Souza Pinto, Dr. As inquietad es ale consciencia qua deve exse-
Cor-te Real, Dr. Aflonso Oliudeuse e Alfredo Fal- nmeatar o pv casuo por ter eonccarjdo a cone oren- 40
Cae. cit do Berlin onde foram sacrified os cs intoers-
E'esacusado dizer,ap6 cesa eaameraqvo, quo 4esde Portugal, di o Estandarte remedies eomo ri
esti. a folha muito beow snripta e prommettekit eete paragraph,:
continuar sel-o. ,1 Outra cousa seria sea Hoapanha s Portugal pa
O0im da revistas6e derr imar a a itrucso pelas furn'esdom awa g0 e a m p)tenSia qtte po-
classes artisticas, procurando format-lhes o 50ato deasse figraran, e fiarunria n'Wste ciaos, somo do qu
e lievantr-ahes e spirito; missile nobre e -credora primeira edorne e toes as assusptos intorna-
de appltause. ciaes. De maneitwa qu o resultado asis ou
Quo viva largos tdins a prosper, 0e15a nosso a'- ienos pr.judicial dao cnferencia vein a ser em
mejo. e -4 ultimo eazo iu.s4as pr'Mjpalaente a Portugal, no
atrixdeS. os---Awnhais 4 1/2 que ha dons secaolos szatenta uat indepandencia
hora-s da tarJ.e, L.ri trasld lado da igreja de Nos- no til s e sta de seus proper itresses de sa
an Scuuihra4TsyO o ~r(.pars&4ainattiz do b. Jos6 0o puoltcs# Por
Sau tissi 0, vqto t'ado levantado a o Ldeotidx b dO be a o[.
interdioto 4Rli~noa, u4iaovopeles acontoei- m Iome jun6ee om9moms o -d'aqaeilopresosr,
-*ep~gu 4~ 1'jle mezo~pbro Anti. Apdpa tra t quo yendot a aipr a an .wpas Poz,-w.a i so
Sir-The -t m tisos sobn ,e iaeoavonionbe do
to ist .m w -'p-

-r" 00r, MOs.-. :.-
No 4 hoho(k tsi-..n

aa s, reads a bahdeira do u
.F,.
.. : -. ,


-5, 4M | .*a hPo slo on- 1w sin 01 An aW
Mada6NrriMa 'owraver. A e 1wa* tn o. 'Intpmsms'^d &UlSt 4
2 t Apagar 4alaria as peaojss das fauilias para ap diverass aeegB.. -
*'do' smuts aDtti*4#B sonyuguupo a.t as Pfreea en 'uneaeW su^fb.-Anth-
houmr, ueguuato Os sarirgos quoe cala am prbslar, hossm noite fpnpew 10 fumute- astE das
nao sondo ,eae la.ma ifedopra 12J0)0 mensaes Nova da Varse.a- eLeL arndui a preMena s es-I
(moeda brasileina), emoaPtuumdke os menores de 12 peettw smbdIlegafo 4d pou"is, e ardo Asauit
annos, qae recabelai, o que for equivalent as Jos Barboaa de Lima, 404 dlwsde 'o ietdo,'pr
suas forcas e servic)i que pmsam prestar. O0 crime de offeasa ao puder pratmeado na a oor AI'-
meaores de 10 aunos uada pereebdreo, prostando timizia Cavalcate, fbih de Ieeb Arlvee da Silva,
todavia, o serviio comnpativel corn sua idade e for- menina muito interessante, de 8 auneos de idade
as, como eompensaCao dos aiijautos e outras des- incomplutos. '
pezas feitas cszn ells. 0 delinquent confeseou o erine no auto de in-
a 3 A d.ir gratis ao celono coatractado, a sna infornaVco que fez o snubdlegadff do de poliOia,
familiar c aggeagados, se 0s houver, alojamouto, o alferes Luiz Bezerra dos Santos, que vati pose-
alimentagao e auxilios necessaries em caso de en- guir nos terms do competemte inquerito.
fermidade, durante todo o tempo do present con Eeleet|cas-0 Sr. Mariano Augusto acaba de
tract. publiear neos cidkudpn tivo mn. Ulnv a nima,
S 4 A adiantar o imported da passage e de cantendj diversas produces pactitas de sua la-
mais despezaa indispeasaveis to cntractudu e sua vra, algumas das quaes tem mereeimnntj.
familiar para soen transport desde este port at6 o Agradecemos-lhe o mimo que nos fez de urn ox
do Rio de Janciro. emplar.
(Cadic.)S 3o. -Eatre os coatractaates c o Festa os AfllleCto-No domingo vindouA
colono coutractado sera convencionado: ro, 1 do fevereiro, celebrar-se-ha a festa de Nosma
Slo. Qae o presente contract nao ptderA ser Senhora dos Afiictoa na igreja deste neme, ha-
rescindido seta mutuo accord, e quando o for vendo miss slemne is 11 horas do dia, orando
por exigencia do eontractado, este iudemuisarit ao Evangelho o Redm. padre Antonio de Meto e
aos contractautes a somna de L. 10 pars cada Albuquerque. :
menor.d 4 a 13 aunos, imported de sna passage A's 7 bhoras da noite se cantaria umns ladainha,
e de sua familiar se a houver, assim como deveri8 pregando oR;'J.u. padre D:. Assis Bez.'rra de Me-
pagar os adiantamentos aeima referidos A vista nezes.
do recibo do present contract e denmais des- Na segunda-feira serni hasteada a banderra is
pezauvetraordiaarias que honverem side feita.. 7 hobas dx noite, tocando uma banda de musical. o
S20. Camprindo o cotono e sua familiar, se o que ofar- tunbem omquanto houver o setenario.
h.ctver, o praso nreado de 5 annos a quo se Ladainha a Santo Amaro-Hoje, ma
cazapromatte pela coadi9ao la deste contract, igreja da Sinta Cruz, pelas 7 1/2 horas do dia,
pagargi s4neute metade da passage, eorrespon- haverA i niasa resada, e' As 7 horas da noite ladai- t
dente a sua pesesoa e membros de sia familiar, nha cantada per musitcos, em louver a: milagroso t
cuia passage par inteiro eeta estipulad., no pa- Santo Anfiro.
ragrapho antccedente. Hontein terminou-se a expOsigio da image,
3So. 0 cantractado, ou pessoa de sua famiilia send easeacto ac.rm)nlia lode c.nticos sagrados.
que per eonfermdade deixar de tiabalhar soffrera iAgunas etstagnaslaM-Htbitantes da rua n
o desconto de seasu salaries durante os dias em de S. Joeo, da freguezia de S. Jos6, nos pedpm h
qun esliver enfarmo, tendon sempro casa, comida e pars chamar a attenolu do Sr. Dr. engeuheiro di-
soccorros. necessaries gratis, rector das obras publicas provineiaes, afsin de d
4. 0 contractado e sua faumilia s6 trabaiha- mandar atterrar a parte da mesma rua que fica
rao 12 horas por dia, dentro das qAaes 2 horas proxima ao atterro da estrada de ferro de Caraa- d
para as refei9Ces, fieando completamonte isentos rmi, e onde so ajunta durante oinverno e parte do r
de trabalhar aos domingos e dias de fiestas reco- verao grande quantidade d'agua das chuvas, re-
nhecidas pelo Governo Imperial. So por ventura sultando d'ahi to-nar-se a dita rua muito insala- t'
o contractante necessitar dos servigos dos con- bre, nao sb pela friesa que d'alli emana, come pela
tractados nesses dias referidos, pareeberAo estes agglomeragVo dos miasmas que se desprondem das 96
uma gratificaoo previamente combinada corn referidas agnas, a ponto de serem quasi todas as to
aquelle. pessoas que alli moram atacadaIs de sesies, prin -
50. Aos coloaos c suas tamilias que os can- cip.dlmente na dessecaglo. d
tractautes proporeionarem collocae1o por cha- Achamos muilto just a reclamago, viasto come
made on indieauAo dos eontractados nas pro- a salubridade public. deve ser object da maxima s
vincias acima indicadas, poderlo aceitar pro- attengio dos governor, e o mal de que se trata 6 de ta
postas que se Ihe fizer, per intormedio dos con- horriveis e fattaes consequencias.
tractantes, e em tal easo fiearA nullo o present Winhos artifielaes-Em outro lugar in- ti
contract c s6meate vigorarA o que se fizer no serimnos a integra de um officio, dirigido pelo r
Imperio do Brazil ante o escrivao de paz do dis- Centro Comm racial de Molhados do Rio do Janci-
trieto onde terA de fear o colono, on ante os ro A Associal-o Commercial de Pemaambuco, pre- I
tabellides publicos, do Rio do Janeiro ou de venindo-a de que d'alli sahira no dia 11 do cor- se
Nietheroy. Em todu o caso eases novos con- rente, corn destine ao nosso perto e ao do Mara-
tractos serito registrados no Consulado Geral de nhao a bares portugueza iam5es corn carrega- P
Hespn:tha para complete garantia c c umprimea- mentor de viahos artifieiaes fabricados na corte.
to do qae for c. nvencionado. Mostra o referido officio aos consumidores de ma
a 60. A' ehegada ao Rio de Janeiro todos os vinho o perigo a que tern a sadde exposta usan- ja
culinos contractados e suas familiar serao alo- do semelhantes viuhos artifiiaes, sob o false no-
jadose sustentados pelos eontractantts nos es- me de vinhos naturaes, conform s alo vendidos no do
tabelecimnentos ruraes de Nictheroy, d'onde nio commercio. ,
sahirao sem transferir este mesmo contract Acautelem-se, portanlo. t>
aos proprietaries agricolas que necessitarem de Dinheiro-O vapor Marque de Caxias levou
colonos, corn todas as condi9&es, vartagens e para :
garantias expresses neste contract, excepto J;tcei6 120:0004
quando a colonisaia'e for de parceria, para o Estancia 10:0004
que eatio se observarA o que cantdm o paragra- Paquete Manaus Este vapor da Com-
pho anterior. panhia Brazileira chegarA hoje pela manha' dos
,, 70. Todas as demais cnmdiies s&riio regula- portos do norte e h ,je mesmo, Ai tarde, scguirA para UG
risadae sgun no a lei de prostaVbo de servi.s os do sul. S
daquelle Imp rio, decretoen. 2,827 de 15 de marco Reunilese mociaes Amualil hiver, as C
de 1879. segaintes : F
S80. Declara o colono contractado que re.- Dos Artistas Mlfechanicos e Liberaes, ein assem- Mi
cebou dos Srs. Hardisson Herainos, por conta blIa geral, ;is 10 horas da manhi, para eleicio da F
do coutramtante. aA Companhia de Cotonisa-lo nova directoaia
Agricola a qaaatia de............... que lhe Da Allianca, as 1I horas do dia, pira eleivibo. 1
foi adiantada por habilitaga'o de papeis, yes- Do Monte Pie Born Success., em assemblfa ge- 1
tuario e outras despezas monores segundo costa ral, As 10 horas da manib. .
da conta geral que se acham neste contracto, Segsa4ad-fdra fia a sagujate :
cuja somna se obrnga a pagar mensalmente, Da Jrmandade de Nos Senbora da Lue, As 11 1
deade o segundo moz de salario em diante, e no boras do dat. na respective consistorio no couven-
caso de in do pareeria, pagnra segundo o que for to do Carmo, para eleicao da nova mesa. ta
convencionado no nova contract. Os pelxes e a agmiardenae-AtA ago
,, E para o deride cumprimento de tudo que ra se tinha visto applicar a aguardente nos p01- se
flea dito no presented contracto feltosde commu in xes destinados ai mesa, come element constituiti-
accorde entre ambas as parties contractantes, fir- vy deoum molhe e para realgir-lhe o merit. Po- em
nasmos o presente em tnplicata em Santa Cruz, rem ninguem tinha pensado ainda tmn adminis-
de Feneriff,: ein..... deod..... od 188.... Pelo tral-o aos peixes a maneira de tonice.
contractado. Poles contractadores............. Esta idea acaba de oecorrer a um membro da es
A Companhiat de Colouisaco-Agricola. ceommissbo de pescairhs fluviaes nos Estados-Uni-
SReeonhego verdadciras as assignaturas supra, dos.
-assin come attest, que p3r derlarar nao saber Depois de ter visto arrojar come mortos cineo
assignar o contract o faz o rogo a pessoa quo ou seas peixes tirades dos tanques officiaca, es te-
antecede, e para constar onde convier, passaei o you para seecal-os ; quando ao chegar a sua ca- P<
presented, que assigno e fiz sellar corn o sell das ,aa noton que davam signaes do vida, os ceollocou
Imperiaes Amnas doste C emsulado do Brazil. em um cabo cheio d'agua ; pordm os pobros pei- d<
Santa Cruz de Tenerifle, el-a ut supra. Confere, xiahos fluctuavam de barriga paira cima e boee-
Francisco Perdigdo. EstA eonforme, 7. H. de Ca- jando, como succede quando estlo para morrer. bh
lazans Bodriqucs. ,, 0 nosso observador, impellido pole conheci-


Os bilhetes achim-se a venda na 0asa da For-
ana ia rua do Crespo n. 23.
Loterla de 301s00f00O-A loteria 170
6rie B, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
e melhorado, corre no dia 28 de janeiro.
Bilhetes A venda na Casa Fcllz A pra"a da In-
ependencia as. 37 e 39.
3a grande loterla da ecorte de......
>OOO9|kOOO-Com novero piano muito van-
ajoso.
Os bilhetes acham-se A venda A Casa da For-
.na, A ruat do Crespo n. 23, es bilhetes dosta a1te-
ria.I
Grande loteria da carte -Esta grande
)teria, cujo preraio grande 6 de 500:0004000,
ierA extrahida revemente.
Os bilhetes acham-s A venda na Casa Feliz, A
raca da Independencia Ds. 37 e 39.
Mercado Municipall de S. Jose 0
novimento deste estabeleeimeato no dia 22 de
oneiro foi o seguinte:
Entraram para seem vendidoes : 37 bois, pesan-
o 4,975 kilos.
- No mesmo dia entraram para o newimoes-
ibeleeimcnto:
Peixe, 227 kilos.
Faninha, milho e feijao, 50 cargas.
Fracuetas diversas, 25 ditas.
Suinoa, 5.
Carneiros, 4.
Preeos dos dias:
arne verde a 640, 480, e 320 r6is o kilo.
uino a 600 r6ib o kilo.
amrneiro a 14 idem.
aarinha do 500, 400, ate 280 reis a clia
:ilho de 480, a 320 r6is a cuia.
eijlo de 800, e 500 rs. idem
Foram occupados:
48 talhos de carnet verde.
15 ditos de suieo.
10 ditos de fressuras.
36 compartimentos de farinha e conidas.
70 idem de legumes.
Deve ter eido arreeadada neste dit a impor-
ncia de 1724940
Cana de DetencAo-Movimetrto dos pre-
is no dia 22 de janeiro :
Existiam presoa 388, entraram 5, sahiram 5,
detem 388.
A saber:
Naeionaes 355, mulheres 9, estrangeit s 14,
-craves 10. -Total 388.
Arracoados 358, send : bons 340, doentes 18
-Total 358.
Movimento da enfermaria:
Teve alta :
edro Felippe do Rego Barros.
Ceatlterio PaftUebe.-Obituanio do dis 14
o corrente :
Joaquim Ulysses Costa de Alcantara, Pernam-
coe, 30 annos, solteiro. Boa-Vista; esmagameoto.
Pedro Luiz Goneaga, Bahia, 70 anuos, eaaJo,
oa-Vista; ascite.
Manoel, Pernambuco, 15 dias, Bok-Vita; inte-
te.
Francisco, Pernambuco, S. Jneas ..nmen mo-t.
Delfino, Pernambuco, 3 anos, oRecife; vario-
s.
Antonia, Pernambuco, 1 mez, Boa-Vista; ente-
>-colite.
Jose Thomaz Moraes Scares, Pernambuco, 23
inos, solteiro, S. Jose; epilepsia.
Mariana Maria da Concei*o, Africa, 90 annos,
ante Antonio; velhice.
Dous pela caridade.
19 -
Maria da Counceicao, Pernambuco, 75 annos,
iuva, S. Jose; hepatite.
Joventino, Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista;
lanigio mineral.
Pnistes Alves de Freitas, Pernambuco, 28 an-
os, solteiro, Boa-Vista; ulceragio syphiliticas.
Manoel (escravo), Pernambuco, 50 mezes, saeltei-
0, Santo Antonio; occlusao intestinal.
Martinho, Feraambuco, 2 -mezes, S. Jose; eon-
ulsaes.
Joanna Maria da Costa, 40'annos, S. Jos6; ty-
ca pulmonary.
Tres pela caridade.
-20-
Domingos Gomes Martins, Pernambuco, 44 an-
os, casado, Santo Antonio; laringite.
M .n,-,'l Ant:nio L.ob,'Albertiai, lernamblco, 43
renos, viavo, Boai-Vista; aaeunisma.
Joeo, Africa, 70 annss, solteiro, Boa-Vista; te-
LnO espontaneo.
Manoel Francisco do Nascimento, Pereambuco,
L annes, solteiro, Boa.Vista; ferimento per arma
e togo.
ThomO Manoel do Espirito Santo, Perunambueo,
) iannos, casado, Boaw Vieta; engrgitamento.
Manoel, Pernamabucc, 2 annos, S. Jose; homor-
hagia.
Laura, Pornambuac, 4 aneos, Boa-Vista ; febre
alustre.
Maria, Pernambuco, 22 annos, Boa-Vista; fra-
uest physiea.
Quatro pela canidade.
21 -
Maria dos Saatos Taloera, Pornambneo, 80.an-
os, soeeira, Boa- Vista ; cachxia aenil.
Vieen. -Fenreira Alvee, Peruambaco, 64 aians,
lte'oh-, Bea-Vista taberculoe pulmomares.
Vicerate Fereira Tales, _P'waanbuco, 5OQamB.


iuva, Boe-Vista; gampeca.
Maoetl, Pormsubuo Sot um, i. aJo ; oawm-
Tes.
Tres pela earidade.


~1


-^-w~edoiltA is

tw.a. l44, do 11 4.
ofilwia Alto da


3.1


BA a-fie r alma

do U ES W W
aoul no r de CaGia:
Vill, ait Po. do apsfija ftado Car-
id, -LB"'B da tuanrmo, UMInot J Bar-
c@dea,1dw Ar, Thorns de Apide Pewoa
C&Yalaute, capiti o Candido ePm Mack do,
brCitelos ytade OlieiraAwa I filbosi
e eritdo, 2mcadet&e 2 -pm do s91aMa
LONYm ..... b",m ..= kel.on"feira, 29i
do Ises t xtsird.a lotm&ats. jL04 am boe--
ficio da igreja da Pledade de anto Aimaro da-
Ualinas, pele novo pan3 approvado, %no eonsiatorio
4ijreJa d NRaeiftuwr 0 Miii-
b o~mddse .it 3oi .mlbc .rnpe s ue-
pheras arumadas epa osranuaerioa aprecia-
cao dpsc. &p': ri
Lefl: CflS--~~- am B-U JM-i"a serI ex-
trahida ao.Adia 14 de fefreeub primo vindou
ro.
0 reat6 dea bilheto aa-Ca.a Fortaa, rua
4 de Mario a. 23.
Lentla Sinranwmtartia 4t Tpt-
ramga-Esta s.toria, iu amior premw de
1-000000), sera ezxtra"da no dia 5 do marqo
proximo viddouro.
Biletes ( venda na Vasa da Fotuna L rua 10
Ae Mmrao .& 23.
Ltsertia da aOa .a otia, eujo pre-
uio grande 6 100:000000, mcouta que corre im-
precerivelmentm am dia 10 do f-vereiro proximo
vindorou.
obtAs A umfit ma *Caat : 'Mprac da In-
dependemoaia as. 37 e 39. ., -.
Gramdnefteria 'fl eroy-Esta to-
eria, cujo premio grande e'do 0W:0005000, serA
ifrahida no dia1 U1 de abir l prolimo vinwouro.
Bihetes a AeAda na Cas dalortuna, A rua lo
te Margo n. 23.
* faterla d4 t e 4 1* efte A loteria
a. 350 A, do Rio, de 204000J000 seri extrahida
oje 24 do corrente.
Bilhetes A- venda na Casa da Fortana, rua I-
le Marco n. 23.
Loteria-A d? n. 170 B, do Rio de Janeiro
t, 30:000000 serA extrahida no dia 28 dejanei-
o.


hbra. W -
= --laeonardo do Azbaquerque Cavalcante,
meditea faculdade de Pari4% pde ser iprocura-
do ,m emmmstio im raa do'tarquez de Olin.
da n.T -A---iga da. Cdeia), dat 11 ia, o.e em
aut re..mpai a a da iawOmrtriz n. 7, segunde
andar- ,hMandoa por cseipto a qaalqer hera.
M Advogado
D/ M&. t" promoter public da ca-
pital seu escriptorio de alvocacia, A rua
do Ii3erado I. N, onde pode ser proe.CU
radio jira os misteres de sua profissBo.
-:' arl weis @mUheopatblea
A.Waors Rougqyrol Fi-res (Sucesso-
-res),4Upositarios dos remedies hom'nfceopa-
thicot'da casa de Catelan do j Paris 22 rua
da Ovmz, ( Recife )
not&a Pranrema e Drogaria de Ron-
quayrol Fr6res. uceeesores
de A. Caor


N'este estabelecimento funmdado desde
1821 encontra-se os products bchimicos,
drogas, tintas, oleos, piuccis, vernizes das
melhores marcas; todas as especialidades
pharmaceutical dos legitimos autores, um
variado sortinmento de fundas e aguas mi-
neraes, os granules dosimetricos de Burg-
grave e products especiaes da Flora Bra-
sileira. 22----rua da Cruz, Recife.
tregarla-
Francisco Manod da SUilva & C'., depo-
eitarios de todas -as especialidades pharma-
scutiAs, tintas, drogas, products chimico
e medicamentos homceopaticos, rua do Mar,
quezm1de Olinda n 23.
-diarla da Cama Amarella
De 'andid, Thiage da Costa e Mullo,
rua Tprerial 322, veude barato tijo-
los pam paredes, ditos para ladrilho de
qualqacr dimengAo e foramato, telhas, etc.
Temrn canvas pars conduglo e aluguel. Ap-
parelhio telephonico n. 221.


PILICACOES A PEDIDO

Ao public
0 tabellilo pubhelico Antonio Borges da Silveira
Lobo, tendon no diw & do corrente, assumido o exer-
eCicio de sias funegSes offerece ao respeitavel pu-
blico e' geral e especialmeute ao corpo commer-
cial deata eidade, os seus servipos relativoscao
officio,ia qualqier hora do dia e da noite. Es-
criptono rua estreita do Rosario n. 21C Resideu-
cia, riua da Imperatriz n. 14, 1" andar.

English
ie' i. s.fantone (of London) begs to ia
form his pupils that he will recommence his Eve-
ning Clsses of PACTICAL ENGsIH on Feb. 3., at
his rooms, rua estreita do Rosajio n. 4.
Gentlemen or Ladies wishing to perfect them-
selves in the English language and desiring pri.
vate lessons please to communicate early.
Mr. FasMtone begs also to inform such
gentlemen as have honored him by requesting
tuition for their sons, ad which he was obliged
to decline through pressure of engagements, that
he is directing English "lases both Practical and
T7eoreticat the highly efficient colleges nxRA
S(rua da Imperatriz) and IrSTITUTO ACAEMUIOO
Mondego).
Er. Fanl'one may be consulted from 12
till 2, P. M., or in the evening frbm 7 till 9, at
his office, rua estreita do Rosario n. 4.


4op pin *l"tuaii4


, -, t". a o :s
7w~r


.. : --. .. i e
S '-, .A. S- i-..A




Na quanta celwittanma, pa, asi 30
lki-se --
d'ondoe mrouta af nnhuaaeppUcio da lei
Sabsevio dfehd M-p a s proleta-
nMs.


W( Dr. Leonardo de Albbquerque Ca- U
Svalcauti, mndou sea consultorio para A
trua do Mkrquesde Olida (satiga da
S Cadeia) n. 52,1 andar e fixou sua 1
f I residencia ma rua da Imperatris n. 7, 1
2 2andar. 0


% a'


As raliLas ceoqadas
As senhoras a quam a aaureza ha dotado corn
coroas de abundances e luxidias madpixas, teem di-
reito a esote titulo. Por6m ha milhares de cabegas
femnina. sizmentzt t oobita_ de cabellos,
que carecein de assistencia artificial, afim de os
1 ~afrnaosear.
As fibras se bera que numerosas podim ser sec-
cas, creepas, inelasticas e difficeis de manejar :
requerem uma prepmn-ao que as -tome fiexiwlis,
que melhore sua contextura, e as adapte para fa-
zer trancgas, mnadeixas ou afinelados caraces. Este
fragrante e delicioso artigo, A uama altamente emo-
liente e fertilisador, conhecido por todas as naoes
-o Tonico Oriental, 6 a unica preparagio neces-
saria. Nao samente promnove o crescimento e con-
serva o abdllo; porem outorga-,lhe ura macia e
lusidia flexibilidade exquisita e rara.


Ao public
Achando-me desempregado, sem meios
de subsistencia, e onerado de familiar, pelo
que vejo-me obrigado a incommodar paren-
tes, amigos e conhecidos, em grande esca-
sla, quasi que diariamente, para nao descer
a praticar aetos illicitos que a moral e os
bonds costumes altamente reprovam; b por
.,Ao ever eontinuar por mais tempo a in-
conumodal os, quando disponho de algum ca-
bedal litterario, que me p6de auxiliar de al-
guma forma; venho hoje do alto da impren-
sa pedir e rogar ao distinct corpo commer-
cial d'esta provincia, ao illustrado foro do
Recife, e a digna classes dos funccionarios
publicoes, a proteeso que sabem dispensar
aos que os procaram ; afim de poder publi-
car n'esta cidade, em nalguma de suas typo-
graphias, urma comedian de minhalavra, sob
o titulo de Urm Engano Conjugal. a
Dirigir-ine-hei pessaeoalmencnte, ou por car-
ta, a diversos negociantes desta praga,
empregados do f6ro, e futnciontrios pu-
blicos, pedindo Ihes sua digna coadjuvagno.
no sentido de contribuirem eom a pequena
importancia de um mil reis, para uma as-
signatura ; afim de cornm algumas fazer face
As despezas da impresslo, quo serA aim-
pies.


Assim teuha obtido numero de assigna-
turas sufficientes, qae cubra o quantitative
da ediglo, suspenderei o alvitre aqui to-
rnado, e proseguirei na distriLuilo de
exemplares por diversas classes e pessoas,
A vista d'elles.
Aquelles a quem tiver a honra de deri-
gir me pedindo-lhes assignaturas adianta-
damente, para o fim acimna dito, terAo di-
reito, cada urn, A um exemplar, e se qui-
zerem a dous (sem indemnisaglo do se-
gundo); e em prova de muita gratidro e
consideravbo, publicarei no fim da mesma
comedian, a exemplo de outros, os respei-
taveis noaes dos bemrfeitores de sua pu-
blicagAo, em list alphabetica.
Recorro A este meio de publicagio per
nlo poder dispor de eoutro.
Em quanto disposer de exemplares de
men trabalho litterario, embora humilde, R
encontrar almas generosas e bemfazejas,
terei meios pars impedir de ver minhas fi-
Ihinhas, thesouros de minh'abna, soffrerem


ueceesiadnds.
Cempanahia do Tfllhkos Urbanoaucssdds
4o Reclfe a Olimdaccbcribe. OCreio que se conseguir em poucos dias
(BILHETES FALSOS) algumas assignaturas, pelo fim de feverei-
Tendo side apprehendidos bilhetes al- re ou principio de margo vindoureos, estari
dita comedia prompticada.
sos de 18 e 24 classes em- eirculagao nesta n.ita come promptificada.
sos do o 2 se em circulago nests Confio em que sert coroado de born exi-
companhia, e havendo noticia de que fi6ra t o
do suns estngles o des seas trends tern side to o met' francs appello As distinctas classes
do suas estagoes e dos seas trens, tewn sido I. i1 *.
realisados trocos e vendas desses bilhetes, a queo era me derijo, e d'aqui lhea envio
e do minha gratidlo.
de us ex clusive do sou service; avise aos A' primeira em 1880, dediquei ura co-
Srs. passageiros em particular, e ao publ media de minha produegco, sob o titulo de
co em geral, que a circulaglo de nossos Uma Patuscada, -em prova de conside-
bilhetes deve ser limitada ao nosso trafego e -
que a companlna nao iiosngaaa.aacei "segunda, pert9oo ainda come sim-
tar bilheten Ws emittidos nawta- .sta pes escrevente que tenho side dei carto
95es ou trens, conheide per ea- r M
racteristics;equo bietosf6ls u os e 0advogads.
aracterisico equeso bdietngucs fosos qus A' terceira, pertenci (e d'ella tevio a
agora appareceram, se distmguem pl ais saudoes reedolo), come 3.- es-
seg0 funded eloridoe does bilhetes vradei- cripturario, no meio dos meas distinctos
roaeAuniormono t-se abp ei- ex-companheiros do Thesouro Proviacial,
ros nao 6 uniforme, notam-se *Ahi peqttc- ",, r c i ,,,i. x.-raq-
dasordeadament u oude saim, pedindo cson ragbo, por uma
nos pontes braucos desurdenadamente cs- enie louoa em 1875.
palhados; o pass que esse fund pie- Tudo teuho a espererar dos homes de
narneote igual nos bilhetes falsos; sendo e d dit net< v(eiros que com-
differente o papel de impresslo de uns e em, dos diinet m q
eoutros. p5em -as tres digas classes a que me di-
No bilhtte falso de 1 classes notam-se 2 d rij"
as seguintes difforensas mais earacteristi- A Rocifeo d ode Bande',.
cas can relaglo aos vordadeiros; a letra in Antmniognac d Torres Bandea.
da palavra meia 6 mais aberta, curta, e
eapontada, send as linhas de ornato das 1E U ddok 49e iesa Meekera
pernas da lotra mais espagadas. No nuono- t.atiftde
raminina quo occupa a part central oI bi- DO
Ihete, a htra o 6 menos encorpada, sendo POlO da Panella
que o trao horisountl do f ( mais grosso, A mep reg d i dade de 4 O Nossa So-
mais regular e limp, aeabando differento- aho da auAde, emzcia ea sua.igreja no Pogo da
monte em poutas rombudas. Os pontos no Panella, nao tend obtido a liceig qae uequereu
geroal slojaos B gu-a eaa igqes, send a S. Exe. o Sr 4i4& A po .-iebrar a testa de
as letras que o w precedem mais delgadas. su. PdMdnarp o 4,e "*2 de feferoiro, fat
Los bihtowi w 2 c e do r w iemte -a devtoes A sBwma acalceso Sohorae
Gbilhete4a 4de 2"clause, dos q ep. s pociw -A No da' la, quo a mea
dua8 alo aa- es&paa falsas, notMiane gerai Asi4stm ,nvoaoda pawa tamr ooahe-
ew relM 4 ,,r4adeiros as wto da.a :a' dS. UL. ids., esolvea
difforangas mais visaiveis: A& puuam,6tde 'osehmsm wte e a Asw atdn deo S. Exc.,
Hdeilm aF_ ehriaO mtieotir < w- e o ao-
m .vi s ma"al b Oletreiro C T U 0 R$, 9, 0 .fe. uqz ta is fewer sums
614 b^ w amt wflllguak, f4IjEqg B's' gsgius me pawflioi Sudmao^
aly~y~ncam~mos vsedsm&. M DM151 4S .fl w ni we siM am
GaitQl-tfiitfr jllBlf"^^flflaloesaa.iK4 obo4Wisuu M I. ibtapot puejads, Mo zusolvido,
t*a m ets p da par -. LZ7. r mev.s ma-

.. w .._ .tendon cnvot tr el rolcdo-
t^^^^ ^^^ 4B.* le Ped oda 3-^


31
"'1
i


cOn rbi o rratofrii
15 Rua Eada imuperatrlz 15
As aulas deste collegio acham-se abortas
desde o dia 7 do corrente.
D'ora em diante o curso primario acha-
se a cargo exclusive do director.
Este cursor constara no maximo de 50
alumnos entire interns, externos e meio-
pensionistas.
Recife, 16 do janeiro de 1885.
0 director,
Manoel C. SUm Braera


Inslilo0o 19 de Abril

I-Rua do Progresso-I
Numero telerhonIeo tIS
DIREUAO DO
Bacharel Luiz da Costa Ferreira P.
Carreiro
Este estabelecimento de edueango, rcenitemea-
te mudado para a rua do Progresso n. 1,-oeffervce
aos Srs. pais, pelas magnifies aecommodaqes e
boa hygiene da nova easa, todas as eoxdi*es exi-
giveis de um estabelecimento de educaclo sa-
perior.
Continia a aceitar alumnus interns, meio-
pensionistas e externos, assim como contiuia
corn o cursor de ferias abrangendo todas as ma-
terias para os exames offcliaes de fevereiro, de
accord corn o programma do Exm. Sr. minister
do imperio.



Dr. lell Gomes
Mi dico operator

Rua do Barlo da Victoria, antiga
rua Nova n. 37, 1 andar

Onde pode ser procurado A qual-
Squer hora do dia e da noite. Gbnvsdta8
das 10 ao meio diL Recebe chamados
Sper escripto e para f6ra da capital. 'De
Sdica-se eom espeeialidade ao estudo de
febres, molestias de peito e affiacaes sy-
pbilitiras de ambos os sexes.
1 APPARELHO TELEPHONICO N. 156




Aula particular parainas
Vidal de N4egreros a. it
Carolina Leopoldina Coelho de Araujo, participa
aos paimn de familiar qae de fevrroar iem diaate
estarA aberta sua aula particular paraanmeuia, a
rua Vidal de Negreires pateo do Terngo)- n. 12,I
1 andar, onde a mesma leccionarA primeiras et-
tras, trancez, piano e diversos trabalhom de agulfa.

Dr. Bettencourt
C'iratrgid: estretaibmm-ntos da ur'ta e do reeot
curados pela electrolyse -sem ddr ; fistulas; tumo-
res do utero. Hydrcoeles sem necraio (cura ra-
dical). Embalsaummenatos peio' processo de Sut-
equet. UtIcras. Medina: irunltias do pelit
e do gargantti. Syphdis, molestias enereatase da
pelle; affosbes do corao. Bu do Maraez de
Olinda n. 3, dam 12 :ia orarm da tarde. bhami-
waf~w'wwefpw. ^, ^.. f,
+Dr.
bir, V&|ai
MIedi e rador
De volta de sua viagem A Europa onae frequea-
teu os hospitaes de Paris, tendon feito um cm-so es-
pecial de pnrtos e molestias de senhoras, da a-
sultas no seu anti-o cerasultorio 'A ru;;t Duque de
Canias n. 48, do meio dia As 2 horas.
Especialidade : molestias de crangas e de se-
nhoras.
Recebe chamaidos per eseripto on no snu consul-
torio, ou em mui residenci-t. A rua do Barieo de Sk
Barja n. 30.

OCULISTA
0 Dr. Barretto Saspalo, medico
oculista ex shet'e de dlinica do Dr. de We-
eker, de volta de sua ;-agcm ao Ceara,
continue a dar eonsultas a rua ,io Bart-o da


Victoria n. 45, segundo andar, de 1 As 4
horas da tardo, except nos doaningos
alias santificados. Chamados em seu con-
saltorio ou em casa de sua rosidencia A.
rua de Riachuelo n. 17, canto) da rua dos
Pir-es.

inhe ferrwum ew ao Ared
CANE, FERRO E QUINt I Dez annoa
de exit constant e as affirma5es das
mais altas stuLida4es da sciencia medical,
provam quo a associalo da CARNE, do
FERRO e da QUINA, constitute o mal
,eagieo reparador atW hoje conhecido po-a
curar : a chlorosea. anemia, a menstrua-
glo 44zwalO, p e.-
ssqtlR. nobimmhjHo, etfru5MQ9 ..ewofn-
Ihsem w obi,a. 0 t-*Ia. fern-
1imqo Arotd 4, co lt Bic3;xq
reune tudo qo"ton fioa 6 :.-
gos, e reglarisa .augmets


A


WIAL


unio d Olida e a dode
-p Diocesanos; asalaaprondm v6
-AsAleipliWatdeque emsta. o earns drep-
aiOa u imuluTiveS la uiswia s* o :
Putguas. Anti. Iraucoms, ia ose qp g biahi
histoN arithmeties, geometria, philmseplia, re-
W-na e SMsiea.
Recebm-sfe poenionista e externos. Nboerag
*SAdMi A-4 puimeir Matriuenla hmmmnom peusio-
nistas maiores de 14 annos, ezcepto se vierem do-
terminadamente para a carreira ecclesiasticas.
A pena&o destes, 6 de 350000 pelo annoe lective
(10 Mess ges rndiMS em dar -presta-
M de 15 56M aid uma.
Dons irmios pagarao a annuidade na raze de
305000 por mez, cada um ; send trea, um dellea
pagari metade da penalo mental de 35A00; a*en-
do quatro, am seri gratis.
A joia 6 de 50000 per uma s. vez, a qual di
direito ao que prescreve o prospect de 1882, ex.
ceptuando- se papel, pennas e.laF is.
Os externos natriculados no curso de preparato-
rios pagar o adiantadanmete .,npao de 5I000
per mes, e os da aulaprimaria, 34000.
Cada alumno deve ter no Recife ou n'esta ci-
dade de Olinda, um eorrespoadente ou pessoa ido-
nea que se reBponsabilise pelospagamentos densua
mensahdades, mom o quo nao poderA se r cousea-
do no estabelecimento, come odetermina oprsopecWt
de 1882.
Para informaae eeseesclareciencntos deverlo os
interessados entender-se directamente corn oreitor
do estabelecimeanto.
Seminario du Olinda, 19 de janeiro de 1885.
Couego Antonio Arcoverdede A. Cavalcat.e.


Collegio


t~iS^^na TVA.. SB..nie


4 d stfa Facuid d N 4 w.Pia, p6de
'- li w -am C tSttat9r6, rua do
y cOlind ( u ip adejia' n.
sa, das 11 4 3da tarde e em
"ncia -a da imnperatriz n. 7, 2.'
d Lhamados por escripto a qualauer


ser
Ma
52;
sui


I




- ~x~4 -' ~ -
- ~ j


pfivaaI


valolres. n1*ha a,"*
Ao Z 7i del qnia Arani.- "* ,
acantra-sq a vv a DnBs" pri~os plin-::
sacmids de PNiambuco.

No hesitem em purgar-se quantoprei-
sam asp que conhe a piulas do
Dr. Derabt. NAo receiem fastio nem fadi-
ga, porqueo ao contrario do. outros purgan-
tivod, este s6 obra bern quando 6 tornado
ombons aumetos e bobidas fortifiosntes,
eomo vi$ ci, &f*A, chA. Quem soe purgascom
oatas pilug p6de acolher pars tomalas, a
ors e' reeigo que mais Ire convier con-
frmoe suan occnpauae. A fadiga do pur-
gantivo seAdo annutlada polo effeito da
boa alimentago, se decide facilmente a re-
oomegar tantas venzes quanuto for neces-
sario.
Deposito em todas as pharmacias de Per-
nambuco.

Oxarope de Bob Boyveau Laffecteur
depurativo e reconstituinte de saber agra,_-
davel e de composiogo exelusivamente ve-
getal, foi approvado cm 1778 pela antiga
Sociedade Real de Medicina e por umn de-
crete do anne XIII. Cura todas as mo-
lestias resultantes do vicio do sangue:
escrofulas, eczema, Psoriase, Harpos, li-
oion, impetingo, gota e rheumarismo. Per
ansuas propriedades aperitivas digestivas,
diureticas e odorificas, favorece o desen-
volvimento das funcqoes da nutrioio, for-
tifica a economic e provoca a expulslo dos
elements morbidos, quer seam virulentos,
quer parasitarios.

Pilulas de Blanecard Par-
ticipando das propriedades do IODO e
do FERRO, estas pilulas conv6m serem
tomadas especialmento contra as doengas
tlb variadas determninadas pelo germem es-
erofulas tumorse, obstrucqes, etc.) affec-
8es contra as quakes sao de nenhum effei-
to os simples terruginosos; contra a CHLO-
ROSI$ (c6res pallidas), a LEUCORRHEA
(perdis brancas), a AMtNORRHIEA
(menstruagiio nulls ou difficil), a TISICA,
a SYPHILIS CONSTITUTIONAL, etc.
Emfim, slo, pars os medicos, umn agent
therapeutic dos mais energicos para esti-
mular o organism e moodificar as consti
tuiq3es lymphaticas, fracas ou enfraque
oidas.

Recommendadas pastilhas de Detlian
contra as doengas da garganta, extinc(;es
de voz, inflammages da bocca, effeitos
perniciosos do mercurio, irrita9io causada
pelo fume, o particularmente aos Srs. pre-
gadores, professors e cantores, para Ihos
facilitar a emisslo da voz.
Deposit em Pernambuco -Pharmacia do
J. C. Levy Successor--Rua do Bar'-o da
Victoria n. 25 e em todas as pharmacias.

Recommendamos as pastilhas e p6s
Paterson (BISMUTH E MAGNESIA) contra as
doengas do estomago, acidez, arrotos, vo-
mites, colicas, falta do petite e digest3es
difficeis; regularisam as funcoes do es-
tomago e dos intestines.
Deposito cm todas as phaririacias de
Pernambuco.

0 vinho de Bellini fortificante, toni-
eo, febrifugo, anti-nervoso, cura as affec-
gSes escrofulosas, febres, nevroses, cores
pal.das, irregularidades e empobrecimento
do sangue, etc. Recommendado as crean-
us, e ras debeis, pessoas idosas ou
enfraqliecjias por doeosas ou excesses.


A ingection Brou hygienica, infallivel
epreservativa, a unica que cura, seeM ra-
da juntar-lhe, os corrimentos antigos ou
cents, encontra-se nas principals phar-
macias do universe.


insino particular
0 professor l0-r Laadelfmo Darneuias
Camar confinia a leconamr, nao. mo cm casa
de sua reaiddmia, como em caa particulars, As
materia quesd inttuemn a instru o inaria.
srso~ e 0,0usoau de PortIgue, a ra6.es Gee-
gra7this, oclais, 7udggA*6a C. -o.


mmft

As tre" VIIras da tan.
Apolies provinciaes'de 7 /0, do valor doe 1-000I,
aU preo, de'l:012 cada urma.
Ca.ulo obe o Rio Grande do 8 ,90 d/yv. c.m
2 O9O do deaseoto.
Ha hora da bolsa
Venderan-se
12 SuoISOa arovincises.
A. Leonardo Bodriguos,
Prsd~ub
ILUJ. daMote


B I OS PURT-OOS

^^ i~ll:l"'l. 2 s 22: : 11 .SW AM628



M dm doASS10i9


A dc linias en-i- -

nadas- s o: iinmeiras
leztras,,portuglA*

franceZ, inge e--
miao, geograpa his-

toria, music, piano,

desenho, costuras,

bordados, etc.

Admittem-se alum-

nas internal, meio-


pensionistas

nas.


exter-


Insliluilo- Philomiatico
33 RUA DO VISCONDE DE ALBU-
QUERQUE -33
Cirs go I1Mv orim arao




DIRECTOR


Internato e externato
As aulas deste estabclecimento de ins-
trucqao e educaglo estarvo abertas do'dia
7 do corrente em diante.


ODLLEGCD


Instiluto Academico

153 Rta dV Yisconiild go yalGun 153
(Mondego)
Este collegio, est.ibele ido cm umrn dos
mais vastos edificios d'esta cidade, acha-sc
convcnicutmcrncnte preparado para receber
alumnos internos, semi-internos e externos.
A situa$So do edificio cm um dos lugares
minis hygienicos, a disposiiAo dos salo.'s de
estudo e dormitorio de acordo corn a boa
discipline, a exccllente chacara, para re-
creios, o corpo docente c a long pratics do
director nas materials do cnsino devem nser
pephores assnz sufficientes de optimo desen-
volvimento physics, intellectual o moral da
infancia.
Pensoes e Ilonorarlos
Os pagamentos sao f-itos adiantadamente
per trimestres nos 5 primeiros dias dos me-
zes de janeiro, abril, julho e outubro. 0
director nao forneco object algum ao alum-
no, salva a conveugAo corn seu pae ou tutor.


Os alumnos interns pagaram por
trimnestro
Os semi-internos da eschola in-
fantil
Os semi interns do curso se-
cundario
Lavagem e engommado de
roupa
Externos do curso primario
Externos per qualquer classes
do curse secundario.
Per qualquer classes de artess.
I Piano


750000


1004000

20#000
206000

15,5000
15rooo
306000


Resultado dos exames officials prestados pc-
los alumnos do collegio durante o anno de
1884.
POWwTU EZ
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
provado plenamonte.
Joaqtim Nunmes Ferreira Cuimbra, idum.
Jos6 Luiz Gon9alves Ferreira, idem.
Arconcio Camb6iri de M.' Vasconcellos,
app-ovado.
Elisio Alberto Silveira, idem.
LUgar inglez Flora-ene, trado-de Terra Nova
no dia 19 do corrente e consignado 1 Johnston
Pater & C., ianifestou : '
Bacalhao 3,220 barricas e 490 meias ditas aos
couiguatariis.
Vapor ianglez Daltor, entrado do Rio de Janei-
ro no dia. 23 do corrente e consiguado a Saunders
Brothers & C., manfdotou :
Xrqe 3818 fardos A ordem.

DESPACHOS DE ZXPOTAQAO
...... o .....-.ji de- M




= Na bares gw.gou
Parsa Umerpoii_,H J-:c< -
35,079 kilos de ulgosdao.
'= ft. bstaiareanrie &. 4iil, c-r egou:
Pars Liverp o6 J. IL xw 1,000 moncorn
75,000 kilos de asuauacsvsdo.
P- N. bares B~e'^a etog


no'


'a'1 ."1;


:R4rovaos 4 + "* *

Ioracio de Almeida Guiimaraes, appro-
vado plenamento* .:
Horacio Coo toda Siln, Ta v,, idem.,
Joo Custodio e B. Costa, apovado.
Manoel savalcante doRego&mroe.idem.
Josqaim N. ?errek Coiuub*sk t vo.
Joaqim Siquera do Aaid m.:
Po0ap Vvloureiro, idea.
Leonidas A. de Mas To (i4ppro-
vado. :. "
-Aa-KUSSSICA .; :,


Josa6 Hugo Goncalves, approva-dploena-
mente.
Sebastibo Lins Wanderley, idea.
Joaquim S. de Arruda FAgelo, ide.
Horacio Cicero da Silva Tavares, ap


provado.
Jolo Custodio do B. Cwsta, idem.
Andr6 Dias Pinheiro, i em.
Pompeo da Silva Loureiro, idem.
Reprovado 1.
GEOMETRIA


D. Delinira S. da Costa, approvado ple-
namente.
Eutichio Autrant, approvado.
Jjs6 Hugo Goncalves, idem.
Joao S. do Arruda Faleo, idem.
Eduardo I. Ferreira da Silva, idem.
Jose N. Ferroira Coimbra, idem.
Jose Ferreira Muniz, idem.
Praxedes B. de Mendonga Vasconeellos,
dienr. -
Jobo Custodio de Barros Costa, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcanto do Rego Barros, idem
GEOGRAPHIA
Pompeu da Silva Loureiro, approvado
plecnamente.
Jo-o S. de Arruda Faletio, ilem.
-'Joao Cus odio de B. Costa, W I-vado.
Eduardo J. 4a FeFrreira da .'A4, idem.
Jose Martins Fiuza, idem.
Manoel Cavalcautedo Rego Barros, idem.


Reprovado 1.
HISTOIIA
Joao Siqueira do A: Falcao, approvado
corn distincq-o.
D. Delmira S. da Costa, approvada ple-
namente.
Jos6 Ferreira Muniz, approvado plena-
mnente.
Jos6 N. Ferroira Coimbra, idem,
Manoel Oavalcante do Rogo Barros, ap-
oprvado plenamente.
Jobo Castodio de Barros Costa, aPpro-
vado.
IHETORICA
Jofo Siqucira de Arruda Falca' appro-
vado plenamente.
Manoel Alfredo M. do Passos, iem.
Reprovados 2.
PHILOSOPHIA. -
D. Delmira Scundina da C--ta, appro-


vada plenai
Joao S.
Joao C.
Horacio


mente.
de A. Falco, idei .
de Barros Costa,. approvado.
Cicero da Silva Tavares, idem.


Manoel Cavalcaute doI
idein.
Jos6 FerreiraMuniz, ii3ow.
Reprovado 1,
."' -: Iiktaa rll.l, .


Apprbvados corn distinceao
Idera jpanioeTta i
Apprrad~otal
Total


Rego Barrc*


3


Reprovados 10.
Para conhecimento do public o ,ire
do collegio kdtcLiat que. cos cursos do
lectivo comecar-a a 15 de janeiro do
Rcife, 24 do dezrembro (ie 1884.
0 director,,
Jos Ferreira da Oruz V.iera


ectoi
aim


SJul .o ..ia .. carrlgon
Par Arasaty, J. A. 0-. Pi"s Junlor t5 saecos
corn fariabs do maadica,-
Na barcaa 1. APautilla. carregon
Pars Parahybys, M. J. Pesoa 40;000 litros de
c= Na barcaoa CecliUa 1, earregon :
Pars Pilar de'Alagoas, Mai ftReeade 23,000
litros de sal.


I MOVIMFrO DOPORTO
ZaV"wtnii radm* 'Po od 23
Pelotas 27 dias, patacho dinamarquez Af
cede de 221 toneladas, ca Mo A 91401,
.quipagoni 7 em lato ernma un-
.dgrem & C.
St" '- dlisa, vapor iimez DPa ,.
1382 tou Iadas, couziundate 3. RusalJ
quiPag 8' cam xw 8 .. qc..ea SuAr s


" Y .: .f-a W-
lp cw.YoRk.-' u+ I I P aI# "G ca L" pi


a.
S1"Me '
ieaadas
i, affee-
e motes-
Hmentoa
P&en-d-


monares e cerebraeo, hypoeondWa rfienatiuma
gottoso, eatarrhoss de-tWda a espedie, nevralgias,
asthma, syphilis e molestias eausadas peio mer o-
rio, assim eoms pre psa ef tbebida pela ma-
I nhI, quado em eonsoaeide falta de diet. a
vespers appsrOsreo. uregrulanidades us digest.
Agw gIl e teositrie


17 --Crpo Santo--17


ED1TAE.S
0 Dr. Francisco A.lves da Silva, juiz subs-
tituto do 3- districto.criminal eprepara-
dor dos processor do i$ry, por Suae Ma-
gestade o Iperrador,.ete;.
Faz Faber que naus primeira sessio ordinaria do
jury, conrocada pars o dia 9 do fevereiro do cor-
rente anno tern de ser jutgados os r6os sausentes
Raphael, liberto e -Albino L)pes- Perrcira, aquclle
pronuneiado no artigo 257 do. codigo criminal, e
esto n ) referido artigo combiuadi) corn os artigoe
5o e 35 do dito codigo con,refdrencia ao artigo 6P
W 10 em virtude do requerimento. do autor Joilo
Walfredo de Medeiros, visto-como, os mencionados
r6os aunentes ago pronunciados em.u crimes que ad-
mittem fiatat; sob pena.da serem jtilgados a. re.
velia se no din designado pam o. julgameutb nQ.o
estiverem presents.
E para que chegne ao conhecimento dos inte-
ressadds mandei pass olpresente edital quo sern
publicado pela imprensa e affliado nos lugares do
costume.
Subacrevo e assigao. -Oiescrivilo do jury Plo-
rencio R;.drigues de Miranda Franco.
Recife, 23 de janciro de 1885,
Tracico Alvea dw Silva.


Gyminasio .Peamlmno
EM 20 DE JANEIRO DE 1885
Pela Se-retaria do Gymnasio Pernamboeano se
declara aos Srs. pais de familiar, e. A quaem mais
interessar possa, que a abertura, solemn* do curse
scientific e litterario terA lugae no dia 3 de feve-
reiro proximo vindouro, e desdejA se aeba aberta
a inscripiao da makricuia pars, aqneltes que pre-
tenderem estudar as seguintes discipliaas :
Lingua national.
Dita latina.
Dita franceza.
Dita ingleza.
Dita allem e ilahana.
Geographia antiga e moderns.
Historia sagrada antiga e maodnea.
Geometria.
&ritbmetiUa*
Philosophia.
Rhetoric e poetica.
Historia e corographia do Ikzi).
Sciencias. naturaes.
Desenho. -
Gymnastica.
Music.
O corpo docente do institute e compost de 19
professores, occupando-se eada uin d'elles semen
te corn a material ensimda em sua respective ca-
deira.
0 institute acceita alumnos em trez cathegcrias
conform se acham divididos; pensionistas ou in-


ternos, meio-pensinistas e extcmos.
Os pensionista aesidirio no institute, tend
direito de.estudar as materials de que se oempae o
. curso ensinadas, segundo o programme estabele-
cido: a ser alimenutados sadia e abundantemente;
tractados em sum enfermidides pelo medico do
institute, fornecendo-lhe tambem eaten medicamen-
to; a ter romp lavada e engommada regularmen-
te duas vexes per scmana, banho etc.; tudo into
pelamodies qumntia de 400; per anne.
Os meio-pensionistas se apresentario no esta-
belecimento non dias lectivos, A hora em que as
anulas s abrirem e desde entAo ate serem encer-
radiLas : tarde, slo equiparados aos int.rnos, ten
do come estes os mcamos direitos oumnto ao estu-
do, alinientati"o e recreio: isto pela modica ,Iuan-
,tiu de240.4
('s extemos F6 temrn cUlirvto as lim6es e expliea-
- I ies das mater:as enslunadas no curso, quaesquer
i que ellas sejam, pagando apeinas no aero da ma-
Striculh a taxa igual'a que pagat os alumnos no
i Collegio das arts.
SOs alumnuos interns deverAo apresentar o en
,oval prescripto no regimento interior e ter cor-
Srespondente na capital, para corn prom ptidaio satis-
fazer as peneies e outra qualquor despeza de que
tiver elle necesaidade.
As pensoes serao pagas na secretaria do insti-
tuto, por trimestres aliintados.
0 secretario.
Celso Tertuliano It Qttntell-a.


DECuLAAGOES
Irmanudae doa Almaw da freguemain
doe S.Jai 4 4do Reelfe
De orduie do nosso irmao joz conVido a todos
os noso innipn a compareeerem ns igr!ja Matriz
de 8. J pelas 4 horas da tarde do dia 24 do
Corrente aiamde eneorporados, acompanharem o
8. Sacramento em trasladao da, igreja-de Nossa
epihora doTY"pa a sma reapectiva matriz
pa o quetivaxm onviteda irmandade de 88.
aamento da&nsa matrix.
Reeife, 214 djeuenro 1885.
Monod Venancio A. d Asl a
Irm=Aud :de 0088 Xaevaweno da
nsasdE do U.. Sart a cilem ala
A ...J_ I Ajiw.~,a d aw n*am (t tmaimwa


Asorde" da imlpcas -s eavalhein
.ria 4o IatWtsh, 22 de Janeiro de 1885.
M .1 A6 B k cwimi Costa.


T+
Assca C arialdeiPer-


vluhs artifleaes
Em apolo do louvavel uho da Sociedade
Commercial RMol7 o do Rio de Janel-
ro, ats aauocisio fax publicar o officio abaixo
ttanscripto. Recife, 2t de janeiro.-A directoria.


CEO TBO COMMERCIAL DE MOLHADOS
llm. e Exm. Sr.-Sahio ante-hontem deste par-
to corn destine aos de Pernambuco e Maranhio, a
baru portugueza Cames, Leom carregamento de
vinhos artificiaes das fabricas aqui estatbeleci
du,
daa.-
A diretori a do C(entro Commercial de Molha-
doe pede a interven*o e o concurso da Associa-
o Commercial de Pernambuco, afirm de que seja
o commercio dena praga avinado da origeta e na-
tureza dos vinhos que transport o referido navio ;
e saibam ao meanmo tempo os eonsumidores o peri-
go a que tern a saude exposta usando semelhantes
vinhos artificiaes sob o filo nome de vinhos na-
tursos conforme ealo vendidos no mercado.
Tratando-se de defender o commercio legitim3
contra os ataques dos falsificadores de vinhos, que
a um tempo desprezam a. moralidade do comier-
ciante?, a saude da popul6io e dosfalcam as ren-
das do Estado, estate directoria conta corn o apoio
da Associaco Commercial de Pernambuco.
Deus guard a V. Exc.--Rio de Janeiro.-Se-
cretaria do Centro Commemeial de Molhados, 12 de
janeiro de 1885. HIm. o Exm. Sr. president da
Associacao Commercial de Pern:miunbuco.
JodotAJs dcs Reis Junior,
President.
.3L P. Barbosa,
Vice- president.
SPaulo Faria,
Secretario.
Carneiro branches.
Thesoureiro.


mon1a ++ imcial
Jos6 Marques dc MUenctoua & C., estabelecidos
cnm taverna i rua do Viscoale 4e Itapariena n.
13, acha-se collectado na 4' divisao para pagar o
imposto correspoudent e A classes n. 29, a contar de
outubro proximno passado, relativo ao corrente
exercicio, ma inmpotaiicia d 50A877.
18 seceao do eonsulado provincial, 22 de janeiro
de 1885.-0 chefe,
J. X. C. do Barros Campello.


comiad o YiRcial
Arcelino Lima & C., estabelecido's corn arma-
zero dtic reeolher, sito no caes da C. ,inpamhia Pei-
nambucana n. 2-, acha-se e llectado na 2;1 divi-
sao para pagar o impstto corrensp'ondeute a classe
n. 66, a contar do outubro proximno passado, rcla-
tivo ao corrente exercicio, na importaucia de...
1814430.
la seVao do consulado provincial, 22 de janei-
ro de 18&5.=O chefe,
J. X. C. de Barros Campello.
IRMANDADE
DB

N. S.odoTerfo
Tendo de se proaeder a reconciliagLo da matriz
de S. Jose, emin 21 do corrente mez, e depois em
actor solemn, pelas ehoras da tarde do mesmo
dia, a trasladago do 84. Sacramento, actualmen-
te existente nebta igrej. pars a suna respective
matriz, de ordem do nosso irmle juiz, convido a
todos os nossos irmzaos para, encorparsdos, assis-
tirmos a cste actor,
Secretaria da irtnandade de N. S. do Tergo, 22
de janeiro de 85.==0 seerctari,,
Bento de Souzi Myra.
0 C.ntro Litt-rario Recreative Naza.eno,
em sessno da assembl6a geral de 18 do cormente
mez, resolvcu mandar e.iminar na primneira sessilAo
do conselho director do mez de fevereiro dcste
anno, todos os socios que nao saldarein stms de-
bites at6 o dia 27 deste mez.
Secretariat do Centro Litter trio Recrea.tivo Na-
zareno, 2U de jaueiro do 85.
J.is6 Maria Coelho,
1 secretario.

Baneo do Brasil
Paga-se o 620 dividend na aazgo de 9OO5 per
accao ; na 'na dio Cornercio n. 6, 1 audar-
Freguezia da Boa-

Vista
0 fib'l di[ 10 ditrikto tda froguez'ia !a Boa xVis-
ta sci. wtifica os S:'-s. prapriotarios dnos predios d6
fregiu'zi. a seni cargo, quo n-wo tern ainda os pas-
seios feitis on qui o teoauin estr:LJ(los, que Ihes fi-
ca mareado o pms4 de triata dimS, a contar desta
data, para scream elles ooucertadon on constriklos
do accord corn o art. 109 da lei n. 1,129 1e 26
junho de 1873, ineorrendo na multa de 20000,
como manda o art. 113 da citada lei, aqnlles que
findo praso na io houverem conatruido on reparado.
Scientifiea tambem aos mesmos ra. proplieta-
rios que pars cumprimento do que aeitma fiea dis-
posto devem requerer licena a IllMa. Camara,
bastando pr6via participaeao qnando form somen-
te ligeiros os reparos dos ditos panion.
Boa -Vista, 20 de janeiro de 1885.
0 fiscal,
Franciseo Antonio Branddo Cavalcantc.

COLONIE FRANCHISE

Iaunion de tons

les fraunais samedi 24

ouMrant k 8 heures du
soirI I 'hotel del'Kuro-


p-e.


ISNAiWDAI
Dx


MU


Ida Luz
le asordo corn
-adse emvido a


Parn a eleigi. don uoemlwo. da dbWectorl do
orentSawo, mnvido, de ordem do Sr. I
adjuto ema exeMicio, a todos o+ choreses So-
cios effectivos qu estirenm na condiisAm prS-8
criptss no art. 1 des astatutos, a no re&airelaw as
seae social domingo 25 do corrente. sl,0O horse
sda sanh, pqri o fiM acima indicado.
Segundo diipoc o art. 50 do estittta devit
ter lugIro esta emsao no dia 20 do eorrenOta equal
nao se effeetuoun em consequencia a aseslto mag-
na do annivernario tel sido no dia 18&
Secreotria da imperial eociedade dos klAstas
Mechauieos e Liberaes em P'rnauieo, 20 do
janeiro de 1885.
Fiancisco da Cost Bamos
1 seeretarik.
Irmmlade

N. &.do BOmL Parto,-eret a 'lagreja
de N. S.- d lUbha-mar
De ordem da mesa regedorn desta i mandade
levo ao conhecimento de nossos irmas q-ue tendo
a assiembia geral resolvido mandar edificarl as
catacaumbas no eemiterio public, torasr nomes-
das as- cormmisies para aseneiarem asesportulas
dos que quizerem ter o direito a clssa, paasando o*
devido documento, qne nsa assignado pela smes-
ma commissao, compost dos irmaos abaixo.
Freguezia de S. Joso, Livino Christiano Pra-
xedes.
Sauto Antonio, Manedl Severino da EL Martins.
Recife, Manoel Maria do Nascimento.
Boa-Vista, Jose Maria da Conceilo,.-
Livino Chritiano Praxedes,
Secretario. N


Imperial soecledade
DOE

Artistas Meehanicos e

Liberals
DistarbuieAo de-premios
Convido, do ordem do Sr. director,. a todas as
pebsoas quo concorreramn corn seus productoe a
exposieao ultima, inaugurada ne dia 18 do corren-
te, na scdc desta sociedade, a comparecerem do-
ming,) 25 do corrente, As,6 1/2'honas- da tarde, no
referido lugar,. afim de receberem o premio que
lhes foi conferido,
Secretaria da imperial sociedade dos Artistas
Mechanicos e Liberaes de Pernambuco, 22 de ja-
neiro de 85=-0 1 secretario,
Francisco da Costa Ramos.


SbA'. Loj09. Alana

Seas,-. Esp.%-& Ell:
De ord. sup.. convoco a tcdos os nossos
CCh.-. e RResp.-*. Hr. -.. a comparece.rem a
sess.- esp.-. de ell.-, pars o anno social.de.
1885 a 1;886'(Er. -. V.- .) qne tera lugar domingo
25 do andante, pelas 11 horas da manhA,. cemsua
snde aovall. -. do Imper.- n. 14, terceiro an-
dar.
Secret.-.- 23 de janeiro de 1885;(Er,. V. -.)
Mcltfe 18. .
Seer.-.

Soiedade RecrW ba Juvenltude,
Soiree bimestral e S. 8 de-
feverelro
Scientifico aos Srs. socios, que esta soiree,.prin,.
cipiar.i as 7 horas da nowte.
Ingressos em mio do Sr. thesoureiro
Recife, 20 de janeiro de 1885.
Maimwel Bandeir4.5 filho.
Secretario.
OO1DBIIIIA Qon1 Tkuzfla-

De abastecint0o d'agwi e 1a
cidade de l4inda
AL ILftM, "
Pelo regulamento da compnmhbia estA estipuado :
I. Que quaesquer reelamacoes acerea do ser.vi-
co public on particular, queri do fonmeeimento
d'agua, qut r relative A illuminavlo, pas. aerem
attendidais devem seor feitas PB. on _ucJwo, dStadas
e assignaias, diigidas ao escriptorio.da compaubhia.
(officinas deo- gas nos Milagres) diariamente.
II. Que sio responsaveis per semelhantes reela-
ma5ei os ens eusinatas, no cano em-qu, as des-
peoas nuo sejar da oompetencia da eompanhna
(eanalisaqo no solo das uvas pir ondo paserm. o%
encamentos).
III. Que a compxanbia reserve para si, o d rito.
de fekar a comrwnninoaqJozdo guz .o agt a a quaIl-
quer casa on est:a.-lkcimantit Cili Jp DONO, uao pa-
gair eom lnomptWllo suas contas de consumo, as
lqu>es devorio ser pagsis ,inm Oiuda.
P'uL'ic'uado times artigos paras pleno conheci-
iawito 44- puibolw, siproveito a opoatuxtidomdi para
deckr (i\e qwmlquer eontt dt cousumo oaI eou-
ca'to. (Vagwt- on gaz s6 devil s5s pago inediate- re
ieiot. e estaidoI por mim rubrifado.
Escriptorio da comipanhias, .1 de janeiro da t98
A. P. &'miie,
Gerente.

Escola
De ordem do Dr. director faz-se public a qaea
interessar possa, que as matriculdas deste curse
estario abertas desde o dia 15 do corrente atM 3
de fevereiro proximio.
Os pretendentes A matrionltg do 1- anno deve-
rio instruir os seas requerimentos coarn es doeu-
mentos seguintos -
Is Certidio de idade maior de 18 annos pars
homes, e 16 para senuhormes.
20 Certidlo de nao hayer soffrido ooudemnagio
por algumrn dos crimes que motivam a perds da
cadeira aos profesaores publicoe.
8" Attestado de approvagio em ezame nas esa-
colas publicas de instruct o primaria.
4 Attestado de moralidade passado pelo res-
pectivo parocho, ou pelas autoridadespoliciaes
litterarias da freguezia em qde residir o petieio-
nario. Aquelles que no poderem exhibir attes-
tados de exame primano emalguma esoola pu-
blics, deverlo inscrever-se para s exaMnes de
admission, que deverao ecomegar no dia' 6 d. or-
rente, de conformidade corn os arts. 75 e 6 do
regimento intern de 17 s doteembro do 1880
Para as matricula do 2- ou- ani bast ins-
truir o requerimento corn a certidAo da approva-
cao no exam do anne anterior.
Secretaria da EPcola Nomal do Recife, 7 de
janeiro de 1885.-O-O"cretarie, .
A.A.Gamra. /


TIII a AUTitv 111UlSL


t










K


- I


o


1















St4m aamn ammrn IaHl

POMPOSO ESPECTACULO
Success garalntido
BEILCIO DO
LUSBEL


SABBADO, 24 DO CORRENTE
Depois de uma linda ouvertnrma subirAi a scena o
muito applaudido drama pastoril
0 Anjo Bon e o Anjo Man
No intervallo do 1. p'ra o 2. aseto subira a see-
na pela primeira vez nests apoca o muito applau-
dido additivo do artists CARVALHO LIS-
BOA

O Peccador Arrependido
PEtONAGENS :
Peccador Sr. Cantidio das Neves
Peregrine Sr. Ulysses
A pedido de inmuitos espeetadores e em obsequio
- ao beneficiado toina parte nesta testa o autor do


drama.
No final do espectaculo cantar-se-ha
applaudidos
Tangos arias,
Dialogos das pasteras,
Harmonias


scmpre os


pastoris.


Tres lindas
JORNADAS
0 theatre cstarit convenientemenute preparado.
Bilhetes no cscriptorio do theatre.


Camnarotes
C.adeiras ninerarlas
Cadciras avulsas
Galcrias
Gcracs


8s000
2#000
2$OOO
2SO00
16500
s6500


0 bcnefici.ado nlo tein potupado csforqos para o
brilhantisino de sua fiesta, e p.>r it) espera a prs-
*teeco d:s ,preciaidores c amiginos.
PrincipiarA as 8 1/2 horns da noite.
ccdor

Tiro ao alvo
Grande desafio entiree atnadores e peritos
atiradores nacionaes e estrangeiros
Domingo 23 do corrente
No largo do Carmo, em Oliiuda,
ao lado do tivoly do
Bragulinha
A tostaio o tiro
Das espingardas de ar
A mil reis seis tiros
Da espingarda FOWVLER
0 prenzio serd corn honras conferido ao ven-

..... ARITIMOS

CiHARGEURS REUNIS
Comipanhia Franeeza de Navega.
Vao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis-
ooa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
steamner
Ville de Rio deJaneiro
RrWes ~ado da Euro-
paat0 odia 26 de ja-
neiroi seguindo de-
pois da indispensavel
emora para a Ba-
.. Rio de 1a
Roga-saoesB Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha, ueiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer reclama95o concernente a volumes, que por-
ventura tenham seguido para os portos de sul, afim
desse poderemdar a tempo as providencias neccssa
Hias.
Expirado o referido praso a companhia nmAo s-
responsabilisa por extravios.
Recebe carga, encommedas e passageiros, parm
os quaes tern excellentes accommoda5esi.
AGENTEf
Aungusto F. de Oliveira

&C.
42 RUA DO COMMEROIO 42

kastro-lu arii Lloyds 8aiNet

Navigntio a0
0 VAPOR
Memfi
E' esperado de Trieste,
at o dia .. do corrente o e de-
*pois da demora necessaria
seguirA para a


Bahia, Rio de Janeiro


e Santos


Para carga, passagens e encommendastracta-se
corn os
ACGENTES
Henry Forster & C.
RUA b0 COMMERCIO N.
1. andar
i'acic Steam Navigation Companr
STRAITS OP MAGELLAN LINE
O VAPOR
Magellan
Espera-se dos portos
do sulWat odia 2 de fe-
yveseiro, seguindo pars
Europa depois da
emora do costume.

P.ua carga, passage., encommendas e disheiro
a free; tracta-se comos
Consigmatarios
Wilson sons C Uamited
N. 14- DO COMMERCIO N. 14
0 VAPOR
Araucania


-J,-, vxz
Pernambuco
Comniandante o capitIo ae fragata
H. Duiarte


Pedro


E' esperado dos portos do sul
atW o dia27 de janeiro e
seguirA depois da demora in-,
Sdispensavel, para os portos
do norte at6 ManAos.

Para carga, passagens, encommendas e valores
cracta-se na agencia
46 RUTA DO COMMERCIO 46
COMPANIEA PEBNAmBUCAIVNA
DE
Navegacio costeira. por vapor
PORTOS DO SUL
Maeei6, Penedo, Araeaj6 e Bahia
0 vapor Jaguaribe,
Scommandante Costa,
.. seguirA no dia 27 do
"uag^ii^^JLt^^-corrente, As 5 horas da
...ecraa6tarde.
.. ......Reccbe carga Wt c


dia 26.
Encommendas, passagens e dinheiro a frete
As 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana
n. 12 *


ate


LEILOES

Agente Pinto
Segunda-feira 26 do corrento coutinua o agent
Pinto corn leilao de differences volumes corn fazen
das de lei propria para este mnrcado, existentes
no armazem da rua do Bom Jesus n. 49.

Ag-ente Pestana

Leilao
Umna casa terrea sits a rua de Lomas" Valenti-
nas n. 90 e uma parte do engenho Jussara no va-
lor de 2:000,.
Sabbado S4 do eorente


AO MEIO DIA
No a'nnazem da rita. do Vigario
n. 12


Tenorio


0 agent Pestama por autorisagao e assistcncia
do Him. Sr. Dr. juiz de direito do civel, levarA a
leilao o predio acima mencionado e a parte do en-
genho Jussara pertencente ao acervo de D. Maria
Paulina da Silva Baptista.

Leilao
De 2 cofres Inglezes a prova de
fogo (novos)
Sabbado, 24 do correnite
A's It Ioras
Na port do, armazem do Sr. Annes,
no largo d'Alfandega
Pelo agent Martins

Leilao
De 4 5 saecos comn assucar bruto
Segumdafeira2A do orrente
A's il L oras
Em irente a Associaglo Agricola
0 agent Gusmio, autorisado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio e a re
querimento dos exequentes Bezerra Irmros, farA
leilo corn assistencia do mnesmo juiz, de 45 saccos
corn assucar bruto, pertencente. ao executado Jus-
tino Pereira de Brito, cujo assucar se acha depo-
sitado ito armazem dbo Srm. Joo Licio & IrmImos.

Agente Pestana

Leilao
De uma excellent casa tcrrea de pedra e cal
e um grande sitio no lugar denominado Cumbe em
Beberibe tendo a casa 2 portas e 2janellas de
frente e 2 portas e 2janellas nos oit5es e 1 terrago;
tendo a casa os seguintes commodos: 2 sallas, 5
quartos, cosinha f6ra e grande sitio arborisado sen-
do todas as arvores novas tendo o sitio, a frente e
man dos lados tode murado e outro lado murado ate
o meio, e o resto cercado; passando no fundo o rio
Beberibe,cnjo sitio e casa perteneeram ao Sr. Va-
lenca.
ena. Terga-feira, 27 do corrento
AO MEIO DIA
No armazemn da rua do Vigario Tenorio
n. 12
r 0 agent Pestana coi-petentemento autorisado
farA ilalo da caua sitio seima mencionado.
N. B. Pars qualquee r b maico on nr. pretend
dentes pode m desde jighse ao referido Agen-
te no mencionado armazem.

Leila.


.*: *W W ...,: .. .,*, -





Pelosl M do-seapas -
gens para sivez pG d ao4m >lirp; 0 o
passpirg o desemibasraa em New-York tern ga-
rantis a pabagenB s m Livrppool quado Mhe hap.
prouver por vpomres de I ordem.
Para carga, passagens, encommendas e valores
tracta-se corn Os
AGENTS
Henry Forsmer & C.
N. S RUADO(X)fpI ttlO -- N. 8
1. -andar
ComplPa BrUmltlellra de Nave-
ga^oo a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor
Manaos
Commandant 1- tenente Guilherme Wad-
dington.
V esperadodos portos do nor-
*. te ate o dia 24 de janeiro e
Sseguira depois da demora
odo cstume pars os portosdo

Recebe tambem carga pars Santo eR Bio Gra
de, frete modico.
Para carga, passages., emeommendt e valores
tracta-sena agencia
46- RUA DO COMMERCIO 46
PORTOS DO NORTE
0 vannr


AVISOS DIVERSOS


A Estatao
Compra-so dous numerous d'esse journal
de moda publicado no Rio de Janeiro; sao
do 30 de outubro o 15 de novembro do
corrente anno. A tratar n'esta typogra-
dhia corn o administrator, no 1 .o andar.
Aluga-se na rua Imperial duas casas, uma
de padaria, corn forno e utensilios, e outra de moo
radia. us. 198 e 199, por prego muito commodo e
a fallar corn Jos6 Feliciano de Nazareth. A rua
de Pedro Aflbnso (outr'ora rua da Praia), arma-
zem n. 20
Aluga-se o sobrado da rua de Antoniio Car-
neiro (antiga rua Velha) n. 75, corn commodos
para familia, corn agua e gaz encanados e-appa-
relho da drainage : a tratar na rua do BarAio de
S. Borja n. 28.
= 0 abaixo assignado previne a quern interes-
sar possa, de que o Sr. Leoncio Jos6 do Pilar nao
e mais meu empregado assirn como nio se respon-
sabilisa por trabalho algum que nao seja feito e
tratado em suas officinemas A rua da Imperatriz nu-
mero 65.
Carlos C. Tresse.
Aluga-se o 1 andar e sot6a da casa n. 3 A
rua Thom de Souza (Recite), que por se aebar
perto da associacio commercial, presta-se para
um born escriptorio ; tambem serve para familiar,
por ter commodos soffriveis, aeha-se concertado,
caiado e pintado ; trata-se do aluguel a rus do
Imperador n. 31, armazem do gaz.
Quemn quizer alugar a casas n. 4 A rna
do Condo da Boa-Vista, p6de procurar
as chaves no estabelecimento n. 30, a
a rua do Imperador.
S A quem interessar declaramos que nesta
data despedimos ao nosso empregado Joaquim
Antonio de Araujo. Recife, 12 de janeiro de 85.
Floriano Passe & C.
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joao de 84 e Albuquerque, a qual tern excellentes
commodos e grande sitio : a tratar na rua Pri-
meiro de Marco n. 13.
Ahuga-se a casa n. 1 A rua Lembranga do
Gomes, em Santo Amaro, grande, fresca e pintada
de novel, tern agua : a tratar na rua da Impera-
triz n. 32, 1- andar.
-= Precisa-se de impresseres para typogra-
phia : a tratar na rua de Maris e Barros n. 14.
.;- Precisa-se de urma ama pars cosinhar e mais
servigos de casa de famiiia, e de um menino para
csmpras e recados : a tractar na rna do Marquez
do Olinda n. 51, 20 andar.
Aluga-se a 8$ umas meias aguas novas, na
travessa das Barreiras (becco do Aquino): a tra-
tar na rua do Cotovello a. 25.
Jose Paulo Botellb, tencionando retirar-se
temporariamente para a Europa, julga nada ever
nesta praga ou fora della ; todavia quem se con-
siderar seu credor cu da firm Jose Paulo Bote-
lho & C.. queira apresentar-se corn os respectivos
documeatos, dentro di praorde tres dias, a con-
tar da data de hoje, Scientifica mais que desde
31 de dezembro passado cedeu su enstabelecimen-
to sito A rua de Pedro Affonso n. 68 ao Sr. Anto.
nio Jos6 Lopes Braga, fieando este senior encar-
regado da liquidagAo do active Jos6 Paulo Bote-
lho & C. Recife, 15 de janewo de 1885.
Aluga se a loja con dous quartos A rua es-
treita do Rosario n. 38, e a easa n. 30 da rua do
Amorimr; a tratar na rua do Pilar n. 56.
Passo & C., declaram que o Sr. JosA Ferrei-
ra da Luz deixou doe se en empregado desde o
dia 31 de dezembro, e que nao se responsabilisam
por dividas feitas polo mesmo senior.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de molhados; A tratar na rua Imperial n. 128.
Alugam-se o 10 andar da easa n. 18, o 20 .
de n. 66 A rurt Direita; o 1, 2" e 3 da de n. 3 A
rua da Penha; o 2' da de n. 25 a rua de Santa
Rita ; o lo da de n. 34 a rna do Rosario Estreiha ;
tratar na run do Hospicio n. 32.
Costureiro de ivros : preisa-.e na rua
Duque do Cazias n. 39.
= 0 abaixo asaignado deelara que o annuncio
relative a Martins & C., nao se entende corn os
Sri. Martins & C., estabelecidos A rus do Amorim,
e sim corn outro de igual firma, estabelecidos a
rua de Santa Ceclia. Recife, 28 de janeiro de
1885.
Manoel dos Santos Falh>o.
= Aluga-se o mndar do sobrado n. 28 a rua
do Visconde de AIlbquerqnues minta fresco, limpo1
corn agua e banheiro : a tratar na rua Velha nu-
mero 28.


Sendffn mB*%is ?bl^*# ata*ihas o
0,061 oa p46 jla < smupar ht I^ 4si I.-
.--,


ceza, MdsidiP -u sa
iouwla, 1 <^isltrc4muqidi, 1 tsalltt, I
mei eommuda, 1 IWvatorio, 1 6o%, adeiras avul-
mag e muitos outros moves em born uso.
Terja-fcira, 27 de cerrente
A's I hIoeas
No sobrado da run Eatreita do Rosario n. 26

NB ao1ilto afMs

Agente Pestana

Leilao

De uim excellent cavallo mellado,
andador de baixo e melo
TERKA-FEIRA 27 DO CORRENTE
A's It horas
No armazem da rua do Vigario Teno-
rio n. 12
POR INTERVENVAO DO AGENT
Pesina

Leilao
Fazeadas laglezas
(Em continuaoo e por liquidavlo)
Constando de
Deversos volumes corn madapoloes, chitas, brins,
cambraia victoria, cobertores e outras fazendas
de lei.
Segundafeira, 26 do corrente
A's 10 e 112 horas

At nt Pinto
No armazem da rua do Born Jesus n. 49


Idaliat Beguelra Cavaleate
JoAo Barbalho Uchoa Cavalcante convida os
amigos e parents a onvirem no dia 27 do corren-
te, pfW 8 horas da manhi, na matriz 'da Boa-
Vista.a minusa do trigesimo dia do passamento de
Am extremos eonsorte, e aadece- Ihes o compa-
recimento a osaacto de religiAo c earidade.

Encad rnaao coiniermal
0 Diario de hoje dai corn o titulo trabalkoe de
encadernador urma noticia que me 6 summanmente
lisongeira, emuito agradego. No sendo, porr,
natural da Allemanha, como diz a n&ticia, e aim
da Polonia, pego-lhe, Srs. redactores, queiram pu-
blicar estas linhas, corn o que muito me obsequia-
rbo. Recife, 23 de janeiro de 85.
Louis C. Cholowiseki.

Ama
Precisa-se de ura boa cosinheira que d6 fianca
de sua conduct; A tratar na rua d'Apollo n. 36
armazem|

Ama
Precisa-se de uma, que cosinhe e engomme corn
perfeigio para casa de fanmiha de duas pessoas;
A tratar na rua do Barbe da Victoria n. 7, segun-
do andar.

Engoimmadeira
Precisae se de uma engommadeira A rua Duque
de Caxias n. 86.

C. iHeckmann
Usinas de cobre, latio, e bronze de Berlim.
G6litzer Ufer n. 9. Berlinm S. 0.
Espeeialidade;
Construct io de machines e ap.

pareldhos
para fabrics de assucar, destillacles e refiuaq5es,
corn todos os aperfeigoamentos modernos.
INSTALLAQAO DE:

H eiilos goa ssucar comiNIletos
Estabelecimento filial na Havana sob a mesma
firma de C. Heckmann.
Calle de San Ignacio n. 17.
Unicos representontes
Haupt Gebrider
EM RIO DE JANEIRO
Pars intormagOes dirijam-se a
Pohlman & C.

RBoa o gCom rci s 10


LWa dlonaiuda cantro cornor-

cirii mao IalwIz 0
OElk11. 1,5'
Os proprietarioes deste estabelecimento fazem
sciente ao respeitavel corpo commercial, que em
31 de dezembro do anno proximno passado dissol-
veram'i amigavelmente a sociedade que tinham em
dita loja sob a firma de Bourgard & C., retiran-
do-se o socio Jose Leopoldo Bourgard page e sa-
tisfeito de soeu capital, ficaudo a cargo do soeio
Josa6 Antonio dos Santos o active e passive de dito
estabeleeoimento. que eontinuarA sob a razso de
Jes Aat*mtnio dos Santos, successor de Bourgard
& C., e upico proprietario do memo estabeleci-
mento. Recife, 5 de janeiro de 1885.
Jose Leopoldo Bourgard.
Jose Antonio dos Santos.

Fabric de eigarros a

vapor a rua da Impe-

ratriz
Os proprietarios deste estabelecimento fazem
sciente ao respeitavel corpo commercial, que em
31 de dezembro proximo passado dissolveram ami-
gavelmente a sociedade que tinham na dita fabri-
ca, sob a finma de Bourgard & C., retirando-se os
socios Josw6 Leopoldo Bourgard e Jos6 Antonio
dos Santos, pagm e aatifeitos de seun capital, fi-
cando o active e passive a cargo do socio Pedro
de Alcantara Borija e Castro, que continda como
unico proprietario do mencionado estabelecimen-
to, sob a firm de Pedro de Aleantara Borjs e
Castro. Recife5 de janeiro de 1885.
JosA Leopoldo Bourgard.
Jos6 Antonio dos Santos.
Pedro de Alcantara gorja e Castro

Atten o
Aluga-se um grande sitio bern eonservado, corn
muitas arvores 'fractiferais e mais de 200 pls de
coqueiros, baixa de capim, dous grande viveiros,
cacimba corn agua boa, casa de moradia, proximo
da linha dos bonds, aluga-se por prego modico, e
muito convenient para quem tivcr carroWas ou
raccas de leite. S6 os dous viveiros rendem
'nais do que o aluguel para quem cuidar delles : a
tratar na rua da Mad re de Deus n. 7, de 11 horas
at& 2 horas da tarde.

Aluga-se
o terceiro andar e mtIao d rms do Born Jesus n.
68 juato ao Corpo Santo, corn eommodos pars fa
mii : trata-se na rua do Apollo n. 30, arma-
zem.

Caixeiro


Pb-jtk S
40r 1M pida e a Z :uuieo depsito, na
botica do icie, 4 r" do Bomn Ju (antiga da
ftus) AL W "*a-___


WNaua dai. fp .47 bt-se plisda e recorta-
ie baba"os redw &, ptmikudos e miudo._.

Patriolas
E' o nome de duas boas earroras corn as cam-
petentes pipas para vender agua a quemn tern bde,
e que s8 vende por barato preo. Tambem ha
parn vender urma boa cas de taipa, nova, bern
preparada, corn diviso so lado pars taverns e ja
corn as competeuntes prateleirar, balcdo e mais
utensiios ; assim como m born terreno pas edi-
ficar, tude na rua do Quiaoo em Afogados: quem
quizer comprar entenda sc corn o Sr. alferes Cons-
tantino.

V'e ies61 @
eNova remessa de fastoes de cores a 240 ra. o
covado1!
f Lmndos padres cm fustles brancos a 400 rs. o
dito.
Cortinados bordados (novos desenhos) a 7;000
o par! I
6 nas conhecida e acreditada loja de Carneiro
da Cunha &, C., A rua Duque de Caxias n. 59.

Ama
Aluga-se urna boa cosinheira; A tratar na rua
do Cabugi n. 16, segundo andar.
,Bemrcha special ma ihas

Vende-se na merciaria de Gonqalo Jos6 da
Gama, a rua do Padre Floriano n. 41


S. f, il


econhecido do mndo inteL
como e meihor 6 mais perfeito
Sde todos a sababs de toilette.
Espacialiai .
Estrmetos A essencias triple
tde cheiros. Agua de Colonia. L
Vinagres de toilette. P6as d'ar-
Sroz. Pommades. Azeites 6 to-
S das cases do perfiiuariasfinas.
S Superiors qnalidades. j
So"Dpeiltos nao principals Per. I
I fumaias, Pharmacias 6 Caltl-vor
S leireiros do gr*4..

MOdalhade Progresc 7iieana 187&.1


RIOWLANDS'

Macfoma* Oil
O. cabecido ha mais de 84 annos com
N~ft rnWrVmtlVo dos Cab.Uo., pmlicllarmel
sow =o quo, m'
uOs quotes, Impede ow Cabllo de C1
9 Cria&b -Vende-se tambem 06r do Oro.-O
ROWLANDS' MAGASSAR OIL de ao
Imoa Garden, Londres, encontua-m ea mdu s
Dwwaias e Perfunamd


S- _IF- 29.% Vxs~v


CAJURUBEBA

PREPARADO VINOSO DEFURATIVO

OY DO PELiJUNHC IDEA B1GIENE PUBLc DA CARTI

AP.RtISADH PR DCASTQ IMPIAL, ,I2 0H fl DZ 1883
- COMPOSICAO DE FIRMING C. DEI FIGUEIRtDO
iy.-t -: i' ..i..
"'' Empregado corn a major efficacia no rheumatismo
de qualquer natureza, em todas as molestias da polio, nas leuchorr=as on
flores brancas, nos soffrimentos occasionados pela
impureza do sangue, e finalmeite nas differences f6rnmas da sypbilg.
Propagador-A. P. da Cunha


As importantes curas, que este poderoso medicamento tei produ-
zido, attestadas por pessoas de elevada posigio social, fazeie corn
que de toda parte seja elle procurado, como o melhor e mais-ener-
gico dejurativo do sangue.,.-
Depura" o sangue, como condigAo de uma circulaAo benefica e effi-
caz, eis em que consiste principalmente o meio mais seguro de
conservar a saude e de curar as molestias que a impureza do sangue
occasion. -- ", :' ,
0 Cajftrubiba pela sua acuao tonica e energicamente depurativa,
6 o medicamento que actualmente p6de conseguir esse resultado
sem prejudicar, nem alterar as funce6es do estomago e dos iuteti-
nos, porque nao contem substancias nocivas, apezar do vigor depu.-
rativo dos products que constituem a base principal desse ed.Pa-
mento. .-- -- ;,
D'entre as muitas curas que tern feito, citamrnos as seguintes, com-
provadas pelo testemunho dos distinctos e conhecidos cavalheiros
que firmam os attestados. -,, -
A16m dessas, aliAs irrecusaveis provas, offerecemos mais, cornmo
garantia de nossas asseveragSes, o testemunho dos illustres medi-
cos, Drs. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Praxedes de Souza Pi-
tanga., e Joao da Silva Ramos, que em sua clinic tem conseguido
os mais brilhantes resultados corn o emprego do CUgjiirub6ba.


Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Doutor
pela Faculdade de Medicina da Bahia, Ci.
rurgiiio-M6r do Commando Superior da
Guards Nacional do municipio do Recife,
1" Cirurgiio IIonorario do Corpo de Sa ide
do Exercito, Official e Commendador da
Imperial Ordem da Rosa, Inspector de safi-
de publics e do portodePernambuco, Com-
mendador da Imperial Ordem de N. S. Je-
sus Christo, Membro do Institute Medico
Pernambucano, Medico do grande Hospital
Pedro II. Socio da Propagadora da Instruc-
,ao Publics e de muitas outras sociedades
scientificasa e humanitarias, etc.
Attesto qua tenho experimentado em mo.
lestias chronicas da pelle e rheumatismos o
Cojurubba do Sr. Antonio Pereira da Cunha,
e tirado born resultado.
0 referido affirmo in fide mi gradu.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
9 Dr. Pedro de Attahyde Lobo Mosco.
Praxedea Gomes de Sousa Pitanga, Doutor
em Medicine pela Faculdade da Bahia,
Commendador da Real Ordem de Christo,
Cavalheiro da Corads de Ferro da Italia, 1-
Cirrgibo reformado do Corpo de Safide do
Exercito, condecorado corn as medalhas de
pasmador de ouro da Campanha do Paraguay
e de prata do Uruguay, Deputado A Assem-
bleAs Provincial, medico do Real Hospital
Beneficent@ Portuguez, membro de diversas
sociedadea litterarias, etc., etc.
Attesto que appliquei o elixir Cajfirubba
em casos de rheumatismos agudos, e obtive
excellentes resultados, sendo que por isso o
tenho preferido ao xarope doe Ricord iodure-
tado.
0 referido 6 vordade, que arffimo em fM de
men grTo.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
Dr. Praxede Gomans dda ouza Pitanga.


Jolo da Silva Ramos, Medico pela Universi.
dade de Coimbra, Cavalheiro da Imperial
Ordem da Rosa, Commendtdor das Ordens
portuguezas de N, S. Jesus Christo e N. 0.
da Coneei o de Villa Viuooa, Fidalgo Ca-
valheiro d Cas Real Portugueza, Moco
Fidalgo corn exercicto no PaWo Imperial do
Brasil, Boio Correspondente da Sociedade
das Sclencias medicos de Lisboa e da de
Medicina de Paris, etc,, etc. -.
Attesto que tendo empregado em meusa do-
entes, dunrae trinta annos que exerqo a cli-
nica, todoa os depurativos conhecidos, quer
naclonses, qu6 estrangeiros, do noikum tirei
tio prompto a efficaz resultadon iheuma-
tismo, na syphilis e nag moletiaus da pelle
come do =Cf=r do Sr. A*onio Pereira
da, Cuna, so qud devo o reAsbelecimento
de various doeat, deo cuja cur'ea tinba desa-
nimado corn o emprego dos outros depu-
rannt.
0 que flea dlto 6 verdade, que confirmarei,
sepreciso fOr, eoMrn o juramento de meu grio.
Recife, 22 de Junho de 1884.
".- Dr. Jodo da BUta Ramoa. @
Attesto, torque vi e observe, que a preta
Esoolastca nao andava a quasi 8 annos, tendo
as permnas completamento chagdas, e corn o
emprego do C ajrufba desappareceram as
chagas a comegou a andar. Recife, 6 do
Agosto de 1883.- Gervasio Campello Pire
Faerra (Desembargador da Relaao do Per-
nambuco). .;.
Recife, 22 de Abril de 1883.- Ilum. r. Fir-
mine Candido de Figueiredo. -Jose Caetano
de Medeiros, Tenente-Coronel da Guards Na-
cional e Cavalheiro da Ordem de Christo. -
Declaro que o sen preparado Ccqjrubba 6 um
prodigio I Men fllho Cleofas soffria de dartros
a ponto de se ir tornando umna molestia sgria;
depois de se ter tratado homeopathicamente
e corn mais outros remedies, sera que melho-
rasse, usduon do seu Cajnirubba, e antes de


acabar um frasco desapparec
Recife. 17 de Maio do 1884.-Illm. Sr. Fir- milagre.-Um outro mieu filhc
mine Candido de Figueiredo.-Cabe-me a sa- fenrida na perna, e depois de
tisfafio de commnunicar-lhe o benefico resul- Caroba per alguns msezes, semr
tado obtido polo sen preparado Cajrubgba no obedecesse, corn o uso do seu n
tratamento da enfermidade de que estava sof- rubba ficou perfeitamente cur
frendo meu filLo, menor de 4 annos e meio nha neta, soffrendo de flores
de idade, reu ao seu preparado, e em po
Sobrevindo noste, ap6a dous annos de sof- boa. A' vista disto nAo devo c
frimentos, resultantes da deslocalao da espi- digioso medicamento, nao s6
nha dorsal, um formidavel &tmor na perna em sou trabalho, como para
direita, do qual origino-se urma fistula corn fredores a taboa da salvaleo.-
grande e iticossante derramamento de pfis, a -d oJedeiro.
sua safide, a juizo de alguns facultativos,
tornou-se seriamente compromettida, sendo Parahyba, 3 de Marco de 1I
que maim mo constrangia dizerem estes, antes gaciano Olympio de Oliveira.-
e depois da appariqo do mesmo tumor, que ta provincia o agent encarre
meu filho jimais poderia andar. Eis quando do medicamento Caj4rubba,
um parents, pela proficaa experiencia que feito uso do mesmo, rogo.lhe
tinha do Cajwbba, aconselhon-u me o em- formar-me corn franqueza o es
prodgode to important remedio. achava, e o resultado que tirom
Effectivamento o fiz e corn tAo feliz resul- medicamento, podendo eu fa
tad& quo em meio do primeiro frasco acha-. resposta. -- Sou corn estima de
va-se a criaaea corn tamanha robustez a ponto Pereis a da Cun/a.
de andaracasa tpda, nao sentipdo mais as Sr. Manoel PereiradaCunhlm
dores ua espinha, que tanto a torturavam; a prado em sun fabric Apolo c
fistulaseaiou do tanto suppurar e apenas ma- nose, denominado Caj4ndbQa,
rejava urma agua esbranquicada, devendo-se que se achava soffrendo de un
supper proveniente, segundo o citado juizo, pa direito a mais de dois annos
do haver oo cariado. do-lhe corn periods de mezs,
mnfim, e tal o vigor de que gosa hoje meu uso do Cajitruibba. com oito di
nmho que, parece-me, com o uso do terceiro de mellhor e hojo chase caur
fraco do Ca j*rub conseguirei a cura radi.- Oautros incommodos que ta
cal da fistula, muito emnbora o cariamento do como urma infiammnaqo no a
osso; sendo para notar que o (Gvrubba teve empigem, desappareceram con
a forga do destruir sem a menor operamlo as jm&ubba. Desta minha resp
eamne esponjosas geradas nas bordas da refte- o uso que the convier.- De V.
rids fistula, tento e criado, Rogaoano Qip
E pam.quae Vmc. possa faer o uso que lihe (Despaclmhante da Alfandega).
appouver detas minima deelaragao escripta,
pOr vurdade subscrevo-me dVmnc. attencioso
venerador e criado, M'fmw t refiGW de Mo- Acham-se dovidamente reco
rae PirLs n.n ( inregada am Thesouraria de as firms dos attestado por
agenda, blioos.
* .)*JS^QfEg') klyL^--abrics Apollo, Baa do Hospildo 'V PUSQ~i
A' venda aoi de^ 'iitm fabrics-rma do Eamijuos d'Olimada 53, t^


erarn como per
D soffria de tuma
tomnar a Salsa e
que a molestia
milagroso Caj4-
ado.-Uma mi-
brarncas, recor-
iucos dias ficou
ccultar tao pro-
para animal-o
snsinar aos sof-
Jose Caetano

884. Snr. Ro-e.
-Sendo eu nes-
gado da vends
e tendo Vnic.
se digne de in-
stado em que se
u corn o uesmo
ser uso de sua
eVmc., Manrodel
.-Tendo corn-
) preparado vi-
para meu psi,
na erysipela no
), reapparecen-
e fazendo elle
ias sentio gran-
ado.
Lmbem soffria,
stomageo e un
m o use do Ca-
osta podo faze?
. S. amigo, at-
mpio de Ol(iira


p
It1


I
I



II


I



f ;
.f.'


",,2;"


Clara amre-ewlu d Vieira
is tva
T eeu, aaiversario
CmItovAb Rr ed:Vieira da 8ilw e Jo6
Maria Breckenfeld Vieira do Silva convidam seas
pare.teas e amigos pars a ussistirem a miua que
sera celebrada na igpja do Espirito Eanto, no
dia 24 do corrente, as 7horas da manulia, or alma
de sua ssammdoa maiClra Breekenfold Vieira da
Silvaue Agradecem aos qoe se diguarem deoom-
parecer.








-.-: 'A4


.... "*, ^ aa 'a c 'x

rmutforpeha Junta central dv'Hygis 1WUI*blM
C6hApB la Esseicia d N Mact Im IMi'al i;10 flMlki
fRememio iAfllivel para orar a O miuBin, m UI N'lWm o
eswomago, nein provocar repugnancia, efletla-ue" smjpre proaam
tCila as capgutr d'" copahiba liquid.
Deposito em Pari, Pharm. GBIMAU Cig, 8, rMo Vivienre,
a ptodpai Pharmacias a Drogarias AIortagal do4 Irma


w


Ii


i.


VICTORIA OIL
De vyxc.jO & o&i
ALHAI DE PRATA NA 5XPOSIVAO I MiRSAL DR 3M


Ama
Precisa-se de u=a engommadeira :
Aurora n. 109.
Ama
Preci.a-se de um ama para cuidar
as : na us do Apolo n. 2, 1 andar.

JA chegen para o uni-iogente ncptA
o acreditdo kerozene ivielosivo de
Carde, que se acha A vendasno unico
rua de Bern Jesus n. 38, junto ao eorre
LINHA .COATS

SLwutro8a j para machine, e a a y
fm s tanto para machina comopara co
-Nio se usa mais linha em nove
Pede linha em earretel cmn o w,
J.&P.COATS -


Deliciosamente r erfumado, compost de substancias toncas e for-
tilicantes, este oleo, essencialmente hygienico, regenera Os oabelos,
na rua da torna-os macios e lustrosos, impede-os de cair, conserva-lhes a c6r
e preserva da caspa.
0 VCTORHIA OIL so pzrepara corn o perfaau seiuten :
Bouquet Victoria Heliotropo branoo Mareaok | Violote
em crian- Baa. Bouquet Jasmin Mil fl6tw? White-Rose
Poeno Jocky-Gub MoumeU \i Yl&ng-TYling
Deosito Paris: ,, Runa Tienne, e nas pri.cipaes Cans *Perfieria.


provincia
Coral &
deposit A
10io.


facia de 6
zer a ro
slo-
me


Aviso
A' rua do Marquez de Olinda n. 51 precisa-se
Ie urn pequeno que tenha alguma pratica de miu-
dezas e que de garantias de sua conduct.
Alila
Precisa-se de uma cosinheira : na rua da Au-
rora n. 109. _____
A Drelld1zs a costllreirns
Precisa-se na Encadernacao Commercial, rua
Duque de Caxias n. 39.
Caixeiro
'j ,isa-se de urn caixeiro de 14 A 16 annos de
i corn pratica de molhados, que de fiador de
.. uducta : na rua de Pedro Ivo n. 10.
Ama
Precisa-se de uma cosinheira : no largo do
orpo Santo n. 17, 3- andar.

SIuilo pode o progress
liraide loja de fazendas de Custo-
dio de Hendonca &C ., rua Duque
de Caxiaos n. 61.
Neste estabelecimento estA abolido o systenma
de vender caro. Os seus proprieiarios teem adop
tauL) o system de vender pelo custo, ganhando
tao scinente o desconto. E' o system main aper-
feiv:r,!o e que garante ao comprador ser scmpre
be i.!. .rvide. Todos, portanto, qnequizerem com-
pr: r, estejam convidados a honrar este estabele-
ciM.-nto, onde encontrarao, a par da sinceridade
e agrado, unm complete sortimento de todas as
fazendas, como sejam :
Setinetas lavradas e lisas, o que ha de melhor
em gosto a 500 rs.
Setlneta preta adamass6, fazenda lavrada, de
born gosto e muito larga a 800 rs.
Merin6 preto fine a 1M400, e superior a 1$800.
Merin6 setim preto fino a 14800.
Setins de corps fipos a 1s400.
Sctim preto superior a 24500.
Fustao branco fino a 500 rs.
Saias bordadas a 4, 5 e 64000.
Complete sortimento de fichus.
E muitos outros artigos que e infadonho mnien-
cionar, e mesmo nao e agradavel fatigar a pa-
ciencia das Exmas, leitoras.
01--Raa Duque de CaLlas--61

Mtfoio
Na rua Direita n. 74, vende-se ovoe muito
fiescos, em porcgo e a retalho, e mais barato que
em outra qualquer part.
Criado
Preeisa-se de um criado : na run da aurora
numero 109.
Loteria da Parahyha
No estabeleeimento n. 2-C :a run do Cabuga,
acham-se exposton a venda os bilhetes de nnma
nova loteria da Parahyba, organisada seghndo um
bom piano, que contm os seguintes premios:
1 de 4:000O00
1 de 1:000000
1 de 200,000
2 de 100000
4 de 50,000
15 de 20,000
40 de 100O0
50 de 5AW000
500 de 24500
Este ultimo o preco de cada um bilhete alli,
sendo elle em Pernambuco 2A750 para os vende-
dores e na casa 34000.
Os premnios slo aqui e alli pagos integralmente,
sem desconto algnm, a vista da lista da extrac-
co.
Sao estas vantagens que nao podem deixar de
ser apreciados pelos que gostam do jogo das I-
terias.


Aluga-se barato
0 20 anuar'da rua do Bomn Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
Casa terrea da rua da Ponte Veiha n, 22.
A cisa terrea na run da Palma n. 11
A. casa ,A rua do Visconde de Goyauna n. 79
A casa terrea n. 7 da rua de Lomnas Valeutinas.
A loja n. 10 da travessa do Carmo.
0 armazem n. 13 do largo do Corpo Santo, o
equal tern communicanio cornm o n. 4 A no cases da
Companhia Pernambucana, corn guindaste.
A mei'agua da rua do Nogueira n. 2.
A tr tar no largo 3o Corpo Sautn. 19, prime;
audar-

Cosinheira
SPrecisa se de uma cosinheira : aI tratar na rua
do General Abreu e Lima n. 4, 1 andar (antiga
de Santo Amaro, bairro de Santo Antonio).
Cosinheiro
Amuda se precisa de tim cosinheiro : no sign.
do srdnr do predio n. 35 A run da Imperatriz.

Silio e casas
Ali:ga-se um sitio corn easa, teudo bastantes
commodos para familiar, na run das Crioulas nu-
gero 59.
UrJma casa na rua da Ventura n. 4, comn 2 ulas.
3 quartos, coeinha e cacimba.
Outra propria para taverna, com armancao, na
mesira run n. 31.
O'tra pars tamilia, n. 35, na rmesma rua ; todas
s lCapuga : a tratar na prnca da Independencia
S.. Pree'a-m de unia cosinheira, par cans de
S ... : atratr aua do BIo
r 39, loja.


Grande Extto


HI Ei


Shamate l d20- anws


IiDE i


SteN MEDICAMENTO, de o uf Sgiafs-
& 0 adoptado pel/ melhor, Medicos de Paine

DEFLUXOS, GRIPPE, TOSS, nED S DE EEARGAaTA >
CATARRO PULMONAB t
IRRITAQOES do PEITO, das VIAS URMINRIAU
di da BE Y'
-' Itoo- ParMui BLAYN, 7, lars-.Saih'-IW laIPS M
ilspo"% .am PFwranbumo:IRANN M. I- SLI. a ? -. 4
"*I= lg o rs f iu X .5


S^INGERIUSIN61!
IAC-iS m CoSTA M RAHS DRI COS!TU A
VEIMIDAS DO ILT1IO ANNO 603,2t92
Q(em nio tern ouido faHar das famosas machines de costura de
Singer ?
Em pretaIp6es semamaes
DE



18000


Quando o pagamento por este system se
effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
de 5#000.
Abatimento de o10000 a dinheiro A. vista.
S Roga-se aos pretendentes de virem ao es-
criptorio da companhia para informagoes cir-
cumrntauciadas.
Immensa e real vantagem 6 obter-se o
-_i- minelhor artigo nas inelhores condigies.
De hoje em diante nionguem comprara senao a verdadeira
machlina de SINGER

PORQUE ?
1.o Por ser incontestavelmento a melhor, mals forte, mals bern aca-
bada, mals simple, mais duradoura, a unica que tern obtido mais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imitadores.
2. Por existir umn deposit succursal da propria companhia, onde se giran-
te estas machines por um tempo illimitado e onde sempre se encontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.o Finalmente, porque aquellas pessoas que atk o present, per falta de inmeios,
nao podiam satisfazer o seu desejo comprando urea d'estas excellentes machines,
podem agora corn toda a facilidade compral-as mediante a modica prestagAo de

1$000 POR SEMANA!!
Recommendamos corn insistencia -M No se lludam com as machines
que trazem o nosso none e que nao passam de RUINS IMI-
TAVOES.
Vendemos tambem linha superior, retroz em earreteis, agulhas, leo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e pr pregos
sem competencia.
0 unieo deposit das verdadelras machines de Singer e na
Rua do Cabug4 n. 1 A, Pernambuco
Direct o geral da America do sul.-101 rua do Ouvidor 101.
Rio de Janeiro. Casa matriz..U54 LUnion Square, New-York.


FUNIDICAO


DE FEB110
DE


CARDOSO & IRMAO

IUA DO BR M N 100 A 104
IDPUITO B0 DJ APOLLO ISI 2 B
Os proprietaries deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas relapoes directs
|corn osmelhores fabricantes, e corn um dis-
tincto engenheiro de Inglaterra, offerecem
grandes vantagens para encommendas, como
provam com os apparelhos completes assen-
tes nos engenlhos Massauassu' e Bosque, e

meio apparelho no engenho Conceieio.
MACHINAS a vapor trabalhando so corn
o fogo do assentamento, podem ser examina-
das as que foram assentes nos engenhos Be-
lem, em Timboassu', Cucaii, em Gamelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidrawao em Pao


d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte


Parahyba.
Chamam a atteneio dos


Srs. agricultores


para os novos vapores que tem recebido do
acreditado fabricante Robey. que se recom-
minendam pela facilidade de conduc~ao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixandt
de mencionar os engenhos em que os tern col-
locado, porja terem vendido 85 para diversos


lugares, e por issoja
cidos.


devem ser


bern conhe-


Sao os unicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da collocaao e por sua
dura~to.
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais fefigens pre
eias 'a'rien ra, temrn sempre grande depo-


I&an urros,^oioere& e'ewu aito, endwtu& ida melhor qualidade.
rWe .' ha I't. Ifo i6 1 u a dinheiro omn des
iT dwro agraaf t MIm IE m
4e48FrdiiA fcont"


PurgantenasFamilias.

DEPOSIT GERAL
13- Run Primeiro de Marco-18
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMNON HBOWIE & C.
N. 3 = -Bua do Commercio = N. 3
A venda em todas -as boticas e a -ogaria


dos. Carlom i erreira
A viuva, genro e filhos do finado Jos6 Carlos
Ferreira, tendo de mandar celebrar uma missa
por alma do mesmo, na capella dc Joto de Barros,
pelas 7 1/2 horas da inanha do dia 24 do corrente,
3' ainiveroario do seu prautado pi-s:.unentu ;
pede e espera o comIparcimcnto d e wIs parents
e amigos.


Precisa se de unia paira cosinhar na rua do Co-
ronel Suassuna n. 149.

Arrenda.se
0 engenho Santa Cruz, conhecido por Cabeya
de Porco, sito na freguezia de Una comarca do
Rio Formoso, moente e corrente, corn duas boas
casas de vivenda, magnifica capclla, grande sen-
zala, muitas mattas, grande e bem cercado para
200 cabeqas coin capacidade para safrejar 3000
pies annuaes, muito born d'agua corn moenda de
40 M24 polegadas inglezas e %ssentamento de fa-
zer assucar pelo system do Sr. Einiliano de Brito
que faz 240 pies por semana, cspacozas casas de
engenho e caldeira, casa de purgar para 800 pies,
boa casa de retame, casa de bagano, distilacgo,
casa de farina e srraria movidas por agua, gran-
de estribaria, c forno para 150 f6rmas, quasi tudo
de pedra e cal, cm perfeito estado de conservagao.
0 engenho tern magnificos sitios para lavradores
e pode embarcar o assucar por Gamelleira, estra-
da de ferro ou por Una porto de mar. Veade-se a
safra criada.
A tratar, eomrn Leal & Irmaos rua do Marquez de
inda n. 56.
Criados
Precisa-se de una pars essinhar e outra para
andar corn m ninos, e urn rapasito para recados;
a tractar na rua Duque de Caxias n. 59, loja.
Engenho
Traspassa-se o arrendamento do engenho GOIA-
BEIRA, distant de Jaboatalo media legua, movido
por agua, moente e corrente, minuito bern acabado,
corn excellent easa de viveuda, sendo todas as
obras de pedra e cal" Vende-se a safra que acha-
se nas melhores condiq5es, boiada, carros, alam-
bique, etc. 0 motive se dira ao pretendente,
tractar na rua Nova de Santa Rita n. 49 ou
mesmo engenho.


ACIDO PH08PHATO DERHORSFORD
preparado em harmonica corn a formula do
do professor E. N. Horsford, de Cam-
bridge,
para indtgestao, prostracao menial
e hytyica, snores nocturuos., etc.
E' esta uma prepara-o de phosphat0
de cal, magnesia, potassa e ferro com act-
do phosphorico, de tail forina uombinados,
que mui facilmente se assimila ao system.
Nao diverged as opinions na elevada
autoridade medical, rclativamente ao me-
rite dos phosphatos; entretanto atW hoje
nenhuma preparagcto se offcreceu ao pu-
blico que corn os mais felizes resultados te-
nha satisfeito A necessidado geral, come
esta.
E' agradavel o paladar, c sua acgno se
harmonica perfeitamente corn os estimu-
lantes que seja necessario tomnar-se.
Os medicos mais celebres dos Estados
Unidos tern ultimamiente ermpregado o
Aeldo Phosphato corn mielhor exito
para combater o0 mAos effeitos pro-
duzldos pelo effelto do fumo.
Faz uam delieloso tonieo snlm-
plesmeute corn assuca e agua.
AGENT EM PERNAMBUCO
Aamsn Howie & C.


3 Rua do Commerelo 3


Jcs6 Theotonio MagalhAles regressando da Eu-
ropa ondte foi tractor de sua saude, estabeleceu-se
agora na rua do Barao da Victoria n. 14. 1 andar
tern boas fazendas franeezas e inglezas e bons
brings, promette servir bern e por pree-!, inodicos.
Rua do Brumil
Aluga-se o 20 e 3 andares do sobrado da rui:
do Brum n. 62. com agum ; a tratar no mesr,.
(pad,.ria).


R. DE DRUSINm & C.

Roa ao BO-Jens i. 1
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de otmnissoes
Grande e variado sortimento dc amos-
tras e catalogs de produces da Allema-
nha, Franga, Inglatera, Austria),leepanha,
[talia e Estado Unidos.
N. B.---IJuformagsw -. a-os
agricolas, ditas para engenhos centraea,
bombs, etc. para incendics e outraa mz.
hiiaws e utenuihos.
~ e e Tr-tao e .
&Arua lagp-we e troca-se novne e usmdoa.


- .; .* *. A~*' .~ :X'- -


*,. '. + ,.
____ -. U..7


', "" : ,-n *
"' .^ ^ -- ^ l^ V '^ ^iiais ^ .......' .,.? :. ,.
'5. ,, .-
-a ." .. .--- u, -- ...


W W W W W W WV W W W W V W V V V W V V


^ ~~MARCA DE rABBICA f^* ^
AE VINHO
DO

D1 Oaba1oeu

KINA-GABANES
S 0 Vinho do Dr Cabanea, submettido a 4
approvac~o da Academia de Medicina de 4
S Paris, foi reconhecido como um tonieo
- ,l CIIhW (UNIA AIANES)ACTO-PIIOAEO[CPAUX enerecoo(por encerrar os principios consti- 4
ET R3AVWINUITREEAtLCORCET-ORANG0SAMERES tutivos do Sangue e da Carne), que di ao (
=.B 'M R *sangue fosca, vigor e encrgia.
S *g.MitamS EXPORTATION ATM J Os SnnD Trusseau, Gu6rard e Vel- 4
pea-":"ff --O urlDI2ofe ssoesida Faul rdad e Vdiial
S NOTA. Para evitar as contrafaopoes, s 6 se deve peau, professors da Facnldadde Medicina A
acceitar as garrafas qui tiverem incrustadas no vidro de Paris, o receitam todos os dias corn o
as palavras : Vinho do Dr Cabanes, Paris, e melhor exito As mulheres enfraquecidas por
sobre os rotulos, tiras deo papel que envolvem o excesses de today specie, traao, e r a ere
I Iargalo e a mares de fabrics,a ue. excesses de toda especie, trabalho, prazeres,
a assignatura do Dr ca, menstruacao, edade critics e amamentaco 4
banes e o sqUo de garantia 6*ve [^ ,te prolongada. E' extremament e fficaz contra
do governor francez. "-5 o Fastio, Mds digestees, Dyspepsias, Gastritis,
DA slado maa i sos "I U Tonturas e Vertigens.
SDa resultados maravilhosos nos casos de A mia, Cmlorose, Pauperismo do sangue, Esteri-
lidade das mnulheres, Fl6res brancas, Perdas seminars, Impotenciaprenuatura, Emmagrecimento 4
geral, Tisica pulmonar, ]ebres tergas, Zntermittnteoe, Palustwu Endenlcsa e
Rpidemicas.
0 Vinaho do Cabamaes, pela energia de sua acc5o cordial, desenvolve as forcas, active a
eircula.o do sawgue e e muito recommendavel para as convaleseengas.
Faz cessar os vomltos tao frequents durante a gravidez, augment a secret do leite nos 4
nutrizes e da extraordinario vigor as criancinhas de mama; gracas a influencla dos sous prin- A
cipios tonicos, 6 soberano nos casos de Diabetes, A)Tec.co da medulla, Hysteria, BEpilepsia,
Rachitismo e em geral, em todos os casos em que e precise recorrer A um tonics poderoso, qwue
di vigor e restaure as forces dos doentes.
SComo aperitivo substitute corn grande vantagem os liquidos perniciosos como absintho,
vermouth, etc. E' um preservative apreciado pelos viajantes e Wtinheiros,,como anti-epide-
P mlco e antidote da febre amarella, Vomito e outras Mo,.set Bloict ,
Deposito geral TROUETTE-PERRET, 163-165, rua St-Atoie, PARIS
Depof'too am fernambuco: XAX W. da sZVA 0& ae u wprlci"pa r"aeia.
Ak A AA Ak Ak Ak "& I& &IALAAA- A. AAA-


VERDAOEIEAS PILULAS doD' LAUD
6 o..r epsrudoe *rruginoAoa podea 1preantaur A cozfianga dew mdic.-
m gates apoiado .m documents ao autemticoa como os eguinte :
Rio npreogaras earm o wielhor exito. ha mate de (0 annos, p~la mater pare ics Moedicos,
UU qsrar A *la l' hr-e (Ioti plPJdui), e faciltar a formwco dar ram Lss. -
s ben o e ueamnsercVo destas Piluias nc novo Cedao fr.any uos dlispense de todo eago,
uoe ljmttaiemoa ucna unica eilacao. a do W 31 .Z B "
a Vase. 35ma.. qeO exe. amaedicluadiz ella,reconhiqto ga Putle. toiul
YMm icoptesotaus webre es ouo* feKongilsos, e ma o4mlWdo como
..* *M i~ -tutelo~rottoe Do* oo 6L.5*|&
Ef.PviH~At9e d e AcadMia do ulsal E* Pail..
exasijt)a4e que o 0eo nome e tea gravado obre cda Pilula como if frgemr
OUMPME DScONFIAR DAS n5MTA96E
SIAciISjaaPiyaas. I-.Pe-Aiafmbnco: 1: F da A F e aas iiiiapaaai.


mmppmlp


rww WWWW wq-


A, AL A, A.lA


i


i


m


A A -- A A A A A A
wwlwlwlwvrlwlvvrvvv ",qw vrw,9w IW Wwwvrw MFWpmo


DE
Vl A&


iSmpC'


i


I


;(


















:,. iipaw? aolres-

peitavel public, que
contmuam ter urn sor-
Lmento de joias das
mais miodernas e dos
amis apurados gostos.
Compromettem-se
a vender mais barato
do que em outra qual-
quier part.
hi di Cai ii


Luz brilhate sem r..

Oleo aromatic
GmUmICO E CCNOICe

Para \amffrs


Martins & Bastos
Pemambuco
Nnmero-telephonieo a. 3388



AO COUEIRCIO

Viagens ao centro
De Ollndaaltabayanna por Igua
rass6, Goeanna e Itamb6
Todos os sabbades, :s 4 horas da tarde: passa-
r.en tomam-se A rua Primeiro de Marco n. 1,
loja.
bDo. iftbamyanuMa Oliuda por Item-
1b, Goyana e Iguaramse
Todas as tercas-feiras, As 4 horas da tarde:
eassagens a tratar corn Lourenuo Pereira, d'Amo-
,i em ltamb6.
Viageas avulsas para qualquer part e em qual-
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e
a pre"o commodos. Essas contratam-se A irua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nao podcem ir nas diligencias.

















Matador da ior
Urn amigo dos pobres, economic e de
facil applicacgo, 40 annos de success es-
pantoso.
INenhuma f&milia deve estardesprovida
deste remedio.
Externamente cura: furunculos pans-


ricios e- outras tumores -toreedura dos-ten-
does intumecencias das articulaoes -do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
- queimadcuras-golpes% etc., etc., etc.
Internamente curs: cholera, molestias
Sdo figado, dispepsias, ulceras doengas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitagces.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
Rna do Barao da victoria n. U
PREOS


Frascos grandes
Pequenos
Duzia de fras.os grandee
Pequeno


1#500
12#W06
96".


i p l o Raz do sana lu

udil o m riotnorto d trma do

I O8ralor n, 41 Paraa inmB run

, 29, awdar ttrr, enb ti-

niL airo r du w recla-
fl0 0fu illi 1f Q18 118 for dirt-

01o, 0 o tnl n t UB stai ox-

tnlB B,?0 a llnll slftn


17W ; .. P 4" .



Prana da.Independen-
cians.37e39
0 abaixo aignado vendeu en oe a me
tWlim llh garantidos da 102a loteria,
a saort de 10(x00 em 4 quartos n. 4795
n or"o de 100#000 amn 4 Owinto a. 680,
aenm do .Mtramuitas de 32UI, 16 e 8.
Convids0 Po A
sem decnoagm
0 abixo- apipdo tenm exposto A
venda os eus feli bilhetes garntidoa d
14a parteem benefico da igreja da Pieda-
de de Santa Amanro das Saliaa 1083, que
ae extrahirA quinta-feira 29 do corrente.
Prevos
Bilhete inteiro 4W
Meio 26S000
QuArto .1000
am prv de. oI04;4 paoa
elma
Bilete inteiro 3#0W
Meio 14750
Quarto 58758
Antsio Auguato do&s mt o Po.


CASA D AFORTUNA

Ass O4:4 0W


ina Primeiro de Iar -o n. 23
0 abaixo assigiado tendo vendido nos
seus afortunados hilhetes garantidos 4
quartos n. 1,764 coma sort de 2:000#000,
4 quartos n. 4,921 corn a sort de 1006000,
alum de outras sorts de 32#, 16# e 8#, da
loteria (102.'), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem desconto
algum.
Acham-se ,A venda os seus afortunados
bilhetes garantidos da 14a part das lote-
rias em beneficio da igreja de Nossa Se-
nhora da Piedade de Santo Amaro das Sa-
linas, (103.') que se extrahira na quinta-
feira, 29 do corrente.
PRECOS


Inteiro
Meio
Quarto
Em quantidade
Inteiro
Meio
Quarto
Manodel


46000
26000
16000-
malor de 1000
36500
1#750
#875
Martins Fiuza-


IASA DO QUOID

Aos 4:0000000


Una do na"sO da Victoria a. Il
e easa do eostume
0 abaixo amignado caba do vender
om sous felizes bilhetes quatro quartos de
n. 717 corn a sort de 1004000 e diver-
sos premios de 326000, 166M000 e 86000.
0 mesmo abaixo assignado convida sos
possuidores A virem receber na conformi-
dade do costume, sem deseonto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 14.a part das loterias a be-
neficio da igreja de Nossa Senhora da Pie-
dade de Santo Amaro das Salinas, (103.9),
que se extrahirirA na quinta-feira, 29 do
corrente.
PiECOS


Em


Inteiro
Meio
Quarto
perqi
ruteiro
Meio
Quartw


41(000
26000
de 10#000 para
djma.
1#750
#875


Joao- Joayuim da C6ata Leite.

A VINTUI1A


ko4:10008$W_


16-Rua do CabugA-16
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tea gxantidos daloteria n. 102 em beneficio
da igreja, da Pidade de Santo Amaro dam
Salinas que so extrahirA na quinta feira
29 do corrente.


PltE. VOS
Inteiro
Meio


46000
2000-


Quarto 1#000
aemadw quaatkdade superlo n
a 100:000
Inteiro 30i00
Meio 16750
Quarto 87b
Joaquim Pime da Siva.

Canarios l'dlealinha
DE
C. BIUAiJM1IbLER
vende-se
Rua do, Imprador n. 12
Caaa de Lope & C.


MIGUEL WTOLFF & C.
Offerecem ao respei-
tavel public um gran-
de e variado sortimen-
to de reIpgiosdos mais

acreditados f Mricin-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-

berm directmanente.
Todos os relogios
vendidos n"esta casa
sao garantidos.
Bit do -fm n. j
R~ahlCaMI.L4

Espelho d4 rondo
E&w&w do mumdo 6 o titulo de um bhello quadro
que talvez tenha. de Owr brevemente expesto a
vitrina de uma das liyxisagdetA oidade. Este
important quadro 6 composigao engenhosa de
um modesto pincel ailemfia, e represent um louco
interrogando no espelho a sun propnia sombra,
diante do qual fica, oujlga-se preao esperando
c0m anciedade a respoeta da pergunta que fez.


Cozinheira

Napraga da Inde-
pendencia n. 38 a 40
se dira quem precisa
de uma 'iulher forra
ou escrava para co-
zinheira de casa de

familiar.

Victoria de Bernardi
odWIsta & Ka Prtlmelro de Mar-
ao 18, 80 aindar
EstA preparando um complete sortimento de
toilets pars os bailes carnavalescos do dub Carlos
Gomes, tudo pelos ultimos figurinos de Pans. En-
carrega-se de qualquer trabalho no mesmo genero
para quem de sen prestimo se quizer utilisar. Ga-
rante modicidade nos pros e apurado gosto na
confecco de seus trabalhos.

Ao commercio
Esteves & Secade% estabolecidoe corn refmnagjo
de assucar por groeso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveram colloear o telephone em
eou estabelecimento pars mai commodidade nos
pedidos de seus fregueses. Recebem tambem en-
commendas para i6ra desta praga, garantindo
pontualidade, modicidade em precos e sinceridade
em suas transaccoes. Os proprietanos esperam
merecer a proteeco de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77

Ama
Pars cosinhar pars ura familia : na rua do
Marqnez do Herval n. 107, entrada pelo oitao.

Caixeiro
Precisa-se de um menino corn pratica de
tavern : na rua do Marquez do Herval n. 170.


Conbuheiro
Na. ru. do Born Jesus n. 45, segundo andar, se
precise de nm.cosinheiro.

Precisa-se de um criado : no largo do mercado
n. 33, hotel.

Am
Precisa-se de uma ama pars serving domestic
e andar corn uma crianua : a tratar na rua das
Cruzes n. 28, segundo andar.
Criado
Precisa-se de um criadp : na rua Nova n. 31.

Caixeiro
Precisa-se para f6ra da cidade, de um menino
de 16 A 18 aunos de idade, e que tenha pratica
de molhados, dando fiador de sua conduct; a
fratar na run da Madre de Deus n .14.
Baiteeador
J. dos Santos Vieira, corn pratica de balancos,
contratjs e distratos soeiaes, offereee oa seas ser-
vicos aos senhores commerciantes. Chamados A
rua do Rangel n. 3, ou em sua residencia, rua
da Penha n. 7, priaeiro andar.


Por festa ou por anno, corn pagamento adi-
antado ou fiancga idonea equivalent, aluga-se o
pequeno sitie da travessa da rua da Mangueira,
que foi do fallecidb Jolo Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alemn de wmuitas arvores fructiferas, tan-
ques e caeimba corn exeelleute agua potavel, e seo
aehar murado, tern casa de habitauo em born es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos,- 1 despensa, cosinha
e um quarto fora pars. criado ou feitor, accreseen-
do ser esse sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e As duas estates da Casa Forte e Caldeireiro
da linha ferrea do Recife ao Caxanga : quern o
pretender p6de entender-se corn a familiar do Sr.
Manoel Miranda on corn o Sr. major Jos6 Camel.
lo do Rcgo Bacros nu mesma travessa da run da
Mangueira, que Ihe mandario mostrar e poderlo
dam as informagces necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, A rua Velha n. 59.
Precisa-se de ama que lave e engomme de-
fronte do Gaz.


Verdaie.trau IebehM
59 B= a DiqD e Caxias 59
Gorg ruase superores pasw vesido a m500 m. o
covado!
Alpaad do -sda fnuta-cor-a a 400 ra. edito 1
ellse.
Kerinos do duas ,.gura, todia as cores, a
1t200 oditoI
Idea o&uuial.uma I59
Casemura diaflA.4ppp, palitot a 25000 o es
vado! edo dea. larguia .
Idem de corea, igeaB, a I20 e 61001
Fla!. inglex, saul, a a 4 oe dito I
Camiaas hMaa francesea, supmierea, a 28,
a duzia!
Ceroulaa de bramante a ,16 a dita I
Lenos de lnho em caixiihas a 3'a dita!
Damnaeos e psaum. proprie pars mesa a 600 e
1500o ovado I
Brapoante de umBlt trapgado. a 600 ra. o
metro! fimands, du1
Lenu6es de dito, grades, a 2t um !
Cobertas de gang, forradas, a 2600 umsa!
Colebas de fotAo, brane e de cores a 25500 !
Dftaf de croehat & 10I .
Chale.. e aemira moenos a 2j500 e 85.
Fichus saperiore a 25500, 8 e 4I.
Sotimacan o vradeidoe a 1400 ocovado!
Dito pretoupe.i*ra& l 1 ) 1,
Cambrais viZtoria&a.3500 aMe-- de aQiarau!
Madapolb. boa-vists a 6 a dita de 24jardas!
Brins d eoaes superiores a 2to c6rte!
Dito pamrd, lona, a 320 r. o eoovado!
Dito branco n. 6 a 1500 a vara!
Atoalhado bordado, de linho, a 5 o metro!
E outropa rt, a preg. reemidos.
59,iua Duque de Gaxias-=59

Engenko
Vende-se o engenho Maurity, autigo Gallo, naus
comarca de Palmares, prompt de uum tudo pars
safrejar 4Ct00 pies: o& pretendeutes podem ir
vel-o e admirar a fertilidade *do seU terreno. Aos
mesmes se dira a razao perque se vende, e trata-
se corn L. G- da Silva Pinto, no Recife, ou no
memo engenho cor J. Matlens Fcrreira.
Borracha para limas
Vende-se na funilaria de Francisco Teixeira
Barbosa, mru larga do Rosario n. 20.

Ha sempre novidades
Rua Duque de Cazlas o. So
Casemira charinol eom 2 larguras ninguem ternm a
2,9 o cevado.
Lindas chitas modernas a 200,249, 260 e 280.
Brins pardos lisos a 240, 320, 360, 400 e 500 rs. o
covado.
Bramante pars lengol corn 4 larguras a 800 rs. o
metro.
Casemiraemr x 40 ra. o covado, que pechincha.
Setinetas lisas e lavradts a 360 rs. o covado,
aproveitem.
Popelinas corn listas de sedan a 860 re. o covado,
? bem bom.
Madapoli americano corn 24 jardas a 58.
Dito Boa-Vista corn 24 jardas a 6A.
Cortinado-bordados a 6;.
Ditos ditos recortados a 7U.
Merin6s pratos a 800, 900, I5, 14200 e 10500 o
covado..
Camisas braneas francezas a 2A e 11800 uma.
Ditas de cretones franeezas a 25, aproveitem.
Espartiihss corn couraga finissimos a 4500.
Meias brancas para home a 2800 a duzia.
-. Isto s6 se vendor. E' barato !
Lengos brancos corn friso preto a 800 res.
Ditos corn barra de cores a 15800 a duzia.
Ditos de liab-o para senhoras alO60 a duasia.
Ditos initic 4de sedasa 1800 a dita.
Ditos d4lUnhwXuo de 8A por 3500 a duzia.
Lindas bifedeiras nacionaes e portuguezaa a 40800


a duzia.
Lindos setins macao a 15300 o covado.
Velludilho bordados a 15 o covado.
Ricas ventarolas chinezas a 600 rse.
Ditas ditas bordadas a 15.
Flanelas de todas as c6res.
Tarlatanas, gauges corn paisagens tdo baratas.
Causa
Admiraglo
N.80.
Dos barateiros
Aproveitem.

Para vender
A dinmheiro ou flanga idonea, vendc-se ura das
melhores casa de Afogados, hem situada, corn
grande compdoa par.uwx, famnila que se .trate,
circulada de terrace, grande jardim, bom sitio e
todo arborisado de arvores fructifetras quartos
pars cnmado gallinheiro, baneirhw outaos. eo
mnodos: a frente 6 tod gradeada.p ccm.po deo ,
ferro, tern noqs.fuwos sahida para a.esta* o da.
ferrM-viade S. Francisco, boas viveiros e coquei-
ral: que pretemi der entenda-sPe corn o Sr. e
Duarte.
Por 4504.
Vende-se per esta quantia o restaurant da rums
das Larangeiras n. 29, corn todas as a sus- per-
tengas e prompto, a funecionar, 6 pechincha qu.
nio apparece muitas vezes, porque vale 800 :
quern pretender entenda-se corn Silva Dias & C.,
Srua da Madre de Deus n. 36, 1- andar.


Atten-oa
Mathues, Austin & C., A rna do Commercio n.
18, teem parm vender :
Pinho de resina


se


Chegado agora e de superior


qualidade, das,


guintes dimensses :
1 1/2 X9
11/2X12
1 1 X 12
2X12
3X12
3X9
4X9
4 1/2X9
Em lotes a vontade dos compradores.


p1 pintado
para forrar sal"s de visit e jantar, quartos, al-
covas, corredores, etc. Grande e varnado sorti-
mento per preros extremamente modicos
SEM COMPETIDOR
acaba de chegar pars a
]livrarta, lndustrlal
A rua do Banao da Victoria n. 7.
Vende-se
0 engenho Ampato da Ilhas de ItamaracA corn
proporglo pars satisfazer trez e mais mril pies de
assu ms, terreno de massapA preto craso de mnito
boa produccao, muitos sitios de couqueiros e terre-
nos proprios pars se plantar asos mil coqueiros
que se queira, tern salinas; viveiros, fornos de cal
e boas pedreiras, mattae e porto de embarque jun-
to so engenho a tratar no mesmo engenho.

PAUA

Veal i AS;zfte P.. Mrim Esbefta do Rosario
, 22. E',*paow1a. eomumdo-o prego.


an rua do
vendo-e


A S-una4. a mperatris 4Q
VEND8E-S
Martap I Impite a mg c 20 vanm a 48 a 5/00
ne atM,20 van psa=55
i 66.-s.
-6000. 6Mo(.
Dito frae a rino, faendas muito
fiar eencoapads. de 75 ate 125000
W.ei paum S l-
/ noo, mtra t
D tor fngiadt corn a mourns largura,
pmpniom &pa nto e toal de
'men., lowrra 9
~aBmited.-.algodA. aom 10 pabma. do
lsrfi~p~rnptipaa &faerleoIn*&de
t/ m sTaiao, lowtro I 1/
bit franee, sendo delinho, metr& a
lam~e 2000
Dit= dequaeft larguras, sendo
Mde ,xin t2 600 e 25800
o.re .s i par a len6oes, toa-
/ as, eezuhf sendo agenda muito
eneorpada, ea4a pegacom 20 varse
m 10rl e anvuana 500
D/ta. corn a meoanm media a 800 rs., on
varsa 400
Atosaihdo adamascado pars toalhau de
mesa, tend 8 palmos de largura, me-
tro a 15800
Ausim e om um eompleto sortimeato de
pe"ae de algadlodinho americano e
mrgle, que se vende por peg&a de 8 at6 66000
Ih loja d& esquina do beeo doe Ferreires
Caemkiras de cores
De at" 6:000 rs,
B :renu per mediba

Alheiro & Silva a ruan da Imperatriz n. 40, tern
uam immense sortimeto de easemira de cores,
tanto clarem como eeuas, que vendem a 29000,
25500, ate 65 o covado, e das mames.mandam
fazer qualquer pes d'obra ou costumes, por pre-
gos muito rauoaveis, assim como tern tambemn um
explendido sortimento de easemira e pannos pro-
tos6 at, ao mais fino sedan que vem aso mereado, e
dos memos tambem se encarregam de mandnr
faser qualquer pes de roupa a vontade do fre-
gue e corn today a perfeigo e presteza : isto na
loa dos barateiroe da Boa-Vista, na esquina de
becco de Perreiros.
laios al O0ris

Os Barateiros da Boa-Vista vendem muito cb-
nitos linhos de uma s6 ecr e de listrinhs pa
vestidos, sendo a 160 ris o covado e de eores fixae,
isto a ruan da Imperatriz n. 40, esquina do beee
doe Ferreiros.
Espartilhos
a 4 e 5#000
Na loja da rua da Imperatriz a. %u venoe-sw
muitos bons espartilhos paa senheras a 5000,
antos pars meninas a 4000, assim come um be
dito sortimento de fichds a 35000; isto na loja di
qeimina do becco dos Ferriros.
Para festa


Vewde se

Reoupas para homes
1OB


Preo os baratissiln
Rua da Imperatriz a. 40
LOJA DOS BARA7EIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
sends que so lava 61
Dites de panne preto fino, fazenda muito
boa 7
Ditos de casemira de quadrinhos e listri-
nhas, forrade 81
Dites de casemira escura, de cordio, for-
Siad1os 81
Dites de flanella aul, forrados, sendo fa-
sena que neo desbota 10d
Ditos de casenumiras de cores claras e es-


If


100(




100C
as"o~


curas loomw
Ditos dc pannou preto fino, forrados 10oo00
Ditos da casemira preta de cordso 106 e 1250
Calgas de casemira corn differentespa-
dries, de 55500, 65500, 86 e 10100(
Ditas de casemira preta sedi a 85 e 10/00%
Ditas de casemira de cordio 6/50C
Ditas do easemir pretax 60(.
Seronlas de creguella, obra muito bem
feita a 15200. e 1600
Ditas de Hamburgo de linho a 1U800 e 250O(
Colletinhos para dentro, sendo de cre-
guella e muito bemrn feitos a 800 e 1/00(
Damisas, grande sortimento de camisas
braneas, tanto francezas como inglezas,
tanto de lin1=o co!o de algodo, send
de,2& 2/50M0 3, 3 a1 6 600
Dita.de eretone de cor de 24, 2;500 e 35000
Meiam,,6,grande sortimento de meias cras
pars ahomens, de 320 rs. o par, at 50!
Collarinhes, grande sortimento de colla-
rinhesr teBmdr^e*d icala- 850W'
Toahas, grande srtineutp,.de toalhas,
tanto para rosto cemo paras banho, que
se vendem per preqos muito razoaveis.
Tudo ieto, eomrn grande md* do ipregos : n
loja da esquina do becc dos Ferreiroa.
Novas setinetas- lavrada 800
Chegou pars a loja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz um grande sortimento das
a itlindase setinetas lavradas, tend de todas as
c ores mais novas que tern vindo so mercado, incda-
sivamente pretas, send a fazenda mais bonita que
tern vindo para a festa, e vende-se a 500 re. o co-
vado, isto na loja da esquina do becco dos Ferrmi
roe.


Cazemira. Inglezas a 28500 e

Na loja dos Barateiros da Boa Vista, vendc-se
um elegant sortimento de cazeiniras de duas lar-
guras, sendo inglezas e coin bonitas cores que se
vendem a 2/O0e, 2/800 o covado,. send muito
proprias para costumes, e das iesmaa tambem se
mandam fazer costumes muito bern feito de calqa
palitot e college per 305 e 355, e grand uecinchs
na loja da run da Imperatriz n 40 a ewuina do
becco los Ferreiros.
Fusoles a 400, 306 e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, A: run da Impera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento' de fus-
t5oes brancos, proprios para vestidoe.- e roupas de
creangas pelos pregos acima indicedos; isto na es-
quina do beeco dos Ferreiros.
Lasinhas pan vestidos
Alheiro & Silva, A rua da Imperatis n. 40 acsa-
barn de receber um grande sottimento das mait
bonitas lansinhas para vestidoa, send alpacas
de cordao ccm lindas cores a 00 mrs. o covado,
gurgurses lavrados tend de todas as cores a 566
rs. e ditos muito finos corn brilbo de seda s 800 rs
todas estas ilinhas sle inteiramente modernas, e
vendese na loja da run da Imperatriz n. 40 a es-
quina do becco dos Ferreirot.
Sabi e ehkeeo
Excellent tes cautadores
No eaes 22 de Novembro n. 42-A, vende-se os
dous passaros acima mencionadoo, prop-ios para
um present. Na mesma casa tambem se vende
passarotb de diversas qualidades


Sitio
Vende-se um born sitio na PoaUte dos Carvalhos,
corn 800 p6a de eoqueirom e outras frfucteirs, sleis
viveiros corn peixe, muitograsdae e Br para
plantagoes ou refazer gado per WI Wwuuan ca-
pim salgade. tern hboa caa de per e cal, a
et etc., e cuja venda se deseja etuarm o
vidade pars pagamento de urma Lmm cida
do memo tit : a ttar n a ruil nume-
ro 1V6.


Alp;aD ap lw e do likem
&reAam do ma.ore.a J- a
CambimM boMdadae aberta&
Veatuarios para meninc.
Leqw&a
C0 o6 para menhrL
iChitsu lias e de cores.
nhus de oa do .li
Capas de malha dedl.
Pawa eemtinuar
Cainbho e punhosl para menhora e home, di.
'Vumwtfeiti-
Camimw-.m eadlarinhos e am punbos, coo pa-
uhms em4a oollarinhos epunhos pars home.
deevn. 865 45.
Camism ps-anmeinos deaden. 28 A 85; saem c.
lashh bode a. 32 A5.
WWI="jpteadore, calas, gollUaepu-
noparetM~oa
Gravata, grande variedade.
Meiase orna, branc, de core e pretas.
Ca chose, tapetes, malas, esteira, boles, veUudi.
B brim brancos e doores, isvas~pedumas
riao etc.. etc.
Papoula &C.
:I -Ru doe Cabug-f-
Em frente a matrix de Santo Antonio

FarlnkaLaetea
Nos prixn9ro me" a iieitIiU.m
natural e apropriadpaua aWln- a0 t m.
a de peit o 4 o oprio ite mator- o 5a8
em caso doe neeemaidd devea4r subaati-
do pela
FARINA LACTEA DO DI.
A sciencia e a pratioa aedoptaram a fariu.
nha Lactea como poderoau eleomato nu.
trictiyo paras a infacij&.e disncto modi-
cos do Brasil e da Euopa recoidfeem
ser A do Dr. FRERIMCHS a melhor n'e"t
genero.
Deve-se pois evitar onfiar o fIijahe
uma pesso a estranha e de comportamentt
nos conhecido muitas y veses o germen
numerous molestima.
Vende-se a vordadeira farinhla Lact
do Dr. Frerichs:
55- RUA DO IMPERADOR 55
Estabdecimento de mumicat 6 piano do Vie.
tor Priallis,
Pharmada homeopatlhica
DO
Dr. Sabin


Vendas em grosso e a retalho, descontos
tajosos ; rua do Barlo da Victoria n. 43,
Pernambuco.


van-


Cinietlo portland e potassa nova
Vendew Orestes Travassos A C., em seun escrip-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.

Bihar


Rua do Imperader a. 83
Os proprietaries deste bemrn montado e, conhe-
cido estabelecimento, tend recebido duectamente
da Europa um grande sortimento de tacos que ha
de mulhor nested genero, ternos de bolas de m rit,
de primeira qualidade, jogos de domin6 e outroee
artigos concernentes a este fim, e como tenham
tambem feito uma reforms em sens novas bi-
lhares, forrando-os e collocando marcadores nan
tabellas de todos elles; per isso convidam soa
seus freguezes e amigos, A visitarem eamo de cos-
tume este estabelecimento onde encontrarlo tam-
bem um complete sortimento de bebidas fins eeomo
sejam : vinhos, cervejas, licores, champagne e re-
frescos gelados de dizersas fructas do pais, e o
magnifico eafe moka a qualquer hora do dis ea
da noite.
Outrosim, vendem bolas, panos e tacos usade
por modico preoo.

PM s nsrvinm
Os verdadeiros anneis etectrices encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., A rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como sao lindas!!!
Bonitas e elegantes honecas, 6 o Pedro Antu-
nes & C. quem tern, torna-se indispemael eate-
ter o espirito dawiOesoaaapts, cri ,s1 tpolo q.
os proprietarios da.Nova Esperazca nao poup=
exroros; rua Duque de Caz n. 63.
t1,00t olas d: korachia


Espeoialidad.parmt-fazes preset as riannss,
o PedAosms.-4 C. dbit.ib* -ratis aMe w
freguezes ; Nova. Esjeranca n. 63, A rua Duque
de Caxias.
Cabellos Ibuemo 6 tern quem
quex1
A verdadeira e especial preparacAo, vende o
Pedro; Aatuaes & C., pola quantidade que vende
prov-a a sua especial qualidade ; na rua Duque di
Caxias n. 63.
Sao bonitas
as luvas de seda abertas, cannao alto, que scabs
de receber o Pedro Antunes & C, a rua Duque
de Caxias n. 63.
Para os banhos salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de sapatoo. espeoiaes ; rua
Duque de Caxias n. 63.
Sapatfes napolitanos, especiaes, para o tra-
balho do campo, tern o Pedro Antunes & C., 9
esti liquidando pars fechar factura ; run Duque
de Caxias n. 63. E' a Nova Esperan"a.


E' barato
Vende-se um terreno em Beberibe, corn 267?
palmos de frente e mais de 1,000 de fundo,- o qual
fica junto ao do Sr. Francisco Antonio Barbosa :
quem quizer dirija-se ao eseriptorio deste Diario,
que se dirA quern vende.

Vende-se por pregos modicos, uma diligencia,
um carro de eng-nho, quatro bois e cinco cavallos
corn trees collecqees de arreios: para ver em Olin-
da, casa de Francisco Negro, e a tractar A rua
Duque de Caxias n. 86, n'esta cidade.

Livros para escolas
CASTRO NUNES, compendio elementary da
grammatica national, sege a edicio corrects
e aDnntada por Jos6 Martiniano de Souza, 1
volume.
IDEM, elements de arithmetic, nova edigco
revista e melhorada per Jose6 Martiniano de
Seuza.
IDEM, resume da doutrina chri ti, nova ediao,
revista e annots- da por um sacerdote,
JOSE MARTINIANO, elements de orthogra-
phia, terceira edicio, levista e melhorada.
PERGENTINO GALVAO, o livro dos bohens con-
selhos.
BISPO DO PARA, historic biblical, ou narrati-
vas do velho e nuvo testament.
A venda n livraria Industrial n. 7, rua do Ba-
rio da Victoria ; e na livra,4 Economiea, ls
Primeiro de Marco, junto .v arco de Stwto AL
tonio.
Carroa pan. camo
Veade-se urmas boa carrot para oaraeiro, a
e tratar na rua do Born Jesus n. 41, agenc7"2 i,
leil5ms.


-.:. -- ._ -.. v -
_, .^ ..:.. :.. .- ^ '1 *. ^


- +-: ~.7j


it


11I


I


I















I~


no e~lO~1lA ~M 1~EUNA~1RUP~
tte~tiq~opx 1~r5r~( 1856


*; '


I.nfandm, Rdegiona, jues reno1are dolorn.
(Continuayho neot. 17.)


-$ o ,ii ". .


; Mt Corporam es qme devem dseimpe-
haer as me:dias reventivas--ae-
die% mniu ipal, poheial e admmiln-
trativa-aeetsidado da croaaq" de
wmm commislmo medie espeeial, io
caso de temer.se a invavlo do chole-
ra--eus deverea em geral e especial-
maete na deesiBeeao-opiia&o do)
inspector de sa-lde pIbliea de Per-
nambaeo a este respeito-a biststia,
a smenicia e a obasova*so se oppoem
a esta opinion.


.... Os meios preventive necessarios pars satisfazer as
tres com ce- invaslo choleri*a, restriccao em sua diffn-
sio e attauao 4 Btt*sefita -sio bemrn variados; exi-
ger#elles o coucurso de mnitas possoas engajadas de pro-
positi7o para o wesmo rn, trabalhando todas constan-
-temente no mesmo sentido; mas come o'cada engajado on
corpo e eqgajadS, tenaha deereos especiaes a cumprir,
deve-sm por isso logo assignar a cada urn sua especial ta-
refa, pars que no desempenho d'ella nao encontre emba-
rasos ,or paite dos outros engajados,
Quantos, por6m, devem ser os grupos d'estes enga-
jades, trabalhando todos na mesmoa direcgLo e para o mes-
mo rim, no caso de temer-se a invaslo do cholera ?
Quatro, pelo menos ; e slo os seguintes:
1.o-A corporacglo medical;
2.0 A eorporalo municipal;
3.0-0 corpo policial;
S 4.0 -A administracAo provincial ou geral.
Me parece que estando estas quatro corporagves ac-
cordes pars o mesmo fim de evitar-se a iuvasflo do chole-
ra, ou mitigar sons effeitos, so conseguirA urn resultado
efficaz.
Come em toda esta questAo so trata especialmente
de moleatias e de sun prophylaxia, 6 evident que o prin-
cipal papel deverA pertencer a corporaqao medical; 6 per
esse motive que per ella vou comeear o esboVo do quadro
dos seus deveres nas tires hypotheses figuradas.
No case de que a epidemia do cholera aimcace, ou in-
vada esta cidade do Rocife, e certo que invadirA tam-
bern a maxima part d'esta provincia ; e so isto acontecer,
todos os medicos aqui residents serilo poucos para acudir
a tao grande, quilo extenso trabalho; mas ainda mesmo
quoe nao sejam empregados tantos, os quo o form, devem
ter urn centro, d'unde recebam as instruccoes necessarias
para o cumprimento de sua missao, e tainbern para onde
deverio enviar todas as informages que Ihes forem exigi-
das tendentes a epidomia.
A historic, a administrator public, a civilisag'o. o
comerscio, sciencia emfim, t6m necessidade de todos
os eselarecimentos, quo possam justificar tanto trabalho e
tio grades despezas, e colher algumna liqAo para o futu-
r6 ;- por isso 6 mui preciso, no caso deo amneaca do inva-
sao do cholera, croar-se desde logo uama corpora9io medi-
ca central, que eu a A.enominarei--commissiao sanitaria
prmisoria composta pelo manoes de tires medicos, a equal
asri inuambida da organisagao do service medico, sob as
segdntes bases
L a-P6r em sequestro as casas dos primeiros doen-
tes de cholerina ou do cholera, qua apparecerem na cidade
do Recife, ou em seus suburbios.
2.a Exigir da policia os meios necesssarios, coerciti-
vos e de manutengio para dito sequestro.
S 3.' Proceder a desinfecglo das casas em que esti-
verenm doentes do cholera ou do cholerina, logo que Ihe for
isto indieado pela policia, ou por qualquer pessoa habitan-
to d'esta cidade ou de seus suburbios.
4.a -Preparar, segundo um piano geral, igual para
lodos, ambulancias para cincoenta- doentes, portaveis, em
costas d. cavallos, para serein incontinentcmente enviados
por intcrmedio da policia ao seu destiny, corn as compe-
tentos instracqoes impressas para uso das mesmas ambu-
laneias remediess e desinfectantes).
5.a qatardesde jA umna companhi.., com os eom-
petentes utonsis e agents chimicos, para a dcsinfecAo da
cidade, a equal comeoarA a funecionar logo que se iorem
dando casds do cholera ou do cholerina.
',.a Cplligir todos os documents relatives ao cho-
ler ,irealgir o relatorio do mesmo, dirigindo-so para esse
fim a todas as autoridades da provincia, ou as pessoas que
julgar aptas a darem-lho informages a cste respeito, os
.quaes documents, numerados e rubricados, serbo entre-
gues a presidencia da provincia na occasilo em que for
entreoue o relatorio geral da epidomia.
-..,'-I edir ao president da provincia os meios pecu-
niarios, pars o born desempenho da sun mission.


FOLHETIM


AMOR MATERNO
POR

JlULl0 ANiY


PRINEIRA PART


EM 'TUMA 3 TEM tTBRA


(Continua9o do n. 18)


. V


Entio 6 uma resolagio irrevogavel...
Irrevogavel, senhor, disse bemrn:
Stretanto, eu desejaria ainda fa-
ae rumas pergunta... ants do ronmpi-
mento,..
-,Eu responderei, porque esse rompi-
mentoreA definitive o nio teremos mais
o pa nos ueontrar...
rIBairm se oMathilde conhece a
r;!eVe i Ilhe foi feita ?
r Ci e; apena deixei de dizer-lhe
o nom e- bins Miranda, a pedido d'es-
sa min indeseja que -a sua deshonra
fique Bsa(l c Ignora apenas iwo I
--E n3u i enu quem Ihe ha de di-
zer... t e a. ver Albina, tranquilli-
se-a-. Dea*j. sin& perguntar-lhe foi
de, Mot protio qea''senhor veio prqeu-


mide per isso ?
aber so MAthilde


teve noti-


repnimio am geto


d4f


K'1


ifmu iao tao'


E'.


dentemente. Per pouco que nao insult
urn pai, profundameute ferido polo senhor,
na sua unica affeigio, e cuja honra estA
nas suas mlos...
Oh I senhor!...
0 senhor nip me comprehend, tor-
n)u R6v6ron.
i Sei bemrn que minha filha 6 incapaz do
trahir a sua honra, mas foi imprudente.
Escreveu-lhe, sem r que eu o seubesse. 0
senhor ainda tern as suas cartas. Entre-
gue-rn'as, e eu procurarei esquecer o mal
que me fez.
0 senhor pede-me muita cousa ao
mesmno tempo, exclamouo marquez. Co-
mo! pois por uma aventura de aldeia, A
primeira roclama9glo de uma pequena que
entendeu que devia ser marqueza, o se-
nhor quer que em um dia eu renuncie a
Mathilde, entregue-ihe as suas cartas, uni-
ca lembranga que posso guardar de nosso
amor, e, fiaairnente, so bomrn comprehend
o sen pensamento, que case corn a campo-
neza.
Seo dnvida o senhor dove a essa
infeliz, que seduzio; dove o A minha fi-
lha, afim de quo a sociedade, que 6 tlto
prompts a encarar as cousas pelo seu mAo
lado, nlo interprete-- mal os motives do
nosso rompimento. Vamos, o sonhor terno
essas cartas, nlo 6 -sira? I)-m'as!


Para lh'as entregar, esperarei que
minha noiva me fagsa isabnr a suan resolu-
9ao.
Pois bemrn, senhor, ella mesa ha de
escrever-lhe, cssa carta, o senior podriA
conservar, porque nao lhe virA A phanta-
sia de a pppblear. Convdo-o a enmpnir ia
sua pro sa,, e anl*, poderii aoontecer-
lhe atlgumia degra9a.
EBo marquez, apparentemeinote muito cal-
|NOL : s e, Sr 8 1 ..'. ve6aon, reca
pire o mses'A'ngua lro, ,L &A quo ae.
1-1rp ;o .8 a -i) 8 D 1^ ^*:,o (isi^ ;,


Este entrou pensativo no quarto da me-
nina e fez signal qua sahisse a uma criada
quo alli estava.
Depois fechou a porta.
Mathilde, calada, olhava-o, sem ousar
interrogal-o sobre a vista que tinha feito
ao marquez.
0 done das forjas, sem dizer uma pala-
vra, foi seatar-so ao lado da cama.
Do repente, depois de long hesitaqio,
murmurou em voz baixa:
Vou repetir textualnMmento o que o Sr.
de Lesguilly respondeu-mo, quando en dis-
se-lhe que nao devia mais pensar em tua
mao: Eu nao acreditarei n'um roampi
mentor so nao quando Mathilde mesma me
'tiver dito que me despreza, on que mn'o ti-
ver escripto, interrogue a sun filha. Ella que
julgue. Ella quo decide 1\ Ouviste me ?
Sim, meu pal.
E como e6 a tua decislo que o mar-
quez espera, nao conv6mrn qu e elle possa
supper que tu hesitas.
NIo hesito, disse ella, em voz sumi-


da.


0 rosto de R6v6ron ituminou-se.
Foi a uma pequena secretAria da meni-
na, toinou uma pasta, papel, penna e tin
ta e p1z tudo em cima da cama.
.-YOquefaz,nreapai ? r
Como nlo quero achar-me de neovo
em face d'essa mopo bonito e ermo tam-
bemrn nileo quero que o tomes a ver, tu vais
eocriver-lhe par qua r i4 teaamos mais
relagaes corn eie. gis o que precis.
Levanta-te umI ponco e ne o to affijas as-
aim tanto; qoe diabo 1. .Euhei ,d ahar-
te ui mariaolquoe ha Oter dig dtio
em cuja Ahonra poierAs onfijro*
t6 4.,ild tra.e, com, oease aq u
fauilia j'Puroupta m baixe das red o
tea noivado. ..&AhuhIPh1
q' o-.


Iva I 0 rotTWB^1 ,^


IN"da -at Stue


thaia te
^A,^tant6' ~ ~ m~ s^xr~A Vn ^ a briddo sanitari-
W gem 00
doji ed esur m de urn fuccipaio que assim

: Doixeoa Ijas divagA9oes, e tratemos da. qustilo no

Eu alo sei em p e rasoes so baso u o illhstre Ins-
peltoi.:de Saie Mulica iPar &iitt em parecer scimen-
tifico, t0o exttepso to bern preparado, uma tal propo
i~Io, qao 6' B ntpia an qu ?ahbs l,iA laa a hiaioria, ao
que ensma, a e s ieac#a, e ao. gue proveam a fact6a; o born
sense sO por I roepugna iha tal -i porquanto desin-
fectar nu6F dizor puriticar; ora, 4isar quo a paritleaio
6 unmn imp0 i1i o iA hunanidade, qIuo raiores males lhl
tern causado, % sustentar um'v id6a inadmissivel, .per qual
qtie lado equ s aoi encaro, sxdal, ouw scientificamente
fallando; porquanto a soeiadade evigo a limpeza todos os
instantes, e a dieaia a'itsjl coo' 'let do consrvagio.

(1) Ardeeer Iobre a molestia dia canna da eotiara do Cabo
pag. 24:-21 de junho de8--


0repgnad oeos fe 06 ra aada wa -
,o n et r+!Ie,+,+: + :+++
B -e i |nodti. qapl~p .i| us .*pwao
re o ''dboi hdisso o llatre luaptor e dde
.c iuoliiao-4as da C tii v d oiofeolo 6
ale BOe admait id0, co44 prevad4 .a si pu1 w4^IE
trada pet fao4 it'a 6ra data d& 1T74,; quan o pa-
abrc0i0co p bele descobW6 o gas Aa9w. e.Imis
feitos corn ete copo simplts demonstraau *etw 6116 ,
nha mita affinidade para o hydrogeno, oi o roub ava de
quasi todkas as eomb~inw es, em que s, -01 ia;, &,!w0
quaisti+o.kS i gO
nas exhalases, putridas houvesse grande do de
hydrogeno, devidas, ou nos vapores d'a oa, not as tan-
forasmew dos compostos organieos o oro, ,roubando o
hydrogeno d'estas composioes, dPetna por iso m1 awo9
o mIisiMa putrido, e produzia a desinfcteo.
Ja4 entilo .as acidos eram tamben i empregados na
desinfecgo; o vinagre aromatic, o acido acetico, nitri-
co, nitroso, sulfureso, chlorico, chloridryco etc'.
Guyton-Morveau foi o primeirb que fez uso d'estes
ultimos acidos, ou ao menos demonastrou setis salutares of.
feitos nas desinfeoges, na obram que publioou tcoin o tit-
lo do -Tratado dos meios de desinfeotar o ar -.; cono
prova d'esta propriedade vem citado o seguintie facto:
As oavas sepulchraes de Santo Estevio, principal
igr ja do Dijon, ostavam cheias, em consequeneia de 'e
nrpoder fazeor enterramentos no cemiterio, gelado a unma
grando profandidade.
A igroja ficou de tal modo infects que foi necessario
fechal-a; fizeram-se fumegagoes do vinagre e outras pre-
paragoes aromaticas; deram-se tiros de polvora, que s6
produziram mdlhorar o mAo cheiro, qto all 4e 4esenvol-
vera. Guyton Morvoau, send coeo (tdoaR ,respeito,
aconselhou quo se fizessem fumegagces corn ,cido chlori-
dryco; estas comegaram no dia 6- de margo do 1873,
e no dia seguinte abrindo-se as ports parw entrar o aw, niao
se sentio mais o mao cheiro; e quatro dias depois os offi-
cios divinos puderam ser continuados.
Exemplo igual deu-se tambem em uma prislo da
mesmna cidade,. onde se haviam accumulado muitos prisio-
neiros trazidos de f6ra, dos quaes jA haviam mor-id 31*,
Fourcroy, em 1791, aconselhou tambem as fumega-
cas do'. acido chlorico para desinfectar as salas dos hospi-
taes, as das dissecaqoes, assim como para dostruir outros vi-
cios que infectam o ar.
Labarraque substitui9 os acidos le chloro, que tanto
incommodam o aparelho respiratorio, polos saes alcalinos
do ciloro (chlorureto de cal e de soda), que sao at6 esta
data (outubro de 1884) geralmente empregados em todos
os cases em quo apparece cheiro infecto; e nio ha au-
topsia, em que so n 0o os empregueml, a mInonos quo o ca-
daver nio seja fresco e- limpo.
Assirn, pois, a hiistoria mostra a utilidado e emprego
da dosinfocgIo dosde as mais remotas 6ras, como meio hy-
gienico.
Os progressos da chimica mostraram novos meios de
desinfecegao, provados por autoridades, e por factos innu-
meros, passados ein quasi todos os paizes, quo deixo de
apontar para nao cansar a paeiencia do leitor. Mas como
o illustre Inspector do Saude Publica do Pernambuco seja
partidario do res non verba vou citar multiples e mo-
dmrnioi mos factors, passados n'esta provincia, como prova
da utilidade e importancia da desinfecgo ; o qu e fara o
objecto do artigo seguinte.
8.'--Os medicos encarregados polo governo no ser-
vigo da epidemnia, qi6r na cilade, que6r no interior, serao
obrigados a dar iuformnaos (os primeiros todo os dias,
os segundos todas as semanas), acerca de epoea do ap-
parecimnento da epiemia, seu progress, dedclinaglo, tra-
tamento, m)rtandade, etc. etc., e outras quaesquer inm-
forfmalcos quo Ihos foreu pedidas, ou que julgarem do-
ver fazer a respeito da epidemia.
9.'-Aos medicos effoctivos dos hospitals da provin-
cia incumbe iguacs deveres do artigo 8-.
lOa --Aos medicos da marinha ou militaros se exi-
girao informtvces, por interuiedio do president da pro-
vincia.
11.a Velar na exacta execun'io Jo servivo das qua-
rontonas, sequestros e do.infec9o, informando a prosi-
doncia do qualquor occurrencia que possa meihorar ou pre-
judical-as pira o fim a que elmis sao dirigidas.
12.' Seis mezea depois do desapparecimonto do cho-
lera na cidade do Recife, na1o have ado mais caso algurn
devera a counmissao sanitaria dar por terminada sua mis-
sio, enviando A presideneia o relatorio geral da epidemia
e todos os documents obtidos, born como a conta das
despezas feitas sob sua direcvao etc.
Taes salo as rigorosas obriga~oes quo devom ser im-
postas a Cominissio de Saude Publica Provisoria.
Entre estes deveres urn existed, para o qual eu cha-


nrkrITUft


o PAIO EX PE
FOR
EUG-EXIO CHAVEITTE

PRINEIRA PARtTE
0 OVfIA-TWIPAS
( Con tintuaCAo)
.XI
Esse Mouzelin 6 algumr dos sous col-
legas, goneeal ?.
Labor estava corn a cabega urn pouco
.esq tntda i4dlo viuho que copios0amente
bebera. Era quanto bastava para irritar oI
general, qouvindp fbzer d4e Meuzolin urn de
seus colleges.
I.a fazil-o rtirar a phrase desastrads,
quando o seu olhar furibnndo, que ia pro-
curar Pipart, ejoiqtrou 0 dous olhos da
condessa, que corn curiosidade perguntou:
E' vordade general, quern m eQse
Mouzelin que lhe faz falta para a sua ex-
pedicap"?
Labor tiftha o ebtaagio dos mais tornss:
a sna billis acalmou so diante do olhar da
graciosa C!oftIo 'e apressdu se em res-
ponder ; mas cornA unia expresso do des-
prezo :I
Meuzelin 6 urn d'essas creatures de I
quem nos servimos, mas tend o cuidado
de occultar.
Todos onviram corn interesso e deela-
ragao de Labor. Ninguem dentre as pes-
seas presenites presowav mois attenqbo
As palavras do general do que o Porco
Montez, que, po.suido de uo a admira-
9io antecipada polo clfe que ia breve-
mente oexpurgar a provincia da quadriiha
do Corta Cabeos, ouvia boquiaterto a urn
canto da salad as palavras do future liber-
tador da provincia.
Entio, o seu Meuzelin 6 simplosmen-
to una agent de policia ? accentuou a Sra.
Meralec.
A coadessa acaba do o dizer.
Oh! disso a woVa corn um accento
de commiserago ; lastimo-o, mou caro ge-
neral, por ter de entender-se corn gentle de
semelhante espeeie.
Assim 6 preciso. Esse agent, que
dirige uns doze subalternos, que distri-
buio para a diroita e para a esquerda, ha
dous annos qua estda st tas regioes. Nio
ha duvida qne torn descoberto grande
numero de bandidos quoe se julgavam
desconhecidcs : pelas suas indica$3es to-

ma, tomou a penna e passou a mao pela
testa.
Que dizer-lhe ? murmurou ella.
Oh! vou to ajudar... tamnbein nao
6 precise escrever Ihe muita cousa. -Eu dic-
to. EstAs prompt ?
Sirn I...
a Sr. do Lesgailly, coma o senhor ma-
nifestasse o singular desejo de ser despe-
dido por mia, apresso-me em cornmmuni-
car-lhe que partilho inteiramente a opinion'
de meu pai. Coro de o ter arnado. Na-
da mais p6de haver de commum entire
n6s.
Escreveste ?
Eserevi.
Agora asaigna... Born !... Mas, co-
me niao quero quo elle algum dia se sirva
A'aaa oo,./faft ,na*a ta fa7.ar r ao arE.'rftiE"AentAn


"-o- mvinisuto e We*r a 4ebje
Itpq2;i0A IM
"ext stia ines'ua Pra 4ic .A
ri fef qiiP erarni&pO is$&ki|
U anotaB, edo umo a qu limpav.a o corpo% e a w 4:-!
* *jR8. tiajnrfiaa^ a'al'A^BJ a, o -iti a ^.t:,-,
m eoa exis a giando ^ a poquea
abht&,; ecoouisthdo 'tqqal4 ula~va~p? (lws4. t o qpo,.0;
corjparihf&ob para poder assistir as deyoges religioaa,.
areligo oh i~arist 4 i.3 paes puA 91idm quando celebrami.,
0 observador attenfrpare ,a aiadi quena astlgaiAdi
era praticado o eznbalsamniento dos cadaveres dos pd er*-
So3,e se o fimr t'essa ,t4 ito era. Ma deeimalnl.-
Os; nio 6 menos corto quo o cadaver de um rei, ou rai-
nhIW ou propheta, devendo fica'r par di'as expestos B
ehos dos serves' e dos crontes, causar-Ihes-ia grav
dtias s3 fosse entrogue az leis communs 4a d Ia po ,*
silo; e por isso nab 6 memos verdale quae, o cadaver
de urn rei, ou roque, qeuo apodreco,e.6 more urn. foel do
infacao, e que este mesmo cadaver embalsamado, oum per
outA incorruptled, 4 uo f6co de menos de putrefag0to.
Nos templos 6 usm inveterado e seguido. hole
queimar-se sabstancias aromaticas (incenso, myrrha, ben-
joirn etc., etc.) como unia oorexida respeitos a A Divin-
(lade; mias para ohygienista que couhece os terriveis ef-
feitos das exala3cos corpores, MOa csMOs d e grandos ajtma-
aiamntos do pessoas, a fumnaa aromatic, devida a com-
busflat'aqueVo resiass, tern urn ontro fim, unm salutar
d .eaine tait o.


nho quasi a cqrteza de operar sem re-
ceio de eegaftasllo; 6 menoa isso o
quo me affltrraa0 ulaimot bfficio do ministry
da poici icif
E que eseie mde homrn e e'a- Phe-
nix'da policies? Poqueno I Alto? Cor.
cunda? Barrigudo? perguntou ironica-
mente a condessa de Meralec..
Sobro esse ponto nada posse dizer.
Ihe, condessa, porque ntmca o vi, mas o
que sei 6 que passa por ser o finorio dos
finorios.
E o general, depois deste elogio, an-a
crescentou corn umn tom convencido:
--Desejaria born tel-o a meu lado, ha
tum mez.
Mas ha um mez as suas tropas nio
tinham ainda chegado, e portanto nio pre-
cisava desse home para opera.
Nio era para isso.
Para que entlo ?
Estou persuadido que Meuzolin teria
acabado por advialmr o wmystoirio da mu-
liher assassinada, cuja cabega os assassinos
fizeram desapparecer.
E' .verdade, a minhia pobrm% compa-
nheira de viagem, disse a viuva, cuja voz
se entristeceu corn aquelta recordagtao tra-
gica.
Porque, mrefin, deve existir um ino-
tivo para quo os miseraveis tonhatn tornado
aquella precauv;io que dcsprezaram ate
aquelle memento.
Q general fo i terropido pela obegada
de urn assado, umn magrnifioa porna de
veado, que o criatdo Ihe coifocou debaixo do
nariz.
Elih Eh quo bello cheiro, dissa elle
abrindo aas narnias, porque Labor, A sua
predilecao pelas-mulhleres bonitas e pelo
bom1 vinho, reunia a qualidude de soer um
magnifico gastronomo..
Por detraz do criado que trouxe o vaado
chegava outro trazondo unm minonstruoso
quarto de ecarneiro, que foi collocar de-
fronto do Pipart, que arregalou os olhos,
avidos e alegres, ao aspect d'aquella mon-
tanha do came.
Mcu carol Pipart, e o seu prate, s6
para si, para ai unicamente, annunciou a
viuva, rindo parao seu conviva.
Procurarei mostrar-me digno das bon-
dades da Sra. condessa, responded o co-
milio com uma voz reconhecida.
Puchatido entao o prato para si, como se
aquelle quarto de earniro fosse um peque-
no bife, comeoou a devoral-o.
Do subito, no pateo da Cestello, sobro o
qual dava a sala do jantar, foi ouvido o
estrepido de um cavallo que chegava a
galote.

que espero saberAs brevemento afastar do
teu coravao.
Fechou a carta, escreveu elle mesmo o
sobreseripto e mandou um criado leval-a
ao castello de Lesguilly.
A semana passou sem nenhuam inciden-
te e seu modificar a situaglo dos nossos
principles personagens.
Approximava-se o dia annunciado para
o casamento, e todos da terra adtniravam-
se de ver que o marquez nilo sahia mais
do castello, nem R6v6ron e a filha das for-
jas.
Comegaram os commentaries : De cor-
to a cousa falhou, diziam uns, e outros :
< A opposiilao deve partir da menina. Mas
tambem, que diabo do idea de ter querido
ser marqueza s a Per que nile duqueza ?D
dizia terceiro.


U W VMS Uk ffL hPCA 610 144V lucsy V!VUSk W O%4v***--m
em post-scrimptum o que te vou dizer. E a boa gentle ia contando historians em
Dicte que a familiar R6v6ron nio representava
SEsta carta6 escripta em presenga de melhor papel. Um accuaava o done dos
mom "a, quoe a approve. d foras do ter seduzido o marquez, pagan-
MU iso. D, que a appron va. ochal-a.. do-he as divides; mas accrescentava corn
86bo isso. DA-mJa ; vott finuM que o marquez tinha.se vingado se-
D'aqui a uma hera elle teoA rofebido essa dma.id-o he a filha.
ca-ta, etudo estarisaabado.. E amanhA, R6vron era informado d'eses boats
para te distriires, minha filha, iremos pa- e nfaob
ra onde quizres.. partiremos par a Its- per na home de confianga.
lia, parm a Russia, para a Groelandia, se no dixava de, orgusho municaroasa, e
quizres. D cA a carta pars fochar.orgulho conhecia, e
Ella entregei o papal, quo preparara assign pars esquecer Gas-
par o maiw depressa possivel. E todas as
A maio tremia-lhe corn tanta violencia, noites disia em voz surda:
que a folha da papol, cobhorts de uma es- Ai d'esse home, se n1bo nns enviar
cripta irregular, estava milito agitada. as cartas!
,v6ron suspiron. Nio pedndo mais se center, esbreveu
Pur mais e aquiizess e pareoer alegre, ao marqtuez etia simple phrase:
vendo qun a filfioffria crelmente, sof-j a Esato esperando.i
frnia tubei. I oinom vle firi3 asaigqou:
er.':'P~g a-it W I J'i.Aquxs RViRON.
iw_ quenatlO Ao oali 4r.da it0_ nda esperava. De-
t cididainento.Gas' 4 o faltavaA
017 poalscar*t& e sux pa61sir.. *r quo -im ? Quereiia
#ac pibsvaa q i sar~t,~vivts: 'e&ss55 artai par& fovrar a
? t ttri4 do ad -


Ouvindo aquelle tropel, o general diri-
gio-so, A condossa 4e .Meroqc.'
Na occasilo -am w|ara aqui vim,
disso clle, esperava uma4resposta a urn pe-
dido que fiz polo telegrapho, para Char-
tres. Deixei ordem que m'a trouxessem
aqui, quando ella chegasme. DA-me licen-
ca, miaha senhora, que va ao encontro do
meu in mensageiro ?
Por unioa resposta, a condessa voltou-se
para urn criado:
Traga esse portador ai presence do
general, ordenou ella.
Urn minute depois o enviado entrou.
Era urn gendarme. Fez uma continencia
o apresentou umsa arta, dizendo:
Da ultima hora.
Labor pegon no officio, abrio-o apressa-
damente, laavou-lhe os olhos, e, corn uma
crispaga'o nervosa, amarrotou o papel, que
metteu no bolso.
Depois, voltando-se para o gendarme:
Dize da minha part ao ten cornel,
que nao conte com o home de quo me
havia fallado.
0 soldado retirava-se, quando a conies-
sa chamou o Porco-Montez.
Cardeunc, disse ella, antes de partir,
leva esse home A copa e cuida d'elle.
E corn umn olhar solicitor o consenti-
mento do general, que so inclinou em sig-
nal acquiescencia.
Depois do jantar, quando se achavam..
no salAo, mais graciosa do quo nunca, a-
condessa approximou se do general:
Parece que aquelle officio o contra-
riou, disse ella.
Dizendo isto, conservava-so diante de
L:tbor, corn o rosto tAo perto do d'elle, quo
o perfume de seus cobellos entrava pelas
narinas do velho soldado.
A condessa collocou a tnAo sobro o bra-
9o do general.
Nao 6 mnui feliz! em que meu querido
general ? perguntou ella coin uma voz que
soou melodiosamente aos ouvidos de La-
bor, cujos olhos ardentes estavam fitos na
m3o que so apoiava n'elle.
0 ouvido I o olftto! a vista! Dos cinco
sentidos, Labor tinha tres t1o agradavel-
mente encantados, que rospondeu sem re-
flectir muito :
Na falta de Menzelin, ordenei que
me man ta.sem do Chantres um home quo
me haviamn gabado muito. Parece, segun-
do diz o officio, quo elle tambem desappa-
receii. '
Era tambem algum agent de poli-
cia?
(Continra.)


Era noite fochada, mas a lua brilhava
no c6o azul escuro, em que scintillavam
estrellas.
Geava, como na manhbi em que Albina
tinha sahido de IA. 0 caminho quo elle
seguia, ao long do Ource, em cujas mar-
gens tremiam os delgados salgueiros aba-
lados pela brisa, era aquelle que a menina
tinha tornado.
Albina tinha ido procural-o, agora era
elle quern ia procural-a! Que mudanga na
sua vida em una semana I
Elle sabia onde a camponeza morava.
Nao precious perguntar.
Do longe vio a casa, cujas janellas es-
tavam allumiadas por uma luz amarella.
A mo~a trabalhava s6, peito do fogao,
no qual ardiam ou antes fumegavam triste-
mente alguns pedacinhos de lenha verde.
Ello bateu duas pancadas discretas.
Albina estremeceu, levantou-so e pergun-
tou:


Quem estA ahi ? Que quer ?
Abra.
Albina conheceu a voz de R6v6ron.
Abrio e o done das forjas entrou.
A camponeza. admirada d'essa visits,
newa se lembrou de offtrecer-lhoe. ama ca--
deira.
Sr. R6v6ron Em minha case, a eta
hora 1
E' porlue precise fallar s6riamonte
corn voee.
Ah! fallout corn o marquez?
Fa'!lei, come Ihe prometti.
Entio.? perguntou ela, procurando-
adivinhar as palavras que sahiam do. Ia-
bios de R6v6eron.
Entao, nio fui bern suocedido.
Elle recusa?
Sim, smm dar razees, sem memo
procural-as!
* -- E que razses podia elle achar? Ma
0 seinhor dismlo-Ihe quo n flevia.m -*
wtarcorn honra de ser sai geni?
' D- ae, ileo haduvi de'. -
-Ahl I e entito? -
~,EnIt1' disse ,Rv6roii*
415experarita M eis~


-* %


Dr. Loba M& eooo.


t1 "


i


,'+-'




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9EHGGHX4_VFASTI INGEST_TIME 2014-05-19T22:50:26Z PACKAGE AA00011611_14794
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES