Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14759


This item is only available as the following downloads:


Full Text





























joprxi~e!baN b Jttanoet ljfigtidaa be karia & Jilthos


TELEGBAMMAS




RIO DE JANEIRO, 13 e janeiro, as
12 horas e 40 initutos da tarde. (Roee-
bido is 11 horns o 30 minutes da manhIL do
14, pela inha terrcstre !! !!!)

Foram eleilos em 2.0 escrutintio,
segundo telegrammas aqui recebi-
do:
Pelo 1.0 districlo de Minaa Geraes,
Dr. Diego Pereira d41e Almeida Vas-
coneellon (C);
Pelo 3.o district do Rio CGrande do
Sul. Dr. Emygdio Barbosa dle Olivei-
ra Ilaqui (L);
Pelo l.0 district da mesma pro-
vinceia, segndlo lnns o Dr. Francisco
da Silva Tavares (), segnndo ou-
tros o conselteiro Francisco Antu-
nes Maciel (L).






(Especial para o Diario)

LONDRES, 13 do janeiro.

Na Colombia rebenutou auma insur-
reicao da maxima gravidade.
Peu-se em Junga um important
combat entire os insurgidos e as
tropas legaes, sendo estas comple-
tamente batidas por aquelles.
Acredita-se que a lnsurreicao niao
tardara em generalisar-se, esten-
dendo-se por todo o paiz.

PARIS, 14 de janeiro.

Assegura-se que os negocios da
Corca estfio arranjados.

Ageucia I aa'1, tilial em Pernainhbuco,
14 de janeiro di 1885.



INSTRUCCIO POPULAR


PHOTOGRAPHIC
(Extrahida)



Operarfices e processor photogra-
pliicos
CAPITULO III
PROVA POSITIVE
(Contlnuagao)
Para se poder ir, seguindo a opcracio, a tampa
e dividida em duas parties, podendo s6 levantar-se
urna e ficar a outra fechada segurando o papel na
posi^So primitiva; mas etsta inspeccao d-c- ser
feits. na cunuu'ra alhraujatda, para que a luz s6
possa actuar, durante a exposi<;.io, nas parts cla-
rae do neyatiio e tr.ausfri I as assim em parts
escuras, pi r.'ia a iu l ,n pass;tr de negatioa a posi-
tiva.
0 tomp.) do ox^osiu :u.) depend,:. da intensidade
da luz.
Logo que se suppt5' estar promnpts, traz-se parA
a camar:a alaraujada e tiro-so. a prova positive de
deutro do caixilh), i)ii~l.j) cm son Ingar outro papel
sensibilisado pars ir obser )'.as ptr,'/as positiv'a.
A que se tirou apresenta L 11.1 cor muito verme-
lha, e tern em si um excossdo e-.sal de prata, que
nao foi atacado pela luz 11)3 paiitos onde o cliche
aprcsentava as sombr4s ; 6 p),>is, prtaiitto, ncoes-
saris precede:' A< opecarso dajJLect.do da imnageom,-
devendo antes, por6sn. pr,)rder-se a outra opera-
eio que teor o nome do c-iragom on do intoacaio.
Serve 1. imt.'jfcwa. p:0rF: d:t" sorlid,'z A prova, de
rn)do j'l; poa-ui r.'.-stir a iniiae,,cia do tempo c


adluiniru.n r trn vi,".r 1)s9) vioihco o1 preto, C )m-
furmi", : i1 ;z r.
C;a-!..u i`tr.)dctzir a pryva eii uin banho
coW -itO) U : W1 t;t!n: i d h. ciior;Pt d- ouro c do
potassi,) ;n 1 iitr d'nui, a qnue se c-ostuamajtn-
tar un1M .'d.i dir; d i) i 'carb.)nato de so-
dio.
A pr d: dJv- tero il) proviuninte lavada em
muita agut dtunte iilganus mninutos, sempre no
quarto ecw'ai e; o dvo-soe couservar dentro do ba-
nho da into i~t.o durante urn qiarto de hora, po)Uto
mais ou mn-mno, ate quo tenh: -ttornado uinai cor de
sepia carregadi.
Logo seg.iidaneuto 6 a prova de novo iavada
em muitlta agna, podcado mesmo prAlongar-se esta
lavagemn a pinto de cstaremn s.i p)rt;vas positives 6
a"8 horns ein min: tina, cuja agua se renova coins-
tante e sucessivam -ute.
EntA,, mergulha-so em in banir,) de hypo sul-
phito de socii (203 grunamms de hypo-sulpbito de
sodio por 1 litro d'agu', coin 1 "/' de cr6) durantt
um quarto de hora. Lava-se minuito bern e scc -
ae, ficaud ) situn promnpta a provt positive.
Para hiavr a ca'tezia d, qui ;. lavaig'eus forair
sufliceients, r:.oironII s en 11 i c ipo .igrimal
gottais da ag-a quo escorr,', e juntando-lhe uina
pequeni porl!) d bi-ehloroto de mc;renrio (subli
mad.) corroiivo) disiolvido iem aiatui, ao deve ha
ver precipitado; have:.lo o, 6 necessario couti
nuar as lav:igens.
Para so obterein os esbatidos dos retratos e o3
funds brainc)s, poeinm-se emnpregar tiras de paper
jegadas sobrc o vidro do eaixillio, eutAo suibs--
titair este vid:o por umn outro bronco no contro
successivainete ina's ainarelial. pir.a a peri.
pheria.
Ap laagcm, a prensagcin, e a setintgem, sao as
opwraoes finmca ; e wao nos demoiraremi)a a explih-
ear como se precede, porque tods sabemn ceila:
um lspel em cartao, o taminbemor porque as machi
uS e se empregain para a prensageum e para
bAinagew sto do tao facil trabalho que todos as
e a por6m, qul para augmentar o effoitf
4vstea a u e uito conveneate darm afitl i
'^I4l1 i wmul, faruadod de cersO tie dem
edaencia do itoebeisthti.


-PARTE OFFICIAL

Governor da Privlnela
EXPEDIENTE DO DIA 30 DE DEEZRXBIO DE 1884
Actos :
0 president da provincial, attendendo ao que
requeren o tenente Francisco Evaristo de Souza,
curador do alferes do 140 batalhbio de infantaria,
Jos6 Pedro da Silva Souto, e tend em vista a in-
formaca.o da Thesouraria de Fazenda de 29 do
corrente, n. 873, resolve de accord corn o decreto
n. 2,884 do 1 de fevEreiro de 1862, abrir sob sua
responsabilidade, um credit da importancia de
603000 1i verba-Corpos arregimentados. do Mi-
nisterio da Guerra, exercicio de 1883-1884, afim
de occorrer ao pagamento do soldo do mencionado
alferes, concernente aos mezes de maioe e junho
ultimo.-Remetteu-se copia ,A Thesouraria do Fa-
zenda.
0 president da provincia, resolve de accor-
do corn o disposto no decreto n. 2,884 do 1 de fe-
vereiro de 1862, a que allude a inforinacao da
Thesouraria de Fazenda de 27 deste mez, n. 868,
abrir sob sua responsabilidade, um credits da iaq-
portancia de 5JS490, a verbal -Classes inactivas-
do Ministerio da Guerra, exercicio de 1883-1884,
afirm de occorrer ao pagamento do soldo do cabo
reformado do exercito, Jose Euzebio Rodrigues,
correspondent aos mezes de maio e junho ulti-
mno. -- Remetteu-se copia A Thesouraria de Fa-
zenda.
0 president da provincial, attendendo ao que
requereu Jos6 de Azevedo Souza, apontador de 2a
classes da Repartiqao das Obras Publicas, e tend
cm vista a informaco prestada polo engenheiro
chefe da dita repartiqAto em officio de 27 de no-
vembro ultimo, sob n. 262, resolve a vista do dis-
posto no 25 do art. 2o da lei n. 1,110 e de con-
formidade corn o art. 20 da lei n. 1,790, que seja
considerado empregado public, continuando no
exericiio do mesmo lugar quo actualmente occupa
pelo qual perceberA o vencimento annual de 900A,
dividido em 700N de ordenado e 200$ de gratica-
Icao. Fizeram-se as devidas cnmmuuicaq6es.
Officios :
Ao inspector do Arsenal de Marinha. Em
aviso do 22 do corrente, sob n. 2,045, declara o
Exm. Sr. ministry da Marinha que attendendo ao
que expoz essa inspectoria em officio n. 661 de 3
tambemn do eorrente, providenciou n'aquella data
para que a Thesoouraria do Fazenda desta provin-
cia seja habilitada corn a quantia de 4:336A314,
pela verbal Arsenaes do exercicio em vigor,
afim de occorrer as despezas corn a montagem da
serraria a N apor desse estabelecimento.
0 que faco constar a V. Exc. para seu conheci-
monto e fins convenientes.
Ao president do conselho fiscal da Caixa
Economic e Monte de Soccorro. Transmitto a
V. S. para os devidos fins os inclusos decretos de
nomeanAo de Julio Cesar Paes Barreto e Jos6 Fiu-
za de Oliveira, para os cargos de membros do con -
selho fiscal dessa instituicao.
Au inspector da Thesouraria de Fazenda. -
Transmitto a V. S. para seu conhecimento e devi-
da executoro o aviso junto per copia de 20 do cor-
rente, sob n. 17, em que o Exmin. Sr. ministry dos
Negocios Estrangeiros, recommend que seja in-
demnnisa#* a despeza feita corn os tripolantes do
briguewraaileiro Elvira, naufrqgado em viagem
desta provincial para o Havre.
Ao mesmo.-Trausminitto a V. S. para os de-
vidos fins, as contas d:i receita e despeza da en-
fermaria military do presi *.)u de Fernando de Noro-
nha, concernentes ao iuez de novembro proximo
preterito.
Ao mesmo. Transmitto a V. S. para os de-
vidos fins, cinco ordens do Thesouro Nacional,
send quatro de ns. 191 a 194 e uma reservada, e
bern assim uina portaria de prorogaoio da license
em cujo goso se acha o 3o escripturario da Alfan-
dega, Deomedonte de Almneida Magalhaes.
Ao mesmo.-Transmitto a V. S. o aviso cir-
cular, junto por copia, expedido em 22 do corren-
to, pelo Ministerio do Imperio, afim de que por
essa thesouraria seja fornecida a demonstraiio
nella exigida sobre as despezas feitas pela verbs
-Soccorros Publicos-ce do credit extraordinario
concedido pela lei n. 3,228 de 3 de setembro ul-
timo.
Ao mesmo.-Communico a V. S. que o enge-
nheiro Aristides Galvao de Queiroz, assumio hon-
tern o exereicio do cargo de director das obras do
prolongamento da estrada de ferro do Recife aso S.
Francisco, para o qual foi nomeado por decreto de
22 de novembro ultimo.
Ao director do Arsenal de Guerra.-De con
formidade corn o que solicita o brigadeiro com-
m:ndante das arms, em officio de hoje, sob n.
682, Ihaja Vine. de provideaciar para que sejam
transpcrtados do quartet do 140 batalhao de in-
fantariua, pmara usse arsenal ciuco cuadeiras de ]a-
ciraridA, nina cadcira de bracos, urma dita vinha-
tico e nure eadeira de ferro fundido, objectos estes
que foram julgados inserviveis e que tern de ser
dados em consume pela commissao que fr nomea-
da por est' Presidcncia, de conformidade corn o
avise eiruiiiar do Ministerio da Gucrra de 23 de
jatcirJ do currents auno.-Commnuaicou-se ao ge-
nerali.


Ao eoimmandante do corpo de policia. Em
vista do quo Vine. representou em officio de hlion-
tern datado, n. 1173, autoriso-o a elhninar do cor-
po sab seu commando o soldado Autonio Pauta-
leoito de Oliveira, afirm de ser processado no term
dt Guranhuns pelo crime de homicidio qune alli
coinmmetteu em 21 do corrente mez na pessoa de
Manol Antoniode Limna.
Ao promrnoter public de Panellas. Declare
a Vine. ptira scu conheciinento c em aditamento
to ofli,-iu desta presidencia. de 12 de Sternbri nl-
tiuno qu' o individuo da norme Manoel de Moello
Albuquerque, de que tracta o soeu officio de 18 do
corriente mez, nao 6 desertur do 170 batalhio de
infautaria, como diz, segundo consta das inform -
S6oe que fr-amn prestadas pelas estam6es compe-
tentes.
S Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Limoeiro.-Deelarc- a Vine. que por aviso do Mi-
nisterio da Agricultur;i, Cornmmercio e Obras Pu-
- blicas, de 23 do corrente, sob n. 26, foi approvado
o actor pelo qual cesta presidencia modificou as ta-
rifuas dessa estrada dd ferro quanto ao prepo de
Strauspmrte de kerosene e phosphorus.
Ao3 mnmbros da junta classificadora de es-
Scravos de Nazareth.- e eonf.bimidaude con o avi-
s so) do Miuisterio daL Agricultura, Coinmmnercio e
I Obras Publieas, de 31 de marco do anno passado,
s6 devemn set preferidos na classificaaio o liberta-
q ;.o per couta do fundlo de emrnancipai.ao os escra-
vos menores deo21 annos, filhos de outros jA Ii
bertads por esse meio, ao passe que na classifi
3 car:t.-) tie qto Vnmes. enviaram copia corn o officioc
1 de' 15 do corrente, foram preferidos sob os ns. 9 a
16, escr.tvos minenores que nilo estiAto n(ssas conUi-
i coe~s.
Ti'a:nbein forlam classifieados sobos ns. 1 a
eseravos menores eomprehendidos mmquelita dispo
s sicito.
Tendo tido, portcm, a preferenci'a, por occasiaiL
r da apufiCrcao da 5a quita 11 escravos em taer
-eondicues, cmnpre a essa junta verificar com'tjd<
a eriterio a existencia real deosa classes de liber
s tandoi, para que nlo aejarn preteridos direitos ad-
queridos pelas divereas elases deofamilias. e
Na Exiaando o restante, da elasaificaeVA vermi
a ea-se que foram promisenaamente preferidoes acra
vos esmado, Ums tendo ilhos iberto, oUtrfeaCo
filhos livres, sew rdela.raoo da idade odedt% ta
do squdo o avipeo do itadoMlh&,teriodo1t
o maioiultirri, do. haLIo.4wuatesl ia
4pdeaci a sn eieafr- de16 eijnpbo, de 'aw I4 a
o la uniton swavnoo a1* tdose
iverem, maio a r4Cobr,


A' junta elassificadora de escravos do muni-
cipios da Gloria (do Goit e PiNo d'Alho Infor-
mem Vines, corn urgencia se rcunio-se ou niao n')
dia 10 de novembro proximo passado, conform
Ihes foi determinado em circular de 22 de ou'ubro,
por que InAo fora isso communicado A esta Presi-
dencia.
A' do Cabo.-A' vista do qu, Vimcs. infor-
mamin no officio de 22 deste mez, approve a classi-
ca;AuO, qae por copia veio annexa ao do 12, para
appliac;iIo da @a quota do f undo de emancipacao,
c dcteiranmio que, depois do prazo do art. 34 do re-
guluamuento de 13 de novwmbro de 1872, tcnha lu-
gar por parte do agents fiscal membro d'cssa jun-
ta, o arbitramento dos valores dos libertados, ob-
servadas rigorosarrente as disposi5coes em vigor a
mespeito. -Cominnunicou-se ao jui'. municipal.
Portaria :
-- 0 Sr. gerento da Companhia Pernambuiana
mandc dar prssagem A r6 ate Mossor6, por conta
conta das graitritas t. que o governor temrn direito,
no vapor que seguc parA us por.os do norte a 5 de
janeiro vindouro a Joaquim Monteiro dc Seixas
Borges.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officio :
Ao fiscale d: companhia Rucife Drainage.-
SS. Exc. o Sr. president da provincia manda corn-
, municar a V. S., em rcsposta ao seu officio de 6 de
outubro ultimo, quo nesta data solicitor do Minis
trio da Gucrra, o precise credit para o paga-
mcnto da quantia de 425,720, relative aos repanros
do quarter do hospicio e da cnfermaria military.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 13 DE
JANEIRO DE 1885.
S Antonio Ferreira Barga. Encamninhe-se.
Anna Acacia Lins. Informe o Sr. ins-
o pector geral dna InstrmUclo Publica.
a Protessora Clarinda Ribeiro da Cunha
o Guimarles. Sim, corn os vencimentos
. que Ihe comipetireom.
Bacharel Francisco DomiDgues Ribeiro
SVianna. Certifique-se o que constar.
S Catpitgo Fmrncsc 4JaPisula Bezerra Ca-
valoante. Como reqQr.
e Jos6 da Costsa Barr. eooutros.-RBemet'
tido eio Sr. Dr. juii do direitda' comar.'
a es doTasquarefinp, de prestar'
Spedido a considderago, quo mereser.


para at.ender.
Joalo Baptista Cabral. -Cumpra-se, e fa-
9am se as devidas notas na contadoria.
Henrique Bernardes de Oliveira. -Sa-
tisfa;ain a exigencia.
Delphina da Silva Duarte e outro. -
Haja vista u Sr, Dr. procurador fiscal.
Casimiro Lucio dos Santos. --Escriptu-
re-se a divida.
Officio do Dr. chefe de policia, Ray-
mnundo Ferreira de Moraes, engenheiro
chefe do prolongamento, Medeiros & C. -
Informne o Sr. contador.
Joaio Jose de Miranda Rocha Pitta.-
Informe o Sr. thesoureiro.
Padre Manoel Jose. Pereira dc Albuquer-
que e thesoureiro das loterias. -Haja vista
o Dr. procurador fise I.
Joao Jose Ramos de Oliveira e outros.
-Ao Sr. Dr. administrador do consulado
para attender.
Symnphronio Olymnpio de Queiroz,-Cer-
tifique-so.
Conselheiro Joao Jose Ferreira de
Aguiar, Dr. Luiz Emygdio Rodrigues
Vianna, Dr. Matheus Vaz de Ohliveira,
Dr. Manoel Knedino do Rego Valenga,
conselheiro Joi') Capistrauo Bandeira de
Mello. O:eites Saraiva de GCarvalho Neiva,
Augusto de Mello Carneiro Rego, Jos6
Theodore Gomes e Joao da Silveira Bor-
ges Tavora. Entregue-se pela porta.
DESPACHO DA JUNTA ESPECIAL DO IMPOSTOR
DE REPARTIVXO.
Dr. Manoel Enedino do Rego Valen9a.
-DA-se provimento pars r o eliminado da
collect d Isse n. 72,vio poyvar que

Dr. Igai6 ebiudes Velloso. -Nega-
s po *itin`r n~lo predoerem allega-
950. qante.0 a. 72, visto quo ,a
(oijecia peks -Idiioes peculiarefs de prb.
iassh d r tfidt ,claae "fi procedi&d o


accord coin o disposto no art. 23 das ins-
truceges de 27 dejulho do 1883.
Dr. Matheus Vaz de Oliveira.-Nega-so
provimento per nao procedorom as allega-
qoes quanto a inclusao do recorrente na
classes n. 72, visto que exerce a profissao
do quo trata a mesa classes, send que
pelas condiges peculiares da profissilo, foi
procodida a collecta nos terms do art. 23
das instruc9oes do 27 de julho de 1883; e
resolve-so no entretanto que sejam inclui-
dos no langamento os Drs. Miguel The-
mudo Lossa, Virgilio Tavares de Oliveira,
Augusto Seraphim da Silva, Leonardo de
Albuquerque Cavalcante, Joao do SA Ca-
valcante de Albuquerque, Francisco da
Cunha Beltr-ao e Fabioe Baymna, send nes-
to sentido alterada a distribui9gao da
quota.-
Dr. Joio Capistrano Bandeira de Mello
Sbacharel Luiz Emygdio Rodrigues Vian-
na. -Nileo se toma conhecimento per ter
side o presented recurso f6ra do praso legal,
3 assim achar-so comprehendido na part
final do disposto no art. 34 das instrucoes
de 1857.
Conselheiro Joao Jos6 Ferreira de
Aguiar. -Nega-se provimento por nao pro-
cederem as allegag5es quanto a elasse
n, 72.
Orestes Saraiva de Carvalho Neiva. -
D.A-se provimuento para ser alterada a col-
lecta, passando o recorrento a ser consi-
derado na 1' divisIo da classes n. 80.
Josed Theodoro Gomes. Nega-so pro-
vimento por nao procederem as allegaoes
quanto a classes n. 80.
Joao da Silveira Borges Tavora. -DA-se
provimento para ser alterada a collect,
pas3ando o recorrento para a 3' divisao da
elasse n. 80.
Augusto de Mello Carneiro Rego. -DA-
se provimento no sontido do incluir-se na
;ollecta da classes n. 83, os seguintes di-
rectores deo collegios o institutes do ins-
truc9lo Jos6 Antonio Moreira Dias, Fran-
cisco R. dos Reis Lima, Leonidas Silva,
Clovis Bevilaqua, Affonso Olindense, Luiz
?ortocarreiro, Olympio A. de Meudonga,
)lyntho Victor, Madame Blanche Targe,
Maria Coelho da Silva, Vicentina Cesaria
Le Mello, Felicio R. da Silva Santos, col-
egio de Santa Luzia, a rua do Marquez
lo Herval, Anna Virginia W. do Albu-
querque, Francelina Doudiers Pessoa, Jo-
sepha Marinho Sarmento, Rita de Jesus
Ramos, Fortunata A. Fortes, Emilie A.
tder, Waldetrudes P. da Fonseca Telles,
Angelica 1'. da S. Viat, collegio de S. Jo-
s6 dirigido pelas irmies de Santa Doro-


s6 possa, correr o telhado. Em quanto a substi-
tuico de caibros, send neeessario, requeira de
novo, que Ihe serA concedido depois de pagos os
impostor munuicipaes.
Francisco Luiz de Franca pcdindo licenca para
construir uma casa de taipa no antigo becco da
Torre.--De conformidade corn o parecer do Sr.
engenheiro e pagos os impostos municipaes con.
cede-se.
Francisco de Pinto Leao, pedindo licenca para
construir urma casa de taipa a margem da Estrada
Nova de Caxang., freguezia da Varzea.-De con-
formidade corn o parecer do Sr. engenheiro, pagos
os im postos municipaes, concede-se.
Israel Affonso Ferreira, pedindo linceuga para
mandar retalhar a sua casa n. 320 a rua Im-
perial.-Concede se, sendo a sua petiglo apresen-
tada ao respective fiscal, antes de principiar a
obra, scm o que serA o suplicante multado como
disp e o art. 30 da lei n. 1,834.
Jeronymo de Souza Robin, para mandar correr
o telhado de sua casa n. 4 a rua do Visconde de
Inhadina. Sendo a petigao apresentada ao res-
pective fiscal, antes de dar principles ao concerto,
sem o que serA multado, em vista do art. 30 da lei
n. 1,834 do 2 de junho do anno proximo findo.
Jos6 Maria Pcreira da Rocha, pedindo licenca
para mandar transformar em portas 3 janellas do
predio n. 13 a rua do Sol.-De conformidade corn
o parecer do Sr. engenheiro, pagos os direitos mu-
nicipaes, concede-se.
Jose Ignacio de (-liveira, para mandar edificar
uma pequena casa de taipa na travessa do Malun-
guinho, freguezia de Afogados.-Depois de pagos
os impostos municipals e de conformidade corn o
parecer do Sr. engenheiro, concede-so.
Manoel da Silva Mendonua Vianna, para man-
dar tomar goteiras e fazer alguns ligeircs reparos
em suas casas de ns. 72 e 74 a rua des Guarara-
pes.-Sim.
Zeferino Ferreira Velloso, vigario da matriz da
Graga, para mandar levantar uma casa atraz da
reterida matriz, para deposit de objeetos da
igreju.-Pagos impostos municipals e de accord
corn o pareeer do Sr. engenheiro, concede-se.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 14 de janoeiro de 1885.
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da Silva.



INTERIOR

Congress da InstrucpIo
DO
RIO DE JANEIRO
10a QUEST&o
Organisacao do proressorado dos es-
tabelecimentos de ensino4 supe-
rior.-Seus direitos e prerogativas.
-Inconmpatibilidades a que deve
estar suJeito.-Meios de animacao.
Parecer do conselheiro Dr. Epifanio Candido de
Souza Pitanga
PRIMEIRA PARTE
ORGANISAXO DO CORPO DOCENTE NO ENSINO
SUPERIOR


8 annos, on menores de 21, na falta delles es-
tabeleeendo-se a preferencia pelo maior peculio,
se fOr igual o numero de filhos, pelo que os escra-
craves que tiverem filhos libertos nio-podem ante-
ceder Aquelles.
Assim, procedamI Vmca. A nova classificaeSo
como flea dito, destinguindo as classes dos conju-
ges conforme a idaddo.as filhos lives e tendo em
vista que a mulher prefer ao homem.-' ommu-
nicou se ao juiz municipal.
Ao juiz municipal de Nazareth.-Remetto a
Vmc. Os requerimentos que a eata presidencia di-
rigiram os escravos Manoel, Aqonio, Guilhermi-
na, Adriana, Brazilina e Thotsia, c o liberto
Casirmiro, em favor de sua mulher Eaperanca,uafim
de que sejam tornados na devida consider aAo, na
forma do n. 2 do art. 36 do regulamuiento de 13 de
novembro de 1872, depois de feita e-approvada a
nova classificgaio de escravos hoje ordenada.
Portaria :
A' Camara Mqnicipal de S. Jose do Egypto.
-Approv, a arremdtacao dos impostos constan-
tes do term annex ao officio que a Camara Mu-
nicipal de S. JoeA do Egypto dirigio-me em 23 do
outubro ultimo.
EXPEDIENT DO SBCRETABIO
Ao general commandant das armas.-O
Exm. Sr. president da provincial tendo remetti-
d) A Thesouraria de Fazenda para os devidos fins
as contas da receita e despeza da enfermaria mi-
litar do psehidio de Fernando de Noronlma concer-
nentes ao mez do novembro proximo preterito, as-
sim o manda declarar a V. Exc. em resposta ao
seu officio de hontem datado, sob n. 680. (
Ao engenheiro Aristides Galvio de Queiroz.
-De ordem do Exm. Sr. president da provincia
accuse o recebimento do officio de hontem no
qual V. S. communica que assumio nesta data o
exerieiio do cargo de director das obras do pro-
longamento da estrala de ferro do Recife ao S.
Francisco, para o qual foi nomeado por decreto E
do 22 de novembro ultimo.
EXPEDIENTI DO DIA. 31 DE DEZEMBRO DE 1884
Actos:
0 president da provineia, attcndendo ao que (
requereu o Dr. Joaquim de Albuquerque Barros
Guimaraes, lente substitute da Faculdade de Di-
reitoe e tend em vista o exposto pela Thesouraria
de Fazenda, em officio de 13 do corrente, sob n.
834, resolve, d naccordo con o decreto n. 2,884, do 1
19 de fevereiro de 18M2, abrir um credit na im-
portancia de 1"33,333, A verbs -Eventuaes, do Mi- t
nisterio do Impenro, exercicio de 1884-1885, para
pagamento da gratificaeao a que tern direito o
mesmo lente substitute, relativamente ano mez de
novembro ultimo, visto ter substituido ao Dr. Jose i
Hygino Duarte Pereira. -Remetteu-se copia A
Thesouraria de Fazenda.
0 president da provincial attendendo ao que o
requereu o juiz municipal e de orphios do term
de Nazareth, bacharel Jos6 de Castro S8 Barreto, p
resolve conceder-lhe 3 meoes de licenga corn ven-
cimentos na f6rman da lei, afim de tratar de sua
saide, devendo entrar no goso de dita licenga no
prazo de 15 dias. d
Officios : (
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.-
Transmitto a V. S. para os fins convenientes, o
aviso junto per copia, de 24 do corrente, n. 5,200,
em que o Exm. Sr. Ministro do Imperio, declare
approvado o credit aberto per esta Presidencia
para occorrer ao pagamento do gratifieaeao ven-
cida em outubro ultimo pelo Dr. Joaquim de Albu-
querque Barros Guimara'es, lente substitute da
Faculdade de Direito do Recife, na regencia da 3a d
cadeira do 50 anno.
Ao commandant do presidio de Fernando de o
Noronha.--Recommendo a V. S., que fa"a chegar
ao conhecimento de reo Joaquim Jose da Silva,
condemnado pelo jury da cidade da Victoria A 5 J
annos e 3 mezes de prisilo simples, que achando- A
se na Secretaria desta Presidencia todos os papeis
referentes ao sen recurso de graga, conv6m que
apresente a petigao que deve ser inderegada a S.
M. o Imperador.
Ao inspector do Thesouro Provincial==Man-
de Vinmc. entregar ao Rvd. Manoel Jose Pereira de
Albuquerque, vigario da freguezia de S. Louren9o
da Matta, a importancia de 1:2004 correspondent
ao product da 13& e 14a parties das loterias nas. i
377 e 378, extrahidas em favor da igreja mnatriz
da mesma freguezia, umna vez que seja exhibida a
fiauca de que trata a informacao desso Thesouro,
de 13 do corrente, n. 293. Devolve a peticao que
a esse Thesouro dirigio aquelle vigario.
Ao juiz de direito ao comarca da Victoria.-
Recommendo a Vmc., que presto a informaclo de
quo trata o aviso circular do Ministerio da Justi-
ca, n. 287, de 28 de junho de 1865, acerca do reo
Floriano Minervino de Souza, condemnado pelo
jury d'essa cidade, em 16 de setombro de 1879, a
pena de prisito perpetua corn trabalho, da qual
quer interpor um rocurso de graca. *
Ao memo. --Convmn que Vmc., na qualidur-
de de juiz da condemna,.ibo de Joaquim Jose da
Silva, presto a rzspeito doste reo a informacabo de
que trata o aviso circular do Ministerio da Justi-
na, u. 287, de 28 de jumho de 1865, visto ter rile
de interpor um recurso de graa da sentenca do
tribunal do jury d'essa cidade, condemnando A 5
annos e 3 mezes de prisao simples, no dia 9 de ju-
nho de 1880.


Josi Teixeira da Costa. -Informe o Sr.
comm !ndanute do corpo de policia.
Joaquimi Livino Lual do Barros.- In-
deferido; porquaato, teado sido enviado
ao poder competent, em 19 do maioe de
1882, o recurso de graca, devidamenta ins-
truido, nio foi o peticionario agraciado,
conforme consta do expedient do Minis-
terio dos Negocios da Justica, publicado
nos Diarios officials de 30 de dezombro
Ide 1882, 15 de igual mez do anno seguin-
te e 24 de agostoultimo.
Luiz Felippe Cavalcante d- Albuquer-
que. Como requer.
Maniel Ferreira da Cruz. Prove por
qualqier dos ineios legaes que 6 maior de
21 Annos do idade.
Professor Manoel Soares de Albergaria.
Indoferido.
MariannaPires de Souza. Nao ha vagas.
Manoed Ignacio das Candeias.-Infor-
me o Rvd. Sr. regedor interino do Gym-
nasio Pernambucano.
Manoel do 0' e Silva. Prove que 6
casado.
Secretaria da Presidencia de Pernatnbu-
0o, 14 de janeiro de 1885.
0 portoiro,
J L. Viegas.

Repartiao da PoHela
Secqao 2.'-N. 28. Secrotaria da
Policia do Pernambuco, 13 de janeiro de
L885.-Illm. e Exm. Sr. Participo a V.
Exc. que foram hontem rcolhidos A Casa
de Detenilo os seguintos individuos:
A' minha ordem, Francisco Valerio Jos6
los Santos o Francisco de Paula Lopes,
vindos do term de Pao diAlho, come sen-
tenciados.
A',ordemn do subdelegado do 2. distric-
;o dca Boa-Vista, Maximiano Pereira da
Cunha, como vagabundo.
P13 subdelegado da freguezia do Reci-
fe., i remettido ao Dr. juiz de direito do
I.- stricto criminal, o inquerito policial a
que jrocedeu contra o individo de nome
Alanoel Maria, per so achar incursos nas
penas do art. 205 do Cod. Crim.
Deus guard a V. Exe. Illm. e Exm"
Sr. Dr. Sancho ac Barros Pimentel, muito
digna president da provincia. -O chete
de policia, Manoel Ventura de Burros Leite
Sampaio.

Seqio 2,-N. 33. Secretaria da Presi-
lencil do Pernamnbuco, 14 de janeiro do
18^3). H 1ilm. o Exm. Sr. Participo a
Exc. que foram hontem recolhidos A Casa
do DetengAlo os seguintes individuos :
A' ordem do subdelegado do Recife, Arthinson,
Johston, Crosbece e Berchara, a requisicao do con-
sul inglez.
A' ordem do do 1 district de S. Jos6, Severo
Jos6 Francisco, Antonio Jos6 de Medeiros e Jos6
Antonio da Rocha, por disturbios e offenses A mo-
ral public.
A' ordem do Dr. juiz substitute do 5 district
criminal Antonio Gomes dos Ramos, por se achar
pronunciado em crime de ferimeutos graves.
Deus guard a V. Exc.-Illm. e Exm.
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel, mui
digno president da provincia. -0 chefe
de policia, Manoel Ventura de Barros Lei-
te Sampajo.

Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 14 DE JANFIRO DE
1885
Herdeiros de Joao Francisco Muniz e
Anna Joaquina Muniz Pedrosa. -Ao Sr.
Dr. administrator do Consulado para at-
tender.
Monte-Pio Portuguez. --Ao Sr. thesou-
roiro para os devidos fins.
Jooquim Antonio Pereira Bastos o Jos6
de Sd e Souza. Ao Sr. Dr. administra-
dor do Consulado para attender.
Manoel Tavares Ferreira e Maria Lins
de Frias Villar. --Certifique-se.
Francisco Jose de Oliveira Rodrigues.-
Ao Sr. Dr. abministrador do Consulado


thea, Madame Adour, Maria Brandao e A organisaoo do corpo docent dos estabeleci-
do1 S. Vicdt a Pa A Mi diriio e mcntos de ensino superior tern sido sempre urnm as-
collegio de S. Vicente de Paula dirigido sumpto de maximi interesse por part do governor
pelas irmAs de caridade. E como a pro- imperial, e nerm podia deixar de merecer-lhe toda
fisslo de que so trata, por suas condiq5es a sua solicitude e attendo, no moment exact em
peculiares, seia impossivel divisoes, man- que se trata do piano geral de reform da instruc-
da-se que sja distribuido o amposto os o public do imperio.
da-se que seja distbuido o impost nos Base de todia prosperidade do ensino, seja pela
termos da part final do art. 23 das ins- protundeza e exactidao das theories que expoe ou
trucgles do 27 do julho de 1883- pela elevaqao dos methods scientificos que desen-
volve; seja pelo rigor logic de seus raciocinios
Ca ara l u IIpal ou pela superioridade de seus processes experi-
Camarai X iun dpill mentaes, o professor do ensino superior deve ser
DESPACHOS DOS DIAS E 13 DE JANEIRO unma personalidade scientific, que symbolise o
DESPACHOS DOS IAS 1 E 13DE JANEIRO progress de saa 6poca e encerre em si a maior
Pelo Sr. tenente Vtegas. eomrnmssario de somma de competencia e autoridade na discipline
7 ,a que se destina, qualidades quie devem ainda es-
poCia tar alliadas, de um lado A summa clareza e cor-
Eduardo Cascao, pedindo licenca para abrir um receao de exposigao, de outro, a uima extrema rec-
estabelecimento de fazendas na casa n. 50 a rua tidao, como reclama o sacerdocio do magisterio.
do Visconde de Inhauma.- Sim, pagando o rim- Todo o system de organisacao do professorado
post. dos estabelecimentos de ensino superior deve, por-
Demetrio Caldas & Irma'o, pedindo que sejam tanto, ter por fundamento:
feitos os devidos lancamentos no sentido de term 1.- Reconhecer essa competencia a essa autori-
comprado em leilao public o estabelecimento de dade scientific do candidate.
fazendas sito a run do Visconde de Inhauma, n. 2.o Verifiear essa aptidlo e essa integridade,
10.-Provem os supplicants o que allegam, de- que devem ser o ornamento de todo o pessoal das
clarando em que tempo se effectuou a compra em altas corporaqoes docentes do imperio.
leilao. Para realisar-se, corn acerto, tao elevado intuit,
Francisco Ferreira Baltar, pedindo isencao de os methods que se nos afiguram apriori, e que j.4
qualquer debito de impostos que possa star a de- sao fxeeutados nos ciculos mais cultos do globo,
ver o pavimento terreo de soeu predio n. 19 a run podem ser resumidos nos seguintes casos:
da Imperatriz.-Deferido, pagando somentoe exer- 1. A faculdade ou a universidade, verdadeira
cicio corrente em vista da intornmacio da conta- depositaria da sciencia, centro e principal f6co do
doria. progress scientific, e que tern o dever de perpe-
Jos6 da Silva Moraes, pedindo licenca para abrir tuar o foro de sun sabedoria e de honrar sua me-
umrn distico na front de sua cocheira. sita a run do inoria, pela grandeza de suas investigaghes, polo
general Abrou e Linima n. 8.-Sim, pago o respec- conhecimento que tern do desenvolvimeinto da
tinuo imposto. sciencia e pela imparcialidade e justice de seus
Jolo Antonio de Saboia, para abrir umrn distico actos, prop5e o candidate preferivel ao governor, e
na frente de seu estabeiecimento sito a rua 1 de este referenda a proposta da faculdade ou da uni-
Maro n. 4.--ldem. versidade.
Jose Carneiro dh Silva Beltrao, para collocar 2.o 0 governor, supremo vigilante e o rrime'ro
uma taboleta corn letreiro na frente dc seon esta- responsavel da prosperidade public ; verdadeiro
belecimeronto de barbeiro, sito a travessa do N iga- propulsor da energia national e forea directriz dos
rio n. 1-Sim, pago o impostor do 63 do art. mnais importantes recursos do Estado; centro de
unico da receita do oreamento vigente. toda a actividade administrative e dispondo dos
Julio da Costa & C., pedindo licenca para re- mnais amplos meios de investigar a verdade e pra-
abrir o estabelecirnento de taverna sito a ruan da ticar a justiga, pode, ouvindo as congregagoes, ou
Roda n. 48, que foi de Guilhermino Jos6 Alves os eruditos que disphem de autoridades scientifi-
Villela, cuja armavao e generous comprou em lei- cas, preacher as vagas do magisterio, por livre
lao publico.- Sirm, pago o impostor do corrente nomeacao sua.
exoricio. 3.o 0 concurso, corn apresentacao previa de ti-
Joao Ferreira da Cunha Mdia, pedindo lieen-a tulos de habilitacao ; corn fixa9io de um prazo ra-
para abrir um deposit de louaa de barro no corn- zoavel para a inseripeiAo dos candidates e revesti-
partimento da frente do predio n. 19 a rua do do de solemnidades tendentes a .garantir os direi-
Visconde d. Iuhauma.--Sim, pago o impostor do tos dos pretendentes; onde se exhibem todos os
exercicio corrente. concurrentes, para dcmonstrarem seus meritos
Machado Lopes & C., replicando declara que o scientificos e seus dotes de professor, por meio de
valor locative annual do predio a. 47 ao caes do provas theoricas e praticas, segundo a natureza
Apollo para onde transferiram o sen estabeleei- da cadeira sobre quo versa o concurso, e dando
monto 6 de 1:0004000 e que o prcdio 6 de sua pro- em resultado final uma list dos candidates classi-
priedade. --Dete.ido. fieados por ordem de moinrecimnento, d'entre os quaes
Manoel Fernandes d'Abreu, pedindo licenga nomeia governor os que devemrn preencher as va-
para armar umrn botequim no largo de Santo Arna- gas existentes.
ri, por occasi'io dos festejos que dove ter lugar na Si barn que qualquer dos methods acirma men-
referida a capeila.-Concede-se, pagando o impos- cionados possa, quando se procede corn anmno des-
to e s6 durante o tempo dos festejos. prevenido, dar uma just solunAo deste grave pro-
Rouquayrol Freres, pelindo que sejam feitos os blema, cumpre cumintudo notar que a praticabilida-
devidos lancamentos no sentido de torerm adopta- de e execute de cada urn delles, d"pende de cir-
do a presented firm em substituigao da de A. Caors, cumstancias differentes, quer sob o ponto de vis-
sob a qnal gyrava o estabelecimento sito ao predio ta da cultural mental, quer em relacao A organisa-
a u. 22 a run do Born Jesus.-Deferido. A coata- 9Ao scientific do paiz.
doria parsa os devidos -effeitos. Nos paizes em que as descobertas, as maravilhas
Os mesmos, idemrn no sentido de term transfe- e as applicaVocs da sciencia, illuminando o espi-
rido da easa n. 24 par a de n. 20 sita a run do rite do hcmem, t6me de um modo indefniio multi-
Born Jesus o seu deposit de drogas e de conti- plicado os meios de accao, realisando transforma-
nuaremrn corn o sea estabelecimento de pharmacia 5es novas e admiraveis em todas as toreas pro-
Sna casa n. 22 dareferida rua.--Sim, pagando a casa ductivas e uteis, o gosto das espeeulaces scienti-
n. 24 os impostos que estA a dever dos exercicios fleas, o amor e o estudo das lettrus tmrn attingido
de 1883 A 1885, como in forma a contadoria. uma escala completamente deseonhecida em nosae
Victoria de Bernardi, pedindo licenca para col paiz, e a creaiao das faculdades, assin comO a
locar uma taboleta corn distico na varanda do pre- apparioAo de homes eminentes, notabilidades
Sdio n. 18 a run 1 de Marco. -- him, pago 0 im- verdadeiras, fazendo todaa aautoridade scieintifi-
posto. ca, tern igualmente attingidonna asit proporio
Pdo Rvd. padre Mello, cmrmissario de o m te. psses o Ct it Befi xproBpto .ws
Sedicaeo 0 uerito sientifie doaN luoBoen.. .A repata^e 4d
A-fredo iFerreira Baltar, pediado licenca para bi elaadi e repei que excit, i
udar tornar goteiras e aubatitar esibros se pro- Poo BettO&fae ateno gs verno e e-
else for em sus easa n. 51 a rus de Marcilo Diam I am imS GM poUi*I j a5cn 5rsd tern eIqism i4oe
--Dando previs sciencia so fiscl, coneede-se queOsm [ iai p tae molecsnoia
















avpcnta lopP opuer a aculdade, quer o
as pode iM ,e1M eeitar, pastando assim
vigo de bedfUMteia as letiras de sue pa
Os doun(irn*wos modoa deo roviment
gares de f dos estabelecimenotos d
superior, f ilmente aceitafeis em tao
circumstancias scientificas, nao podem te
eo favor nos paialos, d| k reg
n- em a sciencia OIidoM a
dade, nem inspbo o0 *o 0ixob (
-. dos, e onde os -hiiAtorMep"o0
dadeiramente s-
,. Ha, pois, emjl", o sidade dtM
:. caclo do meritaientf-mdo ce.andM ;
thodo unico co lMWebk tsW igw i
curso, que conimie om omeie
cessos, que a pdu s-ircaaiiiitemwn.
serio para o proviMM-t dos-Laraa ]e
do ensino superior.
Posto cm pratica cm todas as reforms
tido a instrucaIo superior do Imperio, o
dos concursos nao tern, tedavia, apurado
bells fructos que delle se devia esperar.
Homensde celebridade e recoahecida ci
eia nrio se teem querido sjeitar as provas
cursor, que Ihes garantem uma serventia '
candidates esperancosos ejA bafejados p
nio, oun- niao foramn contemplades nos F
Ingares, ou foram excluidos das listas dc
mento, emquanto outros de suspeitosa cc
cia t em, entretanto, tido assento~nas cong
e figunrado no quadro do pessoal effective
.-ntedo enmano superior do Imperio.
A causa de tao lamentaveis resultados
-, provavel senAo exacts e real explic
rmag'l constituisAo dos jurys eucarregados
namncar o veredictum em ultima entrance'
A insu-ficiencia do03 jurys dos concursos
quanto a mim, da singular organrisa9ao d
faculdades, que tende de preferencia a
professors eruditos, mas um tanto sup
pelta variedade dos estudos a que 4 elle o
em vea-de former professors de consume
ricia e que- sejam verdadeiras notabilid&
nsa especialidade.
E', pois, indispensavel modificar a org
dos ditos jury, e 6 mister que sejam elli
tituidos por juices da maxima competence
qe 6 equivalent, que tenham series e p
estudos sobre as doutrinas da cadeira qu ne
de ju'gar.
Ora, em nossas faculdades, a nio ser
trate de um espirito privilegiado, s6 teer
deira autoridade para ser juiz de urnm con
1.00 s mcmbros da seccao a que perten
deira que faz o object do concurso.
2.o Os professors dos seccoes que ma
approximam, ou que se dedicam ao estudo
triua que Ihe salo correlatas.
3o Um n ououtro membro da congrega
seccao ompletamentc estranha A material
curse, e que por sun a rara illustraio tam
dedique A cadeira em julgamento.
Mas, coma fora da faculdade a que per
eoncurso tambem ha sabios provectos, ou
tenham pertencido, ou que pertencgam ou
pertencido a outras faculdades identical,
se tenham illustrado no estrnngeiro, compy
se perfeitamento que em cada concurso se
former um jury, altamente cormpetentc e d
isenaIo ; si todos os grades elementos es
na faculdaie e f6ra della torem devidamen
veitados para tao elevada quanto seria fui
Os jurys de concurs As vagas do prof
poderilo, pois, ser onstitnidos dos seguit
mentos:
1.- De todos as membros da faculdade
cetbs i secqAo especial-d -concurso.
2.0 De quatro ow eiacoimetnmrosesigna
congregacAo, d'eatreos qua se dedicam a
rias mats approximadas on correlatas.
3. De-quatro.au cinco miemnbros, nomea
governor d'entre os professors jisbilades di
faculdade, ou pertencentes a. outras fac
onde as materials do concurso scjam en
coma mesa elevamao, ou d'entre-os sal
notoria proficiencia em tars doitrinas.
A intervencn o do governor na formac'o
ryc de concursos para o provimento dos
vagoes-de professor nos estabolecimentos d
superior 6 uwna medida, que convem ser a
conm.a possivel prestesa.
Ioha motive plausivel pira que o gc
quet ineambe anfiscalisacio de .todos oas
publicos, e a quein compete direbsameute a
c'i0 do professor, an$Q eanoanra, na coapos
jury, corn um certo numero de delegados
exciusiva nowBieaco- econfisoea das maim
aompetenci a.
Desde lo,,) se comprehende quo as cl:
aoes do-taes jisrys dovendo seo plenamentb
polo goaws-o, os candidatoscolloeados~e
rolugar terio sempre de ser as esceihidos
preeachimento das vagas ; o que 4 una
coanquista pare o future e engrandeeimeutc
culhifdes do Imperio.
Se poderia objectar qu., ja send odir
exciusiva n~mea9ao do governor, a design
emibras estranho A a.faculdade nao parec
dente. Maes s poderia responder que o.
como inembro d> jury, naso tern mais carn
do que qualquer dos membros da oongres
qi tal- competencia pade faltar-lhe no mm
mare de concursos a que seotiver de prom
questao nao 4 de confianca pessoal, ma
ponts do vista de idoneidade coma juiz


curso.
Sentimentos de susceptibilidade e wielin
c)nsregaceos poderiam ser invocados, nc
d;, r,-ardmr esse retoque essencial na le
dos concursos; mas. apreciada essa in
peloe lade da verdade e da justisa, ve-se cl
te que ella tendc a clevar a alta dignidade
fessor do ensino superior, porque na realid
se p6;e comnprehendor eomo 6 que possa it
emin material de competencia, capacidade, e
cimento s-ientifico, quein descoahl-ee As-
elementi-)s lis doutrinas sobri qua tern dF
juizo.
Prende-se ao problcmi de organizaci-o
d-cen(te do ensin) superior a questbo das
eategorias de prctessores. que devema c
quadro do alto professorado, ou, o que e o
si deve haver uma classes unica, a dos cat
cos, ou si al14n deltas dove haver nas fa-
outros titulares, coin funcN5es determinaa
dendo intervir na marcha do ensino. 0 ec
prior du- Brasil tom side successivament(
sado sob o ponto de vista do pessoal do c
center, dos seguintes modes :
10 Coin lontes cathedratieos e coin sul
sem outra funceAo mais do que occupar o I
cathedratico, nas suas faltas e impedimnen
:aimnar, nas epocas :t l.lit:,as, mas tendo
ans congregacues.
2' Coin lentecs cadthelratiC3 e corn r
res qu te mja missth, de examiner, deo fazer
batinas, repetir o que diziam os cathedrat
elarecondao um outro ponto das lieoes, que
desenvolvido, mas, que s6 em casos part
tinham assento nas congregapSes.
3o Coin lentes cathedraticos, e oinm sub
tendo part das funcQ5es dos antigos rep,
mas tendo todos os mais direitos dos cat
COS.
cos.
4P I' por ultimo tern-seo tratado n'uma c
tra faculdade de dividir o curso entire o c:
tico e o substitute, ou de ficar este enca
dos trabalbos praticos, ficando ainda v
nossas faculdades sob o velho regimen do
tuto sem funcao propria, rmais do que sm
o lente nas faltas respectivas e a de exam
determinadas 4pocas.
Estas repetidas tentativas mostram prime
to uma duvida sobre a ft.ncgao que deve s(
substitute, e quanta a mim affirmam a sua
ciencia e pouca utilidade.
De facto, no 1 caso um ?ubstituto sem
propria e coin a missao unica de substituir
nos seuas impedimentos, unm modo vers
mente singular de querer preparar urnm b
fessor pira a ftculdade ou para a escoli
rior.
Pois que um dos grande estimulos do p
S brioso e dos grandes professores 6 a extret
duidade As suas hies, naeil 6 comprchi
que, cornm uma tal omganisacio do substiti
nos e snnos terlo decorrido, sem que um
ligo, em oerta cadeira, possa ter sido fe
substitateo da respective secelo.
YD'alfarta, si o object ,pipcipal da ,er
tae mbbattutoa 6 preparal-os e habilital
a doe .thedraticos, o method 6 n
*. "mb^ tuato nio temrn opportune
S to na Apoe de ser cat
a dexenmbsraco, a corn
If- do methodo, dotes esse
,,, odea^baranto, a uc* o do B
do examinrr
tP q ea n torn a pmatie deJeccie


-~-5~ '0~
a~ LIin5I~ .50 --


governor, UmseAasse de subftitutos cornM a misglde en-
uum ser treter-os auditoriot das fneuldades, no in ito de
ktria eswl*er e deaeneolver aa doutrinas, qae o res-
* dos Inu- pctiveprqfeaor dqve topr illumipadq A aciedade,
le ensieman implica antes urna enpra A. insaffieiencia oun ne-
ispeciaes gilgendia do lento ou ads dtfeitos Ia' organisaao
r identi- scientific, do que uma creacao vautajosa ao pro-
raM lMao do. im a so |e carem.de
0FM 1 / ectt u a psaio ,a -
lo-tu-: i m e ffiwo sub n nao AN=
esfter- wMeldoa fei| ueI ,bo deoriionar. ,
5i eflMMz 6cs (& espemew.de suena
a wfi- 2gitt9 nterQr tmndao oireito
m; ee- ua a-- pro|Miria.e.mqaflit o .oPsg
6 epn- IMfenMO i awn p& ttbabem rniao s -l 1
dotsro- i(aao su8 vaz a..E Zneste hywite
ao (.=ais saUi n Wto i tanconv mintasertr
profewor sta ;.v mmoawnWezyje qmt t1 desspp'Mc
a unidade e alteraria o criteria que .deve haver no
que tern plano de ensino de uma mesa doutrina ; injustb,
methodo porque, investindo o substitute de funcq5es iguaes
todos as a dos professors, naeo Ihe daria as mesmas prero-
gativas.
ompeten- Sem mencionar outras, e talvez maiores males,
si-deo w que.estetpojxdo-a hNinSo+-e ammin-ta ao- eni'-
vitalicia; no. superior, cumpre-me dizer que, si 6 a amplidio
)ela opi- dos programmas a justificativa doe tao pouco acer-
primeiros tada media, o meio de corrigir o defeito estaria
a. merec- o nna reductao dos programmas, ou antes em sua
impeten- divisiao e na creacao de novas cadeiras qae 6 a
regacoes provideacia unica plausivel, para queo aenasino poes-
do corpo sa marchar incessantemente no caminho da perfei-
cao.
tern a Por ultimo, a ereacAo de substitutes pura e sim-
Sacao na plesmente encarregados da part experimental da.
de pro- cadeiras, se me afigura como o typo menos justifi-
%. cavel, que se pode introduzir na organisaaio do
provem, corpo docent dos estabelecimentos de ensino supe-
ie nossas rior
produzir A pratiea seria, afaciliddae de experimrntar, a
erficiaes, preterenomia e escoliha dos, mothodos de experimen-
>brigado, tacio, sao o fructo de largos estudos nos gabine-
nada pe tes e laboratories, e constituent a maior gloria dos
ades em sabios, que envelgecem verificando as leis naturaes,
ou que naca Aband9oaam o caampo das investiga-
*anisagao R Ses scicatificas; takes func5oei, rclamando pro-
es cons- fundos conhocimentos e exigindo alto espirito do
ian, on, o observagio, nio podem absolutamente servir de
rofunidos iniciaao A carreira professoral de nmUn joen subs-
se tern tituto.
A instituicio do substitute vitalieio no dominion
que se fecundo da liberdade do ensino 6 portanto uma
n verda- creaio insustentavel; e converte-se em verda-
curso: detira anomalia, si, supprimido o direito de ju-
ce a ca- bila9Ao, a serventia do professor for vitalicia
duranto a vida do mwsmno titular.
is se Ihe Ora, como eu penso que a funceao de ensinar
das dou dove ser campletamente diatincta da fuaca.o de
examiner, isto ED, que o Estado deve organisar o
agao, da ensino creando commiasses, examninadoras perma-
do con- anentes e remuneradas; tambem sob o ponto de
nbem se vista do aecessidade do examinadores, nenhuma
v..ntagern traran. seio da ftculdide a actual
rtence o classes de substitutes vitalieios.
que Ihe 0 que cumpre decade jI fazer pars quo esse novo
tenham typo de organisa;4o do. ensino superior possa dar
ou que desejados fructos, 4 dividir-se uma grande parte
rehende dos cadeiras de nossas faculdades; nao s6 for-
i poderi maremos professors muito mais eminentes, como
oe maior ternaos cursos muito mais profundow e desenvol -
ristentes videos, bemrn como chegaremos a ter a co6pia de ha-
iteapro- beis examinadcres, que possa reclamar as urgen-
aeilo. cias da vida scientific de nossos estabelecimentos
ossorado de ensino superior.
ates ele- Nio contest quoe seja necessario alnmentar um
viveiro de candidates, d. oade mais toade posama
perten- sahir os novos membros da faculdade, que devern
substituir as grades luazes, que a mareha do
dos pela tempo for extinguindo.
is mate- Mas, comncertezana nova classes adjuata i facul-
dade nao poerA.ter:as immnuaidades e preroga-
dos pelo tivas do professor, nern o polerA substituir nas
ia mesnma faltas e impedimentos; salvo o caso de impossi-
uldades, bilidade absolute per part dos outros titulares da
sinadas, meamas subsew io dataaeUldade; equanda .a trans-
bios, de cendente esphera.do adjuato, possa demover acon7
grega"cio a coaferir-lhc senelhante 4istiacqao.
dos ju- Adquirindo ao lado. dos professors nos amphi-
lugares theatres, nos gabinetee, nos hertos5 eoaalas do dis.
le ensino secagao, nos. hospitaes-e nas outras fontes de ver-
tdoptada dade=ra inetruccao theorica e prati"a,. o tirocinio
e a iaiciaego dos.grandes methods seieatificoa,,os
vemno, a adjuntos das faculdades formarao uma classe de
serviwos grande vantagom parade easinoe superior, polo ex-
nomea- trerna facilidado de obter-se aempreuiama grandest e
lico do habil convurrencia noasconcursos ao pravimento
do sua das vagas que se foremr daudo nas eorporaites do.
elevada ,ensino superior do Inperio.
ossifies- SlGUNDA PARTE
s aoitas ODREIT0S ,E PiIlO4ATIVAS
primei-
pare.o Osdireitos e prorogativas do magisterio su.
natavel periar do Iaiperio sio :
S-dasofa- 1., serveutta vitalicia co-n veacimento relativa-
monte modesto;
sector de 2.0, diroito a jnbilauao, coin part variavel do
aao de vencimento, sognude o tempo do exerccio;
a e 3., a direita .dseoantinuar oaexeroicio, depois de
director vencido o praso .(6ibilacao, mediate permisaeo
detencie. do governo, e corn massi uiea quote do vencimento,
petano i part di equal lhe p6da.ser contada para a sun ju-
uier no- bila.Ao si depoia db mnisso pars continuar o
ieder n a xercicio, a exerce, ^Mo menos, por mais chico an-


is sob o nus;
do con- ,4., umn tr,.tamentoq'onorifico especial desde que
e empossado no ca.go de cathedratico ou subs-
idre das tituto;
Sintuito 5.v, e ultirmo, as jWrogatcvas de couselheiro da
gisa19o cr6a, depois de unm loago praso do mnagiaterio, e
novagio quando obtem a permlislo para coatiauar o exer-
laramen- cicio de cathedratico, depois de vencido o praso
do pro- legal de jubilacao.
ade, nAto Eites direitos e lprerogafivas qe sa em nu-
or voto, mero sufficieute para rodearema.olasse do magis-
Sconhe- terio superior de certo gr-Ao d 6 protigio, nao tern
vezes os todavia a extensao e o desenvolVimento precisos A
e former manuteu-ao da grande e serena indipendencia de
que carece o professor superior; e o que e mais,
do coirp) slo insuffieientes A formamao do professorado do
diversas ensino superior do Imperio.
aompor o Louge de rnarcar-se um prazo no qual o profee-
iesmo sor adea quire o direito de deixar o magisterio, ou
hedrati- de fixar-se um outro, qvie o professor nao p6de ul.
culdades trapassar, e em que 6, portanto, foriado a aban -
das-po- do-nar a sua cadeira, parece-me de todo o ponto
casino su- just que emquanto o professor, por uma frequen-
Sorgani- cia irreprehensivel, p6de illustrar o seu auditorio
orpo do- coma ammcidade e persuasao de suns li5es, pela
elevag'o de sums demonstracoes, pela profundeza
)stitutos, de s-us metholos, e mais ainda pela vastidAo de
lugar de sesus conhecimentos, que demonstrate que a par
ttes exa de estudos perseverantes se aeha elle em dia com
asseito o progress scientifico de sua dpoea, dove elle per-
maiinecer A test do ensino.
epetido- Por este nethodo prestarai professor os mais
as sab- relevantes servioi A instrucqAo do Imperio; po-
icos es- derA conquistar aquelle grno de eminencia scion-
era iral tifica, que coustitue uma verdadeira gloria nacio-
iculares, nial ;e rodeado d& aureola de ter encaminhado
S seus ovens compatriotas na trilha los grandes
stiuts, aperfeicoamentos intellectuals, devera gozar, em-
tido:-es, quant o jogo doas fornas physical e intellectuals
hedrati- Lhe permittirem, de unma complete serventia vita-
lieia, cujos dias serao marcados, um par urn, por
u nou- um servi9o de benemerencia A sua patria.
athedra- A ess e typ de organisaglo do corpo docent
Lrregado superior nao p6de deixer de corresponded um di
arias d reito neov, no sentido de mauter-ihe a vida, quan-
substi- do o alquebramento de suas forgas, ou o desarran-
abstituir jo de suas faculdades, levenm o governor a conside-
imar em -ral-o jubilado; direito novo que se p6de resumrnir
nar no seguinte : o professor se jubilarA corn todas as
Miramen- remunera6oes pecuniaras a qne tiver jus, no mo-
e dar ao mnento exacto em que for coasiderado imp)ssibili-j
i sufi- tado de continuar no exercicio do mnsgistefio.
insuf- Quando sc r-fledct qiu uo pLrofs-is-mr -m qual-
func quer dos ramos de conhecimentos a que se dedi-
a quen o polo fazer figure swliente serm passar lar-
r oladein- gos periods em coantemplar os fa_-tos, desc imi-
adeira- r-lhe cada uma de suas circumstancias, exami-
)oDM pro- na as rela95es mutuas que os unem, determinar
a supo- as lois que os regem, fazendo repetidas experien
cias e determinaudo series de medidas summamen-
?rofessor to delicadas, ou estudando os caracteres multiples
ma assi- das cousas para realisar classificaqoes mais ou me-
ender-se nos admiraveis; ou ainda coneebendo principios,
ito, an- creando typos e formulas, verdadeiros e preciosos
'a unica instrumoentos analyticos; ou entiao cogitando nos
ita pelo meios mais commodes e mais economics de reali-
smr applieaoes -scientificas imprescindiveis ao
cacao de bern estar e progresso da humanidade, coampre-
-as pare hbende-so bomn, que nao 4 quando o profeasor ternm
e.gativo, chegado A plenitude de sua eompeteucia e antori-
idade de dade, que soe a o deve formar a abandoar o magis-.
thedrati- teionem a mesmo ffculelar4he a ,rtstirada de ura.
ecil do arreira da qual tern sido uma gloria e umorn.a.'
mPass-a meento, e onde p6de continuar a prestar os mais
r 4Blloeservi A scieneia e ptiria.
Sem A aerativdo professor deve poia er vitaolicia
mlo ten- dmine to4. rsaa vids; e qnasado m iBns tarde,
nar urma depose do lvieamd, venha pela decrepitude ou








- ,. :
-'*. .. ..*. -..-**


Z .- ~ .


r ieio- a gn D .
'- ,> t jbt







ai quo o maior galardalo que pde aspirar rna
direito ao despcno d bern seuvir a patria, sendo
namente abrigado da panuria, tantoo 460ai 4"WR
susi long& e honroafa earreira dava kor"datd M
qs amlos de poder ter uma modesta; mz* doatf
invtnuacae.
Sei que o maior galardio que pdde aspirar Bin'
cidadao conspicuo 6 bem servir a patria, sendo
util A humanidade; e que o professor eminente

E Itnilmp prifMa dUdar praw
va pfli onQ keao doe/.did a
rele -t rM s d enS mM--amines-
tes, PM--n ira d ..ique o p Amrm qua
se tiMidiglAdaM e entb- un e eira
E nM ioM a 1kr-f m im li4nis e
rerNaias ceif s taaH s rida aio-
a u
pobreza.
pobreza. TESCHIRA PARTE
INCOMPAT[BMIDADES
E' f6ra de today a duvida, que um espirito dado
ais investiga9ies as mais transcendentes e As mais
elevadas concepgoes do entendimento huminanoj
zpae-ahlrtd A-.ycpil~rtfl o^^ew ite m~is- ri-
goreso e de mais precise; que crea: methodos bri-
lhantes de demonstragAo ; que tanto abrange a
vastidio da synthese comb desce sos mais deliea-
dos detalhes da analyse; que decomp5e os factos
os. mais complexes, reduzindo-os a urma aerie de
verdades elementares; que faz de am principio
theorico as mais sorpreheadentes e admiravois ap-
phea95es; que pode cogitar sabre todos os meca-
nismos essenciaes A grandeza e prosperidade das
sociedades, e fdra de davida que urn sernmeihante
espirito, como deve ser o espirito de um professor
eminente, 6 apto para as mais altas func 'es da
vida social; e que f6ra injusto tornal-o iacompa-
tivel -pars s cargos de conselheiro de estado e
ministro, que devem ser sempre exercidos por pes-
soas de vasta e cult inteltigencia, de grande e
profunda reflexao, possuindo larga experiencia das
cousas, fertil de concepcoes, acerto uas decisoes e
justi~a nas execu4es.
Se tf6ra injusto privar o governor do Estado
das Iuzes e da experiencia do professor, nio me
nos injusto seria impedir que o professor per-
tencesse as assemblies legislativas, tanto geral
coino provincial. S6mentc seado de maxima van-
tagem nAo interromper o exercicie do professor,
eu proporia que, ao contrario do que so pratica
hoje, a elegibilidado do professor s6 podesse ter
lugar na cidadc de sua residencia; sendo a func-
qau legislativa exercida simultaneamente con a
funoco do magisterio, e dando se a faculdade ao
professor eleito de recusar o lugar de deputado ou
seuador, quando, por circnmstancias le um pendor
exceptional, nao quizesse elle desviar-se, urn
instant, da esphera scientific de sun predi-
leceao.
Dest'arte, a idterrup~io do exercicio du pro-
fessor s6 se daria no caso de ser elle ministry
de estado, onde as funco5es multiplas de tio
alto cargo s8ao incompativeis corn a vida mnetho-
dica o harmonica do professor de ensino su
prior.
Duvidas serias poderiam apresentar-se sobre a
simultaneidade das tunceoes de professor e legis-
:lador, send o professor estipendiado pelos cofres
publicos; mas, desde que a legislagao permitta a
opao de um dos dons veneimenatos, as funoqes de
lente e legislator poderiam ser accumuladaaa seu-
do uma dellas dasempenhada gratis, e por pa-
triotismo.
Esta.simultaneidade das funco5es de leislader
e professor sa me afigura tanto naiss natural,
quanta eu eatendo que a posi~lo do membro das
assembleas legislativas nao 6 um simples emprego
ou um officio, mas uma investidura e uma delega-
gao coafiadaa ao patriotism do cidadao, para di-
rigir e encamiahar o deastinos da nasgo na trilha
ascendente dos progresses do miuado; nada po-
derA rodear o professor eleito de major prestigio,
do que vel-o eno~aminhar as discusses no
parlamento, smor qsebra do sacejdocio do ma-
gisterio, que 4 tajbem a sua grande missao so-
cial.
So poicria diser, 4 verdade, que sondo a pro-
lessor um empregado public, a ftmcao dc le-
gislador exercida conjunctamente com a de pro-
fereorpoderia no. ser exercida corn o grao d& in-
dependencia de que deve ser revestido qaqwgr.
membro do poder legislative. Mas, quando se
.cousideram os vinculos que ligam o professor do
onaino superior Aoadmimistracao do paiz, eoopre-
beode-s perfeitiwes~te que aao hba, ea;tal'r, -
ucuaataucia, totiv so iri para qie a regidez e in
dependeacia dto lente *enhamn a se- abaladas,-
come representante da namo.
Parecee no tundo, haver um certo grao de par-
cialtdfd.e em someibsnte projeeto, porqtsanto,
own elle s6 as zuembros do magisterio superior
da capital do Imperio podem ter a funcoao si-
muitauea de lents e do membro do poder legisla-


tivo..geral,
o pocoriA responder a isto, que tambem o pro-
fessor da capital nao tera assento no parlameato
provincial, e O.eo do mais a capital de um, Es-
tado 6 suseeptivel de mudar cum as eiroumstan-.
,ias o corn o tempo, semelhante prorogativa re-
verteraora em favor de urn, ora em favor de au-
tro grupo de professores. Uma d&a mais fortes
objec'eis que se pode trazer contra estas minhas
id6as, que o professor actual nio pode ser eleito
tera da provincia de: sea magisterio. MBas, a isto
se pode contrap6r, que este project tambem
Ihe garante a eleicAo na cidade de sua residencia;
o que Ihe nega a lei eleitoral vigente.
E si a lei actual garante ao professor do ensino
superior a elegibilidade 'f6ra da provincia de seu
exercicio, cumpre declarar, que 4 A custa de tan-
tos sacrificios e de takes exigencias, que muito
mais honroso 6 seguir-se a' gloriosa profissao de
lente, no%-termos que ora reclamo, do que aceitar-
se uma eleiaAo que tira o direito do exercicio e de
antiguidade, durante todo o tempo do iuterregno
parlaminentar.
F6ra de tao altos cargos, e do direito de ensinar
nas diversas facnldades do Estado, 6 minha opi-
nilo que o professor nao deva accumular nenhum
ontro emprego cmrn is funeo5es do magisterio.

QUARTA PARTE

MEIOS DE ANIMAAXO

A admissao do programma que supprimio o
compendio, e a liberdade de ensiuo, que transfor-
mnou o auditorio da escola, colocando alem disso
ao lado do professor official o professor livre, criou
para o professor do ensino superior estas simples
alternatives ; ouabandonar o magisterio, ouacom-
panhar o progress.
0 professor pode, .por si mesmo, crear, iiventan,
pesquizair, segundo a organisagio scientific e
mais ou menos aperfeigoada e conform aos meios
de observacAo e de experiment ao, que consti-
tueQn (s laboratories e gabinetes, sao mais corn
pletos e mais adiantados. Mas, o que mais eleva o
nivel intellectual do professor, concorrendo para
o merito e criteria do ensindO, o estudo aturado e
profuudo das descobertas e dos methods novos
que os sabios produzemn depois de largos periods
de perseverantes e intelligentes investigasoes.
E' fos tratados em que as theories sao expostas
corn tode o desenvolvimento e lucidez ; nas me-
motras que relatam as descobertas e os maravi-
lhosos invents ; nas revistas scientificas onde as
doutrinas e os factos jA sio comparados e onde se
julga da superioridade e preferencia dos metho-
dos ; nos annuarios que resume e classificam as
descobertas, trazendo os elements e a estatistica
de tolos os conhecimentos uteis ; e por ultimo nos
jornaes, onde todas as conquistas modernas do es-
pirito humrnano sao apreciadas e debatidas, quo o
professor tern de fotmar a vastidio do sua instrac-
gilo e firmar a sun autoridade incontroversa sobre
as materials corn que o sen eagenho fecundo tem
de illustrar os auditorios de sun faculdade.
Esta situagio crea para o professor uma linha
de conduct de que elle nao se p6de desviar sem
quebra eu perda de sem fore de professor eminen-
to, m-ts, que entretaatW ioa p6de elle desempe-
nhar e satisfazer cabalmeate, scm achar-se rodea-
do dos recursos impreacindiveis a tio several con-
centragio intellectual, e sem as meios de uma jie .-
ta e efficaz animanao, que Ihe alentem a perseve-
ranea e os estimulos, rmantendo-lhe o bern estaraa
esphera serena e eleva la de que dove partir a ul-
tima palavra da verdade e do progresuo scienti-
fieo.
Si o ensiso superior tern side am objeeto de con-
tinuas preoowupagoea- para os poderes publico; o
bem estar do professor e todos os saiew do. eatW
mulo e animal, qmado me tratade firmar a eara
reira do alto profewm'ado, tornado o professor
quasi inoomipativel para, todos ow .argoe remane-
radus do Eata do deve maerecer do govermo aRai
apua4a aoieituds.
Os honowrie de professor no. eato em hamr-
moma nem comrn a energia consumida na conquim-







'" :" *M -- "


-, ;'"- --n'- '--
:+!i L ''' "


J


-ta kta transeaidente m," 4 ni ll. .i ..
de quo earomso c_, 9,,-
-ill1ustrs4o; por 0Ul nwsatis r ido sempre prosperanmo nests ultnmos annoa..h
sengobo s do u s--- y modesta e ,A16lm dea exprtag&odo ouro das las, que re- I
ob a. pontode viv24*a tamenatodeuma presentam o cominerciro principal d'aquellas re- E
r a e educ- .-o dos -"no c gi1os, outros generous abriram o caminho parea o
'mSeguramento, per motives 'i0mn0hsutes, a ulti- cofimercioa externo, como trigo, farinhas, gammas,
ma CoMMzisso ccrnal-m d O. depiutados, quo couros, batatas, pelles de carneiro, seboe madei-
trmeatores d rrnisao ado ensinmo superior, fixara ras de construcao, e agora se vai desenvolvendo
meihares velacimentas pars professor; p0ogo de em grande escle,,rninaova idustrsamai wipro-
/ymue ritio eom L-42 n- mettedora, qa,6 a das es fto-sal- gMes.j ac-
jP -".ra .or.m .rar a HMN ro 0orados que ticinios, I
so nens dewar1"11 ^11produ"assess- Navios de grandon toatse;das fde rsimz a
m aramento, quat Br O.jWeoOaS aXWil- construccao levaau fem.odo.%- car-
F e mr d d regadoe de ame ad ylle-Ie;
q nwesc impo gradual dce c du-wen meim- se calcula l u da s arana*sra oamr cada -
tosw-pstos por cad a-lq .. d saapw.i- viagem as cwme. .dWAQM A, ; ,-irM.
c lar scarreie' ltea aeife. a- A mercadeg Piafpt aI M -dro.-m t 0 o.m
..o a.l.st civilsobrm po me- excellentes *har-s9pradaM nm.zjwu 15 A.
se a verdadeira .i7 ,a'ma, Wel17pint e a u1aA
anms~iove~el oa 14 d--profewar,.yo .Nova-Zeland'is so -reduna htpny-e t
an ouvavel ex pen.ny-w^p--o ---- rr-, -,o,-,0,m ,
mentor cam que mais tarde o professor dever-, bra.
quando impossibilitado, descanqar as ultimos ma- A industrial das carnes aortas pars a exporta-
mentos de nma vidainteirm oansagrada so beWnad& Ao-florosce principalmente a Dunedin, Lyttdton,
patria, serieo em criteria oas melos de anhmaglo Wellington e Aukland.
mais efficazes para que o professor brazileiro se 0 valor das exportacoes em 1882 era reprcsen-
tome umr u.od lo.d e.a I hp .hh s,bemwdoepois
omem d-sencaum augmentoPdeams parn aas de carca deo..
0 livro quo a professor possa produzir, j.l se 600,000 lihras s arflnss, igual a 15 milh5es de
aohando rodoado de plausiveis animates, quaes- francos.
quer hanras, corn queo governor delibere galar- Vai igualmente augmentando o commercio de
doar ao professor, quer tenha de permaneeer na simportago, -que'aleantou em 1882 o valor de....
earreira do magisterio, po-. sea zelo e assiduidade, 8:609,207 libras esterlinas; isto 6, mais dai meta-
por sua illustragiLo e method de ensino, e sobre- de represents o valor das mercadorias importadas
tudo petla sun incontestavel autoaidade scientific, da Gran-Bretanha, francs 1:823;914 das varias
completariaoasdistincoes que devam ser tribu- colonies inglezas da Australia, esterlinas 78,064
tadas 6 carreira illustre do professorado, a quem das Iihas do Pacifico; esterlinas 238,012 dos Es-
incumbe imprimir no animio de nossos jovens con- tados-Unidos ; esterlinas 121,458 da China e da
patriots o anore o agosto pelos altos estudos, dar Singapore; esterlinas 103,637 da India e do Cey-
Ihes uma ampla e solida instrucolo scientific, 11ao; esterlinas 195,873 da Maurcia e 14,843 es
preparando assim o sabio e o cidadao que mnais terlinas do continent da Europa.
tarde teri de enecaminhar noase bella patria para Entre as artigos importados na Nova-Zelandia
as maguificjs destinos qne Ihe s9o reservados no merecem especial menoao as instruments agri-
congresso das grandes seciedades civilisadas. colas pelo valor de 12 mil libras esterlinas no an-
no 1880, vestidos, licores,'cerveja, arnas e muni-
,i,, Wes provenientes pela maior part da Gran-
Bretanha.
REVIST1A D RIA A espnlugarda Kropatschek*- Segun-
do as informao4es officials recebidas polo minis-
terio da"guerra da republican tfrancesa, tern sido
Constelao Utterawio -Per portaria de 29 iaravilhosos as resultados obtidos corn o fusil
de dezembro findo o Exn. 8r. president da pro- Kropatschek, cam que se acham armadas as tropas
viacia nomeou para exerceremon as cargo de merm- de marina em service na expediaco de Tonkin.-
bros do Conselho Litterario da tnstrucao Publica Eis uma rapid descripceao desta arms de guerra.
dnrante o triennio de 1385 a 1887, as bachareis 0 fusil Kropatschek foi inventado depois da
Ayres de Albuquerque Gama., Ezequiel Franco de guerra de 66 por um joven capitAo do exorcito
Si, Joao Baptista Regueira Cista, Jos6 Diniz austriaco, adjuncto a commission military e adminis-
Bsrretto, Dr. Manoel Enedino do Rego Valenra, trativa de Vienna.
Antonio Justino de Souza, monsenhor Joaquim Foi a marinha francesa quern primeiro o ado-
Arcoverde de Albuquerque Cavalcante e profes- ptou em 1878, e as manufactures de Saint-Etien-
sor Francisco da Silva Miranda. ne e de Chatellerault bern depressa rivalisaram no
Seeretarnia dla Inrucao Piblica fabric desta arma corn a manufacture austriaca
-Por portaria da president ia dprovincia de 9 de Steyer, de onde sairanm os primeircs mnodelos.
doejaneiro aoireute foiromneado Manoel Torquato 0 fusil Kropatschek assernelha-se muito corn a
do Araujo Saldanha pari-exeroer o cargo de ama- carabina Gras, tern as mesmas disposic5es geraes,
nuense da secretaria da Inttruceao Publica. nao o igualando porem em alcauce.
4mnpplente do Jaiz muniaicipal-Por 0 seu comprirnmeuto sem bayonetta 6 de lm,2
portaria d& presideneia da provincia, de 13 do peso de 4,400 kg mais 200 grammas que a
corrente, foi uomeado Jose Francisco Alves de Gras. As duas armas (Kropatschek c Gra) tcm a
Carvalho parm o cargo do 3.0 supplente de juiz mesa espada bayonetta, eatiram corn o mesmo
municipal do termo-de Lopoldina. cartuxo ; porenm o cartuxo-kropatschek contem
Piarol de IEtacolomy.-Hoje deve ser unia polvora especial, fabricada em Sevran-Livry,
iniciada no pharol de Itacojomy, na provinaia do perto de Paris.
Maranhio, urna luz fixa, branea, variada por lam- o mechanism de repetiglo comp5e-se de um
pejos brancos de dous em dons minutes e illumi- tubo-deposito na corona, contend sete cartuxos
nando today o horisonte do mar. collocados uns adiante dos outros ; na extremi-
0 apparelho.da luz 6 do 3.a ordem, e a luz pro- -dade posterior do tube he a uma canara que con
duzida por comnbust&i d oleo mineral, sendo que tem suceessivamente os cartuxos A media que sc
o piano focal ;estA elevado A altura de 48 metro abre a culatra move aepois de se ter feito fogo.
ou. 157 p6soa 6,petegadas sabre o nivel media dos 'Colloca. se um oitavo t, ..xo na cAmara, e urn
mars, e a luz, sera visivel da distancia de 18 mii- outro sa introduz no cane. Estando o deposit
lhas g t ae completamente carregado, a arma Kropatschek
A autiga torre ondes foi montado o apparelho pode atirar nove projeeteis, sem que seja necessa-
tern esta posieao geographic :. 2.0 10' e10" de rio tornar a carregal-a : todavia, pode-se intro-
latitude sul; e 1. L14' e 20" de longitude oeste duzir apenas um unico cartuxo n asarms e einmpre-
do Rio de Janeiro; 44.o 24' t 40" de longitude gal-o nas mesma- condig6es das armas ordinarias
oeste de Greenwieh; e. 46.0 44' e .0" de longitu- pois que o mechanismo de repetiio esti disposto
de este .do-n Pa i- de tal form, que os sordados podem fazer sair os
taao Anasro dam', a40 a.-Inieia-se cartuxos do deposit, ou conservl-os ahi, contor-
heje,, na-asea peit a feta de Santo Amaro das mae as ordens dos offilciae.
Salinas, havendo As. 7;1/2 horas do dia uma missa, Sa 0 precisos 12 a 15 segundos para carregar
e as 5 horns d tarde a benoe das images da esta arma, e 8 a 10 segundos par fazer- as nave
mesma capella. + tiros sem procisar bern a pontaria. Depois dos
As 7 horas se.-A hasteada a bandeira da testa, e primeiros exercicios um atirador experimentado,
amanha, ala 1e30a8 lorns. onmiltrbo as novenas. carregando a armn depois de eada tiro, tendo fe-
Aesata tona luga, sn. die 25-do -orre~te mez. chado o deposit, pode fazer em um minute 32 tiros
YabM lAw mO..-Cainm a praso de 60 dias, sea pontaria, e determinando-a hem conegoe 26
otu S de 12,ro-oort aeha-se ei eocuro 0 tirosdos quaes 24 dAo no alvo, devendo notar-se
dttw de 2.0 tabelliiod notas, eosenivo do crime, que deve ter quem Ihe apresente os cartuxao. Mas
4do tomoedoO Osb, va polo fallecimento do ca- dez do tiro 6 consideravel, e nos mementos deci-
pitfo Manoel Jose do-Snt'Anna Araajo. dives, pode-se dizer, que o tiro 4 imnterrupto.
IruntltotO AUcHeololco.--Hoje, ao meio Em virtude dos bpns resultados que so tern al-
die, funcionea este institute na respeetiva sede. oannado corn estas armas, vio ser distribuidas 0os
lsegaia .-A bocdo do vapor Pirapama, reforcos de tropas que brevemente serio enviados
veioaheuteu, A-passeio e com lieenca, o Dr. Jose ao general Briere de lIsle.
Igaaeio Fermandes Barros, juiz de direito do Cea- e n i fez-so a
ra.Mirim, no Rio Grande do Norte. ItSpa e reptlf.-Na India iagleza fz-so a
Tambem veio no mnemo vapor, da referida pro- statistical cunioaa das ,f6rns e serpents que se
vincia, o Rvm. padre Joao Manoel de Carvalho, deatruiram no anna de 1882, e que sio: 18:591
depstado eleito polo 20-distrieto dossa provincia. animals ferozes e 322:41. sorpontee. No anne
C(omDriutentsaoi & amibos. de 1881 matacsam-ae 15:279 d'uns e 254:968 d'ou-


Villa de QuipapA-De amanhi em diante n.
o correio expedira'diariamento amalla parasQui- As victims que no. asno de 1882 causaram
papa, pela forro-via do S. Francisco. os anaunes ferozes foram: 22:125 pessoas e...
A eorrespondencia.para alli deve ser posta na 46:707 cbegas de gado; das pessoas aortas fo-
esta reo das Cineo P astas. ram 895 polos tigress, 278 pelos Iobos, 297 pelos
Vldade de Noua -Um assignante desto le opard s, 965 por diversaos animals, e 19:519 por
Diario, na cidade de Souza, da visinha provineia esrpontes.
da Parahyba, se nos queixa por carta de repeti- Durante o anno de 1881 morreram por essa es-
das faltas de jornaes, e assegura-nos que as mral- pecie de accidents, 21:427 poessoas e 43:669 cabe-
las, levadas da capital polo estaleta, siao violadas gas de gado.
por certas figure da localidade, as quakes sao os Na Europa, tambem intelizmente as victims
autores das subtra'es dos jornaes. produzidas pelas teras tern algurna importancia:
Chamamos pars o facto a attencio do Sr. admi- na Russia, eak 1875, foram devoradas pelos 16b ls
nistrador dos correios da Parahyba, e do seu zelo 161 pessoas, e em 1882 tiveram igual fim 180 pes
fiauaos a correccao que esti a pedir o procedimento soas. "
irregular do estafeta. Calcula-se nm 200:000 o numero de 1obos que
Rio Branco-Publicou-se o n. 2, do 2' anno, ha nos bosques da Russia.
deste periodic. 0 centeunario do algodafLo. Os ame-
Beunlaes sociaes Hahoje as seguin- rieanos pretendem realizaar no proximo mez o
tes : centenario do algodao, que e o primeiro artigo
Do Institute Areheologico e Geographico, ao rneio de exportaalo naquelle paiz, apezar de comeca-
dia, na respective sede. rem agora os cereaes a disputar-lhe a prima-
Do Congress- Pharmaceutico, As horas e no lu- sia.
gar do costume. Em 1880 havia nos Estados-Unidos cerca dc
Do Gremio dos Professores Primar- os, ao meio um milhbo de hectares plantados de algodao, pro-
dia, na respective sede. duzindo cada hectare de territorio, de Washling-
Santa Casa de Misericordia.-Pes- ton, 292 kilos.
soal dos enfermos e educandos existentes nos esta- A Italia 6 o unico paiz da Europa cujo clima
belecimentos a cargo da Santa Casa no mez de permitted a cultural do algodao, embora em peque-
dezembro findo : na escala.
Hospital Pedro II 406 As Indias, que se seguem aos Estados-Unidos,
Dite dos Lazaros 32 na importancia da produccao d'esta material textil,
Dito dos Variolosos 11 exporiam annualmente mais de quatro milhoes de
Asylo de Mendicidade 159 quintaes.
Hospicio de Alienados 179 Tambem se cultiva o algodao no Egypto, Arg-e
Collegio das Orphas 202 lia, Turquia, Persia, Tuberlan, e sobre tudo na
Casa dos Expostos : Australia, onde o hectare produz annualmente atec
Em educagio 222 ) 342 340 kilos.
Em creanao 120) Congresso diplomatic astronomi-
-- co.-Reunio-se no dia 1 de novembro o oitavo e
Total 1.331 ultimo congress diplomatico-astronomico, emrn Wa-
Os piratas do mar negro.-Os nossos chington.
leitores recordar-se-hiao da emooao occasionada o N'elle foram approved s os protocollos das con-
anno passado no Levante pela descoberta de uma ferencias, que deram em resultado fixar em Green-
Associacao de pirates, A testa da qnal se disse which o Meridiano commum, d'onde se hao de con-
aiar-se um inglez. tar os grAos da longitude.
Estes bandidcs compravam pilots que mettiamn Os tres delegados hespanh6es s6 se compromet-
a pique os navios carregado de trigo. teram a recommendar ao governor que adoptasse
0 Jornal de S. Petersburgo aponta que os prin- aquelle Meridiano, e isto a troco da esperanga de
cipaes d'stes pirates se chamavam Francisco Po- que a Inglaterra e os Estados-Unidos adoptaram o
destA, Ivorowe Coliers, inglez, e que detidos pro- system metrico decimal.
viamente tinham sido posts em liberdade median- 0 delegado francez ficou muito pezaroso de soe
te fian9a. nao ter adoptado o Meridiano de Paris. 4
Agora ioram elles novamente presos, por que 0 congress resolve que se estudasse se era
verificon-se qua durante a primeira apocha que ou nao util appiicar o systema-metrico ao circulo,
pass-iram em prisao appnreceu um nono sinistro dando 100 graus ao angulo recto, e 40 horas ao
maritime, post que o navio que foi a pique fosse dia; mas a opinion geral 4 que esta innovacao
dirigido per um pilot experimentado. traria pequenas vantagens, e grandissimos trans-
A instruccao provou que este piloto tinha sido tornos.
pago pelos criminosos para perder o navio confiado Leil6ee-Effectuar-se-hao : c
a sua direcgio e rear desta maneira uma diver- -- Hoje: r
sio ao primeiro process. Pdo agent Burlarmaqui, As 11 horas, na rua do
Este piloto confessou tudo, e foi em c msequen- Imperador n. 22, de fazendas avariadas.
cia destas revelag5es, que os culpa4osforam nova Pdo agqente Pestana, as 11 horas, na run Impe- I
mente press. rial n. 279, da taverna ahi sita.
SCuidade coma a lafgo& ta (Cacerus gam- Pe'o agente- Britto, As 10 1/2 horas, A rua
merus. Caranguejo marinho, conhecido por todos e Direita n. 36, de moves.
que nao deve entrar na nossa diet senlaoe como Plo agent Silveira, as 11 horas, A rua Velha
duriosidade, por que 6 urma comida muito indiges- n. 32, da taverna ahi sita. '
ta pars a maior parte dos estomagos. -- Amanha :
Conv6m obmervar bemrn que a lagosta seja fresca Polo agente Pestana, as 11 horns, na port s
e saber tambem onde foi apanhada pars nao faser da Alfaada, de phosphaoros.
j.al, pois ha dias nos foi referido um caso aerio de Pelo ageute Carmo e Silva, ao meio din, na
um individuo que apresentou tode as symptemas travesb6 do Corpo Santo n. 27, de mooveis, lougas,. r
de estar envenenado poelos saes de eobre (venenos etc., etc.
irritante oa oorroai) dupois de ter comido la- XUisea. faaebre --SerAo celebradas : ]
gosta, que ele disi, nao eer fresca e the pare. H, dD:n.a
er saber a a yianre. A's 7 7jras, aus igreja da Madre d Deus, por
Deve ser comida ocm nun molho piwaute e muito& alma d Antonio Fernandes Velloso.
amitrado de arms, am o quae v' costume preps, Amaouhb:
ra a Italia, coma a pae mofe do animal que eso A's 8 horas, ns igreja do Livramento, per alma
oha ao nivel da eabods, eon moar e de idage .s do dor D. Frane a idam Noeves Farias ; As 7 1/2 ho-
ovos, pimenta, aseite doee, e um pouco de vinagre. ras, na igreja da Madre de Deus, por alma do


,^ "Was^ !9 atriz de Gr-
I tperl do Dr. An Pereira da SBilva
Barrai; dag 7 1/2 horas A h ws na igreja do
Espirito Santo. por alma s. D. Rita Aurelians
Kroeger.
-- Sabbado:
A's 8 horse, no eonvento do 8. Francisco por
alma de Jose Antonio Pereira de Oliveira ; s 7
1/2, na ordem terceira dc Carmo, por ala de D.
J ha Modos P IM lsr d Freitas ;
= '/2 na u0a d oide @ Santo Ama-
, .galm .a ariApj de LoIio Lu-

;aJrac^-kcifa WnMP~-Feram pratica-
W liospitBl edro II no dim 14 do eorrente as

. P.lDr. PonMIl :
2xdAo pdo therrs uauw do uam tumLr fi-
bra lipmratoso da reAWo peof or da c6xa es-
qAerda.
Polo Dr. Malaquias .
Amnputagiao da perna esquerda pelo method cir-
cular no 30 superior reclamada por esmagamrneuto
ds mesa em tremn da via ferrea de Olinda.
Passagelrow Chegados dos ports do norte
no vapor national Ipojuca :
Francisco P. Barges, Dr. Miguel J. de A. Cas-
tro, sua senhora, 3 filhos e 5 criadas, Miguel 0.
de Araujo, Joio Antonio da Frota, Francisco Mon-
teiro, Alexandre de S. Nogueira, Francisca P. de
A. Pimentel e um filho, Jovino C. Paes Barreto e
um filho, Antonio F. Borges, Luciano J. de Souza
Lyra, Abdon L. de Vaseoncellos, Ismael Riveiro,
Joio M. C. da Cunha, Affonso Pacheco Maranhio,
Honorato Manoel de Almeida, Manoel Dias da
Silva, Antonio Tavares Negucira, Walson Gib-
son, Antonio R, de Araujo Lima, Jos6 da Conte,
Joaquim Candido da C. Pereira, Dr. Jose Ignacio
F. de Barros. uma irma e um filho, Simplicio C.
Paes Barreto, Manoel J. B. Cavalcante Sobrinho,
padre Joao Manoel de Carvalho e um mcnor, Ar-
che as Ciciliano Velloso, Manoel Saldanha, Dr,
Jose Lopes Pessoa da Costa, tenente Firmino de
Moraes, Francisco Loureiro de Carvalho, sua se-
nhora e urna criada.
Loteria da provincia -Sabbado, 17 do
eorrente, se extrahira a loteria n. 101, em bene-
ficio da igreja de Nossa Senhora do Livramento
da Varzea, polo nova plano approvado, no consis-
torio da igreja de Nossa Senhora da Concei,,o dos
Militares, onde se acharao expostas as urnas e as
eapheras arrumadas em ordem numerica A apre-
ciacaio do public.
Loteria-A de n. 169 B, do Rio de Janeiro
a, 30:000000 serA extrahida no dia 17 de janei-
ro.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna, rua 1
de Marco n. 23.
Loteria de 30t0004000 -A loteria 169
serie A, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
to melhorado, corre no dial7 de janeiro.
Bilhetes A venda na Casa Peliz Ai praga da In-
dependencia ns. 37 e 39.
3a grande loteria da corte de......
SOO:OOO0OO--Com nova piano muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham--se A venda A Casa da For-
tuna, A rua do Crespo n. 23, os bilhetes dosta lote-
ria.
Grande loteria da corte -Esta grande
loteria, cujo preraio grande e de 500t000,000.
serA extrahida 'revemrnente.
Os bilhetes achain-se A venda na Casa Feliz, ;
praca da Independencia vs. 37 e 39.
Mercado Municipal de S. Jo*6 0
movimento deste eatabeleeiwento no dia 13 de
janeiro foi o seguinte:
Entrarama para serem vendidos : 38 bois, pesan-
do 4,376 kilos.
No mesmo dia entraram para o mesmoes-
tabelecimento:
Peixo, 134 kilos.
Farinha, milho e feijio, 65 cargas.
Fructas diversas, 28 ditas.
Suinos, 4.
Carneiros, 4.
Preos dos dias:
Carne verde a 600, 480, e 400 reis o kilo.
Suino a 600 reis o kilo.
Carneiro a 1A idem.
Farinha de 500, 400, at6 280 reis a caia.
Milho de 480, a 320 reis a cuia.
Feijao de 800, e 500 rs. idem.
Foram occupados:
48 talhos de came verde.
12 ditos de suino.
12 ditos de fressuras.
36 compartimentos de farinha e comidas.
70. idem. d legumes.
Dove ter- sidt arrecadada nesto die a impor-
tancido 1t76h6O0.
Matadorro public Foram abatidas
no matadouro publino da Cabanga, para o con-
sumo do dia 15 do c:rronte, 76 rezes.
Cawa de llotemco---Movimento dos pre-
sos no dia 13 de janeiro :
Existiam presos 382, entraram 8. sahiram 4,
existem 386.
A saber:
Nacionaes 357, mulheres 5, estrangeios 14,
escravos 10.-Total 386.
Arraooados 360, send : bonds 345, doentes 15
-Total 360.
Cemiterio Publico.-Obituario do dia 12


do corrente :
Jose Maria da Paixao, Pernambuco, 42 annos,
casado, Boa-Vista; anemia.
Luiz Jose da Silva, Pernambuco, 36 annos, v u-
vo, Boa-Vista; tuberculos pulmonares.
Pio Jose de Santa Rosa, Pernambuco, 28 annos,
solteiro, Boa-Vista; tuberculos pulmonares.
Joao Francisco da Silva, Pernambuco, 60 an -
nos, solteiro, Boa-Vista ; menengite.
Manoel, Pernambuco, 1 hera, Boa-Vista; he-
morrhagia umbelical.
Prisco Jose da Silva, Pernambuco, 58 annos.
casado, S. Jose; lesao cardiac.
Maria Egypciaca Locio Lumachi, Pernambuco,
67 annos, viuva, Santo Antonio; lesio cardiac.
Antonio Joaquim ereira de Oliveira, Pernam-
buco, 48 annos, casad,, Afogados ; lesIo cardiac.
Maria, Pernambuco, Graea.
Firmino de Franca, Rio Grande do Norte, 42
annos, solteiro, Graca; apoplexia.
6 pela caridade.
13 -
Joaquim, Pernambuco, 4 mezes, S. Jose; con-
vulsSes.
Alexandrina Calixta Monteiro, Pernambuco, sol-
teira 40 annos, Recife; lesio cardiac.
Angelica,;Pernambuco, 75 annos, Afogados; ha-
morrhagia cerebral.
Francisco Jose Xavier Bezerra, Pernambuco,
38 annos, solteiro, Boa-Vista; variolas.
Luiz, Pernamtiouco, 80 annos, solteiro, Boa-Vis-
ta; cyrrhose hepatica.
Delmiro Antonio Ramos, Pernambuco, 46 annos,
casado, Boa-Vista; diarrhea.
Jo0o, Pernambuco, 18 mezes, Boa-Vista; be-
xigas.
Um feto, Pernambuco, 6 horas, Recife ; fraque-
za congenita.
Manoel de til, Pernambuco, 70 annos, Boa-Vis-
ta; de repentc.
Joao, Pernaminbuco,12 mezes, Graca ; convulsSes.
3 pela caridade.



INDICA OES UTEIS


Medicos
Lonsultorio medico-cirnurgico do Dr
Pedro de Attalhyde Lob o Mloscozo a
rua da Gloria n. 39.
0 doutor Moscozo dA consultas todos os
tias uteis, das 7 As 10 horas da manha.
Este consultorio offerece a commodida-
le de poder cada coente ser ouvido e exa-
ninado, sem ser presenciado por outro
De meio dia As 3 horas da tarde sero o
Dr. Moscozo encontrado no torreao A pra-
a do Cormmercio, onde funeciona a ms-
)ecgo de saide do port. Para qualquer
TI'estes dous pontos podeito sor dirigidos
:s chamados por carta nas indicadas horns.
Dr, Leonardo de Albuquerqe Cavad-
cante, medico e laureado da Faculdade de
Paris, p6de ser provurado em seun conusulto-
rio a run do Imperador -. 44, das 11 As
3 horas. Residencia provisoria Alto da
Mise'nicordia-
Lr. Barretto Sampaio, de volit de o a
viagemn ao CearA, dA consultas de 1 s 4
horns da tarde na rua do, BarAo a Virtto-
ria n. 45, 2.0 andar; residencia, rua "do
Riachuio n. 17, onto da rqa dos Pires.







.- 7 ,. *** .

.. *-^iS- *- '.* ,iISKV&iS'''f


15 -"e" I'""_P. "F'






























I


!( Rua do Barlo da Victoria, antiga t
rua Nova n. 37, 10 andar

Onde pode ser procurado A qual-
quer hora do dia e. da noite. Consultas i
das 10 ao meio -dis. Reeebe chsfados'
por escripto e para f6ra da ca'pitaL De "
Sdica-se coin especialidade ao estudo de
Sfebres, molestias de peito e affecqoes sy- \
Sphiliticas de ambos os sexos. 2
\ t APPARELHO TELEPHONICO N. 156




COIIERCIO
Pra4pa do Recife, 14 de Janeiro
de iSS5
As trees horas da tarde
Cotaves Officiaes
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 3/8 d. per 10,
do banco, hontem e hoje.
Dito sobre dito, 60 d/v. 1l 5/16 d. per 10000, dc
banco, hontemm.
Dito sobre dito, vista, 19 1/8 d. per 1 A0, dc
banco, hontem e Ieje.
A. Leonardo Rodrigues,
Presidente.
M. J. da Motta,
Seerctario.


RENDIMENTOS
Mez de janeiro
."VMMDGA==-Da 2 a 13
Idem de 14


PUBLICOS
do 1885


taUC. DORiA-lDe 2 a 13
Idem deI 11I


OSBUeLADO PBOvicLAL--Dp 2 a 13
Idem de 14


KC.5Fu Dmi-sa-D, 2 a 13
[&Am ds 14


299:6235909
28:416A069
328:0390978
11:818A385
1:3896516
13:208"00
113:8760596
6:045A734
119:9742630
1:7460534
3n#588
1:7895117


DESPACHOS DE IMPORTA(QAO
Lugar iagle4 Maria, entrade de Terma-Nova,
no 4In diWreMnte e 4 apdo A AbO*
Pat Bf :, ,
31 barricas e 561 meias dias aos

T^inm iln GaaM&. Mb do Reirde


^^^Sa5S^ ^wm (Buwcwo-
a remajW ho weopa-
S easade Catea de l Pwi-22 rua
^E^- hRecife.- )
Mo na A&* C'., depo-
itaios de tod'as a aeiiU es pharma-
ONetiCAs, tintm dropsl, proAducto chimico
tM|joto8hm aio, n t& ar.
quest' eOlindan 28.
Faria S brinho & C,, 'droftiatts por
atacado. Rua M aqUae -O cda n. 41.
Botlea Fra eema e arorrla de Iou
qmuays r6res. M eW0e-
e A. Caors
N'este estabelecimento fundado desde
1821 encontra-se os products chimicos,
drogas, tinta", oleos, piuceis, vernizea das
melhores marcas; todas as especialidades
pharmaceuticals dos legitinos autores, urn
variado sortimento de funds e aguas mi-
neraes, os granulos1 dosimetricos d oBurg-
grave e products especiaes da Flora Bra-
sileira. 22- -rua da Cru, Recife.





Portuguez, franeez e
inglez
Pedro Marques oflerece-se para leccionar em
casaa particulares as materials acima.
Promette empregar os meios A seu alcance para
adiantament dos quo quizerem se utiHisar do seu
prestimo: ilaftar na typographia do Tempo das
11 A 1 da tarde.

Eseola particular
Rua Vidal de Negreiroeu. 190
Maria do Carmo Rodrigues de Almeida, faz
sciente aos pais de suas alumnas e ao rcspeitavel
public, que sua aula acha-se aberta no dia 7 de
janeiro proximo vindouro: o ensino consta de pri-
meiras lettras, trabalhos de agulha de differences
qualidades, flores, music e piano : recebe algumas
alumnas internal.

Aula particular para nieninas
Vidal de Negreiros n. 12
Carolina Leopoldina Coelho de Araujo, participa
aos pais de familiar qae de fevereiro em diante
estari aberta sua aula particular para meninas, A
rua Vidal de Negreiros kpateo do Terco) n. 12,
1- aadar, onde a mesma leccionarA primeiras let-
tras, trance, piano e diversos trabalhos de agulha.



Escola particular

RRe o1uo go Iriiivall&a 9
(ANTIGA DO SOL)
Anna Theodora Simoes, avisa ao reipeitavel
public e aos pais d3 suas alumnas, que no dia 7
de janeiro proximo vindouro, principiario os tra-
balhos lectivos do seu estabelecimento de instruc-
cao primaria, continuando a receber alumnas in-
ternas, meio-pensiouistas e externas, esperando
dos mesmos o acolhimento e protecqo que sempre
Ihe dispensaram, certo de que empregarA todo o
esmero no adiantamento de suas alumnas.

Collegio da Immaculada Con-
cei ao
Rua do losplelo n. A
As aulas deste collegio abrir se-h~o a 15 de ja-
neiro, continuando a ter aniase diarias par atodos
os preparatorios e urn corpo doc(nte do mais re-
conhecido merito.
Admittem-se alumnae interns, meio peusionis-
tas e externas.
A director,
Maria Uoelho da Silva.




)i "Dr. lello Gomes

II Nedico operador


Os alumnos interns pagaram par
trimestre
Os semi-internes da esehola in-
fantil
Os semi-internes do curse se-
cundario
Lavagem e engommado de
roupa
Externos do curse primario
Externos per qualquer classes
do curse secundario
Por qualquer classes de artess.
Piano


150#000
75o000

100#000

20#000
20#000

156000
15k 000
306000


Resultado dos exames ojfficiaes prestados pe-
los alumnos do collegio durante o anne de
184.
PORTUGUEZ
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
provado plenamente.
Joaquirn Nunes Ferreira Coimbra, idem.
Jose Luiz Gongalves Ferreira, idem.
Arconcio Camboim de M. Vasconcellos,
approvado.
Elisio Alberto Silveira, idem.
Andre Dias Pinheiro, idem


Madeira de pinho 2899 peas corn 204,424 p6S a
ordem.
Patacho inglez Bohemia, entrado do Rio Gran-
de do Sul, no dia 12 do corrente e consignado a
Maia & Rezende, manifestou:
Farinha de mandioca 3,000 saccos A ordem.
Ligar hespanhol Regina, entrado de Payssandf,
no dia 12 do corrento e consiguado Aordem, ma-
nifestou :
Xarque 279,521 kilos A ordem.

DESPACHOS DE EXPORTAQAO
Em 13 le janeiro de 1885
Para extertwor
No patacho ingles Wern, carregon:
Para New-York, J. S. Leyo & Filho 1,500 sac-
cos corn 112,500 kilos de assucar mascavado.
Na bhrca ingleza Carpasian, carregou :
Para New-York, J. S. Loyo & Filho 826 saccos
corn 61,950 kilos de assuear mascavado.
= No ligar inglez Magfgiee, earregou
Para New-York, M.J. da Rocha 500 saccos
corn 37,500 kilos de assucar mascavado.
-- No patacho inglez Kelduam, earregeu :
Para New-York, M. J. da Rocha 900 saccos
c-'m 67,500 kilos doe assuear mascavado.
Na barca noroegense Foke, carregou:
Para New-York, F. Ca6cso & FmiBo 1,600 Seac-
cos corn 112,6W kiloe. deaseari mascavado.
Na bares americana Archer, carrre u:
Para New-York, H. Forster & C. 2,000 saccos
corn 150,000 kilos de sseucar mascavado.
= No vapor ing ez Kibe, ea rregou :
Pars Lisbon, P. Carneiro & 500 MWe corn
37,500 kilos de assaucar museavade.
Para o imte~r
= No patacho portugu FaMy, camregon :
Para o Rie Graode de S1l, Amnimw IeaSnM &
C. 1,390 volumes eom 107,118 1/2 kilos do M-mar
branco e 120-barricas corn 12,706 ditos de dito
mascavado.
No patacho uacional Alliwua, carregon :
Para @Rie OGrande-do Sk, P. Oasis & C.
ilUK v.InmW M64,4 0 kiUal* a um,'hbna-
co e650 barricas corn 45,450 ditos de dito mains-
vado.
LW^ N efcteia affems Lao~erfami NSP 1'
"Para ftg i*,O. bav&MW aC. 3"i4Waxma

i iii*6 ~ *&~ *' m
AL Mk*u'


Cu an
.*



zum.- 8. qt *v *(Fgueire-
do e Anf t el-% -da& .--Q abai-
xo assguado, a ftio q sffreado de urnsma
escrofula seai de 6 8.ou rat. a;ot, a
ual por m atM vefes, me deixou em esta-
o de abotimento; a nao supOr escaper, e
tendo a a tona w, o* remedies
de curandeiros, tratamentos medicos, to-
mei maiasB a. PwrriMA de Bristol, Sal-
sa Patra de& Ayer, 8ia Carona f Ma-
nacd de Eeio Marquea de Hollanda, po-
rm tudo istef era impotente, ou vivia des.
enganado do fiear bom 'e om goeton
vida; succede por6m ue toe d o Dfoak
de Perwiadee, dex"aacow u am awaaeio
do milagrow CAJURLBtBA, uotendi
pars mim memo aiada- esgotar este; man-
dei vert mB. frn ,o puaoioi a tomar,
qual porem nri foi "meu espauto .quando no
fim deste, ji a. ferida declinava e nos fim
do segundo jA en estava born, tomei o ter-
ceiro nao que precisawe mai, porem en-
tendi assim, hoje por6 waohfo-me corn urna
sadde. robuata e uma nova vida, desde en-
tio nao deianwi de aunahr arws meus
amigos pars que comw eu possam gozar
das prodigties dest miracloso remedio.
Como de outro mode nio posse mansuifestar
a gratidao de respeito que devo ao inven-
tor deste remedio o Sr. Firmino C. de Fi-
gueiredo e propagador Antonio Pereira da
Cunha, offerego-lhes esta para ser publi-
cada, e assim chegar ao conhecimento de
todos.
Piles de Bananeiras, na provincia da
Parahyba do Norte, aos 22 de novembro
de 1884.
CaMdido Luiz de Frana.
Reconhego verdadeira a firm supra de-
clarada, ser do proprio assignante e dou fe.
Villa da Independencia, 2 de dezembro de
1884. Em testemunho do verdade o tabel-
lijo publieo Francisco Xavier Cavaleante
de Albuquerque.


CDLLEBID

Institute Academico

153 Roade Vis ile o Gomina 153
(Mendego)
Este collegio, estabeleido em um dos
mais vastos edificios d'esta cidade, acha-se
convenientemente preparado para receber
alumnos internes, semi-internos e externos.
A situagAo do edificio em um dos lugares
mais hygienicos, a disposigio dos salves de
estudo e dormitorio de acordo corn a boa
discipline, a excellent chacara, para re-
creios, o corpo docente e a long pratica do
director nas materials do ensino devem ser
penhores assaz sufficientes de optimo desen-
volvimento physico, intellectual e moral da
infancia.
Peusoes e uonorarlos
Os pagamentos slo f itos adiantamente
per trimestres nos 5 primeiros dias dos me-
aen de janeiro, abril, jilho e outubro. 0
director nao forneco objecto algum ao alum-
no, salva a conveucao corn sea pae ou tutor.


RESUMO
Approvados corn distincglo
Idem plenamente
Approvados

Total


3
23
45

71


Reprovados 10.
Para conhecimento do public o director
do collegio declara que os cursos do anno
lectivo comegarlo a 15 de janeiro de 1885
Recife, 24 de dezembro de 1884.
0 director,
Jose Ferreira da CrnWz Vieira
Azevedo Souza 50-'ditos corn 30,000 ditos deoit
branco ; F. de S. Martina 600 ditos corn 36,000
ditos de dito e 400 ditos corn 24,000 ditos de ditf
mascavado.
= No patacho allemfo Levante, earregou :
Para Santos, P. Carneiro & C. 2,875 saeeo
corn 172,500 kilos de assucar branco e 1,625 ditoi
corn 97,500 ditos de dito mascavado.
== No hiate naeiomal S. Ambroasio, carregou:
Para o Natal, J. B. de Carvalho 8 barricas coo
800 kilos de assucar refinado.
= Na barcaca Cacique, carregou : i
Para Mosseord, M. A. Senna & 0. 8 barrieaacou
301 kilob de assucar branco.

MOVIMENTO DO PORT
Navios entrados no dia 14
Camossim e esealas--ll dias, vapor nac'onal lp-
juca, de 360 toneladas, eommandante Jeronyo
Jose Telles, equipagem-30, carga various gen-
ros ; a companhia Pernaminbucana.
Rio Grande do Sul 31 dias, patacho alleni
Harmana, de 130 tonelauas, capitAo C. H. Woy
equipagem 6, carga fariaha de mandioca ;
Maia Rezende & C.
Terra Nova-30 dias, patacho inglez Gladdye, ,
180 toneladas, capitao William Hrveg, equ
pagem 8, carga baca.hao ; a Johnston Pater
Companhia.
S. Joao (Canada) -44 dias, lfigar ingle Buaseeri
de 248 toneladas, capital Joseph Flynn, eq -
pagem 8, carga madeira de pinho; a Heu
Fortter & C.
Sahidno no mesmo dia
Halifax -Barea ingleas Cawpmiai, capito I
Laurie, carga assucar.


VAPOtM ESPERADOS
Vile de Ma"i6 da-Eaopsa hoje
Eb dos l ",e
Awirigo Seasto act Mce
jrarpoe de &wimipi ta ma
eard ttl a 1
da fotia 8 18



.. ,4.



# ..- .-.- ,, .....


'- '* '
". ,. -; *- ~ ^
M g'-

Sp _;z IR-:..
"sl 'k I". ; .-_' ; '


!IFIU d Viseon& de. fMuf-5I


(AiNTIA DA GLORIA)


uaX~sm Elu _eattle aito. de educago pwra.o sexo raasodino, fundado em. 1880, functions actualmente em
atae -MM m eonde *s. o Conegio dw Orphaos antes de. su a mudangs pars a Colonia Isabel.
Os melhoramniz qmtu-s idbam de ae exeutaos s-o de gands alcauc. pars a boa disciplima e condiges
estabelecimento, corn tina-boa .casa de banulo, dormorinos grades e born aMjadoa, uma exellenta rouparia, etc.
Os materadespodem visitor o collegio a qualquer horse, das 9 di manuha as 6 da tarde.


EmuCA A.


um pnoioAe

bygieniraB-Ido


Jos6 Gaspar da Silva oIyo, apprrado
corn distineoe.
Alfredo Felippe da Costa, idem.
Joaquimn Nunes Ferreira Ooimbra, ap-
provado plenamente.
Joao Custodio de B Cooaa, idea.
Alfredo da Silva Loyo. idem.
Manoel C. do Rego B. appiovado.
Andre Diam PSWiaw, idm&
Joaqaim 8. do Anmua P Yahe, idem.
Jo0 Luiz G. F'errm ir..den.
Reprovados 4.
LATIM
Horacio de Almeida Gtimawsyeppro-
vado plenamente.
Horacio Cicero da Silva O aw ,. idem.
Joao Custodio do B. Cta^,appaowdo.
Manoel Cavalcante- de oJp.9ori idAem.
Joaquim N. Ferreira O lWdmhbra, idom.
Joaquim Siqueira de Arru aF,4al, idem.
PompLo da, SiLva Loiweeiro,-iidm.
Leonidas A: de Mattos Trrew, appro-
vado.
AR1W5MraC
Jose Hugo Gongalve, al,. v radoplena-
monte.
Sebatiao Lins Wanderley, idem.
Jeaquimn S. de ArinaWFi ,Aa, iem.
Horacio Oicero da Sv.ilva-.Tvareas, ap-
provado.
Joao Custodio de B. Cseta, idem.
Aadri Dias 4iaheniro,. idem.
Pompeo da Silva Loureiro, idem.
Reprovado 1.
GEOMETRI
D. Delrmira S. da Costa -approvado ple-
namente.
Eutichio Autrant, approvado.
Jose6 Hugo Gomapls, idem.
Jolo S. de Arruda Falclo, idem.
Eduardo I. Ferreira da Silva, idem.
Jose N. Ferreira (Joimbra, idem.
Josf Ferreira Mnniz, idem.
Praxedes B. de Mendonga Vasconcellos,
diem.
Joao Custodio de Barros Costa, idem.
Horacio Cicero da Siva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idem
GEOGRAPHIC
Pow pen da Silva Loureiro, approvado
plenamente.
Joao S. de Arruda Faloao, idem.
Joao Custodlo de B. Cea, approvado.
Eduardo J. da Fqrreira da Silva, idem.
Jose Martins Fiuza, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idem.
Reprovado 1.
HISTORIA
Joto Siqueira de A. Falcto, approvado
corn distinceo.
D. Delmira S. da Costa, approvada ple-
namente.
Jose Ferreira Muniz, approvado plena-
monte.
Jose N. Ferreira Coimbra, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
provado plenamente.
Joao Castodio de Barros Costa, appro-
vado.
RHETORIC
JoaSiqjueira- ft- Arrwi gloo a-pa
vado plenamente.
Manoel Alfredo M. do Passes, idem.
Reprovados 2.
PHILOSOPHIA.
D. Delmira Secundina da Costa, appro-
vada plenamente.
Joeo S. de A. Falclo, idem.
Joao C. de Barros Costa, approvado.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros,
idem.
Jose FerreiraMuniz, idem.
Reprovado 1.


Pertugue.
Joao Alfredo de Oliveira, approvado-con distinegio.
Francisco Gomes de Araujo, approvado plenamente.
Fausto Anelio Fernandes Pimenta, idem.
Joao Emfliano da Costa e Albuquerque, idem.
Joaquim Hyppolito Fernandes Pimenta, idem.
Jos6 Antonie Pinto Junior, idem.
Jos6 Bonifacio Pesesoa de Mello, idem.
Manoel Barbosa de Freitas Cordeiro, idem.
Manoel Correia Pessoa de Mello, idem.
Manoel Peixoto de Alencar, idem.
Miguel Archanjo Fernandes Pimenta, idem.
Luiz Jos6 da Silva, idem.
Jogo Jos6 de Figueiredo, approvado.
Frameews
Francisco Pinto de Abreu, approvado plenamente.
Jose Agapito Maciel, idem.
Joao Pinto de Abreu, approvado.
13 faltaram A prova oral.
Latim

Joao Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Francisco Pinto de Ahreu, idem.
Manoel Peixote de Alencar, idem.
Joao Pinto de Abreu, approvado.
-JO Ponmaetu rcvdo -Ma e-ol-,idem.
Joaquim Hippolyto Fernandes Pimenta, idem.
Inglez
Joao Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Alberto Furtado de Mendonca, approvado.
Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque Fiho, idem.
Joaquim Hippolyto Fernandes Pimenta, idem.
4 repiovados.
AriehmeticA
Olympio Bonald da Cunha Pedrosa, approvado.
Antonio Joaquim de Albuquerque Mello, idem.


INSTITUTO
DE

NO~s& sENHNR-A DO [ARN I





IMstrUc0phula, secu a e reorotva
Este collegio tundado em 1873, continia a tunccionar A run deS. Francisco, palacete n. 72, a
admitted alumnos interns, meio-pensionistas e iexternos.
As mattrias professadas slo : Primeiras lettras, Portnguez, Latim, Francese
Inglew Aethorica, Arithmnetica, Geometria, Geographia, Historia, Phlle-
sophia., Musiea, Danca e eDsenbl
Os professors sao habilitados e moralisados, tendo os aaiunmos obtido sempre bons resultados,
tanto nos exames prestados no Imastituto como no Collegio das Artes.
A'alimentago 6 s e abundante, reservaMde se apeuas certos fructos e outras couidas nociv-as,
0 regimen intern nao 6 vexatorio : ha horas destinadas para estudo, recreio e repouso, e em
case nenhum soffrero-os alumnos privacao da alimentaglo nerm deixargo de repousar as horns exigidas
pela hygiene.
O trnabalho e distribuido de eonformidade corn a idade e desenvolvimento physico e moral de
cada uni.
0 predio A commodo, aceiado e em geral claro e fresco, corn espagosas salas para aulas, refei-
torio, dormitories e recreio, mobiliadas convenientcmente.
O collegio fornece gratis, pennas, papel, tinta, lapis, crayons, ardosias, livros pana .oonsultas
aos alumnos interns, no Collegio.
Os alumnos interns tambem tmrn direio a roupa lavada e engommada, semr remuneraVio algu,
ma al6m da mensalidade.
Tambem nao dao joia na entrada.

Knxoval dios alumios iternos


Camisas.
Camisolas
Calca preta de casemnira
Calgas de brim pardon
Jaqueta preta de panuo fino
Colete preto, idem idem
Gravatas pretas
Chap6o preto redondo
Lenqos .
Pares de meias
Botinas par -
Sapatoei idem.
Lengoes.
Cobertas.


12.
6
1
6
1

2
1
13
- 12
12
- 12
. I:
. 6]
4,


Cobertor de beta encarnada
Coleha .
Cama de lena
Trsvesseiroa .
Lavatorio de ferro e bacia
Toathes para rosto -
-Ditas para banho .
Copo de metal.
Esoovs pars dentes.
Pebte de alisar
Ditofino.
Espeiho pequeno .
Thesoura .


Sm KN 4= as diCEdades eamrn que .etRM senheres paem para
eanmuen s i.m, nul pedeasd imtos m mustetar ( ao peoado enearg o le
q... -------per cas u" come alumIe iter alb m e aa*tsmra mult-.
tur E0 Me oewein. fl eat.6belece~a Z e *aRHh*
.Une. .A.. *Ol400 Po mez Alumanos exlernos d aula m-
A:umno' pem B 5 W 4 eu r[. (2 pre
Smeio-peurioU a50p0). .9000 0
a etenmod'aulaplwi- [ Wte o d'aula se
iam50. 0 eundsria (3 pre
ez i.~u w_ pant.) 12A0OO a C(
Sext r. Aula de 32.t .)
oiinill .{1 re- an~.5^000
part.)*.-: o. 5J9X> I (o ph *0 *so
0. dw"..lft 41 ft,
xe
~ Af'jno W'.e" iro terminal a 15 de dezembro.

i"' Hemino Rodriues de Siqueitr,
+'^: J^ ++ 'r^'. + S
-*- '' '..7 "^ "*' "
+ "_ ?-. -. ,
IL 4~ VA
.... .. ...
** .r.- .'* .^"tF


I"-'"-'- ,. .'- .
"-"' '.' .-; "=:: .. '. ; ;'l 1 ^ J :'1 / -


Geometria
Manoel Gongalves da Silva Pinto, approvado plenamente.
Geraldo das Merces de Souza Landim, approvado.
Geograplhla
Jolo Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque, idem.
Alberto Furtado de Mendonga, approvado.
Manoel Gongalves da Silva Pinto, idem.
Janucio Salustiano da Nobrega, idem.
Francisco Gomes de Araujo Sobrinho, idem.
Antonio Guedes Gondim, idem.
Joao Gomes de Mattos, idem.
1 reprovado.
Himlorla
ManoeL Gonalves da Silva Pinto, approvado plenamnente.
Pedro Secundino de Souza Landim, approvado.
Philesoophila
Manoel Goncalves da Silva Pinto, approvado corn distincqao.
Bhetorica
Jos96 Agapito Maciel, approvado.

*Bgmum0


Distinceao .
Plenamente.
Approvados
Reprovados
Fsltaram :A prova oral
Total .


2
S21
19
5
S13
60


Por este resume v-se que, dos 60 exames, 42 foram bmn succe-
didos.


JBelleza perpet-a.- Por ventura ha al-
guma senhora que deseje perpetuar o brilho, c.er e
abundancia de asus traneas? A pergat&a e inn-
til. Todoo bell sexo aeharse pUerfeitamente nma-
nime sobre este ponto. Visto eer posivel. 0 ca-
bello nasce de umas radiculas bulboas secretades
em celulas diminutas que se acham debaiao da
epiderme ou cutis superior. Quando estas ecssam
suas seccre5es ou as raises do cabello nio tern
bastante vigor para levantar as seccrekes-as-fi-
bras morrem e cahem.
0 remedio consiste em estimular suavemente- os
vasos do craneo e restabelecer uma acgo vigorosa
nos ductos capillares do cabello. De todadas pre-
paraboes para os cabellos, o Tonico Orientd-6 o
unico artigo que o conseguirA prompta e iniAlli-
velmente.

Internato Pero ambuano
Estlo abertas as aulas deste collegio, sito A rua
do Hospicio n. 55.

III *II II Iwl 1


Dr. Cerqueira Leite

me&Of e eperador
De volta de anua viagemA Europa onde frequeI-
tou os hospitaes de Paris, tend& feto mun mwe es-
pecial do .pSertoe m letias donm ,. di con-
sultas nose astio cousuakiw i Cnm Duque de
SCaxias n. 48, do meio din.is 2,horah .
Epoialidade : lsuteimfi de cxaanes-8e de se-
tahoraa.
Recebe chamados par escripto ou no seu consul-
torie, ou em aa residencia rua do Bamo de S.
Borja n. 30.


0CULISTA
0 Dr. Barret60 S, medii
oculista ex chefe de clinics o Dr. d 0 W.-
9ke,4 de Volta L,40.f
contain a dar c r oflB da
Victoria n. 45, 8^ ^1 4
aA I


S. .l i ;.
.''..-..

; ~ ~ -' a',
. : ;" -o .. .


Fundada nm eis dareligiao catholioa, comprehende o enaino do cathecismo, regyao de civdlidade e praticaos bona
costumes. aTO

INSTRUCVAo

Comprten4e. a pnrimeiras lettras, portuguez, francez, ingle,, latim, geographic h rie ptilitopia, rbhifta i afithm
tiea, geometria e algebra.
Ha Uimbem ensino- de music, piano .e dans, mediante paga especial..
0 corpo d4ocente compoe-se de profeasores conveniBtement habflitados e de vocago experimentada.
Ha O collegio uma sociedade litteraria compost dos Alumnos mais dedibados is lettras, a qual posasue urma pquena bi-
bliotheca e adebsa suas sessoes ordinarias nas sextas-feirai iemntituind assaim uima especie de aula pratica de declaealo.


COND OKS

Admitte-se somente alumnos interns e externos.
Os internes pagarlo por trimeatre adiantado 150#")0 ; os externos, 2040Y) por cads aula6 Os primeiros pagarZo tam-
bem 204000 per trimestre parsa a roupa lavada o engommada, ficando esta a cargo do collegio, e 50600 de joia- no-to de sua
entrada. Uns e outros sso responsaveis pelos damnos e prejuaizos que causarem nos objects do collegio.
Nao se farA desconto do ferias, nem d, faltas dadas polos alumnos; e, somente no case de expulsio, serA restituido o
que faltar pars o vencimento do trimestre page.
Para Inf08ma S, os Srs.: Commendador Jos6 Antonio Pinto e Henriquo Xavier de Araujo Saraiva e Mdle,
Recife; Dr. Bellarmino .-Cesar Gondim, Jaboatlo; Dr. Francisco Gomes Leopoldo de Araujo, Nazareth; Bernardo Pinto de
Abreu, Goyanna; Jose Clementino Bezerra de Mello, Limoeiro ; Dr. Antonio Alves Pereira de Lyra, Carua'i; Dr. Jo& Ga-
valcante de Albuquerque, Parahyba.

Resultado dos exames officials prestados pelos alumnos dest e

collegio durante o anno de 1884


t
Ulna lagrima sobre e
tumule de

Antonio Fernandes Velloso

15 DE JANEIO
Primeiro aniversario do seu
passamento
MAL F. V.


.. 11 5
"i
-.


























rPamra ex rPFemale
S. UWAR do A0306 DOm e 'Cal-
Maa competentemente habilitada, tern aberto
em au raiden s, ma Duque de CAxias n. 70l 2.
andarumaaula particular de primeiras, lettras, para
o exo femueino, aqual funceiona dsa 9 9is 2 horas
da tarde dos diae uteis. Ensina, alWm das mateiias
que conatituem a instrucqAo primnrma; os diversos
trabalhos de agulhas. As pessoas que a quiseremn
hourar confiando-lhes suas filhas podem dirigir-se
Scase acims, ou corn seu pai o professor Camara.

City College
Rua das Floras n. 31
As aulas destes collegio abrein se no dia 12 do
corrente.
Recife, 5 de janeiro de 1885.

Collegio Nossa Senho-

ra das Victorias
RUA DO HOSPICIO N. 10
Este collegio continuarh durante o ann o lectivo
de 1885, abrindo suas aulas no dia 10 de janeiro.
Admitte alumnas internal, semi-internas e ex-
ternas.
As directors,
Blanche d'Herpent Torgo.
Baronne Lucie d'Herpent.


Gollegio Pedro II
Caes do Ramos n. 82
As aulas deste estabelecimcnto principiaro ma
funccionar no dia 7 do corrente Reccbem-se
alumnos interns, meio pensionistas e externos.


Inslitulo 19 de Abril

4--Rua d Brlo g S. Borla--4
DIRECgXO DO
Bacharel Luiz da (osta Fcrreira P.
Carrciro
As aulas d'este institute abrern-se no dia 7 do
corrente.
Pennauia~ p u e onraio n- b


S Interno por trimestre adiantado 140AC
S Por mez (
' mais de um irmao tcm o abatimento de 5 ol sol
eada pensao.
S Semi intern d'aula primaria ou de uma
- s6 aula superior 755(
De mais de uma aula superior 1006C
Externo d'aula l)rinaria por trimnestre 1.-.(
De umar aula superior por trimestre 200
De mais do urma aula superior por tri-
mestre 304(
S Lavagem de roura 154
S Dansa, music, ou desenho, por trimes-
tre de cada uma 205(


Insliluto Philomalico
33-RUA DO VISCONDE DE AL-
BUQUERQUE-33
Cnrso de instrucqbo prinmaria
secundaria
DIRECTOR
BACIHIAREL OLINTIlO
VICTOR


Internato


)01
K00
ibrc

)00
)00
01K)0
00

00
000


e externato


As aulas deste estableh'cimnento de instruceaio ,
educacao estarlo abertas do dia 7 do corrente cmn
diante. I


Sm~d.


oriaU --


horns Asun saude, e espera queo na su




volta eontinuemo a dispensar-lhe a confian
a, corqu sempreo Adistinguiram.


InstiMfr l rvteckio
RuS Larga do 1 JosariG U, 1 a I da
Funciona todos os dins uteis do 10 as 12 horas.
0 director
Dr. Arruda qBelurao.


COLLEGIO


NOSS S. oBA PENIA
Rua do Cabug s.* I e 9
segundes andares
Os trabalbos deste

collegio come arao a

12 de janeiro.

As disciplines ensi-

nadas sao: primeiras

letras, portug'uez,

francez, inglez, alle-

mao, geograpuhia, his-

toria, music, piano,

desenho, costuras,

bordados, etc.

Admittem-se alum-

nas internal, meio-


pensionistas


exter-


nIas.


Collegio do Santissimu

Cora ao de Jesus
Esto collegio para instruccAo do') sexo f,-
minino e que funcciona no predio n. 15
da travessa do Veras, abrira suas aulas
no dia 12 de janeiro proximo.
Tendo fcito acquisil'ao de bons profcs-
sores para is inmatcriaus qu cuistitiucim o
ensino do mesmno collegio, aeha seo nas iuc-
Ihores conldi(;cs de preen,'her o seu fimn
Sao professors os seguintes Srs
Primeiras ieti.ras -D. Maria Luiza Sami-
paio.
Portugucz Dr. JoAo Peliciano da ,VI:tt.,
e Albuquerque.
Arithminethica franccz c- geographic


FSta de SantO AiarO iden. Jronyo Jose Tles Ju-
Festa d Santo ma ro)JeronyinoJos' Telles Ju-


das Salinas
A meea regedora da irmandade de Santo Amn'no
dlas Salinas, transferio a festa de scu padrociro
para Dmningo 25 do corrente, mez, tendo lugar no
dia de Santo Amaro, 15 do corrente, em sua igre-
ja, As 7 e 1/2 horas da manbhi, uma mnissa c is 5
Ioras da tarde o aeto da beneao das images dos
altares lateraes, que fo6ra de ti vo pr-eparadas e en-
carnadas; At 7 horns da noite a bandeira, ser'A
conduzida por meninas bem preparadas. Corn
grande acomipauhamento e ordem o estandarte do
milagroso Santo Amaro, sahira de suna igreja para
o masta-eo, tocando em todoas os secus actos a mu
siea do 14' bafalhio, subindo ao ar divertas gy-
randolas de fogo e ricos bales.
No dia seguinte terdo comeqo as novenas preai-
didas polo nosso muito digno vigario Augusto; a
orchestra feita e dirigida a capricho pelo profes-
sor Lydi o Vicira.
A mesa regedora pede a coadjuvacao de todos
os snus irmaos e devotos do mnilagroso Santo, pare.
mair esplendor dos mesmios acts.
Cor sistorio da irmandade de Santo Ammro das
Salinas, 12 de janeiro de 1885.
0 escrivao,
M. D.da Silva.

loda Uiistrada
Acabamos de receber o n. 144, corres-
pondente ao dia 165(anmanhl) do corrente;
David Corazzi incansavel redactor e pro-
prietario d'este importantejornal de modas,
partecipa aos seus assignates quo a cotle-
tar do present numnero temrn resolvido o se-
guinte aviso:
( Podemos jA aje annunciar aos nossos
assignantes que a Moda Rliustrada volta aos
seus'abitos de pontualidade com o present
numero. As providencias que para isso
.a optamos custam-nos os grandes sacrifices
Ie que nos daremos por bern pagos corn a
certeza de que os nossos leitores nlo tor-
m a soffrer demora de um dia no rece-
Uaeeat4 d jorin qae tanto tern honrado e
distin guid co a msua benevolencia. i
Po6cMFoa garntir Aos assignantes da
.oda Ilitrada que o pronmettimenoto do
incansa vel ditor David Corai p6de ser
aceito coo realisado.
'1Aa~tinrt tminma. 6,nA ..1* *


m.9o!)


oeh


nior.
Piano e music a director.
A1Cnm d'ssaas disciplines, o collegio cuninn
traballhns dagullha, bordados, etc.
Recift, 31 de dezembro de 1884.
A director,
VIcentina Cesarit de Mello.

0oiloo0 dI Nossa8ol Sanhra d a PaP
No dia 12 do eorrente serA inaugurado
A rua do Barao da Victoria a. 46 2o andar
com o titulo achmna, um collegio de educa-
cao para o sexo fermenino, recebendo alum-
nas internal seni-internas eexternas.
0 ensino compor-se-ha das materials do
curso primario e secundario, ale6m d dc i-
versos trabalhos d'agulha, desenho e piano
comio ver-so-ha dos estatutos que se distri-
bucin no inesnsmo collegio, nos quakes a di-
rectors espocifica o onsina e as qualidadcs
dos trabalhos
Quacsquer informaes poderto ser da-
das pelos Illms. Sr. Rvd. vigario da fre-
guezia de Santo Antonio e Dr. Miguel de
Figueiroa Foria.
A director,
Maria da Paz e Freitas.



Collegio de N. S. das


Gracas
Esto estabelecimcnto de instruclao primaria e
secundaria para o sexo femenino tem a suan sde
em urma contortavel chacara na Ponte d'Ucho6a n.
10.
As materials ensinadas no collegio so as sa-
guintes : Relig-uo, portuguez, francez, ingles, alle-
maio, historic, geographia, piano, deseuho e pintu-
ra, bordads e flres.
As lingua. falladas no collegio aso as franeeza,
ingleza e allemi, para as~quaes tern mestras que
reeidem no olleguo
A director encarrega-se segundo a vontade dos
paes, de preparar as alumnas para saer easme na
Academia, como fe eate anno corn brilaMte e-.(
sultado a collegial Maria Eugenia de Matto, ob-
tendo distinceao em francez, i"mle. a portoge.
.. ------ tora,
4mm. t'orroZB.


Edit)ai.39


De ordemn do Ilrlm. 8r. inopector, se faz publieo
quo as 11 horas do dLia 14 d' corernte mez serk
vendida em leilio, no trapitoCaeeieao, a mer-
cad',ia abaixo deelarada : .
Arnazscm a7'
Marca CWR, 9 caixas a. 1 a 9, vindas dc
New-York no vapor amerieao'Jutace, entrado
em 18 de maio de 1884, contend folhinhas im-
pressas em urma s c6r, pesando. peso liquid 350
kilos, abanudonadas aos direitop-por Adamson Ho-
wie & C.
Terceira secao da Alfandega de Pernambu-
co, 10 de janeiro de 1885.
0C ehefe,
Cicero Braseiro de MeUo" -


Prolougamenato daBstrada de
Ferro do-Recife ao'SkFranelsco
e Estrada- de Ferro-d. Reelie a
Caruaru-
De ordemin do Illl, Sr. direotorengenheiro chefe,
Faco public public quo ai t o dia 22 do eorren'o
inez ao meio dia no eseriptorio central desta rcpar-
liao A rua dak Vietoria n. 3, rehem-se proposals
em arta fechada para o fornecimeanto dos objects
segnintes necessaries sos trabalhos da repartiVao.
Arame de cobre, kilo
Dito de latao, idem.
Dito de zinco idem.
Algodioda Bahia, metro.
Apo do Mililo, kilo.
Agua raz, litro.
Alvaiade de zinco, kilo.
Dito de ehumbo, ideir.
Areia pars moldar, barrios..
Alavuncacaalhadas de ago, ur'n
Azeite de coco, litro.
Dito de peixe, idem'r,
Amarello francez, kilo.-
Acafrfio ( tinta, )idWm.
Branwts, urn.
Barndeiras imperiaes corn dous-pannos, ursa.
Bcaes para canleeiros, utw.
Barba-.te grosso e fino, novelle..
Brochas chatas e redondas sortidas.
Ilurracha ein lenqol,.kiio,
Cadernctas em braneo paprel' ahlnaeo pautado 50
folhas, uma.
Ditta 116 'ponto ( conforane modlelo).idcm.
Canetas d c minadcira,.idiem.
Canivetes buns de duas folhas, urn.
Caixas corn colehetes-n. 2, 3a 4 5. urman.
Cestas pars papeis idem.
Cola da Bahia, kilo.
Cal preta, alquciro.
Chaves inglezas, inna.
Carviao de ferreiro, kilo.
Chamines para candieiros, rnA.-
Candieiros para kerosene, idem,
Cobre emin lenqol, kilo.
Cadinhos, urn.
Cadiados grades patentes, idem.
(C'iscadores grande, idem.
Ceir.ento Portland, barrica.
(Ch:avcs do p:rafusos de-aM umna.
D)ita de dita francez, idmin.
Corda d e liniho, pcqa.
Cannos de ohrumbo, kilo..
huanbo de barra, idnm.
Caritibos de borracha pera datar, urn.
Cadeiras austriacas, unIa.
Copos de vidro, urn,.
(.)i, kilo.
)D. ibradiqas dq latioe 'mr1 parafiusns, par.
Di)tas d- ferro corn parjutisos, par.
Esearrndeir:as de louqu, urnma.
Espanador's de lialha,.umi.
Estanho, kilo.
Euxds corn martello, umaa.
Eapirito do viadh, litw.o. z
E iveloppes quadrados- minarcados, cento.
D it s peq ueninos sear- marca, cento.
FardetAo dc paniar paira guardas, utima.
Fechaduras de latto. pari gavetas corn parauiasos,
IDitas de fenorro cotn pirafusos, idem.
PFerro succo sortido, kilo.
Dito dito inigfe., i' -in.
Ferrolhos rde latiiopsra portas e armarios,min.'
D)itos de ferro- paia portas c armarios, idea.
Perro ein Io nolI kilu.
Preces naciona.s, numa.
,'ormies sortidoe, urn.
Ferros pars soldar, kilo.
Gomma arabica em caroco, kilo.
')its dita dita, trasco.
Gaxata de- ohabo, kilo.
Gaxeta patente, metro.
Indice aphabetico, urn.
Isoladoces carriteis de porcelan W kden.
Jar. co w torneira, urma.
Jarrio, urn.
Kalendarios. iduam.
Kerozene, lata.
Lapis de duas cores, dnzia.
ato em leacol, kilo.
Limps pennas, urn.
Dita de Faber ns. 2 3., dnzia.
Livros em branco papel alra.-wa pautado 1(0 e 1;l)
folhas, util.
limos ditos'ditoes earm- 50, 100, 150 e 200, idern.
laiup,'Ses parna ken-ozone, ida-n.
Lix-i fraancez, falhra.
Diti.. Ismeril, folhks
Lavaturio di ferro corn jarro e bacia de loura, urn
Limos, ursuuas, aneia :,nna, chatas, triaogulo, a11-
gleza, nirair.
Dutas bastards, meia canna, ehatas, triangulo,
inglesa, idem.
Linatlles ingles s, sortidos, urn.
Lanternas pai-a kerosene, ura.
La pars pario, kilo.
Mats barrio cylindro, urn.
Machados americanos, idem.
Machadinhas amerioanas, uea.
Mordente fraucez, 'itro.
Niveis de bolha d'ar c-rm caixa e sem, urn.
Oleo pars apparelho, frasco,
Dito de linhaca, litro.
Occa amarella, kilo.
Oleo de mamona, litro


O~eo de banha. litro.
Occa arruda, kilo.
Progos francezes sortidos, kilo.
Papel almavo pautado (Fiume), resma.
Dito dito liso para impressio (commum), folha.
Dito dit lis a bom par impress, folha.
Papal pars officio marcado conform o modello
resma,
Dito toilet a cirquer, rnlo.
Dito matt borrAo bom, folha.
Papel seceante pars copiador, idem.
Ditoe de embrulho born, idem.
Pedra poMre, kilo,
Pesos de vidro, um.
Papel asben pautado, folha.
Dito &ine, idem.
PFr"fos do ferro, gross.
DitoS de lati, idem.
Ditos ditos corn porea, '-un.m
Piche, htro.
P. de broe, gramma.
Piueis uhatoms rdosdos sowtidoa, um.


idem.


gar do costume.
Dado e passado nesta cidade de S. Agostinho
do Cabo, em 12 de janeiro do 1885.-Eu, Clarindo
.Hcrineto Line, escrivao o escrevi.-Luiz Salazar
da Vofiga PossOie.
(.ift,,rne can o original qucvai s';r .i)x-J'' .
ha9g1,r uiais public r do c,,st:rrv. IIh tf'. C-Ao.
12 :1i janeiro de 188.1-0 escriv.o, Cariiudo H "r
:ndto Li4s.

dUtal .40


2a1 prar.
SDo ordemn do Him. Sr. inspector so faz pacxlico.
:iut as 11 imwas do diia 1G d, mz corrente, scril,
vendidas em leilato, no trapiche ConccJSIo, as me2-
eadorias, abaixo declaradas :
Trapiche Bariio do L.vriam-into
Maroea MFA, 2 barris de quinto, vasios, vindos
de Lisboa no vapor francez JIenry IV, entrado
ria 6 de junho d. 1883.
Marca NP&C, 1 dito idem idem no vapor fran-
cez Ville de Varatnhado, iden em II dejv;ho idem.
Marea MFM, 1 dito idem idem na barca ppr-
tugueza Bolina, idam em 2 de novembro idem.
Marca &TC e contrarzarca G, 10 erixas idemr
e Liverpool no vapor inglez Author, ilm erm 8
Se agosto ide.n, contendo couserva de leiito, pesan
o bruto nas latas 218 litros.
Scm marc),, 14 saceos idem d ) Porto Do pata
ho portuguez Robbin, idem em 17 idem idem, coa-
endo louro, pesando liquid 112 kilos.
Trapicheda companhia pernamubucana
A As mercadorias seguintes apprehendidas no
esidio dte Fernando de Noronha:
29 garrafas de vinho do Porto, mnediado de eca-
acidade 20 litros,
21 ditas cornm aguardente de canna medindo
tdad 16 litres.
14 ditas corn geaebra, medindo todas 18 litros,
ora alcoolica 9 litros.
9garratos corn vinho secco, medindo todos 157
itros.
16 garrafoes corn aguardentei de canna, medin-
o todos 274 litros.
-2 itos vasios.
3a See*o aa Alfandega de Pernambuco, 13 de
Aneir do e 1885.
0 chefe,
.Cicero B.dc Mello.


I
I i:1


I,.

1
I-


-- 6 00 0 io, wp*spqp q 1, 41


De I'fir S! r l 11 a JirCt-r v ,,viio. a ttloo.
os eS<" *. >.:': oa..l ei'i,.t s caig)-.5 n nI i ;!.b:l.misf -
tr8 eliO xi"?O. S 'i,.t>.} 'i ii, ; I! i in l ,*; l, ;' co pi-
recere'in i Fs .1 ss o .i d c io o ,s',: (.i-: t,-r.'
Ihl ar :r, ia (I '* I .,';-, r tc d.-,m in ,, l s 12
I'ras (,.a in.3li;,l,.s<-'tl.l<) so :?L;Jo i'. \'> o prdc.^tes 'i t )l.;-
;vite i t,>dts os Srs. s.) is .:i .'rIl.
Secrt-iri;r ;it roir l*.',,:'1 d I S:.>;:icI:Li' f Bf t-il-
ceinte Luzo-Brasiieira, anos 14 de janeirc, de 188:.
0 secretario,
A..,oido Pereira de Mfgcalhaes.

A ssociaio Portugue-

za de Beneficencia
De ordemn da directoria scientifico .os


Srs. associados que, a contar tue do cor-
rante, acham-so ein cxecu.ao os seguintes
artigos de lei; approvados em sess.lo d'as-
seiubl6a geral de 23 de novemubro proxinmo
passado :
Art. I. Para os socios casados, viavos
corn filhos e solteiros que se casarem te-
rem d.reito pars suas families aos benofi-
cios de quae tratpm os 3, 8, 10 o I I do
art. 32 dos estatutos, contribuiri'io corn a
mensalidade de que trats o art. 19.
Unico -Para os actuaes socios casa-
dos e viuvos corn filhos, flea concodido o
prazo de 3 mezes pars comegarem a con-
tribuilao de qua trata o presented artigo e
para os solteiros que so casarem flea con-
cedido prazo igual contado da data do seu
casamnemto.
Art. 2.o Dado o ecaso do que algum so-
cio no eatisfa9a o quo determine o para-
grapho unico do artiga antecedente (1)
no prazo determined, o poderA faster pos-
teriormente pagando as mensalidades con-
siderada em atrazao, e so oder o ser be.
nefciaaos sugs vivas e filhos tanatos rwe-
xm depOm qsantosos que pagaram. atra-

'Art. 3.0 96 se boaneouia" s vi as
*s, 4..


I IP I


Deabastedmanto d'agna eluN t

cidade de Olinda

Pelo regulamento da cumnpishia est i estipralado:
I. Que quaesquer reelamaqes aeerea do servi-
co publieo on particular, quer do forneeimnento
d'agna, qu r relative A ilhuninaVito, pa- eerem
atlenktidas devem ser feitas PoR scarPTo, datadas
e assigna teas, dirigidas ao escriptorio da companhia
(officinas de gaz nos Milagres) diariamente.
IL Queso ao spepaaveis por semelhautes reela.
maoes os seus sinftarios, no caao em que asdes-
pezas nio sejamn da competencia .da comIpanhia
(canalisaco no solo das ruas por onde passed oas
encamentos).
III. Que a companhia reserve para si o d reito
de fechar a communwnicao do gas on agaa a qual-
quer casa ou estabelecimento, eujo noso nWopa-
gar comrn promptidAo suas ontacons de consume, as
quaes deverea ser pagas em Olinda.
CPublicando estes artigos pars pleno conheci-
mento do public, aproveito a oportunidade para
diclor.: que qualquer conta do cousumo oa-con-
carto d'agua ou gas s6 deve ser pago minediante re
eibo e estando pdr mim rubricado.
SEseriptorio da eomnhpqbI, i de janeiro deo 1985.
4. P. SiMI&e4
11 1' ': Q erentes.'111 "
~m. $aI ..i11a4ijiiii,--^--"i. 4-,,^ini i-jiiii.. h 4


(


--P


<.


PIil


TienMMde fiomedtoi2o de 2(aOm E:.
Vixade cobra, n o. .
Dite deo latI lar.





Dtr.44.,mle~~b urns, un
T eri a ',iiiki lN !i !&, :'1! '':11
Toalbas felpodas gn. de, un.



Tinta verde-crsoo, kilo.



O foneameato^^-'i;1 eon:'ad per. sei. "11 1 -
TintOs pra ijpreo dpitoia e ne
Vidgue anoi 0 a;7u6i aosn


Vidrso erasno A6piOts8sa x002t um.am







Ditern awicns, uula.mle~nett'o.
Vidroas fseriaOa e,600180x 37, u
Vidgyis uicosa urn .



Verielmda i otnadro.At
Dinetoe preo aea, k uo.
Vas0 duis r depiasavast, m o poe a.
eDfoitas anmnie taa s o6ra. is







Osobechretsori do-prolngmerat qa elidade de enro-
1oar deo oauo aous ktbdiso o ePotra, seufore
dkto eiea Cauarmi d,1 d eat~y.jnio e185
Zarclab, kilo.


Zina o eiom barr, kilo.
0 fornecientol eri contrateAdo por se's mesra-
e fbito rnos ne as oeppe n requis ares.


Op objepta serao de ta neiano alidade e entre-







ra icha idi aocs jiebna dsBaapoo
guee c onvenientemente a eodicionados no alms-
e sxarifado or na doies ao da no eirePont eas, segundor
a exigeneia-do servigo. pee o ciamee
oNeste esr pto io enontar-s e-io as amostras
0 bem assic-a'o esclarecimextos neeessafios.' A&


propotas sera oaiora e lidas no lugar, dia e do-
ra ateima iadicadoi ne )wftenoa doei Sm-. propo_
ne8tes que diverto asignal-as e indoiar nas ime-
mas suas residencias, e o, foedimento poderi ser
ajustado eomw-zi o'Mpouoelatc, ,ou parcialmente
conforme as Vantagene offeascidas.
Secretaioab do-prolongamato da estrads de fer-
lo do Reten ao dS Francisco e estrada de ferro
do Recife a Caruar15 13 de janeiro de 1885,
0 secretario interino,
Manoel Jiwencio de Saboya.

&Edital u. 41
*a pra&a
De ordem do 111m. Sr. inspector se faz pahlico
que as 11 horas do dia 17 do corrente mez, serA
vendida em leillo- no trapiche Conceiglo a merea-
doria abaiso deelaruda:
Armazeia 7
Marea CWR. Nov e caisas nr. 1 a 9, vindas de
Now-York no vapor americano aFinancw, entrado
cm 18 de maio do a 4, r odtendo folhinhas im-
pressas em uma s6 cor, pesanido liquid 350 kil.>
(rrsammas abandonadas. aos- direitos por Adamson
Howie & C.
.3a secao da Alfandega de Pernambuco, 14 deo
janeirdo e1885.ddEt
0 chefe,
Cie-o B. didaMello.

Edit.lI. 11
De ordem do IEm. Sr. Dr. inspector deste Tho-
souro, convido os senhor ds poseuidores de apyliues
pars no dia 16 do corrente v'ren receber os jurors
d-as mesmas, correspondents o semestre finudce
em 31 de dezembro ultino.
Secoretaria do Thasano rovincaAl do Pernam-
buco, em 14 de janeiro do e1885.
Undolpho Camp.-AIlo.
2.a seciio.-Secrctaria( da presidencia de Per-
iambuco 13 do janeiro de 1885.-Edital.-Por es-
ta secretariat se faz pubico de co efonmnidade con
-* art. 11 do decreto n% 817 de-410 de agosto d(t
"1851, o edital abaixo transcripto pondo em con-
Icurso lom o prazo do e i dias do u icios do se gin-
.gdo tabellito do notat,, oserivio do crime, eivel,
dcoicineri, privati.vo deorphiao e aasentes rho
teruio do Cabo.-Oisc.etanrio, J. A. de Albuquer e
que Maraenhpo.
EDITAL
0 Dr. Luiz Salazar tsi V-iga Pessoa, juin munai
cipal e de orphLos v do te Bo do Cabo or S. M!
ho Inqr nnlur, UM.
rFaro sabers as que o present edital s i va n v
dello noticisredasiern que so aruha erm concurso
corn o prazo do (10 dinsr-i dasde deste os osiedos-
vitalici do segundo t0beliagso de not]s, eserivito
do crime, civol, earn morcin, pr-ivativo dc or-phans
o e sansets dIc1to torui, vago por faldecitunto do
proprictari eapitibo Manool Jos. de Sant'Aona e
Arrmnjo, otlicios creados poin :rlv'arA' rie 27 de jrlho
Jo 1811 rasridado vigirar nela Iei pa- vjncial n
86 do 5 de rusai do 1849~, a qua1 dispbe no art. 4
quo as esavas das villas do Bonito, Cabo e Pt o
d'Alho quo tiver. m titulos viterlioos, passarno a
stervir a3 seasosepregos peranto as jasticas nova-
rirntO -creadas, semn quo Ihes fara nisater novo ti-
tulo.
Os pretendontes deveribo apreseutar seas p< rii
coee devidameuto iusti-uidas nos termnos dos dc-
crotas irs. 817 de 30 do agosto do 1 851, 4,668 de
5 tde Janeiro do 1871 e 8,276 de 15 do outubno de
1881k no prazo acirra menccionado.
pars que cheguic ao conbecimento de todas
rrandei passar a presonte quo serra aflixado no Iu-


"Me~o emla
Bzp. de Ir ral
0 admietrauor fax publico que a partir de 1I
do conente& mx pr dianteo corn a abertura do
trafegeda stkeao de Quipapa do prolongamento
daestiada de emo o Joife so &. Fra so, aes
mala4 d. cons o p para qiwW&a ,ocalidado ser"o
expedidas diaxi~waee pola wesmaa etrada do
ferro, podendo a etesondeeia serpoeta na
administraglo oum vaun.* dae-Cinco Pontas.
Pernambueo, b 14 d ijairo de8&
A9S do Begg Barros.
ieuscber Haelfsverein
General VeraumImlnng am 24 januar 1885.
Abends 8 Uhr em Lacale des Clubs Concordi
Tagewordnung:
mngnl UBd.
Neuvahl des Auschuames.
W. Rewme Serif-fueithrer.

hutenmisadora
A direeeao desta compamia de seguros c.nvida
,os senhores accionistas a se reunirem em assew-
blia- geral extraordiaaria, que deverl ter lugar no
eseripterio da mnesma compinhia, ao meio dia de
19 ,da reunion a diseussatl e approvaiao dos esta-
itutos da mesna eompanhia ukimameate reforma-
dos de aceordwcom a IeW 3150 de 4 de novem.
bro de 188-2. RecifIt S d Janeiro de 1885.
Os ditetores,
IT.urique Beruardes de Oliveira.
Joaquimn Alves da Fonseca.
Jose da Silva Loyo Junior.

Thfsila IN-Vista
O'fiscal do 1 district dafreguezia da Boa
Vista, autorisalo polo Revm. Sr. vereadlor com,
misoario de edificna;es, declara a quem interessar
possft que nenhumua obra p4ce ser coincada antes
de coneedida a licoema da Camara, qua devera ser
vista pelo fiscal respoetivo, smn o quo os infracto-
res sujeitar-se.hlo ais pents do art. 91 da lei n.
1129 de 2Gdejut-he 1c 1873. Bua-Vizta, lu de
janeiro de 1885.--- fiscal,
Francisco Anoto)io Brandiwo C vGlcite.

Ilns iW t Arhelogic e Geogra.

phiea i lernamibucano
Q-inta- tira. 1.5 du e rrente, o meio dia, liav-
ra sessA, or lhnari;L
Se'retaria do I;T4itnto, 13 de janeir.) de 85.
Baptista Regueira.
I0 secret:irio,
A C:nmara, Mnicipal, da Ci lade do Recife
.cowvida aos douo6 dos eataibeleciuentos coinmncr-
eiiae.; dats fregut-zias dA Gra", Popo da Paiella' e
:S. LoaUe)4o da Matta, para viremrn A seclo coin-
oettente Hferireosn o pesos, niediias e balaucas dos
mesmaino-, no proximo mez de janeiro, sob pena
da lei
Pao da Camiara Municipal do Recife, 30 de
aovernbro de 1884.
Jo't Candido de Moraes,
President.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretario.
D e ordem-d* lim.r Revin. Sr. padre Antonio
de Melli e Atbaquerque, vereador commissario de
cdiqicacto, 9- avisa a quem interessAr possa, que
as fetites dirigidas A Iilma. Camara, pediudo
licen a ura edifiAnr, AM-rs ai e do. aorr4o 'comn
o art. 75 da lei n. 1129 de'6-de jfiho de 1873, o
qual c do tlhor seguinte :
.Qnando so tiver de edificar, reodificar, demolir
ou tazer qualquer concerto, se requerer A lieenca
A Canara Municipal, na qual se pedirA igualmen-
te o nivelamento, cordeaao e minais preceitos sy-
metricos : tambein sc deelararA nomno do mestre
da obra, re iovnndo-se a declaracao quando houver
onut i u-i v*. '-fstre.
Seeret-.ra iid arira 3-luicip.il do Recifo, 12
de jinuiro de 1$85.
Peiro G. de IR:itis e Siiva,
Seci et.irio.

T S~nrari 9a M 6~~~d

Paganent, de costuras no Arsenal de Guerra
De ordren do Him. Sr inspectin se faz public,
que no dia 15 do correntc, As 10 horas da manha,
se far'i nagamento no Arsenrd (!o Guerra As cos-
tureir4s de fardamento do mesmo Arsenal, relati-
vamente A Iegunda qu::nzna do mez de dezembro
proximo findo.
Tbeiouraria de Fazeuda do Pernambuco, 13 de
janeiro de 1885.
o secrtaria da junta,
F. A. deOlivcirn eSilva.
%oeei afle Ieeeeflcte IL:szM
irasrleira
sES.SO SO.!.EMNE DI: PO-SSE


D1 DE.NDO.... -_
A'partiv do di- 11 do correrste ,te-. cda
24 serh pag0 no e1criptorio da eompanhia,
das 9 horaar ao nmeio dia dos dhs uthi, o0
seu vigesimo dividbadlo a razAo' de 8-oe1
ao anno; sedod'alhi em diante a' paga-
mentos feitos as- aneswaa horas- nis ter:-
gas-feiras sae w aados.
EOcriptorio da comipanbia, 7 de jAniro,
de 1885.
0 gerent,


T unrI4"ronviml
Ne~tltireprti$ pagfttt s adi i ntee fti-
lhas-"
Professores de instruccao primaria de 2a e 39'
eatraueis, e -escolas noetmmo co.n reldavIo
mez de outtbro.
Pagadoria. do Thesowuo -Poincial de Pernam-
buco, 15 de janeiro de 8-& -
0 escrivAo d reoita,
Luiz Epipalinio de Souza.

Escoia:Namal
D)e ordem do Dr. director faz-se public a quem
interessar posesa,. que as-matrici*las deste curso
estaiao ,bertsl disde odft 1' ,do eorrente ate 3
de fevereiro proximo.
Os pretendentes a. matricnils d* 1 anno deve-
rao instrttir os seas requeriments cornm os docu-
mentos segnintes :
10 Certi4ao de idade maior d4 18 annos pars
homens, e 16'pttra senhorms.
2o Ccrttdiho dd nAo hayer sofi'ido condemnagao
por algnmt, dos-crimes quo inotuiram a perda da
cadeira aos-professores publicos.
3' Attestado de approvacwio em exame nas es-
colas pubies dc instrucCAo pri ria.
4 Atte*tAdo ,dd moraidade passado pelo res-
pectivo parocho, ou pelas autoridades policiaes e
litterarias dai friguezia ein que wesidir o peticio-
nario. Aqwelles-quenno poderemn exhibir attes-
tadcs de esame primanmo em algnma escola pu-
blica, (leverao ifiscrever-se para os exames de
admiissao, qse d verAo cbinear no dia 26 do cor-
rente, de confrimidade corn os ants. 75 e 76 do
regimento i-terao de 17 (C Eetennbro de 1880
Pars as matriculas do 2- ou 3- anno basta ins-
truir o rcqiperimnento coin a certidiio da approva-
cao no exau-I do anuo anterior.
Secrctarit da.Eseola Normal do Recife, 7 de
janeiro de 138'.--O sccretario,
A. A. Gama.

Miviiterio da Iirionha
Reparticio de pbar6es
Avisovaos navegantes
SubstituiiAo d -"4uz
PMira). de Stacolunmy
PROVINCIA DO MAICANHAO
IIBASIL
(8o dc 1884)
Do dia 15-de-jauciro proximno vindouro cm dian-
te sera exhibida do pharol de Staeolumy uma luz
fixa, branca, .-Ariadt por lampejousbrancos, de dous
em dous inmdos, illuminamwo toda J -Aorisatde do
mar, em substituicto do actual.
0 apparzlho de luz e do optica da 3a ordemin, e a
Inz 6 produzida polo combustiLo di oleo mineral.
0 Wlhno(>fbclo eleva-se 48u,00, (157 ;pa e 6 pol
legadasj ao nivel medio das mvi;,-. e i1 luz serA
vislvel 44 distanicia do 18 mibas, corn tempo
claro.
O novoapparelho de iuz estA ronadoe na anWiga
torre qae eleva-se do centro dai easa dos pbaro-
leiros, grande edifi-io de daus audares, pintado
do brancoi
Posic.'o geographica.:
Latitule=2*-10'--10" S.
L -ng-ide=l" 1"'-20" 0 Rtole dJaneiro.
= 41 -24'-40' 0 Grw.
I =446o 44'--50' 0 Paris.
Rep~ti(iiao de pharoes, Rio de-Janerro, em 19
doe dezembro de 1884. == (Assignado) Pedro Ben-.
jamin d'e Cerqudira Lima, dimetor.geral.
Conformc.=Capitania do poata do Pe.rnambuco
10 :de janeiro de 1885.==O seeretario,
Antonio da SLlvaAzevedo.

Banco do Brasil
Paga-se o 62 dividend na nado de 9000 pox*
acglo ; na rua do Commnerciwn. 6, 1- audar.
=-= N6s abaixo assignadosy, coneordamos a n5,>
oermprar nem expor a venda imiitacio atlgumna cd
afamado Whisky Escossea RPynIl Besnd, ,na,..
uriado, do que se agntpa os trs. Browns & C.; e.
proomettemos fazer tral', o quo finfr do uloss'} akali'a:cd
para protfr-grr a, (lira vnaruc a hem dos ,ntercsaea
dos iiosi-',s r(.'egu,-7s. ltcei-. 9 Ito maio do 1-84.
Antonio Saittnpio do Nasein nta..
-T.,rrs h'-:nma.


" "F%.',,


Carl.,s Plu1;rn & C.
D)onigos Joaquiuin Fcrnrira.
Jos6 de A'zve(do Braga l& C.
Ahranu s &. .
Rarmos rX- (.
J.osi J.,:v1;pim Alves X. C.
Por Carroll &. C., Ant. - I. Lag~on & C.
Campos & Monteiro.
L- quem interessar- declaramos q e nest-.
data tespedimos o nosso empregado Joaqpim An-,
tonio de Araujo. Recife, 12 de janeino de 85.
Floriano Passo a C.

Pnninwhia Santa fitrozpa




























;- I
ICHrXADA PAUTIDA

Una 1-30
Boa Sorte .-... 1-. -50
Cateu.!i'e ...... .. 2-10 2-15
Jaqicira. 2-45 2-50
M;,ary..l .. ..... 3--10 3-15
Barr .. 3-40 3-45
S. Bcncdicto 4 4 -11
Quip.apA..... .. 4--Ii
i DC manha
Estace TRiEM I




--i-a- ---- .8--


S. irne,,licto
Bar-s.
Marrayal.
J0 q uuiri
C-lt,.'-nle .
H t, Sorte
i. i;.


.~I


--00!
8--9
9-5'4
10-29:
10-511
11-14


8--38
9-4
9 -3
10-34
10-5-1


;FOS DAS PASSA-GENS



. .. ._ .
- .- 5
I


oCD
(? ^ ~ ____


C's 0.,, 0.~o e, as ice
0
00


CO 10 -~
* ~----'


I 2.S
I g
I -3
U)

CA


'U
Wa

Sj


L- t" 1.



I -- "2
06 preqos d; L e')."r~,c:'-z:Lm dii ,epec-
tiva tabella, que p61e ser cnsultawi-a nas Esta6es.
Sccretari (1. Pr tolongamento da Estrada (d
Frro do I). cife ao S. Francisco) Estrada do
Ferra do Retifr a C:troarm 12 de janeiro do 1885.
0 seeretario interino
ManIel J venewo de Saboya
Santa Casa de Misericordia do
Recife
Por esta secretaria stio convi(ladas as arnas a
quem est-o eonfiados expostos para eriar, afirn do
que venham receber di Sr. thesoure;ro as mensa-
lidades veneidas de outubTo A dezembro find, no
dia 15 do corrente, pelas 8 horns dai manha, no
,.tldo do respectivo estabeleciimento, apresentando
.)r essa occatsio os mesmlos. expo, tos.
Secreta.ria da Santa. Casa deI Misericordia do
tecife, 7 de janeiro de 1885.
0 eserivno,
Pedro Rodriques de Souza.

EMPREZA DO GAZ
t Gerent e pede aos

Srs. -onsummidores que

queirain fazer qualquer

coiuunicaco 0 0u recla-
uep seja esta feila pop

eseripto e a elle dirigida,
que se acharm nds dias

uleis, runa do Im perador
j 1o dlas 10 horas da

rmanh a I hiora dataie de,
;i7de tairldem se Pece -

Sqe 1, qualquer conta que

Squeiramn pagar.
S0s unions cohpadores

externos sab os Senhores
1 Francisco e-ix de Mello

e lherinillo Francisco lo-

driues Freire, e quando

for precise o Sr. Antonio
m a. a rtins Ciarvalhoa.

,I odos os recibos dessa


A NOVA -YORK
New-York Life Insurance
rCompany
Seguros de via
39 annoi de cowsttite prosjperidade
Unica eompanhaia uesta proviucia puramente
IIIUtU'i. ,
Activo effct-vod 31 de deembro doe 1883, mais
de 55 inilh5ea de dollars .
ESCRIPTORIO FILIAL
V. 1--Praca do Corpo Sanlo-N. 1I


1 4OMPAMNHIA IMPERIAL

DE
SEGUROS CONTRA FOGO
EST: 1803 -
Edificios e inercadorias
Taxas baixas
Prorfpto pagamento de prejaizos
CAPITAL
Rs. 16,000:000O000
Aqentes
BROVNS & C.
N. 5 RJaa do Commercio N. 5



CONTRA FOGO
The Liverpool & London & Glob

INSURRANCE COMPANY
AGENTS

Mailhlor Brotrs & .
Il--CORPO SANTO 11.-

GODPANIIADESE BIEROS
CONTRA FOGO
North British & mercantile
CAPITAL
0:000,000 de libras sterHliuas
A GENTES
Admson Howie & C.
RUA DO COMMERCIO N. 3.

INDEX MNISADORA


Toma sexuros maritimos e contra
FOGO
RUA DO COMMERCIO N. 44


hll 10gIoS _
IrRITIEOS

Pacific Steam Navigation Company
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR
Patagonia
Espera-se dos
Sports da Euiropa
atA o dia 18 de ja-
neiro e seguira
para os do sul e
do Pacifico depois
da demora do costume.
Para carga, passages, encommendas e dinheiro
o frete: tracta-secorn os
Consignatarios
Wvilson Sons & C., Limited
N. 14-RUA DO COMMERCIO- N. 14

United Mates & Brasil Mail S. S. C.
0 vapor
KMerrimac
f Espera-se do New- Port-News
atk o din 19 de janeiro,
reguindo depois da demora
necessaria para
Bahia e Rio de .Janelro
Pelos vapores desta cempanhia dio-se passa-
gens para Liverpool ao preco de 200 dollars ; o
passageiro desembarcaado em New-York tern ga-
rantia a passagens para Liverpool quando The ap-
prouver por vapores de la ordem.
Para carga, passagens, encommendas e valoree
tracta-se corn os


AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUA DO COUAMiit_(lO
1.andar


N. 8


COMPANIIIA IPE VAMUUCANA
DE
%avegacao Costeira per Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macdo, Mossoro, Ara-
caty, Ceard, Acarahit e Camossbn
Segue no dia20 deja-
neiro o vapor Ipojuca,
commandante Telles,
is 5 horns da tarde.
Recebe carga atW o
~dia 19.
Encommendas, passages e dmheiro a frete ate
ts 3 horas da tade do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da CompanBhia Pernambu-
cana n. 12


Para carga, passagens, eneommendas e valores
cracta-se na agencia
46- RTJA DO COMMERCIO 46
PORTOS DO SUL
0 vapor
Espirito-Santo
Commanandnte Joio M ;aria Pessoa
E esporadodos portosdo nor-
f -. te at6 odia 16 de janeiro e
seguir- depois da demora
do costume para os portos do

Recebe tambem carga para Santo. eRiohGra-
de,frete modico.
Para carga, passages, eneomumenda valores
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO 46

__ LEILOES

Leilao

Agente Silveira
QUINTA-FEIRA 15 DO CORRENTE
A's 11 horis dat mnanhi
De generos, arma.o e uteusilios da taverns sita
a ruan Velha n. 82, em urn on mais lotes.
Garante-se as chaves.

Leilao

De (azendas avariadas
QuInta-feira 15 do corrente
A'S 11 HORAS EM PONTO
No armazemn d rua do Imperador n. 22
0 preposto do agent Burlamaqui 'levarA a clei-
lito diversos fardos corn madapolio avariado d'a-
gun do mar, vindos ultimamente do estrangeiro, e
outras fazendas tainbem avariadas, e cerca de' 6
mil chapeos do Chile, muito finos.

A gente Pestana


Le1ilo ~\
De esteiras, 5 balanas de rodas 2 ditas de brA.
Io, I meza parajantar, 1 aparador, 5 caiteiras
tpra 1 pesso3, -1 ita para ipessas, mechos para
-'iteiras, estates para papeis, preovs para copia
r||f, tbalcews, repar* uto 4 pr iutofao *0-
rrae ae torte, eatrado paraeacriptoriiot, lava o.o,.
4 balangas deeimaes. termo de pezos Aumts
;ig pranchlas para assucar, 10 pedras, barrio,
ta egs, cabides pra p adores pas, socadores,
femros para assucar, rtas e 10 caixues pa
4p to de assucar e 2 pranchSes grandes pars
ques.. : i! .'
Sabbado, 17 do cWrente
SA's 1t boras
POR DTTERVEN9ZJO DO AGENT
IAlfredo Guiwnares
No armazem da rua do Brum n. 92, oude esteve
estabelecido o Sr. commendador -David Feireira
Baltar,- ___, *
Ageat Pestana

Leiao


Para o Rio Grande
do Sul
Para o porto acima indicado segue corn toda a
brevidade a escuna dinamarqueza Espres, tendo
jA a maior parte da earga engajada ; e para o
resto se trata corn os eunsignatarios Herm Lund
gren & C.


DaimpfscMhflTahrts-Gesellschaft
O paquete
Hamburg-
,,a E' esperado da Bahiaatc o
i/,\ /' dia 17 de janeiro seguindo
j .AY depois da demora necessaria
aPra o
S _pam u


Tocando no
fean-, Para, Madeira e Lisboa
Para passagens, frete, etc. tracta-so corn os
agents.
Borstelmann & C.
RUA DO VIGARTO N. 3
1 azdar
Comipanhia llahlana de iavega
qo a Vapor
Macei6, Villa Nova, Penedo, Aracaju,
Estaneia e Bahia
S0 vapor
Marquez de Caxias
Comn, .i dauite Nova
E' esperado dos portos aci-
ma ate o dia 16 do janeiro,
c regressara para os mes-
imos, depois da demora do cos-
tume.
Para carga, passages, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na
AGENCIA
7--Rua do Vigarrio 7
Domingos Alves Matheus
Companhia BrasieIra de Nave-
gapie a Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor
Ceari
Cormniandaute o 1.0 tenente Gaalherne Pa-
checo
E' esperado dos portos do sul
ati o dial 17 de janeiro e
\ seguirA depois da demora in-
dispensavel, -ara os portos
B i do norte ate MaaAos.


TUAES no


mode de sol-


ver compromissos,


que


sao convidados


virem a rua do Impe-
rador n. 79 a negocio
que nao ignoram.
Srs.:

SenadorJacinthoPaes

de Mendonea.
Jose Dias da Silva, da

Victoria, onde ejuiz
substitute.

M aj or Bartholomeu
do Rego Barros, ve-
reador da Canarade

Gamelleira.

Alipio Accioli Santia-

go Ramos.
JoAo de Barros Santia-
go Ramos.


Anna Ao-e 6ude Jesus
Augusto More#a da Silva, tendo recebido a
infausta noticia da more de sua estremosa mai
Anna, Moreira de Jesus falleida em Portugal no
dia 18-ddedzembro do1864,; convida a todos os
parents e amigos para assistir as missas e me-
Smento que por sua alma manda celebrar na igre-
ja de Nossa Senhora da Penha, no dia 19 do eor-
rente, trigessimo dia do seu passamento, pelas 7
horas da manhi, pelo que desde jA se confessa
eternamente grato.
* MI4 gg1j.. .....


wawfiE B


de Loteio


jbaftftaM
FPrei Jorge de Sant'Anna Lncio, Adolpho Car-
neiro Cavalcante, Theresa de Loci, Lumachi Ca-
valcante, Angela Maria de Lima e Alexaudrina
da Rocha Bastos agradecemn cordialmente a todos
os parents e amigos que se dignaram acompa-
nhar os rests de sun presada irmai, sogra, mai e
prima ao cemiterio public, e de novo os convi-
dam A, assistirem a missa que se tera de celebrar
no convento do Carmo desta cidade, sabbado 17
do corrente, As 7 1/2 horas da manha. Particu-
larmente Frel Jorge de Sant'Anna Locio agrade-
ce aos veneraveis irmaos religiosos, ao Revm. Sr.
vigirio de Santo Antonio e os Revms. padres
mestres, qu e expontaneimento prestaram se a
suffnragar, e acompanhar o cadaver de sua chorada
irmnA iisua ultima morada.


JoAo Baptista Cesar eTheodora Maria dag
Mercez Cesar convidam hos sens parents e ami-
gos para assittirem as missas que mandam cele-
rar na ordem terceira do Cirmo, is 7 1/2 horns
do dia 17 do correnite., por alma de sua presada
tni e 6ogra, Jo-apha Maria dos Prazeres Cesar
de Freitas, fallecida cm Portugal, trigesimo dia
de sou passamento.
Aluga-se ou vende-se o sitio do Cumbe em
Tieberibe, onde residio o Sr. Vallenca achando-
se a easa limps, o sitio bemrn plantado de arvures
fructiferas, o qual confinda corn o rio desse nome,
onde tern lugar para o agradavel banho ; corn 4
quartos, 2 salas, coplar, cosinha f6ra, quarto para
criado, etc. Para informaqSes, nesse lugar, ta-
verna do Sr. Jacintho, junto a estagao, ou cornm o
proprietario a rua do Bemfica u. 5.
Aluga. se barato as seguintes casas:
Sobrado n. 3, cases do Gazometro.
Casas terreas :
N. 7 da u esma rua.
N. 52 a rua de S. Jobo.
N. 5 A rua de S. Jorge.
N. 10-C A Ilha de cmrnfica, corn grande quintal,
ague. encanada e viveiro.
Trota-se A rua do Caes do Gazomnetro n. 3, loja,
corn o Sr. Valenqa.
= Precisa so alugar urma casa em Olinda, per-
to do banho, e que o seu alugucl nib exceda r.
165000 mensaes : quem a tiver annuncie para
aer procurado.
= Precisa se de ura ama para cosinbar e traik
scrviqos do casa de ftamilia, e do um meniao para
compras e recados : a tratar na rua do Marquez
de Olinda n. 51, 2 andar.
Aluga.se na rua Imperial duas casas, uma
de padaria, corn forno e utensilios, e outra de moo
radia. ns. 198 e 199, por preco muito commodo -
a fallar corn Jose Feliciano de Nazareth. a rua
de. Pedro Affobnso (outr'ora rua da Praia), arma-
zem n. 20.


Aluga-se a casa assobradada n. 19 da runa
da Ventura (na Cspunga), propriedade do Dr.
Joa'o de 8S e Albuquerque, a qual tern excellentes
commodos e grande sitio : a tratar na run Pri-
mciro de Marco n. 13.
Aluga-se a casa da rua da Unigo n. 67.
tern commodos para familiar, agua encanada, gaz
e grande quintal : a tratar na rua do Apollo n,
22, armazem.

Costureiras
Precisa-se corn urgencia de costureiras ; na rua
Larga do Rosario n. 36, 20 andar.

Ama
Precisa-se de um-a na ,rua Nova a. 15.


Aluga se uma boa cpsa caiada e pintada de no-
vo, corn 3 quartos e 2 salas, cosinha e quintal
grande corn cacimba, sita a rua de S. Jorge n.
66 ; a tractar na rua do BarA) da Victoria n. 3.



Atteaao
Matheus, Austin & C A ri'.a do Commeicio n.
S18, teem para vender :
Pinho deresina
Chegado agora e d* pi ttm-r'ir qualidade, das
seguintes dimensoes :
1 VI/2x t
1 1!u- X iJ
Ii X 12
5X12
4_ X 9
4X9
*Em lotes a vontade !os compradores.


E' barato
Vende-se urn terreno em Beberibe, corn 275
palmos de frente e mais de 1,000 de fundo, o qual
fica junto ao do Sr. Francisco Antonio Barbosa :
quem quizer dirija-se ao escriptorio deste Diario,
que se dira quemr vende. r s


Agua Florida,
de B3ary.
DUPLA.
Preparada segundo a formula
original ida pelo inventor uQ
a=o de 1829.
Ternom duas vexes males Fragrancta
quo qualquer outra.
Dura duas vexes mais tempo.
E'muit, mals rica de perfume e
mals suave.
E'multo mals Fina e Delloada.
Tern dobradaforca Refrescativa e,
Tonica no Banho.
Fortalece ao Debile ao Cancado.
Cura as Dores de oCabeca eo's de]
malos. 9
C'multissiM0o Superior a todas as
outres Agta&" Floriddas Actual-.
mente at venda.'.
Desooberta Importntissima.

lr OIeo de Figado de Bacalhao;
COM
IODURETO DE FERRO,
DE R 7
Barclay & Compamlhi$


Cmura radicalmepte o cornmseinranva os peores easos.
de Phthic'4. io'fiiias, Rhiumatismo, as doenqas
4.. Sd1ihatioii! Y h's~.6 Qfia.ri e te sis asumj
Iaauties }o uPigd, do Bao 6 do utero,etc.,e., .
e restltue ao corpo enfraqvuec',o c fatigado o sen 1rt-a
,:nutivo vigor e arredondado dog contornoo. E' certa-?
,'n"-te :':mnt grande descobcrta o Puro Oleo do
Fizado de Baealhao comn lodureto do j
Ferra-4- Barclay & Ca., New YorU.
x)rope de Yi._i
de Reuter No. 1.









DEPURATIVO E PURGANTE.
Este novo e admiravol purificador do
eangue actua sore os inftestinos
o Agado, os rains e a pelle.
E'curn I nfallivel contra a Debilidadoel
Kervosa, as Dares deo Cabeca, a Dys-
pepsia as Sezoes, e contra as doen-
cas de origem Miasmatica ou occa-
sionadas por desordens do flgado
ou pobrezae impureza do sangue.<
Dapositos. Em.New-Y ork cm casa
dos Srs. Barclay & C. em Pernambu-
co e em casa dos Srs. Franiico Ma-
noel da Silva & C.




Adminlstraggo: PARIIZ, & I Sle d Uontmartre.
GRAND)E-GIUZEr.-Aldeoglne plhaticas,doen-
asdas viasdijstivas,obtru F i e do bao
obgtruccoes visceraes, concreofes ca1uoas da bile.
HOPITAL. -Affecoesdas viasdigeiusicommo-
dos do estomago, digestio difficif, inappetencia,
ga'tralgias dyspepsia.
CtLESTINS.-Affecqdesdos rins, dabexiga aTeij's,
concreiOLs das ourinas, gota, di:ibetes, albuminuria.
HAUTERIVE.-Affecti,'s dos rins, da bexiga,areias
concroq6csdasouriua:., go!a, diabetes, albuminuria.
EXIJA-SE o NOME da FONTE na CAPSULA
Em Pernambuco, as Aguas das FontLes dc Vkhy,
a-.ina nomeadas, a'lfio-se em casa-is de
HAMISMEN-Y & LABILLE, 'I, run do Commercdo;
e SULZER & KOECHLIN, 3.->, i;ia d a Cruz.


A venda em casa de Sulzer & Ku
ma aa Cadeia n. 36.


unkco


ci conhecido do mundo intciro I
Scomo o mclhor 6 mais perfeito it
de todos os saba5s de toilette. t
Especialidade.,
S Estractos 6 cssenclua triples !
10 de eheiros. Agua dc Colonia. /
0 Viuagresde toilcutec. P6s d'ar- 't
0 roz. Pommadus. Azeites C to- 1 ,>
4 daselasesdeperfiumariasfinas.!
S Superiores qualidades.
W Depositos nas principals Per-.
t fumarias, Pharmacias e Cabel-
R leireiros do Brazil.

Medalha de Progress a Vienna 1873. j


De diversos caix~es corn phosphorus, mar-
ca Jonkopings (grande).'
Diversos ditos corn ditos, idei (pequcnos).
Diversosa ditos coin ditos, idom (vulcao).
Diversos ditos conm ditos, idem (cavallo).
Diversas caixas cam b4tAas.
Sexta-feira 1t sd corrente
A' 11 HORAS
Na porla da Alfandega
S0 agent Pestana, competentemente autorisado,
fara leilio, por coqta dos exportadores, de diver-
sos caixes corn phoephoros, acima mencionados.
Ao porter do martello



Sexta-felra, 19do eorrente
AO MEIO DIA EM PONTO
Carmo e Silva
1 mobilia de jaoaranda, obra de goto e bern
acibada e nova, 1 dita de moguo "corn pedra, obra
de gosto, com pouco uso, 1 dita de pio carga,
nova.
2 guardam-vestidos, 1 guard louga, 1 mesa elas-
tlea, aparadores, conmodass, iarquezOes, lavato-
rios, 1 rico santuario de jacaranda, obra do Por-
to, 1 piano novo, machines, bombas, estantes, ine-
zas p.ra eseriptorio, prensas para copiar, fiteiros,
armurios, qtadros, espelhos, relogios, vidros, lou-
vas, ferragens, miudezas, joias de ouro e prata,
relogios, espingarda e outros muitos objects que
se acham presents e que serao vendidos sem re-
serva 4 prego para feehar contas.

27d-Tra-- essaiBfo loB Sato--27

AVISOS DIVERSOS


A Estaiao
Compra-so dous numerous d'csse journal
do taoda publicado no Rio (te Janeiro; sAo
de 30 de outubro e 15 de novcinbro do
corrento anno. A tratar n'esta typogra-
phiacomn o administrador, no 1.0 andar.




ITTIENIAO
Vejam este quadro

d'aquelles que saio PON-









-4A


,c,.. A cAO
ME- xI


)


Quern quizer alugar a casa n. 4 A rna
de Conde da Boa-Vista, pdde procurar
as chaves no estabelecimento n. 30, &
rua do Imperador.


a


= Precisa-se de unm criado pra casa de fami-
lia: na ira Nova, loja n. 16.
A-gapse pars fftiia o primeiro e segundo
andares do sobrado a rua ,o Barlo da Victoria
n. 14 por 50A, todo pintado : a tratar na loja do
memo.
Precisa-se alugar um criado forro oucrb- es
vo, ou urna pretax pars vender flores e bolos, pal
ga-se bern ; no Caminho Novo n. 128. Na mes-
ma easa se dirA quem vende um xarope e tintura
de plant vinda do eentro do sertio do CearA,
pars cura de molestia do peito e asthma, que jA
tern feit muito boas curas. Na mesma casa se
vende parasitas em vasos proprios para sala ou
embarque.
Precisa-se de urma ama pars cosinliha e mais
servigos : na rua da Praia n. 12.
-Predisa-se de un criado e de urma cosinhei-
ra : na rua Nova n. 61, 1 andar.
Albino Gonmalves Fernandes
tern uma carta vinda de Portugal, na rua da Im-
peratriz n. 13.
Aluga-se o armazem do sobrado da rua do
D Aique de Caxias n. 37: a tratar corn o Pinheiro,
na rua larga do Rosario n. 38, 20 andar.
Jose da Silva Moraes participa a seus ami-
gos e freguezes que mudou seu estabelecimento de
cocheira de carros de aluguel e cavallos a trato,i
da rua da Roka n. 60 para a rua de Santo Amaro
n. 3; a entrada pela dita rua da Roda.
Por festa ou por anno, corn pagamento adi-
antado ou fianga idonea equivalent, aluga-se o
pequeno sitie da travessa da rua da Mangueira,
que foi do fallWido Jo o Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alem de inuitas arvores fructiferas, tan-
ues e cacimba corn excelleute agua potavel, e se
iehar murado, tern casa de habitacao em born es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e um quarto f6ra pars criado ou feiter, aecrescen-
do ser esse sitio muito promimo ao rio Capibaribe
e as duas esta 'es da Casa Forte e Caldeireiro
da j #irhanea do Recife ao CaxangA : quern o
prete=(er pde entender se corn a farnilia do Sr.
Manoef-Miranda ou corn o Sr. majoi Jos6 Camel-
lo doRAaegwharros na mesma travessa da rua da
Mangueira, que The mandarao mostrar e poderao
da: as informa95es neceara. on corn o Dr.
Pinto Junior, A ru Velbha n. 59.


R PAIp da.Apranu
Ru~a da., Aurpra nugzpro


ROWLANDS'
MXassa r Oil
O caLhecido ha mais de 84 annos comno -
WedmrAjo watfvo dos Cabellos, plticularmet
so. uizes quentes. Impede os CabeHos do Ce f
* de o ancer; fortifica-os e convem eapmslalm rn
ft Crliasa.-Vende-se tambem CUrde Ouro.-O
ROWLANDS' MAGASSAR Oi, de 2o
Ahttoa Gurden, Londres, encontra-se er vidae w,
DiruariAs e Perfumarias




XAROPE
D H YPOPHOSPHITO DE C;
Empregados c)nim taiito cxio paa ,ira r a
phthisica e as molestias tubarculosas,
vendern-se unicamonte qm frascos qiadr--
dos corn o norme do doutor CuaCnI i. sohrc
o vidro.
Sob a iniaencia dns Iiypophcsphitos a
tosse diminue, o appetite augnienta, as flor-
qas tornio a vir. os scores n foOtiioci (-essio,
e o doente goza, de um bem estar i.susaiisd,.
Os hypopiosjhitos q ie lv-in a m.n,'irr
de fabrtca da p/lirmacla SWANN.
12, rue Casti,' ione. Pariz, sio os uiii-
cos reconheci'lo.s e recomnmen.ie;'lo- 1,elo
D' CHURCHILL, author da descoberta
de suas pmopri,dades curtaN ias. I
Prero : 4 franic's por frascoein Franm.:a.
fende'r.-se zis principaes Ptiarmacias.


N


M

N




0

U


* T FT~BAf

hih tuntar 0 sea ji ben fi C iA *
ipetde esbeleciNiMro i m 1
deMrfo n. 6 com-mais
nm sail. lo Ia dr luxuo0samente pepar-


radio e provide de uma exposi-


Cio de obras de prata do Porlo e electr
dos ais afamados fabricantes do


*-plate


mundo inteiro.
CrlAl, pis, as Eximas. families, sens nnmes
isos amigos e freguezes a visitrem
o sen estabelecimento, dAiDde
aprdciarm a grandeza e bom goslo comn que
o obstante a gfanie
despeza, o adornaram, eni mhonra
desta" provincia.
..A'B R TOI8 7 114R1 I


fl

0

N



4



N


ua ]w oo


Cl//w 'D LEN9O900TOUCADO
E 0 BANHO,
Ama
Precisa-ae de urma ama para cc sinhar e lavar e
q-ie seja de boa conduct, para casa de familiar de
treat pessoas ; a tratar na rua do Barito de S. Bor-
ja n. 49.
Aluga-se a grande'ea a n. 159 A rMa Impe-
rial, de azulejo, corn port e duas janellas de
free, entuada e ladrilho de moi.co, contend
2 salas, 1 gabinete,;5 quatos, cosinha f6ra, quin-
tal e muitoa qgiartos' o quintal, que 6 murado,
tendoporto pimra a estrada de ferro de S. Fran-
cisco, cacia: corn muito boa agua : a tratar no
escriptokio 54, primeiro andsr, & rua Duque
de Caxias.
Alugam-se o lo andar da casa n. 18, o 20 da
de n. 66 A rua Direita; o lo, 2' e 8o da de n. 3 A
rua daPenfaa; o 20 dade n:25 a rua de Santa
Rita ; o lo dadeon. 34 A rui do' Roario Estreita;
a na ra tr r a .do Hospieio n. 3 2.
= Precisa-se de urna ara para lavar e engomr
mar, pars tires pessoas ; na rua do Imperador.n
35,:2- andar.


I


, Qe engct~s A^'ervosa;
I .'GALM ENTER COAOS3 OM 00

IBRI^IET _LAROZE1
f~ ~ R' mo woke, S- T A p v




^ Ij~vos, conio '.-- .- i- b I- *>< ..- c?'ti;- ~ ~:^;* )S.i I, d'.-' a'; au!


.-''iti-,O .\ *.^ :. .. -, l l,ii '. ; .
;Liia p -. 1 ).r. i: ; I I,.1 :: ii ill .:' 2 ; .-
nsa-';e paid c '- -, Ii'. eoli ;rii .
tenma "0x1' uao.
"2'J"-s e C L':L '; ;':*"< .:'p: '- i


C'L ; .:.;.a c:;iliaii' r z'... r a z
*L *:,&.s ,i :s'ivas e rspioratiorias,
S.v'alias. a eailepsi., o -.-ste-
c, a ,anc de S. Guy, a insomnib,
d-...; angs durante a dent.ilo, em
k palavrn- ,aodas m? 4Cvoes
l1zIVOSAC


e,~.3 o,"-,';-s' S s;i Po i'"2 '3 J.-?. iROZE 4
XARMPEALR]'. >iJ? irLO, ATl"YS| 4
*'7";ra -" ?-,.:*.-* *;,..-=*.'-..-. r .', -- T : ," y =' !btT ra,:- da .ztomarcp ,
NO WI1Z 1.1ir 1<43 'pr,4 T E POTASSIO 4
: > -';c. ? :cs broncos, Acdoz de 3.5flgae 4
j& fO~ "**- *?.-*:-~ ltca .; .-ra tenejarion
^ *:> ., s~m.'. ~i' -. .~r-*-'*1l..*.o.;' --." s.Flo;- ralicas, Ajkcbutias o
...'..f .: trias as o v g M &z. 4
9 Parss.i -"P LA'ROZE e C1 ra ar-iaoeuticos..
.2, RC 'IrS L'ONS-SAINT-PAUL, 2.
AM Ak Aft.& A.m AL, AMAQ

PVEIEDE ASPILULAO LE
PPoews preparados te _.rrur ao re..m atnr-I d Wafimpf. d" IfX4-.*3
9 Momits a spowo mn documonts ai 0authestico e c C MOw Mt";
o preadas cm o amelhor_ xito,. ha m&i de 40 aMos, pla maTor Dat.a m odm
par ewrar Aneml4 Ohlor-e (t .. poai), a Wlltar. a fonao dwas raariod.s .
Go b.. que a lnea ro destas Pilufas nc novo Codeax frtaw- O ns dispense de U49leto'll,
me n AS5enma uma unteca critalao, a do a t o VixM i
**Vmw elanmo qu exmero a medteta adiz ele,nl*tofl-O u Mt-i Jwt(4ed ud
^irtwe" tneonteataveft more 04 outmatre* 0UlS'No0 -0 0 -as Ssfa~dmHf do AMdealn do NOW" go 9vH. ^ ^

?AMS, ia Palau. 8.-Pernamabuco: FUN-0 da5. A & r., e usaaxd' | '





ERGOTINA CA-GS E..AS ,ERGOTIN
e.k BLEEEOABENeElA


,cAIM des!, a-d'Our-o da M.5riediad e oa o cdpnaiwi tara A_
Sqiau parv. ASna.ms- eW.. eaim, e qlodai aqr
j s fbOuI:HA IAMONEAS9 remIbRl I
| ~ Me 230WIXIAOM"
g I'Ssif&S-Ohm-d'Ouro da 8teiOea BA MMiWUP5O MR&*00fita Non*j- 6 Um Aos molborleso h6Bft08tofacmt.A*j
arSm% ~ v yrafa< lc laeam sio emapreg is PabAft 64MAr tRM=:k*yi-t<
a| e te-r ywr Sp hlsn'rtkagigme, de qaalqtia na&Vfa.
8ViwW &Wl j Marmac/a WLOttiNYE, 9, nn iFAb@#W so #wi


NAO MAIS OLEO DA FISADO DE BACALHAU

RABAN.O I DADO
De GRINAUL & C'. Pharmaoeutiooew em Paeis
ADIrMITIDO NA NOVA PRAMACOPtA OFFICIAL DK FRANCA. APPROVADO PELA JUNTA CENTRAL D HYGIENE DO BRAZIL,
Oarope d Rabano iodado de GxL9EaU & 0c 6 uma feliz combinagdo do iodo corn as plants antisnf-
butica seguintes : Agrilo, Rabano e Agmiaota, cuja efficacia 6 popular desde os tempos mais remotos.
Todas as affecqes, em que o uso do oleo de figado de bacalhau e dos medicanmentos iodados indicado, .o,
cobtid victoriosamente pelo X .rop de Rabanio iodado, que apresenta a vantagem de ser facilmente
acit e tolerado pnlo emtomagos mai 'deHcados, ao passo que o oleo de figado de bacalhau, as pilulas e o xarop
do iodoureto do ferr& occaioonam, As mals das vezes, nausea, diarrhea, ou accidents de intolerancia. -
JA ha mais do vinte annos, quie este medicamento da os resultados nas notaveis no tratataoeto dd
Vigioa e das molestias das oreangas; 6 soberano contra escrofulaO, l ymih!tismo, rachitismo.
tudarte, infnammagco das g ntua do pescogo, tumores, =.g e as vhrbis eruppie
a pUe., da cabeqa e do rsto. Excite o appetite, fortalece os tecidos, combate a payidez e a
accidez das cares, e.westitue As creancas o seu vigor e alegria naturaes. Tamrbm eA urn adiMve.t mI- '
ameuto depurativo, sobretudo exceUlente contraa o leite; em virtue de sua acgao depurativa cursa
k-)nfurunculos e evita a mua reapparin o. 04a &aM levwa a i e o 0 U dA OGRIMAULT & C0". .
ma fc:a ~u M Vivienne S M w- k .


l iU 7 -I Il 31tlItI -


--- BM- 1 A. t; ". '. %U .


. ISINGE]i
'I RIMEAOIIA DM wICOSTM
NVENS DO iLTIO ANNO 6053,22
uemn no tern ouvido fallar das famosas macbnas de costura de
Singer ?
Em prestaoes semanaes


li11000
S Quando o pagamento por este system se
oeffectuar dentro de quatro mezes, abatimento
de 5#00O.
Abatimento de o106000 a dinheiro A vista.
-Roga-se aos pretendentes de virem Ao es-
criptorio da companhia para informag5es cir-
-eumstanciadas.
Immensa cereal vantagem 6 obter-se a
melhor artigo nas melhores condiges.
Be boe em diante ningud m comprarn senior a verdadeira
maelna de SINGER

PORQUE7?
1.o For ser incontestavelmente a melhor, mals forte, mals bern aca-
bada, rels stmPlmes, rals duradoura, a unica que tern obtido minais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imitadores.
2." Por existir um deposit succursal da propria, companhia, onde se geran-
te estas machluas por am tempo Illmtltado e onde sempre so encontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.o Finalmente, porque aquellas pessoas que ato o present, por falta de meios,
nao podiam satisfazer o seu desejo comprando urna d'estas excellentes machines,
podom agora corn today a facilidade compral-as mediante a modica prestagao de

1&000 POR SEMANA"
Recommendamos corm insistencia-Nio se illiuda eom as machlnas
que trazem o nosso nome e que nao passam de RUINS IMI-
TAV6BS.
Vendemos tambem linha superior, retroz em earretels, agulhas, )leo, linha
de crochet, peas avulsas para as minachinas, tudo de superior qualidade o por prevos
seaw competencia.
0 unleo deposit das verdadelras maehinas de Singer 6 na
Rua do Cabug4 n. 1 A, Pernambuco
Direcvao geral da America do sul..IO4 rum do Onvidor 101.
Rio de Ja ir. 1asa lriz..54 Union Square, New-York.


FUflDIAOH FEARN
DE


CARDOSO & IRMAO
RUADO BR M N. 100 A 104
IDEIPOSITO BIDl I POLLOS.2 I i B
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas relaoses direetas
corn osmelhores fabricantes, e corn um dis-


tincto engenheiro deI
grandes vantagens para


pro
tes


Inglaterra,


offerecem


encommendas, como


yam com os apparelhos con
nos engenhos Massauassu'


ipletos assen-
e Bosque, e


mueio apparelho no engenho Conceicao.
MACHINAS a vapor trabalhando s6
o fogo do assentamento, podem ser exai


corn
nina-


das as que foram assentes nos engenhos Be-
lem, em Timboassu', Cucai, em Gamelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidracao em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e
Parahyba.
Chamam a attendao dos Srs. agricultores
para os novos vapores que tern recebido do
acreditado fabricante Robey. que se recom-
mendam pelafacilidade de conducaio, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand.


de mencionar os engenhos


em que os tem col-


locado, porja terem vendido 85 para diversos
lugares, e por issoj i devem ser bem conhe-
cidos.
Sao os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da colloca"ao e por sua
duracao.
Quanto a moiendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidaf e todas as mais ferragens pre-
cisas a agriculture, tem sempre grande depo-
site, sende tido da melhor qualidade.
Vendem a prazo ou a dinheiro comI des-
conte.
'-O ,.i "^ -.
a.? .1-


*16*' j-X^ "


hli


7Pf
DEPOSIT GERAL
138--Run Primeiro de Mar.o-18
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMSQN HOWIE 4 C.
N. 3 == Rua do Commercio = N. 3
A venda em todas as boticas e drogariaa
Franeeltna dam Neves Far.an
1 anniversario
0 tenente Albino Leite de Farias e suas filhas
mandam resar uma missa por alma de sua muito
presada esposa Franecelina das Neves Farias, sex-
ta-feira 16 do corrente, pelas 8 horas da manbY,
na igreja do Livramento ; pnra isso convidam a
todos os seus parents e amrigos, a quem se con-
fessam intimamente gratos.


Adolpbo Rourgcard
Arthur Espiaca, Libanio Costa e Fernandes
Barros mandam celebrar sexta-feira, 16 do cor
rente, na igreja da Madre de Deus, As 7 1/2 ho-
ras, uma missa de setimo dia, por alma di sen
distinct amigo Adolpho Bourgard ; para cujo
acto religioso convidam a familiar do finado e a
todos os seus amigos.


Adolpho Leopoldo Bourgard
D. Carlota D. dos Santos Bourgard, seus filhos
e genros, mandam celebrar missas na ordem ter-
ceira de S. Francisco, por alma de seu filho, ir-
mao e cunhado, Adolpho Leopoldo Bourgard, no
dia 15 do corrente. setimo de seu fallecimento,
pelas 8 horas da manha.
Antonio Fernande Vellono
1" anniversario
Manoel Fernandes Velloso manda celebrar al-
gumas missas resadas por alma do seu presadie-
simo tio, o finado Antonio Fernandes Velloso,
quinta-teira 15 do corrente, pelas 7 horas da ma--
nha, na igreja da Madre di Deus, 1- anniversario
de sen passaimento i para cujo acto de religiao e
caridade, convida~as pessoas de sua amizade, an-
tecipando as mesmas os seus sinceros agradeci-
mentos.


Antonio Joaquim Pereira
vera


de Oli-


A viuva, filhos, tio e cunhados do finado Anto-
nio Joaquim Pereira de Oliveira, fcridos do mais
doloroso goipe, pela premature morte do sen pre-
sado marido, pai, sobrinho e cunifados agradecem
do intimo d'alma a todos aquelles que se dignaram
acompanhal-o a sua ultima morada e de novo os
convidam assim como A todos os parents e ami-
gos a assistir as missas que por alma do mesmo
mandam resar no convent dos religiosos Fran-
ciscanos, A 17 do corrente, pelas 8 horas da ma-
nha.


D. Rita Aureliana Kroeger
Christiano Kroeger e sua famihlia cordialmente
agradecem a todos quo acompanharam os reatos
mortaes de sua presada esposa ao cemiterio, e
roga aos mesmos senhores e a todos os mais co-
nhecidos e amigos que se dignem prestar o cari-
doso favor de irem assistir as missas de setimo
dia, na igreja do Divino Lspirito Santo, das 7 1/2
As 8 horas de sexta-feira 16 do corrente.



1*
ClInio Fernandes da Silva MItanta
Sexta feira, 16 do corrente, setimo dia do falle-
cimento de Clinio Fernandes da Silva Manta, ce-
lebrar-se-ha, As 7 horns, na ma.triz de Santo An-
tonio, unra missa pelo repouso pterno de sua alma

Pormola-se OnRO vO-sO
Urma parte de terras corn mattas tendo madeiras
de todas as qualidades e grossuras no engenho
Utinga cm S. Louren.o da Matta vende-se ou tro-
ca-se por uma casa nos arabaldcs desta cidade; os
pretendentcs dirijam-se a rua do Imperaor n. 77d

de urma menina pars andar corn urma criauca : na
rua das ', ruzes n. 28, 2- andar.
A nma
Precisa-se de uma cosinheira ; na rua das Cmri
zes n. 28, 2- andar.
Ama
Precisa-se de urma para cozinhar para duas pes.
soas, que seja livre c que nao tenha familiar: rim
do Cotoveilo n. 141.
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar e lavar :
a tratar no ChaconD sitio da Pcna.
Criado
Na rua do Born Jesus n. 45, 2" andar, se pre-
cisa de um criado.
Boa acquisiro .
Alunga-se urma linda casa de eampo na Passa-
gem da Magdalena, rua do Paysandfi n. 5 tendo
gas, agua encansda, jardim e urma pequena baixa
de capim : a tratar na casa junto.
== Precisa -se de um caixeiro- portuguez de me-
nor idade, que dU intormnIo do sna conducts e
tenha pratics de taverns : a tratar na rus Vidal
de Negreiros n. 8.
Atuga-se a Csa n. raua Lembrana do
Goinw, em Santo frsa eptta
de novel, temrn gq 0 ta-t iaa da Imm
t r i z n 3 2 1 t ,h w .. .


tuns best
numero 24.


pade un a ma estilta do Rosario


-e -
-


KANANGA DO JAPAJ
gova 4gem pls s o udor
; g 3 ^"loomml^"^ PON ^^
|| BIG JD & Ca. Perfwialtas
'I DO


ft. f Vivfeafs j PA*I Lf

Sl-,.,I Esta Agua eitrahida das fidret A&Pbow
;, ,AOAT JaponIca, pela su- suavidade e suan propris.
J .:.!...,~~r nles hehriras, ezcede os cosnet:cos mali
S-, ...JM t',s- tend, sido adoptada pr tda a
'* ^ '"sA^>lo ~biecdade eliegainte. J-~
BJ! L ra f Usau no banho.,A de utnperfuiM delictoso,
; Q ^-consolida as carnos faz d.ppaurecetr as
,f_ espirnhas, comich-s e efflorescencias da pele.
s-. -. ,
i A m& l A__ l _-.i l il~ ,, _


.IF


-go


a


I

















*tic-pa ao res-
pa ivel pulico, que
rotnam terur sor-


timento de joias das


mais modernas


edos


mais apurados gostos.
Compromettem-se

a vender mais barato
do que em outra qual-


quer part.

Rl Ho cabl i4
Precisa-se de urma cosinheira, para casa de
familia, paga-se bern : a tratar na rua do Barao
da Vict ria n. 39, loja.
Ama
Precisa-se de uma para comprar e cosinhar em
casa de home solteiro; rua do Queinma4o n. 54,

Ama
A' rua da Imperatriz n. 53, 10 andar, precisa-se
de umna para todo o serving de uwa casa de pe-
quena familiar.

B. DE DRUSINA & C.

Rha go Blle-Jsas .n 18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de commissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da Allema-
nha, Franga, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.---Informag5es sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes,
bombas, etc. para incendios e outras ma-
ohinas e utensilios.

Aluga-se
a sala de detraz do 1 andar do predio sito A rua
Primeiro de Margo n. 18, mtito propria paia es
criptorio de qualquer natureza ; a tratar na loja
do mesmo predio.

Am
Precisa-se de-o aa ama para lavar e engom.
ar : na travesse dos: Pires n. 5 (Geriquiti).
Augasse barato
0 20 anaar'da ruado-Bom Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
Casa terrea da rua da Ponte Velha n, 22.
A cesa terrea na rua da Palma n. 11
A. casa A rua do Visconde de Goyanna n. 79
A casa terrea n. 7 da rua. de Lomas Valeutinas.
A. loja n. 10 da travessa do Carmo.
A tr tar no largo do Corpo Santn. 19, primeui
audar
Criado
Precisa-se de um criado : no largo do mercado
n. 33, hotel
Precisa-se-
-de um born feitor: a tratar na rua do Commercio
n. 20, ou no Chacao n. 5, sobrado.
Loteria da Parahyba
No estabelecimento n. 2 C A rua do CabugA,
acham-se expostos a venda os bilhetes de unma
nova loteria da Parahyba, organisada segundo urn
born piano, que cont6m os seguintes premios :
1 de 4:000000
1 de 1:0001000
1 de 200$000
2 de 100A000
4 de 50A000
15 de 20A000
40 de 10,000
50 de 5000
500 de 24500
Este ultimno o preco de cada um bilhete alli,
send elle em Pernambuco 24750 para os vende-
dores e na casa 35000.
Os premios sao aqui e alli pagos integralmente,
sem deseonto algnm, A vista da lista da extrac-
9ao.
Sao estas vantagens que nMo podem deixar de
ser apreciados polos que gostam do jogo das lo-
terias.
Aluga-se barato
o primeiro andar e a loja corn 2 quartos, quintal
e portao, do sobrado n. 38 A rua estreita do Rosa-
rio : para ver, as chaves estao na taverna de
front, e a tratar na rua de S. Jorge n. 56.
houbo

Na noite 24 para 25 roubaram da rma da Impe-
ratriz n. 6, 3 andar os seguintes objectos: seado
o ouro todo de urea imagem, resplandor corn uria
media lua toda de brilhantes, tires grandes no cen-


tree diverse menores, uma eruz de ouro e o mae-
nino Deus eom cor6a e eordlosinho de ouro cown
u-m coracAosinho de filagrant.
Um alfinete redondo corn esmalte azul e um cir-
cuo de brilhantes corn um bastante grande no
centro, uma crux corn 7 bihaates e urma volta de
perolas, um atacador de, ouro corn diamantes, um
pari de brincos corn dous brilhantes em cada brin-
co, um annel corn 5 brilhantes, outro de nove pe-
rolas, um par de brincos de maosinhas corn perolas
e robins, e diversos objeetoa deouro, assim como
urma moeda cde ouro de 205060 e outra, de 5#00(,
sado .eata ultima manchada de azougue, quern
trouxer notieias desses objects serA generosamen-
te gratificado.

Cavallo fruto
IDa Lag6a. Comprida, term da cidade do Li-
9,om .foiwsado urm avallo cor russo aujo corn
pintas de pedrez, tr.es cascos pretos e um claro,
pwairo quando se Ihe toca, o tierro faz volta a
ita^o de u e continuando outra volta a imita-
9*o4eJ ado esquerde, castrado, cacdte, acaban-
do de1jS j Wt pertenccnte a Antonio Ferreira de
Baios, o equal gratifioa corn 20S A pessoa que o
apprehender, podendo dirigir-se A sOa morahia ou
no Recife A sea irmlo Severino Feliciano de- Bar-
ros, morador na Passagem da.Magdaka.


Cfiaris d'4emauha
DE.
'A" W'&ft L &V -& & W a-- W""Uwa


Martins & Bastos
Pernambuco
Namero telepheonfo n. 33



AO COIERCIO

Viagens ao centre
De Olinda l Itabayanna por Igua
rassa, Goyanna e Ita:b
Todos os sabbados, as 4 horas da tarde : passa-
o ns tomam-se A rua Primeiro de Mar0 n. 1,
0i a.
De Itabayanna A Ollnda por Itams-
b1>, Goyanna e Iguarass*f
Todas as terias-feiras, as 4 horas da tarde:
sassagens A tratar corn Loureno Pereira d'Amo-
tim, em Itamb6.
Viagens avulsas para qualquer parte e em qual-
quer dis, partindo do ponto que se convencionar e
a pregos commodos. Essas contratam-se a rua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nAo podetem ir nas diligencias.
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos corn refinaglo
de assucar por grosso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveram collocar o telephone em
neu estabelecimento para maift commodidade nos
pedidos de senus freguezes. Recebem tambem en-
commendas para f6ra desta pra~a, garaitindo
pontualidade, modicidade em preqos e sineeridade
em suns transacg5es. Os proprietarios esperam
mercer a proteceao de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77

Por ?22000
Aluga-se e 2- andar e stdo A rua de Lomas
Valentinas n. 50 : a tratar na rua Pirmeiro de
Marvo n. 7 A, livrana Parisietse.


Lympha vaceinica
Chegada pelo ultimo vapor; vende- se na botica
franceza e drogaria de Rouquayrol freres sucees-
sores de A. Caors, rua da Cruz n. 22. Recife.
Ao public
A abaixo assignado deelara ao respeitavel publi-
co ao se responaabiUisar por qualquer duvida con-
trahidaspelo. Sr. Jose Teixeira da Costa e m u
nome, fazendo o presented para evitar duvidas.
Recife, 8 de janeiro de 1885.
Maria da Conceicio Seixas.
Trastes
A' rua do Imperador n. 16 compra-se, vende-m
luga-se e troeam4e nowvs e usdos.
Aviso
JA chegou'para o unico agent nesta provincia
o acreditado kerozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha A venda no unico deposito A
run do Bom Jesus n. 38, junto ao correio.
Ama de leite
Precisa-se corn toda urgencia de uma ama de
leite para Olinda, casa de familiar conhecida : a
tra*a na rua Duque dc Caxias (Recife) n. 30, 1-
andar, de 9 da manha iAs 3 da tarde.
Balaneeador
J. dos Santos Vieira, corn pratica do balances,
contracts e distratos sociaes, offerece os seus ser.-
vigos aos senhores commerciantes. Chamados A
rua do Rangel n. 3, ou em sun residencia, A run
da Penha n. 7, primeiro andar.

Molestias do estomago e

dos intestinos
As dyspepsias, desordens gastricas, enxaquecas
digestoes difficeis (azias, flatulencias) sao comple-
tamente curadas corn o uso das
SOT ASPHTI-DYPEP1TICA8
preparado puramente vegetal da flora brasileira
vende-se na Botflea Francezade
Rouquayrol Freres
SUCCESSORES DE A. CAORS
22-Rua da Cruz-22. (Recife).

Cosinheiro
No 2. andar do predio n. 35 A rua da Impera-
trinz precisa-se*de um cosinlheiro.

Ao eonimereio
Os abaixo assignados scientificam a quern in-
teressar possa que compraram em 31 do mez
proximo passado ao Sr. Antonio de Paiva Fer-
xeira o seu estabelocimento de calcados site a run
do Livramento n. 1, e que centinuaram no meramo
ramo de negacio sobre a firm de Paiva Oliveira
&C.
Recife, 2 de janeiro de 1885.
A:olpho Ferreira 4e Paiva e Silva.
Manoel Jose da Silva Oliveira.

Cozinheira

Ia pra.aa da Inde-
pendencia n. 38. a 40
se dira qem precisa
de ura mulher forra

ou escrava para co.
minheira de casa de

fpomi~a.____

LINiHA COATS


(woo
P~m ++ma


Inteiro
Meio
Quarto
Enm quantidade
Inteiro
Meio
Quarto
Manoe?


4#"0
2#OOO
24000
1#000
mmator de 100k
3,5500
15750
#875
Martins Fiuza-


A VENTUB OSA

los44:4044W

BILIIETEB O ARKIT(Sm
16-Rua do Cabug-16
Acham-se a venda os venturosos bilhe-
tes garantidos daloteria n. 101 em beneficio
da igreja de Nossa Senhora do Livramen-
to da Varzea que so extrahirA na sexta
feira 17 do corrente.
PRECOS
Inteiro 46000
Meio 24"00
Quarto 1w00
Vendo quantldade superior
a 100:000


Inteir
Meio
Quart


ro 3#5W0
1#750
to 875
Joaquim Pires da Silva.


I
L AS4 F ELI Z

AOS 4:000O00
E

BILHTETES GARAnATIDOS
Praca da Independen-

cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado tern exposto &
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
3a parte em beneficio da igreja de Nossa
Senhora do Livramento 101, que se extra-
hirA sabbado 17 do corrente.
Pregos
Bilhete inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 1#000
Em porVio de ioOOOOO para
elma


Bilhete inteiro
Meio
Quarto
Antonio Augusto dos


3,#500
1#750
#875
,antos Porto.


LANA DO OUIIO
Aos 4:000000

RIIMITII3 R.IHOTIN1O
Rua do Barlo da Victoria n. 46
e casas do costume
O abaixo assignado acaba de vender
em seus felizes bilhetes quatro quartos de
n. 4,471 corn a sorte de 4:000, e diver-
sos premios de 32,000, 165000 e 8#000.
0 mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi-
daie do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
igarantidos da 3.a part das loterias-a be-
neficio da igreija de Nossa Senhora do Li-
vramento da Varzea, (101.a), qpe se ex-
trahirira na sabbado, 17 doetorreate.
PRE-C OS


Inteiro
Meio
Quarto
enm perio
Inteiro
Meio
Quurto


4000
26000
1,000
de t100-O00
elma
3,5500
1#750
#875


para


Joco Joaquim da Costa Leits.


Ao cominmercio
O abaixo assigna lo declare pelo presented que
passou o seu estabelecimento de cal ados sito a
run do Livramento n. 1, que girava sobre sua fir-
ma individual aos seus interessados os quaes adop-
taram a firma de Paiva Oliveira & C., decade 2 do
current e mez.
Declara o mesmo abaixo assignado que flea
page e satisfeito de seu capital e lucros tudo de
accordo.comn o balance. fechado em 31 de dezembro
proximo passado.
Recife, 2 de janeiro de 1885.
Antonio de Paiva Ferreira.


Preeisa- s.do u e op.inbei" :+ u -dAu
Am

Precisa-e d ma cogiheira: na ru a A-
rora ni. 109. ___ __ _____

Preeiaa-fe de urna engcmmaadeima : na run cm
4D1O i.'1L ~.:*,,., ;,- 3<1
'* ~ ~ ~ ~ ~ L 1 11 a W -. -, 0 ii"iii : !*. 1*.;: 1


LWOL PF& C
Uffereeem ao respei.
tavel publieo umn gran-
de e variado sortimen-


dua pritirode MroL5
0 abaixo assignado tendo vendido ioa
seus afdortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 3,067 corn a sorte de 2000O,
4 quartos n. 2,690 comasorte de 200000,
4 quartos n. 3,342 corn a sort de 100000,
4 quartos n. 4,689 corn a sort de -100000,
al&6a de outras sortes de 32, 16# eo 9, da
loteria (t0*), quo so acabou de extrahit,
convida aos pomuidores a virem reeber
na conformidade do costume semo desconto
algum.
Acham-se A venda os ses afortunados
bilhetes garantidos da 3a part das lote-
rias em beneficio da igreja de Nossa Se-
nhora do Livramento da Varzea, (101.a)
que so extrahirA na sabbado, 17 do cor-
rente.
PnEtJOS


Um amigo dos pobres, economic e de
tfacil applicaglo, 40 annos de success es-
pantoso.
Nenhuma familia dove estaraesprovida
deste remedio.
Externamente cura: furunculos pana-
ricios e outros tumores torcedura dos ten-
d5es intumecencias das articula9oes -do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
- queimaduras-golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceras doen9as de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitates.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
,aa do BarBo da Victoriana. r


^ RVSEOS
rascos grandes P os
Pequenos -
Dtzia de frascos grandes
Pequeno


1,S5500
1#500
126006
9,000


Criado
Precisa-se de um criado: na rua da Aurora
numero 109.

Olinda
Aluga-se a casa terrea A rua de S Bento n.
57 : a tratar corn o capitao Marcolino Dias do
Araujo, na run do Born Successo.
Ama
No largo do Corpo Santo n. 19. 2- andar, se
precisa de uma ama para tratar de uma crianna
de um anno e que entenda dc ongommar.
Cal de Lisboa
muito nova e mais barata do que em outra qual-
quer part : na rua Duque de Caxias n. 73. pri-
meire andar.

Ama
Precisa- se de uma para lavar e engommar e um
menino paran ciado na rua da Unibo, sobrado n. 37,
portdo de ferro confront a venda do Sr. Antonio
Duarte.

_VENDAS____
Vende-so um sitio no Barro, que foi do fi-
undo Ignacio Ferreira da Costa, corn casa grande
de moradia, em chaos proprios, corn alguns psA de
fructeiras, perto do rio : a tratar em-Afogados, A
run do Motocolomb6 n. 13.
Vende-se per 2:800A000, quantia em que
estA avaliada, uma part do engenho S. Francis-
co, no term de Serinhiem, distant duns legoas
da estango de Gamelleira : a tratar corn Antonio
Franco da Silveira Lins Fiho, do engenho Santa
Catharina, no term de Porto CalOp.
SVende-se um piano deo eio armario, born
para quem tiver de aprender a tocar, em born es-
tado e por pouco dinheiro ; na officina de pianos
do Sr. Tresse, A rua da Imnperatriz n. 65..
Cal de Lisboa
Em pedra e em p6, vende-se as barricas, run do
Vigario n. 1, trapiche Baltar.

Enmbom ponto
Vende-se umnia taverna no Porto da Madeira,
em frente a estaqao, na esquina da ladeira, pro-
pria para principiante ; o motive se flirA.

Livros para escolas


CASTRO NUNES, compendio elementary
grammatica national, segunda edicAo corrme
e ainutada per Jes6 Martiniano de Souza
v umnoe.
PIt, elements de arithmetica, nova edi
revista e meihorada per Jos6 Martinians
IDEM, resurno da doutrina chri ti, nova edi<
revista oe aopntda par um sacerdote,
JTINE MA ANO, elementos de orthog
phia, tereeira edigao, -evista e melhorada.
IP$ FNTI, G ,ALVAO. o livro dos hbones c
mWPO DO PMILJ hiatomia bi=e, on nars
ripS doolho a lwvo testoint. I
Av~ena- alj-vraria Industrial n. 7, run do
d ietea;u na, iRvrarii Emonwiuca,
41046149-jato o tre( do SoBto


da
>cta
do 1
dao
*de


to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-

tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.
Todos os relogios
vendidos n'esta casa
sao garantidos.

Lyo aii, I W
















0 igVta1 BoPForryNyi
atdor da dor


Bilhar

ASOB3o VON mBIA;=
Rua do Imperador na. 3
Os proprietaries deste bern montado e conhe.
cido estabelecimento, tend recebido directamente
da Europa urn grande sortimento de tacos que ha
de mdlhor neste genero, ternos de bolas de marfim,
de primeira qualidade, jogos de domin6 e outros
artigcs concernentes a este fim, e como tenham
tambem feito uma reform ,erm seus novss bi-
lhares, torrando-os e collocando marcadores nas
tabellas de todos elles; por isso convidam aos
seus freguezes e amigos, A visitarem como de cos-
tume este estabelecimento onde eneontrarlo tam-
bern um complete sortimento de bebidas finas cemo
sejam: vinhos, cervejas, licores, champagne e re-
frescos gelados de dizersas fructas do paiz, e c
magnifico cafe moka a qualquer hora do dia et
da noite
Outrosim, vendem bolas, panos e tacos usade
por medico preso.

Taverna
Vende se a taverna da rna do Rangel n. 29.
Carroca para carneiro
Vende-se uma boa carroca para carneiro, a ver
e tratar na rua do Born Jesus n. 61, agencia de
leiloes.

Pr OSri0 IR SOS
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., A rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como sao lindas!!!
Bonitas e elegantes bonecas, 6 o Pedro Antu-
nes & C. quern tern, torna-se indispensavel entre-
ter o espirito das interessantes criannas, polo que
os proprietaries da Nova Esperanca nao poupam
exforgos; run Duque de Caxias n. 63.
10,000 bolas de borracha
Especialidade para fazer present As criancas,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos seus
freguezes ; Nova Esperanca n. 63, A rua Duque
de Caxias.
Cabellox braneos %6 temn quem
quer
A verdadeira e especial preparaco, vende o
Pedro Antunes & C., pela qaantidade que vende
prova a sun especial qualidade ; na rua Duque de
Caxias n. 63.
Sao bonitas
as luvas de seda abertas, canno alto, que acaba
de receber o Pedro Antunes & C, A rua Duque
de Caxias n. 63.
Para os banhos salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de sapatos especiaes ; rua
Duque de Caxias n. 63.
Sapatoes napolitanos, especiaes, para o tra-
balho do campo, tern o Pedro Antunes & C., e
estA liquidando para fechar factura ; rua Duque
de Caxias n. 63. E' a Nova Esperanga.

Papelaria
Papel e enveloppes de alta phantasia para es-
crever, de cores e branco para quaesquer miste-
res, de impressao de differences formatos, de seda
par& flores e folbas. Tintas de impressao, de es-
crever e copiar, dos melhorcs fabricantes conhe-
cidos. Deposit da afamada TINTA SARDINHA
do Rio de Janeiro. A unica casa aonde se pSde
encontrar um complete soetimento de papel e ob.
jectos de escriptorio A na
Pharmacia homieopalhica
DO
Dr. Sabiuo


Vendas em grosso e a retalho, dt scoateos van-
910 tajosos ; rua do Barao da Victoria n. 43,
Pernambuco.
rma- -

Papel p ado
at- para forrar salas de visit e jantar, quartos, l-
Ba- eovas, eorredores, etc. Grande a vanado sorti-
S mIg ento por pregos extremamente omodios
SEM COMPETutOM
Saeaba de chegar para a
LIAvrarla industrial
A run do Barao da Vitori n 7-.I
V*aYendee um na oarniace de loja 4e muadenss
M quro sve parn outro qulQOwr tsbbeOb
attrM na ruas Dque de n 9, 1. -



12* ,. ^ .11^ : '^


- 1rai lacabar
opines lisas,lde Ii*a. e lavradci.
a* e 4e r ef w.
lines dew o p letaa.
,bada e abertam.
oLghued-6 *mUns
nyo.pars seshera.
Chits. hUm e- do cores.
Fichou do soda e do 11
Cap" de malha de IL
Para cetnlmuar
C wnnhwe e pumhos para senhora e ho em, di.
versnos ftios.
,muas isomr cliuainhos e sem punbos, oem pa-
os e corn ollarinhos e punhos pars homum
desde n. 85 1 45.
Cna"ia pua meninos desde n. 28 A 35; sem col-
larnbho.,d u.,32A 35.
C+mij,, uamiu, penteadores, calqsu, golls e p
nhopaVma senhora.
_raovatas, grande variedade.
Meius cran, brancas, de cores e pretas.
Capehos,tapetes, male, esteiran, bolsa, velludi
Ihoes, brine brancos e de cores, luvas, perfuma
rias etc.. etc.
Papoula & C.
8 Rua do Cabug-19
Em frente a matriz de Santo Antonio
FarinkaLaetea
Nos primeiros mezes a alimentaqo maa
natural e apropriada para alimentar a crian
9a de peito 6 o proprio leite materMo o qua
em case de necessidade deve ser subatiti
do pela
PARINHA LACTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a far)
nha Lactea como poderoso element nu
trictivo para a infancia e distinctos medi
cos do Brasil e da Europa reconhesern
ser A do Dr. FRERICHS a imehor n'est
genero.
Deve-ae pois evitar ;onfiar o filhinhe
uma peseoa estranhi e de comportamenat
nlo conhecido muitas vezes o germen
numerosa mnolestias.
Vende-se a verdadeira farina Lact.
do Dr. Frerichs:
55 RUA DO IMPERADOR 55
EaWIecimento de musical e piano de Vu
torPr&alle


curas 10 10m
Ditos dc panno preto fino, forrados 10A000
Ditos d3 casemira preta de cordao 101; e 12M000
Calgas de casemira corn differentespa-
drSes, de 5AM00, 6,500, 8A e 10400C
Ditas de casemra preta sedan a 8 e 1o0m0G
Ditas de casemira de cordAo 6,50M
Ditas de casemira preta 64C
Seronlas de creguella, obra muito bew
feita a 1,5200 e 11960
Ditas de Hamburgo de linho a 10800 2M000
Colletinhos parm dentro, send de ere
guella e muito bern feitos a 800 e 1A000
,amisms. grande sortimento de camiaas
braneas, tanto trancezas como inglezas,
tanto de linho como de algod, sendo
de 25, 2A500, 39 ate 6000
Ditas de cretone de cor de 2%, 2,500 e 30e 0
%iaa ande sortimento de meias cruas
parao0omens, de6-20 rs. o par, ate 500
Collarinhos, grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 54 a duzia atW 8;000
Toalhas, grande sertimento de toalhas,
tanto para rosto como parm banho, que
se vendem por pregos muito razoaveis.
Tudo isto e eom grande redu.o de preos : D
loja da esquina do been dos Ferreiros.
Novas setinetas lavrada a 00
Chegou para a loja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz um grande sortimento dac
a iflindas setinetas lavradas, tend de todas as
c res mais novas que tern vindo ao mercade, inclu-
sivamente pretas, send a fazenda mais bonita que
tern vindo para a festa, e vende-se a 500 rs. 0o Co-
vadc, isto na loja da esquina do becce dow Ferrem-
ros.
Cazeimirak Inglzas a 2$500 e

Na loja dos Barateiros da Boa Vista, vende-se
um elegance sortimento de cazemiras de duas lar-
guras, send inglezas e corn bonitas cores que se
vendem a 2M500 e 2W800 o covado, send muito
proprias para costumes, e das mesmas tambem se
mandamr fazor costumes muito bern feito de oala
palitot e college per 30$ e 35A, e grand& 'eeineha
na loja da rua da Imperatriz n. 40 a eiuina do
becco los Ferreiros.
Fosles a 400, 506 e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, A rua da Impera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus.
toes brancos, proprios para vestidos e roupas d4
creangas polos precoa acima indicados ; isto na en-
quina do beceo dos Ferreiros.
LAsinhas para vestidos
Alheiro & Silva, A rua da. Imperata n. 40 aca-
barn de receber um grande soitimento das mai
bonitas lansinhas para vestidos, send alpaca
de cordao cecm lindas cores a 500 rs. o covado
gurguroes lavrados tendo de todas as cores a 5
rs. e ditos muito finos corn brilho de soda a 800 r.
todas estas lainhas seo inteiramente mnocternas, e
vende-se na loja da run da Imiperatriz n. 40 a es-
quina do becco dos Ferreirncm.


Engenho
Vende-se o engenho Maurity, antigo Gallo, na
comarca de Palimares, prompto de um tudo pars
safrejar 4,COO paes :- os pretendeutes pWdePm ir
vel-o e admirar a fertilidade do, seu tiep. Aps
mesmes sc dir a & razao perque se ve do ep tieta-
se comn L. 6 f dsBilvaMlnto, no Bee, onno
mesmo engenho COrm J. Matheus Fcrreira.


Vinho puro d& 4ya, aino dawFigu .veondeo
|iB&rua da -Occordift lu 10%5A 'ft~hS 'I"B-


1

J


Cimento portland e potassa nova
Vende.-in Orestes Travassos & C., em seu escrip-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.

Alloiwo
Vxendo-se per preco muito razoavel uma caea
terrea corn alguns commodos A rua d- Lomas Va-
lentinas n. 90. Tambem se vende umna part do
angenho Jussara da freguezia de Jaboatio, e a
menos de uma legoa da estrada de ferro de Ca-
nuarufi : quern pretender, dirija-se A rua da Au-
rora n. 85.


sa7




Madapolb o muito largo comw0varana4I e a5000
Dito, famonda muito enorpad quo pa-
rseoe eretone, com 20 varas a 5,500,
6W000e 60500
Dito franef, americano, faxenda muito
fin. eencorpada de 7 at6 12,000
AlgodAo omfotade cown 0palmos dolts-
guM pia tmhumle onede o 06 pan-
no,n metro a
Dito trancado eom a iesma litgft5a
pWrmPo pars len6eso etoalhat do
mean, metro a 1,590
Bnmiate de algoIRdo om 10 palno do
largura,- proprio para fzer lpalm" do
S aurn sopanno, metro U28I
Dito franees, sendo de linho, metro a
180e0 2,000
Dit. .lez de quatro largura., aedo
de inhio, metro a 2500 e 25800
,reguellas proprias pars lenses, toa-
nas, eeroulas, send fenda munite
eneorpada, oada peg corn 20 varn
por 10AO5 0 e em vara a 500
Ditas corn a mesa media a 800 re., ou
yarm a 400
Atoaihado adamaseado para toallh de
mesa, tend 8 paIlmos de largurs, me-
tro a 1o800
Assuim como um eopnpleto sortimento de
peg de algedlozinho americano e
inglez, que se vende per pega de 319 at6 65000
lt ua loja d&a esquina do beceo doe Ferreiro.
Casemiras de cores
De 0:00 ate t.-O re,

Alheiro & Silva A rua da. Imperatri n. 40, tern
um immense sortimento de caemira de cores,
tanto claras como eseuras, que vendem a 2000,
2,;500, atW 6; o covado, e das mesmas mandam
fazer qualquer pa.- d'obra ou costumes, por pro-
m0 muito raoaveis, assim como tomrn tambe um
explendido sortimento de casemirans e pannos W
tos ate ao mais fino sedan que vem ao mernacdde
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa A vontare do fre-
guez e corn toda a perfeigo e presteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na exquina de
becco dos Ferreiros.
Li sfaos 160 i
Os Barateiros da Boa-Vista vendem muite bo-
nitos linhos de uma s6 cor e de listrinhas a
vestidos, send a 160 reis o covado e de cores a,
isto na rua da Imnperatriz n. 40, esquina do bee.
dos Ferreiros.
Espartilhos
a 4Q, e 15#0
Na loja da runa da Imperatriz n. u venae-at
muitos bons espartilos paia senheras a 5,O500,
santos para menmas a 4-000, asaim come nm he
dito sortimento de fichis a 3,5000 ; isto na loja da
qeiuina do becco dos Ferreiros.
Para festa
Veade se

Roupas para homnens
POR
Preo os baratissimor
Rua da Imperatriz n. 40
LOJA DOS BARATEIRROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 6,000
Ditos de panne preto fino, fazenda muito
hen 7,5OOV
Ditos de easemira de quadrinhis e listri-
nhas, forrados 8O00i
Dites de casemira escura, de cordao, for-
rados 8,500(
Ditos de flanella azul, forrados, sendo fa-
zen ia que nao desbota 10,000
Ditos de casemiras de cores claras e es-




*y 4- ,
-' I,


IlS


Iedidas preveriivc

RSMINIS1INCIA -DO CHOLERA EM PERNAMBUCO
NO ANNO DE 1i855 A 1856

Infanduim, egina, ijutbes renorare dolorc min

(Gontintagao do n. 10.)
Portauto, em 9 dias aqui estao seis cuso- de chole-
ra, vistos pela primeira vez, em Pernambuco, dados na
mesma fregueozia, comegando nos dous individuos, Her-
men4egildo e Josg Maria, quo estiveram em contaoto corn
chelericos em Jaboatio. A procedencia, os nomes, as
idades, a naturalidade. a profissao, as moradias, as cer-
tidoes de obitso attestam a veracidade destes factors, os
quakes se deram na minha patria, no lugar da minha rc-
sidenciA, send o u medico, cllnico interossado do tomar
conhecimento exact desta question; foram elles tanbemn
vistos por varies ,profissionaes, aqui residents.
Reparando se ainda em todos eases pontos invadidos
pelo cholera f4ra das capitals, v&-se quo sio eoh-s pe-
quenos, povoadoe, separados uns dos outros par grande
numero de leguas, onde os seous habitantes, como quo
cnstituem unia s6 familiar, do qual nenhum individuo sai on
entra, adoece ou more sem quo todos tnhami poleno co-
nheeimento do facto, circumstancia esta quo facility maito
verificar n'elles, rino s6 os individuos doentes, como a pro-
cedencia dos affoctados, suas consequoncias, o dia do
aceaommettimento morbidd, o dia do seu fallecimento, que
foi tudo observado corn o maior cuidado possivel.
Em vista de tado isto, como pois, posso eun duvidar
do meu proprio toatemunho, testemunho de visit, de tacintu
et de profisiona ?
At6 enta'o aiopini-o reinante aqui centre os medicos -
era -anti-contagionista; eu perteneia a ella : depots de
takes factors e do outros muitos, me fiz contagionista con-
victo, por-factos-que se passaram, nao na Russia, nao
na India, nio na.China, mas sim no interior desta pro-
vincia, sobre tudo na sun capital Pernambuco.
Aqui como ali a molestia se trausmittio sempre do
um A outro individuo, do doente ao sato corn os mesmos
caracteres, corn a mesma letalidade, ella 6 logo contagio-
sa e nos accommnettidos so. encontrou sempre umrn fio queo
couduzia certo ao ponto de sua partida pars desenvoivi-
mento posterior da epideinia. Estes pontos de partida
obscures a grand e distancia, a media que se tornavam
mais pertos, mais olaros e mais visiveis se tornavam ;
nao foi no Delta do ranges que se passaram elles, lugar
que nao conhocemos, nio foi na Russia, ou China, mas
sim no Para, na Bahia, em Sergipe, Alagoas e Pernam-
buco.
Os medicos que os assistiram na.o foranm Misffetw,
Kerinchoffec, A. Crunelle, etc. etc., foramin sim em gran-
de part- os quo reoidiam aqui nesta capital, onde eram
clinics, o part dos quaes ainda existed, os Drs. Sou-
za, Cactano, Pitanga, Moscoso, Moraies, Sa Pereira, Me-
deiros o outros.
Todas as vezos quo um i pessoa sadia toea ou se
approxiina de outra poesoa doento, e n'aquella se ropete
o mesmo nmal corn todos -os sens caraeteres, diz-se qus
essa niolestia 6 contagiosa : e que outra razeso so nao esta
se pode dar para a repetig.io desta epidemia, passada do
mao em1 mao, se n-o o contagio?
Attribuil-a, pois, a infracgees do regimens, a per-
Aturbhar-4es limatericas, ou -4tluricas, a faltas de hygiene


LITTERATURA __

0 PAIO EM Pt
POR
EfrU, E IO CIIAVETTE

PRIMEIRA PARTE
0 VI'lA-TRIPAS
(Cont in (ltac o)
IX
E' o 1apazer do encontrar um antigo
conhecirnmento, dissoe o Vira- Tripacs.
Ao mcsino tempo iiostrava corn o dado
a Vasseur, unia enormine panclla do barro,
Ke, mineio quebrmtda pnla b.la, deixava sa-
bkr do seu bojo. cutreaberto, uLm jorrode
de Paizes de ouro.
... -. Era alli queo ea sun vida Doublet en-
cerr&va os seus cscudos. E' a panella da
salmouwra de que lihe disse quo o pai dc
Gervasia tinlia cseouddo na casa de Mc-
gin, debixo do una barrica do aveia,

OLH.IIT .IEI



AMOR iATERNO


,tI


POR


* .t

STEM?^ TTUMA NEM7/ CUTTTBAA

I

Era no tempo da cega do restolho e da
theita das magss ; e xcpois qae as pri-
-i"iI J 11


f -i ',


d a~g1muou 'm+m-."

; daaa s s CA 4a terra '_, .e a
humidade do r, & correntes 4d$O veno ou S, pro
cedencia. Tambem as ha devidaa ecura- d&a trrb-
neea, dos alagadqs, as enchentes e vasantes dos rios, ao
desbastamento das mattas etc. etc., rmas nestes casos as
molestiaa deavidas a estas altora5oes reainam o so repetem
em qnuirito refinam ou me renovam takes mudangas, e des-
appareoomin quando takes alterag5es jA nio existem; o
rlmuwatismo, os defluxos, -s fobres interaittentes on per-
niciosas, -as .diarrheas, as ophtalmnias, catarraes, etc. etc. ;
cstao niste caso. Outro poremn 6 o crater dau moles-
tiasncoftagiosas, polo qual so distinguem ellas bern das mo-
lestias devidas a constituigao medical, a a patloga gerat
nao tardara em lan9ar mao desto earnacter para as suas
claswficagaeg.
As nrdolestias sasonarias se repetem tantas vezes quan-
tas slo.as mudangas dAs estaq5es, e o amesmo individuo
as eyperimienta nos s6 por urma vez, come por muitas :
vde coinoe so repotem as febres intermittentes, as bronchi-
tes, os rheumatismos, os resfriamentos (constipaqoes), as
dyarrh'i6as devidas a fructose novos, etc., etc.
Nas .molestias dovidas ao contagion, euija cauasad ou-
tra, nto so observa mais eate character de podorem accoomn-
metter minuitas vezes ao mesmo individuo ; ellas o inva-
demr uma s6o vez e Iho dao o poder do preserva3o aou im-
munidade pars novas invasaos; vede a bexiga, a vaccina,
o saraminpilo, a escarlatina, a febre amarella, a coquelau-
che, emfimrn, o cholera; todas estas molestias s.o conta-
giosas.; folizes os quo escapare.n a infecqlto d'ellae, por-
que estara livres, ao monos por uni certo numero do
annos.
S6 per esta lei de pathologia geral o cholera dove en-
trar no numrnero das molestias contagiosas, e sua implanta-
9ao de individuo a individuo, A priori jA demonstrada, tam-
bern o 6 A posteriori, pelos factos de indemnidade que so
observam em todos quo a soffreram.
Alguns medicos e muitas outras pessoas, alias betn
instruidas, dizem : o cholera nao 6 contagiosQ, porquo
grande naimeixao de pessoas estiveram em contact coin cho-
lericos (medicos, enfermeiros, ajudantes, etc,) e naoe foram
affectados ; so diz mais : -qtie so tern mesinmo engolido as
materials vomitadas por cholericos e outras, srem quo (di-
zem iel!esa) isto desse lugar a infecgao.
Tudo isto C verdade, mas serve somente pars pro-
var que ha pessoas refractarias a influencia d'esta causa es-
pecifi3a, comno as ha para todas as outras molestias infec-
ciosas o contagiosas, e um so exomplo basta pars proval-o.
A vaccina 5 contagiosa; pois bern, em uia mes-
ma croanga, tome-so a mesma pustula vaccinica, e corn a
mesmna lanceta, o medico, no mesmao dia e hora vaccine 50
creangas; e vera que 5, 6, 8 ou 40 dos vaccinados nao
receberam a influencia especifica da vaccina; estos -so os
refractai'ios: mas este numero do refractarios do modo
algum p6de provar que a vaccine nao 6 contagiosa, o que
-6 provado pelos que manifestaram o contagio.
0 cholera 6 portanto urna molestia contagiosa ; seus
effeitos, send tao .fataes, dove-se contra eldie empregar
.todas as medidas pars destruil-3 onde quer que elle appa-
rega, e por todos as meios ao nosso alcance, benm cnmo s
estraga pelas raizes troncos e galhos urnsma plants dam-
ninha.
D'esta demonstragao nasce a primeira lei de preven-
.Vbo para as quarentenas.
Dr. Sd Pereira.
(Continuaa)


.o. ...I.mac nsi....... car o gesto fiova do qua defended suIn feli-
zoens. uma erta noite o vi despejar lui- ver mais tarde essa esperanga realisada. cidade, sun 'vida.
zes. T oPr agora, as cireumstancias an so pnres- ... Sous seios baiam-, coie violencia o
Thesouro que o Porc- Montez, pre- tavam a isso.
venido por Doub'et, tinlha de .trazer quan Sahindo a Salina paria ir apodcrar-so da centi-rou de n r fog-. o n b ue
do fosse buscar Gervasia ald,;ia do Me- canua do Pal em T p, o Bello Francisco Quiz eb aquas. agrima prciosa
gin, aeresoentoiu Vasser. r deixar AlA a amogs e othesouro qite canLavo do Mata, e laoucs, delirante, colheu cait
E que mais cubia fez aso Francisco ir i buscar logo que estivesse aenhor da cr- ambas as uAos aeahbeada rapariga ojun
esta manh1 quando roubou a sobrinha ao r- a" na-sass bios acoa crnana a seun
SPoo'co Moatez, continuou Bertaeb.p tou A snas labios os setts, en tanta stile c
P B .0 Orapto de Gervasia, effectuado mquan- tanta febre de beber o s, .quo ha bal.ncan-
E pndo- a abaar a cabea to o gig-ate, depois do seu mergulhio, es- do-se e deitando ella parn traz vecendo-lhes
containL tava abmida debaixo d'mmig-a, exeentara-sa i u mv
Sebe o Bello Francisco pe:feoe cn e -v ta bu npt n 'a n ex eutara-se o corpo,-_que nad:, ltu-ns q,,e um ftormavain
c B Francisco pertie 0 fljb "bruseanonto, quo quando ells veio aci- entire s dos --os an.ant*s desappaneceram
trar na posse dos scus luizes eatamos Ion- ampata tamar i-spiraco tinha, vista l vasa cu.. PP ido
ge do -as verminos livrs da'aqueUe grande seur e os alrecipitaremn-se pars Salina. au .. a id 'c n c
p'tife. Como o c'S_ f i ,- souvio o ruid,o eros corpos ao chocar
t Coa a ceors a;-a uas"aga; rut'ido u toresoou coin nfii-
Julganudo ter todo o fundamento a obser- cado pe i gonte, o Bello Francisco- ti- tit noIs soni d'q ol altl
.. .." r .. '-'-- I .. -"I tttristezat no silencio d'aqtell.a malfadada
vagao dce Vasseur, o ,mra-Tr-ipa olhnou oln a o do acreditar qnc a mogiaa i b ilh ar. 'a .csp d l em
para ctll, pc rg int.ando: tiUda a I, .
Posso offerecer-ih uit mia bal t ogti s a memo da escurnido as gotas d'agua que t-
N.- "spoodreer iae Vs- buiro dido. qtuoesse morido f jerida p- nham saltado ao sentir'se feridas, e arras-
o1 odus, aet Vt~u a bala- rdd
-" 7:'.rpond.u"se. ca'ent.. c: a -t:, ,que penetrou pela janel- tados pela corrnnto f-nram af istrndo-so os
quero qoe ,iqulsi homcm tenha a cabesa 'i. tudo qtuanto desejava o Belo Fran amantos do lugar da quada mnreada pela
cortada q isc" aet rn phosfore.eencia quo .as oaudts prd zian neo
Era -ioil de dizer que se queria que o A morte dle Gervasia ra finalnente tum chocar uiams corn ontras.
chief do. i-nce&diarios tivesse a cabeca uaeao do so vinegar do Porco Montez, pr .. .. .. ..
cortad: mais era precise achar-'se pela quem elle, confiando na suan fora, foi agar- Na nmanhi:seguiinte, uns poseiaores en-
meno,.. em um-a situagaio que peramitti.se radio corn tauta faciliii",e atirado pa- 0ontraranm no ou.o de una rochi a que so-
Estavt.am divididos em dous ou trees gru-- Oh (! mtou Deus! quo tens, coitadi- 0 rest_ ara gn. f: s fe*s indicavaim
Pos. nha? faidigi., os cantos r3'-ilos dos labios, so-
Emtquanto Gs ho!nwiis .snbiam nas ma- K a Evlha, que ja tinha com:.dou a bretudo, indicavam uina tristeza secret, ;
ceciras, sacudiam riroiosawonte os ramos apanhar as magais, coracu ra a na. a mas do rst rn salutes e as on-
e fazia'n cahir no chiAno ura chuva do fru- Est:j, visivelmente; fiazia'm in osforoim-n tes amar axllaaios.s
tas madurs, de cheiro suave e penetrante, meunso paran roeeupprar a a sua presence de Quando, ha pouco, lla eahio, largando
as mnlher.es cm baixo apanltavam as ma- espinito. a cecto do ne, ags a da.da h u gemid,, toda
(ias; empil)liavam-as.-cm cestos, qun despe.I As sits mznos estavaun fechadas. a su physionomia reflect> urn expressa)
javam em saccos iimmensos.que estavatano As ua-has rasgavam a palma, quo *in- do incrivel soff-imento.
nmeit do campo c que os trabalhadoros trans .grava.I A cua front esta-a suano. nio devido
porva p.ra os car-os. Os labios estavam sangrentos, feridosp- ao cans-ea do truballio, mans um suor do
0 trabalho nao era pesado, emquanto se losdentinhos broncos, agudos, que se viam angustia.
tratava's6 de apanhar magas. atravez do sorriso forgado, cheio deo lagri- Duraute um segundo, Albina paroceu
Mas, muitas vezes as mulheres ficavami mas, corn quo ella acolheu a exelamagto aterrada.
long dos saccos, long dos cars, e o ces- de Tiennetti.- Entretanto, levantou-se, toinou de novo
to cheios cansava os bravos do Tiennotta e E murmurou : o cesto e, serow duvida, restabeloeida, conti-
de Albin Miranda.- NIoa 6 nada, torci o pC... doeu-me nuou o soeu ca.minho.
Ella 6 moga, devia ser forte! dizia na oecasiao, como se rie cortassemin a per- Tiennetta, caminhando lhava-a de sos-
Tiennetta entire dentes.. eu na sua idade na. Tive umrn medo !.. iI a, c amrn mhar pnotante maliciaso
fazia muito inais... as mogas de hoje nio LA, no meio do campo, os camponezes laso caponezas vu olharps, quo apen astrant e mal
tern sang-e nas veins! nas arvores continuavam a cacudir os ga- ponto luminoso no fund do mni ugas.
Caans a is mn cia d c p v am e m pontu lum moso no fundo de m il r dias.
lhos e as mfais cahindo crepitavam 6mo r e d n a ds
COMO fitflava.a ato, Albino ouvio a. -qI.- ep.- E' Dr!ir:.. descansar, n-niena, diass


marews geaoas de outubro aruare(leceram e o
encresparam as folhas, depois que o azatl ~ verdade, tia Tiennetta, n'o me
do c6o ficou mais p:dlido, depoii quo a siuto tforte hoje, deixo-lhe tod o opeso.
% niz, temendo o frio, abandonou a u- Creia que nAo 6 por preguia. NAio sei o
as raparigas da herdadc de Trem- que slnto.- nl0 tenho mais ncm bnos,
:* nbo tinham maos a medir, nem pci-tns..- N-ao so zanguo muit- por
; t herdade das Faias, arrcndada por Bil- isso, ilinhna tLa.-
f 'ret-e isso de pai a filho e havia tanto .Lt-rAs tu -doente, pequena? E'pro
tempo que jA ninguemn se lembrava dos CIS quit- dcocanses ...
terdadeiros proprietarios dependia das Nle a s o toliees. Ah sc a gernte i-
S terras do Lbsguilly. zosso can .
A herdado ec o castello faziam part da Elias, u'esse moment, atravessavam o
villa deRoeey, no Chatellonnez, A margerm campo, segmurando cada ura n'uma das
doOuarce. azas do urn cesto de Trutas.
S E' urn paiz pittoresceo e coberto de ma- Estava pesado e as duas mnulher.s cami-
'00- cor paisagens imprevistas, bosques nhavamn de vagar, do costs cuarvas c per-
tbiow de brenhas, cortados do repents por naIs dur.:s, os 'p&e enturravao-se a cada
Sft clareiras, nas quaes estio agrupa pass profundamento na terra solta, onde
a S4 aimn brancas cobertas de ardozias havia pouo tinha-se cortado aveia, e ,de-
-:.... 'el daw villas borgonhezas. Ipois tinh. silo molhda -por urm parn.id.
S. a te-se quo o paiz solvagem do Maorvan de chava.-
-SM lonB ge, porque alli ha algumra cou- I Da repented Albin i largou a aza que se-
~a d" ,& naturezma aspera, da sua, vegetau gurava.
r rolaus.. 4da sua rudeza. taaTi-nnetta, admirada, fez oatro tanto.
d erdade tinamnocho
a h"hmat s d t-r As avZ p taaram no clta.
W !1 P1ra" a eoheita das ma- E a v-fha,' fingindo-so zangada ser o

j. wie e tluham levado orm-P -- Pens.,8a, qn nbao tomes bastanto tra-
poi prtlhdihas-jbalbo ,
t:ras I gracj-ir, mars parou.
e* elhAe, a A- i P t,,,U M gemido, e, pallida eomr.n
7 i e Irap-, ,phi.


:*, -t.. it._ .,. t .-. .- ,


* li r ,l Via. ,
Ent)o gritou urn dos homensr gra-
cejando, nao estejam ahi a brincar em-
quanto n6s trabalhamos.
0' cousa ruim, disse Tiennetta, n6s
nio tames aita bravos; vA sacudindo st
pro que n's apanharemos !
Albina Miranda tinha dezoito annos.
Era uina rooi a bonita, alta e cheia dd cor-
po, olegante com a sua roupa de camp.e -e
za, tinlia oas pequcnas, pis arqueadaq e
a gene adivinhava quo eram plqueno8p o
sous g-andes sapatos de Aeola grossn.- A
sua t,,z era quieimada, cmom a de todas as
raparig.t a do campo, e isso dava-lho ae
sei quo, languidez aos olhos azues ; Li -.
feig 'as reguliares, meigas e exprosesi
Masass d6 cabellos louros estavain oni
das dentro do urna rode que cthta lhe
hunmbros, cobertos apenas pela susa e-au
do linho emri. Umo chap6o do palha sem .
feits, sero fit;is oa sea flres, aombrenvabm
a froato:
Bastava, se m duvida, um olhar pari "E
nh.cer quae essay moa oastava doeBate.
Mas, d6 que soffria oella ? "
Em todo o caw, s* eaPtava doente i ^
wabi, dianinnlava, ,
lestia.... --"


S-- -"... 1 .-.-_, -. .
ella, e toma o meu conselho, vai podir ao
ti) Billoret licenaga p'ran nio asabares o teu
dia, v tu...
Ambiin. empertigou-se
-- Pois naol Eu hi tenho tempo para
adouccr?!
-. E1nfim, minha b.'la, como quize-


r ; !
r-I
Voltaran as ruaciciras e o trabalho con-
tinuou.
Tudo era silencio em torn dos triballia-
dores.
0 campo parecia estar em repouso, apre-
sentln-lo aos quo viviam d'elle o seu seio
potente, eternamento fecundo. A calena
-o inveruojA c bhegava pars a terra corn a
.peran.ga de forgas renovadas o do vida
pbr vir. M:s n'1s-; moment do outono
estava elle mtpl, nife d'essa alegria qe.
a3 beneficios produzam. TinO- dado as
suns flores, as unas folhas verdcs embalsa.
madas de frecuras, o canto das snus aves,
xasna seisa a tudo 4uo existed: tinha dado
aasum a ,eafao. a.,iudas, os sous primeirps


t o.
S 55c4'^,
4tt1>
&limju


eiros tratos; apraW,;
rdanv a'a staS m.jTj


Um eirvulo el40
waste tacrsava-iui~
re' a ,8 H 1'
.- *\i '^1-


d. pa-
.re -tl l : do *' .'- ... t:i.':"7;'



Viton a jhislla parm etlekt-so do Afim
quo tisham lvado os asalhautea.
A praga est& deserts! gritou elle:
per onde passariam aquelle damnados !
Evaporaram-se, diase Fieoet, que da
outra janella estava .A espreita.
Corn effeito, no so tia uan union lncen.
diario. A nio serem os cadavores eatenulidos
,na terra, poder-se-hita ereditar qne nro so
havia passado 6ousa algmasa.
Mas aquella soli-itutde a aquelle silencio
erain ainda mais do temer. 0 inimigo nao
podia ter renunciado A lucta.
N'osto moment doevia preparar alram
novo ataque. .
Prepararamin nos alguma vinganca vii,
disso Bernab.
Esperemnos, responded o tenente.
Emquanto quae Lunbsrt a Fichet, cads
urm na sua janella, nao perdiam (to vista
a praga, Vasseur e o magricela sentarau-
n'um monte de destrogos.


VARIEI AIDES

Um amor ilnfellz.
Continuanao
Simto -disso, tocando-lhe suavemente
no hombro I
Maria responded Simito estremecen-
do. Bern me dizia o coragio quo tinhas
do vir. Obrigado, obrigado.
A estreitou entire seas bragos, assentou
sobre sea joolhos,, e ella abragada aocolla
de sea amante, desaton a chorair, ape rta-o
do-se mais e mais contra seu peito, a me-
dida que soatia cagir sobre asua front as
cadentes lagrimas do Simro
Passou again tempo antes do que a dor
.a deixasse tallar.
T.inha jurado nao vir -disse Maria.
-Por6m naio tive coragem para cumprir o
juramento. Qaeria ver-toe antes quo fos-
ses o marido de Joanna.
N'aofalles esta noitoe de Joanna. Sou
mogo todavia, e nio quero que me amargue
a liberdade a'id&t de ao amanhecer me
espers o calabouVo. Fallaremos do n6s
metsio.
E si nio podemos fallar!... To diria
eu tantas cousas... Por6m quando penso
uma dellas e quero dizel-a si mTe forma utn
n6 na garganta e desato a chorar e...
E Maria desatou A chorar pela segunda
vez e toraoun a osconder sua front no pei-
to do Simi'a, que a apertou entire seas
bra9os came &i quezera afogal-a nelleos.
Mais que amorr sentia em sua almna de-
sespera93o, e aportava contra sea cora9gio
aquella rapariga, cuja dor tornava inaior a
sua, nao comn a .ternura.do atnante, snuao


ilces e placidos A nao ter o corago t0o
perturbado coma o do Jaonna, cuja dor,
em vez do sentir-se alliviada stc irritava
ailtt o clOce repauso cm:n que o mar, terra e
eo jaziarn.


de florestas qtue cingiau a villa, o castello
e a herlaIc.
A vihl:h, pcrdida em um valle, nAo se
avistava do campo do maciciras.
Alivinhava-se quo alli estava, vendo se
a p3nta ag-uda da tort- da igreju que ar-
guaa-se como um nmastro do nfivio despro-
vido de vergas.
A hordade ficava escondida. emn unia
inoita de fales, do folhas constantemente
ag;t:,ldas quo Ihe valeramn o nome.
0 castello 6 quoe era sobretudo visivel
d'alli.
Era uma especie de castello gothic,
flanqueado de quatro torres coroadas do um
zimborio. Essa morada principesca era
habitada pela familiar Lesguilly ou antes
polo Marquez Gaspar- de Lesguilly, unico
representante da familiar, mogo de uns trin-
ta annos, que vivia ara na Borgonha ora
em Pariz, arrastando aqui o alli a sua vi-
da ete vadio, neon aminado. nemr detestado na
terra.
As relh0es de Gaspar co:n os seus ren-
deiros, eniquanto estes pagavam pontual-
mente, eram cordiaes.
Ningunem tinha naila quo exprobrar-lhe.
E' vr.lade que elle naio fazia em torno
,ile i o bern quo podia fazor corn a sua
grand fortmuna, mais, em summa, niao era
nuito cruel parea corn os pobres e os seuns
guards muitas vezes desviavam do cami-
nho, quando viun apparecer algum pobre
uiabo coin urna carga de lenha verde As
cJstats.
Era inflexivel unicanmente corn os qua
eagavam semi licenga.
Esso Lesguilly, rapaz amavel, diziamn os
seu3.iguaes, era b)m companheiro, scepti-
co, feliz coin as mnulheres; cedo estragado
)pela ftcilidade do gozos que di.o um Dome
nobreo e urnai bells posiglb.), n io tinha mais
imor Ais mulheres do que aos seus cavallos
i sua matilha.
0 bran-lo sol de outubro illuminava a
)aysagem at6 os pontos masle recondi os.
E muitas vezes Albina Miranda, dis
rahida, sem disso dar fO, .parvas de traba
bar edo bragos pendentes, negiOndo, sem
tid alguma, preoccpaglao myateriosa,
bi~-so a olharn bbsAjuadmente para o
.o ap Mb w pa lado do
.- .- .-"


<

(

(
l



it


0 ` 1; m

Joanna ficon final do tudo sere Jnoiva.
Simao tinha eurado no hospital suas feri-
das; por6r levava no ewagao aborta uina
dessas feridas para as qes nao tern balsa-
mo a sciencia. No lbe occorreu, io roco-
brar o sentido, ponsar em que devia casar-
se Joanna, porquo nero e quor a lembran-
ca de suni nlodontoeaeo lio sun memorih.
Nao tinha no mente outro pensamente que
nfo fosse o de Maria, nero cabiain cn saou
cora.o enoutros sontimento que o doioro
sissi;uo do su.- morte.
E e-xtcndido sobre a areia, revo'lv-e.ido
corn as olhos as espuinas das ondas para
ver si ellas Iho traziam o corpo do sua amia-
da, ou de pe no pico de uina rocha recor-
rendo corn olhareos anholantes a immensa
extenigo do mar,. dcsado horiiont;. A praia,
em buses do pomto escuro quo era o pe-
sadio tIde sun ala=, passavain os dias e
as noutes para SimMo,-o louco da praia,
comnio jA o chamavam no porto.
As vezes distinguia entire as espumas
das aguas a cor escura de um lenho ar
rancado, quemn sabo donde I pelas ondas
e corria a arrobatal-o ao mar, crondo que
a aqueHlla a presa cotiada. Infeliz! Ao
conhecer o ongano, arrojava o lenho Ion-
go do si coin raiva, e corn as roupas es-
correndo agua voltava a extender-so na
immensidade da mar.
A tudo isto Joanna, a olvidada Joanna,
sentia ardor etn seu peito mais ferozes quo
nunca os ciumes.
As murmuraVi-es do povo, as chacotas
qne ouvia A proprosito da boda frustrada e
do amor que demonstrava sentir por ella
o quo esteve a ponto do ser sou marido,
tudo isto, corn ser ella altaneira e do co-
ra:go soberbot, a minortificava menos que o
ospectaculo d'aquella d(0r do louco da praia.
JA sabia ella quo Simmo amava a Maria
porein tanto, tanto...
A tebro do ciumeo a devorava e A sua
monte acudiam idWas sinistras.
Tambemn ella, escondida no ouco de um
penhasco, percorria corn os olhos a super-
ficie do mar em procura do qac Simmao bus-
cava. Este quoria boijar o cadaver de sua
aminada, ella... talvez se houvesse atrovi-
do A profanar a santidade da mortr e a
desatogar n'ella seo odio.
Passavain os dias, dontinuava Simao cs-
perando na praia e volvendo-se louca de.
despaito Joanna.
Quando ella via A elle,-eoterno vigia,
sempre alert, semnpre cotn os olhos fixos
no mar, sontia tenta9ges deo langar-so na
aguai do alto do uma rocha e more corn a
csperanga de que sen cadaver, levado A
praia polas ondas iria A parar nos bracos
de Sim.o, quo creria n- primeiro mnomen-
ta) estreitar n'elles o cadaver de Maria...
Esto pensamnento insensato acudia a sun
ments corn sinistra persistencia A inedida
que iam passando os dinas.
Uina noito em qu-, como de ordinario,
fhigit (I suins palp ;bras o siomno, e ardia
sun front, sentinlo p'ullular dentro de si
mil id&.s oxtrauhas; caftou do leito, yes-
tii uma saia e deitou n4A9e homnbres uan
,halo e (levatgar e mnuit devagar, pars naio
acordar A sou pul, abrio a ports da rua e
ca'ninhou cm diro'v?,o A praia.
Quo foranosa noite 0 mar nao deixa-
vyi ouvir o mais ligeiro murmurio e em
sun suporlicte sem a mais ligeira rugs se
ret'atava corn perfeicgib geometrica o cir-
cldo da lua, cscia. Os chaos dos pwnhas-
cos tingidos pela lua, do umna vaga cor azu-
lada, se destacavam perfeitamente debuxa-
dos no tundo escuro do c63. Tudo respi-
rava paz, tude soeogo, e A monte de qual-
quer qua tivesse gosado d'aquella esplen-
dorosa noito teriarn acodido p)nsamentos


tir os vagidos do mar, pensaado que de-
baixo das revoltas ondas dormem, urn nos
brmgos do outro, Simano e Maria
JOAQUIM MAZAS.


Ou esperavad'alli alguma cousa?
E, de reponte, a u:a palavra do Tien-
netta, a Iuma palavra dos camponezes, ella
estreminccia, como bruscamento despertada,
o continuva a trabalhar, curvada, dissimu-
lando assim a febre que dava uran cor vi-
va As suns faces e brillio anos seus ofhos
azucs.
A manhui passou sem outro incident.
Pelo meio dia, quando os saccos esta-
vai nos carrots, voltaram para a hcrdade,
onde o almoi o os esperava.
A estrada costeava por um moment o
parque do castello, fechado nao por um
muro, mas por ruma simples cerca de espi-
nhos.
Ao passar por ahi, ouvio-so e um rnuido
por entire a ramagem e no moment em
que o carro mnuito carregado, seguia acom-
panhado dos camponezes, appareceu urn
cavalheiro do outro lad) da c-rca.
Era Gaspar de Lesguilly.
Muito bomrn dia, Sr. marquez, disse-
ram os humildes, tirando os bonets
Born dia, meus amigos, born dia, iUs-
so Gaspar.
Albina era a ultima, ciminhando vaga-
rosamente. A vista de Gaspar fel-aestre-
mtecer.
0 mao(o, por6m, muito occupado carn o
seu cavallo que cstava inquieto, a via.
A fila de camponezes voltava 0 4ate,
do parquc, de modo que, por u sm. eats, 9'
Albina ficou s6, porto do marquez. ,'
Ella tiulia so approximnado da.,,
ipartando o peito corn as duas n lB i .
lominar as palpitagies do seun a '0'
E de vagar, em voi baixa, s ..-

-- Gaspar !... a.9
0 noe90 tomava por un cazai!hp
tre, arvors, cujos ramos, gaiod-
los de folhas, estavam tAo ea -
n'esse lugar, que formavam, uat .
escura iinpenetravel aos raios d&,-
,-irma a abobada estava cirZ, I'
havia sombra, froecura, mys -7,
Os cascos do cavaUoH-W f -- R ".
ain tapeta do folks
ruido. ..+


.Typ doa,-


:, R ||


f"

fe..,



t
rf



S
a-


.7
* f*~ -
- -. 4
A


*:. S


it


Pera A que nah evr^
srA, ovotle Bi it. e co em teus labios, e logo mIrr6sde raiv
quando oonbkas qao team *epoi o Wb
o anor do tua alma nos labios da odiada,
da aborrecida Joanna !
Asnim ia dizendo Joanna, dirigindo.-se
core pass cads Vez ,aise aprossado e ar-
voso A pedra do cacs que tinha wervido do
assent pela ultima vez A Sialo e Maria.
Ao chegar asli, Joanna se deteve e va-
cilloa um instant. Tinha mode. Por6m
volvou os olhos para a praia e a vista de
Simnflo Iho e infundio valor sinistro.
Simo SiioSi ilo -gritou e se langou
do alto do caes ao mar.
Simao se p6z em p6 de urn salt e eor-
reu A mroargom. .
Simao! Simiao !-volveuAgritar corn
accent o mais debil-Joanna l
Ah! eu to esperava.
E se precipitous no mar, nadando na di-
rec9ao quo os gritos indicavam.
Aqui, aqui!-gritava corn terrivel
angustia Joanna quoia poucoapouco afun-
daudo-so no seio das aguas.
Similno chegou atW ella, o a agarrou poles
cabellos, passou-lhe logo um bra90 ao s
redor da cintura, o ecorn o outro comerou
a nadar vigoraeamente pars a margem
para depositor na areis a preciosa carga.
A luta foi horrivel Simao desfallecia de
cansa9o, porem ao sentir o contact o d'a-
quelle corpo para elle tao querido fazia
noseer desesperadamente novas forgas,
apertava contra si a press e seguia na-
dando, nadando...
Passaramrn alguns instantes e se ouvio
umn grito de afegria. Simmo tinha deitado
e na area: estavami salvos.
Porem bemrn prompt resoou outro grito
do desespero quo repercutio nos penhas-
cos sen som tristissimo.
Simio, quo tinha colhido entire suas
miaos a supposta cabega de Maria, reco-
nheceu a luz da lua as sfeigos de Joanna.
Langou um grito horrivel; preso de
vertigem deitou a corner pars a margeaom,
o escondendo entire os bragos a cabega se
sepultou para sempre no mar.
*

Joauna mais mortar que viva voltou A
sua casa quando comegou a raiar a au-
rora.
A morto de Simbo, cujo cadaver appa-
receu trees dias depois na praia nso cau-
sou extranheza alguma nem occorreu A
ninguem pensar quo pudesse haver outra
causa que loucu"a do rapaz. Ao cabo de
unia semiana ninguem volveu a occapar-se
d'ele.
Sonmete Joanna, ante cujos olhos appa-
reciam con cruel persistencia as scenas
d'aquella noite horrivel para tranquillisar
suna conscieneia, torturada polos remorsos,
o para adogar sun doa, Joanna pouco de-
pois da more de Simlo, teomo habitat no
convonta do religiosas do Santa Clara, si-
tuado na eminencia A pouca distancia da
populaiso.
Dizemn que 6 urna monja exemplar, man-
a, fervorosa, humilde. Porem suaqs com-
panhoiras nfo tdm deixado do ver que
quando, 0s0 dims tempestuasos do inverno,
rugo comn furia o mar, eos rugidos chegam
ate as collas d'aquella silenciosa- morada,
os olhos de Joanna brniham corn fulgor si-
nistro, fecha o livro da reza e corre espa-
vorida aso cOro, que 6 o lugar do convent
onde chega mais o echo do ruido das ondas.
Ellas, as pobres monjas nao sabema tx-
plicar tao extranha agitagro; nao sabem
que Joanna se estremece de ciumes ao sen-




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3ZY9J496_MUUBDK INGEST_TIME 2014-05-19T23:53:57Z PACKAGE AA00011611_14759
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES