Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14599


This item is only available as the following downloads:


Full Text










.r.- ..:: ,o. UU .a.~l... ... .....


i." *, '* "*.m l
db: ;7;" 77"",::

....0 a.
'nm .mdo mwi- o dia


'SE A SI


U-..'


I'.
0**S~


4~''*'i


*P -- ~ ..... _;., **' .*a 'n ''m, i' f B.' .' .
.T *-", ,- *. .r ',; ;"

,. _^ ~r .-,, itf. .- ". .
C At o F 7


'-s CWdi i av, te dei m 'taiaresB.
-"A.. -- .. ,


`r'7 "'.W .... -.
S. '..,
.


4roprielbabe be Janoct Ji4ira $a ilI)os


TELEGRAIMAS



:2171; mimS iul DO2IAIS

RIO DE JANEIRO, 19 de janeiro, as 4
horas e 10 minutes da tarde. (Recebido
4s 4 horas e 50jninutos, pelo cabo snbma-
rino.)

Foraun eleitos em 2.0 escrutinto
pela provincia de Minas Geraes :
l'.0 district, Dr. Jos6 Ignuacio de
Barros Cobra (C);
S1.0 district. Dr. Ernesto Pio do*
Mlares CGuia (L).
A eleicfio do Dr. Alvaro Boteilao
pelo 13., district da mnesma provin-
cia u accusada de nullidade e boa-
we protest.
Foram apprsovados os estatulos
dam i Faculiade.f de Direito do Impe-
rio.
Falleceu o brigadeiro Luiz ui-
ilferme Woolf.






(Especial para o Diario)

LONDRES, 17 de janeiro.

Uma expedicAio italiana acaba de
deixar o porto de Napoles em de-
manda do Mar Vermelho.

PARIS, 19 de janeiro.

Um despaciho do Cairo annuncia
que a esquadra chineza se dirige
para a illa Formosa.

Agencia Havas, filial' em Pernambuco,
19 de janeiro do 1885.



INSTRUCIAO POPULAR


PHOTOGRAPHIA

(Extrahida)



Operacfies e processes plhotogra-
phi cos
CAPITULO IV
RETOQUES, CORES E AUGMENTOS DE IM3AGENS
(Continuagto)
Outro facto bem important l~ra o valor das
provas photographicas, 6 o sen tamanho.
Nao se pode na prepara,o dos cliches ir al6m
de uma certa grandeza,--pporque realmente nao
possivel estender o collodion, deitar o revelador, e
limpar mesmo umtr chapa quo passe de certa gran-
deza.
Como pois conseguir um retrato em tamnhobe
.natural, umia vez quo pel:i photographia direeta se
-nao pode alcan'ar ?
Corn o emprego d,1 apparelhos opticos qne per-
Eaittiamn augmentari a image obtida nitidamente
.em cliche pequn:.
E dizeoaos nitidirmente, porque 6 nocessario que
assim seja, nao se toruarern muito salientcs os de-
feitos que tambein sao angmentados.
Deve-se escolhor um vidro di-lgado, muito trans-
parento e perfeitarnente piano ; nao deve ser muito
vigoroso o cliche &btido,-pelo que, se deve semp:'c
-seguir o process do collodin hurnido, e o revel-
dor deve ser tiao sdmente u.ina soluvlo de sulphato
de ferro em agua e alcool ; nit se deve mavcrnizar
e eUckc, porquo o sol derrctesLdo o verni:7. iiri: fazzr
al&trar a provw e dir portauto urea pe siir pro' 'a
pTooies.
Par;1 se raizor este ,.iw, ,cnto_ crnpregpam-se hojez


nos .a.p trci'ho+ ;'sycc;i3ts,--s camaras .sl,'rcs.I que
0lo 3 d escreve'i'-ns ; in is o prirneiro appareliho
usaa.s fi.i a La;.",'i i-, 1t.ic(a que serve para, Zug-
mertL.y as irn:-:;s piit.idas sobre numr vidro repre-
sentando-aoi s.*i-t urn hiao quando ili:r,.hr-,'das
pelos ralios d;i lz provenientt da lamprida, depois
S de serem oestes raios ietlretidos pelo espelh> re-
u:,dtis ern fi:: convergeIte pl'la lente-e indo
entMWo atravessar as lentes que produzeln o aug-
mento d. ii, .gi"i.-
Ao vidro pintado substitnia-se o clici,".;ivo,.
e no lugar do alvo punha-se o papel sen sido
para aprorv pa3ltica; a it z da lampada: rca a de
manflcsio ou a laz electrina.
Poi d'este modo que proceiderarn V,<.-1: Mon-
ckhoven e o troxs photograiphos illusfre-.
(Cont;h-,a).


S PARTE OFFICIAL

(Goerao da Proovniuc.
)ikrzFAICHOS DA PREsIDELNCIA DO DI.. I1 DE
JANEIRO DE 1-'')'. d
F-cm A'P)rt ,i d..S ;-jn'. Aug.ist.c C l.. 1 dir Vas-
1" cPelio .-E's i n.- 'iniii," '.
A~bimo ( Cru & C.-liif,. rno 'r. il j,-Lttor do
?" Tlhesouro Pij;ici.l.i
;' Fre; Ientb do MIont. Carmello Fiorcs.-Pcisse
;.-' portara na f-mna0Ca do c.iyl.
-)' ... .v Bachmsael Bea.o Cecmlian.o dos Samnt.s Rm&nos.-
r,-:: Romeittid.) ao 8r. insBlicctor da Tliescu&.ia d Fa-
S e.4a pmroatten.1r.
Companhia Pernambucana.-Encaminhle-se, de-
eado o snpplieaate pagir o respc:tiv.) porte nmt
..f .- epaitiaf'dos Lorrreios.
:. :-, et= jaaLeonee.-Ao Sr. Dr. juiz dediitodas
f.' .:.., _'.'. e t mriam e h id4 comarca do Recife para
..f. ,--.z=. *' 1 Mre de 8e za. Informe o Sr'. is-
" flW .-'
law ....
~ ~ ~ ~ ~ d "4.1 F rw.. o...


forme o Rvd. Sr. regedor inte'ino do Gymnasio
Pernambucano.
Ignacia Puritania de Sai e Albuquerque.-In-
forme o Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda.
Dr. Joao Vieira de Araujo.-Deferido corn offi-
cio de hoje a Thesouraria de Fazenda.
Jose Francisco Epiphanio de Souza. Indefe-
rido.
Jose Luiz de Franea Torres.-'Sim.
Joato Fernandes Vianna.-Concedo, na forma da
lei.
Joaquim Modesto da Silva.-Remettido ao Sr.
commandant superior da guard national da co-
marca de Itamb6 para mandar passar a gaia de
trata o artigo 45 do decreto n. 1,130 de 12 de mar-
co de 1853.
Dr. Joaquim de Albuquerque Barros Guima-
raes.-Deferido corn officio desta data ao inspec-
tor da Thesouraria de Fazenda.
Luiz Manoel Rodrigues Valenca. Como re-
quer.
Maria Cavalcante de Albuquerque Rocha.-
Concedo na forma da lei.
Medeiros &C.-Informe o Sr. inspector da The-
souraria de Fazenda.
Manoel Waldoaldo Soares.-Como requer.
Vicente de Assis Tavares.-Intorme o Sr. ins -
pector da Thesouraria de Fazenda.
Secretaria da Presidencia do Pernambu-
co0 19 do janeiro de 1885.
0 ajudante do porteiro,
Antonio Fernandes da Silveira Carvalho-

Commando das Armas
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS AR-
MAS DE PERNAMBUCO, 19 DE JANEIRO
DE 1885.
Ordem do dia n. 1,499
Faco constar a guarnigao que apresen-
tou-se hojo neste Quartel General, vindo
da corte no vapor Ceard, o Sr. alferes Pe-
dro de Barros Falclo, que por portaria do
Ministcrio da Guerra de 24 de dezembro
proximo passado, fora transferido do 10
pora o 140 Batalhao de infantaria ; confor-
me communicou o Exm. Sr. conselheiro
ajudante general do exercito em officio n.
108 de 7 de janeiro corrente.
(Assignado). -Antonio Tiburcio Ferreira de
Souza, brigadeiro commandant das armas.
Conforme. 0 tenente Joaquim Jorge de Me.io
FKUho, ajudante de ordens, encarregado do deta-
Ihe.

RepartIlAo da Polleia
Seccao 2.&-N. 50. Secretaria da
Policia de Pernambuco, 19 de janeiro de
1885.-Illm. e Exm. Sr.- Participo a V.
Exc. que foram recolhidos A Casa de De-
tenao os seguintes individuos:
No dia 17 :
A' ordem do subdelegado do 1.0 distric-
to de S. Jose, Maria Francisca Wander-
ley, Jovina Josina Brasileira e Lucia Fran-
cisca das Chagas, por offensas a moral pu-
blica.
A' ordain do do 1.0 district da Boa-
Vista, Casimiro da Costa Mello, por se
achar pronunciado em crime do ferimentos
leves.
A' ordemin do do 1.0 district da Graga,
SVicente Dacimto e Antonio Dacimto, por
estarem incursos nas penas des art. 201 e
116 do codigo criminal.
No dia 18:
A' minha ordem, Joao Simphronio Bello,
vindo da |comarca de Tacarati, por se
achar pronnnciado como incurso nas penas
do art. 271 do mesma codigo.
Dens guarded a V. Exc.-Illm. e Exm"
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel, muito
digno president da provincia.--O cheie
do policia, Manoel Ventura de Burros Leite
Samtpaio.


DIARi0 DE PERNIHBUCO
Retrospecto politico do anno
de ISS4
(Continuaao)
A greve d'Anzin deu lugar a que novos discur-
sos socialists tossem pronunciadclos na camera dos
doputados da Franna.
Os grevistas no comeco do conflicto tinham ma-
nifestado a intoero de absterem-sede toda e qual.
quer violenein, mantendo-se no terreno da legal.
dade. Essa calm relhtia durou, por6ma, poucos
dias, suecedendo-se-lhe nura extremia agitacao-
Nao se limitaram os da grove a suspender o seu
trabalho nas minas: quizeram tamnbema impedir
que descessem a ellas alguns de seas eompanhei-
ros que na ) tiuhlim adh~rido ao movimento. Col-
locavamn-se jnit,-) dob pocos e constrangiam os mi-
neiros que vinh-tm trabalhar a que o nao fizesscm.
Isto deu ensojo a que o governor inandasse for~a
para o lugar da greve, a fim do manter a liberda-
de do trabalho.
So os grevistas nao tivesseni side ao ultimo ponto
exeitados po- certos politicos do Pariz, nao teriam
co-iIIMetido excesmsJ- e desatinos que fizeram de-
grncrar um aeto perfeitameute legitlwo n'uma
vrr.'iiieira reLvolts..
So 1,.) f.s:em os artig,.os dos jornes intransi-
gent-cs, us disCarsos revolIucionarifu e a intriga in-
ters.iril, a greve toria terminad.)o em poucos dias
e t.n incid'nte desagradavel, cin viIta das con-
eessies queo de pirte. p irtoforam fL-it.is. Os agi-
tadires, que em Pdriz se vepm abandonados pela
imnmeqsris maioritados obreiros, cuj,) bon senso e
exporimncia lhes tirou tola a f6 nos ideelamadores,
virarn na disensio entire oa mineiros e a compsa,-
nbia exploradora d'Anzin, uma occasiio excelleate
aesnaopara opuleatarem-seo em popularitlade, ao
menos para duxante gauns dias oeeuparem o pnt-
bligo corn as saes iuidosar personalidades, 6'-n
afipal lies. era tant amiti fair quaAto a Jigaimnw,
cia do@ greviatas 0 fao pcwia grandemente.
Muitos dit- uin be r, neuBe#-
Via, e igtbwa4 colp aallc 0 e*
;aa~aft ct4iai
^ Afir i' .,-* .' :~..'. *--" ." 1 T :


f.


ultimacs annoq.
A situacaio commercial denuncia-se pelo numero
das fallencias. Esse numero augmentou figeira.
mente no period de 18-814 (o accressimo 6 de
sessenta e novc em release ao peri (do anterior,)
mas tal augncnto 6 sobretudo referente As easas
de bebidas, o que 6 devid A eleva.Ao constant
do numero dessas casas. A mesma cousa se dA
comn os hotels. A quantidade destes cresce diaria-
riamente, depois que o rcgimnmin da autorisaao foi
substituido pe'lo da declaracao pura e -simples. 0
que lia pois de admiravel em que as fallencias que
attingcm esse genero do industrial augmented
na m.:i..'na proplreto' ? C.:,nmo diz jnstamente o Sr.
Camescasse nao se podiria tirar des(se facto induc-
ea.) al]imma quc podesse lover a crr n'uima seria
cris.. commercial.
Umin facto etrilsisinio, dei qie d:i comta o prifeito
de puflli:, 6' o conuino de astras que fazem os tra-
balliarl ires. A 6s;tra tormnou so ,m mar.jar predi-
lecto di elaose dos obreiros. Entr'tanti os emL.re-
gados, os pequenos, e mesmo os grandes cominer-
ciantes, privain-se onuitis vezes desse prayer cm
r zIo da carostin do gen.no. A 'eate proposito o
prefeito de policia dlonmo'vcnfiada umna tenden-
cia inuito notavel do obreiro dde Pariz parma consu
mir laxuosamente.. Neatx cIasse social; como cm
quasi toda3 as mais, a -ecessidacle do- asoperflao
augmenta .sem eest.. Infolis ent, este augments
,oib t( (:,i*_&).O5Dp. "-sQpdne f e.eista'
ver =wa daa ifassm da. di&tOldu&i-p da -ift
'e

I


acremente o ministcrio na sesslo de 8de abril do
anno passado.
0 primeiro dresses deputados declarou que a re-
pulica seria anathematisada pekc povo, uma vez
que o governor se resolvera a mandar tropa para
Auzin; o segundo assegarou que, pelo mesmo mo-
tivo, havia o minlsteio -auxiliado urma conspira-
ao burgueza contra as' actuaes instiAaic5es do
paiz. 0 caso nao era tao felo amo pinutavam os
dous oradores da cxtrema esquerda. E tanto assim
que ante a impressao produzida pela pelas suas
palavras, os Srs. Clovis Hugues e Clemenceau se
apressaram em declarar que a republican zombava
de todas as ameagas. Nao se podia comprehender
todavia como 6 que os dous deputados intransigen-
tes podiam estar, ao mesmo tempo, tao socegados
acerca do future republican, c tao convcneidos
dos factos que denunciavam; porque final de con-
tas se a republica-nao tivesse mais por si o prole-
tanrado, nemr a burguezia, nao sezia exeessiva cu-
riosidade perguntar por virtude de que prodigio
ella continuaria a manter-se em Franca.
Felizmente a greve d'Anzin terminou sem haver
nunhuma desgraca especial a lamentar. Tambem
nao foi necessario nomear uma nova commissao
de inquerito, acerca de. situaao economica...!
A dos quarenta e quatro, nomeada em janeiro,
nao foi entretanto das mais pobres em eselareci-
mentos. Os commissaries empregaram os mais
patrioticos esforcos para obter o maior numero de
nocoes exactas acerca do estado critic da indus-
tria e agriculture franceza. Interrogaram obrei-
ros e patries, dando-lhes a faculdade de exprimi-
rem-se cpm a maior franqueza e liberdade a res-
peito da denominada crise economic.
Entre as numerosas deelaraqUes ouvidas pela
commission a do prefeito de policia o Sr. Cames-
ca.tse, mersceu especial attenqio pelo dados preci-
sos que forneceu relativamente do estado indus-
trial de Pariz, costumes e numero dos obreiros,
bern como em relagio as causes do mao estado de
certas cathegorias do commercio parisiense. As
informae5es do prefeito constituiram, finalmente
um resume complete e bemn organisado de todos
os factos references A vida da grande cidade.
Em primeiro lugar, 6 para notar que o Sr. Ca-
mescasse pensa que a Franca senao acha diante
de urma crise prpriarnmente dita, 6 capaz de inspi-
rar inquietaSes series. Ha simplesmente, segun-
do elle enfraquecimento de trabalho, um enfra-
quecimento que nao attinge cmntudo as proper
VSes quo muita gente lheattribue. E para
apoiar a sua assergao o prefeito de policia, to-
mando por base os ultimos quatro annos, apre.
sentou uma 'estatistica comparative do numero
dos obreiros em Pariz, dos que se achavavam
semr occupaao, da variante das horas de tra-
balho, da quantidade das fallencias, do consumo
verificado pelas entradas, do estado dos hotels,
casas de pastes etc. etc.
Referindo se a todos esses algarismos compara-
dos, e que o Sr. Camescasse se julgou autorisado
a substituir seu snos esclarecimentos a palavra
-crise, que conforme a sua opinion exagerada,
pela palavra -enfraquecimento, que assim mesmo
nao exprime um estado geral, por isso que affectou
sobretudo certas indnstrias e que fos originado pelo
que o prefeito chamou uma deslocaglo industrial.
Assim, por exemplo, o enfraquecimento da sapataria
originouse no desenvolvimento das fabrics existen-
tea f6rade Pariz, e as quaes, manufacturando bara.
to, fazem A industria parisiense temivel concorren-
cia. Pelo que respeita A marceneria 6 a produceao
estrangeira que concorre em Pariz corn os products
francezes do mesmo genero. 0 Sr. Cameseasse
cita o facto de unia sociedade existente em Bruxel
las, e quo ultimamente empreitou por preco muito
modcco trez milh5es de obras de marceneria para
serem fcitas no bairro Marbeuf. Quanto ao que
se design pela denominaao de artigos de Pariz,e
que e, comose sabe, um dos maiorea ramos da in
dustria d'essa cjspital, e particularmento qtmanto
aos brmnquedoa (de creancas, 6 corn a concurrencia
allema que a Franca tern do lutar. A desvanta-
gem em que esta nesse ponto a industria franceza
no concurso coin a estrangeira, 6 desgracadamen-
to resultante da frequencia das grovcs durante os


I


4pociedades musicaes, gymnasticas e de tiro pul.
li4m6. A mocidade fr!quenta assiduamente ease
divaetimentos, o que 6 urn grand bern. 0 gosto, a
paiLIo pela instrucao, a nceassidade de elevar-se
e esclarecer-se, cresce de dia a dia na classes pro-
lotiaria.
0 movimento soeialista earopea nao 6 puramen-
te artificiail-em indigno das attenues inais s6-
fias, comopeasam certos estadistas de idWas ori-
ginaes acerca da vil plebe. Cotpeqando na Ingla-
teorra eou a desloea.9o industrial produzida pela
int-odugcao das machines, coin a ainistra revolta
de Nottingham, estendeu-se, como era natural, ao
confinente, manifestando se aceentuadamiente em
Franga pelos fins do governor da restauragio. Du
rante o reinado de Luiz Philipp3 e a republican de
48, o socialismo, em soneus multiplies aspactos, as-
sumio uma attitude que nao podia deixar de preoc-
cupar profundamente as classes chamadas direct
toras.
Presentemente a agitaqAo socialist invadio to.
dos os paizes da Europa, teado-se at manauifesta-
do jA nos Estadoa-Uaidos da America. Essa agi-
taqAo 6 tanto mais temerosa, quanto mais distant
da liberdade political se acha o estado em que ella
se manifest. Na Allemanha e na Italia tenta
contra a vida dos soberanos, na Russia toma o
character sombrio do nihilismo, na HIespanha pa-
tentea-se em associa95es monstruosas como a da
Mdo Negra, de cujos actors e intuitos tivcmos oc-
casiAo de occupar-nos no retrospect de 1883.
A propria extensao desse movimento e a sua ra-
pida propagacao estao demonstrando quo elle oba-
dece a uma causa geral e perman :nte em todas
as nacoes occidentaea, onde o trabalho industrial
avulta ou se desenvolve. 0 mal-estar, a miseria
das classes trabalhadoras, em face do augmento
constant da riqueza social e da commodidade e
luxo da burguesia opulenta, produz nessas classes
irritao5es e odios permanentes.
0 capital e o trabalho teem atW hoje mantido
entire si urn antagonismo lamentavel, e de que o
primeiro tern a responsabilidade por nao haver
ainda comprehendido o sen destiny social. 0 pa-
trao nao quer em caso algum soffrer uma dimi-
nuicio nos seus gozos pessoaes. De ordinario nao
prescinde de um lucro certo da industria a que se
entrega. A menor baixa de prego dos objects
que sahem de suas fabrics autorisa-os decade logo
a fazer uma alteraeao para menos na taxa dos sa-
larios, sem consideraggo a que a quantidade de
forca e intelligencia que o obreiro despende na
produce nio varia corn as alteraqoes dos merca-
doe, e. que as suas necessidades, bern como as de
sua Faminia, permanecem sempre as mesmas.
A major part dos economists equipara o tra-
balho a qualquer outra mercadoria sujeita as al-
ternativas da offerta e da procura. Esta doutrina
erronea e immoral, que faz do trabalho uma enti-
dade abstract, distinct e independent do traba-
lhador-uma pessoa humana e que por conseguin-
te, tern necessidades e sentiments humanos-, es-
ta doutrina, dizamos, 6 que tern animado e por
assim dizer legitimado perante a anarchia con.
temporanea, o reprovado egoismo da generalida-
de dos capitalistas.
O obreiro, o cooperador d) capital na grande
obra da civilisagao humana, nao pode ser com-
parado a um sacco de assucar ou a um fardo de al-
godao, s6 por amor a urma supposta lei economies
que o proprio Stuart-Mill impugnou por Ihe nao
reconhecer o character de immutabilidade, proprio
de today a lei natural.
A injustica dos possuidores do capital impelled
o proletariado a revoltar-se contra um estado so-
cial que permitted o credit erealisacao pratica
de semnlhantes theories, que sancciona urea dis-
tribuicao ao ultimo ponto desigual dos gozos so-
ciaes, que, finalmente, consent que o egoismo de
poucos especule iniquamente corn a miseria de
muitos.
Esseespirito de revolta das classes trabalha-
doras tern sido aproveitadc por litteratos senti-
meutaes, ou politicos interesseiros--n. maior part
alheios a toda a concepglo positive referent5 ao
home e as sociedades para exporem e proclama-
rein como realisaveis esalvadoras as mais extra-
vagantes ideas de rcorganisacao social. As es-
colas communists iuauguradas nested seculo por
Owen, Saint Simon, Fourrier, Cabet, Leroux, etc.,


O- '.


-- ~ s-,,
-~ --


* .-, --
-~ :~
-. A


-i. .
't ...
..


mamentv se den: o custo de produego elevou-se H espanha
de tal modo, qle muitos ramos da industria pari- Eis o queoescreve o mesmo correspondent so-
siense nao podem lutar corn a industrial similar es- bre a Hespanha :
trangeira, quo produz igual e mais barato. Em- O cholera continue fazendo algamas victims
e em Toledo.
quanto que um sentiment, menos egoiita e mais No visiho reino sta-se operando ua evolu-
social, no tiver uniformisado o proceder de todos cao political muito notavel e que offerece uma cer-
os capitalistas occideataes em relaglo aos qae pelo ta garantia de paz interior.
trabalho lhes grangeam a riqueza, 6 forca que a ( Os Srs. Moret e Martos parecem estar decidi-
taxa dos salaries aeja equiValente entire todos os damente ao lado do Sr. Sagasta para formarem
Sj ui n e t corn os antigos fusionistas o grande partido libev
povos, onde a industria tiver attingido o mesmo ral, que, man'tendo o throne de Aftonso X(I, nao
grAo de desenvolvimento e perfeigio. 0 contrario abandonaria as conquistas da revolucgo.
disto terA como consequencia o sacrificio econo- A esquerda dynasties, apezar de lhe faltar o
de um, ~ b i e do o apoi .dos Srs. Moret e Martos, nao esmorece e
mic de urn, em beaefieio exclusive do outro, easo trabalha para fortalecer as suas dizimadas filei-
que se esta. realisando centre a Allemanha e a ras corn novos elements, assentando na crealo
Fringa pelo que respeita a certos artigos de que de mais dois jornaes, que, ao lado do orgga. do Sr.
esta, atM6 ha bemrn pouco tempo, tminha, por assim Gonzalez Fori, defenderao a political avaneada,
r n, mas monarchica, dos generaes Serrano e Lopes Do-
dizer, um mronopohio natural. ngmmuez.
As finangas da Franca teem-se resentido da si- (, 0 Sr. Martos, corn quanto se houvesse mani-
tuacao economic, coma era de prefer. Alem festado a favor do rei D. Affonso, ainda no tinha
disso, o augnento, a certos espeitos pouco pr dado passo algum definitmvo em political militant,
disso, o aug.nento, a certos respeitos pouco pru- conservando-se como chefe solto dos esquerdistas.
dente, das-lespeza3 publieas, creou difficuldades A sua recsolugao de entrar no campo da legalida-
orgaineatarias, que uina restricta economic, como a de, como em Hespanha se diz, parece, por6m, que
que esta sendo observada, poderA, dentro em pou- jA no pode deixar duvida alguma aos republica-
co solver. rnos, clue em Martos viamn una espsranqa.
(( 0 governor hespanhol prosegue no camniuho da
Nao 6 a sua direccio economic e financeira que perseguiga'o aos partidos liberaes, e nao se mostra
tern amargurado a existencia do governor da repu- per emquanto propenso a mudar de rumo. Pare-
blica. Apezar das largas e notaveis discusses ce, pelo contrario que cada dia mais augment nos
soeus processes reaccionarios. A indisposia'o que
do senado, no principle do anno proximo findo, o por toda a parte levantou no paiz corn a pavo-
gi.binete vai por esse lado navegando em um mar rosa, dos estudantes de Madrid, serve-lhe de pre-
pouco tempestaoso. No oceano da political 6 que texto para os mais odiosos processes de persegui-
ll torn estado por mai d a voz priests a na- ao A imprensa.
elletem estado por maisde uma vezprstes a nau- Agora, os jornaes El Porvenir, El Liberal e
fragar. De feito, nao foi a recusa do senado a La Iberia foam pela sexta vez procesgados por
aceitar a disposicao referente A fLderagao dos syn- term feito commentarios ao procedimento-do go-
dicatos industries nao similares, o unico choque verno por occasiao do conflict corn a Universi-
parlameatar soffrido pelo Sr. Walideck-Rousseau. dade. 0 director da ultima d'aquellas folhas, inti-
mado para declarar o nome do autor do artigo in-
Este ministry esteve quasi abandonando o minis- criminado, disse que era do Sr. Sagasta, presiden-
terio por haver a camar3 dos deputados, contra te do anterior conselho de ministros. Diz-se que
sua opiniao, introduzido na lei eleitoral a clausula o governor vai pedir autorisacao A camera dos de-
reativa As incompatiblidades. Final o Sr. s- putados para processar aquelle estadista.
relative s incompatibidades. Final o SrQuem domina o ministerio 6 o ministry do fo-
seau desistio do proposito de demittir-se, a pedido mento, o Sr. Pidal, que 6 agent confess) dos ul-
dos seus colleges. tramontanos. Em quanto a imprensa, os estudan-
Todavia, poucos dias depois, outro incident tes c os05 lentes da Universidade, e 6s liberaes slo
parlamentar punha em risco a existencia de todo perseguidos por suas opinimes, aquelle ministry
occupa as suas horas vagas escrevendo estopadas
o gabinete. theologicas, que merecem o applause e as benlaos
A camera dos deputados, contrariando a opiniao do Vaticano .
do govcrno, adoptou uma proposta do Sr. Floquet (( Por convocaao do Dr. Sagasta reuniram na
es taboern, asu ia dirootao orno Fode, do tarde de, 26 de dezembro n'uma sala do palacio
que estabelecia o suffragio director como modode do senado 41 deputados e 54 senadores do parti-
eleiAo de tedos os membros do senado. A cama- do constitutional. 0 Sr. Sagasta declarou que tl-
ra alta nunca admittiria uua disposicao, que jA nha o apio dos Srs. Moret e Martos, e que estava
bavia desapprovado, nao obstante os esforgos e a decidido a interpellar o governor a respeito da
So S questio dos estudantes, do emprestimo de Cuba,
eloquencia do Sr. Naquet. do cordlo sanitario e da political seguida para comn
Emrn taes condic/es, decidio o ministerio levar ao a Santa-Se.
senado o project modificado pela primeira cama- ( 0 parlamento hespanhol recomegou os seus
ra, mas long de defender alli a modificagao, o Sr. trabalhos no dia 27 de dezembro. Nao houve dis-
o F y .- curso da coroa. A sessIo continue como a do vcrao.
Julio Ferry impugnou-a dessasombradamente, pe- ( Os deputados e sonadores do partido liberal
dindo Aquella assembl6a que votasse de novo o dynastico reuniram-se na note do mesmo dia. 0
project, por6m nos terms em que a respective Sr. Sagasta novamente declarou que a primeira
commissao o havia formulado. Obtido isso, o pre- questIao que levantaria na tribune da camera dos
S do o deputados, seria a do conflict universitario. An-
sidente do conseltco voltou corn o project A cama- nunciou tambem que estava de perfeito accord
ra dos deputados, e pedio a esta que o approvasse corn os Srs. Moret e Martos, e que estava con-
integralmente, fazendo do seu pedido questa'o mi- vencido da possibilidade de umn accord entire as
nisterial. cc Se approvardes o project, como foi principals fracaoes dos partidos liberaes.
c Em conselho de ministros resolveu-se que o
votado pelo senado, disse o Sr. Ferry aos depu- Sr. Pidal respondesse a qualquer interpellagAo so-
tados, tereis as proximas eleiSes feitas pela nova bre o conflict dos estudantes.
lei e minister para fazel-as; no caso coutrario c No parlamento hespanhol o marechal Novali-
nao tereis lei nerm ministerio. ches, velho e brioso military, que 6 muito respeita-
Sdo, teve occasiao de dizer ha poucos dias que nao
A resolugilo do governor coroou-se do melhor exi- considerou o rei legitimo D. Affonso XII, porque
to. 0 project foi approvado, e com a maior bre- embora D. Isabel tivesse abdicado n'elle a cor6a,
vidade possivel. E' verdade que o senado, man- o acto de abdicagao nao havia sido apresentado as
tendo a sua opinion no ponto discutido, fez corn- cameras quando D. Affonso XII, em seguida ao
t a n fz movimento de Sagunto, foi acclamado rei de Hes-
tudo algumas concessoes As ideas da camera. Ad- panha. Por isso D. Affonso era rei pela revolu-
mittio, por exemplo, que se incluisse na lei a dis- 9o militar e nao pela legitimidade reconhecida da
posicAo que prescreve provisoriamente, atM6 que se abdicaaio de sua mai. As palavras do bravo ge-
vote a lei das incompatibilidades, que sejam in- neral Novaliches, causaram muita sensa9ao.
mosn- -s cc Isto foi na sessao em que o senado comeaou a
compativeis corn o lugar de senador as mesmas discutir a mogao sobre a questao do conflict dos
funce5es que actualmente o sao corn o lugar de estudantes, combatendo energicamente o governor
deputado. o marechal Novaliches.
,c Na sessilo de 30 de dezembro o senado rejei-
Assim terminao o ultimo episodic da reform ton par 109 votes eontra 45 a mocao de censura
constitutional, de que o ministerio, graias ao es- contra o seu president a proposito da questao
forcao e talent do president do conselho, sahio universitaria.
coin forca e prostigia bastant pana obter a novao ci Os senadoros ministros aprcsentaram depois
e.do nocsaie preobseinte dii o uta o nm uria proposta de confianua a favor do mesmo pre-
redito necessaro ao proseguimcnto da luta corn sidente, a qual continuous a discutir-se na sessai
a China, luta par igual contraria aos inleresses do dia 31.
mores e materials da Franca, que ate agora tern c 0 Sr. Canovas, president do conselho de mi-
consumido rios de diaheiro c barateado o sangue nistros, sustentou que o Sr. Villa-Verde, governa-
s c ,don de Madrid, procedeu em conformidade das
de sens soldados sere resultado algum. A popn- lois.
lag9o do Celoste Imperio, apesar dos grandes de- 0 ministro do fomemuto, Sr. Pidal, disse que
feitos que os occidentaes Ihe attribuem, nbo torn os estudantes obedeceram a manojos revolucio-
sido tao facil de subjugar como era de presumir. narios para alterar a paz public, em resultado
dos pianos dos professores, Srs. Castelar e Mora y-
0 tratado de Tien-Tsin parecia ter post termio a ta secundados nelos chetes carlistas. Insistro


propanham todas uma nova ordem de cousas,
admnittindo a possibilidade de urma modificagao
mnais ou menos profanda do regimen da proprie-
dade. 0 aborto de todas as tentativas nesse scn-
tido e o nenhum exito de outras chimeras soeialis
tas de mntis recerte data, mostram a influencia do
todas asdoutrinas que sepropcem a reformar as so-
cieda.des,semse compadecerem das tradil5es e cir-
cumnstaiicias actuaes dastnmssmassociedades. Os so-
cialistaslmctaphysicos esporam tudo de uma trans-
formic;Io economic, soin selembrarem, que a har
inonia das relae5es entire o capital e o trabalho
est-. dependcote de urma cultural moral e intel-
lectial que permitta a existencia do uma opinion
ecap;z d& subordinar o cgoismrno individual aos
aemnimentos di verdadelra fraterni.lalc h.iiiLi;'i.
Na;i Franca, e sobretude na Iniglat,.rra, a grande
mai,.)ri.L do proletariado, comnpleta-r'into desillu-
didli quainto no vialor pratico das theor'i.is revo-
lucionarias, pIocurI pa J)OLICO a pouco mellhorar a sua
Goite poir i no do me lidas parciaes, esperando
do ;p:rfeit;,amncuto dos costumes o qute nao po-
dem obter da anarchic, nern dos pmJxcrc pu-
bWicos.
No dircito dc assoeiaeao e na liberdade de se
constituirem em greve teem os obreiros um mewo
de nadificar os excesaos da iujustica dos pa-
trSes.
Mas as groves, aiada que pcrteitarnente legiti-
mas, podei nw)o ser Bempre opportunas, nerm fa-
voraveia ads intersses rea0otos dos peprios que
ap promovemn. Oiqobreiros inglezes corn os suas
Trades Uniows esta:o senipre so par do prego que
Sdiveucw.-9pdi eneoatram nqs mercados es-
angireo U rns i.- apts- a c "heoer exacta-
.. -, ... ._ r-a .im ..to de
galisrf9 'j -irw.d vt~Inda.s
-*fa dos. ab 6reiros4 oenjas nesutsi-
1wB4woM-*4w-T.em, m4 ima fiew,
Aft~I tl*oE. Pa-

-^- .." q ~J "-'^ :^ *': ';. "^ .>."'-'-") .'.

"i ", ,;: '.-- .


conflict, que a nefanda political que a FrancaestA que nao era d'uma agitaglo escolar, mas revolu-
seguindo fora da Europa foi a unica a, provocar cionaria que se tratava. A sessao csteve muito
Mas a esse tratado, tao consoante corn a cobia tempestuosa.
loi logo depois rta e annul- (, No reino visinho, o primeiro dia da campa-
Colonial da Franc, t logo depois rto e annul- haparlamentar, que ora comeca, nao foi para o
ado pelo suceesso de Lan-Song, cnde umia part governor esse dia glorioso e triste que se segue a
das tropas da republican foi de subito atacada pela unia victoria e precede um novo combat. Podia
ente do pais. eeperar-se quo a'esquerda dynasties, escalavrada
get do paiz. e despretigiad:a de ponco Ihe valesse ; que os Srs.
Os francezes censuram e qualificam de perfida a Sagasta, Mastes e Moret se unissnm de boa f6 pa-
diplomacia chineza, como se todos os meios nao ra oppugnw>r-lhe os erros ; que apozar de ter-se
fossem bons e leitimos, quando teem por fin bur- aprestado born paraa defeza, sofr'esse tamauha
l c' "derrota como as suas violencias merecem.
ar os desejos condemnaveis do invasor, que abu- c Succedeu peior que tudo isso Dentro do
so de sua frca contra um povo pacifico, mas, proprio campo conservador levantava a bandeira
como os mais dignis, justamente eio3so dk sua in- da dissidencia o marquez de Novaliches e procla-
depndencia. maya As hostes da minsioria que este governor nao
dcpnden6ia. liberal, nem monarehico, nem conservador, nemr
Os mesmos intuitos immoraes, quanto A s rela- faz mais quo sitisfazer a soberba olynpica do Sr.
(.'I-s corn os po)vos cxtra-euirpous, appro:xima a Udnovts del Castifl!o! 0 pairti'lo coustitucional 6
Allemrnanha d.i Republica Frauceza, a tal ponto, mais monarchieo do qie o eoaservador, e isto dit.,
S a np,:mlo vencid..) e Al.,16a, tern unm-i importIlnei.L que
qu,- )! fui anwnw.iadfa, e est;i sen..lo moit .erummen in,,.,Um in ,".I e deonlecor.
tada na Frainc, a roxim-. visita do principe Bis- 0, Sr. Ciov.' n, n> sentir g-ral dos pattidlos
marek a Par's. que vrmin da revolaq i, de ,teminbro n.o reprisen-
ta nal- dentro .la liber.lade e das correntrs do es-
A rivalidade pan. corn a Ingl-late-.ra ine os go- pirito inm.-rin,). Quo &tea seumo eutjo em pol'itict
vernos de doms nauizos, entre os qu ies a memorial se a16 a f6 nim,,mrc-hica ihe ncgtm ?
Ss c,, Vili griud,- b.dibuirdia nos circulos politicos
d guer.-.i de 1do, s, eanta com, m mtio p..r- de H-spanlha a pr.psito do monstruos.- eseanda-
petuo de resentimento e odio. N:io 6 impossivel lo em q(c s- alhi .nvo)lvida a ctumplicidade do ga-
que mnais tarde a de.intelligencia n.. division dos binete C .nvis, n-i di'ulgicio prcmetura do t-a.
Sp c tado dc cnimi-,rci)o c-m os Estados Umidos, cujo
lucros provenients da pirtria colonial, venha texto baixou do alto sigiii.j ofi-'ial para ser com-
acender o faich)i de nc:va guerra entre asanacio- municado tel.gr>piphicianiente para o Neiw-1Yrk
a o ot d i a Times, a troeo de 2,)00 duros, que foi o pr-,o con-
nada agora de certo mod assoiads vencionwdo por ess-i traiqiosita, porquanto o texto
(Continaia) do trat.tdo paint. nt io tinha side apresentado ao
parlamnito hispanhol. A questio ja foi cilorosa-
mente debatida no congress e no senado, e ape-
zar de todos os esforl,"s da dialectiea do 'Sr. Ro-
mero RXbledo, o governor ficou desnorteado e nao
RECIFE, 20 DE JANEIRO DE 1885 occulta a breeha que tal eseindalo lho fez, pois se
Notldeas da Europa affirma que o ministry respective fechoa os olhos
0 paquote inglmz' Guadianam ehegudo da Euro- a essa inconfidencia para dar enmejo a urn eu pro- ..,
0 paquete idg2oz G uadiana, ched da Euro- e 0 T
pa, foi portador daa seguintes noticias, cujas da- tegido de lacrar os taos 2,000 do. A propia
tas do Lisbos a eangam A b do corrente, adiantan.folha aigericana 6 que poz tudo em pratos limpos.
d de L.disboa aletrca A dol coTrent a Setndo o Liberal andarmk por 2.000 Q ume- --
Potua ero daupesaas-mortas pelo terreaoto uaf provin- ..
'C lam asa neticim dete pais da carta do sos- i d Granada e Malaga, seo .. Qzmav o -" 31
das peasoas, fendas a coetusom.
so do lia$a, pub~lcada na rubri- nAs efolhas da Andalusia e ,m.e


-M -7


cflWvfl^ ^


wwv *.w.^awssffaSL
















L-e5,mod es 80 feri
ba" n, e p 2atTra 7 abalos. Onde,
1par troaOB, ino #i (de Gaada. As aetiems
pubieadsU pe =, .
a Em Faya o.... .ift
ccQuando s s** 0 iraOiren te% es
tava n'uma ca 1aariNtAe lnoftsonM
S verando ear ii do quam nl bilwen
S te desabou o toWu& gs ,an d-ita^ea,
S mente a infeliz o al re8
S.. entire as rmnaa O aoehwiv d( ien-,
;de s6 uma hore dpois os vi hos podera ir
tirar.
: .. N'uma casa de Restabal eelebravam-se ale-
S gremente urmas bodas, quando a chamin6 do pre-
ca dio desabou, matando o pal do noivo e deixando
;este muito ferido.
Sa Em Solar, al6m de muitas desgracas pes-
soaes, desmoronou-se o aqaeducto, deixando a po-
voaglo absolutamente sen agua.
a 0 espectaculo que apreaentam as ruinas de
.Abenuelas 6 de consternar. Os quo se salvaram
da catastrophe vagueiam entire as ruins, remo-
. Tea4o ancisoses os escombros em basca dos restoas
, dos parents e amigos qu e ficaram soterrados. SUo
i muito poueas as easas que fiearam em pe. Ais-L
Sda Ao se coahece o numero dos mortos, mas cal-
eula-se em 300, incluindo o parocho da povoa0o,
oalcaide e muitas pessoas distinctas -da locali-
dade.
-.-Em Alhama, as casas destruidas excedem a

Os deputados e senadores da provincia de
Grpnada resolveram solicitar do governor para au-
Sxiliar aquella provincia, a quantia de 18,000 du-
r corn que a mesma provincia contribuia, em
ermpo, para soecorrer as victims da inundacao
de Marcia e que nao foi utilisada.
aDos fundo das calamidades publicas foram
qoncedidas 15,000 pesetas a Antequara, 2,000 a
Torrox, 1,000 a Nerja e 1,000 a Frigiliana, todas
da provincia de Malaga, para remedtar em parte
os damnos eausadosapelos terremotos.
a Em Periana, no district de Malaga extrahi-
ram-se ate A noite de 28, trinta mortos e feridos,
emn conaequencia de uma abertura na serra Puer-
to del Sol. Receiava-se que o adesabamento do
outro monte fizesse desapparecer os banhos de
Nilb oA Rosar.
a Os movimentos de terra ainda continuaram
corn violencia aquella noite e n'ella haviam-se
sentido tree abalos sendo um excessivamento for-
te.
Em Ronda tambem se sentiram os tremores
de terra na noite de 25 de dezembro ; mas estes
apenas causaram alguns estragos no edificio da
municipalidade.
A primeira oscilla'ao em Granada prolongou-
se par espaco de 12 a 15 segnndos, movendo-se a
terra em toda a povoagao.
cc As ruas, moments antes solitarias, pela fes-
tiyidade do dia on pela aspereza da temperature,
viram-se immediatamente eheias de povo atemo-
risado, parte fugindo do perigo, ountro procurando
os seus parents amigos, e uma grande parte im-
pellida polo desejo de conhceer os effeitos do tere-
mote.
u Nos circulos e theatros tudo foi confusao e
susto. A concorrencia abandonou pela maior par-
te os cafes e os circulos; no Casino Principal, o
espanto dos concurrentes chegou ao extreme,
quando se sentiram fortes paneadas no tecto, pro-
dszidas pela queda des grande urnas que ador-
nayvam a parte superior da fachada do edificio.
SNo principal theatre, onde se representava
entgo o 2o acto do drama OWBanqueiro, o espanto
foi geral; os concorrentes, qu e eram numerosos,
apressaram -se a procurar as sahidas ; as senho-
ras gritavam e desmaiavam ; os actors e todos
aquelles que funccionavam no scenario, agrupa-
ram-se no palco.
a 0 phenomenon repetio-se depois das dez horns
e entao augmentonu o terror entire todos; honve
families inteiras que passaram a noite na rua.
Em muitos pontos da cidade de Granada accen-
deram-se fogueiras, em volta das quaes se viam
as families que nao tinham tido coragem para vol-
tar A suas casas.
,, As oscillac5es renovaram-se n'essa note par
7vezes, sendo a ultima depois das duns horas da
madrugada. 0 ceo cobrio-se entao de nuvens e
ao romper da manha .comenou a cahir abundant
chuva.
a Os estrages eram grande na cidade; muitos
eases se xesentiram. Quando se sentio na cadeia
o primeiro terremoto, amotinaram-se os press, e
pediram em altos gritos para sahir dos seus quar-
tos, mas come Ihes nao aeudissem de prompto, ar-
rombaram as portas. 0 director da cadeia e mais
empregados conseguiram impor a ordem, permit-
tindo corn tado quo os presos sahissem para os
pateos onde se conservaram.
a No din 26 pela tarde sentiram-sc novos aba-
Ios, mas entao, menos intensos.
,, Albunnelas fiou em complete ruina. Todas,
ou quasi todas as casas da povoacao, tanto no
bairro alto coma no baixo, abateram, morrendo
grande numero de pessoas, coma flea dito, as quo
poderam escapar acamparam na pra~a public e


outras ao ar livre.
a Um telegramma de Granada de 31 a tarde,
diz: a Abalos durante a noite. Os edificios da
Universidade, onde esta o museu, o hospital, a ca-
deia e o palacio da capita'o-general, estao desa-
bando. m
Outro da mesma data, de Madrid, reza assim:
c Hontem houve outro tremor de terra em Ar-
chidona, provincia de Granada; desabaram mui-
toes edificios. Em Malaga ha 277 casas ameaqan-
do ruina. A montanha de Puerto del Sol, Mala-
ga, abrio uma grande fenda. A aldeia de Ijage-
na, Granada, estA toda arrazada. Informacues
tomadas em frcnte de Vellez e Malaga hoje ao
meio din, dizem que os predios continual a desa-
bar. JA nao estA na villa pessoa alguma. Gran-
de panico. Em Nerja houve tremores durante to-
do o dia. Grandes prjuizos. Milhares de pea-
soas sem casa. Torrox destruida. o
a -Madrid 1 de janeiro.-, Sentiramise esta
madrugada em Torrox tortes abalos acompanha-
dos de medonhos ruidos subterraneos. Napro
vincia de Granada, em Albuquelas, abrio-se a
terra, afundando a igreja at a grimpa do compa-
nario. No campo tambem seatundaram, n'outras
fendas, quatro casas, 2om os moradores e animals
qu e estavam dentro. Em Jaen e Vellez-Malaga
Scontinuavam hoje durante o dia os tremores de
terra. Nesta ultima localidade, pass de 500 o
numero das casas alluidas.
Os habitant's de Granada passam as noites
f6ra das casas corn reccio do desmoronamento.
,, Madrid 2 de janeiro : '( No dia 31 sentiram-
se novos abalos em Benagorz. Hontem cahiram
500 casas em Vellez e Malaga.
( Em Cordova ameacam ruina mais trees casas;
mas a cathedral nada soffreu, nemr ha a lamentar
nenhurna victim.
ca Toda a cidade de Alharna ficou arrasada corn
Os noveos tremores de hoitem, que tambemn foram
sentidos em Malaga, d'onde vai fugindo toda a
^ gente.
s- Em Antequera desabaram mais res casas e
Sa igreja parochial.
( Em Linares houve tambem hontem ligeiros
S4abalos
a A villa de Albuquerque ficou arrazada, corn
os abalos de 26 e 27. Pereceram todas as autori-
:: dades,
a: Em Puebla de Alfarnatejo, Riegordo, Virruela
|: e Periana (Malaga) ficaram deotruidas muitas ca-
e sas havendo a lIsmentar grande nurnmero de victi-
IS.- pr
SEm Madrid estA aberta uma subscrip9gAo na-
cional para as victims do terremoto. 0 rei sub-
sereveu eomrn 100.000 pesetas.
eJt E' Claro qne do extract, feito A press dos
jem ijnaes hespanhoes ultimamente recebidos em Lis-
sboa, supprimo ainda muitos pormenores e os no-
rms,.: edo grande numero de povoan5es menos'conhe-
wda. ,onde o terremoto fez grande nmuiero de
: A8taao 6 A realmente aterradora. Seis dias
do ... ataques eplipticos da terra tazem receiar algu-
me grade pertirblo geologica.
...r..p.. m ebeutar algum grande vulAo nau
lwtaluzia ?-Perganta a imprensa. hespanhole.
1lo pai*- viWiu1o fale-se ji e muita n'aquella
qun.o 4e d molde a tranquillisa
dos prispo Fee eini do;'em
A ^*4 ^i ^d24sahi n hoas


J6


a Esta solemnidade foi dirigida pelo bispo,apesar
da sua pouca sau'de e da tempestadc.
a Alem da agitac.o na cadeia, onde os press
arrombaram portas, tambem no hospital foi gran-
de o alarme entire os enfermos, os quaes todos que-
riam abandonar o edifieio, sem attenderem ao seou
estado mais on mrnos grave. Alguns capuchi-
nhos abandonaram a clausura, quando sentiram
os horrores do terremoto. Na rua, de joelhos per-
maneceram em oramao, at6 que terminaram os aba-
los.
(( A autoridade mandou desoccupar murtas ca-
sas polo estado de ruinas em que fiearam.
a A municipalidade de Granada resolve que a
v'meranda image da Senhora das Angustias sa-
hisse processionalmente para a igreia metropoli-
tana e que nella se celebrasse uma fiesta solemne,
em aclo de gragas, por ter livrado aquella cida-
de das terriveis eonsequencias da catastrophe de
25. 0 povo, apasar do rigor da estagao, do tem-
poral e dis chuvas, concorreu, em massa, a festa.
a El Defensor de Granada abrio uma subscrip-
eao para soccorrer os enormes infortunios da pro-
vincia. Por toda a parte ruinas e desastres em
toda a sua negrura, cadaveres aos mont5es e a
fome e As inclemencias do inverno. Os donativos
no primeiro dia subiram a 6,703 pesetas.
,, Causam horror as narrativas dos periodicos
hespanh6es.
a Em Albunuelas, os cadaveres nao cabiam ia
no cemiterio. Os enterramentos fizeram-se em di-
versos lugares. Em Loja houve sceaas horroro-
sas. Os esforgos da guard civil conseguiram
salvar muitas pessoas ainda corn vida, desenter-
rando-as dos entulhos e .escombros, onde algumas
permaneceram mais de dous dias.
Os desastres de Arenasdel e Rey sao incalcu-
laveis. S6 uma casa ficou em p6. No dia 28 de
dezembro extrahiram se 130 cadaveres; mas sup.
poe-se que nas ruinas estao mais de 300 pessoas.
Os feridos passam do '200. Nao ha meios nem au-
xilios quae remedies tAo profundus desgra~as.
a Em Alcaraz encontraram-se 24 cadaveres.
Hct 45 individuos feridos gravernmente. No dia 31
A noite as estatisticas officials indicavam 2,083
mortos; mas posteriormente receberam-se noticias
que elevam muito aquelles algvrismos.
a Quasi todos os habitantes da provincial de
Granada vivem expostos As intemperies da esta-
cao. As neves e as chuvas duplicam os horrores
de tQ afflictiva situagao.
a 0 'partido democrata-progressista applicou
para soccorros As victims a subscripcao que ha-
via feito para dar um banquet em honra de Zor-
rilla.
a No dia 31 de dezembro sentiram-se em Tor-
rox, durante a noite fortes convulses, precedidas
de detonaoes subterraneas. A povoacao estava
inteiramente abandonada; ignora-se os estragos
quae causaram.
a 0 panic 6 horrivel naquelles sitios. Os tre-
mores repetiam-se de 20 em 20 em miuutos.
a A igreja daoNerjia desmoronou-se. As casas,
saeudidas por violentissimas trepidac'es, cahiam
por terra. P6de considerar-se perdida toda a ri-
queza urbana da localidade.
a Em Benamargosa (Malaga) repptiram-se os
abalos as5 da madugaida, 6 da tarde e 9 da noi-
te, e dahi pordiatat 0 A6 11.. Todos os edifi-
cios temdenauma un desabuWqnto geral.
,Eta VeIz "a) pauaaa do 50 ap casas i-
---A- -i|E^-_
T ai o.-U'Ioa l,|s|j||^|


a Edaftivaase~ utionu se teatv :
gieo.
A Os apabas subaquentes ao do dia 25 aeabt o
amn do e derribar o aM asas quo fearrm anidas e a


todaua 00P-i0 .-s,


A s Qainome dm quererl
roario ti noteoes gi3 mmiastos l
Audlua daeasoadase p oa xat adremo o. -
OA do aer padehoer aasfroe arneo e ito doarn-e
gdico' A ostm. ^










pearnet domiwtadas plo terror cdeatondos do
toartiaespeoit aoa dso



As Voa rte fae str urea in-oeuAogueirm am qoarier


popdeioda Hsanharre hinwandtroi das infeizs pro-
pEidos politimos telegra.mas
Andaluzia devastadas pelo terremoto.




Strangeiras para acudire en as horrorosas. anda-




zes.
As populacos padeeem frio e fome e eistio com-




pleta Smente dominadprovincia dpelo Granadar cntarndo-s de




se at6 agora 910 mortos, faltando ainda muitos
topara esentcerrar daeas ruinas.
o nuAsero dtes crenmostams quaimes em quererid em
peonsequenrcia dostreo nos medivtrso s pontfeis dpro-
vmAdaluzia Aadas j pelorior a talysmo150.
a 0 governo fez hepetiram-se o abatrespeito decla. os
habitantes qufogem ativerrados, applbandonando tudos os
part Em Villa Nueva, provincia d Sevil.a, ma-
SVfestoai-se upavoroso uma incoeado subteral A solidarie-ntro
dade ina de cpanha e d pdhilantropia das na.es es-





a, Em Nerja sentirarn-se hoje corn violencia,
durangeiras para acu todo direma novos tremores aados terra. Par-
zes.




t da villa estA em ruovincia des.Gnada ntam-se




,, Na. costa do Vailencia perceben-se osta tarde
urn estremecirnonto subt~rranoo a diree~o ,de
oeste pagora leste, produzis, faltndo na grande leva muitos
para desenterrar -das ruinas.




nas aguasmero dos pocres, as qunaes inundarar algurido emas





easas, sem que felimneate fizessem estragos im-
portantes.
,, Madrid 3 :-A faniilia real eavioujA 55.000
peonsequencitas pa doctor trer ores necessitados e famipontos da
da Andaluzia j superior 150.






,a Em Albunuelas, completaniente arrazada, con-
tam-se jA 4.20 victirnas do terremoto. Por toda a
parte se trabalaloa em extrahir cadaveres d'entre Os
edhabitantfieios des fmorongem ados. Os ultios abandonando tudoi-
dos Em Villa Nueva, provincia de Sevilha, man-s vi-







lontos.
festou-se um-pavoroso ineendio subterraneo dentxo






d Madrid 3 :- overnador civa. d Maga t-
la Em Nerja sentiram-se hoje co dizen violencia,
tindurante todo oas de ia novos tr em Algaores de terrobo e Casar-
te -da villa estA em ruinas.






Vermeja. A ostame d e a faltca dpercebeu- asyle aggravam arde







situaqgo.
u Os areecaides eato subrigando as pdireos a tra-de
oeste para leste, produzindo umna grande eleva*a






bahar para retirarcm dos poos, as qadaveres inundas rm aguinas







fazendo a desentuiho"'
asas, Em Malaga no s felimetern fizessem estragos im
portantes.













abalo.
a Madrid 3:-ContA familiuam os tremores em Ner- 55.000







ja, onde desabou a cemiteria do S. Sebasti~o. E'
peshorrivel o estado de miseria em quase ach aquellamintos
davi Andaluzia.la.







aMalaga 3 : ,Novos tremores,. muitas edificios
resentidos. 0 Institute estA em man estado, sendao
pEr isso suspelsas as coaulas. As fiente arrazada, con-
tram. N-se1o ha nenhu420 victima vics do terremoto. or toda a
parte se trable-Malaga e Ahir cadav tern haves d'entre oso mr-
edificios desmoronados. O ultimos abalos t side ito viosenti-s.
dos honteodas as igrejas d em Gr Alanada estoram em rui-
lentos.
,K Madrid 3 :-0 iovemador civil do Malaga te-







legArmaram uesta'maarr ao govnde foi guarzendo d que con-
tinuam os abalos de tera em Algarrobo e Casa
Vermeja. A fome e a falta de asylo, aggravam a
situagio.
(( Os alcaides estio -obrigando os press a tra-






balhar para ne foram haptisadaveres das ruinas ao
ar livre nzendo mo desentulho. capo.






,,Urna carta que trata dos desabamentos em
SEAlbunem Malagas di que n'aque te posentido no fonenhum
abalo.






dr sMabre pedra, pr : -Contincipluam os tr em ores quarem sNer-
partes, onde desabou o cemiterio de S. Sebastito cnE'
shoderarivel o enutadero de miseria em que se acha anella
villa.






p Malagdese precisar novos primoiros, momnuitos. No en-difiios
resetantidos. 0 Instava u tio estnham perecido familias indo






teiras.
por isso suspensas~asaulas. As families ricas emi-






gra Em Granada, nenhuma vspictim da.pooera impo-






nente.
o Em Velez-Malaga e Alhama tem havido mor-






te Os mporquadore os abalos teva-m sidodas uito violentos.
do abunTodantes grchuvas de Alhama estrirao m risto a
nas.





SAconservaram-e em casas rro onde foi guardados, que en-
trohiam e horror nto da us ses haritantes.
SHotEm Malaga as oscillaedas dusntiram-sca par saote






vezes durante a note de 25.
,,No dia immediate choven capiosamente e depois
ar livre no meio de um n o ab eoutro pls
5 horUmas da ta qurde; ambos esproduziesbam grandos em







alarme
p Em Malaga houve nrea prodissac o, sahindo a
imagern da Senhora da Victoria acompanhada deo
numerasa m nltidNo.


Pr6gam, por6m, no desert. Nao podem
ter autoridade nenhama para eondemnar
o procedimento do governor no extremo-
oriente, porque foi um ministerio monar-
chico, presidido polo duque dd Broglie, que
em 1875 fez o tratado de protectorado so-
bre o Tonkin, do qual o4que actualmente so
estA passando foi con-jequenoia inevita-
vel.
Al6m disso, a opinion public mostra-se
geralmente disposta a dar toda a forga ao
governor na luta corn a China, o nAo aceita,
portanto, esse terreno para nolle so guer-
rear o ministerio.
Quanto A questlo financeira, por mais
qua os monarchicos gritem pretendendo
inculcar que a Franca vai no caminho de
inevitavel ruina, os algarismos encarregam-
so de os desmentir cathegoricamente, e por
esse lado tambem elles nao conseguem
abrir brecha na cidadella ministerial.
Na sessao do senado de 27 de dezem-
bro, os Srs. Bathie e Buffet combateram
o artigo 90 do orgamento applicando o im-
posto As congregates religiosas, como sen-
do prejudicial aos interesses publicos.
0 primeiro paragrapho estabelecendo o
principio do imposto foi approvado por 167
votes contra 102. 0 segundo ficou para
ser discutido na sessao nocturna. Nesta
sessao houve acalorado debate sobre o ar-
tigo 9o, mas final foram successivamente
approvados todos os artigos, e por ultimo
a generalidade do orgamonto das receitas
por 174 votos contra 30. Nesta votago
absteve-se a direita de votar, depois de
ter declarado quo nlo podia votar um or-
gamento qu e lesava os direitos financeiros
adquiridos.
Nesta mesma sessao o ministro da
agriculture declarou ao senadov que mantem
os direitos sobre a importagAo dos gados;
logo que se reabram as cameras em 1885,
pediria que sejam dadas para ordem do
dia as questoes agricolas, o tr/.taria de me-
Ihorar asituam o dos agricultores.
A camera dos deputados approvou
por 315 votos contra. 127 o credit de 7
mil milhoes de franeos pedidos polo gabi-
note para supprir a flta 4e n o ter vtao
ainda o seaado o oramento das despezas.
A eamara approvou tarabam depo040
sem disc.ssl. or.a. nto da i
-Y t a o ^ p 1 4 0 5 m a1 q. 'ar f *^.- A P V a, I 0 ^

'Vt ado 'peol4seuado.d* O
Ma daa- i^l|n, -.060" ;; ;^

ar00 "0' A|pepj^oi


ilIell its p pr aisd
Aac~~p qupos teenovoeima
Po$ l .. ... I-









mais ehegados des 4eztimas, deveamos genti-
n magoade tos e cansidera-nos preteidos, s pmc-ias





oguem na Europa so nos antecipasse em testera.u-
nhar sympathia p1a sa doa, em ioe .ehs
eoads Iuvaofraternal has suma priaris. U
In p~an ar VM




Du-stiOZIaUo r em: c ,r-
amento frances e omesmo q teoaBtc iram n




ltimos a0nos. Apr ststado A camera dos
~ L 0-vo -4l &&j^








doputados, corn a ne6essaria antecedoncia,
a sa dis cshegs o s6 muito tars, deven fo enceta-
noda, e aquele documento s prterido e, ser pro.al-




sento ao senado no dia 22 do de zembro.
guJAem na Europa se nos antecipass estaassemu-bla





dispozera do muito pouca tempo para exa-
inar sympathy rameuto do Estado, e isso fera-hes
causa dao dsaonternal nas suas privaes. ae.


aquo faltavamez parao tenemouar a aconte, era nos
ultimos annos. Apresewtsdo it eawara dos





depabsoutados, corn a nessivel qnsalquea exaeneia,
aind sua memdio superficial tarde u ori eneta-
tdao ext aqueso e teo important com a 6 ae fran-





cez.
sente ao senado no dia 22 de de suppzembrosse
quJa nos annos embraos aeo goerno, e na
dispozera.,do muito ponco, tempo para L exa-
minar o orgameouto do Estado, e isso oAn




icaupossibilida do do exntament do oe recamaent das
No despezasnno de 188poz-s ainda o ineaso sr prelo msen-
tous a dgrave, p orque, nos poucos d ia-





zenda deu parecer crn urgencia e o deba-
que dfaltaam estpar terminadio a tempo de poer
absolutamente, imfpossivel qti~quer exame,




ainda vmeltsrao superfiamento de ums receitas to
camara donso deputado imports antes domo 6i do fran-
cez.
0 senado nao quiz que se -sqppuzesse



qnoe pnha emblla saccionar ao governor, e naes
feitas polo senibilidade do exame dno fiorcamento U ivre
de uspezas da iniciativspoz-se a quexaminar pelo mve-
nos o das receitas. A corninissao de fa-



nienda deu parec ser autorisad gencia e offetuar-



despezas.
te devia estar tern pador est a temprogado, foi poder
ainda voltar o autorisamento damars pareceita, das A




receitas autorisadas, dospenrier 800 milh~es
dcama fra dncos deno prirtados antrimes dotre f do a885.n-




A opinion public urostra-se indisposta
no, para elssa saccirregulonaridade gumas alteranaes in-
feitas pelo sndentes, aconselham ado. 0 governor e a ca- livre
de usar da iniciativa que. jalgasse co-nver




marnientea dos depr autados a qudo effectuar evi
tern a repetizas.o das circumtanias quo s




tern dado nos anteriores.
Pr0 expedientearamse s partidos em Frega parade, foi o
deas pedir autorisas leies do senadoras e para, das
receitas deputorisados, as quaespendever 800 milhe tabe
de francos no prime em 885.iro trimester de 185.
A opiniao pablica mostra-se indisposta




contra essa irreguls partidos monarchidade e os teem tentadoe in-
fazdependentes, aconselharcias em o gdiverno e a rcu-
los para combaterput aos candidates re evpubli-
tem a rep, as teem geralmente tropeias que se




grandee embaragos. S6 animados pole seu
teodi dado nos anterioresl-
gumPreparam-se qu os partido so tem Fratna da di-ra





viado das candidaturas, o quando so trata
do estabolecer programme. Ha par isso-
todas proximas elebabiidea de senadores e para do
tode as depuatntativdos, as d quaeors devem tambes
fazer-se em 1885.





n mon parthicos nat consegui em tentado





gem nenhuma sabre os republicans nas
fazer allianas parciaes em div chegarso.s quan-
do muitpar, a tcomr nas duas candidmarats urea publi-
capresentase iguaa qu te almente tropeado e;
grandes embaragos. SO animados' pelesieiu





maod isso m republican, n muito duvidose, de mvendo al-





esperarse antes quo percam alguns luga-
res.
Entretanto continuum elles a sua propa.-
ganda na imprensa contra o actual gover-
gumrno fazentender-seo cavallo do batrha da daquesto di-
vis'lo das candidaturaej e. quando se trata








do Tonakin e do conflictocam a China,





born coma do u i sombrit quadra em quo
pintam a estado financeiro da Franoa.


0 agent das feitorias deo Loande, um
tel Hamel, acompanhado por forga arma-
da posta A sua disposiggo pela Associaego
Intornacional Africana, e commandada por
um chamado Hodister, tinha ido As mar-
gens do rio Mopila combater aos indigenas
suspeitos de estarem preparando um ate-
quo contra as feitorias hollandezas e alle-
mas de Loango.
0 Sr. Hamel foi preso polo comman-
dante da esquadrilha franceza de Loango,
por ter violado um territorio pertencente A
Franga.
Aquelle commandant, al6m disso, pe-
dio ao capitao Grant Elliot, chefe da As-
sociaglo Internacional da regiao do Niari-
Quillou, quo lhe entregasse o Sr. Hedis-
ter, mas o capitao recusou-se a isso.
Os membros demissionarios da asso-
ciagao liberal constituiram-se em-liga li-
beral, e redigiram os seus estatutos, que
sao os da associagao liberal corn algumas
modificages propostas polo Sr. Van Ham-
beck.
A liga liberal nao pede a revisao imme-
die da constituigao, maslinscrevo essa revi-
sao future no seu programmed. 0 Sr. Go-
blot d'Alviella procura fundar uma asso-
ciagao quo fique entire a associaglo liberal
e a nova liga. 0 Sr. Janson vai ser no-
meado president da associaego liberal em
substituigao do Sr. Van Hambeck.
Como se v6, a political belga estA mmito
agitada. Sao os fructos da situagAo re-
trograde que alli estA A frente dos nego-
cios publicos.
Os republicans tambem teem medrado
A sombra do descontentamento publieo pe-
los manejos do Sr. Malou e dos seus suc-
cessores.
Inglaterra
0 parlamento inglez inglez nao recome-
garA as suas sessoes antes de 19 de feve-
reiro. 0 Sr. Gladstone, e lord Granville
team portanto dous m es adiante do si
para regulareme s negoeios do Egypto.
A colonial do iCabo, que tantas vezes
quio rda ,politic colonial de lord
Derby, resetvvu rewom areom o gokvmfo
V I~reoi apn'4gq ppp este paence
~st4 ~isp a cunc1 par* regular,.

qirestla d
|^^ic^a^^<.s ,ab


aoenta


driz u uicacao no-
,testernunbaram a sue vi-


Stodoo

idade so |p oesc it
re~ cxido.
1,A.-jJulia Gmrsvy e-
pl *co os seu" ela dda
z odies. q etoiu i

pisade quo Ur i V
as na5ei a grii e
se dove As pessoas dos respectivos embai-
zadores.
M.Ialia
Havia mais de trees semanas quo na ca-
marae italiana so isCutia a vaid4e~ pro-
jecto Ieo-approvvndo as convengOs re-
lativas aos caminhos de terror. 0 ministe-
rio pedia A Camera que en icerrasse a dis-
cuseso geral pela votas o dne uma meogo
quo consagra o principle da lei, exprimin-
do ao mesmo tempo confiangs no gabinete
0 Sr. Depretis estavae certa de que dis-
punha da a ioria ; iogonu a cartada e o re-
sultado justificou a sua confiangea.
Haviam sido apresentadas 28 moiges,
quao per ultimo ficaram reduzidas a 3, tri-
umphando a do govorno per 237 contra'
1 8. 0 principle das exploraoes pela in-
dustria privada estA pois consagrado.
Depois das feorias do Natal, qu e termi-
nam em 15 de janeiro, passer-se-ha A dis-
cusseo da especialidade.
*gamta, 86
No dia d -Natal o papa rocebeu, na f.r-
ma do estyalo, as felicitaefes do sacro-col-
legi or ,rmspondendo aa s cardeaes, pro-
numcoau urne a llocago quo dest6a, na as-
pereza e violencia contra a sociedade mo-
dernaa da eordura corn qaeo Le .XIII cos-
tumava fallar nos primeiros annos do sea
pontificado.
Fallou mais de umea vez da penosa si-
tuaglo do passaedo da igreja, chamoa in-
toleravel ao estado a queoa pontifice se v0
reduzido, repetio a jA muito ouvida lenda
do prisioneiro do Vaticauno e disso qua as
circamstancias se aggravavam cada vez
maies. Protestottn contra a oque charna ata-
ques e insinuatges odiosas da imprensa li-
beral a proposito do hospital que pretended
estabelecer em Romea pare ao tratamento
de chotericos e contra a liberdade excessi-
ve concedida A herosia quo multiplica os
seas templos na cidade etern a e ataca os
mais veoneraveis dogmas da igreja. Tam-
bern protestou contra o divorcio, quo alcu-
nhou doe ruina da familiar, o accusou de
comprotten a educaglo de infancia e ser,
pare o estadoa o principiao de uma desasetro-
sa decadencia.
Sair S4atidade concluio dizendo qu a 6
de recoiar quo a igreja nlo veja teminar
esta nova provaglo, a que per Deus foi
submettida, emquanto o ponfice soffrer o
jugo da domrinae oa estrangeira.
Da linguagemr do Santo Padre depre,
hende-se quaoelle estA jA inteiramento do-
minado pelos jesuitas, come aconteceo a
Pio IX nos ultimos tempos da sua vida, e
-mtalvezesteja disposto a dar apasso,
ae estA, desde ha tempo ssivadoa:y- -iasu
,:sahida do eRoma.
Despachos da Berlin pane ao Teegrapd
o Journal de Delaxtes dafIrman quo serA
proclamado suzerano do estado livre do
Congo, ca n rei da Belgica onc condo do
Flendros, oonstitrindo-se em Bruxellas niau
delegegqo pmrmaoente.
Em Berlin falle-soetembem em quo so-
msa urn principo, prussiao queor ficar A
testa da nova onarchi. quo vwi crear-so
no Conga.
--- A indepe qe ne Bes g pubica as so-
guintos promenoese acerca do ur conflic-
to quo houve untimamente entro as agents
da associag~o Internecional Africana o at-
guns funocionarios francezes na cost ao-
cidental da Africa.


va gratidlo par cornm o chancellor do ima-
perro aUoemlo pela sue poltica externs, ex-
primindo tamhem a sue indignaqlo contra
o voto de 15 4e 0bejb ndo
contra a e&dles Ue n'. nWanto &se es-
queceram do q, aqpanfam povo
alemao.
0 M 4ezw'IJmWvers dwat ,.d do lo
do correots diwo^ -llita
em Berliia4e ji un cipr* no 4
test da nwaehia .4^se *-9 rear no
Congo.
Da tal fallada e controvertida viagem
do chancellor allemao A capital da Franga,
diz a Gazeta da Allemanha do Norte quo
ji mais houve tal project.
f'eoratoiimBtil, oaorveo a folhaoffi-
ciosa, eutregar-se a supposigces sobre a
recepao do chancellor em Paris, e calcu-
lar o peso que seria collocado na balanga,
d'um lado pelos sentiments cavalheirosos
quo os francezes mostrariam a umn adver-
sario leal, e, do oatro, pelas excita3es ar-
tificiaes das minorias hostis. As relagoes
dos dous prizes e dos dous governor dis-
pensam, para consolidar-se, actos ostensi-
VOa, que poderiam abrir margem a inter-
protaeges malevolas. Cada um dos dous
embaixadores gosa a conflanga do gover-
no junto do qual estA acreditado. Se to-
davia os homes que dirigem a political at-
leml e a political franceza tivessom neces-
sidade de entender-so pessoalmente, era
possivel que realisassem a entrevista sem
attrahir a attenglgo, nerm prestar-se ao jogo
dos partidos, que se quizessem fixar na
viagem do chancellor a Paris. a
Assim 6, mas o Pester Leloyd desen-
volve a idea d'esse encontro, que reputa
muito natural e em consonancia corn as re-
lagoes actuaes entire a Franga o a Alema-
nha. ( Essas relaoges, escreve a folha of-
ficiosa hungara, sao hoje melhores que nun-
ca, e, pondo em segundo piano certas di-
vergencias, as ,duas naces acharam ma-
neira de entender-se no dominion da politi-
ca geral. Segue-se um panegyrico A poli-
tica do principle de Bismark e o vaticinio
de qu e elle destruirA tao pacificamento o
prestigio do Sr. Gladstone, como destruio
o do principle Gortchakoff.
Ultimo retoque: ( A Allemanha, con-
tma o Pester Ldeoyd, tem agora uma con-
ta a liquidar com a Inglaterra na Austria
e na Africa. A Franga, pela sue parte,
tern differencgas a regular no Egypto, Esta
communidade de interesses produzio natu-
ralmente urma. approxirnago centre a AUe-
manha e a Franea, de que os dous paizes
recolheram beneficios, e, corn elles, toda a
Europa.
0 jornal eitadoa julga qua o entrevista
so effectuarA em qulquer cidade da Al-
lemanha.
De Berlim, diz-se quo a princeza de
Bismarck passara o inverno em Merau, na
,Austrgo eque o chancellor acompanharA
a sua esposa n'esta viagem.
SParece- que todos os caminhos vao dar
a Romae.


Austria U1uagria pletamente a questao financeira da questao
A imprensa austriaca e hungara tern-se da Gecupagao. Ao pass que estA prompt
occupado muito, n'estes ultimos dies, d'uma a cooperar corn as potencias no estabeleci-
cacoferqpcia quo o Dr-Riegar fez no Cesky- mentor .das inancas do Egypto, nao pode
Club, de Braga, Acerca das relages dos admittir, sob pretexto algum, a presenga
seus congeneres corn os maggyares. 0 prolongada das tropas inglezas no valle do
chefe do velho partido tcheque dedicou-so Nilo. A Porte entende que esta presence
a desviar as precaug5es que podem existir paralysa aos esforgos das potencias, corn-
entre as dues ragas e a dissipar os equivo- prehendidos os da Inglaterra, pare arran-
cos que, n'um period recent, puder affas- car o Egypto do cahos social financeiro e
tal-as umea da outra. Consagrou-se princi- administrative.
palmente A misslo de dostruir a londa que Nao 6 certo que o gabinete de Londres
attribue aos toheques, sobre as suas ten- nao queira permittir que a Porta desenvol-
denciag panslavistas, e que, per consequen- va os seus arguments, e que as negocia-
cia, os torn particularmente suspeitos aos Ges hajam sido rotas.
hungaros, perpetuamente perseguidos polo Lord Granville declarou, polo contrario,
espectro do panslavismo moscovita. que admittia que cada um defendesse os
0 Sr. Rieger distinguio centre a commu- seus interesses.
nidade ethnographica e litteraria que unia Segundo informaoeos recebidas de Cons-
os diversos ramos da linha slava e os la- trntinopla, Hassan-Fehmi Pacha, ministry
.os politicos pelos quaes a historic os eon- dajustiga e antigo president da camera
lagou aos differences estados des varies fa- ottomana, iria a Londres, encarregado de
milias d'esta raga. Explicou que era mis- missao especial, em lugar de Klamil-Pachi,
t6r comprehender a peregrinagio, que, em que fora primeiramente designado.
1873,, levou a Moscow os representantes Esta determinaego e considerada nos
das nacionalidades slaves A capital histo- circulos politicos um annuncio de que a
rice da Russia, o que foi entao considera- questao egypcia vai entrar em phase'nova.
do como uma homenagem collective a po- Julga-se que desesperando de obter o' apoio
tencia russa. Tambem tentou destruir to- effective da Europa e comprehondendo que
des as desconfiangas da Hungria, negando a questAo egypcia, except pare certas
com bastante calor, a solidariedade dos concessoes que serilo feitas para a Europa,
seus compatriotas corn os crotas e os ser- acabarA por ser resolvida absolutamente
vios, e condemnando as tendencies separa- em favor da Inglaterra em detrimento da
tistas dos subditos slaves da coroa do San- Turquia, a Porta vai tentar a approxima-
to Estevao. 9o da Inglaterra.
Esta manifestagao do chefe do partido Um recent roelatorio de Musurus-PachA,
tchequo faz parte da instancia dos seus embaixador da Turquia em Londres, con-
compatriotas, que tem ganho terreno em cluiria neste sentido e attribuiria especial-
Budapest. 0 grupo national que tem um monte, diz-se, A Inglaterra a id6a de pro-
lugar dos mais consideraveis no grupo cis- por quae o Egypto fosse neutralisado como
leithano, estA visivelmente passando pela a Belgica.
necessidade de se entender corn a Hun- Musurus, pensando quo esta idea pode-
gria,e e acalmar as desconfiangas e appre- ria reconciliar as potencias e julgando-a
hensoes que existem no paiz. de natureza a reduzir o prestigio, o khali-
Os amigos da Austria, todos os que fado, aconselharia A Porta a sahir da sue
consideram a conservaglo d'esta poteucia actual inercia, approximando-se da Ingla-
como um interesse europeu, applauded es- terra afirn de evitar qualquer eventualida-
tes testemunhos de solidariedade e amiza- de desastrosa
de, trocados entire os dous mais importan- Em consequencia deste relatorio, o sul-
tee factors da monarchia danubi.ua. tao teria resolvido enviar a Londres um


IRussia
E' sabido que o gabinete se entendia, ha
mezes, corn .o de S. Petersburgo, para en-
carregar a uma commissao anglo-russa a
demarcaegao da fronteira do Afghanistan
polo lado do Turkestan. 0 fim evidence
da Inglaterra eia preservar o sou imperio
das Indies da aggressabo da Russia, assig-
nalando um limits, al6m do qual a poten-
cia moscowita nao podesse passar d'ora
avante.o
A principio admitou a presteza e facili-
dade comrn que o governor do czar accedeu ;
mas logo-cessou a admiraglao, e com ella a
alegria que os inglezes sentiram. 0 go-
verno de S. Petersburgo esqueceu-se do
compromisso. Chegaram A fronteira afghan
os membros da commission de iimnites, olha-
raim pa retodos os pontos do horisonte...
neda F
Adormeceriam no caminho os funeciona-
rios rasss eucarregads de definir, de col-
labor eom ellejh os limits dis ambiglo
rg13,4A na. Asiaestrl
E' rcrto que 0 ooscamis*anios russo nao
.ppaoer am &rnda. 0' )a~pl d'lles,,o
a^^^%lA.i Oau4 turh11g0 ^rd


M-79
- ilfe


representante especial, encarregado de ne-
gociar, de accord corn Musurus-PachA,
um accord direoto corn a Inglaterra, para
a solugao da questgo egypcia e para a in-
tervencio turca no Soldao.
Egypto
A questao do Egypto ameagaeomplicar-
se gravemente no terreno financeiro.
A Allemanha e a Russia misistem na sua
exigencia de term representantes seus na
administragao da divida public, As outras
potencias apoiam essa exigencia doclara-
damente a imprensa ingleza, e o governa-
dor do khediva tomrn-so visto nos maiores
embaragos para dar uma resposta decisive.
Ao principio responded elle que, nao po-
dendo por si s6 modificar a lei da Ii-
quidaggo, o que s6 podia ser obra collec-
tiva do todos os signatarios da mesma lei, era
seu desejo que as divorsas potencias se po-
zessem todas de accord a tal respeito,
alteran4o a lei, de modo quo a AInranriha
o a Russia obtivessem satisfag" o -. sre-
clamaeaes. Esta resposta nao satist-z Os
governor des duas nag5es, quo tm r .pti
do as suas instancias. ,
Uin telegrauma reeente do CaWi
maa quoe ,okhadiva,' em'vi#ta d4
energics das aduspoten0iEs,:
fls seos respeetldvo ponpulbs ::quW
a represeitagto pdida.


ter isprogum ,IegOduispnR
V"-se, poMs, qua o governor russo epaW
veita o isolaino to em quo so enonutra a
Stter I trata4e hosite o
^awn l- |(tflaia I~lgeeh*"(tena e

iuman itua ,cheia de interosse, qu
m a ;r deo perto.
^ Rwdfaria
4 inou o anno con um conflict na
pennsua d al~ens.
A AW*oc entre a Bulgaria e a Sqr-
.via nft foipegulada.
Nao dove tor esquecido a.origem da des-
avenga. Um destacamento de policia ser-
via foi expulsa corn violencia poles forgas
bulgaras de uma ilha -do Timok, cuja posse
6 reivindicada polos dous estados. Al6m
disso, a Servia queixou-se da presenga dos
emigrados politicos em territorio bulgaro,
nas proximidades da sua fronteira, enten-
dendo dover attribuir-lhes certos roubos de
que os nacionaes foram victims.
0 gabinete de Belgrade mostrou-se de-
masiadamente susceptivel nesta conjunctu-
ra, Isubmetteu A skuptechina o negocio,
aprovot ao ensejo para fazer votar uma
moaio do ponfianga, e enviou ao governor
bulgaro um ultimatum secco e altivo.
Troca de explica5es azedas entire as
duas capitaes deu em resultado a quebra
des relaqses diplomaticas, quo nao foram
depois restabelecidas, apezar da interven-
9Ao da Allemanha, a qual, dosejosa do n~o
ver pertnrbada a paz no Oriente, havia
pedido A Austria e A Russia quo aconse-
Ihassem bern aos seus respectivos pupillos.
Esta intervenglo officiosa havia produ-
zido um accord director entire o rei Milan
o principle Alexandre e o negocio podia
considerar-se como liquid.
De repent, o ministerio bulgaro lembra-
se de achar inconstitucional a iniciativa do
seu soberano, e, em nome das regras parla-
mentaros, reclama a direcclo dos negocios
diplomaticos. Denuncia em Belgrado o ac-
cordo concluido directamente entire os dous
soberanos e proper a renovago de nego-
ciaoes centre as chancellarias. 0 governor
servio annuio, por considerar esse proce-
dimento injurioso para a posse do principo
da Bulgaria, de certo modo protestada
pelos seuns proprios ministros.
E' este o p6 em que se encontra a ques-
t3o. Attribue-se o procedimento do gabi-
note de Sofia aos conselhos do agent russo,
cuja influencia 6 grande no espirito do Sr.
Karanelof. Sabe-se que depois da mudan-
9a de monarcha, o principle de Battonberg,
favorite do defunct czar, deixou de ser
persona grata em S. Petersburgo. A' politi-
ca moscovita conviria substituil-o por um
principe dinamarquez mais estimado na
certe, e a diplomacia russa em Sofia obe-,
dece, sem duvida, a instrucces especiaes,
apoiando uma political quo nao pode favo-
recer ner o prestigio, nem a autoridade
dojoven monarcha.
Turquia
A Porta nao modificou nenhuma das suas
ideas Acerca do Egypto, separando com-
















contrario, quo ubar-Pa-
; resposta an a,
6 as potenciasi.. natarias da
Lhi iy.idaaglo podem oolUivamente re-
qjnr e ella sja modificada,
S +'0 correspondent pari'.enso do Stan-
k-- adi. saber corn corteza. que a exigoen-
.* a da Allemanha e da Prussia e resultado
de um acoordo entire estas duas potencias
.*4 um lado, e a Franga a a Austria-Hun-
grin&do outro. Esta luta viva, segundo
eie, e o preludio d'urma campanha diplo-
matica, quao tern p3r fim garantir ao con-
earto europeu a ultima palavra nas ques-
tOes levantadas pelas propostas financeiras
da Inglaterra.
A Pall Mall Gazette pnblica um tele-
-* gramma de Roma em que so Ihe diz que a
Inglaterra obteve a adhesao da Italia para
a sua political egypeia, bern como a pro-
- messa do apoio material em determinadas
circumstanuias. Emr compensagn9o a Ingla-
terra prometteu A Italia apoiar-lhe os pro-
iectos de colonisagao italiana do Mar Ver-
melho.
Em todas as insistencias da Al1emanha
e da Russia, v& o Standard do ,Londres
um minejo do priacipe de Biamarck para
hostilisar a political ingleza no Egypto e
sustenta que a fiscalisagao financeira inter-
Snacional seria peior do que a antiga fisca-
Slisagao anglo-franceza, e que 4 dover da
Inglaterra oppor-se a realisa9gAo do piano
do chancellor.
Por outro lado, o governor inglez nao ob-
teve ainda resposta das potencias As suas
novas propostas fiaanceiras. Vd-se, posi,
entree dous escolhos: a proposigao da Eu-
ropa a rofobrma de fazenda do Egypto,
come elle a entende fazor, comnpliceada
agora corn a exigencia da participagao de
todas as potencias na adrninistra9ao da di-
vida public; e no interior umina opposigao
a que a Inglaterra fa9a os sacrificios pecu-
niarios de vualto no Egypto, scm a com-
pensaio da cxclusiva influencia nos ne-
gocios daquclle paiz.
U1n despacho do Cairo para o Jornal
dos Debates diz que Nubar-PachA recobeu
orden do Lmidres para convocar a camera
dos notaveis, afirn de estudar a reducao
do imposto predial, mas quo o khediva se
recusou a fazor essa convocagi.o.
SPrasegue lentamente a campanha in-
gleza no Egypto. Telegramninas de Korti
dizem que o corpo expedicionario ioglez
,dostinado a libertar a cidade de Khartum
o e o general Gordon esta concentrado em
lKorti, devendo tor marchado sobre Morn-
vi a 28 do dezembro.
Chegou ao Cairo, no l de janeiro
uma carta do general Gordon, dizendo que
tudo vai inmuito bemrn em Khartum.
Cihina
O general Brione de L'Isle annunciou
ao governor em telegramma expedido de
L'-igon no dia 28 de dezombro que matou
,300 pirates chinezes, e lhes tomou duas
p;9as de artilbaria.
S~- Nos primeiros oito dias de janeiro
chegariam ao Toukinm os novos reforgos
expedidos paela Franga, ja cstao tomadas
todas as medidas para o ataque.
SNCo5-aio de janeiro devem realisarse
as operagZes defintivas.
--- Annuncia um despacho official, rece
bido em Paris a 3&.d dezembro, que as
tropas frcincezas fizoram um reconheeimen-
to em fora, defronte de Trejeu Puan, in-
Sflingindo aos chinezes perdas considera-
vaos.
dapao
Um cyclone que ultimamente passou
a costa occidental do Japao, causou sen-
| iveis desastres, a que o gouvrno estd
i aeudindo.
|Em Kurashiki destruio 500 easas e
1,800 pessoas ficaram sepultadas nas suns
ruinas. Eta Jamashina, 430 casas foram
derribadas, excedendo de 100 o numero


dos mortos. Em Sminabari, Matsnijamr e
lojo, 151 casas desabaranm e 112 juncos
foram a pique. 0 numero do victimnas nes-
sas tries localidades e do t70.



EXTERIOR

Correspondenela do Diarlo de
|Pernambuco
I PORTUGAL-LISBOA, 5 de janeiro de
|1885
A proxineidade da catastrophe espantosa, na
?visinha Hesptnha, que dostruio em poucos dias
mais de cincoenta povoacoes na provincia da An-
daluzia, limitrophe de Portugal, tern trazido os
Sanimos aqui muito amedrontados, porque ainda
todos se lembram, come se a elle assistissem, do
cataelysmo que em 1755 reduzio Lisb6a a um pa-
voroso mountao de ruinas.
E ainda mais, porque o terreoioto recent que
laniou na miseria tantos milhares de familia e tao
granie numero de victims teem feito, n'aquelle
a paiz, foi aqui precedido por um abalo de terra que
muito apavorou os habitantes de Lisb6a, Porto e
outras muitas localidades onde foi sentido, na ma-
drugada de 22 de dezembro, com o Ihes referi nas
i minhas anterinhores.
Amanha, o que tamnbem n'outra sec9ao, men-
ciono, depois do desenvolvido extract que Ihes re-
motto de todas os tristes noticias d'aquella cala-
midadc, reunem-se os representantes do jornalimo
de Lisb6a, a convite da redaccalo do Correio da
Noite, para deliberarem sobre os meios de reco-
lher soccorros para os povos da Andaluzia.
No dia 2 do corrente reuniram-se ambas as
camaras e plto Sr. president do conselho de mi-
nistros ioi liJo o decreto real que encerra a pri-
\ meira sessiao da legislatnra e abre a segunda, o
quoal A concebidu par seguintes tcrmos:
a Sendo chegada a 6poca em que polo art. 180
"- .: x" da Carta Constitucional, dove ter lugar a scssIo
Seal de abertura das c6rtes geraes ordinarias, e
cnUmprindo quo a esse acto preceda o encerramento
*as pres-ntc c'rtes, hei por bemrn determirar que
a'essa) real de encerrameauto das minesmas c6rtes
se: vcrifiquei no palacio das corte-s a 1 hora do dia
2 de. janeir,, o que cm segu:.lia t-rnha lugar a aber
tura das cdrt :s ordinarna.
a-" Nao podendo ea assistir aquella solemnidade,
b hei, outro sim, por bemrn ordenar que por mim as-
sistam ella os ministros, que eompoem o actual
.: ministerN e que, em menu nome, deetmrando o en-
cerramenro das presented c6rtes, declared tamben
A: seguidamnte aberta a sesslo ordinaria de 1885
v a Os mrsmos ministros assim 0 te iham eten
dido e extcutem, e o president d o conselho, no
princpie da seaslo, leia este decreto e faga depol
~' reBet 'c6pias autenticas a urma e outra eCmaras
ds.P6fes'das s arohivoh.
toiltida a leitd Grt0Wdocs mento, proungal
,s: -- t6eado coudllls:
-jreudreinoaS.d.GO t56
^ '. *; *^^QS^' PW d0 Tn0 ^s^ eflttado, d
f ~ f 3*- "<^^ ^ P -a'aaeV n^

o,4.V A ssAtn.*fz ois, otrveouno ora doi-r, qo 6dw aquh rne.Arim uindeosdoen
! .pr....on a cu sprdo letraas. no tavis emdtornoe do ctafalco.W

dotes d o argnmntao. Esta propota pariqs abe Urea d'ellas tombaia, como a ardor a arm-
-e Qwa Mausde Carvalhw, tiiha por fiiB leeera doe am- Adbwewe. ...* .


ico do juanamento politico, ja ha mais de 25 annos 9 do.ea e qu me ra ria; d'ahi passo ilit s0
dictatoriae per dltado laOegitimita, quando aquell e s baetas quo forrava a s, w a d'ahi o restao...ena
partido tia ai nprose tautes. P Consiglieri fatal que a to er, senta ahnofad do sa coupd se-0
toP ella sido ronovaoa, inanbes pllodis pous paublific- turn abatimento spe d a iast freguz ostroina qu s-



canon quo tern ido A camaro., o sempro do bald hisse do. batota, A quo den pelas ehammas quo ja
(!), coinquanto on- partidos monurchicos ontendarn i~rrumpiarn pelas janeolhas do. ossa, era quanto us
quo. A estrharia li absurda e ataca do create o mradoraquee trase A rdiam rumiat villas de seran
professor no ipa d ibeordad nprior-de lettrase garantida s em ltorno d. catafaleo.



polo. noaso codigo fundamental. Don-se alarm, aalvarsam-se par mangas do ho.-
dotes de argea otra estria : do Spota para abo Uma per scadllas dto crocherco e par oscadas dea uprma-
lito juFerreira de Almentida, officials da armais da, e moann- pio da ea quo era riea quasi nudeipassou ias sainti-efas,
bfora feitado partido progritissista, qu ando aquet u s baetas que forravam a c salvar. No resao reso...
partido tinha allh representantes. Posteri .ormente Umn sereno, sentadcb nit alin-Adda, do seu coup noe-



projtm ella io do lei sobre novaidas assume ptUos rep adminis- sado enflicto espera de asubstruindo-z estroina que sa-
tano qe naval te discusando a resperto de quobalde hisse da bat pro- qu fnonta, e que deuo pela coapod defuato, mnqucent ja
(!),cpuaha uomq grando aporaib dos onarch influosentenda irrompiam pelas aqnella fogs da cair, j carbonisado, os
Coqe t velharia 6 absutiurda e ataca de fquesto das eo de t onors u present, dio dormiam a somno
elprincipio da lMadeira, sode peonsciencia gado, p rant igados, as joits, o. poc as.
pelao dnosso codigo fs dameputal.dos lits p aque 0 funeral, adiado, ezsalvaram-se d'ahi a 48 honasde, sa
Tamcireul houve outra estreia :lque lugar da o Sr. Jos Ben- hinda, po da igreja pas de crochial d t, e por esneadaA de; a cip



ousslo o tomarom noeln panto pars defender a sun dade falcon unito dois-dias, e volton~a ponsar, ca
to Ferreira e Almeida, official da armada, e mem- piico ablut de d qual segunm estado de quasi nudez ami, anos divntesoi as-
virom do p bartia do cama progressita, depuead elitos an um ranpts qe poueo mais possum iavr. No reBessioal-odi, pas
proetomar dfez dei sobre varios asuleimpoes. da As udmini- sado o eonflicto e desobsentarues, no th os etalhos, e d D.
Dtrao nava l, discursando a respeitdro de queo da palro- Caque foi encontrado oe cantorpo. Fido des D6vzi qunocente
punha um grande aplomb e notavel inflaer, cuj relator t causador a greatoda attraction dgueira, arbs. Nisado,




era a Sn. Teixoira do Vasconco~lls, parante do fal- opirhotus amavois quo so nbo tonharn desencava-
eCom escrua discutir-se improvisada quenalista. 0 io das e nos dias seguintesarr o p metaeigrina taeosos fundidosaquella




E. Gouveis deputado, tambern nepubhicana, turnun diva oxcopeional, quo tern rlagrimats nas somrisos e
eipartoe n discusaMadeira, se ndo permitti as do, pr dein 31 quae ligadsos nasg joias, e po co m ais.nd hnte ere
ho da camrafoss rsvado a paos deputados eleitos pr aquelle 0 fi- via un dos seals mais fevz-serosos admi a 48 hradors, sa





to, o quo n'Ao foi possivol A. prosidancia cuncodor- E o mais 6 quo tuda quanta dizom saids flea
irculos asistr que, eerameanto qu deviratr lugar a dis- hindo da igreja parochi qu ella mEnca: figura, vo, a ci
cus2 dso e tomarem n'elda parte paraertur dner a crtesa distinade falloa nito doidia, be voltoleza, cmprehensar, a





impunha a nocosaidado do remover a iniciativa doecxecueato, tudo ella rouna. B' urn encauta.
eleia tudo quacabando-se cotn ai t restrisa fo absoluta dent. Ouvi-a no lal segundstao eno Hamdolet J nos diversosvia ad-






O relator, aggrodido polo. inrsinuu~a do leviandade mirar-me inuite, porqno doada .... a grande Al-
qu virhe fra assa daa pmara dus idpugnados eleitos do ban ha sumptos que mais p aossa, ou in imra deo mais antig-o






parecer defondon-ae coma podia c assim so passou data, siga corn regular froequencia us espectac moa
toem frmalir defeza daades egimntacsoes, ss pr d As ultimas, Ao me recrdsentaoe, dno th entido de quD.
alta de nuovoro Sr. Contrsiglieri Pedro usou da pala- Carlos da celebre atranti ouvio Fidesne. DDvrivzis n sc6 d loucura
vra seimpugnando o respectivo parecerzembro, csegujdo o do rlator ten act sido Hamlet dattractmbroise Thomdias. M ha
era o Sr. Teixeira de s soasconc im quecallos, parente o diso fautir-m as epittos amaveis a que se nao tenham deenso.ava-
lecido es riptor ic mallogrado jo 188 lirnalista. 0 Sr. tado paraop ni maestro he tolagrmapho talentogo d Pa-quea
E. Gouveia deputado, tambenov republieano tomou diva exeplicitando-nal, q. e te lagrima nos sorsos e
part na discussrvi a minha ultima misso do dia 31 q. e sorrisos nas lagrimas como aind L. hontem ere.
ihe fossepreiservadvetia a palavra o pa ra a sessa 5 $ fortesegui- via um dos eus mais fervorosos admiradores
tcads din do que nao oi posaivel a presidenia conceder- E o mais es que tudo quanto dize ada a
fe poram que, o ecerrament o qu devia te r lugar muito a quem do que ella mercer : figure, voz







malidades : a eloi9Ao, do.lists quintupla p-amaao so- Il~ lI
2 de janeiro er immedito na abertura das cdrtes distintao, senti-ento, belleza, comprehensao,














va osoolhido, renovou-se coirn us mearnus names, oI c orespolde cd irod
impunha ado d necessidade de remover ipritdida pade execuro, tdo ella reune. E' um encato.
u de utado dcano o quali tivesse fica do pendente. Oavi P-a no auso e no Hramlet e ja nabuco devia ad
relator, aggredi do pe la insiula asscebla pol mirar-me muit ), pArque desde.... a gran-de -
que dlhaum dia pa r um dos impuutr vltonadores do bani ha trinta anuta VZ nos, ou a la de mai antia
pafunecenar dcomefejunta preparatodia. HaverA nov passou data, sigo con regular frequenia os epectac os
em formalidades ecretagimentasos, qu series, suetos por de S. Carlos, e no me rcordo de ter sentiduo que
tifalta de numero e out a camara c s eatnuco edifice, nova- tes senti ouvio Clakson divriindosea ena da loucurado. 0
a seg qu sjam as ineiciativas dezembro, conseguindo o doc- cerebrto do Brasinlet d'Ambroise Thomaz tis
tos ontes process, seu fim que era os debates no panto 0 success di -0 Brasil apreciand o esondoso.u-
reformas uo tinham ficasd, em o marf188 limt a corer, isto 0 proprio mao eleio. -A malrphla do gooerna no-
a apresentar o projecto do novo5. diris, qu a u c gto os rs eltoa iorado da c.rt.-Poqu vencaram us
dqputados a reguvi n a minha ultima missiva.balhos comm- can ats go nistas. Sr. Fel a







corns6 s dns o. and c cabm A 5 m pnto Vianiarte o Sn Valdataro.--Auxilio abulicio-
E' prectud iso advacartir que o pa iz s, custa dos cotnib.in- nistapstado a esr. Bezea dMenz-A
s 0 tiam, 6 ganh.parla tempo enta ntrtanto o novas delays dt-Os epsdos qu e esses 15 dias
fora-m abso ut ante numperdidos. Agora, novabS d qu s for-tern dad.-- rouba dos papei relatives
praphanodes : ais tarde talio ta quintupla pzara d el do 3o distrito.-Ua sinuao do
berano escolher outra vriz pr~tsidente, quo ja esta------------.^-







va escolhido, renovou-se coBn os e ade Mee s.--Eleia do dres-







Tern corrida diversas versbes sabro a hypo- dente a vzce-presrdante da Camario Munwz-
pathesesan de u neovo a caronara a ser jto p residida por pal
um depuitado decano ou que na falta do decano Pe rnlambu~co







tem fins de aer dze Nestor d 1883 parluella as rfrmas polt- JANEIRO.-CORTE, 8 de a







liticas, entro a apposi~ao eo governo fleun dccla- .Jti 6 ahi conhocido o resultado do 2 oescrutinio
ca, que ddamnt rtum dia para o outro voltou outra vez ap excln-
funecionar comojunta preparatoria. Haveril novas neiro de 1884t







eleio que suecretario que serai, prquo as prmesmo. Cos cia, -a phrase do escruiptorn ministcipio neutro. -n,







era politics falhnan muito ; inns ad Ihao podoroi di- em urn artigo publicado no dia 4, em quo, niman-
zetituir dso-hais de novo a caman i c s o entao, renova- do elitado corn a ostatitica dos deputados
das que sejam as riciativd progreasi deta, a esquer projec- cnheeidos, n qual cntn 54c libeitos dose 29 cntopicos-
gtos ous s pareceres e deputaram os debates nolla paoeta- vado s-to ando com lgatios os diploras d-
em que tmhilam ficadu, e o marfim a correr, isfco 6, ^ ^ ^ ^ ^ ^







s thdade. Detr00000 dia m pos, queo e'ia um gos dove cfoetu-s dos liberados am da tictos em -que os consoervado
deputadosa regni, u conclave, qu os trabalhos comme- a ur' res fr mais votdsa- conitnd-o a quer ad-
dclarao qsuae o orga official daqull partdo hia o sabVian pa e o Sr V aldetaro.-Auxilio abolicio-nta
fez ha ptuo. Faareca-m passo, A cqusa dos cosan nrub.io A capital do Impoiao Sr. Bebera doeMeBrasil. e'
':es 0fim, 6 ganhar tempo e entretanto ope- novas declaraVOes daete,-Os episodiw que se






rar-se um ante numern o dque ia anterior sea de que os u dagrando.-O vida naroubo dional. Palpitativ no so
prno santido d hostiliar de tero noticia, appear todos so coale as plsados do istricto.-Um pat insinuaa. o' pldo







modas passivois a maginavois. axpans,o intellectual o moral du Rio do Janoiro
Tmbern corno diversas vers. Fontes obreu a hypl so- que Basi 6 conhecpresid ente julgado polo munido.i-
these de um novo (( accordo, visto quo o celebrauo jpal.






guem fins de dz a sunembro de 1883 para as oua a gand papl, ms tambem a sponsaili
bltica, poentre a opposinao e o governo ficou dee ma- Jdade aenormhi do clitoado d o resultado do 2 escrutinio.






rio tinham so manifoatado disaidoncias profuirdas, ?ur serum govorniatna dons dos tines deputados
Sera precise, que m prsens d attitude hostile elo munieipio neutro, cipi o municipi o por excellen-







dii mirnor~a= na Eirna -s otoasoa -o m,.xrzaive! .nist.%der1Ir-io.pn~ tlu.t;' ._3- _eg '.t fl J
0 que succedadea prno segundo mrqe afimas provisoes cia, o na phrase do escriptor ministerial Clarkson,
em political governor d ; mas so h'o poderei d-dos, nm us jas opm artigo publicaionistas so conh 4, em que, niman-
zer depogessistas sd novamente se taim a reunir as cmiso do o eleitorado co 6 pa ablin a statistical dos deputAdoo.
goexecutiva do partido progressista, a qu se ag 0 re- conhecidos, na qualrbr d conta 54 liberaes e 29 conser-







0 Sm pareseco-tac os ad'el-rei d o jecto ministerial.
leh conceded, so prcisoe for, urafornada do moma e a mais qurlificada circuamcnipobo territorial,
duzia de paros. No oasO porem de foam naquella annoxa A provincis do Rio de Jameiro, estit cm pea
camaro corn urn anica vtot do iaiooia, campor sa so itcodosacerda corn aos clubs mraes da mesa pro-


mesma se contentarl pars dizer que lhe nao fal- vinCeia.
tarn as indica95ea constitucionaes, e as reforms 0 eleitor carioca rompe cornm o eleitor fliminen-
politicas, as takes que S. Exc. propoz, e que nada so, mAo grado o travo de unibo que prendG o caf6
de impdrtante virao reformar na cartsr, ho de do eommissario (correspandente chamam ahi em
passar assim mesmo, tirando-se aos adversaries Peruambuco) ao cat6 do fazendeiro.
o pretext de as fazerem dIes pelos meios legaes a A carte nao se aterrorisa corn mo project mi-
nestes quatro annos, porquanto 4 essa urma dispo. nisterial, quer acabar corn a escravid'o, proseguin-
sie9o do respective project de lei quanto ao p-.so do na series de medidas de que se tornon prelimi-
da duracto das reforms quo se votarem agora, nar aquelle project. ,
Mas, diz a imprensa progressista, quem vos as- Continuando em suas consideraqeaAffirmao es-
segura, senhores do governor, que durante esses criptor dos topics queo ji. passou o tempo emsque
quatroannos o powder nao passa as maos dos vos- qualquer president do conselho se glorie de ser
sos adversaries e que, privados elles dos mneios le- escravocrata da gemma, e estamos muito longe da
games de procederem as reforms constitucionaes sessao legislative em que fazia part do program-
como elles as entendem, nao lanara o mao dos re- ma de um ministerio -nao cogitar do problems ser
cursos dietatoriaes pars as levarem a cffeito fora vii; e portanto, quaesuIer qae sejam os dirigrea'
do campo da legalidade ? tes da political, liberals on conservadores, a ques-
Na supposiqAo, porem, de que andava na foirja tao servil firmou o seu direito de cidade e tero de
outro accord, dizia-se nos circulos palavreiros da fazer acto de presenoa em todos o0 programmas
capital que o Sr. Fontes, votadas que fossem as do governor. ,
suas reforms politics, entiegaria o penacho A 0 gabinete gosto u tantao doese toapieoque oman.e-
Granja, isto 6 acs progressistas, como premio da dou transcrever no Jornal do Commercio dhokn-
sua docilidade e que nesse caso o novo ministerio tern, com o resposta, provavelmente, As.aaprneoaoes
sefia composto, nao de todos os caudilhos progres- do Brasil sobre o resultado da eleiao. '
sistas que mais tern bradado contra a falta de pa- De facto, segundo o orglao conservi-adr, o :.trium-
lavra do Sr. Fontes, mas sim dos que menos se pho moral foi dai opposivao. -
teem compreomettido, e indigitavam-se nomes, que a Tomando, diz clie, as votaqoes mais aceitas
me abstenho de repetir-lhes, porque nao creio na por todos os orgaos da imprensa, obtiveram em
realisa9ao de tal contingeovcia. globo nos tires districts da capital:
Tambem correu que seria organisado um gabi- 0 governor 2,394: votos
note de concibhaao, corn progfessistas, regenera- A opposicao 2,384 ,
dores e constituintes. a Ou a differcnca total de 10 votos a favor do
o nvernn !


E' a segunda e a terceira edibAo do malogrado
alvitre de umn gabinete de fartas-cores.
Tambem niao creio ; mas repito, o que me parece
mais provavel 6 que a maioria vote Ai carga cer-
rada a proposta do novo acdo addicioaal, embora
os 30 deputados progressistas combine entire si
abster-so da discusslao do project e se ausentem
Sda camera, ou vatem d outranoe contra todos os
- artigos da proposta.
N'isto parece tero havido urma certa divergencia
Sporquanto alguns jornaes progressistas oecupam-
se de aualysar os artigos da proposta 1- Sr. Fon-
- tes c seas colleges no gabinete para a reform da
Scarta, emquantto outros juraram aos seus doeuses
nao Ihes dar a menor importancia, e chasqueacm
Sem globo de tao amesqainhada reform combaten-
Sdo o governor em outros assamptos sem tomar, po
a rem, a scrio o text dIt mencionada proposta.
S Eis aqui o taboleiro do sadrlz politico onde oo
Sparti-ls se centret.-m a jwgar em familia,emquant>
s 1l torn as poteunins mais poderosas e atP as mano-
L importantes se divertem a jogar-nos a tunics di
nossa prepondcrancia colonial.
UIm deputado progreseista, o Sr. Burros Gomea
, ji pedio, em dezembro, quite lfbsem presenteS
- camera os document-s relatiVos'a conferencia di
l Berlim.
Mas o governor farA ouvidos de mercador e s6 o:
a apreoentara quando a confereoncia termmnar c- fo
Srem assignado s o eoultpeteste protocoolls. D'aqu
- -at6 b iqu 1e a 4e contit o p- e4v, ,- *at
o brn, eom am im iaowld.ucd -W -rmaj.,
s menos verdadmbrasds, .. "
a agenc-ites r6 "i-.
informabdo'.s i
o paize dos alhe q.ft
.01..- ~. fir.. IF4
'-; R,
IL-A-


e *' 0% f lateposse, bale dlinotiv.45sa
quo ogw ..-o uoue coto esaa ut
tado.
Fa- tn e s Sr. VaUtoro o apoio, s6mmnta mo -
ral que fAOep dq gove* ; nao tivrsse elhe bafejo
official1 o auxlio dt autoridadn, policies que
em sea favor eabalavam, fawado promessas que
tinham p garantia verita do governor; nao tivesse
o prostante apoio do 2- Lcommandaate da Escola
Militar, geitoso, insinuate e muito relacionado
corn a offlcilidade daquclle eataboleeimantoi; nao
tivesse ainda por si urna certa propaganda felts
corn habilidlade e geito nas repartil&es publicas,
em que ha muito empregado 'que no ternm poli-
tiea, e s6 vota pur condescender- com o chefe, que
Ihe diz que nao dove deixarr de apoiar o
governor; faltaeas tudo iato ao-8r. Valdetar0, e,
certo, nao seria elle, que 6 Apens eonhecido como
umchefe cabaltsta de freguezia, o eleito, tendo
pir competidor um home do vulto d Sr Fer-
reira Vianna, que, serm pedir, teve votos de li-
beraes proeminentes, senadores e -deputados ja
eleitos, que lWos deram espontaneameuate, esque-
cado0o adcversario pars so6 verem urma grande
illnstracao, cuja ausencia do parlamento deixarA
urn vacuo, disiam elles, que nao paderA ser preen-
chido.
Tern portanto razao o Correio Paulistano, que
acabamos de receber, quando, dando noticia da
derrota do ovelho parlamentar e pondo em re-
levo os seus merits disse : -
a Instado, elle consentio que os seus amigos o
puzaessem denovo na vanguarda dos combatentes.
Nos areas do Bein de tolos, saerificou o dascanso e
as sass deAsillusbes. Atirou para long de si o nojao,
que soffria, enronupou a tunicas branca dos que se
esquecem e dos que perdoam, e de novo entrou na
luta.
w 0 resultado deste repto entire um que ninguem
sabe quem 6, e outro que tinha em torno de si a
admiraqao de todos .; entire um que se pretendo fa-
zer e outro que 6 uma gloria national ; este repto
trouxe ao espirito a passage evangelica do corn-
ba4e de Goliath.
r O resultado da luta commove, aterra, entris-
t-eI, magda, mas nao assombra. A divisao poli-
ties punha atraz do outro uma maiora de cerca
de 4)0 combatentes, e, ainda assim, apanas 20
lh.a drain ganho de causa. E, alem disso, para
qqe a pedra assassin tivesse mais torna, ahi es-
tara a fund do governor postal nas mbos bos can-
dflatos amigos... ,
0 Sr. Bezerra de Menezes e Henrique de Car-
valho gozaram por igual do mesmo batejo official
que entretanto nao valeu ao segundo por ser
crescida a maioria conservadora do 20 district;
e nao valeria ao primeiro, se nao f6ra o auxilio
Se Ihe prestaram os abolicionistas do 30 district,
e haviam em 1 escrutinio votado no Sr. Jose
SPatrocinio, o qual chegou a obter cento e tan-
votos, a maior part dos quaes foramn dados
n a ao Sr. Bezerra de Menezes, sob condigbo de
: ele havia de votar sem restrieaAo polo pro-
ao do governor, tomando desde j esse compro-
so por decleragao na imprensa.
defacto, esse mesmo Sr. Bezerra, que na ultima
ao senatorial de setembro dizia em sua circular
a leitorado que aas ulceras chroricas-o Sr.
oerra e medico-, jA instituidas em funcao de
ooanism-), no podem ser curadas do chifre,
para que se nao d6 o inevitavel desequilibrno qiue
produz a more, e que como a lei de 28 do setem-
I bro garante a liberdade e a propriedade, cura a
chaga ao mesmo tempo qae prepare o organism
para funccionar sem ella, elle Bezerra, candidate
A seuatoria era franco partidista dessa lei, em-
bora admittisse dentro do system que ella creou
medidas que Ihe active a acgao ,, appareceu 3
dias antes do 2o escrutinio dizendo pela Gazeta da
Tarde, a que julgava ter-se definido cathegorica-
monte quando declarou que depois do discurso do
Sr. Cotegipe nenhum liberal podia confessar-se
menos progiessista do que os conservadores, e
acrescentou :
E Entretanto, cimo ha queen naojalgue bemrn
clara aquella declaraalo, talvez por nao me ter eu
referido ao project sobre o element servil, nao
me custa dizer o que into: e 6 que, se f6r eleito,
votarei polo projecto, o que aliAs se devia in -
menr da minha posiejo em relagie ao gabinete
Dantas. -
a Vot- e voto sum restricoges.
Nao fosse e0se concurso dos abolicionistas, e o
Sr. Bezerra de Monezes, inflencia enraizada no
3o district, coma se suppoe a tendo o sou partido
no poder, o que importa sempre um acnrescimo de
fores ao candidate, teria sido derrotado polo Sr.
BntUoeS Carvalbo, home novo, que sa tinha par
Ssio apoio do partido, em cujo nome se aprescn-
Jt aO.lg. n a + o o r pf --- 1 __. _.... ...
"Conhecido como fisa o resultado a' olaig2a dla
corte, nbo serA descabido conheeer-se os episodios
que so Ihe seguiram e nbo deixam de ser cuniosos.
Foi o primeiro delles um engano commettido polo
Jomal do Comrnercio, do qual resultou ser o Sr.
Hearique do Carvalho considerado eleito, e gosar,
par espapg do urna hora ou mais, das glories e
emocaes de veucedor, regebendo dos seus partida-
ties vivas o acclamajies na rua do Ouvidor,


quando ahi so apresentou. '-
Dandtem bolet-aas votagces parciaes, o Jor-
nal, talvez, para aRtecipar-se As outras tfolhas,
deu ao Sr. Carvalho 125 votos na 2a2 secaIo de
Sant'Anna, em que elle tinhat tido 93. E como o
Journal costume ser exact e quasi sempre recebe
as sass informa9g5es dos ministros, acreditou-se
que aquelle resultado era de origem official, e a
Gazeta de Noticias e Folha Nova apressaram-se
em ajuntal-o A s outras votagoes conhecidas o- an-
nuaciaram a eleigao do candidate governista. 0
Paiz, por6m, mais cauteloso esperou informagoes
d)s seus reporters, e mais tardo affixou boletim
dando eleito, corn pasmo geral e ineredulidade de
muitos, o Sr. Fernandes de Oliveira, o que tam -
bemrn fez o Brasil pouco depois, affixando as vota-
goes parciaes de cada seecao. Foi entao que se
conheceu o engano do Jornal, que tantas alegrias
havia causado em uns, como tristezas em outros,
entrando no numero d'aquelles o proprio Sr. Dan-
tas, queinformadb peb mesmo candidate que st
julgava veneedor do resultado snnunciado e ap-
plaudido na rua do Ouvidor, telegraphou immedia
tamente para Petropelis, r-oticiando ao imperador
a eleigao do Sr. Carvalho.
Mais tarde, porm, corrigino o seu error, dizendo
que o triumph do governor -un cnprehendia o 2
district.


0 segundo episodic foi um assalto de que quei-
xou-se a Gazeta da Tarde, na sua 2a edicolo, ter
sido dado por uam grupo de 50 capoeiras A sua ty-
a.a... .-_ v ...... :- nn; n A dalo A tnlma A s 1/).


.i.... pograpina c e cnrpto lu IU u e* 1* 1V, vy, ... /-
t Decompondo se a votagao par districts, a op- horas da tarde, na occasiao em que sahia do prelo
Sposibao venceu no 2o por 12 votos, perdeu no In a la edicegao. Affirma essa folha, e na f6 de sua
por 20 e no 3o se perdeu, foi apenas por 2 votos palavra repetiram as outras na manhb seguiute,
a Para aquelles que conhecem o nosso paiz, que quo gragas ao deaodo e'coragem dos companheiros
tern podido avaliar a preponderaneia tAo esmaga- de trabalho, que estavamn dispoatos antes a morrer
dora da influencia official de mode quasi a duvi- do que a deixar inutilisar a offiona, o grupo nbo
9 dar da aptidao da nossa raga para conseguir esta- consegnio o sena finm. TAo feliz foi a repalio que
belecer e firmar o ineastimavel beneficio do gover- ninguem ficou morto nemo ferido ; apenas um dos
no livre sob a it6rma parlamentar e constitutional, companheiros de trabalho a levou uma punhalada,
- para esses,. o resaltado da eleiqgo se patent-e que felizmente s6 rasgou o college e a camisa do
como um csplendido triumapho, urna demonstragao lado esquerdo do peito. ,
a eloquent da opiniaih coat-a o goveruo, nesta ter- 0 Jornal do Commercio, dando melhor cor ao
m ra onde-o PODEi 1 0 PODER! a caso, diss e que ura inalta de capoeiras, denoeni-
a Refermdo-se A victoria ebtida emi Pernambuco nabos Sen/a 'Rita quiz penetrar na typographi:c
- polo Sr. Correia de Araujo, em S. Paulo polo Sr. da Gazeta. da Turde, o que teram conseguido se
- Ulhoa Cintra e no 40 district do Rio ae Janeiro naeo fosse a'resistencia qua Ihes oppuzeram os von-
polo Sr.5'Castrioto, e lamentando a derrotat do Sr. dedor.s de folhas que se achavam no escriptorio e
Ferreira Vianna, umaa gloria parlauent-er, em mais eompregados da mesma Gazeta.
) qauem m poder-sc-ha talvez notar alguna ecousas a Noto-se que os venaedores sA) em goral mrnino,4
1 forms ds seus diseurso sem denunciar as iuvas5es e nuo teem armias, mas fizerarn frorte a 50) ca-
a do poder pessoal, que annulla e depnirnme as nossas p-,iras que, segundo assegcra a Gazeta, est.ivAm
instituibaes, mas a quern nao se pode recusar ho- anrnad)s de puuhies, navalhas, canivetes e case
a mnenagem peja const.,nCia, energia e resolursbo IS/es, datndo gritos de-mata! mat a! -assim pro-
i para dirigir o que todos seatem e calam, oa dissi- cedcido cm nome do partildo da ordent.
o mulam; a eonclue o Brasil: Avisada a autoridade, ali c.mparcea e fez pos
a Em suimma, nos earutinios do dia 4, a oppo- tar um piquet e A porta da o l-ina, pars guardalea
a sio9 eobteve quatio vote sobre dons do governori durante a noite, procedendo em seguida aos pr,-
w- o ditn os pertencou. Nesta capital a victoria do cisos inqueritos. 0 que parece resultar destes 6
Li 'misneio reduzio e- a 10 votos na totalidade do qua o tal grupo oncontrando-se, em frente A offict-
- leiWtoaado. b nu, corn m.capoeiros pertencentes a umn outro grupo
a Cumpre aqui observer qae ulo easto de aceordo rival, tefte boom'este os choques de costume, invara-
Scam estet-re ado as votass dais pole A t' dia tIsLu ns a typogtrphia, nio para aggredirea
1 Qffwaer e pla Grueta Je- aa4u ue taml--a qaemr khIL taya, man parp reeguarditem -se, oan
ft meoit Jditittiim -s 4W -9 o' y st-Ba. 0Opartido da oademnada

tU WJ ~ Izyrese "ohda.861O1061& em
wc.,,,snuuLaas r
.... 6 ..cdUA

VW2.. .


Colleetoria provincial-Por portaria
da F'residencia da provincia, de 17 de janeiro
corrente, foi nomead o sob proposta do Thesouro o
cidadao Joaquim Cavalcante de Sa e Albuquer-
-qp- pswa exerer XaL-argo de collector provincial
do- tVnniidij,-dyn-rt -- -.-- .....
Autoridades policiacs -Pea presiden-
cia da provincia foram expedidos os ,eguintes as-
tos:
2a seeaoo.-Palacio da Presidencia de Pernanm-
bitco, 17 de janeiro de 1885.-0 president da pro-
vincia de conformidade corn a proposta do Dr.
chete de policia em officio n. 40 de 15 do co: renote
mez, resolve exonerar : o.capitbo Martiniano Jos6
Ribeko Pessoa do cargo de 1 supplente do dele-
gado do term de Olinda; Theodomiro de Azeve-
.do do cargo de lo1 suppleate do subdelegado do 10
district de-Beberibe, Steliano- Pessoa de Lmos do
cargo de subdelegado do 2' distrieto de Beberibe;
Colombo Pereira de Moraes do cargo de 10 sup-
plente do sabdelegado do 1l district Curato da
S6) do referido term; enomear para substitur a
primeira das autoridadea supra indicadas o capi-
tao Frederieo Chaves ;i a segunda o capita'o Ma-
noel Joao.Quim de Al6m'; a terceira o actual 10 sup-
plente Francisco Januario Nunes e Silva; a
quarta o actual 2' supplcnte Antonio Pires de
Carvalho. ,
2a secgdo.-Palacio da Preaidencia de Pernam-
buco, 17 de janeiro eA 1885.-0 president da pro-
vincia do accord coin a proposta do Dr. chefe de
policia em officio n. 41 de 15 do corrente mcz, re-
solve nomear o actual 2o supplente do delegado
do term de Agua-Preta, Francisco Celestino Ca-
lado, para o lugar de 1 suipplente da mesma de-
legacia vago polo fallecimento do cidaddo que a
exercia. a
2> secao.--Palacio da Presidencia de Pernam-
buco, 17 dejaneiro de 1885.-0 president da pro-
vincia de conformidade corn a proposta do Dr.
chefe de policia em officio n. 44 de hontem datado,
resolve exonerar, a pedido, Antonio Camerino Coe -
Iho Calcenho do cargo de subdelegado do ,20 dis-
tricto de S. Lourengo de Tejucupapo do termo de
Goyanna; e nomear paras substituil-o o cidaddo
Jose Antonio Pinheiro. ,
Governor do Bispadlo.-Diz a Aurora, de
18 do corrente, que, de 7 A 15, foram passadas :
Proviso de vigario da tregnezia de Nova Cruz,
no Rio Grande do Norte, por temps de mais um
',nno, a favor do Rvd. Thomaz du Aquino Mau-
ricio.
,Idm, idem da freguoezia do Altinho nesta pro-
vimecia, e por igual tempo afavordoRvd.- Jose
Vaz Gaiterres.
IGdem, de coadjutor da4eguezia de Campina-
Graude, na Parahyba, e por igual tempo a favor
ddo Rvd. Francisco Alves Pequeno.
Ideam. idem da freguezia de -.iossor6, no Rio-
Graitide do Norte, e por igual tempo a favor do
Rvd. Jolo Urbana de Oliveira.
Idem dc capellao da Ilha de Fernaudo, a favor
do Red. Leonardo Joao Grego.
Ide.n de uso de ordens por uzn anne a favor do
Rvd. S-.turniro de Jesus Bezerra, resident no
({.--'a Meirimn, Ri, (Grande dca Nort-.
Il.':-ii, idemn a tavor do R.-d. Liiz Marinho. dI.:
Frcita., resriento em S. Jolo do Cariry, Para.
hyba.
Iloem, idem a fLivor do Rvd. Ignacio Fraacisrc
dos Santos, resiidente nesta cidade.
Idemrn, idein a fAvor do Rvd. Jolto da Virgem
Maria Almeida Costa, resident cm Quitunde, Aia-
g~as.
Idemo, idem a tavor do Rvd. Joao Hermenegildo
das Csndeias, resident em Murib-ca.
Iden de confessor, a favor do Rvd. Athanasio
Gongalves da Silv.i, residente em Traipt, Ala-
- goals.
Idem de uso de ordeans e de confessor, a favor
de Rvd. Luiz de FPranga Souza Falcao, residents
Sem Taquaretinga, n'esta provineia.
Idem, idem a favor do Rvd. conego teaente-co-
ronel Manoel da Vora-Crur, resident- n'esta ci-
dade-
r Idem, idem a favor do Rvd. ntoio Baptists
SEspinota, resident em Miianisgupe, Paraibyba.
Sidoe, idefi a favor do Ryd Antonio Januanri
4i 8ilva, resident em Nmareth, n'esta provincia.
Idei, idem a favor d q Rvd- Miguel Vieira de
WM I% Mafleou, idetftet5cidade.
SIderl, ideam e.d e pregadw a favor do Rvd




t>l 4
.^.
:-." :, y .( "


Ld'O-s a doe Deputadoeto
me nahatustlsiper fl~oateceuqI usu 2'ec-
$o de S&o C g. li r em que a transcrip-
94 da aaots ;o esdavaasiada terninado, foi parar
a casa de um do nmeuarios af& do Sr. Bezerra
de Menezes, quo alli havia tide maloria de votos.
Na tarde do dia segunite, quando esse mesario
aleo se achava ewm casa, dous individuos se apre-
sentarum A sua senhora, pedindo-lhe cm nome
dele o livro. A senhora, e. boa fM, entregou-o,
c s6 mais tarde, quando regracssou sen marido, vio
que tinha Bido enganada.
Gritaram muito os amigos do Sr. Bezerra de
Menezes, a este teve o desembarago de insinnar na
iraprensa quo os Srs. Paulino e Audrade Figueira
tinham tornado part no furto do livro, porque na
uoite do aeonttcimento tinham sido vistos por pes-
seoas de credit apearem-se de um bond de S.
Christovlo, no largo de S. Francisco de Paula.
Ao mosmo tempo o Sr. Bulhoes Carvalho appa-
receu tambem na imprensa, protestando contra o
facto e declarando, de accord corn o Sr. Pauline
corn quem acabava de conferenciar, que reconhe-
condo e dando testemunho da vantagem de 17 vo-
tos, que n'aquella seccgo obtivera o soen competi-
dor, jAmais aceitaria superioridade numerica corn
deduceoa de takes votos, e nom pretendia umn di-
ploma que nao correspondesse a mais eserupulosa
honestidade de character.
Na mesma noite do dia em que assim se mani.
festavam os duons competidores, im dos mesarios
da 3a seccao do Espirito Santo, na quai o Sr. Bu-
lhoes tinha tido maioria, era atacado por um grupo
de masearados que, scm o offenderem, levaram
todos os papers da eleigao que estavam em seu
poder.
A couza teve lugar As 9 horas da noite, quando
o tal mesario-que e subdelegado e s6 deixou o
exercieio na vespera da eleioao para fazer parte
da mesa-se achava s6 e minuito tranquillo ta tra-
balhar em um gabinete no interior da casa, e a
familia conuervava-se na sala da frente, sem sus-
peitar do que ia la por dentro. No dizer do ci
tado mesario, quo e 6 am tal Sr. Leoo, os assaltau-
tes invadiram a casa pelos fundos, e coin tal pres-
teza que elle quando deu pelo caso, achou-se
igarrado, sem inovimento e amneaado de morrer
se gritasse. Os mascarados depois de apossarem-
se de tudo quanto era relative a eleia3, sem dci-
xarem nada, retiraram-se polo quintal corn a mes-
na presteza corn que tinhanm entrado; de sort
que, quando o Sr. Leao chegou a frente, referio o
sucidido a familiar, apitou, gritou per soccorro,
chegou a policia, que so pode dizer era sua, ja os
nascaradlos iam long e nero havia signal delles!!!
0 Sr. Bulh5es Carvalho apparece no Jornal de
hoje aceusando de farcante o mnesario Leao, amigo
dedicado do Sr. Bezerra, a quoemn acompanhava
coeno eseudeiro na faina da cabala; e dizl.ndo
que tudo isto nao passa de ridicule comedia, e
que o furto do livro, aliAs som importancia, d,
secao de S. Christovao uao passava de um pre
paro para o roubo dos papeis confiados A gaarda
do Sr. LeAo.
Ao terminal o seu artigo observa o Sr. Bu-
lhoes :
,, Nada direi sobre o artigo em que o Sr. Be-
zerra de Menezes assegura term sido vistos, ante-
liontem a noite em S. Christovalo, os Srs. conse-
Iheiro Paulino e Dr. Andrade Figueira, que se
achavam em uma reuniiio de vercadores em casa
to Sr. Dr. Joao Pedro do Mirauda no campo de
Sait'Anua, porque nenhum home de senso e de
diguidlade me relevaria levantar tao ignobil insi-
nuacao. )
De facto esses dous cavalleiros, tendo estado na
reuniao havida em casa do Dr. Miranda, para
assentar-se na elei9ao a que tinha de proceder a
Camara Municipal, dous dias depois, para scus
president e vice-presidente, bern como sobre a
nnmogAo das comrmiss6es; ao sahirem, temaram
um bond da linha de S. ChristovAo, que passava
na oceasiao para a estagao da cidade.
Effectivamente, na segainte sessao da Camara,
hontem, foram reeleitos o president e vice-presi-
dente, ambos conservadores, e nomeadas as com-
miss5es, ficando restabelecida a harmonia eutre os
vereadores conservadores, que nao se entendiam
bemrn. Fci por isso que os Srs. Paulino e Andrade
Figueira compareceram a reuniao.



R R iSTA DIhRIA


English Bank 200:0004000
Francisco Gongalves Torres 11:5225090
0 vapor Marquez de Caxias trouxe pars :
Jose Gonqalves de Andrade 1624000
Musical 28 de Setembro --Esta socie-
dade dA o soeu sarAo musical e dansante do corren-
te mez uo dia 31, e prepara-se corn bisarria para
reoeber os seus convidados.
Loteria de Madrid-Relanao dos nume-
ros mais premiados na extracgo da loteria que se
veritcou A 31 de dezembro :


NUMEROUS
6.773
15.842
15.830
187
1.734
2.041
2.114
2.161
3.362
4.322
4.698
5.625
6.800
7.239
11.029
12.303
13.268


PESETAS NUMEROUS PESETAS


PESETAS NUMEROUS
140.000 13.508
80.000 15.935
40.000 15.971
20.000 17.561
3.000 18.265
3.000 18.842
3.000 20.078
3.000 20.159
3.000 20.318
3.000 23.803
3.000 24.592
3.000 29 265
3.000 6.772
3.000 6.774
3.000 15.811
3.O00 15.843
3.000


PESETAS
3.000
3.000
3.000
3.000
3,000
3.000
3.000
3.000
3.000
3.000
3.000
3.000
3.000
3.000
2.000
2.000


Bevista de Medicina-=Dc Paris recebe-
mos hontem o n. 109 deste quinzenario de medi-
cina, cirurgia, pharmacia e sciencias aecessorias.
E' este o seu summario :
1. Academia de mecdicina de Paris.-Sessea de
2, 9 e 16 de dezembro de 1884
2. Sociedade de cirurgia ,de Paris.-Scssdes de
5, 12, 19 e 23 de novembro .ie 1884.
3. Sociedade Medica dos Hospitaes.-Sessbo de
14 do novembro de 1884.
4. Soeiedade de Biologia.-Sessoes de 18 e 25
de outubro, 8, 15, 22 e 29 de novembro de 1884.
5. Revista dos Hospitaes.-Hospital do Hotel-
Dieu, dos revulsivos e dos derivatives pelo .Sr
professor Germain Se.
6. Pathobogi.a.ut.-raa -CoasiderMAies sobre
hiistori: e a geogr.aphia da feibre am itreIlla, p e r.
Dr. Berenger-Fnraud.
S,7. Pharmacia.--Alcoulatura d'arnica. Glyce-
rin:t arnimcada. Linimento rasolutivo, polo Sr. P.
Vigier.
8. Formulario. Elixir d'Hanot, H. Roy, In-
jecqlo contra a blenuorrhea, H. Z.issl. Ovo3
corn aguardente.
8. Variedades scientificas.-0 cholera.
Filhosm de Talma-Hoje as 6 horas da
tarde havernL retunio da directoria dlsta swcieda-
de dramatic. na rua do Duque de Caxias n. 32.
Dr. Caudido F eire-No paquote nacio-
nal Ceard cliegou ante-hontem, procedeute do Rio
de Janeiro, o nosso ainigo e comprovinciano Dr.
Candido Valeriano da Silva 'Preire aetualmente
jui;' de direito da comarea do Rio Pardo, na pro-
vincia de Minas Geraes.
S. S. vcio gozar da licenga que lhe foi conac-
dida na saa provincia, onde couta muitos paren-
tes e aumigos.
Acha-es residindo A rua da Unido n. 5.
SFelicitando-o pels smachegada traltd os com
satisfao- os eeguinutes- eoffictoj s do'.4Av
qua maito the 6 summamaente-. 14"


Ooaceden-ee a exoneraglo qus"hdiQ ;v. A
Uanoel do d aat'Aonua e Luz 4o qg ,dee1 34
tor da kregueaia do Pahuares, uWeg'provineis. -
Idem, idpwm que pedio o memo Rvd. Maned! de
Sant'Anna e Luz do cargo do vxpne do Rio ter-.
moso, pars o qe tinha sidae i'do -
Babla, Serfgipe e AlIgea.-Pelos va
pores nacionaes Ceard e Marsque de Caxiaa, ea- -
trades do asul ante hontem, recebemos folhas da
Bahia at6 15, de Sergipe at6 4 e da Alagoas at '
17 do corrente. .
Na Bahia foram inaugurados, uo din 12, mais 63
kilometros ferroos na terra via central, entire as
esta4eas de Joa, Amaro e Quormadinuha, assistm-
do ao acto o president da provincia e mmutas ou-
tras pessoas grades, que sahiram da capital A 10,
no vapo-)r Giquitaia, indo at6 Cachoeira, onde to-
maram o trem queaos levou ao seu destino.
No lugar Sacco, em Sergipe, deu se am con-
flicto entire quatro mulhereo, rosultando fear a
aggredida bastantemente espaneada e lavada em
sangue, polo que sua vida corre perigo.
Consta que um Silvestre alli morador, corn pro -
m ssas do dinheiro e tratamento, illudio a offendi-
da para guardar silencio.
Fallecera o 1 escripturario do thesouro, Fran-
cisco de Paula Amorim.
Das Alagoas as folhas nenhuma noticia con-
trm que moreca mencauo.
Embarque-Segue hoje para o Rio-Grande
do Norte, no vapor da Companhia Pernambucana,
o Sr. desembargador e conselhbeiro Luiz Gonzaga
de Brito Guerra, president da Relagea de Oaro-
Preto, o qual, por motive de molestia, veio ao nor-
to, e tern estado aqui hospedado em casa do Sr.
Francisco Gargel do Amaral, 'A rua 1' de Margo
n. 20 A.
Dczejamos lhe prosper viagem e prompto res-
tabelecimento.
Rua do Wisconde de Goyanna-Ia-
Sformam-nos que, ha oilo dias, foram levantadas
algumnas das pzdras do calgamento darua do Via-
condo de Goyana, polos empregados da compa-
nihia Recife Draynage, para o hin de concertarem
urn canno dos da empreza ; e nunca mais alli vol-
taram para reporem as peiras, de sorte que o tran-
sito p,.ralli acha se difficultado.
Chaimamos para o facto a attengbo do Sr. enge-
nheiro chefc da repartigAo das Obras Publica3
Provinciaes.
Facualdale de Direito- Cunmeogar no
din 27 do corrente a matricuia para as aulag de
preparatorios, encerrando-s- a 9 de fevereiro, de
coaformidade corn o edital que em outro lugar pu-
blicamos.
Para as aulas que se abrirao emi 3 do inez viu-
douro, vigorarA a tabella seguinte:
Latim, de 1 As 3 horas, na 2" sala.
Francez, das 2 at, 3, na 2a sala.
Inglcz, das 3 As 4, na ota sala.
Portuguez, das 3 As 4, na 1" sala-
Geographia e historia, de 1 As 2, na la sala.
Rhetorica c poetic, das 2 as 3, na 1a sala.
Arithmetica e geometric, de 1 As 2, na la sal.
Philosophia, de 1 As 2, na 4o sala.
Rua das Nymplhas.-EDcrevem nos:
( Chamein a atteneao da Camara Municipal pa-
ras A rua das Nymphas. Depositam alli porcAo de
lixo e at6 immundicias, corn grave detrimento da
s'uid public e dos moradores que jA ao podem
supporter isso. )
Luta e ferinmeantos No sabbado, As 8
horas da noite, estando no Chora-Menino o sar-
geuto da guardae civica dl estagao do 10 district
da Graga, Angelo de Souza Silveira, a rondar
ccm diversas pragas, nceontrou-se corn aum grupo
de cinco individuos e deu ordem para que fossem
corridor.
Oppuzeramn-se elles A viva for a e travou-ce en-
ta-) renhida luta, da qual sahiram feridos e cs-
pancados diversos de part a part.
Os cinc a eram italiauos, dous foram press e os
demais evadiram-sc.
De umn delles foi tornado um revolver.
0 sargento ficou corn a cabeca lascada e o
guard do nome Rofino Rodrigues de Mello levou
ura facadai na perna esquerda.
Os criminosos chamamn-se Vicente e Anlonio
Dacundi.
Sociedade Recreativa Euterpe, em
Slamanguape A directorial, que tern de
tunccionar no anno fluente, ficou compost. dos se-
guimrtes socios:
Joao Raphael de Carvalho, president (reeleit)).
Antouio Pereira de Castro Pinto, vice-presi-
dente, (reeleito).
Jose Pereira Peixoto, 1" secretario, (reeleito).
Jose Rodrigues de Carvalho, 2 secretario.
Manoel Teoxeira de Carvalho IBasto, thesourei-
ro, (reeleoto).
Antonio 'oereira Peixoto, procurador, (reeleito).
Antonin..igs6 Simbes, procurador.
ja--ietto fla -j-oo Cfiya -- .......
junta apuradora do 3 district electoral dosta pro-
viicia para os fins da lei.
Dinheiro- 0 vapor Espirito-Santo levou
persa:
Alagoas 190:20.)000
Rio do Janeiro 2:5444000
Bahia 1:0004000
0 vapor Ceard trouxe para :
New-London Bank 300:0004000


3

B


I


do





















00do d rAm ~die qu = 't
IxWf %a ayeit0da sdaiistraso daj*(kutia.
,_ i6seguiou m o men -inteaoa deix ao
'4q ae(qaCto, a quem apteseto as soe-
r-raas de minha estima eo considerago.
,_ s"lpIs guarde a Vv. S:-IIms. Sr,. presiden-
l- smialevereadres da camera municipal da ci-
e- do Rib Pardo.-O juiz de. direito, Candido
V. Silva reire.
: A camara dirigio o seguinte officio em resposta:
V Illm. e Esm. Sr.-A camera municipal desta
f *cidad toem a honra de responder o officio de. V.
Exe. em que participa-lhe a sun retirada breve
S desta comarca, consagrando-lhe expresses tao
benevolas, que penhorada sobremnodo agradeee c
retribue os mesmos sentiments que nutre para
coan ella.
a Nio deve esta camera enumerar nesta occa-
; siao as provas de cortezia, civilidade e cavalhei-
-_: risuto, e as de criterio, intelligencia, lionestidade
e justica que V. Exc. patenteou durante o tempo
em que aqui exerceu a jurisdic'o do seu elevado
>i? cargo; mas foram ellas tantas e takes, que esta
eamara pode aflirmar, que o nome de V. Exe. fi-
S earAi gra ado corn saudade nos -.orac5es de seus
; municipes, como-symbolo da lhaneza e integri-
dade.
'm Esta cainara, desejando a V. Exc. prosperous
_; e dilatados dias, agradece os services per V. Exc.
prestados a este term e conclude fazendo votes
| para que brevemente seja rcstituido ai sua co
marca.
SDeus guard a V. Exe. Him. e Exm. Sr. Dr.
* :. Candido Valeriano da Silva Freire, muito digno
S julz de dircito da comnarca do Rio Pardo. Pa9o
S da cam.tra municipal, 22 de dezembro do 1884.-
t ~ Luiz de Tolentiino Caldeira, presidente.-Silverio
Soares Bandeira. -- Mlanael de Freitas Limhn. Am
1 brozio de Almeida Costa. Jodo Pereira da Fon-
|' .seca. ,
: Aguas Bellas-Em 8 do corrente escreveu-
~ nos o nosso correspondente a segu.inte carta :
... Ha muito tempo que esta coina.rca nao tern si-
||; ~ do lembrada na corccituada Revista do soeu Dia-
)rio, nao porque haja falta de assumpto, mas par
^ causa das viagens que tenho feito.
... A falta de chuvas temin-se feito sentir conside-
ravelmente nesta comnarca, do modo que os gene-
* ros alimenticios vao se tOrnando cars, e os serta-
nejos, assustados, receiam urea outra secca, lein-
.. brados da 1877, porque o gado jA comeqa a mor-
rer, os eampos se a'hamn sem ,nais pastagem, os
;rios sccos, e finahlnente as fontes Ferrenuas tarn-
I bem seccando ; do molo qae jit nlTo e coin miuita
S. facilidade que os gados sacim a ardent sile,
precisando em alguns lugares caniinuhair d'tas
: tres leguas emin busca d'agua, e continuando so l
sempre abrazado,)r.
No dia 10 do corrente tcve lugar a festa de
y Nossa Senhora da Conceii;o, padroeira desta Ma-
triz, havenjo inissa cantada, prociss.o com dous
,,- andores, o daVirgem 5. S. e o marlyr S. Sebas
^.-; tiao, alum d'umn cruificado conduzido pelo Rvdrn.
S "vigario dcbaixo do palio, decentemnente, cominoe cxi
Sge a nassa religiio catholics:i.
a A procissio foi aceompanhada de umia guard
de honra, quatro anjos, uma banla de onusita c
.grande multidao de povo quc aiffluio de todlos os
; *pontos da freguezia.
S, Ao recolher-se a predita p)rocissato hbuve l,-
dainha, tota pidchra, tantmn (rgo e benao corn o
S. S. Sacramento, fazendo dcpis dc tundJo irto o
zeloso vigario umn bonito panegyrico de imnprrvis ,
que muito agradou, sobre a grandeza d- Maria
S. S. c sua virgindade.
Ao incansavel c devote vigario padre Francis-
co Joaquimn da Costa Barbosa, auxiliado,) por mui-
tos dos seus freguezes, devemos a reallsacao des-
sa boa fiesta.
Ja que fallamos do vigario Barbosa, convemn
nao esquecer que elle tern mostrado muita d-dica-
oao os concertos da igreja mnatriz, pois ji levmn-
tcu dous corredores laterncs, e pelo que tern teit)
ve so que, se a Assenbloa F rovincil auxilial-,
mareando uma quota, fara da igrjan umi casa
digna do Senhor.
aNa noite do dia 2 do mez proxi-no fiando, per
lr occasilo do ser conhecido o resultado da eleiy-I
geral por este district, rcsultado q .?e -cu victoria
ano candidate conservador Dr. Bemto Ramnos, crga
,i; nisou-se uma passeita, oi comno se diz aqui un.-i
Sserenata, a equal nio tratou bnem ao nosso distinc-
^ to vigario, que jii estava dormindo, nero ao Dr.
Thio _an.drmrn, eam .uixa 4e a i ia torino.
,?- U Jilnqueintrop^o1ia[ toi log aborto a requera-
mento do Dr. Seraphico, proinoter public5, s,:rvin
do de base, pars assirn preccder a part official
de queixa do offcndido, mas ate esta d,,ta ach'-se
tudo dcbaixo de segmrd-,, nao se saibeudo se o pro.
cesso continma a sua marcham, se havera denuncma.
ou entao se scrm- encerrado cm alguman gaveta.
,, Dias depois disto assumio o esercoimoi la dele-
gaeia de polieia deste termo o alferes Mauricio
r Antonio de Lemps, do 2o batalhao de linha, con-
| __ servando-se destacado nest-a v'lla corn to Ja a forea
- ~ que trauxc, e teve de retirar-se o alfercs Migel
1, Reinaux Duarte Filho corn todo destacainneto do
policia.
;;' No dia 14: do jA referido maz passado, chegou
r a esta villa o Dr. Gaudino Eudoxio de Brito, juiz
de direito da comarea, ulimiamente removido dat
S.. de Ouricury para esta. Muato confiamos nelle.
Acaba de ser capturado Manoel Francisco
,; Villa Nova, pronunciado na villa d'Assemblea,


* provincia das Alagoas, come incurso nns penas do
; art. 257 do ,.odigo criminal. Esta prisao 6 impor-
. = tante, Villa No,-a gozava de uma grande protec-
co, como se fosse urn born cidado, tanto que me-
rava aqui e transitava p.ra todas as parties s'rm o
menos receio. Finalmeete cuhio !he a casa scbrc
as costas, quie foi a feliz precatoria dalquelle ter-
mo de Asseinbla para este.
a 0 alteres Mauricio tem-se mostrado intelli-
gente e zeloso curmpridor de ordens.
Sa Consta-nos que foi pelo Ecm. president da
| province,, annullada a arremataea dos impostor
municipals e dizimos de miuncas, per causa de
nao terem havido editacs e pregues par occasitlo
dA arrematagio; foi mais um acto de verdadeira
S- justice.
,-'.a Acha-se annunciada a nova arrcmatacao para
i";- o dia 7 de fevereiro. Acontecera come a outra
g -*{ em que havendo litigantes, quando estes espera-
1^ l vam pregoes para offerecer seus lantces, foram sor-
||' prehendidos corn a noticia de haverem arremata-
do? Veremos.
Pequena pathologia posterior.-
De Mantegazza, Igea di casa, traduzimos o se-
guinte:
SPor caridade, perdoai-me leitores amenissi-
^i: moe, ma eu comego a en kelhecer, e volto invo-
S luntariamente ao passado; julgava-me ainda pro-
fIt essor de pathologia geral na Universidade de Pa-
i. via doatorava e catdratisava pedantolscamen-
-... te... Volto de repente as hemorrhoidas e .Igea
dioawa.
Diziamos, pois, que noventa vezes por cento,
S aa hemorrhoidae slo doeucs locaes, cujas cansas
S, convemt procurar um pouco long do pinto em que
aa: o'.i o dizianmows ainda que frequentemente sio
m e' equeos locaes que nos defendem dooutros
S. ..... o-a... a.rtudo isto ao dizer que as hemor-
rhidas4 sempre uma bo cousa e que convem
-sprealtop -como umr ta-
ltsBuuipae 4fonde damwre,ha um abyamo. Ha
qlaut tonvar tanto as hemorrhoidas que as
ntrMeialmente, e quem o faz senaio-eonse-
:A 0 e6 tio culpado come aquelle que as
tomi prestee depois -de tel-as por-mui-

S imoidaesjo uma verdadera ltia
MAfi veBes pfdu e dev6 s^r uwrad, l =as p-
e e- m manto -eidado -oak d-ove -


u* twoRfAh lae^^txgq4e:^la efflBi*eoa,'|t^itbia
eoe.Ucaidado as so a tumorei ia, s na '0 -
gaste oerm uitas eiis! a eubittq a. seu moe
ao estudo de um medico prdete e sabio do q.
ao d'um d'aquolles pobres ignaorantea, quo aidai -
creem na efficacia dos veiatrios 'e can aterios!
a S6 per lug eparlevicia quoa amitos. pref-
rein ter o cositheiro e as hemorrhoids ; preferem
beber cada dia o calix de charge ie e cahirt ns
molles e quentcs poltionas a digerir as trufas, o
champagne e ais pastas de salmao, tambom- qaan
do no mais seoreto nlugar dos seus aposeatos de-
vein blasphemer em diversas linguas e horriveis
palavras. Alas estes fazem mil as suas contas.
Dos quarenta aos cincoenta annos a, hemorrho,-
das podem ser uin pequeno nal, come as mnoscas..a
ou oa mosquitos ; mas depois dos sessenta os acha'
ques da velhiee quo jI comeoam a ser intitos, paca
pagar tambem esta contribuiggo ialiri'ecta a pa-
thologia;a e imaitas vezes se depioram as minolles
poltronas e as muitas trufas.
Qaer o hormen eatio coinr p olr.nia e loite c
nao ser hemorrhoidario. )
Lei6e-Effectuar-se-hao :
Hoje
Pelo agen.e Pinto, -As 11 horas, a ran do Bo:n
Jesus n. 49, de moveis, entremeios, uma burrs e
balanhas, e can contmuua9zo do inoveis, lougas, vi-
dros, etc.
Pelo ayente Pestana, as 1I horas, na run do
Arnorim n. 70, de generos de estiva.
Pelo agent Brito, 'as 11 horas, na run do Vis
conde de I:,hd-ima o. 41, de moves.
Amanha :
Pelo agent Silveira, as 10 1/2 horas, na pra
qa do Coade d'Eu nx. 28, da moveis, loi.kica vi-
dros, etc.
Pelo agIee GasmA,. A;s 11 horns, na raa dto
Coronel Suassuna n 15, da fabrioa de cihlarros
ahi cxistcnte.
Quinta-feira:
Pelo auJente Burlamaqni, As 11 horns, no arma-
zem alfandegado Jone Luiz, no Forte do Mattos,
do ci:nento.
Pdlo agente Pinto, as 11 horns, na rua do B,)n
Jesus n. 49, de diversas nmcreadorias.
51?n tanet~ret-.Sorlo cleubradas
-- HIoje:
A's 8 horas, no :orpo S:aato, per alna do D.
Theresa Dit'is do B;trros Costa ; as 7 1/2 hlioras,
na mnatriz da B)a-Vitstai, pr mahmi do i.ariilao
Carroll.
Amanhil:
A', 8 h-reas, ,ta cipolla do Monteiro, pmr a;ini
de D. AidelaiJe Lieautier.
Qui,*ta-icira:
A's 8 hor:is, ni in itriz a BoJa-Vist,, p-." alima
de A. MIria do C C:a r Carceio da Vciga Pcssoi.
-- Sexta-fcira :
A'aS h.eas, na inatriz a Bnt-Vista, pIr ;hl'-i
de m;i;oan I ir, A.na Pote!'eret.
Operaci.s4 cirtzrgicas-Fora;i pratic.,a-
das n3i hosp',ai Pedro 11 no din 19 do csrri't-o as
sega, mates:
Polo Dr. Ithnr':
Ab'!aiao do testicwil esquer i-i. il'm- -'. do i,-r
dio cin 5 catgaL r.cl:,;naada pur iltera-uo a j ie -
ino testiculo.
Pelo Dr. B--rardo :
Pupila artificia recl.amrada per iaarin .i' :! L 0.,r-
nea.
Passageiros -Chgmd)s dos pi)rtos di sal
no vapor national Ceara :
Conselheoiro Luiz B. G aerr:.t sn, senhora, "2 i
lhos c 4 criados, Dr. Hygiaa C. felie, sm i s -h',
e 1 fillho, Dr. H. L:bo, vigarli, Ain-ir.) C. lrasil,
alferes Pedro R.tlro, saun seah)Ira,1 filho e 1 cria-
do, Orliaila da Silveira, Caetanode Messin:a, Ignez
Inghlz, P'raneisca Imgles, Pe.dr U. Ribcro.- Car-
0S B. M ionteiro, Xiberto do S. Figa7,irn, lium
Cavalcante, F.aiaaisco L. di Soazazz, Ca.ealidlo F.
Bastns, Joss A. Lonos, Francisa z C. Gaivdo, P.
de Aabo-:qcrqme, H,:morata da Cono-eib, CW)gan
e 3 lShos, Piloinna dos R.-is e 2 ir:n.:s. A. Ca-
minhia, Mn.oel P. larreto, Cr. C0adi..t1 Freire.
Dr. Albaqt-ierqcue Cav;dc:tine, D1)r. Gailb- ri:n M.
Vinamm c 3 escr.v-s, Tit)00 C. de 0i-.eir c0 sUiL
semihori, A1b:l Cati-in, J,).o McjLir 3, C. d:i Sit-
win, Joas F. df Ainuila, Maria F. di C,:'-:,ico,
M.inel Lopes Pivto, Cactaiuo Prat'-s. L. .1. da
Concei>Lo, Jlastino C. Forretra, Paul,) Jjse Foia-
tes, Miguel A. Souza. Joanna F. Car-.z, A:t, -nio
R11. Silva e 1 irinzmA. M. F. Luciu, Dr. MXaria.ao J:n,-
quin S1 va, Santos l,',dciio R-otnym__hoa. .Ol'-Yitr hl
vr-grns,-Atfoi,-o-. -Bfissi, Difnizzo R oj Castro,
JosO Aanonio de NI.-!o, Mana a3-o::;mi, C irl:)ta
B. Cab'inl, Fr.:ncisco X. Lir.mui-i, Atonioi;- Fc!i-
cijiui Silva. 4 ])rmf;_ s d-j Ox\-Y i iZO' e 1 :n'.lh- i-r :}as
ditas l': p;-; Salidos parm os aortos do s-..l n vapor ,ft-
ei0nal Esparito Sant) :.
.Joaqim do. Costa Pereira c uon anen-','. JosO
Perreira de Ar.vaj irmis do can'i-mah Maria (I..
Carmo Agrella, Mairia 5. Bass i Qly-npia Go
rues, Wibarto Mello Rego, Stacdclbannr, Mauo ,l
Leao, Dr. Jos6 Joaquim Lauduiphe Moilradi, Dr.
Joio Al, s dU-. Cunh-i Junior, A-mi'Dnia I. de 0.
Lima, Julieta Piaschan, Williain WVu-herer, 0ix'rsni
ciseo Noveliao, Fr.mciseo Antomio M-I.i, Mai,-
riauno A. do Souza Vianna o san s'..ii)r.i, Fra;'.-
cisco de Siuzs B-tom, JosO L'-iz Reirigmes, M:a-
noel de Almeida Castro, Bt,'to!in) Pino3ntel
Francisco Bezerra, Luiz Jose da Si!veira, Ignacim
Xavier, Sabino Lopes, Paulo Pinhader, A'nelia
A. de Sou.a, Antonio Pinto de Oliveira, Braz F.


de Natheus, Hcnriquae M. da F. V'elbso' 2' cade-
te Jos6 Antonio de Souza Costa, sun senhora e 1
filho, 2o dito Jobo Avelino B. Cnam'll, 2-(i dio
Manoel N. do Valte, AutzIsto A. Carneiro, Aifrodo
A. de A. Albuquerqn:, Rodolpho H. de Cirv'alho,
.Saturnino J. do Argollo Castro, Antonio Feliciano
de Souza, 2o cadete Julio G. C. Borge1 aiferes
Bonifacio da Silva VePlez, Thonmaz Jose T. da Sil-
va, Severino Josu6 Lima, 4 desertores, 7 eranino-
sos, 81 pracas de hlinha e poiicia e 13 in)periaes
inarmihciros.

Loteria da provincial -Qaa:m-feira, 22
corrente, se extrahira' a loteria n. 102, em ben..-
ficio da matriz do Triumpho, pelo novo plan) ap-
provado, no consisterio da igreja de Nossa Senho-
ra daConceiaTo dos Militares, onde Be acharIo ex-
postas as urnas e as espheras arrumadas em or-
dem numeric A aprecialo do public.
3a grande loteria da corte de......
OOsOOOl0"OO-Com novo piano muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham-se a venda A Casa da For-
tuna, a run do Crespo n. 23, os bilhete6idosta lote-
Ira.


::]
S
,1


Un ofliio d(o Exm. Sr. president d.(Li provincial auracmo isnoaa diva. Cdo uea ideia, mais ou menos aproximada,
corn data de 30 de novembro de 1884 declarando OFran da verdade do que avanuainos basta di-
ter approvado a arriematagao dos inpostos cons- ;Roque Lopesde Oliveira..[ q e (e anau o adtae
tantes, do termo. Secretariat, zer, que, alem de nenhum adiantamento
Obtendo a palavra o Sr. Thomaz de Aqiin, A s Exmas. Sras. : quo tern havido em sus alumnos, estes
SnD ^..^Iarrida. Delfiaa da uhiia....
disse : Sr. presidunte .xsrceanlo nan. direit',, un, ._-.-. a. .... .. tern o tit,.-o n .aotaat, pa: a s-s esbo" te:i"


me 6 c,:nferido pela te*isb-;!o e~n rig',r, uoruo emv
read( desta ilma. c.;un:ira, r'co-mrr'o. ,.-l;in, p inl s1
comprometter pelosreqaisitos- dcst in muu icipal idaith
cujos iteresses teem csta.do e coatiua-mzi ii est-i.
sendo prejuidicados pl-ia pohieia local.
Eu na qualiihade d, ii anmbro desta ill)stre co)r-
poraqzlQ, sou forada a aeautelar direet;,mieute os
intcresses do minticipi-', e tenit a lei pbi baissula,
reclanmo e protest de oufonmnidade co o art. 40.
da loi ;riral do10 do d outulXo de 1828, co Wtra a po
licia dcsta freguezia que absoiutamente miauzjm a
feira public no lugar que occupa contra as noosas
deliberaoes auministrativas!
Esta camara ja recorreu ao Exm. presidemtite da
provincial contra semel.ante estado de cou.sas .
pornm come nenhuma providencia foi dada ate&
hoje, ache pradente e proponho que esta camera
replique o seu reeurso ao mesmo Exm president,
afim de vermos se vencemos as series difficuldadcs
que temos encontrado na distribui9.o da justia
municipal. dq Iti
Sr. president, V. S. como eu, ou melhor, deve
saber que esta camera considera-se agg.ravada, e,
para que eate aggravo desappareea, 6 myAster today
eergia de sun parte para mais tarde qualiquer
exemplo servir do guia a quem nos substituir.
. Se as deliberag5es desta camera nao forem cum-
pridas se seu.codigo de posturas nao for excutado,
se nossas vidas nao form garantidas, e nassas
dignidades respeitadas, brevemente ficaremos sem
forga moral e atW nossas vidas correndo perigo pe-
rante o bacwanarte dos infraetores das leisI -
Nenhuma inteneio tenho de offender a este taemt
aquelle mas na firme conaciencia deboIm. servir a
cas" public, venho hoje tornarpatente o desacto
do qual toms aido vietima eata camura.
A feira publica conserwva-s nolugar prohiido
per esta camera, ao arl'tr. da poliai contrao ex-
posto no art. 34 de noso eodigo do postures, sem
quo yie cal possa executar aio6hi do art. 6' da
moesoas poat.ra", pelos obstaculos da policia..I ,
0 subdelegado LuizsPereiwa- dsd otUtabyg 6d
anna proximo passado quo.cobra dapovok qu1el-
p8OgtICIO~a eida~q IrtawdiiA04_
1.a- 1A- .. 6_


I). Auria Lucreciat dt;i Croanotio.
\). .losepha. Adativa.da Coaceia.-ao..
D. Feliznrda Maria. da.Coaaeicao.
Murdominos
O Illmsa. Srs.:.
NM;imoel[ Iidfojo.de Santa.Cruz..
Mathias .Amtonto dos 'assos.
Vicunte Forreinp da Costa.
Maeolino VYital.Ribeiro.
Fclippe Nisry B'-nieio.
Elias CorAeiro Rego.
Jos& Carlos de Lemos.
lienriques Lux. Ferreiza._ Leal..
Evaristo Aives de Aguiar.
Luiz Marttins da Costa.
Henrique Jbs6 Pedro da G.raga.
Mordomas
As Exmas. Sras.:
D'. Isabel Joanna Maria do Rosario.
D. Adriana Maria do. Nascimneato.
D. Alcxandrina Maria do Patrocinio.
D, Julia Maria Gomes da Silva.
D. Maria Thesez-a Ge-oes. do Nascimento.
Consiatorio da confraria de S. Benedicto, crecta
no convent) de S. Francisco do Reeife, 19 de ja-
neiro doe 188. /


11 i-_ ol w('1i, cm11] iam ,to) elliS p-issa a al.n:-ior
Spare ,lo dia em pdalstrar-.eon os vi-inhos 1
SAo Illti. S3. lDr. iiisp.ctor It iuAtrici-0u
publi,-a, padiwos proviLein-ias i-ste senti-
do, e t-eos co;tfi il.a fbi0e snaiilli.mntfi estA.
* do de caus.-as ni,) ,-iO.tinIAitr., eoatauf gr. a-
de pr,'juizo (dos pmis ale fainili-i
Volv'rei (, tal.'.Iz, Iamuitals .a2s.
Queimadas, Ido& janeiro do 1885.
Umin p1tr .licado..


9.'- district


lo ie sau~s corray
PLbe, vade a&720 %, e 48W aMB 0 = -15JbPB
Iuifto a 8001.6is okilo. n1 & ii' qou- do quBezwliadop itm ustet-
Carrreirb a Is% idcoi. oje,. owVolta Ce-itnolbra*S.
ft-iniha do 500, 400, ,at 240 r~is a cuia. cis.ada 1-o poW a.P Dr. causa sympsthica o-d to.bea e4.
J~r. I~laba Copromettisixi corn o. sea zelo.-ver.'
X H ho d0480, a 320 reis a caia. Maiz de uma yesIN*'S468- Weeo zmWa-e deiir^wane pharisaiw.
FeGiio deS800, e 500 irs. idem. na cadei qu, e La po faizr S o essoqe fi e e sorpre
Jr mpeeadoe: 4,.60dam pstura
Foram 0c.upadoo: oexeutar o citado ai dQSa0bsta: do corn to ineperdaom s e -
95 tuhos de earne verde. c apo6 a O pW O U tO M IRma pr&ndefla effieax.u ip-
27 ditos de auino TermiO, submettead -a approvneo destalca- A .161oar
wnoeaa;d)u see ret~rio'que 40 Ii..
21 ditos de fresslia. mara. ete requerimernto-: ci"iegaro-se o auto do pblia do Dia.-
62 conpartimeqtoa de fannha e comidas. .Rqueirquo de cod ridadec-m oart. 89storavai ratiaveporqanto todoe sea
1409 idem do leggmes. [eitada let'iiaj do oll~t Ie e env mrtiaepruat oo smm
14) idem d0 legmes. da leaa I gera_ do t out Nro 1828, se bro da junta eramn; sA(Ltios e0m o pinsamento
Deve ter side arrecadada neates 2 dias a impor torRe a tevar no coaheeimeOo do anE Sr. presi- doSr. Dr. Barrlow Rigoa.
tannia de 336720. dt do pfroii 0procer anormadapolia preceu-me quoe seria coaveiente suspender oa
nLatadloro pubco Foram abatidas deota fteguOa, A^ a m~i ai& da feira trabelhos emquanto soe lavava a acta ; eu conta-
no matadouro public da Qabanga, para con- public &onitra asdeliberagea desta camarN das va quo a reflexio, faria mudar t~o desarrosoada
rnsuo do dia 19 do c.rrente, 71 r ezes, inrace do seuowd igOa d puras, cujas penas pretea&o o assim o fiB, dirigido.me para palacia
Casa de 3etea~o-M-ovimento d6a pro- nao podtm Br exeutadas BmB aaxilio da poieia, afime de dar ao Exmw president da provincial co-
6s3 no dia 18 deo janeiro: das infrac.oe do codig deo posturaa pela mesma nhecimento do que so passava.
Existiam press 388, entearam 1, sahiram 7, policia, dos obatacuteio qu ell-apresenta na 0o- Tendo noticia, depois, de qe a junta corn effei-
existem 382. branga dos impoatos -xmunieipaeu, prejuizos desta to melhor aconselhada, resoavera que a acta fosse
A saber: camara' causados prella ;quese corte as despe- eseripta come eu exigia em bern de sun regulari-
Nacionaes 346, mulheres 8, estrangeiis 16, zas corn. agua e Inz para o c nosoCaga.foqopor dade, voltei ao pao muniWipal e encerroi os tra-
escravos 12.-Total 382. serem ifuteis; eque finalm- n come odna 0 balhos da apurao, assigaando os livros, officios
Arraeoados 355, sendo : bons 339, doentes 16 art. 62 da citada lei geral de 128, seja qualquer e copias necessarias.
--Total 355. resolucao desta eamara na present sessAo, publi- Serm ostentar valentia que nunca pretend, nemr
Movimento da enfermaria : cada qelo Diario e Peruambnca--Villa de S. Jose promover desordens que muito agradaveis seriam
Teve alta o do Egypto,.9:de janeiro de 1885.-0 vereadsr, Tho- aos meus adversarios, coneegai, nao obstante, que
XanodlJos6 dos Santos Barroea.. maz de Aqaiwo !ereira. a -fosse respeitada a miuha deliberato, fazendo con-
Cemiterio Publico. -Obituario do din 17 Posto em disctuaao o requerimento foi approva- signar na aeta a apreseabialo dos protests e o
do cerrente : do unanimemente pelos senhores presentes; dei- meu voto contraio a reeio.
I.ldina A. de C. Franca, PerIambuco, 45 an- xando de votar pro ou contra lpor-nao estarem pre- Recife, 1o de janeiro de 1885.
nos, casada, Varzea; tuberculos pulmonares. sentes os vereadores Paulo Soares e Clementiao Addino A. de Luwa Freire.
Maria Joanna Barbara, Rio Grapde do Norte, Siqueira.
25 anuos, solteira, Recife; tisiea. Nerifieandoo Sr. president seem 3 horas da
Jovina, Pernambuco, 90 aunos, solteira,. Ba- tarde, levantou a sessao. Eu Felippe Pedro de o" e C O
Vista; tuberculos pulmonares. Souza Leite, secretario, a escrevi.
Lniza Muria da ConceiiLo, Pernambuco, 6-5 an Innoceneio Paes de Lyra, president. Paul o Dojualzado e mai. empregadoe. que
nos, ,olteira, Boa-Vista;. auasarca. Raphael da Cruz.-7homaz de Aquino Pereira.- hao de fesrtejar-XoisW"ee li!ora do
RI)Sa Maria d' d onceioao,.Pernambuco, 79 '- Pedro Bernado da Rocha.-Jodo Ieite do Nas- Ulvramentoda villade SerinbAew
10os, viava, BOa Vista; lesao cardiacsa. cimento. no corrente anno de I S1 .
Aifredo, Pernnambuco, 7 annos, Boa-Vista; te- -- Juizes por eleigo
tauo. .Eleieio das pesmoas que em de fes- Dr. Sigismundo Antonio. Goncalves.
Jolo Gomes, Para, 35 annos, casado, Santo An tear o glorioso S Benedilcto do Scbastilo Lins W'nderley Chaves.
tonio; tubcrculose. Capitulo. na Igreja dos religiosos Juizas pot clei(ao
Jose Antonio de Souza, Par'l, 24 annos, casado, franciscano, da cidade do Recife As Exmas Sras.:
Afouados; tisica. em Pernambuco. no anno compro- Esposa do tenente-coronel Sebastiaio Antonio
Manoel Hlonorato Cedrim, Pcruambuco,'118 an-,. missal.de 1884-8-. Accioli Wanderley Linds.
issolteiro, ANogidos; ferimnentos. Presidents por eleico Esposado coronel 1lancisro Maoelde Souza Oli-
Anack to, Pernambuco, 18 annos, Santo Auto Os Illms. Sr. : veira.'
nio; desynteria. Tenente-coronel Miguel Reinaux Duarte. JDizes por devos o
Maria, Peruainbuco, 3 horas, Boa-Vista; cs Tenente Francisco Evaristo de Souza. Dr.Jose da Sifva Ramos.
pasno. Jose Francisuo de Figueiredo. Dr. Joao Florentino de Albuquerque Montenegro.
Joanna Cesar de Andrade, Pernaimbuco, 32 ant Alferes Angelo Gomes dos Passoe. Jmizas por dcvoao
nos, solteira, Santo Antonio; variolas. Dr. Manoel Francisco do Rego Bar'os, As Exmas. Sras.-
3 pela caridade. Leonor da Silva Leal. Esposa do !cnente-coronel Francisca da Rocha
18 Vicente Fdrreira de Sanut'Anna. Winderley.
Maria Rita da Conceicao, Pernambnco, 50 au- Jo-o Jos6 de Amorim. Esposa do major Pt-esciaao do Barros Wandcrlcy.
aos, solteira, Graua; febre p.aludosa. Bento Jos6.Fernandes. Escrivaes por dcvoe;o
Francisco Mlartins Ferruira,. Portugal; 22 ui Presidentas por eleicao CapioPedro Afino Rgueira Pinto dc Souza.
n:s. solteiro. Santo Antonio; febre bi!iosa. As Exmas. Sras. : M.auoel doRlgo Barreto Wanderey.
Laiza Wallichar", 69 anaos, viavo, Santo An Baroneza de Santa C('ruz. Frrncisco UCorreia deMattos.
tonio; ulcera cancerosa. D. Maria Thereza de Albuquerque MaX-ana'o. Antonio de Oliveira Macei6.
M tria P ottailret,. Franca, 37 annos, casada, D. C'ndida Rosa de Moraes. EAserivis
ih.i -Vista; a,- engite. D. Flaviana Maria da Annunciacao. As Exmas. ,.s-: :
Francisco M5aaocv, iernambuco, 22 annws, sol- D. Francisca de Assis Ribeiro Campo&,. Esposa do Sr. Anrtaio Jos6 Martins.
teiro, Boa-Vista; eilepoia. D. Anna Joaqumna da Silva Beiriz. Esposa do Sr. Tn:t, Aives de Mendonco.
M'ria, Pernambiaco, 6 annos, solteira,. Santo An- D. Alice Marques de Amorinrm Esposa do Sr. Jose Jorge loutes.
tonio; febre perniciosa. D. Joaquina Leopoldina da Silva. Esposa do Sr. Albiao Antonio Gonialves.
Severino, Pernambuco. _5 annos. solteiro,. Boa, D. Donata Maria da CenceiV16 de Franoa. Juize s protectores
Vista; tctano. Presidontes por-devoao Todos os eapebus da guard national dcske
Clara Maria das I)res, Pernainbuco, 31 anos. Osllms. Srs. : 0ter:no.
solteira, 13a Vista; tubereulos6 plmonares. Tenente Herculano Silveira-.Bessone. (Asugnado)-O v;gario, Genii//o Gomtas Percroa.
Francisco do Assis do N-aseitnenti) ILR, Pernain Libanio Jolo Maria de Oliveira.
buco, 20 awnos, soiteiro3Bla-Vista:. hcminoptise. Francisco Fabiao do Monte. Trovi]ais
J,4s6, Pernmbaco, mezes, BZL-Vista;. coa- Francisco .Jose Bapti&ta.
vw:ses. NManoel.Genuino Alves de Santiago.. A' ELLA
Isabel, Pern-imbuco, 15 tnozer- Recife; convul- Joaio Gomea Loureiro.
s5es. Jose JoAquim Aives. A tu caixina d .
Maaoel Francisco Marianno, Coara, 32 anuos, Manoe da Costa Fialho. A tu caixinha de vidro,
solteiro, Santo Antonio; tisica puli)nar. Beutoe ose Fernandes. iahio no chAo e quebrov-see
Jovina Florencia dos Santos, Pcraainbuao, 27 Presidents por.devocao Que importa qoe o mundlo falle,
annos, solteira, A-fogad-s; iinterit,-_ As Exmas. Sras. :. uero-te em aabo-s
Rita Maria d- C.);:cei(;oI), P,,rnanbuco, 75 a I- D. Candida Marcionilla:de Almeida.. uro on bu -o.
nos, s.lteira, B5a-Vista; congestao cerebral. D. Benedicta Maria.Correia.
5 pela caridade. D. Domingas Maria dos Prazeres. 0 amor, menino ingenuo,
D. Felismina Val. ntina de Qqeuciroz c. SrIvA.. i Em vez. de pesso diz pido:
_.-...............'.. --.. D. Olympia Ferreira da Silva. Blbuiar bem nao sab
D. Alexandrinados.Santos MontoiL'o. Bbuciar bern no abe
DP BQIE I i u P D.D A Quitcria Brasilina Machado. A doe@ phrase cupido.
PHU PIT A PE 9 Antonia Maria do RosPao.
UBL -----E-- 9D..Luiza Maria da Concoicao. N'o chore mais, men bemsinmli,
('amira Nutaicipal da villa de s. D.Herminia Custodin de Oliveira. Qu'inla ninguem me vendcu"
D.ifW-tza r ^fdel Jsuso -go5
3a SLSAO DA la ORDINARIA DE 9 DE Os Ilhms. Srs. : Qu'cu sou lode, todo sou.
JAvE[RO DE 1885 Pedro Carlos Main.
PRESIDEXCIA DO S. rPES Dn LYIRA Apolinario.Argomiro da Cruz.. I Plif% 1P de afneiro re 1ei5.
A's 11 hrns da m'tihai do dia 9 do janeiro do Joao Gualberto des Santos. 1 d r
iliao do nascimcnto de Nosso Senh3r Jesus Chri^i- Maunricio Vasco Correia.
to de 1885, no papo da Camarat Municipal de S. Jos6 Paulo Machado. i d d B J di
Jose do Egypto, onde so achawam presentes os Srs. Vice-presidenta. ^1 as1111 Ill
president, lnnoceneio Pies de Lyra e vereadores As Exmas. Sras. : E' incrivel, mas infelizmcnte e exact, o
JoAo Leite do Nascimento, Thomnas ae AquoiodoPD. u sLima. Eest do de onfus io ndesortei, nue reina s
rira, Paulo Raphael da Cruz, Pedro Berlirdo d:i D Olympia Marcionilla dos Pxazarea. est o do confUsao u dosordem queina
Rocba, faltando corn participacao o Sr. Paulo Soa- D. Paulina Maria.do Rosarno. em eertis escolas do iQstrucao prraaria,
'es da Silva e sem ella, Clcmsnti.no. det Siqueir, D. Caetana Josephina dos Pxaaezes. corn especialidade na deste lugar, cij:i
occupou a cadeira o Sr. piresidente e declarun aber- D. Theodora Evaunelista da Qonceicao.. moecidade educand a f'A ultimamiento entre-
taa sessao. bOr tlms Ss. e os *ge aos cuidados do professor Lindolpha
Lida a acta da antecedente, e postat cmrdiscus. MO dm Sin trs .unr. Be ral.
sao, foi approvada e assigna'la. Maoe Pedro do Castro Luna.. Bezra Cabral.
Expediente: ManoeL.J.aquinmFreire. Para quo o publico sensaeo fique fazen-


Seminar* eniscna de filindIi t


Colftgio fti6ce-s-no
A conec.ar do diai 1 de fe.ar in.., proximo, es-.
tari-A ibarta a tiutricula do ajs&j, u pelior do Se-.
miaario d Olitada a (4) dl., 1ip.iijatorios doCol-
Ikgio l)io csano ;. as nula's, z' iiA. 6 c1mcnaro a0'.-
funccionar na. dia 3..
As diseiplimis do, que ccot-. curso de prea-..
raitorios. inclusive a atila.lIana.iA, sao :
Portuguez, latim, trancaz ioglez, geograpla,
liistoria, ailhetica,.geometria,. philosophia, rbq-
torica e ,nasiea.
Recebem-sc pensionisas-e-ea.ternos. Nie sero,
admittidas A primeira wataicela alumnos reunion..
nistas maiores.de 1taianos, escepto se vierem, deo-.
terminadamente para a carreira ecolesiastica,.
A pensao destes, e-de35W0000 peo anno~ljetivoa
(10 mewsea), pages acianftamente em duas prestar
coes de 175i000 cajda umie.
Doue irmilos pagalo a annuidade na razbo de.
30.3000-pormez, csala umi; sendo-tres, um deltes
pagazA metade da pena&s mensal de 35 9 ;:;san-
do quatro, um sera gratis.
Ajbia 6 de 50do OU. por uma s6o vez, a, qua) da
direito ao que presceieye o prospecto 4k'. 16$f er.
cepauando-se papel, pennas e lapis.
Os externos. ,aatielados no curso de.preparato-
rieos pagarlo adiaatadamente a pensp. de, 5b000
pot mez, e oa d. aaula primaria, 35000,i
Cada a!unmio deve ter no Recife ou aesta ci-
dade de Olinda, um correspondentae-ou peswoaido-
nea que se responsabilise pelospsgamestoo de suas
Imeusahdadee, sere o quo nao podeAr seeo conserva-
do no estaboimento, Como detinraa oprespecto :
de 182.
SParw informaV5es e esclareea.entoa devergo o&3
interessados entender-se direotumate aom o rei ,
do eshabelbecimento.
SSerainario dc Olinda, 19 doe jwro de 1885
Couego Antonio Areoavde4 A. Cavalka.#4
AII__- A-IN- All


06 agradeiu ett de'vidos -a
eavalheiros e Al oVprovincisd o-'re

SIode Janeiro,:200 e dezermblrde 1884.--
&uzct Ccwy ho. -


i' lP ahyba
L5' S 'DISTRICTO
I AL-se no Comeii'i d Cantagalloa.
: So&bemos corn- verdadeiro contenta-
imenl to e jubilosos- notifcriamos ao1 nossos
)eitores que o Exm,.. -Sr,. Visconde de Souza ,
abrvalho foi eleito deputado a Aaeemblea
eiral -em 1.o escrt"inio pelo 5." districto
da Parahyba do Norte, tendo alean9ado
3m -ma maioria de BO0 votos sobre seci anto-
gpnista.
A reeleigao do ExIa. Sr. Viscoade de
Souza Carvalho, ao pleito de 1." de dez-
embro k o mais signoificativo protest ao
project abolicionit dx> governor.
a Foi S. Exc. o- -mains osforgado paladino -
do- direito e o primeiro que, no meio do
gpjral desanimo, -quando. as kerunesses, as
jingdas e as places derami motivo as cor-
revias qua se organisaram contra a pro-
priedade, ermpunhua, ao aoute do direito e
fi .srestaurar o imperio da legalidade.
a 0 Eke. Sr. Vinconde de Souza Car-
valio niio podia deixiar de ser reeleito e -
ptiaudo a provirinda do Parahyba nlo ti-p
vessel tido a grata.',iinspiraAo de o suffra-
gar seria cess unc dever que occorria as.
provincias do Rio do Jainiro, S. Ptaulo e
VaaDs
MioLas
( Cumprimentaado ao illustre cidadio,-
cmnogratulamo nos corn a nobre provicia da
Pirahyba do Norl&. a


institute Philomaliko

3 -RUA DO VISCONDE DE ALB.U-.
i' QUERQUE-33

Cam go M.99 4apriasm -


D IREC T.OR



Internato e externato
As aulas desto estabelecimruto de in&- .
trucao e eduealo estarato aertas dodia.-
7 do correntt- em diante.


Elei ao
Dos juizes e juizas que tern d t
festejar a gloriosa virgenp tt
N ssma. Senhoma da., Boa-VCm.
gemi, no dia .S de fevereira ,4

Juizcs per eleiT4o
Os Eym. Srs. :
BarAo de JundiA.
Dr. Anton)io Francisco Correia.de Araijo.
Barto de Frecheiras.
Dr. Joaquiin Correia de.Arauijo.
Manoel Antonio dos Santos Dias.
Ceronel Joaquiza CavalearnAe de AlbuqsifuA
Boll<,.
Tenenmte toronel Manoel; Azcvedo do-. Ngaoi-
mentp.
Commetdador Antonio Coreia de VasconJelbs.
Jaizas por elhi~lo
As Iramas Sras.:
Baroneza de Jaboatlo.
Esposa do Sr, Leocadijo Kontual.
Esposa do Sr. Sr. Dr. Joo Vieira de..Jsaij{>.
Esposa do capit.o- Flomrsmundo di., Silveira
Lies.
Esposa do Sr. Manoel Alves da Silv,._
Eapasa do Sr. Dr. Frminciso do legaJi. de La-
eerda.
Esposa do tenente corouel Louseuae, Ajives da
Silva.
D. Joaquina de Salles Sepnna.
Juizs protoctores.
Todos os irmiaos do Nossa Senlvma,dss Boa-Via-
Ba-Viagem, 18,d janeiro (1e I,.8'I5.
0 vigario, Iiayi:,i,,doW.2.droeza.


-
%
















,. fLArsenal de Guerra

S T 0 conselho do compram recebe prpostas at As
. -tal I lhoras dia manhia do dia 23 do corrente, para a
';"- .-- Edital 6'9 H .. Yil doi artigo s seguintei :
SO amiuistrad.r do eqnsulado provinuial faz 1A ;-godo1osigho, metro 5,000
SAlgodlo usuiam idm tr5,s
public a que'm int-rcssar oossa, q. de accord.-IAlgod,o surtc, idem 5, 5 0
toma lei uc (r9am'nto cam vigor, i e inurc.id.. uo A.ogecl, idem 4,80
prazo do 30 dins t-is, ciuntalus desta dat.u ra, Aniigemn,, m 4,50
independento domulta, sercm rerolhidos .. o -iBim bronco imperial, idem ,00
I Dito psi'do trantmcado, idemn 1-1)774
free desta mop'mrticaO as mmportancias reltmti'O Lio pa-t u--adm, ide -32
~di'-8 o nBaetta eucarnadcla, idema 32
1 jmestre do excricio scorrente l& l- Io B n t d o sc'iie interri 227
segumntes impostor provinciacs : Iu)itos do diro pi-a rcirutas 65
Taxas de reparti+..ODitod o- a-e judionte qu6rtel
20 0/0 sobre cstabelecimncntos m0o comprhben- Ditos par .argnto judante quarrel 6
didos no perimetro das tnxas do rcpar-ti.-o. s d pao sargent 3
1:0003 por csa mde garantia do bilhtes. 6s do l pim sargonto
1:00W par casa qu o vendcr bihlicts do outi-as t'es grades d tal, fin
praviucias. Coroas douradas 6
provineias. Estiras d ta*bi'ia 37
24 500 por t.on el idi. d alvurenga,c 20.. por es- Esteuas de taba 37
2^500 ~ ~ ~ ~ ln-l pranr do d.d.^ jP 1^ ^ almodlo, metros 175$50
oravo empregaido no s.rviaio do -mgarefe ou esti- l 3anl b ca d algodio, metro ,
G:, ai ancvrn'doidem 252d
vador. I d,9
Consulado provincial do pormn'buco, 21 d dode- ( Ca/lo tdoutado de um io. idemn9
zembro Ic S8. i-Gravatas do solar de lustre 129
F.anocisco A. do C:irv :x ti oarsL. liilan.da de forro,n metros 150
_ 1 L e no o s di e c h i t a 7 1 0
0 tk M1'4mseias d,, algodao, pares 1,014
J6 (I~yU R^^ I tn, cle"flot Man-ats de U~ cinzentats 11
GV 1111a z 429 11
Pa nuo az'al ora. cal;acs do pr'icas, metros 429
S1)it- ito finio poara f.irdas doe sargcuto,
EMi 20 1)1l 4JAN RO D I S8 1 8< id-e 1584
Pel( S10 t y f do GyDnnasio PorMna-buc:-. sC ito ,nesct. aalvadio par citapotcs,M idem 8
dclrimat'is Srs. pai di familiar, e A quemi rnmais Sargclim fr-nc:z, idem 10,50
inmtercsar p (ss 1 it!.t*It a obtrtura solcmue do c2uso SaPatos do couro, pares 68
scicatifti) o l.matt.-o t-rA !1Igar no dia 3 do,,e fo.- Ttm.tTl:'u, iod, eem
reiro0 pro:ia vil.qi mlA, c dJsieja e achat ab-orto Proviie-so que nao s-r0o tomit: c em otside-
Si-se ripc.1 d1aitl p:.intra aql.-l!:ts qn'o prce- ramao as 1)opostas que n^o form feitas na firma
tellU!c-u're il VStl~kr d IS Q(-1'J11- nu1d!in; i:0111at. 61 d, -rcgulaineito do 11) do outubro de 1872
Ltguicn u'ita^d, as e~Cn dimjpliatain ci-; n -referernca a um s6 artigo, men-
Dita c. .tiaa. c-inando o none do prop-)nente, in.ic, .;o da casa
i/ita frti-umz commeinrci.-il, o pr-- dn cada .tirtigo, os nmcoros c
Dita i ht zZ.. tm unrcas das n ol a st as e dcehlarai o oxpre ss i de se
Dita c i t ?. 1 e i i 'a.'ii.-it r i :*nu!ta do 5 ",o c;i:tso recise assigrnar o
S 1i m t i 'lo.in 'iit. -4o:trtcto 1 mmn o 1o ast 'de que t i-ntt^l os arts. 87
.:. 1 sa ,,t.:'0c -8 1do0 c tu o r fg ulami enito.
J cs. Iv(irn-t;t.n t Socrt:ria1k do Arscnail de Gucrra de Pernaminbu
-Xr-li,,i.'tIc +. eCo. c:n 19 dc iueiiro de 1885.
P sl, 1,l.+ '"ranci..:o Jouptdim, dc So-.,
P*lil,,*s,,ll]hl* Scretario.


uin'.['-tmi K^ c 12 ti'.;I .
S i- c .ai r.'.- .ir-I s.
i),:sc,:h,.-i
0) <.-./ ,!, -ea:t *. ai':itot)- coonp i'so IL 19
y!

*.* l-'O -:sa r '.. o',:'. ,:, .'i ; I -,-.--; ',*;i 1 t o ;,. d' -ies 'i;an ';m -
ci ;- ;a tc ii: ii ii cd la n_-, rcspc. tiva cia-
'~o illl-P,
0 i i~t'tito ',.'cit.i : '-; .:,os ,3 r'a h z catlbegcrios
1:.)tl in.'if s;c ;i'-'";i>'n divid ldo ; penl uiiitistas 00 111-
-;' ll i i'!*t'lO- [it *';It- il e extC 'lirIn .
Os 0 c.; .'i<-'":tas r's;i CiLro n w iuatitiito, ti'ho
,L:reito doie .-_'t ''-r ii atcria *ski- ,q ,e si ci. poc( o
c'.rSo ai't. ii;-as, seguia lo o p-l',- ;ii;noi; cstabele-
ci 1o: ;i s'-r :*.i; it :,s st .lid e ;i tdinah temrnite;
traelt:udos iO n s'. s i. fr!i, i-;id,-'s prd.l) ;nedico do
iustitut., f ,,',-,i i I Ihe tain.b'. 1-ut c I ,l ediatmitOpl
to; a'tci" rc'tip~t L:vid:i c, cng>';i;:,n!i:.i r.-;,'.!q'.u:niiin-
41o dii vz's p,1 .C. ;i .ii;; b -IR nh,) etcd ; tuW1,0 itu
pohla mdica (ilatiti dc (L3 40'0. por a;IIo.
')s 1-io-)epnsioni-itis so apr seuitaro 110 cOsta-
-c'-c-inti- 11 )s dots i0ctivos a II'h,,a cmu que ;is
;*..ilas s;; =br'.'rc..'." c ,d^'s..e cntao ;:tt st'r".':n r'ilc.ur-
r'adaS ;' tarti',[ y.'.. P.*.!!'. :!r'; (.,d S a" .S i~it..rilos, tifll
: a) c,,:o-. isst's ,s a !'n. m)s direitos ,nl:u;ito no c.-t:n-
-.o, aoiiaiit ,td. ao e r-rci,., : isto pel. iiiu, iua. ',naUh-
:! de 240,5.
C's :.t-Oiiir s t-., it ir.'nt' ;sit lhijes e expli,-
,. a 15 1.s 1it.)0Vii '''ii'~-~s no) ctrao, qjt'i-squer
I'c 'lli!s sojito. p.imgaidj :,pen;:is no acto dI ma-
triclcul a taxa it 0 ,4;a.- ii ',oim os alaunuos 110
,,,.'gi! dois rt;f').
-) tlilil: S i i 1iitu K- s dLGV,'O i n an:-'iseot 0. on.
c:;val prescript) ni- .n-:ii;ltJto interior c tor cor-
p',- iiln.i.tcte !i' iaipitai, p'I;i ci10iproiniptid.To satis-
:I'izr ;I: p 'ii'0--y out';t milqner despeza die qn ue
1tiv;r oc atcossiidal'e.
As pcnso"a s t'i.- i pag;is na secrctaria do insti-
+* -), ji r tri:ii .ttre. s a i-iintidcs.
0 sc-cretario.
Co':l "_ rt. .' i-, 1 (,'dntella.




Pelo present fa&o constar aos proprictarios
, ,1eios, ou que estes estcj 'n cstragad's, que ihcs
!-,a irdtr-j o prazo die 30 dias, A coniiitar desta
':ata, tara nandarem iazcon ou concertar os ditos
.--assesios, como deterimina o ait. 109 da lei n. 1129
fie 26 de jimho de 1873 ; incorrendo n', multa dI1-

OIMMiERCIO
"Praa do tecife, 19 de Janeiro
de 1S4i
As tires horas da tarde
CofaQoes officiaes
Uambio sobre Para, 30 d(Iv. 58 e 3/4 0/,0 de des-
conto.
Dito sobre (iito, 93 d v. 1 3/1 0/0 de desconto.
Cambio sobrc a Bahia, 30 d/v. 3/4 0/0 de des-
conto.
Cambio sobre Londres, 93 div. 19 3d 8 d. par 1.,
particular.
Cambio s'-:bre Paris, Av;6ta, 499 rs, o franco, do
banco.
Cambio solrec HambnU-rg,, vista, 610 rs. por R
M., do banco.
Cambio soq-ire o Porto), )90 d/v 170 0/0 de prcmio.
A. L onaurdo Rodrigaes,
Presideirte.
M. J. d'. Motta,
Secrctario.
RENDDIENTOS PUBLICOS
M-.z d ianciro *10 1S85
kLrAADEGA=Dt' 2 a 17 451:9879410
Idem de 19 30.469i140
482:457o080
'EcrmEDOEIA=Dl) 2 a 17 17:3524094
idemr de 19 1:707250
-- 19:0595344
JOuswm"O paovnicOAL---De 2 a 17 150:727j913
Ide1 d1-: 19 5:971A325
156:699278
!acU!B DB'A-rG-D" 2 a 17 1:915A317
idem de 19 1:299A054
3:244.4o1


ALTERA'AO DAPAUTA
Para a seoana de 19 A' 24 de Janeiro de
1885
Assucar tranco, 140 rs. o kilo.
Assuca' mMascavado, S<3 rs. o kilo.
Couros seceos espichados, 620 rs. o kilo.
SAlfandega dc Pernambuco, 17 de janeiro de
1885.
Os conferentes,
J. da Costa Cirne
A. J. H. de Oliveira.-

DESPACHOS DE-LMPORTAXAO
i....j "Vapor national Ceardi, entrado dos portos do
:'ci- sul no dia 18 do correnta e consigmnado a Bernar-
a dino Pontual, manifestou :
Carga do Rio de Janeiro
. Animaes 4 A ordem.
Cafe 477 saceo a Joaqiim Durte Simres & C.,
$ 83 A Fraga Rocha SQ 0,102 a Manoel dos Santos
S.Arshjo, 50 a'JoM J. Alves & C., 257 a Paiva Va-
S..... _& C,, 3. a Antoni Lo-ureiro & C., 65a
3" j066 VUeV a de Carvaliho & dC., 30 a Lebre & C..
S'. a ern4es doi Coamt ,. 53 a Jolo Mo-
; 9a S a Ant"eio Joax6 ad es &d Q. 37
ligyamet di. Qist"'"' e OM"85.a1uauj
K^^^^M^ 'Xl m + +,c..
...; '=.. .- :" & i~ "" 4 .'


Thi .omi'ar q o F o-m a
De ordcn do him. Sr. inspector, sefiaz public
que no dia 21, As 10 horns da manhia, se farA pa-
gncnoato no arsenal de guerra As costureirais de
pe.;>as dc f';rdainento do mcsmo arsenal, relativ'a-
mclitc a 1" quinizena do cur:cnte mez.
0 secretatio,
Liz Einygdio Pinheiro da Camara.
Ai)DMI3NI, CAO 1)0^ CORREIOS DE PER-
NAMiBUCO, 20 DE JANEIRO DE 1885
.1lulas a expedir-se hioje
Polo paquete inglez Gaadiann, para os ortos
do t.il, esta administra-ato recebe impresses e ob-
jectos para registrar ate 12 lioras do. dia, cartas
ordinariais atd"l hoira ou 1 1/2 corn porte duplo.
Pelo piqucte inglez Potagonia, par a Babia, Rio
de Janr-iro, Rio da Prata e Pacifico, reoceebe-se
ill presses e objects. para registrar, ate 12 horas,
cart-us ordinarias ate 1 hora oa 1 1/2 coin porte
duplo.
0 adminiistrador,
Affonso do Reqo Barros.

Sqiedade 1tecrealiva Juveiintud
Noir'ee h mnestral emt 8 de
feverelro
Scientific os Sirs. s.cios, que cste solrce, prin-
cipiqrl ais 7 h.-ras dam note.
Iingresse em m;io do Sr. thosoureiro.
liecife, 20 de jantciro de 1885.
Mcinoel Bandeira ,tFlho.
Secretario.


souroIo o mor a Ordomt
Do ordem superior convido os oper.-. desta
Au. Loj. para ses --. d elei. quinta fei-
ra 22 do eorrente, as 6 1,/2 horas da tarde, no lu-
gar do costume.
Seer.- da Aug. -. e Rasp. -. Loj. Cap.-.
Scgredo e Amor a Ordem, 19 de janeiro de 1885.
U. Ribeiro
Seer.-. Int.'.

Imnopfal Sociftafh o rtfti tQs
Iophanipc o oLSWlor
IccuiiliuicQb 0 LiUorduu
Domingo 18 do corrente teve lugar perante umin
Siqneira, 5 a Albino Amorim & C., 10 a Guera
& Fernandes.
Stlsa Caroba 11 caixas a Francisco Manoel
da Silva & C. Saccos 22 fardos a If. Burle &
C. Sabonetes 2 caixas aos mesmcs.
Carga da Bahia
Azeite de palma 10 barris a J. V. Alves Ma-
theas & C.
Cbapeos 2 caixas a Rodrigues Lima & C. Colla
2 barricas A ordem. Charutos 1 caixa a Sulzer &
Koechlin, 4 a Almeida Machado & C.
Farinha de mandioca 50 saccos a Fraga Rocha
& C. Tumo 7 volumes ja Ventura Pereira Pessoa
& C., 13 a Joao Francisco Leite.
" Pauno de algodao 50 fardos a Rodrigues Lima
& C., 5 a Machado & Pereira, 5 a Severino &
Irmrao. 30 a Andrade Lopes & C., 30 a Souza Mou
tinho & C., 30 a Ferreira 6- Irmao, 30 a Agos-
tinho Santos & C., 21 a Albino Amorixn & C., 20
a Bernardino Maia & C.

DESPACHOS DE EXPORTAWAO
Em 16 le jaueiro de 1855
Para-.oaexterior
No vapor allemao Hambnrg, carreg_-u :
Para Hamburgo, Pohlman & C. 15,0'00 ontas
de boi.
= No vapor inglez Author, carregou :
Para Liverpool, J. Pater & C. 3,000 saccos
corn 22"1,000 kilos de assucar mascavado ; J. H.
Boxw(.li 500 saccas corn 36,447 ditos de algodao.
== Na barca ingleza Victor, carregou :
Para Liverpool, J. H. Boxwel 2,800 saccos corn
210,000 kilos do assucar mascavado.
= Na barca ingleza S. Antonio, carregou:
, Para Liverpool, Costa & Medeiros 498 saccos
eem 37,350 kilos de assucar mascavado.
Na escuna americana Mlarion, carregou :
Para New-York, H. Forster & C. 1,200 saccos
corn 90,000 kilos le assucar maseavado.
Na barea norueguense Boreas, carregou :
Para New-York, Julio & Irmao 1,000 saccos
corn 75,000 k'ilos de assucar mascavado.
= Na barea americana Benjamin, carregou:
Para New-York, Polilman & C. 8,000 saccos
corn 600,000 kilos de assucar mascavauleo.
Para o interior
= No patacho d.namarquez Vermern, carre-
gou :
Para o Rio Grande do Sul, B. Oliveira & C.
350 barricas corn 20,728 kilos do .ssucar branch.
No vapor francez VUle de VaceiO, carre-
gou ;
Para Bahia, P. 0. de Siqueira 150 barricas corn
16,558 kilos de assucar branch.
Q- No valor national Espirito Santo, carre-
gou :
Para o Rio de Janeiro, F. F. de Saboia 2 aixas
comn 82 kilos de pennas ; Amorim Irmlos & C.
500 saceos comn 30,000 kilos de assucar branco.
Pmra Bahia, Amorim Irmlos & C. 350 barricas
corn 23,855 kilos ae assuear'branco.
= No vapor national Ceard, carregou :
Para o Pari, F. de S. Martins 240 barricas corn
1t,43 kilos deo assuar branco ; 8. Q. Brito 100
ditas io., 5,670 ditos de dito.
Pqra o Cearu, J. M, Dias 13 caixas corn 276
kilos do rap6e
Na tmareaca Fdma 4$w Aima, carregou:
Para m oei A. F,.t S8v- 25,000 litres de
sal. -a
-Dia, -,'


8$.t *. ^J ^ X~e p8 m se MBltBl u ;
provincial, o Sr. director~ 1- tjuuto lrwx~ 4.' v,
0 sr+,:
zavaleante prouuneiou r m diseurio analog e de-
clarou abetta a 8081o. Em seguida eabendo a
palavra so orador desta W ociedade, e'faiendo eete,
patente os serviios preutadoin p"ooa eooocios bern-
feitores, professor Felix de Valois Correia e o
Exm. Sr. Dr. Jos Mariarino Csrnoiro da Canha
foram inaugurados no salo de honra os retratos
daqiulleg prestimosis cidadaos.
Fizcram-sc reprosenter as socied..des : Recrea-
tiva Javentudie, Liberal Uniaio Bonefi.'ente, Fmniu-
ciouairios Publicos, Gre.nio'L'dos Prufeisores Pri-
mi:iriow, Novi Th tli.., lIroptg.-dora da Iistruc(.-o
Public, Artistas Carpinteiros, Monte-Pio Born
Stiucesso, Monte-Pio Popular Pernambucano, Club
Dramatic Familiar, Club Carlo Gomines; e fal-
laram os Srs. Dr. Joaquim Aurelio Nabnco de
Araujo e Alfredo Falcao. Tocou durante o aeto
a music do corpo de policia. A exposi;Io serA
eneerrada ter a-feira, sendo o edificio illuminado
a laz clectricv.

anad oe N-o ssa So dii ra hda
coumogo 03mi'lit ros

SAo con vidados todo3 os membros desta ir-
maudade a comparecerem no consistorio respective
as 6 horais d: tarde, de quinta-teira 22 do cor-
reutc, afirn de proceder a cici;Ao dos nossos fnime-
cionarios.
Consistorio, 19 de janeiro de 1885.
0 seeretario,
L. A. de Moraes.


LiABITiMOS
Companhia BrasileIra de Nave-
gaviio a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor

ianaos
Comuni'nd', "ine 1" tmnnt' Gidlherme Wad-
ifl/gton
E' I'spcrado dos portos do nor-
-3^ \ to at o dia23 dcjaneiro e
/ m seguirai depois da demora
-.Y i do costume para os portosdo

Recebe tambenm carga para Santoa eRio Gran
oe, frcte medico.
Para carga, passagens, encommendat e valores
tracta-se n-a agencia
46 RUA DO COMMERCIO 46


Coeipanhia Itahiana de Navega-
4iao a Vapor
Macei6, Villa Nova, Penedo, Aracajui,
Estancia e Bahia
0 vapor
lMarquez de Caxias
Commandante Nova
e Segue para os portos
>'os-- acima no dia 21 de ja-
a cneiro as 4horas da
-4' -, tarde. Recebe carga
W atd no 1/2 dia do dia
Pde sua sahida"
Para carga, passages, encommendas de dinheiro
-a. frete tracta-se na
AGENCIA
7- Rua do Vigario 7
0omingos Alves Matheus
COMPANHIA PERNAWBUCANA
DE


Navegacao costeira por vapor
PORTOS DO SUL
Macei6, Peinedp, Aracaj" e Bahia
0 vapor Jguaribe,
fcommandante Costa,
seguirA no dia 27 do
S 4corrente, As 5 horas da
~tarde.
Recebe carga ati c
dia 26.
Encommendas, passagens e dinheiro a frete at
Aa 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
--No brigue inglez Waterlo-o, carregou :
Para New-York, J. Pater & C. 8,000 saccos
corn 600,000 kilos de assucar mascavado.
= No patacho inglez Keldnan, carregou :
Para New-York, J. Pater & C. 500 saccos e m
37,5(0 kilos de assucar mascavado.
= No ldgar inglez Maggie, carregou
Para New-York, M. J. da Rocha 128 saccos
cem 9,600 kilos de assucar mascavado.
Ne ligar inglez M. Cory, carregou :"
Para New-York, J. S. Loyo & Filho 943 sac-
cos corn 70,725 kilos de assucar mascavado.
No ligar inglez Sunbeam, carregou :
Para New-York, H. Forster & C. 6,400 saccos
com 480,000 kilos de assucar mascavado.
Na barca americana Mlary G. Reed, canrre-
gou :
Para New-York, H. Forster & C. 8,200 saccos
corn 615,090 kilos de assucar mascavado.
== Na escuna americana Marion H., carre-
gou :
Para New-York, H. Forster & C. 2,000 saccos
corn 150,000 kilos de assucar maseavado.
No brigue americano Charles, carregou :
Para New-York, Borstelmann & C. 8,500 sac-
cos corn 652,500 kilos de assucar mascavado.
== No vapor allemAo Hamburg, carregou :
Para Hamburgo, H. Nueseb & C. 666 couros
salgados cornm 7.992 kilos; Paal Sthlmann 643
ditos corn 7,716 ditos ; Pohlman & C. 5'WO saccas
corn 36,450' kilos de algodlo ; Borstelman & C.
350 fardos coin 65,539 ditos de dito ; F. da Silva
P. Ferreira 30 caixas caijurubeba.
Para Bremen, V. Neesen 1 fardo corn 315 kilos
de carocos de algodio, 3 fardos corn 100 ditos de
courts, 360 couros salgados com 4,320 kilos, 2,219
ditos verdes corn 46,599 ditos, 15,000 kilos de for-
ro velho e 1 fardo com 578 kilos de couros velhos.
= No vopor francez Orenoque, carregou :
Para Lisbon, Amorim Irmaos & C. 200 saccos
corn 15,0. 0 kilos de assucar branco e 200 ditos
corn 15,000 ditos de dito mascavado.
Para o interior
= No patacho dinamarquez Verinmern, carre-
gou :
Para o Rio Grande do Sul, B. Oliveira & C.
400 barricas corn 33,645 kilos da assucar branch
e 200 ditas comn 22,191 ditos de dito mascavada.
== Na escuna allem-A Lagterland, carregou :
Para o Rio Grande do Sul, 0. Travasso & C.
30 saccos corn 2,250 kids de assucar branch.
No patacho dinan-arquez Express, carregou:
Para o Rio Grande do Sul, J. M. Dias 300 bar-
ricas corn 29,753 kilos de assucar branco. '
= No brigue hespanhol Henriueta, carregou:
Para o Rio Grande do Sul, B. Oliveira & C..112
caseCos corn 18,000 litros de aguardente. -
co== No pataeho dinamarquez Elise, earregou:
Para Bahia, P. Carneiro & C. -1,000 barricas
mn 101,018 kilos de assnchar branch.
No vapor national Espirito Santo, carre-
gou :
Para Bahia, M. F. Marques & C. 100 saceos
corn 7,500 kilos de assucar branco.
= No vapor francez Ville de Maceid, carre-
gou : -
Para Bahia, Amorim Irmaos & C. 1,000 saos
mtorn 60,000 .kilos de asuear braneo e 1,200 dites
eom 7,000 ditos de dito nm cavado ; A. J Jutr-
tado Bqbci* 200 ditot'O 1 %,000' d I i to
brameo;. P." Alv & .. _. 40 rrMica aM.
dfit .46 _3o; 9J. "n 'i tp e Woim4NJ 11Pm
de &Ioaol. --
P *Wa A M m k* mC.50 bar-


r o. ,ear


j Segue no dia 20 do corrente o
ibiate Dew te Guarde ; tern parte
/F]]i do seu carregamento, podendo
taRitida receber 4lguma eaiga a tre-
tea modicos; A tratar corn Bar-
thulb.mj Lourenpo na rua da Madre do Deus
p. 8
COMPAfJA PERNAMBUCANA
DE
Navegao Costelra per Vapor
PORTOS DO NORTE-
Paraiyba, Natal, Macdo, Mo8sor6, Ara-
caty, Ceard, Acarahu e Camosslm
Segue no dia20 deja-
neiro o vapor Ipojuca,
-" commandante Telles,
As 5 horas da tarde.
Recebe carga atW o
~dia 19.
Encommendas, passagens e dmheiro a frete atW
is 3 horas da tade do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Cases da Compankla Pernambu-
cana n. 12


LEILOES


Agente Pinto
Terca-feira 20, deve ter lugar o leila'o de mo-
veis na rua do Born Jesus n. 49, constando de pia-
nos, mobilias de jacarandA, e de junco, cadeiras
de guarniao e de balanco, espelhos, quadros, co-
fres, carteiras, prensas de copiar cartas, louca,
vidros e outro3 artigos conforme os annunoios
n'esta minesma columuna.

Parahyba do Norte

LJeio ogoe lyio
Hiarlowv capital do patacho inglez, Mag-
gie vendc em hasta public no dia quaita-feira 21
de janeiro corrente As 11 horas da manhi, no cases
onde o navio se acha fundeado, por intermedio do
agent Jolo Ferreira, em present a do Sr. vice-
consul de S. M. britanica e corn assistencia de um
empregado d'Alfandcga para esse fim nomeado, o
casco e mais pertences do mesmo patacho, tal qual
se aeha ancorado n'cste porto.
Cidade da Parahyba, 15 de Janeiro de 1885.


Leilao
Do 5 caixas -orn mobilias de junco e ea-
deiras avulsas, 2 caixas con entremeios
bordados.
Terca-fera, 2*G de jaineiro

AOHInto Pinto
No 'aruiazem da rua do Born Jesus n. 49
Em continuacAo
vender.4 o mesmo agent uma burra prova de Lfogo,
1 dita franceza, 1 carteira, 1 mesa com prensa de
copiar, 1 balanca decimal, armarios, mesas, ca-
deiras e outros moves de escriptorio.


Agente Pestana


Leilao
De generous de estiva e 1 cofire
Diversos libros de manteiga ingleza em latas,
ditas de massa de tomato, ditas de marmellada
superior, diversos barrios corn superior vinho J.
C. C., latas com ervilbas, diversas corn farellos,
diversos caixoes corn phosphoros Jonckpings, di-
tos Vulcao, ditos Cavallinho, diversas lesmas de
papel pautado, araruta, garrafuos vasios, 2 cartei-
ias, 1 prensa para copiar carta, 1 balanqa deci-
mal, folhas de zineo, estivas, taboas e todos os
mais generos e objects existentes no armazem de
generous dc estivas da rua do Amorimr n. 60.
TERA-FEIRA, 20 DO CORRENTE
A's 11 horas
No armazem da rua do Amorimr n. 60
0 agent Pestana, competentemente autorisado
Para 0Para, F.A. de Souza 350 barricas corn
24,200 kilos de assucar branch; M. J. Alves 100
Sditas corn 3,779 ditos de dito; J. A. da C. Mo-
reira 150 ditas corn 9,921 ditos de dito ; M. F.
Marques & Filha 200 ditas com 14,603 ditos de
dito P. Carneiro & C. 400 ditas corn 21,120
ditos deo dito e 5 pipas com 2,350 litros de aguar-
dente; M. A. Senna & C 20 barricas com 978
kilos de assucar refinado ; J. de Oliveira 150 ditas
corn 10,289 ditos de dito branco ; Baltar Ir-nos
& C. 25 pipas corn 12,000 litros de aguardente e
1 caixao corn 60 kilos de doce.
Para Maranhio, J. M. Dias 4 caix5es com 110
kilos de rap6.
Na barcaca Elisa, carregou:
Para MacAo, E. C. Beltraio & Irmao 5 barricas
corn 451 kilos de assucar branco.
Na barcaca Linda Rosa, carregou :
Para S. Miguel, P. J. de Siqueira 13,000 hlitros
de sal.

MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 18
Rio de Janeiro e escalas-8 dias, vapor national
Ceard, de 1,999 toneladas, commandant Gui-
Iherme Jose Pachec >, equipagem 60, carga va-
ries generous ; ao Bara'o de Petrolina.
Bahia e escalas. 11 dias, vapor national Mar-
quez de Caxias, de 391 toneladas, commandant
Felippe Rodrigues da Nova, equipagem 28, car-
ga various generous ; a Domingos Alves Matheus
Baltimore- 52 dias, lugar americano Maud Brig-
gs, de 237 'toneladas, capitao J. S. Barbour,
equipagem 7, carga farinha de trigo ; A ordem
Rio de Janeiro-17 dias, ligar americano Mathew
Baird, de 412 toneladas, capitao A. F. Forbes,
equipagemr 9, em lastro ; A ordem.
Sahlidn no mnesmo dia
Rio Graude do Sul,-Escuna allemI Sagderlande,
capttao A. Dicken, carga assucar.
Navios entrados no dia 19
Terra Nova--25 dins, baraon inglez Ethel, de 281
toneladas, capital George de Prux, equipagem
10, carga baralhAo ; a Saunders Brothers &. C.
Southampton por esealas-18 dias, vapor inglez
Gaudiana, de 1,597 toneladas, commandant C.
W. Hauslip, equipagem. 68, carga various gene-
ros ; a Adamson Howie & C.
SSahidos no mesmo dia
Manaos por escalm--Vapor national Ceard, com-
mAndante Guilherme Jose Pacheco, carga va-
rios generous.
New York.-Ligar inglez Maggie, capital G. H.
Peorcip, carga assucar.
Observagio
Procedente de Liverpool e escalas fundeou hoje
no lamarxo o vapor inglez Patagonia da linha do
Pacifico, o qtual na-') teve comnmunicaio corn a ter-
ra por star cm quarentena de24 horas.
VAPORES ESPERADOS


LL 2eDn. &


LeilIao
Na agenda da riua do Rangel
n. &I
O agent Britto, vender' em leilao o seguinte:
1 bilhar e seuspertc noes, 1 piano, 1 mesa elastie,a
1 Javatorio corn tampo de pcdra, 48 cadeiras de
junco, 1 cama de amnarello para casal, marquezao,
lavatories, comodas, cabides, 1 nantuario, bancas,
quartinheiras, quadros, jarras, 1 grande ballan.a
de Romao e muitos outros artigos.
Teqa-feiro, 20 do eorrentle
As ihoras
T 'j

Da armdiilo euveruisada e envidraada, balcac,
fiteiros, balances, utencilios, cigarros, pontei-
ras, cachimbos, rotulos c mais objeetos
existentes na fabric de cigarros da
rua do Coronel Suassuna n. 15
Quarta-fetra 21 do corrente
As 11 horas em pouto
0 agent Gusmlo completamente autorisado
fara leilalo em um ou mais lots do estabelecimen-
to acima.

Leilao


De moveis, lousas e vidros
Quarta-feira 21 de janeiro de 1885
A's lOe I/ horas
No 1- andar do sobrado sito na praga do
Conde d'Eu n. 28
Constando:
De 1 important mobilia de jacaranda, nova,
consoles corn pedra, jardineira, 1 espelho oval, ca-
ma franceza, 1 bidet, 1 toilett corn pedra, 1I guar-
da-vestido, meia commoda. mesa elastica de 3 ta-
boas, 2 aparadores, 1 guarda-louga, 12 cadeiras de
guarnigao junco, 1 sofa, 2 marquezoes, 1 lavato-
rio, jarros, loucas, vidros e mais moves.
Quarta-felra 21 do corrente
0 agent Silveira autorisado por uma Exma.
familiar que retira-se para fora da provincia leva-
rA a leilao us referidos predioa,

Leilao


0 preposlo do agent Burlawaqui
Quinta-feira, 2I do eorrente
A's 11 horas em ponto
No armazem alfandegado Jose Luiz,
no Forte do Mattos
Cerca de 946 barricas-eom cimento inglez
marca Wellington-
0 preposto do agente Burlamaqui, levarA a leii
lao cerca de 946 barricas com cimento de boa
qualidade e que veuderA em lotes a vontade dos
pretendentes, e por conta e risco de queon perten-
cer.


Leilao
3 caixas corn bisnagas corn avaria.
2 caixas com bordados.
50 caixas corn cerveja garrafas e meias.
10 caixas corn vinhos.
20 caixas corn milho em conservas.
5 caixas corn milho inglez.
Differentes fazendas avariadas.

.uinta-feira, 22go corraute
A's 1i horas
POR INTERVENCrxO DO AOENTE
Pinto
No arrnuzem da rua do Bomn Jesus n. 49
Por occasiAo do leilao de fazendas, louca, vi-
dros, quadros, carteiras, cofres, mobilias de junco,
cadeires avulsas e outros artigos.


AVISOSDIVERSOS
0 abaixo assignado pelo present chama as se-
guintes pessoas que se acham atrazadas em suas
contas, para virem pagar ate o fim do corrente
mez, e, se nao vierem, cntivo f:irei jdicialmente,
fornecidos de cigarroq;
Monteiro & Ribeiro. "
David Augusto da Silva.
Alexandrino Pereira dos Sa-to'.
David Alves Pereira.
Jose Gomes Pinto.
Caetano Carlos de L c!rs.
Joao Borges Leal.
Alferes Constantino.
Manoel Alves Ferreira
Joao Villela. -
Jorge da Paz Tei.cira Lima.
Jacintho Jose da Silva.
Oliveira Villela & C.
Joao Machado Soare. Jiiio.-.
Farias & C.
Martins & C.
Andre Luiz Pereir.,
Leoncio Pereira de Sou-a.-
Antonio de Souza Rasteiri.
Francisco S. A. do, S,.ntc.
Jose Conte.
Almeida Siqtieira & C
Claudina Francica do RBc..irio.
H. da Cunha Albuquerc;,:e.
Mendes Ribeiro & C.
Joaquimn Soares Piaho,
Joaquim Anselmo Pereira.
Marques da Fonseca. & C.
Jose Martins da Cunha.
Raymundo Correia de Almeida.
Joao Francisco.
Joaquim GoncaIves Coelhi,.
Ulysses Raugel.
Pedro B. Costa G0...; --.
JoaquimMaxiainauo JI '.-rc., Figacii'. Agua-
Preta).
Francisco Horiuic -..,' A:. RPb!)eiro.
Felippe Ne-y da "bi'. --- .-,
Jos6 Luiz Bernard-ia. Ps:'.oa.
Jos6 Leite da SiLva R -( 3:1.
Pedro Lustosa Fern'lm..>'?.
Jobo Virles.
Jos6 Januario dG' ,il8;v.
Recite, 20 de j-.aeiro Li 1:)85.
MaKoci dos Santos Fdcao.


proxwepd iotw i>^ ^/
nham no estabeleerneate A gseMN IN
sito I rua da Penha a. .3 u,tl ,ra s.b o .
made Bernardino FerremsPra va C edo a' '
socio Antonio Ferreira Praea 0,'de 4r8
capital e lucros e ficando d'ora em diante o a :tivo -
e passive do dito estabelecimento a cargo do so- 7
cio Bernardino Ferreira Praea. palo que se torna
o unieo responsavcl.
Recife, 1 de janeiro de 1885.
Por procuramao de Antonio Ferreira Praga
Josd dos Santos Codelho,
Bernardino Ferreira l4raca.


De *Imlaf ph..Oa c qmdros
A saber
Um piano de armario e eadeira para o memo,
1 mobilia de jacarand comrn 1 sotf, 1 jardmineira, 2
consolos corn ped-a, 2 cadeiras do bragos e 12 de
guarnicao, 2 cadeiras de balance, 4 quadros doura-
dos, 1 espelbo oval dourado, 4 castiaes comn man-
gas, 24 cadeiras dejunco, send 12 brancas e 12
pretasm e 1 estate euvidracada.
Uma mobilia de junco pieto corn 1 sofa, 2 con-
solos, 2 cadeiras de bragos e 12 de guarniAo, 2
cadeiras de balance, 1 piano de cauta, 1 secretaria
corn armario, 1 espelho, 2 quadros, I tapete, 1
toilette de jacarandA, 2 camas francezas, 2 mar-
quezoes, 2 commodas, 1 tocador, 12 caeiras de
junco, 2 eabides c 2 etageres.
Uma mesa para jantar, 2 aparadores, 1 guard
louga, videos e outros muitos objects de casa de
familiar.
Teria feiita 20 do eorrente

Ag ete Pinto
No sobrado da rua do Born Jesus n. 49


Madame Mlarie Anpe Potelleret
Um amigo da fallecida, summamente grato is
peosoag que se dignaram acompanhar A sua ulti-
ma morada, de novo as convida para assistirem a
i mia queo por alma da mesma manda resar nav
snxta-teira zo uo eorrente, peas o horas (a ma-
nha, na mrnatriz da Boa-Vista ; e mais uma vez se
confessa agradecido.

Caixeiro
Precisa-se de urn meaninuo : na run de Santa
Thereza n. 30.

Aviso
A' rua do Marquez do Herval n. 51 precisa-se
le urn pequeno que tenha alguma pratica de miu-
dezas e que d6 garantias de sua conduct.


Precisa se do uma para cosinhar na rua do Co-
ronel Suassuna n. 149.

Criados
Procisa-se de uma para cosinhar e outra para
andar corn meninos, e um rnapasito para recados;
a tractar na rua Duque de Caxias n. 59, loja.
Vende-se na rua Real da Torre uma arma-
maeno de taverns, vende-se barato c garante-se a
chave; a tractar na mesma taverna.
Costureiro de livros : precisa-se na nua
Duque do Caxias n. 39.
Uma pessoa habihlitada se offerece para en-
sifnar primeiras lettras e trabalho de agulha em
qualquer engenhlo : quern precisar dirija-se A runa
do Imperador n. 51, camisaria pernambucana,
corn as iniciaes A. G.
Compra-se uma casa em um dos bairros de
Santo Antonio ou S. Jose : a tratar no largo do
mercado n. 33, hotel.
Farinha de mandioca nova, de Porto-Alegre:
vende-se na rua do Commercie n. 38, primeiro
andar.
Aluga-se uma escrava : a tratar na rua do
Rosario da Boa-Vista n. 51.
Precisa-so de uma pessoa para tomar conta
de um pequeno hotel : no pateo do mercado nu-
mero 9.
= Precisa-se de impressares para typogra-
phia : a tratar na rua de Maris e Barros n. 14.
. = Precisa-se de uma ama para cosinhar em
casa de familiar : na rua Imperial n. 42.


= Precisa-se de urma ama para cosinhar e mais
services de casa de tamilia, e de um menino p ara
compras e recados : a tratar na rua do Marq uez
de Olinda n. 51, 2- andar.
= Precia-se de um menino para caixeiro : na
rua da Florentina n. 4.

Por 35000
Aluga seo 2 2- andar do predio n. 45 da rua es-
treita do Rosario, corn grandes commodos e esti
limpo.

Lye o de Aries e Officios
De ordem o Sr. director, faz-se public a quekn
interessar possa, que as matriculas das aulas des-
te Lyceo estarao abertas desde o dia 22 do cor-
rente atW 3 de fevereiro proximo.
Deixaram de ser abertas no dia 15 como marca
o regulamento, em consequencia de ter lugar a
festa da Imperial Sociedade dos Artistas no dia 18
e ter no edificio exposicao ate o dia 20.
Os pretendentes As matriculas encontrardo
aberto o edificio, das 6 1/2 As 8 1/2 parao referi-
do fim.
Ontro sim, as aulas quo continuarao a funccio-
nar regularmente sao : primeira letras, la e 2a ca-
deira de portuguez, la e 2', ae franeez, la e 2a de
arithmetica, music, desenho e geographic.
Secretaria do Lyc-o de Artcs c Officios, 18 de
jaiieiro de 1885.
0 secretario,
x!aiede Justiniano dos Reis.

Carroceiro
Na rua do Bom-Jesus 1- 45, 2- andar, precisa-
se de um carreceiro.

Altenipo
Vende-se o estabecimento de molhados a run da
Imperatriz n. 34, tambem dA-se sociedade no mes-
mo corn algum capital. Por venda garante-se a
chaves e demrnonstra-se as grandes vantagens que
o dito offerece.


-,'OT"^


*^"""""vea


.1~. --


10 anniversario .. -
0 viuvo e enteados da finada D. Moaia*do Car-
mno Carneiro da Veiga Pcssoa convidau- a seus
parents e amigos A assistiremin algumapqtxissas
que teem de maudar celebrar em suffra#io e at-
tcngao da alma de sua extremoaa esposa enmadras-
ta, as quaes terito lugar no dia 22 do cOrrente,
pelas 8 horas da manhd, nas igrejas iatrizes da
Boa-Vista e'na cidade da Escada, 1- anniversa-
rio de seu passamento; polo que se coufessam
fi gradecidos. -- If


l


tI





















00 f ^

= Precisa-se de uma ama para lavar e engom-
mar, para tres pe3soas .. ;rna do Imperador.n
OR& 9. c-nJn


6j3) z aucuar.
S Quem quizer alugar a casa n. 4 a rna
de Conde da Boa-Vista, p6de procurar
as chaves no estabelecimento u. 30, A
rua do Imperador.


Pessoa habilitada offereec-se a ensinar,
quer em casas particulares, quer cm collegios, as
materials seguintes : portuguez, francez, inglez,
philosophia e sciencias naturaes : na loja da rua
do CabugA n. 9 se dirA quern .
- Jos6 Paulo Botelho, tencionando retirar-se
temporariamente para a Europa, julga nada ever
nesta praca ou fora della ; todavia quern se con-
siderar seu credor cu da firma Jose Paulo Bote-
lho & C., queira apresentar-se corn os respectivos
: cumentos, dentro do prazo de tries dias, a con-
I r da data de hoje. Scientific mais que desde
- de dezembro passado cedeu seu estabelecimen-
Ssito a rua de Pedro Affonso n. 68 ao Sr. Anto
dio Jose Lopes Braga, fisando este senhor encar-
regado da liquidaao do active Jos6 Paulo Bote-
lho & C. Recite, 15 de janeiro de 1885.
= A quem interessar declaramos que nesta
data despedimnos ao nosso empregado Joaquim
Antonio de Araujo. Recife, 12 de janeiro de 85.
Floriano Passo & C.
Aluga-se ou vende-se o sitio do Cumbe em
beberibe, onde residio o Sr. Vallenca achando-
se a casa limpa, o sitio bem plantado de arvures
fructiferas, o qual confinda corn o rio desse nome,
cnde tern lugar para o agradavel banho ; corn 4
quartos, 2 salas, copiar, cosinha f6ra, quarto para
criado, etc. Para informa5es, nesse lugar, ta-
verna do Sr. Jacintho, junto a esta.o, ou corn o
proprietario 4 rua do Bemfica 1. 5.
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joao de Sa. e Albuquerque, a qual tern excellentes
(Iommodos e grande sitio : a tratar na rua Pri-
meiro de Marco n. 13.
Aluga-se na rua Imperial duas casas, uma
de padaria, corn forno e utensilios, e outra de moo
radia. ns. 198 e 199, por preco muito commodo
a fallar corn Jos6 Feliciano de Nazareth. A rua
de Pedro Afbfonso (outr'ora rua da Praia), arma-
zem n. 20.


DODS lldU rosD orI iuludr
Aluga-se o 2- e 3- andares do sobrado n. 61 A
rua Duque de Caxias, corn commodes para fami-
lia : a tratar na loja.
- Aluga-se a casa n. 1 A rua Lembranga do
Gomes, em Santo Amaro, grande, fresca e pintada
de novo, tern agua : a tratar na rua da Impera-
triz n. 32, 1- andar.
E' a20 rs. o metro
No pateo da Santa Cruz n. 3, junto a igreja
deste nome, pregueia-se babados de qualquer
qualidade, e por qualquer f6rma, a 20 rs. o me
7ro, cornm o maior esmero e assiduidade.
AlllI~l
Attengao
Maria Adelaide Carneiro da Cunha, tendo per-
lido a caderneta da Caixa Economica desta pro-
.incia, pertencente a seu finado mirido Pedro
Kavier Carneiro da Cunha, da qual ignora o nu-
iero, pede a pessoa que a encontrar o favor de
, .tregar A praga de Conde d'Eu n. 4, primeiro
Radar, que serA recompensado.


0


UNtCO




VINHO
ao extracto de
Figado de Bacalhair


0ujo


uzo


prodlul
a mesmos rezuttadoo
que o dc

OLEO DE FIGADO
d4'
BACALHABL








a10 Ex'actol de


Fipdo deBacalau


r
'5-


If er
APmtmis famsifieagb a
4tt imitave


ALLAN PATERSON ft
N. 4-.Rua do Brum--N. 44
JUNTO 4A ESTAVAO DOS BONDS


Tern para vender, por preges modicos, as segulntes ferragens:
Tachas fundidas e bai;das.
Criva3es de diverssos tamauhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fnimdido, de lindos models.
Portas de fornalha.
Bancos de ferro corn serra circular.
Gradeamento para jardim.
Vapores de forga de 3, 4, 5, 6 e 8 cavallos.
Medas de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Rodas d'agua, system Leandro.
Encarregam-se de qualqer conrertos, asentamneo machnimos
uer trabalho corn perfeigio ou presteza.


execut am q


-_-


C


uar-


jKANANGAi o JAPAO
SKDRIAX3D S O, P* D&mjaas,
B PARI8 8, au RViviens, 8 PARJIS
IPieo de Lananga

SCorAecido sob o nome de Thezot.ra dos cabelos
Snao d miais do que o oleo essencia:t da Pirus japo-
neza. Este inapreciavel preparado alem de ser um excellent tonico*,
amacia e d& brilho aos cabellos, fal-os crescer, impede-os de cair e
deixa na cabega um aroma delicioeo go peristente, que we sent
muito tempo depois de tel-o usado.
Prepara-se tambem e Oleo de Kaugn ea ea 0 aegultes pertami
BOUQUET VICTORIA HELIOTROPE I MARECHALE I VIOLETA
EII. BQUET JASMINE jMILLE FLEUIS I WHITE-ROIE
EI JOCKEY CLUB RESED YLkMI-YLAN d
ACHA-SE A VENDA EM TAS AS PERFUMARMS


OPPRMSAO NEVULGIAS
Cft iATAMO-D EFLei irIu ciws meHC
SAxpira-se a fumaca que penetra no peio acalma o symptoma nervoso. fWilIa
f. 'VWmens em setacade m ceao de J. ESPID, It2, rua St-arn, eOm aPOrl
L^BIP^ ypfstno meimb R .FANC' 3f da BIL lAIb ^1_____ __r-
R R a todos os Periar9ista.s e Calelle.refrvs
SPda Frana e do Eztrangeiro
Ash.

ePRBPARADO OOM BItZ, P
Por CPX=. A'S', PeiirfaMiat&
P ASJL3Z 9. :Ra .-. 4e I0 e.adar- 9p :FAP J


10' LROZ-0

|| "^ Xamtpn de Casca da I-arganl c^.?exg
A
I XoODTJIET9 a. 'OTA.S5:IO
||| ~ ~ *AS'yOb0 PELA ItL'%TA DE 1iTh'iLBK SO aaA&a *
|9Todo e a mr(s0,CnMhAce as pmopieda- Este a.xiteposdoramiM4tssB
I e6 iAau tUo dle po.ta'io. Os mais sohLaciao cmagua,mpm mporyIan?. i
disinctoa medicos d?. Iaculdade de medi- o irritar a mucosa do estogda 4 o 0ws
isct d Parias, e ,wi-ipalmenue us Sirs minar accempsos gastralgic.s.
D iS oRIODO. iLAHcFTB, TnOUssEAU. Em vistaJkto,osmediGosaficimaa,.
fN*L.7tw.. Pie-wiy, Romy^a, obtinlr&?o s Icionax23? e, Imel"e resaltados no tratnmento das famoso remedio, o Xarope Ac o-eaw
l, eaoobe esoro-hulosas, lymphati- laranjaar aagxa o eexmce, tt,:
ams & aQorovas, tuabwrculosau~nooda potr ua acqlko tonica ctir-3 os o~lao0 0 .
Sdo o MCos. doe tumors bra%- apparelho digestivo, fmcilita a abseipwg
o., da papveu-a 'on Docoi, daa m$o- de io~tureto de pitsio, prwmie "al-.
leta1 z hronizaa da p?-lle, da agrara quer c' -aigh, e peemitte que a-.contl n .
4do eage do as'identes seounda o trt<.menWo sem temor de oiepbq^
tia6a t wosa ea ayphilst, sto. &ccieIteatt mpleto W '
?BKo'o 5sio aon&O-5e 08 ssy11it0t p vdunotoia de.^ ia;'
: "fafB A~tC3""' TflMt-l M6 i]fl
Aie laraaji aaarga T 1iC0, A"TINERVCO
eGm r;ag Gsteis Gsaa, Dyeo psia or on Csi.pr, eraa0 qu S3 d oase m





edo entesd~o oA |A AT O I t #
M flOPESENA'rIViarmaja aouga eBROUIBEETO BEPOT ASS W
Nie l ataoait. aiyntearlc.*Onmt do S. G. 2nomaia r oa G iSda2rii; a detarf dnyt
ffl U&r rtn INl o Sequasrtiaa e orSO mpoooTI sTUBU ArET5dIf.I t
Qii3a a aial. C wiro-Azeiala. G6o t3 pa~lidas. F~orea baaa&2 ^
wa -4 sdias & n-pR s~,sdo Ofl
J 3.-F. LAYROZE e Pterinacawkwa.
RO RUE-E S LICOM! SAl-PA.iL, z


"- C m~~, em=prd
AOCIJIORApseBRI racoiUA0 lIAMISEATICOsA,. ,ERl
Phaemacoutlco-Chimloo d o OPaue da Escaa pspwlord &a if. 3
Uma cmioa ftmega,;9, ba#ts, u mai xua &w "Mw, 6a imarsAOOf u
Sosp ESS ,1deTosse mea iiolentos e a Oppreaah emakl dolorosaa.-155, fn
de feUxes rest~tados. A sa Mooonheclda offloaclo 0 twcaIt
eiaprego, que no fatiga o doente, juatfla.. prefereaca qu s me di "
C A- g e doentes dao so ANTIASMATIOO cAMBIER.- Am (Wisas apmz=
prtee & uolto acabanm-se, si so tiver o cnidado, ao deitar-se, de quelinar-
no quarto de dormir um pouco do ANTIASMATICO CAMBIER |
E ICOTPRA-SE .A MESMA PHAaMACIAS
*Ds GAO8 ANTINEVRALGICOS FEBRIFUGOS GAWBIER; i
j ipRcmeonto dna Nevralglas, Enxaqueca", Dfmes3 d Cabep, ct./ A sus efinsoia izfoontu-d
3 ihes doe paises quentes e humidos : Pebres amarelia, Palamize. &;.-
Deposfito 6'eral Plarmaeia GA-IBII-Ek, em Compiegne (1'rava).
....umuaoa:3 M. da .. 0.-"



F stas rapidameite is Molasestasaconsn'gossas mais e'iss s' c'-' -y 4 '.rta'aigo -
.-. < eCacia, 'os S S3F S S as roco '- a a'aa "nO a
NI5EG.OC ror~t- &ls. ~la e p-o,. jsvatii" L iio I. C c0Saxuo C,. '

-^^aj^^BB~ff'^iaSB'^^^li~a,?:.,r" ", -.'<:". :.-.y --^-!:"":.."."
E P I P I1r` S^r. O w A
/ : '- .....


HYSTERIA
%' ~ ~ ~ ~ ~ A 'w --- -- inb semp-ml
PGZ RpcaioGDA
CLUNVULUtOES soLUAo TINEIMOSA
."M

MOLESTIAS La2oyenime
6 M Tm feOOAC' 80120 OR AN S
ol NERVoSAs "a"a" -Sa
X 1li^l. V~t~j **PHARMACIA DUi6 X
j(^ Depem. tArlos emn Pmmam'tt 1BUjr* -f. d. isnrVA 4, c. .j


ZeFGADOS Freo~os, I 1

kmqufitis, 'H~f>fi de Ventre. Tosses ohronlogs, AtQo oJtO^ f~
al.W'ZwsWca. Xzi s-e. o rotuL, c ;gL o-wBH do i, .J.aNaCrta ? a..
@ i.O Tfh>Parm~aeeticm, 2.. rna G.5tto11831 ,AJBIS C.WriNatP9S6Bj


It",IRV


[IUIUII I


SINGER! SINGER!
iK1M1iNA8 DIIS D iCORTUIR I Ah NA DRE COSTR
VENDAS DO ULTIMO ANNO 603,292
Queni mno te, ouvido rallar das famosas machines de coslura de
Singer ?
L] ] "/Em prestac6es semanaes
DE
l1O000


', .,.. iQuando o paganmento por este system se
@&..*A,' -effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
ye i de 5000.
fr] d Abatimento de 10000 a dinheiro A vista.
~__- y 'i Roga-se aos pretendentes de virem ao es-
A_-_^^jit-'l. : icriptorio da companhia para informaoes cir-
.........._ :-, c-: umstanciadas.
--= j-==--- ... .. Irnmensa e real vantage e obter-se o
'---_-. -_ melhor artigo nas mnelhores condi5es.
De hoje em diaute ningoiem comprarA senalo a verdadeira
machine de SINGER

PORQUE ?
1.o Por ser incontestavelmente a melhor, mais fo'rte, niais bem aca-
bada, mats samples, nais duradoura, a unica que tern obtido minais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imitadores.
2. Por existir umrn deposit succursal da propria companhia, onde so g.?ran-
te estas maehinas por um tempo illimitado e onde sempre se encontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.0 Finalmente, porque aquellas pessoas que atW o present, por falta de meios,
nao podiam satisfazer o seu desejo comprando uea d'estas excellentes machbinas,
podem agora corn toda a facilidade compral-as mediante a modica prestaFao de

1O000 POR SEMANA!!
Recommendamos corn insistencia-Nao se illndam com as machines
que trazem o nosso nome e que nio iassam de RUINS IMI-
TAOE4 .
Vendemos tambem linha superior, retroz em carreteis, agulhas, -Aoleo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e por preqos
sem competcncia.
0 unieo deposit das verdadeiras machines de Singer e na
Rua do Cabuga n. 1 A, Pernambuco
Direcao geral da America do sul.-.101O riua do Ouvidor 101.
Rio de Janeiro. Casa matriz...34 Union Square, New-York.


F ilIAll


BE FEIRO
DE


CARDOSO & IRMA
RUADO Bt MiN.100 A 104
DEIN O R NIA DJ APLLO HSL2 E 21
Os proprietarios deste bem conhecido
tabelecimento pelas suas replaces dire
corn os melhores fabricantes, e corn um
tincto engenheiro de Inglaterra, offered(
grades vantagens para encommendas, c(
provam corn os apparelhos completos ass
I t^cl w^ Cs^ ^ Wty d

0


B
es-
ctas
dis-
cern
)mo
sen-
e, e


meio apparelho no engenho Conceiao.
MACHINAS a vapor trabalhando s6 corn


o fogo do assentamento, podem


ser exammina-


das as que foram assentes nos engenhos Be-
lem, em Timboassu', Cucaii, em Gamelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidraho em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e
Parahvba.


/w -- a
Chamam a


attencao


dos Srs. agricultores


para os novos vapores que tem recebido do
,dcreditado fabricante Robey, que se recom-


mendam pela facilidade


de conduccao, assen-


tamento e economic de combustivel, deixandc


de menci
locado, p
lugares,
cidos.


io01


iar os engenhos
iat OS engennos


em que os tern col-


orja terem vendido 85 para
e por issoja devem ser bei


diversos
11 conhe-


Sao os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornai recomminenda-
veis pela facilidade da collocaao e por sua
duraeao,
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a agricultura,ntem sempre grande depo-
sito, seild tudo da melhor qualidade.
Ven4*a, 1m.o ou a dinheiro cotm des-
conto,


13-


Unico agent
ADAMSQN
N. 3 = Rua do
A venda em todas


em Pernambuco
HOWVIE 4 C.
Commercio = N. 8
as boticas e d ogariaE


Thiereza Dias de a3arros Costa
Baiao de Jundia e seu genro Manoel Olymnpio,
de Barros Costa convid;min aos seus parents c
amigos para assistirem as missas que mandam
celebrar pelo repouso eterno de sut presadissima
filha e esposa Thereza Dits de Barros Costa, no
dia 20 do corrente, setimno do seu passamento, na
capella do engenho Noruega, c no Recife, na ma-
triz dce Corpo Santo, .s ,8 hor;s da manha, pelo
que antecipadamente se Ihes confessain agrade-
cidos.


Adelaide Lieuttier
Os irmraos, irmaes, cunhada, sobrinhos e sobri-
nba, summamente gratos Its pessoas que se dig-
naram acompanhar A ultima morada sua presada
irmA, cunhada e tia, Adelaide Lieutier, de novo
as convidamn para assistiremin a minissa que, por al-
ma da mesma, mandam resar quarta-fe;ra 21 do
corrcnte, pelas 8 horas da mauha, na capella do
Monteiro ; e mais uma vez cunfessam-se agrade-
cidos.

Ama
Precisa-se de urma para lavar e engommar e utin
menino para ciado a rua da Uniao, sobrado n. 37.
portao de ferro confront a venda do Sr. Antonio
Duarte.
Aluga-se o armazein do sobrado da rua do
Duque de Caxias n. 37: a tratar corn o Pinheiro.
na rua larga do Rosario n. 38, 2 andar.

Luz brilhante sew fume
Oleo aromatic
HYGIENICO E EC(NOMIICe

Para lam~ari as


Martins & Bastos
Pernambuco
Namero telephoulco n. 33



AO COMMERCIO

Viagens ao centre
De Olinda AItabayanna por Igna
rassit, Goyanna e Itambe
Todos os sabbados, as 4 horas da tarde : passa -
gens tomam-se A rua Primeiro de Margo n. 1.
loja.
De Itabayanna a Olinda par Itam-
bS, Goyanna e Iguarassu
Todas as tergas-feiras, As 4 horas da tarae :
eassagens A tratar corn Lourengo Pereira d'Amo-
rim, em Itambe.
Viagens avulsas para qualquer part e em qual-
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e
a pregos commodos. Essas contratrm-se a rua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nAo podeiem ir nas diligencias.














SPai Killer 0ootali do Prr
Matador da dor
Uin amigo dos pobres, economic e de
facil applicacto, 40 annos de success c:-


pantoso.
Nenhuua familiar -deve estardesprov" x.
deste remedio.
Externamt-nte cura: furunctldos paL
ricios e outros tumorec torcedura, dos ten-
does intumecencias das a,'ticu!aces --,
res de dentes nevralgias- rheumatisruo
queiriaduras-golpcs, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceras doen'as .
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-so contra as imitac-es.
Agentes em Pernambuco, J. C. Leviy
&C.
DROGARIAAEFHARMACIA
Rtua do Barao da Ilietorla n. 91
PRE'OS


Frascos grandes
Pequenos
Du!ia de frasos grades
Pequeno.


-" 5'-


* ,- .''L -
.. -.. .,. -" t l "-', '( ''* "'-~ ^.-" ;;l A '. '
,.-. ., :, j .. -i-I.., ..


-,...
... ".'.4, :..,. ,;
^ *^..:^ .. .-'..-.


12~
9~Ot


-~ ,j .-
S .-~'*~ -
0'-
-vs


wiair


waawmsssw


:?':':--- ^


:- -. 45.6W


petop' I::
SDEl AYER'R
(Ayers CherxryPera)



P'r.\ % (-I., C ilt S ,
T.SS".AST!IM.%.BCONCHITE.
C'OJELUCHE OuToSSE CONVULSIVYA
T'isica 'Pulmonar.
0 Iz 0 ic S j- 1' M Mi-ss
DEPOSIT GERAL
Run Pr.imeiro de 3lnrco-13
Rio de Janeiro


. 2 -' .- .,lt


tIu.'


Luzi JLUs Ull&KCAAllims .ITLdOjLdSZlukdOU- U JLuz

















l-iritiipain ao res-

peitavel public, que
coitinuam ter um sor-
timento de joias das


mais modernas


e dos


mais apurados gostos.

Compromettem-se
a vender mais barato
do que em outra qual-
quer parte.

Inl o Wdis t .


Precisa-se de ura ama que oaiba lavar e cosi-
-nhar, eoqu seja de boa conducta: a tratar no pa-
teo d Santa Cz n. 18.
Por festa ou per anno, corn pagamento adi-
antado ou fiance idonea equivalent, aluga-se o
pequeno sitie da travessa da rua da Mangueira,
quo foi do fallecido Jolo Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alem de muitas arvores fructiferas, tan-
ques e cacimba corn excellente agua potavel, e se
aehar murado, tern casa de habitaVio em born es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e um quarto f6ra para criado oun feiter, accrescen-
do ser esse sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e is duas estates da Casa Forte e Caldeireiro
da linha-ferrea do Recife ao CaxangA : quernm o
pretender p6de entender-se corn a familiar do Sr.
Manoel Miranda ou cornm o Sr. major Jos6 Camel-
lo do Rego Barrns na mesma travessa da ru a da
Mangueira, que Ihe mandarao mostrar e poderlo
dax as informaoes necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, A rua Velha n. 59.
=- Offerece-se uma ama portugueza para casa
de pouea familiar, pars cosinhar ou engommar : a
tratar na rua do Bartholomeu n. 43.
fd -.-0 1Wb T


UOIIUCII a
Precisa-se de umna cosinheira perita: A rua Du-
que de Caxiss n. 86.
Ama

Precisa-se de uma ama para lavar e engom.
mar : na travwssa dos Pires n. 5 (Geriquiti).
Trastes
A' rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-se
luga-se e troca-ee novos e uscdos.
Aviso
JA chegou para o unico agent nesta provincial
o aereditado kerozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha A venda no unico deposit A
rua do Born Jesus n. 38, junto ao correio.

Ama
Precisa-se de uma cosinheira : na rua da Au-
rora n. 109.
Ama
Precisa-se de uma engommadeira : na rua da
Aurora n. 109.
Predio em Olinda
Vende-se o de urn andar e soto, sito a irua de
S. Bento n. 63, corn bastantes commodos, quintal
murado, encanamentos d'agua e gaz : a tratar na
rua de Mathias Ferreira n. 51.
Alugam-se o lo andar da casa n. 18, o 20 da
de n. 66 A rua Direita; o lo, 29 e 3o da de n. 3 A
rua da Penha; o 20 da de n. 25 a rua de Santa
Rita ; o lo da de n. 34 A rua do Rosario Estreita;
tratar na rua do Hospicio n. 32.

LINHA COATS
a Lustrosa v para machina, e a a Maeia de 6
f tanto para machina como para cwer a mOo.
-Nio se usa mais linha em novello-
Pede linha em carretel cru o name
-J. &P. COATS -

Boa acquisi &o
Aluga-se uma linda casa de campo na Passa-
gem da Magdalena, rua do Paysandd n. 5, tendo
.gaz, agua encanada, jardim e uma pequena baixa
de capimr: a tratar na casa junto.
PARTEIIRA
Rua da Aurora numero 1.
Loteria da Parahyba
No estabelecimento n. 2 C A rua do CabugA,
acham-se expostos a venda os bilhetes de uma
nova loteria da Parahyba, organisada segundo um
born plano, que cont6m os seguintes premios:
1 de 4:0001000
1 de 1:0000000
1 de 20OA000
2 de 100000
4 de 506000
15 de 20;000
40 do 10A000
50 de 5A000
500 de 24500
Este ultimo 6 o prepo de cada umrn bithete alli,
sendo elle em Pernambuco 2A750 para os vende-
dores e na casa 34000.
Os premios sio aqui e alli pagos integralmente,
sem deseonto algnm, A vista da list da extrac-
9o.
Sao estas vantagens que nao podem deiiar de
ser apreciados pelos que gostam do jogo das lo-
terias.


rA- e --e
I~ 0~ y ~cr^^iT<


"4UMI111 IlA d

Na praga da Inde-
pendencia n. 38 a 40
se d ir quem precise
de uma mulher forra
ou escrava para co-
zinheira de casa de
fmili-n


Allenao


16-Rna do 0Cajbu-16
Acham-se 4 vends os vea bilhe-
tes garanado daloteria n. 102 em beneficio
da matris .doeTWanpho que se extrahirl
na quinta feira 22 do corrente.

Inteiro 46000
Meio 2,00o
Quarto 1#000
sendo qumtlUdade auperlor
a itOoO.-O
Inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto 875
Joaquim Pires da Silva.


CASA DA FOJITUNA

Aos 4:00000O

5IL5MST G&ABAI005D
fIa Prinmeiro de Ilarco n. 23
0 Obaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 218 corn a sort de 2:0004000,
4 quartos n. 3,414 corn a sort de 200#000,
4 quartos n. 4,278 corn a sorte de 2006000,
al6m de outras sorts de 326, 166 e 8#, da
loteria (101.'), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume soe desconto
algum.
Acham-se A venda os seus afortunados
bilhetes garantidos da la part das lote-I
rias em bineficio da matriz de Triumpho,
(102.a) que se extrahirA na quinta-feira,
22 do corrente.
PRE COS
Inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 16000
Em quantdade malor de 100oo
Inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto 5875
Manoel Martins Fiuza"


CASA DO OURO
Aos 4:0004000

BIJIT11S PTARMTnIO8
Rua do Bario da Victoria n. 40
e easas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
em seus felizes bilhetes quatro quartos de
n. 744 corn a sort de 4:000=000 e diver-
sos premios de 32000, 16M000 e 86000.
0 mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi-
dade do costume, serm desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 1.a part das loterias a be-
neficio da matriz de Triumpho, (102.'),
que se extrahiriri na quinta-feira, 22 do
corrente.
PRECOS


Inteiro
Meio
Quarto
im porfro
Inteiro
Meio
Quart.


4000
2#000
15000
de 106o000 para
elma


Joo Joaquim da


3#500
1#750
6875
Costa Leite.


cAS E LIZ

AOS 4:00000O
E
2:000000
BIUeTIWS GARANTIDON
Praa da Independen-
cia :ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu entire os seus
telizes bilhetes garantidos da I1la loteria,
a sort de 1006000 em 4 quartos n. 4468,
al6m de outras muitas de 326, 164 e 8#.
Convida os possuidores a virem receber
sem desconto algum.
O abaixo assignado tern exposto A
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
la part em beneficio da matriz do Trium-
pho, 102, que se extrahiri quinta-feira 22
do corrente.
Precos


Bilheto inteire
Meio


Quarto
Em porcao de
eli


4^000
2#000
1#000
1o0Ooo000 para
na


Bilhete inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto #875
Antonio Augusto dos &antos Porto.

Atten&lo
Fica o meu college Dr. Vicente Ferrer de
Barros Wanderley e Araujo autorisado a tractor
de todos os meus negocios e corn elle se entendam
os que nesta cidade sao meus eredores, afim de
erem pagos da importancia de que lhes eu dover.
Recife, 17 de janeiro de 1885.
Barao de Santo Andrd.

Espelho do muldo
Eepelhdo d d muno 6 o itulo de umn belloquadro
que talvez tenha de ser brevemente exposto A
vitrina deums ds livarias dota -dad&. Este
imprtamte qoadro 6 comPVt e L de
un modoeto *pinel mileao, e i a -. _
imtp M, led -aspewb p rwTPS W~
'i.0 44 I -


MIGUEL WOLFF & G.
Offerecem ao respel-

tavel public um gran.-
de e variado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.
Todos os relogios

vendidos n'esta casa
sao garantidos.

Rbau o Cabgl L 4


Precisa-se de, umas perfeita cosinheira para
casa de pequens familiar, quc compre e nao durma
f6ra : a tratar no escriptorio deste Diario.

I 0 Dr. Democrito Cavalcante mudou
seun escriptorio de advocacia para a rua
SPrimeiro de Marco (Crespo) n. 18, pri-
Smeiro andar. )
SEncarrega-se de defesas perante o jury
nas comrcaes do interior, e bemrn assim
de qualquer question forense. 8
P6de ser procurado das 10 da maahl
As 3 da tarde, nos dias uteis. (


Canarios dAllemanha
DE
C. BRAUJDMIILLER
Vende-se
Rua do Imperador n. 12
Casa de Lopes & C.


R. DE DRUSINA & C.

Rnia -o Bo-Josns is 18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de commissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da AllUema-
nha, Fransa, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.--Informag3es sobre mnachinismos
agricolas, ditas para engenhos centraea,
bombas, etc. para incendios e outras ma-
chinas e utensilios.

Criado
Precisa-se de um criado : na rua da Aurora
numero 109.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 12 A 14 annos,
corn pratica de taverna : no largo de Apipucos
numero 50.

Roubo
Na noite 24 para 25 roubaram da rua da Impe-
ratriz n. 6, 30 andar os seguintes objects: send
o ouro todo de uma image, resplandor corn uma
meia lua today de brilhantess, trees grandes no cen-
tre e diversos menores, uma cruz de ouro e o me-
nino Deus corn cor6a e cordaosinho de ouro corn
um coraCAosinho de filagrant.
Um alfinete redondo corn esmalte azul e um cir-
culo de brilhantes corn um bastante grande no
centre, uma cruz corn 7 bilhantes e uma volta de
perolas, um atacador de euro corn diamantes, um
par de broncos corn dous brilhantes em cada brin-
qo,,um annel cornm 5 brilhantes, outro de nove pe.
rolas, um par de broncos de maosinhas corn perolas
e rubins, e diversos objects de ouro, assim como
uma moeda de ouro de 20A060 e outra de 50000,
send esta ultima manchada de azougue, quern
trouxer noticias desses objects serA generosamen-
te gratificado.
Balanceador
J. dos Santos Vieira, corn pratica de balancos,
contratos e distratos sociaes, offerece os seus ser-
vios sos senhores commerciantes. Chamados i
rua do Rangel n. 3, ou em sua residencia, & rua m
da Penha n. 7, primeiro andar.
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos com refinago
de assucar por grosso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveram collocar o telephone em
seu estabelecimento para mais commodidade nos
pedidos de seus freguezes. Recebem tambem en-
commendas para f6ra desta praga, garantindo
pontualidade, modicidade em pregos .e sinceridade
em suns transacc5es. Os proprietaries esperam
mereoer a proteceio de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77
Aluga-se
a sala de detraz do 1 andar do predio site A rua
Primeiro de Margo n. 18, muito propria para es
criptorio de qualquer natureza ; a tratar na loja
do mesmo predio.

Nolestias 4do estomago e

dos inteslinos
As dyspepsias, desordens gastricas, enxsaquecas
digeatees difficeis (azias, flatulencias) sao comple-
tamente'euradas corn a use das
(H)TOA8 AJI TLQY~BFT~IQ
preparado puramente vegetal da flora braileeira
vemde-se ma Dhttea Fraisexade
RXuiayaafr.I Frerca
sucassoms DE A, k ,AOXS
22-Rva 4a ,Zrua ^-. (Rqfr)


Auga-se
usa _gade cas, sits & rua da Aurora n. 167,
pintada e aiada de novo. corn grande sotlo, pro.
pria par grande amils, coin .canalisaao pars
gaz; com agn, quintal todo mnrado ; a tratar na
rua do V;= .de e Go manna n. 100, entroncamen.



Cylindro
Vendo-se um cylndro para.padria, -corn po0co
uso ; na travessa dos Pires n.-9 (Geriqrnti).

Para vender
A. dmheiro ou fianpa idonea, vendc.se urma das
melhores casa de Afogados, bem situada, comn
grande commodos para unum fauilia que so rate,
circulada de terrago, grande jardim, born sitio e
todo arborisado de arvores fructiferas, quartos
pars criados, gallinheiro, banheire e outros com-
modos : a frente today gradeada e corn portlo de
Aerro, tern nos funds sahida para a estago da
ferro-via de S. Francisco, bone viveiros e coquei-
ral: quern pretender entenda-se corn Sr. logo
Duarte.

E logas de Virgilio
traduzidas per J. Baptists R. Costa : A venda
nas livrarias Franceza, Economica e Universal.
Preqo==1000

Circular important


Verdadetras pechltnchas
59 = Rua Daque de Caxias = 59
Gorgurinas superiores para vestidos a 500 rs. o
covado!
Alpacas de soda furta-cores a 400 rs. o dito a
elias.
Merin6s de duas larguras, todas as cores, a
10200 o dito!
Idem prete superior a 1;200 e 11500!
Casemnira diagonal pars palitot a 24200 o ce-
vado I sao de duas larguras.
Idem de cores, inglezas, a 1$200 e 1;500!
Flanella ingleza, azul, a 15400 o dito!
Camisas brancas francezas, superiores, a 281
a duzia!
Ceroulas de bramante a 161 a dita!
Lenxos de linho em caixinhas a 31 a dita!
Damascos e pannos proprios para mesa a 600 e
1A500 o covado I
Bramante de una largura, tranaado, a 600 rs. o
metro! fazenda de 11
Len96es de dito, grandes, a 2a um!
Cobertas, de gang, forradas, a 25500 uma !
Colehas de fustio, brancas e de cores a 21500!
Ditas riquissimas de crochet a 10; !
Chales de casemira modemos a 21500 e 3A.
Fichus superiors a 2J500, 3 e 41.
Setim macAo verdadeiro a 11400 o covado!
Dito preto superior a 11200 !
Cambraia victoria a 31500 a pegajde 10 jardas!
Madapolao boa-vista a 61 a dita de 24 jardas I
Brins de cores superiores a 21 o c6rte !
Dito pardo, lona, a 320 rs. o covado!
Dit0 bronco n. 6 a 16500 a varna!
Atoalhado bordado, de linho, a 11 o metro !
E outros artigos a precos reeumidos.
59==Rua Duque de Caxias=59


Vende-se
um bom cofre de ferro : a tratar na rua do Soce-
go a. 8.

Sitio
Vende-se um born sitio na Ponte dos Carvalhos,
corn 800 p4e de coqueiros e outras fructeiras, seis
viveiros cornm peixe, muito grandee proprio pars
planta&es ou refazer gado por ter bastante ca-
pi salgad., temrn boa casa de pedra e cal, agua,
etc., etc., cuja venda se doseja effectuar corn bre-
vidade pars pagamento de uma hypotheca vencida
do mesmo sitio : a tratar na rua Imperial nume-
ro 136. nm

Ha sempre novidades
Rua Duque de Caxlas n. S0
Casemira chariol corn 2 larguras ninguemn tern a
2A o cevado.
Lindas chitas moderns a 200,240, 260 e 280.
Brins pardos lisos a 240, 320, 360, 400 e 5CO rs. o
covado.
Bramante para lenal corm 4 larguras a 800 rs. o
metro.
Casemira pekim a 400 rs. o covado, que pechincha.
Setinetas lisas e lavradis a 360 rs. o covado,
aproveitem.
Popelinas corn listas de seda a 360 rs. o covado,
6 bem bom.
Madapolao americano corn 24 jardas a 5S.
Dito Boa-Vista corn 24 jarda& a 6.
Cortinados bordados a 64.
Ditos ditos recortados a 74.
Merin6s pretos a 800, 900, 14, 1,200 e 14500 o
covado.
Camisas brancas francezas a 24 e 1I800 umsa.
Ditas de cretones francezas a 24, aproveitem.
Espartiihss corn courage finissimos a 4A500.
Meias brancas para home a 26800 a duzia.
iLsto s6 se vendo. E' barato !
Lengos broncos cornm friso preto a 800 rs.
Ditos corn barra de cores a 14800 a duzia.
Ditos de linho para senhoras a 14600 a duzia.
Ditos imitalo de seda a 1A800 a dita.
Ditos de linhe finos de 84 por 3s500 a duzia.
Lindas bandeiras nacionaes e portuguezas a 4;800
a duzia.
Lindos setins macao a 14300 o covado.
Velludilho bordados a 1 o covado.
Ricas ventarolas chinezas a 600 rs.
Ditas ditas bordadas a 1S.
Flanelas de todas as c6res.
Tarlatanas, gangas corn paisagens tao baratas.
Canua
Admiraco
N.80.
Dos barateiros
Aproveitem.

SEngenho
Vende-se o engenho Maurity, antigo Gallo, na
comarca de Palmares, prompt de um tudo para
safrejar 4,(00 paes : os pretendeutes podem ir
vel-o e admirar a fertilidade do seu terrene. Aos
mesmos so dirA a razio perque se vende, e trata-
se corn L. G- da Silva Pinto, no Recife, ou no
mesmo engenho corn J. Matheus Ferreira.
Borracha para limas


Vende-se na funilaria de Francisco
Barbosa, A ruma larga do Rosario n. 20.


Teixeira


BORRACHA
PARA

Vendem Soiuza & C., aua Esrita do Rosario
n, 22. E' especial e commode o prego.


40-Rupa da
Mad=1 muito largo cam gOvas a4 e40 5MXX
Dite, smuito encorpada quo pa-
rees cretone, corn 20 vara 5a ,
6 000e ",ti
Dito fancez, mericano, faSMenda muito
fina e encorpadade7 I ats 1
Algodo afetad. com 9 palmos de lar-
I ra pars .taae. m.teneo dour a6 pan-
no, metro a .
Dito tranAde corn a mesa largura,
preprio parm 1o0 e itoalas do
mesa, metro a l30
Bramante deo algodao cornm 10 palms deo
largura, proprio parm faerlendes de
Ium a panno, metro l'28
Dito francez, sendo de linho, metro a
1I800 e 219000
Dite "gles de quatmo largurs, senmdo
de linhe, metro a 2500 e 2M80C
Ureguelias propprias para lengaes, toa-
has, eeroulas, sendo fazenda muite
encorpada, cada pega corn 20 varas
por 101800 e em varn a 500
Pitas com a meWas media a 800 r., ou
vara a 400
Atoalhado adamascado pars toalhas de
mesa, tend. 8 palmos de largura, me-
tro a 11800
Assim como um complete sortimento de
peas de algedaozinho americano e
minglez, que se vende por pea de 381 atW 61000
Iste ua loja ds, esquina do becco dos Ferreiroe
Caseiiras de cores
Doe 000 at6 :00.0 rs,

foul or OI
Er0B mgd

Alheiro & Silva rua da Imperatriz a. 40, tern
umn immense sortimento de casemira de cores,
tanto clars como eseuras, que vendem a 21000,
21500, at 61 o covado, e das mesmas mandanm
fazer qualquer p a d'obra ou costumes, por pro-
cos muito ratoaveis, assim como tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannos pre-
tos at ao mais fino sedan que vem so mercado, e
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa A vontade do fre-
guez e cornm today a perfeiVAo e presteza : isto na
loja dos barateiros da Ba-Vista, na esquina de
becco dos Ferreiros.
osa160 Il

Os Barateiros da Boa-Vista vendem muitoe boe-
nites linhos de uma s6 c6r e de listrinhas ra
vestidos, send a 160 rdis o covado e de crest x,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do beoeo
dos Ferreiros.
Espartilhos
a 46 e C6#000
Na loja da runa da Imperatriz n. w venue-se
muitos bon s espartilhos para senheras a 51000,
sntos pra rmenmas a 41009, assim com o um n be.
dito sortimento de fichis a 31000 ; isto na loja do
qeiuina do becco dos Ferroiros.
Para festa
Veade se

Roupas para homes
rOB
Preo os baratissimot
Rua da Imperatriz n. 40
LOJA DOBARAYEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
sends que so lava 61001
Ditos de panno preto fino, fazenda muito
boa 7$=X
Ditos de casemira de quadrinhes e listri-
nals, forrados 8100u
Dites de casemira escura, de cordao, for-
rados 8100(
Ditos de Rlanella azun, forrados, send f-
so ua que nao desbota lOOOG
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 10100
Ditos dc panno preto fino, forrados 101000
Ditos de casemira preta de cordao 10 1 e 121000
Calcas de casemira corn differentespa-
droes, de 51500, 61500, 8/1 e 10100.
Ditas de casemira preta sedan a 81 e 10100O
Ditas de casemira do cordao 61i500
Ditas de casemira preta 6100(
Seronlas de creguella, obra suito bern
feita a 1[200 e 11600
Ditas dc Hamburgo de linho a 11800 e 21000
Colletinhos para dentro, sendo de cre-
guella e muite bern feitos a 800. e 11000
,imisas, grande sorticento de camisas
braneas, tanto francezas coma inglezas,
tanto de linho coma de algodao, send
de 21, 21500, 3/1, ate 61000
Ditas de cretone de cor de 21, 21500 e 31000


Meias, grande sortimento de meias cruas
para homes, de 320 rs. o par, atW 50(
Collarinhos, grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 51 a duzia ait 8100
Toalhas, grande sertimento de toalhas,
tanto par rosto como para banho, que
se vendem por preos mnuito razoaveis.
Tudo isto eom grande redugo de precos : n
loja da esquina dobecco dos Ferreiros.
Novas setietas lavrada A 500
Chegou para a loja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz um grande sortimento dae
a ilindas setrinetas lavradas, tendo de todas as
c ores mais novas que tern vindo ao mercado, inclu-
sivamente pretas, send a fazenda mais bonita que
tern vinido para a festa, e vende-se a 500 rs. o co-
vado, iste na loja da esquina do becco dos Ferrei.
ros.
Cazemirao Inglezas a 2$00 e
2$800
Na loja dos Barateiros da Boa Vista, vendo-se
um elegant sortimento de cazemiras de duas lar-
guras, sendo inglezas e corn bonitas cores que se
vendem a 21500 e 21800 o covado, sendo "muito
proprias para costumes, e das mesmas tambem se
mandam fazer costumes muito bemrn feito de cala
palitot e college por 301 e 35X, A grande ecincha
na loja da rua da Imperatriz n. 40 a e4quina do
becco dos Ferreiros.
Fustioes a 400, 506 e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, A rua da Impera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus-
toes brancos, proprios para vestidos e roupas dc
creangas polos precos acima indicados ; isto nas es-
quina do becco dos Ferreiros.
Lasinhas para vestidos
Alheiro & Silva, A runa da Imperatiz n. 40 aca-
barn de receber um grande soitimento das maim
bonitas lansinhas para vestidos, send alpacas
de cordao ccm lindas cores a 500 re. o covado,
gurguroes lavrados teudo de todas as cores a 560
rs. e ditos muito finos corn brilho de seda a 800 rs.
todas estas lainhas sae inteiramente modernas, e
vende-se na loja da rua da Imperatriz n. 40 a es-
quina do becco dos Ferreirn-.


Attencao


Mathues, Austin & C., A rua do Commercio n.
18, teem para vender :
Pinho de resina


PopaiaWe Usa, de Uaja e lavsada.
La de quadros, obcoeamma e lavradu.
Alpacas i=ao e de listras.
Grenadines de cores e prtas.
Cambrais bordadas e abertas.
Vestuarios para meninoe.
Leques.
Coapees pars, mehora.
Chitas lisas e de cores.
Fichus de soda e de iA
DCas de maliha de l.
a Pm centlnuar -
Coarinhoe e punhos pars senhora e h, rbom, &
verses feitios.
lainisas oem coUarinhos e rsem punbo-.
nbos e corn coUarinhos e punhos pai u i
deede n. 35 A 45..
CaMs Pra meninos deede n. 28 A 35 s.
larinhos, de n. 382 a 35.
Camias, saias, penteadores, calas, goli... .
nhos pars senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, brancas, de cores e pretas.
tCapacho, tapetes, malas, esteiras, bolsas, .
Inos, brings brancos e de cores, luvas, p,....
rias etc.. etc.
Papoula &C.
18 Rua do Cabugi&--i
Em frente a matriz de Santo Antonio

FarinhaLactca
Nos primeiros mezes a alimentag .
natural e apropriada para alimentar a c:
a de peito 4 o proprio leite materno o qt
em caso de necessidade dove ser mbatit
do pela
FARINA LACTEA DO DR.
FRERICHS I
A sciencia e a pratica adoptaram a fan&
nha Lactea como poderoso elemento an.
trictivo para a infancia e distinctos medi-
cos do Brasil e da Europa reconheieraa
ser A do Dr. FIWMCHS a melhor n'easft
genero.
Dove-se pois evitar ;onfiar o filhinho
uma pessoa estranha e de comportamentk
n1o conhecido muitas vezes o germen
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farinha Laotos
do Dr. Frerichs:
55- RUA DO IMPERADOR 55
Estabelecimento de muzica6 e pino do Vw
tor Pr&,2Z e


Pharmacia homeopathica


DO
Dr. Sabino
Vendas em grosso e a retalho, descontos van-
tajosos ; rua do Barao da Yictoria n. 43,
Pern ambuco.
Ciniento portland e potassanova
Vendem Orestes Travassos & C., em sen escrip-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.

Bilhar


Rua do Imperador n. S3
Os proprietaries deste bern montado e conhe-
cido estabelecimento, tendo recebido directamente
da Europa umn grande sortimento de tAcosque ha
de mclhor neste genero, temnos de bolas de marfim,
de ptimeira qualidade, jogos de domin6 e outros
artigos concemrnentes a este fim, e como tenham
tambem feito uma reform em seus novss bi-
blhares, forrando-os e collocando marcadores as.
tabellas de todos elles; por isso convidam sos
seuns freguezes e amigos, a visitarem como de cos-
tume este estabelecimento onde encontrargo tam-
bemrn um complete sortimento de bebidas fins cemo
sejam : vinhos, cervejas, licores, champagne e re-
frescos gelados de dizersas fructas do paiz, e o
magnifico cafe moka a qualquer horse do dia en
da noite.
Outrosim, vendem bolas, pans e tacos usado
por modico preco.
Carrofa para carneiro
Vende-se uma b6a carroca pars carneirr. a ver
e tratar na rua do Bomrn Jesus n. 61, agenda de
leiloes.
pill 03 BUY 0303
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., A rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como sao lindas!!!
Bonitas e elegantes bonecas, 6 o Pedro Antu-
nes & C. quem tern, torna-se indispensavel entre-
ter o espirito das interessantes criangas, polo que
os proprietarios da Nova Esperanca nao poupam
exforcos; rua Duque de Caxias n. 63.
10,000 bolas de borracha
Espeeialdade para fazer present As criancas,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos seuns
freguezes ; Nova Esperanca n. 63, A rua Duque
de Caxias.
Cabello% brancos s6 tern quem
quer
A verdadeira e especial preparacao, vende o
Pedro Antunes & C., pela quantidade que vende
prova a sua especial qualidade ; na rua Duque de
Caxias n. 63.
Sao bonitas
as luvas de seda abertas, canno alto, que acaba
de receber o Pedro Antunes & C., A rua Duque
de Caxias n. 63.
Para os banhos salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de sapatos especiaes i rua
Duque de Caxias n. 63.
Sapatoes napolitanos, especiaes, para o tra-
balho do campo, tern o Pedro Antunes & C., e
estA liquidando para fechar factura ; rua Duque
de Caxias n. 63. E' a Nova Esperanoa.

Livros para escolas
CASTRO NUNES, compendio elementar da
grammatica national, segundni edicAo correct
e ainotada por Jose MartiliM:io do Souza, 1
volume.
IDEM, elements de arithmetica, nova ediao
revista e melhorada por Jos6 Martiniano de
Souza.
IDEM, resume da doutrina christ, nova edio,
revista e annotpda por um sacerdote,
JOSE MARTINIANO, elementos de orthogra-
phia, terceira ediqao, Levista e melhorada.
PERGENTINO GALVAO, o livro dos bonds con-
selhos.
BISPO DO PARA, historia biblical, ou narrati-
veas do velho e nuvo testament.
A venda nri livraria Industrial n. 7, rua di Ba-
rao da Victoria ; e na livraria Economica, rum
Primeiro de Mar~o, junto ao arco de Sinto An-
tonio.
Por 450 !!
Vende-se par esta quantia o restaurant da ru'.
das Larangeiras n. 29, car todas as snas p01
tenxas e prompto a funccionar, e pechincha ri
nao apparece muitas vezes, porque vale '.*
quern pretender entenda-se corn Silva Dias & .
Srua da Madre de Dens n. 36, 1- andar.


'diee. Chegado agora e de superior qualidade, du
Ssguintes dimensoses: E' bar
MAWo 11/22X 12 EA^' Jar
*""* 2X 12
3 X 12 Vendp-se um terreno em
-SX9 palnos ede fronte 0madl 1
4X 9 flea junto ao do Or. Ft. aciea
s s '-" 'mq .A".qX9 q uu"er dirija-Ne so flM
Rim B w aquoto a &tdoeprdorem Be s diro quem veue.'




-. *

-.. w w s.-.. *.-.. .
:.:-:- i ; ...---.


C

IL


I



















. ^ "M ^ j1" +-tiepr; ;% .*';*1 1^" '
". ) DO c' w- -, c L ii^ ^ X P F R NA M B U 0 0
-, N o A!T O R& I*lS6t3

Infandum, Regoinc)fz6esrovaredo1orem
(Contimwiao d/on,1.). ,


"~ ~,iI

ii


Qs veazt" e1 as aguss piilo s4o ju)-
Sportadores erpeeiaes do cholera: 'o ho-
mem e a anua .bagagem o importam
constantememte ; recapitularao doe fac-
tos que o provain; inadmissibilidade
da ubiquidade da genmse cholerica; as
trovoaeas nAe sio importadoras do cho-
lera ; as quarentenas e sequestres sao
justificados ainda pela prudencia.


Admittido e provado que o cholera 6 contagioso e
importavel- qpal 6 o meio de sua transmission ? Sera o ar,
sera a agua, u seri o proprio home cholerico on a sua
bagagem ?
Estudemos'estas-tre questoes, e do soeu estudo 6 que
so devem deduzir ainda regras razoaveis para a sua pro-
phylaxia.
Primeiro. Nenhum facto demonstra que o ar seja o
transmissor do cholera.
Invadindo esta molestia o ParA, d'alli passara ella
S para a Bahia per via maritima, deixando entire urna e ou-
S tra muitas provincias de permeio, Maranhao, Piauhy, Cea-
- .. raRio Grande do Norte, Parahyba, Pernambuco, Ala-
gbas e Sergipo ; era, pois, mui natural que, se o ar fosse
o transmissor do cholera, tendo este invadido o Para, te-
ria'lle invadido logo as provincias immediatas na Mrdem
de suas situacoes geographicas, e neio saltando por cima
'" de tantas provincias (8), para ir apparecer na Bahia, si-
tuada inui long, duzentas a trezentas leguas distantes,
pouco mais ou inenos, do seu f6co, deixando outros pon-
tos muito mais proximos, em quo podia actual corn toda
a sua energia, come de razao.
Ha mesmo na historia mnedica factos que demnonstram
nao ser o ar o transmissor do cholera, pois que se tern
visto em muitas cidades, Munich e Lisboa, per exemplo,
invadir ello o lado de uina run sem tocar no outro, ou so
fazendo-o muito mais tarde, e de.pois de algumas alterates
violentas na Aitmosphera.
Invadindo o cholera a cidade do Moscow, a corte da
Russia, corn sun comitiva de dez mil pessoas, resolve se-
questrar-se ; e todas estas dez mil pessoas fiearam indem-
nes do cholera. E' incrivel quo naio houvesse uma s6 ho-
ra do dia ou da noite, durante o tempo cm quo reinou a
epi'demia em Moscow que o ar passando per centenas de
pestiferos nio levasse uma particular infeceionada A alguem
dos sequestrados, para contaminal-o tambem.
Em Constantinopla, reinando o cholera epidemicamen-
to, quinhentos estudantes da escola military form seques-
trades, e nenhum tivera esta molestia.
Em 1865 as ilhas de CGreta c da Sicilia, em frente
das quaes passavam constantemente navies infectados, fo-
ram sequestradas, e ficaram livres'do cholera que reinava
intensamente em todo o Mediterraneo.
Todos estes lugares sequestrados cram banhados per
correntes de ar que passavam per innumeros feces de in-
fecglo.
Vou ainda citar umn facto patrie em apoio de nio ser
o ar o transmissor do cholera, come das vantagens do se-
qcuestro, no tempo da epidemia cholerica.
Quando o cholera-morbus, vindo do Alagoa de Bai-
xo, invadio a comarca do Brejo, em janeiro de 1856, o
coronel Francisco Alves Cavalcante Camboim, hoje baramo
do Buique, tomou o alvitre de isolar o lugar do sua resi-
dencia, estabelecendo prank esse fim umn rigoroso cordio
sanitario, e d'este modo conoeguio preservar do mal a si,
today sun familiar, e o grande pessoal de sun fazenda, Po-
go.*- (f
.. nia a mais, se fosse oar trans:nissor do cholera, de-
veria este seguir a march dos ventos, mas a observa-
91o mostra que muitas vezes segue elle march inversa ;
isto mesio o que se observou n'esta provincia, porquan-
to, o cholera, emin vez de seguir da capital para o centro,
para onde correm diariamente os ventos maritimos, veio,
ao contrario, do centre para a capital, apenas banhada pe-
los ventos terrestres, que s6 apparecem raras vezes A
Snoite.
Parece, pois, demonstrado que o ar ni"to transmitted o
cholera,_e que osto nao segue a march dos ventos, e per
isso nWfiea margem para se crer que a disseminagao do
cholera-Um differencess lugares seja devida a disserminagao
do-srmiasmas cholericos, suspenses pelas carnadas do ar ;
Saltmt de que 6 sabido que as materials solidas, liquidas ou
gazozas, que so despersamn polo ar, ou as quo n'elle sao
idissaeldicas, v.to perdendo sun energia 6 .nedida que se
aff"stam do ponto de produccito: os cheiros se perdem a

(1)' Informacaio dana polo Rvd. padre Estanislao Fer-
reira de Carvaeho, vigario germal da diocese de Olinda.


FOLHETII


AMOR MATERNO
POR

4 JULIO MARY


PRIIKEIRA PARTE


NEZE TMIA TEM CTYUTRA

(Continuacto do n. 14)
III
A's nove horas Mathilde chegou corn o
pai ; trajava uma amazona preta que real-
,av a uagraga e as suns f6rmas esbel-
Stas. Montava um magnifico alasAo, cuja
e pelee finn mostrava as veias, em que circu-
a Ivaurnm sangue ardente; os olhos eram
ogo.
'Quanmdo Mathilde e Rev6ron chegaram,
omo eram os unicos per quem esperavam, o
marquez levantou o chicote e fez um sig-
: / dra ,-' z, lev 111 1 .o,
m~at.
As tr'ompas soaram.
IWca^adores sahiram.
It m fi secco. 0 sol brilhava,
|:^Anad os 00 bosques, que cida geada
|ap|ai a das sunas folhas e onde as gran-
Saivorei3mstravamiem triste nudez os.

p.t'e-- d acada ri-tsso.-ee .


Poucos minutes
caes indicou aos caV
coberto a caga ; os
mudando do tom, e
A principle, o cer
guns caes velhos, se
dos o poderam ace
-lope.
Mathilde, Gaspar
juntos ; em breve n
gada.
A carreira tornou
um ia para o seu 1
caminho que devia
par nao se separou
nuou a galopar a s
passava-lhes pela fre
ta, ais vezes A esquer
to um do outro, que
los toeavam-se, ent
par rogavam os dou
Os sens olhares en


d* a ^ist- PImu --) l'iw'O -
> vurtf diistx ;
a *apor bo6i9 se 04 oavisinhos 6oremi .-A6 mettidos-,
P6rque ISU lia.toa algum partclado
elemnen.to espei&o.- y P (U- 's l :
p't o, tpor6ui, n* oqur dizer que o ar:'nocaltoado no
qtt-rt o eent --ae ., po ria, nt das +, ++' om h.+./*... ic
zos3s,1 vaporosas o de immenaas partieulas sahidas o i,...
to, neo soja capaz "do -It aifftr'le"
quer infec$ito; Lnao digo isto, falk if quo enUvolve
livremente um paiz, toda unea cida 1j, ..ia,_sa, etc.
A hypothese, pois, do que o arn6 trat s iimor do cho-
lera nIe tern razito algumia em que se iba8ei. Tpara ser sus-
tentada scietitificamente, e. os factos bemrn aveiguados iahe
sAo contrarios ; d'dnde s p6de tirar motives justifica.dos
para estabelecer as distanciaa-Owtxn- se dexpiovco0locar
os postos das quarentenas. "
No dovevo terininar esta material, semn fazer ainda utr
reparo a respeito do algumas observaVZes, mui poucas, 6
verdade, mas que parecem estar em desaccordo corn a
demonstraqito per mim feita, de que o ar nao 6 transmis-
sor do cholera por disseminaaiio.
O qu jA disse foi baseado em repetidas observacos,,
e em razzes scientificas; e por isso creio quo as observa-
goes em desaccordo, al6m do serem mui poncas, q-pando
muito, s6 poderao demonstrar iuma excepgto a regra ge-
ral, cuja causa preeisa ser indagada.
Assim diz-se quo o cholera tern apparecido a gran-
des distaneias do f6co cholerico ap6s um grande tufio ;
uma grande tempestade acompanhada do chuvas.
Acceitamos o facto come verdadeiro, mas a soeu res
peito fazemos as seguintes observages :
1- Que entire o f6co cholearico e esse lugar inva-
dido ap-s o tufao, fi'aram outros nao invadidos ; logoo mi-
asma nato cstava disseminado, isto espalhado per uma
e outra part, come exist o vapor da agua no ar, inas
sirm suspendido, come a chuva, a qual cace em uns luga-.
res deixando outros intactos.
-2- Que esse lugar invadido ap6s a trovoada,
long que estivesse do f6co de infecgAo, devia necessa-
riamento ter outras relaqses, que ai"do ar tteo somente,
corn o f6co epidemic, de cujas rela9oes podia ter pro-
vindo os germiens morbidos, e ahi conservar-se latente a
espera de occasiao opportuna para o seu desenvolvimen-
to, o qual se deu corn o apparecimento da tempestade,
vin:lo esta a ser mera causa occasional.
-3- Da mesma maneira quo um tufao pode ar-
Srebatar as telhas de unia casa, uma arvore, um cardu-
me de gafanhotos, de sapos., etc., e leval-os A. distancias-
o que tern silo per vezes observado, pode. tambem le-
vantar pannos, papeis, pennas, e outros objects infec,
cionados e leval-os a grandes distancias, mas neao disse-
minados, e-sim em estado concrete, come so observa
todos os dias nos redomoinhos do vento, que formam uma
column giratoria, no centre da qual se veem folhas, pa-
peis, poeira, etc., nuato disseminados, mas sim reunidos e
conduzidos A distancias.
N'estas hypotheses, o ar, violentamente agitado, vi-
rA a ser um conductor parcial, come 6 o colchao em que
estivera o doente, e no umn disseminador do cholera.
Admittindc-se cada.uma d'etas hypotheses, para ex-
plicar o apparecimento do e'olera a grandes distancias
do f6eo, depois do umrn tufio, ou tempestade, permane-
cemn as consequencias per mimn sustentadas, corn relago
a nao transmissibilidade do cholera polos seus miasmas
disseminados no ar ambient.
Iguaes razzes militam em favor da agua, isto 6'
nao 6 ella a portadora dos miasinas cholericos, porquan-
to, come o ar, a agua divide, dissemina o espalha tambemrn
os elements quo nella so achamn sustendidos ou dissolvi-
dos, e per isso diminue, annulla a actividade destes
mesmos elements. Coin effeito, a observaco mostra
que o portador do cholera em viagem nos navies jainmais
foi a agua contida em seus tanques de madeira, ferro ou
barro: nao 6 ella que passeia pelas ruas da cidade ; nito
6 ella que nos toca As mieos, os vestidos, nero 6 material
despachada nas alfandegas; nao a culpemos pois.
Reparando-se ainda nos lugares invadidos pelo cho-
lera, situados A margem de rios, observa-se que aquelle
muitas vezes segue caminho opposto A correnteza des-
tes; per exemplo--do Penedo seguio o cholera rio aci-
ma, invadindo Pio de Assucar, Aguas Bellas, Buique,
Palmeira, Pajeu do Flores, Papacaga; sempre em oppo-
si9io a corrente do Rio S. Francisco. No Para dera-so
o mesmo facto; porquanto, d'alli partio o cholera rio
acima, e foi invadir Cameta e Obidos, centenas de le.
guas acima de Belem, capital do Par..
E' logico, portanto, que, so o miasma cholerico se
suspendesse n'agua, ou n'ella fosse dissolvido, parA fa-


(2) Oazeta hebdomadaria n. 30 -- pag. 494 1884.


depois o ladrido dos havia silencio em torno d'elles; apenas, de
adores que tinham des- vez em quando, distinguia-se o som das
ladridos augmentaram, trompas ou os latidos da matilha, levados
as trompas soaram. pelo vento.
'vo, perseguido per al- Os mogos pararam.
iguio d 03o6o- que to- Gaspar, disse Mathilde, cujo rosto
)mpanhnr a meio ga- belle e pallido estava animado pelo exer-
cieio o pela emeogo, cujos olhos brilha-
e R6v6ron estavam vam, cujas narinas estavam dilatadas, cuja
mudou o aspect da ca- respiraiao estava apressad a, Gaspar, quan-
to estimo estarmos s6s e poder-te fallar !
i-se mais veloz. Cada -- Querida Mathilde!
ado, Reveron seguio o Ainda me amas ?
costear a cagada; Gas- Se te amo... p6des duvidal-o ?
da sua noiva e conti- Nao.
seu lade. A matilha Comquanto tivesse certeza do que nin-
ente, As vezes A direi- guem podia ouvir, porque estavam na en-
frda. Estavam tao ner- __..^a.4 U .... U ...... LU ^i.L


2 os flancos dos caval-
ao os joelhos de Gas-
s joelhos da amazona.
ncontravam-se.


Ainda nao tinham trocado palavra, en-
tregues que estavam ao ardor da cagada.
Apenas, pouco antes da partida, a mnoga
pode dizer rapidamente ao ouvido do mar-
quez:
Precise fallar-lhe!
A cagada deu-lhes logo a occasion que
procuravam.
Havia media hora que as trompas nao
cessavam de soar, quando de repent ca-
laramn-se. Onviram-se estalos de chicote.
Os ladridos tornaram-se mais raros.
Houve urna perdida e custou a levantar de
novo o cervo ; os caq~dores dispersos ti-
veram tempo de reoir--se. 0 terrenoes-
tava seeco. Os ces, sequiosos, seguiami
;regui9osatuente e proouiavam agua p'at
be:r. ,:Pica4*S e _jtxdstes' naittinharo


crumullliaUa eu varul a unLUsU e uu.iaimu
ver atraves das arvores despidas, todavia
ella fallava em voz baixa.
Gaspar. ha dias que sou assaltada
per sentiments sinistros. Parece-meo .que
estou amea9ada de alguma grande desgra-
ga... De onde virA elia ? Nao sei... mas
minha alma esta attribulada.
0 marquez sorrio-se em torn de expro-
braiAo.
Slo ideas de creanVa... Quern po-
derA impedir o nosso casarnento, querida
Mathilde ? JA, nuAo As minha mulhier?
Esse casamentono eostA resolvido: ?. 0
dian ie aoestan.mar.ado? .
Eantetanto, ltenlsw'nedo.
Tolice.q'.'pumoriliadc, niikbaumada.-
E- Da ve-.-i! -i ear"


-ete dos rio -* -n en Ue A
'*inentfe- soamla p Aslt~l ^;;

V e peIqs.factQ- qtu o4donis ageptes. mais dissemi-'
:' es, m- ~*~" e o f aai iuirsaes ar e agua -
n $ p^ ortagB4, Qut. trapsmiasores do cholera, que
*Mpareeansempre com o4 hoinem, sombt levadcos a att i-
4 i, -" ;1 p j Iaoron-m a sua bagagem 'a propaga-, o ,
S e Aestia em estao' deo fermeltago (incuba9qo)
e Jem esta|q do conservacao, isto 6', do potencia la-
Stentd, prompt aii%6strtr sun activldade, logo que en-
ecptrar occasio favor.vel para o seu desenvolvimento,
da imesma ,maneira quo uma segment' conserva e r 1o0
germnen de uma plant, do quo ella 6 portadora, a es-
pera de enoiitrar terreno proprio, em que possa desean
volver sua actividade germinadora.
Para s6provar que 6 o proprio homenri, e a sua bA
gagcm quo transmittem o aholcra, ou quo este segue serm-
pro as vias do communicapo do home, come a sombrea
segue o coQrp, os factos jA citados o dizem corn toda a
amplitude ; recapituleauos ainda estes factos, o Hie addi-
cionemos alguns novos para tornar esta verdado bernm
patente.
Em meiados do anne do 1855, passageiros da Bar-
ca Defensora, prooedent. i da cidade do Porto, foram os
que intioduriram o.cholera no ParA homesns.
Em julho, actoro continue) os passageiros do vapo-
Imperador, procedente do ParA, foram os que introduzia
ram o cholera na Bahia omenss.
Em setembro, os comminerciantes entire Bahia e Ser-
gipe o introduziram n'esta ultima cidade, conmegando per.
villa do Lagarto homesns.
Em novembro, as mosmas cominrunicacecs o introdu-
ziraim em Penedo, e, foi um correio que d'alli o levou
A capital -Alagoas-, comegando per JaraguA, onde nu-
nhum case cgahecido de cholera havia (homcs).
Em fins do mesmo mez e anne invadira a Provincia
de Pernambuco pela comarca de Flores, per pessoas pro-
cedentes de Penedo, ja infectado homesns.
Em dezembro a freguezia de Garanhuns C invalida
per dous individuos, cholericos, procedentes de Pio do
Assucar homesns.
Ein janeiro do 1856, Cacimbas, que dista duas leguas
de Santo Antao, einvadido per um individuo procedente
de Papa-Caqa*(homens).
N'este mosmo mez morro e m Santo Autto, em casa
do escrivAo Jose Xavier Lins, urua senhora que alli so re-
colhera, procadente do Cacimbas (homo).
At6 entio em Santo Antal nenhum caso de cholera
so tinha manifestado, on observado.
N'este mesmo mez morrem em Jaboatfo, onde ne-
nhum caso do cholera era inda conhecido, nmuitos indivi-
duos emigrados de Santo Antao homesns.
A' 27 de janeiro more na run do Ouro do Recife
Hermenegildo, que.dias antes estivera em Jaboatao ; 6 elle
a primeira victim no Recife; e logo em seguida Jose Ma-
ria, o boleeiro que o acompanhara A Jaboatao, e a av6
d'aquelle e outros et- homesns.
Tendo a policia de enviar para Pao d'Alho ambulan-
cias para os cholericos, obrigou a tres individuos do enge-
nho Santa Rita do Iguarassd a levar ditas ambulancias.
Da volta estes tres individuos ao chegarem as suas casas
form accommettidos do cholera; dous f.illeceram. Nin-
guem querendo incumbir-se dos enterramentos d'elles, a
policia obrigou a um hoomem jA idoso a fazel-o, o qual fora
tambem. ponco depois accommettido homesns.
Finalmcnte, tendo a epidemia comegado A 21 do ju-
lho de 1855, na Bahia, gastara, via terrestre, 7 mezes para
chliegar a rua do Ouro, d'esta cidade do Recife, a 27 de


LITTERATURA
Simile
D'aqui n6s bern a vemos... long, bemrn longe... Olha
aquella embarcaio taio fragil, d'homens inus,
que some-so e apparece a sollupante flux
do mar, que engole o barco e a branca vela molha...
Um drama singular que o peito nos confrange
6 aquElle que alii ves... Pois sabo que outro drama
nao menos doloroso, agita, se na chamma
do peito-mal o f6re o ten olhar-alphange!...
No peito que aqui v6s d'uma appareneia calma
de lago sem tufoes-mas onde eu sintu uma alma
que vibra ao teu olhar e more ao teu despreso...
Uma alma que te busca e te procura e segue
e qua, talvez succurnba um dia-assim Ihe neguc
a luz-o teu olhliar divinamente acceso !
Moreira de Vasconcellos.

Quo lembranga I murmurou elle.
Nunca esperei isso de ti.
E' que, disse Mathilde, quero eu so
possuir o seu coraglo, sem saudades e serm
remorsos. E isso e just, accrescentou
ella, porquo bemrn sabe que o meu todo in-
teiro 6 seu. Durante essa longa viagem,
que, para qualquer outra que nao eu, te-
ria sido ama series nao interrompida de fes-
tas, parecia-mo que estava de luto do meu
bemrn amado. Nao davidei quo o mesmo
lhe acontecosse. Por isso nao receei es-
crever-lhe tres longas cartas, em que des-
crevia o estado do meu coracao.
Eu conserve essas cartas, disse Gas-
par, e s6 lh'as entregarei no dia do nosso
casamento.
Entflo, disso ella rindo, poderA guar-
da-las toda a vida.
'Lesguilly conhliecia todos os caminhos da
floresta e todos os atalhos. Elle e Mathil-
de'em breve recaperaramo tempo perdido.
Quando alcanupun os joutros ca.adores, o
cervo tinha sahido para o campo. A ra-
pidez da matilh&a redobrava, bemrn corn os
latidos, as trompas soaram, as acclama-
Oes dos caoadores m.isturavamin-se corn os
ritos dos camponezes, que chegavam de
todos.olados para assistir 4 morte do cervo.
A#, cdta effeito, estava proximo do
seu fim.
Ei trout nu'imaespecie-de eampo panta-
iBO onde fe'. frento aos c :es e onde
I tspar o mato iro d d carabina.
limswoa ei i .atiejgram, emquanto.
||| A4$| stnb i^&8O ei, u C
aj e


^^rs^^y&416ta~r. sib er hoiPAtat&fa6 to< teAtotfi^-.
bitid i~aihkeue atrb r a'disscminaao d&

0y13S0g espcgntaIewb ou a euias ae'i| or
1?! i t^A diffi!aoe406 ou P.l=0160t)
; baixos, outros elevadissinos, outro$ ai ahitos
46 fodas" as impurezas, ou aceMiladbs de imt esaiIta
grandes capitals, altos serties)etc, e ura crenea de que
intelligencia alguma desprvenida podeMAjaiMvase ,ta aci0*-
se, em face de tantos factos em contrario, que demonstram
ser o home e a sua bagagem os uniooew importadoi o
Sdisseminadores universaes do cholera.
Que outra cadeia tivera o cholera para sua transmis-
sato per tao diversos lugaros, so nao.o viajante, o passa-
geiro, o homnem, em tim? O anno, 6 mez, o dia, a localida-'
de, o nome, o estado, a coadigao, a procedencia, as tes-
temunhas oculares, ahi tudo feica demnonstrado por
um s6rie de factos indenegaveis, n'o s5 pela autoridade
dos-quo os )observaram (medicos, presidents de provincias,
puizes de direito, promotores, vigarios etc), como por ou-
tras pessoas do grande consideragAo, pelo soae saber,-pela
siua posiglo, e pelo interesse real de n.o faltareio a ver-
dade.
Alem d'isto, a marchia lenta do cholera per esses ser-
toes so explica melhor pela march lenta e vagarosa do
home, do quo pela march rapida e veloz dos ventos.
Nao foi corn a 6hegada de ventos fortes, on trovoes que
coincidic o apparecimento do cholera em nenhumn d'estes
lugares; esta coinicidencia den-so semprc, e foi sempre
demonstrada, dia por dia, de localidade em localidade, corn
a chegada do homem proc3dente de lugares infectados.
Esta marcha lenta 6 provada ainda pelas datas das
invas~os successivas que se foram dando.
Portanto, se C o homeim o portador do cholera, e
por sen internedio, ou per interminedio de sua bagagem
que lio o propaga, corn provamin as observacoes doi in-
numeros factos ja citados e dos quo adquiriramin esta moles-
tin incumbindo-se deo fazer o enterramnento dos cholericos,
ds limpar as roupas por elles sujas, (colchocs, leng6es,
moves etc), e bern assim dos quo occuparam os lugares
em quo estiveram doentes cholericos, como ja demons-
trAiwos.
SRo, portanto, estes factos outras tantas justas rashes
que justificam as quarentenas que se devem imp0r ao ho-
mem e sua bagagem, quando procedentes do lugares in-
fectados.
Eu nao ignore que slto innumeros os exemplos que
mostramrn o cholera zomnbando das quarentenas e los cor-
d5es sanitarios; mas come corn estes exemplos andem
sempre innumeras infrac9ges do regimen sanitario prophyla-
tico, eldies naio podem destruir as vantagens das quarente-
nas e dos sequestros, reconhecidos efficazes todas as ve-
zes que o rigor, a vigilencia e a impossibilidade sa-floder
infringil-as foi sustentada, como ja o provamos corn va-
ries exemplos.
Mas, ainda mesmo que esta questAo nao esteja resol-
vida definitivamnente pela observagco e pela sciencia, ha,
ainda assim terrivel responsabilidade, em tirar as qua-
rentenas do nuinero dos preceitos previdentes ; porquanto,
seria gravissima imprudencia-langar no meio do u0ia po-
pulagao sadia os doentes do cholera -, importados per um
navio, ou deixal-os morrer A mingua, quando elles pedirem
soccorro no porto de um paiz civilisado.
Portanto as quarentenas e os sequestros, ainda por
estes motives devem ser mantidos, m is sob melhores con-
digoes, sob melhores bazes, e dotadas corn os meios de
dcesinfeegao, hoje considerados come os mais vantajosos.
Finalmente, admittido que seja o home e a sua ba-
gagem os importadores do cholera, que tempo levam elles
sobrecarregados d'esta carga fatidica?
E' do quo nos occupamos no artigo seguinte.


VARIEDADES ___I
Os proverblos da lingua por
tugaeza, coin im appendice
dos de origem brasileira
REDUZIDOS'A VERSO
roBt
P. S. DE A. GALVAO
(Continuapao)

Utra figc, h em Rinh
p'ra que lHie duio e nio toma.
Quein idd obra bern,
em proporgIao do quo tern.
Quern dd a quem o entende
nao lh'o di, bemrn o ven le. .

Que tens tu a receiar, se te amo ?
0 almogo era uma simples consoada.
Estava resolvido que haviam do cagar to -
do b dia, at6 o por do sol.
Mathilde, que era a rainha da festa, por-
quo todos sabiam que ella ia ser esposa de
Lesguilly; Mathilde send consultada, de-
clarou que nao estava fatigada.
Sendo muito robusta, um dia a passear
a cavallo nao a amedrontava.
Resolveu-se, depois de consulter L'Epi-
no, o picador, que procurariam o lobe nas
profundezas do Carvalho Perdido.
L'Epine s6 fez uma objeciao :
E' uma hera, disse elle, s6 tomes
tries ou quatro horas do dia. E mesmo se
o nevoeiro dissipar-se As tres, nao se verA
mais nada. Trata-se de um lobe velho.
Elle p6de levar-nos lougoe; um dia inteiro
nao e de mais para correl-o.
SD'ahi tu conclues?.... perguntou
Gaspar.
D'ahi concluo, Sr. marquez, que se
quizermos voltar hoje para o castello....
Sem duvida conto voltar.
SerA precise recorrer a espingarda.
Bern, comquanto nao snja isso regu-
lar, consinto, para abroviar. Mas em to-
do o caso, deixa o lobe corrcr. /
Nao havia mais do um quarto de legua
do pavilhao ao Carvalho Perdido. A dis-
tancia foi vencida em pouco tempo. Es-
tabelecidas as mudas do cavallos o caies,
os pieadores soltaram a matilha. Um quar-
tDode hora depois, o lobe estava levantado
o passou a dez passes do L'Epine, que em-
boon a sua triompa. 0 animal nio apres-

r .... 11 theee isto, disse L'Epine, 6


I )w :A&1orespartira rn.
-"z Mfiide n- se afaston do
ftrnex66*A~ A-redea solta, ula-
pi4Asua nowa, en,-


Quena dd e torna a pedir
ao inferno vai cahir.
Quem dd jA,
duas vezes da.
D6e o dar,
faz ranho o chorar.
Sogras e gumes d'arado
medram sendo debaixo
da terra tudo enterrado.
Os dedos da miao,
todos iguaes nTo sio
Metteu-lhe serm medo
na bocea o de-1o.


(ContinUa).

frente da matilha e nao estava ali. En-
tretanto, os caes estavam animados e la-
dravam muito. Onde estava o lobo ? No
meio dos caes, onde corria a passe ordina-
rio, sabendo, sem duvida, per experiencia,
quo alli estava a salvo das balas, ardil
que esses animals conhecem quando temrn
sido cagados varias vezes.
Depois, a matilha desappareceun
Gaspar soltou o cavallo a toda a brida
para alcangal-a, afim de destocar o lobe ;
mas, no memento em que entrava n'esse
passe emin uma larga avenida, o cavallo re-
fugou tio bruscamente, quoe o marquez, a
despeito de toda a sua sciencia do equita-
91o, quasi sahio pela cabega do animal.
Soltou uma impreciao e levantou o'chi-
cote, mas naio o fez deseer.
Urma mulher tinha entrado bruscamento
na alameda, de bragos estendidos, corn o
risco de ser pisada.
E, aproveitando o memento em que o
cavallo parou, segurou-o pelo freio corn as
duas mftos.
Essa mulher era Albina Miranda, pal-
lida, resolute, de olhos enxutos e brilhan-
tes.
Para! disse Albina.
Quo mais queres de mim?
--Qero fallar-te.
SDize depressa. Nao tenho tempo...
Oh! talvez love muito tempo.
Bern, onto sera em outra occasion.
NIo, outra occasilo talvez nunoi^.-
parega, desdo manhi estou te seguiado.
Agora nao to deixo. E, olia, teahp oa-.
miinhado tanto por entire espminhos e arbus-
tos, quo a miiiha roupa estA ein -tas, e
men rosto, minhas m.os o nminhas p'ernas-
sangram... .
SDevia ter-me fllado esta m ha.
-I Sn mefoi possivell stava zixntO
longe. A cagada arrebatva-te`
L Iebaldeo-procurei chegar-) a. t' "L
est 1* i v 1 '' A


,el l i i i i II I




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGT5RISN3_MVN6V0 INGEST_TIME 2014-05-19T22:18:57Z PACKAGE AA00011611_14599
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES