Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14507


This item is only available as the following downloads:


Full Text





































ZE3?I;O PT~fLAS DO im

a10 DE JANEIRO, 11 de mar"o, As
I&eris e 35 minutes da tarde. (Recebid
I's 'boras e 55 minutes da noite, pelaI
inha terrestre.)

A Camara dos Deputados elege
ftoje a-suna mesa pela forma seguil
te -3
PRESIDENTE-EMoreira de Barros
1.0 VICE.PRESIDENTE -Loureneo d
Albuquerque;
,2o J>TO-urrla ;
5.0 DLTOu-Barao de Guahy;
I.o SEURETARIO- Affonso Ceiso Ju
0i0or;
2.o DITO-Valladares:
.3o DIT0-Sinimbui Junior ;
4.o PGTO--Costa Rodrignes.
VForU 4lepois reeonlieeldou o
ploderes dos seguintes deputadsi
540 diatricto do CearA, Dr. Migue
Jioaquilm de Almneida Castro (L);
10.0 dlstrieto de Pernambuco, Dr
Ulysses Machado Pereira lianni
(L);
S11.o dito da mesa provwincia Dr
Bento Ceeieiano dos Santos Ba
mon (C)S
1.a diteo da mesma provincia, Dr
Antonio oencalvef Ferreira (C);
5.0 district da Bahia, Dr. lidefon-
so Joo6 d'AranJo (L) ;
1.*0 disltjicto de Minas Geraes, Dr
Meo Pereira de Vasconcello (C)
o 0 dito, da mesa provineia. Ba-
W&. de Leopoldinaa (C);
I5.0 distrielo da mesma provincial
Dr. 4os6 Ignaeio de Barroe Wobra
(;)
(C)I
16.o dito da mesma provincia, Dr.
Eduardo Augusto Montandon (L) ;
1."o dito da mesa provwincia. Dr.
Evaristo Bio dos Mares Guia (L).
foram mais apresentados pa-
receres dam commlsses de inque-
rlto. reconhecendo como deputados
os segaintes eleltos:
3.o district do Cearfia. Dr. JIos*
Pompeo de d'Albuquerque Caval-
cante (L) :
*.0 distrieto de Minas Geraes, Dr.
Antonio Juxtiuiano dam Chagas (C) ;
13.o distrieto de Minas Geraes, Dr.
Alvwaro Botelho (R).
poi exonerado o actual chefe
de pelicia de S. Paulo, send nomea-
ldo para slabstituil-lo o bacharel An-
tonio Joaquina de Souza Paraizo.
Fot 4omeado cartorario da The-
souraria de Fazenda da Parabyba.
Joaquim Francisco do Nascinmento.






(Especial para o Diario)

CAIRO, 10 de marco.
0 exercito anglez do Soldao chegou
a Donaola.

LONDRES, 10 de manco.

Foi addiada para o proximo outo-
no a remessa de uma nova expedi-
eao ingleza para o Soldao.


S PARIS, 10 de mraro.
Nao obstante a declaraVao contra-
ria do almirante Courbet. comman-
dante em chefe da esquadra fran-
eeoa nonmares da China, a Inglater-
ra nao consider o arros como con-
trabaudo do guerva.


exonerar o capitao Ildefonso de Oliveira Macha(
e o cidadAo Bernadino Ferreira da Silva Basto
Saquelle do cargo de 1. supplente, e este do de 2
do subdelegado do 2. district de Una (Tamnar
dare) do termo de Rio Formoso, por se terem mu
dado para foray do mesme district, e nomear, pai
substituil-oes, aos cidadios Oetaviano Augusto d
Figueiredo, e Emygdio Camello Pessoa de Mello
4 na ordem de suo collocaao.-Commuicou.se ao D
do chefe de policia interior.
Officios :
li- Ao commandant das armas interino.-Prc
videncie V. Exc. pain qtw seja cumprida a ordeo
do Exmo. Sr. Ministro da Guerra contida no tele
gramma junto por copia, de 3 do corrente mez.
S- A' Thesouraria de Fazenda.-Communico
V. S. que o vapor Gequd, seguira pars o presidi
de Fernando de Noronha no dia 10 ao meio dia. -
Fizeram-se as devidas communicaeies.
EXPEDIENTS DO SCRUTARIO
Officios :
le A Assembl6a Provincial.-De ordem do Exm
Sr. viee-presidente da proviacia, cemetto a V. S
para os fins convenientes, os balances da receita i
despeza no exercieio de 1883 a 1881 das Camara
Munieipaes de Tacarat e ViUa Bells e orgamen
to para o de 1885 a 1886 da de (aranhuns.
i- Ao provedor da Santa Casa de Misericordia
-Sua Exc. o Sr. viee-presideate da provinchi
manda communicar a V. Exe. em resposta ao sei
officio de 16 de feverciro ultimo, sob n. 177, qn
ainda o Thesouro Provincial nao restituio a quan.
;tin de 2:7361, aque so refere o meneionado officio
por falta dos recuarsos necessaries, caforne infor.
mou o inspector da alludida repartif" em office
* de 21, sob ii.419. -.
Obras Militares.-0 Exm. Sr. viee-presiden-
-te da provincia de Pernambuco, manda communi-
Scar a V. S. que em soneu officio de 2 deste mez, sob
n. 94, acerca de folhas para pagamento de opera-
'ion, lavrei hoje o seguin~e despacho: Remetti-
. do ao Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda
para mandar tender a present reclamanao, em
Vista da sua intormaco .ie 3 do corrente sob n.
141.
Ao director do presidio de Feruando de No-
ronba.-O Exm. Sr. vice president da provincia
manda declarar a V. Exc. quo 6 necessario a de-
volugilo das petioles dos sentenciados Jose Igna-
cio Martins Mario, Laurentino Vitalino de Mello e
J.los6 Pereira de Azevedo de que trata essa direc-
toria em officio de 21 de fevereiro ultimo sob n.
1502.
Companhia Pernambucana.-De ordem do
Exm. Sr. vice-presidente da -provincia accuse o
recebimento do officio de V. S. de hoje, no qual
* eemmunieou -a chegada do vapor Caravellas che-
gado dos portos da Bahia e escala, regressara no
dia 10do .corrente para os mesmos portos as 4 ho-
- ras da tarde.
A mesma.-De ordem do Exm. Sr, vice pre-
aidente da provincial, accuse o recebimente do offi-
Seio de 3 do corrente no qual V, 8. communica que
os vapor Jacuhype e Giquid seguiram no dia 10
do eorrenie o primeiro pars os portos do sul, atW a
Bahia, as 5 horas da tarde e o segundo prt o
presidio de Fernando de Noronha ao meo ia.o '
Igual ao admintitrador do Correio.
Ao engenhciro Alfredo Lisboa.-De cidem
do Exm. Sr. president da provincial, accuso o re-
cebimento do officio de hontem, no qual V. S. corn-
muauiera asud obra do pro_
ongameio i e de forro do Recife ao S.
SFrancisco, na qualidade de 1.0 engenheiro, por ha.
ver o engenheiro Aristides GalvAo de Queiroz en
trado no goso de 15 dias de licenga, concedida
pelo mesmo Exm. Sr.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 10 DE
MARVO DE 1885.
Antonio Bernardo da Silva.--Informe o Sr. Dr.
juiz de direito da comarca do Brejo.
Alexandrina Moreira Reis.-Informe o Sr. Dr.
inspector geral da Instrucao Publica.
Dr. Ceciliano Mamede dos Reis.-Remettido ao
Sr. inspector do Thesouro Provincial para mandar
cumprir a precatoria junta, de accord corn sua
informarao de 4 do corrente, sob n. 437.
Francisco Antonio de Mendonga.-Informe a Ca-
mara Municipal de Bezerros.
Joio Mendes de Souza Machado.-D8-se.
Jose Tuelgolo.-Aguarde decis o do governor
imperial.
Jodo Gregorio Goncalves. -Passe portaria e a
respectiva carta de naturalisa9ao.
Jeronymo Augusto de Albuquerque.-Informe o
Sr. inspector geral da Instruccao Publica.
Lydio Dias Pedroso. -Em face da informacao
indeferide.
Bacharel Luiz Salazar da Veiga Pessoa.-Ea-
caminhe-se, devendo ser pago na repartico do
Correio o porte do officio hoje dirigido ao Ministe-
rio da Justica.
Maria Adelaide de Carvalho.-Informe o Sr. ins-
pector geral da Instruccao Publica.
Maria Jos6 Pessoa Ayres.-Informe o Sr. ins-
pector geral da Instrucao Publica.
Manoel Joaquim de Castro Madeira.-Ao Sr.
inspector do Thesouro Provincial para mandar for.
nocer.
Manoel Goncalves Agra.-Aguarde o credit
hoje solicitado ao Ministerio da Guerra.
Padre Marcelino Vieira da Silva e Sa.-Conce-
da-se.
Bacharel Pedro Gaudiano de Ratis e Silva.-


Informed a Camara Municipal do Recife.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 11 do margo de 1885.
0 portoiro,
J. L. Viegas.

Commando d'Armas
QUARTEL DO COMMANDO DAS ARMAS DE
PERNAMBUCO, 9 DN MARVO DE 1885
Ordem do dia n. 1,510
Faqo constar A guarni*io que a presidencia des-
ta provincia por portaria de 11 de dezembro do
anno passado, tendo em vista o parecer da junta
de saude a que foi submettido em 4 do mesmo mez
e anno o Sr. 20 cirurgido do corpo de sadde do
exercito Dr. Arthur Grate Alves Carnauba, con-
cedeu-lhe 3 mezes de licena para tratar de saa
sauiide f6ra desta capital. Outrosim, que apresen-
tou-se a este commando de armas renunciando o
resto da licenca de 2 mezes, concedida por porta-
ria do Ministerio da Guerra de 18 daquello mez e
anno, cm cujo gozo se achava desde 10 dj corren-
to, conform consta da guia que apresentou, o Sr.
alferes do 9o batalhio de infantaria Jose4 Mathias
da Silva Junior, que flea addido ao 14 batalhao
ate segnir A reunir-se a seu corpo.
(Assignado) -Francisco Camello Peasoa
de Lacerda, colonel commandant das ar-
, masinterino.
Conforme, o tenente Joaquim Jorge de
Mdlo Filho, lajudante do ordons, encarre-
gado do detalhe.

QUARUEL DO COMMANDO DAS ARMAS, DE
PERNAMBUCO, 10 DE MAR90 DE 1885
Ordem do dia n. 1,511
Tendo o Exm. Sr. presidende da provmincia, por
Sportaria de 2 do corrente coneedido ao Sr. teneate
do 149 batalbo de infahntaria Gercino Martins de
Oliveira e Cmrz 3 mezes de oieenma para tratai de
s tua saide deutro da proyincia, aaim o fago iBs-
tar A gzamico para os fins convenmentes. ;*
(AsgQnado) Francisco Camello Pessoa
Sde Lacerda, coronel comniandante de.
Sarmas interino. '


-a QUARTEL DO COMMANDO DAS ARMA8 D
le PERNAMBUCO, 11 DE MARKO DE 1885.
0, Ordem do dia n. 1,512
Devendo proceder-se no correnter me
os exames praticos das armas de cavalla
Sria e Infanteria dos eorpos desta guarni
I n ao, de conformidd corn os artigos 28
29 e 30 do regulmuento que baixou corn
a decreto n. 772 de 31 do eau9o deo 1851
o nomeio os S0s. ofciaes aba menciona
dos, para as comminasj pwga iadcraa da
respectivas armas.
ArA de cavallaria
Capitiles, Thomaz Alves e Victorin(
e Gomes Maciel da Silva, tenente Jos6 Car
s neiro Maciel da Silva.
on Arma do infanteria
Coronel Joaquim Cavalcante de Albu
quoerque Bello, major Roberto Ferreira a
capitao Estevfo Jose Ferraz.
S As commissoes funccionarao sob a presi-
dencia do Sr. coronel Bello. Os Srs. corn
mandantes do corpos, remettorlo ao mes-
Smo Sr. coroner rel aes dos Srq, o ciaes,
a' ts~s e 'Ifferibres, qua julgando-se haW
bilitados, so propuzerem a exame, que se-
SrA feito do eonformidade corn o'program-
ma publicado na ordom do din da Reparti-
1go do Ajudante-Oenaral n. 1,728 de 5
de janeiro de 1883.
(Assignado) Francisco Camello Pessoa
de Lacerdaj coronel cummandante das ar-
mas interino.
(Conforme) o tenente Joaquim Jorge de
Mello Filho, ajudauto do ordens encarro-
gado do detalhe.

RepartiTo da Polela
Seceao 2.. N. 244.-Secretaria do Po-
lieia de Pernambuco, II do marco de
1885. him. e Exm. Sr.-Participo a V.
Exc. que foram bontem recolhidos A Casa
de Detenglo os seguintes individuos :
A' minha ordem, Joao Baptists Philadelpho e
Joaquim Jos6 de Sant'Anna, por distu-bioa.
A's 5 horas da tarde de 21 do mez findo e no
distrieto de S. Benedicto, pertencente ao tetmo
de QuipapA. Manoel Francisco de Paula assassi-
nou corn um tiro de pistola a Jos6 Francisco de
Lima.
,.Uma hora depois daquella em que f6ra pratica-
dQi.ste crime lirigio-se Secundino Bezerra Lina,
irmao do delinquente,para a caa de uan resideneia
recebeu em caminho doua tiros de bacatarte, de
CuIRs projects empregou-pe part em u.a &lho ae-,
Os delinquents connseguiram evadir-se 0 a res-
peito de ambos os factos procedeu a autoridade
competent nos terms do inquento policial.
No dianlo domez findo, as 11 da manbha appa-
recea no povoado de Tamandar6 do Rio Fonmoo,
um individuo de nome Pedro Camillo Cavalcante, o
qualestando armado de pistoia e facao insultava e,
ameaeava a quantas possoas encontrava.
Presenciando isse o inspector do lugar, julgou
eate que seria de boa pradencia pedir a Pedro
Camillo que se retirasse d'alli par assim evitar
qualquer conlieto.
Pedro Camillo, porim nao estando polo pedido
que se Ihe fazia, dispaxou a pistla que trazia so-
bre um companheiro do inspector, que em tempo
pode desviar-se e corn o facao fez o mesmo Pedro
Ainco ferimentos no inspector.
Em acto continue aeudiram diversas pessoas as
quaes conseguiram prender a Pedro e o recolheram
na tortaleza deoTamandar6, onde d-ixaram de col-
locar sentinellas por considerarem segura a prisao.
Entretanto no din seguinte, pela manha, Joao
Canucio Cavalcante e umrn preto liberto de nome Je-
ronymo foram a fortaleza, arrombaram a prisao a
deram fuga ao preso.
0 delegado respective tornmou conhecimento do
facto e procedeu nos terms da lei.
Communicou-me o ddegadado do termo de Qui-
papA quo no din 22 do mez findo form alni ospan-
cads a sexagenaria Anna Joaquina da Conceicao.
0 crime foi praticado por um individuo de nome
Antonio Ferreira, contra o qual procedia-so forma
da lei.
Polo Dr. delegado do 1 districto da capital foi
romettido as juizo competent o inquerito policial
a que procedeu contra Joao Luiz de Oliveira, co-
cheiro do carrogao n. 804 da empreza detranspor.
te de cares verdes que no dia 8 do corrente esma-
gou o menor de nome Francisco Pinto de Almeida
Guerra.
Pelo delegado do termo do S. Beuto tambem
foi remettado ao juizo compente o inquerito a que
procedeu sobre o assassinato alli praticado em dias
do mez de dezembro do anno findo na pessoa de
Bernardo de tat.
Deus Guard. a V. Exo.--Ilhn. e Exm.


Sr. Dr. Augusto de Souza Leao, mui di-
gno vice-presidente desta provincial. 0
chefe de policia izeino, Jose Maria de
Araujo.


d -l iS6 ae Oliveira LEeWt.t SousAj ara maudar
1- r atgams reparos no reboe- e 0wrer o telhado
n. 59 A rua do Motoeelomb6, freguezia de
Alf dose.- Dando prvia scieni ano fiscal e li-
itiado-se aquo pode, concede-se.
)E J086 Iideo Bastos, eomo proemrador de Jos6
J aim Teixeira de Souza, pars mandar tomar
-teira em sunas caaa ns. 2t3 A run do Jardim, 4
,4 B, 4 4 D, 4 E B rua da Yia-Ferrea e 163
tra dIm trial, tomando peqnios reboeos as
a- Ante desta. _.. Pagos os direitoa corn relacAo a
Sca* de a. 163 da run Imperial, concede-se.
S Joalquimn Manoel Perreira de Souza, pedindo
q wuo a Camara made son egenheiro examinar as
W t feias no quintal da casa n. 11 & rua do Pe-
; di Affon% na qual julga have r excesso de obra,
prejudiclnao assim o supplicante, polo que pro-
w- tst.-O Sr. fiscal a vista da informacao do en-
Sgenheiro im~uponha a multa do art. 91 da lei n.
1,129 ao proprietario da casa n. 11 A rua de Pe-
dro AffoNo, por haver feito excesso de obra serm
0 competeate licena. E' para admirar qne into
tivesse eseapado ao fiscal, em que reconhego zelo
no cumnprimento de seus deveres, razao pela qnal
deixa de ner multado na formta da le i. Depois de
feito o que ordeno seja entregue ao peticionario a
pcti9ao corn o pareeer do engenheiro para usar de
eOnu direito onde competir.
Joaquimr Martins Moreira, pedindo licenca parm
wandar rebicar o muro dos funds dos quintaes
de suns casas de na. 55 e 57 A runi da Uniao. -
Pages os impoatos ejlimitando-se ao que pede,
mconede- soe.
SJos4 Joauinm da Costa Fajozes, para mandar
S t mairas em sua casa n. 58 A rua do oe-
nlH fna. Dando previa licenga ao efis,
(oedeie-so. ]
Loumrengo 4lves Quixaba, para mandar tomar
gotejras e pequenos reboeos em sua casa, sita a ]
tavessa da run Be lla. -Dando previa seiencia ao
i eeAl e limitaado-se ao quo pede, concede-se. 1
SLaurentino Rodrigues da Silva, para mandar
edificar uma casa de taipa, sita a estrada Real da 1
Terre. Por ora nao tern lugar o que requer o
sapplicante. 1
Manoel Alues Barbosa, para mandar tomar go-
teiras na casa n. 3 A rua de Bemfica. Dando 1
previa sciencia ao fiscal, concede-se.
Maria Salom6 Julia, pars mandar faier um to- 2
Iheiro coberto de telha ao lado direito de sun cssa
do taipa no povoado da Torre, freguezia de Afo-
gadoa. Pagos os impostos de conformidade corn
as posaturas e parecer do engenheiro, concede-se. 2
Miguel dos Anjos Ferreira do Nascimento, pars
mandar eonstruir dunas pequenas casas de taipa, 2
cobertas de telha, em Santo Amaro das Salinas.-
De conformidade corn o parecer do engenheiro, 2
n?.o tern lugar o que requer o supplicante.
Manoel JoAo de Amorim em additamento ao
que requereu em deaembro do anno proximo fin-
do, no sentido de eonatair uma Sali me interior
do terreno que foi occupa5 pelcas aas us. 201 e
203 A run do V,,onde de Goyanna, pe pasMaI le-
vantar uma sotb sobre, a mencionada ,t4.-Na
forma do p er.
Manoel Fsiso da Silva, para mandar con-
certar trees essas de taipa, sits na povoaecalo do
Pere., freguezia doe Afogados, levantando a fren-
te de' uma e rebocando as frentes de duas.-De-
clare o supplicante qual o mestre da obra e volte.
Pa'tldn6o Oliveira Ma.a, paras mandar tomar
oito ea i repark ow reboco da Casa A. 40 G rua
de Lumz do Rego. Concede-so dando previa
sciencia ao fiscal.
0 memo, par o mesmo fim, corn refencia a
casa n. 3? a run de Santo Amaro.-Idem.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 11 de margo do 188 o.
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da Silva.



PERAMBUGCO

Assembles Provincial
A commissao de redacao propSe que o project
n. 3 6 de 1880 seja redigido pela forma seguinte :
A AssemblAn Legislativa Provincial de Per-
nambuco, decreta :
Art. 1.0 Os que cercarem o leito do rio PajeA,
em toda a extengao desta villa nos lugares em que
haja pogos ou cacimbas de serventia public, fi-
cam obrigados a ter cancellas para dar serventia
ao abastecimento public, sob a penn de 10000
de multa, dernolindo se a cerca a sua custa.
Art. 2." Ninguem podera entulhar pogos sob
qualquer preteoxto, corn espiuho ou outra qualquer
cousa que possa prejndicar a serventia public, sob
a penn de 20090 de multa ou 8 dins de prisdo,
send desentulbados os pocos a sun custa.
Art. 3.o Ninguem podera cercar pocos ou ca-
cimbas destinados a bebida do gade,$sob pens de
10000 de multa, sendo destmuidas as corcas a
custa do infraactor.
Art. 4, Ninguem"podera levantar barraca no
pareo da feira, am que tenha obtido licenca pela
qual pagara 2M000 ; sob as penan da lei.
Art. 5. Flea renegade o art. 2.o do tit. 1. adas


psturas municipaes de Floiresta, approvadas pela,
lei n. 1,096 de 28 de maio de 1873, na parte em
que exigemqlue as portas teaham 12 palmos de
altura e 5 1To e largura, devendo ter no minimo
11 patmos doe'Itura e5 de largura.
A~t. 6. t1icarwi!ievogadas as disposiqSes em
contarino.
Ssa das co6muisSes,, em 11 de margo de 1885.
-Adelino AL Lna Freiro Junior Maximiano624
Duarte.


Beneficente, procurollk iA so sea al-
canoe w- 1-- at
Pernambuco, 3 de fevereiro deo 1885.
Cofnmendador Jo6o Fernandes Lopes.
Jos0 JoRo de Amorim Junior.
CATALOG 37
DOS PRODUCTS QUR A ASSOCIA01o COMMERCIAL DE PERa-
NAMBUCO RPMETTE PARA 0 RIO DE JANEIRO AO CNN-
TRO DA LAVOURA E QUE TBM A JMAIOR PAurm DB 1l-
GURAR NA EXPOSI9O DE ANTUERPIA, NA BELGICA.
1 Um frasco corn asucar, 2a sorte, prego em terra
3P100 15 kilogrammas, ensacoado.
2 Im dito corn assucar, 3a sorte, preco em terra
3JO00, idem idem. 38
3 Unm dito corn assucar, 3' sorte, regular, prego
2800, idem, idem.
4 Urn dito corn assucar, 3# sorte, regular, 21600, 39
idem idem.
5 Um dito corn assucar, 4a sorte, preco 2400,
idem, idem.
6 Um dito corn assucar somenos born, preo
2100, idem, idem. 40
7 Umn dito corn assucar somenos regular, prego
2000. idem, idem. 41
8 Um dito corn assuear mascavinho, preco 1 800, 41
idem, idem.
9 Um dito corn assucar maseavado superior,
preco 1700, idem. idem.
10 Um dito corn assucar mascavado regular, preco
11600, idem, idem.
11 Um dito corn assucar bruto, born, pWeo 11600,
idem, idem.
12 Um dito corn assucar brute, regular, prevo em 42 1
terra 11500, idem, idem.
13 Una dito corn ossucar bruto, baixo, preco 1400, 1
idem, idem. d
L4 Um dito corn assuear retame, born, prego 1300, 43 1
idfem, idem. 1
15 Um dito corn assucar retame, baixo, preco I
1200, idem, idem. 44 1
.6 Um dito, assucar turbina pulverisado. preco 1
2.900, idem, idem. F
.7 Um dito assucar pulverisado, preco 2700, 45 1
idem, idem. 7
8 Um dito assucar crystalisado, preco 2500, E
idem, idem. 46 1
9 Um dito corn assucar crystalisado, em caroco, p1
preco 2500, idem, idem. 47 UJ
0 U.u dito corn assucar rapadura, (sertao) preco \6
11200, idem, idem. E
Prduector-Diversos engenhos. 48 U
Expositor--A commiss.o. E
1I Umn dito assucar usina, Nova Conceigo, 1' 49 U
sorte, prem o 31000, idem. P1
2 Umdito assucar usina, Nova Conceia'o, 2a E
sort, preco 21600, idem. dade
3 Um dito assucar usina, Nova Coneeiao, 3a 50 u
sort, preco 2400, idem. P
Expositor-O Sr. commendador Firmino de E
Freitas Nogueira. 51 U
NOTA. 0 assuear torn sido o mais impor- p1
tante product industrial desta provincia ; 6 E
seu ramo principal de exportaoo e sua maior
fonte de riqueza.
Existem entire nos cerca de dous mil esta-
tabelecimentas de fabricar assucar, situados
em uberrimos terrenos, que prdduzem annual-
monte cerca de 160 milh5es de kilogaammas. l
Entre estes estabelecimentos alguns slo de
system aperfeioado corn turbines (como do 2
assucardaa amotra6aa.16e2J3). s 92 U
.acbiiwad &. d-rirmino -0
de Freitas Nogueira, -Nova Conceico- no 53 U
termo de Ipojuca, 6 francez. Munio seu en- E.
genho, o anno passado, de novos apparelhos.
Corn a mnesma quantidade de cannas, tern
obtido dupla quantidade de assucar pelo me- t
Ihor aproveitamento do ealdo; este deu e ren- 51 U,
den mais de 10 por cento em assuear poden- Pr
do moor, em 14 horas de trabalho effectivof 55 U
40 mil kilos de canna e produzir em assucar E:
276arrobas, mediante 3 jactos; um de la 56 U,
sorte, branco 6 1/2 a 7 0/o, outro de 2a sorte, : w
branco 2 1/2 o/o o o 3o jacto 3a sort, branch; 57 ,
1 0/, o maseavado claro.
0 eusto total da transformation deste on- g
genho, corn todos os apparelhos e accessories, g
apenas foi de 55 contest de r6is ou 113,000 4
francos; tirando a despeza, que fez, na quan- 58 Ui
tidade do assucar, demais obtido em duns sa- lit
fras. 59 TUi
Na opiniao da commission esse ramo de trc
industrial ia tendo grande desenvolvimento 60 Ui
corn a construction de caminhos de ferro; pela it
melhor applica9ao e desenvolvimento do tra- 61 Uim
balho; e pelas fabricas centraes, subsidiadas 6-2 U
pelo governo, que dove cencorrer para o aper- lit
feicoamento do habalho e dos products; mas 63 Ui
estamos lutando corn duas grindes difficulda- lit
des i una 6 a falta de bancos ruraes, a outra 64 Uim
a concurrencia e rimalidade da beterraba na kit
Europa, o que non obriga a fazer economic 65 tin
nas despdzas don products e transportes, e o l
exige direitos livres para se-sustentar e pc- 66 Un
der acompanhar os precos baixos da actuali- kit
dade. 67 tn
Os nossos agricultores sao mui dedicados A kil
plantaco da canna pela vantage quo offere- Ex
ce. A plan^a feita nina vez corta-so; depeis
veto a sdca no 1, 20 e 30 anno: bastando lim- p
par os mattos agr'stes. DoS olhos da canna p(
e do reel alimentam-se os animaes, c tambem I ep.


se faz vinagre. A canna chupada serve de 68 Uu
alimento; o assucar e o mel prestam-se a uma litz
infinidade de iguarias; a aguardente fei'do
mel 6 muito estimada; o bagago da canna Lam
born combustivel para machines, e depoistd'e : tr
fermentado, born estrume. A cana brota d
urn pendao, que serve para enchimento de al- cc
mofadas; eat fim tudo desta plant 4 aprovei- re
tavel entire nos. 69 Ua
Um fardinho corn algtodaode 1* sorte superior, rs.
prego 81400 por 15 kilos. 70 Ua
SUm dito algodao c'moulo, preco 8450 idem, 1i(
idem.
Um dito algodao do 2a sorte sortido, preco d(
7400,Aidem, ie) ., b
SUm dito dearcos d ferro. x
3Um dito, sacea pequena, pes.
Umi fraeb corn algodao Sea Island, preqo 20 7 ena
15 kito oons. peul" 7 Ex
um idi AWAo mesclado, preco 81000 15 ki
logrammbs. CE
Expositor- Sr, Neezen. cc
NOrTA. O'algdAo cuttiva-se cm divEras A
provineias do notte; porem o de Pcrnam' CS
co 6o mais estimado pelos fabricalnfs em ge-
ral; exportams para o estraingeiro ,nnual- 7 n
monte porto de 12,000,000 de kilos, e tambe Ex
para outras provitiA do imperio por ser o
noss6 preferido ati|Jla fab|B|atb 4teOmR^ tr

S twieatara te. aum atar ai t pv.a-
6 prmo cpe*"a o trabalafldo eulti 7* n
Medabe Sea Istfid -* dA perfedatente x
eimaonsa costa e dessa cultuah f- 75 Un
0 -q. 15
&iio .W o cardado da fabrea da E


4-oteoida corn 30 metros, Ei
"eQ% -30 metotr% prego qua
Mr a de


NOTA. 0Mcaroo d'algodlo nlo a.eexpor..
tava, faldta doatradas do ferro e tarita
ba=ias para eaten genero. Presentemente a
exportaso de 1,000,000 de kilUos para In-
glaterra.
Um fardo de la de carneiro, preco 158000 15
kilogrammos.
Expositor-Manoel Cavalcante de Albuquer-
que.
NOTA. LA de carneiro nie se export per
falta de costume. Os carneiros morrem em
numero nao pequeno por causa do calor, visto
como nato 6 costume tosquial-os.
Um frasco de pennugem que produz certa ar-
yore a que chamnam barriiguda, prego- 6000 15
kilogrammos.
Un frasco corn flechas de cannas, preo 301000
15 kilogrammnos.
Expositor-Joao Fernandes Lopes.
NOTA. Deates enchimentos ha grande
abundancia e pode-se obter muito baratos.
Urma tranga de macahyba, preco 201000 15 ki-
logrammos.
Uma dita preparada, cardada, prego 38000 15
kilogrammos.
Expositor-A commissao.
NOTA. Este paiz e muito abundant de
fibras naturaes, mas nao sao exploradas pel -
industria extrativa, senao em mui pequena
escala, serve para cordas, tarrafas e rmdes
de pescar por ter resistencia A acgie d'agua
salgada.
Um frasco corn cafe do Bonito, proVo 8000 15
ilogrammos.
Expositor-Commneadador Francisco Benicio
Las Chagas.
Jm frasco corn cafe de Bezerros, prego 8000
5 kilogrammeos.
Expositor-Francisco Apolonio.
mn frasco corn caf6 Taquaretinga, preco 7600
5 kilogrammos.
Expositor-Joao Bezerra da Cunha.
m frase3 corn oaf6 de Taquaretinga, preco
600 15 kilogrammos.
e.xpositor -Felix Jos6 Teixeira.
Jm frasco corn cafe de S. Vicente, prego 6500
or 15 kilogrammos.
Jm dito, dito da cidade da Escada, pWeo...
o500, idem.
xpositor-A. Gomes Ribero.
Jm dito de dito da Siberia, prego, 10 idem.
,xpositor Jeao Fernandes Lopes.
ma saquinha de dito do municipio de Aceia,
wego 6500 per 15 kilogrammos.
ixpositor-Znmbolio Joven Herva da Trin-
Jma saquinha de caf6 do memo municipio,
rego 6W400.
xpositor-Antonio Jos6 da Silva.
ma saquinha de caf6 do measmo municipio,
i-09o 68400.
xpositor-Luiz Marinho dos Santos.
NOTA. Vai produzi-ido bern o eafr nas
serras altas da terra Ferruginosa; 6 muito
saboroso; dA bemn em distancia do war, ha-
vendo mais de urn milhiao de plants em di-
versas comarcas. 0 da villa do Triumpho e
Bezerros 6 melhor na qualidade e abundau-
cia de produegAo, havendo arvores de produ-
dir 10 kilos.
Im frasco comn cacao, preco 6P00 p oi 15 ki-
grammos.
m dito corn cacao, preco 6J400, idem.
xpositor-Joao Fernandes Lopes.
NOTA. A plantaoAo estA em principio
porem animada; dA bemn e sempre tern fruc-
o ; breve se exportara.
ma "caisinha corn chocolate de cacao desta
rovincia, preco 1 por 500 grammas.
mab dita de dito e ao memo prceco.
xpositor-Miguel F. Pinto.
m frasco de sementes de mamona escura, pre-
1600 por 15 kilogrammos.
n dito de dito, preco 1409 idem.
NOTA. Esta cultural nao dA trabalho al-
um ; posta a semente uma vez na terra vat
roduzindo, mosmo abandonada. Extrahe-se
0 e/o de oleo.
frasco corn favas brancas, prego 600 rs. o
ro.
n dito corn feijaio branco, prego 600 rs. o li-
).
a dito corn dito mulatinho, preco 500 rs. o
re.
a dito corn dito r6xo, prego 600 rs. o litro.
n dito corn favas amarellas, preco 800 rs. o
ro.
n dito corn feijato fradinho, preco 640 rs. o
ro.
n dito corn milho amaretlo, preao 60 rs. o
o.
n dito corn milho para cuscds, preco 45 rs.
kilo.
a dito corn dito parm cuscdis, preco 160 rs. o
0.
i dito corn massa de milho, preco 240 rs. o
o.
positor-A Commissao.
NOTA. Este legume planta-se em toda
arte corn maita abundancia, e so ainda im-
)rtamos algum 6 devido as alas tarifas das
atradas de terro.
i tmaSco de arroz corn casca, preco 160 por
ro.


NOTA. No nosso centro produz-se muito
rroz nos alagadicos. Tambem a cevada &eo
igo na serra da Baixa Verde (100 leguasa
a costa) deu admiravelmente corn aoea, e
rtando-se trees vezes de urma so plant corn
ndimento admiravel.
a fiasco corn semente de gergelim, preco 320
o litro.
n frasco corn pimenta para temp6ro, preco
)00 o kilo.
NOTA. Esta pimenta chama-se pimenta
m reino; ainda importa-sQ; mas dA muitr
irm, cultivada sem trabalho; 6 trepadeira.
positor-Commnandador Joalo Fenandes Lo-


















e4'aimento nc- dia1tOde

rftdidob 32. bois, pesau
trtam parao t)Mezmo e,--



'' ~. : 1 "1 ; : 1 ...


Para ft
Gr prosepitoe uper
oprao preto superior,
uo! Rui Duque do
d e

Tmh p9tiW o a.wm daaio-3ae Nwoa SOt S rao-
s.da.Dre. ada it eril dse;koy- sua*-
:qumercndo que 8e de ste o leatabeItniento --ea
*rompr ni3ao.=A' commisao de negocios ecele-
;- siastices,, '1 *'i*'1 / 1.1
Outra.do alferes Francisco de Assis Ferreira
Magah.es, requerendo ser nomeado para o lugar
vago de carteiro desta Assembl6a. A' commis-
sfto deupiie~ia. *11:;"* :11
S tOgtra'd Eduardo Aatasae. do e baqluerue
elllit ecrivAo do crime e jury do EUimbres, re-
-queid ciotaignaa da verba 4e 800QJO) para
a rm-ara municipal de Pesqaaira ihe pag-r o que
Ihe ievu de custas.-A' commissao de orgamento
muaniipal.
'PoraIm approvados tres pareeeres da commrssao
de peticos, dons decliuando para a do. oramento
provincial os abaixo asaignados de moradores em
ChAi do Carpina e dos eacarregados da devocao de
Nossa Senhora da Piedade, erecta na igreja dos
Afflictos, e umn para a de instrucqAo publica a pe-
tiCAo de Fltrencio Mauricio de Alencar; e um da
do rendas muuicipaes pedindo-informi95es sobre
a petieao de Amador de Barros Cavaleante Lins.
Foi a imprimir sob n. 6 um projocto da couamis-
sao respoctiva fixando a for.a p ilici.il para o an-
no de 1885 a 1886.
Continuando a discussao do requeniimento do Sr.
Viscondo de Tabatiuga, oraram os Srs. Dimocri-
to Cavalcanti, Visconde Tabatinga, Nbdo d Mi
randa, Bario do Nazareth e Amaro Foaseca, sea
do rejeitado e ficando prejudicadas duas emendaes.
Pela ordem e reiativaminote as vagas existean
tea em duas coinaiissoeo, oraram os Srs. Demoeri -
to Cavalcante, Druinmond Filho, duas vezes, Jo-
s6 Maria, Aristarcho Lopas, e Democrito Caval-
cante.
0 Sr. president nowneon an Sr. Aristarcho Lo-
pes para a de rendas municipaed e ao Sr. Fran-
cisco Tiburcio para a de force; policial.
Pnssou se a ordem do din :
Entranilo ern 2' discussi) as emendas ao pio-
jecto n. 173 de 1884 (concessao de Iterias) ura-,
rainm as Srs. Olympio Marqwus, Barao do Naaza-
reth, Meira de Vasconccllos, Amaral e Alello e
Goes CavIlcante, osen-o approvaidas todas as
emendas exc-pto a de n. 58, e t Lnado orado pela or-
demn o Sr. Jos&6 Maria.
Encierrou-se a 2a discussao do project nu. 200
do 1S82 e adiou se it de n. 193 do mesmo anne)
A onries do din ;6 : vot;cI,) do projecIo n, 59 de
18S1-. c:: 2'a diseu:s+o : la l disussaso do prcj,:eto
dos do :.;uneros 61, 2 e 279de 184, e do de u. 14
dcstc aum.i, o cotiiiuanio da anutcedeute.
saini4i'.,B .Bs sa secr.taria
da acuI.:Jade do Direit)orc-nctteraru-nos para p--
blicar o s -'uwas avis):
N. 60 2.a dir-etoria.-Ministerio dos Nego-
cios do Imperio. --ilio J- Lmeir-'c, 27 de fevereiro
de 1885. -Em :-spostp ao ffiem do 11 do corrente
mcz, com''- .nico a V. S. ( Ii i''P)r pAIrr..ri:;s da pre-
sente dat. design na confornidadc do art. 393
dos estattos mandados obsarvar polo dveroto n
9,360 de '-7 de fcverciro ulthimo, 0s latest substi-
tutoi ose.: faculdade Drs. Albino Goni.ic.lves MNlei-
ra de .Vas- celloso, Joao do Albuquerque Barros
Guimairaes, Tobias Bi-arret, i.l-s d lerlzes e Juse
Joaquim t,-abrai, afimn do ,rviurc, a la 2, Ja o
4a socq5es dc mesma faculdade.
Por aehar-se liceeciado o lente Dr. Albino Gonu-
qalves Moira dc Vasconeellos c estarem vagos
doun lugares de substitutes, ficaun outrosim, de-
signados o Dr. Tobias Birrcto de Menezes para
substituir o rcferido lentc dnraite o suu imapedi-
mento c oa3 Drs. JoL. Joaquim Seabra e Joaquini
de Albuquerque 3B.rros Guimarices, p.trt interi-
mnaw .te toreru tamboom cxeriu en, este a 5c '
aque,1k, ia 1 a see6ea. e
Dcuoi !:uMrde A V. S.-Felitppe Franco de Sd.-
Sr. dire or interino da Facaidade de Direoito do)
Recife.
Sa, fuictoe ,-elativos Ai aistorTia
political -t dsi ceis-a do Braisi.-E' o
titulo de um opusculo de 120 paginas, emi 8. fra:n-
cez, recontoruente publicado nesta provineia por
nm moeo intelligeute e esttlioso, que, minodesta-
mente, occultou o sea nome, dizeado se simples-
mente Um brasileiro.
Trabaiho crilico e estatistico ,ami material posi-
tiva, i.ule os algarismoa e as datas falla'r; a clara
lingui._- da v-rdade, o opusculo em quest.io pSe
patents o grande esforco :tue dcsenvotvcu o autor
no apauhamento dos dados de que se servio, e nao
menos revella grande critcrio na apracianao dos
factos histories, quer da pylitica, quer das finan-
cas.
0 livro se divide em capitulos distinct'-s que se
insereverm : 0 pove, A moaarchia, A Constitnigao,
Os impost .', o Depreciagao da Mioeda; e alum das
notas explioativas eMannctentes, encerra .oito inte-
ressantissimos qua-dros bobre dinida interna, di-
vida externa, divide geral do Imperio, Rcndas da
Alfandega comparadas coa. a 1eceita Geral, Im-
pOstOs arrecadadus no cxercicio de 1881=1882,
eMoeda brasileira, Depreciacdo da moeda, e Oscil-
layio do cantbio desde 1846 ai4 1885, send que
annex a estc quadro vt-mn a lista compbeta das
organisanses ministcriacs dosle a fundaao 'do
Imperio at3 o Ministerio Je 6 ds, Junho de 1884.
Para s ', se aquilate do vw;ir do livro basta o
aiupihs enaunmiado das matesi as que o constutuem ;
entretauto podcmos asseverar que o autor deasen-
-volveu anlguns assumptos e ,: moits felicidade e


boln sens', e ch-'gou A cone i.-Se,) que, neon por es-
tarem no conceito public, :rdemin de interesse
para o'loiter.
E' poise, nno nvo modo de apreciar, unm livro
antil e pratico, que tanto uproveita ao litteraito e
an .poLItico, como ao commnircianto e ao artist e
-agrieiltor, o que.importa dizer que todos devem
lel-o e medital-o, por quo trita dus madis series as-
sunmuptos qua dizem respeito a inossa vida social,
political e cconomiea.


C ei e werdes-Emn sessAo de hontem, a
CaaiMA. M1auicipil do Recife, depois da lieitaao
publicque tAve Ing-ar, pa'a, na eonformidade'do
editil chamaido couurreaotes, set contratado o
abaateuteimuai de uanes verdes A cidade,.mandou
-ltzar coatracto corn o Sr. "tneunte-eornel- Jot6
- de Oliveira-Castro,,iUm 'dos aMunrrentes, settd6
S respeitadas as condigoes do mesmo edital, alias
melkorado quanto ao preco do foxnecimento do ge-
nero-
Es1i rnm auuimm .enu do: 480 i461 no
,1,, neoma.

Ito, aa queim etafoergido *pagearowkilog[1a.
m de carnet verde A 720 e 800 r6is, pre3os actnaai
.*alf &,ataagmBn rel, que nio p6dea so
.10pou dit idid eid perquu

resa mitaiaes
e pr hao'smimitam auoasimls


s ,ng~ilo- No *p.o-
go.4 g t~eolr.npoise 7 hons d vg
*101 n~esta club, send6.6,,.
0-. Ferreira deAnn o.m


L ao deo6' 6 ao anne, e-refercte ao sewestre de
juiho A dezembro fiudo.
Bevlnta dai Arte*.-PN blisou-se o n. 5
desta reviata, hebdomadario do propaganda ins"
trdetiva. -
Fifbon dee balma. Esta sociedade dra-

seais swwioutepos4Opo aseesow, tranaferio
para 18 do oorrente o epfetaeulo lue devia dar A
14.
Proe rs --iHoje, pelas 6 horas da tarde,
teaA lugar, enm Oinda, a trasladago da image
do Senhor dos Passos do e -cento do Carmo para a
86, ,.m chari-ola ; e amaaha, as 4 horas da tarde,
0 regresso da mnesma image da 66 para o con-
veato do Cartno, em solemne prociss;o.
Tambem, nesta eidade: tera lugar amanah' a
procissao do Sr. dos Martysios, sahindo da res-
pectiva igreja.
Bibliotheca da Faculdade de Di-
reito.-Darante os mezes de janairo e fevereiro
esta bibliotheca Lfoui frequentada por 6 L leitoies,
sendo 20 em janeiro c 41 em fevereiro.
As obras eousultadas foram : 4 de legislaco, 7
de diroito roinino, 3 de direito civil ,2 de direito
criminal, 2 de historic do direito. 1 de sciencia daa
finaunas, 7 de direito administrative e 3 "de (fireito
ecclesiastic.
A bibliutheca recebe o Diario Oqfficial, as folhas
da proviacia e os Annaee da Camara dos Deputa-
dos e d) Senado. ,
TuRs'buleat. --No diaIcdo. @ez find,), um
individuo doe norne Pedro: amello tvalcante ap-
parecendo no povoado de TmamaaIar6,do Rio For-
nmozo, armado de pistojAe faoao pintou a :manta.
A qtiantods ccootravi amcagava.e insultava.
Preveoil..' o i.i:peotor (do lugar, dirigio-se ao
turbuleuto e poiio-Ibe que a ratirasse afiim do.
Svitar algun conflieto.
0 prudlente cwiiilho do in-3p actor nio f)i atten-
di.ilo pi-o deso;d.leiro, qoae dispiron a pistoia sobre
un colimpanili5it) d'a'Ijuulc, quo; pod. esviar-so do
carga.
Em acto coariano dirigio-se Pedro ao inspector
e eoin o facto fez iii; 5 forimintos.
AccudiraLn diversas ,xssoas d'alli que coanse-
guindo provider ao crininosu, e recollih'ram a for -
tLa(l'za do Tamaudar6, onde o (leixaram scm senti-
is!a p:,r ousiderar seguri ,t p-isao.
',) dina si'guinte, poren, Jo, Canci,) Cavxi;anu-
te (in coinp.nhia d's um preto Ilborto de no)te JC-
ronymo foramn a fortaleza amrombaram a prisae e
derain fuga :io preoso.
0 r'lpectivo deleg..0o tomn,,u conisecimoento do
facO ; e precede nos tornos da lei.
iunq1ueAi4o policial 0 Dr. delegado do 10
ditricto da capital, Francisco Angusto da F!m-
seca o Silva, re:netteu hliItemi ao Dr. juiz de di-
ifeio do 2, listricto criminal, o inquerito policial
a quo procede, contra Jolo Loiz de Oliveira, co-
nhecido por Z:nmba, p1lo facto do esmagameirnnto do
menor PFra.icico Pint- de Al.ucila Gueor'a, o equal
teve lugar no din 8 do corrento, na rua do Mlar-
cilio Dias.
BtIcuiai.i. .ociaa Ha hije as seguin-
t;es :
Do Conqrcso Litterario Scizntifico, is 4 horas
da tarde, na run do Barao d \ icttOria n. 58.
Dos Cavatlheiros da Crv. : is 7 hi)ris d', naiite
cm sesaso de finanus, na tespectiva sede.
D) Coracdo Liure e Popular, as 6 1/2 hIras da
t-',r, na ratt da Penha.ii n. 5, erai congress.
Do Club Commercial Euterp)e, as 7 horns da
noite, emin sessao de posse.
Do Club Libertader Ferreir1 Franga, As 11 ho-
rns do d,, no 30 aniar d, predio n. 3 da rua da
Aurora.
Villa cie Qaipap&-.E?.creve o nossocor-
responddti Wkmn 9 do corrente :
STemos deOxisadlo d corrigir euganos dc i.n-
presio ein alguinmas do noss.is mnissivas, pofque
o leitor podermi suppril-os; rnas nao podemos
deixar passar os que vein na do Diario de 6 :
a Sao us seguintes : ia 2 column, 4 period
lia-se--inprnusario-e hno miprezario ; no 50
period leia-sec-lucrava 520 rs. a, nao lucra'ra;
no 6 periodo leia-se a vida interna--e nao in-
teirfa ; no 9 periodoinfjine leia-se mnas lemos ul-
ti mamente qu.osSrs. BiltarlrtImaosreceweram d'alli
100 saccos de feijiao. Quanto custmn o genero em
Santa Catharina? quanto pagou de frete ate Pr-
nambueo?.; no 11 period leia-se--quem qui-
zesse c~mpr~r-e nao quizer comprar ; no 170 pe-
riodo, no fus, tinsamos escripto-severo estudo-
e sahio serene estudo. Querem os dignos typo-
graphos qua os deputados sejam serenos, vigilan-
tes, no cstud+ das financas provineiaes ? noa ou
tros tambem odesejamosepodemos espera.r alguma
cuusa porqu's este anno termina a actual legisla..
turn e todos h-0 de ser vigilantes sa quizerem
obtcr novo mandate.


Agora, duas palavram ao digiio college de Ala-
goa de Baixo, a quem comprimentamos, e cnja
flta jA se sentia 4eate+ Diario. D -
Disse ocollega eo au''i Sva de25 de fever
reiro estampada no D' oQe. hontem : Alim
desse nova her6a (6, ulu.iuriaoso) tern chegado
outros dos lados de Quipapa, .Altinbo, etc. ,
De Altinho, nao duvidamos que as haja IA, mas
se algum .se inculcou ser 4e Quipap'6, 6 uaa es-
tratagema para fugir a pesquiza das autorilia-
des do lugar onde praticou o coime.
a Dizemol-o assim porque nm pouco ao nordeste
do college ha outro Veitao cuja 6gide esfarrapada,
sabce-se que estA abrigando 4 ou 5 criminosos de
morto que se evadiram na perpetracao dos crimes
occotridbs em S. Benedicto deste term.
SFelizmenteoi.,.aassey.ao do eollega abona a
nossa terra onde "io "i a Veioes,essss essoas
sagradas em quo se, respeita o noli me tangere, e
pira fazer c6ro cof'a o 4itItga direaos: emquanto
existirems esans; a s-us arA uw-
birrado, o j gi rlI a o do, a l, a noasa
rehigiloa uma ')jritbo eS civlla, ei'Vi # .prbgrp-
diri. i :.. e"' pr; ogre-"
.Ainda eiaf..no sem ie 4huva. A p"lbo ad pe-
tendam fluviaW s'e S., Exc. o Diocesana. eom-
maundoU aois p nohos no as valeu. A cana 6
de aaphixiai. Miseieotdia bomDeus!
SHa fontesaesta matas q foram pempre pe-.
ennes ; h: hoj espe-secomo no sert"
se faz, que junte gu s agua pars seo pa
n ha r g t1'1 a 1^1. e- \ 11
Ora, se-as estamos aem &havas dede, o pe
de agos.to, por .aim dizer -
!U".a part qu ,ultimsmanoxte, diqpaconW-
eaorms no Recife teve a crioeidade dee
ia "omp Lmpatnt d dade Ii 4&
,In* a- e o do prolougamento at :r

0 peasso.da iuha ift uaie -


nifestar por sun ve o qaepnsam acerca dessi
quest, que tanto tea coneorrido para o atraz
doS agricistores } elfltiUndo qua opinilo riatiava-
wente ao mAde -pof que dev4a water oksulhi ,ola.
Iao, sern ab:do dos iuteres-es secia8s, fiaando ris
cado da estatistica brasileira o n me7--. 'ravq
-p ar weoipas gors hiiime 6 -ft
figaura na hiastoria das afSies3 civilisadas coma ,
de uin povo adiantado no progress e civilisaco
As mnedidas que pareeem do" maior urgeneia
agrieultores deste muniempio so asnue vaio ins-
criptas no memorial junto e arealisago "deltas
trarA, certatmente, vantagens par a boa- direct(
dos negoeios do Estado.
( Exins. Srs.-O es tailo em quo se acha a Na.
Iao Brasileira s.ige o desenviolvimento d' maaio
aetividade e patriotismo em prol do psz; a agri
cultura, foute de grande riquoza, nao epebendo
as favored do que 6 mcreeedora, ficarA -kdusida a
mma triste cndicao : o desanimno vai aniquitand
oas agrieultores; 6 doloroso o estado em que as(
acha a maior part delles, nesta e eia outras pro-
vineias do i seriom, sem recurnso, ser redito e
sein mai-, pIra o trabalho.
SOs signatrios dosta, representaadoa direc-
tori I d:c Asso iaco e am signatiloa s-dodacmorial
junt'), ussociados para estabelleWer 10W protec-
9>io re'iproca, coino 'uio de coneorrtipara c
aliivio de tanto inals que affligemrn a adticultura,
neste e em outros muneipios, appeliam'para Os
sfmtimeiut,s da patriotism- dos Represeutantes da
Naciao e espori-ua quo su-s reclama95oes sero atten-
didas. v
0 in-;njrial 6 nos segaintes termos: ;
S1o Exi-ince-Io da ecravidao no praso de 5 an-
nos. ficaiho acabada a 'ibartacilo for.ada e ex
tictts os(, :,n1:, stos, quo0 Consttaemo0 o fund de
eiartueipaca'i.
o 20 Un-c lei do, loca,:lo de servipos agricoias e
cri:d.-d:igeo, garanti.lora dos dircitos dos loeatariqs
e loc;ulsi-a, it.'radia a'lei d- 15 dovmaruo de 187j
lue uno p'oei-he os fimua a que foi destinada.
o 3o Malta severe para os ailiciadores dos loea-
d;)rs3 ul ss-srvicos, paga nIa cadci;a quiando os alih-
ciidores Ilo teuihain bn,'.
4e U.-s ''i para center a vagabundagam, coan
o syte1tna )1 nit,%,eki'o; ceear.Io-se tribunaes cor-
reccionaes paira o julgainento dos crimes de po-
quena gir.cviade, reprimindo-soso a ociosidado c
obro.-an.- .-s : -)s !i :rt;o e livrns ao trabalho.
S5' Creo.-ao de un.a bsae'), co:n caixas filias.s
e:n todas as provineias do imporio, coin obrigaqIo
do fLizpr epoestirnos : lavouira : juros de 6 o
ao ann.) c )n amncrtisaca;o t-cnbim do 6 %.
G MH)iifica;seo das tarifits das estradas do
frrio, estautblecendo-se umi ceorta propo-iu coin
rclaclo ao varlor das iaorcidorias, do snoo que
facilito-sA o sua0sporte e anime-se as cereaes;
scendo aug-mentadl o im.post) de importaibo de
iguaes prodnctos.
S7o Reduccao dos imp) tos de exportac'o do)s
produetos inacionaes.
"(8o Umac lci creando policia rural por distrie-
tos.
9o Altenraca) do dacrsto- de 7 de julho de
1882, na part! qun so refer,s an fa'to dos fructos
da lavoura, pa:i', sereon 'ptid6s a os delinqueates
coin pcnas de 28 ; '-6 di''de prison e multa, por
meio de process, policial, corna recurso ex-officio
par:a (t liiZcS d.'dirit) e sempre considerados
crisis publieos.
( 10 Uns lei qu3 determiuse um premio para
as quc por iniciativa propria, scum garantia do
jure0., construirefis fabricas centraes, sendo livres
do imiposto de inmportaVcao us materials necessaries
paira ease's fabrics.
x 11 Creacao de caixas economics.
Os agricultores queo comparecerain se aehamni
oossuados da esperanca de quea o Poder Lagila.
tivo, ouyindo ,s reelaman5es da agricultural, se
tornara active em procurar soeus melhoramnustos.
Maito satisfez o modo unido por que se
apresentaram os agricultores, nao se faHaoda em
political e send as diseussSis calmas oe.respei-
tosas. ,'
Foi mareada a 2a dominga do mez 'de ibril
para a rouiiao ordinaria deste mez.
Franuoi, sua dagem a Africa-Mi-
lio, 8 de feoereiro -Traduzimos da Perseveran _a:
o 0 Sr. Frausoi teve hontem, no theatre Mila-
nez, urea interessante conferencia sobre a sua
viagem d Africa.
0 0 palco ostava quasi todo occupado par va-
rios jornalistas.
0 Sr. Fransoi ao apresentar-se foirecebido
corn estroadosos applausos, beun coma o .seu fide
Achate, coma elle o chama o sympathize negro
Wolan Mariam, a quem fez elle sentar se a es-
querda da banqisinha. .
-fiSem reeomsnendaSes ofliciaes, e domjpoucos
recerso; Fransoi doiAoua Itali a em janeiri do
1881, dirigindo-se a Abyssinia, depois ao Scia, e
d'alii coma o rei Menelik aos territories dos Gal-
l *u. : .-
, !O apfarecimento d'um branco na Abysfiimia 6
saudada como um beneficio, comquanrtd sr Jahe pa-
geo .e4ois ao modo mais cruel. 0 branco e" param
aquelios fuovos um medico, uns pharusaceutico e
um hlveitar; deve saber curar oas enfermos, dat-;
Ihes remeedios e curar os cavallos.


a Fransoi contour que, paralivrar se dos insisa-
teutes tedious, e mesnmo das ameaas d'aquella gea-
te, teye do manipular pilulas, compostas de cebo-
las t6rradas, de flores seceas, eorm folhas tritnra-
das, que elle distribuia -depois come remedies po-
deroaissimos. -Administrava-as em doses mui pe-
quenaaafim de ao fazerem mal, e desta maneira
proseguia a sua viagem.
,A "pphtamia d muito commam na Abyssinia,
attexita a gei,porea i ga, Qtara este mual ileae
ipitav.a .a .deitar ktegoftas d'agda fria no olho
dos afftecfados. X|4L |thiipi4 6 tambo L
toudiffqisa.a opitepL(, 6
unmanhosol,? sresoe adr&;,Aua* diverte a atot-
Insmtar o brancos" que ieputmn turcos e renegi-
dos.
a Narrow as several punigoes infligidas aos cri
minos6s. A' quem f.lla *do rei se eorta-a lia-
gua; Aquem6sen -i.mosa .a CAg aos olhos
e se confiscam -os tbens'. Aos ladre eo certain
)asptfe astusa -O 1'M$Ss c-irwg*s sas- VX-
>edltas e seguras, que m*,id4o exeeita promp.
tameute. Os JadWoes ao qis axpoqtos por Cin-
ohofras e niagzem*pode litW'"r occoro, sob
Ypop di~oreiera wesrna pen&
bi Oemyioa go.ta 44. de dam co.
--A, a a 6 .e .as d a w -'T e n6 fariam
.Wsarmu .I -l,-:^ .^ .


Anh~:
Hjrgente Slveira, A
.26, de predloa.
C~gate A. GU r*

e e PestSfa dia," -
VIrle n. 1
tate Gusmad
Marquez de Oliadsn. 13, de objoetos de alab&as-
tro, marmore, etc,
n- Stbba : : .. :
PdeoageeW8into is IAsi 'hiras,I' Irun dir BRm
Jesus n. 49, de morei, Qjoas, etc.

eoap hiaa0PTernaaibaeana, de fardos de estopa.
Sa # anet4sres-Serio celebftdas
v'- Hoje :
A's 7 horas, na matriz do Moateiro, pela alma
de Raul do Lemas Bastos; as 7 1/2 bhuras, na 'a'
dre de Dens, pir alma de D. Joaquiua Libor
ostai as8horas nanIatriz aa Boa-Vista por
alma do RaUm d&Lemos Bastes ; as 6 1/2 horas,
na igreja daranta Crag, por aOma de 'D.f Maria
Villela de Queiroz Cabral.
Amanhi:
A's 8 horas na matriz do Corpo Santo, por al:n't
de Jol,) Riboiro L)pes.
Sabbado :
A's 7 1/2 horns, na capUlla do Cixaagmt, pr al-
ma de Antonio Martins Coimbra; ais 7 haras, na
ordem tereirny de S. Frincisco," pj; alma de A.
MXriada onaeieio Silva Maehadcb ; is 8 horas,
*a matris deG-tnelleira, pr alma do Juvencio
Vaz de Uarvalho.
Ope,'44e.m cirurgicas--Foram pratica
das no hospiti-fPedro II no dia 11 do c-orrente as
segtinit/" :':::.
BOW tD. e.,Tvalias;
,Exe-i". belo thermo cauterio de canero ulcc--
rad4-doa. 6t.f.rior.
riaMP8li excis-; x o polo tlherin cauterio.
Po 1&'Bei'ado :
Taris^^T aii& e excislo ovalar da clle da pal-
pabra;*recl:uinada pur eutropio.
Pa ;irm s-Chogados dos portos do sul
.no vapot'--.aciohal ard:
DrnXi do. Fausto do Souza, D:. Olyanpio
Caminla,;bacharel Pliunio Franklin do Amnaral,
Joio Nogueira Jaguaribe, Carlos Castro da Gra-
1a, Paudl:'n) Soares de boi, Julio Hugo, ,Joo Ma -
riano ue Oliveira, Hermenegildo Rodrigues Bar-
ros, Antosio-de Aiencar, Rodrigo Olavo de Mene-
zes, Pram ico Marcondo do Andrade, Antonio
Cardoso Gusmno, Francisco Joaquim da icclci,
Carlos Farani, Antonio de Aleuac'stro de Arauji,
Antonio Motta da Stlveira, Carios Tuliry, Alberto
Nivaw, Uiysses F iUMcisco Mcliado, Jolo Antonio
Riboiro, Jo6 dos.Santos, Dr. Hentique da Silva,
Dr. Auignsto do Faria, Dr. KIa.o-l da Silva L-
nLm, De. Aristides- d- Queiroz, sua mulher, 4 filhos
e 1 criajL, Maxiin!iiu (le Qiciroz, Arsonio da Sil-
va Gunmio,, Hoouriquc Ferraz, Ednardo Oerqoeira,
Jose Alves Requiuo, Carlos Chcrmond, Francisco
Gonualves Martins, Felix Gaspar, Silvcstre Ame-
rico do Farias, Maioel D. de Souza, Eduardo
Carlo-i dc Brito, Antonio Candido de Araujo,
Fr.',caico de Paula Araujo, Francisco dt Silva
Pimneatel, Francisco Bulcao Vianna, Juvenal da
Silva Porto, BJmrnardino do Souza Vasconceilos,
Jos6 Gouonaives TourinhoAmrnerico Jose de S:muza,
Francisco Calmon Vianna, Pedro Eustaquio Por-
t), Juvino Baptista Leitaio, Antonio (Carlos S.
Dauwas e 1 criado, Joao Jos6 de Olivcira Jan-
queira e 1 criado, Jos6 Seratim de Farias, Jos0
Juliju'i,'a Ayres, Elcodono Cavalcauto, Alex,-s -
dre Bittenourt, Antonio Buleao, Affionso de Cas-
tro Rabeklo, Manool Pereira da Rocha, Augusto
Vaz Ferreira, Julio Jos6 de Brito, MIanuo:l Pedro
Vilhaboin, Guilherme de Souza Moreira, Francis
co Xavier Lima, Joaquim Dias de Limai, Abilio
P,'ruira da Silva, Bmnifacio d'Araujo Farias, Ma-
wiel da Silva Pimenoa, NieolAo Toleutiao dos San-
toss, Eduardo Luliz Vieira, Jose Mathias Silva
Junior, Belisario daCosti. Mello, Fabriciano dos
Santos, Eurico Caldas da Brito, Diogo FAlcio
Paim, Jos6 Gomes do Carvalho, Pedro Joqiquin
dos Santos, Manool de Vasconcellos, Affonso Pe
dro, Adolpho Baulej, Dr. Porfirio Barreto, sua nmu
Ihor e 3 criados, Ana de Aguiar, Maria A. do
Aguiar, Manoel de Souza Rom'o, LadislAo Pe-
reira da Costa, Theodore Braack. Napolelo Gon-
larde, Jose Paulino Filho, Alfredo Alves Souza
Lobo, Argemiro Barroso, flmjamin Pereira do
Oarmo, Jose Cutrim, Amerjc9 Firmino Moraes,
A^ntonio Joaquim Viannft Alipio Magalhbes, Li-
pus Rodrignes, Manoel[Alenear Guimaries, An-
tjnio Bourzhesi,- hfranqseb Antonio Duaite, Eus-
fiqumo Gama Filho, Do0ingos Lauria, Hem-ique
ie.Carvalho .GaSptr de Andrade, Wenceslao Josh
3aptista, Joa anitdes, Francisco. Mendes da
lFrseca, r edro Dantas Barreto, Feliciano Tabo-
baJ.a. Nures Leite, Antonio Lnzio, Henrique
pomes, Jos6 Nunes Guimaraes, Julio Rolberto
luumlope, immigrants Oscar, Carle Esehrich e
Jphann. Carl Eschrich.
ahidos para 4os portos do norte no va-
pe..nacional Pard :
'snselheiro Manoel Tertuliano Thomaz Henri-
t(UQS, Adolpho Aecioli, Feliciano Jose Henrique,
ioa Cardozo Ayres, Vicente Silva, Joao Domin-
ga-es dos Santos, Minervmna Olympia de Albu.
qnerque Lima .e 1 caiada, commendador Silvino
Elvidio Carneiro da Ciinha, Antonio Hortencio


abral, eommecndadom Jogo Raymundo dos Reis i e
1Liriadoa Joo Rticardo. Martins Ferreira, FrTn.-, i
eisco Nunes Leite, Francisco do Souza, E. do F.,
gueiredo, Bento Borges da Fonseca Filho, Manoel
dos Passos Oliveira Telles, E. B, English, Joe
Squitinio, Primitiva Constantina das Neves, Joao -]
Antonio da Frota, Braz Brando. Jogo Bagglano,
Braz, Joao e Jos6 amoglia, Jos6 Ferreira eo 1 fi -
Iho, Rosa Maimana, Biozi Farcille, Manoel Moraos
Galvao, Francisco Beffano, Carlos Escberichi, '
Guilhermina -Reis, Jose Ferreira dos Sant-s, Emil
Wichmann, alferes Felippe Benicio de Castro e
silva, sua senhora, 4 filhos e '1 criada.
Xoteria da pr-ovineia. Sabbado, 14
do eorrente, se extrahirA a lotoria n. 1.11, -em be-
i;ficio da igreja do S. Miguel dos Affogados, 'i
(pelo novo plan-i.approvado), no eonsistorio da
igreja de Nossa Senhora da Conceigo dos Milita-
res, ondo se acharIo expostas as urnas e as es-
pheras arrumadas em ordem numeric A apre-
aglo do um0blico.


Loteria do Qram-Par& Esta loteria,
eujo premio 'maior 6 de W0:0001000, serA extrahi-
di no dia 2 le abril proximo vindouro.
Bilhetes A vends na Casa da Fortuna, run 1#
deo Mkrqo n. 28.
Grande loteria de Nithaeroy-Esta lo-
t~nia, cajo premio grande 6 de 4oW0000*O00, seri
cxtrahida ano dia 11 do abirp nIpax. io adouro.
Shetes i veada na Csa da Fortuna, A rua I,

Loterla da Parabyba-Os bilhatos des-
tasloteriwacham-se A venda A rua do Cabuga.n.

JItfttia da Veara-Eata loteria sera ex-
A'hida impreterivelmente no dia 14 de o 1man.
Seo I t na Casada Fortna, ,

,Estaslotemsia no,
a, rns impaeterivelzmente
nas Csa :ells
q59.
iA.Aoaw, =I,-


(lanie er~l9k^^. ~ e
saino a R600"604 a i
Carmeiro a ie
'arinha do & --A00at&Sgm
filfho do 480, ,y 80 rkis -a ci
F'eijibo de 800 a 500 rs. id-m.
Fliwam occupados:
A40 Wtlhos de cane -verde.
18 ditos de suaio. -
8 ditos de fressuras.


*fart^'e eoiiidas.
8 dits do regumers.
Desveter sido arreeadada neste, din a impor-
tanciade 1621920.
CeiiteriopuablIic,. E--Obituario do din 7
do mar9o :
Anna Claudina c'e Froitas, Portugal, 60 annos,
casada, S. Jose; cachexia.
Jos6, Pernambuco, 1 1/2 mez, Boa-Vista ; en-
terite.
Maria, Pernambuco, 3 mezes, Graga ; tutano.
Manoel Jose dos Santos Barroea, Pernambuco,
casado, 59 annos, casado, Santo Antonio ; beriberi.
2 Pela cariLdade.
-.8 --
Manoel Joaquim Ferraz, Perntmbuco, 30 auas,
soltoiro, Graa ; cachexia.
Joao, Pernauwoaxx, 4 iaezecs, S. Jo.e ; convul-
Maria Isabel, Pernambaco, 3 mezes, Boa Vista;
gastro interite.
JosA, Pernambuco, 3 aueos, Santo Antonio;
brouchite.
Juao, Pernanbuco, 6 dins, Bja~-Vista; espa.mno.
Joanna Maria da Concei;.Io, Pernambuco, 32
annos, solteir%, Boa Vista ; tubarculo pulmonar.
SJoao Bernardo dos Santos, Pernainbuco, 33
annos, ctsado, Boa-Vista ; brouchlitie.
Joanna Baotista, Pernamnbaco, 60 am,3os, viuva,
Boa-Vista ; dilata^So da orta.
Antonia Isabel da Silva, Pcrmnanbuc), 55 anUos,
casada, Po~o ; anearisma.
3 Pola carid.tde.
9 --
Olympia Pachleco de Farias, Peranamnbuco, 11
aruos, solteira, Poo ; febre ainarellt:..
Aitounio Martins Coimibra, Portugal, 16 annos,
,o!teiro, Varzea : febre amarella.
Petronilla, Pernambuco, 9 mnezs, Popc ; c&n-
vnlsOes.
Mauo'e, P r ambil%, 9 IazQs, Boa-Vista
inani9ao congonita.
Firmiano Jose oo Nasci:nento, Pernambuco, 45
annossoitebirB, to -Vista ;-brochite.
Maria Joaqaina do Espirito-Saato, Pa ahyba,
52 a.nmos, viuva, 13Ba-Vista; tubci ulu pulnonar.
Marni, Pernambuco, 40 dias, Santo Antonio;
OsDasmno.
Maria, Pernunbaco, 6 muez s, S. Jose ; cntiterito.
Maria da Coneeieao Silva Ma.chaaco, I'ernaml)bu-
c-, 55 annos, Afogj:idos ; enterite chronica.
Manoel Antonio Jov)o do Carva ho, Pcrnamibu-
co, 3: anuos, solteiro, Rcfite ; febre ecr:)-barat.
ZL.feino Jos6 da SiL'a, Pernambuco, 32 aiii,,
siteiro, S. Jose; paitecinitos 'chronico&.
4 Pela ciridAde.
10 -
Maria, Pernambuco, 3 -.riuos, Boa-Vista ; gas-
tro nterite.
Arthur, Pernambuco, 3 mezes, Santo Antonio ;
entero colite.
Liboratiln.. Maria Ca Conceisoo, Pernambuco,
35 aunos, casada, Recife ; tysica.
Antonio Angusto Pereira Gornes, P 'rnambuaco
29 annos, so:Beiro, Boa-Vista ; febre.
Rosa, Pernainbuco, 7 miezes, S. Jose ; cong'stao
Francisco Jos6 do Amparo, Pernambuco, 40
anno,, casado. Graca. diarhea-
Francisco Pereira de Azevedo, Pernambuco, 24
iinos, soltei:o, Boa-Vista ferida penetrate.
Jo.1o Goini.s Piaheiro, Pernambuco, 18 an1os,
Boa-Vista ; tuborculo pulionar.
Manoel Bozerrt dos Santos, Feriiawbuco, 1S
annos, solteiro, Boa-Vista ; anemia.
Joao Rodrirues da Silva, Bahia, 57 annos, s:)!-
teiro, Boa-Vista ; anemia.
Etelvin,., Pernambuco, 15 dias, S. Jose ; diar-
rhea.
Antonia, Pernamnbuco, 1 dia, S. Jose ; eatarro
suffocante.
Luiz Ferreira da Silva, Pernambuco, 26 annos,
casado, Boa-Vista ; tuborculo puluonar.
Francelina Catharina de Sena Mello, Pernam-
buco, 20 annos, satteira, Santo Antonio; hemoptyso.
Francisca Pernambuco, Boa-Vista; ao nascer.
Hermilinda, Pernaubuco, 11/2, auno Boa-Vista;
.anemia.
7 Pela caridade.


a tiif bt.


INDICACOES UTEIS

Iedieom
onmultorlo meilico-cirur-ico do Dr
Pedro de Attahyde Loboe Moscoo a
rua da Giloria a. 39.
0 doutor foscozo da consultas todos os
Aias uteis, das 7 As 10 horas da manhi.
E:te consuitorio offerece a commodida..
Ae de poder cada dcloente ser ouvido e exa-
minado, sem ser presenciado por outro
De meio dia As 3horas da tarde serA o
Dr. Moscozo encontrado no torrelo A pra-
ga do Comramereio, onde fincciona a ms-
pec9o de saAde do porto. Para qualquer
d'estes dous pontos poderlo ser dirigidos
os chamados por carta nas indicadas horas.
Dr. Barretto Sampaio, do volta de sua
viagem ao CearA, da consultas do 1 As 4
horas da tarde na rua do Bario da Victo-
ria n. 45, 2.0 andar; residencia, rua de
Riachuelo n. 17, oanto da rua dos Pires.
Dr. Leonardo de Albuquerque Caval-
cante, medico da Faculdade de Paris, p6de
saer procurado em seu consultorio, rua do
Marquez de Olinda (antiga da Cadeia) n.
52, 1.o andar, das 11 ., 3 4d. ,atdp e em
sua resideneia--rua da Imperatriz n. '7, 2.0
andar. Chamados por escripto a qualquer
biora. -


Br, MA t. I* pfrotb liO 4a ca-
.pital teniieu eseriptormo4e-adv~oaoia,v arua
d iperado n. '22 .de, ser sm C:
radopara anMiraa^ ia *'}o
Dr. Aarn. adv.ado, -ra ,.hom' aira
,cor u. -8V'0ts 9%ihor-4,m6^IaanlS &'14-
dras da Ds9bmdann~ II
Sitador de ausa
s auditsiwe dLe i.- e a,2. instances. Rua
de -Felippe' 3un~Ao a.- -49.


EfW^ depwi*iios dos j xlem Is 'em ao deC0atala- de .Paris -22 rua



Btt'O I ebtaeclmhento fndado 4esde
encoetra-se os prodtutos chimicos,
tiat, oleos, piw vemies das
wl10 rcar ;t4amAi 9 '4ades
b" piaeiiutieas Ados legitimos autores, um
"xwoS .firwitptf do fuadas e agnas mi-
g|||(",^ esgua "jmti"d Burg.
avie-e prodmn especiaes da F'lora Bra-
:-:-Bus d de.B



04 .'q u -'^ po
*Ippk^^ullfl a epez a Oidis n.:O 4faa1.


A- ~wwa er iwbs *raba
TealB IiiAdoos os4w*wptos ultimamente ptk-
ail es, do. e-vae outro lado, sob diversos pontoon
de vista, aeerca do assucar ; product que, cow
se sabe constitue o principio vital da nossa pro -
vincia e talvez ,nesmo o de todo o norte do impe-
rio.
A caltura da beterraba occupa principalmente
a attenglo de todos os interessados, porque conhe-
Ceam que a crise, cm que se acha actualminente en-
volvida a iadustria assucareira, e aluta entire a
beterraba e a caua.
E' urn engano ponsar que, para rear um estado
normal, sjia necessario que uma cultural mate a
outra. E assim como duas grandes naoes podem
be.n viver em paz uma junto da outra, da mesma
forman a cana pode florcscer ao p6 da beteoraba.
E' necesmario, poreu. em ambos oS casos, a exis-
tencia de uma equilibria de forgas.
Na uIta ein que uos achamos aetualmente, a
canai se tern m: strado mais fraca do que a suna ri-
val --a beterraba.
Os partidarios daquella estilo quasi A dcixar it


espingaria o A proclamar victorinosa a bmt,-rr-Yba.
nao obstante estaremn todos convencidos que, benm
conduzida a cana, pode ella triumphar da sua fe-
liz adver-aria.
Muitos temn sido os eAforcos fitos por part l dos
plautadores da csna par: melhorar a industrial,
purein as :asios applicdos sio, na sun maiorparte,
inril eseolhidos.
Se sii;tn na sVo derrota ctllir i :gu crr;i, o que
so m- j.\xcrdito deirutaJo ? Diq-.s-hia que era urn
t6bt ....
Nteo peor 13, a is.?t adus.naI dit cana tern tfei-
to o :nesmo !
S'-bn ; s o anosso paiz, em lugniar (e pedir couse-
lhms e imitar (,s elgenlios di Demerarau, Cabas
G-uadloupo etc., qijacS A) vOneidos, proeurasse a
unica escola quo tenu provado saber mais que as
Outras, a AIlet anh diifrontcs scrianm Os seus h-
iso- tL .
E' piri ahii que, oean p-rs., dct tempo, -.A, deve
olhsar ; coin elL quo dvo apr-:nder tu.Io quanta
for mister, para 5s ieaicr supplauta'o na tuta.
;Sc, pes-osuat;;r--io.3-hiao: qua :s as raz6es da
-ipcriocidw' d'sU-Allmaubanlia isdustria amih'srina i
Qt,'sacs as ipu.lid.(kods qu12 ella te.n, c quies as silu
mos faltamn ? A canai que possniucns, vale, com
e: rtoza, :ms:cUo r.liis qua uma batata, dec cheiro ate
0tifinsivo.
ia islitos (tJ1u qlereo:n oxplicar a ssuperioridade
da Allras.asls. ucoan a protceo do govariio. Essa
protection exist, na verdade, inas nao da maneira
porqua p-insanm aqMu'lls.
0 -;. Wires) so-) proterg s aos qi-,; nereeenm, cs on-
gouelhos quac rao progridein e neion tiramn 9 per 0,
d(i assucear de beterraba (e quimants dos nossos en-
genhos conseguem isto ?) nao gozans de vantage
alguma, ants pemdemn coin P. apregoada protei-ao
do governor.
Expliquemoa por aigarismus o system allemio.
Os engoiiho pagam um imposto do 16 m narcos
p-sr caola tosiclada de obatata quo p:assa pela minoen-
da. Este imposto 6 s6 de consume, e nestas cir-
cuinstancias 6 restitnido logo que o engenho ex-
porta o seu product.
Calculou-se entao, que 11 1/4 toneladas de be-
terraba devcriam render uma tonelada de assu-
car. Deste modo o governor restitue ao engenho,
por cada umna tonclada exportada, o valor do im-
pasto pago sobre 111/4 toneladas de beterraba.
Por exemplio : o engenho moe 12 1/4 toneladas
e paga 180 marcos do imposto.
Destas 111/4 toneladas fazendo 1 tonel. de as-
sucar e exportando-o, o governor devolve ao enge-
nho 180 marcos equivalentes ao impasto de 11 1/4
toneladas de beterraba a 16 marcos cads uma.
At6 este ponto na'o ha proteccaio, ningu im lucra,
ninguem perde.
Ein pouco tempo, porcm, a sciencia cnsiniou ao
f'abricance fazer uia tonelada de assucar de 10
toneladas de beterraba. Elle continuous a pagar
16 marcos de imposto por tonelada de beterraba, ou
160 marcos por 10 toneladas, mas exportando estas
10 toneladas, reduzidas a uma tonelada de assu-
car, o gbverno restitue 180 marcos, celculando
que a fabric empregou 11 1/4 toneladas para fa-
zer uma de assucar. JA existem fabrics que fa-


zem uma tonelada de assucar de 8 de beterraba,
luerando assim o fabricante 52 marcos por 1,000
kil. de assucar on cerca de 450 -reis por arroba.
Como se v6, este lucro 6 devido, em primeiro
lugar, a sciencia applicada A fabrieaciao, e, s6 em
segundo lugar, A prote6clo do governor. E' a
sciencia que tern desenvolvido todos os ramos des-
ta poderosa industrial, sem -squecer a economic,
tanto na fabricagao mo na agriculture.
Desde muito xeutheceu a Allemanha, que o ti-
tulo de agricultor Mnao estA em se ter nascido no
mato. A agriculture actual 6 uma sciencia como
outra qualquer ; nao consiste somente nos traba-
Ihos necessarios Ais sementeiras e colheitas, mas
tambem em lazer comprehender o grao de efficacia
does multiplos Veoessoa, eem provocar o aper-
fei^mento de1 rtateilki"Vije &fl Bei66i8 I u*-
xiliRre4jpAA~o_4ftiprr& deftoftfir. .
Ninguem nascewsabeido ; o artists hadeuso pri-
meiro arendiz, como o home da sciencia hade
aer estudate,.
iEntre n6s, por6m, ummoo que herda umenge-
o j d -Bll logo -" a grqlto6r distmoto, mear o
quando ao tenha v~ito nuneaa aas wipda. ,So
igpqmrncia 4, inmf wepte e quasi le mpre, ape-
panuhaada de. alministraoes defeituosaa, e s6 a pra
tie. mais ou meuos prolougada lhe traz conhae-
eimentos rotineiros. Desta forma nao se va
adiante.
Cegos e obstinados, algao julgam at ser-cousa
de grande merecimeato oservar o ea go
mesmo Igigar e eotado em qne sAi O
zar de todos p seus reconhecids 4i :
Na MulsMes,,-ue.!
Medicine, dieio, etc. g: aue- i-
estudaute do agriculturt ?, i.,' loi -
aciencia agricola qpposdamalt.rA*0 4.-
E' uma infeli'idade, u,-
qualquer prgmoesao, o
culters, corn ewtido,:
do seu trabalho. Dizemeus t&dw
essas contas dearrosaMnn
peetivas qnghnois,amUt
Taods peufr, s-ie' a,

esleulo, todeo sabebo ~de
nbb sabe-in com eacdg


1
J


lit





e todas as boas inteneoes foram arrenmeqadas aos
quatros ventos.
Agora jA se vio habituando aos precos baixos,
auxiliados por novas terras que produaem bata-
tas de 16 e 18 0/0 de renda sacharjna e a idea da
diminuiilAo da produc9CIo nio mais revivcu.
0 que ineumAbe aos nossos agricultores 6 aban-
donar per uma vez o pensamento dqs precos anti-
gos (pequenas alas e baixas de 200 e 300 reis,
que nao levamos em conta) e prepararem-se quan-
to antes para os valores aetuaes por meioe de eco-
nomia, industrial e intelligence, melhorando a ca-
na e applicanJo nafabricaQIo es systems mais
novos e aperfeigoados que houverem.
A nossa provincia gosa aiada de uma vantage
muite gran ole sobre oatros paizes, e vem aser : a
fabricaIo do assucar branco para consume de
quasi todo o Brazil e o da Republica Argentina.
Este consume paga o assucir branco cornm ex-
cesso superior ao sou valor intrinseco. Se o tives-
semos de esp)rtar para Europa, o prego soeria ape-
nas de 2 3 10t1, em quanto vende -se hoje aqui par
3-31.)1 e 3$200.
O m -Ihr ;ssucar ref.fido do bcterraiba venrde-
se na Europa pelo!qmuivalente de 2.300ate 24100,
os nossos agricultores tern desta form uma van-
tagemx de 800 rs. pir arroba, sore a sua rival a-


beterraba.
Se apezar disso, nao poderem latar, a vergonha
e o d-.ce:-.-Ji to scr3o delles e s6mnnte para si.
A uaica vattagem que a Europa tern sobr,.. n6s
6 o capital. Qualqucr-que sejw o melhor.impuento'
que se emprebula, n.io ileisa d. effjctuar-se per
fulta do capital.
Des eo vinteagneultores reunem-se, offerecem
suas terras para a platac7o da botcrriaba, e o eun-
gencho central apresaata se e forucce o capital,
sem o requerimeutop, as garantias do gove rno,
"I eaenheiros fiscaes e, principalr.ente sem es-
A ugaaquae hup-am quasi todos os recur-
', .' Ydesae mover uma s6 pa de terra !...
mN" 1'A pessivel fazer-se o memo eutre n6s ?


.' -"


+I


ira cremos, qua nao.
esoS capitalisatas jA tern mais diaheiro no
PtRP deaejavamn; e o capital egtrangeire
.osee pain nsw as honras da garan-
runo, 9a mos.$ ema quMOtu o eambio con-
Z sum qnaautovigora a ei actual
eo-, ..,.ca.in-. .s6 nossos
,- % .. j 4 ue' -
iS^'^^ .''^ g,1:^* -B BBS0


&.+- _.,. ,fi,.. "M R


i-pk r,, fi -na nehimic' Wd.'pa depois de
-A-'^ e appropvada, usar della em acuas no-
Ss'yA yalhos agriujtooes no as conna-
tiir. ) -obetante, i astimr que se faz na
': t":" A baha conm a balter aba e uao resfa duvida
eana darts 11 e 12 0/0, apsim so estudasse
pcais-a qw-stao- da plan"tnqo a ji esosiha da ee-
ne. 'nete.
To mes onvido diaer, que ha senhoree dt fvugc-
nho q. e lanq.am a melhb-.r cana na moendaei d.i -
xam a peior, a mais pobre, pmirL semente I
Mieton julgam jA a nossa iniustria salvi coin a
iatroduc-aio dos vacuous e turbines. Esses im.:lo-
ramentos vatem per certo alguma causa, mas na,
ao bastante eflicazes, se por ventura nao forem
."-4txiliados por umsa reform intelligence nas plan-
tagyns.
Qaalquer engeonho central lutara c)m muitas
diifnculdades, se os se;ahores de engenho nAo se
sujeitarem nas prescrip ao plantio da cauna.
Na AUiemaaha etipula-se non cont-atos quo as
fabrics fazem corn os agricultores, que estes s6
devem plantar certa especie do batata, em tempo
determinado e em terra adubada corn certo es-
tfume.
Aqui julgar-se-hia isso um desaforo.
Diz-se geralmente : a cana smuito rica, nio
precise de tanta cousa. P6de ser que seja muito
rica, mas nao ha razao para nao ser mais rica
ainda.
Agora algumas palavras sobre os machinismos:
Pode-oee dizer, que na Allemanha nio ha um en-
genaho igual ao outro. Os mais recentes tern sem-
pre melhoramentos sobre os antoriores.
Entre n6s, quando um engenho adquire fima de
render main e fazer born assucar, o estorco d'i am-
biko vai s6mente a ter um igual. Allii, porem,
se diz : Este engenho 6 corn offeito muito bomrn,
mas eu queo melhor ,,.
E' facil comprehender, que n'um paiz, onde se
construe todos os annos certo numero de eagenhos
centuries, cada qual corn sea melhoramento, a ta-
bricaq.1 dos machinismos vai so approirimando da
perfeicao. Aos machinismas aperfeicoados da Al-
lemanha devc incontestavelmente a beterraba uma
grand parte do soeu reconhecido success. Nao
se p6de duvidar, em vista disso, quo slo elles os
melhiores que existem. Algumas das maiores fa-
brieas allemaes procuramn jA explorer as colo-
nias.
A muito importauto fabric de Heckmann, em
Berlin, que construio o bern conhecido engenho
central de Tucuman (Rio da Prata) ofteroce a
nossa proviucma, por annuncios neste Diaria, as
suas machidas e apparelhos.
Attendendo para os resultados dos engenhos
centraes do Brazil e pars os que temrn obtido os da
Allemarna, onde deram, ha poueo tempo, um di-
videndo de 50 atA 100 0/o, e onde ainda polos pre-
9os baixos de hoje lueram 10 e 12 /o, a cscolha
entree machinismos nao sera difficil, para quem
pretender levantar um engenho do novo system.
E' um erro supper que o assucar voltarai aos
preqos antigos e que assim nio so precise fazer
esforccs para melhorar a nossa industria.
E' uma lei natural: que todos os products hbo
de ten por valor medie um preco, quo cubra o cus-
toda producaeio, corn um lucra moderado. Logo
que um product fizer excepeao a regra (e o as-
sucar fez per alguns annos), a produccao sera ta-
manha. que o preco alto foriosa rnente desappa-
Uma vez augmentada alna dos limited lucrati
vos uma cultara, nao se dininue, nem se extingue
tio depressa, come talvez multos pensem.
Ilavendo mesmo vontade do diminuir a produc-
cilo, cada un. espera que seu visinho principle
primeiro, para fundar una grande safra e obter
par ess rn-'io altos preoG-s peha dirninuicio da pro-
ducibo e goral procura do genero.
Em novembro do auno passado os plantadores
de beterrab:i reuniram se em BTrlim para coucor-
dar na dimi'mui~ao-das plantaSoes, mas em quanto
durou a reunmiao houve alta nee preqon do assucar


A socisdade Ave Libertas, por isso, convida so- saltorio ou em casa de sua residencia tines. Preta, em 12 do fevereiro de 1885. Eu
lemnernente A todasn as families residents nesta rudRachuel n. 17, ctodrua dos Quando se emprega para recobrar o Pedro Severe da Costa L-ito, escrivlo o
capital, soem excepq~o d'uina s6, pana assistiremn A ruadeRichel n.P7 cnt dRruod e .-
esse aote summamente moraisador, digno do is Pires. appetite, promoter 1 digest, reparar as escrevi.-Francisco Pothier Rodriges Li-
sentimento e do auxilio de todos os que refoisetern -_ .,._ A
sobre a educaeAo, tao descarada entire n6a, dos whEE E qde Mattos IrmWo, 1 a F. Lauria & C. Cou- Queijos 1 tina a Jose Joaquim, Alves
seus filhos e sobre o futuro material e moral dasi !UDlLT4DiAU ro 1 caixa a M. J. Ribeiro & Q. 1 a Men- & C., 1 a Abrantos & C. -
tres grande ra eres que assentam a asua -- --- --- des Junior & C. Cartas parajogar 2 caixas Tintas 20 barrioas a F. M. da Silva &
tend poertodo o pv fVirmaudo actufsmente uma ,
nagao hecterogenea e de.cahida. Praqa do Rieelfet, 11 de mar4O a A. D. Carneiro Vianna. C., 31 ki Rouquayrol Freres. Tocidos di-
E espera convict o comparecimento do maioer de IS NS Drogas 32 volumes a Francisco Manoel versos 2 volumes A ordem, 2 a Rodrigues
numero possivel, cuja presence importarA no caso As tres horas da tarde da Silva & C. 5 a Faria Sobrinho & C 1 Lima & C., 1 a Narciso Maia & 0., 4 a
una cspecic de sancAio affectiva a grende obhra Jos Antonio dos Santos. Maado & Pereira, 3 a Bernet & C., 2 a
do sentiment e entendimento nacionaes quo vao Cotacoes oJviraes a Js Antonio do Santos. Mahado & Peroira, 3 a Bernet & ., 2 a
evolumndo. Ferragens 1 caixa a A. D. Carneiro Vi- D. P, Wild & C., 4 a Soverino & Irmlo,
Recife, 12 de marco de 1885. Cambi sore o Porto, 90 d/v 175 0/0 doe premi anna. Feltro 1 caixa a Mendos Junior & C. 3 a Cramer Frey & C., 2 a Andrade Lq-
A directoria dn Ave Dibertas. A. Leonardo Rodriguea,
directorial dAve Libertas. Preaidente. Gravatas 1 caixa a F. de Azewedo & C. pes & G., 1 a Ferreira & C., 4 a Monhard
Srs. redactores do Dia de Perambuco.-A M.J. daMtt Leite condengado 10 caixas a H, Nuesoh Hubeer & C., 2 a Emilio Scares, 4 a Luiz
Sirs. redactores do Di-ario de Pemambuco.-A Re',remrio. &9C f4icor s 10 cixas a J. V *r in g 'A c -. <
noticia dada por Vv. Ss. em sua conceituada Re- ecrcttio. & .4icores 10 caixas a J. Fuerst.nborg, A, Siqueira, 1 a Souza Moutinho & C., 1
vista Diaria sob o titulo-Ferimento--nao exac- -- Louga 40 barriceas a Joaquim Ferreira de a Francisco G. do Amaral, 1 a Gauimnaraes
ta, sem duvida porque Ihes foi transmittida por RENDIMENTOS PUBLIGOS Carvalho, 4 caixas a-ordein, Lixa 2 caixas Irmiaos & C., 2 a A. Correia de Vascon-
quem tern iuteresse em defender o verdadeiro cri- W.IU IDL O Halliday & C. Livros 1 caixa a Jose cellos.
mineso. Mez do mre W. o & ~Halliday &C irs1ciaaJs els
osMuniz de Almeida, q e meu neto, estava ez de m ode 1885 Nogueira de Souza, 1 a A. Santos, 2 a Joao Velas 2 fardos a 1). Ferreira da Silv a
corn Augusto Cesar de Souza, na runa Imperial, ALFAMDEGA-De 2 a 10 '240:8378h62 W. de Medeiros. & C., 3 a Rosa & Queiroz, 6 caixas a
onde resido, quando foi brutalmente accommettido .dem de 11 21:954S013 Paulo Jos6 Alvei s C.
polo inspector de quarteirao Joao Pereira do Nas- Manteiga 20 barris e 35 meios ditos a ar de Lboa
cimento, conhecido per JoAo Rombudo, que deu- 262:791675 S. Bastea s, Amorim & C., 2 25 aJo arga ioa
Ihe uma facade e fez-lhe diversas offensas auxi- Alpiste 60 saccos a Silvarg Guimbares &
adopor praas e alguns paisaos; sendo tam- 6 Fernandes deo Ahlneida, 45 e 55 a Vaiva a
being ferido Augusto Sergiapor ter procurado dc- emBotT-n de a 10 40:90602 Valente & C., 63 e 70 A orden, 10 e 20 G Azeitoe de olivuira 30[5 a Baltar Irmiaos
fender o dito meu neto. Ide d 11 a Carvalho Muura & C., 15 e 20 a Joa- &C., 38 caixas a Souza Bastes Amonim
Tendo side preso o inspector e levado a presen- / neo in n ^1pf &C,3aDmirsA.Mtu,
Tca do siDr. chefe de policiator este mandou-o soltaresen- 46:869A583 quim Ferreira de Carvalho & C., 75 e 150 & C., 30 a Domingos A. Matheus,
a do Dr. chefe de palicia onto inandou-o soltar, aAgneLblo 5o~ rnic Cebohas 10 caixas a Palno-ira & C. Co
torque nao havia sido p-eso em flagrante. a Auguste Labille, 25 e 51 a Francisco Cebolas 10 caixas a Phnsir & C. Co
Recite, 12 de'mari o de 1885. CONSADO sm Povimcur. De 2 a 10 42:398996 Rib,.iro Pinto Guimaraes, 15 e 15 a Can- minhos 14 saccos a Silva GuimarAes & C.
Recite, 12 dernai Rboiodo 18Suiua 5 1
Miguel Jos6 Barbosa Gaimartes Idem de 11 3:917A780 di Jos da Silva Guimares, 2.5 c 25 a Erva doce 10 saccos aos mnesinos.
Agaa elorlda de Murray Lannian 46:316776 0osta. & M-deiros, 16 cixa a Souza Bas- Faello 200 saccos aos mesos, 200 a
N. 196 -- to Aroim & C., 14 a Joao Fernandes Paiva Valento e C.
Desde os mais remotos dias diasdescobertshes RECIFE DRAINAG--De 2 a 10 41:811A.591 de Almneida, 12 a Joaquim Diuiarte Sim~es Pcrfumarias 1 caixa a Isminia dos San-
paniholas, o formoso paizda Florida, tei sia,)jus- Idem de 11 5:0694829 & (:., 12 a Paiva Valente & C:., 29 a For- tog.
timente af.-mado pelo baliainico c odurifero aro -- andes di Csta & a Frga Roch a xas a Cuvalho & C. P
made suas raras e balsamicas flres e verd.,jaut.s 46:881I423 aGlae d s Rocha dr &'.56 e caixa a S. Guimarles & C.P
arbust.s. Aqui teams pois o fluctuante perfume (, 7 A ordomin, 3 aGaiiadras 756 e caias Guinaes & C.,
e incenso de seus jardius agrestes e senus aromati- DESPA hOS D MPoRTApIO & C. 7 a Luiz Jos6 da Silva Guiturais.
cos e rcf-igerant, bosquw'sinhs, hairmouiosarnea. DESPACHOS IMPORTAAO Rolhas 5 saiccos a Joaquin Felippe da
te coticeutrados e encerrciadua derntro de um dimi- Vapor franeez Ville do Maraizo, etra- Mereadorias diversas o volumes a Auto- C. Aguiar.
nutivo espa.-) hermietieamientc fuchado e sellado. do Havre ( Lisboa, no dia 10 do corrento io Deirte Carneiro Vianna, 2 a M. J. Ri- Toucinho 60 br'is a Francisco R. Pinto
Esta Agua Florida derive e recebt a sua exsquisi- e consigauado a AugustoF. deOliveira & (:. ( iro A C., 1 a Manoel Vieira Neves, I a Guinaraes.
ta fragrancia dasfrescas, verdejautes c flrescea- anifetou Fah co d Azvedo & C., 1 a A. Vi- Sibo oaixas a J. Fenads Lima
tee folhas de flores e plants do tropeico. O seu anfetou Fanco de Azevedo 0 ., 1 a A. Viei- S.ibo aixas a J. Fernandes Lima
sublime o delicado perfume, nao desnmerece em Carga do Havre. rA t C., 2 a E. G. Casclo, 1 a Teixeira & C.
fiaday posto em comport'ao com sluelle da tai*, Agua mineral 6 caixas a Rouquayrol C & ., 1 akir Roberto, 3 a Viaho 10 pipas e 1015 a F R. Pinto
final AguadaColonia, e 6 infiitamente superior A Freres. Alvaiade 2; byrraa* Faria Subri- Nuanes Fonseca & 1 ., 2 a G. Laport& C., Guimaraes.
qutae ose fabriceapena Parisi ematadqueao eustond ah .. .-Amo vAlmes a divQrsos. 4 a Oliveira Bastes & C., 2 a Francisco
trar ioo seapr~goapenas 6a Pkadc do eusto delo & 1*A*8~a ^^ Le ats&a rnie
quaiquer um dos utros. Batatas 400 giggos a IM. esch & o 100 Laurie & C, 4 a Salazar & C., 5 a Gui- DnAGic'fD I 'DrTAPAA
Como GianANTIA ceotia as falsifica5eo, obsqve, a Roza & Queirol,- 100 a J-. B; dv5jarva- mrles CQardoso & C., 2 a Sulzer & Koe- DESAUIUS DE ortA(A
se bemrn que s noies deLanm qn ffeIp. veha Iho & C. 100 a0't Cadd os diu,- "clin 1i a Rodigucs Limi & C. M odas 1 Em 10 de nargo de 1885
&^ l^^W^ ,ar p 1h .1 0 aqi^po6 dfV W tk
estiampindo'em ekttwsa tra ANno pajldo mar~ e 0
livrio + uo s .... d Pa:ram a, exterior
00&L......aa&C.
00 A, ro C doI^uQ, o O.ectos para ch&s do sol 2 a Naeila~nsnicaa Edeard, wregou:
e 5n ii cas e loa .deo. Con.serv- 10 caI 3IP r&Y m Y P. Carmoo &C. 1,692 sa e
V0 & Cwiz~*1~'PI~rm*Q~ Parfmarmsi1c2SAM kilos do ausucar w nuso4o ; M. J.



+"+ .. .. ..... .. .... "" .. ..:* ; "'" "^ ^ + '' '* **-+^ ", ^ -.^ : ... .
-64 & C.C, 2.w "-ak~d4. d l 540 to.ariaUo I 25a6o-.0 ded o diW4
ad, A --AL
,. C .10- N l ig" ac.al.Maia YO;carregon
b~p~~1e4 ~ B X~~.e~a4Par& New ThnW I- LJoratsu4&V. 182 aec
0. jig 9e~~Pts haLf eawna inks t 1, 050
A- NI .4 ov "."
i 1Z 3?M to.p P 1 '4I Xii J a 0 I20'.+.i" or Iieiassucar b ra m, "


:1, 14 '
.' k-" .. .t '--.. .' -' 2- -" L.
,
';' ... '. 'i.. ,-' ::"'.:;.+ -' : ";" '
!7'.:' ; .% .. .- .. ..-r -. : ; .
&+.'; + IA.?'; '..+' : ,, : .
Pry..... .,_...:. .. ..., .++ .... .. .. ... .... ;.+ d+.+
= .. + ,_,, ,. ,% ._ ,.. ., + ,, +. .. .. .. + .+ -+ ., ,,., < ; .+ .,, .,. .. -. .,x
+1 ...: ..r : : .._+..+ :. ... + .. .., -+ .. + ,,. .. +. .. .. .. :. ; + ... + .. ...5 4


.....--. --..., /A W .. .

lA e r. l ...... .. .. .. .- "
i~ ige pb. a q ple piokledi-P
.: .+...,0" C. .+ .
mento inqualiimv4l que 8. S. mnandou m- S"W Ow -. -d :+ l d l tB
serir no JorW du Ro de hontem, n, a u' P" wa -
fosse tao insolente pe utesco, eu talves, 7 .
fizesse a honra do respouder-lhe; porem 'r .
come o estillo d'esse artigo se acceria co0m Joio Rufino dod Santo declara a quemn- ini i i
o do sua possoe, .bstunho-me em deixar teressaroposi o d'ora em diante se assignara il fIL n
sem reposta, nao s6 ease, come outro qual .'IrFi -6 ;1 od. se, A pDRade s a m
,v] n a prct-a fbriPA e iaa d aecar, deeiiIages e rfiait 5u
qur quo so coa.lun corn o insolito proco- *** j %.ll co- todt c me- L odemos.
dimento de S. S., visto que nao tcndo outra Ln^ r i B U e INSTAiA0i DR:
arma ptra me ferir, procanou o astucioso FundadaSm 12 impR ai retaS36tB d fa-
ensejo de me querer molester, pnrsnadido .0E ']"- Fndadaem 1826, ipaertadireetamente das fa-fit f aB a o
t.lv.z quo lie d1 trg&a, cnja csperango I Dr. Ferroa dk a SW W i. lbrleas. d S f Estabeled E t a mo a op
-In e A mer.9 lg, $a". u. .. pfima e. --im9 i a Hvn 0.)RUfW
poIerA perder, per quanto corn sua indivi- Bulas .. 9w 4eio dia. Re- e ico, ntenaihos e dspeciafidadee firia e oC. feilaelnaa.
5i.uldidaie nz4o tranrijo. sidencia e cowsultorio, n. 20 Z* Calle de San go a. 17.
Recife, 10I de mar9o de 1885. rua Larga R a do osaro.osarlo- 4 C ed il.17
LuiziLack. Recife, 5 18e .aro de 1885. 1. B ondo osarleo -S L or4 *Optin
S..PERNA HaMpt GebrUder
() Doixou de -fr inserido no Jora,dl de H aup-t A p EM RIO DE JANEIRO
A Para. informAJ05ee dirijam-se a
hontem por ter chegado tarde para a ty- .- -. -- Ve 1U1. AU1IV Par intormaieg dirijam-se a
poOraphia. ,CO1
pogrphia._ ( OtinXa a dar consultas das 11 As 2 horas da Pohlm ana & C.
Nao 6 rare ver-se possoa ataeadas do re- Dr. Leomard e Aliuquenre Ca- t _rd,.em seo antigo eoneltorio, ma Larga dc
pente de aphoia, extincoo eompleta a valcanti mudo.a me sultorio pars a A a no a. 86, 1. andar. O amados pow esoript f (fmP 1
pente doe aphonia, etic90 opeta da rua do Marquez de Olinda (antiga da uqalquer hora, na pharmacia Bartholomieu & C. Hl hii UJ IAul Ioi 1 1. 0
voz, no gozo de perfeita saude. Cadeia) n. 52, 1. andar e fixou sus -
Nlo sabernos come, n'este case, adoase- residencia na-rea da Imperatriz n. 7, Inn a ft l i ___
lhar bastante estas pMesoas para quo re- 20 andar. IUl)I lOIUA ftI Ud UllC5IUO -- --_?
corrap logo As PASTILHAS GIC- H RUa do Plrs iS
OUEL .(THEsoUHo DA GARGANTA); p re- Rundo r" .""
O E (THESO O DA GABANTA); pr.- Asaulas destsecollegio abrir-se-hio no dia 15
cioso e agradavel preparado qwe acha-se .......-.---,-,--~..---. dejaneiro, contidaando a ter aulas diarias para 2 seco --Seeotaria da prsideia d
nas principles pharmacies. .-- --'- todos-os preparatorios e umn corpo docente de mais Pernambuco, 11 d rtarfo d e 1885.-&Edital d Per
; rroeheeido reyfe m 5} Pernambuco, 1dto op -o d
rocnheido Rse aumsint.. eo pnioi-esta secretariase faz public, de conformnidade
SAImittem-se alumnus mnteunas, mlet p ensionis- corn o art. 11 do deer to u. 817 de 30 de agosto
sa ge tA e external, de 1851, o edita abaio trascripto podo em
Saudae derolbadas sobre 0 t- Jo6 Basiliseo, de volfolt a igem A director. de 1851 o edital abazxo trads0riPto pondo epa
muato da m ba extreme a Irma c n A corte, cotiaa no. se0gAbinete, a rua } 4 Maria Cdelho da Silva. tidconurso conto prazo de 60coa dias ofuios de par-
amiga Maria Leopoldiina #e *.ei- da Imperatriz n" 1, das 10 An 4 horae. -t -_ tidor e coutarir da comarca de [guarisSu.
res Cabral, eno rigesswirn dta do -.-. **H 0 seeretario,
Ime nWf '--A I.eaue-l iti Joncoh A&gusto de Albuquertque.
e n p tremai tso h p !merUe se a fer.st I "- "jUJ co 0 Dr. Francisco Jaustiniano Cesar Jacobina, ca.
Ndo triurmphc, oh! more se a feriate, valleiro da imperial ordem da Rosa e juiz de
Se s .despoos mariaes tornasts santos, lr fll t direito nesta villa e comarca especial de Igua-
E ap6s ten grito roauco, feio e trste lUI d raese, por S. M. I. que Deus gnarde, etc.
Succsde o echo eterno de seus cantos. Ir. MCellO UG oEn s Participa as Exmas families que atW hoje Ihe Faqo saber polo present edital que se achamn
GOMES DE AmoBi. tem dispensado was confiasnas em sen trabalho em coneureo na formal da lei e por 60-asia a con-
Ges Do Aionade r que mudou-se da rue lasga do Rosario para a da tar desta data os oflcios de partidor e contador
Foi maisuma-luzequeseextinguioaoaligeiroso e op rador s Imperatriz n. 45, lo ander, onde eontinda As or- desta comarca, vagos per fillecimento do serven-
oo u q s uma estre ioa que elp- Rua do Baodens das mesmas,,.eom todo cuidado elegancia tuario Joo Luiz de Almeida Ribeiro, creados pe-
pro do cruel destiny, m ain um estrella quo oalyp- Run do Barfe da Victoria, antiga possivel, garantindo promptiddo e modicidade em la lei provincial n. 504 de 29 de ma;o de 1861,
sou-so no firmamnento. (qon r.1 ipeesgut
Sim !... Cedeu a lei supreme implacavel da rua Nova n. 37, 1 andar pregos. que no art. 10 dispe o seguiate :
natureza. MNas, era tao cedo, porque era tio m&- IFicamreados em os otros da provinia
a, eagora que o futuro, semelhante a aurora a- Onde pode ser procumado a qual- O r.u ia idous lugares de partidores, um dosquaes accumu-
diante, lhe parecia risonho, polas ternas e minean- quer hera do dia e da. noite. CGonsmsdtasrlar as fuges de dstribuidor nos toros em)
asd uoet iiih que o- houver distribuiglio e o outro de coiatador7
tadosas graras da innocente filliinha que con-u das 10 ao meio dia. Recebe ehamados U if savo adquirido plos actues proprita-
tando apenas quatro mezes, tevea desventura de por escripto e paw fimada capital De e U ries. Os p 0 retendontes a osos ts oieios everop
^ ^ epdo asrit e pa leic ( wnte^. = %Sor
perder sua pobre mni. dica-se coin espeW de ao etuddo d Do olta do sun viagem A Europa one doquon- pretrnee ioi eeo
Iufeliz morreu .quando a vida lhe era mais febres, molestias de p-to e afre qoSes' sy-. Dealad u ,v a e A E rp n ei e u n preseatar no referido prazo um requerimento da- f'
Infeizsa e morressaquando -mp a evezi da iho eratami his f i debros, mo osta Sa IoeM cS. Y touuo hospitaes de Paris, tendo feito um curso es- tado, assignado e instruido ne tonrsos do art. 14
prec'osa e necesaria, stmpro a fereza da ingrata philiticas de ambos os sexes. peci d o p'irtos e mfestias de senhoras, d& con- 1 do decreto n. 817, de 3J de agosto de 1857,
fatalidade a embara.ar nossos passes. sultas no seu antigo consult6rio A rua Duque de combinado corn o art. 3, do decreto n. 4,668, de 5
;Lamantab, pois, oso fnesto passaironto, o a .J APPARELHO TELEPHONICO N. 156 Caxias n. 48, do meio diaw As 2.bhoras. de janeiro de 1871, art. 12 do decreto n. 8,276 de
to; maeridtaqboen doroso abnir no coracao do a Especialidade : mltestias do erianos e de se- 15 de outubro de 1881 e 8,526 de 13 de maio de
esposo a fenda que ainda nao est cicatnizada. ... nhoras. 1882.
Adeus regal-o. e me ajoiho perant vao adss tLinha-ulo, -- '. Reeebe ehamados por escripto on no seu consul- E para que chegue ao conhecimento de todos
par rogalo crm as hignmar e dmmliaivee dadeia- to-e, o em sua residencia A rua do Barao de S. mandei passar o present edital que serai affilado
ra sincenidado e desfolhar esta c:pella de sauda .-. no do costume e i pela iu.prea.
des como testemunho de minha eterna lembranga. Clara Olympia de Luna Freire, prefes- Bor ja n. 30. no lugar do costume, e publicado pela i-prcna.
12--3-85. Telephone n.S6. Villa de Iguarasiu, 2 do margo de 1885. Eu,
12-3-85. sora da terceira cadeira de instruoAo pri--- Luiz Fotruira Bandeira de Mello, eserivao o es-
Maria Amelia Qudro. .maria para o sexo fcmenino da freguezia FIARDiA f1 MI L THA crevi.-Frainisco Justiniano Cesar Jacobina.
II II da Boa-Vista, tern sua aula A rua do Hos- It.lIM lDtEI UMA 0 Dr. Francisco Pothier Rodrigues Lima,
As senhoras picio n. 27. E juiz municipal do comnnercio dos tormos
A sociedade.aboliionista Ave Libertas, r T A de Palmares e Agua Preta, em virtude
A sociodade abolhojonista Ave Libertan, corn- --< A. A.. *. mA P.4 .b n .^^ ^^ AW j. o
posta d senhorasesidntesesta capital, soleo- C i l da lei etc.
nisaa libertao dos Escravs do CerA, coiurn um joll imd L l FRIRTEI & RLSS1 Fago saber, aos que oo present edital de
festival na altura do dia 25 de Marfo. 0 pro- 0 20 dias do proglo e 3 de praga vires,
gramma desse, que se realisarA neate dia, no thea- SOCIED E P ACCOES p este juizo, fados que sejam os di-
tro Santa Isabll, ha de ser convenieateiwite pu- zaga sO E. eR- -C E r o a -'
~blinadoon occ o procisa. --b -^ itos pregoes epr epragA, temrn de seor arremata-
blicado, na oceasiao precisa. B L [d uem a- e ao ag f~e
Para elle, por6m, convida desde jA as Exmas. I M K W& U- L-*R 14 do a quem mais der e maior lanca offdre-
familias, anfinnando ds-ovic-o que em vista do Ua FOrmIOza 1 29 Ilt0iDA + a n I a em cer, -no din 26 de marao proximo future,
desmoronaziento pungente e visivel per que vi at a ....arepresehi e As d 10 horas da manhi na sala da Camara
faniiua brasileira, 6 noe-sn isi-io, 6 nina ohnigagio Satisfazendo a pedilos do varios pats do farni- PRA BC
p ateo as futumas gceraes do paiz, levantar polo ii abri no din 2 do mr~o ur exterato do pPERNAMBUCO Mnicipal, depois da audiencia deste juizo,
ienos ur proteeto contraee instituio ilhgitima moiran Iettras, quo apezan do completimente S opis T3 -- C )a 3TreTSTr a requorimento de Joaquim Rodrigues Ta-
e illegal, a cravdo, que immiscuio-se pelo lar rdo do internato, fica todavia sob mDha imme- C varos d M cow abatimento da loi, an
AorivedaAer Lbr as prud- d quo A t u hi- l fn <)pagar_ 20E000 por trimestre. 2 --LARGO DO CORPO SANTO 2 rendas do engenho Botateirinuha, per 6 an-
A sociedade Ave Libertas pcrsuade-so de que A aucatuneionar dnas 9 horas da manna Ao Machina superior, systems Singer e nos, a razao de 800#, annuaes, visto que
um Estado que assenta sobre uma base que como da taide. Whrclor & Wilson. ja form a praca pela vends de 1:000, e
a do trabaliso esclavo no lan, na esc qla, on lavou 0 djreitoi h e o i s n j o a r+ e a o d o 1: 0 w
ra, no industrial e, pode-se dizcr, emtodos o Padre Manoel LJbato tarne0 da Csdk. APEDEFI <-1VOADAS no hnuve licitante, em virtude do que e
riodos tres vezes secularos do vida da naAo bra- -- PREMIADAS EM TODAS AS EXPOSI(OES a requerimento ,dos mesmos exequentes, o
sih ira, da religiao e da politica,-recebeu por to- 0rf ITTrTcTfA -- juiz ordenou nova praca, corn dito abati-
do o tempo o stygma de todos os cerebros verdadei- U LJ 1 CARNE e QUINA Sao on doun unicos mentor, acima declarado.
ramente grandes da colonia, do reino e d lmpe- 0 Dr. Barretto Sampafo, medico elementos que entram na composico d'este Nao e aceito licitante que nao seja ha-
rio; pi-ecisa do ncr levautado do ohao em quo o ,"-- TT A c kr cv -j
e dtenderam, senao para reconstruil-o n'uma nova oculista ex-chefe de clinic do Dr. da We- poderoso reparador das forcas vitaes, d'es- bihitado corn fianna edonea a content das
patria, ao menos para s o entregar limpo de no cker, de volta de sua viagemn a6 CearA, te fortificante por excellencia. Excessiva- parts.
doas aquelles que o poaerem fazor. contini'a a dar consultas A rua ild Barao da meate agradavel no palladar, e o inimigo E assim serao ditas vendas arrematadas
E esfa loabte arnento lodealor psyehicop pro Victoria n. 45, segundo andarde 1 As 4 figadal da ANEMIA e das Debilidades nas a quem mais der e melhor garantias offe-
famihia brasilo ra corn todo c valor psychico pro- voll"" ~~ ~an ~ r oi* j
prio do sexo affactivo d'um paiz cujo dorso e bati- horas da tarde, e~cepto nos domingos e Convalescencas das enfermidades, das diar- recer no dia e hora acima declarada.
do da lz dir~cta dos tropicos. dias santificados. Chamados em seu con- rheas e affoc3esn do estcmago e dos intes- Dade e passado nesta villa de Agua


Irmiandade das Alma's ereda na
matriz da Boa.Vista
A mesa regedora desta irmandads, conuda a
todos seus irm-os, para comparecerem em sso
consistorio, domingo 15 do corrente, as 3 horas
da tarde, para eneorporados innrmos aco'npanhar a
procissao do Senhor Born Jesus dos Pobres
Affiiotos, da irmandade de S. Goncalo, para aqual
tivemos convite.
Consistorio da irmandade das Alnas erecta na
matriz da Boa-Vista, 11 de margo de 1885.
0 escrivao,
J. M. Lemos Duarte.
Veneravel Irmandade do Se,
nhor Born Jesus dos Marty-
rios da freguezia de'S. Jost
do Recife.
A administration regedora desta veneravel in-
mandade realiea iaL proxima sextax feira qaws-
mal, 13 do andante, pelas 4 horas da tarde, aso-
lemne procissao da ven-randa image do Senhor
dos Martyrios, que percorrera as ruas e Ingares
per onde tern passado noi aunos anteriores. +
Peor esta oecasaiao a administragao agradece as
esmolas e auxilios que dos fieis re!ebeu para a fei-
tura da tunica do S-nhor, ua{) po lendo esqueeer o
valioso eon-urso quo para tal fitn preston-lbhe o
Illm. Sr. professor Manoel Augusto.

CIO Jso J aEgf ta
De ordem do Sr. president comnunico aos Srs.
socios, quo se acham atrazados em suas mensali-
dades, que a Directoria em sessao de 3 do correm-
te, dando cumprimento ao disposto no 2. do art.
24 dos nossos estatutos, resolve eliminar todos os
que ate o dia 31 nao se puserem quites corn o
Club.
Outro sim, cominmunico aos demois socios que no
dia 1. foi inaugurado o bilhar e diversos jogos, e
que a aula de inglez passou a funccionar nas ter-
gas e sexta-fmras, assign eomo que a de primeiras
Para o interior
Nopatacho inglez Lapwerig, carregou:
Parsa o Rio Grande do Sul, F. de S. Martins
175 saccas corn 12,125 kilos de assucar brawco e
25 ditos corn 1,875 ditos de dito mascavado
No patacho hespanh .1 S. Jos4, carregn :
Fara o Rio Grande do Sal, A. J. Furtado So-
brianho 150 saccos corn 11,250 kilos de assucar
branco.
SNa es-una hollandeza Nolzhardurg, carre-
gou :
Para Porto-Al'gre, P. Carneiro & C. 1,410 vo-
lumes corn 105,325 kilos de assucar branco e 390
ditos corn 33,030 ditas de dito mascavado.
No vapor national Caravellos, carregon':
Para Bahia, Amorim Irmaos & C. 50 bamrricas
c-im 5,723 kilos de assucar branco e 50 ditas corn
5,724 ditos de dito mascavado.
.- No vapor inglez Embleton, carregon
Para Bahia, A. de Araujo Santos 200 volumes
corn 17,6K) kilos de assucar branco e 100 barri-
cas corn 12,0 0 ditos de dito maneavado.
No vapor iuglez Paraense, carregou:
Parn. o ParA, V. da Silveira 15o volumes corn
9,645 kilos de assucar branee.
No vapor national Jacwhipe, carregon :
Para Bahia, J. C. Fontelles 25 saccos corn 1,250
kilos de carnadba ; P. Pinto & C. 43 barris corn
6,300 litzos de mei.
Prra Alacei6, F. S. Pires Ferreira 10 caixve
eajurubeba.
MOVEMENT ) DO PORTO
Nauios sahidos no dia 11
Saintos e escalas-Vapor inlha Embleton, comnman-
daute Th. Jamt-s, cirgt varies g-neros.
Bahia e escatas-Vapir nacioial Caravellas, cm-
man ante H'-nriqu,! Augustifo da TriuJade, car-
g; vari'- genvros
Rio G;'aniJc do S il -iPat.edi Ii sp:iul-al S. fos8,
capit-o Js& Zarmigoz.i, carzi assucar.
Terra Nova -Li'-ir i gl-z lZ7a, capit.o James
Jolliff,, em llsatro.
Nense di nl.o houve cutrada.
Obs/- ,.c2 o
Suspen ieramn d, Lamarao p.'aL:
Barbados, o brigue inglez InniafaUeia, oapitao
D. Stouceionsec, em lastro.
Rio Grande do Norte, o patacho iuglez Hannah,
capitao L. Wooh, cm lustro.
Guam, a baren sueca Nordem, capitlo A. P.
Narptrom, em lustro.
VAPORES ESPERADOS


EMbe
Mandos
Sully~
8.uY
Tdwm~xr
Tamer
Aooncayla
Ceard
Minwko
Bahia
Finance
Pimambuco
Tagus
Gali~ca


da Europa
do norte
da Europa
do sul
da Europa
do sul
da Europa.
do&norxii:
do sit]
dbtsul
do sul,,
d4saol.
do' Pucifiee


A -..
. .. .'' ..* o.^ .!..., .:


xneudidri e'aG b

YeA no'vpOzr sij erieane
de november do &anna pir.pdu,
ace dMteWtepor!i~Eosu*
Id ,.. I dit- 1i"i, d in
kilU do erttzes, ftn"ieins d 'ii ....,..
de dites de una tor, iom idea. l .*. .
nm k idem,1 'dftu idemide' ooa mb 3
quadros nio Eee!tfie,. !oii moldiTa z*tslfi ''
a ordimaria, pintada, idea ide,. -
Merea di.,mante, P ne entro, J de l"l'do, j .i ; ,
de oitro, 1 caira n. 1, viuda de Liveritpt| heVt.* .
p)r inglez Smcilptor, e'str.tdo em 26 de.1tieir. "a
1885, contend 13 kil.,s de cartazes anndiie*4 % "
mi s de uma c nr, I; .',donada aoa direitospor E.- '
de Druziris.
Armazmi n. 3 "
Marca AH&A 'caiza n. 2, vinda le New- .
York no vapor americano Merrimack, entrado em -
janeiro idem, coatmdo 67 kilos de eatalagosaa- -
nuncios de mais de uma cor, abandonada aos di-
reitos per Adamson Howie & C.
Terceira secio da Alfandega de Pernambw-
co, 11 de margo de 1885.
0 chefe,
,'icero Brasilciro de MellUn.
A Camara Munieip.:l da cidade do Zaa
em virtude do art. 74 da lei n. 1,51 b de 4 de oasto
de 18tO, mandado vigor pebu art 50 due dis-
posigoes do orgameau to vigente, faiz seiente a quem
interessar possa, que na sesago de 18 do corrente,
recv'be propostas em carias fechtdas, para. nu-
merabao das easas da cidade, e distiee das rmas,
beccose, travessas e pranas da mesma, de cdnfor-
midade corn a lei supra citada.
Pago da Camara.M3uicipal- do Recife, 2 de
marco de 1885.
Dr. Antonio de Siqueira Carneira da Cwaua,
President.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretario.


DECLARAQ)ES~
Irmandade do Seahor Born Je-
sus das Bores. na igrefa de
S. Gonwalo da freguezia da
Boa-Vista, em to de marco
Tendo sido publicado, o programmea do transit
da procissio do Senhor Born Jesus dos Pohres
Afflictns, sem que o Revd. Sr. vigario da freguezia
tivesse approvado ou coneordado a mesa rege-
dora apreua-:e em vir ante o paternal coraciAo do
memo Sr, Revd. vigario, peoir desculpa por essa
falta involuntaria, filha somente da pouca prat!a
de nosso agent encair3gado esperand) ser man--
tido o que fora publicado.
0 eserivao,
Albino de Jesus Bandeira.'


amashk
a 14
a 14
a" IT
a T if'-.'

a :. -'1 ,


. .... +.. ?',l:...+p.-+'l























p4.9Ohorau ds tshde m uoa gneja,;
wuuuntrlo a coafraria irqou seprn
I& doSr. Bor Jesus doPobres AEi
dbe S Genoalo, pars qusl tiveas
itorio da confraria do Senhor Born J<
decra, 11 de marco de 1885.
O ecerivfo
M. V. da Silvao.


Istrada de ferr do Recire a
S. Francisco


car
dOul"

cthu
eon-
rotos

eanus



0


-Propot para fbrnecimennde 3,600 toneladao de
earvilo de pedra
SEAta companhia recebe propostas para b fornc-
eimento de 3,600 toneladas de carvio do pedra
por tempo de urnanno, mediaiate as seguintes con-
dieqs :
l.a 0 carvio deverA ser de alguma das quail-
dades conbecidas por Insoles Merthyr Smokelless
Steam Coal, double screened, Nexons Navigation
-Steam Coal ou Powell Dufl'fryns Steam Coal, pri-
mei borte, provada corn certificado da mina, o
qual em -cads carga de navio devera ser apresen
tado ao superintendente da companhia.
2.. A descarga do carvao do navio deverA cor-
rei per conta do contractante at o eaes da eom-
panhia em Cinco Pontas, onde serA desembarcado
das alvarengas pela companhia e transported,,
pars Barbalhbo pars ser pesado, facilitando-se to)
dos os meios do contractante per si, ou pessoa d>
sua cunfianaa, inspeccionar e conferir o peso, o
qual serA aceito iomo definitive por nmbas as par
tes, nao send depois attendida pela companhia
reclamao alguma.
3.a 300 toneladas de carvaeo pelo menos serio
mensalmente entregues em Cinco Pontas. mas se
peor conveniencia propria quizer o contractante
entreoar major quantidade, a companlia sujeita.
ee a rceebel-a, corn tanto que noo seja apresenta-
dIa urnma conta mensal para pagamento de mais
, de 300 toneladas durante o tempo do contract.
4.a 0 contractante deverA obrigar-se ao paga-
mento de urma multa de 1:0004 per todo e qual-
quer mez em que deixar de fornecer a quantidade
estipulada de 300-.toneladas, assim eamo se o car-
Svio ou part d'elle na tor da qualidade mencio
nada na la destas cendivoes.
5.* 0 contract entrarA em vigor no 1- de jullho
proximo viadouro, e o primeiro supprimento deve-
* rA ser feito para o referido mez.
6a. SerA lavrado um term de contract basea-
do nas condivoes acima estipuladasr o qual serA
assignado per ambas as parties.
76. As propostas deveriRo ser lacradas e remet-
Stidas ao superintendent da companhia no Cabo,
antes de 11 de maio proximo future, dia em que
terlo de ser abertas no escriptorio do mesmo. A
Scompanhia de mode algum flea per eate meio obri-
gads a accitar a proposts mais barata ou qual-
quer das quo Ihe torem apresentadas.
Escriptorio da superintcn'lencia, Cabo, 11 de
marVo de 1885.
Wells Hood,
Superintendent.


Secretaria da Confjraria de S. Benedicto
erecta no Convento dos Religiosos da Ci-
dade do Recife em Pernamnbtco, 1.9 de
marCo de 1885.
De ordem do nosso carissimo irmao president,
S so eonvidados todos os nobsos irmaos a compa -
recer no capitulo desta confraria nos dias 13i e 15
do corrente afim de encorporados aeomnpanhar as
procisshes do Senhor Born Jesus dos Martyrios t


Bomn Jesus dos Afflictos em S. Gonc-ilo.
0 seerctario,
Heliodoro F. Ramos.
Santa Csa a de Iliserieordla!dc
Recife
A llma. junta administrative desta Seata Cas,
contracts, corn queni melhores vantagens offerccer
o foruecimento dos generous abaixo deelarados par:
oes-tabelecimentos seguintes, durante o trimester
de abril a junho proximo : Hospital Pedro II, hob-
piio de Alienados, Casa dos Expostos, Hospita
e Santa Agueda, Asylo de Mendieidade, Hospi-
tal dos Lazaros c Collegio das Orpitas.
Aletria, kilos
Arroz idem
Aguardente, litro
Amoite doce, idem
Ararata, kilo
BacalhAo, idem
Banha de poreco, idem
Batatas, idemn
Chidem
Cae em grio, idem
Carnet secca, idem
Cebolas, cento
Farinha de mandioca do terrai, litro
Feijao, idem
Fume do Rio, kilo
Gaz, lata
Milho, kilo
Manteiga franceza, idem
Potassa, idem
Rape, idem
Sabao, idea
Sal, lltro
Tapioca, kilo
Toncinho, idem
Velas de carnaub',, iMein
Ditas stearinas, maqo
Vinho branch, litro
Ditoe into, idem
Dito do port, iJem
Vinagre, idem
As propostas deverlo ser apresentadas na sala
de suas seegoes, em cartas fechadas, devidamente
selladas, atW 3 horas-da tarde do dia 17 do mez
corlnmte, declarandoon proponents sujeitarem se
a urma multa de 5 01o sobre o valor total do fornc-
eimeuta, se no praso de 3 dias nao comparecerem
na secretaria da mesma Santa Cansa pars assigns-
rem os respectivos eontractos.
Secretaria da Santa Casa de Mioericordia do
Reeife, lo de marto de 1885.
0 escrivlo.
Pedro Rodrigue de Souzn.


Sasnta Case de iserleordia do


Recife
A Ilm. junta administrative da Santa Casa
lltrata, eons quernm melhores vantagens offerecer,
o seto de po e bolachba para o esatabele-
-. f -s 7 e, durnte o proximo trimestre de
Nab Uospital Pedro I, Hospicio de Alie.
*' a '- .e, Ca, dos nExposto, H mital de S
g ApeS, Asylo de Mendicidade e HU ital does L'
AN Ip, osts deverio ser apresentadau na sala
de--aw se.. es, em carts fechadas, devidamente
40: adi at as 3 horns da tarde do dia 17 do mez
;-'' cerrentp; deelarando oiproponentes sujeitarem-se
So ii "de 5 b sob.Io valor tote do finr-
^' ij-.* j~t~l^^ y*0 f6'Ei nrlo eompareouren
-m Cast pars assignar
^C4 ^ -di Santa O-ide Miseriogrdia do
Ma merge do 1885.
,. -; O.0escrivAo-
S Pedo d Rdrego8doSoma


* /_ s b ,oqpv o. a vins -,
J l ,l^& 5, o, jK pe r so" "'..-d


.. Mi.riedh da -tfs emtrta em ( quie
iteborum vastapeo odmie -e o forneeimeato deo
poe holaeA* 'aQ om4eglv das rpith era Olin-'
da dum .pi".o. tu estre do a jm .jho.
As pr as devyrlo oe r a.eseutads. ua a ila
de su es&ai em carts f& adas, dovidamente
sellada.; ast et bos is taUrde do dia 17 do por-
rmte mez, delsmrad os proponeat sujeitarem-
se a uma maultsa de 5 par canto sobre o valor total
do foruecinmento, se no praso Owl dies neo cam-
parecerem na sedretaria da memsa Santa Cass
pars assignar os respeetivos contractor. .
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 10 de mareo de 1885.
0 escrivAo,
Pedro Rodrigues de Souma.

Santa Casa de Miseri-

cordia do ltedfe


0

!


9
I
)


I


I.


SCavalleiros da Cruz
De order do presilcntec desta sociedade bepeft
center, convido a todos os socios para urma sessilo
de finances, que ter4 lugar quinta-feira 12 do
corrente, As 7 horas da noite.
lecife, 10 de margo de 85.-0 secretario,
M. Gomes dit Silva.


Secretaria da irmandade do Senhor Born
Jesus das Dores, em S. Gongallo da freguez;a de
Boa-Vista, aos 9 de marqo de 85. De ordem do
irmao provedor da mesma irmandade', sao convi-
dados os irmaos da mesma, paras no domingo 15
do corrente, e as 3 horns da tarde, se reunirem na
igreja, afim de encorporados, fazer se o prestito
do acto solemne da procisso do Senhor Bom Je-
sus dos Ptbres Afflictos, bern assim a aquelles de
nossos irm-as, que se acham munidos de capa,
ema vista do ponco numero existent em mao do
thesoureiro.- 0 escrivlo,
Albino de Jeansus Bandeira.


COIPANRI


Pernambucana de Navegalo-
Costeira por vapor
Os senhores accionistas alo convidados a renuni.-
rem-se em assemble geral na srde da ecompanhia,
no dia 26 do corrente, ao meio dia. pars Ihes ser
apresentado o relatorio e balance da companhia,
do anne social ultimamente find, bem come reno
varem o conselho de direcclo e a commisslo de
exame de contas. Recite, 9 de margo de 85.
Os directors,
W. Robiliard.
P. P. Wilson, Sons & C. Limited
A. A. Matheo.
F. P. Borges.


Companhia o Santa Thereza
DIVIDEND
Pags-se na rua do Imperador n. 73, 2- andar,
o 12o dividend da e ompanhi, correspondent ao
semeatre ae jnlho A deembroe a ratAo de 6 0/0
so ann, do dia 12 A 21 do corrente, dam 8 d 2
bores do dim, e d'ahi em diante tidos oe dine uteis
das 8 is 10 horas da manhL
Eseriptorio da eompanhia, 9 de mergeo de 85,
0 agent.
A. Pereiras Sime.s.


EMPREZA D0 GAZ


0 Gerento pe e am

S .osu. mi4


I


se eW69 s


onde tan eflm srv

bert qualquer c~ap
queipam pagar.
Os unicos cobradores

externos sao os Se.ohores

Francisco Felix de Mello.


^-' -'.-. ... ."
,*;.$ '*:. *"


A Illma. junta administgativa desta Santa Casn
contrata, corn quem meihores vantagens offerecer,
So fornecimeuto de assucar de 18, 2t e 8' sorts e
turbinado pars os estabelecimentos seguintes, du-
rante o proximo trimestre de abril A junho :
Hospital Pedro It, Hospicio de Alienados, Casa
Sdos Expostos, hospital Santa Agueda, Asylo de
mendicidade, hospital dos lazaros e colltgio dod
orphis em Oli.ds.
As propostas deverlo ser apresentadas na sala
de suas sessoes em cArtas feehadas, devidamentt
selladas, at As 3 horns da tarde do dia 17 do mez
corrente, dcclarando os proponents sujeitarem-se
a urma multa de 5 0/. subre o valor total do forne-
cimento, se no prazo de 3 dias nao comparecermcn
na secretaria da mesma Santa asa para assignar
os respect;vos contratos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 10 de naryo de 1885.
0 escrivfo,
Pedro Rodrigtes de Souza.
Sant& Casa de Milsericordia do
Recife
A lilma. junta administrative desta Santa Casa
contracts, corn quemn melhorcs ivantagens offere-
eer, o ftorneeimento de care verde de primeira
qualidade para os estabelecimentos seg.uintes, du-
rante o trimnestre de abril a junho proxiiLo : hos
pital Pedro I1, hospicio do alienados, casa dos ex-
postos, hospital Santa Agueda, asylo de nimendici-
dade, hospital dos Lazaros e collegio dcs orphlaos
em Olinda.
As propostas deverio ser apresentadas na sal
de suas sessoes, em cartas ftchadas, devidamente
selladas, at Ais Shoras da tarde do dia 17 do mvz
corrente, declarando os propo.nentes sujeitarem s'
a urma multa de 5 0/0 sobre o valor total do forne-
cimento, se no prazo de 3 dias nao c-npareccrom
na secretaria da mesma Santa Casa para assignar
os respectivos contr:ctos.
Secretaria da Santa Casa de Miserieordia do
Recife, 10 de marno de 1885.
0 escrivilbo,
Pedro Rqdrigues de Sou:a.
Thesourarla de fazenda.
De ordem do I1m. Sr. inspector, e em cumpri
mentor do despecho da junta de 8 do corrente mrz.
fieam pelo prosente intimados os interessados e o
finder do finado collector de Olinda Francisco An-
tonio da Silva, pars dentro do prazo de 15 dias
allegarem o que for abem de seu. direito, relati-
vamente a tomada de contas do dito colleetsir no
exeicio de 1880 81, visto ter-se vterificado um
alc.anee contra aquellc (xictor na importancia de
80,960.
Thesouraria de Fazeuda dc Pernambuco, 10 de
marco de 1895.
0 secretary,
Liz Emnygdio P. da Camqra.

Santa Casa de Misericordia do
Recir"
Na secretariat da Santat C-ea. de Miscricordia
do Recife arrendam se por espa~o de 1 a 3 annos
as caeas abaixo deelaradas:
Rua do Born Jesus n. 11, Ija 4504
Idem idemn n. 13, ojp ; 480;
Idemridem, 3- andar 2674
Idem idem n. 14. sAhrado d, urn a.ndar 1:0004
Idem indem n. .29, 1 andar 2404
Rua do Viaario n. 22. 3- andar 2t0.
Rua da Med { n. 49 3004
Rua da-Guia n 25 200
Ruia da Madre de Deus n. 10 A 240.
Rua da Senzala-velha n. 18 2405
Becco do Abreu n. 2, loja 964
Rua da Detenaeo (dentro do quadro) mei'agua
n. 3 1205030
SRua da Deteno (dlentro do qnadro) cmei'agua
n. 5 120.0; K
Rua da Lapa casa n. S 2404000
Secretariat da Santa Casa de Misericordia do
Itetife, 14 de fevereiro de 1885.
O escriv;io,
Pedro Rodriques de Sovza.


DE


IMPERIAL L
t .' h .


SEGUROS CONTRA FOGO
EST: 1803 -
Edificios e mereadoria
Taxcs baixas
Promplo pagamento de prejtdzos -
CAPITAL
fts. 16,000:0004000
Agentes
BROWNS & C.
N. 5 Rua do Commercio N. 5


A NOVA-YORK
New-York Life Insurance
Company
Seguros de vida
39 annos de constant prosperidcide
Unica companhia nesta provincial puramente
nutua.
Active effective, 31 de dezembro de 1883, mais
de 55 milhhcs de dollars.
ESCRIPTORIO PILIAL
N. I U-Praca do Corpo v anao-N. 1I


SE(GUROS


MARITIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenix Per-
nambueana
Rua do Commercio n. 38

IND EMNISADOIRA


Tomaa megurom mnarltimou e contra
FOGO
RUA DO COMERCIo N. 44
RUA DO COMMERCIO N. 44


New London and Brauillan
Bank Limited
Rua do Commercio n. 32


Sacca por todos os vapores sobre as cai.
xas do memo an c em Portugal, sendo
em Lisboa, rua dos Capellitas n 75 oN
Po, gtorua dos Inglezes.


lARITIDS 7

Compahia Franeza de o aVega-
TAO a Vapor
o MLha quinzenal entire o Havreas, Li.
sos, Pernambiuco, Bahia, Rio de Janeiro
Santos


Sully
tdteamer,


E eperado da Euaro-
-.PaatEo dif 14 de
MOM M 9 Wo do-,

- e- wp; o


WO --h "a'
. -.':. .u ~' ,:., ''**.' *1 -.* -:.. .. :':,^ '" -.
'^* -'c~ j i_-'fa' -'' '^ "a"? -'"1 -g.^ '' ..^ *^~ .


J 42-
'4.


tu4P Q -- ...4





Finance
""7"m -ILM ." -'


I
E' esperado ..do pert do
0l mo di 23 de wag, e
Aepis d, demor neomearia
I !"-r- Pao


e Ilermillo Francisco Ro-

drigues Freire,% qu;ano

for precise o Sr. Antonio

Martins Carvalho.

Todos os recibos de sa

eminpreza deverao se r pas-

sados ein tales carimba-

dos e assignadoi pelo seu

gerente, sem o quie nao

terao valor algun).
Charles A. Crvnan
Gereute.

C. U CE.
Sesao de posse
Nio tend os novos funecionarios eleit s em
assemnbl6a geral de 27 do mez proximo passado
attendido as couvite que Ihes fiz officialmente
para se empossarein de seus cargos, sao pelo pre-
sente novamente convidados para quinta-feira 12
do corrente, As 7 bhoras da noite, na s6de social.
Secretaria do Club Commercial Euterpe, 9 de
marc, de 85.-0 1o secretario,
Joao Cbrysostomo Filho.

MOIIMillADR SRLIROS
CONTRA FOGO
North British & Mercantile
CAPITAL
:000o,o000 de libras sterinas
A GEN TES
Admson Howie & CV.
RUA DO COMMERCIO N. 3- -


CONTRA FOGO

The Liverpool & London & Glob

INSURANCE COMPANY
AGENTS
Sanldrs Broeors & 0
11--CORPO SANTO 11.-


A


L Espera-se dos portos
Sdo sul at6 o dig 30 de
iarqo, seguindo pars
SEuropa depois da
emora do costume.


Fira carga, ipassgens, encommendas e dinheiro
P.fpp f*A^ A pf4-- A g IAn^n IAA --kJ


i aut t, LZ-iLac i UUUI .U
0 VAPOI
Aconcag


da demora do costume.
Para carga. pasearens, encore


Saluida





Chegsda
if
*
*f
if
*f




*Sahida.
a

C
Chegads
if
*
a
C
if
if


eto at9s


Montev11id ..
llim ip
IDA

Bahimx 4
Ijib~I
S, V*Ieete. 41
Peraambueo 20
Macei6 21
B1" 2S
Ri de Janaei 2(
Santos 28
Mouteovido .
Buenos-Ayres
VOLTA
BuenosAyres 0
Montevideo
Santos
Rio de Janeiro
Bahia a
Macei6
Pernambuco o
S. Vicente
Lisboa
Vigo
Southampton


do and .


S 9

I


(*) 86 tocarA se precisar caruio.
Par passagens, fretes, etc., tracta-se corn os
CONSIGNATAJtIOS
Adamson Howie & C.


Partk War.mhi, S. Thomaz e
New-York
Para cargo, passagens, e encommendas, tracta-
e corn oia
AGENTS.

V ersIer i C
N. 8- R FA DO COMMERCE N. 8
1.. andar
COPANEMS DEB MESAGE-
RBIES ARITINES
LINHA MENSAL
0 paquete
Congo
Cormandante Grou
-E' esperado dos
portos do esul ne
62d clia 5 do corronto
seguindo depoisda
emora do coetu-
DEAMeme pars BOR-
Dakar e Llsboa
Lembra-se aos Sr.. passageiros de todas as
classes que ha lugares resewados para esta agen-
eia, que podem tomar ema qcIalquer tempo.
Puaz-se abatimento de 15 por cento em favor das
families compostas de quatro pessoas ao rmezaos e
que pagarem quatro passagens inteiras.
Por excepaloe seriados das famiias que toma-
re mbilhetes de prsa gozam tambem deste abati-
mento.
Os vales postaea9 sse dioat&odia 23, pagos
de contado.
Para cArga, passagens encommenodas e dubheiro
a frete: tracta-se cornm o
AGENT
Anguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO 9
__ AGENTS ___
compali-a Bralleira de Navn-
S galoia Vapor
PORTOS DO ITORTE
O vapor
Ceara
Commandant o 1.0 tenente Guilhernte Pa-
checo
E' esperado dos portos do sul
at6 o dia 16 de margo e se-
Sguiri depois da demora in-
dispensavel, para os portos
m do norte at MaanAos.
Para carga, pssagens, encommcndas e valores
cracta-se na agencia
46-RUA DO COMMERCIO 46
PORTOS DO SUL
O vapor
Manaos
Commandante 1- tenente Guilherme Wad.
dington
SE' esperado dos
"portosdo norne
/ ""!at,6 edict 13 de
marco, o depois
dii demons indis.
pensawl, segni-
4 frA para os port
do nut.
Recebe tam-
bem carga para Santos, Pelotas e Rio Grande dc
Sul, frete modicos, .
Pars carga, passagens, encommendas e valores
trata-se na agencia

taciic Steam Navigation Companr
STRAITS OF MAGELLAN LIE
0 VAPOR
Galicia


As 11 horas
POR INTERVEN9AO DO


Alfredo Guimaraes
No armasem n. 26, cases da Companhia Pernambu-
bucana

Leilao


De 3 cavallos buns, 1 carro aberto,


de 4


rodas e 1 par de arreios
Quinta-felra, 19 do eorrente
AS 11 HORAS EM PONTO


No armazem d rua do.Imperado- n. 22
0 preposto do agent Burjamaqui levata a lei-
lao 1 eavallo russo pombo, e bom, 1 dito rodado
roxo, e outro dit russo caotdi, este castrado, 1
carrot aberto, de 4 assentos e corn 4 rodas, em born
estado. 1 parade arreios para cavallos, IrA tudo a&
corrter do martelli.

Uiii eiio iefie liivo
Em eontlnnapao
Dos objects de alabastro e narmoro, urma me-
bilals de jacarandA, frico espelho grande oval
moldrra.dourada, 2 ditos prar coiqnsoles 1 gnarda
louqa, 4 quadros, ferragcns, marnelada ein hatas
de 1 1/2 e 2 librase cerca de 25 caixoes vazios
que vieramros objects de mnarmore.
Sexta-fe 13 do corroeto
A's I I horas
Rte do Maurquez de Olinda n. 13
POR INTERVEN(A-. DO AGENT
Gusmao


Grandpa e imporlanle
I of ..,


Leilao
ua iDe bonas moves, fines crystu-s, porceiltna,
p quadros, espc-'lhos, olijectoa do elctro plin
E s per a-se dos to, 1 etabriuoct americano, ,coberto, corn
portss da Luropa 2 ou 4 assento2, con 4 rodas de sobre-
ate o dia 15 de
marqo e seguirA cellentce, lancas cv.1,es, 1 p'r tilearreios
para os de sul e pretos, 1 dito inldo da IlIungria, I ca-
do Pacifico depois vallo preto pars o mesmno, un1 cavallo
nmerndas dinheiro mellado pars carrot ou pars sell.


a frete;. tracta-seeoomos
Consignatarios
Wilson Sons & C., Limited
N. 14- RUA DO COMMERCIO N. 1-1

Para Lisboa e Porto
Segue oro brevidade a barea national Nova
Sympaiia: para carga trata-se co'n Baltair, Oli-
veira & C.
ROYAL RAIL STEAM PACKET
COMPANY
grade reduepeo nos preoos da.


.*
.**


passages
0 PAQUETE A VAPOR
Elbe
Com. andante Brander
r, ,' esperadodaEtopa no dia
1.j 12 oun 13 do corrente, seguin-
do depois da demora necessa-
a f ria pars


l, Rio de Janeoiro, Monte-
vidto e Bnnas-Ayres
0 PAQJETE A VAPOR
Tamar


Co! It espek ado
dosmunoe 16 de
S d :demo-


IA '
6 *^^ t.1


ter im
STal


A saber:


Gabinete de entrada
Dous ports chapeus, 6 quadros douradis, 2 ca-
deiras de balance tde junco branco, e <; cadeiras d(
guairnica.o.
guariio. Sala de visit
S Um piano forte de Carl Seheel in Cassel, 1 ca-
peira e urma coberta para o memo, 1 sofa, 2 cadei.-
ras corn brakes, estufadas corn II e seda, 2 tarn bo-
retes, 8 cadeiras com assentos do palbinba, 1 mesa
de ccntro, 2 dunckerquea corn tampos de marmore
I espelho grande, 2 mesas de jogo coin pane, 1 re-
logio de pedra, 3 jarros pars flores, 3 quadros comrn
molduras pretas, 6 laneas e pertences. pars corti-
nados, 1 meza para xadrez, 1 porta Hicor do crys-
tal, 6 caaticaes com mang I, 1 estcira pcra forero
de sala, 1 tapete aveludado grande para o centre
a sala.
Primeiro quarto (moveias de carvalheo)
Um guard roupa corn espelho, 1 toilet grande,
1 eavatorio, 1 guarnicao dupla pars lavatorio, 2 ea-
mas corn colxoes de molah., 2 colxies e travesseiros
2 mezas de cams corn pedras, 1 meza pars doente,
2 porta-toalhas, 1 cortinado e cupula prra cams.
Segnndo quarto
Um guards vestido de amarello. 2 abides, 2
guaruiye, 2" vazos pars agoa, 1 balaio para rou.
pa, I esteira forro de quarto.
Terceiro quarto (Boudoir)
Um sofA, 1 cadeira de b&aos e 1 descanyo de
pea estufado de l1 1 secretaria para senora, 1
mesa de costura, 1 machines d a eostura, I cesta
pars border, 1 espelho, 3 tapetes aveludados e 1
ocrs fo-ro de quarto.
Quarto qcarto
UImatma frainem em cohir oes-de mols, 2 col-
xeas e raveaeeires, 1 ortinAdo bortdo,. 1 lavato-
rio,2" gu amipes, 2 baldes parS agua, 1 ports toa-
lhm, abides. r
S' 1 Quint o quarto
U 'eama de fecro coim olxo, 1 lavatorio com
I coi 2 gavoeaW, 1 caId gnu-
doea Ii -e


ira


WIN'
-.. ;; .^ *.*.il-: ;-':" .-^ .L-. ,. .- ^^ '^ ^ _.ff o a'-.,B".'" ...
-,-:i --c4Z -- .m .u
4; J .- ...

...... ...... .. .',- .. ,-. .
. .. ... _- ". t -P
,, ,*.'< :;-^^- :.. .: _;.: .. : s .^ .= '-, -* ,, .. ..'' .'.' ^*^ -^'*" ."'-'^
7t ;: = :.. : ..,

r? 04 -j 7 '. .. .


VenderA o inesmo agent.
Um espelho oval dturado grande, 1 piano forte,
1 mobilia de jacarandA, 1 lustre a gaz kerosene,
1 estante envidrayada, 1 toillct de jacaranda, 1
cama de ferro, venesianas, mesas, cadeiras e
muitos outros moveis existentes no armazem da
rua do Born Jesus n. 49.

Agente Pestana
5.' e alAim N leilbo
DE

Um so' rado de 1 andar e loja Arua do Torres
n.4.
Uian dito A rua de Doiningos Jose Martins n. 38.
Uma casa terrea a rua de D. Maria Cesnr nu-
mere 31.
0 agent Pestana, autorisado )or !tlv;arA do
11m. Sr. Dr. juiz dedireito do prjvtdorim. a c-apel-
las c assistencia do meswao Sr. veu IerA a qucm
mais der os prediis :aciina mentciouados pertencen-
tcs a irina.in-lade tins Almas do Rlecte.
Na inesin:t ot'e:,si.1. ven-erAi divern';s inov-is e


uma linda e riea rnubili..:- de jacar;utd;'i corn tampc
do pedra e ponco use.
Sexa-feira, 13 do correnle
to meio dla
No at',uviiz ,i. 12

6' Loil O MENiwo
Sex\a.feira, 13 do corrente
A's Ii horas
i NO ARMAZEMa DE MOVES DO LARGO DO PARAIZO N. 26
o0 agent Silveira, per mandado e corn assisten-
cia do Exm. Sr. Dr. juiz de dircito da provedoria,
a requerimento da irinndade dats Almas, erecta
no Corpo Santo, leivari A leilto :
Uma casa terrea A rua de Lomas Valentinas
n. 56, foreiras.
Urma dita dia A rua da I1tebtauraqiio n. 49, fo-
reira.


AVISOS DIVERSOS
Quern precisar dc unma senhora habilitada a
ensinar primLiras lettras, dirija-se ao Caminho
Novo n. 128, que achar coin quern tratar. Na
mesma casa se precise de urma mulher de idade
que queira morar corn ra senora viuva e pres-
f ... -..... .A-_ 3-_1. .. _


tar seus servinos, uanuo-se casa e comiua e mes-
mo alguma cousa de pagameneto, corn tanto que
eej". pessoa capaz.
Precisa-se de unm crado ou de urn menina
que se presto c A vendam gena ruan e tend tempo i
aigum serving de Cata dc pouca familiar a tratar
na rua do Imperador. n. 35, 2". andar, entrada a
esquerda.
Precisa-se de uma ama de leite, e urma boa
cosinheira na travessa deo S. Pedro n. 8.
Venue-se uma part da sma n. 2, junto a
ponte grande da Paagem da Magdalena ; a tra-
tar no becco do Peixe Frito n. 1.
Vende se a cua n. 25 A rua da Rods, e a
casa n. 8 da rua dos Patos : a tratar no beoco do
Peixe Frito n. 1.

,Augamse
0 2o. aundar da easu n. 7 A run so Nko"z d o
O li ode _---_-_.^. .-"
.B --. --- ...


. .i ..tk. H


8-lua do Commerelo--

CearA
Segue brevempnte pars o porto acima o hiate
D. Antonia, recebe oarga ; a tratar emn Bartho.
lomeu Lourenco. A rua da Madre do Deus n. 8,
ou uo ceaes do Loyo A bordo corn o mestre.

LEILOES
A's 10 horns do dia qninta-feira 12, deve
partir o bond, da linha da Magdalcna, corn os
concurrentes do leilao de moves, louya, porcelana
o erystaes, na easa de resideocia do Sr. Oseac-
Keller.
Os moveis, relogios de onro e mais objectos
pertencentes ao espolio do subdito portugue: Joa-
quim Ferreira Mattozinho devemn sr vendidos
sabbado 14 do corrente, no anazem da ruA do
Born Jesus n. 49.

Leilao
De 13 fardos marco HB, contend cort s de es-
topa para saccos avariados e descarregados de
bordo do vapor inglez Advance.

Sabbao# 12 o coirTnto


A^


I


'I


I


,


I


I


I -


I


I ,


I


(OMPANI-IIA


am-,j t ,m.m

mse pars bole, Candies hitvqa
cama do finuda. "'"* **.*'-.T

POR INTERVENQAO DO
lgenle PFit

Na Paaeai da Magdalena
(casajunto da Dote grumie) -
Oscar Keller, tend de f;zer urma vigem A Eu-
rope, brA leilio dos mo-cis e mains objects da cam
de sua zesidencia na P;assagem da Magdelena i
esquerda da poncte graude.o.
Os referidos moves e mais objectos acham-e
em optimo estado de cowtervagio sendo novos ode
apurado goato, a maior Parte dos movcis 6 de ma-
deira de earvalho e pereirv
Bond
As 10 horas partirA o bond que dartA passage
gratis aos concurrentes.
0 leilao principiara.
A's 10 112 horas
Em contlnuuaio
A's duas da tarde
Um cabriolet coberto, corn assentos pars 2 ou 4
pessoas, 4 rodas sobrecelrentes, Januas e varae, 1
par de arreios preton, 1 par de arreios Hungaro.
Um eavaho preto pars o mesmo, 1 dito mellade
para carro e sell, um pau pars bandeira, urn lots
tremn dejardim.

4, a limlo leili0
Da easa terrea sita sA rAa Direita n. 76,
corn agua encanada, 4 portas de frente,
portAo ao lado, quintal murado, em chlo
foreiro.
Sexta-feira. iS de marjo
POR INTERVENXAO DO AGENT

Alfredo Guimares
Em sa agencza d rua do Bonm Jesw
n. 45

Leilao
Do 6 cavallos, I novilha touring, 2. Zaew
9as, 2 bois o 1 grande. ballana, die I-
rMao.
0 agent Britto, vendera os obeqtoa apima a
mais alguans movies, tazondas e muitog. optros ar-
tigos.
Quiduta-feira, it do crnrente
A's 11 horas
Na agenda d ria do Rangel n. 41


Leilao
De urma mobilia de amarello corn tampos de pe-
dra, 2 espelhos, 1 candieiro a gaz, 2 esearradei-
ras, 1 relogio de mesa, 1 sofA, 4 tapetes de por-
tas.
Urma marqueza, 1 guarda-vestido, I lavatorio
de faia corn pedra, 1 commoda corn pedra, 2 mesa
corn gavetas, 1 commodda de armarello, 1 marquezass,
2 cabides o 2 figures.
Urma mesa elasticase 1 guard louea.
Dous 'relogios de algibeira de ouro, 1 corrente
de ouro, 1 caixa do ferro, cofre e babU corn roupa
de uso,
Sabbtdo 141 do corrente
As 11 owras em ponto
No armazem da rua do Born Jesus n. 49
O agent Pinto levara' a lellio em preseona do
Sr. consul de Porrugal, os moveis e mais objeetos
seima mnencionados pertencents aso espolio do
aubdito portugueo Joaquim Ferreira Mattosinho,
w wtamnuug


I I


AGENT


I


I


1
(
1


I
)


)


-I


i *,'
i^
^:'


I
1
<


*<


^uI TOkm ia locA,.J # l

!


The


I


&^5


dat cear& Vea

















opo norma figrnosmm m eeates,he
j fiablitada a satisfawr qual(uer eneommenda
ttd6nte a sua profihalo.
Preaueia-so a 20 r6is o metro.
'*- Uu. do Rangel n. 20, 2o antar.


Manoel Joio Alies de Carvailho
Victor Joao Martins do Carvalho, Domingos
Jos6 Alves de Carvaliho, agradecem do intimo
d'alna Ais pesaoas que se digphram acompanhar
ao eemiteio public os restos mortaes de seu cho-
rado primo e amigo. Manoel JAo Alves de Car-
Tralho ; e novamente os convidam A aesistirem a
mibsa qne par sua almna roandam celebrar na igre-
ua da Madro de Deus, As 7 horas da manha de se-
gunda-feira 16 do eowrcnte.
Maria Aita Ferreira
Liz da Fonseca Oliveira e sua mulher Deo-
linda Ferreira de Oliveira, tendo recebido a in-
iausta noticia de hiaver fillecido cm Rezende,
reino de Portugal, sua cxtremnosa sogra e mai,
eonvidam a todos os fifth )s e noras e mais pareLtes
da mesma fiuada, e aos seus amigos A. assistirem
a uma missa que mandam eelebrar por suna almna,
na segunda-icira 16 do corrente, As 7, 1/2 horas
.da manl, na igreja de. N. S. dos Navegantes, no
largo do Pilar ; e par este aeto de religido, aoe
sens amigos e parents se confessam grates.
Maria Mita Ferreira
Ayres Ferreira da Cruz e sua mulher Felisbella
Mirandolina Ferreira e seas filihos mnandam cele-
brar uma missa na quinta-feira 19 do corrente, As
7 1/2 horis da wanhi, na mats iz da Boa-Vista
por alma de sna cxtre:nusa rn.i, sogra e av6 fal-
lecida em Rezende, reino de Portugal, convidam
a todus os seui irn:los e irinIes, e mais parents
da fiada e aos seas ainigJs, A assistirLem a esse
aeto de religiao, qiui dcsde j i se confessam sumi-
smamcnte gratos.


Joao Ribeiro Lopes
Dons amigos mandam resar missas no dia 17<
J) corrente (tcr(qa-fetra) As 8 horas da manhal, na
mitriz da Boa-Vista, pot alma daquelle seu aini-
ro, fallcido em Lisboa cm 17 do passado ; pede-
*. o conecurso dos seus amigos nestas


D. Maria da Concelcafo Silva
Ilachadlo
0 capitao Manoel Joaqumin Machado, scus filhos
Zulmira Avelina Machado, Francisco Joaquim
Ma.-hado, Maria da Conccii.Io Maclmdo, Manoel
,oaquim Machado Junior, irminlos, cunhada, sobri -
nhos e primes, vlo pelo presente iestemunharem
,sns proiundos agradecimnut's a todos que se
lignaram assistir ao enterramento de sua presa-
lissimna esposa, mai, irma. cunhtd:a, sobrinhia e
e prima, Maria da Conceiauo Silva Machado ; e
,,ofain novamente A comparecerem sabbado 14 do
two.rente mez, As 7 horns da manhia, A assistirem
as misses que scrito celebradas na erdem terceira
ke S. Francisco, por cujo act de religiao e cari-
i4a'1,, se confessam eternamente agradeeidop.




0 bacharel Antonio Venancio Cavlcante de
Albuquerque manda celebrar uma missa por alma
Oe seu presado amigo Juveacio Vaz de Carvalho,
na matiriz de oGamelleira, pelas 8 horas da manha
do dia 14 do corrente mez,, #geaao- de seo falla -
*imento, e para estc acto d& relig--io e piedade,
eonvida seus amigos e os do finado, a. toos tes-
tAuunhando seu agraieeimento,
.11 1 -- 0 1 11 o


Antonio Marti Colmbra
Aurelio dos Santos C-im ra e sua tamilia, gra
tos A todas as pessoas que se dignaram acompa-
abar a sua ultima morada o sou estimado sobri-
sho Antonio Martins Coimbra, de novo as convi-
dam, e a seus amigos para assis'irem a uma mis-
as, que por alma do nmcsmno, mandam celebrar no
sabbado 14 do corrente, As 7 1/2 horns, ua igreja
do Caxanga, setimo dia do seu fallecimento, por
njo actor de caridade e religiao, desde jA se con-
fessam agradecidos.


0 onh0 BrUi0-NOV0
Vende-se tires part-s do referido engenho, pro
Aimo a estatio de Gamelleira da via-ferrea de S.
Y"rancisc:; a tratar na rua de S. Joio n. 63 E,
on na esta*io das Cinco Pontas, corn Aifredo

Attencao
Na rua do Cotovello n. 25, vende se farinha de
milbo moida a vapor, de 1l, 2a, 3oa e 4 qualidade,
a 80 rs. a libra, em arroba 2,300.

Compra-se
eobre, atalo e bronze ; no caes 22 de Novembro
a. 36, armazem da bola amarella.

Aluga-se razoavel
Um sitio e casa para familia, A rua de S. Mi-
guel n. 99, Afogados.
Uma casa A rua de S. Joao, Varzea.
Uria dita pequena n. 1, A rua de S. Francisco.
UTna dita dita n. 2, A rua do Dique : a tratar
2 rua de Santa Thereza n. 38.

Cosinheira
Precisa-se de uma cosinheira : na rua da Santa
VRnz n. 74, esquina do Cotovello.
AMA
Precisa-se de uma ama queosaiba lavar e en-
goiomnar con perfetiaio, para casa de home wol-
teiro ; na rua do Livrainento n. 2, loja.


'a-




I.


,-FOMIWECIEDOR .=f^
tie#/ADO DA CM REAL$)v-
OWaa AsguA O% -
apcriur AFn= de teoliete 1
'IVuiagrosasailetioB
k Pasta pwa deait
WtOO i ACAa pet dim.
aaj5 Gold~iW
ti *II h -
.0 .-


A Au a4 4 be-
friWt pam a.gt ow; tas una B omd4ba-
uaos do Recife ; aoeban-ae s & ives as p6 da
mesma. &

Sitio
Aluga.-se um eitio corn algumas fructeiras, na
estrada do Roserinho n. 7 ; a tratam na rua do
Born Jesus n. 38, 1 andar, ou nat traveassa do
Peixofo n. 55.
Precisa-se de urn caixeiro de idade de 12 1
1I annos, corn pratica demolhados : na rua da
Florentina n 8.
TIicofero
de Barry,
gnranhte(fc que
-0 .a crescer u
CABELLO
S aluda iiseC:n!o unaf., ebern
mwtm calvt.s, bei. coun:o aueo
cura radiealct!IncP-
aTI HA e a CASPA.
Positivameate impede a
2ue e 0 onbranquecinmenta
SE doCABELL0cem todos os ca-
SsOS o torna invariavelmente
Macio, Bilhante, Formoso e
Em us* hainals de oltentaannos
n er mafor vcwda quo nenhum
out'rnorepaoparadopa cabeloeem
toe-. Mundo.

Agua Florida
de Bnary.
DUPLA.
Prepada segundo a formula
originalsada pelo inventor no
auo de 1829.
TOm duas vezes males Fragrancla
quo qualquer outra.
Dura duas vezes mals tempo.
E'mufta mals rica de perfume e
mais suave:
E'muito mais Fina e Dellcada.
Tern dobradaforca Refrescativa e
Tonica no Banho.
Fortalece ao Debile ao Cancado.
Cura as Dores de cabeca e os des-.
males. 1
E'multlssimo Superlor a todas as
outras Aguas Floridas Actual-
monte & venda. -4
Desoberta Importantissima.

Puro Meo do Figado de Baealhao
COM
IODURETO DE FERRO,
DR
Barclay & Companhlia







Cura ridi.Amente e corn seguranca os peores cano'
de Phthisica. Escrofulns, Rheumatismno, as doentas
dti Espinha Dorsal, d(s Quadris c dos Ossos, as in-
fihInkam>cs do Fig-ado. do Baqo e do Utero, etc.,etc.,1
v restitae ao corpo enfraquecido e fatigado o seu pri-,:
i itito vigor e arredondado dos contornos. E" certa-
niuuc AI.j grande descoberta o Puro Oleo do.
Figado de Baca1hao corn lodureto deo;
e'rro-dc larclay & Ca., New York.
Xarope de Vida,
de Reuter No. 1.

I Ifro Ing I


DEPURA VO EoL P~aflAt-
Este novo c admiravel or"de
sangue aetna cobre os intestines
o Lgado, os rings o a pellet!
C'cura infallivel contra a Debilidade
Nervosa, as Dores de Cabeca, a Dye-
pepsia as Sezoes, e contra as doen-
cas de origem Miasmatica ou occa-
sionadas per desordens do figado,
ou pobreza e Impureza do sangue.,
Depositos. Em New-York cm casa
dos Srs. Barclay & C. em Pernambu-
co e em casa dos Srs. Francisco Ma-
noel da Silva & C.


FRANCFORT S/MEIN
PARIS 0> LONDRES
151luedeill'diquier 54AIdermanburyEC.


c conhecido do mundo inteiro
como o melhor 6 mais perfeito U
Sde todos os sabaos de toilette.
Especialidade.
S Estractos A esseucia.s triples
o de cheiros. Agua de Colonia.
.1 Vinagres de toilette. Pos d'ar-
Sroz. Pommadzs. Azeites 6 to-
dasclasesdeperfumariasfinas..
Superiores qyalidades. ;
Deposits nas principaes Per-I ,
t fumarias, Pharmacias 6 Cabel- '.
S leireiros ido Brazil.
d4 co n
Xedalha de Progresso Vienna 1873,


--
IDRMQU

10IR OCQUE


15, Rue de Poiton, 15
PA RIS
D F
FIGADO do BACAHIU
Natural
Ferruginoso e Creosotado
Elas p:iLgii,

E rides Secretas
LENORRHAOIAS
FONORRHEAS
FLORRS BRANOAS
CoRWIEENTOS
eocrtoan e acjgos sio curidos em
pouoor Giasn esoreto, wm regi-
ao nm timBnas, sem can=ar Ma
mt ts orgauoe digesUroso peti"
IPXXlcjXn'A
e PiLfoeJ..de

ei vamp"d


'-a


Jt.iMTOfFV: .. **jmVW1
DE 'DE '



CAIDqSO & IBMAO

RUADO BRJM NI100A104
DIFOSITO UA DJ AIPOLLOSl. 22 1
Os proprietaries deste bem conhecido es-

tabelecimento pelas' suas relapses directas
corn osmelhores fabricantgs, e corn um dis-
tincto engenheiro de Inglaterra, offerecem

grandes vantagens para encommendas, como

provam corn os apparelhos completes assen-

tes nos engenhos Massauassu' e Bosque, e
mieio apparelho no engenho Conceicao.

MACHINAS a vapor trabalhando s6 corn

o fogo do assentamnento, podem ser examina-

das as que foram assentes nos engenhos Be-

lerm, em Timboassu', Cucaui, em Gamelleira,

Diamante em Goyanna, Pao. Amarello, Ca-
marai e Lages em Itaffibe, Vidraeao em Pao

d'Alho, e outros no Rio Grande (do Norte e

Parahyba.

Chamamn a atten~io dos Srs. agricultores
para os novos vapores que tem recebido do
ecreditado fabricante Robey, que se recom-

mendam pela facilidade de conduciao, assen-

tamento e economic de combustivel, deixand&

de mencionar os engenhos em que os tern col-
locado, porj& terem vendido 85 para diversos

lugares, e por isso JiA devem ser bem conhe-

cidos.

Sao os unicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-

veis pela facilidade da collocavao e por sua

duracao.

Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a agriculture, tem sempre grande depo-

sito, sendo tudo da melhor qualidade.

Vendem a prazo ou a dlinheiro corn des-
conto.



ED 62 9 LI W I VU7 13

JOSEPH KRAUSE a C.

Acabam de augmentar o seu ja ben conheddo


M










0

U


imporlante estabelecimento a rua fo
de maro n. 6 comn mais
am saio -no 1o andar luxuosamente pepar.
radio e provide de uma exposi.
flo de obras de prata do Porto e electro-plate
dos mais afamados fabricantes do
mundo inleiro.
Convida, pois, as Exmas. families, seus nume.
rosos amigos e freguezes a visitareni
o sen estabeleciniento, afim de
apreciarem a grandeza e bom goslo corn que
o obstante a grande
despeza, o adornaram, em honra
desta provincia.
ACIA ABB TOBAT IS AY'88 A NOITE


O




N




M


r W


FUNDICAO


GERAL


ALAN PATERSON
N. 4--Rua do Brum.-N. 44


(Oc


JUNTO 4A ESTAVAO DOS BONDS
Tern para vender, por preoes medicos, as seguintes ferragens:
Tachas fundidas e baildas.
Crivage&s de diverssos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idi.
Varandas de ferro batiddi.
Ditas do dito fundido, de Klindos models.
Portas de fornalha.
Bancos de ferro corn serra circular.
Gradeamento para jardim.
Vapores de fora de 3, 4, 5, 6 e 8 cavalloB.
Medas de 10 a 40 pqllegadasu de panadura.
Lodas d'agua, system Leandro.
Enuarregam-se d qualqer corertos, asentamnj machimos execat am quar
trabalho corn perfeifao ou pretmpa.


Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Doutor
pela Faculdade de Medicina da Bahia, Ci-
rurgiloo-M6r do Commando Superior da
Guards Nacional do municipio do Recife,
1" Cirurgigo Honorario do Corpo de Safida
do Exercito, Official e Commendador da
Imperial Ordem da Rosa, Inspector deo safi-
de public& e do portodePernambuco, Com-
mendador da Imperial Ordem de N. S. Je-
sus Christo, Membro do Instituto Medico
Pernambucano, Medico do grande Hospital
Pedro II, Socio da Propagadora da Instruc-
0o Publicas e de muitas oitras sociedadeos
scientificas e humanitarias, etc. .,,...
Attesto que tenho experimentado em mo-
lestias chronitas da pelle e rheumatismos o
C(ajtrubba do Sr. Antonio Pereira da Cunha,
tirade born resultado.
0 referido affirmo in d mei grade.
Recipe, 29 de Agosto de 1884.
Dr. Pedro do Attahyde Lbo Motfeoo.
Praxedes Gomes de Sousa Pitanga, Doutor
em Medicine pela Faculdade da Bahia,
Commendador da Real Ordem de Christo,
Cavalheiro da Corda de oFerro da Italia, 1-
Cirurgilo reformado do Corpo de Safide do
Exercito, condecorado oom as medalhas de
passador de ouro da Campanha do Paraguay
e de prata do Uruguay, Deputado A Assem-
bl6ea ProvinciIal, medico do Real Hospital
Beneficente Portuguez, membro de diversas
sociedades litterarias, etc., etc. .. Attesto que appliquei o elixir Cajqrubdba
em casos de rheumatismos agudos, e obtive
excellentes resultados, send que por isso o
tenho preferido ao xarope de Ricord iodure.
tado. I.
0 referido 6 verdade, que affirmo em fM de
men grAo.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
Dr. Prazedes Gomes de oS& a Pitanga.
Recife, 17 de Maio de 1884.-Illm. Sr. Fir-
mino Candido de Figuelredo.-Cabe-me a sa-
tisfarao de communicar-lhe o benefico resul-
tado obtido pelo seu preparado .(Cjrubbano
tratamento da enfermidade de que estava sof-
frendo meu filho, menor de 4 anres e meio
de idade,
Sobrevindo neste, ap6s deus annes de sof-
frimentos, resultantes da deslocao d a espi-
nha dorsal, urnm formidavel tumQr na perna
direita, do qual oriflnou-se uma fstula corn
grande e incessant d oxram mento de pfis, a
sua safide, a juizo d alguns facultativos,
tornon-se seriamente compromettida, sendo
que maim me constrangia dizerem estes, antes
e depois da appariglo do mesmo. tumor, que
meu filho jimais podenia andar. Eis quando
um parent, ,pela proficua experience que
tinha do Cajurubba, aconselhiou-me o em-
prego de tio importente remedial.
Effectivamente o fiz e cornm to feliz resul-
tadoi que em meio do primeiro frasee acha-
va-se a crianca corn tamaia robustez a ponto
de andar a casa tods, nio sentindo mais as
dores na espinha, que tanto a torturavam; a
fistula cessou de tanto suppurar e apenas ma,-
rejava urn agu" esbranquiqada, devendo-se
supper prdveniente, segundo o citado juizo,
de haver osse cariado. 0
*Emfim, tal o vigor de que gosa hoje meu
filho que, parece-me, com o use do terceiro
frasco do Caj42,ubeba eonseguirei a cura radi-
cal da fistula, muito embora o eariamento do
osso; sendo para notar que o Cajurublba teve
a forca de destruir sem a menor operaqAo as
cares esponjosas geradas nas bordas da refe-
rida fistula.
E para que Vmc. possa fazer o use que lIhe
appouver desta minha declarabao escripta,
por verdade subscrevo-me de Vine. attencioso
venerador e criado, Manoel Florexeio de Mo-
raes Pirem (Empregado na Thesouraria de
Fazenda.


Joo da Silva Bamos, Medico pelasI Universi-.
dade de Coimbra, Cavalheiro da Imperial
Ordem da Rosa, Commendador dasOrdens
portugnezas de N. S. Jesus Christo e N. 8.
da Concel9"o do Villa Viosa, Fidalgo Ca-
valheiro da Cas Real Portuguenza, Moo
Fidlgo corn exercicio no Pago Imperial do
Bra Socio Correspondente da Socie&de
das Sciencias medical de Lisboa e da de
Medicine de Paris, etc,, etc. .-.*
Attesto que tendo empregado em meus do-
entes, durante trinta annos quo exerco a cli-
nics, todoe as depurativos conhecidos, qur
nacionaee, qur estangeiros, de nenhum thif
tao prompto e effclaz resultado no rheuma-
tismo,ma s phlis, e nas molestias da pell
como do C= do Sr. Antonio Pereira
da Cunhsa, o qual devo o restabelecimento
de varies doentes, de cuja curs eu tinha deos
nimado corn o emprego dos outros depu-
rana..
0 quoe fica dito 6 verdade, que confirmarei,
se preciso for, mcorn o juramento de meu grab.
Recife, 22 de Junho de 1884.
'. .,:,.- Dr. JTodo da ,Sa Ramos. 4
Attesto, torque vi e observe!, que a preta
Escolastica nao andava a quasi 8 annos, tendo
as pernas completamente chagadas, e corn o
emprego do (ajirubtba desappareceram as
chagas a comegou a andar. Recife, 6 do
Agosto de 1883.- Geruasio Campdlo Piro
ferreira (Desembargador da RelaVio de oPer-
nambuco). ,*..
Recife, 22 de Abril de 1888.- him. Sr. Fir-
mine Candido de Figueiredo. Jos6 Caetano
de Medeiros, Tenente-Coronel da Guarda Na-
cional e Cavalheiro da Ordem de Christo. -
Declare que o seu preparado Ca'uv'bda 6 um
prodigio I Meu filho Cleofas soffria de dartros
a ponto de se- ir tornando uama molestia seria;
depois de se ter tratado homeopathicamente
e corn mais outros remedies, sem que melho-
rasse, usou do seu Cajifrueba, e antes de
acabar um frasco desappareceram como por
milagre.-Um outro meu filho soffria de urma
ferida na perna, e depois de tomar a Sasa e
Caroba per alguns mezes, sem que a molestia
obedecesse, cornm o use do seu milagroso CafA-
rubeba ficou perfeitameute curado.-Uma mi-
nha neta, soffnendode flores brancas, recor-
reun ao seu preparado, e em poucos dias ficou
b6oa. A' vista disto nao devo occultar tie pro-
digioso medicamento, nao s6 para anikmal-o
em sen-tnabalho, como epara ensinar aos'sof-
fredores a taboa da salvaqlo. Joa Caetano
de Mdeiros.
Parahyba, 3 de Marco de 1884. Snr. Ro-
gaciano Olympio deOliveira.--Sendo eu nes-
ta provincial o agent encarregado da venda
do medicamento Cajsrusba, e tendo Vmcine.
feito uso do mesmo, rogo-lhe se digne de in-
formar-me corn franqueza o estado em que se
achava, e o resultado que tirou corn o mesmo
medicamento, podendo eu fazer uso de sua
resposta. Sou corn estima de Vmc., Manola
Pereira da Cunha.
Sr. Manoel Pereira da Cunha.-Tendo com-
prado em sua fabric Apollo o preparado vi-
noso, denominado Cajwrubdba, para meu pai,
que se achava soffrendo de uma erysipela no
pI direito a mais de dois annos, reapparecen-
do-lhe corn periods de mezes, e fazendo elle
use do Cajurubiba, corn oito dias sentio gran-
de melhora e hoje acha-se curado.
Oatros incommodos que tambem soffria,
come uma inflammaoAo no estomago e uma
empigem, desappareceram corn o use do Ca-
jiubba. Desta minhIa resposta pode fazer
o use que Ihe convier.--De V. S. amigo, at-
tento e criado, Rogaciano Olympio do Oliveira
(Despachante da Alfandega).

Acham-se devidamente reconhecidas todas
as firmas dos attestados por tabelliAes pu-
blicos.


1 DEPOSITO CENTRAL-Fabrioa Apollo, Rua do Hospicio 79, PERNAMBUCO.
A' venda nos deposits da mesma fabrica-rua do Marquez d'Olinda 52, e rua do Cabuga 14I


ARCA


NOTA. Para syltar as contra faCoea, s6 se den
accelitar as garrafas qul liverem incrustadas no vidr(
as palavras : Vinho do D' Cabanes, Paris, e
sobre o os rotulos, tiras de papel que envolvem n
gargalo e a marca de fabric, ,
a assignatura do D' Ca- y.^..
banes e o a/lo de garantia s
do governor francez. o, .


VINHO


Dl Cabanes

KINA-CABANES
0 Vinho do D' Cabases, submettido a
approvacAo da Academia de Medicina de
Paris, foi reconhecido como um tonico
Senergico (por encerrar os principios consti-
tutivos do Sangu e eda Camrne), que di ao
sangue forca, vigorc energia.
Os Snr* D- Trousseau, Guerard e Vol-
a pean, professores da Faculdadodo Medlcina
) de Paris, o receitam todos os dias corn Q
Smelhor exito As mulheres enfraquecidas pQr
excesses de toda especie, trabalko, prazeres,
#ensfruaco, edade critfica e amamentaeso
prolongada. E' extremamente efficaz contra
o Fastio, Mas digestdes, Dyspepsias, Gastritis,
7onturas e Vertigens.


Da rcsultados maravllhosos nos cases de Aewmia. Chlorose, Pauperismo do sangue, Esteri-
Udadedas mulheres, PFlres trancas, Perdas seainaes, Impotencia prenematura, Enimagreciaento
geral, T"iale pulmonar, rebres terRs, internIttentes, Palustres, Elndemicas 0
UpIdemica.
0 Vinho do D' Cabafes, pela energia de sua acao cordial, desenvolve as forces, activa a
circu.acdo do sangue e e multo recommendavel para as convalescengaa.
Faz cessar os vomitos tAo frequents durante a gravidez, augmenta a secreco do lelte nos
nutrizes e da extraordinario vigor as crianclnhas de mamna; graqas a Influenela dos scus prin-
ciplos tonicos, 6 soberano nos cases de Diabetes, Af/Tec.cdo da medulla, Hysteria, Rpilepsia,
NaoMitismo e em geral, em toedes os cases em que d preciso recorrer iA um tonic9 poderoso, qe
ad vigor e restaure as f ocas dos doentes.
Como aperitivo substitue corn grande vantagem os liquldos pemrniclosos como absintho,
vermouth, etc. E' um preservatUvo apreciado pelos viajantes e marinhelros, como anti-epide-
mico e antidoto da frebre amaxella, Vondto e outras m olestlam tr6picae.
Depoeito geral: TROUETTE-PERBET, 163-165, na St-Aatoiae, PARIS
ODnmtoa em onft ama bu: F AN W. da BS .VA& c*,0m iuM Wftamiu.


ADNOWMAmO 2 t
PAu l5 mSeaUmimrrsUm


WJMnuBpmtUrotoiaumrbanjo.parms-pBm
fWM -P M fmittf*e Wfr M 9W WO km S
J Fdmmn mf a iietu w tutm schlh--eo earnm m3u i_ &
a *IILZM h KmK.tassc.eamJ ant amdt^


-. -


-~
* -~ a


.S..r. *, /.--"--a.--
"Z,'? '** *''


'. '.- ; Y .'. _" ,..:. ". 0, .-^ tP ;
* a *- a-k '*rta~ i.l~*'*5^ &


4:;


'.. ;'.<*.
.: -.t:,.

...- -


.. .,


<- ^J iL^l
c-. -^
.., '..* :
. 5- ,.,-


1 I I i l l


h A "CAJURO g iM
.- : .. .........
PBITARADO VINO8O .DEP..A ?

APPROVIDO BLA JUNTABE HYGIENE PUBM A Df
NAM,
ATII0 PAt DICUA KiIIAL 1 E 21 DE JDXIO N! I| '
COMPOSICAO DE FIRMINO C. DE FIGUEIREDo
Emnpregado corn a maior efficacia no rheumatibmo
de qualquer natureza, em todas as molestias da poelleo, nas leuchorrea oa
flares brancas, nos soffrimentos occasionadoe pela"-
impuregsa do sangue, e finalmente nas differences f6rmaa da inyph i
Propagador-A. P. da Cunha

As inhportantes curas, que este poderoso medicamento tem produ-
zido, attestadas por pessOas de elevaaa posigco social, faze& con
que de toda parte seja elle procurado, como o melhor e mais l-
gico depurativo do sangue. m
Depurar o sangue, come condigio de uma circulago benefica e els-
caz, eis em que coQsiste principalmente o meio mais seguro de
conservar a sauide e de curar as molestias que a impureza do sangia.
occasion.
0 Caj'.ubba pela sua acuto tonica e energicamente depurativa,
6 o medicamento que actualmente p6de conseguir esse resultsdo
sern prejudicar, nerm alterar as funccSes do estomago e dos iuteeti- J
nos, porque nio cont6m substancias nocivas, apezar do vigor depu-
rativo dos products que constituem a base principal desse medica-
mento. -
o D'entre as muitas curas que tern feito, citamos as seguintel, qm-
provadas pelo testemunho dos distinctos e conhecidos cavalheAroe
que firmaim os attestados. J .. i- *
Al6m dessas, alias irrecusaveis provas, offerecemos mais, coIo
garantia de tissas asseveragSes, o testemunho dos illustres mei-
cos, Drs. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Praxedes de Souza Pi-
tanga, e Joao da Silva Ramos, que em sua clinic -tem conseguido
os mais brilhantes resultados corn o emprego do aqjirub~ba. '


quer


C^-Z*^ 1w.ar-^T~e- "%T "--R~
















25
o ver.
arantidoi


to Antowo ou


I sta, prto., das

s de bonds, on
iampauhta de Olinda,
I P e annunciar para
ser procurado, ou dei-.
Xe carta utaa typ-
gnrpa, corn aiicial
W; d-tlarando os corn-
modoe daaqa, rua- e
por quanto veude.

^ Musical:

Revista quinzenal de theatres, musicas
e bdlasartes.
foratoa das maiores notabilidades au-
tio4, bigraphias, artigos do cij.4caq,
c0respondeias de Paris, Londres, Be'-
li4iVienna, MiW1o, Leipsig, Hamburgo,
Madtid e Rio de Janeiro, poesias anedoe-
tas, romance, e sempre
24 pagias de musia
C' &, S e p-aw 4e atwA-
reseelebres, alemaes, franeeueq
e itaflauos
Asignatura mensal. ou dqus numnero
2#(S^|^ ,fi oos. .

LivrMia Francei,,


Vendo-se um piano de meio armario e em bom
estrAo ; na rua da Imperatriz n. 65, offcina d4
piaos do Sr. Tteese.

Dawhos de Darejos
(Artifiial)
Preparado por Bartholomneu & C.
Successorens --
otes banhos sao tiis o muito reeom
mendados contra as molestias da pelle, eq-
crofulas, affecqes chronicas do peito. da
garganta, rbeumatin.mQs, ankiloses, o incoin-
pletas paralysis.
Cada garrafinha, 6 a d6se para um ba-
nho em agua a temnperatura normal.
VENDB-SE Jf.iCAMENTE, 34, RUA LARGA 5)d
ROZAREO, 34, PERNAMBUCO

Despedida
Maoel Joaquim Alves dos Santos e sua mulber
)ari&mPaulini Alve,, dos Santos. ex-professora
public. dpCQapoGranjt, ultinamente removida
para- estrada nova de Beberibe, agradecem as;
pessoas de sua amizade e em geral a todos os mo-
radores do mesmo Campo Grande a delicadeza e
confianva que sempre Ihes dispensaram, e ihes
offerecem sons linmitados prestimos.
-Criado
Precisa-se deum eriado de 12 A 14 annos ; na.
rua do Marquez do Herval n. 28.
km
Precisa-se de uma ama,,para tratar de meninos:
rua as Crioulas n. 2-A, Capunga.
Coslureira
Preeisa-se de costureiras quo saibam coser toda
qualidade de costuras ; na rua do Marquez do
Iferval n. 10.
Vende-se
nusa casa sita A estrada de Joao de Barros, tra-
vessa do Pombal, em caixao, eom quintal : qnem
pretender dinja se A run do Visconde de Goyanna
n. 121.


= Josi Pereira de Siqneira Braga julga nada
dover nesta praca nerm f6ra della, no entanto se
alguem se julgar credor, queira apresentar sun
conta atW o dia 14 do corrente, na rua de Pedro
Affonso n. 9. Recife, 10 de marqo de 85.
==Idalina de Souza Moettnho participa As muas
an.imm fegueas quo coaftinia a trabalhar em
plie e reeortar babados. Recebe eneommen-
das do bolos de bacia, inglez, de rolo, rainha vic-
toriamai benta, podms, pgo de-16 ; prepare ale-
tria d'ovos, pratos simples e em f6rma de pira-
mides, semedo, bonds bocados, pasteis de nata,
torta ; prpara peixes, perns, presunto de fiam-
bre, empadts, bonitas band.ejas para bailes e ca-
samentos ; na rua do Ca?('eireiro u. 56
S Preoisa-se de umsa cosinheira e de uma ecria-
da, para casa de famuilia : a tratar na rua do Ba-
rgo da Victoria n. 39.
d-Aluga-se o 2- andar do sobrado n. 8 A rua
da lnperatriz excellent morada ; trata se na
ruae domperador n. 61, 1- andar.
Umn protessora offierece-se para leccionar
erii as lettras e todos os trabalhos de agulha,
bolrda4 dotodas as qualidades, e flores, em
egms:t:-itilesa, o. por dco pre;o: quem de
ii eu p eul o utim o izer utilisar, .pde dirigir-se a
l rudelPedro A onso n. 56 1.o andar, quo acharA
Corn que m-,tra tar.


- flr Silv-aFerreira, medico, consultas todos
dia em sua rosidencia, cidade do Cabo ; eha-
Aos por esceripto a quatquer hora.
- usA.ga-se a casa da rua das Pernambacanas
48 ltptanga), eaiadia e pintada de novo, tend
b1*&5,quartoB, saleta de esigornmado, cosinha,
quartoss f6ra, tsmnquo, cbeeira e si-
a tar na praga do Conde d'Eu. n. 21, pri
iy utar.. -
"Anelcarneiro-map so proprio para
isr|ta dsaMtriz da Boa Vista n.
R 1iavo t na tele, eopiqha, cosinbeiro
n; travassae S;. Ppdro nu-


novas,
no) ; a


-4dos, (1
> 14do


Into:
MQoo
Quarto


P11.08S


46000
2#OOO
*26S000
1#000
malor de 100$
3#500
16750
S #875 '
S/ff .w ivvw.


e casw 4Ep costume
Acha6n-se.4 i 4a os felizes bilhetos
garaatidos d&a ,.kparte das loterias a be-
fcio da igreja a, Miguel de Afogados,
(iil'), quo Sexto ra no sabbado, 14
do corrente.
P1BBCOS


Quarto
6:D1 po!4ao 4.t 1A4
u-ip
Thnteiro
^0i
Quarto
JA&J da


4M00
26000
16000
0 0ooo


para


36500
1#750
#875
Cavta Leite.


At meaoo
:00^000

BI7 KIPE: AwAJR"ITDO.X
( l^Iidependen-

ci,ns. 37 e 39
0 abaixo assignado tern exposto A
venda os sep.wfgl**ketes garantidos da
3a parteinem nefio da igreja de S. Mi-
guel de Af'gad, I, que se extrahira
sabbado 14 do corrente.
Bilhete. i 4#000
Meia 2#000
Quarto 1#000
OmPI* *,4 k, 16@00050 para
| Bilhetet inteir 3#500
oeio 1#750
Quarto #875
AnCa1i^0 A &zu.n1o. Porto.




kos4~9ff,000


lai~a. ^abugA- 16
Acham.-se 'vendoos venturosos bilhe-
tes garau!do$r ua, 11 eanbeneficio
da' igreja d ekS. Mi6tol. de Afogados, que
so extrahirA no- sabbado 14 do corrente.

Inteiro- 4#000
Meio 2#000
Quato; 11000
Sendo uanitldiade superior
jl00:oo0
Inteiro. 3#500
Meio 1#750
Quarto 875
Joaauim Piresda Silva.

Arrabdde da cidade
Precisa-se de alugar umra casa corn
bastantes commodos para familiar, preS)rin-
do-se bom sitiol em qualquer arrauilde
desta cidade, proximo a estagao de via-
ferrea, ou linhasde bonds, quem tiver nes-
tas condiges queira dirigir-se a rua Lar-
gado Rosarion,.. 24. casa. de Lopes, Alhei-
ro & C. _

Esta grande loooA d-Gri-Par6, devidida em
series, ou 4-qiqxrt dvididos em 5 vigessimno,
corre impreteriveli4a o dia 2de abril

Portng f, fraiwez e

Francisco Canderu *proe'-se a leccionar pow-
tuguez, francee e~arit etia em eollegios e cais
particulares ; piHgf iu nages a ra do matrix
u. 26,2- andar, Boai ita.


Aluga-se o 3- andar da rua daeMadrede Desi
n. 36, coni tres 4evt*s, Was,- 4 quartos e sotiS,
corn cosinsha e 1 qu!to,i a tratar na rua do Li,-
vrampnto n. 2&-E.Atceimo atndo. r foi iltinmi
T-n'f(te 1vfor~ o e d. !o.


Precisa-se ci
prar na rua
-Eu
Pede soe ao'-
pnertario do en
pareepr A mitn i


,nu. jM p. '
jaw


(t)bWh~i '.

p
so ~aVcl boy ~54
,hanm..n An nnM


causam 0 o wi or' vexame op der-o eesto-
mago, prlui4udb sua acglo opeirativa
bronda e s..avaen...
Nlo pro||an-asras, I1'ta 4 em o
desenvolvem ao a^ tite, dfl matior- i* t e
rejtituem aos do e a t
gas, cobncorreyndo assim para o compl 1o,
restabelecimento da sau4e.
SModo -ude sar. Uma du" pilciit or
dia, uma horasdepois do jataw o.apei-
' -B. 1" 1 1 1 ': i.O ;1 '1" 1 :' : 1 1'.':"" 'T '"'i '' ''
0jlrgo pEPOSTO RUA ^ LAU DOR

Na rua da Uniao n. 47 faz-se plisss e recorta-
Sbabados redomdoso poQntadq5 e m u, .

O Dr. Joaquim Camara fixou sus residencia na
qidade do Palips onoda l q proaurado
para os misteres de sa profisao.


Ama
Precisa-se. de uma ama para comprar e cosi-
nhar no 2- ondar da ra da Impexatriz n. 13.
Ama
Precisa-se de uma anma para caaap de home
solteiro ; na rua da iUnio nii. 54.
Nova ROMEO
(C'erve~ariall,t ia).
Os proprietarios deste'estabelecimento pedem a
quem tiver coupons de consume, de 200 reis, emit-
tidos para facilidade de trocos, os queiram reco-
Iher mediante a respective importancia em arti-
gos, ou mesmo em dinheiro correrte.
D'ora em diante n o so darao mais ditos'cou-
pons em troops atW nova resoluo9.
August fkTrs, S&.cessorem.
Ama do eleite
Precisa-se de uma ama do leije ; no largo da
Assembled n. 17,
Cadsa od egWfn
Aluga-se a casa n. 56 Amrna da Unilo, muito
apropriadaA qualquev estsab*e imento e tern com-o
modos para familiar, corn agua e gaz : a tratar
na rua Duque. de Caxia n. .30, o em P- mnRi,-
rim, sitio do Dr. Goes.


Precisa-se de uma ama para andar corn um
menino e ajudar a autros services; na rua da
Giia ou Reatauracao n, 1, 1- andar.


~xIw
tm


DE8O1ITO UER'.|
MICHEL & iOQVW4 -
6rj I w(mE ", ojl
IS. IgPZER & LV.4w.
cigiir o rotulo,
I CHE~L & LO
*aBBC, ( BE^


SPoersoa deo ma14ftdeii, so', ;!
1 o nomt de Xaropo e Gragias so-6,
u gundo a formulaQdo D.. GK Ieu u '.
o" le ibert & Boutigny, contrafac-
Sdoes e imitaogdes mnais ou menos
. iner+9s on perigosas.
so gaautiumacts as, varda4eda .
' uw-ugeas.e o verdadeiro Xarope
b Lbe-urativo odurado do D'.oGi-
(bert cujo rotulo levae.iotinta eenr-:
(nada as assignt,Ta do D'. Gibert s
o do BOCatigry Swzensgres &. allem
Sdist), o sel!o" do Governo Frsicez. T
. imp'.,sso cor tminta azAl.0 pnrco unico '
,O.- c,3 prep, rados c de 5 frances em
Pu'i*c ,1 __________ 1 a)if-
x, gt?:i sitisfazer ao des;jo da '5 .ndm
4'1 o uuero (doe pessoas conseguimos ,n,;er- ?
o. rar anm Grae-eas deo vohme iasignsifca ne .
.io.ts o. s L'iiicipios activos do nossof
. Xnvops.S
-.- "A$AS G:'AGEAS SrPrESENTAM '
1 ''.'A COL!E l vE SOPA D. XAEnOPE
0i(1 'Tadas no nieio on fini dao refiresi .wvs n.-
." C-r"v*a' Decpurativas f od ad. i ..
-:. do -' C',h.rt -tin sobre o Aarope a ;
",.' j;':', ai: .:.s t',sn de sel" ue u1 Ciiu r c; t '
; C\I,W! fl:.;v;tS simiplei e facel, o Q i'*LAi- -^
;-;*-.lilah.?:^ ain~b iii o tri ll ..f ccl yeJ.,?I !'
i,'' l '-. s nais active *-a" m c -*O3O ;:, .
tiedo tcdos os depuratwo;.. co-nho- '-
1' c;1:t c ;", ( ,o(!'(; s .'z
l IL o m* cm. todstg as Dnyrc-;oo '
.eC-nOd-
0 16 nrfr,,


I!
ci"'t *


Por


semana


!,ea &dufrfr-se as ve adeiras maiunas de

SINGER

m OnIo deixar de coprar agora urma destas afamnadas machi.
nas ?

Venham a sucrsaml da companhia Singel fina


RUAUQI rABUGAN.1A
use 4o 1be% ha s'p rrriters,
.N. l.l4tb ha uperior, retroz em carriteis,
agulhas, oleo, iltha de-eroCie, peas alisas para as mahinas

ludo de superior -qu.alidade e por pre{os semeompeleleia.


I


SSANDALO IDY
Pharmpirutio do 18 Classe em Park.
p .|~aByil^ Jupt* o atrai do lysUjr do. .ra.t
Romls, c^ p s kas| fclit os fluxos em 48 horas, suppri-
mindo a Copaha, Cubebas e Injeo9go.
Deposito em Paris, 8, rna ivienne nas uoipaes Pharmacia.


O~~~- IITi oIw iiIvei^
i Jp....H tn rt l
I i:0 e^fcivo& si



STROUETTE-EBBRRET
d;,. 'AWAu t-t (Pep.incged)
(K os1 a8s podemosos. digestivos conlitcidos aie ag ra, par eowaiatmf a
AWFECTS DO ESTOI : GASTR!T S, GASTRALGi4
DIABREAS, VOMlIO8, TORMQGO, MA DIGASi A. ETC., ETIL
tQA:UC LOGO DEPOi[ DA OOMDA BASTA PARA CURAR OS CASOS MAIS RUBBLDS
A veqAdf nat.rlicipaes Pharmacias a Drogarias.
VW d tamgroso meP"ux :TBOrUETTE-PEoSXT, ra Sawt-Ante, f, W
twe-u e "igfr flio Ho I* am Vo iU 4"re os Frascm -ira evitanaa &BNU^A10MV
:isotaisos~een.Pearnbuno FRAN-N. daM, .VA &^ .


-AQWAI*RCALSA .o, 77i

^^^^^Bar Impafltf u CfLLCS p^na6Fr 8a Sd C&U4^ ('
i ij^^^^J~r-Eussitt-yo 4.e#amcsoda substausaja Jetusmy edsuuifirncmmus
-- g dc ovo. Pdo me uso, conssav*-. o 0 eio e- a satir-do an u
3 ^^Sl^^iqlp0d w&e Cabsl ds caiv~r Osaemas -pewfumss.f -*ins
S l depps de sAtUr 3dO ddb uptszcciangradav g
IM a.'wi a, HAY ORI;A DRS PAMPA| YLA yLA _
4EO.V-01I Us J A8 Mn D'8PAON W J POSeA COUP
EOS^K-R" TRAVEL 1WETEa DE a K
...B.TIV. T-, K,*- E, S. BOUQBT- P I; 'R4X'
L,. .La GRAN D, Nt fnaw de syi s r m 0 as rt pa
S A1S 207. na 8ak0. t-Hsr, SG7 -. PAB2d 07
fia..6ITO NAS PWSOH-3BAS PABWH&AUSAS B CASAS Dig CA-RLLE.BMtSO


Alt n -6h tb'C be- iffj'k kiA.
*f( 7t 'g.1.s7 'faOALTADO POR TODAS Ag
'A s.(.;..zoy : v. "'Q< ._ / ",2 -** .'-" :'*.*^. ^ (. i: ,. .i *,. .fl n .
"''L,- LISS::::' ':

-a "- '." ^ AI"^-.-.. -:.'-'--' ....... f ^ A Csl"- -:-aaas "- -
:,"W ;.- :.'.. .;.: /.:. = :I .- .. -_ '' v E XlO
gic *AFFEM6ES ESeKOI |
.-->.--:;:^ ^ I,- -' I K^i"C SiCA IJL*O5


**; E';-ys'-c':3 aiirr-z4LN.tsi KaflAN t-3 6: 5-VA & S^. is5 p5i555iNc i nhtrm d'f.'i .ett _


' Ii~tier


APME'T DE LISLE -& C-i, Successores
cte. a descberta do Sulfato de Qiniina por PELLEJER, este product tern mantido a sua repuntano de
pl.ade e przar, e a su:;i inarca d prelevida em Ltods-os mercados do mundo, apezar da compete ncia c da
fois, 6 ,- A11. i ust', -.ni:r c detPLeE, sueeisores d Ieii realiscndo umn novo progress. it(oduzell
SQuttinina pelttio^ er emn pquenai capst I iL redidas, dc ladi., transparenites muito
*solreix (1 Con r tas. to indefia que aliQ 0eutldwecern coma p, is e o gragua o c .lcs c. 'U
Aebnos i t~a,,tc~ciaria 0 do ou duaspor din, o.Su11dI
~ot, reuatini, a ~ pale ~c.b;at) c-nxaqueeas e nvr-alg~3
g.lota, rhetimatisin N^k 9es IOga obc d~s le uii-a ou duas por diaoutl
de Quidi : olnstitueo mais poer 0ston r ta Odappetit', fvref a
Sraesexageras ma a f Aao corpo a ner necesariapaa resiirs febres- eenfmi
Sinfeciosa&.3.Ven:e-8: em rascos .de,40 20 O; 20W,'0, etp 0 q itte aop-i nkt- tic
stisfzer tod as pmerscripgos m-dicas.


-< PPARA
/1Q' 9< 0 -LENCO0TOUCAVc.
E 0 BANHO.

A T 0 AES

U010o Jepaonto auctorisado
pelo governo de Portugal, e approva-
do pelo conseiho de sand do mesmo
paliz, depois de evidenciada a sua effl-
cacsa em repetidas observes no$
hospitals officiaes.
Cada fresco est aeompaahado de
urnm impr ss.o corn as observaoes dos
principals medicos de Liaboa, reco-
nhecidas pelos consoles do BriiL

Aluga-se
a casa n. 40 A rua da Amizade (Capunga), caia-
da e pintada ; a tratar na rua do Arag o n. 36,
sobrado.

Arunaaio
de amarello, toda envidragada ; vende-se na rua
Nova n. 48 A.

Amas .
Prccisa-se de duas aras, uma para cosinhar e
lavar, e outra para eagommar, para casa de pe-
quena familiar : na rua do Marquez de Olinda nu-
mero 6.

Porta da Fortuna
Aos 6'00"00
Bilhetes da loteria da Emancipa9to
N.4 Rua do Barao da Victoria N. 4
Esta casa tendo vondido em seus afor-
tnnados bilhetes a sorte de 6:000#000 no
bilhete n. 4041, a sort do 1:000#000 no
.jilhete n. 539, alm da outras muitas de
1006, 506, 20 e 0#-daloteria 141 que se
acabou de extrahir, convi4a aos possuido-
res a virem receber os respectivos pre-
Dmios.
Achaim-se a venda os seus afortunados
bilhetes da 16' loteria, pelo piano de
6:000# que se extrahirA improterivelmen
no dia 20 do corrente.'
Aos 6:000#000.
Aos 6:0005000.
Aos 6:000%000.

Aluga-se
o primeiro andar da casa A rua de 8. Jorge n 72;
a tratar na rua Primeiro de Margo (antiga do
Crespo) n. 17, loja.

Ama
Precisa-se de uma ama para cosinbahar ; na rua
do Livramento n. 24, 20 andar.

Cirurgiao delntistla
Jose Basilisco da Silva Santos, cirurgiao den-
tista e pharmnaceutico pela. FAculdade doa Md;ei-
no do Rio de Janeiro, de volta de sug viagem A
c6rte p6de ser procurado para qualquer trabalho
da arte dentaria das 10 As 4 bhoras no seu gabine-
te A rua da Imperatriz n. 1.


Joaquina Liboria da Costa
Ramiro Costa, tend recebido a infausta noti-
cia da haver fallecido em Alcobaga, reino de Por-
tugal, sua extremosa nAi Joaquina Liberia da
Costa, convida a seus amigos A assistirem a uma
missa que por sua alma manda ce!ebrar quinta-
feira 12 do corrente, na igreja da Madreo de Deus,
pelas 7 1/2 hcras da manha, e por este acto reli-
gioso, aos seus amigos se eonfessa grato.
-1tat *os
Jos6 dos Santos Oliveira, sua mulher e filhos,
convidam a todos os oeus parents e amigos para
assistirem a urnsa missa que mandam celebrar por
alma do seu sempre estimado sobrinho, primo e
amigo Raul de Lemos Bastos, na mnatriz do Mon-
teiro, As 7 horas da manha do dia 12 do corrente,
trigesimo dia de seu intausto passamento, e ante-
cipam desdej A os seus sinceros agradecimentos A
todos aquelles que comparecererr a este acted de
caridade e religiag.





Joao flibeiro Lopes
Manotl Joaquim da Rocha, tendo noticia pelos
jornaas ae ter falleciflo cm Lisboa no dia 18 do
mez p ssado o seu bandoso amigo Joao Ribeiro
Lopes, manda resar ura missa em suffragio de
sua alma no dia 13 do corrente, Ais 8 horas da
manbA, na igreja do, Corpo Santo. Pede a seus
amigos e ,.os do fallecido, que ainda os deve ter
nesta cidade, onde foi estabelecido, a caridsdode
comnparecercm a cste nreligioso aeto.





Raul d (I Lemos Bay.,c
A sociedade Comnicio Litterario ,,ido de man-
dar celebr.r um? inissa pjr alina ,. iinado con-
socio Baul de Lemos Bsttts, convida os seus pa-
rentes e amigos A ssistirem a este actor do reli-
gino e earidade, p qual tcr;' lugar quinta-feira 12
do conrrente, As 8 hIras da manhDa, na matriz da
Bo4-Vi.ta.


aria Vilella de Qucirox
Calbral -
Anastacio Francisco Cabral manda telebrar na
igreja da Santa Cruz quinta-feira 12 do corrente,
is 7 1/2 horas, trigesimo dia do pasamento d
sna' virtu- ea e nunca esquecida.esposa, uma imissa
polo seu etcrno repouso, e pede acsparestie 0


A'rua
pj1gik.-sei


/i:: ^ ^ '


(p


I faodQ wn. nde
AlhanAd doe3-Cacl -j


wI


AC k M A g>k^^ ^M^P IIp^
A- ---- -"yg^ '^ i --ii;'y W -'"bu m "-'^''


---- .. -






























tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do quie outro

qualquer, visto rece-
berm direetamente.

Todos os relogios
vendidos n'esta casa
sao garantidos.

Rul o OaBCgO i 4

Aluga-se
t casa terrea da rua do Fogo n. 50 e o 1- andar
da rua da Roda n. 46 ; a tratar na rua do Larao
da Victoria n. 14, thesouraria das loterias.

Oonvite
0 Illh. aiadO'mico Jose Borges Dias de Brito 6
onvidado a assistir umna conterencia ,rnanha, a
ua do Barao da Victoria 1. 48.


TrO1%IoO

.c'E o C


PreparaQo de Productos Vegetaes
PARA
EXTINLI DAS CASPAS
e outras Molestias Capillares.

MARTINS& PBASTOS
Pernambuco


Balanceador
J. dos Saintos Vieira, encarrega-se de proeeder
a balanhos, organisar contratos e destrats so-
ciaei. Chaminados na rua do Rangel n. 3, ou na
rua da Pcnha n. 7, o10 andar (residencia).

Farhilia Iactea
Nos primeiros :nezes alimenta~o maa-
natural e apropriada para alimentar a crime,
9a de peit o 6 o proprio leite materno o qua
em caso de neiessidaudc deve ser substitiv
do pela
FARINHA LACTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram .u iia,
nha Lactea como poderoso element InD
trictivo pars a infancia e distimctos :tied:-
cos do Brasil e da Europa recoth'.-cer-r,
serA- do Dr. FRERIHS a melhor n'est
genero.
Deve-ae pois evitar zontiar o ilhinhe
7 pessoa estranh: P de comportament
nb zonhecido muitas vezes o germen
numerosa nolestiam.
Vende-se a -verdadeira farinha Lacto
do Dr.-Frerichs:
55 RUADO IMPERADOR 55
Estabelecimento de musicas e pianode Vut
torPrdalke




















K -U 1 -amr o pe pdbres, economicoe 'd'
AL ,applka*i 40 annos de sueesso es-


a'fsinilia dove estairdeuroiida'
edio,
noMe vcura: furanc lo paaa-
t, -tumores -" torodmra 4o stn
t tcias des atticidaaem 4&-
ates nevralgias- 4ha$mame
tursa-golpeB, etc., etc.yAt.
meftte ma: cheleas, 'niolestias
-dispeta& a0 nagdoes de
^ip^iaiss W -dftw
|||(ie @|a ek ,. et..e-ety


*owe


PAKA GQUARK

Superiores sedas' e gorgorbes de seda
preta de pre~os de 1500, 1y800, 2O000,

24200, 2A500, 2800, 30000, 34200, 34500,
34800, 4000, 4200, 45005, 44800, 59000,

54200, 54500, 5800oo, 6000, 66500, e 74000.

Verdadeiras pechinchas em vista da boa
qualidade, ser fazenda inteiramente nova e

recebida de conta propria

Grande variedade em filos, veos, manti-
lhas, etc., etc, na bem conhecida e acreditada

loja de fazendas baratas a

R A PRIMIRO BE MARgO N1 20

JUNTO AO


LOum'UVRE


.da.3PM C~rM :)'&-3:L.- m IX-,


(Qinlquelcr pc;soa iC. i;in'igenicia i glft,'r p)loe apprender tWdo (Ic so achaa o0sta oibra.
Il'reigo, 1.00 cda xcumplui, Cncad-rtuado em panno, entregue franco.
Em paaramento do livro recebemn-se sellos de correlo, prefermdo-s- os das menores deuominagoes. Aos cque Com-
ptrarem urn apparel!o com-plet o darenos gratis uam exemplar do dito manual. Apparelhos para Amadores de $10.00
para cima.
EnviarA-se Ca'talogo cm Portigauca a quecm que o pedir.
* S. & H. T. ANTHONY & 0O. 591 BROADWAY, NOVA-YORK.
Fabricantes de toda especie de materiaes photographicos. Estabelecldos ha mais de 40 annos neste ramo do negocio.


Agua de Chinolina

Para tingir instantaneamente os
cabellos
Preparado por
BARTHOfLOMEU & C.

(SUCCESSORES)
Unioo composto,-cuja base prm-ipal sao
principios vegetaes, que pode per isso
ser usado per toewpo indefinido sem o me-
nor receio de ,alteraglo de saude. Esta
agua admiravel dA aos cabellos, em poucos
minutes, 'uman or e;brilho natural desde o
castbho at6 o negro, e ao contrario de to-
das as tiaturas conhecidas, tern um aroma
agradabilissimo, que facility o seu use as
senhoras, ainda as mais ,difficeis. Afian-
gam-se os seus resuldtados e effeitos inoffen-
siws, qunr a applicaflo soja 'limitada a
barba, qu6r comprehend os cabellos da
eabe9a.
DEPOSIT BRAL
Iftawmaela e tOregarua
31-l- a -iga 4o Ilowiau -.*5

Os devedores
Das firmas commercials Corga Figuei+
redo & C., e do Aonvmio Francisco orga,
que quizerem pagar seus debitos on satis-
fazer alguma quantia per conta dos res-
tos, dirijam-se A-uar do I'mveradnr es.
critorio do Iilhn. Sr. Dr AwOIO DE 8sou-
ZA PINTO, oi UA mB e MAriz de Barros,
estabelecimento do, Sr. COliTES A S.LVA
CURADO; qualquer destes senhores -egSo
habilitados a rebher -peTsmar reaibo-e 'at6
mesmo quitaglo, FOR QUEb 0 Poxano I 0
CURADOR FISCAL, E 0 SBEGUNDO lUKKT*-
nO, visto eatr v-Win a'ialene'iuvbeirto-'tai-
nunciante.
Rocife, 9 de Margo de 1885.
Anttonio Francisco Corga.


AIga.se barato
A casa n0 7 Rua L nmas Valentinas
0 armazem n. 13 do largo do Corpo Santo, o
qual tern communicagio corn o:n. 4 A no caes da
Companhia Pernambucana, corn guindaste.
A trn tar no largo do Corpo Santn. 19, primer,
audar-
Cosirnhira
Preeisa-se de umsa cosinheira que seja perita
naarte de cosinha, para contratar-se em um en-
genho perto da capital, dando fiador de sna con-
ducta, e que esteja nas condiges de tomar conts
do serviVo domestic de casa de familiar que se
trata ; quern pretender dirija-se A rua estreita do
Rosario n. 8, ou Coronel Suassuna n. 189.

Loterii da ParayhIb
No estabelecimento n. 2 .C, a rua do CabugA,'se
acham expostos A venda os bilhetes da loteria da
Parahyba, por-um,novo piano, corao se segue:
1 premio de 4:(000000
1 dito de 1:005O000
1I dito de 2005000
2 ditos de 1005 2005000
2 ditos de 5Q 100,000
10 ditos de205 2005000
20 ditos de 101 2005000
40 ditos de 5A 2Cf5('0O
500 ditos de 3$ l:tI-0O000
Premios no valor de 7:6005000
Beneficios e dospesas 2A400000
4000 bilhetes a 95500 IO)00$OO
.Os premios serao pagos aqui intagralmenfue,
sem desconto algum, A vista da lists da ex-
tracao.

Allga-se
Acas% corn sota .a rua do Conde da Boa-Vista n.
'28, oern commodes para gande faiia, caiada e
tpintada, corn agua e gaz; a tratar aaernema nut
u. 91, padazi, ou ruado Marquez de OiadawaB-
mero 00.


Precia-ee de amoiairo que e bom s
wuado Commercio d. 4. .


~taoo&i ta rwnU., ,...
D. Leonor Porto, medista, partieipa ao respei- : *
tvel public, e coin especialidade aos seus fi- '
em emaue 2mondeie m tmiaWmp a'a cam :
e rapi e, vetidos pam ates' : bs s o :iL:hp i%
dos, casamentos, etc., assim como prepare e vi-
.ta. chap6o, por pregos modicos.

4' ^a.~ cam_ '^S^ lB^


riiais aprado's gostlose

Compromettem-se
a vender mais barato

do que emi outra qual-
puer part.

Ru a fo~ah~l .4 ,

LINHA COATS
SLustrosa para machine, e a Macta de 6
fo tanto para machina como para cozer a.mo
---,Nio se usa mais linha em novello-
Pede Unha em cearreted coan o nome
J. &P. COATS -


Aluga-se


o sitio do Chacon n. 13 ; a tratar na rua da Au-
rora n. 81.

Ama
Na praga do Corpo Santo n. 19, 2- andar, se
precisa de uma boa cosinheira, e que durma em
casa.

Funilaria
itua larga do Rosario n. 20
De Francisco Teixeira Barbosa
Grande e variado sortimento de vidros para
draga, assim como reeommenda ao public ua
grande sortimento de obras de folha, cujo fabric
6 na propria officina, e s3 tornam ainda mais re-
commendavei pelo esmero e perfeicao artistic
corn que sao feitas, a par de mnuitas outras feitas
no estrangeiro, que tambern rccebe consecutiva-
mente. Em tudo offerece pros modicos e since-


riaae.


Tinlura indiana
Para tingir a barba e os cabellos
Esta tintura tinge a barba e os cabellos instan-
taneamente, dando-lhes uma bonita cor preta e
inofensivel, e seu uso 6 simples e muito rapid ;
vende-se na botica franceza e drogaria de Rou-
qusyrol fr6res, successores de A. Caors, rua do
Born Jesus (antiga da Cruz) n. -2.

Criada
Precisa se de uma criada que cosinhe corn per-
feiqao, para easa de rapaz solteiro ; a tratar na
rua Duque de Caxias n. 59, loja.

Antiguidades
Compram-se objects antigos, como sejam: pra-
tos, candelabros e vasos de bronze, cadeiras de
solar, moveis, quadros a oleo, antigos e modernos,
e todo e qualquer object de bellas artes : quern
quizer p6de dirigir-se A galerie Ducasble, rua da
Victoria n. 65.

Homeopalhia
Tinturas e globulos da important casa homeo-
pathica de Catelan frdres de Paris maravilhoso
especifico contra bexigas.
DEPOSIT
Na botica franceza, rua do Born Jesus (antiga da
Cruz) n. 22

Burra
Vende-se urn solido, grande e important cofre
le ferro, provays de fogo, do fabricante Miluers : na
rua do Marquez de Ollnda.n. .6.

Ala 1ar) ar wI o sOxO f0-


33 Rua do Sebo -33
Zima Roxo Lima participa ao public e em par-
ticular aos pais de familiar, que no dia 2 de margo
vindouro tern aberta uma aula particular para o
sexo ieminino.
Abecedario ,homeopathico
POR
J. SabinoL.Pinho
Acha- se.A venda: na pharmacia do Dr. Sabino
Srua do Barao da Victoria n. 43.

Lavase e engowasse
Prepara-se roupa corn todo o cuidado, na cam-
pina da Casa Forte, a@ lado esquerdo, casa corn
dons portoes, manda se buscar e levar ; entenda-
se na loja'de-tAobilia n. 23, A rawestreita do Ro *
-salle.

Manteiga normanda por 700 rs. a libra, propria
pars casas de families, collegios, hotels, etc. ;
vende-se per atacado ou varejo ; na rua Direita,
,padaria n. 24.




Cravos eflores



temente na rua Aa
[Uniio ., 5.


+-= ode4o slugs-se nobilias ; na rus uu-
Sqae de' Caxis n. 81. .
Vende-wse um*erreno de umrikha n. 1, OitW
am iKotocoloib6, em Afogados;.iaatar sw-In
daU Ui n 19 i& at6 as4 horM d* tarde.
son a-e aa me Cabee6k paa oXal-
deireir.-=o- 48 palrnms delrentA pax& o rioCa-
pibaribo, lmarondo pelo aaoente corn o terre-
no"4de Z tfiasNsO, e pels frente eoim o por-
ft'do idJ d" Jo"s J Hau iam Aa :+, qe o'
A Umm c :oir Am.be


a%

,Q05


Col

-Ne


Vendese

Roupas para huomenas
FOR
Preo o s baratissimo
Rua da Imperatrlz n. dO40
COJA DOS BARATEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 60(X1
Dites de panno preto fine, fazenda nmito
boa 7;00(
Ditos de casemira de quadrinhos e liatri-
nhas, forrados 8100,
Dites de casemira escura, de cordao, for-
rados 8;0
Ditos de flanella azul, forrados, sedo fa-
zen ia que nao desbota 10400(
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 10IO
Ditos de panno preto fino, forrados 10Q00(
Ditos d3 casemira preta de cordio 104 eo 1200'
Calgas de casemira corn differentespa-
dr5es, de 54500, 65500, 85 e "10400
Ditasde casemira preta sect a 85 e 101004-
Ditas de casemira de cordAo 450(
Ditas de casemira preta 6A00,
Seronlas de creguella, obra mnitabr
feita a 14200 e 160X
Ditas dc Hamburgo de linho a 11800 2X0(
Colletinhos para dentro, sendoide,'re-
guella e muito bem feitos, a-80-e ISOOl
3amisas, grande sortirento de camisas
braneas, tanto trancezas como inglezas,
tanto de linho como de algodia, send
de 25, 21500, 3Si, atW 65001
Ditasw de cretone de eor de 24. 250e e SO
Meias, gfpde scrtanento de maia smas
Dara hmens .de 320 rs. o par, at 50(
Collarnhos, grande sortimento dle e-6i-
rinhos, tendo de 55 a duzia at 8 00
Toalhas, grande sehtimneto dew.toalhas,
tanto para rosto como, pars bauhor,que
se vendem por preos muito raoaveis.
Tudo isto e eom grande rtoAIo de-prego : a
loja da esquina do beccn dos Ferreiros. i
lNoyas setinetas Iim a va A
Chegou para a loja dos Barateirs da Boa-Vita,
rua da Imperatnzr um grande sortimento dan
1 lindas setinetas lavradas, tendo de today as
e ores maisnovas que te4rn,1 .0
sivamente pretas, send a faendanWaisboalta que
tern vindo pars a festa, e vende-ao 500 W sO 0o-oo
vado, isto na loja da esquina do hscco doe Ferre-
roes.
Cazemr&a \i;f a'im W e

Na loja dos Barateisos da-BoaVista, veado-se
um elegant sortimento de caoemisa ,de dw lar-
guras, sendo inglezas e com benitas cores quo se
vendem a 2,500 e 25800 o covado, send mt
proprias para costumes, e das mnonsma tnmblB se
mandam fazer costumes muit IUm feito -de e1a
palitot e college por 30j5 e 351, A grand vecincha
na loja da rua da Imperatris n. 40 a ejauina do
becco los Ferreiros.
fas~es a 40, M 440
Os Barateiros da Boa-VUista,:a .-A a sdapoj -
-triz n. 40, 'endem um gra o t 'de A -'
-toes brancos, proprios para veptidos e roupas d^
crean9as plees prgesa acma indicados; it. unse-
quina do beco dos Ferreirom.

Alheiro Sk ilva, L rua daU Imperatm n,140 ae -
barn de rmceber um grand 'e m eto das ma
bonitas -lansinhaes pars vostla, seido lpacaM
de cordao ccm r lindas cores a 500 V. o' Wo
gurgur~osalavradosotssdo detodwsaamWtu a<
.n. e ditos inuito finos copi b iR dosoda a 0O9 *a
todas estas lainhas sao intomrmumete moeeruAs, e
vnde-se as loja da ras da Iapera1tis i. 40 a e-
quima do becco doelweAdr.w

-- Vende-se umn

.grand..e sitio ..o.Mun.i..


4a: rtliperati18, VA
i y a l^ l.. !:' F l*.lll ll lll : ? 1 1' -


Miminii la silN irviilIlo & c .



JRES PlUI E1 u: a Tu i


Lenwos brancos corn friso preto a 800 rs.
Ditos corn barra de cores a 15800 a duzia.
Ditos de linho para senhoras & 1,600 a duzia.
Ditos imitaoao de sedaa 15800 a dita.
Ditos de linhe finos de 8A por 34500 a dusia.
Lindas bandeiras nacionaes e portuguezas
a duzia.
Lmndos setins macao a 14300 o covado.
Velludilho bordados a 14 o covado.
Ricas ventarolas chinezas a 600 rs.
Ditas ditas bordadas a 1$.
TManelas de todas as cores..
Tarlatanas, gangas corn paisagens tao baratau.
Causa
&dmiraco -
N. 80.
Dos barateiros
Aproveitem.

luito p6de o progress
Grande loja de fazendan de Casto
dio de Hlendonca at C., rua Duque
de Caxiasn U. 1.
,Neste estabelecimento estA abolido o system
de vender caro. Os seus proprietarios teem adp.
tado o system de vender polo custo, ganbando
tao somente o desconto. E' o system mais aper-
feigoado e que garante ao comprador ser sempre
bemrn servido. Todos, portanto, que quiserem cornm-
prar, estejam convidados a honrar este estabele-
cimento, onde encontrarao, a par da sinceridade
e agrado, urn complete sortimento de todas as
famendas, como sejam :
ISetinetas mav ada lisas, o que ha'demrelhox
em gosto a 500 rs.
Setlneta preta adamass6, fazenda lavrada, de
bon gosto e muito larga a 800 vs.
.Merin5 preto fine a 10400, e supeior a 16800.
(Merin6 setim preto fino a 15800.
*Setins de cores finos a 1#400.
iSctim preto superior a 21500.
Fustio branco fino a 500 rs.
fSaias bordadas a 4, 5 e 6a6000.
'Completo sortimento de fichus.
E muitos outros artigos que 6 infadonho men-
eionar, e mnesmo nao A agradavel fatigar a pa-
eiencia das Exmas, leitoras.

Ouci veni h ?

E' 050 aqu a m Vde S eM .
Pois nuo sabes? estA veudenio l U is do
divemas qualidadesa emuito boutiU a040 x.
vwado.
PutSel de cores, saltasovida e!W,*
_jpelinas1 do teda, .ee* a &*t


wiaoesm


si U& da Imperawsr U.


1lcon a dito case,do vir apro
a. rieber, a aos devedoree vii
Ilitoo.,


Ab~dPC~duW1&9O em 20WGW 44 e 5
Dito, fiaenda muitoncorpada qu ew
re. cretono 2 va0. s a ,
Dito finance, amencano, fasds muito
fam e encorpad odern atW
Aigoddo enibstad. en 9 pahn 9 d4 lar-
gum par taozero4ea Semrn s6 pan-
no, metro a
Dito trancado eom a minesma largura,
proprioe para leancos e toahas do
mesa, metro a 1520
Bramante de algoddo corn 10 palms do
largura, proprio pars fazr enes deo
um sW pano, metro 1028t
Dito francez, send de linho, metro a
1,9800 e 21900V
Dito inglez deo quatreago au, edo
de linho a metro a 2A500 e 2A80(
Lreguelas proprias para lenomis, toa-
las, eeroulas, esendo faersda muite
Ieofpaa ada, eadsq a d co l o vasr
pra 10s800 e em vra ad cor 50s
Ditas com amesma medida a 800is., on
vara a 400
AtoUihado adarmascado para toahasma de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me- 1100
"oa, at 80
Assim eomo um complete sortimento do
peo as deo algediozinho americano e
ingleoz, que soe vende por pegs do d Ste 6000
Iste ua loja da esquina do becco dos Ferreiros
Casemiras de cores
doe :00 0 ate 6:0 rxa,
E row or Rua
Alheiro & Silva AI rua da Ilpraaptiz n .40o, ten
um imoenso sortimenato de casemira de cores,
tanto claras come seuras, qu e vendem a 25000,
2i500, at6 6A o covado, e dan mesmas mandam
fazem qUalquwinpoea d'obra ou costumes, por pre-
os muito ra oaveis, assim como ternm tambem um
iexplendido sortiento do casemiras e pannoms pro-
tos ate ao mais fino seda que vem so mereado, e
dos mesmos tambom so encarregarn de mandnr
fazer qualquer poqa do roupa A vontaae do fre-
guez e corn today a perfei$5o e prestesa : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vislta, a esquina d(
becco dos Ferreiros.
W o n r 160 f iesb
Os Barateiros da Boa-Vista vendegm muito b--
iitos linhos do uma s6 c6r e de olitrinas para
vestidos, sendo a 160 reis o covado edoe acres Lak,
isto na rua da Imperatriz n. 40,-erqoina do becoo
dos Perreiros.
EspartiHbs
a 46 e NOh
,,Aloja da rua da Imper a. n u venuuf ?
Muitos bons espartilhos -para senheras a 54000,
rntos para meninas a 4400W assim camo um ber
lito sortimento do fichuis a 35000; isto na loji n
qeiuina do becco dos Ferreirop.
Para festa


I



a


Popelie lisas, de Uetmei e lavradas.
deqfarou, eseose e las 6 &ir
A -pa as i e de liatras. ,1 ''*:1' .
.Grenadines de cores e pretax.
OCambraia bordadas e abertas.
V stuarios para meinois.
Leques.
Chip6om pamr senhora.
K Chitas liHsas e de cores.
Fichus de seda e dell1
K C4pas de malha de Il.
Para continuar
CoUlarinhos e punhos para senhora e houm.A di-
S versos feitioi
Camisas osem collarinhos e sem puuhos, mcorn Pa-
nhos e corn collarinhos e punhos para honk,
desde n.'35A 45.
Camisaa pars meninos desde n. 28 A 35; sem eol-
larinhos, de n. 32 A 35.
SCamisas, saias, penteadores, calas, golla e pu.
nhos para senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, brancas, de cores e pretaa.
0 Capachos, tapetes, alas, esteiras, bolsas, velludi-
Ihos, brings brancos e de cores, luvas, perfuma-
rias etc.. etc.
D Papoula & C.
S18 -Rua do CabugA-a9
Em frente a matriz de Santo Antonio

Alltenao
Vende-se os engenhos S. Joaquim e Pindobi-
nha, este da freguezia de Iguarassfi e aquelle da
de Jaboatao : quern os pretender compra'-, poderi
entender-se corn o BarAo de Nazareth, A rua do
Imperador n. 79 ; o negocio far-se-ha tanto a di-
nheiro como a prazo, conform o que se conven-
cionar.

Para vender
A dminheir, ou fianta idonea, vendo-se uma das
melhores casa de Afogados, bern situada, corn
grandes commodos para uma familiar que se tratet
circulada de tcrra~o, grailde jardim, born sitio (
todo arborisado de arvores fructiferas, quartet
para criados, gallinheiro, banheire e outros com-
modos : a frente 6 toda gradeada e corn portion de
ferro, tern nos funds sahida para a estacao da
ferro-via de S. Francisco, bons viveiros e coquei-
ral: quern pretender entenda-se corn o Sr. Joao
Duarte.
Pa, eI pintlado

para forrar salas de visit e jantar, quartos, al.
covas, eorredcres, etc. Grande e variado sorti-
mento per preQos extremainentc modicos
SEM COMPETITOR
acaba de chegar para a
Livraria industrial
A rua do Barao da Victoria n. 7
Veide.se as casas n. 19 e 21 'A rua Velha do
Santa Rita ; a tratar na mesma rua n. 55.

Para a quaresinma
Gorgurilo preto superior a 24 o covado.
Gros preto superior a 14300 idem.
Merin6 setim lavrado 14000 idem.
Setineta preta lavrada, o que ha de melhor nes-
te artigo a 800 r6is o covado.

Ro B Diio w aiias I. 62
Mendonpa, Primo & C.

Ha sempre novidades
RBa Duque de Caxlas n. SO
Casemniira chariol corn 2 larguras ninguem tern a
20 o ceovado.
Lindas chitas modurnas a 200, 240, 260 e 280.
Brins pardos lisos a 240, 320, 360, 400 e 500 rs.-o
covado.
Bramante para lentol corn 4 larguras a 800 ri. o
metro.
Casemira pekim a 400 rs. o covado, que pechineha.
Setinetas lisa. e lavrad.is a 360 rs. o covado,
aproveitem.
Popelinas corn listas de seda a 360 rs. o covado,
6 bern born.
Madapolao americano corn 24 jardas a 5$.
Dito Boa Vista corn 24 jardas a 65.
Cortinados bordados a 64.
Ditos ditos recortad s a 71.
Merin6s pretos a 800, 900, 1, 14200 e 1550
covad,.
Camisas brancas franeezas a 24 e 15800 uma.
Ditas de cretones francezas a 25, aproveitem.
Espartiihos corn couraca finissimos a 45500.
Meias brancas para home a 24800 a duzia.
isto s6 se vendor. E' barato


3FESZ-.AL 3F A03,


i





























WISSIVsp W~fWs&' jy~l^ iW-- .39.:-)Www]
}-|o. i' do nenhuma uti ad4e,
porMlo se me offerecia como um enigna
indcifravel. Por baixo do nonmie, vh-a'
iua eseuie dotragos 1bifureando-se em zig-
Wentremiando-epara direita
para a esquerda, divididos em ramifioa-
gae, no fim das quaes so achavam peqpc-
nos quadrados. Desses quadrados havia
um asaignalado corn urma cruz. Corn
certeza era uma plant ; mas para se ser-
vir dlla era precise primeiro conhecer a
sua razr o de ser. Para qualquer eventua-
lidade metti esse papel no bolso. Urma
hera mais tarde, corn Croutot debulhado
em lagrinas, acompanhei o corpo do vis-
condo ao cemniterio.
Depois de um curto silencio. Vasseur
proseguio :
A' noite, a curiosidade de tornar a
vet o lugar onde tinha comecado o drama,
levou-me ao Frascati. A primeira mulher
quo encontrei foi Suzana, que devia estar
A minha espera. Dirigio-se a mina mais
esplendidamnente bells do que nunca e corn
urma voz commovida, disse-me:
Amo-te ; queres-me ?
N1o, despreso-te.
Ella empallideceu a esta resposta, e cer-
ta da sua cond mnago, patio corn urn
pass vacillante. Por que singular ca-
pricho da sorte, aquella mulher, que de-
testava e zisconde loucamente apaixona-
do por ella, se apaixonava por mirn,
q5e s6 sentia por ella uma repugnancia
iavensivel ?
Tres dias depois sahi de Paris.
E nunca p6de descobrir quem era
Julia ? perguntou Meuzelin.
Nunca! mas. guardei sempre com-
migo a tal esspecie de plant que tom o
sou nome.
E meneiando a uabega, Vasseur ac-
crescentou:
Tive sempre desconfianga de que
Croutot havia roubado a carta emquanto
eu estava distrahido corn o doutor que ti-
nha vindo vet e muribundo.
Meuzelin replicou sorrindo:
A sua desconfianga p6d e serm reeeio
transformar-se em certeza, porque foi o
anao mesmio que fez o roubo. E' um
grande patife o tal Croutot. Disse-lhe-
que set a sua historic. Ougam, you
contal-a.
Mas em vez de contar a sua historic, o
policial levantou-se depressa e sem baru
t1o, e sogredou ao tenente :
Desta vez tenho a certeza, ougo al-
guem resomnar, e o ruido nio vem do
vestibule eade estlo Lambert e Fichet-
Olhe, vemt d'ali!
/E dizendo isto, Meuzelin apontava pars
umra das paredes do quarto. Os dous ho-
mens calaram-se.
Ouviram entao um ruido corn intermi-
tencias regulars, sobre cuja natureza nao
era possivel haver engano. Era pobitiva-
mente um ronco. Nas pontas dos p6s
Meuzelin aproximou-se da parede do quar-
to de onde, segundo dizia, partial o ruido,
e applicou o ouvido.
Fez signal a Vasseur pars que viesse
devagar ter corn elle,o e quando estava bomrn
proximo, disse-lhe:
Nge ha que duvidar, e aqui que esta
a port per onde a nossa Suzana puz-se
as fresco:
E- Ento eata ports abre para um es-
ewon *j aem ialds, pois que a falsa con-
seaadormeou, iffirinou o tenente.
-- Oht iss o policial rindo, nesse ca-
so teria valentes pulmoes. Nao, 6 um ho-
mem, e ali esta o ponto mya6erisoB da
cousa. Como, em vez do umrn sutlher,
6 Umrn mem que so acha agora do outro
lado da ports?
Sem duvida Meuzelin julgava que o me-
Ihor meio do ter a solucgo d'este problems
era di~ir-se ao roneador em posses, poise
que seip av ao tenente:
I^^ II1!- ^ ^ Ii --


FOLHETIE


AMOBR MATERNO
PFOR
JULIO At


A PAUTEI


~VA~


.d n.:57)


urm
i ex


0 rwsomnar augmentava sempre, suraI
e continue.
A esto ruido, que so fazia onvir e m um
quarto onede s6 estava Mezeliu, perfeita
mente acordado. Fichet, que caihia de
somno, teve uma suspeita: :
Serei eu que eston a resomnar sem
dar por isso I? perguntou de si pars si.
Entretanto Meiuzelin dizia ao ouvido do
tonsure : : ::
Descobrio mecanismo. 8.iple.
me aguaa. Calmar ,-0omPe li eI,
do asoalho. Dig aos aseus hoe q
tirem os cordles das rortinas. fI r e
consa melhor, o nosso dorminhoco ha de
perdoar-nos portel-o amarrado corn cordas
de soda.
Na guerra come na guerra.
Dito isto a sorrir, voltou paras o tabique,
prompto a fazer trabalhar a mola sob o pe-
sado p6 logo, que Fichet e Lambert esti-
vessem preparados para amarrar o home,
a quem preparavam aquelle despertar de-
sagradavel.
Cm um abrir e fechar d'olhos, os cor-
does estavam nas males dos gendarmes,
que corn Vasseur se approximaram do po-
licial.
Attenglo. pareceu ordenar Meuzelin
corn o olhar.
Quando corn um signal de cabega todos
responderam a este convite sileacioso, le-
vantou o p6, pars collocar em cima da
mola.
O 0 Belle Francisco, exactamento n'a-
quelle memento estava sonhando agrada-
velmente. Gragas saos quatro cents mil
frances arrancados a Cardeuc, via-so ante-
cipadamento na cazinha zahalia da.RA
quanto guilhotinavam os seeus cumplices,
elle, bern tranquillo, s6 tinha um cuidado,
colher o seu trigo. Que existencia feliz !
Bsa mesa! bom vinho I Adorado pela
sua governante, que o engordava, o pen-
teava, o vestia. Por um nada ella lhe sal-
tava ao pescogo, e, rodeando-o corn os bra-
gos, dizia-lhe: amino-to.
Exatamente n'este memento do seu so-
nho, -o Belleo Francisco sentia suan mulher
pendurada ao pescogo, e apertava-o corn
tanto enthusiasm, quo aquelle excess de
ternura, que ameagava estrangulal-o, acor-
ou o feliz esposo em sobresalto.
Eate despertar estava longe do conti-
nuar o seu sonho.
Tinha effectivamente o pescogo aperta-
do, mas em vez de sert pelos bragos bran-
cos o redondos de uma esposa, era per
uma maoe secca e vigorosa.
Em vez das palavras-amo-te, ouvio
urma voz pounce meiga quo aceentuava em
torn de ameacga:
Estas motto so resistes.
Resistir! Podia-o per aelbfo, quando ti-
Ana: as males amarradas corn cordas?
Quando o trabalho de o amarrarem terot-
minou, o agent soltcu o pescogo do colos-
so, que soltou urnsma praga energica.
Levantado polos pls e pelas bragos foi
tirade do seu escondrijo e trazido pars o
meio do quarto.
JA fazia dia, ainda neo muito clare, mas
o suffioiente pars se powder reeonhecer as
pessoas.
AhI 6 o nosse querido amigo o Bello
Francisco I exclamou Meuzelin ironica-
mente.
O patife nio era d'esses imbocis que
perdem imprudentomente o tempo a soltar
no primeiro moment deo .oro exclama-
goes cocmpromettodoras. Sabia que se a
palavra e prata o silencio 6 ouro. Mas so
estava.resolvido a nto abrir a bocca, des-
forrava-se em fazer reflexes intimas,
Onde jA vi eu este elephant? per-
guntava a si mesmo, olhaudo pars Meu-
zelin.
0 polioial refrescou-the a memoria con
tinuando:
.- Entao, torn sompre paesado bem oe
Belle Francisco, desdo urna certa noite em


nario apoderou-se dos seus
velvendo-os, apertando-os,
menor movimento...


memuros, en-
vedando-lhes o


A vida ia-se.
Elles o eomprehlenderam, porque os sous
dedods apertaram-se corn um esforgo supre-
me.
Paulo murmurou urma ultima vez :
Eute anb!
E Adriana responded :
Eu te amo e morro bemrn feliz.
Eos douns perderam e8 sentidos.


* '- 1; 111
Albina Miranda tinha orrido comeo
ea sktravbs dos Campos.
Nao tutih ouvid6 Aem visto o il0ho.


* -.m&.
ra oI*
1- 1i


lou-'


lho, dirigk-so pa-


lar.
Ell e que nio queria a principio dizer
urma palavra, comprehendeu a neoessila-
de urgent de mover a lingua, e come-
gou per esta phrase que parecia urma pro-
posts.
E so eu Ihe disser quem 6-o misera-
vel que procuram e que so esconde corn o
alcunha de Corta Cabeqas.
Mas immediatamente viu que naotliula,
aecordado muito cedo; ouvinde Meuzelin
exclamar:
Corta Oabeas, o rendeiro Cardeuc,
ou por outra o Porco Montez... Se 6 a
elle que to referees 6 muito tarde, man ra-
paz. Offerece-nos um rate qu,,jA'estA
W.Vffteia. Qua fi n hIA O'S VWA _*fiy IftD
o Paio em p Um rn- esn quo e
toern corn eatas conusas? Eo 13 Fran-
ciseo admirou-se, quando ouviu o 'tesunte
dizer:

Sim, 6 muito tardo, Bello Francisco,
como scabs de dizer o cidadlo Meuselin.
Este nome entrou como urn ferroeem
braza polos ouvidos do colosso. Seoalo,-
nhecia a peasoaes, nao ignorava o notnme que,
ha mats de um mez, se repetia corn terror
centre os incendiaries, come um dos inimi-
gos mais terriveis.
'-- Vasseur e Meuzelin, disse e tte corn-
sigo corn terror! posse desdeji.eoncide-
rar-me corn o pescogo cortado. 0 suor
frio e o tremor voltaram-lie mais inton-

Pars o policial, era sabido quo o crimi-
nose quo se atemorisa deixa-se condemnar
polo sea modedo. Abandonou o bandido e
chamando Vasseur poas um canto, disse-
The baixo: .
E' precise antes de o mandarmos
para Chartres saber porque o come elle se
wchava per traz da p)rta secrets.
Talvez tivesse ajudado Suzanna na
sua fuga e ficasse de sentinella para sa-
ber do que se faria depois, disse o te-
nente.
A cavar! a cavar! pepetiu o poli-
cial.
E olhando em seguida de revez pars o
rosto do prinioneiro atorrorisado disse :
Oh! oh! desconfiemos! 0 scelera-
do teve umna id6e co quoe se alegrou.
Corn effeito, noe tiaha side urma idea, mas
uma recordagbo que accudiu bruscamente
ao Belle Francisco, e em substituigio ao
medo que o convulsionava, via-se uma es-
pecie de alegria no rosto do gigante que
reflectia comsigo dizendo:
Estou salvo !
Depois disse alto e um pouco motefa-
dor:
Partamos pars Chartres, exclamou
elle.
Havia um tal accento de desafio deade-
ahoso no tom do Belle Francisco, parecen-
do ter press do ir pars Chatres onde, ea-
tretanto elle sabia quo o esperava aai
hotina, que MeuzeliA Atsejando ao Ion-


Mas antes qua o done dis forijas roepon.
deae, appareceu Mathilde, e, sem mesmo
ver Albina, diriglo-se ao pal, dizondo:
Meu pai, o que houve ? onde estA
Adriana ?
Adriana ? pois nao estA no seu quar-
to ?
Ngo esta em cass. -
Entretanto, nbo ha ,muito que pare-
ceu-me ouvir o 0eu cavallo.
-- Eatou prevendo umas degraga.
E, de repent, a marqueza avistou Al-
bins, que tinh&a recuad; do a vie.
A senhora t a seuhora, ,aOui= I
Vim procurer meu filho, disse a cam-
poneza em voz rouca, Asim como a se-
nhora n'este moment procura sua fl6.
*Queirm.lea que os ows .s;lhoes- n a-soe
tenham 'encoatrado, porque,. n esse 'caso,
senhorm talvez tenha q"Iprobrar-se uma


s criados, iterrogou-oa, pal-
corn afronte molhada do

roe a quem s srigio-se nadaoitBo

Itrn. -quo -&s


deseedentes e qUo qieremos contentar-to.
DYaqui a einco minutes o tou negooio esta-
rA concluulo7. '
Dirikiada-"e entao a-Richet e a Lam-
bert:
VamosI lovem-me para o parque ea-
to rapaz, to imnpaciet Bdeixar este val-
le de lagrimas.
Os dons soldados levantaram o bandido
do assoalho e puserami-n'o do p6. Mas
n'esta posieao vertical, o Belle Francisco
tinha perdido miUit a sua expressao do
firmeza.
Mas deveras iati metter-lhe doze balsa
Ao eorpo? Queixou-se do ter tornado uma
sopea fria, e za pars ihe no ser agrada-
vel duo uma a ferverI
Era ease, portainto o verdadeiro doomen-
to, ou nunaca mais, do descobrir as suas
baterias escondldis. Por conaequencia den
amLprofunda suspiro.
L- Jhtis arrepeudido ? perguntou o po-
licial ingeuamente.
0 coUosso tomott um ar triste, e disse
corn a voz coaimovida.
Nao 6 da minha sort que agora se
qucixo.
De quem entao ?
Em vezi de responder o gigante, soltou
aum segundo gvoido, e a meia voz, mas
de maneira a set ouvido, Murmurou :
Pobro,.Gervasia!
0 patife lembrara-se a tempo de um in-
cidente do principle da noite. Quando en-
trouna estufa carregand. Gervasia, que
tinha levantado debaixo dajanella deo onde
so precipitara, tinha ouvido nma voz de
mulher gritar daquella mesa janella, a
Vasseur.
Procura a tua querila Oervasia, Vas-
seur maldito! e se encontrares, ha de ser
puando 0o bandidosjA nuo quizerem mais
os seas amores.
Assim, se Vasseur amava OGervasia, a
moga era um trunfo no jogo do Bello Fran-
cisco, que podia salvar a suaa partida com-
promettida. Eis porqu., sentindo-se nos
ultimos extremes, acabava do atirar o dito
trunfo sobre a mesa.
0 effeito do noie foi instantaneo sob
Vasssour, que estremecendo de emoglo,
exclamou:
Gervasia! disseste Gervasia ?
Sim, Gervasia, unma pobre moga que
esta noite encontrei moribund perto do
Castello.
Eras tu! Pars ended a levaste ? Ain-
da esta viva? perguntou Vasseur offegan-
to da angastia.
A' vista da perturba* o do tenente um
lampejo de satisfagbo brilhou nos olbos
do Bello Francisco.
0 animal sa&e que nos tern seguros,
e vai impor as suas condigces. Corn os
diabos! era urma boa press! Que pens ser-
mos obrigados a soltal-o: disse consigo
Meuzelin que sorprendeu o olhar do col-
lease.
losso.
S Respone I responded I repetio febril-
mente Vasseur, sacudindo o BBello Fran-
cisco que agora julgou util conservar-se
zcailado.
0 bandido s6 tinha urna boila que ati-


Ella-estA -em.Lesguiily.
A marqueza correu ao quarto da filha,
impellida per um presentimento, abrio a
ports e correu os olhos pelo quarto.
Estava vazio.
A escuridbo a impedia de ver. Mathilde
mandbu vir urma luz.
Na pequena secretAria de Adriana, vie a
carts que a menina tinha deixado, rasgou
o envelopp e alou-a febricitante.
Eswascarta dizia:
SMiuha querida mai, oaeu querido pai,
eacontrei Paulo, e Paulo contou-me tudo.
A Serm elle, a vida me seria pesada.,
Paulk estiA resolvido a morrer. Quero mor-
rer eom elle.
Perd6em-me o grand desgosto quo
Ihe you causar, e' adeus.
Mathilde det umn grito e correu pars
mostrara carta a Rev ron.

S a ostA em Loeaguilly tom Paulo,
disse o velho... nto percanos um minu-


tot..'.. TalvezjA'seja1
aida cheguemot a ten


tarde'!.... Talvez
ipo de salval-os...
ilheres e o done das
um de mandar sellar
^a, )iugararn-Beopetasj


mais


Comprometto-me a dar-te quarenta
o oito horas pars teo deixar pOr ao largo,
acerescentou Vasseurj lgando per esta con-
cesso ,deecidir o seu hainem!
Elle, porem, meneou a cabega e corn
Sum tomrn de desalento:
-Para que a liberdade? disse ello.
Para ir tremer em um canto corn medo
de ser agarrado outra vez ? Pars continuar
uma vida criminal do quo estou cangado?
0o born ladrbo aobre a cruz nao devia
ter umar mais arrependido do que o Belle
Francisco as pronuaciar estas ultimas pa-
lavras, Pkrecia tAo hbem, star farto da
sisua vida criminosa qae poder-se-hia al-
guem enganar-se corn o torn corn que ac-
cresointou:
-,Sim, aceitaria a liberdade, so al6m
do co,.promisso de me deixarem tran-
.quillo, me asssogurassem os meios do ir
regewar-rme em lugar longinquo, bem
longinquo. Meuzelin ardia de raiva, ovendo
o Belle Francisco impOr as suas condigces
ao tenente. Mas jA tinha dito : estavam se-
grroas! Per isso quando Vasseur o consul-
tou corn um olhar que entorcedia a favor
d|8 Gervasia; elle responded corn unm olhar
quoe dizia: Eacutemol-o, meu pobre te-
nente.
Feudado nests approvagbo do' amigo
que Ihe sacrificava o seu dover, o tenente
prosegvio:
Offerego-te a impunidado e mil escu-
dos, so quizeres dizer onde estA Gerva-
sia?
Ahi 6 que pegava o carro para o gigan-
te. Bern difficil Ihe era dizer ondo estava
a moga. Julgou tirar-se da difficuldado di-
zendo:
Por esse'prego, consinto em trazer-
lhe a gentil menina.
Eh eh disse vivamente Meuzelin,
nUo confaundamos, men humein. Nao se
trata de nos trazer Gervasia. Nao te pe-
dimes tanto. Iedica-nos s6mente o lugar,
e quando IA encontrarmios a moga terAs
entao os escudos c a liberdade.
O bandido ergueu-se belle de indigna-
gAo, perguntando corn urma voz secca:
Niao t6n confianga em mim ?
Mas nenhuma, mesmo! artijpulou o
policial.
Davidar delie I Per isso agarrando A
suaa dignidade offendida, disse corn um tom
molestado:
Conduzam-mo ao pelotlo.
E hem persuadido que o tonente is de-
tel-o outra vez pars aceitar as suas condi-
coes caminhou pars a port.
Mas nAb foi Vasseur que lhe suspended
os passes, foi a entrada subita de um gran-
do diabo magro que se precipitous na sala
exclamando :
Annuncio-lhes a visits do general
Labor. Toda a noite dei-lhe queo fazer;
mas desdo o romper do dia, nuo pAra, e
quer per forga vir saber noticias da con-
dossa de Meralec.
Meu bom Bernab, a pretensa con-
dosesa de Meralec escapoui-nos das maes.
Em seau lugar s6 tomes que apresontar o
o Belle Francisco, annunciou o policial
mostrando o prisioneiro, '


ea s6 se leminbrava d'esses dous jovens, que
talvez estivessem mortos.
Albina Miranda bateu a ports.
Ninguem responded.
Chamou em voz suffocada peelo susto :
Paulo, Paulo, sou eu, respoade!
Nenhum ruido revelou que ella tivesse
side ouvida.
Entbo, os tres atiraram-se contra a por-
ta,- que cedeu.
Aberta esta, elles recuaram.
Um cheiro asphyxiante tirou-lhes a res-
piraglo.
A hesitagio, por6m, pouco durou.
EntAraram no quarto.
eov6ron, corn o punho, quebrou os vi-
dros da janella, e as mulheres chamaram
os criados, que levaram luzes.
Viram e espectaculo sinistro.
0 fogareiro, aquecido., alli estava no
meio do quarto.
SReverou tomourn-o, queimando cruelmen-
toeas. maoes, e langou-o, pela Janella, no jar-
dim.
io canap6j, Paulo e Adriana estavam
estendidos ao lade um do outro.
Pareciam dormir, to calmos estavam.
Mathildo tomou Adriana nos bragos...
Albina Miranda procurava levar o filho
par ajanella...
Fei s6 entao, quando procurava cads <
um levar o filho para a janella, que per- i
ceberam que elles estavam corn as milos
atadas. r
Rev6ron corteu o lengo que os ligava.
Como era o unico que conservava osan- 1
uefriqo, desceu aojardim, montou n'uma
"ava em pello e 0 pobro homerno correu
fy em buses de umr medico, que i
Ss iz prpa.
'pduas mbin, lividav, aem urna lagrima,
'"444 seiU~do uma ao lado da o'dra,
XSl |d#-_om' Adriana ins bragos, e Ai-A N


Niao era muito versado nas convenien-
cias pars corn o bell sexo, o bom do ge-
neral, que se apresentava nos aposentos de
urma senhora, ao romper do dia. Verda-
de 6, que tinha per desculpa o seu cuida-
do pela saude da condessa, quo tinha visto -
na vespera perder os sentidos, sob a forte
emogAo, alegro ou desagradavel, de se
achar do repents em presenga do marido
que regressava.
Desde a entrada do'general, o policial
reassumio o seu papel de marido affectan-
do um ar tristonho.
EntIo Sr. de Meralec, cowo vai esta
manhI a Sra. condessa? perguntou La-
bor...
Mal! general, mal! suspirou o poli-
cial corn um torn dolente; a noite foi mai-
to agitada e nao p6de dormnir... Afinal,
ha uma hora que adormeceu.
E proseguio muito contristado.
0 abalo de hontem foi violent. A
alegria de me tornar a vOr produzio-Ihe um
grande cheque. Doevia ter annunciado o
meu regrosso, 6 evidence, mas podia eu sa-
ber que era tio adorado per minha mu
lher? porque ella adora-me. 0 general-
pode verifical-o quando fiz a minha appa-
riquo.
O general que nao admittia que houves-
se no mundo ninguem mais irresistivel do
que elle. ficou escandalisado corn a fatuida-
de d'aquelle barrigudo, d'aquella especie
de monstro, quo tomava urmas maneiras
affeetadas, dizendo-se adorado per sua mu-
lher.
-Eu to ensinarei! disse ell e comsigo,-
comparando em um espelho a sua estatura
de athlcta corn o todo grotesco d'aquelle que
julgava ser o condo de Meralec.
Entretanto Meuzelin tinha continuado.
A condessa ha de ficar sinceramente
lisongoada, quando ao dospertar eu Jhe com-
municar o interesse que o general testemu-
nhou pela sua saude.
Depois, come tivesso press de ver La-
bor favoreeel-o corn a sua attsencia para
reatar a entrevista corn o Bello Francisco,
Meuzelin levantou-se pars acompanhar o ge-
neral.
Elle, por6m, neo comprehendeu aquella
maneira deo p6r fim A sua visits. Long de
pensar em sahir, conservou-se no mesmo
lugar, dizendo:
Alem do prazer de ver a condessa
restabelecida, um outro motive me fazia
dosejar ser recejdo per ella.
Poderei ser seu interpreted junto de
minha mulher? E' cousa tio important
que me seja precise ir aecordal-a, pergun-
tou Meuzelin, sentindo-se inquieto.
Desejando muito fazer Labor fallar, fez
corn los olhos signal a Vasseur e ao Vira
7Wpas para que o deixassem s6 e fossem
reunir-se no vestibule a Fichet e a Lam-
bert que ja huviam voltado parsa o seu posto.
De que se trata ? continuous o policial
depois do so terem retirado os seus does
companheiros.
Oh I neo 6 urgent. Esperarei que
suaa encantadora esposa me possa respon-
der dissoe o gene.ral.

(Contin4a)


E foi assim que as encontrou o velho
doutor Corvigny, o mesmo que, vinte eo
cinco annos antes, tinha side chamado pelo
juiz do instrucgeo pars examinar o cada-
ver de Gaspar de Lesguilly.
Mandou levar Paulo e Adriana pars um
quarto ao rez do chlo, onde o ar era 'mais
pure, nil estando viciado pelo acido car-
bonico.
Depois, auscultou o mogo e a memnnia.
Era essa uma scena estranha o profun-
damente commovente.
Diante dos corps de Paulo e Adriana,
estendidos no tapete quo cobria o chbo,
Albina Miranda e Mathilde Reveron eats-
vain de joslhos, de ramos postas, debruga-
dos, de olhos dilatados que. nio se arreda-
vam um instant do rosto do doutor e pro-
curando ler alli o que ainda podium espe-
rar.
Estavam perto ura da outra... tao per-
to, que os seus vestidos tocavam-se.. .
Nao viam uma A outra. "
Por trb.s 'llas Rev6ron, teo pallido co
me as duas mulheres, tio dolorosamete..
imptssionado, estava em p6 esperando,
elle tamboem, a sentquga que o medico is
pronunciar. -
De repento o Dr. Corvigny levantou4e,.
Demorou-se calado ainda um moebuto,
como comprehendendo a gravidado doil
ia dizer.
EntRo, as duas mulheree, iOmpeHIig4< o
nesmo sentimentoe, comi*'P a
custia, olharam-se. Eyemluuto-
tago subio-lhes A garganta, S
apertaram-so conVuivami',ro0te
conciliaglo supreme, com P6,e
hamt.so apertado as a dM A
ima tupremina C
0 doutor ditnesmapeuas W,
-Chogam st^ ,:l i
Tat-Oi A


II'




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDK6EE5VW_5XWTUL INGEST_TIME 2014-05-21T14:39:11Z PACKAGE AA00011611_14507
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES