Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14441


This item is only available as the following downloads:


Full Text
































TELEGRAIMAS




RIO DE JANEIRO, 24 de maro, is 3
boras e i-5 minutes da 'tarde. (Recebido
iA 5 bwae .e 15 minutes, pela linha terres-
tre.)

a""" a discutirrares-
po t-mi- 4 do Ibhroo.
A Zmuma doea DeputadoS. -que
fieoloIm bloje, Ecconheceu o po-
deisme degmites deputado::
Ijo district do Plauby, Dr. Candi-
Sdo ill CastMeo Braneo (L);
8.0 district do CearaB Dr. doss
PonIUDo d'AftAquO5egwe Cavalcante
(L) i
9.o afitrictda JDabia Dr. Jolo dos
Bela de Moaza Jantas rilho (L) i
1.0 diErlcto do E(pieIto Santo, Dr.
Leopolde AuKImto Deocleciano de
Mello e .nha VW,, send o:respecti-
.vo panwer appmrado em votacfio
nominal #r 44 contra 42 votos;
1.0 distrieto do Dio de Janeiro, Dr.
.Aifredo. Cajillo Valdetaro (L) ;
.o distrieto idem. Dr. Aduipho Be-
aIerra de Uemezes (fW. send o res-
.I#fivo parecer approvado-emI rota-
.:oaoomilnal per 50 eowita a Svotos.
1.o district de S. Pumlo. conse-
lbeiqp Manoel Antonl RDuarte de
Aaevedo (C);
,.' sotrlcto do Minas 4eraes, Dr.
Apt.nof Jautinalo dam stagas (C):
d.o jistricto ideWan. Dr. Joaquim
BDmpo,4o elro da Luz (C) ;
..o <4Ctricto ideI Dr. Alaro oDo-
lelbo (11l.
FTl..4palmente ainnliadoo di-
plonea cptferldo ao Dr. TbO4maz
&Pomlno 4 e Souza Brasil (L) pel
,.0 dftwhqttO o Cear*. sendo appro-
w.ado o yotpem .separado dla miorla
At lI.a rmfpipV. ao de inqaerito. re-
cosbecemdo ceamo eleito polo refe-
ridj dirts4Atp9 pDr. Netton da Fran-
Ca,#jenca .L)..



SB7I3D&i=~CIA 51v5

(Especial para s Diario)

CAIO, 23 de niro.

,endo Aid o0 e rceito Anglez de
04uakim A&aeado pelas (ropas de
oMan DigMa, iufligl&o a e$AaS uUNa
ejipleta derrota. dpiterIdtoando-
Uies 8iaades perdas.
0 exerelto huigles apeaMi tey 56
ImOB8IUB morto e 17o feridos.

PAS 23 de mars0, & tarde.

UtiOnIetO que deve 5er erigi-
do eMb-bljra de Gambetta *erab eol-
oeado no .Square da praea do Car-


Agdia Hmara, filial
24 de margo doe 1885.


em Pernamnbuco,


INSTUCCIO FOPULAR


PEDAGOGIA
(EPr&ahida)

A PEDAGOGIA NOS TEMPOS MODERNOS
(Coittinmaaso)
Pestalozzi foi o pouto de partida da evolueao
pedagogica : se essa evolugao nao tern sido sensi
v 0l no fundo, na form tern variado constante-
monte.
Os principios diffuaadijdos por elle nso mudaram
ainda, no fundo : os prona, as formal, os metho-
do#, quooe sl o compe d'eassa doutrina, teem
sido estudados, desenvolvidos e aperfeigoados, em
todo o mundo philosorhico.
Bulnto e estudmiosos talentos teem trazido
para as questoes do ensino o fructo sazonado de
Sus aturados estudos; uns menos aceitaveis por-
quM -a pratica nio Ihee tern acompanhado a theo-
isa, bo succumbido no campo das experiencias,
deiando aquis a&I* um ponto luminoso, que 6 a
dMa util aceita peles homes do ensino pratico;
ttos, logmm ver a sua obrhma coroada dos mais
lees moelhorada poles professor,
a il orimanmaa, ao estudo da edueag o
e '. -AU m ,a de~
da q j i cado largas vigilias.
Ia oi w w olhos, om a rapidez de
.. ;.0 Ilhe o e spago, sobre emis
*!q1 jarz-a que so maenos figu-


bath Uo n tiu quid de o autar-se, por atsim
dizer, a ama reseaki do nomes.
Evuquanto 09o priicipaes segaidores de Pestaloz-
zi, e, quasi podemnos dizer, seas emalo3 Felbuberg
e Girard, um ecm Hofwyl, outro em Friburgo, or-
ganizavam as escolas e os systems de ensino,
Bell e Lancaster organizavam, um em Inglaterra,
outro na America, quasi ao mesmo tempo, o ensino
mutuo.
(Contiwnaa.)

;t TEOFiL


Gowerao da Provlcia
PXP5DJXZZTE DO DiA 13 DE MAB?'O-E 1885
Actos :
0 viceopreidents da provincial eou executao
da lei n. 2,^96 de 10 de setem'ro de 1873 resolve
nomear para preenchimento das vagas existentes
no 8.0 batalhlio do serving active da guard nacio-
nal da comarca do Recite os seguintes olciaes :
Estado maior
Tenente quartel-mestre, Vicente Gongalves Fer-
reira Costa.
,.3.8 companhia
Tenente, Manoetlsidio Gomes do Nascimento.
Alferes Austrieiciano Coutinho Ponce de Leio.-
Communicou-se ao commandant superior.
0 vice-presidcnte da provincia, attsadendo
ao que requereu opromotor public d% comarca de
Panellas, bachaz4el .Joaquim Rodrigues Villares
resolve conceder-the dous mezes de licenQa para
-tratar de sua sa4de, send um mez e doua dias
orn o vencimento a,,gi tern direito e vinte e oito
dias provisoriamente scm vcncimento algum.
0 peticionario deverA tfntrar no goso da reo4ri-
da licenma no praso de vinte dias.
0 vice-presidente, da proviucia, de conafo-
maidade corn o disposto no art. 1.0 7.0 da leia.
2,088 de 20 de sotembvo de 1871 resolve nemear
Bejamimrn BeltrAo de Ajencar para o cargo de ad-
junto do promoter publiee da comarca de Ouricu.-
ry.--ommunicou-se ao juiz de direito.
19 vicc-presidente d provincia attendendo
ao que requereu Rufina Demetria de Souza, pro-'
fessora da cadeira de ensino primario de Bebedou-
ro e teaso em vista a informagio n. 80 de 3 do
corrente inez do inspector geral da Instrucago Pd-
blica resolve conceder A petiaionaria trees mezes de
licenca corn ordenado na fOrwa da lei para tratar
de sua saude onde lhe cenvier.
0 vice-presideate da provincia, tend em
vista a proposta do administrator dos Correios de
26 de fevereiro ultimo, sob n..174, resolve, nos
terms da lei n. 2,794 de 20 de outubro de 1879,
exonerar Antonio Gonalves Triatlo do cargo de
agent dos COreios da villa, de So Bento, e no-
mear Umbelinaide Hollanda VaIeM a para substi
tuil-o, resolve, ie aecordo corn a mesma proposta
nomear AntonioCOesar de Menezes .Cysneiro para
o lugar, que se aeha vago, de ageote do Correio
da estago de Tiqpboassu.-Commqunicou-se aso ad.
ministrador dos Corneios.
Officios :
Ao Sr. Viscople de ParanaguA, president
da Sociedade de Geographia do Rio deJaneiro.-
Aeeaso o rccebimento do officio de 28 de janeiro
findo em que V. Exc. em virtade da deliberaao
tomada por essa sociedade solicit desta provin-
cia umn auxilio de 2:009000 para a improsIo do
dieionari-o geographic conteccionado pelo.baeha-
rel Alfedo Moreira Pisto,
* Em resposta tenho a satisfaao de dedlarar a V.
Exe. que nrio s6 submemi o pedido A eonsideragio
da Assemlha Legislativa Provincial mas tamnbem
que envidarei todos os meios ao meu alcance arm
d que seaa satisfeito o meueionado padido.
Aproveito a occasion para signifcar a V. Exe.
os meus protests de subida estima e distinota
consideraCo.
Ao conselheiro procurador da corsa. -Soli-
cite de V. Exe. seu illustrado parecer acerca do
pagamento de eustas requorido ao Thesouro Pro-
vincial por D. Vieencia Perpetua Freire de Arau
jo, de que trata o inspector do mesmo Thesouro no
officio junto de 6 do eorrente sob p. 441 acompa-
nhado de documents. ,
Ao inspector da Thesouraria de Fazende.-
Mande V. S. ajustar contas e passar guia de soc-
corrimento ao alferes Serafim Jose do Yalle que
destaca pars o presidio de Fernando de Noro-
nha.
Ao mesmo.-Mande V. S. ajustar contas e
passar guia de soccorrimento ao alferes Mauricio
Antonio de Lemos que vai reunir-se ao 1.0 bata-.
lhbo de intantaria, para o qual fora tranferido.
Ao mesmo.--Declare a V. S. para os fins
conveniente que de couformidade corn a sua infor-
maeo, n. 52, de 23 de janeiro ultimo, proferi hoje
na petiAo de Candida Lourenca de Lima, o se-
guinte despacho :-Estando provado, pelas infor-
macses prestadas que a supplicante nao deu a ma-
tricula especial, creada polo decreto 4,835 de 1. de
dezembro de 1871, as eocravas Maria e Gertrudes,
sao estas consideradas Jibertas, de conformidade
corn o art. 19 do dito decreto, salvo segundo o
meio de provar o dominion sobre ellas e que nao
houve culpa de sun parte.


A vista d'isto nao p6de ser indemnisada do va-
lor d'ellas porconta da 5.a parte do fund de eman-
cipago. Nao podendo tambem pela razao expos-
ta ser considerado ingenuo o menor Joao, filho de
Gertrndes, e como tal matriculado, mando que
seja inutilisada a respective matricula.
Ao mesmo.--Maude V. S. pagar ao bacharel
Eutropio Gongalves de Albuquerque Silva, nomea-
do juiz municipal e de orphlos do term do Bre-
jo, a que se refere o aviso junt) por c6pia, a quan-
tia de 1701400 emquinto arbitrei a ajuda de cus-
to devida ao mesmo juiz em vista do decreto de
que trata o mencionado aviso.
Ao mesmo.--Commuuico a V. S. que nomeiei
hoje, de conformidade corn o disposto no art. 1 9
7o da lei n. 2,033 de 20 de setembro de 1871,
Benjamin Beltrmo de Alencar para o cargo de ad-
junto do promoter public da comarea de Ouri;
cury.
Ao Dr. juiz do orphbos do Recife. -Declare
a V. S. que, tendo ouvido ao inspector da Thesou-
raria de Fazenda, e de conformidade corn a in-
forma*ao por elle prestada em 23 de janeire ulti-
mo, sob n. 52, proferi hoje na peti ao em que Can-
dida Lourenga de Lima podia indemnisacao do va-
lor das escravas Maria e Gertrudes por conta da
5a quota do fundo de emancipaoe, o seguinte
deapacho : a Estindo provado, pelas informagoes
prestadas, que a supplieante nao deu a matricula
especial, creada pelo decreto 4:835 de 1 de dezem-
bro dc 1871, as escravas Maria e Gertrudes, Ilo
etas consideradas libertas, de conformidade com
o art. 19 do dito decreto, salvo segundo o mroeio de
provar o dominie sobre ellais e que nao houve cul-
pa de suan part.
A' vista disto nao p6de ser indemnisada do va-
lor d'ellas per conta da 5a quota do fund do
emancipa*ao. Nao podcndo tambem pela razao ex-
posta ser considerado ingenue o menor Job,. filho
de Gertrudes, e coms tal matriculad", mando quo
esja inutilisada a respectiva matneulo. :
a*- Aos membros d jnnta dasificadora de es-
ctvos de Nazareth. --pprovo a clawsifica o qae
Vines. onviarasm po 4p m ooffio de 1 o
Corrente, pruma applitaS da 6a quota do d
deo aawi .od M d aormMOiI=, ObI 0. 40o i
Ii"A- f .;JlBt Agodel. .e ,J
*fttdiktatf-^a^Mi a s-Atai fisaLd am~wu


te do termno de Gamalleira.-De posse d9 otffidio I exmzmu DO DIA 14 OD RaXo Dn 1885
de Vmc. deo 10 do corrente, declareo-lhe que tendo 6ffimos:
sido attendida por ease juizo a reelamiieo aprod Ao i"opector da Thesouraria de Fazenda.-
sentada polo Dr JosS Eugenio da Silva Ramos, (muam eow a V. S. que o promoter public da co-
na forma do art. 34 do regulameuto do 13 de no- arad.e Pao d'Alho, bacharel Manoel Cabral de
vembro de 1872, pars a admissao de sou escravo Jslbeahsumio o evercicio de seu cargo em 6 do
Estevio, casado coin mulheri livre, na classifiecalo rtMnte.
p:ua applicagco da 6a quota do fund de emanci- -- Ao mesmo.-Communico a V. S. que em
pacao, dove o mesamo escravo occupar o 2 lugar e 2 do mez find falleceu o joi de direito da co-
na o 4, visto qa e o escravo Jolo, nas mesmas '"rca de Floresta bacharel Vonuino Correia Li-
eandie9os, e que ocoup i aquelle lugar, tern um fi- .c
lho eseravo. dua mesma data intrromope a respective exer-
Aojuai municipal de Cabrob4 -Devolvo a 0aoe assumio o de juiz s d-reito interino ojuiz
Vme. a relaqoem duplicate que acompanhou o icipal do term da mesmas denominafAo ba.
seu officio de 6 de fevereiro, recebido a 3 do cor- I-ei Antonio Freire, send substitnido polo sup-
rente, concermnete aos escravos libertados nesoe pe nte anoel Joaquimn de 8 e Silva.
term per cents da 6" quota do fund de emanci- I.- Ao inspector geral do Institute Vaceinico da
pacao, afim de ser org uwmisa outra d'onde consto' 6*te.-Aeeuso o recebimento do officio de 26 de
em colunmna, saguinte A -1, o snaldo de 825 que ifemreiro findo cornm o qual V. S. remetteu uma pe-
possa accrescer A 7a quo%, send 26 de rest das qms aixa contendo tubos eapillares sendo o100
6a e 80 de auxilio prestado pela Camara Muni- v o .80 cheios de lympha vaeainica,
cipal. .-- Ao inspector do Thesuro Provincial.-Para
Outro sim, declaro-lhe, para quo se observe op- 0 us ins ovenientes communico a Vmc. que em
portunamente, que a esse juizo cabin aguardar s sebao de 3 do corrente o Sr. depntado A Assem-
approva*o da claasifieaeo por esta Presidencia, blel Legidativa desta provincia bacharel Fran-
e que conhecido o acto nesse termo, decorreria em cis o Antonio Regueira Costa presto juramento e
todo o prazo de 30 dia, de que trata o art. 834 do to assento na mesma Assemblea.
regulameouto de novenabro de .1872, nto proceder a Portarias :
libertacoai em 5 de fevereiro, quando a classifica- Par resolver sobre o assumpto do inclusso
ao foi approvada em 29 de janeiro. reqUerimento cumpre que a Camara Municipal do
Portaria: ., e Reoife me informe quaes os veucimentos que per-
A' Camara Munieipalda Escada.-Remetto ceia Jobo Pacheco Alves, quando exercia o cargo
SCamara Municipalda Escada, em soluAo aso de fiscal, alludido polo art. 36 do capitulo 4 da
sen officio de 27 de fevereiro ultimo, c6pia da in- ei A. 1,834 de 28 de jalho de 1884.
formacAo n. 35 prestada pola repartiao das Obras 0 Sr. agent da Companhia Brasileira, man.
Publicas em 10 do correnate acerea da obra do de dar paasagem a r at a cort da cofoidade
pontilhil da run da Barra. d dam passagorn a r6 Wt a certo d3 cosfemmidade
pontilhAo da rua da pBarfaS. corn o telegramma do Ministerio da Agricultura
Ao agente da companbia Brasileira.-O Sr. Comamercio e Obras Publicas de 13 do corrente
agent da companhia Brasileira de Navegagao a per confaIdas gratuitas a que o governor tern di-
Vapor faga transportar at4 A corte, por conta do reito a Uldarico de Oliveira e.A.IAlfredo Rangel.
Ministerio da Guerra, no vapor Mandos, esperado EXPEDIENSTE DO SCRETARiO
dos portos do norte, o alferes Mauricio Antonio de Officios :
Lemos que vai reunir-se ao lo batalhao de infan- Ao juiz de direito de Palmares. De ordem
tanria, para o qual f6ra transferido.--Commuicou- de S. Exc. o Sr. vice-presidento da provincia corn
se ao commandant das armas. muico a V. S. quo per portaria de 12 do correon-
Ao mesmo. -0 Sr. agent da companhia Bra- te foi nomeado para o cargo de 20 supplente do
sileira faca transportar A coerte, por eonta do Mi jui municipal do term de Agua Pretao cidado
Aisterio da Guerra o individuo de some Joao Luiz Antonio Santiago Pereira Costa Junior, sondo lhe
Machado, creado do alferes Maauricio Antonio de mareado na mesa data o praso de 20 dias pars
Lemos, de que trata a portaria denta Presidencia prest juramento do estylo.
.de koje datada. Iye
de hoje datada. -S Ao president da Camara Municipal do Rio
-.- A mesma.-O Sr. agent da empanhia bra. Forajoso Thomaz Lins Caldas.-De ordem de S.
zileira, made dar transporte at a orte par conta Exe c Sr. vice-presidente da provincia, remetto
do Ministerio da Guerra, no vapor MAsaos espe- a V.. o exemplar impresso de collec*o do leis
rado dos ports do norte so soldcado Ignacio Chris- provtciaesde1875, confome solicits em sen officio
tovilo de Miranda que assentou praga comrn destine e 9 corrente mez, que fiea assim responhdo.
a um doscorpos alli estacionados. fiatis mutandisao president da Camara
A mesma.-O Sr. Agente da companhia Manicipal de Born Jardim, em resposta ao de 12
Brazilcira, made dar passage ate a eorte per do corrente.
conta do Ministerio da Guerra, no vapor Manaos eP B DO DIA 16 DE MARO DE 1885
esperado dos portos do norte ao soldado Jose Ce- AdQ:
lestinoGongalves que assenton praa comn destiny vice-presidente da provinma, attendndo
a um dos corpos ali estacionados. ao qu rioeuor o capitao da 5r' compahia do 100
A mesuwma.-O Sr. agent da companhia bra- butanoedo servioo activo da guards national da
zileira, made, de conformidade corn o telegram coma oa de JaboatAio, Antonio de Albuquerqlue
do Miniaterto da Agricultura, Commercieo e Obras PansBar to, e taendo a m vista a iAfornClo do
Publicas, de 7 do corrente, dar 4 passages a rP eommandante superior da comr a do foae con-
at o Rio de Janeiro, por conts das gratnita a tida em officio de 14 do corrente, sob n. 266, re-
que o governor tern direito, a Antonio Pinto da Sil solve designer o 40 batalhao do referido servigo
va, no vapor peste indicado. para ser opeticionario a elle aggre uo.-Gom-
Companhia Pernambucana.--O Sr. gerentepa mom o peeommandante superior.
da companhia Pernambucana, faca transportar do nu O commandant super r.
Presidio de Feruando de Noronha por conta do Ad conselheiro president do Tribunal da
Ministerio da Guerra, no vapor Giquid, o official 'a.-Tranaaittoa V. Exc. doze xa
e praam consatntes da minma e pssIo. prr ASborio eon que o Exm. Sr. r4. Sanch o-4e
que vao fazer part do destacamento a1Uie ste_ jlaro.Pimentel entregou-me a adminmstae
e bemrn assim as pesoas de familiar constaate da proving em 26e Janeiro imo.
mosma relaglo. doots provincia em 26 do janeiro uttino.
mesa relaco. ,"-- Idem, done exemplares ao Dr. chefe de po-
-A mesma. 0 Sr. gerente da companhia Perm-i i m o
nambucana, faa transportar, por conta do Mnis- I i o ao director do presidio d er
toneda uora, s prsido d Ferand doNer Idcum, dons no director do presidio do Fer-
terio da Guerra, ao presidio de Fernando de Noro- n deN~ronha
nha o soldado do 14 batalho de infantaria Bellar- iandde o Nnona. do corpo de po-
mino da Cunha Cortes que vai fazer part do des- Ide, idem o commadante do corpo d -
tacamento ali existente. idom, idem .o administrator da c de deten-
A mesma -0 Sr. gerente da eompanhia Per- do, idmo admiistrad da dde-
nambucana, faca transportar amanbA para o pr -- Ao commandant das armas.-Sirva-se V.
sidio de Fernando de Noronha, por eenta da pro- E mandar apresetar a Dr. cefe de poli-
vincia, os sentenciados e criminosos deque tratam xe. d dear linha afiro der. coafduzirem polari-
einrnnoss o qo matincia duns na-anna do hinbaanfin do conduzirem pars
as inclusas relates e bemrn assim a respective es- a ord do vapor eara,
colts compost de pragas do 140 batallio de in- peraoviciado s portos do sul, do idividuo de aome
fasitenin o campo do policies, cuja rela I nominal oseado dos portos do sul, a individual e do nme
faptena e corpo de policia, uja renlaao nomal e Simplicencio BeUo, requisitado polo chefe de
opportunamente ser-lhe-ha apresentada. i licia daquella provincia para ser processado por
A mesma.-0- Sr. rente da companhia me deFroubo.- Communcu-seaAIDr. chefe de
Pernambueana, de confomnidade corn o telegrams rmoiia.o
de Ministerio da Agricultura, Commercio e Obras p A inspector da Thesouraria de Fazenda.--
Publicas, de 6 do corrente, made dar passage .ominsupico a V. s. que, em 13 do corrente, -juiz
re, per cents dasgratuitas a que o govero geral do drite da omarca do Barreiros, bacharel Ma-
tern direito, ate Sergipe ao bacharel Manoel Am- noel Caldas Barreto, entrou no gozo de 30 dins
mind Cordeiro GuaranA e sun senhora. do licen^ n concedida em 4 pelo president do Tri-
A me~mr.--0 Sr. gerente da companhia bunal da Relaco.
Pernambucana, mande dar passage A proa do Ao administrador do theatre Santa Isabel. -
presidio de Feinando de Noronha pasa osta cidade
na primeira opportunidade, a Guilbermina Cabral Do aceordo corn a inforncao prestada per V. S.
de Arruda, muiher do ex.sentenciado Manoel Fer- em 13 do corrente, concede ease theatre a secie
andso de Oliveira, eonhecido par Manoel Senhor, dade Ave Liberta, anfia de commernorar no dia 25
I qo aui a s sos, aio fhos pe cota asdo corrente a 10 anniversaries da libeintaclo do
que aqui ja se acha, e sit filhos, pr conta das Cear, sm a contribuic.o pecua.aria de 405000,
gratuitas a que o governor tern direito. sujeitando-se porem a outras despezas do estylo e
EXPEDIENTE DO sECEETARZO as que resultarem de estragos nos materiaes res-
Offiios:pectivas.
Officious: -L'- A Sr. Ladislao Netto, director do Muses
A Assembles Provincial.--De ordem do Exm. Nacional.-Tendo V. S. por officio de 24 de feve-
Sr. vice Diesidente da Drovincia. transmitto a V. reiro u timo, solicitado do Exm. Sir: president da


S. ainclusa relagao nominal dos empregados da provincia a Messa repartiglo 03 ultimos relatonros
Camara Municipal de Granitos enviada pela mes- e outras quaesquer publicagoes, o mesmo iExm. Sr.
ma camara. manda remetter a V. S. 31 exemplares dos diver-
A mesma. De ordem do Exm. Sr. vice pre- sos relatorios da Presidencia de 1873 atW agora
sidente da provincia remetto a V. S. quarenta ex e as leis provinciaes de 1875, 1876, 1880, 1882,
emplares impresses do relatorio corn que o Exm. 1883 c 1884, dignando-se V. S. de indicar outras
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel entregou ao publicagos que posam scrvir a cssa repartigp
mesmo Exm. Sr. vice-presidente a administrag'ao afim de lhe serem romettidas se houver.
desta provincial no dia 26 de janeiro ultimo. Ao juiz de direito da comarca do Bonito.-
A mesma.-De ordem do Exm. Sr. vice-pre- Transmitto a inclusa certidbo do process do reo
sidente da provincia, transmitto a V. S. afim de Manoel Antonio da Assumpqao, a qnal ser me-ha
que se digne de submetter A consideracao dessa opportunamente devolvida, afim de Vmine. prestar
Assemblea a copia inclusa do officio em que a so- acerca do mesmo reo a informacao de que trataso
eiedade de geographia do Rio de Janeiro solicits aviso circular do Ministerio da Justiga n. 287 de
desta provincia um auxilio de 2:0005 para a im- 28 dejunho de 1865.
pressleo do dicionario geographico do Brazil, con- Ao juiz de direito da comarea de Limoeiro.
feccionado polo bacharel Alfredo Moreira Pinto. -Convem que Vinmc. presto a informa,9ao ja requi-
Ao Dr. juiz de direito das execucoes crimii sitada por officio desta Presidencia de 26 de se-
naes.-De ordem do Exm. Sr. vice-presidente da tembro do anne passado, acerca do rio Joaqnim
provincia declare a V. Exc., em selucao de son Francisco Matheus, que pretende interpor um rne-
officio n. 54, de 3 do corrente, que providencion- cursor de grac a dapena de 9 annos e 4 mezes de
se no sentido de serem transportados amanha prislo simple, quohe foi impostu pelo jury des-
pars o presidio de Fernando de Noronha os qua- sa cidade em 22de dezembro de 1883.
tro sentenciados alludidos em o officio n. 29, do 9 A' junta classificadora da Escada. -Informe
do mez find, deixando de seguir por falta de for Vinmc. corn urgencia per que nao remetteram atn
9a os mencionados na relacso annexa ao de n. 22. agora nova classificaqAo para applicagio da 6a
Ao Dr. chefe de poircia -S. Exc. o Sr. vice. quota do f: nio de emanciraglo, como esta presi-
presidente da provincial, deelara a V. S. que pro- dei cit recomncerdou em 5 de dezemrro do anne
videncion.ae no sentido de seguirem amanha pars passado.
o presidio de Fernando de Noronha os criminosos A' junta classificadora de Goyanna=Na no-
beribericos mencionados em seas officios ns. 157 e va clasaificaqlo, que Vines. remetteram per copia
238 de 12 de fevereiro find e 7 do corrente. corn o officio de 10 do corrente, para applieaeio da
Ao smesmo.-De ordem de S. Exc. o Sr. vice 6a quota do fundo de emancipacao no foi regu-
presidente da provide, deolo a V. S. que pro-. larmente observado o que esta presidencia deter-
videnciou-se convenieatemente aobre o assumpto I minou em 23 de janeiro ultimo, per quanto, segun-
de sea officio n. 251 do datado. do a gradaglo ordenada quanto aos 14 primeiros
A.o dieeetor d d nando.-O escravos incluiram Vine. os escravos, Miguel, de
EML. sr. vice p -doeete Antonio de Araujo Albuquerque e Severino de
dio ord A0em a' ews. Joo Severino Dourado, os quaes devem anteceder
bue:np a:MiMI a Joe e seas dons filhos, Florindeo e Eustaquio,
per anofbia so que dispoem on avisos do Minute-
ss lhur s Ei. rio da Agricultura de 8 de julho de 1876 e 10 de
~~~~dat.,~jw mler (. -f .fif | abril de 187?, por constituirem-se mais facllcnte
Q~veftt eot~cao Gt i~ti^^Slh^ S me & 8 S1101w,'" Procedaen, portanto Vines. corn urgoncia a nova
UU. de *t dmUa.i^a...n .:. hih lo, some fiea dito, declarando as idades
A6o A annu e quo heaver, visto que asia oonudise
Ire w Yee do i a, segundo a circular desta
AV Ia V. fe hiro i td 4ii"a 6 "dejunuho do ano proximo findo.
I5 do boimdatado. -n uios-s nao juaiz municipal.
Ax al da EseAd. -Inb e Vc.
-., *iEi.-i S3a daa quota do
.. oo ~ de T.:-- ... ...,:- BtaA lo wsrsros Daniel, de Fran-


eisco Antonio Gontalves per 5004, e Maria de
Jose Antonio de Mollo, per 4005000, assinm com;
Sem que data esse juizo regeitou o devido paga-
mento.
o- Aojuiz municipal de Serinhaem.-Tendo si-
do destribuida a esse term a 1a quota do fundo
de emancipato na importancia die 5:878400, da
qual consta ter sido applicada a quantia de 2:280,
informed Vinmc. corn a devida precisao e a possivel
brevidade se procedeu-se por conta do rest, na
importancia de 3:578400, a libortagao dos escra-
vos mencionados no officio desse juizo, de 19 de fe-
vereiro de 1877, remettendo-me igualmente urna
relago desse oe dos outros escravos alforriados
pela alludida quota, corn declaraao das despezas
que houverem sido pagas por conta de arbritra-
mento, juros de peculios.
A Companhia Brasileirm.- 0 Sr. agent da
Companhia Brasileira made dar transport at6 a
Bahia, no vapor Mandos, esperado dos portos do
norte por conta do ministerio da guerra ao ex-
soldado do 14o batalhto de infantaria Joao de
Sant'Anna que foi excuse do serving no dia 1 do
corrente.-Communicou-se ao commandant das
armas.
0 Sr. agent da Companhia Bahiana made
dar passage a r6 at6 Sergipe per conta do mni-
nisterio da agrlcultura, commercio e obras pn-
blicas ao bacharel Manoel Armindo Cor-leiro Gua-
ranA e a sua senhora.
Ao gerente da Companhia Pernambucana.--
Declare a Vinmc. que flea sem effoito a portana
desta presidencia, de 13 do corrente, mandando
dar passage atW Sergipe ao bacharel Manoel Ar-
mindo Cordeiro GuarauA e sua senhora.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios:
Ao commandant superior do Tacaratfi e
Floresta.-O Exm. Sr vice-presidente da provin-
cia manda accusar o recebimento do officio de 26
de janeiro find, em que V. S. participa hayer no
dia 20 do mesmo mez prestado juramento e torna-
do posse o capitao quartel-mestre Benevides de
S3uza Menezes.
Ao director do Muzeu Nacional. 0 Exm.
Sr. vice-presidente da provincia manda accusar o
recebimento do officio de 24 de fevereiro ultimo
em que V. S. solicit da presidencia desta provin-
cia e dos particulares a remessa de objects uteis
as collecoes existentes nesse oestabeleeimento, e
declarar lhe que fez publrcar no Diario de Per-
nambuco e Jornal do Recife de 13 do corrente o
convite as possoas que quizerem concorrer para
ease fim.
Ao engenheiro director das Obras Publicas.
-S. Exc. o Sr. vice-presidente daprovincia ficou
inteirado polo officio de hoje, n. 37, de hayer V.
S. mandado lavrar term de recebimento defimti-
vo da obra do boeiro sobre o riacho Ramalhete,
que se acha concluida, passando-se certificado de
pagamento em favor do respective arrematante.
Ao Sr. agent da Companhia Brasileira, -
De ordem do Exm. Sr. vice -presidente da provin-
ceia accuse o recebimento do officio de honLem, no
qunal V. Exe. communiaon que o vapor Mandos,
ciegado As 6 horns da manha dos portos do norte,
seguirA pars os do sul hoje as 4 horas da tarde.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 23 DE
MARBO DE 1885.
Professor Alexandrina Moreira Reis. -Preju-
dicado.
Anizia Augusta do Amaral.-Prejudicado.
Antonio Joaquim Rodrigues Pinto Junior.-Sim
i na forma da lei.
Professor Anna Francelina do Roego Barros.-
Pase pertmria n forms requerida.
Carlos Frederico da Costa Ferreira.-Justifico
as taltas. Depois de nvtado na secoe compete -
te da Secretaria do Governo, remetta-se oeste re-
querimento ao Sr. inspector da Thesouraria de Fa-
zenda para os fins convenient.
Francisco Leite Nogueira Paz.-Remettide ao
Revd. Sr. director interino da Calonia Orphanolo-
ca Isabel, para attender.
Francisco Gomes Castellao.-Informe o Revd.
Sr. director interino do Colonia Orphanologica Isa-
bel.
Capitao Joaquim Gones do Rego.-A vista das
decisSes em vigor interponha sou recurso para a
Thesouraria de Fazenda.
Jobo Rufino dos Santos.-Como requer.
Jose da Costa Maa.- Passe portaria a re spec-
tiva carta de naturalisacao.
Dr, Joaquim de AlbuquerqueBarros Guimaraes.
-Informe o Sr. inspector da Thesouraria de Fa-
zenda.
O mesmo.--Informe o Sm. inspector da Thesou-
raria de Fazenda.
Joanna Augusta de Albuquerque Jacome.-Pre-
judicado.
Maria Adelaide de Carvalho.-Prejudicado.
Professors Maria Albina de Oliveira Costa. -
Indeferido. em vista da informanao.
Maria Eulalia Fernandes.-Informe oSr. inspec-
tsr geral da Instruccao Publica.
Secretaria da presidencia de Pernambu-
co, em 24 de margo de 1885.
0 porteiro,
J. L. Viegas.


Repartl1ao da Polcia
Secco 2'. -N. 282.-Secretaria de Po-
licia de Pernambuco, 24 de margo de
1885. hIm. e Exm. Sr. -Participo a V.
Exe. que foram honterm recolhidos A Casa
do Detenglo os seguintes individuos :
A' ordem do subdelegado de -Santo Antonio,
Manoel Francisco de Lyrsa, por disturbios.
A' ordem do do 10 district de S. Jose, Bellar-
mina Maria Ramos da Cruz e Veneranda Maria
da Conceigio, per disturbios.
Communicou-me o delegado to term de Olinda
que na noite de 20 parm 21 do corrente foram os
ladrues a urma taverns A run de Mathias Ferreira
e roubaram diversos generous.
E' attribuido este roubo ao individuo de nome
Severiano Vieira d'Ortas e a outros, que alli mo-
ram, contra os quaes estA se procedendo ia form
da lei.
Polo delegado do o10 district da capital foi re-
mettido ao Dr. juiz de direito do 2 district cri-
minal, o inquerito policial a que procedeu, contra
Ovidio da Silva, conhecido por Beraldo, por ter fe-
rido a Augusto Bruno Lauro Ferreira.
Deus Guarde a V. Exo.--Um. e Exm.
Sr. Dr. Augusto de Souza Leo, mui di-
gno vice-presidente desta prvincia. 0
chefe de policia interino, Jbrd Maria de
Araujo.

Camara XM;' al
DESPACHOS DOS DIAS 19 R 20 DE MAR90O
DE 1885
Pelo Sr. Dr. Barros Rego, commissario
de policia :
Joaquim Nicolao Ferreira, pedindo que se Ilhe
made restituir a quantia de 10:0005000 que re
colheu aos cofres da Camara pars habilitar-se A
arremataoa do centracto do abastecimento de car-
nes verdes, entregue-se.
Pelo Rod. padre Mello, emmissario de
edilicagoa:
Dr. Felippe Nery de Collago, pedindo licenga
pars mandar faer urn accrescimao ao lado da fren-
te, tendo duasn janellas de frente e sendo susten-
tado por pilare, em sun caao an n. 44, a estrada do
Arrail, freguaeia do Poo dao Panella; to em
,dditamento & lieena ob.tid pm conotar a re-
ferida casa -De oonformidasde on as posturas e





-. '. .


8 parecer do jngenheiro concede-sc, pagando os di-
Sreitos municipaes.
Joaquim Anselmo de Salnt'Anna, satisfazendo a
exigeacia do anterior deopacho, declara corn pro-
cisto que a casa que poetende concertar e ouja
licenca solicit, e sob o n. 56 e nilo 38, a rua de
S. Jose, freguesia deste nome.-Depois de assig-
nar termo na Camara para entregar a casa quan-
do a mesma Camara quizer desapropriar pela
quantia de 1:20.5S000, concede-se, de coformida-
de corn as posturas e parecer do engenheiro, pa-
gando os impostos.
Mariana da Conceicao Pereira, para mandar
corret os telhados de suas casas sitas 1 rua de
Mathias de Albuquerque, ns. 11 e 13, afim de to-
mar goteiras.-Concede-se aem que pessa deitar
madeira alguma, para o que pedirA nova licenca.
Maria Adelaide da Costa, .em additamento ifli-
cenga cbtida para concertar o seu predio, n. 36 1
rua Vidal de Negreiros, pede para mandar reedi-
ficar o oitio de dito predio em vista do sen dean-
prumo.-Depois de demolidos os oites desapru-
mados, reconhecidos como takes polos perentosna
vistoria que fizeram, para cuja demoli*o foram
dados 15 dias, que terminaram a 27 do andante,
coneede-se que possa reedificar o referido predio
de conformidade corn as posturas em vigor e pare-
cor do engenheiro, depois de pages os impostos
municipaes.


23 -
Pelo Sr. Dr. Barros Rego, commissario
de policia:
Andrm Pereira Soares, pedindo que sejam feitas
as devidas averbaV5es no sentido de ter vendido a
Henriqueta Maria da Conceicao o seu estabeleei-
mento de taverna, sito ao lugar Campo Alegre,
freguezia da Graqa.-Sim.
Antonio Diego da Silva, por seu curador Joa-
quirm Jose Ferreira da Rocha, pedindo que o seu
predio n. 102 D, a rua de Domingues Jose Martins,
onde Jose Duarte de Almeida e outros foram esta-
belecides com taverns, e o qual acha-se fechado e
desoccupado, fique eliminado do qualquer impostor.
-Sim, em vista da informagio do fiscal.
Francisco Jos6 de Sampbio, pedindo licenca
para proceder escava Ao desde A rua de Vidal de
Negreiros atW a de Christovio Colombo, afim de
canalisar agua para a casa ns. 141 A rua de Mar-
cilio Dias.-Sim, apresentando-a previamente ao
fiscal para examinar depois a collocagao do cala -
mento.
Guimarles & C., pedindo licenca pars abnr um
deposit de cigarros e eharutos no compartimente
da trente do predio n. 12 do largo Vinte e Oito de
Setembro, qfreguezia de Santo Antonio, onde ou-
tr'ora existio urma quitanda.-Sim.
Hyppolito da Silva Gomes, para estabelecer-se
corn tavernsa no predio n. 40 1 rua do Riachuelo.
-Sim, de accord corn a information do fiscal.
Henrique da Silva Moreira. pars abrir urma loja
de fazendas na casa n. 48 A rua Duque de Caxias.
-Sim, em vista da infbrmagio do fiscal.
Jose Genuine de Santu'Anna, para abrir um de-
posito de seccos una casa n. 152 A rua Imperial,
nso se responsabilisando pelo que possa deover a
referida casa. Idem.
Pelo Reum. Sr. padre Mello, commis-
sario de edificac3es:
Andrn Rompcke, autorisado pelo coronel Fran
cisco de Pinho Borges, pedindo licenca para demo-
lir o predio n. 13 a run Marquez de Olinda, cuja
frente dcita para a rua do Encantamento, cons-
truindo no mesmo lugar um predio de um andar.
-Concede- so de conformidade corn as poaturas e
parecer do engenheiro, pages os impostos e se es-
tiver quites corn a Camara o mestre da obra re-
querida.
Antonio Francisco da Cruz, para mandar mu-
rar o seun terreno A run da Alegria, o que mede
120 palmos de freate e 40 de fundo, bern come que
se lhe d6 nivelamento e cordeagao.-Como parece
ao engenheiro.
Antonio Jobo Furtado, pars mandar retelhar a
sua casa n. 38 A rua D. Maria Cesar, substituindo
algum caibro que seja necessario. Pages os di-
reitos, concede-so.
Antonio do Carmo Ferreira, pars mandar subs-
tituir um.pAo e caibros em sua casa n 212 maru
Vidal de Negreiros. Depois do mestre mostrar
que esta quites corn a Camara, concede-se pagan-
do os direitos municipaes.
Clemens Kugler, para mandar tomar goteiras
em sua casa n. 25 A run Mathias de Albuquerque.
-Limitando-se ao que pede e dando prena scien-
cia ao fiscal, concede-se.
Eduardo Antunes Pereira, para o mesmo fim,
corn referencia a sua casa n. 38 A rua das Trin-
cheiras.-Sim.
Francisco Jose Januario da Silva para mandar
edificar urma ncasa de taipa no lugar estrada nova
do Caxangi, freguezia da Varzea.-De confer-
midade corn as posturas e parecer d. engeaheirT,
cone de-so depois de pagos os direitos muni-
cipaes.
Francelina Maria da ConceiIao, para mandar
edificar uma casa de taipa no lugar Matinha, tra-
vessa do. Rosarinho, freguezia da Graca.-
Idem.
Francisco Pinto Teixeira Chaves, pars mandar
tomar goteiras na casa n. 28 A run do Marquez
do Herval, pertencente a Santa Casa, e em sues
dependencias.-pando previa sciencia ao fiscal,
concede-se.
Felix Pereira Souza, para mandar fazer cozi-
nh,-.'e quartos que sirvain de dopendencias a casa
n. 10 sita A rua de Maciel Monteiro.-Pagon os
direitos, concede-so na form das posturas, de-
clarando o peticionario qual o mestre da obra que
pretend fazer.
Henrique Bernardes de Oliveira, replicando
pede que seja- Ihe concedida a licenra que soli-
citou, de accord oo'n o 54 do artigo unice da
lein. 1834 do orsameato vigente, afia de que
possa limpar o muro de sen predio n. 35 A run do
Payssandu, de accord cern o art. 118 da lei n.
1129 e domolir a parte que se aeha desaprumada,
pondo-a nas condicoea das posturas.-Depois de
pages os direitos e do contormidade corn as pos -
turas e parecer do engenheiro, concede-se.
Joao Baptista Philadelpho de Leuquare, pedin-
do licenca para mandar tomar gotoiras na casa
n. 272 A rua do Coronel Suassuna.--Dando previa
sciencia ao fiscal e limitando-se aso que pede,
concede-se.
Miranda & Souza, pedindo licenca pars man-
dar substituir traves do pavimento teoreo do pro-
dio n. 64 A rua do Marquez de Olinda.-Pagos Os
impostos, concede-so.
Manoel Alves da Silva Ma;a, para mandar
tomar pequenes rebocos no exterior do pavimento
terreo do predio n. 98 a rua do Marquez do Her-
val, bern come concertar a calcada.--Depois


de dar entrada na Camara, concede-se.
Ventura Peraira Penna, pedindolicenca para
mandar redificar o sen pr dioe n. 9 de dous anda-
res site o ruan de Marcilio Dias cuja frente corta
pars A ima da Penha, demolindo urma janella quo
existed no sotlo e qne delta par iruna da Penha,
fazendo coberta corrida, picando as fientes pars
denovoe rebocal-as, fazendo parapeito, intemnando
as aguas, substituindo per novos todos os caii-
lhos, ares e portaes externos, demolindo os repar-
timentos interns pars fazer de n.vo, sulbstitntdo
as traves quo estiverem emin mao estado e rebsi-
xando as soleiras para nivellal-as cormas dM
casas ns.11 a 21 da referida rua.-Depois do mos-
trar-se quites corn a Camara o mestre da obra re-
querida, concede-se de conformnidade coMas pao-
tunas e parecer do engenheiro, pags eB 0adWW
m nunicipae.
Secretaria da Camara Municipal do RO*
cife, 24 de margo de 1885. .,
0 porteiro,
Leopolino C. Fermret ......... .


,,, t ..



































S proprias populagbes americanas a que outr'ora se
apunha mais intransigente e avaaaladora.
0 Chile, por exemplo, foi sempre fervoreso no
seu eatholicismo. As doutrinas papaes tinham
,alii uma enorme forga; os emissaries do Vaticano
'Hvre terreno aberto a sua propaganda. Mas afi-
aal os dicretores politicos do paiz foram compre-
hendendo que era necessario plr term ao despo
tismo clerical, expurgando as leis do estado de to-
da a influeneia do dogma, estabelecendo distinc-
$o verdadeira entire ma soberania national e o po-
der spiritual de Roma. Esse trabalho foi come-
qado plr Francisco Bilbal o e seguido por Eduardo
de Ia Barra, Vicuna Mackena e outros, at, que
Santa Maria, home de energia e acco, pode em
grande part reafisal-o. Estabeleceu-se o regis-
tro civil, depois o casamento civil e a secularisa-
$o dos cemiterios, ordenando-se peor fim a disper-
.ae das congregag6es religiosas e a submissio da
autoridade ecclesiastical ao imperil da lei corn-
mum. Reduzido por tal mode o poder da igreja
aos limits puramente espirituaes, p6de-se actual
.aente eonsideral-a separada do estado.
A innova*Ao realisada polo Chile teve prolon-
gado echo em today America Hespanhola, desper-
tando povos e governos parasas lutas da liberdade
de conseiencia ; coucitando-os mesmo, na phrase
da Patria, folha de Montevideo, a sacudir o jugo
Ultramontano, algo infenso ao progress moral e
politico das sociodades humans.
0 Equador, Venezuela, Estados-Unidos da Co-
lombia a Bolivia e o mesmo Peru', hoje reduzido A
condicao de press de caudilhos de montanha, de
her6es de desert, suscitados pelo genie da dis-
truicio e da vinganaa,-ergueram-se ao imponen
te influx da evoluglo chilena dispostos 9 master
incolumes os direitos e prerogativas civis em face
dos dogmas da igreja catholics romiana.
A Republican Argentina, corn especialidade vai
tomando parte muito active c saliente nesse mo-
vimcnto do espirito americano para a liberdade
religisa. 0 conflict que alli se deu o anne pas-
sado teve origcm no procedimento pouco regular
do preiado de Cordova, o qual julgou dover acon-
selhar os seus diocesancs a que desacatassem as
lets do cetado, na parte em que as considerava
prejudiciaes saos interesses do clericalismo. Essa
irritaiao -c revolts sacerdotal foi proveocads pela
reforms que o parlamento fez no system do ensi-
no public. 0 governor demittio o bispo refracta
Srio ; e corn essa media teria cessado todo o mo-
tive de perturbablo, se o delegado apostolic nao
tivesse julgado opportune intervir nou conflict corn
o designio de realisar o ponsamento do prelado de-
mittido.
E' certo que o representante da Santa S6-niao
assumio ante o governor argentineo-attitude fran-
camentc hostile no seu trabalho reaecionario. AO
ewatrario, empregou a mais habilidosa diplomacia
pars ehegar ao resultado qae anhelava. Soube se
todavia que foi elle o inspirador da manifestacIu
f--. feminuina de Cordova em favor das pretenoes ul-
Stramentanas, e que tentou influir no regimen das
esceolas em detriment da iurisdicWio civil. Esse
procedimonto deu ensej 3 a que a Tribuna Nacio-
nul do Buenos Ayres aconselhasse o governor a
despedir amavel e symbolicamente o diplomat
papal, enviando-lhe os competeutes passaportes.
Oxcferido delegado nao gostou do conselho, come
era de prefer. Enviou, pois, ao president da Re
public urma nota de character privado, em que, en-
tre muitas cousas graves e menos respeitadoras da
dignaidade national e da p6siclo do chefe do Esta-
S do,4potastava que nso se daria press em respon-
der a nm officio urgente queolhe tinha side expedido
pslo ministerio dos negocios estrangeiros, sem que
... lheihasosa-dadas eategoricas explicac.es acerea do
; <, artigo publicado per aquelle journal. E para coa-
; gi-o*'girrao a sitisfazer-lhe o desejo, demorou
oquarito p8^disuspensio da interdicTSo ecelesias-
^ ts s;. dyj ueoav side alvo-imagine-se o que?-
i'" ". s.elr I 0 Estado!
,t A os-aasuenia do detudo isso foi a expulsio do
t. frab eio apostolic, que so ac:lheu em Monte-
!F; vldeo, ;'tnde teve uma recep;o lisongeira, mas nao
i ti tlEoMuanimquanto desejani;i, segundo se p6de in-
ye rhtrdeuas p~lavras de um periodico oriental:
1 Consta-nos que S. S. illustrissima tivera hon-
t1 terlda manbil umrs estpindida recepcio n'esta ca-


S pibO-e que o governor 0 cumprimentara per inter-
mi u a io de um represeutante. 0 Montevid6o catho-
Iic o estava emin seu pleano direito de render home-
aisi a :A 6 omissario da Santa S6 ;-o proceder do
v*ie.oll foi correct, porque monsenhor Mattera, e
no fin do contas o reupresentante diplomatic do
uma poteaci Ra aern canes e sem territories, mas
S aeostnmada. a set alvoe de reapeitos per parte de
todes e gpvemsWcUtes do mundo.
c Ommtnoado i odve o illuetrado representante


da lei que rege a material.
0 ministro dos eultos e instructlo public diri-
gio-se ao reitor da universidade, convidando-o a
pedir ao respective conselho a designasIo da pes-
sea habilitada para substituir o Sr. Desteffanis.
0 reitor levon ao conhecimento do c-nselho uni-
versitario a ordem do governor, e foi resolvide que
se nomeasse urmea commission para dar parecer no
assumpto, send ao meamo temp n utifieado o ca-
thedratico demittld para que nio contimasse a
dar aula. Os membros da commissIo nomeada nlo
foram todos da mesma opinion, e per isso o parecer
que apresentou deu lugar a uma ealorosissima
discuseaso no conselho de universidade.
Afinal foi deliberado, a conselho do reitor, que
se respondesse ao officio ministerial, dizendo que
seria acatada a resolu*io governativa, e que se
ia proceder A indicasaa do professor para a ca-
deira de historic universal, vaga pela demissio do
respective proprietario. Mas o document em que
tat communicate se fazia, continha varias consi-
dera5es em defeza do Sr. DAsteffanis, as quaes
feriram a suscoptibilidade do ministry, que recam-
biou o officio, ordeanando ao consolho universitario
que modificasse certos periodos marcado3 a lapis
de c6r pela proppria mao ministerial.
0 conselho manteve comrntudo as phrases sub-
linhadas, por nio reconhecer no poder executive o
direito de impor-lhe os terms em que devia con
ceber as suas eontestag5es. Ao mesmo tempo rneu-
nio-se, sem consentimento do reitor, a congrega-
Vio da faculdade de medicine, e firmou collectiva-
mente um papel, que veio a impreusa, no qual
declarava do seu devcr nso intervir em assumpto
algum universitario, que nao fossem exclusiva-
mente scientificos e administrativos, declarando
outrosim, qae continuaria a respeitar lodos os acoos
e resolug5es legaes emanados do poder compe-
tente.
0 reitor, offendido nas prerogativas que lhe c)n-
fore o regulamento da universidade, protestou
perrnte o governor contra o irregular procodimento
da faculdade de medicine, que se nao podia ter
reunido sem soeu cosentimento.
0 ministerio responded a esse protest, demit-
lindo o reitor e todos os membros do conselho
universitario, deixando incolume a congregacao
da faculdade de medicine. A medida nio deixou
de ser rigorosa e, talvez excessive, porquanto a
universidade tern eerta autonomia e independencia
garantidas pelas leis fundamentaes da republics.
Assim terminou esse incident, que foi um dos
mais interessantes da vida internal da republican
do Uruguay no anne proximo passado.
Corn referencia a assumptos internacionaes nada
occorreu digno de menelo.
Nas snas rela9oea intimas a republican do Uru-
guay gozou de uma perfeita paz ; o que deu lu-
gar a que procurasse estreitar ainda mais~ssla-
0os que a prendem As outras nacoes e a entrar
n'nma series de reforms tendentes a melhorar o
ensino popular e a administra9ao, cujos abuses
reclama medidas promptas e energicas. A16m
disso, os grandes mrelhoramentos materials quo
emprehendeu, dos quaes alguas ja se acham em
via de execu9ao, deixam ver olaramente que o go-
verno emprega todos os esforgos no sentido de tor-
nar prosper, tanto quanto possivel, a situagio do
Uruguay..
A Republics Argentina mantem do minesmo mo.
do excellentes relaioes corn as potencias estran-
geiras, e vai de dia em dia realisando os extraor-
dinarios melhoramentos que dio a quem compare
o passado nsio muito remote d'este paiz corn o seu
estado actual, a convic9io de que n'um future,
pouco distance talvez, chegarn a um grao de per-
foicao em que nada terA a invejar As na9ses mais
adiantadas da America.
0 grande desenvolvimento dade as vias de
conmmunicaio, e muitos outros progresses alcan-
9ados cm services de ordens diversas, silo urna
prova de que n?'1 pdemos ser accusados dc exa-
g-rc nas aprecia9oes que fazemos.
Se o governor argentine vie-so ultimnamente obri.
gado a decretar o curse ior9ado das notas dos
bauncos,fui isso devido a complieaSes provenientes
das condiSes occonomicas, industries e financei-
rns, infelizmente communs A major part das na-
9ues, o que nao nos tira sent duvida o direito de
sappor que, ursa vez removidos os motives deter-
minantes d'essa media, as eousas proseguirno no
born caminho em que a actividade e zero do go-
verno souberam collocal- as.


tadoria janton 4cuiorutos ppios q naes comprova
que ha muito ele nao pode etntinuar no servico
aetivo pelo que havia coaaegaido desta mesa Ii-
enga pars aio vpauuo ae onto.
Sen estado de&*il^coahecido -dotolos ; a,
deede que elle tem 28 annos do servico, pouco
maisou menes tempo este que attinge quasi a
idade que 4 confenrda pelas nossas lets umrna ga
ficaAo, oellevem pedir -a esta assemblies que i'
fae extensive a let ui8+81 de 2 de mar9o0
1879, que foi fabricaftpra ser applicada "a a
mesmo fuaccionar o desta easa, cujo estaddo -Sau'l
de era ideatico ao -esta aceommettido 6 Sr.
Pacifico do Amawal. ,-portanto, qae V. ti-
maudandoa oommsahmto de legislao, neo d por
que o fazia. ..
A commisasio de legislaco nada tern qwie v"r
desde que o peticionaAio comprova c3m doculn-
teag.
O SR. LruA FIRME JmoR -late 0 o 6 que en ulo
sabia.
0 SR. PITANGA -V. Exc. nso devia ter tornado a
palavra serm que tivesse scieneia de qae o pro-
jecto escava ou nio confoeeionado na'f6rma dar
lei; V. Exc. tern obrigaelo de -conhecer; V. Exe..
nao deve truncar em-false, ataeande sens colleges,,
sdmente pelo desejo de fallar.
Creio, portanto, que V. Exe, teudo-se levantado
para fallar contra a material do projeeto, man-
deu um requertmento, pelo menos que-iso pode
ser approvado, porque elle tAo tern razle de ser,
desde que o peticionario prove corn docuumentos
que exerce a profissio de empregado public por
28 annes, e nao vem senilo pedir qne seja appli-
cada a lei 1,381 de 2 de maro de 1879. "
V. Exc. poderia dizer que a casa nSo deveria
aeeitar o project, senao mindando que fosse
aposentado o peticionario na t4rmi da lei das
aposentadorias, e que naol fosse coaferido o favor
que pede porque imports um onus para a pr.vin
cia aposentando-se um empregado public, addi-
cionando-se aos seus veneimentos urnm-i gratifiocao
emb6ra essa fosse urma injustiqa que V. Exe. diri-
gisse contra o peticionario; mis nunca pedir qae
a project vA A u na oommissao desde quo nos
considerandos do proprio project diz a commisslo
que o peticionario tern mais de 28 annos de s-:r-
vico, e estA provado que o seu estado de saide 4
tal que nslo pode coutinuar mais no serving.
A nso ser urma id-i protellatoria esta, eu nailo
conheco raza'o alguia no rejuerimento do nobre
deputado.
E' o que tenho a dizer.
0 Sr. Ja& 6 Maria-(N-i) dovolveu seu di-
cursu).
0Sy. Piel -ran-eiro -Sr. president,
longer de mhn a idea de querer-me tornar aqui o al-
goz d'essat c rporacao respeitavel que, forma o fuac
cionalismo. Nao Sr. president, entendo que o em
pregado public quando bamrn exorce as suas func-
eoes, quando serve satisfatoriamente, dove mercer
recompensa peolos boas services que tiver pres-
tad-. 0 que penso poram 4 que dove partir do
nos urma media pars que nio so entenda neste
paiz que o emprego public 6 o unico msio do
qual se deva langar mas para viver.
Sr. president eu nso contest que o empregado
de queo se trata seja zeloso e restrict no cumpri-
mento de seus deverotes. Aceito esse facto come
verdadeiro e exact, tanto mais quatto en n io
conheo esse empregado. Mas Sr. president o
que tambem urma uenrdade, "6-que o eatado finan-
ceiro da provincia estA de mode ta, que n6s nio
podemo, aqni aesta eass laser quialquer despeza
que pofea -ser taxadg de fa vr n4ie vertameite i4
aquelie que solicit o fauncionario de qae cogita a
project.
Disse o nobre deputado que occupy nesse me-
mento alcadeira de lo seeretario, que ease func-
eionario tinha o sou direito liquido...
O SRn. -'rTANoA-Sem duvida alguma.
0 SR. GRANGEIRO... mas que solicitava esse fa-
vor da Assemblea porque queria obter o ordenado
e a gratificacao.
Por essa occasion dei en um aparte aonobre da-
putado, aparte que,passarei a explicarpara que nito
paire no espirito'da casa duvidas sobre o naeu modo
de engender. Nio contest que haja umas leit que
concede aposentadorias. Mas esta aposentadiria
ou antes este favor depande ou da Dresidencia da
provincia ou desta casa tornal-o effective.
Se as circumstancias da provincial slo mis, se
n6s nao podemos depender cousa alguma, 4 certe
que o presid'nte pode deixar de attender .ao recla-
me do empregado pubhlco, podendo at4 demittir o
mesmo empregado o que nullifica o soa direito.
Explicado este ponto, eu entrarer na question de
saber qual deve pesar mais no nosso espitito, se o
facto de vermos um empregado public, envelheci-
do no servico, pobre, e precisando dos favores da
provincia, ou nna populacilo inteira sobreearre-
gada de irmpostos, ameacada de noves, e para a
qual qualquer augmento de despeza 4 urna fata-
lidade. Sem trepidar respond que os soffrimen-
tos de maitos deve nss causar mais abalo do que
os soffrimentos de um so. As aposentadorias pu-
tulam, os favors se multiplicam, e quem tudo paga
e o pobre pove. Nao me oppouho a que esse em-
pregado seja aposentado segundo deoermina a lei,
mas nao corn bodos os vencimentos come quer o
project.
Os precedentes desta casa, Sr. presidente,- nso
poderno de mode algua influir no meu espirito,


porque outr'ors, em epoehas normaes, a provincia
podia ser generosa, pagaudo largamente os servi-
cos que lhes prestavam. Mas hoje quando o pro-
vincia atravessa uma cruise assustadora, quando
esta quasi que fallida, per assim dizer, me pareee
quo devemos deixar o caminho dos favors, para
entrarmos na estrada da justip, e harmonisando
os interesses dos que pagam, tornarmo-nos avaroe,
e fecharmos tanto quanto for possivel Ps areas do
Thesouro de onde desappareceu o dinheiro para
ser substituido per lagrimas de professors quo 6
moeda que ninguem recebe.


-uo 'isto, h e t en o-o prieiro a
a1 q0ose ban
-^' anto a niateria40prjeto no6 eonuferir
poderes ao president da pr vincia para aposentar
esto epregado corn oordenado, ao qua jA tern di-
reto; -0i*o4oLo project 6 faiSer 0o0 qae a apO-
sentadoria pQr-elle antorisada tenha lugar uaos6
corn o ordenado, mas tambem corn a gratifieg&

yencaeto#f. ,)
0 aojustanate o poato especial que attrahe
a mnha attenao e ,que ifaz eo quo eu negue o
men voto-ao projoeto.
Sr. presideate, pode-se considerar quasi como
am hcavo, urma ohapa, o que quizerem, o a pttir-
se que esta provincia esta entrague A maisenom-
oleta penuria; mas eu o repetirei, eu o direi sem-
te que tiver oooasiao de faol.o, porque 6 unma
verdade qauo se impe e que no entretanto ainda
ao merece today a coasideraAo de que 6 digaa,
que ccm o estado deoloravel das finanas desta
provneia aofftrea todos os seas habitantes; resen-
temrn-se todas as relaiese econouqieas, oraes, in-
tellectuaes, on de qualquer ordem qaue sejam. To-
da*s Osas rela"5as, Sr. president, nao podem mes-
mo deixar de sentir o effeito desse estado preca-
rio, desse estado lainmeatavel a que soe acha redu-
zida a provinoia de Peraambuco.
E, Sr.presidente, so verdade que ease estado da
proviaciade Pernanmbaeo affesta a toda sai po-
pulaco, affects ao seu progress o eaos seus mne-
lhorazaentos futuros, porque nao nos havemos de
revestir da coragem neeessaria para ao menos de
hera em diante sermons economics, urma vez que
a6 per meio de economnias restricts, de todos os
mrnentos e de quaesquer -quantias por insigamfi-
cantes que sejam, e que podemos melhorar a si-
tuacao das nossas financas ?!
Disse-se e eu nao contest que ha precedents
de aposentadorias corn todos os vencimentos.
UM-.S. DrPurADz)-E atrmnmdan losa')aar g.'-
tificaoes que nao se davaim.
0 SIr. MEiRA-Admitto todos os precedentes dI
que V. Exc. fAllou e admitto mais qu. padiesem
haver precedentes ainda mais exagerados oa favo-
raveis do que eases a quo V. Exe. se referio. Dou
tudo isto por provado, nao deseo a estaudar esses
preeadentes aque V. Exc. se refere, parque eu
p.ra apreciar o project em discussAo o prorumaci-
ar-me a respu-ito d'ello, nao preciso de precedentes
pois que preeedentes s6 podem ser trasidoi para a
ditscusso,, quando slo boas, quaado slo f.indados
ou ua boa raz-i) ou no inter *ss public). 0 p.-
ceadeates, por6m, que so affastam ou da boa raz.o
ou contrariamn o- inrteresse pulico nlo podem ser
invocados para a dis.usslo a nao ser quc s- quei-
rajuitifiear urn abusi corn outro abuse.
( Trocam-se apartes.)
Dap)is, Sr. president ainda quando esses pre-
cedentes fossem em si, em relagao ao temp) em qua
tiveraim lugar, legitinos e justificiveis, elles nao
poderiam ser invoecadis presented rnte, porqao sao
eutras as circuinstancias da provincia. ( Ap;artes)
V. Exc. dove comprehender que conforme as cir-
cuamstacias podem ser on nao aplicaveis os prece-
deates emin relag'o a qualquer material.
Se quanlo a provincia era prosper e as suns
condiqoesfi'rauceiras erama outr v, Matit) oatras do
qcie'Bu aIgora, urn emnpyregado pabliito proviucirl
qu i pars ,nin 6 sen )re um cida!,) muiro rc3pei
tavel p)rque consignr o seau temp e a su-i delica
o ao servia) dA- .proviutcia polias mTre23r dcst
Assemb!a um favor pacaniario, que d.- sorte alga-
ma abalava o estada financeiro dcF pr vincia, no n
mpsmo vinha embaracgl -o em sua sua mirehi eco
nonica; hoje em dia que as cousas sc passam de modo
diverso, que a provineia se acha balda d& recursos
pars solver compromissos os mais sagrados, hoje
em dia que ella paga os jurors de suas ap)lices corn
outras apolices chamadasao portador e q.ue s6
tern urso abaixo do par nas transagoes partinia-
lares, falttaudo assim aquillo qne prometteu, rque
foi pagar os jaros em dinheiro nao'em titulos de-
pmiados, illaquaaudow-'iktb V--boa 46 do
portador do titot:4ojo em dia quo V. Exe. sabequ,-
,oesempegrdos ptblios estlo sei reoeeberum do1s
trees 'e quatro mezes dos seus vencimentos entendo
que ads, nao emr ela9lo s'mplesmente so emprnga-
do public de que se oceupa o project, mis u-ii ro-
lago a qualquer ontro que necessite de uma ap-s
sentadoria, nao po-omoa fazer...
UM Sa. DEPIuTADO -Gracis.
O Sn. MEIRA... a quille quo V. Exe. muito bern
lIfssifica de g aca.
-Gray se faz qad3eso esta em condioes de fa-
zel-a. S a grac 4 peeaniaria, de certo que nao
a faz quern nao tom diuheiro pars pagar oauous
oompromissos. Quo quali4fcaeo seerseeria Um
particular, queatendo credores deixasse de-pagar-
lhes e fosse laser graeas pecumnrias. Todos ae
leAantariam para eoridemnar o seu proeedhnento.
Poi etin aqoui neo -se trata de um particular,
que bem pode erwvietima da presslo de certos
entimentos muitas yeses genarosos, qae deliboram
poriss6 e-segnndno as suas proprias inspirac5es ;
trata-se deo/urna pruvincia, que tern urea corpora-
9ao, quo a repueoknta nao para enidar de que 6
ecclusivamente do -nteresse de sens membros, mas
do que 6 do isteresoe do todos os habitantes da
earoam, provineia e quo portanto nio p6de, affas-
tando-se das eoondi9'e especiaes em que acha dita
provincia, fazer aqtillo que nao estA em suas maos
arbitrariamente praticar, prejudie o assim os
intresseas de anra populaco inteita. m


Eu, S3 nao p-nsasse assim, se francamente nio
entendedse que aetaalmente, a despeito do 'todos
03os precedentes, nds nao podemos fazer tavores da
ordem d'aqaelle de que cogita o project; se eu
jA do mais algum tempo nao me tivesse deelarado
ate contra unas innova*o que iafelitmente appa-
reeeu n'esta Assemblea do melhorar a aposeata-
doria de empregados que form aposoentados corn
todas as vantagens a que tinham direito; se en
nilo tivesse todos estes motives pars de.de ja deo
clarar posittvamente qne o project nas condig5ea
em que se acha redigido nio dove ser approvado
pela Assembl6a, naoduvidaria votar pelo reque-
rimento do nobre deputado polo 10.0 district,
porquanto estou convencido de que a commissIo
de legislaeao nao deixaria de, corn muita gompe-
tencia, dar a sua opinilo a respeito do mesmo
project, dizenao-nbs quaes as vantagens que se
acham consignadas nas differences leis de aposen-
tadorias e a quaes d'ellas julga corn direito o em-
pregado da secretaria d'esta Assemblea, que ago-
ra pretend aposentar-se.


ReeURifajai,
No discurso do Sr. deptado LunaFreire Ju-
nior, 3.a column, linha 12., onde se 16 e xergan-
do, diga-se enxergaasem.



B~iiismD~

hontem g o pmeftnci(te.d*-tm'r S. Bario
de Itapissuma, tendo eonpirecido 25 Srs. depu-
tados.
Foi lids e, approvada a ta a da se'sso anteeo-
dente, oraudo o Sr. Demoaoerito Cavaleante.
0 Sr. 1 secretario procedeu A leitura do seguin-
te expedience:
Um abaixo assignado de seis donos do cocheiras
Iedindo permissio pars apresentar nad pra'as
desta cidade carrots de aluguel e isenao dos im-
postos provineiaes e municipads por cinco annos.
A' commissao de petigoes.
Urma peticao de Romana Mendes Gongalves,
professors publiea da Varzea requerendo que se
consigne a quota de 432; para pagamento do que
se Ihe deve.-A' commnissio de orgamento pro-
vincial.
Outra de Pedro Celestino das Chagas requeren-
do a consignagao da quota de 42J425 que Iho deve
a Camara Municipal de Olinda de custas decahi-
das. --A' commissao de oramnento municipal.
Oatra de Mangoel Soares de Albergaria, professor
contractado da cadeira do povoado do Olho d'A-
gua da Oaqa da comarca de Taquaretinga, reque-
reado ser considerado effective na referida cadci-
ra. -A' commissao de instructSo public.
Foram approvados : umrn parecer da commission
de fazenda e orgamento e dous da de instrucoa
public, padindo informa5es sobre os requerimen-
tos de Theraza Alexandriua de Barros Mello e de
mioradores aas povoagoas da Lapl e arredores, Gi-
quia, e Ar6 is, e ontre da mesmina cormninissa'o dt ins-
truccao public, pediudo quae seja ouvida a da le-
gislaIo, relativamnente ao requerimento de Joa-
quirn Aanoel do Oliveira e Silva.
Foi imprimir sob n. 20 um project conceded-
do seis mezes de liceuna corn todos os vencimen-
to0 ao 2' escripturario do Consulado Provincial,
Dr. Caetau: Maria de Faria Neves.
Veio A mesa e foi lido e rejeitado umrn requeri-
m'n to da Sr. Antunes. pedindo a concessao de ur
gaacia por 15 minutes, para justificar um reque-
nrimento pedindo informacoes a respeito do estado
de seguran'a publics nzi cidade de Olinda.
Adiou-so de novo, pela hora, a discussao do re-
querimento do Sr. Loureuno do SA pedindo infor-
mr9a5s sobre a reform da instrucglo public,
orando o Sr. Barao de Nazareth, que mandou umn
adlitivo que foi apoiado.
0 Sr. Olympio Marques requereu e obteve ur-
gencia por cinco minutes para justificar una rc-
querimnento, que foi approvado, pedindo informs-
9oes sobre so toi observado o 2o do art. unioo da
lei n. 1,781.
Passou se A ordom do dia:
Encerrou-se a la diseuasso do project n. 6 des-
te anno (fixagio de.forca policial) nio se votando
por falta de numero, e teado orado os Srs. Barao
dp' Nazareth, Olympic Marques, Democrito Caval-
cante,AIeira do Vaseonellos e Antunes Pinheiro.
Adioa-so a 2* discussio do project n. 200 de
188.
A ordem do dia :: eodtiniuaglo da antecedente.
Difaelro -0 vapor Ipojuca levou pars :
Natal 10:5004000
Mossoro 23:2504000
0 vapor Pirapamra trouxe do aorte pars este
porto 13:3504690
Uueravor nialores de 60 anuos-Eis
a relacAo dos escravos matores do 60 annos, exis-
teutes na provincia do ePernambuco em 31 de de-
zeiibro de 1d884:
Municipios Escravos
1 Recife 937
2 Aguas-Bellas 50
3 Agiua-Preta 125
4 Barreiros 166
5 Bezerros 61
6 Boa-Vista 22
7 Born Conselho 59
8 Born Jardim 96
9 Bonito 103
10 Buique 96
11 Brejo 123
12 Cabo 278
13 Cabrob6 18
14 Caruari 90
15 Cimbres 208
16 Escada 331
17 Exii -4
18 Flores 224
19 Floresta 52
20 Gaurelleira 101
21 Garanbnns 84
22 QlGlts- de Goita 47
23 (oyanna 227
24 Granitw 5
25 4rarvatA 29
26 Igsaraess 198
27 Iugaera.a 110
28 Ilojuea 221
29 Itarob4 7rt


30 Jaboatdo 541
31 Leopoldina 8
32 Limoeiro 58
33 Nazareth 231
34 Olinda 54
35 Ouricury 12
36 Palmares 63
37 Panellas 60
38 PMe d'Alho 92
39 Petrolina 19
40 Rio Formoso 130
41 Salgueiro 9
42 S. Bento 30
43 Scrinhiem 185
44 Tacarati 32
,45 Timbauba 51
46 Victoria 145
Total 5.856

No ,6 conhecido o numero de escravos do Trium-
pho e Villa Bells, eujas collectorias nio se aeham
funecionando, conforeo v-se da parte o jficjai
publicada. e., *1 .i 1;: :
- Aw ?A 4h&-< -Tfumfrwn i-ftihfln (lAfrhn ia


s~ 'Pr5!to, fr 0" suo em a Ursum
VyzWho aFaido e a eomedia Amor cutiariaW
Engenhlo central de Cuyawbwes-
Informam-neos que este engenho central quae, A 19
de fevereiro, moeu as ultimas cann da eana
actual, comprou aos contratantes fornecedores
6:6375983 kilogrammos de cawaa, Aue pagou
la sonmma de 53:108J864, e q ueproduziram
6:863 saccos deaasuear, de 80 kilogrammo cada
urn, alem de 340W200 litres de alcohol de 22, 36 e
40,graios.
Apenas ceinco foram os engenhos fornecedcr s
das cannas: Cuyambuca, Primoroso, Riacho do
Padre, Alto e Pedra de Fogo.
Para a safra futura tratam de cmtratar-se
tan bem, segundo o nosso informant, os engenhos
Araruna, Camorimzinho, Camorim Grande, Sitio
do Medo, Jodo Gomes, Riacho de Pedra c Uni-
verso.
% 6-w viver :-No cemiterio public de Olin-
da foi sepultado, no dia 18 do corrente, osad r-
ver de urma mulher, parda-acablccada, de u me
Josepha Maria da Conceigao, a qual viven a bagsa-
tells de 132 annos.
Era viuva, moradora no lugar Peixiaho, e natan.
ral da provincia da Paramhyba.
-Meate reeettima--Houtem o esma de 2
hornas da tarde aur m individuo pardo, de nome
Joo16Pedro, representando a iHade de 40 annos,
conduzindo urmas barricas vasias, cahio fulminado
por um ataque de apoplexia na rua di Imperador.
Compareceado o respective subdelegado man-
don recolher o cadaver a igreja do Espirito Sua-
to, afime de er vistoriado.
Llberdade--No domingo, 22 do corrente, o
Sr. Justino da Silva Boa-Vista, em regosi.o polo
consorcio de urma sua filha corn o Sr. Pauline de
Oliveira Maia, deu liberdade scm onus e gratui-
tamente A sua escrava de nome Paul t.
Registramnos o actor de philantrophia cinm muito
prazer.
Comnpanhia Pernambueana-Ama-
nha, ao meio dia, reunem-se em assemblea gcral
os accionistas da Comptanhia Pernambucana de
Navcgago Costeira per Vapor para tomaremin co-
nhecimento do relatorio e balance do anno find e
elegerem o aovo consoelho de direcaio.
Uu~ieal 2 de Setembro-E' heje quo
esta sociedade realisa o sarbo extraordinario
commemorative do 1 anuiversario da libertaciio
do CearA.
Gremio dos Professores Primario.
-Tamboem hoje, ao mei(, dia, esta associ-salo ce-
lebra urna sessao mnagna, na sua s6le, para com-
memorar o 7 anniversario da sua crealo.
-1'Proetaio-Depois d'amanhi, 27 do cor-
renute, terA lugar a procissao do Triumpho dos
P-ssos do Senhor, a qual sahirA da Ordem Ter-
ceira do Carmo, percorrendo o itinerario do cos-
tume.
Econoinia Nem avaresa Dado um
born system nervoso, o melhor modo pars conser-
val-o vigorous e procurar exeretasl-o sempre, sern
cansal- o. Economic sem 'avareaa.- Trabalho sent
esforvo.
Dos dous excesses, peior e a inertia que o tra-
balho excessive, e muitos velhos morrem no dia em
que pensam rep6r a felicidade da vidar no descanso
absolute.
0 camponez agitado 6 o homein mais longevo,
verdadeiramente porque trabalha bempre, mas nio
muito.
Ao lade do camponez trabalhador, achaes
o escriptor, que escreve semr febre, ea conti-
nua a escrever ate a extrema velhice (vede Mi-
chelangelo, Ticiano, Littre, Voltaire, Galileo, New-
ton, Franklin, Mauzoni, Goethe, Copernico.)
Os proverbios de todos os tempos e de todas as
na6es conagram a importancia do system ner-
voso pela longevidade, tambem muitos seculos an-
tes que nascesse a physiologia e que soubessemnos
ler alguma letra no admiravel e mysterious livro
da vida.
Sempre se disse que pars chegar-se a velhice
era precise ser calmo, serene, e optimist.
Se accrescenta tambem : 4 precise ser egoista;
mas aqui o proverbio cahe na satyra, exagerando
porem a verdade, seneo falaificaudo-a, assim come
se confunde a avaresa corn a economic.
Fingir de today dor, e fadiga e de qualquer che-
que, calcando aos p6s deveres e sentiments, isto e,
egoismo e preguiga, duas tormas diversas da ava-
resa.
Ser paciente e trabalhar sempre sem chicotadas
6 esta a economic sabia e santissima.
Naoeseromns n6, 'certamente, quo vos ensinare-
o egoismopara chegar-se a vehice Se pars al-
cancar-se a ser longevo fosso neeessario o egoismo,
vol-o dizemos trancamente, preteriamos a vida
breve, mas abencoada das dhicias do affect.
Sem sentiments ronunciamos a vida.
n Oh sentimnento, sentiments! suave vida da
alma, qual 4 oeoraeo -de ferro que nie tens ja-
mais tocado ? qual 6 o infeliz mortal, a quems nso
tens arrancado urna lagrima? ,, (I. I. Resseau).
$ S6 tens um synonimo morte. a (V. Hngo).
v A primeira e mndispeneavel condigno pars ser
feliz 6 urna consciencia pura, nalo manchada pelo
remorse e pela recordacao d'alguma indigna accao.
(Gibbon).
a A vida 6 a viagem, a idea 4 o itinerario. Sere
itinerario fica-se parade. 0 fim esta perdido, a


forca morta. (V. Hugo).
N6s cremos antes que o egoismo 6 urma contra-
indicaaio pars campar por velho, dead que nos
priva d'aquelle pio quotidian do eoravlo conten-
te, que 4 necessario ainda mais.queo plo de trigO.
Attribuimos so affect s dons verse sublimein
do grande poeta italiano:
L'anima mia gustava di quel obo
M esavitdo I& di sa&6 41 'L -,fttotio, c. 31.


4'/







S .' .
:'^.- ..* .. .


~%?" 'A~


. -,,*t-... o t .


/..-L-. *.-:
: f '-. / '*- i .. .
' ,. .'. ,- -/


* .t~IV


91'


r' r.9 -. -


... -.*.. i^ .. -. .... ... .. ^. _.4 .


t.: 4 ,,



.'t* ** *ips-
" .


aate no di


da na Caa 4


a edo NwftaerM -st lo-
^i 9 I grade 6 de 400:000000, meri

elks a Fortaua, Arus 10
NIetertrmrspy0'- 0_-bft a- -s bO ete des--
ts loteria aeob sm-an pda X runt dbCaoug6 a.
2 C., cuja extheI "i=anh qwua -ra, 26 do
corrente. .
Grande Ioterla da corte-Eata grande
loteria, cujo prerio grande 6 do 504:000000,
sera extrahida bawem ente. t
Os bilhetes ame!I u-voC na.= a FelC, A
or cmII. i-3 ..
nova f9Tnoo muito van-
lotenait t.o t. te. .ameiro -A loteria
n. 353 A, do Rio, do 20:000SQfO, do novero piano
Aer extrahid impreterivlmeute no dia 28 do cor-
rounte. ..
O r4to Jakbikees' na Casa da Fortuna, rut
l do'Margo n. 23.
Losterla de fMhOOOOOO-A loteria'l
serle B, do Rio de Janeiro, eujo.piano h mumi-
to Bf* onre aorh 1 de abril.
BTnhetes 0 venda ,u a Feliz A pip da In-
depeadencia xss. 37 e 39;:
iLaerta--A de n. 176 B, do Rio do J-ei
de30:900000. do novo piano, sera extrahida
no dialdde abril.
Os bilhetes acham-se A venada na Casa da For-
tuna rua do Crespo n. 23.
UMr4fdo Municipal de M. JoS6 0
movimvento deste estabelecimento no dia 23 de
de mauro fol.o seguinte:
Enhraram para serem vendidos 35 bois, pesan-
do 4,161 kilos.
No, mesmo dia entraram para o mesmo es-
tabelecimennto:
Peixe, 112 kilos.
Farinha, milho e feijao, 20 cargas.
Fructas diversas, 25 ditas.
Suinos, 5.
Carneiros, 5.
Precos dos dias:
(Carne verde a 480, e 400 r6is o kilo.
Suino a 600 e 560 r6is o kilo.
Carneiro a 800 e 610 reis idem.
Farinha de 500, 400 atW 320 r6is a cuia.
Milho de 480, a 320 r6is a cuia.
Feijao de 800 a 500 rs. idem.
Foram occupados:
64 talhos de care verde.
18 ditos de suino.
10 ditos de fressuras.
35 compartimentos de farinha e conmidas.
62 idem de legumes.
Deve ter side arrecadada nested dia a impor-
tanciade 202A610.
Foi multado em 1000)3 e suspense o talhador
Manoel Ignacio do Araujo, per fraude em pesos
de carnet.
atailouro pabllco-Foram abatidas no
matadouro public da Cabanga para o consumo
do dia 25 do corrente, 55 rezes.
Operac6es cirurgicas-Foram pratica
das no hospital Pedro II no dia 23 do corrente as
seguinte :
Pelo Dr. Malaquias:
Urethrotcmia internal pelo process de Maison-
neuve, per estreitamento fibroso da urethra corn
reteniao de urina.
Polo Dr. Pontual:
Amputa9io do antebravo pelo method a dous
retalhos per fracture. dupla do mesmo corn recrose
dos ossos.
Polo Dr. Estevao:
EstirpaqIe de kisto sebaceo da regiAo infra es-
pinosa.
Cava de DeteicAo--lovimeato dos pre-
sos no dia 23 de marqo :
Exiatiam presos 359, entraram 3, sahiram 11,
existed 351.
A saber:
Nacionaes 315, mulheres 10, estrangeios 11,
escravos 15. Total 31.
Arraqoedos 325, send : bons 303, doentes 22.
-Total 325
Movimento da enfermaria:
Tiveram baixa :
Ludgero Francisco Cavalcante S.ry)a.
Antonio Jose Pereira.
Tevosalta :
Joao Franisaco de Lima.


CIRhuICA JUDICIAIIA

Tribunal da Relaio


SESSAO ORDMNAiIA EM 21 DEK MARVO
DE 1885
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIUO
QUINTINO DE MIRANDA
Secretario Dr. Virgii Coodho.
As horas do costume presents os Srs. desem-
bargadorea em numero legal, foi abertai a sesso
depois de ifas e arprovada a acts da antecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se os
seguintes
JULGAM'ExtOlf
Renurso eleitoral
DA Eseada -Recorrenta Evaldo Ottoni Vieira
de Sqou. aidodSebastilu Gomes Penna. Re
latar o ioqW, leiro Araujo Jorge. Deu-se
provimwnato o.nearso, unanimnemente, para sei
desatak do e roMrdo.
d .r s_:z.ecuro crime
De S8uza -.Reorrente Leonardo Jose Dantas,
recorrido o juizo. Relator o Sr. desembargador
Pires Perreira. Adjantos os Srs. desembargado
res Pires Gongoavese conselheiro Queiroz Bar
ros.-Negou-se provimento contra o voto do Sr.
c mnselheira.QO!z Buarroe, end-)' unanimemeate
a Ivertido o juizc hd- eito peta demmra do julga-
mento.
AgWgro do petigo
Di civel do Re"ife-Aggravante Francisco An-
tonio de Oliteira, aggravados Thomaz de Carva-
lho & C. Relator o Sr. desembargidor Toscano
Barreto. Adjuntos os Srs. desembargadores AI-
yes Ribeiro o Burqua Lima.-Deu se provimen-
to so aggraVo, unanimemente.
Denuneia
Do promotor public da comarca de Campina
Grjndocon a o respecti-o juiz de 4ireito Dr.
,I.Triudade Antunmes Meira Ifenriques.
ao Sr. desembirtador Toacano Barreto.
AV^na 5 Srs. dee -b ores Pires Gonugal-
vyes e Boarque-jLna.--Menoe tomou conhecimen
t) ia denunmcia, Uae poque o promoter
public nmft teasw par&a denuuciar o
juiz de dithep.


p '11 0 r
V5a -
1rei -ar p
Da '0Si~lB S
vtf~^^B'.pa||BE^ ES~Aa!.ltr_ n ~i~ods


IAQ Sr.


up


PUBLICAGOES A PEDIDO


Garanhuns
Despacho do juiz de direito
Vistos estes autos, etc.
Denego provimento ao recurso necessa-
rio interposto do despacho de fls. 60 na
part que pronuneia o r6o Antonio Felix
Soares como incu.mo no art. 10 do Deer.
a. 3,163, por ser conform o direito e as
provas ; e dou provimento ao mesmo re-
curso para elassificar o r6o Henrique Al-
ves Barretto como incurso nos mesmos arts.
257 do Cod. Grim. e lo do Deer. n. 3163;
porquanto dos autos nao estA bern deter-
minado que houvesse qa compra e venda
entre o0 dous r6os, e sim doprehenie-se
quo elles coneordes turtaram o cavallo e'
qucstob. AbibiaWs,- mano quo so own-
pra o despacho recorridb Godi a altera~go
que hei feito na classificao lo _crime do
r6olHenrique Alves BarretG.- :
Pagas as custas polos mesmos r6os.
Noto no present summarino
Quae send preso o rb HUTmrique Ales
Barreto a 20 de janeiro de 188, to trifto
de Aguas-Bellas, come em flagrant &elicto,
por conduzir um cavallo furtado, nib cons-
ta entrdtanto dos autos quando foi recolhi-
do a cadeia, nem per ordem de que auto-
ridade, e nem tambem a querm foi apre-
sentado o mesmo r6o, considerado pelo
despacob reuorrido como incurso no art.
257 d6 Cod. Crim. cembiuado corn o art.
60- 10 do mesio Cod. o azrC1 $ d Debi.
n. 3,163.
Que n1o podendio saber-se 4iuando foi
apresentado o referido r&o a autoridado
deeste term, como flea dito. oomtudo deo


prehende-se que fora a 27 de :fevereiro *'
1844, data do despachdo d elegadb de
poiia, que l4e1-s-a fls. 6, no autoaiente
do auto de flagrante de-ict- procedido: no
term( de Aguias-Bellas.
Quo o referido despacho mandou D. A.
e dar vista ao Dr. promoter public que,
proterindo a promogio de fls, 13, nada
poiderou a respelft6 da prisaio e send na
meima data concluses os autos ao delegado
de policia, ess4 at6ridado proferio o des-
paeho do fls. 15 v., nio marcando dia pars
ter lugar a diligencia reaerida, er s6eff&oc-
tuaada a 9 d4 6ar$, c-aefo v%-s& doe altob
de pergaWt&d-flv. 14 a fli. 1.
Quo d n'O"06 aotlso* ose aunts 'ao de-
letdo fM dstetfiiusad' e eooc&tc Ore-
meas enrdata de 4 doe mar$ deo 1884,
quaido foi exarada A& promoglo de fls. 5
entire os atoamenito,; zseaindo-se os ter-
iids e despachos em seguida ao term de
remessa, e nlo enutre auatebts de 28
de feveroiro de 1884.
Que o'delegado determinando, per des-
pacho de 5 de margo, o mesmo dia para a
diligencia requerida; s6 tiwe lugar no dia
10, come ve-se do atuito de fls. 16, nlo an'
contrando-se a ft. 5 v., o termb da- data
do despacho det:rminstivo da diligencia;
send os autos devolvidds no dia sbguinte
em ctiunprimento ao despacho do delegado,
que nada ponderou.
Quo- a d 4esn iaW a 94 4m v114- -d-


de^ouq, -j ate Maoel Frederico
: Do Som jujo Jorge so Sr. co'se-
Iheiro Queirez Barros:
Embargos intringentes
Do lH e tmwr ei
no da Siaw I ft .2wok
Ferreira.
0 Sr. conselheiro Araujoc04JgfSamo procura-
dor da co1Oa4 promoter 040840 deu parecer
nos seguintes fettos :
Appeillso$s cimes
De Ourieoy AppoUaate Manoel Francisco
Duarte, appellad.- a justicga..
De Campina GWanib Apnilantoe o juizo,
appellados Joaquia Ribeiro defaria.e outros.
De Gravati AppellUante o juizo. appellado
Jolo Francisco de Souza.
Do Sr. conselheiro Queiroz Barros ao Sr. des-
embargador Bnarque Lima :
Appellag5es crimes
De TimbnAba-Appellante Joao Jos6 Barbosa,
appellada a justice.
Da Parahyba-Appellante o juizo, appellado
Julio Maximiano da Silva.
De Bom Jardim-Appalnte Theotonio Fran-
isco de Salles, appellada a justiga.
-, ApprtebiqI& civel.
SDe tA W.L"fou Appelttpts Jo0e Vieimea de
Macedo, appelrdeAlto.de oOliveira e Vasocon-
cellos. .
Do Sr. ~dsea wgsdor Buarque Lima ao Sr.
dbsembargadr Tdsecano Barreto :
Appollagao crime
De JaboatAo Appellante o juizo, appellado
Manoel de Mello.
Do Sr. desembargador Pires Gongalves so Sr.
desembargador Alves Rl:bet':
Appellacoes crimes
SDe Cabaceiras-Appellantes Jos6 Pereira Fil-
gnueira Junior e outro, appellada a justice.
De S. Bento-Appellante o juizo, appellada a
justica, r6o condemnado Bernardo Joao de Farias.
Do Sr. desembargaliToscano Barreto ao Sr.
desembargador Oliveira Maciel:
Appellaigo commercial
Appellantea Freire & Bastos, appellada a com-
panh a Indemnisadora.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Appellagao civel
Do Recife-Appellantes a junta administrative
da Santa Casa de Misericordia e o comimendador
Jos6 JoLo de Amorim, appellados Luiz Maria da
Silva Oliveira e outros.
DISTRIBUI95ES
Aggravo de petiIao
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do Recife==Aggravante Antonio Joaquim Vi-
nhas Maia, aggravado ojuizo di provedoria.
Eacerrou se a sessao'as 2 horas da tarde.


Pede-se corn urgencias as devidas'-pro-
videncias por quem esteja no' care do dal-
as, para os continti s abusos quo :e s stlo
dando stbre os despachos de ea ia d'pe
qnena cabotaginem.
Alem dos canooiros pagareni' despachos
da importancia db 3600a eastargo"no port
desta cidado 6, 8 e mais dias,'vasia d tA
Pan6as, corn grande prejuit6 pfta 1,1fnt-
mercio e d'elles proprios, alemk' de ntd--gt-
fhArem pars as ohpedas.
Pede-se, pottanto, a quoem decdKiritefor
qu6 lance siut buenvolas vistas pars este


pessimo estado de cous.
Os can6eiros sempre pagarain
cofres da provincia a quantia deo
por sahida.
Havemos star sujeitos ao que
Alfandega de Pernambucoo!
Justl0a! Justiga!
Os reemicados.


para os
200 reis


1tirdeio d o pr9I apJreo@ @ prtt
ti"Asocia CTJW, 7
dnc iamm do pirme kep-se

noapes do papi reui*Ik*
nadaU ra,, e principal mente cown menw
oun neauam trabuab ismprQflwIO.
Aeaadondevao-seograu4a IewX do pro-
cesos crimosf devo-se- dietribuir o trab.-
iho de forma a nio ficar sem effeito os des-
paohosa; praxe, seguida pelos anteesgores
do actual juiz effectivr que dnpwhac qnasi,
sempre ineontinenti, e s6 remette ao eascrir
vieo dias depois.
0 despaho do fls. 35 v. nao 6 legal.
Determiar pria,.4 crime afiangavel
de'poias de process inieiado o antee do pro-
nuncia, 6 offensive a Constituiglo, as ga-
garantias e aos direitos dos *cidados.
E' incomprehensible o referido deepaeho
que trata de-umr- ro peso -e recolhido A
cadoia desta cidade, illegahonte,ifacto esse
de qu. tinha soeaina -o jms dd dapacho
per hayer oexpe ida.,portma .ao. caresroeiro
pars apresentar o-r6o, -afim do asuietir a
inquiricgo de testemunhas.
Portanto, epelo .mais quie comts. don
autos, Idtaexmioao, pam.r'far effektiva a
responaabiidade de ,qman d Aireito 4foi, a
extracgto da copia da petiglo de denagurcia
e despacho, de. todo processado do iuque-
rito, das duas primeiraaportarias mandan-
do vir-o rrparaver juarsr teatomanhas, do
despacho oxarado no versoa da 2a. portaria
determinando a expediglo( do muadado de
prison contra o mesmo r6o de qute trata a
portaria, e do mandado expedide panra tal
fim; devendo todaa as peas indicadas ser
convertidas e extrabhidas sem prejuizodos
direitos dos r6os.-
Nao estando seguida a numeragao das
folhas dos autos, determine nova numera-
Oo a contar do autoamnento da denuncia.
0 escrivao publique e cumpra seu regi-
mento, devendo o presented process ser
preparado para o r6o preso ser subnaettido
ajulgamento na sesso do jary convocada
para 16 do corrente mez.
Cidado de Garanhus, 4 de margo de
1885. (Assignado) Joaquin& Cordeiro Coe-
lho Citttra.

Directorio democratic
Para prevenir que algum dos distinctos meorm
bros do directorio democratic deixe de compare-
cer A reuniao per mim convocada para.o dia 30 do
corrente per qualquer extravio das circulares que
para o dito fim expedi, fato public o theor das
mesmas afirm de ratificar o convite nellas contido.
25-rmarco-1885
J. Climaco.
Secretaria do Direetorio Demoeratieo, 21 de
mar9o de 1885.-Illrn. Sr.-Tendo fallecido o nosso
distinct chefe e president deste Directorio, o
Exmn. Sr. Dr. Antouio Epaminondas de Mello, di-
versos membros do mesmo resolveram se reunirem
A 1 hera da tarde do dia 30 do corrente, em sua
s86de a rua Duque de Caxias n. 50, atim de serem
tratados diversos assumptos momentosos, motiva-
dos pelo infausto acontecimento que acaba do en-
lutar todo o paiz, e especialmente ao partido de-
mocratico pernambucano, para o que pcdrem o
comparecimento de oV. S. A. dita reuniao, dando
V. S. mais esta prova de sincere adheslo aoe mesmo
partido.
01 secretario,
load Climaco do Espiro Santo.

Afogapos
Ao Sr. fiscal da fregueaia aeima mencicnada.
pede-se, que seja mais diligente no cumprimrito
doseus deveres corn relasao a vends de came
verde.
A Camera municipal nos garantio carne de b~a
qualidade A 480 reis o kilo at6 o fim do mez, o no
entanto nests trees dias temos tide came mnagrt e
pessima;
Mais vigilancia, Sr. fiscal, e mais caridade Sr.
contratante.
0 papagerio.

A quem de direite


Dr, Jo0iin Lolrir
D& consultas das 12'As 3 na rua do Ca-
bugA n. 14 1.- andar. Residencia tempo-
raria no Monteiro.

OCULISTA
0 Dr. Barreotte sampalo, medico
oculist ex-chefe de clinic do Dr. do We-
ck*,4e volta de sua viagem ao CearA,
continia a dar eoanslOi a rua do Baroe da
Victoria n. 45, segtifto atdar, de 1 as 4
horas da tarde, except nos domingos e
dias santificados. Chamados em seu con-
sdltorio onu em can de sua resideneia
run de Riaehuele n. 17, canto da nsm dos


qutizr a Piresa


Agua Florida de Murray at Lanman
N. 1191
Em consequencia de suns grande e vasta popu-
laridade e just celebridade em todos os mercs-
dos da America do Sul e das Antilhas, para o uso
deaoujos paizes, ella foi exclusivsmente madtasc-
turada, ha mais de 20 annos: a mesma tern side
extensivamente imitada e -contrafeita neste paiz.
Porem presentemente o artigo original fbi in-
troduzido, e em virtude do mesmo apresentar a
distinctive marc commercial dos proprietarioe,
p6de facilmente ser distinguida pela sua apparen-
cea exterior dessas outras simuladas e fraudalen
t Ls cLmpsigoes.
Os itgnaes interns da perfrita genuiuidade sio
maito meaos faoil de engauo, porquanto a Aga
de Florida de Murray e Lamman, tern e destol-
ve o aroma proprio das freseas e odorhferLis flures
e plintas do tropico, daa quaes ella derive a'nsua
bell& e exquisite compobico, e a eoposigIl ab ar
em lugat'de diminuir, ak'iteha t a deieulJem d
sen fino aroma, emAIgur d o' and _uaf uttunra
cal acre ou am Cert.) efiuvio -Mi i'eoto,
aeonteVi, odE ,aBlfet'8. ,Msec
qB i -' .. oleo&.


,L -va


Pra4a 4t


Cambio
Cambio


Rtafe, *4 de Iarmqo
de i8f&


As trees horas da tarde
Cotacbes offWiaes
sobre LoAdmes, 90 d/v. 18 3/4 d. per 1l,
do bance.
sobre Paris, Avista, 51t rs, o franeo, do
baneo.
A. Leonardo Rodrigues,
President.
M.J.4AMdtt-- .'
"OeSctario.


BRENIMENTOS PUBLICOS
Mez de marco de 1885


ALANDEOA-De 2 a 23 567:8691987
ldevnr-de24 41:725S564
609:595#551


81::.17570&
2:2905603
83:8080311
80:6615730
5:226A907
85:8881637

60:7516432
774,612
61-:52604"


I ,_'..... ... two & "'. s-

" a S Sia n elision

tAlb qtmteb. esdo maWm" clinical
rvil q *ilitt ore .rauosnoo r,.depwatmvo
denomiuado-Cajumbek.--4 Ili. Sr. Antonio
Pereira da Conha e obtid, 6a mare felizes resulta-
dos nn.lwnamMiamsB-Pe ly tie l-..rayphilis
secundari e affeca oa cuta.ea,.,
0 qesixQ.o j"Juro AmfA do am grae.
Puahyb, IAde mano de 18 .
Dr. JoeW Lopee da Silo Juior.
(Estava reconheoit)

tereeir- cadefra -da-fr e uh
de j oW,.
A respective professor assumio houtem (24) o
ex0rcieio da refeid-sadirt,,Jnjianncianel o rest
do tempo dae heneua em qutestsar, continuando
a aula a funceionar A rua Nbova de Santa Rita n.
3, primeiro andarr

Frogrnmt dea kossa Se

nlma da4oledade
Qaarta teira 25 do correate mna Ivgreja de Nossa
Senhora da Soledade eelehta,& feata de aua ex-
calsa padroeira..
Na tera-feira 24, ao meio dia subirao ao ar ao
spn da harmoniosa bands do 14 batalhao de intan-
tien, numerous girandolas do.-foguetes, annun-
ciaado aos fieis desta cidade a festividade, que
terA lugar no dia seguinte..
A's 5 horas da manha do dia 25, soltar-se-ha
urnsa salva de 21 tiros acompanhada de diversas
girandolas de fogoetes, pars, despertando a popu -
*Iio desta cidarl, annuciar-lhe que 6 chegado o
dia, em que todos os.fieis alegres correm pressure.
sos a render o cultoe dveneracor que 6 devido a
mesma Excelsa Senhora.
A's 10 horas entrari a festa, constando de mis-
sa solemn, cantada pelo Rvdm. Sr. secretario par-
ticular de S. Exe. Rvdma. o padre Francisco Joa-
quin da Silva, asompanhada de grande orchestra,
send a missa denominada Soledade, do maestro
J, B. Ribeti, e o Tantum Ergo do maestro J. Can-
did%, executados pela primeire ve n'esta cidade ;
o Credo do maestro Mercadante, eantando se ao
principiar a missaa Ae-Maria do maestro Car-
los Gounod, sob a regencia do insigne professor
Lydie- de Oliveira.
Ao evangelho subir A sagrada tribune o mui il-
lustre e conhecido orador o Rvm. padre Antonio
de Mello e Albuquerque, que em urnm eloquente pa-
negiriceerAt eonheeer arvirtdes de Maria San-
tissima em sua Soledade.
A tarde a mesma bands tocari num coreto es-
colhidas pt gas de sen vast repertorio, subindo ao
ar per esta occasiAo diversos baloes.
As 6 horas entrara o Te- Deum, send pregador
o orador da capella imperial o Rvdm. ftrei Augusto
da Immaculada Conceigio Alves, find o qual quei-
mar-se-ha urn magnifico fogo artificial, preparado
pelo insigne e bem conheeido artist Olympio.
A' igreja estarA caprichosamente ornada no in-
terior polo distinct artists o Sr. tenente Lourengo
e no exterior elegant e alegremente enfeitada de
bandiras e globos etc.
Qunta-feira, 26, havera miss cantada as 8 ho-
ras da manha em louver a Nossa Senhoza da Paz
e cantar-se-ha Ladainha as 6 horas da tarde.
Consistorio da contrarian de Nossa Senhora da
Solodade 24 de man* de 1885.
0 secretario interino
Manoel Francisco Cardoze Guimardes.

E' coni a Camara Municipal
Pars que ordene ao fiscal da Passagem
da Magdalena que- vA dar um passeio A
praga do Conselheiro Jobo Alfredo. E
quando alli chegar examine os concertos que
estA a fazer o proprietario de um predio
que na plant da cidade esta condemnado
a ser demolido.
Bern sabemot que o proprietario obteve
licen9a para faser reparos interns no re
ferido predio; mu concertos interns nao
.coaistem emiubsiituaiq. do travejamento,
is cohorts, etc., etc.
Urna providencia espera
Urn Municipe.


| Escola publica
A e* cadoira, pars o exe fminino, da freguezia
de S. Pedro Gjwigalvea db Reoire, funcciona em o
2 aedar do eobrtdo n. 64 da rua do btarqtez de
Olinda.

II.. e.. -


}OJSO BEPREipARKT0RI98{
flPrancez practiceo e theorlco)
) portuguez e geographic
50 -RUA DA SOLEDADE-50 )
Informa"cs corn o Dr. Tobias Barrette [





|Oculista
t Dr. Ferreira da Silva, con-
sultas das 9 ao meio dia. Re-
sidencia e consultorio, n. 20 J,
rua Larga do Rosario.
Recife, 5 de margo de 1885.




S Dr. Leonardo de Albuquerquae Ca- '
valcanti, mudou seun consultorio pat A )
rut do Marqnz de Oalid antia d ) (
Cadeia) a. 5, 1 andar e xo 6 t a0W (
residencia na rua ds Imperatriz n. 7, 7
2 2andar.





SDr. elto Gomies

E edice operedor
Rua do Barto da Victoria, antiga
rua Nova n. 37, 10 andar
Onde pode ser procurado A qual- I
Squer hora do dia. e da noite. ConsIultas
das 10 ao meio dia. Recebe chamados
per escripto e para f6ra da capital. De (
dica-se corn especialidade aso estudo deo
S febrea, molestias de poito e affocOes sy-
I pjilitieu do abos ose awse
} I APPARELHO TLEP mOmiCO N. 156


fle il .............
'Borracha -de- mDgebeira 22 barricas a
H. Stoltienbach & C.
Courinhos corn cabellos 17 amarrados
aos mesmos. Couros salgados seccos 12 aoss
mesmos, 97 a H. Forster & C., 61 A or-
dern.


Bares Portugueza GCeresm, entrada do Rio
de Janeiro em 23 do crnerante e consignada
Jose da Silva Lyo & Filtho, madifes
tou:
Barris vasios 100 a A. Augusto da Sil-
va. Barrieas 200 volumes ao m o, 15
a Dias Pinheiro & C., 400 a J. ," tletGf
tro &C., ;14& a Manol FraWimw MMarl4
& Filho, 1,175 a Azevedo e- C.
Farinha de mandioca 500 saecuos a Fer-
nandes & IrmAo. Forminiida Campanema
10 caixas A order.
Kcrozene inexplosivo 100 caixas A or-
dem.
Potassa 5 barricas a ordum.
Vinagre 13pipas e 50 barrisA ordem.
Vnhlio branch S pipas e 93 barris A or-
dem.

Hiate national Deus te Gaie, eatrado de
Macau na mesma data e cnsignado a Bar-
tholomeu Lourengo & C., manifesto:
AlgodAo 494saccos..
Cotesa de araab-rt9 sacoos A ordem.


Cirurgiao dentist
0onsulas oPeaOs das 9 horas da mansh As
4 da tarde.
Gf"61- flue.
57- RUA DUQUE DECCAXIAS -57







PII&IACIA-EDWGARIA
DIM
Dartholomau & C.
8UCCESSORE
Fundada em 1826, importadirectamente das fa-
bricas da Europa e America, todos os products
chimicos, drogas utensiliose eapecialidades phar-
nmaaeuticas.
Zelo e pontunlidade nas;expedig5es.
34-Rna do Rosario-34
PERNAMBUCO

0 Dr. Adria&o
MEDICO
Continae a dar consultas das 11 As 2 horas da
tarde, em -aeu antigo oonsultorio, iA rua Larga do
Rosario B. 36, 1.o andar. Chamados'por escriptr
a uqadquer hsra, na pharmacia Bartholomeu & C-


Mile. Cotinha

(lodista)
Participa As Exmas. families que at6 hoje ihe
tern dispensado suas confiangas em sen trabalho
que mudou-se da rua larg'a do Rosario para a da
Imperatriz n. 45, lo andar, onde continue As or-
dens das mesmas, corn todo o cuidado e elegancia
possivel, garantindo promptidio e modicidade em
pregos.

Dr. Cerqueira Leite

Medico e operator
De volta de sua viagem A Europa onde irequen-
tou os hospitals de Paris, tend feito um curse es-
pecial de partos e molestias de senhoras, da con-
sultas no seu antigo consultorio A rua Duque de
Caxias n. 48, do meio dia As 2 horas.
Especialidade : molestias de criangas e de se-
nhoras.
Recebe chamados por escripto ou no seu consul-
torio, ou em sua residencia A rua do Bar&o de S.
Borja n. 30.
Telephone n.326.


0 vinho de Bellini fortificante, toni-
co, febrifugo, anti-nervoso, cura as affec-
93es escrofulosas, febres, nevroses, cores
palidas, irregularidades e empobrecimento
do sangue, etc. Recommendado as crean-
gas, senhoras debeis, ppssoas idosas ott
enfraquecidas por doengas ou excesses.

Recommendamos as pastilhas e pds
Paterson (BISMUTH E MAGNESIA) contra as
doen9as do estomago, acidez, arrotos, vo-
mitos, colicas, falta de petite e digest5es
difficeis; regularisam as funceges do es-
tomago e dos intestinos.
Deposito em todas as pharmacies de
Pernambuco.


F ABICBE BA011AS
DE
CO S T UT fl.A.
FRIRTEIR & ROSSMAN

SOCIEDADE POR ACOES


Uico represenlante em
PERNAMBUCO
TJ9CS. YTYST
2 -LARGO DO CORPO SANTO-2
Machina superior, systems Singer e
Whrcler & Wilson.
APrEUFEIV6ADAS
PIMIADAS EM TODAS AS EXPOSIM5ES


EDITAES
0 Dr. Adelino Antonio de Luna Freire,
official da imperial ordem da Rosa ejuiz
de direito privatioo de orphaos e ausentes
neata comarc,; do Recife, por Sua Ma-
gestade Imperial e Constitucional o Sr.-
D. Pedro II, a quem Deus guard,
etc., etc.
Favo saber aos que o present edital virem, ou.
delle tiverem noticia, que no dia 21 do mez de
abril do eorrente anno, dtepois da audiencia deote
juizo irA A praga para ser arrematada por quem
mais d6r, uma casa terrea de tijolo e cal em solo
aforado perpetuamento per Antonio da Cunha
Soares Guimaraes, usna rua Imperial, freguemsia de
S. Jos, sob n. 263 outr'ora 267, corn 2 portas na
frente, 4 metros e 82 centimetros de vie, 13 me-
tros e 65 eentimetros de fund, 2 sale, 2 quarter,
cozinha interns, ,quintal em aberto oareeedma 4e
alguns retaros, avaliada por 1:500, peiio quo,
em cumprimento do meu interlocutorio profrido
a folhas 62 dos autos do inventario de Ambrozio
da Silva Ribeiro, cuja entrega dependent de an-
toriza$o deste juizo.
E para s eonstar mandei passar o presented, que
sera publiado pela imprensa e affixado no lugar
do costume.
Recife, 21 de marco de 1885.
Eu, Olavo Antonio Ferreira, eserivio o fiz es-
crever e saubscrevo.
Addelino Antonio d& Luna Freire.

No vapor trancez LondedAta, cirregou:
Para o Havre, A. Labile 246 ues corn
18,391 kilos de gp4 o.
Ato vapor faneez Cgo, carre :
Par Ljsboa, 0. Travasso & C. 610 G ea n eo
44,372 kilos de algodlo.
Na bares ing:eza L-. Jea carregon :
Papm New-York1 PoMau & a..6o0 meoos am
45,OSiukil de anuear uaseavaed.


Psj-SteiM*ftarfl&"IO &fJ.S msiiau o




t'banco ; 3. 8,aCt sWatmt 8w1 hurrieas corn
4,0b2 ditos de diro.
No kate national Len te Glie, carregon :
Para Aracaty, J. A Q. Pires Junior 5 barzib
corn 480 litros de mel; P. Alves & C. 39 berries
corn 2,250 kilos de assucar franco e 15 ditas corn
815 ditos de dito refnado-
No vapor naecional Ipriuc csnego. :
Pare MacAo, E. C. Beltrao &t rmrno 10 barricas


com 854 kilos de assucar braneob
Para Parmibhyba, P. Alves & C. 70 volumes
corn 3,361 kilos de assucar branco.
Para Camoasim, Oliveira & C 5 barriers am
379 kilos de assucar branco ; J. A. 0. Pite Ju-
n'or 10 barris corn 960 litros de ag uardente.

VAPORFES cPERAOS


Finance
Congo
Bahia
1_ -. .. .


DtSPACHOS DE EXPO ITAAO Comic d'Bu
Em 23 de'marvo de 1885 Tags
Para o exterior a
No vapor allemio Atlkembsrg aregou :
Para o Balitco, Bortelinann & C. 1,000 fardos Pard
eomr 216,482 kilorde algodl. -ger
-- No vapor igle'AAor, earregou :D udito Sat
Para Liveapol, M. J. da Rocha 600 saccos em Merrimack
'yPOkilos de amuer macavmadoe roat
Na barc noruefo Jmo.u carregoa : itwma
A=r Nt w-York, JI& Loya &lho 1,000 mes- She
qa corn 75,000 kilos de-aummr ummasvdo ; P. M a "no'
C & ALilho 997 dtoBm4om 74Z25 dito de dito.- Put
- No wpor amerian mue, e :ar-regan 0 s-
fmN04w46, 1% Eub*uh:&i 1,670 eonr' Ck topaari
a des- Bbm Neow


\'

._ .. -_ .L .',c


do sul
do sul
do norte
do sul
do sul
io sul .
do Pakcifiao
- Abril -
do nor-s
d& EuroP
do sul
de New-prt-NOWA

do.Iif. .-



do
d.. at

..s


A2F.
a 2Z

a2
a3


)
'41


'4


........l* *.. l i it *-


Um 4do irsatI. IS
As aulaB dte colleglo abriue.-hlo no dia 16
de Janeiro eotimado atewo.la diamia pa
todo os preparatorios e um erpdonte de mi
reonheedSo ieto
Admittem-se alumnaes internal, meio penoiis-
tas e extema.
A direerma.
Maria Cdetho da Silva.



0 -6 cirurgiaednista
SJose Basilisco, de volta da sua viagem
A c6rte, continue no seou gabinete, A rmns
da Imperatriz n. 1, das 10 as 4 horas.



SCURSO DE DIREITO NATU- {
J ( RAL E PUBLIC
1( POR
Clovis Be'vilaqua
A' rua do Visconde de Albu-
1 querquoe n. 36


Ensino de Inglez theorleo e pra-
tleo-
Tendo o Dr. Fortunate Bettencourt, professor
de inglez no Gymnasio Pernambucano, por impe-
dimento de molestia, da qual veio a succumbir,
eonfiado ao abaixo assignado os soeus alumno par-
ticulares de inglez, e, pernsuadide de que soube
corresponder ao convite daquelle seu prezado ami-
go, vemo informar sos Srs. pais dresses alumnos e
igualmente Aquelles a quern interessar possa, que
continta no exercicio de seu mngisterio no CITY
COLLEGE, BRUA DAS FLORES N. 37.
Recife, 6 de margo de 1885.
Leonidas Silva.


d A I




* a .


S.. 00. Ida

IdS ta e volta
Vo, 0. iw 0. ; Id
g. |. | Ida e v g

da
U SO 0O>dC SO s
Ida I



!0
"t -g Idae volta i


Ida
ilil-k~~SC~fifii1tt ,, t


0 oG -- Ida e-volta

n *ACO fi .- ? Ida





00 Ida
s = m s iIda e volta
tOa fiaBc~tc^^ I Ida a













Nos preeos das pat sagens nao se aeha incluido
0 mporsto do governo. ,
o iz
bilhetes desta class para viagem de ida S






validos tmieamente no dia- t-ara qua forem distri-
buidos ida
gosgS~~~iIa C






SOs d"ida0 voltA^ porh, dio direito volt'em
^^s^^^Sa- i~da e volta a



Nos plqureos da pasin gnrio de pnssageiros nos tres
o imposto do gvintes.ro.
Os bilketes desta class' para viagcm do ida sao
validos unicainezte po diii laral queatorem distri-
buidos.
Os do 'ido- c volta, porroa, dbo direito A volta ema
qrialquer trem ordinorio de paiesageiros no. twos
dias seguintes- -______

a/


Ida


Id
R- *ii
_____Id


, !
b~f.: Ida >

ala
Sg& aa
~..Ida evolta


Ida


S1 ",Ida
... *1 igg ^ I | 1;

I. ^ Idaevolaj t


"! < i Ida, -- i-
r iii :.Ida

0i
:Idao revolt&
g (_InaB

Ida
:Ida e volta



JdaH"t e, Ma
g Ida v



c t -. lIda
.. a..Ltais. : Ida e 0 Ir


-0 2 Ida.-h e volta






P
fo'SSS^ Ida
0.0



^.oscc, : Idaevolta







--;92sii' hl e 3
Ida I
/- >A>- t C O S S SCO Q




O 'S^ ^ I Ida e volta =
Ida





0.


Nos pre A os des passgn n& o se aeaied
o ^ to to w wgovern,.
O bilhte da Idae volta
a~ cO ~ -Ida







oyaidoa1 anicamen10tes nos dia pasqu br
----br--w- W-,I a



:W 40- ida kt p m ,Idaevolta
C-


I.-A h A I- D i-t i Lt ic t-'i
Ida
a a












Nos quluerem or ds pinagi enps n'ose cageirosdoda
Oslra ilnt de a e o laeei d
D- ohdem do ll Sr. Ida




s.erido do e w5 otaf o de Iaada c e oltaadi
---- --------- tog ot d






No prreos das passagens nr o sde acha incluido
sao -yalguinteos unicament no dia par qu fore
,disrtribaidos.
Os do ida e volta, porem,' dii. direito a volta
em quslquer tremn ord~inario do passageiros do dia
segturite.


Estrada de Ferro do ,ecife a
Carmara
Do ordem do him. Sr. director -ngenhciro chefo
faco public quo no dia 25 do correato corueca o
servico do trafego do pasaaireiroso da mereadorias
entro as estaeues do Riecife, Tegipi4o eJaboatiio.
0Ohorari. dos trens e os preyos do passagens 6
o seguinteo;


o .






!
a 0-.--









c '
0 u<
Ii




5

9 ..





i ,-3;


Co4.
i0-


S---I-
us-i
I ,
I .

.

t'o


?O 2.
___,
0-*


Tegipi6


Jaboato


Secretaria do prolongamento ds estrada 4e4fwr-
ro do Recife so S. Fraacisoo e estrada de ferroldo
Recife a Caruarfi, 21 de marco de 1885.
0 secretari" interino, ..
Manoel Jueaoio de Saboya.
N1ota-Tendo de partir As 11 horas da esta.lo
do Recife o trem inaugural, nao haverA no dia
25 trem da tabella.



DECLARACOES
A camera municipal da cidade do Rrcife
taz sciente a todos os seus mnnicipes, quo do dia
21 do corrente p'r diante comegarA a set exeeu-
tado o contrato de. abastecimento de carnes ver
des, cclebrado corn o tenente-coronel Jos6 de
Oliveira I.astro, em virtude do qua, 6 o contra-
tante obrigado a vender ease gencro a 480 ra. o
kilo no tempo do verio, e a 40U rs. no do inverno,
de eonfermidade com o mesmo contrato.
Paco dL camera municipal do Recife, em 18
de marco de 1885.
Dr. A. de Siqucira Carneiro da CubhaN
Presidente.
Pedro G. de Ratis e Silva, -
Seeietario.

Jluizo dos Feitos da fa-

zenda
(Escrlvio interino Costa Rocha)
No dia 3 de abril e depois da andiencia doSr.
Dr. juiz substitute da fazenda Jeronyin Materun
Pereira do Carvalho, so ha de arreratar a quern
atis der o seguinte:
A armaqAo e utencilios do estabeleelrieito 'i
rua de D. 'Maria de Souza n. 2 e um pequen bal-
cdo. tudo avaliudo por 305, para pagasnento doWe
dev a faieud a Eduardo Duaites odritig Si-
MiAo. ""*..
Duat mess grades de ammellooia tm. 19 de
pedra e doze cadeiras dej unco corn assent d
Iha, existentes a rua da Madre do IEts n. 3 viL.
liadas por 52., par& pagamento do quo deve A
mesnma fazenda Manoel Saturnino dos Santos. .J
A HarnaAo e balcao e seus pertences, existeoto.
no predlio n. 8 Ai rua de Maria e Barros. avalidos
por 103', para pagamento do qui dove A mina.ua,
ttzenda Pinto & C. -
Um lavatorio com tampo de pedrL e espellop,
am relogio americano, um cabide de amarello cubi
ton10s da mesma muleira, avaiados por 728, cxis-.
tentes na rua do Marquez de Olindwa 46, para
pagamento do que dove A mesmna fazenda Joaj P6-
reira de (Carvaiho.
Uria mesa grande o um fiteiro, -otesinhab4to
das enveraisadas, seis cadeiras corn assento de pa-
Ihinha, existentes no beecco do CaimpeUo n. 26, ava-
liadas por 60, par pagamento do que dove
inesiva fazenda elipp FLdares 4 C.
A armacao de amarello enveimisada, existente i
casa n. 12-A arus do [mperador, nvaliadi emin
1500, para pagamento do que deve a t laesm fa-
zenPla Luiz Morcira d'Almeida.
A armaao deo louro pinta&da, existent e no csta-
oelocimeato n. 17 A rua da Cadeia, a qual se acha
hoje no becco da Goiabeira a. 2, avaliada par 5)Wi,
para pagioaento do quo dove i m asma fazeada
Joaquim Rodrigues Bfttencourt.
Um balcao de amarello corn tampo de pedra,
urma balanCea eom ses comptentes pesos, eisten-
tea wra a Imperial n. 95, avaliados eir 120A, para
pagamento do que dove A mesma fazenda Jou
Chbisoatowo d'Albuquerque. .
A armato e uteneilios da ecsa n. 62 da estra
da do Giquil a Jaboatao, a qual 6 today do louro e
esta em ber eatiedo, corn umn tearno de pesos e bi
lanca, avaliadoe por 150, par pagameatf to o qu.
deve A mesa faenda Antoqio Ferreira Pint).
A -w--.o do piubo o eav isada, 1rnlco de
amarello, balana comrn a rppetivos pesos, exis
tentes na rua do Vrow"d- de lahaui, tudo ava-
liado por 200;, para &nagamento do quo dove a
mesmr fazenda Justin o Gonyalves d'Ohvetra.
A rends asmua do prodio n. 846 a do Pharol,
de pedra e cal, corn ura port e urs janella de
frente, duas salas, um quartocozinha fora, quin
tal murado, avaliada em 105, pare pagameato do
que dove A mesma fazenda a irmandade de N. S.
do Bom Parto.
A read annual do predio n. 4, Ypiranga, da
freguezia de S.Jos6, con. 1 ports e 1 janella de
freote, 2 salas, 2 quartos, quintal murado corn es-
oimba proptia, asaliada em 3O5, para pagamnen
to do que deve a mesma fazenda Iguacoo Pedro
dasNeves. ,
0 predio n. 61 A, na Cabangi, fi&egueia de JS.
Jo$e, eom 15 metros e 90 centametros de :rtpnte,
9 metros e 10 centimetros defmade, 1Iporitt' de
frente corn 4 tanques para sealgtdeior detouso,
cuja cans 6 de pedrae al, avaliada on, 4005000,
pars pagamento do que dove A mosma fasenda,
Jobo Moreira de Mendonca.
A renda- annul do predi n. 20 aolheeo lo
Matiseo, freguezia do S. Jos6, o qual teui 2 powta
deoireote, 1 no oitbo queadpaa arua
mel Suasaums, avaliada e 00 pars pap-
iauto do quo deve A mnesma fmds Franeiuco


lob4 4W oflatP"pa-


%n&, qUita e UMten So o ida em
'6t09qzAa m raesma fa-

A e tna de taips sta i raa deas Lravgel-
reP, as Varna,, a. 4, CM I prt&* e2jaaa3 ^ de
fbutei 2salaa 2 ~ta de tethasf te e 70 centiietros de
7a.o etmo e cent 4e o de fuado, avaiiada
bJ I, pa do n1 dve mesmi
fasondaeradn grneeoIanaos. |
- A reods annual do predioa n. 261. Ualhass, tro-
iuezideS. Loureno "on 1 port 1 janella de
freatn, 1 jea no e, crn gala, 1 quarto,
cosinha itu, avsaliap enm W6 pra ipagamenm.
to do que dovea moal fauenda Isabel Josephsa
Coireia.
; BeAel, 24 de maro de 1885.
o soieitidor da fazenda,
Lwam 2]Vwre.
^ 80CIEDADE


Sario extraordinario a 25 do corrente
Tendo a direetiria data sociedade resoivido
selemnisar o I- anniverstrio da liberta "o do C0a-
ria corn u sarao no dia 25 do -mez corrente, ue
ordem da mesma communico sos senhores sac >a.
Do entrada aos senhores socios os recibos do
mez de mar9o, em poder do Snr thesoureiro. Con-
vites em mao do secretario, a qpem as senhores
socios podem enviar sua lists.
Seeretaria da sociedade musical 28 de Sotembro
18 de marvo de 85.-0 2" secretario,
J. Rames Ferreira.
indemnisadora
A directoS desta companhia, eumprinlo o dis-
posto no 1 40 do art. 44 de sea esatatutos, convi-
da ais senhores assoeiados reuxiurem-se fcin as
sembla geral ordinaria, que devwrA tt'r Ihigair uo
s*riptorio da mesma companhii, 4 1 h}v'i: da tar-
de do dia 31 do corrente, afirmde lies serm a ire-
sentado o relatorio circuinatanciado cdas opvrn58s
do anno findo, e proceder-se a elei$lo dos ftime-
ciouarios no biennio deo 1885 86-
tecife, 16 de margo de 1885.
Os direetores,
Joaquim Alves da Fowitsec.
Jos6 da Silva Loyo J'aiir.


COMIPANIA
Pernambuceaa de Xavegaeao
Cesteira per vapor
Os senhores accionistas sa'o .onvidlosa a reiv,-
rem-s e em assembl6a geral na s&t'i 4a c.twijaubia,
no dia 26 do corrente, ao meio dalt, p1ra lwas ,er
apresentado o relatorio e baliantu W% edmpsnLm ,
do anno social ultimamente find, bIer co:ao r-co
varem o eonselho de <.iroeoa, i-', : (.I!TD;'iP.,, ' (!xame de contas. Recitir, 9' do inurr,'j d. 35-
Os diwic-ttrei,
W. Robilji4d
P. P. WilisU, SBa. & C. Limit-4
iA. A. Matlhao.
F. F. Borg*s.

Prolongauxento da .-tra,i 1-4.
". Wf rro dePeraiun ael~a e EKiA-
a de ferr&i di. lleeate a a-

DPe-rden do IIlrn. Sa. tire'etor : ngnbei-
ro,0iefB,-fago public qe(t ateI 11 horas do 4ta
14 de abril proximno vinrdour.a no eacripto
rio central d'este Ptolongaawento, A rita da
Victoria n. 3, serlo necobi-;%s propostas ear
.:arta fechada para detoAtioio reinoo adlo
inaterial das casasnem qwo aetualmente, fuin-
Aiona o mesmo. escDiptorie..
SAs propoatas, sent r alartas e Iil.a pelo
agente Pinto no. dii. e Lort acinma desi'na-
'ios em present do& eoaeurrentcs. I'.n se-
ruida a abertu'ia das propostas teri lugar
ua lefilfo para b. fti indicado servindo de
base a proposed mai& vantajosa.
0 serving d,4 deoliIo e remnogo do ma-
terial serA iBk de conformidade (om as
onAdi3ee e espocifioa3es organisadas pelo
Sr. 1.- eagabeiro, as quaes poderlo sor
consWiW&d& eta seu escriptorio onde scram
prestadas as neceesarias informa&es.
Secnetria do Prolongamento da Estrada
dte Fewre do Recife ao S. Francisco e Es
trada d4 Ferro do Recife Ai CaruarA, 12 de
,narto do 1885.
O secretario interino,
Maioed Jiveacio deo Sabojia

C, C. fc
sloir6e familiar
Tendo oonselho administrative reservaae a
notte do 4 de abril do corrente anno pars dar a
soir& dansante concernente a este mez, convido
os senhores socios a se dignarema procurar em milo
do Sr. thesoureiro os seus iagressas, de conforini-
dade corn o art. 52 dos nossos estatutos o e bern
assim a apresentarem ao mesmo as suas notas de
couvite.
Secretaria do Club CGmmercial Euterpe, 16 i
marco do 85.-0 1- seoretario,
SCosta,[ego.


Santa Casa de Iisericordia i
Recir


Na secretariat da Santa CtL& da Miseriaosdia
do Recife arreadam se por espsqo de 1 & a3nos
as sa abaixo declaradas:
Rua do Bqm Jesus n. 11, loja 4501
Idemidem n. 18, loja 4804
Iem idem, 3- andar 267/
Idem idem na. 14, sobrado do um anAw 1:0009
Id. t&.% 29,1-aud 2405
Rua-do Vqi"ion. 223-andar 210"
Rua da oda. 49 300A
Rua 4. Guls n 25 2005
Rua 4 Madre doDus n. 10 A 2405
Ras da8ernaa-v.la l 18 2406
|tewe do Abrin. 2,S% lojaj 96A
R=s da- Detwig"Id entss do quadro) Ma


MUSJ2CA,


IN-flP I 'EfMIlVAL

II HSIA -401iO nfl98 PARIWHS


CERVEJAS,


VISHOS,.


COGNAC


LitCOBS.


AFMk


SORVEiwrE

e a trac |tB a UAsifL i iiK r IIImK
E tido isto ao 6ow.*docontinuot ve r'd:iinoso movi"uento d-dJog s de BILHA
e de BOLA 1! 1 Termimaxdau a frta co i popular e s-iupre applaudido

que prinDigrA As 9 a: 1&.i4 naite.,
1Ater maguiko .eu.atolerimronut. I"[DUSTRIAL. e r<-creauivo consorciado'
comno so aesha, corn tado- quatnt- h e i,, n, roirv generoso no pavo pornunbaeano, nXo'
p6de deixar do 'ongala&'WhWgeld fte'iz onui -rs-jio q'," }ir r-- sa .ait'swo ternpo.4uas.
epo,;has tio eelobres:qpnto ,na r uira eis a .,.I a h-ri'oi.a ,, .'. b rasiklvi-m. A da( sam
ConstituigAo Po"iti%.o e n da p t lt. x t"..-...-'ai ..i SUSs poneis.
.E tambo u an etrisarsiico. t .o ; -i.i uam passo .'- Laj s-. *I. na seada.
do progrs. :

llal .l~ Bti. .....i tldn lu hiii ,,
ENTRADAS, coa.o -i, coa, .-nr,:
HUJE, -25, -.da 4-! 1/2 jor's, ep-s *;, ,.tj'rwS':i, -., p.^p oa t dibelteimaato,
aberto e franco aio public d4u s i A- i h:, ,r ,.i: *ut'.
Niio tut-A i- gr -:.s'o quara i,. s ? .. a -iO-*V s-*- i.i


Senheras o craiiva


Corno s}ia 'vuitali-;.., o .i ... ,is .... ri as gulerias&
dos jogos de 9tia e 4* -I! .1', ... -R ** (&A de moB-
trareru aos pirteiros os r,,<-i i- .) .. r'", ;: :, .tiaridade do,
cervigo. A f-a-tft da c-Urt;e..tt v)air o -r 1)- O a t :--ss8 COmo
benao fosse assign-,it,.-
O'itr> r -'r., s aa ,, ,J)M ':: ,. -.**:*. t gm-uq ras,.e.b pe "
aiind fl o lar- iiu at) a pptt'ir -. i-.~ It \ i I -W _o
in Uto, hojoi 25. alao 4 hrasi i tartan *' *.
b viv.a o gr.a''ia
25 DE MA ,QC




Grenlo dos Pr-sar s riT4a; itA Ji^fS 1Y A


T n'o ,a .i -_ .,.da..,a" ,ih. rad ,.'-.. :, "hI 2a I:- li ~ kil a-a" 'ai3i.~',- i. lt'.i3i l~BC e ai3ll
c-rxieate a s c i.!. I I I,. ', ,:a 1-lr If I do .4i--
T.Oo afnirr-.t:.lc dl Sa,,i-- u.4;goJ-,. .... vo Lh 1...ia L4 h 14 k i.s.

i ,resente eOC nvi(d.ir a t, o .s 8as t";. d ,A. a- .. i .
i.;gas do iag',sterio .-fo -oubli',. p:rt aes'.t.rea :
.-'i-e aeto, quo s1 effl-ctaar:. 160 .n.-io drii. eaai-.aui J
..ie, A rna J. Pe:dro. Affno u. 29 (Escola 'i j-.'s5 h.r anL1';:iihUL1 .,it-' Lar,.f~ira^."ia
mad) &dh'. ajP^ 2~ ir t (!i'i -I i-'.'r j C -t'. Seeret,.ria do Grpiao dois, Professore? P:-iai- blitjd:t pai.: .. "'.. i,*, ta
.-ios em P-ernamabaco, .2) de mario de 85.
01- secrtmtario, a-^ ,\ aC2'-lt~v^^^
Chr'stov&o Porto. AV >. V : t1
.. partI iw i -* -. j aL & A -- V ie-
*orns, 60 (i141t;; -a Il-t *''e L' k-t(xs.-'e,-.rNobendo
IRiWANDADE ahi o est, adivt,a ..-. --, .i... *,, al d,, r
w iatri z de ; Divine Es p I Santo do St% i J
De. ordema da wa regedora, e nvido aetodoaso.
ntdsos earissitnos l inos Aa mnpareeere em raSn- A's 1t hor;ms 1t 4 .IAIhia, a. a-aris de Santo
sa igreja &s se ta-tiaa 27 do current*,. pelas 2 Antouio, u IS. EK. ,.a ,& S.-. r i)pSr dio'.sano, D.
bores da trdte, ani do ceorporados, acQgpanlar- J8o6, celebnr:.U: ,a Sr Lmoni :A :3i- t. u._t-atS bAN 91) do
u1)0 a prosAso.,de Triumpho dos Paspao do Se estans temiocit cns aa;iaaa dtAconvida-
anhor, do vencawei odm terceira di N. S. do dos, das Exmnas i;f-iiia < ain (aran (ph"s e das
Carmno, parm qve mAro cofvidado. associyces aboliceitTstas, .taaaalt.- lae o
Consistorlo d iradadu do DI.iu) Espirito aeto.a bitIdai muski ij.'ii -%. 'in Seto ia mart-
Santo, 23 do e t*o de 85. ial do 20 hatallhaii (i itaar Iiuta:di&- linkfs
S0 escrvao, iW-rminaido o 0ao desfilari
3tardiao Jo*6 P'?rci.ui Guerra.
--- ; o theatre Sopa Isabel, -pi pelk Us"d da%

vY ra W, 181b 2c r Setembro, q,,,,so rso

Hecutard, emscenq; abed oakpio social e logo
b ciIU b %ifW, Exma. Sra. peuiione aaim-dad &Ave Liber-
De ordism da mesa regedori do veneravel or ta abrir.i u sesiI ew wx disias inaugurat
dem, tenad de expor A vista dca fieis, em soiemni, recedido do
prociso, as aacroantas itniap do Triumpbh: .
doe Passop do Senhor, asta-4e do:sexta-feira 2W
ao oonento convido a todo eM no*sos carissimos
irmlorpara que paramentadW oem sens hbabias,
comp em e nosaa igrej pets 2 horas da tar. eedend. a palavx depais a ora _l 4a sociedadb:,
de, para eiucorporad6s, acorwauharmos at MwimMa Em seguida o iltluoBrao Dr. fMmuaadoe de Caz'.
procissL,. tro Paes Bar'etc TecibrA.
Seetaria da vaeneravel rdem terceira dseCar-
me, 2*4o maro de 85. A )0FEUNC1A
Q'secretario, *' *'.tl'*".^-*asi^l*^'
Miguel do Santos Csta Junior. dirigida espec&iWte asa Eiors, a.bsC.
... e them a esv vav hIo 'bras i ..

R ppD E P Dstr.-sc-adiepoaisem primno1Wu, a ctbg
L* TItXl a de fBunimulapi
adquiridos pela commission Bedemptoras- sp-,.
Iando lug-ar ados adqniridoinpealsR
Seteuro' a em ultim. a dos da
Libartas, occupando a tribune os oraiwa
Q l4r t aQ lIsdoe ari A EFma. Sra. D. Isaeia dos Santow. r~dtA&
nminiin ~ ~ u lltbourttw lta0** poesia expioisaixeate eomj9icp qkfc
[Extol.Sr& D. Igae: 8ab Pin *
E -d* s s quea s,-rA excoutada a grade orestra e
Es*ttdi1 atccesS n'aal asymphonia
Grandefesta artistic RE PUPtICAZ4 :
EM BENEFICIO DA ACTRIZ escnipta sobre ''Mamsaelbo dino eom-

0it~ll W~j%.!tW'S~ tendo-se encairregado;^ ^ j^vu s
*o1111insaauI 1aam~l rsaui- A in adda prcsta.se a regel-a. '
J |Pi'3tO da 1itfttl tolI qualquer quo qucira tomrara jsivra.
SobA a ena pela primeira yea nesta capital a DarA fim ao festival a syr phrioca
important. peca reeltista em 4 actoes, do ithustre s
.ehefo daescala NATUttALST4 EtLJ@it1!^ 34-" -'I KI .1
ISA, (Trsduoelo da Exma. Sra. It ES- do maestro Colais o Iyao
PIUVA. FR: 1teiA Il

;,. ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ms n1 i tlf iii(iiiij ttBalproduGc^bojdittifi el^^e Irqs Sr.
:.-:1,- D**I0W ( Dtaa PIpi~olloetsda -qt


-Ww


AAR&A" *liSP


' w
















































Sociedade Recrealiva Juventude
P
SOIREE BIMESTRAL
Scientific aos senh.ircs socios que acha-se de-
siguado o din 12 de abril proxitno, para a soir6e
i)iestral, a qit.l principiarA As 7 horas da neite.
Os ingressos em mao do Sr. th.sourciro.
Recif, 22 de inaro do 1885.
Manoel Bandeira Filho
1 secrctario.
... .. Fa fl'g T||t III l lll '

1!ARITIIOS
Lisboa
Recein carga a frete ,i barca partuguezL Pe-
reira Barges; a tratar con Silva GuimarAes & C.
rus do Coimmercio n. 5.
NftctafnNavigation Conipar
TRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR
Britannia
Espera-se dos
rportos da Europa
~atk o dial12 dc
abril e seguirA
para os do sal e
do Pacifico depois
da demora do costume.
Pars carga, passagens, encommendas e dinheiro
a free: tracta-se corn os
Consig.Inatarios
Wilson Sons & C., Limited
N. 14- RUADO COMMERCIO N. 14
O VAPOR
Galicia
Espera-se dos portos
do sul atMo dia 30 de
S rnarco, seguindo para
a Europa depois da
-demora do costume.
F ra carga, passagens, eneommendas e dinheiro
frcte; tracta-so comos
Comipanhla Brasleira de NavE-
gavao a Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor
Pernambuco
Comma&tnte o capitto de fragata Pedb o
SH. Duarte
E' esperado dos portos do uul
l t at6 o dla26 doe imarro e se-
3 Bir4^ Aepo da demora in-
ll isp=a* ,para os portos
do 0 northe at6 Manios.
paft,.l-- w Ofts, enommendas e valorea
griieta-ve aa *gM~awk
P0 O SD O SUL
4 ,,vapor
Com andante 1, tenente A r iano Izaac
Conmardante 1" tenente Awrliano Izaatc


her earga
SuL, frtete


E' esperado dos
portos do norte
sW6o dia .26 do
marqo, e depois
da demora indis.
pensavel, segui-
ra pars os porto.
do sui.
z Recebe tam-
Sautoo, P.lotas e Rio Grande dc
a08. ns
a"sageens, eneom-nendas e valoree

WeI DIGS ," I L--
m AwurITIMRES
"HA MENSAL
0 paquete


te iale
Espera-se da Eu-
ropa ate o dia 3 de
abril, seguindo deo.
vpois da demo-
ira do costume
pamra Buenos-Ay-
ire e IMonte-
eirp de todasas
O* pars esta agen-
Imd- e i- '
m en d me inheiro


Reeobe earga e encommedas.
AGENTES
Augusto F. de Oliveira
&C.
42-RUA DO COMMERC1IO -42
United Stales & IBrasil Mail S. S. C
0 vapor
Finance


E' esperado dos
sul no dia 24 do
depois da demorai
seguiral pars o


portos do
marqo, e
necessaria


Para, Earanhao, S. Thomaz e
New-York
Pars carga, passagens, e encommendas, tracta-
es COrD Os
0 vapor
Merrimac


Espera-se de New-Port-
News at6 o dis 10 de abril,
eguaindo depois da demora
necessaria paras


Balia e Rio de Ianelro
Pclos vapores desta companhia dao-se passa-
gens para Liverpool ao preco de 200 dollars ; o
passageiro desembarca-ado em New-York tern ga-
rantia a passagens pata Liverpool quando lhe ap-
prouver per vapores de la ordem.
Para carga, passagens, encommendas e valores
tracta-se corn os
AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUADO COMEA CIO -- N. 8
1.'andar

Para oPara
Segue corn brevidade a barca national Nova
Sympathia: para carga trats-se coamn Baltar, O0i-
veira & C.
COMPANIXA PRNAXAMBUCANA
DE


Navegaeao cost
PORTOS
Macei6, Penedo,


eira por vapor
DO SUL
Aracajui, e Bahia
0 vapor S. F,-ancisco,
commandant e Pereira,
seguirA no dia 27 do.
Scorr ente, as 5 horas da
tarde.
Recebe carga atW o


dia 26.
Encommendas, passages e dinheiros afrete at6
as 3 horas da tarde da vespera ia sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambwa'na
n. 12.


ROYAL RAIL STEAl PACKET
COMPANY
Grande redueoo aos prelos das


pasagems
Iltinerario
IDA
Sabida Southampton 1
Chegada Bordeaux 4
Vigo
Lisb"s
S 8. Vicente a
S Pernambuco 20
S :Maeei6 21
S Bahif 22
S Rio de Janeixo 26
S Santos 28
S Montevid6o ..
Buesoe-Ayres
VOLTA
Sakidas BaueosAiges .
Moantevideo B
Santos
S Rio de Janeiro ""
Chegada Bahia
Macei6
Peonambuco so
S. Vicente '
S Lisbos,
gVig
Southampton
) 86 tocara se preisar carve
Par passageng, fretes, ets., tn
.xaiSIOsATfAM


^s*
7
7
17
18



ii
27

11


a-se corn mo


--2


Como sejam:
Urn piano forte, 1 mobilia de jacaranda, 1 sofal
2 consoles, 2 cadeiras de brago, 12 ditas de guarL
nico, 2 ditas de balango, 6 arandelas. 1 lustre A
gaz, 1 relogio comn pianha, quadros corn lindas
gravurans, 1 espelho grande dourado, 1 guarda-rou-
pa, 1 commoda, 2 quadros, 1 marqueza, 1 cams de
ferro, 1 lavatorio corn pedra, 1 toilet die jacaranda
e estante envidracada. Um guarda-lougs (nu i
dracado, aparadores, 12 cadeiras de guaraiego, 4
quadros e muitos outros objects do casa de fa -
milia.
SEXTA-FEIRA, 27 DO CORRENTE
SA's 11 Ihorasem panto
POR INTERVENVAO DO AGENT
PINTO
No sobrado da rua do B..m Jesus n. 49


AVISOS .DIVUISOS
Aluga-se um pre+o de meia idaae, pars tra-
oalbo de refinaoao ou ontro qualquer ; na rua dos
Martyrios n. 148.
Precisa-se de urna ama que compre e .oai,
uhe ; ua rua da Imnperatriz n. 13, 2" andar.
Precisa-se alugar, na Boa Vista, uma
casa corn cornmodos para grande familiar,
tendo agna e gaz, e quo nao exceda de
10006. Informna-s, na rua Nova n. 13.
Urma protessora offerece-se para leccionar
primeiras lettras e todos os trabalhos de agulha,
bordados de todas as qualidades, e flores, em
casas particulares, por modico preo : quem de
seu prestimo se quizer utilisar, p6de dirigir-se a
rua do Pedro Affonso n. 46, 1.0 audar, que acharA
corn quem tratar.
Dr. Silva Ferreira, medico, cousultas todos
os dias em sua rosidoncia, cidade do Cabo ; cha
mados pur escripto a qualquer hora.
Ensina-se francez e inglez, pratica e theori-
camente : a traitar na tabacaria n. 65 A rua dc
Imperador, ou a rua da matriz da Boa-Vista n.
44, 1- andar.
Permuta-se a casa n. 5 da rua do 8. Jorge
bairro do Recife, caiada e piutada, corn ports e
janell a de frente, 2 quartos, coainha f6ra, quintal,
solo proprioj par outra na freguezia de Santo An.
tonio, voltando-se ou recebendo-se oa que tV. ra*
zoavel; a tratar na tu& do Livramento n. 21, 1,
andar, corn o Sr Neiva. ). ^ 1
Aluga-se a cas do pateo do S. Pedro, em
Olinda n. 2, esta toda limps, s6 se slugs a qunem
conservar limps a dita casa a tratar no Cami-
nho novo n. 128. Na mesa casa se diri quem
vendc um xarope do sertao, pars molestia do
peito e do pulmao e asthma. Tambemn na measna
casa toms, *se orphis de 9 A 11, promette se diar
educaVAo e ter caridade ao sen estado infeliz. i
0 abaixo assignado, consenhor do engenlo
Penedo de Baiso, vende o mesauo engenho cm pra-
qa : declare a quem interesear possa quo tern urna
part de 2:260j, e direito em todas as obras an-
nunciadas, por isso que fazem ellas parte no todo
do engtnho.
Dr. Paes Barreto.
Precisa-se de um menino pars caixeiro de
tavernas, que tenha pratica ; na rua do Caldeirei-
ro n. 39, taverna.
= Ainga-se a casa da rua dau Pernambuca-
nas n. 48 (Capunga), caiada e pintada de novo,
tendo 2 salas, 5 quartos, saleta de engoWmmadop.
cosinha, 2 terrajos, 38 quartos f6ra, tasque, ce
cheira e sitio ; a tratar na praca do Conde d'Eu
n. 21, I" andar.

Banhos de Bareijes,

(Artificial)
Preparado peor Bartholomeu & C.
uecesseore. -
Estes banhos sao uteis e muito recomn
mendados contra as molestias da pellet, es-
crofulas, affecgoes chronicas do peito da
garganta, rheumatisnuos, ankiloses, e incom-
pletas paralysias.
Cada garrafinha, a dose pars um ba-
uho em agua a temperature normal.
VENDE-SE UNICAMENTE, 34, RUA LARGA DO
ROZARO0, 34, PERNAMBUCO

Compra-se
eobre, istao e bronze ; no eaes 22 de Novembro
n. 36, armazem da bola amarella.

lllima hora
Particular at erlana:as
Grande variedade em bonecas


0 Pedro Antunes previne as interessantes cri-
aucas que 6o unieo que vende barato,6 e caso de
pedir ao papai ou a maiAi pars comprar urma.
Nao haja engano, 6 a Nova Esperana, a ru. Du-
que de Caxias n. 63.

Atenio#


Vende-se a
1, propria part
dos eserbhol


sits no patee do Tetno n.
4ate, por ter poucor fun
vendif-wpar sea dquoa O


I*tI


0 abaixo assignado vendeu entire os so0 s
teims bilhetes garantidos da I 13a loteria,
a sorte de 10W0 0en 4 quartos n. 696,
al6m de outras muitas de 32#,164 e 8#.
Oonvida os possuid3res a viremi receber
sem desconto algum.
0 abaixo assignado tern exposto A
enda os seus felizes bilhetes garantidos da
la part em beneficio da da matriz da
Pedra, 414*, que o e extrahirA sabbado
27 do corrente.
Pregos


Bilhete Inteiro
Meio
Quarto
82m poerFo de


44000
24000
140000
1005000 para


elmna
Bilhete inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto #875
Antrmio Auqusto dos &zzto a Porto.



fiANI BA FORTITNA

kos 4:000 000


tnua Primeiro de Bare 0n. 23
0 abaixo assignalo tend vendido nos
sous 'afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 2,831 corn a sort de 1004000,
al6m de outras sortes do 32#, -16# e 8#, da
|toria (113.4), que so acabou de extrahir,
eonvida asS possuidores a virem receber
'A conformidade do costume sem desconto
,Acliam-se A venda os seas afortunadoe
bilhetes garantidos da i.a part dus lote-
nrias em beneficio da matriz da Pedra,
114.') que seo extrahira no sabbado, 28
o corrente.
PRECOS


Inteiro
Meio
Quart
Em quamt
Inteir(
Mquartio
Quarti


0 4O000
2WOO
21000
o 14000
Itdade malor de 1004
) 34500
14750
3 #875
Manoel Mar.ins Fi*ua.


A VENTUlOSAil

eos 4:O00$O00O



16-Rua do 0abuga-16
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tes garantidos daloteria n. 114 em beneficio
da matriz da Pedra que se extrahira no
sabbado 28 do corrente.
PI'IE OS
Inteiro 4#"00
Meio 24000
Quarto 16m00
.Mendo quantidade superler
a 100:000
Inteirh'o 34500
Meio 16750
Quarto 875
Joaquirm Pires daSilva.




ff nwill
GAS DOI hU ll


r+L+' AARMS


Iua do Maro d Victoria 4o
c eao do c &USi :".m -
0 abaixo assignado scab vender
.. seus felizes, bilhetes quatro quartos de
n 2,280 com a sorte de 2004000, quatro
ditos de n. 2,814 corn a sorte de o1000.
Ie diversos premios de 32W00O, 168000

0 mesmo abaixo assignado sonvida aos
Poo-ifre m receber na confomi-
da e do coatme, sem desconto aRgiun4
A0ba-se k venda os. fzeis ebt*
gi m -t da l.a narte das loteris o& be.


Li


I


e


CAJURUBEBA
PREPARADO VIHO8O DEPURATIVO

PPROYADO PELA JUNTA DE HYGIENE PUBLIC I DA )RTI

AUIIWQ)O rI5 DZCUfTQ IKPEIAL SE 2Q BE JUlBO BE 13
COMPOSICAO DE FIRMINO C. DE FIGUEIREDO
Empregado corn a maior efficacia no rheumatismo
de qualquer natureza, em todas as molestias da people, nas leuchorr6 0
fires brancas, nos soflrimentos occasionados pela '
impureza do mangue, e finalmente nas differences f6rmas da lsypbis.
Propagador-A. P. da Ounha

As importantes curas, que este poderoso medicamento tern produ-
zido, attestadas por pessoas de elevada posioo social, fazem corn
que de toda parte seja elle procurado, como o melhor e mais enor-
gico depurativo do sangue. ,i
Depurar o sangue, como condigo de uma circulagio benefica e effi-
caz, eis em que consiste principalmente o meio mais seguro de
conservar a safide e de curar as molestias que a impureza do sangue
occasion. -
0 Caj.rubeba pela sua acgao tonica e energicamente depurativa,
6 o medicamento que actualmente pode conseguir esse resultado
sem prejudicar, nerm alterar as funec6es do estomago e dos inteti-
nos, porque no cont6m substaucias nocivas, apezar do vigor dopm-
rativo dos products que constituem a base principal deese mediWc-
mento. ui'.. -
0 D'entre as muitas curas que tern feito, citamos as seguintes, com-
provadas polo testemunho dos distinctos e conhecidos cavalheirom
que firmam 6s attestados.. -
Al6m dessas, alias irrecusaveis provas, offerecemos mais, co*
garantia de nossas asseveragSes, o testemunho dosg illustren mu=-
cos, Drs. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Praxedes de Soua Pi-
tanga, e Jofo da Silva Ramos, que em sua clinic trn .conseguido
os mais brilhautes resitados corn o emprego do Caqjr u.,, ..
Pedro de Attahyde Lobe Moseoso, Doutor Joo da Silva Barnos, MKUdice ps.Utversi.
pela Faeuldade de Medicina da Bahia, Ci- dade de Coimbra, Cavalheio 4 Impaerial
rurgilo-M6r do Commando Superior da Ordem da Rosa, Cnommeadbdor dersds
Guard Nacional do municipio do Beeife, portugue de N. 8. Jesus Chri N. S.
1- Cirurgibo Honorario do Corpo de Saide da Conceitqo de Villa Viqosa, Fidalfo Ch-
do Exercito, Official e Commendador da valheiro da CanRa l PortnuusAMW
Imperial Ordem da Rosa, Inspector de saf. Fidalgocorn exercco so PAa awdo
de publics e do portodePernambuco, Corn- Bra, Boo Correosionte oded
mendador da Imperial Ordem de N. &. Je- das mndeasr nedicam do Lisbfo dad 4o
sus Christo, Membro do Instituto Medico Medicina deo Pan, eot,, etc. ,- i
Pernmambucano, Medico do grandeHopital Attesto quo tendo empregado em a do-
Pedro II, Socio daPropagador a Instrue- entes, dumate tints manos quo exero a li.
Vio Publics e de muitas outras sociedades nica, todoe as depurativas conecidai, quir
scientific e humanitarias, etc. .- nacieemas, qui r struangelrts, de akena tlr
*+ tio prompto- efficaS resultado Bo rhouem-
Attesto que tenho experimentado em me- tismo, aus _phtl a noas molestias da pe"
estias chronicas da peolle e rheumatismos o come do C==tmbda do Sr. Antaio Peraim
uajtrubibado-r. Antonio Pereira da Cunha, da Cunla, so equal devo o. li Mt
tirade born resultado. de variom doeatM de euja cars tlha di-
O refoerido affirmo infidem igradw. nimado corn o mprego doe outres de-
Recife, 29 de Agosto de 1884. rant s.
Dr. Pedro de Ateahyde LoMo McowO. 0 quo fiSa d0t9e vordade, amalrmani
0oprocle. far, oam 0j o=
?raxedes Oomes deo Soua Pitanga, Doutor Recife, 2 doeJ o
em Medlcina pela Faeuldade do Bahia, D, r. Jo dad o am. O
Commendador da Real Ordem dA ohrito '--


Cavalheiro da Corfa do Ferro da Itml1a, 1
Cirurgiio reformado do Corpo de .A.de do
Exercito, condecorado corn as medalhas de
passador de ouro da Cainpanha do Panaguay
e de pats do Uruguay, Deputado IAlem-
bl6sa Provincial, medico do Real Hopital
Beneficente Portuguez, membro de dirvms
socledades litterailas, etc., etc. .,.
Atteso que appliquei o elixir (jruWba
em cam de rheumatismoe agudoe, e obtive
excellentes resultados, send quoe por isso o
tenho preferido so xarope de Ricord lodure-
tado.
0 referido 6 verdade, que affihnmo em f6 de
meu grio.
Recife, 29 de Agosto de 1884. ,
Dr. Pranda Gonuides wsaPitnga.
Recife, 17 de Maio de 1884.-Ilm sr. Ilk-
mino Candido de Figueiredo.-Cabe-me a s-
tisfaqao de communicar-lhe o benefico resul-
tado obtido polo seu preparado OjAruddbano
tratamento da enfermidade de quo estava sof.
frendo men filho, menor de 4 annmo e meio
de iade,
Sobrevindo neste, ap6s dons annose de sof-
frimentos, resultantes da desloesaqo da espi-
nha dorsal, um formidavel tumor naperna
direita, do qual origino-se unma fistula corn
grande e inceuaste dermamento de pts, a
su sauide, a juiso de alguns facultativos,
tomno-se seriamente compromettida, endo
quo mali me constnangia dizerem estes, antes
o depois da appsaiao do meemotumor, 'que
men filho jimasi poderiasadar. Bi quando
umr parent, p 1& profius e.xpnriencia quo
tinha do 4 ru6a elh, acoelo-me o em-
pr tde t portteremedio.
Siectivameole o ftk e com tio feliz resul-
4 qne.ae meto do primeiqo fua mmhs-1
va-se ae "r a m twunnu ooes
,do andar a a n a ds, Ntaww Mils
6dor na e = amtM at. uib i& if i a


Attt, poque vl e observed, que a pre
solaoiMk alo andav s qaa ams, teoad
as perus people te hgM, e con
emprego do .yisb desspm e -
hagas e comeeou a adar.- Usoe, 6 de
Axsto de 1888. OGmauO Clt pde P
rra (Desembargador da Relao de Pwer-
nambuco). -
Recife, 22 de AbrilU de 1883-lUm Sr. 9X-
mino Candido de Figueiredo. -Jose Cetaeo
de Medeiros, Tenente-Coronel da Ouarda Na-
clonal e Cavalheiro da Ordenz deo Crist. -
Declaro que o seu preparadon 6Pu 6 o
prodigio I Meu filho Cleofas D.&ao 4. dAmut *
a ponto deo se ir tormando mu, molmetla so6da
depols de se ter tratado homeophicart
Scorn mais outros remedlos, sm que mfa.-
raws, usou do seu QqojiA"El, aates deo
acalnr um fiasco desappareeeram como por
mtlagre.-Um outro me filho sofflia de ora
ferida na pemna, e depois de tomar a fai #
Cwroba por alguns metes, sem qu a molesti
obedecesse, corn o uso do seu nlagrnoeo Cy |
rubiba ficou perfeitamente curado.-Umna. ad,-
nha neta, soffrendo de gores brsanca* reoo-
reu ao seu preparado, e em poucees dia ficou
bOa. A' vista disto nao devo occultar tio pro-
digiosomedicamento, nao s6 par, nimal-o
em seu trabalho, como pars ensinar aos sof-
fredores a taboa da salvacio. JWo Ckdae
do tMdeiros.
Parahyba, 3 de Margo de 1884.- Or. Bo.
gaclano Olympio deOlivelrs.-Sendo en m e-
ta provincia o agent enearegtdo daenads
do medicamento CajruvS, e ta.do VmV .
feito uso do mesmo, rogo-Ihe se digne de i-
formar-me corn franquema o estado e qu os
achava, e o resultado que tir ou com o umnm
medicamento, podendo eu faae um. do i a
resposta.- Sou corn estima deVme., M-
YPertha daCumha.
Sr. Manoel Pernira daCwaih.-Tedo eam-
prado ee sns fabrics 4apof o preparado v-
noso, denominado CW Arub&a, pu srn.u p4A
que se achava soafreudo do urns esrylela i.
p direito amailed doe iannue, reftwuecm-
o-nh em penriodoe dor mese&a


1 FIGQ
9E 11-


[LALT


* % : ,"*' + 1























S Prepardo de Produetos Vegaes
'*1PA RA

e i~trasMoletiasCagpi11ares.
r~~ ~ ILI O


MARTINS & BASOS
Penmwueo

HIomieopathia
Tiutrms e globnulOS da impotmt e asa hrmeo-
S patbioa de Cagdan frda de Pamls mxacrvilkoo
eepec (rm cctra bexigas
DEPO8ITO
Na botica franceza, rus do Born JeOsus (atiga da
+Cruz) n. 22

5,000 IfuI aS ptii
0 Pedro Antunes & C. tern diversos leques de
papel, o que ha de mais barato denominados vis-
tosos e baratos, 6 ver pra orer ; na rua Duque
S de Caxias n. 63.
Costureira
Precisa-se de costureiras que saibam coser toda
qualidade de costuras ; na rua do Marquez do
Herval n. 10.
Aluga.se
uma ama para cosinhar e mais servivo de casa
de familiar ; no largo do Mercado n. 25.
Aluga-se
o 20 andar da casa n. 7 A Passagem da Magda.
ensa,
Trastes
AX rua do Imnperadorn. 16 compra-se, vende-sw
aluga-se e troca-se novs e usLdoe.
Especial para queimaduras e
muilas outras vanlageus
A verdadeira vaseling, o Pedro Antunes tam-
bem vende. Igualmente faz lembrar que acaba
de receber o verdadeirL leite virginal e o de rosas
brancas, para pannos, sardas, espinhas e amaciar
a pelle, especial para o bell sexo. Nao haju en-
gano, 6 no 63, rua Duque de Caxias, Nova Es-
peranca.
Approxima-se o tempo
0 Pedro Antunes faz lembrar as Exmas. Sras.
noivas que acaba de receber brancas meias de
seda, e finas meias de Escossia, arrendadas, dig
nas de apparecer em um delicado pe e embora
grande, nao esquecendo mesmno para quando for
tempo, que 6 a Nova Esperanca, A rua Duque de
Caxias n. 63.
Nei rm rlfie!
Essencia de sabio para fazer a barba, novo sor
timento, especialidade por seu puro, e agradavel
aroma; o Pedro Antunes, A rua Duque de Caxias
number 68.

Aluga-se
0 2o. andar da casa n. 7 A rua do Marquez de
Olinda.

Ali N crtur iar soxo f[-
MiRimf
33 Rua do ebo-33
Zima Roxo Lima participa ao public e em par-
t icular aos pais de familiar, que no dia 2 de marco
vindeuro iem aberta uma aula pirticulhr para o
sexo feminino.



MUDOU.SE!
57


iMmmt0 atat0
o 1" 2" andares doajbrado n. 1 do beeco largo,
corn bons commodos ; e a 1* e 2* loja do mesmo
predio, sendo estas preprias para pequenos nego.
cios ; as chives se acham na taverna da 'esquina,
o e trata-se na rua da Unilo n. 34.


" A|| se obarit
c4, a terres I n I C a Baixa Verde.
A casa n. 37 da rusa do Rario da Boa Vista.
A tr tar m lago do Corpo Sagtn. 19, primeur o
andar
Ahgase
Temn-se para alugar uma perita engommadeira,
eodiue'ira e lavadeira ; na rua dos Martyrios n.
i 148,, | ) candar.

Mudan a
D. Leonor Porto, modista, participa ao respei-
; travel publieo, e corn especialidade aos seus fre-
gueze, que mudou.se para a rua do Imperador n.
451 andar, oude continue a preparer corn gosto
Srap testidos para bales, passeios, baptisa-
dos,, -I0y entos, etc., assim como prepare e enfei-
ta j r pre os- meodicos.
1 ^^^^^^^^yIniperador 4S
Pergunta
frjunta.ve so r. Antonio Boges da Silveira
M-ID eoura r o inquelino de seu
.4JM e o senior nen quer pagar o
,nclfdos. nern mudar-se ; isto 6 duro
Am u5 ewava
-me de u milana ou escrava, pars todo o
de ocasa de pequena familiar ; a tratar us


d Gr~o-Pitk devi4
devididoo em 5 viw
*uo sdeabnl.


Je Sabift Le PN,
edi cf t 1 t

O&O& dro e Sg pM a tPatar oBW opatico
a nolestias qu-e aigw e onama 1 prin-
palmente as oe umio no Beail : venmde- sena
pharmaeia do Dr. Sabimo itr do Baro da Vic-
toria n. 48.
Casa trrea
Vende-se urma superior casa terrea corn sot6a,
chlo proprie, em Santo Amaro das Salinas; a
tratar na rua do Padre Munliz n. 5, 2" andar.
Alega-se
o armazmwe 1" andar do sobdo e rua da Ma-
dre de Deus n. 30, por prego commode ; a tratar
na rua Duque de Caxias n. 91.
Muita attenao
Na rua da Unilo n. 47 a-a-se plisses e recorta-
de babados redondoa, pentudoa e miudOS.
Cirnrgiio detista
Jos6 Basilisco da Sfim 84ntos, cirurgiAo den-
tisia e pharmaceutico pela Faeuldade de Medici-
no do Rio de Janeiro, de volta de nsua viagem A
c6rte p6de ser procurado para qualquer trabalho
da arte dentaria das 10 as 4 horas no seu gabine-
e A rua da Imperatriz n. 1.
Cosinheiro
Precisa-se de um cosinheiro que seja bornm na
rua do Commercio d. 44.

Nao e monopolio
Manteiga Normanda por 700 reis a libra, pro-
pria para casas de families, collegios e hotels etc.,
vende-se por attacado ou varejo:
Bua Direita n. 24 Padaria
Medieo
0 Dr. Joaquim Camara fixou suna residencia na
cidade de Palmares, onde p6de ser proeurado
para os misteres de sua profissao.
Aluguel barato
Aluga-se o 10 andar e sot6a a rua do Caldei-
reiro n. 4, corn excellentes commodos para fami-
lia ; a tratar no largo do Mercado n. 12.
Criada
Precisa se de uma criada que cosinhe corn per -
feilo, para cada de rapaz solteiro ; a tratar na
rua Duque de Caxias n. 59, loja.


" AIV


Ptesisa-se le um- mrin& que gia* porita OQ-
uaeira, sara. ca p: 4rpa o ;oateisw;a r
OM I Pan. :
DPuqe do Qanag a. -591) wqa. ___ i:'i;
ANKA
Precisa-m de u= ama do boa odcta; a
tratar nau rua Duque do Caxias n. 37, 2- andea.

Fabrica Vedome
Fumo e cigarro turco de Yak, .Karobiyak,
Giubek e Ezportation, reeemntemnteehegdo pa
a fabric Vendonme, a ra do Bar da Viotia
,umera 89.


110WLANDS
ODONT(
&v~aw as Dentes, preservam 4 ftzero paw I
$iWfe, ftftiflcam as Gengivas e d1o ao haf &to
miero agradaveL Os P6. ROVJLANDI
9DONTO, de 20 Hatton Garden, LonfltR
utw$ ImPc taodaas op Drogaris Pestai.Ui
:lEa irteai a3de
fRORDUCTOS ENGLOGICOS
de ULYSSE ROY, em Poitiers (Frungn)
Emile PROUST, Suc"- & Genro
A~w~ft6


. Perfume enantiUoo don Vinhos ou sobra 2
deoMedoc................ olOOf rf ) 200
S. Rancio ou EssenciaiCognao, os 100 frascos 500 fr.
S. Perfumespara todososLicoresos 100 frasoos 300 fr.
4. EssenciadeRhumoun deTafia, o0 100 frascos 600 ft
Depositarios em Per*totmbuco:
3'ranoisoo WT. da S8LVA & C'


mALAA A b 'A A A VA&A A AVVkV&A LLALAU,-A, "NAL -- k-&, -L' --.


MARCA DE FABBICA,
SVINHO
DO
D1 Oabanes

KINA-CABANES ;


O-W l1111 0 Vinho do ', Cabanes, submettido A
approvacdo da Academia de Medicina de
Paris, foi reconhecido como um tonico
|-I N D S(lS EIlUCT OSTC oenerigco(por encerrar os prlncipios consti-
ETKFrMO ANDT EMCff0M1NeIIMWIERES tutivos do Sangue e da Camrne), que do ao
'~~Ml AV>^irn4TI Eyp aTi Mlsangue for ca, vigor e energia.
IX PORTAT0 ION -- Os Snr D" Trousseau, Gu6rard e Vel-
NOTA. Para itap as contraracp6es, s6 se deve peau, professores da Faculdadedo Medicina
acoceitar as garrafas qui tiverem incrustadas no vidro de Paris, o receitam todos os dias corn o
as palavras : Vinho do Dr Cabanes, Paris, e molor xito is muleres enfraquecidas por
sobre os rotulos, tiras de papel que envolvem o melhor ex s mu res enfraquecias por
gargalo e a marca de fabric, o f excesses de toda especie, trabalho, prazeres,
a assignatura do Dr Ca- m iensruacio, edade critical e amamentacao
banes e o sUo de garantia o prolongada. E extremamente efficaz contra
do governor francez. v, / o Fastio, Mds digestOes, Dyspepsias, Gastritis,
I i l* ,ITonturas e Vertigens.
Da resultados maravilhosos nos casos de Anemia, Chlorose, Pauperismo do sangue, Esteri-
lidade das mulheres, FIdres brancas, Perdas seminars, Impotewsiapremnatura, Emmagrecimento
geral, Tisica pulmonar, Pebres tergas, Xntermittentes, Palustres, MBdWicas e
*pidemicas.
o vinno do W CaanOwa, polea cnergia oe sua acuou cordiAl, desenvolve as forcas, active a
circulaco do sangue e e muito recommbndavel para as oonvalescenvas.
Faz cessar os vomitos tAo frequentes durante a gravldez, augmenta a secrecAo do leite nos
nutrizes e d extraordinario vigor as criancinhas de mama; gracas a influence dos seus prin-
ciplos tonicos, 6 soberano nos casos de Diabetes, Affecfio da'medulla, Hysteria, Epilepsia,
RacAttismo e em geral, em todos os casos em que 6 preciso recorrer i um tinone poderoso, que
4 vigor e restaure as forces dos doentes.
Como aperitivo substitute corn grande vantagem os liquids perniclosos como absintho,
vermouth, etc. E'um preservativo apreciado pelos viajantes e marinheiros, como anti-epide-
mice e antidote da febre amaella, Vomto e outras Molestias tropicaeo.


SDeposito geral TOUETTE-PERRET, 163-165, rna St-Antoine, PARIS 4
D~00ult em rPemWbmW: W lA F 1W. da 5ZXVA & C, s AU prictpaus PhmAia. L
:'+ ,K~kALk 1J


I. w ~ w V ~F v wwwwwwvwvv~~yyy~


u mEMe EImIO na me ae (1 s ( &zu io



4 MNEDICAMENTO, de u ab agradaw!.
6 a tdoptado peloe meloreos Medico do Pasn

DEFLUXOS, GRIPPE, TOSSE, DORES DE OARGANTA
CATARRO PULMONARY
BRITAQOES do PEITO, das VIW IRINIM! "
c a BEXIGA a.
ha^* -^.^* ..^~^^a*


- PIs-a BLAYN, 1 y .N IArcS-Sm* A .-.
*paori mw poomm: : M.A a K. r eA h
___ -W- wrtaViA :s tsam~a^/-. *


rYRDOADUlRAS PILULAS do D'LAUD1


. .nmm 1 anoes quo exergo a medioaadiz oe. re eOnhb, )mws Plurandm f ud
V YSUOa4u tecoutestawvi e toe *a outmo fevig1mem e as oeusdce come
* @ MIUgW 9bUS~WmM 9. SI Doti oM.^
EI-PNWAits do At wI dOWS do la isd. erle.
1 94mfathwDe eowo Somentjagravado iobre cats lPlula comO & arrgem.
OUW ,E DSOOMFIAR DA8 IAI"AQ6E 0
P aiBS, raa Payeua. .--Perambnco: VlA, V. da0" Al.. S, e Mi uiutkuam liB.


A LA R9EIN. DES FLE STRS '



L. T. PIVER em PARIS

Sazscotte
PERFUME PORTE-BONHEUR
zterato do LOTyliq1is ddo Japio

-m PE RFU & EXQU IJTOS :
mquet Zanwa.v-- Anona du Beagalo
Cydonia de Chine
Stephania d&uAi'stralieo
IWotrope. blanc- Gardenia '
Fw* ItbOes of ezanlik -- P16yIor orientedal
-- 3 i4de Reineidesto etc.


4
4


SINGER!
IMERNS DEICT


ou


SVENdaS 10U LTIIiO ANNO o,292
i"eu nh ten Ic ivIdo fallar das fanosas machim Ie otiras de


Singer?
Em prestagpes
DE


180900
r Quando o pagamento por este system se
effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
de 5#000.
Abatimento de 10#000 a dinheiro a' vista.
-Roga-se aos pretendentes de virem ao es-
criptorio da companhia pars informages cir-
cumstanciadas.
Immensa cereal vantage 6 obter-se o
melhor artigo nas nmelhores condig8es.
De hoje em diante mlaguem eomprar senio a verdadeira
-maheina de SINGER

PORQUE?
1.o Por ser incontestavelmente a melehor, mais forte, mais bern aca-
bada, mats dimples, mats duradoura, a unica que tern obtido mais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imitadores.
2. Por existirum deposit succursal da propria companhia, onde se g,?ran-
te estas maehinas por urn tempo illlmltado e onde sempre se encontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.o Finalmente, porque aquellas pessoas que atW o present, por falta de meios,
nao podiam satisfazer o sou desejo comprando uma d'estas excellentes machines,
podem agora corn toda a facilidade compral-as mediante a modica prestago de

14000 POR SEMANAN
Recommendamos corn insistencia-Naio se Illudam corn as maehlnas
que trazem o nosso neme e que nao passanm de RUINS IMI-
TAVOES.
Vendemos tambem linha superior, retroz em earreteis, agulhas, 'leo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e port pregos
sew competencia.
0 unleo deposit das verdadelras maehlnas de Singer 6 na
Rua do Cabugi n. 1 A, Pernambuco
DirecAo geral da America do sul...101 rua do Ouvidor 101.
Rio de Janeiro. Casa mariz..-34 Unio Squaren, New-Yo


semanaes


CHAPELS


IO mom
i ~36~-HIHA ABA1
Este bern conhecid<
inente das principles modista
^1 e variadissimo sortimento des
paes fabrics de Hamburgo
mento de chapeos de pello, d
meninas.
Joa {nnm (Ia 1


IIUI^k IJIJdUldii
FLORES PLUM





0 RELOG10
o IllRI DE JOIk8
MIGUEL WOLFF &(
Offerecem ao respel
tavel public um grar
de e variado sortimer
to de relogiosdos mai
acreditados fabrican
tes, e se acham habili
tados a vender mai
barato do que outr
qualquer, visto rece
berm directamente.


E CHIPEIIIUAS

.A VICTORY

[NDEPEfILNBNMCIA A'---40
b estabelecimento, recebe mensal-
s de Paris e Londres, urn grande
tes artigos, assim como das princi-
Sum complete e variadissimo sorti-
de lebre, l1 e castor para homes e
I I" IRE E
J1nY CmldRIh & C.


IAS E m m~a'TE


col
<-



==


a0


JOIAS
IIGUEL WOLFF & C.
Participam ao res-


; 6


D. Francisca Maria' Basiltce
da Fonueena
Manoel Jos6 Monteiro da Franca e sua esposa
Candida Lima Monteiro da Franca agradecem
summamente As pessoas quo se dignaram acorn-
panhar at6 a suan ultima morada os rests mortaes
de sua sempre lembrada e carinhosa tia, D. Fran-
eisca MAaria Basilice da Fonseea ; de novo os con-
vidam para assistirem a mesa do setimo dia do
seu passamento, na igreja do Terso, no dia 26 do
cgrrente, As 6 boras da manha, por cujo acto de
religiao e earidade ficaremos ett rnamente gratos
Sebaslijo Luiz Ferreira
Felix da Costa Ferreira e Thereza de Jesus
Ferreira convidam scus amigos para assistirem as
misses por alma de seu sempre lembrado pai, Se-
bastiao Luiz Ferreira, setimo dia de seu falleci-
mento, que terA lugar na veneravel ordem tercei-
ra de N. S. do Carmo, no dia 26 do corrente, As 7
horas da manha, pelo que desde jA se confessam
eternamente gratos.



D. Maria da Piedade Baptista
de Oliveira
A familiar de D. Maria da Piedade Baptista de
Oliveira convida seus parents e amigos para as-
sistirem as missas que serao celebrada-s pelo re-
pouso eterno d'alma da mesma senhora, As 7 1/2
horas da manha do dia 26 do corrente, setimo do
seu passamento, na matriz da Boa-Vista.

Vaeeina
Chegada pelo ultimo vapor : vende-se na boti-
ea franceza de Roujnayrol Freres, A rua da Cruz
numero 22.

Roubo
Objectos de ouro
2 resplendores de images, 1 dito corn esmeral-
das, 1 par de broncos, 1 medalh'o corn a effigie de
Pio IX.
Objectos de prata
5 colheres de sopa, 2 conchas para assucar, 1
copo para agua.
Objects diversos
1 mantegueira electro-plate, 1 apparelho de cha
cor de rosa, 12 canecos para caf6, 15 copos de
crystal corn p6, guarnic.o de toillet de porcellana
comfilletes de cor, 12 pratos de porcellana para
sobremesa, 2 grandes travessos de porcellana, 1
espelho oval grande, 1 lapete para sofa, 1 dito
para cama, 1 capa de vidrilhos para senhora, 1
vestido preto guarnecido de rendas e vidrilhos, 1
vestido de seda cor de palha guarnecido de da-
masco, 1 chap6o preto de velludo, 2 colchas de la
fins, lenc6es de bramante corn as iniciaes S 0,
calices de crystal, roupa branca : roga-se ats pes-
soas que tiverem noticia deste roubo, feito em
casa de Jos6 dos Santos Oliveira, A rua do Hospi-
cio n. 46, na noite de 21 do corrente, o obsequio
de irem A rua Duque de Caxias n, 70, quo serao

Ao public
Oliveira Castro &
C., contratantes do


abastecimento de car-
nes verdes do muni-
cipio do Recife, avi-
sam ao respeitavel pu-


blico, que hoje


peitavel ptiblico, que preo maximo de 480
continuam ter um sor- rs. o kilogramma, nos
timento de joias das mercados publicos e
mais modernas e dos talhos particulares,
mais apurados gostos. Na guia que acom-


come-
*arne a


Uompromettem-se
a vender mais barato
do que em outra qual-
quer part.

laig oCOW noi.


panha a rez a


tbatida,


vai declarado o pre(o,
e o talhador e obriga-


do a aprescntal-a
comprador, se o c


ao
exi-


Todos os relogios P-li.s a1U-ds1icas "I,8gr.
rvendidos n'esta casa regladoras do venturee prepa- Recife, 21 de mar-
radas pox- .artholomen C ..Od 185
iao garantidos. I Sumeeessores- o de 1885,
Sn R n A IEsatas pilulas, cuja formula nos foi con. Oliveira Castro C.
RHO rfi V.Rhnffd a i aada pelo distincto clinieo desta cidade o .


ilw. Sr. Dr. Carneiro da Cunha, sio ap-
plicadas corn o melhor exito contra a fra-
queza de estomago, prisao deo venture, en-
gorgitamentos do figado e baco, anemia, ton-


'MuU UU UlUUUd 114. 4

n-l Uuinntt re Jaboatio


0 abaixo assignado faz sciente ao public da teigas, hemorrhoidaes, etc. etc. Ellas nao
cidade do IRecife que reformoau consideravelmente eausamn o menor vexame ou dei ao esto-
o seu restaurant bemrn conhecido nesta eidade, oa ,
qual se aeha pow tal torma refoiado, qua olre- ago, produzindo sua acgo operative
ce, querno sobrado, quer no paviinento terreo, ex- brand e suavemente.
ceUelntes commodos A qualquer familiar que aquit No prostram as forgas, nerm abatem o
queira vir passar diag rsdreeric, asseverando o i espirito, antes pelo contrario dlo alento,
maimadelieiosobanhonorioJaboatio embanheiro' P
caprichosamnente preparado, comida a gosto esevve appetite do or vgor
contente do hoaepede e bebidas diversas de excel- restitnern aos doentes suas primitivas for-
lent.e taadepava osque as Rpreeiam. igas, concorrendo assim para o complete
Etsndb readb o dia 25 do corrente par a resktbelecimewto da saude.
insataura s viairsea do Reci e A tacidade, M aTTii
o mesMO O rIo aastg de pest8ue y laaeB roga a f ha e d nta a d
todosqaue umvee' vindo A hatiL quo so piqmj UM& hora depois do jantar, ou ao dei-


Rao ld PolpGf1 Do n 12
Na rua das calcadas n. 12, veste-se anjo e fi-
guras corn perfeigio.
Cosinheira on cosinheiro
Precisa so para casa de nma familiar nos Affiic-
tos ; a tratar na rua Nova n. 13.

Antgiidades
Compram-se objects antigos, como sejam: pra-
to, ceandelabros e vasos de bronze, cadeiras de
soh, moveia, quadros a oleo, antigolt eB mo drs
e todo e qualquer object de b te : qm
q er pe dirigir so i gaie
Victoria n. 65.


k spT a- cosiuehar e


m


MEOP


m


m


I


t


- 'W --


c


Jou a expor


Ptreia


SUUUR t


rgqbft 41% A.& Uwmg.46,a IL


a













































*Lwfroawa ppar machinu4 e wa Maea d& 6
*fios tasto paqti mOcOU Ja r cowr a m&o
-N se usa mais m s em novelle-
Pede linha em carretd corn o some
--J. 4.OATS -

Para ,aMiih grande
AJuga-se o 8 a d- r da ma da Madre de Deus
n. 36, com tree frentes, 3 saas, 4 quartos e sotlo,
comn cosinha e 1 quarto ; a tratar na rua do Li-
vrarento n. 28. Este terceiro andar foi ultima-
mente reformado e esta pintado de novo.
a6 para inglez v r
Casacos pretos cown vidrilhQ, pam senhora.
Fichus modernissimos a andaluza.
Merin6s de cores finisimoss e biratos.
Ditos pretos, qualidades divermas e escolhidas.
Setins, setinetas e ls, pretos, especiaes.
Fustoes brancos superiores, covado 400 rs.
,A vista das fazendas e dos pregos, nio havera
-quern deixe de fazer negocio.
Rua.Duque de Caxias n. 60
Mendonga, Primo & C.

R.-DE BeRUSINA C.
Ria 0- Bet-JOBS 1, I8

(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de emnmissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da Allema-
nha, Franga, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-.Unidos.
N. B.---Informages sobre machinismos
igricolaW, ditas para engenhos centraes-
Sbombas, etc. para incendios e outraa ma,
chinas e utensilios.


(SUOCESSORES)
Unico composto, euja base principal slo
prinipios vegetaes, quo pode por ioso
ser usado por tempo indefinido sem o me-
nor receio de alterasao de saude. Esta
agna admiravel dA aos cabellos, em poucos
minutes, uma cr e brilho natural, desde o
castanho atM6 o negro, e ao contrario de to-
das as tinturas eonhecidas, tern urn aroma
agradabilissimo, que faciita o seu uso as
senhoras, ainda as mais difficeis. Ajian-
sivos, qu6r a applicaglo seja limitada a
barba, qu6r comprehend os cabellos da
P..~wah~At


Vianna Junior & C. pedem a todos oas seus de-
vedore para vitem o mais breve pomievd sathfa-
zer seus debito.


DEPOSIT GERAL Egen116.ho
Pharnmala e mrogarla Vende-se o engenho.Zumbi, s freesia
1...Rua Larga do woario...31 Jaboato. Este genbo a Uo 1:pgeron
3 l Larga v r.i tem rn muito boas ter a8 e-varseas, ep tambe b
Soasa de vivenda; a'tratar corn Lemros & Noura,
Aviso refinaao vm Afogados. ______
Moma & M*rtins, pooprietarios da padaria Im- mloI~lay=
perial em Afogados, e Lemos & Moura, estabele-
cidos con refinagio de assucar junto da mesma
padaria, avisam a todos os seus freguezes, qua, Vende-se urna mobilia de jacaranda A Luis XV
pelo telephone n. 846 que ultimamente collocaram corn pouc o uso, e outros moveis : a tratar ma rua
naquelle estabelecimento, podem fazer-lhes seus da Madre de Deus n. 36, pavimento termeo.
pedldos, querno que diz respeito A padaria, como elis A
u refinagio. Ta2 haS das 1 6


Funilaria
iBqa larga do RoBarlo n. 20
De Francisco Teixeira Barbosa
Grande e variado sertimento de vidros para
draoa, assirn como recommend ao pubieco un
grande sortimento de obras de folha, cujo fabrics
na propria officina, e se tornam ainda mais re-
commendaveis pelo esmero e perfeigo artistica
eom que aso feitas, a par de omutas outras feitas
no estrangeiro, que tambem recebe coneecutiva-
mente. Em tudo offerece preos meodicos e since-.
ridade.


Vende-se rua de Pedro Affonso n. 2 por 18:000
0 cento.
Vende-se uma carroga de quatr rodas, em
perteito estado, urn boi manso pars a mesa e
urnsma r6de nova pars pescar, corn 150 palmos de
comprimento a tratar na rua sdo commendador
Nanes Machado /antiga Soledade) n. 86, das 6 As
9 horas da manhb e das 4 da tarde em diante.

Atteu io
Na rua do Cotovello n. 25, vende-se farinha doj
milho moida k vasw;dAe 1P, .2%A & e 48 qualidade,I
a 80 r&. a libra,.em arr"ba 200.


Chi'ele Turco


A attenao oefrei.'a prests0i ai is
pela elite (.. das ieaaee nemamtc, pe-
o publico e. geral, ter servido de esti-
mulno Aioroaa escoiha dos artigos do no$-
so commerce, a cuja perfeib*o estamos
convictos de ter atingido corn o.ortimoeato
que acabamos de receber pelo qtinmo va-
por da Europa.
Para senhborna, homes e :iOiM M veio
para nom-Psa -a o -quoae d-malj r so dPO
exigir emo calado, o e orgulhoso da (8vane-
dade.e .elegancia dessas mercadoriAs quo
eonvidaos, 0 apreciadores a visitar o nos-
so e8taboeleinento.
Recomuendamo-nos do preferencia as
Exmas" failias, ao cor; aiaeademico e
conmeroial ,certos de que, os pregos serao
os maiaequitativosos ssiyeis.,
hikas de C~arvalho C.e
Oleo demootd
Tern pxa vender Abrautes & C., & ma do Bor
Jesus n. 48.
Vende-se
aphanupis Peonwabulca i, ma do Cabug. nu-
mere 11.


a





Ae dmaeiro ou s a 4lea, vaend"-s us da
grades com od ntawl as a a qu e trat.
cirtoulas borda d a t s a s.e jardim, born atio





todo asborisa4,.dqaor fvifrs qmuatoi
psi- erads sl.i banlacir e outros corn.
Flmodes : afrte6 toda g ada e omporto d






ferro-via do S. Franekeoo,r born vivoirs. e eoqaei.
Tral: quean pretender entnda-se conn oa Sr. Jo


PaDuart
A dheiGra nde liqioe, vend-s ua da
melhoreA casa ae u& Dque, e Csitia n. 4
grandest commodo e pars ino emoar resoe trae
cireujada.de terra" 'rado jardi'm', bm mitio<4




todo averborisader aea r"c f "-d qo me-
paros midon ggUinheira, baaeir e outroa co. .





Venmodoes : a fe btie fo nea g eda o rdode e o
quayrol tenmOS fd sueoe'ds para a eorst a do
frevia de & Franefeoo, bmB viveirem e omi





aBol; Jesrs (antiga dar n se) n. 22oSr.
Duarte.






rVe -ealuga-e uobili; na a u-
quA dc iasa a Duq n. 81.
estUl ludando epar n4O demo resol
veu a veujderjwizep-das.,ocnxiiS e.;d me-
nos. 4. c'e em qua er.oU-tFA patei


Vende-se ni botica fr~nceftB -, drgiUi deou-
Fuay o m ers succ~eoree'de A. By rua rado
CaBor JsuB (an'tiga daCrun) a. 22. __
--Vende-se e'sluga-se mobilias ; us rus.Do-
quo- de Cmaias n. 31.


aEmfrente a matrni 4. t


Brfande loJa de a 0 o M .
-die d em edorna 4 ru t
de Ca rta, n 1
Neaste eastabeleeimento ecA abolido st tm
ie vendor earo. Os seA proprieiarios .
fade o systems de vender pol) c*uto "
do somente o deeconto. E e systems &afr
feigoado e que garante ao compradomr a oeriqp
be=n servide. Todos,ep~rta=oi-qu"easei%9n%-cm.
pram, eatejam convidados a houar .ste e, bd
eimento, onde encoutnari, a par da sinceri
e agrado, um compaeio ertmento de todo a
fasondas, como asoja:
Setinetas laviadai Ws -, oquo ha de Mqo
em gosto a 500 rs.
Setmneta prets af zena lvrada, 4o
born gosto e muitoIih T os. .
Merin5 preto fiW In Ve Xrior a 1l8I
Merin6 setim prxete fino a 1W800
Setins de coros finos a 1p400.
Sctim preto superior A fr... ,
Fusta branch fin6 a"G'r -
Saias bordadas. 1 e 008 O -
Completo sortim-enta ficd ehA. L ;':
E muitosoqgt m quoo ue if"dc
cionam, e mesa .n
cieneia das Exmas, eitera. s. .

P- p ,I ,S ::

para forsar saais de visits 4ja~tr, quartos, *4-
covas, orredores, etc. Grande e vanrado mio*i-
mento por prego* a C.".
acaba de chega paus a -
Liwmauia Indu*Ul!
Srua do Bark da yictoriasa..7* ,-


a v


DOS PREMOS DA PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 402, A.BENEflCIO .DA' IMATRTDEIZ .1B ',, .A.IDA- EM 24 DE MAR(

I- I I "I i :* .' o -:-;


NS. PREMS.4NS PRMS. N8.


1 49%

8-








59--
-60;. -': -

63'- -!


97- -



'111. -^*


* Y- -

-~
/.34 -;l:'
40- -
417-

^M.P_
SQ 1. -:
64 v^-..-1-^7
301"^-;-


PREMS. NS. PREMS.


EMS.


4#

44


S-,


' M>


NS.


1385
88
1404
21

2E
.31
3f
S51
61'
"* 7"
7.
. 7


- 81

- 9
_ 8

- 9
9


2
i






4!
S)1S


.^


PREMS. 1NS. PI


40 1621
} 26
86 32
S 4# 35
S 36
S.- 41
I -- 45
49
4 57
7 59
2 73
2 77
4 78
6 79
7 88
0 -89
3 -- 92-
8 93
2- -- 97
S 1- 1704
'5 6
4, *,8
6 26
8 -~ 31

41
19 _L: $1-r'M



14 44
rr t.~46
8$-31 1
y60,

-77
'- 93;-^
57 --
58"::-I
61 ;:.-- g


?,EMS.


S49%


D
S#
46








46






o
i


NS. PRE


1893
-94
1901
3
12
23


?'3s
28,






80'
* 38
* *48




50
951

- 96
- 80
- 82

- 92
- 90

- 8
- 8
- 19



^ 41

. i^^^ !


MS. N~.


.











-Al









AM
4i

49.




Led..


.9%


:-twa;'.^
. '.S*- -;1 -''f
w:^
'y^^y^:
'^B^"^
asa^1'1-.1^


PI


2115
20
23
28
32~
39
45
57
61
76
81

84
88
90
98
2202;
S3
18
23
31
33
3$
44


66,


4EMS.



4.


77


90


NS. PROMS. 11. PEEMa


2362 4#52608&
66 -- 9 '
73 31
78 32, -
-9 .4 14 -
83 4 49 -
S97. '1^
98 5 -
.240 -8 -
8i^ 74 -
7 8so -
-- 83 -
10 84 -
17 91 -
21 92. -
28 94 -
31 97 -
2 -2700 -
* 48 2 -
- 49 -
. 56 8 -
. 63 10 -
66 13 -
- 76 15 -
80 29 -
S86 ) -
: 88 -- 88 --
r .'- 40 '" -1,
.:1,98..
I 0 ^ i?;,1.",,^ te i ^.^*'
i C ^ ttK( A.>-*-l.l.'1.1.


REMS.


2842
44
45

55
56
58
60
62
72
75
77
80
89
2903
5
-14.
17
21
22
20
29
38
45
52
58
60
09.


01-


12


NS. PREMS.


- 83
- 87
- 88
- 89
- 93
.- 97


3
16
18
50
57
58
-60
67
69
87
88
89
91
93
99:
3206
20
21

27


S41
.44


4

46
-1


'^ .;' ,, .' .. '




.; ^^jjM^ .


ODE 1885 .


NS. PREMS


3382
39
41
46
48
56
65
71
76
77
78
84
90
92
96
3413
14
16
18
19
20
23
32
37
-40
43
52
'* 57
.688
.*70
79


I4J
.4
4J


3565
71
77
85
88
90
91
93
3607
8
13
47
32
40
42
47

56
58
59
62
78
83
87
92
95
99
3703


4--
7
Uq


REMS.-,w PROW'.;

4# 3792 4f
95 -
96. ",


3800
1
11
8. 12
4# 13
,15
-- 17
21
22
23




.47
tit#.49
-4 52
61
68
70
71
88
89


3900
;


w






4#




89%
49


-if
4.


-36
J 3'^ 1- ,4 %'111^:***"
"! 8-af9 .


PI


IS.


.oS-












S .at


49%





169%
49%


241
-45-

55
S58
-60'

63
70
75
76
77
;87
r 12
308
I19


956
60
62
67
68
71
74
75

79
80
82
86
87
96
98

4008
9
13
,. 14 .:,...
i' 1 19

29H^ti:
,gZ ..


REMS. 1

46


84
46
85
46
86
46
49



89%
89
49%



-J
! .w^




1 ;^ '111


484
89
502
15
16
22
25
28
29
38
39
41
61
62
64
67
89
90
92

17
18
33
36
39
40
42
..44

48
496
.1M'


727
31
41
44
46
49
51
58
61
80
81
84
85
90
96
97
805
14
22
24

3A1

:34
37
43
46
56
b-
60
62
68-i^


NS. PR


1144
49
51
56
61
68
70
72
74
75
76
. 77
88
1206
7
9
11
23
31
42
-43


.49





S86
S88


89%
46











#9%
4.5


AQL
9
,0.t


.., *. ; .. ,, -


P


NS.


s
I


-


4
-^
.: m-




;- "T


-1















4AT









Vm
S "W .W, O. Prudn, -. A

a W. *' p x.. depois,. d g-*
,. .:| !Be ..W .. ,,.,





'.. t : .





a uo do vi cotrn de do Bioluz, em
^^B a Pltd.






er ma rexo do visconde de Bieleuze, em
F casa de quoem, quandoo senhor foi a Paris
S consultar urm medido sebre o sea appetite,
i ia to audo jantar ?
., i O. 0men conhecimento corn Croutot
4 d mais long. Data de umaviagem
Sqoae fiz a'Pariz antes d'essa de quo o soe-
uhr falls.
'eua poca Croutot nao estava ain-
Is aso .swvo do visconde de Bieleuze ?
~proimgma VYassur.
* 'lYsta vez, Pitari teve umn sorriso de
S desdom, respondendo:
--- No, exerdc um outro emprego.
0O sorrismseu quo scismar a Meuzelin,
que perguntou:
Quae emprego?
0o emprego nio devia ser muito do gos-
to do glotlo, porque havia na sua voz urma
eutonaodo de desprezb, quando den esta
singular resposta:
Croutot era Anjo da Guarda em casa
do tabelliio de trinta soldos.
Abanando a caqega accreaecntou:
Um velhaco de primeira ordem o tal
tabellio, de nome Tanjencel, que mais tar-
de foi condemnado a gal6s.
Croutot nao estava ali para ouvir e ai-
tard estava em veia de franqueza, o que
fez corn que terminasse por esta confissio :
Tahbeliio e Anjo da Guarda eram afi-
mal dignos um do outro. Os dous faziam
nra parelha.
Ah! o Croutot 6 um patife? pergun-
toi o policial.
Tendo comegado, nio custom muito a
Pitard responder:
A perola dos velhacos.
Depois d'esta revelaglo sobre a maneira
por que apreciava Croutot, podiam arris-
car-so corn Pitard. Por isso o policies ca-
tendon a mlo para a parede do gabinete,
dimendo:
fstA alli a tal perola dos velhacos.
Ao ver indicar-lhe aquella parade, onde
n'ob so percebia nenhuma ports falsa, o
papa-jantares devia mostrar alhum espanto.
Eitretanto tal nao aconteceu. E, corn-rma
'voz de riso, proseguio :
Ora essa! esta no subten'aneo.
Os tries companheiros olhararn uns para
os outros, estupefactos pelo que tinham ou-
vido.
Sabe entie que exists alii a entrada
de am subterraneo? disse Vasseur.
Oh! Ha muito que esta porta me foi
aberta pela primeira vez, pela pessoa que
me ensinou todos os cantos e recantos d'es.
te immense snbterraneo, disse o glotato corn
voz triste.
E voltande-se para Vasseur continuous:
Conhego-o tao bern, que um dia
desenhei de memoria urna plant d'elh,
para aquelle mesmo viscoude de Bieleuze
da Que fallout ha pouco.


0 tenente estremeceu a estas palavras.

FOLHETII


A NODOA DE SANGUE
POR

Henry Cauvain



S(Yerso go Dianro a PormInco)


PRIMEIRA PART


,Co ntinuaga o


do n. 68)


XVII


No dia er que Joanna deixou o palace-
teo da rua de Offtmant, onde tao feliz vive-
ra, sentio profunda angustia.
Disse adeus ao sallo, onde recebera tan-
toe amigos fervorosos, os qaaes agora, sem
duvida, quando a encontrassem, procura-
itm evitar cumprimental.a; ao gabinete
de tbabalho, ondo, per tanto tempo vira ex-
e do felicidade a doce physionomia
o; ao quarto delicadamenate for-
f do: de masco c6r de rosa, que f6ra tes-
'tmdunha dos seus primeiros sonhos de me-


d sahio, segurando na mito de de
0, pareceu-the que urma parts de
pnao ser ficava alli n'aquella ca-
ito profundamente se Ihe arrai- ba
Wteif~o. a
Uka se vie n'aquelles aposentos tin
tcuo access se fazia por urma d
a e esoura; quando se vio no
stos amoutoados, que da mesr ,
ir Jpua ella parciam pobres._.A.
le -onter as lagirnas que llhe sa
Setho. '. '
a estava ela completammoto sA
.MB- ". corn que podee.w con-
soquer.
-son ea ai, favia ape& I tO
.MV0 g ella co-a
:imhavia do


S .i #uHa '---
0.. ... f V ... .bi. a arM -
j~detdo o -aoUTilt* a plsnta e



cada*w um*los o qaHh os? per.

SPitid abano, aveI a cabega.
IsM, diam ^ qqbSe4e nk
outta pesa '.a do.:a a
homom de bemrn, nlo 6 poSe relevar.
Affirmnando per sua concwienia. a voz
de Pitard tomuo urma tal epressAo de
leald.de, quo jtuzua e sB ow comp5-
: b_.4 .h a,* .Jt i- t^ .


Ib


enciando encontrar o cadaver de seu pai,
que corn ella chorara.
Merentier era urn antigo capitito do na-
os de long curse. Travara conheci-
ento corn o Sr. Lac6dat na America e
)tava-lhe grande amizade.
Mas no dia immediate ao enterro tinha
Spartir para o estrangciro e assim estava
)anna privada das consolagies d'elle, con-
iagoes que Ihe tinhaw side de surnnmmo
)rego n'aquella occasiio, porque de long
ata Merentier conhecia o pai d'ella, esti-
ava-o e teriam ambos podido conversar
respeito d'elle.
Entretanto foi de curta duragilo a sua
aqueza. A indole d'ella tao forte e tao
aergica nao possuia a paciente coragem
me se resign A adversidade e aceita corn
)ura os impetus do destine. Aquella al-
a ardente nao receiava a luta e era capaz
)s mais generosos esforgo.. A calamida-
Sque sobre ella cahira, ferindo-a rude-
ente urna e rnuitas vezes, naoe a tinha
batido. Ella sentia-se disposta a empre-
nruder o aspero combat da vida, pars o
nal bemrn pouco preparada tinha side, mas
ie se lhe impunha agora.
Vendera, sem exeepAito, tudo quanto
irtencera a sen pai, reservando apenas
ira si o prego dos diamantes deixados
nr sua mui, cerca do vinte mil frances.
ram estes os seus unices recursos.
Demais trabalhava bern come Clara pa-
augmentar tao minguado rendimento e
Ddor continuar a educagilo de Jorge. Sen-
a em si a mascula coragem de urn chefe
a familiar, sobre quem se firma o future
Sum enter querido.
As decepqoes que trio cruelmente aca-
yvam de terir-lhe o coragao, ensinaram-n'a
contar somente cornmsigo mosma. Agora
iha pola humanidade inteira o profundo
mpreBo que resent urma alma superior,
seg uida injustamente. Ah! come ar-
t por posur urmsa forga qualquer, mys-
castigar todos quan-
ftsn ffrer! Os assassinos
^*-ie^*os cujo egoismo tinha-a
i a creatura em qAem
do seu "*1c
U*l -a tio covardemen-
]Bd u na sto.ofi

dAe de eprirt via-
e doelegi nvia-


a dons 4s a modw


* *W kB.
Ifu ftf Omfl


Carqn quo '

a conhoco, ee t ....
trata.
-- ntle oeeal.' i"


tau. Os dois s "
oeaotiveis. tlamnMt- *-
al, qie levavam as ar &i._ a. ,
Julgavam star p'4d6i
o coniMo que chamou a atte l pa u
esq uemrento dos mais s eries.
E lza ? perguntou eUe....
E' verdade! E' precise allumiar o
m sqaneo, e per consequencia levar hlu
BastUva-se evar as velas do lustre da sala
do jantar. 0 magricella sahiu acompanha-
do por Vassour.
Passaram-se cinco minutes aeno volta-
ram. 0 tempo passava-se e euzelin im-
paciente foi procural-os.
que fazum n'essa posigio ? excla-
mou elh, admirado, vendor os dois homes,
quo, de p6 em cimra da mesa, couservavam
os bragos estendidos pars mais facilmente
tirar as velas dos lustres, semelhantes a
estatuas.
Ovindo a voz do policial um e noutro
desertaram do sonho que os immobilisava.
uando o Vira-Tripas, ia tirar a pri-
moeira vela diasse alegrementeo
q- Nto posseo comprehender como nio
sabermos ainda do que modo no lugar onde
deixamos o Bell Francisco viemos ccnon-
trar Croutot.a ..a perola dos velhacos...
come diz Pitart.
0 anlto nos explicarA, respondeuiVas-
sour.
E tuanto um come outro, ficararm subita-
monte presoss ao nomre de Croeator por urna
recordaglo.
0 pensamnento deo Vasseour quanto o ane
ligava-se ao Sr. de Bieleuze, so visconde e
A carta de Julia, A missiva perdida, A plan,
ta que desacobrira neos papeis do morto, e
pensava n'aqueolla pequena cruz da quls,
havia ponce, Pitard, recanhecendo a pa-
ta como sus, recusava-se a explcar, iloe-
gando que era o segredo doe umnoutro.
0 que poderA ser eate segredo ? per-
guntava Vasseur a si mesmo, esquoendo-
se das velas.
Quanto a Bernab6, o nome de Croutot
encamiuhava o seu pensamento para umn
outroe points. A sua distraglo vinha deo
uma phrase, iniutelligivel para elh, pro-
mneiada polo papa-jantares quando conta-
va quoe conhecia Io aborts antes da sna on-
trada ao servigo do visconde do Bielenze.
Recordando-se do emprego que, segundo

volas, pergutava a si mesmo -
Quo singular' omprego era ease 14
An~jo dia Guarda do urn tabelliib do trinta
seld ves.
Foi n'essa memento quoe a vz de Men-
zelin vein despertal-os do seu torpor. u
-a- Pensava em Cu groutot, diss o ira-



Tripas, aprossando-se em tirar as velas. .0
nore do Croutot, parocia eatar destinadosa
produzir sempro urn effeito quaiquer, per-
quo Meuzeoin, ouvindo-o, toys ur sobre-
salts.
Corn a brecs! disce oeho Esquec-
mo-nos doe tirar a mordaa da bocca do


Be PrOORo por ahometb,
qe iam nbaroar, sem que hlle suapeitas-
*d. na sa perigosa aventura.
0 agent da policia pegou-lhe na m o e
esponeutaneamento, bemrn coamveneido do que
podia sar de franquma corn aquello que
julgava incapaz de o trahir, diasse ao glo.
tA.
-Em dmas palmas, -Pitard, eis em
que pod*o uos aehamos.
Depots, de se terem dado a conhecer,
olls e Vasseur, o policial contou em poucas
palavras a Pitard, em visfa de que acon-
tedimeontc tinham sido levados Aquella si-
tuaaglo, de terem de defender a vida con-
tra os bandidos, que deviant chigar.
A torte do pombal, bemrn isolada, nos
permittirA sustentar um cerco em regra,
accrescentou elle.
E o policial spertou as mios do comi-
lo, dizendo pars terminar:
Assim pois, cidadio Pitard, emquan-
to 6 tempo, tratn de safar-se para nao se.
envolvido na safarrasoada.
Long de acceitar o conselho, .o papa
jantares ficonu no mesmo logar reflectindo-
Depois de um curto silenecio perguntou:
Em vez do pombal. onde today a re-
tirada serial cortada, por quo ano all ? E
apontou pars a ports secrets.
Porque, disse Vasseur, outros me-
Ihor do quo n6s conhe!em estes subterra-
neos onde nos dariam caga.
-. Melhor do que os senhores, sim ;
mao melbor do que eu nio, disse Pitard
rindo. Conhego lA um escondrijo onde
desafio todos os bandidos a iram descobrir-
nos.
Descobrir-nos. repetio Bernab6, ac-
centuando o ( n6s. Per acaso, cidadto
Pitard, tambem quer ser da festa?
Por que nio? Nao tenpho nada que
fazer: 6 maneira do me distrahir, Sou
dresses indolentes que seguem as multidoos,
disse tranquillamente o cormilao.
Depots corn um sorriso accrescentou:
Comtanto que me deem de comer, e
confesso que 6 urnsma missao difficil pars
quern se incumbir d'ella.
Acabava do dizor estas palavras quando
appareceram Lambert e Fichet trazendo
um sortimento de victualhas. A sua c -
gada aos comestiveis tinha side tanto mais
rendosa quanto na vespera, quando os hus-
sards fizeram evacuar o numeroso pessoal
que representava a criadagem da supposta
condessa de Meralec, iam ja.ntar na copa,
verdadeira inesa redonda, onde uns trinta
bandidos tomavam lugar.
Foi sobre esta montanha de comidas que
osa dons gendarmes fizeram grande colheita.
Oh oh!. oh disse avidamente Pi-
part, vendo tanto que comer. E mao
grade seu, as maxillas abriram-se-lhe A es-
pera da preza.
Bernabb vie aquella pantomima elo-
quente. Emquanto Meuzelin e o tenente
combinavam qual o caminho a seguir, o
magricella di-igio-se para urma das cestas,
d'onde tirou urma perna de carneiro, que
parecia estar perfeitamente preparada, doe.
procedimento heroic que ella tivera, deli-


I


mao pela calva e comeegou per esta f6rma:
xvIII

0 primeiro ponto a eselarecer era es-
te : Porque o Sr. Lac6dat, home rico,
feliz e de exemplar comporta:nento, preci-
sou alugar em certo tempo essa casa isola-
da, onde encontrou a more ? Em que
Apoca a alugou? Emfim, que pessoas ro-
cebia alli ?
( Parece-me que o terceiro ponto era o
mais facil de resolver. Assim, interro-
guei nao aos visinhos, porque serm duvids
1A Ihe disseram, minha se.ihorx, que a tal
casa 6 situada no fim do caminho do bos-
que, cincoenta passes minais ou menos dis-
tante das outras; mas interroguei aos
que moravam no raio mais proximo.
( Perguntei Ihe se tinham visto visitan-
tes introduzir-se na casa, interrogando-os
tambem Acerca dos habitos do Sr. Lac6-
dat.
S Infelizmente, por6m, os habitantes d'a-
quellas bandas de Clamart, slo campone-
zes pouco curiosos, e quo durante os
dias de inverno, teemode ficar emcasa ....
Ah! se eu tivesse de entender-me
corn gente vulgar, corn esses vadios de al-
deia que observam atravez das vidragas
os que passam pela rua, a minha syndi-
cancia estaria prompts ha muito...
c Soube somente que a casa estava soem-
pro fechada de manhi. Seu pai s6 alli
chegava pelas tries horas da tarde, e nao
era isto diariamente. Era nmuito raramen-
se ate.


SQuanto aos que o esperavamn...
Aqui Bidache hesitou ; Joanna animou-o
a proseguir
A senhora deve saber tudo, continuous
elle um tanto embaragado. E demais, a
honradez do Sr. Lacedat estA ao abrigo de
descoufiangas torpes, eu o sei I disse elle
convicts, o que provava que as suas inda-
gaoes tinham ido muito long. Nio nos
deyetnos fiar nas apparencias. Pois bem,
asihora, poucos dias depots de alugada a
caa, urma mulher estrangeira veio procu-
rar, per volta de quatro horas da tarde, a
um dos moradores da rua do Caminho-
YVrdoe, chamado Pedrq Joignaux, e pedio-
. qae Ihe indieasse ond e morava o Sr.
*I.igue. "Era este o nome ique o senior
en pi tinha tornado em Glamart.
Us Um mluor! exdlamou Joanna es-


w0&etao
" ".^ Rop bwQ gaBdea f
|*f.:gaf .ss.ob-. ... er l .
,**I-.', y *. *" .. .- /.. "
'4 -

4


1 0PYgr9~. ~~Ls~
wdo p droorre. (za "ea
do.? oom.mi*oa que provaeys-

^^.^jp~g do to^ast Laborl
lade.... ma9 corn urna coudiglo... a
SwixUmm 6 subterraueo durante
Mm vigir-ae.,
^ mtW c 4rto. d encoula, d",_ de
D'i- m m w esta doido dine d o
-177M policial.
-- Eu encontrarei.... eu encontrarei, re
ittia Croutot, sempre espantado, e corn
Uma especie de raiva.
Acreditas n'isso ? disse Pitard corn
voz ironic.
O sor daquella voz e a sua expresIo
ironic galvanisaram Croutot que, immnne-
diatamente, recuperou a presenga de espi-
rite. Teve consciencia de haver pronun-
ciado algumas palavras imnprudentos, e
sontio urn tal abalo, que desmaiou.
Fica assihl mais facil de ser carre-
gado, disse Bernab !
Pitard aproximnou-se do pygmeu des-
maiado que Bernabe amparava, e depots
de o ter examninado em silencio, disse em
voz baixa a Meuzelin :
Seria prmdente cobrir-lhe a cabega.
E' Ivelhaco bastante para finger que ostA
desanimado.
torn quo fim ?
Em vez de responder, Pitard, ser por-
der de vista o anio, recuou alguns passes,
levando Meuzehn comsigo; e quando jul-
gou que estavam bemrn distantes disse ao
ouvido do agent de policia :
Examine-o bern. Veja se algum
movimento involuntario trahe o soea artifi-
cio, quando oavir a phrase que vou pro-
nunciar,
Meuzeoin concentrou today a attenglo
sore o pygmeu immovel e corn todos os
omenbros distendidos
SPitard disse entlo em voz alta :
0 nlugar onde os quero conduzir foi-
me outr'ora indicado polo Sr. visconde
de Bieleuse, a proposito do urma moga cha-
mada Julia.
SEstA tio desmaiado como eu, disse
immediatamente comsigo, cujo olhar aca-
bava de sorprender urma bruscs contrac-
gio nervosa das maoes de Croutot. Neste
memento a voz de Fichet quo estava do
sentinella A janella annunciou :
Apparecem no palco alguns vultos
suspeitos cujo reconhecimento 6 precise fa-
zor-se a tiro.
Ao mesmo tempo, Lambert qae se tinha
ido postar a urna janeUa do outro lade do
caztello, appareceu dizendo :
Alerts I ahi estlo os bandidos!
A este duplo grito do alarms, BernabA
confiou a Pitard a tareta de segurar Crou-
tot, qua parecia estar profundamente des-
maiado e foi ter corn Vasseur, quo, metti-
do go vo de urna jaaella, observava os
pimeiros movimentos do inimigo do lade
do parque. 0 Vira-Tripas calculou-lhes
o numero a olho.
Uns trinta, disso elle.
.-. E quasi outros tantos do outro lade
disse Meuzelin, quo per urna janella da
.sara de jantar, acabava de examinar a
outra fechada do castello.
Apenas uns sessenta, parece-me que
podiarnos tentar resistir, propoz tranquilla-
monte o Vira-Tripas.
Para que, disse Meuzelin, se gragas
a Picard, podemos eseapar-lhes ?


to e nio foi possivel a ninguemrn voer-lhe as
feiges. Parece quo tinha accentuaglo es-
trangeira.
De que paiz ?
Ah! sabel-o 6 o que 6 difficil. N'a-
queue dia, Pedro Joignaux estava em corn-
panhia de dons amigos que tinham ido be-
ber corn ell urn trago. A mulher d'elle
estava presented. Ora, Pedro Joignanx,
que duranto a guerra esteve prisioneiro na
Allemanha, achoun que a tat mulhsr tiuha
accentuaglo allerna. A mulhor d'elle que
estivera a servigo do urma ingleza que ti-
nha vindo passar o vorato em Clamart, in-
clinou-se A opinion de que era ingleza. Urn
dos camponezes disse que o sotaque era
da Gasconha; outro que tivera conviven-
cia corn trabalhadores italianos emprega-
dos nos caminhos de ferro, tomrnara-a per
italians.
E ella foi nmuitas vezes U ?
Duas somente... Pelo menos virarn-
n'a duas vezes apenas. Mlas eu set quo
as suas visits forarn mais frequentes. Na
segunda ella foi acompanhada per um ho-
mem, um rapagio alto. Foi tudo quanto
pude saber d'elle, pois que nio se Ihe des-
cortinava o rosto envolto em espessa man-
ta do I1.
a Segundo estas informagoes, per mais
insufficientes que sejamrn, 6 certo, que sea
pai, minha sonhora, As occultas ia a Cla-
mart, pois tomava different nome. E' cor-
to tambem que ambos os mysteriosos visi-
tantes nio queriam ser conhecidos de mo-
do algum e disfarcavam-se.
( Esta observaglo levou-me A desco-
berta deo outro facto. Eu tinha notado
que nao se encontrara nos bolsos do Sr.
Lacedat o bilhete de volta da estrada de
ferro. Per conseguinte, elle provavelmen-
to nio vinha a Clamart polo trem; e fazia
isto -ienm duvida, corn o fimn do se escon- i
der melhor e evitar ser seguido.
c Querendo verificar a exactidlo do men d
mode de pensar, interroguei o cochoiro do 1
carroe quo o senior seu pai ordinariarnente a
alugava, para os casos communes ; porAmrn
asseverou-mo que nunca o levara a Cla- I
mart. Nilo me dando por convencido, di-
rigi-me A estagilo das carruagens da ave- I
nida de ViHiers, perto da rua de Offernant 1


e interroguei os cocheiros. Um d'elles
dieme 4e, effectivarnente, um home,
Joe sigaew combinavam perfeitamente c
Os dSr. Laeo6dat, nuitas vezes o charm
ra ~_S oonduail-o a Clamart.
a[' ea1 m a senhora esti vendo, acer
EBdache, qua paracie gosar sex
.t .ond o resultado de o
"p ^ _.g z'.* ._ .* ^ ,V L-, ..


me
cu-
om
lna-


aonvitj do
1 d' uIle qua
86 ... .. ewi-s ha,

isOL.
E a queon LAmuber iit nbo po-
doram eanootrar, f MeUzelin.
Paroce quo os ba d foram mais fe-
lizes que osdoas g 1 porque ouvio-
se um pio de curija no bosque.
Os bandidos que ficaram, vieram enfilei-
rar-so na ork do parque, puwsmwad. eperar
a volta dos outros.
Um por no. pti ^ | r
no continuar a u a
os pelot&3s do cinco o seoBis oe" quo
tinham ido A doscoberta.
Trario eles um morto ou um ferido?
disso o Vira-Tripas.
E' o que vamos saber quando vol-
tarem os quo faltam, responded Vasseur.
(Vontinua).


VAIRIEDADES


.m.'ta d'olhos i........- ...
Afaston-se .aado (houtot a sukr
-ol 0os. '
Pitard,. murmuVoU euels, escuta.
Qu ? perguntou Pitard voltaade
para ieim dolls.
E' verdads o que diessote ha pos e
falaste de corto lugar do subter-
rsnw bas o queoes levar ?
Parsce que o desmaio nio te impede
Pd9- i.-.aQ 9 coutUo sorrindo. De
rate .co. o & .' qotem tratar como trahidor.
do prve.-t quoe o' = ard inutil ia,
trahiste-te. Quando me ouvite, nao to
lembraste do dominar o movimento nervo-
so das malos.
SorA possivel? dissa o pygmau corn
uma voz coinmmovida.
Fechaste as maos corn tanta forca
que imnaginavas agarrar aquillo que procu-
ras ha tanto tempo, disso ironicamente o
glutlo.
As suas palavras deviam ter impressio-
nado o monstrengo, pois que soltou um
suspiro. Depots continuous hesitando:
E deveras conheces o lugar ?
Soa capaz de IA ir corn os olhos fe-
chados.
Novo suspiru do Croutot cuja voz se
tornou supplicant pars accrescentar :
Nao os leva men Pitard. Guard
ease segredo pars mim, pego-te E' corn
um esforgo que attestava da sua parte umrn
sacrificio dos mais p.-nosos, tartamu-
deou:
-- Faz isto, Pitard, e repartiremos.
Em segaida, julgando ter vencido a causa:
Hein? disse i elle, ves que sou cava-
Iheiro-
Mas Pitard abanou a cabega come quern
estA ponce tocodo per oquelle cavalheiris-
me, e responded
Olha que nem s mpre o tens side.
Dizes isso replicou o pygmeu fin.
ginde-so admirado, mas cujo olhar ancioso
se fixou sobre o Papa jantares.
-- Parece que tens a meornria curta,
sejA nao teo lembras quo tenho a tomar
comtigo urma desforra antiga, disse Pitard
corn o olhar carregado.
Urna desforra antiga I repetio o anto,
parecendo realmente ignorar o motive des-
sa desforra.
Sim, responded Pitard, data do tem-
po em que tu eras Anjo da guarda de urn
tabellilo de triuta soldos.
Come a physionomia de Croutot expri-
misse pasmo de urma possoaes qus ouve fal-
lar de um facto perfeitamente ignorado.
Pitard accrascentou sarcasticamente:
Esquecebte-te do tabelliao... aquel-
le grande patifo chamado Taugencel ?
Diabo seria urna negra ingratidio da tua
parte, men velho. porque preston-to urn
grande servigo. E' verdade quo o nio
soubesto aproveitar.
Duranto oste dialog em voz balxa, en-
tre Pitard e o seu prisioneiro, Meuzelin e
os seas dous amniges nao tinham deixado
de observer os bandidos, cuja conduct os
sorprendia o mais possivel.
Demonstrando nao tor press do entfar
no castello, os bandidos conservarn-se agru-
pados junto da entrada do parque, cercan-
do um dos sons, a quern pareciam interro-
gar.
Ola! disse bruscamente o Vira-Tri-
pas, entoto vio partir, sem ter a delicade-
za de se occupar comnosco ?
E corn effeito havia motive para ficar
surprendido. Urna part dos bandidos di-
vidiu-se em pequenos grnpos de cinco on


Nao zombes mais de mim Oh! nao calculas
0 quanto per ti soffro e que tristeza
Me opprirno o coragio
Nio posso mais ponar! da-me um sorriso,
Se boa, complacent, vem servir-me
Mulher, de salvaglo!

Que mal to fiz ? responded. Acaso 6 crime
Sentir-se dentro d'alma o fogo ardent
Do mais sincere amor ?
Se 6 crime, eis-me a teas p6s, da-me a senten"
Que alegre te promrnetto recebel-a
Por Dens, 6 linda flor.

De certo nio 6 crime N'este mundo
Nao ha quern sem amor possa urn memento
Passar vida feliz.
A flor que desabrocha, o mar que geme,,
A brisa que cicia, a natureza
Amor tudo nos diz.

Amernos, pois 6 anjo I Confundamos
As nossas esperangas, nossos sonhos
Alegres, cor de roza.
Unarnos nossas almas e estreitemos
N'um s6 dons coracges que s'idolatram-
Consente, caprichosa!

Que vida que antevejo! Que. ventures,
Havemos de gosar entire as delicias
Do amor sincere e puro.
Unidos, misturando os nossos beijos
De fogo abrazador, come brilhante
SerA nosso future 1

De novo e is-me a teus p6s t Que mais desejas ?
Que pod e offerecer-te um pobro onto
Do mais alto valor
Do que sea coragao onde florece
Corn forga, acolerado o sentiment
Que o mundo chamns arnor?

Depressa fallajA, dize, profere
Urn sim -, uma palavrs quo alimente
Ao triste desgrangado.
Que humilde, reverent e solugante
Espera vida ou morto de tens labios
Contricto, ajoelhado!

Recife, 24 de margo do 1885.
PAULO PEREIRA,

investigagfes: a senior estA vendo como
ha razlo, em assumpto d'esta order, para
se nao despresar as minimal observag5es.
( Aconteceu que a cocheiro era urn ho-
mem methodico, que tomava nota diaria-
meante d'aquillo que ia ganhando: e come
o Sr. Lacedat Ihe dava sempre urma boa
gorgeta em cada viagern, achou corn a
rnaior facilidade no seu canhenho as datas
d'aquelles dias excepcionaes.
( 0 senhor seao pai foi seis vezes so-
niente a Clamart; send a primeira em 12
de sotembro. Depois em 28 do mesmo
mez, em 8 e 30 de outubro e em 15 e 23
de novembro.
( Dava ordemn ao cochairo para o espe-
rar em urn boaquezinho, Acerca de um ki-
lometro da tal casa. la a p6 ate chogar A
rua do Caminho Verde; depois, A noite,
regressava e tomava o carro, Quasi sem-
pra woltava as seis horas...
S E em presence das mlnuciosas precau-
goes tomadas por ello para dissimular o
nome e o verdadeiro dornicilio ; dando-se o
facto, por outro lade, do qne as suas via-
gena tinham per tim encontrar-se em Cla-
wart corn urna ou duas pessoas preveni-
das corn bastante antecedencia: urna re-
flexao bern simples, devia apresentar-se-nos
ao espirito: -Que meie empregava o Sr.
Lacedat, pars combinar corn essay ou asas
pessoas ? per que A necessario que admit-
tames quo as entrovistas podiam ser mar-
cadas quer per elias, quer per elle.
s Evidentemente nio se carteavam, por-
que era especialmente As possess quo ia
visitar que o Sr. Lacedat parecia querer
occultar o verdadeiro nome e a verdadea-
ra moradia.


Ora pars correspondencias de tal or-
dem s6 existed um meioe, a dos jornases.
SEra necesario, pois, procurar nosjor-
naes, que teem a espaciadade d'esse gene-
ro de annunoios, d ct lbrmidade corn as
datas conhecidfa ja, o qao podesse reve-
,ar entrevista a te* os deseonhecidos 0 o
senhor seu pai.
( Consultei os Petites AfflihesAe, o Gau-
lois e o Figaro.
aEm 2 de setembro vi isto que pass a
er, na quarts pagins da ultima d'essas f.
has.


({Lodmoaar-sea-ha)


re-4
-- ..- -.-..

o. ..=
tl 4-.'0.

X .'- N4` .1, l"' .'"' :


AA


sealli o gosto da parisiense acostumada A
elegancia. Ajudada pela intelligent Cla-
ra forrara o seu quarto de damasco cur de
rosa, come era o outro, e espalhara per to-
do elle todas essas ninharias que, borne col-
locadas, dio alegria e vida.
Depots do tudo isso concluido 6 que ella
considerou-se em sun casa. 0 sea ponsa-
mento entAo dirigio-se para o home sin-
gular que Iho apparecfra nas horas mats
sombrias de seu acabrunhamento, e cuja
dedicagio tao profundamente a impression.
nara.
Agora nio tinha ella senio um unice
fim na sua vida: consagrar-se a procurar
os assassins de sea pai e vingar tio hor-
roroso'crime.
Uma manhl sentou-sc a sua escrivani-
nha e escreveu rapidamente urna carts,
nio muito extensa; e mal tinha acabado
do pur-lhe o sobresnripto :-( Sr. Bidache.
-Clamart, quando ouvio mansainente to-
car a campainha.
Dous minutes depois Clara veio preve-
nil-a de que estava alli um home queo
desejava fallar-lhe.
Era o proprio Bidache, sempre acanha
do e tirnido, quo mais se acanhava ainda
per trazer na mao esquerda um grande ra-
malhete de flores, tio alvas 3omo o papol de
que vinham cercadas.
Sou eu, minha senhora, disse elle, corn-
primentando-a e volvendo os olhos par&a*o-
todos os lados, procurando um lugar para
collocar o chap6o e a bengala. Eu ji es-
tive na outra casa, porem come me disse-
ram que se tinha miudado... Trago-lhe4al-
gumas flBres do men jardim... rosas da
Paschoa... urnsm nova species quo desco-
bri... slo ainda muito precoces.
Muito agredecida, Sr. Bidache, disse
Joanna, vivamente sensibilisada per aquella
attonglo.
E, recebendo as flOres, p01-as n'um vaso
quo estava fronteiro ; em seguida Sz corn
que Bidache tomasse urma ecadeira e to-
mou-lhe a bengala e o chapso.
Agora mesmo acabei de eacrever-lhe,
disse ella mostrando-lhe a carts.
Ah! minha sen-hora, quoira &eaEl-
par-me por nio ter vindo mais oedo T -
bem eu julguei, e muito beom, qun a s-
shora tinha necemidade de agI& repa-
soepois d sofre r tlao peM
g.. E demais en tiha. divreia AnaI
4 ...
.-Aht

'.- ;r


.t.sa do pr
| Pitard, am


11


, ca


Lyrlsmo
DEVANEIOS




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7ZSTDGAN_2WG4P0 INGEST_TIME 2014-05-02T23:14:48Z PACKAGE AA00011611_14441
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES