Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14403


This item is only available as the following downloads:


Full Text








SPARA DINN O E. E
Per seio mezes adiantados. .
tr nove ditos idem ..
. 'umn anno idem. ...
' Cada numero avulso, de dias anteriores.


ropriebae be Alanoetl fiutiroa be Jaria & JitUjo


41j
to


U8lnlterio da Guerra
Por decretos de 26 de abril findo, foram
tranferidos de uns para outros corpos do
exercito os seguintes offiiaes.:
Arma de artilharia. -Para o 3- regi-
monto : o major do 3" batalhalo, Saturnino
Ribeiro da Costa Junior; para o 3- bata-
lhao, o major do 3- regimento Tito Luoz
Manoel de Jesus.
ArmnI de infantaria.-Para o 6" bata-
lhao, o capitiio do 11- Joao Severiano Ma-
ciel da Costa; para o 11- batalhllo, o capi-
t7o do 18-, Antonio Carlos da Silva Pira-
gibe; paral o 18- o capit-o do 6- Joao
rancisco GuimarAes Junior.
Foram trausferidos para a 2* class do
exercito ficando aggregados A respective
arma o coronel de infantaria, Domingos
Alves Barreto Leite e o tenente da mes-
ma arma Annibal AntAo Prisco Servulo.
Por portaria de 17 do, mesmo mez
foram transferidas para o batalhLo de on-
geamheiro as praas do 2- regiment de ar-
tilbaria que ali se achavanF empregadas,
providenciando-se para que as que forem
* aetcadas revertam so corpo a que per-
topem, quando tiveremni de ser substitui-
dbo os respectivos destacamentos.
Por deeroto de 26"do ditoe mez fo
reformado o tenento aggregado A arms de
infantaria, Arnaldo Adolpho Alvares de
^meida Guimarlfes.


~ Govereao da provlela
r. Di8ZPACHOS DA pESIDENCIA DO DIA 3 DI
lIMO
| "MAIO
K. : Antonio Bezerra de Mello. -,Prorogad
aw quarenta e cinco dias o prazo marcad
^ u mpplicante pars solicitar a patonto.
"- Christovto d@ Barros Gomes Porte. -
hiforme o Sr. inpeotoL do Thesouro Pro
-m 1 Jos6 dt Bilva.---4o Sr. corn
*e do Corpo de policiapar Ceonce
Kdo servigo, de accord comrn
prestada em officio n., 435 d

M J^^^^ I H~thar.-Nestsl data, 89uo ltt
Sd fauenda o pedido do&sp

wrancisco de HoU"i"a Cava
.,A


TELEGRAIAS


:Z171 goTl 2DUL D O =110

RIO DE ANEIRO, 5 de maio, As 4
horas e 25L minutes da tardo. (Recebido
is 5 horas e 15 minutes, pela linha ter-
restre.)

Na Camara don Deputados foti hoje
reeleita a meza que servio no ulti-
mo mez da sesao do anne pas-
Bado.
A commissito de resposta A Falla
do Throne flcou compost corn mo
bra. Martin Francisco, Carlos Affaon-
so e Ignaclo Martins.
No Senado hojc foel tambem ree-
letta a meza quo servio na ultima
sesao.I
A respectiva commissmao de respos-
ta Falla do Throne lcoun compos-
ts cbm osBJrs. Correa. Junqueira e
UeAra.
A taxa do cambio mobre Londres
foi hoje de 20 e 3/4 d. por a][MO.



mEvpC DA AICIA BAVA

(Especial para o Diario)

LONDRES, 3 de maio.

0 TIMES declara que o abagdono
do general Gordon-Pacha no Soldao
6 huamfilbante para a Inglaterra.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
5 de maio de 1884.


PARTE OFFICIAL
MIlnlsterlo do Imperlo
Fez-so merc6 do titalo de Barao de Be-
lem ao coronel Jos6 Maria do *lmeida,
pelos relevantes servings que presto ao'
Estado e a humanidado concedendo liber-
dade gratuita a vinte escravos.
Em attencao aos releyantes services
prestados na montagem do pharol electri-
co da ilha Rasa foram agraciados corn mos
seguintes graos da ordem da Rosa.
Official, o capital de fragata Pedro Ben,
jamin de Cerqueira Lima;
Cavalleiro, o cidadao francez Luiz Bel-
enot.
Por despacho de 27 de abril findo:
Foi nomeado Ovidio Jolo Paulo de An-
drade para o cargo de president da pro-
vincia de S. Paulo, sendo-lhe concedida a
exoneraco-que pedio de igual cargo na
provincia do Maranhao.
Foram concedidas as exonerates quo
pediram :
O Barao de Guajara, do cargo de pre-
idente da provincia de S. Paulo ;
0 bauharel Joaquim Jose Affonso Al-
yes, do de president da provincia do Es-
pirito Santo;
Olavo Affonso Alves, do de secretario
da mesina provincia.


nho todas as suas alumnus. serm o apparato processional de que em outras con- vgaaoeaas oraens exacoamm.-um a ere es az
4.- Que a lei verdade quo determine juncturas, se tern servido os republicans, quando etrr0,- q a ab anda o a
que a aula que nto tcnha doze alumnos de se tracts de protestar contra qualquer acto dosei 17- a s
poders palico.a0governo.-DL-em quo neto ha acco to ntret
frequencia, pelo menos, nao possarcontinuar, pdees publicos.B e m t no.- minitro.-O a Diario do Brasi.l e o
por 6oto cadm tudo iSto so tern mantido suito sceg
porcm nao 6 n'este caso, porque, estando tranquilidade public nao tern sido alterada. aboliciw smo.-Asidas financeiras do Sr.
fechada a aula, no 6 possivel quo send Uns tantos ociosos, assalariados talvez tern ido in- mnistro da fazenda.
aberta ha pouco mais de um mez, possa variavelmente assistir nas galerias aos debates da Aprovaito a partida do Avon, que faz escala
j A ter frequencia grande. reform penal, levantando-se corn grande ruido e por essaprovincia, para noticiar-lhes uma nov
5.' Qer hj e smo jae t macreaio desde que o Sr. Lopo Vaz ministryo da phase em que acaba de entrar a questio da con-
5.' Qne hoje mesmo j- entraram jai ustiga) comega a fallar. version do bens das ordens religiosas.
quatro alumnas, e me prrece que conti- Esta gracinha de takes sujeitos, infallivois como Como 6 sabido, tendo o substitute da la vara ci-
nuarA epectadores nas audiencias criminaes da Boa vel deferido o pedido de manuenga o e posse fei-
6.- Finalmente quo exerendo e h ora, repetio-se trees vezes. tolpelas ordens reli.iosas, e recorrido,para o juiz
6.- Fialmente que exeroendo eu ha A imprensa e varies membros da camera pro- effective, era a decisiao deste esparada corn curio-
mais de vinte annos o cargo de delegado testaram contra a extrema condescendencia ou gidade, quer por urn, quer por outro lado. Do
Slitterario d'esta froguezia, e procurando fraqueza da presidencia em niao fazer immediata- despacho d'aquelle haviam os advogados das or-
cumprir corn os meunas deveres, o que ap- mfatc proceder contra aquelles brutes manifes- dens feito grande cabedal, ao piasso queo osescrip-
pello par V. S. e seuns dignos antecesso- tantes. Hontem foram sudpensos pelo president tores do governor negavam-lhe importancia, achan-
re, pars d er us d po 'es-dacamara tries contmuos e foram dadas ordens do que nao tinha esse valor o despacho de urn
Sres, pass agora por uma decep9io d'es- mais several afim de evitar a continuaqao d'aquel- juiz novel e sem experioncia ; que no teria de ser
Stars, qual 6 de uam apreciador, se n'este nlas demonstralces. sustentado polo juiz a quem tinbam subido os pa-
Spaiz as denuncias fossrm dadas corn as Ha dias tambenm o Sr. Manoel de Arriaga, repu- peis e cuja decision se dcvia aguardar.
assignaturas corn as formalidades legaes, blicano, se excedeu no calor da diaceussaio, ao pon- Pois bemrn, houtem publicaram os jornaes a sen-
e nao estariam de certo as reputagaes d'a- to de soltar algumas phrases improprias do padias- tenqa desse juiz, longamente fandamentalia, reian-
e monto, dizendo por exemplo que se umn chefo do tivamente sos predios do convento da Ajuda, e ella
Squelles que bern served e gratuitamente a estado (este um foi pars generalisar) o offendesse mands que o aubsiata e surta pleno effeito a ma-
merce d'oste apreciador e de outros. ou a"gredisse, elle saberia punir corn a sun ben- nutenglo concedida, p g-as as cOstas polo 1- r^a
Pego desculpa a V. S,*de neo ter jA res- galao ou corn o en chicote a hypothetica) aggres- (o Sr. Andrade Pinto) na quaidade em que figu-
slo.
pondido o oficio, per me achar bastante bo faem id6a da poeirada, das reclamaqwes, E' muito longs ems sentenga para que possa
Sincommodado. da desordem que essa phrase levantou. aqui ser transcripts. Reaumil-a-hei. Lepois de
Deus gaarde a V. S. -hIUm. Sr. Dr. Eram todos contra umn, ameaando, vociferando, export a -nestAb e o que dos autos consts, entra o
o Jotoa Barbalho Uchoa Cavalcante, digno esgrimindo em seo de punho imminente e vdis em juis = xeciagM de todas as ramlea e fndamen-
0 inspeoar al a CaiPublica 0o ai contra o impradente, e aliAs, talentoondor t o a l&ido, ,o em divernos comwiderandos susten-
o inspector geral da Instruclo ubc. qual, diga-se a verdade, me moatrom imkvido no ta : s a lei te 1870 decretando a desarmortima--
delegado litterario, Josd Pedro da Nov.es. meio d'aquella tempeatadee oem seguida fali u 910o, ,fet por interese social; que essa media 6
-Gonforme 0 secretario, Saraiva Gl- cornmauita elevaqa e muito maiu bom nmmma. de caraetVerpennte, tatto pelo que result
uCono. re ere i, rates t identes podejuatar o de urmna ata de da deassfo &ivida no parlamento, por oc-
)s" cu ecoriminat4drigidspeloSr. Freitas eOli. ea iao de ser eoa votada, como tambem porquc
P _____--__ veira contra o iW t -p (Pinheiro h- .un todisi a Is le insoqawetDososginmtes tomu-se
nl lOI ga) por ter Bn1.ao W da wprovinel ul maandadb vigorar todas ,as diaposige anteriores
---- lit- de Io i. r e ipe, o Sr. Cmtodfo q nao verarem partcularmente sobre fixa -iao
a Bor Poeiro 4a td o dpea, oa onantos de yTo.mentoo, etc., etc.,
[o (Jirrcsopd@3 3dD is Ifl~ario di a% qda, a. no as do sen aoem sador, Aftu- qoa oao de _.al pto .amepror e Co r
[ae rre e ca d aaieretaio gee 0 latienlaros do cofre da junta|.=0 dow a o d.epto do gover-
inU de fasuda de 3oe tantoa coatos de rdid. A 6 a mao, eiaq a idotabeotaleq o moado pra-
SPORTUGAL.-- LIoA, 23 de abril doeeoLIm Ma aai-s't"ida A JM-.00 .; to

Ha1te8m Bacar- dms pares foijawopdaa iiinni, |m11uao d. z'eader
su *mat6im*votar o proijeeto de rd m.dalewto cIuaioesdaque l.d &==,mummy


.Air.,
A 4 j .
', '' o''..*" 'i,n -if

-' "'--


... ... --.]-9 .


- .f.-~ !Va4s4a5~


i i..


canto e Albuquerque. Declare o Sr. A proposta de adiamento do Sr. Visconde de Chan- deploravel ceuivoco que a tal nota do accusagao
commandante superior da guard national celleiros foi rejeitada por 70 vctos contra 12 em criminal coutr, urn dos ministros da corm., dege-
das coinarcas do Olinda e giarassi'vo m- otaqAo por assentados o levantados. nerasse no mwais cstrondoso c momenntalfi,.sco par-
egarasso mO- ~A proposta do Sr. Visconde de Moreira de Rey lamentar do quo ha momoria dos do que o system
tivo por que ainda un'o cumprio o despa- ioi igualmente rejeitada por 68 votos contra 4. representative foi implantado cin Portugal.
chlio do 6 de setembro de 1883. A proposta do Sr. Pereira Dias (progressista) 0 deereto da nomeaqao do Sr. Castodio BorjaI
Francisco do Paula Lins de Carvalho.- declarando que a camera reconhecia tambem a sahio no Diario do Governo de hontcm coin a data
nccessidade de reforms administrativas e final)- de 3 do corrente abril.
Sim.o R I, a D ceiras, foi approvada, adherindo a ella o governor. A assoctaVao commercial dc Lisboa entregou
Joao Rodolpho (it: ,Cam-alho Dias e Jos6 Foi tambem approvada a proposta do Sr. Henri- no dia 21 na camera dos deputados uma represen-
Coelho de Carvalho Dias, outr'ora Jose que de Macedo (progressista) para hayer votacao tac9Ao contra o tractado do Zaire. Esse notavel
Idelfonso de Carvalho Dias. -Informe o especial sobre cada um dos artigos e paragraphos documento sahio no Diario do Govorno c simulta-
Sr. inspector da Thesouraria d Fazend que se tentam reformar, e tambem sobre o artigo neamente em various periodicos da capital, limitan
r. spector da Thesouraa de Fazenda. interpretative. do-so outros, por falta de espago, a reproduzir
Bacharol Jos6 Bandeira de Mello. -Re- Todos os outros projects foram rejeitados. unicamente as conclus5es do parecer dado pela
mettido ao Sr. inspector geral da instruc- 0 projeeto de reform da carta foi approvado commissao especial para esse firm eleita por aquIlla
91o public para marcar umn praso impro- na generalidade por 68 votos contra 14 em vota- associaceo.
'ao nominal. Falleceu hontem, em c msequenc'a de uma
rogavel o dovolver.
ugave dovver. Votaram contra os Srs. duque de Palmella, mar- apoplexia, o Sr. Condo de Paraty, que por muitos
CapitAo Jose Figueiredo de Faria.--Re- quezes de Fronteira e de Pombal, condes das AI- annos exerceu o clevado cargQ de grao-mestre da
mettido ao Sr. commandant superior da caeovas, Bomfim, Casal Ribeiro e Rio Maior ; vis- magonaris portugueza. Era par do reino, de ca-
guarda national das comarcas de Olinda e condes de Chancelleiros e Moreira de Roy e os Srs. racter muifo bondoso e prestavel; corn quanto
i dOmnellas, Barros e Sa, Margiochi, Jos6 do Mello nio tivesse o dom da palavra, uem podesse consi-
Iguarassi, para mandar dar a guia de pas- Gouveia e Meira Salema, conservadores. derar-se como um talent, era assaz instruido e
sagem de que trata o art. 45 do decreto Procedendo-se em seguida a votacio de diffe- tinha muito born senso pratico. Dove succeder-
n. 1130 de 1853. rentes artiges da especialidade, conform a pro- Ihenopariato o Sr. D. Miguel de Noronha, seu fi-
Joao Manoel de Lima. -Informe o Sr. posta do Sr. Henrique de Macedo. Iho primogenito. 0 funeral do nobre fidalgo rea-
D~r. ju* de* d t & ca Tic- D'esta nota summaria se ve que o partido pro- lisar-se-ha hoje pelas 5 horas da tarde, devendo
Dr. juiz de direito da comarca da Vie- gressista, leal ao acoordo, comquanto houvesse ser sepultado no Cemiteio Occidental (Prazeres.)
toria. resalvado a faculdade de associar-se a qualquer 0 m-Ao tempo continda a prejudicar a agricultu-
Joao Rodrigues de Moura. -Informe o proposta de adiamento, nao usou desse direito e ra ; as chuvas torreaciaes veem quasi todos os
Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda. votou na camera alta as reforms constitucionaes, dias engrossar os rios e alagar os campos margi-
isto 6, o project de lei que indica os artigos que naes. A sympathica festa da Kermesse, promovi-
Manoel Jose de Medeiros. -Conceda-se. teem de ser reformados pelas constituintes, como da pela rainha a Sra. D. Maria Pia, em bcneficio
Manoel da Costa Monteiro Filho. -Pro- o tinha votado na camera dos deputados. das erHobe, "foi adiada para os dins 26, 27 e 28
rogado por quarenta e cinco dias, o praso Desde a minha de 13 do corrente inez, tern dis- d'este mez, isto 6, se o tempo der licenca. Deve
marcado ao supplicant para solicitar a pa- cursado na camera dos pares, n'esta questao, os realisar-se a kermesse como creio ter-lhes dito, na
tente dignos pares Visconde de jMoreira de Roy, Real Tapada da Ajuda, sendo vendedeiras de bi-
tee ao in Dque concluio o seu diseurso na sessio de 14 jouterias, flores, gulodices, etc., etc., as dainas da
Rodrigo Jacome Martins Pereira. Como e respondeu-lhe o relator, Sr. Thomaz Ribeiro, na nossa primeira aristocraeia, e dignan lo-se a au-
requer. sessao de 15, sustentando aquelle orador as suas gusta iniciadora da festa vender flores n'um pa-
Tenente Victoriano Gomes Maciel da opini5es acerca da desnecessidade da reform e vilhao que se est alli construindo. A entrada 6
Silva nfrmo Sr insptr i Th sustando o segundo a opportunidade e convenien- a modicos predos. Osjornaes veem che03os orn a
Silva. Informed o Sr. inspector da The- cia d'ella. relaoo dos donativos e dos respectivos offerentes
souraria de Fazenda. Seguio seo Sr. condo de Rio Maior, defenden- que sio muito numerosos, pois todos porfiarm em
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, em do em terms muito correctos e precisos as suas associar-se ao carttativo pensamento da rainha.
5 de maio de 1884. ideas conservadoras. Nas sessoes de 15, 16 e18 Deitar-se-ha na Tapada o baldo Cidade de Lis-
0 porteiro, do corrente continuando a discussao, occupando a boa, dirig o (?) polo habilissimo arconauta fran-
Joaquim Leocadio Viegas. tribune o Sr. conde de Linhares, Agostinho de cez BouIdet, subindo novamente na barquiaha al-
/ Omellas e Ferrer Netto de Paiva. Seguiram-se- guns rapazes destemidos. Gnardar-me-hei para
N. 165. Inspectoria Geral da Instruc- Ihe os Srs. condo de Bomfim e marquez de Vai- Ihes deaeever esta funcglo original e nova em
tf P.la -Pernambuco, 1 d : de ^lada. Desistiram da palavra os Srs. Henrique de Portugal, onde haverA um pouco de tudo, que
o Public. -Pernambuco, 1 de ma de Macedo e Vasconcellos Gusmio. possa attrahir o indigena e obrigal-o por bons
1884. i Na camera dos deputados ainds,tseguem os modos e orn grande jubilo da sua parte a despe-
Illm. e Exm. Sr. Corn a copia junta debates sobre o project de reform: -pmal apre. jar as algibeiras atW aos ultimos cinco r,6is no re-
do officio do delegado litterario da fregue- sentado pelo Sr. Lopo Vaz, minis .;.i stiga. gago amoravel das nobres protectoras da infancia.
zia do S. Frei Pedro Gonnalves do Recife Teem tornado part na discussion o S"i"r. W. Jos6 Parece um despique a festa dos-albergues noc-
zia de a. rrei fiedro ponalves do ecihe Saldanha, Emygdio Navarro, progresista, Antonio turnos-iniciada por el-rei o Sr. D. Luiz e de que
de 18 de abril findo, cumpro o despacho Maria de Carva ho, Josk Luciano de Castro, (pro- Ihes eontei opportunamente o esplendor e attrac-
de V. Exc. de 24 d'aquelle mez, langado gressista) Manel Arriaga, republicann) o rela- tivos mudcaes, poeticos e artistctios.
sobre a representaglo anonyma, que "de- tortdo project, Sr. Frederico Arouca, o Sr. Jos,6 Realisou-se corn todo o apparato, ha dias,
volvo, contra a professor interina da la Dias Ferreira o Sr. miniatro da justiga e Jose no pago da Ajuda, a imposigao do barrete cardia-
cad ra do a Elias Garcia, republicann) que ficon aindacom a licio ao patriarcha de Lisboa, servindo-se em se-
cadeira primaria do sexo feminino d aquel- pahvra reservada para boje. guida A ielmnidade, um Opiparo lunah offermeido
la freguezia, Maria Ramalho Pires Gal- Alguns dos oradores tanto na camera dos pares, por el-rei A corte e ao alto funccionalismo convi-
vIo. com o na dos deputados, teem feito discursos de 2 dado para assistir A ceremonial. ,
Deu uard a V Exc -im e E dias e ji home urn, o do Sr. conde de Casal Ri- Feehou-se o theatre de S. CarkI* Ternminou
Deus guarde a V. Exc.. n l. e Exm. beiro, que letmn tires sessoes consecutivas. Por corn os bneficios da Borghi Manso, gentilissima
8r. desembarg-ado Jose Manoel deFrei- aqui podem avalisiop meus amigos o largo consu- primna-dona, que aceitou a escnriptura que a em-
tas, muito digno president da provincia. mo que se tern foit de rethorica. presa lhe offereceu para a 6poea-lyrica de 1885 a
- inspector eal, Joo Barbaho Uchoa- Na discussaio do project de reforms naval, o 1886. Tierasm presents nquissimos uns, gracio-
Cavalcante. Sr. Lope Vaz, ministry da justice, na sesamo de sos outros, e um enthusiasimo excepcional ina sua
Copia.Delegaci Lieaia do Rcife. 16, falloun contra a instituico do jury e desenvol- festa artistic. Era um delirio de palmas, em 26
opia.- elegacia itteraa do ece. vn acaloradamente o sudario de abuses que se cmhamadas. Por ultimo veio tambem A scena sua
28 de abril de 1884. -Illm. Sr. -Rospon- temrn introduzido na pratica d'aquelle principio, o mCi.madame Borhi Manmw, que L& bastautes an-
dendo o officio de V. S. d6 17 do corrente que fez um pessimo effeito e levanteu gtaode e- nora-te :emr Ckrlos tantos triumphos.' r
mez sobre a denuncia que junto remetto, leuma na impreasa, proessst, pinciplnt Foi tabem uit obsequdo teno Ortisi,
Na sessIo-limmediata, o illuatre ministry, fez aman- 'e na noite do sun beneficio recebeu muitos brindes
contra a professor da 4' cadeira d esta fre- de honorable, errata, ou seja o que for, procurando de valor e um grande numero de chamados.
guezia, D. Maria Ramalho Pires GalvIo, explicar o sentido das palavras que proferira, isto A fests artistic do baixo Rapp foi menos eu-
tenho a informal a V. S. que 6 ella sern 6, nAo o que disse, mas K o que quena dizer. a E thusiastica, mas contentaria de certo a muitos
fundamento algum e propria somente do par completer o testemunho de reconsideragao artists do merito.
n~vojdo agu e o o yv" perfilhou, comn toda a maioria uma mogao do Sr. Feehou coin chave de oure esta series de despe-
despeito e inveja de alguem: e offereo as Emygdio Navarro, progressista, no sentido de didas de demonstrates de aprego corn o beneficio
seguintes razzes: l1-que visitei no dlia 24 do prestar homenagem a uma daU institui.es consti- do notabilisaimo barytone francez Devoyod, 0
corrente a aula, e achei a respective profes- tucionaes, que mais garantias dao A liberdade in- numero dos presented se nio excedeu ignalou ao
sora no exercicio de seu mpagisterio, K cioM. dvidual, dos que tivera a Borghi._
na no eit o auns sono atricaoA imprensa quotidliana tern publicado duzias de Agora vaialli dar algumas recitas a troupe de
nanlo oito alumnas, sendoa matriculade34. artigos sobre esta question, send os mais apaixo- Celini Chaumont, que 6 numa notablUidade pari-
2.* Que sondo licenciada a professor ef- nados os que teem sahido nos periodicos republi- siense. Devem dar a Ci04, o Divoroaos, e nao
fectiva D. Maria Cleobulina de Mello Ot- blicanos. me lemrbo que mais.
toni, deixon do funccionar a aula, assim Paieee que a discussIo do project de lei No Colyseu, empresa Freitas Brito, representaS
tonpermianceu pr algum tempo, snd ccionar a aia, assatificandmo tractado do Zaire, ficarA adiada, at agora ua companhia de operetas e opera-comica,
que terminem os debates anerea do mesmo tracts- parano que tern dous turnos de artistas. Uns dao
meads a actual, tom tide alguma difficul- do no parlamento inglez. Come aliih no comeca- a Martha, o Songe d'une nuit d'dt, la Flle du
dade em angariar as alumnas, polo motive ram, e coma a sossaio parlamentar portugueza jA regiment, le Maitre de (hapelle etc., emquanto ou-
do qite qualquer psi, loge quo seja licen- pouco poderA durar, e de crer que esta discussio tros cantam a Maseotte, le Petit Due, etc. Espec-
c O qualquer professoa, tracs d p fiqe adiada pars a futua camara. taculos para todos os paladares musicaes. -
ciada qualquer professor, tract de pro- A associacao dosjornalistas e escriptores envious -L.-
curar outra, afirn de que sua filha nio sof- a camera dos deputados una representacao con-
fra no ensino quo lhe 6 necessaria, tanto tra o project, consideradot~o s6mente sob o ponto
mais quanto, no caso vertente fechou a udo vista JUidica. E' um trabalho que revela IITERIOR
do*i serv log aborts at- n .. ito estudo e competoacia. Ao relator do pro- INTER u IOR
aula sera esperanSa de set logo aberta, at-e,. Dr. Jos6 Maria da Cunha Seixas farn-_________-_________________
tentas as circumstancias dos cofres provin- ihe incumbido pela commissio especial eleita pela r d Dal de
ciaes, e haverem n'esta freguezia seis ca- assembla geral d'aquella associanao. Correspondenla do iarlo de
deiras do sexo feminine. Ha dias realisou-se em Lisboa no Chalet do R "PeirialbU cO
3.- Que a actual- professors intenina, Rate um meeing, de iniciativa do partido republi- 110 DE JANEIRO.--CORTE, 27 DE ABRIL
muito habitat, o 6' intelligoute, z- cane pars representar contra o project de reform DE 1884
aimtaa, porqo penal. Oraram os Srs. Arriaga, Magaltaes Lima, u pa d o d0 bn das
losa no cumprimento de seons devereos, e rs. Jacintho Nunes e Theophilo Braga, Consi- Suio_-Nova phase da quaodobensda.
muito boa e viatuosa mui &o famiia, e par glieri Pedroso, e outros cidadaos. A representa- ordene reigiosas-Seutenqa do jiz susten-
isso tracts corn muita amabilidade e cari- qio, ali approvada," foi apreseatada an -axnaa tando a manuten&o de po.se das ardeas.
-.... dos deputados, inns indo apenas a mosa loval-a, Seas fandamentos e considerandos.--Os ad


para ser o negocio submettido ao conselho de es-
tado, comno desde principio reclamou o Brasil; ao
que respondiam os escriptores ministeriacs que
nao era caso de conflicto.
0 que, porem, 6 mais serio 6 que, segundo cor-
re. ha divergencia no seio do gabin-.e tc respeito
da questao, divergencia ou polo menos falta do in-
teiro accord, que ficou patent dos avisos dos Srs.
Maciel e Priscf Paraizo ao ehefe de police%, sobre
o auxilio que este deveria prestar no caso de ten-
tativa de despejo por part das ordens.
Estaudo A abrirem-se as cameras, 6 natural que
a questao seja ahi debatida, e isto serA ainda mais
uina diffileuldade para o govern, que jA est-A maie
que sobreqarregado corn a da finanas e a da
emancipato, coin a qual parece que estil dIle se-
riamente preoccupado. E' difficil, por6m, com-
preheuder-se a posii;o que elle pretend tomar
nease negocio e qual a direcego que tern de se-
guir, a vista da attitude, franca e desbragada-
mente hostile ao movimento abolicionista, tomada
polo Diario do Brasil, folka de intimidade do ga-
binete, de cujas confidenciaa partilha.
Ainda no numero de aute-hontem, em artigo
editorial sob o titulo- As salurnaes ceareinses o a
o abolicionisms carnsaoalesc), o Diario, referindo-se
aon abolicionistan, que qualifiers do missionaries
semr misao, procuradores sem mandates a estigma-
tisa vehementemente o modo porque se ton feito e
se esta fazendo a propaganda, pon-io ante os olhos
dos que a dirigem o quadro da misenia que se ha
de achar no future.
,,lMas a propaganda archi-tumultuaria das runs,
conclnue aquelle journal, ha de ver surgir-lhe em
frente o o espectro da miseria escrava feita revolu-.
ito e, em nome da logical, bradar aos propagan-
distas de hoje :
a Propagandistas que sabeis ler, que tender
um pergammnho-de doctor, restk.ui-nes o dinheiro
que vossos pais gastaram corm a vosa instruevgo,
porque esse diaheir veio d) trabaiho esoravo !
a Propagandiatas que possuis prodios, restitui-
nso a Iiuheiro corn qua os comprastes, ou corn que
os compraram ou fizeram von6os pain, porque esse
dinheiro veio do- trbalho eseravo !
SPropagandistas que possuis apolices, resti-
tui-nos o dmheiro corn que as comprastes, porque
eoe dinheiro pertence-nos, 6 ganho polo nossotra-
balho I
Propaganditas que nio tendes eMira nea bei-


ni, .as questies do propriedade e posse, quando
questies taos sao da c.)mpetenci.i du powder judi-
ciario, coaforme os principios de direito ; quo tacs
principios s6 podcriam suffer exeepALo, se a lei
expressamentc a estabelecesse como fez, por )xem-
plo, no art. 8' da de n. 581 de 4 de setembro de
183) e no art. 10 da d n. 691 de 18 do mesmo
mez e anno, mas comoa nilo fez no art. 18 da de n.
1,761 de 1870, Const. belga, art. 91; que, assim
o sequestro extra-judicial, nl.)o autorisado por lei,
traduzindo-se em priva*ao da posse dos bens por
acto de autoridade incompetente, constitue esbu-
Iho, nada importando que seja ordenado pela
commissio creada polo citado decreto de dezem-
brode I883, que n'o pode substituir-se ao poder
)udiciario, nero exrcer attaibnicoes deste, Const.
Polit. art. 179, 17 ; que em terms ta s, assim
como o seqaestro operado importa esbulho e dA
lugar ao interdict unde vi ou acqao de forqa, o
sequestro imminent importa turbaclo da posse e
da lugar a interdicto uti possldetis ou acqAo de
manuteacao ; que a vista disto e de outras ra-
zOes :
a Considerando, que os r6os (o president da
commissao e o ajudante do procurador dos feitos)
foram revels, nao bastando como cxcepgao ou de-
feza a allegacao verbal do Dr. ajudante do procu-
rador dos feitos, ua audiencia, etc.;
Considerando que o poder judiciario, se nao p6-
de, por disposicao geral, declarar invalido o cita-
do decreto, p6de comtudo declaral-o inapplicavel
As quest6es controvertidas perante elle, como po-
der independent que 6, e primeiro executor das
lois patrimoniaes das pessoas; Chauveau citado n.
536 : Marquez de S. Vicente, Dir. Public brasi-
leiro vol. 10 tit. 6o cap. 2o secgo 2a 5.a Jos regu-
lamentos para exccuio das leis, pag 238 ;
( Considerando, finalmente, conclue o juiz,, que
a competencia do f6ro commum 6 irrecusavel na
especin, ration materioe visto naio ser a fazenda
public direct e immediatamente iuteressada na
causa, pelo que 6 inapplivel a lei n. 242 de 29 de
novembro de 1841;
,, Julgo por sentenca o langamento de f1. 32 e
mando que subsista e surta pleno efleito a manu-
tenqa coencedida, pagas as custas pelo le rno na
qualidade em que figure. Rid, 24 de abril de 1884.
-Miguel Calmon du Pim e Almneida.
Os advogados das orders exultam hoje no Jor-
nal do Commercio, corn esta sentenoa, mas um
delles, applaudindo o final della, discorda da pri-
meira part.
De aceordo corn o julgamento do juiz, quanto a
competencia do poder judicial para conhecer de to-
das as questoes occorrentes no process de desar-
motisacio, relatives a prpriedade e posse dos bens
patrimoniaes das ordens religiosas, Peel observe
quanto a permanencia do art. 18 da lei de 28 de
junho de 1870 :
,, Apezar do respeito que nos mereeemrn as opi-
ni6es do abalisado Sr. desembargador Calmon, to-
davia a nossa divergencia corn to distinct ma-
4istrado, quant o A primeira part de sua sentence,
a mais formal e decisi,-.
o Para n6s a disposieao do art. 18 da citada lei
u. 1,764 de 28 de junho de 1870 6 uma lisposicio
transitoria que caducou, ou porque o lapso de dez
annos para effectuar-se a coonversio ia estivesse
esgotado, ou porque. sendo tal disposiio ruma mera
autorisacao, o legislator de 1883 a declarou extinc-
ta, como todas as mais autorisagoes legislativas,
uma vez que o govemrnb nA houvease usado dellas
dentro de dous annos.
0 prazo a que se reere a lei de 1870, foi con-
ferido as ordens religiosas para dentro delle ope-
rarem a eonversao de seus bens, na conformidade
do regulamento que polo governor fosse expedido;
e desde que o geverno nao usou da autorisaqiao no
prazo que lhe foi concedido, a disposicao legislati-
va, passados, como silo, dez annos, estaria caduca.
So assim nao fora, dar-se-hia o absurd de uma
autorisaga'o que nao teria limits nem no espaco
nem no tempo, ficando o clero regular debaixo do
cutello do governor permanentemente suspense so-
bre sua cabega. a
Os outros dons escriptores, por6m, nio fazem
nenhuma restricqAo ao modo porque o Sr. Calmon
considerou e julgou a questao.
Os escriptores do governor, por ora nada disse-
ram respeito. 0 unico que hoje apparece, Ta-
citus, occupa-se corn o protest do bispo do Pari, o
Sr. D. Antonio Macedo, dirigido ao governor e ha
poncos dias publicado no Jornal do Commerczo.
0 Brazil, que a principle consider caduca a
lei de 1870, em seu numero de hoje, applauded a
sentenca do juiz, nao iazendo reservas quanto a
questao de cadacidade.
Em face do acto revolucionario do Sr. Maciel,
diz essa folha, nio podia erguer-se corn major so-
lemnidade e nobreza o vulto sympathico do Sr.
desembargadoar Calmon.
Sun sentenca 6 um monumento de indepen-
dencia e energia que faz honra ao seu character e
saber; e era precise quo e Sr. ministry conhecesse
quo ontre as muitas fraquezas destes tempos, cm
que a vassalagem esta no paladar da moda e re-
gatta, subserviente, as recompensas di poder que
i poder, ha quern saiba cumprir placidamente o
seu dover, muito embora o Sr. Antunes Maciet, nas
coovulsoes de seu furor, tente, corn todo peso de
uma avalanche, esmagar o magistrado qae tanto
conquistou da opiniio public e dos operarios da
sciencia do direito. n
Par ara nio se sea1e o que 6 que pretende fazer
o governo. Provavelmente mandara polo procu-
rador da coroa levantar o conflict de jurisdicao,


importancia alguma e que corn mAguerro andam
apenas alguns guerrilheiros, que nao poderio sus-
tentar uma lucta contra as tropas do governor.
Os jornaes americanos affirinam, pelo contrariu,
que se reuniram aquelle caudildho cinco mil des-
cntentes decididos a uma resistencia a todu ,
trause.
SN'io pode bem apurar-se por emquanto a vcr-
dade, concorrendo para isso o facto das autorida-
des de Cuba terem determinado que todos os te-
legrammas tauto expedidos como recebidos, sejam
submettidos a sua censura.
Tenha a importancia que tiver a tentative de
Aguerro, ha de, segundo todas as probabilidades,
ser debellada; mas prova ella que para a Hes-
panha nao acabaram ainda, nem acabario tao ce-
do, as difficuldedes que encontra aquella rica pos-
sessao.
N Aguerro dirigio-se para as montanhas corn ,
intent do levantar os negros. 0 capit.o genera
ia marchar contra elle corn forq.as consideraveis1
a Falla-se em Madrid em que se ia deeretar o
estado de sitio n'aquella ilha.
SA imprensa ministerial nega, porem, o facto
e aconselha o governor a quo adopted immediata-
inente reforms financeiras, admiaistrativas e
aduaneiras nas Antilhas e a que conclua um tra-
tado de commercio especial corn os Estados-
Unidos.
a Acentua-se uma especie de scisma cntre os
m3mbros da esquerda dynastica. Como causa rc-
nm)ta indica se a ambigAo do Sr. Martos; como
causa occasional as proximas eleices)
Na reuniao ultimamente celebrada pela es-
qucrda, foi designado o Sr. Gonzales Fiori como
o principal candidate d'cstc partido pela circums-
cripMlo de Madrid. Este notavel parlamentar ex-
poz a case respeito, que no district do Hospital
(Madrid) se haviam designadoja dois candidates
democrato-monarchieos, que eramn o barao de Be-
nifayo e o marquez de Cayo Bey.
SE' de lamentar que estandoja a Hespanha
tAo saubdividida em partidos, passe a ter mais um,
o dos'martista, por quanto o vereador Parraga,
proclamou n'uma reuniao politics, a chefatura in-
discutjvel do Sr. Martos.
Na reuniao da esquerda dynastica examinou-
se a orthodoxia dos dois caudidatos e o memos
fez corn respeito ao Sr. Martos, s bemn que 4is-
farcamente.
a Por ultimo reaolveram considerar com cao .


- .


- '.'-'- -,' "
ll i g~gi :;r-: ,;


-~ <- ~4r~


,.*a. ; i.'.
': .


,,. *** .. i -
.; -....,- ,..


.' ", .' i'20


f --


. 1 oo.
. 20 000
27#000
. #200


I
'*""- "

"'fi


ra porque dissipastes as vossas heranqas, traba
lhai agora para nos restituir cs-ie dinheiro diAsi-
p'ido que 6 nosso !
( Propagaudistas que desperdiqastes o product
da propaganda em fogos de Bengala, em musicas
e em passeios a Europa, restitui esse dinheiro ao
fundo de emancioacao ,
E a propaganda que reposta dara a estas ine-
xoraveis exigencias do cspcetro da miseria escra-
va em nome da logica ?
(,E a propaganda que resposta darA ao espectro
da consciencia quando sua voz possante lhe bra-
dar :
S Propagandistas onde estao os innocentes e
desamparados filhos do infeliz Ferreira de Mene-
zes, vosso chefe ?
S Que philantropia 6 a vossa que pr6ga a li-
berdade dos escravos, e deixa na escravidio os li-
vres, abandonando crianas, sem pai e sem m.ai ?
a A vossa propaganda 6 urma mentira.
( A vossa missao e uma hypocrisia.
Em outros artigos tern o Diario do Brasil eha-
mado a attenqao do governor sobre o que se esta
passando, dizendo que garante a propriedade con-
nexa c vida do cidadao, e que a prepriedade es-
crava, ante a nossa legislagao, 6 tilo legitima co-
n11 qualquer outra.
Hoje, domingo, devia o Sr. Paula Ney, um mo-
co cearense que 6 aqui jornalista, fazer uma con-
ferencia no theatre Recreio Dramatico ,, 6. res-
peito da feiao que esta tomando o movimento
abolicionista n'esta capital.
SerA consequeocia das reclama96es do citado
Diario ?
Hontem o Diario Official deu-nos um extenso
artigo sobre as nossas fiaanMas, acompanhado de
notas e tabellas estatisticas, mostrando o curso
dos nossos dispendios e das receitas nos dous ul-
timos decennios de 1862 a 1882. Acham-se ahi'
varias consideraqoes e aprecia9oes, das quaes :se
antev8 o modo por que o Sr. ministry da fazenda
procurara remover as difficuldades do Thesouro,
que nao sao invenciveis, e extinguir gradualmen-
te os deficits chronieos que nos arruinam.
Um dos jornaes de hoje, resumindo o que con-
tOm tal artigo, diz :
a Do exposto deduz-se que o Sr. president do
conselho, depois de tao formal exposiio :
1.o Nao pretend contrahir emprestimos.
2.' Pretende fazer economies, tanto no orca-
mento ordinario como no extraordinario; isto 6,
reduzir as deepezas do funeccionalismo, sobrecar-
regadas pelo empenho de accommodar amigos, e
ter mais cautela na concessao de garautia de ju-
ros, que atW aqui tern servido mais para presen-
tear protegidos, qae para attender as ndcessida-
des reaes e inadiaveis.
3.' Pretende fazer a convsrsao da divida iu-
terna fundada.
4.o Pretende lanqar novos impostos.
Em relaoo a este ponto, ha na exposiqAo um
period que me parece pouco claro.
5.o Pretende augmentar os direitos de alfande-
ga sobre artigos de luxo, reduzindo-os sobre os
outros, de necessidade geral.
Tudo isto tern relaqlo ao future. Mas quanto
ao present, o que fara S. Exe. ?


DIARIO DE PERNAIBUCO

RECIFE, 6 DE MAIO DE 1884
Notieas da Earopa
0 paquete francez Amazone, que passou ante-
hontem para o sul, trouxe da Europa as seguintes
noticias, que alcangam, em datas de Lisboa, at,
23 de abril, adiantando dez dias As trazidas pelo
inglez Trent:
Portugal
Constam as noticias da carta do nosso corres-
pondente de Lisboa inserida na rubrica Exterior.
Hespanha
Eis o que sobre este paiz escreve o nosso allu-
dido correspondent :
Na anterior revista dei-lhes noticia de que o
guerrilheiro Agueiro, um dos chefes das ultimas
insurreigoes cabanas, havia desembarcado corn um
bando de homens armados n'aquella ilha e que se
havia internado na region montanhosa, corn o in-
tento de revoltar os negros.
0 desembarque effectuou-se a despeito da
vigilancia de dois navies crusadores hespanhoes,
previnidos de que nos Estados-Unidos se prepa-
rava ura cxpedicao pars fazer um desembarque
cm Cuba. Apesar do capitio general da colonia
ter mandado forcas consideraveis em perseguicvfo
do caudilho revolucionario, este anda muito a sua
vontade polo interior da ilba, onde tern encontra-
do auxilio dos indigenas e onde tern ja feito al-
guma devastaca.o.
Nao sera para admirar que elle em breve
consiga reunir poderosas guerrilhas e corn ellas
des~a a combater o dominion hespanhol corn o mes-
mo vigor e pertinacia das antoriores insurrei5oes.
Em Madrid reina alguma inquietacao sobre
as consoquencias diesta nova tentative revolu-
cionaria, que p6de prej udicar tao importantes in-
teresses.
Sao contradictorias as noticias que circulam
na Europa a respeito da iusurrei9ao provocada em
Cuba por Aguerro. Os telegraminas de Havana
dizem que o movimento revolucionario nao tern


%6


I
p-5~mJ


7*-.1V


-,a m d.i ,


.i


/::;





















mm
o~.


94-M f Atgman",, SS'^ S^S -^^ ,!
L : / ? .Wmm,

*:196ft. rte'Ia -admfiittBij^|K a^

oo'pieta absten In sua lua eitora-, do-
elaraado que as republicans qe aceitarem a luta
tm& I elettrral aro aos seas deveres de diaciplina.
q Aquestlo marroquina parece interessar de-
veras o governor hespanhol, que aeaba de comprar
20.000 hectares de terreno e dons portos ao che-
L gm Agmrs presamem que eata compra tiVase
pra ditmbir as atengie* do partidospoiti-
oob kespsah6es para nuR expedite marroqmia4a,
deixiando assim em paz os negomoo internal.
o 6 exaetaq vai un. esquadr. famaoeza a
Amer, teamr poase d'aqaeila liia eomo aaratitia
ao pagamento de indemnisaao a a Chunma tea
dopa gar a Frauna pea quesadto do Toukin.
O franceos tomaram e oeuparam Uong4Toa.
PMde dizer-se quo corn ease facto, terfinaram as
sas difficuldades no Tonkin. Agora resta-blhes
ape= organisarem definitivauente o protetora-
do, para o que serA proximamente firmado em Hau,
capital do Annam um novo traetado.
? u ese fima deve sagair por estes dias para
aquella cidade o general Millet, j-atliviado da ta-
emA military que o oecupava no Toukmn.
Os jmrnes ingleses publicam various telegram-
ma da China, nos quaes se da notieia da impress.
ao que prodazio anli a noticia da tomada de Bac.
Niuh e de Hong-Hoa, em cuja resistencia e na-
serVa* parece que o partido da guerra deposi-
tama grants eoperanWas. Foi viva a commrao
n ofirte do Pekin.
Proeedeu-se a grandes mudanas no pessoal do
imnwp3rio, e o principle Chung, pai do imperador, foi
enearregado de dirigir todos os negocios do eata-
do cargo do grande oaousellhoat que o filho che-
go i msioridade e tome as redeas do governor.
Li-Hung-Chung, o poderoso vice-rei de Toheli,
cabia em desgraca, e os officiaes chinezes que do-
fendiam Bac-Niule, foram chamados a Pekin, on-
d ties foram cortada as cabe9as.
VO-se quoe o governor do celente imperi%, desa-
baifou em cholera sanguinalenta e quiz vingar-se
em seus mandatarios, do golpe que soffreu corn as
viatorias dos trancezes. Ao mesmo tempo contina
a remiuAr na China o reccio de que a Franca ataque
poprjio territorio do imperio, e foi por issue orde-
nado utm recrutaneato geral para a&gmentar o
effictivo do exorcito. Corria o boat o que se-
ias ataeados Auroy e CautAo, o que nao tern
fuadamento serio, porque a Franua nada mais pre-
tende do que assegurar no Tonkin o protectorado
a que os tractados Ihe dio direito. Julga-se corn-
tudo, que ella exigirAI da China urna indemnisa-
90o de guerra, baseando-se no facto de terem as
taopas regulars chinezas feito casa cemmum
conm os pavilh5es-negros em Son-Tay, Bac-Niule
e Hong-Hoan.
Outro suecesso feliz para o governor francez
fti a torminac.lo da grande grave do norte, que
durava havia jA perte de dods mezes. 0 partido
socalista revolucionario depositava n'ella gran-
des esperancas. Eram quasi todes os mineiros-
uns pouwos de milhares-da grande bacia carbo-
nifera de Anziu, ausentes do trabaiho; era toda
aquella importantissima, industria mineira para-
da; eram as companies exploradoras resistiudo
is excessivas pretenaoes dos aeus operarios ; as
agitadores anarchistas contavam ter alli optimos
elements para os seus intentos subversives e dis-
so'.vates. Tinham marchado para o lugar da yr-
ve alguns redactores dos jornaes intrausigentes de
Paris, e alguns tribunos mais irrequietos das reu-
n oes anarchistas, cam o fim de sustentarem a re-
sistereia dos operarios, incitando-os a persevera-
rem nas suns exigencias
T Ma" o, per.m, n ao prodamiram aquillo
de qae as imeiros mami precisavam, que ere. di-
mhem. para e suate tamremn, e a suma faunilias.
o Por isso estes depois ae term consamido o pro-
ducto das suns economies e de se term individa-
do, resolveram regressar ao trabaiho.
Os seas delegadoa no syndicate provisional as-
seataram em que se devia immediatamente voltar
para as minas.
N'Wui reuaia.o geral dos mineiros, em que esta-
vain presents mais de 4,09., fAi essa deliberacao
amaunciada, c todos a abracaram gostosamente.
Os agitadores, que tinham ido de Paris, procu-
rarama timar o meihor partido do malogro dao suas
tet;ti vas. Discursaram n'uma reunion public,
affirnaumio quo a grove tinha side uria imponente
m-rmifestaco e que os mineiros se deviam resnr-
var. para um dia fazereon a grande revolucao so-
eial, que ha de ressuscitar o reinato de Saturno e
Riga.
Realisou-se a 14 de abril, em Cahora, a
iaugugraco da estatua de Gambetta.
Euorne multidio assistio a ceremonia.
O Sr. Julio Ferry, president do conselho de
miuistros, e o generul Campenon, ministro da guer-
ra, proaunciaram discus as recordando o patrio-
tismo dc Gaambetta e as services prostados A Fran-
ca pelo celebre tribune republican. Muitos vi-
v as A republica c ao ee3rcito.
O Sn. Ferry receben depols as autoridades, ven-
do-sc A frente d'ellas o bispo de Cahors radeo-
do pleo eloro da diocese. 0 liipo assegurou a sun
dcdie.2i+l respeitosa As instituizoes da Franma,
aecr:s.eatanilo que o seu clero era republican.


Ris?,oaleulhc o Sr. Feorry agradecendo as pala-
vras do prelade, c exvrimi.ilo o desejo do gover-
no ca mnauter a coucordata, qu,, (disse 6 o liV
quo uae a igreja ao Estado. -,
0 parlamento francez adiou as suas sessies
at 2,) de mnaio.
X a su:i ultima sesslo o senado approvou a con-
v3u.iio estabelecida con o bey de Tuuin pela qual
Ihe asera ordiena.do annual de 1.200:000 fran-
cwa, ito e, igal 'ao do president da ropublica ; c
bum ,a-siia mante-vo o sea voto dtie oppesio A
fasil& d)s collegios municipaes de Paris.
N is ultin:a-s sg.sss.s dIt camera fA votada a ge-
neralidids do projeoto, de lei do recrutamnento pe-
lo qual se rel iz a 3 anios o temp3 de servio acti-
veo c o torn obrigatorio. Os debates sobre a es-
pecialidade promettem ser calorosos.
-- Caleula-se cim 4,500:090 fra-cos o capital
correspouidentc aos prejuizos produzidos pela gre-
ve i'Auzin, durante os dous mezes da sua dura-
..i,,, scuado 1.50)0:000 frances a perda dos salaries
e 3 mnilh5es de frances a do carvio.
Belgica

Na eamara dos deputados da Belgica houve um
debate curioso.
Havia em tempo sido nomeada uma commission
de iuquerito parlamentar As escolas publicas.
Ease inquerito revelou notaveis abusos, e revol-
tauts miaanobras clericaes. Foram ouvidas mais
de cineo mil testemunhas, de 0ujos depoifientos
se apurou que o clero belga obedecende As instru-
cc5es dos bispos, usa de todos os sacricios ainda
Aos mats condemnaveis, para desviar os alumnos
da frequencia das escolas locaes.
Entre outros facts, provou-se o de havercm al-
gnus padree roeeusado in extremisni, os sacramentos
a pessoas cujos filhos ou pupilos frequentavam as
eolads eomminaes.
0 relatorio da commission consigna a circums-
tancia de que os earns de almas, couvocados para
deptr no inquerito, todos se recusaram a fazel-o.
Cada vez que eram iterrogados, pretendiam
saber se o eram como testomunhas ou como accu-
sados. Come testemunhas obriguvam-se por dc-
trax do sigillo profissional e recusavamr-se a res-
ponder.
Como accusadoa tambem niao responderiam, fal-
laudo-se no principio de que 6 A accusaco que
complete apoatar as factos.
Os depatados elericaes niao e atreveram a
defender abertameunte o dero, to manifestos
erm oas fetoi d que les 1o queriam partilhar
armsponsaobi)dade.- Apena se lmitaium a fauer
1eve critics ase proeessos empregados pela com-
Winu e a afaer valer eireuntancia attenuman-
tea, allegdo que apenas n'uma s6 dioee, que
0 queftito rvelas factos r ebansive. "
S&. JnAsen, deputado mibe mahmbroda,
lmmiu.o,. sprecsoa larganiest OB reaultados do
"querito, e concluio que a liberdade do .n4"4%,
359 u nefiatel oi WWa Sr egauar iniapecc di.
sueme" partiezares e eaoa a obrigaao i fapoe


k unev L


* A Inglaterra contina preoecupada corn a gra-
-vidade d& questlo do Egypto, e envolvida na e-a
responsabihidade que Ihe iAdvem do estado do Sol-
dio, e das cireumnstancias angustiosam em que se
seoha. o wk f~tf4 ^MngfioJ~trt od
.As fimeat oparaTsti ode & r no As-
.ampto tjeito, qtae nSo enLta a"iopttsw aia;s
I defictivo ar reapeItoao modode s *edir
Khartum nde o general e sat reado. Forim
emnqMuto apena e ter riesolvido a evacua-
mcompletta do Ia e occupar o Hlittoral do
mar Verimetbho, por for britannicas ou egypeiss.
SComo aquelle pais, poderA ser evacuado, sem sa-
erfimio de vidas e fazendas dos europesa e egyp -
esaw; con pederA o general Gordonu voltar da ci-
I date, que lThe estA servindo de caro e edirigir
aquela evaeuaAo, 6 o quo por emquanto seigno-
ra, e n1ob ha ainda procedimento algum do gover-
no iuglez que esclareea o problema.
0 piano de abrir eamiho para Khartum, por
Berber estA de feito abandenado. 0 general GVh-
ham j1A reolhu de Suakim no Cairo corn part
d is forgam do sea commando.
O almiraute Heweti, esse esta-na Abyssinia, a
negoci0r o concurso desta, contra a aeo do Mah-
di. Com a Ayssinia intervira, e as condiwew,
com que se prestari a fazel o 6 o que por ora se
niao conhece.
No Cairo tambem a situaglo interior se apresen-
ta embaragosa.
Como se sabe o ministerio que preceded o actual
cahio pr nalo queerer prestar-se a ser um simpies
mandatario do governor inglez sern accAo de ospe-
cie alguma. Agora tambemn o gabinetc presidido
por Nabar-PachA se recvolta contra as imposieoes
Sdos 4elegados inglexes, espeeialmente contra a bul-
la que o tr.. Chifford Lloyd agent inglez que tern
o cargo de sub-seeretarto de estado dos negocios
do interior no ministerio egypcio preteidia impor
aos ministros do khediva. Pareee que Nabar che-
gou apedir a sun exoaeraeo, e que depois sendo
muito instado para desistir do seu intent, adiou
a resolueio que tomara, apresentando ao khediva
Sum ultimatum, e declarando que resigarTA defini-
tivamente as suns funcooes se nao lho for garan-
tida a liberdade de aega, perante os seus eollUa-
boradores britannicos.
Sir W. Harcourt, um dos membros do minia-
terio inglez, pronuneiou em Derby, um discurso,
cajas deelarags tern subida importancia, em ra-
zio da posigio polities do orador.
Disse elle quo o governor britanuico, s6 con
grande repugnancia se decidira a intervir no
Egypto, e que suas intencAo tiuha sido retirar-se
logo que estivesse affocada a insurreiVio military,
mas que os aoontecimontos do Soldo o tinhamn
obrigado a conservar as sues tropas nas margeus
do Nile. Affirmou que nalo estava no piano da
Inglaterra, o annexar o Egypto, e que nenhum di-
reito ella tinha para o fazer. Relclio qualquer
project de annexaao, mseja onde for, porque issao
traria ao govern inglez difficuldades internacio-
naes.
A Inglaterra disse elle, ternm jA un imperio
bastante vasto, e querer encarregar-se tda admi-
nistragao permanent dos negocios egypciou seria
uma resolu*-o das mais impolitieas. A annexa-Xo
do Chyprefofi um grande erro, que teve come con-
sequencia, a conquista de Tunes pelos france-
zes.
Um journal de Londres, public extracts de
algumas cartas do general Gordou, recebidas ul-
timamente por alguns inimigos delle.
Nessas cartas o general diz que se insurreccio-
naram as tribes entire Berber e Khartum as quaes
nio atacargo provavelmente a negunda destas.ci-
duades mrs que teutarlo reduzil-a pela fame.
Diz tambem que tinha viveres para cineo on
seis dias; e que, sc ninguemn pensava em ir soc-
correl-o, parecia-lhe mais convenieute partir semr
demora corn a gamrnic.o da cidade.
Deve reunir-se brevemente em Londres, a
commsssalo europea, encarrcgada de examiner as
finangas do Egypto.
Alleinanha
O principle de Bismarck conferenciou largamen-
te, n'um destes ultimos dias, corn o principle impe-
rial da Allemanha.
Segundo a Gameta da Colonia, a recoastituigio
do conselho de estado da Prussia, foi o object da
entrevista. A cousa ntio parece, por6m, tile deofi-
nitivamento decidida coma se havi.'. dito. Segun-
do todas as probabilidades, a reconstituicao do
conselho de estado sem a uniea mudauma que re-
sultarA da rise de que tanto sc tern fallado, e que
se attnbue a manejos do chanceller, que pretendia
assim amedrontar a maioria de Reichstag, para
conseguir a approvavno das suns medidas relati-
vas ao soeialismo do eutado que 6 a political pre-
conisada polo primeiro ministry do imperador Gui-
lherme.
0 parlamento nio se assustou eom a ameaca d6
chancellor abandonar as negocios interns e ex-
ternos do impeno, e par isso, a crise comeca a
dissipar-se atet desapparecer completamente.
Nos circulos politicos affinmam uns que todos os
,ninistros oonservar-o as suns pastas, e outros di-
zero que so duvida muito que o imperador appro-
ve, pelo menos agora as mudancas ministeriaes
propostas pelo principle de Bismarck.
Em gernl o imperador Guiiherme nmao altera es
planes do principle chancellor, portanto essa pre-
tenomida recusa da sanc~io imperial, afigura-se-nos
ser um expediente comrnodo parm cobrir a reti-
rada.


Foi mais um tire que o principle errou, mas
como o alvo continAa na sua frente, 6 possivel que
um din acerte.
Austria-Huangria

Surgio inopinadamente uma rise political de
bastante importancia no imperio austro-hungaro.
DA-se ella por umn desaccordo, occorrido entire os
governor das duas monarchias reunidas sob o
sceptro do imperador Francisco Jos.
Providencias de policia sanitaria, tomadas pelo
governador da Baixa-Austria, corn respeito A im-
portaglo do gado hungaro, constituiram o porno
da discordia.
Uma resoluaio d'aquelle funceionario motivada
pela negligencia da policia hungara no assumpto
sujeito, poz difficuldades A circula*1o do referido
gado na provincia que adminiatra. A populagio
hungara sobresaltoue eomrn o facto, e elama que
as razees hygienicas allegadas sao um mero pre-
texto, e que a providencia de que se tracta nao
tern outro fim, senao protege os criadores, e os
proprietarios das provincias allemnAs, contra a
concurrencia que lhes fazem os da Hungria.
0 gabinete hungaro foi a tal respeito interpel-
lado no parlamento de Buda-Pesth, e o Sr. Tisza,
president do conselho, corn applausos de todoes os
lados da camera, deelarou que restricoies impos-
tas polo governador da Baixa-Austria, offendem o
pacto de 1867, e que o governor a que preside, pe-
diria contas ao gabinete de Vienna d'essa infrac-
9ao.
Dizia-se tambem que o Sr. Tisza promettera a
varies homes politicos empregar a maler energia,
e send precise usar de represalias, contra a in-
dustria austriaca.
A crise torna-se grave.
A ordem do governador da Baixa-Austria bade
ser provavelmente revogada ; mas isso nao bas-
tarl para desfazer a mcompatibilidade entire os
gabinetes da Austria et dain Hu" a.
UjNas circumstancias actuaes, e quasi certo que <
austriaco presidido pelo condo Taiffe, sera o sa-
crificado. A exaltao do sentimento national na
Hungria, nUo permittira que o Sr. Taaffa fosse am-
redado do powder una present oojuuctura.
O desaccordo entire a Austria e a Hungria estA
por em quanto applaeado.
O govermo austriaco revogou a ordem do go-
vernador da Baals-Austria, que submettia o ga-
te procedente ds Hiungnia a inLpocao sanitaria,
e a otras farmalidades que obstavam A sua im-
.portaso. Es.e facto pz termo so period agado
daianse, mas entire as duas monarchies que cow.-
titum o impe_ fi" sulbistinda o germen d dig-
cuwaes quo devem prenmmunciar-se em poca nao re-


Hdo
a!~


tar, mas de que f6ra levado para outra cadeia.
Outros reforees entraram na prislo invadida,
tomando por um subterraneo, mas os soldados que
jA lA estavamin, e nao tinham sido prevenidos, fize-
ram fogo sobrc elles, julgando-os aggressors.
Morreram dons officials. So6 tarde se deu pelo en-
gaao.
No cutretanto os assaltantes repellidos para o
exterior pela tropa, tentaram larger fogo a cadeia.
Foram saquear a loja do um espingar ciro, e vol-
taram ao ataque, travando-se entao uma verda-
doira batalha.
Convencidos por fimn, de que nao levariam a me-
lhor dispersaram.
D'esta primeira luta, rosultaram sete mortes,
seado duas de agents de polieia.
Mas as cousas nio ficaram per aqui.
Dizem de New-York, em 31 de marco:
( Contuinuam s tumultos em Cincinatti. Foi in-
cendiado o palaeio da justibia. Os amotinadores
batem-se a tire corn a tropa. Lanmaram bombas
de dynamite para o interior da cadeia. Ateiou-se
alli um incendio. Os bombeiros vinham para apa-
gal-o, mas os desordeiros niao os deixaram aproxi-
mar-se e travou-se unia luta encarnicada.
SVendo os soldados que os sens officials, ti-
nham side mortos on fendos, estabeleceram urmas
bacteria de peas de artilheria e de metralhadoras,
corn que destro9aram os contraries.
a Diz-se que no memento actual,ija ha mais de
100 mortos e que os feridos sio em numero de
400.
Receia-se que a luta continue. A cidade jA
estA- exasperada contra a venalidade dos juizes e
dos jurados que fazem traficancias corn a justica,
c mediante dinheiro absolvem os criminosos. )


Nooflelas do sul do lmperlo
0 paquete ingles Avon, chegado hontem do sul;
trouxe as seguintes noticias, alam das que cons-
tam das rubricas-Parte Official e Interior.
iBo Grande do Miul
Datas Wt 20 de abil:
Diz o Tempo, de Jagnarto, que ancorou naquel-
le porto a 15, o vapor Mirim, que desde a ante-
vespera se aechaVa enca.ado no lugar denominado
Joio Jacintho, duaes 1euas abaixo d'alli, d'onde
safou As 10 horas do dia, por ter alliviado parte
da carga, e ainda u .sim de novo encallhouuno Pe-
riquito e depois na valt 8a Castelhano on4e antes
da desobstrucneo nuncio eucalhou embarcano nen-
huma, memo corn as auas na sua menor altura.
Communicara de Caoira P'edjr.a pie
Ulvis sidlo assaadmado o fuzendeiro, A*Wwm Car-
yaltho, cujo cadaver foi encontrado corn a cboa
separada do corpo.
I-,seao Corrio Mercanti, de PIeiota:;
Rebocado pel0 vapor Hmastd chegou aopor-


aqa
uea
tord


". navio for Obrigad& 4 veedr esns,
oa oqneuia d" 4 aviSM quomC(a-
8 haoras do dia 1 dommm"te,l fhe armn
+ ptaqueto Rio Parad, quole patio os
pato de bujarrona, turo dot ferros e
dae joaneto.
iu matanciaqus*miibm* a&amd a-
I nos consta, I M *- enftpor M fib
taquelle vapor, tamNbl m Ni4Viem pn
da provincia.
b grupo d le inaft WAW'de fl eW ao
quemnando casaa#uw kaem m ra n-
ofieal que wo 4a tal *mfe-se
tivo con a fto a-O W w d% qId
ie nao fazor 4t d'ek
o que fosi Qe,1f *MAade MIw&-
k"Sete afraial.
Mlnaa-Geraeu


Era conhecido na corte o seguinte rcsultado par-
eial da elein o senatorial :
Ignacio Martins 7,099
Felicio dos Santos 7,067
Csario AlIvim 6.989
Gnaato a &elpa 6,679
Gains Cerqueira 5,771


Bretas


5,754


pare em.
A eise que se manifestara na Roumania, ter-
iuuM, comervamdo~e o miniteiao, a content do
*enado e da camarum popular,
Rgypto

Sr. r Lleyd o ubar-.Pachd. 0 ediva re-
cusa-se pertiasmtente a d*r exonemalo do seu
prhneiro adnaistro, e o representante da Inglaterra,
a St. Baring arr 0jou um modme vivendw, que for
aceito por ambas as parties discordantes; consiste
elle em qar o Sr. Lleyd fieari sendo funccionario
egypcio, coin as unieas fune4is do sub-secretario
de estado Nubar-Padia, ficara, pois, sendo seu
superior hierarchico.
Diz um despacho do general Gordou, com data
do 8 de abril, que em consequencia de diseuss5es
centre os rebeldes, sogundo refere um espilo, o
Mahdi dcsistio da sun expf di*lo contra Khartum.
Hussala e Senvar estAo em seguranga.
NWo se confirmou, pois, a rendio do Khartum
ao Mahdi, que fern annunciada porum telegramumA
expedido de Londrcs.
As ultimas noticias d'alli recebidas, que se en-
contram nosjornaes estrangeiros, teem a data de
17. A eidade eontinuava cercada pelos rebeldeg,
cujos ataques a guarniao orepellia; mas as muni-
Vmes iam jA escasseando. A situagco ia-se tornan-
do eada vez mats critical. Tinha-se tentado fazer
que uns barcos de vapor atravessassem as linhas
mimigas para estabelecer commnunicag'o corn Ber-
bet', mas a tentative ficara malograda, em razao
do fog) mortifero dirigido contra os mesmos na-
vios. 0 general Gordou, pensava em retirar-se,
corn a guarniiao da cidade, pela Africa Central,
visto star abandonado pelo governor inglez.
Um telegramma de Cairo indica que o general e
a guarniVio .abaudonaram effectivamente a cida-
de, mas tentando romper as linhas inimigas. 0
nilo term porn chegado ainda a Berber, fazia
receiar uma grande desgraqa.
Confirma-se a noticia do ter encalhado o
vapor que vinha de Clihendy coin a guamni9a0
d'aquella prana c 300 refugiados de Khartumr, sen-
do todos trucidados peles rebeldes.
Iai grande agitacAo no Cairo. Foram tonadas
mcdidas para impedir conflicts. Os indigenas
fazem manifesta95es oontra os inglezes. A forca
armada andava pelas ruas reprnm ndo as manifes-
tacoes.
Turqula
Sc-gundo as infomnnabes dos jornaes do ViWenna,
os embaixadoreotes da potencias estrangeiras em
Contantinopla, recebeftam dos scus governtos ordeim
de eombinarem entire si a escolha to successor de
Alelso-Patcha, eujos padres estao proximos a ex-
pirar.
Assyu-PachAi, ministry da justiqa da Turquia,
foi nomeado ministry dos negocios estrangeiros em
substituiao de Aarife-PachbA.
Assyu-PachAjai tinha gerido a pasta dos estran-
geiros em 1881,

Notielas dos Estados Unldos
ior via de Lisbon trouxe-nos o paquete Ama-
zone as seguintes noticias:
No Congress dos Estados Unidos Jevantou-se
ultimamente a questao tantas vezes debatida, da
reconstitui*io da marinha do guerra dos Estados
Unidos.
0 senado votou um project de lei autorisando
a construAeio de sete navios de guerra, cruzado-
res e torpedeiros, mas nenhum encouraqado, para
que juntos a mais scis actualmente nos estaleiros,
fbrmassem o ponto de partida da nova esquadra.
A commission dos represncatantes nao estA po-
rnm disposta a imnitar o senado. A este respeito
travou-se uma grande discussion entire os demo-
cratas e oa republicans, sustentando estes quo a
construcoao de wma marinha military 6 uina das
mats urgentes neoesaidades do paiz.
Depois de 1861 tem-se gasto para dotar os Es-
tados Unidos, corn uma boa marinha, a quantia
de 370 milhies de dollars, e nio s6o no se teem
perdido os que existiam na gucrra civil.
Da discussion tern resultado saber-se que no
ministerio da marinha da grande republican ameri-
cana, tern havido urma administrator perniciosa,
para nao se Ihe dar nome peior,
O candidate que mais probabilidades renne, por
.agora, de sernoleito presidente dos Estados Unidoa,
quando expirar o mandate do 8r. Arthur, 6 o 8r.
Lincolin, filho do celebre estacdista do mesmo nome,
assassinado qtundo president da republican.
Acerca dos tumultos quo rebentaram em Cinci-
natti, nos Estados Unidos, e de que o telegrapho
j4 deu succinta noticia, encontram-se as seguintes
informae6es eur um joamal francee.
Um tumulto que tomou rapidamente propor-
cSes temcrosas rebentou aqui em virtude de nao
terem as jurados, per indulgencia, condemnado a
more, mas apenas A 20 annos de trabalhos publi-
cos, um tal Berner. autor confesso de um assassi-
ale.
Organisan-so am meeting, e010,000 poscoas, que
alii se tinham neunido para votaein nina niocio
de censura ao jury, excitadas por um preto, cami-
nharam pura a cadeia, corn o fim de agarrarem o
reo e de Ihe app~licarem a lei de Lynch.
A policia teve que pedir auxilio a tropa, c fo-
ram disparados alguns tiros contra o populacho,
quo furioso arromemou a porta da prison, e largou
fogo ao carcere, onde o eondemnado devia de es-


Parece que nao houve a regularidade precisa
nas deliberagbes da camera, visto sete veriadores
eram de opiniio que se continuasse o serving, por
acharem injuridico o embargo. Entre estes o Sr.
Aquilino. que extranhou ver a camera pactuar
corn semelhliante desrespeito As suas attribuicues,
invadidas pelo powder judiciario.
( Depois de parado o service, por ordem da ea-
mara, o povo tomou as carrogas dos empregados
da, tirma a continuous no service.
r Ao meio dia reunidos no pago da camera mu-
nicipal onze Srs. vereadores, faltando apenas os
Srs. Luiz Ferreira e Araujo Costa, o Sr. presiden-
te abrio a sessco, declarando" que os Srs. vcrea-
dores sabiam o motive dexreuniia extraordinaria e,
deu a palavra ao Sr. Aquilino.
Este vereador observa que a companhia In-
gleza j esgotou todos os recursos administrativos
sendo derrotada successivamente em suas preten-
95es pela presidencia da provincia, pelo poder ex-
eeutivo e pelo conselho de estado.
Agora recorre ella A intervengao do powder
civil.
Declara-se contrario ao alvitre proposto de
fazer-se cau9io de opere demoliendo; a accessao a
este alvitre pareceria indicar que a camar'a aceita
demand s6bre um direito liquido, qne ja lhe foi
reconhecido pelo powder competent.
Nega competencia ao juiz de direito para op-
per o embargo em questiao. Neste sentido 6 que
se deve proceder, e, se o juiz continuar a julgar-se
competent, dessa decision resta aggravo para a
rela&91 do district, que certamente manterA a
boa doutrina sustentada na luminosa decision do
conselho de estado.
S Se a question que ora se aventa fosse entire a
companhia e particulares, o foro civil seria per-
feitampnte eompetente, porque ia oe tratar de ps-
se e de dominio; mas assim ano acontece propos-
ta a .accao contra a camera municipal ou antes
contra um exercicio das attribuig8es que eata cor-
porano tern estatuidas em leL .
No faro civil a companhia s6 poaer, depois
ie concluida a obra, requerer qualquer indemni-
saq a que pn ver vtn sejulgaeoom direito.
o OSr. Rafel d m Barros prepoe que os Srs.
Dutra Rodrigues e' Aquilino confereiem a res-
peitr eom as dvogados, e, no cas do ehegarem a
urn am rdo sobre acaum o de opere demoiedoI


e a ro~uni od au


Goyam

Datas atW 29 de margo:
Do Arrayal da Barra escreveram A Tribuna Li-
vre e-
a A bandeira que havia ido ao encalio dos in-
dies que atacaram algumas fasendat dos arrelo-
res d esta povoacao, aleangou-os na sua fuga e
conaeguio tomar dos mesmos muitos armamcntos e
outras ebjectos que haviam roubado, levando-os
de veneida ate alum da confluencia do Tapyrapoaim
com o rio Vermelho onude queimou o acampamento
que as selvagens ja haviam ahi feito.
a. Pauol
Datas ate 26 de abril :
Urna pessoa grada da capital offereceu ao Dr.
ehefe de policia am terreno no bairro do Ypiran-
ga para edificasio de um asylo de mendigos.
0 Sr. Conde de Tres Rios, diz a Provincia, vai
edificar na run Alegre umai casa para escola, onde
o enasino sera ministrado conforme as methods
tnais aperfeiyoados.
Publicaram-se as seguintes leis provinciaes :
N. 25.-Art. 1." Cobrar-se-ha de cada escravo
existent na provineia e .que n.eo se applique ao
sorvico da lavoura o imposto annual dae 5j, que
reverterA ao fund de emancipauio e serA distri-
baido pelos municipios onde residirem os mes mos
eacravos.
Art. 2.0 0 governor expedira o regulamento pa-
ra a field cxecunao desta disposic-io de mode a tor-
nal-a cfficaz, nlo podendo os arrecadadores do
Simposto perceber poreentagem por tal servico.
N. 26. -Art. 1. Cobrar-se-ha de cada eseravo
de lavoura existentcs na provincial o imposto do
3A por anno, sendo este imposto applicado As d 's
pezas corn o service de immigra-ao.
LA-se na Gazeta de Campinbas de ante-hontem :
a Ante-hontem, a directorial da Companhia Mo-
gyana, em trem especial, foi 4 cidade do Amparo
recebcr as obras daorenovacio da estacao.
a 0 trem partio desta cidade As 8 horas da ma-
ahl e regressou As 6 da tarde.
a Altm da directoria, tambem tomnaram parte
no passeio senhoras e alguans cavaleiros.
SNa estacao do Amparo foram as possoas do
trem recebidas polo commendador Gim.maries, Dr.
Bernardino de Campos e outros cavalleiros.
S Em casa do commendtiador Guimaracs foi ser-
vido um auto almogo, a que concerreram pessoas
de todos os matizes politicos, e onde reinou muita
cordialidade e satisfa.io.
Sob a epigraphe-A questao da rua Hclvetia-
l1-se na Provinta :
Ante-hontem, indo v Sr. Jose Vicira de Me-
rues, contratante das obras da rum. Helvetia, Cnce-
tar os trabalhos de coustruciao, o superintenden-
to da estrada ingleza ameaeou-o de prender, se
come,.asse as obras.
Levado o facto ao conhecimento da Camara
Municipal, reunilo-se esta em sessao extraordinaria,
as 5 horas da tarde, a que compareceram todoes os
Srs. vereadores, e deliberou, per proposta do. Sr.
Aquilino, que as obras fossem feitas pelas turmas
de trabalhadores, corn a presenga dos seus chefes
e da Camara today, so precise fosse. Ficou igual-
mente resolvido, pot proposta do Sr. Rafael de
Barros, ue se requisitasse forca public para
acompanhar as turmas, e o Sr. president decla-
rou que, find a sesso, iria conferenciar corn o
Sr. president da provincia.
u Todao estas deliberawes foram tomadas por
i. votos ficando vencidos os Srs. Araujo Costa,
chefe do trafego da Companhia Inglcza, e Anto-
nio Gabriel Franzer.
a Hontem, as 7 horns da manha, seguiram para
o local as turmas de tiabalhadores, os Srs. verea-
dores da Camara, corn excepgao do Sr. Araujo
Costa, 60 prawas do cavallaria e infantaria de li-
nha, eommiundadas pelo capitio, acompanhado de
um tenente e um alferes; os Srs. Drs. chefe e de-
legadoe de policia, o commandante da sec ao de ur-
banos, o alferes e diversos sargentos da mesma
secoo.
Encetados os trabalhos de campina e entu-
pimento do vallo lateral A direita da lnha, chegou
o Sr. tabellilo Angelo, acompanhado do escrivlo
Climaco e alguns officials de justina e intinararn
individualmente a cada um dos trabalhadores um
embargo do Sr. Dr. juiz de direito da 2' varn.
,, A Camara lavrou um protest e suspended
os trabalhos, constituindo procurao para tratoa-
rem do embargo ao Drs. Leite Moraes, conselheiro
Duarte de Azevedo e Jo6 Rubino de Oliveira.
0 Sr. president convidou os Srs. vereadores
a reunirem-se em session no pac.o municipal, e re-
tirou-se anompanhado de alguns dos seus collegas.
Retirou-se tambem parte da foraa public, fican-
do presented diversas praceas do infantaria e o Sm.
Dr. delegado de policia.
Penetrando entbo na linha mais de 200 pes-
soas do povo, que se achavam presentes, remove-
ram os wagons, que a companhia havia fetto col-
tocar como impecilho, e tentaram continuar na
abertura da rua, estando dispostas a arrancar os
trilhos que form collocados entire as linhas In-
glezas e Sorocabanas.
a Respeitando o embargo lavrado pelo powder
judiciario, o Sr. Dr. delegado de policia oppoz-se a
essa dostruicio, postando sentinellas de baioneta
calada na extenco dos trilhos. Na occasiio dt
ser pesta em pratica esta medida, houve unea des-
ag'adavel occumrnncia provocada pela impruden-
cia de um moco.


POm tayfoi uuaramemente approvadi
ben| a oa do. mesimp > .wfta para que
o engenheiro noeasse peaoal- de fical ao
pera'as obras, e uma do 8r. Baruel consignando
Un voto de louver aos Srs. preideteda provincia
hefesde polieia, delegado .de lcia e demai au-
toridades policiaes.L ia0
a 0 jliz de direito da 2a vara expedio hontem
manudado mnmando reat l4 comVpSa eoatra
tudo que foi cometio dee"k do a4 pohi-
bltorio, e revotota reatb e oMr"d eIo,
que a camam nmunuieW reO etra; itI Irde-
nou a rcqu ,Ao d forg e ra asta do
mandado jutaL
Rie d6 Jgmir.,
Datas at627 de afte :
No dia 25 i-el u a la a o
1.o decennari da mf c4- hft d*so ""
solemne de co" 04Mo Qai inis A de mI& tas
senhoras e cava leiros, sendo presidida pelo con-
selheiro Galvio, que proferio umrn discurso applau-
dinado associando-se nao s6 A solemnidadc do de-
cennario, eomo a id6a de aproveital-a para pro-
clamar a liberta"1o dos escravos na zona que
circunda o edificio da escola.
P8ft ft d$poi eSr&s. Drs. Getulio dasn Neves,
Arlindo Fragoao e Paulo Frontin' sendo este em
nome da commissio iucumbida da libertacio da
zona.
A commission conseguio a liberdade de 19 escra-
vos, sio quasi todos mo9os send 13 por esponta-
neidade dos respectivos senhores e seis per quan-
tias fornecidas pelos propugnadores da id6a.
Quatro bandas de musicas, as do Asylo de Me.
nines Desvalidos, dos corpos de policia da e6rte e
Nitheroy e dos allemiles, tocaram nos interval-
los.
Nos limits da zona declarada livre foram pre-
gadas chapas de ferro corn a seguinte inscripcao-
Livre, 25 de abril de 1884.
A' noite foi grande a concurrencia no largo de
S. Francisco que estava enfeitado e embandeira-
do, teado se illuminado muitos edificios particula-
res e apresentando um bell aspect o frontespicio
da Escola Polytechinica, illuminado por luz elec-
trica, grande numero de bicos de gaz e cops e
globos de differences cores e formas.
As muauicas dos corps policies da corte e Ni-
therohy tocaram na entrada do edificio antes da
sahida da march aux flambeaux que se realisou
as 7 1/2 horas da noite.
Depots do ter o prestito, aeompanhado por duas
bandas de inusica percorrido diversas ruas da ei-
dade, recolheu se ao edicfiio da escola.
L-se no Jornal do Commercio de 27;
A casa Faria, Costa & C.. estabelecida em nos-
sa prana, reebeu hontem o seguinte telegramma:
Rezende, 26 do abril.-Os pretos assassina-
rain Jos6 Maria da Costa hoje de manha.
0 finado foi socio commanditario da firmna Fa-
ria, Costa & C. e era fazendeiro do municipio de
Rezende, ficando a suna fazenda distante da cidade
legua e meia. Era viuvo e sem filhos.
Partira aute-hontemn da corte.
As demais noticias coustam da carta do nos-
so correspondent da ,orte, na rubrica Interior.
Balhia
Datas at6 2 de maio:
Proseguia em seus trabalhos a Assembl6a Pro-
vincial.
LU-sc no Diario de Noticias de 30 de abril:
Reina verdadeira anarchia em various pontos
do centro da proVincia.
As notice' que quasi diariamentc recebenos,
coafirmam csta crdade.
S Neoin o direi nerin a justica slo rcspeitados:
a pistol, a faca e -acete sao as armas corn que
por alli se combat, mr nas quest6es particula-
ros quer nas questoes iticas.
S Policip... nenhuma para rcpnmir abuses,
quanto mais para estabelecer a ordemi social.
SHonteram la foi para a villa do Curralinho uma
forca de algumnas pratas, commandadas por umrn in-
ferior, corn o fim de por termo a constants con-
flictos, de urn dos quaes dizem-nos quo resultou
ser ferrdo gravemente uma pessoa.
R Em Chique-Chique as cousas corremn como se
tern sabido, precisando a autoridade local reque-
rer forca sobre forqa.
Em S. Thom6 de Paripe, onde, segundo nos
informnam, nao ha autoridade constituida ha perto
de 2 annos, deu-se urn horrivel conflieto ante-
hontem par voltA de 2 horas da tarde no lugar de-
nominado Tubarno, perto da Olaria, entire um Os-
cravo do nome Emiliano que nos dizem pertencer
a Sra. D. Carolina do Carvalho e urn tal Reginal-
do liberto, que em tempo fora peopriedade do Sm,
Virgilio de Souza Pond6.
", Da tremenda luta sahio Emiliano corn dez
facadas, sendo urea no peito esqueido, do quo Ihe
resultarA talvez a more, se e que ainda esta
vivo.
0 criminoso ovadjo-se.
o De Santa Rita do Rio Preto, onde s numero
de crimes de morte 6 ja crescidissimo este anne,
chegam tambem notieias assustadoras. Nio ha
alli sombra de policia.
a De tudo quanto acabamos de dizcr temos cer-
teza que tern seiencia o Sr. Dr. chofe de policia,
que bern p6de fazer ver aos dignos membros da
riossa assembl6a o grande er'ro em que cahiram te-
duzindo o corpo policial da provineia.
A alfandega rendeu em abril 1,152:475A304.


que Ihe devia 200 reis e pedio-lhe que satifizesse o
debito.
Nio esteve por isto o cidadIo livre e travando-
se de raz5es corn o escravo ferio-o corn duas faca-
das, sendo uma na coxa direita e outra na region
renal.
Os ferimentos foram considerados graves sendo
o offendido remettido para o Hospital Pedro II.
0 criminoso foi preso em flagrante delicto.
O Sr. Dr. Cicero, segundo nos informaram, pas-
sou hontem a carta de liberdade a Tolentino.
Conferencla-Recebemos da corte um fo-
Iheto contend a conference feita em 16 de de-
zembro do anno passado, na Escala da Gloria,
na prcsenca de S. M. o Imperador, pelo Sr. Dr.
Joas Pereira Rego Filho, conferencia cm que o il-
lustre propagandist tomou per thema-0 Bras
e os Estados-Uidos na questdo da immigrago.
E' um folheto instructive e revellador dos estu-
dos especiaes do seu autor no:assumpto.
Agradecemos o mimo.
Echfto da Revoluaeo-Publicou-se o n. 4
deste periodic.
0 Seculo -Tambem publicou-so o n. 2 deste
periodic, orgao da sociedade Luta Litteraria.
Um livro precioNo Vimos, por nos ter
sido apresentado um livro de lembraueta que per-
tenceu ao eminent e pranteado estadita brasi-
leiro Visconde do Rio Branco, cujo livro foi offe-
recido a commissao encarregado dos festejos abo-
licionistas de 25 de marco.
A commission por seu turno offerece a preciosa
prenda a Camara Municipal desta cidade, corn o
fim de servir para inscripcao dos que quizerem
concorrcr para o fundo de emancipac.ao munici-
pal.
Ao precioso livro acoinpanha a quantia do 514.4
sobra das esoTortulas agenciadas pela referida com-
misslo c corn que abrio a inscripcao.
Publicacao abolicionista Em virtu-
de de acliar-se no prelo uma publicacaio relative
as fiestas abolicionista do din 25 de mar9o. A
commission executive enearregada d'aquellas fes-
tas, pede aos senhores que, por aquella occasiio
pronunciaram discursos e poesias, a fineza de dei-
xal-os na typographia da Tribuna A run do Im-
perador n. 73, afim de serem inseridos em dita
publicaoao.
Vinte e Oito de Setembro Em assem-
blWa geral dos accionistas da companhia dos Trj-
Ihos Urbanos de Olinda, havida hentem, foi resol-
vido, sob proposta do nosse collega de Redae4ao
Dr. Almeida Cunha, que o product do trafego
d'aquella linha, no proximo vindouro dia 28 de
setembro do corrente anno, fosse applicado a li-
bertacao de escravos, ficando a directoria da com-
panhia incumbida d'essa applicano..
E' um acto digno de applause. /
Natinee aboliciofista A festa qae
corn este nome realisou ante-hontem o Club Ceard
Livre no theatre de Santa Isabel, foi A todos os
respeitos esplendida.
O theatre esteve litteralmente cheio, reinando a
melhor ordem cm toda a festa.
O programma foi de todo ponto executado cort
unisonos applausos dos espeetadores.
0 product deve ter sido animador.
Arsenal de Marinlha A's 4 horas da
tarde de sabbado, 10 do corrente, sera lancado a
mar, dos estaleiros do Arsenal de Marinia,'o past-i
cho irPawima, alli construido. l
B- raii*to-0 paquete AnaaoweteOT^"1-^
te-hontem para o sul 315 passageiros, send to-
mados em Pernambuco. '
Dinbeiro-0 paquete Moades le.ouPar &
Rio de' Janeiro


1"


PaO approvado wij requerimento de at C6
Sr. OZ- V-f MArqftg peditido 25 tera iinsts 1 r-
rog"cod bera parft i~nne umn TreIUM.
mento sobre asasMsinao oomnettidos em Bon-
Jardim.
Em seguida o Sr. Olympio Marques justificou o
sea requerimento, quo, send submettido a discus-
saa fieon adiaW doiMs de m ar *r. Ermiri OCou-
tiahfque pe Ibtevgpa da hora por
16,iautss e okido r OlW0 i Marques, que
tmah-i requer nmas ut .ba ve, nova proro-
VM6 ipor ma toin 4toW
p# u 4ordte do 4.
AppBvou-s* seas aempatada ao projeto n.
Sdeatanno weesab de teaw9as a diverse
*Mtt~spuatmeiaes).
Eml4iscvwi,appOwOramfe os projects na.
?9 (pa ww ttmakipacs do Agpas Bellas), 42
feyatdo a cosma o termno dt Otoria de GoitA),
orando pela ordem os Srs. Barito de Nazareth,
Drummond Filho, Olympia Marques e Joao Au-
gusto e 2 (revogando a lei n. 1,761) todos deste
anno, orando pela ordem o Sr. Drummond Filho.
Em seguida submetteu-se a 3- discussiao o pro-
je"t n. 24 de 1882 (estrada de rodagem de Bar-
reiros a entruncar corn a que vai de Agua Preta
para Jacuipe despendeado se at6 30:000WA) oraram
os Srs. Santos Pinheiro, Bar,) de Nazareth, send
approvado o art. 10 corn 4 emendas e encerrada a
discussao do art. 2 nao se votando por falta de
numero.
Adioa-sc a I* discussao do project n. 26 deste
Sanno (restabelecendo o lugar dc administrator do
cemiterio publico de Santo Amaro, sendo reintre-
gado no lugar ao ex-administrador Joao Baptista
do Rego corn os vencimentos que percebia.
A ordem do dia e : pareceres adiados e conti-
nuacAo da antecedente.
Guarda national Pela presidencia da
provincia foi expedida a seguinte portaria :
SPalacio da Presidencia de Pernawnbuco, em 3
de maio de 1884.-2. secao.-O president da pro-
viacia, tcndo em vista a informaio do commando
superior da guard national da comarca de Goyan-
na e proposta do commandant do 420 batalhao
do servi;o activo, resolve noinear os seguintes offi-
ciaes:
3.- companhia
Tenente, Floriano Moreira da Costa.
Alters, Jos6 Alves de Vasconcellos.
4.- companhia
Alferes, Jose Augusto Serpa.
(Assignado.)-Jose Manoel de Freita.q.
Captura-0 Sr. capitlo Manoel Joaquim de
Castro Madeira, commandant geral da Guarda
Civica, prendeu hontem, As 10 horas da manha,
um criminoso, na occasiito em que este ia passan-
do pela rua do Barao da Victoria.
E' o individue de nome Jos6 Alexandre da Sil-
va, conheeido por Jos6 Bala, o qual tendo em dias
do mez de maio do anno dc 1882 ferido gravemen-
te a Joaquimrn Mendcs dos Santos, foi por isso pro-
nunciado como ineurso nas penas do art. 205 do
Cod. Crimn.
J& era tempo de prestar contas.
.sa'sapiuato-O Sr. delegado do termo do
Rio Formoso acaba de communicar que no dia f6
do mez ultimo e no engeiho Admiracao, Manoel
Gonalves da Costa assassinou corn tires facadas a
seu proprio inrnao Joao Baptista da Costa.
Contra o delinqueute, que evadio-se, procedeu-
se nos terms do inquerito policial.
sociedade de seoborar Abolicio-
nit.tas Ave I4bertas No dia 4 do
eorrente a sociedade de Senhmras Abolicionistas
25 de Manl o celebrou sua 2a scssAo, corn assisten-
cia de muitas socias.
Por jA hayer outra sociedadc abolicionista corn
o titulo de 25 deoMarmo, resolveu-se, sob proposta
da Exina. Sra. D. Urcicina Alcoforado, que a so-
ciedadc passasse A denominar-sc Ave Libertas.
A Exina. Sra. D. Leonor Porto depositou nas
inilos da Exina. Sra. D. C. Pompilio, president da
sociedade, a caAta de liberdade do sea escravo
Joao, conce lida scm onus, a qual foi entregue acto
coutinuo ao bertado.
Na alludida sessao foram tomadas estas delibe-
raptes ;
la--que a soeiedade promova desde jai a liberta-
cao desta capital;
2a-que incete o seu trabalho, libertando cada
rna do per si;
3'--que inicie esse movimento pola rua Pninceza
isabel, em attencao A ter o noms de S. A. Im-
permal;
4P--que convide as proprietarios o moradores de
cada rua libertada a compromettcrem-se a nao
mais admittir escravos em suas casas;
5a---que fosse nomeada unia commissao para en-
tonder-se cain os moradores da run Princeza Isa-
bel, e promover cor urgoncia a libertaco desaa
nUt.
A commissalo ficou compost cem as Exmas.
Sras. DD. Maria Eulalia de Miranda Castro, Ade-
laide Palhares, Olympia Afroa de Mendonea, Lu-
cina de Vaseoncellos e Elvira Ramos.
Nova Emancipadora-Das seis As oito
horas da noito funcciona diariamente, desd3 o dia
2 do corrente, na sede da Nova Emancipadora, A
rua do Imperador n. 31, 1 andar, uma aula de
instrUecao primaria para ingenuos e libertos.
lFerimento grave-Ante-hontem As 8 1/2
horns da noite e na rua Formosa, Tolentino, ese
cravo do Sr. Dr. Cicero Odon Peregrino da Silva
encontrou-se corn Francelino Romulo de Almeida,


REVISTA DIAiRIA

Askembila Provincial Funecionou
hontem, sob a presidencia do Exm. Sr. Dr. Angus-
to de Souza Leao, tendo comparecido 30 Srs.
deputados.
Lida a acta da sessao antecedente, toi approva-
da sem debate.
0 Sr. Barao de Nazareth, pela ordem, pedio,
sendo-lhe negada, dispensa de membro das com-
mnissoes de peticoes e de fixago de forca policial ;
orando, tambem pela ordem, o Sr. Santos Pi-
nheiro.
0 Sr. 1o secretario procedeu i leitura do se-
guinte expediente :
Um officio do secretario do gbvcrno, transmit-
tindo copia de um officio do juiz de direito de PAo
d'Alho corn informac5es relatives aos limits
d'aquella comarca corn a da Victoria. A' com-
mnissao de division civil e ecclesiastica.
Outro do mesmo, communicando ter tido o con-
veniente destiny a" relapao dos Srs. deputados e o
ponto dos empregados desta secretaria, relative
-io mez de abril ultimo.-Inteirada.
Outro do mesmo, transmittindo o oreamento da
receita e despoeaa da camara municipal do Rio
Formoso, para o exercicio de 1881 a 1885. A'
commiss'.o de oreamento municipal.
Outro do mesmo, transmittindo a info-ma9ao
do inspector geral da instrucaio public sobre a
indicacao relative ao estado de desorganisagao
do ensino public no curso annexo a Faculdade
de Direito.---A quem fez a requisiglo.
Outro do mesmo, transmittindo os quadros de
que tratam os arts. 89 e 90 da lei n. 1,221, envia-
das pela camera municipal de Caruard.-A' com-
missao de oreamento municipal.
Urna peticao de Antonio de Souza Braz, reque-
rendo um privilegio por 30 annos para montar
urma fabric de mobilias de sip6, verga ou junco.
-A' commission de peticoes.
Oatra de Trajano de Moura Gondim requeren-
do ser nomeado carteiro desta Assembl6a. A'
commissao de policia.
Outra do bacharel Joaquim Francisco de Arru-
da, requerendo que se marque quota para a ca-
mara municipal da Gloria do Goita pagar-lhe 60,
que lhe deve.-A' commissao de oreamento muni-
cipal.
Outra de Manoel Cavalcante de Albuquerque
Mello, porteiro e continue da Santa Casa de Mi-
sericordia requerendo eonsignaqo da verba de
1;2005, se lhe for concedida a sua aposentadoria.
-A' commissao de oreamento provincial.
Foi approvado um parecer da commission de le-
gislaio declinando para a de peticoes o requeri-
mento do engenheiro Henrique Augusto Milet.
Foram a imprimir os seguintes projects, sendo
precedidos de pareceres dc eommissAo de instruc-
go pablica os de ns. 143 e 144.
N. 143.-Dispensando a 'Udefonso" Marinho do
Araujo do lapse de tempo que lIhe falta para ma-
trieular-se na Escola Normal.
N. 14L-4.-Autorisando a conceder-se jubilacao
como professor de 3a entrancia a Martinho da Sil-
va Costa.
N. 145.-Regulando a vitalieiedade dos profes-
sores publicos.
Foram rejeitados o reqnerimento do Sr. Olym-
pic Marques e o substitutivo do Sr. Jose Maria,
ccaja discussao ficara enoerrada na sessgo ante-
c e d e n t e '
Continuando a discussao do requerimnento do Sr.
Demoerito Cavalcante pedindo i fo obre


















queela d


aItrfWa.B


a-il t


Lida a seta da sesso anteeed nto fbi approva-
dklow asa m.ad o Constub db rebLs
S diretoria, lU4. greft S r. W4 Aptonio Pc-
, reiar Sim
A'assembl& gerl.fetibwou que a xempanhia
fieasne ewnegit 4% rOquw& do ssumpto re-
lativo ao tempo do pmwi e da companhia, fa-
z8btrr e O Sra. Santos Porto
fi %aJ&wfido o approved asew debate e
pjueo dacleaniiado. f ae4fprv~aed. a8oa-
twdo seanetr do jalhbe a dawboo &1L8L
Qatunos-Domingo, 5 do owrat pla&2
hetas das.iamM., proeuaw~am oilmiigas .,ih
forar as portawa ears em qa- imas o S i
Muhlert na rua ,tai distriwe da Torre corn o fim
dweulharem o que podessam pilbars
"elizmente, dispertando o Sr. Muhliert pade
S bwito plusa.
SChamamos a atteuqlo da policia pars que faa
rondar n'aquellsa localidade a noite.
Iuquerito plicelal.-Pelo subdelegadodo
districto da Magdaleaa foi remettido ao Dr. juiz
de direito di 3o diatrieto criminal, o inmnerito A
S que proceku n cib* Joao Avelino d Suilva, Co-
nhecido por Jodo Banheiro, por haver na noite .de
8 para 9 do mez proximo passsado furtado um ca-
valbopedez pertencente AJoio Gomes da Costa,
projiietario d'tnama olaria no lngar Taquari. quar-
tera"o da Tonrr.
C lB ft bitte"rark. Ayres Gama-A no-
va directoria desta sociedadc, ficou assim coasti-
trida:
Presidente-Arthur Ramos.
Vice-presidente-.Arthur Fenelon.
1.0 Seeretario-Florencio de Souza.
2.0 Dito-Martiniano de o iiIa.
1.o Orador-Vicente A.Limpa.
2.- Dito-Modesto-Carvalho.
Thesoure.ro-Jose do Rego. a
Bibliothecario-Antonio Florentino.
1.' Conselheiro-Mendonca Maurity.
2.e Dito Zacariss Correia.
3.o Dito-Teixeira Montarroyo.
Commisso doe redacqlo--Arthur Ramoa-Ar-
thur Fenelon-Florencio (d Souz:%-Vicentc Fer-
reira-Jos6 do Rego.
wm ber wala liberdade-Na noite do 4
do corrente, indo urma commissAo da sociedade de
senhoras abolicionistas comprimentar ao Sr. Fran-
cisco Ignaeio Pinto, que n'aquelle dia celebrava 6
seu anniversario natalicio, c sollicitar-lhe o seu
auxilio para o fundo de emancipanio da mesma
sociedade ; foi a mesa commiseio delieada e ca-
valleirosamente recebida e satisfeita nmo s6 polo
Sr. Pinto, como pelos seus convidados, attingindo
a 513620 a collect feita.
Correio de Pernambuco Esta re-
particato, no proximo findo mez dce abrl, ar-
recadoua 14:4563382, proveldente das seguintcs
foutes:


Saques 6:8434600
Sellos 4:9844190.
Agencias 1E3074852
Assignaturas 8164000
Cartas 3505080
Premio 15436 ;0
14:456.,382
Jliietia 4o. "SaBto.%. 4pesar de poucos
coneorridos Ds espectaculos dados pela companhi a
dramatic dc que faz parte a intIligentc menina,
teem corrido muito regularinente e comn-extraordi-
naria animtailo.
Incontestavehlmnte, a companhia trabhlia bemrn
e temn-se tornado digna dos calorosos applausos
corn que tern m side aeolhida.
As diabumras de Julieta e Umn diaUrete de 9 an-
nos, agradaram bastante.
No sabbado o Sr. Joao Rocha obteve muitos
cham:ados A scena e palmas polo born desempenho
que deu A scena-comica do Vasques-Aguentem-
ae.. no7.balanvo.
0 Thlrermonemtro.- D'este periodic pu-
blicado ina cidade de Nazareth, lemons que se pro-
jeeta libertar os escravos d'aquella cidade. E' urn
emprchendimento digno de louvor.
Mala para a Euroea. 0 paquete in-
glez Avmo segue hojo parsa uropa, fechando a
mala dos objects registrados ejornaes as 9 horas
da manlhia, e das eartas ordinarias As 10 horas emi
ponto.
AusociafAio. uaMeA irte Fa frabya-
na.-- HaverA hoje sessio d'esta sociedade, as 5
e meiai horas da tarde, na travessa cldos Expostos
n. 18, segundo andar.
Le Br o n. 64, de 20 de abril d'este periodico, de Paris.
Eis o seun summario:
Lettre de Rio do Janeiro.-Dernieres nouvelles.
-Siio Paulo et Buenos-Ayres (suite).--Le Cercle
hongrois.-Les colons de Santa Veridiana.--Les
Syndicate bresiliens.-L'Exposition de Nice.-
Bibliogaphie. Revue financi~re. Compagnie
generale de Chemina de fey brisiliens.-Manque
de numeraire au Bresil.-Falsifieation du caf.-
Chemins de fer. --Etude sur les transmissions
6lectriques. -La Protection de l'enfance (suite)-
Rapport de M. Ch. Monchot sur les mines d'or
d'Ouro-Preto Le marhe di caf6 au Havre.-
Departs des paquebots, etc.
Operacee eirargteas-Foram pratica-
das no hospital Pedro II no dia 5 do corrente as
seguintes :
Polo Dr. Malaquias :
ExtizpaASo de um kisto sebaceo da regiao auri-
culax posterior.
Pelo Dr. Pontual:
Amputacao per dearticulano do dedo medio
da mio direita, por esmogamento ein machina dc
furar ferro.
Leia9ex-Effeetuar-se-hao :
Hoje:
Pelo agent Burlamnaquii, as 11 horas, na rua do
Imperalor n. 22, de predios.
Pelo ajente Britto, as 10 1/2 horns, A ru Es'
treita do Rosario n. S2, 2- andar, de moves.
AmanhR :
Pel) ageate Pinto as 10 1/2; horns, na rua do
Born Jesus n. 2, de fanendas w nupas e avariadas.
Pelo 'agente Pinto, is 11 horas, na rua do
Born Jesus m. 2, do madeiras, carroNas -e bOis.
Pdo agente Britto, is 11 horas, na rua de L,-.
mas Valcnutmaias n. 2, do mosmo predio.
Polo ay. te Alfred,) Guimwardes, As 11 horas,
rma do Bom-Jesus n. 45, de fazendas limpas e
ayariadas.
Misxas fanebres-Serao celebradas :
Hoje : as 8 horns, na igreja do -Parai-I
so, per alma do Dr. Innooeucio Seraphico de
Assis Carvalho; As 7 horns, na igreja de S. Fran-
ciseo, par alma 4e eaamemudador Luiz G auIvcsq
da, Silva.
Amaniha: A&s ltoras, na matriz de S Jo-
se, por alma de 1. Maria Joeqina do Costa
"Azevedo.
Qainta-feira: 7I ahoras, um matriz de S.
Jose, per alma de D). Easi Jncina da Costa
Azevedo; as n8horas, na eapella do engenho Co-
vas, ,. alma, de D, Maria Jaaqinai, do Costa
Azevodo.-c

I U4adlouro pablico. Prami abatidas
so mAdouro publioo da Cabana a 8soaea pars
cooumo do dia 6 de maio. .. ..
1 ..sonagehr .aeional Mfarmdo: -,:1 11-
Jo rnmod Sls Jose BezewkaCaval


VlannX Vat ,.I rho.
SOiWsamw m -wam=o vapor:
* ait, tidiji Ebeco Anta 9dA n, Tihmmri V*.
lenwao Baptista, Jbs V.. de V; e ello, Ir. Uly8-1
sea Viena e r. Bmsiiao MW Viera. I
-SahfrA para. ,sia no vapor, nacioal V-
fod eso Miytritide UAu. Jo d e A. Frttta, wa
anbora e fi, PedoAdelaide Cab a;n G'. Pisaber-
to MIlagres, BefIario lagast, do 8iqeirt, Dr.
Felix Bourgt, Ato i. D PiaFiv, a4arto .iai
fn.tra,.Sua.a&lsoa, I mabrinha e I eserava, Jb&o
0. Ribeloe& tIb Ir, Duafte P tUcIha, aI Bap-
tista, Dr. Igwuae J. dea Souza Lo, ma senhua
e 1 escravak Florvitiifo Trdxeihv, am seaiora e 1

triado, JoP. G. eTores, oargent Ce J. A. de Maello,
ria A. Cavalcante, ao
dos, 1Mrigue Jog6 de A. Pawnamnieo Junior, John
Hodsoll, Miguel L~ppo~, 3~aiqpiia;Jos6 do A. Franco,
Lanni (Joater, Pedro Bocha, V~espassiano Gr. Car-
neiro, Antonio C.: da Bilya, Manoel Barreto, An-
tnoP. G. Torres, 1' sargento J. A. de Mello,
sargento Cyrillo A. Pereira, D. Xarias, Jacintho
Jos6 de Andrade, Antonio Angelo e 1 filbo, Ber-
tawehli WcIW& .Justo J3 Urqueza, Philtom a M.
da Ceei J0oa Fraeisco Pereira, 1 aprmandi
marinheiro e 20 pracas do exercito.
Loteria de Madrid.- Relaplo dos nu-
meros mais premiados na extraeio vcrifieada a
15 de abril :
NUXErOS FBZETAS IAvM"W) PEZETAS
283 80.000 15.464 2.500
20.057 40.000 15.496 2.500
10.696 20.000 16.939 2.500
16.995 2.500
25.553 5.000 17.417 2.500
7.307 5.000 21.717 2.500
21.982 2.500
424 2.500 22.315 2.500
1.298 2.500 22.630 2.500
1.913 2.5001 23.989 2.500
2.504 2.500 25.100 2.500
8.249 2.500
11.214 2.500 282 2.000
12.318 2.500 284 2.000
12.490 2.500 20.056 1.200
13.026 2.5001 20.058 1.200
Loterla da Corte : == Eis a list


dos maiorcs premios da 1.1 part da 19.a
loteria (146 A,) concedida em beneficio da
Irmandade da Candelaria, extrahida em 25
de abril:


NUMEFOS PREMIOS
1.526 ..... ... 25:000000
373 .10:000.5000
4.753.. 5:0006000
1.506 2:000)000
1.450 1:0006000
3.608 .. 1:000000
5.037 1:000.4000
5.137 1:000000
7.034 ... .. 1:0006000
7.788 .. 1:000o000
1.525 Approximaeo .L:0006000
1.527 1:000,000
Numerous d e premdo de 500$O"
318 j 3611 5081 16052 |1
5391 4159 5528 372-='Approx.
2329 I 4345 15748 374=-
Numeros dos premieo de 2 Oi
117 2210 1I 3102 4945 6237
353 22911 3985 5263 6527
643 27781j 4310 5386 7557
786 2949 4442 5970 7793
4752 Approximaco 150#000
4754 150000
Nume-ron dos preaimo. de I1a001
588 1667 3528 4447 5430
713 1780 3698 4612 5463
754 1801 4294 4722 5802
1034 1905 4321 5125 5871
1474 2922 4334 5132 6548
1494 3147 4445 5334 6982
Numerom do premios de 4098


10 1465 2485 13926
64 1469 2507 4032
85 1523 2528 4039
226 1553 2610 4085
287 1597 2617 4162
413 1709 2646 4279
497 1743 2687 4d28
502 1751 2788 4485
5143 1777 2882 4543
575 1869 3029 4"554
831 1996 3051 4641
903 1999130-57 47335
941 2100; 3217 4771
965 2119 3288 4777
1004 213013378 4806
10(13 2146 3884 4998
1133 2153 3416i5084
1187 2155 368@ ,116
1304 2256 37101 51218
1344 1 2268 3806 5158
14211 2300 f3852155173
1425 248313907 ]183


5197
5215
5228
5272
5306
5454
5595
5624
5911
5931
5932
5942
5943
5966
6008
6109
6120
16166.
0177
6477
6601
16788


6864
7006
7122
7134
7171
7302
7306
7456
7476
7511
7581
7614
7653
'7662
7698
7745
7794
S7988
7942
7954


Lateria da row iuneia- Quiata-foira, 8
do corrente, ser extrahida 'a loteria. 35.', em be-
neficio do igmea de S. Pedro do Reeife, no
consistorio da igreja de Nonsa Senhora da Con-
ceigo doe. Militares, onde se achiarto epostas as
urn-as e espheras arrumadas em ordem numerimca
L spreciaqao do pHblicu.
W teria 4ed- O -A loteria 147a
eerie X ea v hoje 6 de
maio-
0 rest dos bllhetes aeha-se a vends na Casa
F a .. "t 7, e 3 1D .9 ,
Lotero a-A den. 147 A, do-io 'de Janeiro
de 25:OOV M asi taidwInje AsW. coi-
BitihteB1- venda na C daF -rW s,:' nas V
routei&Btn. 23.
eate estsbeleeiaeato entraram nos dia 3 b 4 do
eutet 94 boispesando 13, kilos, pertencen_
*ForSam naidosa zureHo de640 atA800- yias o


- ,,BBMBW^HK !H1--- '

H-J. Mht, It* pomotqr pnlca 4ke cart-
t.al teka a w S"ixtoiado, id a eia" rua
do, Curep&r 18, onde D61e-I prwcrado
paraos mister, de sa. pmofiamb.f



[ ( J NOftr -dw i weNWSa tdoa ow
ias uteis, d"u 7 Lf 1W boas4 d manhA.
Este consutolia., oirece a commodida-
da e tpoder amd b &mwmat m arou e e exa-
'minado, sem ser presenciado por outro.
De meio di 3 homraa Si artle seri o
Dr. Moacomo enonradoi no toiao A pra-
ga do Commercio, ovde ftmciom a mins-
peeIo de. ssaidet do porto. Pars .ualquer
I'estes dous pontos poderlo ser alrigidos
os chamfdos por carta na adiada. horas.
Dr. Baptista d M braes, rua do Baro
da Victoria n. 37 1.-, andar; consultas das
10 horas ao meio dia; chamados por es-
cripto a qualquer hora.
Dr. Leonardo do Albwqtarque Caxalcauti,
Smedico da Faculdade de Paris, pode ser
procurado em sen consultorio a rua doIm-
perador n. 44, 1." andar, das 11 As 3 ho-
jaa da tarde. Residencia a rma do Hospi-
cio 36, onde dA constultas das 8 As 10 da
manhi e recebe chamados por escripto a
quaiquer hora do dina ou da noite.
Dr. Lyra, medico, dU cousultas das 8 As
11 horas da manh a nrua do Barto da
Victoria, n. 48, 1." andar, para onde lhe
p6de sor dirigido-qualqier chamado.
C,'linlca nedlco-clrargfia do Or. An-
drad*e Ltma
0 Dr. Andrade Lima, continula a dar
consults de meio dia as 2 horas da tarde
mi sen consultorio A rua Larga do Rosario
n. 50. Chamados por escripto a qualquer
horo em sen consultorio, ou em sha resi-
dencia--Capunga--rua das Pernambucanas
n. 68. Especialidades febres e molestias
do apparelho respiratorio.
Counultorlo medico citrurgico


dentario
0 Dr. Jeaquim Camara, da consultas
todos os dias, de 10 horns da manhg As 4
da tarde, rua do Barao da Victoria n.
52, 2.0 andar" Chamados a qualquer hora-
Oeculista
Dr. Barreto Sampaio, consultas de 1 As
4 horas da tarde, na rua do Barao da
Uictoria n. 45, 2. andar, resideneia, raa
de Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.
Bourgard d& C.
Recife : rua do Marquez de Olinda n.
16 Santo Antonio, run Primeiro de Mar-
o n. 3; BRa-Vista, rua da Imperatriz n.,
54. Grande fabric do cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos de Ha-
vana e nacionaes, cachimbos, tabacos e ob-
jectos para famantes. Livros de medici
na dosimetrica e unico deposit da fari-
nha laciea de Nestle, para os meninos de
peito e lite condensado.
Drogarta
.1rancisco Manoed da Silva & C., depo-
sitarios de todas as especialidades pharma-
ecuticas, tintas, drogas, products chimico
e medicamentos homceopaticos, rua do Mar-
quez de Olinda n 23.
Pharmacia Pernambucana
Rua do CabugA n. 11 de Antonio Mar-
tiniano VWras, pharmaceutico. Avia-se corn
promptidao e esmero todas as receitae e
encommendas quo Ihe forem zonfiadas.



?uBLICACOES, A FEDIDO

A emanelpaipo e a propriedade
Temosn denonstratdo que-o nossa gove&to no s6
tern o dover geral de defender e assegurar a pro-
priedade dos cidadius, como tomou o conipromisso
especial de fazer respeitar o direito dos proprieta-
rios de escravos.
A sdguranga de propridade. que o geverno tern
obrigagAo de minanter, nao 6 s6 contra qualquer
atanue material e director, mas tambema contra
qualquer agitacto que tomrne a propriedade depre-
ciada e incerta, que perturbe a confianua nos di-
reitos individuals e a tranquillidade do trabalho.
A fazenda, o direito dos cidaddos e a prosperida-
de national nao podem estar comno brinqucdo de
=arnaval,. mere da s fantasias barulhentas c es-
pectacalosas dos anarchistas e dos espectadores
de aguas turvas.
Utim governor sdrio e que tern consciencia de seas
deveres nao- pode consentir que se tracte de an-
nullar o direito e tirar o valor a propriedade per
meios artificiaes e irregilares de ameagas, assua-
das, arruaoas, passeiatai atroadoras, reunites
turbulentas e minanifestaVies tumultuarias, que as-
onstam os omens pacificos, espalhum o terror,
abalam a eonfifn'a na auttoridade e os coagem A
liberdade dos cidadios.
Sgo modes de attentar contra a proprielade, s6
proprios de comuinistas, e um governor honradb e
esclarecido nao pode tornar-so ecomplice de com-
inunista, abstendo-se de proteger efficazmente o
direito dos proprietarios, deixaado qae, mediante
takes meis, sejami sacrificados os oeas haveres,
pela perda simultanea do valor dos escravos e dao
terras.
Para reprimir esset pedientes anarehicos, os
governor serios emnpr4gam, quando 6 preclso, a
policia e o exereito, que elles teem o cufdado de
enuservar ohediemte e. diseiplinado ; e, quando nio
basta o emprego ordinario d'estas dias forces,
solicitam dos parlamentos medidas especiaes,
cada vezmais energieas e efflcazes. Assim se teom
M oeedido ainda ultimanete em Londres, Paris,
Berlim e Vienna.
Coma ffeito, nao ha hoje governor tio idiots, qae
dlixe a sort da propriedade particular e ida o-
de piablica entregue a.s laisser fire laiaser pawor
db desmuido e da indiera
Pi B erdara a id eente hasdan a todes aiiuiB
.tiberdod. para realimar betoe semeilmantes sos ic
ot~oitex^ewatada' pubioi to'n'os 'apisi
officialidade dia guvtmi exetai~ 4a 1Noliema. Il^Kf rnnn ffn


(( ~ ~ ]$;v o jwgos eflieiueH) POM. mo va-
IwwvemTe lotwem -t AM -^ :* 1'1' 11
%, porT*^ hwvia mint. pmessa esos referidos
par TI*ha a oxt i~amoniiota peIs violetciua
S iadroeira, a As T Ptrwimewl ,deoreWt, de
aecordo com o, resident d poviocia, este dele-
jgado do Governo hperial sanccionou nalei de
or9amento um imposto annual do 100 par asora-
ti@qWes das povaoes, quer dos eampo" ito ,
hr it po-to supejIorem meada anno total dwke do
Walor a que odesaforo e o mube.dos emBncepado-
res cruenses havian reduzido aquella proprieda-
I legal !
ute? equivalfl adoco official, aq demretagao do
cwarwttBBOpolo goveuno iniperisi, pori'-htermoe-
do uonalto:fmcionario sanepiesentaate.
E (accrescentaa cora elogios o conrespondente
fCeo V f.r para. oJomaad ( ,7ommercio d'esta eor-
ito) aj-notao rs~e-osa que o pmsidente da pro-
wimcirdta la lea usaWO~a*W d taelle, imposto,
pr-cipitou as libertaoes finaa f! !
;Quem'no Brasil se podera julgar seguro em
na isiopriedade, quer em temns, quer em predios
urbanO, apolices da divida public e acoes de
companhias, desde que passe tal precedent de
esia ealaqao sob a fdrna de imposto ?
No reforido impostor, comparado corn os outros,
olbeitvou-se o principle estabelecido pela. consti-
tuiio; de cada qual contribuir para. as despezas
pulicas em proporgao de seuo haveres ?
E que eonfianCa podcrA inspirar, aos estran-
geiros que aqni residem ou qnizerem residir, um
paitonde assim impera offilialmiente o roubo, o
communaisno ?
Pode tolerar ease facto da lei ccarense o gover-
no do Imperador que, para conseguir a adopAo
da do 28 de setembro, proclamou e assegurou corn
tanta sinceridade, do alto do throno, o respeito d
propriedade existente, d propriedade actual ?
0 que se fara em relahlo ao president quo corn
os legislado'res cearenses forjou semelimnte lei
tributaria, sanecionou-a e deu-lhe execucIo rigo-
roza ?
0 mnosso governor nao precise s6 de dar arrhas
aos gritadores da rua, aos sectaries e idolatras
dos Srs. Jbs6 do Patrocinio e Francisco do Nasci-
mento.
Precisa ainda mais de dal-as aos grandes inte-
resscs que s6 ligam a propridade, demonstrando
ser, como e, um governor de homes series, e nao
de communists, salteadores e aventurmiros.
(Editorial do Diario do Brasil de 22 de abril.)
0 Congress Pharmaeeutleo e o
Cajurubeba do Sr. A. P. da
Cunha.
O Cajurubeba jA I' cousa podre, jAi chei-
ra mal a este paciente public e a n6s e
asquerosa; entretanto precisamos comeoar
de novo e aehamos que o Sr. Cunha pro-
pagador tern razao de sobejo por achar-se
no senu officio do industrial, propagador e
explorador, ainda que seja da vida e da
saude dos mais incautos, que acreditam em


A commissb nao tern phrase para agra-
,eVito ewmatra mio w O.aher d
tonstrar todo o seu. reoonhecimento.
aa dk o attdo* da consci enai ea-
Enana,, da dignidade nacional dos aentimen-
tqOstMristIs, do. priacipios moderfno, da
cridae, do abolicionismo, a commissno
agradee a todos aqutais individuos e
corps collectivos que concorreram para o
brilhantismo da primeira Matine Abolicio-
nista do Club Ceard Livro.
Recife 5 de maio de 1884.
Phaelante da Camsra.
Heitor ToRlles.
Julio Falclo.
Sanamuel Martas.
Lemos Duarte.
Claudino dos Santos.

As ia a eo commercial Seie-.
fleente (-)
A directoria da Associagao Commercial
Beneficente, agradece a illustre commis-
slo de fazenda da Assembl&a Proniecial,
a deferencia que teve para corn ella, em
annuir ao convite de seu college, o Exmi
Sr. Dr. Jacobina, a pedido do president
da direetowia, em ouvil-a sobre o project
do orgamento, certa de que nao deixou a
directorial de corresponder a ta'o snbida
prova de consideraco.
Quanto aos factos que refere a illustre
coinmissao do orgamento, tercm-se dalo
na alludida conferencia, pede licen~a a di-
receao para affirmar quo a declaragito fei-
ta, e alvitre lembrado pelo secretario, fo-
ram de aceordo coin seus colleges.
Manoel Jos6 da Silva Guimaries,
Presideute.
Augusto Labille,
Vice-presidente,
Jose Maria de Andrade,
Secretario.
Jose Augusto Alvares de Carvalho,
Thesoureiro.
Directores
Friderico Woellhaf.
Custodio Francisco Martins
Allan Paterson
Antonio Jose Goineas
Jose Lopes Alheiro
(*) Por ter sahido incomplete quando as
assignaturas, repete-se ,este artigo.
A Red ao
fanvinltaPia madioa


sua propaganda. UIIOnIILI Iv .iUiw
Born proveito e emquanto nao chegar a Dr. Joiio de SA Cavalcante de Albuquerque,
aquelles que nio teem os jornaes o conhe- d consulitas das 10 As 12 horns da manha', na rua
cinmento do que 6 o Cajurubeba, S. S. vA do Bo Jesus 20, andar.
copiosamente derramando os seas innume- Para S. Exe. Remv admiprar I
ros boletins annunciando prodigies e mila- I I UUI I 1
gres do Cajurubeba. JA- nao temos que Sendo chamado o cego vigario da freguezia de
ver corn semoelhante podriguoira, desde que Rio Formoso para ungir ao portuguez Jodo Elias
te*os consciencia do prestar um serqigo que estava gravement einfermno, recusou-se a isto
realmpo ano, i o pu c umostrn ho mesmo vigario, porem nmelhor pensando em tao
real, important, ao publico mostrando-lhe pessimo proceder, disse moments depois, you por
o que e o Cajurubeba. honra da firm, pois um burro cowno aquelle de-
S. S. porem revelando seus dotes intel- via morrer e ir para o inferno -isto disse repeti-
lectuaes, infelizmnente mal empregados, n-do i das vezes e em alta voz que foi ouvido por mui-
tas pessoas que corn elle estavam dentro da matriz.
recuou em dizer ao public o que nao dis- Ni e somente este facto que o Sr. vigario tern
semos, isto 6, qui a analise-parecer foi a praticado, outros inda fallam mais alto. Conte-
.seguinte: nha-se Sr. vigario, seja prudent.
Que o Ccjurubeba cwntinha gucw de caji-
Suruibeba; que nio continha arsenico nem ,
,nercurio; que, portanto, era urna panacea A viS o
que ino fazia bern nem ea wl.
SAinda teve a facilidade de dizer que unos Na rua do Livramento n. 10 precisa-so ter in-
Stava send muito prudicial a grande formac6es acerca da existencia de D. Leocadia de
lcceita^o e confi'in a que o Cajuirubeba tern tal, filha de Jose Lniz Machado, subdito portuguez,
que fn estabelecido em Gamclla de Barra Gran-
do, do Poro Calvo, onstamAdoquo a dit D. Leoca
conuistado pr meio de assombrosas cu- i de, dePorto Calvo, constando que a dita D. Leoca-
ras (?!!). S. S. fall A um povo illustrado din costumava habitar em urna casa na cidade de
ou escreve para botocudos ? Olinda.
0 Cajurubeba 6 panacea que nenhum i Essas informaens so necessarias para tiaetar-
ep se da horaniah l que prtenee a D. Leocadia, e fon
medico receita nem se vende nas pharma- deixada por seu pai, fallecido to anno de 1864.
cias do Recife! ... S. S. vae mais adian --
te : diz que fomos n6s (os inimigos) que ed dade
nos incunmbimos de fazer Ike o elogio, affir-
mando qne o Cajurubeba nao fazia mal, nao Para os que soffrem does de cabeqa, roncos de
continha arsenico wem mercurio (?!). Nes- ouvidos, atordoa5es, escureeimento da vista, fas-
d fanide, d pfi.a ec. stio sem saber a causa, does de estomago e dos
te terreno de falsidade, de perfidia etc. n6s testinos : do quadril e do ralde eseandeseeneia
to~~I tenn nestinos : do qundril e do ma1 do escandescencin
nao discutimos corn o Sr. Cunha, sormos ou hemorrhoidas, que 6'a causa de todos estes e
quemn p6de dizer que nao temos tempo A outros soffrimentos, que affligem e martyrisam a
perder. humanidade, basta usar dos p6s ante-hemorrhoi-
So S fr an i e r tr darios do Dr. C, Fleischemann, especialidade que
Se S. S. for mais serio e tiver trium- desde 1870, feita usada.
phado como faz alardear refute, ou 0 soeu S6 depois de centenares de boas cnras 6 queo foi
preposto, o que dizemos; se nao o fizer sujeito ao exame da Exma. Junta de Hygiene do
nao o deixaremos tranquille, negue quo o Rio de Janeiro, que approvou estes p6s ante-he-
se Cajurubeba liquid alcoholic qu mar- morrhoidarios, quc e uma combina'o de mediea-
seu 1cajurubeba e liqido alcooaeco que mar- d mentos innocentes e de bom gosto.
ca 120. c., de cheiro de caju fermentado, de Cada vidro tern o seu directorio assignado pelo
gosto um pouco amargo (talvez o amargo proprio e unico manipulador Luiz Carlos de Ar-
da jurubeba) e destituido do todas as qua- ruda Mendes, que obteve a sancao impe ial em
lidades do verdadeiro inho. favor de seu preparado.
ades do verdadeiro vho. Depositaries em S. Paulo, Lebre Irmaos & Sam-


que encontramos mioureto ae pomassio na
d6se de cereal de 0,1 per 30,0 de vehicu-
lo; que o caju e a jurubeba ago destitui-
dos absolutamente de virtudes alterantes e
depurantes e per fin protestamos contra a
legalidade da venda de semelhante pana-
cea, per depreciar a sciencia e insultar ao
pqvo em suna simplicidado explorando-o
conmmnercialmente nas occasioes em que do-
vemos tornar mais saliente o espirito de
caridade e de religiao.
Dissemos isto, iseto foi o que den causa ao
sea mAi kumor, isto e o quo provamos, nao
a S. S. per lhoe faltar elements, mas a ou-
-rem que sob sua firima e grAo scientific
dignar-se aeeitar o plaito central o que dis-
semos.
QualIquer do ns tern creditors a perder
n'uraa htucta& smellaute, ao pass qua o
SB. Cnuha tei A tude a gmanhar, memo por
nbo ter responsabilidade moral nem profis-
sional na asa. propaganda do explrago
commercial corn os soffrimentos da huma-
nuidade.
,NRo rosponderomos mais ao Sr. Cunha
,f6ra do limite quae aqui traamos.
S. S. afoitauue nuito era annauciar urma
victoria prneoe.
ItirA oenamieto.

Imtwcusmd.B ma Iawwai
T'aitai .atembo evweis o qwr eotais rou-
bade em vossoad weitos. 0 rswil oeimis,
voura o que seria? Pois bern.
UM C^coafielho1.^ *, 11
Ur Tod nek aa prge deveAo sem perea
do tenmpo biMamc b andirecoia-e
Mivogado pam d ir aneus i terwesu
o00E1otra qusm temtowetra lwo satvSRdDI, e
.w-n^Prtaw AssiMWa oir meiom do


paio.
Rio de Janoiro, Silva Geomes & C.
Cidade' do Recife na Pharmacia de Graciliano
Martins &C.
SPreco de eada &frase. 30000
iinstitJ iiiaia D n ,aes

Rua do Barai de S. Berja (amA-
ge do Sebo) as. 50 e 9
Mm. Adour, dedicada ha dezeseis an-
aos exclusivamente ao ensino, procurou
studar minuciosamente quaes os dados
necessaries pars a educabao regular dan
oriangas do sexo feminino.
Actualmente, auxiliada por sun filha
Mile. Alice, que, dunante donus annes de
residencia em Paris, entregou-se ao estudo
dias materials, especiaes a educabSo das
meninas, observando cuidadosamenteo a
organisaeo dos estabelecimentos e sys-
tema de ensino, resolve abrir um institute
onde os Srs. pais de familiar poderno encon-
trar todos os 'elementos necessarios para
dar urma complete educaglo As suns filhas.
No inotituto, que recebera alumnas m-
temas, semi-internas e externals, serA falla-
di a hligu fraiceza-
0 curso de educaeo serA constituido
pelas seguintes mniaterias :
Instruc$s religious uortuguez musi-
ca e- piano apithmetia.--franeoz ingles
-geographia '- historia-desenho e ta-a-
balhos de aguIha. '
Os trabaw comoaaonuo dia 4 doe fve-,
reir proximo future.
SOs trabaihos tom'aram no dia 4 do fe.
vereiro.


4
Vi}


tPAmC DpD. A / a
L- [jPA^EOER DA EXMA. JUNIA, DPB


SOs preparados do Sr. Luiz Carlos do
,Arruda IMened ato saiwilme- doe taaw
,toa outros que s. geralamente reconhle
cidos, nrsooitados e nao aweram prir
0cuos noeirsqw -e os coudi o nm i napm-,
tic,, medical, podendo ser utillsados como a-
queUes nos, mesmos casos, masn-olonsti-
tuem novidade algums a nio serqae a sua
prepara*Ik i tpssf quase evkiuiuaut.
plantas dc paiz1 cujas quial!dc ele pcde
mnehorr erifiar egarautir do qne apre-
gando products importados do estrangeiro.
Junta central de hygiene public, em.
21 de Maio de 1883. 0 president inte-
rino, Dr. Jos- Benicio de Abreu.
DEPOSIT
Recife,. na pharmacia dos Srs. Gracilia-
no MartinsA C.
A' venda em todas as boas pharmacies
do Imperio, e deposit na. drogaria de Silt
va Gomes & C., 4 ma de S. Pedro n. 24.
E continuum todos os outros deposftos jA
annunciados.

Dr. Augusto Serafim
MEDICO E OPERATOR
Consultorio run do Karquez de Olinda n. 38
(Consultas das 11 As 2 horas)
Residencia nia da Imperatriz n. 17
(Chamados a qualquer hora)
Presta-se a qualqur chamado para fsra da
capital.


BR. A E I'D
MEDICO OPERBADRO
ESPEC1ALISTA EM PARTS E MOLESTIAS DAS
MULHERES
Tern o seu consultorio em casa do sua
residencia a run da Imporatriz n. 30, 1.
andar.
CONSULTAS de 8 As 10 da manha e
de 12 as 2 da tarde, Chiamados por es-
cripto A qualquer hora.
0 Dr. Costa G-oInes, medico, abrio seu consulfo-
rio A rua do Born Jesus n. 33, 1o andar onde pode
ser procurado a qualquer hora do dia ou da noit e.
Aos pobres das 2 A's 3 horns da tarde, gratis.
0 Dr. Vieira da Cunha, medico interino da Ca-
mara Municipal, avisa que, por disposieao da Ca-
mara dA consultas aos pobres do municipio, das
10 is 11 horns da manlihA, em seu consultorio, A
rua da Imperatrmz n. 20, 10 andar.

0 Dr. Adriao
MEDICO
Continue a dar consultas das 11 Ai 2 horns da
tarde, em seno antigo consultorio, A run Laxga do
Rosario n. 36, 1., andar. Chamados por escripte
a uqalquer hora, na pharmacia Bartholomeu & C.

Curso livre
DE

Direito Natural eRomano
0 Dr. Clodoaldo Lopes continue a leecionar as
materials acimna referidas e p6de sr proem-ado na
run Estreita Rosario n. 22, das 10 horas dai ma-
nha as 2da tarde'


I CLINIC HOM3CEOPATHICA


T1ISFO {
{ Os t-hama'los devem se:rdirigidos A sua \
residencia, aonde da consultas ilas 7 As 9 "
U horas da manhd. {
N. 15 BZua ala Uniaio=N. 15
OU PAlA A.
PHARMACIA DO


4 do B damctoia 47 \\


An public en general
149 -Rune Auguste 11
Traduire, parlor et dcrmre corrected a^^lan-
gue fran~aise. .
Trois fois par semaino. r ,.


Prix modr. '


DO
Dr. Silva Ferreira
CIDADE DO CABIO
Consults tlodos os dias dr 1 s 3 horas da tar-
de, em sun residencia. chama4os por escripto a
qualquer hora.
(XXXXXXXX--XXXXXXXX*
SOculista
0 Dr. Barreto Sampaio, medico ocu- 0
Slista, ex-chefe de clinic do Dr. de Wee-
Sker, da consultas a rta do Barao da Vie-
toria n. 45, segundo andar, de 1 As 4 ho-
ras da tarde, except nos domiagos e dias
Ssantificados. Chamados em seu consultorio N
ou em casa de sua resideneia a rua de N
Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires, N4
)XXXXXXXX--XXXXx iXX
^?1 hr J q L"u'rcir."- -
MEDICO E PAPTEIRO

Or. Joaquim Loureiro
C(onsultorio e residencia run Duque (
ae Caxmas n 39, defronte do DIARIO
DE PERNAMBUCO, onde dA consul-
tas das 10 is 2 horas da tarde.
Ajjj & f


Advogado


jTiburoe de Carvalbo

unRua .- deaw.o mt a 2




DA
lnmaculada Conci A


para. sew


A As aults deste coftfoa
a neiro. -, w s;


3:


V. ,





















RUVA DO BA1~1 DA VICTORIA
x. 52 2,1ANDAR
': :l- 0 X0r. Joaquim Camera cid volts de
Ssun aviagem a Europa, onde fez eatudos
especiaes de molestiasda boca; encar-)
rega-se de qualquer trabalho de etrur-
gia e prothese dentarias: extrahe den-
tes corn anestesia per mcio de appare-
lhos apropriados : obtura (chumba)
corn ouro, platina, cimento, corrige as
irregularidades dentarias, colloca den.
tes pelos processes mais aperfeigoados.
Consultaf
} De 10 horas da manha As 4 da tarde.


E' com o fiscal
Pede-se ao Sr. fiscal da Boa-Vista para qu,
faya remover a matanga e oriagAo de porcos da
casa do pateo da Santa Cruz n ...
V. S. dove saber que 6 exprcssamente prohibi-
do a eriacAo de porcos dentcro do municipio do
Reoife, e pripcipalmente feita a mantan~a dentro
de um pequeno quintal; o incommodo que produz
asWal infracqao nio dove ser ignorado por V. S.,
e tanto mais que 6 faita a mesma matanca em ho-
rns que os visinhos estio em repouso. Fica por-
tanto avisado o Sr. fisscal, e n6s esperando que
de suas providencios, e sellas nao apparccerem
recorreremos A Camara Municipal .....
0 viyia.

DR. CARNEIRO LEAO
MEDICO
Consultorio e residencia a rua Duque de Caxias
antiga do Queimado, n. 88, 1' andar.
Consultas de 11 as 2 horns da tarde.
Chamados por cscripto a qualqaer hora.

Facilita a dentito e prevmine as

convulsoes

Cardornus


Unleo deposit ma Pharmacla
Do Dr. Sabino
48-Una do Barao da Victoria--48
iERNAMBUCO.


Gabiiiato ia o-cnr~ co
DO

IB. I. nEALUEBD-m VELL62
Pode ser proeurado a qualquer hera de dia ou da
noite, prestando-se aos chamados fora da cidade
corn today a promptidlo. Pratica operates.
DA consultas das 6 is 9 horas da manh! e da
3 as 5 da tarde.
Run Nova n. 45, 10 andar.


MACHINES
PARA FAZER


,lara useo de casa particulares
coufeitarla. casasm de pasto.
hotel..
phlarnmacfas e hospltaes.
Aeliegios, navios e laboratories
clamieos
Produzemn gelo e resfriam bebidas
Simplicidade de construcoo e rapidez
de trabalho
PREMIADAS EM TODAS
AS


Fabricam-se em trees tamanhos, a pro-
duzir 2, 4 e 6 kilograminmas de gelo de
cads vez.-
Para explicates, pregos e encommendas
queiram dirigir-se no
Agente geral--- THEO. JUST.
17---PRAQA DO CORPO SANTO---17


Pharmacia e drogaria

25-Rna o Bl e i vicltoi-25.

J. C. Levy & C. con-


COEIERCIO
Praca do Recitfe, S do- malo
de 1884
As tre horas da tarde
Cotase0 officials
Descoctd de lettras, 9 anno, suabbado.
A. J. do Amor rJunioer,
Pelo president.
M. J. daMotta,
Pelo secretaniO.
RENDiMENTOS PUBUICOS
Mez de mnaio de 1884
LrArmjtQA=De I a 3 108:0474236
Idem de 5 33:662A739
1386:709A975


lcBBmBDoRL-=De 1 a 3
Idem de 5


.JoxsuLADo PmovuciAL.-De 1 a 3
Idem de 5


imcua DR&=AuA--De 1 a 3
Idem de 5


6:157A874
2:409A674
8:567A548
8:415,819
7:366A822
15:7820641
262A687
491A671
7745158


DESPACHOS DE IMPORTAQxO
Vapor fimrancez Amaone, entrado dos portos da
Europa em 4 do corrente e consignado a Augusto
Labille; manifesto:
Amostras 1 volume a ordem,1 ao Jornal do Re-
cife, 1 ao Diario de Pernambuoo, Ameixas 9 caixas
a ordem, 12 a Roza & Queiroz, 6 a Ramos & C,
Azeite 4 caixns ao consignatatios.-
Cognac 25 caixas a Ramos & C., 6 a Jos6 da
.Silva Loyo & Filho, Chapeos 1 caixa Joo Chris-
tiani & C., Chocolate e Licors, 1 caixa a A. F.
de Oliveira & C, Couros 1 caixa a H. Nuscht,
-Calados 1 caia a Parente Vianna & C., 1 a HI
Nuesaeht & C., ditos e Ivaa I caixa a Souza Mou-
tinho &C.
Does 1 caixs aos eamonginatarios, 4 a Ramos
& 0..
Fructas seccas 1 caixa os mesmos, 1 a Bour-
gard & C., I a A. F.de Oliveira & C.
Joias 2 caixas a A.Bego & C., 2a Bugene
,3aGtcahl.


lhqre- sestabelecien.ei

to, desse genero das

pr icipaes capitaes

d' uropa.

Recebe por todos

os vapores products

samples, ehimicos e

pieparados pharma-

ceuticos, dos melho-

res, mais conhecidos.

e acreditados fabri-

cantes d'Europa; pelo

que se acha habilita-

dos a fazeruma reduc-

cao sensivel nos pre-

os jA conhecidos. Fa-

zem tambem sciente


que sao depositarios

dos medicamentos do-

simetricos do doutor

Bourgraeve, S edlitz

chanteaud, cha preto

de Horniman e das

perfumarias de Gqs-

nell.


EDITAES
0 cidadao Antonio Samico de Lyra Mello, juiz do
paz do 20 anno desta freguezia de S. Jose do
Recife, em virtude da lei, etc.
Faco saber aos que o presented vircm que no dia
(; de maiis pro imo future, no largo do mercado n.
7, se hilo de arrematar por quern mas der treze
sanimaes su~nos, apprehendidos pd'fiscal, euja
arremataoo teri lugar as 10 horas da mnanhi,
podendo os donos dos .animacs, dentro do prazo
legal, comparecerem, qne pagando a multa Hies
serao entregues.
E para constar, mandei p.ssar o present para
ser affixado no lugar do costume e .publicado pela
ianprcnsa.
Dado e passado nesta freguezia de S. Jose do
Recipe, aos 28 de abril de 84. Eu, Joi6 Goncal-
yes de 8a, escrivao de paz, escrevi.
Antonio Samico de Lyra Mello.
0 Dr. Adelino Antonio de Luna Freire,
jwiz de direito pi'vativo de orphaos da
comarca do Recife, por S. M. o Impera-
dor, a quern Deus guarde etc.
Faco saber aos que o present edital virem, e
delle noticia tiverem, que no din 6 de maio do
corrente anno, depois da audiencia deste juizo,
na respective sala, irA a praca per yenda, corn o
abate da quinta parte, para ser arrematada per
quern mais der a casa terrea, n. 28, a rua de Lo-
nias Valentinas, a qual casa tend ido a praca por
2:000$, b na'o tend havido licitantes, vai nova-
mente a prava corn o abate da quinta part per
1:600J, que servira. de base ;para a arrematanlo ;
e vai a praga ez-officio, por fallecimento de Do-
mingos Pereira Lagos, a requerimcnto de sun ir-
ma Anna Francisca Lagos Ferreira.
E para que chegue aso conhecimento de todos
mandei passar o present, que serm affixado no
lugar do costume, e publicado pela imprensa.
Dadeo e passado nesta cidade do Recife, aos 29
de abril de 1884.
Eu Manoel do Nasciment) Pontes, escrivio o
subserevi.
Adelino Antonio de Luna F-eire.

Edital n. 22
0 admministrador do Consulado Provincial avi-


lleneadorias diversas 3 caixas a Otto1BIhrs
Success, 2 a A. Ducasble. 2 a Parente Vianna &
C,
Mortadellas 2 caixas a Ramos & C. Manteiga 2
caixas ardem.
Objectos pars chapeos de sol 11 volumes, a F.
X. Ferreira.
Papel I caixa a F. Manoel da Silva & C., la
Sodr6 da Mota 'S Filho, dito de embrulho 50 far-
des a Parente Viana & C., 30 a ordem. PeWas
para relogios 1 caixa a A. J. da C. Araujo.
Quadros 1 caixa a Bourgard & C. Queijos 2
caixas aos mesmos, 1 tina a Ramos & C.
Rolhas, 1 fardo a A. F de Oliveira & C.
Sardinhas 6 caixas a Ramnos & C. Salame 1
calxa aos mesmoa.
Trieddoe diveros 1 caixa a Francisco X. Ferrei.
ra, 1 a Eugenio G. Casco.
Vinho 4 bars a J. J. Alves & C., 4 a R. de
Dzusina & C., 18 aos consignatarios, 1 a A F. de
Oliveira & C., 10 caixas a ordem, 2 caixas a A. F.
de Oliveira & C. Vermouth 1 barril sao consigna-
tawio.
B area americana Aquidneck, entrada de Balti-
more na mesma data e consignada ,A ordem, ma-
nifestou :
Farinha de trigo 2,500 barricas A ordem.
Barca ingleza Huntren, entrada de Baltimore
na mesma data e consignada a Henry Forster &
C., manifesto :
Farinha de trigo 2,795 barricas aos consigna-
tarios.


Patacho national Americao, entrado de Porto
Alegre na mesma data e consignado a Maia &
Rezende, manifesto : 1
Xarque 156,795 kilos A ordem.

DESPACHOS DE EXPORTAQAO
Em 8 de maio de 1884
Pam o exterior
No vapor inglez Warrior, carregou :
PAr Liverpool, S. Brothe & C. 509 saccas
com 381 kilos da algodio. 4 -
No vapor inglez A n, carregou :
Paua s aboa, AX Praique 40-0 mom com
30,000 kilos de assucaru masca"ado, 600 ditos coma
45000 ditos de dito b aa ; J. X Dias 1,000
ditos corn 75,000 ditos de die m %acvado.
--r o I nteri
No brigue io co Thoio. oatregou:


C. 50


a


ria do
to do


cia ou gencia
Mhetes deo ote-
pague oipos-


200(. pot0 sat eacidade do Recife.
24000 por tonelAda de alvarenga, canoa de car-
ga ou descarga, conform a srquea.abo b a matri-
cula.
20,000 por escravo que exercer o officio de ma-
gardfe, estirador onU outro qualquer officio mecha-
nice na cidade do Recife.
55000 por casa onde se vendor phosphoros na
cfdade do Recife.
20,o sobre o valor locative dos estabelecimen-
toa commercials ou quaesquer outras professes e
industries fora da cidade do Recife.
Consulado Provincial de Pernambuco, 5 de maio
de 1884.
Francisco Amynthas de Carvalho M oura.


0 Dr. Manoel da Silva Rego, official da
imperial Ordem da Rosa, juiz de direito
(l.i provedorla de capellas e residuos da
comiarca do Recife e seu term em Per-
namnbuco, por Sua Magestade o Impera-
dbw o Sr. D. Pedro 11
Faz saber que no dia 7 do correiitc mcz, depois
da audicncia d'estejuizo, ira a praga por venda, 2
alicereca corn seas rcspectivos terrenos no nlugar
da Baixa-vcrde na freguezia da Grapa, tend de
largura 18 inmetros, e de fund 24 metros e 35 cen-
timetros, sollo proprio, avaliado cm 1:0004, legado
pela finada Joaquina Maria da Conceiplo ao me-
nor Macario. filho de AdAo da Silva Motta; eujo
terreno so vende, para do scu produeto ser paga a
taxa. da Fazenda e ser o rest recollfido ao depo-
sito pfira em tempo competente ser entregue ao le-
gatario.
E para constar mandou passar o present quo
sera publicado pela imprcusa e affixado no lugar
do costume.
Dado e passado n'esta cidade do Recife aos 2
die inaio de 1884.
Eu Franisco de Siqueira Cavalcante, cscriva'o o
cscrevi.
Manpel da Silva Rego-


0 de.semnbargador Henrique Pereira de Lu-
cena, commendador da imperial ordem (da
Rosa, cavalleiro da de Nosso Seuhor Je-
sus Christo, official da Legiyo de Honra,
]uiz de direito da comarca de Jaboatao,
efe.
Faco saber aos qne o present edital do praca
viremin, que por este juizo e cartorio do escrivlo
que o subscreve, tern de ser arrematado A quem
inais der e maior lance offerecer, no dia 15 do mcz
de maio corrente, Is 11 horas da manha, na casa
das audiencias desfa villa de Jaboatao, urn gran-
Cc sitio de coqueiros, dcnominado Candeias, situa-
do na povoa"ao da Venda Grande, desta mesma
comarca, avaliado cm 10:000,4000, como consta
dom respectivos autos, mas hoje corn o abatimento
da 5" part; o qual fdra penhorado a D. Anna
Marques Pessoa e sua fillia menor Anna, em vir-
tude do execucaio que Ihcs move Rodrigo Car-
valho & C.
E assim seri o dito bern arrematado no lugar,
dia e horn aciina indicados.
E para que chegue ao conhecimento dc todos,
mando ao porteiro dos auditorios que affixe o pre-
sente no lugar do costume e passe a respective
certidao.
D)ada e passada nesta villa do Jaboatlo, aos 2
de maion do anno do nascimento de Nosso Senhor
Jesus Christo de 1884.
E en, Joaquim Ramos de Silva Morcira, escri-
vao privativo o subscrevi.
Henrlque Pereira de Ltixcena.
0 Dr. Adelino Antonio de Luna Freire
juiz de direito privativo de orplztos da co-
marca do Recife, por S, M. o Imperador
a quemn Deus garde, etc.
Faco saber aos quo o present edital virein c
d'ellc noticia tiverem, que no dia 6 de maio d'este
a1no, depois da audiencia d'estejuizo, na rcspec-
tiva sala, ira a prata por venda, novamente, pars
ser arrematada por quern mais der, urma casa ter-
rea u. 59, A rua de S. Jorge da freguezin de S. Pr.
Pedro Gonqalves, corn 4 metros de largura e 20 de
fdndo, porta e janella na frenute, 3 quartos, 2 salas,
corn urn puchado formando ontra sala, cosinha fo-
ra, pequeno quintal, servindo de base para a arre-
inataaoi a offerta de 1:800A, feits por Adolpho
Fcrnandes da Silva Manta. E vai a praca a re-
querinmento de D. Rosa Maria Gondim da Costa,;
inveuitariante dos bens deixades por seu faliecido
marido Francisco Severino da Costa, para paga-
mento de decimas atrasadas, custas veneidas, e
qnc acerescerem.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mondei passar o present edital que seri affixado
nos lugares do costume e publicado pela impren-
sa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 29 de abril de 1884.
Eu, Manoel do Nascimento Pcntes, escrivao o
subserevi.
Adelino Aitonio de Luna Freire. -
Edital a. 644"
0 inspector geral da instruciio public manda
fazer constar aos professors publicos de ensino
primario Casimiro Lucio dos Santos da cadeira
primaria do Serra Verde, e Francisco de Paula
Lius de Carvalha, da cadeira de Agua-Branca,
que por actor da presidencia da provincial dc 7 de
abril findo permittio-sc-lhe permutarem as c+dei-
ras que regem, e que se lhes marcou o prazo de


Para o Rio de Janeiro, V. T. CoimIbra 300 sac-
cos comn 18,000 kilos de assucar branco'; C. Mar-
ques 25 pipas corn 12,000 IP.ros de alcohol e 67
ditas corn 32,160 ditos de aguardente ; F. M. da
Silva & C. 50 latas oleo de ricino ; Mendes Ju-
nior & C. 6 amarrados sola.
Na barcaca CGontwana, carregou :
Pars Bebedouro, J. A. G. Pires Junior 20,000
litres de sal.
Na barcaa Gloria Fels, carregou :
Para P. de Aag=oa, F. da Cunha Galvio 50 al-
queires de sal.
Na bareaa M. de Hervd, carregou :
Para P. de Alagoas, F. da Cunha Galvio 100
alqueires de saL
Na barcaca Laura, carregou:
Pars MacAo, Cunha Irmmos & C. 3 barricas
cem 360 kilos de assucar mascavado.

MOVIMENTO DO PORTO
Natvio entrado no dia 4
Rio. Grande do Sul -16 dias, patacho na-
cional America, de 204 toneladas, equi-
p agem 9, capitao Jos*6 T. da Costa
Amora, carga xarque ; a Maia Rozende
&C.
Baltimore 43 dias, barca americana Aqui.-
dnek, de 326 toneladas, eqcuipagem 12
Capitao Johns Slocum, carga farinha
de trigo; A ordem.
Baltimore 44 dias, barca ingleza Hnm-
tress, de 227 toneladas, equipagem 9,
capitao John Qunn, carga farina de
trigo; a Henry Foster & C.
Bordeaux por escalas-14 dias, vapor fran-
cez Amazone, de 2,072 toneladas, equi-
pagem 124, commandant G. de laMar-
celle, carga varies generous; a Augusto
Labile & C.
Bahia pelos Abrolhos 15 dias, brigue es.
cuna national Tongero, commandant
capital tenete Jose Antonio da Silva
Guinuar~es.
Sahido no memo dia
New-York Patacho americano Ackbar, ca.
pitao I. 0. Holms, carga assucar.
Macei6--Lugar americano Fred A. Char-
l er, capito R. B. Cordaw, em lastro.
Portos To SI-Vapor ran ces Amaofn,'
Commandante G. de iMarcelle, Carga
Vanoe generoB.


Pergentiao S. do Aranajo GOal'Vao-,

Ehual I 20
0d adai|nistrdor do Consulado Provincial avisa
aos oatriabuintes do imposto de repartio, esta-
belecid6 na lei do orcamento vigente, quo nesta
reparti"o se far& a cobranca do mesmo imposto,
A bccado cefre, relhtivo ao 2* semestre do cor-
rente exeracio, a comegar no dia 1V de maio pr-
ximo fiituro, devendo terminar 'no 30o dia util, na
f6i&ma do art. 42 do reg. de 4 de julho da 1879.
Consulado Proviacial, 26 de abril de 84.
Francisco A. pe Carvalho Moura.
EdItal n. 21
0 aminietrador do Consulado Provincial avisa
aos oedhtribuiutes dos impostos estabelecidos no
art. 2 1 30 da lei n 1786 (orgamento vigente) el1
part. da tabella a que se refere o 11 do mesmo
art., que uesta',repartiqao, a come~ar no lo de
maio proximo futuro, se farA a cobranca, a bocca
do cofre, dos mesmos impostos relatives ao 2- se-
mestre do corrente exereicio; devendo a mesma
cobranga terminar no 30* dia util, na f6rma do
art. 42 do reg. de 4 de julho de 1879.
Consulado Provincial de Pernambuco, 26 de
abril de 1884.
Francisco A. de Carvalho Moura.
Secretaria da Presidencia de Pernambuco, em 1
de maio de 1884.--2a secAo.-Por esta secretariat
se faz public, de conformidade corn o art. 11 do
decreto n. 817, de 30 de agosto de 1851, o edital
abaixo transcript, pondo em concurso corn o pra-
zo de sessenta dias, os officios de 20 tabelliao do
public, judicial e notas da comrnarca deBom-Con-
sclho, vago por fallecimento do serventuario Luiz
Elias da Silva e Albuquerque.
O secretario,
Jodo Augusto de Albuquerque Afaranhio.


0 cidadao Augusto Martiniano Soares, presiden-
te da Camara Municipal, em exercicio do car-
go de juiz municipal da comarca de Bom-Con-
selho, em virtude da lei, etc., etc.
Faqo saber a quem possa interessar que, den-
tro do prazo de 60 dias a contar da data do pre-
sente edital, estA em concurso o provimento do of-
ficio de 2 tabellibo do public, judiciary e notas
(leste term, vago por morte do serventuario Luiz
Elias da Silva e Albuquerque, devendo ospr eten-
dcntcs ao dito officio apresentarem-se nos terms
da legislaqlo em vigor. (Decreto n. 817 de 30 de
agosto dc 1851, art. 14). As petigoes em que se
rcqucrerem officios de justica devem ser datadas,
assignadas pelos pretendentes ou seu procurador,
acompiahada de folha corrida e mais documen-
tos qne entenderem convenient, send todos de-
vidamente sellados.
Primeiro-Os pretendentes aos lugares de escri-
vaes e tabellibes deveraiojuntar al6m dresses do-
cumeontos, certidao do idade e do exame de suffi-
cicncia. (Decreto n. 8,240 de 15 de outubro de
1.-81, art. 11). Aldm dos documentos exigidfs
pelas disposiqoes em vigor, devem os pretendentes
aos officios de justice apresentar certificado dc
cxaine de lingua portugueza e arithmetic ate a
theoria das proporm5es, prestado em alguma rc-
partiaa public ou em qualquer estabelecimento
de instrucco public.
Art. 12. Nao aproveitarao os requisitos~de ido-
neidade, se o concurrente tiver qualquer enfermi-
dade ou defeito physics, que o embrace no bomin
descmpenho do se u cargo. (Decreto de 30 de ja-
neiro de 1834).
Hei por bemrn determinar, em ampliaqAo ao de-
creto do 1* de margo do anno passado, que em ca-
daa umn das villas hajam dous tabelliAes do publi-
co, judicial e notas, servindo o prianeiro de escri-
vao dos orphaos e dos residues e capellas e o sc-
gundo de escrivio das execucoes civeis e crimes.
E, portanto, sao convidadas todas as pessoas queo
pretenderem opper-se ao dito cargo a apresenta-
rein suas petioles a estc juizo dentro do prazo e
filrma acima declarado. Dado e publicado nesta
villa do Bom-Conselho, aos 15 de abril de 1884.
E eu, Luiz Antonio Cordeiro, escriva'o, o subserevi.
Agqusto Martiniaio Soares Villdea.
E nada mais se continha em dito edital, que fiz
copiar de proprio original fie mente, ao qual nme
report e dou fE6. Bom-Conselho, 15 de abril de
1884. E eu, Luiz Antonio Cordeiro, escrivao que
o subscrevi.


EdItal a. 644
De ordem do inspector geral da instruceqo pu-
Bliea, se declara que o concurso que devia reali-
sar-se no dia 5 do corrente no Gymnasio Pernam-
1txcanb, pars provimonts da cadeira de geogra-
,hia da Eseola Normal, flea transferido para o
lia 12 deste mez.
Secretaria da InstruccqAo Publica de Pernam-
uco, 3 do maio de 1884.
0 secretario,
Pergentino S. de Aranjo Galvoo.


Edital n. 3i
De ordem do Illm. Sr. inspector se faz public
que as 11 horas do dia:7 do corrente mez, serio
vendidas em leilio, no trapiche Conceigao, as mer-
cadorias abaixo declaradas, a saber:
Armazem n. 3
Marca DSP, 1 caixa n. 73, vinda de Hambur-
go no vapor allemao Ceard, entrado em 31 de
inargo ultimo, contend 135 kilogrammas de cabos
de madeira ordinaria para ventarolas, abandona-
da por Joao Sabine Pinho.
Armazem n. 4
Marsca PGC e contramarca A&C, parte da cai-
xa n. 1,291, vinda do Havre no vapor francez
Ville de Pernambuco, entrado em 22 de abril fin-
do, contend 1 kilogramma de musgo para pre-
paro de flores artificiacs, abandonada, por Euge-
nio Gone'alves CascAo.
Terceira secao da Alfandega de Pernambuco,
3 de maio de 1848 0 chefe,
Cicero B. de Mello


West-Indies Barca ingleza Agnes Steven-
son, capitao James Swanson, em las-
tro.
Navies entrados no dia 5
Buenos Ayres por escalas-18 dias, vapor
inglez Avon, de 1,417 toneladas, equi-
pagem 58 commandant Hanslip, carga
various generous ; a Adamson Howie & C.
Bahia 3 dias, barca ingleza Rdul Chief,
de 394 toneladas, ehuipagem 10, capi-
tao James Johnston, em lastro ; a or-
dem.
Hamburgo, 50 dias -, barca allcma B.
C. Peters do 276 toneladas, capitao F.
Harder, equipagem 10, carga, varies
generous. a Hermann Petersem & C.
Sahidos no mesmnio dia
.antos-Brigue sueco Hugo, capitao N. F.
Ohiesem, carga assucar.
West Indies Barca noruega Sucess, ca-
pitlo E. Henriksem, em lastro.
Rio Grande do Sal-Patacho national D*
Francisca, capitao Alfredo Monteiro de
Almeida, carga assucar


VAPORES ESPERADOS


8. Folix
Pernambuoo
Begrano
Advance
Meding
CoofPazi
Corintes
Tamar
Patagoia
r2ent
E.piribo So
Prd
CJommandor
Guadiana
Teuatar
Finance
Twntmia


da Bahia hoje
dosul a 8
da Europa a 8
do sul a 8
da Europa a 8
doacfe .Po a 9
da Baia a 10
da Europa a 10
da Europa a 11
do sul a 14
do norte a 14
do sul a 16
da Europa a 17
da Europa a 19
dosul a 20
de New-port-News a 21
de Trieste a 22
do norte a 24
da Europa a 24
de ad *a 26
4owd a29


freggeisae.de S. Jso e Recife,
*o epetoente revere O pesos,
gas dos mesmos, uo proximo
pena d'a lei. /
Pago d, Camara Municipal
abril de 84.


abelecinenslo das
pars Vtiriem A see-
medidas e balan-
mez de maie, sob
do Recife, 30 de


Jose Caudio de Moraes,
President.
Pedro G. de Ratis e Silva,
Secmetario.


8it stl la iso ricorial Roci[o

Arrenda-se per urn A tires annos os armazen
ns. 16 e 18 A rua da Senzalla-velha, A razao de
i60, aunuaes cad a um ; a tratar na secretaria da
mesma Sana Casa.


A Camara Mnnicipal do Recife teado rae-
solvido mandar proce4er a demolhaAo da parte do
sbrado A run dos Pires n. 1, e juntamente as
easinhas ns. 2 e 6, funds do mesmo predio, a rua
ed Barao de S. Borja, para o alinhamento da rua
deste nome, pertencendo todo material resultante
da demolicao a quem se encarregar deste service'
e bemrn assim a reedificalo da pare do mesmo
sobrado qae nAo tern de ser demolida, de confor-
midade corn a plant a apresentada pelo engenheiro
e de accord eom as postaras munieipaes, deven-
do entregar o predio .)inteiramente preparado e
pintado nas condlScos de rer habitado, para isso
precisa contratar corn qucm minelhores vantagens
offerecer, para o que deverlo remetter as suas
propostas em cartas fechadas A secretaria da Ca-
mara, as'quaes terao de ser lidas na segunda
sessao do wez de maio proximo.
Paco da Camara Municipal do Reeife, 26 de
abril de 1884.
Jose Candido de Moraces,
President.
Pedro Gaudiano de Ratis e Sihlva,
Secretario,



Cemiterio public de San-


to iffi aro
De ordem di, Illma. Camara Municipal, previ-
ne-se as pessoas interessadais, que nos dias abai-
xo declarados, finda-se o prazo marcado pel.) rc-
gulamcnto para a conservayAo dos corpos iihu-
mados em diversas cataceunbas dos cemiterio, as
quaes serao abertas uos referidos dias, se nenhu-
ma reclamac.ao houver atW a vespera.
Dia 8 de maiio
Adelaide Carolina de Miranda.
Helena Augusta Mendes da unha.
Jos6 Dias Marques.
Antonio Muniz Tavares.
Carolina, fila de D. Ilermelinda C. do Nasci-
mento Nogueir.i.
Antonio, filhio de Hermogenes Noberto de Gus-
mnao.
Dia 9
Arthur, filhio de Mathtildc Maria da Conceiao.
Antonio, filho de Hermino Rodrigues de Si-
queira.
Dia 10
Ignacio Soares Pereira.
Manocl, filhio de Antonio Maioel de Vaseon-
cellos.
Dia 11
Julia, fillia de Domingos da Silva Ferreira.
Dia 13
Thercza Maria Pires Dausley.
Hermina, fitha do Dr. Pedro Affonso de Mello.
Alcides, filho de Domingos P. Freitas.
Henrique, neto de D. Eugenia L. A. de Brito.
Dia 14
Maria, filha de D. Maria Mcnteiro Doarte.
Dia 15
Maria de Barros Campello.
Luiza de Franaa Ayres de Almeida.
Maria Luiza, filha de Caetano Jose Goncalves
do Forte.
Din 16
Maria da Gloria.
Dia 17
Libanio:Virissimo de Almeida
Di a 18
Jose Fernandes da Silveira Daltro.
Christina Clotilde Caneca.
Dia 20
Fructuoso Rodrigues de Souza.
Joaqumm, filho de Silvino Antonio Rodrigues.
Amelia, filha do Manoe! Cabral de Mello.
Din 21
Francisca Maria da Paixio Vilella.
Elisiario Gomes de Mello.
Dia 22
Alexandrina Maria da Silva Porto.
Dia 23
Emigdia Borgos de Lima.
Jose, filho do capitao Firmino de Figueiredo.
Dia 24
Anna Benedicta Gomes.
Maximiano das Chagas Sonza.
Cemiterio do Recife, em 3 de male de 84.
0 administrator,
Fr. Loureneo da Immaculada Conceiqiio.


A Canmara Municipal do Recife faz publics
pelo present edital, que em sessao de 30 do mez
find resoleeu mudar os nomes das seguintes ruas:
S. Francisco, pelo de nome de Francisco Jacin-
tho; estreita do Rosario, pelo de Dr. Feitosa ; rua
do Canno e Paz que catsao ligadas, pelo de Fr. Ca-
neca ; a da Palna pelo dc Felippe Camarao ; a
da ViracAo olestec da igreji dc S. Pedro, polo de
Henrique Dias ; a de Santo Amnaro, pelo do Ge-
neral Abreu e Lima ; a da Roda, pelo de Conse-
Iheiro Pirette ; a de Santa Isabel ao sul do thea-
tre de mestno nome, pelo do de Bario de Villa
Bella s; a run nova dc Santa Rita, pelo de Padre
Muniz.
Boa-Vista
A rua que partiudo da rna da Imperatriz termi-
na no eaes de Capiaribe, denominar-se-ha Dr.
Eustaquio Gomes; a travessa das Barreiras que
pelo melhoramento que-teve, 6 hoje 'rua e sua con-
tinuacao corn o de Maciel Monteiro ; a ruan do
Atalho, pelo de nome do Dr. Villas-Boas ; a rua
paralella a do Atalho ao norte da ponte do Gym-
nasio, pelo de Sabastilo Lopes ; a rua da Atrac-
gco que A a que partindo do Corredord do Bispe,
atravessa a do Principe e segue a direcao nor.
deste, denominar-se-ha de Bispo Cardoso Ayres.
Paqo da Camara Municipal, do Recife, 3 de
maio de 1884.


Jose Candido de Moraes,
President.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretario.
A Camara Municipal do Recife faz constar
a quemn interessar possa, que na sessio de 13 do
correntc irgo em hasta public a factura de duas
pequenaes casas nos cemiterios das freguezias de
S. Lourengo da Matta e Pogo da Panella, orpada
cada urma em 814A820, para abrigo do adminis-
trdor e repartico do mesmo, ebem assim os
concertos indispensaveis no cemiterio da Varzea,
orcado em 390J. Os orgamentos acham-se na se-
cretaria da Camara Municipal, onde poderno ser
examinados.
Papo da Camara Municipal do Recife, 3 de
maio de 1884.
Jos6 Candido de Moraes,
S Presidente.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretario.


Recife Drainage
A companhia faz public, para conhecimento
dos interessados, que collocou no mez de abril
proximo passado os apparelhos abaixo decla-
rados :
Freguesia do Reeife
Rua do Marquez de Olinda n. 48, apparelho n.
7,989, 2o andar.
Santo Antonio
Rua de Santo Amaro n. 2, apparelho n. 5,597,
seguddo andar.
Rua da Palma n. 6, apparelho n. 5,598, casa
terres.
Recife, 3 de maio de 1884.
0gerente,
J. Dowdey Junior.


CoempaMa Rabilatta de Navega-
p' io a Vapor
Macei6, Penedo, Aracajii, Estancia e
Bahia
0 vapor
S. Felix
Commaudante Martins

RE' esperadodos portos aci-
ma atW odia6 doa maio e
regressaraL para os mesmos,
depois da demora do costu-
mne.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
' friete tracta-se na
AGENCIA
7--iua do Vigarlo 7
flomingos Alves Matheius
COMPANHIA PERiNASBUCANA


Navegaao Costeira per Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahybo, Natal, Macdo, Mossor6,
Aracaty, Ceard Acaracd e
Camocnim
Segue no dia 6 do cor-
rente o vaporJaguari-
ibe, comimandante Cos-
ta, As 5 horas da tarde.
Reccbe cargaoatk o
Encommendas, passagcns e dinheiro a frete atW
as 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Peramwbirana n. 12.
Coinpanhla Brasileira de Nave-
gacao a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor
Espirito-Santo
Cownmmiand, nte Joo Maria Pessoa
E' esperado dos portos do nor-
8te ate-o dial 13 de maio e
\ seguirA depois da demora
do costume para os portosdo

Recebe tambem cac rga para Santos e Rio Gran-
de, frete modico.
Para carga, passagcns, encommendas e valores,
trcata-se na agencia
44 RUA DO COMMERCIO 44

PORTOS DO NORTE
0 vapor
Pernambuco
Comnmaudante o capitao de fragata Pedro
H. Duarte
E' esperado dos portos do
sul ate o dia 7 do corrente
e seguirA depois da demo-
ra indispensavel, para os
". 5^ J! portos do norte atW Ma-
aids.
Para carga, passagens, encommendas e valores,
cracta-se na agencia
44-RUA DO COMMERCIO-44


Rio
Victoria
Bahia
Maceio6
Parahyba
Natal
CearA
Maranhao
Para
ManAos


Passagens
Re
904000
811000
364000
18,000
18$000
31a500
671500
994000
135A000
2051000


Proa
27OOO
274000
13A500
9j?000
W5OOO
94000
104800
134500
164200
230400
406900


COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaio Costeira por Vapor
PORTOS DO SUL
Macei6, Penedo e Aracaju
0 vapor Mandahu,
commandante Lobe,
-seguiri no dia 8 do
coirente, As 5 horas da
~tarde.
-Recebe carga at o
dia 7.
Encommendas, passages e dinheiro a frete atk
As 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhila Pernambu-
cana na. 1

DampfschiflTahrls-Gesellsehalf
O PAQUETE A VAPOR

Corrientes


j E1 esperado daBahla at'
o dia 10 do corrente se-
guindo depois da demora
g .necessaria para o
Ceara, Maranhao, Para, ilha da
Iladeira. Lisboa, Havre e
llamburgo
Para passagens, free, etc., tracta-se corn os
agents.
Borstelmann & C.
RUA DO VIGARIO N. 3
10 andar
Os agents desta companhia avisam aos con-
signatarios de 441 barras e 53 feixes de varies de
ferro vindas de Hamburgo A ordem, que as mes-
mas se acham depositadas no trapiche alfandega-
do do Visconde do Livramento.

ROYAL MAIL STEAl PACKET

COMPANY
Grande redueAo nos preeos dar
pasaiaens
0 VAPOR

Tamar
Commandant A. E. Bell

E esperado daEuropa no dla
10 do corrente, seguindo de-
pois da demora necessaria para

Maceid, JBahia, Rio de Janeiro, Montevideo e
Buenos-Ayres

Redueio nos pregos para o Rio
de Janeiro
1. clause 90#000 e 3. classes 27#000


tinerario
IDA
Bhida Southampton 1
Chegada Bordeaux 4
Vigo
S Lisboa 7
S S. Vicente e
Pernambueeo 20
Macei6 21
S Bahia 22
S Rii de Janeiro -26
S Santos 28
Moutevid6o ..
f Buenoa-Ayres
VOLTA
(Conforme as orden do Rio
dal BuensAyres
Montevideo
Santos


9 24


de Janeiro)
17 1
i8 3
I


t 4
j
























Lioa,
boa,


SE' eperado da Euro-.
pa atW o dia 8 de
WR mao, seguindo de-
pois da indispensavel
demora para a Ba-
l ia, Rio de Ja-


neiro e Santon.
Roga-se aos Srs. importadores de earga pelos
- vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarenilgas, qual-
quer reclamagio concernente a volumes, que por-
ventma tenham seguido para osportos do sul, afim
de se poderem dar a tempo as providencias necessa-
rias.
Explrado o referido praso a companhia nao sa
responsabilisa por extravios.
Hecebe carga, encommendas e passageiros, para
os quacs tern excellentes accommodates.
AGENTS
Augusto F. de OliveiFra
'WC.
42 RUA DO COMMERCIO- 42
(Entrada pela rua do Torresl
United States & Brasil Hail S. S. C.
0 VAPOR
Advance
E' esperado dos prtos do
sul no di8a 8 de maio, e
Sdepois da demora necessaria
seguirA para o
laranhieo. Para. S.: Thomaz e
New-York
Para cargs-, passagens, e encommendas, tactar-
.e corn os
AGENTES
Henry Forster & C.
N. 8 RUA DOCOMMERCIO N: 8
1." andar


0 vapor
Finance
SEspera-se de New-Port News
atroi dua 21de maie, Legain-
do depois da demora neces-
saria para
lahila e Rio de Janeiro
Para carga, passages, encomnimendas e valores,
tracta-se corn os
AGENTS
Henry Forster & C.
.... RUA DO COMMERCIO N. 8
1.-andar
Pelos vapores desta companhia dao-se passa-
gens para Liverpool ao preco de 200 dollars; o
passageiro desembarcando em New-York tern ga-
rantia a passages par a Liverpool quando Ihe ap-
prouver per vapores de la ordem .
Pacific Steam Navigation Company
STRAITS OF MAGELLAN LINE
S0 vapor
Patagonia
^ ^yEspera-se da Eu-
ropa atWodia11
de maioeo sgtui-
rinpaoso sui de-
Zd k ms da demorndo
.. .e stume.
Para carga, pasmagens, encommendas e dinheiry
afrete: traets-secomos
Consignatarios
Wilson Sons at c., Limited
N. 14-RUA DO COMMERCIO N.- 14


0 vapor
Cotopaxi
* jLipw ee m pinto.
i dosulatA odiA 8 de
i.. maio, seguindo pa
I .a Europa depos dade-
HH amora do costume.


Para carga, passages, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comos
Consignatarios
Wilson Soens a ., IUnmited
N 14- DOCOMMERCIO N. 41

LEILOES

Agente Pinto
Quarta-feira, 7, dere ter lugar, per inter-
venqAo do agent Pinto, o leilio de estopa avaria-
da e outras fazendas limpas e avariadas, bern co-
ino taboas de louro, travel, 2 carrocase bois.
Sextsa-feira 9, o demobilia de ja-rand, dif-
ferentes moveis de easa de familia, 47 cadeiras de
junco avariadas, carteira e ums secretariat, no
sobrado da rua.1, Bo.m Jesus u. 2.

Agenlte BriNtto

LEILAO
De uma mobilia de junco corn tampo de pedra
(pquadros, lanternas, candieiro a ga, etager tapeq
te, cama, marquezmo, cabide, guarda-vestid toi-
let, commoda, espelho, mesa elastico, aparadorlus,
service de almoo e jautar, guarda-lou94, trem de
cosiaha, etc. etc.


i ruaa


dos bns do.se casal, IJos_ ,de .iran-
da; os Srs. pretendentes pdde s dde ji exami-
nar o dito sobrado.,-, ) ...

Leilao

De fazendas inglezas
(Por iquldaefio)
Constando de madapolues, algodues, chitas,brins
de linho e de algodito de c6res e pardos, toalhas,
platillas, osgiiiio, camisas, bramantes, fichbd, sa-
hidas de baile, casaveques de l e outras fazen-
das.
Quarta-feira I do corrente
A's 11 horas
AGENT PINTO
No armazem da rua do Bom Jexux
ii. 2.

Leilao

De fazendas avariadas
Contevido de differeutes volumes e parte de vo-
lumes descarregados do bordo do vapor inglez
Trent, na sua ultima viagem da Europa para o
sul.
Quarta-feira I do eorrente
No cnnnazem da riua do Born Jesus n. 2
0 agent Pinto levara A leilao per ordem de di.
versos e por conta e risco de quem pertencer, di-
fereutes fazendas avariadas d'agua do mar, as
quaes serao transportadas para o armazem da rua
do Bom Jesus n. 2.
0 leillo principiari is 10 1/2 horas.

Leilao

De 12 traves de louro e sapucaia
e 8 taboas delouro comI 1112 e
2 palmos de largura.
Quarta-feira 7 demaio
A's 11 horas
Agente Pinto
No armazem da Rua do Bom-
Jesns eno


Leilao
De duas earroeas de 4 rodas e
9 boels manses egoerdeos
A's 11 1/2 horas
Quarta-feira 7 de maio
Agent Pinto.
Em treute ae arnaxem da ru
do BeM-Jcousn- I

Leilao

De fazendas limpas e avariadas

Qnarla-feira, l o 0cornt
A's lelahos
POR INTERVEN9AO DO AGENT

Alfredo Guimaraes
Em su escriptorio a rua do Born Jesus
n. 45

Agent Britto
L eilfio
Do sobrado de 1 andar e soto, site A rua de
Lombas Valentinas (antig Aguas Verdes) n. 3,
edificada em solo foreiro e corn grades commo-
dos.
Quartafeira 7 do corrente


IA's ift oheras
Na rua de Lombas Valentinas n. 2
Agua Verdes)


(antiga


Leilao
De I mobilia ie amarello envemisads de preto,
compbetamente novae comtampo depedra, l dita de
jacsrand4, guarda-loupo, guarda-vestidos, usm se-
etara, meiass commodes, dus mallass de couro,
mesas elasticas, aparadoresa, mochos, cadeiras panra
piano, loucas para jantar, ditas pa almoo, qua-
dros, epelhos e divermas obras de ouro, relogio
de ouro, ditos de prata e muitos outrose objects
que estarlo patentes no acto do leilo.
(QnrtfBirae1n, corfrtfl
A's ihtoraS
NVo armazemn da ra d Bo Jesus n. 51
POR INTERVENQAO DO AGENTE


Leilao
De eleo efard e pa"J i para
inapreao, avaiNANof 1
Oauarafeirat 71do. ueite
S A78 11 HORAB
Na armazem da r1a do Bomn Jeaun. 2
0 agent PINTO, levasA a Ililo, por autoina-
90 em or 9, Consaulda lgiea,4 A re-
4namato os oibW det" &
nta e How de qK, 5 fuodos mw=
G L us.1I- )215 27 a 28o derc2rre7o
de bordo do navio alemroneantik de H"bsrgoj
o quaes mer.o vendidoe as 11 horne4 dia 7do.-4
COitsue-noarmawmmda rmado Bom Jesus u, 2t
por eacaide Lde wn oUtro leboio de faSendai unM-
'Pike. viwi fadB da do mar. ____ -


umeao rus, contikus w sobfad*t. :--..,1; i
waI6ariasn o 20 beco da tra-
YCoa a oaleiosom grande casa do vivenda,
cheira, viveiros, coqueiroa, frueteiraa,
etc.
Uma casa de tapa na Boa-Viagem confronte a
igreoa, 80110 foreoiro.
Tres partes dcas terrea* a rua do Cabral n.
24, Ha e4dadasdenOlioas.
- Um cabriolet eom 4 rodas e 4 assentos.
Na agenia de 10'oi&s
2i T"mva0CoioSIB 27I


AvTisos DiTK SOS


Aluga-se a loja da rua de Lomas Va-
Ilentinas n. 55, do aluguel de 15#"00 por
rmez, a tratar na rua do Barao da Victoria
u. 14, loja.
Offerece-se uma s, nhora para cosinhar em
casa de familiar ; a tratar na rua do Padre Flo-
riano n. 28.
Aluga.se o segnndo andar da rua do Barao
da Victoria n. 14 ; a traatar na loja do mesmo
sobrador-
Alug%-se a loja do sobrado de Lomas Va-
lentinas n. 55; a tratar na rua do Barao da Vic-
toria n. 14.
--. Offerece-se uma escrava para service de ca-
sa de pouca familiar; a rua Duque de Caxias n. 48,
Aluga-se o primeiro andar do predio n. 10,
A praga do CommeFio : a tratrr no pavamento
erreo do mesme pred&o.
Precisa-se de uma ama para cosinhar e
engommar; na rva da Palma n. 26.
Aluga-se o andar terreo da casa n. 41 A rua
do Rangel ; o 20 andar do sobrado n. 84 a rua
Estreita do Rosario ; as casas n. 1 travessa da
Hera, no Fspinheiro, e a de n.... em Apipucos.
Precisa-se de uma aia, e vende-se tires ve-
nesianas; na rua do Imperador n. 49, terceiro
andar.
Precisaise de um criado e de uma ama para
cosinhar ; na rua do Gervasio Pires n. 30.
-0 desembargador Henrique Pereira de Lu-
cena perdeu a apolice provincial n. 2839, do valor
de 1:0000, pettencente a sua filha Maria Annun-
ciada Carneiro de Lucena, e para powder requerer
outra em substitui*o, faz a presante declaragao.
Previne-se aos licitantes que a part do so-
brado n. 127 da raa de Marcilio Dias, acha-se pe-
nhorada e adjudicada, per executo contra Inno-
cencio Jose de Miranda e sua finada mulher D.
Theodora Gomes da Silva.
Precisa-se de uma ama para cosinhar e en-
gommar : na rua das Larangeiras n. 15, 2.0 an-
dar.


Precisa-se de nuna pessea corn peuno capital
para entrar de sociedade em uma venda, quem
quizer dirija-se v rua Vidal de Negreiros n. 143,
que se informari,


Vende se urn eefre pequeno, prova de fogo
a tratar no pateo do Tero n. 40, padwria.


Precisa-se de uma ama para cosinhar: na
run de Gervasio Pires n. 30.
Modista
IRKa da Praia ua. i6 n*adar
Eduvirga Maria Coelbo iipia s sluassnu-
merosas fegueas, que dispondo doe habeis os-
tureiras, e tendo por norma os. figrinos mas
recentes, se acha habilitada a oatifar qualquer
toilet, come sejam : par casamento, bailes, thea-
treos, passeios, etc., enchovaes pars baptisado, e
preyos commodoes.
Ama
Precisa-se de uma ama para lavar e cosinhar :
na praa do Conde dEu n. 10.


/vim
Preciss-se de uma an
cas de familiar ; na rua do '
numero 81.


pars cosinhar em
icoue de do6yanaa


Urgencia
Precisn-se de uma ama de leite ; na travessa
de S. Pedro n. 8.

Professor
Na rua da Aurora n. 55, lo andar se dir, quem
preeisa de urn professor que possa ir para. urn
engenho muitoroxlmo a estao da lha, ensinar
a2meninas as seguintes materials: portuguez,
franoeez, musical, geographic e trabaihos de agu-
Iha.
Quernm estiver nas condicoes acima mencionadas
queira aunciar-se ao referido lugar, atW o dia 12
do eorrente mez.

Caixeiro
Precisa-se de urn caixeiro de 14 a 16 annos, coan
pratica : rua do Hospicio n. 34.
AXTA
Precisa-se de uma ama para cosinhar e conm-
prar para casa de pequea familiar: na rua do
Marquez do Herval n. 187'A,

Procisa-so doers as uou nir par& casa do
familis:na rua daunao n .

Aluga-se a casa terrea corn ota, a travessa do
Apollo 8, propria para official de sapateiro, al-
faiate ou barbeiro, em bomrn eetado : a tractor an
raada Ouia n. 62 (Rcife).
I Ajuga-se
A easa toesa n. 4 a ustravesa, do Freitae anti-
So TSindade,:u 4botaos fbndos
do 7td!eara-


as-se na I
a.62(Be


geat 0m s-Bil garsup a 0premios
ie lus: quartos com asorte deo 100#
310 n. 181, alm de o itraimais de, 32#,
16# e 8#1 da lottria n. 34.
Convida aos possuidores a virem rece-
ber sem desconto algum. '
Acham-se a venda os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 35 em beneficio
da igreja de Pedro do Recife que so
oxtrahirA quinta-feira, 8 do carrente.
PRECOS0
Inteiro 4:000
l9elo :000
Quarto 1:000
tendo quandtldade superior
a i00:000
Inteiro 3:500
welo i:91 0
Quarto STS
Joaquim Pires dcia Sla.


CASA BA FOITUNA

Aos 4:0008$o


Rua Primeiro de larfo n, 23
0 abaixo assignado- tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes dous quartos n.
3954 corn a sort de 800#000, um inteiro
n. 436 corn a sort de 2004000, umn inteiro
n. 1800 corn a sort del 100#000, 2 quartos
n. 181 corn a sorte de 100#000, e outras
sortes de 325000, 16#000 e 86000, da
loteria (34.8), qfae so acabou de eftrahir,
convida aos possuidores a virem receber
nas conformidade do costume sem lesconto
*gwn.
Acham-se & venda os seus afo tanados
bilhetos garantidos da 6.- part das loterias
a beneficio da igreja de S. Pedro dos Cle-
rigos do Recife (35.'), que so extrahira pia
quinta-feira, 8 do corrente.
NIECOS


Ein q


Inteiro
Meio
Quarto


4#000
2#Woo
216)00
165000


luantuddade malor de 100#
Inteiro 36500
Meio 1#750
Quarto 6875
Manod Martins Fiusa.


Santa Casa da Iisericordia do
Recife


Copameendador Blia& *aptista
Tndftd Silva
Tend6 a Ilrma. junta administrative resolvido
Laser eelebrar no dia 10 de maio de cads anno
ura miss solemn corn memento, cantada pelas
edscandas da easa dos expostos, po eterno des-
canso stern d Idma do commendador Elias Bap-
tists da Silva, bemfeitor desta santa ecas, convi-
da aos parents e amigos daquelle finado pars, na
igreja de N. S. do Paraizo, pBas 8 Aoras da ma-
nha do dia 10 do corrente assistirem ao piedoso
actor, que teri lugar por occasilo do 10 anniver-
sario do seu passamento.
Seeretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 6 de maio de 1884.
0 eserivio,
Pedim 1R.imis-a a A nxuza.


D. Maria Jo a.mla da Costa
Axevedo
D. Maria da Puriflcago Pereira de Gusinao,
seuns filhos e noras mandam resar uma misa e
memento per alma de sua presada cunhada e tia,
Maria Joaquina da Costa Azevedo, na capella do
engenho Covas, ais 8 horas da manbia do dia 8
do correate, setimo de sonu passamento ; e para
este acto convidam os sens parents e aminos, a
quem dedeja. agradecem o caridoso obsequio.


Tito Jose Cardoso angel e filhos se confes-
sam muito agradecidos todos que fizeram o ca-
ridoso obsequio de acompanhar ati o cemitorio o
cadaver de su a sempre ehorada esposs e mg; e
lIhes pedem ainda o de assstirem as mi:sas que
pr abma darmes mandam resar tera-feira, 6
derente, pelas 812 horas da manh, no con-
to de 8. Franeiseo.
A~au~ Je Ulmi Ate Ot
A directoria da Associa= oPortugueza de Be-
neficencia, manda reta ur missa por alma do
finado cousocio Antonio Joaquim de Si, quinta-
feira 7 do corrente pelas 7 e 1/2 boras da muan,
ana matrix de Santo Antonio, paras a qual convida
a todos oe associados, familiar, parents e amigos
do finado.
Recife. 5 de maio de 1884.
MwMaod artins Captao.
a2eseearew.,
Ig~bft*B, rrekswes deterv
BflhidabE


V&so setendo reunido a assmblba goral deste
instiututo no dia I do corrente, por causa da muita
chuva, foi a mema assemblea transferida pars o
dia8 is 10 hora da manb, pma a qual seo con-
vadadOb todos cm ocilo.
Seietania do Instuto dos Proferies de Per-
nambumeo, 5 de maio do 1884.
S010 secretario.
Galduw Ratero Crio dei Britto,

Prea se ci da dwwaa a iaa mns. ntam. esainhar e


dot


#3. U. 0d LEVY & C.

N. 25-Rtua do Bardo da Victoria-N. 25


I g//


H 1 3
Fool
0



(D r








~CD
CD CDg







(D
(D P85
Crt 5=C













).4.-
S3
2.


I0^





|^
(D trt .
I P.- CD
SP0
CtD+ F:


D I?


PREPARADO NINOSO DEPUIlTIYO


APPROVADO PELA ILLUSTRADA JUNTA DE
HYGIENE PUBLIC DA CORTE
AUTORISADO POR DECRETO IMPERIAL 3DE
20 DE JUNHO DE 1883


COMPOSIQA~o


Firmino Can6i6o be Figueiribo

EMPREGADO COM A MAIOR EFFICACIA
NO HEUMATISMO DE QTUALQUER NATUREZA,
EM TODAS AS MOLESTIAS DA PELLE,
NAB LEU'CORRHAAS OU FLORES BRANCAS,
NOS SOFFRIMENTOS OCCASIONADOS
PELA IMPUREZA DO SANGUE, E FINALMENTE
NAS DIFFERENCES F6RMA8 DA SYPHILIS

DOSE-Nos primeiros seis dias uma colher
das de chli pela manh! e outra i noite, pura-
mente on diluida em agua e em seguida mu-
dar-se-ha par a colheres das de s6pa para os
adults e metade para as crianqas.
REGIMEN Os doentes devem abater-se
apenas do alimento acido e gorduroso ; devem
usar dos bauLhos frios ou mornos, segundo o
estado da molestia.


DEPOSIT CENTRAL
FABRIC APOLLO
Rua do Hospicio 79
PERNAMBUCO


I------


cea
ca w
ca'

00


.4a
S..~
04
9:k

0
0

PIIZ




f, k

005
0
45|
too
.s .a






CO (D
(1) Q

^101


ELECTRO-PLATE


Vendeose, por preps reduzidos, lines artigos prateados, quer
para mesa, quer pars ornamentos de salas, toilets, bavendo ignali
mente ai variado sorlimento de artigos proprios para presentes,
artistieamente aeabados.
42..RIUA DO IAII4UEZ BE OLINDA...42
1. andar"


<0 O I ^ T E

JOSEPH KRAUSE a C.
Acabam de augmentar o sen ja bemn conhedido
importante estabelecimento i rua Io


de maro n. 6 commais
un sal, no i0 adar luxnosamente pepar.
radoe provido de ma exposi.
iso de obras de prata do Porto e electroplate
dos mais afanmados fabricantes do
mnndo inteiro.


Conida, pis, as


ilias, sets ume.
BZS a viitarem
to, aim do
bonl Cosque


ietarios


0

0






M


I


*16'
j


I










h


[lt I


LI


AiRlkIII) t~ Oku -rm ll
to, Sabatio ^tfeandy, Calent A, rl-A BB X
querque. ...


dla Im rXt.s n. tzea.-v -,-,
*'SabAo eaVeaA. LAmTY. tendon recebido em de posito wa graTde quan3idde de



Mel T ixe, a tt s vida aos seas pana- ILOGIOS DE PRATA REMONTOIR, tern resolido e -o a enda polo dimi-
te e amigs e tamlaem dacia&ada, papa asmstiem! lpsee de 15)000. Todos estes relogios sao matadoa sore PEDRAS IENAS,
a missa qu, por aia de doa seupre ]embrabia n pguilacores e de qualidades garantidas.
prima, M~ia Cazbts. do IIego 1lesa, .manda o glo de q"aldade gra. ..
cerrente, As 8 114 lr da manhA, trigesimo dia n-I V ii
de sea parsamento, enfesando-se cordialmente

all.. 4. mser~edia do tiIE E IIIV IU L

fecife PRAVA DA INDEPENDENCIA-NS. 30 A 40
*- CHAPEOS E CHAPELINAS PAQA SENO!0WAS

Gato liis rats a [o cmras coff i
Dr. Innoceuceto Seraphlteco de B A nnln in n -il
----- m N ThTIn l m rw0 oaw-a &Ted xl dm
M A lWiiia -Ba~o6wi aosa seus panjna IRELOG9-108RPB





Tend a Iima. jmita adomWistrativadesta santa
casa de fazer celebrar no ia 6 do corrente, 30
do fallecimento do ei-mocdomo Dr. Innoceneio Glwf0os 0M Bdlia Ufi I1(11 0 jllia sB0l mfl ii ia B
Seraphico de Assis CarvaLo, na igreja de N. S.
do Paraizc, peas 8 has 4 Ia manha, uma missa m a
de requiem, eantada pelas educaadas da casa doet .
expostos, tonvila a Exma. familiar, parents e _- i E I I
amigos do falleeide ; assim om aeos membro da
irmandadepara ssistirema pesse piedoo acto. die9 [ 1S ll 011 Ijl U 1 U .
Secretaiia da Santa Ca da Misericordia doet0 do ft n mi18 lUMDl0UB l9 o dfli
do_____ecie, ___do_________ a lDnnio oos[o sat il0a 118to 1 uh a a M_ idi I.
Recife, 1 de maio de 1884.--.) escrivro, m
,..__ __ __ ,. ~ U, ... _1__ i........ .. ..


UIII* CijIIWOI cofl iJo~ lD1 DIII m~I~II [Wl hB usmuiuim i fiuim.

e+j *iu M e e o aiimnO sortum toiimi e 0 m ins, DMI S, fiIts ,
Sg o fil 0 n Qu 0' tnuflut a wats aa an t b chas o
Asevedo
Joaquim Domingnes da Costa, sua mulher e
filhas, seuicanos e msana, suas cunliadas, sobri- 1 r s drQ l 111
nhos e solrinhaa, do intimo de sens ,ooraVUes se do Pr d pdI o l'sismo
,eonfessam grato a todas as pessoas de sua ami- t d. rincipA m0
zade e da finada, quo se cignararn aeompanhar
t o cemiterio pubice os-mstos mcrtaes de suaEsta Casa reco rca l o R [paBga sD Cra s 11-
sexapre promtea4a tnai, sogns e av6, Maria Joa-
quina da (]osta Azevedo, eode novo lhes sogam a fta+ df P 0 fl IW Im li UX IIJ iW ii llruu~u IW
assistirem sm m m ar s alma s er(lad Paris o 16 ha s rAI liM U!I I HU s IN-
celebradas na matriz de S. Jose, as 's7horas do nlinanl
mauha do dia 8 do corrente, setimo dia do sea i P
passamento. Special eterna gratidao A minesu uALIE
.regedq-a do SS. Sacramento de S. Jo6 e A so6iea Joaq uiinm da S. C arvallo & C .
-dade dranica-Nova Thalia. Jo IM. (1afn~ S\ tCarvalho -K &
Joaqirim Francisco Vieira convida a orders
terceira de S Franciseo e os parents e amigos
do fluadocommendador Luiz Gongalves du Silva, tAP L IA IIT l
para assistirem a uma miss e liberal m n, que por
almt do sou ehorado amigo manda dizer na igre a t0-i 6A1 do eorrenL 1PE. T Oi
ja de S. Francisco, na terca-feira 6 do corrent',-
'is 7 112 horas da manha.

Fabrica Vall[mo
Preclsa-se de um pequeno para o balceo. .-
do- urnco. ..
Attengao
Precisa-se deumcosnheiro; a tratar na rna r ii "
da Victoria n. 3.
Prolonigamento
0 Sr. Exechias de OliVeira, machinist, do pro-
longamento, rogado a vir i rua Direita n. li, ,
viado branco.
Ama eosinheira GIANDE OFFICINA DE ALFAIATE
Precisa-se de uma ama para casa de familia-: T
na rua do Rangel n. 43, 20 andar. A 1A
ACaixeiroJIAUIJA LLUMilSA & I.
Precisa-se de um caixciro dc 14 A 16 anxo3,,
que seja portuguez e d&informac5es de sua con- do
ducta, para segundo caixeiro de padaria; a tr- ..41--.R do Barawo da Victoria--
tar na rua do Conde d'Eu n. 14. ,. ii i
tar an ru do Condo d'E 14. N'este acrditado estabelecimento se encontrarA sempre um s3rtimento ; re-
Ahlinanak -plpt do pud e s fia6sd casemira de odas as cores, proprias para costumes e calcascom-
~Acha-se~xposto vend&a e i"oebe mi ^w ente L fazendas por todos os vapors da Europa. Brim
riaas desta cidado amamak adinistra liran a o e k es, *- I s as fazendas tendentes A uma casa nesse genero de negocio.
tivo, mercantla. diw t 0 Apftwsta'." stames para luto em 12 horas.
cola desta provincial paa o corrente anno, Dispoe de wm pessoal habilitado e corn os melhores elements para servir
contend as disposic6es relatives aos telegramr- a ,eus amigos, e a qualquer pessoa& que quizer honrar seu estabelecimento corn suas
Ms, o deereto n. 2827 sabre Loeao e servings, e anc mMend ri
o regulamnsento de 12 de janeiro de 1872, acerca .comends.
da limpesa e asseio da ciade pela Recife Drai- 41- o Bd Vico-41
nage. 4 Rua do Bro da Vitoria41


Precisa-se de um menino; na runia de Sata
Thereza n. 30, taverna. S 1
Ama


Precisa-se de uma ama que engomme e ontenda
de costuras : na rua do Riachuello n. 57.

) Leite de Alvelloz
Conservado e garantido polo 1harma-
ceutico
S Antonio M. Veras
{ Cada Ni.lro coni as.instracoes 3.000
S Os cffcitos obtidos pelo leite do alvel- I
( ) loz do nosso estabelecimento, s&o a me-
SIhor garantia para que'n desejar toer es
to rmedio puro.
i sParmacia Pernambucama {a
S Rua (do Cabuyd n. 11
~ff~ -' ^ ~-"_ ^t

ATTENCAO
Mathues Austin -& C., na rua do Commerci.o
n 18i teem para vender madeira de pinho de


rezina :
3X9
3 XI12 .
4X9
1112X 9
Em lots ;. vontade dos compradoreo.
odies.


precos


Casa e grande sitio
Na Twmarineira junto a eataiA(D
Aluga-se cpn 2 salans, 4 quartos, sendo 2 gran -
des, 2 saletas e 1 dita para engommar, cosinha
fora, gaz em todos os compartimentos, sitio gran-
de corn arvores fructiferas, 2 caeimbas, 1 de ex-
cellente agua de beber: a tratar na rua do Co-
ronel Suassuna n. 220, e no Recife, A rua do Ano-
rim n. 66.
N. 24,360
Roga-se ao Sr. AIM (1d0 e nere.o Mello
senior do engeol Vaame GrIn "o a0 de -
ou mandar a-rmua do Rangel n. 51, sa.lH
numero acima, pois jA faz mais de um anHl.


LEITE NATURAL
(SEIVA) -


Cll#DuI IUES & tli
Cam ftl~iin Ae alhaialt


ALVELOZ m 'i A


CONSERVADO LIQUID 8EX ALTEMAR-S j" q
0 ALVEL0W, plant da familiar das euphor-
biaccas, que kabita. os ness"s sertues, 6 hoje reco- e t d(
nLecido como urn verdadeiro espccifico para dcs- t
tnfir os epithbliomas ou cancroides, facilitando a
renovango dos tecidos atacades, o traaudo final rias
uma cura complete, sem outro tractamento que a n ,
applicaca topioa de sua soiva (vulgarmente leite) jj|) g
como caustico.
Slo numerosos os casos de cura, alguns dos'
quakes ja lovamos ao eonhecimento do public, em pnar
diversas publica5es, pelo illustrado clinic desta
' capital, o Sr. Dr. Alcibiades Velloso, e optimos re- !
sultados tambem foram obtidos nas feridas e nas
nlceras chronicas de character syphiliticas. 1
Recebemos do interior da provlr-.ia. (do Brejo ra lu
da Madre de Deus) de pessoa d,.- -oc,.. i e en-
tendida, a seiva on leite de alvelo : s.,rtanto, po-. A
demos garantir que 6 e cclhida da ver,-. :cira plan-
toa a que expomos A venda, ,onperp-:,i: ,i l modo a
nao soffl-er alteraq9o, e corn s 1. c-'ia }iiwe zae ]
para facilitar a sua applicae',, cvn sginuana
born resultado. *-
DEPOSITO GERAL


Pharmacia


tholomeu &C.
34, Rua larga do Rosario- P'...riasbuco

Alugawse por barato
0 1', 23. 3' e 40 andares do sobrado a rua do
Bn= 4. 84, todos reparadoe e pintados de novo,
corn bfastsantes, commodfs para familiar ; a tratar
ome qwal"Bi9 s andares, Arua laraga do Rosario
numero 34.
Pw 25:000 rs.
Aluga-se a oaaM n. 24 da rn S. Joio, corn
b aceommehes, e e ada ; a tra-
t a rua Dgm de Caxiaf n. 85.
Precisa-se de uma ama que compare e cosi-
nlhe.: a rua Duque de Caxias n. 48, 20 andar


Sant


emI DomII otrllell-
e pannos, casemi-
cheviot, elastico-
brim e minerin6s
ftie-os.

reparainm ternospa-
ito em 12 horas.
odieidade, preste-
perfeiao.
squina da rua de
o Amaro.


kno 1111ireiros oi smats [

Vende-se uma part do eng,.nho Utinga, tendo
muitaS madeiras de construction c qualidade, boas
mattas, perto da estav;o do S. Lourengo d., Matta,
vende-se tambem una impanada patente eom to-
das as pertenias, propria paaa ciisa commercial;
a tr'atar corn os proprietarios i rua do Imperndo-
n. 77, taverna.
Pede-se


Ao Sr. Franecisco da Cunha Moreira o
vir A rua do Socego n. 70, a' negocio de
resse.


favor de
sea intt-


21
a
4
D


PAM Op Rw IrC^rb wtawtaPAM
^^__ AUEV- i, Ja R^mfm. s, U- fUf

alto do IanA" ga
C'onhecido sob o nome de Therm.ra dos cabellos
Bnao 4 mis do qUw o oleo sawncidt da PFirs japo-


eon. sW iap iamel preparado ailem de o rnm exeelente t6 mco, IcoUEWcHiouToscConws-
macia e d& brilho aos cabellos, fal-es crescer, impede-os de cair e a PuiO i
Iia -na m abega, um m yoma delicioso e te prsiastente,jAue ae sente Tstca ulO .
nuito tempo depois- do tel-o usado. F I

WaLIMI j ARio de Janeiro
Pnepsra-ze -Umbem aMo dlo &6 utmg drom e os Mgnies pernum" DE TPOSITO GERAL
tqfTVICTORA NELWoRBPE M9Z=8AL OLETA ^ R.lhm rd~ rot
5.BUw'Wm 1IT JASMIN -mmt HIM yWj IT-JloS 113-Ia PdmeTlrodeo ce< 1
E' JO EY Ct I, A I YL YLA L Unico agent em Pernambuco
| ACHA.K 1 U DA S S ADAMISON ROWIE 4k C,
N.---3 Rua do Commercio---N.---3
__-__,_-_____ A venda em todos as boticas e drogarias.
JIM 441M tedos-as Perfumistas e G abUeirelros t^ llf16 ^it
faimrae -do Atrangeiro W p mas barato
A casa terrea sita 2 rua do TambiA n. 5.
fA Casa terrea da rua da Ponte Vclha n. 22.
A easa terrea da Baixa Verde a. 1 C.
A loja do predio sito fA rua do Calabouco n. 4.
^b 9'1?4riIi^ SA' tratar no largo do Corpo Santn n. 19.
^ M l?^ d~~~~l^^ PBEPAMADO cAOM BISuuTH0 I P n lO~
0Por O-. F y. RPerfuista a A DU0ABELLO
IR. .3 9 MIXZ0, -4e j_ a ^ ^ ^g^^ 9tq- :F A
MR A N EW Chegou nova re-

messapara a Livraria
il. ) 1 | ZFranceza, a rua l.de
a jaIope s Casca de Larana ar-arge- M arco, n.
OD U03LRETp d, OTeS8IO O NIU DE PC)STO
MA13'CADO P9LA JIVTA Dr .TiWNDBND O 2aAM lL 1
odo a-un-- .c... Paspropriar- Esteag3te ms&detos aCS J~ loC:;tc(o do potasso. Os 3mais solucaoc(,;a/agua.Vltaipci"nvy!Xiu*'-- T *m
diailactOS medicos dq Faculdade de medi- o irritar a ucoss i etf o a o a ^3^ A RA TI nNlACI AL
cim de Paria, eprib4ipalmcnL as S.irs minar acce s gastralgieo. A iMATICA NACI AL
SDTs RIGORD, B.LANC.B, TRoussrAu. Em vista di'iistG,osmodicoaacimaiagi- D
N3a'IoTO. Pim-tY, Roea, obtinerao e cioua &, e.icolherfopoperoxcipientediste D I
mithoe resultados 2o trar.cmenIo das famoso remadio, o "aorope do 6o, mta J. A. DE CASTRO u NUNES
afeabs9 eaoraphnwosas. lymphati- do iaranja alaga do La.one, o qua.'., Annotada pelo professor
m q canoroaas, tuberculosas, nos da p0r sua ac&o tonica :3)bre os orgos do I
dLos oasos. dos tumores bran- apparelho digestivo, fwciiita a a AT0 JJOSiE MARTINIANO DE SOUZA
,df papairm ou Jocio, dos me- de iottare-to de pocssio, preme v am j. Acha-se 4 venda
l astuohronioas da pele, da agrua quer -iLaAo epermIttequeoifcOlin""; Na Livraria Industrial, a rua do
dl sgum, idosaoidentes secunda- o trvc.mento rem temor de .-enhak a d Vti. a d aii
W .a m rolaries da syphili, st. acmieiate atW complatoresabelec.nent. | Baro da Victoria n. 7 c nas demais Ii-
S vrarias da cidade, a 1 :000 o exemplar
Sm1 mwao dpositosaah&o-se os seoguiateeBp20ductOB J.-P.Sf Am zs 4
J inciAnr*eac~eTt ptAHTiafiiRyn V90 Am l S
doeCanade A q
IAROPE LAROZEtlW=t.ara* arga TO8RCO, ANT,- _,
a L Gatrt. GtralgRaO We~ paia, Don o *Co 4 e a. Na rua do Condo da Boa-V ista n. 24 B, precisa-
as Ga g. t, Io mse de tres amas ; send para cngommar, lavar e
oaua ,. aam. aga ~ T D O di '0 outra pars service de casa.
UUPE SEDATIVO1? "a BdBOiWFLETO DE POTASI outra pamasciwto d so
Cum~~aela. yataI~o. Dnnna deS. GeV, 2imomnla damA 'nei~at
I ~ ~ ~ t VtiUC^C01^nfeca= ft laranjaa^f-'?(ST CEE^K ~ l vu lllmm dei C
IRmOPE FERRUG!lUSO!Pa,r.. OT I OUt R ETO F. A f Precisa-se do uma engommadeira ; na rua da
OW .as-r.i. a'xro- Anemia. aorea palUdam. FAr6 ranaBait JIu Aurora 1 65. d
A|""ssga m teda u Eo ns 9rl 1 & I r
Paris, J.-P. LAROZE e 0, Pbarmactit 1I
RUE ). L03IONS SAIli-P'JL, i J

An, C A0S 4:1000 00
BILIETES GARANTIDOS
Pra~a da Tndependen-
SRheu~mati*sn oIs+Gota iap~a.

SCIATICA ANEIA- MOLESTS dos OSSOS PARLYSIA -VELHICE PREMATURA cia ns. 37 e 39
NOVO TRATAMENTO (Numeroso attsstados5 POR MEIO DO 0 abaixo assignado vendeu entrt-os seus
BANMIJ AMTI-I ED ATICO doD LAMAmA felizes bilhetes garantidos a sorte&de4:000o
Icm 2 meios n. 38, a sort do 100,000
Er, EIPR.:GADO NOS HOSPITAFS DE PARIS em 2 quartos n. 181 1 bilhete inteiro n.
P.,A.IS 146, riaaclid Bao, 4e -AkIS 1705 tambem c, )ii;sorte do 1000, e ou-
Ahbatameonte sern perigo, senm exigirbaimeiro especial, oBANHO MflI-RHATItO do tras sorts do 326, 16.3' 8, da lotoria 3
W LAMAU opera as mais rapi as e inesperadas curas e o allivio 6 immediate logo a lota
oom 0 primwir" banho. (Urn frasco 5 V6 expedido medeante valle postal para 3 e 6fo'.) quo se extrahio.
Convida aos possuidores CIL virema reee-
EXTRACTO DO REPERTO.!)? DOS ATTESTADOS DE MEDICOS E CLIENTS bConvida aos o s ors vir rece-
S e car a anI, ber sem dsconto algumn.
abtevlgo 'sa certiflear-Ib. que o jos-n I.. no *i clionte Doslo. o co'coa do Pari> .saifria dc J.'res atrozes. Em 1877 0{ { abaixo assigfnado telln exposto U
obteve unito born resultado do e)n'.go di -,u banho p5ssi n,, m /.os ,le ernos e as l. e c 1cS3, urn anno
1 ati-rhenas.ico. D' r,; WUL;" ....... fL:L!o. 'ic.a .oiio f.i:>ir de eu ba.. io ani- venda os sOus felizes bilhetes garantidos da
14, rua ("ucier :. rhJ s-i ,un .,ut, tz-uso a Ieth'. Tomei sei banhoe pnde levan.
Me ca-o tar-ce la ....... qi, na., fazia hbvia muito. a 35a loteria a benefieio da igreja de S.
J K M eu taro coll-a ^lito-me frliz emn azea.J.oi]. r-lhc e i1ruolamar em alta
O resultadoa ue (be'OT co.. os..u c ,.,a-.aas c .. : ...-rh ..nma- .' a ti"rt.a. .ar dei ,.... meu aunerosos clients e Q P edro dos C lerig'o do R cirfo, qq U so ex tra-
rico excedcuaexpectativa do mea diacle a sinba. tt.los os qa. soffrem potmat pr sna -ez a roveitar-so
Queiraadar-mem3fascos. do;la. LrriePapeLOria OUPra, hirl qtinita-feira, 8 do co1Tente.
De V. ii.. etc D"CA' BNpe rgra aeai aul Vieux P i,
01 S iq^nssmau.dnsDrt (otctGac'ennc. 7. rua Aeabojot Pane. Pire^OS
Il.-- Sir Dutor.o. Bilhete inteiro 46000
ii' 3e caro coilega, Fiz nso dsseas banjos e atata-m rems .e
Tire boan irfosrmages so, re os resnltados obtilos corn mailor.
seoe banho alni-rheumatico. Queira usandar-a o aps-e.- Queira maniar-Bie mais 12 frascao. I e'eo 26000
recto indicandoomododo usare a prodo seauprotparado. AI.X.AND5LE DFUCcIWA. Quarto 16000
S De V. S., etc. SUBE t~ttt em Odessa (ui)
Medico chef'e do Hospiceio de Neeroa, ^- ---r-t s l c Emn poaio de 100000 pala
Men care college, Experimcntei rannae alliv.;o corn o3 sen. banhot anti-8
Acabo de experitentar a ieu banho anti-rheunatico rleumaticos, quesra mandar-me mair si'is frascos. lima
folgo em inlormal-o que c resoltas o foi dos mais otavei. L. aDE I'ALIRRE\WKI, Medic., B ht intoI r 3650&
dJoecinoni-q eor de.milt ~udsmis ditaveu. em IIuttha (Ducodo dc Posett). \J Bilhete intciro 3-00(
Tres banbos bastIrans pars p.r do psr i ss dias i- em I t iucad ocP id.
-i ensionista do O,'lh linato Ia hinaculada-Concei,.a,, qir 111"* Str Doutor, "' I C0o 1" (750
musa fbre inteansa e rkeuaatismos poli-articularcs ;uIdos Tonise grande satista Ha detinh qa na camr. minhi curs. Quarto i&75
^^ Ha iS dias que recayerou os movimrntn e a cura B V. S. pdde dizer, nao 36 que ron-Bn, cimo qne cnrou
so lem desiaentilo. D' FICHON, mais de cem petsoas que an saherem da misila ca.a ope. Anto.io Autqnsto dos ISantos Porto
em Vitry-s.u-Seeae. rada por V. S., O fora nd procdrar. Ae a..
Wt ________ ~~~~~~~~~FERMQONT, Acougne aes Arene, 1 --------------------


Ii 5Cr D' L-ps Rac M lfl-oije. 3S.3 Parns. fV\ m ( 1 f 'T t
\S ,111., Sn"r D, A A D O II& 11 I0&
Com to prazer attesto o segainte : Gramasos se Tenho o prazer de conmuni<.:ir-lhe qua ma do inhas1
banhok eatoeado pi b b a A ees. ao pass qtic havia sett irmnis, que fez uso dos hanhes anti-rheumnaticos. obteve
annos qu pmaava regularnment osels mezes por BmO, consideravei e prompt melhora logo corn o primeiro i
do cama. FISSOT, banho. Corn o terceiro ella poulc levantar o braio direito
Impasse Dulot. 8t, Pars, ai6 a cahea, c, eisa ne ao fazia havia scisra mes. c
Seror NIARIE-ANGELE, Srm dos Fill,,s de la Cro,-' "
SI- SfirD' Lonan, m 14% rua d& Bac.. a-n-q- Ai 82 -u cs Abb4-Gr t0Pa0is.
Madasn. Lonagueajarrc (ao uou o.tern o su qaimto Andei de mnllas die 15 do setermbro de 1881 A 25 de 4 0.0 0
banho. Hoje a:'ha-s! p',nie;tAmcnte bem; pde andar a J rereiro de 1882, ape ieo scnte a mnmor d.r. i ftis haboai Scis banhos do D' Lama. curaram-me corn- 4 BI] gT I TIn 08
&nDe a V. S., etc. LONGuEMN ARRE, etarmente da dSr sciatica e qu o soff'ai havia um annao. l
SS Commi-rc, tiansito c fretamento, CREPEL, ll ll 'l A n I
ri m. Lzt J:'hdnrd-L,,nc. Hanre. lssy, Grande-Rue. 44. em St-Nicoias. dLU T !1
l ^IfVEQ, fl'S-J g fiF! do3)' L3 A.BET, 5 fr. o frasco.- Remesa medeante valle Rila did Barao da Viet4ria n. 44)
f L Al.w L MS 2 C B il Hll postal, Cpartir de 3frascos.-Soberanocontra Defluxos,Catarro.
DopCctausluche.Tii--. 00 'usg.l ditgoisnoCuraemoitociasaaFrebrancasmaist'aaes. e easas do costunu
1" Depositarios em perswambwe: itA N- M a SiLV, b 'A e 0 abaixe assignado acaba de vender
IL^^'%"'^ ^^ ^3 "y -- em seus felizes bilhetes doms qiartos de n.
3954 corn a sorte 4e 800400(, dous quar-
-., ..... ..-?.y.-A -^., -..,. ..,-^ ,-tos de n. 181 corn a sorte de 100? e di-
.. .. versos premios deo 32000, 166000 a 8#000.
;?j| 0 mesmo abaixo assignado convida aos
;^ --B- :1-,-,1YE possuidores a virem receber. i conformi-
S ) ..a... ainos pelos .Medicos de it-.4os zD wimt .i' dade do costume, sem desconto algum.
f -.s;c-y C'3 sac (.5~ Ce O2-?5o, HydrCnisd .BrOiSchitO as *.rVc-s, '^ Achamn-se A venda os felizes bilhetes
--* ^z,-*i." c.-?. ^th:,s?2, et_.., canim, cu iG.:.ias Venz rsrtiabcoes (in clpc'da:;,o. i g-.caranf sm eu ii^s nee
S o C garantidos da ';." pnrte das loterias a be-
Er b f:':,'- !A E f :?. neficio da igreja do S. Pedro dos (lerigos
Gas A EI do Recife (35.s), que se extrahirdna quin-
E B OE GEIN hf, 1 ta-feira, S do corrente.
Cie :B 0.f I* I BIS. LF n


24,10M d'Ouro da Cc..das de do PMasiic d Parw .,
Sa d3iReOuc o ddwaiiins .Bnttean 6 um dos melhores hnmostatUcos. As 6 ,-rz 7.
dA'rtvoWini ec jo.$caw sio empregadis para facAitar c trabhel do pa.e<
d e faa 7 rar as hoznrhagias, de qaalq'.P-z naturema..:.
Oe o) Geamlw tPharmacia LA4fLONYE, 99, Pua fAbweMr, m s ao
'^W9WW^ B.ip oali |. 9US ?SPftB, ft aift CM & U a U3Li


Inteiro
Ifeio
Quarto
Em porIo


46000
24000
16000
de 10000oo@ para
elma


Inteiro 3,500
Meio 16750
Quarto 6875
Jodo Joaquirm da Costa Leste.
Aluga-se
a casa coin inuitos commodos e grande quintal, na.-
rua dos Coolhos n- 15. esquina que volta para o
caes do Capibaribe : trata-se no largo do -Carmo;
casa cc banlhos.
Olaria
Alugass' a da rua de Maciel Monteiro n. 10,
outr'oja rua das Barreiras ; a trqtar na rua Du-
que de Caxias n. 61, loja.
Cachorrinha rateira
Qasm perdeii uma cachoTrrinha rateira, queai
procrmal-a na fabric Godinho, A rua do JWMdiM
numero 19.
Ama
Precisa-se de uma ama para todo servi9O de
umi casa ; a tratar na rua dc S. Francisco nu-
mero 54.


A .


PARA ACUMnA asONCsnr
Te~ssE.AmrMAjh0NCH1TE


F t


i!

"'

I


" II .. ... Ill --L- -qlwA sIh Iktmtol dm I on A 9LI A n I.l irTflt n WiMAilnil tlii nii irl nn-ifnn 4


1 i L, u k


e dropaim de Bar-

















e mao Te~s e,i


tai4u016iOca UnMgran-

4e e variad OS rtimea

Iode reloigiosados mai,

acredltados fabrican-
tes, e se aham habili-

tados a veuder mais
barato do que outro

qualquer, visto rece-

berm directamente.

Todos os relogios

vendidos n'esta casa
so. garantidos.

Ra do at g 1.

Copeira
Offere-se um copeiro corn todas as habilitaoes
para este fimn, e garantindo sua conduct ; a tra-
tar no largo do Corpo Santo n. 2, 10 andar.

Ama
Precisa-se de urma ama que saiba cosinhar a
tratar na rua do Aragao n.2.

Ama
Precisa-se de uma ama para engommar, para
casa de pouca familiar ; a tratar na rua do Hospl-
cio n. 46, casa terrea.

Leite de aveloz
Para cura de caneros de toda a
eSpecie
Perfeitanente couservado liqe.do gramo a cm-
dwsado, approvaday pela Exma. junta de bygime
public do Rio de Janeiro.
Privilegiado pelo governor imperial, pela e4
eia da sua applica*.
Os frascos trazem o retrato do bacharel Jto
Baptista Gitirana Costa corn a sua assignatna do-
Droprio punho e sao rubricados corn tintsa wxs
nada pelo cirurgilo dentist Nuna Pompilia
Unico deposit em Pernambnco, rua do B1eo
daVictoria n. 54, 1 andar.
Preco de cada friaeco pars cancros 64000
Para ulceraoes e grannulaVes do collo do
ero e cancros syphiliticos, formula es-
cial 5000


hPrecisa-se de una ama pars comprar e cosi-
char, para heomem solteiro ; na rua Duque de
axias n. 47, Fragata Amazoiias.


S bra"& aaex ea i
aiw. diagV IL 5W i&W.rte4de)
Zeo*- lds....-a...M, 16:, 6



sevewola in jnfiw kr~sdequ riah I.


r4OO zeni! gorguro de dit,440rs. odito!
*%a00 m. o e-
o"a wr-o IWO& O


i man alpiTAr S jr k Leng6es do mesmo, grande a 2,004-mm.
s ainglezas paral hwBem a 35500 e 5M000 a
Corn8MaliSe Len"osBdeolinho emcaixinhas a 2500-a.dits.
S 'M -Meun6 preto, fino a 1200 o covWdot as tkr-
a vender mama barato ssgdm-- pars 6j0.
^1 a. 1 Col bas ri mas de c doet Pa ma 4oivas.

(10 qiUe em outmqU al,- Setinetas francezam, lias a 8W rs. o ,ovado.
a X r> .oanias seroTCas, grCvata&,.to-has, collainos,
I~ifi* "~dflfk punhos, e infinidado do artigeds"por prqgos bars-
q^Ueri port. I; tisuimoa.
Dnm ihme 4 Vs Tsedaaem cvout@ m s
-eireda Cuha & C.


IC
NNWl

I=-S
4=0

L= '8


CL)
4<*5 C
-3 ^
Lu
cl-s 0
24- 01c


Espartilhos

Sloja da rua d. aImperatziz a. 40 vende-Ms
m toe bons espartilhos p sia enhoraq, a 55000;
e ditos para meinas a 45000, assimcomo um bo.
nito sortimento de fichfis a 35000, isto na loja da
esquina do becco dos Ferreiros.
Merinos pretos
al0O9,i11#40oo0 #ooo0 e #00O
Os Barateiros da Boa-Vista, & rua da Impezratria
n. 40 tern umn grande sortimento de merin6s pretos
para vestidos que vendem de 1J200 atW 2A200,
sendo muito b6a fazenda, assim como ditos encor-
pados para roupas de homes e meninos que ven-
dem muito barato na loja da esquina do becco doo
Ferreiros.

UMsaiAireis
Os Barateiros da Boa-Vista vendem muito bo-
nitos linhos de urma s6 cor e de listrminhas para
vestidos, sendo a 160 reis o covado e de cOres fixas
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do becoo
dos Ferreiros.

Yendemse
Um estabelecimento de molhados, sito na estrada
de Sant'Anna, junto da estacao, segunda taverna,
corn bons commodlos para familiar, bern afregue-
zado e corn muitos poucos funds ; o motivo da
venda 6 por seu dono ter de retirar-se para enge-
nho ; a tratar no mesmo.

lobilia
Vende-se urma bonita mobilia de pao-carga,
composta de 12 cadeiras de guarnicAo, 2 ditas de
bIago, 2 consoles e 1 sofai, toda envernisada de
upvo, e por prego muito barato ; assim comno urma
bonita cama de amarello para casal, sendo empa-
lhada de novo. tud. 6 pediincha; a tratar na rua
da Imperatriz n. 17, loja de marxeineiro, ou na
mesma rua n. 40, loja.
Fabrica Venldonme
Vende-se phosphoreiras e palmatorias phospho-
recentes de nickel a 500 rs., para acabar.


*I van s
> ti *tbt *n i


Wfey DGvoavwvwku
adei49 Masaouluu I
dalfia 'reaUadfl


oa PMII.


dwb~.sm~


4*01 'a y^ILWrBH^^ T





T~smo aeras. edo


Vende-se
Uma casa A modern no aprasivel arrabalde da
Torre, corn os seguintes commodos :
3 sallas, 3 quartos, cosinha interna no andar
terreo, 1 born sotlo corn 4 quartos e janellas nos
oitoes, portio d' ferro, terra jardim, o terreuo 6
todo murado e arborisado A capricho, os arvoredos
todos estlo dando fructo, boa cacimba corn excel-
lente agua de beber, bomb de repucho, banho de
choque e chuvisco. Esta easa torna-se recom-
mendavel por ser perto do bond ; para ver na tra-
vessa de Arantes n. 13, e tractar na rua Larga do
Rosario u. 38, loja dc miudezas.

Novo estabeleciento de


-ts. cya a igUUau t.Um p.tuouu eiiTtUo a pwuv
20 jardau !
Panno fino idem idem, a 26900 o oorte de cal-
ca !
Granadines pretas para acabar a 160 r6is o co-
vado !
A vista faz fM
A RUA DUQUE DE CAXIAS N. 59

amria a Cuiha & C.


Nova machina de cos-
tura


Bzendasfinas modas n.,.a.Auror
razendas fin s e modas Est e e exposiao a rua do Bargo da Victoria
Hdn. 30, loja de. Antonio Pedro de Souza Soares &
Ruado Cabug ia. A e n. B C, a nova machia ; cose corn dous carreteis de
linha, podindo set de 500 jardas cada urn, e
Loja de 5 port-fast ,frma os dous pospontos como se fosse de lan~a-.
a d 5e p rt ira, 6 de grande vantage. No mesmo estabo.,
J. BASTOS & C. lecimento ter eonstantemente um grande sorsi,
Recentemente abcrto, apresenta ao respeitavcl mento das melhores machines de costura de todoas
public um variado sortimento de tecidos de novi- os principaes fabricantes, e vendem em por~ao a a
dade, em sedas, las, linhos e algodlo, e muites Ietalho sempre por preos muito razoaveis.; na
artigos de phantasia. Pre"os *em competencia. rua d Barao da Victoria n. 30.


LISTA EIRAL unan
DO EA B P D C LIL DN. B. 0 premio prescreverA
DOSO LE P RO. 6, A BE O DA IGREJ DO Rum anno depois da extraHAEo.

DOS PREMIOS DA m: PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 688, A BENEFICIO DA IGREJA DO ROZARIO DE SERINHAEM, EXT!AHIDA EM 5 DE


*; ..d'nBB~^wT~ u d&ieie to yc
,f 1Wmb 4e M, l,t a i pas j
vudo., teado do tM as coreos, co- -_ ______ ______
Mwnod cIruasdo'n. fe udi de, tendo. cdo tois 5 0 4ifT W M IFA* J l A *
ldo s 50. Na Uoja P s barateiros
'Cretcrn enbm-, suseudo els eecmur Vista
aovado a 4e01e 508 T
Oftej&mO bur m nuo ewerpado,pw e 40-RUax da jImBBp'Wf I-40
p an pr vestidos, twaias e rsaoups d.
criancas, cavado a 860, 400 e 500, Madapollo, peacs de mA.apollo francee
Chita, grande sortimento de chitas claras enfestado mco 12 jardas a
e escuras, de cores fixa, de 200, 240 atM 400 Ditoemuite-largo corn 20 varas a 4 bOO e 54000
Mariposas, as mais liHuda mariposa que Dlto fazed muito eneorpada qu e pa-
tem via&ia axereadowtvmdesenhosauun- neee cretone, ceoma 20 vam a 5500,
dinhko,co7ado 600 6W OO e 65
Baptistes corn delicades desenhos miudi- Dito franoez, americano, fazenda muito
nhos e graudos, assim eomo lisas 200 fina e encorpada de 71 ate ISNOW0
(7srmbraias branems tapadas e transparentea AlgdAo euiDbstado eeam 9 palmos de lar-
corn m6 jardasa pea 3e8000 gura paa, fe&r. 1n 6eade um s6 pan-
Dits mmito fmw, tanto tapadas como no, metro a 900
transparentes, tndo lOjardas cada peca, Dito franado corn a mesma largwra,
a 4a,4, 00, 5j e &t6 7 000 pmrprio para lengdes e toalhas deo
Fpartilhosmuito modernopara senhoras 5 m000 mesa, metro a 1.200
Ditos muito'befeitjs pars meuinsaa 4000, Bramanate de algodio corn 10 palmos de
Ciles, grande.-sortimento de hales, tUnto largura, proprio para fazer len,6es de
de como de gorgoro e casewmira, do ums56D-- metro a 1280
I1, 2, 813, atW 85000 Dito no, sendo muito encorpada 2
De todas estas fazendas so dio amostras corn1 :esmn largura, metro a 25000
peuihor, na loja Aos barateiros da Boa-Vista, ea s reguellas proprias para lenses, toa-
a do beoco de Ferreiros. lhas, ceroulas, seudo fazenda muito
dts"dhc<^m Ak AMA encorpada, cada peca corn 30 varas
OOTCS por 14OW80e a vara a 500
as .i ..ras o Dita corni eom 20 varas a 74500 e a
De :000 tat6 .:000 r1, vym 400
EI WW I liQ Atoalhado adamascado para toalhas de
OUU. -- .I1UU mesa, tend 8 palmnos de largura, me-
-- ... .. ., -".. .. ,. iz 40 tro a 1^80
IIia id ia i equnadobcc ds"eri
Alheiro & Silva a ru.da InpewtIz a. 40, tern o ^ Ferreir
um immeuso sortimento de casemira de cores, | J i do
tanto clamras como eseuras, que vendem a 24000, 1b'tiwn d i ld h F_
2j500, atW 69 o covado, e das mcsmas mandam e niUd dalll UPlr "
fazer qualquer peca d'obra ou costumes, por pre-
oa muitc rai oaveis, assim como tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannos pro- tl l
tot at6 ao mais fino sedS que vem ao mercado, e ilLojIlll k'
des mesmos tambem se encarregam de mandnr Chitas francezas corn avaria a 200 ris o cova-
fazer qualquer peca de roupa a vontaie do fre- do
guez e corn today a perfeiio e pI'esteza : isto a p d quadrinho. idem, a 120 ris o di-
... Popellnas de quadrimho& dem,. a 120 r~is o di-
loja dos barateiros da Boa-VisA, na esquina de to!
becco dos Ferreiros. Ti-0- -M- ,-, 0 -.-. _^. .1^^:*^ Q 0 o


34.


MAJO DE 1884.


NS. PREMS. INS. PREMS. NS. PR


2
3
8
12
" 16
24
27
29
34
42
46
48
54
56
58
60
68
70
79
81
82
89
91
98
99
101
8
9
10
11
12
18
19
30
34
38
51
52
54
56
57
63
65
66
76
80
81
84
87
S89
94
201
- 11


8so
46


44


212
20
31
34
37
42
48
54
58
60
61
64
69
91
304
8
9
10
11
13
22
23
28
30
34
39
41
46
50
54
57
65
69
70
77
79
82
84
94
97
404
7
13
14
19
20
21
23
25
30
32
.33
30


46$
44


46



300$


437
43
48
53
57
64
71
74
75
78
80
85
87
88
91
92
97
98
500
9
11
13
16
20
21
44
50
56
58
62
71
75
84
87
90
93
94
604
5
8
13
15
21
23
29
33
34
46
47
48'
53

61


EMS. N


8$
44


-16



44





84
8$

44


44


qS. P

662
63
68
69
71
74
75
78
81
85
90
91
95
98
700
3
4
11
17
21
25
36
37
39
40
48
51
54
65
77
84
86
92
98
801
6
15
17
24
28
38
45
46
47
48
50
51
55
74
78
89
90
96


REMS.

46

8$
41


16$
44










44


.4


IS.


P]


899
902
3
6
7
22
29
31
42
44
59
61
65
73
77
81
83
86
87
95
1001
11
13
18
30
41
46
50
53
58
67
68
69
80
8.2
83
89
93
99
1100
8
10
12
16
17
18
22
31
32
35
37
42
45


RFMS.-

46


8$
44



84
4#


NS.


1149
51
52
57
59
64
66
69
70
80
83
85
95
97
1204
9
25
26
32
50
53
70
72
74
78
79
83
84
86
90
95
1301
4
5
8
12
25
27
31
33
36
37
44
50
53
59
61
62
65
70
75
78
.85


PREMS.


16$
44


le4^





l44




16$













44


NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS.

1391 4# 1639 4# 1914 4# 2141
93 46 16 5:
97 49 23 6'
98 54 32 7(
99 59 35 8$ 8
1403 60 38 44 8(
10 61 39 9(
22 63 41 9
38 8$ 72 52 16$ 9
41 44 75 54 45 9
44 82 55 9
50 8$ 91 56 220
58 44 1701 59 --
63 5 100 63 1


64
67
70
74
75
77
82
84
87
91
97
1500
4
8
17
21
25
34
38
40
41
43
45
53
59
64
70
81
83
86
90
91
97
1604
14
15
16
22
38


8#
4 4


15
22
32
37
41
48
59
60
63
64
69
73
78
82
84
94
1800
4
5
6
8
13
24
28
31
33
39
45
54
59
69
19
8,3
91
92
1906
8
11
12


46
















4100
4#


67
70
75
78
82
85
88
91
95
98

2
22
36
45
52
53
59
61
66
67
93
96
2111
12
13
16
18
21
25
26
30
S32
34
39
40
41
43
48


8$
46








8$
44


9
1
7
0
4
6

4

7
8
6
8
C


12i
13
25
30
32
35
3(
46
48
49
59
6i
64
65
66
72
7(
8(
83
84
86
2303
1<
14
25
27
28
34
36
47
4!,
51
5E
5E
6C
'61
6"
7:
7.


PREMS. NS, PEMRS. jNS. PREMS. NS. PREMS, NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. I1

4 2382 4# 2629 4 2800 40 3029 46 3275 40 3518 44 3
86 16$ 30 8 -35 76 -20 --
89 46 35 11 43 81 -22 \ -
S 92 36 12 47 82 -26 -
2403 38 16 -48 -98 27 -
S -10 -51 32 1I$ 55 99 29 -
S -12 -52 38 41 58 -3311 -36 -
19 -54 -47 60 18 -38
S -25 -56 49 62 24 47 -
37 60 53 64 25 48 -
43 -68 55 67 37 49 -
59 -69 60 -70 39 57 -
68 -74 64 72 40 S* 60
) 72 -75 65 74 42 4 63 16$
8$ 75 -80 74 75 43 65 4h
3 4# 80 86 80 -89 8 44 74 -
5 82 -92 84 3111 40 46 78 -
) 90 -95 87 15 48 85
S 93 96 88 31 2 2 89 -
S 99 97 93 3$9 32 53 97 -
_2502 98 98 4 35 55 3610
3 -2702 -2903 39 60 14 -
S5 5 6 -40 67 17 -
- 8 7 11 48 73 -22 -
) 20 -12 13 54 81 28
2 25 -15 15 -59 84 -30
1 30 -17 18 -60 86 31 -
5 31 -21 19 72 97 -32 -
6 34 8$ 25 46 21 76 3414 39
2 36 4 29 24 -79 18 49 -
6 43 30 26 95 19 64
) 49 -31 30 8$ 99 20 70
3 57 -33 31 4#3203 22 -81
4 58 34 34 16 4 -33 83 -
5 -- 63 44 7 4 10 43 -84 -
3 -73 46 16$ 392$3 13 45 -91
) -75 -48 4# 50 44 14 48 -92
4 -78 -52 55 17 49 -95 -
5 79 -55 56 18 51 98 -
7 -81 56 57 22 54 3703 -
8 8$ 84. 60 62 27 62 9
4 44 86 -62 64 30 63 -12 -
3 87 -65 71 31 72 15 -
1 88 -68 72 40 W 20 -
9 -91 -76 73 -41 85 -24 -
1 94 80 74 42 16 88 -27 -
5 -95 -81 -- 84 44 4# 89 30 -
8 98 -87 -93 47 -- 90 -38 -
0 2609 -88 94 48 91 -43 -
1 15 92 -3004 53 -3504 50 -
3 19 95 13 -54 5 53 --
1 22 -96 14 -57 6 -60 39$
4 -23 -97 25 -73 .._ -74 4#


NS. PREMS.


3777
79
82
83
84
85
91
92
93
94
96
3803
8
14
15
18
20
24
27
38
49
50
59
62
66
68
71
78
82
90
91
95
3906
13
21
28
34
39
41
47
53
54
55
61
68
73
74
77
80
95
99
4000


4:ooo#

t6$
44






46

44

44


800Soo
44


.3. '> '* *


VENDAS

Trastes
A' rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-se,
roa-se novos e usados.

cas eseocezes
a280 rs.
Por terem um leve toque de
mofo
Veade-se finiasimos riseados escocezes para
vestidoe, seado feenda de muita phantasia c
xem eegurs a 280 rs. o eovado, e a nuo terem
un level toqoe de mofo custariam um cruzad-;
eata pechinoha vende-se na loja dos barateiron da
Boa-Vista, a rua da Imperatriz n. 40, esquina do
beeco dos Ferreiros.

Yende-se
a3 metade do engenho Una, moente e corrente,
mnitas e boas terras e grandes mattas, perto da
nova estrada de Santo Antao, garante-se a vznda
Sda outra metade ; a tractor no Largo do Merca-
do n. 25.


'.' '
.*"aA._
^:^"1
* ^a'


'N 4OE7 DA, *6. *'1
Pre m -LLmt l-
.0 -Bt DA M. 4D
"DA
"Wk-Wmfk
YENDEM ,
Calgas de molesquim) p ar mlaros e es-
curos muito bern feitas e fazenda que
o clesbot& a 24500 e aXOOO
IDitas de cazemiras de listbnihas qua-
drinhos, fazenda muito boa e que se
lava, a Wt
Ditas de cam i ra prta, fmenda muiWto
boa, de 6500 at lOfQlO
Paletots de cazemira muito boa, hiza e de
listrinhas, a 6500
Ditos da mesma fazenda fomnados, a 85A
Ditos d cazemiras escuram, bastante en-
corpadas, a 75000
Ditos da mesma fazenda forrados e mui-
tos bern feitos a 10000
Ditos do eazemira assetinada a 5
Ditos de flanella azul, sendo fazenda que
nao desbota a 6500
Ditos do cazemira preta de cordao e
diagonal, sendo muito bern feitos a
101000 e 1W00
Seroulas de greguela, seado muito bern
feitas a 14200 e 14600
Colletinhos para dentro, da mesma fazen-
da, a 800 e 15000
Assim como um grande sortimento de camima
brancas para homauns, tanto de linho como de a&-
gum que se vendem pw prepo muito razoavel.
Tudo isto 6 corn grande reducqo em preco, na
ieja da esquina do becco dos Ferreiros.
FarinaMLactea
Nos primeiros mezes a alimentalo mais
natural e apropriada para alimentar a crian-
9a de peito 6 o proprio leite matemo o qual
emra caso de necessidado deve ser sbstitui-
do pela
FARINHALACTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a fari-
nha Lactea como poderoso element nu-
trictivo para a infancia e distinctos medi-
cos do Brasil e da Europa reconheceram
ser A do Dr. FRERICHS a melhor n'ests
genero.
Deve-.e pois evitar confiar o filhinho A
urma pessoa estranha e de comportamento
nio conhlcido muitas vezes o ge-anen
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farinha Lactea
do Dr. Frerichs:
55.- RUA DO IMPERADOR 55
Estabelcinevto de musicas e piaso de Vie-
tor Prgall e


CAVOS E FLORES

Na rua da Uniao n.

55 ha sempre para sc

vender cravw e flore

Drogaria
Faria Sobrinho & C., droguistas por atacado,
I rua do Marquez do Qlinda n. 41.


4 llv




















,~ ~ ~ ~ ~ ~ ~~ ~Pr ,11-111 a -d .. ^^^ *Y fB11
-Couso -conrd M64dadesw ro ger~se. U10 oteindQ dodecumpvImentc
6 #vItu IOMEM, "e x eiv ,US4 tt em As olbnigaq~ea, nern 'atisfeito aos onos dog
SPara, resumir o queo precede,,dirmos quM rteotd vti-se engenh6s nos cotacto-om as comanhias co
que alem da, estrada central peorVictoria, os prop|-,; d essionarias, Ao poderemos reelamar e
OravatA e-Caruar4, para cuja constraVao d te cnstd oderi ''esea para o tempo algdum, nemd a partilha dos lueroi
julgamos quo se dove empregar todo e odi o transported de sens assuares, estradas do nem a propriedade das proprias esradas
heiro votado para o prolongamento'da servigo queassegur.am o trasito, e do respective material rotante, depoii
chamada estrada de S. Francisco deo Ga- Accresce, que na-poca da safra, que 6a do findos os annos do-privilegio.
ranhuns, Santa Maria da Boa-Vista, e de- a da maior forga dos transported, o sol do Entretanto, estamos long de desejaia
verA ser do bitola larga, tomemos classificado, vero j A tern seccado os atoleiros creados que se organism companhias sobre bas(
paraserem executadas corn urgoencia polo polo inverno, e salva uma *ou outra. excep- da garantia provincial; pois mesmo at
governo, ou per companhias mediante a 91o, as passagens de rios nio apresentam zona privilegiada, onde reina a canna de
garantia de juros do 6 "., as vias-ferreas mais series embaragos. assucar, nao so pode contar, durante os
seguintes: Finalisaremos corn mais algumas consi- primeiros annos, corn receitas que d6m par
la Um trecho de bitola "larga, corn 55 derag9es relatives As vias-ferreas. o pagamento dos jurors do capital de cons-
kilometros de extensilo, da volta do Cedro, Quasi queo todos -os contractosde con- trueglo; e os cofres provinciaes, a queon
na ostrada- dita do S. Francisco, a encon- cessio (cA noBrasil) comprohendem uma tocam apenas uns 13"1. do accressimo da
treo o rio Formoso, e do custo provavel de clausula, em virtude da qual a via-ferrea producglo dos goneros do exportaglo, nic
4125 contos. que aproxima-se de outra jA concedida e achariam tao cede, no provavel augment
Para evitar demoras e questoes de zona entra pela zona privilegiada, neo podo na da mesma, a compensaglo que asseguram
provilegiada, podiaF ser contratada a cons- part comprehendida na mosma zona, to- aos cofres geraes oa 40 *j. quo lhes tocam.
trucego corn a propria companhia da aci- mar ou larger nem carga nem passagei- 0 que nob parece convenient, em or-
ma citada estrada do S. Francisco, garan- ros. dem de n~o abrirmos mao do hsso direito
tindo-se-Ihe juros do 6 'jo sobre 4,125 con- Esta clausula, altamento prejudicial aos de propriedade e proventos futures das
tos, e estipulando, que findo o praso, do- iuteresses publicos, e de nenhuma utilida- vias-forreas, que se acharem comprehendi-
pois do qual pode ser resgatado a linha do dade para as companhias concessionarias, dos no nosso territorio, 6 promover a or-
Recife A Palmares, seguirA o treche a sort deve ser supprimida nos futures contrac- ganisagIo de companhias, que em lugar da
d'aquella linha, mediante a entrega deuma tos. garantia de jurors aceitem uma subvenglo
somma de apolices da divida geral aos ju- Corn effeito, este facto da invaslo da kilometrica, que lhes serA paga pelos co-
res garantidos. zona garantida apparece necessariamente, fres provinciaes e mediante a qual, ellas
2a Outre trexo, tambem de bitola larga, todas as vezes que varias estradas de ferro assumirlo todas as responsabilidades da
do Recife d Goyanna, corn 64 kilometros certain-so ou partem do mesmo ponto; o execuglo e da exploraglo.
de extensao e do custom provavel de 4,800 que dA-se, por via de regra, em lugares Esta provincia tern gasto at hoje de 1C
contos. importantss pela sua populaglo, e ondo as a 15 contos por cada kilometre de suas es-
Para evitar questoes de preferencia e precisoes a que dove satisfazer cada linha, tradas de rodagem, pode fazer alguma
zona privilegiada e a differen9a, que have- em material de transport, nio poderiam despeza para cada kilometre de yias-fer-
ria em achar no bairro do Recife terrenos ser satisfeitas pelas outras, do sort que teas ; e destinando a dita viaglo 300 ou
para colbocaglo da estrad,, central, pode- nao se prejudicam mutuamente e a clausu- 400 contos peor anne, o que nao constitute
ria ser a construcqAo d'aquelle trexo con la so serve para dificultar a execu9Ao de sacrificio acVna das posses de uma provin-
tractada .coin a Companhia Great-Western novas linhas. cia, cuja renda passa hoje de 3 mil contos,
(a da estrada de Limoeiro), garantindo-se Assimn 6, que a estrada de CaruarA, do e quo em 1838, quando esta noe chegava
lhes o mesmo juro de 6 o[, e corn a mesma Recife A Victoria acha-se quasi que intei- a 700 contos, gastava 200 corn as suas
condigio de resgate em apolices da divida1 ramente comprehendida na zona previlegia- obras publicas, teriamos dentro em poucos
public, quando o governor julgasse conve- da da via-ferrea do ;ARecife Palmares (5 le- annos uma rede de vias-ferreas, cuja pro-
nionte effectual-o. guas de 3,000 bagas ou 33 kilometers) e na priedade e fiscalisagbo nao nos seriam con-
3' Um trexo da estrada provincial do da estrada do Limoeiro (20 kilometros); e testadas.
valle de Una,..o de Tamnandara d Palmares 1-embora nao tenha de tirar as ditas vias-fer- Teria igualmento este process de coad-
corn a bitola do um 1m entire trilhos. -Ex- areas nerm se quer um passageiro, um sacco juva9glo As vias-ferreas uma outra vantage
tensAo provavel 60 kilometros, custo 3 de generous da terra ou um volume de ge- --a de nio se prestar, corn a mesma faci-
mil contos. neros ou artefactos emportados, corn tudo lidade que a garantia de juros, a prova-
4a Um trexo da estrada Ipojuca-Seri-ijulgami-se ambas corn direito A indemnisa- veis lucros provenientes das transforencias
nhi'em, de Freixeiras ate a altura do valle io. de privilegio a companhias estrangeiras, e
do Bonito bitola de ll.-extenslo 50 ki- i Devem tambem expecificar os contra- promover a substituico de concurrentes
oInmetros-custo provavel 2,500 contos. tos, que o direito de resgate mediante a series e habilitados aos especuladores, que
5" Umrn trexo da estrada do Capanibe- entrega de titulos da divida externa funda- at hoje, per via de regra, hao side os
Meirim o de Goyanna a S. Vicente bitola da que dem juros iguaes aos garantidos, unicos pretendentes.
li extensao 60 kimetros custom provavel poderi ser exercido polo governor em qual- Poderia tambem a provincia construir a
3 mil contos. quer tempo; quo em quanto elle tiver de sua custa a via permanente d'aquella es-
6a A transversal ou linha de junc9io concorrer corn dinheiro para prefazer a trada de ferro, que julgasse mais urgen-
do Nazareth a Pilar on Itabamanna, bite- somma de juros garantidos, poderA modi- to, e eutregal-a a companhias, que tomas-
la It .- extenslo 65 kilometros custom pro- ficar come entender as tabellas de fretes e sem a sua conta a suprostructura, esta-
vavel 13,250 contos; ou, em lugar desta de passageiros, e fiialmente, que exereendo 95cs e trem rodante, mediante a concessAo
transversal, a doe Lreiro a 'Natuba po ellde o direito de iesgate em takes circums- das linhas durante certo numero de annos.
Bomn-Jardim, corn a mesma bitola e 55 ki- tancias, nenhuma indemnisagAo poderA exi- Al6m d'estes, outros processes de coad-
lometros de extensao, custom provavel... gir das companhias pelas garantias pagas juvagAo t6mn side applicados em diversos
2,750 contos. per els u em virtude da acima citada ga- paizes, e qualquer d'elles 6 preferivel ao
Cumprindo n6s acerescentar, que parte rantia. actual (garantia platonica) que .s tom a
desta segunda transversal, (o trexo de Li- Outroe ponto, que merece igualmente seu favor o ser muito eoenomico, mas sa-
moeiro a Bomn-Jardim) acha-se couDprehen- acurada attenualo, 6 o que diz respeito a crifica o future ao present, e mesmo em
dido na concesslo) feita a companhia Great garantia concedida pela provincia a diver- relaglo a este, nao tern dade fro tos qup
Western. sas vias-fereas; pois se at6 hoje na.o resul- abonem-o.
Tms, portent, so ando as despe- tou d'ahi grave perturkaqao nas tinangas NRo seremos mais extensos sobre este
T os portanto, somado as proviaciaes, 6 isto devido unicamenuto a assumpto, para podermos consagrar algu-
z nio se ter organisado n'esta provincial corn- mas linhas a outra questlo de subida im-
Texo para o rio Formoso 4,125 contos. panhia alguma sobre a base unica :da ga. portandia ara o paiz, e sobre a qual no
ReAife A Goyanna 4,800 A rantia provincial, e tio somento depois do podemos deixar de chamar a attenuoao do
Tatandar A Palmares 3,000 1 achar-se esta robustecida, ou antes subs- Governo Imperial.
Frexeira A Bonito 2,500 tituida polo Governo Geral, d'onde resul- E'a que diz respeito As tarifas das nos-
Goyanna a S. Vicente 3,000 tou carregar este exciusivamente corn 9s sas vias-terreag; tanifas de tal forma exa-
Nazareth S. Pilar 2,250 1 onus da mosma garantia. geradas, quo os vagoes de passageiros tran-
-- Foi o que se deu coin os 2 O[o addicio- sitam quasi vasios, c exceptuando apenas
Per tudo 20,675 names aos 5 Sis garantidos polo Governo Ge- o tempo da safra, os trens de carga sao
ral ao capital primitive ( 1.200,000) da muito resumidos, per torem poueco que
ou, talo s6mento 20,175 contos substituipdo companhia da via-ferrea do Recife ao S. transportar, ao mesmo tempo quo as es-
a transversal Linoeiro-Natnba A transver- Francisco, e dar-se-ha amanhi corn os 1 "1. tradas lateraes vivem coalhadas de caval-
sal Nazareth-Pilar. da companhia de Limoeiro. leiros, peoes e animals de carga, afugen-
0 Governor Geral pagou aquelles o pa- tados das estm'oes pela olovacao das ta-
Esta concluida a nossa tarefa no que diz gara estes sem ter meio algum de obngar beilas de transported.
respeito as vias-Ferreas. a provincia a restituir-lhe o dinheiro adian- Coin effeito, cobram ellas, na m6r part
Quanto As estradas de rodagem, de que tado. dos cases, fretbs pouco inferiores aos pe-
tracta tambern a circular ministerial, 6 cer- A garantia provincial s6 tom servido didos polos almocreves ; e a pequena diffe-
to, que alem dos caminhos transversaes, at6 hoje come maeio de obter a geral; nalo renca quo ellas admrttem, nao compensa,


municipaes ou vicinaes, a rode de vias-fer- trouxo onus algum effective aos cofros pro pncpalmeonte para os geoneros coe lugares
areas precisa ser completada per outra rede vinciaes; o que explica afacilidade comn que distantes das estates, ou mnercadorias que
parallella de estradas de rodagem, ja para ha side concedida,o e o facto de n lo ter a para A se diigem, a vantage especial


FOLHETIE


PECCA4OS VENIIES
POR

As de Monlrecort


TERCEIA PAIITE


(Continuailo do n. 103)
XVI
0 eacointre
E' inutil.
Porque ?
SNao mandarei segaramente esta carta
a minha mle.
Nlo comprehendo...
Seria tornar-me cumplice...
Men carol cavalheiro, faga o quae me-
Ihor Ihe parecer... Eh! Francisco ? -
Manda tuzilar todos esses pobros dia-
bes, come elles nos chamam.
De quern faUa ? perguntou assustado
a visconde.
De quem ? Dos prisioneiros.
Atrever-se-hia-! ...
Vel-o-ha agora; e sd eserar alguns
minutes; a nie ser que p re mandar
eosa carta ao seu destine.
'ew e ceaso... ,eremedio !


Sema car a


)s seus,
recom-
eteza o


quern mais quero, e que Ihe prepare urna
grande alegria, assim como ao senhor.
O torn franco e energico ,de'Perez era
imponente, nobre, e tranquillisou comple-
tamente o barao, que, sempre assombra-
do, perguntou, depois de ter remettido a
carta:
Mas quern 6 o senhor ?
Nerm eu mesmo sei. Debrin-bichaia!
Isso mesmo me perguntam todos os dias,
e nunca encontro uma resposta tranqullisa-
dora para semelhante pergunta. Agora
marchemos sem tocar trombetas aem tam-
bores. Francisco!... Francisco!
Senhor!
PNe em liberdade todos os prisionei-
ros e corre ao Paso de Roland corn os
contrabandistas: p6de ser que os nos-
sos amigos precisam de refor9o .
Deixe commigo dous homes para vi-
giarem.
Esta bern.
Partamos, senhor de Ravenstein, d6-
me o brago.
A perda de sangue debilftou-o.
Porez conduzio o barne corn o major es-
niero para a fronteira, que franquearam semr
o menor obstaculo, a cousa do meia legua
do post da alfandega.

XVII


Peoe e seIbold


Emrquanto estos acontecimentos se pas-
savam em Hespanha, os habitantes de Mi-
guelgorri viviam na maior angstia e in-
quietagilo. *
Havia tantas horas que alli faltava o se-
nhor de Brionne, se m que se tivese rece-
bido noticias suas: nao sabiam oode se


sendo assim, nao podia deixar de assom-
brar a todos aquelle inesperado silencio.
Nao sabendo ja o que havia de fazer,
avisou o proximo posto de gendarmeria,
afirm de fazerem algumas pesquizas, con-
forme 6 chefe julgasse -prudente.
Helena, qne tinha vist3 partir sen pai
adoptive corn pesar e nao serm um vago e
triste presentimento, durante aquelle dia
nao podia center as lagrimas. Cada m'i-
nuto que so passava augmentava os seus
receos, e Gastilo, tdo inquieto como ella,
esforgava so em voie por dissimular o sen
desgusto e tranquillisar Helena.
No relogio collocado na sala acabaram
de soar as dez e meia. Os tres amigos do
conego Maria de Verneuil, Helena e Gas-
teo, communicavam mutuamente as saas
tristes reflexes, e todos queriam disfargar
a sua dOr e faziam-n'o bastunte torpemen-
to serm o poder remediar.
Meus filhos, -dizia a viscondessa,-
lamentamo-nos sem motive, por duas rs-
zoes : em primeiro lugar o nosso veneran-
do e querido amigo estA sempre debaixo
da protecglo de Deus; poderA padecer,
mas nao sera vietima de uma desgraga um
home tie -santo como elle; al6m disso,
por uma causa que dovevo reservar hoje como
um mysterio, estou muito certa da lealdade
e veracidade da pobre mulher que veo o im-
plorar o seu soccorro; 6id nos toca esperar
e devemos rogar ao c6o.
Oremos, pois, -disseram rnultanea-
monte os dous mogos.
E aquelles tres privilegiados outes uni-
ram os seus votoa em favor do ausente.
I ppare~ceu umjid ia
V tres montauhow I
,quo oondaew amhi forido e pedpm


_0 0oi M ieional, que -teoim de pa
I-ga p S a da is retame5 ou vice- versa.
I Ettauto, ainda quando so. reforms
seip as tarifi- de nossas vias-fe'eas, on
orden do assegurar-Ihos a to talidade do
trabportes quo ora effectuam-se na direct
.* e doseus trabalhos, ainda restaria mui
0 to que fazer-se, para que ellas preenches
Ssena completamente o fim principal para (
equal ellas vlo sendo construidas, isto 6
a desenvolver a producqao na proporglo cor
Srespondente a economia de forga qtte resul
ta do emprego d'aquelle poderoso meio dc
s transported.
Quando principiou a Europa a cobrir-se
r de vias-ferreas, a substituigIo de estradai
de roq -gem calgadas ou mnacadamisadai
Saos pessimos caminho's pelos quaes realisa
ai vam-se d'antes os transportes, jA tinha du
8 plicado e tripHlicado a producglo. A quas
Stotalidade de takes transports era enti(
- effeituado por'moios de carros, e os ani
I maes~de carga s6 eram empregados excep
cionanmente o para pequenas distancias:
Por isso, foram os pre$3s dos transport
tes em carros que serviramn de base a or
ganisagAo das primeiras tarifas de vias-fer
Sreas, e convenientemente minorados, fize
Sram desapparecer quasi que completamen.
to, para as grandes distancias, aquelle imn-
I perfeito meio de transport, corn subida
* vantage da producgao, que manifestou,
* logo em seguida novo progress analogo e
superior ainda ao que havia determinado a
Sconstrucgo das estradas de rodagem.
S Antes, porem, que se realisasse seme-
3 lhante progress, o desinvolvimento da pro-
Sdugio, consoqaencia immediate da substi'
tuiaIo dos carros oil carretas ais costas dos
Sanimaes jA era tal, quo bastavamn as vias-
ferreas attrahirem para os seus trilhos os
transportes existantes, para ainda corn pre-
$os sensivelmente inferiores aos qae estes
Scustavam n'aquella epocha, satistazerem as
Sdespozas do custeio e remunerar os avul-
tados capitaes empregados na construceao
das diversas linhas.
Por isso, as administrates de todas as
Scompanhias de vias-ferreas encorporadas
n'aquelle tempo, tomaramn por nortma, na
organisaglo de suas tarifas, tirar da mer-
cadoria ou genero a major porcentagom
possivel.
Este procediminento era contrario sem du-
vida ao interesse geral, desculpavel, porem,
ate certo ponto da part das companhias;
pois, sondo sufficionte a somma dos trans-
portes, podiam, coin tarifas elovadas, sem
vista alguma no augminento do trafego, .lu-
crar o mesmo que corn tarifas mais coin-
modas e um trafego duplo outriplice, sein
os vexames e atropelos que este devia
accarretar-lhes.
Bern diversas saio as nossas circumstan-
cias; ainda nao sahimos da phase primiti-
va dos transports A costa de anim-aes, e
por isso, na zona do actividade do mair nu-
mero de vias ferrcas de que precisamos,
nAo ha producgao e per conseguinte trans-
portes, que, ainda mesmo corn tarifas ele-
vadissimas, deem para o custeio e a remu-
neragio do capital empregado na via meta
lica.
Todas ellas precisam appellar para o aug-
monte que dove determinar a diminuigao
do preco dos fretes, e sera proportional A
mesa diminuicao; precisam, s6 para fa-
zerem face aes seus encargos, e antes do
realisar qualquer lucro, que a produccao tri-
plique ou quadruplique, e s6 podem obter
rapidamente semelhante resnltado, tomando
por base de sunas tabellas, nao os pregos dos
transportes a costa de animals e sim os
que se haveriam de pagar por transportes
effectuados por carros ou carretas appro-
priadas, em estradas calcadas ou empe Ira-
das, o por tanto 3 ou 4 vezes mais baratos.
Ate este limits de baratesa o interesse
real das companhias de vias-ferreas ,esta
inteiramente do accordo coin o interesse


geral do paiz, e a exigencia, quo as res-
pectivas directories apresentam de tarifas
elevadas, sd pode ser explicada pela retina
monopolista, trasida de Alem-mar, e com-
pleta ignorancia em que se acham de nos-
sas peculiares circumstancias.
E' certo, quo a garantia deiuros ahi esta
para salvar os respectivos acciouistas das
consequencias de semelhante impericia,
minas por isso mesmo corre "ao governor, emi
ordem de defender, nao somente os interes-
sos geraes da producgo e os recursos que


A viscondessa disse ao primeiro :
Sente-o nessa poltrona, men amigo:
d'ondo vem?... Ceus!... que similhan-
ga! -Assim exclamou, e cobrio os olhos
con: as maas.
Perez, dopois de ter cuidadosamento sen-
tado o ferido, ficou de p6 atraz da poltro-
na, e alternativamente contemplava a vis-
condessa, Gastio e Helena.
0 seu olhar era terno e respoitoso, e a
sua commoelo muito visivel.
Os dois montanhezes ficaram ao fundo
da sAla, corn as suas beoinas na mio.
Alfredo, que tinha perdido os senti-
dos em consequencia da fadiga e do seu
estado de fraqueza, abrio os olhos e atten-
tou corn assombro.no que so passava A
roda de si.
Esta bern, seAhora, disse Perez A
viscondessa, que se mostrava cuidadosa.
As feridas na cabeca, e nIo-matam imme-
diatamente, Ainda que paregam graves, cu-
ram-se depressa e bern.
Mas... assaltaram-no4 os bandidos ?
' Alfredo baixou os qlhos e Perez respon-
don:
Sim, senhora. Este cavalheiro 6
commandant ao servigo do D. Carlos, e
cahio n'um la armado pelos contraban-
distas; mas a sua ferida nada tem do pe-
rigova.
Vou mandar chamar um medico A
povoaS9o mais proximna.
Nao pretend offeoudel-a, minha se-
nhr, m 6 imutil, porqou em breve virA
outro, hespanthol, muito on. Eutretanto,
on o* cuidiri, porq.ue sei um pouco de ci-
rurgia- oude barneiro, Senhora, disse a
Helka, queirA dar-me urm, algnidar om
agua f tpa um limao e um poeco de sal.
u ma rem e d eo alveitar, .m as m uito


u ml aw ria deo razio A veellee con
Ssiutir na promulgagAo de outras aiuda r maii
elevadas, come as que' foram concedidas
-compaalhia,da estrada de ferro de Limoei
n ro, ciijas tabellas silo do tal forma exage
s radas, que a nao serem modificadas quan
- to antes, o trafege nem dara parao custei<
- e terA o governor, alem de pagar, os juroe
- garantidos de supprir ainda important des
Sfalque.
As estradas de ferro entire n6s nAo de-
Svem ter em mira duplicar ou triplicar
producgao das respoctivas zonas, a sim ele-
e val-ar ao decuplo, pois nos fazem passar,
de um jacto e sem transigto, da phase pri-
e mitiva dos transportes a costas de animaes,
s a dos transportespor vias-ferreas e locomo-
s tivas, e ser esto (o decuplo) o augment
que correspond a somma dos progressos
realisados no VedlhbiltiAdo polo aperfeigoa-
i monte da viavao.
) 0 Governo Imperial, embora nao so te-
nha talvez convencido ainda da immcnsa
importancia do assumpto, jA reconheceo a
conveniencia de facilitar os transportes pels
diminuiggo das tarifas das nossas vias-fer-
reas e desde o rnez de outubro de 1880,
acha-se funccionando n'esta provincia uma
commissAioencarregada de proper as me-
dificagoes do que precisar, n'este sentido,
as tabellas da estrada ingleza do Racife a
Palmares.
Vemos igualmente, que per aviso emr
data de 8 de janeiro proximo passado, o
Smesmo governor mandou vigorarna via-fer-
rea de Pedro II, para os legumes, farinha
. e mais products da pequena lavoura, urma
Starifa especial (60 reis per tonelada kilo-
metrica) equivalent a um abate de meta-
do sobre os precos anteriores.
Outro aviso, expedido corn a mesma
data, tornou a mredida extensive As mais
estradas exploradas directamente polo es-
tado e ordenou aos presidents de S. Pan-
to, Bahia e Pernamnbuco, que se entendes-
sem coin as superintendencias das vias-fer-
reas que gosamn da garantia de juros, para
organisar corn urgencia novas tarifas para
o transported de takes generos, sobre a base
de um abate de cincoenta per cento sobre
os pregos actuacs e as mandassem per em
execu97to immediatamente.
At6 hoje, por6m, nem nos consta que a
commissRo nomeada em outubro de 1880
tenr!a concluido seus trabalhos, nom que
; side dado passe algumin para cumpri-
i ,to do aviso de 8 de janeiro do eorren-
te anneo!
0 as,.umpto da via-ferraa 6 tao ample,
que ainda poderiamos estender-nos muito
mais. Entretanto, limitar-nos-hemos ao
que acima tomemos dito, e dando per findoeste
jA per demaisestirado parecer, de novo re-
games a V. Exc., se digne de desculpar as
inevitaveis imperfei5es de que nao pode
deixar de resentir-se ; e para tornal-o de
mais facil comprehensao, juntamos-lhe
uma carta da provincia, na escala de um
minillionesimo (0,000000) na qual estate in-
dicadas corn tinta amarella as Estradas
Geraes planejadas, e corn tinta encarnada
as Estradas Provinciacs, e as transver-
sacs queo. completam o system.
Deuns guarded a V. Exe. HIm, e Exm.
Sr. Dr. Jose Antonio de Souza Luma, mui
digno president desta provincia.
(Assignados.) Henrique Augusto Millet,
relator, Antonio Pereira Simies, corn as
restricges e modificacSes do anncxo n. 1.
Subscrovo o pareer apresentado pelo
digno relator da commission, corn as se-
guintes modificacoes :
As estradas de ferro devem ser classifi-
cadas, em principles ou de primeira ordem
e em secundarias, ou de segunda ordem,
e nio em geraes e provnciaes, come as
classificou o illustrado relator nas conclu
sales de seu parecer.
Sendo limitada a accuao do Governo na
garantia de )uros a urea estrada per pro-
vincia, uria tal classificacao viria impossi-
bilitar a provincia de conceder tarantia


de juros a qualquer das estradas conside-
radas geraes, e per conseguinte returdar
a execugio.
Se for augmentado o capital autorisado
para garantia de juros As estradas de ferro,
e ampliado o numero destas per proven,
cia, poderA o governor afian9ar os j uros ga-
rantidos pela provincia, ou mesmo garan-
til-os directamente para qualquer das es-
tradas que julgar de maior interesse ge-
rd. I


conduziram aqui; mas sej a a senhora quern
for, tenho unia mte que segurarnmente a
abengoarA.
Pobre rapaz! Estara aqui come se
estivesso em casa de sua mie.
Posso, serm ser indiscrete, perguntar-
Ihe o sou nome? Estou ancioso por saber
a quemn dovevo to generosa hospitalidade.
Sou a viscondessa de Fontac.
Alfredo endireitou-so bruscainento sobre
os braces da po trona, e olhou corn per-
turbalo visivel para a viscondessa, e vio-
se-lhe o rosto cor de purpura.
A viscondessa perguntou em seguida:
E o senhor quemn e?
0 ferido calou-so, e Perez disse corn gra-
ciose sorriso:


Hospedou, senhora, no seu castello o
barao Alfredo de Ravenstein.
Maria exhalou um terrivel grito, e, sen-
tindo quo os joelhos se Ihe dobravam, en-
costou-se corn tremula mio ao marmore de
um console.
Meu Deus!... Que tern? perguntou
Perez. Tornou-se palida!
Entlo... disse corn crescent com-
moglo a viscendessa, e o senior de Ra-
venstein? -.
Men irmAo! exclamou Gastao; e
procurando as mlos do mopo comniandan-
to, apertou-as ternamente. Aquelle devol-
veu-lhe a caricia corn viva alegria e espon-
taneo movimento.
A viscondosa disse:
--Ms... adivinho agora numa infame
trai*:: ntao ha maisi-IRavenstein do que o
senior no ca oa.de D. COarlos?
'Kl, nora; mas essa pergnuta...
-E su me estA alli agora?
S- si em Urdlax. .
E est"a- aqui provavelmente aSm-


ipae, porquanto, nao devendo se contar
- senior com u i trafego quo d&I quando
Smuito, para fazer face ao custeio -e jurors
a garantidos da estrada de ferro corn esta
- bitola seria per certo insufficiente a renda
- provavel, para occorrer aos encargos re-
- sultantes da bitola larga, attenta a diffe-
) renga do capital necessario em um e outro
3caso.
P6de-sc entretanto prevenir a eventuali-
dade do augment do trafego e oo
destine future da estrada de ferro,
estabeleceido-se a clausula do ser pro-
- parade o respective leito, o construidas as
Sobras d'arte de mode a permittir ulterior-
- mente a traiisformaglo em estrada de bi-
Stola larga.
tA estrada do ferro enumerada em pri-
Smeiro lugar, conhecida per estrada do
SNorte, tend por ponto de partida esta ca-
Spital corn direeglo a Itambe, e passando
per Iguarassu e Goyanna deverA abranger
So ramal do Capibaribe-meirim de Goyanna
a Timbauba e S. Vicente.
A communicagao desta capital corn a da
provincia das Alagoas poderd ter lugar
Scorn mais presteza, se se der execuaes a
estrada de ferro projectada centre Palma-
Sres e Maceio.
0 prolongamento da estrada de ferro do
Sul, que so acha em construcgo de Pal-
Smares at6 Garanhuns, dove fazer part
das estradas principals e bern assim a via-
ferrea do Limoeiro, corn o seou prolonga-
Smento at6 o Brejo e o ramal auorisado ate
Bom-Jardim.
Diversas linhas transversaes, propostns
carecem dejustifica9giAo, e algumas at6 pre-
judicam a outras.
NIo posse concordar corn as indicagi-es
de personalidades a quern deve-m ser cou-
t cedidas certas estradas de ferro, por jul
I gal-as estranhas ao object da commissAo.
f (Assignado) Francisco \Apoligorio Lea,
Sengenheiro civil.
(Contintua).



Errata\
Na part deste trabalho p blicada no
numero de sexta-feira, cumpre fazer as
seguintes correeoes:
Columna la, linhas 10 e 11, cm lugar
de -representado, leia-se -representarA.
Columna 1l, linha 39, supprimir o e.
Columna 1", linha 64, em lugar de oa
reita- leia-se -a receita.
Columna 21, linha 36, onde vemt Li-
imoeiro cleia-se Limeira.
Columna 2a, linha 47, onde vem -fuiu-
ro inevital dove ser -future e inevita-
vel.
Columna 21, linha 69, onde vem pa-
gar As mesmas,- deve ser -pagar para
chegarem as mesmas.
Columna 2', linha 84, onde vem ki-
lometros- leia-se --kilometre.
Columna 2', linhalOO, supprima-se
0 -C.
Columna 3a linha 15, onde vem --34
kilometros (love ser 30 mil kilometres.
Columna 3', linha 32, em lugar de -
reproducgio deve ser produc9io.
Columna 3*, linha 47, em lugar de -
concessoes dove ser -taes concessoes.
Columna 3a, linha 57, onds vem--Pilar
da (Itabaiana dove ser Pilar on Ita-
baiana.
Columna 3', linha 59, onde vein (35
kilogrammas dove ser-65 kilometros.
Columna 3' linha 79, em lugar de-go-
neros artefactos dove ser generous e
artefactos.
Columna 31\ linha 91, onde vei o -
acomenta supprima-se o-o.
Columna 3a, linha 94, onde vein par-
to- leia-se a part,
Columna 3", linha 99, onde vein --do
Born Jardim --leia-se -desde Born Jar-


dim,
Columna i4- linha 13, onde vem se pQ
de supprirma-se o so.
Columna 4', linha 19, cm lugar do
assucar-- leia-so -de assucr..
Coiumna 4'. linha 87, em lugar dos
products leia-se -dos productores.
Columna 4', linha 90, em lugar de
essa leia-se -esta.
Column 5' linha 46, supprima-se as
lettras que preceded o vocabulo---n'o.
Coluirnna 53, linha 50, onde vein --- ne-
cessitarem, cleia-se, necessitarvo.


seu anxilio; mas... como ha de ser possi-
vel encontral-o ?
E o honrado contrabandista comegou a
percorrer a sala a grandes passes, emquan-
to o ferido perguntava A viscondessa :
0 abbade de Brionne, diz a senkora ?
Deve ser um antigo amigo da minha mnie.
Pouco depois appareceu Helena, cujas
lagrirnas em abundancia corriam, ao saber
a duvida muito fnimdada que tinham ,icer-
ca da seguranga do sou protector; e, como
se estivesse demented, s6 poude pronunciar
as palavras:
Meu pobre pai!
Langou-se depois corn ar supplicant aos
p6s de Perez para pedir que salvasse o seu
amado protector, n'um estado muito simi-
lhante ao da demencia.
E ninguem appareceu a dar noticias
do conego? -perguntou'o vascon9go.
Ninguem.
E' singular! Todo o crime tern a sua
origem n'um interesse, aeja qual for; serm-
pre pdde ou dove aproveitar a alguem...
mas aqui ngo se comprehend o object,
e... em vao procuro descobrir...
Naguelle moment apresentou-se um cria-
do, dizendo:
Senhora, um home, quo espera no
pateo, deseja fallar immediatamente A se-
nhora viscondossa; traz uma carta que dove
entregar em propria mao, e vem da part
do seahor do Brionne.
Que entre... que venha immechdia-
tamnente.
No,-inumterr peu Pores:- livrc-n
de faser com quo me vejam, em nome do
cbo Imande grdar aos eus criados o
mais abslduto silencio Acerca da nonsa che-
ga"d a este palacio, para que eose home, 1
tal1 depr quo. sej a, ignore quce tous aqxi;
Wve. cdds jprec~auqlo avida do.


V

i




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEAFIBZUD_4GBP4R INGEST_TIME 2014-05-03T15:51:12Z PACKAGE AA00011611_14403
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES