Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14305


This item is only available as the following downloads:


Full Text
















*!~ ~ pc~.
"." -


propriebabe b, anoeL ftuir a be aria f Jiltjs


TELEGRAMAS





RIO DE JANEIRO, 13 de agosto, as 4
huras da tarde. (Recebido is 5 horas e 45
minutos da tarde, pela linha terrestre.)

Na Camara dos Deputalos tol en-
cerrada a 3.a discussao do project
sobre o estado servil, mendo appro-
vado o memmo project commas emen-
das da commnissao que den parecer
sobre elle. bem como as emendas
aceitas pela mesma commisaio.
Wambem tol approvada ufma emen-
da do Dr. Jos6 Marlanno determi-
mando que do imposto addiciomal
creado no project na o rosme exclui-
da nenhuma provincla.
0 2.o prosotor public da C6rte
denuncloa do consul e do thesourei-
ro do Consalado de Portugal com.o
iancurso non arts. 109 e 910 do Codi-
go Criminal.


(Especial para o Diario)


BERLIN, 12 de agosto.


0 Conde de Kalnocki president do
eonsebiho de ministros da Austria,
visitou o Principe de Bismarck, em
Varzin.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
13 de agosto de 1885.


INSTRUCCIO POPULAR

HYDROSTATICA


(Extrahido)


Motors hydraulicos
(ContinuaQ&oJ
A applicacio do movimento de rotacao do eixo
d'estasmaehinaspode-seutilisar por diversos modos
e em diversos movimentos : assim, par exemplo,
podemos communicar este movimento de rotacio
para onde precise tar, e de um modo muito simples
estabelecendo na part superior do eixo umsa en-
grenagem conies de dous eixos, corn o eixo dai ma-
china e um outro de transformagao, a formarem
angulo recto.
Turbina d'Euler.-Esta turbina differe, da que
acabamos de descrever, em o liquid nio sahir ho-
rizontalmente, depois de actuar na machine, mas
verticalmente, actuando ainda pelo seu proprio
pezo. 0 eixo e tambem vertical; a machine liga-
se toda a urmas hastes que permitted fazel-a mer-
gular mais ou menos no liquid.
Tanto a turbina de Fourneyron, coma a d'. uler,
podem trabalhar coin grand velocidade e corn di-
versas qu6das ou volumes d'agua.
As turbinas de que temos falado, so de eixo
vertical ; todavia lia algumas det eixo horizontal.
Turbina de Girard. N'esta machine o eixo 6 ho.
rizontal e dirigido na direcqio do movimento da
corrente.
Esta turbine, pira se obter corn ella o seu ma-
ximo effect.), deve mergulhar today no liquido ; mas
pode trabalhar regularmente, mergulhando apenas
uma partr, embora se reduza a ascgio das pais.
0 liquid passa por um postigao de forms espe-
cial, na frente do qual se celloea a turbina. Este
postigo tern na part exterior umn parade que ahir-
ga parsa o lado do montante coin a rorma de um
funil, e tern na parts central outra parade circular
que se curva em sentido inversi, termninando em
ponta para o lado do montante.
Por meio da disposigio deste postigo, a part
estreita do canal faz augmentar a velocidade
quando tende a sahir pela abertuwa circular do
postago.
A roda nesta turbina tern pas obliquas e curvas,
em que a altura vai augmentando corn a curvatu-
ra, e em que os bordos eneostam a paredes tam-
bern curvas e inoveis. 0 liquid corre livremente
pel., canal, por a secao do) canal mudar de f6rma,
otendo-se usa velocidade constant d'agua em
rela.o As pas.
M. 0 movimento que a agua imprime as turbines
6 aproveitado por meio de correias, tambores e en-
grenagens, para onde necessario tar.
Podemoas utilisar a acgio de uma qu6da d'agna,
n'uma outra especie de motors hydraulicos, co-
nhecidos coina o nome de machinas de colarnna d'
agua ; nestes motors, que ha grande numero del-
les, o liquid actua directamente na propriaimachi-
na.
0 seu emprego c vantajoso, quando podemos dis-
p6r doe uina queda d'agua que nao seja de grande
volume,,tenha grande altura e pressao.
As sun applica@es sao extremamnente variadas:
ani podemos aproveitar a accao rectilinea da
/ wastee do embolo, para faz r funccionar elevadorea
hydraulicos, elevar pezos, exercer presses e in
jectar ar nas mininas.
(Co'atrnaa).


PUTE OFFICIAL

Governor da Preivinela
*RDIMTMM DO DIA 18 D, JULO0 DR 1885
Actm: "
-- 0 pmdnte da provmeis, usando da facul-
a dad-.lsidapelart. 7 da lei de 12 de agoto
do 10S Imole. pwt ath o dis 25 M ente
aboas deidass lomamidad

r w d pwovisiadatt amodmims aqm
ertsims 48 80"51


r


EXPEDIENTE DO SECRETARIO


Officios:
Ao general commandant das armas. 0
Erm. Sr. presidents da provincial manda commu-
nicar a V. Exc. que nesta data encaminhou ao
Exm. Sr. minister da guerra n'petiqlo de graga
do ex-cabo do 2.0 batalhao de infantaria, t.'osme
Raymundo Marques, a que allude o officio de V.
Exc., de hontem datado, sob n. 634.
Ao 1.0 secretario da Assembl6a Legislativa
Provincial. De ordem do Exm. Sr. conselheiro
president da provincial, transmifto a V. S., afim
de que se digne de submetter A consideraqio deosa
Assembl6a, o incluso project do posturas, par c6-
pin, organisado pela Camara Municipal de Carua-
rm, impondo multa aos infractores da disposiqlo do
art. 33 da lei do oraamento municipal vigente.-
Commnnicou-se A Camara Municipal alludida.
a.o Dr. chef e e pollcia. 0 Exm. Sr. con-
selheiro presidents da provincia a anda communi-
car a V. S. que no seu officio n. 163, de 19 de junho
find, relative ao pedido de um livro para escrip-
turagio das entradas e sahidas dos press da
Cansa de Detengio, proferio hoje o seguinte des-
pacho :
Remettido ao Sr. inspector do Thesouro Pro-
vincial para mandar satisfazer o pedido, de ac-
cordo corn a sua informaglo n. 20 de 10 deste
mePz. a
Ao commandant superior intwino da guar-
da national dos municipios do Cabo e Ipojuca.-
0 Exm. Sr. president da provincia manda aeeu-
sar o recebimento do officio de V. S., de 11 do
corrente, communicando ttr nessa data assumido
o exercicio interino do cargo de commandant
superior dos municipios do Ca' o e Ipojuca, per
hayer fallecido no dia 30 dejunho findo o respec-
tivo commaudante.
EXPEDIEITE DO DIA 20 DE JULBO DE 1885
Actos :
0 president da provincia, de conformidade
cor s proposta do [r. chefs de policia, em officio
n. 794, de 18 do correste mez, resolve eoonerar,
a pedido, o c.pitio Nicanor Bandeira deMello do
cargo de o do term de Jaboatlo, e no-
meer para -o o coroeMlmaqsim Maximi-
no Pereir s. ".-
Remetteu-se o titulo so Dir. ee de policia.
Ao am. Sr. Dr. Antonio L. da koa
Palmeiro, president da prowiaa de a .
thsnrina. Palo offieio a qms reob do e 28 M
junho fiado, fico inmteirado de have V. Exe., de.
poise de prestar jurammsto amamide a admainis-
tru$o deem provinces.
Apreeento a V. Exe. s m aMu proteas deo eti-
an e -2 'encI.
AoDr eh de. polieia.--Fie pprovado
contamto de aluguel de ama cams pna mervir de
e1.eam e quatei ns cidade IA d ao itmu9 d at
tempo em.qae w atinr e Ommeto a respeet
-TW edh"eo do deflpi do ta 0& .
16. a nia CF1= *
wW" &now- .cHo MEN=~ m~ ANEW -RHIN


cial. De ordem do Exm. Sr. conselheiro presi-
dente da provincia, communico a Vv. 6s. que tern
de apresentar-se a essa junta, afim de seeren ins-
peccionados a os professors Lourenqo Laurentino
Cesar de Menezes e Idalino Alcoforado Cesar de
Menezes.


Ao inspector da Thesouraria de Fazenda. -
0 Exm. Sr. conselbeiro president da provincial
manda revolver a V. S., o iucluso titulo de afora-
mento feito a Joaquim Moreira Reis, do terreno
.de marina n. 21 E, sito A run do Hospital Pedro
U, da fregaezia da Boa-Vista, devidamente assig
nado, conforme solicit6u essa inspectoria em officio
n. 357 de 20 do corrente mcz.
Ao inspector do Thesouro Provincial. 0
Exm. 8r. conselbeiro president da provincial,
manda remetter a V. S. o officio do engenheiro
chefe da Reparticiao das Obras Publicas de 15 do
corrente, sob n. 125, acompanhado de orgamento
em duplicate dos reparos do edificio que serve de
cadeia da cidade de Olinda, afim de que se sirva
de informar sabre a p)ssibilidade de ser a obra
exceutada por administragao corn pagamentos rc-
gulares.
Ao mesmo. 9 Exm. Sr. conselheiro presi
dents da provincia ficou inteirado polo officio de
V. S., de 14 do corrente, sob n. 28, de hayer sido
intimado o Dr. procurador dos feitos da Fazenda
Provincial por part da Companhia Ferro Carril
de Pernambuco, para louvar-se em peritos quo
procedam A vistoria da part da rua da Aurora,
denominada do Starr ; assim como de ter V. 8.
prestado aquelle as procisas intormages e solici-
tado que a Reparticao das Obras Publicas indi-
que pessoas idoneas, que sirvam de arbitros por
part da fazenda.
Ao director das Obras Publicas. 0 E9m.
Sr. conselheiro president da provincial manda
communicar a V. S., para os devidos fins, qm no
sen officio n. 121 de 7 deste mez, relative ao pa-
gamento da quantia de 10600 comn o consumo de
gaz no jardim di Campo das Princeas, dhrante
o mez de maio ultimo, proferio hoje o dApScbo
segainte : Remettido so Sr. inspectooVfThe-
souro Provincial para Inandar attender, ,.m ter-
moa de sua iqferwanam o n. 37 de 16 do eOtrente. -
XPmZauMBma DO Du 21 M D JXIoO D 1885
SActos:
-.0 president da przvacs, ftt-esddo so


o Dr.


Ide ww


gar por tret m-ees, eorn ads,
manat. omedida ao petIdoata
-sa matid, oade lb aier.
p-- imnBte d proviia, t
QUOe M p o jaiw muniipadl de a
pde 'ri.pho, Bo o is i do s.
par mnaprdmmto dosy

*defov efieir. O i l

^jd 4,f~re


dadamPrancisco de Barros Wauderley pars ezer- 1,712, 2,147 e 2,3,0, de 18 de maio '27 dejunho
cer o cargo de ajudante do procurador dos feitos ultimos e 7 do currents mez,* do Miniteno do Im
da Fazenda Provincial nh. municipio de Agua perio, tenho par fim recommendar a V. S. que
Preta.- Communicou-se ao inspector do Thesou-. mande pagar aos consenhor!s do predio onde
ro Provincial. funccionou, A rua do Visconde de Camaragibe, o
Officios : curso annexo & Faculdade de Direito do Recife, a
Ao brigadeiro commandant das armas. quantia do 10:00U0, alludida palos citados avis as,
Sirva-se V. Exc. de providenciar, corn urgencia vistO como firmaramn na Secretaria desta Presi-
para que seja substituido o deatsacamento military, denciaa declaraqilo anuuindo &. a eitalao d que estA na cidade da Escada, inclusive o official quantia, cm ceompensagao da obrigagao quo con-.
commandante.- Communicou-se ao Dr. chef e de trahio o governor de restabelecer as divisues quo o
policia. referido predio tinha quando fora alugado, seom
Ao Dr. chefe de policia.- Providencie V. quo dispense entretauto o recebimento de alu-
S. para que seja transferido da Casa de Detencao gueis venoidos e ainda nao pagos. Convem, por-
para a nortaleza do Brumni o preso Albino Auto- tanto, quo V. S. faca convidar por edital *odos
nio Dias, vista ter prcvado ser alferes da Guarda ob condominos do mencionado predio, entregando
National. desde logo aos que comparecerem a quantia que
Ao meamo.- Convem que V. S. providence Ihes competir, couservaudo.-se em deposit a dos
no sentido dec ser prestada pelo administratorr da demais que nao apparecerem, ficando certo quo
Casa de Deten.ao, information acerca da conduct desde a data do reterido edital cessara today e
do sentenciado Antonio Bcrnardo da Silveira, que qualquer reclamaglo relativa aq pagamento da
interpoz recurso de graqa da pena de 18 annos de renda d- predio, uman vez que, pela presented or-
prita'o simple, que lhe foi imposta pelo jury de dem, desapparece o mnotivo pilo qual fora recusado
Flores, ein 10 de fevereiro de 1870. pelos ditos constnhores o recebimento da respec-
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.- tiva have.
Communico a V. S. para seu conhecimento e fins Ao mesmo. Transmitto a V. S. copia do
convcnientej que segundo partieipou o inspector aviso do Ministeri) do Imperio n. 2,332 do 6 deste
do Arsenal de Marinha, em officio de 16 do cor- mez, relative a despezas da verba-Soceorro Pu-
rente, sob n. 329, o vapor MandahA da Compa- blicos,-e do eredita extraordinario concedido pela
nhia Pernambucaua que segnio para o Presidio de lei n. 3,228 de 3 do setembro de 1884, para medi-
Fernando de Noronha, foi centractado earnom a men- das preventivas do cholera-morbus. afia de que
cionada Companbia para tocar nas Roccas, afim se sirva de satisfazer o final do citado aviso.
de levar combustiveis e mais objects para o rea- Ao mesmo. Communico a V. S. que o juiz
pectivo pharol, pela quanta de 700,000 fixada em municipal e deorphbi)s do termo de Aguas-Bellas,
telegramma do ministry da marinha de 6 do cor- bacharel Thomaz Landim, reassamio no dia 13 do
rente mez.- Respondeu se o officio do inspector corrente o exercicio de seu cargo par haverem ees-
do Arsenal de Marinha. sado os seus incommodos de sadde.
Ao inpector do Thesouro Provincial.-- Ao Ao inspector do Thesouro Provincial. -De-
arrematante dans obras de reparos e pintura da ferindo hoje o requerimento de "Lydio Marianno
ponte de Caxanga, Joabo C'imaco de Miranda, de Albuquerque, 30 eacripturario do Consulado
made Vmc. pagar, qutando for possivel e nos ter Provincial, autoriso Vmc. a justificar as faltas,
mos de sun informaa-o n. 22 dIe 11 do corrente mez, que, por motivo de molestia, deu o referido empre-
a quantia de 3:219S500, constant do certificado eS gado de 13 a 30 de .bril alludidas em sen officio,
peticao que devolvo, e relative a execuqlod'aquel- a que respondo, n. 21 de 10 do corrente mez.
le service. Ao mesmo. Declaro a VIrnc. para os devi-
Ao commandant do Corpo de Policia.-Re- dos fins que fica approvada a arremataeao do serr-
ceba Vnmc. no quarter do Corpo sob seu comman- vio da cobranga do pedagio das barreiras de Ja-
do. conforme solicit o Dr. juiz de direito do 5" boatAo e de Una, em.Palmares, de accord corn a
diatricto criminal, a Joaquim Ferreira Camnpos mintormanio desse Thesouro n. 35 de 16 do corren-
que ternm de responder a julgamenco par quebra te mez.
culposa. -Communicou se ao dito juiz de direito. Ao director do Arsenal de Guerra. Auto-
Ao mesmo.- Recommendo a Vnmc. em res- riso Vmc. a mandar satistazer o incluso pedido
posta ao officio n. 773 de 16 do correntei que faca em duplicate de mil papeletas para a Enfermaria
substituir as praoas doentes que se acham desta- Militar, uma vez que para a respective despeza
cadas no termo de S. Rento.- Remetteu-se copia calculada na importancia de 205000, segundo o
ao Dr. chefe de policia. ornamento annexo ao seu officio n. 1,575, do 10 do
Ao president da Camara Municipal de Li- corrente, existed credit, como declare a Thesou-
inoeiro.- Para resolver sobre o assumpto de seu raria de Fazenda em officio de 17 deste mez, sob
officio n. 8 de 6 do corrente mez, cumpre qus a n. 350.-Communicou-se ao commandant das ar-
Camara me informed par quanto pretend alugar a mas e inspector da Thesouraria de Fazenda.
cansa pars o fim indicado em sea predito officio, e, Ao commandant do corpo de policia. Ao
si o ceredito consignado no art. 46 12 da lei n. Dr. chefe de policies made Vmc. apresentar ama-
1,834 de 28 de julho de 1884, ainda comporta esta nbh, ao meio dia, uma escolta de 10 pragas do cor-
despeza. po sob seu commando, afim de conduzir 5 crimi-
Portarias : nosos que v.o ser submettidos a julgamento, seon-
0 Sr. gerente da Companbia Pernambucana do trees no termo do Palmares, unm no de Gamel-
mande dar passagemrn at6 o Ceari, no vapor que leira e mai s outro no da Escada.
segue a 20 do corrente, por coata das gratuitas a A referid% escolta deveri voltar pa raesta capi
que o governor tern direito, A Pedro Alves de Son tal, logo que concluir a diligencia ; para o que
za, providenciando opportunamente quanta a volta providencici sobre o transperte de ida e regresso
do mensmo. na estrada de ierro do Recife ao & Francucoa. -
0 Sr. gerente da Companhia Pernambucana Communicou-se ao Dr. chefe de policia.;
made dar passagem A r6 at6 Natal, no vapor que Ao director das Obras Publicas.-Tendo ou-
segue para o norte no dia 20 do corrente a Fer- vido o inspector do Thesouro Provincial acerca do
nando Lima, par aconta das gratuicas a quo o go- que Vine. expoz no officio do 1 dp corrente, sob
verno tern direito ; providenciando sabre a volta n. 114, declaro-Ihe nao p6de ser attendida a re-
do memo opportunamente. clamacAo do arrematante das obras de repare da
0 Sr. gerente da Companhia Pernambuana cadeia de Limoeiro, Joaquim Lourenco de Barros,
laca transporter a provincial do Rio Grande do sobre o pagamento da quantia de 2815000, prove-
Norte por conta do Ministerio da Guerra, no va- nientes de despezas nito previstas no respective
por Jacuhipe que segue pars os ports do norte, orcamento, visto que nlo estao comprehendidas
no dia 20 do corrente, o ex-soldado do 14 bata- nos arts. 54 e 62 do regulamento de 24 de feve-
Ilho de infantaria Antonio Xavier Dantas, que A reiro de 1874, nao consta quakes ellas sejam e de
30 de junho ultimo foi e.Lcuso do service do exer- ande prov6m ; alWi de que o dito arrematante nao
Cito par conclusao de tempo.-- Communicon-se ao assignou c seu contrato na seccio do Contencioso
brigadeiro commandante das armas. Provincial.-Communicou-se ao inspector do The
0 Sr. superintendents da estrada de ferro do sour Provincial.
Recipe a S. Francisco faao transportar da estaQia Ao gerente da Companhia Pernambucana.
dts Cinc Pontas A tda Escada o destacamento -. 0 Sr. gerente da Companhia Pernambucana
composts de um official e nave pracas do 14" ba made dar passage a r6, do porto de MacAo ao
talbho de infantaria, providenciaudo do mesmo do Recife, na primeira opportunidade, ao Dr. An-
modo, para ser transportado igual numero de pra. tonio Ferreira Coelho e sua senhora, por conta das
gas e um official que regressam pars esta capital, gratuitia a que o governo tern direito.
devendo esses passes ser descontadas epportu- EIPEDIBNTE DO SECaBETABO
namente das gratuitas.- Communicou-se ao bri- Oflcios :
gadeiro commandant das armas. Aos Srs. membros da Junta Mcdica Provin-


Ao mesmo.--A' vista da frequencia de pe-
didos de justificaqao e faltas e de liceeaas por
professors publicos, a pret-xto de molestia, sobre-
modo projudiciaes ao service public, tenho resol-
vido nao conceder a autorisaio alludida pela art.
3 17 do regulamento de 6 de fevereiro ultimo,
quando aquelles professors excederem o numero
de taltas, que a Vmc. cable justificar. 0 qua fago
constar a Vmc. para os devidos eff itos.
Ao engenheira chefe da Repalrtilao dans
Obras Publicas. -De accord corn o que opinou o
inspector da Thesouro Provincial, em officio de 13
do corrente, sob n 25, recomi m-ado a Vmc., que
made por de novo em praa. os reparos preciseos
nas p ntes de Junqueira, Pirapama, Trapiche e
Gumrra, servindo dc basu o augmoento de 10 0/.
autrisado em 18 de outubro d nno passado, so-
bre o prego dos orgamentos appro ados.
Ao mesmo. Approvo a arrenatagio feita
par Francisco Tavares 4ia Silva Cavalcante, sc-
gnrdo o tcrmo annexo por copia ao officio de Vmc.
do 1 do corrente, sob n. 113, pars encarreogar-se
da obra das pontes da run do Rio, Tracunhbem,
Bujary e Arataea, na estrada do norte, da d'Agua
do Bicho, das quatro pontes da varzea dos eage-
uihos Uruah6 e Pao Amarello e do passadico da
mesmo varzea, na estrada de Pedras do Fogo, me-
diante o abate de 11 0/0 nos pregos do respective
oreamento.
Ao juiz dc paz preaideate dajant.a do alista-
mento military na parochia de Sant'Anna de Bomn
Jardim.-RRemetto a Vmc., cofiformne solicitor em
officio de 14 do cerrente, o livro destiunado aos tra-
balhos da junta de alistamnnto military d'essa pa-
rochia.
Ao agent da Companhia Babiana.-0 Sr.
a-eute da Companhia Bahiana faca transportar
at6'Piranhas, par conta do Ministerio da Guerra,
na vapor Mariho Visconde, o 20 cadet do 140 ba-
talhao die infacnraria, Margal de Siquaira Campos,
que ternm de responder ao jury da comarca de Ta-
carmatufi, por crime de morte; e bem assim o eadete
Walfrido Carneiro da Cunha Mirandaque o acorn-
panha.
Ao gerente da Companhia Pernambucana.-
0 Sr. g rente da Companhlua Pernanmbacana man-
do dar transporte ao Rio (ramnde do Norte, por
do Mmisterio "i.h -A no primeiro vapor
'anaslla si Wa' tenento Franool
a de L&0e1 ameo capitiao do porto parn
aqtmdk proviaeuL
Ao juude dirto da omarca de Itamb6.-
M oVm. iaf me entregou a Virginio
omei d& ritm,- reqawnmento docamentmaam
ONe a qv inae o ls prestoaaQUnire tosa

-itNB^ tb J ; o ieuqn-
cow 4M Mss
a


boras e 35 minutos da tarde, no lugar PAo Secco.
produzido a more de um indtividuo por elle alcan-
gado, por haver passado da margem par& o leito da
estrada, quando nao era mais p.jssivul evitar-se o
desastre, recomuiendo-lhe mais uma vez que pro-
vidocie no sentido de nQo reproduzirem-se factor
identicos.
Portaria:
0 Sr. superintendent da estrada de ferro do
Recife ao S. V'rancisco, sirva-se de providenciar
par& que por conta dos passes gratuitous a que o
governo tern direita em cad-i trem, tenham passa-
gens dte [ classes, da estaq.to das Cinco-Pobntas a
da Escada, D. Lucinda Francisca de Souza LcAo,
mulher do alferes d) 14-' batalhio de infantaria,
comimandtiante do destacanimento d'alli, 2 fiihos me-
nores Jacintho o Aurino, e de 36 classes o criado
de nomen Martinho, providenciando igualmente so-
bre o transport da baigagem, constant de 3 ba-
hus, 1 cama e 3 volumes, contend diverse ob-
jectos.
As referidas passagens dcv'ra'o ser descontadas
opportunamente.
EXPEDIENrc Do SECHErARlO
Officio :
Ao commandant do corpo de policia.-
S. Exc. o Sr. despnbargador president da provin-
cia manda restituir a V. S., o officio quo acompa-
nhou o de n. 717, de 7 do correuce mez.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 12 DFE
AGOSTO DE 1885
Abai-o assignados cominerciantes de cares
verdes nesta cidade. -Snim, pago o porte no cor-
reio pelos supplicantes.
Abaixo assignados, habitantes da Pedra.-In-
forme o Sr. inspector geral da lnstrucgio Pu-
blica.
Antonio Campello da Silva.-Estando o suppli-
cante pronunciado, sera enviado A julgamento,
quando far requisitado.
Dr. Francisco Jacintho Percira da MNlotta.-Fi.
cam expedidas as necessarias ordens au director
do presidio de Fernando de Noronha para fazer
regresear para esta capital a ftamilia do suppli-
cante.
Francisco Capitulino dos Santos.-Informe o
Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda.
Jose Scares Fernandes de Oliveira.-Informe o
Sr. inspector da Thcsouraria de Fazenda.
Luiz Felippe Cavalcante de Albuquerque.-
Coma reqner.
Marcellium Maria da Cenceiqio.-Informe o Sr.
director do presidio de Fernando de Noronha, fa-
zendo regressar o mentor na primeira opportunida-
de, a ser exacto @ qu3 allega a supplicante.
Silvino Jose Cavalcante.-lInforme o Sr. briga-
deirs commandant das armas.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, em 13 do agosto de 1885.
0 porteiro:
J. L. Viegas.


ce-presidebte da provincia do Rio Grande do Nor-
toe.-Pelo officio, a quo respond, de 10 do corren-
te, kco inteiradu de hayer V. Exc. assumido, .na
quaidade de 1 vice-presidente, a administragAo
deba provincial. Apresento a V. Exc. useus pro-
t stoa de estima e considera*a.
Ao b'spo. -Pelo officio de 16 do corrente mez,
fieo science do hayer V. Exc. resolvido nip seguir
mais para a carte e de terem ficado sem effeito as
nomeaq5es de governadorei, quo fizera. 0 que fiz
constar a Thesouraiia de Fazenda.
Ao commandants dasn armas.-Sirva-se V.
Exc. de expedir suns ordens para que no dia 22
do corrente, Ai 4 horas da tarde, se ache postada
em frente ao Arsenal de Marinha uma guard de
hour, afim de fazer as contineaci-s devidas no
Exm. president nomeado para a provincia de Ser-
gipo,-Dr; Benjamin Aristides Ferreira Baudcira,
por occaailo de teu embarque.
Ao mesmo.-Haja V. Exc., de conformidade
corn o aviso circular do Ministerio da Guerra de
13 de maio do 1851, de nomear uma commissftlo,
afim de examiner diversos volumes corn muniq'es
de guerra, devendo a reterida commission reunir-
se n' paiol da polvora da Imberibeira, onde se
acham tccolhidos ditos volumes.
A' omesmo.-Dd accord corn a indipacaio
feita por ease commando de arms e officio n. 637,
de 18 do currents, design o major Luiz Antonio
Ferraz para presidi- a co.nmissio, composta do
ajudaute intcrilo do Arsanal de Guerra e de um
empregado da Thesourari-s que for designado pelo
respective inspector, o qual de contormidade corn
as disposiuies em vigor tern do resolver definite -
vamente sobre o consume de dwersos artigos a
cargo da companhia de cavallaria, mencionados
no term de exame quo acompanhou o citado offi-
cio e junto devolvo.
A alludida commissio, conform proper V. Exc.,
devera funecionar no quarter da referida compa-
nhia e para a sui reuni-o design o dia 24 do
corrente, As 11 horns da manhi.
0 que tudo fago constar a V. Exc. pars seu co-
nhecimeto e devidos fins.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.-Corn
o incluso orgamento na importaucia de 3:828A213
apresentado pelo engenheiro enearregado das obrms
geraes interino, da despeza a fazer-se coamn o ac
creacimo de obras de que precisa o telheiro para
a serraria a vapor desse Arsenal, satisfago o pe-
dido de V. Exc., contiio em officio n. 282, de 9 de
junho proximo findclo.
Ao chefe d, policia.-Cominmunicando me o
engenheiro fiscal da estrada de ferro do Recite au
S. Francisco, em officio de 14 do cerrente, que no
dia 12, no lugr Pao Secco, o trem que partio de
Cinco Pontas As 5 horns e 31 minutes da tarde,
produzio a morte ao individuo que seguindo na
mesma direc*ao do trem, que o a alcangou, por ha-
ver elle pasuado da margem parao leito da estra-
da, quando nao mais passive l aeria evitar-se o de-
sastre, sirva se V. S. de mandar ploceder as ne-
cessarias averiguaq5es para descobrimento da
verdade do exposto.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.-
Para os fins convenientes communico a V. S. que
o Exm. Sr. bispo diocesano participou-me que o
Revin. Dr. EstanislAo Ferreira de Carvalho, vi-
gario geral, tendo obtido em 16 de outubro do an-
no passatdo, quatro mezes de licen"a, sem congrua,
o co handed f6ra do exereieio, par impedimenta,
desde 17 de fevereiro at6 14 de maio ultimo, reas-
sumio em 15 do referido mez de mainio o exercicio
de sen cargo.
Ao inspector do Thesouro Provincial.-A
Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque man-
de Vinmce. pagar de accord coarn o certificado junto
e cornm o sun informaao de 15 do corrente, sob n.
33, a quantia de 1:832$600, importancia da 2a
prestago da obra de reconstrucgio da poute de
Muribequinha, procedendo-se na forma do estylo
a respeito da prestaqio de response ,bilidade.
Ao mesmo.-Transmitto a Vmc. copia do
officio da presidencia das Alagoas, datado de 15
do corrente, corn relaqao a cobranca de direitos de
exportagiao de products d'easa provincia, que em
Jatoba sobem pela estrada de ferro dt Paulo Af-
fonso, a recommendo-lhe que proponha as medidas
que julgar eonveniente, se oao estiver a seu alcan
ce para acautelar os interesses da fazenda pro-
vincial, a que se allude e de que tratou essa ins-
pectoria em officio n. 563, de 22 de maio d'cste
anne.
Ao inspector da Instrucgao Publica.- Cou
cedar a autorisagibo solicitada par Vmnc. para justi-
ficar as faltan de exercicio escolam da professor
Leonor Cavalcante de Hollanda Chacon, alludidas
em seu officio a que respond, n. 237, de 11 do
corrente mez.


Nesta data autorisei quae fossem alimentados
par conta dos cofres da provincia os deteatos Ca-
fixto de tal e Luiz de Franca.
Deus guard a V. Exc.-LiUm. e Exm.
Sr. conselheiro Jjro Rodriguies Cha-
yes, mrui digno president desta provincia.
-O chefe de policia, Luiz de Albvquerque
Martins Pereira.

Thesouro Provincial
DESPACUOS DO DIA 11 DE AGOSTO DE 1885
Olivia Perpetua de Frcit.hs.-laformeo Sr. col-
lector de Gamelleira.
Manoel Uch6a de Barros Campello.-Faeam-se
as devidas notas d,L portaria de licenga.
Joao Goaes Loureiro e Augusto Adrilo Pauli-
no da Silva.-Certifique-se.
Great Western of Brasil Company.-Haja vista
o Sr. Dr. procurador fiscal.
Leonor Cavalcante de Hollanda Chacon, Idalinu
Alcoforado Cesar de Menezes e Lourengo Lauren-
tino Cesar de IMenezes.-Faeam-so as notas da
portaria d'i licenia.
Antonio Lourenqo do Espirito Santo.-Informe
o Sr. contador.
Jose Theotonio Pereira de Carvalho.-Cumpra-
se e se taqam as devidas notas da portaria de li-
eenra.
Francelino Americo de Albuquerque Mello.-Ao
Sr. thesoureiro para proceder do accord corn a
informagao da contadoria.
Antonio Jost Rodrigues de Souza.-Intorme o
Sr. contador.
Contas das l.a; parties das leterias das igrejas
de Apipucos e de S. Sebastilo de Nazareth, da 5a
da igreja dc Santa Rita de Cassia, da 7.a do Re-
colhirpento da Gloria, da 1.a da igreja do Rosanrio
de Santo Antonio e da 17.a da matriz de Jaboa-
tic.-Examinem-se.
Souza Bastos, Amorim & C.-Haja vista o Sr.
Dr. procurador fiscal.
Fielden Brothers, Jose Francisco Marques, Jos6
Rodrigues Beirao e Jose Elias de Oliveira.-Ia-
forme o Sr. contador.
Manoel Martins Fiuza. Eatregue-se pela
port.
Jos6 Francisco Epiphanio de Souza.-Faam-
se as notas da portaria de licenga.
Juilo Walfredo de Mbledeiros. Informe o Sr
contador.
Jogo Jose Ribeiro.-Registrc-se e fagam.se a U
devidas notas.
Dia 12 -
Dr. Praxedes Gomes de Souza Pitaaga.-Reco-
Ihidas as polices, haja vista o Sr. Dr. procurador
fiscal.
Adolpho Targino Accioli.-Deelare o conten-
cioso se j., foi prestada a fianqa.
Thomaz Teixeira Bastos.-Haja vista o Sr. Dr.
procurador fiscal.
Sociedade Luso Brasileira.-Ao Sr. thesoureiro
para os devidos fins.
Maria Amelia Dantas da Silva e Joao Barbosa
& Filho.-Ilnforme o Sr. contador.
Norberto Paulino dasChagas, Manoel Pigueiroa
de Fria & Filbos e Dr. Jos6 Antenio de Pinho
Borges.-Haja vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Ordem Terceira de S. Francisco e Jos6 d'As-
sumpelo Oliveira.-Entregue-se pela port.
Joaquimn Jose Martins.-Certifique-se.
Joaquim Anselmo de Hollanda Cavaleante de
Albuquerque .- Informe o Sr. adminmstrador dc
Consulado.
Antonio Jos6R'drigues de Souza.-Entregue-se
o deposit.
Frei Paulino da Soledade e vigario Joaquimrn
Antonio da Costa Pinto.-Informe o contoncioso
se jA foi prestada a fianca.
Maria Josephina da Silva Dubourcq, Jos6 Fer-
reira Marques, Fhomaz Lins Caldas e Fonseca
Irmao & C. -ifaja vista o Sr. Dr. procurador fis-
cal.
Miguel Francisco dos Santos.-Informea sec*o
do contencetoso.
Antonio Ignacio do Rego Medeiros.-Intorme o
Sr. conrador.
Theotoniuo Jo;Io da Cunha.-Prestada a fianca,
seri attendido no que requer.
George Windsor.-Ao Sr. thesoureiro para sea
conhecimento e deviildos fins.
Regedor do Gymusio, Manoel Machado Tei-
xeira Cavalcant' e administrator da Casa do De-
tencao.--Junte-se c6pia das informwa9es.
Frei Paulino da Soledade.-Entregue-se o de--
posito.


IlijiSTA DIAR1I


AIIraudega-Por portariai dm PreAidencia da
Provincia de 11 de agosto corrente foi nomeado
Arthur HLeraclio de Carvalho Guiaariites para
exere.r o carg.i de ajudant. do portoiro da Alfan-
dega, vygo pelo fallecimento de Js6 Augusta da
Cost;a Guimara is.
Compendio de Physica para lei-
tura--O Sr. Francisco dc Paula Barros, ha pou-
cos anuos, publicou na c6rte urnm livrinho, utilissi-
mo a irif.icia escolar, corn e titulo de Compeuiio
Elmentar die Physica, resumninio, em lingugem
accuminodada As jnvenis inrcligencias, os princi-
pios mais elementares da scieucia experunental
par excelencia.
Esse livrinho, dentro de pouco tempo, avaliado
pelo snu just merecimento, toi adoptado para as
escolas primaries, quer da tcrte, quer oas provin-
cias de Minas Geraes, S. Paulo, Piauby, Rio de
Jauneiro e Rio Grande do Sul; e rapidamenta to-
rAin esg.t idas as suns duas primeiras edigues.
Ag.ira o Sr. Paul:a Barros publicou a 3' edigio
do seu livrinho), mud~ado ihe por6m o titulo par&
"'ompendio de Physic a para leiftra, deatdimado d
escolas primaries do imnperio, e a nova edigio, coma
as outras, enriquecida de gravuras. tern mobre
*llas a vantage de ser mais correeta.
E' umi do livrinhos main uteis que conbeceoaoa
para o tiia quo visou o anator: dar aos sentidos da
creanga que frequent a escola noces sobre a
purezx da pbysiono:nia, o contorao da forma, o ea-
c into da vjz da mais bells das seieuciaas natures
-a Physice.
Lifndo esse. ivrinho, as creanoas insensi-,el.
mente aiquiremn noc.s que Ibe serao uteis e pro-
veitoss na, vida pratica, e em boa horas aprnnlem
a cunhecer e xplicar inuitos phenomeno- cuja na-
tureza escapa o comnum dos hmvnisn, e ate a mui.
tos que, pela sua estatura social, alo devumi igao -
ral-os.
tnporta isto dizer que o conseihs da Instruegiao
Public de Pernambuco deve examiaar o lirinho
em questab e fazel-o adopter pelas eaeots pri-
marias da provincial, certo de qu dat sosm meni-
nos qu% as frequeutam umn exoeleate pswtdL A ssa
nataraefuriosidade.
Agraoecemos ao antor o mimo qae nos fez de
um exemplar.
Anuiverarles-Amanhi faaemg S anos
quo teve lugar & pausgoe da esquadrwsh 6gira
por Cumrupaty, no Paraguay.
Tamunbem ftasern 62 aanoa qae sa do
ParA adbq Ainiependenza do i !'
fE aen31 aiUos qua foi cu aq
Portiu deo Leitarsem Perna ea g -
cas e---sa d .. *a-1-
nh 4a Ajuda bavera
mbs enmda pa toMOr&= ITV
t*=do Inge por Osw "M.
bzmas 0a piiasa.^B~
W..u5^ff5i^^.^


. ~ ~::-i~..
,'-


Repartpieo de Polcia
Secglo 2a.-N. 892.-Secretaria de Po-
licia de Pernambuco, 13 de agosto de 1885.
-Ilm. e Exm. Sr.--Participo. V. Exc.
quo fora h boatain recolhidos a Casa de
Detenago os seguintes individuos :
A' minha urdem, Jose Antonio de Lima, coma
vagabundo.
A' ordem lo subdelegado de Santo Antonio, Pe-
dro Antonio, por disturbios.
A' ordem do do Io district de S. Jo:e, Ignacia
Baptista de Oiiveira, par offenses A moral pu-
blica.
Foi apresentado ao Dr. juiz substitute do 30 dis-
tricto criminal o detento Claudino Joaquim de
Sant'Anna, que voltou para o estabelecimento.
Foram posts cm liberdade os seguintes indivi-
duos:
Maaoel Jos6 de Albuquerque e Antoni Manoel
Maria, que haviamin sidos recolhidos ante-hontem, A
requisicao do subdelegado da freguezia do Re.
cife; Dionisio da Costa Santos, recolhidos no dia
10, A requisi.o do de Santo Antonio; Mmanoel
Paixao, recolhido ante-hontem, a requisigio do
subdelegado do [o district de S. Jose e JoAo Mau-
ricio, recolhido tambemrn ante-hontem, a requisic.o
do subdelegado da Magdalena.
Me infurmou o administrator da Casa de
Detenqgo qie hoje seguiram cornm destino ao pre-
sidio de Fernando, sem o mentor incident, 61 de-
t'ntos.
Deixaram tambem de seguir as detentos Joao
Domingues da Silva e Manoel Antonio Correia,
que se achavam i cluidos na relaglo, o primeiro
por nao paler viajar, conf)rme opinou o medico do
estabelecimento e o segundo por ter sido post em
liberdade.
0 individuo de nomae Cahlixto, que fi recolhi
do ant'-hontem na Casi. de Detencao, por crime
de ferimentos graves, conform s.- v da part de
hontem, nao e' escravo de .Juio Giu.alvcs Torres,
imas liberty, segundo declarac'o feita pelo subde-
Igado da Magdalena, em data de honatem, ao ad-
miuistrador daquelle estabelecimento e confirma-
da em uma publicagIo no Diario de haje.
Em officio de 6 do corrento communicou-me
o cidadIo Joao Xtvier de Siqueira m Blitto ter na
quell dta assumnido o txercicio do cargo de de-
legado do term) de [pojuiea.
Pelo dclegado do termo de PAo d'Alho foi
remettido ao juizo comripetente o iuquerito policial
a que proeedeu contra o escravo Paulo polo as
sassinato que no dia 6 do corrento pr.aticoa em
terras do engenho Lavagem na pcssoa de devern-
no Braz Bispo.
No dia 6 do corrente e no lugar denomina-
do Chccheo, do terino de Agua Preta, fui preso
'In fl igrante Jonquiin Ferreira da Silva, par ter
disparado ursa pistol em flanoel Henriques, que
ficou gravementet ferido.
No mesmo dia foi tambem preso em fl-igrau-
te no referido lugar j individuo dd name Rogerio
Marques da Silva, por ter, arinado de uma ftaca,
tentado assassinar ao negociante Joao Ferreira de
Barros Lins, no que foi impedido ptnla intervengao
de diversas peasoas.
A respeito do ambos os factors procedeu a auto-
ridade coinpetente nos terms da lei.
Em officio de 11 de corrente o delegado de
Serinbaem contesta a noticia transmittida Diario
Be Pernambwco e dada a estaampa no n. 177 de dito
journal, quanta no modq%, ormo procedein alli as
pragas do destacamento, e affirma que ditas pra-
gas t6 a tido procedimento regular.
Supp'e dito delegado qae houve cquivoco da
part do noticiarista.
Pelo delegado da term de Agua Preta fui
rpmettido ao juizo comnpetente o inquerito policial
a quo procedeue contra Jas6 PFliciano, conhecido
por Jos6 Grande, como iucurso nas peas do art.
069 do Cod. Crim.
Fbiloem, aa 7 1/2 horas da noite, foi esma-
gado polo trem da via forrea de Olinda, qu e se-
huia para Bebribe, ne logar deaomninado Encru-
.ilhada, o individuo de nome jos6 Antonio da
Coneeigio. de 96 anna de idaik, solteiro, artist
morador no igr" Fuadlao.
0 infelia pretendeu sub14 a um wagon de segun-
dt clas, qadio o trem ja so acbava em movi-
mato flnU do he o equilibrio foi u a chi e s


xo.,'.w
p^-^.^.^p


o.
IM.




,.





i.


I iMEN=*


Pr" ,, -.,,..,
*"' .' .> -,* '. ", '"


I.,


I-































....... ...


'WWl. ,. l .B'"mlmdo eats a m Mo-
A dip efwiepenhd rod" doevo-


Sdehrma, pawnu o trem iaeonti-
Mka ts so vidk=e7vn, e jausi


- Agrde o
|l --dBa E folhqo, cmtendo do-
s A'w deo ameaovwida por-
d .Cu contra a companhia


S S e liege. 0 vapor bahian
Mqm' de Ccavaw frouxe- no hontem foiln de
o rgipe a16 e de Alagoa at6 12 do ecrrente:
ChegaLAaMcI o ogbogeaba"o Daniel Hremin-
gsr d uo, m ut r egarente do engeauha centraL e,-
Sti paW.Am mieipia do Riachnelo.'
ias n ds egoansnada adipnatam.
-.1" ii tans -mS' o titulo de um drama, em 3 ac-
y f tam, do &s: qmdwmeo A -do Pinto Vieira de Mel-
S J Ie, e igsado, pela Uvraria Universal, que o impri-
ll =is cum limIr
Ou eae d dama 6 ber coudusido e alguns
-.. pmrscagan to bena estudados, pondo em renevo
"* a vocalo doamsr par ose geaero de litt6ratura.
Agnadeoe*,o exemplar quo nos foi offerncido.
:' e-am fare-Tenado-se rotirado, no
at 12 do eaninte pr orrdem do governor, paras a
; eoertu a major de gengbeiros Dr. Lizs Antonmo de
IK .. 'edeiros, amumio a diretoria das obras militares
data provincia a engenhoiro military capitiao. An-
itorI d. de Albuquearue.O'Connpll Gersez.
Tbeatro ttlsa it albel-Repetio-se an.
tehB-atem neste theatre A Baroneza de Cayap6,
Sparidia da operas-comicsa franceza La Grasde Da
ig iane de Offmbach.
tConforme havia acontecido, em vezes anteriores
corrnu bernm o deaempeuho da peca, revelando-se os
actorbwes conhecedores de sens papeis.
Hagj repreqenta-se i beneficio da inftelligente
Mi. Villi,):, a linda e festejada opereta intitulada
0. Juanita.
Os menitoa artisticos da beneficiada do-klhe di
* reito a esperar eopfrnda conearrencia.
o.- AumoolacAo Commercial Kenefleen-
'e Esta associagilao couvocou para o meio dina da
praxima sfcguada-feira, 17 do corrente, umsa reu-
niau em assembiha geral dos res oectivos mem-
bros, psra tratarem de asaumpto geral para os in
teresses do commercio da praca de Pernambuco.
Gablinete Porgtaguez de Ieilura-
Amahi, ccmmemora esta instituiglao o 34 anni-
versario da aua installaao.
Das 6 As 10 horas da noite os sales do Gabi-
Bete, convenieritemente ornamentados e profusa-
mente illuminados, serbo frunqueados a todas is
pessoas que se apreseatarem decentemente vesti-
hdas. Alih tocari a banda do corpo do policia.
V Vapors de mil SaLo esperados hoje. do
snl, d.,us vapores=o inglez Trent e o francez
Henry IV.
*eaeoelo-Na proxima segunda-teira, 17
do carrente, faz beneficio no theatre Santa Isabel
o maestro da companhia da opera-comica Guomes
Cardim.
0 easpectaculo 6 varinado, e coastal : do 30 acto
do Sino do Eremiterio, da ipereta em dous aetos
S' Jovem Telemaco, e da pegi military A Batalha
de Payssands, do maestro Cardim. No primeiro
intervallo a orchestra executarai a phantasi da
*' opera comic Os Argonauta do alludido maestro.
SE' uin espectaealo b em delia-ado, c quae deve
natisfizer aos 'neloraes p'ilad'res.
Werlmens grave No lugar denominado
Checeh6o, do tuori de Agua Preta, e no dia 6 do
correute, Joaqmm Ferreira da Silva desparou rma
pistols corn a qual estava armado, sobre Manoel
Renriques, produzindo-ihe grave ferimento.
Emn consequencia disso foi immediatainente preso
o delinquent e a auteridadc local procede contra
elle nos ternos da lei. .
Teniativa de more -No mesmo dia foi
preso em flagrante e no referido lugar o individuo
de nome Rogeiro Marques da Silva, que armado
de uma faea de penta tentou assassinar ao nego
ciante Joao Ferreira de Barros Lins
A autoridade competeinte proeede nos terms da
lei contra o crnminoss.
FallecilmeEso-Pouco dpois de 1 hora da
tarae de hontem falleceu de nephrite albuminosa,
de cLuo hs annos i-offria, o jovem estudante do en-
genharia Thom& Francisco Correia de Araujo.
Maco estudioso, de inteligencia prompt e nt-
tavel, o seu trespasso foi um doloroso aconteci
meno para sua familiar, que o presava muito pelos
dotes inoraes que o ornavam.
Assoutiamios A just d6r dessa hanrada familiar e
aprewntamos-lhe nossas condoleacias
0 corpo do finado esta depositado na capella
do Cemiterio de Santo Amaro, onde terao lugar os
ultimos suffragios da igreja, hoje, pelas 9 horas do
&a. I
O. 0 Dr. Joaquim Correia de Araujo pede-nos pamra
?y em sea nome convidar parn- aquella ceremona os
'.'a seus p trentes e amigos, declarando que entnr.o
post.rdos carros n;,s ruas do Imp.rador e da UJins ,.
Para Fernando de Noranba-Sogom-
,,. ram hbntem mo vapor Mandahi para o presidi.n de
Fernando de Nuronha 15 detentos atacados de
beriberi.
Nan ha duvida, a Casa de DV-teng.o cads vez
7 mais se recommenda'como um foco de infeeglo.
; Ferro e iae v a Ce arsear --Depois d'ama-
npi ni, domingo 16 do correote, sern- inaugurado um
- "novo trecho d'esta ferro-via, abrindo-se ao trafego
Ja esta ao de Morenos.
0 horarna dos trnens, que serao- dous pela manhi
e dous A tarde, vai publicado n'outra seogia deste
Diaria.
k Almanack de Lemibran ac --Reehbe.
It mos am exemplar do novo Almanack de Lembran-
- as publicado em Lisbda pars o anna de 1886.
1". 'Agradecemos a offerta do editor.
E afdula*e--Este vapor do companhia Per-
nambacauai, sahido houtem para o presidio de Fer-
|-3macdo do Nan-onha, conduzia a son hon-do as so-


Scmnts paausageiroa :
^ Dr. COrte Real e sua familiar, alteres Victorino
L. da'Silva Costa, 1 sargento beriberico, umsa es-
colta camposta de 15 pracas do 20 e 13 do 14 ba-
b talkt, 15 prose beribericos, e 61 sentenciadss.
1t lme&a m ova-0 estabelecimento de mml
",s aiea dor. A. J.ndeAzevedo A ruadoaBareo da
- Victoria, n. 13, naba de imprimir ama phantasia
do Guastavo Lanoe sobre Madama AngoteL be co-
uBeida opera comic. E' bonita ; e esti alii ven-
da c000 ada exemplar.
i iUro-O paquete national Ceard trouxe
~gre : 20:7265360
1. ..i O. vapars.:
--n-ow v. itevou lma:
2:000#000
Uite, Bw^J*" .. 100:00^00
0 Ovapir true der Caiam troae do ad

& In-SoW 21,11W
JamJoequm, de Oliveira W
O- r0 ,meWr dMam mc levou parm :
g -l i. d we madmo 7:70263
+ ';. a eafinse. -m urent -- d.u
:+?. -- Pwvu mdi cu a .

*-d' 4do GCfe Caour -o MaK V-er
-^ ^^^^j^^ ^ a sssip umpoqoen. do da-
u.U


.. .... .

pe KRUVatAS uttd MW~tooglfo
-oua ind-le foi vade pbs a dam
AItalisaque4=aa
956s en tamto amlamida m epd.u h .e s da t,
paree entire & aeos mvimentd imi aro, estna .l
n do j mi prqae algu W = ade o bemd e ntoeme-e
FmteaturiMeac wr m cpucw e <
wartadores, a f m sam p w sbando*
,adwoua tamb ,mbaBumladma e-peeguod mo_-
rmIMt,.u & (R oue MAada M I d.._oMM) At-
g' doejW fanam arratads palis ultid e. ao
podando dvowist-a, a 1 1 1 RUM tornaudo-se
cumpliess, ao means em appareneia, doaa aum ea-
pa e daevenuras. E' maito rare tambema que osa
saimes oa e s talonto privilegiados no cedam al-
guan poneo ao imperio do vulgo e a faseinaa dos
tops.
CyedoAe meomtre ,Assim foi o qua ha
pone tetqmpo aualtou a formosa regime de Saute
Rosa, so Mexico.
Os estragos foram espanteaos.
A propriedade do coroneaLD 0. Pedro Valdhs sof-
frea todos os effeitus da tempestade, a quil ar
rane'u pela raiz varias arvores secularaxes e des-
truio algamaseasa.
0 furacao atraveseu o rio Labines e deixou as
suas immediacbes semeadas de gigantes pinheiroh
e outras arvores arrancadas pea ratz, como so
fossem simplest irbustos, e muitas quebraram-se
corn i forga do vento.
Depois de termiuada a tempestade, parecia que
ella havia ceifado tun camp de herva muito alto.
Em S. Joie de Salinas foram demolidas quaren-
ta caas e mor-rram muitas peneda e maite gado.
A trajectoria do cyclone tinha quatrocentas va-
ras de largura, e a sua duragio n'm ponto dado
era de quatro a ciaco minutes.
A caea da rainha Victorla-A rainha
Victoria 6 muita rica e tem feito muitas econo-
mias desde que ocecupa o throne
Ao cingir a cor8a da Inglaterra, o parlamento
votou Ihe uma list civil de 385,000 libras, sob a
condicgiao de qce, se as qnantias destinadas a cer-
tos fius naio fossem nos mesmos emp-'egados e na
sua totalidaae, as sobras vol'.ariam para o thesou-


ro.
Esta claus',ila nunca si cumprin e a rainha tern
comprado vastos dominios na Inglaterra e na
America, qu e elevam a sua fortune particular a
125 milhbes.
A raiiiha vive mnuito modestamente, e, se nao
foa-em os parasitas que a rodeam, as suas despe-
zas seriam muit u menores ; mas a rainha, segumn-
do os us s estabelecidos pela tradigio, v8-.e ro-
drada de personagens de alta nobreza, que nao
renunciam as.regalias le que gosam, no palacio.
0 mord,'mo-m6r, o conde de Lidney, tern.....
20:0005000 ; o thesoureiro lord Kensigton, e o
primeiro gentil-homem do palacio, 8:800J000 ;
o inspector geral e o rmajor general Cowel ganham
12:- 005090 ; ao chete da cosinha e aos seus su-
bordinados pertencem 110:OAO000.
0 marechal de campo 20:0005000 ; o monteiro-
m6r e o primeiro estribeiro 26:000000 ; este ul
time 6 o duque de Westminster, u home mais n -
co dos trees reinos.
Al6nia do ordnado, estes funccionarios trnm o
direito a um cocheiro, quatro lacaios e seis pala-
freueiros, vestidos corn sua libr6, e tudo a custa
da rainha.
0 duqu, de Cork cuida dos cles de caa e ga-
nha oor esse amrvigo 14:8006000.
0 duqu, de Pelbau faleeiro-m6r, ganha ......
25:2005000, e 6 precise notar que ha j A muito
tempo quoa se nao v um falcio na cor e de Ingla-
terra.
0 general lord Paget, ajudado por oito nobres
cuida das cavallarigaa, e cada urn delles vence
8:0004000 ; quatro pagens tern cada um 10:0005.
A sua missao 6 seguarar a cauda do vestido da
rainha, cauda que ella nunca usaou.
Depois ha tambem an dam.as nobres, os groons
do guarda-roupa, as dams do toucador, as damans
de honor, ete., etc., que salo duquezas, marquezas,
condessas, etc
Todas estas damas ganham quatro a cinco con
tos.
Depois vem os pregadores da camera, que sio
muitos, os medicos e os cirurgibes. Nao fallemos
dos boticarios, deintistas, oeulistas, etc.
Hla quarpnta annos qua esta troupe vive A cus-
ta da rainha Victoria !
Leil6es-Effectuar-se-hiao :
Hoje :
Pelo agent Pestana, As 11 horas, na ru a do
Vigario Teoorio n. 12, de predios.
Pelo agent Silveira, As 11 horas, na rua da
Floreutina n. 28, -ia l.ja de bnrbeiro ahi sita.
-"elo agent e Carmo e Silva, as 11 horas, na rua
Coronel Suassuaa n. 91, da taverna ahi sita.
Tergi-feira :
Pelo agent Gusmdo, as 11 horas, no armazcm
do Sr. Anies, de 9 0W iatas de marmelada nova.
Pelo agent Stepple, as 11 horas, na rua do
Imperador n. 22, de um sitio.
-'elo agent Martins, As 1I1 hiras, na rua
do Rangel u. 32, de moves.
Sl anns fumebres-Servt eelebradas:
Hoje :
A's 8 hor;is, na matriz da Boa-Vista, por alma
dci D. Anna Carlota d'Albuquerqne Melio; as 8
horas, na muatriz da Bua-Vista, por alma de D.
Jesuina Maria de Leamos Machado.
Segunda-fetra :
A's 8 horas, na Penha e na matriz do Rosario
dai Varzea, por alma de Autonio Maria Carneiro
Lelo ; As 8 horas, em S. Francisco, por alm% de
Jose Pedro Soares Primo ; is 8 horas na ordem
terceira de '. Franciaco, par alma de Anna G(on-
galves CoimBra.
Operaeiem cirargiea--Foram praticas
das no hospital Pedro 11 no dia 13 de agosto as
seguintes :
Pelo Dr. Pontual :
Ligadura da arteria femural pelo catgut no
apice de triangulo de Scarpa, por aneurism da
pc-plit-a.
Pelo Dr. Beiaido :
Pupila jatificial, reclamada por glaucoma chro-
nieo.
S Pelo Dr. Alcibiades Velloso :
Posthotomia pelo thermo cauterio, reclamada
por paraghymosis.
rae agei-ros-Chegados dos portos do Eul
no vapor national Marquez de t:axns : .
Thumaz Augusta Cesar, S-tanino de 0. Suenu-
pira, JMstina de 0. Sncpira, urm filhoa e a cria.-
da, Belmiro A. Teixeira, Maria Bosa Teixeira,
Estanislio Pacheco Pereira, Virginia G. Teixei-
ra, Valentim Monte, Antonio Rodrignes dos San.
tan, Alberto Vaz, Jamucio Nabrega, Jos6 Feruei-
nra Teiveira.
Sahidos parna Feoaado de Noaonha -no va.
por nacinal Mumdal." :
Dr. C-rto Rea- e Ba tamiha, alferes Victoriaw
) L. da Silva Coats, Baa esoata de 15 pragas di
S2' batalhki de iufafnima o 8 do 14o, 15 prmaos
1 ta l p. c 61 .lnteoeiadoa.

I 6 son-ters, 'a 43, .be
a fifiojoda bNrts Ih**Ise Sinrmevdia do Ro-


Baste a 'r .do.Mf".ieeio. t"n dfr t. t.


IWo


risa n. 45, 2.0 andar; residencia, ma de
Riachuelo n. 17, oanto da rua dos Pires.
Dr. Simsles Barbosa, medico e parteiro,
mudou seu consultorio pars a rua do Mar
quez de Olinda h. 64, to andar. N. tele-
phonico 279.
mudamca e conmulteorlo
0 Dr. AdriAo avias sos aeus clients
que mudou o seu consultorio par a rua' dc
Queimado n. 46, 1.0 andar. Consultas
t odos os dias das 11 As 2 horas da taide.
Migudel Rodrigues solicitador de causes
nos auditorios de 1.L e 2.a instancia; resi-
dencia a rua de Felippe Carnarlo n. 49
Drogarla
Faria, Sobrinho & C., drogustas poi
attacado. Rua Marquez de Olinda n. 41
Francisco Manoel da Siva & C., depo
sitarios de todas as espcialidades pharnu
ceuticvas, tintas, drogas, products chimict
e medicamentos homauiaticoas, run do Mar
quez de Olinda n 23.
Boeflea franesa e drogarta de Bog
S quayrol it .re. Seanbewore
A. de Ca O
Neste estabelecimento fundado desd(
1821 encontra-se os products chlmicos
drogas, tiatas, oleos, pineeis, vernizes dai
nwmlhores maroas; todas as especialidadee
pharmaceuticals dos legitimo autoneg, mw
Svariado sortimento de funds e aguas wi
Sneraes, aos granulma donimetricos dp Bua
grave e produetos especiaes da Flora Bra
sileira. 22 rua da Cruz, Recife.
C..al.rte l leab. e'aa
O Dr. Jen CGuma da crasulta i

mdo -al< 8w.^an 51- L~o a*&rw


w do
E 9.


La' ROaAM. atobilho-,
1.0tc kil de lroe wft rfi -in afe. x0t

pow d d a fda
on





20 wtboeiro ar9va 200 r 0is 4000a
da lsdo9endeigis a& 3 7e39.
5Tmabm a saasbpt vr mdn Qu da Portn-
P'4ro d-uis:-tar4fl.ti... -
IC--a-so s 0il0 40 0
Uaim deate Mesds nosd0a 12 do en-onteo

86 bomo po0qdo 5.M1 kilos.
1.042 kilos de pe ao a20 rnisa 20840R
35 omear de fructas diversasa a 300
Alia 10*500
50 ditas de fauinha, milbo e feijio a
200 reis 10i000
2i) taiboleiroae a 200 r6is 46000
5 Suluaos a 200 r6is. 15000
Prsgos dtfdia:
Carne virde doe 400, 320 e 240 6is o kilo.
SSuinoa a 600 e 500 rnis idam.
Careiro a 15000 e 800 reus idem.
Farinha a OO ate 480 rMis a cuia
Milho de 480 at 400 r-iu, idem.
Feijiao de 19200, ate 640 ria idem.
Foram occaupadas :
14 comparmecntos do suino a 700
reis 9580
18ditos do fresur-as a 600 r-is 1050p
55 tanodi de caron vetrde a 2000 1105000
41 compartimetoau do taxinha e eo-
midaB ae500e6is 205500
65 ditao de legumes a 400 r eis 265,000
18 colqnmnas a 600 rnis 105800

Dve ter side anrrecadada nested dia a
quanotia d o e 234S240
atadoure Publieo da Cabaaga -
Foram abatidas nested estabelecimento 63 rezes
par a o consumaeo de 14 da corrente.
Canlda e itesest eo-M ovimento dos pre-
des no dig 12 de agosto :
Existiam presoa 286, entraram 4, sahiram 6,
exiatem 284.
A saber:
Naciona s 248, tulheres 6, estrangeiros 15, eos-
cravos bntenciados e processado 10, ditaos de cor-
recgio 5.-T.)tl 284.
Arraeoados 260, aendo : boans 236, doentes 24.
-Total 260.
Movimeoto da entermaria
rivernam alta :
Jos Mar-celinoa de-Araujo.
Laurentino Duda dos Santos.
Cemiterleo Pabllco-Obituario do dia 12
de agosto:
Jaoil, Pernambuco, paid 67 annos, Afogados
eserofulas.
Maria Caetan u de Oliveira, Pernambaco, saol-
teira, branea, 18 annuos, S. Jos; chloro anemia.
Maria, Pornambuco, solteira, parda, 25 annoas,
Boa-Vista i tubeoculose.
JoaLo Antonio de Amorim, Africa, solteiro, preto,
80 annos, Boa-Vista; bronchite.
Maria Saloma, Pernamubuco, solteira, preta, 40
annos. Boa- Vista ; Beriberi.
Manoel, Pernambuco. pardo, 4 dias, Boa-Vista,
Jo;fraque ongenita.
aria do Coarmo Goames, Pernambubo, casada,
branca, 20 annos, Recife ; tisica pulmonary.
Maria C. daCostro. Pernambaco, viva, branca,
75 annos. S. Jos ; leaeo cardiac.
Maria Antonia, Pornanbuco, solteira, paorda, 28
annos, Recife; t4isiea.
Jos6 de Lima Santos, Pernambaco, solteiro, par-
do, 17 annos, Recife ; B oneriberi.
Filomena sRogeria doa Santos, Ri o-Grande do
None, vinva, pardsa, 32 sanusn S. Joa; taborea-
los pulmonareL.
Manoel, Pernamrbuco, riuvoe, penardo, doM,S.
Jost; fraquesz eongenita.
Coama, Pernambuco, 3 dies.
Josh Ma'iricio Torquato das Dores, Boa-Vista.
7 pela caridade.


IND1CAOES UTTEIS

Connaliorl@ medlc.-Slrurgceo Go Dr
Petr Grete Aflabyle ldotE eueeuo a
rua da Gflorita n.3.s
o doctor Moscpzo dA consultas todos as
dintoiase dan 7 As 10 horae da manhi
Esto consuitarie offorece a commodida-
de de podor cad-a cdoonto oar ouvido o ena-
ruiadad, sem nor prosenciado par outro
Do meja dia As 3 horas da tardo serAao
Dr. Moscoza encantrado no torrolo A pra
92 do Couimercia, ondo fimecions a mu
pecc3o do satudo do porto. Para qusiquor
d'estes dana pontas podorlo nor dirigidas
os chamadas por carts nsa indicadas horas.
Dr. Barretto Sampaio, do volta vie sea
itagom so CearA, da cansultas do 1 As 4
hon-as da tards na rua do Barko da Victa-


que exercemos, gragas a Deus, corn muita digni:
dade, e at6, corn abenegagiao, so a nossa hypotheses
nao estivesse .onas mesmas, senao em superiores
eondivbes, que as do exemplo ou caso que se qai-
zesse figurar.
Julgamos, por6m, poder affirmar,' que o juiz re
ciproco do commercio, nerm ao menos se dignou
ler os emnbargas e os documents quo os compro-
vam, a julgar pela precipitabo com quo foi pro-
oerida a condemnagio da aggravante.
Os autos foram conclusoa em 22 de julho proxi-
Smo passed i, e jA a 30, isto 6, oita dias dakois, era-
uz.os condemnados !!. .
Tivemos no's 15 dinas eoncedidos pelo art. 304
Sdo Reg. n. 737 para a apresentagio dos embargos
u am trabalho que, mais de uma vez, suppozemoi
- aa poder venocer, apesar de consumirmos dias t
notes inteiras somente occupados, nao tanto pars
articular a material dos ditos embargo, quantx
parn ler e reflectir sobre os 46 documents qu(
Sjuntamos, e que comprehendem 257 fls. ou 514
Slandas de papel, e muitas corm pessima lettra ; uo
- entanto, o digno juiz, sem o mesmo eforcgo, ata
. refado necessariamente corn outros trabaihos rela
Stivos a sua vara, e, ainda mais, sobre materin
eompletamnnte extranha- a sun pratica de julgar
* em 8 dias lea, eutudoan, meditou e proterio a deci-
sao de fla. condenuando-n Os, isto 6, affirmando
* qua aquelles 46 documeatos nao ternm o miniamo vsa
or;, nada provam; sa provas allmias so assump
to. onu desdtituidas de criteria e valor juridico I!...
Digne-ac, por6m, V. M. Imperial attender e exa
minar os alludi os documents.
A aggravante nos embargo articulou:
i S muUidade da qqeopar ter sid. proposta pm
i parle ilhegitim" ;
R E vpro6edeada d mein aoplo, por ser i

S (a) pjr ter havido fraud no earregameuto;
r (6Wpor -ter side o nautragio do brigue Unilo Q
Sresifta de am piano coneertado e assenutado en-
tre o capitol ',do 'dito brigue eos carregadores
derte ;
S(c) por tar o seguro recahido sobre objects ji
* mgurados et .sen inteiro valor e plos mesmoa
- (r) pur j Ahaveer noticia nesta praga do sinistr6
j i' data do odetrio, tendo os segurados conhedi-
dmto dito inAfro
l; (4 pr( so haver eu do Aa ommpanhia egura
d ciwot.ei a poderia influir pa


a1 flVANTR A COcinPaN 4a9 1

Decidso -d fl. 419 v.
freqbargos tiveram a guimnto sort :
4 Condemno a Companhia de Sqguros Amphitri-
tea pqgar aso autorens a quantia por eates pedida
- prmese ayob e respeotivos juros; visto mao
ter provado oumpridamste seas embargos nos
dias da leis, Oa quae, todavia, recebo por saa ma
lart. 11 do BReg. ICommercial n. 737.
oRecife, Q de julio de 1885. Jose Manoel de

BeShor I-Para V. B. Imperial aggrava a Com-
panhia de Seguros Amphitrite desta prara, da du-
clo de flas. 419 v. do Juiz Substituta Reciproco
do Commercio, que reeebeu os embargos de fla. 129,
mmr conde n- ~o.
0 present aggravo tern seu fundamento no 4
do art. 669 do Reg. Comiuercial n. 737.
Senhor precisamos nos reveastir de muita cal-
ma, mas mesmomuita, para, semjusta indignagio.
minutarmos o presents aggravo, e mostrarmos,
cor o respeito devido a V. M. Imperial, o que de
injusto, e, at6 de incomprehensivel, houve no pro-
eedimento doJuiz Substitute Rociproco do ommer
cio desta capital, recebendo, corn condemnngao, os
embargo oppostoa pelit a Aggravante, na acgio
de seguros propoata por Moreira Irmilo & C., da
Bahia.
Senior consinta V. M. Imperial, que diga
mol-o corn franqueza e lealdade : ano nos sorpre-
hendeu a decislo de que oaa se aggrava ; jA a
ag zardavamos ; e, sem receio de imprudencia, po-
demos asneverar que, se a Aggravante tiver de
ser, final, julgada, na primeira instancia, plo
juiz a quem allude, sern irremissivelmente con-
demnada, por mais solido e manifesto que seja o
sea direito ; por mats palpitante e eloqueate ajus-
tiva que Ihe assist.
Ah Seahor 6 muit3 difficil ser juiz, porque 6
mister saber abafar as paixots, e suffocar as re-
sentimentos... e, quautas vezes infundados !...
N2o 6 precis. grande esforqo pira tarnarmos
patent a injustigia de que fomos victim.
Basts pouderar, que jA contando os presentes
Autos 419 fls., a uo-asos embirgos vi) de fl1. 12.-
a fil 418, sendj a matrria allegada de fl-. 129 a
fl. 160, i ,struida c')n 46 DOCUAMENTOS, de ft. 161 n
fli. 418, cansistentes em inqiseritus poli-saes, certi-
dns extrahidas de Repartigoes Publicas, e que nau
polem saoffrer contestagao.
E effectivamento sobre elldes nao se pronacia-
ram at6 agora oa autores Moreira Irmlo & C,
mesmo porque ainda nao tiverama occsiLO do fal-
lar; c, no entanto, a decisao de fl. 419 v. affir-
ma que nao tforam provados os embargo da Ag-
gravante !
Ah Senhor! quanto d6e uma injustiga to re-
voltante e clamorosa !
Quantas conjecturas se accumulam e so atrope-
lam em nosso espirito! !..
Senhor! como vera V. M. Imperial demos, e mui-
to de proposito, uma f6rma especial aos embargos
dt. fli..., porque cada articulado foi logo segaido
de sua demonstraQAo juridica, e acomptahado de
umn document iaconcusso.
Dvede que foi julgada, ainal, nao provada a
excepcao que oppozemos a acAo, exeZpQ3u que en-
contrava seun fanimdamento na nossa legislaqao e no
ensin doe todos oa que se teem occupado do as-
sumpto, que presumimos qual a sort dos nossos
embargos, comoj. prevAmos a di cgAaj, se julga-
da for pelo mesmo juiz.
E eis porque tivemos o maximo cuidado em nao
deixar sem sua reapectiva preva qualquer dos ar -
tieoulados dos embargo s de fls.
Pois bem; apezdr de tudo foram recebidos, cornm
ooademiuWao, e corn uma condemnago ta o preci-
pitada, que a primeira palavra da deoiaiao de que
ae .ggrava, 6 a palavra coandemno !
E porque ?
... porque (diz o digno Juiz) a Agpravante
nao provou cumpridamente seun embargo nos dias
da lei.... !
Mas. o que fez entio a Aggravante juntando 46
documentos ? !
0 resultado soria o mesmo, 0e naa tivesse foito
acompanhar os embargos de documents algum,
pois que recebidos seriam fornadamente, par sereo
relevanres.
A aggravante fez mais do que provar cumprida-
monte os embargos; provou-os plenamente.
E, desde que os documents apresentadosnao sot-
freram a mais leve contestaiao, o juiz nio podia
julgar senio polo allegado e provado nos autos.
Se as embargos uppostos a fls. 129, esclarccidos
e comprovados, coma form 46 documeatos, nac
estio provados cumpridamente, de modo a deve-
rem ser recebidos sem condemnagdo, nos termos dc
art. 258 do Reg. commerci d1 n. 737, artigo quo nuc
nos costa toer sido revogado pela letra o01 espirita
de qualquer outra lei ou Reg., o quo 6, o que sig.
nifica provar cumpridamenee ?
Coanfessa wos nosea igaorancia a respeito.
Desejariamos, senbor que o juiz que proferic
ajdeoisao, cuja reforma6 impostajpela lei, pela ma
ralidade e pela justica, nosjexemp:ificasse um case
de embargo provadas cumpridamemte; e, nds noE
comDnrometteriamos a abandonar a nobro Drofisia,


" mento proferido pelo illustrado juiz do commercio
da .6rte, sobre o mesmo assumpto.
La (na Conrte ) fCi seguro o brigue Uniao, e a
companhia seguradora comao as d'aqui recusou pa
Sugar a importancia do .duistro por ter sideo nau
Sfragio proposital.
i Em conseq-czncia foi-lhe proposta a respeetiva
Sata'.), e tend a companhia opposto embazgos
KNSTRUIDOO COM OS MESMOS DOCUMENSTOS, COrn que ins-
Struimos os nososu, toranm ellos recebidos sem con-
5 demacago por aquelle juiz !!
Que differenga !..
Dar-se-ha caso que os mswmos documents va-
.ham na Corte e paras o juiz de & niaLo teaham va
Slor aqui epara ojumz de c I I!
Heje, senhor nio ha mais quem divide jue
o naufragio do brigue Unido foi proposital, assim
coma que o seu carregamento fbi de pedras em
vez de eonros ; e assim ganhar-se.... 130:000% !.
8 basta, porque confiamos na sabedoria, justi-
9a e imparcialidade do Venerando Tribunal para
So qual recorremos.
Coacluindo, Senhor! resta.nos implorar a V
SM. Imperial que nos relieve qualquer expressio
Sque, por ventura, tenha destoado do muito e pro-
fundo respeito que nos merece o Venerando T-i-
bunal de V. M., e do que votamos a todos aquel-
Slea que pertencem a magistratura do Paiz; mas, 6
1 tAo funda a ferida feita na magestade da justiqa
o da lei pela decisao do fli. 419 v- tao grave e
pezado o aggravo feito a aggravante, que, apezar
Sde habitualmente c:lmos, perdemos a serenidadL
a de espirito com alludida decisao, maxime quando
reflectimos, qLoe melhor sort, talvez, easivesse re-
servada a companhia de segurim-Amphitrite-
so a presented aqupstai, fosse eonfiada aos cuidados
: de outro que nao an signatario da presented mi -
nuta.
Resta-nos, porhm, o con o de que acima do
Juizo do Jui que corm tanta injustiva nos con-
demrnou, etAti o Tribunal de V. M. Imperial, e a
esperangca de que V. M. Imperial nos ftrA a devi-
r da e costumada justice, dando provimento ao pre-
sente aggravo, parna o im de ser reformada a de.
Seisao de flu. 419 v.
Recife, 3 de agosto de 1885.
0 ADvooGDO,
Dr. J. J. Sabra.
- CONTRA MINUTA DO JUIZ bCIPPROCO DC
S COMMERCIO NO AGfGRAVO DA COKPANHIA
S AMPHITRITE.
i Be aguma duvida ainda existiase em noaso es-
pirito aobre a iqjustica de quo femos. viotiae ,
ii manifests iaipr cedenueia da &eoido do. uM eo
- ciproco do Qommercio, quoae rqa e$o .em -Wm.
n ao, os embargo opposto pl agsa
# ao* do aetgia propoata par Moarna Ln*m V a
a C., da Behia,sla se disiparia amtsimseomtu

i i "' ." :. '''.,:"


toa lbtai a<1 -4.t~~b~o 'a puor o as ivR
gaasr oya W aa~ jat osomlied Vxpi4IaNovm. a
0oolran doe mil an-mnhein-cn do Uenioaraipetame
Semta s aloq tMaum p ro ado com o daementoo
dens. 8&46.
docita to q .u 3 a protelm to do eantao do
brigue MAP Bohm e.
p.6 5,o wma p imt a pi-
t4 a Cs ni do Perfa da pmvcisa dts A10-
gonu, e ao join e-mmei de Vido a-Nova
6 e 7, inquaride pofdima a dos qaas eaontam
declara.co dos marioigos do U niao a respeito
do naufragio, e de Antonio Cardose de Araujo,-
qua 0a reebeu em sua nbarcaa, depois do sinitro,
e eas transportou para terra. Taes documfantos
mostram que navio foi mandado deitar ao fundo
pelo seu capitio.
S 9-u ert s pedidae as cspitanias dos por-
to das provincial de Sergipe e Aqag6as, d mous-
trdndo que a tripolacgo do dito brigue ulofoi ma-
triculada. como alias exige o Dec. 447 de 19 de
maio de 1846.
10, 11 e 12,- certidnes extrahidas de papers
publicos, provando naio se r verdadeira a ailegiao)
do capitAoa do brigue, de qnae a causa do naufragio
form as pancadas que den o mso brigue nus
banos de area, ao transport a barra do rio S.
Francisco.
13,-una carta do commanodante do vapor
Principe do Gram-Pard, que foi o rebocador do
Uniado.
14,-exame procedido nos livros de Peixoto s: C.
carregadores do navio, pelo qual se evideneia que
nao foi embrcado no dito n avi, o unumero de cou
ros que se segurou.
15,- certides, da Alfandega deata cidade, da
mesa de rendas de Villa Nova, e da Alfandega do
Penedo, sobreo numero de courosaemb1reados para
est provincia no mez do abrili, quando foi carre-
gado o Uniao.
16,-certidio da Alfandega do Penedo sobre o
despacho maritime do navio Uniao.
De 17 a 28, -certides dasa repartiI5eas fieas
de Villa Nova, Ilha do Ouro e Proprii, sobre o
carregamento do navio.
29 e 30,-inquerit.ds policies procedidos en
VilLi Nova e Penedo, oudejuraram 12 testemunhas,
pelas quaeos se proves e verifies-sae qae o aavio
earregonu pedraIs em vez de courts.
31, 32 e 33,--coihecimentos da carga apresen-
tladoa pelos egurados a Aggravaute pars haverein
o pagairento d-. a qinistro.
34, -relatorio da compauhia de segaros Interesse
Public da Btihia.
35,-crti .Io da Junta Commercial da Bahia.
36, relatorio da companhia Au liana, Segusid-
dor.a de 90:000c valor de pare, djm carreg.oent,
du Unido.
37 e 38,-certid5es p3:rs,,las pelai c mpianhias
Commercial e Interesse Publico, d B-thia.
39 a 46, celrtLdjes d.- rpirtie, .s publieas d'*
Villa Nova e Penued sobie o pe dos couros e
algol'., uo inez de abril, in.qucll-.s prayts, tfiin de
;provar-se, oau ficou, quea o carregamento do Uniao
ainda qne verdaduiro, nao valia 130:000o p g r
cuju valor toi s'oguro.
Ora, eia aqui oa documents que foram conside-
rados sem crnterio e valor pelojutz raciproco do
coibmercio !
Elles provain os embargo mais do que cumpri-
damente ; prova-os plenamente, para qualquer juiz
p.,r mais escrapuloso, concieacioso e exigente ;
tanto mais quando, a mais ligeira coutestacaXo a5o
foi opposta aos mesmos.
0 digno juiz quaado procurou fundamentos
para jilgar nao provada 9 excopc;auo de illegiti-
midade do part por n6ds opp)sta, affinrmnou que
-mais de duos testemuahas cutuese e cocla
deons--haviam juradoo quae a Aggravante s.Abia
que o seguro era fiito por couLa de terceiro) ;
n6ds no. embargo wostrimos claramcnte que
alo ha ursa so5 testemunha que assimn tuenha ju
radio I !
Agora. alo podendo deixar de recc -bor os embir-
gos, mas querendo forqosamente condemnar-nos,
firma seccamernte que nalo provamos os ditos em-
bargos, quando, no emtanto, juntamos 46 docu-
mentos, comnprobatorios dos nassos articulados e
consistentea em certidoes extrahidas de reparti-
gcoa publieas e documentos official 1 !...
Oh !... rcfcrimou desconfiar de manna lamilde
Le citdigoeWa
Squoe 6 para causar reparo, 6 que o juiz nao
snstentssse a decisao de fls... e d'a qual aggrav,;
limitando s'1 purae simplesmonte a dizer : quoendo
provamos os embargo non dias da lei.
) Nao exteruou, p r6-m, oas motives porque en-
, teadeu que nas tinhamos adduzido takes provas,
i quando irrecusavelmente juntamos 46 documen-
too! !
Condemnou- nes som nos convwncer !
E' que o digno juiz, sem duvida, nao quiz que
succedeose 3oem as coaniderandas corn que pretend
desse sustentar esta decision, o mesmo que, corn os
que produzio para julgar nao provada a excepvo
i de fls. 31 ; que faram completameote combatidos
e anniquilados, nme embargo.
" Senh rn! naa ne0 6 p-rssivel, gela rapidez coan
3 que deve ser apresentado o present trabalho, jun-
) tar certidia, ou qmmalqucr ontra prova, mas pi-
* demos affirmar que muita different foi o julga-


convinha, e muito dF proposito occultou o que o
prejudicava, qu .6 exactamantd o aque antecede
aos trechos de que se servio.
Tratava-se de urma ac-o de assignaoao de dez
dias, pela qu.d se demandava um credit bypo-
thecario.
Opposts o es embargo ).; f ram pelo Ace. cit. man-
dados receber, cornm cndemnadao,-nao porque se
tivesseA juntad'9 documents em publicas-formas,
nao conferidas corn os originaes, antes da diiaga9,
- caso unico em que teria cabimento o dito Ace. d
nossa hypothese, MAS, POi2UE os DOCUMENTOS APBl-
SENTADOS NAO SE REPERIAM A SGLU!AO E PAGAMENTS
DA DITlDA HYPOTHECAEIA.
.is as palavras do .cc. :
Embora considere-se relevant a material arti-
a culala nos embargos, para que a causa tenha
a ampla discussio, e venha A prova o direito de
i ambas as parties litigantes, e nao porque os em-
a barges sejam dos enurnerados no art. 250 do
S Reg. n. 737. cm nenhum caso juridicamente se
p6de dizer que corn aqueUis unicos documentoa,
Sque nada dizom sobre a solujo ou pagamento doa
divida hypothccaria, o embargante. provava
Scumpridament-, nos termos do art. 258 do cit.
Reg. a material dos mesmoa embargos, para qie
a podessem ser recebidos sem condemaavio, como
a foram nos toermos do art. cit. do mencionado
SReg. Commaercial. a
Estaremos, porventura, na hypothese do Ace ?
Os nossos doeu.nentos serao estranhos a mate.
ria articalada nos embargo ?
Naio ha qunem, de boa tN, possa affirmal-o ; 6 9
* proprio Juiz que assim o reeonhece, tanto que nao
nrecebeu os emba-g.)s, sem condemwsao, porque os
documents alludi-los fossem alheios a nateria dos
mesmos, mas. porque nao foram conferidos, do ac-
cordo corm o? arts 137 o 153 do Reg. 737.
As outras autoridades corn que se apadrinhou
o Juiz, examinadas, dao o mesmo resultado qaeuo
Ace.
Servirio unicamente para tornar mais salieate
a mnjuatigade quoe .fjomos victimak cemr a decide
Saggravada.
Toda a queatlo, porem, resolve-se so segiate:
S Os 46 documents com que foram inatruidon 0o
embargo da iggravante, provam on n ao qae a
aecgao 6 improeedente, pela illeoitimidade a das par-
Ste-a, .e nulla, p sr ullsO c .eglro ?
0 Jai diza, o, pouque taps documrntoa nSO


Q~onds entlo rouU%
^ta?. .JM ii tittf


.


gLfAdft,
v lal qse Ofea r"ja-doeousa..j&.

Mo podemo_ crer.
8ia eoao ft, pollIhf o 1" 6 inoeusso 6 qua,
eamUK, eomulSm. mtoK, rejsitada aexcep-
'ao, a mesm .atetia podia, 0omo fisemo ser re.
pinos eatrgo*.
cemo po- a J*iz jr eondera tal assumpto jul-
gado e& doci& ?
No saraSt, esta part dos embargo esti
plenamente provada com os docaumentos ns. 1 e 2,
documented irrecusaveis, e ante oas quaes o proprio
Juiz foi obrigado a parar; articulando unicamente,
o nao ostarem as firmas reconhecidas I
De quem sao porhm takes firmas ?
Dos Srs. Pereira Carneiro & C. e Doprat, todos
aqui residents, e negociantes nesta praga.
Bastaria a prova produzida corn relaiAo a esta
part dos embargas, para que estes fossem recebi-
dos, sem condemnaqao.
A 2.a part, porem, nlo offerece material menos
relevant, e como a 1." toi provada cumprida-
monte.
Quanto a esta 2 a part, improcedenci i da ac-
91o por nullidale do seguro, diz o Juiz que nao
recebeu os embargos com conjemoaaio, porque :
- juntamos publicas fn6rmas, e estas nao foram
conferidas corn os originaes, na presenqa do
Juiz, citada a part ou semi procurador, dentre
da dilaodo, omissio esta que lira a takes dacu-
mentos o character de authentic idade, nullifican-
do os. ,
Cita em sou apoio os arts. 137 c 53 do.Reg.
Com. n. 737.
E' admiravel !
Exaetamente, os arts. citados pelo Juiz con-
demnam a decisto, cuja reform se pode e es-
pera.
0 art. 153 6 explicativn e inntgrante do i-t. 137
do Reg. cit.
Ora, o art. 137 diz: DENTRO DA DILA-
QAO serola cicadas as parties ou s-us procurado-
res, corn indicaqi.) do dis, hor.a e lugar parna ex-
rracqao ou coafe-rencia de traslados c publicas-
j6rmas. ,
D-NT-ro DA DILAQO !
E estam,,s nest- c-iso ?
JaI houve dil'iqdo ?
Diz o Juiz quo sim, tanto que cita o art. 137 do
Reg.
0 proprio Reg., porem, diz que n-'o, pois que
esta s6 virA d-p,-is da cuntestaqlau dos Embarga-
dos, ei quindo a causau for piosa em prova, nos ter-
in'-s espressos ao art. 26o ce mnbinado corn a arts.
127 ,- seguiutes di) Reg. n. 737 cit.
At6 .iqui o que bhouve foi a designaqLo do prazo
dP 15 dias, para a Aggravante oppor e ailleg-ir os
seus embargo's, prn-'audo-os, como fez, cuinprida-
mente, de accnn-lo cmn o que dispie o art. 304 do
dito Reg ; mas nado houve dilaqgdo, deiro da qual
d fqve se deve fuzer a conferencia, de que trata o
art- 137 do mesmo Reg.
Quando, portanto, o art. 153 do Reg. torna a
public f6rma depndente de conferencia com on
originals, para fazer prova plena, refere-se a con-
ferencia feita dentro da dilagdo.
Admira que, sem prnposito, o jumz tivesse con-
fuu ido dilacao (arc. 127 c seguintes do Reg.) corn
o prazo mareado para a opposiefao dos embargo
(art. 304 do mesmo Reg.)
Semaelbhantes artigos, pAis, a que soceorreu-se o
Juiz Reciproc..-- do Cominercio condemnam, emin vez
de suffragarem a opinimo que pretended o mesmo
Juiz -ustent-ir.
A coufrenencia sernA feita na 6poca oppor'una e
designada na lei ; e para isto ji oestlo em uosso
puder os originals.
N.o nos recus'imos a ella, p-alo contrario a re-
quereinos, qiaudo no final dos nossos embargos
protestAnir8os por todos os meias do provays, dentro
da diiacVao.
Os originals nao estavvn nesta Provincia, mas
si'n em p')d.r das conmpanhias seguradoras da Ba-
hia, sominnte agora nos vieram As mtos.
Neste f6ro mesino jA se procedeu a conferencia
de publicas-f6rmas dentro da dilai.o probatoria
na acq.o do baneo hypothecario contra os empre-
zarios do canal de Goyanna.
E nem este modo de proceder po6de sof'rer con-
testaq s6rima, por ser o recommendado polo Reg.
muito claro a rspepito.
Na coantra-miuuta cita iaiis o Juiz a Ord. 1. 3,
t. 25 pr.; P. Baptista 131 e not. Lobiao slgun-
das liuhas not. 153, alun d um Ace. da Relacgo
desta provincia, proferido em 12 do julho de 1881
-Dir. vol. 30 pag. 102.
Todas estns citage-o, nao podem aproveitar,
porquanto sd teriam applicaglo, seos documentos
apreseonados pela Aggravante, nao provasseon, jA,
que MIureirna Irmna r C. nao sao parts legitimas
para accionarem a Aggravante, jul, quo o seguro
do carregamento do brigue Umado 6 nullo.
Desde. porem, que o proprio Juiz contessa, que
se tivessem side coaferidos coin os originals takes
documents tarian prova, para que oa embargos
fssem recebidoas, sem condemnacgo, e desde que,
j~i demonstramoa, que semelhante caafereneia tern
o seu lugar proprio e opportuno-x DILAVSO--
claro quo mal A propoasito, foram invocados pelo
joiz aquellas autoridades ejulgados.
E a prova esti no mesmo Aec. da Relaeao des-
ta Pravincma, de 12 Ie julho de 1881, cit. polo Juiz,
como argument achilles.
0 digno juiz citou debate julgado s'S o que Ihe


I
(

^i
^


I


I


a-


no .ma xe .a.































COnefiou 03a
I CIOoiml


ease


oure ao
.OEo|po
Soube a


aTS- 5 a llauumuma
alms veto chorar,
marmore que encerra
de queim au terra,
virtue ad4prar.


Era ella o apanagio
D'aquel-e nobre ancilo:
Nunca do vicio o contagio
Lhe min o o orago.
De subida intelligencia,
0 era por excellenia
Advogado exemplar.
Tratava a causa do nobre,
Come tratara a do pobre,
Quo lh'a fosse confiar.

Part todos delicado,
Ninguem lhe tinha rancor.
Era esposo disvollado,
E pai as extensio do amnor.
Era amigo estremecilo ;
Era per todos quorido,
Que a todos tratara bemrn !
Em honralez excedel-o,
Sera inutil dizel-o,
Que imital-o poucos vom.

Soeus parents estimnava,
Com affacto e cocn amor.
Nos gosos riso Ihes dava,
Como conforto na dor.
E nisto, nesta grandeza,
Nesta sublime realeza
De um'alaa nobre e leal;
De outros se distancia,
Parents que a mo6r valia
SE' do aos seus fazerem mal.

Alma grade, alma talhada,
Para o beorn, para o dever;
Nunca jamais foi. ahchada,
No lodo do escarnecer I
N'aquella paito o affect,
Era o sou santir dilecto,
O seu timbre e galardAlo:
E sua maior ventura,
Era ter na cr .atura,
Come Deus manda, um irmlo.

Era su'alma formada
Para as conquaas do bem !
E essa existencia honrada
Descrevel-a podse alguem?
Impossivel! Quem descreve
0 verbo que Deus escreve
No livro da creagoo?
Queo desreve essa grandezsa,
De Deus a obra princeza,
Chamada imaginaglo ?


Ninguemrn 1.. E' triste verdade,
Mas forg9os de dizer....
Porem 4 posteridade
Tratara de o fazer.
Aalia compete agora,
Em sua sublime aurora,
Em sen brilho sew igual;
Elevarn to grande alma,
Qjk fei co ier a patna,
Da gloia celestial.
Arraial 11. agosto de 1885.
Antonio Jgawo de Tore Bandeira.


Urgente
Precisa-se alugar uma casa temr4, gran-
de coa audar em cimsa, on um ditios na
mesma eowwSis pars duas families. Do-
seja-se qus eja em alguma das liuhas de
bonds, ft Viaforia do Caxag, qu
seja floe g lbsaree : Pag.*sFer-
nandes Viirat Cawsiao-Nova, Teews, on
outro quduer lugar que na esasmuito
distant df.t o aA ftt oa a iaipi4es
W. W. nwtatypogrphia.


yeAs pess 553 vipmfr, co. mamga-
Sve impwa6~ em -partf ofi:ado no vi-
got de uaaewmal .; os Gsgandf -atOBk $a
odan pidks +de tpermasrsa a ali-
seuta^S, o. ieoi odmiuhcamBs 4 wevia-
gem, oeetvioft+ m d aus-
onii mew hoals^qa at fodro-
no= e D tormafl Waita, sam W ilar As Qu-
t*m Ia. *MdWi-i11 J '


respeitave
rem encon


drnam des* do*
I dopovodeafts
- o menos P
tiBs so cnioter do
mm de mais temf
aIlico os jenwo qm
dos no presenOe COt

Bonito


&doasg Ike of.
Spole devr e
SpreiteoA vqr
ma "has, am
esltar o sea-
vat qu asbe-
*Re isme3is
ar vowtura e-
micado.


0 Tempo de 4 do corrente, sob a epigraphe-
Un 8ubdeeqado moddo-trs us dotosdingi-
dos so alftres Manoel Correia da Oila, digno
subdelegado desta villa.
0 alferes Coreia na o dgceri do sua dgnidade
pars responder so amnonymo. do TmpA; queima co-
nhecer o seu character e probidade he farai justi-
9a, e isto mesmo sm SatklkAda- seperiores desta
osmarca o poderlo attestar.
0 informant e do "fmpe onao pasa de um cara-
dura, pelo que.-ea els I
6 de agosto do 1886.
just".

ICongresso Draatico

Beneficente
Nio tendon comparecido numero suffieiente de
socios pars faser so a prestao das contas do ee-
pectaculo de 30 do passado me, s&o de novo eon-
vidados os Srs. socios, Para, no dia 15 do warren
te, se reumnrem em sessao de assemblea gerMi.
pelas 10 bors da manha, no theatre Santo Anto
nUo, afirm de promover-se dita prestaglo de contas
e tratar-se de assumpto urgonte e de interesse so-
cial.
Sala das sessoes do Congresso Dramatico Be-
neficente, 14 de agostdode 18A5.
0 secretario,
Jos Rtbeiro.


Trilhos urbahnos do Re-

cife aCaxantga
Quem nio for cego vera a maneira como so
tratados nos wagons desa felizarda companhia, os
passageiros.
Se etes slo da 2' clause, sobe de ponto, nem
ao menos se dispensa a menor partieula de atten-
co que a sociedade hodierna iaip6e, porem se 6
inglez-oh, esse zem-at6 capadwo.
Se olhirmos para as estayoee, seja qual for, e
em todas as linha., sao elias uns ehiqueiros, luz e
tio ordinaria, e taj porcoa os seos eandieiros. que
o -estomage mais robusto entra em mauseas. Agua
e cousa que nao ha, e nem honve ; retrete, pars
olguan caso que a huaanidade estA sujeita-isso,
foi um dia.
Nio n's eausa admiracao, o quo aos admire
era, se o fiscal do governor camprisse o seou dever,
por6m coitado, el e 6 ce6go, menos para os duzen
too no fim do mez.
Agora mesmo a conpanhia oa o sen gerente,
quer engasopar o presidents da provineia e so
pablico, na approval daes novas tbelea, prin-
cipalmeute relativameute as easigawtursa da 2
elasse.
Sr. presidents da provincia, V. Exe. quo tern
sabido se collocar na verdadeita lturt que corn
pete a uma autorilade, dirija-se por si mesmo A
todas as eswai5ee, veja rodeos wagos, examine
minuciosamente tudo, que s esanvencera que te-
mos razio.
Justiga somente senhor, que o public grato
ficarA e o
Club Vigilante.

ior caratieobidad t roartai 'veto ao r&raiot
noticia de alii ter fallecido a 30 do meo proximo
passado Joso6 Pedro Scares Prime, aunbado dos,
Srs Antonio Augusto de seonellos e Joaquiw,
Antonio de Vaseoncellos; = poer a alma man-
dam dize eaam mismes na ieja de S. Francisco
no dia 17 do corrente, trigesimo dia de senu fallei-
monte. Ests e seu sebriao al ete, Anteo S.
de Vaweconcellos, e filho do fallecido, agradeem .
toda. -o_-smsm an d m aap ismi iiiiiuinif
este aot. 4Wids .




Jdiais as ds&w a .en pooioa. tw da'LmW m
das eosadpares- e MM tao poUG14,-eSeMa 1 a4b Ma
0s oul AmmdMi e aleodbsk nao deiiml
mats espewat ^uinas Logoe oprciie umaie
Isie symptoio. sftmdw'usRB~tnt~ lae

sega duwd eIam o reaU na*e Mdal e rf
So mxpe-
ie s o h lumau per -
*;..uu.r mu~d


Mtoet% em todoWft 4Ws0"1 ad4pft o 00 admira-'
velmawte & todaii as ubdwe% temporoacntoot e COB-
stimio"~e. 8"f *rH iaalbeaBs wi eomipe1*M ,
m&tifa. ou"iZ Bse. W sumasa atti.
lidade em tqd o esams c s .poer6. vale
meia ung0 o 4 t 0 wp4b#to q nistreuma
mokestia. ... .
COO eoGARATLu cot as fxnfi oboerve-
so bem que os nome.de Lsaw*m A Ka, veohams
etovpadoa emm deoUW rMH ek no pp. do
hva de dquo e rtide, ai i,-,;1. garnA ;

*. 1 rmd : + .. t+ /, w W ,/'.t ^w .


ruweqio vo meM
radnual e rLties c
o, o methodo One
i. Etudo theory


SE' urn "te thera-peutico podorosI~SU-
ma osutra g(at molestias do poite-.,das
astbma. a .
Os nameroaos affectado.a que.'e ter
foito us o cousegairam um rtltado tuito

qua 6, ate hoje a melfor prepafs pars
a curs da c sthtat brqnchite asthsntica e
antigs,. e, oppreo.es; dispen-audo o ea
prego do earoeniob gfolhaas do eramoniop
a plants narcotics, quo acabam quasi
sempre pelo abuso quoae delles e faz e,mes-
m0 pelo uso prologado per produsir effei
toe deostraws. sore a saude e-em geral
etorpecimento do ceorehu.
VfcNmS-SE NA

*osame de 5"Ia drev-
rs sWIemmW ets. <^.1 ^(- sm^*w
2*RUtA^DA.:

a ^ det q t ral 4. Pee-
Tendo s ido apomxadoes, por decreto n. 9457 de
I1 de julho pa-ado, os Estatutos date Baneo,
ao pelo present convidados os Srs. subseriptores
de Aegoes A realisar no New Londree & Brazilian
Bank, LimAted, a ao diae 20 deo setmbro proximo
a primeira entrada de des por cento ,n vinte nil
r6is por cada acgo, nos termos e para os effettos
do art. 3.0 da lei n. 3150 de 4 de novembro de
1882.
Recife, 8 de agosto de 1885.
Manoel Joao de Amorim
Baric de petrolma
Antonio Femnandes Ribeiro
Antonio Jolo Furtado
Jose Maria Andrade
Jos6 da Silva Loyo Junior

OGCULISTA
0 Dr. BarretteO sampalo, medico
oculista ex-chefe de clinics do Di. d? We
cker, de volta de sua viagerp ao Ceari,
uvntinua a dar consultas A rua do Barno dA
Victoria n. 45, segundo andar, de 1 as
horas da tarde, except nos domingos
dias santificados. Chamados em sen con
stdltorio ou em casa de sua residencia
run de Riachuelo n. 17, canto da rua doE
Pires.


Casa de Saude do Dr

Soulo Maior
Acha-se aberta a cass de saude do Dr.
Souto Maior, situada A rua de PaysandU
n. 5 (Paosagem da Magdalena) corn acorn-
modaoes part doentes de todas as classes
da sociedade. :
Os Srp. facultativos da provincia encon
trarlo n'essa modest casa de saude as
eondiges favoraveis pars o tratamento de
qualquer molestia cirurgica ou medical e
part ahi poderlo enviar os sous doentes,
medical-os, conferenoiar come..s medicos
de sua escolha etc. conform se acha die-
posto no regulamento da mesma casa.
Apparelho telephonico 398.


Iemedis que curam
men dfiefts e mere I




de eema df in d




Sales, us, sba s mutaot cue-tsdas asles-e
do .poll, risoma~mrno ado ci chomaieos te-
esA DsO V ISaNigE 0p0ailtlr 1
Pilulam de vemisa--oma as
veatme, ddprti v de
Appre o de perat ivnt de, Hyge. da Co

Sasa ooale lmanacieo--eatdacaol deetiaa
ae ipmelle t rboarao ugdoB a luone e t


em os sUace- d,
rwel sY5


*eio


0U bacharel Ali- R uaftsa de Car-
Twk lpei" "' mates acunsa n collegios
adoedto oa foma d esidede.


I1'''' 1* Can"m ,
SAindL a pobre octagenaria do beco do Bernardo
. 51-. impedtra as uahe candM es4, urn obulo dos
qp' team emp consider o a oerepitude na mi-


;


Do volta do onm evage Europa oRde (
frequmento os hospital de Paris, tendo
esitO otyo0 pesia e dal ud etita deo a s nao-
ras (psrinto) e molestia de maninos, aidbrioe
*e ea oenmsltorio aT ru do Marquez deo
Olinda n. 53. onde eancontrado do meoo
die 2 horas e dceesta horse em dia ante
em sua residence o pate s da Santa;'
Cruz 18.\


t m actlos e ra opalivras.
Aos quc e eaeam etratar sem comprometter a
saude corn preparado mwaeraSlogico-
Nestas typographia e na rua Direita n. 43,1e anda
vende se tnturas homeopathicas para inofensiva cu-
ra daw sejuintes molestias: asthmatico, ainda mesmo
bronchitico; erysipela, eniaqucas; intermittentes
(sem o emprego do fatal qinino); tosse convalsa
felta de mResetruacio; ca&aras de sangue; estericos
ou metrite; does de dentes ou nevralgia, metrorra-
gia; vermifugoL, denti-o e connwulses das crianhas;
tudo manipulado de hervas do paiz.
Assin tcomo tratama-se escrofuloss em qualquerr
raio e gemmatosos.



Ocliesta
Dr. Ferreira da Silva, con-
sulas das 9 ao aneio dia. Re-
sidencia e consultorio, ni. 20p
rua Larga do Rosario.
Recife, 5 de marao de 1885. o


Vishl ferrugla.se Arned
-ARNE, FERRO E QtftA! Dez annos,
deexito constant e as .aflirnaes das
Ahaiis altas sumidadou da sciencia medico,
provam que a associaSo. da CARNE, da
FERRO da QUINA, conustitue o mais
energico reparador atugenc conhecido para
eurar: a chloro8, aonrmtia, a menstrua-
pa dolorosag a pobrrza e a alteraao do
sangue, o rachitiamc, as affecgoes escrofu-
ilosas e escorbutica, etc. 0 vinho ferru-
gAeaonuoud 6, eoea effito o unico que
rene tuado que tonica e .purifica os or
gdos, -regularisa e augments considera-
velmente as fbriaa on restitue o vigor 9
puoreza. do sangue ernpobrecido, a '.r e e
enoergia do vital.


UITAES

Rtpawrtiiiao da Poebria
Achando-se recolhida aCasadeO Detenalo a es-
crava Joanna de propedade de Luiz Cesa r Pinto
de Faces, s^uhard eng8"iu. Qrarlo, -dnvida-m
a meuo rasa de mdo e Dm. dr. Dr. ohefe
de policix a vir on mandar a esta repartigio re-



M Artkr de Ba ,s F. die Lacemm a.
0 ordadlo pis~i Autmlio imarrearaa Gmacs, juis
do pae dst,~.i osn~an N. 8. cia (*raqe, promi-
4*ud dedjunta persebil. etc.
U, a f ebmftdeiae que o pussute edital leequo

amuses. o fae s~afix na ports dia matix; camis
'detwmiaaro art.,a 20 do4. iaet a~pproved
pelt desist. a. 5881 4. 27 dBfoveroiro de 1875,
4w~ eiadsdlwa sprwesetsress, durante e prase dte
+ Uas, as re'ams~ee quo tivorem aobre o alim-

*dssqso Gaeceft id a bse 4mb.deto dos den


e d.ad m d.p do jnta a s,
do.erounir so souihftrio da matriz para. dmran.
te Z iais, 4 dukAM & &W- at6t S daa tsaxtt,
tnus lcobedi nmto de todas an infi rmatoes e re-


P.Owsli&b^^^H^_ |M--*ao- X~e

proviuo -am, am*d'Aj
da SA" .- -14


PD40 0hE mar smud ao e pro&sGos&a us&as a lei u.
JWdo4, 11 do ojmntW *aba.ho oate qoe devnri
setenvi a esta repay ano prazo improroga-
*ede 80 dias, contads das data do present edi-
tal, procedendo-se, emcase coutrario, do modo
plor que determine os arm. 14 e 15 da lei n.
1810.
Consulado provincial de Pernambuce, 13 de
agosto de 1885.
0 administrator interino,
J. H. de Barros Campollo.


Edital n. 20
De ordem do him. Sr. Dr. inspector, sao convi-
dados A effectuar o reeolhiMnento das respectivas
importance, os.senhores que so inscreveram para
tomre apolices do emprestimo deeretado no art. 9
da lei n. 1860 ; ben como aquelles que nao ten
ko-se insripto, pretendam todavia haver as mes-
wtu polices de jurors de 7 00.
Secretarta do thesouro provincial de Pernam-
buo, em 13 dageeto de 85 .--O amnuese,
Manoel aiaae de AujAo.
0 Dr. Addlio Astwai.do Luna Freire,
official da imperial Ordm da Rosa, juiw
de direito privativo de orphaios e ausenmts
da comarco do Recife, por Suw Mages-
tfade Imperial e Constitucional o Sr. D.
Pedro a quem Deus guarded, etc.
Face saber aos que o present edital virem ou
delle noticia tiverem quo no dia 18 do corrente
mes, depois d anudiemciadest< juizo, na respeeti-
va salad, ira a praca para ser arrematado por quemn
Smale der, o arrendamento por 3 annos, de urn asitio
de terras proprias, comn case de pedra e cal, a
margem da estrada do Ipyranga, dasreguezia de
Afogados, medindo o sitio, 950 palmos da frente e
L,200 de fund, corn 1 viveiro, e 140 pes deeoquei.
ro e oatras arvores fructiferas, polo arrendamento
annual de 1504000, que servirA de base pars a
arremataeao.
E vai a praea a requerimento do consenhor do
uesmo sitio Landelino Ribeire Pessoa, herdeiro do
falleeido Joao Felix do Nascimento, do qual sitio
sdo tambem consenhores a viuva t mais heideiros
daquelle fallecido.
E para co-star passou-se o present que serA
pubhcado pela imprensa e aflxado no lugar do
costume.
Dado e passado nests cidade do Recife, capital
da provincia de Pernambuco, aos 13 dias do mez
de agosto de 1885
Eu, Manoel do Nascimento Pontes, escrivao, o
fiz escrever e assignei.
Addino Antonio de Luna Freire.

0 Dr. ThWomaz Garcez Paranhos Montene-
gro, commendador da imperial ordem da
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cio desta cidade do Recife e seu termo,
capital dea provincia de Pernambuco, por
S. M. o Imperador -a quem Deus guar-
de, etc.
Faqo saber aos que o present edital virem on
d'elle notieia tiverem que se ha de arrematar em
hasta publics deste juizo, depois da r'spectiva au-
diencia do dia 3 de setombro proximo future, corn
as formalidades e pregoes do estyla, os bens s -
guintes :
Uma olaria sits a rua do Coronel Lamenba,
freguezia da Boa-Vista, eom frente para a lagot
que deita para o rio, tree portas de frente, send
a do meio larga, terr.no foreiro, medindo de fren-
te 10 nmetros e 45 eentimetros e de fund 55 me-
tros e 60 centimetros, avaliada por 900A(00 e vai
a praca p)rexecuco que move Antonio de Souza
Oliveira contra Francisc Amnanoio da Silva.
E nao havendo langador que cubra o preo cda
avaliasao a arrematagAo seria fteita pelo preyo da
adjudicagio corn o abatim nto da lei.
E pars quo chegue ao conhecinento de todos
made passer o present edital que sera publica-
do pela imprensa e affixado nos lugares do cos-
tume.
Dade e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 1' de agosto de 1885.
Eu, Jost Franklin de Alenear Lima, o subs-
crevi.
Thomaz Garcez Paranhos Montenegro

o Dr. Thornaz Garcez Paranhos Montene-
gro, commendador da Imperial Ordem da
Rosa, juiz de dieito especial do commer-
dio desta cidade do Bedfe, capital da
pr'ewiia d Peveemabuco, per Sua Ma.
gestade o Impera4or, a quem Deus
*uarde. etc.
Fao-sabur, aas que Qlmm Ewne etal!ifa'o
delle noticia tiverem, qitn dsu aborts a fallen-
ciaida firma Ferreira daG & C., pela senten-
ce do theor seguinte :
Verificandciwf do tatulo do Il. 3, dfieumaiiode
Bl 5, e deplmento daatestemunuMs que o-nego-
siante Jose Ferreira da Costa, representante da
$rma Ferreira da Costa & C., ceamoo. oe sens pa-
pjiamentos, fioando inaslvauel, antos do seu file-
[tmento, declar, abrt a tiilencia do miomo a


dasmr de 28 deo io ultimo.
o nomeio eurador fisAcal oDr. Manoel Portella Ju
$eja intimada a herdeira doa*flacido para apre-
rWas. os livros e ma pa pirtpncentes ao
Alfdo.
Officie-se aoa x. juiz-do.eiwa., peFmats-quem
com o inventana d PMnsadizadB l mesmo
&llido.
q *--se publiho ialeamia pmeditnm e con-
sem-e os cedos paa se rm em na salwa
"dud n 414 doofti afti im-


I ntbBwtoa el8aw


d ejtw1:0
de 1:0t


cmm uIT m--w TT LU-rriinmi n ~m~
metros de fundo, avaliada em-2:50A Stm
a feel Jo Peeira.t ..
SCasa ostradaodeoiquiiaJabwBs6-x. 45ram'
'6 metros e 15 entietros de vao, B,-50
eentimetros de fundo, 3 janeas v doin
ports e urma janela no oitio, 2 salat, aI
cozinha fra, de pedra cal,auintl a ert,
corn arvores fruetifrsa"pa MApon erten0e a
Lourenwo Gomes de Olivea
ass a estrada do Giquik-a Jaboatlo a.7, com
*3 janellas de frente, um porta no o4to, 2 salae, 4
quartos, easinha interns, 6 metro 20 ,time-
tros de largura, 13 metros e 55 eentimetoa 4e
fund per 2401 perteneente a Rita Felieia do Me-
nezes.
Pogo
Casa no lugar do Encanamento n.12, COu me-
tros e 50 centimetros de largura, 11 et A-w ft-
do. 2 portas de frente, 2 salas, I quart., twsha
interns, em solo proprio, quintal em aberti1, por
2u00%000, pertenceute a Mathiss Mm, Tai wa.
Apipucoe 11 1.' s* i, *.**:'
Casa no largo de Ap pMeo.# n. 24.eos- pew e,
janella de frente, 2 salas, 1 quarto, a sia& iner-
na, quintal grande em aberto, avalUada em 150A.
pertencente a Job Franeisce* do ,Bg Mais.
Varzes
CasaA rua de S. Joao, n. 4, corn lm port e
duas janellas de frente, duas sala j ie bo
lado, 2 quartos, cozinha internal, grade
todo cerado, send parted freiro, meto*
centimetros de vo, 6 metroob e 60 centimetres de
fund avaliada em 1505 perteneente a viuva. d4
Jos6 Line.
Casa A rua do Sol n. 6, em solo proprio, comn 14
metros de frente, 10 metvws de fund umas ports e
4 janellas de frente, 2 portoes e duas janellash em
eada oitlo, duas salas, 4 quartos, cosinlba f co, -
piar em roda de casa, sitio todo cercedo ecr per-
tao e cacimna de pedra e cal, bombs, casapazaba-
nho, e diversas ar-. ores de fructo., avaliada cm
3:000%9 prtencente a Antonio Machado Gomrnes da
Silva.
S. Lourengo
Chsas a rua da Cachasa ns. 32 e 34 em solo fo-
reiro, tend aquelle duas portas de trente, 2 salas
1 quart,, cosinha fora,.quintal em aberto, 4 metros
e 60 centimetros de vao, 11 metro e 70 centime-
tros de fund, e esta port e janella de frente, una
port no oitao, 2 salas, 1 quarto, cosinha fora,
quintal em aberto, 4 metros e 60 centimetros de
vao, 11 metrds e 70 centimnetros de fund, ambos
per 240A pertencente a Joaqnim Baptists da Sil-
va.
Olinda
Sobrado de um andar A rua de S. Beato n. 21,
corn 3 portas de frente, varanda de ferro, duas sa-
las, gabinete ao lado, 5 quartos e pavimento ter-
reo, 2 portas e unas janella de frente, duas salas,
2 quartos cosinha fora, quintal todo murado, me-
dindo o predio 9 metros e 80 c?ntimetros deo vo,
17 metros e 20 centimetros de fundo; avaliado em
1:5005i pertencente a Marcolino Lopes Catao.
Armacao
Armaco e balcoes da pharmacia a rua do Ba-
raio da Victoria n. 51 a quai A de amarello envi-
drasada, envernisada, corn gradeamento de ferro
na tronte avaliada em 500& pertencente a Hermes
de S,,uza Pereira'
Um carro de 4 rodas, fechado n. 156, em born
estado, avaliado em pertencente a Balthazar
Goncalves Machado, o qual esta em poder de Ma-
noel Jos6 de Oliveira Lins a rua da Restaurayao.


DECLARACOES


Arsenal deGuerra
Distribue-se costuras nos dias 17, 18 e 19 do
corrente, As proprias possuidoras das guias de n.
126 A 150
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pemrnambun-
co, em 13 de agosto de 1885.
SFrancisco Joaquim de Soua,
Seeretario.

Soci~tol Mhatii MtIntI Per-


De ordem do Sr. vice-presidente, eonvido ass
op1WRhinnpiun ltfa



senhores socies a se reunirer em assemblea geral
segunda-feira 17 do correute, as 7 aorasila noise,
afim deo trtar-so de diversos assumptos4
Seeretaria da sociedade Atheneu Mamieil Per-
nambnoano, 13 de agosto de 85.
0 1- seeretario,
Bento Alves.
f* ecretarta da venerawel irdSe lte
retra deo Seraphico Padre S. Frau-
eliec dO RecUife 11 d4 awosto de
1855.
1Ie ordem do carissimo irmno minstra, wi.
a todos os nossos canisimi mo. ius gem parew
assistirem a misaa cantada, quoe F debr
no dia de sabbado 15 do eorrente meo, paels 9hto
ras da manha, em noses igreja, em louver a N.'8.
da ajuda, padroeira dos nUvic9s.
Outrosim, coavido atodos om seanhores candida-


tos approvados pars entrarem de irmios, e aos
s3hes carissimos irmios novicos, despachado"
par em a comparecemm us .e dtr
pars realiarem suas entradas e profiles, 6i
mesmas hors do mencionado dia.
Eugenio Cardoso Ayres.

CoLsalad4fla
De oreml do Dim. Sn ,adminiptosdr iaterium,
fago publioqune no dia. 18, do eonte; ap m
Para MeswAs, J. Martins 3 4,mcaei-5) 1
kilos deo assucar branco.
Na bhb"a Dow Aae. ': sf-
Pra P. de lagoas, Maia A awdr*,w
Hitroe de saL


XQVnIMII'1aI DO PCRTO-1
xaui eitrato I no.dil 1*
Wams-T. 11i dia. Trapeor aiI JJIw '


jL























e New-
i1; u-s
sageiroo tc.W.'


Morenon
-1 Jabo|ato


...... 6.30
6.50 6.53
7.9 7.12
7 .3 8 1 ..


... 7 45
8.11 .1t)
8.32 8.35
8.55 .....


' 5-20
5.388

P. 2


"8.16
8.38


5.00
5.22


8.00
8.18


saumslScad..


Woollf:,l *^y.-^ 1





-(Reeiie .... 8 00
S-Tegipi6. 8.208.28
Jaboatao 8 39 8.4o
HMorenos 9.8 ....
r. 2

Morenos ..... 9.15
SJaboatio 9.41 9.50
STegipi6 .110. .6 10.1
wRecite 10.30 ...


rAIE.-P. 3 r. 5





....2.00 .... 5.00
2.202 22 5.20 5.22
3.38 .... 5.38

P. 4 P. 6

3. .... 700
3.16 3.18 7.16 7.18
3.381 .... 7.38


Secretariat do prqlongamento da estraoa de ferro
do. Recife ao 8. Francisco e cstrada J& ferro do
Recife a Caruari, 13 de agosto de 1885.'
0 secretario interino,
Manoel Jnvencio de Saboya
Saila Casa de lisericordia do


Rua da deDeus n. 10-A 2 00400
RBasia $awU-velha n.a18. 240?,OO(
Receo doe Arcos n. 2, 4-andar 726000
Rua-deMoflio itsn. 33 5006001
Rua da Palma nn 4 60 000
Rua dos Pe.cadores n. 11 -3001000
Ruada DetenIoe n. 3 (dentro do quadro)
mei'agna 84j00o
Ideam idems n. 5 (ides) mei'agua 84A000
Secretaria da Santa Cau de Misericordia do
Recite, 28 de jaUlhode 1886.
0 osenivio,
Pedro 2odrigw de Sousa.


EMPR.EZA .90 G4Z
Pede-se aos Senh'
res consummidores que

queirainm fazer qualquer

ctmuficalao ou recla-
maap), seja esta feiaIa pop
escripto e a elle dirigida,

lque se aehara nos dias
uteis, A rua do Imperadot

n0 29, das 10 horas da
manha a I hora datarde,

onde tanibem se Prece-
hep, aulanp., rennta mnip.


B- ,. 0 WlU jw L JU RIJUv WUAL ,

Noia 15 do corrente, poelas 10 horas da ma- qleiam pag r. *
nh, na igreja de N. S. do P-raizo, a Illma. janta s im iA A i a&
ederara afestividade dasua pairoeira, conforme Os unicos coPIUadoresJ
disp6e o respective compromisso, com missa so- -
lemine, orando so Evangelhoo distinct. pregador externos- sao os Senhores
evy. Ft.Auguslo da IxIrmaculada Conceieio Al-
ves. CLonclumdoo bcto, poderA ser visitado o es Armillo r i c Ro-
tabelecimento dos expostos pelas pessoas que o 1 ll U rai scoU IRom
quiserem, ates as 3 horas da tarde somente. 1
So, pelo present, convidados todusossenho riQues Frere e ManB el
res mordomosa e irmaos. d'od -no d S
Setaria da Saa Casa de Misericordia doni d il
Reeife, 13de agosto de1885. intoUil da Siva OR


0 escrivio,
Pedro Rodriques de Souza.

Associa0 commercial benefit.
center de Pernambuco
Peolo presented, de novo convido aos senhores
socios, para se reunirem em assemblies geral se-
gunda-feira 17 do corrente, pelas 12 horas do dia,
afim de e tratar de assumpto geral para os inte.-
resse. do commercio desta praca.
Seeretaria da Aseociaqao Commercial Benefi-
cente de Pernambuco, 12 de agosto ce 85.
A. G. Valente,
Secretario.
G I s TA1181 o LO M

estas anniversaria
Tendo a direcetoria resolvi4io commemorar no dia
15 do coremrente o 4.* anniversario da installagio
do abiete, dliberou-e ser levado a effeito-,
qeossus sales convenientemente decorados e
aminads,- -.ende tocari a banda martial do
corp. do polcia, sejam franqueados das 6 as 10
hora da noite a todas aquellas pessoas que os
queiram visitar e se apresentem decentemente tra-
jada&-
Secretaria da directoria do Gabinete Portuguez
de I"inia em Pernambuco, aos 12 de agosto de
1885.
Manod de Oliveira Maia,
1.0 secretarie.
8O@(IEDADE

Ai eliaora Ba lcultanBan

n ':..... Illmistratiwo
Pre'vise-e a todos on senhorea socos, membros
do dito selhoo que we ascha designado dia
terga-fora 18, par a seaa o ordinaria do mez o4e
ag -to. Recife, 8.e- agoto de 85.
S0 secretario geral,
Heonrique Augusto Milet.


Partida do 21 aaniversario em 14 do
'11 ,1/ ;1\'*1' '., 1corrente. ',


o nos senahores socios e convidados que
a annivernaria terk principle as 9 ho
4 por am& senso solemne para inau-
retrato do iniciador da no"sa socieda-
ga de diplomas i diversas classes de
maomente conferido,. Os senhore s so-
t proqrra seuos ingreos emmao do
ei"e a6 so mtio dia de 14, ms on
ea p ttitida a entrada. Ottroxim,]
1eix% 4de haver o recreio ds*uiod


veira, e quando for pre-

ciso o Sr. Antonio Mar-
tins Carvalho.
Todos os recibos dessa

empreza deverao ser pas-

sados emin tables cariniba-
dos e firmados pelo abai-
xo assignado sem o que

naoterao valor algum.

George Windsor,
--^-*Ill- """"^^^ --- ^*--- -----1---- ----- --*--- M ^MM^ ----1--- ----- i


COMPANHIA


I MPERIA L


SEGUROS 00iTr&A POCO
-E.sT: 1808

Tam* baica-
Prompto pvavmasto de pre~fjuis
CAPITAL
A&. 16,0:000:05000
BROWNS&C.
N. 5 -Rua do tCommwco -N. 5


44-


''BM BWEIi@ 04 DA ACTRIZ

Ultima repr -entnacu da tanosna pera-comica
de grande epeetculo, m 8 actos.m musical d ifa
mado maestro allemro, FRANZ VOS 8UPP -:

9. JIJINITA.
0 papel de protogonista 6 doempenhado pela
benefuada.
A's S e l/S heras.
A orchestra sqrA dirigida pelo maestro da com-
panhia o commendador
Gomes Cardim
Os bibihetes encontram-se na bilhetaria do thea-
tro.
Os espectaculos sao intransfriveis ainda que
chova.
A companhia di espeetaculos todas as oitens,
em consequeneia da carta demora que ter& nesta
capital.
Depois dos espectaculis ha bonds pars todas as
linhas e trem Wte Apipucos.
N'um dos intervallos a benefieiada iri aos ca
marot s eomDrimentar as Exmas. families

AaslcA--A..
Ultima represtntunao da opera inagica e phan-
tastiea :

A FILH DO INFERNO0
On Demonmlo da Meia Nolte

Domingo
Ultima represeutaqAo da mimosa opera:

A PERICHOLE

SepundaFfeira
INTRANSFERIVEL


Esplendida festa artistic em bo.neficio
do regent da orchestra
0 MAESThOr'"AVALLEIRO

GOMESI8 CAIIML
Comeoari o espectaculo pe4o bnilbantissimo 30


Saeto da opera


D 1o
DO


EREMITERIO
Segue pelas orchestra eonideravelmente
augmenitada a grandiosa phantasia da opera
comics
OS ALGONAAUTAS
do miwstro Cardim.
Em seguida pela ultima y ves a opereta em 2 as-
ton:


JOVEN TELEXACO
Toma parte toda- a companhla e o
oripo de eorom.
lFinalisari o espectaculo corn a peip military des-
criptiva executada no patleo cornam grande otches-
trs, bands de tambores, cornetas, 6n pifanos", etc.
Affilalailfhysalnf
composio do maetro GO MES CARDIM, p
de grade omneada e-eatrepitosos applause sem-
pro que 6 exeeutada.
Os poraummas annunciarlo minuciosamente o
especaulo.
0 pequeno resto de bilhetes desdej a vend naus
bilhetana do theatre.
Bate 6 o unieo benefiio quo a empreza di nes-
ta epoela, por setr beaofieio de contract.

EARITIEGSW


0 paquete
a --.Z


do doe
sal no


psperao des portos
do oWl ato dis 18de
agosto, seguindo db-
pois da indispensa-
vel demora para o Ha-
vre.


As passagens poderao ser tomadas de antema,
Recebe eargaenceiinendas e passaigeir-os parn
os quaes tern excelentes aceomznodaO'es.

8tomergille iQ 1i0do a ir 0


E' esperado da Eur ?
ropa at W 'ia 22 de
agosto, seguindo de-
poie da indispensavel
demora para a Ba.
bIla.gBo deJa
I6etro e Matos.


Boga-se seoa nSra. importadores decarga pelos
vaporeB dests linuaqneiram apresentar dentro de 6
Ipas a eontar do da descarga das alvarengas, qual
quorreclamagoeoneernente a volumes, que por
venturm-a tenham seguido para os portos do sul,afiun
de se poderemdar a tempo as providencias neeas-
sarias.
Expirado o referido praso a companhia nao se
responsabilisa por extravios.
ieeebe carga, eneommendas e pasageiros, para
os quaet tern excellentes aepomnodacoes.
Auguslo F. de Oliveira & C.
AGENTES
42 RTIA DO COMMEROIO 42
Cempashla Brasilelra de Wave-
gw.ao a Vapor
PO )RTOS DO NORTE
Vapor Espirito-Santo
Commandant 1 tenente Auretiano Izaac
E' esperado dos portos do eui
sat6 o dia 16 de ag8sto e se-
SguirAI depois da demora in
dispemsavel para os port,
do norte' at Maanos.
Paraearga, passagens, encommendeas e valores
tracta-se na agencies
46 RITA DO OOMMEIElI()
Companhia Ilahlaaa de Iavega-
vao a Vapor
Maceti6, Villa Nova, Penedo, Aracaju,
Estancia e Bahia

0 Mavapo luu g oCaas
Commanmnte Nova


Par Sarga, paasagens, nommendas e dinheiro
acima nlodia 18 do cor-

te fret, traeta-seas 4 horas da
tarde. Recebe carga
unicamente at6 no 1/2
-4 dia do dia, de isunans
Pwar carga, passagens, encommendas e dinheiro
1,frete frsicta-se nas
AGENCIA
7-s- ua do Vigario 7
iominfgos livfs latheus

eadfi Steam NavigationCoupan,
STRAITS OF MAGELLAN UIE
Paquete Patagonia
E' esperado da Europa
AatW o dia 30 de agosto e de.
pois da demoera necessaria
seguiri pars oe do sul e do
Va Pacifico.
Pars carga, passagens e encommendas e dinhei-
ro a frete tracta-se corn os
Agentes


Paquete


Sotopaxi
Espera-se dos portios
do sul ate o dia 17 do
corrente,seguindo pars
| a Europa depois da
kademora do costume.


Paracarga, psa eneommendas e dinheiro
a firete; tracta-se eomos
AGETES
Wiu Son$ & C-1 Limited
N. 14- RUA DO OC(M3RVCIO N. 14

BILYAIL STEAM- PW ET


Grande r


Res pweeom dao


'I


ueidte autoriado e-
5iros, quadros, cabides,


iavthfl e aWalsa penienme a aarte oCe barbeiro.
Gastante-se as 4la po.


LEILAD
Da pequena arrnao, peperos da taverns
da rua do Coronel uassana n. 91
Sexta felira 4 do earrente
A'S 11 HflORAS
Carmo e Silva
Fari leilao por couta c risco de quemn pert,'ncer
para pagamento de credores em usn s6 lote ,,u a
retalho, a vontade dos 4eompradores, da pcquena
taverna da runa do Coronel Suassuna n. 91.

Leilao
De 900 libras de marmelada nova e per-
felta d 1 e mcia, 1, e meia libras
TerVa felra, IS do eorrente
Na porta do armazem do Sr. Annes
Defrounte da %Irandtega
POR INTERVENVAO0 DO AGENT
Gusmao


2' Leilo definitive
De uma boa casa v sitio a ru.& de Olinda
em Agua-Fria, estrada de Beberibe sob
n. 9.
Terna-feira, I# do corrente
A's 11 horas
Na armaziu A ruA do [ Lperailor n. 22
0 preposto Stepple, cum auturaisaCu do, llnm.
e Exm. Sr. Dr. juiz de orphaus, levari a leilao a
important casa e sitio coin 3 janellas de frente,
2 slas, 3 quartos, cosinha fora, quarto coin tau-
que para banho, caciirri, cm solo propno, prt-o
de ferro, jardim, sitio bastantd arborisado, ser-
vindo de base o lanee cbtido.
Os Srs. pretendentes desde ja' poderuio exami-
nar.


Leilaii
Do bons moveis
Sendo : 2 ricos lustresa de cryattl, tend um 5
bicos e ,utro 3, 30 ecad-iras de junco, 20 mnch.'s
de amarello, I meza de dit, corn 2 gavtas, 3 btn
cas. 3 arandclas, 6 quadros, 6 ectagers, 12 paies
de cortinados eon lan(as, 1 riea guamrniclo para
lavattrio, 2 escarr-iduiras, diversos cables, 1 r, -
logio de parede, 2 jarros, 1 artnario de amar.llo,
1 reposteiro de damusco, 1 r'-gistro de gaz, 2 lus-
tres dei metal para gaz, divrsas bandejas, 1 ma-
china de costura ei inuitos outros mnoveis que esta-
rao a vista e quo aserao vendidos ao corner do mar-
tello.
Terta-feira IS do corrente
A's 11 horas
Na runa do RAngel n. 32 andar terrco
0 agent Martins, competentemente autorisado
tarM leilao dos moves e mais objects existentes
no armazem acima, A rua do Rangel n. 32.


AVISOS DIVERSOS
Permuta se ou compra-se uma casa terrea
cow 2 salas, 4 quartos, corredor independent, co
sinha externa e quintal, por outra nas mesmas
condi5es : quern quizer annuncie para ser proeu-
rado.
Aluga-ze o sobrado de dous andares a rua
Imperial n. 155, corn muita accommodagao e por
preo commodo, p6de -sealugar qualquer dos an-
dares, ambos, ou a cass toda. embora a loja esr
teja actualmente occupada, preferindo-se aluga-
a cas today : quem pretender dirija-te i rua do
Imperador n. 386, 1- andar, A direita.
Aluga-se um eseravo para cosiuheiro: na
rua do Leao Coroado n. 7.
Aluga-se o sobrado A run do Caronel Suas-
suna n. 278, todo ou em separado a loja, proprio
pars grande tamilia, corn egue, gaz e cambrone;
a tratar corn Jose Antonio Marques na capeila do
Chora-meninos n. 12.
Vende-se um sitio em Tigipz6, bern arbori-
sado e quatro cases de madeira, edificadas no
mesmo sitio ; a tratar em Tigipi6 n. 62, e para
eseclareeimcnto, na travessa A rua Duque de Ca-
xing n. 3.
Anmna Gonneale C oiAmbra
Aurelio dos Santos; oOimbra, sus mulher e fi-
Ihos, feridos corn a infausta noticia do falleci-
mento de sua pres, da ma., sogra e av6, Anna
Gongalves Coimbra, convidam am seas parents
e amigos pars assistirem as misses e memento
que, por eterao descanso de sun alma, mandam
celebrar na igreja da vene-avel ordem tereeira de
8. Francisco, as 8 hors da manhi do dia seg"n-
da-feira 17 do corrente, setimo dia da foticia do
seu pssamernto, por eujo actor de caridade e reli -
giao derde jA s confesam agradeeidos.


is*e da Poumeea GUimare a
D. Joanna Auta da Fonseca e seus filhos man-
dam resar hoje, As7 1/2 horas da mahix, na ma-
triz de 8. Jose6, uma miss por alma de sea fins-
do psi o av6 ; convidam aos seas parents e ami-
gos i assistirem a este acto de earidde.



fU~~~ z ifi1

-AOS 4:0$WOO
~ELI

A0S "x^- :


*'ww^'iwr -Jwa 1' I arvam iho I VA


Sum^ bo. ai c am ta rut r e -rvasio Pires n. 18,
com gPrandes s o doo aguar e gaZ, paraM &ne
guaRde fciitii- i a tr.atr a na ru Vidal 'de Ngrei-
roe casan. 138, ou maalf-aifIoa, cnn ielfiudoro
Rabello, achanu lo se' s have na ruti de Girva-
sio Pires, easa n. 26.
"GasTamS
Veude-se una boa case sita A rua ViWial de Ne-
greiroo u. 168, c.m 'x r.edor independent, 4 quar-
tos, 2 salas, csiuha l6r4, born quitiral, chcimba,
chaos proprios; a tratar na rua d) Liratnento
n 35. 1 anlar.



IS I3T D^pO IikOQ



4ina do 6lar1i 7 W10 V418*;i 5 1 .40
0 abaixo nsigu:. .td0 1" ; virider
m Aeus flizes bilbh'-.- quitro quartos de
a. 1583 foin a sort, (,J 4:(000) 4 ditos
den. 20.2 corn a sort ,ie 100; e di ,-ersos
vrei:ios P 0, I e2 -,.y
() fnes,-ui i)h ix,> ssitrin'l< 'vida os
,ossuidorrs 4 virtw r,-f4iwr na ,onformi-
S<.e rio oostuyla, Stm ,lrs'-.to) --Igum.
At;hutn-se a v".i'ii^ t--,z,- r,ilhetes
;aranti os da 228a lr, 'r;is loterias a
be .tfti-io da Sinrta sI ,d- Mis,.ri.ordia
io Recife, (143 ), U. ir'iirA no
14 de agosto.
P B L CAI's


IU=


Inteiro
UK o


-k6( fA t


Meio 26 ) f,
Quarto 1 61( )f
poreo de de 0 o064040o para
elina


Inteiro Ao( x
Meio1 6 75);
Quarter 4875
JOao Jo(aqtlvj d(,. I t.,, -it&.
Tricoger-

de B4,
salad *-i:'i r

cura r::d ,aic-hl::z--
a TI'NA eaQ V.n;PA.
PositivamentLe impede a
neeta c o emtranquecimenta
0doCABELLO oem tadosos ca-
sos o torna invariavelmente
Macio, -Ei",anto, Formoso e
Abundante
Em uso haninals deoftentaannos
a teln malor vtlda quo nenhum
Soutr r t-eparado paruo cabeHoemi
OU.. aultndo.
Agua Florida'
de Bawry.
DUPLA.
Preparada segundo a fonal
original usada pelo inventor no
annmo de 1829.
Tom duas vexes mals Fragrancla
que qualquer outra.
Dura duas vezes mals tempo.
E'mulft mats rica de perfume e
mals suave,
E'muito males Fina e Delicada.
Tern dobradaforca Refrescativa e
Tonica no Banho.
Fortalece ao Debile ao Cancado.
Cura as Dores de cabeca e `s de-'
maeos d
SE'maltlsimo Suprior a todas as
outras guaM Florldas Aotua -
mente A i-mnda. I
Desooberta Importauti~sima.

Pr leedo F'e o de do
cOM
IODURETO DE FERRO3
D
Barclay & Companbia


Cu radiasimente ecomseguran0aos peorei cam I
do Phthisica, Encroflas, Rheumatismo, as doen-sa
da Enpinha, Dorsal, dos Quadrisa e dos Ossos, as n-
tammaVoe do Pigiado. doBago e do Utero, etc.,etcl
e retitune aooerpo e ldfmaido e fatigado o sen pri-
tintivo vigoreardondado doe contorno. E'certa-,
mente am, grand deacoberta o PInro Oleo de
Figado do Bsacamlma. eoa sOdurto do
Ferro--,a adeos., Y ork.
Xarzope de -idai
deo Reutez No. L
I a Irir^im-I


-den.

-6ob sois
l.oi
. 387


I I


WK




te ^.

1~~.
r&* t)i*:

























i^S;


I-
























I,'
t";


ii'i



.-
S,... --


a "-
? ~ ~ ."* f||^


toda s mae e O e u n-um uaEdaeUiid& A Pm doqee~me -
Una circular pedndo ran m reme prove e -rn uafeuneso emctd' Zrleamo, emit
amosa. Quatro nal doa chdcos mai emmata do.a ..mi mw-. w aid-sM Saa
opiaiao do artilo era unaummentefavoravoveL T.alpao, daia h ,emnii, a q mis qe abfa bUa-
mnte necessman porqucnekuaoiM hians pepa de ponte sprols oasmn docamudo, tods
mre eumenma adulteiadscpor tnaatoinuteis pares prepoet medico.. Aezcelenc a peculaera do
oleo do Eaebre que 6 umn dos mgAodientoa ptindpes demseb Z (^aape "juetamnmte -z pom alcohol
diao-I4he m a opio dos medicos notaod supei d sobue tdaa os csuimlane. como 0diwardc, tonico
c restoradvo.
Esta Bebida Medlcmnalfiaicada pelospropitauinOemseuengenhodedilsulaoemSchledam,NSHIla
etprxsameete pmu os ms xmedicudam.
UDOLPEO WOLFFS SON & 00., 9 BEAVER STREET,
nW-YORK, E U. A.


CAJURUBEBA
PREPARABO VIHOSO DEPURATIVO

APPROYADO PELA JJUNTA DE HYGIENE PUBLICA DA 'ORTE

MTIAISD 01 U CIET0 IMPERIAL 1D 20 IE JUN20 DE 1883
COMPOSICAO DE FIRMINO C. DE FIGUEIREDO
Empregado corn a major efficacla no rheumatismo
de quaalquer natureza, em todas as molestias da pelle, uas leuchorr6as on
flares brancas, nos soffrimentos occasionados pela
impureza do sangue, e finalmente nas differences f6rmnuas da syphilis.

Propagador-A. P. da Cunha


As importantes curas, que este poderoso medicamento tern produ-
zido, attestadas por pessoas de elevada posigio social, fazem corn
que de toda part seja elle procurado, como o melhor e mais ener-
gico depurativo do sangue.
Depurar o sangue, como condiiAo de uma circulaqao benefica e cffi-
caz, eis em que consisted principalmente o meio mais seguro de
conservar a safide e de curar as molestias que a impureza do sangue
occasion.
0 C(jtifirubba pela sua acqvo tcnica e energicamente depurativa,
6 o mcdicamento que actualmeute p6de conseguir esse resultado
sem prejudicar. nem alterar as funcq6es do estomago e dos intesti-
nes. porque nao cont6m substancias nocivas, apezar do vigor depu-
rativt dos products que constituem a base principal desse medica-
mento ..
D'% ;,tre as mnuitas curas que tern fcito,'citamos as seguintes, com-
prov,.'las pelo testonmuuho dos distinctos e conhecidos cavalheiros
que fi rmniam os attestados.
Alkm dessas, aliAs irrecusaveis provas, offerecemos mais, como
garantia de nossas asseveraqoes. o testemunho dos'illustres medi-
cos, Drs. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Praxedes de Souza Pi-
tanga. e Joao da Silva Ramos, que em sua clinic tmrn conseguido
os mniis brilhantes resultados corn o emprego do Cajiirub6ba.


Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Duutor
pela Facnuldade de Medicia da Balhia, Ci-
rurg;io-M6r do ('ommando Superior da
Onarda Nacionnl do municipio do Reeife.
1" Cirurgialo Honorario do Ci(',rp de Stnide
do Exercito, Official e Comuiendador da
Imperial Ordemni dua Rosa. Inspector de sao-
de p:bIlica e do porto dePernambuco, (Com-
mendlador da Imperial Ordeui de N. S. Je-
sus ('hrisfo. Me1mbro do Iansituto Medico
Periuwmbucano, Medico do grande Hospital
Pedro II, S'wio da Pmpagadora da Instruc-
slo Publica e de muitas outras sociedades
scientificas e humanitarias, etc.
Attesto que tenho experimentado em mo-
lestias chronicas da pelle e rhleumnatismos o
Cajimuuba do Sr. Antonio Pereira da. Cunha,
e tirade bomrn resultado.
0 referido affirnmo in fide mei grades.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
Dr. Pedro de Attualyde Lobe Muvscoso.
Paxedes Gomes de Sonza Pilangna, Doator
em Medicina pela Faouldade da Babia,
Commendador da Heal Ordem de Christo,
Cavalbeiro da Cor6a de Ferro dia Italin, I-
CirurgriAo reformadio do Corpo de Safide ,to
Exercito, condecorado corn as mendalhaas de
passadorde ourodatCanipanba doParagrnay
e de prat" do Uruguay, Deputado A Asmaai-
blsa Provincial, moedieo do Real Ulospilal
Beneficente Portuguez, membro de diversas
sociedades litterarias, etc., etc.
Attesto que applique'i! o elixir C(ji',"lna
em casos de rheumnatismos agudos, e ubtive
exeslcan-os resultads, s-en,., quo p:rris-o o
tenlo preferido ao xarope de Iticord iodure.
tado.
0 referido r verdade, que affirm em f6 de
men ga-io.
Becife, 29 dIe Aarosto de 1.4.
Dr. P'-at.,des (,auc de Sousa Pitanga.
ReDfcie, 17 de Maio de 1884-111m. Sr. Fir-
minO Candido do Figueircdo.-Cabe-me a sas-
tlafas~o de conmmaunicar-lLe o benefico real-
tado obtido rilo seu preparado CajilrulA5ia no
tratamento du enferrtidade de qne cetava sof-
freado menu filbo, menor de 4 anuos e meio
de i&ade,
Sobrevindb neste, apiS dous annos de sof-
frimasnt, resultantes da desloceao da espi-
hla dorsal, um formidavel tumor na pera
dirqta, do qal originou-soe uma fistula fau
.ff....elaceesante derramamento de p&, a
9 "- e,.W d juao de lguns faenltativWN,
- i eafte equomec a
,4P"Oanereme


to fx e B tfi- M.dol-
M'ft'^ttf^BI~Od flQ iM~'^t
M~dj~l MUM RTRtXlttkflbtllet1IK


Joito da Silva Ramos. Medlico pela, Uuivorsi-.
dude de Coinmbra, Cavalheiro da Imperial
Orhdeu da Rosa. Comin(ndador desOrdens
portiuguezas d N. S. Jesus Chiristo e N. S.
da Conceiciao de Villa Vivosa, Fidalrn Ca-
vaIlbeiro da Cu.:ia Real Pou-tngueza. Io' o
Fidalgo corn exFrcicio no Pau uImperial do
Bra-sil, Socio Correslpondente da Sociedade
das Sciencias medics de Lisb6a e da de
Medicina de Paris, etc,, etc.
Attesto que tendo empregado em meus do-
entes, durante trint anaos que exerro a cli-
nica, todos os depurativos conlhecidoi, qunr
nacionaes, qu(r estniugeiros, de oenhuin tirei
tio pronipto c etficaz resultado no rbenmna-
tismo, na syphilis, e nas molestias da pelle
como do Cajfirubba do Sr. Antonio Pereira
da Cunha, ao qual dcvo o restabelecimen-to
de variaos doenies, de cuja cam en tinha desa-
nirmado cornm o emprego dos dntros depu-
rantes.
0 que flea dito i verdade, que confirnuarei,
se preciso fMr. corn o jaurimu-nto do nmien prAo.
Recife, 22 de Junlaio de 1,'3.i.
Dr. Jnidu (,1 .dtiic REinus.
Attesto, porque vi e observei, que a preta
E-colaistica naio andava a qua.si Sannos, tendo
as pernas completaientuc ciagadns. e corn o
emprego do Cj aird'lb:.",w (,lt..aplrcprai rnas
cll!g:as oe conieinou a andar. Recife, 6 de
At,,sto de 1883. Grrai, Cwnpello Pi-vs
F rr. ira (Dei.anbi'rg;.lhr da Itclatwuto de Per-
lalIiilbtiiO). -
Recife, 22 de Abu-il ale 18.3.---min. Sr. Fir-
ino ('Cuandido de Figueiredo. -Jose (a'tano
de Medeiros, Tenete-Coronel da (iuarda Na-
cional e Caralheiro da Ordem de Christo.-
DceLro quo o seu prepirado G(j t*b&. ( n
prodigio I Men filhio C:leofas soRU is de dartros
a ponto do ae ir tornandnio i ;aa molestia siria;
depois do se ter tratado omteopathicaaiotee
e cnUt mais iOtLtros rcrAedios. m que melho.
rasme, usou do scu Ccjtirtdeba, c antes de
acabar uam frsco deeappareceram comino por
milagre.-Um ontro meu filho ofria de tura
ferida na perna, e depois do tnthir a Sal/s,
CGaraba por alguns mezes, seran qm molestia
obedccense, corn o uso do seo tilagroso C'ii-
rnibba ficou perfeitamrente carado.--Uma Iti-
uha nets, soffrendo de flores brancas, recor-
Pon an seu preparado, e em poutns-dins ficou
b6Oa. A' vista disto ndo devo occultar tio pro-
digioso medicamento, nAo aG parp animal
em sea trabalho, como para ensimar aos sof.
fredores a taboa da salvavqzo. JoaT Cattano
de Medciros.


Parahyba, 3 de Margo .de
gaciam Ojy.pi deO"fdm
ta p~w~i 0^t


- Snr. Bo-
mOuaeul


(3$

I I

I


t


Hem oiemriana
Remedio poderojo e efficaz pars a cura
da-Tuberulose pulmonar chronica-e de
todas as molestias do pulrnmio e da gargar
ta, licenciado pelo Ministefio dos Iegocios
do Imperio e approvado por muitos gover-
nos e juntas da hygiene da Europa, que
fizeram obrigativo o uso da
HERVA HOMERIANA
nos respectivos hospitals.
E' usado tambem em diversos hospitals
da c6rte e das provincias.
Uni.o agent para o Brasil CARLOS
BERTINI.
culdado eon as falslRea 6es
A verdadeira e legitina herva 6 em Ila-
tas redondas de 300 grammas ; cs rotubs
sao de papel branco iinto em verde claro,
litograpli.ado em tints preta, e impresso o
parecer da junta central da hegiene publi-
ca do Rio do Janeiro, letreiros eseriptos
em lingua national, firmados pelo importa-
dor CARLOS BERTINI marca registra.
da acima.
Deposito nests cidade na
PHARMACIA E DROGARIA
Hermes de Souza Pereira & C.,
Successores
92--Rua Marquez t.e Ollda--
PERNAMBUCO

Oleo de riino

Seon gosto esem cheiro
DR
ALLEN & HAMBURYS
Eate oleo 6 superior a todos os conhecidf
j6 por ser absolutamente puro, eomo por ser asen-
to do cheiro e gesto desagradaveia, que ecaracte-
risim o OLEO DE RICINO.
Qualquer p-ssea p6de tomal-o sem a menor re-
pugnancia, memo as crianvas.
Tendc se unicamopte ua phara ia do B Hpq
de Somua Pereiia & C. Sueeesorea, ruta do Mar.
quez de 0 minda n. 27, Pernmambaco.


* r;,: L -j


iaira *Auuu. Avn"a paw a' '

LffirzTA'^at'f^v oe~i nests rmadoe seg@"


LIT NATURAL

| {(8IVA)


OONSERVAJX IQUIDO SEM ALTEBAR-S'
0 ALTBLO, plant da familiar das cuphor-
biaecas, qu e habits osa nooes erter, 6 hoj e re-
enbecido cumo m0 verdadeiro especifico pare des-
traiit a pithelioma ou escneroides, famlitamdo a
reaovaao dose tecidoms ataados, e trazendo final
UMisICeura compita, serm outro trat&mento que a
applieaafo topiea de sua eseiva (vulgarmente leite)
Come caustic.
Mo numerosos os eases de curs, a guns doe
quaes j4 levados ao conheeimento do publico, em
diversas publicanes, pVlo illuetri-do clinic desta
capital, o Sr. Dr. Aleebiades Velloso, e optimos
reeultados tambem form obtidos nas feridas e
Das uleeras chronicas One earacter siphilitices.
DEPOSIT GERAL
PhIarnmacJa e dregaina de Bartholo-
me dt C.
34, riua larga do Rosurieo Purnambuco.


Chapas de nmarmore
polidas, de 48 por 36 prllegadas.
Theo. Just.
N. 2-Corpo Santo N. 2
QWILL E SR BILK.


Julgando r de gande utilidade dos negociantes da
America do S4l, zta- fios ede sda e retrozi prepara-
dos em material mais leve do que sejam carreteis de
pAo, estamos promptos a fornecer para exporta Wo
os deseda, rtnroz de selda e sedan de border, de
todas as qualidades, pseparadb em lancedeiras de
papal ou de penms como acima representado.
Temos todos os manhos de fio preto e mais de
qidnhentn- cmres
.DiraijAso B "UBiad f& Aznsttag Co."
621 Market Street, 469 Broadway,
PhKladdpi, U.S.A. New-York, U. S.A.
08 ESPEOIFIC08 VETERINARIOS

HOMEOPATHICOS-i
acDE HUMPHREY,
Sara a cur'a de todas as doenqas de
Cavalos Gado, CarneIr., Cates, Por-
co Aves.
Ten sido usado cornm feliz resultado per
Fa deros, Cria&mes do gadoe, Car.
rm-ferrais, et., etc.
CeOnladoee 0 amdo polo Governo dos
DbtAdM Un"ie.
WEnvia-se flhetos e Capits gratis.
Dirija-se a
HUEPHEY'S MEDICINE CO.
109 l ultn St N w-York.
1peOSHoo Homeopathioo de
Humphrey No.28.
Usado ba _4 awos. 0 uioo emedlo officer para
Debilidade NervosaFra queza Vital
cproestra, pr eomex aio ou outmacausas.
: por ouciu cgraco amc z ganafodop& ,
. A'va ,A rom aoe os D! A& Tambem

X= Cok,6-69100 6S, Neow-oef.


CAMINHOS BEFue| -niiiinfallivel do


PORTATEIS
DE

Verheeen & e Jado
DE B RUXELL AS
Constructores do melhor material para
caminhos de ferro industries. Fornecedo-
res dos Arsenaes e caminhos de ferro do
estado Belga, do Governo colonial das In-
dias Neerlandesas, etc., etc., etc., etc.

Vlas ferreas portatels-desmon-
taveis fixas, trilhos de ferro e de ago, per
pregos inferiores ao de qualquer outro sys-
tems, send mais duraveis e mais prati-
*os.
Pequenas leeosodvas wago-
netes especiaes prra fabrics, exploraeoes
agricolas, aterros, minas e engenhos deo
assucar.

Estabelecidas no centro de um paiz que
produz ferro e ago nas mais economical
condigces, as officinas de Verharren & de
Jager, al6m da sua situaglo em ums loca-
idade onde a mAo de obra 6 barsta, go-
sam da vantagAm de ter urnma orgaaisagk
seria e especial pars a construcaeo deo ca-
minhos de ferro so alcance do todos. Os
seus pregos desafiau a qualquer concur-
rencia.


Para iaformafes cirqumstaeiadas diri-
jam-so a


Fleas liv.e des oi w w.
esisinh ecame-mu do J. C.ALevy a C., a ra do"
Bro da Victor"a n. 2.M


ChMame a-.stas do btliw ta*


Pems
ra o


rheumatismo
Elixir de eabeca de mnegro, preparado
potr Hermes do Souza Pereira &- U. Successores.
Eats pderoso inedicamento ji bemrn conhecido
io poblicu desta eidude e do interior, 6 superior
a todus oe depurbtivws conbecido., nDO s6 pela
ma efficacia como pela modicid, de do prego.
Elie cars radicalmente o rAeumwatiawo, aWhile
tds as mo8Wtias que teem pororigem a impuresa
do swWie.
Veade-se nus pharmacia i rua do Marquez de
Olinda n. 27.

Cura infallivel das

sezoes
Pilulas do Dr. Santa Rosa
Na plhrmacia ce Hermes de Souza Pereira &
C. Suceseaores, A rua do Marqupz de Olinda n. 27,
vende se estas efficases pilalaa ji tio couhecidas
da populalo desta cidade e do interior, e eujo
effeito 6 maravilhoso na cars das febres intermi-
tenots e6est *Garsnt.e-se sum efficacia.

i
G.,
00
CDsa *--
W L


LB


0

'.
cn
en
0

a-
C

oa





I


F., .; -::


4A.


r j"


tleo do Figado deBacalhau

do l fDTl0XTCOTY
lodo-Ferrugltnoso do Quina e Casca do Larwanja amargeW
Este medicamento 6 facil de tomar, nio provoca nausea,
e 6 de cheiro agradavel. Pela sua composigao, possue todas as
qualidades que ]he permittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, as AFFECrOES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu cmprego facil, da sua acqao multiplice e
segura, da economic para os doentes, os medicos receitam-n'o
de preferencia i qualquer outro medicamento similar.
sr2fosirO ot__aEa.X.,T =
PARIS, 209, rua Saint-Denis, 209, PARIS
lENDEI-SE ER TOD&S AS PRINCIPLES PHARMACIAS DO UNIVERSE
IFIAR DAS FALSIFICAC6ES E IMITACOES


r BRUGIL osol
j? "S8T ^ T> fiTs^pn




d o,3 a LarsaJs e de U =a ama"i
i ROTOG-ObRET6 de FER8 n0
$ ^ a~o ;or I.e-.P. LAROZEc Thaarwyaowram
a B- 6 S i. *m M auma2 aW- M-
* &PttEtDOT IMLA JUhTh M fl tY5ZfDO DAfe.
OBa4edv6do a urn, tecidoa aaeividadeeeagei a Ms.
bw pspando, oem c.aaervado, pria- asa s suas func6es Giv"r-.
c .saerir no eatlado lia-ldo, o Pori;.ao, aeo Zan e. 0 r
S^prgrfsawOmelhtor&rasulaoGS.Sob medicos da Facuida*, deP4 -*on to
a inuenoia '4nruicitesdTammre'. o_0 especii.- mais antao i a
Un, caezi t de itu e da naa da ldogr, Ch ~
T usauam'Wr^a. o mf-n 6 azsimila.o ma. Chleri-Ania t lsi..S .
Sr:i"me.B a pV.! offeEaito prompto 005 Gor dixestomloi d ec, S.
% egc--ni pet'n.d,.: stague, a forg; lintis eosorbatiorn a Minin t-M
fp 'mna z s. ,s -Nam; aq. differente Eaeitwi.tt _a
waaAflw-e -
t' u was9 capsafs at9-as & nSff eM spA.t Pnds-rae eud. .alfl&J -
U ARiPE LAROZE WAuS TONICO, &ITIN-ER 10
?ai Ss ra^i. Gitralgs. tw saS. foz. Caa ra d do Meama.
a' OEPURATIV'" .z IODURET81W PrfWI
40w'*M,1 u AMR *Tnrolraw. Tun"" lraom% &06=

% URP~E DAIVrt BrfOMUURET0O( POT 85
t itf Dms. -as.wam -00..w Rna i


Le Monde Potique
dPoetiqe


U IISTAdI POIAIIR ff LI



70 7 PC*.TiQ APPARECE NO DA 10 DE CADA MEZ
I b 3 i d imam tO i s f td


,,,.- EU Peal dams s -,flids. rib- ..b S,,,
0l nftb h mouuum dm ebmleoaiaesw a m doSaMc f~
a\ oft. 4AMMMM :Wl howfc 40>fcrraA bkff od iranaww
COWwagwhads sr

jj frn'!e ^*a?-w 7F 'li~ mIiU. a Ato uda e Waseofug:
4*IiA isws ous &A IT fdro


'*- ,: ..,,'
:.:,: -, .J


$: ..,.;" -. *." w
,5u.ap.*or'

,!t'a *I. .i
PS-. : ,
& S 't ) .....
iiea 4,o ..


U. ,


* S
4-


5UWARIO 1*! S
OB poet
do -LusI&nS&A
-'iTiiii ai tut tliii~-J i
-iag^^


WA)

~,4-


'I

3









.1
24*T-


*,j. .J


:1
I

I
A


I
/1




t
-4


a
*1


IT'


'-itt
-6
-n


.- "
,.* 4'


* -.
S ;
?,


-6't--.


f .--


W- 4-M


r-<"~ *


l-f


*rfT ***


. -,2


i4'0. '-,"














































YVin anniversaro
It "tsf i em senus filhos con
Is a tpet e oouhecidoE da mesma
fzerem o caridso obseqio deassi-i
essas que pela sa alma mandam eiele
ita-frir l do c-orrente, as 8 Ioras d
us mat"iz da Boa Vista, pelo quoe socoB-


Au Cariota de Albuquerqae
Hello .
Jo Baptibta de Oliveira manda celebrar urns
-gs pir alma de D. Anna Carlota de Albuquer
eMeloI esposa do seu particular amigo Dr.
Pedro Afonso de lelo, sexta-feira 14 do corren
ta ni m *iri Aa d R hViatq As 8 lh,..am


A.Anna taulota de Alnbquerque
Hello
0 hebarel Pedro Affonso ae Melio e sens filhos
teudi de mandar suffragar a alma dc sun mui
presada e sempre lembrada mulher e mai, Anna
Carlota de Albuquerque Metlo, corn urna missa
que ser- celebrada na matriz da Boa Vista, pelas
8 horas do dia 14 do eorrente (sexta-feira), trige-
simO do sea nmtausto passaniento. con 'idam e pe-
dem aos seus parents e amigos para assistirem a
ere act o de religion e caridade, antecipando Ihes
Sdesde jo se' aior e terno reeonhecimento.


Autenio Maria Carneiro Leao
Antonia Francisca de Jesus Carneiro e seus fi-
ltho, Manoel Cyriaco de Al uquerque Henriques
e sun mulher D. Anna Joaquinm Carneiro Henri
ques, cordialmente agradeeem As pessoas qne se
diguaram eopanhar so ceniterio da Varzea os
restore mortar de sn Hati pe mariido ai e
sogro; e denevo as oviftm para assistirem as
mistsa que toml de er eelewdas na matrim de
N. S. do B i e0 da Vres e Penha, no dia17
do correutW US bd~ A & 4 mmnl, pelo que aate-


'1


Inj deGrimault & C' 1
e*Hd Alr



P & &a", 3a, d s mais wo,





F ~~OPPRES~SAD O$JARGA
CATAHIRRO-*ULUHg PealM3 CC UrIal
Aspfra-se a fI-ia e pentra no peto acaimaa Yptdaa ner'aln 0 ,facfUlt|
a eucoo e Pvosa as f 8aos orgacto s ra B oa
VD sm Pan emma de IG. NPU T 4 33,, 6 mpiu
*o ro m faa_. _.:_V, 4 &9'.i I'd Cd


Exigir ose/Ia u C 0,-RE IE EEigra
~~EKI IU~Franou
AO CHLORIIYDRO-PHOSPHA\eO DE. CAL
0sas j podeo. dp&Wa--l a ma o recomnttuin petdo por todosOMedicosi flda Europa nma
d us o &ex.peza ora4 Anemia .CdoOrosM, Tisraz, e( erw, Evo qreasrs, RMItWAtiOs O, Doe |
Pram ,oR;d. WSV119o fl Dpis Eo pn anm ea I
SssoCrescimento difflcil das cnaivliv .Fs~o apy~s
par*, COIRRE!, Ph-, 79, roa do hairche-rlidi. kepositos uas orincipass Phaimtiu.


Z-LUUMJ.'A.P Z L L %&J .PW'M~

As Maiuspu8puftco angueffM,'rfiemtWodas as wdems*46Etomago e
d68 Intuams.
p 00 Suaoo femO i~ia g edades. Poro as meninos asusm cono taabuom pars as
pescsliiildo~amnymada a =oa efficacia e incoututsvi*
Es-as mediciuasa aosqmidagsimeu.noa Estabedo imetval Plor hka ielp Was,
MW NW 7UE-e9UWZ(Antes UB, Ozfxordtrdt), LOraE8,
9 ^ veemse c todas as pliarnuas do aivuero.
Ir Oa coampradoeo idado0 suaitosaoifte a ewnvmha asot 4. cad. caha Paw a. ajo seea
1 53,3 Oxfad Stwet, 4o = & i McaB*es. P '* ,g *' &I


Quando o pagamento por este systems se
S.effetuar dentro de quatro mezes, abatimento
::de 500.
.. Abatimentede (A dW-aiairo Avista.
Boga-se aos pretede'utes de virem ao ev-
criptorio da companhia pu iaor e ers-
cumstanciadas.
Immensa o teslvawtagem 6 obter-se o
~ meihor artigo ntw mneihooeur condio5*.,
( h Ikem omprar*t mes a ver adelra
ua deo SiNGBi
FO QUE?,

1.0" Por sor ineonteet~vdmat a mihnor, nial. tort, mals J~im
b'vl Ra t duradoura, a unica que tern obtido mawis do 300
medalhas, ur qe *tem maims -df 100 imitadores.
2. Por existir um deposit succursal da propria oompanhia, onde se grran-
to estw B is pr urn tempo Illlnltado e onde sempre se encontra
judo que dizs respeito as mesmas.
3.O Fmalmente, porque aqueUllas pessoas que at6 o present, porfalta de meios,
nao podium satisfazer o seu desejo comprando urnsa d'estas excellentes machines,
podemoagora corn toda a facilidade compral-as mediante a modica presta~lo de
Recommendamos corn insistencia-Nbso 5e Illudam corn as machines
que trazem o nouso nome e que nio passam de RUINS IM-
Vendemos tambem linha superior, retroz em earretels, agulhas, 'leo, linha
de crochet,,pegas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e por pregos
sem competencia.
0 unleo deposlto das verdadelras machinas de Singer nesta eldade
Rua do Cabugai n. I A, Pernambueo
DirecIo geral para America do suln.. 101 rua do Ouvidor 101
Rio de Janeiro. Casa matriz...4 Union Squre. New-York
Consertos em machines de todos os autores por proos baratissimoe.


14000 POR SEMANAM


Grande estbelediieiilto


CASA


DE CONFIAN-(A


LOXVE
Neste vasto e bern sortido estabele-iimento de f:-zenlist i,-,1.a3, .njas proprie-
tarios nao poupa'in esforios afirn de bern servir acs -seus oum.;',,-,os freguezes e amigos,
continuamto as iExmas. fuiivi*as a enontrar oe pri.-ipam.s artig,, e oPs m8 hores teei.
dos.proprios para aw inais prinoi-ossu' toilettt.s.
Os Sr&. agrivultore4' nMwterao pre-ferir nos ,*r, ,-s cunpras, visto que pode-
offerecerihesl tambom, uin bo *Uoso tiMOeUC: do taz-Ldas propiins para trabalhado-
campc e po pros os nais razoaa'io, P.m ralo dc -s rocobermns de oait
rnopm, doa nreosd8exportaores
SOs 8r&. naveguatta ei-ntrarAo tatubemn uu born tortirOeuto de artigos pro-
prio par viagens.
Continuamos a repetir que 6 de grande vantage preferir-se sempre o LOU-
'ARE, tendo de fazer-se qualquer compra de artigos de boa qualidade e de bom gosto,
vi quoe ue o am urn grande e variado sortimnnto.
A. -AMM AL.O^w L' IU A .
se enefotrr.. e..t.ntemate ...rd.de*raB pec,chas, assim como um born e variado
soramtto de rotmpaa fbitas (faondo-se tabem par medida) apropriadas, tanto paras a
cidite. com tambem para trabalbores de ampo, convindo chamar a attenglo para
os prBo9 de segintes artigos:
SpMBr sobreatudo de panno pilot a 15#, 206 e 25#000.
lludapolb ftriquinhas, superior, a 46800 a pega,Icom 20 varas.
Dit aaeia earense, corn photographic do dito berd6, a 6#200 e tarnm-
bem corn 20 varas.
Diversas outras marcas a 5400, 6#, 6#500, 7# e 8#)00, qualidades e quan-
tiddd garantidas, e mitos outros artigos por precos baratissimca.

Casa de confianca


',LCAXis
DE, CAXIAS


cs-ue


} ,Modista
Prepara-se corn esmero e promptidco
vestidos por figurinos na rum das Crazes |
n. 24, 1.0 andar.


Cura da asthma
Decolberta japonenm
0 verdadt-iro p6 assimrn denominado se encostra
na pharmacia Bartholomeu & C. Successores, i
rua larga do Rosar o n 34.

Cafe sul americailo
Este atamado e saborosissimo caf6, ji bastante
conhecido e preparado corn todo capricho peloes
Srs. Souza & C, acha se A venda nus
Deposilos
Travessa das Cruzes n. 16.
Rua da Imperatriz n. 42, e em outros estabe-
lecimentos.


Qualidades e preos
Non-plus-ultra em I.-,tinhas de kilo
la qualid.4de specim m pacotes de 1
lakilo, 1/2 kilo e 2l60 grammas, kilo
* qualidade A. kilo., rs.
a U, kilo,
3a. qualidade, kilo.


1400
iuooo
1,5000
700
600
50O


pndnt irnpy
J'recisa-se d," c,,sureijas ; na rua do Imperador
n. 55. 2 a dar.





DE






Este remedio precioso tern gozado da acceita-
to public durante cincoenta e sete annos, com-
eando-se a sua manufacture e venda em X827.
Sua popularidade e venda nunca forao tao exten-
sas como ao present; e isto, por si mesmo,
offerece a melhor prova da sua efficacia maravil-
hosa.
NAo hesitamos a dizer que nao tern deixado
em caso algum de extirpar os vermes, quer em
creanias quer em adults, que se acharAo afflic-
tos destes inimigos da vida humana.
Nao deixamos de receber constantemente
attesta6es de medicos em favor da sua efficacia
admiravel. A causa do success obtido por este
remedio, tern apparecido varias falsificag6es, de
sorte que deve o comprador ter muito cuidado,
examinando o nome inteiro, que devia ser

Yemi0go(ib.1F








16-Rua do Oabugi|4
0 abaixo assignado vwend Ro -mew
7enturosoS bilhetes garantidoe Os em i* a6-
Ouintes : 1 iiteiro com a sort de 1'(0
no n. 385 al6m de outras mais de 32#,-
160, e 86, da loteria 142.
Convida-se aos possuidores a virenm rece-
ber em desconto algum.
Aeham-m & wve OB ventaros" Mao.
we ganmfidoo da lateri u. 143 ea= bonw"-
da Sauts Cama dat Mi~en rdia 40t Am^ik.
quo so embukhrA. na sextn fiim 144tyow
kre e.



hatc l 'ow
Law,"\.1 l~ llf^..


, 040 6 -,



















-- p
I I


k|s Idea Immo bodilos


:^;r"l;' Biinia&aWO. coiam& Gkou fldar. *
aposd.&os-do 3,4, 5, 61 8 cavalo.
"-das .do 10 a 40 pollegades de panadur.
'tlmadams degu& ooete os, Ld h m et
ak~ausnyusa e concertos, e'-amentamento do mfshinisimo o exeoutem qulquer
*abalbe corm perfoimle e prestos.


U











U


c V w


JOSEHT KRAUSE ft C.
Aeakm de augeintar o sen ja bm eonhecido
imporente estabelecito ruan 1
de ino a. 6 corn mais
vm sa d .rladr iuxMsamemte pepar.
red. epMdto de am exposi.


io de obras de prata do Forto


e electrop-hte


dos mais afalados fabrieantes do


uhdo inteiro.
Convida, pois, as Eihmas. hailhas, seus ame.
roses amigos e freguezes a visilarem
o sen estabelecimento, aimr de
apreciarem a grandeza e born gosto corn qne
Ho obstante a grade
despeza, o adornaram, em h bra
desta provindcia.

Ou- ABBE TODAS 11' 8 DI -O1TB


cf~nwmW


FLNDIAEM


H YifI


0





N

I

N
N


DE-


-CABDOSO & IRAO

RUA DO BB R MN 100 AI104
61 11T Li DILLIU S. i 1 2 3
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento., pelas suas rela6es directs
comn os melhores fabricantes, e corn um dis-


tincto engenheiro


grandes vantagens para


provam comn
tes nos enge


de Inglaterra,


offerecem


encommendas, como


os apparelhos completes asse
nhos Massauassu' e Bosque,


6n-


meio apparelho no engenho Conceivao.
MACHItNAS a vapor trabalhando s6 com


o fogo do assentamento, podem
das as que foram assentes nos


16m, em Timboassu', Cuca


u, ei


ser exanumma-
engenhos Be-
n Gamelleira,


Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, VidrafAo em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e
Parahyba.
Chamam a attenfip dos Srs. agricultores
para os novos vapores que tem re&ebido do
acreditado fabrieante Robey, que se recomn-
mendam pela facilidade de conduccio, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand6
de mencionar os engenhos em que os tern col-


Mdtd ,por L rem vendido 85 para diversos
lgares, e por isso a devem sier bem conhe-
; cidos. ,


Mler& w qude nk......
jifaciujdadej da coalgaoe|


*1
it


A'JN .. rodas.


-.


Aluga.se
ama casa siMa rua da Saudade, travsm do
Gymnasio, muito fre-ca e salubre, corn 2 sala-, 4
quartos, eosinha excerna, quarto pars despejo,
quintal ladrilhado, comnmpdos parm ums famiilia
mais que. regular : a tratar na rua do Crespo n.
7 a n di a r I %
Trastes
A' ru do mpunudra. 16 eaompm-me, vcde-
Asga-s e trBes-se new vU-au O
Caixelio
Preoisa-se de um caixeiro de 12 a 14 uannoes de
idade, naciaoni ou etrangeiro, dando fiador de
soa eonduacta i na rua de Pedro Iva n. 10.


MIGUEL -
Narticipeun tonrs-

Peitii-el. -pu-ib <|l
eontinumli: uz4!

, '- "..
:.a" i j ^^I


de e variado sortien-
k. de rdogo~dee mnie'
" acreditados fabrican-

44, e seacham habili-


ados a vender
h4rate do que


mais
outro


qUaklquer, visto re(
herm directameite.


Todos
vendidos


os relogios


n'esta


casa


garantidos.

Inn tb W I-.


AttenAo
Na wecretaria da Santa Cn. i e Misericordia do
ilcife arrenda se per es ,a 9o de um a trees annos
o im.portante predio n. 14, & rna do Born Jesus,
cornm-un grande armaszr-m no pavimento terreo e
im vasto sotao no 1- andar, proprio para eserip-
torio on armazi m de importbva,; tudo por 8005
-nnuaes.
Cardoruus
PREPARADO
POR
d. tablme L. Plhbe
(Nove nnous ie experiencia I )
Facilita a denti3ao e evita as convul-
aess. ,
Este important vegetal brasileiro, da
familiar das Euphorbraceas, estudado e ap-
plicado pelo autor em innameras creanvas
e sempre corn excellentes resultados, ven-
de-se na
Pharmaia do Dr. Sabioe
43 RBa do Barlo da Victoria-43
PERNAMBUCO
Agencia em todas as proviucias.
Modista
aa Velbha numero 129
Aprompta-se por figurines qusalqutr obra ten-
dente a sua profismio, cornm emero promptidlo ;
asim como enfeita-se chap~os ;!preeos commodos.
Luz brilbaate, sem fTamo


OLEO SA TICO
.Hygienico e Econofmico
ft.R LAIPARIMNAS


Ron 6Mi IB9 K.


(ArA DA C2RZ)
Casa .de firwiN es
Grande n vathad .ortieato de amos-
wma e catogos de produe5es da Alema-'
aha, -Fraa, Inglatera, Austria, Hespanha,
[talia e Estado-Unidom.
N. B.--Informag&es sobre maobinismes
gricolas, ditas para engenhos centraes-
bombas, etc. -par a incendios e outras m.
thinas e utensilios.

Ama
Precisa-se doe a ama : aa rua de Paysandd
a 19, antes da ponte da Msagdalena.
Aluga-se
o sitio do bhsacon n. 13, tendo casa corn accom
mOdafces pars familiar ; a tratar na rau da Au-
rora a. 81.
Aluga-se brat.
Os arnmaene n. 13 do largo do Corpo Sknto
corn communicaqo cornm o de a. 4 A, no caen da
companbia Pernambucana corn guindaste.
Armazem i. 47 da rua do Born Jesua.
A casa n. 5 do becco do Tambii.
0 sitio n. 7 da rua da Agusainba, Beberibe.
1.0 audar da travessa do Campello n. 1.
Casa o, 18 do Corredor do Bisbo n. 18.
Run do Visconde de Goyanna n. 107.
A casa da rua do Visconde de Pelotas n. 41.
ska casa tmrrea a. 1 B, na Baixa Verde
A casn da rua dos Guararapes n. 96.
A tratar Bo iago do Corpo eawtn. 19.' prlmeuc

Cass de banhos
a a Ca Crnsua. lI
Tenho reolvido do 1- de setembro em diante
tazer asuiguaturas noeturnas, para o que etater
aberto o estabelecimento atW 10 boras da nuite. A
Ilmbranags deensa minha reoolunlo 6 parn bern ser-
vrr squelos, que empregados em amuare'io a
retalho, n. o dFpoem do tempo necessario durante
o dis ; portanto, aquelles que queiram utilisar-se
dests minha deliberatlo, procurem inecrever-se
durante este muz n'um livro para isto destinado.
Assigmatras de trinta baohos 65J600
Acabo de'fmuer a seoam preMcbte, inrpeza
goral toe tanques, esptando-os liumipaido-os.
Creio que a .prefsi moa tmpo M .=..
desta eaa, qe qftehtinaes peisa a muin
4Ka, fi'iueQo.
-- Augusho Lemm.

Vende- s e uni excellente bote em perfeito esta
do de coaservavio, matriculado e cornm proporvoes
pars conduzir vinse pamngeiros ; a tratar na an-
tiga ponte da Torre.
jCharutos da Bahia
de superior qualidade, fabricados por Antonio
Schmidt & C. Vende por atacado
Thee. Just.
N. 2-(orpo Santo- N. 2

Boa case n a 1aBen
Alnga-se usa ca on9om muitoa coemodos, ten-
do aie ga, e born eitio todo murado, no largo
do viveiro, csa. que tol do major Belarminno ; a
tratar na rua de 8. Gongalo n. 29.
0 baeharel Miguelrellppe de
Previno ao pubbeo que ulo me obrigo por di-
vidas que faqam ou teabam feito em men nome.
Engenho Tapers, 1 de agosto de 85.
AlIga-se as seglintes casas :
Rua do Imperador n. 79, 2" andar.
Rua do Viscoade de [nhauma n. 73, 1" audar.
Rua de Lomes Valentinas n. 55, pavimento
terreo. A tratar ua rua do Barbo da Victoria nu-
mero 14.


se


dira


quem precise


de duas amas para os
services acima.




Vende-se
0 eatabelecimento de molhados sito a rua do
Bo n ar n. 9 antiga Senzala Nona.

Mteuvao
Vmdel-e pw barato-preo, a Maheiro ou a pm
a2, po do do deOrm- de pio e dedr ft, em ab
tudm-, t mo-ads g. madea oiom .ns, wra
dima taixm dero atdo a, t ai t nbMem

A IaRafi fe ktn as u

59'11^^ t m
:' .. a.,U. raa4 d
0v d Stot Bteu.,7 5, ta gu, btR.i


Aaoie. & C., ArmsB-6.{perasuiun. ,-
Aman delfiodo tertlusto do tet bram
lne ffpanm venido e roupg do emee m
S*m- indisedos; Mt.a eqadoM

doen I;e;;s a 2150.)

SNa o dm lBarateiroa ds B Vita vende-u
umn elegatm rtimet do de easeairs de dus lea
games, ed io tglem eom auita M eose, -
atismo prego de 2500 e '25800 o eovax
uendo muita proprias pars cotumes, e dasu me
ma tambem n s mandam amer costumes muir
ben feito.de epalitat, eala e ooUete per SO35 ,
85A, 6 graBde.pomei.c : na loja da rua da Iw-
peratriz n. 40, esqains do beeco los Ferreirca
Espartilbos
a Qe 600
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, venue-b
muito bos espartmhhs paua enher a 55000e
p msenmaS a 44000 ; aAmen como amun bonit
eortimento de fichuis de 14200 at 34000 ; isv
um Loja d- Pquina do bcc dos PFerrairs.
Merin&s pretos
A 1100, i 4M00 e 16800 o covae.
Os barateiros da Boa-Vista, A rua da Impen-
triz n. 40, vendem muito bons merin6s p-etao
pelo barato preyo de 1&200, 15400 e 14800 o c-.
vado ; assim coma sortimento complete para lu.
a- ndo chitas, cretones e casemiras ; isto na ulo)
da esquina do becco dos F rreiros.


de


Collarinhos para home
todam as qualidadem e modelom
Em p6
Deitados


Abertos
Fechados
Rua Duque de Caxias n. 62, Mendongs, Primc
& Cocapanhia
Moenda
Para engenho de animal, que safreja atW ail e
quinbhentos paes, vende se urnsa em perfeito estad
par 1505 : a tratar no becco do Peixe Prito a
5, hotel.

Neilo Recwito
Vende-se ou arreuda 6sa o engehnbo Recanto, sim-
tuado na comarca de Serinhiem, monte e corren
te d'agua : a tratar na rna do Born Jesus u. 2
escriptorio de Manoel Ferreira Barthoto & C
Vende-se
a tavernada rua Vidal de Negreiros u. 155, bem
afrpguezada, cornm commodos pars familiar ; a tra-
tar na mesms.

Pechinchas!!!!
Sao as seguintes pars acabar:
Brim pardo lona superior a 300 rs. o covado.
Idem idem corn urn metro de largura a 400 rs.
o dito.
Malesquius finos a 15800 e 25 o cdrte.
Cauinetas superiores e meia casemira a 25000 e
25500 o dito.
Cesemiras inglezas para csical, corn pequeno de-
feito a 25800 o dito.
Idem superiors a 4A, 55 e 61 o dito.
Idem de 2 larguras para roupas a 15200 e 15500
o covado,
Idem preta diagonal a 25200 o dito.
Fianella ingleza pars palitots a 1 e 25 o co-
vado.
Cobertores de li de cores a 2 urn.
Colchas francezas a 2 urnm
Cobertms de gang para eama de oasal a 35200
uuma.
Lenv6es de bramante a 2 urn.
Damaseos de cores pars mesas e panno de pia-
no a 600 re. o covado.
Idem parn mesa a 15500 o dito.
Popelinas de seda para acabar a 320 rs. o co-
vedo.
Alpacas finase furta-cores a 360 o dito.
Se-tinetais bordadas francezas a 50:. rs. o dito.
Cachemiras e merinos pretos do 2 largura a
I e 1I200.
Damcc6s de sedas pua novidade a 16 o covado.
Entrada de bale a 25, 45 e 65.
Fichfis de cores a 14500, 25 3A.
Camisas bordadas para senhora a 31500 uma.
Saias idem pars senora a 45 e 65. Sao ricas.
Cortinados bordados pars camas a 6 o par.
Colchas de ernehetes para Exmas noivas a 106.
Grinaldas e ves idem idem a 125 e 155.
Seim nbranco Macao idem idem a 15 o covado.
Setinets branch fins idem idea a 600 rs. o dito.
Irlanda superior para vestidos a 320 rs. o dito.
Meias fias pars seonhora 55 e 6$ a duzia.
Idem idem cruas para prepos rasoaveis.
Idem pars homes a 3500, 45500 e 65 a dita.
Cer..ulas bordadas de bramante a 125 a dita.
Carmiss francezas finas a 305 a dita.
Crtes de gorgurao preto para college a 25 urn.
Redes de cores a 4,.
Idem superiores corn 4 punbohs a 155.
Grande sortimnento de bordados de setinetas fi-
nissimas a 700 e 1I.
Idem brancas a 15200 e 1500.
Madapolio largo a 55 a pea corn 24 jardas.
Algodio superior a 36800 corn 20jardas.
E muitos artigos que se vendem por menos 20
por cento em outra part.
Venda* em Xronmo dames deneontos
59.Rua Duque de Caxias-*9
Cmoiro a Citia &.


listoria -da revolnuao de rernam-
buco em 1817
POR
Mgr. Muniz Tavares
Acha-se A venda em todWn as LiVrnias desta
eidade, a 5000 e exemplar.
Engtenho
Vendo-mo engabo Meguahypo do aims, di
fregumsia do Murbses, eat asstsCU tMe' ; a
tretar em Jaboatbe, rua Duvqe de (baeJ a. 15.
1WAY
bifg-e ahii~mnk terree acs arad
.o Valet-O',s. 55; a trai wf thewwri
d lotewsi d ovicia, nm do bara ds Vieto-
ria, 14 .
S
Piano
Vnse u. b.fuo p..... S m Da0..
dermSEis, uB pow au(i-t* w&'ibdt*
pu YM r *baet.?ttf strt*f
.t,24meuef


UMXAn4


'www ptm flfmh fa ,.-,;"1:--. '.'s
nhdtdedhtl em. "
lism a6sO. a.-


*eu~me ej~jjm
l aw e" I -.'h:.""' .'r:
_uM -- ,,_ r. "*' .'n .'- : ''- "'

dou& n. 86 a 4T "7 ..T-' '
Canisas paa mourn dade u fI 4;s a: .
leuinhoa, de n. 32 .56.

Grawasa, grande vaiedade.
Meias cruas, braneas, de cores e BaL.
CapachO tapeto, mams, stekve, %has-vdw
U.M brings brakes e de e-ores, tasd npt
riu etc.. etc.
Papoula & C.
18 IRan d4 Cabmg&-iS
Em frente a maftriz d Santo AiMse
LINHA COATS
a Lttrosa a para maedis, e a Ma f dB'
flO a Mnto pare machiM wmo paW M~ a ts-
-NAo se uss ma li Unha em movyo-
Pede liha em canned con o msm
J.&P.COATS -

Chegaram


bras de


vime


Cestas para co- pras, de diversos tammnh.
Roapeirom.
Acafates.
Costureiros.
Corydecam.
BalaloMs parap
Cadeiras.
Bua estreita de Rosario n. 9, Pogas Mesnaa
Companhia.


Cal nova de Lishoa


Oleo de moeot6.
Poltassa da RussiAa
Vendem a prene sem competencia
Guimares Walete
Corpo Santo n. 6.
Cabriolet e victoria
Vende-se um n cabriolet e urnsa victoria em pr-
feito estado : a tratar na rua Duque de oas
numero 47.
Bilhar
Vende-se um important bilhar frances ; a ha-
tar na rua larga do Rosario n. 14.

Roupas para homes
POB
Preo os baratissimer
Ru a da lmperatriz a. 4 U
LOJA DOS BARA7EIR08
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
sends que se lava 60M
Dits de panno preto fino, fazenda mauito
boa 7TO
Ditos de casemira de quadrinhos e listri-
Uhaies, for alosa 8000
Ditos de casemirm escurs, forradoa s8o=0
Ditoes de casemirs de cores oclas e en-
curas 10m
Ditos da canemira de cordlo, de 10 9 A 12M 0
Ditos de panno pret flue, forrados 10500
Calvas de casemiras con differences pa-
dries, de 5,500, 65500, 85 e 104l
Ditas de casemira dc cordao
Ditas de casemira preta s ed. a89 e 1U
Ditas de casemira pretas
Ceroulas de creguella, obra muito bem
feita a 15200 1oB
Ditas de Hamburgo de Ulinho a 1800 e 2F000
Colietinhos pars dentro, sendo de ere-
guella e muito bem rnfeitos a 800 e 1o00
Camisas,. grande sortinento de eamibsm
brancas, tanto francezas como iglems,
tante de limnho come de algod5, sends
de 25, 2500, 30 p at U
Meias, grande scrtunento de meias ermus
parahomens, de 320 rs. o par aetA
Tcmhas, grande sertimento do toalhas,
tanto pars rosto como pars beaho, que
se vendem per pregos muito ramoveS.
Tudo isto eenm grand' redugo 1 pf : h m
loj da esquina do becon dos Ferreiros.
Fazendas brancas
Na loja dos barateiros
daB1,-amVista


0O-Rua


da Imperatriz-O
VENDE-SE


Madaaolio corn 20 varas 450M
Dito francez, fasenda mmto encorpada,
corn 20 varas a 5A, 54500, 61 e 640
Dito ftmances, amencano, fazenda muito
final, de 74 atW 12400
Algodlo enfestade corn 9 palms de lar-
gura, propria pars taier ltoens de um
s6 panno, metro, rs. 900
Dito trangade t-om 8 palmos de largur,
preprio pars leooes e toalhau de mresa,
metre 15UM
Bramante de algodeo comn 10 pslmos de
largura, proprio pars fawr lenues do
um s0 panno, metro 1
Dito ingles de quatro larguras, seNado
de linho, metro
une~ft pr oper & leocde3toW8hou
e seroulas, eado uend i mi ,en-
pads, cads pegs com so Vames a 14A,
en mart a
Dits an a moms medids a 1160o ,
e em wo tu .
Atoafhado adamascado par toalbe do
mea, tendo 9 palms de largrs, me-
tto 1IBB
Ab eomio am uemleto aoortieto eft
peu de algdainho amu ioxo e
uinef que se vende a pea de 8350M
an.
Lte a ma ist d esquit dobee6 L PMtiul

bDeS amOO-a-
Oje ad-I ~, ,.,,. .. ...,
-- '^ii.feRflkff^H^bA'll~f^^^^^lH^^^B
'HuHBIt- N uE^^^^ff 'fmr^^B^H^4H^^I^^


I


4


'A -
y1-:


-4


L-A
f*^
0*.


* .


MAR XLTmSBASTOS
Permainbmeo
NUMERO TELPHONICO: NW 33

Sardas e pannos
A'petiuna vegetal 6 o nnico remedio que Cura
rpidamente as ardas e paints do rosto, resti-
cundo a cutis a sua primitiva veluaez s: vende-
se unicamente A rua larga do Rosario D 34, phar
macia.

Amas para c ""nma r e

cosinhliar
Nesta typograpbia
-mm a 0


3e-


Ey.


140


i./', ,- L.


I .'of


a


.. ...



























0, w, AwO*W&4o,,,cuselho.-
%pnidents 'do rojeotha)
smnde qua aquiUlo
-,* Aid praojeto, quo
r aa:oel Portel:- Pareceu-me
q'8 Exc. apreciava as
doputado a quei me
firo, era dteminado polo facto de nbo
t inda sido putlicado p discursU e S.
iv idoa &fesmento resumpi.
0Br. Saraiva presidente do consAelho):
s4esia-me qu e upprimia o fundo de 5


tro ao esperauga kq
da a queool verA :sl.4 -

go do trabalho, e quoe, aa m cc
presenciou que a proposal .do 1
4e 1871 coustitnio a lei d 8,
bro de 1871, project tambeow
maio de 1885.aer coustitado lI
modifia9oes qae auosa exigencias
stancias do paiz deter nwaui.
os meus sinceros votos. (MIuit I
to bem 1 0 o radqr 6 felicitado.)


omo o0 pail
2 de maio
die? --etem.
a de 12de
31 corn as
e circum-
Slo eats
bem I mu


SaCIENCAS


p; oe deixava s6 aqillo. A vaccine e o cholera e a Hles-
R.Manoel Portella : -Sm.panuka
S repeJeir a idea, o nobre deputado 0 Dr. Respaut publics no 7emps de 23
e Aa possibilidade da appli- do corrente um extenso artigo, concebido
cago do actual fundo do emancipa9go a nos seguintes terms, corn o titulo-O so-
esse fim, da mesa maneira paor quo no gredo do-Dr. If erran;
gabinete de 28 de Margo, por S. Exc. pre- '0 Devem-se lembrar das vivas contro-
sido, o finado ministry da agriculture Sr. versias qua se produziramn corn respeito ao
tuarque de Macedb, propunha emr seu re process empregado pelo Dr. Ferran, afim
aitorio, que part do fundo de emoncipa- de attenuar o virus e 0 cholera. Tendo-
So fosse destinado a constituir um fundo se o medico hespanhol tecuaado a dar cer-
especial applicado A educagao dose inge- tas explica ges acs membro* da comntao'
nuos. franceza, gritou-se por today a part qua a
Em todo o caEo era applicaglo sempre Dr. Ferran nbo passava de um charlatio,
ao mesmo fim. de umn fargante, de qua 10a valia a pexa
0 Sr. F. Belizario: Apoiado. Era o occupar-se. .Este protestob energicamen-
desejo de nbo contrarian o project nesta te, e, n'um telegramma qua foi publicado
parte, sea aggravar os onus do Thesouro. no Temps, affirmou que nao tinha segredo
0 Sr. Manoel Portella : -Nao h. o pro- algum, e qua, no havia mais do quo reler
posito de contrariar, mas a disposigbo para a ua memorial academia das sciencias,
aecordo por concessoes rediprocas, annun- jA lida na sessoo do 13 do abril, para se
ciadas hontem polo honrado deputado por convencerem d'isso.
S. Paulo e qua S. Exc. corn a circumspec- Ora, nests memorial o Dr. Ferran diz
gao, que tanto o distingue, declarou aco- corn todas as letras, qua elle inocula em
Iher tomando em consideraglo as ideas por cads brago urma pequena quantidade do cul-
ele lembradas para chegar-se a urma solu- tura virulent nao attenuada. Desde o
gao da questbo. momento qua elle inocuculav urma cultural
Confiio que destas concessoes reciprocas nao attenuada, 6 evident que o medico
resultarA modificaglo no project e possa hespanhol nao tinha process algum de
elle ser aceito por ambas as parcialidades attenuaglo, e por conseguinte segredo ai-
ds Camara. gum.
Permitta-me agora o honrado Sr. presi- Inocular corn uma virus nuo attenuado
dente do conselho algumas palavras qua conatitue um method de vaccinagco, qua
Ihe sao pessoaes. acabs completamente corn os qua eram em-
Em urma das sessoes do anno passado pregados at aqui. Para dar aos animaes a
dizia o distinct orador a qae jA tive de immunidado contra o carbunculo, inocula-
refirir-me, o Sr. Dr. Ferreira Vianna (16) : se-lhes um virus attenuado; se Ihes inocu-
a Q oidado Saraiva assumio no impe- lassem um virus virulento matavam-os.
rio do Brazil umra posiglo political nunca Ha, portanto, urma contradicgbo bemrn
.assumids por outrem. clara entire a vaccinaglo dos animals e a
S Ao sentar-se nests cadeira reconhece- do home, mas no 6 senbo apparent, e
ria que os seas adversaries politicos Ihe 6 n'isso qua consiste todo o segredo do Dr.
prestam a maior attengao e respeito, con- Ferran. Absorvido pela via estomacal, o
tando, come dovevo support, corn a dedica- bacillo-virgula nao attenuado poderia ma-
91o, senao enthusiasm, de seus amigos. tar; bastaria para isso -quo elle podesse
Pois bem, fago minhas estas palavras chegar at6 aointestino, que 6oseujuwr,-do
nesto memento solemn. eleiiglo, e que podesse alli desenvolvr-so e
Pela parte que respeita ao partido cou- multiplicar se convcnientemente.
aervador, S. Exc. nbo tern visto senbo a Injectado, polo contrario, no tecido celu-
confirmago deste juizo: o respeito, a at- lar subcutaneo, merro rapidamente. Por-
tenglo, a eonsideragio que todos n6s vots- tanto, :se esta injecgo dA a immunidade
mose a S. Exc. (Numerosos apoiados.) contra o cholera, nao 6 ao bacillo-virgula
0 Sr. Saraiva tprosidente do conselho) : que a devemos attribuir, mas ao liquid,
-Muito agradecido. A part do caldo em que ell e vivia e qua
0 Sr. Manoel Portella: Si S. Exc. foi injectado corn elle.
conts nbo apenas corn u apoio, mas tarn- Mas, n'esse case, nao seria ncessario
bemrn corn a dedicaga e enthusiasm de sujeitar o bacillo-virgula bastaria ter o
seas correligionarios, nao serei eu o juiz, caldo no qual elle tivesse vivido, para vac-
6 S. Exc. Mas se a simple apoio, seja cinar contra o cholera.
enthusiasmo, falte Ihe este, subsistindo ape- E' o quo affirma o Dr. Ferran n'uma
nas aquelle, S. Exc. julgar-se-ha sempre carta qua envia ao Sr. Dr. Cameron, mem-
muito forte mantendo-se na posigco digna bro do parlamento inglez, e qua e elle se dig-
em quo tern sabido collocar-se, defendendo nou communicar-nos.
idWas qua sab proprias, que asito o results- Eis em primeiro lugar a carta do Dr.
do, comw confessou, dos seus estudos e Cameron, qua publicamos, por qua so refe-
cogitaoes de longs annos, e nao terA que re A questAo da vaccina cholerica:
receiar o juizo daquelles qua tenham deo
apreciar o sou procedimento. (Muito bemrn.) o Meu caro Sr. Ferran.-Enviei um es-
0 Sr. Saraiva(presidente do conselho): tudo sobre os 'seus trabalhos ao redactor
-JA tenho deelarado quo nesta questbo, em chefe da nossa revista a mais acredita-


FOLHETIN


IIINOI1 1111 ORBIA

POR


TWEKVUERA I'AITE


S(Continuaclao do n. 182)
xx
Oh! desculpe, Tonietta, disse viva-
mente Suzana,, qute tihia, ficado em p6,
corn a mbo no espaldair da cadeira em que
o pai estava seatado, desculpe, Tonietta,
ulo sabiamos.. .E' seu marido bu algum
dos. seas filhos quo esta doente ?
Doente I aisse uma voz surda, em-
quanto urma das cortinas da alcova afasta-
va-se bruscamente, diga antes morto! sinm
aorte, dos ps at6 A cintura ; mas o cora-
gSo ainda estia born, gracas a Deus, e se
deai -elte teeto ha infelicidade, ha
^h^bs tidade e coragem.
*ieu coronel e fallar alto,
ser intrwoaa
li quareuta e-aouean-s
mi An ^ A'&k>SAL --I'-


tar, disse Bordier d sobr'ohi-os cerrados e
em voz tremula de raiva. Explique-me,
em virtude de quo machinacao infame, de
que id6a infernal, voc@ quiz enganar essa
menina qqe ahi estA e que 16 minha f IUa i
Diga-me a que ordem obedeceu, quildo,
depois da morteo de sua mi, vocO entire
gou-lhe uota carta que, dirigida a ella, tor-
navays-se a mais cruel e a mais odiosa das
mentiras. E, primeiramente, confess que
nlo foi a Suzana que a mandaram entre-
gar.
Nao hbvia carts, senhor, nao havia
senlo urneia quantia em dinheiro, quantia
consideravel.
Digo-lhe quo havia urma carta, e essa
carts cahio como a more no coraglo de
minha filha.
Tonietta levantou-se pallida e olhou para
o coronel e para Suzana corn olhos cheios
de. sorpreza e de terror.
Como diz ? balbuciou ella, estA di-
zendo que havia... uma...
S- Urma carta que continha urma confis-
slo terrivel
E depois de a ter lido, disse Suza-
na, eu quiz renunciar tudo, o amor de meu
pai, o casamento, a sociedade... aim, for-
mei o project de entregar-me a Deus, ia
pedir ao claustro o repouso de ura more
antecipada.
Mas essa carts, interrompon Toniet-
ta em torn de anuciedade crescente, esa
cart& era dirgida a algue-... Qual o no-
un qeestavsscriptoea?... A quoin
50 -^^^6^ i 48008 dbttv e1Bat-s


|oneo cow

saute ; dopa 4,-g


o Iorp w medimo do Aleirs e da *r q jj
nomeada polo rei de Hespanha, 'adetco-
berta que acaba de fazer dove ser postal ao
lade da de Jenner.
YN'uma carts que V. dirigiu ao corre-
poudente dojoral oa Temp.faavs dfA fo.
lhas de estatiastica quo pablici periodic*-
mente,
Obsequiava.me muaito se tivesse a bon-
dde d de g eniiar asm folhas, quer today
a colleeglao, quer as mais recentes, paroeu
AS interpreter na revista: 6 precise que
elas estejam em meu poder de 18 a 19
do corrente, o mais trdar; se encontrar
algam document digno de interoesse pars
o public inglez, queira mander-m'o e eu
o incluirei no meu trabalho.
S Reiteiro, mene caro Sr. Ferran, os pro-
testes da minha profunda admiragAo pela
grande descoberta que julgo ter feiteo e a
minha viva sympathia per causa dos ob-
staculos estupidos corn que tern querido
destruir a obra benefica a que v. se con-
sagrou. Lamouto tambem o acolhimento
pouco equitativ e poucojusto que fizeram
As suis commnunicag3es em certas parties
do mundo scientifico.


is morrer, escrevea algumas palavras no
envelope.
N'ese. mommeato ouvire qsue oalguem 96
approximava e conhe amo os pa0sss...
Os sedus, o senior entrou e aao deixou mais
a senhora. E Ia spons teve temp. do
eaonder o enveloppe em baixo do traves-

Pels *60J Om o ;o fieher disse-ui, q"
R- :wo u o man 1 ;
Woo\" -40 46B^ :r ^ ii ep .^if no u


tmiroDios pain
maio rapid e


i puree ser
mais persis-


>'*

I


.'




Carlos Cameron.
Representante do Glasgow no parlamen-
to inglez.

Eis agora a resposta do Dr. Ferran:

a Meu caro college.
Madrid, 15 de julbo 1885.
Envio-lhc as estatisticas que me pede.
Devo-lhe annunciar quo depois do ter-
minar a rude campanha que ando a sus-
tentar, as estatisticas serlo feitas corn mais
pormenores corn respeito A idade, profis-
aso, sexo, estado social, et., etc., nenhum
destes dados faltam nas minhas notas para
poder fazer mais tarde urn trabalbo com-
plete. E' lamentavel ver o pouco interes-
se que a sua patria toma per urma questio
que V. 6 o primeiro a reconhecer tAo im-
portante.
A prophylaxia de urma tao terrivel epi-
demia pelo meio da vaccinageo 6 urn fac-
to adquirido, a ponto do cholera estar por
ella r3duzido a uma cdoenga commum das
menos morbidas.
Suppondo qu e na metade noo inocula-
da de urma popalagbo de 20:000 habitan-
teas a epidemia, n'um certo tempo, tenha
produzido 419 invasoes e 205 mortos,
n'outra metade reinoculada produziu, n'um
tempo geral, em individuos nas mesmas
condig5es, 59 invasoes e 6 mortos.
Sendo esta doenga causada por um en-
venenamento agudo produzido por um co-
gunmelo venenoso (o kama-bacills) a im-
munidade explica-se por um phenome-
no-de asuetude do organism pars este
verreno.
0 microbio inoculado nao so geqeralisa,
nem se reproduz no tecido cellular; por con-
segnints nao ha perigo algum em o empre-
gar para a vaccinacao. A aceoo da vac-
cina 6 devida A substancia active qae for-
ma no seou protoplasma os germens inocu-
lados.
Injectando o microbio, mesmo more,
produzem-se effeitos certos; sobre este
ponto tenho algnmas experieucias que mo
permittem acreditar que tornei pratico o
mais ideal dos problems em material de
prophilaxia: o problems das vaccinas.es
chimicas, quae tenho ha tanto tempo no es-
pirito.
Estando isto estabelecido para o micro-
bio do cholera, nao sera difficil estabele-
cel-o tambem para os outros microbios pa-
thogeneos, cuja substancia active serA de
tal natureza, quoe se no alterarA pelas
causes que ao capazes de destruir o pro-
*prio microbio. Por coaseguinte, separan-
de boa vontade; mas, por quem o6, diga a
verdade, a duvida mata-me Tenha pena
de mirm.
Pobre, querida menina, murmurou
tonietta em voz entrecortada, pobre e in-
nocente menina I Eu aento pude feril-a no
corageo, quando... Ah sim, por certo,
vou dizer tudo e, se soue culpada, julgue-
me, mas, pelo menos, a minha confissgo
lhe dara a paz da alma e o contentamento.
Ella recolheu-se um memento, apertou a
Aio compriaa e secca do marido e tornou
nestes terms :
Era noite, minha pobre ama tinha o
prosentimento de quo ngo a atravessaria.
Sentia-se suffocar, cada movimento quo
fazia causava-lhe dores horriveis no cora-
cao e trazia lhe sangue sos labios... Ella
disse-me : Sinto quo tudo estA acaba-
do... Tonietta, tu promettes cumprir a
minha ultima vontade, ngo 6 assim ?...
E 6u prometti.
Abre essa secretAria, disse-me ella...
#hi n'essa gaveta papeis... tiLulos... 6
tudo quanto possuo, tudo quanto me per-
tence... entrega isso a ella... a minha fi-
lha Emmelina. w
E dizendo isto ella fechou em um gran-
de envelope todos os titulos, todas as no-
tas do bunco... depois corn muita diffoul-
dade, penasudo eu a cads minute que ella


Na intoxicaglo qua chamamos o cholera,
do mesmo modo qua em outras intoxica-
9oes, a iutensidade dos phonomenos chi-
micos eata em relaglo corn o grAo de rece-
ptividade do individuo intoxicado e corn a
quantidade de veneno diffundido no orga-
nismo. 0 veneno cholerico estA em rela-
geo directs corn a quantidade do microbios
que sa reproduzem no intestine ; so esta
quantidade 6 assaz consideravel, o veneno
que ella produz ultrapasuarA rapidamente
os limited da resistencia maxima do indi-
viduo.
Supp:ndo que estes phenomenon sejam
de ordem puramente chimica, vejo-me
obrigado a admittir qua a substancia acti-
va tern sempre a mesma composito, e
que 6 dotada tambem de urma virulencia
e d'uma toxicidade sampre iguaes. Se os
resultados que ella produz differed entire
si, isso depend da differenga na quanti-
dade de veneno ou da desigual receptivida-
de do individuo.
As praticas de attenvagao empregadaa
at6 hoje roduzem-se a diminuir a vitalida-
de dos microbios nos meios vivos: dimi-.
nuir essa vitalidade equivale a limitar a
quantidade de cogumelos que so podem
iormar, e por conseguinte a limitar a quan-
tidade de veneno.
Foi partindo destes principios quo estu-
dei a attenuaglo dos virus e dos seus effei-
tos.
Chamo a sua attenugo para os quadros
estatisticos que Ihe envio ; note sobretudo
o quo so referee As cidades do Benifayo e
de Cheste ; verA quanto a minha vaccine
6 poderosa contra o cholera, visto quo de-
pois de ter vaccinado quasi qua a totalida-
de destas cidades, a epidemia parou brus-
eamente em cinco dias.
Nada Ihe contarei da mmha luta corn
gregos e troyannos; a luta 6 a lei fatal do
mundo e eu submetto-me resignado As suas
consequencias, corn a firmoe esperanga de
qua o meu triumph estA proximo.
Adeus, meu caro college.
Ferran. D
Come se v 6, a questio amplia-se. Nao
se tratajA s6mente da vaccina do cholera,
mas da vaccina de todas as epidemias cujo
microbio se conhece. At6 agora, para ex-
plicar a immunidade dada poelo virus-vac-
cinico, julgava-se geralmente quae ua mi-
crobio, moltiplicando-se no organismo, ti-
ravays aos nossos tecidos urma substancia pe-
culiar A especie do microbio, indispensa-
vel A sua vida. Emquanto esta substan-
cia nbo era nelle retormada, o individuo
tinha a immunidade contra o microbio da
mesa especie. Assim se esplicava a im-
munidade dada pelo primciro ataque con-
tra o segundo, n'uma epidemia, quahdo o
doente se punha born ; tinha soffrido urma
vaccine natural. Para vaccinar artificial-
monte contra uma doeaga, nao havia, pois,
se nbo diminuir assaz, a vitalidade do mi-
crobio especial desta doenga, afim de qua
elle tirasse ao organismo a substancia ne-
cessaria A sua vida, sem destruir os nossos
tecidos ; nno havia senuo attenuar o mi-
crobio e introduzil-o no organismo. Eis
a razio por que se reputava neeessaria
esta introducgbo do proprio microbio.
Pars o Dr. Ferran, nao 6 roubando ao
nosso organismo urna substancia que Ihe
pertence, quo os virus vaccinicos actual ;
6, pelo contrario, por trazerem urna subs-
tancia estranha, urn veneno creado polo
microbio.
Nao tomos mais do que verificar a ex-
actidbo da theoria do Dr. Ferran. E' fa-
cil applical-a A vacinacao do carbunculo,
A do cholera das gallinhas, etc., e verse s
verdadeira. So o medico hespanhol nao
se engana, ter-nos-ha dado bern mais do


liquid protector A vista do Sr. Brouardel,
cultival-o, manipulal-o, experimental-o nos


Ella escreveu isso ? disse o coronel.
Sim, ella escreveu isso ; eis porque
nbo consent que minha mulher destruisse
esse enveloppe...
Voc6 o conservou, Tonietta ? disse
Suzana.
E' a prova da sua honradez, minha
senhora; porque os seus filhbs passaram
privagces e fome e ella preferio condem-
nar-se ao trabalho mais aspero a aceitar
um soccorro que a tornava cumplice de
urna espoliago.
E essa proveys?... essa prova?...
Mulher, disse qguarda, o pedido, o
desespero d'essa menina devemrn desvane-
cer os teus escrulos; dA-lhe, pois, o que
ella pede.
Tonietta, entbo, dirigio se ao armario
normando collocado entire a cama o o fo-
glo, abrio esse armario e d'elle tirou uma
especie de saccola do soda desbotada polo
tempo. Abrio os cordoes e tiroun o enve-
loppe dobrado em quatro, quo dou a Su-
zana.
Esta o desdobrou corn mao tremula e
por elle correu os olhos.
Sim, aim, 6 a leton de minha mLi.
0 coronel leaon por cima do hombro da fi-
lha, n'esse enveloppe estava, corn effeito,
escripte, o qua o guard tinha dito.
Suzana langou-se nos bragos do pai,
corn o rosto inundado de lagrimas e pedin-
do.lhe perdbo.
Tonietta, disse o coronel, compre-
hendo o sentiment do delicadeza que at6
o ultimo moment, impedio-te de produzir
essa pva relativa a susana. E' urnam bornm
ventimento quae ride, sa minha opiWiLo,
muita cous s: mas, estA vendo que quasi
causou as maioe dOe4wp s. -
Jaro-l sw. horA our e aatodo entra-


iniples tour & d W*T 'Ue lati
boratorio.
MNs, por mais digno quoe ell seja da
nossa curibosidade, este aegredo no noee
dove fazer perder de vista os resultados
obtidos pela vaccinacgo choleriea.
Segundo documents e tomemos A vista,
e todos corn assignaturas do medicos, a
acgito preservativa das vaccinaacos estA
demonstrada.
Em Chest, as inoculagces estrangula-
ram rapidamente a epidemia. Em Boni-
fayo, depois da vaccinaglo da quasi totali-
dade dos habitantes, a epidemia parou
bruscamnente. Os resultados foram tao
claros, qua sondo as inoculaques novamen-
te estorvadas, o Sr. Camovas recebeu de
Sill a o seguinte telegramma :
SAo Sr. Canovaw, president do conse-
Iho de ministros.
A cidade de Silla, limitrofe de Beni-
fayo, enthusiast e invejosa dos resultados
mnaravilhosos das inoculaqeos do Dr. Fer-
ran, quo estrangularam a epidemia de Be
nifayo, suppca a vossa intervengio junto
ao ministry do interior, a fim de que per-
mitta a prophylaxia do cholera aflfc5es no
memento em qua estamnos em tantas em
presenga dos horrors da epiderpia rei-
nante.
Jos6 Minana e Rauon Tatay, medicos.
Casildo Gastaldo, pharmaceutico.
Jayme Marin, veterinario.
Antonio Bauscali, juiz municipal.
Santiago, Forner, Sirver, principles
contribuintes.
Vicento Catala, negociante.
Nao so p6de objectar pars Benefayo e
pars Cheste quo s6 as classes remediadas
foram vaccinadas, porque as inoculates
forarn feitas na popula9ao inteira.
Por outro lade, p6de-se deixar de ter
em comsiderafgo as estatisticas quo nos
s5o apresentadas ? EstAo assignadas per
medicos das proprias cidales em que sao
formadas; esses medicos sb numerosos;
corn quo direito poderia nos supper que
estAo de mA f6 e quo se combinaram para
nos enginar?
Se so tiverem em attengAo estas conside-
raq5es, entendemos qua so nao pode negar
que a vaccina do Dr. Ferran tern um effei-
to prophylatico incontestavel sobre o cho-
lera, Do resto, o Sr. Canovas del Castillo
parece aeguir corn interesse as experien-
cias do Dr. Ferran; 6 portanto para es-
perar quo as estatisticas sejam cada vez
mais numerosas e qua a questao poderA ser
definitivamente resolvida em curto prazo.

Ainda sobre esto assumpto, e a propo-
silo d'um artigo de um collaborador do
Figaro dando cents do qua se passara na
Academia das Sciencias do Paris, no dia
13 d6 julho, recebe aquelle journal a se-
guinte carts do Dr. Frederico Pcscoal de
Valencia.
Valenaia.-(Hespanha) 18 do julho do
1885.
Ao Sr. Em Nol, no Figaro.
Digna-se de permittir-mo quo recorra
ao senior para rectificar certas palavras
de Mr Bouley na Academia das Scion
cias? Come 6 muito grande o 6co das pa-
lavras deste sabio, e importantissimo o
assumpto de quo se trata, nao nos dove-
moes calar quando 6 mister collocar as cou-
sas no sou verdadeiro lngar, pois quo o
silencia poderia falsear a opinion Acerca d&
cousas sobre as quaes so dove iazer today
a luz possivel.
Segundo o seu artigo dc Figaso do 14
do corrente, parece que o Sr. Bouley, pre-
sidente da Academia das Sciencias de Pa-
ris, disse na sesseo de segunda-feira pas-
sada (13 de julho) depois de lids urna car-
ts do Dr. Ferran, estas palavras:
0 Dr. Ferran devia tor fornecido as
suas provas A missao enviada polo minis-
tro do commercio. Consistiam em fazer o


3, praga de Tetuan, Valenuia. D


da. Quem sabe se, per esse erro doloroso,
mas passageiro, a Providencia quiz des-
viar o golpe funesto quo essa carts devia
dosfechar sobre urea cabeca innocent.
Sim, men pai. para Ernmelina teria
side um Rolpe mortal. E jA que teve essa
id6a, permitta que Ihe pega urma graca.
Em presenua d'esses dous coracges hon-
rados, unicos confidentesdos nossos amar-
gosres e corn cuja discriglo sabemos agora
que podemos contar, consinta em dar A po-
bre fallecida a prova do sea perdlo e do
esquecimento corn quo quer cobrir para
sempre o passado. Eis aqsi a carts, a con-
fisslo de minha mai. Permitta que a fa-
ga desapparecer para sempre.
Sim, assim seja, Suzana, para quo
desappareca ao mesmo ten1po do meu co-
ragae tudo quo ainda pode afastar-me do
Eminmelina. Assim seja pars qua nada me
impega de amnal-a..
SSusana tornou a carts, beijou-a apaixo-
nadamente e approximaundo-so do fogo quae
ardia no fogaroiro, langou As chamaws tu-
do"nanto podia aocusar a |i.-: Pot trash
d'elia urma mao adiantou-soe e a o mesmo
tempo qua so consumia acarta, o fogo tam-
bemrn devorou o enveloppe em que estavam
escriptos o nome de Emmelina e a daR.-
gbo feita a Tonietta. Suzana voltou-se *
vio o coronel dissimulando mal a aiia emo-
91o e ten ito na sua me r da digna o_-
Iher 4ue tinha compl*tado o sen sacifi-
cio. I I
N'easse moment che.w A portsa am me-
nino i oito a des anaps de idade. Cor.
reu pars a mai, bsaijou-a, depois foi ao Iei-
to do p siobre o qual parecenu querer s an-
bir, quado guards, dine-lhe :
EatSo, Luisinho, nao vs que Ia gen-
toim?
o meniso voltou-seovio 0-
Alha e totlnw,0o8a


iudo quanto so passou antre a coumissao .
o Sr. Ferran.
Tudo quanto o Sr. Bouley diz que a
Sr. Ferran devia ter felt perante a con-.
missto, offereceu-se del pazra o fazer, e ez
mais ainda: propoz-se a aceita- o liquido
feito, manipulado polo Sr Brouardel e fa-
zer a experieneia nos individuos corn esse
liquid; deste mode tornava totaluoente
impossivel today a suspeita de mystifica-
9go.
Fica pois, claro quo nae foi o Dr. For-
ran quem so recusou a opera ante, acorn-
missAo, mas antes pelo contrario: foi a
commissdo que se recusou a ver operar o
Sr. Ferran, teimando em querer .saber
primeiro que tudo hie et nunc o segredo(!D
da attenuag1o; actualmente, toda a gene
sabe quo nao existed tal segredo desde 21
de margo ultimo; ema todo o caso, a sua
revelagao nada podia provar, nem a favor
nem contra a immunidade dada pela vac-
cina Ferran, sem exarne detido econscien-
cioso dos factos, dos rcsultados obtidos.
A commissao demonstrou quae no ligava
nenhuma iu.portancia a estes ultimos, urma
vez que ezn estudar os factos conhecidos
e os resultados jA oOtidos, e sem querer
examiner os quo se poderiam obter na sua
presenga, partio ap6s tres dias, unica-
mente, de estada aqui.
Repito mais urna vez quo o Sr. Ferran
nada recusou, except a revelagao do pro-
cesso de attenuagao, quo nao era positiva-
monte necessaria para estudar as experien-
cias da vaccina Ferran; e que, no fim de
contas, doevia ser conhecido dos senhores
da commissa-o, pela nuts c(nviada A A-a-
demia.
Quanto is razocs de Mr. Ferran pars
assim proceder, nao as discutirei; centento-
me corn assentar a verdade dos tactos oc-
corridos, e que, nas palavras do Sr. Boan-
Icy apparecem desfigurados.
Terminando, permittir-me-hei apresen-
tar aos leitores do Figaro urma observagao.
0 decreto de 17 de junho ultimo, qua no-
meau a missao Brouardel, conferia A dita
commissa'o o mandate do ir estudar em
Hespanha as experiencias de vsaccina anti-
cholerica feitas pelo Dr. Ferran.
Ora, para quemn sabe ler, e nao quor, do
proposito, forgar o sentido das palavras,
torna so perfeitamente claro qua esta phra-
se-experiencias feitas indica perfeita-
monte qua o terreno de pura experiencia
estava designado Aqueiles sabios polo soen
mandante. Mas os mandataries entende-
ram-n'o d'outro mode. e em vez de estu-
darem as experiencias feitas, isto 6, as
cousas praticadas, executadas, quizeram
estudar o system, o qua estava completa-
moneute fora das suas attribuig5es e at6 fora
das attribuig5es do ministry, cuja autori-
dade ainda nbo chega at6 aquelle lado dos
Pyreneus 0 miniatro pode, por eonse-
quencia, come today a gene, mandar estu-
dar em Hespanha, oa em outra parte qual-
quer, o qu e 6 do dominie public; mas,
corn toda a certeza, nao pode ter a pro-
tengao de se intrometter despoticamente nos
negocios particulares dos estrangeiros, que
vivem fora de Franca.
Rogo-lhe, senhor, quo faga inserir a mi-
nha carts no Figaro (depois do a corrigir,
porque escrevo u'uma lingua quo nao 6
a minha); e pars isso conto coan os senti-
mentos quo devem animar todo o jornalis-
ta conscieouioeO, urna voz quo a grande
obra da imprensa 6 votar-se 4 nobro mis-
sao de espalhar em ondas a luz sobre as
quest~es de interesse geral, obstando as-
sim a quo as pequenas miserias, os interes-
ses individuaes, ou cs eros involuhnarios,
venham obscurecel-as.
Quoira aceitar, senhor, corn todos os
meus agradecimentos, a expressbo dc today
a minha esti na.
Frederico Pascual.


i






!?' l


2-





V


- 4


7


|


e em vez de dar A bastarda a heranga,
dAl-a A filha legitima... Sim, fiz isso e ve-
jo hoje quanto sou culpada e o confesso a
seus p6s... Sim, eu, peccadora, quiz to-
mar o lugar de Deus, e Dens punio-me.
Quando voltei para o quarto da minha
ama ella jA nao fallava, e tinha na mao
urn lengo corn quo enxugava o suor quo
Ihe cahia da fronte... Mas aproveitou o
moment em qu o asenhor foi ao encontro
do padre que chegava, ella tirou o enve-
loppe debaixo do travesseiro, embrulhou-o
no lengo em'o entregou As escondidas....
Talvez quizesse me fallar, mas o padre en-
trou.... Comoa sabe, ella expiroq sob os san-
toe oleas.
Entbo, voc6 quo fez? perguntou Su.
zana corn os olhos ardentes fitoes em To-
nietta.
Tirei o envelope, que era a uuica
cousa que provava a quern era destinada
essa fortune, e m vez de ir ao quarto da
sua irma, em vez de cumprir o dosejo da
m iribunda, fui direito A senhora, ejulgan-
do obedecer a Deus, quando obedecia ape-
nas a mini mesmo, e entreguei-lhe as notas
e os titulos, qua eu queria quo foseem seus,
dizendo :
Eis aqui quo ue sua mai, moribunda,
ordenou-me quo ihe e nue.
S- E o qae prova q" issia 6 verdade,
exclamou a menin corn um gesto de &e-
aspero.
En provarei, diese a doente, seo-
tando-e na sua cama.
-0 senior come ? Digs, diga de.
resa. ..




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3QIRYC45_T51ASY INGEST_TIME 2014-05-03T21:57:24Z PACKAGE AA00011611_14305
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES