Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14225


This item is only available as the following downloads:


Full Text









. ................ .. .. .W. .
.~ w .' 2WO;O]^


. .-. ,.- ,- -32


:1 ** ^^l^ BBBBlH K
".-0r,8 "! :>" "- -*..^' ." iW iBpl
*' .te '' )'*-'^ i'1 .t 'f r- ', -
.IR 1481. r.
.r.' .i. f..t b ..
per, iW. ao, ...


- -' I -
..t,,.. .*
-J -
-
.


o.j
r .'-


_____ PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA & FILHOS

TDT, E IAMMA Ccoiputada a .populacio segundo a base do siqSes da legislalo vigente, coin as altera- Sd e4 armas estiverui occultas: s0o da pruxima legislature; e, dpo's de ap- do Seu
1 LE R Ni art. 20 do decreto legislative n. 2,675 de 20 de I cOs fit;as n,-.ta lei. Pedsi dobradj. provadj, conaiderar-ae-hau rdvogadaa as leis ribe Cu
__ o,, utubro de 1815.. I. Quando se tiver deixado de proceder d.0 Vi'olar de qualqLar manira o o scruti- e disposig6s aairiurds rdat1vas a eleic6,---A'
Ill. Para cabega de cada district eleitoral 6 .oleicao em parochias, diStrictus de paz ou n.u, ramsgar, opanjtai.p livroaa eR .ad/sisfla-, cessando desde que for pabliciuo esso traba- denave
SE~l~fTn flA ~fWPTABATTAS seam desiguado o lugar mais central e im- IseecOdes, dcujo numero de eleiturtis excedier a' tio a i pbsso da oeldn;&iCj;;lo trbia oudd ogvroOixu
nS a0 o portante delle. metade ds de todo o muianicipio, ou quaado Pens: prison corn trabaho per um a trees art. 120 da lei 3S de 19 de agnt) de V. S ,
IV. Na divisao dos districts eleitoraes sd nas eleicoes annulladas houver c6ncorrid, annowe multa de 1:000$ a 3 u00$000.,aldin das 18i4. 18nea
elo co ub in) sdrao conteainpladas as parochias e manici- mator nu*mero de eleitores do que nas julga- peas que incorrer por outros crimes. Art. 37. Ficam revugadas as disposid'- tara L
pios creados ate 31 de dezembro de 18"9. das validas. ficar&to seam effdlto as das outras 9.0 Occultar, extraviar ou aubtrahir al- em contrario. para 0
DUBLIN, 27 de janeiro. Para todos os effeitos eleitoraeaate ao novo parochial, districtos do paz' e seccsoa, e se gurm o titulo de eleitor : 0 Barao Home.n ie Mdllo, d, Mu Cuse afire de
U N '2 de j ro arrolamento da populatio geral -do imperio procederi a nova el.-icao geral no minunicipio. Penas: prnsao por umn a saeis mezes e inulta Iho, Ministro e Seeretaru de Estado dos Ne- tanted
Em consequence a de um i desacordo subsistiro inalteraveis 8s circumscripc.es pa- Em nenhuin outro caso se fari nova eleicao deo 1008 a 300000. I goCis do Imperio, ass.m o tj.lia entdido e -Coau
Eri onsequncila de u esac ro ohiaos e mu'nioipaeseooltopladas nu divi- geral. 1 10. Dmiar a wesa eleit'jiral da reoeber o. taa executar. Palact do Io de Janeio er sideo.
que se deu no tribunal, o jury adiou sao doadistricto elieitoraes feita em virtude 2.0 Na cOrte, nas capitals das provincias voto do eleitor que se apresentar corn ores- 9 dejaneiro de 1881, O0. da Indeporenc.ia e An
o process Parnell, que estava send desta lei, nio obstante q'uaiquer altoraceo re- e nas deimais cidadas og Vbreadores s6 pode pectivo titulu do rImperio. de Flor
Inslaurado desde 31 de deembhro. sulirante dd creaqio. extincao ou subdivIsao rao ser reeleitos quatro annos dqpois de fin- Penas: priva(ta'1 do voto active e passive Coi a rubrica de o.M. o Impbrador. sidento
instaurado desde 31 de dezenibro. de parochias e inunicipios. dar o quatriennio em que servirem. por dqus a quatro annos e multa de 400S a... arira u o .M. o ldo. do ulicn
Aiuda se nao sabe a Apoca eni que 2.0 A division dos distriotos eleitoraes. 3.o No dkso de more, escusa o-u mudan- l:2 0000i. Cha.cellaria-mdr do Imperio. arrol ,aicardo
totta do coaforinidade corn o paragrapho pre- a1 a de dmiciii ) de algum.vereador priceder- 1I. Reunir-se a mesa eleitoral ou a junta Pinto de Souza Denlus. exercaci
esse proeesso vollara ao tribunal, e celente, sera.potar provisoriamnente em exe- se-hlia a eleicao para prehlienchiinento da vaga. apuradora f6ra do lugar designado para a Trausitou erm 1' de janoiro de 1SI1.- Jose cowarc
uno r ah evsso atseecoo puriciio: el aCnaFy~i-d urr eu-iui
nao 6 possivel prefer, desde ja, qual cixao ate a definitiva approvacgio do poder 4. Quando. e razo de vagas ou faltas eleico ou apur o: Bent da Cn Figeiredo Juir. munic
Sega. islatwo, ni&opodbndo o governor alteral-a de comparecimento, nfio puderem reunir-se Pnas : prison por seis a dezoito mezes e trado. thesour
sera ella. depois de sua publicacao. vereadores em nuinero necessario para cele. multL de 50CW a l:5)008Ou. Publicad, na Secretara do Esiado dos Ne- lfr
SQ 3.0 Cada district eleger umn deputado braremas sess6es, serao cliamados para pro- 1Z. Alterarem o president e o membros gocios do Imporio em l0 de janetiu ,o 1881.- Accus
Agencia Havas, eim Pernalmbu'co, 28 de a assemblageral o u nunero de aitmbros fazerom a maioria dos meinbros da camara da mesa electoral ou junta apuradora o dia e 0 director da 1. aiirectora, .Icawcl Jsuino supplen
janeiro de 1881. da assemb'l6a legislative provincial marcado osprecisos iminediato emin votos aos verea- a hora da eleicao, ou induzirem por outro Ferreira. ta. de 1:
no atrt. I. l. do decreto n. 842 de 19 de se- dores. Se, no caso da ulti'ma parts do 3 do ( qualquer rmesi, os eleitores em erro a este na mes
______ tembro deo 1855. art. 18. se houver procedido a duws eilecOes respeito: Governo da provincial do cargo
Quanto as provincias de Santa Catharina, para vereadores, aquelles immdiatos serao Penas: privacao do direito do voto active, quida
** ~ h *MM- I *Parana, Espirto Santo e Ainazonas, que taom osda primaira eleicao. o'0 passive por quatro a oilo annus e malta AiNto D o 9 iO
flICQ ,drA ICVLAe Z S*Je set divididas em dous districts. elegera S6 poderAo ser chfiamados,rcm takes casos, o de 50Nil a 1:50l.0500-0 A ptsiENT 1 Ea nD ,casp
cada uma d'ellas 22 membros, cabendo 11 por imnmediatos em votos aos vereadores, atd nu- 13. Fazer part oru coneorreo parr a forma- -- presidents da provincia resolve n AC wu
(Pelo telegraph terrestre) itt, ero iual aodos vereadres de qu a cams- do de mesa eleitral ou do junta apradora nio Joaq u .do Barros Sbrnho ernesto rta d
(Pl eerpotretr)0tonio oq( eBro grnh tnsor.,a
Art. 18. 0 juiz do direito quo exercerju- ra se computer. ilegitiunas: Flician a Silva Tavare i d prant me
risdiceao na cidade ou villa designada pelo 5. As camaras municipaen continuaralo a Peonas : privacRao do vot) active e passive. a a prcid no a, s onae d s na d
RIO DE JANEIRO, 28 de janeiro, As 4 governor para cabeca do district eloitoral, compor-se do minesiao numnero dc vereadores por quatro a oito annos e multa de 300S a.... arinseirr n ao
hons e 10 minutes da tarde. (Recebido ou, em caso doefalta, o seu substitute formsa- marcalo na legislacio vigente, cmrn excepeao 1:10050 0. 8 t fevr iro o 18t do menr etomno 1 ndspect
do em direito ou inalmente, na falta d'este das seguintes quo tero : a do municipio da 14. Deixar de comparecer. sen catusa par- Amazod s v iraso ad q mie nr e ei Li- Accut
is 5 horas e 40 minulos). ultimo, ojuiz de direito da comarca math vi- c6ite 21 membros; as das capitaes das 1,ri- ticipada, para a formaio ',la mesa eleitoral, mittidos no olionasal c redono ee- d- c
sinha compora corn os presidents das mesa vinciasda Bahia e Pernambuco 17; as das ca- conform determine o 10 do att. 15 :to n. 6,40 do ne8 do ezmbror lfo 6.-I.ual3 o ca
0 camblo continuia a baixar. eleitoraes urma junta por elle presidida, a pitaes das do Para. Maranhio, CGari. Rio tie Penas: Privaco do voto active e passive desagnando os professores publios Joao Lan- erj
As e d bo qual fara a apuracao geral dos votos das di Janeiro, Minas-Geraes, S. Paulo e.S. Pedro por dous a quatro annos e multa de 200 a... lnir nra
As transacCes de hole fora rea- versas eleicoes do mesmo district para de- do Rio Grande 4do Sul 13 ; e as das capitals 6)1 000. daslvajuvo e Bejami Eresto ere na qu
,lisadas: a 22 1 8 d. por 16000. do ban- putado a Pssemblea geral oa membros das d-as demais provincias 11. Se por ests falta neo se poder former ra da Silva, parr examinarom o mesmo me- eao ic
e a 22 16 d., dos particulares. assembleas legislativas provinciaes. Cada uma das mesmas cameras tera um pro- mesa : nor.-o u o o onadose
CO, e 22 5 16 d., dos particulars. esta apuraclo se procedera pelas authen- sidente e um vice-presidente, os quaes sergo Penas : privacao do voto active e passive no-0-Coesadnteouasp aos omeados suppler
Sticks das actas d'aquellas eleicos, dentro do elhitos annualmente, na 1' sessao, pelos ve- por quatro a oito annos e malta de 400S a.. qu Oepresdentso dirco nrno vioa a o Ourcur
"__ --__ __-- prmo de 20 dias. contados do em que elias readores d'entre si. : 1:2.)000. aue r at i o ,o ore nienJo
ARTE O FICIAL setiverem laito, precedendo annuncio por 6. As cameras nao poderao funccionar 15. 0 president da provincial. que, por t. r r o(on
_______ _I_ editues e aviso aos ditos presidentes corn de- sern a presence da maioria de seus membros. detnora na expodicao das ordens, ddr causa a resolve nomear NapolIoo Olympo Prates,
Minister-o- oi-peri .... clHracfio do dia, hora a lusar da reuniio. Ao vereadori que faltar a sessao, sem moti so nf&o concluircm'em tempo as eleices : escrevente al aa primeira clause do memo arse Commu
Ministerio do imperio Pars que a junta apuradora possa funecio- vo justificado. sera imposta a inulta de 10S Penas : suspensao do emprego par seis me amanuenso da rospctava socretaria. de faze
DirTr N. 3.029 D~ nar e necessary a presence, pelo menos, de nas cidades e de 58 nas villas. zes um anno. amuei s o specta s oaa o
DE81RETO N 3.029 D quatro presidents de assembieas eleitoraes. Art. 23. A eleicao dos juizes de paz conti- 16. A omissio ou negligencia dos promo- tnazo-ed eo inrptori. da thesouraa de
18a1 Na falta d'estes. serato chamados pela ordem nuard a fazer-se pelo modo determiinado na tores publicos no cumprimento das obriga- ra recor nterno o arsenal e corr
Reforma a lejislaviio electoral de sua votacio os juizes de paz da parochia legislacdo vigente, corn as alteracOes feitas coel, que Ihes s'o impostas por esta lei, sera gueirra. data en
DA EEIC.AUDE, SENAI JR-ES ou do dastracto, onde funecionar a junta. Se nesta lei. pauida corn suspeneio do emprego por urnm a -Of eidio ts ra motor
aDA ELEAU DE nda estea ie oonpareceremn, recorrer-se-ha A apuracLo dos votos seri feita pela cams- tree annos e multa de 300S a 1:000$000. a rEs d pincisod L e ara se ao in
LConclusao/ aos juzes de pa da parochia. ou do district ra municipal respective, quando a parochia a 1. AS disposiqoes dos arts. 56 e 57 do co- hote reb r d a ad AC
Art. 16. A eleicgo do senador continue a main visioho ou o district de paz estiver dividido em sec- digo criminal sio applicaveis aos multados dhrido aes idnocira armada
ser feita por provincia, mas sempre em list Na apurato-a junta so limitara a sommar coes. qmw nao tiveremn meios ou nAo quizerem sa- d Cr o a nc a aras Vista,
triplice, ainda quando tenham de ser preen- os votos asacionados nas differences authen- Art. 24. As funcoes de vereador ade juiz tiafazer as multas. -ofprid eneratom dsnto dadb commu
chides dousou inaislugares: nesta hypothese ticas, attendendoao6mente is das e!eicoes fei- do paz sfio incomplativeis corn as de empregos Art. 3 1. No process e julgamento dos ri- Defedo inoantaria Jet Mr sFor eia exercica
procoder-se-ha A segunda eleicio logo depois tas perante mesa organisadas pela f6rma de- publicos retribuidos ; e nao podem 'ser accu- mes previstos no artigo antecedent, ainda talhiS V i Efx. no tmos da su irnforma inspect
da escolba de senador emn virtude da primei- terminada nos 7.0 a It do art. 15, proce- m-ladas corn as de senador, deputado at as- ijUando commettidos por pessoas quanko sio g d orrt a concerhe
ra, e assam por diante. dendo no mais como disp~e a legislacfo vi- semblea geral e membro da assembled legis- empregados publics, se observario as dispo- vito' .ds do lic pr irrt, s torno do SeSPAC
I. 0 govorno, na c6rte e provincia do Rio gentle. Os eleitores presents, que quizerem, lativa provincial, durante as respectivas ses- migoe do art. 25. 1e o5 da lei n. 261 de 3 de Thome die n do midn a ir sa her as
de Janeiro, e os presidentes has outras pro- assignarao a acts da apurac&o. sOes. dezembro de 1841 o respective" regulaoen- Tme afi de coduzir sua mulher par
vincias dosignarao dia pars a eleicio, deven- 1.0 Na cidade, onde houver mais de um Art. 25. Feita a primeira eloicio de depu- too. A inspcr di thesouraria de fazenda Antom
do proceder-se a esta dentro do prazuo de tres juiz de direito, sera president da junta apu. tados a assemblda geril pelo modo estabele- 1. Nustes processes observar-se-lha o dis- Communico a V S. par os fins conve brigade
mezes. radora o mais antigo, tendo preferencia o de cido nesta lei, proceder-se-hba tambem a elei- poto nos arts. 98 e 100 da lei de 3da dezem- nientes u no requormmneto dJo dea d tender
Este prazo sera contado : mais idade quando ffr igual a antiguidade ; cao das camaras municipaes e dos juiz de paz bro do 1841, quanto ao pagamnento de custas Cvaia q ad s vio
No casu de more do senator, do dia em que e, aegundo a mesma reopgra, serao sabstituidos em todo o imperio no primeiro dia util do e s slloa. e nao serso retardados pela super Canfrmvalo d dan do o a. 22 pro Angel
na corte o governor, e nas provincias o presi- uns pelos outros no caso de falta'ou impedi- mez de julhe. qua se seguir, comecaindo a veniencia de ferias. .farn ie nt s o .n", brigade
dente, tiver conhecimento certo da vaga, ou mento. correr o quatriennio no uia 7 de janefro sub- A$ primeiras certidOes serao passadas gra- njo seguinteeam pach i Df dOnna r Alexa
em quo receberern cormmuuicacio desta, feita No municipio ern quar, nos termos do 1.0 sequence. tuitkbente: supplianeja ard oieu a
ao governor :pelo presidents do senado, ou a o I. I do artigo ante.dmt haouver dous ou Art. 26. Quando algama villa f6r elevadri a '* Aos prouOtores publicos das respe ue a so referee. pela collectoria geral de Gamee- Fre'
president da respective provincial pelo go- mais districts eleitoraes, .-gir-se-ha prs a categoria de cidade, a respective camera mu- tivas6nMr= 4WU das-l odaa as d ei-r Comp
verno ou pelo president do senado. Eatas presidenciade cadajunta apuradora a regra cipal contminuarA a funecienar corn o numero soes proferidas pelas autoridades competentes A-N- trorwosa intro d istenra d cogteir
communicacees serao dirigidas pelo correio acima estabelecida, correapondendo a anti- de vereadores, que tiver, ate a posse dos que afim de promoverem a rlsponsabilidade dos ra.N tro ria initr thesour
sob registry. guidade do juizde direito ao numero dos dis- fnrem nomeados na eleie1o geral para o qua- funccionarios que nella houverem incorrido guerran dfon0do 'rrnte a tri Vmc a m
No caso de augmrento do numero de sena- trictos eleitoraes,-de mode que o mais antigo triennio siguinte. ou requererem o que f6r de direito. da proving da Parabba o fardmento cons- costeira
does. do dia da publicacao da respective lei sirva no 1.0, o immediate no 2.', e assimrn por Art. 27. A disposicio da ultima parte do Art. 31. Setno u usltadus addninistrativa-bp thes
na cOrte ou na provincia a que se referir. diante. n. IV do 1.' do art.: 1 plo impede a eleiho mente quando deixarem d3 cumprir quaes- tant nc nss Jusiz(
LI. Cada eleitor votara em tres nomes, cons- 2. Nfio se considerar eleito deputado a de cameras ejuizes do pai nos munictli)s. quer das obrigaSes que Thes slo impostas: ultio ai a n p doqAmt
tituindo a list triplice os tres cidadgos que assemblas geral o cidadho que nio reanir a parochias e districts do paz. quae forem nova-- I.o Pelo ministro do imperio na c6rte e mest general, par pagameto doei doA
maior numero e4o votos obtiverem. maioria dos votos dos eleitores, que concorre- mente creados, corn tanto que o sejam dentro pelo president nas provincial: mentors do annoproximo pasado, e ajust de reio do
1.o A apuracSio geral das authenticas das remi a esino. dos litmites mareados paraos districts eleito- I. Osjuizerde direfto eas cameras miuniei- contas do d 89.-Cmuncou-s aoins- dencir
assembleas eleitoraes e a formaCno da list N'este caso e president da junta expedira races. paes, funcionande omo apuradores de actas ptor da thsouraria do fazenda. Dr. J
triplice serao feitas pela camera municipal os necessaries avises para se proceder a nova Art. 28. 0 juiz de direito da comarca conti- de assembles eleitoraes: na quantia de 100$ Ao inspector da thesouro provincial.- tar da tI
da carte, quanto an eleices desta e da provin- eleicao vinte dias depois da apurasao goral. nmisa aser funccionario competent parr co- a 3005 us primniios, f.de 505 a 2008 erda ye- Tendooa juiz do direito iitni0: 4a, cutarca Jose I
cia do Rio de Jaoeiro, e pelas camaras das Na segunda eleicao, pars a qual servirio nhecer da valhdade ou nullidade, nao s6 da reader. offiBiojo, 2 ctemunicmd ustimoprterdeia e anteo
capitals dasoutras provincias, quanto as elei- nsasnembleas eleitoraes as mesmas imesas da eleicflo de vereadores e juizes de paz, mas II. Os fwnccioeariosne empregados pubricos do irovisodea24 nto dr reearosdabi- ed
c~es destas. primeira. so poderlo ser votados os dous ci- tambem da apuracao dos votos, decidindo to- que deixarem do prestar as informaoes-exi- resop vaisaoteiaent astora s do paros da ndo d
Aestes aetas se procedera dentro do prazo dadios que n'esta tiverem obtido maior nu- das as quest~es concernentes a estes assum- pidas lara o alistamento dos eleitores: na repctira cdon r etoomfntos do aeofr, lidsade d
deo60 das, contados do em que se houver feito mero de votes, sendo sufficiente para eleger ptos, pela form que dispoe a legisla91o vi- quantia do 105a 2005. to so portte do corpe da guards, o'cober- galonti
a eleicao. o deputado a maioria dos votos, que form gente. 2.0 Poeli jizes do direito : ta da guarita. quo sendo do teiha dera inferior
I. Dvevem iaters r sos referidos actos ainda apurado b l.o Nas comarcas que tiverem mais de um I. A mesa eleitoraso: ns quantia do snor do zinco 'nests data deelaro so mosm0 Cionada
os vereadores que se nios acharem em exerci- b 3.s Na eleicao dos membros das assem- juiz de direito competirlo essas attribuices a 500. repartidament pelos nn mebros.j d o d o
sio ou estiverem suspense s pi r actor do go- blars legislation provmnciaes caoa eleitor vo- ao juiz de direito do 1o district criminal, e, II. Os presldentondad mesa e Litoraso jUiprentadaples ropartieia dan, obrasa ipuqblics datndo
vemod ou per pronuncia em crime de respon- tar em um-adonome t na sua falta, aos que deverem substituil-o. nous substitutos, chamados pare apura91o do eu 12 do corronte, so coutiatante cumpre du- 'aa as C
sabIlidade. N a a e a m Serno eomidrados eleitos os cidadmos que 2.. Das decisoes do j uiz de direito sobre actas doaaasemblas eneitoraes, quo 10io eom- rapto.o prao- do r eabilidade prcder Joann
II. Na apuraeao a amaramunicipa se limj. retonirem votado igual, pete mnens, an quo- as eleicses de wreadores e juizes de paz, em paresem sre ~mot^outf^ ao:n q ran-eseerio^ ^ ^ nawed dt otat.-o-m o, 8
tar a sore mar on votos mencionados nas dif- ciente eleitora1, camulado sobre o nammero, conformidade destc artigo, iaverareenrd o pa-, tareem s oradn amt s s q uniceuoao dem diuite eTao onb ona. WOneo
feremtes authenticas. attendendo s6mente As total dos eleitorenque ooncorrerem a elei91o. ra a relacao do disteicto" Orecurso seraft- tia Os t5bei2es inembidosdstoMcrip nomu-ante da reurio itoas- gas bic
das eleicees feitas perante mesa organisadas Se algum ou alguns don cidadioos nao ream gado, no prazo de 30 dits, por rod- os seo s caiodeintabdeeapUraieo don votos.: Datquacp rooajudantedarada raspubl in.apect(
poel fdrrna determinlada no-, 7' a 11 do rem squalls -vota~bo, procodor-se-ha, quanto membros prosenten. tia de 505 a1l005. 11 ba pulc.-- vn~cmltd a r
Irt. Fid it pr1o. s sraau ao 80 ugares~nlao pr-eonchidos. it news eleicbo PARTS PENAL 3.o Polas mesas oleitorans :. l~n ulc a reusa rg a at
.Fa o, ra m la fdrma disposts no paragraph antece- it i
acta, na qual so mencionar8 o os homes dos dante obneraadoae tanbem, quanta so au- Art. 29. Aldmdos crimes contra o Ilire go- I. Ommerbros destas-que oa cornrnead- CC)III ., ol- en:.ectampm,doBSeeados 16 auz Secret
cidadios eo anurnoro do votos que obtiverem moro don nomosumobre os quses doss rocahir zo a exercicio dondireitos politicos do cids- rein; sunentanom-so ou-d.~x~arne d~e-sigi13r torinadon polo 52 do art. 1 da 'Iol n. 1,499, 28dea
pars senador, deade a maxima ate so mini- a nova eleiebo, a~rograeostabebocida no muesmo cdi, mecrioinado, oser- atam.a 100o11siderto %50 ac.ts -se ...t ...o jut.cd ..... qu--sti rtta,.osa autrs-'zc iapttr emjesstn, d5Cruf las
nr, ram~errencmas oue se derarn durante ...,,o oiociial ebtmencosdrdsk-___ mens2vadmatav~adCu a


os trabalhos -da a-apragio ; -e as represent s 1 %v",-s c nyc,,p raa,-is
coses que, por escripto e assignadas por qual- Art. 19. Coneluida definitivamente a eleis crimes os deflnidos nos piragraphos seguin- 1n ,aos COna -l p q' il*maspar arm. iuamnflciont.m n troe pans
cidado eeivesampe stso e transcript no livro de notas de um dol- tes e punidos com as penas nelle estabeleci 910da smas mesasqaetoit. o compare ai daignad ultimate, u no tim da
quer cidadIdaelegivelm sejaom presents a ca-rm :ou ue, eando corareais io assig-,na
marn municipal, relatives a mesma apurato. oelliea jdo urt a acta da apuracdo gera- 1.0 Apresentar-se algum individuo com aI .act&' O itquati$adoa deud a ua dPirumn aodoestradaoo sci -ad
IV. DeSta acts, depois do devidamente los votos, a junta apuradora expedira diplo- titulo eleitorsi do autrom votando ou proton- III.Osoncrivbos-do pa: oud ^osubdoeg acs fetro do esrodo pars.con o di |ca
TV. Desta-sts. depois de devidamente as msiit-londo do w u de iaqd 0 im is
signadaa a camara municipal remetter--uma massosn eleiton-deputadan ia assemblasngeral ,dondot votar: de policia, chamados pare .qualqjier 0v taern ociA do 11 do oornentA, sob a. 4--
PeIna:S ^ ^ S ~ g^ riJ0 i, de um, a nove mee ut e m vitd dest lei:^ na-.^uantia^ de50M Ci
c6pia auth ontscapr omnistrdesecret rio deoPemas: p i o do urn a n ave m azes e m u ta C100ni ao in pecr .
estado dos negocios do imperio, acompanhan- civil, redrettendo anctpias authentican da do 100$ a 3008000. 1005000.
do a list triplice, assignada pela mosma dca-Nas mesmas penas incorrera o eleitor quo -4o Da imposi91o das,-a-uliosadministra-
mar, para r preseri na csrto, an president as imoi-, actersposn st a pron -
otr&, pi da mese aacta nresidonto sis, e A camara dosdeputados-on i. asnIA concorrer parersra frauds, fo nocondo a sea tivan cabs recurso na c6rteo.pave o govorno, a Ao An sio.--Deferindo o. r oementa de dete
- tutra 6 p m es m.rnn rao ioi aid o nr r oasres ar nt edou!b a c h a r el J o a q u i r n nlv i o d epq ra e e C a n- A n te- I
do ne n~ o; ooutra so pie t a os o t b ~ eislativa. provincial, confo nme f-r .tjt2o..- An r v n is- p lars a es udeate. Mo
ada e legiltia pro in r cialo oart. 90 sa l 2. Vearlo eleitor per. mais d urea za farao part da renda municipal do termo em do 11 do corrente, sob n. 5, reeommendo-lhe dos do t
po deo;e outaa rsiet dorsei loicbo, ficando revogado o art. 90 dia lei a. 2..oa lio armi oun o a Art. 32. As-muLtas: entabeiocidas u~sts Iei va~ho,.a quo ma refers a infovmaclo do V-mo. tonin do
va provincia.ro pderes a qu po- 387 ie 19 de agosto de 1846. mesma eleio, aproveitande-se do alistamen-. f reda renda multadn c seroo bra- qo mande proceder deds j5 e condtruc do process
S oer o senado nos dtermos do art. 21 da cquepio- Art. 20. Noase do reconhecer a camera to multiopleo; .ame tivamete da-eoridegotoda travessa do Peixoto, appellad
tcero se rosulta r na excus t o da lista tri- dos deputado o a somblda legislativa Penas: privago do direlto do vot o active g exec utivamente"
tituicvo, -oaraqwtrmaoto nnoi utt deDISP0SI96ES GERAHS aim extends, o do 10 metro, deconformidado A' and
tpieao seresultara exclusao da lista ri cial' que un on mais dos eleitos estfo paipor qatr a oito annos e multa do At. 33. No caso de empate na apuraes eon a prmra parts de seu officio do 4 de nio,
plie'do senator nomeado, far-se-hanova ele- co rehendidos em qualqur das incompati- 1005 a 0000. edistur
c~o em, toda a provineia: no case da exclu, cirh n iose u lu rds no pt-D iaraa trdd ompetente de in- altimas de votes em qaal' aer eloiqlo, sarii dere boul ti o o .20
o recahar em quplquor don outros dons ci- bilidades enpeciflcadia no art. 11, serno de- 3. Dxar a autoidad o tent prefdrido o cidadno que fer qais leiho e m ,-rAo dommandants do uorpo de poocia.s- piito 2
C*- r no alistamentofdosdelenooart.c11,dsorid de-
dado reas contem quplados a lista outros diplico ser clarados nullos votos quoe Ihes tivereo lur no alistaento dos eleitores cidado prefeido o cidado qufr mide Vmc., onforme socita em officio n. 53, mio
s cotemplados na lista triplice sera e no terms deleito i-tenhaprovado s At. 3 As cameras mPdnicipaes forneceo deheje angar o piano Francisco Theodo- Jacinth
organisada pelo senada nova lista e sujeita s a s sid a ndds, e proceder-se-oh a novasa eleiddo, tareas ondi9t es do eleitor, incluir o quo ng a Art. 31. As ca naras manicipsos fornoe o dohejnc T
o rna equal nav podernoo sr votados o cidadfio
poder adp ou cidados, cuja eleieios t i e tiver d p em tas condicoes ou excluir o que nao os livros necessaries para os trabalhos do ro:daSilva. e
. Spoder moderadorecoecer qualgm on al- oidaos cuja eleia o tivr sido por se achar comprehendido emn alg'uans dos caso alistamento dos eletores e os de talOes, de- Ao mesmo.-P6de Vmc., conform sol- quina d
guns dos tres cidadios incluidos na lists tni- motiv o annullada. do 5 do art. 8.0 vndo estes counter impresses os.titulos de cilia em officio n. 52, de hoje, dar baixaao.2 public
o l e a h m c m r h n i o m q a q e P roced er-se -h a ta m b em n o va el oi~f o seSi i o
pulces o atr ida d coprehendcidos em nalquer a n der-se-ha tambem a nova olei s Demorar a extracgio, expedio e entrega eleitor, bemrn como fornecoroos livros, urnas sagto Joln Pinto de Souza Neveas. A' o
da i acompatirindad s especficadas quno art. da annullaclo detosPla caara on ea- dos titulos on documentos, de mod e qu o mais objects necessaries para a eleio. Aopresidntes veadores da amara Silvino
, sero delarda4es nullos a votos qu hes sebla geil resultar a excluso de algum eletor aoposavotar on instruir o recurso A importancia dresses livros e demais obje- mnicipaldo Brejo.--Fio inteirado de have- Hont
tiveoreom side da4s: e o cidadio ou cidados dos quetiverem obtido o respective diploma, torli posto. ctos sera paga pelo governor, quando as ca- ream Vmcs, prstado juramento eassumido o da Ch
que se seguirem completarbo a list tniplice. Art. 21. No casa de vaga de deputado a penas: suspensBo do itemprrgoprman maranuo puadnerea r fla dmeiasa- e o noua gonai de s i- -ede
q 5^ o~~berar n'ca^4emotedoP^ ^ r^nee9 c~tdoddi Pqe.darfis:q suspensodo emprero per seis a aas nfopudrem pe fata d osis a-xe riio desoscamroa afirepa doKercirem duJoe drm
It. Proceder-se-ha tambem ia nova eleicbo asnemblda geral on de membro da assemblda dezoito mezes e mults de-20 S a 600000. tifiazer a despeza. "as aue a qatriennio d 1881 1884 Asi B ondi
em toda a provinacia, quando, a gutoda oa legislativa provincial, que occorrer durante 4. 0Deixar a autoridade competent a do No caso deinao serem fornecidos elas ca- respondo officio do Ie do co ernt me. ro rind


do senador ^ faioe algPtMBrn des trmcd B~s~lgatura pro odunic a -ha A noao aeigid a pl ""S^ AneceuB e hvr liesprdptao a-oeepraaaia g nodfokor* 0
do senadorfalleer algm dos tree cidda ei no o praeparar onviar ao juiz do direito, nontrer manse municipal s onralecionacon lieros, nsup- Igal son da de B mqno eamreposta no officio' do do Ti
que compozerem, a lists triplice, pars o preenehimento do lugar, dentro do moo do 80 do art. 60, os requerimentos dos prir-se-ha a falta per outros, quej serfio nu- de'l. A r

senador nomeado. nujos poderes nbo tenham na, cnrte ogovorno a nas provinoias a prosi- cidadoas quo prstendenem nor alistados nhas merado e rubrica on, corn tenrdedo e.a.rtu- Portaria.
0s Ve IN A ts obnerCr no Eand 0 e DEt P dos prazo du tree m e s, connoo adio din em daue,
side ainda venificidos on quando au don depts, tiyoernm conhocimento a~rto cia vaa, relapses qnae on dovom acompanhan:. na o encernranento, polom juizes do iliroto~onu Doclano A, camana municipal do Recife, do: armaur
cidados in (dosalist pce car otem.que.reeeberemcommunicaco sta, Penas : suspenso do omprego per um a juz municipes plo residents, das quo medianto as condio ntante d sea
de qualquer daa condiqSes de elegibilidader: feta peno president da cameruaa dosdeptea tree annos e.-multi e 300,a 1:0008000. mesap el=itorpes ott junttas ap mtadoras, officio, A qua ranpondo, a.2, do 5 do corrente vap
do q 7u dasoois dao l ta Art. 2 a diimn dondept-d% Nas meamas pous incorrera o empregado Art. 35. gmquanto n:o estiver concluido mez approve as anerd
,exigi pnonsias.1,1dIVtdoart. 45 a cons-s o a oWtar o eetraviar titnost r mdo elite definitive a pte o erai ro litamntd geral public pe Manlo oi de o
DA ELE[A-O DF DEPUTADOS A ASSEMBLEA GE. Betas communiaos es sero dirigdas polo oCu que e rgue, ra i- 0 haveri nmeleices pas dtr midepa nests Mano rlherma
titu~o, assembles legislutiva provincial,.no segundo. App coalo i a do Nanir-do btAB
RAL E MEMBROS DAS ASSEMBLEAS LEGISLATI- corri sob regiat zr a iao.e ats os an ii bahan; ip Sno e do adato.
5.o Pansar certidio, attestado o.u door- smblda geral, salvo a caso previsto no art. bunal n a jury eaquelle-pasa eeutar ascon- No din
vA6S PROVINCLAHS. :A ELEI1XO DX-Vy-REKDORHS9 E JUIZMS DE PAZ moatofalsos, quo induza a incluaso no alis.. 294A Constitaigio, pans senadores, membros certon do quo precit a cemitorlo do 8. Lou- Oacicu,
het. 17, Asprovincias searl dividi4as am Art. 2:2. Na eigio devaereo4iro cads eleii- 'ta' mo aasdots assembl6as legislativas proeinqUaes, ve- renigo da Mats. de S. Jo
tantos, distna tas eloitorss qustosforeM as toreTOa. Pes:.a "-ar*.,.129 80 do codigo crimi- isdores e juizem do p,. ci DKT= O Frafino
sae s d4p .%U !doqz assezblea geral, .atteode]3- .A,4' W AS J iPcip aes continmAaro .a fazer JW"ta. ,t0 governed podori eeos gar at so ultimo dia Oec.os .uo Manoel
do-ne quanto ponsivel Aigualdae de go( a ura-uio dw v.otoado municfpe. Aeque uesvir 4dit tid ,.o-attmstado a.til do roz dedezembro0,1881 a elei91o -
-loe ua= oslvl luado4 .... Pi P at6. ..- 1so-do q.o.do.ero......o. 4.o..'so .,r so fae-htr" t dos deputados parsa a proxima legim- 8. Ezo.. e.t. p.wssi .1, | de ,e o dio A ante
1 ag t e U t r o s Ae & *r i e t q d o c d ad p r o v a[ it seri o (Ar oWs ed oo v e n sd q re s o n c i d a d l on d ac u m a nte n f aeto s f poira s ofa z e r a l i s t a r : e- t -s- .. :a r ,t. t 1 im- ,Io
Pa-dspa dve 13de'aodigfoopniaQ.iaal tqT;, e
rWsi N oxped.i.&ooxktt uqi4&d e do terr tR gi .a qei s.. .em .po,,,,.ooi, didoa o
a .m .gA a mM X p o ,, ; .cipi, .unirem votA41 Ou.rmta l A 36. r t4 Itzo da m r e d ,er d o
...ra s s a s m ara unaa po q ui ent o tt ra=- s o ms-o d Nl I ollita e s N di
Ippro j4 oP O gi L at iyo a .QALo 48 total dos eleiteres quo a- Am4.a ~ m j:. .._ 4 96g % #PTh _O -a. z '. -.o e n o o i d no. o
di w ff Sehg m o- wpestanJr
a~vm~m, ,m- ",. ''d" ald, d p~erexcuvo atu0, ."... "I vatl %qu-J~~nqells votwas., l tdo '.0PO .... _. i_ ..... e. ..x-cid_ r, ~
no a l oel ack o 6moii$0A, -aqis l Y !4 ,munido ,4kow q =
,. art. 2.i0-jaw W .
r. -bbo 0 em-- --- U', fle hS c& aL


uffi -io, act-rca do occorrido 'a.m, Babe-
:a o de-Lc.,,1ento alii estaciouad.j.
)j gerent:- di conpanhia Pernambucana
ag.ac, c jstuira a vapor.-"De ordem do
r. presiil,d ida provincial, d-icilaro a
iJia us fdis convenientes, q.ue deu so
ao tenente do 14' batalhao de ifn-
eoncio Luiz Pinto Ribeiro. que desota.
presidmiu de Fernandou do Nrqoha,
levar para seu uso os genieios cUs-
da relacao junta, por mirm as..i:muada.'
aunicou-so ao comnmnandaute do, pre-'
)juiz de direito interino da coima:ca
ista.-De ourdem de S. Exc. o Sr. pre-
da provincia, accuse o recebimento
o t, V. S.. le 3 do corrente, comiwu-
) haver na rnesina data atsurnijo o
o do cargo de juiz de direitu i,sa
i, na qualidadre d l 0 supplinto edu jaU
jal.-Comr-unicou-.e au inspsctror da
aria de fazenda.
oaes :
sando o recebimento do officio do 1'
ie do j ailz municipal da Gloria de Goi-
13 do corrente, communicaudo haver
ma data a-sumido o exercise, pleno'
to de juiz municipal desse terruo, ua.
de de 1 supplente.-Communicou-se
sector da thesouraria de fazenda.
sando o rocebinento do ufficio do 2"
ite do juiz municipal do termo de f'lo-
e 3 do corrente, cominmunuaicando haver
ma data assumidu o exercicic pleno do
e juiz municipal desse termno, ina qUa-
de 2" .-upplente.-Comwunuucou se ao
or da thesouraria de fazenda.
sando o recobimento do officio de 2"
ite do juiz municipal de Caruaru, de
iorr'ente, cummunicando haver no dia
rassumiudo o exercicio pleno do cargo
municipal e de orphaus desse termo,
ida-lo de 20 supplente.-Coimnunicuu-
speetor da thdsouraria de fazenda.
sando o reccbimento do olficio do 2o
ito dojuiz municipal e dd orphaos de
rv. de 29 die dezmbro ultimo, commu-
) haver no dia anterior assumidu o
o pleno do cargo de juiz municipal
ermo, na qualidade de 2' supplente.-
nicou-se ao inspector da thdsourarna
ada.
sando o recebimnto do officio do pro-
)ub!ico da comarca de Tacaratu, do 8
ento, communicando haver na mesa.
trada em exercicio do cargo de pro-
publico dessa comarca.-Communicou-
ispector da thesouraria de fazmnda.
sando o recebimento do officio do pro-
?ublico minterino da comarca da Boa.
de 20 de dezembro ultimo, em que
nica ter na mesma data assumido a
io do dito cargo.-Communmcou-se ao
or da thesouraria de fazenda.
HO- DA PRESIDENCIA DO DIA- 28 DE
JANEIRO DE 1881
nio Coelho Lima.-Remottido ao Sr.
iro commandant das armas, para at-
ao supplicante, serm prejuizo do ser-
lo Custodio de Abreu.-Informe o Sr.
iru commandant das armas.
indrino Antonio de 0livoiza.-E-cami-
David de Nossa Senhora.-Deferido.
)aahia Pernambucana de navrgsoi
..-Deferido corn officio dents d4 -
o provincial.
anhia Pernambucana de nmegaglo
.-Deferido corn o officio desta- data
ouro provincial.
) de Barros Soares e Antonio Soares
iral.-Remettido ao Sr. Dr. juiz do di-
2' dbstricto criminal, para proyvfden-
e devolver.
1o Maria Seve. Informed o Sr. ispac-
hiesouraria de fazenda.
'iuza da Oliveira.-A flanca preteada
apenas as obras priinitivas, o nao es-
tas obras supplementaras, autorisa-
3 de outu-bro do 1879; A* I4alisto,
e 2:77T1595Q a prestaleo do ,respumabi-
laquellas. determine nesta data Ops-
o de 2:700$000, para ser a de),
ao valor minimo das apolicca, addi-
Apresta91o de responslbihtfded das-
iras supplementares, que sera* pa-.
se dbr o reoebimento definitivo'drolt-
abras eo levantamento da fianca.
a Iva deo Freitas Guimarfes.,- Tlfbr-
t. regedor do gymnasio petiama.u-
Isabel de Carvalho. -- Ihforme o gr.
wr da thesouraria de fazenda.,
iverio. Lagreca.-Informe oSt. inasatc-
hesouraria de fazenda.
aria da preoidencia de' Pernexhico,
sire deo 881.
0 porteiro,
JOdO Gonfalve dos Santo8 JTiiO'.


Repartlqo da polled,
ios .L-N. 143-SeoretariadO2.-
o Pernambuco, 2840de jan"i -
-,im. e Exm. Sr.--Partteipe 4 V.
ie foram hontem recolhidos A -asa
mnao os seguintes individuos :
hiontem, A minha ordftem, Me I.a-
) Monte e Jose Felippe Sant'Liagw.oar-
ermo do Caboio primaiopier bot-iar,
sdo, e o segund wmo -ent aumisd*o
10.
lem do subdelegado de Santoef Ao-
ero Francisco Soares, popr emiaa ,
bios; Joao Candido Agripm do es- o
santo, Albino Victoriano 0dos/Stot:
lose Pereira, RaymundohJoa 6 a &iv" -
3 Jose do Oliveira. Arthur Js6 Esce-
se Francisco das Chagas-e' I -
o Espirito Sauto, pr offn imAoral
rdem do subdelegado da loa-Vista,
Lui; Vieira,,per turbuleat
am, A minha ordem, Manoelviax ) 60
igas, Joao Vieira da Silva;. ABOi
se
jAraujo, Isidro Moreira.dotl .I.
to.Moreira da Ctinha, em dom .
los do tiermo de GoyaUXc ORna
imbauba, comoa criminoag ...
lem.do subdelegadodo ..
no Amaro Pereira da, *,aPuuw
is defezas; Augueta diO S l,.
pes Soares e Francet -0 laO di su- u-
dinturbios.
lem do subdeledo daMgdMvddil'Je
Jos6-deSanSt' a, Fpng o x U ,-
ria FrancisC e Adriana kftkti,.OT j"
ins.
I 11l do oorrente, foi preso ao'0WtMe
. situado no 2. district dafegtWa
s6 dotermo do Rio Fornoeso, 0o'0to.
.o, escravo de Jos6 Teixeira LiUm _
I em qua e ppancva butMVli,, Va
de Brito.
oridade proeedonu a'vit laeuw i"
prosegue nostermBsdl$ ,w
a 16, aB. 4'h rm dra -- I
Sovoado m"ied--* A^-
'dieruim ot-istt am
rnquef 9


. I __ I -, .~ "".,.j '


. I .. I -' T-
Por

tMMMB ia=em.


-,-,-

-I

-'-
i. ,


;--
.i '.-
c:.


* 1


tip ~-


.-. ; .-. -
~A..


. .. .' ,*a *l|=r :,-lrEt .';;^ *
.' [ ,f r r

7 r "Int
II


*. "
4,-







-- '.J-.


. ;, j, I f ,


h VPWAWBWS -- -&- I-- -- -


* ." ^...


;>l9WJW1. I.





















rula do



Nisompetente tomoti conheei-
e proesdeu s diligencias da
': a' ksdo, porft, dmeeobriro mo-
Sa infeliz a pdr termo a sa

Sgarde a V. Exc.-I11m. e Erm.
S Sr. Dr. fankin Americo de Menezes Do-
ria, iSuM, digno president da provincia.
S -0 cbhe de policia' interino, Joaquim
&Cota Ribeiro.
Theseouro provincial
lPACH[OS DO DIA 28 DE JANEIRO DE 1881
Pdro Paulo doe Santos. Deferido, sendo
tofalppor term no contencioso a fianca of-
f
Cxataa da '11.a part da loteria da Santa Ca-
am. -Approvadas.
Joaquim Pereira de Azevedo Ramos. Do-
f erido pare ser exonerado da responsabilidade
polo debito exigido; visto que das informs-
goes procadidas costa haver o supplicant
Natisfeito em tempo o mesmo debito, referente
ao exereicio de 1878-79.
Jose Vital de Negreiros -Deferido par& ser
oexonerado da responsabilida4e pelo debito
exigido corn relago ao anno flnanceiro de
188-'79, visto que prova ter sido o sou esta-
belecimento isento no mesmo anno da contri-
buieio de 20 0/0 por achar-se nas condicoes
da Jei n. 590.
Andronico Rodrigu.-s do Passo. -Ao Sr. Dr.
administrador do consulado para attender.
GCaralho & A.raujo.-Certilique-se.
Dr. Manoel do Barros Barreto.-Ao Sr. con
tador para mandar passar portaria de entreat.
OfficMo do collector de S. Bento. Ao Sr.
oontador pars inandar satisfazer a requisiq[o.
Severino & Irmio.-A.o Sr. Dr. administra-
dor do eonsulado pars mandlar fazer a decla-
raslo a quo so refers o Sr. contador.
Hermenegildo Eduardo do Rego Medeiros.
--CAertifique-ase.
D.'inna Lucia Josephina do Oliveira.-De-
ferido, mendo exhibidas as apolices para as
devidas notas.
Contas do commando do corpo de policia
relatives so mez de dezembro ultimo. Ap-
provadae.
Contas da 72.8 parte da loteria da Santa Ca-
ma. Approvadas.
Tenento-coronel Minoel Dionisio Gomes do
eolo. Indeferido. em vista da inf> rwacgo
do eousulado o do que expede o Dr. contador
em maa intormaclfio.
Joe6 Diniz da -ilva.-Deferido, para ser eli-
minado do langamento do exercicio de 1879-
80. visto provar nalo ter a officina porque f6ra
ollectado na casa n. 31. a rua da Penha, em
eontinuaqio da que antes existia na mesa
easa, actualmente applicada a sua residen-
eia.
Bernardo Ferreira & C -Deferido, para nao
M.rem responsaveis us supplicantes pelo de-
bite doa inquilinos anteriores, visto provarem
ulo haver succedido no estabelecitnento n.
85, Ai ru da Aurora.
Narciso, Maia & C. Informe o Sr. conta-
dor.
Officio do Dr. inspector geral da instruccio
public. communicando que a professora'de
breu de Una. passava a assignar-se Anna
Cesar de AlmeidIt Passoa. Ao Sr contador
para sen conhecimento e devidos fins.
Pedro Antonio Argemiro da Silva. Infor-
me o Sr. contador.
Officio do Exin. Sr. president, comnmuni-
andor haver indleferido a peti-ol de inorado-
res de Caruari, no sentido da nomrneaco de
umr apontador para encarregar-se da conser-
v"o do a&ude daquella localiJade cujo ser-
vico resolvera fear a cargo da municipalida-
de.-Ao Sr. contador pars seu conhecimento.
Officio do Exrn. Sr president, declarandu
a intefligencia da clau-ula 19 da novacRo do
oeudrpto da companhih de Bebenbe. Ai' sec-
bo do eontencioso pars fazerem-.e as conve-
ientes demonstracOes do contrato nos ter-
mon do officio infra-escripto.
Sislfo Chrysostomno do Souza.-Cu ispra-se.
registre-se e fagamn seos deviulne assentamen-
tog.
Jose Casimiro Aires Bezerra. Re&gistre e
facam-r-e os devidos assentamentes.
Contas do collector de Floresta.-Haja vs
te o Sr. Dr. procurador fiscal.
Contas do collector de Floresta.- Haja vis-
te o Sr. Dr. pro:'urador fiscal.

Consulado provincial
ErSP&C.KOS DO DIA 8 DE JANEIRO nE 1R81
Beji. & Almeida. -- Inleferido em vista
des informagoes.
Caroll & 4.--Indeferido em vista das infor-
maes.m.
Fernandes & C.-A. 1' socc..o pars os devi-
dos ba.


Jolo Paula Franco.-Informe I a secglo.
Maia Pachece & C.-Siru, verificado o pa-
gtamento do imposto.
Torres & Irmio e \ntonio Sampaio do Nas
cijiento.-Indeferilo em vista das informa-
eSf do Sr. laneador.
Antonio Pedro Souza Soares & C A' 1'
seclo pars us fini convenientes.
Andronieo Rodrigues do Passu.-X' la sec-
60o par attender.
Bernedo Jose de Araujo-Informe a I' sec
Sao.
glpidio & C.--Certiiputc-se.
Fontes Irmhos.-Inforne a 1a seceo
Jod Tavares de Medeiros.- Deferido. de ac-
gorde corn o parecer do Sr. hbefe da 1 seec-
Igo. fazendo-se no acto da averbac.o r feren-
eia ao numero que tinha o predio ante' da ar-
rernatagbo.
Joaqakm Maximiano Pestana.-Certifique-
38.
Jos6 Barbosa do M3lio.-Certifique-se.
Maschqdo & .PrAeira.-Informe a 2a secco
Maia ReelimM #6 C. -Como requer.
OdiloitDuarte &G.--Informe a la seceao.
Rodolpbo Mamede do Amaral.-Proceda-se
aTaverb--o de aceordo corn o parecer do Sr.
Vefe das secaglo, fazendo-se referencia am
Saero qf tinha o predio antes da arrema-

QS- ixoG & Irmlro. -Informe a 2- secao.




.ryd u oPernambucano.-Por portH-
imada 4midlncia da provincia. de 24 do cor-
te1La edido. foi transferido o bacharel Ci-
iaro d Peregrino da Silva. de professor da
eanoim deoU a'&llemn pars a primeira ca
defra de atlas desse institute.
TOrAN d almares.-Por portaria da
prendei d,4prrovincia. de 21 do corrente,
"b propota N dDr. chefe do policia, foi exo-
Ma 9I i a atLeus de Almeida, de3. sup-
. f do b dl d eo lgado termo de Palarnares, por
,. aito juizdpaz.
Archeololico e Geogmrphi
aute-honten, em sesslao mag
geral, afim & celebrar o 19.*
-( -^ asfundalo, a eQ 227.. da res-
rf Cja t dodominio hollan.
Se!1 Q0 o dia 27 de j*'iro de
evOrtaoo E0Hm. Sr.
Provincia, o

oxt *sit"A**
4~~StuOerjno
IaosnMINoi *


- ~.in
ii-


4 fw go, ^ a, -.. ^^ ^'

r met, da 8oa d-a
SLMberae, e sdo Gftn dosa w-= ', w
do onato deolsand& ne rrada ad ro, al-
nando o Sr. preosieOte o dia,15 de fhsr
paers a meboem aem mblda geral qua tern de
eleger a mesa administrative para 1881-
1882 f v
Achlava-se ornada corn simplicidade e gos-
to a asala das essoes do Institute, d quatro
bandas de music military tocaram, no inte-
rior e pateo do edificio.
Uma guards do 2 batalbho de infantaria
de linha fez as honras a s solemnidade.
S. Etc. o Sr, president da provincial, acce-
dendo so pedido do Institute. afiar de tornar
mais solemn o memoravel 27 de Janeiro, dig-
nou-se de conceder feriado as repartigces pu-
blicasprovinciaes, e mandar salvar a fortale-
za do Brum= uma hora da tarde.
Minho.-Esse vapor, da companhia Royal
Mail, tendo sahido do porto da Bahia.bontem
a tarde, e devendo receber b6a porci&o de car
ga no de Jaragai, 6 provavel que s6 chegue
ao nosso na segunda feira.
AferICo.-- A' 31 do corrente (segunda-
faira) dove terminar. na reparticho competen-
to. a aferiglo de pesos e medidas.
Brasillan SubmarlneTelegraph Com-
pany.-Achando-se interrompido o cabo sub-
marino entire Lisbda e Falmouth, o service
telegraphico do Brasil para a Europa e vice-I
versa. esta send feito por via de Malta.
Festividade religiosa. Na mnatriz de
Nossa Senhbora do 0', de 1pojuca, celebra-
so amanha a festividade de Santo Amaro,
corn mi'sa solemne. i i11 horns do din, e
Te-Deum, a noite, pregando nesses actos o
Rvm. Fr. Augusto da Immaculada Concei-
cao Alves.
A' tarde havera procissio, e, depois do Te-
Deum, fogo de artificio.
Outra.-Tambem ananha ha festividade
de Nossa Senhora da Conceikom, na igreja da
CongregacIo, contigua a do Espirito Santo.
nesta cidado.
Consta de miss solemn, is 11 horas do
dia. em cujo Evangelho prega o Rvm. Jo-
se Affonso de Lima e Sa. e Ladainba solem-
ne A noite.
Mlssa cantada.-Amanbh. petlas 7 horas
do dia, celebra-se, na igreja de S. Pedro, do
Recife. missa cantada, ein commemoraiao da
sagracbo da mesma igreja.
A igraja de S. Pedro, do Recife, fui snira-
dai no dia 30 de janeiro de 1782. pelo efntio
provedor di respective inmandade. o flnado
bispo desta diocese D Thomaz da Enearna-
ebo Costa e Lima ; r fez a desjpeza da solem-
nidade, o finado padre Nicoloa Vaz Salgado,
ex-escnvio da mosmina irmandade.
InstrueCio primaritt.-Torminna o prazo
a 4 -Ie fevereirode 40 dias, marcado pcla ins-
pectoria do instruccho public. para a insrip-
&ta) alos candidates ao provinmento dias diver.
sas cadeira;3 de instruccgo primaria, de o2.
entrancia, actuailmente vagis.
Consta-nos que ate hontuin nenhum can-
didlato se tinha inscripto.
Juizo do commercio. 0 Sr. Dr. Tho-
maz Garcez Paranhos Montenegro. actual
proprietario da vara commercial, da comar-
ca do Recife, continfa a dmr au'Jiencia duas
vezes por semana, nos dins segunda e quin-
ta feira, ais 11 horas da manhi, na sala das
audiencias, e despacha na casa do suait resi-
dencia, rua da Saudade n. 15. das 10 horas
di inanh& A s 3 da tarie, salvo ncgicios ur-
g,:ntes, aos quaes daria expedient a qual-
quer horn.
(ompanhia Ferro Carril.-0 e-taiI,)
do material, quer fixo, quer rodanto desta
companhia, no e doe mais lisougeiros.
m'mn todas as linhas. e corn eipecialidaid.
na da Magdalena, existemn trilhos em mmiut
co'n'liqes. as quaes estio a pedir sub-titui-
cifo imrnrediata.
O.A vehiculos em geral teem as molas ldes-
arranjadlas. chocalhain como camirr.)sm e os
re-pectivos freios ja n-o obedecein a tonorca
muscular dos cocheiros.
Ale mm disao, e talvez par causi diesm-. dnao
.me contmnuados retardamuentos nas viamgns
dis vehmem1los, danioa so, ao que parn'ce.| su-
preosbo de algunias viagens e a iriegulari-
dade no horario.
E' innlispi-nsavel provi-lenciar s'mbrn esse-
iact.s, cuja verificagbo esta ao alcance de
qualquer pessoa. e para essas provideiicia.
solicit:-mos a intervencbo do Sr. engenh iro
fiscal das lmnhas.
Ferlmentos graves Den entraila ante-
hontemn, no hospital Pedro II, o indiviiluo
de nome Manoel Martins Nognoira de MelLo,
branco, soltoir,,, de 33 annos ie idailo. ariu
,Is ser tratado dos seguintus ferimentos. ex-
c'mnrmac.es e echimnoses mas costas e braco es-
querdo. feridas contusas no quadril esquer-
do, a paralysis do movimento do braco e
perna esquerda ; senpo o seu estado ronsi-
,lerato grave.
Refonino elle que, tendo Ihesido dado voz


d,' prison por algumas pracas de poiicia, nao
s quiz elle entregar ; polo que as ditas pra-
eav o espancaram e levaram no de rastos nte
.a-leik onile chegou no esta-lo em que se
;-:," iava.
S e real essa historia, cumpre que nio fi-
1tciei impunes os seus autores. os quaes re-
eminmnendamos so Sr. Dr. chefe de policia,
quiie sem duvida mandara tirar a limpo a
in-esmna historic.
Espancarnento No dia 11 do corrente
n engenho Oncinho. do termo do Rio-
F'ormoso, o preto Francisco, escravo do Sr.
JJose Teixeira Lima. espancou barbaramente
H Manoel de Brito; send preso em fli-
grante.
Conflieio e ferimento. No pu-v -lo
Propriedade, do ref'-rido term de Rio-For-
moa.-, e no disa 16 do andante. n:t occasion
,em que divermos individuos se divertiaum
n'ia samba, divertimento eim que e de
pr,-xe correr a botija da canna, travaram con-
fli.to) do um iado Jose D amingues. seu
genruro Vicente e Joaquimn de tal.-e de ountro
li,-Jo--Antonio Joaquim .dos Anjos e outros ;
re-ultando sahir este ultimo gravemente fe-
ri-lu Os delinquentes evadiram-se.-.
Caceta'das -No dia 15. tambemn do cor-
rente. no povoado de Tacaratinga, Firmino
d,: tal, cogiominado o CoruMba, jogou varisa
cacetadas sobre Antonio dos Anjos de Lima
Rumini, can-ando-lhe umn ferimento na mao
direita e varias contubOcs no bracie esquerdo.
Tambem o delinquent evadio-se.
Suieidio.-No lugar Praia, do termino do
Bonito, Maria Ferreira daSilva, moradora alli
em casa de uma sua fiha, suicidou-se, no dia
2-1 do corrente, cown um golpe de faca no
puscoco, sem que se tenha podido saber qua]
a causa desse actoe de desespero.
C dade de OHlnda-Amanhb, A tarde. do-
ve realisar se, no largo do Carmo, nessa ci-
dade, um variado bazar de prendas, offerta
das por diversas Sras. e cavalheiros.
Sendo o product destinzdo a' auxiliary a
realisagbo de melhoramentos indispoensaveis
a bibliotheca do Instituto Litterario Olinden-
seo. e de esperar grande concurrencia e ani-
macfio.
Durante a festa tocari urma bands de mu-


t ~l ,vd.1io (arend do N aboti
tObpodo8 ; t menWM
r T Hnar oque, pbdo', P ucaab,, meas,
i e" paizes Boa Vifa; eonvuhse1.,
a-S i quo eM 8uecia, niG cual m a vinba, Maria, pardsa, Pernambuco. 5 annos, Santo d
[. polo quo be'beut aguardente oxtra'kdta dos ,c. Antonio; febre porniciGsa. []
B lepOilev-' reaes., dos batatas, etc., depcialde cquafloar o Augusto Baptists Rodrigues d'Almeida,
IB HO *i alooe. do didutm da inditstrir" propbe o dig- branco, Pernambuco, 23 annos, soltoiro, 8.
uaj dop a Uncwo medico autor do artigo, comno urn dos JoI ; tuberculos pulmonsres.
ojo itS oMdas tr- remedies para .-al, que soe diminua nesses 26 -
a0e ArauJiL pai-e hdiipito ide introducclo dos vinh.s. Maria do Livramento Akmorim Carvalho, al
t^rto. -- Aminterekua4os Populafiodos Estados-Unbos. Do branch. Pernambuco, 25 annos, solteima..San- I,
A ndmoas laiteam do adital don re- censo geral urg;,nmad,, em todas as ter as to Antonio; pneumonia. I
wtio.-que vai publieadonasaeeo compo- dos Estados-.n'doi norte-americoanos em fins Dervino Jos6 da Silva, pardo, Pernambuco, ri
Io"S do mez pr.oximo pasrdode dezembro. resul- 22 annos. solteiro. Afogados; gastro enterite. a
EI.Io de confrrsa.-A iraMndade do tLa. segu ido o9 av,'..s t legraphicos transmit- Manoel Alves Pereira, caboclo. Pernamrnbu- .q
Snatissi po-Sramasto% da egueua do Nos- tidos de N .va York. q'ie a populaoco daquella co,26 annos. solteiro, hospital Pelro IH; fe- ja
es Senhore a da On Afogados, deve reunir- republican ex3ede o numero do 51,000,009 de bye perniciosa.
se amanhi,s 10 horms do dia. em meza geral, habitanres. Vimginio Jose Pdstana, pardo. Pirahyba, 4
pa proedera eleiglo da meza regedors pa- A princeem Dolgoroukl-Existe enm n, solteiro, hospital Pedro P infeeglo bt
ra o anno correnta. Petersburgo umarns institiqcAo, na qual recebeinm puarulenta
Comarea do Recife.-Hontam assumio ensino as jovens da nobreza que ficam orplits. Manoel Jose do Sant'Anna, pardo, 36 annos,
o exercicto do quinto juiz substitute dessa Desta instituaeito e chefe supremo czar, e a casado, hospital Pidro 11; bexigas, m
comarca, o Srn. Dr. Jaron0mo Mmtern Perei- fallecida imperatrtz Maria dava-lhke em extre- Henriqueta Maria da Conceig-o. branca.
ra do Carvalho ; quo reside rua do Padre mo a snaa protecio, aeado muito comprehen- Pernambuco, 46 auaos, soltuira, Santo- Aato-
Nobrega n. 2. dida noa actors de benefieeneia que pratieava : nieo; cancro uterino.d i
Club Commercial Eutero.,- Efta so- e verdade quo era considerada polos rusaso Anna, branca, Pernamibuco, remottida polo d
ciedad., em sean edeo, rna do Conimaercio, so- como a primeira princeza orthodox, venera- subdelegado da Graga; ttano. e
lemnisa hoje o 1. anniversanio de sua instal- da como ura santa, pela sua virtude, earida- 27 -
lagao, con um sarao dancante. de e resignacio. Pampolina Theodora da Conceirio, parda, p
A orchestra foi conflada a direcglo do Sr. Catalina Dolgorouki, de urma famnilia nobre, Pernambuco, 25 annos, soltirahspital P- d
Colia, e durante os intervallos, em toda anoi- cuja origem se remontat ate S. Vladimiro, e dro 11; diarrhea. d
to, tocari urma bands marcial. alliada muitas vezes corn .os czares, entroue Maria Fran..-isca, pards, Pernambuco, 13 cc
A actual presidencia nada toem .poupado' naquelle collegio quando contavaW cico an- annos, soltoira, Santo Antonio; tysica. fc
para quo o festim nada deixe a desejar. nos de idade. Jos6 Luiz da Silva. bronco, Rio Grande do 4
Recrelo Juvenll. Amanha,30,deve reu- E difficil comprehender os sentiments de Norte, 14 annos, solteiro, Boa-Vista; abcesso d
nir-se is 4 horas da tarde, no lugar do costua- amor e respeito que ten os russos por aquel- abdominal. d
me. a assembleda geral d'esta sociedade, afim le a quem chamam pai, o qual e ao memo Rutino, pardo, Pernambuco, 2 unnos, S. d
de dar posses adirectoria ultmaRmente eleita. tempo o sea soberano e o sea pontifice, senti- Josde; broncho pneumonia. d
Dlnhelro.-O vapor Ceard levou de nossa mento que manifestam sobre modo as edu- Antonio pardo, Pernambuco. 6 mezes, S tE
prarba i ara0 candas daquella instituic-ao quando recebem Jos;e: hydropesia.
Prahba 1:2605000 a visitasdo czar. Francisco. pardo, Pernambuco, 2 annosa e ,
Natal 24-:500000 0 leno do czar 6 dividido em mil pedaros. meio, Boa.Vista ; espasmo.
Cear. 300W000 conservando-os assim como urma reliquia Manoel, branco, Pernambuco, 5 mezes S
Maranhao l)0008000 santa. Jos; copnvalsoes, ic
Par. l:000000 E.lucada naquella casa Catalina Dolgorou- M c
Os larapios. Estes honrados industries ki. tomou em breve part nos sentimeutoa d.
nao tern maos a medir em su:m actividade e ,Ita suas companheiras. e o sou temperamen- ...i... ..... b
mcios do acc#o. Agora deram para visitor to nirrvoso tornou ainda mais vehement o 0 IIH li0IiA [IT I [TADIA
os viveiros de peixe. e os dos sitins die San- sen enthusiasm polo czar. lI1tO 1ICI 1U IiU RR t(
to Amaro das S-ilinas tern recebido freq ien- Na idade de 13 annos desmaiou urma vez, P
tas visits suas. qiando o imperador Iliae dirigio a palavra ; Junta commercial da cidade do t.
Na noite de 27 para 28 do courente foram eit, incident causou vivo intnresse aso czar, eif
elles ao viveiro do sitio em que reside o Sr. a ponto que decade quelle dia, a princeza oc- leCie q
major Luiz Cintra, e ali. depoim de arranca.[- cu)Au um lugar de preferencia no son pensa- ACTA D[)A SESSX DE 27 DE JANEIRO
rem as estaca pars despescarem em liber- m.in-nto. DE 881
dade, fizeram uma limpa A princeza fallava constantemcnte do czar
H.-ntem, dous dos cujos foram vistoi a ven- ii, uasi companheiras. PRESIDENCIA DO ILLM. SR. DEPUTADO D
der peixe de curral aos moradores das mar- I.:;trara na cOrte sos 17 annos como dama JOAQUIM OIINTO. BASTOS '!
gens da estrada quo passa polo Manguinho, d. lionra da imperatria. e desde entao datam D ""
Ponte de Uch6a ate Apipucls. s..uas relacocs corn o imperador da Russia, Sec.eiario, Dr. Julio Guimarpes m
Que Ihes faqa born proveito. cuji, recent matrimonio corn a prince-a e za A's 10 horas da maniaa. ecebida a commu-
0 Brashil apreclado pela Imprens; a:--umpto de censuras. por isso que elle nao cacao do lll:n. S. c.-rm,'mniinlador president "e r
chineza-0 Lhen-pao. periodic de shanghai. sipe-rou pars o realisar que passassn um anno .ie'nao powder c iparocer a presents sess Ao p
publicou nu seu n. 2,5755dt2 dejulio do ;au- .l.pois da morte de sua esposa a imperatriz. ,i-suinio a; proei.l-iciai o III m. Sr. deputtdo .n
no passado, aseguinto apreciac&o a respeito .x princeza Dolgorouki te-n actualmente 30 Joaqui:mi Ulini toBoI-<, fnie declarou aberta
do Brasil : mios; a sua belleza e especialmente d.vi-la a s-i-sat.- -l ,n-.r. expc imeite, estando renni-
SE' na America do Sal que s,. aicha o p):i;z a graqa e maiguice do sou somblante: ca- -los us Srs deput.,-,)s cornmendador Lopes
chamnado Pa-si (Brasil). qut noineo't rueente- b.-i.j d castanhoelaro ; a sua estatura eleva- MNachaIli c i.)in. laltanto coua pairticipacao
mente enviados pars virem ui Chliina negociair dJai. e corpo em extremo elegant. ,, S.. ou:u.nda'lor L'mno.
e celebrar um tratado dt cummereio. Falla pouco e a sum oonversaebo Blo deno- 1, la. hi appiuvu'la a acta da precedente t.
a Ate agora, baseanilo-no- na-; trm-idtdcas t a vivesa que 6 peculiar nas damas dia aris- --',,.
officials, temons escripto o no-ne deste paiz- tocr:tcia russa. AIgumas pessoas beram infr- Fez se a icituia d,, seuuinte: tq
Pa-si. mas examinando as obras hi-torieas. mi,,las assegurainoue a princezi ternm dous Ecpediente q
quo a elle se referee, vwriticamo. que ) seu cor,'-elheiros, que a-; vezs supprem a inicia- Officios se
nome dove escreverse a-sin "-'u t-i-uit.- tiv.m pessoal quo Ihe falta, e foramii elles, scm De 13 do corrente, do conselheiro director di
Coirmtudo, pars conservar umiiformi-lade, con- .iivida. quo accL-ieraram o seu casainento l.1a secretary do e-taal dos negocios da agri- s
tinuariomnos a cscrevel-o co.no nat.;s. Pn-si, :.,):la o czar. cutura, cumnercio obras publicas, accu-
uitte resume quo fazemo p;rina infornaimtio !iarece que cste success se far a em breve ando o r.eebimneuto du oflicio que se Ihe di- vq
tins pesseas que desejareni conliti.cr as cu- p',ilico. e assina trio os filhou do czar de o0 rigio a 31 dd lezemrnbro ultimo. Archive-se. q
sas desse paiz. -.-.,.onhcer. Ultimainumente a esposa do gran- Dc 22 do corronte da junta dos corretores t,
a Perteucou elle prinitivarnm.iitet a Pu-tn- -I-1jmle herdeiro, chogou a Liv.ulia, onde resi- .a-cata praca. enviando o boljtim das cota-
gual (Pout'ao-ya). 0 pai lo actual imp -iadlor li,: o czar coin a pnrmuceza Catalina e seus fi- (cIes olficiaes o 1.7 a .22.-Seja archivado.
do Brasil ti',lha tainbemn a dignfiladle e'I rei lh.-, e logo manifestou desejos do a recebhel. 1 .21 corrdirt, do admninstrador do
de Portugal; mas, recouhuecenlo qpie o Brasil. .1 .rinceza qdando vio a cza ivimi, li-ncou-se trapicliho Barba-in. justificando as faltas en- a
por e.tar muito distante. era diffmcil d gov:r- :- :L chorar a seas pes, e esta levantou-a ca- contr.das n-) li Uppa quo apresento naus pre-
nar. deixou-o e foi reinai, ein seu proprio pamiz. rnlihosaiment-. *.l-..-- .-,..-.:. .,. -.l..,.
Seu fliho occupa o thruno hi mais ile 4') 4 i- i'-ta im.r-:v,-t-'ti t ra li ni -'.t-; : a ,.z r. P L.i; .,...-L S ,i S:'. presid-nte da pro-
nos e toinm grangeado ein aito -riro a aff-icao qui. ', m 1 -.,.Iil u. -ift, hIm .i 11 m.1.1nitt.- v .. .. i ni" m.n', :.. ;,s, muviia a jmimit:i
,lo seu povo. Estudia cow :mfluc-, a econo- lIon- r mr u' --i n i '. e iiiz-.i-tr., hr ,l-i:-u. ., ," ,.. ".,-,.-. ,.,,i ,!1, o fuorami n,-
inmii politics, a litteratura e va isa s,:im i .1-. I..l il ,-'.s L{,'j-. r.' .--,m.: ,. s .- =.:i ":.." ,cm ,,- .- *i- i-,'-> :, i 'P;, l n 't. irMCi. np .i- l.
Nao ha cousa aproveitaveol ao p iz a quo. ell l'mto ay i' l' PinlI. ;' II i .r:ias. I' ," I .'- "[p,, 'm ,.:;m .-;:.. j.ar..,J,. I i ,r ee t. -J& I
nao de apoio. inI'>;: :,l I'.-i' ,. m\e but.s., r-num ., \i l;, .-e ,i ,u i it .1 d 8, a i rr-1ite 1.m
Hat duns annos vi;ij.u plt E mrapn. visi. imihr,..s -. :i, ullihis. 1)- "u,. .., >L, I ,l,. c.,'-rc->r,.s,. respo:m.len-
tan-lu todos os paizes. Dopois do son ren-r.s- S.'-:';gm i:;.fomra d.v r. ;il;>:-'.s- i, -r'g.min ,1o :i.) .-li.'i, -inxrr.m. s "cr.ntarli, parmi os
.0o roa!isou-se a exposim ao do Philailelphli: tL : fin'.;o:i ,m l.,' t..-;. .:li,:i:mi -.-ei novamiintt a
('ei la-to-eul-fei-a). eo imperamlor tomou gran- t, a m:.cil.- .llujrlits. 'i- l i !Irais. no (,jiiL jji.m, amt 11 -I i.i ,:i:r:,r i,'mmd-mi eoustn o aba-
de mntcresse sa rrmessa do products do pai', "':;:r, m'.oi .Ie Nuv ,r' ,r ). uIl tr,:' l:imit;,i0. Lmii,;:ii[:m um.imc Im..
part a, uslla exposiqio. Sun augusti pessoa .',.r-"m-'-ir;i .l,..- : ir 111- :r .-J. ,u < ^.,ntc- m l);:- ri!uira :, .se os .sgu'ates livros
tambomn la compareeua. A.' sua prescepua @'u- I rlo a,.:,utc Gua,.mo. :as I ii,)r?.., m :i ru;m ,i:, l).-iri, ,. C.ii..l ml-: N --,ruir-,s & C., diarir ,i
ruin admittidos on exposituros a XIigostade dirigio palavras bndvolas en.r.em .. ,c s Co ipm .teiit-s b. ),us c:n b.mi ,.'-.tmt I,.:r:;. i:t.,-,i| J.,.-e Iu;u : t -las Nuvcs. dito de .
A As lis penaes no Brasil RHo do unia gran- ino ,lc mmmn 51ii1":i; :I iu.lmnro; -eta. i r,.i i ,::,,:i:._.,; .I,-i; Ami.:umi G-.mimniraes, 'dit') ,le -
,li eiluidaio e opovo no o soffni'o alf i fa n ,r N ivn .1. m .-It- ltS'm:t n. 1;: e .: ui i. I i 1:,; ,.l.,. C'irmm lt.,im.m--n cjpi-iur de Jose A
oppresslo: por isso nao se ouvee im t it uei- gr-,mile mm.:.i, Fm.-mi. un '. rmb-,. ,'..i,; ,[.I Cav'v;:lh,) C., mlito do \Viison
xas. -- Q mntm i'ir:i ,Irvd rno i- 'i r-s-, o sc-uinto, s .1 m ('.. liimt I .-lit-> *m- Aifrodo & C.. dito
0 territorio do imperio mlo Brasii umn I'el, ugenlc ('usm.i ,..'. ;s 1 lorai m .o;-m-. ni It. m'.rri-ir:, C'-cm >& b':lh,,. l .
luouco menor do quo o da China : de leste a ,i't, ,.o l[!ipmrmtur i 5.'. d* pm'u,-,. in'iv.-i-, irrc-tuu 'iri,:.nr, ,I.s :jer srv.r o cargo .
me-ste trn de largo ra 7,000 lis (perto ,!o '7)1J) lo'u-'. vidros, esp,.ihos, (i,;uiu'., Pt'. ,1- aw, llitu. ,.)''- rci' l ailtx ,o l Arauro .
l-,guas) edo norto a sul quasi a mesmmi ex- ,,-^xta f.;irn, .-cle r i-i:its r-s o 0 s..-: tiitt: .illim q u..r,- ue. I'.it i.,n-i.'do o reo pectavo
tensbo de 7,00'1 lis. cobrinilo uina dciii quin- Plt-, -/tic Sil/ri.-a. no ri;io di:,. nt ,u-t iu ti t-o.
ii pirte da superflcie terrestre. que ,Ie Caxias i). 3". do engenho S. Se'jastido ,D ',-it'/,s a


Olimas eurn ponco mais quento queo dMises-siiDas torreas. 1i- '-.s" "
-maChina por estender-se esse piz do 50 N a .s:s f ebres-.ert :!ebriJus: I U pio Fi Lp. ciadiobr- .
T3o S. do Equador. Nmis provincial do sul uo i)je. A ; l orOms. 1m i1 r ojas mla l silir!, *lumnicilii-flwo e estibelecido coin chisa
,.irma e igual ao da China. As terris s-co nh1a O c'ri Terc-ir. do 'trno4, no 11 ci- ,oe ,u-..lh.,ls. ,1 .,m l-.l-e m .h- Painares. solicitan-
-r- I':. ~ ~:, .r vr. nO i. e wtutd' ac p.:1 ,o cvrt't ,tde e .' 'd t'natriculado j n
mnuito ferteis, as flmrestas abundantcs, inaso -'s S. P-- ':jartn. 0 1 V icente ji-l *l mm-i l >u. hi.l naticulado, ejun-
mumero de habitantes e muito limitalo. i -,,s en h nh is .4m'-Libm icc-ntc .-mn,. t 'tt-..st:el. ,.e I .umrdmo Can.Mi.lo lue Oliveira,
a irmperador procura agora attrahir ospelt Paali it1e D M.rNl S !-mme1,. l M..Ni Mt. J .io-,, l n..lrum.s M.niles I Jose da Smlv:a
.,trangeiros (immigraclo) As leis relatives to) ; a- 7 hlioras. na cpella' tie Joao d, ,-liro, LLOv & ,.ihr. i\ l,:.. pr ser s.-sso d.: o,
no tratamento dos iamnigrantes r.ao f.mvornveis lln 0l1- sit1-0 d. i-glin Gu;ns i l'on0-,t1"t, m r,' :.x:,,.em:I.to.
-- Segjundo i [etz,'a -, ihjr.-,s e ieiat, nait i rc ) ::,e I tw ,,a a~y:t a.
, liberals. Ate agora a major part doa euro-I n 1a' Si .*a- a .. s im;. Pa iu D, Ma.:.'oI ,is Silvai M- .a. Lalyette oah .:I-
i.eus. que tern deixado seus respectivos pai- Jduto C.ni.t S nt o, p-;la h,'1i0 PauIno ir va ia .mae r ietrcic N Augtsto Pacheco,. paru
zs pars procurar trabalho, tom-so dirigi-lo o -ti iv, q.Ne a relitro ucontra m ed socieda rce
pira Nova-York (Nieoo-yo) na America -iao P>) Lvr mi.mt., pelt almi do acalenicoDt- ce-tbr;aram sob a lirnaa de M:tia Pacheco C. .V,
Norte; mas o Brasil recebe penssoias le tolas vino J -t It SIvt. \rcl1ive-:t. n-' fr:na ila lei.I
:..s noio id .a-- T,,'..a fri. p.s aI horas e mi,.-i. dd ,inar- D ,: Jose Pernr-t du Carvalho, Mauoel Joa- De
.snacionalidades, e oeoprego ,tan pass-.i- i
e supe rior aso que so pagA parA Nova- inl., na igr-j.i d-i 'Santa Rita. ,In *l. i ,i l< r dia S-mlv;I Cu-tt ii Iavntura de Cstro
rk, oes diffrnga uabonalaoqupro -u Baptst Rorie d AmeIda : Mia. pra igual tim o cont.ato que celebra-
o,,rk. essaBifferenil. e bn~tssq1po 8 hmn,':L. nm igr,.jmi1 aS. F-ancisc.), pelm alm. i';,,m sub a firma do Jus6 Pereina le Carvalho
lorein ir pars o Brasil. I D. M ti a d, Livra:nent do A Pnri Can & C sj rcd Carvvho.
Os recem-chegados deveoam passar pela ca- dvaDlo. DArlPo avrauento tie Aom Car- p C Sji q sruhdvado.
pital, Rio de Janeiro. (Lai-ouo-uga-ni-lo). Nes- Tal"ho. .m es. rdososguitm De Alfrelu oPaula (.. para que se do bai-
t'; cidade6 qne est~o as hospe ariM de imli- ^ wVap es.-S ,X e-nros o u n seu b-cixeiro Arsonio Jesd dea Ri- O,
vi cidsd*6 quo eatlo as hasposras, do immi- Warrior da Europa hoje bS ru.--D-s a baixa r.querida.
gantes. lugar onde estes teem o direito de oo s l ama hr D.-.s mcsm-.e a bixa rqu s regida tr. ano-
pemn eeprpaoe di. Miniat Atto d o su" I mauh^ D,,.i rnesrus. para que se regh.4tre a no-
permanecer pornepaco do 10 diam, omquaato Pard -io norte ananhttm ,,mea,.io quo pismaram a Jobo Antonio Lopes
sc procura occupagio para elles. So queremn Glensannox J New-York amanla Chav e Jo aram a Joos Antos.- Rnio Lopes- N
empregar-se como trabalhadores, sogials .Iraucao E tj JoAa j 31Soars dos Santos. Regis-
.or pessoas especialmente incumbidas dmsto. rp-iri.Santo do nte a 4 de flv. e Pt Ri- r quant
n Se trn falta de recuirsos. sia soocorri- Girio and te a a e f. DoJo.su Pinto Ribs ru & C., idem quanto
.ISot Os que. querem ir par s interior, afimrn Gionde da Europa a 4 ao caixeiro Arthur Teiixeira Leite.-Como pe-
iqm O ueqoo inpnaineirsimPernu:,,bmuco do sul a fern.
I empregarem-se naslavoura. sho devidainen- City of Rio de ,m sos pa qo s d baixa no ox-
:. encaminhados, pagando-se-lhes as despa.- Jai ro do sul a 10 uosieoiiiPinos Pra bie so d6 baixanoex-
,/.isde viagem, e, quando chegam ao soeu des- T ca 'a Eixeio Luis Pinto Ribeiro. Na 6rna pe- De
tino, encontram quem os proteja. vTreat ,a Europa a I I di3la. I
Depoisdo dartalgumasinformaeoes sobre a eard do norte a 13 De Antonio do Albuqueroque Hollanda Ca-
DaTaaino do sul a 14 valcauti, para que se registry o distrato da
emiJtura. -prego de terras, etc., o artigo con- ait I do sul a 17 sociedade a d ,na Holainda Cavalcanti &
8lu aassim A sociedade da fauna Holl:nda Cavalcanti &
a Hoje os enviados do Brasil veem i Chi- Loterla da provincla Hoje. 2J do C pela mnesain f6rna por que foi registrado
corrintm. s, ;xtr:hlr a lotcria 96.'-, ei bone- o pimnitivo contrato.-Coma requor.
na pelaprimeira vez; nao sabemos, ao certo flcio d Santa Casa de Misomricordiado Recife, Do Pohlman. solmcitmndo regintro do
qiarl a sua muwilo; suppomost, pordrm, que o Den~trr X. Pfri ^ dcieodsM- ohlman. solnic~ndo o registro de
q' ml prsincipalso e upo, porsmeo, que onocors storio da igreja ,ia ConceigAo dos Mi- inn documento pas.,ado por J. F;Stael, no
?eu tim principal nao e0o commercio, mas ,"o ^:-e achario expostras as urnas epaado pe -no
que o incremeoto da immigraclo 6 o assump- IJas, har xpms a unas 0 q c ill tdos osdireitos inhe- c
to quoe prineipalmente os preoceups. epierasrrum:das en )rdem numeric, a renters a c com,, imercial d'esta praea .
,- *.inr ,.e ,hFk n.,,it ,. rI nt+._. _A. a. ,-i r i e t p i_


InundaC6es.-Um telegramma de Bremen
'z que os diques do rio Wua-me se ronipe-
ram, e que a inundagto invadio os arrab.-ildeq
:aquelta cidade.
Todas as aldeias proxirnas da ,mesma eslbo
-aibmergidas, e o service das vi-s ferleas in-
i-:rrmpido.
Por quart vez, no anna de 1880, os ri:-s
5iile e Unstrut sahiram do leito, caus-aindo em
t,4a a regilo proxima a Bremen gravissimo
;Irejuio a propriedade
Da Hollanda a do Belgiea. as noticias conti-
nuam a ser extremamente let'ons-'!adoras.
As iamnndaaesf augmentam.
Na HmIlanda 17 aldeias estao submiergidas,
is aRguas oontimnam subindo,e no 6 possivel
calcilar ajnda o projuiao bavi to.
Na part orte do Franca, o Vilaiie trans-
b.:.rduu ; Lode o camDo I A roda de'Ritms, a ca-


sica. I piLl da Bretanba, si eoberto pelsm sguas e
Casas pare barrelras-A reparticio de nha indiolos vehementes deque ws.as continua.-
obras publias prbvinciaes contrata, "na so- ,ao subindo.
gunda-feira, ano meio dia, a construccio de di- Tambom no sul da 'Fra.ina se indica urna
verses casas para barreiras, nos Iugares e trando chela do rip Garonne e outros, re-
cam as condigoes que vlo menaionadas na czian-lo-se detitres.
secedo competent desteo Diario. ImpdptO obre s caes. Slo curiosos
DIesastre provocado-Hontom um jndi- s im lados egWOUied li.koat dm qua, e6 em Pa-
vtduo. de officio empaihader, e resident un ,i.c, prioduazito noll< aano o impusto sobre
C95 Forte, mas cujo -iome aso nO. sonberami os -les. :
mandou amn so fllho criansA4e 6 an- 0 nucmero de oaes konmta, a 1,727,44"P, 'divi-
.iade. ao Cldolreiro, afim de dar d;dos em doau d mn0 6 0cas de luxo e do a-

,Sm r 4eh ss P. a 0 p 3t ftInc 6 dotm"* I .. "*Ip s a

17. "
.. _, .


Matadouro ila Cabanga.-Foram abati-
las., hontem, para o consuino destacidade,
58 rezes.
Passageiros.-Sahidos para o norte no
vapor national *eard:
Francisco Correia de oueiroz Barros.. -Frei
Alberto. E. J. Gilbert. Dr. Pedro de Albuquer-
que Autran, Francisco Games de Mattos, sua
senhora e 1 fillia. caddte Ludgero Olymnio
Telles de Menezes. Octaviano Augusto de Ma-
galhab.-s e 1. irmi. Jose Martins de Barros. Ma-
ria Francisca de Barros, Maria do Carnmo de
Barros. Josd,.-Vicente e Maria, Josed Maximia-
no.de "Barros, asua senhora, 3 fllhos e 6 oscra-
voe. Manoel Joaquim Henriques. Raymunda,
Josepha, Antonio. Balbina, Maria Anna e An-
na., infante Du-sbitanx. Dalmazia Maria da Con-
ceiao, Jobo da Silva Ferreira Sobrinho, Joa-
qiuum Mendes Pimbnta, Jeronyma (escrava),
Bernardinj Caino, Manoel Rodrigues- dos
Santos, su a senhra, 3 cunhadas e 1 creado.
Casa de Detenoio.-Movimento doe pre
aso no dia 28 do corrente : L
$xiatiam press 410. entraram 12, sahiram
7, existem 415, a saber : nacionaes 965, ma-
ihere. 13, estrangeiros 11, esoravos 26.-To-
tal 415.
Arragoados 355, sendo : Bons 332, doen
tee 23.
N hao ove movimento na eonfsrmariaL
dtWM-aifo p.blico-Obitmario do dia5
deo it-do18814 .
- VaustUnd Jos6 James da Silva Raeg. brtan-
0pa bao Z6 aa0nos, ca alo, t. JoS6
-''4


.li
,s. -, -
.. .- ..:..


C,
mu
a A
A-. -. ~


li.A


sut ii irua uouomin;nerciu. ncanao ano oent-
miMini obrigado pehl rnspectivo passive. Re-
gistre-se. do coIif.,riniII-IUIO cornm o parecar
iscal.
De Fonseci Iramos & C., pars que se regis-
tro a noineagio de seu caixeiro Joed Braz
Martins do Rio.--Coinm pc-lew.
Da Jose da Costa Cazciro & C., para igual
fln quanto ao caixeiro Antonio de Mattos
Peixoto Gmininaries. Reconhecida a firms
signataria da noineaeao annexa, seja regis-
trada.
De Pereira Carneiro & C., para que se ore-
-istre o contrato de socioedade que sob dita
arma celebraiamin Ailolphli Pereira Carneiro,
Antonio Muniz Machado e Antonio da Costa
Correia Leite, este representado por seu pro-
curador.-Satisfeito o pirecer fiscal, archive-
se na forma da lei.
Nada mais havendo a dlespichar, encerrou-
sea sessfo is 11 huros dj i nanha.





s- uk --I.c a f- l

w~o /Ie.-B cun^p6 a. cmpre-uds o s4lav s dot
rido ,durante-o trimastre dq'
bm4. do.6 RI1!* WfBIhi
^ffl a EVl 7-1 H


.4.,
I
~ -. in



.;.mr~ t


ni
t't
gt

P(
Lie
Do
cr
18
am


Durantiootr -
lebraimos 10.-iu k
maioria de w- medbro ,
w exscpgoas; 8Qu0 trabalb.wforaoi- q.u a-
edicados A syndicanciam e esrupuT09 xa-
e cda distribuitao de soecorro, precedeado
devida justice.
MOVlMENTO DE SOCOS-
Corn muito poucas esperancas de melhora,
este important pocto de'administrago,
penas passamos diplomas a 2, per toerem rea-
sado suas entradas, sendo um proposto polo
Ilin. Sr. director, e outro pelo Sr. V secreta-
io; para este ponto chamamnos, e esperamos '
cooperacno do illustre conselho fiscal, 4o
ual muito espera esta utilissima instituigo,
i por seu numero e ja pelas influencias de
ue e compost; e nested intnito ja esta di-
ectoria so dirigiom a maioria dos dignos mem-
ros desse digno conselho, em offieio A cada
m de per si, eaviandomlhcs propostas em.
ranco, e pedindto sua cooperacao, na qual
nuito confia.
CDN-VITES
Foi esta associacfio honrada coin o convite
a linp.-rial Suciedade dns Artistas Mecani--
os e Liberaeos, &i fzer-se representar em sua
essaro ina-gnua. no dia 21 de novembro do anno
r.xirma passado, pezar seu, nao p6de esta
irCetrira c,.rresponderl como devia, em nome
a n-s.;i.acOo que diri-c.'ao refdrido hlinnroso
ovimt-.. porquc, pr.,mpta da suapartoe coma o
ntiiz.tint. que Inoe ordena o 5 do art. 48.
alto Illh os iio& 5 do art. 30. e 35 do arts
),- ,-'.smnblka geral e conselho fiscal, cujos
ev !'., ilies so a nlstrictos, e aos quakes foi
ad-, ,,nlihcimnento do c.invito por officios
est -m irectoria, a q u-'l nio era licito exorbi-
r : in a ttrili1 i (1 es.
KA)CIJS L"ALLECIDOS
R. -z- 'trall.i s :1.i qii COI, itmzmar o fallecimanto
o. mi:-,1 tn l-,,v ltodrigues da Silva.
ue :oI[-,z;ir istn:. :;1. llM :na:iliimnos sutffragar sat al-
a, -. .i ;i-p.:'.-tiil.-i o t:ni_,i, % cCnitsoc.io rerni-
o, ,i.. m-il. i -l-stit ilistituilmio Antonio da Al-
umi:i -i.;nim llio. iro-imled t.-i da as.erublea
erm ::I I '. i'n tc r' G i coaiparecuu esti ;ireot-
m-i :',j:, i-m m.Jo u feretr o e:n 1 C,:n JuimI1 -
art..- c .o ,: --*-t.-i,,, coimnpungiili. ;i ut.ii a
ev, ii it1-'1 43:11.1 L i :-OcilO mli e t il-.s -
o ..-.. -S' serlvie s prn .toui a as-'!,i ca ao
u. -. I,, l;li :i 'lie iiilU-,-nias quj a ,le -
I ..'DWO i
.M.-;Dir-
C S',m c- t.. ,rrvcii, a :ar.t'o III. In. Sr.
k -11..'t ia '-hImii rlu-, nu 'le ,-,.penho
C ,. m-r -.:air.i Sm- ; rii la vul a tu'ios
s : -- ':, I- a;czar .iis-,.. a miss o 6 e.spi-
l--,-.. -11 :it.i-s rji xa-m :,ppare.cprnru m em
ri-i t i 0i ; Im-i i-tr' i i ; .. ,'t i:ivl, irt:u rii.- I'.tlt:t1 -,u* ras
ir i- i '-Ih '.:--! qu, o 6l j lmi 's tu li -
!lt "',. .1 ** ,I .Illl rL'V.T d O l[Fl-'_',.L"Jt;S ,'}U lll.
i- ,-' I- : ,-stta iirector :ti lir.,in lo-se ai
1'- i.*-rI"ts V./s., acho'i -mpn-) m:1 m,-o
ior :.;, : m- -m:: ;:t:-t: eia lidr-mni mm;sar tu-
,. -. '- -'-',':[ -_:m,.m, f II i a 'l "*is l tiit-in n vo-
iiiW C t ,i: .', !;ti !, i' Veirsafl',.o in -o ', na i
1 -r' ..1 i t /: mZ:imo mtnal.io,. ua pirnt evi-
i" ",:;,i II" im ell i1i:i -,-Lu.i4ab.stituto ein
nI- Dr. A ..\raltijo B-ltrftO
;a ', -, :; -. 1mi1 L.i :m.i{tt o ~-I., 1imc xt 'apre-
! D n c I' -. i ci n 2 I'. t i t .-' ', .s t ia
ir ,... li-;m- .,"i *: In .L--Lut.e -r ic. ,m ta ob-
r .*i- !.-'..- ,.-.- -l-em 1 ,. a idl r.-.spp ito,
,I '.r :i, "< i i- ijl :lq; '-X q,.'. ';8 pu r st-
r'.i i : ,,* ) IIlai (1.i fl'1- ium -iLII; i- vereis
U.- ,,l ;. L.m. ,) t'iia'-t-'m a imo i -- n. 'r.m'[:o---.
I 3: S .{ a ; .-', 1i- .'-"i'- ..- Vi.>. e ,til
Rm 1:C DI FZ-
P.--,,- i,;,;': .i .t..s ju:nt.,-. vcrmein quu f1 i nt ':te
*iii -m -itmi. i>;t
r *i-t it.
a D.- -p,..za :.'/ O


D.- r'.,it
M !-':N -; \ Ii.). IES
A. r-.cbi I>- mit.-ti t: t.str.-- torairu :
ti uimi i hri)
mm n'm'. iinljjin
-Jill t.-.'lt ll!

T, .taI


BI.
Ainil,- C ii",)"1
m ip tri.n !.-;rrt
.E't r mih libI u :
Em. oultibru:.


' urplhs
Eta 1'UTI L,,r
-s -, c i ,o s


V V 1U IS
' urphias



m v iUVs
' ir.^l';.s


I S~'m$(htQ

34~-5fH.'0


.:Nl-iFlc.FENCi(\
O-La,.tin 's bm(i)cetSa. ; '11Om .
: luac i nos rcl'e rinos., insi;.,


1'I~$ ~Ctl)

8~in .i)lI

l505OO'~

8~m16i)

1505(110
l39~6ll0
c~)


Tot-mi


MIV'lEN'l, DA C.AI.XA
ill.-. E1iT .
mtubrci -BiI:III 2-le stitmnbro
Q-iot-i r-,',.'m-tlat de um iniombro)
da us- aiblet-a g-rail do unno
pr-.xinimo pI.-sado
Menamlitids
,em-imro Men,-mliJaies
J.a.-. l; ,'nt-:t a laI
;;C.(,o -0- M..~ls.tiiIl',, *a
Adi;tnu;tm io pelu thlI--,tuireiro


DESPEZA


35in1. is


31:000


9.l2641s0


244,.Hio

15$0 0
1T7 00
52$(M0
3mslO<8X)
?u;i3#370
I --. i* r--C)


,1l1bro -B,!nLtfiCencia x.0i,)
P mrcenta-gein e grntificac'fto ao co-
b'::,donr 53 '00
Annuncios e despezns miudas 10',3-)
ovemnbro- Beneticen,-ia 31 75I0
Porcmntagem e -ratiflnicacto ao c-
bra-Ior & nmo"0
Public:acao do rutatrioi 21525u
Annuncios. mis-.as, e despezas
I1 i uda H2O
e:embro Bunecfienncia 31n7,lmj
Puoeentaemni e gratiflicaiclo ao co-
brad'or 7220
Aluguel ato ilzcmbr "(31 mnczes) 45850(4
Despezas riuu.tlo 281)00

1:28"750i(
Couclumnilo, cumnpro a6. csta ircctoria de-
irir-vos, q'ue apezar do lque lica descripto
ihereute no primeiro trimei-;tre de s',a ad:'ni-
stracjio sob a vossa fiscalisncmV,). esta prormp-
A -Iar-vos qualqu.!r esclarenoiiuinto quejul-
ieis nucessamrsi.
Sala das geesoes da directoria do Monte Pio
)rtuguez em Pernamntbuco. aos 15 de jan,'ro
SI&Sl.-Jod.ii Fernandes Baptistla., director -
omingos da Cunha Guimardes Rocha, 1 s-i-
etarto.
Approvado cm sessio ,de 20 dc jan-:,rin de
81.-Thomas Espicua. presidente.-Jonq,,;,"
Marble Si,ns,P 1 secretario.


PUBLICAROES AI EDiiO

Pao d'Alho
Tendo sido muito discutldo na impreens o
facto criininoso de urn furto de bois pratica-
do pelo escravo Jose, do subdelegailo do 2o
district desta freguezia. tenente Bernardino
Caetano de Sonza. do que resultou o proces-
so que o absixo assigna-o inteito contra o ,
mesmo escrnvo, venho hoje dar publicidkdoe
i luminosa'sentenga do illustrado juiz e di-
reitO Dr. Jc-ajuinm Gonkalves Pirnes, qua ccr.
demou o mesmo escravo.
Nod p. eeiso commentary, nea taW
i aGa SutSngsaBt
,ilara.-logieu-.
5iUizST-.


'* ^ "-
."-.. w-i:
,. .; ,.,
* ,,. =-,- ,'..* .it^ a


A1~~ mr *~- a'
~,.4*


I' .


- -


'11

S<


* -I t




m-









I'.
-Jp













I..
-:,


-.s.







',


.;r


S


-


5'
*Ah


s 4^tW p nog t



















"a....o..s:o Dr.e-nmotor public, ,o Ibello a
flt. 13 qu o ro Jos, eacravo do tenon-
U 9t~SRdaino Caotano do Souza, oondemna-
d; ii.rio l axoiaio do art. 2W do codigo cri-
intaI, allegando tr oo mesmo reo, na noite
o .p. d ra 4 d maio do anno proximo passa-
,do tirado para si do curral do engenho San-
I'Aun a, d'este term, de parceria comrn outrds,
un bo pi ptoncente ao major Franco Vieirade
S Mello, a sendo o facto praticado contra a von-
S. tade d'este, indo o reo vender o dito boi a An-
tonio Maria no lugar-Caxanga-da comarca
do Recipe, tendo-se dado o crime corn a cir-
,umstancis aggravante do art 16, 10, do ci-
ta4o ceodigo; e a rpspeito do que pede o Dr.
promoter elle secundado polo done do boi,
o- mjbr Franco, que deu a queixa a ft. 2, e
por su parte promoveu a accusagbo, reque-
rondo o .ue consta da peticio a fA. 37, e assis-
tindo, cornm eeu advogado, aos terms do pro-
cesso do j ulgamento.
0 reo, ,por sea curader (que e ao mnesmo
tempo advogado constituido polo senhor do
r6o na procurago a ft. 148), contrariou o li-
bello, allegando, como se vd a ft. 142, que o
boi de que seo trata, pertencente ao major
France, fOra furtado do curral do engenho
Saut'Anna.. per am escravo de nome Antonio,
do mesmrno major, e entregue a Herculano,
Jose de Almeida. 'que o conduzira par& o Ca-
Sxanga, onde o vendera a Jose Dia.; que ten-
do sido o boi furtado de urn corral, nio esta
o crime comprehendido no art. 1 da lei do 1
de setembro de 1860, e por consequencia nao
cabe a este jizo j ulgal-o, per ser a citada lei
especial, e dover, come tal, ser attendida res-
trictarmente am seus terms, que sio claros,
nao comprehendendo senao os furetos de ga-
do vaccum e ecavallar nos campos e pastos nas
fazend&a de criaclo ou cultural ; que, a com-
petir a este jaizo o julgamento do crime, ou-
tros deviamn ser os criminosos, a saber, o dito
escravo AntonioQ, Herculano eJosd Dias, e nao
o-reo, que nenhama testtmunha, a excepcao
-das pessoas suspeitas de criminosas, affirmam
'ter side o reo do crime autor, tendo Hercula-
no confessado haver side elle o conductor do
boie nio o reo, como alias falsamente affir-
maram algumas testemUnhas; que o proces-
so 'foi instaurado per crime particular, razao
pela qual escaparam os verdadeiros crinino-
sos, c tendo side a denuncia (alias queixa) da-
da pelo donor do boi, o major Franco, que 6
inimigo do senhor do reo, contra o rmo veto a
prevalecer o proeeoso, dando-se a este um ca-
raeter publico, o que nbo se conforma corn a
lei, e ,formalidades desta, que nao devem ser
violadas; e, flnalmente, concluio o reo, por
seu eurador, pedindo a absolvigio.
Nione pode prestar attenco As questOes.
que na contrariedade sAo suscitadas, sobre a
competencia deste juizo para o julgamento
do crime commettido, e a validade de proces-
so, que comecou por queixa, considerando-
se o crime particular, e sendo este depois con-
siderado public, interrindo no julgamento
a part quoixosa, inimiga do senior do ro ;
porque nada tern estate juizo a resolver a res-
peito da primeira question, desde que foi elIa
decidida pelo superior Tribunal da Relacio,
como se v6 pelo rccordio de ff. 129 a fl. 130;
e quanto Aa egunda, 6 a lei bern clara (codigo
do process criminal, os arts. 72 a 75), quan-
do, prohibindo a denuncia ao inimigo (inimi-
go capital) confere o direito de queixa ao of-
fendido, seu pai ou mii, tutor ou curador,
Indo menor, senhor ou conjuge, sem limitar
eate direito na hypothese de ter solid o offendi-
do antes do crime inimigo do offensor, limita-
cbo-que seria absurda; nada mais fazendo-se
no julgamento do roe do que cumprir o indi-
cado accordio,'observando-se, na conformida-
de do mesmorn, e process estabelecido no de-
crete n. 707 de 9 de outubro de 1850, a que se
referee o art. 1 da Jei do 1. de Setembro de
1860.
Pelo que conasta dos autos, mostra-se o se-
guinte:
0 boi de que faila o libello foi furtado do
curral do engenho Sant'Anna, na noite de 3
para 4 (sabbado para domingo) do mez de
maioe do anne proximo find ; o reo As 3 ho-
'ras pounce mais ou menos da madrugada do
dim 4 passed na povoacao do Rosarinho, dis-
tante desta cidade meia legua, conduzindo o
boi; no dim 5 ou no dia 6 o reo e Herculano
Jose de Almeida apresentaram-se corn o boi
no Caxanga, procuraram a JosO Dias (veja-se
o interrogatorio de ft. 12 a ft. 13), a quem o
reo, em companhia de Herculano, encarregou
de vendor o mesmo boa, que disse ser do sen
senhor tenente Bernardino Caetano de Souza,
e que este mandara vender o boi para com-
prar cousas para casa, exigindo o rmo como
condigbo da venda, receber elle logo metade
do preco ; o major Franco, donor do boi, sa-
bendo que ete lhe tinha sido furtado, entrou
em indagacoes, teve suspeitas de haver sido o
rmo o author do crime, conveneeu-se disso, se-
guio em busca do boi, chegou ao Caxanga,
encontrou o reo e obteve a sua prison ; Jose
Dias tinha ido corn Herculano A. casa de An-
tonio Maria para vendor o boi, e quando Jose
Dies voltava pars a sum easa, ao chegar proxi-
mo a esta soube da prisbo do rmo, send Jose


Dias tambern presos e desapparecendo Hercu-
lane; o senhor do r6o. send tambem subdele-
gadede policia a o 2 district deste terso, e
sabendo o que se dizia e passava-se contra o
settescravo, no dia 8 do mesmo mez prendeu a
Herculano Jose de Almeida (que de volta ao
-Canxanga-ja se achava no Iugar-Eixo-),
e foi ao engenho-Apua-, onds mora o ma-
jor France (que na occasibo ahi nao estava), e
prendeu a dous escravos deste, Antonio e
Marcelhlino, os quaes, bemrn como Herculano,
foram conduzidos A presenga do delegado e
ahi interrogados.
0 reo e Herculano nos interrogatories que
Ihes form feitos, cahiram em conrradicgOes,
am corn o outro e cada am comsigo mesmo,
com o passe A expor :


da do meomao dia- (domnqo) tiWh sella Htrca-
laao ens carta em sou poderquando sssa-
ra ao Bosarnhoe s6 de,. volta d Becife a
retituira so rolit. .): disse Herculano quo
r "ceb"rao boiwdo r6o, que o comprAra a An-,
tonio por.ji0b.; dizendo o reo queo boi, fora
para seu powder manm14ado conduzir por Herou-
lano : diMe Hrculano que chegire ao Caxan-
ga. entregrm aoboi a Jos- Diis, vvltara, e no
Dcainho, d-volta, restituira a carta para o
Dr. Pins ao rdo: dizendo o reo que chegAra
ao Caxangi com Herculano e o boi; dizende
o reo, a final, que de nada sabe a respeito da
perpetragbo do crime, do qual a6 podem sa-
hber o escravos do major Franco I Nao pre-
cisa ir-se ale6m, para se conhecer a verdade, e
que desta afastou-se o r6o, bemrn como Hercu-
lano, que della afaatou-se sempre, e se0 v pe-
lo mais, e lendo-se com attenglo o seu inter-
rogatorio, e os que foram feitos ao major
France, ao reo, a Jos69 Dias, e aos escravos
Antonio e Marcellino.
Que nao foi Herculano e aim o ro quaem
passou na povoagco do Rosarinho conduzin-
do o boi furtado, conhece-se bern pelos de-
poiaentos das testemunhas da accusagio, e
atr polo que disseramn as propriastestemunhas
da defeza, nada dizendo estas ultimas que
possa deatruir as provas de criminalidade
contra o rmo, nbo fallando-se na testemunha
de nome Jobo Carneiro de Andrade Lima (a 4A
da defeza), a qual vd-se que nao disse a ver-
dade sciente ou conscientemente, ao mesnos em
part do seu depoimento.
As testemunhas da aecusacio, a respeito
das quaes nbo ha cousa alguma que faga des-
confiar de sua imparcialidade na causa, de-
claram, como declararam no process da for-
magrio da culpa, que na madrugada de 4 de
maio do anno proximo find (na madrugada
do dia 4), As 3 horas pouco mais ou menos
(nao dizem precisamente as horas, o que nio
e e stranhar, pelo que as mesmas testemu-
nh.s expuzeram), estando ellas divertindo-se
(dancando) em uina casa na povoacao do Ro-
sarinho, urnsa das mesmas, vindo f6ra, vira
que um home ia conduzindo um boi, o que
dissera as outras testemunhas, as quakes to-
das, pelas suspeitas que tiveram, tominaram a
resolu.Ao de irem examinar de quem era o
o0oi, quem o conduzia e para onde ia ; que
sahiram, foram ter corn o conductor do boi,
o cercaram, indagaram para onde ia, e elle
respendera que ia para o Recife, a mandado
do tenente Bernardino Caetano de Souza, le-
var o boi ao Dr. Pina, mostrando a carta que
para este ia ; que exigiram a carta, e corn
uma luz, que pediram ao dono da casa, a ex-
aminaram, vendo que o sobrescripto era corn
efleito para e Dr. Pina ; que examinado o
sobrescripto da carta, e ainda corn a luz pres-
taram alguma attengfo para a pessoa do con-
ductor do boi, e viram os seus signals, che-
gando a testemunha Antonio Melquiades de
Lima (a 1' a ff. 162) a dizer ao connuctor que
ja o tinha visto, nbo se lembrando onde e
equal o seu nome; que na duvida sobre o que
deviam fazer, resolverarn deixar seguir o con-
ductor do boi corn este ; vendo-se mais, pelos
depoimentos das mesmas testemaunhas. que
sabendo-se do que havia occorrido, f6ra a di-
ta testemunha Antonio Malquiades chamado
depois ao Caxanga polo subdelegado d'alli:
ali comparecera e vira prose o home qne
tinha visto na povoagco do Rosarinho, reco-
nhecendo ser esse home o proprio conduc-
tor do boi, e que cornm este havia passado per
aquella povoagbo; vendo-se tambem que a
testemunha Manoel Christovbo da Silva (a 5a
a fl. 169 v.), indo ao Recife vender umas ca-
bras, e achando-se no Caxangi, f6ra ahi deti-
do e conduzido A presenga do subdelegado,
que, depois de Ihe perguntar se vendo o ho-
mrne que tinha visto passar corn o boi na po-
voac=o do Rosarinho o reconheceria, e tendo
o subdelegado resposta affirmative, o levara
a uma casa de prison, onde estavamn recolhi-
das 7 ou 8 pessoas. e ahi, mandando o subde-
legado que ella testernunha indicasse d'entre
as pessoas press, esse home do boi, ella o
indioou, sabendo depois que a pessoa indica-
da era um escravo do tenente Bernardino Cae-
tano de Souza ; vondo-se ainda que as duas
testemunhas Antonio Melquiades- e Maaoel
Christovao, quando presented o reo na audien-
cia do julgamento, e perguntadas se serial elle
o proprio home que no Rosarinho passara
corn o beo na madrugada do dia 4 (quatro] de
miaie do anno proximo passado, ellas, olhan-
do parm o reo-responderamn que sim--. nue
era o mesmo ; declarando Manoel Christovao
nessa occasibo, que isto dazia per nao ter vis-
to alum do home que passara corn o boi no
Rosarinho outro corn as mesmas feig5es e sig-
naes, a saber, barba rapada, bigodes vernme-
ihos, cars vermelha e bexigosa, cabellos nao
muito crespos nem estirados, estatura regu-
lar, um tanto grosso do corpo, e um tanto es-
padaudo ; signees estes do rmo, que 0 mulato.
Note-so, que dentre as testemunhas apre-
sentadas per parts da defesa, s tares fallaram
a respeito da parecenga ou nbo parecenga de
Herculano corn o reo, sendo a respeito per-
guntadas ; e foram Manoel Jose de Sant'An-


na (que depoz de ft. 175 A ft. 177), Joaquim
Jose de Sant'Anna Lque depoz de ft. 178 1 ft.
179) e Jobo Carjeiro de Andrade Lima ; di-
zendo a primeira destas que conhece o reo e
Herculano, sabe ser Herculano cabra escuro,
nao sabendo se elles .e panecem, por nbo ter
bemrn reparado para elles 1); dizendo a segun-
da, Joaquim Jose de Sant'Anna, que moral no
lugar-Eixo (no mesmo lugar em que mora o
senhor do reo) e conhece Herculano, bern
como o reo, nao se parecerem estes dous urn
com o outro, havendo muita difference entire
elles ; porque Herculano mais trAgueiro,
mais alto, conserva toda barba, nao tern a
cara bexigoza, e tern os cabellos perteitamen-
te lisos; e o reo naoe 6 assim.
A testemunha Jobo Carneiro, sondo per-
guntada se conhecia o reo e Herculano e se
elles se Dareciarnm. romvtamente responded


Disse o rmo, no interrogatorio de fls, 10 a que os conhecia, e aserenm elles-inteiramente
flts. 11, que o boi de que se trata, f6ra para parecidos,-tendo ambos a mesa altura, a
seu poder mandado conduzir por Herculano ; mesma c6r, os cabellos igualmente crespos,
que ellc rmo recebera o boi de um escravo do usando ambos a barba rapada, ambos trazen-
major France, de nome Antonio ; e ao mesmo do bigodes, s6 send Herculano mais mnogo
tempo, perguntado para onde remettera o boi do que o reo, e nino tend a cara taoi estraga-
por Herculano, responded que mandara este da de bexigas, havendo ella testemunha visto
esperar por elle reo na casa de Jose Dias, e ahi Herculano de porto somente tires vezes, send
chegando Herculano, o boi e elle rdo, tomAra a a ultima vez quando ella testemunha, em
resoluglo de mandar vender o boa pelo mes- companhia do subdelegado, fora. ajudar este
mo Jose Dias, e achando-se elle reo defronte a prendel-o (I)...; mas o que disse a testemu-
da casa deste (casa na qual havia flcado espe- nha nio pode merecer f6 alguma, nenhum
rando pelo resultado da venda, conform Jo- peso absolutamente pode ter, em vista do que
s6 Dias disse no interrogatorio de fls. 12 a disseram as testemunhas Manoel Jos6 de
fls. 13), e passando per ahi o major France, Sant'Anna e Joaquim Jose de Sant'Anna;
este dera a elle Tro voz de prisfio, chamando nao se podendo admittir que a mesa teste-
o inspector de quarteirlo [que officiou ao sub- munha Joao Carneiro, que disse ter visto
delegado pela frrna constante de fis. 6] e Herculano somente tres vezes, conheia Her-
mais pessoas, que ahi se achavarn e o condu- culano mais do que a este conhece Joaquirn
ziram A presence do subdelegado (da Varzea), Jose de Sant'Anna, que e cunhado do mesmo
sendo em seguida preso o sei companheiro Herculano, como declarou em seun depoirnmen-
Josd Dias; dizendo o reo depois, no interro- to, e conhece o reo, a quem bern dove conhe-
gatorio de fls. 159 a fls. 162, que tern poucap cer, morando no mesmo lugar em que este
relaQOes corn Herculano ; que elle roo nada moral corn seu senhor; nlo podendo baver
sabia do furto, do qual s6 as escravos do ma- suspeita de parcialidade de Joaquim Jose de
jor Franco podiam saber; que no dia 4 (do- Sant'Anna centra os interesses da defeza,
mingo) fdra elle ao meio dia a Lag6a do Car- quando em favor desta foi elle apresentado
ro, a mandado de seu senhor, e de volta fOra como testernunha.
ao Recie, conduzindo uma carts que sou se- Ja se ve bemrn que Herculano, declarando o
nhor Ihe havia dado para entregra ahi ao Dr. que disse ter-se dade corn elle quando o boi
Pina; e que elle rmo tfra sosinho ao Recife, passava condazido pela povpamlo do Rozari-
ninguem o acompanhando na viagem : entre- nho, faltou a verdade, quaesquer que fossem
tanto Hercalano, no interrogatorio de fls. 15 as razOes que o levassem ou obrigassem-no a
a fls. 17, d,sse que fdra elle Herculano quem isso.
conduzira o boi para o Recife ; que per 6000 Muito se procurou, pelo que se v ose a u-
f6ra o boi comprado pelo reo ao escravo An- tos, fazermcorn que a verdade nao fosse deg-
tonio, vindo Antonio entregal-o ao reo no coberta, ou polo menos corn que se tornasse
enge-Aho-Sip6- ; que a compra, feits pelo de diffleil conhecimento; mas ella apparebeu
reo, 8s dora no dia sabbado (3 de maio); que e torna-se patente; porque, examinados os
na madrugada de domingo (4) subsequent depoimehtos das ttestemunhas da formagiae da
ao dia em que fdra o boi vendido ao meo, culpa,me confrontados eCm-os que as mes-
elle Hereulano o conduzira para o Recife ; mas testernunhas deram neste juizo,'confron-
queno uWI Rosarinho,is 5 horas da ma. tadB estes uttimos com oe dadoes pelas tes-
nh& (nio 6a verdade) e quando per ahi ternmnhas da defeza, e combinados todos os
p vaaaa -boi, algumas pessoas (foram deoirmenatoaom aos interrogatorios feitos na
as tesnque depuzeram de fis. 162 v. policia e o Bastante de #. 159 v.A 162 feito ao
afla. 11% "i achavamrem uma cas Ibr- rdo e o mais, nfitoe pods have duvida que o
t, q/ ika sahir para onde elle HeftaulahO crime deiue O trIata noA foi mnis a em me-
se d l rn o oboi, ao que elle Ilreano nos doque 6 reaulldo de -ua eombinaigo.,
ripop(dra'que levava o' boa param 0ecifd, de um concerto on oluio entttie 6 ro e
uar'cart a reecbida do reo, e qur eatsdissera Heteulano, coao prorio senhor do reo re-
arpars o Dr. Pina (presto-so Iteto6) ;, q enfoe 91 qialidade de subdelegedo de
e Hiere ii &no entregara o boino Usaugi a I 6ia. del gado reOehoea eeu tsmbem, noBs
ies, e1 carts pLara o Dr_ Piaa i-tt4'- da0 =&m6ae ktirioda puttblicados,
:I 0 qu a 0.Voyh oa.ou
0m_ d aldtdo too"ea


*s:w mww:. I<1 .. 1 \-
As 4atemuehas que depuseram por parta
do r6o, polas muss posifoeo e circumstancls,
ou pla maeira po que deoozeram e oatras
rzA uto spereeem fe nesta' causa, con-
sidoraud-as suspeitas ; mas, admittindo quo
todas sleam insuspoitas, toja s na causa di g-
das de f, e mereodoras de inteiro.,Predito,
em tudo quaato depozsoram, menes na part
em que atestemunha Joao Carneiro 4e An-
drade Lima, dione que o rdo se parece-intel-
ramente-coam Heroulano. nada dlisseram que
possa destruir as provas contra o r 6o exis-
tentes, referimdo-se sobre os depoimentos
das mesmas testemunhas, sobre o tempo em
que o crime so deu, e attendendo-se & consi-
deragOes quo n1o podem deixar de ter muito
peso.
Cornm effeito diase a testemunha Joaquim
Jose de SantfAana, a 2a a ft. 173, quae no sab-
badeo (3 de maio) estivera na \casa do senhor
do reo no lugar- Eiixo -ate media noite, e que
ate essa hera vira o reo ahi ; mas naoe disse
a testemunha, e muito menos affirmou, que
depois da meia note continuara o rdo,na casa
de sou senhor atW o dia seguinte ; e, pois, Ja
estando o reo de accord e conluiado comrn
Herculano, e disatando o engenho-Sant'Anna
urn quarto de legua do lugar Eixo, ntnhuma
impossibilidade havia em ter ido elle logo de-
pois da meia noite, s6 ou juntamente comrn
Herculano, ao engenho-Sant'Anna,-e, apo-
derando-se do boi, star cornm este as tries ho-
ras, pouco mais ou menos, na povoago do
Rozarinho, tendo, o que nao era difficil, an-
dade em duas horas e media, se nao em menos
tempo, duas leguas e media, que e quanto a
povoa&co do Rozarinho dista do engenho-
Sant'Anna ;-nada mais possivel e de crer-se,
tend havido combinagbo ou couluio centre o
reo e Herculano, do que este, polo interesse
commum aos dous, acompanhar e coadjuvar
o r6o na conducgio do boi, tornando ao mes-
me tempo esta mais rapid, de maneira a ser
postG o boi em menos tempo possivel distan-
te do lugar do crime; approximando-se da
povoago do Rozarinho ou ahi chegando o r6o
e Herculano, e ainda mais vendo elles que
achavam.se ahi em uma casa, aberta segun-
do Herculano disse, algumas pessoas juntas
e divertindo-se, nada maisconforme a razio e
de crer-se do que Herculano adiantar-se do
reo, ou deixar-se ficar atrazado, ou dar uma
volta e mais adiante sabir no caminho, e ahi
corn o rdo reunir see, para nao passarem jun-
tamente em pouca distancia dessa casa, e
nio despertarem maior attoneao da parte
deasas pessoas que nella estavam, atten-
cao que o reo castalmente exeitou nao obs-
tante vir s6 nessa occasion.
Passado o perigo, e tendo-se dado a occir-
rencia havida entire o reo e as pessoas que
estavam na mencionada casa, e reunindo-se
elle a Herculano, nada mais conform a boa
razao e de crer-se firmemente do que o reo
deixar Herculano vir seguindo s6 cornm o boi,
convencionando o tempo e o lugar em que
de novo deviam reunir-se, e voltar o rdeo im-
mediatamente para o lugar-Eixo-e casa de
seu senhor, acautelando-se, e preparando-se
um meio de defeza para o que podesse contra
si apparecer; sondo o reo um home rebus.
to, rustico a acostumado a caminhar, facil
era-lhe, voltando as quatro horas pouco mais
ou menos da madrugada da pavoagbo do Ro-
sariaho ou lugar nfio distant d'ella, estar as
seis e meia da manhi ou pouco antes na casa
de sen senhor, havendocaminhado, sem cau-
sar admiragio alguma. 'em duas horas e meia
duas leguas e meia, distancia esta que ha da
dita povoacao ao lugar-Eixo-; e entio ne-
nhuma udmiragao pods causar o dizer a tes-
temunha Salvino Erminio da Silva (a fl. 180),
que morava, como declarou, em uma casa
encostada A do senhor do reo, ter visto no
seu rogado o reo tiirdo uma carga de palha
de milho-as oito homs da manbi do mesmo
dia; e entae nada import o dizer a testemu-
nha Joaquim Jose de Santa Anna, jA meAcio-
nada, ter no mesmo dia (domingo) visto ao
meio dia no lugar-Eixo-o reo de viagem
para a povoacao da-Lag6a do Carro, o nerm
o dizer a testemunha Joao Carneiro, de quem
ja fallei, ter visto o rea As duas horas da
tarde do mesmo dia passar pelo lugar-S. P-
dro-de viagem para a cidade do Recife, po-
deondo-s concluir do que A respeito dizem as
duas testamunhas unicamente ter o reo an-
dade do meio dim ate as duas horas da tarde
pouco mais ou menos, corn a demora qual-
quer que na povoacao da Lagfa do Carro ti-
vesse tres leguas e meia, fazende a viagem a
cavallo, e devendo este ter andado a passe re-
gular, per isso que nao e de supp6r que ti-
vesse havido press na viagem, desde queo
tend o rdo recebido no sabbado a carta para
o Dr. Pina, no domingo snu senhor o ma.-
dara a pequena povoacao da-Lagda do Car-
ro fazer algumas compras, compras que, nao
tendo side alii effectuadas, o mesmo senhor
do r6o, nao mandando fazel-as n'esta cidade,
mandou que fesser feitas na cidade do Reci-
fe, ando diz o roe ter perdido a dita carta;
nao send para admirer, polo que ja flea dito,
o dizer tambem a testemunha Manoel Jose de


Santa Anna (a 1.' a ft. 17 5) tr vindo no mes-
me dia (domiago) do Recife, e enbontrado
Herculano s6 corn o boi no lugar-Campina
Grande-(entre a povoaglo de S. Lourence e a
cidade do Recife); sendo certo que o r6o Her-
culano apresentAra-se juntamente corn oboi
no Caxaaga, onde j untamente o veaderam
per intermedio de Jose Dias, come ja se disse
e mostra-se pelo officio A ft. 6, e interrogato-
rios de fl. 10 a ft. 13.
Dovevo aqui observer, que o reo disse ter no
domingo ao meio dia sahido do-Eixo-para
-Lagda do Carro ; que a testemunha Joa-
quimn Jos6 de Santa Anna disse ter visto, es-
tando no mesmo lugar-Eixo, o reo passar de
viagem para-Lag6a do Carro-ao meio dia ;
dizendo a testemunha Manoel Jose Carneiro
da Motta ter visto, estando n'esse mesmo lu-
gar-Eixo-e no mesmo dia, o r6o passar de
viagem para-Lag6a do Carro-ds des horas
da manhd.
Na contrariedade ao libello, como por elle
se vd. imputa-se a autoria do crime ao escra-
vo Antonio; mas contra este nao se prova
semelhante autorna ; contra elle nae ha mais
do que as declaragoes do proprio r6o e de
Herculano, e o que as testemunhas do reo
dizem a este'respeito ter ouvido a Herculano,
bemrn como vagamente ; e, como e sabido, de-
peimentos de-ouvida vaga-nada exprimem,
nada valem, maxime tratando-se de provas
em material criminal ; e as declaragoes dos
socios do crime nao constituem mais do que
uma-simples presumpglo remote, que a nin-
guem dove prejudicar (Cod. do Proc., arts.
144 145; Reg. de31 de janeiro de 1842, arts.
285 e 286 ; Pereira e Souza, 56 e not. 135);
ainda menos devendo, nerm podendo prejudi-
car takes declaracoes, quando p6de-se presu-
mir serem eUjas um meio de obter se isen bo
ou minoragio de pena. Nem outras samples
presumpgSoes, que porventura se queira dedu-
zir do que consta ter dito Antonio no auto
de perguntas de ft. 20 a ft. 21, p6dem autori-
sar affirmar-soe ter elle corn effeito tornado
part no crime imputado ao reo.
Se 6 impossivel a respeito de qualquer cri-
me haver complicidade seom autoria, poden-
do hater autoria sem complicidade; se nao
prova-se ter side o escravo Antonio, perten-
cent e aso major Franco, o author do crime de
que se trata; seo .foi o reo, como esta de-
monstrado, quem passou na povoaco do Ro-
sacinho cornm o boi furtudo, tendo por com-
panheiro Herculano; se o crime, com o pe-
os autos' se mostra, nao foi mbis nem me-
nose do que o resultado de uma combinac&o
ou conluio do reo cornm Herculano, de quemn
s6 tenho fallado e fallo agora for-ado polea
necessidade do exanie das proves e da apre-
ciagio do crime e suas circumstancias, vis-
ta nao ter 'havido contra Herculano queixa
ou denuncia, naoe star elle pronuncrsdo e
menos submettido a julgamento ; se, como
consta dos autos e ficou dito, o r6eo e Her-
culano foram os que se apresentaram no
CaxangA com o boi furtado, e ahi jirutken-'
to tratAram da Venda delle, por intermedieo
de Jose Dias : a~consequencia 6 ho poder o
rOo deixar ne ser considerado autor onu o-
autor do crime pelo qual 6 accusdo.' -
A Qe o crime deu-so, tendo pars olleoprece-
dido ajuste centre o reo e outra poedoa, .o
quo no a pro8ise demonstrart i4o sido'0
crime o repultadro 0de .unwi a .4


S jt.prU eormo, porea. nem
deu-se am ora .aggravante na ypohs
doeseo tdado.
IDWDigo quo nao houve a circumstmncia de
lugr ormo, Porqueo ourral donds o boi fei
furtado, conformso declarou a testemunha a
fls. 178 e publicamente melhor informbu na
audiencia o proprio major Framnco seemm
quae a iWforma Io deste nao conste dos au-
tos), 6 formado de um corcado A rods da ca-
sa do engeaho, tondo duas porteiras, poronde
os -nimaes entrami e por onde sahem para o
campo, que 6 abrangido polo coercadoprepria-
mente da fazenda ; a casa do engenho estA, e
nem podia deixar de stara, no local do casco
da fazenda; no local do casco da fazenda esta
sem duvida, aledm da casa de purgar e oun-
tras proprias de uma fazenda ottu engenho de
fabricar assucar, a casa de vivenda, eaa sen-
zala; e n&o estando o engenho Sant'Anna;
em complete abandon e sem gentle, devon-
do haver pessoa4 no casco do mesmo enge-
nho ou fazenda, ainda que ais horas em que
o boi foi furtado naturalmente devessem es-
tar dormindo, o lugar d'onde foi furtado o
boi neao se pode considerar ermo: digo que
ainda soende ermo o lugar, nao seria agra-
vante a circumstancia, porque, conform se
tern entendido, 6 ella elementary dos crimes
de que trata o art. 1.0 da lei do 1.0 de se-
temabro de 1860; nbo podendo eu nested mo-
mento indicar exemplos de julgados neste
sentido, indicando, ainda assim, urn, que
se acha no Direito, vol. 6.0, pag. 497, embora
de um juiz de primeira instancia.
Por todo o exposto e ponderado, julgo pro-
cedente a accusagco intentada contra o reo,
julgando-o, como julgo, incurso no grio ma-
ximo das penas estabelecidas no art. 257 do
codigo criminal, a saber, nas penas de qua-
Lro annos de prisbo corn trabalho e multa de
vinte por cento do valor do boi furtado, por
se terem dado as circumstancias aggravan-
tes da noite e do ajuste, espedificadas no
art. 16, 1.o e 17, do dito codigo, nenhuma
attenuante havendo; pelo que, em face, do
art. 60 do codigo citado, e visto ser o mes-
me reo escravo o condemno a soffrer 200
a oites, depois dos quakes mando que seja
ells entregue a seu senhor que se obrigara
nessa occaalio, por term nos autos da exe-
cucao, a trazel-o cornm um ferro ao pescoqo
por espajo de quatro annos, tendo o ferro
gancho elevado, que o tomrne bemrn visivel.
Pague o Sr. do reo as custas.
0 escrivbo extraia traslado da peticko de
queixa a fls. 2. officio a fls. 6, auto de fls. 7
a 8, auto de fls. 10 a 11, auto de fls. 12 a 13,
officio a fls.- 14, auto de fls. 15 a 17. auto de
fls. 18 a 19, auto de is. 20 a 21, officios, do
delegadeo e asubdologado do policia, constan-
tes do Diario Pernambuce, entire fls 44 e 46,
depoimento. do ft.. 162 verso a 186, interro-
gatorio de is. 159 a 161, e desta aentenca ;
e conferido, e cc'certado devidarnente o tras-
lade, seja elle rernottido ao Dr. promoter pu-
blico per intermedio do Dr. juiz municipal,'
para que o mesmo Dr. promoter promova o
conpetente process contra Herculano, de
quern nos autos so falla, e contra quern mais
entender em calpa.
Publiue.so no artorio, e sejam feitas as
devidas aMi.aft.
Cidado do *jiri ft ado, 25 de novembro
de IM.,
nvgj mJw G enalves d a Silva.

At encao


A abaixo assignada, ainda uma vez vem
protestar, que, nio deu, e nem podia dar au-
torisagio a pessoa alguma, para receber Ais
parties dos aluauneis dos predios da rua do Ba-
rio da Victoria n. 39, e de Pedro Affonso ns.
16 e 18, come fez a outra herdeira, julgando-se
& unica, visto come no esta terminado o in-
ventarlo e partilhas dos bens deixados pelo
finado Antonio Augusto da Fonseca, de
quem e herdeira, por successaio de seu filho
Alfredo, e que a mesma abaixo assignada s6
convem seja judicialmente, onde julga mais
seguro o seu direito, tanto mais, que, nio
quer conselhos, e nom ouvir calummas ; e, A
acoinmodagio que corn tanto empenho se
procura, e corn empenhos fazer corn a mesma
abaixo assignada, que, pare isso,a e s6 agora,
tem side procurada; e della ja se no tern
nojo, sem o cuidado de em frente p6rem urn
espelho.
O competent para takes recebimentos,
flquem os Srs. inquilinos sabendo, 6 o inven-
tariante que for nomeado, visto ter pedido
exoneragio, e prestado sues contas, o que
servia, e lhe ter side concedida.
Aproveitando a occasilo, a abaixo assigna-
da faz constar, para que a calumnia nao for-
me echo, que, pessoa alguma a procurou, nem
corn ella so entendeu. ou ompenhou, para pro-
mover o andamento do inventario, como mi-
lagrosamente, se ternm mentido, pare certes
fins; que s6 o fez, muito expontaneamente,
or ter noticia da posse individa, que a outra
herdeira, esta tendo, recebendo alugueis, cu-
jos recibos alo passados per sea marido, que
nao mnventariante; e nem a partilha esta
feita pare saber o queo Ihe poderi pertencer,
como tambem iA annunciante.
Olinda, 27 de janeiro de 1881.
Clara Joaquina dos Passos.

nlastituto Inglez de Per-
nambuco
Estrada de Jobo deBarres, chacara n. 21
0 abaixe assignado, teoi a satisfaclo de
communicar ao respoitavel public oe com es-
pecialid- de aos pals de familiar, que no dia 10
do c rrente abrir-se-hbo as aulas deste Insti-
tuto, admittindo dead jai alumnos interns,
neio pensionistas e externos.
0 programma de estudos coustarA de um
curso pimrimario sclar que comprehendera:
Orthographi*, Leitra, Calligraphia, Arithme-
tica, Gramatk, Gee.aphia, Escripturagfo,
Elocufado, Deseho e M.usnca vocal, ensinados
em Inglez e Portuguez, e de oum cnioso secun-
dario academic, que comprehenderA Inglez,
Portuguez, Frances, Allemio, Latim, Grego,
Philosophia natural, Anatoms. Physiologia,
Hygiene, Botanica;' Mineralogia, Zoologia, Chi-
mica, Geologia, Arithmetica mental, pratica e
commercial, Algebra,Geometria, Trigonometria,
Astronomia, Historia geral, antiga e modern,
especial -da Europa, Estados- Unidos e Brasil,
ihilosophia mental e moral, Logica, Rhetorica e
Economic political.
0 pessoal ducents compbe se do Dr. W. T.
Robin on A. M., Dr. Chas E. Shelton A. M.
Dr. Juao Baptiste Regueira Costa e Mrs. Ws
T. Robinson o M. s. Chas E. Shelton.
Quatro destes professors chegaram ulti
mamente dos Estado .-Unidos, onde cursara i,
as mais celebres universidades e adquiriram
uma long pratica de magisterio.
Ao Dr. Jobo Baptists Regueira Costa sera
conflada a cadeira de lingua portugueza, na
qual se acha competentemente versado.
SPara o onsino deomuuica espera o abaixo as-
signade dos Estados-Unidos, um mestre de
provada aptido na art e que professes.
D'slli virbo tambem todos os criados que
devem server no estabeleodmento.
A casa do Institute reuse as condigOes hy-
gionicas neconsarias; esta em perfeito estpdo
de aceio, 6 bastante arejad., sobre tudo na
parts destinada para dormitories. dispoe de
um vasto itiq o em spaco sufficiente par
exercicios e recreio dos educandos, e com a
separagblo convenient para os alumnos de
rum e outro sexo.
|As aules echam-se provides de mappas,
cartas e tudo o que 6 indispensavel parao 0es-
tudo protico das diversms material. ,
Ser. adoptidoa no Institute. es methodos
mwas recentos e qa uelhores reaultados t.-
nnam rcolido, bem 'como as livros'e comupn-
dies admittidos na Europa e nos Estados
,Uoidos, i '
E' escusado dizer que a director oe o pco-.
fssos envidarlo todos os esferou a beb 4d

'iudi, o adiantpaxte sodospalnos,
do-Ibos io eis~alKq iI ZTfi^ado. t~


Pesta qual j eoadl un grand nume.-
ro de maoa, saenodo asaz satisfactori o ro-
sultado aW boje obUdo.
0 nsino As 'meninas 6 dado em salq sepa-
rada, O coaflado A senhoras competent mente
habilitadas.
SAdmittem-se io s6 os que neo tiveres no.
Co alguma da lingua lngleza, como os que
nella quizerem aperfeigoar'se.
A aula funcciona As 7 bores da noite, A rue
Nova n. 23, 20 andar, todos os dies uteis ex-
cept. o sabbado, a 245t00 per trimestre, pagos
adiantados.
Para quaesquer outras informagbes dirijam-
se aos interessados do Institute, A estrada de
Joo de Barros, chacars n. 24, ou A rua Nova n.
23,20 andar, oufinalmente, ao pateo de Pedro H
n. 79, 1 andar, & entender-se com o Sr. Jo-
vine Bandeira.
0 director,
Dr W. T. Robinson A. M.


Collegio -Zima
PARA 0 SEXO FEMININO
Rua do Livramento n. 38,


andar.
Professors e directors:
Amrealia Roxo Limoa.
Zima Roxo Lima.
A matricula do 8."anno lectivo para aa aulas
deste collegial esta aboerts desde 7 de janeiro
de 1881 em diante, tao somente para alumnas
externas.
Collegio de N. S. do

Amparo

Rua da Unito numnez o 4
Este estabelecimento de educagio de meni-
nas estarA aberto do dia 7 de janeiro em
diante.

A' caridade public
As mulheres necessitadas, residents na tra-
vessa do Bernardo n. 51, na freguezia de S.
Jose, ainda imploran a caridade public

Collegio de N. S. da Graca
N. 10-Ponte d'Uch6a- -N. 10
Miss Anna Carroll, desejando dar mais des-
envolvimento ao curso de estudos do seu col-
legio, resolve auxiliar-se de alguns professor
res de conhecido merit, cfim de poder asse-
gurar As suas discipulas o melhor adianta-
mente e perfeigio nas materials que estuda-
rein.
As materials ensinsdas no seu estabeleci-
mento sfio as seguintes:
Portuguez, francez, geographia e historia-
leccionadas polo Revrn. padre Velloso.
Inglez-pela director.
Primeiras letters e bordados-pela Sra. D.
Augusta da Silva.
Piano e canto-pelo Sr. Gustavo Werthe
moer.
Desenho e pintura-polo Sr. Aurelio de Fi-
gueiredo.
Instruccgo religiosa-pele Sr. vigario Vel-
loso.
As linguas falladas no collegio sio: o por-
tuguez, francez e inglez.
0 collegio recebe alumnas pensionistas,
sime-pensionistas e external. As aulas esta-
rmo abertas do dia 10 de janeiro em diante.



COIEERCIO


Junta dos correctores
PRAVA DO RECIFE. 28 DE JANEIRO
DE 1881
cotac6es ollielaes
AS tres horas da tarde
Assucar do Rio Grande do Norte, 2310 por 15
kilos pestoa bordo a free de 37/6 e 5
0/0, hontem.
Cambio sobte Londres, 90 d/v. 22 11/ d., e do
banco 221/4 d. por 11000.
Dito sobre dito, & vista, 22 d. por 15000. do
banco.
Cambio sobre Paris, A vista, 433 rs. o franco,
do banco.
Zambio sobre Hamburgo, a vista, 537 rs. poej
R. M, do banco.
Cambio sobre o Porto, A vista, 143 0/0 de pre-
mio, do banco.
M. J. da Motta,
President.
M. J Affonso,
Secretario.
ALLFANDEGA
ftendimento do dia 3 a 27 1,065:3978579
Idea do dia 27 27:038$677
1,092:436S256

RECEBEDORIA DEf RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO
Rendimento doldis 3 a 27 37:642A44
Idea do di a 28 4:0345041
41.676S485

CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 3 a 27 249:2135361
Idem do dia 28 17:0405012
266:253373


RECiFE DRAINAGE
Rendimento dia 3 a 27
(deam do di a 28


5:8438596
235503


5:8678099


UKBTO DO PORTO
Navio sahido no dia 27
Portos do sul-Vapor francez Ville de Bahia,
de 1,008 toneladas, commandant Briant,
carga part da que trouxe e mais assucar e
aguardente que recebeu aqui.
Navios sahidos no di 28
Portos do norte-Vapor brasileiro Ceard, de
1,999 toneladas, commandant Alcoforado,
carga varies generous. I
Bahia-Vapor brasilheiro Alagnas, de 429 to-
neladas, commandants Anselmo, carga va-
rios generous.
Boston-Patacho americano Johanna, de 505
toneladas, capital A. C. Ray,carga assucar.
Rio Grande do Sul-Patacho brasileiro Car-
neiro II, de 171 toneladas, capital J. P.
Campos, carga assucar.
Bremem-Vapor allembo General Werder, de
1,819 toneladas, commandant H. Munnt,
carp a que trouxe e mais algodlo que re-
cebeu aqui.
Observadao
Nbo houve entradas.


Em virtue d o
vincla, de24 do o


d6 ptesinoia da pro-
it, mond& declarar o
strucao public, que
So0ocUrso a cadeira de
ertambucano, acha-se
Ma pare a inscripca
didatos que pretende-
m e ato.0.
ao public de Pernam-
1881. 0 oficial,'ser
Io B. Fox
- Da c.nformiadmii


8.raria da repartigio das obrafss'tlton,
25 de Janeio do 1$881. ....
Job Jeaquim de SiqueiraYqPi
Edital n 14.-De ordeM do Lflt. W.
inspector (aco public qu e nofdia 4d* d W-
reiro proximo vindouro, irt a praVS A i#*sA
junta da fazeoda provincial a obra da pOW S
bre o rio Ca-me-vou, na important de...-
9:3215400 de accordo cowem as clausui n* -
ciaes abaixo transcripts, conform ordwnoua
S. Exc0. o Sr. president da province i, eio-
cio de 22 do corrente. P orcamoto a4|,-
nesta secrets ria a disposig1o dos pretondt.
Secretariat do thesouro provincial do Peramaw
buco, oem 25 de Janeiro de 1881.--0 secretarblo,
Affonso de Albuquerque Mello.
CLAUSULAS ESPECIAES t.
Art. 87. No prazo de quinze dias a CoUtar da
communicable a repartiQ&o das obras publkas
do resultado da arrematago, a mesa repar-
tiClo fornecerA gratuitamente aso arrematante
cupias authenticas das differences peoas do
projecto, tanto desenhadas como escriptas.
Art. 88. Antes de comevar as obras de te;ra
ou arte, o arrematante deverA apresentar ppr
escripto, ao engenheiro fiscal, qualquer reeoi-
macAo que se Ibe offerecerem sobre erros de
nivelamento, mediglo ou calculo que supuzer
que cont6m quaesquer das pegas do pro-
jecto.
0 engenheiro fiscal, podei a, por sus vez, no-
tificar ao arrematante todos os erros de nivela-
mento, medico ou calculo, que per ventura
en:ontrar no mesmo project, e fornecer-Ibe
es elements corregidos que servirao de base
para a execugo da obra e para regular as
contas.
Se e arrematante comecar uma obra de terra
ou arte sea que heja reclamaclo de alguuas
das parties a respeito dos elements e calcu-
los do orgamento, as dimensoes dadas pelos
peifiz e pelo ptesente. e que nAo poderiam ser
verificados depois da execuglo, servirbo para
regular as contas para o pagsamento. Taes re-
clamagOes (se se derem), acompanhadas das
informoces do engenheiro fiscal, sere apre-
sentadas ao engenheiro director das obras pu-
blicas para os fins convenientes. f 0 t
Art. 89. Os trabalbos devetAo ser conclui-
dos no prazo de 15 mezes, a contar do dia em
que for entregue ao arrematante as copias do
project.
Art. 90. Os pagamentos serlo feitos todos
os mezes na proporcao das obras executadas.
I S6 serao consi.-leradas obras executadas
os materiaes arrumados para medicao e as
obras de terra ou d'arte concluidas no valor
nGinimo de umrn canto de reis.
Art. 91. 0 prazo de responsabilidade das
obras serA de dous maezes, cuntados do term
de recebimento provisorio. Durante este pra-
zo o arrematante conservara os trabalbos, re-
parando os aterros estragados, tapando bura-
cos nivelando a estrada, etc., qualquer que
beja a causa que exija as reparaCbes-chuva,
transit, etc. 97 .4x
Art. 92. Em tudo o que nao estiver especi-
ficado no present orcamento, seguir-se-ha o
que prescreve o regulamento desta reparticlo
de 24 de fevereiro 'de 1874.
0 present oieamento importaeM nove con-
tos tresentos e vinte e um mil e quatro centos
r6is, organisado e apresentado polo conductor
abaixo assignado. Cidade de Pamknires, 13 4e
novembro de 1880.-Jos6 Joaquim de fMello
Cahb. Cow as alteraebes por mim feitas no
project e orcamento da ponte. Cabo, em 13
de dezemnbro de 1880.-Joaquina Galeno CoeUW.
0 Dr. Thomaz Garcez Paranhos Mon-
tenegro, juiz de direito especial do
commercio desta cidade e seu termo,
por S. M. o Imperador, a quem Deus
guard, etc. iW I
Faz saber para conbecimento de quem inte-
ressar possa, que continue a dar duas audiea-
cias par semana no lugar do costume, nas so-
gundas e quintas-feiras, As 11 boras, e quo
despacha na casa de sua residencia na rua da
Saude n. 15, das 10 boras da manhA ais 3da
tarde, salvo negccios urgentes; aus quakes
dara expediente a quaiquer bora.
Recipe, 28 de janeiro de 1881. Eu, J0se
Franklin de Alencar Lima, escrivbo.
Thomaz Garcez Paranhos Aontenegro.


DECLARAGOES
De ordemn do lllm. Sr. capitbo do port fago
public para conhecimento e execugao as se-
guintes artigos do decreto n. i582, de 23 de
abril de 1855:
Art. 1.0 Todos os caiafates e carpinteiros
de embarcaces, que t.ffectivamente exereeia
essas profissoes, serao matraculados nas capl-
tanias dos portos e ignalados as outras classes
comprehendidas na mesma matricula, em orn.
formidade do regulamento respective que bei-
xou corn o decreto n. 4i7 de 19 de male do
1846.


Art. 2.0 Os proprietarios dos estaleiros, on
officinas de construcclo naval, nol podeilo
admittir em seus estabelecimentos, operarios
das sobre ditas officinas, que nao estejam aw-
tricqulados na capitania.
Art. 3.0 0 art. 65 do citado regulamunt
das capitanias, foi substituido pelas dispcsi-
Oes do presonte decree.
Capitania do porto de Pernambuco. 28 do
janeiro de 1881.
0 secretario,
Antonio da Silva Azevede.


The New London & Brasilan
Bank Limited
RUA Do COMMERCIO N. 32
Sacca por todos os vaporer sobre as
caixas do mesmo banco em Portugal,
send: *
Em Lisb6a rua dos Capelistas n. 75.
No Porto. rua dos Inglezes.

Companhia Phenix Per-

nambucana I.
De conformidade corn e art. 19 dos estatutos
serao vendidas 10 aces d esta oopanhia ms.
756 A 765. Os pretendentes se convidados a
apresentar as suas propostas em carts fecha-
da, por intermedio de corretor geral, atW o dia
3 de fevereiro proxime, A I hora da tarde, no
escriptorio desta compainhia.
Companbia Phenix Pernambucana, 22 de je
neiro de 1881.-0s directors, .--A
Luiz Duprat.
Jo1o Jose Rodrigues Mendes.
Manoel Gomes de Mattos.
COMMANDO DAS ARMAS A
Tendo S. Exe. o Sr. president da pro'vina
em officio de 21 do corrente exigido desta re-
particAo informaoes exactas relativamente am
numero, sexo e idade dos filhos dos mihftares
invalidados no service do paiz,e dos erpbos do$
militaries que existirem nesta provincia, qqu.
quizerem aproveitar dos beoneficlesAa socie-
dade Asilo dos Invalides da Patri., qlue se, pro-
pSe a recolber e tratar os servidores do pate,
quo por sua velhice ou mutflaclo ns guomrr
nao pederem rmais prestar servigos. e a prot-
ger a educagto dos orpbaos $1hbos dos milite-
res mortos em campanha, 4bu memo quand.
destacados no servigo das arms, dando-Iho,.
ale6m do agasalho, alimentagRo e vestuario,
ensino primnario e o de um officio qualquer;
instituicgo esta, que so vai fundar na cortie;
consiga o mesmo Exm. Sr. as pessoas a i& a
indieadas, .per si cu per s~us tutores e curt--
idoareS, e a mais quem interessar possa, a prea-
tar nasecretaria military deste commando, coi
a possivel brevidade, as informagGes Kes-
anrias, afire de que o mesmc ExM. 8r. D*ii*
dente possa orientar a directoriada =
sociedade, como pedio em officio ad 3 ts bWa
do corrente. :
Secretaria do commando da6 aasmis iT- -
nambuco, 24 de jadeiro de 1881. i
Francisco CuefIWNow' se Iais.'.
Corone krdado; @ g et, S
d o......' :
Obf~K -., 7


\ '*1 ---


2.o


I I


'" ,''11111 1 :. *, ''*-. -K

























as. iflouoaiab aga- 0 Abairtmcounto
,d'agna., nap ida~ft 4e Olin4a&
SDividendo,
N-- esr-iptorio da' vit a eLua, te Olimda. e-ta
Clo ja urona, pap se iarna-mBnte o quirto
dividendo iaquellaempros, na rsezfAlode k 01/0,
at& odjas do aerreote mer, is- 9 buraa>ao weia
4ia, e daWi- por diatat- ,oo sabba4os As mes-
aas boras. Recife. 24 de dabletTO 4e i&881.
L.. dii Mremoda,
Geremte.

", MPA.l A -,
DO


Ba. OEi


- I-


Na escriptorio d.e-ta compinhia com-i
pra se o- Diarios de Pe'i ,nambuco w,
22 e 2T5 do anno ip I1879. # ns. 226 P
227 dlo anna de 1880; I)Pw como Joy-
naecs do Recife n.. 2532 do nuA)ile 1879.
e 10. 110, 1443 e 11 7 to .nno de 1880.
Q(- in os tiva-v e quipr venrifr diri-
ja.- ;t rua a Impr I 'r, r n. 71, das 9
hours da i,:ttiha 4s 4 Lur. s ila t.iarde.

Irw.andatde
DE
Ni. S. !a Conceir.io da Congre-
gavio
A mesa rr-gedora: ,1Psta icnrandade. t-n..o de
fazer 'elbbrar a festa de sua pa.lroeira, pel:ts
10 1/2 horas da manhiA de doming.-. 30 do car-
rente. con) missa solemne e serm.o, e ladai-
nha as 7 horas da nitla. convida a tolos os
SOus iimaus a cooparecerpm em rsua ig-eja,
para encorporados, aisistirem ao? referilos
actos. R c ife, 27 de janeiro de 1881.
0 e!a'riv i,.
Justino M. de S. Ramos.
V P ga .. .- -. -m ,- ,-k x.

Aviso
Gran... Oi .. M... P... d... Esp...
Rit .. Braz.. C r... Liv... Po,...., em
Pernambuco, scientefi'... a Lod... as,
Car... do Circal... que oelebrou roser-
valeamente, no di 925 do corrente, a I1
ssl,-o magna de sua installagQ .
Funccionando regulairmente abre as
port*.. a tLd... os socius e pr,,v. -,
pats nremnidus delilerarem sobre o es-
tado politico e coial, e tratar d, garan-
tirodireito do povo. Recife, 26--1--81.
r ~0 seer....




Gynjunasio Pernawbu-

cano


Em 15 de janeiro de 1881
Pela secretaria do Gymasio Persambucano
-s o 6ec a son Sr. pais de faImia, e A qain
mais intreimr pIssa, que a atberua solemme
do cums soientifieo e litoemn oeri. lagp rw
dia 8 de fwereeir proimi vimndioro. a 4e9oe
-6 se acha abe-ta a inrscripjo da watrukate
pave aqrwlles ,qe-poetemdsreu estiur as s-
guint.es discifAtias: -
Lioaaua nacional.
Dita latlna.
Uita fi-nceza.
Dita ingleza.
Geographia antiga e moderns.
Historia. samrada antiga. media e modern.
Geomuetrla.
.A ma ec a.
Philcsopbha.
Rehtborica e peetica.
Sciencias naturaes.
Desenho.
Gyminastica.
Mustsca.
*4) cjupo dooente do institute 6 eoiposto de
44 pnrftessores, occupmudo-se cada um dalles
mientce erim a materia ensiaade em sua res-
pecuvn cnateira.
0 instiluto ',ceina alumnos em tr( s cathege-
rias. cvnfurwe se arham divididos: pensionis
otas ou infernos, meio peasionistas e eakernos.
Us pensionistas wesidir&o no insttuto, taeodo
*awitu de ettudai ae matenas de que se oam-
ple o curso, eusinadas, segoadr o pio-
gramma estabalecilo; a ser alimentadossedia
abundantemnente; tratados em suss enfermi-
da-jes pelo medto do insti&tuto, foroecendo-
Ibhe tambem estLe medicamentos ; a ltr rrupa
laadi.A e encornmada regularmtnte dues ve-
zes parr semana. eri"ho, etc. etc. ; Ludo islo
pela u-io.i.-a ,quan'ia de WOS0ttI po, anno.
0; meio--eitsiontsLs Se apresentariAo oes
tabaieci -..nt, n,-.s chas lectivrs, A hora em que
as auras se abrifPTn, e ipAredp. aO aPe serem
en,,-rrwlIas a larde, slo equip,--aiirs aos in-
teroOs. teido cuOinO esrr's (i'e weis direitos
qua,.t, ao tita;,l;, -w.ieutitau e v-creio: isto
pel i nM -li--a iii.ntia dP 24e5000.
0-,. -rx -.- -j te :i dilre .-i 6-u licoes e ex-
pli o--s ,.1.3 twoterois eusinaras no curst,
qt ,.-- ,ir Jquo ellas sej;am, pagando ap- n3a
no -- I rat.ricuk. a txa igual a que pe.ganij
OS iNmlts ai C('IeII 'oii adlles.
I "-'- durwi .s ;r n s I ve:a .prr--;pntar
en... I Dro.- i-pt,) no regimrniuto intern, e
ler c respondeitevia .apitarl, pa, corn r romp-
tidA a sati.f'zer a- p ii -?s i- out, a quulquet
de?,, a u b qUte ti, -r e'le rt'-ssi 'ade,
A-; : V" sa.-s c". t I,.a. nt "oc,' tarri: dor
i .-. .i p.. i tt e--trus ;,i:anp.; d, .
0 P't- tr td1,io
Cel,o Te.-fuluano F. QininIel'a.

'Iris publicas
,o .(ii' I.". I!' -". -:'. -'ni"'-r hl ir.a cm ,I,,-r.
e I*_ a' [a." ;: .:'-t J r -i. t ,!a ,! .; ubl:c---
c ., ,I, *-. tl ,: .[ *. ,".'.- c *. &Ji r; **-1 9 t m.i's ; i\
Q 'I U .- ;l '



be-- n- ..--'a 3t 1e Gi.av', -
a Jduato a po-nte de Car-i-a, na e-trada da.
Escada.
:1' Jiint) a pcnie sjbre c ri3 UrJ, no por'C,
de N. -.:i -.a'1 .
N.1 N ,; o Ir'-,3 ,a J D B ii!,r. 1 -l i Ifr.-n!e L, e, go-
o '. at i a..- L 3.
-' untjo a ponte de Noao S-1 n a.ue.
3' Junto a ponte D ,A'. Rrr ,as n,) ri no Ara-
raqi.
'.i..l l Na lugar 'ieonliricu Pedr. Bacalhdo,
Ui F .B 5~O engenh,-) Barb.-Ih .


&* C-jnfionte ao engenho Guararapes, na es-
trad.ta de MurWsca
Condicfes
As casas de barreiras acima menciona-
da,, serao etllas eFPOfloruniriade corn 9s or-
casnentos e plans orge,1tado8 pela reparti- '
4oro'das obrs pubDiss a ,pR vadas pelot pre-
pnariuw di' pwiftlil. "
0. O ontcatsue dwad rA O p
*urzo de uom mz, e a cncnuit n&iE4 -i
M, este sluImu40oomfo
fign turi twioa a aaawa
~ ~ ~ ~ ~ ~ _f MM^'^ ^W ^ ^tia1
?J- jrB~~iMin~n ^M eA a liroftb'di''


* 0," A M ca a n-
Cbmw'&1'"fAMrA o< ks W 4rtWBk( M94P411.

pedagio a16 aeoclusin da mneso,,w..
a*w"-flJ,;aiz. f r| tBid||,t*rC -,ld, a-
trato, e tudo .maA e,no.uatkvi,. CM, & -
d0,^SB!66ll 0 6 i^ S^r6 p oal. No
qiuo d&4lA5# pr~gmaloiBeo. ,da. repq.twAt dnA
.b~ra ppU~ala
Os orgawenLos e plants arbause a'esta
seaeeoara pare s or.m ea&twiniaia pelos pre-
LentieRAOEO.
Se,..deftjia'da retyu o i oba.s pudlics.
6 dCe jlW'eo e&do M-1.
0 otflc.W,.
Jodio Joaquim de Siqueira Varsjao.

ESTRADA BE FERRO
DO
Reci'fe a aCaranga

FIESTA DO P0
No di, ,a I1sta 4 Tievereir,, pr,,ximo serdo
txpedi Is o ire: s s.gtinLes ew substLtuiao
ac.s di tteb'-ila.
Do R, c fe ;,t6 C ,,x ,igA pela Inh- principal
de hera er homa. 1t's 6 at Ii, It tnianhb e du
Caxarn,- a.) Ref.,, dp 5 e 15, -tt. 12 e .5.
D- I hur-atr 5 P 30 da tatde, -Ie meia em
ni8.ia h -a plna 1,ha pyiiu-ip m a6t o Munteiro.
vqltaidj ta I .rel ie:",. f .)ll purt diante al das
10 horses oa noir
i S,agtfl z-i Lat, s.1,'l.m trees de sieia e mei,.
lira je,e.Ar.; rl at5 o Monteiro, menou.A 7,
i ril~l eta Im-hot priLT[.: ,l
1) -,onhA h [,,f peb A. raial ser5o exi:'-
Osilst1dOs rrens un is 7 P. e ,uitru ad 9 e 5
1a3t o MonteirtI r('0111e, vult3frio dS 8 e 5 e tO
I Il-raD..
a Do iC. n-, ir ..16 o ,:a'df-reiri hda ver trens
ds:e I e ;J"),1it ar te :t.to e e3 da nnite e
u'ahi v.ltbneo des le 2 Ihoras, de hora m h 1ra.
Os Liens quo- devern sahir do Recife As 2, 3,
4 e 5 huras da tar e i.o expresses b 'as oflici-
nas .t( io tallerero. Assim comr, ,)s que sa-
hirei ddo C L,-ir As 7,8,9e 10dhoras 3a
noAt- expiessos at4 ofticinas.
Veadem se bilhet,.s esqueciaes de ida e volta
at6 Caldereiro somente alas seguiitPs estacbes:
R~clfe, rita ,to 8l, Officnas, Soledade, Gami-
iho Nayvu, Mangutahi,, Encanamento per 800.
tits, 11 classe e -,ot) ros, 28 clause, da Tore,
Pon t e U..hOa, Jaqueira per 70d ros la classes
S350 re s .-1 classe. ao CaxangA, Pedra MoIle 700
reis V, classes DO350 ris 2' c0asse.
N. B.-S6 pode s vendor dentro dos Irens
bilbetes para uwea viagemP epelos rreros or-
dinaruis, poi isse os Srs. passageiros que qui-
zerem apprt.veitar us b6lheLes especiaes devem
procural os nas e .4ase5asai*ma o eucionadaLs.
EscriptLnio aia Companhia, 27 de janeiro de
1881.
SSJ. E. Fenus erente._ _

Sanita Ca la (Ia M isericor'--7


iia do Recifc
Arrnda se por um a tres annos um sitio na
estrada de Agua Fria. corn casa novamerLe
feita e muitas arvores fructiferas, inclusive 4A
pIs de eoqueiros. 0 arrendamento tori iugar
perante a junta adminitraLiva da Santa Casa
em sesslo do dta 3 de feereiro viodouro.
Secretaria da Santa Casa da Misericordla do
Recife, 26 de janeiro de 1881.
0 escrivao,
Pedro lRorig"es 4e Soeza.

SociedM Now Eman-

eipadora
De ordemi do Sr. president interin0, convi-
do a ttooos socos para eomparecerem do-
mingo, 30 do corrante, tt 11 boras do dia, na.
s6de desta moefeditde, A rem do Imperador.
para em assembl6a eral, proceder-se A elei-
4ao dos awemb&s jue ter de mp6Tr A it-,ee
toria -ffeetloe, oonfrBme detbervtem os esta-
tutos approvados pelo Exa. Sr. president da
provmicia.-O secretirio interino,
Adoipho Caoaiomte.
Fabrica de fiao e teei-
(los de Ptn-iimbuco
NAo tendon cowparecido nuaimeto surflclente
dos Srs. accionisLas para ter lagar a reunilu
ordinaria da assemblea geral, annundiada
para o dia 7 do proximo rmez de fevereiro, As
5 horas da tUrde, no edificio da fabric; pre-
vine-se dae que a sessao teiA lugar corn qual-
quer numero' dos Sis. accinistds quecom-
parecer.
Recife. 28 de jaheiro de 1881.
M. J. de .4moriam,
Presidente.
lenrique Saraivo,
V secrtario.

TIIEiTBO


SiNTO 1TOIO

Sociedade Lyrico

P .storil
Grqm(d. novidule I
Music altrahente I
Success garonlido I
(;ranle augmnento na orchestra.
Mudanca ide vestuario.
Dous pomposos espectaculos
SABBADO 629 E DOMINGO 30 DO CORRENTE
Depois qtie a orchestra tocar uma de suas
',uverturas. representar se-ha pl:la oitava e
nonFt vez o important drama pIstoril em 8
acts e I quadros, denominado :

G&BHIEL E LUSBEL
Parsenagens
GatIial Luslhel
1l-',des Jactb
H .311'-'i-i5 "1.
Esperan,;a Caridbde
UMXIA SEUDZILDA
C(-.imponezes, paswores, pastors, ciganos,
sol'1adus, etc.
A's3 1/-2 h,.ra3.
.s eneommendas siio raspaitadas ate as 11
horas do dia do espectaculo.

'^"- Seii"mpre novidade
No
GRANDE PASTORIL
rIo

Theatre da Encruzilhada


ols 9 lj2 da nbile
Venham, venham, senhores apo-
logistas de arabos
0 pao t4os wr, parb orer
Squo 6 ump erieitp


~I m


- I1-1~


yswawo^WS~vft ;Or v~ap"r
V~~oftatt&MtdprH
.Qo,D. k.AAJCAJU'
RFOeebeargea, ito sa-
t^ .1`r'uiefltgetMe -icon-
--^^n> Olenlu diMof SrB cbrreg?-
"4.^^i ^3^.An 4res. o vuopor -Gewiti,
-...S !eomaBDai tfl. Mafre.
1H ,HilTambem recebe en
WCB~! $iK c101mmeWrias e dinheiro a
fFete. E corn f-teellewetommoados para pas-
sageiros : lrL~la-e no
Esoriptorio
tne da CompauaJlPea'nambnesaQ
Sw. 12.
Pacific Steam wNvigarion Com-
pany -
STRAITS OF MAGELLAN LINE

Araucania
Espera-se Jons
po3rvs da Europa
n,, dia 31 do cair-
,nrte e seguir r para
ut-q,-ciz- da

mio ra.
Para onde recebo cargaencorimmena.ias. pas-
ageiros e dinheiro a frete.
CONSIGNATA RIOS
Wilson Sons & C. Limrnitez
14- RUA DO COIM.ERCO10-14
Roy-- 1 Mail Steam Packet Com-
I pany
Grande a-ednucao nos preeos das pas-
sagens
) PAQUETE A VAPOR

Minho


Lisb6a, Southampton


Para Lisbd


E, esperadi,
dosportos do
sul no diia 29
do corrente,
seg'uinilo de-
pots da neces-
saria dmiuora.
para os p -rtos
de
e Antuer-


pia
Prego das passagoens
GLASSiS
aeVigo. 5-20 .5
lae Vigo. La25-20 z15


-. Southampnton, Ha-
viee AnLuerpia
Salia
- Rio de Janeiro


35-30
5-1W


3.
9


20 13
254 158
505 308


AVISO
Para a Europ :
Os -apores que partem d'aqai no dia 14 de
-ada mez tocarAoem S. Vicente, Lisboa, Sou-
thampton e Havre, e os que partem daqui no
dis 29 de cada mez tocarAo em Lisb6a, Sou-
thampton e Anteerpia,
Pat0 o Sl :
0-vaparesde 10 tocaf&o Omf Maeei6, Bahia,
Rio ASe Janeiro, Mwtevid6o e Ruaenos.Ayrems,
e os do 25 na Beie, Rio de Janei o'e Santos.
Os bihbetaes de i'a e voltateem u m abati-
mmta d1 2& po ownmte, corn 6 prazo de 12 me
aem pames portos da Earopa e de 6 mezes
VSn-O "d 4o mul.
It ipa gmtaisde. ida astente para ai Et-'
,o a.--4f al.iafteted de iirn.aBis partea
409i 96 db WUVoPoWMA ualt&a, quetomwr
Wsta, Ml8i ejok-da 410,*lafte.
Pamrepowgmea, ftete, ote.,trata-se corn os
WSi**"AjMl08s

Aua 4o10Auwrquf:d*0i0 dan- 37
Eattda T o ewiptviGo pei rua
do Bispo Sardinha n. 37
Lisboa e. Porto -
A baregac portugueAu ove Silucio, reesbe
oaga a& .net Ipace os potgs acima, e dever6
seguir corn breuiade : a Aatareouo-osconsig-
nalario JosAe da SUivae IAyo & FiIo.


COVPAN"I& -te IU SAGE-
SIES MAIUTLMES
LINfK& MENSAL
O-pquete
Gironde
Comandants Meoreau
Espera-se da
Europa no dia
4 de fevereiro,
u qual depois da
dewora de cos-
tome, seguiri
para Buenos-
Ayres, tocando
nos portos da
BRhia Bio lle Janeiro e Mon-
tevidd~o
Para onde recebe carga. eneommendas, pas-
sageiros e dinheire a frete.
AGENTE
Aiuuaste LablHe
9 9-RUA DO COMMERCTO-9


'e Santa Rita n. 43. o qudl ac..--se completa-
mente livre ce qualquer unus, e o mesmo agen-
te fornerera todo esclarecimento que for pre-
ciso aos cormpradores Dara o que acba-se do-
cumnentado, cujo leilao serA effe'tuado na rua
da Madre Deus n. 11.

LEILAO
De 2 carros de carregar generous na al
fandega 2 excellentes bois para os
mesmos, estando oa carros completa-
mente peifeitos.
Terva teira I de fevereiro
A's 11 horaa em ponto
Por intervenCo do agentte Gusm.o,em seu
escriptorlo a rua tbfa Mdre Deus a. 11.
30 LeiiO
De I impactante easa e saito, endo a Casa
waita btaA eomm&a"s, ComWo S i : m eto.
2 tuwragoN, same, a quaruld, oouimbo f6ra
oalmba mma bsafeitoiles, Nita & Agua.
Sfria emwBebibe, im dos CIwligos n. 1.
Ttqa40ra I d fvweire
As 11 horas
0 agent Gusmto. antorlsado por despacbo
do Illw. Sr. Dr. luiz de direito da comnarca de
Ofitda, ?evard a leilao s casa e sitio sacma,
Dertencenrte ao espolio do conego Canddo
Ferrorra da Cunha, sobre a base de o2'O11O000,
cujo leilao sera effeetuado no escripturio do
agent, A rua da Madtre de Deus n. ii.

LEILAO
Do engenho S. Sebastiao
SEXTA-FEIR.A & DE FEVEREIRO
Ao miew dia
POR INTERVEN(AO DO AGENTE
Silveira

Terceiro e ultimo

LEILAO
DE

0 agent Silveira, competenLmrente autori-
%do pelo bastante procurador de D. Ismenia
Lopes de Almeida, inoentanante dos beus de
seu casal. po, more de seu marido o commen-
dador Joaquim Lopes do Almeida, levara a lei-
I"o 6 cases Lterreas sits, sendo 2 A rua d,.So-
cego frefzi,ezia da Boa-Vista sob as. 12 e 14, 4
itas At rue do Pilar treguezia do Recife sob
us. 15, 17, 19 e'21, Lodos em solo proprio.
Sexta-feira 4 de fevereiro
A'S 11 HORAS LM PONTO
Na rua Duque do Caxias n. 37
]a -d _


Rio Grande do Sul erceiro e uttano
Vai brevemente mp-uiir pira o p-irto indica- E "
do o patacho p-rlt,va-z D. Edwiges, por ter
prumpta a mawor ,a. te ija earga, recebe A fjete
modic o rcato qu, iho falta: AU tratar cmrn o '
seu onsigna rio -, isco Ribeir, Pinto Gui- De bone solidos, moveis, louga,
Wae's, a rida do Brin. vidros e piano
Sisb a e CONSTANDO
isboav De i n!bili.i d junco ca m t.tnr;':, d' pedro,
Para refe,-id port,'- vai seguir brevernente I born pian,,", e-pelh.-s. jat-us e niemtas, 1
) p.,tacho p.,rtugurz Gomes de Castro, tLen-i,, ;amea fi "nceza. I tvillete cj ii pe Ir--, I !avatorno
rnaiorp~rteda .carga eng jade, rncebe o ;ect., 'e pceIra. qadr 'e, .a s, ', c-in-as pra sol-
quo 1h- fatta a f-ete modi,-o; a tr-,ntr c ,m i eir. s b'-n.,-i or: 2 .,..vei ', I it, r;: -' pe-
Frenocsco Ribeiro Pinto Guimuri-ts, a rua (i) -1 a iiri,; re c I t:.i- DL-a. I I ,_a ela-.ic-i, I
Bruru n. 96. .arqtf.za, l sopha, 2 appar.-dorzs, I enO-as ci-
sX, ,',r -fas, cop, s, treuei de cozinha e mruilos
Companh-ia aaiaeira cie nav- .,, obj-,,ctos existent.-s n) "2 an ir do 9-
jaCoa a vapOr- ,r-., ,n. 5 5 4a ru t do Irp.idradnr.
PORTOS 1)0 SUL QUINTA-FEIRA 3 DE FEVEREIRO
0 V A P 0 R 'V s I fl|9.horas
P r o0 agent Gusri'o utorusadonao o film. Sr.
.. major Games de Martos, farAi leilaio dos objec-


E. esperao uo.3 portnis
do norte at6 o die 30
do ,orrento, e depois
d.cia demorndo 'ostIme
seguird para j. por-
tos Jo sul.


PORTOS DO SUL
0 vapor
EPIRITO SANTO
Commandante o 1o tenente Au-
reliano Isaac
E' esperado dos po-i,.s
i -,,- do n rte at6 odia 4 de
faevereiro, e depeis cida
.a demora do costme se-
guiS para os portos do
34).
sul.
SPara darga,-pafisagpes, encommaendclas e ve-
lores, Wrata-se corn o agente
4BaUA cno Ptta
4"4BUA DO COtiluuRli-44


Wode 4 SUid
/ 5 I _,4&
0o--_


tosb a. ima.


AVISOS DIVERSOS
-Nesta lypographia ha urma carla,
vinda do flara, para ser natregue em
mAo propria ao Sr. MAlberto H. Fr6es.
Na rua da Uniao n. 47 fazem-se yes-
tidos, casacos e outras peas para TOILLET
de Sras., pelos figarinos mais modernos,
e por preos cormodos.
!Precis.a-se de ura ams que sarba lavare
cozinhar: a trala. na rua do Vfsconde fe Al-
bnquequ n. ,.29. .


Awba
4s~iav=


*Oscaras
Z.Ult IU'OAI ,


par a
a pr-
pm4s~


Maria do Livramento de Amorim
Carvalho
Joaquim de Gouveia Cordeiro, sua mulher,
sogra, cunhala e sobrinhas agradecem do in-
timo d'alma a todos os seus amigos que acom-
panhearam o enterro ae sua presada sobrinbha
e tutelada, nets, irmea e prima, Maria do Livra-
mento de Amorim Carvalho, e de novo convi.
dam aos mosmos seus amigos, para assistirem
as missase do setLimo dia, quo serao aelebradas
no dia 1 lA fevereiro vindouro, ds 8 boras da
manh5, na igreja do convento de S. Fran-
cisco, pelo que ainda uma vei se confessam
grates.






Dervino Jos6 dft SilV
Rita Maria do Coonfwiao Tassm agtradeoe de
fundo d'altma io cardoso obveqio dos aigeos
qte aeompanbaram seu f iinado flho, o acade-
mieo Dervio los da Sfliva. ao ceMiterio pu-
bhtco, e d nevo o convida a assislirem a ama
misse que mands resar na Igreja do LUvramen-
to segunda.feira, St do corrente, pelas 6 bo-
re da.miW. -


[ gl ilse!
a casa da rua do Viftonde de Goyanna n. 113,
a da rua de S. Jolo n. 83, a rua dos Pescado-
res na. 5: a tratar no caes do Apollo n. '15.

Criaspo
Precisa-se de uam oriado para o serviqo de
ease eloja: na rua Duque de Caxias n. 91,
prefere-se ascravo.

Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro deo 14 a 16 annos, I
corn pratica de oeccos e molhados e que d6,
conhecimoento de sua conduct: a tratar na
praCa do Conde d'Eu n. 16.


I. ,* '; t \,


ift K W "' '* '" *. aWl.fiftotf~m cqipp
l 5 'i.u JoafBm. Roip eg"-T,"w.,4e
i -' i.o" *" m so, Sr. Bwnardthno, PoUalSO L&a w
a,'oua ,a s B bor. aw Brmta. Beanda. -oa -no
ul eo Sn 8. Vioente, Immesmo lugaf'qoe serd
-- Lboa reompenado.
-t flNAaI ___ Jobo Baptist. AWpfaAL
-- Recommenda-se o se'Ri ertei c 9pit~es
A agen e P ntofde to campo a eaptura do escravo LuTfz iaho,
A tmulato moo, que se achba fugide ha mais de
Sbbado 29, no cas, jadto a guar4amo- um mez. o |1al foi escravo do fallecido Exir
ri6, dos salvsdoa do pawtacho bollandea A lbr- Visconde deo Suassuna. e hoje perqencp a Ma-
.i. ~noel Caldas Barreto, por Ihe tocarempartilh,
---.---------_-- du rebpecrttvo inverttario, e a quem ser 'en-
Syi IL tregue no angennbo hSapucala dowbeltbe.
Na offl-ina ae calgados do rqa do Jardim
JEI k |n. 19, precisa-se le alguwmas pessoas pare di-
versos toabalhos pertencentes a mesma offi
De 1 bote, 4 remos. 6 velas, 2 phar6es e 2 agu- cina.
Ihas, objects sdlvadles 1o patacho hollandez ---_- -
Albertine, e existen-ies na guaidaioria da Precise-se de um rapaz eom prtica de
alfandega, taverna: a tratar em Olinda, Ladeira da Rihei-
lfandea *ra n. 31.
ioje Na rua do I nperador, sobrado n. 81, pri-
Sibba-o 29 ,ie janeiro reiro and1r, precisa-se d um feitor para si-
A's 11 horas Li_____
No Cases, junto da guardamoria Oescrivo ila irmandade de Sanki'Anna-
ea alfandega dia Madre de eu.s, breve responded ao arigan
0 agentesPinto lard led&(-io por tqorisaQAo publi-alo nesDe .arino. e mostrar a ao tblicu
quem faz corlezia. c,,m ,Ih:4p~o alh,,ioecauem
do Him. -r. Dr. juiz de ,-irc ilo espcial oo prevail .adlr.
rornmmerri.. A rd.r',,eriento de II B. Gust, .eya,- ______ ____.
capitAou do puti h h hullindaz, 'Vbirtine, n, u- 0 Sr Man.,- I Frai c,-'vu das Chahas tern
fi,;,ado 45 nilhtis a, sul ae Miceid, na su urna '--:ta no *-s'-.i- L rio i.este DLianrlo.
uWiioa viagim ,iaijl.llR porto vara Europa, --A A5d,,ci, pre(c. Ida a ,-pt ci'i.'a licepn a dia Sr inoPc "cec:. .eiaes proviiici a...
Lor .l'dlf-idcg-'a.. e ;:-sisLencia ,:e einpregau3 -.u-9,
d. ,ttesita iartira. paia fimn nrom.ao, -= Na u1a ,d oPahuei'o n. 9, pr.tcisa-se de
ii.r C, n'a o .a,.u ..%', ,4em pe, ten.-r, it:. ob- u" l mepir;:. ivu r 'v scravo_,.par, cria l0.
j (L.os a min.i u.(-nf ,ai,_, .lus, slvadj-.: .:3 e ;'m., Precisa-s. ie urn c'ixeiro de 12 atI li ."in-
a.1\i '. e exi.litntes np .ua,'damc-riai da :JI'in nos., que trivia jrati a de t vermn 6'.' c..-rie-
, I-0., ,.- hlia. hora a 'I,-i.r a n'ma nI!r ci rian u c ira-roilo de sua co.no1u' : no pa o'-IL O Tcri,?

IJ i L Aluga -se 1 is ineias apuas novs e
D 3 nee i ea rep.',-tisnent(.s, na Lravessi aas, 1.;,rPeira,
De 3 lan ', eml perfeito estado(becco d-- Aquin -)a tratar na rua do C tL-,
sendo: la, Mimosa vello n. 25.
e Helena. Alura--so po. rnu iit modic.) prpro a caz-
SGIGUNDA-FEIRA -il DO CO)RRENTE .le ,zulejp. da ru-i I.- ,e-,t n 1W0. t.en:o 2 sa-
As 11 horas em pcnto I.' 5 qL'3rL0os. c',ztnha txerna e quinlal corn
Ao Caes 22 de NOuembro ,.,,1t,), ., grande cacimriha indepenente : a
P lo agente Martins rs emro rar na ruid Lirga do R-,ai io n. 3i. botica.
P o agen e Ma tin -- Aluga s.e a loja uo sobra:o n. 6i A rua
F ". ~ireita; a don. 3 A rua da 'eriha; a de n. 8 A
l <. rua do Fogi; a le n. 16f A rua de Lomas Va-
jj 1' ,'a lentinas; o 10.e o andnies do s,,-hrado n. 25 6
L rua de Santa Rita ; o 1andar d-) n. 16 Arua
Do 1 born sobrado de I andar, sotda, 'e ilcrtas; a casa corn sitio, no Espinheirn o
tlerra0o ervidraido, ct m mrUiiltU bons qual foi do ManLcer;cko : a tratar no segun.lo
commodos, gr,ide arrnazen, qtin- a-ar do sobrado n. 41 6A rua do Rangel. ou
lal e caes e i,dra e cal. peitencente corn ugusto Octavno de Souza.
t -- Precisa-se de ura ama cue saiba lavar a
ao mesino. cozinhar: na rua Imperial n. 45.
Terca-feira 1 de fevereiro Aluga-se o sitio n. 35, dA rua de Paysando,
A's II horas corn agua e gaz. esquina para o Hospital Pnr-
0 agent Gusr.ao, competentemente .uto- tuguez : a tratar na rua Direita n. 1, ou n. 25,
ripada farA liileo ,dt sobrato sit a iua Nova loja.


Bilhetes
Meios
Quartaios


PREQOS
inteiros


45000
28000
18000


w .


t |



; ,.
I
I-


Em porqao de 100C000 para
cima
Bilhetes inteiros .1500
Meios 18750
Quartos $875
A n t.o '.9 .. : ;**t -i ,*-, ',.',.Ins

Acees eentre amigos
As ac3,ces Jde ;-. ,rtrnio., que cc rria corn
a I',tenria (, tic. t'w-'fer'da pira corner corn
a 99 impri-rte' ivclmerent.

Arte de o iairveslidos
Cor r, nun er., 49.i ,na .olt II.iir,.l. chegou,
para a Livrara da Etnr.preza Ltier::ri Flumi-
nernse, um supriernento de -';an e utilidade
domnestica ; con'-Li de oito p -1irn0. lo mos-
mu format da .1oda o corntem tdas as indica-
Qbes inJizpen-,vei- pi..ra qu liu r senhora
apprendler a rtir uprnpr'% s ve ',,j.s.
Ensina concisa e elaramnene lt'jia:bem a rma-
neira de fazer ,liversos trabalhos ae agulha,
taes como. flit,!eiras. crochet siannFz, eL-.,
etc.
Dd-se gratis a todds :,c Exm-r.- Sr. assig-
nwntes e a qiem novamerite acsigi. r t1o htil
journal, que di;., a .:ia vai tomw-nd i s propor-
Z.es necessa.ias i suhstilu:r vs jornies es-
trangeiros, teo diffi *eis de. c'-mpreliiezJer, nlo
s6 pela div-rsidade de lin:,Ja, 'o.,, t lambem
pela falta de explicanes.
Resta poucas assignaturas para o cor-
rente riDno.
2 C. rua do Cabuga 2 C,
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 annos,
corn pratira de taverna; a tratar na rua de S.
Jorge n. 11F, refinaCao.
A M t Precisa-se de uma ama
para todo o serving intern
Ae tlambem para eompras:
na rua da Cruz n. 29, casa de malama Emilia,
cuja entrada do edificio 6 pela rua dos Ta-
noeiros.
A IA Precisa-se de uta ama
le idade e de boa condq8-
A ta, que saiba cozinhar, la-
var e engommar corn perfeig.o, para duas
pessoas: em Fernandes Vieira n. 24, esqouina
I do becco do Padre inglez.
Engomminadeira
Precisa-se de umra, na rut da Soledade n. 5.
Preciss.se dA umi boa cozinheira": a
rua do Baino da Victoria a. 3.


.0
-a
It


-5


i- m OFft S nmAL Eln i
das Fmaitw.s.


0 UllC9 VINHO

\WLD ftnhie~&eAZ.Z.xLU
&a :zztfeat
do ra edo ISBACUL:BIMv
cOdo uzo
produz os mesmos rezu(tados
que o do
OLOW doFIGlhDOdo eBACEALUD

\ Irnho ao (txzicto
do figgudo de ( acabu\
DO



CHEVRIER

EXIGIR AASSIGNATURA CHEVRIER


' .. *., .' .-
-'. .4 '*^ .
,- 1 v .. .. ,: .
'.7'. -,-




".--'a


d,


[S.-.. -
~'s


-.. t -


di
- 'I


^1-ln~ P MT A i~i fe-ii:^a

NIB% FrBRICA li kLi A

DE


ARRUDA LTJSi"OS4 & C.

N. 41-Rua do Barao da Victoria---N. 41
Neste acreditadissimo estabelecimento se encontra sempro um eomple, "
sorthaeuto d4 cmaiuoira do todos os padres e o0 maw Ame psa n iput>s
azul e 6r de caE6, br bmn, B dec r, parno tr@ta" "--.e i
aravt eshww meiao brancas e do c6res, collaril1





...a, ..%: ., -
!gab O*P '.. r i,., ,..a=


75 ~~1
~-W. -


lI4 f ..L .
l-J- S- '* ** [ ;'
. -. o;,.-- $'. ,, .


~' ~w"w~ -


S 4-


Si a r


..' ..:. -
-j- --'. "? -a ,aj
,,.*, .. *. .. .*- '> ( =
,,'. *- .. : .. *.,., :.';, ^ *ff


. a.
a- a -. .,
,- "' ... ....,a


- -- %


4







&


|




&



2

I*


Use a a 4T
.,,r,..,^^^^.,-"' i.p^-.' ,,






Aos 4:000500O
0 abaixo assignado venden 0ntrA
oB seus bilhetes garantidos 'dalptWfa
.95 a sort de 4.0)6090 em moio bi-
Iete n. 1517 a sorte de 800(00 em
um quarto n. 1139. al6m de outras d'e
3249, 161 e8 ..
Convida os possuidores a virem re-
ceber sem d eseonto algri,.
0 mesmo abaix3 assignado tern ex-
postb a vend. os seus felizes bilbetes
garantidos da Ioterih WO, a benefico da
Santa Casa de Misericordia, q-e term
de extrahir-.e ito dia sabbL-do, 29 do -or-
rente.


.


* ." .j t l .













.1
1 1


V ~. -..


,* .4'.. -
,* -*.^
" ,'- .,;', ,


. I.


L~at de qxztr-pota
JA& iWA64k-JL -
Ulu


& 41&STO', j 1W
Opro.p.ietaD. i desta iiipetante ceasa de jolas, pe;oradiAo pela frequencia quq wew7nre
SUltam dispensaio o bonrado pblico desta cidaWe e as Exuas. farmilias, acaba de pnymover
eraseu esLtbelacimento um i comrnpleta transformaiao, ja no que dixr8$pWito ao assioe Cora-
mentos daocasa, ji quanto A va'iedade de joias que ultinmaaaene reoat d.paris, onde gem
um corresponuento qua prima pelo bona gosto na escolha de objectotal pbantasia, pedetid..e.
mesmo affirmar, sere reeeio de cortesta4a, ser especialista neste getiero.
0 respeitavel public encontrari sempre um comlpleto sotimnento de relogiet de, to-
das as qualidades e dos inais acreditados fqbricanteg da Suisa. Londres e America; cadeias-e
eorrentes de ouro e platina, grande quantidade de artigos de lonetaria, aldm de urma infinida-
de de objects de ouro, que se acham patentes A vista do quern queira homar e&te impor-
tante estabelecirnento, visitando-o.
A's Exmas. seithoras convida-se d dar um passeio A LA VILLE DE PARIS, afim de
apreciarem o lindo P variad.) sortimento de joias de ouro, brilhantes e peiras preciosas, econ.
vencecem-se dasineeridade de seus empregados e da modipidade de preqos corn que sdo
exp-.stos d vnda os seus artigos.
Nest, casa comrnpra-se ouro, pratla e pe Iras precicsas. assim como tern um perito
ci :l pira concertos de relogios, garantindo-se a boa execudo de seu trabalhc.
0 esitbelecirnento abrN'-s-e ha serr pre as 6 horas da manha, e se cc.:ii
nrite.


SEG


.^-..**-l -.,,JJ^i

- VERDADEIROS
-/'z~ ANA .y T-,.-%- o le. t .


Avis0.-epa, eiar as
papel' corn o nome dos fabricantes e


tres globos en cada extreminidade.


UA DO CABUGA'---N. 9


U ii\


Ist^-jilk^N

jTClg B pc-
Sr' I *3 JB H A.
ftaii 'Jj '$L


Osi SIPERIOES


'falsificap-es usamos agora de Tres Globos, e as caixinhas trazem urma


tira de


A. 0. ANDEBSSON ft C.

Wenersborg


As caixas pequenas de madeira trazem queimados os 3 globes.
N. B.--Procure nos melhores armazens de molhados.
PHOSPHOROS (DE TRES GLOBOS) DE WENERSBORG


Ausentaram-se do engenho Park, de po-
e.ca. os escravos seguintes:
Paulino, alto e secco, cabellos vermelhos
elhar um pouco ineerto, c6r ua pouco avei
malhada, apresenta ter 36 annos.
Jose, atesteaa regulr', grosse, preto, boni-
ta figure, apresenta ter "2 nnos; levaram
camisas de aita e calcQas de qqadnbos, al6m
de ontras roupas e cbap6o de patha.
Sshiram ra, noite do. di i do oorrente, e
desconfia-se qtie foraw palra seewiho Aras-
tfi, em Barreires, 4'owle o Jos6 6 natural:
pede-se a apprehend doe ambos e entregal-os
no referido eongenho ParA, ou no Recife ao Sr.
AoMue VamunIo deSeqvl, i.-pQs41S Pe-
dro n. 4, primeiro andar. bt;m;wha boa re-
compensa a quoem os appr.hebm.
Aluga-se a casa da ru a Dtla n. 41: 4
tratar no 2 andar n. M da rua Duque de Ca-
xias.
Aluga-se o sobrado da ruada Aurora n.
161, oqual tern excellentes sales e quartos,
muito fresco, tern agua e gaz, jardim. tc. ; a
tratar na casa immediaLa n. 163, de-omanba atW
as 9 horas, e das 3 da tarde em diante.
Precisa-se de umrn cozinheiro ou cozgihira
que seja limpo e peritq io sua arte; a rua da'
Asiora a. 73.
Precisa se de uma senhora para tratar de
urma mo;a que se acia doente nos arrabaldes:
a tratar na rua do Barlo da Victoria n. 45, 1-
andac, das 9 As 4, horas d tar4So.
Aluga-se a loja 4e sobvado 4 rua de Santo
Amaro n. 8, e vende-se a amarau da mesma
por preco commodo, cuja csa teo skdo ta-
verna, e o lugar 6 muito born; a tratar na
rua de D. Maria Cesar n. 30, com Domingoe
Jos6 da Cunha Lagos.
AluaSae a loija do sohrado n. 50 da rua


AM A Precisa-se de urma que saiba en
Agommnar e lavar : A tratar n maru
do Hospicio n. 2'7.
A e Prociam-se de uan a ma para cozi-
AL ma ahar e eomprar, para casa de pouca
familiar; na rua do Vigario n. 1, 2- andar.
Ama Precisarsoe d= um ama que cozi-
nbe e eofr%, para duas pessoas:
no pateo da SoledAde n. 8.

C O Z- JML E- -. ..- IR A
Sa t. tea erIofas t. 1, Oapf. ngs, preo.
soe dewaq. elnh-quo-,ll fle abrehe f-
ducta, paga-se bmrn,________
D. Maria Sam, dAmauit
N di a sabtbdo, 19,46 oorrente, As*-boras
da manhl, celebrar-se-be miesas em st a.
gio de D. Mario Salom6 de Mpira Mattos, vis-
to ser o setimq de o i faeWiqento, e seons fi-
Ihos, irmlos, genros, netos e sobrintios,.pro-
ftfnd'amente penboredes pora corn to(os a-
quelles que acompanharam ao emiterio :pu-
bow 0 IsmsWa ft am Bamdlf~hytktr
mente para cotq qs ae g l qo se prestaram
ao) deposit A q 4 W Malgjfada Ordem Ter-
ceira de Nossa Senhora do Carmo. que deixam
deonoaes,r porjulgar d4 sneoessatn, ematten-
Wo aos sntinmetos que os-levaam d.pratica
d'esse acro de religilo e carivtae, esperam
que se dignarlo ouvil-as em qualquer das
igrejas seguintes : Recife-Peosha e Ordem
Terceira. deNossa Senhora do CarmQo ; Olin-
da-S. Pedro Martyr; e erscada -- Capogs
dos engenhos Aripibt e Vicente Campello ;
confessando-se dp.dp j. pjofundamente agra-
decidos por malt ee af t b e caridade.


-..... --------W-W AUA- ............. .Pu~li do_,-KA -ilhA6 d&--riff-1@WN
do Imperador, muito propria para taverna ou PD.Ienlorin Alexandrina de Albuquerque
outro qualquer estabelecimento; a tratar no D Senhonha Aloexandena d Albuquerque.
3o indar. e ..a 6- a dnI- n
costr-ir*quo-rababer soas quo se diguaram acpaanbar, e assisti-
Precisa-se de costureiras quatrabalhem ram ao enterro dos.r tos mortaes do seu pre-
com perfeiCo na rua da Imperatriz n. 43, lo sado marido, pai e sogro, e de novo convidam
and.ir. Fazem-se tambem plissus cnmpreste- aos parents e amigos seus e do finaado, para
za a 40 rs. o mrretro assustirem as misses do setimo dia quo se bio
Aluga-se o segundo arunar da travessa do eelebrar na matriz da cidade de Palmares,
dos Expo tos n. 28 : a tratar na rua de Marci- As 9 honas do dia sigunda.feira, 31 do corren-
lio Dias n. 32, loja. te. pelo quo ficam eternamea-e agradecidos.
gAdnisto Baptista Rodrigues de
15SOOO Aleida
58000 Jolo Bapbista Boaventura Rodrigues de Al-
E' o aluguel do 1 andar da rua do Padre meid:, sua mulher e filhos agradecem as pes-
Flornano n. 69, e 35 do servigeo d limpeza; a soas que se dignarpm acocapanhar ao cemite-
tra'.r na Pracinha n. 22. rio publsco os restos mottee deseou sample
.. Pre,-isa se de uma paa eoznbar cihorado filho eirorac, Augusto Bapkimta Ro-
I em casa de rapazes solteiros: a drigues de Almneida; d' novo convidam a to-
ratar na rua i Duque de Caxiaq n. 39, loja dos os seus amigos e os do flnado para assis-
----Aluas-e-u-adastirem as missas do setimo dia do seu f alleci-
klu- a se12 dasuias da a so am casa a. A amento. quo mandam celebrar na igreja de
ru a Dir.3,ta, I,-^ .a qualque, estabelecirmom to'/
raa Dil--_ outa, ,,ira qualque. aestabeleciento a Snta Rita, tergaa-feira I de fevereiro, .s 11/2
commercial onuicihna: a rralas n bt a a marnhA, pelo qte ficam eternamente
rum 1ar a iJ P )i 1 r i;i. n. .4 ag rtioe -i.os.
Fuigi.- o ..,:a"-(-ivol'anti, di comarra de -
N:zareti.h J ,..:., n-' noite de 2i pars 5 do ParIuo Auliasto da l$|IaFI' irf
cnrrente, di7 dpara8 8uras da noL., 0 escravo | h ugusLo Si Silv-a Frt-ire, suoa mulher e
cr,~~~~~~~ ~~~~ rrne G7pr8ars afaL.Oecaolh -s, tend-) de wanddr suffraga, a almna de
muiato Brun, crialo. imdade 19 para 20 annos, s, end uiandr aal d
baio t-_spalim o, c hellhs parsapirhs, e co'P seu presado pai, sogpo e av6, fallecidlo na co-
tum.a 3,nprk jl-,.s i saqntoe Franide, olho.CO ar- fatu-i'a ..e Pallarss, \'em .) lOs "- ;ir seus
dos. ros,;1l:l; -ci ,' Irl Ioq .i' qu e. ndo devtes p3' ntes. mi.gos e mfais C 2 :i- .s de suas re.
,peIfeitvS, 's, FT .3"' es, s ula. p0.uco lr. .:e, a cd.so ,L, t :e ss isttrem
g. iI' ^. E' I).m ladino 'h r'^ .bp is qu, qu "'llu7 :. u1 I I s-. ,na-fei-
;d recitar pops S. :31. J .) i ,- rrL ttt, ., 7 1'/ hcras d,.i anh5.
fl"z n t ,1jr..r -c ; w( -enrrosamen r,-% :c. :- ;r Aj, w ti:rilz ,*1 S Fr.1 Fe ro G -o q lvps do
t~t,, ,, ;lu ..r-;, ; ene (,ame t,-, r-c,:L I cife. e ..,e ,ti:j, bcbequi, ..;e re.'ord~ira'o
pe -sa.- o c ,zii, ,,-, ,eo today seguranqa a g l c equ -e re rd r o
este ePigrerilh i :'-,-se a dire,-Eip que fom,.u -.,.
portl I-N sups;("t. qjue sguio para o Recife, ME.'Ex- ,. 3''a
onde nactccu : i;, r-:'n, a16t a ide de 10 annos i|1
poua,-) mris ot engs, tendo sid vendlido o au l
fir.-ado major Paulo de Amorim Silgado corn'
qum perniut' por ur ouro escravo de nome eeisa de uma
Gaspar, por ocf:csiao do invenLar-o do oom- ,,.I
meodador Paulo de Amorim Sr.ka-'o. P de um1
- Precisa-se comprar uma escrava do meia
dade. que saiba cozinhear e engommar e sea re lpara.s ( u0 lin'h r e
saacl: atratar nos Afogados rua Diteita it. 38.
l-- --h comprar para casa ue


wFugio no dia 6 de dezembro proximo pa do, da casa de winha mai D. Cesaria Candida
Nobre de GusmAo, o ecravo Jacob, preto,
alto, magro, do serving do campo, e as vezes
bebp, muito conhecido em Jaboalio; a pri-
meita ovez qeuo fugio foit peso adiente do Una,
onde ahi wir eomo livre: quern o apprehen-
der,.e"a*aB. etmregue a mettirmao ahi
erta inatBinao lrIoeiseo da Sllva Gus-
ma3o ;A ewi|m we9 Bb i, e nesta aids-
de as A __iirite ado. M@Mp4 ard.
.,14iio MM d&8n.6Ia O~mao,
--- *Mpese^ -


duas pessoas: a tratar a
rua da Imperatriz n. 10,
A .-. ...-.-1 _- -


ageeUCa oo MOveis.


IDA
Mung eaqndzuuLd
Ataft, a WF tfli& d. B d & Jsa.
.ftn^feljo .fft 0A-, Sr. tfeaes, on.om o proprietuo

lRe< .ro>Vis1 deVii 0


K& '- .^ ;-^- '- *


XARWOPE

QQUINA-LARQQHAI
", qerw..gtaW",


1 ^ mc o 0ww sucmc w,,


P~f 220, i1t rue DrouotPMtISI

d|a auim AN0044 o




w0 0 ZN$aTER NO-md- W
Jar coi c -euadauo Mamaaa.

jE (tSnftff ivttu =Zr qm
* -TJro XUSO T LIT.O--


&em Trma- "
Ih h idupo 6 alp@lpuar mr
9aXU'-RBAMAiBd- I'OU 4,01BArl
/j w acre.j cai .~rtad a mab mB.BriWi.. y




* FUWSAOEB ANTI-CfIJPAES--BANHOS-UENTsFlIC. '1
Em Frana. : 'r. o frasco.
ftGLY0b^HOTO
UL-KSO Vd%33XTfiO- B

O FUWKUAOE6 ANTI-CfflPAES-BANHOO-DENTIFffim.
'Em Franga : I fr. 50 o Fraso.V
PARIS 6, AVUMON VOrtORLA, PAXIS
Deposito em Perunham :
FRAN-oM.da SILVA& C0

W" ar fp, am ---/'
iii autouxOO


OLEO DEFIGADO DE BACALHAU
IODO-FERRFO QUINA
E CASCA Dr LARAI.,A AMARGA

vrliiig q p iT.
OLEO DUCOUOI

._ i' ELI,,K


w 2MP-9
P P-AX


". ia poderoso
cd eLicamneD L.(
'Ofltt :
tM:^,.I, Anemia
Ch~vose
'0i'mi SPito'
! i:. ...,


I RBronchites



Tisi1
Wb k oft m .
1(


.I .ts,-tbss"
F tClt


;"e :.* t .:';--
l- .-


*, .-. -y--u a s v'IPKI'v



.. B e day molestias pulmh iares


Apprivado pra Jinmi ('L-ntral de Hyg.icine da Cuota

fa, t-ope 6 uin cetlpso, i,ruo:,.,o e o melihr peiioral cohLe.-iio ate hho.e nos annaes da
OWN psUca. i
N&O pecisaOis aiapoltar mais oases rmwedies estrange ro.N que se d;zem pezitteraes, pieju-
diciaes a saiide, e qe -sAo deo nenhum valior a vista .!o IO ,O preparad,.
. NAo temrn o inconveniente de priluzir niauseas, ,corno 0a quf ,or .1-i Fe annunciam, viutlo
do estrangeiro.
E' mister que o public se. convenca.,de urna vet para mp,'e I -1,i i nAo ha ,ces;l..
de recorder a elles. porqne rpinsi sempre snio cr mli;n.,ctes iue mais tare trazew effeitios nocivos.
Nao ha precisfie diFso, isto e. Ile in iionr ..., vi. t,, .,inu o Bazil e opulentissimio em vege-
taes medicamentosos, e pot(e-se alfirnar ijue a sua Flura p]osue especiticos que levam de Jer-
cidA a todos on outros de pai.ea estraukioa.
0 Xarope de Jaramacaru do Dr Carlos Bettencourt e de umra accao energica e de u/b ef-
feito maravilhoso, manifesrado logo corn as primeirRs 'oses.
Temos conseguido mtfitas ouras no tratamentuwo .lai seguiPs molestias;
Asthma, defluxo, tosse de qualquer natureza, lrouchnte. catarro chronic, tosse convulaa
phtideca laryngea e pulmonar ou molestias do peito e da garganta.

SALSAPARRILHA E CAROBA
DO

DR. wARLOS BETTENCOURT

Grande depuralivo do sangue, sem mercurio

,'-.'111 1i1irf"':aulC' ',o sangue umrn elixir ,i extract fluido composto de varias plants
ri ,..e upm,. -- nn vetetal.' c, ,Ine 0 recurni-n.i, a to,!o.. qu-intos rquizeremrn fazer uso de
it .; I, u,,telit, "*..Lin, reptuLado o primiiro no ,--u genero. A sua formula foi examinada
'C! I'.., 'I :, .' t c,,le, Ie.in[ coio o prel|aral o, mrn recpen.lo asua approvacao.
. ;..". i ,.I to, L,, ..'.'.raeiiai nhi produizir mao- resuha:tdos comno acont-,ce corn a maior part
lu, ,: u. f U e ero.


.i S9CCifiCO


nas molestias seguintes.


[(. .^ .',"' ~..,u u.. d*l; is::, lu herileri, carbunculos, ulcers e foteridas, cancros,
-."" e'x','uu. -, ," -su.-;o. 'petra, eser-opulas, darthros ou impin-
-- 11 .,a ir, .s ta' 1eeas Irrun e urn sangue impuro.
A Ii ou ,',II ,iu-.-P es11
Aoderio .,. i'--" I l eurpulo e se.undo as novas descubertas da pharmacia
l-.,1? IC,," .... e r,..Is, Isl,- ,le preferencia a quaiquer outro. E um verdadeiro triumph
IlU I 'I. -, .lci,,,mc:nI..,. f.,-Il, leliciraJo ..e toda part onde se tem feito uso dellefl
0 -rrni. crrl, ,iu tn ti- l I, este proparado, prova perfeitamente o seu maravilhoso
pode cuit'.I' ,1.
On,/be .; 'urra, -:il-aparrilhas laiharm, ella cura, e em todas as molestias acima mencionadas.
Ten,._ JuUlio!.i, .,s t'l;cio- e atieslalos tile nos autorisgrm a *lizel-o.
Todos o mneus .reir:ralo, teem iilt, uma extrac,-;-o prompta e rapida por causa da veracida-
de dts suas virtudes therapouticas.
NAo f m:,. -u ,;apel dIe mnercadores comno muitos ao annunciarem remedies corn proprie-
,-,l,..;- ,fle -no .-;lli, e disto c' e uma n bI a doso ut:, rsrmedios eslrangeiros.
.A ..:ts-p',rt., ,rot )ia do Dr Carlos Bettencourt p..de ser uisada por todas as classes so-
ciaes en rzAo do seu baixo prices aque un acoatece corn as outras que eustam duplo e mits,
sendo inateriq o uneA erge1lieamneutopas"

lR AftiE Q UINA m-t
.^ ^ -^*iBBB~l i lB~~lllBi H o me mlim podqroso (tog toalcos.


D .' .I -
101. PELA
^^ 5^ C?' PUREZA DOS.MOMTOS. (*9 4 8 a ?
I,(< AmkwdaCfteb a Lf9 W2R viom 173
* QP if &WITTMANN
l o ,f FILS aln6, Succe re
(I q PHO iiWT[S CHIMInOO
,>.-9F~~" qbrica Especiulpara a
l i *^ARMACIA, PHOtOGRAPHIA E INDUST*IA

tftke Quiniuap
S' y J, *H A -'AA So I
_-- "-- -,


~~N T
Aos consumiores da t0 afamada perfumaria ORIZA "u.0 a fu. ph s
L. LEGRAND, 207, mrua St-Honor, PARIS
i {H'vTC rcoa iug teem )ti nq
Lim dado odgens a numerosas falsil cacc-t ou ilnltac6es ; divlu,..m&z. .
O c>,mnpradores dos productos de nos.a' f.nrnc..cA, dLevema,_.r u;.it, eiddau4. ,, pxniia.re,
co6r ,'1,...' 0 .o Co prorluctos que se Ihes d i,2';uhlA O, c ach&o em
CaixiDn1- 3 "',-p pael a:tl impremso cor 'feixies de EspigM de arros, e S1
o Abelsas e re oeslhous :'.
lo Do rotuloe corn a assignatura encarnada L. d LRAoD; a.
2a Da marca de faPbrics, margeni, corn treo e a ps.
gsaturt4 L. LEGRAND, RAYiAUD successor,
E' pre ic reparar bum V. af armas repregemtao al S I&oft
SEsta noya Maroca de ofab,, apcrrelgoada foi deposttada ti Lnz ui
as regras e as leis em todos os paizes e princlpalmente aa V
A11emaaa o. aw-e-Janeiro, em Buenos- Aea, Monteideo6,
Ma&r e'l e fa a s 9utras Capitacs.
On !R0 ong so "*8 wmg oom todo o ripr. I


fin Prau.
itekA7'06
1icr ia


- :r
g 4-


,Rernambuco -


r"-,--- 7 ^ r.*< <

i L...IE k
., ,' .* i^\S -i


" -.....ASH 9f




Sii
. j ,

I t ;- *
' "

? '. .,




a : ; *1:1 t**
.,,
| 1 "! "' '" 'y
-; G -. .' ,!'. t : m \< ;n


COL GLIIt paz-a a bi'lleta 4pqa^
E3T.r "- W OE A ""l 9 ,PA .
P l. ..J^


-nJ
416


,iOe ifl

C.
'4 ,t
-.1


'---u-a'.-
- ~~uc't~ ~


A'


N. 9 -.


45


V.


** '*^*Fv-- ***""
- CTM-^'


's~ m, .' li


ueuprocus que des teem e i be m qee em urai d
1ouftr temas~ tfic Var do Pra
toda a clauses, clc0,anf a fV-Llzx.
L.k" ve efficaze. A raiao ;;tdante, fornmea
' rem"do muito mats eerto e effisa. que jnenhuln ontro. i
Aquelles que 08 teem enmdaia^. sabom que oe Otsu. curwiuo
polo soen uso, os qu ee31 o e-.diarrio sabein qee seus amnigoM
e visinhos se teem curadd, e todc comheccm que o '!ti. ,
.rado umavz se tirar& todas as vees, e que as PILL U-
LAS nuncu ,sIo por codequencla de erro oil neg'!insis
nT sua compoiiao.
Temos nilhAtes sobre milhares de cenrtificadoi rejerentes as
listinctas carus que ho effeotuado estas pilkilas, nas moles.-
las que em seguida L 1uioc ..,' ,_Z.. IS
3onhecidas em toda a part asonde teem penetrado, des neces-
anuo e publicra J-- --i.4 "n* & todas as idades e b
todas as condiles, em todas as ciumas, nko contend calom-
elano nem outra qualquer droga deleteria, ellas podem set
tomadas por qualquer pessoa com,teda seguranqa. Sua
capa d'assucar as conserve sempre frescas, e as torna gosto-
sas ao palladar, send tambem puramente vegetaes, nU po-
derm resuitar effeitos prejudiciaes se por acaso forenim tomadas
em qoze desmasiada. 0 papel que serve de Ltierta pars
sada vidro leva direcq6es minuciosas corn relaii';.-i, i -..uiy,
tea molestiasque as PILLULAS C ATHA. TICAS .1 lpi.
damente curao. Para a Dyspepsia ou ludigesiao, Di:
plieencia, Lzngruidez, Falts de Appetite, ,leveni -
tomadas em dose moderada a finm de estimular u ctomag, ).
restablecer suas func(eos saudaveis.
Parm as Doemwas do Figado e suas diversas symptomaa
Enxaquecas Biliosas, Dor de Cabeca, leterIcia, Col-
ee Buliosoe Febres BUiosas, devem se tom:r taimbom
moderadamente em cado caso, para correger a ac,.'5 viciadS
on remover o obstaculos que a cansao.
'ara a Dysenteria ou Diarrhea, 4 geralment-. b.stante
nina dose pequeia.
Para Rheuma'i"''o, Ootta, Arreias, Palpitaero do
Correao, Dores .ans ilhargae cGu eostus, d Jcv'rni .er
tern, las continua''. rr., nte, at lterar a fv -1 i.,s orgios
d' regulados, de .O-te quew :I !'i > a, .. L.-
Para a Hydr-ip# --' e --t 'oarJes ?'i'ldroPicas, '- :'eCuSO
t rna-l-a- I'reqT. ntt-i .ntI n nr.rcu. a.-; .iT.n1, |i-irsa
produzir u iefft j de unm i rga;ivo Jlr.i:lco. Cniato Diges-
ti'o Ia;.i t', jantar ., ,' :lbi, toma-e ulit Ciil inu:is pars
prmrr,'. ,r .. di-.. Utdr r o 0 etomao. 'iuuu dua t!0-
I.Irs jl, ., /. Lzi : u.idLlo, ealimul'jo uu ctwjtwago a oLbrar -uu-
davelineide.
Qu.ilqu.r qune e icha regularmente born, tormindo uma
,..u lua d','.t:, *,illiilas >_ achara, muita- veze,, .li'ciJida,
lmeate milli-r, por razau que %lUas purificamn c rtturio (
ai.pareiho digertivo.
PREPA&RADAS POR
J. C. Ayer & Ca., Lowell, Mass., ..U.
VEnNDE SE POR
Adamson Howie & C.
agp;.tcs esta provincia
elos dro:.-- lier. phair tmaceutcos .'S
,',, s a parte


C 5

a






-1
--I.
~.1


V




I



11


mr


<
i


i1










I


AS


A' RUA DO CABUGA' N, 4
Sem cempetidor em pregos, sem su-
perior em delicadeza nos tratos e sin-
ceridade nas transacgoes, elles expoem
a todos os que honraremr o seu estabe-
lecimento corn sua visit' o mais varia-
do e complete sortimento de joias de
auro e prata, quer samples, quer orna-
das corn as mais elegantes e verdadei-
ras pedras preciosas, taes cormo,: bri-
lhantes, diamantes, esmeraldas, sa-
phyras, topesios, onix, rosalina, etc.,
etc.
A sua norma de conduct :
Venderbarato pars vender muito.
RUA DO CABUGA' N. 4


Lill


LOTERIA


&c.


DA


CORTE


*A LOTFIA BE .&ULO

R.s 1,000:000:000

Vende-se bilhetes, meios e quartos, em gran-
des e pequenas porcoes

BOURGARD C.


Tambem


se acham a venda os bilhetes da


ILLAS


grande loteria da corte.


ONAC TRES E


ML3 ILAILd ^W. U3UfeBU3iS
Este cognac, hoje sem competitor pelo seu nimio preco e superior quali-
dade, e que obteve por isto os primeiros premios na grande exposigdo universal
de Paris 6 hoje o mais procurado, ndo s6 por sua SUPERIOR QUALIDADE E
PREO BAIXO como porque cada garrafa de litro comporta assim garrafa e
meia de liquid, e o torn por i ;so muito barato para os SHIP-C.HANDLRES,
HOTELS, RESTAURANTS E VENDAS A VAREJO.
Unicos agents dos cognacs Muller Freres
MAIA PACHECO & C.
40-RUA DO COMMERCIO-40
Todas as garrafas trazem os rotulos corn esta declarabao
Cautella com as falsifica oes
0 unico verdadeiro cognac Muller Frbres 6 aqui importado pelos
agentes-MAIA PACHECO & C.-Rua do Commercio n. 40.
As caixas representam em marca de fogo o desenho do palacio Trocader
em Paris. As capsulas, rolhas e garrafas slo todas authenticadas corn a firma
-MULLER FRIES.
CAUTELLA COM AS FALSIFICA(OES


I


N&C


N. 44 Rua do Brum N. 44
Junto a estaCAo dos boads


TQem pars vender, por pregos modicos, aos seguintes ferragens:
Tachas fundidas e batidas.
Crivag5es de diversos tamanhos.
Rodas de espora idem idem.
Ditas angulares idem idem.
Alambiques de ferro fundido.
Varandgs de ferro batido. -
Ditas de dito fnndido, de lindos models.
Portas de fornalha.
Bancos de ferro corn serra circular.
Gradeamento pars jardim.
Vapores de forga de 3 a 6 cavallos.
Moendas de 10 A 40 pollegadas de panadura,
Rodas d'agua, system Leandro.
Escarregam-se de qualquer concerto, assentam machinismn e e
a qualquer trabalho corn perfeigio e presteoq.


ELIXIR


xecutaT.


ANTI-ASTlkMATIO

*DE
BA.RTHOLOMEU ft C.
Pharmaceuticos premiados em diversas exposioso
Nao olhando s6mente as especulagces, destinamos part de nossos estu
dos e observades a descoberta de compo;iQies cornm medicamentos novas, o
corn os poucos, ou ainda nio experimciados, para procurarmos obter a cura
ou ao mencs urma sensivel roodificaaao, na march dos terriveis padecimente
jue affligem a humanidade: c que ate hoje teem zombado dos meios conheeidc
a medicine.
As molestias dus pulm6es, e dos demais orgaos da respiracdo, considera-
das das mais graves por suas funestas consequencias, e que infelizmente, sem
que se canheca a causa, tanto se vai desenvolvendo entire n6s, nos tern mree.
cido principal atteneao, e temos a ellas dispensado as mais aturadas inquiries
Acabamos de formular urn preparado de mui agradavel gosto, e portanto
S de facil applicaeio a todas as pess6as, qualquer que seja seu sexo e idade, que
S' expomos ao public sob o nome-Elixir sedative peitoral anti asthmatico ;-que
- sendo um composto principalmente de bases vegetaes, produz effeitos calmantes
i: immediatos, sem center a mener quantidade de opio e seus compostos, ou as
S emiticos, de tio perigosa applicacao.
0 O Elixir sedative peitoral anti-asthmatico tern as precisas propriedades
S pars debellar promptamente as afleccses da garganta, do peito, e mesmo do es.
tomago, e na asthma, e cr.queluche, em que ja temrn sido bastante experimenta-
do, o Elixir tern apresentado os mais satisfactorios resultados.
Ni Nao menos proveito temos obtido como verdadeiro espefico nas constipa-
C6es, catarrhos, defluxos catarrhosos, e todos os mais soffrimentos dan vias res-
; piratorias.
Nunca apresentamos preparados nossos os ao public sem experime-u
tal-os nos hospitals, e agora foram os main satisfactorios possiveis os resultados
S que obtivemos corn o novo Elixir, como affirmam seus districts medicos.
l Esperamos a continuagio d-s bons resuttadon do nosso novo preparado,
S ficarl o satisfeitos nossos esforgos, se elle vier pMeonchs, a lacuna que aminda
a resent de um verdadeiro especifico para molestia- taow e.


0 p tigmaAm Csi .f oi nra -
ni"ad vale da uropa
pare a cura dns aoII d_ vis Pinarims,
e os edemas. gepas ou parolaes, Walda mes-
mo, a aacito oun lydroposia do ventro.
E' um diuretife de effeito infallivel e segu-
ro, -que ura rmpidaemente as retenos de
urinas qualquael quesmeja a oausa. combaten-
do ate meamo as inflammagoes productivas
dos rinm o ds a bezig,
0 xarop de stigmas de milho de nossa com-
posigio 6 dosado de 16rma a counter cada co.
iher des doe sops de tamanho ordinario, 1/2
gramma do extract Ie stigmas o qne garan-
timos aos Srs. clinics, para que possam re-.
gular corn exactidlo as dd6fes que neoessita-
rem presorever.,
Applioaqges
O xarope de stigma do milho cura a reten-
gao da urina, catharro da bexiga, faz desappe-
recer em poucos dias as inchacoes parciaes
ou geraes, os sedimentos da urina; 6 final-
mente o melhor remedio, sempre -qua for ne-
owsario augmentar a secrogeo da urina.
D6se
Duas a quatro colheres das de sopa por dia
para as adults, e das de cha para as criangas,
puro ou dissolvido em agua fria.
Di6ta
Comidas pouco oleosas, abstencgo dos vi-
nhos alcoolicos, de pimentas, e todos as exci-
tantes.
Deposito geral
Pharmacia e drogaria, A rua larga Jo Rosa-
rin n .4 Parmnmhnnua.


!!


limit

S5.


Fustoes brancos a
400 rs.
Na loja dos barateiros aa Boa-Vista vende-
so superieres fustOes brancos e cOr de perola,
proprio para vestidos e roupas de creangas.
pelo barato prego de 400 rs. o covado ; isto na
rua da Imperatriz n. 40, esquina do becco dos
Ferreiros.
Fazendas brancas
Os barateiros da Boa-Vista vendem
um grande sortimento de fazendas
brancas, por preeo mrnuito em conta:
Madapolao-PeCas de madapollo francez
muito fino, cornm 12 jardas a 3;200.
Dito francez, corn 24 jardas, ou 20 varas
45500, 5o000 e 65000.
Algodlo infestado, corn 10 palmos de largu-
ra, proprio para len(6es, metro a 900 rs.
Dito entrangado muito encorpado, corn 8
palmos de largura, para toalbas e leng6es, me
tro a 1t200.
Gregoela, fazenda branca muito encorpada,
para lenc6es e ceroulas, send' a pega corn 30
varas, por 14S4.00,ou a vara a 55000.
Bramante de algodSo corn 4 larguras, pro-
prio para leng6es, o metro a 15280.
Dito de linbo cam a mesa largura, a !$200,
25b00 e 25800.
Atoalhado-Supeiior atoalbado corn 8 palmos
de lergura, send cornm o lavor em alto releve,
metro a 16600.
DiL6 de linho adamascado, cam a mesma
largura, metro a 28400.
Pannos da Costa listrados e de quadros,
proprios para ceobrir meza de jantar, covado a
1280 e 1600.
Guardanapos de linho, fazenda muito boa,
duzia a 5000.
Isto na rua da Imperatriz n. 40, esqul-
na do becco dos Ferreiros.
Ao Sr. Sabino
Pede-se ao Sr. Sabino Rombo de Luna Frei-
re, queo nos digs, onde se acha n'esta cidade o
Sr. engenheiro Pedro Fornaghi, ou por esteo
journal, ou na rua de Marquez de Olinda n. 43.
Professor
Um moo hbabilitado, tendo alguma pratica
de ensino, se offerece para leccionar portu-
guez e francez am casas particulares. Os se-
nhores pals de familiar que quizerem se utfcili-
sar de seu prestimo, dirijam-se a rua Augusta
n. 194. que acharlo corn quem tratar.
Baratas
Aluga-se por 30A o 3 andar n. 21 A rua do
Bareo da Victoria; por 255 a casa n. 16 A rua
Dias Gardoso; e por 125 n. 8 no becco da rue
da Palma; a tratar das 11 boras As 2 da tarde,
a rua Duque de Caxias n. 46, 1o andar, e dahi
por diante A ruan do Barao de S. Borjais n. 51.
Tapipire
Fugigram do engenho Tapipird, da comar-
ca de Iguarassfi, na noite de 30 de dezembro
proximo passade, os seguintes escravos:
Gaspar, alto e secco do cerpo, represent
45 A 50 annos pouco mais ou menos, preto,
olkos grandes, pouca barbs -este escravo foi
comprado em 1878, ao Sr. capito Innocenclio
Furtado de oMendonga, da Alag6a-Gomprida
na P&rahyba do norte, e 6 de presumir que
tenha seguido para alii, por ter irmlos naquel-
le lugar: o outro de nome Vicente, conheci-
do por Manoel Vicente, cabra, de 50 A 55 an-
nos de idade, barbs branca, e as vezes costu-
ma raspar, tendon os dous dedos grande dos
p6s muito abertos, parecendo quasi aleijado;
este escravo foi comprado ao Sr. Jos6 de
Mello Azevedo, em poder de quem tern um fi-
lho por nome Agripino, e que talvez fosse em
procura desse filbo.
Portanto pede- se as autoridades policies
ou saos, Srs. capitbes de campo a sua capture,
e a eLtregar no referido engenho, ou no Re-
cife ao Sr. Francisco Gomes de 4raujo, rua
do Apollo n. 11, de quem serbo generosamen-
te recompensados.


Precisa.se de uran que lave a eugomme
muito bem, pare tratar na rua de Santa Cruz n.
68, Boa Vista _________


Professo ra de piano 0 Bazar Victoria acaba de receber da
Anna de Menezes p6de ser procurada para o rpa, um andioso sortimento do mascar
exercicio de eua profissio; na rue Imperial rizes, quei0s a moesa mascaras, bra
n. 199. pretas, feigOes de homem, mulheres, mi
moQos, velhos, caricatos e de diverse
Criado mas.
CalCas, camisas, carapucas e luvas d
Precisa-se de um criado forro ou escravo brancas e cor do rosa.
para tratar de um sitio : A tratar na. rua do Franjas, tranegas, bicos e lantijoulas
V'igario Tenorio n. 12. des e prateadas, e outros muitos artigoi
Pada, --- "fazer-se lindos vestuarios para as fellas
Padaria valescas.
re ne d lo rescben tambemr um explendido sort]
Vende-se urns paaria em urea das melhores do bisnagas d'egua de cheiro o do p6, e
localidades doeSanto Antonio, ou dt-se socie- muiton artigos desorpreza proprios 0
daae a uemrn entire corn algum capital, 0 eO- brinqueds d sa, no. dias do -carn
tivo 6 por sen edan ter do reura.-se por i0n-vendeJse por pregos'commodos, na ril
cc ainudos decade: 5atratmr na smau iroita numero 2.
numero 55. I_______ --- -"_- _- ---
C---aixefro Hotel central
ier .Aluga-se corn os bilbara e oliadUa. o
Precisa-se de um me n= de .12 a 13 annos aapdpr em seperado: a trtar no progs
do idade: na Ma ado. Beoa n. 81. pesutento ti'do.
."

,. ,- : I .. .
". .. .; ," .,, ...


"A a Up.

do d.0t,1 t,, hais = I que od
p qiafjde ~armor deo: us iueves
nhaArua Duqu. do CmAxas n. 36 e
oo v0 n, neom. manda 1
E'muits dureja deo cerago I
Pole devia vir, ou mandar.
E se mandpse aqpiio que motiva as
saudades que S. S. tern causado, nio
daria lugar a que se esteja com.pondo
uma chlu para ser cantada, a nla-
qual logo serA pubUlwada.
Dentista
E. ]paminondas Rodrigues da
Silva, pharmaceutical e dentista
pela faouldade de medioina do
Rio de Janeiro e successor de J.
M. Leroux, encarrega se do tra-
balhos dentarios, por preqos
commodos. Acha-se em sen ga-
binete das 9 e meia As 4 horas
da tarde, A rua do Barao da
Victoria n. 23, 91o andar.
Moveis
Compra-se, vende-se, aluga-se e troca-se
moves novos e usados de todas as qualidades.
As compras effectuam-se de prompt a di-
nheiro A vista, qualquer que seja sua impor-
tancia.
Em todas as transagOes, slo tomadas em
consideraglo as necessidades dos Srs. preten-
denies, que encontrarao maiores vantagens
do que em outra qualquer pate.
ARMAZEM L:E MQVEIS
(A' rue do Duque de Caxias n. 37)
Unt moleque
Quern liver e quizer alugar urn moleque de
12 annos para o servigo domestic, dirija-se A
rua de Hortas n. 15.


and sortimento de U o cor a,des-
fiado, e em folha de todas as qualidades, e das
marcas mais ac.editadas neste mercado: nos
armazens de Silva Paiva & C., A rua da Madre
Deus ns. 24 e 26.


Emp


orao doe 1005 para cdma
Bilhetes 3500
Meios 15750
Quartos S875
Manoel Martins Fiuza.


CASA DE OURO


Bilhetes garanlidos
Rua do BarAo da Victoria n. O40
e casas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
entire os seus felizes bilhetes um meio
de n. 2,035 corn a sorte de 1005000,
umrn quarto de n. 1,000 corn a sorte de
1006000, ialm de outros premios de
326000,165000 e 86000.
0 mesmo abaixo assignado convida
aos possuidores a virem receber na
conformidade do costume, se daseon-
to algum.
Acham-se d venda os felizes bilhe-
tea garantidos da 3." parte da loteria a
beneficio da Santa Casa de Misericor-
dia do Recife (96a), que se extrahirA
sabbado 29 do corrente.


PREgOS
Bilhete inteiro 4000O
Meio 2M000
Quarto 16000
Em porgdo de 1Oo OOf t p
cima
Bilhete inteiro 3500
Meio 16750
Quarto A875
Joio Joaquim nda Costa Leite.
Na pharmacia
A rua doCabugi n. I1, precisa-se de um cai-
xeiro corn alguma pratica.
Loteria
Previne-se ao Sr. thesoureiro das loterias,
que o bilhete inteiro n. 4411 da Icteria 96, s6
pertence ao abaixo assignado, e como lhe ti,
vessel sido subtrahido, faz esta declaracgao-
Afim de nao ser pago, se algum premio hbe
couber.
Francisco da Costa JMaia.
Ama de leite
Precisa-se de urma ama de leite : na rna de
Pedro Affonso n. 64.
Boa ama
Offerece-se uma ama para cozinhar: A rua
do Born Jesus das Crioulas n. 35.

COIPRAS
Compra-se urma casa terrea para peque-
na familiar, na freguezia de Santo Antonin ; a
tratar na rua do Sol n. 2 1.
Apolices gcraes
Compra-se apolices geraes: na rua do Bown
Jesus n. 4.5, andar,
1Apolices
Compram-se apolices provinciaes e geraes
a tratarna rua Primeiro de Ma- tp 0 ja.


VEDIDS


Manoel de Moora Esteves esti- retalhaddo
seu sitio corn a frente pars os trilhos do Ar-
raial, corn tres casas de t-ia, duas cacimbas,
muito perto da estacAo da Maagabeira de cima,
lugar muito saudavel e recreative, preeo mui-
to commodo; trata-se na rua do l;perador n.
50, to e 34 audares e nos aias qaotifl'ados no
mesmo sitio.
Remessas: para Portugal
e ilhas
Maia, Pacheco & C., A rua do Commercio n.
&0. fAcilitam remessas de menores e maiures
quantibs para Lisboa, Porto e ilhas, e todas as
de mais villas, aldeias, cidades ou dependen-
cias do reino.
Cozinheira
Precisa -se de uma ama para cuzinhar, na
rua do Imperador n. 73, 30 andar.

Atten ao
Pedo se o ao senior engenheiro Pedro For-
naghi e ao Sr. Manoel Joaquim Correia de Al-
meida, e Francisco Raposo Falcao, a bondade
de apparecerem A rue do Coronel Suassuna
uuaero 15.
Aluga-se
a casa n. 59, A rua dos Guarrarpes: a tratar
na rua do Cemmercio n. 34, 20 andar.
S. Francisco da Varzea
Desde outubro deo 1879 estai fogido Euzebio,
cabra secco, altura umn pouco mais do quo re-
gular, 22 annos pouco main ou monos, imber-
be, carreiro e optimo para qualquer trabalho,
fall um pouco corn a lingua entire os denies.
Esteve mai de seis mezes depols que fugio,
entire os engenbos S. Bartholomeu, Compostos
e outros visinhos. Consta que dahi foi para
Gamellelra.
Felix fugio ha 8 ou 19 dias, estatura regu-
lar, pouco mais de 45 annos, preto, calvo no
alto da cabeca, bemrn feito. pouca barba, optimal
para todo e qualquer trabalbo. Suspeita-se
quoe andara no Recife.
Gem mil reis de gratificaclo por qualquer
dos dons escravos que for levado ao on-
genho 8. Francisco da Varzea, de Francisco
do Rego Barros de Lacerda. ____
Diligencia para a Victo-
ria
Partira de Afogados todas as quintas-feiras
as 8 horas da manhl urma diligencia para
aquella cidade, Preco de passage simple
85000, ida e volta 14$: a tratar na rum d4 6e-
dro Affonso n. 51, t" andar.
Chamado
Pede-se ao Sr. JoAo do Rege Lima Junior o
favor de vir A rua do Bario da Victoria n. 8, .,a
negocio de oeu particular interesve.
Aluga-se barato
Rua do Visconde de Goyanna a. 79.
Rua do Coronel Suassuna n. 50.
Travesse do Csmpello n. 1.
Porto da Madeira, rua da Aguasinha n. 7 (Be-
beribe) born sitlio ; trata-se no largo do Corpo
Santo n. 19,1 andar.
Advogados
Os bachareis Antonio Justino de Souza e
Pedro Affonso de Mello mudaram o sou es-
criptorio pars a rus Duque de Gaxias n. 61,
onde podem ser procurados todot os dies uteis,
des 10 borns da manha is 3 da tarde.
Ama e criado
Precisa-se alugar uma ama para cozinhar e
engommar, e de um criado para o service do-
mestico : na rum de Hortas n. 16.

ALUGA SE
por medico aluguer as seguintes easas: o 1,
2' 30 andares do sobrado A rua do Brurn a.
84; as casas terreas ns. 41 e 49 da rua do Bar-
tbolomeu ou travessadoPocinho; rua do Lead
Cdroado n.1. Todas estas casas teem com-
modos para familiar e estao em perfeito estado
de conservaeo : a tratar na rue larga do Ro.
sario n. 34, botica.


Esta tinta recommenda.se pela sua compo-
siglao e flutidez como a melhor e a mais segu-
ra do todas as tintas at6lloje oonhecidas. Nao
ataca as pennas de ago, d ate tIre excellen-
tes copies, mesmo muitos dias depois de escre-
ver, e 6 preferivel a quaiquer outra tianta, parti-
cularmenteo para livros deo commercio, doenu-
mentos, etc., de qua se caregs long conserva-
gao.
Acha.-se A vends na tinturaria n. 25, da rua
de Matbias deAlbuquerque e nai tilmraia n.
55 da rua da Imperatriz : nas m f ntltt-
raias vende-se tambem tinta pAtW s krear
roupa. ..
Taverua.
Vodo so um t -iIm bon. afregueMd.
propsra pars pftu.pl=;it; ra Grn j. Anto i


TR'ORA BUA DO BBSM ) N. E
CSASA DO COSTUME.
0 abaixo assignado, tend vendi-
do nos sous afortunados bilhetes, 1
quarto n. 1939 comn a sort de 800#, o
inteiro n. 3712 corn a sorte de 2005, o
inteiro n. 1112 corn a sorts de o100,
e outras sorts de 325, 16| e 8#, da lo-
teria (95.a), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem re-
ceber, na contormidade do costume,
sem desconto algum.
Acham-ee A venda os seus afortuna-
dos bilhetes garantidos da 80.a parte das
loterias a beneficio da Santa Casa de
Misericordia do Recife (96.9), que se
extrahira sabbado 29 do corrente.

Bilhetes inteiros i5000
Meios 25000
Quartos 11W00


I P


Boa engommadeira
'recisa-se de uma, forra on escrava : a rud


Nova n. 9.


FORMS PARA AS-
SUCAR
Novo systems de for-
mas americanaw, para ks-
sucar, feilas dc madeira:
:mostras no escriptorio de
Saundcrs Brothers & C.,
praca do Corpo Santo n.
11, primeiro andar


13
Rua Duque de Caxias
Cambraia Victoria para 35 a pega.
Chita encarnada corn assento preto a 280 rse
o covado.
Chitascuras a 200 r6is o covado.
Lengobraucos abainhados a 1I600 a duzia.
Ditos corn barras a 2MO00 tambem a duzia.
Algodlo da Bahia para saccos a 320 o 346
r6is o metro.
Brim preto para luto a 600 ri6ls o metro.
Ceroulas de bramante a 1I200 cads urma. BI
pechincha.
Fustoes a 400 rs. o co.
fado
Rua do Queimado n. 43
Venhaw A elles
FustOes branco e de cores, proprios pars
vestidos de senhora e meninos, pelo prego de
400 rs. o covado, valem 700 rs.; vende-se para
liquidar factura.
Baptistes lisas
coa grande vanriedades de cores, a 200 rs. e
covado.
Cretones 1ieos
corn variedades de cores, 6 pechincha, a 28
rs. o covado.
S6o43
Defronte da praga da Indeoendencia
Borracha para limas
em porglo de 5 kilos para hima ; na rua do
Amorim n. 37.

AGUA FIGARO
infallivel para restituir aes as.
d bells grisalhos a cor natural
da juventude, garantindo-se
sem perlgo : para por si pro-
-. pria tingir instantaneamenteo0
calellos 6barbs.
J l __ UNICO DEPOSIT
otica Franceza e Droga.
ria-A. Caors
RECIFE
Rau do Born Jesus n. 22, defrute do chafariz.


Mais pechinchas!t
S6mente o 59 da rua Duque de
Caxias
Casemiras para vestidos, fazenda superior,
lindos padres, a 240 rs. o covado!
Bonitas lIs furta-c6res, fazenda inteiramen-
te nova, a 700 rs. o covado!
Cretones modernos, a 280 rs. o dito!I
Nansuks finissimas, lindas cOres, a 220 a
dito !
Pegas de madapolAo francez, flno, 24 jardas,
a 45500!
Cortes de casemiras fins, a 2;200e 45o0
A elias!
Ditas em peca diagonal, para 25200 e 26009
o covado!I
Flanela ingleza. propria para patitots, a
15200 o dito!
Brim pardo encorpado, para roupas de mOe-
nino.
Dito de cOres, a 400 rs. o covado, apro-
veitem !
Dito branco exposicbe, superior, a 1500 a
vara I
Important sortimento de fazeadas para l1te'
como baptiste e chitas retas, 240 re., lIs
alpacas finas, a 400 rs., bomblaeina merino
de duas larguias, a 15400 e W .1 p MO.
Diepomos de period alfeaiteil tof p
nho de quafqGr e de a
CAM&r E1 DA ctfl. '
51- RuaPfqtqu.e i
a PorbaIlodab ih~r.


1, Carrots p.a. 7
ende.-se t, osnrtu ru-Pats
par cderro eareM eat: A i
loo amgd tr. t 3s -teo ..
rS~a ^ ^ f ^ ^


GRANDE


Vende-sa a loja de miudezas da ruai da
Imperatriz n. 78. ou tambem seo faz negocio s9
corn a armagao, quo serve para qualquer ne-
gocio : a tratar na rua da Imperatriz n. 74.
Tavares de Mello, genrn
at Companhia
Pra"a d* Corpo faa m. 1 A, I
andar, vendem a pmmo o *
dinhefre cem deseonte
Cal nova de Lisboa.
Oleo de mocot6.
Potassa da Russia.
Snxadas do Porto.
Escumadeiras e passadeiras.
Formas de ferro pars a ssucar.
Formas galvanisadas
Tavares de Mello, genro & C. tem para ven-
der em seu escriptorio, A praga do Corpo San-
to n. 15, f6rmas galvanisadas chegadas no ul-
timo vapor. A muita sahida que ellas tern tido
prova sufficientemente a sua boa qualidade e
modico prego. A' ellas, pois, antes que se
acabem.

Leques
De seda a poupadour.
Petit fais, e cam plumas de lindas cores,
vende-se no Bazar Victoria n. 2, rua Nova.




TINTA INALTERAVEL

PARA [SCEVY[


ALLAN


i


WMF4CIN4 ON"' IWO*
qeas iBmewm, flchAs do esd d, d ii
sia e gosto, watoneu, pop 9lles, ,
0 BeiJa.Flor 6 pequoee, sa t i
sortimento escolhidaspara mimosar oseu
freiguezes, por peos razoavei._ _
2 D-RUA DO CABUGA-2 D
JA 6 bastante conheoida a lojinha do Belija.
Flor, de
Augusto Figueora & C.
-Vinho superior do
Douro
Em pipas, b&rris de 5 e a10: vendem Cor-
reia & C. Succtssores, & rua do Imperador nu"
mero 46.
Attei3o
Nap rimeira travessai ua do Pombal, em
Santo Amaro, vende-se Una padaria som to.
dos os seus utensilios novos, as melhures pos-
siveis, exclusive cylindro; vende se na mos-
ma uma machine a vapor corn forga de 2 1/2
cavallos, montada corn todas as suas perten-
gas, propria para moer milbo e outros generous
da mesma especie, tend duas especiaes pe-
dras, maniadas vir de Europa, corn 8 e 12 pol-
legadas de grossura e I metro de diametro,
fazpm farinbha muito fiaa; vende-se tambem a
casa da padaria, e outra' menor, de moradia,
ambas novas, Lendo um terreno corn 95 pal-
mos de frente e 200 de fundo, send proprio,
vende-se tudo livre e desembarafado : a tratar
na mesma.
Taverna ou deposit
Vende-se por prego muito razoavel a arma-
g5o corn as pertengas. propria para taverna
ou deposit, sito A rua de Domingos Jos6
Martins, outr'ora Senzala-velba, um dos me-
Ihores pontos no Re:ife; 6 grande pechincba;
a tratar na rua do Amorim n. 64.
Roupa jor media
N'este estabelecimento tadEnbem se manda
fazer quaesquer peas de (bras, comu sejam :
crois6s, fraques, calCas e culletes, A vontade
dos freguezes, e Isto por prpgos muito razoa-
veis ; e para este firm encontrarao um magni-
fico sortimento de punnos finos pretos, e ca-
simiras tanto pretas como de cores, send
francezas e inglezas, assim ci mO grande sor-
timonto demerin6s pretos e outras fazendas
para luto, e manda-se fazer qualquer encom-
menda corn a maior promptidAo, re.iponsabi-
lisando-se os proprietaries d'este estabeleci-
mento pela boa execuCo de seu trabalho,
isto A rua da Imosratriz n. 40, esquina do bec-
co des Ferreiros, loja de
Alheiro & Silva


..: .?.-s


I W 4 *
-.:.=-d.'., ^ i!..& ,.ia;ai, i


i "


I

















RUA


lsQUINa

da t larga do


ROSARIO


RUA


1


Este importaute b ento no. seu genero, tern sempre um sortimento sem igual, e vende
por preos- que neihuma ot casa p6de vender.
A' vista da qual0dade e do preco das joias, cada umr poder-se-ha convencer da verdade. Ga-

raute-se ser tudo de let. Compra-se ouro, prata e pedras finals prpesmuito elevads.
loia esti abaL4 por p -ut dam t eledo


CABUGA

da rESQUI rga

da rua k rga di


ROSARIO


TINTUiBA CI!NEA
para tornar os cabellos ra
pidamente pretos serm of
S fender a cutis
PRKPARADA|POR
A. R. RAMALHO
Rua do Marguez de Olinda n. 21,
Lo andar
SALAO DE CABELLEIREIRO
Esta preparagao. tendo sido feita de
wtccrdo corn o clima de.-te paiz, tor
na-se at0 hoje a me!hor, porqnue nero
*6 faz effeito rapido, sem Affender s
=Utis, cwoe se o fizerem bern, s6 bas-
tarA retucar de quinze em quinze dias,
A cada frasco acompanh'trao as ins
truce6es precisas
PreQo de cada caiinha corn
3 frascos 3.3000
Vende-se em grosso ea a retaltio, corn
o devido descorito de 10 a 15 0/o.
N. B.-E' m,'ito precise explicacaet.
aos portadores, pars melhor acertarem,
gue esta:i tiitura se veide s6 na rua dc
arquez de Olinida n. 21. 1.0 andar, ,
noao sendo l1 comprada, e fakla.
(SALAO DE CNR1F IIFIRETRO.)
E' vantajoso
VenJe-se a olaria corn casa de sobrado. vi-
velros e bastante terreno para criacgo de anl-
maes, no lugar 'lenominado Lucas quem pre-
tender, oirnla-se 6 rua Imperial n. 238, ou na
Pas.ag-''u. taverna do Bento, que se dara in-
formae ss.._..

Cretones lisos a 280
0 COVADO
Pochinchal
Cretones lisos de Ltods as c6res a 380 o co-
vado: (6 pechinchaid S6 o 43 da rua do Quei-
mado.
Madapolao francez a 3'.00 a peca.
Bet;sLse :e c6res finas a 20 i dis o covado.
Venhau ii ,echincha.
Maripou., ;rren4daa padlips lisos. a 240 o,
covado S6 o n. 43 d rua Duque de Caxiag
n. 43. Da amosiras corn penhor.


A Rosa dos Upes
r32 ua do Bardo da Victoria
A Rosa dos A'p.s recebe urn corm
e variado sortimento dus s'guint-'
tigOs de alta novidade, cono-stcam
Franjas de 15a, pad roes modern
de c6res especiaes.
Franjas de l5 e seda. o que h
mais aprado ,osto, e de cares as
apropriadas p ra fazendas, hoje
em moda,.
Franj's de seda preta, o que hi
melhor rie-te genero.
Franjas de seda de varias c6res.
Bico de Guipeur. bronco e pret(
Bico de seda, preto e branco.
Dito die .i. preto corn e sern vidri
Fitas d gorgorao de todas as la
mas e de c',res especises.
Fitas 'le sarja, velludo, escocezas
setiMI, *r;iLnfie variedade.
Luvas I pellica, de c6res, bran(
preta'. o,aa hormes e senhoras.
Chapv,,zinhos, tuue.ls e sapatinh(
Betim rnerin6, bordados,o que ha
mais gsto para baptisados.
Flore,,irtific;iaes, escolhido e vai
sortimelt"..
Plum;:." de tol;is as c6res para
Coll'mtrithos, pur:h e lenosI
' bfomeis.
|Gollir:.v,' bordadis para senior,
Collaritot3 pars selihoras.
Port,-ca-da de .ve
Prcparcs para tluret
Miru:urilize para traba,,.o 'e cro(
Guarni(lies de trs, p.'ntes, de C
S li pIra coc6 e marrafa.
:' Brin-L., pulseizas, caoletas, cin
rosetinuh de tarrncha; tudo de Cc
loid.
'^ Pulsei:-is pretas cern enfeiLes de
lu Iloid
Dim- a idnitaclo de tartaruga.
Ditas pretas. granite variedade.
Espartilhos, cintura re;ente, os
hlegan'es .atd hoje conbhJidos.
EspartlrWos coura(a e outras q
Lades.
Perfumarias dos melbhures fabric;
tnglezes e francezes.
Caixinhas corn perfam;narias pro
S para presents
Grarnit;6ea de pentes A imitaVa
sartar '-,,. para c.oc6 e uarrafa, gi
aodmno' -
Ca,,',a,.-, corn veos pars neivas.
S' Rai,.- ,e t1i'jed de !armgeiras
esfi ,rjfi de noiva.
Le. ,', s de ossa e ?eda, brancos,

Dio)s de c6re. e preto, corn phl
0* set ,'llr';,
Boia-1 ',i burr- cha p:ara creancas
Pent de Celhuloid pa;'a regao d
-Bqrda.tos ea cambraia Victor
| iB. te., :'. ... e sortimento.
A1kea e prateados
-a. tht a lecabello.
^^P.^M|4 e6-^ ,.-e-


Rua Duque de Caxias FABRIC DE CIGARROS
43 3 Rua do Bar&o da Victoria n. 39,
i 43 antiga rua nova
D1PE T\I AraGrbnde e variado sortimento em artigos pa-
rfinUBM IRIS ra fumantes.
Linhos lisos a 160 reis o covado. Bolcas. cachimbos. ponteiras, porta-clgar-
Poupelines escladas a 240 o covado. roe, charute'ras, porta.phonporos. lindas ur-
LAziinhas miudas a 2.0 r6is o covado. nais para fumo, e bengalas rcom cachimbos.
Madapollo francez avariado a 4S e 55000 a Cbarutos8 de Havana, Bahia e Peruambuca-
usta.o bronco para iestidos a 500 r6is o co- Cigarros de palbha, seda e linho, f~biicados
vado. rcorn os moelhres fuzu os e seme composiao. das
Musselint branch a 280 r6is o covado. marcas Carolina, Caston e Pollux, Vulcanic,,s,
Batistes lisas a 3:0 r6is o metro, grande va- Pegasos e S6 para Mim.
riedade de padrOes. Fumos em latas, picado e desfiado, Daniel,
Batistes miudinhbs a 200 ris o covado Goyaz, Rio-Nuvo. PicO, Pomba, Garanhuns e
Chales de casimira muito grsndes a 3 cadr o verdadeiro fumo cportl da Bahia.
U rn Caporal fiancez em pccutes de 50 e 100
Ditos frocados a Pompadour a 6 ?"doa urn. grammas.
43 -Papel para cigarros, Bardou, Sans Nor de
U cosmopolilte, Abadie, e especialidado enj palba
para cighsrro.
r __ J Phosvhoros de cera e os verdadtires Jonko-


merinos ae cores para
vestidos
Variadissimo sortiurento de merinds de co-
res lindismimas. o que ba O'e mais modern,
para vestidos, a 800 rs. o covado.
Alpacas lisas 6 de diver s.is cores, para ves-
tidos, ast40 e500 rs.
Fustbes broncos e de cores.
Ditos de assento branro cornm fares e listras
miudinhas a 3M0 r'. o covado.
Alpaco de c6r lisa paa vestidos a lO000 o
covado.
Na loja Fragata Amrnaznas, rua
Duque de Caxias n. 47.


FINIAKIA
A'rua largado Rosario n. 20
Tern sempre grande sortimento variado de
vidros brancose de co6res, assim ".ono tud&
que pertence A suaofflcina.

Grande pechincha para
principiar o anno
DE

Na loja ds Barateiros da Boa-Vista,
Sd rua da Imnperatriz n. 40
A SABER:
Aos oito mil covados de gorgo-
rao para vestidos a 320 r6is
Vende-se um grande sortimenti dos ntais
bonitos gorgurAles corn delicadissimas cOres
pars vestidos, sendo fazend de alta phanta-
sia e de muito boa qualidade, cori paiioes
miudinhos e muito moderns, pelo baratissi
mo prseo d(- 320 re;s o covado, isto devido a
ter-se fuito umra grande compra d'esta bonita
facenda. S6 na rua d* Inmperatriz n. 40, csqui -
na do becro dos Ferreiros.
ALTAS NOVIDADES EM CASIMIRAS
a 25 o cuvapo, ou a 35500 o 6rte.
So as Baratlros d-t Doa-Vista p6dem ven-
der casimiras de duas lairguras corn as oores
claras o escuras, sendlo fazenda fina e de mui-
to buns gostos, proprias para calc3S, paletots
o colletes, assim romo part roupas de meni-
nos, pelo batatissino preco de 2 o covado ou
35500 o certede calga : este drniniuto prego
por quo se vende, 6 devido a ter se fei.o gran
de compra d'eote artig, que se vende muito
mais barato do que rm outra qalquer part ;
na rua da Imperatiz n. 40, esquina do becto
dos Ferreirt,,.
Novos linhos para veslidlos, a 160 rdis
o covado
Na kja dos Bara4eiios da Boa-Vista vende-
se urea grande quantidade de novos linhos
A aea 94 6w para vestidos. Ltendo de todas
as e6tea. slars e escuras tamhem de listii-
nhas, qw, *e liqnidamrn a 160 reis o covado,
assim como umrn elegant sortimento das mais
bonitas baptis'es de cores, padiOes novos e
cores fixas ; isto na rue da Imperatriz n. 40,
esquina do be "-o d.s Ferreiros.
Cretones e chitas para v siidos, a 200,
240 e. -80
Os Baratpiros da Ba.-Vista vendem c-itas
claras e esruras de cores s--ndo fazenda u.ui-
to boa, covado a 200 reis.
Ditas escu-as e claras com as cOres fixas,
a 240.
Cretones muito finas para vestidos, cores
claras e escuras, corn p-queno toque de mcfl,
a 280..
Cretone vcrdadeiro, corn delioados gostos a
Pompadour, seendo claros e escuros, a 320.
,"Percalles brancas, paidrOesg uiudinhos e
cores fixes pore vrstidus e roupas.de criaiuCas,
a 300 reis.
Meriios e apaleas
a 40. eS, 0 reis
Os B.arateiro? da Boa-y:sta va-odem
MERINOS a 50O0;es. Bonitos merin6s de
uma s6 <;6r, fc zewrra de muita ph:n-
tasia, a 5(10 re s o covado.
ALPACAS a a00 reis.-Bonitas alpaces de urna
s6 :6r, ten n de todas as cores e as
muis bonilas que teem vindo ao mer-
cado. d 40' reis o co,-do.
PURTOES a 640 rmiq.-Boritos fustles de uma
s6 cO,, tendo de toias as cores t'
b'ancas. a 610 reis ojcovado.
CAMBRAlAS a 35Ct.,--Cawbraias A Victoria,
fazenula muito fihns,. 35 35100 e 45
ate atn mais finas que vcerm ao mer-
cadg, por orcco bare.
DITAS transparen'es- fzena m'mi~o fins, de-
255' 0 alt as w,ihores que veem ao
mercas4o.
Isto n- rue da lmperatriz n. 40.

Vende-se


ia o urma casa de t'joln e cal. bom construida, corn
soto e grandpa quintal, eom algumas arvores
fruactiferas, no C minho Novo n. 90, podando
pMlr qum quizrr, examinal-o a qusaquer hora do
'di. onde aselmtrA om qrec tratar, ou no lat -
p do Gorpuntb'n. 8, "prmeiro eandar.-


pings.
Papel de cores, e Immensidade de artigos
pare fumantes.
Piegos sern competencia na

LEii LDAB
Fabrica de cigarros
Iuna do Barso da Victoria n. 39
Leal A C.

Vinhos Bordeaux
Os melhores e mais afamados slo hoje os
das seguintes imarcas :
S. Es'.ephe.
Chateau Mont Rose.
Pottet canet.
Unicom agents
MAIA PACHECO & COMPANHIA

Coni ra a tosse
Xarope peitoral Jame
Unico legalmeni autorlsado pel conselho
de ssude public Portugal, ensalado e ap-
provado nos hi- pilaes. Cad& frasco esti
acompanhado de i impresso corn as obser-
vages dos principles medicos de Lisb6a re-
conheridas polos consoles do Brasil.
Contra a debilidade
Farlnha pectoral ferruginosa da
pharmacia Franco
Roconhecida como prerioso alimento repa-
radr e excellent trnico reconstituinte, esta
farinha, a unict legalmente autorisada e privi-
legiada ew Portugal, onde 6 de usa quasi geral
ha nuitos annos, applica-se cornm o mais reco-
nhecido proveito em pessoas debeis, nos que
padecemo do peiLo, em convalescentes de quaes-
quer duoenCas, em crianQas, anemicos, e em
geral nas que carecem de forgas no orga-
nismo.
Unico deposit em Pernambuco, A
rua do Marquez de Olinda n. 23, phar-
,-naciu de Francisco ManniI da Silva

BAZAR VICTORIA
2-RUA DO BARAO DA VICTORIA N.--
Nrste e.-tabelecioento encontrard o respei-
Laevel public o seguinLe :
MALAS de madeir.. de couro e de tapetes,
granies e menores. para vi'gem.
CIJICOTES de baleia corn castto de marlp
e de osso.
LUVAS de cirmuica, de la e de fio da Es-
cossi.
ESTAMPAS de cidades, mont.ibnhas, etc.:
etc., e sacras.
QU.\DROS dourados para oQ m smos.
LINDAS BANDEJAS DE METAL e de cba-
rio.
PINGENTES de vidro lapidado para conde-
labr,.
COMI'LETO SORTIMENTO de jarros de co-
res, branc(.s, grande e pequenros, proprios
pars Santuari( e toilette.
CADEIRAS de vinte pars crianQas, cadeiras
de halane', e pars mesa.
ELEGANTES ESPELHOS coo, mclduras dou-
radas para s Mo. pequenos, oam 2 e3 vidr,.s,
moldura de metbl, para pentear-se, etc., etc., e
pcquenos corn augmento para banca.
Vende-se na tua Nova n. 2.
Amaral, Nabuco & C.
vendeo por p egos eommods os seguintes
artig.-s emo'a ode phantasta :
LlVA? DE PELLICA branca,4 e de cores e
prptas. para homens o senho.res.
LINDuS RAMOS de flores para cabeQa e en-
fe.tes dp vestVot,."
MEIAS FIO DA ESCO SIA, de lin.;!s c6res
pars senhoras.
ENFIADORES DE ALGODAO, de linho e de
seda, paraespa; ATAC DORES DE AfO para espartiihos.
EOTOES DE LOU{A, osso. madeira madre-
perole, uietal ,nussa e seda, pretos, brancos,
e ,ie cores, a Pormpadour.
VESDILINH-GS e VESTAURIOS cornpletos
pars b~ptisada.s.
BER(O DE PALHAt. e de madeira.
FIO uE LA E SEDA. a Pompadour, pars
border e urn lindo sortimentu de caixinhas e
object, a para presents.
VENDE-SE NA RUA DO BARAO DA VIC-
TORIA-N. 2.
Sellins inglezes
,-Doonings Jose Ferreira & C., a roa do Barso
da Victoria n. 1, ,"sqiina da rU, das Trinchei-
ras, tern pars vender unm grande -aortimpntP
de selling e silhoes intlezes e arreios; bern
como colxoes e trsvesseiros, tudo born e ba-
rato.


D~.rhA


PNchincha
A nova loja de seleiro do J. Joaqoim de Ae-UI
vedo, quo so abrio A roa do Barle da Victoria"<
n. 29, acaba de receber os wats modernos 0-4
sellins inglezes, quo a a6 oje tem vindo ao o
mercado, a a esti vendendo por muito com-
modo~prego ; d elles, antes que so acabem. Q
Na mesma tambemn se encontrar6 um com.-
pleto sortimento de todos os objectos da arts
de selleiro e colchoeiro, os quaes se vendemrn
por menos de que em qual quer part; s6men- .... a i
to pare assim satisfazer os seo s freguezes. as- e d
Fsi cormao rocbis de linhf, "


N 'IIDES

Pechinehas sem igual!
0 59 da rua Duque de
Caxias
Riquissimos fichus de ll a 35(100! 6 bara-LO
Lissimo.
Magnificos bornus de l1 a seda a 48! ntonio Pedro de Souza Soares d C., vendem machines de costura de I---
Pannos e crochet pars cadeires a I5! dot Os systems e de todos os tamanhos de s de t 4i
DUos giandes para soft, a 36 aproveitem. se o preI
Granadines de seda, flnas. com pequeno em por&o fazem desconto conforme a quantidade; teem sempre especialidade
iefeito a 320 rs. o covado !I3zenda que osta ao s6 em machinas de costura como de preguiar e de tiotar-fazer meias.
pSO(X,! No mesmo esbtbelecimento ensina-se a coser, e concerta-se falquer mi.-
Fustbes bordados, broncos, a 500 rs. o co- china, pa o que tern bern montada aoficina -
vado.
oMariposas brancas arrenadas a 400 rs.
covado. IAl1
Popelinas brancas deo soda para as Exmas.
nolvas a 8C0)rs. o covado i s
Alpacas de seda de cores, lisas, a 480 e 560 A IC P 13
rs. o covado.
Gorgovies de 1r, risos, a 360 rs. o covado !
Atoaihado by anco bordado a 15.500 o metro!1
Colchas de cores do fus59., fiancezas, a f -
25800 e
Cortinados ricamente berdados a 105 o parI
slo de 185. -
Espartilhos do courage, superiors, a68.
E muitos outros artigos por reqos menos ,
30 0/0 que ew- outra part. C= %
r-M
Sk.' 059 =I=
A' rus Duque Je Caxias n. 59, por baixi do
bilbar. loisado Carnetro da Cunha & C.


Liquidaaao
Baptistes miudinhas para vestidos a 200 rs.
o covado.
Ditas dp cores lisas idem a 240 rs.
FustOes de cores e padres miudinhos a
300 rs.
Madapol.o francez e inglez, preco baratis-
simo.
Algodlosinho idem ide.i idem.
Bramante pra leongoes, toalhas e ceroulas a
15201 o metro.
Cretone A Pompadour para vestidus a 320 e
400 rs. o covado
Ditos francezos. de cores seguras e liodes
desenhos idem idem.
Cbitas escuras e cl-raa, de varies prec:s.
Fechus e sahidas ae bailes a 4j.
Cbles A Pompadoiur a 500 6A.
Ditns de casemira a -1500, 25 e 45500.
Na loja da
Fragata Amazonas
Rua do Duque de Caxias numero 47.


pelos


agenLes
MAIA, PALHECO & C..
Os rotulos, capsulas, rolbas e caixas sAo
authenticadas corn a firma doe fabricantes
MULLER FRERES
As caixas represeitam em marc de fego o
desenho do palac o Trocadero.
Tres Estrellas
Cognac Muller Freres
E' a marra boje mais acreditada a nenhuma
autra poderA competir em preco n qualidade

Grande pechincha cm
roupas
N. loja dos Barateiros da Boa-Vista,
vende-se.
Calias de casemira, escuras e claras,
fazenda mnitt boa a 5S1 e 50 00.
Ditas muito fins piara 7# e .8000.
Paletot.-, de casemira, de c6r, muito
bern feitos a 6 500, send forrados a
8500.
D;to de diti, preta. de deagonal e
gorgorao, forrados e muito bemrn feitos
a 10(000.
Ditop de dita. de c6res, send furra-
dos a 88500 e sem rorro a 6 500.
Ditos de : Ipacea preta, de 3 atW 7.000-
Cawnisas inodernas, corn peito de al-
godao imrnitando linho, a 25 e 25500.
Ditas modernas, corn peito de linho,
de.4$ atd 5W000.
Ceroulas de greguela, fazend;a muito
ancorpAda e muito bemrn feitas a 16200
0 1 sow.
SBrins pardos a 320 rs.
Na rua na Imnperatriz loja n. 40, es-
qoina do Becco dos Ferreiros, vende-se
brine, parlo lin, para roupa de ho-
mnens e.meninos pelo barato prepo de
da,320 r, o covado. por ter am love
toque de mofo, que larga logo que se
lave. ,


V s JIaf Borracha p r. Imi
foito estado, prodrlo- pPOWftflrduu:6S vere .djpwlor quMpidue; IA-idem Rqdrov 4*
darla & Q r as nla ae B a
'b oestr:da-do-Pombal_4.1. ,ra a& r. .,. ,es_
3 -t! tS .... 40 vo-_.


=


=
=
=


C=


C=
m
dwg


Co


GRNI O[ Ex OSIcO
DE
MACHNAS DE COSTURA
DO FABRICANTE


SINGER


Gaspar Augusto Scares Leite, unico agent das machinasde cestura do fa-
ricante Singer, par ter feito am contract corn os fabricantes, avisa ao respei-
navel Publico dest:, provincia, que acaba de receber umrn grande sortimento dd
nachinas de todos os tamanhos e qualdades, qudr para o trabalho de rHo'
udr para o pedal. a precos os mais razoaveis possiveis. Tambem existe no
-'u deposit grande quantidade de machines de trabalhar ia mao, de outros
abricantes, o que vende tambem a pre,- razoanvel.
Existe no estabelecimento umr perito official pare os concertos necessario
a qialquer machine de costara



N PALA IOrN IflTIia
N. 45--Rua do Barro da Victoria .....


CASA


de


; N1 F A NcA


Af

U'l

11(1
Zt


/ f PREQOS
i: :'- =-' mttt
muito
R 4D A 7 11Y
; -,: n A Z Ol tIf [ I


Neste elegant e b-m conbecidoestabelecimento,tos seus amiges fregpe
-s encontrario sempve urn vaiadissimo sortin:ento de roupas para hommi
. meninos de todas as idades, as quaes sao importadas das principles fabricml'
ie Paris, quo pela. sua elegancia e perfeivao nada deixdo a desejar. 0 fim pril-i
ipal dos proprietarios do Palacio de Iridrustria 6 vender muito barato e mere.
oer-plena confianga de todos, para o que desde jA garantem fallar corn fraud.
upza e sisudez e assim procedendo, chegarao corn today a certeza alcancar v
'ln desejado desideratum. A vista du que podem os Srs. fazendeiros, Srs. do
.ngenhos, magistrados ou outra qual'uer pessoa que mormrem no centro, marn.
"ar qualquer porta~or corn as medidas e explicaQies, as quaes serbo estricta,
uente ebservadas. Neste grande estabelecimento tambem se fabrita qualquey
nona pars home emenind. para o que t.ni '-mn habil mestre de alaiate.
tuem estA entroue a direcAo :nfiena."
PALALCIOP0RUA, [?OBARk,) DAVICTORIAN. 45
iWsseda para cigarros
me km. 4 --
;. ^ : ._ :.^ t0 00 ... ...n r '"/,. ,-. ,. ,.


. ...;-. .-.


I
- ; _,....


;rmia


-4.

9-" ~ -J


- toi, ooGMm e .-*", .
0 resmas e lOG ^ p ; t ,, ,lw
'


, ,


. .^







If.
[.4
b ** r


Fires Estrellas
Cognac Muller Freres
0 unico verdadeiro 6 u importado aqui


-9
I.



















9

t

A


1~



I






p


.,* -


$6. '.


-1***
*~.-' r


m,.





Lit..


o%''.'.-.%.A












SESSIO EM 2 DE NOVEMBRO a a t ue ragWO -- tr0 a o "onlin d
a trinM i aq # a proposal -M eillc 0n
Reforma eleitoral do a e W* wo "o cona-
Coniinu io Or doP "ors #. 'Mito dos da d ac ras dos depot '*sobre a
n (eContinuacno) omais lgioi mioe mais ca'b14 reform oleitoral. .
Pretonde-s no rtiPom discusses o art. 143 a Co sttiuInIMA j.zs Veio ai mesa, foi lida, apoiada e post
belecer doutrina inteiramente opposta : 0 de direito s- ',- peIetuos; enupe t4po- em discussio a seguinLe
deputAdo elei to e o sonador podem rentonu- sIoCs, poi, se fiwdau o nobrV.MesiJeonte Emenda
ciar ao exercicise do cargo. d conselho para prpor que o jaiz e o ( Si passar o ;apt. 10 da proposLa ou
Ora, deduzir-se-ha clarmnnte do a'-desembarador perca o seu eiprego, si substituLivo da oanara dos depuLados,
com est religid que ste fo6r eleito deptiado provincial, deputado acrescente-se, entire as excepCoes-Os bis-
pnsameuto do legislador ? Supporinlo que geral o .enador, desde que possua os ta- pos.-S. R. Ledo Vellozo.
a rqdacqo olffrece difliculdade para esta lentos p virtudes, quo pela Ganlikuioao o 0 Sr. Jaguarih.: -Sr. presid.eate,
inouligencia. habilitain a exercer esses altos cargo? corn o calor desta estate, compmebende-
Sque se determine ni) artigu 6 que uQial inotivo que determine essa incom- se o constrangimento que dove soffrer um
fawionario public que fcr eleito depu- patibilidade absolute ? A Constituiao A menmbro desta casa para estar na tribuna
ou normneado s enador tern de optar tambm expossa, quairdo determine quo Ledos os dias. Declare, pois, qua o uoi-
pelo emprego on pelo mandate legisla- nenhumna lei se faca sem ulilidade publi- to a contra gosto men que faCo esLe papel.
tire. ca. Assim, qiando se decretaram as pri- 0 Sr. Meudes de Almeida: Nao;
SH, diz o artigo, optar peio mnandato I- meiras incomnpatibilidades allegou-se que cumpre o seu dover e bern.
sla.tivo, entende-se que perde o em- era esse meie precise para ovitar que o 0 Sr. Jagiaribe: Mas, senhfores, me
ego0. miagistiado focse homem.politico, parece que vio passando disposicoes cuja
Mas o que deve f.zer a cagara dos dp- Recorda se o orador de quo, ha,20 an- ineonvenieocia os pr.aprios autares on
putados e o senado si o linccinirio optar nos, inetade ou d.-ns tLeros da camera apoiaddres do project slo os primeiros a
pelo emprego que exerce ? 'os d(eputados pertencia a classes da ma- roconbecer.
Devemin considerar vago o lugar e man- gisLratura, e que fram tambev magisLra- 0 Sr. Mewdes d Almeida: sor-
,lar proceder a nova eleitao ? dos muitos memrnbr s do senado. Mas, de- prehoaderem-se.
Assim entende o nobre president do pois que em 1850 foi publicada a lei das 0 Sr. Jaguaribe: Converse corn al-
conselho, mas e o que absolutarnente nao enLtrancias, se melhorou a condicao da gumas pessoas e dellas Lenho ouvido que
esti declarado. Decide-se, quanto ao eni- classes quanto aos vencimentos, os magis- grande parte destas medidas desagradam
prego, que o funecionarin o parde si acei- trades foram deixando os cargos politicos, geralrmle Converso mesmo corn alguns
tar o mandate legislative; mas nada se e hoje acontece inteiramenLe o contrario colleges, que alias t6w votado a favor do
determine para o caso em q(ue ope pelo do que se observava naquella 6poca. Sao projecto, e me dizein : Nao 6 assim
emprego. s agora raros os mgistrados que figuram que a cousa devia ser, devia ser corn esta
Si se estabelece claramen Bon. arligo, nas nossas assemblies provinciaes egeral. ou aquella aLemacao. o.
1) que succedera no caso do fto ionaro Os juizes tambem j5 nio sao os cliefes A verdade 6, por6m, qne acham ma a
optar pelo marindalo legislativo, nia deoa. politicos nas carmaras,aebwdo-se tambem cousa. todavia ella vai passandb corn o
haver omissao quanto A decisao a ltypoo.: reaticto o arbiria doa p rno na remo- voto delles.
these contrario. Cao dos juices do direito. A magistratura 0 Sr. L!.o Vellos) : -IsLo deo conversa
Um Sr. Senador :-)esdpqW se d' e deixoan, pois, do ser.paliiaeo 6 entretanto nao vale a pena referir: a conversa 6
vaga, manda-se proceder ai DaeleiCao. agora que ella.s toma incompativel corn aqui.
0 Sr. Correia : -E' o quo satLorna pro- o cargp de dapuado oa.senador. 0 Sr. Jaguaribe: -Da propria tribune.
6iso declarar, assimn como adeJara que, A qodida nao 6 jsta ; 6 iniqua ; 0 Sr. Lelo Velloso:--AhI isto sir.
aceitando o funccionario 0 mandate, per,- ue i giaq Aq e squer fazer taRto 0 Sr. Jaguaribe: Tenho ouvidlo por
de o emprego. a magisratum, jcoM. a todo o funeciona- mais de uma vez ao nobre president do
Nao se deise isso A inteiligenoia do exe- Jismo do paiz; conselho declarar que si fizesse a lei por
cutor, que p6de fundar-seona.omisso para -Nuart. 10 ha uma incompatibilidade si, a cousa era outra.
resolver de modo contrario A intoenao do que nao se encontra no art. 9;, mas queo 0 S8r. Lafaytthe: EMamais apertada.
legislador, pretendendo ou que sa lhe dei torna absolutamente incominpativel o ser- 0' Sr. Jaguaribe :-Tenhoh alem disto
xou arbitrio ou que se deve conforma- ventuarip do officio de justica, que na- ouvido,.e o sonado se record perfeitamen-
co:n a doutrina que vigorava- e queo a lei quelle.artigo nao 6 incompativel, nemr no toe, quo Mfuita waves so tam aqui declara-
expressamente nao moditicou. circulo eleitoral em quoe exerce o sen offi- db4 ie e necessariosacbar oino as t spen-
Por minha parte, nao tenbo duvida em cio. O doevia ,ser ca8f*hendido naquelle sabilidades anonymas, isto em referencia
aceitar a doutrina que onobre tpresidoa artio ou nio tern razio de ser a incomrn- as juntas qnalificadbras, parochlaes, etc.
do conselho diz ser a.de 40atIgb, porque patibilidade qpe so Ihe estabelece no art. Fazendo applicagao dfsto que tenho ouvi-
quando na camera dos doputados se dis- 10. do, quando o nobre president do coase-
cutio a renuncia que fez do cargo de de- Porque se ha de applicar a incompati- Iho diz que, si ele tizesse a lei, a cousa
putado o Sr. Visconde de Maua entio re- bilidade absolute ao quo nao tem a incomrn- seria outra, quando, segundo acabo de re-
presentante da provincia do Rio Grande do patibilidade relative ? ferir, tenho ouvido a muita. gene dizer
Sul, opinei no sentido de se aceitar a re- Proseguindo emj|suas considerac6es, o que isto assim nao vai bern, receio muito


A


' *' /


f 0'o4e ^ trar nest
[casa que~s.V poQWos ou~gagip nienbuns o
et llrgos Q ralsadgs que' se achat
nisms condlda.; entr&auto, si do aigu
tsk nacionalidafo poder apparecer atu
rajfiados corn aspiraolo ao parlamnto,
sqnramente d'entre os portuguege, j,
ponque 6 da colonia mais numeroga,. j
porque sao os que fallam a nossa lingua
Lt6m os nossos costumes e a transicao
pequena. Mas a verdade 6 esta. E ainda
mais por uma razio. E' de support quc
seja dta procedeocia qua appareoam es
trangairos naturatisados corn aspiracao ac
parlamento, porque sao elles que em gran
do maioria possuem fortunas avultadas.
Portanto, muilto conseguirao corn esle
poderoso olemento, em toda a parole do
mondo.sempre do grande effeito, e em ma-
teria eleitoral sobretudo. Corn a cleica&
direota ja se tern demonstrado que nao ha
potencia igual a do dinheiro. lesulta
d'ahi que ser.o oaodidatos da procedeon-
cia de que irato os primrneiros, que natu-
ramhnonle so bho de ap.-esentar pretendon-
do aseato cas duas cameras.
Mas, pergonta-se quaudo nAo estdo de
todo esquecidas estas rivalidades, nao se
proporcionara agora ensejo para os candi-
dates, vencidos pelos dessa presidencia,
avivarem essas rivalidades? E nao sera
isto de urn perigo imminent ? Nao conhe-
po bern at6'que ponto podem takes rivalid.i-
des actuar sobre a populacao em relaC.5o ao
sul do impertio. Quanto a. norte, pelo co
nhecimento que delle tenho, afian~o ao
senado que na'o conheo perigo maior.
Pois a quem se esquega das scenas que
ainda ha pouco se deram por essa causa
na provincia do Para ? Ha quem se es-
queoa das scenas do sangue deploraveis,
que tiveram lugar ainda em 1848 na pro-
vincia de Pernambuco ? E quando esse 6
o ostado do paiz, vai se levantar umu pro-
hibi ino, que alias nenhum prejuizo causa-
va Aiquelles sobre quern ella recahia, para
concitar este espirito de rivalidado, quese
achava amortecido e que 6 do ltodo o in-
Leresse que continue assim at6 de todo
extinguir-se, moment esse que sera occa-
siao para so reformar o artigo e nivela-
rem-se todos os direitos ?...
O Sr. Leao Velloso :-Ja estA votado
isso.
O Sr. Jaguaribe :-Esta votado, bern sei;
conheoo (sou muito docil) que aoo devo
fallar contra o vencido. Mas como nao 6
lei ainda...
0 Sr. Saraiva presidente do cobselho)
-Na 3' discussao pbdb discutir novamente.
O'Sr. Jaguaribe :--,... pareciame nol
ser demais,.fazer consideracoes a esse res-
poito, principalmente quando tenho em
vista applical-as...
0 Sr. Mendes do AMtneida :-Sdo refle-
xoes exordlaes, porque o orador ainda nao
entroun na material.
0 Sr. Jaguaribe:-... ao artigo em dis-
cusso.
A applicanao, Sr. president, 6 a se-
guinte: emquanto, como dizia hontem,
se prooura pescar candidates, que alias
no mnanifestaram por meie algum preten-
5es desse genero, trata-e do art. 10 de
rear os ma ores embaracos a cidadaos
brasileiros e creal-0o, infringindo-se dis-
posic6es constituoionaes...
Autes',de oc'lopar-me com algumas das
clses, ao que o art, 10 crda embaracos
series, tratarei do tomar em coosidera-
c5es a emendam que esta sobre a mesa,
emeodai tfOe aoita me parecia- ter sen as-
se*t no ait. 9, que esta javotado.
Portanto. esa eccasiao permitta-me o
nobre seoador, signatario della, que 6
quem me est^ chamamlo para a materia,
nolando que eu esteja fallando sobre o
vonDcilo, quo eu note tambem que S. Exc,
cem a sua emenda collocoi-se no mesmo


nIuuuia mauuaiuu-se lazer nova eleilao. A
camara assim nao decidio, e o lugar de
deputado conservou-se vago durante toda
a legislature.
Um Sr. Senador :-Porque nao havia
lei.
0 Sr. Correia :-Estabelecendo-se o prin-
cipio da renuncia, dove se determinar que
se proceda A nova eleicao. De outra sort,
sendo em grande numero as renuncias,
p6de nao haver numero para que a cama-
ra dos deputados funecione
Acrescentarei, quanto aos membros das
assemabl6as provinciaes, e sujeito esta ob-
servtao A consideracao do senado, que o
Acto Addicional disp6e a este respeito de
medo dillerente do que estA estabelecido
no project. 0 Acto Addiciont diz (16):
c Os membros das assemblies provin-
claes, que form empregados publicok.
nao poderao, durante as sessoeo, exercer
o seu emprego, nerm accuroular ordenads.,
teodo, porum, a opcao entire o ordenado
do emprego e o subsidio qie lhes compe-
tir, comTno membros das ditas assemblnas.D
O'Sr. Jaguaribe :-Revogou-se a Cons-
tituiao primitive, quant b mais o Acto
Additional I
0 Sr. Correia :-Si o senado eotender
que a emenda que lembro 6 necessaria, e
si algum outro nobre senator nao a tirei
ja redido, poderei apresental-a, para que
nao haja duvida sobre a doutrina que o
senado quer que prevaleoa.
0 Sr. Dantas (ministro da justia)-
Sire, senior.
Foi lida, apoiada e posta em discussao
a seguinte
Emenda
S Accrescente-se ao art. 10, parte 1.',
as palavras-si o funccionario optar polo
emprego quoe exerce, proceder se-ha a nova
eoeK---Manoel Francisco Correia. v
.. Sr. Rboiro da Luz nao dese-
j. tomar a palavra em hora tAo adian-
tai para dkc.liro assumpto, nemr mesmo
se tinha preparado para o debate do art.
10; mas, receiando que elle se vote, fa'6
algumas reflex es.
Julga o artigo nao s6 inconstitucional,
mas injusto e iniquo. Servir-se-ha para
o demonstrar dos principios invocados pelo
nobre president do conselho q6e quiz
provar ser inconstitucional a exclusao dos


FOLHETII


AS MULIIERES DE BRONZE

POR
XAVIER DE 1ONTEPIN

SErUnA PART
0 EVADIDO DA DOURADA
'Conlinuacao uo n. 22
XXXV

Cora continuou:
0 conde e a condessa de Lasseny e
a mai do joven conde, prevenidos por Jor-
ge Dereyne, que quer provocar a reuniao
de urn conseiho de familiar, a vista da in-
terdicCgo de sea pai, devem voltar d Pa-
ris, serm perda de urn instante... talvez
estejam ja em caminho...
Estejamnos promptoi.
0- quo temos a fazer perguntou o
supposto mulato.
Dissse-me que o filho, de Branca Her-
vieux Linha sido inscripLu no registro ci-
vil antes do ser levado ao hospicio dos ex-
postos ?
Sim.
Procurou a certidlo db nascimento ?
E- ila extiahbw muniapalidae de
Vincennes... FsiA em meu podr,.
As testemoqhbas que assigoaram ew
asselntamento aiMa vten.? -.
--- Ina moQuea : a outra ainda existed
e 'onpu a a Babitar em Vincennes.
-- Bem...


orador diz que nao abundando centre nbs
as illustracoes, havendo mesmo falta de
aptidbes para muitos cargos publicos, e
especialmente para o mandate legislative,
nao comprehend como se preocinda de
concurso dos mgistrados, dos leotes das
faculdades de direito e de ontros funccio-
narios, que muito poderiam ajudar na
confecqao das leis.
Urna prova dos inconvenientes do se
confiar a confecqao de leis e regulamentos
a homes serm pratica dos negocios, A o
proprio project que se dispute, trabalho
importantissimo, cheio de lacunas a de
contradiccoes.
Pareceu que o nobre president do con-
selho julgon poder estabelecer essas in-
compatibilldades absolutas, dispensando
todas as aptidoes, desde qae incluio 6o
project os menores de 23 annos, os li-
bertos eos acatholicos, entendendo po-
ventura substituir por essas classes as.
que at6 W-oje tmrn colaborado na confec-
co das leis.
A verdade 6 que hoje o funecionalismo
so apparece excepci3nalmente na assem-
blgeral e nas assembl6as provinciaes.
Procura o orador demonstrar ainda ser
i bWd ondtea iaicompatibilidade dos ma-
gissrads, e*tendendo pelo contrario que
e1es se reveoama de maior forqa moM i fa-
zendo parte da representacao national ou
provincial.
Esta enganado o nobre president do
consolho si julga que a eleiQao sera urma
vestal, por serem della excluidos os fune-
cionarios publicos e os juizes. 0 mal nao
procede dabi. Ello estA s6 nos governor e
aos seas, deleffados.
VolLarA ainda ao debate porque a ma-
teria muilo important, e nao ha de pas-
sar semr o sen protest. Quer ser vencido
tle.$a vez.
Adiscussao ficou adiada pela hora.
SESSAO EM 23 DE NOVMBRO
Entrou em discussao a parte do art.
9."o da proposia do poder -executivo sobre
a reform eleitoral, o qual declata que
nao podem ser votados para senador, de-
putados A assembl6a geral ou membro das
assemblies legislativas provinciaes os che-
fes de estagSes navaes, cuja votaoao ficou
empatada na sessao antecedente.
Mas para que nos pOde lude isso ser-
vir ? perguntou JoAo Renaud.
Para provar ao pai, se o encontrar-
mos, o crime da sua amante.


que no tim saia uma lei, da qual se diga
tambem que e de responsabilidade ano-
nyma,..
O Sr. Saraiva presidente do conselho):
-0 Nio ha lei que na.o seja do responsabi-
lidade anonyma.
0 Sr. Jaguaribe: -... e isto, senhores,
me parece que o proprio governor sera o
primeiro a achar que nao 6 bom. -
Mas quando o governor assim nio pense,
a nagao sobretudo, que vai receber o peso de
uma lei ma, nao poderA deixar de quei-
xar-se, ea, poismwe parece que os moem-
bros do pwiamento, quo nao devern ser
indifferentes,iesg resultad6s, nao podem
deixar de e- ar-se para quo inconve-
nientes destilenomi sapparegamn e a lei
saia de mod aO xIpoder lar, execuao. send
applandida par aqudles, a quem ella inais
que tudo vai ainteimssar, quo 6 a grande
massa do paiz. '
JA temn sida approvaIds a is mtas dispo-
siose neseiprojeoto .qae, bemestudadas,
hao do convencer a todos que abririo-es-
paco ap reai)ireciimbito de rivalidados...
O ST. Mondes d Aolmeida: -- Esqueci-
das.
0 Sr. Jaguaribe: -.. esquecidas sim- e
que. mrauiLo imnoram 'que 0 sejam, affgt-
ra-se-me eniretanto, sere alias japtar-me
do grande previslo, que vao renascer sco-
nas deploraveis. Alludam a essas riva-
lidades, se d1Vnida poi' todos laimentada,
que exisiarm entree, portqguezes e q aoco-
naes, rivalidds que r estava no ompeaBo
de todo bo n bm Weiro ver de todo eox-
tinctas, potque, .1. verdade, nio lteiob
nerm poderfao ter melhbores colonos do
quo os da aotig, metrnopolh. Fallam a
nossa lingua, tem a mesma religiao, os
mesmos costue e ura. palavra, 6
gene que se ittffia peitamentequositife corn-
nosco.
O Sr, te1o Velloso: Logo...
0 Sr. Jagarjbe; --- Attenda, Depois e
memo geoigI laboriesa, Nas nossas offi-
ficinas, nas estradas de ferro, em toda- a
parte, n1o l, !D f Uek Irhialhdores do
que os port gu'ezk. Eu, poIs, nao poso
deixar de lastioar que, or quaesquer cir-
cumstanciaes redaam IssaS antigas riva-
lidades q, cemo dizia, ha pouco. me pa-
rece qaefsa iam desvanecendo.
Vein, pporm. esta disposicae que diz:


e querera lutar. fa-er-a process e es-
candfto e a viliganta, dorni que o senltr
sonha, vira corn esse lilio.
Ah I ternm dei vOtes razio I excia-


Que Ite imporLara esse crime, se a mou Joao Renaud; mas.porque meio?
creanca morreu ? E' simples 1 0 meio ja se achou,
Cora teve um sorriso singular e repe- responded Jocelyn : trata-se de arranjar
tio : um vivo e mettel-o na pelle do morto....
A creanca morreu I Qual ? kAh I disse Cora, comprehendeu-me.
Joao Renaud olhou para a mopa corn -Eu tambem o comprehend, mestre,
espanto. replicou o supposto mnlalo. Certamente a
Nao havia mais do que uma, disse idea 6 engenhosa, mas a sua realisaCdo of-
elle, bemrn o sabe. ferece muitos perigos.
0 pseudo Leonel Warton sorrio-se de Quaes?
novo e replicou : Nao nos podemos fiar em um home
Pela primeira vez, meu amigo, a sua tirade das espeluncas para representar se-
intelligencia nan o ajuda. melhante papel.
Como ? -- Podemo-nos fiar nelle, se for sea in-
A creanca do hospicio morreu, con- teresse calar-se.
cedo; mas nada prova que essa creanca Joao Renaud abanou a cabeca.
seja o filho de Branha Hervieux. As ini- Em interesse de dinheiro, nao 6 bas-
ciaes e a data inscriptas no papel cosido tante I responded elle. 0 bomem transfor-
nas fraldas, constLhiam urm indicio sem macoem sea confident, em seu umpl-1
valor para qualquer outro que nao seja o ce, abusari da sua posigao.
senior ou a parteira. Nao hei de ter nem confident, nem
E' verdade... cumplice, respondeu a moca ; mus um
A certiddo do nascimento de Thiago escravo que, so quizer trabir-nos, nao o
Hervieux exisLe na municipallidade de Vin- podera.
cennes. Explique-se, mestre.
E' ainda exact. Supponhamos que o doutor Jocelyn,
SEntio nada, nada absolutamente, medico substatuto da Roquette, tenha en-
demonstra que o fiilho de Branca Hervioux tre os seas doentes urnm miseravel, tim
nascido a 28 de dezembro de 1828 Livesse condemnado da idade pouco mais ou me-
morrido. Asin, nao estando legalmente nos quo teria hoje o filho de Branca Her-
fiortp, nada impede que viva on antes vieux.
qW '99a e reviewer. E entQ ?
') s Resamd e Jocelyn trocaram um E entio, supponhamnos que o doutor
lba. faa esse bomem ,tAmar UM p"U que
pVodza 12m o ico, mwi-
.--' iv 4 va; continuou lTe produua Fp ., e
cIab adodI!# dai -UQ e te moAi e. i.; dii -
abai tem OM ce6 de Ve-
Ter um ce
doe a"%


S
a


i


terreeo, em quo me esta censurando, isto
6, ineorre na cesura que me fez...
O Sr. LeAO Velloso :-NAo, senior; V.
Exc. nio leu bern o artigo em discussao.
0 Sr. Nunes Gonloives :-A emenda ap-
lica-se As e cepodes do art. 10.
O Sr. Cruz Machado :-0 que se votou
no art. 9 foi a incompatibilidade do bis-
)o na diocese ; m a eile pode ser eleito
f6ra da diocese.
0 Sr., Jagoaribe :-Exlceptuam-se desta
egra&--os ministros e secreltarios de esta-
lo, osconselheiros do estado, os envia-
los extraordinarios, os presidents de pro-
inocia.
Nao vem aqui os bispos; S. Exc. quer
ncluil-o,, 6 pois urn additivo...
04 Sr. Leao Velloso :-La esti-accres-
ente-se. Isto esta na -,menda da com-
nissio; a mixta e para o case de ouao
passar a da commissao.
o Sr. Jaguaribe : -Entao, Sr. Presiden-
e, declaro-me partidario da emenda do
iobre senador ; S. Exc. quer que os bis-
os possam ser votados...


I



I
1

i
1

!


t








C
1

Ii
P





i
N'
0


E' possivel e facial int6rrompeu o mre-
dico.
Cora continuous:
Os enfermeiros tomam a morLe ap-
parente pela morte real.. 0 doctor certi-
fica o obito. Enterra-se o condemnado.
Na noite immediate hbs o desenterramtnos.
Julgam que esse home nio seria urn au-
Lhentico Thiago Hervieux, e para nrs o
mais discreto dos escravos? Serm contar
que urna traicao Ibe abriria de DOVO as
portas da prisio ou das gal6s, provava-se-
Ihe corn a certidio da sua more na mao,
que jA o io estA vivo.
Maravilhoso exclamou ,ogo Re-
naud.
A idWa*' corn effeito admiravel, con-
firmou Jocelyn, e mais pratica do que pa-
rece.
Unicamente, conlinuou Cora, sera
precise ter a mao, na enfermarla da Ro-
quette, urn condemnado do vinte e qua-
tro ou vinte e cinco annos approximada-
mente.
0 acaso vem maravilhosamente em
nosso auxilio, responded o doutor negro,
tenho o homem quo precisamos.
Doente ?
Sim.
Em perigo ?
Muito perigoso, mas nao desespero,
de salval-o.
Tern certeza de adormecel-o por tem-
po sufficiepte que do lugar a inhumago,
e que ainda&o ensontremos corn vida quan--
do se demnterar ?
).r4-g#i' tfes dias deo lethArga.
Esse homWatur4, faWlia? pergantou
a ISM0.
r 4prao porm hote oewe o po4d
rei sabers


SOt*.JAgpaaibe: -..:.tarmbem peoso a
sim.
Es, suas dioceses e o qu e estava. Isto
6 conMhcido corn a legislaao estabelecida,
pois que se tern pmrohibido que o3 magis-
trades em suas comarcas tenham votlos;
depois entendeu-so A pr. vincia inteira ; de-
pois em urma lei posterior e mnuitissimo
j usta, se nao me -engano, a que creou as
relaV6es, eslabelecen-se que esga incompa-
libilidade, que se lirniLtava ate entao aos
magistrados do 1' instancia fosse extensi-
va acs do 2 nos distLrictos, ei que us
desembargadores exercessem jurisdiccao.
Por conherencia ,6 justissimio que os bis-
pos em suas dioceses nao possam ser de-
putados.
Mas, quando umr bispo f6r urn didadao
importance que por suas luzes e por suas
relag6es de familia Lenha nrnigos em outra
provincia e ahi o queiram elegor, nao achi
nada mais natural nem mais legitimo, e,
acrescentarei, nem mais necessario.
Pois, senhores, quando as cameras re-
prosentam o paiz inteiro, quando so diz
que ellas nao constitniom uma representa-
Qio perfeita, senao quando contim em set
seio representantes de Ltodos us matizes,
quando se quer que as diversas classes te-
iham assent no parlamento, havia de se
excluir uma classes importantissimna, como
6 a ecclesiastica, representantes da ordem
dos bispos, que polo prestigio de seu n,,m
podem dar grande lustre as corporate's a
quo perLtencerem, e muitas vezes intluir
grandemente coin o seu voto e con sua
palavra para qua doutrinas erroneas nao
procedam, conseguindo corn essa benelica
interven(;ao que prevaleca a verd.ide sobre
o error ?


BBK~aa wwpegmito puolhjios, os
ikrird adLta e ma dia. a afti&tra-
ao, reduz-se consideravelmente o oircu-
lo, e as cameras serao c6mposLas de com-
mercianlese de industriaes.
0 Sr. Saraiva presidente do conselho)
-Serao melbores.
0 Sr. Jeguaribe :-NAo duvido, serao
inelhores ; applaudo o pensamento Lam-
bem. mas nequidem nimis, nio vamos
ao excess.
Si acontecer que as cameras sewcotpo-
nham unicamente dessas classes, as oUsses
estarao perfeitamnente reprosentadas, os
negocios da lavoura serio perfeitamente
advogtdos e os do commercio e os da in-
dustnria, n.is o EsLado Dao precisa simen-
Le disso, a alia administracio depende de
outros esLudos, depend de preparo, de
experiencia, de conhecimentos da legisla-
au., e seguramente os lavradores, os arlis-
tas e os commerciantes n:o sao os mais
compelentes para nos vir auxilir na con-
feccao, pur exemplo, de um codigo civil.
0 Sr. Saraiva' president do conseiho)
dd unj aparie.
0 Sr. Jaguaribe :-Como dispensar os
homenris do direito para confecqo do co-
digo civil :
) Sr. Saraiva presidente do conselho)
-Temos advogados.
) Sr. Jaguaribe:-Mas os advogados
nao sao l ao numerosos ; os magisLrados,
qne alias Ltin grandes Jig .Oes por suas
laiiliaz, 'tfn imesino vida public, tim
occupado cargos elevados na adminislra-
c-o, 'alvez nao queiram em urn bell dia
ser condJemnados a nio poderem tomar
panre nos negucios do pdiz.
O Sr. Saraiva presidente do conselho) :
-Poidpm anospnlipm-_a rI' nli-inmir- rxin


E~ .JAL a .VUIUI-r U E tanto isto 6 assim, Sr. presidentle, que aqui. ,, ,
me record de que em tempos anteriores O Sr. Jaguaribe:-Isso 6 uma media
aquelles em que ainda me nao cabia a hon forcada, que vai talvez arrancar da magis-
ra de ter um assento no parlamento, co- tratura a sua flor.
mo creio que nao cabia mesmo a nenhum O0 Sr. Saraiva presidente do conselho)
dos meus colleges, levautando-se questies da umrn apart.
sobre doutrinas da igreja, vio-so de quan- O'Sr. Jaguaribe :-0O nobre president
to valor foi a intervenCao do finado arce- do conselho arrasta-me assim para uma
bispo da Bahia, ent.o deputado, bern cO- questao pessoal.
mo do bispo do Rio de Janeiro, o Sr. D. 0 Sr. Correia da umrn aparte.
Jose Caetano, de gloriosa memorial, que O0 Sr. Jaguaribe :--Estou vendo como
fez part desta casa; e tantos outros, co- os nobres senadores se mostram amigos da
mo o finado Conde de Iraja, que, antes pratica, mas justamente quando quero in-
de ter este litulo, foi deputado por Per- vocar a pratica, arredam-me para o lado.
nambuco e illustrou as discusses corn o Si esses homes tmrn grande pratica, por
prestigio de sua palavra, evitando que que deixam os lugares aos substitutes, pre-
tniumphassem erros que nos levariarn tal- cisamente os que assim preparam para a
vez a umrn schisma, a uma separacao da alta magistratura? :E o facto mesmo
igreja catholica. apontado polo nobre ministry 6 uma prova.
Quando, portanto, vemos esses prece- Creio que a varna dos feitos nao soffreu
denotes tao honrosos, me parecia uma me- nada corn a minha ausencia, porque ella 6
dida de -verdadeira injnsqiCa prohibit ab perfeitamente substituida por aquelle que
solutamente a entrada dos 'bispos no par. a lei estabeleceu.
lamento. 0 Sr. Mendes de Almeida :-V. Exc.
Eu leio, Sr. president, em diversos ar- agora esta prestando um grande service.
tigos da conslituicao que os deputados e 0 Sr. Jaguaribe :--Portanto, senhores,
senadores no tempo das sgssoes nao podem en veto contra esse esbulho do funcciona-
occupar os seus empregos e ainda menos lismo, isto 6, dos magistrados, desses
receber os vencimentos correspondents a funccionarios publicos, que poderiam as-
ess s empregos ; portanto esse ponto estA pirar ao parlamento. Voto por ser a dis-
estabelecido na constituicao. roicao inconstitucional, porque j a decla-
NMo comprehend que aquillo que a lei rei que arredal-os -6 exactameite circums-
fundamental do imperio ja legislou, este- crever e limitar, 6 restringir aquillo que a
jam leis ordinarias a alterar e ainda me- constituic.o estabeleceu como fazendo
nos quando manifestamente a materia da parte do poder legislative ; e voto tam-
alteracao e materia constitucionakl pois bem contra pela inconveniencia. Portan-
quoe outra qualifioaca nao p6de tde uremI to, 6 uma questao de principio e uma
disposicao quo vem ttstabeltcer lmites ao 'questaio de conveniencia public.
modo por qao se acha constituid o powder A experiencia que temos fall toda em
legislative. favor do patriotism desses funecionarie,
A constituiCae estabeleceadb as raise do qe.tm feUito parte das cameras.
poder legislative, permitlio que o empre- Todos os dias se diz que as antigas ca-
gado pnblico podesse penetrar nessas raias, maras procedoram corn patriotism admi-
ter asssnto nas duas casas do parlamento. ravel, o as lets que temos sao a prova de
Vem e4sa disposito e diz:---N6o poderei que effectivamente o seu patriotismo as-
entra, aqui, senao perdendo o lugar, op- guou e constituem um padrio de gloria
tando. Pergunta-se : nao sera uma limi- paraoessas geraQ6es ja passadas.
taCao, nao sera isso ura grande circum OSr. Mendes do Almeida :-Apoiado.
scnipao ao numnero daquelles, que pode- 0 Sr. Jaguaribe ;-E como quando a
riam aspirar a fazer parte do parlamento experiencia 6 toda em favor dessas classes,
e nelle ter assent ? Manifestamente. queremos agora fazer urna experiencia,
O Sr. Mendes de Almeida : -Apoiado permitta-se-me a expressao,in anima vili.
0 Sr. Jaguaribe :-E cirowumscripKao O0 Sr. Mendes do Almeida :-Isso desde
tan to mais a larmentar, quanto nQo se de- o principio.
monstrous ainda qne este paiz ji esteja tao Sr. Jaguaribe :-... em prejuizo nio
regorgitante de capacidades, que possa s6 das classes exeluidas, como da propria
former as duas camaras sem lancar mao nagao, que alias, so achava perfeitamente
dos empregados publicos, de omens quoe servida por essas classes ?
alis pelos seus services e experiencia dos Ora, si se demonstrasse que esses func-
r.egocios publicos e estudos da legislacao cionarios tinha abusado. quando membros
olfferecem mais garantia e acerto Das de das cameras, tinham por exemplo, procu-
cisoes do que esses sahidos apenas das radio fazer leis augmentando subsidies para
academias, quo nao tAm ainda experien- os seus, cargo, havia uma procedencia-;
cia dos negocios, ou dos que tenhfiam de mas pelo contrario sempre se notou queos
seriarrancados a profissoes mm'o uteis, magistrados, por exemplo, esqueciam-se
como o commercio e a lavoura, no exerci- de sua classes, quando membros de regis-
eio dos quaes, entretanto, nerm sempre tmrn laturas, nuaca trataram do leis para me-
oodido estudar os negocios publices, a Ie- lhoral-a, sobretudo no que diz respeito a
gislaoao, etc. vencimentos; o que demonstra que certa
Destas pala.ras nao se infira que sou modestia, certo acanhamento os detinha;
infenso a nobre classes da industria e la- occupavam-se de tudo,gnenos do que dis-
voura; pelo contrario, acabei de manifes- sjsso respeito ao ramo em quo podiam ser
tar o desejo de que o parlamento tenha tachados de suspeitos:
emns,eu. seip mmbros de todas as classes X Contina.)


Acautele-se, disse J6io Renaud, vai Ouen, o doutor negro chegava A prison
tropecar n'um obstaculo. da Roquette, cuja porta se abrio diante
De que natureza ? delle.
Se o sen doente nao for reclama,- Atravessofi rapidarente o grande pa-
do pelos parents, depois do obito at- teo e chegoa A enfermaria, situada no pri-
testado, transportar-se-ha o cadaver para meiro andar de umrn corpo do edificio,
o amphitheater de dissecacoes para es- separado por uma area das pris5es cellu-
tudo dos alumnus. Sei que A esse o cos- lares.
Lame. 0 medico em chefe passou a visit ?
Tambem eu sei, replicou Jocelyn, perguntou elle a um dos guardas, especial-
porem a minha posiCdo e a minha in- mente encarregado da fiscalisacao da en-
fluencia permittir-me-ha obtier uma ex- fermaria.
cepoao. Sim, Sr. doutor... Ha mais de urma
Cora continuous : hora que a terminou. 0 medico em chefe
A que estiA esse home condemnaa- admirou-se do sua ausencia.
do ? NMo deixou nada para mim ?
A dez annos de trabalhos forcados Creio que nao, Sr. doutor, poram o
Qual 6 o seou crime ? pharmaceutico o podera informal melhor
Umrn roubo provado. do que eu.
De que doenna o trata? Jocelyn Idesceu ao laboratorio, situado
De urma pleurisia. no pavimento terreo.
A terrivel prova a que o vai sub- 0 pharmacentico preparava, corn seu
meter nio tornara o sen estado mais ajudante, medicamentos e manipulavadro-
grave ? gas.
Pelo contrario,- podera augmentar as Ah I A o senhor, doultor, disse elle,
probabilidades do cura, paralysando mo- apertando a mao do joven preto, chegou
mentaneamente as funcgoes do erganis- muito a proposito. 0 medico em chafe pe-
mo. de-lbho que nao falte por motlo, algum a
Va entlao, querido doutor, e volte o visit da tarde. Um negocio pessoal e aur-
mais depressa possivol. Comprehonde a gene obriga-o a ausentar-se por algums
nossa impaciencia. dias, conta comsigo para o substituir, e
Aates da noite, mestre, sabera o quo quor fazer-lho de viva voz as suas recom-
tern a fazer. meado e.
Uma carruagem atrellada esperava Jo You ficar o unico seahor aqui, pen-
celyn, quo parties para Paris. sou, doctor negro, vai tudo bemrn I
Se enoontrarmos o homemw,. e.dat Em seguida responded em voz alta :
mou Joio Renaud, encarrego-ne deo fte Esperarei as insLracoes e as ordef t
ensinar tao borne a liCo qpe o mais es- 'do omedio em chefe.
perto dos ageota da pMittra.da poli- f r,.s_ ~
cia nao podera coulsWtar a sua idoaUti-
.diade. i ..- 1
-Uma hora depois de sahir de Sat'1 'trYP.-* MO*r -a& do buqu4 I 'm,

P. .^


4;
















9-


I

S.. '-- ,





'I.
-


- V


. I




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECFL5YB22_W4GPL5 INGEST_TIME 2014-05-03T21:56:32Z PACKAGE AA00011611_14225
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES