Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14177


This item is only available as the following downloads:


Full Text











Porros mezes adfian
Por seis ditos idem.
Por urn anne idem.
Cada numicro avulso.


dos.


PkA 0

; '\ 2WOOO
* 020
S12500
24500,


-++ ''+. *'::1- ^1:%* ., i ', \V
Ooeis.

-*f.-xrm t:+it t llulWWp +O(pI 'o
rma 4mU eli1 Bu Ove duos'
.^Awq i~fc^Alit^lft 1
W .I;j 85| l l a


iiem.


;m ot nr", 1 ."' .
+ '++ ,' n "" s '1 .
s




. ,,1 ,
1 *"4 igi j1 i
C ^T (7A ,.
__m ;


A eA.lo# t
a i c6l-l;
, fi~lll.,


>.I i~f

U


11'

~i 'I.,


PROPRIEDADE DE MANORL


DE FARIA & FILIOS
, .. + +* :\ t 4 1' ** 1 -1 -


~C~2:a


TELEGRAMMAS


POLITICOS
PARIS, 20 de outubro.
0 recenseamento official procedido
acerca das ultimas eleies de depu-
tados a Assemblea Nacional, deu em
resultado que, de cerca de 9.500,000
eleitores inscriptos, os Repuplicanos
obti veramin em toda a Franca 4.270,000
votos, e os Monarchistas dos trees trac-
es 3.570,000. ,*i :.
Dos votos obtidos pelas tires htracw6es
monarchicas, tocaram 1.785,000 aos
Bonapartistas.
COMME.RCIAES
LONDRES, 19 de outubro.
Fundos brasileiros de 5 /o, empres-
timo de 1875, a 93.
Mercado de assucar calimo, e os pre-
qos sustentados.
LIVERPOOL, 19 de outubro.
Venderamn-se hoje cerca de 10,000
balas coin algodAo de diversas proce-
dencias; sendo o de Pernalabuco a
6 716 d. por libra.
NOVA YORK, 19 de outubro.
Caminbio sobre Londres 4-8-1
Preqo do ouro 102 3/4.
Agencia de Pernambuco, 21 de ou-
tubro de 1877.
PELO DIRECTOR, J. BROCHIER.


PARTE OrFFICIAL

Ministerio do imperio
0 decreto n. 2,772 de 29 de setembro ap-
provou a pensao de 840#W0 annuaes, conacdi-
da polo de 21 de agosto de 1877, sem prejuWz.
do monte-pio, a D. Victoria Leonor da Costa
Teixeira, viuva do capitao-tenente Antonio
Luiz Teixeira. I 'I-.
0 decreto n. 2,755 de. 4ide setembro au-
torisou o governor para mrandar que sejamn
considerados validos para a matricula do 1
anno da faculdade de medicine do Rio de Ja-
neiro os exames de portuguez, latim e francez
feitos em 1872 pelo estudante Oscar Sergio
Rodrigues de Oliveira.
0 decreto n. 2,764 de 4 de setembro de-
clarou que os exames preparatorios feitos na
faculdade e escolas de instrucao superior do
imperio e perante o inspector geral da instruc-
cio primaria e secundaria do municipio da
corte e seus deleg-ados nas provincias quo fo-
rem designados per decreto terlio vigor a todo
o tempo, redogadas as disposloles do deerete
n. 1,216 de 4 de julho de 1863 e quaesquer
outras em contrario.
0 decreto n. 2,760)de 2i de setembro de-
clarou que a pensao mensal de 60M00 conce-
dida pelo de 24 de abril de 1867 a D. Belmira
Eusaria da Silva Rabello, fallecida em 5 de
maio de 1874, viuva do capital de voluntarios
da patria Joao Maria da Silva Rabello, fica de-
volvida repartidamente aos trees legitimos fi-
Ihos menores do referido capitLao Joto, Vir-
gilic e Julinda, sendo, quanto aos dons pri-
meiros menores, s6mente ate6 sua mRaioridade
conforme o decreto de 30 de dezembro de
1875. Esta pensao sera paga da data do ul-
timo decreto.
0 decreto n. 2,770, da mesma data, ap-
provou em favor da Baroneza da Victoria, viu-
va do tenente-general barrio do mesmo titulo
a reversao da pensao annual de 7205000, con-
cedida pelo de 11 de julho de 1860 d suia filha
D. Olympia de Gusmao Coelho, hoje fallecida.
Esta pensao sera paga desde a data do de-
creto de 3 de novemhro de 1876, que conceded
a reversao.
0 decreto n. 6,613, de 4 de julho, appro-
vou coin altera(;oes os estatutosda associacao
do seguro mutuo--[rogresso-, e autorisa-a a
funccionar. Esta sociedade tern por fins :
O soguro mutuo entree os proprietarios das
cidades do HRo de Janeiro e os das demais pro-
vincias do imperio, de modl que se garantam
g reciprocamente, uns aos outros, por todas as
avarias e perdas proveniontes de incendios
que possam sobrevir as sunas propriedades e
outros objects da valor, expostos aquelle
risco, sob as condicnes estipuladas em seos
estatutos.
O seguro dos alugueis ulos predios na corte,
pagando-os, quiando em constrncuio por cau-
sa de incendio.
As quotas que concorrerem para o fundo de
sinistro serao cumivertidas em apolices dd di-
vida public ou em letras hypothecarias de
sociedade de credit real. garantidas pelo go-


verno.
Essas transace,3es serAo feitas por interme-
diode corretor, corn certificado da cotaC'o
do dia.
As clausulas e cnli-5es geraes e particula-
res da apolico sl.o parties integrantes dos pre-
sentes estatutos e assim obrigatorias para a
association e segurad)s.
Copcedeu-se ao engenheiro geograplio
Alvaro Rodovalfio Marcondes dos Reis, o pra-
zo do seis mezes para habilitar-se nas mate-
rias que Ilhe falta'n arin de recaber o grAo de
bacharel em sciencias physical e mathemati-
cas, visto que por so achar na Europa estu
dando a sua especialidade, nao p6de o mesmc
engenheiro sujeitar-so aos respectivos exames
dentro do tempo fixad', polo aviso de 30 de
marCo ultimo.
S-- Em 25 de setemrnbro foi dirigido ao minis-
teirio do imperio, o seguinte officio:
(( Im. e Exmn. Sr.-Desta rnesma cidade,
que respond ao aviso de V. Exc., de maio des
t anno, doclarando-lhe que me via obrigado
aprazar a visit As villas dos Ilh6os e Porto
3eguro, cabe-me a honra de partioipar a V
Exc. que realisei essa visit, e que felizmente
ella niao foi infructuosa.
(( A corveta a vapor Paraense, a cujo bord<
por concessao do Exmin. Sr. ministro da maria
nia, em virtue da requisigiio de V. Exc,
parti desse porto no dia It do worrente, de
pois de ter lutado, durante main teres dias.
corn tempo contrario, chegando a nao avanQa
ds vezes mais de duas millias, foi obrigada
entrar no Espirito-Santo, afim de tomar cai
vao ; e havendo deixado 4Wa capitania no di
17, chliegua no dia 19 do manha pertode Port
Seguro, e ahi fundeon mui long da costa; si
* guindo eu logo para terra, apezar do star
tempo tao tempestuoso que a.propria cane
de praticagem do porto nao se atrevera a sa
hir fdra do recipe que o forma, d semelhana
atW certo ponto, do da capital de Pernambuco
Ao desembarcar, encontrei, felizmente
reunidos na praia lodos os membros da mun
cipalidade,. que ja me esperavam, e me coin
duziram 4 casa da camera, quo flea no alto c
muorro junto da matriz, e isto me permit
.... de....e !:Lo ahi as competentes bu


( JiAmais em minha vida esquecerei o facto
desse arriscado embarque e desembarque na
costa, nerm tlao pouco o gracioso agazalho que
recebi em terra, dados pelos dignos membros
da muuicipalidade de Porto Seguro, que at6
tinham preparado uma casa para me hospe-
darem, se eu tivesse demnora de alguns dias.
Na manhi seguinte, ja corn 'born tempo,
effectuei, tambem na costa bravfa, o desembar-
que no porto dos Ilheos, cujo illustro juiz de
direito, o Dr. Virgilio estava ja telegraphica-
mente informnnado da minha proxima chegada,
e me facilitou, tambem em poucas horns, os
meus exames.
( Disse a V. Exc. que esta minha visit As
duas inencionades villas, visit que devo es-
pecialmente As patrioticas providencias das
per V. Exe., nao'foi infructuosa. '- -^
c Mas do mesmno pouco tempo que em numa
e outia me demorei, V. Exc. poderi dolligir
que os fructos nao foram no sentido que dese-
Iavamos: de encontrar nellas documents an-
tigos e interessantes para a historic, e dignos
de ser recolhidos e preservados no archive'
public do imperio,
Em uma e outra villa os livros do regis-
tro mais antigos, ja bastante estragados polo
cupim, remontam apenas ao tempo do Mar-
quez de Pombal e reduzem-se principalmente
a cdpias de leis e providencias, hoje poela
maior parte impressas ou bemrn conhecidas, e
alguns delles estAo quasi illegiveis, e ja meio
convertidos em vordadeiro lixo, como terA
succedido aos precedentes que ja nao exis-
toem.
SOs fructos, porenm, recolhidos nesta minha
visit serAo, apezar de tudo, a todo tempo da
maior importance para a historic patria. Em
primeiro lugar, nao 6 de pouca monta, para o
historiador consciencioso, o desengano de que
nesses archives nenhuns documents mais
existem, cuja falta de exame 6 pudesse doi-
xar corn escrupulos. Ein segundo lugar, fi
para mim de grande van'agem o conhecimen-
to individual que fiz destas duas localidades,
nucleos de duas das nosa- capitanias~primi
tivas, os quaes melhor'#dde descrever para.
o future. .' "
a Em terceiro lugar, ftalimente, corn 'esta
minha viagem, consegui resolver por uma'vez
todas as duvidas a respdb' de ter tido lugar
no proprio Porto-Segur e, e nio 'nwa.bhia de
,Santa-Cruz, oomo acreditou e fez adreitr Ay-
res do Casal, o primeiro desembarque de Ca-
bral, e de ter sido dita no mesmo recite ilhado
que forma e dite porto, e n.o na GCor6a Ver-
melha mais norte, a primeira missa nesta
terrain de Santa-Cruz; ponto este a respeito do
qual me proponho apresentar as preovas, de
todo convincentes, em =ua dissertagio, que
penso enviar, corn a possivel brevidade, ao
nosso Instituto Historico, do meu posto noa
Europa, para onde espero poder seguir viagem'
pelo vapor Elbe, no dia 27 do corrento.
Deuns guard a V. Exc.-Ilm. Sr. conse-
Iheiro Antonio da Costa Pinto Silva.-Visconde
de Porto Seguro. )
S Ministerio da justiga
Foi elevada a 1:000 a ajuda de custo do
juiz de direito da comatca do Rio Grande do
Sul, baoharel Domingos Adtonio Alves Ri-
be iro '4 -
Foram dep.ahh-ftf'k6 s f
mentos:
Antonio Francisco Falconi, pedindo perdio
da pena a que foi condemnado pelo juiz de di-
reito de Campina Grande, na Parahyba. Ao
president da provincia, para informar, nos
terms do decreto n. 2,566 de -28 de marco de
1860 e circular n. 287 de 28 de junho de 1865.
Major Custodio Joaquim Moiaeira Costa, re-
clamando contra o provimento de Ignacio do
Almeida Fortuna no officio annex de escrivio
de orphaos do termo da Granja, no CearA. Ao
president da provincia, para informar, man-
dando primeiro completar o sello.
Ministerio da fazenda
Por titulo de 8 do corrente foi nomeado
Affonso Jose de Oliveira para o lugar de prati-
cante da thesouraria de Miinas Geraes.
Por titulo de 9, foi inomeado o official de
descarga da extincta alfandega do S. Francis-
co, provincia de Santa Catharina, Alexandre
Magno Adduni, para igual emprego na alfande-
ga da capital da mesma provincia.
Ministerio da agriculture
Por portaria de 5 do corrente, foram exo-
nm'ados a seu pedido Francisco Motsko, do
lugar de professor public do nucleo colonial
Abranches na provincia do Parani, e o bacha-
tel Francisco Carlos da Costa Real, do [lugar
do director e engenheiro da colonia D. Isabel,
na do Rio Grande do Sul.
Por portaria de 10, foi nomeado o con-
ductnr Miguel Arthur de Andrade para servir
aia commission a cargo do engemheiro Aristi-
des Arminio Guarani, na colonia de Santa


Leopoldina, provincia do Espirito Santo, corn a
gratificagio de 150$ mensaes.
Por titulo de 25 dejulho, foi habilitado s
exercer as func.,oes de agrimensor o cidaddc
Abeilard Gomes de Almeida Feij6.
Por portaria de 5 do corrente, foi demit
tido Fernando Leite da Fonseca, do lugar de
thesoureiro do correio da provincia de S
Paulo.
S- Foram expedidos os seguintes avisos
f Ilm. e Exm. Sr.-Declaro a V. Exc., en
resposta ao seu officio de 8 de junho ultimo
qce os emolumentos de busca de que trata (
Sregulamento de 24 de abril de 1869, 108, n
3, s6 s'o devidos nas certidoes extrahidas do;
livros de matricula especial de escravos, quan
do taes livros jA estejam finds. No case con
trario, ficam as referidas certid5es sujeitat
apenas aos respectivos emolumentos, iA razA<
Sde 50 reis por linha de 30 letras, nunca, po
rem, pagando menos de 1#000. Esta decisk
nao abrange a hypothese do art. 95 do regu
s lamento approvado pelo decreto n. 5,135 d(
13 de novembro de 1872, segundo o qual s&i
extrahidas gratuitamente quaesquer certidoe
Srequisitadas pelos juizes, curadores geraes d
orphaos, ou pelos3 curadores particulares, par,
defeia dos escravos menores livres e manu
Smettidos sujeitos a servigo.-Deus guard a
a Exc.-Thomaz Jose Coelho de Alneida.-Si
Spiresilento de S. Pedro. )
a-Illm. e Exm. Sr.-Examinados o semi offi
e cio do 26 de julho ultimno e mais papeis relati
Svos i libertacgAo de escravos no municipio d
Cod6, declaro a V. Exe. que inteiramente a[
prov.o o seu procedimento, suspondendo o jui
de orphaos do Lermo e sujeitando-o A respon
-" sabilidade pelo facto de tor o mesmojuiz trans
Tornado a classificago dos escravos, quand
.r jA find o arbitramentc, e, em relaQio a a
a guns, sem recurso de interessados. Quani
r- ao pagamenta das Aulforrias doclarada5, pode
ia Exc. autorisal-o, coin excepgio do que se r
Lo fere aos escravos Agostinho e sua filha,
e- Joanna e seus filhos, cujo prego deverA ftic
o depositado na thesouraria de fazonda. Tern
0a sido consultada nesta data a secgAo dos neg<
a- cios da justiga do conselho de estado, aceri
1" da ultima parte do officio de V. Exc., opport
DO namente Ihe communicarei a resoluto qt
e, sobre o parecer da mnesma secago, houve
-l dar Sua Alteza a Princeza Regente. Det
n- guard aV. Exc.-Thomaz Josa6 Goelho de A
Io meida.-Sr. president do Maranhio. o
10
5- --
10 cte d guerra


Sp 19 batalhao ei-
lps6 Quirino Goess, a


S- Foi concedda licenga ao-nir A h4w
Srio do exercito Jose Franklin de lihi
ajudante de ordens da presidencla. do C4
por trinta dias, sem veaimenlea;, para vir
esta c6rte tratar de negoo s'.Tntevres
sendo designado para -a&"ts t tri i naquelt
emprego o major tl i6to refor
do Francisco AntoaiO46fmraI
Mandou-se dar baixa ao soldado add-dQ
companhia de infaintaila da Parehyba,. Sabin.
de Almeida Castro, por incalpacidado e!pit'
Expedio-se aviso A presideacia do PfA
declarando em resposta ao sen officio de 10
julho. proximo passado, que, tendq sido, mU.
reduzido polo corpo legislative o ooamen to,
dito mmninisterio, nto convindo autorisar
zas para as qua s faiL o nec l
n fothw envidar A' r vqwM -g
seja cumprido o aviso de 26 .u S
anno, que mandou dis Ahpeni ot
raoas excedentes do qadrdf .CI pl
xa da encibnada provincial. "" .
Em 2 do corrente expedio-se o segu5
aviso ao president do Rio Grand e do Sul'
e Illm. e Exm. Sr.-Em officio ai. 1,7551d
de agosto ultim, ednsult a V. c. se, das
hypothesedo ter eommaniante do curs
infantaria4'o'valiff4est- p.r.vincia de sol
substituidO poor b tr a e ntt* o m eno cur
de accord corn o'ait0'162 W 'reulameint& wi
17 de janeiro de 184ePI',t. 59 do de 21 dep/n-
go do referido ann6fdeve este exercer t nii.d
semelhantemente VA'funcgoes da respetf4A
cadeira. Em resposta declait a V; Exc. (i,
corn quanto o regulamento cbliaad-de ja616
de 1874 nao contenhadisposigau W ssa inhn-
bindo um lento de exercer cumulativamehte
as funcgOes de commandant e as que Ite
competirem no magistoriq, dado o caso de ter
de assumir interinarnmeie 4irecgtQ do curse.'
todavia determinando 6 ait. )0 do moesmo raW
gulamento, no seu n. 1, que o commandanW"
qa seja empregado no ensino theorico ou nW-
Ueo, deve o profesSo:, qua por sua hjerahiS
Siliitar houver de dirigir 'interinanehte o e8-'
ltibelecimento, deixar6 o x'ricico ,d a sua ca-
deira per todeo tempo que durar a Situt i.-
tuigAo. 1 T -
Ministerio da marinha
Em virtude das portarias 4pe6,,
das em 10 deoutubro,,jA.exouerwioa
capitao-tenente Manoel Soares INhteb
lugar de 9apit!*o`AoPorto da rn'ovincd
do CearA:f,n0rmead o Jo teneinte Ma
noel Lourengo de Caitro Rocha par
substituii-o interinamente. -
1 .Em 4 do Corrente expedio-se aviL
6dmini;Mterio da fazenda4 .qommunlic
d em addlta, ,MaiQ n. i,
de 6 de agOte ui--tiAoqe t havendo v
1.o tenente da armadt An.10txiiC
Freire de Carvalho, r rue attlI
I.o tenente Manoel Joih Alves s.Ri
ajudante da directorial de machinait
arsenal de marinha da -crle, deixiol
esse aline de-se
ess mprego afini d seguir para q.L
senal da 1ah4 imo. d wict a-as s(1
I*AftI
tiaa e 0a~grt dedno~*A4
tenente Francisco eAugusa d Pai
Bueno Branddo, director ir, eado para
igu-aes oflicinas do arseialt.4jo Ladario,
afirn de preencher -o dito.iugar de aju-
dante, at" que volte a reasnumil-o o re-
ferido 1.0 tenente Barala deixando 0
do director, ein que inMametnatoe se
acha.
Por titulos de 9 do corrente foram
nomeados: o L.o tenente da armada,
Joao Candido Brasil, ajudante da direc-
toria das construccoes navaes do arse-
nal da corte, e o 1.0 tenente honorario
Antonio Luiz Bastos dos Reis, director
de service identico do arsenal da pro-
vincia de Pernambuco.
Em 5 do corrente expedio-se a se-
guhnte circular:
Him. eExmn. Sr.-Segundo expres-
samiente determine o paragrapho ,unico
art. 6.o do~regulamento do collegio na-
val (decreto n. 6,440 de 28 de dezembro
de 18761, aos presidents das provin-
cias incumnbe enviar ao ministry, em
tempo de poder este iesolver os reque-
rimentos, devidamente informados, de
admissao A matricula no mesmo colle-


esa ui a 'Lo


stque proveA

Srio Bebedibe
inda,'tlondo ec
e de


mfa ,apara so
troi q'tehna
p q+ns d



o rn pron
EipltWen e dt
ver pode
ias 'przed ed
.8S necessa
t! a4taaem abu
c, er-para se





ificios propnsie
e og es s ese
OWa emais







ite riqdae. acu
qro p&oesade






d'idscldi; i
18ais pela rep
ai$ dando assi
s cgregndas.
e7sii portmnto,
me q Oalides
yhstrtc~iode u
incios propos
e takes estate
', e a16ib disso'
'adquir.r por d













mroral porao a
aros tinaoiens
mobs iffi eits no
I'6onmisslo, I
-iraem nota as
tiet que acnii
a, reputa por g
ij0so hare eldae














o|avei|s condiga
uesi apossnm
naquilatado,..



rio Boie,!ribe.















mei trae-emaspo
r4bon, cAIne ea
2sA-o berrac5
or.feu vlMor: i
aento do mataio
)nde. tao cedo,
:resga a popular
b pda vista do si
eguinte. o, mtao
aecessfiamentei
perniciosa so
iduos, s.o ante
moral e para a s
bem em vez de u
A difficuldade (
outras materials,
mais difficeis de
le que actualmer
"eigoada e vinda
-ijeza se ha delk
|(trar 6 muit(
acham enchut
iraveis condi(5
rue sao amonto
ce flaxidez, ain
tongue, cobertas
eis e transport
haler calor, e a
2." A aberturn
A pequena distal
A commission
mas considerable
*ri elr- ".i'rtn a ef


gio naval. E dahi se conclue que corn males & saude-p
previa autorisagao da secretaria de es- gada corn agua c
tados, nao A licito que venham para a abalisados hygie
corte os candidates approvados nos exa. cial A saflde, aj
mes prehliminares deque trata a primer lustres os qu p
dos substances
parte do citado artigo, por isso que p.- siduos do matac
dem exceder o numero fixado pelo g- da lavagem pod
verno, ou serem preteridos por outros de nao5es que conr
Mas qar~o icioso: teoms,
,uperiores habilitacoes. Mas quando iffeios:da accu
aconteca qua elles venham por delibe- e consequente d
racao dos pais ou tutores, cumnpre *b- lugar: a grand
servar que o transport dos mesmos agentadacoE
canididatos nao p6de ser pago por cotta 24 horans pela ren
enchente da
do Estado, visto que o citado regila- cheias do mnesn
mento nao autorisa semelhante despoza lugar, e nio po
em hypothese alguma. Havendo-se, cipios deleterioi
entretanto, procedido de modo direr- o queexistan
gem; em terce
so do..que fica explicado, jA remetten- ventos que bate
do-se os candidates antes de previa re- ragens, e que s
soluAo do ministry, ja abonando-se- alguma varrem
elias sejam que
Ihes passageinm A custa dos cofres pu- guinte nlla o pod
blicos, chamrno a attengdo de V. Exc. renuvaeao do a
pare semelhante assumpto, afim de que gundo a opin
seja elle regularisado pela field e res- grande saber,
ae o a ssegainte a falt
ticta execuao da lei sobre aquAelles prejudicial se I
dous pontos. Deus guard a V. Exc.- gar a presump
Luiz Antonio Pereira Franco.-Sr. pre- truir um estate
sidente da provincia de... as qualidadeso
pensaveis, e se
*to in totumn do
Governo da provinoia quaesquer out
quartejamento
MATADOURO PUBLIC DO PEIXINHO serem levadas
(Continuafnoe quenas partici
Illm. e Exm. Sr. A commission nomeada que misturada
por V. Exc. para escolher um lugar que seja e levadas pela
dotado das qualidades necessarias para nelle riamente ao o0
ser construido um-matidouro, que possa sa- voltas corn as
tisfazer as exigencias do conmmnodo e salubri- civas A safide.
Sdade dos habitantes desta cidade, depois de 3.' Situaao
r ter examinado variaslocalidades, vem dar par- 0 inconven
.e a V. Exc. das observa5oes que fez, e dos na ediflcag5io
motives qua a levam a indicar uma, que pare- alheio depend
ce reunir a maior parte das condiQOes que se labAo, e a con
p6d de desejar para um estabelecimento de tal para tratar de
ordim. serA ventilada
SA commission nio encontrou em algumrnas de V. Exc.
Sdessas localidades agua doce, nem r meio facil Gonclue, po
de obtel-a; em outras nio achoa. pao- su$fi- offerecer outn
ciente- para as diversas obras indlspensayeis grandes vanta
em takes estabelecimnentos; em outras ita.Q on- xinho e foram
control facilidade L.ra esg a agua ser- nha neahum d
vuidaa am antraIPU.ifiaii&d o tramUMrte aDOfltidO. l


e o gado se possa ali- services qu e nelle devem ser executados, qt
dot s dias quo tenha certa como estt# omiisso que sero guir- nu
a#cltuou no anindo dos dadastodas a utelas quo, tnam n por fim e
Squo julgou nro prevenir o de"nvolvimento de'miasmas, serm or
S as qaeqs, sejamnqqaes forem as condiqbes quo m
0 deoonminadq Pexiiho,1 possam se, encQntradas em .ouro qualquer ra
Scidade ,de- 4id a tQrVno, nbao podarai nunca o esfabelecimento s5
DU' examirninau-, q n 4ar satisfazer as ber4fundadas exigencia* da by-, 23
quobservbu. .. .. giena public, nemp preencher as vistas da-
o, esta sijluado 4.meia legua quelles que tern ep mira o progreL9: dec 'pa
a, e a u (!0o inais opa provincia, que tolos desejam,.- pelo qual to- re*
ife: iUaesq'er gue sejam os 'dos se devein esfoar. +. cad
qmar, qq o.q p'nais fre- A commission opera a merecida de$culpa te
as emanaces qoe 'iuelli por nao ter podidd piencher satisfactoria- m(
iar de e r pMe ;de r- m isig
arcer, powder ser lvadas mente a sua missi. eus guard a Exc.-- ca
tra destaci4'a' e i os Recifei 15'de novebso 4873.-illum. e Exi. m!
o 'frt ra BSr. Dr. HenriquePereoira de Lucena, .jgnissi- to
lqm pi predenuea^ pirtoeie Dr. Bst.wW s
velmente nenhum mal pode- Cavaicante de Albaquerque.-Manoel de Barros co
Barreto.-Gervasio Rodigues Campello. Dr. cu
ido em sua maior extensao Pedro de Athayde Lobo Moscoso. m(
3, que o separa (to pantano N. 120. Camara municipal da cidade do Re-
de um lado ties mil palmps cife, 10 de dezemnro de 1873. Him. e Exm. dhi
Quitro, dous nmi. Toda esta Sr.-A camera municipal, a quern V. Exc. re- cep
o eleyada dQAvvl do rio, e metteu, para informar, o parecer, qu: devol- loc
) cantro, forniarAo um decli- ve, dado pela commisslo que, nomeada por ta,
dos os lados : as cheias plor V. Exc. examinou o lugar Peixinho, do muni- tei
am sido, pouco tern. sobre-pu- cipio de Olinda, para nelle ser construido o pa
leste sitio. o terreno, se bemrn matadouro public e suas dependencias, man- C
arte arenoso, mostra ter a dou por urma commission de seu seio exami- e (
sariapara a creaeg.o de past nar tamrnbem a localidade-Peres-deste muni- con
urante o inverno, sondo que cipio, cujo parecer remette por copia : e i vis- con
Mrao ser aproveitadas as im- ta do que se 16 em ambos esses pareceres, fal
lo pantano, feitas que sejam confia esta camera que V. Exc. resolverA es- 264
rias para enchugo dos paues. colher aquella das duas localidades que me- C
ndancia para os amimaes be- Ihores condicoes offerece para uma obra de 12(
r elevada a altura sufficient grande alcance, ha muito reclamada pelo mAo toe
o e facilidade fazerem-se to- estado e acanhados limits do matadouro que s6
conservar-se o asseio e lim- actualmente possuimos. Deus guard a V. rio
reis em um matadouro, ahi Exc.-Illm. e Exm. Sr. Dr. Itenrique Pereira
do que em outra qualquer de Luceina, digno president da provincia.- exj
Manoel Joaquim do Reyo e Albuquerque, presi- .e
6 vazia, tern ella no rio um dente.-Jodo da Cunha Soares Guimardes.- .ej
profundidade, e cresce oito Jose Pedro das Neves.-Jos6 Maria Freire Ga- me
)rfza, quando a mare esta meiro.-Theodoro Machado Freire Pereira da tro
imn passage a pequenas ca- Silva.
A commission examinou o engenho Peres, do
o sitio Peixinho, as princi- que foi indicado por um dos Srs. vereadores iMl
que se p6de doesejar para a para nelle ser edificado o matadouro public. be
im matadouro, Qjn todos 0s O enganho Pores tern bastante extensao de pa
para os djvOyr6s services terreno proprio para pastes: tern agua e-l all
)elecimeatos'i6eom praticar- diversas direcgOes, e uma esplanada sufficien- tirn
terrpaos imitensos e faceis te para se construirem todos os edificios ne- fe 3
imini.tissimo preco, por qu e cessarmos corn toda amplidfto. 0 -io principal
nutit*ados, e sern as obras tern agua sufficient para todo serving, mas
aveis para se tornarem cul- sua correnie 6 fraca, e passa elle por diversos DE
lo podem. ser aproveitados. povoados pequenos, como Ibura, etc. Esta
0ordm, julga naNo dever pas- circumstancia e a distancia. de urma legua e
w desvantagens ou indotve- um terQo a que esta situado 0 engenho Pores
apanham as boas qualid"' desta cidade, sao as mals notaveis desvanta- de'
trade valot em (dito sitio, e gens que a commission bbserva no referido da
s as devidas considerag-esi engenho. Paco da camera municipal do Re-
sr pot outros cvnvoniente- cife, em 13 de outubro de 1873. Dr. Lobo ac
s. Mfosibe-Theodoro Silva.
Wque a co mmltso encher- A reqft6rimento 4t 9'. Henriques da Silva, la
"odade, o prircipalmente foi nomeada. umra oniissAo compost do fic
iyCa 4deuma legua da cidade mesmo Sr. e d&o-Sr para se entender
abertura- do esgbto no I1ro corn D propi rioad'_ngenho Peres sobrea da
3.- a situagco egi te.rra de porglo de teroflI eessario para a pastagem
S"; e deposit do gado que tern de ser trazido para toi
ert sticcintameite.fe cada o consumo diario conforme determine o 7.0 E
aias. + do art. 66 da lei 4 1.o de outubro de 1828. e
I ab d Reife.; Geita- A commissao ehcarregad' lde examinar o e
Il 9 a t ia ctdade do terreno do engeno" Peres, para o descanso e
11" Jpi o pastagem do gadf para o consume da cidade, va
s difilcil, corao para. d as- o acbfu convntiientoee proprio, e par isso de se
A ficar por mais alto preo: parecer se peoa ao Exm. president da pro-
ies nao deixamn pqrant0, de vincia auterisacao para real. ar a compra, en-
mas por outro la '0 isola- trando em ajuste. Recife, 7 de abril de 1862. fic
uro, em um espaca immense, -Henriques da Sdtva.-Mello.
.por mnais rapidamente que A commisslo encarregada de examiner a to
L5o, la nao degara, a priva- proposta ou exposigao do proprietario do en-
angue e camrn nk e por con- genho Pores, aceica do terreno precise para o dc
habito que ,m disso, quae deseanso e pastagrem do' gado trazido 4 con- th
hade exerceralcuma influen- sumo da cidade, tendo em attenao que o ter-
Abre o animo de certos indi- reno do cercado Pachoco, do mesmo engenho, d
,s unia garantia para a boa accrescentado corn o terreno do rancho Pi-
3aude, e portanto umr grande tombeira, como inforna o engenheiro, dai
Im mal. commodo para o desciab epastagem do ga- In
-o transport das canes e de do, 6 de parecer quo se aceitI a exposiao ou hi
nao 6 certamento dos males proposta do proprietariealco a& ,rediflcaco
remediar, attentos os memos por elle feita, pois a acha razoavel. Na expo-
ato dispoem a industria aper- si(io o proprietario dernonstra as vantagens rn
as canes a noite, quando a que colherA a camara da acquisicao desse ter- fa
as apoderado, quando a tern- reno, que sern duvida 6 o mais proprio para o
o mais baixa e quando ellas fim que se alraeja, nao sd por ser abundant D
tas, ficarao em muito mais fa- d'agua, como por sua curta distancia do mata-
es do que actualmente, em douro, sendo que o seu preoo n'o 6 excssivo. rl
adas em carrogas no estado attenta a condiglo dos pagamentos.
ida quentes, vertendo agua e A commissbolembra quo o 7.o do art. 66 -
s corn encerados impermea- da li de 1 de outubro de T828, impoe A cama- [li
-tadas durante as horns do ra a obrigacao de tor lugar para descanso e
nio pequena distancia. pastagem do gado viado para ser morto. Re-
i do esgotq no rio Beberibe cife, 10 de maio deo 862.-Henriquea da Silva. d
icia da m arn. A commission teao es vista a mediqto feita
nao pode deixar da fazer algu- pelo engenheiro cordeador, de ter o engenho
es a respeito dessa condicao, Peres a area de 197, 4braas quodnadas, e
unica de quo podem provir sendo o numero de rezes consumido em coda
ublica: a mistura d'agua sal- mez nao menos de 2,500, nao pode o mencio- V


doce 4 reconhecida pelos mais nado terreno prestar-se ao tim para que e t
onistas como a mais prejudi- destinado, nao s6 porque a cada rez nio p6de
untando-se aos miasmas pa- caber menos de 400 bragas quadradas, como
)odem provir da decomposigao tambemrn por nao ser o mesmo terreno abun- -
animaes provenientes dos re- dante de past, accrescendo que deve ter a
louro acarretados corn a agua camera em vista o future accrescimo do forne- q
e constituir-se um foco de ema- cimento das carnes verdes, e para isto deveria
rompam o ar e o tornem per- o pretendido logradouro ser o mais conve-
porem, para contrabalanQar os niente ; polo qu eentendo que a camera deverA I
mulato das materias animals vOr antes terreno, e satisfazer a disposicqo da r
de oomposiclo: em primeiro lei. Pago da camera municipal do Recife, 4
de correnteza do rio Beberibe de junho de 1862.-Mello.-Henriques da Sil-
nsideravelmonte duas vezes em va, vencido.
preza das aguas etTffectuada pela Tendo esta camera decidido que a corn mis- 0
nar : em segundo as grandes sio encarregada dos negocios do logradouro p
no rio, que todos os annos tem no lugar do Peres, declarasse se o terreno era
dem deixar de levar os prin- o appropriado, ja quanto A localidade, e jai
s ou materials em decomposi- quanto A salubridade, e se entendesse corn o
n na direccto de sua passa- proprietario se concede maior porgAo de ter-
iro lugar as grande rajadas de reno, visto o jA medido ser insufficiente ; a (
am constantemente aquellhs pa- commisso 6 de parecer quo o terreno 6 o ap-
em impedimento de qualidade propriado quarto A localidade e salubridade, e
r as emanaco5s quaesquer que quanto A s-,gunda part entende a commission
a por alli existam e por .conse- que nao p6de ter tlugar entender-se blla aem-
era caesar mal, pela constant que o nosso eagenheiro v ao luga0r e meIaf
ar atmospherico: pois que so- todo terreno, a contar do lugar medido a en-
iio de Ozanan e. de outros de costar corn a casa do engenho, o qual terreno
a confinagao do ar e per con- a commission julga necessario para o referido
a de renovagio 6 o que de mais logradouro. Pago da camera municipal, 7 de
pode encontrar:-. em quarto lu- junho de 1862.-Mello.-Henriques di Silva.
,&o de que se pretend cons- A commission encarregada de tratar do ajus-
pelecimento modelo, corn todas te do terrono do Peres, .para descanso e pas-
e requisites qu e he sio mdis- tagem do gado vindo para o consume da cidd-
Bndo uma dellas o aproveitamen- de, veti dar conta de suamissao.
sangue, dos excrementos e de 0 proprietario, que ao principle pedio so-
res residues prveniente do es- meote pelo terreno denomina'do-Cercado do
das rezes, apenas fiarno parRa Pacheco, vinte cinco contos, hoje minodificou
peas aguas da lavagem pe- muito no prego dando esse terreno, corn todo
ulas de sangue e algumr sdro, o mais exigido pela camera, por vinte contos,
scorn grande quantidade d'agua sendo dous contos A vista, e o mais em pres-
sorrenteza chegarao necessa- tacbes de seis em seis mezes.
ceano, corn facilidade onde re- A comnmissao acha razoavel o prego pedido
suas aguas deixarlio do ser no- hoje, attenta a extensito do torreno e a locali-
dade de suna situagAo. E' necessario que a ca-
em municipiO estranho. mara municipal cumpra a lei de sua creaoao,
iente, que a coamissAo antevO tendo lugar para descango e ,pastagemdo ga-
do matadouro (em municipio do trazido ai consume, done resultam im-
e da apreciagao da nossa legis- mensas vantageois, ja pra a salubridade pu-
nmisslo se |ulga incompetent blica, jA para os marchantes e jA para a ca-
ata material, que melhotmente mara.
e decidida pelo elevado criteria E' incontestavel que o gado para o consume
eatL hoje 6- botado nos curraes do matadouro,
rtanto, a commission que se se onde passa trees e mats dias aperriado e corn
o terreno que gozo do todas as lamaati a barriga, sem pasto e bebendo agua
gens quo poe ue o stio dD.Pei- salgada, o qu ro adiminuir nopeso e torna a
aeima deoriptas, e que no te- cane mai ; otmoto, que'tndo o gado pas.
l"s incoftit0 oque 6firam to-. cinpa pwanb.g ni&o diuafie no pesO,
," W-*- pvio do wiv Mr eai le |sO ne. 1 b a


uantitativo por cada rez qp.atli 9ntzrar que
unca sera menos de duzentos ris, pw trinta
tres mil que regular o consume annatLjrak
ma sommn sufftciente para a 4espegg & ,ad*-
inistracA qe una saldovntLjoso paragcma-
Smunicipal. Enteno9epprltanto, a comm;s-
o0,-que se doye comibryr o terreno. Recife,
tIdejunho d&i0J62.-Henriqgr4s da Silva.
dComo member da commissao para dar meu>
arecer a respeito do terreno do engenho Pe-
.s, para descango das rezes trazidas no, m3r-
do ou consume, tenho escrupulisado bastan-
por ser o dito terreno pertenconte a'um
embro desta camera, para que nao seja esta
mrua accusaoa de precipitada e mais algu-
a pcosa, e ce6to espabohqsa a, tarfa que
OP .f~lB- ^E~l1 46 le~wdo
)Iheodo-se ino ri moes para que corn corto
impra-se o d(lever que a lei nos imp5e ; ter-
os o logradouro public.
Tenho ji dado algiins pareceres a respeito,.
vergindoem todos do outro niembro, A ex-
pcgAo de ser o lugar conveniente quanto A
calidade e salubridade. Hoje do que se tra-
6 do quanto pede o proprietario, corn o
rreno ultimamente medido, abundante ie
istos e de extensao.
Q, proprietario ja pedio trinta contos de rf6is,
conf'os primeiros augmentos, vinte e cinco
ntos de r6is, e condig5es favoraveis, como
nsta.de suas propostas. 0 terreno de que
llo tern 760 braCas do nascente a poente e
0 de norte a sul,
0 terrenonovamente mandado medir, tern
0 bragas de nascente a poente, e 420 de nor-
a sul. Poe ambos os terrenos, que srap pum
e corn entrada de 120 palmos, o pyprieta-
o pede 20:000$000. ,t
Sendo o terreno todo central come tenho
posto no outros pareceres, parece-me que
've ter pelo,menos oura enltrada ainda que
a de cento vinte palms no terreno nova-
ante med4o para servir urn de sahida e ou-
o de entrada das rezes.
Deixo, pois, de dar meu parecer a r3speito
Squanto deve valer todo terreno de que fiz
engAo, nao s6 pela razao acima dit;, e 9m-
rn porque entendo que se Jeve ag1iardar
ira o verao, visto que geralmente s- 9i ser.
li o terreno pessimo de past, e s6 elle nos /
ard da duvida. E' este meu parecer. Reci-*
30 de junho-de 1862.-Mello.
Continuar-se-ha.

SPACIIOS DA PRESIDENCIA DO DIA 18- DE
OUTUBRO DE 1877.
Abaixo assignados, residents na villa
STacaratu.-Deferido por offi cio desta
tta ao Sr. Inspector geral da instruc-
o public.
Abai.xo assignados, residents na vil-
do Born Conselho.-Deferido por of-
io desti data ao Sr. inspector geral
Siastruccfo public.
Abaixo assignados, memnbros da direc-.,
ria provisoria do Monte-Pio Born Su-
sso.-Passe portaria, approvando 9.,
itatutos autotisando a funccronar.
Comnpanhia Bahiana de navegaao a
ipor.-Informe o Sr. inspector do ar-
nal de mauinha.
Fielden Brothers.-Deferido corn of-
cio desta data ao thdsouro provincial.
Irmandade do Santissimo Sacramen-
dafreguezia de S. Fr. Pedro Gonqalves
o Recife.-Informe o Sr. inspector do
iesouro provincial.
Jose Ferreira de Oliveira.-4Indeferi-
O.
Padre M.anoel Joaquimn da Silva.-
iforme a camara municipal de Petro-
ha.
Miguel Augusto de Oliveira.-Infor-
ie o Sr. inspector da thesouraria. de
zenda.
CQtao Pedro Velho de S5 Barreto.-
ieferido corn officio desta data A thesou-
aria de fazenda.
Vicente Ferreira de Franca Carvalho.
-Passe portaria, concedendo 30 dias de
cenca, corn a respecti[i diaria.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 19
e outubro de 1877.
0 porteiro,
Jodo Goncalves dos Santos Junior.
-49-
Abaixo assignados, filhos do finado
'isconde de Goyanna.-Provem osfac-


os allegados.
Major Antonio Jos6 Alves de Britto.
-Sirn.
Augusto Jos4 Teixeira.-Como re-
iuer,
Cempanhia dos trilhos t'anos do
Recife a CaxangA.-Nego protftnento
recurso, em vista das informagdes.
Joaquim Candido da Cruz Siqumra.
-Deferido con officio desta data ao
thesouro provincial, quanto aos dous
primeiros pontos da reclamagao.
Dr. Joao Honorio Bezerra de Mene-
zes.--Nao ha quedeferir.
Joao Baptista Cabral.-Deferido por
officio desta data A camera municipal
40 Recife.
Manoel Marques de Vasconcellos e
outros.-Informe o Sr. engenheiro che-
fe da comnmissao encarregada da medi-
gdo e demarcagao das terras publicas.
Manoel Valentim dos Santos.-Nao
ha o que deferirc,
Alferes Odilon Fiock Romnano.-De-
ferido corn officio desta data a thesou-
raria de fazenda.
Sociedade Lealdade w. Beneficeucia.
-Simrn, passando recibo.
0Conselheiro Felippe topes Netto.-
Deferido corn officio desia data a the-
souraria de fazenda.
Antonio Leite de Magalbhies Bastos.
-Indeferido.
Secretaria da presidencia de PerpnBbuco, 20
de outubro do 1877.
0 porteiro,
Joao Gongailves dos Sant Iw ioWr.

Repartigao da policia
N. 811.-2.a secgo.-Secretaria da policia
de Pernambuco. 20 de outubro de 1877.-lim.
eExm. Sr. ParticiIQ a V. Exc. qu foram
hontem recolhidos A casa de detenio osse-
guintes individuos : ..
A' ordea do Dr. delpdo da capital,
Andrd Jod de Souza,:,ialieado,
atd ter destiny,
-A' ^ AnhdlwlA-f aS


i ~ ~ ~ Uau f v**"- '' ~i '-~'~^g .i1-* aTa^


-1
















___ Boubmeita. "a L i'd,
No dia 29 partiram para aoolouia Caixias
us colanos j qua tico ido A capital
C Ito u ~ Ia ntar~
p pa-
atom-i


va f ,. i a do p U(
cares oor0 datas: e -
brw do o. da "d

Paulo 14,. do 18
doweLe. ubgft s M pb H ob a
P Offieial, eis o que eneonltramos
"ZPUBLICAS DO PACIFICO
Os cones desLrrados do Equador por cau-


corn muitas honras no Chile, para onde se
utmladatet l 9 sramf depois de terem sAido
rw alIlewaos peo-4eu goveruo.
A cirfdoedtados eootinuava a discu-
0Ad *f C4M doeqsino, alias ja appro-
vM iY 'rar 1eowupIpleieto desta
M1, faentara-.e' iai |iimto declararido li-
vi ao exeroicio de o doE|t prO0Ss s liberaes.
nRao Oeftt* Os'rS1s coofes peea eYs
a*. ddo eto Vague pars provitthento eni cir-
g0o e empregos em que as Ies a exigirem.
IEtava fazendo g.apde barutho urn process
iUtMtado- a um tal Alfredo Taraff, que incul-
easdo havep descoberto um reactive par mneio
do qual se ,xtrahia dos outros metaes ouro em
proporgho Inealoulavel maior do quae por outro
qualquer moeio, conseguira oSim do governor
uua pw~violego de invfsO6. .EibIE deste for-
r I a*ad*- pai `t4qail elTe erltrhva
eo&' seu invento e oitrOci*onm grosses ca-
bedads, soendo elle o president e gerente.' 0
reactive apenas servira para extrahir capitals
aos8 Inaatos.
- Do Boivila nada se refere de importancia, e
do Perti apenas mais algua.s tremors de ter-
ra. Continuava aagitar-se alli a questlao dos
bancos.
0 pre1nte do Equador havia sido recebi-
do cornam grandes festas em Guayaquil, cidade
em qtu se iniciara a revoluglo a que ellpde-
via o poder.
Mas urma revolusao em Costa Rica derribara
da presidencia Frovisoria o Dr. Herrera, substi-
tuindo-o polo general Guardia.
0 encarregado dos negocios da Allemanha
em Nicaragua retirara-se semr despedida por
term side desattendidas as reclamaCoe de
que ji dlos noticia.
0 go*o mexpediramueta circular para Ber.
limr, Londres e Washington, protestando que
esta retirada nao tinha causa justificada, polo
que esperava-se se sobftrestasse no piocedimen-
toeom que o.-referMo icdarregadoW' egocioe
havia ameaoalo, at liegarem a "rm as in-P
fore.agos dAocumentadas sobre o ca que mo-
tivara as reclamag5es.
PARAGUAY


-. Apenas encontramos a noticia de ter em-
b4r"Q o nA Assumpglo Jos6 R. Miranda, em
mnssbo 4saecial junto da Santa Se para solici-
tarconfilavdoc da nomeag5o do padre ClauJio
Arruas para vigario da igreja paraguaya.
RIO DA PRATA
JA haviam sido publicados em Buenos-Ayres
os decretos nomeando ministros de estrangei-
ros o r. Rufino de Elizalde, do interior o Dr.
Bernardo Irigoyen e do culto o Dr. Jose Gutier-
res. Na mesmna data foi nomeado president
do supremo tribunal de justiga o Dr. Jos6 Bar-
ros PAios.
Esta reorganisagao ministerial, em que en-
traram representantes dos dous partidos, pa-
recia ter sido bemacolhida por ambos. A Si-
tueion, orgAo autonomista, diz que corn ella
hafta dado o seu partido uma prova de auste-
ridado poilitica, de qua uo se encontra exem-
plo na historic. Por ella o partido nacionalista
vinha compartir o governor corn aqueltes mes-
moes contra os quaes se levantAra em armas
em 1874. Esquecia-se o passado, e Gutierrez e
Elizalde assentaram-se agora nos conselhos do
governo ao lado de Alsioa, Irigoyen e Plaza,
que antes combatlam, depostos os velhos odios
no altar da pabria.
0 estadista bemrn conhecido fdra do paiz, o
home sempre teal ao partido.dirigido oor Mi-
tre, o Dr. Elizalde post no mcnisterio de oes-
trangoiros, continula aquella folha, e a conci-
liuoaio mostrando a cara ao exterior, e fazendo
comprebender a proprios e estranhos, que o
governor da naCao estd agora apoiado na forga
viva dos dous grandes partidos. 0 Dr. Gutier-
rez, outro amigo teal e antigo companheiro de
Mitre, & no miuisterio da justiga mais um pe-
nhor da sinceridade corn que os poderes pu-
blicos adoptaramin a nova political.
As candidaduras conciliadoras de Tejedor e
Frias para governador e vice-governador da
provincia de Buenos-Ayres, approvadas ja pe-
las juntas parochiaes, deviani ser solemne-
mente proclamadas no domingo 7, na praqa
Vinte e Cinco de Maio, n'um grande meeting,
para oqual ambos os partidos haviam sido
convidados polas respectivas juntas directoas.
Feita a proclamagAo, os dous partidos irIlr-
porados e confundidos deviam dirigir-se As ca-
sas dos dous candidates e depois As de Avella-
neda e Casares.
Cambaceres publicara um manifesto desis-
tindo da sua candidatura, e prdmettendo tra-
balhar a favor das adoptadas pelos dous par-
tiJos.
No dia 4 houve no Tigre, perto de Buenos-
Ayres, urma terrivel explosao a bordo do vapor
Fulminante, especie de fabrica de torpedos.
Rehentando um destes no respective laborato-
rio, A pr6a do navio, pela volta de meio dia, le-
vanritou a coberta e fez voar o costado de born-
bordo, matandcr 42 homens e ferindo quatro
gravemente. A quantidade de mixtos que ha-
via a bordo fez que o togo se comrnunicasse
rapidamente de pr6a A p6pa.
Esiando o navio quasi em secc debalde se
abriram as valvulas do paiol dta polvora; a
agua nato penetrou par inundal-o e As 5 heras
medonba q JA .o espalhou destronos em der-
redor, cqsando avaria. em varios navies e
nas casA4"proximas. Chegou mesmo a incen-
diar-se a cbberta de umachata carregada de
polbOS, mras felizmente conseguio-se extin-
guis o fogo evitando aova explosao.
Citam-se various rasgos de heroismo e ab-
negacao, prinicipalmrente na saIvacAo de duas
lanchas torpedos queoestavamrn atracadas ao
Failminiante, quando a todo o memento se re-
ceiava a explosao do paiol, da polvora. A ca-
nhonheira italiana Con/fianza presto por esta
occasibo serviqos relevantes.


A tripolagbo do vapor foi presa e post in--
communicavel, emrnquanto se levantava unum
summario parn inquirirdas causal do sinistmo.
Em Buenos-Ayres i4ciou-se W go una subserBB
pc&o popular para compra de outro Fu/ri-
nante.
Da fronteira communicavam que o cacique
Ramon corn 400 indios tinha deixado os toldos,
vindo apresentar-se e submSter-so ao gover-
no. Esj rava-so que outros indios hostis, os
do CatripNamuricurA e Manoel Grande seguis-
sem o exgtplo.
Realisou-se a grande reunibo dos dous
partidos t ,djihB sm a menor peturbacAo
da ordem.
Dizem as folhasqSre foi urna manifestacAo
esptendida e qpe-164ts de 10,000 pessoas en-
chiam aqiuelWIprdV;&, i da Victoria e as ruas
adjacentes. Casareq, Alsina e-Mitre apresen-
taraift-se de braoi dalo. As notas da aceita-
,ao dias Suas candidaturas de conciliagAeo fo-
ram apresentadas a Tejodor por urma commis-
sbo do pa*IW'acionalista, e a Frias per ou-
S -tra do autonomista, isto A, -a cada qual pelo
partido contrari6.
0 president Avellaneda electrisou o povo.
eom a sua palavra ; -ouvindo vozes que pe-
diam a liberdado para Lopez Jordan, respon-
Sdeu que ao governor nbo deliberava na presen-
Ia dopovo.
No Estado Oriental nada se passara ex-
S traordinaio. HavIa sido recebdo officialmqn-
tc t eoo o easo de negocios dk Hfespanha
S Loureno 4e.Castelanos.
sub 94"It DO, BSOL
Ion ii 6"i,


kilo.
Diz o Merantil de Porto Atere "-
a A pronuncia de Monteito 'b l lMm daa
bern como a de sous cumplices Francisco R.
S... r _*____.z ..-En-.. .___ -- -___IM


sa a aw I-


A camera municipal de S. Paulo concluira os
trablhos da apuraclo das authenticas dos col-
legios eleitoraes para membros da assembles
provincial, dando o seguinte resultado:
Em sep
1 Coconel Francisao diF'aula Ma-
chado r 1041 18
2 Dr. Francisco A IUtra Bodri-
guos -1,4A 10W05 31
3 Dr. F. J. C. de Araujo. Abran-
ches 1017 2(
4 Francisco de Paula Rodrigues
Alves 980 2(
5 Dr. Antonio Pinheiro de Ucb6a
Cintra 979 3W
6 Jose Luiz de Almeida Nogueira 9W0 2
7 Barao de Piratininga 967 25
8 Dr. Francisco Alves dos Santos 964 31
9 Dr. Antonio Augusto da Fonceca 963, 23
10 Dr. Pedro Vicene do Azevado 954 28
11 Dr. Joaqukirn Lopes' GhA es 954
12 Coronel Joaquim B. do lroz
Telles .4 948 3(
13 Dr. Estevuo Ribeirt6,$Bauza
Rezende 926, 3S
14 Corenel Francisco M. deMdura
e Costa 923 18
1 Dr Joaquim Jost Vieira de Car-
valho I 903 3
16 Dr. Joo Baptista deMoraes 904 29
17. Tenente-coroenel J;. J. de A.
Sawpaio 903 25
18 Dr. Ptiaulo E. de Oliveira Carva-
valbo 90$ 27
19 Dr. Joaquim C. Gomes dos Reis 853 22
20 Dr. Salvador Jose Correia Goe-
Iho 84 19
21 Joao Vioira de Souza NX es 840 32
22 Coronel Paulo Delfino da Fon-
ceca 845 19
23 Goroaol Joaquim Leonel Fer-
reira 784 -27
24 Dr. Ignacio W. da Gama loehra-
ne 1 55 15
25 P4adre Joao Vicente Valladito 592 15
26.Dr. Martim F. ft. de Andc1le
Junior -' 546 21
27 Dr. Prudente Jose de Moraw
Bar-os 533 P J9
28 r, Martinbo Prade Junior .521 13
00 Dr. Alexandre M, Martins Rodri-
gues 493 13
30 Dr.- Antonio Moreira de Barros 480 19
31 Dr. Joao Marcoindes de Moura
Romero 469 14
32 Dr. G. Jos6 de Oliveira Costa Ju-
nior 461 13
33 Padre Antonio Pereira Bicudo 453 8
34 Dr. Cezario de A. Motta M. Ju-
nior 451 6
35. Dr. Joaquim de Almeida Leite
Moraes 443 14
36. Dr. Jose Machado Pinheiro Li-
ma 439 86


1C"re I, ao


l ar interessad recorrer para
I Ietro de 10 diessUs decises
Ssobre incluso ou e xtuslo de vo-
*m listas de qualiflcaM,
e A camera dos depados assim co-
esnado slo compete ta s para, na occa-
o da verificacdo dos pemIe6ae seus mernm-
ss teoonhecer da u nulli-
S eiaCAo do dist ,o a-unica comn-
wi p ecidir da valtiade ou nullidado
7- eiwle cameras e jaz do paz, anaim
4 lk squer questes, commrnente a
8 8. flta de publliewAo da list dbs
santes pie imprensa, nii k .motio de nulli-


C



(
C
I

I
J
!


I rrW I rT '"W-T ,' j -"1" 7' -7
I : I., -MC


ii


-Achava-se em exercicio do cargo de che-
fe de policia o jutiz de direito de S. Roque, Dr.
Jobo Augusto de Padua Floury, por ter emtra-
do no gozo de lice.'a o Dr. Elias Antonio Pa-
checo e Chaves.
Alguns.negooles de care verde ia ca
pital haviam elevadwo preco desie genero ali-
mentiio de 32 a,4i4. -
Oelub da Lavra de Compinas reunira-
se no dia 7 e delibqft as*pre Itar so gvaer-
no provincial cent ataria aeial de 3 0/0O
por kilo sobre os generous. de exportaglo e imw
porkaglo, taxad pela Comnua a Paujstir.
Diz o Dix daoi.ea cads : .
S, ,Coomnu Ptoam m)ae-:a. .. : ,
- k prodsio&>do aeat le 'aseeli realanee-
* t'pVodigiotsi POUos eieapiaB h de tami^
nha enlhiblt. Aiiriir 111 ir miiin *&


a urn o voss,. concurso, e auxiliado pela Lemos o seguinte em uma carta escripta
caridade particular, o governor temrn sido soli- iltimamente por um important fazendeiro da
cite em acudIr ads provincias do note do ir- gerraria :
period victims desde algui tempoo terrivel Estavarros muito satisfeitOs corn o estado
e flageo da secca ; e n' o dse 4svidara dos os cafeeiros. Os arvoredos apreseittavam-se
meiosde preveniir, quautobtrossivel, no fu- vgorosos e comn uma floresgencia extraordi-
3 turo os effeitos de tamianha calamidade. naria. Tudo isto prenunciava culheita excel-
a Currespondem ao vosso patrioUtismo as me- lentoe e tarvez melhor do que todas as ante-
didas que votdstes para dequilibrio da recoita riores, se vingassem bern as flores ; mas in-
5 'eOeza bli c'a.
Seseza pubica. felitmeqte agora tudo nos leva a crer.que as-
A s relaSes do Imperio corn as potencias sim njo acoatecera.
esfiirt~r-a g ir-an onvituam rnfet ASPAo mais iBan"-


essiangeiras contiugnM no estaio mais nson-
iaed., e nada autorisa a receiar que sejam per-
tuibadas*..-
" Na capital do Gbile foam ultimamente tro-
idadas a4x.tificajoes da convenieaopostal ce-
lebrada estre o go orno da imperial e o da-
q(lea repub ,a em 26 deo maio de 1876.
( Pordeoreto do lo do corrente mez de ou-
tubro foram promulgados os actos diplomati-
cos motiWados pela accessao do Brasil A coa-
venCao telegraphica international colebrada
em &. Peteraburgo a 22 de julioo de 1875.
SAugatos e dignissimos Srs. representan-
Les danflrao,
a Tornado Ais vosas provincias, estou cor-
tode qt prpsaueis no empenho de firmar
cada vez .mais a annimo de nossos eoncAdadaos
convicbo de que a felicidade o grandeza no
Brasil depe4rem da field observancia da coasti-
tuieao e das leis.
SEsta encerrada a sessao.
D. PEDRO 11, IMPERADOR QONSTITUCIONAL
E DFiFENSQR PERPETUO DO BASIL. D
a Termicado este acto, retiraram-se Sua-a
Mageslades cornm o mesmo Qeromonial cornm que
foram recebidas e immoediatamoente o Sr. pre-
sidente levantou a sessa. o,
Na sessAo de 9 do ewrrente, da camara dos
deputados, foi lido o seguinte project e rem-
mettido a, commission e copstituiA.o e pode-
res para dar pareeer: r..
t A assehblda geral resolve:.
c Art. 1.* O deoreto a 2,675 de 20 de outu-
bro de 1875 swar observado 0crm as seguinte$
alteraoes: -
4 1. As qua)fcacoas doo votpntes ppr
districtos e quarteiroes serbo feitas definiti-
vamente paelas juntas par*chiaes.
2.9 A seguata reuniaoa ,lessas juntas,
tera.lugvr 60 dias depois de encerrados os
trabalbos d 4priPweira reunibo, durarA par 10
dias consecutivos etera por fiam receber re-
ctirwoad. sas decisopw para, oos oionselhos
rmuniiapnes. ,
3.o As juntas municipaes passam a aer
crwson e.4aof weuraQ, das 4ee a junlwp
parWObiaWO, e4rcwa44 ld eaas alr4fe at"
pelo d4erev B,675 9 eonfrpWda-ao juiz
A- Almuks apa~


a constantehumidade do ar e a chuva que
tern cahido e continuia a cahir esta estragando
a flo-escencia. Ainda quo liajl d'aqui em dian'
te naiitos dias de sol, pouco' beneficiarbo os
arvoredos, porque a humidale ja deve ter fai-
to frmientar asflores.
S E o poior A que deve ter acontecido o
mesao em quasi today esta zona productora
de cafe. torque as chuvas e hunidade teen
sido geraes. D
c A commissao nomeada pela assembly de
portuguezes reunida no dia 17 do pas&do,
para promover duas manifestagQes de apa0
a benemeritoS da lingua portugueza,d -
-penta b hoje (3)-do prirneiro destes e*til'
gos, fazamlo celebmar n6 teomplo de S. ran-
cisco de Paula solemnes exequias por alma
de Alexandre Herculano; tendo-se designado
o dia 13 de outubro por ser o trigesimo do pas-
sado do grand ijstoriador.
a A-igreja achlia-se coavenientemen-te arma-
da. Sobre dous, egtrados se eleva urma Aa e
ahi existe rtm termplo collocado sobreguatro
columns para receber o panno da cruz ; sen-
do a alttrra de mais de quarenta palmos e la-
deando o catafalco mais de cem tochag. Sobre
a frente da 6ga acha-s .-o- retrato do finado,
coberto de&.repe e rodeado de grinaldas mor-
tuarias, tendo por baixo os seguintes versos,
extrahidos de umar poesia do proprio A. Her-
culano
a. E' o ceo a patria nossa;
a E' o mundo exili o breve;
a 0 morrer A cousa levo ;
( E principio, nao A fim !


P


. nA.U .^..... ',-, .I.&- a suifinte inain.acOeitava as letras por estes sacadas e


A0 : ]
a Sapiens in populo hoereditabit honored et
nomen illie erit vivens in ceternum.-Eccl. 37.
a Aos-'quatr cantos do estrado vOem-se
quatro esqueletos symbollcos, representando
dous deUes a more. -urn mo tempo, outro a
jejiencia. Por baixo de oeda Qsqueleto 16-se
ur" t0sCpO t 4, 0',
i-A. pri~eit* d. 4wr&, diz asgimn
:; $ do rim Sris. e6t *39e, a mortuis, et


incumbia-se de mandar vir do estran-
geiro generous para algumas casas desta
,6rto.
K Que Dantas tendo obtido a con-
fianga dos directors .dos ditos ban-
cos, pois conmeou as suas transacQ6es
co-n ietras verdadeiras, aigu'nas d
quaes foram poatualmeatle pagas em
seus venoimentos, 'Ctou no Banco ( om-


I


tevAo Garcia da Fontoura, oeos Itres foragidos.
a ft4 offered o ltbelt pela promotoria,,
e cortvn4klado peloadwga= W Konteiro.
F Padafnd6-t a pounaniaN ua sco f0lrma-
!to 40oeelaera1 es consider. coma Con-
naIno d6 crimeifoi twister al-astcomo..llas
po'rile sereqi om juizo cmnow tintq. _.
OPalganleto ter4 lugar a do co ette.
p.r ofta prepbtada o pro0eo e rno haver o
piemotidt requeridO tials dilencias em rela-
0fla M-nfteiro, sirm as o$tros.
"F mlietamr : hna bpital, DL dalina Paranhos
da Costa, esposa do cidadfil' Jloao d a Costa
Dias. Iteitino Antonio PintoD. Feltsberta Ame-
lia de Lima ; em 8. Jose do 'Norte, o official da
mes de rendas provlieiaei-Elias Esteves Vel-
loso ; em S. Leopoldo, Joaquirn Alves Perei-
ra Gonaa. 10, *
L-se no Despertador:
(( Morrerart afogados o capital Ludovino Jo-
se Eleuterio, seu fllho Candido, urn sargento
e dous soldados.
Dizem que esse capitao,tendo vindo como
era de costume a esta capital, ao escurecer do
dia 2 do corrente, embarcara comn os indivi-
duos mencionados em urma canoa do seu usa
corn destiny a fortaleza de Rptones.
(( No dia 3 foi encontrada a can6a emborca-
da e alguns bahus boiando! Suppbe-se ter a
can6a sossobrado e os cinco infelizes pereci-
dos afogados.
0 Sr. Ludovino JosA Eleuterio tinha feito
a guerra contra o Paraguay; era capitio ho-
norario do exercito e commandant da fortale-
za de Ratones.
o Deploramos esse fatal acontecimento, e
enviamos A sua inconsolavel viuva, seus pena-
lis'idos fllhos o parents sentidos peza mes. a
MINAS-GERAES
Refere o Diiioia de Minas de 1:
a Ante-hontem, ao receber-se da cOrte a gra-
ra noticia da chegada de SS. MM. Imperiaes, o
Sr. conselheiro Bandeira de Me'lo, dignop dele-
gado do governor imperIal, em homenagei a
semelhante aconiecimento, que encheu a todoa
os brasileiros do mais just e profundo regosi-
joy, mandon fectiar as repartigOes publicas da
capital, suspendendo logo os trabalhos de sua
secretaria.
e Todas as musicas da cidade sahiram em
p'sseio per algumas ruas, tocando afinal em
palacio e no pago da assembly provincial,
que tambem suspended os respectivos traba-
lhos.
a Girandolas de foguetes por muito tempo
troaram os ares, e A noite have illuminacgo
em today a cidade. 0
0 nobre depdtado provincial Manoel Ful-
gencio Alves Pereira oWegara ao thesoureiro
da commissao centrall- Dr. Pedro Cavalcante
de Albnquerque MaranhAo, a quantia de 1105,
enviada polo lbarlode GrAo-Mogol.
Pelo membro da commissao da capital o
Sr. David Moretzohn fOri natregue ao rmesmo
thesoureiro a quantiia>| ^0i,
0 Barao de Catagi0, uajA havia con-
corrido, alem de outra qiIas.norescom
a de 3 contos de reis, par,.s onstrucCao do
Forum em Juiz do F6ra, sabendo que o inoan-
savel juiz do direito daquella comarca Dr. Joa-
quim Barbosa Liua, que proaovera a subs-
cripgao para esse tim, despondera seis contos
de reis do product da meama subscripelo
corn a ediflcagbo e mobilia do urma oscola mu-
nicipal, declarou ao referido juiz que chamava
a si assa 4espeza. 0 Forum deve ser inaugu-
rado no dia 20 de janeiro proximo, e o seu
custo, incluida a mobilia, A de cerca de cento
e trinta contos.
Fallecira emi Baependy, o Dr. Joao Jos6
Rodrigues.
S. PAULO


(S


obre Londres 24314 d. a 90 d[v.
S Paris 386 rs. por fr. a 90 div.
( IIambirbgo 475 rs. potr m.
90 d[v. .,
Portugal 215 a. 217 o[, A
vista.


c As traisaccW. em cambio effeq
tuadas hoa o01-'ft regularea solre
Londres 4 !"25- 4l6i, e '25 li8 4d.;
sobre Frnnga a 383 rs. por franco, e
sobre Hamburgo a 469 e 467 rs. por
marco, tudo em papel particular.
fConstou que mlWflisaram algumas
transacoes em pliaM' bancario sobre
Londres a 24 718,d.
S Negociaram', 7,000 soierao a
9#670. "'
(As vendas d,'cafd conhecidas at1
as 5 horas 4a tarde ortvam pop 6ga


,14


o constaralm
6 & si v%4ilate A


I


d(-'- 9.' A eleiglo de e*i oI es peis I
a Fora m vd id a*" c d qt e Pra senadores, serd feita por voto complete.
SForam vendidos nesta cidade. quroato era- 1 t10. Na eleigao de senadores as cameras
Voss p awpq11 nob wwadoame rinette 6 o resulteao da apea- 1
ellwicB e d, do00 wetis coin as respectivas aetas aose- .
S Os Srs. Antonio Bicudo, Francisco de t nado, afim de que ese depis de discutida
-W $, OR~ qde ue este depois do discutida ep
S IV m rBt 04r 'rovsda a elwo, apresente A eor6a'a llsta, I
tres. A' mela-uiote,. mIts Q s, OO da qual deve ser escolhido o senador, limitan- I
trasmnos, traya4-eO e. 'f |a h en- do-so o sena4o depois da escolha imperialr a
Itre uqrp dos negros p seus 0es cheecer da legalidade da carta e da identida- I
:.4 primetra vIijma\Ia tou iofiCqI: de do escolhido.
daique receIbndo Q 0,11 Ko a Art. 2.o Ficamn revogadas as disposigSes 1
bdim abio, roeeuol outrsi emow contrario.-R-i, 3 do outubro de 4877.- I
di^ *^rCI aSCo dt4 U, Skqueira M iades.-Arapagy.-Dv. C. Bitten-
qu~roioeQd vrso reruonlos Jnaibroga e court. v
nrd eo eo 0 Sr. apt no Foi a imprimir para entrar na ordem dos I
It e i i trabalbos OqBouinte parecer:
rde. f8ltimo1g o0 Foi rwmottido A commisslo de fazenda, sob i
anseguio -aaIn, vatent cnrvan. n. 204 deo 1877, urn project de oesolueao ap-
Lodos l att .a0 apSie r, qando o se,,Q provado pelo senado autorisando o governor
do negro o Iispesos apto e ram ao imperial a garantir o jua de 7 O/o do capital
gar par bffeetuar a conducooodos feridos, i addicional atl 400,000 libras sterlinas a corn-
quasesb aham em saas casas. Comparecf ahbia da estrada de ferro do rio Madeira ao
o 8r.-Nj. Patai 4Mabdo sob cujo cuidado# r1.
ntu atC "- si'oo -enado setvio .de lundamento ao pro-
a Os outros evadlram-se. .Q JQto, alup do ponlrato layrado pelo governor
Os rrfidos todos sao pais de familiar. v j1eA|m ,,0 de br de 1870, a
0 Sr. Timotheo Bruno, fallecido em t pro' Vdti&d& Ique estavam terminadasd
tininga, deixara llvres 13 escravos seus. p odes a. questes j"l iaes, oan quo se acha
Le-se no Municipio, de Itapetininga, 4 d k QJ Londres empenbada a comptnhia e de
do corrente .. ,ue Ie perteacia mu capital depositado na-
SNo dia 30 db mnez assador as 91bho1 l[ el6praca para a copstrucWO da obra.
da anoite, na Hlade de 87 annos e depois de o tiundo inform%presp tadas a corn-
go e doloroso soffrimento, rendeu a aqia t *so"defazenda doq,*aEstrada S p"rcor-
Creador o Sr; Antonio Dias Leite, chefe da r e tecritoriq braie pqiHMlp ftaci a ave-
peitavel familiar Dias, desta cidade. gapo eutri, o d4 a' o s rios do Ma-
(( 0 finado era natnral de Itflt. Em 1812, dqra e f amor4 ctot o. 4i!o evitar-se o en-
idade de 22 annos assentou praga coma vol v a1t4,eiramento quo i oWe j|lita em varias
lario, e seguio para a campana do sul a 2, kJidades uma navegacbgpaaquer; do quo
agosto de 1817. haiotoerreno por ellaperocorridopovoaao suf-
e Fez toda ella desde '1 de janeiro de 1818 ficionte aindustrioca, que jA produz somima
1822; tomando posto em todos os combat otAVel de obje s proprios de commercio
que se deram ; e tirou baixa depois de 18ai S valioso ; dq1. soe s abre u % nos de bons services prestados A patria, ,o 4o provincias do ParA, Ajmazqaas eMatto-Gros-
mostram os attestados qpe tomes a vista, p6 so; e emfim de queyvantagpws crtas resulta-
sados por seis superiores. D r.o da construcqk sa via-errea; nao du-
Diz a Joven America, de S. Jos6 dos Gaw vida a referida comwpoato opinar que entire
pos, que as ultimas chuvas concorreIr.m par era discussao o rqervo project, porque du-
que os cafeeiros daquelle municipio se cobria rIrat ella welhor.sera a questRlo esolarecida,
sem de flores. Dizem. aos lavradores que nul e onstraDla a spa utilid4de.
ca viram os cafezaes como actualonIte Es Pago d pamara dos deptados, 9 de outu-
pera-se que para o anno a colhita .seja extra bro do 1877? Peeirda (iilw.-A. Fifweim.i
Sordinaria. 4 Diz oa rwlo Gommerci que IThe pare-
SRIO IDE JANEIRO *
RIO DE ANEIO e esa resolvida a nomnoaeo do conselheiro
-Corn as, solemnidades devidas encerra- Joo os1 Forreira de Aguiar para president
ram-se, no diaJ4 do corrente, os trabalhos d da provincia do Cearai.
'assemblfa gerl logislativa, sendo a seguiatle No xacme do suftlincia qu + ,fM na
respective aj. ; ,-Faculdaj1q de Medicina, foi #aprovddo plena-
Ao meio-dia, achando-se prnentes no pagme rOtr, para exerCer ai arte dentaria o jDr.
do senado os Srs.'deputados e seadores, foa gj .Pa iao tol, lpocolkegio dentario
ram nomeadas as.seguints deputaIco; de PhiladZia. ,:
Para receber a S. M3f.' Imperador: a -0 transport Madeirflcava a partir do,
SDeputados : os Srs. nOjh, Pires Forrqlraif0 do Janeiro para o Rio Gra.4p.do Norte,
BarAo de Macei6, Jose Calnion, Meneaes Pra4o,.tCara e Parahyba, conduzindo vieies.
Goelho de Campos, Goelho Rodrigues, tCesarWo ,; Lemos no Jori do C ommercio :
Alvim, Bretas, Franklin Doaia, Freitas Heori-P ca S. M. o Imperador visitou hontem (i2) das
ques Araujo Lila, Portella, Taunay, CtWbhai4 boras da manhR A 1 da tarde, o imperial
Leltao, Barao de S. Domingos, Cunha eflguei-tobervatorio, percorrendo Lode o odificio, exas
redo Junior, Ferreira do Aguiar, AlmreodarPt linPjnde com i teres-as dxversa, machihas
reira, Pedro Affonso Ottog, Affonso sAls tWeciaa de lntrithMde,eeisao, so
Jose Angelo e Souza Franca. irotudo o moto 4vga deoiivwleystema, que
C Senadores: -os Srs. Godoy, Luiz CaMosa suahznte se ac o qa.construcc.o na me-
Marquez do Herval. Paes def Mpdonga, Ba0o^ aoftcjp&n; a macnina de raiser e as ma
de Maroim, Jagnarlbe, Jofo Alftodo AIbW; nas 4e graduar ; x grande pilha thermoe-
da Luz, Barao da Lagauna, Barros Barr9tQ oeifa.Qaond, mIftleada no observatorio,
Can do Mendes. a i depwocduzir a luzeloctrica; a nova pi-
e Pararre*ebor a S. M. a Imiperatriz: V IuscepUvel de immensas applicaeOes, e
C Doputados: os Srs. Augsto Chiave W Hque demonstra ser aproducAo geral da elec-
queira Medales, Franca d U 0 Riogo e] |ic1 ade devida i transformaggo do calor,
concellos. -1 1 4 w orpo achol-'I o. snples
a Seoadmre CW 0r%.IU*7"blp; s I- qAu~gia 'fuPe
do Rio BraqcR 1 ra*
( Pars reCeIrialue ASi.iC e-crEnzh I a Sua MagestLade dignou se tawbem de exa-
Princezt Imperial e o Sr. Conde d'Eu: tinar o novo p do grande instrument uni-
k s Deputados : s Srs. Barai o de Maot's .ran- versa) construido -no arsenal de guerra, cuja
klin Doria. Garlos Peixoto e Bretas. execuao honrajas officinas deste estaboleet-
SSenadores: os Srs. Zacarias e Viseode do moento ; assim Atambem os apparelhos espe-
Born Retirn. ciaes destiniados A determina'ao da longitude
( A' I hora da trde, annunciand,-se a che- entreo Imperial rvatorio da Europa, entire
gada de SS. MW, "periaes, sahiram as depu- i a quae. e notavdo'relas de nova invonao,I
tacSes a recebeI-T a port do edifici, e, en- ruja sensibilidade permitted a registra~ao di-
trando S. M. o Imperador no salao, foi a!i re- ecta das observaCSes : difficuldade que alt
cebido polos Srs. president e secretaries, os 0 oje nio prde ser vencida, e cuja solucao e
quaes, reunidos sos membros da rospectiva devida ao Imperial Obsenvatorio ; finalmeste
daputacio, acompanharam o mesmo augusto ixaminou os trabalbos astronomicos feitos no
Ssenhor ate a throno. nmperial Observatorio, eorn espeocialidade as
Logo quo S. M. a Imperadon tomou assen- aoe so referee ao planeta Marte. a
to e mandou assentarem-se os Srs. deputados ( S. M. o Imperador visitor ante-hontem
e senadores, leu a seguiete fatla : 12' o hospital military do Castello, chegando
Augustos dignissiraios Srs. representan- ig tO horas da manha e retirando-se As 11 1/2
tes da nacao.-Dirigindo-me pela primeira vez hioras.
assembl(!a geral depots do meu rogresso Ai
nossa patria, cumpro a grato dover det ai PPercorreu todos os compartimentos do
...s ..r.. mou prfud ..o.e..nnt a : tao stahelecirnento, examinaudo minuciosamento
Os pros qeuo piroeo peasconnoctmntepovaslosuos n na d.v. ...s enfermarias e tudo
do consiude i pela qonme der -oam e os..aos, qu.o Ie em dizn respeiarbedom as arre-
popula eaes das provincial por 3e pamsei 0Icad,es,,depasiosa cargo do almoxarife e
detai p apital peas cordipes deiopnstralp rs a pharmacia ; tomando conhecimento de a)-
Ssestia caopiaulneelacorhoram. d s s preparad"s do laboratori- e de ludo
estacom qu iea o er ,uuo .. .. n gsp ep esar ioconhecer~a~u, anfesano,
>" ( A ordem publica tem-so mantido inaltera- quo julgo necessario conhecer, manifestundo
dap sraoas At ndole do Aosso povoe oA sun ad- e Lodo a seu trajecto ostar satisfeito corn a
p hos~a as ins.i..i..es.que nos "egem. boa ordem limpeza e disciplina do estabelo-
... 'cimento. >> "


9---T- ^nB^i^ -- ** ,I~wvtIO 4~wwV
t POTaii do esqueleto da scieneia : "
a Scientiarum Dominws est Deui.-Sam. 23. C
SEstA collocadb uam troph6o de bandeiras r
de varias nagbs; das quaes sobresahem a
portugueza e a brasileira.
h 0 cbho forrado dte preto. l
a Espaldar no altar-m6r. Fronfal apropria- a
do. Grande cortina de alto a baixo descendo e
to arco que dd entrda para o altar-m6r. Barn- (
boUns nos arcos das aluras laIteraes. Sanefas
rs tribunas. grades do cdro, etc. Lanternas
tbafaodas sobre a cimalha. Reposteiros nas C
portas lateraes, etc. (
a A's dez horas comeCarA o acto religioso.
i music vocal e instrumental eompOe-se de
70 a 80 professoies escolbidos. Rompera corn
i march funebre de Chopin. t
a Em seguida sera cantada a missa de pon- r
ifical por mionsanbor Reis, acolytado e acom- ]
panhado por nurnerosos ecclesiasticos.
a A missa serA de Requiem, do padre Jose
Xiuriclo, intercalhwdo-se, porem, tres trechos
da- de Verdi, a saber: dous do Dies irce, Recnr-
iarem e Ingemisco; e bem assim o Agnus Dei,
FindarA corn o Libera-me do maestro Mon-
0ano. a
a Como haviamos noticiado,' effect-iou-se
hontem (13ya homonagemin de rospeito e do al- 1
ta considoramoo a quo tinba perfeito e incon- i
testavel direito, Alexandre Herculano, o gran-
de vulto da nagao portugueza.
( Solemnes e sumptuosis foram as exe- t
quias, mandadas celebrar no temple de S.
Francisco de Paula, sendo tal a cancurrencia
das pessoas que alli foram dar a ultima prova
de apreco ao eminent historiador, que, por
no caberemrn nas naves da igreja, muitos ca-
valheiros feiuram no adro e nos corredores.
( Entre essas pessoas, virmos os Srs. Vis-
conde de Bom-Retiro, Dr. Joaquihn Manoel de
Macedo, Dr. Caorlos Honorio do Figueireio, Dr.
Ramiz Galvio, desembargodor Aquino e Cas-
tro, Dr. Pinto Junior, reprsentando o Institute o
Historic e Geographico Brazileir'o. a direc-
tor da Bibliotheca Nacional; Dr. Antonio Li-
moeiro, representando o Inistituto dos Bacha-
reis, em letras; comnmendador Antonio Jos6
Victorino de Barros, representando o Cons r-
vatovio Dramatico; Jose Silveira do Pillar e
mais membros da commisso da sociedade
AlphaLitteraria; Affooso Lima, director da
Bibiotfheca Nscional; Isidro Torres e mais
membros da commission da associaqao Patadi-
nos da Sciencia ; Jeronymo de Siqueira, da so-
ciedade Ensaias Litterarios; memnbros da com-
missao da loja maconica Discriao ; Joaquim
Augusto da Cunha Porto, director do Lycen
Litterario Portuguez; cominissso da associa-
g.o Uaiio Polytechiaica; directoria do Con-
gresso Gymnastico Portuguez ; commission da
loja maeonica Imparcilidawes ao Vatte do La-
vcadio ; consetheiro Saldanha Marinho, preMi-
dente do Institato da Ordem dos Advoyados ;
Fernando da Silveira, pelo Retire Litterario Por
tuguez.; commi-s&o da loja maConioa Amor ao
Trablhow ; Jose do Patrocinio e Jose Rodrigues
Pacheco Villa-Nova, pelo Club Gdn9alves Dias;
Ed.uardu Joaquim Mendes de Magilhies, pela
'Associapiio D. Luiz 1, Pedro Satyro de Souza
Silveira, pelo Retire Literario Portuguez ; re-
presentnkes de Gre m .Litterario, e do de
S. Francisco de PaddjWpdeW da. Socicdade Be-
,wficentc Trinta e urn de outubro, Amor ao
Trabalho; loeo. Ainio Rodrigues Dantas,
polo Club Gymmastito Portaguez: directors
da 1 .8. Amste da Imlewao : Ernesto Cybrao
polo GahkijePortugseySd4 Leitura ; Directo-
ria da-.QOcde Soccorror D. Pedro V; H.
Raflfart, pelo Cdrcle Suisse ; Karl Valais, pela
Sodedade Franceza de Beneficencia; C. A. Ros-
si, pela Sociedade Italiana de Soccorros Mu-
tuta : Antonio Jos6 Goinos Brandio, pelo Im-
perial Hospital dos Lazaros ; RedacQao da Co-
media Popular ; Antonio Pereina Leitao, polo
Diario da Rio de Janeiro ; Dr. bafmiz de Castro,
Leonardo Caetano da Araujo, Joao Carlos de
Wp za Ferteira e Achilles Varejbo, pelo Jornal
dCosnercio ; Quintino Bocayuva, polo G.oba
Dr. Ferreira de Araujo, Dr. Ferreira de Mene-
zes, Dr. Lino da Assumpqro e .Manoel Jose
Cabral, pela Gazeta de Noticia ; Manoel Ro-
drigues Carneiro Junior e Dermeval da Fonse-
ca, polo Diario Popular : A. E. Zaluar, polo
* Vulgarisader ; Grastavo Footoura, pelo Meque-
trefe ; Dantas Junior, pela Revista Itlstrada.;
Jose Luiz de Ahmeida, pela EmJpresa Indus-
trial; redactores do Brasil e Portugal.; snria-
dores Jose Pedro Dias de Carvwlho, Manoel
/Franeae Goeiaj- Goothebeiro Tbomaz Jose
Coelho de Alneida, ministry da agricultura ;
deputados Alfredo de Escragnolle Taunay, Joao
Manoel Pereira da Silva, Martini Francisco Hi
beiro de Andrade e Jose Fernandos da Costa
Pereira Junior ; ministry do supremo tribunal
conselheiro Firmino Pereira Moriteiro, Viscon-
de de Borges de Castro, ministry de S. M. Fi-
delissima, D. Luiz Dominguez, ministry ar-
gentina ; Bar'o do Gattete, Visconde de Silva,
conselheiros Adolpho Manoel Victoria da Cos-
ta, Christiano Ottoni e Jose Maria do Amaral e
sua filha : Dr. Joao Wilkens de Mattos, briga-


B9em, 'marvo, este an-
,jnlho-"resitou a des-
Donto urea letra de l:375tO0, aceita
)or Neves & FilUbo, cujo aceite era falso.
Em 7 de julho descoutou no mesmo
)anco duas letras, urna do 1:373#100,
aceita por Teixeira Bastos & Fernandes,
Soutra de 8775400, aceita por Botelho
& Guim-iraes; no dia 24 dowontou no
Banco Cwnrnercial, urna obu no valor
de l:371850, aceita por Antonio Josd
Gonalvem da Silva Maia.
c Em 2de agosto doecontou no Banco
lo Brasil uma letra de 9:780$700, acei-
a per Carneiro & Irmao, e a 30 do mes-
no mez outra de 9938360, aceita por
Neves & Filho.
( Em 19 de setembro descontou nes-
se banco uma letra de 7908500, aceita.
)or Botelho & Guimaraes; em 21 ou-
tra de 986700, aceita por Antonio
rose Gongalves da Silva Maia; emr
27 de setemnbro duas, sendo uima de
1:4658600, aceita por Neves & Fi-
lho, e outra de 9798800, por Botelho
& Guimaraies ; em 28, mais dnims: urma
de 2:820$900, aceita por Teixeiia Bastos
& Fernandes, e outra de 1:4715400, por
Antonio Jose Gongalves da Silva Mala.
Em I de outubro descontou ainda no
Banco do Brasil, outra de 1:286#600,
aceita por Botelho & Guimaries. As fir-
rnas de todos os aceitantes foram consi-
dleradas falsas.
S Alem de taes docurnentos, Dantas
descontou no Banco Commrercial, em 3
de agosto proximno passado, urna letra
de 9:3725200, aceita por Carneiro & Ir-
maio e vencivel a 30 de janeiro proxinmo
vindouro.
SForamrn, pois, falsificadas quatorze
letras de differences dpocas, aceitas por
varies individuos, na importancia total
de 34:951#210.
a No dia 5 do mez corrente a direct.
toria do Banco Commercial, por causa
de uns artigos publicados nia inmprensa
sob a assignatura de Romariz v corn
relagao a Dantas, foi informar-se de
(urneiro & Irmao sobre a veracidade
do titulo que corn o aceite destes tinha
sidodescontado no dito banco. Declarou-
Ihe Carnero & Irmao ndo ter aceitado a
letra, sendo entao reconhecida falsa a
firma confrontada corn a verdadeira.
Umrn dos directors do dito banco
dirigio-se ao escriptorio de Dantas, de
quern obteve o redesconto da letra, pa-
gando ele sua importancia corn o saldo
de sua corita corrente, no mesmino ban-
co, e corn ima letra de 1:6005, que acei-
tara.
S No mesmo dia 1i hora da tarde,
Dantas foi novamente procurado por
Jos4,Dias Teixeira Bastos que, receben-
de aviso do Banco do Brasil do venci-
mnento e da falta de pagamento de *ma
letra aceita por elle Bastos e sacadafpor
Dantas, pedia o seu comparecimento
Aquelle banco, para liquidacao da tran-
sacgao.

(Dantas pedio uma dilacio, que nao
the foi concedida, e dirigindo-se aztbos
ao banco, ahi assistio at declaraoo\4e
Teixeira Bastos, de ser falsa a letra, o
que nao contestou. Podio entao ao res-
pective empregado que o deixasse ir
buscar o dinheiro precise afim de fazer
esse pagamento, e sendo-Ihe concedido
nao mais voltou e desappareceu da
corte; pois naio tornou a ser visto nesta
cidade, nem na .casa de sua familiar e
mais parents.
0 inquerito vai ser remettido ao juiz
de direito respective.
cc As letras estao appensas aos au-
tos.


A alfandega da c6rte arrecadou
do t.o a 14 do corrente 1,676:303$402.
Eis as noticias comrnmerciaes das
ultimas datas :
K Buenos.Ayres, 6.-Continfia a ha-
ver facilidade de dinheiro, regulando
as taxas de 4 18 a 5 o[o ao anno.
( Passaram-se algumas sommas so-
bre Londres polo paquete francez de
49 a 49 118, ouro, e sobre Franca dg
Irs. 5,15 a 5,17.
( No mercado de importago tern ha-
vido movimento regular.
c Venderam-se dous carregamentos
de sal de Cadix, urn para S. Nicolao a
10 rls. fts. e ouro para Tuju a 9 rls.
fts.
c Venderam-se tarnbem dous carre-
gamentos de madeira; urn de pinho
branco a 40 p. fts. e outro de pinho de
p6 a 7 112 rls. -
S Monteviddo, 8. 0 ouro tern bai-
xado ultimamente, hontem negociou-se
a 208 e 207 e hoje abrio e fechou a
206; o movimento das vendas temrn si-
do pouco important.
<( Em cambio nao se fizeram opera-
coes dignas de meneao ; mantdm-se as
seguintes cotaoes :
SLondres 51 a 51 1[8 d. bancario.
(( 51 li4 a 51 318 d. particular.
SParis frs. 5,36 e 5,37 particular.
S frs. 5,35 a 5,36 bancario.
a Rio-Grande, 8. Continuou o
New.London & Rrazilian Bantik Limited
a sacar sabre Londrcs a M4 112 d., e
sobre Pariz a 390 rs. pOr franco.
a Em papel particular consta um ne-
gocio a 24 5[8 d. sobre Londres.
c Os soberanos valerm de 105000 a
9.80o.
c Rio de Janeiro, 14.- As bancarias
do cambio foriam hoje, confolre as ta-
bellas :


deiro Jose Joaquim de Carvalho, consul da
Suissa, commendador Guilherme Bellegarde,
Manoel de Mello, Dr. Henrique Correia Morei-
ra, Dr. Cesar Augusto Marques, commendado-
res Jos6 Machado Coelho, Manoel Antonio Gon-
calves Roque. Justiniano Augusto do Faria,
Agostinho Maria Correia de Sd, Antonio Jose
da Costa Braga, Manoel Salgado Zenha, Mal-
vino da Silva Reis, Caetano Pinheiro da Fon-
ceca, Boaventura Goncalves Roque e Antonio
Joaquim Dias Braga; Drs. Busck Varella. An.
tonio Jose da Veiga, Thomaz Alves Junior,
Theddoreto Souto, Kossuth, Vinelli, Domingos
Jacy Monteiro, Francisco Regis de Oliveira ;
Antonio Castilho e sua senhora D. Ida de Gas-
tilho, Antonio Jose6 Ricoes, Luiz Carrette,
agent da Haveas ; Eduardo R. Cardoso Lemos,
Julio Soares Le'nos, e os merobros da com-
missao das ex6quias, Visconde de S. Salvador
de Mattosinbos, conseliheiro Jose 'tFelicianJ de
Castilho, commendador Joaquimn Jos6 Duarte,
Ignacio Ferreira de Carvalho e Raphael Joa-
quim Pereira de Santiago.
( A commissao que se dirigio a S. M. o Inc-
perador afirn de convidal-o.para a sole-nnida.*
de, teve em resposta do mesmo Augasto Se-
nhor que sentia nao poder comparecer iquel-
le act religioso, mas que o seu pansamento
acompanhava aos que fossem prestar homne-
nagem A memorial do Alexandre Heroulano.
C Em demnonstraCAo de pesar e de lut6, cer-
raram as portas dos edificios em que fanccio-.
nam as seguintes sociedades: Portugueza de
Beneficencia, Caixa de Soccorros D. Pedra V,
R. S. Club Gymnastico Porta;vez (quo Liveram
os seus estandartes a meio pao), Gabinete Par-
tuguez de Leitura, Lyceu Littea.rio e Retiro
Litterario, o qual eclebrou A noite urma ses-
s1a funebre. D
e Na tarde do dia 5 do corrente, Ais 4
horas, o Sr, Luiz Alves da Silva Porto,
director do Banco do Brasil, procurou
o Sr. desemnbargidor chefe de policia
para declarar que, tendo-se vencido
urna letra sacada por ManoeoFJos6
Dantas, corn escriptorio de commis-
sdes A rua do General Camara n. 20, e
aceita por Teixeira Bastos & Fernan-
des, manddra cobral-a destes por falta
de pagamento, obtendo em resposta
que esse documento enrd false.
Comegandoas diligencias, verificou-
se: qte Dantas passava o temrnpoem
uma vida equivoca e, pela falta de ca-
pitaes e recursos para negociar, falsifi-
ca'ra o aceite de varias letras de diffe-
rentes quantias que descontou nos Ban-
co do Brasil e Commercial.
S Que Dantas fizera-se consignatario
de quatro commerciantes, a saber: de
Santos, Forjaz e S & C., Alfaia Junior,
Joto Fox & C. e Joao Menezes Forjaz;


a iVu Jauo UPt/v.bo" JU-Do CL iD*bL-~"V' ALAOW-cL i


I!


















.*(oi te ito uaqIlee! mez por
129 trens, dos quaes 6 adixtos de pas-
sapiros aarga, 1Osubarbanoe, 2 e.
pecises de passAgeiros -e 55 auxiliarems
doearga.
Foram transportados
283 passageiros em primeica classes,
658 em segunda e 4,6W8 1i2 em 3.-
5,659 4i2
5 t. 48 kg. e I,m3908del3 de en-
cominenda e excedentes de bagagern.
3,a99t, 394 kg de mercadorias.
3,215 animnaes.
0 telegrupho transmittio 153 despa-
chos corn 2,698 palavras.
-.'A bordo do vapor inglez Hum-
bold,foi preso, at requisico do juiz
de direito da 2.a vara do commercio da
c6rte, 6 subdito inglez Frederico Wil-
liarm Dickson, astabelecido na rua Pri-
mneiro de Mar(o, da c6rte, corn casa
de importagao de drogas, o qual d'alli
Xe ausentAra ser communicar sua re-
Solu,ao aos credores, um dos quaes
requisitou sua capture.
Dickson voltara para a c6rte, a bor-
do do Guadiana.
0 Diario de Noticias publicou o
seguinte protest, que affirma ser la-
vrado por 64 naufragos do paquete
francez Parand e pelos mesmos apre-
sentade ao Sr. consul da Republica Ar-
gentina na capital:
a Os abaixo assignados, nauftragos do
paquete Parand, pertencente a coinpa-
nhia de Messagerie Martimnes, em vir-
tude do sinistro occorridoa umra hora e
meia da madrugada do dia 8 de outubro
corre ite, pelo abalroamento do mesrnmo
paquete de encontro a umas rochas,
isto por elle se haver approximado ex-
cessivamente da costa corn urnma noite
-clara e amena, como se vio na manhi
daquelle dia, e na propriahora do nau-
fragio, o quae torna improcedente- today
e quaiquer razdo 'orn que se pretend
justificar este acto, vein no uso de seus
direitos e de accord con todas as dis-
posig6es legaes que os ainparatn e as
ue regt*ikhan os deveres dos comnman-
dia Ate pobsoal de Lripolagao, em taLies
casos, assitltcomo as que se referemn
a salvamertos, protestar comno solem-
nemen'e protestam, contra a coinmpa-
nhia de Messageries Maritimes e con-
tra o coinmandante d(breferido paque-
te Parand, pela morosidade d- provi-
dencias adoptadas para salvacao las
vidas do.s abaixo assignados e de suas
propriedades,- nas hor-as lecorridas en-
tre ainilicada atd quasi meio dia, quail-
do s6 entato permittio que sahise n os
botes ejangadas, em quea ; tripolac-o
estava eu-nbarcada, depots de haver
peimanecido no paquete, quo gradual
mente se afundava, seis horas pouco
mais oui mnenos, desde que se deu o ;i-


nistro; contra qs empregados que por
negliyencia ou impericia o occasionaramn
peto motive jAexpressado, de se have-
reni approximado demasiadamente da
costa emn uma noite clara e corn mar bo-
nancoso. ))
c Protestam igualmente contra a na-
neira pela qual foram tratados, nao s6
em terra como a bordo to vapor JlMar-
quezcle Caxias, oarle foram embarca-
dos e onde escasieatm camas e vive-
res, cujo fornecimaento se podia ter fei-
to, pois que haviam decorrido quasi
dous dias depois do sinistro, fazendo
corn que os abaixo assignados passas-
serm, emi taes coudti(es, uma noite itn-
teira ; e finalmente pelas perdas soiFri-
das de objects preciosjs, que nao obs-
tante formarem pequeno v.luinme, se Ihes
negou salvarem-se sob promessa do
commissano de que os guardaria no
seu cainarote para os salvar.
% Aceitamn tambem o present pro-
testo os passageiros que do lugar do si-
nistro vieramn po:. terra ated esta cida-
de. v
Faliccera o antigo corretor da
praga Eduardo Schousner.
No morro Chapdo f6ra morto, por
urna onga, o individuao Ludovino, quan-


do cagava.
Nesse mesmo lugar f6ra
umrn boi, que pesou 29 arrobas.


morto


Noticias da Europa
Polo vapor inglez Delamb'e, chegado sab-
bado, recebemos jornaes de Lisboa at6 5 do
corrente, dos quaes colhemos o seguinte :
a Orkhani, 21t de setembro. Orkhi-Pachai,
que so acha no Kara-Dagh, para proleger a li-
nha de,.-rtirada de Ahmel-Ifzi-Pacha, par-
ticipou-ine que a divisao do commando deste
general, composta de 2.0 batalhoes de i'nfanta-
ria, um regimento de cavallaria e duas bate-
rias, entrou hontem em Plewra corn um com-
boio. Progridem rnapidamente os trabalhos
para restabelecer a communicaVao telegra-
phica. )
( Paris, 27, a tarde. Um despacho russo
calcula em 10OO)0 homes os refornos turcos
chegados a Plewna. Do lado de Roustschouk
e dos Balkans ha tranquillidade.
a Paris, 28, pela muanha. Os jornaes de
Vienna dizem que Mehemet-Ali-Pachd retirou
para Kara-Loinm, e que jA nao impede as com-
municae5os. Mallogrou-se o ataque dos rou-
'.oicOos m. do reducto de Grivitza. )
1ams, 28,a ltarde.-Um rndestacamnento de
bachi-bozoukS, no dia 26, bateu dous bata-
lhres russos nas proximidades de Elena. Um
despacho de Constantinopla confirm a retira-
da de Mehlienint-Ali-Pach&, para occupar mais
favoraveis posicges. v
a Paris, 29, A tarde.-Chegou A Malta a es-
quad'ra allemi. EsLA prestes a partir para
Plewna urma outra column de reforCos, le-
vando tambem dous canh5es de grande cali-
bre. Noticia urn despacho que as tropas egyp-
cias do principle Hassan atravessararn o Danu-
bio em frente de Silistria. Outro telegramma
diz nno ser verdadeira tal noticia.
Paris, 190, A tarde.-Nao se confifma a no-
ticia acerca d'uma victoria dos rourmaicos.
Nao tern havido combat algum s6rio. Os
russos continual bombardeando Plewna. Os
turcos de Roustsohouk proseguemn no bdum-
bardeamento contra Giurgevo. A ex-impera-
triz Eugenia e seu fllho regressam amanhi A
sue residencia de Gamden-plaee. b
a Paris, 1 de outubro, t tarde.-Nlo se con-
firma a noticia de term es russos s9ffrido um
revez em frente de Pfewna, .spera-se para
muito breve a offensive geral dos russos.
Encathou no Danubio, junto a Kalafat, um va-
por tureo. Os turces estaoe construindo uaema
ponte fSilistria. Ismail-PachA. na Asia, a a-
CO, 0' general Tergoukassoir no dia 27 de sB-
pbteoo. mas foi repelfido wal Erandes pert
40. 0}$ibal ^ ado comvezrn#i6 ptmtetnioti a
_.^: 0 0feA so w .t Hndo Cre 'nvftel: A


i4O LWftf .ft oW dae ir m*4 paa
It obifiteft~adi eMUniO' memro.* 0 :1^
* tParis, 2, A Ude. A RuWi owsesare de in-
sistir con a Servia para a sua entrada imme
diata em campanha. Provavelmente a Serva e
a Grecia permaneoerao neuoras. O. russos oc-
Cupearm Kalerach, ala obsbtat a quUe o tur-
cos de SillMia operom.qualmqaer de"9ibarque
na moargem rouraiqa do Danubio. 0 exercito
russo do commando do general Zinmminermamt,
que 43t na IDobrtadst.ha, fol roforqado o vai
retomnar a offensive.
SParis 3, tatr4e.* A RuSsia consentirA nfa
desobstrucao das bocas do Danubio, corn a
condivIo de que as potencias assegurem a
neutralidade d'essa parte d'aquelle rio.
a Londres, 27 'de setembro, d tarde. Um te-
legramma publicado peto Standard conflrma
que a Allemanha vai accentuar as suas repre-
sentaQoes A Porta contra a violaono da conven-
Qao de genebra.')
( Londres, 28, pela manbht. Gladstone, n'um
discniso pronunciado em Notinghamn, elogiou
a attitude prudent e a poltica da naCAo fran-
ceza na crise actual.-
aLondres, 1 de outubro, pela manh. 0 pe-
riodico Observer insere urn despacho de Cons-
tantinopla dizendo que os russos e roumaicos
atacaram Plewna em 28 de setembro, mas fo-
ram repellidos corn grandes perdas. 0 Times
public um telegramma de Schunmla, annun-
ciando que os postos avaneados russos appro-
ximaram-se de Papkoi.
( Londres, 2, pela manh.. 0 Standard inse-
re um telegramma de Bucharest, noticiando
que n'nm conselho de guerra reunido em Cor-
ny-Studen, foi discutida a questAo da inverna-
gem do exercito na Bulgaria, ou na Roumania;
inmas que se ignore o que foi resolvido. 0 Ti-
mes puiblica um despacho de Petersburg0, de-
clarando que 6 falsa a noticia das petiQOes para
o regresso do czar. eda mesma f6rma as offer-
Las de mediagao estrangeira.


a Londres, 4, pela manhai. 0 banco de In-
glaterro elovou um per centb na taxa do des-
,onto, que ficou a 4 por cento. 0 correspon-
dente do Daily-News na Asia Menor enviou-lhe
um telegramma annunoiando que, depois de
sanguinolenta batalha os russos apdderaram-se
das posiSes turcas. Os russos perddram 1:500
homens. Os lurcos procuraram recuperar as
posiCoes perdidas. ,
a Peura, pola manhi. Os telegrammas de
Moukhtar-pachd dizem que as russos atacaramI
as p :si co. mas que foram repellidos corn grandes per-
das. ,
a Bucharest, -, a tarde. 0 general Totleben
estabfleceu ja baterias de canlhtOs de grosso
calibre, em tires lados das linhas de Plowna.)
Raaursa, ', dA tardo. Os turcos estao reunin-
do 10:000 homes em Mostar, para retomaremn
o territorio conquistado pelos montenegrinos.,
a Erzeroum, z7 do setembro, A tarde. Os rus-
sos recebom consideraveis roformos. Acabam
de cheoar a Balderivan V:000 homes. Esta
iinminente Lima bitafla.
( Erzeroum, 28, a tarda. Duirou nove horas o
combat entire as forces de Ismail-pach` e de
Tergukassoff. Os comrnbatentes retiraram por
fi;'n para os seus acamparnentos. Parece que
a batallia foi sem resultados. )
a Pesth, 26, A tarde. Os russos atacaram pe-
lo lado E. de Plewna, mas fuoran repellidos
corn perdas, e abandonando urn canhio. Os
montenogminbs tomaram Gorasko. 0 partido
da paz ganha terreno na Servia.
a Czernovitz. :9 pela manhi. Comecaram
as chuvas e frio na Bulgaria, e nevando noe
Balkans, toriando quasi impossiveis as opera-
COes. Ainda assim, nao 6 nocesearia areti-
rada dos russos, que se oQnservaram entrin-
cheirados nas linhas do Jantra,' Tschipka, Sel-
vi, LUwatz e Nikopoli. ))
a Viemnna, 17 A tarde. 0 president do con-
selho de ministros, Auersp'r, respondendo a
uma interpellacao na camnara dos deputados,
declarou que a Austria quer manner complete
neutralidade, nto pido, porem, dizer ainda o
qre o governo farA so a Servia intervier na
lnta.."
a Vienna, I de outubro, pela manha. Urma
forte column russa operou um reconheci-
mento ate Basardschik, na Debrudscha. Dous
couracados russos temtaram', ias emyivao, for-
Car a harra de Toultcha, fechada, G ta barcos
carregados de pedras. Assegura-se qAe o ge-
neral Totleben vai substituir junto 'do principe
Carlos o lugar do general Potoff. a
a Belgrado, -9, (le setembro, A tarde. 0
ministro da guerra assignou umn contrato corn
varios commerciantes indigenas para o apro-
visionamento de quatro corpos de exercito
servios. Assogura-se que vAo inarcliar em di-
rect:io A fronteira (quatorze batalhies servios.
Foi descoberta umra con'piratao que tintiha por
ifin formal uima legiAo de 5,000 hungaros, a
qual visaria a cortar os caminhos de ferro rou-
maicos. Entire os Chefes da conspiraQAo esta
o general Klapka. As autoridades ihungaras
descobriram a conspiragiao. a
(, Constantinopla, 7 i tarde. Umn telegram-
ma de Osman pachd annuncia que na terga-
feira os russos atacaram corn grandes *forgas
e entire ellas a guard imperial, mas foram,
repellidos, perdenilo 1,500 mortos Os comba-
tes continual em Plewna. Os russos atacam
corn 100,000, homes. a
( Constantinopla, 1 de outubro, a tarde. Fo-
ram chamados as arrthas todos os homes va-
lidos da Asia. Fazem-se aqui em grande es-
cala os preparativos de guerra e aprovisiona-
mentas.


S
1

I









.1


(( Constantinopla, A a tarde. Mouktar-pachd
baLeu hoje complotamnente perto deNedjevem,
-10,000 russos, os quaes foram forgados a reti-
rar para aidem da fronteira, tendo perdido 400
homes e muitas armas. EstA imminent
uma batalha entire Ismail-pachd e o general
Tergouklcassolf. a
a Constantinopla, 3 de manhi. Suleiman-
pachA foi nomeado commandant em chefe do
exercita turco em substituiyao de Mehemrnet-
Ali. Reouf-pach A subetitue Suleiman nas
operagAes dos Balkans.
SRorna, 30 de setembro, A tarde. O papa
deu hoje varias audiencias.
a Roma, i de outubro, a tarde. A congre-
gagto respective votou contra a canonisaaho
de Christovao Colombo.
S Haya, !, pela manha. Todo o ministerio
hollandez apresentou a sua demnissio.
( Madrid, :8 de setembro, A tarde. 0 rei,
a rainha nii, as infants e a c6rte regressa-
ram ao palacio do Oriente, emr Madrid.
(( Madrid, 9 a tarde. Orovio realisa no mi-
nisterio da ftzenda a economic de um milhao
de pesetas.
(,Mad rid, I de outubro, pela manhia. A E'poca
decara que o governor hespanhol nao promet-
teu officialmente ao de FranCa cousa alguma
rulativa A modiflcaeo das poutas aduaneiras,
de que Fallain os poriodicos da oppsigto.
(( Madrid, 1 A tardo. A rainha mati decidto
regressar a Sevilha em 15 do corrente, Emrn
10 do corrente haverA no- pago real de Madrid
recepeAo official e banquet, por ser dia da
festa da rainha mnai. I
a Madrid, i noite Annuncia um despa-
cho official que as tropas hespanholas obLtive-
rarn complete victoria contra os indigenas da
ilha de Jol6, nas Filippinas. Faltam porme-
nores. Um telegramma de Havana diz que
os insurgenLtes ae Cuba naO.passam de 2,000,
na sua maioria negros, .'0 general Serrano
deve visitar amanhZ, *a rainha D. Isabel no
pago real. a
a Madrid, 3 A noite. 0 corpp diplomatic e
as autoridades civis e militares, inclusive o
general Serrano, visifaram hoje a rainha mai.
Ignora-so quando partiri de Madrid D. Isabel.
O marquez de Monsalud foi nomeado seu seo-
cretario particular. A familiar Montpensier
part depois de amanha para Sevilha, aonde
residirA smrnente um mez v
S(( New-York, 30de setembro, A tarde Un.
destacamento de soldados americanos entroo
Sno ternitorio do Mexico em perseguic.o de um
bando de salteadores. .
New-Yotk, ;do outuhro, A tarde. 0 _N'a-
cional de Philadelphia, annuncia quo o mrinis-
tro da guerra pedira ao congress autnorisalgo
Spara augmentar de 4,000 honoens o effectivo
L do osexrCrio. 7
a Niw-York, 3 A taer. 0 IestaI
-i.asM^ owtds sacd a


ar. Dr
laternd ese:VSrS'Jto.46i,a<.,044-_
famenloa0 OEPW" fft T=
trra preso, do otubro .deI
0 nome daSila, e quo a"
ambos os nomesss achava pronunciado r'
irt. 2*6 do codigo criminal, come um dos aq-
tores do roubo p- rpetrado em case do 'Dr.
ChristovAo COticahl de Albuquerque, nam
Velha, em 874.
Teve per advogado o Dr. Luiz E. Rodrig
Vienna, e, em vista da decisAn do conselho de
sentenca, foi condem-ado a 8 annos de. gales
e na mulla de 0O porvento do valor do roubo.
Dosta deciso, por"4n, appollou o referido ad-
vrogado.
Ap6s ese julgamento, fez-se nova ohamada
de juizes de facto, airm de entrar outro r6o
am julgamento; mas, nao bavendo numero
sufflciente para o sorteio, o president do tri-
bunal, depois de mutter, em 105 cada urn,
aquelles quo se tinham ausentado, dealarou
ancerrados os trabalhos da 5' sesslo ordinatria
do jury, no corrente anno, visto se rerem Wcon-
pletado os dias da lei.
CommnissAo central de soccorros.-
Foi-nos remettido o seguinte para publicar:
t Villa de Flores, Io de outubso deo 1877.-
[llms. e Exms. Srs. A commissao especial
de soccorros deste termoapresena a Vv. Exes.
a conta corrente e annexo, refebntes ao mo-
vimento e distrlbuiCao do mneios'no mez quo
honteni flndou.'
( Tendo em maior conta a material da cir-
cular de Vv. Excs. de data de 27 do agosto,
prosegue mensalmente em enviar contas par-
ciaes, como atLd aqui ha feito, das quaes se
possa apanhar o movimento havido ; no que
obedece as inspiracoes de Vv. Exes., rusor-
vando-se para exhibit opportunamente Unot i-
geiro relatorio e balancete geral do todo mo-
vimnento social attingente A incumbencia de
queofoi encarregada.
(( Pelo que diz respaito ao serviqo do acude.
augmentado mais cornm o umoero do dias do
trabalho, constant do annexo acima mencio-
nado, cabe accrescentar que est4 concluido
o sangradouro, elevado o paredto de terra A
sua precisa altura, corn grossura sufficient,
tendo 100 quartas de b6a cal e 2,000 tijolos
ao p6 da parede para o servigo cogitado no
parediao de pedra secca, faltando por conse-
guinte somente este ultimo serviQO e ainda,
por demais, como meio de guardar tocidas as
exigencias, aconiselhadas pala 0nais escrupulo-
sa seguranga. ompedral-o em toda a extensilo,
dando facil esgotO" *As aguas.
a( A commissio continua a esperar os re-
cLirsos que devem vir em camrninhQ para ter
die prompto a salisfaQgo de communicar a
Vv. Exes. o complemento deOse important
acude.
a A proporglio que se adiantam os'mezes,
Exmns. Srs., alongando-se naLuralnente asec-
ca, e como c.nsequencia extinguindi-so os
recursos geraes, empeioram as candio6s dos
habitantes dacomarca.
(( ta'abandonado seus lares nesta villa, c
suas immediaQoes mais d qegm pessoas nes-
tes poucos dias.
SMuitas se preparam para seguir igual
destino, nt'impossibilidade todas de seasus
tentaremn, segundo dizem, qornmos recursos do-
matto. .


E' notavAl um certo rumor ameagador da
parte de muitos, que uao so inspiram nos ver-
dadeirossentimntos do resignagao para sup-
portar os in-ondaveis designios, da ?rovi-
dencia.
( Lavra jA som rebugo o furto, at die gados
em alta escala, cunprindo observer que nio
sio quasi sempre es mais necessitados aquel-
les que o praticam de preferencia.
( Neste estado cumpre oombinar e desen-
volver os possiveis esforeos. no sentido de ob-
viar-se os males maiores que se possam se-
guir para diante, da falta complete de recur-
sos, e, pois, quande nao seja possivel vir men-
salmente de Limoeiro ou Piranhas certo au-
mero de volumes contend milho, feijilo e fa-
rinha, venha ao menos mensalmente certa
quanitia que Vv: Execs. arbitraremrn, tomando
por base o despondidAtios mezes de maio ou.
junho% afim de acthar-se i commission habilita-
da de recursos para. occorrer as exigencias
que melhor se aproveitem. Deus guard a Vv.
Excs.-Illms. e Exms. Srs. Dr. Joaquim Gon-
calves Lima, Visconde do lUraa~ento e Joli
Ignacio de Medeiros 'Reg& "ot# o diglos mm,
bros da commissio central de soccorros.-
Ped'o Pessoa de Siqecira Campos.-Francisco
Domingies Ribeiro Vianna. )
Conta corrente do dinheiro- e generous recebi-
dos pela commission especial de soccorros
de Flores acontar do lo a80 de setembro
deste anno e bem assim da applicagAo e des-
tino que tiveram.
Recebidos
Saldo existent no mez de agosto 2715160
Generos que ficaram do mesmo mez, a saber,;
Rapaduras 2,000 40 volumes
Milho 14 saccos
Farinha 15 v


Total


69


Generos recebides no moz de setembro, a sa-


ber :
Farinha
Milho
Ferragens


8 saccos
14 s
2 volume(


93


Total
Distribmidds


Esmolas
Generous comprados
flcou do mez de


corn o saldo quo
agosto *e distri-


buidos no mez de setetr
saber;
Dinheiro para :
Carne secca
I Boiato
ral -
Idem
13 1/2 kilos de carnme
I vaeca
3 cuias de sal
Came
1 boiato
Carnme
Cal .
Idem
GonduccAode cal
6 cuias de farinha
2 diftas
2 ditas
2t rapadurasm
Quartas de.al
Aluguel de casa de. deposit


ibro; a

10#000
24(0000
*<5OO0
5S 500
54OW

245000
20sOO
8100"

4$480
4200
3 ^00


Dinheiro pago a dez homens
corn os quaes se empreitou
o sangradouro
Genecos distribuidos r
Farinha 2 Asaccos
Adlho 28 a
Rapaduras 2,000 40 volumes
91 f

Gerneros existeintes:
Ferragens 2 volumes
Total 93 a
Saldo que pass ao mnez de ou-
tubro corrente
Soroara


eS


volumes

3p00


221~52~20

209000


2854W
271~-1O0


Acompanha ao present como annexo a lis-
ta dos tfabalhadores, marcado 1,258- dias de
serv iwe o acu4e, caupmasados, termo mldio,
na rmuo do 700 ris por dia, quoe perfaz...,...
880 ,00, e aproxima a ealidade dos moeios ob-
tilos ao despendido, desde que se notar qua
durante o mez diBtribuio-se racoe8 principal-
uente em rapaduras a melhor a ,IO pesos
; aisoa dellas de pssagem para o literal.
Vistp.-Flores, 4o de outubro de 1877.-Pedro
Psaa do, Siquewa Campos. Frascisco Do-
Genweaw RPeib V Iimi..
GVuiso.-- Ozoreo-Gartaopartio f .-d o


SD.-1MOO& ld -ftfaiwraese1 R






60 C Pernwmbuoano, a nnui 4od of- di
fiiaes hnorarios do exercito, pte a trata-se v
d4a rewep do Hxm. Sr. general- OsOido.
A rouMito tfi muaito ooeorrid, eo, depois de a
tintimada aeusseil, approvou o programna d
Aguinte UI
Sa Apenas se receba telegram ma communi-
tndo ter patftido da c6rte o Sr. gener;, -a no- c
piCia sera transmittida as folhas diariaef dcsta s
&iPatul. s
., Logo qp& Seja visto, pelo telegra1o, o a
pauotle qtoS o eondtuz, sciltar-se-hAor tZfO gy-
randolas c d .olbguetes, corn pequenos inter- c
rallos, no larga de Pedro 11. s
a 0 desem Lrque terd luaai no cies da pra- C
Qa do Comtnaerojo
S Fundeado o paquete, partirno' os escaleres, s
precedidos de urna lancha corn music, levan- s
lo as conmnissOes de varias' corporaCes para r
saudarem S. Exc., s .ndo a crnmaissfo central c
porladora do programrama do desembarque,
tflm de que S. Exe., tehdo conhefirnento d'el- s
le, o altre a seu arbitrio. t
a Effcctuado o desembnrqat, segnifa S. Exc. q
na capnducigfo que preferir (a cavallo ou a car- p
0), fazAwndo sou es&tdo-*AK*ir -t-.das' 09 off- d
ciaas que para esso. fira se apresentarem uni- i
formisados.. .
'.,* Os corpos patrioticos formarRao linha, dan- a
do a direita parao lado em que estAl situaila a
Associauo Comnmeircial, fic'indo na direita o t
eorpo de lanceiros, para seguirorn a S.4Exc. s
at6 o lugar onde vai residir. 2
a 0 trajecto se ferA pelas seguintes ruas : s
Commercio, travessa do Arsenal., Born Jesus, C
Marquez de Olinda, ponte, Primeiro de Ma:eo, c
prag.a la Independencia, Cabugi. Bar-to da c
Victoria, ponte, Inperatriz, Hospieio. r
( Chegado S. Ex(. ia casa onde vai hospe- p
dar-se, do um. a das janoilas recebard os cum- I
primentos do. que o acompanharem e conti-
nencia dos corpos patrioticos, que seguiuao 1
pala inesmua run a debandar onde m llior lhes t
convenha. *
a Al6m destas medidas, outras forarn ad.)p- L
tadas, quer con relaiio ao espactaculo, que I
esta offerecido pelo Sr. Thomaz Pasini, qier t
com relac.o a outras manifestao5es.
a Foi ttnalwnwate resolvilo que se ronunisseoin
todas as cornmniss5os, corinnandantes de cor- (
pos patriticos, 0 aquelles que 'se interessa- t
rein pela manitestatio A tio beenemerito cida- I
duo, para compareccremn no Cass;no Pernainaa-
bucauno, as cinco huras da tardi do dia 24 I(o E
0orrentI I t
- No sabbaJo a conm:niss.064'lral, efcar--
regida de promover os festejos, deua -:h nio i
aos sens Ltrabalhos, sendo recebida .IS pri-
mciras autoridades da prcvincia eimportan- i
tes corporagoes corn notavel benevblencia.
f- -Aim de que o bairro de S-uto Antonio i
Iaa urmamanifestaq'ao ao mesmo invicto ge-
neral; Exm. Sr. Marquez do Herval, futdeli- i
berado-mraultima.sessao quo houve no Casii-
no Pernaiobucano, fossem noineadasi'-inmi.-
saes de negodpiantes e ruoradoreSnafruas .
parciaes, pot onde nao pass ein'eu trajecto,
no dii do desenrbarque; 4L| |Iario general
Osorio, par pronov"er1 ito antes umna
subscriopao entre,,6 moradores -das mesmias
ruias, e A vista Fodu(-to, fazer-se centre ou-
tras manifestaC5,ls um esplendido fogo de ar-
tificio, que terd lugar no amnuno Capibaribe,
entire os cases delwaito Antonio e Boa-Vista, o
qual seri& desigaeb e comnpetenteniente an-
nunciado.
Attendendo-se a conveniencia de too mere-
cidos festejos, a commissAo de honriorarios tern
resolvido solicitar aos appeoiadores de lao dis-
Uaeto vulto, que aceitem as nomeaCQes, quer
sejam ou nao encontradus, e qauo concorram
corn seus esforcos para o brilho-de toio dfva-
veis festejos. "' '
* A oommisslo scientifica que mr toer~a-feirxt
[24[ teri lugar uma sessao'ti rir do Impera-
dorin. 42, primeiro andar, onde as commis-
sies norneadas so devem representar por um
4de seus membros s6mente, dando-se logo exe-
cu~ao aos trabalhos. *" ...
A commnissao central tern combinado, para
term mais reaice os festejos, abrir aura sub-
scripc.o onde cada um assignarA livremente
aquilto quo quizer.
Seriio encarregados dessas assignaturas os
Srs. tenente-coronel Ernesto Silva e tenente
Francisco do Paula Mafra.
Rua DBque de Caxias
Jose de Azevedo Maia e Silva, Jayme Eneas
Gomes da Silva, Antonio Rodrigues de Souza,
Joao Antonio de Aluneida, Hemeterio Maciel
da Silva, Auggusto Frederico dos Santos Porto.
Ruas do Livramento e Penha


Agastinho Alves de Brito, Justino de Sd Ra-
mos, Manoel Francisco Poaes, Florencio Do-
mingues da Silva, Joao Baptista de Moraes,
Joio Pedro de Mello, Francisco de Souza Rego
Monteiro.
Rua do Rangel e Mercado
Raymundo Pereira de Siqueira, Luiz Cesario
do Rego, Manoel Nunes da Fonceca, Manoel
Paulo de Albuquerque, Antonio Bento de I"am-
pos, Manoel Gregorio dos Santos.
Run de Pedro Affoaso
Jos6 Joaqurm da Cunha, Genuino Jos6 da
Rosa, Lourono Ribeiro d4a Gunha Oliveira,
Jos6 Pereira de Caralhe, Mahaoel JoaqdtIn da
Silva Costa, Jos6 Tavares Pibnheiro.
Largo do Rosario Parab.o.
Damiio Aderito Ferreira Lima, Luiz Leopol-
do Jos GuimnarAes Peixoto, Joaquima Antomo
Pereira, Francisco de Paola lGomo, aquuim
Soares Nevws, Henr'ique Cuah Toare o,
Alrredo Luz Pires Vimnna.,
Ruas Estceite do Rosario, Garmo e'Laran-


eiras
Joao Goames deCSoua, Joaquinjos6 ida Sil-
va, Msaoe- Gonla'vep .e BA r, Thldord6
Benze, Jolo Martins de Andr4*, Aatonio
Jose da Fonceca, J t1 Motra,*P lva.
Rua dwIpapradqr-e'cafs
Franeisco Jos6 Leite, eeitIl Gcwalves A-
gra, Jos6 V LaV, NpfM *s, joa.qim
Ferreira Liuma, Amtopnoi o.sie,' w-bAO
J0Los4 RUOlio IGWOd r6l1* atheus
Ferreira.. ...
Ruas de Marfclo- Dias e Terco.
Manoel Clemeati4o-tibfiro, Tiburcio Vale-
riano ,Baptista, Antonio 'osA Leite Bastes,
Jamquim Paulino NieasMuntiz,. Jdistavares
Carreiro, JoaqWu*i Josa6 -de Oliva, AnAtnio
da Cruz Ribeiro-
Ruas do Marquez doHervale Panlma
Francisae da Silva Rego, Fraincisco JoseS dos
Passos Guimarles, Pedro fRatis de Borja, Ma-
iloel de Caryvao onaris IBrandio, Javerpio
Aureliano da Cunha Cesar, lIdomeneo Samnico
de Lyra e Me0o. .
Braslifittuzitanit&- A directoria da so-
ciedade te sonBoras, de minaiida '-BRasilia-
Luzitania,-acaba de reo l oosegainte hon-
rosissirag ofo: -
SExm.' Sir.,- Ao comthehent(Ode S. M. a
rainha a Sr.a D. Maria Pia, subio a mensagem
quo V. gi~c< a oeak da .i Mpgiimn A iWs-
ma auguasta seihora, dando conA de bwaerem
quatorze dawas brasileiraa e |ortugauea8o qr-
ganisado6, ej ernavbilu a -4ctodade -ra-
gnsila-Lti ewlarta, Laja cm~ iv woeeir-
tn vocal e instrumentaIll l dtmMrBuirlti-
mo e.o uf fl ijmz bil4at *4 do caridade.
cujo vaboo',.rodac|te: mas-
ma benemerita -oc" de sa A s vimAs e
orphAs dos que perweram. em copsequ i

t ue g a l -1 1:^ 1 ^ it ;- ` 1 l ~ l! t 11 '
d A!' cocrnissao central de soorrrosp 7
dida per 8. A- a-uiaAaa.hk#a i nmerecioId


4ado9 Pat"t hMkj4keOi*, Ime Amrdog *ms *
OUpas S8,r faHuWD M unS .10 tO (ress 0 CA
luadiams. em Ipeqaeao baren, quando P"6- gi
iamts au uas tmteebarnleadoa i o eagmoado
a pouca hbas' e8raorMiaMmente0 0.u-
os do acudir iquelles. di
SA esta~Oiuva'*4Kivft iser distlribuida n(
somme ilecottIhidnr &lii* c rdossidairas quo a
fFtavm a aociOdAt 4r Ha-Luviaai. et
f Ao anima PudSdo S.MX.atnlnhi, Ioi ra
IbN mode sSevel o ouvir l&r a nmsuaqem nf
!a to dislct o dn us, ome a o mn agada- ta
sl o vr eem faram coroados do mais feliz s
sultado te distinctos eaefotaros, a como Ivo
ontriblir para ,tdxliar pobres mihere s e m
esditosas mianoas qua perderam os que na m
irra Ihes eram protecgao. er
& 8. M. a rainha determinou & ccmmissio -to
efttral de socoorros a que preside, qe ella p
gnifque a todas #s dateas que comtpoem a,
Ociedade ..-B'tili*t-Lozitanla,- o male vivo b,
gradecimento pela sun valiosa eoadjuvaC.o. ni
m Deas guarded a V. Exc. Lisboa, e sala daI ni
)onml"sOrbo m tkiisterio do reino, em 24 de
etembro Ce1877.-- Exm." Sr., D. Maria da di
loria de MagalhAes Queiroz Sosres, digniSsi- di
la direetora e mnais dams que comp5em a pi
ociedade-Brasilia-Luzitania. o 0 vice-pro- di
dertte, J. Cadeal Patrwarcha. Os secreta-
os, Carlos Pereiva dos Saito.r Silva, Fran- pi
sco de Oliveira Chamisso. Li
Tutfio-Cerca dell horas da narrhal. de
abbado, cahio sobre a cidade do Recil um n;
ifao de vento, que jevantom extraomdinaria ri
uantidade de p6, qudb difficultou o transit,,
or espaQo de um quarto de hora ; abrevin--
o depois num aguaceiro, que fez w mi a
oeira. n7i
Diabo a Quatro-Balrio & Aluz d rt.-; 3.o E
nnio, d.sse intereSsante perifolieo illustrado. v,
Thieatro Santa Isabel-A )aoite de sab- d
ado, nesse theater, foi dle itadeiro enthti- d
iasmo, d(irante a representali'fdas duas zar-
melas Urna vitwt eo Sensitioa, nito s6 peln inn- si
ima. como pela excellene-Ainterpret:Lcao que p
eram aos sens pap iversos altisutas.
om especialidade a ,lmiecta primeira tiple r
a companhia, a Sra. D.. Joepha Garcia que di
lerecltlduaschamadas scena, recebtendo t;l
rolurvl +4 applau3sos e lindos ramnalhetes do iL:
im M h'cs. : Y d
SeAsitt' e uin d( moais primorosos traba- a:
hos da coinpanliiaha equal se apwecia pertei- 0
iamente os generous nao so daquella artistap
omo da Sra. D. Maria liespamiha, eMa'tni mp
SReal, e dos Srs. Bonaplata e "Ortiz, quea A
im flaesmieraimarn-se em coadjuvar a sua dit I]
ncta couipanhOtia no ldesempenho dessa mi- r
osa cominposigOl do maestro Aceves. li
0 public nao pole julgar do merito d.os d
ous b)ailarinoS, pela soffreguidao em ique es- A
ava p-'ra ver o Cancan frouxinhto, darnadoJ
ela Sra. D. Garcia e pelo Sr. Bonaplata. t
A opereta Una viva t'oi mnagistralmentiG C
x;cultala pela Sra. D. Josepha Garcia, e pel, b
rs. Gerver, Villa Real, e Galvio, s mudo qic I
steo arista apreseutiu umu typo agradavel no
pap?.l de criado da viuva. s
Victiimas da secca-Reunem-se.hujo, e
aara encetareon sous trablalhos, as cormnissoes s
lau'generosa c philantropicamente se eacar- g
egaramn de dismribuir a estampa mandada pu- C
>licar pela rodacQio do Diabo a Quat'o, em a
avor des victiinmas ina secca nesta provincia e
ia do Coari. s
A commnnissao da freguozia do Recife, reunir-
se-ha As 11 i horas da tnani5hi, A ruida Cadeia n. d
33, loja dos Srs. Samuel Vaz & C.; a da fre- d
guezia de Santo Antonio as 3 hora4 da tar'de,
na loja dos Srs. Bourgard & C., A rua doCres-
pon. 3; a da freguezia de S. Jos6, As 11 ho- j
rs;da inauha. na rua do Rangel n. 0, padaria ;
kd Boa-Vista.,as 3 horas da tarde, ai rua da
tiperat.riz n. 5M A, loja ddoGigante.
Desejamos que os dignos cavalheiros empe-
nhados em rmissieo to caridosa vejam coroa-
los pelo melhor exito os seus touvaveis es-
foros. .
Deputafd;eraes-A bordo dos vapores
rancez Oroqae e inglez Potosi, chegaram do
hio de Janeiro os Exmns. Srs. Drs. Joaquim
mrrea de Araujo e Manoel Arthur de Hollan-
ia Cavalcante de Albuquerque, e Barao de
Aratagy, deputados a assembl6a geral legisla-
tiva por esta provincia..
Saudamos a esses distinctos representantes
pelo seu regresso a provincia que os elegeu
ao parlamento.
Vapor Parana--A offlcialidade e equipa-
gem desse vapor, da companhia Messagerief
Afrn'itimes, naufragado na provincia da Bahia.
seguiram para a Europa no vapor francez Ore-
noqeue.
Para a Europa Corn 5 embarcados ei
nosso porto, levou o Potosi 96 passageiros.
Correio da eOrte-Mais de uma voz to-
mos censurado o correio da c6rte pelo facto
de expedir as malas para Pernambuco pelo pa-
quete 2,rasileiro, quando este d'alli sahe no
mesmo dia em quo tambem larga, corn o mos-
mo destino, algum dos paquetes traasatlan-
ticos.


Nao cessaremos do censural-o em quanto
isto se der, purque semelhante procedimento,
que s6 revela descuido e menospreso pelos in-
teresses do commercio de Pernambuco, 6 al-
tamente inconvenient e prejudicial a todas
as transacgbes.
Actualmente sobe de ponto o nosso direito
1 cens ra, porqq ato, tendo sahido do Rio de
Janeirg a 15 do 2Ofrente, trees paquetes, sendo
o Orenoque, da linha franceza transatlantica, o
Potosi, da linha transatlantiea do Paciflco, e o
brasileiro Bahia, da linha do eorte do iMperio,
o correlo da ebrte deu prdferencia a este pare
a remessa das malas de Pernambuco, ale
obstante saber que, devendo ele tocar em
Alag6as, necessariamente aqui chegaria depois
daquelles, como realmente a'conteeeu, pois
que ante-hontem chegot o Orenoqae, hontem
chegou o Potosi, e sdnmente hoje deve aqui
chegar o Bahia.,
0 prbcedimento do corteio da c6rte nao tern,
pais, explicaQAo razoavel: e, por Isso mesmo,
para 'elie chamarbos a attertfo do Exm. Sr.
ministry da agriculture, a qdtem cumpre pro-
videnciar nr sentido de obviar semelhantes
desmandos. "
DMarlo do Pernambuto-.-Deixatmos de
distribuir hontem no so numerode hoje, como
protnettemos no sabbado, por quo, alto tendo
vindo a mala do Rio de Ieneiro pelo vapor
Orenoque, si muito tarde fobi-nos obsequiosa-
mente dada, uma coltecgo doJovhal doG-Cow-
mercio, da cOrte, poraini amigo.
Concerto vocal e Instcunlental-E' ho-
je A note que deve realisar-se, no saltodo
palacio da presidencia, e conoerto vocal e ins-
trurnoutal, promovido em favor das victims
da secca no GearA.
Consta-nos que neme tomnam parole diversas
Bras. e cavalheiros, dos melhores amadores de
nossa sociedade.
PFtbriea de gel--Sob a rubrica Publica-
Cdes a pedido encontrarAo us nossos leitores
urna reclamaQio, flirmada pelos Srs. Potelleret
& Touquean, & proposito do que ante-hontemo
expendemos coMn relaO Ad umrna fabric degelo
que a camera municipal autorisou que fosse
montada no aeS do Gapibaribe.
Nessa publicaglo dizem os seus signatariss
que-consideramos 0 apparello coma prejudi-
cial d saluhbridade prhbica em conseqwncia de
ser elle nwoeto par vapor,. formadao de -carrvio
mineral, emjos gazes iancomodtardo today a vi-,
sinhanpa, a dahi deduzem' quo, sob tal fun-
damento, 6 qu considerampos infringidos os
arts. 50 e 51 44as postureg e$0 26 de junho do
1 173.
Tal coosa, oorm nalo dissemosn6o0; o que
escreve .aos t foi que- alm dos gazes 'Jroprios
LO. wmbwtjo do arw, iwernlqne deahue.-
aer ac paltuir ouI- pA or do -vapor, Mieearia-
ente sero 1hord;sa 14 *iosphera e> OtTRO's
.jMu55t poinim &(tt LJ fS,' qae so. 4mdu-,
vida iftooin*bdarao todia a vihaga da foiiea,
e itodi~saeais psraue., sundo as 'nfort~f-,,


so fgurda$ .4

Nuuais i Adp6fteqasr-rd
ada pela municipalidade o fa 0 M
o interior da eidate vaww tt
vapor, por Iso que, -'kl.m 99 6
Has anteriores as 5upia-mek#( A
'&s, accres~e que, se0 e 5taigte per tb*j f
lo 6 Isto raz to paoa |ilBd -winretla Odft,
into nIais qaanto A, bt 4abido que ONm fb-
o tto autoriSa Om ljustinca outro.
As9imr, pots, iStttfmos em que a am"t
unicipa! dev.-sar a 1icernCa dada piwfa
nontagemn da fabric no eAes do Capifr$Ii,
mboraia enecedi para outro ponto, eozmf.an-
Sque este se ache nos terms do art. -64s
osturas de 26 de janho de 1t873.
Ajudta de cnSato-Marcou-se a de 350 an
aeharel Gau3ino Kudorio de Britto, juiz tMu-
icipal nomead para o termo de CGajazeiras,
16 Parahyba.
Cem annos-Com essa idade foi sepolta-
a, no ceaniterio public: do Recife, no dia 19
tocorrento, Anna Maria do Espirito Santo,
reta, natural de Pernambuco, viuva, resi-
ente na freguozia do S. Jos6.
Vapor Pirapalma-Este vapor da corn-
anhia pernambucana sahe L.oje (22) em direi-
ira par a P'eneJo, pelas 10 horas do dia. *,
Escrivao de protestos-EstA de: seina-
a, iio carlorio dos protests, o escrivao ine-
mo Lydtho Mariano de Albuquerque, cujo Oar-
rpo 6 sito no paviniento terreo do prUdio n.
illua Bella..
Willm emoraVio lunaibte-Eft l0Iem-
itsivao Uo setiino dia do fallecinifl da a
gxma. Sra. D.Maricaia Alexandrini'detPi-
eira Loyo celebrar-se-hao, na igrejt ritriz
Jo Corpo Santo, missas funebre 4, s' 8 horms
Ia manhft do dia 23 do corrente. *-'
I''la faminlia da finada sao cooidOa t& 5s-
istiruwn A esse actor religioso, MlWMsi'-OSaus
)arentes e pessas de anizade'.
Trillios urbanos de Olinda e Bobe-
ibe.-O Sr. gerente dessa emnpreza, atten-
meuio au just pedido dopeoperavios a bahils-
As, resulveii que do 1( nio'embro aiai os oF imji 'ciros trics da nanhA, ist&,-uts
Jas 5.hor4S e maeia di. rna'rilri, passion Ijlartir
s 5 i4 t1e -un quiirto, quier do Itecife ap0ra
)linda e Bcbheribe, c quor dresses doius ponlos
ara lo ecit'e. '
Missas ianelbrcs.- Sm'io eelebradi.s:
eO.;tiu 23, tM)':i-fci'" s 7 higran da r a-
iltO, i ii maLriz le Gainellcira,'pela-4i1ma de
noiilseuiijtu l.rici -co Miiiniz Tavaroa ;. e Aq 8
iorri-, HiA ,ndtriz ,Ic S. Frei P'Thli'ieiahves
to Re;ife, pclaalhna da ExIma. Sra. D. Mariana
Ltexaidrrua de Oliveira Loyo.
No dia -24, qtti;w'ta-:i,',i : s-g horas da ma-
iI;, m)a inaLriz ,Is AfQo. do," no onv0nto do
arriu d6-Rdii'e, e na cap@tHa dOMD.ih Bi-
cii'o, pete alm.n ia Exta. Stai'..iArl& loe-
oria ia Sihveira. *.i 51idoP A
Supreimo tribunal de jubtfqaq&l41s-
sio Jie 10 do corrcate, u Sr. Mattoso .*i(S ra
exoz a revista civel n. d9,15/,-Ua ri&o de
S. Lifiz. Rccorrcnte, Manoel da SilvaSl*hri-
guces. Recoriida, D. Innoern~taiAtd1idhLeal
astlllo Branco. FeiLa a expos a;'pasOi0os
Litos ao Sr. lPereiria 4r '*' '
Para o note dt'lftiperio-0 vap,' bra-
sileiro uihtir traz os euiinLes passage'iirs :
Pana Penaobhaco-AugusWo Muniz.-MaCha-
do, Jooao Francisco '.Lte. JoaquimtB'raardo
dos Reis, Thoimaz ones da Silva, ikriJos6
AusLrcgesilo IL. Limna, Dr. Joaquim do Silza
Leis, 3 lWlhus e 1 subrinho, oudo Macario de
Jesus, Jodu Antonio dos Santos, 4 escravos a
entregar o 4 et-praCas, deputado Tarquinio de
AmaranLho.
Para a Paruahyfba-1 escravo a entregar.
Pu'ra Macei6-Joaquirn Pereira Rosa e 1 es-
cravo a entregar.
Parea o CeaIlt-Jos6 Bonifacio de Abreu a
Jos6 Dias.
Para o Moaronlao Basilio Garcia Ferro, An-
tonio Fer'eira de Moraes, e deputado Francis-
co Dias Carneiro e sua senhora, D. Maria Ade-
laide da Silva, Pautiei Pereira de Mendonca,
Antonio Carlos Bustiiitte, Manoel Goncalves
Ferreira de Azevedo,
Para o Pau~c-0 deputado conego Manoel
Jos6 de Siqrueira M'l.des, Joao Gualberto da
uiiha Gard6so, J. Affonso Martins Pinheiro,
Marie Metrailler, Plrre Alpinien, Martino Car-
lo Constanzo, Antonio de Ahmeida e Silva, Ma-
nool Pereira Diaaf !|-pravas.
Vadios-A' sonptrhde do Sr. subdelegado
da Boa-Vista, a pedido de urn nosso assignan-
le, reccmmmendamos uma sucia de moleques
vadios, que, reunindo-se nos Coelhos, e es-
pecialmenta na rua dos Prazeres, faze o as-
suadas incommodativas, batem pelas portas
das casas, e dirigem insultos a quantds se
Ihes apresentam.
E' indispensavel dar-lhes algum correctivo.


Cearit,-Pelo vapor Pirapaina, da compa-
nhia pernambucana, chegado hontem directa-
mente da capital do Ceara, recebemos o Cea-
rensd de 14 do corrente, do qual extrahimos
as seguintes noticias :
(( Para abrigar a grande populaoo immnii-
grante, que vein pedir iecursos nesta capital
tern o Sr. desembargador- Estellita mandado
construir choupanas nos arrabaldes da idade.
a Existemrn hoje arraiaes na Lag6a Secca,
Tijubana, Meirelles, estrada do Florida e Bou-
levard .do Duque de Caxias.
a Temos visitado todos esses arraiaes, que
se acham nas condiQOes necessaries para o
fim a que sao destinados.
( Nos dous ultimos pontos, os que foram
mais recentemate coanstruidos e os q fe se
acham ainda efn construcco, sao at6 supe-
riores ad neeessario.
J aulgamos que domicilios provisorios como
estes nto deviam passar de simples paVOgas.
( Fazer casas de barro e telbhas e muito dis-
pendioso e quando 6 necessario construir bar-
racas em muito maior numerodo que as que
existem, devia-se antes a aeftlerar a cons-
ttucao de todps do quo melhorar a de alguns.
( Esses arraiaes sao provisorios, repotilos
e nfo devem eonsuimir todas as sommts, des-
tirnadas a soccorros. -
(( E' muito para louvar o zelo do Sr. presi-
dente da provincia em proporcionaiJ94aife-
lizes victims da seeca esoe s4lojaktRos,
mais ou meros confortaveisbtl)s nelM, por
isso deixaremnos de lembrar sQe a a S." Bxc.
que menhor applieaato teriawbos dioheisos em-
pregados em outras obras, diSpendendotoin o
raino de servio de'que fallatos apeAso4 in.
dispensave!. A21 n ,
Sa( No period decorrldo de 5 all do cairte
foram soccorridas pelo-commissario dei tI4is-
tricto, Dr. Henriqcpe Theberge, 363 families
comrpostas de 2,O0pessOas9 '
a I eo da 5 a 1 %do ooittetlegamw. ao 2*
district, a cargo do Sr. Jba4uit6 Nopiwra, e
foram- convenienteneotite atojadas 419falihas
corn 511 pessoas, das seguintes prooedencias:
Maria Pereira 3, Telha 10, Rio Grande do Nor-
te 8, Pedra Branca 8. Pirangy 8, Agua Verde 8,
Taitinga 6, Per eo 5, S. ,Francisoo A _qui-
raz 5, 8. Matbefo 3, Jaguarlbe 3*Gh 3
Ico 3, Qtixeramobim 3, Pamyba *PIC* %
.Boa-Viager2 '2, Patuba 2, Laras mt%?aa' o
do Sangue 2, Inhamuns 2, SabOeiw ftbaia
2, Pacoty 1, Sobral 1, Qixadt t, Jaguaribe-
miritm i, Crato I, Graussanga t, 'Coet, LSa-
nindA 1, Maranguape te Aras t. TotW A4os
imuigrantes pbarracados neOe diutoi 1,494
families corn 5,63 pessoas. ,i
0 Sr. Nogueura soccorra, a46 fmiKas
alojadas nas barracas construidas e b t*rn-
chek, a 26 quo se chanm a TmaW?*ltlflr-
turasde ra los, a 9 no T.ar- m4j 2 no
Mondobiam, mpregadas eso aao i .$
a Durante a semauna passpa 9atVrat Vo 4*
district, a cargo do Sr. Joao S palo 153 fa-
mnilias cord 833 pessoas das
Ide~icti5
- t!( 1456, Bauturlte 64, rPedri U 48tf
ta'48, I6' 45; Caubipe 4a,, I*mBM M1
fr'ntt)CipOO 44. Perih'o 37, OcSr6_1$, ft::























^^r'.itrit.^~aesa Me-
fpqe epo m 4 dnvipraticar
lj~rto a Dus.Leia ea%
OOmaziesk* oai ar esto a
a As-0gs vai, 4doaIocrldade 9
iil*i m,5tern dado;e; xigemesta do-
j~f que 'terapo al~um duvade daj
probklade. Seu cofUgaea6migo, Jos6
Saxo era sbrnho o f nado bispo
SMawA r D. VWi da CaosiceAo Saraiva.
CaMarao depa4tulados-O Sr. Dr. Joa-
quim Porteoa, primeiro vice-presidente dessa
cameraa, na sessao deo 13 pronunciou o seguin-
te discurso :
a Senhores, terminados come se acham os
nosos trabalhos, rests-me satisfazer uma for-
malidade, que, posto nao esteja prescripta
pelo nosso regiment, tenm sido adoptada ha
alguns annos nesta casa. Tereis de prompto
comprehendido que me reliro ao estylo de fa-
zer o prsidente desta augusta camera, no ul-
timo dia de sessao, uma breve resenba dos
trabalhos parlamenptares.
.. 4 Motivo imperioso tern, como sabeis, prlva-
do de comparecer As sess8es e occupar a pre-
sidencia desta camera o illustrodo cidadao flue
tao merecida e dignamente foi eleito partflo
eminente cargo. Estando eu a sualiMt o
cdmomle vieos-presidente, procurarei prMler
a referida formalidade, embora emn poucas e
dealinhadas phrases. [Nao apoiados.J
1 Senhores, durante as sessOes havidas este
annoforam apresentados 225 projects, 137
areeores de commissOes, 136 requerimentos,
BOM %ifidicagOes e 9 interpellacoes ; fo-
raw enviadas A sanccAo imperial 10 resolu-
coes e remettidas ao senado 249 proposi
gOes.
c Dentre os pareceres alguns so destacam
pela importancia da material e pelo luminoso
deseavolvimento que ihes deram as commis-
SAM.
.4 Dentre os projects, quer apenas,4presen-
10ios, quer somente discutidos o*,Mmettidos
se.ado, sobresahem alguns que convem
mencionar, taes como:
Sobre uma caixa especial de credit park
estradas de ferro e telegraptos do estado. i
a Sobre companhias anonymas de estrada dU
forro. 9,
a S*e a creacao de bancos de credit agri-
cola. I
( Sobre execuQes em estabelecimentos agri-
colas e fabris.
SSobrm concordatas.
;'* qrmvistas em causes civeis.
-a JIa A navegacao do rio Arnazonas.
a Sobre damnos e sinistros, reformando a
- tul tspdalgumas disposlOes do codigo cri-
,. p.$gobre o crime de furto de gado vaccum e
vallar.
a Sobre soccorros As provincias flagelladas
pela secca.
a Sobre a liberdade d4p ensino superior
SSobre o modo de prover officios de justiQa.
a Sobre navegagAo a vapor no rio S. Fran-
cisco.
a Sobre lIquidaclu de sociedades anonymas.
c Reorganisaudo o institute dos meninos
egos.
E principalmente :
(( Duas leis de fixago daforga naval para os
annos financeiros de 1877 a 1878 e 1878 a
1879.
a Duas de fixagio das forces de terra para os
ditos annos.
a E a lei do oreamento para os exercicios
de 1877 a 1878 e de 1878 a 1879.
SJ(A v6des, pois, senhores, que nem o pen-
samento dos immediatos representantes da
nacao se conservou inactive na elaboracao e
apresentaCao de medidas legislativas. nern a
tribune parlamentarj-eclinou da altura a que
tern attingido na discussao de various e rele-
vantes assumptos.
So esta sessao nao se assignal-a pela pas-
sagem de alguma iei deotranscendente impor-
tancia political ou social, tamber corn justioa
nao pode ser taxada de pouco proveitosa para
a nacao. Basta attentar para um dos seus
tracos caracteristicos, o espirito de economic,
de que se achou animada esta augusta cama-
ra, e que por propria iniciativa, fez-so trans-
parecer, rincmpalmonte nas leis annuas : ahi
esta a tei do orcamento, essa lei que no syste-
ma, que felizmento nos rege, 6 da maior im-
portancia para a public administraQao.
a Comquanto grande tempo fosse tornado as
sess~es diarias corn discusses puramente
political, cumpre attender que elias n'ao'podem
deixar de ser da indole do parlamento ; e em-
bora pom alguns, as vezes corn razao, sejam
severamente taxadas de inconvenientes, a nero
sempre sao estereis nos seus resultados, e in-
Iluencia sobre o espirito publico.a
Assim, senhores, ao voltardes para os vos-
sos lares, nao levareis o remorsode nao hayer-


des contribuidoapara o bemrn da patria.
S Agora nao me levantarei desta cadeira sem
dar solemne e sincere testemunho do meu re-
conhecimento. Serm titulos, para occupar o
honroso cargo de 1 vice-presidente desta au-
gusta camera (nao apoiados), v6s podr oito ve-
zes consecutivas e corn grande votaCao, me
conferistes esta elevada posiCAo, e nas vezes,
nao poucas, que tive a honra de presidir ais
sessbes diarias, me penhorostes corn inequi-
vocas demonstrates de aprego e confianca.
a Diz-me a consciencia que esforcei-me por
14to desmerecer da vossa estima ; se nao cor-
respondi A vossa expectaclo, desculpai-me :
em todo o caso repito-aceitai meu profundo
reconhecimento.
c Tenho concluido.. [Muito bernm.]
Expolvo universal de Paris. -0
Club do Lawra, insLtuido no municipio de
Campinas, provincia do S. Paulo, diz o Joemal
do Cemmercio, do Rio de Janeirq, envidando
esforgos para que esta provincia seja repre-
sentada na grande festa industrial que se pre-
parm para o anno proximo future, requereu e
obteve do governor geral isenVAo de direitos
para os products agricolas que de S. Paulo
fossem ezxprtados corn destino Ae xposicglo.
a Sabendo, por6m, que o Brasil u o se faria
representar officialmente naquelle certamen
industrial, e que, consequentemente nao. se-
riam recebidos pela directoria da exposiglo os
artigos que Ihe fossem enviados de S. Paulo
por particulars, o Club da Lavoura dirigio-se
ao seu correspondent em Paris, o Sr. Luiz
Rodrigues de Oliveira, ponderando-lhe a con-
venieacia que baewia pare a provincia em ser
represenUtada a exposicglo universal, as diffi-
euldades que se orpuaham a rali"sao de
sons desejos e consultando-o sobre os meios
do veneer essas difticuldades.
0 Sr. Oliveira eatendowu-Se corn a direGto-
ria da exposilo e d i o|vea concesaao do
Smiltaugar no palacio industrial para os agri-
Sealteors pamistas, sob a condiCAo de quo&
govrwo brasileiro omeasseo uma commnisIo
corn character official.
a E' esta nomeaCao que o Club da Lavowara,
de Campinas, acaba de solicitar do governor
imaeil, indicando o-nome do Sr. Luiz Rodri-
gues d Oliveira.
a toie louvavel o intuito do G'tib da La-
owa. 4o justficada nos parece a sua pre-
4110.q e n o p4odemos duvidar de que ea-
oflWrt ; 'Ap4 Nwga ay-.-A bordo do,. vapor
&ud-Amwria s.gi o paa Geneva o
R tI. Mix -fidell, bispo do Paraguay.
& ta do Cblitrul sfe oaials
*ix Jormte t'1o Commerei4 da e6rte., W 0qw
go. P46110 vio sempre tao pacato, at^',Ar '-
_v 9 wa vzTh e4 S iri


tacl wiuwii "w empiim'p'.wuw-w^ ''I.. -
aoatetant OrEminwaj.Uo um verdadeira
reglmebto de. pvalriA, ff tte do 300 praa,.
que o_ f falr,* iveWi qtaOr-
*ode. &tQ oras odrq ea owada fantasW
tiea,e oi t W terrro tofUndid pelo tWbufaeo,
que aiada hoje nao 6 sem algua miedo que a.
gente sabhe A rua. D 01.
o Observamos que tomamos isto, dQ oSIo
de Moateviddo, que nio cita a folha argentimna
d'onde extrahio o caso. Pela sua authem*i-
cidadk, pois, nao podemes responder mais do
que pela do seguinte :
a Repetio-se o caso tradicional dp leo agra-
decido. mas cow uma segunda parte to tra-
gica como honrosa para a intelligencia do. rel
dos animals.
c Na Africa sahira A caca um tenente fran-
cez. Surprendido por um lelo, julgava elle
jA imminent a sua ultima hora: cobrou,
por6m, amnimo quando, ao approximar-se-lbe o
animal, vio que trazia este uma pata ensan-
guentada. Tomou-lh'a entAo, e arrancou um
grosso espinho.
( 0 lOelo, sentindo-sj alliviado, seguio o seu
caminho serm dizer multo obrigado; mas nao
esqueaeu o beneficio.
pgn4dia seguinte a f6ra topou corn um ca-
pilfque andava A caga, e seo mais tirte nem
guarte, atirou-se a elle e devorou-o.
( Aqui, por6m, esta a part sympathica do
success, a gratidbo do bruto sob uma f6rma
grandiose e f teressada. 0 leoa havia co-
mido o capitol corn urma nobre intenClo....
para que o tenente fosse promovido, passando
ao post de defunto. D
Vapores-Sio Wados os seguintes:
Bahia -. -tjul at6 hoje
Ville de Rio de
Janeiro "da Europa at ho*i
Neva da Europa at5p a,
Para do Norte at6ot
Pernambuco dQo Sglt+ atd a."
Taqws do Sul at6e 29
Loteria da provinela -- Amanha, (23. do
'corrente), se extrahirA a loteria 245.&, em be-
.neficio das obras da matriz de Tejucupapo.
Os bilhetes acham-se A venda na thesoura-
ria das loterias e loja de clcgados do Sr. Por-
to, A praga da Independencia ns. 37 e 39.
As listas sahirAo no mesmo dia da extrac-
cao; quanto, por6m, aos pagamentos dos pre-
mios, sO tera lugar do dia seguinte em diante.
Loteria do Rio de Janeiro- Resumo
da lista da 35.e ldteria [681'] em beneficio do
fundo de emancipagAo, extrahida a 9 do cor-


rente :
N. 2224
N. 1753
N. 282
N. 996
Ns. 1087


um.
Ns.


.. ... 20:0005000
. 10.0006000
..... 4:000#000
2:000#000
e 5857,- 1:0006000 a caa


375, 451, 709, 3765,-- 8005 a


cada urn.
Ns. 2169, 2248, 2325, 2329, 3268,
3775, 4683, 4961, 5106, 5890,--2005 a
cada urn.
Ns. 325, 681, 786, 1128, 1528, 1635,
1664, 2073, 2084, 2835, 3507, 3862,
4242, 4600. 4012, 4745, 5113, 5153,
5800, 5946,- 1008000 a cada urn.
Ns. 56, 183, 313, 399, 422, 574,
589, 599, 614, 660, 682, 700, 800,
835, 866, 1124, 113 N167, 1204,
1269, 1323, 1349, 1420 617, 1625,
1954, 2070, 2350, 2433, 2470, 2500,
2602, 2746, 2803, 2820, 2864, 2888,
3446, 3729, 3823, 3855, 3877, 4973,
4182, 4511, 4514, 4588, 4619, 4919,
4641, 4643, 4767, 4900, 5177, 5376,
5406, 5542, 5595, 5602, 5713, -49-000
a cada urn.
Proclamas de casamuentos- Leram-se
no dia 21, na matriz de S. Jos6, os seguintes
proclamas :
Pr-imei'a denunciacao
Antonio de Albuquerque Barros corn Enes-
tina Emilia Neves.
Antonio Luiz de Carvalho corn Maria Au-
gusta de Gouveia.
Felix Jos6 de Andrade Gatanho, viuvo, corn
Maria Senhorinha da Costa.
Jos6 Porfirio Martyr corn Ihilomena Maria
de Jesus.
Manoel Gongalves de Alexandrino corn Anna
Rodrigues da Costa.
Joao Jose de Amorim corn Alice Marques de
Amoriim.
Segunda denunciafr.o
Antonio Teixeira Machado corn Anna Fran-
cisca Paes Barretd.
Joao Feliciano da Motta Albuquerque corn
Thereza Cabral de Mello.
Antonio Luiz da Silva Guimarles oomrn Maria
Perciana da Gonceiglo e Silva,
Heliodoro Pedro Baptista da Silva corn Bri-
gida Maria da Concoiglo.
Manoel Luiz Pacheco corn Maria Deodata da
Silva.
Luiz de Barros Souza cornm Thereza de Jesus
dos Santos.
Ignacio Pereira de Lima corn Anitonia Ma-
ria do Espirito Santo trindade.
Manoel Joaquim do Santa Anna corn Maria
Perduvina do Amor Divino.
Jos6 Albino de Abreu Cardoz7 corn Idalina
da Silva Leilao.
Joaquim JuvencAo deo Almeida corn -Maria
Joaquina Villas-Boas de Lonina.
Terceira denunciacao
Galdino Jo.6 da Trindade corn Leopoldina
Shares da Coua Monteiro.
Manoe Baeboi da Lu corn Maria SJos6 do
Nscimento..,. ...
Xanoel Frcisco doe Maria cont Amelia Ma-
ria daC Gonc.g0o. .
Eduardq Vieira d1a Silva con Maria Emilia
Hermogenes de Andrade.
GLucindo Luciano Victor da Silva corn a ex-
posta Maria Sonhorinha de Mello.
SLutz Augusto corn Maria Eufrosina de San-
ta Anna.
Francisco d Paula Nunos Bandeira corn
Francisca Henriqueta das Noves.
Jose de Oliveira, africano, corn Bernardina
Maria das Dores.
.tAntonio Marceliao Moutufo m-O Franisca
Maria dos Santos.
Paswgaeiros Chegados dos poitos do
norte WO, Vapor nacDOiPF eta ,,
ArWfrtoftft ppe*Ir8V,vit P~lppeda
Silva, Jonymno M. do aWMirda, GaCptulino de-
mentino de ls Al' A .R i soe P* da Slya Lima,
D. Damiana da Silva Lima, e 3 escravos a en-
tregar.
-Chegados dos portos do sul no vapor tran-
coz Orenoque:
Gustodio Francisco Martins, Dr. Joaquim
Correa de Araujo e sua familiar, Benedicto de
Almeida, Dr. Manoel Arthur Cavalcante e 3
criados, Maria Emilia Cavalcante. Gatharina
Camaia, Jose Francisco Martibs, Israel Bem-
jamiwa de Oliveira, Joao Lucia Lemos Duarte,
Jacintho Barbosa de Medeiros e Miguel Pais-
-Sabidos parama Earopa o mauos V^)or:
js6 Joaqulam Aires lulbior, Cieovantti irpo


d.av~oiutobr9_4o 18 .^a i1 1!'lll11
D. VarliHo iada Silva, o. Pernam-
buco, 80 w i, viv Poo; hmatite, hroniW
SeverlooJ Filguira de Mnezes, bra
PjenbuctBo, 76 annos, viuvo, 8. Jose; brn-
cbite asthmatico.
Carlos, branco, S. Paulo 10 Inezes, S. An-
tonio; corya comrpicada.
Gy'priuao Antonio Rodrigues, branco, ,er-
nambuco, 60 annos, viuvo, B6a-Vista; infe6Io
ulc3rosa..
Ma.f el, pardo, Pernambuco, 1 anno, Boa-
Yloti; eonvulsaos.
I Am Maria do Espirito-Santo, preta, Per-
n-pr, 100 annos, viuva, -S. Jo6; velbice.
abtdda Maria Joaquina, parda, Pernambnu-
&5 annos, viuva, Bga-Vi~ta, hospital Pe-
dro II; ezema.
Mathias Jose, pardo, Pernambuco, 21 annos,
casado, Boa-Vista, hospital Pedro II; tetano
traumatico.
I Francisco Ribeiro Marques, branco, Portu,
gal, 50 annos, cesado, Boa-Vista, hospital Pe-
dro 11; hypertrophia.
SIgnacia Maria da Gonceiqlo, preta, 00 annos,
solteira, S. Antonio; tuberculos pulmonares.
Mariana da Conceicie, preta, Africa, 65 an-
nos, solteira, B6a-Vista; anazarca.

Junta commercial da cidade do
Recipe
ACTA DA SESSAO DE 18 DE OUTU-
BRO DE1877
PESIDENCIA DO ILLM. SR. COMMENDADOR
A. G. DE MIRANDA LEAL
As 10 horas e 10 minutes da manhA, achan-
do-se presents os Srs. deputados Olinto Bas-
tos, commendador Lopes Machado, CasclO e
Pinto, e secretario Dr, Julio Guimaraes, o Sr.
commendador president declarou aberta -a
sessao.
Lida, foi approvada -a acta da precedent
sessao.
Procedeu-se A leitura.do seguiute :
Expediente
Officio de 4 do mez corrente, da junta com-
mercial da Fortaleza, remettendo a relatAo do-
commerciantes alli matriculados no mez ds
setemnbro proximo findo,-Accuse-se o recee
bimento e archive-se.
Officio de 5 do corrente, da junta commer-
cial de Bel6m, acompanhando a nmesma lista
dos commerciantes n.atriculados no trimestre
ultimo.-Archive-se, depois do accusado o re-
cebimento.
Officio dO 13 do andante, dajunta dos cor-
retores deri# praCa. remettendo o boletimrn das
cotagoes officiaes de 8 a 13.-Para o archivo.
Corohecimento ipresentado pelo official-the-
soureiro da secretaria desta junta, demons-
trando hayer recolbido A thesouraria de fazn-
da a quantia de 944$970, importancia do sano
dos emolumentos artecadados no mez de sb
tembro ultimno.-Registre-se e archive-se.
Diaries officiaes de ns. 226 a 232.-Sejam ar-
chivados.
,blistribuiram-se os livros seguintes :
Copiaddr de Luiz Jos6 da Silva Guimaraes,
dito de Pl.in'pJa, Irmbos & C., dito de Rodri-
go Garneir&,4 t', upplemento do diario de
Demetrio Bastdsi ,,. ,
JJespaefws
Petigies:
Do major reformado da guard national,
Jos6 Antao de Souza MagalhAes, adiada na pre-
cedente sessao, estabcaldo nesta praca corn
escriptorio de consignagSes de generous do paiz,
solicitando carta de matricula de commner-
ciante.-Deferida.
De Joaquim Jos6 da Silva Figueiredo e Joa.
quim da Silva Maia, para que so made epis-
trar'o distrato da flrma Figueiredo & Maia.-
Satisfeito o parecer fiscal, archive-se, na for-
ma da lei.
SDe Duarte Antonio de Miranda, para que se
made registrar a nomeagAo do seu caixeiro
Antonio Quintino dos Santos Vieira.-Satisteir
to o parecer fiscal, seja registrada. 7
De Jose Francisco de Athayde e Mello, as&
sentando o termo de suhstitui~ao da teor-
munl-a abonadora de sua fianca prestada ni
qualidade do agent de leil~es da cidjade da1
Parahyba do Norte.-Registre-se, archive-se
e faca-se a communicate do estylo ao inspec-
tor commercial respective.
De Joaquim Pinto de Magalhaes e Domingos
Mendes de Souza Machado, solicitando o. regis-
tro da procuracao, em notas que ihes passara
Justo Jose Gomes Teixeira.--Registre-se.
De Joao Barbosa Lima, para que se made
dar baixa nos registros das nomeacoes de
seus ex-caixeircs Manoel Rodrigues das Ne-
yes, Manoel Rodrigues das Neves Filho e Jose
Affonso Pereira Lamego.-Facam-s. as notas
pedidas.
De Souza & Almtida, para igual fim quanto
ao seu ex-caaxeiro Joaquim Jose de Lemos.-


Como requer.
De Francisco Jos6 Silveira, correter geral
desta praea, solicitando o registry do conbe-
cimento do imposto de seu officio. Regis-
tre-se.
Do ageqte de ledlges Jose Jacintho Silveira,
para fim identico.-Seja registrado.
De Jos6 de Brito Bastos Filho, cidadlo bra-
silqjro, de 22 annos de idade, domiciliado e es-
tabelecido nbsta praQ* -con sasa de commis-
s5es, solicitando carta de ,omnmerciaute matri
culado; oslo attestantes do seu credit com-
mercial Pereira Carnmxe, Mmua & C., Luiz Jos6
d. Silva Guimaraes e Fracisco Ribeiro Pinto
Guisarres.-GComo Teouer.
Qe Manoel Heleno Rdrigues dos Santos, ci-
dadao brasileiro, de 2 annos de idade, domi-
ciliado e estabelecido corn gmeros seccos e
molhados, por grosso o a rtowho, no Passo de
Camaragibe pedindo reconsideraglo do des-
4*paco al d s 1b&er conce-
dida cauIf t 0 muiw1" d counaarciante.-
Cm-s t yo s' ad des-
pacfaar. r mam r.cltit*acdor prOsidente
endar0wa se6lo*

I14cA(0BSTEIS

Medicos
Dr. Lobo Mbscozo,- rua do Visconde
de Albuquerqtue .'9.
Adv6Dg ados
D Gutrml)|ns mado tmperaor n,


48 ..- + ', -. 1
: ~ 1r+wws4 tm do Im.,
peradorn; 20. + ...... ... .

Antio: ConvtideT_ "s, rua
Primeiro d Aro A. i3&
I Cbpallft ai eMoas
Costa M4M fr, C., ra Primeiro de
Maroo n. 6.
Fabrica deo 4aYgrms a vapor
Bourgerd & C., Rwife 15, ,Sru doe
Mar die 01 *S u oAntonio 3,
MOM. Bda.-ista 54),
rua da lpa

Fere~qM444-1,.-r"a D uode
.m.|d~~a^?^


plque d Ct.
eaeri,
|pie;-^: : ...i +


Vivdo Jesus, Jos6, Maria
0 irmao Ignacio, tendo de retirar-se
desta cidade, faltaria ao dever de gra-
tidio, se deixasse de pressuroso agra-
decer 4s pessoas piedosas as esmolas,
que lheentregaram para seremnapplicadas
em favor das santas casas de camidade.
instituidas e dirigidas pelo Rvm. Sr. pa-
dre mestre Josd Antonio de Maria Ibia-
pina.
Se.- como diz o grande apostolo das
gentes, c a caridade jamais se ha de aca-
bar, ou deixem de ter lugar as profe-
cias, ou cessem as linguas, ou seja abo-
lida a sciencia, P nao foi serm bons fun-
damentos, que aquelle zeloso sacerdo-
te julgou azada occasiao de recorder aos
coragees bern fazejos dos habitantes
desta populosa capital, sempre dispos-
ta aabrir, em pr6lda hlumanidade sof-
fredora, o grande cofre de sua itnmen-
sa riqueza.
Nosso Senhor Jesus Christo, que se
apraz em nao deixar, sern recompensa,
atd um copo d'agua dado emna seu nome,
farA render cento por um ainda neste
mundo o obolo daquelles que, corn di-
ligencia, de boa vontide, por umrn prin-
cipio sobrenatural e sern ostentagdo,
souberam acudir pressurosos ao ap-
pello do mesmo Sr. padre mestre Ibia-
pina, no recusando suas e.3molas para
a conservagio de uma instituigo tVio
pia, e de tamanha utilidade., nos sertoes
de nossas provincias, para nossas patri-
cias, alli desprovidas de toda a educa-
gao civil, moral e religiosa.
0 irmdo Ignacio, pois, certo de quao
agradavel seri aquelle veneraido sacer-
dote e ao pessoal das santas casas do
alto sertao o born exito de seu appel-
lo, -antecipa desde ja o vivo reconhe-
'cimento do mesmo Sr. padre -mestre
Ibiapina e de suas queridas filhinhas
em Nosso Senhor Jesus Christo a todos
os fieis, que se dignaram concorrer corn
seu precioso obolo para alliviar os ma-
les que ellas actualmente alli estdo sof-
frendo.
0 irmao Ignacio deixa de mencionar
os nomes das pessoas que derain suas
esmolas, por conhecer a modestia dos
seus doadores, e saber que, quanto
mais se occulta a esmola diante dos
homens, tanto mais ella brilha diante
dos olhos de Deus.
Feliz aquelle que ajuda o pobre na
sua affficyao ; e tern maior alegria pro-
inovendo a prosperidade de todos.
Sublime, exclama'um padre de nos-
Sos dias, a virtude, que uae o home
ao home em doce e estreitado am-
plexo; que.4onsiste emn estender a ma9
aiquelle que a desgraca atirou' d beira
&da estrada, em nunca recu sar ao que
soffre asconsolacoes que fallam tao sua-
vemente em umrn peito dolorido pelos
embates da sorte; em nao recusar a-
brigo ao misero viandante, que a noite
assaltou nos desvios do carninho.
Foi o que incontruu o irmao Ignacio
nesta grande cidade, e folga de o dizer
publicamente, catholicos dotados da
grande virtude da caridade, que corn
tanto empenho e amor o aixiliaram no
born desempenho de sua commission,
o aos quaes se confessa vivamente re-
conhecido.
0 irmao Ignacio retira-se alegre,
porque leva comsigo pao para suas ir-
mauzinhas orphas eseus amigos doentes
doshospitaes, e porque esperadainfinita
rmisericordia enchentes de gracas para
esta religiosa populacao.
O irmao Ignacio nao deixara de fazer
votos aos cdos pela felicidade espiritua 1
o temporal dosbem feitores e bemfei-
toras daquellas santa s casas, e desdeja
os recommend a poderosa proteccao
da Viriem Immaculada.


Recipe, 20 de outubro de 1877.


Parabens a fortuna I
A's 11 12 horas de hoje, fui surpren-
dido em men estabelecimeato commer-
cial i ruta &o Visconde de Inhauma n.
60, pela presenga dos Srs. Dr. delega-
do de policia, inspector Zeca e com-
mandante da guard civic, acompa-
nh.tdos de grande escolta desta, que
tomou as ports, nao consentindo que
entrasse ou sahisse pessoa alguma.
Deu motivo a esta diligencia ter sido
o Sr,-gZeca, segundo declarou, infor-
mado qtle utia mulbor copenhara air-
gumas pias emi, caw do ,m a t 1
Diriga aDa B wo a enbor,
ajsendo que pessm de -swa inteira con-
"Ji~nt (T^ 4wwhdfsi^^t n~tetr'ha-
via eu ido a casa da tal umalher' efac-
tuar essa transco, fiz-lhe ver quenet-
nhum fundanzento tinha tal asserbo,
nao s6 porque, como podem attestar
as pessoas que me conhecern de perto,
nunca dci dinheiro sob penhor, senior
tambem que ha quatro dia' que nio
saio de meu estabelecimento, como e
notono.
Mementos depois, comparecendo a
chamado tel rnulher, perante todos
assegnrou qua, nMo se reforira a mim
e Em que dera as joias mca quepoes-
&I a urn seu procumilor (cujQ Do-
n no decline) pa mspenhal-as;
0 ped1o oque a companhassem nessa
v-oifi *s" id ,
dRerarar-se todos em spegida, *W
do po!reste todo mterromapidas'duran-'


Nao foi exacta a informagbo que deram a
este Diario corn relaco ao assentamento de
um apparelho destinado A fabricadao de gelo
no caes de Capibaribe. Considerou-se o ap-
parelho como prejudicial A salubridade publi-
ca, em consequencia de ser elle movido por
vapor formado de carvao mineral,-cujos gazes
incommadarbo toda a visinhanga, e d'ahi con-
cluio-se quo a camera municipal infringio os
arts. 50 e 51 de suas posturas.
Ctfrpre-nos declarar, em homenagem A ver-
dade, que a machine corn que preLtendemos
explorer a fabricaglo de gelo de um modo
commodo, vantajoso e r.inda nao conhecido
a'esta cidade, nao funcciona corn carvao mi-
neral, e sim corn gaz ou coke, sendo qi:e ella
6 tAo simples e trio bemrn proparada que, alem
de nao fazer ruido algum, em nada podeopreju-
dicar a safide, pois della nao se desprende os
gazes pernicioSOP, Lque cavillosamente allu-
dio o informant.
No centre mais habitado d'esta cidade exis-
tern fabrics movidas a vapor de muito maior
forga que a nossa, e fazemin tanto ruido e es-
trepito que sao serm duvida incommodas; e en-
tretanto ainda ninguem reclamou contra ellas!
A camera municipal nao infrinzio suas pos-
turas, pois o art. 50 refere-se As officinas de
caldeireiro, ferreiro ou outras quaesquer que
pelo calor de fogo, fumo ou estrepitos de mar-
tello possam incommodar os visinhos. 0 nos-
so machinismo nao se acha nestas condigOes,
o que poqje em qualquer tempo ser verificado.
E' admiravel que se tivessem estabelecido
no proprio caes de Capibaribe duas outras
machines a vapor, urna destinada tambem a
fabricar gelo, e outra a serrar madeiras, am-
bas movidas corn vapor de carvio mineral,
sere que nunca' se levantasso reclamagao al-
guma, ao pass que agora, quando se trata
de sentar no mesmo caes uma machine muito
inferior aquellas, surge tantas queixas e
protests! Quem nao divisa que em tudo
isso anda o dedo de algumrn despeito e invoja ?
A4A agora ninguem n'esta .cidade obteve o
privilegio para tabricar exclusivamente gelo,
e por isso nao nos pode ser vedado explorer
esta industrial, para o que um de nossos so-
cios foi a Europa unicamente para comprar ap-
parelhos mais aperfeigoados e fazer por si os
estudos necessaries, custando-nos isso nao
pequena sominma. Nao 6 just, nem decent
que por meios nio logaes se nos creem es-
torvos, oxpondo-nos agrandes prejuizos.
0 nosso primeiro intuito foi montar nossa
fabric no pateo do Paraizo, para o que havia-
mos alugado o competent predio. Pensava-
mos que existindo no coraoao da cidade ou-
tras machines a vapor, como a da typogra-
phia deste Diario, a do Jornal do Recife, e a
de fabricar cigarros, nao nos seria vedado
a competent licenea. Mas cornm surpreza nos-
sa nbo fomos attendido por causa do local in-
dicado. EntAo e para cortar todos os emba-
ragos, alugamos outra casa no cases de Capiba-
ribe, onde existed jA outra fabric degelo mo-
vida por vapor de carvao mineral e de forca
muito superior A nossa. A camera municipal
convict do nosso direito, fez-nos a devida
justiga, e ficamos tranquillos.
Essa tranquillidade por6m veio sempre a
ser perturbada por umn despeitado informant.
Espero pois que a Revista do Diar'io rectifi-
que a noticia inexacta que fez publicar.
Recife, 20 de outubro de 1877.
Potelle'et & Totquqcau.

Movimento da advocacia dos press pobres
na sessao de outubro #e 1877-presidencia do
Dr. Adifno. promrnotor o Dr. Gomes parent.
Outubro 4 Candido Florencio do Nasci-
mentp.I ronunciado no art. 269; absolvido
unanimmente.-Appellalo.
Idem 5 Angelo Affonso Vianna, '193-34,
absolvido unnirnoemente.
Idem 8 Joeo Coelho de Bulh~es 269-274,
condemnado no mrnedio.-Appellado.
Idem9 -Lutz Martins de Souza, 265 2a par-
te, absolvido --Appellado serm suspensio.
Idem 10 Jose Antonio da Silva, 179-34,
absolvido.-Appellado sem suspensao.
Idem 11 Manoel Joao da Cruz, 257-300,
absolvido par unanimidade.
Idem 13-Manoel Antonio de Lima, 269, ab-
solvido.-Appellado corn suspensao.
Idem 15 Euzebio Alves da Costa, 265-34,
absolvido par '11 votos.
Idem 17-Sebastibo, escravo, 193 gales per-
petuas (ja cumpria).
Idem 17 Jose Estev'o de Aguiar, 257, ab-
solvido.
Idem 19-Jose Bernardo de Oliveira, 205.
absolvido par unanimidade.
Idem '20-MarcolinoBezerra Tortes, 269 con-
demnado no maxirno.'--Appellado.
Resttmo
Asolvidps 9
Condemnados 3

Somma '12


Recife, 20 de outubro de 1877.'
Luiz E. Rodrigues Viamnna,
Advogado dos press pobres.

Eleicao dos juizes, escrivaes e.mais devotos
que hao de festejar no dia 18 de novembro do
corrente anno, a veneranda image da Se-
nhora das DOres,erecta na igreja matriz de
Nossa Senhora do 0' d'Ipojuca.
Juiz por eleicao
O Illm. Sr. Coronel Marconilio Marques
Lins.
Juiza por eleigtLo
A Exma. Sra. Consorte do film. Sr. Coronel
Antonio Marques .de Hollanda Cavalcanti.
Juizes por devogao
Os Exms. Srs.: -
Visconde de Utinga.
a do Livramento.
Barbo de Escada.
Dr. Epaminondas de Barros Correia.
Juizas por devoCAo
As Exmas. Sras. :
Consorte do film. Sr. Dr. Clementino de Mes-
quite.
Dita do filma. Sr. Christovbo dos Santos Ca-
Svaloanti de Albuquerque.
Dita do 111m. Sr. Jose Manoel de Barros Wan-
derley.
Dita do film. Sr. Major Joao Manoel Pon-
tual.
Escrivaes
Os Illms. Srs. :
Dr. Alipio Jos6 da Costa.
Antero Joaquim dos Santos.
Jos6 Maria Fernandes da Silva.
Ignaclo Cavalcanti d'Albuquerque.
EscrivAs


As Exmas. Sras. :
Gonsorte do film. Sr. Dr. Antonio Justino
Souza.
Dilta do film. Sr. Pedro Affonso de Mello.
Dita do Ilm. Sr. Alferes Alexandre da M
Canto.
Dita do llm. Sr. Francisco Jose de Mello.
Juizes protectores
Os Exms. Srs.:
Barbo do' Mercs.
Dito de Tabatinga.
Dr. Miguel Figueirs de Farla.
Dr. Jos Joaq-,im deo Oliveira Fonseca.
Rvdm. Conego Antonio lustaquio Alves
S i l v a .. .


de
ottia


as prote'doras
Sr. Dr. MaPool Cloementino.
)r. Jolob Bapih 8o de Siq4


Assumpto municipal
Na vida dos povos como das nacoes ha dias
solemnes e magestosos.
0 dia de finados nako menos que outros C
urn de penosas recordaQes, mas recordagOes
bern fundadas ; quem nao tern um parent,
ou amigo que, nesse dia neo Ihe avive a me-
moria os beneflcios que recebeu delles ?
Quem podendo nao faz uma inscripgao no
tumulo daquelle que nos 6 ca -o sua memorial?
E' certo de que a falta de um estabeleci-
mento para supprir nesse dia o que 6 de cos-
tume nos prizes adiantados 6 sensivel.
A casa Paula Mafra, supprindo-se |directa- -
menLe do coraAo do mundo, d'esse emnporio
do bell e agradavel, de Paris, finalmente de
um caprichoso e esculhido sortimento de ca-
pellas mortuarias de vidrilho o panno, de pan-
no sirm, mas de panno, cousa caprichosa e es-
pecial nesse mercado.
No complement dos ornatos que se faz aos
tumulos, o inesmo estabelecimento estA pre-
venido de especiaes bugias de. cera para re-
sistir o calor que as ataca ; assim pois convi-
da-se a todos, e especialmente ao bell sexo
para comparcce"f rua do CabugA n. 5 A, afini
de ver-a
ExposigAo Municipal


COIIERCIO

Junta dos corretores
PRAQA DO REC[FE, 20 DE OUTUBRO DE 1877
AS tres horas da tarde
cotaqdes officials
Apolices provinciaes do valor d&.0( e juros
'le 7 0/0, por 945$000qda nra.
Idem idem do valor de 500S e juros 'de 7 0/'0,
por 472$500 cada uma.
Idem idem do valor deo 100$ e juros de 7 .0/0,
por 946500 cada urma.
Acliao da companhia de seguros indemnisado-
ra do valor de '2006000 por 3206000
cada uma.
Farinha de mandioca, do AracajO, 7$200 por
80 litros, hontem.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 24 7/8 d. por
18000, bancario.
Cambio sobre Lisboa, 90 d/v. 110 0/0 de pre-
mio, hontem.
Bernardino de Vaseonceilos,
President.
J. Leal Reis,
Secretario.


ALFANDEGA
Rendimento do dia 1 a 19
I dem do dia 20


571:8536948
15:44185441
-587:302M389


Descarregam hoje 22 de outubro de 1877
Vpor inglez Delambre, (atracado) various ge
neros e amostras para alfandega.
Vapor francez Ville de Rio de Janeiro, (espe-
rado) various geaeros e bagagens para
alfandega.
Vapor national Marqwez de Caxias, (esperado)
generous nacionaes e encomIr. endas
para o trapiche Companhia.
Lugar inglez Bell Reith, triihos e ferragens
despachados para o 5o ponto.
Lugar inglez Oceanus, madeira despachada
para o 5o ponto.
Patacho inglez Erwood, farinha despachada
para o 1 e 5 points.
Patacho inglez Islander, ferro e machinismo
para o trapiche da alfandega, para
despachar.
Brigue ailembo Treiheit, madeira despachada
para o 5o ponto.
Barca ingleza Harry Kislake, farinha para o
trepiche da alfandega.
Vapor brasileiro Bahia, (esperado) generous
nacionaes para o trapiche Companhia.
Vapor brasileiro Conda d'Eu, (esperado) gene-
ros nacionaes para o trapiche da dom-
panhia pernambucana.

Importaglo
Lfigar inglez Harry Heslak, entrado de Now-
York, enim O do corrente e consignado a Fon-
seca Irmio & C., manifestou: I
Agua florida 50 caixas a Jos6 Maria Palmei-
ra. Arados 2 caixas A C. S. Hawkes & C.
Banha 75 barris A ordem. Breu 600 barri-
cas aos consignatarios.
Candieiros e pertenCas 8 volumes a Theo-.
doro Christiansen. Chamin6s de vidro I bar-
ricaa C. S. Hawkes & C.
Ferro de engommar 1 caixa a Theodoro
Christiansen. Farinha de trigo 600 barricas
a Manoel da Silva Santos, 100 a Machado Lo-
pes & C., 150 a Jorge Tasso.
Kerosene 400 caixas aos consignatarios, 500
a Johnston Pater & C, 350 a ordem, 150 a
Manoel Duarte Figueiredo.
Milho 1000 saccos a Parente Vianna & C.
Mercadorias diversas 2 cafxas a C. S. Hawkes
&C.
Tecidos 10 caixas a Brown Thomson & C.
2 a Luiz Antonio Siqueira.
Barca- national Amisade, entrada do Rio
Grande d') Spl na mesma dta e consignada
a Baltar Oliveira & C, manifestou:
Couros seccos de refuge 60.
Xarque 142,800 kilos A ordem.
Vapor national Pirapama, entrado dos pqr-
tos do norte na mesma data e consignadq'
companhia pernambucanij d imvgaees-
teira per vapor, mahifestou :
Barricas varies, 40 amlrados a Costa 6 C.
Caf6 25 saccos a Alfredo Garcia & C, 15 a
Cunha Irmao & C, I A ordem.
Sowb 59"@6 W i aol f ri oNetlor-4C. -'Sac-
cos vasios 2barricas e pacote a Costa & C.
Vapor iunglez .Deaabire, entrado' de Liver
pool 3 Lisboa na mesa data e consignado a
Saunders Brotbels & C., manifestou:
Carga do Lisboa
Azeite 10 barris a Joaquim Ferreira de Gar-
valho & C., ;0 a Joaquim de Souza Lima & C.
Azuleiios 30 caixas a Parenfe Vianna & C., 28
a Joaquim Antonio Pereira & C. Amendoas 9
barricas a Joaquim deo Souza Lima & C., 2I a
Jose Joaquim Alves & C., 2 a Carnmeiro Sa
C.. Alpiste 40 sacc a Ferraz &. Pereira, 20
Ferreira da Rocha & Pinto, 10 barricas, aM
quirm de Souza Lima & C., 14 e is'It. a In-
des & Irmao. Arroz 56 saceos a Feri &
Pereira. Agua de Vidago 3 caixas a Pwa *C.
Batatas 20 meias caixas a Joaquim d9ou
zaLlma&C.,50 a Jorge Tasso. I a Fri s-
cisco Antonio da Roaa, 50 a Domintao *-
ra da Silva & Q, 2 a Manoel dW.
.niredo. Wdane& deeia 1v aoatkb&


I



















S i5 volumes 1 Fa nisco Manoel da
5 a Augusto Vaorsl .a Antonio de
SaFerrera Maia. & C., I a
MiawoI da Silva Faria & C.
Fatos 550 saecos a ordem, 50 a Silva
FuImarkes & C. Figos 4 cSat aa a Joaqimn
do Suza Uma & C., 4 a Ferraz & Pereira, 3
a Carvalho & Araujo. Fio de o algodo caixas
a C. Jos da Silva. FeijAo 34 sacos a Manoel
Duarte Figueiedo, 63 a Carvalho & Aranjo.
Genebra 1Owixas a Justo Jos6 Gomes Tei-
xeira, t0 a Ferraz & Pereira, 40 a Joaquim de
Souza Lima & C. GrAos 4 barricas aos mes-
mois.
Livros 1 caixa a Jose N. de Souza, I a Fran-
cAsoo Cardoso, Ia A. F. Godioho, 1 a 3e.Lai-
lhacar & C., pacole a J. R. Smith, ditos e ou-
tros artigos caixas A ordem.
Massa de tomatoes 6 caixas a Manoel Morei-
ra & C. Mercuric I caixa a J. Lite Bastos.
Mass 7 caixas a Franco da Cunha & C., t a
Manoel Jose da Costa, 50 aos consignatarios,
15 meias caixas a Domlngos Ferreira da Siva
& C.
Nozes 8 barricas Joaquimn de Souza Lima
& C., t a Jad Joaquim Alves.
Peneiras 1 rolo a Domingos Ferreira da Sil-
va & C. Palitos 1 caixa aos mesmos. Passas
10 fardos a Ferraz & Pereira, 11 e 7 amarra-
dos a Joaquim de Souza Lima & C.
Sardiahas 15 barricas a Manoel Drarte Fi-
gueiredo, 50 a Silva Guimaraes & C., 103 1[t
a Domingos Ferreira da Silva & C., 50 ditas a
Joaquim de Souza Lima & C., 30 ditas a Josd
Joaquim Alves & C., 50 ditas a Antonio Pinto
Ferreira.
Toucinho 150% barris a Silva Guimaraes &
C., 10 a Franco da Cunha & C.
Uvas t meias caixas a Domingos Ignacio
Fraga.
Vinho 10 pipas a Cunha Irmaos & C., 50
quintos a Silva Guimnraes & C., I caixa a J.
B. Carneiro.
Carga de Liverpool
Amostras 4 volumes a diversos. Arroz 100
saccos a Souza Bastos & C., 150 a Brown
Thomson & C., 150 A ordem. A'cos de ferro
50 fixes a Parente Vianna & C. Arreios 1
caixa a Moreira Halliday & C. Armas ?9 cai-
xas a Parente Vianna & C., 3 a Monhard Met-
tier & C., 7 a Von Schsten & G.
Bacalhao 97 caixas a Brown Thomson & C.
Biscoutos 11 caixas a Francisco Guedes de
Araujo, 11 a ordem. Batatas 10 saccos a or-
dem.
Cachimbos 4 caixas A ordem. Candieiros e
pertenQas 2 caixas A ordem. Camisas 1- caixa
a ordem. Canela 10 caixas a Paulino Jose
da Costa Amorim, 10 a Fernandes da Costa &
C. Canos de chumbo 7 barricas a ordem, 2 a
C. S. Hawkes & C.,. ditos de ferro 18 a Samuel
P. Johnston & C. Chapas para fogo 75 a Pa-
rente Vianna & C. CalQado 1 caixa a Mendes
Lobo & C., 1 a Loyo Sobrinho & C., 3 a Joio
Christiani & C., 3 a Antonio Joaquim Fernan-
des da Silva & C. Chapdos 5 caixas a Gon-
ealves, Irm'io & C., 4 a Alcoforado Vieira & C.,
10 a Cramer Frey & C., 3 a Monhard Mettler
& C., I a Joaqufs da Silva Carvalho & C., 1 a
Parente Tianna & C. Cha it caixas a Cruz &
Castro, 15 a Carvalho & Araujo, 15 meias ditas
a Paulino Jose da Costa Amorim, 95 volumes
A ordem Chumbo 40 barris a Alfredo Alves
Martins, 50 a ordem, 109 a Parente Vianna &
G., 70 a &loreira Halliday & C., 30 a Antonio
do; Santos Oliveira, 28 a Jose dos Santos Oli-
veira. Couros 1 fardo a ordem. Gonservas 30
caixas A ordem. Crystaes 1 caixa A ordem.
Cutilaria 4 volumes a Moreira Halliday & C., t
a Antonio da Silva Faria, A ordem, 1 a Oli-
voeira Bastos & G.. 4 a Parente Vianna & C., 1
a Alipio Vieira & C., 2 a Gomes de Mattos Ir-
mlos. Cerveja 50 Barricas a Brown Thomson
& C., 5) a Domingos Cruz & C., 60 a Santos
Araujo & C., 50 a Jorge Tasso, 30 a Francisco
Cuedes de Araujo, -5 a Fernandes da Costa &
C. Cobre 6 feixes a Antonio dos Santos Oli-
veira.
Drogas 8 volumes a Manoel da Silva Faria &
C., I a Francisco Manoel da Silva & C.
Espirito 1 caixa a Samuel P. Johnston & C.
Encerado 1 caixa a Guimaraes Irmaos & C. Es-
tanho I barrica a Antonio dos Santos Oli-
veira. Estopa 5 fardos a Adamson Howie &
.C., 16 a ordem. 6 a Magalhbes & Rangel, 2 a
.Cupertino de Guimaraes Bastos. Espelho 4 cai-
xas a D. P. Wild.: Enxadas 15 barricas A or-
dem, 10 a Gomes de Mfattos Irmao.
Farinha de trigo 400 barricas A ordem. For-
ragens 19 volumes a Parente Vianaa & C., 20
a Antonio" Duarte Carneiro Viahna, 3 a Car-
doso & Irmao, 7 a Antonio Rodrigues de Sou-
za, 16 A ordem, 6 a Vaz & Leal, 8 a Samuel P
Johnsto,, C., 1 aos Herdeiros Bowmano, 1 a
Gomes de Mattos Irmino, 5 a Alipio Vieira &
C.. 9 a C. S. Hawkes & C., 1 a Jose dos Santos
Oliveira, a Antonio dos Santos Oliveira.
Foles, 16 volumes ao mesmo. Ferro 92
feixes a ordem. Fio 5 fardos a Monhard,
Mettler & C., 11 caixas a Parente Vianna, 5
fardos a Adamson Howie & C. Ferro galvani-


sado 6 caixas a Samuel P. Johnston & C. For-
mas para assucar 80 feixes a Cardoso & Ir-
mao, 10 aos Herdeiros Bowmann. Fogareiros
160 a Antonio Rodrigues de Souza, 150 a Jose
dos Santos Oliveira. Folhas de Flandres, 40
cunhetes A ordem.
Graxa 1 barrica a ordem. Gdnobra 30 cai-
xas a Ramos & Garvalho, I A ordem.
Linha 34 caixas A ordem, 2 a H. Nuesch &
C., 2 a Oliveira Bastes, 20 a Antonio Duarte
C. Vianna, 3a Moreira. Halliday & C. Lena
4 fardos aos mesmos, 2 a Moqhard, Mettler &
C. Louga 66 gigas a Johnston Pater & C., 16
a Souza Bastos & C., 11 a Simpson & C., I a
Bernardino Duarte Campos & C. Lengtes de
chumbo 8 a Alipio Vieira & C.
Machina para fumorl caixa a ordem. Man-
taiga 29 caixas A ordem; 0 a H. Nuesch & C.,
7 a Carvalho & Araujo. Machinismo 13 volu-
mes e peas a Samuel P. Johnston & C., 13
aos Herdeiros Bowmann, 1 caixa a J. E. Pur-
cell. Mercadonras diversas 1 caixa a Sinay &
Lion, 10 a Parente Vianna & G., i a G. A
Naumam, 2 a Oliveira, Bastes & C., 2 aos
consignatarios, I a Gongalves, Irmao & C.. la
Machado & Pereira. 3 a Alipio Vieira & C., 1
a Auguste Bern*, 1 a Otto Bohres & Succes-
sores. '2 a ManobI & C. Meias 1 caixa Cra-
mer Frey & G., I a GonQalves Bastos &X.


Oleo de linhaQa 10 barris a Manoel da Silva
Faria & C., 10 a Francisco Manoel da Silva &
C. Objectos de uso 4 volumes a Johnston Pa-
ter & C., ditos para esgoto 576 volumes e pe-
Qas a Recife Drainage Company, ditos para
cartos 3 caixas a Mouahard, Mettler & C., s
para gaz 6 caixas a Simpson & C.,, dites ara
escriptorio a Westernand Brarlian Telegraph
Company, 1 a Parente Viann & C., ditos para
chapeos de sol 2 caixas a Francisco Xavier
Ferreira. -
Pedras para ihopaph aix>6.
Gonoalves Torres. Pio de ferro 24 feixes a Go-
mes de Mattos & Irmao, 40 a Parente Vian-
na & C., 18 a Antonio Duarte CarPeiro Vien-
na. Provisoes 7 caixas a B. Thomson & C.,
28 A ordemn, 6 a H. Nuesch & C. Panell6 de
Sferro 20 a Antonio dos Santos Oliveira, Papel
10 caixas a Moreira, Halliday & C. Pimeota-O
saccos a Paulino Jose da Costa Amorim, 10 a
Fernandes da Costa & C. Perfumaria I ca ixa
A order. P;esuntos 3 caixas a lose B. doCar-
valbo, 3 A ordem, 1 barrica a Carvalho &
Araazjo.
Queijos 25 caixas a PareAe Vianna& C., 1
caixa iordem. -
Reioo de ouro Ia Jos B. doC .mlihp.
SaTUre 20 barricas a Manoel -da. va Faria
SC. 0 a Antonio Duarte Garaeiro VwAna, 10
aVaz &L(al. Saccos de tapete 3 cexas a
Loyo Sobriehto & C.. ditos do stop 13 fardos
aos consignatarios, 20 a Mills Latham & C
23a Braga Son & C., 15 a Adamson Hoiw
A .f it Bi I -.4


ja souze


ae ., i a


DRSPACGHOS Dg EXPORTAAO NO DIA 19 QB
.: -! ;OUTUBHO-,- DE 187
Portos do exterior
No vapor francez Orenoqae, carregiram :
gara Paris, F. R. P. Guimaraes 2 volumes cornam
SOabacacbis.
Para B )rdeauxA. Labille 10 saccos corn 750
kilos de assucar mascavado.
No patacho americano M. R, CUa, carrega-
ram para New-York, H. Foster & C. 245
couros salgados corn 2,940 kilos.
No brigue austriaco G. del Largeato, carre-
garam : para o Canal, J, S. Loyo & Filho 1,000
saceos cornm 75,00f) kilos de assucar masca-
vado.
Na barca portugueza Robimn, carregou: para
Lisboa, o consul de Portugal 10 saccas corn
500 kilos de algodoo.
Portos do interior
No hiate national Graciosa, carregou : para
Aracaty, L. P. da Costa Queiroz 65 saccos corn
farinha de mandioca e 36 ditos corn milho.
Na barcaga Siloina, oawegou : para Macahi-
ba, J. A. G. Pires Junior 70 saccos cornam farinha
de mandioca.
Na barcaga F. do Norte, carregaram : para
Parahyba, P. Alves & C. 25 barricas corn 1,5O
kilos de assicar refinado.
Para o Natal, Fernando, Silva & C. 125 sac-
cos corn farinha e 2 ditos corn milho. -
Na barcaga Mossor6, carregaram : para Ma-
cao, F. Rocha & C. 6 barricas corn 395 kilos de
assucar branco.
N'a barcaQa Aguia, carregaram: para o Na-
tal, F. Rocha & C. 22 saccos com milho, 14
barricas corn 950 kilos de assucar reftlaado, e 1
sacco corn 75 ditos de dito branco.
CAPATAZIA DA ALFANDEGA
Rendimento do dia 1 a 19 13:4108072
Idem do dia 20 3924390


VOLUMES M
No dia a 18
No dia 19
iPatacho inglez Islander


13:802416
MTRADOS
3565


3,719
VOLUMES SAHIDOS


dia l a 19
dia 20
Primeira port
Segunda port
Terceira port
Trapiche Conceico
Traiche d'Alfandega


15,335


i I


.15,576

SERVI O MARITIMO
Alfarengas descarregadas no trapiche
da alfondega
Sia -1 a 19 10
: dia 20


11I


NAVIOS
No dia I a 19
No dia 20


ATRACADOS


RECEBEDORIA DE RENDAS INTER-
NA$ GERAES DE PERNAMBUCO
Rondimento do dia 1 a 19 34:605$063
Idem do dia 20 3:4f02778
38:0075841

CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 19 80 39554 2
Idem do dia 20 1:970S029
82:3650431

Revista commercial.
Da semana de 15 a 20 de outu-
bro de 1877.
A'polices provinciaes de 1:0005 e 7 por cento
por 9Z56000 cada urma.
Ditas ditas de 5005 e 7 por cento por ...
472#500 cada urma.
Ditas ditas de 100$ e 7 por cento por 914500
cada urma.
Acces ia companhia Indemnisadora, de
200# por 320# cada urma.
Ditas da companhia do geberibe, por 865000
cada urma.
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 3 d/v 1/2 por
cento de premio, bancario.
Dito sobre o dito, 8 e 15 d/v ao par.
Dito sobre o dito, 15 d/v 3/8 por cento de
desconto.
Dito sobre o dito, 30 d/v I por cento de des-
conto. -
Dito sobre o dito, 45 d/v 1 1/2 por cento
de desconto.
Dito sobre a Bahia, 15 d/v 1/4 por cento de


desconto.
Dito sobre Londres, 90 d/v 25 d/s particular,
e 24 7/8 d/s do banco.
Dito sobre o dilo, A vista, 245/8 bancario.
Dito sobre Paris, i vista, 392 reis o franco,
bancario.
Dito sobre Lisboa, 90 d/v 110 per cento,
particular.
Dito sobre o Porto, A vista, 115 por cento,
banco.
Desconto de. letras de 10 e 12 por cento
ao anno de desconto.
Generous nacionaes.
Algodio.- Entradas 456 saccas, aos preCos
seguintes:
Algodlo do sertio, 1' sorte, a 75100 os 15
kilos.
Dito do dito median, 6$100 os 15 kilos.
Dieto do dito, 24 sorte, 55100 os. 15 kilos.
Assucar.- Entrada 4,842 saccos,.aos precos
semuinles :
donsta a veoda de urn carregamento, a
250 os 15 kilos.
Do de Goyanna costa venda a 25450 os 15
kilos.
Do do Rio Grande do Norte, posto a bordo,
frete de 35 schilings.
A. uadleate.-- Cotamos a 72M0. a, pipa,..
Cafid do Rio de Janeiro.--Cotamos de 8$750 'a
99609os 15 kilos. '
Couros seccos salgados.--^otamos a 385 rs.
o kilo.
Ditos verdes salgados.- Cotamos a 140 r s.
a libra.
Ditos )eccot espicoados.-Ultima venda a
'470 reis o kilo.
Earinha de mandioca.- Vendas de 75000 a
7S% o sacco de 80 litros.
Feijio mulatinho.- Vendas de 165 a 185 o
esoco,
Fuao em latas.- Cotamos de 20$ a 215000
os 15 kilos.
Dito em rolos.- Cotamos de 185 a 205 os
15 kilos.
Dito do Rio Novo e Goyaz.- Cotamos a 39S,
q-t-! u vonda. m d 1 a 5
Gowma.- Cotamos de 3W00 a 4$5 os, 15
kilos.I.
Gorduras do Rio Graande do Sul.-Cotamos


Haos & U.,E
ll(K S1 'ok .


IOV11EBTO DO IPORT

Navios entrados no dia 20
CearA corn escala-4 dias, vapor brasileiro
Pirapana, de 360 toneladas commandant
Jose Henrique da Silva, equipagem 30, em
lastro ; A companhia pernambucana.
Liverpool por Lisboa--O dias, vapor inglez
Delanmbre, de 988 toneladas, commandant
Samuel Palmer, equipagem :9, carga diffe-
rentes generous; a Saunders Brothers & C.
Rio de Janeiro e Bahia-5"tl2 dias, vapor fran-
cez Orenoqvie, de *2,484 toneladas comman-
te de Somer Henri, equipagem 1 9, carga
defferentes generous; a Augitsto Labille.
New-York-50 dias, lugre inglez Harry Heslak,
de. 253 toneladas, capitao W. G. Weeks, equi-
pagetn 8, carga varies generous ; a Fonceca
IrmAo & C.
Rio Grande do Sul-18 dias, barca brasileira
Amnizade, de 163 toneladas, capitao Joaquim
Francisco Gastanheiro, equipagemrn 11, carga
xarqueg; a Baltar Oliveira & C.
Navios sahidos no mesmo dia
Rio Grande do norto-Escuna ingleza Sea
Larck, capitAo H. S. Hellings, carga farinha
de mandioca.
Lisboa-patacho portuguez Robin, capitao Josd
Lopes Mahado, carga couros e outros ge-
neros.
Bordeaux-corn escala, vapor francez Oreno-
que, commandant de Somer Henri, carga
a mesma que trouxe dos portos do surl.
,Navios entrados no dia 21.
Callao e portos intermedios-38 dias, sendo do
ultimo porto I lit dias, vapor inglez Potosi,
de 2,703 toneladas, commaddante A. G., Gor-
don, equipegem 100, carga varies generous;
a Wilson Brothers & C.
Bahia e portos intermedios-4 dias, vapor bra-
sileiro Marquez de Caxias, de 671 toneila-
das, commandante Jo0 F. Nunes, equipa-
gem 03, carga varies generos ; a Domingos
Alves Matheus.
Navios sahidos no mesmo dia
Bahia corn escala-vapof national Penedo,
commandante Francisco Pereira, carga diffe-
rentes ge'neros.
Liverpool ccoma esoala-vapor inglez Potosi,


ai n. o 9 1
Continia aberta a inscrip^o pare as confe-
rencias padago ,as a-que se r6efle b u *sedi
takes ns. 344 3W -de -1 de duzenbro do anno
passado e 'doM d coaem s er o que, do
ordem do inspector -geral, -se declare aos se-
uboves pcossores publjgps.
Secretaria da nitruc oublica de Pernamn-
buco, 16 do outubro do i7.
S 0 seeretario,
Joaquim Pereira da SIlvaGuimaraes.
Juixo dos feitos 4a fazenda na-


S Oescriv
No dia 26 do oo
li horas da mauhl
juizo, tem de serm
ca os bens sautn
A 'casa om sOt
code de Altbouu


Bareros. '-
41A outubl&Uh


sioja.
-Batatas em caixas. Cotamos. a 4#:9 2
a ix a 1 : 1'* 1 1 **1 1' 11 :1'*
ita.em gigas.-o Cotamos dei o '1aiIB
a gigas.
Breu de resina. Cotamos deo 95 a. IS2fL
barrica.
SCarvAo de pedra.- Cotamos de 165 a 20000
por tonelada, conform a procedencia.
Cebolas. -Cotamos a 9000O e 10000 a
caixa.
Cerveja Bass Ihlers h Bell.- Cotamos de 95
a 10$ a duzia de botijas.
Dita de outros fabricantes.- Cotamos do 75
a 85000 a duzia.
Cimento.-Cotamios a 85500 a barrica de 320
libras.
Cha verde.- Cotamos de I00 a 25800 a
libra.
Dito preto.- Cotamos de -1400 a 25000 a
libra.
Cominhos.- Cotamos de 75000 a 1000 os
15 kilos.
Farinba de milho, ingleza. Cotamos a
3J800 a caixa, Malzane.
Dita de dito- americana.- Cotamos a 5(000
a caixa.
Farinha de trigo.- Das marcas Trieste e
Hungara, deposit 4,000 barricas, corn alguma
sahida e retalha-se de 255 a 31000 a barrica.
Dita Americana.- Depoito 1,200 barrnitas, e
cornm algurnma sahida e retalha-se do 255 a 26
a barrica.
Farello de Lisboa.- Cotamos de 45800 a
55 o sarco.
Dito do Rio da Prata.- Nao ha.
Phosphoros.- Da marca Jonkopings, cota-
mos de 2S400 a 2500 a groza.
Ditos. Da &arca Nithedals, cotamos de
2S300 a 2400 a groza.
Gorduras do Rio da Prata- Ultima venda,
a 85 os 15 kilos.
Genebra de'laranjinha.- Cotamos de 35800
a 45 a duzia.
Dita commum.-Cotamnos de 35800 a 45000
a duzia.
Dita vida eterna.- Cotamos a 5$500 a du-
zia.
Dita em meias botijas.- N o ha.
Dita em botijas inteiras.- Cotamos a 135 e
145 a duzia.
Kerosene.- Retalho a 4200 cada lata.
LoucQa ingleza.- Cotamos de 350 por ento
de premio sobre a factura
Manteiga franceza em barris.- Cotamos
a 680 rdis a libra.
Dita ingleza.- Nao ha.
Dita enr latas.- Cotamos de 15050 a 15100
a libra.
*Massas italianas.- Cotamos de 85500 a 9#
a 3aixa, e ha falta.
Oleo de linhaga.- Gotamos -de 15800 a 24 o
galao.
Papel de embrulho.- Cotamos de 700 r6i s
a 1800 a resma.
Passas.- Ultima venda a 75504 a caixa.
Paineo.- Cotamos a 35500 s 15 kilos.
Pimenta da India.- Cotamos a 400 rdis a
libra.
Queijos flamengos.- Cotamos a 25800 cada
queijo.
Dito prato.- NAo ha.
Sardinhas de Nantes em latas.-Ultima ven-
da a 290 ttis a lata de quarto.
Toucinho de Lisb6a.- Cotamos o.bom a 105
e o baixo a 10$500 os 15 kilos.
Velas stearinas. Cotamos a 500 reis o
maCo 4e 6 velas.
VinagTe. Cotamos de 1155 a 1255000 a
pipa.
Vinho branco. Cotamos de 2405 a 2506
a pipa.
Dito da Figueira.- Cotamos de 250$000 a
270#000 a pipa.
Vinho tinto de Lisb&a.- Cotamos de 2305 a
140J a pipa.
Dito do Porto. Gotamos a 95000 a caixa.
Xarque do Rio da Prata. Deposito...
17,000 arrobas, e retalha-se de 5j000 a 7$000
os 15 kilos, da boa.


Companhia doe tilos urba
do Reoife a Olinda e Beberi
Desejando a gerencia d'esta company
tender aos pedidos dos operarios, e ba
tas, par. que os trens de cinco horas e
da manhat sejam mais cedo, tern resolved
do dia 1.o de novembro e-n diante se
partida em todos os pontos das estacoes,
trail do Recife e terminals de Olinda e Be
be, pela manhl, As ciaco e urn quarto, a
timo aviso.
Assimrn como tambem do 1.o do nime:
diante, haverd nos domingos e dias sa
mais um trem As dez e meia horas da n
e da noite, partindo em todos os pontc
tremos das linhas.
Escriptorio, 20 de outubro de 1877.
0 gerente,
L. J. d" Mirandc


CONSgLHO DE COMPRAS DO
SENAL DE GUERRA
Do ordem do Exm. Sr. general presi
faCo public que este conselho precisa
prar o sguintle :
Panno azul para fardas, 876 metros.
Dito dito para capotes, 657 metros.
Brimjardo, 2,567 metros e 10 centime
DiA& 1 nco pa a caloas, 456 m tros
Algodaozinho 663 metros e 90 oentimetr
Hollanda de forro, '76 metros.
Casemira amarella, .) metros e 56
metros.
Aniagem, 182 metros.
Mantas de lo, 166.
LenCos do chit&, 332,
Bande ra imperial corn cinco pannos, I
Toalhas de panno de linho para banque
altar, 4.
Algodio em rania, kilos 20.
Bonets de oleado, 166.
Ditos de panno corn vivos, 166.
Gravatas de sola de lustre, 166.
Livro oblongo de 250 folhas, format r
pautado, 1.
Dito dito de 200 folhas, format carrd,
tado, 1.
Dito dito de 100 folhas, do mesmo form
Cordlo de lM amarella, para vivos, 913
tros.


COMPANHI


Duas nxigiftc~a ,er
chegids do
g 1

Mcr


Ac
d), f-esate
i.Marquez." 4


te o4ez deoutubro q uote se
go, livre de ulta, o primer' se
tre do exercicio corrente deo1877
relative A impo:ite o sbre indast
proissoes, depois do quo sel-o-ha
a multa de 6 por cento.
Recebedoria de Pemambuco,
outubro de 1877. "
0 admainisi n~o;,
iii 1- 1.n1, *1 .* ~ r b f,
Ma.itoCarnq4ei $"deSoza Lzao




AS$MfBLk!A GVMIL
De ordem do Sr presiklente .1o
vidados to4os os Srs. associados a
unirem-se, na sala das se'sdes, do
go 21 do corrente, pelas 4 lhori
tarde, par'aexeeuCo d o u disj
art 36 doe aossosestatuitbas.
Recife e sala das sesbdes da as
bla geral, aos 18 de outubro de I
J. Azevedo. .os Sant
1 2 secretario.

Companhia de' trlhos urba
Ade OlUnda a Beberibe.,
Por ordem do president da as
bla geral so convidados os STs. a
nistas a se reunirem no dia 25 do
rente, ao meio dia; no lugar do cost
afim de ter lugar a reuniao corn q
quer numero, visto nAo se ter reu
nurnero legal no dia 18, como foi an
ciado.
0 secretary(
A. A. Gan


e Srs. Bonaplata, Diez e Galvan. De Benos-Ayres nos dias 1 e 15 de cada mez.
pau- Principiari As 8 horas. De, Buenos-Ayresvido nos dias I e 1.6 de cada mez.
*_* De, Montevideo nos dias 2 e w de cada mez.
to, f. 0 resto dos bilhetes acham-se venda no Do Rio de Janeiro nos dias 9 e 24 de cada mez.
3 me- escriptorio do theatre. Havera, trem para Da Bahia nos dias 12 e 27 de cada mez.
Apipuco#, Olinda e Beberibe. : De Pernambuco nos dias 14 e 29 de cada mez.
ePREgO DAS PASSAGENS
CLASSES
LA. 2. 3a
Para Lisboa e Vigo. I20e2S. 15 9
Southampton 38-35 20 13
WINm J- Bahia ..... 5% 25# 15
t I I- Rio de Janeiro. 100S 505 370
Montevideo. 23 1t 76.8
Buenos Ayres 24 12 8
I I & 1Bilhetes de ida e volta teem urn abatimento
de 25 por cento.
ISP NHDA-se vinho gratis aos passageiros de to-
A nfSP A NHOI i das as classes .
....ilP ANI LA Faz-se grandes abatimentos a favor de fa-
miliasoe para reduceoes sobre os preCos da
DE taWla tratase com os consignatarios.

0 PAQUETE A VAPOR
U T Neva
'I = :Commandante, Bnr 0,
Espera-se da Euro-
pa. no dia25:do'cor-
rente, o qual depois
nutaqws 1Ew S Am rag i da demora do costume,
seiaoe roiva W igo%.#J ^ segsira Pama svies-
fct briOU seffuirf paiAyres, tocando nos
.. Uportos da Bahia, Riod Janeiro e Montevtdo.
.Par asaens trata-se corn os
GEN RAJ 4 S- (ZN ,4 C}A m SIGNATAROS
SIdi' A son owie

U nua do Marquex d OUkda n.s 37
L 'Entrada pela rua do Bispo Sardi-
1 'nhan. 37.
*OMPMWA PElMW OCMWA

dIG peritev tifectament
__.. .commanuante 8 Uv a,
iftdw' isegirlparm 0'opofto
inh 4e ade ar i sd no Indto o S .n i"&
lo 4figtittoto b si~lteiro oo1 oete V, Sanh. S
S1Recebe earga at6 o dia 20; encofnladentas,
uaaiese- lubeiro -a frete, atdas 9 h*ba'
da mnhl dodia da sahida. t
,,,:" j..-1/ .. ,1, ,1^^ ^ I10 ^^^^ K a ft l U ''1 L ,.,1/: 1;;1:] "f af if^ com b -pe:? ril .^
.. .' ".. 1*. 1111 '*_ 1.b n_- ._ ^ iM f


A Condido Lobo.
*awn. a




omesD ports do note.
18 o, iorde direc iada *esma ---_
rias e companhia. previno aos Srs. proprieta- PORTOS DO SUL
coin riosde|piedios, em que existed pennas 0 paquet a vapor
-- d'agua, masque na6 estejam. contrata- Parm
d s direetam t corn os me os, em Conimandante primeiro-tenente Carlos
viritud, de transferencia ou successBo Gomes.
de dominio', qecomparecam no escrip- 0 esperadtowpor-
erda. torio. da refenrida comipanbia, afim de tos do norte at a16dia
.3 legalisarem os respectivos contratos -6 do corrente e depois
no corn seus nomes; e isto para ovitar da demora do costume
w o duvidas e com rn onquo o fario des- r rseguir. pan P Macei6,
Sduvias e c o que no ro des- Bahia, Victoria e Rio
peza alguma. de Janeiro.
Escriptorio da companhia, 18 de ou- Para. carga, encomnmendas, valores e passa-
Stubro de 1877. gens, trata-se'a agencia, scriptorio de corn-
re- 0 secretary, misses de
Bernardiuo Pontual
)min- Josd Rodrigues de Souza. 12-Rua do Born Jesusa-t1
Sda........ ......1 -.--l

^0 fl 'COMPANHIA PERNAMBUGANA
1 Navegaogo costeira por vapor
sern- Maei;Oaprou
sem1877. DO Macei6 Penedo e Av'acaj6.
I0" JJ -rf^, 0 vapor .Coruri;e
o, BE B E R fIT B E commandant Santos
Siseguiri paIa N-portos
A directoria desta companhia declara acima no dia 23 do0-
aos Srs. concessionarios de pennas d'a-1 r ente, s 5 horas da
knos tarde.
us gua, que todas as obrascancernentes as Recebe carra atW 22 ; encommendas, pas-
mesmas s6 poderdo ser feitas corn sagens e dinheiro a frete atW as 3 horra: da
sem"- sciencia da directoria, e presenga do taade do dia da sahida: escriptorio 4
ccio-0 respectiyo empregado, e isto para evi- Forte do Mattos n. 1-
Ceor- tar os abuses que constantemente se CHARGEURS REUNIS
met, dao; e, pare que nao liquern sujeitos .OMPANHIA FRANCEZADE NAVEGAOAO A
IuaI- as multas competentes, manda fazer a Linha mensal entire o
ido present decjaraieo. Iav'e, Ltsboa, Pernambuco, Balia, Rio de
fun- Escriptorio da companhia,18 de ou-. Janeiro e Santos
tubro de 1877. STEAMER
o,. R odr secretario. Ville de Rio de Janeiro
Josd Rodrigues de Souza. m A. ey
Commandante A. Fleury
TI AT'ROE' desperado da Eu-
TIE ATR0 lropa atd o dia 22 do
corrente, sefn.&
SANTA ISABEL dI l depoisda demotaein-
Sdispensavel para os
meoo n 1 1 portos do sul de sua escala achla refe-
be Companhia hespanholaridos.
ia at- Roga-se aos Srs. importadores de carga, pe-
nhis- DE los vapores desta linha, queiram apresentar,
media '4Aft1TUFA 1 dentro de 6 dias, acuntar do da descarga das
o que aAI. UJLAj S alvarengas, qualquer reclamagao concernente
d a a volumes que por ventura tenham seguido
cen- 7a DrpITA AQQTP ATTD para os portos do sul, afim de se poder dar a
nberi- 7. RECIT DE ASSIGNATURA tempo as providensias necessarias.
t16 ul- Expirado o referido prazo, a companhia nao
em Surprendente especta&cul se responsabilisa por extravios.
z ern antos ta-se corn os
ianhi TERRA FEIRA-23 DEOUTUBRO CONSIGNATARIOS
)S ex- SOB A DIRECgAO DE SCENA Augusto F. de Oliveira & C.
Do Sr. Thomaz Galvao 42-RRua do Commercio-42
Programma Entrada pela rua do Torres
S A inspirada Zarzuela em actos do fecundo ,i
poeta Comprodon, music do celebre maestro lovaI MiaH SIeam Parket
SAwiete, Zartuela que, representada 56 vezes- a MJa Sta Pa
A- consecutivas em Madrid, conquistou sempre o a
grandes applausos. Traduzida na Allemanha, C a y
dented terra classic da music modern; admira-se Grande reducTAo nos pregos das pas-
corn- nesta obra bellezas que encerram saves me-
lodias, o mesmo que osprimores de suasi- 0 pAQUTE s A VAeOR
tuacao democratic : tern por titulo 0 PAQUETE A VAR
A MARINA Tagus
e50 PERSONAGENS Commandante A. Gellies
Marina D. Josepha Garcia Tocando em Ham'e
os. Thereza D. HermandesE_ Espera-se dos por-
IJorge, capitao S. Gerner s tos do sul no dia 29 do
3enti- Roque, contra-pi store Sr. Villa Real r4 corrente, o qual depois
Pascoal Sr. Bonaplata sda deote do costume,
Capitao Alberto Sr. Ortiz Filho tosd os.icetpara os pr-
Um marinheiro Sr. M. Diez tos de S. Vicente, Lis-
C6ro de marinheiros, pescadores, aldeoes, etc. ,6 Southampton e Havre.
TerminarA o espectaculo corn o disparate Tern dous vapores por mez, desta compa-
tade comic e lyrico, em 5 acros que tanta aceita- nhia, tanto para o sul, como para Europa.
Clo tern merecido em todas as partes onde ha As chegadas e sahidas sao as seguinte8:
sido exhibidas Da E-iropa
D "TST7ENTA NDI 0e Spmhampton nos dias 9 e 21 de .Aa mez
1lLIjilAllDJU De Lisbba nos dias 13 e 28 de cada mez.
s, Dese h p Srs. Hpa e De Pernambuco nos dias 10 e 25 de cada mei
rosin, Desempenhado pelas Sras. Hespanha o Diez, nt -....


j


)
























LFILA0
UM Co fra m r 'a itoita dos Afoga-
O*- n. 06 A, eoq qieital murado, cacimba,.
S"Wjia e forno pws padaria-torreno pro-
# ,featda e sttf sna povoaglo da Boa-Via-
=icooa portho de ferro na frenta, a casa
pais e 2janellas tambein de frrente,
tw o ai*guns arvoredos e eaciimba.
* ,. Aslhboram por to
No armazem da rua do Impera-
dor n. 1t
*#gete Mareins. faM lr Jo, por ordem do
Mut. Sr. Dr. Claudino dh ,.'Tirimarles, on-
sul potuguez, 4os doQs prep:s acima. per-
tenseptes ao espolio do subdito portuguez
Maat-de Carvaiho Mourn.*


rMm es-a queIti as apiw a para n o ser .o
nhecldo. Do meso pgenho fgo !n wd*il


.do. Gorp<^fo j WW ^^ -"ll *Wfr
comiprado e o Sr. ono o e
Premq0o0 ; e oui6Ro ne Aft p o
Ad6 ADamoR, pou0m .a .iE ;M
jlo; ^ C0opr.()o w %iK 89 Sr. JoM~tpni
etrrelra do Souza, pot procut"adO d Jpaq*um
Rogingues da Se y, kdo mOieipio de Caerfi,
9M $. Beato. Os ditWs 5srWvo furam = e4 Se
gpionto d dow e, faf yjiops pa r 4r.
Jamipe, auimbo mop.aos pmo i~w ,avlp _3!r
tado. As pessoas que o oapturaren ser boAM
rmbinpesadas, pedendo MBriir ao dite engq-
aho ou 4 run do Apollo n. 4, prinueu andar8.
escriptorio de Manoel Ferreit BIrIorUWI.
-- -Um e t.a od prpsa iua v sitio
que tenlha balxa de capim nctlfi4 0 amso-
modos para criaIdo% que seja proximo da ci-
dade, em qualquei ps enr4radas por ondIe
passam as linhas ferreas a bonds : a tratar
nesta typograplha. _
-- Pr isa deuma ama para cozim
nhar ce .r;? na rn. t4 Concordia
n. 43." #
-0 abaixo8assiMnado, unico herdeiro
de sel NOaoh )eue 1gltcio Perei-
ra da Bo ha jl de 's pessoas que sejul-
garem credoras de seu dito filho, que
rto prazo de tres dias, contados d'esta
data, apresentem seus titutos, quer por
contas de livros, quer por lettr;s ou
qualquer outra forma, na rua da Casa
Forte, sitio denominado dos. Arcos.-
Iecife, 19 de outubro de 1877.
ri Josd Iqnacio Pereira da Rocha.

0 unico deposit dos
remedies do Dr. Ayer e
em casa de Adamson
Howie & C.. .a rua do


fttftW p.,Nfts Ji~w i).jfM^ WH dyeli-

'q ra.* T #lirae 43 o--II
j se cosifes tre imisteias. Tman
bpnl davom {ulr i m pfrtew mam pdos
ns capetla do engenhe FUrnciAto, do diesmo
q L.0 ,_ort;AB, As7"" 4a$ d* manen
din e Aornq






qm reste de Siouar
TogdaO ao fue iwmnos
c6fpende ows seus pa. -
rsztes e amigos para as
siSu aeto r missa qu. man-
dan cdelebrara por nwa ee
SU&t Un JwqiI~fl FIrTncrsca de Albuqra~rque,
no diA 3. conben tpo Cerooo.

Josep Maiadir
S zer as e Sftlrat.
s filos e genrs
senh'^^ de I). Josepha Maria





li$IM'tlI pedes n nonsd seus paren-
^|Hl~lQHP^^ tea 8 23U1^OS qUB pot
qiaumA misiaque oman-
clmlerarpe r alma do rece-
ii^^^ "j^ i^ ber convite, pars o seu
enterro que tera lugar hoe, sahirndo da natriz
de Santo Antonio As 9 horaso dia o especialano
favor-de acompanharem & sua ultima maorada;
pelo que fcarao eternamene gratods.
SMonsenho r Francisco Muniz
Tavares
^siESBSSS^^. Urn amnigo do finado Mon-
g^^HHB^senhor Francisco Muniz Ta-
vares, convida a seus paren-
\E~ M tes e am wos Para assistiqrem
a uma missa que manda ce-
lebrar por alma do fallecido,
S no dia 23 do corrento, na
^^^^^^^gimatriz da villa de Gamiellei-
enterro; ueeuina, rs 7 horas da manha, 20
anniversa ofic lu paseamento; e desde ja
flUa grato po"aeto !Io piedade e religiMo.


MRhLO UNIfUfRAL


m

0
0
0
ci
0r


USILUO IluMspamSLVE


QUATRO MIL MACHINES VENDIDAS b
......... .. m. ---i m -i- m -

ALIMENTO PARA AS CRIANIAS
Alo o das ienhoras e das ovens pewsfas.
SolrUlca mas Crianugas as pesss fracas do peito, do etoago
oU attacadas de chlorose ou d'aemWa, o melhor e o mais agradavel almoco e J
o I&_HOUT da ABABES, alimento nutritivo e reconstitumnte doe
RELANGRENIR, de Paris.-Depositos em todas as principals Pharmacias.


TIinlura Japoneza
A unica approvada e premiada pela.
academias de Paris e Londi es, por nac
ser prejudicial d safide, encontra-se na;
principles casas de cabelleireiros e ern
toda.3 as boticas principals do Pernam-
buco, Caors, Bartholomeu & C. Mau
rer& C. erua da Cadeia On 54, .to an
dar.

Aluga-se barato
o 20 andar n. 38 da rua estreita do Rosario
paa ver, as chaves estao na loja, e para alu
gar, trata-se na rua do Maiquez de Olinda nu
mero 58.
Na Magdalena
aluga-se urma boa casa com agua e gaz, ne
rua do Passandu n. 19 : a tratar na rua dc
Joao do Rego n. 3"2.


;am


ri
war


0
z
>-

o
z

0l)


LEILAO
-. DA


ormao, g*n;ros 8 mais utensilios exis-
tentes na taverna sita 4 rua de Mar-
ts~f tysn.53
IA]RTA-jiERA 2'1 DOeCOFRENTE
as it horas em pato
0 agent Martins fara leilto e rn um ou mais
4tes, A vontade dos compradores, da taverna
acfkna, a qual se acha muito bern afreguezada"r
bem localisda e propria para principiante.
LEILAO
Em continuaAo
TERX-FEIRA 23 DO CORRENTE
A'S 40 1/2 HORAS
SOagente Gusmro continca o leilao da loja
de miudozas da rua de Nfarcilio Dias n. :,0.
ao porrer do martello
LEILAO


um caixio para casa, que corn pouco dispen-
jio flcara concluirfa, e de um terreno anne-
*' i,-. iito Arua. -do Destino, nos oitLas do
hospital mfilitar e quartel do Hespicio
S. (.hAo.i proprios)
QUNTA.FEII*A 25 DO CORRENTE
A's 11 horas
POR INTERVENAO DO AGENT
PINTO
Na rua do Born Jesus n. 43
SEGUNDO
LEIL AO
r ** DA
casa da estra4dn da estacdo da Casa For-
te para o PogO, tom grande quintal,
corn cerca d4e 198 palmos de frente e
191 de fundo, a qual rende 300#000
por anno, e servird de base a offerta
obtida no lo leilao, que foi a quantia
de 1:7'20OOO -.
QU1NTAL-.EIRA 25 I CORRENTE
As 11 horas
POB INTERVENrAO DO
AGENT PINTO
Em seu esprlptorlo
Na rua do Bomrn Jesus n. 43
SEGUNDO
LEILAO
DO
sobrado da rua do Amorim n. 17
QUARTA-FEIRA 31 DO CORRENTE
A'S 11 HORAS
No armazem da rua Duque de
Caxias n. 18, antiga rua das
Cruzes
0 sobrado de 4 andares, tendo no 1o andar
varanda de ferro, onde assenta 2 portas de
frente, i janella no oita.o, 1 sala e 2 quartos
So 2'andar tern os mesmos commodos, varan-
da de ferro corn 3 portas e 2 janellas no oitao;
o 30 tern 3 janellas de peitoril na frente e 1, no
iotao, corn 2 salas e quarto que serve de co-
zinha ; o 4o tern os mesmos commodos que o
3,, e o pavimento terreo no armazem tern
uma porta de frente, medindo o predio 3 me-
tros e 66 centimetros de largura, e 11 metros
e 10 centiUmetros de comprimento.
Os pretendentes podem desde ji examiner
o referido predio.
0 agent Stepple fara leilao do sobrado aci-
ma em virtude da autorisacao do llm. e Exm.
Sr. desembmrpdor juiz deo:ifreito provedor de
capellas e residnos, o qual faz parte do espo-
ho do commendador Jos6 Jacomo Tasso.


AVISOS DIVERSOS
-F-recisa-se de um batedor de assu-
c na Refinacio Pernambucana, rua
da 'Jmperatriz n. 46. r

FLORA BIRAZILEIRA
Por 6$ se podeobter um exemplar
dessa excellenteoba, em grande folio,
corn gravuras 4inas em fumo e colA-
ridas, representando as planaLs., oriua-
das do Brasil, em 40 v uneume-,a a-
util e necessaria nmio s6'pi oa- Srs.
medics e pharam;w.mottiee, eiin6o pra
qualtuer ;m dbr ou estabclecirncii to
public. .
Para inforrnacoes nas seguinte ca-
sas-
Costa Maa & C., i'm Prirniro de
Marctt a-.*. *-6a .,
Marques & G., rua do Ilmperadcw
n. 24, confeitaria do Campos.
Campos & C., rua do Imperador 1n.
28, archi-armazenn.
Anitonio Sarnpaio do Naqcimento,
rua do Commercio.
Franciseo Xavier Ferrara, r.ata Pri-
mvar0 d'Margo n. 4. j i .

Encyclopedairtte
SVend^ numaEncclopedia modena,
..iccionrh de sciencias, arts, letras, in-
dustria, agricultura e commewo; pu-

mi Didot, sob a direcq&o de Leon Re-


A obra ,orW ip de 30 volumes,
einaderados, em born estado, send
7- df txto e 3 de atlas.


bin.
do,, na praja
i.o andar.


I
I-

0
I-.







0.
cI
0
CL







CO


Marquez de Olinda n.
37, entrada para o es-
criptorio rua do Bispo
Sardinha n. 37, outr'o-
ra rua do Eneantamen-
10.


Offerece-se um home sem familiar para
caixeiro de engenho, do que tern pratica, e
offerece a1gumas vantagens economieas ao se-
nhor do engenho : a tratar no caes do Ramos
numero 32.
Precisa-se de um maenino para mandados
e compras : na rua da Pal na n. 118.
Precisa-se de uma niam para todo o ser-
vico do uma familiar de duas pessoas: na rua
do Marquez de Olinda n. 21, 20 andar.
-- N. rua estreita do Rosario'n. 38 ha uma
pessoa.que se encarrega de'armar tu iL ulos e
catacumbas no cemiterio public, para o dia 2
de novembro, commenmoraAo dos fieis de-
funtos. .
0 abaixo assignado ten autorisado ao
Sr. Flaviano Monteiro Machado a tratar do
seus negocios nesta cidade ou f6ra della, da
accord corn a procuracao bastante que neste
data Ihe tern conferido. Recife, 18 de outu-
bro de 1877.
Minoel Ilygino de Carvalho Couto.
-. Precisa-se de uma ama para f6ra de.ta
cidade, que saiba cozinhar e engommar: na
rua da Aurora n. 19, le andar.
Manoel Hygino de Carvalho Couto julga
nada dover a pessoa alguma nesta provincial
ou f6ra della,;, mas so alguemr julgar-se seu
credor, apresente seus titulos para serem con-
feridos e pagos se estiverem legaes.
Precisa-se de umn menino para caixeiro :
na rua Direita dos Afogados n. 17.
Aluga-se uma escrava cozinheira e en-
gommadeira, e dous moleques que lavam pra-
tos e compram: a tratar na rua de S. Jorge n.
74, das 6 As 9 horas da manhl.
Aluga-se o sobrado de um andar e sotloe
a run de Lumas Valentinas n. 27; o segundo
andar com sotaio no pateo do Terco n. 27 ; o
primeiro andar e pavimento terreo d rua do
Rangel n. 41 ; a casa terrea a rua de S. Jono
n. 79, c finalmente a casa corn pequeno sitio
no Espinheiro, onde morou o Mangirilo : a
tratar no segundo andar da casa n 41, rua do
Rangel.
Aluga-0 emOi1ids;para fesi iuia ca~
corn excelled ess toAtosara f lmia 4pf
meira da ladeira da Miseriordia n. 17 te,
um pequenw shio corn portlo para o t0 i-Fthh
e muite enxuta. Na rua cda Imperatriz n. _92o
andar, se dirr corn mUI^ tt r
Aluga-se baratd a caa corn sotao, arima-
Cio e mais utencilios para taverna, a estrada
los Afflictos entire as duas primeiras estb-
Q6. bo- nto par l e A at

-* ga undo d C

dar o mesmo so rado.
- Narua de S. Francisco n. 18 alugam-Se
emas para oL4049Wr BOapgqmrar.
Altiga-se urma estava para todo o ser-
viCo : !:1 I:ru; do UvrOafftlo n.'15.' "
Aluga-se o 1o andar da casa n. 56, sita a
rua da Resta ;, agtiga Guia: a at aT
junto n. 51 ; :
4i= Precisa-se de urma ama que co-
Ama zinhe ra atnra.b
pequena farilia : de
30, segundo and

AiMAS para lavar e engomMar e
outra pai qcoznha, mra asae de fa-
milia: a ratat, LnaLrua4o Vif;co i4e
Itaparica n. 34. ,. -

SArre da-se
urea $)onita baixa decipim, na estrada de
Luiz do Rego, peuce adiante do hospital in-
glez, em Santo Amaro das Salinas : a tratar
oom.Antonio do Rego Medetrps. ua.ruda 1-
peratriz n. 23, estawtieeimentto do mo hidos.
01 M Altt-se
o Io e 30 andares do sobrado n: 13, sito A rua
darato a oin dss t2 3v 4$ do sopile
da ru&> do dre-Ftoiiano; oadT~ilf
*.,37 dar %u^jror,; iTm*LSf' ~etnijjU
memro' &i. '* '1'''1 ,?-'-


bainato a lojn da travefladrpai oPreV


pM8. PARA RRTIRAqIO

N,


Mariana Alexan4rina de ,Oivei
ra Loyo
Jose da Silva Loyo Junior e seus fi-
Ihos, Henrique Bernardes de Oliveira e
sua^ mulher, dblorosamente feridos
pela pr:3inatura morte de sua sempre
lernbrada esposa, mni e filna, vetn ag: a-
decer a todas as pessoas de sua amisa-
de que se dignaranm de associar-se ao
seu sentimento, e de novo convidarn
aos seus parents e amrnigos para as-
sistirem A missa do setirno dia, que de-
vera ter lugar no dia 23 do corrente, as
8 horas da manha, na igreja do Corpo
Santo.
Distribuem-se esmolas aos pobres de-
pois da missa. ___


Eseravo


Altiga-se um para refinagao oa armdazem de
assucar: na rua do Marquez do Herval n. $.
Fundirella -,-
Por propria confissao deste hwec4j, o pu-
blico sabe que foi o reo da faganha de um
conto de r6is ; leiamrn o Diario de 18 deste, que
colherao mais alguns bocadinhos de gentilezas
desta entidade. 0 que fornos colhendo deste
1..... communicaremos.
__ __ 0 conto de reis.
AcCOes entire amigos
As de urma casa n. 47 A rua do Bomfim, em
Olinda, que corriam c,,m a ultima loteria do
corrente mez, fleamrn transferidas para a se-
gunda do mez de dezembrO, send a unica
transferencia.

Escrava kugida
SDeiappareceu no domingo, 7 docorrente,
ao engenho Universo, freguezia de Agoa-Pre-
ta, a escrava Lucia, corn os seguintes sig-
naes : cabra, magra, cabellos quasi pegados,
denotes curtos, terido na orelha esquerda uma
leve cicatriz, e um pouco acima na cabeqa
outra do tamanho da cabeca de um dedo, copa
falta de caliello, que penteado para o lano es-
querdo, difficuloa ver-s, e mais amarrando
leng- co* co slma. ToTnou passagem no dia
ima, para o ROife, noltombarcando na
istacao de iaibuca. Ats fiz ser forra, a
-outros quoe tewn am, pari6tf; 6 natural do
Brejo da Madre de Deus, para'onde e provavel
procure transprt'ar-se, tomando passage no
Uti pa t. Dhita escrava foi cotnprada ao
toneti-corond iLuiz Paulino de Hollanda Va-
lenCa, de S. Bento : roga-se As autoridades e a
quern quer que. a encontre, o obsequio dp a
levar ao engenho Universo. o1j4rua do Mar-
"p Leal &



ara de leite, sadia e que tenha leite
pn abundancia, e naio tenha filho : nes-
ta typogrmphia se informara. Paga-se
bemn. *."
PassaWoS impor-
f ^' Itifettes

dald ulvendida urna pareiha
a do CearAi, Cuja can-
ton&6 r ;tO imuito certos por
se acharem juntos ha tires anuos, o preCo e
muito razoavel em vista da qualidade dos re-
oridos pas4r s. ..

Je.4eugomma-se
corn murta perfeielo e asseio, na rua do Mat
quez do Hlerval b. 152, antiga Concordia:
queonm ",,, ij a trtar na mesma
Sooiedade I.W. W
Go rre. covo a,. leIa Ia (,Prt)ncia 00 t~s 23
Ado-crmmnte.


Existe na Parabyn a um armaaze,
Aaf aIg l a Coande du n. 34,
b iouco bad.e..consiri o..


I lOwtl ODftU0 4
Eit~QWOR&JQ
PAHR18


AM,-' -
ug*Iipotl.AIU-*


Vys4 *I ol


Moleques e rapazes
Precisa-se de iioleques e rapazes
para vender bolos e bolinhos pelas ruas,
paga-se b6a vendagem, na qual podem
ganhar para mais d, dez tustoes, atd
ou cinco mil rdis por dia, conforme
adiligencia: a tratar na Confeitaria do
Campos, A rua do Imperador n. 24
Aluga-se o predio da
rua de Hortas n. 4, constando de ai-
rmazem e sotao, corn 2 quartos e. salas
proprias para moradia de quem n'elle
se estabelecer corn taverna, para o que
tern armagao e utensilios e o lugar e o
melhor possivel. a tratar na thesouraria
das loterias.
-AGORA. SIM
NAO PODERA' HAVER MAIS CABELLOS BRAN-
COS) COM A TINTURA CIHNEZA
Preparada pdr A. R. Ramalho.
21-RUA DO MARQUEZ DE OLIN-
DA-21
Esta tintura faz tornar os cabellos
rapidamente pretos serm offender a cu-
tis, &muito facil de se applicar. Ca&a
frasZco acopanhara as instruec6es ne-
cessarius. -.
0 autorda tintura chineza ndo preci-
sa de encher as columns d'este journal
como Imuitois outtos autores.fazemn, en-
grandecendo seus preparados a ponto de
tornal-os uma maravilha, sense leinbra-
rem que, a maneira que seu autor os
eleva, o public os p6de rebaixar, poi
que as mais das vezes 4 enganado.
Portanto, o autor da tintora chineza.
certo do born resultado, jA pelas mui-
tas experiencias que se tern feitb, jA
peas Was prova-que snmpre tefi tido,
recommend esta 4 a. .
Pedetao ijSmente q ge rimentern
ella, p* 4ep4a fsQu j zo.
U#o deposit, em casa de seu au
ro acirm- .

Alaga"se
um sitio na povoaftoda Boa-Viagem, denomi-
nado sitio da GamlleHt'a,- o qual *fica proxinn
a ponte, e com porto de ferro na frente, o n
bastantes oommodos para grande familiar : a
tratarna rua Direita dos Afogados n. 66 A.
Attenc;.
Na rua Nova n. 40, primeiro andar,
prepara-se bouquets decravos naturaes,
ricamente e4.itados 'corn fits' borda-
dat a oturo, &o 'W cravos, por 206,
iqo e 12, e simple" por 10% e 8;
faz-se whandejas de bolinhos fins para
casament6 e lbaile por 30$, 20W e 61,
e todaya qualidade e- flor de pano, de
gm, e de papel, coMn presteza e ba-
iato. r "______ "__"_______
^ ~ ~ ~ ~ I S t-1 ^ -z.lf'* *f11.^^l3:- *.:


MOV E FG&AO DE AALW
..i '. -E r 1
Q -PUL .03 *UZWA _"]

)0 44eftcimnto d'este a*t 6 d widspo s* 0 I d t
ros t' aupiwscias feltas pelo D' DOCOi3 duran6e lono sanma
a"m dovsamk ah -a* papsodutob 4 0. 4Se aie- 40
~rnsmihoe amafto e oepo, de Sao*is

a su. mv p.
0 Oin DCOIJI 6 um poderoso mdIeuieto ontra a
SAaiwta CMwet, Doo&pO do poitl, Atu, Z.a(ua
Ce atrr, TfmuT, Daul ubsnMoM n Iszjrns=oM1

Em ruvo do emprego fatdfa seo0omo.o 0 per U1o
Tor mfitr mm obro demagraAvtl; eI Ka doKa"
H rseoo B42o uepeoialmeat o"to Ole.
DEPOSIT IMAAL EM PARIS
JYDU001UX

mPm ~0- 9003,s xlax .alxt-x>O] F0% DO*


A'
an" 4. z.
^ M l b 4 B M ft 4 t m - ^- B 4 1 J I I T < "
AL mob, __uf MaL oow


ErpedrZ qe hao joga.
ATua de em p Ldna dura,
Tanta dia W" quo fta.
(aa esta de hrwze, que se nao
tern furado por ser estanhada).
Rogapse ao fim. -Sr. Ipaco Vieira
de Melo, eswriv-o da cilade do Nama-
reh. desta provincia, o favor de vir a
rua Duque de Caxias n. 36, a conluir
aquaelle negoco que S. S. se cmpro-
metteu a realisar, pela terceira chama-
da deste journal, em fins de dezembro
de 1871, e depois para janeiro que pas-
sou a fevereiro e abril de 1802, e nada
cumprio; epor este motive, pois, 6 de
novo chamado para o dito fim, pois de-
ve S. S. lembrar-se que este negocio 6
de mais de oito annos, e quando o se
nhor seou filho se achavai.sta cidade
Aos fumantes


0 abaixo assignad6, estabelecido corn
fabric de cigarros, convict da justica
que o public dispense aos products
de sua fabric, expostos A venda em
seus deposits e na loja do Sr. Joa-
quim B. dos Reis, previne aos com-
pradores de seus cigarros que ultima-
mente descobrio que alguns vende-
lhMes, comprando-os em porpo, ven-
dem-os a retalho, ficando corn os ro-
tulos, que depois cedem a outros fa-
bricantes.
E como o abaixo assignado tern con-
vicco de que os furnos que emprega
sao bons e escolhidos e que, natural-
mente, estes outros fabricantes que se
apadrinham corn os seus rotulos, nao os
farao corn os mesmos fumnos, trazendo
assim um descredito para sua fabric,
pede a quern comprar cigarros de suas
mnrcas e nio os achar bons, que ve-
nha couferil-os, para atinal conhecer-se
quem sao os falsilicadores.
Ainda no dia 3 appareceu-lhe umrn
menino offerecendo 168 rotulos, que
dizia ter comprado a unm seu visinho,
a 640 rs. o cento, o que prova a... ,eco-
nomia do mesmo seu visinho.
Recife, 9 de outubro de 1877.
Jos0 Antonio Domingues de Figueiredo.
Escravo fugido
No dia A6 do corrente fugio um es-
crayg de norne JoAo, pardo escuro, um
pouto alto, secco do corpo, vestido corn
calga e carnisa escura, -chapdo de cou-
ro, alpargatas nos pes, e conduz sur-
rdo de couro escuro dq carneiro. E' do
sertao do Pianc6, e foi mandado por
seu senhor o.Dr. Cyriaco, paraoser ven-
dido nestacidade. Quem o apprehender,
[eve-o a cidade de Olinda, botica de
Joao Soares Raposo, que sera grati-
ticado.
AUDITORIO
0 tenente Pedro Bezerra Cavalcanti
Maciel, para avaliador nos juizados de
orphAos, fazenda e civel.
SEspera merecer a devida confinian
de todos os sens amigos e concidaddos.
Por diversas vezes tern se prestado o
supplicante, que tern sido sempre d'ac-
ordo corn a lei e a consciencia.
Caixeiro
Precisa-se de urn para tomar conta
s de urna venda por balango, dando fiador
o de sua conduct : a tratar no becco do
s Pocinho n. 31.


Melies
Frescas botinas e sapatoes de Melies, rece-
beu a Nova Esperanga. d rua Duque de Capias
n. 63 ; a elles, antes que se acabew.
Aluga-se um excellent sltio em Be- ,
beribe, no Porto da Madeira, junto ao
Srio,contendo mui boa casa de vivenda,
corn todos os commodos precisos,
jardim corn gradeamento de ferro, ca-
cimba e algumas arvores de fruceto,
Sbem como um gradde'terreno corn
Sbaixas de capim a tratar no largo do
Corpo Santo n. 15, 10 andar.
.i: NO AN :0aP

Aos donios ic sitio
Na confeitaria do Campos compra-se fruc-
tas, a saber :
Uvas, figos, sapotas e laranjas de umbigo e
selects.
24-RUA DO IMPERADOR-24

Ama
Percisa-se de numna que saiba cozi-
nhar com perfei0io: a rua do Marquez
do Herval n. 12, antiga da Concordia.

Maebinista do gaZ
A antiga officina de encanamen-
tQs para gaz e agua, na traves-
[A do Marquez'(To Recit* 2it-
.OUgo *Meoo do Ouvidoir -n.o
i2 A.Bism
Compra--e apparelhos de gaz e agua
em born e mao estado, comrn seja qpn-
dieiros, arandelas de bro eferro,
lustres de vidro, registros, torneives,
chumbos, latao, cobre, bronze. vreho,
:etc. -
Nesta mesmna casa encontraruo os
seus freguezes uy sortimento de ewca-
namentos de ehtuabo, e apparel hos pa-
raTgaz e agua; enearregiando-se o ma-
.chinista. de collocar e fazer qualquer
obra deo sua profissa&x, mais barato do
que outro qualquer, tendo sempre pes-
s6as habilitadas para "tratar de Qual-
quer orgamento,,iconcertos e limpe-
sas de lustres e encanamentos de.gp e
agua, latrinas, lavatories, etc

Rial !em segu 'o
Chegaram as verdadeiras agulbal t ta-
chhae i*o mator Grower' Baker, asa -" o
,nas azite pa as e.si.as: a.fts 6:0
de Cas n. 91. .
-. t^J^

se a cash


I










a


Escravos fugidos
No dia 20 de agosto de 1877, fugiram do
engenho Gawaragibe, do termo de Serinhaem,
dous eseravos de nome Jose, aendo um alto,
corpo regular, pouea barba, cabello carapinha-
do, tern um braco quebra&o e por isso um
pouco torto, tern alguwas ioatrizes de relho
nas costas.; este eseraw foi comprado em 16
de maio deste anno nesta cidade ao Sr. PA-
tricAo Jos Tavares, que o comprou na cidade
da Parahyba. 0 outro de altura regular, cor-
po tambem regular, muita barba, fall final,
idaie31 annos ; foi comprado na mesma data
em que o outro, ao 'r. Manmel Travassos Sa-
rinho, moradot em Bom Jardim, Parahyba;
este escravo e. viuvo e dewao filhos na Para-
hyba : roga-se As autoridades' policies e aos
capitaes de camp a apprehensio destes es-
crovQS, gratificando-so a quetm oa entregar
nesta cidade aos Srs. Manool Alves Ferreira &
C., A rua do Apollo n. 4, primeiro andar, ou ao
respective senhor, no engenho Camaragibe,
em Serinhaem.

Grande hotel Central
RUA LARGA DO ROtARIO N. 37
Francisco Garrido, depois de sua
viagem .a Europa e Estados-Unidos,
acaba de tomar conta debaixa de.jsua
direegAo do dito hotel e avisa aos seas
amigos e innumerosos freguezes que
tern a honra de ver-se favorecido pelos
mesmos e demais pessoas que o Uei-
ram concorrer, encontrando n memsmo
estabelecimento todus os generous apro,
priados e os mais' frescos do mereodo,
servido corn promptidio e moralidade.
S0 born tratamento tern acreditado
este hotel, nio s6 em attenoio a serum
do mais antigos, como porque e sea
proprietario tern grande pratica adqui.
rida nos dous continents. A' frnite dk
cozinha acha-se o melhor e moImIa' i
ditado cozinhefro Mr. Gustanvefralle


Dai-se a..quaatilaammaj a qom pew ot -s
cuavo D ic .to, p arto wAn tK.ioto-,...n*u ,
regular,cheio do corpo, rosto redondo, < ,
lo4 *timnploh, wba-b po lea.x ia1tWIo.


0 de


,PABIS PARIS


14






I'


S















hi
I


-.r.


I
A..J


*i ;
t-
'A








'1 -
i
* '* '


Aft"Wwom"".


ffmm


ar


Y


<0,
-


k


A r-q


I













Trll


U. 92.


Batats


V "4s" mU Ui.novS a 31000 a cai.
-xa e 0rs. a. libra: na rua do Uivr,
s enton. 31.______


FWg4m amerieanos para ieuha e car.
Grades para a lavoura.
Maculins para descaropar algodao.
"bcmioasra vapor de forca de 2 112, 3
4cavallos.
Yendema-se na rua do Marquez de
Olinda n. 14.

Attenao
Pede-se aos Srs. abaixo declarados o
tWbr de eoMparecerem i rua do Bario
*Vtetoria n. 8, a negocio de seu in-
. .i teresse.
JoWA o4 lo de Carvalho.
Josd Nllix do Rego Barros.
Jowd Maria Ferreira.
AntonJ6 Dias da Silva Cordial.
Antonio Pedro de SAi Barreto.
Antonio Pereira da Rocha.
Anton W Magathaes.
Augusfb Dutra
Bortino Guedes Ic6.
Briene Rocha.,
Demnetrio Hermillo da Costa.
Gamrnbar6 Filho.
Henrique Leger. I
Henrique Soares Azevedo.
Jodo Cavakante Jdnior.
Casas na Torre
Aluga-se duas excellentes casas na
ovoapo da Torre, corn bons corn mo-
os e muito p)roprias para quem dese-
jar passar a festa no camnpo : a tratar
no mesrrIo Iigar corn o Sr. professor
Caneca, ou na rua Duqtm de Caxias n.
55, loja do Pavrdo.

Ama escrava
Precisa-se de umA ama, -que saiba engom-
mare vender no rua, garantindo sua conduc-
ta, paga-so bernm : na rua Direita n. 56, prin-
moiro andar.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro cornm bastante
pratica d taverna: a tratar na ruia da Cruz n.
73, Recife. 1


Quem javiot....


Quem jA vio abacaxis sem cas-
ca ?....
S6 na confeitaria do Campos se en-
contra abacaxis sern casca, muito pro-
prios para se roiOer g quaituer hera,
por serem alireti'0s .-eftgeran-
tes. .
S, I
Aula particular
O professor M. C. Silva Braga, a-
chando-se despedido do collegio S.
Paulo, por motives alheios ao seun mis-
ter, resolve abrir uma aula de instruc-
9o primaria, na rua do Visconde de
Goyanna n. 131. Aquelles senhores
pais de families que o quizerem honrar
confiando-lhe seus filhos, terao que pa-
Sgar mensalmente, por cada alumno a
quantia de 6^000.
A Botina Maravilhosa
Recebeu um variado sortimento de
calgados Melids para homes e senho-
ras e sandalias de marroquim inglezas
para senhoras e homes.
RUA 1.o DE MARO N. 19.
A' NAPOLEA.O E RUSSIANAS
Betas para n-montaria do fabricante
Meliis, recebeu a Botina Maravilhosa.
Ria '1.o de Margo n. 19.
Tres casas para alugar-se na
Capunga
Urn sitio na rua das Crioulas n. 59, todo mu-
rado, corn casa bastarne grande para familiar,
pintado e caiado, casa para banbo, corn mui-
tas fructeiras, grande parreiral, jardim, baixa
para capim, corn bonita vista para o Capiba-
ribe. Urma casa ni mesma rua n. 61, corn
born quintal e todo murado, cacimba corn born-
ba, casa de banho e bastarfn'tes commodos para
familiar. Outra nos Quatro Cantos n. 29 B,
tambem corn bons commodos para familiar ;
S todos se alugam por preCo commodo, agradan-
do o inquelino: a tratar na rua do Vigario n.
33, Io andar
Agencia de empregados
Quem precisar de boas armas de leite, sec-
cas, de engommar e cozinhar, caixeiros, cria-
dos, feitores e copeiros, afianCados, dirija-se
A esta agencia, no pateo de S. Pedro n. 3,
loja.
Carroa .
Vende-se urna carrova para umrn cavallo, pro-
pria para quem mora no sitio, por ser muito
leve e de molas no caes do Capibaribe nu-
mero 42.

COIPRAS
COMPRA-SE un eseravaque
saiba bemrn cozinhar: a tratar na rua
larga do Rosario n. 32.
Compra-se urn escravo du ,Qia idade que
seja robusto e de boa conduct: no largo do
Corpo Santo n. 19, escriptorio.
CARROCA
S Cornpra-se uma jat usada: no pateo do
Carmo n. 1.

VEDAS .
Grandes espelhos
Amaral, Nabuco a G. receberam elegantes'
grandes espelhos francezes, ovaes, a Luiz XV
moldura dourada, vidro biseaute, e vendem
na rua do Barao da Victoria n. 2.
Folar de c(res
a 500 rs. o covado
Rua do. Queimado n. 43
RP'tl dos barateiros
j r Folar de la e seda, corn listras e la-
or woes, padres novos, uso actualmente
^l".em P s l poamodicepreco do 500
-.P o ao; venham ver ou maudew
ita h r as amoLtras, mediardte qualque-
IBI-;-; o' : S6 hA DO 43 dit^ ^ ritA d Quei-


400 rs. o covado
Rua Duque de Caxias n. 43
Corram e venham ver
Popelines de linho e seda, padres
inteiramente novos, uso actuameote
em Pariz, por W00 rs. o covado: dao-se
amostras corn penhor. 0 3 da rua
Duque de Caxiaa.
Attene5o
Vende-se duas tercas partiess da casa terrea
de numero 13. nopateo de S. Pedro : na rua
Direita n. 27, 10 andar.
Lazinhas a 200 rs.
Na loja do Pavao, it rua Duque de
Caxias, venlem-se modernas e bonitas
Izinhas de c6res, proprias para vesti-
dos e roupas de criancas, pelo barato
prego de 200 reis o covado ; 6 pechin-
cha: na rua do Queimado n. 55.
CORTES DE POPELINAS
a 3W000 rdis
Na nova loja do Pavao A 'rua Duque
de Caxias, vendem-se bonitos eortes de
pipelines de quadrinhos, tendo cada


c6rte 15 corados, pelo barato
de 35()0 cada urn; 6 pechincha:
do Queimado n. 55.


prego
na rua


IEE-E-SE


Sccos d o etapa.
Estopa p'.-a saccos.
Fio do vda
Viaho Xere d( boa
lidade.
Li.-'adeimwrcsi^a


Em casa


qua-


de Adramson


Howie & C.
Rua do Marquez de Oli0-
da P.37.

Tomem nota:
14-Rua do I-mperador-14
0 ARMAZEM DO NUNES
(Nutricao instantanea)
Grande variedade
de generous alimenticios
de superior qualidade.
Modicidade espantosa!
Facili.dade gastrica!
Vaitagem proveitosa!
Veijam:
0 Nunes tern resolvido vender barato, bara-
tissimo ; garantir a superioridade de suas
mercadorias; sustentar uma prodigiosa varie-
dade degeneros raros e saborosos, e final-
mente mostrar a faciidade de qualquer pessoa
passar bern corn pouca dinheiro.
Custa pouco
Venham tirar a prova e depois digam se ha
quen tenha sortimento mais variado e supe-
rior; que venda mais barato e d6 0melhores
provas de sinceridade e franqueza do que o

FAZENDAS D GOSTO
'POR PREC0S BA-
RATISSIMOS
Lindas batistes e cretone liso corn
grande variedade de cores a 320 rdis o
covado.
Superiors alpacas de cores cornm lis-
tras, padres modernos, a 400 reis
idem.
" Ditas ditas ditas muita finas comgran-
de profusao de padres, 500 reis idem.
Ditas ditas ditas lisas corn muita va:
riedade de cores, a 600 rdis idem. .
Superiores popelinesde seda lisas, de
differences cores e bonito tecido a 800
rdis o covado.
Modernos cortes de linho e soda en-"
feitados cornm muito gosto a 105000 o
corte.
Assim como outras muitas fazendas
de gosto por pregos sem competen-
cia.
Na loia dastcolumnas de AntoniCoir-
rejia de' Varedolos, rua.l .o de Maro
it. 13.- ;/. -. .* 1 .-


SA mais nova, do mercado, e em barris pe.
quenos : vendem Domingos Cruz & C., na tra-
vessa da Madre de Deus n. 4.
Vestidos brdados
1 a 106t, 12.4 P, L
oja "America, a rua do CabugAi n. 10;
e quem vende por este prego,
24-RUA DO COMMERCIO-24
Neste estabelecimento vende-se o
verjadeiro e superior vinho de Boi-
deaux, tantoem harris ceamoem engar-
rafado, e mais barato do qI em qual-
quer parte, per ser recebido de conta
propria. No mesmo estabelecimente
compra-se garrafas vasias que tenbam
servido para vinho de Bordea'x ou
cognac.


Pecindha em eaisas
Carnisas brancas, corn collarinho, a
2( a duzia, uma 1.800:
W ttas de cretone, o que ha' de melhor,
a 305 a duzia, unma28500.
Ditas francezas, brancas, as mais ele'
gantes em .punhos e collarinhos, diver-
sos goatos, de 508 a 605 a duzia.
Grande sortimento tambem de pu-
nhos e collarinhos.
0 nimesw em meias e ceroulas, de
menor atW o maior preco, born como
mantas e gravatas.
Antiga loja do Guilherme, rua
do Crespo .n. 20
Chapeos para senhoras
Elegantes e primorosamnel enfeitados ca1
p6os, acabam de ohegar.pelo, ultimo vapor, os
quaes estZo se vendendo por preco muito
commodo : na Fragata Amazonas, rua Duque
de Caxias n. 47.

VENDE-SE
Uns importantes lavatorios inglezes,
de mogno corn tampos de pedra, qua-
drados e triangulares para canto de ca-
sa, corn os apparelhos prateades, gosto
modern, na travessa do Marquez do
Recife- n.o 12 A, casa''o machinist de
gaz, Luiz Moreira d C.


LagedO de Lisb ni
Em pequenas e grades por:os : vende"
nsab"nia do- ecife .


tons alcosi. pari ro fo 40
Se ,zia. E' echiinc'a. "
IMt#*, &e e~re,( sttperioreptah toi
memr, duzia 85, 10 e 120000., Ibm
das.
Meias superiores para senhboras, du-
zia 05 eUil.W00. A4mi'a !...
Britn brantco alcoeboado superior a
35 e 3$500'% aara. E' baratissimo.
Clues frisados do ultimno gosto a
55OO0. i


WW


de cartas de a b c e taboadas brochadas,
organisadas per J. A. de Castro Nu-
nes : Vende-se na Papelaria Commer-
;cial, i rua estreita do Rosario n. 1t.
o o Vende-^
a engenbo Conceicao, em Seriulnhu, nesto
provincial muito born d'agna, pOdendo safre-
lar annuaimente 2;500 .p&ls : qm lpretetn-
der, dirija-se a pmaoa dhOtr pS DgQt hiq
primeiro andar o aaroA coa=rn qu-t4emta
a respeito.,

Fum. ^*cifo
em rolos de insia arroha; vonde-se Pa rua do
Madre de Deus n. 41.1
Luvas do pedica
R.PE', francez.
CHA' preto e verde. *
MALAS e bolsa, para. viagem.
VESTUARIO para crianpa.-
Vendemr Amaral, Nabuco &-d C., rua
do Bariao da Victoari n. 2.
Libhras esterlins
Vende-se libras estedlinas na rua do
Brumn.96.
-.Vende-se na cidade Ue S. Luiz, do Mara.
nbak, uma fund4icao eoam1pW tLe mlntada
corn maehinas, officinas, materials e ,<9e Ao-
rios tendeiates ao mesmo estabelecizmento, .pr
Dreco xmuito razoavel: a liar na' unesms ci-
&de corn Francisco Antbnib- de LimA & :., e
para informaoea, em caaidq< ra.* ThopWi
de Aquino Fo.cec &,C.. ,


Fazenmle o Wdas
C6nqui~ta
a Bua do(auA


'Vende-se spioea' a T-pe 4 M re 91
ediftiadas em chosipro iib p 'e'Ja
Inela, caiadas e iiWtaoas"pr oitk)',atae i'-
tal murado ; rende cadma niBA 70.0 r a tatar
rd'. 15awit 46 C~xigs8 at. 6.ii;., to *


4fr


'M

tI,
Q 4k
'I
p

'I'


Azul

Periao
Braneco


^Amarelif
SSortimento complete de chapdos de palha de
Italia e pallia ingleza, pribrosamqnte etlei-
tados.
6-RuadQ 9at>g^-6
Capellas 'aturias
SAmaral, Nabuco & C. remeberan sot-
timento de elegates capellas funebres,
brancas epretaa, corn as seguintesins,
G:pce :-
A zmu pai A vuea filho
A! nmiuha mai A inhwa. lha
,A meu esposo Sa.*a*A1s
,A?, mduha ssa- Bbacs '-* '
I-11-1A: Wii-^flfliOW*.1


'Vet*Aee iwi&UHk4a i ( do eabOIWl
lopreto pa jaier4 P Ila cor 40 d
pessoa que a encommin oeW e vowhmo
Por Meodeaes evar .
NA IM-A 0 0 mWni, 1N. 90
LOJA $ .TINB S P ORT.S.
IfAIZENIDAS AVAIAAS
Ift 1""A asGMWANTE
-A,' RUA DA liMPIlATIRZ N. 64 A.-
Tern chitas avariadas a 120, i63, e
20 ris ao covado.
Pegas com 25 covados a 38000, 48000
e 5 O00..
Approveitem antes que se acabem.
PANNOSDE DAMAS-
CO
Lindos pamios de daiasco lavrado
coin franja a 35500 approveitem pois
rialmente grande pechincha, na loja
dos barateiros.
A RUA DO CRESPO N. 20-
Camisas inglezas
a $8, 30 e 36$ a duzia, sa fragata amazo
rna a Duqure de Gaxias n. 47.
Campo na cidade
Vende-se uma casa reformadia de Pvo, corn
6 quartos.,2 salas, sotao corn janellas, cozinha
fdra, estribaria, cooheira, deposit d'agua,
banheiro, quartos, tanque de lavagem, jardim,
e grande quintal, em uma das melhores ruas
da Boa-Vista : para ir ver e tratar, a rua Nova
numero 13.
Gelo
Vernde-se este artigo no caes do Capibaribe
n. 38, em pequenar e grades quantidades.
320 o covado
Almeida & C. d rua do Crespo n. 20
Receberam hontemn novo sortimento
de iazinhas de quadros miudos e con.
tinuamn a vender a 320 rs. o covado. Ca-
semnira encarnada muito fina, e lindos
percales, eretones e batistes duas co-
res para Yvestidos a 500 rs. 0 covado.

E


sdia ,- .

quwq', por seme agents B d
maia~nas para aapateiro.
Vend-se o Imperatriz.
Vende-se o Wef Imperatriz. ____
sAUNDERS'BROTHftS & C. ieem para
leader em seu escriptorio na praa do Corpo
fauton. it:
Tiatas em asaa, brawca, de alvaiado de zm-
,o e do ekuibo verde e preta,
Oleo de linhaga em latas de 8 1i2 galee.
Yinho do Porto, superior.
Dui Sherry.
Cogae, ']ai ocxas de uIa duzia.
Gerveja banca e preta, da nito oonb ueoid
mnarca Z, emcaixas.
Verniz para mobilias e
amacoes
Querem enverniar suas mobijas
oorl 000? E' o custo de um fraseo
Leverniz, que di para envoruizar uma
nmobilia. Gonserva seu brilho por es-
pago de-6 annos. Os frascos tern nos ro-
tolos a maneira como dove ser efi ta a
sua applicaiio e por isso pode ser ap-
plicado por qualquer pessoa.
VENDE-SE NA RUA NO VA N. 50
Veos ecapellasparanoivas
Chegaram lindas capellas e veos de blond
de seda para noivas a 6, 8 e 10$ & baratissi.
mo : na fragata amazonas, rua Dfque de Ca-
xias n. 47.



Lindissimas baptistas para vestidof.
a 240 rs. o covado.
Variadissimrno sortimento de maript
zas, a 400 rs. o dito.
Grande sortimento de popelinas part.
vestidos, a 400, 500 e 600 rs. o covadt
Maripozas brancas, o que tern vindc
de mais gosto.
Riquissimo sortimento de cretone,
comn desenhos inteiramente novos.
Popelinas de seda pura, a 16000
15200 o covado.
Popelinas de soda branca para casa.
mento, a 1 .000 e 15200 o dito.
Madapolo francez de duas larguras.
a 5#000 e 58500r
Cambraia transparent para vestido&
a 3 500 e 4:000 a pea.
Fustao branco para vestidos e ves
tuarios para meninos.
Brainante corn 4 larguras, a 14500
vara; e muito barato I
Camisas bordadas para senhora,
3000 e 4#000; que pechincha !
Gorgorao de la, de cores lindas par;
pestidos, baratissimo.
Leques de madreperola finos, dese
nhos riquissimos a 1U)0.
Chitas : grande s rtimento e para todc
preco.
Temos uni comnpleto sortimento de
fazendas, das quaes a maior parte n(c
annunciamos, para nao enfadarmoe
os d gnos leitores, e de todas se dac
amostras e mandam-se em casa da
Exmas. families para melhor escolhe-
rem : ia Fragata Amazonas
47-- Rua Duqte de Caxias--4'
Attenvfio
Vende-se urea important machine
para cortarbolacha, em perfeito estado.
corn todos osjogos de cortadeiras: a tra-
tar na rua Imperial n. 208 ou no pateo
da Santa Cruz n. 1.
Potassa da Russia


Cortes de linho bordado, a 121000.
LinMbo bord4do, covado 5 0 rs.
Dito liso com 4 palmos,covado.360 rsn
Alpacas corn listras de seda, covado
500 rs. "
Chitas chinezas par-a colchas; covado
500 rs.
Camisas brancas para meninro, uma
29o00. >
Cambraia slisas de cores,nietro 500rs
Algodaio corn 5 palmos de largura,
vara 400 rs.
SToalhas felpudas, monstrttosas, pare
banho, a 28500.
Lindas mariposas, brancas e de co-
res, a 360 e 400 rs. o covado.
FiI6 preto corn salpicos,. vara 500 rs.
Britbantina preta e de cores, cova-
do 500 rs.
Esguiao amarello, corn duos larguras,
vara 1(200.
Lindissimas mantas de setim pars
home, a 1000 e 1 $200.
Casemimas de cores, finissimas pars
costumes, covado 35500.
Especial flanella hul para paletot,
covado 3#000.
Damnasco de Id e seda, pelo diminu-
to preoe de 3:000 o covado..
Capas de borracha, prova d'agua e no-
vidade a 248000.
Cortes de casemira do cores, lindos
desenhos, a 55000 e 10#000.
Camisas de linho para home, o
que ha de superior, a 405000, 505000
e 60S000 a duzia.
Ditas bordladas, uma 65000.
Ditas de bonitas cretores, a 305000 e
408000 a duzia.
Caminbraia preta fina, vara 640 rs.
Mantilhas Ai brasileira, a 5$500.
ROUPA FEITA
E'. tao bonito o sortimento deste ar-
tigo e por tio barato preoo, que so
corn a presenga do elegant cavalhei-
ro, se podera mostrar a realidade.
VENDE SE a taverna estabeleci-
da no quarto n. 1 da ribeira da BOa-
Vista, a qual d boa acquisiao por de-
pender de peq,,eno capital, ser muito
afreguezada e em lugar de muita con-
currencia: a tratar no largo da Alfan-
dega n. 2.


* Vinho de Bordeaux
I a 4$000 por duzia de' mreias
garrafas corn capas de palha.
Scaixs sortidas do vinhos fi-
H, Ledelur, rua do Com-
nqprc .4 t 7 to andar.


Cimento portland
Vendem JOBs Joaquim Alves& C., aua do
Barlo da Victoria n. 69.
Vende-se no escriptoriio doe Tho-
maz de Aquino Fonceca A C., A rua
do Vigario n. 19 '
Cera em grume.
Cera em velas.
Cera de abelhas.
Cal de Lisboa.
Cimenta Portlald.
Potasia da Russia.
Claq c1Q JQe~. daoi0 ia ahix.
Atgodit6Liianco e de c6r,-da Bahia.
Genebra ingleza, Old Tom.
Vinho do Porto em caiSu de urea
duzia e em aucoretas 'barris de
quinto.

A 21k o milheiro


Na loja taa yortas
mrua d)Ctreepo n.20
Lindas lazinhas de quadrih "o, gostos
.ovos, a 320 s. e eovado; 6 pechincha.
Gran&e peryodte popines de linito,
bons gostos, p-iraN 240 rt. o eovado.
Bioniutas baltistes, t das sortdas, miu-
dinhas, 24MO rs. o eovado. ,
EEtoayles de edres, u-timos gostos, a
440 rs. o ovsde: aproveitem.
LAzifthas escocezas, padres escuros,
psaa 160 rs. o covad'.
Rios c6rtes de linho pardon, iso e
bordado, abero, 98 urn.
Chitas escuras e claras, para 200 e
240 rs. o covado.
Lindissimas mariposas, brancas e de
cores, lisas, de flores, achamalotadas e
arrendadas, para 320, 300, 400, 500 e
600 rs. o eovado.
Bramante de algodio, 4 larguras,
para 15400 e i$00.
Dito de linbo, corn 10 e 11 palmos,
pars 2S e 28500 a vara.
Fazendas do ultimo gosto, novas
Jaines lisos, uma s6 c6r, yproprios
para vestidos, a 800 rs. o covado.
Gorgoroes de li, as mais hndas cores,
para 900 rs. o covado.
As rnais lindas pipelines de seda pu-
ra or 8M800 o covado.
9s mais moderns eostos em las es-
curas, fingindo quadros, 800 rs. o co-
vado.
Elegante sortimento de gravatas e
mantas para senhoras, e muitos artigos
de phantasia, que vendemos muito ba-
rato.
Loja das 3 portas, antiga do
Guilhorme


Receberam A eftn e t` QauPn l -
mais lindos nanmees "an K I4
gautew padres e w atrnEi
wow, para 280 rtis; f pe777ifc.
Rua do Crespon. 20. -
'Almeida'
0 9 *It 0 9 "l
Rua do QueimadJ
Primeiro brado da baratexa
Admireinm Admirem !
Finas nansuks para vestid6s, core
fixas, a 260 rs. o covado !
Borm sortimento de cretones suisos,
a360 e 400 rs. !
Mariposas e flores do prado, a
e 460 rs.
Chitas finissimas, claras a escuras, a
240 e 260 rs.
Popelines, o que ha de mais goste,
a 320 e 400 rs.
Ditas de linho e soda, sortiment
serm competencia a 400 e 500 rs. :
ellas,
Ditas de seda pura, de 15500 vente-
mos a 800 e 900 rs. ; aproveitem.
Gorgordo de soda, preto, o melkiq
que tern vindo, a 4S, estamos an-
bando,
Grosdenaples a 25500 e 25800 .
pechincha.
Setins de todas as cores, inclusive
Bismarks, a 1 $500 ; d Macao.
Outros tecidos inteiramente
novos
Turquezas de urma s6o cOr, faze"do
de gosto, a800 rs. o covado; e born
verem.
Mariposas de linho puro, fazenda
ainda naio vista, a 640 rs. o dito.
Gorgorocs de li, cores lisas, a 90
rs o dito.
Seda de quadros, a 800 rs. o dito.
Alpacas lavradas, para todos os pro-
Vcos.
Cortes de vestidos arrendados, a-5,
Temos tambem mnuito born atoalha-
do adamascado para ncsa, a 16600 a
vara.
Pannos para dita, de todas soquai:.
lidades.
SBraminte corn 10 palrnmos de largira,
a I S100 ai vara, e todo de linho, a
25200 a dita.
Brins de linho, bronco, a 1#5C0 a
dita.
Ditos finos de cores, a 25 a dita.
Dito pardo, liso a 460 rs. o covado;
e barato.
Ditos angolas, a 440 rs. o dito ;,jr.
veitem.
Lindas colchas para camna, a J$ e 45.
Toalhas felpudas a 56500 a duzia.
Lengos abainhados, em lindas caixas
a 14800. ".. .'
E' o 59, a rua Dugue dt'axias4.ji
de Carneiro- da Cuaalit .. ",

Fazendas brancas
BARATAS
Na nova loja do Pavyo ai rua D1-
que de Caxias vendem-se peas dh
madapolaio inglez, fazenda muito b~a, I
39500 e 45000.
Ditas de dito francez, fazenda mnu4
encorpada, a 45500, .4000 e 6$000.L
Ditas de dito enfestado corn 12 jaa
das, a 39000 e 35500.
ALGODAOZINHOS
Peas de algodaozinho de muito bf
qualidade, a 25?500 e 35000.
Ditas de dito, muito encorpade, a
35500 e 45000.
Ditas de dito, muito largo, marc T
a 45500 e5$000.
INFESTADOS


N?*-;


043-
I)l. I63




darua Duque de Caxias
(Azitiga do Queimado)
Linho pardo para vestidos, a 160irs.
o cavado.
Organdis corn listras de la, a 3500 a
peca; 6 modern.
Bretanha de linho puro corn 30 me
tros, a 8S a peca.
Varas da mesa, a 320 reis; 6 pe-
chincha.
Mariposa branca, bordada, a 400 rs.
o covado.
Batistes finas, a 240 e 320 rs. o co-
vado.
Mariposas ai duqueza, a 400 rs. o co-
vado.
Chita indiana, a 320 rs. o covado.
Brim pardo liso, fino, a 440 rs. o co-
vado.
Peas de cambraia Victoria, fina, a
3$ a pea.
Madapolao francez ifestado, a 55 a
Pebim pardo trancado, a 400 ra. o co-
vado.
Cbitas escuras, a 240, 280 e 320 rs.
a covado.
Chales de caseiira grega, padres
espeeiaes, a 2. urn.
Casemira. preta, fina, a 14400 o co-
vado.
Camisas bordadas, finas, a 3$ uria.
Organdis bordado corn flores, a 500
rs. o covado.
Peca de algodao a 35 e 3$500.
Peca de carnbraia transparent, fina,
a 35500e 45.
Folores de cores, de l e seda, pa-
droes ultimamente chegados, a 500 rs.
o covado.
- Chita escarlate, propria para vesti-
tos e polonezas, a 320 rs. o covado.
Alpaca preta, fina, a 440 rs. o co-
vado.
Merin6 tranhado,' comn 6 palmos de
largura, proprio para roupa de homnens
e de senhoras, a 20500 o covado.
Setim MaeAo de todas as cores, a
111500 w ovado.
Ti'oalhatacolchoadas a 45 a duzia.
Meiai pp meninos e meninas, de
35.a 4S a da.ia. I
bitas devores para homes, a45 a
duzia, e outros muitos artigos per ba-
rate prero, veudeose eia gemso & a re-
'I3UA DOQUEIMADO N.43
Armazem e loja de Guerra &
S. ...
[o
i IWt~tei DA

'6-Rua do CGbhuga-6
Para este estabeleoirmnto acaba de chegar
urn variadissimo, sortimento de fazendas para
gradee toilitte, assim come
GranadIzne de c~rs:


..A-


Algodao. francez, infestado para ip
O4es. de urn s4 panno, sendo mrio
encorpado, vara, a 15000.
Dito trangado, corn a mesma largw4ir
a 1$280.
BRAMANTES
Braihante de algodo, corni 9 palm
de largura, para loOtes, vara a 15600.
Dito de linho, fazenda, muito supe-
rior, corn 4 larguras, vara, a 38000
Cretoai francez, corn 11 palmos4.d
largura, para lenc6es de' urn s6 paam,
vara a 1$600.
ANADENES PARA VESTDOS
a 500 r. o covado
Na nova loja do Pavro i rua Duque
de Caxias, vendem.-se as mais modern.
nas anadines eseocezas, de linho, para
vestidos de Sras., corn as mais lindas
c6res, a 500 rs. o. covado, assim cornme
maripozas muito finas a 400 e 440 r,.
o covado e batistes de muito bons Pe-
tos a 280 rs. o covado; isto na runa#
Queimado n. 55.

Gravatihas e manitas
.PARA SENHORAS
Na nova loja do Pavao vende-se un
grande sortimr to das mais' nodernas
gravatinhas e mantas para senioras, a94
sim como um grande sortimento d"
mais modernos punhos corn golinbm
bordadas e camizinhas corn punhos, '
grande sortimento de leques que ne
vendo tudo por pregos maito barate
isto a rua do Queimado n. 55.
CORTINADOS PARA CAMAS E JA-
NELLAS
a .78000, 8(000, 98000 e I010 o pad
Nva nova loja do Pavao i rofluD i
de Caxias, vende-se um grande Vr"
mento de bonitos cortinados borda.dla
proprinos para cama e ariellas, quome
vendemn de 75000atd 10$000 o-par, es*
do cortinados de muito gost, aa
como calchas de superior dmasmeOtSco
lat, Ai imrnitarao de seda, propina p
cama de noivos, que se vehdem a I2IS$
cada uma, na rua db Queimrnad .o W
CRETONES PARA SAIAS
vara a 4 $600
Na'nova loja do Pavao a ruta Duq
de Caxias n. 55. vende-se erete nao
cez, p rio npara saias, cott li I
de larpra, quecooq uAsI&Vlhs
Urat- saa.eoCm 2W.p .I:deTV*
Scomnimenda-se e^ta !11$
corpo e dera WWI,
pfeeo, do, %600 avitr v


- ;UA


" z'^
















W CAmpos :-.-Foi a lei
$q oiU1 do Impilradon. [Ha

SIISTRO 0: X O PERIO:-Ouago-
deoutadqs. Ainda presto
MtaEgstado I1M enaem AI constitui-
e especialmente A lei da regencia,
|, procedia, porque por esto
ei totdos Os direitos magestaucos tinham
assado iiflegralmente A S. A. Impe-
ral.aidAos] eesta os exercitou corn
ilfeniu indispensavel no jogo |regu-
lar d Inosso system politico.
SO"-SR. AFtONso CELSO: Mas que
Sel fez o ministerio se Sua Alteza ca-
ia da affirmaeao do pai ? [Ha ou-
tros $partes.]
0 SI MINISTRO DO IMPERIO:- Nao
s6 aeclaragio de Sua Magestade veio
ci arn as palavrak corn que sempre
seoenuaciorao ministerio, corno poz
. evMncia seo respeito A lei da re-
gencia; par conseguinte nao ha dezar
aigum pars o governor nessa declara-
c,9, nao import ella um reparo As suas
palavras, ou urma exautoragao. [Muitos
*Obiados.]
SOnobre deputado disse mais :-( cEs-
ta declaracao foi aldm, quiz dizer -
nao tive part algumia no goverQp, nMo
sou responsavel. D
Senhores, facamos justice inteira a
tcdos. Sabemos quaes os direitos que
oabe so Imperador, quer como poder
moderador, quercomo chefe do poder
executive; Sua Magestade conhece per-
feitamente a extens.o e limits desses
mesrnos direitos, e nMo quereria por
certo divulgar proposicoes ou phrases
das quaes sd pudesse concluir cousa
alguma contra a direc9ao supreme dos
negocias confiada asua imperial regen-
te. [Muitos apoiados da nmaioria, nao
apoiados da opposicao liberal.]
Quando ontra razao nao houvesse,
eta par si ,6 bastaria para nada sus-
peitar da alludida declaracao. (Muitos
apoiados.)
Demnais, a ficao constitutional de
queo ltmperador, estando acima dos
p rtidos a do manejo dos negocios pu-
cos.,. [Reclamacoes da opposicao
0ontra a epressao-ficcao.]
S0 SR. AVt.Nso CELSO: Ficao !
S0 SR. MINISTRY DO IMPERIO: E'
a express deque usou o Sr. Marti-
nho Ca os, e a expressao que em-
pregarn todos os publicistas sempre que
se reIereni ao papel quc a corOa exerci-
*afttalwma de governor.
O SaR-ANTAS : -Ficgao, o principio
cardeal do system!
0 SR. MINISTRY DO IMPERIO: E'
expressao consagrada por todos as pu-
blicistas, repito.
"0 SR. AFroNso CErLiSO : Tern razao
porque a verdade 4 que elle 6 o chefe
do partido.
0 SR. MINISTRY DO IMPERIO :- E' o
chefe do Estado [Cruzao-se muitos a-
partes.]
A ficc.o constitucional nao vai ate o
ponto de private Imperador do direi-
to de externar urna opinibo, estando
f~ra do exercicio das funcoes que Ihe
&ao proprias, e quando essas funccoes
eram-dsermpenhadas cam o mais ele-
vado criteria par S. A. Imperial Re-
gente. (Cruzio-se muitos apartes e o
Sr. presidente reclama attendeo.)
Se as dec oes imperiaes, pudes-
erm contrariar a polieia seguida pelo
governor, se ellas pudessem desautorisar
seus ?.ctos, o ministerio teria sabido
cumprir seu dever, mas nada tend o
ministerio que reclamar, entendo que


a questao levantada pela opposiao -na
interpellagao a que respond, fica por
este lado, sern o alcance que se Ihe pre-
tendeu dar.
0 SR. MELLO E MATTOS : Desnor-


FOLHETIM


OS FILHIOS DO MONFI
POR
FERNANDEZ Y GONZALEz
VOLUME II
PRIMEIRA PARTE
08 AMORES DE YAYE


(Co
(
A VINGAN
N'umrna ca
S go, no Albai
umnia hora a
que deixamo
Urna 'ell
tracdao n'um
impress.
Pizeraos
porque havia
es olhos fitoa
*a9 obstante
rtat de ter de
para que o ai
tempo de pe
&as duas pag
livro.
Por pouco
paginas podi
kyro era a hi
oV madis d
A4 dama er
SApezar de
q Iella manu
to daexi
4e : m D. hab
aquellas noti
S- preto dto
traste com a
rosta, tornau


ntinuageo do n. 240)
:APITULO VXI
ICA DE D. DIOGO DE VALOR
mara do palacio de D. Dio-
icin, velavarn duas iamas,
rites dos ultirnos successes
m referidos.
las lia comrn extrema dis-


0 Sa..N& DOI A:-- Quan-
to aos at : a jor "es- que
analysaram s plars imperies,
comprehende a camar4 que a respon-
sablidatde do governor nao chega ate la.
[Apoiados]..
J ura vez clMe!i ao governo s6
respnnde pelas declares do Diario
Official, au que tiverem character de
ofticises.
0 SR. FmANULIN DORIA : 0 Journal do
Commercio teni a mnesma torca.
[la outros apartes).
SR. ]fINISTRO DO IMPERIO: -Sa-
bern perfeitarnente as nobres deputa-
dos que no paim nao existed censura prd-
via ; nunca ningupm tentou, pern ten-
taria admittil-a; e se ella nao, existe
pars as adversaries do governor, poderk
existir par as seus amigos ? Cada um
aprecia os factos par sua conta.
(Apoiados).
A imprensa chamai a si, por exem-
plo, o que se diz desta tribune; mas
eu eatendo que noo nos 6 licito envolr
ver-nos na polemica dos jornaes, que
teem a sua esphera de ac.o propria.
(Apoiados e apartes).
Seo governor deve responder por es-
tas publicagoes, perguntarei a opposi-
g.o : respondera ella por todos os ar-
tigos de seu journal, ainda n*fesmo por
aquelles que sao dirigidos por mem-
bros da opposigao parlarnentar ? Se
nao quereis ou niaAo podeis tomar a res-
ponsabilidade, o governor por sua vez
I reserva-se a conducts que o sea ever
Ihe impoe. (Apoiados e apartes).
(Trocam-se muitos apartes entire va-
rios membros da maioria e da opposi-
..p liberal).
0 SR. MINISTRY DO IMPERIO: -Apel-
Iou o nobie deputad.Ao para o modo
por que se achamrn constituidas as di-
versas corporag6es do paiz, afim de
chegar as conclusdes que Ihe ouvimos.
Vamos a todas ellas e la encontrare-
mos membros proeminentes da parcia-
lidade liberal. -
O SR. MARTIN'HO CAMPOS: As ex-
cepgoes confirmam a regra.
O Sn. MINISTRY DO IMPERIO: Per-
corra o nobre deputado todas as nossas
grandes e pequenap corporao6es poli-
ticas, judiciarias ou administrativas ;
penetre na vast classes do funcciona-
lismo publieo do paiz, e-par toda par-
te encontrara na maior promrniscuidade
cidadaos de todos os credos politicos ;
no supremo tribunal de justiga, nas re-
lagoes, na n magistratura de primeira
entrancia, no senado.
0 SR. IGNACIO MARTINS : Quantos
existemrn hoje no senado ?
0 SR. MINISTRY DO IMPERIO: -Creio
que 16, mas muito naior nurnero temn
tido. Continuando, senhores, direi ao
nobre deputado que tambem no con-
selho de Estado existem importantes
membros de seu partido, e se maior
naio e hoje o numero, 6 porque muitos
delles se teem recusado a aceitar o car-
go. [Apoiados].
o Sn. MARTINHO CAMPOS: -No que
tern feito muito born.
O SR. MINISTRO DO IMPERIO : Par
consequencia, onde esta essa parciali-
dade, esse pendor que o ncbre depu-
tado attribuio ao chefe do Estado pars
um dos dous partidos ? Senhores, di-
ga-se a verdade; o que ouno e o quo
vejo escripto e ainla hoje repetido pelo
nobre deputado, e que todos appellani
parao Imperador, prova de que todos
confiam nos altos sentimentos de im-
parcialidade e justica carn que elle
esempenha suas importantes func-
coes ; e neor se deve confundir a pro-
ponderancia political do partido que go-
verna tendo do seu lado a maionia da


napo, attestada pela honrada maioria
desta casa que nos apoia, corn a par-
cialidade a que alludio o nobre depu-
tado. [Muitos apoiados].
0 nobre deputado, exigindo do go-


4, V
Aquelle sino, tangendo lugubremen-
te pelo eterno descanso dos que tinham
deixado de existir, lemibrou-lte a entr*
vista que tivera no jardimn cam d bo-
memr extraordinario d'aquella manhli.
D. Elviras pareceu sahir da ssua dis-
tracqao e rezo emrn voz baixa ; D. Isa-
bel acompanhou a reza.
Terminada ella, D. Elvira dirigio al-
gumas palavras seccas a D. Isabel.
Jasao hora3 de nos reoolhenmos,
minha irmnai, disse-lhe, pegando n'um
candieirinho e accendendo-o num can-
dieiro grande que allumiava o apo-
sento.
Pois recolhamo-nos, disse D. Isa-
bel, fechando o livro, e pegando n'uma
vela e accendendo-a tambem. Boas
noites, irmr.'I


i livro em folio, feiamente Comao se v4, no reinava a melhor
m intelligencia centre D. Isabel e D. El.
corn extrema distracqio, vira. As duas cunhadas sabiarnm da ca-
t muito tempo que tinha mars cada qual par sua ports diffe-
s no livro coma se lesse, erente.
, nao voltara a folha, ape- Pordmn nenhuma se encarninhou pars
.corrido tempo de sobra o sea aposento.
nais iphabil leitor tivesse D. Isabel assim que se achou nos
wcorrer dez vezes as linhas corredores apagou a vela, e por, utam
Onas ornde estava aberto o escada secrets desceu ao jardim, bu .
cando na balsa a chave da portinha
que se less n'aquel'as que alcangara durante o.dia, e verifi-
a-se perceber que aquelle cando se levava comsigo o annel que
istoria do famoso cavallei- par order de Miguel Lopez, sea espo-
e Gaula. so, devia entresr a Calpuc.
a D. Isabel de Valor. D. Elvira assimn que sabio da camera
Calpuc lhe ter dado n'a- apagou tambem a luz, atravessou as
hi noticias exactas a res- apalpadellas urna casa, metteu par ou-
stencia de Miguel Lopez, tros corredores, abrio uina porta e
*e tommunicaraa ninguem entrou.
icias, nerm largara o luto. Era a port dosaposentos de D. Dio-
Strajo fazia vigoroso con- go, onde havia a entrada secret do
pallidez que Ihe cobria o subterraneo em que Yaye estivera,
ido-lhe mnais transparent por assim dizer, preso.
Aehando-se na camera do esposo. D.
damna sentada A resama Elvira tornor a accender a luz n'uma
i um brago apoiaido n'ella lampada que ardia em frente d'urn Se-
oiado na mio,- estava se nhor Crucificado de madeira escul pi-
, ainda mais' pallia nque da collocada par cima d'umt genafle-
despedia dos nqgros olhos xorio, encamibhou-se pars a ports se-
imbnio e colerico. creta, e abrindotv, desceu a escada e
W de Cspedes, esposa poz.-se a escutar.
-Ningueoi, uftaiosta&ninguern, dis.


"Mo no long period
imperial; mae nessna s |ce
Exe. veio confirmar ainda ai
imp iadrco soberaoo.
pa elle, na.exsi& que
8, a seu mo, ,aiesegundo as vit
seu partido. .
0 SR. EUFRASIO CORREA :-Foi 'una
carta de amores muito perfumada.
O SR. MINISTRo DO IMPERsO :-Apre-
sentou-nos S. Exc. oestado d paiz
durante a apsencia irnperil,. .
0 SR. MARTINHO CAMPOSa: Mise-
rando -
O SR. MImsTRO DO IMPERIO :-.-.. Os
services do governor, o seu procedimen-
to na dpoca eleitoral, e depois, descen-
do a outros facts, fez sobre elles algu-
mas considerag5es.
0 SR. MARTINHO CAMPO(,-Exempli-
fiquei. ,
0 SR. MINISTRY DO IMPERIO: No
posso deixar de acompanhar o nobre
deputadoy ainda que ligeiramente, eM
algumas de suas observaSes.
Se o paiz nao alcangou grandes pro-
gressos, cam certeza seu estado Uao 6
menos prospero do que antes, da auiseIn-
cia de S. M. o Imperador.
0 SR. MARTINHO CAMPOS : pokeo
mais ounmenos.
0 SR. MfiNISTRO r 0a nO- InjwjUoR:-
as services caminharam ;. todos sot ra-
mos do service public form devida-
mente attendidos,. e em todo o caso
durante a regencia tivemos a satisfacio
de apresentar o paiz calmo e tanquillo,
sem perturbaV5es no interior, sevin0m-
plicaQ5es de qualidade alguma nas nos-
sas relaC5es exteiores, oflerecendo ao
mesmo tempo ao espirito public oppor-
tunidade de repousar das graves agita-
goes A que o traziam atido quest6es
bastante encandescentes aequ eserviam
de past a conflicts e discusses rehe-
mentes. [Apoiados].
O SR. MARTINHO CAMPOS:--No sei


quakes.
O SR. MINISTRY DO IMPEIO : --Uma
dellas era a questao religiosa.
0 SR. MARTINHO CAMPOS : Sobre
essa o Sr. Josd Bento responded a V.
Exc., disse que nao ha nada resolvido,
que ficava coma era, que ele quiz re-
solver, mas que a historic das conferen-
cias, onde s6 se fazia fumar, lh'o impe-
diram.
0 SR. MINISTRY DO IMPERIO: Fize-
mos uma-eleicao calmae na qual todas
as opinides encontraram a necessaria
liberdade pars manifestar-se, e ja nossa
tarefa parlamentar nao e t"o esteril,
comao se procura fazer crer. A lei do
orgamento dentro em breve tera com-
pletado as seus turnos de discuss ; e
quando outros trabalhos legislativos nao
tivessemos realisado, bastaria essa lei
par si s6 para destruir todos as concei-
tos coarn que e qualificada a grande
maaioria desta camera. Assim, pois, o
paiz nao retrogradou, a datar desse dia
do encontro no Desengano, que o nobre
dep utado ainda achou opportune trazer
a discussao.
Acredito que o nobre depg ido, fal-
lando ainda no prazo certo di ministe-
rio, fel-o comao urn recurso de tribune.
E permitta o nobre deputado que lhe
diga que depois da declaraQAo solemne
dodistincto leader liberal doi enado de
qua a historic dos tel impe-
rnaes dinigidos A Sua Alteo era apenas
urn recurso de tribune palarnentar,
am floreio oratorio [apoiados] em que
nunca tinham acreditado, eu e todos
estario em pleno direito entendendo
que muitas das proposigdes langadas
pelos nobres deputados sio ainda flo-
reios e recursos de tribunal, emprega-
dos como meios de opposigdo. [Apoia-
dos].
Sr. presideute, serial long acompa-
nhar o nobre deputado nas suas apre-
i L ,til l --i- MI--
e encostou-se A parede umn moment,
como sgpyrecisasse d'aqueUe apoio
para nao daebalear e cahir.
Mas tornando a si no maesmo instan-
te, gra'is a sua indomita vontade, aca-
boa de descer os. degraos, entrou re-
solutatnente no subterraneo e percor-
reu-o, chegando a outra escada que
ia ter ai casa do capitio Sedeno.
Em consequencia da escuridio e da
excitab o em que estava, D. Elvira pas-
sou serm reparwr n'ella, pela abertura
feita n'u.rna ft paredes do subterraneo
pelo monfi Harum.
Paros awm momentao no principio da
escada da oas do capitao, e manifes-
tando no rosto subita deeisio, subio.
DNpressa chegoun port socreta.
Por effeito do acaso, a ports ficara
aberta, e D. Elvira achou-se no mes-
mo instant na camara de Sedeno.
Par urn moment teve medo de pas-
sar adiante. Achava-se n'sma estra-
nha casa. Pormrn o estadeo de D. El-
vira era terrivel. Aposaarese d'qlla a
febre, mas a febr que nat organisa-
coes vigorosas produoem a raiva e o
desespero. '
MNo parou e eorreu a casa do capi-
tao ate chegar a uma portas exterior.
Coma se Deus nia lIhe tivesse que-
rido ailgmentar o terror, ;D. Elvira,
passara mais d'uma vez pela ports da
camara mortuasia, onde jazia D. Ignez
de Cardenas, ser que lhe occorresse
que havia ali urn aposento ond. nao
entrara.
Causou-lhe, aim, admracao o ver
access as luzes do vestibluo n'urna
casa onie nao estava ningaem.


Para verificar se aquella rande port
dava para a rua ou par aitgum pateo
interior, o que podia .muto bemrn er,
correu os ferrelhos eabre urn dos
postigos.
N'aquelle 'Aibmento arretuetteu para
a. porta unit Momem oa csvallo,w e ir
pouco nao stroke a -. Elvira jquo*w
art passo atraz, ebixau cahir a arapa-
.a44 s tou urn .i'rito dejr'ror so re-
.eoihella~al.aK!lrQ~l


ra nos proanunciarmos. Dei-
pIo3 a esphera que Ihe 6 pro- S
0 poder judicial, contra o qual ou- r
Scom- efleito articular acorbas queixas;
St de 6 que nestes tribunaes f
te4.a" to maagisrrados de opini6es
onecidas em ambos os parties, e, s
ois agaranti para todos, em as- f
unmptodtaes, d perfeitamente igual.
0 SR. CESARIO ALVIM: v-Mas eram c
queixas justas ou injustas?
O Sit. MINISTRO DO IMPEFRjO: Nao s
emitto opinion ; consigno apesas o fac- d
'o, urna vez que o nobre autor da in-
terpellaci0 o chamou A discussio. r
0 nobre deputado, referirdo-se mais x
especialmente A provincia do Parana,
depois de repetir queixas jA muitas ve-
Aes articuladas mesmo par S. Exe. i
nests casa, apontou um facto que exige
da parte do governor refutalo.
0 nobre deputado labor em corn-
pleto engano quando attribne ao com- (
mendador Manoel Antonio Guimardes (
copartigao no desembarque de africanos
em Bacuhy.
Este desembarque deu-se na provin-
cia do Rio de Janeiro, e o commenda- t
dor Guimaraes reside no Parana, 6 filho
daquella provincia e nao teve a menor
part nesse facto. [Apartes].
.0 negoci0 da fortsleza a que o nobre
deputado quiz referir-se, honra sobre-
modo ao commeadador Guimaraes...
O SR. EUFRASIO CORRPA :-Apoiado.
O SR. MINISTRY DO IMPERIO :-... as-
sim como honrou a todos aquelles que
nelle tomaram parte.
Havia dous barcos em ParanagmA,
suspeitos de empregarem-se no trafego
de africanos. Um cuter inglez entrou
ahi para aprisional-os diarite do corn-
mandante da fortaleza; este resistio,
pedindo o concurso do povo, porque,
como sabe o nobre deputado, as nossas
fortalezas nao estavam nessa dpoca ar-
madas em condig6es regulars [apoia-
dos] ; o povo de Paranagua apresentou-
se, auxiliou a resistencia e o navio in-
glez nao p6de realisar o aprisionarnen-
to. E' este o facto de Paranagua.
O SR. ANDRADE FIGUEIRA :-Que mui-
to honra Aquelles distinctos brasileiros.
0 SR. MINISTRY DO IMPEIuO :-E' ver-
dade que o commendador Guimaraes
foi ultimamente elevado a barAo ; mas
ha mais de 33 annos que conhego o
commendador Manoel Antonio Guima-
iaes como homemn influence e prepon-
derante na cidade de Paranriagua, e pres-
tando continuadamente servigos a todos
os governor, mesmo aquelles a quern
nao acompanhava.
0 SR. EuFRASIO CORREA :-E foi elo-
giado pelo governor liberal por ter apre-
sentado voluntarios fardados.
O SR. MINISTRY DO IMPERIO : Foi
condecorado, e ainda por occasido dos
bons services prestados na sua provin-
cia para a exposingo, tendo todos os
seus companheiros sido agrciados, elle
o nao foi, porque jat era condecorado
corn a ordem do Cruzeiro, commenda-
dor da de Christo e dignitario da Rosa,
e so se lhe podia dar o titulo de bar.o.
O nobre deputado fallout tambem no
10 vice-presidente e accusou o governor
por ter norneado um individuo parents
do candidate. Devo declarar ao nobre
deputado que o Dr. Agostinho de Leao
foi norneado 1 vice-presidente no do-
minio liberal. Deu-se 6 verdade o fac-
to, que nao me parece regular, de nao
aceitar a vice.presidencia; mas isto se
explica pelo desejo de nao prejudicar a
sua carreira. -
O SR. EUFRASIO CORREA: E' umr


magistrado muito digno, minuito honra-
do, que semnpre tern sabido manter a
dignidade da t6ga.
0 SR. FLORENCIO DE ABREU :-Quem
6 que estai cornm a palavra?
0 SR. EUFRASIO GOBRA& :-Eu creio

Tendes razio em vos mostrardes
aterrada, porque sei de v6s algumas
cousas, que melhor seria nao as ha-
verdes praticado.
Cornmo a maioria das mr.ulheres, D.
Elvira tinha extrema facilidade em se
dominar, e por isso tornou a si e re-
plicou a D. Diogo:
Nao comprehend o que quereis
dizer, esposo e senhor.
Que fazeis aqui, senhora ? per-
guntou D. Dibgo apeiando-se e pren-
dendo a redea do cavallo a urna ar-
gala da porta.
Em verdade que noo sei, respon-
den D. Elvira apanhando do chlo cam
muita serenidae o caneeieiro. Ao ver-
vyos de repent fiquei surprendida, por
que nao esperava encontar-.vos n'uma
casa, oade eu mesa me admire rMui-
to de me achar. Accendei o meu can-
dieiro n'umna d'essas lanternas e se-
gui-me. Tenho cousas importantes
que vos commanicar.
Surprendido do aprumo corn que D.
Elvima lIhe fallava, mostrou-se cam ella
coma se nunca 0 tivesse offendido, pe-
goa machinalmente no candieiro, ac-
cendeu-o e entregou-Wlbo. -
Retiremo-nos d'aqui, dime ella, e
vamos para nossa casa.
AhI! tends quo me revelar... sue-
cessos importantes? disse D. Diogo
mal reprimiado a sua icolera.
-Sim, tenho; mas antes de tudo
dizei-me ; porque razao havendo estado
um mez ausente, vindes primeiro a
esta casa do que a. vossa?
Tinha motives para pretender
chegar a certo ponto da minha casa
serm ser presentido.
WAh e a que' p9nto de vossa casa
queries chegar sem ser presentido,
cavalheiro ? na vedade,piAo compre-
hendo a raziao de tanto mysterio, salvo
se me querieis dar o gosto de rna
surpreza.
Simr, 4 im D. Elvira, queria
surprender-vos -1
E effectivarnente surprendestes-
me aipreentando-vos n'uni lugar e
W'ima iaccfaiao ema aue de coeto n1i


ousntnu o hiH-A deputado porque ten-d
So-se feito *eleicAo no Amazonas nao s
se fez tambem em Pernambuco, na Pa- -r
rahyba e Paranai. t
Senhores, a eleicio no norte nao se i;
fez em consequencia da secca. s
OSR. MARTINHO CAMPOS:--A eleicao z
secundaria tern alguma cousa corn a
fo.ne?
0 Sn. MINISTRY DO IMPERIO :-Tem,
rom as difficuldades das commun.a-
es, e cornm o estado afflictive -erm que r
se.acham aquellas populagoes. [Apoia e
Los]. e
Quanta A provincia do ParanA per- c
nitta o nobre deputado que eu me quei- g
xe de S. Exc. a
O SR. MARTINHO CAMPOS :-V. Exc. c
diga trancamc.iteo que se passou entire
n6s. r
O SR MINISTRY DO IMPERIO :-0O no- v
bre deputado nao deixou de concorrer F
para a demora da eleicao, apresentan r
do-me a conveniencia de se fazerem as |
eleicoes que tinhamn sido annulladas,
para depois se fazerem as eleic6es se-
cundarias. I
OSR. MARTINHO CAMPOS :-Eu mos-
trarei porque foi a demnora. 4
O SR. MINISTRY DO IMPERIO :--O no- j
bre deputado insistio ainda na censura
da esterilidade da present sessAo. Esta
esterilidade, coma a que incutca o no-
bre deputado, nao 6 caso novo no nosso
parlamento.
Nao somos dos mais modernos nesta
casa, para onde entramos juntos a pri-
meira vez, e ha de se recorder o nobre
deputado de que temos vista encerrar-
se duas sessoes reunidas sem orgamen-
to, em dominios de outros, ao pass
que agora, apezar do largo period con-
sagrado i verificaco de poderes, temos
toda esperanta de encerrar o parlamen-
to, munidos daquella important lei.
(Muitos apoiados).
E demais, quaes eram ou quaes sao
essas grandes reforms, pelas quaes o
paiz se mostre impaciente? Senhores,
todos as povos teem as soeus periods
de transformagio, e logo que recebem
o influxo das idWas novas, aguardamn
calmrnos as resultados e os beneficios
promettidos e almejados. Quaes novas
reforms tinhamos n6s soffregamente a
tentar depois daquellas par que passou
o paiz em recent data ? -N
Em todos os paizes, mesmo os mais
adiantados, passam-se sessoes inteiras
sem que se trate de reform alguma.
Lance o nobre deputado suas vistas
para o period que actualmente atra-
vessam todos os parlamentos da Euro-
pa, e diga-me qual 6 a questio impor-
tante que nelles se ventilla.
Em nenhum delles o nobre deputado
apresenta uma questao de maior vulto,
a n.o ser na Hespanha, cuja grande
preoccupagAo 6 ainda a sua reorga-
nisagao internal.
O SR. MARTINIO CAMPOS da. um
aparte.
O SR. MINISTER DO IMPERIO :-Ora, o
facto que se da em todos os paizes, facto
normal, nao podera dir-se tambem no
Brasil, sob o imperio de circumstancias
igualmente relevantes ?
E depois, tinhamos uma grave ques-
tao a resolver, questao a que a propria
opposico ligou a maior importancia, a
questao economic, que era a nossa
delenga Carthago. Empenhando todas
as nossas forcas e invocando o patrio-
tismo das cameras e do paiz, nao temos
n6s attingido o resultado a que nos pro-
puzemos? (Muitos apoiados).
Sr. president, depois das declara-
c5es francas e sinceras do nobre minis-


tro da fazenda, eu nunca esperci que o
nobre deputado voltasse A questao de
que por ultimo se occupou.
A justifica&o do procedimento do
meu illustre college estA na propria ac-
cusagdo; assumindo toda responsabi-

go Alvaro de Sedeno ? Ignorava ema
verdade que morasse tdo perto de n6s
que podesse p6r-se em commnnicapio
eomnosco. Fizestes rmal em nao me
prevenir d'isso, porque...
Andai, andai, senhora, e calai-
vos, basta dardes o escandalo 4e ser
encontrada n'uma casa, onde nko~conm-
prehendo porque razao estais. Nao
a precisio de que alguern saiba dos
nossos particulares.
Podeis ficar socegado, disse D.
Elvira ; ninguem noat escutarA, porque
esta casa esta deshabitada.
Deshabitada!
D. Elvira tomou pela escada princi-
pal, e D.. Diogo seguio-a, dominado
pelo que succedia de extraordinario.
Ambos preoccupados corn a extraor-
dinaria sitiao eam que se achavam,
esqueceramn-se de fechar a port da
rua, e tomararn em sileqcio pela esca-
da acima urn atraz do outro,
D. Elvira metteu pelos corredores,
e d'ahi passou a urma ante-camara, onde
antes na entrarai
Havia alli urn intense cheiro de c6ra
queimada. t
Era a ante-camara antrior aiquella
onde D. Ignes o ra.
D. Elvira continuou 4 avanoar,, e
achou-se no aposento mortuario.
Havia em cirna da mesa duas velas
access qae projeatavam mortiga luz
sQbre o leito.
Esta aqui urna rmulher a dormir,
disse D. Diogo.
D. Elvira deitou urn olhar pars o
leito, e mais perspicaz que o marido
soltou urn grito de horoir.
Essa mulher esti marts! excla-
.orta! exclamou D. Diogo arran-
cando o candietro da m0o do D. Elvira
que ficara hirta de plvor, e approxi-
mando-'se do leito. Mrta sirm, mar-
! fmas... quernm6 eesta mulher ?... ah !I
a morte cruza-se no me caminho
quando venho buscar urma prova da
minha deshonra I
- Da vqssa deshonra! Iexclarno uf D.
lviprs. 'Wm tom indefiivel. '
S$im, sept-me, senhora, se-
.^ i ^ 0,%bWI.'s


w tornava, par ,seu p iz#.e
recedor de urn eastigoOx.nW. o
odos os meus colleges tesNiho da
senvao e energia corn queen ,ho
e pronunciou o nobre minBttr -i fa-
enda.
OS SRS. MINISTRY DA JUSTIA F4 DA
ARINIHA- Apoiado. ?
o0 SR. MINISTRY DO IMPERIO Per-
funtou o nobre deputado se o ministe-
io continuava. Senhores, me parece
ascusada a resposta. 0 ministerio esti
Om sea pasta e continuarA em quanta
contar, como conta corn o -apoio de
grande maioria desta camera (muitos
ipoiados da maaioria), emquanto mere-
:er a confianga da coroa (apoiados.)
Terminando, nao posso deixar de to-
nar em considerabo algumas pala-
vras hontem proferidas pelo, nobre dBe-
)utado, quando nos perguntavoksq;
ria ou nao alijado do minister -.,
bre Duque de Caxias. ,!
Declaro muito cathegoricamot eW.
meu nome e no de tods os mei ol-"
egas, que se temos considered& o
o primeiro entire n6s o nobre Dq ad de
Caxias, entendemos que no c o ali-
jarnento elle sera o ultimo. (Mito a-
poiados; muito bern, muito bei.)
Dando o Sr. president a palavra ao
Sr. Silveira Martins, reclama a prefe-
rencia o Sr. Eufrasio Correa, que a ha-
via pedido durante o discurso do Sr.
Martinho Campos.
O Sr. President, observa que os
oradores se devem Alternar, ao que re-
plica o Sr. Eufrasio Corra, dizendo
que nao havia declarado se fallava con-
tra ou a favor.
Depois de mais algumas explicagoes
0 Sr. Silveira Martins comera
dizendo que a reclamado do Sr. depu-
tado pelo Parana 6 a prova do 9spirito
de justiga e tolerancia que Anima a
maioria, e depois de replicar a urn a-
parte do Sr. Eufrasio Correa, em que S.
Exc. expfica a razio da sua insistencia
pela palavra, resume a conclusao do
nobre ministry do impeiio: de que
o governor se conservarA em suit posi-
gdo emquanto contar coma conta corn
o apoio da grande maioria da camera,
e tiver a confianca da coroa.
(Como membro da opposiao nao
censura o ministerio para que se reti-
re algumn dos ministros; antes quer
que continuando a situago coasnerva-
dora, continue o ministerio."
Se este se retirar, deve retirar-se a
sn maaioria, porque 6 urn partido im-
potente que sustenta urn ministerio
incapaz, uma situaao esteril, que nao
tem razao para occupar os altos cargos
do Estado e dar o seu usa fructo a al-
guns privilegiados. corn quem o poder
discricionariamente as reparte sem at-
tender As altas conveniencias publicas.
O Sr. ministry do imperio responden-
do A interpellaqdo, mostrou atd ai evi-
dencia que o ministerio nao esta na al-
tura das circumstancias, e que a maioria
nao sabe comprehender as verdadeiros
interesses do paiz.
Disse S. Exc., dominado pela verda.
de dos acontecimentos, que o principie
que considera a coroa acima das lutas
dos partidos era uma ficcao constitu-
cional.
0 governo e de quem lern a respon-
sabilidade. A coroa e irresponsavel,
porque naio actua, porque nao gover-
na; mas se governa tern entao a res-
ponsabilidade.
Mas porque motive decretou a lei,
este privilegio, que seria importantissi-
ma, se nao f6sse aconselhado pelas
grandes conveniencias publicas? Foi
para greater a ordem, paii' solver todos


os problems, que so agitam na opi-
nido, sem os abalos sociaes, que sao re-
presentados pela forga, pela violencia,
pela revolugao. (Continuar-se-ha.)

voltou par uma portinha, e seguindo
por umra pequena passage, entrou no
aposento do capitol Sedeno, e enca-
minhou-se para*-a porta secret.
Estava aberta.
Entrastes por aqui, senhora ? per-
guntou.
Entrei par aqui, responded D.
Elvira em torn duro e-severe, como so
quizesse pela entoag.o da voz protes-
tar contra a maneira brutal corn que
D. Diogo a arrastava.
E quem vos disse que existia
esta comrnmunica&o secret corn a nossa
casa ? perguntou D. Diogo em torn nao
menos duro e severe.
Ninguem m'o disse, eu e que a
descobri.
V6s e que a descobristes mas
coma ? nao me parece natural; ha al-
guma distancia d'aqui ao aposento sub-
terraneo...
Nio a descobriria, se Sidy Yaye
nao tivesse desapparecido.
-Sidy Yaye desappareceu! exclamou!
D. Diogo em tom indescriptivel. Quer
dizer que vos fugio !
So vos posso dizer que esta noite,
quando Ihe trazia a ceia, encontrei o
aposento abandonado. Deiua a por-
ta bern fechada ; ninguem conhpce a
entrada do subterraneo por nosscas
senAo n6s dous. Yaye devia ter fugido
por outra parte. Importava-nos dema-
iado esse mancebo para que eu nao
procurasse indagar coma podia ter fu-
gido, percorri o subterraneo. No
aim do subterraneo dei corn aSta esca-
da; no tim da escada depavei con esta
port aberta; orri today a casa, me-
nos 6o aposento onde virmos o cadaver,
e nao encontrei ninguem. Cheguei ao
pateo, e.. abri machinarmenet porta.
Parade certo verdes *oavosso
formoso Yaye se afastava ai salvo, dim
D. Diogo movido, duml auspita.
Oh! siam, vejo n'isto a a do smon-
fies ; O quizestes q.ue o oO te
estivef pri .-de w q.4
Elvimr verdadaidm


-S ..-


! J




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXEFIX3YS_68Z2Q7 INGEST_TIME 2014-05-03T23:04:04Z PACKAGE AA00011611_14177
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES